Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09326


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AH XXXTIJ IDIE10 149
Por Ires mezes abantados o$600
Por tres mezes vencidos 6$000
TERCA FEIXA 2 5E JDLHO 9E ItlI.
Por anno adiaolado i 9.$00 0
Porte franco tara o subscriptor.
>
NCARRBGADOS J)A SOBSCBIPCAO DO NORTK
Parahiba, o Sr. Antonio Alexandrino d Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silra ; Araca-
y, o Sr. A, de Lemos Braga; Ceari o Sr. J. Jos
da Oliveira; Maranhio, o Sr. Manoel los Mar-
ios Ribeiro Guimares; Para, o Sr. Justino J.
Ramos; Amazonas, o Sr. Jernimo da Costa.
PARTIDAS l)US COKKtClUa.
Olinda todos os dias as 9 1/2 horas do"-dia.
Iguarass, Goianna a Parahiba as segundas e
sextas-feiras.
S. Anto, Bezerros, Bonito, Ciraar, Altinho e
Garaohuns as tergas-teiras.
Pao d'Alho, Nazarath, Limoeiro, Brejo, Pes-
queira, Ingazeira, Flores, Villa-Bella, Boa-Vista,
Ouricury e Fi as quartas (eiras.
Cabo, Serinh&em, RioFormoso, Una.Barreiros,
Agua Preta, Pimenteiras e Natal quintas feiras.
(Todos os correiospartem as 10 horas da manha
EPHEliERIDES DO MEZ DE JULHO.
7 La ora as 11 horas a 56 minutos ds tarde.
15 Qu.arto erescente sos 28 minutos da manha.
21 La cheia as 9 horas e 46 minutos da tarde.
29 Quarto minguanta as 5 horas e 32 minutos da
tarde.
PREAHAR DE HOJE.
Prmeiro as 11 horas a 42 minutos da manha.
Segundo as 12 horas e 6 minutoa da tarda.
OAS DA SENARA.
1 Segunda. S. Theodorico ab.; S. Abrahio m
2 Terca. VitacSo de N. Senhora S. Isabel.
3 Quarta. S. Jacintho m. : S. Heliodoro b.
4 Quinta. S. Isabel rainha de Portugal f.
5 Sexta. S. Philomena v. ; S. Tryfna m.
6 Sabbado. S. Domingas v. m.; S. Izaias prof.
7 Domingo. Festa do precioso sangue de J. Ca
ENCaRREGADOS DA SUBSCR1PCAO DOsU.
Alagoas, o Sr. Claudino Falso Dias; Baha,
Sr. Jos Hartlns Alfas ; Rio da Janeiro, o S?>
Joo Pareira Martina.
AUDIKKC1AS UUS TKiBUNA.ua UA CAFITaLT
Tribunal do commercio; segundas a quintas..
Relaco: tercas, quintas e sabbados as JO horas.
Pazenda : teres, quintase sabbados as 10horas.
J uizo do commercio : quartas ao meio da:
Dito de orphos: tercas e sextas as 10 horas.
Primeira rara do eirel: torga a sextasio meio
da. p^iww. .imv mmmmn ngmeiroa d.
Segunda Tara do cival: quartas sabbados a lJFaria.na sus livraria praga da Independencia n.
hora da tarde: U a 8.
EM PERNAMBUCO.
O proprietario do diario Manoel Figueiroa da
PARTE OFFICAL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do dia S9 de junho.
Ollicio ao Exm. presidente da Parahiba.Ao
com mandan te do corpo de policia desta provin-
cia determino nesti data que mande entregar ao
agente Jos. Joaquim de Lima a quaotia de 20$
res, adiantada s seis praras que para ah foram
ltimamente escoltando presos de justiga e de-
sertores, como V. Exc. solicitou no officio o.
2,619 de 15 do corrente expediram-se asor-
den.
Dito ao Exm. presidente do Rio-Grande do
Norte.ExpeJinJo nesta data ordem para que o
vapor Ipyranga siga quanto antes para essa
provincia aGrn de transportar d'ahi para o pre-
sidio de Fernando os officiaes pragas de pret,
sentenciados e objectos pertencentes ao estado,
que conduzia a barca nacional Atrevida com des-
tino ao roesmo presidio, julgo conveniente soli-
citar de V. Exc. a expedicio das convenientes
providencias para que o vapor nao se demore ahi
mais tempo do que o necessario para receber o
que tiver de cooduzir.Fizeram se ai necessarias
communicagoes acerca da sabida desse vapor.
Dito ao coronel commandaote das armas.
Quera V. S. mandar por em liberdade, dando-
ihe baixa se j esliver alistado, o recruta Hora-
cio Leopoldino Alves da Fonceca, que provou
isenco legal.
Dito ao capito do porto.Fago presente V.
S., para serem inspeccionados os recrutas de ma-
rinha Manoel Francisco Tavares e Joo Antonio
de Souza.
Dito ao chefe de policia.Sirva-se V. S. de
recomraendar a todos os delegados e subdelega-
dos de policia que nao deve continuar a pratica
Ordenou-se tambera a compra no prximo vin-
douro exercicio os medicamentos e mais objectos
necessarios a pharmacia do hospital militar.
Deu-se sciencia ao commandante das armas e a
thesouraria de fazenda.
Dito ae director do arsenal de guerra.Achan-
do-se esgotado, como icformou o inspector da
thesouraria de fazenda em officio datado de 22 do
correle, o crdito consignado para as despezas
da rubrica obras do ministerio da guerra s
pode ter lugar a conlinuacao dos concertos ne-
cessarios ao dormitorio dos aprendizes menores
desse arsenal depois que vier a destribuigo de
crdito para o prximo vindonro exercicio, e
constar que se consignou fundos para a referida
rubrica.
Fica assim respondido o sen officio de 19 deste
mez.
Dito ao juiz de direito de Flores.Respondo
ao seu officio de 27 de maio prximo lindo, dzen-
do-Lhe que em face da geoerica disposico dos
artigos 308 do cdigo do processo criminal e 87
da lei, o. 261, do 3 de dezembro de 1841, que
nao fazem distinego de primeiro uem segundo
Quera ser nomeado presidente da Bahia? Nao
ha santo nenhum em nossa fothinha politica que
nao teoha sido iodlgitado.
ltimamente apontam os Exms. Srs. de Muri-
liba e Zaobarias. Qualquer um delles poderia fa-
zer a felicWade desta Ierra se achasse nos homens
bons della o conveniente apoio, a necesssra
energa para romperem inteiramente com as tra-
diegoes de um passado que nos tem sido mui per-
nicioso.
Ainda com esta cooperaco se pode fazer algu-
ma cousa na goveroanga ; mas com o egosmo
radicado que domina a siluaco, com o systema
que seguimos de fazer opposigao todo o gover-
no, s porque governo; nella nao se pode en-
gendrar senodesgostos, que aflnal cansam e de-
sesperara.
O tempo que se poderia empregar na realisa-
q5o de cousas atis, ua satisfago das mais urgen-
tes e imperiosas neceessidades da provincia,
consumido em urna lucia estril, em um estudo
| cynico, que envenena a existencia, tranforma os
j caracteres, e nos obriga a praticar alguma vila-
nia, na efervescencia da bilis transvasada.
julgamento combinada com a doutrina do aviso, I A remogo da plvora do Forte do Mar para a
o. 237, de 18 de outubro de 1849, e do parecer, fazenda do Bom Despacho ainda se nao realisou,
junto por copia, do cooselheiro presidente da re- nao obstante os vehementes dosejos do Exm. Sr.
lago, com o qual me conformo, o reo condem- vi ce-presiden te.
nado pena de morte ou gales perpetuas em se- A thesouraria de fazenda, a quem S: Exc. en-
guado jury a que respoodeu em virtude da ap-' viou as bases do contrato em que havia concor-
pellaco ex-officio de que trata o artigo 79 2o dado com o proprietario, aflm do que ella o re-
pelo reverendo vigario capitular, que talvet seja
do por alguns com ioteresse.
Programma
Da recepgo do Exm. e Revm. Sr. arcebispo da
metropolitano e primaz do imperio.
fervor de cumprimento de dever; mas um pou-
co de ciuroe e despeito.
Na 3a teira 18 do corrente tivemos um grande
incendio, que felizmente nao assumiu proporcoes
horrorozas ; porque os soccorros acudiram de' Bahia
prompfoj. e alguns hornens dedicados foram in- Sao por este programma convidados : o olero
eansaveis em cortar-lhe a communicaelo. Deu- secularle regular, ordens terceiras, contrarias i
se elle em um armazem roa do Pilar, que ser- ; irmandandes, congregando-se todos na cathe
va de deposito de madeiras, piassiva etc. e; dral, dlonde sahiro processionalmenle.
quando se conheceu sua existencia s 2 horas da No lugar designado para o desembarque estar
madrugada, jlavravao fogo intensamente, por-1 preparado um sacelloou pavilhao, em eujo ceo-
que se havia coromunicado este genero. Nao tro se armar um pequeo altar sobre o qual se
havia probabilidades dasalvar mais este predio, collo;ad urna cruz.
e por tanto todos os osforgos convergiram em Em lugar decente estar o baldaquino e a cruz
poupar osvisioho. que erara mui importantes, j primacial, e demais, um genuflexorio e urna
materias nflammaveis. Como em- credencia para os ornamentos indispensaveis.
da citada lei de 3> de dezembro, pode protestar
por novo jury, embora nao ttvesse interposto esse
recurso por occasio do primeiro julgamento por
ser principio de direito que os recursos se devem
ampliar aosros em casos crimes quando nao sao
disignados expressameote.
Dito ao director das obras militares. Approvo
o ajuste que Vmc. fez com o engenheiro da illu-
minaco a gaz W. Jeuniago, como declarou em
abusiva de maodarem notificar pessoas do povo 9eu officio de26 do corrente, para effecluar o
para conduzir officios, quaodo esse servigo deve
ser feito pelos guardas niciooaes destacados, ou
por pragas de primeira lioha que aquellas auto-
ridades devero requisitar.
Dito jo commandante superior do Recife.A'
vista do que expoz o capito do porte em offi;io
d. 113 de 26 do corrente junto por copia, con-
vem que o conselho de qualificago da freguezia
de S. Frei Pedro Gongalves, eiclua do respectivo
alistamento os iodividuos notoriamente cooheci-
dos como empregados na vida do mar, at que
na sua primeira reunio, obviado o embarsco a
que allude o mesmp cvatio do-porto, possa esse
trabalho ser feito com mais regularidade.
encanaraento e collocago dos objectos necessa-
rios allm de ser Iluminado a gaz o quartel do
Campo das Paincezas,Communicou-se the-
souraria de fazenda.
Dito ao director das obras publicas.Respon-
dendo ao officio quo Vmc. me dirigi datado de
hontem, sob n. 162, tenho a dizer-lhe que para
execuco da lei, n.ll, de 18 do correte, dos
quatros desenhistas dessa repartico ficam con-
servados Bernardino de Oliveira Coragem e Fran-
celino Araerico do Albuquerque,
Quanto ao desenhista Manoel Antonio de'Souza
que Vmc. informa ter longos anoos de servigo,
mas achar-se em estado de avangada velhice, e
Assim tenho respondido ao officio de V.S., n. soffrendo de enfermidades incuraveis, que o in-
habilitara para o trabalho, nao pode por isso ser
conservado: Qca-lhe entretanto salvo o direito
de representar a assembla legislativa provincial,
que o poder atteoder como for de justiga.
Dito ao promotor publico do Recife.Ao offi-
cio de 13 do corrente em que Vmc, com refe-
rencia ao art 373 do regulamenlo, n. 120, de 31
legio dos orphos, afim de que d sobre ella o
seu parecer, declarando se considera bastante e
conveniente a alimentago prescripta na mesma
tabella, e propondo as modificagoes que julgar
convenientes.
Portara.O presidente da provincia, atienden-
do ao que lhe requereu Jos Faustino Marinho
Falco, professor publico da grammatica latina
da cidade de Nazarelh, reolve conceder-lhe dez
dias de lcenga com os respectivos veocimenlos
para tratar de sua sade.
Dita.O presidente da provincia, usando da
autorisago que lhe confere o l8 do art. 24 da lbe a religio do trabalho, que deve
lei de 12 de agosto de 1834, resolve convocar a nosso empenho.
nova assembla legislativa provincial para a
pr-
xima legislatura que tem de fuoccionar nos an-
uos de 1862 a 1863, e designa o dia 24 de novem-
bro vindouro para a eleigo dos membros da
mesma assembla.
Dita.O Sr. gerente da companhia peroambu-
cana mande dar transporte para o Rio Grande
do Norte, em um dos lugares destinados para
passageiros de estado a D. Anna Alexandrina de
Mello Pinheiro, no 1" vapor que para all seguir.
Expediente do secretario.
Do dia 27 de junho dt 1861.
79, de 18 do correnta mez, afim de que o faga
constar ao conselho cima referido.
Dito ao commandante do corpo de polieia.
Mande V. S. entregar o numero de espadas, que
o Dr. chefe de policia lhe requisitou para o ser-
vico da policia nesta cidade.Comtnuuicou-se
ao mesmo chefe.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Transmuto por copia V. S., para ter execugo na
parte que lhe toca o aviso de 3 do corrente cora
o que o Exm. Sr. ministro da agricultura, com-
mercio e obras publicas devolveu o processo de
dividas por exercicios findos organisado nessa
thesouraria a requerimento do agente do correio
de Iguarass Alexandrino Jos do Amaral. correr em seu julgamento perante o jury, e'a pro-
Dito ao mesmo,Ao delegado do termo do motoria publica pode, quando entender que taes
Ex, GuatterMarlinianode AlencarAraripe.ou ao faltas ou irregularidades se derem, uzar dos re-
seu procurador nesta capital, mande V. S. pagar, cursos legaes, que couberem na orbifa de suas
conforme requisitou o commandante superior- attribuiroes.
da comarca da Boa-Vista em officio de 6 de maio D'l ai> inspector da sale publica.Remeti
ultimo, 03 vencimentos relativos aos mezes de Vmc. a inclusa tabella das disrias alimenticias,
Janeiro e abril deste anno, dos guardas naciooaes
destacados naquella villa, urna vez que estejam
nos termos legaes as relagoes e prets juntos em
duplcala.Coramunicou-se ao referido com-
mandante superior.
Maodou-se tambera pagar aos negociantes An-
drade& Reg os vencimentos do mez de maio
dos guardas destacados em Flores, bem co-
mo da escolta que veio a esta cidade em dili-
gencia
Dito ao mesmo.Recommendo V. SP que nos
termos de sua informago de 10 do corrente, sob
n. 472, mande pagar ao agrimensor Alexandre
VazBolly, era vista do allestado, que devolvo,
passado pelo engeoheiro Henrique Jos da Silva
Quintanilla, somente a importancia dagratiflea-
gao que venceu at o dia 3 de novembro do an-
no passado como encarregado de coadjuvar
aquelle engenheiro no3 trabalhos da medigo
das trras dos indios nesta provincia,
Dito ao mesmo.Restituo V. S. a conla em
duplcala que acompaohou a sua informago de
7 do corrente, sob o. 459, adrn de que, quando
houver crdito, mande pagar a Carneiro & Irmo
a quantia de 450$ era que importam 50 colches
e outros tantos travesseiros de, linho cheios de
la de frecha, que venderara ao conselho admi-
nistrativo do-arsenal de guerra cora destino ao
hospital militar, segundo consta do officio do
presidente do mesmo conselho de 27 de maio ul-
timo, sob n. 46.Communicou-se ao presidente
daquelle conselho.
Dito ao mesmo.Deferindo o incluso requeri-
mento do capito de fragata reformado Caetano
Alves de Souza Filgueiras, nomeado para o em-
prego de capito do porto da provincia da Para-
hiba, recommendo V. S., que continu a man-
dar pagar nesta provincia o sold da patente
desse official, fazendo as convenientes declara-
ges aa respectiva guia:
Dito ao mesmo.Devolvendoa V. S. o reque-
rimento e mais documentos que acompanharam a
sua informago de 25 do corrent6, sob n. 523, o
autoriso a mandar pagar pessoa que para isso
se mostrar habilitada, a quantia de 71&380 reis,
em que importou os medicamentos foroecidos
por Manoel Joaquim das Trevas Marinho, no mez
de margo ultimo, aos doentes indigentes da ci-
dade da Victoria, visto nao haver inconvenientr
nesse pagamento, segundo consta da citada in-
formago.
Dito ao mesmo.Achando-se ja esgotado, se-
Rundo consta da informago a que se refere o of-
ficio do V. S. de 20 de maio ultimo o augmento
de crdito ltimamente coocedido para a rubrica
tfbras do ministerio da marinha recommen-
do a V. S. que sob rainha responsabilidade man-
de pagar asfolhas das pragas das barcas de esca-
vagao relativamente ao referido mez de maio,
bem como as dos jornaes dos operarios e serven-
tes empregados as obras do melhoramento do
porto decorridos do 1 a 15 deste mez, visto que
os salarios comprenhendidos nessas tabellas sao
destinados para sustentsgo dos iodividuos, de
que ellas tratara Communicou-se ao inspector
do arsenal de marinha.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Ceno do cometido do seu officio de boje, sob 282,
tenho a dizer em resposta que approvo as arre-
matages dos pedagios da estrada do Giqui e da
ponte dos Garvalhos, sendo arrematante do pri-
meiro desses pedagios Florentino de Almeida
Pinto, mediante 9 quantia de 7:4859000 reis, e
dando por fiadores Jos GongalVes Torres e Jos
Joaquim Dias Fernandos, e do segundo Jos da
Costa Brando Cordeiro, pel quantia de........
1:2065000 reis, e sendo fiadores Joquim Jo
Ferreira da Peoha e Angelo Custodio dos San-
tos.
Dito ao conselho administrativo.Autoriso o
conselho administrativo a comprar para forneci-
mento do arsenal de guerra os objectos mencio-
nados no incluso pedido,
*
digisse em forma, achou que devia mandar ouvir
o procurador fiscal, e seguir todo o processo com-
plicado que temos estabelecido, de sorte que an-
da nada se concluio. Entretanto, S Exc. a quem
nao tem agradado a demora, inconveniente por
todos os motivos, insisti j pela execugo de
suas primeiras ordens, nao recoohecendo a ne-
cessidade de audiencia do procurador fiscal nestn
negocio.
Nao posso deixar passar sem reparo este facto.
O que quer dizer urna reparligo subordinada por
veto s deliberares da primeira autondade da
provincia, e embiragar-lhe a acgo em cada pas-
so? Nao coocorr este systema tanto, para des-
moralisa-la mais do que se acha pelos assaltos
da imprensa desenfreada, e da tribuna sem cri-
terio?
Nao melhor fazer effectiva a responsabilidade
dos presidentes que prevaricarem ou abusarem,
do que lolher os que querem servil bem ao
paiz?
Tuda isto denota fraqueza no governo ; o que
um symptoma pessimo para a sociedade que o
tem frente, que em pouco tempo v-se em em-
baragos para aflrootar a audacia dos demagogos,
dos agitadores, que cresce proporgo que
aquella mais claramente se mauifesta.
Para se fazer o bem tudo sao embaragos, para
se produzir o mal basta um pouco de animo para
nao acobardar-se com o clamor do momento.
Depois a theoria dos tactos consummados le-
galisa os maiores desatinos, e o paiz os vai sof-
pre, o palro mor do arsenal de mariaha distin-
guiu-se de urna maneira heroica. Nao parece
um hornera nestas occasioes; tanto despreza o
perigo I e a Bahia inteira o admira e estima. Os
propietarios, e os negociantes lhe devem impa-
gaveis servigos, e ma admira sobremaneira co-
mo nao se lembraram ainda de por a familia
deste homem desliando ao abrigo da miseria em
que ella pode cahir de um momento para outro,
sendo -elle victima de um desies sinistros, nos
quaes se expoe deaodadameote, sem calcular os
riscos.
Entretauto isto era facillimo : bastava que ins-
crevessem este digno empregado no monte pi
geral dos servidores do estado com urna penso
Desembarcado o novo prelado b dirigiro ao
dito sadello onde o deo, j revestido de estola e
pluvial Ibrancos, lhe dar a oscular a cruz more
slito, e nesta occasio entoaro o responsorio
Ecce sacerdos magnusdeixada a aotiphona
Saeerdos el ponlifexque vem em 1 lugar no
pontifical romano.
Ultimado este ceremonial se organisar o pres-
tito na rma do coslume, indo o prelado debai-
xo do baldaquino entre dous membros do cabi-
do, e as varas do mesmo baldaquino sero sus-
tentada* pelas pessoas mais distinctas e autori-
sadas.
Adianto logo do baldaquino proseguir o cabi-
do formando corpo com o prelado, precedido da
de Janeiro de 1842 consulta se pode enterpor ap- frendo sem encarar com remedio para suas affitc-
pellago das sentengas do tribunal do jury pelo Soe-
facto de penetrar o juiz de direito a sala secreta Por dan do conselho de julgamento a instancias deste e Qa ladeira da Gameleira, de que puz ao tacto os
para explicar duvidas: respondo dizendo-lhe que seus leitores na missiva passada, acceudeu-se de
ao tribunal da relaco compete conhecer por ap- novo o antagonismo em que muilo vivera os
pellago das irregularidades do processo que oc- dous principaes orgos de publicidade nesta pro-
vincia, que em seus ltimos nmeros sustenta-
rana uma renhida discusso, mais propria de pe-
ridicos de aldeia do que delles.
A these foi ter dito o Diario que o Sr. vice-
presidente tinha sido uma das primeiras autori-
dades que campareceu nesse sinistro, e nega-lo o
jornal; mas aflastaram-se logo della, e disseram
que devem ser fornecidas aos educandos do col- cobrase lrgalas um do outro, dispendendo espi-
rito profusamente em uma polmica improduc-
tiva e irritante, que escaudalisou os homens sen-
satos.
Nao sei quem tem razo : odio velho nao cansa
e muilo que os dous jornaes da questo vo-
tara um ao outro este sentimeoto mau que os
t raz sempre de espada slgada um contra o outro.
Eu tenho o mau gosto de prefirir que elles dous
discutissem assumptos de agricultura, industria,
scieocias e artes, para o que no-liies faltam. ha-
bilitages, concorrendo por semelhanle meio
para moralisar o paiz, para educar o povo, e dar-
de 2:OOO^OOO, para'.er sua familia anuualmente cruz primacial, e lodos os demais seguiro adian-
ura cont de reis; Uto poderianustar a bagatella te segurido a ordem de suas precedencias,
de selecentos oitoceotos mil reis. O corpo do Poder&o os do clero cantar pelo caminho al-
commercio desta praca deve pensar quanto antes gum hytnno ou psalmo, menos o Te-Deum.
eni realisar esta ideia. Ao chbgar o prestito cathedral, o deo (ain-
Exm. Sr. viee presidente, que assistiu ao da revestido) offerecer ao prelado o aspersorio,
incendio, e obserrou que melhor nao se poda I depois o thuriflearmore slitoe entoado o
trabalhar; porque as bombas nao prestavam, Te-Deuth o cabido o conduzir ao altar do San-
com excepeo de uma da companhia de seguros,, tissimo, onde far breve orago. e depois pas-
comprometleu-se mandar vir promptamente sando pira a capella-mr se finalsar o acto se-
dos Estados Unidas algumas das aperfeigoadas gundo prescreve o pontifical romano verb.Or-
que ali se fazem, e tem tomado providencias pa- 1 do ad retipiendum prce lalum, vel legatum.
ra que o serviga de extinego de incendios se Esperd-se do espirito religioso dos habitantes
desempenhe com toda a regularidade. Nomeou desta capital que estejam adornadas as casas e
j uma commisso para organissr um regulamen- juncadas as ras por onde houver de passar o
to efficaz, e ere que fez a encommeoda das: prestito pontifical, e bem assim que haja illurai-
bombas. naci par trez dias.
Alem das que Icam depositadas na cidade bai- A respailo do commercio interno e externo a
xa, convinha que outras se guardassem na cida- situagao tem melhorado alguma cousa ; tanto por
de alta, porque torna-se demorado e trabalhoso que a importago continua i fazer avultar os ren-
terem aquellas de subir as ladeiras para acudir dimentoa da alfandega, como a exportacao se tem
qualquer incendio nesta parte da capital. j feito regularmente. Assim mesmo lemos anda
No proprio lugar da catastrophe dizia todo o : hoje em deposito cerca de9487 oaixas, 229 feixes
povo qu o incendio nao era casual, o com n-
dignago indicara at o author. A policia trata
de averiguar este melindroso negocio. Era todo
o caso acredito que ha algum fundamento para
esta aecusago ; porque vox populi vox Dei or-
dinariamente.
ajaPor um telegramma da estrada de ferro do Joa-
seiro soube-se no dia 21 que, is 4 1/2 horas da
6772 barricas, e 5739 saceos de assucar branco e
mascavado ; de 800 saccas de algodo, 475 ditas'
de caf, a 4656 fardos de fumo era folha. Toda-
va parte deste assucar e do caf j se acha ven-
dido.
A alfandega rendeu al boje 381:0008000, a re-
cebodorii de rendas internas 28:8369000 e a mesa
de rendab proviociaes 86:957j000. J nao mu
larde do dia anterior fura assaltada por um ban- ; isso, assim continu,
do de salteadores, em um lugar denominado La- \ Todos.os gneros nacionaes e eslrangeiros esto
ma prtta, entre Camassari e a malta de S. Joo, ainda baratos, menos a farinha de trigo que tem
a escolla, que levava oitenta contos de reis do subido bastante : as existencias sao de pouco mais
empresario p.r despezas das obras. Hoave ou menss 4,000 barricas, e por ura carregimento
um roDhido combate entre a dita escolta, que se ae irles e e outro u* Richemond. que seguiram
compunha de dous soldados do esquadro de para o Rio de Janeiro, por nao achar comprado-
trez do destacamento da villa de S. res, ped rara um prego exhorbitante.
bordo da fragata Conslituico. a escola pratica.
de artilharia, ltimamente creada.
Corra que ia ser enviada cmara des Srs.
deputados uma representagao dos officiaes da
guarda nacional, contra o aviso do ministerio da
justiga de 27 de maio ultimo.
L-se no Jornal do Commercio :
O capillo do brigu6 noruoguenserordens*/o/
entrado hontem neste porto, refere ter encontra-
do em 22' 10" lat. S e 39* 40" long. O. um navio
abandonado, psrecendo uma barca de construc-
gao americana, carregada de vinho, sebo, etc.,
sem pessoa alguma da Iripulago, e sem lancha
uem manlimentos.
Acharam-se a bordo alguns papis com a
data de 12 de maio de 1861, RiodeJaneio, e
salaram-se alguns barris de vinho e parte do
inventario.
o Do norae do navio s restava uma parte em
que se lia <......alia o
O paquete francez Saintonge, entrado hontem
(23) do Rio da Prata, trouxe-nos datas de Mon-
tevideo at 17, de Buenos-Ayres at 14, do Pa-
ran at 8 e do Paraguay at 1 do corrente.
A 3 deste mez mudou o presidente da rep-
blica oriental o seu ministerio, que se compunha
dos Srs. Dr. Acevedo. D. Tomaz Villalba e coro-
nel Lamas, nao lhes nomeando logo successores
pelo que passaram as pastas para os respectivos*
officiaes maiores
Causou nao pequea sensagio este subdito e
inesperado successo, sobre cujas verdadeiras
causas ainda ultima hora nao havia certeza;
com tudo, lendo o mioisterio interino do gover-
no declarado na cmara dos representantes que
a destituigo do ministerio nao importava allera-
co na marcha da administrago, e coincidindo
aquella destituigo com a noticia dos aprestos
bellicos que fazem prever inevitavel uma guerra
entre Buenos-Ayres e a Repblica Argentina,
oppz-8e que a razo seria divergencia quanto
poltica que convlr adoptar-se.
Esta parece que ser a da neutralidade, po-
rm a da neutralidade armada e capaz de fazer-sa
respeitar, qual a que convem a toda a nago que
v arder a guerra as fronteiras do seu terri-
torio.
Entre as medidas de precaugo que o gover-
no julgou dever tomar, sobresahe a da creago
de tres commando) militares, dos quaes o pri-
meiro, na raia secca do departamento do Serr
Largo, foi confiado ao coronel D. DionUio Coro-
nel ; o segundo, na fronteira de Maldonado, ao
coronel D. Bernardino Olid, e o terceiro, qua
comprehende os departamentos do norte do Rio
Negro, ao coronel D. Diogo Lamas, ex-ministro
da guerra.
Esta ultima nomeago, bem com a autorisa-
go pedida ao corpo legislativo para elevar o
mesmo militar patente de general, provam qua
o presidente, destitulado os seus ministros, nao
lhes retirou a sua confianga como servidores do
estado.
ser todo o
Os empregados da alfandega acabam de prati-
car um acto-que muito os honra e eleva no con-
ceito publico. Mandaram vir de Franga um re-
trato oleo, em tamanho natural, do seu distioc-
to e integerrimo chefe, copiado de uma pholo-
graphia excellente, e lhe fizeram ollera delle em
um primoroso e rico quadro.
Acha-se entre nos o aereonauta Elias Bernardi,
que nessa provincia fez completo fiasco, mas que
brilhou em Macei, si vera esl fama, subindo em
seu singular balo at as regtes das estrellas.
i Jdeu, com outro companheiro, e com a compa-
Officio ao commandanle superior interino do unia dramtica, dous espectculos o thearo'p-
Recife.S. Exc, o Sr. presidente da provincia. Mico, e consta que agradou nt execugo de al-
manda aecusar receido o officio, n. 86, de 26 Suos trabalhos de orga e agilidade.
do corrente, em que V. S. partcipou que se | Entretanto a concurrencia foi mui diminuta; o
achavam acuartelados 83 pragas das 120, que se .ue *>ao obstou que elle aononciasse que bre-
mandou destacar nesta cidade para coadjuvarem cemente tena de fazer umaviagem aeria. Lem-
as de Ia linha.Communicou-se thesauraria Mo-me das pegas que elle ahi pregou ao povo
pregou ao povo
pernambucano, e quero ver se se sahe melhor na
Bahia.
No dia 17 do corrente principiou a trabalhar a
grande officioa de fundigo de ferro do arsenal
de marinha desta provincia, na presenga de mui-
tes pessoas gradas, que sahiram bastante satis-
fetas deste ensaio, e de observarem o progresso
da fazenda incumbe proceder as deligencias que (*ue tem alisado, nessa repartico o digno e
requr. 1 honrado inspector actual, o capito de mar e
Padre Florencio Xavier Dias de Albuquerque., 8ue"a Francisco Xavier de Alcntara, a quem o
Informe o Sr, inspector da thesouraria provn-' gobern imperial acaba de dar uma provade
cial. I eminente aprego nomeando-o para commandar
Bacharel Joo da Costa Ribeiro Machado. a estago naval dessa provincia, em lugar do nao
Informe o Sr. director geral da instrueco pu- mens distincto e Ilustrado capito de mar e
blica.
de fazenda.
Despachos do dia S9 de junho,
Requerimentos.
Capito da Fragata.Caetano Alves da Souza
Filgueiras.Dirija-se ao Sr. gerente da compa-
nhia Pernambucana de navegago cosleira.
Francisco Botelho de Andrade.A thesouraria
Jos Avelino da Silva Jacqucs.Nao tem lu-
gar a vista da informago.
Manoel Felippe da Hora.Opporluoamente se-
r altendido.
Maria Joaquiua de Mello e Silva.Informe o
Sr. inspector da thesouraria provincial.
INTERIOR.
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE
PERNAMBUCO.
Bahia
24 de junho de 1851.
Todo o correspondente de provincia tem uma
balda certa, na qual nao sei se j tem reparado ;
gosta excessivamente de ser prolixo ; extasta-se
diante de longas columnas escripias por elle, im-
pressas no jornal que o admitte, e saborea nessa
leitura um nctar divino, embora os outros, para
quem elle escreveu, volvam espavoridos essa pa-
gina, ou, quando se animem arrosla-la, acabem
por engolphar-se em um somno proluno!
Nao me tenho podido tambem esquivar della
e por maiores esforgos que emprego, nao vengo
a tendencia que me arrasla a dar iguaes mas-
sadas.
E para prova do que digo, quando nao bastas-
sem as interminaveis epstolas que j lhe dirig,
era sufficiente esta especie de prologo, prefacio,
ou o que quer que seja, com que intilmente en-
celo esta correspondencia, quando poda logo ex-
por os fados singelamenle narrados.
cavallara e
Joo da Malta, e o dito bando, viodo finalmente
(car mortalmoote ferido um dos soldados, e
com gravidade um empregado da companhia por
nome Callet. Felizmente os salteadores nao con-
seguirn) spoderar-se do dioheiro. Presume-se
que a quadrilha se compunha de 15 homens, e
que eram todos ou quasi todos Italianos, despe-
didos do servigo da estrada por seu pessimo com-
portamento. E assim deve ser ; porque o bra-
sileiro furia verdade, mas ainda nao chegou
degradado de formar quadrilhas orgauisadas pa- I Duas grandes associagoes que, em vasta escala
ra roubar e assassioar. | tratassen do cultivo de uma e outra cousa nao
Com o lempo e os exeraplos taremos mais tar- s realisjariam lncios extraordinarios, como fa-
de este mmenso progresso de civilisage de eos- riara uma grande revolugo agrcola no paiz, que
concorria extraordinariamente para o seu pro-
tumes.
Por lhe fallar na estrada de ferro devo annun-
ciar-lhe que, os emprezarios esli convencidos
gresso.
Sei que nao
de que at o fim do corrente anno ficaro promp- esta gig ntesca e patritica empreza
Se livi asemos juizo, muito poderiamos aprovei-
tarcom isdissenges dos uossos viziohos do nor-
te, que chegaram tambem ao seu dia de lou-
cura.
As provincias do sul. porexemplo. Rio Grande,
Santa Ci (harina e Paran produzem bem, e abun-
dantemente o trigo ; as do norte, como Bahia
Alagas, Parahiba e Pernambuco do da mesma
sorte o algodo.
lerei o prazer de ver realisar-se
toral....
levado
ts e entregues ao transito publico as primeiras
vinte leguas at Alagoinha, isto todo o trago
dala8esso.
Tem-se desenvolvido ltimamente nessa cida-
de um furor dansanle, que nao se comprehen- ravel.
de, vista do nosso estado calamitoso de unan- '
gas.
Alem da sociedade recreativa que j existia,
organisaram-se mais trez, o club bahiano, o
cassino bahiano, e a unido familiar, que de -
rara suas partidas de installagio com grande con-
currencia de senhoras.
Assisti Ia reunio do Cassino, e muito me
agradou. Foi uma bellissima Tuncgo em todos
os sentidos.
Os larapios continuam i fazer das suas inpu-
nemente, e trabalham com a maior sem cerimo-
nia. 0 digno Sr. chefe de policia procura por-
lhes mo em cima,.mas ainda nao poude alcan-
ga-los em flagrante.
mas nem
por isso deixo de extasiar-me na contemplagio de
seus grandes resultados. Se o negocio fosse elei-
oh I eu eslava tranquillo ; perqu seria
& effeito com habilidade e lino admi-
menos distincto e Ilustrado
guerra Amazonas, que vem substiiui-lo, e por
corlo continuar os melhoramentos encelados por
aquelle, e lembrar outros novos, igualmente ne-
cessarios.
Assisti tambem essa experiencia, e causou-
me peona ver que se estavam arrancando do es-
taleiro as quilhas postas a tres anuos dos dous
niales Ro de Contos e Cayru', que podrecern
assim como algumas cavernas, rodas de proa e
cadastes, para substituir estes paos por outros.
Alguns officiaes de marinha me asseguraram nes-
sa occasio que nao convinha construir semelhan-
tes hiales; porque os dous feitos oessa provincia
pelo mesmo risco sahiram pessimos ; creio que se
chamam Cvpxbanbe e Rio Formoso, e que aquel-
lo j foi eniregue companhia dos guardas ma-
riones, por nao se poder remover os grandes def-
felos que tem. Se isto for exacto, o tempo obrou
com juizo, e nos devemos imita-lo, nao prose-
guindo em semelbantescooatrugoes.
Procedeu-se no 40 districlo eleico para pre-
encher a vaga do Exm. Sr. Saraiva, que foi cha-
mado aos conselhos da corda, e S. Exc. obteve a
reeleigao. nao tendo perdido um s voto em to-
dos os collegios conhecidos. Este distincto Bahia-
no aqui mui estimado geralmente, e por isso
nao admira to lisongeiro resultado.
Tem alimentado bastante o espirito publico o
facto da suspensao imposta ao Exm. bspo do Pa-
ra pelo vigario capitular desta diocese, por haver
aquelle prelado feito pontifical na igreja de S.
Bento por occasio das exequias do finado Revm.
Fr. Arsento, sem expressa licenca sua. A ques-
to fot affecta S. M. o Imperador. Dizem que
1 ueste negocio nao exiate s zelo de jurisdiegio,
25 de junho.
Muito festejado foi o S. Joo, sam que nenhu-
ma desgraga tivessemos lamentar. Apenas
deu-se comego de um incendio na ra da Ajuda,
que foi logo abafado.
0 Sr. vice presidente acaba de tomar uma pro-
videncia, que tem sido vivamente applaudida, e
que prova que S. Exc, na sua interinidade, nao
pretende circunscrever-se somente i vida rida e
estril do expedieute. Existem as cadeias desta
cidade, na de Santo Antonio, porexemplo, pre-
zos de 20 anoos, sem que se lenna procurado in-
dagar o motivo de prizlo ao menos, e estes des-
granados ali gemem e chorara sem esperauca ao
menos de rerem algum dia raiar para elles a li-
berdade.
E' terrivel observar-se isto em um paiz cons-
titucional como o nosso, que possue uma im-
prensa livre, uma tribuna hvre, um governo es-
clarecido, e quasi sempre honesto. Mas tudo se
explica pela indifferenga com que olhamos para
as cousas importantes, afina de empregarmos lo- '
da a oossa alteocao em discutir futilidades, em
imagioar arbitrariedades.
O digno administrador informado disto; por-
que de tudo indaga e quer saber j recommen-
dou ao Sr. Chefe de policia que o esclarecesse
competentemente respeito da todos os factos
concernenies aos prezos existentes na provincia,
afim de tomar de prompto as medidas que a si-
luaco delles reclama.
Era boje esperado com anciedade o vapor Pa-
ran, em que vem o Exm. Sr. arcebispo da Ba-
hia, para o qual se acha preparada uma briihan-
le recepcao. Pelas onze horas o forte do mar fez
sismal de vapor ao norte, e tudo se pz em mo-
vimeoto. Os conegos, padres, e congregges
religiosas se reuniram, os militares se fardaram,
a galeota pz-ae prompta i largar, al a guarda
de honra s esperara a ordem de marcha.
Soffreram lodos uma grande decepgio; porque
pouco depois entreva em lugar do pachorrento
Paran o vapor de guerra Pedro 11, que dessa
provincia partir oom o Sr. capito de mar e
guerra Amasonat, que dizem entrar amanhi no
exercicio de inspector do arsenal de marinha des-
ta provincia.
Fiesta os festejos adiados para amanhi, se nio
se prolongaren) ainda mais a demora, e como o
desembarque de um arcebispo cousa rara, aqui
lhe traascreTQ o programma curioso publicado
da. A
toque
desse
Nao pense, porm, que me regosijo com a des
graga da grande nago americana. Ella destruio a
obra de um' hornera immortal, sem igual nos an-
naes do mundo, o qual conseguio dar-lhe elemen-
tos para resistir to longo tempo este destino
fadado S todas as repblicas. Lamento a des-
unido qos Estados-Unidos profundamente ; mas
ella encerra uma grande liccao poltica, que vem
dar o desengao a todos os republicanos, nao s
da nossa Ierra,como do universo. O modelo que
esta repblica lhes dava est quebrado ; e des-
truido elle, o que valem as illusoes que acaricia-
vara os seus admiradores ?
Nao ha melhor forma de governo do que a nos-
sa : vivamos contente com ella, e procuremos
dar-lhe todo o desenvolvimento que elle permit-
i ao progreso do paiz.
Todas as provincias do imperio sao habitadas
por povos descendentes de uma origem commum,
que fallara a mesma lingua, seguem a mesma re-
ligio, le nio teem antagonismo poltico que os
separe!.
Nossa uniio, portaoto, se deve considerar soli-
dos Estados-Uoidos era toda artificial, vis-
allinem um s lago commum havia pren-
os diversos estados habitados cada um por
uma raga diversa, que segua diverso culto, abra-
gava diversos principios etc.
Uma questo de ioteresse abafou o grito da na-
cional dade ; dividi ojcolosso, que fraccionado,
se consumir as mesmas lulas queensaoguen-
tam o i nossos viziohos do Prata, que cada dia
maior is horrores commeltem.
Existem hoje neste porto 37 navios eslrangei-
ros, que medem 12,490 toneladas ; d'entre elles
12 soj ioglezes, 8 portuguezes, 6 hospanhes, 3
sardos, 1 argoolino, 2 americanos, 2bremenses,
2 dhamarquezes e 1 hollandez.
No 1 lia 24 para ahi seguio o brigue nacional
0/ind<.
O cambio sobre Loodres cooserva-se 26 1|8 e
26 ; sobre Paris 360 e 370, sobre Hamburgo
680 e '00 rs. e sobre Lisboa 105 llO por cento.
O C ruxeiro do Sul nio o Paran, que se faz
esperar,e nio quero que amanhia elle me pre-
gue alguma pega, deixaodo-me ficar esta em ca-
sa. Prtanlo aqui concluo.
P. .Para ahi segu agora o distincto official
de marinha nomeado para commandar a ostaco
naval. Os Pernambucanos hio de aprecia- lo, e
reconl tecer que elle vale Unto como os seus dous
uliimos antecessores, os Srs. Amazonas e|Bairoso,
que gtzam ahi de muita eslima.
No rapor seguiote partir o seu secretario e
ajudate de ordens, que o Sr. Io ente Colla-
lino Marques de Souza. joven official que tem j
bella reputagio entre os seus cantaradas.
Eu felicito a provincia por estas nomeaedes.
DIARIO OE PERNAMBUCO-
primeiro
rente
Pe a vapor franoex Bearn, entrado hontem
do Rio e Bahja^recebemos jornaes com datas: do
e da segunda at 29 do cor-
at. 25
fitf de Janeiro.Iostallou-se a 18 do pastado,
Uma modincagao importante se realisou no
systema administrativo durante o ministerio pro-
visorio, qual foi passarem da pasta do governo
para a da fazenda os ramos de pslas e correios,
estradas e todas as vas de commuoicago e tra-
fico, mercados e feiras, e privilegios em materia
de industria.
A reforma ministerial foi nos primeros dias
cauaa da demora de alguns assumptos deque se
oceupavam as cmaras ; mas assim que foram
conhecidas as vistas do governo, proseguirn)
desassombrados os trabalhos legislativos, haven-
do todas as probabilidades, mrmente desde que
se prorogaram as cmaras pelo tempo que a
constiluigo permute, de que cheguem a ser vo-
tadas as leis de conlribuigo directa, estrada de
ferro, cdigo do commercio e outras.
A questo da amnista continuava nao deci-
dida, achando-se tambera pedente a do imposto
de um peso sobre cabega de gado exportado para
o Brasil.
a A este ultimo respeito eram calorosas as
discussoes.
Apresentra-se um projecto de lei autori-
sando a incorporago do uma sociedade anonyma
o de banco, cambio, emisso, descootos e dep-
sitos, com o Ululo de Banco Commercial de
Paysandi, devendo a sua sede ser nesla villa.
A' vista da guerra imminenle com a Rep-
blica Argentina, empallideciam em Buenos-Ayres
todos os outros assumptos.
a Neste conflicto, que parece arsiohar-s?,
calculava-se que cinco provincias, Cordova, San-
tiago, Salta, Tucixman e Jujuy, s quaes talvez
ainda accrescesse S. Juan, se poriam do lado o
territorio da malfadada Repblica Argentina
n'um vasto campo de batalba.
a O governo portenho resolveu nio obedecer
intimago que do Paran lhe veio para mandar
proceder eleicao de novos deputados ao con-
gresso nacional, e coramuoicando esla sua reso-
lugo legislatura, vio-se por ella nao s apoia-
do, mas tambem autorisado a empregar os meios
que julgasse necessarios para defender os inte
resses, honra e liberdade do paiz.
Entretanto promulgava o governo do Paran
um decreto approvaodo nao s o procedimento
de Saa na intervenco que teve lugar em S. Juan
mas declarando at benemrito da patria aquella
caudilbo.
Communicado tal documento oficialmente
ao governador de Buenos-Ayres, respoodeu esta
com uma nota to violenta, que mais pareca
uma declaragio de guerra, e efectivamente como
tal a tomou o presidente Derqui, pois que dirigi
ao coogresso uma desabrida mensagem, pedindo
autorisago para mobilisar as torgas de toda a
repblica, afim de constranger Buenos-Ayres a
cumprir os pactos da novembro e junho.
A' ultima data, isto 1 8, j o seoado tinha
approvado este projecto, e pouca duvida havia
de que no mesmo sentido se pronunciasse a
cmara dos deputados.
a J antes disso porm tratava Buenos-Ayres
de aperceber-se para uma guerra prevista, a
iguaes medidas lomavam as provincias dispostas
a fazerem causa commum com ella.
Jujuy^ Salla, Tucuman e Santiago, teem em
p, segundo o. Nacional, considera vel nume-
ro de guardas nacionaes, bem organisados e dis-
ciplinados, aocommando do general Rojo, vete-.
rano da independencia, hoje goveroardor de Sal-
ta, e Buenos-Ayres postou sobre a fronteira da
Santa F 3,000 homens s ordens do coronal D
Emilio Mitre, irmo do governador.
a Para se fazer idea do ardor com que os Por-
tenhos se preparam para a lula, bastar dizer;
que um decreto veio prohibir a sahida para fra
da provincia a quem estiver no caso de servir na
guarda nacional.
As cmaras Totaram vinte e qualro milb.o'es
de pesos em fundos pblicos para as despezas
do Estado.
O coronel Saa, que is ultimas, noticias trazi-
das pelo paquete anterior dstxavam a ameagar
Cordova com uma invasio, retirou-se vista da
altilade bellicosa assumida por este provincia ;
em seu lugar porm l vsi intervvr o presidenta
Derqui em pessoa, compelenUraente autorisado
pelo coogresso.
Levou uma escolta de 300 homens, mas
devia reunir forjas nrais numerosas antes de
entrar na cidade de Cordova, para onde marcha-
va a toda a pressa.
Suppunha-se porm que nio haveria resis-
tencia,
ct Desnecessiirio encarecer a gravidade destes
i


**>
UR10 DI tEBlUUUGO. TEHQ1 FElRaY 4 DI JULHO IB 1161,
* -tristes contedme!)los, que ameagam mois uns
ex enrubocer com salgue de irmoa as aguas
-do Prata.
O Paraguay coosetvawe-te tranquilo por
niretanto, sendo inda duvidosa a attitude que
tomar na-questo argentina.
A noticia quasi unjca que as foWias do Rio
da Trata encontram para referir relativamente
Aquella repblica, a dosupphde dealguosros
d homicidio.
L-se no Correto ercanli ..-
Foram arrojadas pelo mar praia poucoao
6ul la alalaia do S. Joao da Barra, os frag-
ineotos de um navio, que pelas suas hgadas
Milas niostra que era de grande lotago, e sup-
pe-se lee sido destruido pelo (ogo, pois esses
iraamenloa maslram vsiveis indicios de te'r sido
jueimado at a linha 'agua : constam de 6 bra-
cos de pinho, ura pedaco de ciotado de carra-
lha e urna grossa escoi oe pinho ; nenhuma du-
did pois resta de que essa embarjigo foi j-icti-
aaade um incendio, e inCdizmente que a tripo-
lage pela roosma forma se nao pode salvar.
Entro* arribado o vapor Piraliainga, que
sanio deste porto para Montevideo no da 5 do
correte.
Publicamos as segainles oformacoes que dos
foram ministrados peto seu commandante o Sr.
Ponte Ribeiro:
O paquete Piratininga sahido de Santos no
lia 12 s 7 horas di manliai, encontr* fra da
barra muito mar e aragens do notte e nordeste.
As 7 horas da noit* comegou a fuzilar em todos
os qualranleg. K7 I hora cahio o vento pele O.
S. O. de tufo'e levaotou rauito mar ; a vela de
slaes arrancou o chapuz e quando passou pela
borda carregou com o turco de bombordo. Com
a furca do mar o navio abri agoa pelos altos da
proa e leve que arribar com o bolso do latino ;
o veotocontinuou refrescar e a levanlar serras
de mar; fui preciso correr com o redondo nos
calges. O temporal a:ompanhou-o at a altura
da Marabala. O navio eompoirtou-86 sempre
fierfdtamenle quer contra quer a'favor do vento,
se nao tiresse aberlo agua, por tvrlo teria che-
gado a Sauta Calharina sem ser obrigido a vol-
lar a Sanios. A segunda arribada era fercosa
anda que o navio tiresse todas as qualilades
superiores: arribou da altura de Paraoa^u;
alm da agua abena, traz outras avarias de.pe-
quena monta. Em nina semana pode fiearpromp
ta para s.ihir.
Sobre o cometa caudal que tem sido visto
ates das, cima do horizonte de Campos, coui-
muoica-nos pessoa muilo competente e se-
guinte :
Esta madrugada (11 de junho), s 4 1/2 ho-
ras, vi um cometa a 43 de altura, dirigiudo-se
d SO a NE4 seu tamanho apparenle mator
que o de urna estrella : seus raios pouco con-
vergentes, eatendem-so cerca do 40" ; ao aivo-
recer ainda brilhsva o astro vagabundo, no
- obstante terem j desapparecido as estrella.
OSr. E. Liis, dequeui por vezes temos pu-
blicado interessaoles observagoes astronmicas,
obsequiuu-nos ainda uina vez com aseguinte no-
ticia a respeiio 00 corneta, a qual, pelo seu in-
leresse e minuciesidade, nos apressamos a traus-
tnillir aos oossos leilores :
O comet que apparece actualmeole pela
madrugada nao o que acaba de ser observido
no hemispherio boreal, e que foi desooberto a
4 de abril em Nev-York, por M. Thatcher.
E" um cometa novo at aqui invisivel na
Europa e na America do norte, Seus elementos
que eu calcule! seguudo minhas observages.
ejj os seguintes :
Passagem ao periheo em 29 de maio, s
11 h. e H ra. da noile, tempo medio do Rio de
Janeiro,
Distancia perihelia 0 80 23.
Longiude dj n asenteme, 274 50'8..
Iiicliuagao 81 52' 5.
Longitude228"3' 47.
<< Movimenlo, directo.
O cometa se affasta, pois, actualmente do
sol. porm aproiima-se consideraveimente da
Ierra. Aos 25 deste mez elle atravessar o pla-
no da ecliplici e se achara eato quasi exacta-
mente sobre a linha tirada da trra ao sol. Sua
distancia aterra deve ser apenas 28 vezes da
la, e como sua cauda muito mais longa do
que este iniervallo, o appendioe do comete vira
quasi rogar, e talvez mesmo tocar a nossu almos-
phera.
No dia 15 de junho, a cauda linha mais de
Cinco milhoes de leguas de exteoso e o neeleo
um dimetro pouco mais ou menos igual ao ter-
co do de nosso globo.
O cometa vai 25 deste mez cessir de ser
sis.vel pela inmtia, mas depois desta data elle
apparecer noule e lomar-se-ha visivel na
Europ a
Percorrendo pijamente um arco conside-
xavel sobre o co diminuir ao mesmo tempo
ra grandeza e em iotensidade. A 2 de julho
He ajhar-se-ha perto da cauda da grande Ursa.
Os elementos que preceder assemelham-se mui-
lo aos do cometa de 1684, salvo a inclinago que
maior 16, e que torna a idensidade duvi-
dosa.D
Temos a lamentar, alm do naufragio da su-
maca Maravilha, um outro, cujo navio ignora-
mos onde uaufragasse ou sossobrasse. O mar tero
arrojado s proximidades de nossa barra varias
miudezas, como carnizas francezas, retroz, etc.,
sem que se saiba donde provenha ; fra de du-
tida que o naufragio existe.
Eutraram arribados :
A barca franceza Citarles e Georges em via-
gem de Valparaso para S. Diniz.
A barca prusstana Ilygica em viagem da
Calho de Lima para Cork.
A galera americaoa Muid of (lie sea em
Tiagem de Londres para Kurrachee.
Tmha arribado tambem a barca franceza
Helvetie, procedente de Guayaquel.
Consta qne os Paraguayos atravessaram o
xio Uruguay, fundaram urna guarda e estabe-
Jecerara-se uo Iputan margem direila do Es-
copil. Refere um indio, vindo deste ultimo lu-
gar, qne procedem elles a rigoroso recrutamento
dos indios que habitam aquellas paragens, obri
gando-os es'arte a in lerna r-se por esta pro-
vincia.
Nao nos parece fra de conveniencia que
fosse estabelecido um posto militar no lugar
mais apropriado aflm de impedir qualquer es-
tabelecimento permanente e futuros embarajos
entre o governo do Brasil e o do Paraguay.
Chegaram sabbado 12 indios da tribu Gua-
rany, vindoi do aldeamento do Pirap Fallam
solTrivelmeote porluguez, e sao dos mais cirili-
sadosque aqui tem chegado. Considerando-se
os tragos physionomicos, percebe-se logo que
esta a tribu que mulhor se presta a receber o
saptismo da oivilisacao ; e com etfeito a expe-
riencia ha demonstrado quo distante se acham
el.es em sentimentos, aflectos, paiioes e costu-
mes dos outros seus irmaos, a quera falta a luz
da religio e que permanecem as treras da igno-
racia.
A mesma folha d em 6 do correte as noti-
cias seguales:
Segunda-feira chegaram a esta cidade cin-
coeota indios coroados, aldeados em Palmas, sob
* o commando do capiao o cacique Viry, que tam-
aem veio em sua com^aohia.
Mo grado a reluctancia que mostrara os in-
digenas desta tribu civilisagio, entretanto s5o
estes pacficos e dados ao trabalho, deveado-se
esta metamorphose radical ao mencionado capi-
tio Viry.
Alguna pediram ao gorerno trabalho, eii-
gindo mdica retribuido.
S. Exe. o Sr. presidente ordeoo'u que fossem
elles convenientemente brindados; recebendo
todas as commodidades de habitarlo e alimenta-
to.
c Melhor informados hoje apressamo-nos
em dizer que os Paraguayos que nos consta adiar-
se no nosso territorio, em caminho para a Ivi-
nheraa, veram directamente da repblica do Pa-
raguay, passando cooseguintemente pelo fio Pa-
ran e nao Uruguay.
Canta. Alm do que dit o nosso correspon-
dente, cuja carta vai transcripta sob a rubrica In-
terior, eis o que. mais encontramos na leitura dos
joruaes :
Fomoa posse da inspectora do arsenal de ma-
rinha, o Sr. capillo de mar e guerra Lourenco da
cilv* Araujo Amazonas.
L-ce no Jornal da Baha :
Ka eommisses encarregadas da festividade
do sempra memoravel Dia Dous de Julho no
crrenle anno tem a hoOfa de apresentar o ou-
olN o segyinte programma :
No dia 29 do correle mez s 4 horas fla tat-'
de une gyraadola de foguetes ubiri aos ares 00
largo da Lapinba, dando o signal pata a partida
de um bnlnanie e nomaroeo bando composto de
mascaras cavallo e p, lando na sua -frente a
tedente msica do carpo>otteitl, e ptreorre-
ro a cidade pelas roas do coiinme, am de n-
nunciar os festejos do aniversario do grande Dia
Dous de Julho de 182*. cujas gloriosas reminis-
cencias esli gravadas para sempre no coraco
de lodos oe Brasileiros amantes de sua liber-
dade.
No imraortal DlalBahiano, as dous emble-
mas da nossa independencia e liberdade, rica-
mente adornados com lodo o brilhaolismo serio
conduxidos do seu pavilho da Lipinha pela luzi-
da corporago dos dislioclos caixeiros naciooaese
petos verdadeiros patriotas frente da eolumoa
formada pela guarda nacional e tropa de 1 linha,
que symholisando o exercito libertador far en-
trada triumphajjle al o terreiro de Jess, onde
formar em grande parada, tendo lugar na ca-
tbedTal o solumne Te-Deum em aeco de iracas
ao Dos das Victorias.
Pind o Te-Deum ser desencerrado por S.
Exc o Sr. presidente da provincia o retrato de S.
. o Imperador o Sr. D. Pedro IL. que estar col-
locado com os hroes da independencia no pa-
lacete eregido no Terreiro, e depois da conti-
nencia feita pela columna militar ante a augusta
efflgie do ioclyto Monarcha Rrasilejro, serio os
dous carros triumphanles conduxidos para o bar-
racan da Piedade, onde permanecero at a noite
de 6 de julho.
as noites de 2, 3 e 4 o palacete do Terreiro
se ostentar todo Iluminado e cora o maior bri-
Ihantismo, tocando duas bandas de msica o
llyrauo nacional e harmoniosas pecas.
Ni noilo de 5 os diversos batalhes patriti-
cos iro depositar suas biodeiras, ao aom de m-
sicas mames, nos logares do costme, e na noi-
te de 6, reunidos tolos 00 largo da Piedade, dahi
partiro s 10 horas em ponto, acompanhando os
trophos da Victoria, os emblemas da liberdade e
Independencia para o sou elegante pavilho da
Lapinha, fnslisando assim com toda a pompa o
patritico festim do sempre memoravel Dia Dous
de Julho.
Contando, que lodos es verdadeiros patriotas
e amigos deste paiz concorrero, como sorapre,
cora vivo enlhusiasmo, paz e harmona para o
maior realce do glorioso dia da nossa indepen-
dencia e liberdade, as eommisses fazeu os mais
arden tes votos para que perdurem essas demons-
traces de jubilo que a derotacao sincera e o sen"-
tmenlo iniimo despertara pelas Iradicoes da pa-
tria.
Hontera (27) a 1 hora da larde desembarcou
no arsenal de marinha o Exm. e Revni. Sr. D.
Uanoel Joijuiu da Silveira ex-bispo do Mara-
nho e actual arcebispo desta diocese. metropo-
litano e primaz do imperio. A fortaleza do mar
deu urna salva e scompanhias de aprendizes-
raarinheiros e de menores do arsenal foram ape-
os as que Ihe fueram as cootinencias do es-
tylo !
Nem urna guarda de honra ahi appareceu I
* O Sr. J. E. O. Muraos, capito do brigue
porluguez Alpede, de Setubal para Montevideo
com escala pelo Rio de Janeiro, entrado horneo,
refere o seguinte:
Nods 4 do crrante em lal S 22 40' e loog.
O. 40 59' pelas 6 horas da manha aviatei urna
barca a Ueste ; meia hora depois reconh-ci a ban-
deira brasileira e vi que da barea se pedia soc-
corro.
Approximei-me: disseram-me que estavam
com agua aborta e que precisavam de auxilio pa-
ra se poderem salvar.
Por volta das 11 horas abonancou mais o
lempo, a barea arriou ura bote e veram a meu
bord dizer-me o perigo em que se achavam.
Mandei logo o meu piloto e cinco bomens, visto
jue a tripolago da barca estar extenuada e em
circumslancias de nao poder mais resistir ao tra-
balho. A miuha tripolago pode salvar- parte do
veame e mcame e diversos outros objectos:
nao foi possivel salvar o chronoatetro por ter ca-
bido ao mar e estar cheio de agua.
Nao houve lempo para mais nada, nao s
porque se approximava a noite, mas ainda por
estar o mar muilo agitado. A's 6 horas da tarde
rece a meu bordo o Sr. Joo de J)eus Vreira,
capito da bsrea, que soube entao chamar-se'
Idalina, sua esposa, o piloto e 9 pessoas da tri-
polago, 3 das quaes achavara-ae levemente fe-
ridas.
Cora muilo custo pude-se tambem salvar o
bote em que essas pessoas tinham vinio para
bordo.
Nao podemos deixar de tributar ao Sr. J. E.
O. Moracs os louvores de que loroou-se merece-
dor pelo seu generoso procedimenlo. Os salvados
da Idalina foram muito bem tratados bordo do
brieue porluguez
S. Paulo. Haviam do approvados os Sr6. Drs.
broesto Ferreira Franca e padre Maraede Jos
Gomes da Silva, que concorreram ura lagar de
subsiliuio da Faculdade de Direito.
Paran. LO-se uo Paran, jornal que se pu-
blica naN;apital:
S. Exc. Rem. ao desembarcar fez oraco e
beijou o Santo Lenho era um altar para esse fin
levantado no arsenal.
Concorreram todas as ordens religiosas, con-
trarias, irmandades, vigarios seminaristas e o ca-
bido, que o acorapanharara em grande .procisso
ate eathedral, indo S. Exc. debaixo Uo pallio, i
que carregavam os Srs. vereadores do municipio.
Era todo o caminho desde o arsenal at a calbe-
dral enloaram-se os caticos appropriados.
Os Srs. vice-piesideote, chefe" de polica e
coronel commandante das armas esperaram S.
Exc. Revm. na igreje.
No Terreiro de Jess em frente cathed'ral
eslava postada urna guarda de houra de 100 pra-
cas com baodeira e msica commandada por um
capito I
No desembarque o Revm. Sr. conego deo
recitou o seguinte discurso :
Ao mais humilde dos membros di corpora-
co capitular cabe agorj a distincla satisfaco e
honra de ser o orgao da mesma, e em nome'del-
la saudar, e felicitar V. Exc Rvm. pela sua fe-
liz chegada e boa vinda esta diocese que Uo
anciosamenle o esporava para enchugar-nos o
pranto, que ainda lhe banha as Taces pela fatal
perda do magnnimo, amavel e nunca essaz cho-
rado prelado, de quem V. Exc. Revm. dignis-
simo successor. Hendemos, pois, gracas ao Se-
nhor Deus das misericordias por nos ter deixado
ver o dia venturoso para a Sede Primacial, con-
gratulando-nos com V. Exc. Revm. pela acerta-
da escoiba do supremo padroeiro, e aisim damos
parabens toda melropole por tao transcendente
felicidade.
Recebeu S Exc Rerm. e acompanhou-o
igualmente debaixo do pallio o Exm. e Revm. Sr.
bispo do Para D. Antonio de M a cedo Costa.
-t Muilo povo soguia o prestito. Ao entrar na
eathedral, feita a ceremonia do asperge, S. Exc.
Rerm. dirigio-se ao altar do Sanlissimo Sacra-
mento, onde feila a oraco, voltou para o altar-
mr o ahi de joelhos aaaistio o Te-Deum lauda-
mus, que o dero eoloava logo que appareoera
porta. Findo este magestoso cntico e preenebi-
das outras solemnidades, lomou S. Exc. Revm.
assenlo aob o docel e seguio-ee o sermao profe-
rido pelo Revm. padre mestre Fr. Raymundo
Nonnalo da Madre de Deus Poetes, que na ver-
dade fui urna peca oratoria digna do Ilustrado
autor e do objecto. Agradou geralmente e hou-
re em todo o auditorio sigoaes msnifestos de ap-
plausos.
Acabado osermo, concorreram todos cum-
prlmaotar o novo prelado que s as 8 horas da
tarde pode sahir da eathedral para o seu palacio
acompaahado por ledo o clero, ordens religiosas
seminaristas e cabido.
No solio assisiiram durante as ceremonias os
Revms. Srs. couegos Lima e Innoceocio Ros.
O Exm. e Revm. Sr. bispo do Par estere
presente at final acompauhando o Sr. arcebispo
a o seu palacio.
O Sr. arcebispo trouxe o seu secreletio e o
seu capello. o
varios artigos
Segunda consta, S Exc. Revm. trio toma
posse por era do governo da diocese : demora-de
aqui um mez, rai i corte beijer meo 8. M. o
imperador, e agradecer-ihe a eseolha; ficar all
uos quinze dias. e rollar pera entrar em exerci-
do, continuando entretanto do governo do arce-
bispado ou o Revm. Sr. capitular, ou quem S.
Exc. Rerm. nomear para goreuador em sua au-
sencia. B
Hoje (29) as 11 horas da manha, na capilla
do palacio arcbiepiscopal haver a ceremonia da
tiadicio do pallio o Em. e Rerm. Sr. arcebis-
po, com eseisteaeia do cabido e clero. E' a in'
sigoia mandada directamente de Roma pelo-san-
to padre aos noros arcebispos; e 6 nesse mo-
mento que serao transmillidos S. Exc. Revm
os poderes metropoliticos. Officia aasle acto o
Exm. Sr. bispo do Para, revestido de hbitos pon-
tificaes. a
compondo-se, como nos aonos anteriores, da.
mascaras a cavallo e i p, procedidos 4a msica
da polica.
Escrerem-nos de Monte-Santo em ato de 11
do correte :
5. 0s *iv,eres vo baixando de prego ; a farinha
S&An* <,U"U' ^ milh8 a560' e'Jio
128000 e o arrox a 2$ A falta dechuves, porm,
faz suppor que brevemente teremos nova careslis,
porque as oras plsntages j comegam a per-
der-se, e pooca esperanga tomos de v-las pro-
gredir : e se lal acontecer o Deas aos nao ajudar
passaremos por crlse igual da Chapada, porque
aao temos recursos. >
NOTICIAS COMMERCIAES E MARTIMAS.
Montevideo, 16 de junho de 1861.
Cambio.Inglaterra, 40 lr> e 40 5j8 d. por peso
crrante.
*=Prancs, -81 -g-81 t2 frg. -por once.
Genova, 80 e 80 1 i2frs.
Frele?.Inglaterra, 40 sh. coarto salgados, 70
sh. ditos seceos, e fardos 30 sh. com 5 Oij de
capa.
Havre, 40 fr. couros salgados, 80 fr. ditos sec-
eos, e fardos 40 fre. com 10 0|O de capa.
Estados-Unidos, 1(2 A. por libra os couros sec-
eos, 1|4 el. os salgados, e 0% fardos 5 pats. com
5oiOdecapa.
DraeLCarne secca, 4 ra. para e Rio de Ja-
neiro, 5 rls. para a Baha, 6 rls para Pernambu-
C07 e pipas 3 Ii2 pats. com 5 q'0 de capa.
flueru>*-.4yres, 14 de/ua/u-oa:lS6i.
Cambio.Ioglaterra, 63 a 65 Ii4 slul
Franja. 81 li2 a 82fr.
O mercado ^le importago tem sido ltimamen-
te bem supprido, mas nem por isso houve nelle
mais actividade ; ao contrario, em consequencia
da situagao anormal em que se ada o pas, e do
prego alto das ougas, effectuam-se astraosacgdes
mais lentamente e a precos relativamente do-
rados.
Eis aqnelles a que renderam-se
as duas ultimas semanas.
Em deposito : agurdente do Brasil, a 70 ps. .
a pipa ; assucar de Perasmbuco branco, 17 Ii2
rls. por arroba, e masosvado 10 i|2 rls. ideo ;
sal do Cdiz a bordo, 12 rls. f. por fanga, e de
Cette, 10 lis. f. ilem ; vioho secee, 78 ps. f., e
de Brdeos 720 despachado.
Carne secca. Venderam-se apenas 16,000
quintaos ltimamente a 20 Ii2 rls. t para seccar
iramediatamenle.
Consta-nos que esta condico, muito importan-
te na estago actual, fui eatibelecida por lera
casa compradora querido correr o risco do mofo.
Ha em cerca de 100.000 quinlaes.
Couros salgados. Venderam-se 10.250 aos
precos seguintes: 930, de vicca. a 47 rls., 300
dem a 46 rls. 5,000 de novilho a 54 rls., 1.000
adem a 52 1(2., e 3,000 idem 1 52 rls.
Mencionamos as vendas pela forma porque se
realisarara aQm de se araliar o progressivo de-
preCLamenl do artigo ; e ostassez de dinheiru e
a difriculdade de encontrar frete tem contribuido
para essa baixa, acbaodo-se o artigo boje muilo
frouxo. '
Ha em ser 4,000.
Ditos seceos.Podem-se considerar insignifi-
cantes as vendas feitas era idago eusleucia
cresclda que possuimos, teoto as noticias que
trouxe o Sainlonge iolerrompko as trausacgdes,
que at sua chegada se eotaolaram com aigu-
ma animago.
Os couros cldssifkados soffreiam em geral urna
bnxa notavel; os para a Allemanha nicamente
sustentaram os pregos.
Apezsr disso. os pregos pagos pelos couros
classiQcago nao estao em harnonia eom os dos
uo elassifleados, embora se tome em cunta a ca-
rencia da rnoeda meullioa.
Nosuccede o mesmo com os couros mesclados
que soffreram urna depreciaco importante.
Para a Allemanha veoderam-te 3,009, metade
Tacca e oulra de no'ilbo, a 56 rls., ficando
4,000 em ser.
Para os Estados-Uoidos venderam-se
3,000 a 44 rls.
Ficam em ser 17.000.
Veoieram-se tambem alguna lotes de ntre-
nlos a 30 e 48 rls., caodo um avultado deposito
por terem-se depositado quasi todos os que che-
garam ltimamente ;..de Conintes 3,000 a 49
l I9, e honlem t r,a-: de Crdoba 4.500 a 5
50 e 49 rls.; e um lote do Rosario, de vacc*
novilho, a 55 \t rls.
Rio de Janeiro, 24 de Junho de 1861.
A inactividade que partida do paquete inglez
Oaexda notava-se em nosso mercado monetario
sustentou-se al hoje ; actuando, como naquelie
Jai, bouio elle as noticias desfavoraveis que te-
mos recebido, piincipalmeote dos Estados-Uni-
dos, de cajos mercados temos datas pelo pa-
qnete francez Barn al 14 do msio prximo pas-
sado.
No dia 14 abrio-se a 25 5r8 d. e cambio sobre
Londres para o Barn, sacando-se a esse algaris-
mo e a 25 MI d. sommas pouco importantes at o
dia 17, 00 dia 18, conhecidas as noticias qoe
trouxe .0 Barn, sacou-se a* 25 114 d. e d'ahi
desceu o cambio progressivamente a 251i8e
25 d.
as ultimas operacoes porm que fecharam -se
a esses tres ltimos algarismos ficou o cambio
mais firme em consequencia das rendas de caf
que se tem realisado em maior escala.
Sobre Franga e Antuerpia sacou-se aos extre-
mos ue 373 a 380 rs., sobre Hamburgo a 710 rs.,
e sobre Lisboa e o Porto a 114 0(0 a 90 dias.
Nao houve mudenga na laxa do descont.
As apolices geraes de 6 OO foram negociadas a
93 e 94 0,0.
Efectuarm-se algumas vendas regulares de
aeges aos pregos que abaixo mencionados.
Cambio.Sommam os saques effectuados para
o paquete francez Barn ;
Sobre Londres, Jf 350,000 nos algarismos des-
cendentes de 25 5/8 d., 25 i/2 d., 25 3/8 d., 25
1/4 d., 25 1/8 e 25 d., predominando os quatro
ltimos.
Sobre Pjiris, 600,000 francos a 373. 374 e 375
rs., na maior parle, e o resto a 378 a 380 rs.
Sobre Hamburgo, 350,000 m. b. a 710 rs.
Sobre Lisboa e o Porto regulou a tabella se-
guinte 1
117 0/0 ... vista.
116 0/0 ... 30 dias.
115 0/0 -. i 60
_ 1U X .... 1 90
Descontos.Nao houve alteraoao na laxa ante-
r ?,Wr*|n Pr Pernambuco : 16, o brigue
Uae,- 0, tnm*c* Htrltncia ; e 24, o bri-
gae Ohnda.
Acbava'se 1 esrga, o palhabote Dous Amitos.
PERNAMBUCO.
ipenas
r
or; conserva-se nos bancos a 9 0(0, e na praca
regularmente a 100)0, sem diffiouddade.
Apolices.Negociaram-se as geraes de 6 OO a
93 0|0, e ltimamente a 94 0(0.
Melaes. fiffectuaram-se vendas regulares de
ongas da patria aos precos ascendentes de 30a400.
3O500, 308600, 30700, 31 e 31100.
Colamos os soberanos de 10 a 109500.
Negociou-se o ouro em moeda nacional
quantias pouco avulUdas com o premio de
6 0|0.
Houve a seguinte exportago desse metal
mooda desde o dia 7 al hoje :
Para Brdeos, no saquete francez
*!......................... 17:000$O00
Para Lisboa, no mesmo............ 620JO00
Para o Porto, na barca porlugueza
Paria I............t............ 525Q90
em
4a
em
Hoje (29) s 4 horas da larde sabir do lauro
da Lapinha o bando annunciador dos festejos do
dia 2 de julho, e percorrer as ras o coeluoe,
, To*l............. 18:145000
Acgoes.Negociaram-ae asdo Banco do Brasil
a 77$ de pre mo de Banco Rurai e Hypolheca-
ne a 33 e 36 de premio, da Compaonta de Se-
guros Fiddidade a 1000 e 600 rj. de aremio, da
estrada de ferro de D. Pedro II a 46 de descon-
t, e da estrada de ferro de Pernaobuco a 70 de
descont.
Sahiram para Peroambuc : 7, a polaca boa-
panhola MtrceUta;, 4 8, a bausa heapaohola Ma-
ra Naiwidato ; 9, os bnguas Mario, a Alfredo
e rancez Belty ; 14, a barea perlugueza Far-
inosa ; e 23 o briguu Felicidad*.
Chegaram, procedentes da Peraambuco : i 14
o patacho Beberie, com 18 dias do viagem ; 15
a barca americana Elf* 00a 18; 17. o briarne*
esouna Vaaaa-a-rlaar, com 2x ; a .18, as barcas
americana Untan com 11 eiogleza Trautller,com
14i e* 20, as barcas Amelia com tO e Castro III
com 24, o brigue StU Irmaos, com 20.
Achava-se carga a brigue Eugenio, paraPer-
naubaco.
Cania, 28 de Junho de 1861.
Cambios.Sobre Londres 25 1|1, 26 d. por Ig.
Sobre Paris 370 rs. pur fr.
Sobre Lisboa 10 e 110 % premio.
Melaes.- Dobloas he^aoheee31 a 31*500 esc
da patria30500 a 3t|, idem.
Patoses brasileiroa8.
heapanhoes2.
-""'------- laWtlf a 1|ft80.
A REVISTA DIARIA.
Achavam-se de mez nos seguintes estabele-
cimenlos os Srs. mordomos da Santa Casa da Mi-
sericordia abaixo nomeados :
Dr. Antonio Herculano de Souza Bandeira, oa
casa dos expostos,
Dr. Haooel Ferrdra da Silva, no hospital Pe-
dro II.
Antonio Jos Gomes do Correio, no hospital
dos Lazaros. '
-**odTa 29 do passado coodiiloseus traba-
Ihos janla revisora da parochia da Boa-Vista
desta cidade.
Nos dias 18 e 25 do correle vo de novo a
prega porarrendamentoos predios do patrimonio
dos orphaos, sob as condigoes do regulamento, e
coofarme a alleragao ultimmente feila no mesmo.
Acha-se designado o dia 24 de norembro
futuro para a eleigo dos membros da assembla
provincial desta provincia.
Por acto administrativo de 27 do correte,
e em cumprimento da id n. 511 de 18 do mez ul-
timo, foi resolvido que subsistam dos quatro de-
eonislas da repartigo das obras publicas os Srs.
Bernardino de Oliveira Coragem e Francelino
Amerioo de Albuquerque Helio.
O referido acto presidencial, quanto ao dese-
nhisla Manod Antonio de Souza, reaalra-lhe o di-
reilo de representar ao corpo legislativo, m de
ser atlendido como fr de justica.
Foram recolbidos casa de detengo, como
cmplices no roubo eito ao negociante Jos
Duarte das Neves, os seguintes individuos :
Manod Honteiro Braga, branco, casado, idade
de 34 annos, porluguez, estatura 4 ps e 10 po-
rgadas, roslo comprido. corpo, nariz e bocea re-
gulares, barbado, cabellos castanhos e corridos,
olhos pardos, prosso caixeirb, mas por ora des-
empregado, morador na casa da ra dos Pescado-
res n. 9, pela quil se commumearsm os celebres
moradores da casa visinba n. 7.
Nao conhece nenhuas dos individuo?, que fre-
quenlavam a sua casa, e por ella diariamente ea-
travam para a casa j citada.
Antonio Manoel Pereirs, porluguez, branco
solteiro. idade de 32 aonos, padeiro, corpo, na-
riz e bocea regulares, rosto comprido, cabellos
castanhos, olhos pardos, barbado, coobecido por
Antonio Caraes.
Chegou uo vapor Cruzeiro do Sul, o Sr. ca-
pito de mar e guerra Francisco Xavier de Alean-
tara, e tomn hootem conta do commando da es-
tago naval.
Acha-se nomeado o Sr. Io lente Collalino
Marques de Souza, secretario e sjudante de or-
dens do commandante da eslago naval.
Honlem Io de julho, o padre Jos Leite Pit-
ia Orligueira, reassumio a vara de juiz de paz do
ldistricto da freguezia do Recite, que havia pas-
sado ao seu immedialo em votos, por motivo de
molestia.
Foram reoolhidos casa de detengo no dia
28 do mez prximo Godo 7 homens livre&e 3es-
craros; a ordem do Dr. chefe de polica 8. inclu-
sive o escravo Manoel, perteocenle a Ignacio Pe-
reira do Valle ; a ordem do subdelegado de S.
Jos 1, que o escravo Pedro, pertencente a Vi-
cente de tal; e a ordem do da Boa-Vista 4, que
o escravo Felippe, de Antonio da Silrs Gusmo.
Foram recolbidos mesma no dia 29 do dito
mez 15 homens livres e 4 escravos ; a ordem do
Dr chefe de polica 7; a ordem do Dr. delegado
da capital 9, inclusive os escravos Daniel e Ma-
tbeus ; o Io pertencenle a Christovo Guilherme,
e o segundo a Joo Maria Seve ; a ordem do sub-
delegado do Recife 1 ; a ordem do de Sanio An-
tonio 1, que o prelo Claudino, escravo de Ma-
noel Ignacio de Oliveira Lobo; a ordem do de S.
Jos 2, inclusive o preto Carlos, escravo de Jos
de lal.
Passageiros do vapor nacional Cruzeiro do
Sul, viodo dos portos do sul:Antouio Joaquim
R. Medronbo, sua mi e 2 escravos, Manoel Viei-
ra. sua senhora e 3 escravos, Victorino Ferreira
Leite, B. Leopoldo de Souza Magalhes, Jos
Luiz A., Paulo Coln, Joaquim.J. de Carvalho Va-
rejo e 1 filhs, praca Joaquim Jos de Ssnl'Anna,
T. H. Corcho, Dr. Domingos M. Peixoto, Antonio
T. da Rocha e 2 escravos, Pedro Lopes de Arau-
II I
praga Senhorinho L, Wanderley, D. Fran-
Mana da Concelgo, Adolpho Tixtz Alie-
jo, ex-
celna
mb, Vicente e Joaquim, africanos lirres, Au-
gusto Xavier da Costa, Luiz Bernardino da Costa,
carJilao de mar e guerra Francisco Xavier de Al-
carllara, sua senhora, sogra, cauhada, l criada e
d 1?ura?s' Maria do* Ad08 Jequim Pereira da
Robha Lima, J. Simoes, Augusto Justino Muniz,
J. IGomes Pessoa, Miguel de Souza Lopes, Joo
Dulra de Pars, Paulo Justioiano Tarares, major
Joqutm da Conceigio, Eugenio J. Neres de An-
drsde, Francisco Pereira Basto de Amorim, Ter-
tuliano Cordeiro Ramos, Jos Francisco d'Alen-
car A.
Para os portos do norte :Dr. Jos Alexandre
Das de Moura, 2 soldados de polica, Faustino
Bandeira de Mello, soldado Manoel Antonio de
Oliveira, Francisco Antonio de Bcrja Pereira Cas-
J!e Cos,a e 8ua ""Iher, Candido Jos de
galhes, Fernando Ribeiro do Amaral, Manoel
Ignacio Coelho. D. Loureoga Francisca de Salles
Leal, 1 filha, 2 netos menores e 2 escravos, Ma-
noel de Jess e Silva, Jesuino da Invengo, Jos-
qrttm Francisco da Costa, Jos Venceslao Perei-
ra, teoente Joaquim G. Souza Coelho, 1 cabo e 1
aospegada. 1 soldado e 1 ex-praga soldado Ray-
mundo Jos Vieira.
Passageiros do brigue ioglez Valid, sahido
parao Canal:Roberto Grey, William Speece.
i"7 Pa,sfe,,r lo hiale nacional Santo anna,
vindo do Ass : Manoel Piolo Pereira, Duarle
(xongalves Valente Jnior.
J.T Passageiros do vapor braslero Cruzeiro do
sul, sahido psro os portos do norte :Padre Bo-
nifacio A. Pereira Lemos, Auna There^a, Jos
Joaquim Das do Reg, Antonio Nogueira Para-
nagu, Adolpho Muller, John PermvarneEde, Dr.
Antonio Manoel de Medeirose 1 criado, Antonio
travasso da Rosa e 2 escravos, bacharel Jos J.
ae Morsas Navarro, Casemiro Euzebio de S Pe-
gado, Juvencio Miguel da Costa.
Passageiros do vapor francez fiearn, sahido
para a Europa :-Frederico Guilherme A. Tapem-
beck e sua senhora, padre Antonio Pinto Vieira,
levando em sua companhia Bernardo Martins
Lardoso e Luiz Monteiro de Faria, commendador
Domingos de Souza Leo e sua familia, Paschoal
Coucinas, Miguel Aullo, Francisco Accetlo. An-
tonio Atitunes Lobo, Antonio Joaquim Seve, F.
Jos Aires Guimares, Hermann Niemeyer, A.
fcveillard. sua senhora e 1 fllho, Vicente Falce,
Dominico Geffoni. Vicente Importa. Bean Impor-
ta, Vctor Importa. *
Matadocro publico.
Mataram-se no dia 28 do corrente para o con-
sumo desta cidade99 rezes.
No dia 29-128 ditas.
No dia 30-112 ditas.
No dia Io de julho120 ditas.
MORTALIDAOK DO DA 29.
Manoel, frica, 50 annos, escravo, solteiro,
I!oa-\ isla ; ttano.
Rite Catharina de Almeida Castro, Pernambu-
co. 70 annos, viuva, Boa-Vista ; hepatite-ehro-
Maria do Carmo, Pernambuco, 24 annos, sol-
leira, Santo Antonio ; pericardiie.
Pedro. Pernambuco, 40 annos, escravo, soltei-
ro ; apoplexia.
Eustaquio,
hydropesia.
Din 30
Francisco, Pernambuco, 1 anno, Santo Anto-
nio ; sarampo recolhido.
Antonio, Pernambuco, 15 das, Santo Antonio
encephalite.
Arlhur, Pernambuco.
Vista ; couvulses.
Benedicto do Rosario, frica, 74 annos, soltei-
ro, Boa- Vista rdyarrha.
Mana Rosa Pereira, Portugal, 29 annos, casa-
da, Recife ; heruorrhegia.
Mara da Paz da Cooceico, Pernambuco 44
annos. viuva. Boa-Vista ; hepatilechronics.'
Antonio Manoel. Parahiba, 20 annos, solteiro.
Boa-Vista; dyarrha.
Manoel, Pernambuco. 12 an aos, solteiro. es-
cravo, Recife ; molestia de peilo.
Manoel Jeronymo da Conceigo. Pernambuco.
40 annos, solteiro. Boa Vista ; hydropesia.
Da Io de julho.
Theodors, Pernambuco, 13 mezes, escrava.
Boa-Vista ; gastro-interite.
Anna Joaquina do Espirito SaDto. Pernambuco.
70 annos, viuva, S. Jos; gastro-interite.
Joanna, Pernambuco, 7 das, escrava, 6*Jos;
espasmo. '
Anna da Cruz, Pernambuco. 45 annos, solteira
aanlo Antonio ; um cancro interior.
.ItoKBoa'-vSto-^'-^ aD0S' e8CraT'
6 mezes, escravo, Boa-
1ABELLA do rendimeoto da alfandega de Pernambuco no
mez de junho do corrente exercicio, comparado com o
deiguaes mezes dos dous ltimos annos
IMPORTACO.
Direilos de importago para consumo.
Ditos addicionaes de 5 0/o..............
Ditos addicionaes de 2 */..
Ditos do baldeago e reexportago............."*.".
Ditos de baldeago para Costa d'Africa........'.[
Expediente dos gneros eslrangeiros naregados
por cabotagem..............................
Expediente dos gneros do Paiz.........'.'.!'.!.!!!
Expediente dos gneros lirres..................,',
Armazenagem das mercadorias
Premio dos assigoados..........
1860 1861
DESPACHO MARTIMO.
Ancoragem......................................
Diroitos de 15 % das embarcarles estr'angeiras
que passam nacionaes........................
Ditos de 5 % na compra e renda das embareacoes.
EXPORTACAO.
Direiios de 15 % de exporlago de pao Brasil.....
Ditos de 5 % de exportago........-..............
Ditos de 2% de addicionaes.....................
Ditos de 2 % de exporlsgo......................
Ditos de 1 % do ouro em barra..................
Ditosde X % os diamantes....................
Expediente da Capatazia.........................
INTERIOR.
Multas............................................
Sello do papel | Dxo ;....................
r r (proporcional....................
Imposto dos despachantes........................
Emolumentos...................
EXTRAORDINARIA.
a
Receita eventual..*.................
307:6159437
37:6l9j068
106745
1139000
493*019
1:579$B16
43035
2:546*582
876J74B
2:681{?550
259*000
29:851692
lt:94g642
125288
1181S340
332*616
635$0O0
114*278
568*750
850,000
9303
-1859 a 1860
Dhimos da provincia das Alagas................
Dizimo8da provincia da Parahyba...............
Dizimos da provincia do Rio Orande do Norte....
Contribuido de caridade...................
398:627*609
3-334*554
420*772
370*566
__ 638*068
403:3918569
267:894JJ814
42*793
783gl68
766*314
1108010
3:326*909
457*817
1.866*110
4*000
369*975
23:463*068
470*090
I
258*996
491*200
1368620
425*600
65*000
300:931*884
1:943*989
1-701*699
792*505
325S060
305 695*137
1858 a 1859.
417:426*313
797*375
789$226
387*000
2:1408945
4:3308728
3:253*050
369*450
432*000
70:156$637
28:062*655
5S8*775
261S234
546,3820
2658256
256|250
31*440
1538175
530:249*079
4:599*307
335*157
58*320
279*863
535:521*726
Alfandega de Pernambuco 28 de junho de 1861.
O 4* escripturario, BaziiioB. Furtado.
Coiiimunicados.
Por mais que eu quizesse conservar-me as
raas da modestia nao me foi possivel, e de mais
um motivo poderoso me induz a laucar mo da
penna para patentear^o publico o procedimenlo
se um ingles, infelizmente chefe dos trabalhos
da linha farrea em Aripib.
'Base ingles, por sssenda mal creado, chama-
se Alfred Saas, tendo eu de ir at Minas-To ras,
o 8r. Jos Soaree Pinto Correia Juaior negoci-
ante na rilla da Sacada pedio-me para que eu
eolregaesa urna carta ao tal Sass, cuja tioba por
objecto solicitar o importe do qoe esse cognac
lhe era dedor, cuja carta lhe entrguei em ca-
sa do Sr. Eslil em Minas-Noras sendo testemu-
uhas o mesmo Sr. Eslil, Sr. Garnier, e Sr. Miguel
empregados nesse ponto a linha frrea, em res-
posta dessa carta, disae-me por elle
responde a seu credor da maneira que responden
o Sr. Alfred Sass, um velbsco tratante, e ludo
quanto pode degradar a repuUgode um hornero.
Leitores, estas toscas lionas sao teem por Hm
seno dar a conbecer ao publico a pessoa do Sr.
Alfred Sass, para que todos conheoendo escusem-
se de negociar com semelhante..............
Recife, Io de julho oe 1861.
Domines Jos Vieira Braga.
mer que queria um bate respondendo-lhe eu
qoe eslava promplo a fatc-lo pois tinha ordem
para isso, disae-me que a* depois elle mesmo
vnha para a Basada conclua dito negocio
com o Sr. Seares, foi a doSr. Soares passou. No dia 23 de junho An-
do tornando s ir a Moas-Novas, Tai a cala do
tal osarme reesbendo-me da maneira msis
grossaira, in,ultuu-me Kt poderowmanle co-
mo proro com teslemunho de um companheiro
de aiafsm e da um cargueiro que
- conduzia mi-
artas a^s^s-vk ^^^t^,]^p&^
25 o TSerde guerra Pedio Jl, com 2 msio. jantemsote eoobeciiJo, q** qu.ndo uaT flor1
O conseliaeiro Autraai e e concuo
de nSlez no Callesrio das Artes
Tendo sido recoaheoida pelo governo geral a
minha caoacidade profesional para o eosino da
nagua ingloza, em o aviso do ministerio do impe-
"a a0 de afi;o8t0 do "DD0 Passado, segundo se
edacommuoicago que em 31 daquelle mez e
anno me dirigi a secretaria do governo desta pro-
1.p- m-.A,aquil T8i 'baixo lcripta, apceseold-
0 *\Jt?_ me Primelro concurso para preenchimenlo
da raga existente no Cbllegio das Artes, e fui em
consequencia proposlo pelo Exm. Sr. director da
racaldade na conformidade da disposigo do srt.
n) do regulamento complementar das aulas pre-
paratoria. *"
O goraroo imperial, porm. allendendo talvez a
qe em urna provincia importante, como esta,
era possivel eocontrar-se algum candidato por-
reniura mais capaz ainda do que elle j me con-
siderara, quiz, por assim dizer, chama-lo i mos-
trar-so tal no segundo concurso, a que mandn
proceder.
E' visto que corra para mina o dever de ins-
crever-me pela segunda vez ; e entao Uve a feli-
cidade de encontrar um companheiro, o meu col-
lega Hermllo Duperron, a quem o titulo de ba-
charel foi sufficiente para lazer presumir sua ca-
pacxdade profesional, como foi para mira alm
daquelle aviso do gorerno.
A commisso julgadra, presidida pelo conse-
Iheiro Autran, e composta dos dous f laminado-
res, o engeoheiro Nery Collago e o guarda-mr da
alfandega Luiz de Cirvalbo, e de mais dous dig-
nos e Ilustres lentes da Faculdade, o Dr. Braz
Florentino Heoriques de Souza e o Dr. Jos An-
tonio de Figueiredo. a nenhum de nos considerou
digno de proposta, feriado assim o espirito do re-
gulamento citado.
Devo, pois, justificar parante o publico Ilustra-
do, se nao a mim mesmo, em quem se postergo
as lea da justiga, a cuja reputago foi cobarde-
mente fenda por quem, nao obstante a idade,
mal sabe o que ella vale, pelo menos aquella pri-
meira proposta ao governo imperial e a nomea-
?ao para a regencia uterina dVssa eadeira de in-
glez, feitas ambas pelo Exm. Sr. risconle deCa-
maragibe em miobe peasoa, como se v abaixo.
Como para mira a forga moral de semelbante
decisao s poderla resultar da conviecio dos erros
que por ventura tenha eucoramettido as minhas
proras escripias, e nao coohecendo por outra
parte disposigo alguma de lei, qne prohiba ao
candidsloteras eerdes de suas provas, dirig
no dia 22 do correnle as conselheiro Autrao a pe-
tigao, que se l abaixo, no intuito de publica las,
justificando-as palarra por palavra, como ainda
promello faze-lo. logo que as conseguir do gover-
no, com a coosciencia que tenho dos motivos
igocbeis, que delerminaram essa injusgs, que
seu lempo virei denundar perante e publico
Nao representerei o papel ridiculo, que em
outros lempos representou nesta cidade o iheolo-
go Collago, quando dasaQuou o engenheiro Wau-
txer, nem disputarei ao guarda-mr da alfande-
ga as bellezas de sua lingua polida em Oxford,
d onde Irazendo lambem um titulo, desprezoo a
este por amor daquella ; mas pedir-lhes-bei so-
monte, que aponlem ao publico os muitos erros,
que dizem conterem as minhas provas. (as cal-
cadas, como as calcadas dizem muitas oulras-
cousas.)
Pretenda f*ze-lo j, como era do meu dever..
Entretanto o cooselheiro Autrao, cuja imparcia-
hdade proverbial fez. ha poucos diss. conceder
aos candidatos do ultimo concurso da Faculdade,
as respectivas cerliddes das provas escripias,
at (fazendo elle o papel de secretario) conferi-
las com os originaes sempie com imparcialida-
de, agora em seu despacho baixo transcripto en-
contrn lei para uegar-me essas certidoes 1
Pois bem. Sr. cooselheiro! j que me nega as
minhas certidoes, jaque nao tem coosciencia do
que faz, e do que julga, por ora enlender-me-hei
sjcom S. Exc. E, quando o governo, a quem j re
quen essas;certidoes, m'as remelter com o attesta-
do.Jem que V. Exc. abonando a minha capadla Je
professiooal na lingua ingleza. confessa ter-me
convidado por muitas vezespara examioar no Col-
legio das Artes, prometlo-lhe faze-lo entao corar,
se anda disto for capaz, dizeodo claramente a ra-
zao porque, sendo cinco os julgadores, s pego
contas a tres, que valera bem um conselrieiro, e
quaes sao os motivos nore. porque este coose-
lheiro assim julgou este, e tem julgido muitos
concursos I Nos nos entendemos. Esperemos
pois, meu conselheiro. E no entretanto v o pu-
blico sabeudo logo que nao sou um charlato, que
ignorando a lingua ingleza, pretend ser nomeado
proessorsem exame ; porgue nao aceito ojulga-
mento ultimo, a que presidio em maioria o con-
selheiro Autran, diaole de quem todos sesentem
fortes!
Queirsm, Srs. redaclores, dar publicidade a es-
tas liohas de seu constante leitor
Jacinlho Pereira do Reg.
Recife 27 de junho de 1861.
DOCUMENTOS.
4.a secgo. Secretaria do governo de Per-
nambuco, em 31 de agosto de 1860.
Pela secretaria do governo se communica ao
Illm. Sr. Jacinlho Pereira do Reg, que, segun-
do consta do aviso do ministerio do imperio de
20 do correte, foi S. S. dispensado das provas
de capacidade profissional, afim de poder entrar
em coocurso para o prorimento da eadeira de
mglez da Faculdade de Direito desta cidade.
O secretario,
. Jo Rodrigues Chaves.
O visconde de Camaragibe. grande do imperio do
conselho de S. M. o Imperador, director da Fa-
culdade de Direito do Recife, ele.
Usando da altribuigo que me concedida pe-
L ar" i do re8u,aaieDl0 daa aulas preparatorias
das vacuidades de Direito do imperio, teoho nes-
ta data nomeado, para a regencia interina da ea-
deira de inglez, emquanto durar o impedimento
do respectivo substituto, o Sr. Jacinlho Pereira
do Reg, o qual lera direito a urna gratificscao
correspondente metade dos vencimenlos "do
professor, na forma do art. 29 do citado regula-
mento.
Secretaria da Faculdade de Direito do Recife.
15 de oulubro de 1860.
Visconde de Camaragibe.
Preslou juramento e entrou em exercicio nesla
data.
Secretaria da Faculdade de Direito do Recife..
lo de oulubro de 1860.
Passos Jnior.
Registrada a fls. 16 do lirro competente. Era ut
supra.
Passos Juaior.
Regtstre-se e proceda-se ao assentamento.
Thesooraria de Pernambuco, 3 de norembro de
1860.
J. Daptista.
Pica registrada a fl 157 do lirro competente.
Secretaria da thesourara de fazendade Per-
nambuco, 3 de novembro de 1860.
Luiz Francisco de Sampaio e Silva.
Na 3a secgo da contadoria da thesourara de
Pernambuco se fez o compleme assentamento
aos 5 de novembro de 1860.
,,, Penna.
Illm. e Exm. Sr direclor interino da Faculda-
de de Direito do Recite.O bacharel Jacinlho Pe-
reira do Reg, tendo sido rejeitado no 2o con-
curso, a que se procedeu para preenchimenlo da
vaga da eadeira de inglez do collegio das Artes^
precise a bem de seu direito, que V. Exc. se dig-
ne mandar ao secretario, que d so supplicaole
por certido: Io o theor da proposta, que no Io
concurso o Exm. Sr. viaconde de Camaragibe fez
como director da pessoa do suppllcante ao gover-
no imperial; 2* o contedo integral das provas
escripias com a deciso escripia e justicads da
commisso, segundo o disposto no art. 79 do re-
gulamento complementar das aulas preparatorias-
3 se a commisso foi unnime em todas as par-
les d'aquella deciso.
Outrosim rem o suppiicante requerer V. Exc.
que se digne fazer-lhe entrega dos documentos^
que na occasio do 2o concurso o suppiicante
confiou V. Exc. em attengo ao Anal do citado
art. 79. E assim pede a V. Exc. deferimento.E
R. Me.Jacinlho Pereira do Reg.
Recife, 22 de junho de 1861.
Deferido quanto ao primeiro pedido, iodeferido
quanto ao segundo e terceiro pedidos por se op-
porem lei; quanto ao quarto, j foi salisfeito
pela entrega que j flz ao mesmo suppiicante dos
documentos que me confiou no dia do concurso,
e sellado esto reqoerimeato volle para a assisna-
tura.
3 Recife, 28 de jinho de 1861.
Dr. Autran.
(Estavam sellados.)
Pubiicagoes a pedido.
Gabinete portasnez de leUiaraf,
Sam offender a quem quer quo seja, resolve-
mos boje appellar paca os socios effectivos deste
estabelecimento simplesmente de leiiura, afim
de que se entre em urna diseusso franca e mo-
desta, acerca da boa ou m applicacio do titulo
com que foi creado e ha sido conserrado, ou, so
o deInstitutolhe peder caber sem que os
autores de tal mudenca possam ser laxados de
raidosos. E se alguem julgar inconveniente esta
diseusso pela imprensa, lhe responderemos que
desgragadameote e em face das desagradareis oc-
currencias que ho lido lugar em diversas seseoss,
ella pode ser mais calma e regular oeste lar-
reno.
Em nossa humilde opioio, os promotores de
lal mudanca merecem o justo titulo e epitheto
de raidosos, porque sao elles os Srs. Domingos
Jos Ferreira Guiraaraes, presidenta do errase-
Iho, e Francisco Ignacio Ferreira, secreUrio do
mesmo, ambos baldos de babilitecoss nece-
sarias.
Consta-nos qae estas senhores apa'rinham a
sua vaidade com a respeitavel opioio dos Illms.
Srs. Drs. Soares de Axavedo, Ierres Baadeira
Heoriques Ferreira e outras notabilidades em
materias soisoUficas; mas a ato rtapeito nos
julgamos habilitados a dar-Ibes um desmentida
solemne, podendo ao contrario affirmir -que tata
k
,


*1*K) D* MUUMKJttfc te TEK^A FE1RA 1 M JUtBOD* 19M:
aenhores reprovam, e nem posm deixsr de rs-
prova tal inaotagao. Emprszamoi por tinto
os senhores reformadores para que de conti
propria austeotem a sus opioiao. discutiodo eom -
noaco tal nateria era termos habis e decentes,
certos de que assim o acompaohareraos, mesmo
a descobertose o quizerem, e do contrario carao
os Srs accionistas convencidos de que os taesre-
tnos Joras carecera absolutamente da capacida-
de necessaria para demonstraren as venta gaos da
mudaiiga, e muito mais dos meios de a verificar
e por este motivo que falsamente recorrem a
autoridade dos j mencionados litteratos. sendo
que por assim o fazerem bem, merece ser con-
siderados por............
. Estamos convencidos que estes e outros
incidentes da mesma ordem, vio cavando a ruina
do estabeleci ment, e por isso convidamos a to-
dos os Srs. accionistas que de veras desejam a sua
conservacao, a reflectir maduramente neste as-
sumplo, para que despiezando iniouages e
precon coitos, votem livre e couscienciosamente
em tal materia, quando for convocada a assem-
bla geral.
Assim o espera
O accionista.

a o anu versarlo do faMevimen-
to de Franklin Martins de
Suuza Carvalho, ofTereeida aos
seus amigos e em particular
ao Sr. Basilio Buptisti Fur-
tado.
J um anno se tem marcado em "a ne-
gra lista da morte! I j um anno que bai -
xou a sepultura Franklin Marques de Sou-
za Carvalho, victima de urna erisipella,
que nao cedeu aos cuidados de sua cari-
uhosa mi, nem dos disvelos de seus nu-
merosos amigos, que nao pouparao esfor-
cos a fin de combaterem a terrivel enfer-
midade que o atiuava.
Elle era bom christo, bom fllho a roe-
Ihor amigo, porm nada disto lhe vsleu ;
i enrabio no da 28 de juoho de 1860, as
9 horas da ooite, cora 2 anuos de idade,
(uando ludo para elle ara bom, quando j
pareca surgir um futuro risonho e fe-
Ihe
iz. Mss a morte, a destruidora (ta huma-
nidade ceifou urna vida tao preciosa ; des-
carregou sobre Frankiin o seu fatal golpe ;
eisque elle surcurabio nos bracos da sua
"ariihosi mae e de seus mais dedicados
migos I. Mas a pobre mae nao p Je por
ito lempo supportar a cruel separado
l_u,m fllho que amava estremosamente,
e dahi a poneos mezas tambem suecura-
bio ; seus numerosos amigos cirpera anda
hoje a terrivel separago de um amigo de-
dicado, e as pessoas que o con necia ra de
perto seniora a verdadeira saudade daquet-
le que s viveu para fazer bera 1 I Frauklio
na raansu dos justos aoode habitas com a
tus. carinhosa mae, lembra-te que na trra
d-ixastes amigos, roga ao denominador dos
cos que se compadeca dos que habilam
esta trra de infelicidades, de tormentos e
de tristezas....
/. da F. Silva,
R ecife, 28 de juoho de 1861.
COHIHEMCIO.
Readimento do
AJfandegra,
lal.....9045&144
Hoviunealo da alfandegra.
Volumes entrados com fazendas.. 154
> > com gneros..
Volumes
>
sabidos
I
com
com
fazendas..
gneros..
94
------248
44
72
116
de
Descarregam hoje2dejulho
Polaca hespaohola Chrooometro carne
charque.
Polaca hespaoholaEsmeraldaidem.
Sumaca hespanholaArtillaidem.
Mate brasileiroRosadiversos gneros.
Jliate brasileiroBeberibeidem.
Barca inglezaGaugestriihos de ferro.
Bngue inglezSpyfazendas.
Bngue ingleEliza Jankenscarvao.
Brigue francezBettyvinho.
Polaca hespaoholaVctorvinhos.
luiportacao.
Hiate nacional Nicolao I, viudo de Macei,
consignados Prenle Vianna & c., manifestou o
seguate :
11 saceos gomma. 156 molhoscom 3,120 pellos
de cabra ; aos consignatarios.
32 molhos cominos, 1 sacco com 197 chapeos
de palha de carnauba ; a Cunha & Irmos& C.
50 couros salgados com 46 arrobas : a Bernar-
dtiio Jos Monteiro.
205 alqueires de sal ; a ordem.
Hyate oacional Beberibe, vindo de Penedo
consignado a Luiz Burgesde Cerqueira, manifes-
tou o seguinte:
139 alqueires de milhoa granel, 14 sacco com
trelo de arroz ; a Francisco Luiz de Oliveira
Azevedo.
30 latas oleo de ricino ; a ordem.
Hyate nacional Rosa, viudo do maranho, con-
signado a jos Baptista da Fonseca Jnior, mani-
festatou o seguioto :
1 caixa reodas, ntremelos de algodo, bico3,
sapatiohos de lo, meias de seda, Otas diversas'.
Iuvas de algodo etc. etc.; a Prente Vianna & C.,
100 caixas massas ; a Antonio Lopes Rodrigues!
1,468saceos com fariohade mandioca; a ordem
de diversoe.
Hyate nacional Sant'Anna, vindo do Ass con-
signado a Gurgel & Irmcs, manifestou o seguinte:
262 alqueires sal ; aos meamos.
Cter nacional Erna, vindo do Ass, consigna-
00 ^ore'ra & Ferreira, manifestou o seguinte :
83 couros salgados, mais 2,000 ditos curtidos:
a Jos da Cuoha Porto & C.
177 alqueires sal ; a ordem.
Vapor nacional Cruzeiro do Sul, procedente
do Rio de Janeiro, manifestou o seguinte :
10 caixas rap ; a Pinto de Souia & Bairo.
1 caixo chapeos ; a Joaquim de Oliveira Maia.
1 caixa papel piolado ; a Jos de Vasconcellos.
1 caixo charutos ; a Jos Leopoldo Bourgard.
1 caixole merendonas; a Jos da Cunha Jnior.
1 caixa joias ; a Paulo Cohm.
2 caixotes charutos, com 220 caixinhas ; a Rai-
mundo Carlos Leite.
1 dito com 160caixinhas de charutos ; a Pal-
meiro & Beltro.
3 caixotes rap, com 390 libras ; a D. Alves
Uatheus.
228 rollos e i caixole fumo, 6 ditos, 7 volumes
e 2 pseotos cha, 2 caixas leacos, 1 pacote msi-
cas ; a ordem de divsrsos.
Hyate nacional Sanio Amaro, vindo do ass,
consignado aCaetanoC. da Costa Moreira, mani-
festou o seguate :
420 alqueires de sal e 1 garsjo eom peixe ; a
ordem.
10 sacco com 35 arrobas de cera de carnauba ;
a Hermino Ferreira da Sil v a.
Exportacao.
Dia 28 de junbo.
Patacho portuguez Maria, para Lisboa, carre-
gararo:
Antonio Ferreira Monteiro, 300 saceos com
1,560 arrobas de assucar.
Viu'a Amorim di Phos, 200 saceos com 1,000
ditas da dito.
Feliciano Jos Gomes, 156 saceos com 790 di-
tas dito.
Joao Pedro Rodrigues, 090 saceos com 8,950
'ditas de dito.
Domingos Rodrigues de Andrade, 133 couros
-com 3,444 libras
eeebedorta de rendas Internas
fferaes de Pernambnco
Readimento do dia 1.....1:595)054
dente, alcooletc................
Dito de 7 01o do mel.......
Dito 2 01o idem do algodo expor-
tado ...............
Dito de 17 rs. por libra de couros
seceos, verdes e espichados.....
dem idem de 5 idem dos mais
gneros exportados.......
Capatazia de 320 rs. por sacca de
aigodao exportado .......
Dcima dos predios urbanos .
Sello de herancas e legados. .
2 por cento de meia siza de es-
cravos..............
Escravos exportados .,............
Emolumentos de polica.....
10 por cento de novos e velhos di-
reilos dos empregados provin-
ciaes..............
Dito de 12 0(0 sobre tojas reta-
Iho, ele-........"......
Imposto de 4 por cento sobre di-
versos estabelecimenlos........
50# rs sobre casas de modas,
perfamsrias, lojas de chapees
etc........................
20 01o do consumo d'aguardente .
Multas por infraccoes.....
Restituicoes o reposigoes....'.
Imposto sobre carros, carrocas e
mnibus........................
Dito de 2 0(0 sobre os "premios
maiores del:0f)J000..........
Taxa do que trata o art. 111 da iei
n. 369..............
Juros da decima.......
3:999*210
3359618
996*598
936S666
428*940
4328000
48.539S470
4:9958197
3.1848511
2:703aO00
36*000
511865-1
2:223*480
676*648
300*000
19J500
176*495
567*539
378*000
209*000
34*800
3*110
90:753*152
Cruzados novo*
LUbos. .
Porta. .
Rio deJaaeii*
Amstardam. .
Hamburgo ,
Pars. .
: .
Mesa do
de 1861.
consulado provincial 29 de junho
O 2o escripturario,
lisses Cokles Cavalcanti de Mello.
BOLETIM.
LIVERPOOL. 8 DE JUNHO DE 1861.
Importagio.
Livres de direitos para o vendedor.
Gneros. Prego*.
Aigodao de Pernambuco por lib.:
Bom.
Mediano..
Ordinario. .
dem da Bahia, bom. .
Mediano .
Ordinario .
Idem do Maranho, fibra longa
Alcntara .
Itapieur .
Caxias .
dem de machina bom .
Mediano .
Ordinario. .
Assucar por 112 do Rio, b. .
I.ouro .
Mascavado
dem de Pernambuco branca.
Louro :
9 3|4d
83|4d
81(4 d
8 3|4d
8 1(2(1
8 1|4d
10 d
9 1i4d
8 3|4d
8 3j4 d
8 1|4d
7 3(8 d a 8 d
25|0 a 30|
24i0 a 24|6
20|0 a 22t6
25|0 i 30|0
23,6 a 2410
20|0 a 23|0
25;0 a 30)0
23(6 a 24 iO
20(0 a 23t0
1|10
Mascavado .
dem da Bahia e Macei b. .
Louro. .
Mascavado .
Balsamo de cupaiba por %, claro
Turvo. 1|9
Borracha por r, fina. 2|0
Mediana. 1|9
Ordinaria 1|5 a 1|6
Cabeca de Negro 1|2
Strnarabv 1(1
dem lio Ctar, pelles.
Serna mby. 1 [2
Cacao, por 112 libras:
Para bom.....62|0 a 63j0
Bahia, .....52|0 a54|0
Caf, por 112% Rio l. sorle. 57|0 a58i6
Segunda a. .
Escolbido .
dem da Bahia primeira sorte.
Segunda
Escolhido .
dem do Cear.......; 55j a 62~[
Castanhapor 112 % do Para d. 20|
Cebo por 112 a do Rio Grande
Bom e duro.. .
Mediano. .
Escuro. .
Cera de carnauba, por 112%. .
Chifres, por 123 % de vacca .
De boi. ...
Cinzas de ossos por tonelada:
Branca. '. .
Prela .
Clina por % de cavalio .
de vacca .
Cobre velho, por Ib.....)1[2j
Couros por % do Rio,
Seceos de 30 a 35 b de 20 a 24
de loaros, 35 a 40
dem do Rio Grande, por Salgados.de 65 a 70%.
de 45 a 50
de tacca 40 48
Cavalio, seceos 10 a 13
S. nm 6i0 a 7[
dem salgados, 23 a
30 .....8|6 a 10(
dem idem, 16 a 20 dem de Pernambuco, Bahia,
Alaranho e Para por s
Seceos salg., 26 a 30 %
espichados 16 a 20 fi
Curtidos 7 al9 s .
Molliado* salgados, 40
a60lbi...............
dem do Cear, Parahyba e
Macei por .. .
Secos sulg. 30 a 32 ft. 7 112 d 8 d
Mulhados s,45 a 50 5 d a 5 1(2 d
Cumar. por libra hora. 1(3
Ordinario 1|0
Estanho por 112 Ibs.....95i0
52| a 55[
60[ s65i
53 [ a55(
50| a 511
55[ a 60(
54|
53| a 53|6
40( a 46t0
75i a 80[
15| a 25|
10( a 15[
4 10[a5
3 tOj a 4 0|0
7da3[
9 da 1(
9 d a 10 1[2 d
9 d a 10 d
8 d a 9d
61|2ds7d
6d6 1|2d
6 d a 6 li4 d
7da7 3(4d
8d a 9 d
9 d a 10 d
5 da 5 11-2 d
Gomma ou buch de peixt por $
3(10 a 4(0
3(3 a 3i6
2,4 a 2,9
4(0 a 4(1
3[3 a 3(9
2(6 a 3|
3(0 a 3[3
2(8 a 3|0
2,0 a 2t6
'0(9 a 2(0
20 a 5f 25
X 16 a 21
33
13
12(
55|a 601
4( a 45|
Gurojuba, Ia qutlid
2 dita. .
3a dita. .
Pescada. Ia qualidade
2* dita. .
3* dita. .
Piriaba, Ia uta
2* -lita .
3a dita. .
Bagre, 1a qualidade .
2a dita .
Jacaranda por tonelada do Rio.
dem da Bahia. .
Gerzelifa, por quarleirao .
Piastava por 2240 Ib. do Para.
da Bahia.....
Pixdrim, por 1121b. bom .
Salsa parrilha por libra boa. .
Inferior .....
Tapioca por 112% Rio superior.
Ordinaria ....
Crue por % do Para bom n.
Fundos e Cambios.
Fundos ioglezes.
Banco de Ioglaterra (aceces) Por 0(0232
Consolidados.....3 <)0 3|4 a 90 718
Reduzidos...... 89 7(8 a 90
Fundos novos.....
Estrangeiro.
Belgas..... 4 i |296 a 99
Brasileiros .... 598 a 100
4 1|2 87 a 88
Dinamarquezes .... 3 82 a 84
Bespanhes...... 3 511(2
Di Heridos 3431,2
Passivos. 316lt2 a 17
Hollandezes.....2 1,2 64 a 65
..... 4 99 a 100
Mexicanos...... 3 22 li4 a 22 1[2
Portuguezes 1856 1857..) _i7<,s.iH
W59.. 347H2a 48
> 1653... 347 112 a 48
Russo....... 5 103 a 103
......4 1(291 a 9i
tuco do Franca (accies). It. 2895
Fundos francezei. 4 li 96,30
* 1 68,80
Metaos preciosos.
Ouro cm barra.. .P. osea 77(9
. 5 1 j
Ciabioi.
. 90 d. d.52 3(8 a 59 f r2
55|8s5*3i4
n. 60 d. v.-41(3 a 94 *
.3m. d. 12al21i2
-13.9
. 35,67 342 a 25,721(9
: 3d. v. 25,35 25.40
N iVIOS A* CARGA PARA O BRASIL.
CearAriel14 de junho.
ParaTit Bit90.
demShark30.
PernambucoFlor de S. Simao12.
demN. E V. A.12.
demEothusiart15.
demZooe12.
MaranhoEdward Bonstead
Numerario.Em 16 do passado mez o banco
de Inglaterra elevou a tasa do juro a 8 Oi0>
Aigodao.Entraram este anno, at 7 dO cor-
rete, 1.851,368 sacoas, incluindo 37,010 do Bra-
sil. As vendas no mesmo periodo montam era
1,596,400 saocas, incluindo 27,970 ; e Ucara em
ser 1,147.600, incluindo 8.250 saccas de Pernam-
buco, etc. ; 3,950 da Babia, etc., e 9,000 do Ma-
ranho, Mercado Arme.
Arroz em casca.A quantidade regula 100,000
aos precosque cima cotamos.
Assucar.As vendas montam em 23,300 saceos
aosprecos de 21,3, 91(4 1(3 e 22( pelos de
l'ernambuoo ; 21(6 a 91(9 peio de Parahiba;
21(10 1|2 pelo de Macei, e urna carga de 7,000
saceos de Pernambuco, em viagnm a 22[.
Azeite de Palma.Vendas 795 toneladas de
& t a 45. Em ser 1170 toneladas.
Afeite doce.Vendas 795 toneladas, aos
preces de 3f 60 a S 52. Eor ser 4,220 tone-
ladas.
Cinzas d'ossos.As vendas andam cerca de 600
toneladas a precos mais reduzidos
Couros.Nao tem havidos trausacgdes dignas
de se mencionarem ; mas as que hoveram foram
a preces baixos
Jacaranda.Em 7 do correte, venderam-se
430 toros do Rio aos precos de SB 16 a S 30,
realisando um termo medio de SS 22 5i por tone-
lada.
Csf.Vendern-se 220 saceos do Rio de
571 a 58[.
Castanha.H pouca, mas tem declinado no
prego que hoje regula de 271 a30( por barril
Marlim.Tem baixado.
Queijos londrinos.Velhos 86[.
Quijosflamengos.S para agosto que ha-
ver dos novos em estado para-seren exportados.
Piassava.Venderam-se 10 toneladas a S
17 2(6.
Sarro de vinho,Vinte blrricas a 53(.
REVISTA COMMERCIAL.
LISBOA, 12 DE JUNHO DE 1861.
Precos correntes dos gneros de imporlacao do
Brasil.
Aigodao de Pernambuco. Dito do Maranho
Dito do Para......
Dito de Angola.....
Assucar de Pernambuco b. c
Dito mascavado .....a
Dito do Rio de Janeiro m. o
Dito da Bahia b ...
Dito dito mascavado
Dito do Maranho branco ..,
Dito dito mascavado......
Dito do Psr bruto ...
Dito de Cabo Verde.....
Agurdente de canna do Brasil P
Alpisla............A
Arroz da India. Gda : ag
Arroz de Msranhao eParsup.
Dito dito bom .......
Dilo dito ordinario.....
Oito dito mivido.......o
Caf do Rio primeira sorte
Dito dito segunda dita. ...
Dito dilo lercuira dita ....
Dito de boa escolha. ...
Dito de Cabe Verde ..... d
Dito de 9. T. e Principe.
Dito da Angola......
Cacao do Para.......b
Dito da Bahia........
Dito de San Thom.....d
Cera amarella de Angola Dita dita de Benguela. ...
Cravo do Maranho......
Cravo de Girofe ......ar.
Chifres.......m
Couros tercos do Rio.....<
150
150
150
120
2000
1g500
l50
1*900
1*400
8
19650
i500
2*300
.
600
4*200
6*200
155
155
155
130
2^600
1S800
1*800
2*150
1*800
23000
1*750
1700
2*350
53*000
650
4*400
6*400
5600 6*900
59200 5*400
4gOOO
48300
39800
3*400
2*800
6J000
*
4*200
39200
3600
305
310
600
120
49000
39600
38000
69' Oo
4g800
4*400
3j8l)0
39300
3*650
310
355
700
140
60J000 809000
?ou-s*m a pouca emmecae erofranteriormen-
le lhe notramos, exeepcao das transactoes
effectuads para consumo, poucas form as que
tivaram loer durante o lempo que descu-
re raos
No mercada de fundo as transseedes foram re-
gulares, mas tambem con pouca aoimacSo.
Assucar.Entraram desde a nossa anterior re-
viata al hoje 235 calas. 81 barricas o 359 sac-
cas da Bahia ; 12 batriets a 7809 saccas de Per-
nambuco ; 788 btfrioas de Caho-VeroV, 2293 sac-
cas de Londres, 60 de Liverpool, 4 barricas de
Demerara, e 42 volumes de Saint Nozaire.
Tendo confio nado era pequea estalla a impor-
tacio deste genero de Inglaterra, os precos con-
servara-se muito firmes, principalmente para o
Brasil, cuja qualidade procurada.
Os suprimentos chegados de Pernambuco, e os
que anda se esperaos, nao tem influido no ani-
mo dos consumidores, que continuam compran-
do eom franqueza.
A existencia deste genero actualmente de
1322 caitas, 354 feixes, 2160 barricas, 26401 sac-
eos e 201 gigos.
Algodo.Continuaran) os compradores a sup-
pnr-se com o dos Estados Unidos importado de
conti propria ; observaremos porem que oestes
Mimos das houve urna venda de cerca de 160
saccas so mximo dasnossas colaces ; assim co-
mo que grande parte do nosto deposito embar-
cou para o Porto em resultado de traosacc.o feitas ha mais tempo.
As entradas consistiram em 409 fardos de New-
Orleans, e 70 de Liverpool.
Agurdente do Brasil.Desde a nossa ultima
revista nao tivamt importagao alguna.
Poucas trensseces tiveram lugar, e apenas no-
c8r*mos ombar1ue de ceres de 200 pipas para
S. Thom e portos da Costa d'Africa, conservan-
do os possuidores os precos com firmeza.
Azeite.Poucas vendas, e o mercado alguma
cousa frouxo.
Arroz.Entraram de Liverpool 2294 saccas.
As Iraosacces sao regulares, mas destioados ao
consume.
Alpiste.Ti vamos um supprimento de 111 sac-
cas de Vlaardiogen. Nao tem havido vendas.
Caf.Desde a nossa anterior revista at ac-
tualidade, importamos do Rio de Janeiro 214 sac-
cas e 2 barricas, ate Luanda 10 saccas, de S. Tho-
m 510, de Cabo Verde 122, e de Liverpool 100.
As pequeas remessas que lomos tido tem feilo
com que os possuidores sustenten! com firmeza
os elevados precos que cotamos, porem os con-
sumidores esperando alguma baix<,compram com
owi'.U reserva, e s dopois da chegada do Rio
Ave de S. Thom, e de outros navios que se
esperara do Rio de Janeiro se flxar definitiva-
mente a posicio deite genero;
Cera.Os supprimentos chegados foram de
195 gamella] de Loanda, 624 de Benguella e 63
de Mossamedes.
Pouco a pouco se tem reduzido o deposito
que f nao se eleva a mais de 1700 gamellas ; e
as partidas ltimamente vendidas obtiveram a
melhora de pregos que se nota em nosss a cota-
Qoes; \
Cacao.S temos a notar a entrada de 93 sac-
cas de S. Thom.Insignificantes transacQoes ti-
veram lugar para consumo, e por isso os precos
poderu repnlar-s come nominaes.
Couros.Nesta ultima semana venderam-se
para reexportarlo os espichados da Bahia, e para
o consumo os espichodos ae Angola. Os com-
pradores conservam-se sffastados do mercado.
As entradas foram de 1471 da Bahia, 438 di-
tos e 1060 meios desollado Pernambuco, 4733
do Maranho, 705 de Loanda, 908 de Benguella,
214 de Mosamedesj 172 de Cabo-Verde, 203 da
Madeira, 331 da Ilha das Flores, 431 de Gibral-
tar, e 324 de Tnger.
Gomma copal. Poucas transacees. A im-
porlagSo foi de 186 volumes de Benguella.
4*400 : Gomma do Brasil. Entraram 49 paneiros de
4*500 Pernambuco, e 311 do Maranho.
Tfavto sabido no mesmo dia.
ArfC8jr hiata brasileiro nvencivel, capilao
Jos Joaquim da SHva ;. carga varios gneros.
?- ?.?. Msroiai W"e ioglez Valid. capi-
rao Wtlliam Sack ; em lastro.
Liverpool barca ingleza gonila, capitio Odo-
nelf -r carga assucar.
Navios entradot no dia 30.
Assu 7 das, cter nacional Emma, de 32 to-
nelladaa, capilao Joao Autunes da Costo, equi-
pagem, carga sal, e mais gneros ; a Moreira
K Ferreira.
A*? 9di"*' hiat8 nacional Sania Anna, de
43 loneiladas, capilao Joaquim Antonio de Fi-
guetredo, equipagem 5, carga sal e mais gene-
ros ; a mesmo capilao.
5"e 24 horas, gatera ingleza Margarit, de
4Zd tonelladas, capitio Joseph Frigomog, equi-
pagem 17, carga assucar, a Sjunders Bro-
thers 4 C ; veio receber ordens.
Navios sahidos no mesmo dia.
lerw-York patacho americano L. C. Vallo
capitio I. O. Dubois ; carga ferro,
'ortos do Norte vapor brasileiro Crnzeiro do
Sut, coraraandants, o capilao de mar e guerra
G. Mancebo.
Navios entrados no dia 1.
lio de Janeiro o portos intermedios5 dia? va-
por francet Bearn. de 1173 toneladas, com-
mandanteA. de la No, equipsgem 128, cares
diversos gneros ; a Tesset-frere c< C.
Santa Helena13 dias, brigue dinamarquez aFin-
gal. de 183 toneladas, capitio K. Trimont,
equipagem 10, em laslro ; a ordem.
Sumatra80 dias, galera americana aMonterey,
de 430 toneladas, capitio Thomaz E. Smith.
equipsgem 17, carga piraenta, ao capilao ; veio
refrescar e receber ordens.
Navios sahidos no mesmo dia.
Lisboapatacho portuguez Maria da Gloria,
capitio Antonio de Barros Valente, carga as- I
sucsr e agaardente.
Bordeaux e porlos intermediosvapor francez
oBearn, commandanto A. de la No.
Observarlo.
Fundeou no lamario o brigue nacional Olin-
da, mas nio teve commuoicacio com a trra.
m
aV
Ru da Cacimba.
g 7sa l?Irea------'*..... 3009000
bb dem dem............ 1228000
67 dem Idem.............. 8t*08O
Ra dos Burgos.
* V8a l^reB.......-w 905*000
69 dem dem.........T. 1259000
Ra do Vigario.
72 Sobrado de 2 andares.. 602*000
Rua da Senzala Velhe.
79 Sobrado de 2 andares.. 753*000
80 dem idem............ 753000
Si ?,M '?rrea............ 1919000
82 dem idem............ 200*000
84 dem dem............ 1623000
., Rua da Guia.
84 Casa terrea............ 1868000
n4 Rua d<> Pilar.
91 Casa terrea............ 162*000
As arrematarles serio feitas por lempo de don
Bonos e II raezes a contar do I." de agosto do
guintes alteragoes :
1.a Para garanta das arremataces dos predfo
bastar um fiador, o qual dever Provar que pos!
sue na cid.de do Recife bens de raz livres de*-
embaragados, cujo valor cubra o da arieraa-
a.^n(i?Ufiena<>J9eexij*m dos "dores letras da
quantia da renda arrematad.
3.a Que os arremataute sejam obrigados a ter
Uropas e acetadas as propriedades do
c

c
<
<
t
c
c
a

por cuja renda se responsabilizar, bem como .
Poucas vendas se tem effecluado, os compra-
dores esli sorlidos, e o deposito abundante.
Mclaco.Continuam fechadas as fabricas. Al-
gumas vendas para os Acores e para o consu-
mo teem sustentado os precos colados.
As entradas foram de 571 cascos de Pernam-
buco ; J35 barris do Maranho ; 20 cascos de
Londres ; 121 da Demorar 1 ; 15 da Madeira ; e
83a^arris de NewYork
rlim.Em apathia. Os supprimentos che-
613 de
S3;
147 217
Ditos verdes do Para 102 107
Ditos ditos da Bahi......d 147 167
Ditos ditos da Angola...... o 100 200
Dilos salgados do MaranhSo 152 fg
Ditos salg. de Pernambuco u 137 207
Ditos dit > da Bahia....... 122 132
Ditos ditos da Angola. .. o 160 170
Ditusdiloi de Cabo Verde. 150 160
Ditos ditos das Ilhas.....d 180 210
Ditos dilos mooros.. ..... 120 150
Cominbos.........i. 38100 39230
Denles de marlira lei...... 1*100 1$300
Ditos dilos mean........ > 1*000 1*100
Ditos ditos escravelho .... 500 1*000
Ervadoce..........@ 3*200 3*300
Farinha de pao......lq 700 750
Gomma copal amarellla e en-
carnada. ...... .
Dita branca ......
Dita ordinaria........
Dita do Brasil........
Melnco.........; P
Oleo da oapahiba......b
Ouruc.............i
Pimenta da India.......
Salsa parrilha superior.
Dita dita regular. .
5*000 5*200
2*200 2*100
19500 2*000
1*600 2*600
37*000 40*000
529000 54*000
100 140
130 140
(a) 183000 20*000
a 129000 16*000
Dita dita ordinaria...... 10*000 11*000
Tapioca boa..........@ 1*2Oo 2*400
Urzela de Angola e Beugus-
la superior........._q Dita de dita ordinaria s 8*000 10*000
Dita de Cabo Verde..... 8*000 10*000
Vaquetas do Maranho. .. urna 1*200' 29000
Dita de Pernambuco .... a 2$000 29 400
Exportacao.
Agurdente........ Alm.
Azeite doce........
Amendoa doce tm milo
Bauha do porco......
Batatas........... Ib.

D
M
A
A
f
A
Duz.
Cera branca em gruma.
Dita dita em velas ...
Ceblas.........
Centeio. .......
levada .... .....
Carne de vacca.....
. de porco a
Chouricos.......
Farinha de trigo. .
Milho..........
1 a 1os. ....... ...
Presuntos.......
BSnri ..... .
Trigo rijo do Reino. .
Dito molla.......
Toucinho. .......
Vinho de Lisboa tiulo .
Dito dito branco ....
Vinagre da Lisboa tinto
Rito dilo branco ......
CamUo.
Londres 90 d|d......54 3/4
6*200 7*000
396OO 3*900
4*100 4S300
3*600
280
400
420
460
420
360
12*000
209000
4*000
9*000
350
800
@ 4*000
Moio 1*400 19500
A 580 720
a 600 740
$ 3*700 3*900
P 90*000 96*000
a 115*000 120*000
P. 45*000 50*000
408000 45*000
380
400
400
330
320
Pari*100d|d.
Genova 3 m(d. .
Hamburgo 3 mid.
Amsterdam 3 mid.
Madrid 8 djv. .
Porto8d|t.
530
. .525
. .48
. 42 1/2
... 940
. pir.
Maltes.
. 8*020
144900
Conamlado provincial.
andlmeoto do di 1 5 693*980
RENDIMENTO DA KESA DO CONSULADO PRO-
VINCIAL BM O MEX DE JUNHO DE 1861.
A SABER J
Direitos de 90 rs. por ij) do as-
n.!uc?rParlao......... W:0*7f717
Dito de 20 rs. por caada d'aguar-
Portugoez sin aaoeda.
> Brasil.....d
Oac.a aospaaholas.
a americanas.
Prata em barra .... a
Patacas braeiloiras ...
Pesos calsanarios hstpau.
Pesos das ropablicas hosp. m
saaaiaaass ......
I Moedw ds ir. ,. >
77(5
77|7
77(8 a 78(
73(6 a 74|
60 3[4
58 344
59a79
J59 a 59 1(1
9 59 a 59 1(1
Pecas ds 8*000.... 8*020 8*040
Onca htspanholas. 144900 15*tO0
Ditas mexicanas. 14*100 14*200
Agolas ds ouro dos Esta-
dos-Unidos .... 48*250 18*400
Soberanos (a prata). 4*490 4*500
Ouro carceado (s ouro) .- 1*980 2*010
Patacas hespanholas 930 950
Ditas brasil airas ... 930 950
Ditas mexicanas 930 959
Cinco franco..... 875 885
Prata (marco)..... 7*950 8*020
Puados e aceto.
3 per osito ds atosaum. 47 a 47 1/4
Coopans......47 s 47 1/4
Divida dhTerrda 40 a 40 1/2
Banco do Faringal. 581*000 a
WU comiaoreial o Parta 358*800 a
Dito Mercantil do dilo 180*000 a
REVISTA COMMERCIAL.
De 11 amato a 11 de junho de 1864.
No reto siesta revista aosso mercado cooaer
597*000
860*800
262J800
gados foram de 24 ponas de Loanda
Benguella; e 144 de Mossamedes.
Salsa parrilha. Apenas o supprimento que
tivemos foi de 15 tardos de Gadiz.
Os precos podem repular-se nominaes pela
falta de transaeges.
Sal.Tem diminuido os embarques, e o mer-
cado fica alguma cousa frouxo.
Urzella.Temos a notar que a entrada d'este
genero foi oe periodo d'esta revista de 11 saceos
de Loanda ; 250 de Benguella ; 95 de Mossame-
des ; e 125 de Cabo-Verde.
A reexportaco d'este genero no mez passado,
anda foi mais diminuta que a do mez antece-
dente, e apenas mootou a 529 saceos, llcando
actualmente este genero completamente des-
presado. *
Vinhoi e vioagre. Teem-se feito embarques
de alguma importancia para o Brasil: e n'estes ; Antonio Ferreira de Annunciaco.
ltimos dias tem havido procuras para estes ge-
o> C -* 'O 0
w ts 0. S* V s Horas.
3
klhmosphera
en
en
Direeeo.
5 I
n
o
I Intensidad*.
vi
co
s
o
Fahrenheit.
os
03
-I

0)
vi
O
to
Csntt'orudo.

O
99
to
I Hygrometro.
I Cisterna hydro-
me trica.
io
O
~1
01
~1
O
<0
t Francez.
00 O
P
6
o
Ingles.
o
es
en
P!
ss
m p:
II
t-
c
c
Anoita nublada, vento SSE fresco que rondou
para o terral as i h. e 30' da maohs.
OSCILAQAO DA MAR.
Preamaras 11 h. 6' da manhaa, altura 6 p.
Baixsmar as 5 h. 18' da tarde, altura 2, p.
Observatorio do arsenal de marioha 1 de iu-
ho de 1861.
Boiano Stepple,
Io lente.
Editaes.
O Illm Sr. inspector da thesnuraria provincial
6m curapriraenlo de ordem do Exm. Sr. presiden-
e da provincia, manda fazer publico, que no dia
i de julho prximo vin Jouro, perante a junta da
azenda da mesma thesouraria, vai novamente
im praca para ser arrematado, a quem mais der,
0 readimento do pedagio da barreira da ponte'
lo Tapacnr, servindo de base a essa arrematadlo
1 ofTerta que fez o licitante Christovo de Dolan-
la Cavolcanti e Mello, da quanlia de 2.0965000
mnuaes.
A arrematacao ser feita por lempo de
anuos, a contar do Io de julho do
inno a 30 de junho de 1864.
As pessoas que se propozerem a esss arrema-
;ao compareQam na sala das sessoes da referas
unta, no dia cima mencionado, pelo raeio dia
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou aflixar o presente e
publicar pelo Diario. t
Secretaria da thesouraria provincial de Per-
nambu?,o,_27 de juoho de 1861. O secretario.
tres
crreme
eros;
Pernambuco.Soberano (brigue porluguez)com
100 barris de vinagre. 211 de carne,90 de azeite.
55 saceos de feljo, 400 barris de cal era pedra,
1161 caixas e 2 cestos de batatas, 504 molhos
285 caixas de ceblas, 1 sacco de cominos, 1
barrica e 4 meiss ditas de fructas seccas o 2 vo-
lumes diversos.
Constante (brigue portuguez) com 75 pipas,
384 birris e 42 aocoretas de vinho, 35 pipas e
85 barris de vinagre, 2 meias pipas e 186 b3rris
de aseite, 20 barris de carne ensacada, 250 de
toucinho,20 de baoha, 10 de chourigas, 384 lages
decantara, 125saccas de semeas, 300 de trelo.
10 de comiohos, 10 de ervs-doce, 50 barricas de
farinha, 4 de cera em grume, 100 barris de cal,
634 caixas de batatis, 90 de cera em velas, 77
de ceblas, 20 caixas, 174 quartos de ditas e 3
volumes de psssas, 24 volumes de drogas e 48
diversos.
Para.Fleur du Para (barra franceza) com 85
barris de vinho, 35 de vinagre, 45 de azeite, 25 de
toucinho, 5 de chouricos, 200 caixas de batatas,
6 de doce, 50 de cera, era velas, 152 barricas de
farioha, 6 volumes de drogas, 6 caixotes, 12 cai-
xas, 30 meias ditas, 132 quartos de ditas o 3 vo-
lumes de passas, 1' caixa de figos, 17 e meia
barricas deerva doce, 180 ancoretas de azeito-
nas, 20 barricas e 30 caixas de bacalhfio, 100
A cmara municipal do Becife em virlude
da ordem circular dogoveroo da provincia de 22
do correte, faz publico para coohecimento d
seus munielpes, que por aviso da secretaria de
I estado dos negocios da fazeoda de 4 desle mesmo
1 mez, se ordenara a thesouraria da fazenda que
procedesse nesta provincia a substituirlo das no-
tas de 100* e 200* primeira estampa, papel bran -
co, no tempo que decorrer de agora at o fim de
dezembro do anno corrente, comegando do pri-
meiro de Janeiro prximo futuro o prazo de 10
raezes para o descont meosal de dez por cento
no valor das raesraas notas.
Psco da cmara municipal do Recife em ses-
so ordinaria aos 27 de juoho de 1861.__Luiz
Francisco de Barros Reg, presidente.Francis-
co Canuto da Boa-Viagem, oficial maior servindo
de secretario. *
O Dr. Bernardo Machado ds Costa Doria, ofli-
cial da imperial ordem do Rosa, juiz de direito
da primeira vara do crime e especial do com-
mercio, interino, desta cidade do Recife, capital
da proviocia de Pernambuco, e seu termo por
Sua Magestade Imperial e Constitucional o Se-
nhor Dom Pedro Segundo quem Deua guar-
de etc.
Fago saber aos que o presente edilal virem, e
delle noticia tiverem, que no dia tres de julho
do correle anno se ha de arrematar por venda
saccas de farellos, 100 barris de cal em p. 13 quem mais d6r, em praga publica deste 1
caoastras de ceblas, 50 caixas de massas, 10 de na sata dos auditorios os bens seguintes: urna
massinhas, 1721(5 moios de sal, 2 surres de co-
minbos, 1 barril de presuntos, lOsaquiohos de
grao, 20 de feijo, 10de ervilhes, e 1 volunte di-
verso.
Flor do Vez (brigue portuguez,) com 180
barris de vinho, 10 pipas e 35 barris de vinagre
e 47 barris de azeite, 30 barris e 2 caixas de car-
ne ensaccada, 140 barris de presuntos e carne
ensacada, 40 de toucinho, 117 moios de sal, 80
caizas de cera em volas, 6 de figos, 150 de bate-
tas, 36 de massa, 24 de sebo da Hollanda, 400
barricas de farioha, 80 de bacalho, 300 molhos
de ceblas, 100 ancoretas de azeitonas, 12 barri-
quinhas de amendoa, 1 lata com 150 comas de
prata, 21 volumes de drogas e 54 diversos.
BARRA DE LISBOA.
Entrada.
, Maio 11 Boa F. Madeira, Maranho.
dem idem Soberaoo, Almeida, Pernambuco.
dem 16 Estremadure (v.) Trollier, Brasil.
Juoho. 1 Magdalena {.} Woolward, Brasil.
dem 9 Plorinda, Soaxa. Pernambuco.
Sahidas.
Maio 11 Maria da Gloria, Valente, Pernambuco.
dem 13 Ooeida (.) Beris, Brasil.
dem 14 Fleur da Para (oarca franceza], Albert,
Par.
dem 24 Constante, Reis, Pernambuco.
dem idem Flor do Vez, Santos, Para.
dem 29 Bearn {v.) A. da la No, Brasil.
Junbo 5 Soberano, Almeida. Pernambuco.
EMBABCACO'ES A'CARGA.
Pornambuco, briguos Bella Figueirence e Re-
lmpago.
Maranho.Patacho Trovador.
Para.Btigoe Ltgeiro.
MoTiiaetttod^pQfto.
Naifios eWrrfs iroHier.
Portos do Sul 5 dias, vapor oacional Cruzeiro
d Sut, oommandsuta ; o capilao da frtala G.
Mancebo.
Liverpool 42 dias, bares ingleza Colena, 127
toneladas, capitio Thompson, equipagem 11,
caras laceadas ; a H. Gyaaen.!.
mesa elstica de madeira de amarello, para jau-
tar, avaliada por 50#000seis cadeirasvJe jacan-
rand, avaliada por 30*000um bah de sola,
avaliado por 8j>000um dito de folha, avallado
por6JO00dous espelhos de molduras dourados,
grandes e em mu estado, avahados pordesesseis
mil risum banheiro de folha, avaliado por
5*000 um aparelho de porcellaoa para brinque-
do de meninos, avaliado por 3g000urna caixi-
nha de costura, avaliada por 10*000um lava-
torio com jarro e bacia e mais peiteoces, avalia-
do por 15*000um lavatorio do jacaoradi, ava-
liado por quinze mil ris,os quaes foram pe-
nhorados por execuco de Frucluoso Marlins
Gomes contra Joaquim Jos do Freir.
E nao ha vendo Uocadorquem cubra o prego ds
avaliacao, a arrematago ser feita pelo valor
de adjudicaco, com n abatimento da lei.
E para que chegue ao conheciraento de todos,
mandei passar editaes que sero publicados pele
imprensa e afiliados nos lugares do costume.
Dado e passado nesta cidsde do Recife aos
vinte de junho de mil oitocentos e sesseota e
um, quadragessimo da independencia e do Im-
perio do Brasil.E eu Afanoel liaria Rodrigues
do Nascimento, escrivo, o escrevi.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, manda fazer publico, que no dia 18 de julho
prximo vindouro, parante a junta da fazenda da
mesma thesouraria, vio novamente praga pare
ser arrematada, i quem mais der, a rendados
predios, abati mencionados, pertencentes ao pa-
trimonio dos orbaos.
Largo de Pedro II.
Ns.
1 Sala do primeira andar 180*000 por nao.
Rua do Imperador.
2 Sobrado de 2 andares.. 1.601*000 c
Rua das Larangeiras.
6 Casa terrea............ 204*000
Rua do Sebo.
12 Casa terrea............ 180*000 r
Rua do Rosario da Boa-Vista.
14 Casa terrea............ 301*000 c
Cea da Lapa.
40 Casa terrea............ 158*080
41 dem idem............ 182*000 o.
patrimonio
urim como s
urJiVn 1 i" emp0 ,nsPec'or da thesouraria
provincial dos reparos que se Qzerem, necesa-
rios para conservagao das mesmas propriedades
os quaes serao exec.itados por conta do patrimc
mo quando se verificar que os rendeiros e seus
fiadores nao concorreram directa ou indireeta-
raento para o delerioramenlo.
As pessoas que se propozerem a estas arreraa-
tagoescomparegam na sala das sessoes da mesm*
junta no da cima mencionado, pelo meio dia
competentemente habilitadas, leado lugar no di*"
11 do mesmo mez. -""-
E para constar se mandou afflxar o prsenle a
publicar pelo Diario. v
Secretaria da thesouraria provincial de Per-
nambuco, 28 de junho de 1861.O secretario A
r. da Annunciago. "
- O Illm Sr. inspector da thesouroria provin-
cial manda fazer publico, que no dia 25 de lulh
prximo vmdouro, perante a junta da f.zenua da
mesma ihesourari, vo novamente prac para
ser arrematada a quem mais der, a rutad dos
predios abaixo mencionados pertencentes a pa-
trimonio dos orphos. v
Rua do Pilar.
Ns.
92 Casa terrea............
93
94
95
96
97
98
99
100
101
102
103
104
105
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
ia>Hi............ 1725000
1(le">............ 253-3000
!dtm............ SSSfOOO
!dem............ 157*000
",er"............ 181*000
,dn'............ 2250O0
I'1*""............ 167JJ000
Idea dem............ 183*000
'''em............ 18IJSOO0
!'lerD............ 162*000
",et"............ 181JU00
!pP............ 172*000
,dem-........... 372*000
Estrada do Paroameirim.
\f\Uo................... 500SOOO
dem.. .............. 1203UOO
Estrada do Rosarioho.
3 Silio
dem
dem
dem
dem
dem
162J0O0 por anno.




a
a

a
a

a
312*000
Estrada da Muribeca.
4 S,lio................... 2125000'
Forno da Cal.
. Sltl................... 353S00O
As arremataces serao feitas pelo mesmo tera-
f'J 8?b as resmas condiges do edital atima.
tendo lugar as habilitago>s no dia 18
n.,hiP3ra C,QS se- mandou fflr o presente o
publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria provincial de Per-
nambuco. 28 de junho de 1861.-0 secretario, A.
r. da Annunciaco.
eciaraces.
Conseibo administrativo.
O conselho administrativo para fornecimento
do arsenal de guerra tem de comprar os objecto*
s&guintes :
Para provimeolo dos armazens do arsenal
de guerra.
500 caadas de azeite de carrapato.
2 arrobas de lio de aigodao.
500 vassouras de palha.
100 vassouras de junco:
Quem quizer venler taes objedos apresento
js suas propostas em carta fechada na secretaria
do CODselhn, s 10 horas da manhaa do dia 8 do
corrente mez.
Sala das sessoes do conselho administrativo^
para fornecimento do arsenal de guerra. 28 da
julho de 1861.
Bento Jos Lamenha Lins,
Coronel presidente.
Francisco Joaquim Pereira Lobo,
Coronel vogal secretario interino.
Novamente se faz publico, que se achara
depositados dous cavallos, um pedrs, outr
russo-pedres, sendo o I." tomado por suspeito n
acto de ser prese Antonia Jos do Cirmo, mora-
dor no Barro-Vermelho, e o segundo, que foi ne-
gociado por elle com Thom de tal, dono da co-
chera na rua da Florentioa, o qual est embar-
gado por este) ni o por se tornar suspeito de se-
rem ambos furtados, poisque dilo Antonio Jos
do Carmo ndigitido como traficante em furtos
de cavallos ; por tanto quem se julgar com di-
reito comparega, que, provando lhe sero entre-
gues.
Subdelegacia do \. districto da freguezia dos
Afogados 30 de junho de 1831.-O subdelegad
Jos Francisco Carneiro Monteiro.
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz pu-
blico aos propriotarios dos predios urbanos das
freguezias desta cidade e da dos Afogados que os
triota dias uteis para o paga maulo a bocea do co-
fre do segundo semestre da decima do anno fl-
nanceiro de 1860 a 1861 odam-se no dia 8 de
l'ulho corrente ficando sujeitos multa de 3 por
0|0 os que pagarem depois deste prazo.
Mesa do consulado provincial de Pernambu-
co I. de julho de 1861.Aotonio Carneiro Ma-
chado Ros, administrador.
Pala subdelegacia da freguezia de Santo
Antonio se faz publico que foi apprebendido em
mo de um rapaz" que andava oflerecendo por
venda um par de rozetas de ouro lizo : quem
elle se julgar eom dire'no dirija-se mesma sub-
delegacia.O subdelegado supplente, Manoel An-
tonio de Jess Jnior.
Tribunal do commerefo.
Pela secretaria do tribuual do commercio da
provincia de Pernambuco se fa% publico que nes-
ta data se inscreveu no registro publico do com-
mercio o contrato do sociedade celebrado em 16
de abril do correte auno por Augusto Caors a
Manoel Alves Barbosa, domiciliados e estabels-
cidos nesta cidade com casa de pharmacia e dro-
gas, sob a firma social Caors & Barbosa, deveodo
dita sociedade durar por espago de 4 snnos, coa-
lados da data do contrato, com o capital de>
50:0003, fornacidos por ambos em partes iguaes.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 28 de junbo de 1861.
Julio GuimaraesOBcial-maior.
Conselho administrativo.
0 conselho administrativo, para fornecimento.
do arsenal ae guerra, tem de comprar os objectoa
seguintes :
Para o 2 batalho de infantera.
4 caldeiras de ferro para 50 pregas.
4 caldeiras de ferro para 300 pregas.
32 fitas brancas para exercicios de esqueleto-
tendo cada urna 8 palmos da comprimen to.
38 Otas encarnadas para o mesmo e com as
mesmas dimenses.
Para o 9* batalho de iofantaria.
100 mantas de la.
8 pecas de fita encarnada eom 2 pollegadas de
(amura.
8 pegas de fita branca com 3 pollegadas de lar-
gura.
Para a fortaleza de Tamandar.
t pao parobaodotcs.
Para provimento dos armazens do alojo-
xarifado.
1 barril de verniz preto.
4 libras de potasas.
50 macos de obrejas.
U
A*.
~^


w
DUBK) DI WfiHilMDCO. ^- TRa FURA S D JLHO DE 181.
Para a companhia dos menores do arsena
de guerra.
1 eafeteira n. 5.
1 cbocolaleira grande.
(Juem quizer vender taes objectos aprsente
assuas propostas em carta fechada na secretaria
do conselho, s 10 rroras da manha do da 5 de
julho prximo vindouro.
Sala das sessoes do conselho administrativo,
para fornecimento do arsenal de guerra, 26 d
unho de 1861.
Bento Jos Lamenha Lint,
Coronel presidente.
Francisco Joaquim Pereira Lobo,
Coronel vogal secretario interino.
Pela admirjislraco do correio desla cidade
se faz publico, que em virtude da convenco pos-
tal celebrada pelos goveroos brasileiro e franeez,
serao expedidas malas para a Europa no dia 1.*
de julho prximo, de confurmidade com o anoun-
cio det Janeiro deste anno. As cartas serao recebidas at
2 horas antes da que for marcada para a sahida do
vapor, e os jornaes at 4 horas antes.
Correio de Pernambuco 25 de junho de 1861.
Domingos dos Passos Miranda.
Convite.
Por ordem do Illm. Sr. inspector da alfande-
ga sao convidados os Srs. aasignaotes da mesma,
am de renovar em suas flaneas, dentro do praso
de 15 dias, contados da data deste, de confor-
midade com a disposic.io do artigo 735 do re-
gulamento de 19 de setembro de 1860. Alfan-
dega de Pernambuco 22 de junho de 1861.
O Io e.-criplnrario
Firmino Jos de Oliveira.
Pela administragao do correio desta cidade
se faz publico para fina convenientes, que em vir-
tude do disposto no artigo 138 do regularnento
geral dos correios de 21 de dezembro de 1844 e
artigo 9 do decreto n. 785 de 15 de maio de 1851,
se proceder a consumo das cartas atrasadas
existentes nesta administrarlo e pertencentea ao
mez de junho do anno passado, no dia 2 de julho
prximo, as 11 horas da manha, ua porta do
mesmo correio, e a respectiva lista se acha desde
j exposta aos iuteressados.
Adnnislrac.io do correio de Pernambuco 27
de junho de 1861.O administrador.
Domingos dos Passos Miranda.
A companhia de cavallaria de Pernambuco
precisa coolratar fornecimentos para a cavalhada
no segundo semestre do correte' anuo, o qual
nao pode o fazer no dia 28 do mez crreme por
nao ter apparecido prelendentes, os gneros se-
guintes : capim a arroba, mel a garrafa, milho o
alqueire, e trelo a sacca, sendo todos estes g-
neros de boa qualidade e postos no quartel por
conta do fornecedor, cujas propostas serao entre-
gues secretaria da companhia no dia 4 de julho
pelas 10 horas do dia.
Qusttel no Campo das Princezas 30 de junho
de 1861.Manoel Joaquim Machado,
Tenente commaadante interino.
SOCIEDADE BASCARA-
Amorim, Fragoso Santos
Companhia
Sacam e tomam saques sobre as pracas do Rio
de Janeiro, Maranho e Para.
Conselho administrativo.
0 conselho administrativo, para fornecimento
do arsenal de guerra, tem de comprar os objec-
tos seguintes:
Para a phsrmacia do hospital militar.
12 arrobas de assucar retinado de primeira qua-
lidade.
48 libras de alcool de 36 graos.
4 libras de alumeo.
48 libras de agurdenle branca.
16 libras de altha.
1 aremetro de Baom.
1 aremetro centerimal de Gay-huwac.
2 arrobas de banha.
24 borrachas para iojeccoes, sendo 12 de 2 on-
cas e 12 de 4 oncas.
12 borrachas vulcanisadas para chlysleres, sen-
do 6 de 1 libra e 6 de libra e meia.
4 libras de cremortarlaro.
12 libras de cantharidas.
2 libras de casca de romas.
14 libras de cera amtrella.
4 libras de cicuta.
2 arrobas de cevada.
2 libras de centaurea menor.
1 libra de cytralo de ferro.
1 libra de carbonato de ferro.
2 libras de cal branca de mercurio.
1 caivete pequeo.
1 libra de extracto da alcags.
1 libra de extracto de guaiaco.
1 arroba de enxofar sublimado.
8 libras de flor de sabugo.
2 libras de folhas de vernica.
2 libras de folhas de verbasco.
2 libras de folhas do mangericao.
2 libras de folhas maogerona.
3 libras de folhas de ourego.
3 libras de folhas de anglica.
2 libras de folhas de funcho.
4 libras de folhas de hyssopo.
12 fundas para o lado direilo de boa qualidade.
12 fundas para o lado esquerdo de boa qua-
lidade.
6 fundas duplas de boa qualidade.
4 libras de fumarias.
4 oncas de hyposuluto de soda.
1 libra de iodureto de ferro em frasco azul.
4 arrobas de linhaca.
20 libras de malvas.
20 libras de mel de abelhas.
8 oogas de nitrato de prata fundido.
12 vidros de oleo de mintrugo.
5 oncas de oleo essencial de canella.
12 libras de oleo de ricino.
6 libras de pellas frescas de rosas rubras.
2 libras de pilulas de Blancard.
50 vidros pilulas de Vallet.
4 libras.de pastinhas deipecacuanha.
3 librae de paslilhas de ipecacuanha e morfina.
1 resma de papel paulado de primeira quali-
dade.
2 resmas de papel de embrulho.
1 vidro azul de 8 oncas de perchlorureto de
ferro.
2 arrobas de raiz de tormentilla.
3 libras de raiz de cahinca.
3 milbeiros de rolhas francezas.
30 fracos de salsa parrilha de Bristol.
2 libras de sarrafraz.
2 libras de scamonea.
3 libras de salva.
1 thesoura de um palmo.
30 libras de vinho tinto'de muito boa quali-
dade.
20 libras de vinho hranco de boa qualidade.
60 frascos de xarope de Chable.
109 garrafas de xarope de Hyposulfito de soda.
50 vidros de xarope de nafda Arabia.
60 garraias de xarope de espargo.
25 garrafas de xarope de degitales de Labe-
lonis.
2 resmas de pepel rotuladas pelo modelo jun-
to, sendo urna para medicina e ouira para ci-
r urga.
misericordia do Recita, manda fazer publico que
nao 66 tendo effeetuad hoje a arrenutago das
rendas da ilha doNogueira, ir novamentea pra-
ca no dia 4do prximo futuro mez de julho. Os
prelendentes devera orgaoisar suaa propostas e
remeite-las a esta secretaria em carta fechada,
do dia cima mencionado, as 4 horas da tarde.
Secretada da Santa Casa da Misericordia do
Recife, 27 de junho de 1861.
F. A. Civalcanli Cousseiro,
Escrivao.
A Illma. junta administrativa da santa casa
de misericordia do Recife manda fazer publico,
que no dia 15 do prximo futuro mez de julho,
pelas 10 horas da manha, na casa dos expostos,
far-se-ha pagamento as respectivas amas ; de-
vendo estas irem acompinhadas das criancas.
Santa casa de miseriordia do Recife 28 de ju-
nho de 1861.O escrivao,
F. A. Ca vj lea o ti Cousseiro.
Santa casa de misericordia do
Recife.
A lllma. junta administrativa da santa casa de
misericordia do Recife manda fazer publico, que
em julho prximo futuro eotram de mez no hos-
pital dos Lasaros o Sr. Antonio Jos Gomes do
Correio, na casa dos expostos Sr. Dr. Antonio
Herculano de Souza Bandeira, e no hospital Pe-
dro II contina o Sr. Dr. Manoel Ferreira da
Silva.
Secretaria da santa casa de misericordia do Re-
cife 28 de junho de 1861.O escrivao,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
G&ixa filial do banco do Brasil
em Pernambuco.
Por ordem da directora e em cum-
pl ment do disposto no an. 4 do de
creto n. 2685 de 10 de novembro do
anno indo, vai-se proceder dentro do
prazo de 4 mezes a contar desta data, a
substituicao das notas de 20$ da emissao
da mesma caixa.
Gaixa filial no Recife aos 20 de mar-
co de 1861.O secretario da directora
Francisco Joao de Barros.
O Illm. Sr. inspector da thesoursria pro-
vincial manda fazer publico, que do dia 2 do
correte por diante pagem-sa os ordenados dos
empregados provinciaes, vencidos no mez de ju-
nho prximo lindo. Secretaria da thesouraria
provincial 1 de julho de 1861.
O secrea rio
Antonio Ferreira d'Annunciaco.
mosa, de primeira marcha : para o restante di
carga e passageiros, para os quaes tem encllen-
les commodos, trata-se com Manoel Ignacio de
Oliveira & Filho, largo do Corpo Santo, escrip-
torio, ou com o capillo a bordo.
Rio de Janeiro
segu com toda a brevidade a barca Maihilde
por ter metade do seu carregamento engajado :
para o restante, trata-se com Manoel Alves Guer-
ra, na ra do Trapiche o. 14, ou com o capito
Jos Ferreira Pinto.
Baha.
se vendeio sem reserva de preco al-
gum : terca-feira 2 do corrente ai 11
horas em ponto no armazem d'aquelles
senhores na ra cb Trapiche.
DE
22 carrocas, 2 carros de qua-
tro rodas, carretes, carri- dessa loja.
AttencAo.
Fazendas baratas por todo
o preco para acabar: na ra
do Livramento n. 38; assim
como se vende a rica armacao
THEATRO
DE
Santa Isabel.
EMPREZA-GERMANO.
17a RECITA DA ASSIGNATURA.
Quarta-feira, 3 de Julho de 1861.
Subir scena o exeellente drama em 3 actos
6 6 quadros, original franeez,
0$ SEIS
DECR VOS DO CHIME.
DENOMINACO DOS ACTOS.
Acto 1.
Quadro IoA occiosidade.
Quadro 2As mulberes.
Acto 2.
Quadro 3oO jogo.
Quadro 4oO roubo.
Acto 3.
Quadro 5O assassinato.
Quadro 6oO cadafalso.
PERSONAGENS.
Julio Dormely.................. Germano.
Segu a sumaca' Hortencia, Capillo Belchior
Maciel Araujo ; para o resto da carga que lhe
filia e passageiros, trata-se com Azevedo & Mon-
des, ra da Cruz n. 1.
Baha.
A escuna nacional Carlota, capito Luciano Al-
ves da CoDceico, sane para a Bahia em poucos
dias ; para alguma carga que anda pode receber,
trata-se com Francisco L. O. Azevedo, na ra da
Madre de Deus n. 12.
Patacho portuguez Lima,
tendo de seguir viagem impreterivelmente quar-
ta-feira 3 de julho, roga-se aos senhores passa-
geiros vindos no mesmo patacho de vrem pagar
suas passageos na ra de Apollo n. 8, primeiro
andar, sob pena de serem devolvidas suas obri-
gaces para serem all recebidas dos
fa dores.
nhos de mo etc., tudo de
construeco americana.
Terga-feiraS de julho.
Anlunes Tender no Forte do Mallos arma-
zem do Sr. baro do Livramento, fortes e bem
construidas carrocas para um e dous bois, car-
retes de loriga duraco, carrinbos de mo e
dous lindos carros americanos para duas e qua-
tro pessoai. As 11 horas em ponto.
LEILO
Terca-feira 2 de julho as 11
horas em ponto.
Krabb Whately & C, faro leilio por Bler-
respectivos venco do agente Pinto, de 200 caixas com cer-
j reja (sendo 145 da preta e 55 da branca) do
llnnnnhn/ i Dikin't ; mais afamado fabricante em lotes a vontade dos
filill lilll r, I til I compradores, no dia p hora cima mencionado na
IMU1 UII1IUV tlUIUi rua d0 Tr8piche n. 17.
O hiato nacional Rosa esperado nestes dias,'
seguir com brevidade para os portos indicados,
para
Coiiiiiiiiaco do leilo
i o consgnala- DOS '
doVigarionu!Movis da massa fallida
Lisboa. deSijueira* Pereira,
O patacho portuguez tarto da Gloria, preten-; Qprtn-fpirn *% An rnvwnt*
i sabir no dia 29 do corrente por ter o seu car-1 MMU Vil a O UU LUrrCIUV.
regamento prompto ; para passageiros smente, ; Antunes por autorisaco dos depositarios da
trata-se com os consignatarios F. S. Rabello & massa fallida de Siqueira & Pereira, vender
, em leilo o resto djs movis que pertenceram
aquelles fallidos, tudo sem reserva de preco as
i 11 horas em ponto.
Tambem vender
' joias de apurado gosto ao correr do martello.
LEILO
por j ter parte do carregamftito aogajado
o resto e passageiros trata-se cora
rio J. B. da Fenseca Jnior, rua
mero 23.
de
Filho, largo da Assembla
Pechmcha chapeos a
Garibaldi.
Ricos chapeos de palha enfeitados da
ultima moda pelo baratissimo preco de
108 : na rua da Cadeia do Recife n. 84. _
rrectsj-se de urna ama escrava e que saiba
J? var e engommar: na rua do Arago n. 7.
@9w $
Furto
c

COMPANHIA PERNAMBUCtfA
DE
Navegacao costeira a vapor.
O vapor Persinunga, commandante Movra,
segu viagem para os portos do sul de sua es-
cala no dia 5 de julho as 4 horas da tarde. Re-
cebe carga at o dia 4 ao meio dia. Encommen-
das, passageiros e dinheiro a (rete at o dia da
sahida 1 hora : escriptorio no Forte do Hattos
n. 1.
DE
de
Para*
Segu nestes dias o palhabote
capito Ratis, ainda recebe carga
Caetano Cyriaco da C. M.
Gorpo Santo n. 23.
Sobralense,
a tratar com
& Irmo, do lado do
Carlos..........................
Fernando ......................
Miguel..........................
Francisco......................
ASra. Doucet..................
Luiza ..........................
Fanny..........................
Elomira.......................
Urna noiva ....................
La Chambre....................
Jos............................
Um agente de polica..........
Soldados, jogadores, etc.
Teixeira.
Baymundo.
Nunes.
Viconte.
D. Jesuina.
D. Manoela.
D. Carmela.
D. Julia Gobert.
D. Anoa Chaves
Santa Rosa.
Campos.'
Leite.
Terminar o espectculo
media em um acto,
com a graciosa co-
9
horas:
Comecar s 7 yi
THEATRO
ULTIMO
A
ESPECTCULO
BENEFICIO DO
Pharmacia du hospital militar de Pernambuco.
Medicina.
Leilo n.
Formula n.
Pharmacia do hospital militar e Pernambuco.
Cirurgia.
Leito n.
Formula n.
aif,
Quinta-feira, 4 de julho.
Luiz Pisler natural da Polonia, confiado na
generosa bondade do respeitavel publico desta
capital, tem a honra de offerecer-lhe pela ultima
vez os seus serrinos, e pedir-lhe a sua valiosa
proteceo.
Prego da entrada.
Camarotes Ia ordem.............. 6#O00
2a > .............. 80O0
Cadeiras............v............. 2&000
Platea............................. IJfrOOO
Nao ha camarotes de 3." ordem,
tudo galera ................ ljOO
Os bilhetes j se acham venda na rua Nova
n. 32, casa do Sr. Thom Lopea de Sena, e no
escriptorio do Iheatro.
Principiar s 7 horas e meia da noite.
Avisos martimos.
COMPANHIA PERNAIBiaiU
Urna offleina
marcineiro.
Quinta-feira 5 de julho.
Antunes far leilo de urna offleina de marci-
neiro muito bem montada, contendo todos os
prepares precisos para boa execuco de qualquer
obra de marcineina, a qual se vende sem reser-
va de preco no mesmo lugar da oflioina rua do
Imperador confronte a Sao Francisco, as 11 ho-
ras em ponto.
LEILO
DE
Navegado costeira a va|tolm armazem sito do caes
'! (TApollo n. 7.
Parahiba, Rio Grande do Norte,
cao do Assu', Aracaty Ceara',
Acaracu' e Granja.
O vapor Jaguaribe, commandante Lobato,
sahir para os portos do norte at a Granja no
dia 6 de julho s 4 horas da tarde. Recebe car-
ga al o dia 5 ao meio dia. Encommendas, pas-
sageiros e dinheiro a frete at o dia da sahida
a 1 hora: escriptorio no Forte do Mattos o. 1.
Para o Rio de Ja-
neiro
A veleira barca nacional Iris seguir com bre-
vidade. Para alguma carga miuda,
com Antunes Guimares & C, no forte do Hat ,
tos, trapiche do baro do Livramento o. 15, e branca udicial das lettras
para escravos, com os consignatarios Aranaga /! i i
hjo & c, trapiche Novo o. 6. emittidas na cireulac,ao pela
Quinta-feira 5 de julho.
Anlunes far leilo em se armazem n. 73, da
rua do Imperador, de um armazem de pedra e
cal, todo travejado. o qual tem 30 palmos de
trente e200 de cumprimenlo, sito no caes do
Apollo, no dia e lugar cima designado as 11
horas ero ponto.
Avisos diversos.
Os abaixos assignados
membros da commisso en-
io23! carregada de promover a co-
COMPAN 3RASILEIRA
PARA
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder cooduzir a qual deverl
ser embarcada no dia de sua chegada at as 3 .
horas da larde, dinheiro a frete, encommendas e 11)1 litara OS
passageiros at o dia da sahida as 3 horas : agen-
cia ruada Cruz n. 1, escriptorio de Azevedo di
Mendes.
Leiioes.
Para provimenlo dos armazeos do arsenal
de guerra.
3 caixas com vidos e 12 a 14 pollegadas.
5 arrobas de verniz crome.
5 arrobas de oleo de linbaca.
20 duzias de tabeas de louro de assoalho.
ti enchams de qualidade com 25 palmos ca-
da um.
2 mos travessas com 25 ditos cada urna.
Quem quizer vender Mes objectos, aprsente as
euas propostas em carta fechada, na secretaria do
conselho, s 10 horas da manha do dia 8 de
julho. prximo vindouro.
Sala das sessoes do conselho administrativo,
vara lornecimento do arsenal de guerra, 28 de
junho de 1861.
Bento Jott Lamenha Lint,
Coronel presidente.
Francisco Joaquim Pereira Lobo,
Coronel vogal secretario interino.
Santa*Casa de Misericordia do
Recife.
A Illma. junta Administrativa da santa casa de
Segu nestes dias para o indicado porto o ve-
leiro brigue-escuna Graciosa, capito Joo Jos
de Souza, por ter todo o carregamento contrata-
do, peder receber ainda algumas miudezas,
devendo para esse fim os prelendentes enten-
der-se com os consignatarios na rua da Cruz
n. 27, escriptorio.
Rio de Janeiro
O veleiro e bem conhecido brigue nacional Ve-
loz, pretende seguir com muita brevidade, tem
parte de seu carregamento prompto, para o reato
que lhe falta trata-se com os sena consignatario!
Azevedo 4 Mendes", no seu escriptorio rua da
Cruz n. 1.
Aracaty.
Para este porto seguir brevemente o hiate na-
cional Santa Anoa}: para o reatante da carga e
passageiros trata-se com Gurgel & Irmo. na
rna da Cadeia do Recife, primeiro andar, n. 28
Para Lisboa e Porto,
lahir con brevidade a barca portagaeza For-
LEILO
!PM& MU.
Variado sortimento de cadei-
ras, commodas de mogno,
solas, toiletes, lavatorios
etc., etc., e um piano.
Quarta-feira 3 de julho.
Antunes vender por conts e risco de qaem
perteocer na rua da Cruz do Recife armazem n...
variado sortimento de movis, como sejam com-
modas de mogno, lavatorios, toiletes, secreta-
rias e ama infloidade de objectos que enfadonho
seria mencionar : no indicado dia e lugar as 11
horas em ponto,
Leilo
O agente Hyppolito da Silva far leilio por
conta e risco de quem perteocer de urna porcao
de couros salgadoa avariados e de quartolas com
vinho Bordeaux e caixas de marrasquino em
bom estado : quarta-feira 3 do correata aa 11
horas em ponto, no Forte do Mattos armazem sl-
fandegado do Sr. baro do Livramento.
LEILO
O agente Hyppolito por ordem dos
Srs. Botris Bidoulac, tara' leilio por
conta e risco de quem pertencer de
urna porcao de lata*com tintas, as quaes
9
9
m


tbesouraria provincial nos a li-
nos decorridos de 1846 a 1848
de novo convidam aos Srs in
teressados a se reunirem no
dia 8 do corrente ao meio dia
Mpiims a mu. aS5Us
O vapor Oyapock, commandante o capito _
tenente Pedro Hiplito Duarte, esperado dos l'ar < JUe O naO COI11 pareCilliel-
portos do norte at o dia 3 de julho prximo, o1 art Ja nf,,00fl( jao /. ,nn
qual depois da demora do cosime seguir para l u" llliereaSaQO t|lie repre-
ul* sentem pelo menos dous ter-
cos da quantia ajuntada, na-
que se acharem
presentes a deliberar o que
julgarem acertado em prol de
sua causa Recife 1 de julho
de 1861. Manoel Joaquim
Ramos e Silva. Antonio de
Moraes Gomes Ferreira.
Adriano Xavier Pereira de
Brito.
Antonio Antunes Lobo, tendo se-
guido para a Europa no vapor Bearn,
e nao tendo occasiao de se despedir e
olerecer o seu presumo pessoalmente
a todos os seus amigos, vem por este
meio pedir-lhes desculpa e oTerecei-
lhesseu prestimo em Pars ou outra
qualquer parte d Europa.
Aranaga Hijo & C. vendem on-
cas de ouro : na rua do Trapiche Novo
n. 6.
Constando que o Sr. Pelaje trou-
xe urna carta de Gameleira para Bra-
ga Si Lima, por isso roga-se ao mesmo
senhor se digne annunciar a sua mo-
rada ou mandar entregar na rua Di-
reita n. 68.
Aluga-se o segundo an-
dar da casa n. 15 da rua do
Vigario: a tratar na rua do
Livramento n. 38.
O cartorio da fazenda provincial
foi transferido para a rua estreita do
Rosario n. 17, primeiro andar.
~ *
O medico cirurgico Antonio Jos Fer- #
reir Alves, muou a sua residencia para #
a rua do Queimado n. 10, primeiro andar. #
Na loja de marmore
Vndese muito barato*
\ Para senhoras.
I Ricos vestidos de seda moirantic.
i Ditos dito de dita grod-Cric.
i Ditos dito de dita babadinhos.
l Ditos dito de dita dous (olhos.
i Ditos dito de dita phaotasia.
i Ditos dito de dita bareja-babadinhos.
I Ditos dito de dita cambraia brancos bor-
I dtdos.
i Ditos dito de dita pretos tecidoa avellu-
dados.
Ditos dito de dous folhos babadinhos.
Riquisslmos vestidos de tarlatana brancos.
Ditos ditos de blondo para casamentos.
Ditos leques de ma4r Ditos ditos de sndalo.
Ricas pelerinas de renda e seda.
Manteletes do fil pretos.
Ditos muito ricos de velludo.
Ricos bournus beduinas para sabidas de
bailes e thealros.
Ricos chapeos de palha de Italia.
Ditos ditos de seda.
Golliahas, manguitos e camisinhas de to-
das as qualidades.
Saias bordadas de algodio.
Ditas ditas doJioho.
Ricas sombriohas de seda muito modernas,
Eneites de flores.
Ditos de troco.
Ditos de fita.
Para senhoras.
Casaveques de la.
Penles de tartaruga.
Ditos de bfalo com enfeile.
Ditos de dito serc enfle.
Chales de merino muilo modernos.
Ditos de cachemira bordados.
Ditos de touquim.
Ditos de froio.
Ricas mantas de blonde para casamento.
Cami'as bordadas muito finas.
Meias de seda muilo Unas.
Ditas de dita pretas finas.
Enfeite de vidrilho preto.
Ditos de ditos de cores.
Lencos de labirinlho.
Froohas de labirinlho.
Toalhas de labirinlho*.
Lencos de Unho bordados.
Gravatinhas muito modernas.
Plumas brancas e de cor.
Filas de seda de apurado gosto.
Franjas, cascarrilhas, tranca e rifa e fitas
eslreitas de seda.
Para homens.
Paletols de panno fino.
Ditos de cssemira.
Ditos de brim lona (brancos.)
Ditos de brim de cor.
Calcas de casemira de cr e de padroes de
muito gosto.
Capas de guta-percha.
Perneiras de dita.
Caigas de dita.
Capuchoes de dita:
Meias de cor.
Colleies de casemira.
Ditos de la e seda.
Ditos brancos.
Ditos de velludo preto.
Ditos de dito de cor.
Calcado Meli.
Dito de vaqueta.
Dito de duas solas.
Sapatos entrada baixa.
Chao eos de lontra.
Ditos de castor branco.
Gravatas de reno a a Garibaldi.
Ditas de setim.
Ditas de gorgurlo e seda.
Colarinhos dos mais modernos.
Camisas de linho inglezas. V
Ditas ditas francezas. I
Para meninos. 1
Ricos vestuarios de seda. 9
Ditos ditos de la. 9
Ditos ditos de fusilo. g
Ricas camisinhas bordadas para baptisado. g
Ricos sapatinhos enfaitados para bapti- $g
sado. @
Bonetes de todas as qualidades. q
Chapeoaiohos de palha de Italia. g
Casaveques de la. Qp
I Extracto de sndalo multo fino. q
? Essencia de sndalo muito fino. ^
Caixinhas de tartaruga. ej
Carteirinhas de apurado gosto.
Ricos jarros com banha. m
9 Um grande sortimento de riquissimos 2S
9 quadros a oleo. *,
9 Ricos transparentes para jaella.
9 Caixinhas muito ricas proprias para guar- *
9 dar joias. 9
9 Banha muito fina a Garibaldi. 9
V E outras muitas fazendas e perfumaras 9
9 que deiximoa de mencionar, por haver 9
um grande sortimento. 9
*
Arreada-se o sitio que foi da finada o. Ar-
chanja no Giqui, o qual tem boa olaria, grande
porgo de coqueiros2 viveiros de peixe e muito
terreno para plantacao e solta de viccas : con-
trata-8e no mesmo ou na rua da Imperatriz n.
47, terceiro andar, das 9 do dia as 3 da tarde.
A loja da bandeira |
Nova loja de funileiro da
rua da Cruz do Recife
numero 37.
Manoel Jos di Fonsecs participa a
todos os seus freguezes tanto da praca
como do malo, e juntamente o respeita-
vel publico, que tomou a deliberaco de
baixar o preco de tolas as suas obras, por
cujo motivo tem para vender um grande
sortimento de baos e bacias, tudo de
differentes tamanhos e de diversas cores
em pinturas, e juntamente um grande
sortimento de diversas obras, contendo
banheires e gamelas grandes e pequeas,
machinas para cafe camas de vento, o
que permite vender mais barato possivel,
como seja babs grandes a 49 e peque-
nos a 600 rs., bacias grandes a 58 e pe-
quenas a 800 rs,, cocos a 1> a duzia. Re-
cebe se um official da mesma offleina
para trtbalhar.
Nos dias 1, 5 e9 do correte depois da
audiencia do juizo de orphoa definitivamente
Tai a praca pela renda anooai, e por lempo de 3
anuos, a casa terrea n. 59 na rua de Santa Rila
Nova, a requerimento de Joao Antonio Lopes
Chives tutor do orpho Jos filho dos fallecidos
Joo Jos Tavares e sua mulher, tendo dita casa
duas salas, 5 quartoa, cosinha fora, grande quin-
tal murado com cacimba, lelheiro e dous portees
sendo um de porta larga para carro, e deitam
para a rua Nova de Santa Rita coja casa est
arrendada por 240* annuaej.
Ao amanhecer do dia 28 do mez p. nodo fur-
taram do sitio Salgadinho urna egua russa car-
dam.de clinas escaras, perteoeente ao abaixo
assignado, tem este ferro f e carimbos IJ :
quem della tiver noticia ou toma-la node entre-
a-la no mesmo Salgadinho a Manoel Antonio
aptista ou na cidade de Olioda ao Dr. Jansen
que ser recompensado.
Vicente Jansen de Castro e Albuquerque.
Offerece-se urna senhora para enflar coa-
las com perfeico : na camboa do Carmo n. 1.
O proprielario do peridico Ordem avisa
aos senhores abaixo declarados que os seas cor-
respondentes oa procuradores nao pagaram a
subscripto de Ss. Ss. vencida at o ultimo de
junho prximo findo, e por isso o mesmo pro-
prielario rog a Ss. Ss. o pagameoto della ; e
para nao augmentar o debito, o referido proprie-
lario resolveu suspender a remessS dos exem-
plares, de hoje em diante, aos senhores :
Dr. Joo Antonio de Araujo Freitas Henrique.
Coronel Antonio Alves Vianoa.
Major Valeturicano do Reg Barros.
Vigario Manoel Paulino de Souza.
Antonio Tioheiro de Mendonca.
Luduvico Cavalcanti da Cunha Vasconcellos.
Ursulino Cavalcanti da Cunha Vasconcellos.
Joo Paulino de Gouveia.
Joo Cavalcanti de Souza Leo.
Manoel do Nascimento Bastos.
Tenente-coronel Agostinho Bezerra da Silva Ca-
valcanti.
Dr. Firmino Jos Doria.
Coronel Jos da Costa Vollar.
Dr. Bernardo Eugenio Peixoto.
Jos Marcolino de Bessa.
Aleixo Barbosa da Fonseca Tinoco.
Padre Galdino F. da Silveira Cavalcanti.
SOCIEDADE
Unio Beneflcente
DOS
MARTIMOS.
De ordem do Sr. presidente scientifico aos se-
nhores socios effectivos que se acham atrasados
as suss mensaliJades, que hajam de ficar quites
al o dia 15 do corrente, do contrario sero eli-
minados cooforme marca o artigo 77 dos nossos
estatutos, e publicado pelo jornal.
Secretaria da sociodade Unio Beneflcente dos
Martimos, 1. de julho de 1861.
Balthasar Jos dos Res.
1." secretario.
Aviso.
Manoel Ribeiro da Silva faz sciente ao respei-
tavel publico e principalmente so corpo do com-
mercio, que durante o lempo que est estabele-
cido com padaria na rua Imperial n. 187, que
nunca teve socio nem tem at a dala de hoje ;
como me consta haver um individuo que se inti-
tula ser socio da casa ; o qual elle nao teem rela-
! ?oes com o mesmo cima, por isso se faz sciente
aos freguezes deste estabelecimenlo que nao pa-
guen} conta alguma sem que Ihes seja presentada
pelo mesmo Ribeiro ou caixeiro da mesma casa.
Balaios, bichas e queijos.
Rua estreita do Rosario n. 11.
Sodr & C. constando-lhes, que algnns dooos
de estabelecimentos se teem aproveitado dos an-
nuncios, que temos feito para venda de balaios,
bichas e queijos; illudindo aos compradores, qu
se enganam com o estabelecimento dos annun-
ciantes, e vo parar em outros, que elles sao os
propios que fizeram annunciar, mas que os edito-
res foram os que se enganaram, por isso os an-
nunciantes ratificara os seus anouncios e affir-
mam serem os nicos que possuem taes objectos,
em perfeito estado e pelo baratissimo prece an-
nunciado.
s
8
baratissimas na lo-
ja de fazendas que se est
liquidando.
Rua do Cabug numero 8.
A DINHEIRO.
Burgos Ponce de
Len, est vendendo todas ss fazendas existentes
na loja da tua do Cabug n. 8. por menos de seu
custo, para pagamento dos credores da exlincta
firma de Almeida & Burgos, vende com melho-
ri_a de razo por muito menos ss miudezas por
nao serem ellas proprias de urna loja de fa-
zendas.
Das miudezas que se tem annunciado, ainda
restsm as seguintes em muito menos quantidade
por menos ainda :
Fitas de seda de gros-de-naples, sarjadas bem
encorpadas e de muito bonitos padroes para
cintos, enfeites de chapeos para senhoras, lagos
de cortinados, fronhas de travesseiros e sinteiros
de meninos de peito a 800 e a lj> a vara.
Franjas de seda pretas e de cores a 240 rs. a
vara.
Bicos francezes finos a \%, 1&200, 1J600, 23,
3$, 39200 e muito largos a 4$, 49500 e i5) a
pega.
Dito de seda branco ou de blonde para enfei-
tes de chapeos para senhora como para noiva a
240 rs. a vara.
Aberturas para camisas com punhos e colari-
nhos a 400 rs.
Ditas de fioo esguio a 900 rs.
Sapatinhos bordados para baptisados de me-
nino a I528O.
fioneiafrancezes para menino a 2&500 e a 30,
ditos de marroquim dourado com plumas de um
lado a 49-
Ditos francezes para homem a IJ.
Enfeilespretos de vidrilho para cabera de se-
nhora a 29 e a 29500.
Ditos de lindas flores francezas a 39. 49 e a 59.
Ditos de froeo de seda com as suas lindas bor-
las a um lado a 29.
Lucas de pelica de Jouvin para senhora a
500rs.ll
Ditas de algodo finas e encorpadas a 240 e a
300 rs. cada par e em duzias a 25400 e a 39.
Toncas francezas de la bem acabadas para as
senhoras enfermas ou paridas a 39.
Ditas francezas de la para menino de peito a
800 rs., ditas de fil de linbo enfeitadas com bi-
cos e filinbas francezas a lg.
Duias de meias grossas do Porto para ho-
mem a 18600, cruas a 28500 e a 39, tocidas de
cores a 29500 e a 39, meias para meninas finas
tecidas de cores a 3g, ditas brancas para senho-
ras a 39500 e a 49, pretas para senhoras a 29400
e a 3g500, ditas pretas de laia pura padres a
29560 cada par, ditas de seda preta para homens
a 3j560 e a 39 cada par, para senhoras a 29 e a
39 cada par, e brancas a 29500 e a 49 cada par.
Pentes de tartaruga bem fornidos a impera-
triz pelo baratissimo prego de 89.
Caixosde flores francezes a 400 e muito finas '
a 19500 cada caixo.
Carteiras para algibeira com charuteiras a
18280
Gravatas de seda preta e de cores lindissimas
a 500,640, 800, 19,1928O e 19500, ditas de cs-
ea pintada de cores a 240 rs. cada urna e ricas
mantas para gravatas 39.
Cinluroes de borracha sem defeito algum pa-
ra segurar caigas para homens como para meni-
nos a 200 rs. '
Chicotes para montara a 640 rs.
Bengalinhas a 700 rs.
Comestiques ou pomadas francezas para alisar
cabellos a 60 e a 80 rs. cada pao.
Bote preto de vidro lapidado paca casave-
ques a 100 rs. a duzia.
Bandts de dina para cabellos de senhora e
meoinas a 800 rs*.
Collarinhos de esguio para homens e meni-
nos a 800 rs., e sem ser de esguio a 400 rs.
Tiras de babadas bordados em cambraia para
saias de senhora, calcinhas de meoinas, traves-
seiros para muilos ostros enfeites de que as
senhoras se ser vero, sendo estreitaa e largas a
500, 640 e a 1{ cada tira.
Toalhas de Unho para rosto ou pera mos a
800 cada ana.

A
i


DIARIO DI fERKAIBUCO. TRR$k tEIRk 2 K JULHO DE 1861
*
(5)
SO NO PROGRESSO
DE
Largo daPenlia
Neste muito acreditado armazem de molhados
coDtioua a vender-te os mclhores gneros que ha no mercado, tanto' en porco como a retalho, e
por muito menos preco de que em ouira qualquer parle, por serem vindos a maior parte delles em
direitura, porcontado proprietario, por isso em vista dos precos dos gneros abaixo (mencionados
podero ulfear todos os mais, afiancando-lhe a boa qualidade.
Manteiga iagleza perteitamente flor a
PHABElCIiBARTHOLOHE
Ra larga do Rosario i. 36
Rob l'Affecteur.
Pilulas de Allexou.
Pilulas americanas.
Vermfugo inglez.
Pilulas Holloway.
Ungento HollVay.
Precisa-se de urna ama de leite : a tratar
na ra Imperial, sobrado n. 87.
ril a700rs.
800 rs. a libra, t em bar-
Mauteiga txaneexa 4 miihor que ha no mercado a 710 rs. a libra,
Cli os me \ioves c|ue lia no merca do vende.se, 1 qualidade a 39000,
2a ditta a 25500, 3* ditta a 29OOO, e preto a lg600 a libra.
QueiJOS aameilgOS ehegados nest ultimo Tapor da Europa i 29800rs. ditos che-
gados no vapor passado a IgSOO e 10600 rs.
Queijo prato
os melhores que tem rindo a este mercado por
640 rs. a libra e inteiro a 600 rs.
serem muito frescaes a
Joo de Siqueira Ferro scientiQca a
seus numerosos amigas e freguezes, tan-
to destas como de outras provincias que
mudou seu estabelecimeoto de fazendas
que tinha na ra do Crespo n. 15 para a
ruadoQueimado n. 10, onde continua a
ter um completo sortimento de fazendas
de todas as qualidades.
ARMAZEM PROGRESSISTA
>
36, ra das Cruzes de Santo Antonio, 36,
no progresso
rs. cada urna, s
Amenuas contestadas proprias para sortes deS.
9*>a0.a ijjooors. a libra em porco se (ara algum abatimento.
I&OllO ranCCX a OWW M 0 C4rtao elegantemente enfeitados, muito proprios
para menino, s no Progresso.
Doce da casca de goiaba a 19 0 caliao, em porco a soors. s
IjOCC de VVpeTClie em lillM de 2 ubra* muito enteiladas a 19200
no progresso.
naaTsaelada imperial d0 afamado Abre, de outroi muitos fabricantes de
Lisboa a 800 rs. a libra.
\UieiXaS IraneeZaS em fragcos com 4 libras por 38000 cada um, o frasco val lj>
dittas portuguezas a 480 rs. a libra.
LiataS COm bulaclnnhaa de S4* contando differentes qualidades, a
19400, assim como tem lattas de 8 libras por 3S000, dittas com 4 libras por 25OOO rs. s no
Progresa*.
n&a^a de tOMate em iatasde l libra, por 900 rs. e em litaste libras por 19600 rs.
V-HOCOIAIC 0 majg superior que tem vindo a este mercado a 900rs. a libra.
BOiaCliiniia lHg\exa mvill0 nora a 3^0 a barrica, s no Progresso.
Conservas francezts e inglezas recentemente ehjm a soo rs. o has.
co em porco se faz abtirnento.
Passas em caixnnas de 8 libras as melhore8 qu, tem viado a este
mercado por serem muito grandes a 2g800 rs. cada urna. j
dspermaeete Superior stm avarla a 700 rs.a libra, em cun safar algum
abatimemto.
Metria, maearrao e taluarim 400. a toca em eauas de ama ar-
roba por 89.
r\ lillas iraeezaS em laltai de t libra a 640 TS> 8 no Progresso.
LataS eom peiXe de pOSta das melhors qualidades que ha em Portugal, como
sejam savel, congro, sarda, peixe espada,jvezugo, etc. etc. a ljO rs. cada urna.
Altitonas muito novas a nm rs. 0 birrUt em garra, a 2W .
PalltO-- de deUte UXadOS em moiho9 com 20 macinhoa por 200 rs.
X ra^OeS deSte aUUO a 180 rs# a car(a> e em caixa com 40 cartas por 69800 rs., s
no Progresso:
Oerveja dag ma8 acreditadas marcas 59000 a duzia a retalho a 500 rs. a garrafa.
tiUampanue muit0 guperior a29000 rs. a garrafa, em gigo por 189000 rs.
l 10.110S eDgarraiadOS d8g seguintes qualidades, Porto, Feituria, dilto Bordeaux,
dilto Muscatel, a lfa garrafa ; tambera tem vinhoCheres para 29000 rs. a garrafa.
H UUOS em pipaiem t0mposico Porto, Fgueira.Lisboa, a 640 rs. em caada a 49500.
Presunto de Hambre inglez mQt0 n0T0S a soo. a nbr.
VreZUUtO de luamegO 0 que ha de bom neste genero a 480 rs. em porcia a 400 rs.
CUOUriCaS e paiOS a 5W tu a Iibra> em barrii Com 6 duzias de paios por 105000.
TOUeiUUO de lASDOa 0 mai.n0vo que ha no mercado a 320 rs. a libra.
BaUUa de pOreO retinada a ma,salvaque pode haver a480 rs. a libra a em
barril a 440 rs.
AmendoaS de Csea mole a 480 rs. a libra e em p0rco se far algum abati-
ment, s no Progresso do pateo da Penha n. 8.
Aliu dos gneros aonunciados encontrar o respeitavel publico um grande sortimento de
ujo qiinto bom e barato.
William Frost, subdito inglez, retira-se para
Rio de Janeiro.
SSeieaweiie-fiMMefiMH-MefiiQfieeK
CONSULTORIO ESPECIAL S
H0ME0PATJHC0
DO
DB, CASA!\OYA,
30--Raa das Cruzes-30
Neste consultoriotemsempre os mais
notos e acreditados medicamentos pre-
parados em Pars (astinturas) porGa-
tellan e Weber,porpre50srazosyeis.
Os elementos dehomeopalbiao bra,re-
commendada intelligencia de qualquei
pessoa. m
Francisco Sadrn, subdito francez, retira-
se para fora da provincia.
mmma&m mam roeieaisaiex
I Gurgel & Perdigao.
g Fazendas modernas.
SI Recebem e vendem constantemente su-
B periores vestidos de blonde com todos os
SE prepares, ditos modernos de seda de cor
e pretos, ditos de phantasia, ditos de
|| cimbris bordados, lindas lazinhas.
*p cambraiade modernos padres, seda de
quadrinbos, grssdenaples de cores e pre-
tos, moreantique, sintos, chapeos, en-
feiles para cabe?a, superiores botes,
manguitos, pulceiras, lequas e extracto
de sndalo, modernos manteletes, tai-
mas compridas de novo feitio, visitas de
gorgurao, luvas de Jouvin a 2$500.
Muito barato.
O chitas francezas finas claras e escuras a
I 280 rs. o covado, eolias de la e seda pa-
jfij ra cama a 69 camisas para menino.
U Roupa feita.
Paletot de casemira de todas as cores
j a 10j}, ditos finos de alpaca a 6g, ditos
S de brim a 49, chapeos pretos a 8g e mui-
1| tas outras fazendas tinto para senhoras
como para homem por prego inteiramente
fg barato, dao-se as amostras : na ra da
i Cadeia loja n. 23, confronte ao Becco
W Laro.
GABINETE PORTUGUEZ
DE
MAjgEJlLMEIDA SILVA
A. F, Duarte Almeida, socio que foi do armazem progresso, faz sciente aos seus freguezes que tendo separado a .ociedade que tinhajeom
seu mano, acha-se de novo eslabetecido com dous aceiados armazens de molhados, associado com o Sr. Joaquim Jos Gomes de Souza, e o* Sr.
Paulo Ferreira da Silva; o primeiro na razo de Duarte & Souza, e segundo na de Duarte Almeida & Silva: estes estabelecimentos offerecem grandes
vantagens ao publico, nao s na limpeza e asseio com que se achara montados como em commodidade de pre$o, pois que para isso resolveram os
propietarios mandarem vir parle de seus gneros em direilura, a6m de terera sempre completo sortimento, como tambem poderem offereeer ao pu-
blico urna vantagem de menos 10 por cento do preco que possam comprar em outra qualquer parte, por isso desejando es proprietarios acreditaren
seus estabelecimentos tem deliberado garantirem toda e qualquer qualidade de gneros vendidos em seus armazens, e assim j poder ver o publico
que pode mandar suas encommendas, mesmo por pessoas pouco praticas, em qualquer um destesestabelecimentos, quesero to bem servidos como
seviessem pessoalmenle, na certeza de nunca acharem o contrario de nossos annuncios, e assim fundados as vantagens que offerecemos, pedimos a
todos os senhores da prac,a, senhores de engenho e lavradores que mandem ao menos suas encommendas a' primeiravez, afim de experimantar.certos
I de continuarem, pois que para isso nao pouparo os proprietarios forjas para bem servirem aquellas pessoas que frequentarem nossos estabelecimentos;
abaixo transcrevemos algumas adices de nossos primos, por onde ver o publico que vendemos baralissimo, attendendo as boas qualidades ds nossos
gneros.
MANTEIGA INGLEZA especialmente escollhida a 800 rs. a libra e em barril a 750 rs.
MAJNTEIGA FRAWCEZA a melhor do mercado a 720 rs. a libra e a 700 rs. em barril e meios.
CHA HYSSON E PRETO o melhor do mercada de 1*700 a 3000 e em porco ter abatimento.
PRESUNTO FIAMRRE inglez e hamburguez a 900 rs. a libra e em porco a 840 rs.
PREZUNTOS PORTUGUEZES viudos do Porto de casa particular a 560 rs. por libra e inteiro a 460 rs.
CHOTJRIGOS em barril de 8 libras a 49500 e em libra .1 700 rs.
QUEIJOS'LONDRINOS ehegados no ultimo paquete a 1.
AMEIXAS FRANCEZAS em latas de 6 e 5 lr2 a 19 a libra e a 1&2C0 a retalho.
PASSAS em caixinhas de oito libras, as melhores do mercado a 298OO e a 500 rs. a libra.
ESPERMACETE SUPERIOR sem avaria a 700 rs. e em caixa a 660 rs.
CONSERVAS FRAJNCEZAS I1NGLEZAS E PORTUGUEZAS a 560 e 700 rs. e frasco.
ERVILHAS POBTUGUEZAS E FRANCEZAS a 800 rs. o frasco:
LATAS COM ROLACHINHA DE SODA de diversas qualidades, a mais nova do mercado a 1450.
VINHO EM GARRAFAS; Duque do Porto, Porto fino, genuino, nctar, Carcavellos, Madeira secca eFeitoria de 1*200 a 19300 a garrafa e a
139 a duzia.
VINHOS EM PIPA proprios para casa de pasto de 500 a 600 rs. a garrafa e de 35S800 a 49800 a caada.
FRASCOS COM FRUCTAS de todas as qualidades de Portugal de 19200 a 29OOO.
MARMELADA DOS MELHORES AUTORES DE LISBOA a 800 rs. a lata de libra e a 19500 de duas libras
LATAS COM GELEIA DE MARMELL0 a 1*300 com duas libras.
LATAS COM PEIXE SAVEL e cutras muitas qualidades, o mais bem arranjado que tem vindo a 1*400.
CAFE' DO RIO o melhor que ha a 240 rs. a libra e a 280 rs. o (avado.
ARROZ DA INDIA E MARANHO o melhor que se p le desejar a 39100 por arroba e a 100 rs. a libra.
VINHO BORDEAUX de boa qualidade a 800 e 1* a garrafa e de 89500 a 109000 a duzia.
CHARUTOS VERDADE1ROS SUSPIROS e outras muitas marcas de 2* a 3*800 e a retalho suspiros a 40 rs.
IBAMIA DE PORCO REFINADA a melhor que se pode encontrar ne*te genero a 480 rs. a libra e 460 em barril.
5ERVEJAS DAS MELHORES MARCAS a 500 rs. a garrafa e 5*000 a duzia da branca.
VINAGRE PURO DE LISBOA a 240 rs. a garrafa e 1*850 a caada.
CAIXES COM DOCE DA CASCA DA GOIABA a 1* e em porco a 900 rs.
AZEITE DOCE PURIFICADO a 800 rs. a garrafa e 9*000 a caixa com 12 garrafas,
COGNAC a melhor qualidade que temos no mercado a 1*000 a garrafa e 10*000 a duzia.
QUEIJOS PRATO os mais novos que ha no mercado a 650 rs. a libra e inteiro a 600 rs.
Genebra DE HOLLANDA a 640 rs. o frasco e 68800 a frosqueira cora 12 frascos.
PALITOS L1XADOS para denles a 200 e 160 rs. o maco com 20 macinhos.
PALITOS FLOR para denles, os mais bem feitos que ha no mercado a 280 rs. o majo.
PALITOS DO GAZ a 39000 a groza e 280 a duzia de caixas.
AZEITONAS as mais aovas e melhores que tem vindo ao mercado a 19200 o barril.
AMENDOAS COBERTAS as mais novas e bem arranjadas que ha no mercado a 19 a libra eem porco ter abatimento.
Alm dos gneros annunciados encontrar o publico um completo sortimento de tudo tendente a molhados.
Sexta-feira 5 do corrente anda*
rao impreterivelmente as rodas da pri-
meira parte da prime ira a beneficio da
igreja de S. Francisco de Paula do Ca-
xanga' no lugar e as horas do costume.
Os bilhetes e meios bilhetes acham-se a
venda aos precos abaixo declarados na
thesouraria das loteras ra do Quei-
mado n. 12 primeiro andar, e as casas
commissionadas na praca da Indepen-
dencia n. 22 loja do Sr. Santos Vieita,
ra Direita n. 3 botica do Sr. Chagas e
ra da Cadeia do Recife n. 45 dos Srs.
P01 to & Irmao. As sortes serao pagas
depois de distribuidas as listas.
Bilhetes inteiros cada um 5i'000
Meios bilhetes 2,S'500
O thesoureiro.
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Precisa-se de urna escrava para andar com
fazendas, e urna ama para casa de pequea fa-
milia : na ra do Hospicio n. 62.
rrecisa-se de urna ama para casa de pouca
familia : na travessa do Livramento n. 18,* se-
gundo andar.
Aluga-e urna casa terrea eom splo, a qual
tem commodos para grande familia, alem disto
tem um grande quintal todo murado e cheio de
Arenles arvores de fructo ; alem de ludo isto
muito perto desta cidade por ser na Soledade, na
ra de Joo Fernandos Vieira (defronte da igre-
ja) n. 60 ; quem a pretender, enteoda-se com o
VjCI triS TfTf VTtf XTJC TTVTrK'reVTSTSUfTt,
.= 0-0
lonS
o
Q
A directora do Gabinete Portuguez de Leitura
tendo de lindar a sua gerencia administrativa,
pede aos senhores accionistas e subscriptores
que estio em debito para com o Gabinete, at 30
do mezde junho, o cumprimento do que diape
o 2. do art. 13 e 1. do art. 14 dos estatutos,
sem o que nao podero gozar das regalas e di-
reilos que Ihes conferem os mesmos estatutos.
Secretaria do Gabinete Porlnguez de Leitura
aos 28 dejunho de 1861.
Antonio Baptista Noguiera.
1." secretario.
ERRATA.
_ Por engao da typographia deu-se ao annuo-
cio do Gabinete Portuguez, cima publicado um
erro bem sensivel no nome do primeiro secreta-
rio, o qual publicado hoje com a correceo ne-
cessaria.Os RR.
Aviso.
Os administradores da massa de Manoel An-
tonio dos Passos Oliveira & C, convidam os
credores da mesma massa a receber o primeiro
dividendo de 45 por cento apurados: na ra das
Cruz n. 40.
AtteiMjo.
ARMAZEM
DE
ROUPA F
DE
Joaquim Francisco dos Santos.
40 RA DO QUEIMADO 401
Defronte do becco da Congregara letreiro verde.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de todas as
qualidades, e tambem se manda executar por medida, vonlade dos freguezes, para o
que tem um dos melhores professores.
jmmmwmtimmfm
Quem duvidar experi-
mente!
Prepara se com todo aceio e promp-
. tidao e por preco razoavel comida para
Sr. Bernardo da Cunha Teixeira, e a chare para ___!... JL. -.:______j-> .
?er, liste na padaria confronte igreja da Sol- qualquer casa, assim como differentes
data.
Offerece-se para praticar no commercio um
moc.o brasileiro que sabe a escripturaco por par-
tidas simples dobradas: quem precisar annun-
eie por este jornal.
AUigam-se tres pretas que sabem cozinhar,
Tender na ra, lavar eengommar : quem quizer
aluga-las dirija-se a ra da Imperatriz o. 43, que
encostrar com quem tratar. Outro sim aluga-se
tamben um moler ote que serve para todo o ser-
vico da casa de familia.
Attenco
Pretende um moco arranjar-se pira coofeiteiro
ou refinador, tendo de ambas as profisses a pra-
tica necessaria : quem o pretender, procure na
ra do Alecrim n. 55.
Aluga-se a casa terna n. 3 do paleo do Pa-
nizo por 259 mensaes: a (atar no arco da Con-
celeo n. 4.
Atagam-M 4 catas, 2 na ra da Baia-Ver-
de, na Capuogs, e 2 na travessa da mesma ra:
quena quizer, dirija-se a ra Direita, botica do
Sr. Paranhos, ou na travesa da Baxa-Verde ni-
ero 8.
Precisa-ie contratar urna tenhora branca de
idada poaco mais ou menos de 50 anuos para as-
aiatir em compaobia de urna senhora casada re-
sidente na freguezla de Santo Amaro de Jaboa-
lao'. a quem isto coolar aonuncie para er pro-
corada.
qualidades de doces, bolos etc., o esme-
ro com que se trabalha, a presteza que
ha e o dinheiro que se pede azem ad-
mirar a quem se dirigir aon. 25 daru
das Flores.
Offerece-se um menino portuguez de 12
aonos para caixeiro de taberna, o qual tem bas-
tante pratica da mesma, aQancando-se a sua
eenducta : na ra Augusta n. 31. taberna.
Aluga-ae um armazem no caes 22 de No-
vembro n. 12 : a tratar em n. 24.
Antonio Carreira, bespanhol ; Jos Ber-
nardos Gongalvea, tambem hespanhol, reliram-se
para o Rio de Janeiro.
. Anda esli para alugar duas catas terreas
oa ra d Amisade, na Capuoga, com duas salas,
dout quarlos, cozinha tora e grande quintal: tra-
ta-se na ra da Santa Cruz n. 1.
O annunc'o publicado uestes das da sabi-
da do Sr. Manoel Luiz Coelho, nao te eotende
com o asphaltiata abaixo assignado.Jooel
Luiz Coelho de Almeida*
PERDA.
Pordeu-se um pedaco de urna flauta de bano,
com at duas partes da bombe, embrulhado em
um lenco branco, no da 28 do mez passado:
quem achou pode entregar na ra da Concordia
n. 71, o;ue se gratificar.
Alog'5-89 um tnoieque de 15 anuos pa ra
Oireila o. 130.
Precisa-se de um menino dos ltimamente
ehegados da Europa, para caixeiro de taberna :
a tratar na ra da Cadeia do Recife, taberna
n.25.
A pessoa que annunciou urna taberna na
praca da Boa-Vista para se vender, dirija-se a
caixa d'agua, que l achara com quem tratar.
O Dr. Joaquim da Silva Gusmao pode ser
procurado para o exercicio de sua proOsso me-
dica a qualquer hora do dia ou da noite, no lar-
go do Carmo n 5, primeiro andar.'
Gasa no Monteiro.
Aluga-se portala ou por anno a casa terrea
abarracada que tica junto ao primeiro sobrado do
Monteiro : a tratar na ra estreita do Rosario n
28, ou em Ponte de Uchda, no itio do coote-
lheiro Jos Beoto.
O tutor dos menores Luiz e Amalia, fiihos
do fallecido alteres Alexandrino Caetano deOlin-
da, pede ao Sr. precurador Balbioo Simoes Ca-
mello Pessoa, que baja de declarar por esta folha
em que estado se acha a jusiicago da apolice,
deixada pelo mesmo alteres a seus ditos fllhos
-Luiz e Amalia, que sendo appellada ex-officio
para a relac,o pelo juizo dos fettos da fazenda ha
9 mezes, pouco mais ou menos, nao tom o mes-
mo tutor colbido resultado algum, apezar das
despezas que tem feito ; por izso roga ao mesmo
Sr. Balbino que baja de dar esclarecimeotos a
respeito desta justificado para o mencionado tu-
tor prestar contss ao Illm. Sr. Dr. juiz de or-
phos. Igual pedido para o mesmo fim faz o su-
pradito tutor ao Sr. Joo Gong^hes Rodrigues
Franca, escrivaoda coletoria de Olinda, a respei-
to da heranc.8 dos tutelados do anunciante, dei-
xada por fallecimento da av dos seus tutelados
D. Ignacia Mara da Conceico, fazeodo o favor
de mencionar por esta folba quaes os beos que a
ellespertencem, avista do inventario que se pro-
cedeu por fallecimento ds mesma D. Ignacia na
cidade de Olinda ha quasi um anno. Recife 28
de junho de 1861.
Attenco.
Fugio do abaixo assignado no dia 22 do prxi-
mo passado mez de junho-um escravo de nome
Jacinlho, o qual tem os signaes seguintes : ca-
bra, de cor fula, bastante alto, cheio do corpo,
nariz to chato que forma um vinculo uo meio,
cabello crespo, muito pouca barba, representa
ter 25 annos de idade, ps grandes e groases, con-
dumio urna pistola e urna vacca ; natural de
termo de Cabrob, e consta-me ter ido em com-
paobia de um outro de nome Faustino, natural
do mesmo termo, e q.ue eslava vendido nesta
praca : quem o pegar e levar povoaco do Sal-
gueiro do termo de Cabrob, ou nesta praca a
Joaquim Ferreira de SI, na ra do Crespo n, 23,
ser generosamente recompensado;
Bernardo Uaciel de Souza.
Lava-te, engoroma-ae e cozinha-se com
muita perfeico por precos commodos, tambem
se faz negocio com alguma casa de familit que
quizer dar roupa para fora para pagar por mes :
quem quizer, dirija-se a ra do Cano o. 24, cata
defroote da cocheira que est fechada.
Caetano Barbata, subdito italiano, retira-se
para fora da provincia.
Na madragada do |dla 29f do mez prximo
liado perdeu-se um alfioele de ouro com flores
de coral : roga-se a petioi que o achou, queren-
do restitu lo, queira ter a bondade de te dirigir
a ra Augusta, cata n, 86, que ser generosa-
mente recompensado.
Casacas de panno preto. 400, 35$ e 30&000
Sobrecasaca de dito, 359 e 3#00
Palitots de dito e de cores, 359, 30$,
25J000 e 20S000
Dito de casimira de cores, 22#000,
15, 129 e 99000
Ditos de alpaka. preta golla de vel-
ludo, HflOOO
Ditos de merino-sitien pretos e de
cores, 9g000 &&000
Ditee de alpaka de cores, 59 e 39500
Ditos de dita preta, 99, 79, 59 e 39500
Ditos de brim de cores, 59, 49500,
4$000e 39500
Ditos de bramante da linho branco,
68000, 59000 e 4S0OO
Ditos de merino de cordao preto,
159000 e 89000
Caltas de casimira preta e de cores,
129.109, 99 e 6gooo
Ditas de princeza e merino de cor-
dao pretos, 59 e 49500
Ditas de brim branco e de cores,
,5g000, 450Oe 2500
Ditas de ganga de cores 3&000
Colletes de velludo preto e de co-
res, lisos e bordados, 128, 9$ e 89OOO
Ditos de casemira preta e de cores,
lisos e bordados, 69, 59500, 59 e 39500
59OOO
59000
Ditos de setim preto
Ditos de seda e setim branco, 69 e
Ditos de gurguro de seda pretos e
de cores, 7g000,69OOO e 59000
Ditos de brim e fuslo branco,
39500 e 39000
Seroulas de brim de linho 29200
Ditas de algodo, 1 ,600 e 18260
Camisas de peito de fusto branco
e de cores, 29500 e 29300
Ditas de peito de linho 6$ e 3&0O0
Ditas de madapolo branco a dt
cores, 39, 2950O, 29 e I9SOO
Camisas de meias IgOOO
Chapeos pretos de massa, franceses,
formas da ultima moda 105,89500 e 75000
Ditos de feltro, 69, 55, 49 e 29000
Ditos de sol de seda, inglezea e
francezes, 149, 125, "S e 79OOO
Collarnhos de linho muito finos,
novos feitios, da ultima moda 9800
Ditos de algodo $500
Relogios de ouro, patentes hori-
sontaes, 1009, 909, 809 e 709000
Ditos de prata galvanisados, pa-
tente hotoutaes, 405 309000
Obras de ouro, aderemos e meioa
aderemos, pulseiras, rozetaa a
anneis 5
Toalhas de linho. duzia 129000 e IO9OOO
ELIXIR DE SALDE
Cttrolactato de ferro.
V3u\co deposito na botica de Joa^uini Mavtiuuo
da Crmi Crvela & C, rua do Cabng n. II,
en Pernambuco.
H. Thermes (de Chalis) antigo pharmaceulico aprsenla hoje urna nova preparaco de ferro,
com o nome de elixir de citro-lactato de ferro.
Parecer ao publico um luxo empregar-se um mesmo medicamento debaixo de formulas to
variadas, mas o homem da sciencia compraheode a necessidade e importancia de urna tal vari-
A formula um objecto de muita importancia em therapeutiea ; um progresso immenso,
quando ella, maniendo a esencia do medicamento, o torna agradavel, fcil e possivel para todas as
tdades, para lodos os paladares e para todos os temperamentos.
Das numerosas preparaQes de ferro at hoje conhecidas nenhuma rene lio bellas qualida-
des como o elixir de cilro lactato de ferro. A seu sabor agradavel, rene o tomar-se em urna pe-
quea.dose, o aer de urna prompta e fcil dissolu?ao no estomago, de modo que completamente
assimiiado ; e o nao produzir por causa da lactina, que contem em sua composico, a conslpaco de
ventre to frequentemente provocada pelas outras preparasoesferroginosas.
Estas novas realidades em nadaalteram a sciencia medicamentosas do ferro, que sendo urna
substancia da qual o medico se nao pode dispensar em sua clnica, de incomparavel utilidade
qualquer formula aue lhe d propriedades taes que o ortico o possa prescrever sem receio. E* o
que conseguio o pharmaceulico Thermet com a preparaco do citro-lactato de ferro. Asaim ette
medicamento oceupa hoje o primeiro lugar entre as numerosaa preparares ferruginosas, como" o
altetta a pratica de muitos mdicos distioctos que o lem ensaiado. Tem sido empregado como im-
menso proveito as molestias de languidez (chloroSe pallidas cores; na debilidade subsequenle as
hemorrhagia, as hydropesiaaqueapparecem depois das intermitentes oa incontinencia : de urinas
por debilidade, as perolas brancas, na escrophula!, no rachilismo, na purpura hemorrhaaica, na
convalesceocia das molestias graves, na chloro-annria das mulheres grvidas, em todos os casos
em que otanguese acha empobrecido ou viciado pelas fadigas affecces chronicas, cachexia tuber-
culosas, canerosa, syphilihca, excessos venreos, (nanismo e uso prolongado das preparagoet mer-
Estas enfermidades sendo mui frequetes t sendo o ferro a principal substancia de que o
medico tem de langar mi para as debelar, o aull or do citro-lactato de ferro merece louvores e o
reconhecimento da humamdade por ter descobert i urna formula pela qual se pode sem receio usar
Cera de carnauba.
Vende-se cera de carnauba, a melhor que tem
vindo a este mercado, a 89500 a arroba, a pra:s
ou dinheiro : a tratar na ra da Cadeia do Re-
cife n. 7, ou na ra da Imperatriz n. 60, loja.
Aviso
Vende-se a escuna nacional Cigana, em
perfeito estado, forrada de cobre, completamen-
te apparelhada e prompta para navegar: trata-se
com Guilherme Carvalho & C. no seu escriptorio,
ruado Vigaria n. 17.
Gomma muito boa a 100
rs. a libra.
Na ra da Imperatriz n. 46, loja de sapjtgs.
Vende-se urna taberna na povoaQo de A-
pipucos propria para urna pessoa que queira
principiar por ter poucos fundos, garanlindo-se
a casa em que est : quem pretender, dirija-se a
mesma a fallar com Joo Antonio Fernandes, ou
na la larga do Rosario n. 30, loja de charutos.
Carnauba
a 7$500.
Vende-se na ra da Madre de Dos n. 4, arma-
zem de Moreira & Ferreira.
Vende-se um sobrado de dous andares e
soto na ra de Stnta Rita : a tratar na ra das
Cruzes n. 18.
Compra-se um cavallo, sendo bom baixeiro,
novo e capado : quem liver annuncie ou levo- )
a la do Imperador n. 29, primeiro andar.
N. S. do Carmo.
Contina a vender-se por 500 rs. os tres fo-
lhetos contendo a norma completa, salve, versos
e a exposicodo escapulario de N. S. do-Carmo:
na ra do Imperador n. 15.
Ama de leite.
Quem precisar de urna ama com muito bom le-
te, nova e sem filho, dirjase a ra larga do Ro-
sario n. 32, terceiro andar.
Fugio no dia 29 de junho de 1861 um ne-
gro crioulo de nome Alexandrino, idade pouca
maisou menos de 19 annos, altura regular, cheio
do corpo, sem barba, e o signal mais visivel
ter o dedo da mo direita ao i- do mendinho tor-
io por causa de um panaricio, foi escravo e crja
do finado Jos Pedro, irmao do finado Joo Car-
neiro de Capibaribe : quem pegar o dito escravo
e entregar ao abaixo assignado no seu sitio adian-
to da Magdalena, defronte de urna gameleira, re-
ceber a gratificaco de 1009.
Joao Antonio Vill8seca.
AVISO.
Roga-se as autoridades policiaesaapprehenso
de dous cavados que desappareceram do lugar de
Santo Amaro de Jaboato no dia 27 do corrente,
e que sejulga terem sido fui lados ; um-delles
cavallo de sella, e tm os signaes seguintes :
alaso, cauda grande, dinas esbranquicadas, pe-
queo, bem feito, gordo. O outro tem os sig-
naes seguintes : castanho, grande, um pouco
descarnado, tendo o p direito um pouco grosso,
e duas feridinhas dos lados, e cauda curta : quem
os appreliender tenha a bondade de leva-Ios i
casa dos Srs. Tasso & lrmos, na ra do A-
morim.
Arrenda-se o engenho S. Gaspar, na fregu-
zia de Serinhem, com grandes e fortes partidos
para plaotaco de caoas roda da moenda, bei-
ra-rio, mui maneavel, e com todas as demais
vantagens precisas : a tratar na ra do Hospicio
numero 17.
O abaixo assignado convida aos senhores
credores da casa do (loado Manoel Buarque de
Macedo Lima para se reunirem no dia 3 do cor-
rente as 10 horas do dia no escriptorio do mes-
mo Manoel Buarque, para se tratar de negocios
tendentes massa adjudicada aos credores.
Antonio Buarque de Gusmao.
Alheneu l*ernambucano
Pelo presente convida-se a todos os senhores
socios ellectivoa a comparecerem no dia 18 do
corrente no lugar do costume, afim de proceder-
se a eleic,o dos funeciomrios.
Sala das sessesde Atheneu Pernambucano 1.*
de julho de 1861.
Manoel Euphrasio Corris,
Io secretario.
Vende-se urna escrava que sabe fazer lodo
o servico de urna cata de familia por 8OO9OOO rs.;
na ra Direita n. 74, te dir quem a vende.
*
i
/ .


()
MARIO DI FEBMAMICO. TMtfA IBA B M JOLHO DI 1S<1.
Ammm de madeiras.
0 abaixo assignido (az scieole ao respeitavel
publico e sos mu numerosos freguezes, que mu
dou o seu armazem de madeiras da roa da Con-
cordia n. 20 para a mesraa ra n. 9, onde acha-
ro sempre um grande sortimento de madeiras,
e se encarrega de qualquer encommenda com
toda a presteza, assim eomo contina a fabricar
o concertar carnarios" muito raioavel. O mesmo abaixo assignddo avisa
aos seus deteriores que venha realisar seus de-
bites da data deste a 30 dias araigavelraente, do
contrario usar dos meios que a lei Ihe faculta.
Rccife 1 de julho de 4861.
Rufino Manoel da Cruz Cousseiro.
Antonio Jacinto Carneiro.official de latoeiro,
rom seu estabelecimentoua ra das Trincheiras n.
16,faz rer ao publico, que precisa de dous apren-
dizesque lenham familia nesta praca; aquem con-
vier appareca no mesmo estabelecimento para
contratar.
Araoaga Hijo&C. sacam sobre o Rio de Ja-
neiro.
Precisa-se de urna mulher de meia tdade
pira ama de urna casa de pouca familia, e que
sejn de boa conduca, e que saiba lavar, cozinhar
f enjonimar: a tratar na ra da Santa Cruz nu-
mero 9.
Precisa-se alugar urna escrava que saibs
fazer asemeo interno e compras de urna casa de
pequea familia : a tratar no becco da Boia n.
2, terceiro andar, no Forte do Mallos.
O Dr. Jos Sergio Ferreira de volla de sua
viagem ao Maranhao contina a residir na praca
da Boa-Vista n. 21,onde pode ser procurado.a
qualquer hora do dia ou da noitc para o exerci-
co de sua profissao.
Antonio da Silva Lolo, subdito porluguez,
vai para o Rio de Janeiro.
Por 60S por mez
n aluguel da loja da rus Nova n. 61, com arma-
rio envidra^ada, propria para qualquer esUbelo-
oimonto : a tratar no escriptorio contiguo n. 63.
Msicas e pianos.
J. LAUMONSIER, na ra da Imperatriz n. 23,
acaba de receber pelo ultimo vapor da Europa
urna bella colieccao de msicas para piano e can-
te, dos melhores autores e muito escolhidas ;
igualmente se encontra em seu estabelecimento
o-ptimos pianos ; assim como faz lodos os con-
ccrlose afina os mesraos instrumentos em pouco
timpo e por presos commodos.
Aos pais de familia.
D. Umbelina Wanderley Peixoto tem resollido
continuar com o seu anligo collegio de iostruc-
cao elementar do sexo feminino, o qual por ora se
cha eslabeleeido na ra da Glria, pavimento
'err*>o n. 7. As pessoas que a quizerem honrar
r.or.fianit-lhe a eJuca;io de suas filhas, encon-
trarlo nella plena solicitude e disvello. As men-
sjliJades sao de 500O pagos adiaolados,dando o
collegio papel, penna, tinta e compendios. O
progrmala do ensiuo e o rgimen interao vo
abaixo transcriptos:
Escripia.Bastirlo, bastardinho e cursivo, pelos
autores de caigraphia mais acreditados.
Leitura.Histeria sagrada, livros que conterjlun
fbulas, r*>gras de tivilidade, preceilos de mo-
ral, e manuscripto.
Aritmelhica.Asqualro operacoesfundamenlaes,
6 o syslema mtrico e monetario do imperio.
Doulrina christa.Resumo das oracoes e expli-
cares do calhecismo.
Trabalhosde agulha. Costura cLa, Ubyrinlho,
bordados de mnrea, de matiz e de ouro.
A aula de manha principia as 8 horas e Goda
ao meio dia ; e larde das 2 at as 5.
De manliaa :
Dos 8 s 9 procede-se ao Irabalho da escripia e
correceo da mesraa.
Das 9 s'lO, leitura.
Das 10 s 11, contabilidade.
Djs 11 al a sahida, doulrina chritaa.
A tarde toda destinada aos Irabalhos de agu-
ilia e exercicio da doulrina ebrista.
O Sr. Manoel Luiz Coelfao queira
dirigir-se a esa typographia que se Ih
precisa fallar.
Urna pe"ssoi que tem de residir fora desla
capital vende um grande sitio com excallente ca-
sa de morad i e com proporcoes para delle se ti-
rar boro ren-Jimento ; e para fecilidade do com-
prador nao pora duvida em receber sua impor-
tancia em fazer. Jas ou molhados: contrata-se na
ra da Cruz n. 25, segundo andar.
Aluga-seo primeiro andar da propiiedadc
ri. 13 di ra da Cruz, lado do nascunle, em qne
mora o Ur. Jus Joaquim de Souza.
Antonio Moreira da Silva durante a sua
ausencia deixa por seus procuradores em 1. lu-
?ir ao Sr. Jos4 Dias da Sil'B Guixares, em 2.
ao Sr. Bernardino Lopes de Oiiveira, em 3. ao
Sr. Antonio Goo^slves de Barros.
Ensino.
Qualquer senhor professor que queira e esleja
no caso de encarregar-se do ensino de primeiras
Jelras a dous meninos, os quaes j leem livro,
recebendo-os em casa, e foroeceodo-lhes comida
e cama, e comp"romeltendo-se a bem trata-Ios
durante a ausencia do pai do mesmo que se re-
tira, podo entender-se na ra estrella do Rosario
d. 4, para tratar.
Jlo Aives cia Cucha, orphao de pais, e mo-
rador da Parahiba, d'onde veio em o comeco des-
le armo, diriji-se a ra do Crespo n. 13, leja do
Sr. Moreira Loaes, a negocio de seu interesse.
Quem precisarle urna escravj para ama de
urna casa de pjuia familia, dirija-se a ra das
Cruzes n. 4 assim como a casa estrangeira que
ennttnciou pro.-urando urna ama parda, moca,
psersva, queira dirigir-se a ra Direita, botica do
Sr. Maooal Antonio Torres, que l encontrar
com puem tratar.
Prccisa-se 'le um caixeiro para urna pada-
r:i que abone sua oapaciade : na ra do Rosa-
rio da Boa-Vista n. 55.
Precisa-se de um forneiro para urna pada-
lia, que ssiba aesempenhar o seu lugar : a tratar
uo paleo de S. Pedro n. 6.
Dentista de Pars.
15Ra Nova15
Frederic Gautier, cirurgio dentista, az
|G tocias as operaces da sua arte e colloca
2 den tes artificiaos, tudocom a superiori-
S dade e perfeigo que as pessoas entendi-
m das lhereconhecem.
c Tea agua e pos dentifricios etc.
Precisa-se de urna ara para o servico de
urna casa de pou:a familia ; na prac,a do C
Santo n. 17.
Os advogados Dr. Antonio Borges da Fon-
seca e bacharel Joo Baplista do Amaral e Mello
teem seu escriptorio na praca de Pedro II, outr'-
nra pateo do Collegio, 1* andar, entrada pela ra
do Queimado n. 41 : podem ser procurados para
os misteres de sua proQaso das 8 horas da ma-
nhaa s 4 da tarde, nos dias uteis.
Precisa-se alugar nma casa terrea que te-
nha bons commodos, quintal e cacimba, no
biirro da Boa-vista, nao se pe duvida dar al-
gumas lufas no caso de agradar : na ra da Im-
poratriz outr'ora atierro da Boa-vista o. 41, se
dir.
Precisase de urna ama forra ou captiva
para cozinhar e comprar : na ra do Imperador
n. 37, segundo andar, entrada direita.
I Jos Gonealves Malveira, fez sciente ao
respeitavel publico que desde esta dada des-
pediu de ana cocheira residente na ra do Im-
perador n. 25, Joaquim Alves Pinto, como cai-
xeiro da meama; outro aim, recommenda a todo*
os senhores que sao devedores a mesma, que1
nao pague conta alguma as mesmo cima men-
cionado, ao contrario fleam sujeitos os seus de-
faltos. Recite 27 de juobo de 1861.1
O Sr. Haooel Jos de Castro Vi
ra por favor Ir ra Nora n. 7.
'tacna, quei-
^orpo
Joo Correia de Garvalho, al-"
faiate, participa aos tem nume-
rosos freguezese amigos que mu-
dou a sua residencia da ra da
Madre de D*os n. 36 para a ra
da Cadeia do Recie n. 38, pri-
meiro andar, aonde o encontra-
rao prompto para desempenhar
qualquer obra tendente a sua
arte.
Grande pechina.
A Wb, %m 260 rs.
Chitas trancezas de muito bonitos padroes e
muito bons pannos, pelo baralissimo prego de
220, *40.e 980 rs. o covado ; na ra do Queima-
do n. 22, mioja da boa f.
Vinho de Bordeaux.
Osenhor
Cae tao Aureliano de Carva-
lho Couto, queira ir a fabrica
Sebastopool, a negocio que lhe
diz respeito:
Agencia dos fabricantes americanos
Grouver & Baker.
Machinas de coser: em casad e Samuel P.
Johston & C, roa da Senzalla Nova n. 52.
O Sr. Jos dos Santos Moreira que
morou na ra do Rosario da Boa-Vista,
queira annunciar sua morada que se
lhe precisa fallar.
-.' Desappareceu no dia 13 do corrente, do si
lio de S. Jos du M angun lio, o escravo criouio.
maior de 50 ano os, de nome Joaquim, com os
signaes seguintcs : cabellos brancos, alto, secco
do corpo, e usa alpargatas ; este escravo foi pro-
priedade do Sr. Manoel Jus Pereira Pacheco, do
Aracaty, d'onde veio para aqui fgido: rog.i-se
a todas as autoridades policiaes ayauem quet
que o encontr, de o capturar e eaurega-lo no
sitio cima citado, ou na ra do Trapiche o. 15
a Jos Teixeira Basto.
Precisa-se alugar urna en^ommadeira, com
tanto que seja porlugueza e re bons costumes :
na ra Formosa do bairro da Uoa-Vista n. 17.
Aluga-se a loja do sobrado n. 24 da ra
daCilade Nova em Santo Amaro, com 3 quar-
tos, 2 salas, 1 salota, cozinha fora equintal mu-
rado ; a tratir no mesmo sobrado.
C ompras, .
Al saboaria da ra
Imperial,
Compra caixas vasias que
tenha a marca da casa e es-
tando em bom estado, paga
200 rs. por cada umau
Cosinheiro
Compra se ou aluga-es um prelo que seja bom
cosioheiro : a tratar na ruado Amorim n. 35.
Compram-se
escravos de ambos os sexos parase exportar para
fora da provincia : na ra Direita n. 66.
______Vendas.______
iwiw msftvsM wwa'Wa'*'
Acaba de
chegar
novo armazem
DE
I
Aviso.
B4ST0S & REG
Na ra Nova junto a Con-
ceico dos Milita-
res n. 47.
Um grande e variado sortimento de
roupas feitas, calcados e fazendas e todos
estes se vendem por precos muito modi-
ficados como de seu costume,assim como
sejam sobrecasacos de superiores pannos
e casacos feitos pelos ltimos figurinos a
26$, 28$. 30$ e a 35$, paletots dos mesmos
pannos preto a 16$, 18$. 20$ e a 24$,
ditos de casemira de cor mesclado e de
novos pidres a 14$. 16$, 18$.20$ e 24$,
ditos saceos das mesmas cisemiras de co-
res a 9$, 10$, 12$ e a 14$, ditos pretos p^
lo diminuto prego de 8$, 10$, e 12J, ditos
de sarja de seda a sobrecasacados a 12$,
ditos de merino de cordao a 12$, dilos
de merino chinez de apurado gosto a 15$,
ditos de alpaca preta a 7$, 8$, 9$ e a 10$,
dilos saceos pretos a 4$, ditos de pal ha de
seda fazenda muito superior a 4$500, di-
tos de brim pardo e de fusto a 3$500, 4$
e a 4$500, ditos de fusto branco a 4$,
grande quantidade de calcas de casemira
preta e de cores a 7$, 8$, 9$ e a 10, ditas
pardas a 3$ e a 4$, ditas de brim de cores
finasa2$500, 3$, 3$500 e a 4g. ditas de
brim brancos finas a 4$500, 5jJ, 5$500 e a
6$, ditas de brim lona a 5$ e a 6g, colletes
de gorgurio prelo e de corea a 5$ e a 68.
ditos de casemira de cor e pretos a 4$500
e a 5$, dilos de fusto branco e de brim
a 3$ e a 3$500, ditos de brim lona a 48.
dilos do merino para luto a 4$ e a 49500,
calcas de merino para luto e 4f500 e a 5$,
capas de borracha a 9$. Para meninos
de todos os lmannos: calcas de casemira
preta eda cor a58, 6$ e a 7$, ditas ditas
de brim a 28. 3$ e a 8$500. paletots sac-
eos de casemira preta a 68 e a 7, ditos
decora 6$ e a 7J, ditos de alpaca a 3$,
sobrecasacos de panno preto a 12$ e a
149, ditos de alpaca preta a 5$, boneta
para menino de todas as qualidades, ca-
misas para meninoa de todos os tamanhos,
meios ricos vestidos de cambraia feitos
par* meninas de 5 a 8 annos com cinco
babados lisos a 8$ e a 12$. ditos de gorgo-
reo de cor e de la a 5$ e a 6$, ditos de
brim a 3$, ditos de oambraia ricamente
bordados para baptisados.e muitas outras
fezendaa e roupas feitas qpe deixam de
ser mencionadas pela sua grande quanti-
dade ; assim como recebe-ae toda e qual-
quer encommenda de roupas pare se
mandar manufacturar e que para eate fim
temos um completo sortimento de fazen-
das de gosto e urna grande offlcioa de al-
faiate dirigida por um hbil mestre que
pela sua promptidao e perfei$lo nada dei-
u a desojar.
Em eaea de KalkrMno frmOB AC, TUt da
Cruz n. 10 enconrra-ae o deposito des bem eo-
nbacidas marea dos Srs. Brandenbiirg Freres e
.dos Srs, Oldekop Mareilac & C, em Bordeaux.
Tem as segointes quelidades:
DeBrandenburg frres
St. Esiuh.
St. Julien.
Margaux.
La rose.
Chateau Loville
Cha lea u Margaux.
De Oldekop AUtareiliac
St. Julien.
Su Julien Mdoc.
Chateau Loville.
Cognac em barris qualidade fina .
Cognac em caitas qualidade inferior.
Na mesma cas ha para
vender:
Sherry em tajrris.
Madeira en barris,
Brilhantes
de todos os lama oh os : vendem-se em easa de
N. O. Bieber & C. successores, ruqda Cruz n. 4.
Agua ambreada
parabanho do rosto e do
corpo.
A loja d'agUM branca acaba de receber es#a no-
va e apreciavel agua ambreada, de um aroma ex-
cellentemente gradavel. Ella serve acertada-
mente para se deitar algumss gotas n'agua pura
com que se banha o rosto, resultando dtsso que
refresca e conserva o vigor da ctis, eom especU-
lidade daesephoras ; assim como para se deitar
n'agua de banho, que o torna mui deleitavel, re-
sultando alem de refrescar o tirar ou fazer desa-
parecer esse hlito Desagradavl que quasi sem-
pre se tem pelo transpirar. Tarobem trm a pre-
ciusidade de acalmar o ardor que deixa a navalha
quando se faz a barba, urna vez que a agua com
que se lave o rosto tenha della composicao. Cus-
a o fraseo 1$, e quem aprecia o bom nao derxar
cerlamente de comprar dessa estimavel agua am-
breada, isto na loja d'aguia branca, na ra do
Queimado n. 16, nica parle onde se achara.
Goes (Basto.
Ra do Queimado numero 46
Recberam grande porcSo de lira para vestido
com ricos padroes, tanto de quadros miudos, co-
mo largos.bem matizados, que para acabar esto
vendendo a 240 o covado, daodo-se amostras
com penhor.
Ruada Senzala Nova n.42
Vende-se em casada S. P. Jonhston 4 C.
sellinse silhes nglezes, canJeeiros e castieaes
bromeados,lonas nglezes, fio devela, chicote
para carros, e montara, arreios para carro de
ubi dous cvalos ralogios da ouro patenta
nglez.
Grande exposi DE
balaio fiaos.
No deposito da ra eslreita do Rosario n. 11 e
juntamente no salo para familias est vista de
todos que quiaerem honrar este estabelecimento
tanto para o sorvete como para escolherem eotre
a grande quantidade de balaios muito finos da
Iulia, como sejam para costura, para compras,
para meninas, para roupa engommada, e para
se darem com mimos,assim como carrinhos para
meninos, e calungas de todas as qualidades, co-
mo seja jongalamaste e muitos outros objectos
proprios para familias.
Potassa da Russia e cal de
. Lisboa.
No bem conhecido e acreditado deposito da ra
da Cadeia do Recife n. 12, ha para vender a ver-
dadeira potassa da Russia, nova e de superior
qualidade, assim como tambem cal virgem em
podra ; tudo por precos mais baratos do que em
outra qualquer parte.
DA
VICTORIA,
NA W
/?ua do Queimado n 75,
Junto a loja de cera.
Nesta loja ven lem-se as seguioie3 miudezes e
outras muitas por pregos baratos, a para quem
comprar victoria sempre contar :
CartSes de clcheles francezes muito bons a 40
rs. o cartao, e duzia a 400 ra.
Agulhas francezas muito boas e verdadeiras a 190
rs. a caixa com 4 papis, e avulso a 40 rs. o
papel.
Agulheitaa para enfiar vestido a 40 ra. urna,
Linhas victoria em carretel com 200 jardas a 60
ra. m, e duzia a 640.
Ditas de -9 jardas de Alexauder a 900 rs. a
duzia.
Ditas de Pedro V em cartao, branca e de cores a
60 rs. um cartao.
Ditas de melada de peso verdadeirae a 240 rs. a
meiada.
Papis com cento e tantos alfinetes francezes a
40 rs. a papel.
Alfinetes de cabeca chata grosios e finos a 120
rs. a carta.
CordSo imperial para vestido a 40 rs. a pega.
Caivetes finos deduas folhas para pennas a 200
ra. um, e duzia a 2$
L5a de lodas as cores para bordar a 6$500 a libra.
Pentes dvnito bons de baleia para alisar a 220,
240, 280 e 320.
Ditos transparentes tambem bons a 360 e 400 rs.
EnOadores de algodao a 60 ra. cada um.
Metas cruas brancas e de corea para homem a
.160. 200, 240. 280 o par.
D,i" brancas muito finas para senhora a 240, 280,
320 o par.
Espelhos dourados para parede redondos e qua-
dradoa a 3$500 cada um.
mMMfJK MMaifj|A1
epoiv vartfisv WWW wWMx
Altenco
jFazendas e rou-!
pas feitas baratas
NA LOJA DE
48- Ra da Imperatriz-48]
Junte a piulara franecza.
Encontra-se oeste estabelecimento um
completo sortimento de roupas de diver-
sas qualidades como sejam : paletots de
alpaca preta e de cores a 3$ e3$500, for-
rados a 4$ e 4$500, ditos de gaoga de cor
a 4$, dilos de brim pardo a 30800 e 4$, di-
tos de brim de cor a 8$500 e 4$, dilos
francezes a 3$400, ditos meias casemiras
a 5J e5$500, ditos de alpaca preta e de
cores francezes fazenda de 10$ a 6J50O,
dilos de palha de seda e laa a 3$500, di-
tos do bramante a 4$ e 3$"00, ditos de
casemira saceos a 135, ditos sobrecasacos
a 15$, ditos francezes a 19$, ditos de al-
paca preta francezes golla de velludo a
7J>500 e 8$, ditos de panno preto a 18$,
20 e 22. calcas de brim de cftr a 15800,
2J500, 3$500 e 4$, ditas de casemira pre-
tas e de cores a 6$, 7S500, 8$ e 10$, ditas
de meia casemira a 4$ e 3$500, colletes
de fuslo branco e de cor a 2J500, 2J800
g e 3$, dilos de gorgurao a 4$ e 5$, ditos
I de setim preto a 3$500 e 4$, ditos de ca-
jtt sentir preta e de cores a 4$ e 5$, ditos
J de velludo preto e de cores a 7$, 8 e 10$,
t completo sortimento de roupa para me-
O nio como sejam caigas, paletots, colle-
tes, camisas a Igo0,*l$800e2$, de fusto
*j a2$500, fazendas superiores.chapos para
li cabeca fazenda superior a 6$500, 8g500 e
10$, ditos de sol para homem a 6(500,
ditos para senhora a 43500 e 5$, e outras
muitas qualidades de fazendas e roupas
por precos muito commodos.
Recebem-se algumas encommendas de
roupa por medida e para isto tem deliba-
f radoa ter um contra-mestre no esta be-
3$ lecimento para executar qualquer obra
A tendente a sus arte.
Na pra?a da Boa-Vista n. 3, ven Je-se 1 sof,
2 consolos. 6cadeiras, tudo de amarello, e no-
vo, eouirs bem acabada, e 1 cama de ferro para
casal, tudo novo.
EAU MINERALE
NATRALLEDE VICHY.
Deposito1 na boticafranceza ra da Cruz n.22
Francisco Maciel de Souza participa a seus nu-
merosos frpffue7.es tanto da praca como de fora,
que tem de abrir novamenle o seu estabeleci-
mento de raleado feito na provincia no i.* de
julho proimn futuro, ni ra da Imperatriz, ou-
tr'ora aterre da Baa-Visia, n. 88, ao p-de becco
do,sFerrrin>s, onoe pretende vender muito eaa
conta, como d costusae, pera agradar aos fre-
guezes : venler muito e ganhar pouco.
Aluga-se um bom armazem na ra da Cruz
n. 29, ten Jo sahida para a roa dos Tanoeiros, em
boa localidade para qualquer estabelecimento : a
tratar no pateo de S. Pedro n. 6.
9H1GM
ANOVALOJADO PAVAO
NA
Cortes de meia casemira de ama s cor, fazen-
da superior, pelo baralissimo preco de 2$ cada
um: na rea do Queimado n. 22, na loja da boa f.
Por baixo da bo-
neca.
Vendem-se chitas francezas escaras e claras a
220 rs. o covado : na ra do Queimado o. 6, por
balxo da boneca.
lia do Crespo
loja n. Sb, de Joaquim Ferreira de S, vendem-
ae para fechar contas as seguinles fazendas por
pre;os muito baratos: pecas de cambraia lisa fi-
na a 3$,! cortes de casemira a 3$500, pecas da
babados largos e muito fios a 3, seda de qua-
dros mitldos a 800 rs. o covado, chitas largas de
cores escuras e claras a 240, caaaaa de cores bons
gostos a
500 rs.,
240 o covado, organdys muito finos .
pegas de entremeios bordados a 320 a
vara, golliohas bordadas a 640, manguitos de
cambraia e fil a 2$, bramante de algodao com
9 palmw de largura a 1$280 a vara, sobrecasacas
de panno fino a 20 e 25|, paletots de panno e
casemira a 16$ e 20$, ditos de alpaea de 3/500 a
7$, ditos de brim de cores e brancos de 3 a 5g
calcas d casemira preta e de cores da 6 a 10$!
ditas de brim de cores e brancas de 25500 a 5$,
colletes de casemira de cores, e setim preto a 5$,
camisas de fusto brancas o de cores a 2$, cortes
de cassa je cores a 2$. cassas pretas a 500 rs. a
vara, camisas de meia a 640, merino de cores
proprio piara capas de senhora a 800 rs. o cova-
do, assim como outras muitas fazendas, tudo
muito ba ato para acabar.
Relogios.
Vende-se em easa de Johnston Pater d C,
ra do Vigario n. 3 um bello sortimento de
relogios di ouro, patente inglez, de nm dos mais
afamados fabricantes de Liverpool; tambem
?ariedade de bonitos tranceiins para os
anta
mesaos.
Ra da Imperatriz n, 60.
DE
MMk &8IQaaM.
Acaba de receber pelo ultimo vapor.francez aa fazendas seguinles, as quaes se vendem ma
barato do que em outra qualquer parte: -. ;~ ""* a
Organdys de bellissimos padroes muito fios a vara 1$.
Groidenaplea azul, cor de rosa e amarello fazenda fina e da muito corpo o covado a 2
Ditos lavrados muito encorpado o covado a 2$. *'
Mimos de seda da India o mais moderno para vestido o covado a 1*280.
Ditos de la fina e de padroes muito galantea a 800 ra.
Manteletes de fil preto com bicolargo a 7#.
Ditos de fusto branco muito bem enfeitados a. 8$.
Chales de merino estampados com lista deaeda muito finos.
Tarlatanas de todas aa cores e muito fina- a vara a 800 rs.
Cortes de tarla tanas com aalpicoa cada em em aeu cartao a 6$.
Camisinhas com golas e manguitos para senhora que tem bom goslo a 6
Ditas ditas tom vivos da cor 4$000 rs. B ^
Um grande sortimento de saine balo para aeohoraa e menioaa.
Um grande sortimento de saiae balo muito ricas com babados a 10$.
Pecas de cassas bordadas com 81(2 varas propriai para coitiaado a 2J500.
Lindos chapeoszinhos de merino bordados para neniaos e meninas aoato inalaa ts
Caaaas francezas belisaimos padross a veta a 500 rs. "^ *
Assim como um completo sortimento de golliohas muito bous costos oara aanhorn n mmlnn .
saber U. 1$280. l$6O0. 2..3jfi00 a 3| *^ pm mftorM "winas a
Um completo sortimento da chitaa francezaa escuras a a legres a padroes bonitos a 229, 240 260
Ditas muito superiores o covado a 390 rs.
Ricos enfeiles com franja e Sollas para cabeca de senhora.
^J^l'.'&iend** ",ui "f"dWidw di, oa deiaaodo ficar penhor. aesim co-
mo se mandam levar em casa das familia que quizerem fazendas em conta e debonito goeta.
Attenco.
N 43*.
Ra do Amorim.
Vender-se saccas com milho muito novo, pelo
barato prec.o de 4$5O0 e 5tf.
Airado
lae
para
hnston
S americanos e machina-
ar roupa: em casa de S.P. Jos
& C. ra da vnzala n.42.
Muita gravata ba-
rata.
Na loja d'aguia branca se encontra um granda
e bello sortimento de grvalas de differentes ges-
tos e qualidades, e por precos taes que em ne-
nhumaoutra prtese acha. eomo seja, gravati-
nhas eatreitaa bordadas a 800 e 1J, ditas pretas s
de corea agradarais a t$, 1$200 a 1$500, ditas
com ponas bordada e matizadas, e lisa de mui
bom setim maco al$500. Pela variedade de sor-
timento o comprador teri muitas de que ae agra-
de : na ra do Queimado, loja d'aguia branca
numero 16.
Aos tabaquistas.
Lencos fios de cores escuras e' fixas a imita-
cao dos de linho a 5$ a dozia ; na ra do Quei-
mado n. 22, na loja da boa f.
Vende-se umT machinT dT ToaUra gR
^_ patente por baralo preco : a tratar na ra 2
W eslreita do Rosario n. 12.
Brim branco de linho muito fino a 1$280 a
rara ; na ra do Queimado n. 22, loja da boa f.
Riscadinhos de linbo proprios para obras
de meninos a 200 rs. o covado ; na ra do Quei-
mado n. 22, loja da boa f.
Caes do Ramos armazem
n 24.
Cintos pretos e de
cores.
Na loja da aguia de ouro, ra
Ido Cabuga n. 1B
chegadjo os lindos cintos, tanto pretos com
enfeiles de continha, como dourados, e de lindas
lilas tirelas, o mais fino que se pode encontrar;
islea lojia Aguia de Ouro, ra do Cabugi n. 1 B.
Calcado para senhora.
Dinhuiro a vista.
Borzeguins sem laco para senhora a 5$\
Ditos Com lago a 5$500.
Ditos com gaspea alta a 6$.
Na ra da Cadeia n. 45, esquina da ra da Ma-
dre de Dos.
15,000!!
Odigocom 15 garrafas (9
inteiras e 6 meias) da muito
acreditaba champagne do afa-
mado1 Larouzire : na praca da
Independencia n. 22,
Para se comprar as verda-
deiras luvas de Jouvin, a
loja d'aguia branca ponto
certo.
Esta loja tem constantemente recebido de sua
propria encommenda aa verdadeiras luvas de
Jouvin, e. agora mesmo acaba de as receber pelo
vapor fra(ncez e continuar a recebe-las por to-
dos os outros ; por isso quam quizer comprar
boas luvas escusa cansar-se, dirlgir-ae aloja
d'aguia branca, ra do Queimado o. 16, que ahi
ser bem servido.
Cabo de mar fim e madrepero-"
la, escovas para dentes.
Na loja d'aguia branca acharo os apreciadores
do bom, nui delicadas escovas de cabo de mar-
flm e ma lreperola a 2$ e 2g500 cada urna. Com
urna escova assim delicada faz gosto limpar-se
os dentes, e para as comprar dirigir-se ra
do Queimado, loja d'aguia branca n. 16.
Ray mundo
Carlos Leite &
Irma o recebe-
ram pela bar-
ca Clarissavin-
da ltimamen-
te de Nevr-
Yorlc.um com-
pleto sorti-
mento das me-
lhores machi-
nas de cozer
dos mais afa-
mados autores
m e lh ora dos
com novos
aperfeicoa-
mentus, fizendo ptspooto igual pelos dous lados
da costura, mostram-se na raa da Imperatriz n.
12, a qualquer hora. Tambem reeeberam todos
os preparos para as mesmos como agulhas, re-
trozes em carriteis, linha de todas as cores tudo
fabricado expressamente para as mesmas ma-
chinas.
Emeites a ga-
ribaldi.
Muitof lindos enfeites a Gsribaldi para senso-
res a 8$, ditos fingindo palha porm de sedas a
8$500 cada um, ditos de vidrilhos a i$800cada
um ; na leja da victoria, raa do Queimado nu-
mero 75. |
Cera de carnauba.
Vend-se cera de carnauba de supe-
rior qualidade : a tratar com Jos Sa'
LeitSo Jtknior, ra do Trapiche n. 15.
Fjelo a 2,600.
Vende-aje urna porgao de saccas com farelloa
2$600asaca: na travessa do pateo do Parazo
n. 16. casa pintada de amarello.
Novo sortimento
de cascarrilhas de seda para
enfeites de vestido.
A loja d'aguia branca recebeu prximamente
um novo e lindo sortimento de caacarrilhaa de
aeda para enfeites de vestido, sendo de differen-
tes cores e largaras, e como sempre as est ven-
dendo baratamente a 2$, 3, 4 e 5 a peca, precos
estes que em nenhuma outra parte se achara, e
so aim na ru do Queimado, loja d'aguia branca
onumer II >.
Attenco:
Vende-se confronte n portio da fortaleza da
Cinco Ponas o seguinte : carrocas tara boia e
cavalloa, cSrrinhos detratalhar na alfandega, di-
tea e ale, torrador de caf com fogio, dobraai
da
Vendem-se taboas de amarello, a louro por
presos razeaveis.
gfiHMMw mmmm mmm&
lii
4 fama Iriuaipha.
Os barateiros da loja
Encyclopedica
DE
Guimares A Villar.
[Ra do Crespo numero 17.j
Recebem continuadamente da Europa
sedas, cambraias, las, chapelinas de pa-
lha e de seda para senhores, manteletee
pretos ricamente bordados, ditos de co-
res, sabidas de baile,saias a balo de di-
versas qualidades, aaias bordadas de to-
das as qualidades e precos, chitas fran-
cezas muito bonitas e finas, enfeitea de
diversas qualidades para cabega de se-
nhores, aspartilhos de molas e mullos
outros objectos que nio mencionamos,
todos proprios para senhores.
Para homens
paletots, calcas, colletes, chapeos, cami-
sas, seroulas, meias, grvalas, lencos, so-
brecasacos, calcado Melie e muitos ou-
tros objectos.
Vendem baralissimo
Vendem baralissimo
Vendem baralissimo.
Quem duvidar v ver
Quem duvidar v ver
Quem duvidar v ver.
Levem dinheiro
Levem dinheiro
tt Levem dinheiro.
** aVM cm*ajawa* gfmw WWWW9fW9rWwGtwBfmilL
A *$, 4^500 e 5$.
Cambraia lisa muito floa a 4$ a peca com 8 lti
varas, dita muito superior a 58, dita tambem
muito fina com lpicos a 4$500; na ra do
Queimado n 22, na loja da boa f.
Delicadas
gravatinhas de seda bordadas
para meninas e senhoras.
A loja d'aguia branca acaba de receber pelo
vapor francez urna pequea porgao de mui boni-
tas e delicadas gravatinhas (e seda bordadas, ul-
timo gosto, para meninas e senhoras, e as est
vendendo a 1$500 cada urna ; a ellas, antes que
se acabem, pois s as ha na' loj d'aguia branca,
tua do Queimado n. 16.
Urna casa.
Vende-se urna excellente casa terrea com so-
13o na cidade do Aracaty, sendo na melhorrua
de commercio a tratar naquella com os Srs. Gur-
gel & Irmo, e nesta na ra do Cabug loja
n. 11.
Enfeites de flores para ca-
samentos e bailes.
Chegou para a loja d'aguia branca lindos e de-
licados enfeites de flores finas, feitos com muito
gosto e a ultima moda, sao mui proprios para as
senhoras que vo a casamentos e bailes, e ser-
vem igualmente para passeios. Os precos sao 8$,
10 e 12. porm quem apreeiar o bom conhece-
r que sao baratos, e para isso dirigir-se a ra
do Queimado, loja d'aguia branca n. 16.
Farinha de mandioca, a me-
lhor que ha neste genero,
igual a de Muribeca.
E' muito barato vista da sua superior quali-
dade ; no anuazem de Fraga & Cabral, ra da
Madro de Dos n. 18, defronte da guarda da al-
fandega.
Luvas de finacamursa
para militares e cavallei-
ros.
A loja d'aguia branca acaba de receber de ana
encommenda mui finas luvas de carearse, o que
de melhor se pode dar nesse genero, e ss est
vendendo a 2$500 o par ; os senhores officiaes e
cavalleiros.que s comprarem conhecero que sao
baratas vista de sua finura e duragao, e para as
obter dirigirem-se rea do Queimado, leja da
aguia branca n. 16. Adverte-ae que a quantidade
pequea por hora, e por isso nao demoren.
Campos 4 Lima na ra do Crespo n. lg,
tem para vender um rico sortimento de lazinhas
de cons a 640 rs. o covado, bem come lindas
fofas de cambraia para guarnico de vestidos por
diminuto preco.
A&mA
Armazenada
-- r-,, ......m u,VIRI UVIU lugau, uoDrani-
cas de chumbar de fcdos os tamanhos, boceada
fornaihaa para tornea, grandea (echaduras de
ferrolho e tambem rodas de carraca e carriahe,
rodas para carrinhos de mlo^ eixos pera carro-
cas a carrtnho, e outras quaesquer obras da
ferros.
L

de Pars
DE
Magalliaes k Mendes.
Ra da Imperatriz outr'ora aterro da Boa-Vista
loja armazenada de 4 portas n. 56, recebeu pelo
ultimo vapor chegado da Earopa, grande porcia
de aaiaa balo de nova invenco para meninas a
seabores o melhor gesto qae ha aesta fazenda a
o preco diminuto, mussulina da India brauce,
lisa, multo mais floa do que cambraia pase ves-
tidos barato preco, ricos cortea brancas borda-
dos com 3 babadea a 5$000 e B$000 o corte, novo
sortimeoio de chitas de cores fixas a 1. 180 a
WO ra. o covado. ditas francaxaa fioaa a 240. 260
280 o covado, e outras mottas fazendas por melada
da san valor: i loja armazenada acha-aa ahaita
ta du 6 horas da manhj as 9 da uoile.


OUMO.ai ffEM4MBCQ0. IMMQL FE1K4 8 il JULIO DI 1M1.
A variado.
Madapolio largo e fino com pequeo toqoe de
Teria a 3500 e 48, dito mito fino a 8 a peca :
na na do Crespo n. 8, loja de 4 portas.
Vende-se urna quarta parte do sitio e caa
de vivenda no lugar do Peres, fregueiia dos A-
ogados, seodo a easa edificada 4 para 5 ano os,
de peora eeal. muitas mores frootifraa nova a.
cacimba principiada d*agua doce, estribara, etc.,
etc., teodo a casa 4 quartos, 8 salas, coiinha To-
ra, portao : a tratar oa ra do Queimado n. 47,
Attencao.
Ma rea do Trapiche n. 46, em casa de Roslron
Kooker & c, existe um bom sorlimento de 11-
nhas.de cores e brancas em carreteis do melhor
"bricaate de Inglaterra, aa qaea aa rendem por
precos mu razoaTeii.
DESTINO
DE
Jos Dias Brando.
5Ra da Lingueta 5
O novo destino torra gneros por menos de seu
valor: superior roanteiga iogleza a 1 a libra.
fr"ceza 7> eh preto a 18400, oas-
sas a 560, conservas inglezas e portuguezaa a
7W rs., alelria, talhaiim e macarra a 400 ra. a
Ubre, toucinbo de Lisboa aSSOrs. a libra, banha
de porco refinada a 480 rs latas com pexe de
postas a 18400, cerveja branca a 500 rs. a gar-
HaL*1f duzi?. 0t Pret a 600 rs. a garrafa e
t>8800 a duzia, tanto em garrafas como em meias
ervilhas francezas e portuguezis a 720 rs. a lata'
spermacete de 4, 5 e 6 em libra por preco mul-
to em conta .vicho do Porto engarrafado fino
fvelho) a 18500 rs vicho de Lisboa eFigueira a
560 rs. a garrafa, vinagre branco a 320 rs. a gar-
rafa, e outros muitos gneros que escuiado
menciona-los, que do contrario se toroava enfa-
donho aos freguezes (Dinheiro vista.)
Esfriadeiras
para agua.
Vendem-se esfriadeiras muito alva para agita a
49 o par ; na ra do Queimado n. 75.
FUNDICiO LOW-MOW,
Raa da Sen zalla Nova n.42.
Nesto estabelecimento contina a haver um
complete sortiaento de moendas emeias moen-
das para engenho, machinas da vapor e taixas
le ferro batido e coado, de todos ostamanhos
para dito,
Exposiciio de bichas.
No deposito da ra estreita do Rosario n. 11
vendem-se bichas a 500 rs. cada urna, e aluga-
das muito em conta, motivo este pelos proprie-
tarios estarem com 10,000 bichas em deposito, e
garante-se a qualidade a qualquer pessoa que
comprar ou .lugar.
Expsito de queijos,
Na ra estreita do Rosario n. 11, deposito de
oodrea C. ata taita una exposiQao de queijos a
saber, queijos do Serid muito frescos, londn-
nos, do Reino, das Ilhas a 400 rs., de pralo
suisso a 400 rs.. presuntos inglezes, e oulras
muitas cousas que s vista dos freguezes.
Massinhos de coral
a 500 rs.
S na loja da aguia de ouro,
ra do Catug n. 1B.
Vendem-se maasinho de coral muito fino a 500
reis o masao.
SABA.
Joaquina Francisco de Mello Santos avisa aos
seus freguezes desta pra?a e os de fra, que tem
exposto venda sabio de sua fabrica denominada
Recifeno armazem dosSrs. Travassos Jnior
A C, na ra do Amorim n. 58; massa amarella,
castanha, preta e entras qualidades por menor
prego que de outras 'abriese. No mesmo arma-
zem tem feito o seu deposito de velas de carnau-
ba simples sem mistura alguma, como as de
composicao
(*
na ra
A12
a duzia de toalbas felpudas superiores
do Queimado n. 22. na loja da boa f.
Vende-se um sobrado de dous andares e
sotao na ra de Santa Rita : a tratar na rna das
Cruzes n. 18.
Atiendo
Vendem-se caixoes vasios proprios
para bahuleiros, funileiros, etc. : quein
pretender dirija-te a esta tippogra-
phia, que ahi se dir* quem os tem pa-
ra vender.
E muito barato.
Manteletes de fil preto muito superiores a 8a ;
na ra do Crespo n. 10.
Damasco de seda.
superior a 33500 ; ta ra do Crespo n. 10.
Alhos.
Na ra da Madre do Dos n. 6, armazem de
Machado & Rodrigues, vendem-se canastras com
100 massos por 2&500 cada canastra, em bom es-
tado.
Tachas e moendas
Braga Filho & C., tem serapre no seu depo-
sito da ra da Moeda n. 3 A, una grandesor-
mento de tachas e moendas para engenho, de
muito acreditado fabricante Edwin Maw a tra-
tar no mesmo deposito ou na ra do Trapiche
SINTOS
para senhora*
Sintos muito bonitos para senhora a 8g cada
um, fivelas muito liadas para sinto a 1S2O0 cada
urna; na loja da victoria, ra da Qoeimado nu-
mero 75.
A 8#000.
Chapeos de castor branco, fazenda muito boa,
os quaes se veqdem pelo diminuto preco de 8
cada um : na ra do Queimado n. 39, foja de 4
portas.
Attencao.
Vende-se um sobrtdo de um andar e soto,
naladeira da S em Olioda, com bastantes com-
modos, excellente vista, lanto para a cidade co-
mo para o mar, grande quintal todo murado,
com diversos arvoredos de fructo, boa cacimba
com ptima agua de beber, etc.; o predio e todo
do annuaciante por ter arrematado urna parte
que pertencia a urna herdeira : quem pretender,
dirij-8ea-ruada Cruz n. 60. loja de cera, qu
achara com quem tratar, ou casa d ra do Pi-
lar n. 119.
Vende-se manteiga fraoceza muito nova a
680 rs. : na ra do Fogo n. 20.
Barato.
Vende-se na ra Direita n. 99 a libra
sunto a 320 rs. a libra do de Lisboa do
ltimamente.
Fazendas
no armazem da ra do
Queimado n. 19.
Toalbas para rosto de preco 500 rs. cada urna-
Chita.
Chita franceza a 220 rs. o covado.
Cortes de casemira.
Finos cortes de casemira a 49500.
Cobettas.
Cobertas de chita a 1J800.
Capellas brancas.
Capellas de flores de laranja a 5j>.
Lences de panno
de linho pelo barato preco de 1$900.
Algodao
de duas larguras a 480 a vara.
Grandes lences de bramante a 3$300.
Jaques bordados
para meninos, fazenda muito fina, a 55.
Sera costura.
Lences de panno de linho fino a 3fl
Baldes
de todas as qualidades e de duas sfias.
Cambraias de salpicos.
Modernas cambraias de salpicos e muito finas
a 58 a pega.
Luvaa de Jouvin,
Na loja da Boa F, na ra do Queimado n. 22,
sempre se encontraro as superiores luvas de pel-
lica de Jouvin, tanto para homem como para se-
nhora, por serem recebidas por todos os vapores
viudos da Europa, e se vendem pelo baratissimo
prego de 2J500 o par: na mencionada loia da Boa
F6, na ra do Queimado n. 22.
gdiMIMiSeW-eiUiS9i8MMISei6
Rua do Crespo a. 8, loja de~
4 portas, admira a pe-
cbiDcha
Laa para vestidos fazenda que
outr'ora custava 8> 0 rs, o cova-
do vende-se a 840 rs., dao-se J[
S| amostras com penhor. -
Coraes lapidados
a 500 rs. o tnasso.
, Vendem-se massinhos de coraes lapidados a
500 rs cada um : na ra do Queimado, loja d'a-
guia branca n. 16
240 rs.
Laas escuras de padroes modernos o melhor
que tem apparecido, de lindas cores, a 240 rs. :
na ra do Queimado n. 39, loja de 4 portas.
Lila preta, m
boa fazenda, a 280 rs. o covado.
Corles de casemira de cor fina a 4fi.
Di'8de collele de gorguro, bonitos padroes, a
29OOO.
Panno fino superior, cor de azeitons, a 4*000 o
covado.
Casemira preta fina a 2$ o covado : na ra do
Crespo n. 10.
Urna cama franceza*
Vende-se uma grande cama franceza de ama-
relio para casados, com colchos, em muito bom
uso : na loja da ra do Cabug n. 8.
Farinha.
Na taberna grande da Soledade vendem-se sac.
eos com farinha muito boa, e tabaco de caco d*
uroo de Garanhuns em libra earetalho.
Nova loja de ftmileiro na ra
da Cruz do /?ecife n 37.
afanoel Jos da Fonseca participa a todos os
seu freguezes e juntamente ao espeiUvel pu-
blico, que tomou a deliberado de baizar o preco
de todas as suas obras, por cojo motivo tem para
vender um grande sorlimento de bahus e bacas
pe differentes tamanhos, e cores em pinturas ; e
juntamente um grande sorlimento de varias
obras, o que promette vender o mais barato pos-
81 coa>0 **J" D,nus grandes a 4*. e cocos
s lf a duzia. Recebe-se um officiel do mesmo
oicio para tr&balhar.
de pre-
chegado
A BOA FE TRIUMPHA
S LiquidacaO. I
Ruado Queimado lojadei
% 4 portas n. 10.
ip Vende-se panno de supeiiorqua- @
tf| lidade prova de limao cor de f&
caf a 3^f. g
^ Dito verde a 5^. a
g| Dito preto a 3$. &
0 Dito azul a 3$. M
ea Seroulas escossezas brancas a f5
IJBOOe 1*300. |
j^ Ditas de linho a 2600 e 3*. g
jg Superiores manteletes de fil m
S preto a 6,jf.
S Camisas de linho inglezas duzia &
g Ditas dita dita duzia a 35*.
a Ditas dita dita duzia a 40*,
Z Ditas dita dtta duzia *5*
S Ditas dita dita duzia 50*.
importante
Aviso
Na loja de;4 portas da ra do Queimado n 39
acna-se um grande annazem com todo o srti-
mtntode roupas feitas, paracujo fim tem mon-
tano urna offleina de alfaiate, estando encarresa-
do della um perfeito mestre vindo de Lisboa, pa-
ra aesempenhartoda e qualquer obra que se The
encommende; por isso que faz um convite espe-
cial a todas as pessoas com especialidade aos
lllms. Srs. offlciaes tanto da armada como do
exercito.
Faz-se fardas, fardoes com superiores preparas
e muito bem feitas, tambem traU-se fazer o far-
damento todo completo conforme se usa no Rio
de Janeiro, tanto que tem os figurinos que 'de
la vieram ; alm dtsso hz-se mais caaaquiahas
para montara, frdelas oujaquetas, bem como
colletes a militar para os Srs. ajudanles de esta-
do maior e de cavallaria, quer seja singelos ou
bordados a espeqnilha de ouro ou praia, tudo ao
gosio da Europa, tambem prepara-se becas para
desembargadores e de qualquer juiz segundo o
estylo de Coimbra aonde se fazem as melhores
conhecidas at hoje, assim como tem muito ricos
desenos a matiz de todas as cores proprios para
larda ment de psgens ou criados de libr que se
far pelo gosto fraoceza. Na mesma casa en-
carrega-se de fazer para meninos jaquetas a
franceza bordadas ao mesmo gosto. Affiancando
que por tudo se Cea responsavel como seja boas
lazendas, bem feito e bom corte, o&o se falta no
da que se prometter, segundo o systema d'onde
veto o mestre. poi espera a honrosa visita os
dignos senhores visto que nada perdem em es-
perimentar.
Enfeites de bom gosto po-
ra senhoras.
A loja d'aguia branca est recentemente pr-
vida de um completo sorlimento de enfeites de
bom gosto para senhoras, sendo os afamados e
delicados enfeites de torcel com franjas e borlas,
outros tambem de torzal de seda eofeitados com
aljofares de cores e borlla ao lado, outros de
troco igualmente eofeitados com aljfar, e borlo-
las, todos elles de um apurado gosto e perfei;o,
os precos de &J e 10 sao baratos vista das
obras ; alm destas qualidades ha oulras para
33 e 41 : isso na ra do Queimado, loja d'aeuia
brenes n. 16.
Delicados chapeo-
zinhos para baptisados.
Na loja d'aguia branca se acha mui novos e
delicados cbapeozinhos para baptisados obra
mui perfeita e bem enfeitada, sendo effda um em
sua bonita caixinba, e pelo baratissimo preco de
6, nioguem deiiar de os comprar : na loja d'a-
guia'branca, ra do Queimado n. 16.
Vende-se umarporcao de barris vasios : a
tratar no pateo de S. Pedro n. 6.
Batatas
mi
DE
Jos de Jess Moreira N. 18-Rua do fiosaraio esquina das Laraogeiras-N. 18
Os proprielarios desle estabelecimento avisam
aos Srs. amigos do bom e barato que se acha com grande sorlimento de gneros dos melhores qoe
tem vindo a esle mercado o por ser parte delles vindos por conta dos proprielarios estao resolvaos
a vender por menos do que em outro qualquer estabelecimento e se obrigarao a servir os Srs. com-
pradores da melhor maoeira possivel para o que avista far fe.
Manteiga ingleza perfectamente flor pei0 preQ0 de 900, soo, 64o rs.libra
muito boa, em barris se far abalimento s na boa i.
Dita franceza m^to boa a 720 rs. a libra, s na boa f.
Cha perola, hysson e preto, ^eo, n e 1*00, s na boa f.
Doce de CaSCa de goiaba em caixoes do melhor a 800 rs., s na boa f.
Ameixas francezas a 48o rs a libra, s na boa f.
Marmelada imperial d0 afamado sreu ede outros fabricantes pelo prece ds.
a libra em porco se far abatimento, s na boa f.
Latas com bolachihna de soda a tm) BUit9 nova> 80 Ba boa f.
CnOCOiate do melhor que tem vindo a este mercado a 900 rg. a libra, s nabos .
MaSSa de tomate da melhor qae tem vindo a este mercado a 800 rs. a libra.
DOCeS de pecegO, gtga, pera e alpera a calda fabricado pelos melhores fabricantes de
Lisboa em latas de differentes tamaitos a 700 rs. a libra, a na boa f.
PaSSaS muitO novas a 480. Ubra, s na boa.
Conservas inglezas e francezas a m em pw^o ,e it abatimento, s n.
boa .
Aleti-ia, macarro e talhanm a m daB mais D0Ya qM ha, s6 na bo .
1 OUCinnO de LlSOOa muii0 bom do mais novo que ha no mercado a 320 rs. a libra, s
aa boa f.
CnOUriCaS e paiOS io melhorqueha no mercado a 500 rs. a Ubre, s na boa .
Danna de pOrCO refinda da melhor que ba no mercado a 480 rs. em porco se fai aba-
limento, s na boa f.
VllinO em pip daPigueir* aOOOrs. a garrafa e de Listos 580 e 480 a garrafa e em ca-
nads.se far abatimento, dito do Porto engarrafado s 1# e 18400, duque do Porto do melhor
que pode haver, s na boa f.
tnampagne das mais acreditada* marcas que ha, licor de todas es qualidades, garrafas de
azeile parificado a 900 rs., nozes das mais aovas que ha a 900 rs. a libra, ervilhas em calda,
azeitonas em ancoras muito baratas, s na bea f. Alm disto encontraro o sortimenlo
completo dos gneros tendentes a molhades e tudo do melbor que ba neste mercado,
e ocootra na boa f. -
Feijo de corda
No armazem de Tasso rmeos, ra do Amorim
numero 35.
v
Padaria.
Ac?Vi?e uma Dadsria Dem montada, prompta
a trabalhar, em muito bom lugar, bem como um
deposito bem afreguezado, pertencente mesma,
cujos estabelecimentos se vendem muito em
conta, ou tambem se aluga ; quem pretender,
dinja-se a travessa do Arsenal n. 1 a 3.
Rival
sem segundo.
em gigos de 1 arroba, chegadas ltimamente, a
Ignoo r o Bigo. o 60 ra. oro libras : veodem-
se nicamente nos armazens Progresso e Pro-
gressista oo largo do earmo n. 9, e ra das Cru-
res n. 36, tambem tem grande porco de quei-
jos prato que venlem a 560 a libra e a 480 ne-
leiros.
Opiata ingleza para
denles.
A loja d'aguia branca acaba de receber de sua
propria encommenda a bem conhecida e provei-
tosa opiata ingleza para denles, cuja bondade
apreciada por todos quantos della tem usado, e
ser mais por quem quizer conservar as gengivas
em perfeito estado, assim como a alvura dos
denles; cusa cada csixa i500, e por lal preco
s deixarao de comprar quando a nao acharem
mais na loja d'aguia branca, na ra do Queima-
do n. id.
Escovas grandes
para carros, tapetes, etc.
Na loja d'aguia branca se encontra'mui boas
escovas grandes com cabo, proprias para se lim-
Par.c*rro8 lpeles, etc., e por 2J: nioguem dei-
iar de comprar urna escova de que necessita :
na ra do Queimado, loja d'agnia branca n. 16.
Na ra da Moeda n. 5 tem para veuder sua
penor cal de Lisboa em pedra. afianca-se a bo-
qualidade por ser muito nova chegada poucos
das, por batato prego para acabar;
240
2#000
500
440
400
22(000 a
59000 9
Ra do Queimado n. 55, loja de miudezae de
Jos de Azevedo Maia e Silva, defronte de so-
brado ovo, est vendendo por baratissimo prego
para acabar, Igumas qualidades de fazendas, as-
sim como seja : franja de laa para vestido a 100
rs. a vara, tranga de las com 10 varas a 200 rs. a
pega, pares de meias cruas para meninos de 3 a
6 annos a 160 rs., e de 6 a 10 annos a 240, linhaa
de Pedro V com 200 jardas, verdadeiras, a 80 rs.,
novellos de lioha do gaz a melhor qualidade que
ha oesta praca a 60 rs., tem tambem para 20 e
10 rs. cada novello, e de cores a melhor que ha,
novellos grandes, a 40 rs., carreteis de Hnba do
gaz e pretas com muita liaha a 200 rs., baratis-
simo, caizas com tiges para acceader charutos a
40 rs., ceixas com phosphoros de seguranga a 160
rs., groza de phosphoros do gaz a 2$800, e duzia
a 240, fitas para enfiar vestidos e roopinhos a 80
rs., pegas de trico, largura de 3 dedos, a 2a, e va-
ra a 120, linhas de novello de cores por todo o
prego, fraseo d'agua de colonia muito superior a
400 rs., duzia de meias muito finas para senhora
a 3$, e par a 280, linhas de marcar muito finas
novello a 20 rs., grvalas de linho muito bonitas
a 200 rs., pegas de tranga de laa de todas as co-
res a 50 rs., tem um resto de sabonetes para
600 rs. a duzia, groza de boloes de osso para cal-
ca, pequeos a 120, e grandes a 240, sao muito
fios, marcas para cobrir a 20 rs. a groza, e tem
tambem maiores para 60 e80 rs., duzia de meias
cruas para homem a 2&400, muito boas para du-
rar, meias de cores para meninos pelos pregos
cima, tramoia do Porto muito boa, vara, a 80,
100, 120 e 160 rs., fitas de linho brancas e de co-
rea a 40 ra. a pega para acabar, grozas de penas
de ago a 500 rs., tem um resto e sao soperores,
frascos de opiata para liropar denles a 400 rs.,
copos com banha muilo Coa a 640, frascos de
banha de urso a 640 e 500 rs., varas de laby-
rlnlhos de todas as larguras e por todo o prego
para acabar, espelhos de columnas brancas a
1&500, pechincha, carteiras para guarJar dinhei-
ro muito boas a 500 rs., frascos com cheiro multo
finos a 500 rs., realejos para meninos a 20 rs.
cada um, baralhos portugueses a 160, e duzia a
1JJ440, baratissimo, duzia de boloes madrepero-
la para palelot a 480, cartas dn alfioetes para ar-
mador a 120, varas de Iranias para cortinado a
200 e 240, muito barato, boloes de vidro com
p pata casaveqaes de senhora, duzia a 240 rs.,
todas estas fazendas estao perfeitas, e vende-se
baralo porque precisa-se apurar dinheiro para is
necesidades, e por.isso toco logo.
Talberes para criancas
rriSl!!,BftlalJlir,i p<, criancas a 3S0 cada w:m ra do Queimado, baa de api, mais teratoto que em onraqual-
loja 'aguia branca o. 16. quer parte; na ra larga do osario, "s.
tt
i Liquidaco
|Rua do Queimado n.
| 10. loja de 4 portas, g
Vende-se as seguiotes fazendas por 9
ff menos prego do que em oulra qualquer Sb
k parte, como sejam :
| Chitas francezas cores fizas a 220 e
? Cortes de eassa francesa a
p Chalys de apurado gosto covado a
v Cambraia de seda dito o covado a
F Mimos do co dito o covado a
p Chales com palmas de seda a
| 1$600e
CamUiohas de cambraia bordada
para ba plisado a
f Dilas de dita para senhora e com
i Kollioha a 3$500
Chitas inglezas cores fizas a 160 *8
f Eaguiao de puro linbo a vara a 800 Q
k Cambraia lisa muilo fina a peca a 5|000 S
I Chales de merino bordado a 5$000
P Ditos de dito liso a 3j>500 e 4S0OO Q
i llantas de selim lavrado para se- afe
l ahora a -A 1J600 2
(Meias para aeobora a 3g, 3*500 e 4*000 W
OiUs para meninas a 2J800 e SfOOO Sb
i Chapeos de sol de seda para se-
, ahoraa3l500e 4J000
' Uuardaaapos adamascados a da- W
\ za 2#50Q e 3J000 S
, ioalhas de linho a duzia 5000
Riacadinbos de linho o covado a 160 9
I Cortes de brim de linho de cores A
i a 91800 21800
Ditos de meia casemira a 1&280 e 1X600 9
Panno azul fino eovado a 1#S80 e 11600 9
i Dito preto dito dito a 39500, 49 e 51000 aaa
i Cortea de casemira preta a 51 e 6*000 2
Corles de dita de oorea a 4 e 50000 9
Co,,e* ralledo para eollete tik
10600 saooo S
Ditos de orgurio a 1)1600 W
rim braceo da linho trangado a 1/000 **
Paietotsde brim de cor pardo a
Ditos de dito lona a
--
8
.I. M SKSKnCW
lif
jBOUPA FEITA AIMJA MAIS BARATAS.?
SORTIMENTO COMPLETO
ai
azendase obras feitas.
RA
LOJA E ARMAZEM
DE
fides k Basto
tu
Una do Queimado
46, fTente amaTella.
constantemente temos um grande e va-
riado sorlimento de sobrecasacas pretas
oe panno e de cores muito fino a 2c-fr,
IL 85* P*lelot dos mesmos panDos'
a 203, *2S e 24$, ditos saceos pelos dos
msmos pannos a 14, 16 e 18|j, casa-
cas pretasmuito bem feitas ede superior
pabno a 28. 30JJ o 35. sobrecasacas de
casemira ds core njuilofinos a 15, 16
e IbjJ, ditossaxcos das mesmascasemi-
rasalg, 12 e 14g, calcas pretas de
- ca emira fina para bomem a 8, 9, 10/
e 18, ditas de casemira decores a 7|,8,
, 9 o 10, ditas de brim brancoa muito
W fin i a 5J 6, ditas de ditos de cores a
E 3, 3500, 4 e 4500, ditas de meia ca-
Jf senira dricas cores a 4$ e 4g500, col-
Ot letes pretos de casemiraa 5 e 6, ditos
S de ditos decores a4J500 e 5, ditos
Ot branco fde seda para casamento a 5
ditos da 6, colletes debrim branco e d
usto a 3, 3500e4. ditos de cores a
2500 e 3, paletotspretos de merino de
eordao sacco e sobreeasaco a 7J, 8 e 9,
colletes pretos para lulo a 4$500 t 5$,
cas pretas de merino a 4500 e 5, pa-
l etbts de alpaca preta a 3500 e 4g, ditos
sobreeasaco a 6,7e 88, muito finocol-
letes de gorguro de seda de cores muito
boa fazenda a 3800 e 48, colletes de rel-
iado de cores e pretos a 7 e 8, roupa
_ para menino sobre casaca de panno pre
tos e de cores a 14, 15 e 16, ditos de
casemira sacco para os mesmos a 6500 e
8 7, ditos de alpaca pretos saceos a 3 a
33500,ditossobreeasacos a 5J e 5500,
8 calcaade casemira pretas e decores a 6,
** 6J500 e 7, camisas para menino a 20 J*
2 a duzia, camisas inglezas pregrs largas al
2 muito snperiora|32 aduziapari acabar. S
H Assim como temos uma officina de al-
Cfaiate onde mandamos ezecutar todas as S
q obras com brevidade. g
Kt9IS?f69i6di&diS CWdl$d$di9K&t
Vende-se uma taberna na praca da Boa-
Vista, muito bem afreguezada, tanto para a prac,a
como para o mato, pois o seu dono vende por
se retirar para fora a tratar de sua saude, vnde-
se a dinheiro ou a prazo com garantas : quem
pretender, annuncie para ser procurado.
Vende-se t taberna da ribeira da Boa-Vista
n. 3, propria para um principiante por ser de
pouco fundo, e estar muilo afreguezada para a
Ierra.
Vendem-se saceos de gomma de superior
qualidade, por preco commodo ; na ra do Viga-
rio n. 5.
l
pechincha.
Sedinhas de. quadros muito incorpadas, cova-
do a 800 rs.
Golinhss de fusto bordadas com boto para
senhora a 640 rs.
Ditas de dito lisas com botao a 500 rs.
Manguitos a balo com punhos e gola borda-
dos com bolozinhos a 3.
Manguitos a balo com punho e gola a 2500.
Baldes elsticos a 3 e 3500
E outras mais fazendas muito baratas : ns ra
da Imperatriz n. 40, esquina do becco dos Fer-
reiros.
Attencao.
No noTo caf do becco da Boia n. 2. no Forle
do Mattos, yendem-ie bebidas e charutos de di-
" rM"8>qu hora do dia para qutm nuiler
' "''u com maior eio e prcD.Jlid.J
f^K^a0d0pfre-50- Ncesma casa vende-se
iIrfo.rOUI'a Pr0i'ri,, ,'8' lrilb8lba"es e
A 4^000. .
QuCeimIdodn.f437e,Dra' f'MD,U b3 rua 0
A 1^300.
mero']" ** ^ Prel8 : "" fUa d 0ueima A 2<[000.
maCdor'n.d4e7f0rgDr50 '* Seda : Ca rua do Onei-
A 200 rs. o covado.
maPd'oLn!"'.Pre"8 COm <,efei' : Ea rua do "
A 3^500.
doE0ueim.ddonb0?7.8Ol0 P8ra 8"hora Da <*
Loja das seis porlas em
frente do Livramento.
Roupa feita para acab&r
,.a,ie!iC,S<;epaDD0 prf, a ** ecda fina
calcas de casemira pretas e de cores, dilas de
bnm ede ganga, ditas de brim brane., r"loi
de bramante a 4, ditos de fusto de cores a
3 ditos de alpaca preta saceos e sobrecaaco
colletes de velludo pretos e de cores des rtl
gorguro de seda, gravatas de linho as ''l
S^f 2008, Cada **> collarinhos di Ifho
daulumamoda todas estas fazendas se venda
barato para acabar; a loja est aberla das 6 ho-
ras da uanbaa at as 9 da noite.
escTr^^/RA00"" ^uil Cd" com P'droes
rsifSeiii'Kr?;ca rw do^--
h ehegoo o pronpio
alivio,
bem como os outros medican entes dos celebre*
venda na rua dalmperalnz n. 12. Tambera ri,e.
garam as inslrucc.oes completas rara =e osaVeo,
estes remedios, contendo um ndice onde de procurar a molestia que se deseja curar 01
quaes se venem a 1JO0O. '
Nova pechincha.
Chitas lasan francezas, covado a 2C0 e 2(0
rs., listados francezes, corado 160 rs., corles do
rntsmo a 2,000 re.: na rua do Qoeimado." 44
U vende barato.
Z Acaba de chegar a o armazem
g da rua da Cadeia do Rtcile d.
T 8, um lindo sortimento de va-
ras domadas imitando jacaran-
da'proprias para molduias de
g espelhos, retratos e estampas pa-
P ra ornamentos de sala etc., as
ques se rendem por diminuto
TaaTak

&
4 PRIMAVERi
16-Rna da Cadeia do Recife-16
LOJA DE MIDEZAS
Lindos cabazes
de palha fina, ou cestinhas
para meninas de es-
cola.
Na loja d'aguia branca se acham mui lindos e
de icados cabazes de palha flea, cu cestinhas en-
leiladas, proprias para as meninas de escola, cu
mesmo para costura de senhoras, e custam 4 e 5
o que e baratissimo vista da perfeico e bom
gosto de taes obras, as quaes se vendem em dita
loja d aguia branca, rua do Queimado n. 16.
eS; A% .*&> <5f DB
"" vo?dem-se globos para candieiros, e boa-
[Fonseca (f. Silva.!
Caixas de vidro com perfumaras uma
2j>500, espelhos dourados duzia 800 rs.,
apparelhos para brioquedos de crian-
cas de 1 a 49, bandeijas para um copo a
400 rs. Cada uma, dilas amores de 1,
2, 3 e 48 cada uma, penUo de tartaru-
ga virados a 5, 6 e 7# ca deretrozcom vidrilhos para senhora a
I38OO cada um, pecas de tas de vellu-
do puto estreilas a 1J e a I52OO a pega
de 10 varas, pentes para atar cabello a
1j?300a duzia, caixas de raiz a lg500 a
duzia, cartas francezas muilo finas a I
3j500 a duzia, caivetes grandes em ;
cartao a 49 a duzia, ricas 'caixas de i
madeira com espelhos contendo perfu-
maras proprias Dar toilets de senhora
a 6$ cada uma, bahuzinhos com dilas a
5$ cada um, argolss douradas a 1$500
a duzia, colberes de metal principe pa-
ra terrina a 2$ cada uma, ditas para
sopa a 45500 a duzia, tesouras para cos-
tura em carteiras a 1 ji a duzia, tranca de
carocol masso de 12 pecinhas a 600 rs.
o mago, jarros dourados com pomada a
38 o par, fivelas para eollete a 500 rs. a
dnzia, dilas para calca a 800 rs. a du-
zia, fitas de linho 9 480 rs. o masso, co-
Iheres para cha a 320 e 500 rs. a du-
zia, figuras com tioteiro e arielro a 500
800 e 18 cada um, alamares para capo-
tes a 18200 a duzia, pecas de bico com
10 varas a 600, 800, 18, 1S200, 18500 e
2f a pega, caixas para barba tendo vi-
dro para sabao e espelbo a 320 rs. cada
uma e sem vidro a 100 rs., pentes
de tartaruga para marrafa a 640 r. o
par, boloes de lonja para casaveques
de todas as cores a 240 rs. a duzia,
meias croas muito compridas para se
nhora a 38500 a duzia, grampos eofei-
tados para cabello a 640 rs. o par, ren-
das pecas de 10 varas a 800, lg e 1J500,
salas contendo cadeiras, mesa e con-
solos de porcelana com banha a 108 a
128, phosphoros do gaz a 240 rs. a dn-
zia de caixinhas, caixiohas com gram-
pos a 200 cada uma, ditas com alQnetea
a 320 rs., ditas redondas contendo al-
fioetes, grampos, clcheles e dedsl a
300 rs. cada uma, ditas grandes a 800
cada urna, ditas com oa) mesmos ob-
jectos e um frasco de extracto a 18 ca-
a uma, cacles de papel de cor de 100
folhas a 600 rs. o pacote, candieiros de
tneio de sala para azeite de 6 a 8 cada
um, caixinhas de msica a 5f e 6f cada
uma, botoes para pannos a 320 rs. o
par, tesouras muito finas para costara a
68 a duzia, limas para unhas 1 320 ra.
eada ama, velas slaarinae a 7C0 rs. a li-
bra, o muitos outros artigos que a vista
I doB precos cemmodos por eerto nin-
I guem deixam de fazer negocio visto
s.ue malisam elles com os das casas
importadoras.
jKecommenda^o aos Srs.W
de eugenho. J
c i Panno azul de superior qua- ?
I lidade para roupa de escravos a 9
900 el/). e
&w fes
ur x? P
?^^
(i
Espartilhos
Chegaram, no ultimo paquete vindo da Europa
I nquissimos espartilhos para senhoras, com nV
gg mosos e delicados bordados a agulha, fazenda m-
teiramente moderna e de bom gosto ; vende-se
I* por mdico prego : na rua do Crespo n. 7. es-
t, I qu"> da rua do Imperador loja de Guimares &
5kt I LlUiOt
h.
Eserayos fggido
Escravo fgido.
Una, que representa ter 25 annos de idade, pouco
22 7 me,1os' cujos sinae8 os seguintes -
?nSdi! lh08' e.-ialU/" regular- cabelos :
te. iU ,ild0 de Chi,a escura e chale de
^a,ri;tei!,d0J0ab8X0 a"gdo batido
esta escrava por divida na comarca do Limoeiro
Pasair! ^V.T"? T direccio, ou a serra da*
a.oH^LD8uU"1: roga' Prlto. a todas
anh w P,ic,a capitaes de campo a
Mt.??V en.t/euein ao abfli" assignado
nesta cidade do Recife. rua do Queimado n 46
A, que gratificar generosjmente.
. A. Bezerra de M. Lira.
tugio do engenho Jundi, freguezia da Es-
cada, um escravo por nome Pedro, idade de 18 a
20 annos, pouco mais ou menos, crioulo. baixo
cor preta, cara regolar. tem os ps feridos de"
frteiras e cravos, levoo camisa de baeta azul es-
cora, calca de algodao azul, chspo de palha j
velbo ; furtou um cavallo castanho amscelo com
um O no quarto squerdo. e o mais ferro igoora-
se, castrado, gordo, andador baixo, galopa bem e
e novo ; fugio na madrugada de 25 para 26 do
corretejonho ; foi comprado dito escravo ao
r. Francisco Matinas Pereira da Costa, morador
nesta praga, e dizia ter sido do Bonito do lugar
ledra : roga-se a todas as autoridades e capitaes
ao campo, ou qualquer outra pessoa, que o agar-
rem e o levem ao mesmo engenho Jundi, ou
oesta praca casa de Joaquim de Almeida e Sil-
I va, travessa do Queimado n. 1, pelo que ser
generosamente recompensado.
Fugio desde o dia 8 de junho do correte
anno.da casa do abaixo assignado, o preto Tho-
maz, crioulo, fllho do serto de Mochlo, bonita
figura, com alguna signaes de bexigas, denles li-
mados, tem os dedos da mao direita aleijados,
de urna machina de padaria, de idade, pouco
mais on menos, 26 annos, julga-se ter ido para o
dito lugar cima mencionado por J ter sido vis-
to no mesmo lugar o anno passado, quando fu-
gio a primeira vez neste lugar, como bem agora
a semana passada que foi visto no Serid, dizen-
do que se tinha forrado : pede-se, porlanto, a
ualquer pessoa que o pegar, leva-lo rua dos
escadores ns. 1 e 3, padaria, que se lhe dar
50 degratiflcacao, e se pagar as despezas que
se flzer.Joao Jacintho de M. Rezcnde.


(8)
DIARIO O FlftlUUBUGO. ZJE&CA ffiUA !D1 JULHO DE 186i.
Variedades.
OS CAMINHOS DE FERRO.
Nao possivel fixar a poca nem o come do
primeiro queimagioou as fias frreas, porm
terto que Inglaterra pertence gloria da des-
coberta e os seus aperfeigoamentos.
Era 1630 ou 16(9 eram cocheeidos no con-
dado de Durhara os railways para o servigo das
minas de carvo. Eram de madeira e forana sof-
freDdo diversas modifkages.
Em 1767 iratou-se de as larnar de mais dura-
zno. reve3tlndo os carris com chapas de ferro.
Mais tarde o eogenheiro William Reynoldsin-
troduziu os rails fundidos. Reconheceu-se logo
as vantagens de que, em lagar de ter o rail os
rebordos, que impedan) o desvio da roda, os ti-
vesse esta, evilsudo que o p e a lama difcul
tassem o niovimento. Este metlioramenlo foi
operado pelo eogenheiro William Jesopp em
1799.
Em 1810 George Slephenson snbstituiu aos
rails de ferro fundido os de ferro forj ido. o que
permiltia usar machinas mais pesadas, de roaior
forga e velocidade.
O molor da trcelo que se empregava era o
aangue, sen lo dasconhecida a locomotora, at
que em 1804 foi construida a primeira, e ainda
muito imperfeila, as officinas de M. M. Trevicb
e Viviau, e s pissadoso anuos de experiencias
que o problema foi perfeitameote resolvido por
George Slephenson.
Seu filho Roberto fez a primeira locomotora
com caldeira tubular, a que poz o nome de a
Fusie, e que foi apresentada compaohia do
caminho de forro de Manchester Liverpool.
Este caminho, que at ento en destinado ao
transporte de mercadorias, abnu-se solemne-
mente para passageiros a 30 de selembro de
1830.
Quando os engeoheiros faziam o tragado da
T3, susteotaram urna verdadeira lula com os
poros, que se conspiravam contra tal melhora-
menlo.
Em 1825, quando se apresentou no parlamen-
to o projedo para a concesso do caminho, foi
regeilado, porm na sesso seguinte obteve a
approvscao.
Vencida em todas as parles a opposicao, em
Tisla dos grandes resultados, em todas as partes
se formaran) associacoes para a construccao de
Tias frreas.
Em 1831 Roberto Peel dlzia cmara dos
comamos:
Apressemo-no?, senhores : iodispensavel
estabelecer de um extremo ao outro deste reino
communicages vapor, se a Inglaterra quer
consarvar.no mundo a sua grandeza e superiori-
dade.
IMPOSTO RENDOSO.
O governo francez resolveu apresentar ao cor-
po legislativo um projecto de imposto sobre os
phosphoros.
Calcula-se que o producto deste novo imposto,
suppondo-se um consumo diario de qualro pali-
tos phosphorisados por pessoa, nao producir
menos de 29 milhdes e 200:000 francos,
EHDEM1A MORTFERA.
Urna estatistica official mostra que os lyphos
vitimaram em iples, no espago de tres me-
zes, as duas tergas partes dos mdicos, enfer-
meiros e serventes dos hospitaes de aples e
cercanas.
UM PRINCIPE EM PERIGO.
O principe de Galles, herdeiro da cora de In-
glaterra e o capito Grey andavam no rio dentro
de um pequeo barco, perto de Gerard-Hotel-
Bridge, quando um delles, com o movimento
que fizera para apachar o remo que lhe escapa-
ra 'las raaos, virn o barco, e ambos cahiram
agua.
Felizmente, o rio nao c fundo naquelle sitio,
e, soccorridos promptamente, s tiveram de
soffrer o bicho toreado.
Nessa mesma larde, assistiu o principe s cor-
ridas de botes.
CONGRESSO SCIENTIFICO.
No prximo outono celebrar-se-ha om Bolo-
rha o dcimo coogresso scieotifico italiano, cuja
Tesurreigo promoveu o cathedratico napolitano
Oroncio Gabriel Costa.
Em aplos houve urna reunio a que foram
convidadas todas corporales scientificag, e ali
se nomeou urna commissao, de que ficou presi-
dente o dito cathedratico e secretario M. De Ren-
zi, distincto autor de Historia da Medicina na
Italia.
A commissao dirigiu circulares s universida-
des, academias e corporages scienliQcasde toda
a Italia, convidando-as alomar parte no coo-
gresso.
O IMPERADOR DA CHINA.
O imperador da China eslava, dala das ulti-
mas noticias, no palacio de Jehal, a 150 kilme-
tros de Pekn.
Este palacio, construido em 1783, ainda su-
perior ao palacio de vero que destruirn) os al-
ijados anglo-francezes.
Os jardins teem 15 kilmetros de extencao ( 3
leguas ) e encerrara um monumento religioso,]
nico na China. E* o magnifico templo de Pou-
Tho-Tsourg-Ching-Miao, construido em 1770, e
que contera 500 estatuas de bronze dourado re-
presentando os lama* morios com fama de san-
lidade. Estao representados as posiges vio-
lentas e penosas que se impozeram durante a sua
vida, e que Ihes valeram a canonlsago.
REPRESENTACO IMPROVISADA.
A chronica theatral do urna .colonia Ingleza
( Australia ) d noticia do seguinte episodio.
A scena passa-se oa cidadeda Victoria.
Eram sele horas e meia ; o theetro colonial
eslava quasi cheio'e ia levantar-se o panno pa-
ra a primeira peca, quando dous negros se apre-
senlaram porta da platea para entrar. Como
lhesimpediram a entrada, empurraran) a porta e
foram seotar-se. Houve barulho e de lodisas
partes se griiava : Fra I Pediram aos ne-
gros que se retirassem, e al lhes offereceram
um dotlar a cada um d'elles, prego supposio da
sua entrada. Porm, qumdo se divulgou que
elles tioham forjado a porta, a irritago desen-
cadeou se e um braceo agarrou um dos negros
pela gola para o por fra. O negro resiste, hou-
ve lula. Os actores, em costume, sallam para a
platea e ludo se volta contra os negros, que iam
a ceder, quando um bando de negros armados
com pus, abriram passsgem, batendo para a di-
reia e para esquerda.
Muilas damas que estavam na platea couduzi-
ram-nas para o palco, onde muitos brancos as
seguiram. A lula tornou-se quasi geral. Um
dos negros agarrou n'uma ca letra da orchestra e
fez d'ella urna arma terrivel contra os que o cer-
cavam. Outro agarrou um candieiro e o atirou
acczo aos seus adversarios. Outros candieiros
foram egualmenle arremessados. Ou/iram-se
vozes de Fogo I tocou a fogo e a polica
acudiu. Pon -o a pouco os brancos desappare-
ceram e os negros flearam senhores do terreno ;
porm fugiram logo que o superintendente da
polica chegou com numerosos policemen.
Houve prises, reslabeleceu-se a tranquilidide
depois do que comegou a representarlo.
ESTATISTICA CURIOSA.
O actual parlamento italiano conta 4 principes
2 duques, 20 msrquezet, 26 condes, 16 bardes,
31 cavalleiros o commendadores, 101 magistra-
e ad rogados, 27 professores, 23 mdicos, 12 en-
genheiros, 1 bispo, 8 conegos, 11 genera es, 9
corones, 2 banqueiros, 1 major, 7 nobres nao ti-
tulares, 57 individuos sem profissao designada e
o compositor de msica Joseph Verdi, autor das
operas que hoje mais voga e popularidade teem
no mundo lyrico.
PARA OS SUROOS.
U caria de Lonires, conta, que aquella capital che-
garam dous hespanhoes procedentes do Mxico,
oquecausra eslranhesa verse, que um para
fallar com o outro, lhe appltcava o extremo de
um junco ou bengala sem casto, garganta e
applicava o outro extremo aos denles diante da
parte superior, e assim fallavam no voz natural.
Averiguado o caso soube que aquello que ap-
plicavao extremo da bengala aos denles est com-
pletamente surdo.
Depois de experimentar inuUilmeule varios ap-
parelhos, estando um da com um pu oa boca,
aproximou, casualmente, o outro extremo do
pu a um pianuo e notou que ouvia perleramen-
te o que se locava.
Querendo aproveitar esta descoberta, fez mili-
tas experiencias applicaudo o extremo de um pu,
que segurava na boca, ao peito, boca e oulras
partes do corpo dos seus amigos, sem conseguir
resultado, al que um dia o applicou garganta
e conseguiu ento o quedesejava.
E' preciso que o pu seja tibroso e que nao te-
cha ar, nem co por denro.
Um clebre medico, coofessou que nao tinha
visto nem lido semelhante facto, porm, disse
que o nao sorprenda, porque era condecida a
correspondencia dos ervos da dentadura, com
os do ouvido.
Polos modos a descoberta nada tem de nova,
pois nos consta que ha em Lisboa um afinador de
piannos completamente surdo que, para exercer
a sua profissao, adoplou o mesmo processo col-
locando urna exlremidade do pu na boca e a ou-
tra oa encordoadura do pianno
dido para aempre e que ltimamente regressou
a Barcellons, procedente do Panam.
._ Os jornaes de Barcellona que do esta noticia
dizem que. a historia do desapparecimenlo do que
agora apparece encerra tal mysterio e pormeno-
res, que se nao poden revelar.
O Qlho do marquez de Fontanellas passou todo
o tempo em que se nao soube d'elle na America,
onde conseguiu um posto de chefe na milicia do
Panam.
O QUE SAO AS COUSAS.
Quando os jornaes estrangeiros trouxeram a
noticia de que era Washington havia grande re-
ceto d'ura ataque das torgas dos Estados que se
declararan) separadas do governo federal da
Unio, julgamos que leria interessede circums-
tancla urna noticia resumida da capital dos Es-
tados-Unidos e a extractamos do Diccionario de
Bouillet.
Foi a noticia reproduzida por muitos joroaes,
sem cilaco do primeiro que a dra, e nos, por
muito costurados a isao, nao o eatranhamos.
Porm o que nao podemos deixar sem reparo
ver que outros jornaes a vissem na aNago, que
a reproduziu, citando aquelle jornal, e a nao vis-
sem no que primeiro a deu.
Sao cousas I
UM CAO BENEMRITO,
O Morniog Posta d noticia de ter morrido no
campo da honra, esmagado por urna bomba de
incendios, o corajoso Bob, cao dos bombeiros.
Bob coslumava, quando locava a fogo, correr
na frente das bombas para Ibes indicar o ca-
minho.
Quando ia a um incendio suba as oseadas, pe-
netrava pelas janellas nos quartos incendiados,
primeiro que os bombeiros.
que era ao rez do chao, a o que ento ae passou ameagado por urna forga do exercito hespanhol
nao se sos. eis retes superior em numero e organisaco,
Na manbaa seguinte appareoeu a mulher ba- mas nao em valor e bro patritico, invocando a
nhada em saogue com a cabeca quasi separada prolecgo da Soohora Da Piedade, marchou ao
do tronco, e pouco distante urna navalba de bar- encontr do inimigo, e 9 de juoho lhe deu a
ba enaanguentada. Sem duvida, o assassino sur-
prehendeu a sua victima dormindo, e pode re-
alisar seu horrirel proposito sem resistencia.
Os Glhos que estavam no Io andar, nao ouviram
nada.
O assa pois efogar-se ; porem, como sabia nadar,
batalha do Ameixial, e alcancou urna grande vic-
toria.
A ir mandado da Senhora da Piedade esta bel e-
ceu nos seus estatutos a obrigaco de corame-
. morar com urna testa annusl to glorioso aconte-
, cimento no aoniversario do dia om que os Por-
luguezes sahiram da villa i pelejar cora os Hes
os. seus esforgos inslioctivos trahiram-lhe a von-! panhoes. Ha 198 anuos que esta fesla se faz
sem interrupgo, principiando a novena no dia 18.
Esle anno foi ella das mais esplendidas do que
ha noticia. No ultimo dia subiram ao pulpito
dous distinclos oradores, que recordaram os glo-
riosos e heroicos feitos dos Portuguezes as guer-
ras da iudepeodencia nacional, procurando com
esta record a gao estimular os brios dos herdeiros
legtimos dessa independencia e das glorias em
que se Grmra.
tade.
Como quer que seja, no dia 13eoconlrarom-Do
nforcado.
Deixou 11 filho?.
OBRA NOTAVEL.
O celebre Proudhon publicou urna obra que ss
fnlitulac Aguerra e a paz em que se declara r-
deme adversario de toda a guerra entre a Franca
e Inglaterra, pintando as catastrophes que tra-
ria para ambos os paizes, tanto a victoria como
a derrota d'um ou outro.
O clebre publicista diz que sendo os homeus
pequeos, e s a humanidade grande e infallivel,
se al certo ponto depende d'elles perturbar
a paz do muedo, o sentimento hoje anima a hu-
manidade torna impossivel as guerras tongas
contra as quaes a humanidade protesta.
NEGRELOGIO.
O partido whig, perdeu ltimamente urna das
suas mais altas notabilidades,
Francisco Russell duque de Bedfor, morreu a
14 de maio na sua residencia de Woburn Abbey.
Tinha nascido em 1788, e su:ceden era 1839, a
seu pai_o sexto duque de Bedford. Seu irmao
- 't
Ha lempos por occasio da explosao de West- .lord Jcmb Russell, nasceu em 1792.
misnter-Road. Bob preiipitou se c'um aposento
em chammas, e calando a natural inimisidades
das ragas, reappareceu trazendo oa boca um gtto,
meio asphixiado.
Outra vez, em Lambeth, disjeram aos bombei-
ros que. todos os inquilioos estavam salvos, po-
rm o cao nao quera deixar urna porta, uivando
sempre. Esta presistencia desaou a attengo
dos bombeiros, que abriodo a porta viram de traz
d'ella um meoioo auasi asphixiado..
O anno passadn, Bob foi apresentado socie-
dade real protectora dos animaes para exhibir as
pravas das suas qualidades extraordinarias.
Sabia trabalhar com urna bomb). Trazia urna
coleira de lilao com o seguinte letreiro : Nao
me prendis, deixai-me correr, sou Bob, e cao
dos bombeiros de Londres.
UM BOM EXEMPLO
L-se no Jornal do Havre :
Tracta-se de crear urna medalba anloga
medlha militar, para os veteranos da charra e
do trabalho agrcola. Esta medalha dar direi-
to a urna penso de 100 fr.
Esta noticia foi annunciado pelo perfeito do
Loiret no discurso que proouniou- por occasio
da distnbuicao das recompensas do concurso re-
gional de Orleaos.
ALMANAK-CHINO.
Nos principios do margo appareceu, como era
de coslume em Pekn, o Almanank imperial
chino para 19*1. Sao 12 grandes volumes, e
alm de conter os nomes de todos oa emprea-
dos do governo, d noticia mez por raez dos
aconlecimenls que se deram durante o auno.
Pela primeira vez se falla no almanak, em ter-
mos decorosos dos estrangeiros e se publica o
texto dos differentes tratados que com elles cele-
brara o governo chinez. Falla de passagem nos
acootecimenlos da guerra, mas d'um modo parti-
cular. Diz que os embsixadores estrangeiros tra-
ziam urna escolta de honra numerosa (os exerci-
tos alijados); correspondente sua cathegoria ;
que houve urna desintelligencia entre os solda-
dos chinos e estrangeiros ; porm que tudo se
accommodou pela leal intervengo dos chefes e
do governo.
IOLHETIM
ORIGINAL DO DIARIO DE PfRNADIBUCO-
SHA MA fi-mlA
APPAREC1MENTO INESPERADO.
Ha'cousade tres ancos, correu em Barcellona
un processo ruidoso pela desappatico de um fi-
lho do marquez de Fontanellas. Por mais inda-
gagdes que se Qzerara, nao pdle descobrir-se o
paradouro do joven roubado sua familia, raor-
rendo, por Qm, o marquez, chorando a morte de
seu filho.
Aquelle acontecimento foi por muito tempo
fallando ; porm, com o correr dos annos, es-
queceu a perda do joven e s a sua familia con-
servava viva a lembranga do que julgava morto.
Pode, pois, imaginar-se qual sera a alegra
d'esta, tornando a abragar o que^ulgavam per-
0 DESGLO DO NEVA.
Foi no dia 25 de maio que teve lugar o desg-
lo do Neva.
No decurso los 50 ltimos annos a 7a vez
que aquelle rio quebra em tal dia a sua cobertu-
ra de glo. A (esta que por tal motivo houve
foi, segundo dizem os jornaes de S. Petersburgo,
mais brilhaote e animada do que nos outros an-
nos, pela parle que celia tomou a esquadrilha do
Yacht-Club,
A's duas horas a bandeira da torre do arsenal,
posta em meio mastro fazia saber ao comman-
daule da fortaleza PatrcpoloWski, situada do ou-
tro lado do rio, que o almiranteo ia proceder
ao ceremonial da abertura da navegacao, Quan-
do a fortaleza, por seu turno icou a bandeira a
meio mastro, sahiram tres escaleres do arsenal.
Um com o imperador, outro com o director do
arsenal e o terceiro com o com mandante Pas-
maoski, seguido dos escaleres do Yacht-Club,
magoitlcamente empavezados, e n'uma s linha.
Em seguida iam as embarcacoea de todos
aquelles para quem a ceremonia era mais que
urna festa, pois o trabalho e o pao quolidiano,
catraeiros, carrdjoes, ecl., que vivera da navega-
gao do rio.
Ao mesmo lempo os escaleres do commandan-
te do chefe da alfaodega sahiam da outra mar-
gena do rio, e no meio dos vivas da esquadra e
das fortalezas reunirsm-se flolilha official, que
dennndou o palacio do invern, onde o impera-
dor ficou.
O Yacht-Club dirigio-se para a residencia
do seu presidente, o principe Constantino, que
foi saudado com enlhusiasticos hurrahs. O ins-
pector da navegagao, M. Taivaoy, foi depois es-
coltado at sua cisa, onde eslava preparado um
lauto almogo para os membros do Yscht-Clubo.
Assim se abri a navegagao do Neva, que nao
se eatabelece CompletamRntn pm qiinnlo o La-
doga nao desgela, por seu turno.
TENTACAO DIABLICA,
Em Jemmapes (Blgica) um tal Abrasssrt, pa-
deiro e negociante de farinha viva ha muito em
continua desintelligencia com sua mulher, sen-
do por vezes precisa a intervenco da polica pa-
ra restabelecer a paz domestica. Na noute de
12 houve nova desordem, e duendo a mulher ao
marido que eslava cangada de o aturar, elle a
mandn deitar e ficou no seu trabalbo at
meia noute.
A esta hora dirigio-se cama de sua mulher,
UM CALHAU DE CARVAO.
Os mineiros prussianos resolveram levar ex-
posico de Metz ura calhau de carvo de pedra
que peza 15:000 kilogrammas. Para o transpor-
tar, a compaohia do Este teve de emprestar um
wagn especial ao caminho do Havre. O calhau
devia chegar a Metz acompanhado da msica dos
mineiros prussianos.
MUNIFICENCIA "FlEDADE REAL.
Depois de edificar e entregar ordem de S.
Domingos o mosteiro da Batalha, enrqueceu el-
rei D. Joo I o seu templo de ornamentos precio-
sos, e magnificas alfaias de prata a saber:
Vinle e oilo clices de prata sobre-dourados.
Quatorze pares de galhetas.
Cinco caldeirinhas com seus hysopes.
Oito thuribulos com as respectivas navetas.
Nove cruzes mees para setvirem nos altares.
Quatro cruzes grandes, irez para procissoes, e
urna de p para o altar mor.
Seis grandes locheiras, duas dellas douradas.
Sete alampadas de grande corpo e peso.
Urna lanterna.
Cioco caixas de hostias.
Cinco poilapazes. -
Dous gumis com seus pratos grandes.
Duas campainhas.
Deu, alem disto, qurnze imagens de irez pal-
mos talha cima, e entre ellas a da Senhora da
Batalha, que sendo toda de prata como as mais,
o corpo, e as roupas sao douradas.
Os ornamentos, com que eoriqueceu a sacris-
ta, se hoje se fizessem, s elles importaran)
em mais de um milho, segundo affirma Fr.
Agostioho de Santa Hara no Santuario Maria-
no, donde extraamos esta curiosa noticia.
Eram os ricos onze, todos de fioissimos bro-
cados, com capas, frontaes, pannos de pulpito,
estantes, tudo guarnecido de sanefas, e sabastos
bordados de ouro, e de imagens, obra cuslosis-
sima.
Alm destes havia (rinta e dous ornamentos
de varias cores, e de varias sedas ricas e custo-
sas, e com ricas guarnigoes, e sobre isto urna
erando auantidade de casulas de telas, vellidos,
e oulras sedas ricas.
Havia, de mais a mais, quatro ornamentos
muito notavels, uos cobertos de escamas de pra-
ta de marlello, to juntas que se nao divisara a
seda em que estavam asseoladas ; e outros co-
bertos de ouro to pesados, que nao havia quem
os podesse levantar, quaolo mais vestir.
E salvar-se-hia da depredagao de 1834 ao me-
nos a Senhora da Batalha, orago tutellar que da-
la real casa ?
NECROLOGIO.
Falleceu ltimamente em Esbton (Inglaterra)
Miss Richardson Correr, mulher distincta por seu
espirito e conhecimentos, que tinha a melhor bi-
bliotheca particular da Inglaterra, pois contava
25:000 volumes.
ANTIGUIDADES.
as catacumbas de Roma, onde se calcula que
foram enterrados seis railhes de chrislos, des-
cobriram uns soldados francezes urna galera nao
explorada al agora e que se descobrio completa-
mente dos destrocos feitos pelos amigos barbaros
e pelas profaoagoes dos viajantes que sao os bar-
baros modernos.
. Os sepulchros e pinturas que ali se enconlram
s8o dos tres primeiros seculos da r* chisla.
Acharam-se muitos vasos de vidro, inleiros
um dentro do outro, e de differentes graos de fu-
sibilidade. Entre os dous vdros ha ornatos de
ouro, e a taropa, transparente, o preservou da
destruigo do lempo, pois, ainda que fabricados
ha quioze seculos, eslo to perfeitos, como
quando sahiram da mo do artfice.
Urna vasilha original de bronze, descoberta as
catacumbas, foi levada para o collegio romano.
Pelas figuras que tem suppe-se que servia para
bjplisar os neophitos.
FORCAS NAVAES RUSSAS.
A Russia possue242 embarcages vapor, sen-
do i hlice 9 navios ; 13 fragatas, 22 corvetas,
12 transportes, de rodas 9 fragatas, 79 lanchas
canhonheiras, 24 corvetas, e outros muitos na-
vios de menos porte.
Possue, alm disto, 71 vasos de vela.
Em resumo, a Russia tero 313 navios armados
com 3,851 canhdes, sem contar 474 barcos de or-
dem inferior.
ABUNDANCIA.
Em Tychione { Pensylvania ) se estar perfo-
rando um poco de azeite natural, quando o li-
quido comegou brotar na proporcao de 70 bir-
ria por hora.
Sobre o azeite elevava-se urna nuvem de gaz
ioflammavel, o qusl, incendiando-se, tornou a
atmosphera em urna verdadeira fogueira.
O man social arrojara um jorro de fogo que al-
cancava urna distancia do cera ps.
A torrente destruidora esteodia-se pelo cam-
pos e muilas pessoas foram victimas, entre ellas
o dono do manaocial
O azeite cootinuava correr na proporcao de
100 barra por hora, e o fogo que o devorara carj-
sava aos proprietarios dos macandaes a perda do
20 a 25 mil doros por dia.
OS DESAFI03 E AS VIAGENS DO PRINCIPE
NAPOLEAO. .
Circulara em Paris os seguintes chistosos ver-
sos proposito das annunciadas viagus do prin-
cipe NapoleSo :
Plonplon fait et defait sa malle
Depois un grand mois, et d'Aumale
De BruxIles lui crie Holla I
II partir.
Cent fois son coureur saute en selle.
Le telegraphe le rapelle
Aussitt qu'il a fail cent pas.
II ne partir pas.
La Aere et buillaote Eugenio
Lui dit: Cours, ou je te renie
Si tu gardes ce souffle la.
II partir
Sa charmante soeur Mathilde
Pleure et gernit, et Clotilde,
En soupirant lui tend les bras.
II ne partir pas.
Le maitre en Bn preod la parole :
Allons, vat'en tuer ce drle,
Ou de oous tout Paris rira.
II partir
Mais l'auctoril souveraine
D'Esalajo en place l'enchaine ;
Son Altesse la fierre, helas.
11 ne partir pas.
ESTATUA EQUESTRE.
O esculptor Luiz Rochel expoz em Parija es-
tata equestre colossal do imperador do Brasil
D. Pedro I, que destinada para o Rio da Ja-
neiro. Esta estatua oceupa o cume de urna- ele-.
vagao cnica, a cujos lados esto figurados, oom
formas humanas muito variadas, quatro grandes
ros ; o Amazonas, o Parau, o Madeira e S. Fran-
cisco, acompaohados de animaes indgenas da
America do Sul. O imperador D. Pedro tem o
traje da poca contempornea.
0 todo desta estatua monumental, segundos
l no Jornal dos Debates, tem grandeza e digni-
dade e os typos humanos e de animaes indge-
nas dos paizes por onde correm os quatro ros
do composigao-um aspecto inteiramente ori-
ginal.
MARINHA FRANCEZA.
A Franca, segundo a relago official, possue
actualmente,' tanto a nado como nos estaleiros,
475 navios de guerra, sendo 349 a vapor e 126
de velas.
Entre os navios a vapor conta 37 nus a hlice.
6 fragatas a hlice, 47 de rodas e a hlice, 17
corvetas a hlice e rodas, 126 avisos a hlice e
rodas, 14 bateras Hacinantes a hlice, 57 canho-
neiras a hlice, 44 transportes a hlice e um na-
vio especial.
Eotre os navios de velas tem 8 nus, 25 fraga-
tas, 13 corvetas, 21 brigues, 26 navioa leveiros e
33 transportes.
LXIX
SiMMARio.O projecto da
armada.
Muito se tem discutido j, muito se ha fallado
t escripto respeito do projecto da lei de promo-
rdes para a armada, proposto em 1855 pelo Exm.
Sr- Paranhos, como ministro da marinha, e ago-
ra refundido pela commissao de marinha eguer-
Ta do senado, e nada temos adiantado ; porque
elle pende ainda da 3a discusso ali, e ter de vol-
tar cmara dos senhores deputados por causa
das emendas que lhe tem sido feitas.
O rcspeilavel Sr. Ilollaoda Cavalcanti, um dos
membros da referida commissao julgou que nao
devia lomar parlona redaego do piojelo subs-
titutivo ; porque, na sua opinio, nao a primei-
ra necessidade da marinha de guerra urna nova
lei de promoces. Al certo ponto concordamos
com o eminente senador, cujas ideas sao sempre
re fie elidas e dignas de adopgo.
Mas, por nao ser esta lei a primeira necessida-
de, nao se segu que nao seja urna das primeiras;
e como a que existe est desmoralissda, desacre-
ditada completamente ; nao s pela discusso que
tem havido.ccmo pelos resultados que tem dado,
cumpre-nos que a retoquemos, que satisfagamos
a vontadeda corporagao, que aspira urna outra
mais conveniente.
Nao somos exclusivistas; nem cegos admirado-
res de um principio.
Desde que surgiu o projecto em questo que o
adoptamos com restrieces, que dirainuiam o ar-
bitrio com que elle amplamenle armava o go-
Terno.
Pouco ou nada se tem feito neste sentido ; e ou
quer-se reduzir inteiramente a iniciativa que de-
Te ter o governo nada, ou deixar-lhe a mais
ampia faculdade. Concentrada a questo nestes
dous extremos, nao possivel chegar-se um
accordo, quando elle existe no meio termo.
Os adoradores do systema inglez se extasiavam
diariamente das perfeices da lei ingleza; os do
systema francez nao enconlram seno neste ; os
do systema americano batem palmas seu dolo,
e at o nosso caronchoso systema tem recebido
ovagesI
Entretanto todos elles produzem o mesmo mal
quando manejados por governos corrompidos, cu-
ja acqo perniciosa ninguem pode destruir ; mas
nao defxam aos bem intencionados a mesma fa-
culdade de obrar em proveito do estado; de
adiantar os officiaes de mrito real.
Nos os vemos de longe ; seus defeitos nao nos
sao conhecidos praticamente, e escapare nossa
analyse protectora : encontramos dlsposigoes que
nos agradam, que se harmonisam com nossas
ideas, e naturalmente os exaltamos. Quando,
porm, nao sympalhisamos com elles, exageramos
seus vicios, e lhes attnbuimos culpas que real-
mente nao sao suas.
Nao negamos que o systema inglez se approxi-
ma mais da ordem natural, fazendo diminuir o
mrito, o principia de escolha da base para o
vrtice da pyramide da hierafchia dos costos.
De certo onde ha maior numero, se pode fazer
jnaior escolha; a segunda escolha j purifica mais,
a terceirs se torna anda mais difflcil, e assim
successiramenle se chega tudo bom.
E'ilogico, portaoto, como elles fazem admittir o
merecimento nos poslos subalternos, e cingir-se
rigorosa antiguidade nos poslos de officiaes ge-
neraos.
Mas, porveolura, a sorte dos olTi iaes icglezes
invejavel? A le fielmente executada ? Cor-
responde na pratica ao bello ideal que realisou
na theoria? Devenios terdesejos de ver estabe-
0 lecida entre nos a mesma oidem de cousas? Quem
liver ouvido os discursos dos Exms. Srs. senado-
res D. Manoel e visconde de Jequitinhonha, pen-
sar que sim ; que nada pode haver mais conve-
lei de promoces na Denie D0 mundo para nossa marinha. Preferi-
mos, porm, que nos responda urna aatoridade
iosuspeila, que sem offendermos os nossos cita-
dos oradores, lhes podemos anlepr, a qual um
velho almirante francez, Ilustrado nos mares,
as guerras e no gabinete, e que, com a trplice
ligo que a experiencia lhe deu nestas tres cir-
cunstancias de sua vida, acaba de escrever um
importante artigo, que estampou na Revista doi
dous Mundos, que principiamos transcrever em
outro jornal dessa provincia.
Diz o Sr. Juen de la Graviere, que nm
nome bem conhecido, neste seu bello artigo. A
mocidade dos officiaes da marinha ingleza se
passa, como a nossa, emitidas mui vivas. O pa-
tronato se exerce na Inglaterra com urna candida
franqueza, e ali gosa por assim dizer, das immu-
oidades de um direito politico.
No exercito, a maior parte dos poslos se veo-
de ; na marinha a proteegao o interesse quem
osd. O inters-e, entre nossos visinhos, cao
MEMORIAS GLORIOSAS.
Em 27 de maio de 1663, o povo de Santarem,
ALMANAK MONSTRO.
Assim se pode chamar ao do celeste imperio.
Consta de 12 tomos muito volumosos, e con-
ten), alm do nome de todos os empregados do
imperio, os successos occorridos durante o auno.
O QUE MAIS VALE EM PERIDICA.
As damas tomam por tarifa do mrito jornalis-
lico os folhetios e as noticias diversas.
Os polticos de agua doee querem noticias es-
trangeiras.
Os pretendentes joroalistas, lugares de de-
putados, ministros, etc., etc., s gostam de pol-
micas.
As velhas e feias goslam das parles de polica,
e noticias de mortes violentas- para poderem cho-
rar.
Os mancebos vadios querem loogas gazetilhas.
As donas de casa leem os aonuncios.
As raparigas decorara os romances e 03 artigos
sobre modas, e calculara os espectculos.
Os poetas e namorados nao olham para peri-
dicos que nao tragam versos.
Os agricultores olham para os pregos correntes
em que nao acreditara.
Os militares querem por extenso os bolletios
das batalhas, ainda que sejam na China.
Nao lastimamos, com tudo. os valentes cam-
peos que combaten) pelos interesses de um cor-
po inteiro. Cada promoco os approxima da
cabega da lista ; o posto superior ir infallivel-
mente ahi procura-Ios. Entrev-se os numero-
sos inconvenientes deste systema : os almirantes
serao na maior parte mutvelhos, os capitaes po-
derao muilas vezes nao ter emulaco, o espirito
da independeacia abusar seguramente das ga-
rantas exceisivas.
E' certo, todava, que a Franca e a Inglater-
ra, tomando rumos oppostos, fieram o melhor
no interesse de sua marinha. O systema inglez
naopoderia ser admissivel entre nos seno com
mui grande augmento no quadro; o grande nu-
mero de valores negativos que elle tende criar
tornara o algarismo de nossopessoal mais insuf-
iciente ainda.
Quando os desengaados, os preguigosos e
os invlidos leem seu lugar guardado por um
direito imprescriptivel, quando lhes i garantida
aposico d'elle at o termo da vida, iodispen-
savel que urna certa superabundancia de indivi-
duos compense este eofraquecimeoto real dos
altos poslos, e que a faculdade de exercer urna
escolha judicinsa, sempre que se apresentar urna
missao delicada ou perigosa, nao esleja contida
em mui estreitos limites.
Ora, succedendo assim na Ioglalerra.'no paiz
REVOLUCO DOS COZINBEIROS.
Como os particulares em iples adoptaramo
costume de mandar buscar a comida feita s ca-
sas de paslo, 700 cozioheiros, que, por este mo-
tivo, se achavam desarranjados, revoltaram-se e
nos dias 221 e 23 de abril destruiram todos jacta-
res que dos restaurantes iam para as casas. As
ras de Toledo, Chiaja e Ritiera de Chiaja esta-
vam de um extremo a outro alastradas de sopa,
guizados, peixe frito, aves e carne assada.
Foi um grande dia de festa para os lazzaroni, a
quem a desgraga dos cozioheiros proporeiooou
urna oppara comida.
No dia 24interveio a polica e dizia-se q,ua ia
ser chimada para o caso, a guarda nacional, que,
de certo, empregaria maior energa para evitar
que as suas familias ficassem sem comer, como
nos dous dias acontecer.
Ainda que, primeira vista, deve parecer um
pouco ridiculo ver patrulhas da forga civrea es-
coltando assados e guizados, a verdade que nao
pode haver cousa mais justa para um homem do
que armar-se e pelejar em defeza dos seus vi-
veres I
(Comtoercio do Porto)
a injustiga, um mep legitimado por um longo j da moralidade dos governos por excellencia, que
uso, de que ninguem cora em servir-se, contra o
o qual ninguem protesta.
Por nao lerem urna protecgo sufficiente
muitos officiaes de mrito ficam no caminho ;
muitos outros renunciara cedo continuar em urna
carreira ingrata. Ao lado destas causas de desa-
nimo, a sabedoria do legislador collocou urna
compensago : logo que o official de marinha in- j
glez pode vencer a barreira lo'difficil, que se
denomina o posto de capito de mar e guerra,
elle pode respirar vontade, seu futuro est ae-
guro.
Nenhum daquelles que o segu lhe passsr [
adiaole ; nem intrigas, nem capacidades, nem
herosmo prevalecero contra sua antiguidade.
a A esquadra amarella (1) isto urna reforma
disfargada o espera, verdade, no fim de sua car-
reira, guando elle nao tem podido exercer du-
rante seis, cinco ou quatro annos, conforme o
tempo de paz ou de guerra, um commando que
lhe compita ; porm, se capito de mar e guer-
ra desde a edade de trinta trinta e cinco annos,
tiver preenebido, antes dos primeiros signas per-
cursores da declioago, o que se pode denominar
suas condigdes do mar, smente delle depender
habitar em paz os templos serenos da philosophia
e da sabedoria. Elle poder contemplar da praia,
feliz e resignado, os gloriosos trabalhos de seus
companheiros; temer seus revezes ; applaudir
francamente seus triumpbos ; porque de'ver ser
o primeiro colhes-lhe os fructos.
c Quando Inglaterra reconhecida conceder
sua marinha urna promoco de officiaes generaes,
OS vencedores, a maior parte das vezes, nao le rao
conquistado esle favor para ai mesmos; elles o
o tero merecido para estes capitaes de mar e
guerra mais antigos, que nao tero lido outro
cuidado seno o de os acompanhar com sena vo-
tos.
(1) Por alluso s esquadras branca, encarnada
e azul, em que dividida a frota britannica. Eis
o arbitrio dominando ainda a siluago, sem se im-
portar com a antiguidade. Urna order in council
basta para nulliflcar alguna officiaes mais ami-
gos, para arreda-los, eabrir a porta aos mais mo-
dernos. Assim se illude perfeilamente a lei, no
ponto em que se fundam seus admiradores para
prop-lacomo modelo.
todos apontam como model, o que nao produ-
zir semelhante lei Implantada em nossa mari-
nha ?
Justamente na mocidade dos officiaes, quando
elles esto vidos de gloria, cheios de emulago,
desejosos de subir, que se entrega seus desti-
nos s influencias immoraes do patronato e do
interesse.
O escndalo em nosso pafz ainda nao chegou
ao ponto de se considerar legitimas semelhanles
influencias ; mas para l caminbamos passos
largos.
Que bella consolagio pensar-se que, os poslos
de officiaes generaes ssero concedidos por an-
tiguidade 1 Por. acaso chegaro elles os officiaes
de mrito, ou os de fortuna ? E convir ento ao
governo entregar os com mandos de suas esqua-
dras estes almirantes mais felizes, porm me-
nos habis : confiar d'elles a salvago do esta-
do ; ou reconhecer que se abusou largamente da
le, e que s se possuem valores negativos, que
se devem arredar por meio de urna reforma si-
mulada ?
O primeiro meio perigoso ; o segundo larra
urna sentenga infamante contra a administrago,
e ambos, portaoto, se icadmissiveis.
E um systema semelhante, que conduz tal
siluago, pode ser admirado ? Dos nos livre
d'elle.
O systema frnncez em theoria parece maisil-
logieo, entretanto que na pratica tem demons-
trado grandes vantagens, e immensa superiori-
dade sobre aquelle.
Admiltido ao principio smente no exercito em
1831, pelo ministro da guerra marechal Soult, foi
logo depois adoptado em 1832 com as modifica-
goes convenientes para a marinha pele conde de
Riguy.
Em 1837 o vice almirante Rosimel, ministro
da marinha, introduzio algumas alterages n'essa
lei, e em 1852 o ministro Ducas fez-lhe oulras in*
directamente com a reforma do conselho do al-
mirantado, dando mais arbitrio ao governo.
Esta importante lei tem assim alravessado trea
fazes notaveis da administracao publica da Fran-
ca, e quer sb o reipado de Luiz Philippe, quer
sob o rgimen da repblica de 1848, qur sob o
actual imperio, ella tem sido conservada quasi
intacta ; o que evidentemente urna prova de
sua bondade, visto que outrss nao resistiram
to duras experiencias.
O governo, na verdade, possue mui ampia li-
bertado de escolha ; mas at hoje poucos abusos
teem apparecido, e nunca a officialidade da ma-
rinha franceza esleve melhor constituida.
0 mrito verdadeiro, embora se oceulte com
timidez, animado, elevado, de posto em posto
al as mais altas patentes, e o estado possue um
corpo de officiaes generaes, capaz de emprehen-
der os maiores feitos ; porque quasi todos os
seus membros esto ainda em urna idade cheia
de vigor. Assim, tambera, os valores negativos
na marinha franceza sao em um numero muilo
inferior ao da marinha ingleza.
Os Estados-Unidos adoplaram o principio de
rigorosa antiguidade, que geralmente se agar-
rara em todos os paizes os officiaes que de outra
forma nao pdem ter esperanga de accesso ; por-
que lhes falta mrito e servigos. Mas de lempos
em lempos publicara.
Au Act to promote The Efficieucy of lhe
Navy, e reforman) todos os que nao eslo aptos
para o servigo activo.
E' da maueira pela qual o governo da repbli-
ca repara os inconvenientes de semelhante sys-
tema. Estas sangras sao copiosas e frequentes,
e restsbelecem a vida no corpo dos officiaes de
marinha.
Muitos officiaes modernos pdem ento subir ;
mas as despezas do estado crescem extraordina-
ria mete com o pagamento dos sidos tantos
officiaes inuteis.
O Exm. Sr. Paranhos, que v longe, logo dis-
tinguid que nenhum systema nos poderia servir
melhor do que o francez, e portanto modelou o
seu projecto inteiramente por elle.
Todos os que se acaslellam no principio de
antiguidade, e sao muitos, nao goslaram da pre-
erencia, e tem faito nma guerra cruel ao pro-
jecto, que vai todava zombando de tudo, e agora
se acha patronado por um mioistro protessional
e Ilustrado, e por dous senadores, que iodubita-
velmente votam na materia com perfeito coche-
cimento de causa.
de
da
O que devemos fazer aperfeigoa-lo, rar-lh
nao s todos os motivos de queixa fundados qu
tem levantado, como rodea-lo das garantas que
a razo indica para nao produzir injustigas.
E a nobre e distincta commissao de marinha e
guerra, de aecrdo com o Exm. ministro nao se
descuida disso, como prova com as emendas que
ultimamante tem apre.entado.
A coodicao de commando exigida para a pro-
raogao, que orna prova de mrito, cortamente,
mas que ae podia tornar urna arma perigosa as
ruaos de um ministro arbitrario, e injusto j nao
i n cu te receio ; admittindo-se a emenda proposla
pela mesma commissao, que manda contar o
tempo de embarque como metadei e o de servir, o
em trra como um quarlo de comroando. un a
garanta salutar contra os abusos que se poderiam
desenvolver A sombra de to til principio.
Tambem 8e poder fazer callar os crticos que
com batem o arl. 7. que o seguinte, dando-lhe
a redaego que aps indicamos, com a qual obte-
remos grandes vantagens para o trrico :
Art. 7. Os officiaes empregados nos arsenaes,
corpos de marinha, capitanas dos porlos equaes-
quer outras commisses que nao sejam do servi-
do naval activo vencero, para preenchimento
dos prazos marcadas no art. 1". o tempo que
nassarem nestas commisses, computando-se-
lhes, porm, em metade esse tempo de servigo,
como se fra de embarque, ou de commando em
navio Je guerra, conforme se exigir para o ae-
cesso urna ou outra destas condices,
Exceptuam-se desta regra :
1, Os membros effecYOs. do copselho naval.
2. O chefe encarregado do quartel general
raarioha.
i 3. O inspector do arsenal de marinha
corte.
4. O cora mandante geral do corpo de impe-
riaes marioheiro?.
Estes officiaes contarao os dos 1. 2. e3.
como de commando de forga naval, e o 4.' co-
mo de commando de navio de guerra o tempo
que passarem nestes empregos.
Os lentes da escola de marinha sero pro-
movidos pela forma ordenada no art. 106 do re-
gulamento e decreto j cima citados.
O servigo em correios e transportes se contar
igualmente pela metade, em todo o tempo que
exceder de um anno.
Nao se considerar de modo nenhum como
servigo bordo de navios de guerra o que fdr
prestado em navios desarmados.
Eis a nossa emenda :
Art; 7. Nenhum official poder ser emprega-
do uos arseuae, corpos de marinha, capitanas
dos porlos, e quaesquer outras commisses que
oo sejam do servigo naval activo, sem haver
preenchi Jo suas condices do mar para o accesso
ao posto seguinte.
Tambera nenhum official poder conservar-se
nestas commisses por mais de tres annos.
0 servigo om correio e transportes se contar
integralmente no primeiro anno, e por metade
depois.
Nao se considerar de nenhum modo como ser-
vigo bordo de navios de guerra o que for pres-
tado em navios desarmados, e se representar
por metade oque fr prestado em navios arma-
dos, que por seu estado nao possaot sabir dos
porlos.
Estabelecida esla regra geral, ninguem ter
razo da queixar-se : o governo achara sempre
ura numeroso pessoal para taes servigos que nao
ficam rebaixados ; porque todo o official que ti-
ver completado seus tres annos de embarque, e
um de commando, desejar descangar um pouco,
e naturalmente sollicitar com empenho laes
commisses para esperar nellas. que chegue 4 sua
vez de accesso ; visto que nem todos tero a fe-
licidade de ser promovidos, logo que estimen)
habilitados na conformidade da lei.
Em nosso entender eguaVraento algumas excep-
ges do artigo 4 devem ter urna expHcagao.
Estamos persuadidos de que em certas e deter-
minadas circu instancias ha ver conveniencia em
so empregar em urna presidencia de provincia,
ou em urna misso diplomtica um official de
marinha ; mas estas commisses sao de carcter
extraordinario, e nao podem por sua natureza ser
prolongadas.
Nao basta, porm, que o official nao pertenca
ao quadro da admioistrago ou da diplomacia
para se lhe guardar seu direito no da armada.
E' mister declarar-se que esta misso nao pode
exceder um prazo razoavel, um anno por exem-
plo, salvo se quem fr della encarregado j liver
feito suas condigdes de embarque. De accordo i
estas ideas daramos aos paragraphos em questo
esta redaego :
3. Presidente de provincia nao excedendo
um anno.
4. Misao diplomtica sem perlencer ao qua-
dro da diplomacia, nao excedendo um anno.
Ha ainda um ponto em que devemos tocar ;
porque lhe damos grande importancia.
Existem varios officiaes no quadro da armada,
que realmente nao perlencem ella, porque ad-
quirirlo outras habilitages, e empregam-se em
servigos auxiliares da marinha, quer na direegao
de officims de machinas e de construogao naval,
quer na engenharia hydraulica, etc.
Alguns destes officiaes (em innegavelmente
prestado mui importantes servicos ao estado
lalvefc superiores aos que prestaran) na marinha,
no ramo de scieocia naval que escolherom, e es-
tudaram com dislincgo.
Nao ha um s que possua as novas condices
de accesso exigidas- pela lei em discusso, e por
certo sero todos preteridos na primeira promo-
co que por ella se fizer, e depois, ou ficaro es-
tacionados, ou tero, com grande prejuizo para o
paiz, de abandonar os servigos cuja frente se
acham, para embarcaren) e habilitarem-se. Nao
aliamos com outro meio para sahir deste dilem-
raa seno o que vamos propr.
Concordamos com o noss distincto collega,
redactor dos Annaes Martimos, quo a lei nao
pode fazer excepges favor dos officiaes de que
tratamos; mas tambem a lei nao deve dar lugar
que se fagan) injustigas clamorosas ; nao deve
nem pode ferir direitos adquiridos.
Assim tudo se accommodaria com vankagem,
creando-se um corpo de engenheiros da marinha,
como tem a Franca, a Hespanha, e outros paizes
com seu quadro proprio : para este corpo passa-
riam os officiaes engenheiros macbinislas, enge-
nheiros constructores, engenheiros hydraulicos,
e engenheiros hydrographos, que j possuimos,
e elles subiriam os postos pela-escala que lhes
fosse peculiarmeote estabelecida. Nao s desta
modo seus direitos seriam respeitados, como nao
ser iriam de embarago no quadro dos seus ami-
gos collegas da marinha.
Esta idea nos parece digna do estudo do illas
Irado Sr. ministro da marinha, e eremos que ser
recocida com apprcaco geral, porque satisfaz
urna das nossas necessidades.
Fica subentendido que, se deve conservar para
elles a perspectiva de chfgar ao almirsnlado, ain-
da que com outra deneminago, por exemolo, de
eogenheiro em chefe, ou inspector geral, a-tc.
Feitos estes reloques.no projecto ; defSaindo
se uelle que os servigos prestados pelos chefes
dos estados maiores das divises e forgas- oavaes
e dos secretarios e ajanantes de ordeos- sao do-
commando, como em toda a parte ae reputa, co-
S)o mes rao entre nos autorisa pensar os maio~
es vencimentos de commando que Ibes sao con-
feridos por lei, somos de opinio que a armada
ter finalmente urna excellente lei de. promoco,
e que sombra, della a officialidade vivera saris-
feita, e s ver, subir quem livor, mrito, real
grande iatetligencia e habilitages, e serviros re-
levantes.
Se nao produzir estes resultados nao ser della
a culpa, mais sim dos executores-
QuanVo. possivel produr a imagina cao hu-
mana de melhor neste assumpto aui se'encon-
trar.
Exigir mais do que isso querer a perfeico, e
ninguem, por sem duvida, se canear em proca-
ra-la na trra.
Vensa mui bem, portanto, o Exm. Sr. miois-
tro da marinha, os dous ilustrados membros da
commissao de marinha e guerra do senado, e to-
dos aquellos que os acoaapaDham, em querer que.
o projecto passe. Deve perseverar neste propo-
sito, e fechar os ouvidoa gritara dos interessa-
dos na manutengan, de um privilegio, ceg, quo
cria tantos valorea negativos, abate o estimulo a
parlysa as grandes vocages. O principio abso-
luto de antiguidade, convm s nullidades, mas
sacrifica o estado,'e esta consid.erac,o basta para
proscreve-la.
J
Bahia, 18 de junho.
B. i.
PIM,- TYP. DJ U. I. DI PAJUA.-1861,
A

/A


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EEHIWHWCD_8ZN1SS INGEST_TIME 2013-05-01T00:30:48Z PACKAGE AA00011611_09326
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES