Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09329


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ai mnj4imM m
.tHt MM OH.HI 10 1S31 JTZ38 fKMlaUlJUf Id'OIJT*I
m
-.< ib V I
1......1II
A- -' .-. -
i -
I
Porireswzcsidi.iUtos 5
Por trw eies yencMos 6|00
....
.....


MU 5 BE JftBMItttt^

i.


i.
->> -

V'-f /.V: VI)
I H(J
Por *ni adiantado 19)000
Ptrlt fraica para subscriptor.
, -
Ja Obi
.

1 1
L
T .
bNCARIIGADOS DA SUMCRIPCAO DO NORTE
Parahiba, o Sr. Antonio Alexaodrino de Lima ;
Natal, o Si. Antonio Marques da Silva ; Araca-
y, o Sr. A, de Lemos Braga; Cear o Sr. J. Jos
da Olireira; Maranhao, o Sr. Manoel Jos Mar-
tios Ribeiro Guimares; Par, o Sr. Justino J.
Ramos; Amazonaa, o Sr. Jernimo da Costa.
^__________- --___________ _________ a ~3~~ ~~--------lj
PARTIDAS DOS CHHttlUs,, =*
llinda todos os diaa as 0 1/2 horas do_'dia.
guarass, Goianna a Parahiba as segundas e
extas-feiras.
S. Antao, Rezerros, Bonito, Ciruar., Altinho e
Garanhlins as tergas-feiras.
Pao d'Alho, Nazaroth, Linroelrol Brejo, Pe>
queira, Ingazeira, Flores, Villa-Bella, Boa-Vista,
Ouricury e f x oas quartas (eiras. s
Cato, Sertnhaem, Rio Formoo, Una, Barreiros,
Agua Preta, Pimenteiras e Natal quintasfeiras.
(Todos os corraiopartem aa 10 horas da manha)
' EPHEMETUDES DO MIZ DE JULHO
7 La ora as ti horas 56 minutos da tarde
15 Quarto erescenta os 28 minutos da manha'
21 La cheia as 9 horas e 46 minutos da tarde.
19 Quarto mioguanta aa 5 horas e 31 minutos da
tarde.
PRBAMAR DK BOJE.
Primeiro as 2 horas e 30 minutos da manhs.
Segando as 1 horas a 6 minutos da tarda.
i.....ii i
. .-
DIAf DASMAHA -
,.
1 Segunda. 8. Theodorico ab.; 8. branlo m.
3 Terca. Viiitsgfo de K.SeohYa i S. Isabel.
3 Quarla. S. Jacintho m. ; S. Heliodoro b.
4 Quinta. S. Isabel rainha de Portugal f. .
5 Sexta. S. Philomena r. ; S. Tryfina m.
6 Sabbadc S. Domingas v. m.; S. Izaias prof.
7 Domingo. Festa do precioso sangue de J. C.
AUIMIMU1AS uua IMlsUJNAkA UA tAPlTAlTNCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SM-
Tribunal do eommereio ; segundas a quintas.
Relacao: tercas, quinta* o sabbados as 10 horas.
Fazenda; tercas, quintas e, sabbados as 10 horas.
Juizo do eommereio : quartas ao mel dia:
Dito da orphos: tercas e sextas as 10 horas.
Primeira rara do sival: tergas sextas se meio
dia.
Segunda rara do eivel : quartas a sabbados a 1
hora da tarde:
Alagoaa, o Sr. Claudino Falcao Das; Baha
Sr. Jos* Mirtina Alvos ; Rio de Janeiro, o St'
Joo Psrelra Martina.
EM PERNAMBUCO.
O proprietario do diario Manoel Fgueino, ,
Parlaba sus lirraria prega da Independencia na
16 8.
HtTE.BFFlCllL
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do da de julho.
OfBcio ao Exm. presidente do Cear.-r.Geromu-
nico V. Exc. que era aviso de 22 de junho ul-
timo declarou-me o Exm. Sr. ministro da guerra
haver expedido orden para serem fornecidos pelo
arsenal de guerra da corte as duas espadas cora
baiahas de ferro e accessorios que en virtude do
aviso de 18 de agosto do anco passado liona o
arsenal de guerra.desta provincia de remetter ao
corpo de guarnigo dessa. *
Dito ao Exm. presidente das Alago. Solicito
de V. Exc. a expedicao das convenientes ordens
para que sejam transportados em um dos vapo-
res da compiohia baham dessa capital para a
cidade do Penado por conta do ministerio da
guerra 12 caixes com ariigos de firdamento per-
teacentes ao corpo de guarnigo desta provincia,
dos quaes est encarregado o alfares Joaquim Jos
vias dos documentos de despeza do hospital mili''
tar relativas ao mes de maio ultimo, bem como
copia do parecer da junta de saude, approvaodb
essa despeza.
Dito ao raesmo.CommuDico V. S. que em
aviso de 22 de junho ultimo declarou-me o Exm.
Sr." ministro da agricultura, eommereio e obras
.publicas ter solicitado do ministerio da fazenda
a expedicao das convenientes ordens a Qm de ser
posta disposigo desta presidencia a quantia de
cem mil ris mensaes para pagamento da grati-
Qcago do engenheiro \V. J. Lrndsay, contratado
para servir de ajudante do engenheiro encarre-
gado das obras dos ministerio do imperio e ma-
rinha nesta provincia.
Dito ao inspector da tbesouraria provincial.
Communico V. S., para seu conhecimento e
direcgo, que, tendo em vista a sua inforffiago
de 27 de junho ultimo, sob n. 279 acabo de auto-
risar a directora do collegio das orphas a com-
prar o enxoval designado na tabella n. 4 annexs
aos respectivos estatutos,-aQm de effectuar-se o
casamento de Antonio Candido de Nogucira com
a orpha Eugenia Thereza GooQslves cojo dote

Luiz de Souza.
OiSciou-se ao gerente da cempanhia pernam- 3er^ P*g uea thesouraria logo" que se effectue
bucana para mandar transportar os referidos ca- esse casamento.
xdes at Micei, e deu-se sciencia ao coronel
commandante das armas.
Dito ao Exm. baro de Monte-serrate, presi-
dente do supremo tribunal de justicaCom o
ofBcio de V. Exc. de 29 de maio ultimo recebi
tres exemplares impressos da lista de antiguida-
des dos juizee de direito, que requisilei para
completar a dostribuico nesta provincia.
Dito ao coronel commandante das armas.
Respondo ao offlcio, n. 1003, que V. S. me di-
rigi bontem declarando-lhe que pJe demorar
a ida do Dr. Francisco Antonio Fernandos Janior
para o corpo de guamigao, bem como a dos
soldados que derem ser tratados no centro da
provincia, at que cheguem os facultativos mili-
tares, que se esperare.
Dito ao mesmo.Para cumpriroeoto do dispos-
to no aviso da repartigo da guerra de 12 de ju-
nho ultimo, qu6ira V. S. informar cerca do in-
cluso requerimento em.que os segundos teen tes
do 4 batalhao de artilharia a p Joaquim Jos
dos Reis Lima e do Ia da mesma arma Paulino
Francisco Paes Barretto pedem troca de corpos
entre 9i.
Dito ao mesmo.Para eumprimento do dispos-
to no aviso de repartigo da guerra de 17 de ju-
nho ultimo faz neceasaxio que V. S. me envi
urna guia de soccorrimeoto com declarago das
prestagdes de voluntario, a que tem direito o 2
cadete sargento quartel mestre do 10 batalhao de
infamara Jos Vicente Luiz da Siiva, como re-
quisitou o commandante da oschola do tiro de
Campo Grande, onde se acha praticando o dito
cadete.
Dito ao mesmo.Transmitto V. S para ter
o conveniente destino, a f de officio do alteres
Joaquim Guedes de Miranda, que pertencia ao
corpo de guaroige do Maranhao e foi transferido
para o 2o batalhao de infamara.
Eaviou-se para o mesmo lim a guia do soccor-
rimeoto do cabo de esquadra Claudioo de Souza,
bem como o processo^do cooselho de direegao
para a qualiQcago do 1 cadete do sold da com-
panhis lita de cavallaria Justino Carneiro de
Almeida.
Dito ao mesmo.Dou sciencis a V. S. de ter
sido approvado, como declarou-me o Exm. Sr.
ministro da guerra em aviso da 11 de junho ul-
timo, a licenga que conced ao alteres do 91 ba-
talhao de iofaotaria Manoel de Ferias Lemos para
residir na comarca do Bonito, visto ser mo o
estado de sua sade.Deu-se tambem sciencia
thesouraria de fazenda.
Dito ao mesmo.Queira V. S. ministrar os
esclarecimentos que exige o Exm. ministro da
guerra no aviso de 8 da junho ultimo, coostanje
da copia junta, cerca do soldado Acacio Leandro
de Souza enviado para a corle como desertor do
batalhao do deposito da corte em Janeiro deste
anno.
Exigio-se tambem a remessa da certidao de
assentamentos que tiver no 2 batalhao de infan-
taria o 2 sargento Vicente Ferreira Lopes, a fim
de ser satisfeilo o aviso da guerra de 21 de ju-
nho lindo.
Dito ao capito do porto.Mande V. S. por
em liberdade o recruta de marinha Antonio Fer-
reira de Araujo, por ter provado isengo legal.
Dito ao sesmo.Com este ofBcio ser apo-
sentado V. S., para ser inspeccionado, o re-
cruta de marinha Manoel Joaquim de Sant'Anna.
Communicou se ao chefe de policia que o
enviara.
Dito ao coronel do corpo de policia.Expega
V. S. as suas ordens para que na manha do dia
3 do corrente seja posta disposigo do Dr. chefe
de policia urna escolta de cinco pragas do corpo
sob seu commando, aflm de conduzr dous cri-
mineso3 at o termo de Serinhem. Partici-
pou-se ao chefe de polica.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Transmiti por copia V. S., para seu conheci-
meoto, o aviso de 7 de junho em que o Exm. Sr.
ministro da minha nao so me communica ter
sido approvada a deliberagio, que tomou esta
presidencia, de mandar pagar diversas aespeaas
relativas s rubricasobras e navios desarma-
dosmas tambem declara que no augmento de
crdito concedido por aviso de 16 daquelle mez
acha-se incluida a somma necessana para fazer
face a essas despezas.
pito ao mesmo.Mande V. S. pagar ao enge-
nheiro W. Martineau oque se lhe estiver a de ver
de aeus veocimentos por conta dos ministerios
da marinha e imperio ata o fim do exereicio de
1860 a 186l.-iCommuoioou-se ao mesmo enge-
nheiro.
Dito ao mesmo. Por aviso de 11 de junho
ultimo approvou o Exm. Sr. ministro do imperio
o acto desta presidencia pelo qual foi o Dr. Lu-
ciano de Moraes Sarment encarregado do trata-
mento dos indigentes acommettidos da febre
amarella na freguezia de S. Lourenco da Malta,
mediante a graticagao de 15$000 res diarios: o
que commico V. S. para seu coohecimento.
Dito ao mesmo.Tendo sido approvada, como
declarou o Exm. Sr. ministro do imperio em
aviso de 25 de junho ultimo, a deelaragao que
esta presidencia tomou de mandar pagar ao con-
selheiro Jos Rento da Cunha e Figueiredo os
seus ordenados de lente da faculdade de direito
do Recite e de delegado do director general das
trras publicas, contados de 28 de marco a 12 de
maio de 1860; asstm communico V. S. para
seu conhecimento.
Dito ao mesmo.Communico V. S., para seo
conhecimento, que, segundo consta de participa-
res da secretaria de estado dos negocios da agri-
cultura eommereio e obras publicas, datadas de
7 de junho ultimo, em consequencia de demia-
ses dadas a Valeriano Beserra Cavalcante o Joa-
quim Gongalves Ayres foram nomeados por per*
taria daquella data Joaquim de Siqueira Barbosa,
e Manoel do Nascjmento Casado Lima,.o primei-
ro para o lugar de agente do correio da villa de
Pesqueiras e o segundo para o da de Villa-Bella,
cada um cea o vencimento de 50 pox cunto do
rendimenU das respectivas agencias, %en3o-lhes
fixada a gritiicago de 120JO00 ananaes, par*,
liles eer preenchida no caso em que peras por-
centagens as nao prefagam. Fe-se idntica
communicagao ao adruioistrador do correio.
.Djto ao mesnjo.-Tlr los dos Prazeres do Espirito Santo.Informe
o Sr. Dr. chefe de polica.
Joanna Marta da Gonceigo.A' vista da infor-
magp nao tem lugar o que requer.
Joo Caetano Coelho da SilvaInforme o St.
Dr. juiz municipal do termo de Caruara.
Manoel Joaquim da Silva. A* vista da infor-
macao nao tem lugar o que requer.
Manoel Antonio da Silva Moreira. Informe
com urgencia ao commandante superior da guar-
da nacional deste municipio.
Manoela Mara do Nascimento. Sellado este,
e o documento, que junta sem sello, volte que-
ro n do.
INTERIOR.
Dito ao mesmo.Em vista das Inclusas coritas
maode V. S. pagar companhia de Beberibe a
quantia de 189200 rs. proveniente do forneci-
mento de agua secretaria do governo e re-
partigo das obras publicas, a contar do 1," de
abril a 30 de junho ultimo.
Dito ao mesmo.Annuindo ao que me requl-
sitou o chefe de policia em officio de hornera,
sob n. 598, recommendo V. S. que, em vista
da inclusa conta, maode pagar ao tente coro-
nel commandante do corpo de policia a quantia
de 140480 rs. despendida desde Janeiro al junho
deste anno com o foroecimnto de agua aos pre-
sos recolhidos pela policia ao quartel daquelle
corpo.Commuoicou-se ao supradito comman-
dante.
Dito ao mesmoRecommendo I V. S. que
mande pagar a quantia de 86,880 rs., .em que
impertam asalarias fornecidfs desde o 1. de
Janeiro at o ultimo de junho, ludo deste anuo,
aos dous calcetas empregados no servico do
quartel do corpo de policia como se v da inclusa
folha que me foi remettida pelo commandante
daquelle corpo com officio do l. do corrente, sob
n. 296.Communicou-se quelle commandante.
Dito ao mesmo.Ao procurador do delegado
do termo de Flores, maode V. S. pagar, confor-
me requisitou o chefe de policia em ofBcio de
hontem, n. 594, a quantia de 313 em que, se-
gundo a conta junta, que vai coberta com officio
do respectivo juiz de direito, importara as despe-
zas com o sustento dos presos pobres da cadeia
daquelle termo no mez de Janeiro ultimo.Com-
municou-se ao chefe de policia.
Dito ao director do arsenal de guerra.Mande
Vmo. entregar ao agente fiscal da Parahiba Jos
Joaquim de Lima duas das pastas que existem
promptas no almoxanfado desse arsenal, como
Vmc. declarou em seu officio de 27 de junho ul-
timo, ficando Vmc. corto de que nesta data soli-
cito ao Exm. presidente daquella provincia a ex-
pedido das convenientes ordens para ser o mi-
nisterio da guerra indemnisado da respectiva im-
portancia, visto que sao ellas destinadas repar-
tigo de policia.Fez-se o expediente preciso.
Dito ao mesmo.De coDformidade com o dis-
posto no aviso da reoartigao da guerra de 12 de
junho ultimo, oroega Vmc. a enfermara do cor-
po de guarnigo da Parahiba e aos depsitos uo
artigos bellicos daquella provincia, e do Ro
Grande do Norte os objectos mencionados em as
notas juntas por capia sopia sob n. 1 a 3.
Dito ao director geral da instruegao publica:
Tendo indeferido em vista das ioformages dessa
directora de 14 de maio ultimo, sob ns. 159 e
160, os requerimentos em que Cosma Joaquina
de Lima Nunes e Claudiana Nativa do O' e Santos
pediam ser prvidas independente de concurso, a
primeira na cadeira de instruegao elementar de
Olinda transferida para a freguezia de Santo An-
tonio desta cidade, e a segunda na de S. Frei Pe-
dro Gongalves do Recite ; assim o communico
Vmc. para seu conhecimento, a a fim de que
mande per quanto antes em concurso as referidas
cadeiras.
Dito ao gerente da companhia pernambucana.
Mande Vmc. dar transporte para o porto de Ta-
mandar, em lugar destinado para passageiro de
estado, ao teoeote reformado do exercito Joaquim
Jos de Souza.Communicou -se ao coronel com-
mandante das armas.
Dito ao Sr. R. Austin, superintendente da via
frrea.Para que eu possa resolver acerca do in-
cluso requerimento, faz-se necessario que o Sr.
R. Austin me declare, se lhe fdr possivel, a que
corpo da guarda nacional pertence o guarda Luiz
Augusto Coelho Cintra, que se acha empregado
no servico da estrada de ferro.
Portara.O presidente da provincia, atienden-
do ao que lhe requerea o bacharel Jos da Costa
Dourado, promotor publico da comarca de Gara-
nhuns, resolve cooceder-lhe tres mezes de licen-
ga com os respectivos vencimentos para tratar de
sua saude, devendo principiar a gozar della de-
pois de finda a prxima sesso judiciaria do ter-
mo do Buique. Fizeram-se as communicagoes
do costme.
Dita. O presidente da provincia, conforman-
do-se com o que propdz o coronel commandante
das armas em ofBcio n. 1007 do Io do corrente,
resolve nomear o tenente-coronel reformado do
exercito Jos Antonio Pinto para exercer interi-
namente o lugar de director do hospital militar.
Communicou-se ao coronel commandante das
armas e ao inspector da thesouraria de fazenda.
Dita.Os Srs. agentes da companhia brasileira
de paquetes a vapor mandem dar transporte para
a Bahia, por conta do ministerio da guerra, no
vapor Oyapock ao soldado Antonio Pereira da
Silva, que vai reumr-se ao 8 batalhao de infan-
tera, a que pertence.Deu-se sciencia to coro-
nel commandante das armas.
convenientes exames, m prasires e segundas pector do arsenal de marinha.
Expediente do secretario.
Do dia 2 de julho da 1861.
Officio ao capito de mar e guerra Franeisco
Xavier de Alcntara.O Exm. Sr. presidente da
provincia manda acensar recebido o officio do 1
do corrente em que V. s. lhe commuoicon ter as-
sumido naquella data o comntendo da estagio
naval desta provincia. Commuoicou-se & the-
souraria de fazenda.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
O Exm. Sr. presidente da provincia manda trans-
mitir V. S. as quatro inclusas ordens do the-
souro nacional, sob ns. 88. 89, 90 e 93.
Dito ao bacharel Paulo Mirtina de Almeida.
S. Exc, o Sr. presidente da provincia, ficando
inteirado pelo sen offlcio de 21 de junho prximo
Qodo de baver V. S. naquella data entrado no
exereicio do cargo de promotor publico da comar-
cando Rio Pormoso ; assim lh'o manda declarar
em respoata ao citado officio.Fizeram-se as con-
venientes participagoes.

Despaetios do dia de julho.
Rtotnrim4nlos.
Claudina Nativa do O' e Santos. Nao tem lu-
gar vista da ioformacao.
Epaminondas Mariano de Souza Gouva. Re-
metiido ao Sr. director do arsenal de guerra para
admittir o supplicante quando fdr possivel.
Ignacio (reto africano). Informe o Sr. ns-
RIO BE JANEIRO
CMARA DOS SRS. DEPITADOS.
SESSO EM 25 DE MAIO DE 1861.
Presidencia do Sr. vizconde de Camaragibe.
Ao meio dia fez-ae a chamada, e o Sr. pre-
sidente deelarou aberla a sesso.
Lida e approvada a acta, o Sr. Io secretario
den conta do seguinte '
EXPEDIENTE.
Tres officios do ministro do imperio enviando :
Com o 1 e 2o, datados- de 23 do corrente, as
actas das eleiges primarias das parochias do Se-
nhor dos Passos do presidio do Rio-Preto, Santa
Rita de Jacotinga, Santa Barbara do Monte-Ver-
de e Seuhor Bom Jess do Bom Jardim, perten-
centes ao 3 districto de Minas,, e as das paro-
chias de Claudio, e Santo Antonio do Amparo,
pertencentes ao 4" districto da mesma provincia,
e com o 3* datado de hontem um officio reser-
vado de 6 de abril ultimo do presidente da pro-
vincia do Rio-Grande do Sul, remetiendo copia
do offlcio do ex-juiz de paz do Io districto do A-
legrete, em qu declara os motivos por que nao
entregou ao Juiz de paz novameote eleito o livro
de qualiQcago, e protestos dirigidos mesa pa-
rochial. A commissao de poderes,
Ositro do ministro de agricultura, eommereio
e obras publicas de 23 do crreme, enviando co-
pia do decreto n. 2,737 de 6 de fevereiro do cor-
rente anno, que approva o contrato celebrado com
o viscond de Barbacena para jarrar minas de
carro de pedra as margena do Passa-Dous,
districto da Luguna, pa provincia de Santa Ca-
tharina. As commissdes do fazenda, de eom-
mereio, industria e arles.
Um requerimento do teoente reformado Ray-
mundo Nonnato da Silva, pedindo ser admiltido
no quadro do exercito de cujo servigo loi julgado
incapaz. A commissao de marioha e guerra.
Outro do official da secretaria da faculdade da
Bahia, o Dr. Thomaz de Aquino Gaspar, pedindo
augmento de vencimentos. A commissao de
pensoes e ordenados.
Outro de Antonio Alves de Miranda Varejao,
pedindo que se declare por acto legislativo que
supplicante tem direito ao melhoramento deapo-
seotadoria com vencimento Igual ao marcado pe-
la reforma da secretara da justiga aos respecti-
vos directores de secgao. A mesma commis-
sao.
Outro da irmandade de Nossa Seohora da Glo-
ria do Outeiro, pedindo dispensa das leis de
amortisago para poder possuir bens, de rais at
o Toior ao 900:0009. A commissao ae fazenda.
Outro de D. Ltouina Ermelioda Rosa, pedindo
que por acto legislativo se declare que a suppli-
cante lea exonerada da obrigago de pagar os
juros da quantia de 9:774>196 do alcance do ad-
ministrador dos dizimos da provincia de Minas-
Geraes Jos Antonio Ribeiro, de quena o marido
da supplicante fora fiador. A' mesma com-
missao.
Julgou-se obejecto de deliberago, e foi a im-
primir para entrar na ordem dos trabalhos, o se-
guinte projecto com que cooclue um parecer da
commissao de insirucgo publica :
a A aasembla geral resolve :
c Artigo nico. E* o goveroo autorisado a man-
dar admittir a exame de anatoma, logo que
lenha sido approvado nos exames preparatorios
de historia e latim, o eitudante do Io anno do
curso de pharmaeia Prancisco Luiz ds Veiga, pa-
ra que possa matricular-so no 2a anno do corso
de medicina, caso se aehe as coudigdes pros-
criptas no respectivo estatuto ; revogo-se as dis-
poBiges em contrario.
< Pago da cmara, em 24 maio de 1861. Sil-
veira da Motta. Villela Tarares.
Foram lidos, apoiados, postos em disc ussao e
appiovados osseguintes.
Reqiurimentos.
Io Do Sr. Cruz Machado : a Requeiro que se
pega com urgencia secretaria de estado dos ne-
gocios do imperio copia do quadro remettido pelo
presidente da provincia de Minas do numero dos
votantes qualificsdos no triennio de 1857 a 1859,
eno anno de 1850, na parte smente relatira s
parochias do municipio da cidade Diamantina.
2o Do Sr. Barbosa da Cunha a Requeiro que
se pega ao governo, pela secretaria de estado dos
negocios do imperio, copia da representado e
documentos contrnenles a eleigo de Toreadores
e juizes de paz, a que se proceden no dia 7 de
setembro do anno passado na ctdade de Guara-
tingueta provincia de S. Paulo.
Foi tambem lido e apoiado e ficou sobre a mesa
para< aer discutido em oecasio opportuna o se-
guate requerimento do Sr. Tava;es Bastos : < re-
queiro qu as commissdes competentes ioterpo-
nham com urgencia o seu parecer cercr das in-
clusas representares em que varios habitantes
da provincia das Alagdas pedem que se concedo
subvengoes as fabricas de fuudicao e tecidos da
sociedade Uuio Mercantil, e empreza de na-
vegago a vapor as lagas da mesma provincia.
Oulro-sim, requeiro que seja presente as mesmas
comroissoea igual representagao a respeito da
navegagao. por vapor em toda a linha do Rio de
S. Francisco, aQm de que ella a tenha em vistas
quandO examinar o contrato celebrado pelo go-
verno, com o Sr. baro de S. Lourenco, sobre
parte daquella nsvegago. o
ORDEM DO DIA.
Contmuou a diacusso do poseer sobre as elei-
ges do 4 districto da provincia de f ernambuco,
na parte em que Qcou adiado.
9 Sr. Peteira da Silva mandou mesa as se-
guintes emendas, que foram lidas, apoisdas e
postas conjunctamente em discusso :
a 1 Que se aoaullem ambas as duplcalas de
eleiges primarias da freguezia do Booito ;
2o Que se approve a eleigo primaria da fre-
guezia de Grvala comegado no dii 30 de dezem-
bro, e terminada no dia ti de Janeiro, anoul-
lando-se aque presidiu o juiz de paz do distric-
to vinnho Joo Francisco Vieira de Mello ;
c 3? Que ao annalle o collegio do Bonito, con-
tando-se apenas os votos dos eleitorea do Grva-
la, que 'se tmaram em separado, oque se ap-
provaram : 1
< 4.a Que se approve a eleigo primaria da
freguezia de Buique presidida pelo juiz de paz
Manoel Camello Siqueira, anoullando-se a que em
sua casa proceden Luiz Ignacio de Araujo, appro-
vando-se os votos daquelles leitores no collegio
eleitoral respectivo; ii.tw
5 Que se annulle a eleigo da'freguezia. de
Papacara presidida por Joaqulrti,PinlO'Te|S(r')
e o collegio que seu, leitores formaran ; flpro-
vando-se a primeira a que proeedeu o juiz de
paz Amonio Guedes Alcoforado Cavalcantie o col-
legio que estes leitores formaram;
6 Que se annullem ai eleiges primarias da
freguezia de Aguas Bellas ;
7 Que s annullem os leitores excedentes
ao numero fizado pelo presidente da provincia
para as dfferentes parochias do districto ;
< 8 Que se declare depulado pefo 4" districto
de Pernambuco o Sr. Francisco Raphael de Mello
Reg, cujo diploma confere com as actas appro-
radas.
Oranm os grs. Ptfeira da Silva e Bezerra Ca-
ruli-.nti. .
A discusso ficou adiada pea hora.
O Sr. presidente d a ordem do dia.
Levantou-se a sesslo depois das 4 horas da
tarde.
SESSO EM 27 DE MAIO.
Presidencia do Sr. visconde de ^omaraaife.
A's ll 3/4 horas da manha, fez-se a chama-
da, e o Sr. presidente declarou aborta a sesso.
Lida e approvada acta,
O Sr. 1" secretario deu conta do seguinte
EXPEDIENTE.
Tres officios do ministerio do imperio, datado
de boje, participando terem-se expedido as or-
dens necssarias em cumplimento do que resol-
veu esta cmara, approvanJo as eleiges das pa-
rochias das provincias de Santa Cstharina, de Ma-
to Grosso e do 7" districto de Minas Geraes.In-
teirida.
Outro do presidente da provincia do Rio Gran-
de do Norte, de 16 do corrente, enviando um ex-
emplar do relatoriocom que o seu antecessor lhe
psssou a adminislrago da provincia. ar-
. chivar-se.
Urna representagao de alguns leitores da fre-
guezia de Anadia, pertencente ao 2* districto da
provincia das Alagdas, contra o tacto de corrup*
gao que se dera na eleigo de deputados geraes
do irespectivo districto. A' commissao de po-
deres.
m 'requerinient de Antonio Fraocisco Ca-
saes, pedindo dispensa do tempo para se natu-
ralisar cidado brasileiro. A' mesma com-
missao.
- Outro de Jos Pordeos Rodrigues Seixas. pe-
dindo ser matriculado no Io anco da Faculdade
de Direito do Recife, que frequenta com ouvinte,
precedendo o exame de geometra, que lhe falta.
A' commissao de insirucgo publica.
Outro de Alfredo Sergio Ferreira, pedindo para
fazer acto do 4* anno da mesma Faculdade, que
frequenta como ouvinte, passando previamente
pelo do 3.A' mesma commissao.
Outro d Prudente Ribeiro de Castro, 'pedindo
para fazer acto na Paculdade de Medecna da cor-
te, que frequenta como ouvinte, passando previa-
mente pelos exames dos preparatorios que lhe
faltara. A' mesma camraiasao.
Outro de Candido Borges Ribeiro, fazendo igual
pedido.A' mesma commissao.
Julga-se objectode deliberago, e vai a impri-
mir para entrar na ordem dos trabalhos, o se-
guinte projecto, com que conclue o parecer da
commissao de penses e ordenados :
c A assembla geral resolve :
Art. Io Pica approvada a penso annual de
800$, concedida por decreto de 17 de maio de
1861 a D. Mara Amalia de Azambuja Carvalho de
Moraes, viuva do enearregado de negocios do
Brasil na Blgica, Pedro de Carvalho Moraes.
c Ajt. 2 Revogam-se as. disposiges em eon-
Irar.
a bala das commissoes 27 de maio de 1861.
L. A. Pereira Franco.Silvino Cavalcanli.
Achando-se na sala, immediata o Sr. Pedro
Moniz Barreto de Arago. deputado pelo 2* dis-
tricto da provincia da Baha, foi introduzido com
as formalidades do estylo, prestou juramento e
tomou asseoto.
ORDEM DO DIA.
Continuou a discusso do parecer sobre as elei-
> ges do 4a districto da provincia de Pernambuco,
! com as emendas apoiadas do Sr. Pereira da Sil-
va, apresentadas na sesso de 25.
O Sr. Psea Barreto offereceu tambem as se-
guales emendas :
A'l* concluso do parecer, depois das pata-
rras : A' excepgo das duplcalas do Buique e
Aguas-Bollas acrescente-se e Papaeaga. O
mais como no parecer.
Se for approvada a 2*eleigo do Grvate con-
l tem-ie para o Sr. Godoy os votos da freguezia de
Bezerros, & respeito da qual nao ha contes-
tago.
O Sr. Sergio de Macedo reqaereu o encerra-
mento da discusso, que foi approvado*
Procedeu-8e votago das emendas do Sr. Pe-
| reir da Silva como substitutivas da parte do pa-
. recer que ficou adiada em urna das sesses pre-
paratoriis ; e foram approvadas menos a quarta
; que foi regeitada por votago nominal, tendo 41
votos a favor e 42 contra.
Das emendas do Sr. Paes Barreto foi regeitada
' urna e ficou prejudicada outra ; em consequencia
. foi declarado deputado o Sr. Mello Reg, que
achando-se na asa immediata, foi logo introdu-
zido com as formalidades do estylo prestou jura-
mento e tomou asseoto.
O- Sr. 1 secretario leu os tres seguntes parece-
res da commissao de constitu gao e poderes, que
vo a imprimir no Jornal do Commercio para
entrarem na ordem dos trabalhos.
1," Sobre as eleiges do segundo districto da
provincia de S. Paulo, concluindo da seguinte
maneira :
Que so annullem as eleiges primarias de'
Caga pava, as da.igreja do Rosario em Guaralin-
guel, e as do Rosario de Sapucahymirim.
a 2a Que se adi a deciao das eleicoes da ma-
triz de Sapucahymirim at que venham copias de
todas as acias dessa eleigo e informages do go-
verno.
3o Que seapprovenr todas asoutras eleiges
primaras das diversas parochias que compem o
districto eleitoral.. .
J c 4. Que se reconhegam deputados & assem-
Mea geral pelo 2destricto eleitoral da provincia
i le S. Paulo os Srs. Dr Martim Francisco Ribeiro
ile Andrada, baro da Beila-Vista e Dr. ta minio
Antonio do Nascimento Lessa.
Pago da amara dos deputados, 27 de maio
le 1861.Z. de Ges e Vasconcellos.L. A. L.
le Oliveira Bello.R. F. de Araujo Lima. .
2. Sobre as "leigoes do Io districto da pro-
vincia das Alagoas, concluindo da segninte ma-
neira :
5 1. Que sejam approvadas todas as eleiges
primarias do 1* districto da provincia das Ala-
goaa, menos a que foi presidida pelo 2* supplen-
te dos juizes de paz, Ignacio Nunes da Fonceca
Calago Clvo, na parochia de Porto-Calvo, a qual
tica declarada uulla, e a de Porto de Podras, cu-
jas actas dizem ter sido 'presidida pelo Io juiz do
paz, o padre Antonio Jos Pinto, a qual se decla-
ra igualmente nulla e fraudulenta.
i<>. Que sejam declarados nullos na parochia
de S. Denlo o eleilor Antonio Carneiro l'eixoto,
por ser straogeiro. e na de Porto-C*lro o elei-
lor padre Tristo Cardim de Oliveira, por ter sido
eleito sem estar quiliticado.
3o. Que sejam approvados todos os collegios
Sleitoraes do mesmo districto, menos o de Porto
8 Pedras. presidido pelo Dr. Hermelindo Accioli
de Barros Pimentel, o qual fica annulado.
a 4a. Finalmente, que seja reconhecido e de-
clarado deputado o Dr. Jacintho Paes de Mondon-
ga, ficando annullado o diploma do Dr. Carlos
Augusto da Silveira Lobo.
Sala das commissoes, em 27 de mais de
1861.L. A. L. de Oliveira BelloR. F. de
Araujo Lima.Z. de Ges e Vasconcellos (ven-
cido.
8*. Sobre as eleiges da provincia de Goyaz,
concluido lambem da seguinte maneira :
< Io. Que annulle a eleigo primaria de Mar-
rnhos.
2^. Que se annulle o diploma do eieitor
Porfirio Jos de Oliveira, passando o supplente o
oceupar o lugar deste.
3o. Que se pegam Informages ao governo
acero ** ->iico de Catalo.
4 Que pegam ao goveroo informages acer-
ca dos leitores davidosos do Rio-Claro, Luiz Pe-
dro Martins de Jaragu, Ignacio de Souza Ramos
e Francisco Antonio Rodrigues Ferreirs ; da Con*
ceigo, Domingos Antonio Ferro, Elizeu Antonio
de Araujo e padre Moyss Aotoniode Araujo; da
Palma, Pacifico da Silva Rocha- e do Peixe,
Francisco da Silva Montes.
5o. se se approvem as mais eleiges prima-
rias da provincia.
6*. Que se cont a Libanio Augusto da Cu-
nha Maltoso voto dado na-capital a Augusto da
Cunha Mattos.
a 7. Que se descontem a F. A. C. de Santa-
Cruz 1 voto na" capital (em duplicsta), 4 nullos
em Bomflm, 61 em Arroto, assim como 8 duvi-
dosos do Rio-Claro, Jaragu, Cnceigo, Palma
e Peixe.
8. Que se descontem a Andr Augusto de
Padua Fleury os mesmos votos, alem de 32 do
Catalo.
< 9". Que se descontem a Libanio Augusto da
Cunha Mattos os mesmos votos, alm de 32 do
Catato, menos 2 do Bomfim.
10. Que se approvem as eleiges secunda-
rias da provincia.
11. Que seja reconhecido deputado o] Sr.
Felippe Antonio Cerdoso de Santa-Cruz.
< Pago da cmara dos deputados, em 27 de
maio de 1861.R. F. de Araujo Lima Z. de
Ges e Vasconcellos. L. A. L. de Oliveira
Bello.
Eotrou em discusso o parecer sobre as elei-
ges do 5 districto da provincia de Pernambu-
co, na parte adiada em urna das sesses prepa-
ratorias.
Vieram masa as seguiotes emendas substi-
tutivas, assignadas pelo Sr. Gasparino e Paula
Fonceca:
c Io. Que sejam approvados os 21 leitores da
parochia de Tacarat, que se diz haverem votado
no Sr. Braodo, e annullados os sappostos lei-
tores da parochia da Fazenda-Grsnde.
2o. Que seja approvado o collegio que se
reuni na matriz de Cimbres, e igualmente a elei-
go primaria da parochia de Alagi de Baixo,
presidida pelo 1 juiz de paz, ficando nullas as
outras eleiges em duplicata.
3o. Que sejam nullas as eleiges da paro-
chia deSalgueiro. E, portanto, resultando des-
tas conduses que o Sr. Augusto Frederico de
Oliveira tem 194 votos, ao passo que o Sr. Dr.
Braodo s tem 150; segue-se finalmente :
' c 4o. Que deve ser reconhecido depurado pelo
5 districto da provincia de Pernambuco o Sr.
Augusto Frederico de Oliveira. a
A discusso foi adiada pela hora;
, O Sr. presidente d a ordem do dia.
Levantou-se, a aesso s 4 1(2 horas da tarde.
SESSO DE 28 DE MAIO DE 1861.
Presidencia do Sr. visconde de Camaragibe.
I A's 11 3/4 horas fez-se a chamada, e o Sr. pre-
sidente declarou aberta a sesso.
Lida e approvada a acta, o Sr. Io secretario
eu conta do seguinte
EXPEDIENTE.
Seta officios do ministro do imperio, datados
de hontem, enviando :
> Com oa quatro primeiros, aa actas da apurago
dos votos para deputados pelo 6. districlo de
Minas, pelo 1.* do Maranhao, pela provincia de
Mallo Grosso, e das parochias de Santa Tbereza
de Jess de TeT, Santa Anna de Alvellos. S.
Paulo de Olivenga e Nosso Seohor de Guadelupe
de Ponte Boa, pertencentes provincia do Ama-
zainas ;
Com o 5 e 6., as actas da installago dos col-
legios de Mara Pereira, pertencente ao 1. dis-
tricto do Cear ; e da Vargem-Grande, perten-
cente ao 2. do Maranhao ;
E com o ultimo, as actas de todo o processo da
eleigo primiria da parochia de Maco, e as da
formago da mesa e recebi me oto das cdulas da
parochia de Arez, pertencentes provincia do
Rio Grande do Norte.A* commissao de po-
de es.
Outro do mesmo ministro, datado de hoje, sa-
tis azeodo a requisigo desta cmara acerca da
ele gao do aexto districto da provincia de Minas.
. L quem fez a requisigo.
I Jm requerimento de Tiburcio Raymuodo da
Sil 't Tavares, pedindo fazer acto do pnmeiro an-
no da faculdade do Recife. que frequenta como
ouvinte, fazendo previamente exame de geogra-
phia.A' commissao de insirucgo publica.
Outro de Francisco Jos de Souza, pedindo ser
matriculado no primeiro anno da mesma faculda-
de, une frequenta tambem coma ouvinte, inde-
pendente do lapso de tempo decorrido entre o
primeiro e ultimo exame de preparatorios.A'
mesma commissao.
Otro de Geraldo Bezerra Cavalcanti, pedindo
umajindemnisago de seus vencimentos como fiel
do thesourero da thesouraria de fazenda da Para-
hiba, logar que fdra supprimido, em virtnde do
decreto que reformou as thesourarlasde-fazenda,
at ai data de sua oomeago para conferente da
alfandega.A' commlsao de fazenda.
Julgou-se objecto de deliberago, e foi a im-
primir o projecto com que conclue o seguinte pa*
recerlda commissao de penses e ordenados so-
bro a pretengo do cooselheiro Fausto Augusto
de Aguiar :
A assembla geral resolve :
c Artigo nico. 0 governo fies autorisado
para conceder ao conselbeiro Fausto Augusto de
Aguir, director geral da secretaria de estado dos
negocios do imperio, um anno de licenga com o
competente ordenado, a contar do dia 3 d maio
do corrente anno de 1861, para ua Europa tratar
de sua saude, revogando-s* para esse fim as dis-
posiges em contrario.
c Sala das commissoes, 27 de maio de 1861.
L. A. Pereira Franco.Silvino Cavalcanti.
Serra Carneiro a
O Sr. presidente nomeou o Sr. Costa PdIo pa-
ra servir na commissao de podares em lugar do
Sr. Bello, que se deu de suspeito no julgamcnto
da eleigo do 2o districto da provipcia das [Ala-
goas, em consequencia de suas ralages da* affi-
nidade com um dos interessados nessa eleigo.
ORDEM DO DIA.
Conliouou. discusso do parecer sobre as elei-
ges do qninlo districto da provincia de Pernam-
buco. na parle em que ficou adiado em urna das
sesses preparatorias, com as emendas apoiadas
oa seso do hontem.
Interrompeu-se a discusso para ler-se o pa-
recer da commissao de poderes sobre as eleiges
do primeiro districto da provincia de S. Paulo,
que foi a imprimir do Jornal do Commercio, pa*
ta entrar na ordem dos kabalbos, concluindo da
seguinte maneira:
e 1. Que se approvem as eleiges primarias a
secundarias do collegio de S. Roque.
f 2.# Que se approvem as eleiges primarias
das freguezias da S e de Nossa Senhora do O'.
3." Que se approve a eleigo secundaria, a
que, por motivo de fraccionamento do collegio
da capital, proeedeu-se na sala das sesses da
cmara municipal
4o Qu6 se approvem as^segnintes eleiges
primarias : a de Aruj, presidida pelo juiz de paz
Francisco Miguel de Macedo; a de Itaquaquece-
tuba presidida pelo juiz de paz Francisco Jos de
Araujo : e a de Santa Isabel.
5o Oue se annullem as eleiges primarias da
matriz e do Rosario, em Mogy das Cruzes, assim
como as de Aruj e Itaquaquecetuba, presididas
pOr juizes de paz iucompetentoe.
6o Que se approve a eleigo primaria' da
Lampo-Largo.
a 7o Que se declarem nullos os diplomas dos
leitores da eleigo nao acabada de Sorocabs.
8* Que se annulle toda a eleigo secundaria,
de Sorocaba.
9o Que se reconhegam deputados assem-
bla geral pelo 1 districto da provincia de S.
Paulo os Srs. Dr. Jos Bonifacio de Andrade o
Silva e Dr. Joo da Silva Carro.
Pago da cmara. 27 de maio do 1881. z
de Ges e Vasconcellos. R. F. de Oliveirs Bel-
lo, com restrieges quaoto freguezia da S
Contina a discusso interrompida, a qual ficou
encerrada por nao haver mais ninguem com a
palavra.
Oraram os Srs. Teixeira Jnior, Bezerra Caval-
canli e Fernandes da Cunha.
O Sr. presidente d a ordem do dia.
Levantou-se a sesso s 4 1/2 horas da tarde.
DIARIO DE PERNAMBUCO.
O vapor /aaurt&e, entrado hontem dos porto*
do norte, apenas nos trouxe jornaes do Cear at
28 do passado, contendo as noticias que se-
guem :
Dasdemais proviocias, diversas cartas particu-
lares que recebemos, dizem-nos nada haver oc-
corrido deoois da partida do Paran.
No dia 27 tove lugar a primeira sesso prepa-
ratoria da assembla provincial do Cear, qual
compareceram 10 membros.
L-se no Cearense :
Communicam-nos o seguinte de Santa Qui-
tea :
Em das' de abril desciam da Serra-Brancn
os pas de um rapaz morto de cobra com o cada-
ver para sepultarem na freguezia de Santa Quile-
ria : tarde em consequencia de urna chava re-
colheram-se casa de urna fazenda : eslava o
marido n'uma janella da frente com mais pes-
soas e a mulher na sala de detraz assentada en-
tre outras mulheres.
Cahio um raio n'uma forquilha da casa, maln
a mulher mi do defunto, sem offaoder as ou-
tras, e matou o marido sem tambem assombra
os mais homens, que estavam seu lado. E' um
acto bem singular.
na
dia
Questmo eleitoral,Eleigo
directa.
Vil
(Continuago do n. 143.}
THULO VI.
Das operagoes de recenseameno.
Art. 26. A commissao de receaseamento,
segunda-feira prximamente immediata ao
em que fdr eleita, reunir-se-ha na casa da c-
mara, e installar-se-ha, nomeando d'entre os seus
membros, um secretario e um vice-secretario.
1 O secretario ser auxiliado pelos empre-
gados da cmara ou da admiuistrago do conselho
ou bairro, que forem requisitados pela commis-
sao; os quaes recebero por este trabalho urna
gratificago arbitrada por ella, e paga pelas res-
pectivas cmaras.
2o as cidades do Porto e Lisboa, ou em
qualquer_ outro conselho do reino, em que aa
commissoes nao possam reumr-se commodamen*
te na casa da cmara, dever a auloridade admi- -
nistrativa por disposigo dallas, precedendo -
requisigo do presidente da cmara, edificio
conveniente, para nelle se poderem reunir.
3* Os administradores de cooselho ou bairro
assislem ao recenseameno, devendo prestar com
escrupulosa exactido, todas as informages ne-
cessarias, reclamar e interpr ex-officio, os re-
cursos competentes para a fiel execugao desta-
decreto.
4o Assistem igualmente os parochos, os es-
crives da fazenda, os regedores de parochia a
os recebe lores de freguezia, que fornecero s
commissoes recenseadoras as informages e do-
cumentos que por ellas Ihes foram pedidos, para
a verificago da capacidade eleitoral, ou da ele-
gebildade dos recenseados.
5* As informages e os esclarecimentos pres-
tados pelos diversos funecionarios pblicos, do
que tratam os paragraphos antecedentes, no-
eximem, em caso algum, a commissao de resen-
cesmento da sua responsabilidade.
9 6 As despezas que se flzerem com os livro
ou caderooa, papis, urnas, cofres ecom quaes
quer eutros objectos relativos ao expedienta
eleitoral, sero satisfeitas pelas cmaras munici- -
paes dos conselhos onde essas despezas se-
flzerem.
7o Todo o processo eleitoral, com prebenden-
do o reseoceament, as red>mages, es recursos.
os documentos com que forem instruidos, a
petiges, ou requerimentos que tal respeito so-
flzerem, e o que nos tribu na es judiciaes se orde-
nar, conforme as disposices deste decreto, ser
escripto em papel nao sellado.
Art. 27. Instsllada a commissao pela forma,
determinada no artigo antecedente, proceder ,
formago do recenseameno dos leitores e ele-
ffiveis, tomando por base o ultimo recenseameno.
para a eleigo de deputados, no qual fer, sobro
reclamago da auloridade administrativa, de.
qualquer cidado. ou ex-officio, todas as altera-
ges que a mudanga de circunstancia dos indi-
viduos ali recenseados, ou as oras provisoas.
deste decreto, tornarem necssarias, cobTorman-
do-se com as regras seguimos :
Ia Para a venfleagao do censo servir-se-ha dor
langameoto da decima, imposto annexo, e mais
cootribuiges directas do nano ramediatamenia
anterior, na forma proscripta por este decreto ;
2* Na deficiencia do langa ment servir-se-ha
dos coDhecimentos da decima e impostos anno-
xos, ou dos de quaesquer comrbuigOes di-
rectas ; =
3a A dcima e impostos annexos dos juros,
foros ou penses, sero contados para o recen-
soameoto u'aquelles por conta de quem forera
pagos ;
4a Ao marido se levaro em conta para todo
os efieilos do receoseamento, os impostos cor-
respondentes aos bens- da mulher, posto quer
entro lies nao naja communicagao de bens, a
ao pai os impostos correspondentes aos bens
do filh, quando por direito lhe perteneer o uto-
fructo driles ;
5a A decima paga por urna sociedade, eom-
panbva, ou empreza ser atleodida para o re-
ceoseamento dos socios-00 accionistas, m pro
porgo do interesse que cada um provar, por
sA



mm ir g giai-tfHg-
IARIO DI PKRlAJaJUCO.
tiite
florumento aulhenlico, ter na mesma_sai
companhia, ou enpreza. A meama disposiQao
se observara adiando-so o casal ipi^viafe, f#
t veren em cemmum os membroa "da meitta
familia ; r C S". it
6* Para complemento da'quantia oeceasana
jpara qualquer cidado ser consideraSu olifitw,
ser-lns-hjp levadas em conta as contribuices
-directas, en que ella te echar collecUdo ea
^Iusjft* eoeselho do reino, urna vez que a res-
pectar collecla seja provada cum documentos
aulgig||cos ;
? redimtoto proveaieim de acedes de
basaos Ou companhia*, e de ioscripc,es e apoli-
cesa divida publica, que nao forem sujeilas i
decese, seca contemplado para todo os eleitos
deste decreto, tendo-ae em consiJeraeo o reo-
flireeausdo aono antecedente Aquello em que se
Szero reeenseameoio, e sen atiencao' quae-
qaer deducces temporadas, a que por le esteja
lilos
Alem de qoe, ioformam-Dos igualmente que
essa falla calculada, que Disto ha interesae de
i^dlam peridico da capital, que assin
**.
nesse presupposto, que a espe-
' B assiMu.alndjjalgjrg ujpa .iiuridtia__eoti-
ci(ros dea podereado atada, pera Moareeme-
ihaote siluacao arate!, .4ue oo det.e perdurar
pur mls lempo, ainda quedara consecugo disto
sejfe erJeSaria urna reforma radical.
Foi nomeado pire Cmmendar interinamen-
te a fortaleza de Taraaodai o lenle reeraaado
Joaquina Jone de Seuzt, que nesga commando da-
tera 'continuar al que da provincia do Rio Gran-
dedo Norte chgne o lente do estado maior de
segunda classe, Luiz de Franca Carvalho, que
para esse lugar-ei nomeado fel govemo impe-
rial.
^poassrjdeF deetea tibios dever peonar
W.'lt* e*a decreto-se erige, od a parte precise
fi#fa,o pteazer nos tersaos delta. Faesto tim-
epreseotar os proprios ttulos eadossados e
verbales em seu ooine ha mais "oe um aono,
de maoeira que evidentemente se conheca que
lhe pertenceo sm mterrupQlo desde esse
tempo ; ^
tr^Udasioscrlpcoes ou aplics forem sujei-
Ue vinculo deoK>r*;ado ou capella ^d*W,
tiso-fructo, ou qualquer outro onus que obstla;
transmissao por_ simples endjjsse^basiar que 1 PorPQrtarja._do._mioisle.ri9 da agricultura.
prove aqulle avarbaawaw, sem rslfieeo de
lempo, por moio de cerlidocs aulhenlicas. da
junta do crdito publico.
3o Os ttulos ao portador nao serao por forma
riguma attendidos para os fus declarados nesle
decreto*.
'8* Todo, o cidado portuguez resnenle np
continente do reino que^ alm das mais-coridlc-
^6*6 exigidas por este decreto. Justificar .por do-
cumentos au,theotlcos que as rthas adjacentes,
chino ultramar posse em bens de raiz, capitaes,
com mercio ou industria, o reudlnente oeceasa-
ro pas aer rtcerrseado :eleitor ou elegivel'
se-lo-h, ainda qUe em Portugal nao ten ha sido
collectado em neohuma das verbas de coairibui-
ces directas exigidas, por est dacrelo. Do
mesrno modo ser letenseado as illias adjaceu-
s, ou no ultramar, o ci.urisn que, oleen dos
circunstancias snprameocionadas, ah justificar
aver sido collectado no continente do reino uas
quoias que este mesujo decreto exige ;
9" Servir-se-ha tambema coram *-o dos di-
plomas*' ou titulosde serventas vitalicias, ou de
jlteusdes, ou do quaesquer oulros ilocumenlos le-
gaes, quo provem o censo nos termos deste de-
creto ; ...
l" Os ordenados, sol Jos, congruas, peiues
^?nrments, d qu.trata.este decreto, serao
contados sem atteo( quaesquer deduc^oes
temporarias que estejam sujeitos ;
1t* Sao considerados iaamoviveis, para os ef-
eitos dcste decreto, lodos os empreados que ti-
Trem carta, patente, prorimepto, ou qualquer
outro titulo de serventa vitalicia ;' s estes se.-
re contados os seus veficimentos para os efciios
do raesmo decreto ;
12a Sao contempladas cumulativamente as
quotas. de decima ou de qualquer outra cootri-
UicSo directa, provenientes de origens diversas,
e4Mm assim os rendimentos isentos de contri-
buigoes designadas n'este decrlo, como ao de-
moustra -no exeuyplo' se(>uivjte :
N. Rendimentos de acedes de com-
panhi, bancos, etc...........
-De empregos......___.........
De dcima e impbstor annexos
de juros ( 500 rs, ] que corres-
ponden) ao rendimento de.....
" De decima e impostos annexos
de predios rsticos e urbanos
arrendados f 250 rs. i quo cor-
responden! ao rendimento de...
De deeima e impostos annexos
de predios rsticos e urbanos
nio arrendados, ou de qaalrjaer
rendimeolo de iadutiria -j
rs. ) que correspondem ao ren-
dimento de.....................
De qualquer contribuido di-
recta, como subsidio Iliterario,
rocinal de peses, congrua pa-
rochia!, etc. [ 45 rs.), que tam-
bem corresponder ao rendi-
mento de....................
50000
3115000
ojOOO
55000
55000
1
culagae nao m ; mis quem quer que* seja o
"vtor ha de convir em que criminosa. E'
verdade que ha lempos havendo dos censurado
esse procsdftoento, recebemos orna especie de
defeca da edoainistracao do correio d'aquella.ca-
pital, a qual porem nada provou, seoa'to penes
destruio os argeoieotos produzilos, uoutrelaoto
que temos documentos comprobatorios do que
emao afincamos.
Todos os diaa a imprensa do pifa denuncia
malversaces dos correios, e osds vez maiores>[
f^ltaa appareeem ; nao sabendo nos o que vais
defa admirar ao e produeco dos abuses, oajai
tolerancia escandalosa u'eea, que assim o au-
toras 1
CHRONICI JUDIClMIi
COIIERC
EM
s
tados
, TRIBUNAL DO
SESSO ADMINISTRATIVA
DE 1861.
FRES1DKNCU SO EX. SR. DE3EMBARGAD"0R
s 10 ksrasda enhka, reunidos osSrs. depu-
Rego, Basto, Lemos e Slvaira, o Sr. presi-
dente deeJarou aborta a seosio. '""^
Foi lids o appreeada a solo da astoesdente.
WrEoiEp.
Um officio de presideocia da prevlnsia, de 9B
de junho prjwimo paasado, eomsoaieando teS
estrado jf do mesmo aaez, no exarcicio d
etgode juiz de direito do essamereio desta pro-
vincia, o Dr. Fraociaoe de Asis Perttra Rochan
Aeeuse-se a recepcin
1 Putro do Dr. Francisco de Assis Perejra Ro-
-eh; de 87 de )eehe paeaaaet oomiiUBioetds "
JLHO 1 lll.
do estado da caixa.
33.1009000
aisumido o exercicio da vara do juizo especial do
cmmercio.AgWftnc P*eHr.
i Outro do presidente da junta dos corretores de
25 de juriho prxima paasodo, commuelcaedS oi
fallecaento do tor-goral Pr4eoc Marques
de Amorim..-v-p(8cie-.se aju^ip especial do com-f
mercio pqra tnndsro. escjrtyao proceder na forma
hdtf artigo W'*W Ho'offfSgo,' anflunfele-sr
vaga
,oirwpps semeslnl. do trapicha
Pelourinho.
Form presentes icota^oesofflciaes dos pro-'
eow rae reto e obras pnlicas, datada del do pas--
sado mez, fqi nomeado agente.do crrete da 'illa
de flores o Sr. Aolouio Oomingue de Aodrade.
Este funccionaiio perceber como vencimeqU)
50 por cento do reuiimeoto de respectiva ag*-
cia-, sendo xada uaottxde 12000/co.ao-grawi
lieaceo anoual, para lhe sor preencbtd Quaodei
a porcentagem Oque a quem o'ella ou a nao pro-
fizer. \ ...
Foi approvada pela presidencia a gratilca-
Co mensal de50$000 res, proposta pei* ettec-
toria das obras publicas para cada um dos
conservadores dos 3" o 4o lermus da estrade de
Nazaretb, V daquella da Victoria, o 1 d'ess'ou-
tra do Monteiro. <
Naqusrta-feira ultima urna preta, perten-
fen'e urna senhora moradora na r *" Ale-
gra, por urna til casualidad gauhaoilo-llie ogo
saia, par oeeasio de tratar do oervteo da'coz-
eba, lioou toda queiiiiada, de nodo a serem im-
proficuos lodos ee seeconos piestados para sal-
ra-la.
Horas depois suecumbia ella, em coneequeneia
Jaagraves queiuiaduras.
Acha-se nomeado director interino do hos-
pital militar o Sr- teaeote-coronel Jos Autonto
Piulo. ,
1 f urna aaroeacao que honra a quem afea, o
Sr.. comaiaiHiMiUi ds urnas, por quaoto aa pea-
soa do nomeado eoucorrem requisitos (lata o
bom desem pen.hu d'aquelln em prego.
O Sr. tenente-coronei Pialo bom eonbecido,
ave. hornern recoma)end*ve), teni prestado tkins
servicos, e ain ia os continua na subJelegacia de
S. Josa a'esta cidade.
fcixislc uma'vaava no namero dos correctores
desta paaca, em coesequencia do allecinuriio do
corrector o qual Prudencio Marques de Ao-
drade.
eM Ilontem pelas 9 horas da manha, no quar-
Icl do Hospicio, por occaaiio de vir capito
Brito Inale verificar a reaiidade da reiaco dos
presos, como oflivial de estado-maior, foi dse-
catttio de modo que passarta como illusorio, seo
(acto nao fosse presenciado por alguna oCCciaes e
pracas do 1C bauliao. '
O facifloreso, seidnUo d'aquella batalho Ms-
oeel Hylirio da Santa Roza, lando sabido'na oc-
cesiao da chamada dos presos, eotendeu ser.essa
asada par cobrar de uui sea companheiro certa
quaotia, e co no fallasse em altas voces, erdnou
o capitn qoe se nalssae, e entiesas, mes este
preso bem longe de o attender contiouou a fallar,
referindoee setas aocaptto, leviado seu at-
rojo emeaga-lo ; etendo em consequeucia oof-
Bcial ordenado que a guarda o agarrasse, elle
proio, revalido a nao o boleo, disae ; enmara-
da nao venham porqae aseaira I E n mais c,
que a guarda nao s deixou de umprir s eidero
do oflictal, como ita*e sesteada do prese, que
fui feta por seu mola propuo, coorecon o r.ir-se,
como vangioriaado-ae.da noepslo porque havia
paseado o ollicial.
5 -__ I vista do felo pedir ao commandante das armas
IOO5OOO.! procidencias-a respeito.
lloje se extrahir a primeira parte da pri
Em notas do Novo
.r^mbua. ,
fPwta o cebra
uro menores
.
valores .
ilial do Ban-
O a
Banco de
5:7809000
846:190*000
124.5405000
1605000
7575087
Res, 801:5271087
w
Horas.
z
B
er
B
ce
esm eire
2005000
10U5000
50S008
20900
10$O0V
854;4005OO0
||83:90O|00tf
101:0009000
1:8005900
5:550g(iOO
Eie-1,485:06^
H
O guarda livros,'
-FtWdvCW 040AI1S BR1R4 PlMO.
I
'13a Servir-se-ha, emfim, a commissad de do- meira lotera a beueticio daigrejade 8. Francisco
de Panle do Csxang.
Focam reeolhidos casa de. detenco no dia
1 di corrente, 8 homens, sendo 4 livres o 4 es-
cravos, a saber a erdem do Dr. cli-fe de polica
2, que sao Porfirio, africano, escravo de Jciqaim
de Amorim, e o pardo Eusebio, escravo de Ma-
ooel Jos Leite ; a ordem do Dr. delegado da ca-
pital 1, que o africano Joao, eaoravo do~ Joa-
quina Pereira Reg Lima ; a ordem do subdele-
gado do ftaeifa.3 ; a ordem do de Santo Aotonio
t ; e a ordem do da Boa-vista 2, entrando n'este
numero o criooto Bernardo, escravo de Grsolla
da Conceigo.
Forara recolhidns .mesma no dia 1 do mesmo
soez 20 homens, 17 livres e3 escravos ; a ordem
do Dr. chefe de polica 14-, inolasive o crioulo
Beoto, eecravodo teen te-coronel Serej.e ordem
do subdelegado do Recife 1 ; a ordem do de San-
to Antonio 1, que o crioulo Joo, eacrevo de- D.
Justina de tal ; a ordem do de 8. Jos 2 ; a or-
lera do da Boa-vista 1, que o]atrican Antonio,
escravo de um tal Sel te; a ordem do da Gapuu-
ga-1.
Fanm recolhidos mesma no dia 3 do cor-
reate 6 homens e 1 mulher, 5 livres e 2 escravos;
cumentos qua demonstrem a capacidade eleitora
oscasos em que sao dispensadas aos inleressa-
os -todas as pro vas de censo, para terera as ha-
bilitacea literarias qM substiisem ;
14a Nenhum cidad nadet ser recenseado
spnao no seu domicilio poltico :
Io O domicilio poltico dos cidados portu-
guezes no coaselho ou bairro onde residem a
maior psrte do aono'. O dos empregados pbli-
cos n'aqualle em que, na poca do reeensesmen -
lo; oxercerera as soas funccOe; e o dos milita-
res 'aquello onde,'na dita poca, estiverpseu
quartel de habitacio.
> a" *' permitiido qualquer eidadSo transfe-
rir o seo domicilie poltico para outro conselho
ou .bairro, oro taateqee antes de comeear o pra-
20, dentro do qual deaem fezer-se as reclama-
cees, assim o declare por escrlpto eommisso
a receDseameoto do conselho ou bairro em que
reside, e daquelle para onde quer que transfe-
rir o mesmo domicilio.
15a A commiaaao de recenseamenlo acceitar
qaaesqoer eaclarecimentos, que a autoridade ad-
ministrativa, aireetamente interessados, ou qual-
qaer ootra pessoa, lhe qoeira dar com rea
o trabalh de que est encarregada, e far
delles o uso que Julgar conveniente.
Ari. 28. Todas as repartieoes e autoridades sao
brigadas satisfazer as requisices das commis-
sos acerca de quaesquer doeumenlos que a pos-
sam esclarecer.
Art. 29. No segando sabbado, contar desde
o dia designado n'este decreto para a nstallsc&o
da commissao, ter esta organisado o livro do
recenseaoipnto geral escripto por freguezias, e
em cada urna desta por ordem alphabetica.
1 No dito livro diente de cada nome so
ekrirao cosas, nis quees se designe : 1* a quot
de dcima, ou contribuiefes que paga o recen-
seado, renda proveda nos termos deste decreto,
ou titulo litterario que o dispensa da prova do
o seu eniprego ou proflssSo ; 3o o
a soa morada ; 5 a sua idade
censo ; V
seto- estado
6 *, finalmente, se 6 eleitor, ou ambem ele
grvel:
2 Este livro ter termo de abertura e encer-
rsvnenlo assignado pela eommisso, e se'r por
ella rubricado em toda as snss folhasrassigoa-
rao tambem os mesmos termos-o rubricaro os
respectivos administradores de conselho ou
bairro.
Art. 30. Al ao mesmo sabbado designado no
artigo antecedente, ter a commissao ferio ei'
trafcr copias aothentfoms do mencionado livro as
quaes, eo domingo immeoMato; sefao afflxadas'na
porta da igreja de cada urna da freguezias, na
parte que lhe-fdr respectiva, depois de lides pelo
parodio missa conventual.
nico. Este livro estar' patente por cinco
dias, desde a segunda ferra i/nmediata al
quinta Inclusive, no localrJasTethies das cora-
uirsses do recenseamento, desde a* nove horas
daHDanhla at s tres da tarde, todas as pes-
soes qoe o qirrzerem examinar; as quees pode-
ro delle tirar copias, o faz-las authenticar por
quaesquer oficiaes publicas na forma das leis.
(Conttnuar-se-Aa.)
1

PERNAMBUCO.

~
Pessoas por ultimo ebegadas do centro da pro-
vincia do Cear, apreaanlam-oes quaixas revela-
doras da irregularidade do correio d'slli visto que
os seus Diario continuara a chegar-lhes smaos
coto trela o quereols dus os data dos msanos ;
a o pasco que a peridicos,da provincia oeohufli
dqatora tam, de eaodo que oeste lam os nossos
assignantes noticias transcriptas deste Diario
*m recebaren porem os seus esesrpUree.
Ora. quando remettemoa es Diario s di8a-
rente redaccea de joroaes enriamos aimuUaaes-
mente os .doa noaaoa aasoaatsa ; o ea aqoellas
xacebom-ooi, te,tomos do (asar extractos do
Wr ,i4",ll,M" oeriedjcooipsrs
a centro, obvio que man rpida devana sor a
xenssta dos procedentes ds,f<>. '
lit posto, V maoi/esia a malvorsacao do
reio da roeoda prsriicis. ^^
<
a ordem do Dr. chefe de polcia 2 ; a ordem do
subdelegado de Santo Antonio 3, inclusivo o
crioulo Flix, escravo de D. Marcolina de tal ; a
ordere do de 6. Jos 8,inclusive o africano Anto-
nio, escravo de D. Firmina de tal.
Passageiros sahidos desie porto para os do
Sul no vapor Gyapock.
Vieeoso Caiabreae, Antonio Feroin Grazn, al-
teres Felieiano Pereira de Lira, i" cadete e 2
sargento Joao Hniotino.de |M. Galhardo, I). Fe-
licia Joaquina do Espirito Santo, D. da Silva
Monteiro, Jos Morena da Silva, Benedicto Jos
dos Santos e um filho-Prenoisoo Sadrn, Ia te
nenie Jos Avelino da Silva Jaques, Jos Ale-
jandrino Das de Moura, cabo de esquara Au-
gusto Joo Barboza, vigario Manoel Crrela, de
Figueirado, Jos de Souia Correia, Joanua Hono-
rata da Uuco, Jos Anglada, Jos Cerdeiro dos
Santos Jos Antonio Texeira Pinto, Aotonio Fla-
mineo, Raphael Fiamioeo, Cietano Barbatt, An-
tonio Jos Bernardos, Jos Bernardo Gongalez,
Antonio Carrarra, Marcolinode Souza Travasio
Ignacio Nenes da 6ilva, Ignacio Gaznes Pessea)
Joao Gomes Pesses, Wi|liam Frost, Jos Caraeiro,
soldado Antonio Pereiu da Silva, Joo Xavier do
Reg Barros, William Campbell, D. Mary Camp-
bell, D. Sasau, Joa Aotonio-Pereira de Andrade
e 53 escravos entregar a diversos,
Passageiros do vapor Iguaratai vlndo dos
portos do Norte. .
outor JeaoCipriiUiio Bendeira de Mello Fi
lhe tm senhore e 3 escravos. Migael Francisco
do Monte e 1 eseravo, Antonio Alva de- Carva-
lho, Miguel Leopoldo de Lima, Ernesto Deoclo-
ciano de Albuquerque, Joao Pmeirade Armeida
Guimaraee e 1 eseravo, Jos Gooealvea MaUeira
sua sensnrae.7 esoiavoa, Frano eco Jos da 0ov
ta Barros, Francisco Coriolano de Souza Macha-
do, Joo Aotunes de Moura, Antonio Antones
da Moar, Miguel Nones Caraeiro, Mariana/os
de Araajo, Franciaoo Lacas de Almeda, Aotonio
Ferreira Baptiata, Raymundo Aiwa de Rocha.
Manoel Ferreira de Almeda, BernardlnoMaia da
Silva, Manoel Moreiaa de Souza, Jos Antonio
Teixeira, Manoel Cardozo, Antonio Podro Fer-
reira Lima, Manoel Leopoldo Ribeiro de Cmara
te 3 ercravos, Manoel Jos Mertios e 3 escravos,
Amaro Barreto do Albuquerque Maraoho, Fran-
ciseo Gomes Pedroza l filho menor e 2- oriador
William Lindston, Jos Rufino da Senes Raogel,
Jos Joaquim Fi&atode Miranda Henrique-, Jos
Ezeqaiel Barboza, Francisco de Albuquerque Ma-
raoho e 1 eseravo, Francisco Ferreira de No-
vaos, Mathilde (cviou4a) e 1 esoravo a entregar.
MORTALIDAOE DO OA 4. ,
Joanna, frica, 40 anoos, eacreva, solteirs, Boe-
Visla ; conjesto,
Joanna, Parnambuco, 8 dios, Santo Autonlo ;
espasmo.
Mariana, frica, 90 a os os, escrarai sollorra,
Boa-Vioa 9 dyarrha.
Miguel, Peruambuco, 11 mezas, Reato Antonio ;
coevutaes. I'
Maris, b annoe, Boa-Vista toase eosvulsa.
MajorJosG
los, csotdo
rpiscjr, itlalliu j xnnnzstBF.:
das.T-Archivo-ae.
.bispachos.
m reqorimento d Antonio Baptisfl Nogoel-
ra, pedindo o.registro do contrato social de Pe-
reiTaVintiss ffSeitas. sflsfeito o deip^qo tfo
f de maio ultimo.Hajtista ao 3r. desMbwT-
gdrhcal. ,
, Outro de ftobetto Sln^tehuiSl, Roberto S. J-
nior, ItoBerto Broklehurst, Roberto BroWueoIl-
d> fonso Jos de Abreui pedindo matrcula de sua
firma d Singlehrst, Abreij & Comoaohia.O
mesmo despacho.
Outro de.Joaquira) Francisco dos Santos Maia,
satisfazendo od,espatfio de 25 de iunho ultimo,
para ser rps>**>-*a coumio de sociedad de
oairo Si Feroandes. O mesmo despacho.
putro de Marta Florioda de Castro Carrito, sa-
tisfazendo o despacho-de 6 de juuho ultimo, reco-
Ihendo a carta do brigue Sagitario, que se per-
deu, e que se nc>un ambem as complenles no-
tas a espeito os barca Rtcife, que vendeu, cuja
carta dPcoroprador j apresenlou Mostr o.dia
era que teve lugar a perdado oari, flcanjjo des-
de j archivada a carta.
Outro de Oelauo Cyriaco da Costa Moreira. e
Jos Adriao da Costa Moreira, pedindo registrar
seu .co.otralo social. Heja vista ao Sr-dese-
bargadbr fiscal.
Outro de Jos Caetano de Carvalho, pedindo o
registro da pro:uraQao,junta.Regislre-se.,
Outro de Barroca & Castro, pedindo moratoria.
Dando-se por impedido o deputa lo Kego, leve
o segunte despacho : Nomiam os crjlors
Heniy- Gibsoa, e Manoel Custodia Peixoto Soares
(ara verificarem a exscdo do *a lenco a presen-
ado. sendo a pelijao remetlida ao juizo especial
do com mercio para proeefler od forme dos arle.
899 e^OO d cdigo de coro mercio.
Outro de Francisco Ignacio Pinto, sgente de
leilo, pedindo o registro do conhecimento do
pa
quer
Outro de Juao Ribeiro Lopes e Jos Joaquim
Moreira, pedindo traslado da procurado que
juoiaram, requereodo o registro do contrato so-
cial de Valle Porto o Companhia. Como re-
querem.
Nada ffiais houte.
279
Voluioaa sabidos co tazendss.. 92
h s com gneros.. 187
Deoearasgam baje5djalo*.
Polaca hespanholaDespegadaoaroa de efcar-
PoUsa haspaoboleIndiaidssa.
Po[aca hespanholaEsmeralda idea.
Sumaca hespanholaAnillaideen.
Btigue ingle*Eliza Jaokanscarvio.
Bngu* ingles Spyojorcadses Bj,
Bague iqglezColmaidem
liuporta^ao.
Vapor inglez Tytre t> procedente da Europa,
gameoto do imposto do seu offlcio.Como re- nianlfeston o seguinte :
ler. t| barril presuntos. 2 caixas queijos, 1 d.ita fa-
zendasvaU^V/ilJ^C.
lfcixa diversos objectoe ; a F, R. B. de Lo-
SESSAO JDICIARlA EM 4 DE JULUO.
presidenchbo bxh.sr. deiembarcadok
soza :
Secrttario, Julio Guimares.
A meia-h'ora, o Exm. Sx..presidentetabrios
sesso, acHaodo-se presentes os Srs desembar-
adores Villares e Silva Guimares e depntados
lego, Bastos e Silveira,
Lida, foi approvada a acta da sesso antece-
dente. ,
appel-
JL'I.UAMEN TOS.
Appellaiito, Augosto Muniz Machado ;
lado, Anilr de Abren Porto.
Designado o dia de boje
Sorleados'os Srs. doputados Bastos, e.Silveira
foi continuada a sentencia appellada,
\. n^SlGSjirjAO SE BU.
AppelUules, Jemes Craatree & Companhia ;
ampollados, 'Braga .&. Antones
Foi designado o.primirodia til.
Appellaules, Azeredo Meudes ; appellado,
AntonAQ Joa Arantes.
dem.
Appellanle, Francisco Jos da Silva Marieira ;
appellados. Tasto Jrmos, curadores iscaes
da raassa fallida de Novaes & Companhia.
dem. *
FASflaGENS.
Appellanle, Francisco Jos Germano ; appel-
la/ln, Eustaquio Gomes.
Dio Sr. deseuibargador Villares ao Sr. desea)-'
bargadorSilva Guimares.
.Appellanle, o bachareV Antonio de Vasconcello*
Menezesde Drummond; appellados, os herdeiros
de Joo Henriques da Silva.
Do Sr. deseosbatgador- Villares ao Sr. desem-
bargtdor Silva Guimares : e dando-se este de
suspetto, o Lxm. Sr. presidenta ofRoios neste
data ao Exm. conselheiro presidente da relaco,
requisitando a nomeaeso de um juiz.
Appellantes, Aotonio Primo Soases e Joao
Chrysostomo Pacheco Soares.; appellados, Carlos
J. Aslley & Com pantos. r.i
Do Sr. deseabargader Silva Guimares ao Sr.
desembargador Villares. ,
AGGRAVOJS.
Asgcavaute, Flix Sauvsge & C ; aggravado,
o jtiiio. -
O Sr. presidente negou proviaeato.
Aggravanle, Sebastio Jos .da Silva
vado, o juizo.
O Sr. presidente negou provimeuto.
'' uiSTaituicES.
Appellantes, James-Ryder & Companhia ;
pellados, Braga 4 Antuues.
Ao Sr. desembargador Silva Guimares.
Appellante, Bernardo Jos de Barros ; appel-
lado, Joaquim Francisco, de Albuquerque San-
tiago.
Ao Sr. deserabargadojr Villares.
Slditas queijfts ; a SonthalIMelToTs C.
10 ditas ditos, 50 barris mantejg, 1 caixa'db-
csj 1 volume Hnpreysos ; a ordem.
l!cfra relogios ; a^be Sctimertean & C-
4 ditas queijos ; a Brnder Brandis,
1 dita rendase om volme amostras i a Lin-
; den Wijd 'di C.
1 drt-iivros ; a Altneida-Gomes Atves & C.
"t caixs remedros; a Bastos 4 Lemos.
1 caixa objectos para fumantes ; a Ramos
Dpk-dt. '
'1 trts sedas, 1 dita jeias ; a C. W. Graf.
f 'dita jotas ; a F. Sauvage 4 C.
25 ditas queijos ; a Tasso Irmos. ""
- /* p>" "ch". 1 dita joias; a N. O. Bieber
f JToltrara Ws; a Domingos Aires Batheus.
de^sol, e volumes amostras;
aggrs-
ap-
TOVO BANCO DE PERUAMBUCO.
ulanvo do Aovo Maneo do Per-
em 8 de junho de 18G1.
*CTIV0-.
Apoliaea da divida publiM ...... 57S:800$000
Estcadada ferro do Podro II.,----- 104:OX)Or>000
.Estrada de ferro da Babia........ 79:liM602
Depsitos. ......... 80O00600
Joias depositadas...... 5:735*280
4.-530000
.... 2,867:0603833
58:779J60

l Gomes de) Akaerde, 6. Paulo. 66 an-
, ios-Vista ; dyarrhi ebronica.
. .......-
Leltas caucionadas.
Lenas descontadas.
Letras protestads*- .
Banco da Baha S/C ....
Remessa.........
Aluguel de casa......
Fornecimenla .......
Juros......'......
Premios de titulse garanta. .-
Desposas geraes >.................
I
I
.
aSSttO,
Capital........ .
Emisto........
DepositB' da direcr>6o '.- :; t
Letras por dinheiro recebido
juros .......
Contestorrentes comjuro .
Fando de reserva. :-r
Titules em can{IO ,; .
Btmco da Babia N/C, ....
Knowles 4 Foster (de Londres) .
Jos Antonio de Pigaelredo Ca-
ntor (Hlo do Jaorro) ,
Letras a pagar. .
Saques .... .
Dividendos; .. ... .
Dicoqios de noUs.....
Juros da garanta de eraissjo .
Premios de saques remessa*.
12:8965785
2:6330040
ftfBOjeOr)
7:766485
4:380j>55O
26 884JJ863
3:658*680
602:5275027
1 Ris: 4.435:36^25
2,000:060,
1,485:950
8O.-000
9:851
-425:6..
4t: 573*te8D
W:8075l88
8.-225jf734
Desoontos

Rlt, 4"5tow5Sa5

CorrespDaerioia *
Sr*. redac/oroij^tendo s sssambla provin-
al diminuido o ordenado dos guardas da casa
e detencao, e ao mesmo tempo aufmentdo'os
irvices dests, vejo-me a necessidad de'prs-
irar vivar por otros meiog, o por ieso-podi 4-
L;a demissao, vlno agora, como me cumpre,
radsoeC-ao Ilioa. Sr. administradar, ajudante, e
Sr. Joaquim Oliveir, e empregados me-us
mpanbeirss naquelle estabelecimeuto as ma-
iras delicadas, com que compro fui tratado.
Recite 4 de junho de 1441.
CeelarasAlves o Sucratiwmo Rosa.
M
Anotte nublada e de aguiceiros, vento S bo-
nanga, que rondou para o terrsl as2h. 80' da
"ni ,.______
------- OSCllACfr T)A AR*.
Preamara 1 b. 30' da tarde, altura 6, p 7;
Bainmar aa 7 b. 18'da maeha, altura 1,4.
Observatorio do arsenal de marinba, 4 de ju-
lho de 1861.
Bomako Stepple,
1* tosente.
CO*1*lfcftCIO.
1 .....
' Alfandera,
fondimento do dia 1 a 3 .
W aiioaW.ieaa.i.....

Id
. 535541538
~ *Ma*is6AT
J'^
77:3938355
Volu
Movimexiu da alfaadesa.
mes antrado com faiendas..
" ou 'sonoros..
sabidos com tazendss..
, eas eneros..
161
103
- 264
cerda. }* "'
2'tfitas queijos, 2 barricas presttkos ;
noel Jos Gotrjjalves da Fonte.
aMa-
gs, e 2 voumes amostras ; a
J.
2 caixas chape
a loeo K3ller4'l
23'berTs masli
II. Gibsin.
WO ditos manteiga, 1 vohime amostras
By*dr & C. '
25|dltos ditas ; a Mtlls Latham 4 C.
50ditos ditos, 1 volume papis, e 1 dito amos-
tras :ja Sjundres Brothers 4 C.
2 embrulhos amostras ; a Patn Nash & C
1 olume ditas : a C. Leelere.
1 dito dita; a L. Punch.
1 etbbrorho papis, e 2 tolmes amostras : a
E. HJ BramoVach.
1 vloiame amostras ; a Artenrright 4 C.
1 caixa enrostras ; a C. Kolfe.
1 mtrolho amostra ; a C. i. Astley & C.
2 ditos ditas, t dito dezenhos de'navios: a
Adanison Hewieri'X.
1 qaixa objectos particulares; a W. Marlincau
t dita amostras ; v W H. Vapy. -L
1 Iota roopa ; 1. Kfrkhaffi.
1 vWume documento^, a Antonio de Vascon-
celos.
1 embrulho joias ; a Joseph Lalham.
1 chixa di versos objeetos ^ a Seve Filhe 4 C.
1 "vtoluane papis impressbs ; a C. L, Cam-
brn ne.
1 dito amostras ; a James Orabttreu & C.
dito peridicos ; a Krabe- Whately 4 C.
ei ixa peonas d'oco ; a Viava Amorim 3C.
enbrulho livros ; a Jbs Antonio de Araujo.
c ixa amostras ; a L. A. Siqoeira.
e nbrulho amostras ; a Johnston Pater fi C.
v rlumo livros ; a A. M. G. Soares.
ci ixa rap ; a Thomar d'Aqolno Fottceca.
d ta el barril vioha ; aT. H- Harrlson.
1. ci ixa moeda de ouro y e Baltar 4 C
1 v lume livros ; a Antonio J. M. I
PombiL :
i
1
1
1
t
1
i
1
1
Ferrejra
Dia 3 do julho.
:
para Hontovi-
Brij ue hesnaobol a Cecilia
ideo c arregar a m :
Vio ra Amorim & Filhos, 10 barriquinhas com
(5 arrobas e 10 libras do sssucar.
Polaca heapanhola Jlarcellila para o Rio
d J?rdta carrejara:
Amonm Irmos 350 barricas com- 2,791 arro-
bes e 9 libras de. sssucar o 22 pipas e-,6 meias
medidas de csxaca. ,
J>ancez iBetb, pira slafselha, carre-
iga Jlo-4 C. 180 saceos coa 800 asrobas
portugueza Flor da Maia, para o Por-
to carregaram : *
Antonio Feroandes Thom 2,000 pon tas de boi
,e 12 douros com 168 libres.
Masoel Joaquim Ramos e Silva 34 barris e 1
meia pipa pom 1314 medidaa de mel.
Joan Ribeiro Lopes 1 sacco com. 5 arrobaa e 2
libras de arroz o 1 dito com 2 arrobas de caf,
Tbomaz de Aquino Fonseca Jnior, 35 couxos
salgai os com 1,050 libra*. '
Palicho, poitugpez Mara para LUboa, carre-
garan : (
Maiques Barros ^rC., 00 ssseos com 2,000 ar-
robaa de assacar.
Beeber]orla de rendas Internas
geraes d Pernan>buco.
aendlneotododialaS. i;357824
T0218fc4
dem
do dia 4


5379*808
*3
Conanlado provincial.
Randinaento do diala3.....itoUBUBA
l do da 4 .......5.865*ai\
24^4O906
s
en
O
^1
O]
00
*
U 8 S*
Itf'
khmosphtra
JMrsefdo.
/nlinrio(i#.
Fahrtnhtit.
Centgrado.
rJHl9ro Cisterna hydro-
metrica.
i., :d *
JB to
te .pa te lo
O -. -. V.
>o -^ o> -J
Editaes.
O Illm, Sr. inspector da tbesouraria pro-
vincial, em curapriroeite.de resolugao da junta
da fazenda, manda fazer publico que a arremata-
cao da irapresso dos balaneos, ornamentos e re-
latorio da mesma thesourana foi transferida para
odia 11 do correte. r -
E para constar se maodou affixar o presente, e
publicar pelo Diario.
Secretaria da tbesouraria 'provincial de Par-
nambuco. 4 de jlbo de 1861.O secretaio,
Antonio Ferreira d'Annunciaco.
O Illm. Sr.inspector da alfandega manda
fazer publico para conhecimento do comraercio,
que as embarcarles do trauco do porto que car-
regarem ao norte da alfandega deverao tocar no
trapiche denominadodo algodio ou.no porto
fiscal o. 4 (ponte.da alfandega) para o exame da
carga e o visto no despacho ou guia que de ve
acompaohar; as que carregarem no.caes do Ra-
mos on ao sul da.alfandega at 0 trapiche da com-
panhia Peraaoubscsua deverao tocar para o mes-
mo fim no porto fiscal o. 3 ; o as que carrega-
rem em frente do ancoradouro. da carga e fran-
qua o dos portos fiscaes na. 1 a 2 *e approxima-
rao qyauto Cor possivel a esses postos. de modo
que de bordo possaser reconhecida a embareaeao
pelo seu nome, e notada a hora' em que segu
paca o navio a carga, dorendo o com mandante
do.porto fiscal ir ou mandar verificar o despacho,
sempre que julgar conveniente. Os Irsoagresso-
rea desta ordem. Oca rao sujeilos pena de artigo
389 do regulamento de 19 de setembro de 1860.
Alfandega de Peroambuco 4 de juLoo de 1861.
02. escripturario,
Maximiano Francisco PiixBto Duirte.
O lila Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda desta provincia, em cumprimento da ordem
do thesouro, de 6 de maio ultimo, manda fazer
publico, que fica aberto, para o dia 29 de jujho
prximo seguintq, nove concurso para preenchi-
mento dos lugares de pralicanlo d alfandega
dsta mesma provincia, coraecando os exames s
tO horas da minhaa sobre as seguinits materias:
1.a grammatica da lingua verncula, leitura e
escrpta correcti e correle ; 2 a tbeoria da es-
cripturarao mercantil por partidas simples e do-
bradas, e suas applicacoos ao com mercio, e a ad-
ministra cao de fazenda ; 3. arilbmetica e suas
applicacoes ao com mercio, com especialidade a
redueco dos pesos e medidas nacionaes e es-
trangeiros, calculo de descont e jaros simples e
compostes, iheorias de cambios e suas applics-
coes j 4 oocoos do algebra ; 5.a tradueco cer-
rteta das lioguas ingleza o franceza, ou pelo me-
nos da ultima ; 6." principios .geraes. de geo-
grapbiarde historia do Brasil e de estatislica com-
meical
Aqu^lles que pretenderem aer admillidos ao
concurso, deverao previamente piovar, que teem
18 annos completos de idaJe, que esUo livres de
culpa opona,e que teem bom comportamento.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco, 4 de junbo de 1861.Ser va do de offi-
cial-miot. Luu Fmocsmi de S. Paio o Silva.
O Dr. Bernardo Machado da Cosa Doris. officia
da imperial ordem da Rosa, e juiz de direito
da primeira vara do crime, e especial do com-
mercio interino desta cidade do Recife, capital
de Pernambuco e seu termo, por S. M. 1 e C.
o Sr. D. Pedro II. a quem Deus guarde, te.
Facp saber aos que o presente edital virem o
delle noticia tlverem, que no dia 10 de julho do
corrente anno se ha de arrematar por venda
quem mais der, em pra^a publica deste juizo, na
sala dos auditorios, urna casa terrea meia-agua
sita na ra das Calcadas n. 19, com urna porta e
janella na frente, urna sala e duas camariohas,
com 16 palmos de frente e 18 de fundo, avallada
por 500$, a qual fot penharada por execueo de
.Antonio Pereira da Rocha Bastos contra Francis-
co Antonio das Chagas ; e nao hnvendo lancador
que cubra o precoda avaliaco ser a arremata-
Qo letta pelo'valor da adjudicajo com o abati-
mento da lei.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandei passar editses que serao publicados pela
imprensa e aiRxados nos lugares do costume.
Dado e passado nesta cidade do Recife, aos 20
de jonho do 1861, quadragesimo da independen-
cia e do Imperio do Brasil.
E eu Manoel Mara Rodrigues do Nascimento.
escrivo, osabscrevi.
Bernardo Machado da Costa Doria.
-O Illas. 6r; inspector da hesooraria-provinciar,
em cumprimento da erdem do Exm. Sr. presiden-
te da provincia, manda fazer publico, que a ar-
reoaatacao da impressao dos trabalhos.orcamentos
e relatono da meama thesoararia, foi transferida
para o dia 4 de juHio prximo futuro, servindo de
base ooTerecimento feito pelo licitante Ignacio
Beoto do Leyla de um por eato de abatimento
no valor do orcamento.
ffpara constar se mandou affixar o presente e
publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria provincial de Per-
nambuco, 25 de juohode 1861.0 secretarioA.
F. da nnunciagao. i -'
s Sr. inspector da thesoararia provincial

r. inspector da thesouraria provin-
,4, do crrante, .pepsttO s-jasita da fazenda da
mesma tbesourru, vai oovaraente a praca, para
sor arrematado-A quem mais der o pedagio da
barreira da ponte da Tacaruna, avaliado em 414A
annuaes. aaaasj
A arremalaclo ser feila pelo tempe de dous
annos e 11 meses, a contar de t.* da agosto do
correte aoao a 20 de junho de 1S64.
As pessoas que se propozerem a esta arrema-
tacao, eomparecam o saladas sesseoa'da referi-
da junta, no dia cima declarado, palo meiodia
e competentemente habilitadas.
E para constar se mandou aflixsr o pilente e
publicar pele Otario.
Secretaria da thesouraria provincial do Per-
nambuco, 3 de julho de 1861.O secretarlo, An-
~~Dr.aFriuctscD de~ASls Peretra RocUa", "Juiz es-
pecial do commercio desta cidade do Recife de
Pernamtnfco seu termo por S. M. Imperial,
que Deus guarde, etc.
Pace saber aes que presente edital virem o
delle noticia liverera. que So dia 10 do correnta
mez, s 5 horas da tarde, ter lugar na luja de
miudezas sita na ru da Impecatriz n,, 58, a arre-
mataeSo de todos os objectos existentes na mes-
miv, es qaaes lram. penboradea a Joo Augusto
Henriques da Silva, per eiecucqe de Vaz 4 Leal,
deixando portanto a mesma arrematsco de ser
effectuada na sala dos auditorios conforme Uua
j por editaes annuociada.
E para que o presente chegue ao conhecimento
de todos, serA publicada na forras do astyrV.
Cidade do RecWe, 2'de jnlho de 1861.En Ma-
noerMarla Rodrigues do Nascimento, escrivo o
subscrevi. \" .
#0,l" Francisco dt. Assi* Pereira Rocha
^js O illm. Sr. intpettorda thesouraria prooin-
icial, manda fazer pofclieo qne no dia 18 de jnlho
prximo vindouro, perante a junta da fazenda da
mesma thesoararia, vo novamenle praca par
ser arrematada, quem mais der, a renda dos
predios, abano mencionados, pertencentes ao pa-
trimonio dos orphos.
Largo de Pedro n.
Ns.
1 Sata do primeira andar 180j000 por annp.
Rus do Imperador.
2 Sobrado de 2 andares.. 1:601 $000.
Ra das Laraogetrae. -'
6 Casa terrea............ 204J10OO
Ra de Sebo.
12 Casa terrea............ 160000
Ra do Rosario ds Boa-Vista.
14 Casa terrea............ 201$090
Ruada Lape.
40 Gasa terrea............ 1529000
41 dem dem............ 1829000
Ra da Cacimba.
65 Casa terrea............ 3005000
66 dem idem............ 1220060
67 dem dem.......,.... 815000
Ra dos Bargas.
68 Casa terree............ 20S000
69 dem idem............ 1259000
Raa do Vigario.
72 Sobrado de 2 andares.. 6O2JSO00
Ra da Senzala Velha.
79 Sobrado de 2 andares.. 753O00
80 dem dem............ 753*000
81 Casa terree............ 19I9U0O
82 dem idem............ 2008000
84 dem idem............ 162J000
Ra da Guia.
84 Casa terrea............ 186J00O a
Ra do Pilar.
91 Casa terrea............ 1629000
As arremataces serao feitas por tempo de dous
annos e 11 mezes a costar do 1. de agosto do
corrente anno a 30 juriho de 1864, e com as se-
guintes alterarles:
1. Pare-garanta das arrematares dos predios
bastar um Dador, o qusl dever provar que pos-
8ue na cidade do Recife bens o raiz lirres e des-
embaracados, cujo Talor cubra e da ariema-
taco.
*2.* Que nao e exijam dos fiadores letras da
quanlia da renda arrematada.
3." Que os arremtame sejam obrigados a ter
limpas e acetadas as propriedades do patrimonio
por cuja renda se responsablisar, bem como a
dar parte em tempo ao inspector da thesouraria
provincial dos reparos que se flrerem, necessa-
rios pera conservarlo das mesmas propriedades,
os ques sern execnlados por conta do patrimo-
nio, quando se verificar que os rendeiros e seus
fiadores nio cencorreram directa ou indirecta-
mente para o deterioraraento.
As pessoas que se propozerem a estas arrema-
taces eomparecam na sala das sessdesda mesma
junta so da acieaa mencionado, pelo meio dia,
competentemente habilitadas, tendo lugar no dia
11 do mesmo mez.
E para constar se mandou affixar o presente o
publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria provincial de Per-
nambuco, 28 de junho de 1*361.-0 secretario, A.
P: da Annunciaco.
O Illm. 8r. inspector da thesouraria provin-
cial manda fazer publico, que no dia 25 de julho
prximo vindouro, tferaote a junta da fazenda da
mesma thesouraria, vo novamenle praca para
ser^rremalada a quem mais der, a rends dos
predios abalxo mencionados pertencentes So pa-
trimonio dos orphos.
Rom do Pilar. '
Ns.
92 Casa terrea............ 162fOO0 por anno.
por lempo de (res
julho do corrente
I
oTimento do porto.
Nauta>eturado no U 4.
Portel do,norle-7 das, vaporWasjleiro lguarat-
So (S5W,tt4,ato-9 ? .^^e Josqpim Airas
, Navio sahiio no memo dia.
Wfe!!sf! *riBBe h9,Pao1 Cetia, capito
Jaime Ferrer, csrgs aisuoar e aguardento.
v
1
te da proviucis, manda fazer poblieo, que no dia
4 de julho prximo vindeirrO, perante a juota da
lateada da mesma thesoorera, vai novamenle
em praca paro ser arrematado, a quem mais der,
o rsodiaaaalo do pedagio da barreira da ponte
do Tapacur, servindo de base oessaerremaiaco
a offerla que fez o licrtontoehristovio de Holln-
ala Cavalcanti e Mello.'e qusntia de2:0969000
annuaes.
A arremataco ser faite
anuos,..s contar do 1 do
aoao a 30 de junho de 1864.
A pessoas que se propozerem a essa arrema-
cao eomparecam aa sala das sessdea da referida
junta, oo da cima mencionado, pelo njeio dia
e competentemente habilitadas.
E para constar se mandou affixar o presente e
publicar pelo Otario.
Secretaria da. thesoararia provincial de Per-
nambuco. 27 de junho de 1861. O secretario
Anlomo Ferreira de A-nnanoioeae.
A camsra municipal do.Recife em virtude
d ordem circular dogoverno da provincia de 22
do corrente, faz publico para conhecimento de
seus municipes. que per aviso da secretaria de
estado Dos negocios da fazenda de 4 deate mesmo
mez, se ordenara a thesouraria da fazenda que
frocedesse neats provincia a sobstitaisaodas no-
as de 1009 e 200J primeicieslampa, papel bran-
ca, no tempo que decorrer de agora at o fim de
dezembrodflaseo corteo*, eoaeosado o *ri-
meiro de janeire prximo futaro o prazo de 10
mezes para o descont menial de dec por cento
Oo valor das mesmas notas*
Peco ds cmara municipal do Racifo m aaa-
tao ordinaria aos 27 de jusho de 1861.Luiz
Francisco de Berrea Reos, presidesvle,Fraocss-
co Canuto da Bos-Vlasem.oJBckl aune setviodo
4o secretario. ^7^awaiawo

c

a
a
03 dem idem........'...I 1729000
94 dem idem............ '253SOO0
95 dem idem............ 236g000
6 dem idem............ 1579000
c

a

c

c
a
a
97 dem idem............ 161*000
98 dem id*m............ 2249000
99 dem idem..........r. 167S000
100 dem idem............ WjOOO
101 dem idem............ T8I9OOO
102 dem idem............ ffiijOOO
103 dem idem............ I8I5UOO
104 dem idem............ 1729000
105 dem idem,........... 3729000
Estrada do Pamameirim.
Sitio......------....... 5O0R0O0
2 dem.................. 120g000
Estrada do Rosarioho.
3 Sitio.................. 3129OOO
Estrada da Uurbeca.
"4 Sitio.................7. 2123000 c
Forno da Cal.
5 Silfo................... 353SO0O
As arrenjataces serao feitas pelo mesmo tem-
pe: e sofe as mesmas condicoes do edital tima
tendo lagar-as habilitacoeo no dia 18.
B para constar se mandou affixar o presente o
publicar pele: Diario.
Secretarla da thesouraria provincial de Per-
namtfuc, 28 de junho de 1861.O secretario, A.
F. da Annunciaco.
A cmara municipal desta cidade taz -publico
era cumprimento de ordem do Exm. Sr. presiden-- -P"* oabeciraento dos seas manidaos,-e espe-
cialmente do corpoeteitoUri, que o Exm. presi-
dente da provincia lhe commuoicou, ue, en
virtude do Io do art. 24 da lei de 12 de agosto
Oa 1834, convocar a aova ssembla legislativa
provincial para reunir-se na prxima sesso or-
dinaria de 1861, e quOMtesigsara o dia 24dono-
vembro vindoaro para netas se proceder a elecao
dos seos membroa; devando e priroeiro districto
dar nove membroa da assembla legislativa pro*
oaoo V" f?0^""6 i,,>de ,rt- 2 do decreto n.
2633 de 1" de setembro de 1860. Paco da cama-
T T?"*'"1 ^ B*cil* e< essoo de 1 de julho
dei861. bou Francisco de Barres Rean, pfesi-
dente.Francisco Canuto da Boa-viagem. official
maior servindo de secretario.
ib
Beelra^oesT
H

d CQ8ilttlo ppoviicial.
uiZ! -?esa d0 .consulado provineial se fax pd;-
blieo -aos propTieie+ros dos predios urbanos das
rreguonas desta cidade e ds dos Afogados que Ot
trrnta diaa uleis para o pegamento a bocea do co-
Lre..K9*5f'L9*,Be6tre da deciO" o anno fl-
?5!f",^e 'I6* t861 Andam-se no dia 8 de
irihO'CORtaoieatjantfo sujeitos i multa de 3 por
OrO os oe pagaren dfepois deste prazo.
tJSOH d,cotiso1ado provinchrl de Perasmbn-
' SOCIEflAOE BANCARH-
amoriin, Rragnso Santos
di Companhia

sari


MtfPftilW
Ufefcttl

Conselho de compras navaes.
2 resmas de papel de embrulho.
Tendo de ser promonda a compra do maleriall, ?idr0 "ul de 8 0BSa8 ae perchlorureto de
!#* e*0:.
da armada abaixo declarado manda o co
fazer publico, que ter isso lugacsem essa*dt5 ^1"" de raz de tormn'
do carrele mez. mediante propMtM om carta*
mez,
fechadas apteseotadas oesse 4L*1MBm 11 horas
da maohla, acoropanhadas das aSaeslras da que
caiba do possivel.
Para os navi"*
Estopa da algodao, 9 quiniela/ Joa estreita
ingleza de superior qualidade, tfpeoras; bros da
Russia, 100 pe;as; cabo de linfto e 1 a 7 pole-
gadas, 100 pegas ; remos de feta de 13 a 16 ps
sonidos, 400 ; naTalhas de merinhira, 800; li-
aba de barca 3 arrobas, e lona laa iagleu su-
perior, 100 pegas.
Para os navios e a ramal.
Lioha alcatroada e merlim, garroba; breu, 6
barris ; oleo de linhaga, 90 teesaaa ; jasabas de-
ferro batidas para bombas, 20 mrxftWTe piobo
de resina, 12,000 ps. f
Para o arsenal. **
Azeite de peiie. 100 medidas; sola ingleza
para ajachiqas,*lft meite; m cera 5 palmes da
dimetro e ftpoUdasJe leajoi.Vf
Hiera iipharol.
.Xaacidas rraucews fitfgruzas.
Para "os africanos.
Camisas de algodao azul, 84, a leas de Para as africanas.
Sajas oWsoda ,eul, 4, e Waisaadp.ajgo-
daoznbo braceo, 4.
Sala do conselho de compras aavaes, em % de
julho de 1861 Osjcrela'rio,
Alexandre Rodrigues dos A. ojos,
Commando supetfiov
3 libras de raz de cahiaca.
3 eaitheiros de rolhas fraocezas.
*r
(reos da salas parrilha de Bristol.
2 libra* deprratraz.
2 libras de sesmo ac.
3 libras de alva. '
1 thesoura de um palmo.
30 libras, de vinho tinto de muito boa quali-
dade.
. SO libras de vinho branco de boa qualidade.
90 irasco de jarope de Chable.
1O0 garrafas de xarope de HyposulQto de soda.
50 video* de jarope de naf da Arabia.
60 garr*[**.de xarope de espargo.
25 garrafa* de xarope de degitales de Labe-
4t)8.
2 resmas de papel rotuladas pelo modelo jun-
to, sendo urna para medicina e outra para el-
rurgia.


em consequeacia d
que as hora
la distrajo
pedidosdealgumaspessoas, ^ffl.
lltAaJmejam urna bel-' St =
loaejo&< '
quigi aborrec- para
das pelas continuas lidaso da. ,Pyq 4 I
Sera maalida a boa ordem harmona do coa-
tume, e observadas as dispoetedes *i retutameo-
em vigor.
_i w mm. g.-.yviMMW0 ?,5-1
>vos, com os consignatarios Aranagf
?c
:
irtWrlrt
0 -
PbarmaVeia'do hospital mlUer-de Peruambuco.
Cirurgia.
teijon.0
Formula n.

Por ordem do Ulm. Sr. coroael commandaaU
superior ioterioo sao coovilados os Srs. lente -
coronel.Gaspar Cava^caoti de. Aibuquerque Ucba,
teneele Joaquim CaTalcWtfRfbeiro de Lacerda e
teoente-ajudante da atrtrga guarda 'nacional til-}
guel Pereiae Geraldee, peracompareeerem na se**:
cretina do commando superior, ruado Livra-
maptoji. 3J, asl ;Jorie 40;di 5 do corrate,
afim de serem inspeccionados p^r justa mecUaa,
Secretaria do commando superior da guarda
nacional do municipio do Recite 2 de jumo ue
1861.O secretario.
Fumino Jos de Oliveira.
De ordem do inspector chele' da diviso, capi-
llo de porto, fat-se publico os artigos abaixo co-
piados, do regulamenlo das capitanas. Capita-
ds do portJ de Peruambuco 20 jlejuntio de.
1861.
O Secrelario.
J. P. Brrelo de Mello Reg.
Art. 26. Todo o navio mercante nacional or
estrangeiro que estiver nos ancoradouros de car-
ga ou descarga, derer ter os pius de bujarro-
na e gibi dentro, e nos porlos em que pela sua
pequea capacidade estiver por isso amarrado
a quatro cabos, lera alm disso a retranca den-
tro, e as vergas desaoiaulilhads ; a so em ves-
pera do sabida para o ancoradouro de franqueia,
afim de envergar panno, poder amantilhar ver-
gar e deitar (ora os pus, menos o da giba, que
s o pora no ancoradouro de franqueia. O con-
traventor ser multado em quatro mil ris por
cada vez, e perder o direilo ,indemnisagao no
aso te Ihe serem partidos por abalroamelo.
a Art. 29. Todos e quaesquer navios devero
nos difieren tes ancoradouro.-, prestar recprocos
auxilios em o acto de amarrar-se ou desamarrar-
se como seja recebar urna espa,arrear a amarra
por algum incidente imprevisto.
. Art. 30 E' prohibido a lodo e qualquar na-
vio dar tiros, ou salios a nao estar no ancora-
douro de frioqueia, e neste mesmo o nao poder
fazer, levando taco o liro. Aquelle que trans-
Sredir ser su jeito a roparacao do damno, haireo-
0-0 alm de.ser multado em uito mil ris.
Art. 31. Nao ser permittido dentro dos an-
coradouros do carga e descarga conservar fogo
bordo, depois do loque de reaolher, alm da lan-
terna de que trata o art. 133 do. regulamenlo de
22 de juoho de f836, e de urna luz.que podor
ter em laoteroa fchala na cmara de cada na-
vio. O contraventor ficar obrigado reparaco
do damno que possa haver, o ser multado em
dezmilria.
Art. 32. Nenhum navio poder sahir sobre-
csrregado, nem levar carga no convs que cause
perigo. O capito do porte regular com pruden-
cia, vigiando com attenco sobre taea circums-
tancias : e o capilo ou mestre se conformar I*
com o que elle determinar.
Art. 3i. Nenhum navio mercante po lera ter
unidas suis-enibarcar.ae misdas, seoo nos pr-
talos no ancoradouro de carga e descarga: no
de franqua Ihe ser permittido ter a lancha pela
popa. O contraventor ser multado em quatro
mil ris.
Art. 35. Nenhum navio mercante poder ter
suas embarcarles miudas fra do navio depois
do tiro de recolher, salvo por algum motivo ex-
traordinario, que justificar. O contraventor ser
multado em quatro mil ris.
iw.
'Para arovimenlo dos armazens do arsenal
de guerra.
3 oaixd com vidos de 12 a 14 pollegadas.
."> arrobas de verniz crome.
5 arrobas de olee de linhaga.
20duiias de taboas de louro de assoslho. .
6enchams de qualidada com 25 palmos ca-
da um.
2 mos traressas cpm 25 ditos cada urna.
Qnem qoizer vender taes objectos, aprsente as
Mas propostas em carta fechada, na secretaria do
eoaselho, s 10 horas da. manhea do dia 8 de
jtho preiimo vindeuro.
Sala das sessdes do conselho administra.!
para iorueciiueuiu uo arsenal de gu
junho de 1861.
Santo Josi Lamtnha Litis,
Coronel presidente.
Francisco Joaquim Pertira Lobo,
Coronel vogal secretario nterin*.
Santa Casa de Misericordia do
Recife.
Alitma. junta administrativa da santa casa de
misericordia do Recife, manda fazer publico que
nao se tendo effectuado hoje a arrematarlo das
rendas da ilha doNogueira, ir novamente t pra-
ca no dia 4 do prximo futuro mez de julho. Os
pretendientes devoro orgaoisar suas propostas e
remolls-las a esla secretaria em carta fechada,
no dia cima mencionado, as 4 horas da tarde.
Secretaria da Santa Gasa da Misericordia do
Recife, 27 de junho de 1861.
F. A. Cavalcanti Cousseiro,
Escrivio.
A Illma. junta administrativa da santa casa
de misericordia do Recife manda fazer publico,
que no dia 15 do prximo futuro mez de julho,
pelas. 10horas da manbaa, na casa dos exposlo*,
far-se-ha pagamento as respectivas amas ; da-
vendo estas irem acompanhadas das changas.
Santa casa de misericordia do Racie 28 de ju-
nho de 1861.O escrivo, .
F. A. Cavilcanti Cousseiro.
Gaixa filial dp^anjo 6o Brasil
eai Perxi^fcobuco. >
Por .ordem da directora e em cum-
plimento dodisposto no an. 4 do de
creto n. 4685 de 10 de norembro de
armo fiado, vai-se proceder dentro do
prazo de 4 mezes a contar desta data,.a
substituidlo das notas de 20f da emissac
da mesma caixa.
Caixa filial no Recife aos 20 de ar-
co de 1861..O secretario da direciorw
Francisco Joao de Barros.
Concertos de msica va
cal e instrumental
NOS
Saldes do caes de Apollo ]
Em beneficio d administrador.
A's 9 horas da noite de sabbado 6 do cotrente
comecari o entretenimento, executando a .acre-
ditada msica dos educandos do arsenal de guer-
ra, dirigida pelo eximio professor o Sr. Manoel
Augusto de Menezes Costa, alm de urna brilhante
ouvertura, diferentes pers de goslo, e depois
ricas quadrilhas, acholtz, valsas, etc., do seu
abundante repertorio.
Os rntervallnsserio preenchidas por admirareis
concertos de flaul, harpa .e canloria, pelos apre-
cia veis irmos Cassel, recenterante cjiegados.da
Europa ; tocando as Sras. Us. Cooradina e Chris-
tiana harpa o cantando diiferentes pedamos das
mais modernas operas italianas, e aQompanhau-
do-as o Sr. Henriqge em su melodiosa flauta.
Estando feito um crescido numero de convites
a pessoas de todas as classes que podem honrar
o estabelecimento, espera.-se que a concurrencia
seja tambem crescida.
Ser cumprido o rgalamento policial. .
Entradas para senioras, gratis; piranmeos,
a 21000. |t,"
Avisos martimos.
::
oj 51 do correte
Evaristo far (ejlao para aar, arrematad a
.uem maisder um cavallo pertencente a mases
aluda leachado & Souza, por autorisseo 49
uizo commercial, ua ra do Vigario o. 22, as 11
loras dio dia cima.
Sua da Cruz numero 18.
Coatiuuagap da leilQ
IS.
Para acabar.
TfrgcL'-fetra 9 do crvente,
. Antunes coptinar a Tender sem reserva de
proco algum era lotes a rentada de- comprador
ama porgdo da movis com o sejam cadeiras ham-
burguezas, commodas. camas, .mesa3,.tpiletes,
lavatorios, ofs, spewtarias, mesas elsticas etc.
Inda au correr da marlello, no dia e lugar cima
designado as 11 horas em poot',
hi d liprador a. 18,
Conseibo administrativo.
O conselho administrativa para farnecimeato
do arsenal de guerra tem de comprar os objectos
seguiotes :
Para provimento dos atmazeos do arsenal
de guerra.
500 caadas de azeite de carrapato.
2 arrobas de fio de algodao.
.500 vassouras de paltoa.
100 vassouras da junco:
Quem quizar vender taes ebjeclos aprsente
as suae propostas em carta fechada na secretaria
do conselho, s 10 horas da manhaa do dia 8 do
correte mez.
Sala das sessdes do conselho administrativo,
para fornecimento do arsenal de guerra, 28 da
julho de 1861.
Bento Jos Lamenha Lins,
Coronel presidente.
Francisco Joaquim Pereira Lobo,
Coronel vogal secretario interino
Conselho administrativo.
0 conselho administrativo, para fornecimento
do arsenal de guerra, tera de comprar os objec-
tos seguintes:
Para a phsrmacia do hospital militar.
12 arro*ade assucarTefloado de primeira qua-
lidade.
48 libras de alcool de 36 graos.
4 libra* de aluHien.
48 libras de agurdente branca.
16 libras de alinea.
1 aremetro de Baom.
1 areanwtto cenlerimal de Gay-huwac.
2 arrobas de banha.
24 borrachas para injecces, sendo 12 de 2 on-
jas-e 12d4 on;as.
12 borrachas vulcauisadas paxa^hrYateras, sen-
do 6 w*-hira e 6 de lfbra e mWa.
mras de cremortarlajtn.
btas de cantharidas.
2 libraste casca de roraa.
1 libra*de cera amaroila.
4 libras de cicuta. *-
2 arrobas de cevada.
3 iiBiijJfr centaurea menor.
? niaafcBa^ytrato de.ferro.
1 libra de carbonato1 de ferro.
? libras d cal brjnca de merca rio.
C*ate pequenc.
1 libra de extracto da alears.
1 iiawa eiaeitraclo de guaiaco.
lv*rrtrt>*de enxofar sublimado.
SmirtS de flor de sabugo.
2Mkm^e folhas da.roica.
^B Ba folhas de. Taraa
^HHH^ifoihag ddwaasjisJtean.
* 2 libras deifolhas mautajaroinir r
\ libras dafolhas de ourego. ^ ^aarii t

THEATRO
Segu oestes dias para o indicado porto o *e-
leiro brigue-escuna Graiosa, capito Joo fos
de Souza, por ter todo o carregamenio contrata-
do, poder receber anda algumas miudezas,
devendo para esse m os preteodeotes euien-
der-se com os consignatarios na ra da Cru
n. 27, escriptorio.
Para Lisboa e Porto,
sahir com breridade a barca portugueza For-
mosa, de primeira marcha : para o restante da
carga e passageiros, para os quaes tem exeellen-
tes commodos, trata-se com Manoel Ignacio de
Oliveira & Filho, largo do Corpa Santo, escrip-
torio, ou com o capilo a bordo.
Rio de Janeiro
O veleiro e bam conheoido briguo nacional Ve-
lo:, pretende s*guir com OHiila brodade, tem
parte de seu carwgamento prompto, pac o reeto
que Ihe falta trata-se com os seus cooaigaatados
Azevedoi alendes, do seu escriptorio ruada
Cruz n. 1.
u7gb%rr-7?ttodff^^^
.-! Et cofl^a^da ;Rfff f f dja, ia armera ,*-]
eros da tajfrna sita na ra da Impeatriz n. 50,
de Cirio* Augusto Brito de Olitita ; pnr isso
so alguem se julgar com direilo a urna ou oab-a
cousa, reclame neats'tres dias, dudo o quaes
nHfiaUoridarfana1cla. h ...
AluRa-Se o segundo andar da casa n. Sra
su* di Aofi a tratar na ra ds Ca segundo andar.
Aluga-se o irraar^m e prinieiip andar do
sobrado.n. 33 da ra d>a Praia de Santa Rila i a
Iratarod roesmoprimeiro ariJr.
ir-, .YeqdBm-se dous (anques d.e.ferro proprips
p%ra epositers de liqifos' f para ver, no trapi-
SheBir9 4pLivramerHp, largo A6nemla,.n.
15 : a tratar ha ra da Cadeia n. G2, segundo
Pdar.
No dia 4 de junho prximo passado fugio
do sitio da viva d Joto Ferifra do Santos,
oa Passqgem da Magdalena, a escrava- Ignez,
crioula, de 40 annos tleidad,' estatura regular,
cor fula, tea., um jado, muito regrista, esta scrava (o do oge-
olio PoetJ, suppoe-seq.ua ella anda para p lado
dos Remedios ou Aogalos : quem a apprehen-
der.qnera Uva-la eo supradito sitio, onde rece-
ber sus .recompensa..
-* Prtsa-se de m criado qu trate de ca-
Urna officina de

marcineiro.
Quttrta-feira 10 do cor rente.
Antunes vender em leilo a officina de mar-
cineiro sita naquelle lugar composta de dife-
rentes bancos com ferrameola completa, urna
porcao de foleido de Jacaranda, diversos moldes
e urna grande porco de madeira entalhada, qua
ludo ser vendido sam reserva de prego, em lo-
tee- -ai vootade do compredor, as 11 boras m
i ; .. Asiiuicoiiio
urna escrava de 30 anoos de idade.
,val|o a carro, e quo entenda do JuJear ; no pateo
ao Canno n. t, casa d pabriel Anloni, se dir
rwsm precisa.
Jos Barbosa de Mello vai a Europa.
afaoOel Goncalres Prraira participa seus
fregueses que mdou^s-u eta.hrtlepimenlo de
ca'rrowde aluguel cS'varlos de'trato, do pateo
<^> l'araizo para a ruada Santa Amaro u. 4, ao
p da casa do Sr. I)r. Sabino.
O senhor quo esta semana por engao 1ro-
cou um chaceo, pode dicigir-se a ra Direiti,
casa o. 6, para o destrocar, o no fundo do dito
chapeo tem urna cruz de tinta.
Precisa-se de um caixeiro que lenha prati-
ca de taberna, de 15 ou 16 annos de idade, e que
d fiador a sui conducta I na ra das Crazes nu-
mero t.
..^rltrec'i*"8e de um menino de 10 a 14 annos
o,ue4ejp,pii,.6^,.. ..Ti,amem
tenor de um engedho : quem quizpi,'a..ii. 00
-
Aracaty.
Para este porto seguir brevemente o hiate na-
cional Santa Anna: para o restante da carga e
passageiros trata-se cem Gurgel & Irmos. na
rna da Cadeia do Recife, prieneiro andar, n. 28;.
A carac
Segu com brevidade o cter oErama ; para
carga e passageiros, trata-se com Moreira & Fer-
reira, ra da Madre de Dos o. 4.
DE
Santa Isabel.
EMPREZA-GERMANO.
18a RECITA D ASSIG.VATRA.
Sabbado 6 dejunho.
Subir sceoa o interessaotea muito applaudido
drama de costumes militares, em 4 actos, ofl'ere-
cido e dedicado a Sua Magestade el-rei o Sr. D.
Pedro V, pelo autor o Sr. Jos Romano,
29
segu cora toda a brevidade a barca Mathilde
por ter metade de seu carregamento engajado :
para o restante, trata-se com Manoel Alves Guer-
ra, oa ra do Trapiche n. 14, ou com o capito
Jos Ferreira Pinto.
ou
HONRA E GLORIA,
PERSONAGENS.
O general...................... Leite.
O coronel de caladores 5o...... Santa Rosa.
O ajudantede campo............ Valle.
Jorge, capilo da 8a compauhia Vicente.
Placido, sargento............... Raymuudo.
M-Cara, dito.................. Campos.
O alferes instructor............ \ alie. '
29, quarteleiro da 8a, e cama-
rada de Jorge, 6o annos.... Germano.
Escopeta, raneheiro......; NUnes.
Batatudo, recrula.............. Teixeira.
Um paizano..............z...,. Oliveira.
Mara, lha de29.......i.... D. Mauoela.
Anglica, lavadeira do batalho
e mulhor de29.............. D. Jesuina.
OfQciaes, soldados, banda de msica, etc.
Terminar o espectculo .om a graciosa co-
media em um acto,
Comegat s .7 % horas:
.: c

-*...
ajsJB folhas de anglica.
2 libras de folhas de funcho.
4 libra d folhas de hyssopo.
para o lado di.reilp e boa^ffgWadei]
* drrW qua-ci
para o
6 (uwBBfcplaa de
4 libras dirfumaria,
e hyposul
iodureto
linhac
malvasjj
mel de
e nilrsto
12 vdros de oleo d
5 oncaa de oleo es
19 libras de oleo d
6 libras de perlas fr
2 libras de pilulaa
50 vidros piiulas de
4 libras de pastinh
3 libras de psstilhi
1 resma de papel
dade.
nha.
nha e morfina.
rimeira quali-1
^Jfcv
mf
O patacho nacional Barros 1, -de superior mar-
cha, segu com brevidade para o Rio de Janei-
o. rwebe carga a frote : trata-se com vtava
Amonto & Filho, fa da un u.
capito a bordo.
Sexta-feira 5 do correte.
Costa Carvalbovar leilao no dia cima as 11
horas em ponto de urna porco de caitas de mas-
sis sortidas, ooarmazem doSr. Anues dotante
da porta da alodega, sem reserva de preco.
portuguez para
.UlIt!,P
ao becco da Boia n. i.primeiro and ir.
. Na ra do Imperador n. 47 lera um comple-
to sortimeoto de ricas molduras fingiodo Jacaran-
da para vender por oraco muito barato.
Os absjxo assignados, passagejros do vapor
Iguarassu', 'p'erteu:enle Corapanhia Pernam-
bucao, penhorados pelo excellente Iratamento
que receberam bordo do dito vapor era sua ul-
tima viage'm dos porlos do norte, recorrem im-
prensa para manifestar ao Ulm. Srr commandan-
te i." tenente Joaquim Alves Moreira a sua gra-,
tiao por tal motivo. assegurando4he que osen-
couirar. sempr dispostos eumprir as ordena
que S.-S. se dignar Irapsmittir-lhes.
Recife, 4d julho del86ll
Miguel Francisco do Monte.
Erueslo Diocleciano d'Albuquerque.
Francisco Jos da Costa Barros.
Jos Cloacal ve* Malveira.
Aniouio Alves de Carvalho.
Manoel Jos Martins.
Francisco Cooiolano de Souza Alachado.
Miguel Leopoldo Lima.
FaUricio Gomes Podrosa.
Joaquim Exequiel Barboza.
Amaro Jrrelo de Aibuquerque Maranho.
Manoel Leopoldo Rapozo da Cmara.
Dr. Joo Capislrano Bandeir d Mello Filho.
Joo Frreira de Almeida Guimares.
B. Maia da Silva.
Mmoel Moreira de Souza.
Jos Antonio Teixeira.
DE
&tm$rm* Mutuos-
De ordem do Sr. director convido aos Mnhores
socios para compareceris a reuniao da asaem-
bla geral de eonformidade com o artigo 25 dos
respectivos estatutos, domingo 7 do correte, pe-
tss 10 horas da manhaa, no palacete da ra da
Praia.
Secretaria da As3ociaco Popular deoccorros
Mutuos 4 de jolbo de 1861.
Jlo Francisco Marques.
1.* secretario.
Vndem-se muito em conla quartolasde
muito boa qualidsde, proprias para deposito d'a-
ua em casas particulares e silios, e tambem por-
So de toneis grandes- de boa madeira, que s
ptimos para depsitos de mel, e pira al di*ti|a-
gesdo? engenhos, os quaes se vendemaLdinhei-
ro ou a prazo, conforme se convencfonar: pa,ra
ver e tratar, ua travessa do Carioca, armazem nu-
mero 2.
Vepje-se porco de quintaos da ferro em
vrgalhoes quadralos de varias grossuras,. e>
ehumbo em barra ; no armazem df travessa do
Carioca n. 2.
Vende-se a armaco da taberna da travessa
das Cruzes o. 14 : a tratar no pateo do Terco nu-
mero 12.
Fui encontrada urna canoa que ia perdida.
a qual tem xapacidade para cou iuzir pouco mais
de um railKeiro de lijlos : quera tiver alguna
nestas circumstancias, pode apparecer na fu
Imperial, sobrado n. 87, que dapdo os signa.es
delta, se Ihe entregar, pagand) as flespezas ojia
se tem feito com. o aoouncjo,
A abaixo assignada pelo presente declara
que tendo-se desencanto hado urna letra da quan-
lia de rs. 2:7030 aceiU por Manoel Xavier Car-
neiro de Aibuquerque, vencida em agesto do
1859, dada em pagamento a seu lho francisco
de Paula Civalcanti, a qual se achav em poder
do tiuddcj Manuel Buarjue de ilacedo Lima, fue
Ihe dra meu tilho pata elle a cobrar, suenda
hoje que corri a morte do Sr. Buuque a mencx>-
nada letra nao appareee, por isso a abaixo astig-
nada previne ao aceitante que nenhum negocio
fafa com dita letra, a nao ser com sigo ou com
seu' filho, protestando des le j contra todo e
qualquar negocio que por'Tenlura tenha de^la-
zer com .^oiift. em cuja mao illegalmente se
achar a referida lolra.
Ignacia Mara das Dores.
4&
IB
u
filo de Janeiro
Qintafeir4-4o corrente as
10 horas.
llavera leilo por iotervenco do agente Pinto
de 35 caixas coaa quenjos pratos dd excedente
qualidade chegados ba 4 dias pelo vapor inglez.
os quaes sero vendidos sem reserva depreco
no dia e hora cima mencionado o j armazem do
Sr. Annes em frente da alfandega.
CrHilinuacao do leilao
DOS
Movis da massa fallida
deSi^ueira* Pereira,
i Sexta-feira 5 do corrente.
Antunes por aulorisago dos depositarios da
massa fallida de Siqu.eira & Pereira., vender
em leilo o resto dos movis que perleoceram
aquelles fallidos, tudo sem reserva de preco as
1^ horas em ponto.
Tainhem vender
joias de apurado gqstcao correr do marlello.
Baha.
Segu a sumaca Hortencia, capito Belchior
Maciel Araujo ; para o resto da targa que Ihe
filia e passageiros, trata-se com Azeredo & Mon-
des, roa da Cruz n. 1.
-
Baha.
A escuna nacional Carlota, capito Luciano Al-
ves da Cooceigo, sane para a Baha em pouoos
dias ; para alguna carga que ainda pode recebar,
trata-se com Francisco L. O. Azevedo, na ra da
Madre de Deus n. 44. I
i
il
COMPAA VW\AJ1BLCAIU
i
D
TMEATRO
DE
an-
O ispectacujo do rei do fogo, dq'ua estoia .
nunelado osr quinti-feira, Bca traosftfro para)
demiego 7 do corrente. .'-
Os bilhetescontinua-se a vender nos lugar
annunciados.r, ~ '- 9
i
-
mwm P0FCLAR
MAGESTOSaS^AO
PALACETE DA RUADA 1*P^IAaa 4^a Sabbado 6 do ow^tt^e^ -
O director do Cassino tem a-hoira,lda-p
ao respeitavel publico (amante aY B4lli
Navegac cosleira a vapor
Parahiba, Rio ^nde do Nprte; Jtfa-
cao.do Asma*i Aracaty Ceara',
Acaracu' e Granja.
O'Tajor agusribe', commndante.Xobato,
sahir para os portos do norte at a"Gtala Uo
dia 6 de julho s 4 horas da tarde. Bpcebe car-
ga al o dia 5 ao mel dia. Encommendas, pas-
sageiros e dioSeiro a frete M o da da sahida
1 hora": seriptorio no.Forte :do''Mos'n. 1.
MarantaO ef ara.
i
, *,- i o -..- nacionnlwRosa^aapewido.aeate dasi
-ta^W-*TrlpwVIWtf%ta^d^
afreganrento engajado : para*
trata-se.com o .consignata-
QCJ 4 Vi./Ht do^igano nf
OTfiB ^
Attenco
Uma officina de
.
njareineiro.
Quinfa-feiraSde julho.
| Antunes far leilo de uma ofcins de marci-
neiro muito berp roontada, coqi^Ddo lodosos'
Sreparos precisos para beaexecuc,o de qualquer
bra de marcineiria, a qual se vende sem raser-
va de prego no mesmo lugar da oTjQina.rua do-
Imperador confronte a Sao Francisco, as 11 ho-
ras em ponto.
! LEILAO
DE
Um armazem sito no caes
lApoHon. 7.
Quinta-eira 5 de julho.
Antunes far leilo em sea armazem n. 73, da
ra dffagflBHrtfnf. trlPWft*WIHHBHBye peda e
cal, lodo travejado. o qual tem 31). palmo de
frente e S06 de curmpriawnfto, sito [lo caes I
Apello, ao dia e lugar cima designado
horas em ponto. >
\ Avisos 'AW1 '
Dr*. Ignacio, Firino Xavier, me-
dico, mudoua sua residencia para a ra
Nova de Santa ftita n. 1, com rente'pa-
|ra a ribeira do peixe.
.1
4.
Tliom Lopes de Sena
Ra Novan. 32
Recebeu em direilura de Franca bons
objectos de moda como sejam enfeiles
de flores braocos e de cores para seoho-
ra, capellas para noivas com ramo de
paito e hombros.
Chapeos trancos e de todas as cores,
ditos para luto de seta e de repe, di-
tos de palha da Italia, ditos de ditos
para montara e passeio, ditos de "'palha
de cores para senhora e meninas, ch-
peoszioho de seda a G'aribaldi para
meninos e meninas.
loucas de seda ede menu bordado,
sipatinho e meias para meninos se
baptisarem.
Folaz o Jn a*i todas a rnres e
larguras e de diffewales qualidades, di-
tas cascarrilhas, fil de seda branco li-
so, dito de linho com salpico, sinlos
com tirelas de ac bonitos e de bom
gosto.
Rqiiissimos vestidos de blondo com
2 saias e 3 babadiobos na primeira saia,
ditos de seda preto de 7 babados, veos
para chapeo de senhora e tocados para
os mesmos.
Becebe-se figurinos todos os mezes e
faz-se vestidos com rouita perfeico,
manteletes, capas e vestuario para me-
uinos se baptisarem e ludo mais quan-
tope,rienceaoloilele de uma serffiora.
^^"5
O abaixo assignado participa ao respeitavel
publico e com especialidado ao corpo de com-
mereio, que deixou de ser seu socio na socieda-
de que existia de Paula & Beotlenmuller, desde
a data de 19 dd abril do corrente anuo, Besado
cada firma responsavel pelos seus dbitos. Para-
hiln 22 de junho de 1861.
Frederico Beuttenmuller.
Quera quizer alugar uma preta para todo o
servico de uma casa, dirija-se ao pateo de S, Jos
numero 49.
Offerece-se uma mulher portugueza para
ser ama ; quem precisar, dirija-se ao pateo .do
Lirameoto n. 25.
O abaixo assignado, tendo dissolvido aaoi-
gavelmente a sociedade aue ttnha com o Sr. Ge-
nuino Jos da ftosa, e que .gyrava com a firma
de Rosa & Azovedo, oa taberna da ra da Pr;j
o. 43. previne a quem interessar possa, quiHie-
cebera 03 fuodosque ahi tioha em diversas divi-
das activas, censtantes de tima relago assigoada
pelo seu ex-socio ; senlo que elle aonuuciante-
traia de promover j a cobranga dessas dividas.
Estar em sua casa, na ra da Praia, a toda hora
do dia.Antonio de Azevedo Canario.
Attenco.
Roga-se ao Sr. thesoureiro da irmanlade di
Senhora Sant'Anna, erecta na igreja da SaBti
Cruz, que dirija-se a piyaca da Boa-Vista n. 9, a
negocio que Ihe diz respeito.
O bilhele n. 675 da lotera de S. Francisca
de Paulo do Cachaog, pertence ao Sr. Vicenta
Ferreira da Cruz, de Papacagi.
Hoje depois da audiencia do Sr. Dr. jqiz
municipal da primeira vara tem de ser arremata-
do por vend o preto Samuel, avalialo por 6805.
por execuco do Sr. coronel Manoel Joaquimvdo
Reg e Aibuquerque contra Jos Francisco'do
RegoBsrros.
Fuma de Bor-
ba do Para.
Kocetie-so por lojo* oa vapores do norte est
fumo, muito superior ao de arteoeque e america-
no, as6im a competente palha de tanarypara ca-
pa de cigarros : na ra da Imperalriz, loja nu-
mero 82.
Vende-se s casa terrea n. 24 da travessa.do
Tambi do bairro da Boa-Vista : a tratar com o
solicitador o Sr. Antonio Pinto de Barros, ^ue se
acha autorisado para tratar da veada.
Attenco*
Vende-se uma escrava de idade 28 annos. com
uma cria do 11 mezes, ptima para o servido de
uma casa de familia, por saber engommar, lavar
roupa e cozinhar : quem preteuder, dirijia-se a
ra de Hortas n. 90, que ahi achara com quem
tratar.
Libras sterlinas.
Vende-se no escriptorio de Manoel Ignacio da
Oliveira & Filho, largo do Corpo Santo.
.'..
alQuetes de ouro e brilhantes.
Na officina photographica da ra do Cabug o.
18, nlrada pelo pateo da matriz, existem lindos
aluetes rom brilhantese ao gosto de Luiz XV,
para a cotlocaco de retratos; ha tambem ama
variada colleccao de alfinetes de ouro com, e
sem podras. O prego dos afQnetes com os re-
tratos varia m de t6$ a 200J. Nx mesma casa
vendera-se bellos espelhos com molduras doura-
da9 para oroar salas de luxo e trata ment ; bor-
las deseda para cortinados de janellas e para
quadros, assim como conloes para o mesmo fim.
Vdfide-se ludo a presos razoavis e moderados.

ni
i ^mM^xm^wM^:
.!*'04 ni
a
SKUlSlM *"i^|
Jlai" _
Domingo,
nha hav
tdt ^
x __ '{bitos desta data ar'a
do corrente, as 10 horas^aioan^.
lo, ordinaria do conselho direc-
mm
Os Srs. qtae sao devedores a massa fallida de
jIgtyfciO'lVery Fflrreira da Silva Lopes, Jue ^ 'Im* d mideaa'sem 'frente do'largo An
o5 v
. do Lijwa-
u iv6.d.ii >nm o.i;era7pi' sus de-
bitos desta data ar ao fim do crrente mea.aa
Hite aquelles que assim o
este prazo,-teto chamados
por este,iornal,sem excepgo de peesoae.para
que nd'haisqueixas se ffitf. preseft^r iso
Cf;4&a3llh,o deJ86l.
w* Wv Ww M^vflLsWa*K
nioes), que sabbido 6 do crrante, harer tff^'A^Kfi^lfjkQlcloiial;
3 baile, com aquella pompa eale|aKd(ir;coj|tum'|*Wa4.J,Wra^l|it|fc; rj|
Ofc^'5 a ovi'-q ovi.
,; ot b al
aaoH eb .''<< l#t<.i-^j
(OhsotJ uS'tuezA
rfoM am an
maraes U:W. "
Veodemrae,dous taj^llps.
)< am*i
id
i/U
*-.q
1M
.0 liso
.Oii! Rjqos cliWftM de p.iaa oumdae da-
*W*Wo baraMmo pwe de.
&VKA >* *
commercto terao lugar nos di de
as 8e*anM j^elai
I do juiz : o escri-
te -do Nasci
oc' aJr e
.'i wi3ar
vio
- thttft.
loe^Mavia'
i i SI
9
Na padara de Antonio Fernandos da Silva Bei-
riz, ra dos Pires n 42, vende-se a muito aoire-
ditada bolachinha quadrada, de agua, propria
para doeoles ; e na mesma precisa-se de alugar
mensalmeote um escravo.
Aluga-se o poimeiro audar da casa n. lS-da
ra da Caoeia do Recife ; a tratar na mesma aoja
da dita casa.
Matheio Camoin, subdito francez, retira-so
para o Aracaly.
Um muleque esperto e de boa conducta, of-
ferece-se para criado ; na Soledade, oaea terrea
numero 46.
A pessoa que ltotou na administraoo dj
correio desta cidade uma carta e um mago do
jornaes para Manoel da Silva Pasaos, sem direc-
co. quein vir a mesma admioistracjjo declarar
qual o destino para poder seguir.
-r* Arreoda-se um sitio no Arraial, que faz
quina-para a estrada do Monteiro, com casa-de
vivenda, muitos arvoredos de fructo, e de agua de beber ; quem pretender, dirija-se a
ra do Queimado n. 33, loja.
Yiuho de Bordeaiiv.
Em casa de Kalkmann Irmos C. ra- da
Cruz o. 10 enconlra-se 0 deposito das bem co-
nhecicUs marca dos Srs. Brandeab*irg Freres a
vluo Q. OldekoP lfatailM de C, BI BofdaX.
Tem as seguintes qualidades:
) e B ra ad eob ur^ t^xp s.
ulien. */, J: !V*V> I Jl
Margaux. J[
Larose. r
Cha tesa 1**4* <| 11) {i O '\
Chtead'Mlr'gay.J1 i,Jli> J
De01dekop^;areill*q.
St Julien.
St. Julten Mdoc. '-
fi#cnMnaMui<4Mau*iaiB fia*.
Cegate et anas 'se aia-i
b -^^^ :<*9v|:.*|fr. ..pr
veiiGar i i moa sl?
Saerry em fcrcis,
BMmcs ea knjitt ;.- r ,c


Dfcuuo m nftjutto. ~ fwrt mw*i*mM<* t
-r #s abixoS assignados
a tnd,de d. u hiMWk d cafomisso enr
ttHK^ja&tt 9*^ ,^ amover ac-
9----
ub*nd,*HM'inbranea* judicial das leltras
StoiUiSiai.Vi: emittidas na circulado pela
"Mo como iiwodJella olo',u-----------------;-
applicada, alm disto
fdr
sendo sua compotiyao
mada d. substancial
mentares, < absorpco
los pojos da cabeSa nao pode ser nociva.
pos.to em Peroambuco, ra do Imperador o.
^iXTT 3* e e,n P"i, Boulerard
Bonne NoUv elle. Preco cada frasco 3#.
or-
ali-
pe
De-
59,
Altenco
Fazendas e rou-!
pas le tas baratas
NA LOJA DE
PORTO
[48-
Rua da Imperatriz48
Junte a padaria franceza.
Acaba de chegar a "'<> siaDeleei-
mento uro completo e variado sortimeoto
deroupas de diversas qualidadcs coaio
sejam : grande sortimento de paletols
de alpaca preta e de cores a 3$ e 3350O,
ditos forrados a 4* e 4S00. ditos france-
zes fazenda de 10J a 6j500. ditos de me-
M Prel 3 6ft' d't0S de brm P*r'10 8
3S80O e 4>, ditos de brim de cor a 3*500,
(Jilos degaoga de cor a 3:500, ditos de
alpaca de la amarella a imitagio de pa-
lha de seda a 3*500 e 4. ditos de meia
caemira a 4*500, 5J e 5*500, ditos de
casemira saceos a 13$, ditos sobrecasacos
a 15J, ditos de panno preto Ono a 20*,
22jJ, 28*. ditos braocos de bramante a
3*500 e 4*. esleas de brim de rr a 1J800,
2S500, 3*. ditas brancas a 3* e 4*500, di-
tas de meia casemira a 3*500, ditas de
casemira a 600. 7S500 e 9*. ditas pre- S
tas a 4$500, 7*500, 9* e 10*. colletes de Jt
fige francs a 1*600, ditos de fustio %
25800. ditos brancos a 2S800 e 3*. ditos 11
de selim preto a 3*500 e 4*500; ditos de 35
gorgurao de seda a 4*500 e 5*,dilo&4e g
casemira preta e de cores a 4*500 e 5*
ditos de velludo a 7*. 8J e 9*. $
Completo sortimento de roupa para K
meninos como sejam calcas, colletes, pa- O
letots, camisas a 1*800 e 2*. ditas de fuslao 1
a2*5O0, chapeos franceies para cabeca 5
fazenda superior a 6*500, 8$500 e 10*. M
ditos de sol a 6g e 6*500, ditos para se-
nnora a 4fi500 e 5*. Recebem-se algu- M
mas encommendas de roupa por medida 5
e para isto tem deliberado a ter um con- f|
tra-raestre no estabelecimento para exe- .
cutar qualquer obra tendente a sua arte. ||
Fazendas.
Ricos cortes de vestidos de seda de O
Escocia de muilo bonitos gostos a 14*, SS
ricas gollinhase rasnguitos bordados [ero- t
che) a 3$500, cambraia lisa de Escocia SE
com 10 varas a peca e vara de largura a *
6*. mussellna branca lina a 310 rs. o co- H
vado, completo sortimento de chita fran- fi
ceza a 240. 260 e 280 is. o covado, dita* U
J, inglezai a 180 e 200 rs., cobertores de l
a iatagao hespanhoes o melhor que ha
8 no mercado a 63-, 7* e 10*. lencos bran--
eos para senhora muito grandes a M200 jf
a duzia e oulras muitas fazendas por pre- r.os commodos. *
mmmzmm m reraasreaieji
~r Aluira-se rnn ttlo do oilo da groja do Ro~
sjnnho com muitos arvoredos de fructo tudo da
melhor qualidade, com boa agua de beber es-
tribara, cocheira, boa casa de pedra e cal
muitos commodos para familia : a tratar
dos Coelhos n. 1.
William Louis subdito inglez retira-se para
Industria americana.
N. O Bieber & C, successores,
ra da Cruz n. 4.
participara so publico que novaraenle receberam
urna grande colleccao de artigos da industria
norte-americana, como sejam *
MACHINAS
para cortar capim. para descansar milho, para
moer milho e caf, para fazer farinha de milho
em finura iguala do trigo, para fazer bolachinha
de todas as qualidades em grandes porcoes para
lavar roupa em 10 minutos, e para regar hortas
jardim e baixos de capim, e decozer soceos, cou-
. jo, etc.. etc.
INSTRUMENTOS PARA AGRICULTURA.
Arados, cultivadores para limpar a trra fac-
coes proprias e expressameote feilos para 'cortar
-canna, machados, machetes, eochadas, ps, as-
. ira como urna immensidade de ferragens Qnas
bombas, carros de mo. '
CARROS
elegantes e leves para douas o quitro pessoas,
-com arreios para ura e douscadallos : neste ge-
nero possuem igualmente desenhos de todos as
modelos e gastos, com osprecos marcados e acei-
I tam encommendas delles.
PARA USO DOMESTICO.
Obras de metaes principe praleado, em vista
igual prata, e que nao perdem a cor, sendo
apparelhos para cha e caf, galheteiros, porta-li-
cores, bandejas, cestas para fructas, apparelhos
para fazer cha, ditos para coziohar ovos, etc.
etc., etc. '
Colheres do masmo metal, faccas finas cabo de
: marm. garios, machinas para torrar caf.
Urna immensidade Je obras de folha de Flao-
dresjuy.rtrfsadas par* loilete, djU.de madeira
necesaria para couiha, Lboas para lavar rou-
pa som elfaga-la, ferros" econmicos para en-
gommar roupa. Costurekas. coodessas e balaios
para guardaj roupa, urna inoidade de objectos
- _ Canas om errameota fina. Brinquedo. car-
nnhos pt Bu.... ^Jutu p. u yut-
lencia nov mobUias.
nos decorri(|osde 1946 a 1848
de novo coavidam aos Srs in
teressados as reubrem no
dia 8 do carrate ao meio dia
no lugar e para o flm j fadir
cados,eiiniprindo-]hes o decla-
rar que o nao comparecimen-
to de iuteressados que repre*
sent.t pel menos dous ter-
cos da quantia ajuizada, ha-
bilitar os qu se acharem
presentes a deliberar o que
julgarem acertado em prpl de
sua causa. Recife 1 de julho
de 186i. Manoel Joaquim
Ramos e Silva. Antonio de
Moraes Gomes Ferreira.
Adriano Xavier Pereira de
Brito.
Aranaga Hijo i C. venciem qii-
s de ouro : na
n. 6.
' -r-'^reelsa-tdettm fttier quS"nttailarbeni
-tut profiftto : na padaria da ni'Bfiia'la-
efo159.
Preciaa-e de atolla pttf contihaf; faa
"^*M"" **^MM'------- n i ni !
0 abaiio asasaa utita-ae desta prorin-
cia.Joaquim S^mS\St^
Dentista de Pars.
15Ra Nova15^
Fraderic Gautier,cirHrgiodentist, faz
todas as operaces da sua arta e colloei
den tes artificiaes, tudo com a sopariori-
dade prfe5oque ai pessoaa entendi-
das Ibe reconhecem.
T agua e pos denlifricios aje. .
^ 6 proptetti (ttbtido da ra
da Praia n. 58, az publico que tenda
alugado a l^fc^% rabino obrado ao
Sr. Jaouario Frretra da Silva, e tendo
este nelle eatabelecdo urna taberna,
traspassou-t ao enbpr; Antonio Ro-
drigues Costa Campos, o qual por
lhenao cnvir a continucSo tirou os
gneros e 8 armacSo, icando a casa n-
teiramente vazia ; e por isto n80 eta'
sugeita a imposto algum de porta aber-
ta comoe de le, o qual comente a obri-.
ga ao pagamento do imposto a aquelle
que suceeJe no esiabeleciment ; e para
alleg
aoaoifni
b,*
'
it-
taa*
CO.

cas de ouro l na r'ua do Trapiche Novo'9Ue jfid a''eguem gndrancia tanto a
; tazen.da publica como a cmara munici-
Aluga-se o segundo an- ipal ftM Presente-
dar da casa n, 15 da ra doi
Vicario: a tibiar na ra do
Livramento n. 38.
_i O cartorio da fazenda provincial ,
foi transferido para a ra estreita do<* .
Rosario n. 17, primeiro andar. ""'"
@*as 9@909 S c/>
U medico cirurgico Antonio Jos Fer- 9 2 ^-"
i$ reir Aie?, mudou a sua residencia para & <** .
O a ra do Queimado n. 10, primeiro andar, f* I-"
3S# 9-8998a)I _
- Aluga-se urna boa escrava cosi- j
nheira: quema pretender dirija*se a]
travessa das Barreiras na Boa-Vista ca- '
ir n. 2. I
senhor
3-Rua estreita do Rosario-3
Francisco Pinto Ozono continua a col-
locar denles artificiaes tanto por meio de
molas como pela presso do ar,. nao re-
ceb. paga alguma sem que as obras nao
flquem a Tontade de seus donos, tem pos
e outras preparacoea as mais acreditadas
para conserTac.o da bocea.

e com
na ra
CaetaDO Aureliano de Carva-
lho Couto, queira ir a fabrica
Sebastopool, a negocio que lhe
d7 rp KiX icapeilU. duvida futura, previne ao respeitavel publico
Anc hnfi Atx fontKo qUe" Redi,1 '* LuixCoelho.assiguara com
*U pdla UC Idlllllld o seu signal do costume, em quartede papel em
D. Umbelina Wanderley Peixoto tem reslrido branc.0' pedindo-lhe o mesmo Coelho, que era
continuar coro o seu amigo collegio de instruc- ?ara ?ar ?ao elementar do sexo fenjioino, o qual por ora se f"er coa> abano assigcdo. visto j ter tido
acha eslabelecido na ra da Gloria pavimento al lerreo n. 7. As pessoas que a quixerem honrar asaf c.om B,i,InoJ" """J 5 Pr que agora est
conflando-lhe a educado deeuas lbas, eucon- aslDtemePl informado qaem seja esse Sr.
traro oella plena solicitude e disvello. As mQ- uoeln0/ ai Puente snnoncio, para que nin-
salidades sao de 58000 pagos adianlados, dando o f"e? "Qa ,Mn19*0. ''Da com algm titulo de
collegio papel, peona, tinta e compendios. O que,8''hal"<,fc laD5ar^m dito quarto de
programma do eosino e o rgimen interao vao Pape1' 0U(Se firtnel a *inha ."asignatura aa boa
abaixo transcriptos : 1ue D0SS0 P^ovar conf pessoas que presen-
Escripta.-Baslardo, bastardinho e cursivo, pelos r"??' a.!Sevrandc^^ lambem. que o dito Sr.
autores de calligraphia mais acreditados. toelho, nao s me pedia a -mura assignatura
Leitura.Historia sagrada, livrosque contenham P"a aquelle ?>> co.ttk0 tbeaJ, para me poder
fbulas, regras de civilidade. preceitos de mo- *screfer quahdo quuesse, via:o nao ter ciencia
de meu nome; qual Sea desde j de nenhum
ral, e mapuseriplo.
Aritmelhiea.Asquatrooperacoesfundainentaes,
e o systema mtrico e monetario do imperio.
Doutrina chrislaa.Resumo das oracoes e expli-
cages do cathecismo.
Trabalhosde agulha. Costura cha, labyrintho,
bordados e marca, de matiz e de ouro.
A aula de manha principia as 8 horas e linda
ao meio dia ; e tarde daa-2 at as 5.
De menhaa :
Das 8 Aa O procede-se o tiatiaino da escripia e
correceo da mesma.
Das 9 s 10. leitura.
Das 10 s 11, contabiiidade.
Das 11 atea sabida, doutrina chrisia:
A tarde tods destinada aos trabalhoa de agu-
lha e exercicio da doutrina ebrista.
Aluga-se um bom armazem na ra da Cruz
n. 29, tendo sabida para i ra dosTanoeiros, em
boa localidade para qualquer estabelecimento : a
tratar no rateo de S. Pedio n. 6.
Escripluraco mercantil |
por partidas simples ou dobradas, ou copiar'
quaesquer papis ; no pateo de S Pedro n. 12,
se dir quem ou na ra do Queimado, loiade
ferragens n. 30.
O Sr. Manoel Jos de Castro Vianna queira!
por favor ir ra Nova n. 7.
I Consultas medicas.
v Sero dadas todos os dias pelo Dr. Cos-
^ me de S Pereira no seu 6scriptorio, ra
da Cruz n. 53, desde s 6 at s 10 horas
da manha menos aos domingos sobre:
|| 1." Molestias de olhos.
O 2-* Molestias de coracao e de peito.
St 3. Molestias dos orgos da geraco e
( do anus.
O exame dos doeutes ser feito na or-
dena de suss entradas, comecando-se po-
rm por aqoelles que soffrerem dos
_ olhos.
M Instrumentos chimicos,acsticos e op- 1
V Jicos sero empregados em suas consol-
{ ta;es e proceder com todo rigor e pru- O
O deocia para obter certeza, ou ao menos
probabilidade sobre a sede, natureza e
AS causa da molestia, e dahi deduzir o plano
M de tralamento que dere destrui-la ou
Jg curar.
|| Varios medicamentos sero tamben.
empregados gratuitamente, pela cer-
m teza que tem de sua verdssBeiraqualidade,
8*" promptido em seus ffeas, e a necessi-
dade do seu mprego urgente que se usar
delles.
Praticar ahi mesmo, ou em casa dos
doentes toda e qualqner operaco que
julgar conveniente para.p: raatabelec-
mento doamesroos.aara cujo fim se acha
prvida de uma comnloi. ooii,.(0 j0
. iuairumentos indispena*T.el aq medico
operador. .
effeito, em qualquer titulo que ella baja de ap-
parecer.
Recit, 2 de julho de 1861
Christovo Santiago de Souza Pinto.
Attenco.
erancisco KaTier Petetra de Brito, so-
licitador da fazenda geral. tendo exercido
por espaco de 8 annos o o lucio de solicita-
dor de causas na cidade de Porto-Alegre,
adquiriodo por isso urna grande pratica,
pretende aqui eocarregar-se do andamen-
to de qualquer causa nos differentes jui-
zos, despachar escravos e tirar passapor-
te. na polica, e promover cobraocas. E
como tem na corte & sua disposigo um
habilitado procurador lambem se eocar-
rega de mandar agitar l o andamento de
qualquer pretenco perante as secreta-
rias de estado e thesouro, e de qualquer
causa que tenha de seguir por meio de
recurso para o supremo conselho.
Qualquer pessoa que se queira utilisar
de seu prestimo pode o procurar das 9
horas da manha at as 2 da tarde na ra
das Trincheiras d; 13, e fora destas hora 2;
na ra de S. Francisco, sobrado n. T. m
ASSOCIAQAO
DE

Soccorros Mutuos
Lenta Enaocipaco dos Captivts.
O Sr. presdante manda aeientificar aoaaenho-
res socios e conselbeiro9, qup as sessoes do mes-
mo conselho continuam a ser nos domingos s 10
horas da manha, vercaiyio-se haver casa ao
poni do meio dia, sendo, o negocio de mais im-
portancia a disflusso do novo estatuto, assim co-
moest encarregado da cobranca das mensalida-
des o socio procurador Sr. Cyriaco da Silva Ju- ',
nior, uuico autorisado para esae fim.
Secretaria da Associacao' de Soccorros Mutuos
Emancipado dos Captivos 2 de julho
e Lenta
de 1861.
Galdino Jos Peres Campello,
't.* secretario.
candieiros.
C^eiro,eConoic#af.^|>10
.qnlnl ,
.1
aaidieiros economierjs
Cndieiroa econmicos
Cr.'rfieiros econmicos
Cjnc*ieiro8 econmicos.
Ne;t3 exposico de caodieiros e encontrar
iodo o sortimento de diversos taaMMwtphrpries
para ric-ag talas, dito, para aalM interiores, ditos
para sala de jantar para quartoa, para cosinha,
qu. com a nsU devero agradar ?, aaSaa coma
todo e qualquer preparo para o? ditos caudieires
m encontrar! sem pre a venda nef!a expoalca de
caudieiros na raa Nora n. O, leja do Vianna. T
. T5l,D^bro/' dentista, succesor do Sr."Pau-
lo Galgnour, avisa so respeitavel publico quo che-
.r em I'eraambuco no. mez de abrif ou at
. f,l*j?D^^Sat|
de'Born Cbielho. gl
tldirttor tfest eslablacimeto tend
- convocado o conselho deliberativo para a/
domingo
do correle #
sess ordinaria .
aSH ****** ja*fcfat/cort... m .p.e
8 iffi'r.:1."^^e exiernos p
ID0* Hi Yf* e ei(ernos p*r* %,
l^^9# #8
t- Na pateo do Terco &, S2, rfende-spu
arVoca com boi bulanle gotA.,' aJemTfl
orno
ca
ver.
Offerecese d
ltimamente de Pe
eeerever e contar, para cnxeiro de qu
uaaleciment dacoao>ercio: ;4uwai HeHe.p
sar, dinja-se a loja de Mala Irmaos. raa awCtai-
po numero C. :r'*!T-zTT |
- Keft/dCeoh.subuitoWglez, ra"i parTafo^
-W*^ J-,8l"9a <*?& ,"Wt8 MO-
Xifeai&^t* d/iu^&- ?a*9 disolwrain
aaiigav-elmente k jsocie/ade que Ryra>a com a
Arma deRqaa4TAMv$tf.- ni* VlftrW a fufo
Praia n, 4,1^aj>lao o activo e paaaivo a c.rgo
de Geduino Jos Ros.. Recife 2 de julho de 1861
Ganuiqa Jos da Rosa.
A*">BBl di Azevedo Canario.,
Precisa-se'oe'JtMu1o
.21, pna
Irr D
ca em ci
,' Pr,
qu.n. f(
gundoaoi
quem di'
casa.
deia n. 45.
na ra Nova n.
HL
ento.Sfi:
n.'M.^Ubor, sTilia-
.tob>o hypotbeca n'. u.
un
que
%>$?"><
-8etfaT
Wds^na.jnrts
\
ante
fore
iat das
crian-
ai, teiarWe^el&'fer.
ftVru tntermxtUnte, touat conttqutncUu. 7
ais ;coina^ogp^
Os medc*nos ib.lfy 2&t, i
te rendidos em sua p^a'DaWa}.lbdp
m fra della-1
Pin] o, medico
igui lmente na
afl'M*! fale en>hlema posto
rlaU*aamawcamentos que se pe-
iRjtlM>Jftcjdo da grave molestia que portanto
Uaspo 04* ba consumido, voUp ao exercicio de
advogado e espero do publico o favor que sem pre
inafteimerecido. Em commum com o Sr. Dr.
7mv Bprisla do Amaral e Bello, os que s dig-
pareq|nfocurarpos acbaro sempre ao escrip-
tofu |aa 9 as 3 oa tarda um de nos. Tudo em-
P"l?r210^p*r,i,b,IB,,r'iriaD*aos que aos qo-
nnF*'!5an*'i no" escrPlorio o ra do
(Minrato n. 41, ultimo sobrado que faz esquina
para o becco da Congregado.
Dr. Antonio Borges da Fonseca.
. Preclsa-se.de unja criada portugueza- para
usi de peoca familia : na rus Nova n. .
WiUiam ^uiz, Inglez, retira-se para a Eu-
r0p"'a D >
,.T.3 Sr8 abaixo declarados sao rogados a
dirigir-se 4 ra Novan: 18. a negocio de seus
eappjiaea fo toreases.
Antooio Carlos Frederico Sera.
Antonio de Medeiros.
Americo ^fvier Pereirade Brito.
Antonio Jeronymo pinheiro. '
Antonio Albuquerque de Hollanda Cavalcani.
Amonio Claudino Alvs Gomes.
A-tBarlco. Vespucio de Hollanda Chacn,
AntoDio Francisco da Cunha.
Antonio Machado Bittencourt.
Antonio de S SerrSo.
AlfereS Aritooio Ferreira Pinto.
Antenio Joaquim Fernandes de Azefedo;
Antonio Luiz "Vieira.
Agoslinh de Suva Guimaraes.
Antonio Gioga.
A viuva derManoel Ca'rneiro Leal.
Bernardo de Alemo Coelho.
Bento Antonio Domingnes.
Belarroioa Mara da Conceiglo.
Caetano de Barros Wanderley.
Christiano Rodoipho.
Constancio Gamillo Cesar.
Cesario Aureliano Ventura.
Catii Soares.
Dr'.o-s Fr.ncico"d"*elrud,a'cra,n2rf.eAbra-
Dr. Francisco Afiboso Ferreira.
Dr. Polycarpo Cesar de Barros:
Dr. Antonio Borges Leal.
Domingos Augusto da Silva Guimaraes.
Eustaquio Jos da.Fonseca.
Francisco de Paula' Oliveira Maciel.
Flix CavalcnH da Albuquerque. Mello.
Filippe Dioi.ajvaIcauti.
Franciscq derSalles Alves Corres.
Francisco Jos' Virino.
Francisco da Rocha Maia.
Francisco Carrilho.
Francisco de Salles Cordeiro Lin.
Francisco de Paula Albuquerque Maraaho.
Francisco Jos Alves de Carvalho.
Galdino Lopes de Oliveira.
Jorge D.aoely.
Joo Paulo Ferreira.
Joo Ferreira da Fonseca.
Joaquim Correa de Arauje.
Jos dos Santos de Oliveira Mendonca.
Jos Joaquim de Figueirede.
Jos Ignacio Rodrigues.
Joo Jos Capistrano.
Joo Leite do Rodoval. t
Joaquim lavares de Mell.
Joaquim do. Santos Barraca.
Jeronymo Jos da Costa.
Jos Lourenco de Carvalho
Jos Ctcilio Carneiro Monteiro Jnior.
Jos Romualdo Gomes.
Joao Theoorio de Albuquerque.
Joo Ozorio de Gastro Maciel Monteiro,
Jos do Reg.
Jos Leite de Albuquerque.
Joo Francisco Jos do Sacramento.
Joao da Cunha Heuriques.
Jos Caetano Tbaiter.
Jos Goncalvesde Miranda.
Isabel Rebolca de Assumpco Oliveira.
Lino Pereira da Fonseca.
Luiz Candido Carneiro da Cunha.
Luiz Antonio Alves de Andrade Gueiro.
Lourenco Juatiniano Pereira dos Saatos.
Luiz Francisco de Belem.
Maooel Joaquim Correa da Silva.
Manoel Joaquim de Paula Silva.
anoel Joaquim de Mello.
Manoel Jos Fiuza.
Maooel Carneiro.
Maooel da Ressurreicio.
Manoel Joaquim do Reg Barros.
lympia Seohoifnha da Silva.
Padre Pedro Barbosa Freir.
Sebastio Antoaio Paes Barfalo.
Ineodoro Wander.
Quem precisar de uma ama para coziohar,
para casa de pouca familia ou para homem sol-
teiro : dirij- u 4. o,ui d. zt, 2o andar.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da
ra do Burgos n. 7 ; a tratar na ra da Senzala
Nova n. 4.
Aluga-se a padaria da travessa do Pires na
Boa-Vista, com todos os pertenees, cylindro,
masseiras, tendedeiras, cabido, ptimo e grande
torno, sala com armago, caixoej, J balances e
P*sos, candieiros ; a tratar na ra da Senzala
Nova'n. 30.
Uma pessoa com 5 escravos robustos e mo-
?os. retios ao servigo de campo e engenho, se
ollerece a ser eogajado ou spciar ; quem preci-
aardinia-se a ra do Queimado, loja de fazendas
de Jos Terxeira Leite n, 21.
r-T" f!.0 co,le8io de Nosa Senhora do Bom
Lonselho precisa-se de dous criados para o ser-
vico iBterno e externo, prefertndo-se escravos.
No da 6 do correle mez depeis da audien-
cia do Sr. Dr. juti municipal da segunda vara aa
horas da tarde, se ho de arrematar por venda
em praga publica na sala das audiencias, a parte
das trras da propriedade denominada Passo do
biauM contendo o antigo trapiche, viv*iros, for-
T ?\2l!S? caMOles e tetr" annexas no valor
ae i:iolg959 e o dominio directo de diversos
terrenos da mesma propriedade aforados a dif-
terentes pessoas conforme o escripto em mo do
porteiro do juizo escrivo Santos, por execuco
ae anoel Joaquim Baptista contra Jos Floren-
cio de Oliveira e Silva, proveniente de duas lat-
irs oe parte da compra que este fez da dita
propriedade que flcou especialmente hypothe-
cada ao seu integro pagamento.
Quem perdeuuma cambada de chaves, pro-
cure na ra =do Oueinfado D. 9.
Qfferece-so para caiseiro da taberna um
mogo portugus com algama pratica ; quem d
seu prestimo precisar, dirija-se a ra das Cruzes
numero 21.
Precisa-se de um pequeo de idade de 14 a
16 annos, com pratica de taberna, dando o pre-
ciso conbocimeoto de sua conduca ; a tratar na
ra das Larangeiras n. l
Precida-se de uma ama que seiba cozinhar
e engommar, para casa de pouca familia, e que
tenha boa conducta : na ra do Hospicio n. 4
.Boas senhoraSjbstantemenle habilitadas se
oirecjm para eosjqar da maneira mtis fcil a
tallar, traduzr e escr.ver as liuguas ingleza e
franceza, a toca/ piano por pregos multo mo-
derados, .qur em casas particulares, qurem
ia casa n. 30. ra do Queimado. /
AbioaJdloreira d. S\t lulga'nada dever
safta aluma. se alguetn se julgar seu credor,
parega no prazo de oito dias para ser pago
_*o Livramento n.'lt. "
TORIO ESPECIAL HOUTOPATHICO
,..,.... no nofii ,.
SCMOI0U. PBIHO,
a de Santo Amaro punirlo
Joyj3)*S& 6.
1.,:^fU'tH8 ***L2L*&9g****to 10 hora.
J
-'
1 ,
B
1

I
- : "i
.


i iabii
1
i-
A


RmdoCabug n. 18, primeiro andar entrada
pelo pateo da matriz.
RETRATOS
POR
Ambpotypo e. p.r melaiootypo, sobre panno encerado, proprios
SnhM aJK^ ometlerem-se dentro de cartas. P
aaobre malacacheta ou talco, especiaes para alfinetes
h- ^ ou cassoletas.
Hetratos transparentes, ofterecendo o mesmo retrato duas
em cores outra em preto e raneo.
vistas- urna
APPROVACIO E AIT0RISAC10
m&Einb twhikt, m wmwtm
E JUNTA CENTRAL DE HYGIENE PUBLICA
mhtm mtmmmu
,m ELECTRO-MAGNTICAS EPISPASTICAS-----------
De Ricardo Kirk
Para serem applicadas s partes affectadas
sem resguardo nem incommodo
AS CHAPAS MEDICINAES sao muito conhecidas no Rio de Janeiro e em lil
deste imperto ha mais de 22 ann Sn ZZ1 !l~"cie Jane,ro e em ,0das
as enfermaras abaixo escripias, o
w3RS33fiaSt
solas capazes e de distineges.
^^s^ssss^s^'ssi isxr r "tol *ta-
exrnas,como do Ogado, bofes, estomago, ZZ ,;. ^...J"!%***&* h seJm
internas ou
ganta, olhos, erysipela, rheumatismo, ^lysife" todas TrtJ SeSf ""t^f1
mnte para as differentes especies de tumores, ^m^Z^TT''A T IgUaI"
tamanhoe profundeza por meio da suonurarto .vil i-T e^-, seja qual fr o seu
usf aconsejado pelos habis dfi^TK4? rad,CaImenle eXUrpadS "^ "
rahdo a em que p-rj do forpo' existe, se ?!& ^co^Taco Toxa" Z^PL t^'
doicorpo, declarando a cicumferencia: e sendo aches, feriSTouZdns o' H." J""*
tainanhoem um pedaco de papel e a declaraco onde exisier afim Tnf,' T'de io 8eu
set bem applicadas no seu lugar. *k afiai de ^ue as chaPas PoMm
Pode-se mandar vir de qualquer ponto do imperio do Brasil.
Jfr^Z^lS**"4" cmpeten,es tojfa* l^os
os acces-
>
II9 Ra do Parto ||!|
PERTO DO LARGO
CARIOCA
Ra do Queimado botica n. 15.

.g'BS-a.ag.s
-i P E aV? *
^ a SO _-,
B 3 <" T3 (5
O" 5. ft ET w c
3 a 5

Ai
.M-.v. r-?-.- 8
a."
S

3 3*3 3 "
-uc.
as '-lo :-n a.p:
o b -.tviii fcf
b woiiji <
i:
a
ac'ti.V:
.
^
MgTl


WOiOM fWfirfPBcPfm fe ABmMIlfflmtfMWi.
pormez
a 800 rs. a libra, em bar-
i
Weste muttoafeditado ariiazemde nioJhados
continua.a vender-seos mclhores gneros que" ha no mercado, tanto em porco como a retalho e
por mmto menos preco de que em ouira qualqaer parte, persrem rlndoe a maior parle delles'em
direitura. po/conta do proprelario, por isso em vista do* precos dos gneros abaixo Imencionados
poderao julgar todos os mais, an\ancando-lhe a boa qualidade;
Mauteiga ingleza perfeitameute flor
ril aOOrs. v
Niauteiga franceza milhor qM ha no mercado B 7S0 rg_ 11Ibra;
Cua of mevores qne na no mercado ven(le_,e,,.aaa
2 dilta a 28500, 3/ ditta a 2#000, e prtto a {{600 a libra.
V? legados o esta ultimo vapor da Europa 29800 rs. ditos she-
gado no vapor passado a 1J800 e ljGOO r.
iJt iu^ mtooresque tm rindo i este mercado por serem muito frescaes a
640 rs. a libra e otero 600 n.
Ymenduas eonfeitaas pronrias para sorles deS.
* 1*P0 libra era. porcSo se far algum a batimento.
aneex a vO r. 0 carlao el tmente eeladot muUo propri09
para menino, s no Progresso
Boce da casca de goiaba. 0 c.lx8o, em porsSo.a 800rg.. 8
Doce de Mpeveta 6B a de 21ibrag ffiuUo enWtadas; w
no progresso. ,
Marmeiada imperial
Lisboa a 800 rs. a libra.
.. iraneeias em rra8C0S com 4 libras por 3000cada um l6 0 trssco val la
dJtasportuguezis a 480 rs. a libra.
L,mt,tlCOm bo1*^*** l* ** contando differente. qualidades. a
ijmihj, assim ctmo tem lattas de 8 libras por 38000; dittas com 4 libras por 2J0OO rs. s no
no progresso
rs. cada urna, s
do afamado Abren, de oulros muitos rubricantes da
Maca de to
Chocolate
Late
em latas du i libra, por 900 rs. e em latas de 2]libras por 19600 rs.
o mais superior que tem rindo a este mercado a 909 rs. a libra.
Bolacniniva ingieta mUo nova. 38O00, Uttc,t 80 D0 Progresso.
Conservas tranceos e inglezassantamente Che6adas. soo.otras-
co em porco se faz abilimcnto.
Passas em eaAxlutaas de 8 libros melll0,e, len Tln0 .
mercado por serem muito grandes a 20800 rs. cada urna.
Espermaceti superior s#n) avaria, 700 rs.a libra, em ca 86far algum
abatimemto.
^ft^*talnarim .m..libta. em MiMt deam, .
E>r\ilnaa iraeezas em llUag de 4 libra a 640 rg; 8 no Progre880>
LataS COm peUe de P08ta da9meniores quaiid.de.,uan. em Portugal, como
seiam sarel, congro, sarda, peixe espada, vezugo, etc. etc. a 19400 rs. cada urna.
Aztitonns multo novas. moo 0 barril> em garraf. a 240
Palitos de dente lindes em molh09Com 20 macnh0, por 200r<
!SSS2^ aikTk a 18 a carta-e em cai" C0B M cl P 6800 rs., s
~JA das mais acreditadas marcas 5*000 a duzia a retalho a 500 rs. a garrafa.
^-. ""C muito superiora29000 rs. agarrafa, em gigo por 189000 rs.
dilta m,.., !i i*? dL" ruinte8 qualidades, Porto, Feituria, ditto Bordeaux,
"ar ll el> *%*".8s"i ; tambemirtem rinbof.heres para 2000 rs. a garrafa.
r P*em tomposicio Porto, Fgueira,Lisboa, a 640 rs. em caada a 4*500.
Presunto de fiambre inglez
Frezunto de Lamego
nouriijas e patos a 560 t alibra> em barril com dU2i de paioa por losooo.
TE oueiuho de Lisboa 0 mai8 n0T0 que ha no mercad0 a 320 ^ a
Bauna de poreo refinada
barril a 440 rs.
muito noros a 800 rs. a libra,
o que ha de bom neste genero a 480 rs.- em porcia a 400 rs.
a mais aira que pode ha ver a 80 rs. a libra a em
Amendoas de csea mole. 480 r8 libta, em porsio se far
ment, a no Progresso do pateo da Penha o. 8.
Alm dos gneros annunciados encontrar
uao quanto bom e barato.
algum abati-
o respeitavel publico um grande sortimento de
LOTERA.
HOJE 5 do corrente mez anda-
rao impretervetmente as rodas da pri-
meira parte da primeira a beneficio da
igreja de S. Francisco de Paula do Ca-
xanga' no lugar e as horas do costume.
O bilhetes e meios bilbetes acham-se a
venda aos precos abaixo declarados na
thesouraria das loteras ra do Quei-
mado n. 12 primeiro andar, e as casas
commissionadas na pr^a d* Indepen-
dencia n. 22 loja do Sr. Santos Vieia,
ra Direita n. 3 botica do Sr. Chagas e
ra da Cadea do Recife n. 45 dos Srs."
Poi to &. Irmao. As sortes sero pagas
depois de distribuidas as listas.
Bilhetes inteiros cada um 5,<000
Meios bilhetes fi|00
O thesoureiro.
Antonio Jos Rodrigues de Sua.
# O Sr, Manoel Luiz Coelho queira
dirigir-ie a esa typographa que se Ihe
precisa fallar.
ma pessoa qoe tem de residir fora dests
capital vende um grande sido com excallente ca-
ca de moradn e com propore.oes para delie se ti-
rar bom reodimento ; e para acilldade do com-
prador- nao ?or dutda etrl receber sua impor-
tancia em (atendas ott mtrthados : contrata-so na
na da Cru b. 25, eguodo anaar.
O Sr. Jos do; Santos Moreira. que
morou na ra do Rosario da Boa-Vuta,
queira anunciar sua morada que se
lhe precisa fallar.
De*ppareeeu B^-4ia43>do ebrrente, do si-
tio da S. Jos do Maugaiado, o escravo crioulo,
maior cVS0anoos,'-4 nrae Jua^uim, cornos
signaec seguintes : cabellos brancos, altt secco
do corpo, e usa alpargatas ; ejle^scia/oj^i pro-
?6gK^-,^^--t4-t-g--t-t-t-t--4--tA-t- i&*
w*
05
O
Q
rlITTTTTTVl
Msicas e pianos.
J. LAUHONNIER, na ra da Impecatriz n. 23,
acaba de recober pelo ultimo vapor 4a Europa
urna bella tollecga de msicas nr pimo o cau-
to, dos. memores autores e muio escolaidas ;
igualmente se encoatra em seu' slabeiecimento
Pptimoi pisaos ; assim como ar todos es coa-
i ceKas e afia os meamos instrum en toa em poaco
tempo e por precos'com modos,
-!- Pfo*Uc-si ^e raa ame arra en. aptiVa
para cotrnkar.fl comprar : Oaru do Imperador
n. 37, segundo sndar, entrada d.ireita.
Precisa-se de um ama pata & sernco de
do
ty, (foode>ei|para lojli regido r
priedade do gr Hanpil J.
AnMtj,ei^
aodas as aatoridadey policiaes c a quem que
que o encotre, de o capturar e enlrega-lo no
sitio cima citado, ou..na ra ao Trapiche n. 15
a Jos Te'W4"4foTJ 11
Aluga-se meiaueoe um andar de casa, com
commodoa suficiente* para um rapaz aolteiro, e
.. 7" A0^0'0 FI,nno e Rajihacle Flaminio. Ita-^
iiaBCtVfceftrMi-ae VrC-li^pe" '"i cn *'-"
i avallos de trato e
urna casa de pouca familia
Santo o. 17.
Hll
?
>
.*
.1 B-1
I t
,-d ib-i
4 '.bfB* -
Ib ui.'-iq o
'dhWi.r.W
na
do
'
orpe
*

i

! J'->
VISO
/ ;ri k Ji;
9
11
d alutfue^i
enUad4#bem.ae)a tfa^eM,ao 6uwi4w.i*et-.
*' Mc4o#; c**Cim como siuganse carro
fiSfi ***wm Un0 9"e "* W?^
"IWtoc ti ti u:.\ 'kw tli 8t,.i 8 evb
'Marcelino r blico, que teado'swdo em 5 d iunh pfotimo
patsao orna letra 4c rs. i>9204, contra Jos
cnfcolctosndos Santo -Afldraa*. de Maeeid-, #ol a
refafida por este acCit, c devoltida em M do
meeme pl vapor Persinubga, conforme o
waoipuaCerior que demeamo aanbor tiucoa,
o nao leudo at ao presente cheoedo ao nos*
poder, a suwojaoa deaencua^nlteda, pelo qu
fazemos ^\tyN}*#***<**> ninguem fa*.
ca traosaccao alguna com a meama, pelo que
i Cese ja a taacniiile iiaTCD0s'aisc4>'M'teefMUl; r'MMfe
Sdejbsho-iJe-MCl. '" '
tidc>b ,<-ft.. r. i ?b obfiic: .o
-- ^rrcpAa-ie o sitio que foi da faUmJirAr-
^banja oo1$iquic*'U quallem Poa otaria,'raode
porcia, da-cujiiueiroa,.? Tireiroa de peixe e muito
exjQopar%f>l*ni#c, rcU-cc np ae omc .ra da Ipr*iriz n.
i terceiro andar, das $ do da as 3 da (arde
o aluguel de lojl da roa ffo.vs n. |lFcom arma-
gao eoTidracada, p'ropr para quiquer estabele-
cimento : a tratar do sscriptorio contiguo a. 63.
., Armazem de madeiras.
v.**--------T*T. '
O abaixo assigoado faz sciente ao respeitavel
publico e aos seus numerosos freguezes, que mu-
du o seu a.rflDjtjsem de madeiras da ra da Con-
cordia n. 20 pata a mesma ra n. 9, aonde rosmpre'Tim grande sorllmeoto de madeiras,
e se enc'rrega de qualquer encommeoda com
toda a presteza, assim como contina a fabricar
e concertar carrinhos Je mi, lado por precio
muitO razoavel. Omesmo abaixo aasignado alsa
aos seus detedores que veuha realisar seus d-
bitos da dala deste a 30 dias aroigavelmeiite, do
contrario usar dos meios que a lei .lhe faculta.
Recife 1 de iulbo de 1861.
Ruflno. Mauol da Cruz Cousseiro.
Araoag Hijo S C sacam sobre o Rio de Ja-
neiro.
Precsa-se elugar urna esema que aaiba
fazar o servigo interno e compras de coa casa de
pequea familia : a tratar no becco da Boia n.
2, terceiro andar, no Forte do Mallo?.
MSi69isa-ttie9isB *w&k
CONSULTORIO ESPECIAL
Cruzes de Santo Antonio, 36,
0URTE ALMEIDA 4 SILVA
DO ,
DR. CASA-VOVA,
30--Hua das Cruzes-30
Nesleconsultoriotemsempre os mais
no vos e acreditados medicamentos pre-
parados em Paria (aslinturas) porCa-
tellan e Weber,por precos razosveis.
Os elementos dehomeopathiao bra.re-
commendada i d telligencia de qualquer
pessoa.
Pracisa-se de um caixeiro que tenba prati-
ca de taberna ; a tratar na ra do Fogo n. 32.
Casa para aiugar.
Aluga-ae urna casa terrea noa, to Campo
Verde n. 31; a tratar na taberna grande da So-
ledade.
Acha-se contratada a venda da'casa terrea
n. 86 da ra das Cinco Ponas, perleoceote a D.
Auna Hara de Orvalho Uchda : se atguem se
julgar com direito a impedir este negocio, an-
nuncie por esta foiha no prazo de tres dias.
Os abaixo assignados fazem sciente que se
desencaminhou de seu poder urna letra da quan-
lia de 51550, sacada pela extincla firma de Jos
Antonio da Cuoha l IrroSos, e aceita pelo Sr,
Antonio Alberto de Souza Aguiar, vencida boje,
a qual Mear sem effeito a todo e qualquer lem-
po que possa apparecer, por termos rcebido dita
importancia do da de seu vencimento. /ecife
3 de julho de 1861.Cunha, Irmaos &C.
<)fferece-se um criado para casa de pouca
familia : quem precisar, aonuocie por este Diario
Gurgel&Perdigao. |
Fazends modernas.
Receben e Yendem coostaritemente su- O
perior6s vestidos djeblonde com lodosos S
preparos, ditos modernos de seda de cor |
t e pretcs, ditos de phantaaia, diios de
cambruia bordados, lindas laazinhas. 3
cambraiade modernos padroeg, teda de J
quadrinhos, grssdeoaples de coree, e pre- 8
tos, morantique, sintos, chapeos, en- *r
[ feites para cabeca, superiores boles, SI
manguitos, pulceiras, leques e' extracto 9
\ de sndalo, modernos manteletes, tal- tt
mas compradas de novo eUio, visitas de 9
gorguro. lovasde Jouvin a 2^500. a
Muito barato.
Saias balo de todos os tamanhos a 4g,
chitas Trancezas finas claras e escuras a 2
180 rs. o covado, colxas de la e seda pa-
ra cama a 6g camisas para menino. :
toupa feita.
Paletol de casemira de tudas as cores
tOy, dcua nnos oe alpaca a 65, diloa
de brim a ij, chapeos prelos a 8g e umi-
tas outras fazends tanto para senhoras
como para homem por prego inleiramente
barato, dao-se as amostras : na ra da
Cadeia loja n. 23, confronte ao Becco
Largo.
seigseefieaie tmm vmmm*
GABINETE P0RTUGUEZ
OE
LEITURA.
A directora do Gabinete Portuguez de Leilura
tendo de fiodar a sua gerencia administrativa,
pede aos senhores accionistas e subscriptores
que estao em debito para com o Gabinete, al 30
do mez de junho, o cumprimento do que dispoe
o 2. do art. 13 e 1. do art. 14 dos estatuios,
sem o que nao podero gozar das regarlas e di-
reitos que lhes cooferem ns mesmos estatutos.
Secretaria do Gabinete Portuguez de iLeitura
aos 28 de jubo de 1861.
Antonio Baplista Noguiera.
1.* secretario.
A. F, Duarle Almeida, socio que foi do arrnazera progresso, faz sciente aos seus'freguezes ai!e tendo separade" a
wu mano, acba^se de novo estabelecido com dous acei-dos armazens de molh.dos, associado "com o Sr. Joaquim Ts Gom *.Son e o Ir
vallTZ S3 Pnmf a rtt *'DU8rt & S0UZ8'Ke SegUQd "/ d6 Duar,e A,IBeda & SWa : ^tes U^ZtoTofS grandei
yantagdns ao publico, nao so na Impeza e asseio cora ..que se acham montados como em commodidade de preeo, pois que para isso resolwam os
proprieianos mandaem vu parte de seus gneros em d.re.tura, aOm de trera sempre completo sortimento, cmJ tambera poderem offerwer ao du-
bl.co ud vantagem dnmenos 10 por canto-da. proco que possam comprar em ouira qualquer parte, por isso deseiando os proprielarios acreditarem
seusestibelecmenus lem deliberado garaniirem toda qualquer qualidade de gneros vendidos em seus armazens! 7mHS^*wS!l
mandar suas encommendas, me?mo por gessoas pouco praiicas, em qualquer um dcslesestabelecimentos, que sero to bem servidos coma
i penalmente, na certeza de nunca acharem o contrario de nossos annunc.os, e assim fundados as vantagens que offerecemos, pedimos a
todos osi senqore, da praca, senhores de engento elavradores que mandem ao menos suas encommendas a' primeira vez, afta de experimentar certas
3S3SB P0,8q^ P*r* TniLp0upari0 0S P~P**rt f5* P bem servirera aquellaspessoas que frequentarem nossos esiabelecimenios
tbaixo transcrevemos algumas adicdes de nossos pncos, por onde vera o publico que vendemos baratissimo, attendendo as boas qualidades ds nossos
MANTHIGA INGLEZA especialmente escollbida a 800 rs. a libra e em barril a ?50 rs.
M AiNTEIG A FRAWCEZA, a melhor do mercado a 720 rs. a libra e a 700 rs em barril e meioS
CHA HYSSON E PRETO o methor do mercada de 1*700 a 3000 e em porcao lera abatimento.
'wfiSIJNTO FlAMRRF. inj?lft7! e hamburguez a 900 rs. a libra e era porco a 800 rs
PREZ0NTOS PORTGEZES vindos do Porto de casa particular a 560 rs. por libra e inleiro a 460 rs
CHORigos era barril de 8 libras a 4*000 e em libra a 700 rs. F
SGU'| E SEVADlNH a mais nova que tamo no mercado a 280 rs. a libra e 89000 rs. a arroba
AMEIXAS FRANGEZAS em latas de 6 e 5 1|2 a 18 a libra e a 192C0 a retalho.
PA5SAS em caixinbasdeoito libras, asraelhores do mercado a 2)800 e a 500 rs. a libra
EERMACETE SUPERIOR sem avaria a 700 rs. e em caixa a 660 rs.
CONSERVAS FRAJNCEZAS INGLEZAS E PQRTUGEZAS a 560 e 700 rs. e frasco.
ERVILBAS PORTUGUEZAS E FRAJNCEZAS a 800 rs. o frasco:
LATAS COM BOLACHINHA DE SODA de diversas qualidades, a mais nova do mercado a 1450.
VINHO EM GARRAFAS; Duque de Porto, Porto fino, genuino, nctar, Carcavellos, Madeira secca eFeitoria de 1*200 a 1*300 a garrafa a
J_' 13f a duzia. .
VINHOS EM PIPA proprios para casa de pasto de 500 a 600 rs. a garrafa ede 3*800 a 4}800 a nada.
FRASCOS COM FKUCTAS de todas as qualidades de Portugal de l-200 a 200O.
MARMELADA DOS MELHORES AUTORES DE LISBOA a 800 rs. a lata de libra ea 1500 de duas libras
LATAS. COM GELEIA DE MARMELLO a 1*300 com duaslibr.s.
LATAS COM PEIXE SAVEL e cutras muilas qialidades, o mais bem arranjado que tem vindo a 1*400.
CAFE' DO RIO o melhor que ha a 240 is. a libra e a 280 rs. o lavado.
ARROZ DA INDIA E MARANUO o melhoi que se ple desejar a 3*100 por arroba e a 100 rs. a libra.
VINHOjBORDEAUX de boa qualidade a 300 e 1* a garrafa ede 8*500 a 10*000 a duzia.
CHARUTOS VERDADEIROS SUSPIROS e oitras muitas marcas de 2* a 3*800 e a retalho suspiros a 40 rs.
BAiNH A DE PORGO REFINADA a melhor que se pode encontrar nene genero a 480 rs. a libra e 460 era barril,
SERVEJAS D*S MELHORES MARCAS a 500 rs. agarrafa e 5*000 a duzia da branca.
VINAGRE PURO DE LISBOA a 40 rs. a garrafa e 1*850 a caada.
CA1XOF.S COM DOCE DA CASCA DA GOIABA a 1* e em porco a 900 rs.
AZEITEi DOCE PURIFICADO a 800 rs. a garrafa e 9*000 a caixa com 12 garrafas.
COGNAC a melhor qualidade que temos no mercado a 1*000 a garrafa e 10*000 a duzia.
QUEIJOS PRATO os mais noyos que ha no mere ido a 650 rs. a libra e inteiro a 600 rs.
Genebra, DE HOLLANDA a 640 rs. o frasco e 6*800 a frasqueira com 12 frascos.
PALITOS LIXADOS para denles a 200 e 1G0 rs. o maco cora 20 roacinhos.
PALITOS FLOR para dentes, os mais bem feitos que ha no mercado a 280 rs. o maco.
PALITOS' DO t!AZ a 3*000 a gr&za e 280 a djizia de caixas.
AZrLITONAS as mais novas e roelhores que tem vindo ao mercado a 1)200 o barril.
ALPISTfV o mais limpo que tem|viado ao mercado a 180 rs. a libra ea 5*500 por arroba.
Alm dos ganeros annunciados encontrar o publico um completo sortimento de tudo tendente a molhados.
1
V
ARMAZEM
DE
OUPA FEITA
DE
Joaquim Francisco dos Santos.
140 RA DO OUEIMADO 40
Defroute do becco da Congregaba letreiro verde.
Nesle estabeleeimeuto ha sempre um sortimento completo de roupa feita do todas as
cualidades, e tambera se manda ezecutar por medida, i vomlade dos fregueses, para o
-que tem um dos melbores professores.
Nos das 2, o e 9 0 correoie depois !
, audiencia do juufj ra apra^a pela'/ena-a annual, e por tempo de
aDnos, a casa t'-rrea n. 59 Da ra de Saota Rila
Nova, a requf cimento de Joao Antonio Lopes
I Chaves tutor do orpho Jos lho dos fallecidos
Joao Jos T arares e sua mulber, tendo dita casa
duas salas, 5 quartos, cosinha fora, graDde quin-
, tal murad 0 com cacimba, teiheiro e dous portees
sendo ur^ de porta larga para carro, e deitam
para a r Ua Nova de Santa Rila cuja casa est
arrend ada por iOS annuaes
7 Precisa-se de um bom criado e um boa
cozm.heiro para o hotel de Apipucos : a tratar
no ruesrro hotel.
Compras,
O Dr. Joaquim da Silva Gusmo
pode ser procurado para o exercicio de
sua profisso medica a qualquer hora do
dia ou da noite, na largo do Carme n
5, primeiro andar.
Joao Correia deCarvalho, 1-
faiate, participa aos seus nuioe- &k
1 osos fieguezese amigos que uau- ^
dou a sua residencia da ra da ^
Madre de D*os n. 36 para a cua &k
da Cadeia do Recife n. 38, pri- a
meiro andar, aonde o encontra- ^
rao prometo para desempenbar A
qualquer obra tendente
arte.
a sua
ltenla*),
BrecUa-se.de 4 a-6:0095 apremia prato 4e
dote meaes,Oaudo-e or .pgurwif KjPotio-e=
m um eogenho com safra e fabrica : a pessoa
que quizer fazer este negocio, annuoeie para sef
procurado *
iSEr**** b'**l,, ftiiHt3ii\eo dePo8H
Na ra daa Cinco Postas n. 91 se dir quem
di 4:0009 a juros sobre peuhores de ouro e pra-
ta, das 10 s 4 horas da laraV, ou sobre casas de- 1
sembaracadas. J*. *
Urna peeaoa de booa coatumes se efierece-a
ser ama em casa de 4>milia paca rjMunhUf ou en-
gomla r, e de portas 4 dentro; a tratar ua ra
larga do Rosario a.~% -sv
Roga-se ao Sr. Augusto Carloa de Souza
Hagalhaes de vir buscar o relogio de ouio que'
deu ao abaixo asaigaatfo para eoUcrtar, na ra guando ella, mantende a easencia
da Imperatriz n. 14.Alberto Aschoff.
Manoel Francisco de Alarida r4tira-se pa-
ra a Europa. 'K)4
Joaquim Nomes da Silva, subdito portu-
guez, relira-se para o Rio de Janeiro-
.foa3 o.'rur
,i Oud b
Ao publico.
Casacas de panno preto. 409, 359 e 300000
Sobrecasaca de dito, S59 3000
Palitots de dito ede cores, 350, 30$.
25J0O0 e fiejOOO
Dito de casimira de cores, 22$00Q,
15, 129 e 99OOO
Ditos de alpaka preta golla da vel-
ludo, 115000
Ditos de mp.rio-sitko pretos e de
cotes, 9S0O8 8*000
Ditos de alpaka da cores, 59 e 39500
Ditos! de 4Ita preta, 99, 79. 59 e 39500
Ditos de brim de cores, 59, 49569,
400O 39500
Ditos de bramante d linho branee.
6g0O0, 59OOO a 4{0O
Ditos de merino de corda o preto,
I59OOO e 89OOO
Galeas de casimira preta e de core*,
l*9\109,.ae 6f00t
Ditaa de princeza e merino de cot-
dao pretos, 59 e 49506
Ditas de brim braneo a de cores.
&3000, 4950 e 9506
Ditas de ganga de cores 3$000
Colletes de velludo preto e de co-
rea, laos e bordados, 12J, 9$ 89OO8
Ditos de casemira preta e de coree,
liaos bordados.9, 59500, 59 e 39500
Ditas de setim preto 59000
Ditos de seda e se Ditos d gurpiTo de seda pretos e
de cores, 7*800, 69000 e 5*000
Diloa de brrm e fusto branco,
395OO e 39OOO
I Seroulas de brim de linho 2JJ2O0
Ditas de algodao, 1.J600 e l280
"Camisas de peito de fusto branco
e de cores, 49500 e 29300
Ditas de peito de linho 6g e 39OOO
Ditas de madapolo branco de *
cores, 8, 9500, 29 e I98OO
Camisas de meiaa I5OOU
Chapeos preios de massa, trancezes,
formas da ultima moda 108,89500 e 7S000
Ditos de ettro, 69. 5|, 49 e 2C000
Ditos de sol de seda, inglezes
francezes, 149,1*5, 115 e 7&000
Collarinboa de linho muito finos,
novoe fetios. da ultima moda 98OO
Ditos de algodao $500
Relogios de ouro, patentes horl-
sontaes, 1009, 909, 6O9 e 709000
Dtoa de-prata galvanisadoa, pa-
tente todutaes, 408 309000
Obras de euro, adere-eos e meios
aderegee, pulseiras, rozetat a
anaeis
Toalhas de finho. duzia 129000 a IO9OOO
A saboaria da ra
Imperial,
Compra caixas vasias que
tenhaamarca da casa e es-
tando em bom estado, paga
200 rs. por cada urna.
Compram-se
I escravos de ambos os sexos para se exportar para
fora da provincia : na ra Direita n. 66.
K Compra-se urna escrava de idade de 20 an-
uos quesaiba bem cosinhar, engommar e cozer
preta ou. parda : quem tiver leve a ra da Au-
rora n. 48, que achara com qnem tratar.
.Compra-se urna casa terrea no pateo da
Hospital ou ra das Cruzes; a tratar na ra lar-
ga do Rasarlo n. 22.
Vendas.
SAME
trolactafo de ferro
11a lMtiea le Joaquim Martiuuo
da Cruz Correia & C.^uatfo Cabug n. U,
^StS iSur'o'-fSo t\STe<> ,wi8"li ^ TD0"preMr,?i0 de ferM'
Nm>MBM
Paree r
variadas, mato
dade.
A fatmula um objeeto de muita'i
s bomem'Sa ^tlgS."*^ g* ^^to d.btco de formula, lio
o homemda lenntfe^mpr.hendea aeceaaidade aimportaBCia te urna, tal sari*-
'haq '< futsuwj'j
Constando ao abaixo asaigaaM 4uo Sr. Iga* quAlfilM
co Nery Ferreira da Silva Lopes ou Ignacio Ne- que coas*,
ry Ferreira Lopes lem dito a diersas wesSeM UeWdrtM
que eu lhe sou devedor de conloa le ri, aprea- atesw
so-me em fazer sciente ao pubNco e t #pd-^*tW
ciahdade ao corpo "ie, commrcio, qfe de kaol1 'iNMi."
lhe sou devedor como provo com o recibo inrV,
bu todava ratjcao Sr. Ignacioftr Mira apre
Ra-
t .'! fc93
,an<|a a therapaulica ; era progresso immemro,
idt^rt>M v^W^Teffie o^e?dW
' fibaftkeas{tlOdadeVem' a4dait5r.ai="
Attenco.
Vende-se assucar refinado a 494OO e 3880O a
arroba e a 140 e 120 rs. a libra, caf mido a
dw a libra ; no deposito do becco Largo no Re-
cite n. 1 A ; dinheiro eno Dado.
Vende-se um escravo mogo proprio para
engenho por saber carrear ; a tratar no pateo do
Carino n. 1. r
sem segundo.
Na rus do Qwmado a. 55, loja de miudezes
de Jos de Azevedo llaia e Silva, tem para ven-
der pelos diminutos procos as seauint. t^vaav
todas em hnm i.d. .
Ca^as de agulhas francezas a 120 e 240 rs.
Ditas de alfinetes sortidos francezes a 80 rs.
Caixas de colchetes francezes a 40 rs.
Cartoes de colchetes francezes a 20 40, 60
e 80 rs.
Dnzia de meias cruas muito finas a 25(0.
Dita de ditas a 24o. J
Linhas de carretel brancas e de cores a 30O rs.
Masso de grampas muito boas a 40 rs.
Thesouras finas para unhas a 400 rs.
Ditas para costura a 160 e 320 rs.
Varas de renda Usa sorlida a 60 e 80 rs. ?
Pares de sapatos de tranca de lia 18440.
Ditos de ditos de dita de algodao a 19.
Pares de aapaUnhos de la para meninos a 200 rs.
Cartas de alfinetes finos o grossoa a 100rs.
Frasco de oleo de babosa a 400 e 500 u.
Frasco de oleo de macass a 100 rs.
.Dito de macass perola a 200 ra.
Frascos de baoha muito fina a 320 e 400 rs.
Ditos de,extracto muito fino a 500 e 1J.
DIlo edm muito boa agua ffetolobia a
laadicameotosaedo ferro, a sendo urna
- ">w-w i8ucioTra qeeira
sentar as letras que diz ter aceito por mim.
cife ?.aoismto dettl. .
Antonio Fernandos de Castro.
Recebi do Sr. Aotonio Fernandes de Castro a
quantia de 1155510 por saldo de meue ordena-
dos ai* boje. Recita 4 da julho de 11.
Jgaecio Nery farreira da'WWWfel. "
pfali
-f;^ l2?225Sfe f *^ vawttf 9 arreacaafe>e s*m; reaeo. R' o
f*ilS2?I?itft*L?-Ue "*. w#to ?^*vaoou-eitgiooaaai.aMS aL
^^^^&^A^mMd0- T-M esaoragateoao|li'
aldJbW|i>p.mte>-.easesJ na dabfUdade ateseqaaata
nmtnt
lit
ttiTSrSLh^
a. na>aWpfl^MiMraaaViaaa^dM .aairfotta haaaorrhaaica '
"a mulaeraa grvidas,- em-todoa oa
leemo
W, nJ^BloS
, brecidoou ..
b,;iMm%yla5?hiliea, nWetsos^eaere
curiaos.
. -Bstaffenfarmiaait^ seado mui frequ
medico' tem do linear mi bat ai debelar,
reeenheclmiet foda huaanidacJe por ter de(
#*?erto;u '
ffdjiaa at^eia ckrobiOM, eachaxia eu
A a Jlfffiproleacadftrda preparscoea
*-'ae o a fijejcifnt sutaiaoca dlaqq
citro-laefato de ferro merece lotvesee
tittU&MARiMUtf laa Badj sem -^'i-
6W?.
290O0e
DUesda
Saabonetee-muit:
Frascos de oleo
Em caj.r
G.. suceessores, ra
finbaa MO rs.
hilocme a 19.
eT. O, Bieber

a**tWW fuertolas.
Data Xara, ^ i:
;ognac em uuis de IJaaia.
uagre..
apybiuoa a brina da Russia.
'J^ftWeesaWainburBhla.) ,
raadeaaarmore branco para coneoloa emaiu.
>-


I
ff>
m&to**>**jM*k*>^ gxttnrn sm julho di mi.
On
Vndeme
raes & C, la
Guima-
Tra*e%sapid
Sedinhas de quadro muilo iocorpadas, cora
do a 800 rs.
Golinhas de fuslo bordadas cem boto para
senheta a 640 rs. g
Ditas da dito lisas cora tollo a 500 rs.
Manguitos a balo com puntaos e gola borda-
dos com bolaozinhos a 3$.
Manguitos a balao com punho e gola a 29500.
Balfs elsticos aS0e 39500
E outros mais fazeudas multo baratas : na ra
da Imperatriz n. 40, esquina do becco do9 Fer-
reiros.
1.
Joseph Grosjean em aua officina veride '1 "**" \
brioM novo, l carro americano para 1 cavallo. ja ft fazeildaS Ue SC QBl
1 cabriolet em bom estado, que verrde mimo r/nMa
coota, assim como encerado preto a 29300 o co-
vado, e comprando em peca ha de ser mais ba-
rato.
Vende-se por precisio im preto de meia
idade, atrito Bel e sem icio algor ; m ra de
Aguas-Verdes, no primeiro anear da'Casan. 64.
bwratissinvets na-io*
liquidando.
Ra do Cabug numero 8.
Cortes de meia casemira de urna s cor, fazen-
da superior, pelo baralissimo preo de 19 cada
um : na ra do Queimado n. 22, na loja da boa f.
Por baixo da bo-
neca.
Vendem-se chitas francezas escuras e claras a
290 rs. o covado : na ruado Queimado n. 6, por
baixo da boneca.
#@3$S8 4J$ @@g

Na loja de marmore
| Vende-se muito barato*
Para senhoras.
& Ricos vestidos de seda moirantic.
Ditos ditj de dita grod-fric.
3 Ditos dito de dita babadinhos.
Ditos dito de dita dous tullios.
r Ditos dito de dita phaotasia.
9 Ditos dito de dita bareja-babadinbos.
8 D.tos dito de dita cambraia brancos bor- J
f d*dos. g
Ditos dito de dita pretos tecidos avellu- w
V dados. 9
C' Ditos dito de dous folhos babadinhos.
Riquissimos vestidos de tarlatina brancos.
Ditos ditos de blonde para casamentas. #
5? Ditos ditos de sndalo. @
Ricas pelerinas de renda e seda. 9
9t Manteletes do fil pretos. 9
?; Ditos muito ricos de velluJo. &
ii Ricos bournus baduinas para sabidas de 9
; bailps e theatros. 9
' P.icos chapeos de palha de Italia.
%. Ditos ditos de seda. 9
: Golii'ihas, manguitos e camisichas de lo- 9
9 das as qualidades. 9
$f Saias brdalas de algodio.
9 Ditas ditas de linho.
4j? Ricas sorobrinhasdeseda multo modernis, &
w Enfeites de flores. Sj$
ts. i-nos de froco.
Ditos de fita. 0
Para senhoras.
Casiveques de.la.
feotes de tartaruga.
S. Ditoa de bfalo comenfeile.
J Pujos de dito sea eof-ile.
5 Chnlea d Ditiriu muito modernas.
S* Ditos de cachemira bordados.
lulos de luuquiui.
, Ditos de fro.o.
'r Ricas mantas de blonde para casjoiento.
* Cimias bordadas muito tinas.
Meias de se la muilo finas.
Ditas de dita pretas finas.
Enlejo de vidrilho preto.
Ditos de ditos de cores.
Lpqqos de labiriotho.
F ton has der labiriotho.
Toalhas de labirintho*
Lencos do linho bordados.
Gravatinhas muito modernas.
Plumas brincas e de cor.
Fitas de seria de apurado gos'.o.
Franjas, cascarrilhas, tranca e rifa e fitas,
estreitas de seda.
Para horaens.
Paletots de panno fino.
IHtos de casemira.
Ditos de brim lona (brancos.)
Ditos de brim de cor.
Calcas de casemira de cor e de padres de
muito gosto.
C Perneiras de dita.
Cillas de dita.
0
dj
V
i

m
m
$g Capuchdes de dita.

s

i
S
lletas de cor.
Golletea de casemira.
Ditos de la e seda.
Di ios brancos.
Ditos Oe velludo preto.
Daos de dito de cor.
Ol;ario Meli.
Dito de vaqueta.
Dito de duis' solas.
Sapatos entrada baila.
Chceos e lontra.
Ditos de castor branco.
Grvatas de renda a Garibaldi.
bitis de setim.
D;tas de gorguro e seda.
C'ilariuhos dos mais modernos.
Camisas de linho iogVeMS.
Mitas ditas frandezas.
Para meninos.


Burgos Ponce de
Xr^
jtMQrOlPrs.
^tftfsjttlatycezas de multo bonitos padres e
njjt&o wuwsannos, pelo baralissimo prego da
W, 240 e 260 rs. o covajto na ra do Queima-
dan.M, na laja o bo*.
Len, esta vendendo todas as fazendas existentes
na loja da tua do Cabqg n. 8. por menos de sea
cus-to, para pagamento dos credores da exlinfta
Orto* de Almeida A Burgos, vende com rrelho-
ria de razo por muilo menos as miudezas por
nao serem ellas proprias da urna loja de fa-
zendas. "
Das miudezas que se tea annMctt^o, 4ida
reslam as soguintes em muilo menos quantidae
por menos atada :
Fitas de sedado gros-de-naples, sarjadas bem
encorpadas e de muito bonitos padres para
cintos, enf-iites de chapeas para senhoras, lacro-
de cortinadas, Ironhas do iravesseiros siaUioa
de meninos de peito a 800 e a lft a rara.
Franjas de seda' pretas e de cores a 240 rs. a
vara.
Bicos francezes finos a tf, 1*200, 1$6W, tp,
3, 3j>200 e muito largos a 4, 4#500 a #5 a
peca.
Dito de seda branco ou de blonde para 'enfel-
tes de chapeos para senhora como para noiv a
240 rs. a rara.
Aberturas para camisas com punho.s e colari-
nhos a 400 rs.
Dirs de fino esguiao a 900 rs.
Sapatinkos bordados para- baptisados de me-
nino a 15280.
Donets francezes para menino a 29500 e a 3$,
ditos de marroquim dourado com plumas de um
lado a 4.
Ditos francezes para horneo) a 1J>.
EnfeiUsprtlos t vidrilho .paca cabaga de se-
nhora a 2o e 3 *?50O. .r
Ditos de lindas flores francezas a 35. 4J e a 5$.
Ditos de froco de seda com as sub liadas bor-
las a um lado a 2j>.
Lueas.de pelica de Jouvd pata senhora a
500rs.!l
Ditas de algodao finas e eneoraadas a 240 e a
300 rs. cada par e em duzias a 2J400 e a 39.
Toucas francezas de la bem acabadas para as
senhoras enfermas ou paridas a 35.
Ditas francezas de la para menino de peito a
800 rs., ditas de fil de linho afeitadas com bi-
cos e tituihas francezas a lg.
Cusios de meias grossas do Porto para ho-
rnera a 1$600. croas a 2g500 e a 3$, tecidas de
cores a 29500 e a 38, meias para meninas finas
tecidas de cores a 3g, ditas brancas pira senho-
ras a 3*500 e a 49, pretas para senhoras a.29O
e a 3$500, ditas pretas de laia pura padres a
25560 cada par, ditas de seda preta para horaens
a 39S60 e a 39 cada par, para senhoras a- 29 e a
39 cada par, e brancas aSffM e a 4? cada- par.
Penies de tartaruga bem fornidos a impera-
triz pelo baratissimo prego de 85.
Caixos de flores francezes a 400 e muito finas
al9500fada caixo.
Carteiras para algibeira com charuleiras a
l#280
Gravatas de seda preta e de cores lindissimas
a 500. 640, 800, 19,19280 e 19500, ditas de cas-
sa pintada de cores a 240 rs. cada 'ana e ricas
mantas para gravatas a 39.
Cinturoes de borracha sem defeito algum pa-
ra segurar calcas para horaens cerno para meni-
nos a 200 rs.
Chicotes para montaa a 640-rs.
Bengalinhas a 700 rs. i
Comestiques ou pomadas francezas para alisar
cabellos a 60 e a 80 rs. cada pao.
Bolez preto de vidro lapidado para casave-
ques a 100 rs. a duzia.
Bandes de clina para cabellos de senhora e
menias a 800 rs.
Collarinhos de esguiao para homens e meni-
nos a 80O rs., e sem ser de-esgoio 'iOO rs.
Tiras de babadas bordados em cambrsi* para
saias de senhora, calcinhas de meninas, traves-
seiros e para muilos outros eofeites de que as
senhoras se servem, sendo estreitas e largas a
500. 640 e a lg cada tira.
Toalhas de linho para rosto ou para niaos a
800cada urna.
Lencinhos de retroz muilo bons para as meni-
nas de escola a 19500.
Trancas de seda a 320 rs. a rara.
Trancinhas de la para enfeites de vestidos
de cassa e de chita a 80 rs. a pega.
Meadas de linha preta a 80 rs. a meada.
Nova loja de funileiro daj
ra da ^uz do Recife
numero 37.
Manoel Jos da Fodspcb participa a
todos ea sena i fogueara -tatito do praca
como do malo, e juntamente o respe i la-
vel publica, que lomou a deliberago de
baixar o prego de tolas ssuas obras, por
cojo motivo tem pr vender um grande
sortiaento de bahs ecmcias. todo da
differentes Umanhos o do diversas coras
em pinturas, e junlaoieute um grande
srfrtimenlo de diversas poras, contando |
banhairas e gamelas grandes e pequeas,
machioaa paca csi oamaa d* sent,
que peratevender mais. barato ;p|oasivi,
como seja bahs grandes 49 e pequ-
nos a 600 rs., bacas grandes a 55 e pe-
queas a 800 rs,, coeeea 1$ daifa, lie.-
cebe-se um ofiicial da raesrua officini
Rinos vestuarios de seda.
^ Ditos ,... j, isa.
' Ditos ditos de fustao. '
g Ricas camisinhas bordadas para ffaptisado.;
' Ricos sapatinhos entaitados para bapti-
sado.
"'2 ^"etes de todas as qualidades.
Criapeosiohos de palha de Italia.
Casaveques de lSa.
v Erlracto de sndalo Aullo fine'
$ Essencia de saodalomto fino.
=# Caniohas de" tirtaraga.
<$ Carteiriobas d apurado^fsto. '
Ricos jarros com bakhs.
Um grande sortimeoto de riquissimos
quadrps a oleo, "J :
9 Ricos transparenles para janella.
dJ'^CaixipbBs muito'ricas proprias para guar-'
fdarjoi*. ''"
Banba milito fine a Gatbaldi. *
E outi^imoitasfazrdase'fTe'famaTar!
A que d,einmos"'de. mantlonf.-'p'or 'hrver1'
#-augradde sortM^QfD.1' !

Loja >m m m
frente do Imnenlo.
np feita para,Qa>r,
Paleto rjer*DaaV alcas de casemira pretas e de cores, ditas da
(Masada-tapia, dis tobrtal [af#sW, paletoti
d bramante a 49, ditos de fustao de cores a ,4J,
ditos de estamenhta 4J; ditos *dW\tA "patdb a
39, ditos de alpaca preta .saceos a tlHsasaWa,
dolletes de velludeVrtfei ^tfe orguro de seda, gravatas de linho ifpttoho-i
bernas a 200 r%.-eda tMOT1, c*ltatfBhea da ti
gauliima modo, '.odas esta fanlttHrf *
=farao piHls-witfcar-, a loja^ff-tteW'tS1
ras da manhaa at as 9 da o*'- \ov
i aii* :.i.i
acaba d
chegar
novo armazem
DE
BASTOS & REG
Na ra Nova junto a Con-
ceico dos Milita-
res n. 47.
Um grande e variado sortimento de
roupas feitas, calcados e fazendas e todos
estes se vendem por precos maito modi-
ficados como de seu costume,assim como
sejam sobrecasacos de superiores pannos
e casacos feitos pelos ltimos figurinos a
269,289. 309 e a 359, paletots dos mesmos
pannos preto a 163, 18$. 209 e a 249,
ditos de casemira de cor mesclado e de
novos padres a 149.169, 189.209 e 249,
ditos saceos das mesmas casemiras de co-
res a 99, 109,129 a 149, ditos preles pe-
lo diminuto prego de 89, 169, o "8, ditos
de sarja de seda a sobrecasacados a 125,
ditos de merino de eordo a 129, ditos
de merino chistes de apurado gosto a 159,
ditos de alpaa preta a 79. 89, 99 e a 109, ]
ditos saceos pretosa 49, ditos dr palha don
seda fazeno mttrt.'.BjMtriof 4)000, dW
tos de brim pardo e de fustao a 3ooo 4*
e a 4950O, ditos d*-fustao btfnco a 49,
grande auaolidade do caigas de casemira
preta e de cores a 75, 8; 99 ea M,ditaa
pardas a 3j e a 49, dMis de brfnfde cores
finas a 23500, 39. 39500 e a 4g. ditas de
> brim- brancos finas a 49500, 5S,'555Q0 e
9* ditas'deT>rim \6ttT\B9i i ti, collfltei
de |rjsguro.preto e-de corea a 5to a.
dtts-de rtsmira-de cfcr^ ^rfetds r4{
e a 59, ditos de fustao branco a dajfrim
a 39 e a 35500, ditos de brim^otrF,lR'
ditos de merino pava Urto 4* a'a 49500/
caigas de merino para luto a 4f500 e a 5J,
-capas de borracha a %fj".P*ni> h tndosias tenaahos: caigas de easemira
1 prefa eda cor a5|, 69 e a 79, ditas ditas
de brim a 2J..89 e 39500, paletots sac-
eos e casemira preta a &$ e a 7,'ditos
de cor a 69 e a 75, ditos de alpaca ai>,
ob revisados de panno preto a Izje ai
'14, ditos de alpaca reta. a 69, booattii
| para naaotno de todas cabialtdadaa, ca"
>zniaa para raeomes da todo M'laaMahes;"!
' meios ricos vestido* e enartlMMPi
1 pawantoas 1 de 5 a eannosaoaitttawi
! *at>a ' rao-!ed))aa8oj|*|,'ditdsi<
risa/a 39, ditas- d* eambra4wrioastfUfe
.bardados para apiiaadwa.vmattwiras
fszvfXas Pearpaa^eitaslque tdWrMft qW
IriaeiajIuaMidda.pMa sua gnwdepWDtiv
dade^ sasmaoaaoreeebe-.stajrji#q^nl4-if
: qor/ enevMmemta de rouaaa psr se
bntandBT'^sinrfacMrar liWVaVs slftiQWl
I*"" plv(WTto'i4p < w defosta #sMabgiaaM>uj
faiate dirigida por um hbil mestre que
fipaat aam^c^fiNsBamfc4vit>il
sasiar**aa|sm,t'. oiw ..> n.>cf-.:,-
9*99 fif W5W w^V 9^K l&Hm^w^NR WW *
GoBiiM muito boa a 100
' rs. a libra. '
r .-
Na ra da Impt*atriz n. 46, loja de sapitgt.
Agua aiubreada
parabanho do rosto e do
CQtpO.
A leja d.'aguia branca acaba da receber essa e-
ra e a precia vel agu3 embreada, da urr aroma ex-
celentemente agradavel. Ella serve acertada-
mente pan se deHar algomes gotas n'agua pura
cora 0/19 Sf banha o rosto, resaltando .disto que
refresca e conserva o vigor d* cutis, oam especia-
I i da da da senhoras ; assim cqmo para se deitar
o'agoa de banho.que o torna mui deliterel, re-
aultaado alera de refrescar e tirar ou iajer deap-
.parecer esse balito desagradavel que quasi sem-
pre.se teto pelo transpirar. lambem tem a pre-
ciosidadede acalmar o ardorque deixa.a nayalha
quando se faz a barba, orna vez que a agua com
queso lave o rosta tenha della composgao. Cos-
ta o irasco 19. e quero a.p*ecia o bom rao.dei certamente de comprar dessa estimavel agua am-
breada, isto na loja d'aguia branca, na ra do
Queimado n^tS. nfea parte-onde se achara.
45^
serUmuento.
a Direita 45
Qual ser a joven e linda pernanjbucana, que
nao procure animar asta eatabekcimento man-
dando comprar urna botina de "oslo? Qual a
roi de familia, prudente e econmica que. Iba
nao d preferencia pela qualidade e prego 1 Qual
O cavalheiro ou rapaz do positivo, que 040 quei-
e comprar por 8, 9 e 10, o cacado quo ta ou.tra
parte nao vendido se nao por 10, 12 on 14 ?
stteodam ;
' Senhoras.
Botinas com laco (Joly] e brilhantina.
com lago, de lustre (superfina).
> com lago um pouco menor. .
> sem lago superiores. .
sem laco nmeros baixos. .
sem lago de cor......
Sapatos d* lustra. : ...
loja n. 25_
se para fec
do Crespo
ftfpim Berreira de S, ntam-
contas as segutntes fazendas por
59500
59500
59OOO
59000
49500
49OOO
19000
Bolinas

o

>
i>


Meninas.
para criancas de 18 a 00. *.
Homem.
(Nanteal lustre, -.,: .
(Fantnf dosro de poico-iaterissas 10JOOO
(l*anien| bazerro.- moito fre.sca.es. 9$500
diversos fabricantes (lustre). 98000
ioglezas inteirissas......99000
4S400
395*0
108000
pregos muito baratos : pecas de cambraia lisa fi-
na a 39, cortes de casemira a 39500, pegas de
babados largos e muito finos a 3-*, seda de qua-
droa ruiudos a 800 rs. o esvado, (hitas largas de
cores escuras ociaras a 240, caasas de cores bptis
goslos a 940 o cavado, argandys muito finos-a
600 rs,, pecss.da eclremeios bordados a320 a
vara, gollinhas bordadas a" 640, manguitos de
cambraia e fil a 29, 'bramante de algodao com
9 palmos de largura a 19380 a vara, sobtecesacas
de panno fino a 20 e 258, paletots de panno e
casemira a I65 e 209, ditos de alpaca de 3/500 a
78, ditos de brim do cores e braneys de 3J a 5
calcas de casemira preta e da corea da 6 a lr
ditas da brim de cores e brancas de 2J500 a 59,
Golletes de casemira de cores, e setim preto a 59,
camisas d fustao brancas o de cores a $9, cortes
de cassa de cores a 29, cassas pretas a 500 rs. a
vara, camisas de meia a 640, merino de cores
proprio para capss de senhora a 800 rs. o cara*
do, assim como outras muitas fazendas, tudo
muito barato para acabar.
Relogios.
Vende-se em casa de Johnslon Pater & C.,
ra do Vigario n. 3 um bello sortimento de
relogios de o uro, patate ingles, da um dos mais
afamados fabricantes de Liverpool; tambera
urna variedade de bonitos trancelins para os
mesaos.
1
guapeadas,
prora d'agua.
85500
83500
Sapates.
Nantes,sola dupla.' '. ...:;. 59500
urna sola......... 096OO
*' para menino 48 e..... 3*500
Sapates lustra.......... 59000
Sapatos de tranca.
Portugnezes da Lisboa finos 29000
Francezes muito bem jeitos. .. 19500
Alem disso um completo sortimento do legiti-
mo edo verdadeirocordavo para botinas de ho-
mem ; muito couro de lustre, bezerro francez,
marroquim, ^aquetas, couros preparados e em
bruto, sola fio, taixas etc., tudo em grande.
quantidade e por precos inferiores aos de outrera.
I

Fazendas baratas por todo
o preco paca acabar: na roa
do Livramento n. 38; assim
(jomo se vende a rica armaeo
dessalf-ja.
I tiltil grvala ba-
rata.
Na loja d'aguia branca se encontr um grande
e bello sortimento de grvalas de differentes gos-
los e quadadae, e por precos taae quo em m*>-
nhuma ou|ra prtese acha.. omo seJB,.graati-
nhss estre*tas.*erdadas a 80ie 1|, ditas pretas a
de cores agradareis atf, IjfOO e 1#54, ditas
com pontea bordadas e matizadas, e lisas de ttu
bom setim mscao a 18500. Pela variedade do sor-
timento o comprador ter muitas de que se agra-
de : na ra do Queimado, loja d'aguia branca
numerlo,
Aos tabaquistas.
Lencos finos de cores escuras e fixas a imita-
gao dos de linho a 55 a duzia ; na ra do Quei-
mado n. ti, ns loja da boa f.
Brim branco de linbo muitp Ono a 19280 a
vara ; na roa do Queimado n. 22, loja da boa f.
Riscadinhos da linho proprios para obras
de meninos a 200 rs. o covado ; na ra do Quei-
mado n. 22, loja da boa f.
I
Ra 4o Queimado muwpQ M
iReceberam grande porgo de lia para vestido
com ricos padres, tanto de quadros miudos, co-
mo largos,bem matizados, que para acabar esto
vendendo a 240 o covado, daoo-se amostras
com peo bor.
&uadaSenzaIaIVoYan.42
Vende-se sm asada S. P. Jonhstoa &C.
sellinsa silhSes nglezes, candeeiros e castfgaas
bronzeados,lonas nglozas, fio4avela, chicote
para carros, amontara, arreios.para carro de
um a dous cvalos relogios de ouro paienu
nglax.
r*
Grande exposi^o
DE
balaios naos.
No deposito da ra eslreita do Rosario n. 11 e
juntamente no salo para familias est vista de
todos que quizerem honrar este estabelecitnento
tanto para o sorvete comopsra eacotfcerem entre MflneTaa'de cebtca-ahala
a grande quantidade de balaios muito finos da
Italia, como sejam para costura, psra compras,
para meninas, para roupa engommada, e para
se darem com mimos,assim como carrinhos para
meninos, e calungas de todas as qualidades, co-
mo seja jongalamaste e mutos outros objectos
proprios para familias.
Poiassa da Russia e cal de
Lisboa.
No bem conhecido e acreditada deposito da ra
da Cadeia do Recife n. 12, ha para-vendar a ver-
dadeira potassa da Russia, nova e de superior
qualidade, assim como tambera cal virgem em
podra ; tudo por precos mais baratos do que em
outra qualquer parte.
i?ua do Queimado n. 75,
Junto a loja de cera.
Nesta loja vendem-se as seguiste miudezas e
outras muitas por precos baratos, s para quem
(-'comprar viclora.sempre contar :
Cartoes de colchetes francezes muito bons a 40
rs. o carto, e duzia a 400 rs.
Agulhas francezas muito boas e verdadeiras a 120
rs. acaixacom 4 papis, e-avulso 40 rs. o
papel. i
^"ihoitMora enfiar vestido a 40 rs. urna.
Linhas victoria eu, carrofoi r0rn 200 ardas a 60
rs. um, e duzia a 640.
Ditas de 800 jardas de Alexsoder a 900 rs. a
duzia.
Ditas de Pedro V em cartao, branca e de coras a
60 rs. um cartao.
Ditas de meiada de peso verdadeiras a 240 rs. a
meiada.
Papis com cento e tantos alnetes francezes a
40>s. o papel.
grossos e finos ,a 120
rs. a carta.
Cordo imperial para.veslido a 40 ra. a pega.
Caivetes finas defluae folhas para peonas a 200
rs. um, e duzia a-29
Lia de todas as cores para bordar a 69500 a libra.
Peotes muito boos de baleia para alisar a 220,
.240.280 6:320.
Ditos transparentes tambera bons a 360 e 400 rs.
Halladores de algodao a 60 rs. cada um.
Meias eruas brancas e de cores para homem a
160. 200, 240. 280 o par.
Dilas brancas maito fiuss para senhora a 240, 280,
320 o par.
Espelhoadourados para parede redondos e qua-
drados a 39500 cadaum.
Talheres para criancas
Vendem-se talheres pequeos proprios para
criancas a 320 cada um : na ra do Queimado,
loja d'aguia .branca o. 16.

Attenco.
N. 43.
Ra do Amorim.
Vendem-se saccas com milho muito novo, pelo
barato prego de 49500 e 59.
Arados americano se machina-
par a lavar roupa :em casa de S.P. Joi
hnaton & C. ra daSenzala n.*2.
Cintos pretos e de
cores.
Na loja da aguia de ouro, ra
do Cabuga n. 1B
chegado os lindos cintos, tanto pretos com
eofeites de continha, como dourados, e de lindas
fitas e fivelas, o mais fino que se pode encontrar ;
isto na loia Aguia de Ouro, ra do Cabug n. 1 B.
Aviso.
Veode-se a escuna nacional Cigana, em
perfeito estado, forrada de cobre, completamen-
te apparelhada e prompta para navegar: trala-se
com Guilherme Carvalho & C. no seu escriptorio,
ra do Vigario n. 17.
S na 'boa f.
Ruaestfeita do Rosario, es-
quina da ra das Larangei-
ras n. 18.
Carne do Serid da melhor que tem vindo a
360rs. a libra.
Linguicas do Serid da melhor .que ha a 360
rs. a libra.
Queijos do mesmo serlo dos melhores que ha
a 680 rs. a libra.
E em porgo de quslquer dos gneros se far
abatimeoto ; s na bea f.
Para se comprar as verda-
deiras luvas de Jouvin, a
loja d'aguia branca ponto
certo.
Esta loja tem constantemente recebido de sua
propria eocommenda as verdadeiras luvas de
Jouvin, e agora mesmo acaba de as receber pelo
vapor francez e continuar a reeebe-las por to-
los os outiua por i*o auam quizer comprar
boas luvas escusa cansar-se, aingir-se atuja
d'aguia branca, ra do Queimado n. 16, que ahi
ser bem servido.
Cabo de marfim e madrepero-
la, escovas para dentes.
Na loja d'aguia branca acharao os apreciadores
do bom, mui delicadas escovas de cabo de mar-
fim e madreperola a 29 e 2$500 cada urna. Com
urna escova assim delicada faz gesto limpar-se
os dentes, e para as comprar dirigir-se ra
do Queimado, loja d'aguia branca n. 16.
NATRALLEDE VICHY.
Deposito na boticaf ranceza ra da Cruz n. 22
Ray mundo
Carlos Leite &
Irmo recebe-
ram pela bar-
ca Clarissa viu-
da ltimamen-
te de New-
York.um com-
pleto s o r t i -
ment das me-
lhores machi-
nas de cozer
dos mais afa-
mados autores
me 1 horados
com novos
aperfeicoa-
mentos, fazendo ptsponto igual pelos dous lados
da costura, mostram-se na rea da Imperatriz n.
12, a qualquer hora. Tambem receberam todes
es preparos para as mesmos como agulhas, re-
trozes em. carriteis, linha de todas* as cores tudo
fabricado expressamente para as mesmas ma-
chinas.
4 fama iniiipna.
Os barateifos da loja
Encyclopedica
DE
Guimare* & Villar.
Ra do Crespo numero XI.\
Receben! continuadamente da Europa
sedas, cambraias, las, cbapelinas de pa-
lha e de seda para senhoras, manteletes
pretos ricamente bordados, ditos de co-
res, ishidas de baile,saias a bailo de di-
versas qualidades, saias bordadas de to-
das as qualidades e pregos, chitas fran-
cezas muito bonitas e finas, enfeitea de
diversas qualidades para cabeca de se-
nhoras, espartilhos de molas e muitos
outros objectos que no mencionamos,
todos proprios para senhoras.
Para homens
paletots, calcas, colletes, chapeos, cami-
sas, seroulas, meias, grvalas, lencos, so-
brecasacos, calcado Melie e muitos ou-
tros objectos.
Vendem baralissimo
Vendem baratissimo
Vendem baralissimo.
Qpem duvidar v ver
Quemduvidar vver
Quem duvidar v ver.
Levemdinheiro
Lev-era dinhelro
Lerem dinheiro.
A 4$,4^500 e b$.
Cambraia lisa muito fina a 49 a peca oom 8A i2
varas, dita muito superior a 5$, dita tambem
muito fina cora salpicos a 45500; na ra do
Queimado n. 22, na loja da boa f.
Delicadas
gravatiahas de seda bordaii
para meninas e senhoras.
A loja d'aguia branca acaba de receber pelo
vapor francez urna pequea porcao de mui boni-
tas e delicadas gravatinhas de,seda bordadas, ul-
timo gosto, para meninas e senhoras, e as est
vendendo.a liJOG cada urna ; > ellas, antes qua
sa acabem, pois sas ha na loja d'aguia branca,
rea do Queimado n. 16.
Cera de arnawba.
Vende-se cera de carnauba, a melhor que tem
vindo a este mercado, a 8J500 a arroba, a prazc
ou a uii.iioro : a tratar na ra da Cadeia do Re-
cife n. 7, oo na ra da Imperatriz p, 60, loja.
Balaios., bichas e queijos.
Ra eslreita do Rosario n. 11.
Sodr & C. constando-liies, que algnns dones
de estabelecimentos se teem aproveitado dos ais-
nuncios, que temos feitopara venda de balaios,
bichas e queijos; illudindo aos compradores, quo
se eoganam com o estabelecimento dos annun-
ciantes, e vio parar em outros, que elles sao os
propios que fizeram annunriar, mas que os edito-
res foram os que se engsnaram, por isso os an-
nunciantes ratiQcam os seus annuncios e affir-
mam serem os nicos que pesquera taes objectos,
em perfaito estado e pelo baralissimo prego an-
uunciado.
--------------
Rua da .Imperatriz n, 643
' >' BES IO>1 \;:t'J f
l^M^
\tk.
tu
>
baratlo que em outra qualquer parla*:
OwpdWda bellis^oros iiiMlioeasaa^ADuos ajv^ra 1#. .
.Grosdeftaplea asolfar4e rasa e.amarella.f^a^dafioa e d* muitofoipeqo^watia-.e. 2*.

.

4 S!
'".'
'I -
'?I '
1 U
I
a.de reaeberipelo uliimo vapor raacbz as fazendas seguintes, as fuaes eovwndem nw

Idas a 89-
laed*. muito finos.
uiisual of' 1/ o
.i-Sli)Q- .

"fj
d fustao branca muito be..,
W d merino estampados oofF*..ii. iuhu nnos. .-
*fl|*t ^v.MKWi* *jp>j4Am a varaj a 800 rs. A^II filil Al
"PM4BiW Mfs^pa pira.teaaaM
ribaldi
Muitos lindos enfeites a Gitibaldi para senho-
ras a 8, ditos'fingtndo palha porm lie sedas "a
89500 cada um, ditos de vidrilhos a 1j8O0cada
um ; na loja da victoria, ra do Queimado nu-
mero 75. .
Cera tte carnauba.
"Yende-secerade carnauba de supe-
rior qualidade : a tratar com Jos Sa'
Leitao Jnior, tua do Trapichen. \ 5.
Farelo a 2,600.
Vend-s ja p'orco de saCcas, com farello a
-9600 asacca: na'lravessa do pateo do Paraizo
n. 16, casa' pintada de amarello.
Enfeites de flores para ca-
samen tos e bailes.
Chegou para a loja d'aguia branca lindos e de-
licados enfeites de flores finas, feitos com muito
gosto e a ultima moda, sao mui proprios para as
senhoras que vio a casamento.? e bailes, e ser-
vem igualmente para passeios. Os precos sao 89,
10 e 12. porm quem apreciar o bom conheee-
r que sao baratos, e para isso dirigir-se a ra
do Queimado, loja d'aguia branca n. 16.
Farinha de mandioca, a me-
lhor que ha neste genere,
igual de Muribeca.
E' muito barato vista da sua superior quali-
dade ; no ar&dsem de Praga A Gabral, ra da
Madre de Deoa n. 1S, defronte da guarda da al-
faadega.
Luvas de macamursa
para militares e cavallei-
ros.
A loja d'aguia branca acaba de receber de sua
encommenda mui finas luvas de camuraa, o qua
de melhor se poda dar aesae genero, e as est
vendendo a 2jj50 o par ; os seohorea officiaes e
cavalleiros que as conprarem conhecero que sao
baratas vista de sua finura e duracao, e paratas
oblar diriguem-se ra do Queimado, loja da
aguia branca n. 16.,i.dverte-se que a quantidade
pequea por hora, e por isso nao demoren).
Campos 4" Lima na ra do Crespo n. 16,
- ^ato-para vetider-trm rico sortiarenlo de lazinhas
4*aad:640.rs. o cdvado. bem como lindes
fufas de cambraia para guamico de vestidos por
diminuto prego.
Novo sortimento
de cascfea5?ihas^o!jjpeda para
enfeites de vestido.
A. loja d'aguia branaa recebep prximamente
um aovo e lindo sortimento de' aaearrilhe de
Mda aa erjMtede esU4o , tes corase larguras, e eotna aempre as eslvea-
, dexdo baraiameole a *9vb4 e b$ a peea, paecos
este* que em o.enhuma eulra parle sa aaswm.ie' '
, sa aun n*.rt do Queimado, loja d'aguia djcaaca
(?saeri.Mw.-.-t'j *:n> 10 >< ki:. obc u of,a ^
p ..'>:

ia#curas e a legres e padrOes
.nni
baattoab iat ,
ni, .
OO se mondaftilvir'em casVdas'T'miUaa quiz|U:a*Bdu va aottt.SS*
taa ,para cabala dasaaiora.
maociQoadas se dao as ana

ir*-^ -ai.iusfl -toinic. rlij. K
Ra da Imperatriz-oeir'ora aterre .a ea-Vista
, Bl de MM D,,*f de no? iflvencae para meninas a
y*nde-^a, aaaimtto o,*tM-sk SartaisSMedas senhoras o oteff MdatoAicesU f.zenda a
>C4*m l'ostaa o aefuaota : carMfaa retajabais' e o preep dimiButo,^musaulia:da India branca,
a cavallor, carnnhos de trabalhtt^a *UaHJegu fi- 'Ma,.8fiiilo m*s -floa do rfaVcrortt^talisra ves-
tos de mao, torrador de caf com fogio, dobradl-- trtdse^Wrto WW." Tebs-i "
t*s d.ev*aa*r deoiodw w'tMSBTr, *octa d*6nf 3^b4dU%*J% ea
MBiiba -ara foraae, fHtnim f^badons ^ arrrto^tO'talfasJ^ei:oTe*!BiiVafTjO-. ffl* s
ieraomo e lemb rod.orarreae a-earttohas.' 1M rV.0 larado. ditn fraace*.* linar a W.'0
odas p.M-a.mohw. d*ta. ^^w^' W ate^i.^eirtra*irtrltM-frieBdaspormttflo
tek & cades.
Kgiif.-
atboaca
t
ta das 6 hora da aanha &i 9 da aoitvj.


-ir
DUIKN
t

Cree da eri.a at ao. c #oa o sea a li-
bra, em irvcio se UUn#Ukrult*.<; t^raa te
H~#t riada &M^Vista:nrd^a9j>eaMU -,
r AtftHUb'..
tadapolo lirgo e fino com pequeo toque de
ara 3500 e 4, dito muito ano 5j) a peca :
m na do Crespo m. 8, loja de 4 portas.
a ra de Trapiche 44, em caa de Rostron
Rooker 4 C, late um bom sortimento de lt-
nh*.de corea e brancas em eartetaia do tnelhor
Ufaneante de Inglaterra, a* qaaes avendem por
procoa mut razoaseia.
a' .eos
iw uif. ,<>.iand
IBBIOlliltv
a 500 rs
S na J,oja d* *** QftPItt
ra do CaLug n. 1 B.
Vendern^e massinho 4 coral multo fino a 500
rea o miiao.
ua da LinguataS
O nato destino torra gneros por menos de seu
valor: superior manteiga ingleza il)a libra,
dita franceza a 700 ra.. cha preto a 18400, paa-
sas a 560, conservas inglezas e portugueza* a
709 rs., aletria, talharim e macarrad a 400 rs. a
libas, toncioho de Lisboa aBOrs. a libra, baofca
de porco refinada a 480 ts latas com peixe de
postase 19400, cerreja branca a 50Q rs. a gar-
rafa e 5> a duzia, dita preta a 600. rs. a garrafa e
698OO a duzia, tanto em garrafas como em meias,
ervilhas francezas e portuguesas a 720 rs. a lata,
spermacete de 4, S e 6 em libra por prego mui-
to em conta, vioio do Porto engarrafado fino
fcaolho) a 1)1500 rs., vinho de Lisboa eFigueira a
560 rs. a garrafa, vinagre branco a 820 rs. a gar-
rafa, e outros rouitos gneros que escusado
menciona-los, que do contrario se torna va ena-
donho aos freguezes (Dinheiro a vista.)
v
Luva* de Jouvin.
A C., na ra do Amorim n. 58; 014399 amarella,
castanha, preta e ouIras qualidades por menor
prego que de outras fabricas. No mesmo arma-
zem tem feilo o seu deposito de velas de carnau-
ba simples em mistura alguma, como as da
composigo.
Tachas e rnoendas
Braga Filho & C, tem serapre no seu depo-
sito da ra da lioeda n. 3 A, um grande sor-
mento de tachas e rnoendas para engenho, de
muito acreditado fabricante Edwin Maw a tra-
tar na mesmo deposito ou na ra do Trapiche
a. *.
para senhora.
Sintos muito bonitos para senhora a 33 cada
um, fivelas muito lindas para sinto a 18200 cada
urna; na loja da victoria, ra da Qoeimado nu-
mero 75.
A 8#000.
Chapeos de castor branco, fazenda muito boa,
os quaes se vendem pelo diminuto prego de 8J
cada em : na ra do Queimado n. 39, loja de 4
portas.
Attencao.
para agua.
Veodem-se esfriadeiras muito alv* para agua a
4$ o par ; na ra do Queimado n. 75.
FDNDICrlOLOW-IOW,
Bu da Senzalla Nova n.42.
Neste estabelecimento contin a havar na
completo sortimen to de rnoendas erneias rnoen-
das para engenho, machinas da vapor e taixas
te ferro batido t eoado, da todos os lamanhos
para dito,
Expsito de bichas.
No. deposito do ru oattoita do Rosario n. 11,
Tendem-se bichas a 500 rs. cada urna, e alaga-
das muito em conta, motivo este pelos propie-
tarios eatarem com 10,000 bichas em deposito, e
garante-se a qualidade a qualquer pessoa que
comprar ou erogar.
Expsito de queijos,
Na ra estreita do Rosario n. 11, deposito de
Sodr & C. est feita urna exposigau de queijos a
saber, queijos do Serid muito frescos, loodri-
nos, do Beino, das Uhas a 400 rs de prato,
suisso a 400 rs.. presuntos ingleses, a outras
muitas cousas que s vista dos reguezes.
Al" $000
a duzia de toalhas felpudas superiores ; na ra
do Queimado n. 22, na loja da boa f.
Vende-se um sobrado de dous andares e
sollo na ra de Santa Rita : a tratar na rna das
Cruzes n. 18.
Veode-se um sobrado de um andar e sotao,
na ladeira da S em Olinda, com bastantes com -
modo,expeliente vista, tanto para a cidade co-
mo para o mar, grande quintal todo murado,
com diversos arvoredos de fructo, boa cacimba
com ptima agua de beber, etc.; o predio e todo
de annuBciant por ter arrematado urna parte
que pertencia a urna herdeira: quom pretender,
dirija-se a ruada Crin n. 60. loja de cera, que oficio para trabalhar.
achara com quem tratar, ou casa ds roa do Pi
lar n. 119.
1 Najla da loa F, na ra do Queimado n. 22,
sempre seencontrarjo as sujjeriores lufsjs de pel-
lica de Jouvin, tanto para^omero como para se-
nhora, por lerem decebidas por todos osfvapore
vindos' da Ernpa, e H -vendem pelo baratiasimo
prego de 2f 500 o par:' na mencionada loja da Boa
F, na ra do Queimado n. 22.
" ^Bais^e^ift-fiRaitiiMBMBaaK
Ra do Crespo n., 8, loja de
4 portas, admira a pe-*
chiqcjia
Laa para vestidos fazenda que
outr'ora custava 81 0 rs. o cora-
do vende-se a 240 n., daonte
amostras com penhor.
Ceraes lapidados
a 500 rs. o masso.
Vendem-se masainhos de coree lapidados a
500 rs. cada um : na ra do Qoeimado, loja d'a-
guia branca a. 16.
240 rs.
Laas escuras de padres modernos o melhor
que tem apparecido, de liadas cores, a 240 rs.;
na ra do Queimado n. 39, leja de 4 portas.
Lila preta,
boa fazenda, a 280 rs. o covado.
Corles de casemira de cor fina a 4$.
Ditos de collete de gorguro, bonitos padres, a
2j>000.
Panno fino superior, cof de azeitona, 4&000 o
Civado.
Caseraira preta fina i2| o covado : na rna do
Crespo n. 10. 3
SaldoAss.
Vende-se superior sal de Ass, a bordo do hia-
to Saoto Amaro, fuodeado defronte do caes do
Ramos : a tratar com o meslre a bordo, ou eom
e done no trapiche do algedio.
Nova loja de funiieiro Da ra
da Cruz do tecife n 37.
Manoel Jos da Fooseca participa a todos os
seus freguezes e juntamente, ao espeitavel pu-
blico, que tomn a deliberaco de baixar prego
de todas as suas obras, por cujo motivo tem para
vender um grande sedimento do bahus e bacas
de differentes tamanhos, e cores em pinturas ; e
juntamente um. grande sortimento de varias
obras, o que promette vender o mais barato pos-
sivel, como seja bahus grandes a 4#, e cocos
a 1S a duzia. Recebe-ae um oficial do mesmo
'*
Na
!oja de4 portar da ra 4o Queimado
UNirA FEITA ANDA MAIS BARATAS.?
SORTIMENTO COMPLETO
fazendase obras feitas.
LOJA E ARMAZEM
DE '
i 4(900.
t. Cortes da taaama, fjTn-1a hoa ra ato
Queimado n. 47. .
A 1^300.
L"tlrlj da lia preler meM-47.-
A 2^000.
Cortes de gorguro de seda ; na ra do Quei-
mado o. 47.
A 200 rs. o covado.
Princezas pretas com defeito : na ra do Quei-
mado n. 47.
A 3#500.
Enfeitei de bom goato para senhora ; ca ra
do Queimado n. 47.
*^*^l *W' randa armase com todo o ocli-
menio de roupas feitas. para cujo m tem mon-
tado uma oficina de al(aiate, estando encarrega-,
do de la um perfeilo mestre vindo de Lisboa, pa-
ra dei empenhar toda e qualquer obra que se Ihe'
encon mende ; por isso que fax um convite espe- )
cial a todas as pessoas com especialidade aos
Illms. Srs. officiaes tanto da armada como do
exerci to.
Faz se fardaa, fardos com .superiores preparas
e mui o bem feitas, tambom trata-se faaer o far-
damete todo completo conforme se usa no Rio
de Jai eiro, tanto que tem os figurinas que de
la vie am ; alm dissa faz-se mais cosaquinbas
para i loutaria, frdelas ou jaqueles, bem como
collet a a militar para os Srs. ajudantes de esta-
do ma|ior e de ca vallara, quer seja singlos ou
berda loa a espoquilha de.ouro ou prits, tudo ao
goato a Europa, taaabem prepara-se becas para
deseabargadores a de qualquer juiz segundo o
estylode Coimbra sndese faaem os melhores
eouhecidas at hoje, assim come tem muito ricos
deseoboa a matiz de todas as cores proprioi para
fardantento de pagens ou criados de libr que so
[ tara polo goato franceza. Na naeama casa en-
earrege-se da is lfai meninos jaquetas a
francesa bordadas ao mesmo oslo. Afianzando
que por tudo ae fie* respouaavel como seja boas
fazendas, bem feito e hom corte, nao so falta no
dia que se prometter, segundo o syetama d'onde
veio ol mestre. pois espero a honroso visita dos
dignos senhores visto que nada perdem ea es-
peri mentar.
Attencao
Vendem-se caixDes vasios proprios
para bahuleiros, funileiros, etc. : quein
pretender dirija-se a esta tippogra-
pbia, que ahi se dir' quem os tem pa-
ra vender.
E muito barato.
Manteletes de fil preto muito superiores a 88 ;
na ra do Crespo n. 10.
Damasco de seda.
superior a 3$5Q0 ; na ra do Crespo n. 10.
Carnauba
a 7#500.
Vende-se na ra da Madre de Dos n. 4, arma-
zem de Horeira & Ferreira.
Barato.
Lijiiiihifao
Ven^e-se na ra Direita o. 99 a libra
susto a 380 rs. a libra de de Lisboa do
ltimamente.
de pre-
chegado
no armazem da ra do
Queimado n. 19.
Toalhas para rosto de prec.o 500 rs. cada uma.
Chita.
Chita franceza a 220 rs. o covado.
Cortes de casemira.
Finos cortes de casemira a 4950O.
Cobei tas.
Cobertas de chita a 15800.
Captllas brancas.
Capellas de flores de laranja a 5#.
Lences de panno
de linho pelo barato preco de 19900.
AlgodSo
de duas larguras a 480 a vara.
Grandes lenQes de bramante a 3g300.
Jaques bordados
para meninos, fazenda muito as, a 5$.
Sem costura.
Lences de panno de linho fino a 3$.
Baldes
de todas as qualidades e de duas saias.
Cambraias d sal picos.
Modernas cambraias de salpicos e muito
a 5$ a peca.__________________________
finas
A BOA FE TRIUMPHA
DE
Jos de Jess Moreira
l\. 18-Rua do Rosaraio esquina das Larangeiras-N. 18
Os proprietarios deste estabelecimento avisam
eos Srs. amigos do bom e barato que se acha com grande sortimento de gneros dos melhores que
tem vindo a este mercado o por ser paite delles vendos por conta dos proprietarios esto resolvios
a vender per menos do que em outro qualquer estabelecimento e se obrigarao a servir os Srs. com-
pradores da melhor maoeira posaivel para o que avista far f.
Manteiga ingleza perfeitamente flor pei0 preCo de 900, soo, 640 n. aiH>n
muito boa, em harria se far abatimento s na boa i.
Dita franceza mut0 boa a 7ao rs. a Vibra, s na boa f.
Cha perola, hyssou e preto B 35560,2 e ieoor s na boa f*.
Doce de CaSCa de gOaba era caixes do melhora 0O0 r., s na boa f. ,
AmeixaS franceza a480 rsa libra, s na boa f.
Mar flela (lcl imperial do afamado Abreu e de outros fabricantes pelo pre;o ds.
a libra em poreio se far abatimento,a-'na boa f.
Latas bom bolachihna de soda a 1950o muito nova, ao na boa f.
CnOCOiate do melhor que lem viado a este mercado a 900 rs. a libra, s na boa f. *
MaSSa de tomate aa melhor qd tem vindo a este mercado "WK/rs. a libra.
DOCeS de peCegO, gi0g9, pera e alpera a caWa fabricado pelo melhores fabricantes de
Lisboa em tetas de differentes tamanhos a 700 rs. a libra-, s na boa f.
PaSSaS muitO noVaS a 480 rs. a llbw, s na boa i.
GonSerVS inglezas e ftancezas a 800 n. em por;ao se faz abatimento, s oa
boa f.
Aletria, macar rao e talban m a 400 rs. das mais novas que ha, s na boa f.
ToUCinttO de LSboa muito bom do mais novo que Ira ao mercado a 310 rs.- a libre, s
aabaif. .
ChourigaS e paiOS do raelhor qeeha no mercado a 560 rs. a libra, s na boa f.
Banha de porCO reHaad* da melhor que ha no mercado a480rs. em poreao M far aba-
timento, na boa f.
VnhO em pipft da Figuelra a C00 rs. a garrafa e de Lisboa 580 e 480 a garrafa e em ca-
ada ae far abatimento, dito do Porto engarrafado a 19 e 1400, duque do Porto do melhor
que poda havar, a na boa f.
Champagne das mais acreditadas marcas que ha, licor da todas as qualidades, garrafas de
^Rua do Queimado loja dejl
# 4 portas n. 10.
f& Vende-se panno de supeiiorqua-
^ lidade pro va de limao cor de @
tcaf a Z$. ._ ^
Di to verde a 5^f. A
A Dito preto a 3$.
( Dito azul a 3. |a
H Seroulas escossezas brancas a 2
M l200e 1^300. S
A Ditas de linho a 2$600 e 3g.
^ Superiores manteletes de fil
2 preto a 6^.
^| Camisas de linho inglezas duzia
f-\ Ditas dita dita duzia a 35^.
. Ditas dita dita duzia a 40$,
. Ditas dita dita duzia i5j>'
.^ Ditas dita dita duzia 50$.
En !eites de bom gosto po-
ra senhoras.
A loja d'a guia branca est recen temen te pro-
vida de am completo sortimento de eafeites de
bom gosto para sesboras, sendo os afamados e
delicados enfettes de torcaleom franjas e borlas,
outros tambera de torcal de seda eneitados com
aljofares de cores e borlota ao lado, outros de
(roco Igualmente enfetados com aljfar, e borlo-
las, todos elles de um apurado gosto e perfeijao,
os prcos de 83 e 10$ s3o baratos vista das
obras ; alm deatas qualidades ha outras para
3> e n : isso na ra do Queimado, loja d'aguia
brbck b. 16.
Delicados (Aapeo-
iinhs para baptisadns.
Na| loja d'aguia tunaos ea- acha mui novos e
delicados chapeozinhos^ para baptisados obra
mui per feita e bem eofeitada, sendo cada um am
sua bonita caiiinba, e pelo baratissimo prego de
6$, ninguem deiiar de os comprar : na loja d'a-
guia branca, ra do Queimado n. 16.
. Vende-se uma?porcaa de, barris vasios : a
no paleo de S. Pedro n. 6.
NA
Una do Queimado
4$, trente amarella.
Constantemente temosum grande e va-
ido sortimento desobrecasacaspretas
.panno e de cores muito fino a 2fc|ft,
oOg a 359, paletots dos meemos pannos
t|10f ,22$ e 24$, ditos saceos pretos dos
Blesmos pannos a 14, 16 e 18$, casa-
M pretasmuito bem feitas ede superior
panno a 28, 30$ e 35. sobrecasacas de
asemira decore muito finos a 15, 16$
e 18$, ditos saceos das mesmas casemi-
r isa 10$, 12 e 14$, caigas pretas de
bsamitafina.para homem a 8, 9, 10/
ell2, ditas de casemira decrese 7$, 8,
e 10, ditas da brim brancoa muito
aa a 5$ 6, ditas de ditos de cores a
3. 3500, 4 e 4500, ditas de meia ca-
smira de ricas cores a 4$ e 4$50b, rol-
letes pretos de casemira a 5 e 6, ditos
, de ditos decores a 4$500 e 5, ditos
branco ida seda para casamento a 5,
ditos da 6, colletes debrim branco e de
; f ustao a 3, 3500 e 4. ditos de cores a
2J500 e 3, paletotf pretos de merino de
eoirdo sacco e sobrecaaaco a 7$, 8 e9,
colletespretospara lulo a 4500 e 5,
cais pretas de merino a 4500 e 5, pa-
letots dealpaca preta a 3500 e 4$, ditos
sobrecasaco a 6,7e 8$, muito finocol-
I ates de gorguro de seda de cores muito
toa fazenda a 38oo e 4$, colletes de vel-
lado de cores e pretos a 7f e 8, roupa
pata menino sobre casaca de panno pre-
tea e de cores a 14, 15 e 10, ditos de
l caaemira sacco para os mesmos a 6500 e
i 7, ditos de alpaca pretos saceos a 3 e
>35|00, ditos sobrecasacos a 5$ e 5500,
i calcas de casemira pretas e decores a 6,
6J500 e 7, eamisas para menino a 20 ;
a dwzia, camisas inglezaa presas tartas
muito speriora|32 a duzia par 1 acabar.
Assim como temos uma officina de al
'date onde mandamos ezecutar todas as
obras eom brevidade.
tratu
Batatas
Fefjaode corda '-.
No armazem de Tasso Irma os, ra do Amorim
numero 35.
Baldes econmicos.
cife saias balio de gosto inteiramente moderno, dentef; cuota cada caixa 1500, e por tal preco
os quaes sao prefenveis aos de seo por serem s deixaro de comprar quando a nao acbarem
em g gos do 1 arroba, chegadas ulliaaamonte, a
ifiOOfl. rs. o aigo, e a 60 rs. em libra* : veodem-
se un cementa uo armmcus Frogreaso e Pro-
gresai6ta no largo da Gormo n. 0, e ra das Gra-
tes n. 36, tambera lem grande poreao de quei-
jos p|ato que vendem a 560 a libra e a 480 D-
tenos.
Opiata ingleza para
%dentes.
ja d'aguia branca acaba de receber de sua
1encommenda a besa conhecida eprove-
liata ingleza para denles, cuja bondade
apreciada per todas quantos della tem usado, e
ser mais por quem quizar conservar as gengivas
em perfeilo estado, assim como a alvura doa
feitos de cordo;
de 3 cada um.
vendem-se pelo mdico prego
Sintos.
Veodem-se sintos eom ricas fivelas a 2 e
2500, bandoes de clisa para marrafa a 600 rs.,
tesouras finas para costura a 400 a 500 rs., ea-
feites de tranca com lago de fitas, ditos todo pre-
to com borlotes de diversos go9tos : na ra da
Iaiperatriz, loja da boa f n. 74.
. t
Miva
sem segundo.
Ra do Queimado n. 55, loja de miudezas do
Jos de Are vedo Maia e Silva, defronte do so-
brado noo, est vendendo por baratissimo prego
para acabar, algumas qualidades de fazendas, as-
sim como seja : franja de laa para vestido a 100
rs. a vara, tranga de la com 10 varas s 200ts. a
pega, pares de meias cruas para meninos de 3 a
6 annos a 160 rs., e de 6 a 10 annos a 240, linhas
de Pedro V com 200 jardas, venladeiras, a 80 rs.,
novellos de linha do gsz a melhor qualidade que
ha nesta praga a 60 rs., tem tambem para 20 e
10 rs. cada no vello, e de cores a melhor que ha,
novellos grandes, a 40 rs., carrteis de liaba do
gaz e pretas com muita linha a 200 rs., baratis-
simo, caixas com ticoes para accender charutos a
40 r.., caixas com y'nosphoros de seruranga a 160
rs., groza de phosphoros do gaz a 2$800, e duzia
a 240, fitas para enfiar vestidos e roupiohos a 80
rs., pegas de bico, largura de 3 dedos, a 2, e ra-
na a 120, linhas de novello de cores por todo o
prego, frasco d'aguade colonia muito superior a
400 rs, duzia de meias muito finas para senhora
a 3$, e par a 480, linhas de marcar muito finas,
novello a 20 rs., gravatis de linbo muito bonitas
a 200 rs., pegas de tranga de la de todas as Co-
res a 50 rs., tem um resto de jabonetes para
000 rs. a duzia, groza de boldes de osso para cai-
ga, pequeos a 120, e grandes a 240, sao muito
fiaos, marcas .para cdbrir a 20 rt. a groza, e tem
tambem maiores para 60 e 80 rs., duzia de malas
craas para homem a 24C8, muito boas para du-
rar, meias de cores para meninos pelos precos
cima, tramoli do'Porto muito boa, tara, a 80,
100,120e 160 rs., fitas de linho brancas e de co-
res a 40 rs. a pega para acabar, grozas de penas
de ago i 500 es., tem om resto e S86 strptiores,
frascos de opiata para limpar dente? a <00 rs.,
copos com banha muito fina a 640, frseos de
banha de urso a 640 e 500 rs., varas de laby-
rithos de todas as larguras e por todo o prego
para acabar, espelhos de columnas brancas a
1500, peclrlocha, catre/Iras para guarir dinhei-
ro muito boas a 500 rs!, Traaco3 cota ebeird milito
finos a 500 rs realejos para meninos a 20 rs.
cada um, baratnos portoguezes a 160, e duzia a
18440, baratissimo, duzia de bertoes madrepero-
1a para paletot a 480, cartas dn alQoetes para ar-
mador a 120, varas de franjas pata cortinado a
200 e 240, muito barato-, botoes de vidro com loP de bur p
or pltCo mallo razoavel uta rs-
. teote ingtez, 00 acreottaoo ia-
azeite purficadtra 900 rs., nozes das mais notas que ha a 200 rs. a libra, ervilhas em calda, v para casayeques de senhora, duzia a 240 rs., ""cante d Liverpool Samuel 4 LOO, com muito
azeilonas em ancoras muito baratas, a na boa f. Alm disto encontrarlo o sortimento
completo dos gneros tendentes a molhados e tudo do melhor qoe ha oeste mrcalo, so
u ancoxlaJia-boaJeV----- -----
- 'i
odas estas fazendas esto perfeitas, a vende-se
barato porque precisa-ae apurar dinheiro para I
necessidades, e por isso toco fogo.
mais na loja d'aguia branca, na ra do Queima-
do n. 16.
Escvas grandes
piara carro, tapetes, etc.
N loja d'aguia branca se encontr mui boaa
escovas grandes com cabo, proprias para se lim-
par carros, tapetes, etc., e por 2: ninguem dei-
xar de comprar uma escova de qua necessita :
na roa do Queimado, loja d'aguia branca n. 16.
Vende-se uma cocheira contando 3 carros
e 6 estallos, e uma mei'agua : a tratar na ra
Direita, loja n. 57.
I Liquidaco
fRua do Queimado n
Continua a liqui-
daco de todas
a
as fazendas na
ra do Cabugu
|n. 8.
A' DINHEIRO.
BQ^ Burgos Ponee de
Len, tendo de acabar em breve com este est 1
belecimento, para .de seu liauido pagar aos
ni-odorcs da macti da \tiurta firma de Almeida
& Burgos, ha resolvido a vender todas as fazen-
das, com grande abatimento de sen casto, entre
m quaes annuneia :
Chapelinas de seda e de fil para senhora bem
enfeitadas com ricas fitas e flores francezas, dan-
do se os seus respectivos veos de fil de seda a
4,5, T, 9,10, eal2000.
Organdys finos de lindisimos padres para
vestidos de senhora, sendo de vara de largura a
480 cada covado.
Fusto de muito bonitos padres miudos, para
vestido de senhora a 400 cada covado.
Gaze de seda, fazenda toda de seda, e transpa-
rente, sendo de cor de rosa, cor de cravo encar-
nado, a; ul claro e ferrete e cor de folha. que
muito biilha em vestidos de senhoras a 880 o
covado.
Gorgvi
a 15000
de quadrinhos para vestido
com ricos bordados
rao de seda
covado.
Cazaveques de cambraia,
a 8000 I a 14JJO00 rs.
Manguitos com gollnhas de fil, a 25C0,
33J00O e j200.
Camisinhas de cambraia muito fina para se-
nhoras a I5OOO
Chapeos de sol de seda de cores para meninas
e senhoras a 2S00, 2S500 e a 3000.
Chales de cambraia de cores a 600 ris.
Ditos de froco ou de velludo a 65OOO
Ditos eitos cor retrz de seda, ricamente
bordados a 153000 rs.
Ditos de seda de grosdenapoles bastantemen-
te grandes a 200000 rs.
Litis de merino de diversas qualidades e diffe-
rentes gostos a 6, 8, 9, 10g5o0 e a 12$50 rs.
Brim trancado muito fino de purissimo linho
e seda, com listras e quadrinhos de cores, excel-
-- /- m l lente paral caigas, coletea e palitots a 150 cada
a do Queimado n.2 ,
1/v 3t BnmziAho de linho para caigas e palitots para
0. loja de 4 portas.
Veade-ae as aeguintes fazendas par
Cp menas prego do que em oulra qualquer
t parte, como sejam r
Chitas franeezss cares fizas a 220 e 240
Cortes de easea franceza a 2000
^ Chalys de apurado gosto corado a 500
S Cambraia de seda dato o covado a 440
Mimos do co dito o covado a 400'
Chales com palmas de seda a
ffr lS6d0e 29009
x Camisinhas de cambraia bordada
O para baplisado a 55000
fe Ditas de dita pata senhora com
m gollinha i 38500 _
J Chitas ingiera cores fizas a 160
W Eflgiio^te paro Imho a vara a 800 t
A Cambraia lisa muito fino a pega e 51000 jb
[ Cheles de merino bordado a 500O sj
W* Ditos de dito liso a 3*500 e 4J08O W
|p Mantas de setim lavrado para -se- A
A ihora a 1$C00 1
* Meias pata senhora a 3$, 3500 e 48600 W
W Dit.g par* meninas a SfiSOO a 3(000 A
J| Chapeos de sol de seda parse- Si
nloraa3500e 40000 <
Guardanapo adamascados a da- W
ziaal50Oe 3000 ^
ToaKtas do iiho a duzia 5000 3
_ Rieaadinbos de linho o cotado a 160
W Cortes de brim de linho de corea flfe
A a2500e 2J800
Ditos de meia casemira aiS80t 1600 5
Panno-aiol iooeotade a 1280 e lOOO A
* Dito prelodllodltda 39500, 4a 5J000 A
Cortes de casemira pre Cortea de dita de cores a 4 e 5O00
Cor* de rft( para ioBet
1M0a ~ 2000
DHos de gorgurlo a 1J660
Brim branco de linho trancado a 1,
Paleto ts de nrim de cor pardo a
Ditos de dito lona a
*
^SSfBlW
andar por casa, como para roupa de meninos
a 200 rs. o covado.
Fusto \ alcochoado de riscadinhos para pali-
tots e caigas a 480 o covado.
Ctirtes de coletes de fusto a "500 e a 800 rs.
Ditos de toletes desetim de Macu de cores a
360O; ditos de gurgucio de seda a 25500 ea
38090.
Cortes to caigas de cassemira a 4000, 5o00,
eOjOOOcitfa corte.
Cortes le vestidos de grosdenapoles de seda
para sebioras, com ricos babados boidados,
collocado! em grandes cartoes, sendo os pretos
a 5.55000 "e os db cores a 50S000 e a 658000 rs.
Tafetd te seda ver Je, marello e azul a 500
P 0 covado. i
Capinhas, jaguetinhas t cazaveques de la
para meninas de todo o tamanho a I500, 20<)0,
25500, 45000.
Calcinkas de catLbraia para meninas a 3$00O.
Chapeosjyretos francezes de fina massa, para
homem a 85000.
Dos de palha. escura e preta a Tamberlimk,
para homem 3200.
Ditos de palha branca e de cores para artistas
a 800 rs.
Ditos dbpMhxt$rdadeirotQ prego de 5O0O,
at o de 121*000 rs.
Setim phto de Macu a 25500, 35500 e a
4500 o cotado.
Velbutina preta e de cores a 640 o cotado.
Seroulas frjncezas a 20, 22e 24 a duzia.
PalHots de alpaca preta a 3500 e a 48500
ditos d alpaca de cores a 45000, ditos pretos de
alpaca setim, francezes e muito bons com golla
de velludo a 10000, ditos de cores forrados de
seda a 8)000, ditos de brimzinho a 28500, ditos
de brim setim a 63OOO, ditas de brim pardo a
', ditos de fino bramante a 55OOO,
meia Tona o 5JJ0O0 e a 63000, ditos
Uoa3000.
panno fino e de cassemira a 85OOO,
. 16000, 18000, 2O5OOO e24000.
asinha a 9000, ditos de merino de
fino preto o de cores a
bordadas a 500,
Araras.
Vendem-se duas araras mansas e falladoraa t
no peleo de 8. Pedro o. 12.
Vende-se em casa de N. O. Bieber & C.
Successores, ra da Cruz n. 4 :
Carrogaa para boioo para cavallos.
Carretas.
Carrinhos de mi.
Relogios americanos de ouro, prata e doura-
dos, igual em qualidade aos melhores relogios
inglezes,
Vende-so a taberna da ra Augusta n. 23,
com poucos fundos; propria par um principian-
te ; a tratar na-uesma.
Vende-se uma escrava moga com habilida-
des: na ra do Padre Floriano n. 27.
Gangas francezas muito finas com padies
escuros a 480 rs. o covado : na ra do Queima-
do n. 22, na loja da boa f.
J (iiegu o prompto
alivio,
bem como os outros medican entos dos celebres
Drs. Badway i C, de New-York A^ham-se
venda na ra da Imperatriz n. 12. Tambem che-
garam as instruccoes completas para se usarem
estes remedios, eontendo um ndice onde se po-
de procurar a molestia que se deseja curar, os
quaes se vendem a 1(000.
Nova pechincha.
Chitas Ifrgas francezas, covado a 2C0 e 210
rs.iiscados francezes, covado 180 rs., cortes de
dksdio a 2,000 rs.: na rpa do Queimado n. 44.
S S vende barato. S
Acaba de chegar ao armazem ^
W da ra da Cadeia do Recile n. '
W 8, um lindo sortimento de va- W
ras douradas imitando jacaran- i\rr
8 da'proprias para molduias de
# espelhos, retratos e estampas pa- 0
(0 ra ornamentos de sala etc., as ^
# ques se vendem por diminuto %$
9 preco. A
MNNI e
Lindos cabazes
de paRia fina, ou cestinhas
para meninas de es-
cola.
Na loja d'aguia branca se acham mui lindos e
delicados cabazes de palha fina, ou cestinhas en-
feitadas, proprias para as meninas de escola, ou
mesmo para costura de senhoras, e cuslnm 4 e 5,
o qua baratissimo vista da perfeigo e bom
gosto de taes obras, as quaes se vendem em dita
loja d'aguia branca, ra do Queimado n 16
&*& @c-5sa
Recommendaco aos Srs.
de eugenho.
Panno azul de superior qua-
9 lidadepararoupa.de escravos a 9
2 900 e 10.
mm
Escravos fgidos.
uso e ptimo, regulador: vende-se por
lir-se outro de machlniamo modarno : na
tratssa dn JCtutta ti, torceiro mu ,
aw)o.
ditos de tirl
fbrancos de
thfdi de bo
cores a 105
Casacas de panno
30800(re aMOOOrs.
Tira de abados de cabrl*
640 e a 1000 cada tira.
, riamos finos pretos, azues, verde e mesclados,
coo cassee lira prts 0 gifudlo.
I
!

' Acham-se evadidos desde o principio desife
anno os dous escravos seguinles, que para aqu
vieran) do Maranhao para serem vendidos: Vir-
ginio, pardo escuro, que representa ter de idade
40 annos, baixo e de gressura regular, picado de
bexigas, cabello acabocolado, mal encarado e
mos denles, consta que seguir para a villa de
Saboeiro, na provincia do Cear, a'onde diz que
natural. Faustino, crioulo, alto e reforcado,
suissas crescidas e rapadas no aueixo, falla bem,
tem bons dentes e semblante triste, intitula-se
forro, usando do nome de Jos da Rocha, debat-
i do qual servio 00 exeicilo al que foi di sco-
betto e requisitado pela seu legitimo seohor,
como constado protesto competentemente julga-
do, e que para em poder do anounciante ; cons-
ta fue seguir para a provincia do Rio Grande do
Norte, e diz que natural de Maranbao. Acei-
tam-se propostas para a venda destes dous escra-
tos as circumstancias referidas, visto que seu
dono terode retirar-sedo imperio, e nao despja
oceupar-se mais da sua captura : a quem isso
antier, dirija-se a ra da Cadeia do Recife a.
36, piimeiro andar, que achara com quem tratar,
e onde tambem se dar 200& de gracagao por
cada am pessoa que os apprehender.
Escravo fgido.
Do poder do abaixo assignado, fugio no dia 2
do correte uma escrava muala de nome Valen-
tina, que representa ter 23 annos de idade, pouco
mais ou menos, cujea signaes o os segnintes :
vesga dos olhos, estatura regular, cabellos cara-
piohos, levou vestido de chita escura e chale de
merino azul ; tendo o abaixo assignado havido
esta escrava por divida na comarca do Limoeiro,
suppoe que procure essa direcgo, ou a surra da
Passira, onde natural: roga, portante a todas
as autoridades policiaes e capiles de campo a
apprehendam e a entreguem ao abaixo assignado
nesta eidade de Recife, ra do Queimado n. 46
A, que gratificar generosamente.
A. Becerra de M. Lira.
Fugio desde o dia 3 de junho do correte
anno, da casa do abaixo assignado, o preto Tho-
maz, crioulo, filho do serio de Mochlo, bonita
figura, eom algons signaes de bexigas, dentes li-
mados, tem os dedos da mao direita aleijados,
de uma machina de padaria, de idade, pouco
mais ou menos, 26 annos, julga-se ter ido para o
dito lagar cima mencionado por j ter sido vis-
to no mesmo lugar o anno passado, quando fu-
gio a primeira tez neste lugar, como bem agora
a semana passada que foi visto no Serid, dizen-
do que se tinha forrado: pede-se, portanto, a
uarqner pessoa qoe o pegar, lvalo ra dos
escadores ns. 1 e 3, padaria, que se Ihe dar
50J de gratiflcacSo. e se pagar as despezas que
ae fizer.Joo Jacintho de Si. Rezende.
No dia 20 do correte fugio da rae do Hos-
picio n. 17 o negro Ito, crioulo, de 26 annos de
idade, balxo, reforgatfo, poneos cabellos na cabe-
ga, moe e ps cortos e grossos, oa dedoa dos ps
arrebiados por ter tido bichos nelles, levou ca-
misa de chita azul, calca de riscadiabo da mesma
cor ; sappe-se qoe elle anda para o lado da Ta-
caruna oa Santo Anaaro, e do Isthmo : quem o
apprebender qoeira lera-loa supradita casa, on-
de receber generosa recompensa.
Aviso aos capites de campo e
pedestres
Fugio ne dia 19 do jaafco prozimo passado uma
mulau por nome Alexaodrtna, de idade pouco
mais oa manos 40 anees, cabello corrido, agr,
tendo no resto da banda eaquaeda um sigoal, pro-
veniente de uma fi-tula, tendo sido de Santo A-
ilo por tanto roga-ae-que a apprehendam la-
vem-oo 4 ra do Crespo n. 14, 2 andar, que ser
generosamente gratificado.


4fi)
MI
illl
Litteratura.
PASTORAL.
|f maires esperangas, |m grand* parte
s que depende o feliz xito de homo episco
Grandes sao as responsabilidades que nos
am ao opimo lempa, e si por nossa cul
Dom Spbustto DUs Larttmcefra,
por merc de Deas e da sabias s ^er-se urna dsssas alma* tao ci
apostlica, hispo de S Pedro do
Rio Graode do Sal. do coaselho
de S. SI b Imperador ele. etc.
la culpa
coragffc
.coran
ios fitist<2tro e pono .a: n,$sn.di paz e benro em Jess Christo nosso Divino
' Salvador. ,.
Elevados digaldado .episcopal, sera que de
i.''i:h i 11 modo o merecesseraos, por un deiscs
designios irapeoelraveis do Omnipotente, aue se
serve muitas vezes dos mais debis instrumenis
para fazer manifestar seu Poder e Grandeza;
coahecedores na humildad do nosso corago,
di nossa propria miseria e fraqueza, jamis, ama-
dos irmaos e tunos om Jess Christo, nos veio
aopensamento que fosseraos um dia arrancados
da obscuriJade, em que sempre viramos, para
sermos collocados no fastigio do episcopado, on-
de, atalaia en Israel, gurdamenos o Deposito
Santo, e, vigia do tabernculo, defendessemos o
pacto eterno. Ao sujeilar-nos esse peso for-
midavel aos mesmos anjos, (I) e que tena feito
vergar espaduas mais robustas, coUoceraos toda
nossa conQaoQa no Deus das Misericordias, que
tantas vezes hV escolhido vasos ioutois para dal-
les tornar vasos de eloigo, e fazer assim realgar
cada vez mais sua omnipotencia e bondade.
Humilhados em presenga do DeusClementssi-
mo, cuja vootade soberana nos foi manifestada
pela voz do Supremo Pastor chefe da egreja uni-
versal, vencemos o terror que de nos se tinha
apoderado, quando se nos aonunciou, que era-
mos chamados a reger a santa egreja do Rio Gran-
de : o til i ;o e angustia, qu entao nos oppri-
miram, succedeu urna doce confianza, ouvindo
tos labios do successur de Pedro e vicario de Je-
ss Christo, as seguimos animadoras pitarras,
ide, Qllio, obodecei ; o Senhor, ser cora vosco
sendo essa confianza augmentada pela conso-
ladora promessa, que eotao se Digaou fazer-nos
de Pessoalmeote conferir-nos a uncao episcopal,
e a pleoilude do sacerdocio. Infinitas grabas se-
jam, pois, dadas ao Senhor Jess, que uos en-
cheu de conforto e olliando para nossa humildi-
de, achou-nos fiel para sermos poslos no minis-
terio santo. Gratias ago i, qui mt conforta-
vil, Christo Jesu Domino noslro, quia fideem
me aslimavit ponens in ministerio. (2)
Com quanto, amados llhos, aioda longe de
v3 com o corpo, mas presentes com o espirito,
(3) j sentimos dilatar-se-nos o corago para a
todos acolber, e gerar do novo em Jess Christo ;
o amor e ternura que consagramos j mal o po-
demos conter, ecom o apostlo vos asseveramos
do fundo de nossa alms, que a caridade de Daus,
que por vs sentimos, ardente e nos consom
oemulor enim vos Dei cemulalione(4) por is-
so que j sois a parte da nossa heranca, e d'ora
em diante, o nico objecto dos nossos peosa-
rnentos, dos nossos a decios, e das nossas mais
ternas solicitudes.
Nos vos saudamos aflectuosamente e vos abra-
eramos com o sculo de paz e caridade, zelosos
pastores, entre os quaes est dividido o rebanho
contado aos nossos cuidados. Fosles, venera-
veis irmaos, chamados a suportar com nosco o
pozo do dia e da calma na cultura da vinha do
Pae de familias (5); conduzi os nossos filhos com
a simplicidade du corago, com a santidade da
vida, com o desapego do mundo ecom a carida-
de de Jess Christo pelos caminhos dos seus man -
damentos; suas almas esto em vossas mos e a
egreja vol-as entrega logo que vem luz, para
que, depois de revestidas no santo baptismo,
com a estola da innocencia, as eduquis, dirijaes
e confortis com a palavra de Deus, e com os
santos Sacramentos, at a hora extrema ; e nem
as deveis desamparar seno quando a final as
tenhaes depositado uos bracos da Divina Miseri-
cordia : de vos depende, diz um santo bispo, o
proveito ou a ruina dos povos- (6J Pelizes de vos,
venerareis irmaos, se no dia das eternas recom-
pensas poderdos dizer ao Juiz Supremo eSuramo
Pastor que nao perdestes por culpa vossa urna s
das almas confiadas aos vossos cuidados.
Se bem cstejamos certos do vosso zelo pela
salvadlo das almas, nico fim, como bem sabis,
que deve dkigir-se e tomar como ponto de mi-
ra o sacerdote do Allissirao, nao podemos deixar
de novamente avival-o, e muilo recomendar-vos
o cumprimenlo dos deveres pasloraes, mormente
o da pregacao e explicacao do evangelho as
missas convenimos, o calhecismo aos meninos,
aos ignorantes e aos escravos, deveres tao re
commeudados pelos concilios e tao particular-
mente determinados na constiluico diocesana.
de Deus. por isso adLvWa
prego Infinito de sea sangue, e imo' prt d arenas
esperar.para dos os ejTeitaa lia Divina (fjiaericof?'
=^a ? Se, dz o"a'postoloiaqu1fe' que salva a al-
ma de um seu irmojsalva a sua propria, o qae
dever-se-ha esperar dsgualle que caaadeque
b se cendeme? "J tJk'
etle-ve' perca e
Qual nao devo ser,
amados irmaos, a decenc
das leltras; e, creados i sombra do santuario, os
jovens levitas tebeaaam, separados do mandes
do seus perigos, essa piedade terna e zelo fervo-
roso pela cansa de Deua, que dere ser o apanigio
dos sacerdotes de Jess Christo.
Ser pois, filhos e irmaos dileetissiroos, um
do maiores empeaos do nosso zelo e solicitada
.pastoral a boa organisago do nosso seminario,
e nao pouparemoa esforgos para que, se este
^>3aUtfiffi&
Romanos
maoifes
e severidade ito o^tpo^pcrlyu)|p)o^ hoje m
que nunca qu estamos feitos espectculo ao mi
di, aos aujos e aos horneas? (8) Observa-se a
fulga-sseveramsjate todos os nossos actos, dizia
as etjses do zelo que o devorara o sao4o me-
trpoli uno que "acaPauos de perder, a e,.o que
mais para lamentar, continua elle, loma-se pre-
texto das nossas mesinas Iraquezas para comba-
ter as mais veneraveis mslituiges e a disciplina i
lamente a denunciara, nao ha mais que duas po-
tencias no mundo, disse o miis ouaado dentre
elles, (20) a egreja e a revolucao a revolucio
nao triumphsrjno mundo seno ao dia em que
a egreja romana. Mr anniquilada E' esie mes-
mo quem proclamou que Deus era o mal, a pro-
priedade um roubo I Loriga de vas, amados fi-
. ihos, esses principios fecundos em horriveia oo-
nao puder igualar aos anegoicos estaeelecimen- seqnncias efTai esses fallases -propagadores
tos desse genero, que vimos em Franga e na lia- *
lia, ao menos tenba um regulameoto e marcha
por elles modelados,-onde os nossos amados fi-
lhos seminaristas recab,m urna instruego solida
e sufSciente, e o mesmo lempo all se infil-
tre m Miles a piedade e orticas da vida sacer-
dotal, ti necessariss, ainda mais do que as
sciencias, para fazer fructificar a palavra divina,
os bons extmplos, a^roduzir a aantificag dos
povos. Cogs-cquutdBeshp -o gmrao imperial
estat>eleeHftmoo|eni*ilBdupa| e ordena-
do pira os ftpef dasjlivajpm cadeiras, alta-nos
anda, malos filhos, segundo ose consta, um
edificio adaptado para os exercicios escollaros a
devidis accomodages das shtmoss; nos vos con-
juramos pois, 'espetamos de vossa piedade que
i venhaesera nosso auxilio coadjurado-nos em tao
da egreja : qual nao devet ser pois o nsfso cui-1 santa empreza, afim de que possamos contar
dado e delicadeza para qae nao a afeemos vitup
rar o nosso miaisleno, nem daofos oeeasi al-
guraa verbosidade a maledicencia dos nosso
adversarlos?.(,9) >
Se dev'er de lodo o chrislo servir de exem-
plo com suas virtudes, nao julgaudo-se ler rindo
6 f somonte por seu intersse, mas para que tsm-
bem aos outros edifique, quando mais uao possa
fazer, com a integridade de sua vida, qua dire-
mos dos sagrados pastores que Corara poslos na
egreja de Deus mais particularmente para esse
fim f Estes nao s devera ser considerados como
exemplos, porm ainda mais correctamente como
exemplares. A' cada um delles enteadeu dirigir-
se o apostlo quando disse Tilo :. in mnibus
U ipsum prcebe exemplum bonorum operum, in
inlegritate, in gravitate (10).
Sabemos, voneraveis irmaos, e muito nos con-
sola pensar que isto, que vos acabamos de repe-
tir, ptimamente conheceis, que nao sois estra-
ohos aos santos deveres do vosso ministerio, que
vos achaes penetrados da sublimidade ds vossa
misso, que somente a gloria de Deus, e nao
os mesquiohos uiteresses ua ierra, o airo de lo-
dos os vossos trab era a vn.% cponmnonu %*
1) Conc. Trid. sess. 6a deJuslif. cap. Io.
2) Epist. ad Thim. cap. Io v. 12.
3) Epist. ad Coloss. csp. 2o v. 5o.
4) Epist. ad Corinth. cap. 11 t. 2o.
51 S. Math. cap. 20 v. 12.
6j Sant. Alf. de Lig. Sefiesseoni utili a Vesc.
ser a vossa recompensa.
O mesmo favoraval juizo compraz-nos formar
dos demais sacerdotes de nossa diocese postos no
ministerio santo, como cooperadores dos reverenV
dos parocbos O sagrada carcter de que vos
achaes revestidos, irmaos diteclissimos, desde o
dia em que.com a imposigo de mos, recebadles
o Espkiio-Saolo, vos faz perteocar mais particu-
larmente heranga do Senhor ; Elle vos chamou
para distribuidores de suas grabas nos saotos Sa-
cramentos, para serdes os iulermadiarios eptre
Elle e o seu poyo : quanto nao vos deveis possuir,
e imeber, por assira dizer, da santidade do vosso
carcter, dureza da vida, e costuraes? Sois o sal
da terca, sdis a luz do mundo, diz, o Salvador, se
o sal perder a sua forga, tn quo salielur ? Non
valet ultra nisi vt millafur foras, el conculcetur
ab hominibus (II). Senlenca terrivel, paoerida
pelo mesmo Deus contra os sacerdotes prevarica-
dores, que so esquecem desse titulo augusto de
ministros do Altissimo superior ainda ao mesmo
ministerio dos anjos Para que servam asles mais
ib que a serem lanceados fra do saocluario, cal-
cados fh ps pelos horaens? E nao isto o que
sempre.acntete, Unaos dilectsimos, quando
um sacerdote, oh dor I se deixa arrastar no loda-
cal dos vicios, profanan lo a dignidade sacerdotal,
que Santo Agostialio cjiama veneranda, a um dos
padres do concilio de Milao admifyivel poder, offi-
cio excelso e espantoso ? (12)
Sois a luz do mundo, oh nao o esqvegaes ja-
mis. Sacerdotes de Jess Christo, sois na egreja
de Deus luz e amor, luz pelo ensino e pelo exem-
pa; amor, isto calor e fugo que penetra as al-
mas, e as toca e abraza por Jess Christo : se em
um paiz a f desapparece, Jess'Christo pouco
conhecido e amado, nao o duvideis, o causador
muitas vezes.om ministro tibio e infiel sua
vocaclo.
Os bons sacerdotes, na phr'ase de Santo Aflbn-
so de Lignori, sao o brago direito do bispo, sem
os quaes elle oo poder jamis ver bem cultiva-
da a sua egreja (13); muilo nos consola, irmaos
diteclissimos, o pensameolo, ou antes a firme
persuasio, era que estamos, que em nossa dioce-
se desles maior o numero, seno a lotalidade :
aos bons sacerdotes pois entendemos mostrar to-
d a nossa benevolencia, e nos empenharemos
em todas as circunstancias por (azer-lhes o bem
que de nos depender; mas, segundo aconselha o
mesmo Santo Alfonso de Liguori, se estamos dis-
postos a animar os bons, lambam aos sacerdotes
negligentes mostraremos serapre nossa pouca ss-
tisfaco, afim de que se emendem, podendo aqul-
los que se corrigirem contar com o nosso afiecto
paternal e amoroso acolhimento.
Nao sendo possivel jamis prosperar urna dio-
cese, sem um bom clero, instruido, virtuoso, io-
teiramenle dedicado aos deveres do sagrado mi-
nisterio, spplicado sempre obra santa da salva-
gao das almas, e so bem espiritual dos povos, que
em circumstancia alguma teoha em ponto de mi-
ra os bens desle mundo, os seus ioteresses e gozos
perecedores, mas sim a gloria de Deus ea diffu-
so do evangelho, e de suas mximas regenera-
doras, instiluiu o santo concilio de Trenlo os se-
minarios diocesanos, ondo a mocidade chamada
ao ministerio dos altares, se applicasse ao estudo
da disciplina ecclesiastica, dos bons costumes a
entre nsSir estabelecimento que honre o paiz,
e cujas vantajgeos iio sao renos fncalcnlvels
para a sotiedade d que pira a relgio : e qul
nSO sera nossa tfdusolaco aovermos vossa ca-
ridade coroad dos mais feliz^s resultados e das
bengaos do iodos como seguro presigio dessS
recompensa centuplicada que vos reserva Deu
inrlniamente liberal e rico em suas misericor-
dias? **> '
Ah I nao cessacwos de beradzor ao supremo
autor de lodo o bem, amados filhos, reoler-lhe
humildes aegoes de gragas pela lnastima*el que
nos coucedeu, j que fui de sua vontade sobera-
na que oos curvaasemos sob o peso do episcopa-
do, de sernos eottocados (rente de um poto
to generoso a chrislo, onde aioda deposito da
( se conserva intacto, e que se oo lera deixado
levar de todo vento de doutriua, oo obstante as
vicissitudes dos lempos e corro peto da poca,
que tuda ameaga destruir, alagando a trra de
toda a sorte de vates. Sim, amados filhos ao
mesmo passo que' na efluso do nosso corago
vos saudamos, e pels primeira vatros abeogoa-
mos amorosamente em Jess Christo, nao pude-
mos deixar de vos premunir contra essas doutri-
nas perversas que hoje tanto se apregoam, que
Sao a peste das inteligencias quando dellas nos
deixamos eoganar. O pae da mentira que, qual
leo rugidor, aos cerca continuamente procu-
rando por todas os meios nos devorar,(14) o seu
vardadeiro inspirador, par isso que desde o prin-
cipio, rebelaodo-se eontra a autoridade do Omni-
potente, dissesimilioero Altissimo, (15) serei
semelhaote ao Altissimoestabeleceodo.desfarle
a rebellio eontra o principio d autoridade, e a
desobediencia aos divinos preceitos, rrastabdo
a ella os nossos primeiros iufelizes progenitores,
com estes as (uewras gernges, nao cessando
am todos os seculos de cultivar por] todos os
meios, e propagar a todo cusi esse principio
destruidor, do queja desde a origen (ora enve-
nenada a .raga humana.
Vejamos, amados filhos, nhistoria dos rovos,
quanto (oram estes infelizea sempre que se dei-
xram dominar desse funest principie, as guer-
ras que os desvagtsram, o desenfreamento das
paixas que os arrastaram a ultima abjecgo, os
males sem conta que sobre elles psaram,. todas
as veces que se quteram convencer de que eram
semelhaotes Deus Eristis sicul Dei (16). Os
rosos materiaes, os prazeres dos sentidos, am-
bigo do mando qutf de sangue lem feito verter,
quahtos imperios' fiz'erara desapparerjet da face
da trra, qua cumulo de desgracas nao attrahi-
i
Quaasquer que fejam os iosxcrutsvis d
a divina ProMdopoi. nosso
sl consumado, o'summo pon
Jess Christo quera contada a guarda do re-
as nossa respailo,'teto
o summo pontfice,'vigario de
de urna doatriaalque s pode produzir 'des^rjea
e ppressao : elles;esfor5am-se,.diz siads Tertu-
liano, em fazer 'esmorodar a nossa e'grqa, para
poderera edificar a sua ; entretanto nao eoten-
dem o que seja fedifler, o seu nico talento
destruir^ (21) Aifelicidade, aioda mesmo neste
ttfundo, s acharis do evangelho, s livre e
venturoso aquella em quem repausa o espiri-
tpdo Senhor !w6 piritui Donnni, ibi'Uber-
ps. (22) r : .. -
Guardai-vos dos falsos prophetas que a vos
vm com face da cordeis, e nao sao mais do
que lobos devoradores, os quaes com o pretexto
da liberdade procurara perturbar toda a ordem
na sociedade, a langa-la era tal eoqfuso, que
lhe acarretarf'o total exterminio.' Pregara a
diodade da razio humana, e declarara o ho-
mem soberano, affastando-o da obediencia devi-
da Deus para lenca-lo nos bracos das paixdes
as mais brutaes. No meio desse universal per-
vertimento de ideas recorremos ( que com o
'seu lume esclarece as montes, e regula as nossas
acgdes; recorramos a Jess Christo que de to-
dos o camiuho, verdade e vida ; e-quando ainda
um aojo vos- evtangelisasse cousas diversas, do
que as que aprendeste da santa egreja catholica
apostlica romana, me e meslra da verdade, nao
lhe prestis otjvido e para | sej anathe-
ma. (23)
Finalmente aitodos ys, carissimos diocesa-
nos e filhos muito amados, collocamos debaixo
da proteegao d4 Saniiasima Virgem Rainha dos
Anjos, e muilo parlicuJatmeote vosencommen-
damos ao seu corago amorosissimo : Ella, as-
sim como desde, o primeiro instante de sua Con-
ceigo Ira maculad a conculcou e dispersou todas
s heresias, assim se digne tambero com sua in-
tercesso poderosa dissipr o furacao que nos
presentes tempqs se condensa contra a santa
egreja e o seu chafe visiva!. Elevai, pois, os
vossos corages ,ao Deus Pae das luzes, suppli-
cando fervorosaaieuie pelo Soberauo Pontfice o
magnnimo PioJX, o vlgario de Jess Christo e
aosso extremoso pae, para que diffunla sobra
elle suas heneaos, o Ilumino e lhe d frgas e
constancia para bem governar a egreja, nao obs-
tante as iras infernaos qu contra ella se des-
eocandeiam. Hogai tambera pelo augusto Im-
perador, nossa muito amado soberano, o Sr. D.
Pedro 11. afim de que Deus lhe d coragem de
patrocinar a santa causa da egreja contra tan-
tos ioimigos que lhe movem guerra; pela esla-
bilidsde do seu throno e dymnastla, nico ga-
ranta da felicdade a unio da nossa patria.
Rogai, emfira per nos, para que possamos cor-
responder o qu o Senhor espera du nosso mi-
nisterio, afim d que nos d a forga necessaria,
paciencia e resignago para pdennos levar os
penosos encargas do episcopado.
Pelo que ordenamos a todos os reverendos sa-
cerdotes da nossa diocese, que, desde a recep-
go da presoute, recitem as missas diariamente,
salvas as disosigoos lithurgicas, a orago
Deus refugium ;nostrume no officio tanto em
vesperas como em laudes s antfonaDa pacem
com a respectiva orago, emquanto outri eou-
sa nao determinarmos.'
E, para que chegue noticia de todos, orde-
narnos aos reverendos parochos que a preseuls
seja lida estaco da missa conventual em um
domiogo ou dia santo as egrejas parochiaes da
Const. Syn. Til. XXXII. n. 549 e seg.
Epist. ad Corinth. cap. 4 v. 9.
Arcebispo da BahaPastoral primeira.'
Epist. ad Tit. cap. 2 v. 7.
S. Matheus cap. 5.
Ilug. de S. Vctor conc. mediol 111 an.
FOLBETIM
OBATEDORDE ESTRADA
FOR
PAULO DUPLESSIS.
SEGUNDA PARTE.
VI
( Conlinuaeao. J
Havia tanta pureza e simplicidade na pergunla
de Antonia que o Sr. d'Ambron poz-se a contem-
pla-la mudo e extasiad
Respoodei-me, Luiz, replicou ella. Quem
sabe se nao estaes engaada l Quem sabe se nao
amor o que vos lecho t
Taes palavras na boca de urna loureira teriam
bastado para perturbar o hornera mais senhor de
si: e sahindo dos labios de Antonia occasiona-
ram no conde urna especie de vertigem, quefe-lo
fechar os olhos : aturdia-o a perpectiva de tonta
felicdade 1
Nao, Antonia, disse elle tristemente depois
de longo silencio, oo vos illudistes declarando
que me nao tendes amor I Se antes de fazer-vos
a minha pergunla eu tivesse rcloctido um pouco,
poupar-vos-nil o incommoda de urna discusso
intil, pois que tenho urna prova suficiente de
que vedes em mim apenas um irmo I
E que prova essa, Luiz Oh 1 dizei... di-
zei
Nao me tendes repetido por muitas vezes
quesera urna grande felicdade para voso ver-
me na minha volta Europa ligado a urna mu*
lher digna da miaba ternura ?
E' verdade, disse-vos isto : mas o que prova
esta minha lioguagem ?
Esla linguagem, Antonia, pode ser de urna
irma, porm, nunca de urna amante: ella prora
a existencia da vossa amisade, e a ausencia do
vosso amor!
A commoco da joven, augmeutou de intensi-
dade, mudando de carcter.'
Oh I mau Deus 1 murmurou ella juntando
mos com gesto de adoravel fervor: dar-se-ha
7
8
9
10
11
12
1573."
(13) Redes, ul. ai vescovi.
deixsram iliudlr d'essa doutrina fallas e sduto-
ra I que se pode edificar, diz l'ertulliaoo, com
aquellas que nao sabara seno destruir, qae hi-
tes s poem esperar onde ludo atrevas? (17)
O que vemos, amados filhos, oos presentes lem-
pos seno como qae dominado por toda parte
esse principio destruidor, pregado e por todos os
modos inoculado, as poputaces p'or homens
perversos, ministros do aoja descrido e rebelde ?
O trama infernal desses firhos das trevas, que
cora amargo e impudente escarneo se dizem ti-
ihos da luz a do progresso, claramente se maci-
festa hoje contra o evangelho,contra seroja ao
Deus, a o seu supremo pastor ; como oulra'ora
gritara as turbasnolumus kunc regnare iuper
no*uso queremoa que reine sobre nos (18) di
rumpamus vinmla eorum tt, pro/iciamus a no-
bis jugam ipsorum quebremos essas leis que
nos goveroam,. esses dogmas to oppostos aos
nossos desojes, paixdes e gosos ; lancemos de
nos esse jugo da lei do Senhor, que nos oppri-
me e nos conlm, (19) tambem nos somos Deu-
ses *
Para mais fcilmente realisarem esse tenebro-
so projecto, tantas vezes tentado, surgem agora
combatendo a soberana temporal do Romano
Pontfice; conlra ella eom infernalsanha asses-
tam suas bateras, nao poupaodo os meios mais
torpes para destrui-la, porque em seus nefandos
clculos esperara que urna vez perdeodo o chefe
da egreja catholica sua soberana e independen-
cia, tornndose vassallo de um outro soberano,
perdida ser tambem sua preponderancia aos
negocios espirituaes do orbe; e que se nao su-
jeitaro os principes e Os governos interferen-
cia de um subdito estraogeiio, que muitas vezes
ser aecusado mesmo de obrar debaixo de ama
influencia eslranha; e que, emfim, dissolrido
por tal modo o Tinclo catdico, a causa da
impiedade ser ganba, e pouco a pouco o chris-
tianismo, alvo de suas iras, ir-se-ha corrompen-
do at desapparecer de todo.
Nao p duvideis, amados filhos, a guerra contra
Deus o seu Christo, o more! de todos os es-
14) Epist 1 B. Petr. csp. 5 T. 8.
15) Iz. cap. 14 v. 14.
(16) Gen. cap. 3o v. 5*
(17) Tert. prescrips, cap. 12.
(18) Lucep. 19 v. 14/
(19) Psalm : 2 v. 3.
ram sbreos miseros filhos dos homens, que se4-oossa uioceso, sendo registrada no livro com-
deixsram iliudlr d'essa doutrina fallai e seduto- ptente.
ptente.
Imploramos, amados filhos, a graga de Nosso
Senhor Jesus-Christo, e saudando-vos com o
beijo de paz, na eTasao de nosso corago' vos
laucamos a beQgo pastoral.
Dada nesla cldade de S. Salvador, Babia da
Todos os Santos, sob o signal e sello das nossas
armas, aos 4 db margo de 1861.
Sebastiao,: zfpo de S, Pedro do Rio-Grande.
Lugar + do
sello.
feliz tenho muitas vezes chorado ao pensameolo
de que iris ligar a vossa sorte a de putra m-
lher 1 Eu devena ler-vos participado o meu pe-
zar neste ponto', mas nunca, oflz.com receio de
que livesseis em m conta minha razo. Ter-
me-hieissem duvida aecusado de fcil e inconse-
quente. Oh I vou agora coroprehendendo : a luz
entra no meu espirito ; j posso ler no meu co-
rago I Nao me d9Sestes ha pouco que quaoda
alguem tem ciumes ou morre ou manda assassi-
nar? Pois bem, Luiz.... se desposasteis a essa
miss Mary, sinto quu morreria.... Mas, ai de
mim I talvez que a amisade tenba, tambem os seas
ciumes e exigencias 1 .,
A' esla declarag'o,da moga to, simples e apai-
xonada oxonda le vou as mos ao.peto e recuou
um passo; receiavaceder violencia dos trans-
portes que lhe sgitavam o sangue. e perlurbavam
o cerebro : a sua alegra o inebriava. '
Antonia, disse ello com a voz lenta, como
que a vista das duvidas, que vos atormentara o
peosamento. oo hesllastes ainda agora em de-
clarar que simplesmenle amisade o sentimento
que me volaes ?
Se commelti um erro, devei,; secusar a Joa-
qU^EDpokrqeuf?ani!D-
Porque Joaquim, a quem irrterroguei sobre
o estado do meu corago, asseverou-me que exis-
te um indicio infallivel para reconhocer-se o
amor.
Qual este indicio ?
A dor! Ora, nuuca na minha vida fui lio
feliz como depois que aqu estaos I..
Antonia ia proseguir, porm sbita refiexao
suspeadeu-lhe a phrase nos,,labios, e cahiu em
profunda meditago.
. Loiz 1 exclamu d'ahi a pouco ; supplico-
vos que tenhaes piedade do meu tormento 1 Ar-
rancae-m a esta, inperleza cruel e lololeravol U parle,"pareceTma"4ue estaes lando no mau cora-
Ajudae-me a econhecer qual i o leolimenlo que gao como s'um livro abarlo I Nao sai como isto
ame,
em
Luiz?.. Mas oo
que nem mesmo
seria
o uso
acaso que eu vos
tanta felicdade,
crer I
O que queris diaer, Antonia ?
Ouvi: depois de vos desojar um consorcio
(J Vide fliario n. 151.
tudo o que nao se liga ao objecto do nosso amor
oos absolutamente indifferonte, at mesmo
aquillo que ainda na vespera despertara o nosso
ioteresse, e a que lendiam as nossas mais caras
esperanzas. Quando amamos causa-nos d a
sorte dos outros, porque nos parecen) seres me-
cnicamente animados, que vivem sem viver, que
se movem sem sentido. O amor rerdadeiro nos
faz erar as grandes felicidades, e as desgragas
irrepstareis, quando nao se produz alguma mu-
danza desastrosa do nosso destino 1.. Umaperto
de mi oos eleva s delicias do paraizo, em olhar
de desgosto nos precipita n'um abysmo de deses-
per I.. .. ,
Em urna palavra, o mor ow transporta para
um mundo ideal que, centuplicando a sensibih-
dade so poder das nossas faculdades, tira-nos a
conscieocia da realidade l Se estamos jnntos da
pessoa a quem amamos, perdemos a medida do
tempo : os dias parecem hora, as horas minu-
tos !----1 ese momentneamente separados, de-
leitamo-nos com a recordaco da ultima conver-
saco : tazamos por lmbrarmo-nos das seas mais
pequeas circuttstancias, do olhar que acompa-
nhou a esta ou aquella phrase, Ja inlexo de voz
com que foi pronunciada esla ou aquella pala vral
Vem-uos entao ao pensamenlo que olvidamos
alguma cousa insignificante, mas que toma de re-
pente grande importancia a nossos olhos : espe-
ramos, anciosos pelo dia de amanha par repa-
rarmos o deploravel olvido.... porm o dia de
amanha chega, e nem mais de tal cousa nos
lembramoa.... absorve-nos enlo a idea de um
novo enlieteoiment___
Basta, basta, Luiz, iolorrompeu Antonia ;
as vossas explicages fazem-me susto I Ouvin-
do-vos assim descrever urna por urna todas as
sensages que experiment ha quinze dias a esta
[U Mercantil, de Santa-Catharina.)
Carta pastoral.
Do exoelleutissiiao e rever mit-
simo bispo da fortaleza, saaoTando
e dlrigiiKo alguinas exhortapoes
aos seas diocesanos.
D. Luiz Antonio dos Santos por merc de Deus
da santa s apostlica, bispo da Fortaleza do
conselho de sua magestade o imperador, etc.
A igreja da Fortaleza, da provincia do Cear a
graga e paz de eus Pa\ e de Nosso Senhor
Jess Christo e a consolaco do Espirito
Santo.
Est escripia, irmaos meus, e carissimos filhos,
que as cousasiloucas do mundo escolheu Deus
para confundir aos sabios; e as cousas fracas pa-
ra confundir as fortes e as que nao sao, para des
truir as que sao (1). Estas pslarrasdiviaamente
inspiradas veriticaram-se em parte na nossa pro-
moco ao episcopado; porque o que ha mais op-
poslo prudencia humana que confiar se um
grande pezo ao fraco; guiar os outros no cami-
ouo da virluda aquella, qua aioda precisa de
quem o guie, a o ensino quem aioda hospede
as sciencias? Mas Deus, que ioiuito em mi-
sericordia, cuja vontsde nao se resiste, e que
das pedras pode fazer filhos de Abraho poder
tambem, amados Albos, fazer de nos o instru-
mento de suas misericordias para comvosco, con-
fundido a sabedoria da carne, que nao sujeita
lei de Deus, nem o pode ser (2).
baoho, afim da apasceutar as ovelhas e cordeiros,
(3) confirmando a nossa nomeagio chamou-nos
}o gorarno da urna grande torgo d rebanho de
sus Christo fazendo-Oos pastor da nova diocese
da Fortaleza.. Somos vosso bispo, imadas llhos,
e desde j corro-nos a pesadissima obrgago de
farlarvos urna linguagem propria de um psi a seus
filhos; pois no-grande dia do Senhor tremrs d
responder pelas vossas atoras ao 9upremo Pastor
Nosso Senhor. Jess.Ch#isto. Ai'de nos se por
nossa culpa perder-so urna so ovejfca das que nos
sao confiadas I (4) Ai de nos se v*s no aunun-
ciarmos asverdades da Relgio, posto que vos
pregarq amargas (5).
Antes porm de fallarmo de vos e dos vossos I
de veres, nao podemos prescindir de faTlr-vos,
bem que succintameuie d episcopado, mostrao-,
vos que seja um bispo e quaes seus gravtssimos
deveres e obrigages.
O bispo segundo a etymologia d palavra, o
superintendente, ou inspector de sua diocese;
elevado a to alta dignidade, e superior ao? pres-
byteros, como nos ensina a igreja, (6) elle est
posto em Atalaia, sempre alerta e vigiando sobre
o rebanho, que o Espirito Santo entregou a su*
direego. Nao s para ver, carissimos. filhos.
que elle se acha tao altamente coTIocado; mas
sim pata to bem ser visto e ser o exemplo de
todos ua coflverssgo do modo de tratar eom o
prximo ne,caridade. na f e na castidade, (7)
por isso quanto maior a sua dignidade, mais
santo deve elle ser; e quanto mais extenso o
seu poder e autoridade, maiores e mais compli-
cadas sao suas obrigages.
Determinando a igreja sob graves pens, que o
bispo resida era sua diocese (8), obrigacao que
com quanto nao fosse definida pela mesma egre-
ja, ser de direilo divino, corto ler nelles sea
fundamento, nao poda ella, sabia e prudente co-
mo em todas suas determinsces, e serapre so-
licita em augmentar o reino d seu divino Espo-
so, exigir de seus pastores urna residencia ociosa
e permittir que sombra de suas casas sejam me-
ros espectadores da ruina de seus rebanho. Nao,
amados filhos, pelo contrario, ella nao cessa de
recommendar a cada um bispo a visita toda
diocese, lendo em tanta considerago esta parte
do officio pastoral, que na ultima assembla ecu-
mnica, parece minuciosa as medidas, que (o-
mou a este respeito (9).
Aislo somos obrigado, amados filhos, pois lo-
mos constituido, posto que immerecidameute,
vosso Pastor, e logo que nos acharmos entre vos,
o que anciosamente deiejamos, daremos princi-
pio esta nossa obrigsgo pastoral, visitando-
vos, afim de conhecer-vos de perto e applicar-
mos os convenientes remedios as chagas espiri-
tuaes, que por ventura liverdes e ensinar-vos a
viver com sobriedade, com justiga e com pieda-
de, (10) esperando a bemavenluranga que nos
promettida por Jess Christo nosso Salvador.
Para preencher esta disposigo cannica, alm
do bom exeniplo, que verdaderamente urna
predica, pois mais nos toca o que vemos, que o
que ouvimos, o bispo obrigado fallar suas
ovelhas ou na cadeira da verdade e por meio de
seus escriptos pasloraes, ensinsndo-lhes nao s
a viverem convenientemente moral christa,
aponlando-lhe ao mesmo lempo os perigos e tro-
peces que formigam o tempestuoso mar desle
mundo : como tambera desenvolver e explicar de
urna maneira accommodada capacidade de cada
um, os principaes dogmas da relgio, nos quaes
tem seu fundamento a moral.; ou em particular
dando-lhes avisos esaudaveisrepreheoses. Pre-
parae, diz Isaas, a estrada ao povo, fazei plano
o camiobo (11).
Esta, carissimos irmaos e amados filhos, na
verdade a mais difficil parte do ministerio pas-
toral, ou para melhor dizer, s ella constilue toda
a obrigago de um prelado; porque no fazer se-
guir o bem e apartar do mal est toda a admi-
nistrago da dioceso, por isso um santo paire (12)
com toda a razo chama arte das artes governar
almas. Sa as obrigages de um bispo fossem cir-
cunscriptas nicamente no circulo do ensino. e
que exercendo elle as funeges de djulor nada
mais tivesse responder peraale o Divino Pastor
J. C. quando lhe fosse pedida cuota de sua ad-
ministrarlo, niq apreseotaria o ministerio pas-
toral urna lace to medooha e delle nao teriam
fgido to sabios e esclarecidos vares, como oos
dizem os anoaes ecclesiaslicos ; porm ao officio
de meslra tem o bispo de unir-se o d pao a de
medico, pois nao s tem deensinar a lei de Deus,
esclarecendo o entendimenlo e movendo a von-
tade do povo para o bem, como tambem para
aparta-lo do mal por meio de supplicas, repre-
henses e castigos como faria um zeloso psi
respeito do seus filhos, e aioda mais. a seme-
Lhanca de hom medico, applicar convenientes re-
medios afim de destruir inteiramenl o mal e
restituir ao enfermo completa saude, ainda que
sejam os medicamentos cuslosos e dolorosos e o
enfermo nao os queira tomar. Quem nos manda
isio, amados tiihos, o apostlo, que divinamen-
te inspirado tragou o magnifico quadro dos deve-
res do episcopado; lie nos manda que pregue-
mos a palavra de Deus, e que instemos em lempo
e fra de tempo, que reprehendamos, supplique-
mos, ameagamos (13) sem que nos esquegamos
do officio de pae para soffrer com toda a pacien-
cia as fraquezas de nossos filhos, pois este fim
o pontfice tirado d'entre os homens fracos e
elle mesmo fraco e cercado de enfermidades pa-
ra que se possa condoer dos que ignoram e er-
rara (14).
Mas dequantas qaalidades nao deve ser dotado
aquelle que tiver de por em pratica as liges do
a taita de observar-se esta ordem dar em ri
lado urna espantosa confusao, perda de m.
almas,-que serao pedidas ao Pastor; porque
sarao por um durisaimo juno aqueles qut
Apostlo, Mr Jidf (fgLaj^avdB das conlas co-
mo dispensado/!^ W||}slpa| de Deua 1 Que
prudencia nao devera desenvolver um bispo na
escolba des matos pan coosjrtrir o desejado fim
sem comprometter a dignidade episcopal e pretf-
pitar a marcha do govtno da dioeese? Que for-
taleza na applicago desles almos meios sea
que tenha lugas apeixa i' reseotimento do ho-
mento, mas sim o prudente zelo do defensor dos
caones ?,. Que vasto coohecimeoto do eoraco
humano para nao fruitar as mais salutares me
dtdas com urna iof^Iw e mi aoplicsgo? Tendo
de allingir a homds d differete pensar, de dif-
ferenle condicao e de difireme cathegona lera de
escolher entre tantos e to variados meios aquel-
los que forem convenientes e apropriados o a oa-
tureza de c.tdi um ; porque una ser sufficiente
um simples aviso, a outrus ser necessario repre-
hender ; uns tratar com brandura, outros ar-
gir com forga ; crimss ha- que rt^vem passar
como desapercibidos, ostras porm devem ser
punidos, para que i acilidade do perdo nao
seja incentivo para nova culpa ; e inegavel que
falta de observar-se esta ordem dar am reiul-
muitaj
uafae-
,_jue go-
verhsm (K). Ah !.".meu fieus, uqultrmento-
o mar nos langaes vos? dae-nos graga,Senhor,
a maodae o que quizerdes. Podi vos, carissimos
irmaos a amados filhos, polo vosso Pastor para
que Deus, qu fiel em suss'promessas,' nos
conceda o espirito de sabedoria e intelligencia.
de-conselho e de fortaleza, de seiencit de pieda-
de (16) afim de que vos guiamos no taminho da
salvago, ensinando-vas a peleiar as pelejas do
Senhor (17). "."TT^iT
Destas poucas reflexdas sobje alguna dos nos-
sos _direit03 a obrigages, vos podis, cbarissimes
irmaos e amadas filhos, deduzir as votsai : por-
que se o prelado lem obrigago de ensinar, lem
o povo de ser dcil ao ensino ; se tem aquelle de
repreheeder, tem este de obedecer; se a appli-
cago da peoa faz muidas vezes parle dos deve-
res de um bispo, a submisso ella deve distin-
guir o_ chrislo sguidor da doutrina do apostlo,,
que diz : obedecei aos vossos superiores e sede-
Ihes sujjtos ; porque elles velara como quem ha
de dar conta das vossas almas (18),
Nao coohecemos ainda a nossa diocese, nem
os abusos que por ventura neila Se tenbam intro-
duzido, escapando vigilancia do digno prelado,
sob cuja direego esteve ; pois atienta a grande
distancia 6 sua arengad* dsde nao 4 de admirar
que o espirito humano sempre ioeliosdo a trans-
poros limites do que permillido, tenha feito
entre vos algumas ms conquistas, alterando a
boa harmona dos bons costumes e da discipli-
na eclesistica ; todava sabendo nos que vamos
dirigir urna porgo do povo brasileiro, cuja f e
docilidade sao proverbiaea, esperamos, confiado
na Divina Graga, qu ajudando-nos mutuamente
formemos urna gerago escolhida, gente santa e
um povo de acquisigb (19).
Ha mais de 50 annos que vos,- amados filhos,
conbecendo a necessidade de terdes um pastor
proprio, e que residisse entre vos, dirigistes vos-
sas supplicas quem entao poda dar-vos con-
veniente remedio (20), mas iodeferiudo to justo
pedido, aprouve a Divina Providencia consolar-
tos agora, dando-vos um pastor, que comquanto
nao seja qual esperaveis, ornado de virtudes e
saber, comtudo um pae, para com voco, do
amor e affeigo qua vos tein, e oestes sentimee-
tos principiamos hoje a vos dirigir a palavra mos-
trando o que nosjensioa a verdadeira relgio,
que temos a felicdade de professar.
( Conlinuar-se-ha.)
11 i
Variedades.
20 ProudhonDa la justice dans la rerol.
21 Tert. presen ps cap. 42.
22 Ep. r ad Corinth.
3 Ad Gal. cap. Io v. 8.
I) Corinth. 1. 28.
1) Timoth. 3. 6.
gai
me attrahe para vos frm semelhanle descoberla, causa-me |
Este desejo. Antonia, impe-me urna tirela fuso I E'possivel, meu Deus I que a sciencia
bem ardua e melindrosa, porque obriga'-ma a d- tenha chegado ao resultado maravilhoso de das-
fender urna causa no meu proprio ioteresse: to- i cobrir o que se passa dentro em dos, ao passo
davia envidarei os meus exforgos por conservar- que nos meamos ignoramos I lias como adqui-
me digno da vossa confiaoga. | ristes easa selsncia T E' preciso q tenhaes ama-
0 amor, conlioaou o conde depois de pequea do njultas veies e muito para poder coobecar
pausar um sentimento por tal maneira exclusi- deste raodo todos os mysterms do amor I E tam-
vo, e t'o diverso de qilqubr outra paixiOihuma- bem se pode amar muitas vezes? E vos amas-
na, que at mesmo aa pesaoas sem corago a aera tes j ? .' "-
enlranhas, abysmadas da mudnga que aellas Se assim losse, Antonias brauntou p conde
produz esse sentimento, pretenden] que elle com a voz tranquilla anda'fe^j ttatto lhe ba-
constitue urna verdadeira doenga moral, urna es-' tesse no perto com urna viotncTa desuiads, se
pecie de loucura I Quando nos amamos, Antonia, assim fossemudarieis de sentimento a meu res-
peito ? Julgar-me-heis ainda digno de vos, con
linuarieis a confiar-vos da minha ternura ?
E por que nao ? A minha affeigo, Luiz,
nao diminuira nunca, ainda mesmo quando....
Oh I meu Deus l oque ia eu dizer I....
; Dizei, dizei, senhor a 1
Aioda mesmo quando de nobre e de bom
que sois vos tornasseis mo, arrebatado, e cruel I
Mas respoodei-me, Luiz, oo verdade terdes
amado j ? Nao me oceulteis, seria crueldade 1...
Sim ; amasias o vosso silencio bem o diz I E
quem foram essas mulberesqueconseguiram pe-
netrar no vosso corago ? Como se chamam '?
O mancebo antes da responder lancou sobre
Antonia um olhar apaixonado.
Concedeado que as voaaaa snspeitas sejam
reaes, de que ves servira saber os uomes dessas
raulheres que nunca vistes, e que nunca veris
pro va vel mente?
A moga licou por, alguns momentos pensativa e
silenciosa.
Tendes razao, Luiz, oceultae-me esses.no-
mes.... sim... oceultae-os, porque se m'os dis-
sesseis eu nao tea para elles seno odio... e eu
nao quero que o odio entre em meu corago !
E' certo que odiarieis essas mulherVs ?
Sim...,
,E porque?
.Porque lea ciume dellas I respondeu a mo-
ga abaixando a cabega.
Antonia 1 exclamu o conde n'um louco
transporte de alegra ; Antonia I nunca amai an-
tes de vos conhecer 1 Has agora, oh I agora ...
amo-vos a ponto de morrer de dr se repeinaseis
os meus votos!.... Perante Deus, que nos.ouve,
a quem lomo por testemunha da minha felicdade
e das miabas, palavras, juro que s vos seris mi-
nha raulher f
O mancebo arrebatado pela violencia da paixo
ha tanto tempo coctida correu para a joven afim
de a perla-la a o seu corago ; mas ella o suspen-
de^ em meio do seu eathusiasmo com um gesto
ao mesmo lempo chelo de dignidade e de urna
graga seductora.
Luiz, dese-lha ella com os olhos banhados
de doces lagrimas, deixae-me primeiro agradecer
a Deus-1 x_ |, ,.
E ajoelhou-se, e depois de ler orado com fer-
vor volveu ao eu um olhar de indiaivel rawnhe-
cimento. "fj
Bu.o amo I.-.. Oh I qualo sob>*b1Ii I....
Meu Deus 1 Tende piedade de mim..,. assusta-
metamanha ventura !
No momento em'que Antonia s lev*ntava, ou-
viu-se a pequea distancia o raido d passot so-
3 Joan. 21. 16.
4 Ezech. 34. 12.
5 P. Agath apud. Lab.
6 Trid. sess. 25 c; 7.
7 Timoth. 4. 12.
8 Trid. sess. 23 c. 1.
(9 Trid. sess. 24 c. 3 de refor.
10) Til. 2. 12.
11) Isa i 62.10.
12) Isai 62. 2.
13) Timolh 4. 2.
14) Heb. 5. 1.
ESBOCO DO PARLAMENTO ITALIANO.
( Conclusao. )
a Depois de Mr. Crisp, oceupo-me natural-
mente de Mr. Paternoslro, um dos seus mais r-
danles adversarios na Sicilia, e urna das victimas
do poder dictatorial, sempre arbitrario por sua
naiureza, mesmo quando exercido pelos maio-
res liberaes.
Hr. Paternostor nm homem cuja vida foi
muito aveoturos*. Foi ao Egypto onde ganhou o
Ululo de bey. Este titulo imprudentemente lan-
gado por elle em um bilhete de visita, ia-lhe cus-
lando deixar de ler urna cadeira na cmara. Ceo-
suravam-lhe ter-se,feito turco, e dizia-se ter per-
dido a sua nacionalidade. Mr. Paternoslro, com
ludo, vae missa, e anda que bey, continuou a
ser um bom catholico e um bom italiano. Alcan-
gou urna posigo na cmara apezar de violentas
antipathias, o isto principalmente de vi Jo a urna
certa energa de carcter que distingue a raga
italiana.
Deverei mencionar tambem Mr. Corlea, qua
nao fallou seno urna vez, mas que fallou bem ;
Mr. di Marco, que apenas appareceu na cmara,
onde j era notavel ; Mr. Muramechi, e certa-
mente outros de quem me nao record. Talvez
que alguma queslo ignorada, oos revelar re-
pentinamente algum orador imprevisto Depois
que se viu a cmara a ouvir, quasi a seu pezar,
por espago de duas sessdes. as queixas de Syra-
cusa e de Nole necessario nao desesperar.
c Os Sicilianos fallara raras vezes sobre as-
sumptos que, directa ou indirectamente, deixam
de tocar nos interesses particulares da Sicilia. Sao
com tudo italianos, e italianos muito francos o
sinceros, mas necessario reconhece-lo, a unida-
de italiana urna idea que prende todos'os esp-
ritus. Entre alguns urna paixo, mas as mas-
sas nao ainda um sentimento.t
[Jornal do Commercio de Lisboa.)
breos ramos seceos, e quasi logo o Ilustre Pano-
cha fez a sua entrada em acea : desta vez oio
trazia a faca fra da bainha ; mas cm compen-
sago achava-se de um humor detestavel.
Sr. conde, vejo que preoecupado como es-
taes far-me-hieis aioda esperar muito tempo,
sem lembrar-vos de que promeltesles ir ter co-
miso I
E que mal viria dahi? perguntou framen-
te o conde d'Ambron.
Apre, senhoria Comprehendeis perfeita-
mente que nao l das reereagoes mais agrada-
reis o aveoturar-me sozinho neste bosque oode
ha muitas pessnas, que se oceultam, o que nao
indica boas intengoos Nao tenho medo de ma-
guera em campo raso, onda a lamina da minha
faca possa brilhar ao raio puro do sol.... mas
atravs destas moitas e no centro de tantas arvo-
res copudas uo me causara desprszer a compa-
nhia de um homem determinado.
Muito bem, Sr. Andr I Dae-me a minha ca-
rabina, eu irei s porcorrer o bosque. Antonia,
peco-vos que volleis Ventana___
E comoja moga hesilasse, o Sr. d'Ambron diri-
gi- so Panocha, e disse-ho :
Sr. D. Andr, leuda a bondade de acompa-
nbar a condessa d'Ambron at o rancho.
A condessa d'Ambron 1 exclamu o Mexi-
cano eom urna sorpreza e desalent taes que tor-
na vam-se burlescos vista da lgubre pantomi-
ma com que elle os acompanhou : a condessa
d'Ambron I Est bom I.... A final de coalas nao
passo de um simples lid algo.... esse titulo de
conde ha de ter offuscado a senhorita Antonia,
alm de que....
Panocha nao acabou a sua phrase, mas o olhar
desanimado que elle lancou sobre a sua aaesqui-
nha persooalidade a completara de uma'maneira
clara e precisa.
VII
Nao foi sem urna secreta iotengo que o Sr.
d'Ambron confiou Antonia guarda e aos cuida-
dos de Panocha. Depois do que acaba va de pas-
sar-se entro elle e a moga, o conde tinha na ees-
s\fade de por em ordem as suas ideas, e reco-
Iher-se em si por alguns momentos.
,' Poi pois com distrahida indifferenca que elle se
poz percorrer e a visitar a floresta. Demais a
sua inexperiencia das sslidoes do Novo Mundo
tornava-lhe a sua tarefa difficil, seno imposci-
vel. Depois da urna exploragc^ ou antes, depois
de um passeio de duaa horas, tomou caminho
do rancho, persuadido de que Panocha, denuu-
ciando a apparlgo de miss Mary, nao leve outro
Sapient. 6. 6.
1 Reg. 25. 28.
Hebr. 13.17.
Isa. 11. 2.
Petr. 2.9.
Memorias hist. do Rio de Jan. T. S. p. 259.
fim seno der-se urna certa importancia, e que
semelhante apparigao nao avara lugar.
A' urna pequea distancia do rancho o Sr.'
d'Ambron avislou a Antonia, que ia j ao seu en-
contr : pareca dominada por ama vira inquie-
tago.
Luiz, como estou satisfeita por ver-vos de
volta sao e saleo I Tioha-me persuadido de que
corrieis algum perigo. eia para junto de vs.
O conde sorrio-se ternamente, e encarando-a
com amor, disse-lhe:
Mas agora que aqui estou, Antonia, porque
razo os vossos olhos esto tristes, a vossa fronte
pensativa ?
t'orque tenho um remorso I
Um remorso I replicou o mancebo com urna
incredulidade alTavel e zombeleir-a. Ora vamos,
j ijue nao deveis ter segredos para mim, fazei-
mea confidencia desse remorso I Se nao me en-
gao, sois neste momento victima de alguma de-
licadeza exagerada t
Antonia ioclinou a cabega : suave rubor colo-
rio o seu delicioso semblante.
Julgaes-me com muita bondade, Luis Te-
nho tambem um segredo, e muilo grande....
* Um remorso e um segredo I exclamu o
conde alegremente. Estaos ahi a assustar-me,
Antonia 1 J nao sei mesmo se devo insistir para
que m'os confesseis I Nio importa I estou boje
to feliz, que baveisde achar-me tambem muilo
indulgente. Fallae, que ros presto toda a atten-
go.
O conde tomou a jareo.pela mo, e a conduzio
pasaos lentos para o jardim.
Luiz, o peosamento oo s de que oo pu-
lirais, como deque nunca mais me abandona-
rais, causou-me tal sorpreza e contentainento
que, ha pouco, achei-me incapaz de reuectir. A
alegra cegou-me nojulguei mais perlencar
Ierra.... Oh 1 foi um bello sonho I
r
porque a
Um sonho I
Sim, um sonho.... e nada maisl
hora da nossa sepatacao ha de soar I
Os solugos que Antonia procuran em vo re-
primir, e que agitavam-lhe o paite, aubirau at,
seus labios, a obrigaram-na calar-se.
O conde j nao sorria, assustava-se deveras.
Tranquillisae-vos, Antonia, murmurou ella
com ums voz que indica va seria corqmogo.
Nao. nao, Luiz, deixae-me proseguir ; mais
tarde talvez j nao teria torgas 1
(Conlinuar-fe-Ao,^)
----------------------------------------__
tu ni

PEEN,- TYP, DI M, i, DI FA.1U.-18M,
fc


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9R1TYU53_O5WFF1 INGEST_TIME 2013-04-30T21:03:39Z PACKAGE AA00011611_09329
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES