Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09215


This item is only available as the following downloads:


Full Text
aiio xxnii. inisio 13
Por tres mezes adiantados o$000
Por tres mezes vencidos 6$000
it !*
&M
1 m.

OARTA FEIBA I DE JANEIRO DE IS6I
m
Porann*>a Porte franco para o subscriptor.
ENCARREGADOS DA SUBSCHIPCAO DO NORTE
Parahiba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ; Aroca-
tjr, o Sr. A, de Lemos Braga ; Cear, o Sr. J. Jos
de Oliveira; Maranhao, o Sr. Manoel Jos Mar-
tina Ribeiio Guimares ; Piauhy, o Sr. Joo Fer-
nandes de Moraes Jnior; Para, o Sr. Justino J.
Ramos; Amazonas, o Sr. Jernimo da Costa.
PARTIDAS DOS COKKE10.
Olinda todos os dias as 9 1/2 horas do dia.
Iguarass, Goianna e Parahiba as segundas e
sextas-feirss.
S. Antao, Bezerros, Bonito, Ciruar, Altinho e
Garanhuns as tergas-feiras.
Pao d'Alho, Nazarelh, Limoeiro, Brejo, Pes-
queira, Iogazeira, Flores, Villa-Bella, Boa-Vista,
Ouricury e Fx as quartas feiras.
Cabo, Serlnhem, Rio Formoso, Una.Barreiros,
Agua Preta, Pimenteiras e Natal quintas feiras.
(Todos os crrelos partera as 10 horas da manhal
fcl'tlEMEKlDLS U MEZ DE JANEIRO.
3 0 o arto minguante as 11 horas e 4 minutos da
tarde.
11 La oora a 1 hora e 8 minutos da manha.
19 Quarto erescente a 1 hora e 11 minutos da
manha.
26 La cheia as 2 horas e 47 minutos da tarde.
PREAMAR DE IIOJE.
Primeiro as 8 horas e 30 minutos da manha.
Segundo as 8 horas e 54 minutos da tarde.
m
DAS DA SEMANA.
14 Segunda. S. Flix de ola m. ; S. Macrina v.
15 Terga. S. Amaro ab.; S. Secnndina r. m.
16 Quaila. S. Marcello p. m.; S. Berardo m.
17 Quinta. S. Anto ab.; Ss. Eleusipo e Lenilla.
18 Sexta. A cadeira de S. Pedro em Roma.
19 Sabbado. S. Canuto rei m. ; S. Audifax m.
20 Domingo. O SS. Nome de Jess; S. Sebastiio,
AUDIENCIAS UUS TKlBUNAEa 1)A CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundase quintas.
Relacao: tercas, quintas e sabbados as 10 horas.
Fazenda : tercas, quintase sabbados as 10 horas.
Juizo do commercio : quartas ao meto dia:
Dito de orphaos: tercas e sextas as 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda rara do cirel:
hora da tarde.
quartas o sabbados a 1
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPgA DO SUL.
Alagoas, o Sr. Claadino Falcio Das; Babia,
Sr. Jos Martina Aires; Rio de Janeiro, o Sr'
Joao Pereira Martina.
EM PERNAMBCO.
O proprietario do diario Manoel Figueiroa de
Faria.na sua iirraria prega da Independencia ns
6e8. v
parte officul
Governo da provincia.
Expediente do dia 12 de Janeiro de 1861.
Offlcio ao delegado da repartigo especial das
trras publicas.Em vista do que V. S. expz em
sua inroroiacao de 28 de dezembro ultimo, resol-
v absolver o Dr. Arraro Barbalho Ucha Caval-
canti da multa em que incorreu, por nao ter
dado a registro dentro do prazo marcado as Ier-
ras que possue na freguezia do Bonito.Commu-
nicou-se a thesouraria de fazenda.
Dito ao inspector da thesouraria da fazenda.
Mande V. S. pagar ao lente Luiz Jernimo
Ignacio dos Santos os vencimentos relativos ao
mez de dezembro ultimo do destacamento de
guardas nacionaes da cidade do Rio Formoso,
urna vez que estejam nos termos legaes a folha
c prct juntos em duplcala, que me foram re-
metidos pelo respectivo commandante superior
com ofcio de 4 do corrente mez.Comrauncou-
se a este. .
Dito ao mesmo.Estando nos termos legaes os
documentos juntos, que me forara remetlidos
pelo commandante superior da guarda nacional
deste municipio com ofcio de honlem, sob n. 1,
mande V. S. pagar os veacimentos relativos ao
mez de dezembro ultimo dos offlciaes, cornetas,
clarins e tambores empregados nos corpos da
mesma guarda nacional. Communicou-se ao
K\m. commandante superior do Recife.
Dito ao mesmo.Ao alteres do 2 balalho de
infantaria Joao Domingos Ramos, promovido por
decreto de 2 de dezembro ultimo, mande V. S.
adianlar a importancia de tres mezes do respec-
tivo sold para Ihe ser descontada pela quinta
parte Jo mesmo sold.Communicou-se ao com-
mandante das armas.
Dito ao mesmo.Devolvo a V. S. os papis
que acompanharam a sua informarlo de honlem
sob n. 26, relativos ao pagamento que pedo o al-
teres do 9o batalho de infantaria Pedro Velho de
S Brrelo das forragens para urna besla, que
conduzio a sua bagagem na viagem que fez, (ida
c volta) S cidade de Caruar, aflm de que man-
de liquidar essa despeza nos termos da circular
Ce 6 do agosto de 1817, conforme V. S. indica
na citada informaco.Communicou-se ao com-
mandante das armas.
Dito ao procurador fiscal da fazenda.Enviando
a Vmc. o officio junto por copia do director do
arsenal de guerra, recommendando-lhe que com
toda urgencia intente o procedimenlo judicial,
que no caso couber para evitar que continu a
obra em edificarlo junto ao mesmo arsenal, o
que pode ser prejudicial sua seguranza e com-
modidade.Communicou-se ao mesmo director.
Dito ao juiz de direito do Bonito.Fico inlei-
rado de quanto Vmc. me communfrou em seu
officio de 9 do corrente acerca das eleiges, a que
se eslava procedendo na freguezia de Grarat, e
espero que tudo se tenha concluido sera allera-
cao da ordem e tranquillidado publicas, alientos
os esforcos por Vmc. empregados para esse Dm.
Portara.O presidente da provincia resolve
demittir a Cesario Aurelano Ventura do lugar
de continuo da secretaria do governo, e noma
para o referido lugar a Anselmo Jos Ferreira.
Communicou-se thesouraria provincial tanto a
demissao como a nomeago.
- 13
Officio a Eduardo Frederico Banks.Tendo-me
represeniado dous raembros da mesa parochial
de S. Jos que o juiz de paz presidente da dita
mesa nao comparecer hoje aos trabalhos dando
rezes elege para salva-Ios grandes e efJQcazes ins-
Irumcntos, tarabem se succeder que a m es-
trella dellcslhcs converla esses instrumentos em
oulros de perpetua desorganisacio e desorden).
E' o general Urquiza um desses instrumentos, e
a causa principal de encamiuhar-se a repblica
de novo anarchia. Pretende elle erigir-so em
arbitro supremo de todas as questes, por ser o
nico poder militar organisado que ha no paiz,
resultando d'aqui dousgravissimos e funestos in-
convenientes, que mais cedo ou mais tarde pro-
duzro suas inevitaveis consequencias. Esses
inconvenientes sao : primeiro, resolverem-so qua-
ai todas as questes de alta poltica no sentido
dos seus interesses pessoaes, pois elle quer a to-
do o transe sustentar o seu prestigio para melhor
garantir a fabulosa fortuna que tem accumulado ;
segundo, o que anda peior, resolverem-se el-
las, deixando serapre descontentes uns, e logra-
dos os outros
D'aqui nasce outro mal, que rem a ser ver-3e
ohomem (oreado a marombar entre todos os par-
tidos, para ajudar hoje o que abandonara hon-
lem depois da victoria, alimentando assim espe-
rances que nunca satisfar, e cujo pernicioso ef-
fcito fomentar o espirito da discordia e da
anarchia. Assim nao ha rauilo que voz em grita
ameagava ao presidente Derqui com obriga-lo a
resignar o posto, sendo ello quera o elevara
primeira magistratura, hoslilisando Fragueiro e
Carril, os dous horacns que convioham ao paiz,
ao passo que depois o exaltava as nuvens, sem
duvida por.ler-se prestado a alguma das suas exi-
gencias.
Muitos acreditavam que urna visita que lhe fez
o general Mitre em S. Jos, acompanhado de Der-
qui, dara remedio ao mal da siluago. E' urna
trra esta em que torca de esperar se conipra-
zem osespiritos em illudir-so a si mesmos. Mas
essa visita, em que muito se fallou, comeu-se e
bebeu-se a fartar, nao faltando abramos, nem ma-
nifestages da mais cordial e duravel amizade,
nao deu at agora fructo algum positivo para os
povos. Pelo contrario o Uruguay, peridico of-
cial do general Urquiza, acaba de publicar al-
gumas lionas oditoriaes, censurando a poltica
verstil do presidente Derqui, as quaes se deixa
ver um encapotado espirito de opposicao.
Por este motivo diz-so que o coronel Basabil-
base esteve ltimamente no Paran, levando urna
raenssgem comminatoria, a que se nao sabe como
respondera S. Etc., que nao ha de sojeilar-se
fcilmente a governar, tendo por assessor e Dscal
um governador, muito mais nao podendo esse
governador apresentar-se como modelo sejara
quaes forem os ttulos que por outro lado possa
ter gratidao do paiz. Na presenca de semelhan-
te estado de cousas, esem perder de vista os luc-
tuosos successos que acabam de passar-se em S.
Juan, e as questes transcendentes que devem
debater-se n'um futuro nao mu remolo, Uaver
quem se atreva a esperar que se consolidem a
paz e q liberdade '.' Francamente fallando, nao o
eremos.
Como os individuos, offerecem os povos s ve-
zes symptomas que nao deixam duvida sobre as
suas enfermidades, mostrando quo profundas
sao, e quo larga e dfficil deve ser a sua cura.
Depois das conferencias de S. Jos, de que fal-
lei, e a respeito das quaes algumas historietas
curiosas poderia narrar, se nao tivesse de consa-
gradme a outra cousa, passou o general Mitre ao
Paran. Mal chegou logo se principiou a dizer,
e diz-se ainds, que ajustou cousas da maior im-
portancia, mas at agora nada transpirou ainda.
Achando-se alli o general, communicou-lhe o
governador de Mendonca officialmente urna noti-
cia que nao lera exemplo nos fastos das longas e
escandalosas calamidades desle paiz Sendo apai-
xonadas as suas particularidades, preferimos re-
raetler o leitor para as consignadas n'uma nota
dirigida pelas novas autoridades creadas em S.
Juan, ao deputado Dr. Saturnino Laspiur.
Diz assim :
Pelos jornaes que esta acompanham ter V.
S. noticia do extraordinario acontecimento que
teve lugar nesta cidade a 16 do corrente, dando
era resultado a morle do governador da provin-
cia, coronel D. Jos Antonio Virasoro; pelo que
foi o abaixo assignado nomeado directamente
pelo povo governador interino da provincia.
O abaixo assignado encarregou ao cidado D.
Facundo Maradona de levar capital provisoria
as notas era que ao Exm. Sr. ministro do inte-
rior se noticia o faci do dia 16, para que igual-
mente d ao Sr. ministro todas as explicacoes que
desejar.
A crise que um tal fado occasionon na pro-
vincia, reclama o concurso de todos os seus -
parte de doente, o que confirma o Dr. chefe de CZ? tec,aB concurso ae toaos os seus u-
, .. ... lnos Para 1o sustentem seus direitos, e dofen-
polcia, que assiste quclles trabalhos por amor
da ordem publica e segurancia individual, e de-
terminando a lei que semelhanles trabalhos se-
jam diarios e nao interrompidos, recommendo a
VmC. que, se amanha faltar aquelle juiz de paz,
assuma a presidencia da mesa, que lhe compe-
tir, o trato de concluir os trabalhos eleiloraes.
Communicou-se aos membros representantes em
reposta ao seu officio desta dala.
DESPACHOS DO DI* 12 DE JANEIRO DE 1861.
Requerimenlos.
3531.Amaro Jos.Nao ha que deferir admi-
nistrativamente.
3532. Antonio Generoso Bandera. Passe
portara concedendo a licenga pedida.
3533.Alvaro Barbalho chda Cavalcanli.
Fic absolvido da multa.
3534Bernardo Jos da Silva Guimares.O
supplicante opporlunamente ser aitendido.
3.>35.Joo Domingues Ramos.Dirija-se ao
Sr. inspector da thesouraria de fazenda, a quem
nesta data se expedo a conveniente ordem.
3536.Juvenci Temporal.Nao ha raga.
EXTERIOR.
Buenos-Ayres, 14 de dezembro
de 18 O.
Est tora de duvida que a falalidade persegue
os povos do Rio da Prata. Questo difRcil tinha
sido arraigar nelles o imperio das inslituices e
aplacar o phrenesi revolucionario que durante
quasi quarenta annos os lera arrestado por entre
charcos de sanguc, havendo-os j feilo gemer sob
o peso da mais odiosa lyrannia. Tudo escapa
aqu previso humana : nao ha lgica possivel,
podendo al dizer-sc que todas as situacoes se
resolvere pelo absurdo. E' certo que o pacto de
11 de novembro do anno passado, que bon gr
mal gr aceitaran) uns, em quinto a conre cceur
o applaudiam oulros, delxava em p rauitas e mu
escabrosas questes.
Ninguera porm chegou a imaginar que um
anno depois nos achassemos onde nos achamos.
Est quasi feila a unio, porque Buenos-Ayres
jurou j a constituigao reformada, mas tornam os
partidos a lerantar-se formidaveis de rancor e
odio. E de quem a culpa, nos perguntario, pois
que forgoso que sobre alguem recaa em pri-
meiro lugar a respoosabilidade ? Parece-nos que
cada povo tem o governo que merece, quer di-
zer, que em geral deve elle buscar em si mesmo,
na sua educaco, as suas tradicoes, at do seu
sangue, se quizerem, a razio das suas desgracas.
Sem embargo, assim como a Proridenua por
dara-a dos tiros calumniosos dos seus inimigos.
O abaixo assignado, que mui valioso er o
concurso de V. S., tem esperanzas de que o ob-
ter completo, para que nessa cidade ou em qual-
quer outro ponto em que se acha faga eramude-
cer a mentira e a detracto com que sempre tem
sido combatido este heroico povo.
A commoco do dia 16 nao d lugar nem a
declarar-se o estado de sitio, nem a intervengan
do governo federal, segundo a constituigao re-
formada. O assuropto puro esimplesmente de
S, Juan.
Expedio-se j o decreto para proceder-se
eleigao dos representantes e eleilores que faro a
do governador proprietario. Entretanto tem-se
nomeado para os einpregos pessoas dignas, lira-
das de todos os partidos, para demonstrar que
todo o povo, sem excepgo de ninguem, aceitou
a revolugo do dia 16.
O coronel Virasoro achara-se armado e pre-
parado com gente sua, quando lhe foi accommet-
tida a casa. Em vez de render-se elle e os quo
o seguiam flzeram fogo por espago de vinte mi-
nutos contra o povo, matando e ferindo alguos
cidados, al que suecurabiram victimas de sua
obstnago. E' pois o coronel Virasoro um tyran-
no vencido, e foi morto em combate contra o po-
vo defendendo a sua lyrannia.
< E' esta a verdade.
< A luta nao podia deixar de terminar seno
com a roorte. Preceder ao coronel Virasoro a
fama publica, dando-lhe um carcter sanguinario
e pertinaz. Comprazia-se frequentemente cm fa-
zer aos cidados ameagas de exterminio; alm
de quo a obslinago que mostrou no combate suf-
focou contra elle todos os sentimentos de huma-
nidade.
O abaixo assignado espera que V. S. faca tu-
do quaulo lhe fr possivel para que ahi se dm
aos fados sua verdadeira e natural apreciagao,
garantindo o abaixo assignado a verdade do que
loi referido na nota que dirigi ao Sr. ministro do
interior e da parte do commandante das torgas
que realisaram o movimento do dia 16.
Pode V. S. muito influir no animo do Sr.
presidento e daa demais autoridades nacionaes
para que nao nutram indisposigoes contra este
povo e encherguem nessa oceurrencia urna ques-
to puramente local, que nao pode affectar de
modo algum a ordem constitucional de outra pro-
vincia da Bepublica.
< Espera tambem o abaixo assignado que V. S.
se nao recusar a minislrar-lhe informagdes so-
bre a impresso que tenhara causado estes acon-
tecimentos no Paran, e sobre tudo o que possa
ajudar este governo a seguir a marcha mais con-
veniente para defeza da liberdade e direilos re-
conquistados no dia 16.
Terminando e abaixo assignado recommenda
la Y,S. o portador desta carta, que o mesmo
que leva as notas dirigidas ao ministerio do inte- ,
or, para que V. S. lhe preste os seus bons offi-
cios em tudo que elle careca.
Prevaleceodo-se da orcasio o abaixo assig-
nado apresenta a V. S. os seus protestos de subida
considerarlo e estima.
o Deus guarde a V. S. Francisco T. Coll__
Antonino AberaslainValentn Videla*
Morreram os seguintes : o governador Viraso-
ro, seu irmo D. Pedro, seu cunhado llayes, um
roajor llollim, dous officiaes correnlinos e alguns
soldados: estes foram do lado de Virasoro; do
lado do povo o commandante D. Juan Figueira,
D. Placido Vidclo, o sargento Manoel Facundes,
huvendo alm disso seis feridos.
Um avulso publicado em S. Juan s particula-
ridades que deixamos transcriptas, acrescenta as
seguintes.
O ralento chefe D. Pedro Nolasco Cobo, em
meio do rrissimo fogo que havia no pateo e em
todos os pontos daquella fortaleza, oceupava-se
em salvar a innocente familia de Virasoro, a se-
nhora deste e a de llaves da mortecertissima que
ameagava-as ; e tal era seu valor e coragem em
salva-las, que havendo um soldado dos liberta-
dores, enfurecido pela crueldade o sanha do com-
bate, e ignorando os develes de sua propriaclas-
se, investido contra a senhora do general Vira-
soro, de baionela calada, apparou em sua mo o
Sr. Cobo aquelle golpe mortal, recebendo urna
pequea cooluso ; ao mesmo terapo empregava
lodos os seus esforgos para que se nao aprovei-
tassem os larapios dessa confuso e nao rouhas-
sem a casa, o que tudo conseguio, grajas sua
aclividade.
O governo nacional logo que levo noticia destas
oceurrencias mandou reunir as milicias de varias
provincias, pondo frente deltas para intervir em
S. Juan o coronel Sa. e nomeando chofe de es-
tado maior o coronel Pannero, commandante de
urna diviso o coronel Coneza, e secretario ooffi-
cial-maior do ministro do goverso de Buenos-
Ayres, que ento achavam-so no Paran fazendo
para da comitiva do general Mitre.
Estas nomeagoes, que do muito significante-
mente a entender que s nao commetteram meras
a humilhantes violagts da lei, ho sido muito
combatidas pelos mesmos que mais invectivavam
o fado da morle de Virasoro.
Aqui transcrevemos a integra do decreto que
ordenou a inlervenco.
O presidente d repblica considerando :
Que os dcploraveis o sngrenlos successos
occorndos 16 do correnle, na provincia de S.
Juan, exigera medidas que com promptido con-
tenham efficazmenle os resultados da immoral e
escandalosa sedigo, garantiodo as propriedades
e as vidas dos cidados que se acham ameagados
pela absoluta falla de ordem, autoridades consti-
tucionacs e lodo o elemento de governo legal ;
Que nao possivel sera grave responsabili-
dade deixar esta provincia abandonada ao saque,
arbitrariedades e desmandos, desenvolvidos nos
successos de 16 ;
Que finalmente ndispensavel restabelecer
e garautir a liberdade do suffragio que tem 3e
reparar e substituir opportunamente as autorida-
des constitucionacs cxlinclas pelo crime mais
horreodo e aleiroso ;
Ouvdo o concclho de miuistros ;
Accorda o decreta :
Art. 1. Fica coromissionado S. Exc o Sr
governador da provincia de S. Luiz, coronel D.
Juan Sa. para, representando o governo nacio-
nal na provincia de S. Juan, restabelecer nella a
ordem, aniquilada pela sedigo, e garantir as vi-
das e propriedades, adoptando para isso asdis-
posices e medidas que julgar legaes e conve-
nientes.
Art. 2. Para os fins previstos no artigo an-
tecedente tica igualmente aulorisado o mesmo
governador D. Juan Sa para mobilisar as forcas
da provincia do seu mando, e as de Mendoza, fa-
zendo por conla do thesouro nacional as despezas
que forem necessarias. ,
Art. 3. Servir de secretario da commisso
o cidado D. Jos Manuel Lafucnte.
Art. 4. Polo ministerio do interior se expe-
dirao as instrueges convenientes.
Art. 5. Communique-se, publique-se e re-
gistro-se, para opporlunamente ser levado aoco-
nhecimento docongresso federal. Derqui.Jos
Severo de Olmos.Emilio de Mvear.Norberlo
ae la tteslra.Josi Maria Francia.
A iroprensa opposicionista da actualidade, crea-
da pelo pacto de 11 de novembro, isto a mes-
ma que provocou ultima guerra, orgo do par-
tido federal, derrotado em 1852, aquella mesma
que gritou contra o assassinato I quando morreu
o general Bernardes, victima da impaciencia dos
seus correligionarios, tomou a si este triste fado
para stigmatisa-lo, affirmando que tem o carc-
ter de um assassinato premeditado, e que al
foram rctimas delle a mulher e cunhada de Vi-
rasoro.
Pelo fado de harer ha pouco tempo o Sr. Sar-
miento publicado urna brochura com o ttulo de
O Tyranno de S.Juan, pretende tarabem que no
dito acontecimento tirera parte o mesmo senhor,
e que o flm daquella brochura era conseguir a
realisago delle e justiica-lo.
To injustas como estas tm apparecido poucas
aecusages e tambem poucos fados tem sido mais
fatalmente antecipados.
No anno de 1859, o Sr. Dr. Derqui ministro do
interior, para basear a sua presidencia, derribou
todo o governo de S. Juan e ahi impoz como go-
vernador o coronel Virasoro, correntino, anlipa-
thico por seus antecedentes, sem tino e desconhe-
cido, e ainda mais, apoiado pela imprensa inflin-
gi a desaffectos castigos e perseguige.
Debalde S. Juan murmurou queixas, debalde
os cidados reclamaran) a jusliga que lhe ora de-
vida ; noselhesprestpu altengo. O povo, pois,
por suas mos fez-se jusliga cruel o tremenda,
verdade, abrindo profunda ferida que muito cus-
tar a fechar, pois que fez sangrar outras chagas
que se nao haviam cicalrisado ainda.
E' urna lijo bem severa esla, e que deve mor-
tificar um pouco a consciencia do Dr. Derqui ea
do general Urquiza que autorisou-o a intervir,
applaudindo-lhee approrando-lho o procedimen-
lo. E alm disto um exemplo terrivel daquel-
las palavras bblicas, que resaro deste modo :
< quem com ferro mata com ferro morre d ; por-
que alguns annos ha que Virasoro assassinou pr-
fidamente em Correntes a um Sr. Araujo, presi-
dente da legislatura.
At este momento que escrevo, nenhumas ou-
tras noticias mais lenho de S. Juan.
Em Corrientes parece que tambem alguma
agitago reina ; produzida pela attitude do seu
governador que recusa cumprir um decreto do
governo nacional, mandando proceder s eleices
de deputados para o congresso em conformidade
com o que prescrere a nova constituigao.
O governador apoiado pela imprensa oppo-
sicionista, por isso que os deputados que mais
probabilidades oflerecem sao todos contrarios is
ideas do partido liberal, enestesdias se tem pro-
palado que o general Urquiza,que em tudo an-
da mettido,applaude o procedimenlo que tem
elle tido, e trata de conseguir do presidente
Derqui a revogaco do seu decreto:
Do summa gravidade esta questso, e pelos
numerosos interesses que affecta, pode chegar a
vir a ter um carcter assustador para a tranquil-
izado da Repblica, pois alm de Corrientes,
ha outras provincias que nao aceitam a disposi-
c.o nacional, sustentando qe ao congresso
que compete declarar ae a lei reformada deve
ou nao vigorar no caso presente, o nunca ao
poder executiro.
Este incidente meiivou a renuncia do ministro
Alvear, homem sem antecedente, e que tinha a
seu cargo a pasta dos negocios estrangeiros, e
cuja substituir ao voz cm grita pedia a imprensa
liberal.
A pasta foi nfferecida successivamente ao Dr.
Carril, ao Dr. Pico c ao Dr. Alseni; nenhutn
dcstes porm a aceitou ; sendo este facto prova
conc'udente de que nao se matisa de cor de ro-
sa o nosso horizonte poltico. O Sr. Riestri en-
carregou-se dola interinamente.
Fajla-se tambem de mudanga do ministro do
interior, e diz-se quo poder ser nomeado o Dr.
Domingos de Oro. Ser urna exccllente acqui-
sig.io para o presidente e urna satisfaco dada so
paiz que reprora a presenga de Pujol nesle mi-
nisterio, por sua nullidade administrativa e equi-
voca moralidade poltica.
Occupa-se actualmente o poro com muita ac-
lividade das eleiges de deputados para o con-
gresso nacional.
O partido liberal est dividido em suas vistas
e intenges. J a Tribuna e o Nacional, este
ultimo orgo do governo, ho comegado o fogo,
indicando que prximo est o momento de urna
exploso. Temos, porm, esperances de que
se nao realisar ella. Ser para o paiz urna ver-
dadeira calamidade.
A ser assim, o partido que dosde a queda de
Rosas luta para assumir o poder, unir-se-ia e
redobraria de esrorgos, conseguindo talvez um
resultado mais fficaz.
O Dr. D. Valenlim Alsins, ex-gorernador, foi
nomeado presidente do clubLiberdade.
Era Santa-F, a bragos com urna opposicao
violenta, renunciou o coronel Fraga o cargo de
governador.
Em La Riosa nao reina perfeita tranquiltidade,
e na remota provincia de Sallo nao se iranquilli-
saram ainda os espiritos.
Tem se fallado muito oestes ltimos dias de
urna vizta feita ao presidente Lopes pelo gover-
nador de Corrientes. Pretendcm os defensoros
deste que nada mais innocente que o objecto
della, que nao foi outra consa seno o consa-
grar urnacapella ; porm o que certo que a
opinio nao enxergoucom bonsolhos esse facto,
e que o Sr. Rolon dando tal passo, violn a
constituigao provincial, que lhe nao permittia
ausentar-se do territorio argentino sem permis-
so da cmara local.
Esta cmara sanecionou finalmente, .em sua
generalidade, o projecto de prolongamento da
va frrea do oeste. Esto fado importante.
Trabalha-se j tambem no novo caminho do sul
e era breve principiarlo as obras do de Bar-
racas.
Com este j sao quatro os caminhos proyec-
tados, mas que ainda se nao acham em exe-
cugo.
Deslinou o governo 541,660 pesos mensaes pa-
ra a amortizaco de papel-moeda.
Tiraram-se aos portos da Patagonia e Babia
Branca as franquezas de que gozavaro, em vir-
lude de haverem sido nanonalisadas as alfande-
gas da provincia, e de nao poder haver, segundo
a constituigao, portos privilegiados.
Tem-se vendido em hasta publica, mecos um
todos os brigues que formaran) a esquadra de
Buenos-Ayres. Os vapores vo ser empregados
no servico dos rios interiores, que pouco e pouco
so tem procurado ir melhorando. Temos j
urna linha regular de vapores at Corrientes.
A praga acha-se um pouco paralysada, mas
approximando-se a poca era qua trabalham os
xarqueadores, nao tardar em animar-se um
pouco mais.
Do Paraguay temos noticias. Nads ha im-
prtante. Alli tudo parece immularel, e o poe-
ta nao exclamar de certo:
S na paz eterna dos sepulchros creiol
{Jornal do Commercio do Rio.)
INTERIOR.
S. Paulo, SS de dezembro de 1860.
Foi nomeado delegado de polica da cidade de
Mogy das Cruzes o raajor Verissimo Fernandes,
homem respeitavel e de ideas governistas.
O presidente julgou conveniente, vista do
estado melindroso daquella localidade, mudar a
polica, nomeando pessoas imparciaes e consi-
deradas.
Este acto enrgico do gorerno garanti a tran-
quillidade publica de-so lugar seriamente amea-
cada como j tiro occasio por rezes de noti-
cia r-lhe.
Parti urna diligencia militar para Sorocaba,
onde era rirtude de certas instrueges da opposi-
cao, alguns homens pretendiam amoagar o go-
rerno com alguns capangas mandados vir de Bo-
tucat.
Se algum acontecimento funesto perturbar ahi
a eleigao de 30 do corrente, devoremos esse mal
a certos homens, cujos nomes parecem ser a ga-
ranta do contrario. A opposicao nao recua-
olla pretendo vencer por fas ou por nefas.
A Imprensa Paulisla, presentemente pouco ou
quas nada diz contra o chefe de polica, que na
verdade ainda nao pralicou acto algum que me-
rega urna opposicao. S. Exc. o Sr. consclheiro
Uenriques contina a ser censurado pelos mes-
mos motivos j expostos ns rcinha ultima missi-
ra. A sem raza o e iojusliga desle procedimen-
lo tem desgoitado grande numoro de liberaes,
que de corago apoiam a administrago actual.
Mas a poca toda de egosmo e nao ha ro-
medio para o mal.
O correio est a partir, nao posso continuar
esta carta : serei mais extenso amanha.
P. 5.Honlem noite houre urna raunio
popular em casa do um marceneiro.
Esta r6uniao foi presidida por duas notabilida-
des do partido liberal, e durante ella prepuze-
ram-se brindes bem inconvenientes.
[Carta particular,)
BIO DE JANEIRO.
S? de dezembro de 1860.
Recebemos jornaes de Matto-Grosso.
A Imprensa de Cuyab de 21 de outubro no-
ticia que a torca commandada pelo capito Per-
no, que fra bater o quilombo do Seputuba, rol-
tou de sua riagem com bom xito, trazendo pn-
sioneiros 30 negros quilombolas de ambos os
sexos, o duas indias.
L-se no mesmo jornal.
< De Miranda soubemos que subi urna repre-
sentacao I presidencia contra o procedimenlo do
major Caelaoo e cirurgio do corpo de sade Dr.
Cyrillo, as eleiges municipaes daquella villa.
E' de admirar que contra as ordeos do gorer-
no tenha aquelle doutor se envolvido as elei-
ges municipaes.
< Differentes cartas que vimos daquella villa,
e entre ellas algumas de pessoas insuspeilas por
nao pertencerem a nenhum doa lados pleitean-
tes, fallam e ceosuram acremente o procedimen-
to do Juiz de paz major Caetano, e sobreludo de
queror aquelle senhor reocer as eleices forga
armada por considerar-se em minora; mas que
o commandante do Presidio nao consentindo a
entrada dos seus sequazes da igreja seno depois
de desarmados das facas, pistolas, etc rendo
Caetano perdidas as esperangas, retirou-se cora
lodos os membros da mesa depois da segunda
chamada, deixando a urna fechada, e nao mais
quiz rollar.
* ^ *U'Z **e P" n' P0(lendo receber as ce-
dulas da 3 chamada, addiou-a, e nesle sentido
representou.
< Aguardamos a deciso do governo e sua
correcgo a tal juiz de paz, que tambem o re-
crutador do lugar e juiz municipal do termo, e
que por esse modo tem atemorisado a alguns pa-
ra acompanha-lo.
Nao falta quem clame tambem contra as pri-
ses alli havidas.
Por urna carta do mesmo lugar soubemos
que um cidado de poltica diversa ao dito juiz
de paz fra pelo mesmo juiz sentenciado mor-
le, porm qua felizmente soubera prerenir-se
contra a sanha do sou desejoso sicario.
As folhas da cidade da Campanha at 8 do cor-
rente nao noticiara oceurrencia alguma de im-
portancia no sul da provincia de Minas.
Honra ao thronol Dando ha dias noticia da
aegao uobre o digna pratcada pelo mestro da
crvela U. Isabel, Antonio Joaquira, guardava-1
raos a esperanga intima e doce de a ver devida- i
mente galardosda pelos altos poderes do Estado '
Da maneira m*ii completa realisarara-se os
nossos desejos ; o acto de lealdade extrema ele- '
vara o marujo ; tamanho era o seu mrito que
diinte delle desappareceram por um momento
as leis da gerarchia; e do throno brasileiro se
estendeu mo calosa do bravo a mo sagrada '
do soberano para significar-lhe a estima que cou- '
quistara. I
Para gloriosa tradigo da classe a que Antonio
Joaquim pertence o bello (cito do monarcha ahi
Dea estampado em caracteres visiveis em um
objecto em que a delicadeza imperial quiz por
certo expressar ainda a lembranga da acgo que
premiou.
Com effeito, com data de 21 do corrente diri-
gi o Sr. mordomo da casa imperial a carta se-
gulnle ao Sr. vice almirante baro de Tamao-
dar, chefe do qnartal general de marinhs :
a lllrn. e Exm. Sr.Sua Magestade o Impe-
rador, commiserando-se da sorle dos infelizes
marinheiros que escaparam ao naufragio da cor-
veta D. Isabel, dignou-se ordenar-me que fl-
zesse chegar as mos de V. Exc. a quantia de
2:042#300, equivalente a mez e meio dos seus
sidos, aflm de que V. Exc. faga repartir esta
quantia por todos, tendo era vista as graduages
de cada um.
Quanto ao mestre Antonio Joaquim, S. M.
Imperial, tendo sabido da fidelidade com que se
portou tanto po momento do desastre comb de-
pois, preferindo soffrer de fome a tocar no di-
nheiro que podo salvar do seu commandante, di-
nheiro que integral e fielmente depositou nesta
corte no poder da familia do sobredilo comman-
dante, ordenou-rae que de sua parte lhe dsse o
relogio que V. Exc. reeeber cora esta, no qual
se acha gravada a seguinle inscripgo: Pedro
II a Antonio Joaquim, 11 de novembro de 1860 ;
e assim mais a quantia de 500$, comprehendida
na retro mencionada.Paulo Barbosa da Silva.
Recompensar por essa forma urna acgo boa,
partlhar desse modo as dores de seus subditos,
fallar com inlelligencia ao corago que exigi
aquella e que estas pungiram, ser generoso
como re e alTectuoso como pii.
Honra ao throno 1
28 |
Temos datas de S. Paulo al 25 do corrente.
O que ha de inleresse consta da carta que publi-
camos no lugar competente.
L-se na Revista Commercial de Santos de 21:
a Entrou hoje de New-Porl o dcimo carrega-
menio de maleriaes para a estrada de ferro desta
provincia.
c Hoje ao abrrero-se as portas daalfandega, a
muita umaga espalhada pelo primeiro armazera
indicou que hara fogo na casa': inresligando-se
a origem, descobrio-se que tinha-se Incendiado o
contedo de um caixo rindo no ultimo vapor,
por um vdro de acido sulphurico que se havia
quebrado e que Irazia o rotulo de oleo de imen-
doa doce 1 E realmente inqualiflcavel o procedi-
menlo leviano de alguns negociantes do Rio de
Janeiro, as remjssas de mercaduras para este
porto.
< Tomou posse do cargo de juiz municipal e de
orphos desle termo o Sr. Dr. Americo Vespucio
Pinheiro e Prado.
Foi nomeado promotor publico da comarca
de Iguape o Sr. Dr. Joo Guedes de Carvilho.
-30-
Fez-se merc do titulo de baro de Mangara-
liba a Antonio Pereira Passos.
Foi agraciado com o ttulo de consblho o oft-
cial-maior da secretaria de estado dos negocios
da fazenda, commeodador Jos Severiano da Ro-
cha.
Foram nomeados :
Officiaes da ordem da Rosa os chefes de polica
das provincias do Rio Grande do Sul e do Cear,
Eduardo Pindahyba de Mallos e Antonio Brillo
Souza Gayoso ; o inspector da thesouraria da
provincia do Rio Grande do Sul, bacharel Joa
Mara da Trindade, e os inspectores das alfande-
gas do Para e da cidade do Rio Grande do Sul,
Fabio Alejandrino de Carralho Reis e Bernardi-
no Jos Borges.
Caralhoiras da mesma ordem, Charles Neate e
o contador da thesouraria da prorincia do Rio
Grande do Sul, Leopoldino Joaquim de*Freitas.
31
Por decretos de 28 do corrente forara nomea-
dos :
O bacharel Innocenclo Pinheiro Correia, para
o luar de juiz municipal e de orphos dos ter-
mos reunidos de Macap e Mazago, na prorincia
do Para ;
O bacharel Joo Coelho Lindares, para juiz
municipal e de orphos de S. Jos d'El-Rei, na
prorincia do Minas Geraes.
Foram recanduzidos :
O bacharel Frederico Augusto Airares da Sil-
va, no lugar de juiz municipal e de orphos do
termo de Pitanguy, na prorincia de Minas;
O bacharel Isbello Florentino Correia de Mello,
no lugar de juiz municipal e de orphos do ter-
mo da Madre de Deus, na prorincia de Pernam-
buco.
Foi commutida:
A Joaquim Ribeiro Franco, em 400J000 para o
instituto dos meninos cegos, a pena de dous me-
zes de priso e multa correspondente 4 melade
do lempo, imposta pelo juiz municipal da 3a ra-
ra da corte.
Forara perdoados :
A Manoel Caetano do Nascimento e Souza, a
pena de oito mezes de gales e multa correspon-
dente melade do tempo a que foi condemnado
pelo juiz de direito da comarca da Feira de San-
la Anna, na prorincia da Babia ;
A Clemente Eleuterio Freir, o resto do tempo
que lhe falla para cumprir a pena a que foi con-
demnado pela auditoria geral da marinha, em 7
de abril de 1851.
Comegaram honlem em todas as freguezias os
trabalhos eleiloraes. As mesas Rearara assim or-
ganisadas :
S. Jos.Presidente, o Sr. Manool Jos de
Paira ; secretarios, os Srs. Drs. Jos Pedro Car-
los da Fonceca e Antonio Correia de Souza Costa
escrutadores, os Srs. Luiz Ignacio da Silva e Por-
flno Jos Goncalves.
Sacramento.Presidente, o Sr. Dr. Luiz An-
tonio da Silva Nazarelh ; secretarios, os Srs. Dr
Francisco Jos Ferreira Baptisla e Miguel Joa-
quim Ribeiro de Carvalho ; escrutadores, os Srs.
Pedro do Alcautara Machado e Virgolino Jos
Rodrigues.
CandoriaPresidente, o Sr. commeodador
Manoel Monteiro da Luz ; secretarios, os Sre.
commendador Joaquim Antonio Fernandes Pi-
nheiro e Dr. Joo Manoel Pereira da Silva ; es-
crutadores, os Srs. commendador Jos de Araujo
Coelho e Jos Francisco da Costa.
Santa Ma.-Presidente, o Sr. Jos Francisco
le Paula e Silva ; secretarios, os Srs. Dr. Tho-
maz Jos Pinto de C-irqueirs e Antonio Jos Vic-
torino de Barros ; escrutadores, os Srs. Drs.
Jos Carlos de Carralho e Manoel Pacheco da
Silva.
SanCAnna. Presidente, o Sr. espilao Pi An-
tonio de Souza; secretarios, os Srs. Dr. Justinia-
no Jos da Rocha e capitao Francisco Agnello de
soma Valente ; escrutadores, os Srs. Pedro Jos
Martins e capilao Jos Thomaz Gongalves.
Santo 4nionio.Presidente, o Sr. Dr. Antonio
Jos Gongalves Fontes ; secretarios, os Srs Dr
Manoel de Oliveira Fausto e Dr. Salvador Correia
de S e Benevides ; escrutadores, os Srs. Anto-
nio Mana Navarro de Andrade e Jos da Silva
Lemos
Gloria -Presiden le, o Sr. Joo Caetano de
Oliveira Guimares ; socrelarios. os Srs. Alexan-
dre Jos Henrique Tota e Francisco Jos Cardoze
rilno ; escrutadores, os Srs. conselheiro Gustara
Adolpho de Aguitar Pantoja e Dr. Manoel de Mel-
lo Franco.
5. Cnrtsoco.Presidente, o Sr. Dr. Antonio
Kodngues de Oliveira ; secretarios, os Srs. Jos
Joaquira dos Reis e Francisco Bibiano de S
escrutadores, os Srs. Dr. Antonio da Silva Netl
e Joiquim Luiz da Silva Vega.
Eagenho- Velho.Prosidento. o Sr. Dr Rober-
to Jorge Haddock Lobo ; secretarios, os Srs. L-
zaro Jos Gongalves o Agoslinho Nuoes Monlez
Jnior escrutadores, os Srs. Zeferino Jos da
llosa e Joao Gongalves da Silva.
Laga.Presidente, o Sr. Pedro Ignacio de
Miranda; secretarios, os Srs. Theotonio Meirelles
da Silva e Dr. Custodio Aires Serro; escrutado-
res, os Srs. Jesuino Martina dos Sanios Vianna e
Ernesto Harper.
Inhauma.Presidente, o Sr. Valerio Pereira
de Carvalho ; secretarios, os Srs. capito Ale-
xandre Jos Fortuna e Ansclelo Jos de Souza ;
escrutadores, os Srs. Basilio Jos Gomes e Jos
Mara Velho de Brilo.
5. Joo Baptisla de Nitherohy.Presidente, o
Sr. Francisco Correia Garca ; secretarios, os Srs.
Jos Joaquim Vieira Souto e Antonio Andr Li-
no da Costa Sobrinho ; escrutadores, os Srs.
Theotonio Nery da Silva Fialho e Joaquim Igna-
cio Garca Terra.
S. Lourenco.Presidente, o Sr. Pedro Antonio
Gomes ; secretarios, os Srs. Felippe Cordovil de
Siqueira e Mello e Francisco Galvo ; escrutado-
res, os Srs. Joo Geraldo Carneiro e Antonio Fer-
nandes Telles.
As mesas parochiaes de S. Jos, Sacramento,
Santa Rita, Santo Antonio, Glora, Engenho-Ve-
lho e S. Christovo orginisaram-se pacica-
. mente.
I A formago da de Sanl'Apna foi precedida de
calorosa discusso.
Na freguezia da Laga houve tambera algum
debate
Na da Candelaria suscitou-se discusso anima-
da sobre a exeluso proposla de um dos membros
da mesa, e em seguida u protesto contra a de-
ciso dada em favor do referido membro.
Installadas as mesas, comegaram os trabalhos
pacificamente.
Em Santo Antonio, quasi s 2 horas da tarde
deram-se, fora da igreja, empurres em um ci-
gano que se apresentava para votar e era argido
de ser phosphoro
Suscilou-se dosois urna questo calorosa por
estar um inspector de quarieiro junio mesa
tomando nota dos votantes ao passo que entre-
gavam suas cdulas. O Sr. chefe de polica ad-
I rertio ao subdelegado que deria reprimir se-
melhonte procedimenlo, que fazia mo rer e in-
dicava a existencia da cabala.
I Cessou onto toda a questo, e o processo e-
leitoral proseguio em paz, suspendendo-se os
trabalhos s 5 horas da tarde.
I As 2 e raeia horas da tarde findou a primeira
chamada de votantes na freguezia da Candela-
jria. A'sSeum quarto horas concluio-se a se-
j-gunda chamada, e suspenderam-se os trabalhos
na forma da lei.
I A's 4 e raeia horas snspenderam-se em paz 03
trabalhos da freguezia de S. Jos.
A's 3 horas, sem ter havido novidade, findou a
primeira chamada dos votantes da freguezia da
Glora.
Na freguezia do Sacramento suspenderam-se
os trabalhos s 6 e mcia horas da (arde, leud-
se'concluido a primeira chamada dos votantes do
1 districlo e de parte do 2o, sem ter havido al-
gum outro incidente, alm de empurres entro
o poro por causa de um votante que qualiflca-
ram de phosphoro, mas que foi pela mesa reco-
nhecido como o proprio e admitlido a rotar.
Os trabalhos do Engenho-Vclho foram suspen-
sos s 3 horas da tarde, sem ter havido a menor
discusso e na mais perfeita calma.
Na freguezia de Santa Anna deu-se s 3 horas
da larde um grande tumulto, de que resultousa-
hir urna pessoa com acabega quebrada.
Communicando as oceurrencias desta fregue-
zia ao Sr. ministro da jusliga, diz o Sr. chefo de
polica:
< Estando eu em Santo Antonio, e sendo avi-
sado, dirlgi-me logo alli.
Coniinuou o tumulto ainda mais exacerbado
com urna questo de identidade e repulsa de um
votante, a titulo de ser pedestre; por longo lem-
po nao se pode restabelecer a ordem ; cada pa-
tarra provocava urna desorden), at que grande
luta se trarou junto porta da igreja.
Nao sendo possivel fazer-me ouvir, e rende
que trabalharam as bengalas e cceles, mandei
entrar a forga, aflm de separar os grupos; o qua
exasperou os desordeiros, que atiraram cadeiras
e outros projects contra a forga, que alias che-
gou a restabelecer alguma ordem sem offender a
um s individuo.
Assim mais ou menos restabelecida a ordem.
foi-rne pedido pelo poro que relirasso a forga do
interior da igreja, com que se acalmara c pro-
seguera em seus trabalhos. ParecenJo-me con-
veniente acceder a este pedido, assim o fiz. Lo-
go depois deram algumas pedradas de diversos
pontos da igreja, ferindo urna dellas ao Dr, Jus-
tiniano Jos da Rocha levemente em urna o-
relha.
Sendo j larde, suspendeu-se o trabalho,
tendo antes entrado de noro a torca que ficou
guardando a urna.
A's4emeia horas da tarde suspendeu-se o
trabalho eleitoral na freguezia de Santa Rita sem
ter occorrido incidente desagradare!.
Quando se tratara de fechar a urna appareceu
um mogo que, depois de poseas patarras que
nao poderam ser bem ouridas por causa da
confuso com que foram preferidas gritou: Nos-


t)

X
M
M

':('
HARIO DI fERSAMBOO. QtJART* FE1RA t DI JANEIRO DI 1861.
fit^ir-i
mad
5*
da amase! aria eencluie-s
enta>
da S'Aaaa. 4* meio-dia m
a Wr, Ipw emJUcao, apa-
reo***il jaiando em ma**** pee.u*rjos MM>
la, ama tamacplewlo par mei* branda*.
A' t i |l hn da lar*?, (a, eaectteu-a* ara
taaiablu ana** do ve as aalarioree, ha vead* U-
t*t faraaaa a soeoea W*tto.
Cem a airada da far^a ajee eslava (ara da*-se
ura Ateta ir alguns individuo daamie
as pracas, que se defenderara com 9 coronhas
das armas, resraHando disto algunas contuaoes
ferimentos que nao parecern intencionaos. NIo
obstante, as pravas docorpo policial que fizeram
ases eriraeuios foram recolhidas presas per or-
den doSr. coronel Drago.
O Sr. cheTe de polica oso eslava presente, mas
logo que ro avisado, dirigio-se para aquella fre-
guezia, onde conseguio serenar os anies agita-
dos por esta incidente. Proseguio a nesa noaro-
cesso eleitoral, tlodando-se a segunda chanada.
Inlornum-nos de Iguass que no dia 30se or-
ganisou tranquillaniente a mesa parochial, e que
no mesmo da se fez una chamad?, recolhendo-
se mais de 400 lalas.
Na tarde dcsle dia querendo o cidadao Sr. Joa-
qun Ignacio do Nascimenlo Faria, enpregadoda
estrada de ferro da corte, dirigir a eleicao, foi re-
pellido pelo povo con loras, e nessa occasiao na
porta da matriz houve algunas cadetadas, de que
nao resullou ferinento algn.
Os trabalhos do dia 31 correram sen incidente
algn, e concluio-se a segunda chanada de vo-
tantes, recolherido-se perlo de 150 listas.
En liaborahy lerninou no dia Ia a segunda
chaado, lendo-se recebido 1,011 lisias. Tudo
correu en paz.
No Porto das Caixas terninou no nesmo dia o
recebinento das cdula?. Houve ordem.
%as irmafls de Santa Anua csto moirendo ctt- Pinalisoa-se en Santo Antonio, 1 hora da
mas de bayonetas. A't armai I lardo, a Vneeira chamada, sen ter occerrido no-
Grande tumulto se ievanlou, que deixou de ir vidade alenda vehemencia com que foi disculi-
vante talvez pela presen? da for^a que ja es- -da a quesllirsobre a idenlidade de ura volante,
lava purta da igreja para a guarda da urna. 'que nao foi adianto.
De Inhadma informan-nos lerTiavW"ffHB>-*' Na' freguezia de 5. Jos terminou a terceira cha-
dem. da al resultan iaaai urna tacada o fiscal
supplea**, eakar (* a maca emaaaada
cid ada. Wnw-s ggmmtar dai
fosa wspccUr da* u reama*, Veaacisce Ma- I
aad Monteara, jue se acha preso.
m consetaeacia dosies lamo*, preamVmtr
Ja aaesa ta*deu os ambaaaos, i ffictai ao
Sr. m*istta do imperio,
fia* Kitbwliy cerrau i4a pacrlramcnle.
I 1>>near tjmmmtm dafMU
motantes ata ilha do Gowwder sen a mamo? al-
teraco na orden pnalica.
fin Iraja o processo eleitoral, rosegue regu-
larmente nao tendo havide cewrencia ooUvol.
Nafreguezia de Santo Antonio houve as 10 ho-
ras alguna soceos e enporroesen un phosphoro
xeconbeeido por tal. Vs 3,horas occorreu ama sce-
ua de confusSo, beugaladas, soccoa a emporros,
nnsciJa da questao que se susciton sobre iden-
tidade de un volante, qe alias era reconhecide
por ambos os lados come oproprio qualificado,
ama vos imprudente dea tugar a lo.
Suspenderaai-ss os u-aballios depoi* das 4 ho-
ras da tarde, icando por concluir-se aseguada
chanada.
Ma Candelaria comecou a terceira chamada as
9 hora?, notando-se extraordinario cnthusasmo,
concluio-jo as 2 horas da arde procedendo-se
seguida ctmiagem das cdulas en numero de
448, sem ter sido perturba lo o socego publico.
Conlinuoo na fregeezia de S. Jos a primeira
chanada que ante-nontem Acara suspensa, e
linda ella, ronecoa a segunda que terniDOu s
3 horas da tarde.
Nada occorreu durante o processo elvitoral,
mas que alguma gritara, que nao tomn carc-
ter lumulluirio, pmpriamente dito, e una ds-
poto ou lucia corporal entre o lente Alvim e
o inspector Quintanilha, a qual nao foi a vanle.
Na freguetia da Gloria terninou sen oceur-
renca alguna, a segunda chamada as 2 horas
da larde.
En Santa Anna deu-se s 2 horas da tarde un
tumulto originado por questao sobre a identida-
iie de ura votante, acalmanJu-se sen resultado
algum mo ; correu depois ludo em calna, at
quo as 5 horas suspendeu-so o processo eleito
ral, nao so havendo anda concluido a primeira
chanada.
Em Santa Rita concloio-se a segunda chana-
da s 3 e meia horas, tendo sonente occorrido
is 2 ura grande tumulto, por terem alguna cida-
Anorn constraugia a um votante, a quem alias
acompanhou, por ser seu contiendo e humen
de idade avancada, quando este j perla da me-
sa, encontrara diculdade em ronuer por entre
povo ahi agglonerado.
O dito inspector foi ameacado por alguns dos
asststentes, que o queran expcllir da groja,
mas os Srs. coosflhciros Paranhos e T. Ottoni,
correi.do en protecrao do aggredide, consegui-
ram, apezar da confu5o da massa de povo que
sobre elles se precipitava, evitar que esse cida-
dao sollrcsso a menor olTensa. O tumulto ces-
ou de todo com a exulieaeo do farto pelo Sr
Ottoni, e vivas dadas por e.-le senli -r liberda-
de do voto e ao povo hrasileiro. Em seguida o
povo deu lunbem vivas ao Sr. Ottoni e cuiise-
lheiro Paranhos.
Fazendo-ae depois ouvir o Sr. juiz municipal
)r. Jos ('.aciano dos Santos, quo aconsclhou ao
povo moderoc.o e ardem, declarando o mesmo
lempo que tomara as providencias precisas pa-
ra conter qualquer excesso, S. S. terminou dan-
do vivas de oraem, o fot tamben vicloriado pelo
povo.
Na freguezia do Sacranento findou a segunda
chanada s 6 horas da tardo, sem quo houvesse
molim.
Na do Engenho Vclho terminou a segunda
i chamada na nais completa calma e traiiquill-
dade.
1
No freguezia da Ilha de Paquet terminou hon-
leni o processo eleitoral na naior tranquilli-
dade.
Na freguezia da LagAa terninou, sen acciden-
te algn, a terceira chanada s duas horas da
Urde.
Era Santa Anna, s II horas da rnanhaa, hou-
ve grande vozeria por se achar junto a um dos
raesarios. o Sr. capiao Francisco Angelo de Sou-
za Valente, una praca do exercito quo sua or-
denanza, vestido paisana, t-ndo-lhe o olficial
reformado Sos res dado a voz de prisio ordem
do .ijudnnte-general.
Terminou emliin a agilagao, deixando de re-
trar-se o soldado por se verificar a sua tranquil-
lidade.
A' 1 hora da larde suscilou-se novo tumulto
que o Dr. segundo delegado pd.le acalmar, refor-
jando ao redor da mesa as sontinetlas, rjue foram
depois retiradas, nao tendo havido otl'ensns phy-
sicas.
As duas lloras e meia um grupo de cerca de
duzentas pessoas, vindo de Sania Rila, se diriga
para Sania Anna. O Sr. chefe de polica foi es-
pera-lo a alguma distanciada groja, o internan*
do-se pelo meio do povo, quo mostrava alguma
excitacao, conseguio, com o auxilio do Sr com-
mandanle do corpo policial que se rctirasse. No
3cto da retirada levatilaram-se ainda algunas
wozes contra a ferca poitada ao lado da igreja ;
interveio de novo o Sr. chefe do polica, e paran-
do a agilagao. concluo-sc tranquilamente s 5
horas a segunda chamada dos votantes do priraei-
ro distrirlo.
Em Sanio Antonio levo lugar, s 11 horas da
rnanhaa, grande celeuma por causa da apparico
de um phosphoro, que foi reconhecido tal, e dei-
xou de volar sem dar-se qualquer violencia.
Termnou-so a segunda chamada depois do
meio-dia.
Na freguezia do Sacramento concluio-se l|2
hera da larde a terceira chamada dos volantes.
Na freguezia de Smia Rila nolou-se muila ex-
cita^ao em alguns grupos, havendo reclamacoes
contra a intervengan de inspectores de quarteiro
e a sua presenga na mesa.
O Sr. juiz municipal no cntanlo conseguio com
meios persuasivos serenar os espirilos.
A'urna hora e meia da larde, porn, appare-
ceu um grande lu,mu;o, do qual resultou que-
brar-se a mesa e cahir a urna no chao, retiran-
do-se os msanos.
Este fado, e o receio que arabos os lados plei-
teantes nutriam de ser violada a urna, tornou
anda mais violento e tumulto, movendo-se ao
mesmo lempo calorosa discusso acerca da con-
tinuaco dos trabalhos eleitoraes com a retirada
dos misarios.
O Sr. chefe de policio chegou freguezia du-
rante a desorden), que recrudesceu com a pre-
senta da for^a de oavallart nuisilada pelo Sr,
Dr. juiz municipal da terceira vara, e a cuito m-
seguio fazer-so ouvir pelo povo, que por n se
apasiguou.
s trabalhos da elcicao Acaran adiados para
hoje.
Na freguezia de S. Jos findou-so em paz a
terceira a ultima chamada, i 1 hora da tarde, e
proseguio-se nos ulteriores termos do processo
eleitoral.
Proccdendo-se pela polica a averiguaees so-
bre as offensas physicas mitas ao inspector Quin-
tanilha na lula corporal que leve anie-hontem
com o lenle Alvim, verificou no corpo de Je-
licto nao ter sido elle sangrado, nem bichado,
exislindo soniente dous pegenos ferinentos do
quairo linhas na parte nedia do dedo medio da
o direila com levantamento da epiderme, de-
vidosprovavelroeote a urna dentada, mais urna
pequea escoriacio na parle almar do mnimo e
do indicador, aiiida nenos intensa do quo a pri-
meira, e aa frente de ambos urna ligeira escoria-
cao.
Na freguezia da Gloria acabou a terceira cha-
mada ao meio dia, e contadas as cdulas achou-
se 522.
Na freguezia da Lagoi terminou s 2 horas da
tarde a terceira chanada, nao correado novidade
alguna.
Na freguezia do Engenho-VeUio concluio-se s
11 1(2 horas da rmnhaa a terceira chamada, rei-
nando sompre ordem e tranquillidade.
-3 -
Concluio-se o processo eleitoral da freguezia
de Iraj, correndo tudo pacifica e regularmente.
Em Santa Rita Qodou s 11 horas o meia do
dia a terceira chamada coma nais perfeila re
gularidade, sem haver emprogo de foroa.
O Sr, chefe de polica assislio a todo o acto
desdo scu comeco at ultimar-so.
Na freguezia de Campo-Grande reinou durante
o processo a naior tranquillidade, sem que ao
------------- '-------
nissionado pelo governo geral para raatabeleoar
a orden da de Santiago, depoia de aaaa liajefcw
troca de notas com as autoridades da iacto da
provincia, conseguir, por una lei da asan le-
gislatura que havia retirado o poder di

0I1S
AEUA.
t da Janeiro de 1861.
WltaniiS9 do pasaada pelas 11 horaa
m aBMbba- fcrai. e Rvm. Sr. D. Romualdo An-
Sr. AlcohLa, reiotegra-lo no seu antgo posto.'
doFsuruTtr1^5Sfgde,":
oeitou o oarga, dad con* Mi* rtanoor can
oslo a Sr. ttaadrir geacsvl Palaeir, qo*
rio hara otetada a sm Mmari*. era sid*
destituido d*a*Skado. O 9fc brigadeiro VI-
nwro 4 inri* 4 blltetd* fajfcnador '
A' ultima hro di .Va****/ awmeacao d*
Sr.Sarasiwat* (itriUro dogov
Arrf) carcter do aiiio
ministro r-leoipotenciarlo d Repablica-Arfeatt-
na junto aos Esiados-Uoidos, en lugar dp Sr, Al-]
paar tiln jmjil aaaa tnf a
'"' $ fliti i vriuirvimo a bMi .uifi.v.
Nao sbenos quo fundanento possa ter essa
noticia, nem encontramos nal fainas quo teos
vista a nomearao dos uccessor do Sr. Sarniento
H toati* d Sanas, arcebispo da Babia,
tao do imperio, e marquezde Santa Cruz.
i .foi un ac* a***?el pe
aigar Ifififil. Osounon
la coabacMa am tado o ira pena aasMizas aa-
TiamafT anaaa la idade.
O saa amaladapasaanento taa lagar na raai-
cia rabiaimpil da Penha, a amdaa 3t paa-
eu-se ao wrtarramento na igrm> cal adral
asformalidadaanecessarias.
Por occasiao da missa do svnmwdH far
j honras Je vidas i aua alta jararebia.
Cavando-sa n rpnlla-m6r da rathsdral urna
o* para sepultar-se o cdaver do Exm. e Rrm.' *
ram lanzadas pedras contra o poro inerme, que
so achava no acto de sua maior soberaala li
A Iota travou-ae, e a confusao fi impansa 1
os cidadaos pacicos qu* all se acharan, trata-
metropoli- ram de retuarem-se, porn foi inpossrel;
l0*. _a entretanto nao houve parochia, en quo
etintmda deassa de ser disputada ; os parti-
da* enpenharam tadss arecursos de que pode-
rarn dispar.
cono so achava a igre'ja apinhadi.'o msIo'esdol''TLS*?%S\,* nM\ ,orluDa' Poiaal-
e um m* Msa laucada ammm o iuiteMz firiiU.i^- 1u,n(l0 retlectimos sobre o que se passou,
a a ana. esseiagmLZE&\t taTL dCBSf BI*1II,*' *" dona........
lo* mus guarda* aattciaa* ae aa havam d ** "*"' ** *". n,orl. *.
gaamla o pelo teaaJaST *^ eaa bouvesam ; sai ana aardadaan taldBm 11
Fl assim, quo dejan mate foi aTU aa-ada ae*
J *"!. afiS4o
tanas mamasen
Sr. arcebispo achou-se una especie de galera
subterrnea perfeilanenle acabada. Consta que
suspendeu-se a escavaco, e quo depois se Ozo-
no ganneto porleobo. Isto faz suppr que, quan- rara alguraas inre8tigac6e8. Nao sabemos qual
do mesmo tl aoneacao tenha (ido logar, nio o resultad*.
t\r-* MAnilm Ca ...___-____?_;..____*_ ____... m .
Foram nomeados:
Primeiro official da secretaria de estado dos
negocios da fazenda, o segundo olciai di mes-
n secretaria bacharel Jos Manoel Duarte Lima
Segundos oOiciacs, o Dr. Candido Borges Mon-
teiro Ftlhu e bachaiel Custodio Cardozo Ponles.
-<-
Concluio-se a eleigo em Jacarepagu sem o
menor incideute e em perla, iu tranquilidade.
Terminou l 1 [-2 ho.-a da tarde a terceira cha-
mada na freguezia de Sant'Anna semaccideule
nolivp.l, cxccp(ao de ligeiras vozerias.
Na freguezia de Santo Antonio, querendo os
raesarios abrir o cofre que encerra a urna, nao n
poderam conseguir pur obstar i isso urna das
chaves, de modo que foi misler proceder arrom-
bamento com as formalidades legaes. Isto feito,
proseguio-se na apuraco de 65 cdulas, sus-
peudendo-se o trabalho na hora propria seu no-
vidade.
Terminou a apuracao na freguezia do Eugeuho-
Velho.
as denais freguezias conliuuou-se na apura-
Sao das cdulas, uo constando ter havido uovi-
ade alguma.
5
Na freguezia de Campo-Grande ten corrido pa-
cificamente os trabalhos da eleicao.
as deraas freguezias procede-se apuracao
das cdulas tranquillaneole.
6
Entrou h intem do Rio da Prata o paquete in-
glez ilersey, que vara fazer concert neslc
porto.
Nao trouxc mala. O vapor de guerra Butzard,
que se espera u cada momento, quo deve tra-
zer a correspondencia deste mez, como j noti-
cia m o?.
Fomos porem obsequiados pelo Sr. Curlewis,
commandinle do !dersey,\com tullas de Buenos-
Ayres que alcanzan at 28 do mez passado.
Nada de notavel havia occorrido n'aquella ca-
pital.
As eleicoes da cidade para depulados ao con-
gresso nacional linham sido adiadas pasa o dia 13
do correle. J era porra conhecido o resulta-
do das eleicoes de algumas secfes da campa-
nha. Sahiram eleilos pelas Ia, 2a, 3a, 4a, 5a, 6a
e7aseccoes os Srs. Dr. Antonio Cruz Obligado,
Dr. Francisco Xavier Huniz, coronel Emilio Mi-
tre Emilio de Castro, Dr. Francisco Elizalde, Jos
Mara tollierrez, e Dr. Carlos Tejedor.
Todos esses candidatos, diz a Tribuna, foram
recommendados pelo governo.
Os dous senadores, como j sabem os leito-
ros, sao os Srs. Drs. Valentn Alsina e Ireufio
Porlella.
Achava-se de volta da Inglaterra o engenhei-
ro da empreza do caminho de ferro de S. Fer-
nando, que havia ido consultar com os empreza-
rios sobre o novo trar-o que devia dar-sc esse
caminho era virlude dos estragos causados pelo
temporal de Santa Rosa, de que so hao dclem-
brar os leilores.
Do Paran referem as foi has de Buenos-Ayres
a importante noticia da orgaiiisaeao definitiva do
gabinete nacional.
O.minislcrio ficou coraposto doseguinte modo r
Relaces exteriores, Dr. Francisco Pico.
Interior, Dr. Salusliano Zavalia.
Fazenda, Norberto de la Riestra.
Culto e instruego publica, Dr. Severo Olmos.
Guerra e marinha, general Jos alaria Franca.
Enire os recentes ir ib 1 los do governo nacio-
nal assignalam a Tribuna e o Nacional o pro-
jecto de um banco pira a cidade do Rosario. O
Sr. Thoraaz Armstrong, negociante forte da pra-
ca de Buenos-Ayros, acha-se encarregado pelo
governo da undacao do banco.
_ A' respeito dos lamentareis successos da pro-
vincia de S. Joo, continua-sc nao se saber ao
corlo o que houve. As informhc,es al agora
chogadas ao conhecimento do governo nacional
sao ministradas pelos propiios homens da revo-
luto que apoderaram-se do poder. Essas inor-
tnacoes, 4 quo lem se dado a denoroinacao de
officiaes, sao para nos suspeitas, e por isso nao
Ihe temos prestado atteocoo. O governo nacio-
nal, porra, acaba do nomear urna commisso
encarregada de syndicar dos fados e de restabe-
lecer a ordem legalmente. A' ultima data s se
sabia que essa commisso devia partir de S. Luiz
11 do mez passado, havendo dirigido d'alli o
seguate oficio ao governador interino de S.
foto.
a S. Luiz, 7 de dezembro de 18G0.A' S. Exc.
o Sr. governador interino da provincia de S.
Joo.O abaixo assignado, governador da pro-
vincia de S. Luiz, commissionado pelo Exm. go-
verno nacional para restabelecer a ordem da pro-
vincia de S. Joo, alterada pelos successos occor-
riJos 16 do mez passado, ten a salisfacao de
dirigir S. Exc. o Sr. governador interino o pre-
sento oflicio, acompanhando-o para scu conheci-
neato de urna copia authentica do decreto de 15
de nOVembro prximo pinado, do poder exocu-
tivo nacional, pelo qual foi o abaixo assignado no-
meado n'aquelle carcter.
O abaixo assignado nao duvida que o Exm.
governador interino quem se dirige se apres-
sar em asatar a resoluco do governo nacional,
reconhecendo o abaixo assignado no cargo de que
foi invesiido, afim de que possa com a brevidade
possivel tomar as medidas que a situacao acoose-
llio, suspendendo enlretanto S. Exc. todo o pro-
cedlnento que possa alterar o actual estado de
cousas em S. Joo, relativanente sua origina-
rio interior.
Dos guarde S. Exc.Juan SaaJos
Manoel de la Fuente.
A desinlelligencia entre o governidor de Cor-
rientes eo governo nacional parece ter chegado a
sen termo. O nrosidente da repblica, como j
noticiamos, insistir pela execoco Jo decreto
que ordena a eleicao do denotados e senadores
ao congresso, em substituigo dos quo nao se
acham as condices requeridas pela conslituicao
reformada. O governador de Corrientes, o Sr. Dr.
Rolon, afim de evitar ura conflicto, renunciou ao
seu posto, motivando a sua renuncia na ordem
do governo geral.
Corria em Buenos-Ayres que a provincia de Ca-
tamarca resista igualmente cxecoc,o d'aquelle
decreto. O Nacional, porm, desmenle esse
boato.
O governador de Santa F. o Sr. coronel Fra-
ga, pretextando molestia, pedir domissao do scu
cargo, sendo substituido pelo Sr. Pascual Rosas.
A Tribuna, porm, attribue essa demlssao for-
te opposico que o ex-gorernador soffria da im-
prensa da provincia.
Acabava de ser reintegrado no posto de gover-
nador de Santiago o Sr. Alcosta, destituido ha
tenpos por una revolnc&o que obrigra-o reli-
rar-ie para Tucoman, ende estar ltimamente
(Ora aceita Sao essas as noticias mais importan-
tes da Repblica Argentina.
OSo igualmente as folbas de Buenos-Ayres o-
tlcias ue Montevideo at 26 do mes passado.
Occupava a attenco publica priso repen-
tina de dos subditas franceass, auectuada no dia
24 do mez passado Ss 10 horas da rnanhaa.
A Prensa Oriental, segundo retare a Trilruna,
attribue essa priso descoberta, feita pela poli-
ca, de que esses individuos se ocenpavam de
falsificar vales do banco Mau & C. d'aquella ci-
dade.
Haviamsido eleitos para compdr a junta eco-
nmica administrativa os seguintes senhores :
Titulares.D. Carlos -olvanach can 555 vo-
to?, D. Benito Lombardioi 517. D. Pedro Gonz-
lez Vizcano 513, D. Julio Pereira 1C5, D. Luiz
Lerena 390. D. Nicolaz Zoa Fsrnaodez 333, D.
Justo Diogo Gonzlez 330, D. Jacintos Vargas 335
e D. Thonaz Sartori 320.
Supplentes.. Baldonero Taladrz com 543
votos, D. Francisco Taraba! 540, D. Francisco G,
Cortinas 510, D. Bazilio Alcozla 539, Pedro
Antonio Gomes 537, D Jos Antonio Pallares
529, Flix Bujareo 376, D. Manoel Cifuantes
340, D. Migo al Cesar 340.
Corria quo o governo oriental hsvia recebido
urna nota cullectiva dos Srs. general Urquiza, ge-
neral Mitre e Dr- Derqui, c*nvidando-o a mudar
a marcha de sua poltica.
Essa voz era espalhada pelo Pueblo, e releva
notar que as folhas otuciaes de Buonas-Ayres
que esi3o as confidencia do general Mitre,
transcrevera essa noticia, deixando entrever que
verdadeira.
O que lemos, porm, nao langa luz alguma
sobre o sentido que desejam os signatarios da no-
ta circular imprimir poltica oriental.
Do Paraguay as noticias vo al 15 do mez
passado : nada encontramos as folhas digno de
mcoo.
Baria em Buenos-Ayres noticias do Chili at
o 1." de dezembro do Balivia ale 15, e da Confe-
derarlo Granadina e F.quador at 5.
Eis o quo refere a Tribuno, transcripto do Mer
cario de Valparaso :
Chile.Na canpanha do sul havia tldo lugar
um encontr cora os Indios, perdendo estes 5
morios o 2 prisioneiros.
Tinha apparecido um novo peridico intitulado
La Discutsion.
Bolivia.-t-Os soldados peruanos prisioneiros,
que se acharan), na Paz tinham sido soltos.
O coronel^Agostinho Moraes havia sorprendido
em Darapiri as forjas revolucionarias capitanea-
das pelo general Martines, compostas de 250 ho-
mens e de indios barbaros, que escaparam-se
quasi lodos as selvas de Oran.
Havia chegado a Potos o nuncio apostlico de
Sua Sanlidade junto aos governos de Boltvia,
Per e Chile, o Sr. Dr. Jos J. Vctor Eizaguirre.
A 3 de dezembro na cidade da Paz, s 8 ho-
ras e 5 minutos di noite, vio-so um meteoro
extraordinario que illuminou vivamente unta
parte do co, langaudo um claro roteado sobre
os Andes. A noite estava escura e tempestuosa ;
esse phenomeno desappareceu s 8 horas e 50
minutos.
Confedtracao ranadina. Haviam chegado
capital_ quindenios prisioneiros dos tomados ora
Oratorio e Santander, recebendo indulto os de
sargento para baixo, con a cndilo de servirem
no exercito.
Salgar e Pradilha ainda aiuda nao tinham sido
sentenciados.
O exercito do general Herran achava-se em
Bojot.
A 28 de agosto tinha tido lugar um combate
em Manizales entre as forcas de Masquero e as
de Bno, no qual o primeiro foi batido.
Esse tacto troute a abertura de proposicoos
de pz.
Equador. Dizia-se que Flres nSo quera a
guerra como Per, mas que a abrira se fosse
hostilisado.
No norte do Per nao havia novidade.
Tinha tido lugar em Copiac um trenor do tr-
ra violento, mas passageiro.
O estado das minas de cobre de Coquimbo era
lisongeiro.
Tomos dalas de S. Paulo at 2, e de Santos at
3 do corrate.
O processo eleitoral tinha corrido com placi-
dez en ambas as cidades.
Como so i-i Ja carta que deixamos transcripta,
houve na villa da Caeapava, que faz parle do 2
districlo eleitoral, urna scena sanguinolenta no
dia 29 do passado, vespera da eleigo. A pre-
sidencia tomou immedatamente providencias,
enviando para all urna forja a disposiejio do juiz
de direito, o constava que o chefe de polica da
provincia ira tomar conhecimento dos fados.
menos houre.se qu.,r discusso Teamente. ZSS&* *^&^^;^
L-se em urna carta do Araraquara, transcrip-
ta no Cerreio Paulislano de 25 do passado :
Na freguezia dos Lengos, rrtinicipio de Bo-
tucat, achavan-so Antonio da Silva e Raphael
Brrelo defronte barra do Jacar Pepira hien-
do roras, qumJo no dia 7 de novenbro foron
atacados por urna partida de indios, ficanJo
aquello traspassado por iros flechas a esto por
una. Antonio da Silva recebendo duas as cos-
tas que vararam a bocea do estomago, o ma no
lrgalo do braco esquerdo, all mesmo na roja
succarabio, depois do ter soffrido horriveis tor-
turas I Raphaei Brrelo, tendo recebido tambem
urna as costas, quo varou no peito esquerdo,
pddo coratudo procurar seu rancho ; e ao che-
gar, sus mulher, vendo ainda um selvagcm que
o persegua, gritoa que corrosse aprassaSo.
O indio oovindo respondeu : Eu tambera l
ri pra voc. Vendo a infeliz quo tambem se-
ria victima do canibalismo, lancou mo de ama
arma Je fogo e disparou contra elle ; e com iste
o indio fugio e tamben seus companheitos. Ella
escapou felizmente com seu marido, que so acha
alm do rio Tiet, na casa desea pai Januario da
Silva Bueno, Inda com da, porm prestes a
succurabir. v v
Acreditamos, pelo que se nos referi. tm
neste morticinio tambera anda o dedo do algum
civilisado, para vergonha do nosso paiz. Eis o
facto do qual deduzo esta suspeita : as victimas
cima referidas eran consideradas intrusos de
ura Sr. Cunha Bastos ; eran por conseguinte
seus inimigos. Deu-se o facto do ataque dos sel-
vagens. Logo depois appareeeu um filho de
Cunha Bastos tratando com Raphael Brrelo ou
cora o seu pTi acerca 4* trras que olles lavra-
vam, e nao se podendo conchavar, respoodeu o
filho do tal Cunha:Pois ben, os bugres aindi
andam por ahi I
Ha do notavel anda que os selvagens esta-
van todos vestidos de algodaozinho, e o encas-
teado de suas flexas era de barbante o nao de
in.b ou ticum, do que geralnento usan todos
os nossos indios.
0 que devemos suppor de tudo isto? Que
houve intervengo de gente civiiiada, porm que
peior do que a gente selvagen porque ao ne-
nos esta nao ataca os seus, aquellos que sao do
sua tribu.
Eis um desmentido solemne nosso civili-
saco. Ns retrogradamos em vez de progredlr.
O que nao dir o estrangeiro quando souber que
o brasileiro se ano ao setvagem de suas matas
para estrangular seus irmos por am pedaco de
Ierra I
Desojaramos qne fosso isto falso, por que
muito nos pesa sobre a alma ; porm o pro-
prio pai e sogr* das victimas, que, suesumbindo
com o peso de lamanha desgraca, nos veio refe-
rir o triste acontecimento. A dor esta estampa-
da en saa fronte, a rerdade Iransluz em suas pa-
tarras >
Essa galera era inteiranenle ignorada.
Procedeu-se no dia 30 do passado organisaco
das mezas paroohiaes para a icio de eleilores
desta<3piui. Verificado este acto pamou-a ao
recebinento das cdulas, trabalho, que concluio-
se j en quasi todas as freguezias, sabendo-se
igual mete o resultado da apuracao relativa i al-
gunas. A eleicao da capital que por ora 6 co-
nhecida, ton corrido regularmente, e sen distur-
bio notavel.
O Exn, Sr. presidente da provincia, atten leudo
ao que Ihe representara o illuslricsimo cabido,
aulonsou ao Rvn. Sr. vigario capitular, conego
Rodrigo Ignacio do Souca Menezes, a dispender
com o funeral do Exm marquez de Santa Cruz a
quantia de tres a quairo contos de tis. Estas
exequias davem ter lugar no dia 2S do corrento e
carai todas as honras devidas alta gerarchia da-
quello sabio e virtuoso marquez.
Falleceu na noite do 30 do prximo passado a
Exma. Sra. D. Maa Joaquina Epiphania de S. Jo-
s e Arago, viuva do capitao-mr Antonio Joa-
quim Pires de Carraiho e Albuquerque. Era da-
ma do paco, graca. que Ihe concodeu o Sr. D.
Pedro I quando vislou esta provincia, em alten-
cao aos seus sorvigos em prol da independencia.
Prestou-se i causa publica sempre que havia
occasiao, como ltimamente (azendo cesso, de
trras para a estrada d* Pleve, em Santo .maro,
e franqueando suas maltas para lirarcm-se as
raadeiras precizas para morada dos enpregados
dessa estrada.
Era a ultina irna dos riscondes da Torre, Pi-
ra j e ha rao de Jaguaripe.
Tinha 73 annos de idade : sepultou-se no dia
31 no ceniterio do Campo Santo.
A eleicSo na villa de Alagoinhas correu regu-
lar e pacificamente, tendo cala um dos partidos
feito 27 eleitores. Ambos os lados, porra, vo-
lam nos mesmos candidatos assembla geral.
O procedimento do Sr. alteres da Ia linha Rai-
mundo de Almeida Sampaio foi digno do elogios.
Desappareceu hoje o livro das actas da eleicao
primaria da freguezia do Santo Antonio. A mesa
consultou o Exm. Sr. presidente da provincia,
que, consta-nos, mandou couliouar o processo
eleitoraluma ro que a urna eslava* Intacta, e
perfeitos os cdernos de apuracao, e as notas das
duas acUs (di installaco e recebimenlo das ce-
dulas] e existentes em minuta.
Tem chovido abundantemente nesta cidade, e
seus suburbios, e bem assim no reconcavo e ser-
ijo do norte, de onde tivemos hoje noticia. E'
nm* fortuna para a provincia, e damos os para-
beos aos lavradores.
8
Por pessoas vindas hontemde Cachoeira e Ma-
rogogipe, soubemos que nesta ultima cidade lem
chavido abundantemente e que naquella a s-
chente chega j at a praca.
9
As ultimas noticias de Lences, que alcntara
2 do correte, do cono nulto ngiiaja a villa,
e cono provavel qua nao se concluisse en paz a
eleicao, pois que havia grande numero de honens
armados, e a exsliago era grande.
I.e-se no Industrial de Nazarelh :
Procedeu-se eleicao no domingo 30 na ma-
triz desti cidade, sendo a mesa presidida pelo
juiz de paz mais votado o capilao Manoel Joaquim
Correa e Souza, sendo raesarios os Srs. Cidreira,
Leile, padre Valladares e Folisberto Jnior.
Felizmente nada tivemos a lamentar quanto ao
regular andamento da eleicao, porque ella correu
placidae sem a menor alteraco, grabas ao boca
genio do povo desta cidade, que sabe bellamen-
te comprehender a molhor prerogativa dos nos-
sos direitos, outorgados pela cousiiiuigo do im-
perio.
Na terga-teira effectuou-se a 3a chimada, fo-
ram alinal contadas as cdulas havendo-se reco-
Ihido o numero de 782 : hontem se deu comego
apuracao.
Da Lge, tivemos at a data era que escreve-
mos, noticias que nos agradaran), porque a elei-
cao se est procedendo sem desorden!.
Em Santo Amaro de Jess nada tem havido de
extraordinario, e estamos convencidos que a elei-
co se concluir em paz.
De Aldeia, porm, vicram hoatem trislissimas
noticias, tendo all havidu segundo se dizm
grande molim dent da igreja matriz, sahindo
feridos nao s o juiz de paz major Lucia Vale-
riano dos Santos como cerca de setenta cida-
daos 11
A desordem durou uma hora seguramente, e o
povo circundou a urna e salvou-a 1
S depois de bem informados, narraremos to-
da essa desordem, que proneltenos fazer, sen
que jamis sejanos levados do espirito de par-
cialidade I
Na altura en que se acha ccjlocado un orgo
qualquer da opinio publica, elle janais deixar
de dizer a verdado para nao desmerecer do ver-
dadairo conceito en que deve ser ti Jo pelo povoi
Entrnenles, havenos tudo relatar por menor,
para que assim fique condennado ante o paizo
motor de tantos sotTriraenlos.
A eleicao de Aldeia 1Conforme o protesto uo
ultimo numero de nossa folha, vamos relatar o
que ouvimos acerca do raotm havido n* igreja
matriz de Sant'Anna de Aldeia no dia 2 do cor-
rente, por occasiao do reoebiraenio das cdalas
na segunda chamada.
Devemos porm tomarmos uma digresso, pa-
ra moslrarmos, quo oequetla eleicao se devia es-
perar ressentimentos de lado lado dos partidos.
No domingo o mesario Sr. Dr. Gomes motivou
ura requerimento, pedindo que fosse o livro das
actas lacrado sobre a urna, e nao guardado no co-
fre como pretenda o juiz de paz.
Nesta questao foi elle voncido pela maioria da
mesa : no da seguinte tornou elle sobre ella ; e
ento, intervindo o delegado Jos Pires Falco
Brandao por laso que ".nha sido lie noraeado pe-
lo Exm presidente da provincia, para assiatir a
eleicao, Ihe declareu o presideulo da meza, que
elle nao poda decidir acto algum da mesa, por
isso que o art. 14 das instruccoes de 22 de agos-
to do anno prximo (indo, que baixoo por execu-
co do decreto 1082 de 18do mesmo mez e anno
Ihe prohiba.
Resolveu ento a mesa tomar dessa questao es-
chrecimenlos do Sr. Dr. juiz de direito, ao qua
ella respondeuc que bem Unha decidido a mesa
competindo ao mesario ou e qualquer cidadao
protestar, e nunca protelar a conlinuaco dos tra-
balhos da eleicao.
Na terca-feirs, pois, votaran alguns quartei-
roes, e na quarla j tendo volado o quarleires
mais prximos a freguezia e da gente mais co-
nhecids, tratava-sc na chamada dos cidadaos do
centro ; era occasiao cortamente das duvidaa por
que ninguera ignora da maneira porque se fazem
as qoalillca;5cs, irocando-so nones, alterndo-
se as idades, e dando-so ao individuo o estado
que querem as pessoas incumbidas da qualiflca-
cao, devido isto ao delcixo dos inspectores de
quarteires, e do pouco zelo tambem de alguns
juizes de paz.
Foi chamado para rolar Jeo Damasceno, e
vindo o mesmo cidadao conhecido por alguns da
mesa, foi elle impugnado pelo Sr. Malta duendo
qne esso cidadao era um invisivel ; porn a
maioria da mesa estando convencida da ideotida-
de do votante, ordenou que elle lancasse aa urna
o sea roto.
Pretendendo o rotante isto fazer, Ihe foi obs-
tado pelo referido mesario pondo a mo sobre a
urna, protestando nao poder velar o volante, a
esse acto, o grito de alarma foi dado I
Entcio do coro da igreja o da capella-mr fo-
tdadoa atl
conlinuou,
sanranente.
M occasiao dme eeeAteto as Uride J* a as
dea* msanos desatracaran, por** os parti-
darios estarn no seu maior auge do excesso.
Ficando, pnii, cnrnn <>mni- urna na baixa
tgrej sob a rigilmcta dos dous polmjrs e
nais pessoas a quen o artigo 61 da lei regula-
menlar das eleicoes incumba a vigilancia dalla
O povo correu, o ento, Foi o cio da ponte
3ue darn oai berrirel cacelada en Francisco
e tal, que segundo fomos infamados, cahio elle
da_ ponte baixo. presenciando isso o capitao
Joo Jos da Silva, conhecido por todos nesli ci-
dade.
Tambem ficou bem maltratado Caraldo de tal,
porm dizem que nao corre risco de vida.
Restabolecida a orden, officiou o juiz de pai
ao vigario da fregueiia, para que fesse aberta a
raalriz, visto como, na retirada do povo foi ella
fechad) ; recusou-so o vigario a isso. dizendo
quo a igreja se achava interdicta ; ento, foi por
unajaoella que se achava aberta que ttveram in-
gresso, e abrirm a matriz, sendo a urna para el-
la conduzida pelos mesmos guardas, e mais cida-
daos, sem que todava fosse violada, collocando-
se a mesma no lugar competente ; o cono fal-
tassen os dous nenbros da nesa, officiou-lhes o
juiz do paz presidente, para a conlinuaco dos
trabalhos; e porque nao coroparecessen, foran
nomeados outros, que conposta a nesa, conli-
nuoo ella an seus trabalhos.
Emflm foi grande a desordem e o conflicto, e
quando se zbrio a igreja achou-ae ella toda cheia
de sangue, havendo mais o horroroso sacrilegio
de encontrar as imagens da matriz no seguinte
estado :A cabeca do Senhor dos Martyrios que-
brada, e o braco do Senhor Menino tambem :
uma imagen do Santo Chrislo tola quebrada e
bem assin as vidragas do altar de Santa Anna.
Concorreu muito para haver maiores ferimen-
los uns pios que servem de tochas nos enterro*,
os quaes tem urnas ponas de ferro : eltes esto-
van na igreja, e foram delles que o povo ni des-
orden se servio.
Ultima hora 0 governo da provincia tendo
noticia do occorrido en Aldeia, nandou o vapor
Paraouass con 40 pracas de Iropa de linha.
Soubemos mais, que veio otficio para o Sr. Dr.
juiz de direito ir Aldeia ver o como se acharara
os negocios all.
Foi certamenle uma ptima acquisico para
esses barulhados negocios, visto que S. S. nao
tendo lado poltico, ha de necessariamenle infor-
mar ao uoverao a verdade.
10-
FEIRA DE SANTA ANNA.
Venceu o partido que apoia as candidaturas
dos Srs. Pinto Lima, Pedro Muniz e Chaves, pois
que haviam-se recolhido 633 cdulas, e dessas
mais do 400 pertenciam esse part lo.
O mesmo lado venceu nos Humildes.
A maior ordem reinou nessas rrcguezias, bem
como em todas as do municipio da Cachoeira.
CORRESPONDENCIAS DO DIARIO DE
PERNAMBUCO.
Rio de Janeiro. 6 de Janeiro
de f 8GJ.
O processo eleitoral est en pleno andamen-
to em todas as freguezias da cidade, e nao olTe-
rece incidentes por denais notavois con qua
possa oceupar a sua atlenco e a dos seus leilo-
res. Algumas parochias da corte e as nais pr-
ximas da provincia do Rio de Janeiro j termina-
ran a apuracao, e os jomaes do conla do re-
sultado da eleicao ncllas, sobre o qual por ora
rae abstenho do ditercoisa alguna, as freguezias
nais importantes desta capital, porn,continan
ainda no processo da apuracao, e s por estes
olio dia* podero da-lo por lindo.
Nao tivemos a lamentar desgraga alguma,nem
desorden de naior vulto por occasiao das elei-
coes, apenas alguns pequeos tumultos e conflic-
tos ndividuaes nesta ou naquella freguezia, ser-
virn) de variantes calina o tranquillidade com
que tudo se fez : e estes mesmos erara logo se-
renados pela presenga das autoridades, e espe-
cialmente pela do nosso chefe de polica actual,
o Dr. Speridio Pimeniel, que nestes dias mos-
trou-se digno do seu imprtante cargo. Felici-
terao-nos porlanto por este bello resultado lao
d.fferenie do que geraimente so esparava e era
temido.
A abslencao e neutralidado do governo no
pleito eleitoral foi completa e absoluta : as au-
toridades estiverara sempre e por toda a parle
vigilantes, mas sement para nauter a orden e
para garantir a lodos a seguranza pessoal e a li-
bertada do voto : o governo pois nada ten que
ver con o triumpho ou com a derrota da um ou
outro partido dos que dispulavan a eleicao, o a
sua conservafo eu retirada do poder devo ser de
todo iridependento desta resultado, ao qual elle
(oi completamente exlranho, cono era seu lavar
e como estav* era seu^programma eem suas pro-
nwsas. Honra Ihe seja feita.
Uiante desta conducta nobre e digna os seus
proprios inimigos omnudeeerim e licaram cor-
ridos ; mas talvez nao llio den toda o valor e
gratido que ella nerece, porque sao pertinaz*!
o incorrigiveis, sen so lembrarem que a isto de-
ve ram os melhores elementos de algn triumpho
que alcanzaran ; porquanto o povo, pouco acos-
lumado a ver neslas pocas criticas um to leal
procedimento, iulerpreleu como favor o facto da
uo iatervenco, e foi-se prestando s allicia^oes
e ao soborno'que os opposicionistas escolheram
como as suas melhores armas eleitoraes, no que
nao se engaaran.
Passou como regra que a estes como inimigos
declarados do governo era licito exercer o era-
pregar todos os meios de sedoccao e de soborno,
desde a mentira e a calumia at a compra do
voto a dinheiro do contado e publicamente : e
que aquellos que so diziam amigos do governo
era tudo rigorosamente vedado, (cando aos con-
trarios o recurso ao tumulto e desordem, do
qual frequentemenle usavan, desdo que suspei-
laram que os outros lentavam alguma cousa no
mesmo sentido para neutralisar os seus manejos
empregados contra os votantes : j v que isto
constitua urna situacao perigosa, que obrigava os
conservadores a sacrificar ludo o seu amor e
principios de ordem, ainda mesmo que se expo-
zessera a uma derrota.
Compreheodi, portanto, quo os opposicionistas
e desordeiros tiveram tudo por si, e poderam
ulilisar em seu favor os seus proprios recursos e
os dos seus contrarios, o que todava espero que
lhes nao ha de valer da muito, porque a Provi-
dencia nao ha de pcrmetllr que este bello paiz,
que tanto precisa ser governado, e mesmo orga-
nisado ainda, seja posto nerc desses homens
que tudo desgovernan e ludo perdem.
O procedimento do governo duroDe a eloi^Ao
tem sido geraimente applaudido, como Ihe digo,
e eu mesmo estou bem longe de censurar-lo por
elle; mas sempre me parece lgico que um go-
verno que tem inimigos, e inimigos to declara-
dos e iraplacareis, precisa tambara ter amigos, e
amigos dedicados ; e a dedicacao nao se inspira
nem se mantera com uma nsolralidade to abso-
luta e inviolavel, como agora a tivemos, Bem
sei quo o governo un poder e nao un partido:
as um poder que pode ser atacado, e que etlVc-
tivanenle o ten necessidade de defender-so,
e nao pode dar armas contra si sob pena de sui-
cidar-se, e de arrestar consigo os seus melhores
amigos.
Isto nao passa de uma theoria minha, to ex-
quisita como as oulras de quo j Ihe tenho man-
dado algumas amostras. E por osla vez nao
posso ser mais extenso, porque estou oceupado
na mesa eleitoral da minha freguezia, e bem v
que o patriotismo a soberana nacional esli
cima do ludo.
Irre
repre
m fin
nal
o.
onal'l E
ie i
mfr
OS I
aHo
fazer a
*4uei
moa* il lilla, q
pamt rmtmitN'liL
aatftaicde, pie bm pasada Hm t
A phisiononia eleitoral desta provincia foi
por descrip> na caita tener eo oireuM o
sul predomina itconteslavelnenie a influencia
de liga4 e no do norte, dos conservadores, as
dos conservadores gorernista-s, d'aqoelles que
nao esto sujeitos influencia da Diario; este s6
venceu en Parto Clvo.
O resultado da eleicao c-xprine exactamente a
posicae, que tomn presidench ; neohura ear-
Ude ucou procripio, lados fizeraan ralar aeua
recursos, hvrea quinto possivel em nosso sys-
tema, da influencia official, e cada n obten o
qae justa cligilimanente poda obter; esta
que a rerdade na e cra, e tude que nSo fer
isto nao passa de puras inveucfa* capricho de
cada un.
Hoje aepullou-so o vico:ensil inabsz vic-
ua de febre anarella, da qirai dizem que vo
appsrecendo alguns casos.
Muita chuva ten cabido nestes ltimos
dias.
O chefe de polica ainda se acha em Porto
de Pedras.
Nada nais por hoje.
OUR10 DE PERHAIUBUCO.
O vapor brasileiro Tocanline, entrado dospor-
los do sul, trouxe-nos jornaes e cartas do Kio at
7, da Bahia at \>, e de Alagoas st 14 do cor-
rele.
Sob i rubrica Interior achan-se todas as noti-
cias occorridas nessas localidades.
PERNAMBUCO.
ALAGOAS
Uaceio, 12 de Janeiro.
O objecto, que ainda preoocupa a attenco pu-
blica eleicao ; a qual, aegundo as noticias re-
cebadas, cha-se lerniuaua em quasi todas as
parochias com a paz desejarel.
S nao temos noticias de haver-se concluido
en Pao de Assucar, Imperatrtx, Camaragibe e
Porto da Pedras ; ende, enlraiaau, conforme as
uliimasjnolicas.corriam ascousaas placiaaneote.
Nesta cidade esta-se aa apuracao.
Tudo corra em paz I Foi uma grande felici-
dad avista da agilagao que reinara nos espiri-1
REVISTA DIARIA.
O egosmo o peior dos conselhetros, quando
deixando as raas do louvavel amor de si, cahe
na vereda tortuosa que s conduz a individuali-
dade sem correlaco alguma mais.
O egosmo assim mauifestando-se, permlttc-se
cousas que nao poden deizar de ser reparadas
pelo estraoho ; o qual tambem averba-as de in-
convenientes com toda a preciso.
O egosmo assim quer pretenciosamente para
si o que para outro nao admitle, e nem poda
supportar sera tocar i rebato.
O egoisno assim, finalmente, tudodesconhece,
tudo posterga, quando nao lisongeado, quando
ana idea que Ihe convida, occorreu a outro e
por este foi enitlida.
E assin nao admira, nem to pouco espanta,
como querem alguns, que homens que deve-
riam conhecer toda a escala do misler do joroa-
Ifemo, osleniem una ignorancia estudada, estra-
iihaudo e anda naia censurando a esrao a traas-
cripcao desle ou daquelle artigo, que oceupa-se
nais ou menos favoravelmente da cansa de S. S.
na lata que ora se debate ua Italia.
Como quer que seja, porm, qual o dever do
jornalista as questoes momentosas, que se agi-
tara eficcliva se nao diariamente no mundo po-
ltico ou social ?
Eipd-las sem duvida alguma com toda a cla-
reza, com toda a imparcialidade; mas onde exis-
ten) estas quando se nao noticia o pro e o contra
que resultara immedistamcnte dessas quesioes.'
Isto todava nao repugna com uma opinio
propria, que lenha,que manifest o jornalista,pela
qual gmente elle responsavel; pois que o
mais acha-se implcito no dominio do noticiario,
sera implicar acquicscencia do jornalista.
Sob taes principios lem-se couduzido este Dia-
rio em sua longa vida, o sempre continuara a
obtempera-loscomo verdaderamente racionaes
e cooseutaneos com a natureza do jornalismo,
que antes do despeito e de uma inveja pueril,
que nao podem supportar o espectculo de uma
marcha regular, ou aquello de uma lembraoca
feliz e conscienciosa partida de oatro, tem de
cumprirsua misso cirilisadora ; sua nisso de
astillar nos espirilos elementos de moralidade,
e nao de plantar nos nimos gerraens de rivali-
dades, cujas dimenses nivelara.-se pelas lilipu-
tianas.
Segu hoje para o norte o Dr. Francisco
Luiz Correa do Andrade, que va tomar conta do
lugar de juz municipal e de orphos dos termos
reunidos Ja.MjionJade, Apodi e Porto Alegre.
A nomeacao do referido Dr. uma excellenle
sequisicao, cora a quadevem Qcar sstisfeilos os
habitantes daqnelles termos; pois que nelle en-
conlraro un juiz integre um espirito Ilustra-
do, como o deraonslrou j na judicatura policial
nesta cidade, ji na tribuna forense desta comar-
ca, j finlmetite em associaeoes litterarias desta
capital.
Desejamos-lhe prospera viagem.
O vapor do sul trouxe-nos a infausta noti-
ticia do fallecimenlo do nosso metropolitano, o
Exm. arcebispo da Baha marquez da Santa Cruz.
Com a idade de 77 annos, renden o Exm. e
Rvm. Sr. D. Romualdo Antonio de Seixas a al-
ma ao Creador, deixando um vacuo impondera-
vel na igreja de que era primaz, e que cobre-so
de um luto devidamente justo ; por que as virtu-
des e a sciencia do Ilustro finado nao sao facis
da substituir na cadeira archiepiscopal.
Foi reconduzido no lugar de juiz municipal
e de orphaos do termo do Brejo o Dr. Hisbello
Florentino Correa do Mello.
Temos noticias de Paje, que chegam i 3
do corrente.
Ha chovido com alguma frequencia all, de
modo que no dia 1 o rio achsva-se com am ro-
lurae d'agoa, que nao permittia vadea-lo.
O processo eleitoral correu plcidamente na
comarca, nao tendo a ello concomio a oppo-
sico.
No tribunal do jury de Ingazeira foi absolvido
o capitao Domingos lves, do crine de raorte,
que falsamente Ihe era imputado.
Nao havia all ainda noticia alguma da comar-
ca da Boa-Vista com relac.o negocios elei-
toraes.
Tendo-se concluido a eleicao da parochia
de Barreiros, deu o resultado seguinte :
Dr. l.oureoco Avellino de Albuquerque
Mello................................... 726
Capitao Joo Carlos de Mendonc.a Vascon-
celos................................... 725
Rvd. vigario Joo Baplista Soares........ 723
Dr. Sebaslio Antonio Accioli............. 72(1
Dr. Felisbino de MendonQa Vasconcellos.. 711
Teaente-coronelThomaz Alves llacel.... 710
Capitao Joaqun Cavaicaoii do Albuquer-
queMello............................... 708
Capitao Antonio da Rocha Hollando Carel-
"n.................................... 703
Capitao Francisco Cavalcauli Albuquerque
Mello.................................... 702
Caplto Joo Gulhermo de Mello........ 701
Francisco Ferro Castello Bianco......... 700
Tenente Jos Norberto Casado Lima....... 699
Tenente Antonio dos SantosPnheiro..... *97
Tenenlo Antonio Secundo Aciiol.......... 694
Tenente Jos Carlos de Mendonc.a Vas-
concellos................................ 693
Major Ignacio Alves da Silva Santos...... C9z
Padre Joo de Franca Cmara............ 681
Padre Joaquim Xavier Porlella............ 687
AlferesJos Nicolao Bezerra.............. 686
Alteres Jos Manoel de Miranda Lima.... 6&5
Antonio Alves Texeira.................... 684
Tenentj Manoel Jos Pessoa e Mello___. 683
Jos Antonio Pessoa e Mello.............. 680
Antonio Santiago Pses do Mello..........; 67a
Francisco Alexandre Dullra.......,....... 673
Manoel Cavalcanlt Lias Valcacer....., 72
Manoel Moreira Borges Ucbda............ 71
Francisco Pereira da Costa................ 667
Joao Luiz de Barros Vascoucelles......... 6f
Manoel Francisco Ferro de Albuquerque. 665
Joaquim de Albuquerque Cavalcauli...... 659
Christovo de Hollanda Cavalcauli........ 642
Sabbado no CtypoSanto clebrou-se o R-
Deum em aeco degracas pela couclauo do pro-
cesso eleitoral da parochia de *. Fr. Pedro Gon-
Salrea.
Hontem ceocluia-se a eleicao la ehiteres
na fragaezia de Saolo-Antonio, sahiade eleitos
os Srs.:


MARIO DE
. vurtA nit niMmoiR tati.
274
274
274
274
273
273
273
273
272
272
271
271
270
270
270
26
269
Ekitrn. ,
Os Srs. f 1 Voto:
Antonio Jos da Costa Ribeiro........ 278
Antunio Augusto da Fooseea.......... 278
Adtiaano Xavier Pereira de Brito...... 278
Dr. Joo Francisco Teixeira............ *X8
Joie da Con ha Soares G i martes...... 278
Antonio Carlos Pereira de Burgos Pon-
ee de Lea.......................... 277
Luh Cesario do Reg.................. 278
Joo Francisco Bastos.................. 278
Dr. Angosto Carneiro Moateiro da Sil-
va Santos............................ 276
Caetano Pinto d Veras................ 276
Francisco Antonio de Brito............ -276
Jos Per de Brito Maeedo............ 275
Jos Francisco Carneiro............... 275
Antonio Jos Alvos Ferreira............ 275
Manoei Antonio VTegas................ 279
Joaquim Salvador Pessoa de Siqueira
Cavalcaoti.......................... 275
Florianno Correa de B'itto............
Jos de Aquino Fonseca................
Caetairo Silverio da Silva..............
Deodorio U!piano Coelho Cataaho......
Flix Francisco de S.iuza Magalhaes..
Severiano Jos de Moura..............
Dr. Pudro Antonio Cesar..............
Clatdino do Reg Lima................
L* Jos Pereira Simo*?..............
Dr. Carolioo Francisco de Lima Santos
Francisco de Ssuza Reg Monleiro___
.Iojo Baplisla do Reg................
Joaquim Uiao Aires Lima..........
Jos Antonio Pinto....................
Miguel Candido de Medeiros Pinto___
Sebastian Paos de So uta..............
Ianocencio Rodrigues de Miranda......
Paulino Jos Tacares de Lyra..........
Manoei Antonio Pereira................
Francisco Jos Correa de Qaeiroga....
Jos da Fonseca e Silva................
Lauriano Jos de Barros..............
Supplentei.
Domingos Affonso Nery Ferreira...... 187
Dr. Ignacio Nery da Fonseca.......... 186
Antonio Rangal de Torres Baadeira.. 188
Joaquim Antunio Carneiro............ 184
C'audno Beoicio Machado............ 181
Dr. Francisco de Araujo Barros........ 183
Jutoo Carneiro Machado Ros...... 181
Joaquim Francisco de Torres Gallindo 181
Sebasliio Lopes Guimares............ 181
Dr. Antonio Eparainendas no Mello.... 18 i
Jas Luiz Peroira Jnior.....,........ 180
Jesuto Ferreira da Silva............-.. 179
Dr. Ignacio Firmo Xavier.............. 178
Firmiao Jos de Olircir.............. 177
Antonio BernarJo Quinteiro.......... 177
Dr. Tristn de Alencar Araripe...... 176
Ignacio Bento de Loyolla.............. 176
Dr. Angelo Henriques da Silva........ 175
Jos Cndido de Sooza Castro........ 172
Antonio Joaquim de Mello............ 170
Agostinho Jos de Olivis............ 170
Camillo Augusto Ferreira da Silva___ 170
Jos Joaquim de Moraes Sarment.... 170
Luiz Connives Agr Jnior.......... 170
Marcolino dos Santos Pinheiro........ 169
Virgilio Jos da Molla.................. 167
Dr. M.motl Jos Do mingues Codoceira 166
Jos Firmo Xavier.................... 166
Bernardo Luiz Ferreira Cesar de Lou-
reiro .............. ................. 16g
Manoei Jos eOliveira................ 165
Joaquim Jos de Abreu Jnior........ 165
Butholomeu CueJes de Mello........ 165
Joo Luiz de Carvalho ................ 164
Joaquim da Silva Rngo................ 154
Dr. Joao Lios Civalcanli de Albu-
querque.............................. 183
Augusto Xavier do Souza Fooseea___ 163
Bernardiuo do Senna Barros .......... 160
Francisco Jos do Sacramento e Silva.. 159
Por portara, do ministerio da (azenda, de
29 de dezembro ultimo foi demitliio de platican-
te da thesouraria desla provincia, Faustino Jos
da Fonceca.
Por ordem do thesouro nacional toi decla-
rado, thesouraria de [azenda desta provincia,
que os despachos de imporUcio e exporlaco
nao estao sujeitos sello, por seren documentos
que pertencem ao expediente da alfmdega, e que,
vi*ta do arl. 703 do regolamento de 19 de de-
zembro de 1860, nao sao obrigados essa laxa.
Temos cartas de Tacaral, que nos dizem
que aseleicoes dejuizes de paz e vereadores con-
cluir m-se ali em perf.ta paz c traoquillidade,
assira como o foram as do eleitores.
Baplisados da freguezia de S. Antonio do
Recite, do 1." a 12 do correte mez e anno.
Jmlina, parda, escrava de Joaquim Rodrigues
lavares de Moli.
Tranquilino, pardo, filho natural de Emilia Isa-
bel Nunes.
Francisca, crioula, filha natural de JoannaTibur-
cia de Carvalho.
Maxirailla, branca, filha legitima de Manoei Das
da Cruz e Emilia Clara da Silva Forgos.
rsula, branca, (lina legilima de Manoei Gomes
Ifoirejles e rsula Eulalia Mara de Souza.
Ambrozio, pardo, escravo de Jos Pitanburlh.
Antonio, pardo, filho natural de Jwepha Maria
do Espirito Santo.
Alfredo, branco, lho legitimo de Antonio Bezer-
r.i de Menezcs Lira e Francolina Nery dos
Santos.
Augusta, branca, tilha legitima de Jos Joaquim
dos Reis e Augusta Carolina.
Um filho legitimo de Antonio Luiz dos Santos.
Casamento :
Augusto Cesar da Cunha com Maria Carolina Tor-
res Bandeira.
O vapor brasileiro Tocanlins, vinlo do Rio
de Janeiro, trouxe a seu bordo os seguintes pas-
sageiros: Antonio Martiniano Lepenberg, Manoei
Maria da Silva Costa, Jos Jorge, Constantino de
P. A. Mello, Antonio Moreira Reis, Jos Maria
Ramos Gorjao, Rodolpho Lourenser, Marcelino
Antonio Pinlo, Thom da Franca, sua mulher e
2 filho?, Arcolto J. P. de Albuquerquc o 1 cria-
do, Joaquim Francisco Lopes Anjo, Francisco B.
Almeida Guedes, Caetano Lopes Paz, Jos P. Bi-
tancourl, sua senhora e 2 filhos, Jos Pedro Reg
Barros, Jos Manoei da Silva, Antonio Viconte
Ferreira Franca, Joaquim Rodrigues, Bernardino
Candido de Araujo, Joaquim Manoei da Suva c
S, Julio Pompeo de Barros Lima, Ignacio Fabri-
cio de Azevedo, Manool de Mallos Peixoto Lima,
Francisco Ignacio Accioli, Francisco de Azevedo
V'illarouco, Joo Francisco de Carvalho, Olegario
de Carvalho Keiva, Jos Dias, Gervasio de Oli-
veira Coelho, Roberto da Silva O. Lisboa, Manoei
Gomes de Almeida Leile, Pedro Barros Caval-
canti, Jos Alves Branco, Guilherni Baplista
Luiz Paulino A'.buquerque Cavalcanti, Jos An-
tonio de Almeida Guimares, Theodoro Rodri-
gues do Castro. Manoei Casimiro Lucio da Silva,
Domingos da Silva Torres. Maria Pastora da Con-
ceico, Jos Antonio Baha da Cunha, a escrava
Theodora e 3 soldados do exercito.
S-'Ruem para o norte :
Domingos Jos de Azevedo, Manoei Lopes Pe-
cegueiro, Antonio Gregorio Pinto, Antonio Joa-
quim de Aodrade, Manool Bezerra Lima, sua se-
nhora e 2 llhos, Sebastio Raymundo Esertou,
Honorio Clementino Martins, Benjamim Rodri-
gues Baplisla, Francisco P. M. de Albuqeerque,
Vicente Ferreira doOliveira, Antonio Jos Silva,
Ricardo Creenhat, sua senbora e 1 ftlho, Agosti-
nho Nunes de Souza. Francisco Antonio da Cos-
ta, Jo3o F. C. Estrella, sua senhora o 1 lho,
Joao Nunes Sarment, Antonio Riphael Floguel,
Joaquim Manoei de Medeiros, 3 sollados el ex-
praca.
A barca brasil-ira Atrevida, entrada de Fer-
nando pelo Ass, trouxe a seu bordo os seguin-
tes passageiros : Joao Goncalves Pereira e urna
escrava.
MATABOURO PUBLICO :
Mataram-se no dia 12 do correte para o con-
ommo desta eidade 88 rezes.
No dia 13, 82.
- No dia 14, 85.
No dia 15, 71.
HORTALIDABE DO DA 15.
Francisco Manoei do Rosario, preto. solteiro, 50
aoaos ; entente.
Hygino, pardo, 1 anno; enterile.
Marra, parda, 1 anno; convulses.
sua pessoa, e que, sio o salvo *aehjn nesta.ei-
dade, tendo ton saga id o concluir aa eteiedes de
Aguas-Belfos, mediante um aecordo de ambos
os lados dissidentes. E' verdade que o Sr. pro -
essor Liberato o chefe de urna das parcialida-
des polticas d'aquella localidade, a que a outra
dirigida pelo Dr. Rodrigo Castor de Albuquer-
que Maraoho, ambos conservadores ; mas con-
vm notar que o conflicto de que tarto ae tem
fallado e que infelizmente fura narrado tao ine-
xactamente pelas ful has publicas, nem parti
delle e dos aeus numerosos amigos, nem se pode
capitular como provocaeo de qualquer delles.
Ha um aanaa em Aguas-Bellas que, em
cousequencia de rancorosas e mu velhaa in-
trigas foi movido a exercer urna mesquioha vin-
gaoca sobre o Sr. Liberato, cuja influencia e po-
pularidade elle nao pode ver sem desagrado ; e
aproveitando-se da quadra das eleicdes, intenlou
prem pratica o mais cruel de lodos os vanos
. para ioutilisar ao seu adversarlo. Dm. grupo de
275 deaordeiros pretendeu assassinar o Sr. Liberato,
mas em auxilio do mesmo appareceo o Sr. Fran-
cisco Alves Machado com alguna indios. Entao
travou-se urna lula rnuito reohida enfre esses e
a gente do Sr. Liberato, resultando d'ahi 10 mor-
ios, das quaes duas foram casuaes. O Sr. Libe-
rata consegua escapar illeso, e aqui se acha
entre nos, restituido aos seus amigos, para os
quaes a noticia de sua morte havia sido um rro-
273 tivo-de protunda magua e um dos mais fataes
273 acontocimootoa. Urna voz que se levantara por
273 i occasio da lucta proclamandornorreu o pro-
272 fessoresieadeu-se repentinamenle como um
fio elctrico, e dentro em pouco os interessados
em propalar essa noticia funesta eserevaratn pa-
ra todos os pontos, dando como verdica aqueila
morte. Emfim procedeu-se a eleicio por con-
cordata de ambos os lados, sendo mediador dessa
convenci o Sr. Lourenco Barbosa da Silva, que
em ambos os lados geralmeote estimado por
suas quaiidades e que se honra com a amisade
do professor.
Eis o que houve. O Cacto passou-se deste mo-
do e muito nos apraz ver que um sentimeoto de
geral salisfacao & ha manifestado com a certeza
de baver escpalo com vida o Sr. Liberato, sen-
timeoto este to profundo quanto o havia sido a
dor produzida pela fatal noticia de sua morte ; e
que tem sido partilbado por todos os seas ami
gos, por todos os seus condecidos, pela provin-
cia em peso. Congratulamos-nos com o Sr. Li-
berato por esto motivo, e esperemos que Dos o
preservar sempre da cobra dos seus inimigos.
COMMERCIO.
CAIXA. FILIAL
DO
BANCO DO BRASIL
EM 15 DE JANEIRO DE 1861.
A caixa descoata letras a 10 "/, toma saques
sobre a praca do Rio de Janeiro, e recebe di-
nheiro ao premio de 8 %
novoTanco
PEAXA^IBUCO.
EM 15 DE JANEIRO DE 1861.
O banco descorita na presente semana a 10 /0
ao anno at o prazo de 4 mezes e a 12 / at o
do 6 meaos, a taina dinheiro em cenias eorrentes
simples ou com juros pelo premio e prazo que se
convencionar.
Alfandega,
Rendimento do dia 2 a 14. .
dem do dia 15.....,
- 123 643414
. 14:420^455
138.0813869
Movi me uto da alfandega.
Volumes entrados com Tazendas..

Volnmes

com gneros..
sahidos com fazendas..
com gneros..
348
------348
36
446
------482
Descarregara hoje 16de jaoeiro.
Patacho americanoNahum Stetonbacalho.
Brigue ioglezJames Slwartbacalho.
Bccebetloria de rendas internas
geraes de Pernambneo.
Rendimento do dia 2 a 14. 6:9l4a238
dem do dia 15....... 4263202
7:3703440
Consulado provincial.
Rendimento do dia 2 a 14. 32:858*345
dem do dia 15......1:825-3*33
34 683*778
RIO DE JANEIRO.
Praca, 5 de Janeiro
COTACOES OFFICIAES DA meta DOS CORRETORES.
Cambios.
Londres 26 i|2, 26 5[8, 26 3i4 d. a 90 dias.
Pars, 358 a 360 rs.
Lisboa e Porlo :
107 0(0 avista.
106 0(0 a 30 dias.
105 0[0 a 60 dias.
1040]o a 90 das.
Deocleciano Bruce,
Presidente.
A. Jos de Campos Porto,
Secretario.
EfTectuaram-se hojn saques sobre Londres na
importancia de S 170,090, na maior parle a 26
3|4 d.. o o resto a 26 1 [2 e 26 5)8 d.
Sobre Paris limitaram-se as transaeces acerca
de 300.000 aos extremos de 358 a 360 rs.
No mercado de caf nao houve movimeMo.
Buenos-A y res, ZS de dezerabro.
Cambio.
Inglalerra 66 sh.
Franga 83 frs.
Oncas339 1[2.
A alfandega rendeu hoje.......... 70:5803527
Desde o dia 2...................... 186:26b665
BAHA.
Chegou de Peros tabuco : i 22 do correla, a
sumaca Hortencia, can 10 horas de tagenu
Movinieftto do porto.
Jfct* entrad* no di* 15-
Poreos'dd Swl-6 di,y, vapor nacional TactmHnt,
commandantel" leucnte Jos Candido Duarte.
MontevntoST dias-, gera americana Taitmioa,
o> 397 toneladas. eaoitaoJ. A Sebart, equipa-
gem 13, carga 89 burros, 3 cavallos, 8 vaccas
e 8 bizerros ; a Antones Gulmorees A C.
ataranhSo-*$ dias, patacho ftrasileiro Alfredo,
A 207 toneladas, espitao Aalooio Francisco da
Rosa, equipasen, 10, carga {aona de mandio-
ca, arroz ; i Caetano C da Costa Moreira &
Irmo.
Fernando pelo Asea12 4bs, barca brasil eir
Atrevida, de 287 toeeladas, cpala Ciaudino
Jos Raposo, equipagam 12, carga al ;
ordem.|
fifavio sahido no mesmo dia.
Rio da PrataBrigue hespanhol Pirro, capilao
Pablo Gnaraiata, carga assocar.
Total........
A rocebedoria rendeu hoje........
Desde o dia 2.....................
Total........
256:8493192
18:793*2iD
25:817*736
Para o Aracaty
seguir* haeveaaente o niate nacional Sant'Anna;
para-o restante db aeti carrfgomento e passagei-
ros, trata-se com Gurgel limaos, em seu escrip-
5 VBT* d"**d** ** *eelte' *' -
f arasbca *> Porto.
tf^*^P***swlnaj*^ no>*t2>oeOTrant
le vetar barca-.Sympathiajs por ealar com-
pleto o aea carregasaento ; recebe paseaMiros,
icercadoqoe, ttata-se coi* Rallar A Oltveia.
na ra da Cadea do Recife n. 12.
Barcaca Thereza.
Sea.no com. breaidade para a Araeaty com o-
cala pelo Assu. quero nella quUer carregar.^u
ir de paasagem. dirija-se a ra da Crui do Re-
cife n. 30 !. andar, ou com o mestre da mesma
na eacadanha. ffalfendega.
44:618*976
Correspondencias,
Sapeas das fataes noticias que corrern sobre
as elevos de Aguas-Deltas, e sobra- os. aconte-
iranios que lli tiveram legar, -itos snmms-
meole agradavel assoverar que o digno profes-
sor d'aqnotla freguezia o Sr. Liberato Tiburfino
da Miranda Maoiel, que geralmeote se dava. por
morlo, e se dizia ter sido urna das victimas sa-
ifihU qutRft oceosflr, nuda soffrea emi
[Jornal do Commtrcia do Rio).
Babia, 11 de Janeiro.
AS 3 HORAS DA TARDE.
C0TAQES OFFICIAES DA JUSTA DOS CORRETORES
Assocar branco da Baha 3*000 a 3*200.
Dito mascavado 2*400 s 2*500.
Cambio sobre Londres 26 3|4.
Cuilherme Evans,
Presidente.
Joo F. Froet,
Secretario.
Cambios e melaes.
Londres 60 a 90 ds v.26 li2 a 26 3/4 d.
Pars 355 a 360 rs. o fr. i
Haraburgo 680 a 700
Lisboa > o a 115 nom.
Dobloes bespanhes31g a 31*504)
> da patria30*500 a 31JO0O
Pc?as de 6$400 velhas
de 4*000
Soberanos
Patacoes brasileiros2*000
hespanhoes21000
mexicanos1>N0 a 1*060.
[Jornaida TardeJ
non.
i.
f
B
lo mu
c
B
c
e
o
PJ
y.

Amosphtrm.
m
ft
rs
a
en
o
B
0>
=5
Z
_o_
"C9~
o
a

s
ao
09
-a
Direccao.
IntentitUdt
Fahrtnheit
S

s
te

Centirado.
-a m o oo 00 Hjfgromttr *
* S Mi ^5 5 Cis'Atna hydro-melrica.
s S S w 00 08 oo 00 S 3 Franca. Imaltz. m > g 5 8
30,08 30,03 29.99
o
es
o
w
<
>
i!
o sr
n
is
S >"
5 o
s
A note de anuaeeiros, vento variavel ate as 3
h. qae rmou para o terral e assiaa amaaheceu.
OSCILLACAO DA BltRB.
Preamar as 6 h. 30' da manha, altura 7, p.
Baixamar asO b. 42' da Urde, altura 1. p.
Observatorio do arsenal de marinha, 15 de ja-
oeiro de 1861.
ROMANO STEPPLK.
1 lente.
Deeiara^oes.
l'fcSe eaiiaad23 fmt*.
2" de 25 de S "
y de 80 de 12
hoje 16 do correle as 11 horas da manha o
armazem doAnoes, defronte da alfmdega.
Rio de Janeiro,
vai seguir em poucos dias a barca Rio de Janeiro
por ter parla de sen cartegaonenlo prorapto : pa-
ra o resto, trata-se .com Antones Guimares &
C, ae larga da AssembFs n. 19.
lo
Rio de Janeiro
O veleiro e bem coohecido brigue nacional Ve-
.-i pretende seguir com nanita brevidade, tem
parte de sen carregaaaento prompto: para o res-
to que lhe falla, escravoa a frele e psssageiros,
para os quaes tem excelleutes commodos, trata-
se com os seas consignatarios Azevedo & Vendes,
no seu escrfptofio.ra ta Cruz n. 1.
Correio-geraL
Relagao das cartas seguras vindas do sul, e das
existentes na administracio do correio desta ei-
dade, para os senhores nbaixo declarados :
Amorim & Irmos.
Actonio Alves da Fonseca.
Dr. Antonio Coellio de Si Albuquerque.
Antonio Jos da Costa Reg.
Antonio Ribeiro Pacheco de Avilla.
Domingos Carlos de Tavora Leal.
Francisco Pedro Adviocula.
Joaquim de Barros Correia de Queiroz.
Joaquim Dias da Silva Guimares.
Joaquim Jos da Fonseca.
Joo Maria Cordeiro Lima.
Jos Candida de Souza Castre.
Jos Francisco de S Leitao.
Jos Matheos Evaristo Lopes.
Lino Jos Augusto de Carvalho.
Luiz Vicente Vianna.
Dr. Manoei Attbur de Ilollanda Cavalcaoti Albu-
querque.
Manoei Buarque de Macedo.
Silvino Guilhermee Barros.
Themistocles Romao Pereira dos Santos.
Pela administrarlo do correio desta cidale
se faz puhlieo, que as malas que tem de condu-
zir o vapor Tocantins par* os portes do norte,
sero fechadas hoje as 3 horas da tarde.
Caixa iilial.
Di ordem do E\ra. presidente da cai-
xa filial do banco do Brasil nesla pro-
vincia, se faz pobiieo para conbeci-
mento dos Srs. accionistas, que o tlie-
soureiro da mesma caixa esta' autori-
sado a pagar d'ora em diante o 1 -' di-
videndo relativo ao semestre findo em
31 da dezembro p. p-. a razao de Q$
por accao de conormidade com as or-
dens receidas da caixa central.
Caixa filial em Pernambneo 15 de Ja-
neiro de 1861.O guarda livros,
Ignacio Nunes Correia.
Irmandade da Santa Casa
da Misericordia do Re-
cife.
A junta administrativa da irmandade da Santa
Casa da Misericordia do Recife, manda fazer pu-
blico que nao se tendo offectuado a arrematar;ao
do foroecimeoto do pao e bolacha de que preci-
sarem os estabelecimentos de carldade no se-
mestre de Janeiro a junho do corrente anno vai
de novo a praca dito forneciraento no dia 17 do
corrente pelas 4 horas da larde na sala de suas
sessoes no largo doParaizo n. 49, aonde podero
os concurrentes ir previamente ver as clausulas
especiaes.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife 11 de Janeiro de 1861.
O esDrivao,
Francisco Antonio Cavalcanti Cousseiro.
Conselbo administrativo.
O consalho administrativo, para tornecimento
Jo arsenal de guerra, tom de comprar os objee-
os seguintes :
Para o 2 balalhao de infantaria.
Pesos da brooze de urna oitava at meia ar-
'roba.
Para o 10a batathao de infantaria.
50 mantas de laa.
Para o hospital militar.
25 garrafas de xarope poiloral brasileiro.
Pan diQerenlej corpos.
309 esleirs de palha de carnauba.
Para provimento dos armazens do arsenal
de guerra.
500Veaada d azete de corrapa lo.
10 milheiros de prego do meia cabera.
Para o laboratorio.
6 reamas da papel earlao.
Para a officiaa da (meiroa do arsaaal de guerra.
1000 unhas de boi.
Quem quizee vender taes objectos aprsenle as
suas propostas em carta fechada na secretaria
do eooselho, as 10 horaj da manbia do dia 16 do
corrente mez.
Sala das sessoes do conselho administrativo,
para tornecimento do arsenal de guerra, 9 de
janoiro de 1861.
Bento Js Lnmenka lint.
Coronel presidente. ..
Francisco Joaquim Pereira Lobo%
Coronel vogal secretario interino.
a
COMPANHIA PERY4MBICA\\
i\avegacao coseira a vapor
O vapor cPersinonga, commandanle Moreira,
segu viagem para os porlos do sul em 21 do
crtenle mes as horas do coetume por ser do-
mingo o dia 20.
Recebe carga para Macei e partos intermedios
at o dia 19 ao meio O expediente na gerenciaser at as 3horas e
depois de fechado nada mais se admittir : es-
criptorio no Forte do Mallos n. 1.
l*ara
Rio de Janeiro,
segu em poneos das o brigue Maria Rosa,
anda admitte alguma carga, tem bons commodos
dar passageiros e escravos : trata-se com J. R.
pa Fonseca Jnior, roa do Vigario n. 23.
Para o Rio de Janeiro
O bem coohecido e veleiro brigue nacional Eu-
genia segu com brevidade tem parte de seu
car regiment a bordo : para o resto que lhe falta,
trata-se com os seus consignatarios Azevedo &
Meodes, no seu esetiptorio ra da Cruz n. 1.
Para Aracaty e Ass
segu o hiato Bous Irmaos ; para carga, trata-
se com Martins & Irmao na rus Nova n. 48, ou
com o mestre Joaquim Jos daSilveira.
Rio Grande do Sul.
O brigue Princesa ainda recebe alguma carga :
trata-se com os consignatarios Marques, Barros
C, largo do Corpo Santo n.6.
Para o Porto por Lisboa
segu impreierivelmente no da 15 do corrente a
mui conhecida barca portegneza Sympathia :
recebe ainda alguma carga a frele e passageiros ;
consignatarios Bailar & Oliveira, ra da Cadeia
do Recife n. 12.
Para a Babia
pretendo seguir com muita brevidade a sumaca
nacional Hortencia, a qual tem prompta parte
de seu carregameoto : para o resto que iho fal-
ta, trata-se com o seu consignatario Azevedo &
Mendes, no seu escritorio ra da Cruz n. 1.
MISUI&.
Para a Bahia segu em poucos dias o palha-
bote nacional Dous Amigos, tem parle de sua
carga engajada; para o resto, trata-se com seu
consignatario Francisco L. O. Azevedo. aa ra
da Madre de Deus n. 12
Leudes.
LEILAO
ESPLENDIDO
Com grande lunch.
O agenta Hyppalito da Silva autorisado pelo
Sr. Heorique Augusto Cowper, que ae retira para
forado imperio temporariamente eom Ueenca do
governa de sua naci, fari leilao de euas es-
plendidas e com pintas mobilia* de apuradissi-
mos gostos e variadas quaiidades onde os Srs.
coacrvenles enconlraro chryslaes Gnissiuos,
ricos aparolhos para mesa de apurado gesto e
bem assim nn> exceden te sorvico de coaioha.
Taanbem enconlraro moa rico carro e cavallos
possantea e escolbidos, tom o arreios necessa-
rios Unto para carros como para atontara. Por
esta naesina occasio tambera aera arrematado
urna porcao de armase petrecbos proprio para
caga, dos melhores e mais acreditados fabrican-
tes de Inglaterra e por isso os amadores desee
ealretenimealo deven aproveiUr essa occasio
para se proverem. Para comodidade das pes-
soas que quizerem honrar com satas presencae
esse leilao o qual deveri ter lugar no da tr-
ra-Cetra 22 da corrale mez, na casa de residen-
cia do mesmo Sr. Cowper no lugar denominado
Chacn, sero postados dous mnibus na ra do
Crespo as 9 horas da manha do dia cima in-
dicado, afim de cooduzir gratuitamente as pes-
soas que para o mencionado leilao quizerem ir
LEILAO
Commercial.
Qaarta-feira 16 do corrente
Antunes autorisado pelo Exm. Sr. Dr. juiz es-
pecial do commercio, a requerimento dos depo-
sitarios da massa fallida de Siqueira & Pereira,
tara leilao no dia cima designado das fazendas
e dividas assim como da parle da casa em que
est o estabelecimento na ra do Crespo n. 7,
onde ter lugar o leilao s 11 horas em poni
com ass'stancia do mesmo Exm. Sr.juiz do co?i-
mercio.
Avisos diversos.
&M&>
___________r*. +
Na ra do Quefniado n.49. precisa-se de au
** wrra pora comprat e nauanai para casa da
ho
olteiro.
Companhia lyrica.
O eaBoreaiio aviaa turmalmenh aea aeus ea-
cripturadoa Sra. RUci. Fissi. Bull, BaciotCB^
berd F.. saot, C.ppelli. Soslegni/ e Srs. jairU
Meracci, Egialena Cechini, Sborgi. Irmo. Bes*
Capit.BI etc que eonferme a ctrifacio de seni
cntralos estejam prompioa de ptssaporte pana,
entbarcarem para a provincia do Para, apresen,
taado-se ao abaixo assignado, completa e legaW
""ole desesnbaracades at o dia 90 do cor-
r**ie ?ez" ,'ic dec,Mde que querd nao o Bar.
ler tallado as suas obrigagoea da contrato en-
leal.G. Marinangeli.
-- O abaixo aasignado fas atiente aa teeaeita-
vel publico o principalmente ae corpo do com-
mercio, que a loj de miudeas. sita na praga O*
Independencia n. 5, que gyrava sob a rma de
Antonio Casemiro Gouva. fieou porteoceodo ao
abaixo assignado desde 31 de dezembro do asa
. p. Recife 15 de Janeiro de 1861.
Antonio Gongalves.de Rarros.
Qualquer car-regador ue lites carga para
os porlos do norte, como Parahiba, Rio Grande.
Ass, Aracaty, Cear ou outro qualquer poate.
na barcaca cThereae, trate com o consignatario
na ra do Vigario, casa o. 50, de Seve & Filhea.
ou cora o mestre na eseadinha.
Precisa-so de l:ioJ a premio sobre hype-
Ineca em um sitio porto da praca ; quem quizar
tezer esse negocio, anouncie para ser procurado.
Precisa-se de um forneiro iolelligente em
todo o servico de padaria ; no deposito em fren-
lo do becco do Rosario de Santo Antonio n. 4.
Mudaaca de esta-
beleci meato.
Jos Moreira Lopes avisa aos seos amig03 e
freguezes desta e de oulras provincias, que ma-
dou o seu estabelecimento de fazendas que ti ota
no sobrado armrello da ra do Queimado, para a
loja e armazem que foi dos Srs. Santos & Bolina.
on ie lera o mais completo e variado sortimeete
de fazendas de todas as quaiidades para vender
em grosso e a retalho por preces mullo baratos -
cua do Crespo, sobrado *e 4 andares n 13, e ra
do Imperador, outr'ora ruado Collegio, sobrado
de um andar n. 36.
Aluga-aa nm segundo andar na rea Velha -
a tratar com Jos Higino do Miraoda.
No dia 13 do corrate dessppareceu da ca-
sa do abaixo assignado o seu escravo Joo, d
nagao, estatura neixa, chcio do cacao, representa.
ter de idade 50 annos, pouco mais ou menos, le-
vando vestido camisa azul e calca de edr, e sera
chapeo; quera o pegar, leve-o a roa do Livta-
menton.o, quesera recompensado.
Jos Rodrigues Coelho.
-Compra-se um cachorrinho que tenba raca
de lilla ; oo trapiche do Angelo a fallar con*
Sr. Molta.
Reputa-se adianfaio e recebido
a 5j{| o quartel da sub$crpfao deste
Diario pago at o dia 15 do mez em
que principia o trimestre.
Urna pessoa que soffre de cataratas e dese-
ja submelter-se operaco. pede que se lhe in-
dique quaes sao os que eslo vende dessea que
tem sido apresentadoscomo operados,afim de se-
ren procurados, e verificar-se se com effeito da
operaco se tem seguido o reslabelecimento da
vista, por quanto o esseneial nao est na opera-
co, mas sim no resultado.
asocUco E)|j0 gvapftca
#eri!amhucana
De ordem da presidencia desla associaco
convido aos Srs. socios effectivos a se reunirm
domingo 20 do corrente, em scsso extraordina-
ria do conselho da assembli geral, sendo esta
s II horas da manha e aquella s 10, attm de
lratu-se de negocios degraude int;resso social.
Secretaria da Associaco Typographica Per-
nambucana, 15 de Janeiro de 1861.
Juvkncio Cesar,
Io secretario.
Prec'rta-se alugar urna escrava pa-
ra casa de familia : na ra da Cadeia d.
53, terceiro andar.
Pecliinchasem
Atlen^ao.
IVotieias ruar i timas.
RIO DR JANEIRO.
Sahiram para Pernamhuco : 23 do passado, o
patache Atgna 30 o patacho Julio.
Chegaram de Pernambuco : 27 a nansa ame-
ricana Uniio, com 8dias-; a 31 o brigue Qlinda,
com 9; a 2 do correte, barca iagleza Flce-
"twxng, com 7; 3. o brigoe Encantador, com 7 ;
e 6, a Barca ttarianno, com 7.
O vapor indlez Tfftie, deria 'partir & 9 is 8 ho
1
Avisos martimos.
-
Para o Rio de Ja-
neiro
0 patacho S. Salvador segne em poneos dias,
pode admitlir algoma carga-; trata-se eom os
consignatarios Merques, Barrea A C, lawo de
Corpo Saolo n. S,
A 18 do corrente.
C J. Bensoo, prximo a retirar-so desta pro-
vincia, far loilao por intervenco do preposlo
do agente Oliveira, de todos os trastes de seu
uso, consUtindu era mobilia de Jacaranda com-
pleta com lampos de roarmore, um. ptimo for-
te piaao de jacarand.1 aiodSaron de Pleyl, Telo-
nios do mesa, lampeoe, cortinados de fil para
janollas, venezianas, alcatifas, tapetes e csteiras
de forro, vasos de porcelana, mobilia d e ambrol-
lo, commodas de magno, ricos lavatorios de Ja-
caranda e marmoro com lotice, da India comple-
ta, ditos de amare!;0, taucadores, marquezas,
guarda-roupas dobradose singelos de Jacaranda
e de amarello,' gearda-voslidos, leito de ferro
para casal eom colchea e cortinados de fil, ca-
vas de ferro par meninos, aeree, 2- groadas
globos geographices, linleiro patente com ma-
china para copiar em viagem, secretaria com es-
tante para livroo, meia elstica para jaalar, ca-
deiras para dila, .ipparadores, guarda louca,
aparelho completo e aovo de porcelana dourada
para jantar. dilo para sobremesa, dito para si-
noco, eobertas d metal fino para prate, crys-
taes finos e comploios para vinho, agua etc.,
baadeijas, facas e garios, 1 expeliente filtrador
d'agaa, machina de ferro para engommar, dita
p.ara coser, fogo de ferro patete, tren de co-
sinha, dilo de jardim etc., etc.: sexta-Uira 18
do corrente, aa Ift heraa da uauh9a na casa de
sua reaideocia ra do Kondego 33.
Hojie 16 do corrente.
...... VK,
Queijos f laraengos
Breader a BrandisA C. farao leilao por inler-
veajao da4poU da ajnoto Oliveira de 150
caixas comauperiotes queijos flamengos, chega-
dos no ultimo vapor francez. cj^iieooe, e hoje
sofodos da alfandega, sende a venda em "
" rj ;
e
3 lotcs'a
igual
Cassas francesas de cores a 200 rs. o
covado, ditas muito finw miudiohas de
inuito liados padroes a 2i0 rs. o cova-
do, ditas organdys matisadas a* bom
gostoa2l0rs. o covado : na loja do so-
brado de 4 andares na ra do Crespo
n. 13 eno armazem da ra do Impera-
dor n. 36 de Jos Moreira Lopes.
Na ra Direits n. 76, ven4e-se um cavallo
gordo, grande, andador baixo da melhor forma
por preco com modo.
9 Precsa-se de urna ama para comprar e d
cosinhar para urna so pessoa : na ra lar- Q
W ga do Rosario o. 12.
Compra-se moedas deouro de 208 : na ra
da Cadeia, loja de cambio n. 38.
Vende-se urna porco de barricas vasias,
que foram de barrilha, propria para fazer barris
para melou espirito, a 610 rs. cada urna : na rea
do Brum, fabrica Industria Peruambucana n. 44.
O proprietario da loja de calcado da roa do
Livramenia si. 27, tendo do reiirar-se para o
mallo per iocommodo em sua familia, tem resol-
lido vender sus bem afreguezada loja, a dinhei-
ro ou mesmo praio : aquello que a pretender
dirija se mesma loja para tratar, advertindo-se
que presentemente a loja tem poucos fundos.
O abaixo assignado roga a todos os devedo-
res o favor de pagareni seus debites, certos de
que, do flm deste corrente mez em dianle ne-
nhuraa eonsideraco ser allendida.
Recife 15 de Janeiro de 1861.
Jos Muniz Teueira Guimares.
Precisa-se fallar aos Srs. abaixo declarados,
negocio de seu interesa*, na ra do Lirramen-
to n. 27, loja de calcado :
Maximiano Heorique da Silva Santiago,
Manoei Isidoro (fot Passos.
Vicente Ferreira da Silva Jnior.
Alferes Roarentura Leito de Almeida.
Feliz de Araujo Albuquerque.
Jos Marcelino Alves da Fonseca.
Bento Nones da Silva|01iveira.
Frederico Velloso Koop.
Joo Miguel de Oliveira Beraldq.
Jos Martins Fernandos da Figneiredo.
Precisa-se de urna ama para cosinhar e
comprar, para casa de pavea familia : na ra da
Senzala Velha, n. 104.
. Precisa-se de uma ama que atiba cesiahar
o diario d urna casa de pouca familia, podendo
noite tr dormir era sua cate : a tratar no Reci-
fe, ra da Cruz n. 31.
O abaixo assignado faz sciente ao respeitevel
publico e principalmente ao corpo do commer-
cio, que dissolveu a sociedade que liuha oo pa-
teo do Terco, na taberna n. 21, a qual gyrava do
baixo da firma social de Cardeal 4 Vieira, Sean-
do todo o activo epassiro, a cargo do socio Car-
deal. Recife 14 de Janeiro de fiel.
Antonio Jos Vieira.
O abaixo assignado pede ao Sr. Jos Dias
da Costa Cardeal queipa ajustar conlas com elle
amigavelmente da melade dos lucros que apr-
senlos na taberna do paleo do Terco n. 21, em a
qual era socio, do contrario recorrer aos meio
que lhe concede a lei, olhQde o Sr. dito Cardeal
que se me pretende Iludir, engaado so achara,
pois lembre-se que ha papel de trato, isto no>
prazo de tres dias.Antonio Jos Vieira.
Alugam-se o segundo e terceiro andares da
casa da ra da Cruz n. 45 : trala-se no primeiro
andar da mesma casa, das 9 horas da manha Is
4 da tarde.
Quera precisar de nm hornera portogupz
para engeiiho, sendo que lera pratica de admi-
nistrar, e docampo, dirija-se a Santo Amaro ao
p da fundirn, liberna do meio, ou annuocie.
Nos abaixo assignados fozemos publico ao
respeitavel corpo do commercio qjue temos dis-
solvido a sociedade que tinhamos na padaria dos
Afogados n 66, e gyrava com a firma de Azeve-
do & C. ; fleando a cargo do socio Raulino An-
tonio de Azevedo a liquidaclo do activo e passi-
vo da dita sociedade e exonerado o socio Fran-
cisco Jos Rodrigues Castello Branco, o qual Oca
pago de seu capital e lucros correspondentes.
Aogados 9 de Janeiro do 1861. Kaalino Aoto-
nio de Azevedo.Francisco Jos Rodrigues Cas-
tello Branco.
Acha-se aberta a matricula de aula publica
de Iilim da freguezia de S. Jos desta cidado, e o
seu exerccio ler5 comeco no dia 3 de fevereiro
prximo futuro: os interessados dirjam-se casa
do respedivo professor, sita no largo do Terco
numero 33.
Vende-se uma escrava moca, reforjada e
com habilidades : na ra do Brum n. 33.
Livros.
76 -RuaDireita76
Vendem-se livros em bronco com lodos os ris-
cos necesarios para escripluracAo por partidas
dobradas e simples, encadernacao frauceza hara-
burgueza e nacional.
Diario o cazo.
Borrador.
Caixa.
Registro de letras.
Abecedario.
Copiador de caitas.
E uro grandesortimeato de livros avulso, en
diversos tamanhos, cdemelas para lembreocas.
tinta de todas as cores, lapis, peonas Anas, tin-
teiros, papel branco e azul de todas as quaiida-
des, dito de cores, dilo de mata-borrao, lacre,
obreias de todas as quaiidades. letras em branco,
conlas litbographadas, cartas fnebres, anvelopcs
de todas as quaiidades, e oulros muitos objectos,
o que ludo se vende por precos commodos. Cha-
peos do Chile muito Unos do ultimo gasto aba
larga.
Um moco fraocez, ebegado ha pouco da Eu-
ropa, procura urna boa caea para servir, o qual
d conhocimento de sua probidade : na ra de
Pilar, casa do caf Belga.
Precisa-se de uma ama de leile ao paleo-
do Terco o 26.
Quem precisar de uma posaos com as hab-
litares precisas para guarda-livros, dirija-se a
sua morada em carta fechada, oo cscriptorio des-
ta typograpbia, com as iniciaes l. R. S. ; encar-
rega-se tambein de qualquer escripia aulso-
Algga-se o primeiro audar da casa da rna
da Aurora n. 44 ; a tratar aa roa Nora o. 16.
Attenco
Contina a estar fgido e preto Jos, com o
signaes seguintes : baixo, grosso, beicude, eom
os dedeagrandesdos pee torios, pescoco grosso
de ervos sillrntes, ja um pouco velho. uoge-se
cgo, tcoow calca e camisa azues. e outra de- ace-
ta verda.; julga-so qee est trabalhendeeo al-
gum sitie, ou anda tirando encolas, attm de pas-
sar reme forro: quem pegar, dirija-se. a tea
do Hospicio, casa n. 25, que ser bem gratificado.
Vea dora -se duas canoas grandes qno aar-
vem para eapim ou lijlos em muito bom estado;
oa ru do Hospicio, casa n. 29.
Cedras tediaste o pagamento de pintura
e caiar.ao, a casa terrea da ra de Santo Amar
o. 80, com bons commodos para familia : trata-
se aa rea do Queimado n. 31.
Precisa-se aiugar ano sobrado no bairro de
Saaao Antonio ou S. Jos : a tratar oo largo da
Peaha a: 8.
UFABBICA DE CHFEOS
RA DA FLORENTINA.
O dona deste estabelecimento obrigado fechar os sens srmazens por causa de gri
paraQoes n fazer oo predie a aprovaUaado a occasio pera fazer urna llquidacdo depois do inven-
tario do i m do aaaav parlicipa auem pectaacer, qno \ vmdidaaanoaBe.de contmataijnaa Sai. Amrmjni Dubourc.

.


*)
MARIO DI HAfUraOGO. U QUAftTA fGltU 16 US JASHUO DE 1861.
Mirra igm.
Os curadores fiscaes da fallencia de Lima &
Martin*, avisara pela ultima Tez aos devedores
tnassa de virem saldar ae'us dbitos al tu fien do
crtente mez, depois do qual serlo compollins
pelos meios judiciaes ; devendo, para o paga-
mento, entenderera-so com os Srs. Barroca &
Hedeiros, depositarios.
Aviso.
Roga-se aos devedores da foja do toa-
do Antonio Francisco Pereira. que v-
nham realisar seus dbitos no praro de
15 das, na ruado Crespo n. 8, do contra-
rio ver.io seus aomes.por este Diario al
pagarem o que esto a dever.
e*:K3i6calato .._ i. i in;.~mirn nnit
Alugam-se duas casas para passar a festa,
sitas em Sant'Anna de dentro, tende com modos
suCBcientes para qualquer familia, e bauhu perto
de casa, o aro mais saudavel para a saude : a
tratar no pateo de S. l'edro n. 6.
Attenco.
a
Trocam-se sedulasde l e 5$ das. que o the-
eouro desla provincia exige 10 0[O de descont,
assim como notas dos bancos e caitas das mais
pracas do imperio mediante o abate de 5 0(0 : no
escriptorio de Azevedo & Mendes, ra da Cruz
numero 1.
i
Agencia dos fabricantes americanos
Grouver & Baker.
Machinas do coser: cm casa Je Samuel P.
Johston & C, ra da SenzallaNova n. 52.
COMPAVHIA
ALLIANCE,
cstabcccida em Londres
CAPITAL
Cinco miUioes de Vibras
sterUnas.
Saunders Brothers <& G. tero a honra de in-
formar aos senhores negociantes, proprielarios
de casas, e a quem mais convier, que esli ple-
namente autorisados pela dita companhia para
eluctuar seguros sobre edificios de lijlo e peJra,
coherlos do le ha, e igualmente sobre os objectos
que contiverem os mesmos edificios, quer consis-
ta em mobilia ou em fazeaJas de qualquer qua-
lidade.
Dentista de Pars.
15Ra Nova15
Frederic Gaulier, cirurgio dentista, faz
todas as operacoes da sua arte e colloca
denles artificiaes, ludo cora a superior-
dade e perfeico que as pessoas entendi-
das lhe reconhecem.
Tem agua e pos denlifricios etc.
Maooei Ferreira da Silva Tarrozo
na ra do Apollo n. 28,, saca sobre Por-
tugal.
CV OlSr. m. JotfPi-
nheiro de Losaos quena, ir a negocio que ,
nao ignera aloja de .fazendas da ra da O
Cadcia de ecife n. 28. gjj
Collegio de Saata Ursul.au
0. rsula Alexandrina de Barros tem a honra
de prevenir aos pas de suas alumaas, e a quem
mais interetaar possa, qae no dia 15 do correte
mez de Janeiro se abriro as aulas do collegio de
Santa U-rsala, de que directora, o qual se acha
estabelecide aa ruaPornosa, sobrado n. 15.
Ensiiio particular.
O abati, assignado, residente no lrceiro an-
dar do sobrado n. 56 da ra Nora, competente-
mente provisionade pela directora geral de ins-
truccio publica para ensinar primeiras letras, la-
tira e francec, tem a honra de participar ao res-
peitavel publico, e mxime aos senhores pais de
seus discpulos, que pretende dar principio ao
exercicio de sea magisterio no dia 14 de Janeiro
docorrente, admittindo em sua aula alumnos in-
ternos e externos para serem disciplinados as
supra-mencionadas materias.
O mesrao abaixo assignado sempre solicito no
desempeoho de seus deveres, tem dado proras
exuberantes no adiantamenlo de seos discpu-
los, apreseolando-os a exames pblicos, como
pode provar co-a os termos de exames dos annos
passados. Jos Mara Machado de Pigueiredo.
CONSULTORIO
Ra de Santo Amaro (Mundo-novo) n. 6.
A officina de marmore
mudou a sua residencia do caes 22 de Novembro
para a travessa da ra da Praia n. 3, junto ao
caes do Ramos.
Attenco.
O abaixo assignado, vendo no Diario de hoje
um annuncio do Sr. Antonio Jos da Silva Gui-
maraes dizendo quo nao pagava conla alguma do
hotel ds ra do Imperador n. 16, aonde era ad-
ministrador Diogo Jotda Costa Fontes, pois que
nao o linha aulorisado a fazer dbitos ; tendo o
Sr. Guimaraes tanto pessoal, como em seus an-
nuncios chamando todos os credores do dito ho-
tel a recebersuas conlas no prazo de 8 das, na
ruajlirita ; a minha coota de carnes verdes
que frneci no mez de novembro al 31 de de-
zembro; portanto protesto contra o Sr. Guima-
raes, pois carne genero do primeira necessula-
de, depois disto o Sr. Guimaraes recebeu 1:00
porum estabelecimento, que na verdade, naova-
Jia a metade, e porque razao o Sr. Guimaraes
nao lia de pagar? por agora basta. Recife 11 de
Janeiro de 1861.Aulonio Jos Esteves Guima-
raes.
F. Villela, photographo da augusla casa im-
perial, cstabelecido na ra do Cabug n. 18, so-
brado, entrada pelo pateo da matriz, avisa que
acaba de receberum bello sorlimento de alfine-
tu3 do ouro de lei para retratos. Entre esses al-
fineles acham-se muilos com folhagens e flores
de ouro de cores, outros com perolas. coraos e
pedras, e alguo3 para brilhantes. Os pregos
dessas joias sao raui razoaveis. Na mesma casa
continua-re a tirar retratos por todos os siste-
mas photographicos.
O abaixo assignado, arrematante do contra-
to do imposto de 20 0)0 sobre a agurdente do
consumo no municipio desta cidade, para escla-
recer a todos esses senhores laberneiros, que por
meio de annuncios era jornaes prctendera esqui-
var-se de pagara coulribuico.lhes declara o se-
gu n le :
Que o regularaento que rege a arrecadacao do
referido imposto o de 9 de dezembro de 1853.
Que nonhum dosartigos do regulamenlo citado
manda assign3r a collecta, mas apenas proceder
a ella.
E finalmente que o mel indic.do no art 9
para fazer cessara collecta.ou obrigagao de con-
tribuir, urna usliicago judicial, e nunca an-
nuncios em jornaes, como erradamente enten-
deos. Recite 9 de Janeiro de 1861.
Luiz Jos Marques.
COMPANHIA DA VIA FRREA
DO
DO
Recife ao rio Sao Francisco.
Au imitado.
De conformidade cora as iostrueges recebidas
da respectiva directora faz-se publico que desta
dala era diante sao convidados os accionistas
desla companhia a cumprirem cora os termos do
aviso que por ordem da mesma abaixo fleam pu-
blicados.
Escriptorio da companhia 17 de dezembro de
1860.E. 11. Braman, thesoureiro.
Aviso.
C0MP.4MIIA DA VIA FRREA
DO
RECIFE A SAO FRANCISCO.
(LIMITADO.)
Pelo prsenle (az-se publico que por retolugo
da directora desta companhia, tomada nesta da-
ta tcm-se feito urna outra chamada de duas li-
bras sterlinaspor cada aeco, a qual chamada ou
prestago dever ser paga'at o dia 31 de Janeiro
prximo futuro no Rio de Janeiro em casa dos
Srs. Mau Mac. Gregor & C, na Baha aos Srs. S.
S. Davemporl & C, coi Pernambuco no es-
criptorio da Ihesouraria da mesma via frrea.
Polo presente Oca tambem entendido quo no
caso de nao ser a dita chamada ou prestado sa-
tisfeila no dia marcado para o seu pagamnnto ou
antes o accionista que incorrer nesta falta paga-
r juros s razo de 5 por cento ao anno sobre
lal chamada ou prestacao a contar deste dia at
que seja realisado o pagamento. No caso de nao
effecluar o pagamento desta chamada ou presta-
cao dentro de 3 mezes a contar do dito dia fizado
para o embolso da mesma ficarao as aeces que
incorrerem em tal falta sujeitas a serem confis-
cadas segundo as disposicoes dos estatutos a esle
respeilo.
Por ordem dos directores.
AssignadoW. II. Bellamy,
Secretario.
199 Gresham House.
Od BrouadStreet.
EC.
22 do novembro de 1860.
Attenco.
*
O abaixo assignado roga as pessoas que lho es-
to a dever o favor de virem pagar seus dbitos
ateo fim dcste mez: na ra do Imperador n. 63.
Recife 9 de Janeiro de 1861.
Jos Antonio Soares de Azevedo.
3Roa estreita do Rosario3
4g Francisco Piolo Ozorio continua a col- a
<.molas como pela pressio do ar, nao re- Z
q cebe paga alguma sera que as obras nao a
fiquem a vontade de seus donos, tem pos a
fi e outras preparacoes as mais acreditadas S
4 para conservado da bocea.
tmm9 #
Josepha Henriqueta de Sfiranda Barros,
professora particular da initruegao primaria, avi-
sa aos pais de .suas alumnas, e ao respeilavel
publico, qu abre a sua aula no dia 14 do corren-
te, e se acba prompla a receber alumnaa exter-
nas e internas, pensionistas emeia-pensiooUlaa :
quem de seu presiioio se quizer uljjisar, djrijx-
se a ra da Mangueira, casa d, 7.
I Consultas medicas.
5 Serao dadas lodos os dias pelo I)r. Cos-
|P rae de S Pereira no seu escriptorio, ra
da Cruz n: 53, desde as 6 at as 10 horas
da raanha menos aos domingos sobre :
1." Molestias de olhos.
2. Molestias de coracao e de peilo.
3. Molestias dos orgos da gcra<3o e
do anus.
O ex3me dos doentes ser feito na or-
dem de suas entradas, comegando-se po-
rnj por aquelles que soffrerera dos
olhos.
|g Instrumentos chimicos, acsticos e op-
*f> ticos serao empregados em suas consul-
Stagoes, e proceder com todo rigor e pru-
dencia para obter cciteza, ou ao menos
probabilidade sobre a sede, nalureza e
causa da molestia; e dahi deduziro plano
32 de ttatamento que deve destrui-la ou
b curar.
|E Varios medicamentos serao tambera
* empregados gratuitamente, pela cer-
as teza que tem de sua verdadeira qualidade,
*J promplido em seuseffeitos.e a necessida-
II de do seu emprego urgente que se usar
delles.
|g Pralicar ahi raesmo, ou cm casa dos
doentes toda e qualquer operario que
julgar conveniente para o reslabeleci-
ment dos mesmos, para cujo fim se arha
| prvido de urna completa colleccio de
3> instrumentos indispensavel ao medico
^ operador.
Precisa-se de urna ama: na ra Bella
n. 23.
Aluga-se a loja do sobrado da ra das Cru-
zes n. 18 : a tratar no mesmo sobrado.
Especialidade de retratos em pao encera-
do para se remelUrem dentro de cartas. T-
rara-se no estabelecimento photographico de P.
Villela, ra do Cabug n. 18, sobrado, entrada
pelo paleo da matriz.
PRECISA-SE
de urna mulher que aiba cozinhar e
engommar, para ir servir em urna
casa de pouca familia na villa da Esca-
da ; paga-se bem : a tratar nesta typo-
graphia.
Lices de lnglez e francez
Mrs c Miss Mortimez estando de volta a esta
praca j principiaran! a dar licoes, de manhaa,
das 10 horas al meio dia, e de.larde, das 6 at
7 horas : na ra estreita do Rosario n. 10, segun-
do andar.
ASSOCIAfjAO POPULAR
DE
Soccorros Mutuos.
AGITADOR DYNAMICO.
A pharmacia homoeopathica est longe de
preencher todas as vistas dos mdicos hom-
paihas em quanto forara os medicamentos pre-
parados mo. A forja do horaem nao po-
de ter a precisa uniformizada para bem de-
sinvolver as propriedades medicamentosas das
substancias; ella vae naturalmente enfraque-
cendo medida que se vae fazendo o traba-
Iho da dynamisacao: e por essa razo que
numerosas vezes accontece que duas preparacoes
de acnito, por exetnplo, da mesma dynami-
sacao, feitas pelo mesmo horaem, no raesmo
dia, ou era dias diversos, ou feitas por dous
horaens diffarenles, nao produzem o mesmo re-
sultado era casos anlogos de molestias; urna
desinvolve urna acejio mais prompla, a outra
urna acgo mais lenta.
Alera disso, sendo essencial para a regu-
lan Jade das dynamisafoes que cada di/utcao
tenha um numero ceno de abalos ou vascole-
ja^es, para que nao acconte^a que pelo excesso
ou pela insufficiencia d* estas percam os medica-
mentos as propriedades que lhes sao assignala-
das, ouque convem cada dynamisacao, nao
se podo Uso obter as prepararles feitas mo
porque o numero de abalos sempre maior ou
menor, d' onde evidentemente resulta um effeito
tambera maior ou menor, e por conseguinte
duvidoso na applicc,ao do medicamento ; se os
abalos sao insuficientes nao se desinvolvem
todas as propriedades convenientes dynamisa-
cao que se quer fazer, e se sao de mais, desin-
volvem-se algumas das propriedades da dyna-
misacao superior, com parda certa de muitas
das que convem dynamisacao que se quer
preparar, o que sem duvida tem graves incon-
O Dr. Sabino O. L. Pinho d cousultas
todos os dias uteis desde as 10 horas at meio
dia. Visita aos doentes em seus domicilios
de meio di em diante, e era caso d ne-
cessidade qualquer hora. As senhoras de
parlo e os doentes de molestia aguda, que
nao tiverem ainda tomado remedio algum al-
lopathico ou homeopathico, serao ^Hendidos de
preferencia.
As molestias mais- frequemes debaixo dos
climas do Brasil, principalmente as que sao
mais difficeis de curar, Ibe tem merecido um
estudo espacial; sao ellas:
1. Molestias proprias das mulheres.
2." Molestias das creancas.
3. Molestias da pe le.
4.a Molestas dos olhos.
5." Syphilis, ou gallieo.
6. Febressympthomaticas Jas lesoes do cere-
bro e de suas membranas, dos orgos do peito,
o do spparelho digestivo ; febres intermitien-
tes e suas consecuencias.
Pharmacia especial homceopalhica.
i '.
venientes na pratica, principalmente para os mes
dicos que comecam fazer ensaics, e para as
pessoas curiosas qne nao sabem conbecer essa-
differencas, e por isso poders attribuir inefica-
cia da homoeopalhia, o que realmente depende da
m preparacao dos medicamentos.
Para obviar estes graves inconvenientes o
agiudor dynamico do Dr. Sabino munido
de um contador em que se acham as unidades,
dezenas, centenas, milbares, dezenas de raimares
collocadas convenientemente, de maneira que a
cada vascolejaco apparece um numero novo,
desde. 1 al 10 mil; nao sendo desta sorte
possivel engae algum.
Os medicamentos homceopathicos preparados
por meio desta maquina sao os nicos que de-
sinvolvem propriedades uniformes capazes de
curar as molestias com a maior certeza pos-
sivel.
Alem disso, desojando tirar de sua viagem
Europa todas as vantsgens para o progresso
da homoeopalhia no Brasil, o Dr. Sabino nao
poupou esforcos para obter as'substancias me-
dicamentosas dos proprios lugares, onde ellas na-
turalmente nascem, e para isso enlendeu-se com
um dos raelhores herboristas d'Allemanha, para
lhe mandar vir as plantas frescas, afim de pre-
parar elle mesmo as tinturas.
E' assira que o acnito foi mandado vir dos
Alpes, a rnica das montanhas da Suissa, a
belladona, bryonnia, chamomilla, pulsalilla.rhus,
hyosciamus, foram colhidas n'Allemanha, na
Franca e na Blgica, o verairum no monte Ju-
ra, etc. etc.
Desta sorle provida a pharmacia do Dr.
Sabino das substancias que servirra para as ex-
periencias puras de Hahnemann, descriptas na
pathogensia, acha rao os mdicos e os amigos da
homoeopalhia os meios seguros e verdadeirosde
curarem as enfermidades.
OS PRECOS SAO OS SEGUINTES:
Botica de 24 tubos grandes 12$ a 16
Dita de 36 > .....; 18?> a 22?>
Dita de 48 a ..... 249 a 299
Dita de 60 .......309 a 359
N.B. Existem carteiras ricas de veludo para
maior preco.
Cada vidro de tintura avulso. : 2$
Cada tubo avulso...........1p
Caixas cota medicamentos em glbulos e tin-
turas de diversas dynamisacoes (mais usadas ) :
De 24 vidros com tintura e 48 tu-
bos grandes...... 48000
De 36 ditos dita e 56 tubos grandes 649000
De 36 ditos dita e 68 lubus grandes. 70000
De 48 ditos dita e 88 tubos grandes 929000
De 60 ditos dita e 110 tubos grandes 1159000
Estas caixas sao uteis aos mdicos, aos Srs,
de engenho, fazendeiros, chefes de familias
capiles de navio, e em geral todos que se
quizerem dedicar pratica da homoeopalhia,
Vendem-se tambera machinas elctricas por-
lateis, para tralaraento das molestias nervosas.
Estas madrinas sao as mais modernas e as
mais usadas actualmente em toda a Europa,
tanto pela commodidade de poderem ser trasi-
das na algibeira, como porque trabalham com
preparacoes que nao sao nocivas :
Cada urna. ...;.... 509000
O Dr. Sabino ensina a maneira de se servir
desta maquina.
Muila allenco.
O abaixo assignado vendo um annuncio inse-
ta ?cDiario de boje feito polo Sr. Antonio
Jos da Silva Guimaraes, em que diz ou quer di-
zer. nao se respoosabillsar por debito algum con-
Irahido para o hotel sito na ra do Imperador
n. 16 por Diogo Jos da Costa Fontes, tem a de-
clarar ao mesmo Sr. Guimaraes que protesta re-
ceber delle a importancia do seu debito, -visto
que quando o mesmo Sr. Diogo traspassou o ho-
tel ao novo possuidor, doli recebeu o dito Sr.
Guimaraes a quantia de 1:000$, a titulo de luvas
do dito hotel, e para esse Qm se dirigi o dito
Sr. Guimaraes casa do abaixo assignado, exi-
gindo saber quaulo era aconta de que o dito Diogo
era devedor para satisfazer no prazo per elle mar-
cado por este Diario, e por isso cm lempo com-
petente o abaixo assignado patenicar em juizo
competente ao Sr. Guimaraes, e so por ora faz o
presente annuncio, para que so nao chame a ig-
norancia.
Recife 12 de Janeiro de 1861.
Jos Mara Jorge de Azevedo.
- A Sra. D. Margarida Louren;a da Cmara
Rodrigues tem urna carta no escriptorio de Ma-
noel Ignacio de Oliveifa & Filho, larga do Corpo
Santo.
Os senhores vendedores de bilhetes ou
qualquer negociante nao paguem o meio bilhele
da lotera do Rio do Janeiro, a beneficio dz im-
perial academia de msica e opera nacional, ex-
trahida em 15 de dezembro de 1860, vislo que
dito bilhele foi perdido pelos abaixo assignados,
e est com o nome dos mesmos no verso, assim
como com a data de 20 de dezembro de 1860. O
numero do mencionado bilhele de 2957. No
caso porm de alguem o ter achado, equeira en-
tregar, urna vez que nao o podem receber, diri-
jr-se casa dos abaixo assignados, que nao te-
rio duvida em recompensar: na ra Direita dos
Afogados. Jos Roberto de Moraes e Silva.
Joao Jos de Albuquerque.
,. Quem precisar de um caixoiro que tem pra-
tica de laberna, enUnda-se na de Dos n. 11, armazem do Sr. Campiano & Cor-
deiro.
Mara Bernardina da Conceico Lima, viu-
va de Antonio Rodrigues Lima, roga a todos os
credores de seu fallecido marido.de apresentarem
suas conlas e crditos de que o mesmo fallecido
seja (Jevedor.na ra da Cruz n. 19,segundo andar,
ao ^. padre mestre Jos Leite Pita Orligueira,
no da 17 do corrente, afim de se providenciar
sobre os pagamentos dos mesmos credores.
lima pessoa que nao pode ir ao
Manguinho fallar ao Sr. Manoel Ephi-
genio da Silva, roga lhe queira annun-
ciar onde o pode procurar nesta cidade
visto nao ser permittido fallar-se-lhe na
altandega.
LINES
DE ;.
PARTIDAS DOBRADAS.
O ensino pratico de escripturacao commercial
por partidas dobradas e de arilbmelica, dirigido
pelo abaixo assignado, contina a funecionar re-
gularmente as quarlas e sabbados de cada se-
mana, das 7 horas s 9 da noite.
As pessoas quo deaejarem ter conhecimento de
qualquer das referidas materias, queiram dirigir-
se casa do annunciante, na ra Nova n. 15, se-
gundo andar, nos dias e horas cima designadas.
E to claro e fcil o systema de escripturar os
livros mercaotis por partidas dobradas, que s as
pessoas desfavorecidas do menor grao de inlelli-
gencia serio capazes de nao reconnecerem a ver-
dade do expendido logo as primeiras lices que
receberem do abaixo assignado. v
M. Fomeca it Medeirot.
CONSULTORIO
DE
Joo da Silva Ramos,
Medico pela universidade de Coimera.
Tendo de passar algum tempo no si-
tio dos Buritu na estrada do Arraial,
meu consultorio estara' aberlo todos os
dias das 9 horas as 11 da manhaa e das
3 as 5 da tarde. As pessoas que man-
dareoa procurar-me, terao bondade
de dirigir os chamados por escripto pa-
ra aloja de louca defronte da caa de
minha residencia ai ra Nova.
Dentista francez.
Paulo Gaignoux, dentista, ra das La-
j rangeiras p. 15. Na mesma casa tem
S agua e p deniifico.
Notas
rraspassa-so a renda do engenbo Ucha,
silo na fregueza de Afogados, pouco mais de
urna legoa distante desta praga, este engenho
tem muito boas trras, boas matas, e muito
bom de agua com a nova obra qae se fez, tem
.grande casa de vivenda e concertada de novo ;
j safreja de dous a tres mil pes e mais que se
queira plantar, pois tem Ierras sufficienles para
isso : quem o pretender, procure ao major Anto-
nio da Silva Gusmao, na ra do Queimado, loja
n. 41, ou no mesmo engenho.
Manoel Ignacio de Oliveira & Filho sacam
sobre Lisboa e Porto : no largo do Corpo Santo
escriptorio.
de 5#000 e de 1#000 de urna
figura.
Trocam-se estas notas por gneros, no estabe-
lecimento de Sodr & C, ra estreita do Rosario
n. 11 ; lambem se veodera as bellas uvas de lia-
marac.
DA
<.
:>><><> iC^
v>^>
CASA DE SAUDE
DOS
PROVINCIA.
O Sr. thesoureiro das loteras manda declarar
que se acham a venda no escriptorio das mes-
mas os bilhetes da terceira parle da primeira lo-
tera da igreja doSenhorBom Jess dos Marty-
rios desta cidade cujas rodas devero andar ira-
preterivelmente no dia 19 de Janeiro prximo fu-
turo.
Thesouraria das loteras 22 de dezembro de
1860.O escrvao, J. M. da Cruz.
Sedlas de 1,000 e de!
SI de urna figura.
Trocam-se estas sedulas sem descont
porfazendas que vendem-se por baratis-
simos presos, na ra do Crespo loja ama-
relia n.8 de Leandro Lopes Dias succei-
sor de Antonio Francisco Pereira.
Fazendas finas.
Vendem-se chapeos de seda de muito
bom gosto a 15 ea 25, veslidosde se-
de de muito bom gosto a 40g. 50 e 80fi,
ditos de barege e gaze a 10$, dilos de
cambraia branca bordados (multo ricos),
chaly e barege a 500 rs. o covado, or-
gandisde muito bom gosto a 800 e 900
rs. a vara, basquinas de fil com ricos ci-
eos de seda a 3, talhos com blcos para
vestidos de senhora a 500 rs., camisas
com pellos e punhos de linho a 30 a du-
zia, gollinhas bordadas para senhora a
1, mussulinas de urna s edr s 240 rs.
o covado e muitas oulras fazendas de bom
gosto que se vendem por metade de seu
valor ni ra do Crespo loja amarella n>
8 de Leandro Lopes Dias successor de _
Antonio Francisco Pereira. te
reitor para engenho.
Precisa-se de um portuguez para feitor de um
engenho pouco distante desla capital: no escrip-
torio de Manoel Ignacio de Oliveira & Filho. lar*
podo Corpo Santo. IWH

BBS B&MffiS Sl Sl'
Sita em Santo Amaro.

ce:
- Este estabelecimento continua debaixo da administra cao dos pro-
prietarios a receber doentes de qualquer natureza ou cathegoria que
seja.
O zelo e cuidado all empregados para o prompto restabeleciinen*
to dos doentes e' geral mente conhecido.
Quem se quizer utilisar pode dirigir-se as casas dos proprietarios
ambos mors resna ra Nova, ou entender-secom o regente no esta-
tabeleciment .
Reforma de presos.

Escravos. -.....
Marujos ecriados.....
Primeira classe 3$ e. ,
As operares ser5o previamente ajustadas.
20000
2500
550O
S)
Quarla-feira 16 de Janeiro haveri sesso do
conselho administrativo ; os senhores socios sao
convidados a comparecerem dita sesso que
lera lugar s 7 horas da noite do referido dia, e
os senhores conselheiros nao devem deixar de
comparecer.
Secretaria da Associacao Popular de Soccorros
Mutuos 14 de jaaeiio de 1861. .
Joo Francisco Marques.
1." secretario.
Precisa-se fallar aos Srs.- Manoel Garca de
Souza Ramos e Joo Joaquim Eugenio Ayres, a
negocio de seu inieresse: na ra Nova n.52, loja.
CONSULTORIO
DO
lia, H>a A. MI lIDKSDi
hed ro copar teie operador.
3 RIJA DA GLORIA, CASA DO FUM DO 3
Clnica por ambos os syatenas.
O Dr. Lobo Moscoso d consultas todos os dias pela manhaa, e d9 tardedepois de 4
horas. Contrata partidos para eurar annualmente, nao s para acidade, comopara o engenhos
ou outras propriedades ruraes.
Os chamados devem ser dirigidos sua casa at s 10 horas da manhaa e era caso
de urgencia outra qualquer hora do dia ou da noite, sendo por escriptoem que se declare
nome da pessoa, o da ra e o numero da casa.
Nos casos que nio forem de urgencia, as pessoas residentes no bairro do Recife po-
derao remetter seus bilhetes i botica do Sr. J. Sounn & C. na ra da Cruz, ou loja de
livros do Sr. Jos Nogueira de Souza na ra do Graspo ao p da ponte velha.
Nessa loja e na casado annuncianteachar-se-ha constantemente os melhores medica-
mentos horaeopaihicos j bem conheeidos e pelos pregos seguintes:
Botica de ii tubos grandes.....,.....10O00
Dita de 24 dilos........;........158000
Dita de 36 ditos.................20*>00
Dita de 48 ditos................. 259000
Dita de60 ditos................ 309000
Tubos avulsoscada um.........'....: 1000
Fraseos de untura. : ........ ; 2#00O
Manual de medicina hoaeopalhica pelo Dr. Jahr, tra-
duzido em portoguez,' com o diccionario dos termos
de medicina, irurgia ele., ele........20*000
Medicina domestica do Dr. Hering, eom diccionario. 109000
Repertorio do Dr. Mello Moraes. ; 60ra
t
O artista americano
O artista americano
O artista americano
O artista americano
O artista americano
Tira retratos por ojf
Tira ra tratos por 5$
Tira retratos por 3$
Tira retratos por Z$
Tira retratos por 3$
Tendo receido um sortimento de cai-
xinhas novas
Tendo recebido um sortimento de cai-
xinhas novas
Tondo recebido um sortimento de cai-
xiiihas novas
Tendo recebido um sortimento de cai-
xinlias novas
Tendo recebido um sortimento. de cai-
xinbas novas
Tendo recebido um sortimento de ca-
xinhas novas
No grande salao da ra do Imperador
No grande salo da ra do Imperador
No grande salao da ra do Imperador
No grande salao da ra do Imperador
No grande salao da ra do Imperador
No grande salao da ra do Imperador
A. W. O bom, o retratista araerica
no tem recentemente recebido um gran'
de e variado sortimento de caixas, qua-
dros, aparatos chimicos, e nm grande
numero de objectos relativos a arte.
Como tambem um grande fornecimen-
to de caixas para retratos de 3#000 rs.
cada um, as pessoas que desejarem ad-
quirir conhecimentos pratiecs na arto
de retratar acharao o abaixo assignado
sempre prompto sob condicoes muito
razoaveis.
Os cavalheirose senhoras sao convida-
dos a visitar estes estabelecimentos', pa-
ra^ examinarem os specimens do que
cima lica anunciado.
Aviso s familias.
Acha-se aborta a assignatura do jocoso jornala
SEMANA. ILLUSTRADA,
que se publica no Ro de Janeiro e sahe luz
urna vez por semana,contendo cada numero qua-
tro paginas de gravura3 primorosas, e as outras
quatro de arligos escolhidos e interessanles s
senhoras e pessoas de bom gosto. J se acham
aqui os dous piimeiros nmeros. Assigna-se e
paga-se adianlado na ra da Imperatriz o. 12,
loja. Por trimestre 6#, semestre 11, anno 18*.
Aluga-se ou vende-se um sobrado de um
andar em Olinda, concertado de novo, na rus da
Ladeira da Ribeira, lado esquerdo n. 16: a Ira-
lar no Recife, na ra da Senzala Velha, no se-
gundo andar do sobrado n. 86, aonde mora P. Jo-
sepha Maa da Conceico.
O Dr. Casanova
pode ser procurado lodos os dias em si
consultorio especial homeopathico
30Roa das Crnzes-30
Neste consultorio lem sempre os mais
novos e acreditados medicamentos pre-
parados em Paris (as tinturas) por Ca-
lellan e Weber, por pregos razoaveis.
Os elementos dehomeopalhia obra, re-
commendada inlelligencia de qualquer
pessoa.
Gustavo Sander.ourives allemao, avisa ao
respeilavel publico, e particularmente a seus nu-
merosos freguezes. que mudou o seu esUbeleci-
mento de ourivesaria do aterro da Boa-Vista para
ra do Cabug n. 9, loja aonde o acharao sempre
promplo a fazer obras para brilhantes ou para
outras quaesquer pedras. assim como loda a quas
lidade de obras de sua officina. No teu novo es-
tabelecimento ha um bello sortimento do obra-
estrangeiras de ouro de le e de qualidades que
se vendem a pregos mui mdicos.
Precisu-se de urna ama para o semen in-
terno de urna casa : a tratar na ra da Senzalla
Velha n. 112,1. andar junto a cocheira.
Preclsa-se de um caixeiro que tenha alguma
pratica de laberna : a tratar na ra do Rosario da
Bo-Visla n. 41.
Agencia de passaporte e
foi ha corrida.
Claudino do Reg Lima tira passiporte para
dentro e fra do imperio coro presteza e coromo-
do preco : na ra da Praia, pnmeiro andar, nu-
mero 47.
Aluga-se um silio na estrada de Joo Fer-
nandes Vieira ; a tratar na ra do Queimado nu-
mero 44.
Attenco.
Gouvea & Filho com casa de consig-
naeoes novamente estabelecida nesta
praca, avisam aos seus cotnmittentes e
ao publico em geral, que podem ser
procurados a qualquer hora do dia em
seu escriptorio na ra d Cadeia do Re-
cife n. 3, primeiro andar.
Precisa-se do 2700OO por espago do seis
mezes dando-se no dito prazo 30OJ00O ouem
quizer este negocio dirija-se a entender-so na
ra da Ribeira da Boa-Vista, casa n. 11. aua
achara com quem tratar, das3 horas da larde em
diante.
.- Aluga-se urna casa na ra do Cotovello n.
10: a fallar na ra do Imperador d. 57.
T Preci8a-se de um mogo para caixeiro de lo-
pratica, de idade 18 annos, pouco mais ou me-
nos : a fallar na ra das Cruzes. taberna u 41 a.
HT.n?lPide po,i5i,i compra *.<0 c'ovado
de panno azul oara fardamento. e 300 corados
para capotes. 170 covados de bata e 750 ditos de
holandade forro : quem quizer fornecer, apre-
rente as amostras e suas propostas em earla fe-
cnaoa, na secretaria do mesmo corpo,^8S "11 ho-
ras do da 17 do corrente. o leneate seoreta-
Bio, Luiz Jejonymo Ignacio dos Santos.
Afl Sr. Raimundo Cesar de Souza, do Hara-
?' plSnceni lre8 mei08 hHhelea as. 1S9,
IS6S e 2839, da terceira parle da primeira lote-
ra da irmandado do Senhor Bom Jasas dos Har-
lynos desta cidade.,
Precisa* alugar um preto: na ra 4a ma-
triz da Boa-Vista, padaria n. 26.


I
DIARIO DR fEMUHCCO. 1+ QUARTA rBUU 1* M JANEIRO DI 18C1.
(i
1

O EXTRACTO
COMPOSTO DE
SALSA [PABBDLHA g) B. TWiSIND
MELHORADO E FABRICADO SOB ADIRECCAO' DO DR JAMES R. CHILTON,
fmico e medico celebre de New York
GRANDE SUPERIOUDADE DO EX-
TRACTO FLUIDO COMPOSTO
DE
SALSA PARaiLHA
Explica se peto seo extraordinario
e quasi miraculoso effeito no
sangue.
Cada um sabe que a saude ou a infermidade
iepeaJe directamente do estado desle floido vi-
tal. Isto ha de ser, visto o partido importante
que tem na economa animal.
A quautidade do sangue n'um hornea d'es-
tatura mediana est avaliada pelases primeiras
autoridades em tinte e oito arralis. Em cada
pulsacSo duas oncas sahem do coracao nos bofes
e dalii todo o sangue passa alem no corpo huma-
no em menos de QOATao minutos. Urna dis*
posijo extensiva tem sido formada e destinada
com admiravel sabedoria a destribuir e fazer
circular esta corrente dr vida por todas as
parte da organisa$o. Deste modo corre sera-
pre pelo corpo em torrente, o qual a gran
fon te de infermidade ou de saude.
Se o sangue por causa alguma se emprenha
de materias ftidas ou csrrompidas, diffunde
com Yblocida.dk elctrica a corrupcao as
mais remotas e mais pequeas partes do corpo.
O veneno lanca-se para tras e para diante pelas
arterias, pelas veas, e pelos vasos capillarios,
at cada orgo cada teagem se faz completa-
mente saturado e desordenado. Desta maneira
a ctrculaco evidentemente se faz um engenho
poderoso de Joen^a. Nao obstante pode tam-
ben obrar com igual poder na criarlo de saude.
Estivesseo corpo infecionado da doenc.a maligna,
ou local ou geral, e situada no systeraa nervoso
o glanluloso, ou muscular, se somante o san-
g-ae pele fazer-se puro e saudavel fiear superior
a. doenca e inevitavelmente expedir da cons-
tituido.
O grande manantial de doenc,a entao como
d'aqui consta no fluibo circulante, e nenhum
medicamento que nao obra directamente sobreel-
le para purificar e renova-lo.possue algum direi-
to ao cuidado do publico.
O sangue 1 O sangcb 1 o ponto no qual
se ha mysler fixar a atten;o.
O ORIGINAL E O GINUINO!
AO PUBLICO.
Nos, os Assignantes, Droguista nacidadede
New-York, bavemos vendido durante rauitos an-
nos o extracto de salsa parrilha do Dr. Town-
send, considera modo ser o extracto original e ge-
nuino de salsa parrilha do Dr. Townsend. o
qual primeramente sob este nome foi apresen-
lado ao publico.
BOYDPAUL, 40CortlandlSlreel.
WALTER. B TOWNSEND A Co, 218 Pearl
Streel.
LEEDS & HAZARD, 121 Maiden Lae.
JOHN CABLE & Co, 153 Water Street.
M WARD & Co, 53 Maiden Lae.
J. & J. F. TRIPPE, 92 Maiden Lae.
GRAHAM Co, 10 Od Llip.
OSGOOD & JENNINGS, 188 PearlStreet.
R.B. HAV1LA3SD & Co, Office 177 Broad-
way.
JACK.SON, ROBINS& Co, 134 Water Streel.
THOMAS & MAXWELL, 86 William Street.
WM. UNDERHILL, Junr, 183 Water Street.
DAVID T. LANMAN, 69 Water Slreet.
MARSH & NORTHROP, 60 Pearl Slreet.
NORTON, BABCOCK & WOOD, 139 Mai-
den Lone.
PENFOLD, CUTlSi Co, 4 Fletcher Street.
OLC0TT, M KFSSON & CO, 127 Msiden
Lae.
A. B. & D. SANDS. 100 Fullon Slreet.
SCHIEFFELIN, BROTHEB & Co, 104 &
106 Jobn St.
LEWIS & PRICE. 55 Pearl Street.
HAVILAND, EEESE & CO, 80 Maiden La-
e.
RUSHTON, CLARK. &CO,l 10 Broadway,
10 Asior.
House, and 273 Broadway, cor. of Chambers
Street.
PHILIP SCHIEFFELIN & CO, 107 Water
Street.
POU & PALANCA, 96 John Street.
SHERWOOD & COFFIN, 64 Pearl Slreet.
RUST & HOUGHTON, 83 John Streel.
I. MINOR& CO. 214 Futon Street.
INGERSOLL & BROTHER, 230 Pearl Slreet.
JOSEPH E TRIPH, 128 Maiden Lae.
GREENLEAF & UNSLEY, 45 Corllandl
Street.
flAYDOCK, G0CHLIES& CLAY, 218 Pear
Street.
CUMMING Street.
HASKELL & MERRICK, 10 Gold Streel.
B. A.FAHNESTOCK & Co.49 John Street.
CONHECEMOS A ARVORE E SUAS FRU-
TAS i
B IGUALMENTE
Conhecemos um Medicamento nos seus Effeitos.
O extracto composlo de Salsa parrrlha do
Dr. Townsend est
0 MEDCIMENTO DO POYO'!
Adata-so tao maravilhosamente a constituido
que pode ser utilisado em quasi todas as enfermi-
dades.
ONDE E; DERIL1DADE,
FORTALECE-,
ONDE E' CURRUPCAO,
purifica;
ONDE HE PODR1DAO,
AL1MPA.
Este medicamento celebrado que to grandes
servicos presta a humanidade, prepara-se agor
na nova fabrica, na esquina das ras Fronte
Washington, Brooklyn, sob a inspeceo directa
do muito conhecido chimico e medico Dr. James
R. Chilln, da Cidede deNeWork, cuja cer-
lido e assignatura se acha na capa exterior da
cada garrrfa de
ORIGINAL (E GENUINO
EXTRACTO COMPOSTO DESALSAPARRILHA
DO DR. TOWNSEND.
O grande purlcador do sangue
CURANDO
O Hempes
A Hertsipela,
A ADSTRIC10DO Ven-
tre,
As Alporcas
160 rs.
320 rs.
FOiWMIW&S 5E mi
Acham-se venda na livraria da praca da Independen- ,
ca ns. 6 e g, as bern^ conhecidas folhinhas impressas nesta M.^Mj!ffi",,,hor,,:
typographia
FolHnha de porta ou KALENDARIO eedesiaslico e civil para o
. bispado de Percaaobuco...........
Dita de algibera contendo alm do kalendario ecclesUstic e civil,
explicajao das fesias mudaveis, noticia dos planetas,
tabellaa das mares a nascimento e occaso do sol;'
ditas dos emolumentos do tribunal do commercio;
ditas do sello; ditas do porte das cartas; ditas
dos impostes geraes, provinciaes e municipaes, ao
que se junten urna collecjao d bellos e divertidos
_ jogos de prendas, para entretenimento da mocidade.
Ulta dita ..contendo alm do kalendario ecctesiaslico civil, expli-
carlo das festas mudaveis, noticia dos planetas, tabellas
das mares e nascimento e occaso de sol; ditas dos emo-
lumentos do tribunal do commertio ; ditas des impostes
geraes, provinciaes e municipaes, ao que se reuni o
modo de confessar-se, e conungar, e os cilicios que a
igreja costuma celebrar desde domingos de Ramos, at
sexia-feira da Paixo, (em portuguez). prec,o.....
Dltado almanak civil, administrativo, commercial e industrial da provin-
cia de Pernambuco, ao prego de:.......
Para facilidade do uso deste ahnanak, augmentou-se
de formato, e fizerajn-se muitas alteracoes, sendo a correc-
cao a mais exacta que foi possivel, em materia desta ordem,
(que todos os dias soffre mudancas) acrescentando-se a nu-
meraco dos estabelecimentos commerciaes e industriaes ;
acompdnhado de ndice para facilitar o uso, procurando o
que se deseja pela oceupaco do individuo de quem se quer
saber a residencia.
320 rs.
15000
Os EFFEITOS DO AZOD-
GUE,
Dispepsia,
AS DoEKAS,DEFIGA-
DO,
AHtdbopesia.
A Impingb
As Ulceras,
0 RREUMATISMO,
As Chacas
A Df.dilidade geral*
AsDOEHCASDE PELLE
AsBORBLHASN ACA-
RAR
As ToSSESt,
Os Catarrnos, As Tsicas, btc.
OExtracto acha-secontidoemgarrafas qwadra-
das e garante-se ser mais forie e melhot em to-
do o respeito a algum oulro purificadoT do sarr-
gne-., conserva-se em todos os climas por cer-
to -cspac.0 de lempo.
Cada garrafa do
exterior de papel verde
No esoriptorio do propietario,
em na betica da ra Direita n. 88 do Sr.
original e genuino exlractu de Dr. Townsend tem a assignatura -e a certidao do Dr. J. R. CbUttav, na capa
212 Rroadway, New York, e em Pernambuco na ra da Cruz n. 21 escriptoric 1, andar, tem-
Paranbos.
ASA DE
NO
Assignatura de banhos fri*, mornos.de choque ou ehuvtscos (para urna pessoa)
tomados em 30 dias consecutivos. ,........ 109000
SO cartder p->ra os ditos banhos tomados em qualquer lempo...... 159006
5 Ditos dito dito dito ; .... 000
7 ...:.. 4J0OO
Banhos tvulsos, aromticos,-salgados esulphurososaosprecos annvnciados
Es;g reduerjao de preq&s facilitar aorespeilavel publico ogozo dosvantagens que resultan
da frequenciadeum estabeleetmento deuma utilidadeincontestavel,masquein(elimenle nao
estando em nosso hbitos, anda pouco cenhecida e apreciad a:
O^r. alferes Thom'fi. Vieira
Lima, queira dirigir-se a esta typogra-
phia, que se lhe precisa fallar.
TABAC CAPORAL
Deposito Aas ixiaiiwfachuras imperiaes Aeraii^a.
Ecteexcelente fumo acha-se depositado, diretamente oa ra Nova n. 23,ESQUINA DA
CAMB04 DO CARHO. o qual se vende por masaos de 2 faectogramoe a l5000e em por^aode
10 masaos para cima com descont de 25 porcenlo ; no mesmo estabelecimento acha-se tarnbem
o verdadeirc papel de Knho para cigarros.
s
s
EAU MINERALE
NATRAUEDE VICHY
Deposito na boticafranceza ra da Cruz n.22
INJECTION BROU
Remedioinfallivel contra as agnorrhas antigs e recentes.
nico deposito Da botica franceza, ra da Cruz n. 22.
Preco do frasco 3^000.
Na ra do Imperador n. 28. vendo-se veja ingleza muito 4>oa vinda -em quartoles, a
garrafa por 400 re., cada copo de meia a 200 rs.
Na travessa do camiuho novo da Soledade,
estrada- do Manguind, casa n. 74, precisa-se de
urna criada para o servino interno de urna peque-
a familn, quer-se que saiba particularmente
coziohar e engommar, prefere-se que seja por-
tugueza.
Fabrica do Hontir^
com deposito na ra de Apollo n. 6. principia a
ter assucar crystalisado fino pelo systeme Euro-
peo ; asim como marellinho para caf per pre-
co baratissimo.
Com o descont de 5 Oi0 dulasde 19 e 5$, das que s podem ser (rocadas
no thesouro geral desta provincia, com o descon-
t de l 0[(l, na travessa da Madre de Dos o. 17,
das-8 horas da raanha s5 da tarde.
PIANOS
J. Laumonnier, havendo sabido de casa -do Sr.
J. Vignes, ollercce-se para tudo quanto diz res-
peito -sua arte, como seja, afinar e concertar
pianos, orgaos de igreja, harmnicos, etc., em
sua ofllcina, ra da Gadeia do Recife o. 11, pri-
meiro andar.
Esf-contratada a compra da casa terrea da
ra da Gloria n. 116, r.o bairro da Boa-Vista :
quem liver algum embraco a per conclusfio
desle negocio, queira dirigir-se ao escriplorio do
labelliao'Potocarreiro, ua ra do Imperador.
G. Beltramini.G. Girelli, A. Marchelti e-sua
senhera, C.iBartolucci, i. Rigbi eua senhora,
A. Mariotti, A. Abbiate, L. Bassani e.G. Marinan-
geli cem seu illio meoor embarcara no vapor
brasileiro para o norte.
_ Aluga-se o obrado de
tao da ra Imperial o. 169 :
Aurora u. 36.
dous andares e so-
a fallar oa ra da
Attenco.
Precisa-se elugar um sitio perlo da praca
quem quizer alugt-lo. dirija-ee 4 ra de Apollo
n. x, armazem de asauear, a tratar.
Elisiario Gomes de Lima.
Dr. Miguel Loiz Vianna.
Marcolino Alves da Silva.
Francisco Jos Alvea de Albuquerque.
Tenenle Joaquim Ribeiro Guimariea.
Jos Francisco Marlins de Almeida.
Romao Gomes de Olieira.
Claudio Baptisia Barroso.
Paulina Ramos de Carvalho, viuva de An-
lomo Jos Fernandos de Carvalho, dona do esta-
belecimento silo na roa do Amorim n. 36, o
qual girava sob a firma de Vinra Carvalho, par-
ticipa ao publico e especialmente ao respei-
tavel corpo de commercio, que oa Srs. Joa-
quim Jos de Azevedo, e Antonio Jos de Sarn-
paio deixaram de ser seus caixeirus desde o da
zl do corrente, continuando anda o seu esta-
belecimento sob a gerencia de seu geuro Vicente
Alves da Costa e Silva, com quem se devem en-
eoder todas as pessoas que com o mesmo teem
transaccoes. Recife 24 de dezembro de 18C0.
O abaixo assigoado declara pelo presente
que nunca leve sociedade alguma nem tem na
loia de louca da ruada Imperairiz n. 38. perteo-
cenle a sociedade dos Srs. Manoel Carlos Marlins
e Alvaro Jos Teiieira, quegyrava sobre a firma
de Marlins & Alvaro, a qual tendo sido dissolvi-
da no da 31 de dezembro p. p. deu-se esleen-
gano por um descuido,como se v6 nolia 11 e 12
por sso fajo esl* declarado por esta folha. Re-
cite 12 de Janeiro de 1861.
Lourenco Pereira Mendes Guimares.
Manoel Loo de Castro participa ao respei-
tavel publico e principalmente aos seus freguezes,
que o Sr. Antonio Ferrcira de Lima deixou de
5o?eu caixeir0 desde o da 23 de dezembro de
looO.
Aluga-se o segundo andar da casa n. 43 na
ra Velha, e o quarto andar da casa n. 14 na ra
do Trapiche ; a fallar no primeiro andar desta
ultima casa.
m&
LOTEltli
DA
PROVINCIA.
Precisa-se de urna mulher forra oueserava que
| saiba engommar e ensiboar com perfeicao pora
i casa de pouca familia : na ra do Queimado n.
39, loja de fazenda;.
; Aluga-se um molcque para servico interno
i de urna casa : a tratar na ra do Encantamento
i). II, Recife.
Aluga-se o segundo andar da casa n. 15 da
! ra do Vigario : quem pretender, dirija se ao
caes do Ramos n. 26, ou a ra Augusta n. 114,
a fallar com Prxedes da Silva Gusm3o.
Francisco Ignacio Ferreira declara a quem
O Sr. Ihesoureiro das loteras manda declarar; quer que seja do paleo do Paratzo n. 14, que a
sua residencia na rus eslreila do Rosario n. 29,
por isso quem desojar fallar-lhe, all o poder
encontrar todos os dias al as 6 horas da tarde.
Precisa-se de urna mulher roaior de 30 an-
uos, que lenha exemplar conducta e sem filhos,
o que seja inleiramente desembarazada e inde-
pendente, para se enesrrogar da regencia de urna
casa de familia e de homem casado : quem esli-
ver nestas circunstancias, dando conhecimeulo
por pessoa fidedigna de sua boa conducta, diri-
ja-se a casa terrea sita no pateo do Paraizo desta
cidaden. 6, que lhe dir quem assim o pretende.
Saques.
Luiz Antonio Si que ira, ra da Ca-
deia n. 20, saca sobre Lisboa porqual-
quer quantia que os pretendentes pre-
cisarem aos prazos e cambios qne se
convencional-,
Se far lodo negocio rom urna taberna com
poucos fundos e com comroodos para familia e
qcm afreguezada, na ra Imperial n. 178.
que se acham cbpostos a venda os bilhetes da
terceira parte dk primeira lotera da irmandade
do Senhor Bomjjesus dos Marlyrios desta cidade
cujas rodas devmo andar impreterivelmente no
dia 19 de Janeiro prximo futuro.
Thesouraria las loteras 22 de dezembro de
1860.Jos Mara di Cruz, escrivo.
Na cochei ra de mnibus de Claudio Dubeux
existem recoll idos dous burros, ignorando-se a
quem pertence n : quem r seu dono pode pro-
cura-Ios.
Nova pmta ou tarifa da
alfandega
Ne livrar a da praca da Independen-
cia n. 6 e i existe a nova tarifa que
tem deexe uta r- se a 9 de fevereiro, a
qual sera' i tostrada aos Srs. assignantes
do Diario, |ue a quizerem consultar em
quanto nao chegam algum pava vender.
4os consumidores de gaz.
A em >reza da illuminac,o
a gaz, re ga a todos os Srs. con-
sumido! es o favor de nao en-
tregaren aos seus machinis-
tas ou si rventes qualquer di-
nfeeiro juer de reparos ou
outro qi lalquer pretexto, sob
pe.na de Ihes ser novamente
exigido Todos os pagamen-
tos devem ser feitos ao Sr.
Thomaz Garrett nico cobra-
dor autorisado ou no escrip-
toro dos aferentes.
Compras.
Allencao.
Precisa-se da quanlia de 2:0009 a premio so-
bre hypotheca de predios a escolher, o sobre os
juros e prazos que se convencionar : quem tiver,
queira dirigir-se a esta typographia al o dia 15
do corrente, em carta fechada, com as iniciaes
A. B. C., indicando sua morada para ser procu-
rado.
Precisa-se de um caixeiro para taberna,
que d fiador a sua conducta : a tratar na ra
Imperial n. 7.
Precisa-se de urna pretaescrava que saiba
cozinhar o engommar : na ra da Seuzala Velha
numero 106.
Compram-se frascos grandes vasiosde agua
de colonia de autor Lubin a 100 res cada um :
na ra das Larangeiras n. 16.
Compram-se escravos.
Compram-se, vendem-se. e trocam-seescraros
de >embos os sexos e de toda idade : na ra do
Imperador n. 79. primeiro andar .
Compram-se escravos,
de ambos os sexos, que sejam sadios e de boa
"gura, com habilidades, e que sirvam para o ser-
vico de campo, de 8 a 40 annos de dade ; no es-
cnplorio-de Francisco Matbias Pereira da Costa,
na ra Direita n. 66.
Compra-se urna jarra vidrada,
grande, de bocea larga, de Genova :
nesta typograpliia.
~- Compram-se moedas de ourobrasileiras de
20$ ; no escriplorio de Manoel Ignacio de Oli-
veira & Filhos, largo do Corpo Santo.
Compram-se moedas de ouro de 20$ : no
armazem da ra da Cruz n. 19.
Francisco Goncalves de Moraes, doulor
em medicina mudou a sua residencia pa-
ra a ra da Penha sobrado n. 5, primeiro
andar.
Aluga-se um primeiro andar na ra da Cruz
n. 29, com landos para a ra dos Tanoeiros : a
tratar no pateo de S. Pedro n. 6.
VIA FRREA
DO
akp m mamm
;L. SMITOS &UOIAM.
Scientificam aos seus amigos e freguezes desta e d'outras
provincias, que mudaram o antigo estabelecimento de fa-
zendas que tinham na ra do Crespo n. 13 e do Imperador
n. 36, para o bem conheicdo sobrado amarello, na esquina
da ra do Queimado n. 31, propriedade do Illm. Sr.com-
mendador Magalhes Bastos, onde continuaro a ter o mais
completo sortimento de fazendas de todas as qualidades
para venderem por mdicos precos em grosso e a retalho.
SOBRADO AMARELLO
ESQUINA DA RA DO QUEIMADO N. 31.
Urna seiiLoi a cagada, .com pou-
eos iliios, e j maior, natural e residen-
te em Hamburgo, mas que esteve no
Brasil, acceita dous on tre* meninos ou
meninas para educar com todo o esme-
ro e por condicoes rasoave6.; a fallar
na liviana n. 6 e 8 da praca da Inde-
pendencia, onde se da rao todas as in-
formales.
i
NO
Clement Vital Edouard Rougelron, subdito
francez. relira-se para Usranho.
luga-se umacaea terrea cora 6'quarlo
2 salas: ha roa Augusta n. 92.
<3r Manoel Pereira Lopes
JLibeirp, com loja de barbeiro e cabelleireiro tem
bicha* de Hamburgo, tira denles, sangra, appli-
ca ventosas pela presso do ar, bota ouvidos em
armas de espoleta, amolla loo o ferro corlante,
ludo isto com pramptidao e pode' ser procurado cife 7 de Janeiro de 1801.
a qualquer bora aa /ua t Imperatriz t. 13.
Trovador.
O proprietario desle estabelecimento desejsn-
do por todos os modos a seu alcance corresponder
a bondade de seus freguezes, mandou vr do Pa-
rs um primorosobilhar de mognoe o tem a
disposicao dos amadores desso bello passa lempo
a todas as horas do dia e da noite. Espera que
seus freguezes e amadores nao dexaro de fre-
qoentar constantemente o seu estabelecimento,
concorrendo assim para que seus exfnrcos sejam
coroados de bom xito. Ra larga do Rosario nu-
mero 44.
Offerece-se urna pessoa capaz, que entende
de negocio e falla francez, para caixeiro : quem
precisar, deixe caria no escriplorio deste Diario,
com as iniciaes T. A. P.
D. Josepha Claudina Soares Vilella, com-
- O abaixo assignado previne ao publico que nf^f^lil^i^tL^J'^^^'^^-
ninguem contrate cora a Sra. D.Carlota slreV P !L ? ?bfrt0 emsucasana
Pereira a compra da can terrea sita na ra do
Brum n. 2, e de mais 2 escravos, porque dita ca-
sa e escravos nao perteheem a mesma senhora,
mas sim foram dados no Inventario e partilhas
que se pracedou dos bens de seu finado marido
Manoel Jos Pereira, para pagamentos de seos
credores de seu casal, em cujo numero se acha o
abaixo assignado, que protesta desde j annuIUr
iso de eerem efectuarjas.
LIMITADA.
iBERTIIRA DA SEGilSDA SECCiO AT A ESCADA.
Do dia 3 de dezembro de 1860 at outro aviso a partida dos
trens ser regulada pela tabella seguate :
Vendas.
Cheguem loja da Boa f.
Chitas francezas muito finas de cores fixas a
280 rs. o covado ; cambraias francezas muito fi-
nas a 640 rs a vara ; dem lisa muito fina a
485CO e a 6J000 a peca com 8 1|2 varas ; dila
muile superior a 8$000 a pega com 10 varas;
dila fina com salpicos a 40800 a peca com 8 ii_2
varas; fil do linho liso multo fino a 800 rs. a
vara ; larlalana branca e de cores a 800 rs. a va-
ra ; e outras muitas fazendas que, sendo a di-
nheiro, vendem-so muito baratas: na ruado
Queimado n. 22, na loja da Boa f.
Lencos para rap.
Vendem-se lencos muito finos proprios para os
tabaquistas por serem de cores escuras c tixas a
5JW00 a duzia : na ra do Queimado n. 22, na
loja da Boa f.
Na loja da Boa f vende-se
panno prelo fino a 4, 5, 6, 8 e IOS rs. o co-
vado, casimira prela fina a 2J, 33 e 4 rs. o co-
vado ; gros de na pies prelo a 2, 28500 e 3 o
covado; alpoka prela fina a 640, 800, o. muito
fina a 1 rs. o covado ; casimiras muilo finas (Jte
cores escuras com 6 palmos de largura a .{# rs. o
covado ; ditas de cores claras a 6 rs. o corte de
ealca ; raeias de aleodao cr muito superiores a
800 rs. a duia ; ditas de algodao cru lainbcm
muito superiores para meninos a 4$ a duzia ; e
assim muitos oulros arligos de le que se ven-
de m baratissimos, sendo a dinheiro: na referida
loja da Boa f, na ra do Queimado n. 22.
Camisas e loalhas.
Vendem-se camisas brancas muito finas pelo ba-
ratsimo prego do 28 rs. a duzia ; toalhas de li-
nho para rosto a 9j a duzia ; ditas felpudas mui-
lo superiores a 12 a duzia : na ra do Queima-
do n 22, loja da Boa f.
Trens para o interior.
ditas vendas, no cal
Re-
Luiz Antonio de Sauza Ribeiro,
ra Yelha n. 46 ama aula de instruegio primaria,
ensinando igualmente a coser, bordar, labyrin-
Ihar. ele, ele, para cujo fim convida aos pas de
ramilia a lhe couflarem suas alnas, ssegurando-
lhes todas as vaolagens para o adiantamenlo del-
tas. Na mesma aula tamuesa se admitlirio meias
pensionistas.
Lices
de primeiras letras, portuguez, latim, francs,
inglezrem casas particulares : na rna da matrii
da Boa-Visls n. 34.

estacOes.
Cinco Ponas....
Afogados........
Ooa-Viagem.....
Prazeres.........
Poiil"zrjha......
llha.............
Villa do Cabo....
Ipojuca.........
Olinda.............
Timb-Ass.......
Escada (chegada)..
-------------------frr
DAS DE TRABA-
L110.
XASHAA.
ESTAFES.
Escada.......
Timb-Ass.......
Olinda.............
Ipojuca..... .
Villa do Cabo.....
Ilha................
Ponlezinha.......,
Prazeres......
Boa-Viagera..
Afogados..........
Cinco Ponas (che-
gada.)......
8
8
8
9
9
9
9
10
10
10
10
Hor.lMin.
30
40
50
15
25
40
20
35
50
TARDE.
Hor.
i
4
5
5
5
5
6
6
6
6
Mn.
301
40
50l
15
25
40
DOMINGOS EDIAS
SANTOS.
M AMIA A.
Hor
7
7
7
8
8
8
8
9
9
9
9
Mn.
30
40
50
15
25
40
20
35
50
tarde.
Hor.
6
6
6
7
7
7
7
Precos de bilhetes.
VIAGENS SlNGE-fviAGENS DE IDA
LAS. E VOLTA.
Min.
30
40
50
15.
25
40
I.1
400
1200
1400
2400
27001
3400
4500
5300
6000
6500
300
900
1100
1900
2200
2700
3300
3800
4300
4500
3.J
200
1.a
600
50' 1800
600 2000
1000 i 3600
1100) 4000
1400 5000
2000
2300
2600
30U0
Tren do interior.
6900
8000
9000
10000
Paletos.
Vendem-se paletos de panno prelo fino, muilo
bem feitos a 22 rs.; ditos de brim branco do
linho a 5 rs.; ditos de setineta oscuros a 3(500,
muito barato, aproveilem: na ra do Queima-
do n. 22, loja da Boa f.
Cassas de cores.
Anda se vendem cassas do cores fixas, padres
muito bonitos, pelo baratissimo preco de 240 rs.
o covado, e mais barato que chita': na ra do
Boa' D' 22' a bem C0Dhccida loJa da
A loja da ba-f
na ?ua do Queimado n. M
est muito sortida.
c vende milito barato :
fnnbrr/DC d pur? linh0 ""Cado a 1JO0O* e
IMno .1. Var" ; dl"? pard0 auit0 ^"or l
1S200 a vara ; gangas francezas muito finas de
Kr^prob^ermn^rl^
nha de linho muito fina a 20 2^ i rV"
X A? a3lJoOdrSs = to-*^-'U.i?-,'5
com ^aras^dTargr TiwT,01* V^0
de cambraia brancS'p. ra^LVa"* Ujf!
da fn ,J 6 aJra dlsl0' ou,ras 'en-
das que se vendem muito barato a dinheiro a
ia do Queimado n. 22, loja da Boa f
vista
DIAS
DE TRABA-
LHO.
XAMIAA.
Hor.
5
Mo.
45
5
20
35
15
25
40
50
10
TARDE.
Hor.
1
2
2
2
3
3
3
3
3
4
4
Min
K|
5
20
35
15
25
10
Sor.
DOMINGOS E DIAS
SANTOS.
MASIIAA.
Min.
15
25
40
50
10
TARDE.
Hor.
3
4
4
4
5
5
5
5
5
6
Min.
45
20
35

25
40
50
10
Precos de bilhetes.
VIAGENS SINGE
LAS.
VIAGENS DE IDA
E VOLTA.
1.a
700
1400
2100
3200
3800
4400
5000
5600
6000
2."
500
1000
1500
2200
2800
3100
3800
4000
4300
6500 4500
Padaria.
30C 1000
600 2100
900 3200
1400 4800
1700 5700
1900 6600
230 7900
2400 8400
2700 9500
800
1500
2200
3300
4200
4600
5700
6000
68001
3000 10000 7000
500
900
1460
2100
2500
2800
3400
3800
4000
4500
Assignado*. H Bramah,
Superintendente,
mlu^"8* Um esfabe'ecimenlo de padaria bem
montado, cem um deposito no centro destai cid.
de, em muito bom luar : tarnbem se vend s
a padaria muito em conl. ; a fallar na travessa
do arsenal de guerra n. 1 a 3. ravessa
.r ,Vend-" ym halcao velteado, de amarello
propriopora loja de fazendas ou miudezas e
mesmo para ourives por j ter sido desse mesmo
negocio; a tratar na loja da ra Direita n. 43 S
na ra Nava o. 5. ou
1 escraw de idade 38 annos, engommadnra,
e cozmheira por 750, 4 divas para lodo o aervi-
50. 1 muleca de idade 9 annos por 700* 1 bonito
moleque de idade 20 nos, 1 fabrica completa de
razcryplas : oa ra d Aguas-Verdes n. 46.
"7 Vende-seom escravo crioulo, desenos,
de bonita figura, nao tem vicfoa e o que se afianca ; n taberna da ra das Cruzea
numero 22,



DIARIO DH PRAIUMIUOO U. OUAUT.
i K JAMBJM BE 1861.
Liquidado,
Na ra da Queimado n. Al.
Cheguem a o barateiro.
Vendem-se chitas de cores Qxas a 160 rs. o co-
vado, ditas em retalhos a 140, liseadoe francezes
a 200 rs., cambuta* de barra a 3f, corle de cas-
ca chita a 19, gravatas de seda a 300 rs.. ditas
pretas a 700 rs., lencos de seda grandes a 19500,
cortes de cambraia de seda a 4. musselinas de
cores a 240 o corado, corlea de chita d* barra a
2950Q, cassas de corea a 800 rs. o corado, chitas
largas boas a 220 o cavado, corles de riscado
raocez a 1J800. chales da merino lisos 5j>, di-
tos bordados a 73, gsBgas de cores para jalea a
520 o corado, cambraias lisas da 10 jardas a
3J500, ditas raais Qoas a 49600, cortes de cam-
braias bordadas, f.izcnJas fiuas a 59, cortea de
meia casemira a 29100, ditos de briro adamasca-
do braoco a 29500,lencos de la o seda a 13000,
grosdenaple muilobom a 2$ o covado, chapeos
de massa linos a 43. panno fino bom a 35500 o
covado, e outras mais fazeodas que vendem-se
portlo e qualquer preco, e do-so amostras
com penhores.
Presunto a 480 res.
Toucinho a 320.
Al pista e paiaco a 200 rs,
Na ra das Cruzes n. 24, esquina da travessa
do Ouvidor.
Ven<1em-se duas negras com ss habilidades
de engnmmar e cozinhar, urna mulata moga com
20 mino-, com algumas habilidades, urna negri-
nha do 12 anno, muito linda e esperta, urna ne-
gra de meia idade, 3 negros de bonitas figuras
proprios para enxada por serem robustos : na
ra larga do Rosario n. 20, segundo andar.
Tiia do Queimado n. 1.
Para acabar, vende-se cassa miulinha fina a
299 rs. o covado. dita (rrsoda a 240 o covado,
tiras borladas a 2>50O. 3$. 3500 e 4*. la de cor
a 400 rs. o covado, c outras muilas fazendas por
precos commodos.
Fivelas.
O mais lindo e variado sortioienlo de fivelas
para cintos de senhora que se pode encontrar ;
vendem-se por precos muito razoareis, em casa
de J. Falque, ra do Crespo n. 4.
Cera de carnauba.]
Vende-se cera de carnauba a superior quah-
dade, em porcao e a relalho, por preco mais ba-
rato do que am oulra qualqaer parte : na ra do
Queimado, loja de cera n.p7. ^
i Remedios americaoos |
DO DOCTOR
Radway & C, de New-York
g Prompto alivio. Resolutiv
2 reaevador.
3 Pilulas reguladoras. *
9 Estes remedios ja sao anu besa eonhe-
9 cidos polas ad mira veis curas que teas ob-
tido em toda a sorle de febres, molesliaa
chronicas, molestias de senhoras, de pe- 9
le ele., etc., conforme se ve ns inalrue- <39
coes que se acham tradezidas am por-
9 tuguez
fSalsa parrilha legitima eg
original do antigo
Novo sorti-
ment-
Vende-se urna morada de cata
terrea na ra da -matriz da Boa-Vista :
a fallar na mesma ra sobrado que vol
ta para a ra da Glorian. 33.
Ra do Crespo,
IDR.JACOBTOUNSEND*
0 niellior purificadr do sanpe
cara radicalmente
Erisipela. Phtisicas.
Rheumatismo. Catarrho.
Chagas. Doencas de fijado.
Alporcas. Effeitosdoazougue.
Impingens. Molestias da pelle.
Ven le-se oo armazem de fazeodas de
ra do
de cortes de chita franceza da padrOes
inteiramente novo* tanto claros como _
i j j* I Por precos baratissimos, para ac
eSCaroreonrlF eoradW pelo diminuto cambraia lisa fina a 39, organdy
preco de 2#500: na ra do Queimado
n 18 A, esquina da ra do Rosario lo
ja de Jos Morara Lopes.
Xaropepei toral brasi-
Ieiro.
Os Srs. Joo Souw & C, nicos possuidores
deaie xarope j bem conhecido pelos seus bons
etTeita, continan a veode-lo pelo preco de 19
cada vidro ; fazem urna difirenos no prego aos
collegase a todas as pessoas que tomarem da 12
vidros pira cima.
mmsmmm xmm mvmw&
Ltnha americana a 100 rs.
de 200 jardas
branca e de todas as cores, estas linhas
sao fabricadas para cozer em machinas
por serem muho fortes e iguaes sao as
melbores liabas que tem rindo a este
mercado.
de
Machinas da vapor.
Rodas d'agua.
f
a Waymundo Carlos l.eile $ IrmSo,
g, lmperalrizn 12.
Em casa de N. O. Bieber & Successorea, ra
da Cruz n. 4, vende-se :
Champanha marca Parre A C, urna das mata
acreditadasmarcas,muiconhecidas no Rio de Ja-
neiro.
Vinho xerez em barris, cognac em barris e
caixas.
Vinagre branco elinlo em barris.
Brilhantes de varias dimenses.
Eihcrsulfurico.
Gomma lacre clara.
Lenas, brinzaos e brins.
Ac de Milo
Ferro da Suecia.
Alsodo da Baha.
FUMO AMERICANO
de 16S000 a 229000 a irroza de macinhos embrulhados em chumbo: no centro commercial ra da
Oideia do Recife n. 15, loja de Jos Leopoldo Bourgard.
PROGRESSO
de
MI
s-Iargo da Penha-
Os proprietarios deste estabele-
cmantoconvidam ao respeitavel publico, principalmente aoe amigos do bom abarato, queso
achara em seu armazem de molhados da novamente sonido de gneros, os melhores que tem
vindo a este -lereado, por serem escolhidos por um dos socios na capital de Lisboa e por serem
a raaior parte dalles vnolos por coma dos proprietarios
<*\gos com eYiampanlia
das melhores marcas que ha no mercado a 209000 e em garrafa a 25000.
Figos de comadre
em caixas proprias para mimo a 1*000.
Barris cam altitonas
os mais novos que ha no mercado a 192000.
Srvela branca
das mais acreditadas marcas a 59000 a duzia e em garrafa a 500.
Queijos uamengos
receidos pel ultimo vapor de Europa a 39000
Qaei|os parlo
das melhores qualidades que tem viudo a este mercado a 9GO reis a libra, e em porcio se
Retroz e trocal preto e
cores
tambem proprio para coser em machi -
as, vera em carreteis o eodo-se em li-
bra a 208 ou 2g um carretel de 12 em li-
bra : na ra da Imperalril a. 12, princi-
pal deposito de machinas de coser.
N. t. Como existe um grande sorti-
aoenle destes objectos vende-se mesrao
a quem nao tem comprado machina da
coser.
aMt VID o.tw 5fJV BfPW CW 9AleWWWaikf
Vinho do Porto, genuino,
Rico de 1820.
Slomacal de 1830.
Precioso de 1847.
As duzias,e em caixinhas, a diobeiro, por ba-
rato preco : vende-se na ra do Trapiche n. 40,
escriptorio.
Bolsas de tapete para
viagens.
loja n. 25, de Joaquina Perreira de S, venda-se
acabar : pecas de
,1 muito Qoas*
modernas a 500 rs. o covado cassas abertaa de
henitas cores a 240 rs., chitas largas a 200 e 240,
cortes de ctssa de cores a 2JJ. entreaaetos borda-
dos a t|600 pee, babada* bordados a 320 a
vara, tediabas de iiuadros unas a 800 rs., casa- 4
veques de cambraia e fil a rjj, perneadores fe 2 T.i
cambraia bordados a 5, golliohas bordadas a
640, ditas com ponas a 2&500, manguitos borda-
dos de cambraia e fil a Zf, damasco de la com
9 palmos d largara a 1990, bramante de linho
com 9 patatos de largara a 900 rs. a vara, luvas
para senhora a 100 rs. o par, capas de fuslo en-
feitadas a 59, pecas de madapelio fino a 4$, la-
zinha de quadros para vestidos a 320. camisus de
cambraia bordados a 29, obtecasacas de panno
Km 2J 0 25$, p*e*eU de panno e caswmira de
tS 90$. ditos de alpaca de 3*300 a 89, ditos de
brim de cores e brancos de 39500 a 5$, calcas de
casemira peelas e de cores para todos ps precos,
ditos de brim de cores o brancos de 29 a 59, ca-
misas brancas e de corea para toJos os pregos,
colletes da easenira de cotes fine* a 59; assim
como outras muilas fazendas por menos do seu
valor para fechar comas.
Sonis pata mentas.
O lempo proprio para se comprar os bonitos
boneta de patio Ooo eadfcitodM cosa fita de cha-
malote e borloU, outros enfeitados com fita de
vollodo e pluma, outeos com gaUoainbo dou-
rado. toio pokis bfiiMimov proepa de 5*500,
49 e 59, ditos de palba escura, mui bonitos e
?-sS 3'-gorras de palfc branca anfeiladasa
ipDOO, e outros mu diferentes bonets de panno
enfeiudoa a 19 a 1280 : na ra. 4o Quaiaado,
loja da a&ula hranxa. n. 16.
l
240.
Cassas de lindos padres e cores fizas que so
pode garantir aos comprado, a 240 rs. o covado,
roa do Qweimado, loja de 4 portas a. 39.
As verdadeiras luvas de
Jouvin.
A loja da aguia bradtas acaba de receber de
su* encommeuda as verdadeiras luvas de Jou-
vin, primeira qualidade, tanto brancas como pre-
tas para hornera e senhora : quem precisar, diri-
ja-se a dita loja da aguis branca, rna do Quei-
mado n. 16.
Assucar e caima.
Vende-se assucar maacavado a 109 re. a li-
bra, agurdente de canna engarrafada a 240 a
garrafa ; na travessa do paleo do Paroizo a. 16,
casa pintada de amarello.
Taixas.
9 Rodas dentadas.
9 Bronzes e aguilhes.
^ Alambiques de ferro.
^ Crivos, padres etc., ele.
Na fuudico de ferro de D. W. Bovaaan, m
roa do Brum passando o chafariz. S
99mm9 *^* ??
Xa loja da boa f, na ra
do Queimado nv.S2,
vende-se muito barato.
Cambraia lisa flna com 8 111 Varas caa peca a
49500, dita muito fina com salpicos a 59, dita de
corea de podroes muilo benitos a 929 covado,
cortea de caaaa pialada cosa 7 varas a 29240, fil
de ficho liso muito fino a 800 rs. a vara, tarlata-
na muito fina brsoe o de coreo com 1 1(2 vara
de largera a 8U0 rs a vara, gaaroie&es de cam-
braia (manguitos e golla) bandada muito finas a
59, gollinbas bordadas de cambraia muilo fina a
19, espartllhos muito superiores pelo baratissimo
preco de 6J, penles de tartaruga a imperatriz
muilo superiores a 99, boneimie velludo para
meninos a 53, ditos de panno preto a 3f, sapali-
nhos de merino muito enfeitados a 2g o par, chi-
tas francezas finas escuras e claras a 280 o cova-
do, cortes de cambraia de cores com 3 baba dos
com 11 e 12 varas cada corte a 49509, superiores
lencos de cambraia de linho muito fina e rica-
mente bordados a 9$, ditos de cambraia de algo-
dio com bico de linho a 19280. ditos de cam-
braia do liaho proprios por algibeira a 69, 7 e
8$ a duzia, ditos de cambraia de algodo a 2J400
e 39 a duzia, tiras bordadas largas e finas com 3
1|2 varas cada pega a 2J500, e assim outras mui-
las fazendas que vendem-se por precos muile
baratos 1 na ra do Queimado n. 22, n> bem eo-
nhecida loia da boa f.
Bonitos cintos para senho
ras e meninas.
Na loja da agola branca vendem-se mui boni-
tas fi tac con fieUc para cintos de sen horas e
meninas, e pelo baratissimo preco de 2f : em
la lojadaagoia branca, ra do Queimado nu-
mero 16.
Objeetos de gasto
senhora e meninas.
A loja da agu branca recebeu nni bello sorti-
ateaU de efcjectee o> moito geato e alliBM mo-
da, proprios para senboras e aaenina, sendo de-
licadas gollinhas e voltt de vidrilho, vollaa de
coral e cornalina com atacador de mola, doma-
do, obra inteiramente nova de muito gosto, e
petos baratissimos precos de 29 cada objeclo :
na roa do Queimado, loja da iguia branca nu-
mero 16.
rj
alguna abaiemento.
fa-
do
rs
Qaeijos suisso
recenteaiente chegado e de suqerior qualedade a 960 reis a libra.
Chocolate
dos melhores autores de Europa a 900 rs. a libra em porcao a 859/b.
Marmelada imperial
afamado Abreu.ede outros mais fabricantes de Lisboa em latas de 1 a 2 libras a 809
em porijao de se far algum abatimento.
Maca de tomate
ea latas de 1 libra por 909 rs.,em porgao vende-se a 850 rs.
Conservas trncelas e inglezas
as mais novas que ha no mercado a 70 rs. o frasco.
Latas de balaclvvnha de soda
om diferenies qualidades a 19600 a lata
IVm5vx.as Cranceas
as mais novas que tem vindo a este mercado em compoteiras.contenao 3 libras por 39990 rs.
e eta latas de 1 e 1(2 libra por 19500 reis
Caixinnas com 8 libras de passas
a 39009 rs. em porfi se far algum abatimento, vende-se tambem a realhoa libra a 590 rs.
Manleiga inglea
pjrfailamenteflor a mais nova que ha no mercado a 19000 rs. a libra, em barril se far al-
gum abatimento.
Cha perola
o melhor que ha oeste genero a 29599 rs. a libra dito hyson a 29990 rs.
Manteiga francesa
a 720 rs. a libra em barril se far abatimento.
Toocinho de Lisboa
o mais novo que ha no mercado a 320 reis a libra.
M.ac.as para sopa
m caxinhas de 8 libras com deferentes quaKdadespor 49000 rs.
Tambem vendam-seos seguintes gneros, lodo receniemeolebogado e de superiores qua-
lidades, presuntos 480 rs. a libra, chourica muita nova, marraelada do mais afamado fabricante
de Lisboa.maca de tomate, perasecca, paisas, froctssem calda, amendoas, nezes, frascos com
amendoas cobertas, confeites, pastilhasde varias |ualidades, vinagre braceo Bordeaux, proprio
para conservas, charutos dos memores fabricantes de San Flix, maces de todas as qualidades,
gomma muito fina, ervilhas francesas, charupegnedas mais acreditadas marcas, corvejos de ditas)
speraiacete barato, licores francezes muito,finos, marrasquino de zara, azeile doce purificado, aaei-
tonas muito novas, banba de powo' refinada e ootros mui tos gneros quo anconi r a rio tendentes
molhados, p,r iss,, prometiera os proprietarios vender por mui menos doqtfe-outro qwlquer,
promettem mais tambera servirem aquellas pessoas que mandarera por oirs poilco pratieascom
Vendem-se mui bonitas bolsas de tapete pro-
prias para viagens, etc., etc., pelos baratissimos
precos de 5$, 69 o79 : na loja da aguia branca,
ra do Queimado n. 16:
Farinha a 3.s500.
Vende se no armazem da ra da Uadre de Dos
o. 35, saceos com boa tarinha de mandioca, de-
sembarcada bontem, pelo barato preco de 3500
cada sacco.
Milho novo a 4"000.
Vendem-se milho novo em saceos grandes, pe-
lo preco cima ; no armazem da ra da Madre
de Dos n. 35.
Ra do Queimado n. 39
Loja de quatro portas
DE
J0AQUIM RODRIGUES TA VARES
DE MELLO.
Ha cortes de vestidos de seda de cores, (aren Ja
muito superior com pequeo toque de mofo a
609000, ditos sem defetto a 1009000, tem um
resto de chales de toqoim que estio-seacabando
a 309000, ditos de mirin bordados com pona
redonda a 89090, ditos sem ser de pona redonda
a 89099, ditos estaopados eom listras de seda
em roda da barra a 99000, ditos de ricas estam-
pas 79000, ditos de ganga franceza com fran-
ja branca a 29099, ditos sem franja e muilo
encorpado a 29000, ricos manteletes de grosdi-
naples preto e de cores ricamente enfeitados a
259000, ditos muilo superiores a 309000, en-
feitesde vidrilho preto a 39000, ditos de retroz
a 39500, organdis da mais fina que ha no mer-
cado a 19000 o covaio, cambraias de cores
de padres muito delicados a 800 rs. a vara, ditas
de outras qualidades a 600 rs. avara, ricas chitas
farncezas de muilo boas qualidades a 280, 300,
320, e 400 rs. ao covado, a melhor que se pode
imaginar, peitos para camisa a 240 rs. cada urna,!
corles de casemira decores a 69000, ditas em;
pesca de quadrinhosa 49000 o covado, golliohas
de muito bom goslo a 19000, ditos de outros
bordados ricos a 35000, manguitos de cambraia
bordados a 39000, tiras bordados e-entrimeios
quesevendem por preco comraodo, bombazil de1
cores proprio para roupa de crianzas, e capinhas
para senhoras a 19400 rs. o covado, cortes de
cambraias de salpicos a 59000, cortes de cam-
braia enfeiladas eom liras bordadas a 69000,
e outras militas mais fazendas que ser difcil
aquipede-las mencionar todas.
Anda contina a estar para se vender, per-
mutar por casa nesta cidade. e em ultimo caso,
arrenda-se a quem flzer as obras e concertos que
a casa precisar, sendo descontada a quanlia gasta
do aluguel que tiver de pagar, o sitio da Iravessa
do Remedio, na freguezia dos Afogados n. 21:
quem o pretender, entenda-se com seu propre-
tario na ra de S. Francisco, coma quem vai pa-
ra a ra Bella, sobrado n. 10, ou na alfandega
aonde empregado.
Esteiras da India de 4, 5
e 6 pamos de largo.
No armazem de tazendas da ra do Queimado
n. 19, propriamente para forro de salas e camas
por ser di melhor qualidade, e todas brancas
Chales.
Ricos chales de merino eslampados, decores
muito bonitas a 79, ditos muilo finos a 89500,
ditos lisos a 59, ditos bordados a matiza 8950o,
na ra do Queimado n. 22, loja da boa-f.
Tachas e moendas
Rraga Silva & C, tem sempre no seu depo-
sito da ra da Moeda n. 3 A, um grande sorli-
mento de tachas e moendas para engenho, do
muito acreditado-fabricante Edwin Maw a tra-
tar no mesmo deposito ou na ra do Trapi-
che n.4.
Capellas c flores.
Mui bonitas capillas para noivas a 59, 69 e 79,
ditas para meninas a 2$. bonitos e delicados cal-
los do flores finas a 1 500, 2$ e 38 : na ra do
Queimado loia da aguia branca n. 16.
1Vende
Relogtos patentes.
Estopas.
Lonas.
Camisas inglezas.
Peitosparacamisas,
Biscoutos
Emcasade Arkwight 4 C,
Cruz n. 61.
ra da
Farinha a 3S500
Vende sefarinhade mandioca a 5$300
a sacca : na ra da Madre de Deo nu-
mero 35.
LEis9Ig>9i9
novas.
A loja da agnia branca acaba de receber de sua
prepria eaeoaaaaooda na lindo e completo sorli-
menlo de perfumara finaa, a qes esta ven-
dendo por manes duque em oulra qualquer par-
le : sendo o bem conhecido oteo philocomee ba-
nh (Societ Hygienique) a 19 o frasco, finos ex-
tractos em bonitos frasees de cores e doorados a
29,2|500,39 49, a aUmaa banha transparen-
te, e outras igualmente finas e novissimas como
ajaponaiseem bonitos frascos, coja tampa devi-
dro tambem cheia 9a mesma, nuile concrete,
odonnell, principe imperial, creme, en bonitos
copinhos cam lampa de metal, e muilas entras
diversas qualidades, todas estas a I9 o raaco,
bonitos vasos de porcellana dourada proprios pa-
ra offert a 29 e 296OO, bonitos bahozinhos com
9 fraaquinhos de efedro a 29, lindas cestinhas
com 3 e 4 frasquinhos, t caiiiobas redondas cam
4 ditos a I52OO e I96OO, finos pos para denles o
agua balsmica para ditos a l9e 19500 o frasqui-
nho ; e assim urna infinidad* de objeclo qoe sao
patentes eos dita leja da aguia branca, na roa do
Queimado n. 14.
Ra da Senzala Nova n .42
Vende-se em easa do S. P. Jonhston A C,
sellinse silhes nglezes, candeeiros e casticaes
bronzeados, lonas nglezes, fio de vela, chicote
para carros, emon,aria, arreios para carro do
um o dona cvalos relogios de ouro patente
ingles.
mvism&a&i QnflK-aseeeKeiif
Gurgel & Perdigo.
%ftua da Cadera loja n. 23.1
Receberam rrodemo* vestidos de phan-
tasia e de cambraia brancos bordados.
Receberam novos vestidos de seda, di-
tos de blonde com todos os perleaces.
Receberam complete sortimeoto de
manteletes, sabidas de baile, taimas de
erte de seda, ditas pretas bordadas.
G.VSDE SORTIMEXTO
Relogios.
Vendem-se em casa de Braga, Silva & C, re-
logios de ouro de diversos fabricantes inglezes,
por preco commodo.
Chega para todos.
Cassas francezas muito bonitas e decores (has
a doze vinlens o covado, mais barato do qne
chita, approveitem em quanto nao se acabam ;
na ra do Queimado n. 22, na bem conhecida lo-
ja da Ba F.
Cheguem ao barato
O Pregules, est queiniando, em sua loja na
ra do Queimado n. 3.
Pecas de brelnha de rolo com 10 varas a
28, casemira escura infestada propri para cal-
c.a, colleie e palitots a 960 re. o covado. cam-
braia organdy de muito bom gosto a 480, rs.
a vara, dita liza transparente muilo fina a 39,
4f, 59, o 69 a pega, dita tapada, eom 10 varas
a 59 e 69 a peca, chitas largas de modernos e
escolhidos padres a 240, 260 280 rs. o cova-
do, riquissimos chales de merin estanpado a
79 e 89, ditos bordados com duas palmas, fa-
zenda muito delicada a 99 cada um, ditos com
urna s palma, muito finos a 8f50U, ditos lisos
oom franjas de soda a 59, tenaos de cassas com
barra a ICO, 120 e 160 cada m, meias muito
finas para seabora a 49 a doma, ditas de boa
qualidade a 39 o 39500 a duzia, chitas fran-
cezas de reos desenaos, para opberla a 280 rs.
l) covado, chitas escuras ngfezas a 59900 a
peca, e a 160 re. e covado, brim hranco de puro
lioho a 19, 19200 o 19600 a vara, dito preto
moito encorpado a 19500 a vara, brilbantini
azul a 409 rs, o covado, alpaeas de differootes
ores a 360 rs. o cavado, easemiras pretas
finas a 2|0O, 39 e 39500 o ovado, cambraia
prata o da salpicos oOO rs, a vara, e outras
DE
Fazendas e roupa feita
NA LOIA E ARMAZEM
DB
Joaquim Rodrigues Tarares de Mello
RA DO QUEIMADO N. 39
KV'SCA LOJa DB QUATRO PORTAS.
Tem um corapletosortiment de roupa feita,
convida a todos os seus freguezes e a todos
quedesejarem ter um uniforme feito com todo o
gosto dirijam-se a este estabelietmento que em-
contrario um habel artista chegado ltimamen-
te de Lisboa para desempenhar as obras a von-
tade dos freguezes, j tem um completo sorti-
menlo de palitots de fina casemira raodello irn-
glez, e muito bem acabados a 169000, ditos
de merino selim a 129000, ditos de alpaca
pretos a 59000, ditos de alpaca sobre casacas
a 89000, ditos com golla de velu a 99000,
ditos de fustao, ditos de ganga, ditos de brim,
nca
Seguro contra Fogo
S COMPAHHIJL
j LONDRES
;agentes
C J. Astley & Companhia.
Vende-se
Formas de ferro para
purgar assucar.
Euchadas de ferro
Ferro sueco.
Espingardas.
Ac de Trieste.
I Pregos de cobre de com-
| posicao.
| Barrilha e cabos.
I Brim de vela.
Couro de lustre.
Palhinha para marcinei-
ro : no armazem de C.
| J. Astley A G.
Venden modernos chapeos do palha,
enfeites modernos para senhoras.
Ven de m a com modas
mussrlina e culim para
ninas.
saiaa balao de
senhoras e me-
Vendem seda de quadtinhos, grosdena-
ples escuros, ditos de quadrinhos.morean-
tique e lanzinhas em covado, cassas de
salpico,cambraia de cores,organdis e mais
fazeodas proprias para vestido.
**VjWrwswaW CBBBaWSBB v^SvRke
Vende-se urna escrava moga, reforjada e
com algumas habilidades; na ra do Brum nu-
mero 33.
Vende-se
EM CASA DE
Adamson Uowic k G.
H3Da>
iiEa>T9 OSS9a9CB<
RELOGIOS.
,a viessera pessoalmeote ; rogam tambem a udos os sanbores de engenho e seohoreslavradores P
.eiratn maf^^^^3 ao arm.iom Prog^^aaeoeHros affitnf rUi4Uidi9<..Mliu fend.s que se fara patente ao compra-
dor, e de todas sa daro amostras (om penhor*
o acoDdicioaairjoaio,
Vende-se em:asade Saunders Bro hersa
G. praca do Corpo Santo, relogios do afama
lo abricante Roskell, por precos commodos
a tambem.-ancp.llins e cadeiasiara oa mesmo
ieezceellnte costo.
Para acabar.
Pecas de cambraia de flores a 39500 a peca,
chita franceza clara e escura a S60 rs. o covado,
grvalas de linho a Pineau e de selim a 500 rs.,
grosdenaple preto a 19900, 2S200 e 99400 o co-
vado. corles de cambraia de cores a 29200, algo-
do com SO jardas a 39 e 39300, e 4900 com 22
jardas,chapeos de sol de panno a 19800, ditos do
fellro ptra cabeca a 4Se 29800, meias para se-
nliora a 3J500, e 3$800 superior, algodao de duaa
larguras a 600 r*. a vara, chalas do la escuros
a 19800, brins miudos a 160 o covado, diioa de
linho puro branco fino a IgiOO a vara, camisa
i francesa de cores e brancas a 19700, madapolao
sobreseas dejanno muilo superiores a 35 39300, 49500 e 5$ a peca, e outras muitas fa-
zendas que vista do comprador far f : na laja
da ra do Pasaeio Publico n. 11.
As melhores machinas de co-
zer dos mais afamados au-
tores de New-York, Singer
& C, Whecler & Wilson e
Slot & C.
r? Estas ma-
chio as a a e
io a melho-
res e mai
d u r a d ouras
mostram-se a
qualquer hora
e ensina-se a
trabalhar nao
casas dos com-
pradores ga-
rant n do-se a
sua boa quali-
Jde e dara-
*0-- no depo-
alto do ma-
chinas de
Raymundo Garlos Lefio 4 Irmo, ru da Impe-
tiitti d. 12, adtigamente aterro da Boa-Vista.
tudoa 590)0, ditos de brim de linho tra
do a 650(30, calca de brim de linho muito su-
perior a 59000, ditas de casemira de cor a
99000 ea 10*000, ditas de casemira pr- largura Veoo'." a
la superior fazenda a 129000, palitots fran-
cezea de panno fino fazenda moito fina a 259
ea 409000, um complete sortimeoto de cami-
sas fraeezas, tanto de linho como de algodo
e fuslo vende-se muilo emeonta, afim de qne-
rer-seliqiudar com as camisas..
Por metade do seu
valor.
Ra do Queimado n. 19.
Vestidos de gaze e phamasia.muiloslindos.de
duassatas, pelo baratissimo prego dol09cada
um corte.
Cambraias
baratas.
19 Roa do Queimado 19
.Cortes de cambraia branca muito fina com sal-
picos miudinhos a 4jWf>. *
GambraieU para vestido, moito fina, pelo ba-
raUssimo preco de 29600, 29800,3 o 3*5M cada
peca.
Baloes de mussulioa, ditos arrendados, dito
Vinho do Porto de superior qualidade.
Tinta da toda as cores.
Lona e Hiele.
Fio de vela.
Sellins, silhes, arreios e chicotes.
Rolhas.
Ra do Trapiche n. 42.
Machinas ameri-
canas
E OUTROS ARTIGOS.
N. O. BIEBER & C. SUCCESSORES,
tem ezposto nos seus armazem da ra
da Cruz n. 4 e 9, urna mllnidade ale
machinas etc., como aejam :
ARADOS de diferentes modelos, traba-
lhando de 2 lados.
CULTIVADORES para limpar e abrir a
trra.
HOINHOS para cana em ponto peque-
no, podendo ser gobernadas por urna
pessoa. proprias para lavradores.
Ditas de DESCAROgAR MILHO, um
proci-sso pelo qual se poupa multo
tempoe emprega-se somente 2 pes-
soas,
Ditos de MOER MILHO, CAFE etc.,
etc. ate o grao mais fino que houver.
Ditos para FAZER FARINHA de mi-
llio etc.
MACHINAS para fazer BOLACHINHA.
BOMBAS para cacimbas e
navios, muito manaras e
de forca superior por
mdicos precos.
Ditas com correntes para
tirar agua de lugares
mui fundos.
VERNIZ de superior qualidade para
carros.
CARROS de mao muito leves e baratos
BALANZAS de 1,000 libras para baixo
proprias para armzens, depsitos,
taberna, boticas etc., etc*
MAPPAS geograpbkcoa do mundo e
soas partes.
MACHINAS de costura de Sirat ft C. as
raeibore que at baje tem appare-
cido. rr
ntremelos e tiras
bordadas.
Vendarse mui bonitos enirenmo o tiras Nf-
dadasem Qaa cambraia, Oran mu bm ac0*-
afo.'JES ^W? Sidas por
ndade da fazenda nigu*n 4Seinra> ceaaprar e
para isso dirijam- roa do Queimado loia da
aguia branca u. 19,




.1
I
7
Dtttl Oi MMAMBDCOw QU1HUL EHU 16 M 4ISM0 DI f*l.
W
Calcado,
Qualidades escolhidas.
48~Rot WreiU-45
Bis a [esta I E necessario renovar o calgado e
correr ao estabetecimeoto ia ra Direita, qee o
rende muito frese* era aerfeilo oslado por es-
te pregas :
Beneguios de btmem (bezerre lastre)
idem)
dem)
dem)
idea)
9900
8.
88000
69OOO
&9O00
49800
4*500
4gOO0
5*600
59000
6S0O0
39600
39500
1J200
Ditos de dito
DMos dedito
Ditos de dito
Ditos de dito
Borzeguins de senhor
Ditos de dita
Ditos de dita
Ditos de dita
Sapates de beierro (3 1[2 batera)
Ditos de dito e de lustre
Meios borzeguins de homem
Borzeguins de menina 48000 e
Sapates debezetro para menino 45 e
Sapatos de lustre para aenhora a
Feijomulatioho.
Na rna da Madre de Dos n. 18, largo da al-
Iindega.
Vendem-re noventa, apoiices da
companliia do Beberibe : na ra Nova
n. 14, primeiro andar.
Lindas cahinhas de eos-
mwto lqw-mow,
Roa da Sen zalla Naya *. B.
Nesta esUbelecimente contina a Ijaver um
completo sor ti ment de moendas e meias moen-
ds pare engenho, machinas de vapor tii
le jorro balido e coado, de todos os taannos
para dito.
Potas si da Russia e cal de
Lisboa.
No bera cooheeido e acreditado deposito da
roa da Cadeia do Recife n. 12, ba para vender a
verdadeira potassa da Russia "nova e de superior
qualidade, assim como tambera cal virgem era
pedra, ludo por procos raais baratos do que era
oulra qualquer parta.
Vende-se um moleque de 16 annos, forte,
sem virios e defeitos, para todo e servico : na
roa das Cruzes o. 18.
tura.
na
Na loja da aguia de ouro, ra do Cabug n.l
B, vendem-se as lindas cairas de costura pro-
prias para mimo, assim como pianinhos com a
sua competente msica, quadros dourados, tan-
tos de santos como de retratos, proprios para en-
leite de sala, jarros oom flores muito lindos, es-
tampas tanto de guerras como de vistas decida-
dea, caixas de msica com lindss pegas, realejos
grandes com 30 pecas compostas de valsas as
mais modernas, tudo isto se vende por precos
commodos.

m
Algodo Bwaslro.
Vende-se algodo mons'lro coto duas larguras,
muito proprio para toalbas e lences por dispen-
sar toda.a qualquer costara, pelo baratissimo
pteco de 600 rs. a vara ; na ra do Queimado d.
22. na loja da boa t.
Gomaia do Aracaty.
Vende-se excelleDte gomroa do Aracaly
ra da Csdeia de Recife, primeira andar, n. 28.
Libras sterlinas,
Vendem-se libras sterlinas : no escriptorio de
Manoel Ignacio de Oliveira Filho, no largo do
Corpo Sanio.
Pechincha.
Vende-se orna negra de naci, ou troca-sepor
um moleque : na ra do Rangel n. 11.
Loja de todas ao p o
arco de Santo Antonio.
Vende-se urna bonita escrava crioula, de idade
de 14 a 15annos, com principio de costura.
Na loja do barateiro, Braga &
Lima, na ra Direita n. 68,
alm de militas fazendas e roupas feitas existe
grande qaanlidado de chales de chita prelos a 69
a duzia.
Vendem-se por comrnodo prego 6 borros
mansos, bonitos e do pasto : a tratar em Olinds,
defronte da igreja do Amparo, junto a urna pa-
darii.
Vendem-se "saceos cem farelo de Lisboa a
49500, saceos com feijo mulatinho proprios pa-
ra aniraaes a 3$ o sacco : no pateo de S. Pedro
numere 6.
Na grande
fabrica de taman-
cos, na ra Bireita es-
quina da travessa de S. Pe-
16,
Vendem-se 5 carros novos com todos os e
arreios : na ra Nova o. 21. m
Ceblas.
Vende-se a 610 e 800 rs. o cenlo ; na travessa
do pateo do Paraso-n. 16, casa piniada de ama-
1 relio.
Ra do Queimado
n. 39.
Loja de quatro portas
DE
JOAQUI.M RODRIGUES TAVARES
DE MELLO.
Cbegou ltimamente a este estabelecimenlo um' clualillades. que se vende tanto
completo .urtimento de chapeo, fm*mmm&VZg&ttJZ
do melhor fabricante de Pars, os quaes se ven-! mancos feitos a moda do Porto com
dem a 7*000, ditos a 89000, ditos a 99000
ditos muito superior a 109000, ditos de castor
pretos e trancos a 16*000, o melhor que se
pode desojar, chapeos de feltro a Garibaldi de
muito superior massa a 7*000, ditos de copa
baixa para diversos precos, ditos de pama escura
de varias qualidades que se vendem por prego
barato, bonets de veludo para meninos a 5*000,
ditos de palha escuras e claras a 49000, ditos
de panno muito bera arranjades a 3*500
chapeos de seda parasenhoras a25*000 muito,
superiores, ditos de palha escuras proprios para
campo a 123000, ditos para meninas a 10*000,
chapeos de sol desala inglezesa 10* e a 12*
muito superiores, ditos francezes a 8*000,
ditos de panno muito grandes e bons a 490001
sapatos de valudo a 29000. ditos de tranca a
1*600, sintos de gruguro para senhorase me-
ninas a 2*000, coeiros de casemiraTicamente
brdalos a 129000, e outras muita fazendas
que a vista dos freguezes nao deixaro de com-
prar.
Vende-se urna calecha nova, sem arreios :
na ra Nova n. 59, cocheira de P. Eduardo Bour-
geois.
Ba do Queimado n, 27,
loja de miudezas de 3
portas, frente amarella
Fronhas grandes de labyriotho.
Ditas pequeas.
Lengos de linho. -
Toalhas todas de labyriotho.
Bicos e rendas da trra.
Enfeiles de vidrilho a 2*500.
Manguitos com gollinhas a 2S500.
Golliohas pretas do vidrilho a 1*500.
Ssda frxa para bordar, a meada a 60 rs.
franjas brancas o do cores para cortinado, pe
ga,a 3*400.
Carteiras grandes para letras.
Lia para bordar, a libra 6*000.
Espelhos grandes para salas por barato prego.
Casavoques de fuslo brancos a 8*.
Fitas lavradas de todas as cores e larguras.
Jarros de porcelana para sala.
Meias muito bara-
I tas.
A loja da aguia branca est provida de urna
grande quantidade de meias, e melhor sortimen-
to que se pode dar, e por isso est vendendo-as
mais barato do que em oulra qualquer parte ;
sendo meias cruas encorpadas, de abanhado ou
bocal elstico para homem a2*500,3$, 3$500, 4$,
4$300e 5* a duzia, ditas inglezas o melhor que
se pode encontrar a 6* e 6*500, ditas de fio de
Escocia poota encarnada imitandoseda a 800 rs.
o par, e de cores a 640 800 rs., ditas brancas
mui finas e tapadas a 2J400, 3gr>oo e 5*. e ftnis-
simas a 89 a duzia, ditas brancas finas e fio unido
para senhoras a 4, 4S80O, 5*500 e 6*500, e de
fio de Escocia primeira qualidade a 8*500 a du-
zia, ditas de seda brancas e pretas a 2500, 3*,
3$500 e 4$, ditas cruas mui encorpadas para me-
ninos a 200 e 240 rs. o par, ditas brancas e de
cores a 240 e 280 o par, ditas para meninas a 3*
a duzia, ditas de seda para baplisado a 2* o par,
ditas de laia e de seda para padres a 2*, 3$ e 4*
o par. Emfim vista de tantas e diversas quali-
dades, o melhor approveitar-se a occasio, e
dirlgir-se a ra do Queimado, loja da aguia bran-
ca n. 16, que ser servido com agrado e since-
ridades
FROCO.
Vende-se frco de todas as odres e grossaras,
eom rame e sem elle a 400, 500, 640 e 1* rs. a
peca; na ra do Queimado, loja da aguia bran-
ca n. 16.
Grammatica in-
giera de Ollendorff.
Novo methodopara aprender a lr,
a escrever e afallaringlezem 6 mezes,
obra inteirameete nova, parauso de
todos os estabelecimento de instruc-
te napraca de Pedro II (antigo largo
da Coiregio) n. 37, segundo andar.
dro n
achara o respeilavel puhlico em geral um novo e
riquissimo sorlimento de tamancos de todas as
a retalho como
menos do
como ts-
a mesma
perfeicao e mais seguranga ; a casa est prvida
de 1,000 a 2,000 pares.
Yinlio de Bordean*.
Em casa de Kalkmann Irmaos & C., ra da
Cruz n. 10 encontra-se o deposito das bem co-
nhecidas marca dos Srs. Brandenburg Freres e
dos Srs. Oldekop Mareilac d- C, em Bordeaux.
Tera as seguintes qualidades:
De Brandflburg frres.
St. Estph.
St. Julien.
Margaus.
La rose.
Ghteau Loville
Cha lea u Marga ux.
De Oldekop A Mareilhac.
St, Julien.
St. Julien Mdoc.
Chaleau Loville.
Cognac em barris qualidade Gna.
Cognac em caitas qualidade inferior.
Na mesma casa ha para
vender:
Sherry em barris
Madeira em barris,
Milho e farin-ha.
Na ra da Madre de Dos armazem n. 8, ha pa-
ra vender-se saccas de milho muito novos a
3$50O e 4* e farinha a 53, 5j500,4* e 3*500.
Attenco.
Vende-se um sitio no lugar Peres, no qual tem
urna paiiaria, e boa casa para familia, e bastantes
frucleiras : fallar na ra do Queimado n. 65.
Grande pechincha
a 640 rs.
Fustao branco patente de superior qualidade a
640 rs. o covado ; vende-se na ra Nova n. 42,
defronte da Conceicao dos Militares.
Chapeos pretos.
Rccebeu-se urna factura de chapeos pretos,
pello de seda, propiiospara a quaresma, recom-
mendaveis nao s pela sua excellenlc qualidade,
como pelo modernismo do goslo : na ra Nova
n. 42, defronte da Cooceic,3o dos Militares.
A 10$ape$a,
de finissima cambraia adamascada para cortina-
dos, com 20 varas cada peca : vende-se na ra
Nova n. 42, jiefronte da Conceigo dos Militares.
baratissimo.
Corles de veslido de cambraia branca muito fi-
na com 3 e 4 babados, ricamente bordados, pelo
diminuto pre^o de 8$ cada um : na ra Nova nu-
mero 42, defronte da Concci;o dos Militares.
Livros para escriplora^o.
Chegou ltimamente, um novo sorlimento de
livros em branco, de muito superior qualidade.
Vende-sena livraria econmica junto ao arco
de Santo Antonio.
Eafeites de velludo, ultimo
gosto.
A loja da aguia branca acaba de receber mui
bonitos e delicados eufeiles de velludo, obra de
toda perfeicao e ultima moda : vendem-se a 10*
e 12*: quem os vir nao hesitar de os comprar;
vendem-se tambem outros de velludo e roco a
3$, *$ e 5|: na ra do Queimado, lojs da aguia
branca n.16.
6 B4ST0S
que oui ora linha loja na roa do Quei-
mado n. 46, que gyrara sob > firma de
Gcs & Castos participa sos seus nume-
rosos freguezes que dissolveu a sociedade
que tinha com o mesmo Ges tendo sido
substituida por um seu mano do mesmo
nome, por isso fleo "gyrando a mesma
firma de Ges & [tastos, assim como apro-
veita a occasio para annuncisr abertura
do seu grande armazem na ra Nova jun-
to a Conceicao dos Militares n. 47, que'
passa i gyrar sob a firma
BE
Bastos <& Reg
cora um grande e numeroso sorlimento de i
roupas feitas e fazendas de apurado gos-
to, por precos muito modificados como
de seu costnme, assim como sejam : ri-
cos sobrecasacos de superior panno fino
preto o de cr a 25S, 28 e 30*, essacas
do mesmo panno a 30* e a 35*, paletots
sobrecasacados do mesmo panno a 18*.
20$ e a 22. ditos saceos de panno preto a
12* e a 14$, ditos de casemira de cor
muito fina modelo inglez a 9g, 10*. 12*
e 14*, ditos de estamenha fazenda do
apurado gosto a 5* e 6j, ditos de alpaca
preta e de cor a 4*. sobrecasacos de me-
rino de cordao a 85, ditos muito superior
a 12*, ditos saceos a 5*. ditos de esguiao
pardo fino a 4$. 4*500 e 5$, ditos do fus-
tao de cor a 3, 3;500 e 4*. ditos bran-
cos a 4*500 e5*5C0, ditos de brim pardo
fine sueco a 2S800, calcas de brim de cor '
finas a 3*. 3*500, 4*e 4g500, ditas de di- '
to branco finas a 5J e 6*500, ditas de |
princeza proprias para luto a 4$, ditas de
merino de cordo preto fino a 5* e 6*,
ditas de casemira de cor e preta a 8*, 9*
elO*, colletes de casemira de cor e pre-
ta a 4g5UOe 5?, ditos Jo seda branca pan
casamento a 5*, ditos de brim branco a
3* e 4*, ditos de cor a 3*. colletes de me-
rino para luto a 4$ e 4S500, ricos rob-
chambres de chita para homem a 10,pa-
letots de panno fino para menino a 12$ e
14*. casacas do mesmo panno 3158,calcas
de brim e de casemira para meninos, pa-
letots de alpaca ede brim para osmesraos,
sapatos de tranca para homem e senho-
ra a 1* e 1*500, ceroulas de bramante a!
18* e 203 a duzia, camisas francezas li-
nas de core brancas de novos modelos a
17$, 18*. 20*. 24$, 28* e 30* a duzia,
ditas de peilos ae linho a 30*a duzia, di-
las para menino a ljS cada urna, ricas
grvalas brancas para casamento a U808
e 2* cada urna, ricos uniformes de case-
mira de cor de muito apurado gosto tanto
no modello como na qualidade pelo di-
minuto pre^o de 35$, e s com avista se
pode recoohecer qu6 barato, ricas capas
de casemira para senhora a ltij e 20*,
e muitas outras fazendas de excelente
gosto que se deixam de mencionar quo
por ser grande quantidade se torna en-
fadonho, assim como se recebe tada e
qualquer encommenda de roupas feitas,
mg para o que ha um grande numero de fa-
|| zendas escolhidas e urna grande officina
3k> dealfaiate que pela sBa promptidao e per-
x feico nada deixa a desojar.
MeTwoW TOfoW

Vendem-se escra vos.
Um ssaMrlcrKo de 18 loin, beleeiro, 1 dito de
6" annoaJorSOajtam am pequeo deleito, 2ne-
gras de 30 aanos, qu eozinba o diario de ama
casa, slb boas einraboadeiras, 1 negro de20 au-
nas, I dleqoe el*, elnppi de t, ambos
para o aefrteo de campo, 1 moleque perito co-
peiro de 18 annos, e outros escraros que se
achara i venda ao escriptorio de Francisco Ma-
linas Peretra da Cesta, na ra Direita n. $6.
Superior
muito liede
niHidtolws,!
rettssMM pij
4 andares
reir Lope
Vende-se
vessado pte<
amarello.
ralo pe admira.
i cortes de chita [raaeeza larga de
padrees, de cores escuras e claras,
:om 11 covados cada corte, pelo ba-
>9,o de 8*500; na loja do sobrado de
ruado Crespo n, 18, de Jos Mo-
wite de vinho.
1 2*560 a 2*800 a caada : na Ira-
do Paraso n. 16, casa pintada de
Cofres fifeferro para dinheiro,
joias. etc., etc.
Na lja da aguia branca vendem-se benitos co-
fres de ferro mii fortes e seguros, com [echadura
e chave, e de dlfferectes lmannos, proprios para
se guardar dialWo, joias e papis de importan-
cia, pelos baratsimos precos de 4$500, 5$000,
fi*500e 6$ : em dita loja da aguia branca, ra
do Queimado ni 16.
DE ROLPAFETA
Defronte 4o becco da Congregacoletreiro verde.
Vende-se ba cidade do Aracaty urna casa
terrea com sotael bom quintil e cacimba, na prin-
cipal ra de co minie re o, propria para quem qui-
zeriali estabelecar-se, por ter nao s commodos
precisos para residencia, como tambem loja, arma-
zem, etc.: a tratar na mesma cidade com os Srs.
Gurgel Irmaos, que eslo autorisados para esso
fim, ou nesta prata na ra do Cabug, Vja n. 11.
A 9,O0f) a arroba.
Veode-se cei^a de carnauba da velha
e nova safra a preco de 9^ : do antigo
deposito do largo da Assembla n. 9.
Cravos brancos
No primeiro andar do sobrado da ra Imperial
n. 195, vendem-se cravos em pequeas e grandes j
porces a 40 rs. cada um, e tambem se recebem '
encommendas para dias marcados.
Arados americanos e machinas
para lavar roupa:emcasa deS. P. Jo-
hnston & G. ra daSenzala n.42.
Vende-se urna raoenda debuxa, com todos
os seus preperos de moer de besta por mudar o
engenho para agua ; ver e tratar, no engenho
Penderac, termo do Bonito, ou ra do Impera-
dor n. 50, terceiro andar.
Relogios.
Vende-se em casa deJohnston Pater & C,
ra do Vigario n. 3, um bello sorlimento de
relogios de ouro, patente inglez, de um dos mais
afamados fabricantes de Liverpool ; tambem
urna variedade de bonitos trancelins para os
meamos.
Baloesde 30 arcos.
Vendem-se superiores baldes com 30 arcos,
sendo muito recommeodaveis por poderem ficar
do tamanho que se precisar, pelo baratissimo
preco de 6* ; na ra do Queimado n. 22, Ba loja
da boa f.
Casaeasde panno preto a -309, 359 40*000
Sobrecasaess de dito dita a 359000
Paletots de panno pretos e de cores a
20, 259, 309 e 35*000
Ditos de casemira de cares a 15* a 229000
Ditos de casarairas de cores a 7* e 12*000
Ditos de alpaca preta gola de velludo a 12*000
Ditosde merino setim preto e de cor
a 9 a 99000
Ditos de alpaea de cores a 39800 a 5*000
Ditos dealpaca preta a 09500, 59,
79 e 99000
Ditos de brim de cores a 3*500,
49500 e 5*000
Ditos de bramante de linho brancos a
49500 e 6*000
Caigas de casemira preta e de cores a
9, 109 a 12*000
Ditas de princeza e alpaca de cordo
pretos a 5*000
Ditas de brim branco a de cores a
2*500 49500 e 59000
Ditas de ganga de eores a 3*000
Ditas de casemira a 59500|
Collelesde velludo decores muitofino a 109000
Ditos de casemira bordadas a lisos
prelos e de cores a 5, 59500 e tOOO
Ditos de setim preto a 5*000
Ditos de casemira a 39600
Ditos de seda branca a 69 e 69000
Ditos de gurgurSo de seda a 59 e 69000
Ditos de fustao brancos a da eores a
N 395C0
Ditos de brim branco e decores a 29 e 27600
Selooras de linho a 2950O
Ditas de algodo a 19*100 a 29000
Camisas de peitoda fuslo branco e
de coras a 2*300 e 29800
Ditas de peito e punhosde linho mui-
to finas ioglezas a duzia 35*000
Dilasde madapolaobranca e de cores
a 1*800, 29 e 2*500
Ditas de meia a 1 e 19600
Relogios da curo patente eorisonlaes 9
Ditos de prata galvanisados a 259 a 30*060
Obras deouro, aderemos, palsetras e
rosetas
Vende-se urna mulata com 30 annos de
idade, perfeita eogommadeira e cozinheira, de
condurta exemplar; na ra larga do Rosario n.
20, segundo andar.
Caixas para rap.
Ricas caixas de tartaruga encastoadas de ouro
fino, de diversos gestos e precos ; na ra do Cres-
po n. 4, easa de Falque.
Machinas de costura
DE
1#600 a libra.
Vendem-se pennas de ema para espanadores ;
na ra do Vigario n. 2, taberna.
*""* FBJw^'W WWW CUV vIVWW MVsmMVVVIvJR
Ede
[ROIPA FEITA ANDA MAIS BARATAS.)
SORTIMENTO COMPLETO
r>a
sFazendase obras feiasj
si
LOJA E ARMAZEM
DE
gra Cortes de calcas de meia casemira de cores es-
curas a JCOO, ditosde brim de linho de cores a
2g, riseadichos de linho proprios para obras de
meninos a 200 rs. o covado, gravatas de seda de
cores a 640, ditas pretas eslreitinhas e largas a
1*, ealem disto outras fazendas que se vendem
muiloem conta; na loja da baa f, na ruado
Queimado n. 22.
Bramante
bretanhas e atoalhado
Na loja da boa f, na ra do Queimaoe n. 22,
vende-se bramante de linho muito fino com duas
varas de largura, pelo baratissimo preco de 2*400
a vara, bretanha de linho muito fina e muito
targa a 20*. 22$ e 24* a pega com 30 jardas,
' atoalhado de algodo cum duas larguras a 1*400
a vara, dito de linho muito superior, tambem
com duas larguras a 3g a vara, ; na ra do Quei-
mado n. 22. na loja da boa f.
Relogios
Suissos.
Em casa de Schafleitlln & C, roa da Crui n.
I, vende-se um grande e variado sorlimento
de relogios de algibeica horisoataes, patentes,
chronometros.meioschronometros de ouro, pra-
giosdos primeiro fabricantes da Suissa, que se
randero por precos razoaveis.
ceJ&cy&aj/
tlA
Ra do Queimado
u. 46, frente amarella.
Constantemente temos um grande e va-
riado sorlimento de sobrecasacas pretas
de panno e de cores muito fine a 28*,
30$ e 35*, paletots dos mesmos pannos
a 20 mesmos pannos a 14*, 16* e 18$, casa-
cas pretas muito bem feitas e de superior i
panno a 28*, 30$ e 35*. sobrecasacas de '
casemira de cores muito finos a 15*. 16$
e 18$, ditos saceos das raesmas casemi-
ras a 10$, 12* e 14$, caigas pretas de
casemira fina para homem a 8*, 9*, 10*.
e 12, ditas de casemira decores a 7$, 6*,
99 e 10*, ditas de brim brancos muilo
fina a 5$ e6*, ditas de ditos de cores a
3*. 3*500, 4* e 4*500, ditas de meia ca-
i semira de ricas cores a 4$ e 4$500, col-
! letes prelos de casemira a 5* e 6*, ditos
< de ditos de cores a 4$500 e 5*, ditos
brancos de seda para casamento a 5*,
ditos de 6*, colletes de brim branco e de
fustao a 3*, 3*500 e 4*. ditos de cores a
23500 e 3*. paletots prelos de merino de
cordao sacco e sobrecasaco a 7fl, 8* e 9p,
co'.letes prelos para luto a 49500 e 5*,
cas pretaa de merino a 4*500 e 5*, pa-
letots de alpaca preta a 3*500 e 4$, ditos
sobrecasaco a 6*, 7*e 8$, muilo fino col-
letes de gorguro de seda de cores muito
boa fazenda a 33800 e 4$. colletes de vel-
ludo de crese prelos a 7* e 8*, roupa
para menino sobre casaca de panno pre-
tos e de cores a 14*, 15* e 16*, ditos de
casemira sacco para os mesmos a 6*500 e
7*, ditos de alpaca pretos saceos a 3* e
3*500, ditos sobrecasacos a 5$ e 5*500,
calcas de casemira pretas e de cores a
6$500 e 7*, camisas para menino a 20*
a duzia, camisas inglezas pregas largas
muito soperior a 32* a duzia para acabar.
{Assim como temos urna officina de al
fsiate onde mandamos executar todas as
obras eom brevidade.
A 2#500.
Vende-se cada urna saia bordada, muilo boa,
para senhora ; na ru do Crespo n. 20 B, loja de
Adriano & Castro.
Attenco.
Na rua da Cruz n. 60 vendem-se mos, Dragos,
pernas, peilos, cabegas, de cera, objectos estes
proprioa para promessas que tiverem feito Se-
nhora de Monte e Santo Amaro, e ludo por pro-
cos mui commodos.
Vendem-se travs de 30. 40 e 60 palmos,
ensarnis, rolos de sicupiraoom 2 palmos de lar.
ta dourada e foleado a ouro, sendo estes relo-- gura para carroceiros, 16duzias de ouro, e ama.
relio em chapres : a tratar
dorn. 50, terceiro andar.
na roa do Impera-
Slvat & Companhia.
Estas machinas sao as mais perfeita
no ramo de mecanismo, unindo a urna
simplicidade a maior ligeireza e periei-
c5o para toda e qualquer qualidade de
costura, do ponto mais fino ao mais
grosso. O vendedor se obriga a ensinar
o methodo aos compradores ? te o sa-
ben m bem, assim como a ter as machi-
cbinas em ordem durante um anno.
Estas machinas cosem com 2 fios nao
quebrara o o como muitas outras o fa-
z( m e iao as melhores e mais baratas
ate hoje conhecidas no mundo, ellas se
acham expostas na galera do SR. OS-
BORN, RETRATISTA AMERICANO NA
RUA DO 1MPEKADOR N. 38, onde
urna senhora competentemente habili-
tada as ara' ver e trabalhar. Igual-
mente se acham expostas no armazem
de MACHINAS AMERICANAS, RVA DA
CRUZ N. 4 E 9.
Rival sem segundo.
Na loja de miudezas da rua d< Queimado n.
55, defronte do sobrado novo ba para vender
pelos diminutos precos os seguintes artigos:
Duzia de sbemeles muito finos a 6( rs.
Cartees de clcheles com duas ordens a 20 rs.
Caixas de clcheles batidos a 60 rs.
Diuia de meias cruas pars homem a 3*.
Dita de ditas para senhora a 3*500.
Pares de meias para senhora a 300 rs.
Latas com banha muito fina a 500 rs.
Iscas para acender charutos, caixa a 60 rs.
Phospheros em caixa de fotha a 120 rs.
Cartas de alfinelcs muito finos a 100 rs.
Caixss de agulhas franrr-zas a 120 rs.
Pares de sapatos de tranca de algodao a 1*.
Frascos de macass pe rola a 200 rs.
Ditos de dito oleo a 120 rs.
Duzia de facas e garfos, cabo preto, a 34.
Pares de sapatos dlas para meninos a 200 rs.
Ditos de luvas de cor fio de Escoria a 320.
Massos de grampss muito finas a 40 rs.
Caivetes de aparar penna a 80 rs.
Tesouras muito finas para costura a 500 rs.
Ditas ditas para unhas a 500 rs
Pegas de franja delaa com 10 varas a 800 rs.
Ditas de tranca rom 10 varas a 320.
Linha Pedro V, cartaocom 200 jardas a 60 rs.
Dita com 100 jardas a 20 rs.
Escovas para denles muilo finas a 200 rs.
Cordo imperial fino e grosso a 40 rs.
Oleo de babosa muito fino (frasco) 400 rs.
Fitinhas eslreitas para enfeitar vestidos a 800
rs. a pega.
Labyrinlhos de muito bonitos gostos por todo
o prego.
Cordoes para enfiar esparlilho muito grandes
a 100 rs.
Dito para dito pequpnos a 80 rs;
Pegss de Iranga de linho com 10 varas a 200 rs.
Ditas de tranjade seda preta com 10 varas a
1$400.
Vara de dita a 160 rs.
Pares de meias de cores para meninos a 160.
Caixas para rap muito finas a 1*.
Linha oara marcar (caixa de 16 nvelos) a 320.
Vende-se milho d* Ierra em sacros de 32
cuias a 63 : na taberna da rua ba ma triz da Boa-
Vista n. 27.
Vende-se doce da casca da goiaba, o que
pode haver de melhor nesle genero : no paleo
do S. Pedro n. 6.
Escravos fagidos.
Fugiram no dia sabbado 24 de novembro de
1860 os escravos seguintes : Leonardo, pardo
escuro, alto, bastante corpolento, falto de denles
no queixo superior, com cicaliizde um panaririo
em um dedo grande da mo esquerda, tem falla
muito mansa, e sempre que falla rindo se ; le-
vou alguma roupa de seu uso, e tambem roupa
engommada de seu senhor, sendo camisas, len-
coes, meias e um travesseiro. Siruao, pardo,
baixo, cabellos corridos, com todos os denles,
marcado de bexigas pelo corpo, com pouca bar-
ba, quando anda puxa um pouco por um p, na-
riz chato, pescogo bastante enterrado; levou al-
ipfrnnlp iln Cano^lo^ a gum* roJupa de8e? u.so' *end0 ami cal5B ""08-
U^IlUlllt/ Ucl V^UHUClLclU sapatos de couro de lustre, urna camisa branca,
umadila deriscado de algodo trangado de qua-
dros amarellos, urna caiga de algodao trangado
de lisiras escuras, chapeo do Chile pintado de cor
do ganga ; ambos estes escravos sao filhos de
sertdes do Cear, foram calgados e inlilulam-se
forros, tendo sido vistes em seguimento da estra-
da nova do Cachan?A na mesma noile da fuga:
i sendo generosamente gratificado quem os levar
de cam- tua <*0 Deslmo. caa le,rea de dous porides nu-
mero 16.
No dia 1. do corrente auno fugio de um si-
tio do engenho Cajabussuzinho una muala cla-
ra com mo cabello, estatura ordinaria, secca do
corpo, peilos pequeos, o maior signal ter o
dedo mnimo e o immediato sem poder estirar
firovenienle de um panancio, chamada Bertho-
esa ; levou urna filhinha tambem mulata por
nome Rita, de 2 anuos, que tem na cabega falta
de cabello por causa de urna postema ; ha noti-
cias que foi para banda do norte em. companhia
de um negro captivo, que tambem anda fgido,
o qual tem es signaea seguintes: cabra negro,
barbado, grosso : quem pegar, leve ao dita en-
genho ao seu senhor Jos Joaquim dos Santos,
ou na rua do Imperador n. 67, segundo andar,
que ser generosamente recompensado.
Attenco.
Fugio uo dia 81 do m prximo passado o es-
cravo Joo, com os signaes sepuintes : pardo
cUro, alto e eeeeo, representa ter 24 ancos, tra-
jando camisa e caiga ae algodao branco, um
pooro calado, carregou corosigo um bsh de
amarello com roupa de homem, e mais aigons
objectos ; de suppor que lenha trajado dita
rou pa para melhor se disfargar ; julga-se sudar
por esta cidade e seus arrabaldrs, assim cerno
desronfia-se que seguro para o sertao com ootro
que tambem fugio ao- 8r. Cesarlo, morador nes
Apiparos ; rogase portento as autoridades poli-
ciaes e aos capities de campo de o prenderem e
levar ao Recife, rua de Apollo n.24, ou no Mnn-
teiro em casa de seu senhor Antonio Jos Teixei-
la Bastos, que ser generosamente reetmpen-
sado.
No dia 18de dezembro prximo passado
desappareeeu de casa do abano assienado um
seu escravo de nome Moyss, de 18 anoos.de
idade, rdr parda nao escura, corpo serco e. espi-
garte, cabrea pequea, cabellos om pouro rara-
pinhados, olhos pardos, narii filado, bocra pe-
quea, labio infeiior grosso. mos e ps grandes ;
levou camisa branca, urna caiga de risrsdo azul,
outra de la parda escura e chapeo de pslha da
Dalia : quem o apprehender pode leva-lo ou
rua do Vigario n. 21 no bairro do Recife, ou
rua das Cruzrs n. 35 em Santo Amonio, ou ao
sitio na travessa da Casa-Forte para o rogo da
l'anella, qoe ser generosamente recompensado.
Antonio Jojquim de lloiacs e Silva.
Saunders Brothers & C. tem para vender em
eu armazem, na praga do Corpo Santo n.ll,
alguns pianos do ultimo gosto recentimente
chegadoe dosbem conhecidose acreditados fa-
bricantes J. Broadvrood & Sons de Londres a
muito Dropriosoara este clima
Campos ( Lima
receberam urna factura de chapeos de sold se-
da para homem, tendo entre estes alguns peque-
nos que servem para as senhoras que vo para o
campo tomar banhos se cobrirem do sol, e como
a porgo seja grande se resolvero vender pelo
prego de 6* e 6$500, e alguns com pequeo de-
cito a 5* : na rua do Crespo n. 16.
Extracto
DE
sndalo e outras essencias
parlenlos. *
Na loja da aguia branca se acha o verdadeiro
extracto de sndalo, bom conhecido por sua su-
perioridade, em frascos menores e maiores a 2*
e 20500, assim como linas essencias de rosa, Mag-
nolia, Patcholy, Luiza & Mara, e muitos outros
cheiros novos e agradaveis, e conforme o tama-
nho do frasco vende-se a 2*, 3, 4 e 5*. A bon-
dade de taes essencias e extracto j bem co-
nhecida pelas muitas pessoas que tem comprado,
e anda ser por quem de novo comprar : na rua
do Queimado, loja da aguia branca n. 16.
Na rua Nova n. 42
dos Militares,
j5 um explendido sorlimento de organdys, cam-
braias brancas, de cores, e de salpicos, sedinhas
de quadros, chitas muito fines, largas e eslrei-
tas, claras e escuras, de modernos e delicados
gostos e padrees eseeihidos, chales de merino de
punta redonda, estampados, bordados
mangeilos e gollinhas, corles de vestidos
braia bordados com 3 e 4 babados, e outras mul-
las fazendas, cejos pregos sio os mais diminutos
possiveis.
E o ultimo goslo.
Superiores gurgurdes de'seda de quadrinbos,
de lindos padrees, pelo baratissimo prego del*
o corado, grosdenaples liso de lindas coresa 2*
o covado. cortes de lia muito fina com 15 cova-
dos, padroes muilo bonitos a 8*. ditas de quadros
padroes tambem muilo bonitos a 480 rs. o ova-
do, chales de corea, padroes iateiramente novos
a 1* rs. o covado ; aproveitera em quanto se nao
acaba : na rua do Queimado a, 22, loja de
ba-of.
Annimcio.
Fugio na manha de 7 do crvenle o esrrayo
Gaudencio, mulato escuro, natural do Para, mo-
go, rem barba, de estatura regular, um tanlo
cheio do corpo, e sera defoito algum ; liabalha de
pedreiro soflrivelmenie. c locador de viola : le-
vou veslido roupa fina slm de passar por homem
livre.
Tambem se acha fupido desde 27 de noverrbro
do anno passado o cabra Marcelino, que foi es-
cravo do Sr. Antonio Baptista de Mello Peixolo,
subdelegado de Garoiihuns : de estatura alta
grosso do corpo, bem barbado (brm que anles de
fugir raspasse toda a barba), com falla de der.les
na Irenie, e usa constantemente de uro tentarlo
de soldado na cintura. Consta que esie escravo
se diiigio para Paparaga. I
Quem apprehandar os referidos escravos e os
lear ao abaixo assignado no engenho Dous Ir-
maos, na freguezia oo Poco da Panella sei re-
con pensado com generosidade.
Recife 7 de Janeiro de 1861.
Joss Cesario de Mello.
Fugio no dia 22 de dezembro p. p. o escrao
mulato de nome Gustavo, natural desta cidade,
idade 19 annos, altura regular, de corpo um tan-
to refurcado, aem barba, resto cheio, cabellos ea-
rapinhos, olhos grandes, bocea pequea, testa
de meios cantos, levou camisa de riscadinho de
algudo e caiga justa de brim trangado pardo,
que pode ter modado, usa quasi sempre de man-
gas arregagadas: i o dia 7 do coirente foi visto
lo aqu, e ltimamente consta que foi para Santo
Anlo lovade por uro tal Benedicto, preto escra-
vo de um senhor de engenho naquelle lugar, e
tem um filho exudante ou hachare, que assisto
na rua da Aurora, a quem Benedicto serve. Ro-
ga-se ao mesmo senhor providencias para que o
faga voltar 5 casa do senhor de que est ausente
e as autoridades policiaes e capilaes de campo d
qualquer paite onde dito escravo apparecer, do o
agarrar e traze-lo a seu senhor Jus Cavalcauti
de Albuquerque, rasa depois do sitio dos lees
na Soledade, que ser bem reermpensado, ou ao
Sr. Sanios Neves, na rua do Crespo n. 19.
No dia 13 de dezembro prximo passado
ausentou-se de casa de seus senhores a preta
Luzia, de quarenta e tantos annos, oe nagoo An-
gola, estatura regular, dentes limados, sin'naes de
barba por baixo do queixo, e as ponas dos dedos
das n os bastante grossas ; esta preta muilo
prosista, quaodo se ausenta diz que vai a recado
de seu senhor, e cosluma tambero vender fruclas
e a occullar-se pelas bandas da rua co Celdeirei-
ro por casa-dos pretos da mesma naco : rega-
se portanto as autoridades policiaes ecapitesde
campo aapprehenso, e levar ao caes de Apollo
n. 55, que se gratificai com generosidade.
Do engenho Caligi, freguezia da Escada,
fugio no dia 3 de novembro do correle acno o
escravo de nome Antonio, com os signaes se-
guintes : estaturaregular, cor mulato, cehello de
negro, pouca barba, denles limados, idade 5 cu
28aono8, pescogo e ps grossos, tem pelo rosto,
pescogo e peilos algumss marcas de penses, e
algomas cicatriz* s pelas costas que paren m ter
sido de chicote ; nao levou comsigo roupa algu-
ma, e consta haver fgido para o lado do serto
d'onde viera : quem o apprehender, poder el-
va-lo ao referido engenho, oo no Recife, rua es-
treita'do Rosario n. 29, ao Illm. Sr- Florisnun-
do Marques Lins, qu* ser bem recompensado.
Escravo fgido.
Um mualo claro, magro, com pannos pretos
oa magaa do rosto, representando ter 25 annos
de idade. natural do Rio do Peixe, chamado
Luiz, desappareeeu no dia 30 de outubro da caa
do Dr. Cosme de S Pereirs, de quem escravo
suppoe-ee ter levado um cavallo preto do Sr'
Rostron que se havii soltado, e que elle for
ero busca do mesmo ; suppe-se mais que sua
mulher de nome Mara tambero o acompanha
levando um pequeo bab de flandres : roga-s
as autoridades policiaes e a nutras qusetquer
pessoas que o prendam, e remettam ao seu se-
nhor, que pagar qualquer despeza.
Pugio da cidade do Aracaty, no mez de se-
tembro prximo passado, um escravo do com-
mandante superior Manoel Jos Penna Pacheco,
que ha pouco o havia comprado ao Sr. Bent
Lourengo Collares, de nome Joaquim, de idsda
decincoenta e tantos annos, fulo, alto, magro
denles grandes, e com falla de alguns na frente!
queixo fino, ps grandes, e com os dedos grandes
dos ps bem abertos, muilo palavriador, inrul-
ca-se forro, e tem signaes de ter sido snrrndo.
Consta que este escravo apparecera no dia 6 do
corrente. vindo do lado das Cinco Pontaa, e sen-
do enlerrogado por um parceiro seu conhecido,
disse que linha sido vendido por seu senhor para
Goianninba .- qualquer pessoa que e p*|t*r o po-
der levar m Permabee ees Srs. Basto & Lo-
mos, que gratificarn generosametae,


f)
DIARIO DI FEINAMBUGO. *- QUlRTA FER 16 DI JAM1B.0 DE 1861.
Litteralura.

0 nome do autor, acredita a obra:
i
Sao oito horu da noule; penetremos com i
vista ii'uina casa do fauoourg 8. Dirriz, cuja sala
se cha, progenie mente, oceupoda pur um velho,
um mancebo c uma ovui. Estes Iros persona- Dao lhes faria eslas r. flcxes ; mas a fortuna,
gens o.,10 sentados ea. roda de urna jardineira, que nao posso dar 6 nimba gueda, quero que
prximos de.um fogao, onde arde um bom fogo. seu-marido a leona ou que esUja em estado de
"ll?Lg..n? m'DU,.0S d-Bsitoncio uma adquirir. Prcvino-osdc que, neste ponto, ochar-
me-bao sempre intratare!.
que a exactidao das michas mando tirar papis para fazer a deilribuigit. Re-
obscrvaeoes nao Ihe parece atm'dimoBttreaa. i commende-liie multo da mtnha parle qae se dei-
S me lembro, nttu pae, da tristeza <|ue, xe estar onde est todo o lempo que quizer e-que
por seu gosto, est alisando ao Sr. Raymundo e trate da sua saude, que lio necesearia ao oosso
confesso-lha que tarobem participo dessa tris-1 tbeatro ; que nao lhe dem cuidado os eosaios,
teza. nem as difficuldades que poden provir com a
Meus Dlhos,acudiu Mr. Bellissent, oper-commissiode censura, nem raesmo o titulo del-
tando o mi de sus flrha nao deseje, affligi-los, nitivo da obra, visto que nao est sitisfeito com
Deus me lKre I O que me d cuidado o seu : o que provisoriamente adoptou ; antes de ser di-
futuro. Atreditem que, sr cu fosse mais rico, rector, fui seu collaborador, e pode confiar em
Succedera
conversan soll'iivelmcnle animada. O velho as-
pira vagarosamente uma pitada de inacoulo, como
para dai lempo reflexo ; o manceho parece
esperar rom anciedadu una resposta quo nao S6
apressam em lli'a dar; ajovm tem a cabega in-
clinada para um bordado, com o Gm apparenle
de activar o trabalho, mas, na realidade par* es-
conder o mais que possa o colorido,que de repen-
te lhe subi s faces.
Emm Mr. Bellissent o nome do velho
decdese (aliar, depois de so revestir do um
deslesnres mixtos, que nao excluem, nem sutori-
sam completamente a esperanza.
Mea charo Raymundo,disse elleao raan-
coboaprecio rouito a franqueza da sua decla-
rarlo e com a raesma franqueza lhe responderei
que j a esperara. Ha de pensar que nao lenho; je me fez.
V, como n" tem rnnOsnca. na minha in-
dustria, recua-roe sua fillia?
Ainda nao disse lal cousa, Raymundo.
O que, n:eu pac, pois consentira?___
Tambem nao digo isso, minha lilha. Ora
ougam bem o que lhes digo, que a minha ulti-
ma deliberaco : t, minha Aguedi. tens deze-
sete annos, e, como aos dezoilo ainda se nao
passa, que eu saiba. por uma velha, parece-me
que para le casares podes esperar at l sem te
comprometieres___ Emquanto ao Sr. Raymun-
do, nao impossivel que um dos acasos do que
ha pouco lhe falles o venha ajudar; trabalho
com animo, consiga o que deseja, e d'aqui um
auno consiuto que rae renov o pedido que ho-
a prelencao de me allribuir toda a honra das vi-
sitas que, ha um auno, faz a minha casa.
A' esias ultimas palavras de seu pae, um ligei-
-ro sorriso de amor-proprio sedcslisou nos labios
da joven.
Visto isso, annue ao meu pedido I eicla-
mou o mancebo com um moviraento de alegria
um pouco prematuro.
Ilevagar.... esse respeito nao disse na-1
da.... nao varaos muito depressa, sefrdoseu'
gosto. Que mostrasso calor e eothusiasmo em i
solicitar a mao de minha filha, concebo ; a mi-
nha gueda bstanle formosa para justificar'
esse seu eropeuho ; porm, se o enthusiasmo
Um anno de espera, e para alcanzar a mao de
gueda s por condico um successo! Raymun-
do relirou-se triumphanle
II
Tres semanas depois desta entrevista, Ray-
mundo enrolava com uma sollcitude toda pater-
nal o inmaculado manuscriplo que acabava de
lhe mandar o seu copista, depois do que se di-
riga cora o p lesto e o semblante radiante
de esperanca para o theatro que destinava o
precioso fruclo de suas vigilias.
Todava, apesar desta confianza, mui natural
no autor do um trabalho consciencioso, nao foi
conven, ao seu papel, creio que no meu nao re!""? f'*um bfo 1 se chegou ao portei-
tssugr*raciociDundo com ^'^^^^,"o,z^soaextremabondadte
Aei.hysionomia de Raymundo lurvou-se. Raymundo. porm, nio contara, as suas
- senhor um bom e leal mancebo j lhe I P""80"' cm a "PO^bilUade que um d.rcc-
COi.hego os costumes eo genio ; e vejcom go '," len,' V'h ,"d,enc,a m,iha'" ?tge"-l1M
to que lera as qualid.des^que pretendo .cL? no Jheo.e$de_que,pel. manhaa.t no.le,
bouiem que lor mei
ro ; porm, os boossen- | C?lco.ra as ru8S deParis. Cl
Iha de produci:oes boas,
Grande foi, porianto, a adraraco quando o
porleiro voltou dzer-lhe que o" director, por
estar rouilo oceupado, nao poda receb-lo ; e
grande foi, sobretudo, a sua pena de ter prepa-
rado intilmente um magnifico exordio, por in-
tervngalo do qual conttfva com um magnifico
efleito. Cedeu, bem contra sua vontade, ao con
vite que lhe foi feito de deixar o macuscripto e
voltou para casa, triste e abatido pela duvida.
Ao cabo de quinze dias, foi-lhe reenviado o
-.manuscriplo, no mesmo estado em quo elle o
* o?m nIiwZT r.re,8aUoi B,UI, delira. acompanhado da seguinte carta:
ra, para nao influir al no juizo dos homens su- '
periores ; seria loucura da minha paite se qui-
timemos nao bastan, "para faS. l e"dode $*
domeslica. Nao exijo uraa fortuna colossal, mas,
pretendo, e creio que lenho razo, que haja uma
independencia honrosa, que a primeira e a
mais essencial coudieao de felicidade solida e
duradoura. Infelizmente, o senhor nao tem
bens, nem rendimenlos, e a prossao que abra-
gou....
J sei o que me vae dizer;interrompeu-o I
tristemente Raymundonao lenha o incoramodo :
de acabar I Alegrava-mc do ter por arbitro da !
minha surte um hornera de espirito Ilustrado-J
resigoor-me-hei, pois, ser a
zesse vem-lo
sua victima
Enganou-se cora o sentido da minha ob-
jecro ; nao lenho, de cerlo, a presumpcao de me
julgar absolutamente inaccessivel aos p'rejuizos; to'iu^hel'eieVT^M.V Tc"7
em que obro livre do qualquer nQuencia dessa
Senhor:
Li a obra que tere a bomladede me confiar,
e achei-lhe scenas do bastante efleito, intriga
hbilmente condolida eos caracteres bem traga-
dos ; infelizmente, o assumpto nao me parece
corresponder ao mrito da execgao, e por mui-
naluruza.
Mas, nem por isso, vendo-me sem fortuna,
reprova menos o ter eu escolhido a prossao de
hornera de Utras!
L' verdade.
E sso porque, ha muilo lempo, se conside-
ra a liiii'i-dtura iuseparavel da nnseiia !
K' aln justamente que est o seu erro. Nao,
jmeu bom amigo, nao quero sustentar o absurdo
de que as agua.--furtadas lenliam sido construi-
das expressamente para os poetas, como tambera
os liospitaes para os autores dramticos. Se ain-
da hoje ha pessoas aflerradas a esta opino.
preciso que sejam de muita m f ou mullo ca-
bezudas; confesso mesmo que, sem erguer am-
biciosamente as minhas vistas para as summida-
des, lia simples vaudevillistas cuja posigo offe-
recia todas as condigoes que a minha solicitude
paternal deseja.
Com etreito,disse o mancebo, oihando
para Mr. Bellissent com ar prorundamenle admi-
radonao coruprehendo o alcance da sua ob-
jeegao!
Eu me explico. Reconhego, Raymundo, que
nao lhe falla instrucQao nem lalcuto....
Senhor....
Nada de modestia ; o que lhe digo nao li-
sonja, o quo sinto. Al mesmo creio que, em
qiiinlo talento, tem bastante. O seu juizo
recio, porque as suas obras sao rasoaveis, e ele-
gante o seu estylo, e, por isso, agrada s pessoas
finas ; e. Como nao uem fri, nem egosta e sa-
be fallar a linguagem do corsco. cora essa lin-
goageai que se seduz, que s agita e eleclrisa a
oiuliidao.
Acredita eutao que serei bem succedido
com o publico?
Seguramente. Mas preciso que o publico
o conheca, e essa a difliculdade ou talvez im-
possibilidade para o senhor.
Porque, Sr. Bellissent?
Porque entre o senhor, que capaz do fa-
zer uma boa obra, e o publico, que julgo muo
apio para aprecia-la, exislem intermediarios, de
que, piimciro quo ludo, se precisa ganbar o
suffragio e a sympalhia.
Refere-se aos directores do thealro?
Sem duvida, por isso que o senhor com-
poe pecas; se escrevesse livros, cnto falla va
dos editores, o que em nada mudara absoluta-
mente o meu raciocinio.
Mas, se lenho talento, hei de neces-
sariaoiente alcancor a sympalhia dos direc-
tores.
Sm, quando fr conhecido, quando tiver
m nome.
E^essa a lci commum ; os mais illuslres
autores lem-se sujeilado ella : em linera-
tura, oinguem appareco em publico com um
Dome feito.
E' preciso faze-lo, o para sso duas cou-
sas devem ajudar o talento: o espirito de intri-
ga, que o senhor nao lera, e o acaso, que lera
direiio, como toda a gente. Mas, quera espera
pelo acaso, esl exposlo passar a vida sem re-
sultado. Ora, como quero a felicidade de mi-
nha lilha, desejo que ella a alcance emquan-
to o seu coraco a pode gosar, e nao quan-
do elle j estiver amortecido pelos decep-
c6es : as flores s brilham e cheiram na pri-
mavera ; no invern s3o um engao.... Mas pa-
rece-me que vejo gueda fazer-mo catinha de
ymundo era quiz ter o trabalho de acabar
a leilura de uma carta que linha um lal comgo ;
amarrotou-a com forga as mos e deitou-a ao
lume. Em consequencia desle primeiro revez,
conservou-se um mez fechado no seu quarlo.cs-
gotando lodas as formulas do desespero e das
lamenlages. Depois. quando levo a bilis bem
descarregada, eutrou fazer esta sabia reflexo :
que o juizo de um director nao era sem appella-
gao, e que, por um iheatro quo se lhe fechara,
un lia vinle oulros a quo so poda dirigir.
be novo se pz caminho e repeli o deposi-
to do sou manuscriplo, que lhe voltou, como da
primeira vez, em toda a sua primitiva purezo.
A carta que o reenviava era assim conce-
bida :
Senhor.
O pensamenlo da obra que me tonfiou para
lr pareceu-me lao interessanle como original
nuil, que de nada me liridc descuidar.
O dialogo coolinuou, mas os dous interlocuto-
res sumiram-so pelo corredor e Raimundo nao
ouvio mais nada.
Quefeliz mortal que este Saint-Clair I
refleclio o nosso joven autor, deitando um triste
olhar ao rolo que tmha na maonem mesmo se
dao ao incoramodo de lr as suas obras, porque
j de ante-mao sabem que sao obras primas. Ver-
dade 6 que tambem nao teem trabalho com a lei-
lura das minhas, mas que differeng nao ha de
urnas as oulrasl A pega de Saint-Clair era bre-
ve apparecera em publico, pomposamente annun-
ciada, em quanto que a minha sumir-se-ha igno-
minicsamente na obscoridado de orna gaveta....
E istosem ser vista I.... E' uma injuslica revol-
tante !
Raimundo, penetrando com a vista no interior
do gabinete, sentio redobrar a sua indignagao,
vendo em cima da carteira do director um ma-
nuscriplo enrolado e alado.
L est 1proseguio elle, exasperndome-
la est a tal obra prima tao entusisticamente
acolhido I So fosse cu que o trouxesse, nao se
poupariara phrases humilhantes para m'o recam-
biar, porque sou um pobre desconhecido___mas
se, em lugar delle, eu pozesse a minha pego,
tal a prerengo, quo estou cerlo do que havia de
ser lida com inleresse pelo director, aprendida
com vontade pelos actores e o presentada com se-
guranga diante do publico, que talvez a acolhesse
favoravelmente.... Oh 1 como eu quera, para, ao
menos uma vez, ver a minha obra julgada, que
essa substituigao fosse possivel 1 E porque o nao
ha de ser ?.... quera me impede que a faga I....
estou s.... nioguem me v!,. nada me assusta..
e, quando fr preciso explicar o caso, ser o di-
rector que diga que foi por engao que o fez....
em quanto pega de Saint-Clair, representar-se-
rta mais tarde ; aqu esl o que .... nada de du-
vidas ; a minha siluago a peior possivel, aca-
bemos comella por um rasgb de desespero.
Raimundo eutrou, resoluto, no gabinete, poz o
sen manuscriplo em cima da caiteira e tirou o de
Saint-Clair. Depois voltou para a ante-sala e ali
esperou a chegada do director, quem apresen-
tou a pega de Saint-Clair como se fosse a sua pro-
pfia obra Por fim, depois de uma breve audien-
cia cheia de frias civilidades, retirou-se, deisan-
do um bllhete com o seu nome e morada.
Que indignagao e que prazer ao raesmo tenso
elle sentria-se, tornando-se de repente invrsi-
vcl, voltasse introduzir-se n'um cantinho do
gabinete 1
Engaado pela troca dos macuscriptos, o novo
director juntou ao de Saint-Clair o bilhete de Rai
mundo e deitou tudo com despres para uma
grande calza de papelao, verdadeira sepultura
commum dai joven litteralura. Tend curaprido
com este primeiro dever, deu-se pressa desen-
rolar o manuscriplo de Raimundo, para, sem per-
der lempo, poder satisfazer sua curiosidade
vida e triumphanle.
Que estylo brilhante e cheio de viscomca 1
exclamava ella, depois deler cada scena e ca-
da pagina.Eis situages novas e de grande in-
leresse! E'possivel imagi-nar-se um dialogo
mais vivo, particular, edades mai finas e chisto
sas ?.... E porque mo diz elle que o titulo nao
appropriado? Pelo contrario, acbo-o o mais
acertado e completo possivel ; e, demais, ex-
cellenle para figurar n'um csrtaz, Decidaaenle,
uma obra capital ; ha de produzir duzentos mil
francos ao thealro.... Vamos j a ella com loda a
aclividade ; a primeira representagao deve ser da-
qui tres semanas.
E, semanas depois, um pomposo reclamo,,in-
serto era lodos os jornaes, convidava o publico
parisiense para a primeira representagao de uma
nova obra primorosa do espirituoso e fecundo
Saint-Clair. No mesmo dia, um mogo do theatro,
portador do veidadeiro manuscriplo de Saint-
infelizmente, a execucao nao a julgo correspou- ; Clair. apresentou-se em casa de Raimundo com
denle forga do assumpto ; os caracteres estn i um bilhete, cuja substancia era : que a insufQ-
incompletos, a fraqueza da intriga e o desfe- ciencia do assumpto e a fraqeza da execugo-
cho das scenas mostrara grande inexperiencia tornavam imposivcl a rccepgao da obra,
do theatro ; n'uma palavra, nao creio que a sua
pega, da forma quo est, possa sujeilar-se s
provas publicas. E', pois, com um vivo pe-
sar, ele.
Ucsia ve*. Raymundo encolerisou-se, masna
se desanimou ; a conlradicgo das duas carias,
a lirapeza do manuscriplo claramente demons-
travara que nao linha sido lido, nem julgado por
nenhum dos directores. Em consequencia dis-
so, contiuuou a formar a boa opiuiao que sem-
pre Uvera da sua obra ; porm flcou cada vez
mais convencido que s do acaso poda esperar
algum resultado, conforme lli'o dissera Mr. Bel-
lissent.
Ora, como a probablidade de um acaso est
na razao do numero das tentativas, Raymundo
tomn a firme resolugo de nao parar seno de-
pois do ter empregado tolas. Infelizmente, o
seu manuscriplo, dez vezes confiado para ser
lido, para o que era inlroduzido, qual novo Pro-
teo, sob todas as formas, j como comedia, j
como opera-comica ou vaudeville, dez vezes
lhe foi recambiado, com recusas as mais poli-
ticas e corlezes pussiveis, e sempre sem ler sofTrido
a mnima alteraran no que tocava pureza vir-
ginal das suas folhas.
Raimundo eolrou desconfiar se o mesmo
acaso nao era uma chimera. A sua obra tinha
sido recusada por todos os directores, menos um;
e este, leudo feito um tratado com o autor mais
fecundo e afamado da poca para prover o seu
thealro todo o anno. nao poda ser considerado'
como uma taboa desalvagao para Raimundo. To-
dava, foi ler com elle, para descargo de cons-
ciencia. Com grande espanto seu, nao lhe foi
negada a entrada perante este ultimo juiz ; Oze-
rara-o entrar para uma ante-sala, dizendo-lhe
que esperasse ali alguna instantes.
Este comego pareceu Raimundo de bom
agouro.
Adiara eu,emfim,*o meu acaso?exclamou
elle, respirando mais livremente e com o cora-
gao suavemente animado por um raio de espe-
ranga.
Abrio-se uma porta, e o director sahio do seu
gabinete, acompaohando uma pessoa quem
dizia :
Diga Saint-Clair que pode eslar_ iuleira-
mente descansado ; o seu manuscriplo nao se de-
mora meia hora na minha carteira ; j amanha
III
FOLIIETIJII
A LINDA MERCADORA DE PANOS
Saint-Clair, chamado de repente Pars para
um negocio importante, chegou ali na occasio
em que a muliido enchia as avenidas do thea-
tro. Como tinha lido na ultima muda o reclamo,
de que fallamos alraz, deu-lne na cabeca assistr,
incgnito, primeira re presentar o de uma obra
sua. Nada lhe era mais fcil, porquo a adminis-
trago do theatro, era signal de reednhecimento,
concedera-Ihe o gozo vitalicio de um camarote,
de que elle tinha a chavo.
No mesmo instante em que Saint-Clair abra a
porta do seu camarote, um mancebo, percorren-
do o corredor, reclamava um lugar lodas as
ouoreuses (mulheres encarregadas de abrir as
porlas dos camarotes o galeras) e nao o podia
alcaogar.
E' uma indignidade revoltante I exclamava
elle, vejo dar lugar uma muliido de pessoas,
que se apresentam com bilhetes dados, e eu,que
paguei o meu, hei de car em p, porta da or-
chestra, ou de uma galera, por detraz de cinco
ou seis pessoas, que esto no mesmo caso 1 Isto
nao pode ser ; quero ver e ouvir bem, e poriorga
hei de consegui-lo I Deem-ma um lugar ni ter
ccira ordem, ainda que seja muito pequeo, que
se fr preciso, darei por elle cincoenta francos I
Diabo 1 pensou Saint-Clair, amigo ou ini-
migo, um espectador muito apaixooado para
que eu nao aproveitea occasio de gozar de seus
applausos ou de evitar assuss hostilidades.
E, dirigindo-se ao maocebo, oflereceu-lhocom
toda a instancia o seu camarote, o que foi por
elle aceito com umvivo reconhecimento.
O mancebo era Raymundo.
Os dous espectadores teriam apenas lido lempo
para se dirigirem mutuamente algumas palavras
de poltica quando o panno se levanlou, e, por
isso, logo ficaram silenciosos e ltenlos, e a mes-
ma anciedade se desenhou no seu olhar filo na
scena. Mas esta uniformidade na expresso de
suas physionomias nao durou muito tempo.
A sorpreza e desconlentamento manifestaram-
se ua de Saint-Clair ; abria uns grandes olhos,
ouvia com ambos os ouvidos, bata na testa, in-
terrogava a sua memoria. Que comedia era aquel-
la ? Como se passa va a intriga ? Eram aquellas
as situages que elle combinara, as scenas que
escrevera ?
Em tudo o que os actores diziam, nada elle
reconhecla como seu ; absolutamente nada. Ha-
via por torca ea tudo aqnillo um myaterio, cuja
explicarlo lhewa precisa i todo o usto. Esta
explicagao ia procura-la no proprio theatro,
quando ao levantar-se, seus olhos deram com o
seo vizinh o, em quem nolou, com grande es-
panto seu, os symptomas da mais violenta agi-
tago.
Raymundo linha o corpo inclinado para diante,
o pescogo estendido, a cabega deitada fra do ca-
.arte ; crava descrava vinle vezes n'um mi-
nuto ; ora ouvia a pego, e enlao reprima ares-
piracao, como se recessse dislrahir o publico ou
perder ums palavra do que dizia o ador ; ora di-
riga a vista da platea para o orcheslra, dos ca-
marotes para as galeras, e a sua physionomia
animava-se ou onnuveova-se, segundo os ipplau
sos ou o silencio do publico. Por fim, tendo-se
engaado um actor, levanta-sc, desesperado,
e depois, deixou-se cahir na cadeira, dizendo :
Oh desgrasado que me matas I assassi-
nas-me, vaes deitar ludo perder 1
Que tem, senhor ? pergunlou-lhe Saint-
Clair, que nao podia tornar si do seu es-
panto.
~ O que tenho respoodeu Raymundo, lenho,
senhor, que soflro um marlyrio I O galn nao
sabe uma palavra do papel a vae comprometter o
efleito da obra !... Agora est o maldito repre-
sentar com uma frtezaque para desesperar... E
o pae que nao entra 1... A situago vae falhar...
O publico capaz de palear...'Nao I... Afinal,
decide-se... Ora, ainda bem 1
A admirago da Saint-Ctair chegra ao maior
auge.
O senhor parece que seinteressa muilo pela
Mrte desta pega ?
Dava dez annos da minha vida para que ella
agradasse 1
Pareco-me um sacrificio muito exage-
rado.
Oh 1 senhor, o que sao dez annos em troca
da felicidade e da glorio ?
Saint-Clair olhou para Raymundo eom uma
estopefaegao indizivel.
Pareceu-lhe, com tudo, refleclindo om pouco,
que poderia alcanoar, por este lado, algum escla-
recimiento relativo ao mysterio que desejava pene-
trar. Tanto instou, pois, com Raymundo, no qual
o seu estado de exaltsgo predispunha s confi-
dencias que, sem muila difDculdade, Ibe-coniou
com a maior ingenuidade e franqueza a fraude
que eommettra.
A historia eslava apenas acabada, quando, de
repente, uma trovoada de palmas rebenion com
tanto estrondo, que pareca cjue a sala viaba
abaixo. Era a situago final do primeiro acto
que provocara este enthusiasmo.
A extrema alegria e a extrema dr produzem-
os meamos effeilos; Raymundo seatio faltarem-
Ibe as forgas, e, come os applausos- redobrassem,
cahlo sem sentidos dos bragos de Saint-Clair.
Esto chamo uma o&vreuse.
Depressa, tragara um copo de agua dis-
se elle--este desmaio o resultado do uma
commogo que nada tem de porigoss.
E, depois de confiar Raymundo aos cuidados
daquella mulher, desappareceu.
Comegou, pois, o primeiro acto ; a peca eslava
aneada, como se diz em pirrase de bastidor ; foi
uma serie nao interrumpida de bravos e palmas;
o desfecho prevocou transportes, e braos un-
nimes se ergueram pedindo o nome do autor.
Raymundo, perfeitamente restabelecido da sua
iadisposigo, linha voltado para o camarote, on-
de presencia va. desta vezssnho, o triumpho da
sua obra ; j tinha recobrado o animo ; porm,
quando vio levantar-se o panno, o avangar so-
lemnemente o actor para proclamar o nome do
autor e assim arrebalar-lbe a sua mais bella pal-
ma, nao leve forgas para soffrer este golpe, e,
por isso, levantou-se logo para sahir... era j
larde; um nome acabava de se pronunciar ....
Mas oh 1 cumulo da sorpresa e da alegria 1 este
nome, proferido com voz retumbante, este nome,
que a muliido, entusiasmada, acolhia com uma
trplice salva de applausos, era o seu.
No mesmo instante abre-se a porta do cama-
rote, Saint-Clair apparece, pega-lhe por um bra-
go, e, sem lhe dar lempo para nada, levado ao
foyer dos artistas, onde estove ponto de segun-
da vea perder os sentidos, no meio dos abragos
do director e de todo o pessoaldo theatro.
A conclusao desta historia cada um a adovi-
nha, Mr. Bellissent nao teve mais difficuldades
em conceder sua filha Raymundo, que hoje
cavalleiro da Legia de Honra e aspira ao-pri-
metro lugar vago da academia.
Em quanto pega de Saint-Clair, represen-
tou-se alguas mezes depois da do Raymundo,
cora um successo que o compensou amplameote
da demora.
Molrv.
poltica, para n'ella pardtrem o seu prestigio e
comprometiera sfeu carcter sagrado.
a O padre aaiescenla o author da brochura
torna-se apostlo, prega o evangelho, (iz com
que a f ganhe poderosas raice*, inflaam a frie-
z ios fiis e ordena paixao vencida que lh*
abra carainbo .
V-se que os fazedores do broch'uras nio se
cansara de dar largas imaginago para explo-
rar a curiosidade publica e a tal ou qual agitago
de espirilos, que uns fomentam em proveilo de
oulros I
FESTA E DESCOSTO.
Segundse 10 no Progrs de Lyon, no dia da
ImmaculadaConceicao, as freguezias do Vienue,
depois de se terc'm reunido na antiga egreja
primaz, tinham ido era procisso ao Campo de
Marte, seguidas das autoridades e escoltadas
pelos bombeiros e pela tropa. Ali tinham-se
reunido ao redor de um estrado da altura de 20
ps, e no qual tinham tomado lugar o bispo de
Grenoble, o bispo de Viviers, o arcebispo de
Turin, parte do clero, pessoas de destinego, o o
maire com as principaes autoridades.
Todava, um certa numero de mombros do
cortejo ecclesiastico e civil, pouco seguros acer-
ca da solidez do vigamento, quizeram ficar em
baixo.
O bspo de Grenoble acabava de proceder
bencao da estatua da Virgem, erecta sobre uma
plataforma d'uma torre edificada n'um rochedo
talhado pique que.domina a eidade do lado do
levante : de repente um terrivel estrepito se
ouvo e se confunde com os gritos de terror da-
dos por uma muliido immensa. O estrado dc-
saba, e o cortejo que eslava sobre elle desappa-
rece no meio das taboas e das travs que se
aroontoam urnas sobre as outras.
De toda a paite corre.n soccorrer as victimas
que tiram debaixo das ruinas, e s quaesso-pres-
tam soccorros.
Iloave pessoas que ficaram com os sos es-
migalhados, outras cora clles quebrados-ou des-
locados, outras contusas muito gravemente, e
emfim algumas que Bao tvecam perigo.
A desordera causada por esle accidente foi
como de crer, grande, O slo eslava juacado
de taboas quebradas, de bocados do estofes e de
fragmento de ornamentos religiosos.
A ceremonia lerminou tristemente n'este fa-
tal momento, e as festas da noute foram substi-
tuidas era todas as casas pelas dolorosas preoc-
cupacoes de que toda a eidade linha sido tes-
teraunha.
Ha tres annos,. quando houve a bencao da ima-
gem da Virgem em Montluel tambem o ostrado-
desabou, mas nao houve nenhum accidente
triste.
vou D. Affunso III, | dividir o jialz em grandes
propnedades livres, sen a qual estimulo, difflc
seria ser poroado.
CARNtFlCWA.
Escrevera de g. Francisco di California, que o
Chronicle. da ilha Yanoouver, refere, em data de
de oulubro, quo se recebeu em Dalles a noti-
cia de uma carneficiua de emigrantes pelos in-
dios da tribu das Serpeles. i
Segundo o que conta o dito jornal, foi assessi-
nado un coraboio ioteiro de emigrantes, eom-
posto de 40 pessoas. Entre as victimas havia
19 homens ; o resto oriro mulheres e criangas-.
Esta carneficina principiou 9 de selembro e con-
tinuou tolos os das seguintes at serem lodos
morios, salvo um s, Mr. Schreiber, que pode fu-
gir e contar os pormenores desta horroroso aecn-
lecimento.
(Commercio do Porto.
Variedades.
POPULAgAO DA RUSSIA.
Segundo o ultimo receoseamento ( o t0 ), a
Russia tem 68,931:728 habitantes, dos quaes....
33,655 824 do sexo masculino, 432:326 homens
e 436:828 mulheres pertencem nobreza here-
ditaria e pessoal, 9.074 homens e 7:764 mulhe-
res pertencem classe honoraria, 223:514 ho-
mens e 208:501 mulheres classe coraraercial ;
e 281:501 homens e 315:027 mulheres ao clero
orthodoxo ( grego nao unido )..
O numero de camponezes perlencente aos pro-
pietarios de 9,803:201 homens e 10,370:957
mulheres : e o dos creados de 721:736 homens
e 739:703 mulheres.
ron
ELIE BERTIIET.
r Continuaco.
V
O qnarto de Rosinha era no primeiro andar
junto da sala commum : uma nica janella com
parapeilo de raadeira dar para a ra, um pouco
cima do velho alpendre, de queja fallamos.
Esse quarto apresentavaum aspeclo triste, nao
obstante ser adornado de pesadas lapecarias, de
um leiio guarnecido de cortinas de sarja verde,
e duas comroodas, sobre uma das quaes se acha-
va a imagem da virgem, feila de cera, e sobre a
oulra um espelho um pouco ocrulto s vistas
curiosas de quem l pcuetrasse. Nao se via ne-
nhuma dessas ninharias, de que se fazem ro-
deiar as mogas do nosso tempo, nao ali pelo
contrario era tudo grave, simples e quasi auste-
ro. Tambem a pessoa que oceupava esse quarto
tinha por habito nelle demorar-se apenas o tem-
po preciso para repousar.
Rosinha apressou-se em despedir a velha Ge-
noveva, dispensando os seus servjcos ordinarios ;
esta retirou-se desejando-lhe uma boa noite, e
quando j nao se ouvia o ruido dos seus pasaos
perdidos no silencio da noite, a joven correu
fechar a porta com a chave, e atirando-ae sobre
uma cadeira, que se schava junio ao seu leito,
pode respirar vontade.
Sem duvida as fadigas, s commoces e a> an-
" [} Yide Diario a. 11.
gustiasdodia tornavam-lhe bem precioso aquel-
le momento de soldo : logo porem cahio no
raesmo abatimento, o com febril inquelago 1c-
vou a mao algibeira do avental, e 'aln tirou o
bheta d Villanogra.
Achava-se liberto esso bilhete, o que tari 8up-
por que durante o da Rosinha j linha tido oc-
casio de passar-lhe a vista : todava ella vira-
va-o e revirava enlre os seus dedos com um ar
de incerteza : afinal approximou-se da luz e leu
com a maior atlengo.
Ainda que concebido n'um estylo empolado
proprio da poca, cemiudo o escripto de que nos
oceupamos era temo e respeiloso. O marquez
nao solicilava em resposta uma s palavra ; ape-
nas afiirmava que chegaria ao cumulo dos seus
votos, se a bella Rosinha se dignasse dispensar
um olhar de piedade ao seu pobre escravo.
Semelhanto linguagem, que contrastava com os
modos audaciosos e petulantes dos outros man-
cebos daquella poca, foi justamente o que mais
impressiooou moga, prudente, mas um pouco
vaidosa.
A linda mercadora percorria com indefinido
xtasi essas linhas, onde ella procurava descu-
brir a expresso de uma alma candida como a
sua. Nessa hora riscavam-se-lhe da memoria
todos os acontecimentos daquelle dia : nao pen-
sava mais na ruina que ameagava a seu pae, na
partida myrleriosa de Gil, na prohibgao que lhe
fra feita de nunca mais ver o marquez : eslava
completamente absorvida nessa primeira carta
de amor.
A reflexo porem veio mudar-lhe em amargu-
ra o enlnvode talsluago : a cabega pendeu-lhe
sobre o. peilo ; o bilhete escapou-se-lhe da mi
sem que ella cuidasse em apanha-lo; e duas la-
grimas correram-lhe silenciosas pela face abaixo.
Oh I sm, murmurou finalmente com a voz
agitada,occultando o rostn no leito, meu pae tem
razo ; loucura minha elevar as vistas to alto.
Quem sou eu, avista delle ? A nossa nobreza re-
cente e duvidosa um objecto de motejos para
os nossos viznhos. Elle i joven, bello, rico, e
amare! I Ha de ser duque um dia, lera bonitas
INNUNDACO DE BROCUURAS !
A brochura Papa e imperador de que
tanto so fallou, e contra a qual alguns jornaes
escreverara forraidaveis arligos, foi seguida de
cutra brochura, que tem por titulo Os Pont-
fices nacionaes Paris e o sou Papa .
O autor ada muilo illogico que, depois de se
ter combalido a reuoio do poder temprale
espiritual na pessoa do Papa, se queiram reunir
estes dous poderes na mao do chefe eleilo de
uma grande nago.
Prope a crear ao de pontfices nacionaes. es-
collados enlre os altos dignatarios ccclcsiasticos
de cada paiz.
O Papa ficar sendo o pontifico nacional ita-
liano ; a Franga, a Hespanha, Portugal e a Aus-
tria tero o seu.
Estes pontfices s se oceuparo das cousas
da religio, hoje, diz o autor, descidas arena
COCSAS DA CHIBA.
A eidade de Moukden, onde o imperador da
China se refugiou quando os alliados enlraram
em Pekn, nao -na Tartaria propiamente dita,
mas na Mandchouria, que faz parte das provin-
cias interiores do imperio, e onde existem os
partidarios mais dedicados da dynastia trtara
Mandahona, que em 1664 conquistes a China, e
que ainda a reinante.
Acidada de Moukden dista 400 kil. de Pekn,
e as circunstancia graves tem sempre servido
de refugio familia imperial.
Foi a residencia dos soberanos da- China, at
a poca da conquista. Comprehende duas ei-
dade destnelas ; a eidade imperial'que tem 4
kil. ote circunferencia-e um palacio magnifico, e
oulra que circumda a primeira. e tem 12 kil. de
circunferencia, uma muralha que a cerca,
mais eonsderarel que a de Pekn.
A pepulago de Moukden nao excede hoje
500 mil' almas. A eidade encerra bellos tem-
plos e edificios magnficos, em todos os gneros.
Possue os tmulos dos dous maiores principes
da dynestia actual: a do imperador Kag-Hi. que
reinou de 1662 a 1728- e a do imperador Kan-
Loung,. que reinou de 1736 a 1795- Estes dous
mausolus sao monumentos adrairaveis. A Mand -
chouria para a dynastia reinante na China o
que a Veode era, em Franga, para a antiga
monarchia d'aquello paiz. Apesar da dificul-
dade da estradas, a eidade de Moukden tem, em
todo o tempo, communicages regulares e pe-
ridicas cora Pekin..
UM VELHO SOLDADO,
O general Vial, que hoje commanda a pravja
de Gaela, nasceu em Niza em 1777} e, aperar
dos seus oitenta e trez annos, diz um jornal
francez, lera muita aclividade e energa, monta
cavallo todas as vezea que o servigo o exige,
e o seu posto sempre onde o perigo d maior.
COM TUDO SE ESPECULA.
A collecta aue so fez oos paizes calhofiicof,
com a denomioago do dinheiro de S. Pedro,
deu azo 4 um engenheiro mercieiro de Tours pa-
ra especular com o ultramontanbmo.
O nosso especulador annunciou no Journal de
Indre-et-Loire que d ea favor do Papa Pi IX
10 por cenlo dos lucros resallantes da venda do
seu chocolate, que se difieren car pelo leltreiro :
Chocolate de S. Pedro. (/)
Esto secuto verdaderamente utilitario e es-
peculativo t
UM ACTOR INESPERADO.
de representagao no theatro de
ha pouco um acontecimeal cu-
ORIGEM DAS HERDADES NO ALEMTEJO.
As propnedades rusticas da nossa provincia
sao, pela maior parte, destribudasem terrenos
mais ou menos extensos chamados herdade*.
Esta deslribuigo tere origem em tempo de D.
Alfonso III, que abolindo as jugada estabeleci-
das por D. Affonso Henrques, o os foros cerlos
ou censos de D. Sancho I, deu as trras livres
allodiaes, separando a parle que reservou para si,
era reguengos. Estes terrenos, passando em he-
ranga de paes Dlhos, lemaram o nome de
trras herdadas ou herdades.
E' esle systema de diviso- de terreno em
grandes propriedades livres, que se dove allri-
buir o terrivel effeito da falla de populago. em
que sempre estere o ainda est todo o Alemtejo.
- Mas elle foi n'aquelles lempos necessario.
Das pocas anteriores invaao rabe, nenhuns
vestigios se encontram, que nos moslrem qual
era a populago dos extensos sertes situados en-
tre o Sedo e osserros de Honchique ; entre o
ocano e os piamos de Aljustrel e de Ourique.
Eram provavelmenle vaslaa e sombras florestas
de sobreiros. caminos, e asinheiros, s habita-
das pelos anlmaes bravios. Nem o Celta, nem o
Lusitano deixaram um s vestigio da sua exis-
tencia nestes lugares, sem duvida mais desertos
ento do que hoje. O legionario romano, nao
curava de arrotear trras. S conheca a va mi-
litar, e o Castro ou prosidio 3 que ella o condu-
zia. O godo, sempre em continuas lulas, destrua
sem produzir. Durante o dominio musulmano,
a agricultura altingio certo grao de desenvolv-
ment, se attendermos aos vestigios da exis-
tencia de casaes agrcolas, situados no centro das
maltas, e apartados das povoares acastelladas.
Estes vestigios sao os nomes que ainda conser-
vara algumas habilages ruracs, taes como
Alfardim, Aduares, Al'uiadanim, Alraagedo, Al-
carial, Alcola, Feilaes, Ademas, Afiucerna, Al-
queiviohos, Enxarfe, Falaca, Alpendre, Lisi-
ria, etc.
Desde esse tempo at ao dos primeiros res
portuguezes, as guerras e correras continuadas
entre mouros e christos, assolaram, e deviam
quasi inleiramente despovoar estes vastos terri-
torios, que s poderiam ser de novo povoados,
asseguraodo-se aos colooos a posse das trras
para i e para seus descendentes.
Tal foi, segundo nos parece, o motivo que le-
N'uma noite
Tolosa, deu-se
rioso.
Represenlava-se o primeiro acto da Pesca-
dora quando am rato, do lamanho d'um co-
lho, cahio das frisas ao meio da platea, l/ali
saltou orchestra e n'um abrir e fechar d'olaas
eslaya sobre o palco, onde excitau geral terror, A
actriz mademoiselle Leroux, que eslava na' scena,
abalada pelo susto, eomecou soltar eaclameges
que nao eslavam no seu papel I A ordem s se
restabeloceu com a morte do rato, que, queren-
do passar no va monte da scena para a oechestra,
foi agarrado e morbo por um msico.
GRANDE DESASTRE.
Segundo conta o Monmoulhsire Merlin,. uma
terrivel calamidade teve lugar na mina de car-
va, chamad da Veia-Negra, perlencente 4 eom-
panhia dos carves da Risca, e que est em ex-
plorado, ha muitos anuos.
No 1. de dezemBro, antes dos operarios entra-
rom nos pocos, tinha sido feila uma inspecgo, e
nao se-linha observado apparencia alguma dope-
rigo. Pelas 5 horas da manha, 300 operarios-
desceram para o trabalho. A's 9 horas, ouvio-se
uma formidave' eiplesao-com um terrivel estron-
do. Foram logo organisados soccorros toda
presea..
Desceu-se logo que- foi possivel faze-lo sem-
perigo, para se ver a extenso do sinislro,.
e reconheceu-se que houvera urna exploso
certa distancia da boca ;. ainda que os trabalhos
materiaes nao eslavam muito damnificados, ti-
nha bando com tudo uma terrivel hecatombe.
Os raioeiros cnconlramim cada passo os seus
camaradas morios. A's victimas foram applicados
soccorros mdicos, ma intilmente. Alguns
ainda foram retirados vivos, mas o*monor nu-
mero-
so as indagages nao fuerera encontrar mois-
genle, e as esperances esto quasi perdidas, o
catalogo desta catastrephe registrar 120 vic-
timas.
Quanio causa do- accidente, nio ser uma.
exploso gazoza, impossivel dizer nada de pre-
ciso ; nada se descobrio anda.
TANTO DINHEIRO!
O celebre banqueiro- Mr. de Rolbschd esm-
prou por seis milhe de francos ( mil e oitenta
contos de res) o magnifico palacio em que mor-
reu a duqueza d*Alba, situado na avenida do
Campos Elysios.
carruagens, castellos, palacios; e eu___ O' meu
Deus 1 meu Deus I
Levanlou-se ; foi prostrar-se perante a ima-
gem da virgem, coberta de fitas e ouropeis, e
dirigio-lhe uma supplica fervorosa : (inda esta,
encaminhou-se para fechar a janella, que seacha-
va ainda aberta, somonte com a cortina corrida,
por causa do calor da estagao.
Eram onze horas : profundo silencio reinava
em todo o quarteiro : lodas as luzos tinham si-
do apagadas ha muilo lempo, de sorte que a ra
estreila de Tixeranderie jazia em completa escu-
ridto. No momento em que a linda mercadora
ia para fechar a janella, pareceu-lhe ouvir um
pequeo ruido da parte de fra por cima do pa-
rapeilo : parou assuslada, e prestou attengo
nada 1 O ruido tinha sido to impercepttvel que
ella suppoz haver-se engaado ; e nesta persua-
sao levava j a mi cortina para suspende-la,
quando as vid raras se abriram de par em par.e um
homem embugado n'uma capa se apresenlou em
p sobre o parapeilo.
Rosinha recuou plida, muda, aterrada como
se eslivesse na presenga de um espectro : o san-
gue gelou-se-lhe as veas. Mas bem depressa
voltou-lhe a presenga de espirito : persuadida
de que s um ladro podia assim apresentar-se
em sua casa ia j bradar por soccorro, ao tempo
em que o desconhecido iotroduzindo-se de promp-
lo no quarto, atirou para um lado a sua capa,
murmurando com a voz commovida :
Perdi, perdi, seohora 1 Foi este o nico
meio de chegar at vos.
Era o joven marquez Ilenriqoe de Villanegra.
Roiinha, reconhecendo o marquez, n em por
isso pareceu menos sorpreza, e menos assuslada
que principio : a sua secreta inclinagao pata o
mancebo em nada diroinuio a indignagao, que lhe
inspirava a afouleza de semelhante passo : cor-
reu ligeiramente para a oulra extremidado do
quarto, e disse Com auloridade :
Nem mais um passo, senhor ; nao facaes o
mais pequeo roovimento para tos approximar-
des de mim, porque enlao chamarci meu pae
A PRNCEZA ALICE.
O Moming-Posl diz que est definitivamente
contratado o casamento da princeza AJice, filha,
da rainJia Victoria, com o grao-duqua principa
Luiz de Hesse.
O futuro marido da princeza Alice o.filbo
mais velho do principe Carlos, irraio> e herdetco
presumptivo do grao-duque de Besse, que nao
lem filhos.
A mae do principe Luiz uma-princeza da
Prussa, filha do fallecido prncipe Guilherme,
cojo nome foi celebre as grandes guerras e ir-
mia da rainha da Baviera e do principe Alborto
de Waldemar, que tomou com lord Haiiicije
parte na campanha do Penjaul (India ).
O grao-ducado de Hesse tem uma poaulaco
de 760:694 habitantes.
As suas principaes cidades sao: Darmstadt
( capital), Gressen e Mayence (patria de Guttem-
berg).
O gro-duquo tem tres votos na assembla ge-
ral da dieta germnica, e o seu contingente faje-
ral a de 6,195 homens.
A capital tem 3:000 habitantes e divide-se em
eidade velha e eidade nova. Tem alguns edifi-
cios, entre elles o palacio ducal, museu, esaola
militar, etc., etc.
As principaes produeges do grao-ducado do
Hesse sao: trigo, batatas, linho, fructas e vicho
{ oas margeos do Hheno). Tem muilas florestas
e grande quanlidada de caga as raonUuhas
tem ferro, cobre, gres e aguas mineraea.
A sua industria fabril e de cortumes. O seu
commercio de transito e eiportago. O seu go-
verno monarchlco-coBstitueional. A maior parte
da populago protestante.
[Commercio^ do Porto.)
que dorme no quarto vizinho. A vossa conduc-
ta infame, indigna de um cavalleiro I
A postura do joven Villanegra nao se prestava
muito para justificar inleiramente esso terror:
ficou immovel, com os olhos baixos e trmulo.
Dir-se-hia que era um pobre collegial apanhado
em flagrante delicio de escpula, por seu severo
preceptor, tanto estava elle embarazado e per-
turbado.
Scnhora, balbuciou afinal, confesso que nao
lenho outra desculpa seno o violedto amor....
Basta, senhor ; part, partf immediatamen-
te 1 tomou Rosinha com agitago. Nao vedes
que a vossa presenga no meu quarto esta hora
da noite pode perder-me, deshonrar-me ? Parlf
j, se queris que anda creia na vossa honra, e
que rindo aqu nio fizestes mais do que escutar
conselhos roaos.
Oh 1 verdade I exclamou o mancebo com
vehemencia: enganaram-me, fasciuaram-me I
Vou partir, senhora ; porem dizei-me ao menos
que nao me Qcaes odiando por esta minha ou-
sadia 1
Semelhante submissioe arrependimento eram
sufficientes para desarmar a colera de Rosinha ;
ella disse com menos severidade:
Nao quero, nem devo prometler cousa al-
guma. Pela confisso que fizestes reconhego a
exacdo dos receios que hoje mesmo ouvi ex-
primir-so vosso respeito. Uesconfiae do con-
de de Manle ; um miseravel quo vos hade per-
der, se derdes ouvidos aos seus conselhos Mas
podem sorprender-nos : em nome de Deus, reti-
rae-vos! e talvez que ainda eu possa conserrar
alguma eslima para comvosco.
Villanegra deitou um olhar para Iraz; mas, ou
porque recciasse as zombarias e motejos daquel-
les que o haviam impeludo para essa escalada
temeraria, ou porque nao quizesse retirar-se sem
ter ouvidoda bocea da linda mercadora uma ex-
presso favoravel, o caso que conservou-se im-
movel no mesmo logar.
Senhora, disse elle um pouco mais confia-
do, nao rcceieis cousa alguma : uma escada se
acha encostada parede, e esse pobre conde, a
quem tanto mal queris, vela na ra com alguns
fiis servidores; de um momento para outro
posso rcunir-me elles sem perigo para vos,
nem para mim. Consent, pois, que vos diga....
Nada quero ouvir. Meu Deus 1 Era isto o
que eu deria esperar depois da vossa carta lio
tmida e respeitosa? Bu vos julgava bom, leal
e generoso....
Pois bem, Rosinha, dizei-me somonte que
nao me odiaes, o eu partirei j.
Para que queris obrigar-me uma pro-
messa ? Relirae-vos, senhor, sem condicoes.
Neste caso nio me retiro, tico, disse o
marquez com resolugo sentando-se n'uma ca-
deira.
Rosinha nao contara com essa determinagao
lio audaz.
Que farei, meu Deus 1 murmurou ella ; el-
le nio tem piedade de mim I .... J que assim
queris vou chamar soccorro, despertar as pes-
soas de casa___
Que importa 1 diz Henrique.
Meo pai ha de vir, elle violento, pode ma-
lar-ros.
Ou antes, obrigsr-me-ha desposar-vos ; e
isto raesmo que eu quero.
Desposar-me 1 Vos, Sr. marquez? pergun-
tou Rosinha com uma dogura involuntaria.
Porque nao I se eu vos amo tanto I
Mas vosso pae ? vossa mi ?
Tornar-se-ho rasoaveis ; demais, algum
dia hei de ser senhor das minhas accoes.
E vossa fortuna ? vossa posigio ?
Quem vos vir, ha de talo desculpar-me.
Rosinha refleclio alguns momentos.
Esta resolugo insensata, replicou ella
commovida. A distancia que existe enlre nos
lio grande quo nao pode ser vencida. Relirae-
vos, senhor de Villanegra : a vossa obslinagao
em vos demorardes aqu nio pode ter outro re-
sultado seoio comprometter a minha.honra 1
Ainda uma rez eu vos supplico, em nome de
ludo o que ha de mais sagradopart 1
Henrique de Villanegra flcou abalado com a
solemnidade desta supplica : levanlou-se,
Dizei-me ao menos que me lendos amor 1
murmurou ello com paixao.
Rosinha ia responder : Ulvez que dos sous la-
bios sahisse a confisso tao deaejada, se nio toa-
se ouvrem naquelle momento gritos penetrantes
que parliam da parte de fra.
Os dous jovens poseram-se escutar ; a baru-
Iho vinha da extremidado da ra, c ouvia-se gri-
tar com forga :
Soccorro I soccorro I ao assassino 1 ao la-
dro I
Nessa poca taes acontecimentos eram muito
frequentes : esle porem impressonou vivamenio
joven mercadora. Em primeiro lugar quem
quer que bradava por soccorro pareca lutar com
muitos aggressores, porque a voz era sofreiada, e
ouvia-se desnudamente o ruido do uma luta en-
tre diversas pessoas ; em segundo lugar a moga
julgou reconhecer o som da voz de Gil Poin-
selot.
Meu Deus I murmurou ella empallidocendo
e sem poder dar um passo dominada pelo terror.
O que ser isto '.'
Nao hade ser nada, respoodeu o marquez
comindifferenga: algum plebeu que se torna re-
calcitrante, e recusa entregar a bolsa.
Mas um homem esl sendo assassinado 1
replicou a joven : os gritos vio enfraquecendo,
parecem mais gemidos que outra cousa.... Por
humanidade, senhor, ide em soccorro desse in-
feliz !
Vou ver o que disse Villanegra encami-
nhando-se para a janella.
Ouvio-se novo barulho i pequea distancia :
era o estrepito de muitos cavallos correndo
galope sobre a calcada, depois um tnir de ar-
mas, e um murmurio de vozes. Desta vez o
proprio marquez assuslou-se.
Maldito seja o palife I murmurou elle : os
seus gritos attrahiram a ronda. Estamos perdi-
dos se os soldados descobrem a escada e as pes-
soas que a esto vigiando.
(Confinuar-se-na.)
PMN.~ IIP. DEM. F. DE FAJUA. -1801."


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EA7MBRPB1_EU8S5T INGEST_TIME 2013-04-30T20:53:18Z PACKAGE AA00011611_09215
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES