Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09178


This item is only available as the following downloads:


Full Text
III XXXTI. NUMERO 278
Por tres mezes adiantados 5$000.
Por tres mezes vencidos 6$000.
SEXTA FEIRA 30 DE NOYEKBRO DE 1861,
Por anno adiantado 49$000
Porte franco para o subscritor.
ENCARREGAD03 DA SUBSCaiPCAO DO NORTE
Parahiba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima '.
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ; Aracaly, o
Sr. A de Leraos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de Ol-
veira; Mar.nJio, oSr. Manoel Jos Martins Ribei-
ro Guimares ; Piauhy, o Sr. Joo Fernandos do
Horaes Jnior ; Para, o Sr. Justino J. Ramos ;
Amazonas, o Sr. Jernimo da Costa.
l'AKl lli.Va UUb UlKKElOs.
Olinda todos os das as 9 1/2 horas do dia.
Iguarass, Goianna e Paralaba nos segundas
e sextas reiras.
S. Aotao, Bezerros, Bonito, Caruar, Altinho e
Garanhuns as tercas felras.
Pao d' Alho, Nazarelh, Limoeiro, Brejo, Pcs-
queira, Ingazera, Flores, Villa Bella, Boa-Vista,
Oricury e Ex as quartas-feiras. .
Cabo.Srinhem, Rio Formoso, Una, Barreiros,
Agua prela, Pimenteiras e Natal quintas feiras.
(Todos os corrcios partem as 10 horas da manha
EPHEMERIDES DO MEZ DE NOVF.MBRO.
6 Quarto minguante as 6 horas e 57 minutos
da manna.
12 La nova as 10 horas e 16 minutus da tarde.
20 Quarto cresceute as 6 horas e 33 minutos
da manha.
28 La cheia as 9 horas e 18 minutos da manha.
PREAMAR DE HOJE.
Primeiro 3s 6 horas e 54 minutos da manha.
Segundo as 7 horas e 18 minutos da tarde.
JADINECIAS DOS.TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relaco tercas, feiras e sabbados.
Fazenda : trras, quintas e sabbados as 10 horas.
Juizo do commercio: quartus ao meio dia.
Dito de orphos: tercas e sextas as 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio dia
Segunda vara do civel ; quartase sabbados a urna
hora da tarde.
DAS DA SEMANA.
26 Segunda. S. Pedro Alexandrino b. m.
27 Ten;a. S.Margaridade Saboia v.; S.Jozaphal.
28 Quarta. S. Gregorio III P. ; S. Jacob do M. f.
29 Quinta. S. Saturnino m. : S. Iluminada v.
30 Sexta. S. Andr ap. ; S. Trajano b.
1 Sabbado. S. Eloy B. Novicnense ; S. Nahum.
2 Domingo. S. Balbina v. m. ; S. Adria m.
ENCARREGAD09 DA SUBSCRIPQO NO SUL
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Das ; Bahia,
3r, Jos Martins Alies; Rio de Janeiro, o Sr.'
Joo Pereira Martins.
EM PERNAMBUCO.
O proprietario do diario Manoel Figur-iroa a
Paria, na sua livraria prac,a da Independencia ns,
O e 8.
PARTE OFFICIAL
Governo da provincia.
Expediente do dia 26 de novembro de 1860.
Oflicio ao commandante superior da guarda
nacional do Pao d'Allio.Desojando aliviar a
guarda nacional sob seu commando superior do
servido de destacamento em que est, na villa de i
Pao d'Alho, resolv fazer substituir por pracas do
cerpo de polica o deslacamenio que exisic ac-
(lilimente na mesma villa, para o quo ficam j
expedidas as necessarias ordens.Oliciou-se ao
commandante do corpo do polica para fazer
destarar para all 20 pracas sob o commando de
uniofcial subalterno.
27
Oflicio ao Exm. commandante superior da
guarda nacional do Recite. De conformidade cao clemelar da freguezia de S. Pedro Gongalves
com o dispostn no art. 48 do rcgularaento, que i do Kecife, padre Miguel Vieira de Barros Marre- i lugar em 31 de outubro fez desvanecer todas as
j commendar-lho que procure evitar, quanto for
i posssivel. as faltas notadas pelo presidente da-
' quella provincia no oflicio, de que j lhe deisci-
enca.
Hito.Approvo a compra que fez o conselho
: de compras navaes dos objeclos de material cons-
; tantea da relaco que veio annexa ao seu ofli-
cio de 23 do correte, a que respondo.
Foilaria.O presidente da provincia, alten-
dendo ao que requereu o orofessor publico de
inslrucgao elementar do collegio dos orphos de
Olinda, padre Jos Procopio Pereira, resolve
prorogar por mais dous mezes a licenca com or-
denado, que est fruindo, devendo contar-se a
prorogaeo do dia em que se findar a referida li-~
cenca.
Dita,O presidente da provincia, attendendo
ao que requereu o professor publico de instruc-
koff j estao de volta em S. Peter3burgo ; o im-
perador Francisco Jos e o conde de Rechbcrg
em Vienna. assim como o principe regente tam-
bem j se acha de volta em Berlim com o prin-
cipe do llohenzollern e o Sr. de Gruner, que o
linha acompanhado para a capital da Polonia em
logar do ministro dos estrangeiros baro de
Schleinitz, adoecido. A reunido leve lugar em
Varsovia no dia 22, e segundo convencionado
ella doria durar at o dia 28 ; mas j no dia 26
a noticia telegraphica do perigoso estado da sau-
de da imperatriz viuva da llussia fez romper o
congresso. O imperador Alexandre deixou Var-
sovia immediatamente, e poucas horas dopois
partirara os seus convidados. A cidade de Var-
sovia ficou de repente como deserta.
No primeiro momento ninguem quera acre-
ditar na verdade do estado perigoso da impera-
itiz viuva da Russia. Masa sua morle que leve
if CIr r e min!slr dos estrangeiros, e o Sr. i menlo daquella cultura as possessoes inglesas
7?J..aI a a'nda <2ntarregado la direccaoin-lda nova Australia no intuito de emancipar-se
orina das Imancas. Com a nova organisago da como j disse, dos mercados estrangeiros, d'ond
nungna nao era all mais compativel a posico at hoja importa lodo o algodo com que sao for-
rxcepciowH t,o general de Benedeck. o qual re- necidas as fabricas do Manchester f o de certo
n!Lm superior na Italia. nao desistir de seu intento at favoravel soluco.
[.?fHL ?"? 0S "ovos decre,os e mudancas ou pelo menos al que esteja convencida da inu-
nao tinham fe o a impressao desojada sobre a tlidade de scusestareos. Algons acres de lerre-
a opiniao publica. Do que referimos se ver no foram ja destinados naquella provincia para a
que os paizes nao hngaros tem, verdade, al- planlacao do algodo.
gum motivo para nao se moslrarem
Sobretudo a preferencia dada a
lo mo -aiigue em toda a parlo
lugar de agradecmenlo colhe a mais viva oppo- 1|2. Portugueze3 3 rl 43, 45. Buenos-A)
81ao. deferidos 3 fj|0 29 1|2.
Mais singular que lambem a Hungra na
t contente. Mas com efl'eito assim e o
conlenlamenlo all geral. O motivo disso
mmenle recebido o montante de seus salarios-
de muilos annos, embora ficassse anda por de-
cidir a questao das presas, em que elle lo gran-
de parte linha.
O marquez do Maranhodeixa aps de si urna
viuva e tilhos ; e natural que nelles reconlieca
o governo imperial o dircito que reclamava o fi-
lustre finado.
Lady Dundonald, marnueza do Mranho, con-
tinuar a receber do Brasil a penso que era pa-
marido, pois com ejta condicn lhe ha-
concedida no lempo do Sf. Dora Pe-
tambem aqu ha um mez o baro de
l deferidos 3 niO 29 lio. Hollandezes 2 1.2 niO 65 c, V1m a1ai ha um ez o baro de
oes- 1,1: di.os40|O9934. Tic.nS 3 0i0 ^1|8 L^ m"e 'aue for mX^0/"'^^0 1""
des-:nussos5 0|0l05. Sardos 5 n,0 86. Hespanhes I m innY,L l I desempenhou
io 30l0 40J,4. E turcos 4 0,3 garantido 1%" I c?rod "'* "' B0!M aSe"'e f'"aU-
laixou com o decreto n. 2H7, d 19 de sete'm- cs c ledo em vista os documentos por elle ex-
bro ultimo, sirva-se V. Exc. de mandar dispon- bbilos. resolv considerar o referido professor
sar do servico da guarda nacional os guardas da habilitado para ensinsr as materias adoptadas
alfmdcga desta cidade constantes da relaco Para as escolas do 2. grao, e a perceber as'van-
junia. tageni do art. 26 da lei n. 369 de 1 i de maio de
ftelacao dos guardas da alfandega, qnc devem 18^> ficando porcm obrigado a cnjuar na sua
ser dispensados do servico da guarda nacional aula as materias de um c outro grao.
Dita.O presidento da provincia, attendendo
ao que lhe requereu o soldado do 8. balalho de
iofantaria Fernando Jos dos Santos, que foi con-
siderado incapaz do servico em inspeceo de
saude, resolve concedcr-lhe trez mezes de licen-
ca com vencimenlos para tratar dentro da pro-
vincia.Communicou-se ao commandante das
armas.
Dita.O pres:dente da provincia, conforman-
do-se com a proposta apresentada pelo adminis-
trador da capatasia da alfandega desta capital, e
tendo em vista as informaces de respectivao ins-
pector c do da thesouraria de fazenda, resolve,
armas.__' nos termos do art. 66 2. do regulamenlo do
quo me ^ de selembro desle anno, nomear a Eustaquio
correte I Zeferino ds Silva Braga para ajudante do mesmo
do admi- administrador. Communicou-se thesouraria
nisiradot da casa de dclenc,o, tenho a recom-'de foienda.
mendar a V. S. que se sirva de providenciar no D'la-Os Srs. agentes da companhia brasilei-
seniido do que solcita o referido administra- i rn de paquete a vapor niandera dar urna pas-
dor relativamente guarda daquelle esUbeleci- sa8em e l'roa para o Cear, no vapor que es
ment. espera do Sul, a Felippe Jos de Arruda, cm
iio ao commandante da diviso naval Or- luS,ir lestinado para passageiros de estado,
denando nesla data ao commandante do corpo despachos do da 27 de kqvf.5ibi\o de 1860.
do polica que faca apresenlar-lhe como recruta llequerimeutos.
o soldado do corpo de seu commando, Felisberto 3197.Antonio Ignacio Borges.Informe o Sr.
Monteiro Acciolt; assim o coramunico a V. S. inspector da thesouraria de fazenda.
em virtude da orden) supra;
Io balalho de iofantaria.
Jo.'iquini Ricardo Ferreira.
Joaquim deSouza Pereira de Brito.
Rufino Leopoldino Mendos Brando.
Joaqun Francisco Ribeiro Roma.
2o balalho de infamara.
Ilcrmillo Jos de Alcntara.
3o balalho de infartara.
Anlonio Bernardo Carneiro Monteiro.
Jos Marianno de Barros Cavalcant.
b balalho de infantaria.
Manoel Joaquim Goncalvesda Luz.
Dito ao coronel commandante das
Transmiti por copia a V. S. o oflicio
dirigi o chefe de polica em 24 do
&ob n. 1524. acompanhado de outro
duvidas. (A augusta viuva do imperador Nicolao
I, a imperalriz Alexandra-Feodorouna, era tilha
do rei Frederico Guilherme 111 da Prussia, o
nascida no anno de 1793. Como so sabe era viuva
desde 2 de marc.o de 1855 ) E' verdade que cau-
sou sensaco, que o motivo que justificava com-
pletamente a partida do imperador Alexandre
de Varsovia, lambem decidisse a partida do prin-
cipe de Gortschakoff, e que ao mesrao lempo
que se rompeu a entrevista dos soberanos t-tin.
As aeces das nossas estradas de ferro conti-
nan) com nolavcl descont. As de Pernambuco
com o de & 3 5,8 a Sf 3 3|8 ; as da Babia com
o de af t 1|8 a Sf 1 ; e as de S. Paulo cora o de
que a Hungra at 1848 tinha gozado de maior
liberdade e independencia, do que o governo
agora lhe reslitue. L'm tumulto as ras de
Peslh, supprimido pelas armas e em que houve-
ram morios e feridos, foi a primeira expressao ; Sf 1 a 7,8 sobre Sf 2 de entrada .
que saudou os decretos constilucionaes na Hun- Parecera que vista da medida que o governo
gna. lguaes scenas se mostraran em oulros lu- imperial fez ltimamente passar na assembla
gares. Desde entao os espintos esto mais cal- aQm de oflerecer ao3 possuidores do ttulos das
mados extenormente, mas s porque se pensa nossas estradas do ferro venda aqui urna Iroca
haver achado ras concessoes feilas at agora pe- desses fundos por apolices da nossa divida exter-
lo governo. a rma propna paraoobrigar amaio- nacom4 1|2o0 de inleresse ou por ditas da
res concessoes, precisas para o completo resta- nossa divida interna com juro de 6 niO. deveria
^Tnfv""1" /S C0Df1e.rcn"as dos ministros- belec.menlo da antiga conslituic.o. produzir oeste mercado tal confianca que aquel-
Seem Varsovia era questao de negocios realmen- Entretanto, quem mais aproveita diflicul- las accoes subiss m logo de valof Mas some-
te de importancia, o essencial eram as negocia- | dades e desembarazos da Austria, a Itaa. De- Ihanle expediente toi aqui, como j Uve occasio
er mallogrado a conferencia de Var- de expor, mal recebido c por conseguinte em
se pode pensar mais em Vienna de nada contribuio para melhorar o estado daquellas
epentinamcnle. Masjulgamosja : lomar aoffensiva contra o Piemontc e el-rei Vic- nossas emprezas.
m de novo
, e edificar a
As nossas supposicoes se confirmaran) comple- Italia reunida sobre as ruinas dos thronos dos
lamente. Em Varsovia nada se roalisou. Desde I principes legtimos. El-rei Francisco 11 se sus-
22 at noile de 24 de outubro os soberanos e 'tonta anda em Gaela. Mas em frente dos Pio-
monlezes. que esto avancando do lado do norte,
edos Garibaldinos collocados ao sul, a linha do
Vollurno cora Capua, al agora oceupada pelas
(Sea entre os ministros, e a molestia da impera- pois de have
triz viuva da Russia nao podia dar motivo, para jsova.no si
linda-las lo repentinamente. Mas julgamosj lomar aoffei...
ter dilo que as esperances de grandes resultados tor Emmanuel e o conde de Cavour ter
poliiicos em Varsovia pareciam mui Ilusorias, tempn para realisar os seus planos e
ceiro.
Nesta qualidade o baro de Samuel presin ao
Brasil muilos e bons servicos. acndiudo-lhe se-
gundo me consta com avullidas sommasern oc-
csioes urgentes e sempre maniendo nesta praca
com escrpulos o crdito do goveruo imperial.
Para recompensar seus servicos o governo de
Brasil o havia creado oflicial'da imperial ordeai
da Rosa.
O baro de
fortuna
Samuol
superior
deixou
a ciuco
sua familia
mil contos de
os ministros nao tinham lido una s conferencia
comnium ; s no dia 25 de manha que urna
conferencia leve lugar, mas ella s durou urna
Oiloney Alarket Revieic, jornal semanal desta
capital, pnblicou ha dias um importante artigo
sobre o estado das nossas emprezas frreas no
mercado de Londres, e por essa occasio anali-
,sou a medida do governo imperial a que cima
' alludi. Na opinio do autor daquelle artigo a
medida deficiente : Io porque se estabelecc
que a troca das accoes por ttulos do governo s
ora, e no da b \ arsovia eslava deserta. S tropas Napolitanas so lornou insusientavel. Foi lera lugar quando liaiam os accionistas saliseito
lili ni lhl'\ ii'"r 'i nimi^, ,.{.. ...I-Un .^.i;,i,.'- I... !.! .1___S____ < > w "
tjnham lido lugar algumas entrevistas particula-
res ntreos differenles ministros, e ms lingoas
querem pretender que a conferencia comnium
Hrt Q^ r\\/\ lrt.; IZA* !_..- __ _-________________
por isso abandonada e o resto das tropas reaes todas as suas entradas, sendo certo que o mal
{que tinhamJicado em Capua, capulou no Io do existente deveria ser de promplo remediado ; 2o,
porque estabelece um juro inferior a ."> rjlO quan-
recommendando-lhe que mande assentar prara
ro predi.to soldado, se porventura for julgado
opto pira o servico era inspeceo de saude, fa-
zendo-o seguir para a corle com destino ao
quartel-general da marinha. Expedio-sc or-
den para a apreseulaco do supradito sol-
dado.
Dito ao commandante do corpo de polica.
3198.Carlos Francisco Soares de Brillo.Al-
lendido ser osupplcante logo que o permita o
estado dos cofres provinciaes.
3199.Fielden Brothers.Informe o Sr. ins-
pector do arsenal de marinha.
3200.u mesmo.Informe o Sr. Dr. chefe de
polica.
3201.Francisco de Souza Guerra.Informe o
Pode V. S. mandar engatar no corpo sob seu > Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
commando o paisano Manoel Raymundo Cami-! 3202.O mesmo.Informe o Sr. inspector da
nlia, que, segundo o atteslado junto 30 seu of- i thesouraria de fazenda.
3203Joaquim Malaquias de Souza Cousseiro
Informe o Sr. inspector da thesouraria de fa-
do corrente.
foi julgado apto
to ao inspector da thesouraria de fazenda. zenda.
iluindo a V. S. os documentos que acompa- 3204.Jos
co n. 524, de 27
para o servico.
Dito
Restituindo a'v. S. os documentos que acompa- 3204.Jos Soares de Azevedo.Dirija-se a
nharam a sua informacao de 24 do corrente, sob 'besourara provincial.
n. 1227, relativos ao pagamento da quantia de 3205.Jacniho de Almeda e Silva.Informe
438080 rei?, em que importan) os vencimentos Sr. inspector da thesouraria provincial quanto
de duus guardas nacionaes, que conduziram o a segunda parle deste requerimento.
recrula da armada Jesuino Francisco Vieira. do 3206.O bachareUoaquini Theodoro Soares de
termo do Buique para esta capital, e bem assim i Avellar.Concedo raa3 dous mezes.
as diarias abonadas ao mesmo recruta, o auto- rv.3?07.O conego Joaquim Pinto do Campos.
riso a mondar effectuar esse pagamento a Lou- '
renco de l-'reitas Guimares, conforme requi- i
sita o chefe de polica em oflicio de 8 de ou-
tubro ultimo, sob n. \'i'i, visto nao haver in-
conveniente, segundo consta da citada inforraa-
Qao.Cotrmunicou-8e ao chefe de polica.
Dito ao mesmo.Communco a V. S. para os!
fins convenientes, que leudo em visla a sua!
informacao de honiem, sob n. 1232, resolv ap- i
provar as nomeaces que fez o inspector da al-
aiidega desta capital, de Manoel Flix de Veras1
c Joaquim Vital do Amaral, o primeiro para i
rorreio e o segundo para continuo da mesma al-
fandega.
Dilo ao inspector da thesouraria provincial.
Nao devendo cnlender-sc a preferencia do meu
oflicio de 20 do correle no sentido de fazer-se
reservas para pagar-se os prets futuros do corpo
de poluia; porque dessa forma nao sedara to
cedo d nheiro algum para alimento dos presos
Dirija-se a thesouraria provincial.
3208.G. Marinangeli.Dirija-se thesouraria
provincial.
32o>.Luis de Azevedo Souza.Informe o Sr.
inspector da Ihesouraria provincial, ouvindo o
respectivo administrador.
3210.Manoel de Alcntara de Souza Coussei-
ro.Aprescnle-se no quarlel do commando das
armas.
3211.Manoel Antonio de Jess.Informe o
Sr. inspector da ihesouraria de fazenda.
COMANDO DAS ARMAS.
Quartel do commando das armas
em Pernambuco, na cidade do
Itecife, SO de novembro de 18GO.
ORDEM DO DIA N. 50.
Em applauso ao anniversario natalicio de S.
M. o Imperador o Sr. 1). Pedro II, resolveu a
corrente. O combate est agora na linha do Ga- .
do 85 nao tena tido lugar, se nao se roceasse o \ rigliano, alraz da qual, em pequea distancia se ; do corlo que neste mercado as apol'ces do go-
escandalo inseparavel de urna tao aberta- mam- acha Gaela. Como se pensa geralmente o neg-' verno cora juro de 41r2 0ifl esto a 88- e 3" por-
leslacao da dissonancia existente. Em todo o co ter prompta soluco. Nos ltimos combales que offereco a opcao do ttulos de divida interna
caso nao se apresentou----'------------*- J~
tact
cnt
do i,a octenacao ineoreuca, que o proceoimenio vet ntervenco das potencias europeas, a sua I parto dos capitalistas ingleze
do Iiemonte na Italia era contradictorio s ba- resistencia solada cm Gaela nao tem sonso al-] segundo o mesmo autor conviria que o governo
sos do dircito das gentes, e que cada eng.ande- gum. Nao mais de pensar em derrota do ini- imperial para tornar o seu expediente pratico
cimento do poder da Franca seria um pengo migo e por isso tarubem nao mais no reslabele- houvesse elevado o juro das apolces que tives
para o equilibrio europeo; mas 1S30 foi ludo : cimento do governo perdido ao menos nao pelo de olferecor a 5 niO, assim como offerecido de
nem mesmo se red.gio cassignou um prolocollo momento. I promplo a troca embora o total das entradas es-
commum para constatar essas convienes con- ; A' vista dessas considerarles se suppe que teja incompleto
cordanles, eainda menos foi questao de qual- el-rei Francisco nao tardar em deixar Gaela com i Nesse mesmo artigo se altribue o pessimo es-
quer Talado, de qualquer convencao ou eslipu- os seus Ceis e ir para oulra trra. I lado de crdito, em que esto todas as nossas
lacao. Huno visivel se lornou ao mesmo lempo Para lhe conservar essa evenlualidade, a Fran- emprezas frreas aqui cotadas, as difficuldades
a aissonancia entre a Russia e a Austria ; nao ca sobretudo se oppoz a um bloqueio piemontez com que tem lutado a erapreza de Pernambuco
lano no trato reciproco dos dous imperadores, do porto deGaeta. e est prompta do por a da- difficuldades nascidas meramente da circumslan-
que segundo se diz, bem que nao fosse excessiva- posico de el-rei a sua esquadra surta em irente cia de ser essa a primeira empreza frrea que
i..C> nao delfx?u d, ser amigavel ; de Gaela para effectuar a sua partida. Tambera possuiu o Brasil e por isso suieita a erabaracos,
TrLJt 1 fSper0Hfl ,rat0 entre os di- a Inglaterra offereceu um dos seus vasos de guer-. despezas, e transtornos inherentes 3 especula^
3/ generaes de ambas asparles. Os ra para o mesmo m. Entretanto o conde de roes desconocidas. Deste modo se pretende
liomens de estado e militares austracos se acha- Cavour pensou nao dever esperar a sabida de justificar o excesso das despezas com os obras e
vara completamente solados era \atsovia. ao el re Francisco dos seus estados, e convocou os induzir o governo imperial a garantir um excesso
SSLWlS! ?.ru"os Procuravam oslen- habitantes das Duas Sicilias para urna votaco do capital que primitivamente fra fixado,'como
~ -12S2,h,S ^S Drussianos- .Ao rfS" ge?1 acer-ca da *"eslao da anne"a0- I co meio de nao s indemnisar os accionistas
m.o\ S,, i ?" a rUSS 8ran .8 *tl0r Prmpal motivo que o induzio foi o receio ; de onus imprevistos.oomo lambem de inspirar ao
a a nlimidade com o imperador Na- quo em \ arsovia se podesse convencionar qual- publico inglez urna inteira conlianc em beneficio
quer passo desagradavel, e por isso o esforeo de ; da empreza de Pernambuco o das outras que
prevenir ludo por meio do um fado cousum- aqui se acham venda.
n,ado. A mo que escreveu aquello artigo parece bem
Em 21 de outubro leve pois lugar a dita vota- ser a da directora da estrada de ferro do Recife,
<;o as Duas Sicilias, e teve o resultado que era pois que all manifcstamcitte se acha advogada
a muito tem peranle o
mpreza acerca do aug-
.pilal fixado para a concluso das
gar do mo humor com que vollaram de V enna re Vctor Emmanuel na capital de aples o obras.
qual all tomar a sua residencia at feverciro.
Garibaldi, segundo se diz, se retirar provisoria-
mente da scena da vida publica e plantar legu-
mes na sua fazenda na Una de Caprera!
poleo, fazendo at mesmo certa demonstrado
com essa intimidade, e quando o conde de Re-
chbcrg n'umi occasio fallou da eventualdade
da oflensiva da Austria contra a Italia, elle rc-
cebeu a resposta secca que n'esse caso a Austria
- --- -.__- ------ s-----__ __ U.^...V| m -w w w ....... j -- 1 ^-W |--W.^ \- UIU llltlllticjlilllll
utvena preparar-se tambem para um combate de prever, de urna immensa maiona de votos em a pretenro que desde ha
com a tranca, sera de modo algum contar com favor da annexaco Sardenha. i governo do Drasil essa em
soccorro de parle da Russia. Disso se pode jul- Nos prximos das ter lugar a entrada de el- ment do capital fixado
pobres da casa de detenco, o que seria allamen-1 presidencia desta provincia por oflicio de honiem
le inconveniente e injusto, cumpre que V. S.
entregue hoje ao administrador da casa de de-
tenco a quantia que for possivel em relaco a
que existe nessa thesouraria e com a qiial o
mesmo administrador pnssa supprir por algu-
nia forma aquellas despezas, visto estarj pa-
go o prot vencido do corpo de polica.
Dito eo mesmo.Pode V. S. proceder acerca
dos pagimentos que por ora livor de fazer essa
thesouraria na forma por V. S. indicada na se-
gunda parte do seu oflicio de liontem, sob
n. 55.
Dito ao mesmo.Ao delegado de Santo An-
lao, ou pessoa por ella autorisada, mande V.
S. pagar, quando for possivel, a quantia de___
77gi00 is. despendida no mez de outubro ulti-
mo cora o sustento dos presos pobres da cadeia
daquelle termo, como se ve da conta junta, que
me foi remet Ja pelo chefe do polica com ofli-
cio de 2i do corrente, sob n. 1527.
Dito ao mesmo.Inicirado do conteudo do
offkio quo V. S. me dirigi hontem, sob n. 5,
tenho a dizerem resposta que approvo a arrema-
taco des impostos da comarca da Boa-Vista, no
triennio de 1860 a 1863, feita por Antonio Pe-
reira Lustosa mediante a quantia de 4:500S0O0, e
sendo fiidores Joo Jos de Gouvea e o Dr..Au-
gusto Frederico de Olivera.
Dito ao mesmo Na forma das ordens em vi-
gor mande V. S. pagar, logo que for possivel, a
subvengo a que tem direito o empresario da
companhia lyrica do thealro de Santa Isabel, G.
Marinangeli, visto haver cumprido as condi^es
do seu contrato, concernentes ao primeiro mez
do seu terceiro auno lyrico, como se v dos at-
teslados junios.
Dito ao mesmo.Conformando-mo com o fi-
nal_ de sua informacao de 12 do correle, sob
n. 521, dada acerca dos requerimenlos em que
os professores do gymnasio provincial, Jos Soa-
res de Azevedo e conogo Joaquim Pinto de Cam-
po3, pedem o pagamento da gratificaco que Ihes
compete, e que foi impugnado ness thesoura-
ria pelo motivo de nao terem os supplcantes
czercicio por falta de alumnos, resolv autorisar
osse pagamento, vigorando para isso o disposto
na ordem do thesouro nacional, n. 330, de 12 de
novembro de 1858, Ccando o piecedeote como
caso julgada.O que commnnico a V. S. para
a devidaexecur;o.
Diio .o director do arsenal de guerra.Na for-
ma das ordens em vigor fornega Vmc. ao major
llcrculaoo Sancho da Silva Pedra, commandan-
te do corpa de guarnico desta provincia os ob-
jectos mencionados nos pedidos de n. 1 a II, que
inclusos remello.Commuttieou-se ao coronel
commandanto das armas.
Dito ao mesmo.Inieirado de quanto Vmc.
me informa em seu oflicio de 12 do corrente, sob
n. 326, relativamente s irregularidades encontra-
das nos arligosde armamento fornecidosao meio
batalhj do Piauhy, cabe-me no entretanto re-
dalado, que formem era grande parada na tarde
do dia 2 de dezembro prximo vindouro, a guar-
da nacional do municipio do Recife, reunida a
tropa de linha.
Em virtude dessa resoluco, determina o coro-
nel commandante das armas que toda essa forca
compouha urna diviso de duas brigadas, cabendo
a primeira os esquadres de cavallaria Io e 2o, e
os batalhes de infantaria Io, 2o, 3o e 4o, todos
da guarda nacional ; e a segunda, o 6o balalho
da guarda nacional, o 4o de arlilharia a p, guar-
necendo oito boceas de fogo, o2 e 10" de iiifan-
laria, e a companhia fixa do cavallaria, sendo
esta brigada commandada pelo Sr. coronel Luiz
Jos Ferreira, e aquella pelo Sr. coronel Domin-
gos Affonso ery Ferreira.
Os cornos sahiro do suas paradas particulares
ou quarleis, s 3 horas e meia da tarde, tomar
posico em linha, pela ordem que cima se esla-
beleoeu, no Caes 22 de Novembro, apoiando a
sua direta junto ao arco de Santo Antonio em
direceo ao arsenal de guerra, onde fazendo mar-
tello. prolongar a sua esquerda pela ra da
Praia.
O mesmo coronel commandante das armas de-
pois de passar revista aos ditos corpos, assumir
o commando da diviso, e a cooduzir ao campo
das Princezas, para ah fazer as devidas conti-
nencias, e dar as salvas do esiylo.
Servir de major de diviso o Sr major Joo
do Reg Barros Falco. O Sr. capito Trajano
Alipio de Carvalho Mendonca, e os Srs. ofliciaes
montados que nao marcharen) na linha, con3ti-
lulro o estado maior do commandanle da di-
viso.
Os Srs. commandantes de brigadas ejcolhcro
os seus empregados d'enlre os Srs. ofliciaes dos
respectivos corpos.
As msicas tocaro no acto do cortejo, que se
tem de fazer a efligie de S. M., para o qual sao
convidados lodos os Srs. ofliciaes do exercito : e
no campo das Princezas tor.erao arvorada e o
recolher (do indicado dia), e iludo este sahiro to-
cando para os seus quarleis.
A infantaria ir municiada para executar tres
salvas, e a arlilharia urna de 21 tiros.
A fortaleza do Brum dar s salvas que esto
por lei designadas.
Assignado.Jos Antonio da Fonseca Galvo,
Couforme.Antonio Eneas Gustavo Galvo.
alteres ajudante do ordens interino do com-
mando.
o imperador Francisco Jos e o conde ds Rech-
berg. Se era Vienna uunca se nutriram de an-
temo esperances sanguinaes, tambem nunca
se linha contado com to completo naufragio.
Ao menos se linha esperado urna declaraco
comnium para proteceo da posse da Venczia;
mas nem isso se conseguio. Depois da confe-
rencia de Varsovia a Austria se acha mais iso-
lada aindado que antes.
Mas tambera por outro lado a poltica austra-
ca nao foi muito mais feliz No mesmo dia em
que o imperador parti para Varsovia, a Gaze-
ta Official Wiener Zeilung publicou-as j a
tanto lempo esperadas reformas constilucionaes,
e a sua )mpresso sobre a opiniao publica nao
foi, infelizmente, to favoravel como se havia
esperado nos cercos do governo. O essen:ial
dssas reformas constilucionaes o seguinte :
Para todo o imperio Oca em vigor o conseiho
do imperio (Reschsrath) como superior e eom-
mum corpo representativo do imperio, ao mes-
mo lempo quo o numero dos seus membros ser
elevado a 100. Esses membros sao na menor par-
te vitalicios e cleitos pelo imperador, e na maior
parte por contra escolhidos pelo imperador en-
tre os candidatos propostos pelas dietas dos dif-
ferenles paizes pertencenies cora.
Londres, 8 de novembro de 18SO.
Chegou desta vez o paquete Oneida, da linha
Mas, pondo de parle quaesquer motivos de in-
leresse particular, nao C menos verdade de que
o tnico expediento salutar de que o governo im-
perial poder lancar mo para salvar o crdito
das suas emprezas frreas garantidas, e garantir
um excesso de capital para a concluso das obras,
reservando todava o direilo de fazer inspeccio-
nar e vigiar de porto o emprego dassommas que
de paquetes da companhia real, a Southampton alem do capital fixado forera "applicadas para a
no da 1 do corrente. Urna lo rpida viagem concluso da linha. E' hoje bem sabido que o
por certo j devida a concurrencia existente en- governo do Brasil tem por vezes impugnado o
tre esses vapores e os da linha de Bordeus para modo porque tem sido executadas as obras da es-
o Brasil, sendo provavel que cada vez mais pro- trada, embora sempre se baja conduzido cora
cure a companha real melhorar o seu servico summa liberalidde ; e pois, para evitar trans-
afim de nao perder urna grande parte dos passa- tornos convida dobrar de vigilancia, conseguin-
gciros que ate agora seguiam de Southampton do assim tornar cffccliva a applicaco das som-
para o Brasil e Rio da Prata o vico-versa. S
por este modo nos poderiamos emancipar daquella
companhia, que tanto havia abusado de nossa
paciencia, fiada como eslava em que nao linha
competidor, pelo que dictava a lei do modo por
lhe
mas que houver ainda de garantir.
Nao creio que pelo cxemplo de garantir o ex-
cesso de capital em questao as outras emprezas
viessem no fuluro a reclamar o mesmo favor
pois que c sabido que as condices de obras das
que bem lhe pareca. A linha de vapores de ; duas oulras estradas sao muito'mais [aforareis,
Bordeus generosamente subvencionada pelo go- o por conseguinlo nao seria juslificavel seme-
verno francez, e por consegumte pode suppor-se Ihanto reclaraaco- Em todo caso conviria que
que prosperara; de modo que vira constinte- j o governo imperial olhasse com atlcnco imme-
menle a ser um tenaz competidor com os vapo- ; mediata para o modo de remediar o mal que
res de Southampton, os quaes terao portanto de tica apontado eque tanto pode prejudicar o nos-
regular melhor e com permanencia o servio dos
O conselho do imperio deve cooperar para to- seus paquetes.
das as leis do imperio, islo dar o seu conso-
lho, que nao obriga a cora, em quanto que lhe
compete voto decisivo quando se tratar de no-
vos impostos ou de elevaco dos existentes, as-
sim como de novos emprestimos. O exercito, as
financas, a adminislracao dos correios e dos le-
legraphos perleucem a'calcada da legislado ge-
O vapor Jason, da linha de Milford, etrou no
dia 6 do correnle em Liverpool, procedente do
Brasil. Este paquete nao propriedade daquella
companhia, havendo apenas sido [retado ha um
anno para com os vapores Brasil e Portugal fa-
zer o servico regular da linha.
A nolicia'daexcellentecolhcita de caf na pro-
ral do imperio. Ao lado do conselho do imperio vincia do Rio de Janeiro causou nesta prac,a mui
ex)slem as Dietas dos dlTerentes paizes da cara, favoravel impresso ; c a isso se altribue ter su-
da Hungra gozando de matares competencias. A bido o cambio d'alli sobre Londres a 27 1(4 d.
Uieta da Hungra lem voto decisivo e a sua com- Neste mercado realisou-se na ultima semana,
pelcncia se estende sobre todo o territorio da le- finda a 3 do corrente, a venda de 6,400 saceos de
gislacao.com nica excepcao da adminislracao assucar da Parahiba para exportaco a 38' per
do exercito, do correio, dos telegraphos e das fi- ewl.
naneas do imperio. As Dietas dos oulros paizes Os nossos prinripaes artgos de importarlo
da coroa por conta so teera voto deliberativo e as neste paiz ficam cotados pelos seguinles precos :
suas discussoes nao se estendera alem dos limi- Coco do Brasil de 55s a 65s per cwt, sujetu a
tes da simples legislado provincial. Urna gran- 1 d. de direito por libra.
de difTerenga existe respeito das leis cleitoraes. Caf de primeira sorlc de 63% 73s; segunda
rara a Dieta da Hungra os noliveis reunidos 58r 6 d. a 63"; e ordinario 53s, 58" per cwt, pago
debatxo da presidencia do cardeal Primaz da 3 d. de direito por libra.
Hungra, devem Qxar a lei com reserva da ap-1 Pao Brasil 80% 85s por lonelado.
prova^ao imperial o nao ha duvida quesera reac- Assucar de Pernambuco o da Parahiba branco
uvada a le eleiioral de 1847-48. Para as Dietas de 28s 6 d. a 32% e mascavado de 22" a 28" ;
dos outros paizes o imperador decretou leis elei- branco da Bahia de 27s 6 d. a 32% o mascavado
taraos que reduzcm a representado do paiz de 22s 6; d. a 27s 6 d. per ewl.
urna representarlo das quatro classes, clero, no- i Couros seceos do Rio Grande de 9 d. a 9 Ii2 d.
breza, cidades e paisanos, privando as duas ulti- por libra ; silgados 5 3|4 d. a 7 1[2 d. ; e seceos
salgados de 6 d. a 8 li2 d. E o algodo de Per-
nambuco a 9 1 i-i d. por libra, ficaodo o do Mar-
EXTERIOR.
CORRESPONDENCIAS DO DIARIO DE PER-
NAMBUCO.
Hamb argo
5 de novembro de 1860.
A conferencia de Varsovia terminou-se. O
imperador da Russia e o principe de Gortscha-
mas classes de toda liberdade.
Finalmente se deve notar que s a Hungria re-
cebe a sua enliga administrarlo. Ao mesrao
lempo e em consequencia da publicado dessas
decises constilucionaes, leve lugar a retirada dos
mioistros do ensino e culio, condo do Thura, e
do ministro da justica conde de Nadasdex. Igual-
mente ccsm o ministerio do interior.e o seu titular
conde de Goluchowski abandonou a sua pasta,mas
na qualidade de ministro de estado para os paizes
nao hngaros, ficou membro do ministerio geral.
Novamente criado foi o lugar do ministro da
guerra. Foi restabelecida a anliga chancellara
imperial da Hungria, cujo primeiro chanciller
nhfio do8 3|4_d. a 8 5(8 d.
Em connexo com o que disse em urna de mi-
nhas anteriores cartas a respeilo dos projectos
aqui existentes de cultura do algodo na nova
Australia, devo informar que ha dias publcou
um jornal desta capital a noticia de haver sido
al!i mui bem succedida a experiencia da planta-
r o do algodo, sendo notavel a propriedade do
terreno para semelhanlo cultura. Urna amostra
daquelle ortigo, vinda d'Australa para Liverpool,
mereceu tal approvaco a um dos mais
approvaco a um dos mais notaveis
fabricanles de Manchester que este compromel-
nessa qualidade tambem membro do ministe-J teu-so logo a pagar igual qualidade de algodo a
no. Finalmente tambem entrou no ministerio |2S por libra.
mas sern pasta o conde hngaro Czecher. Oj A associaejio commercial de Liverpool promove
coac q-6 Rechoerg cou presidente do conselho" por todos os metas ao seu alcance o desenvolv-
so crdito cm gcralnestj praga, onde por assim
dizer viemos lodos os dias buscar os capitaes de
que carecemos e com quem portanto devemos
sempre tratar de estar em boa harmona.
As procedencias do Brasil para a Inglaterra na
ultima quinzena, foram as seguintes : da Para-
hiba Saint Vicenta, (26 de outubro), a Liver-
pool ; da Bahia allelcne (27) a Falmoutdo Rio
Grande < Gidour (I corrente) a Liverpool.
De Inglaterra para o Brasil seguiram de Li-
verpool Amanda [23 para o Rio Grande ; de
Cardiff Dorotha e Enterprise (23) para a Ba-
hia ; de Cardiff Norton (26) para o Mranho ;
de Holyhead Euzebia o Rhondda (28) para o
Para ; de Cardiff Liziope (27) para Pernam-
buco ; de Cardif Victoria (29) para o Para ;
de Cardiff Anne Jane (31) para o Mranho ;
ede Cardiff Everlon (2) do correnle para Per-
nambuco.
l'alleceu no dia 31 do prximo passado, na sua
casa de Kensingten, nos arredores desta capital,
lord Dundonald, marquez do Mranho e nosso
almirante, na idade de 88 annos. Os ervicos
prestados ao Brasil por aquello illustre official
tornaram seni duvida bem cara aos br.'sileiros
sua memoria. Lord Dundonald publicara ainda
ha pouco a historia dos acontecimentos polticos
que no Brasil promoveram a independencia, e ah
faz urna bem desenvolvida narraco'dos importan-
tes servicos que elle prestou causa brasileira,
assignalando principalmente os seus feitos do M-
ranho e do Para, pelos quaes reduzindo obe-
diencia essas provincias firmn a unidade do im-
perio do Brasil.
A derrota da esquadra portuguezi pelas dimi-
nutas Torcas sob o seu commando, as innmeras
presas feitas aos Portuguezes, e muitos outros
servicos de consequencia, vera apontados na soa
publicacao com o fin de estabclecer o contraste
entre elles o a ingralido com que depois foi
tratado aquelle official pelo governo de enlo
que al negou-lhe o pagamenlo dos seus sala-
rios I
Eslava, porm. reservado para o actual rei-
nado reparar at cerlo ponto as injusticias tai-
tas ; desU modo esse distncto official desceu
4 sepultara ao menos consolado por haver ulti-
una
res.
Jaque me tenho oceupado do fallecimento de
illustres personagens, mencionare! anda o de
Sir Charles Napier, conde do Cabo de S. Vicente,
que expirou na sua casa perto de rortsmoulli
no dia C do corrente.
O almirante Napier um daquclles vultos po-
lticos que ainda hontem, por assim dizer, en-
cina o mundo ; pois quo esse mesmo distncto
oflkhl auem a Inglaterra em 1855 confiara a
expedico do Bltico contra Cronstadt, da qual
todava nao lirou elle as vaotagens espe-
radas.
Sir Chaes Napier falleceu na dado de 76 an-
nos, depois de urna carreira militar de mais de
sessenta annos, em qie prestou relevantes ser-
vicos ao seu paiz, pelo que mereceu o posto de
vire-almiriRte e commendador da ordem do Ba-
ndo.
Em Portugal o nome de Carlos Napier era bem
conhecido, havendo esse bravo official prestado
rclevantissiinos servio, js causa da Sr." D. Ma-
ra II durante a guerra da successo. Foi o almi-
rante Napier quem destruio a esquadra de Ip.
Miguel no Cabo de S. Vicente, quem tomou Ca-
minha cValenca, e afinal quera obrigou a rejn-
der-se una grande torea miguclista que se acha-
va em Ourem ; e por tantos feitos Sir Charles
Napier havia sido elevado dignidide de almi-
rante portuguez com o titulo de conde de Cabo
de S. Vicente e com a gra-cruz da ordem da
Torre Espada.
A Inglaterra lamenta sinceramente a perda de
um tao nobre filho, que na Syria e era muitos
oulros pontos nao cessou de Ilustrar a sua pa-
tria. r
Pelo paquete que amaohaa dever seguir via-
gem de Southampton para Lisboa o Brasil ir S.
Exc. o Sr. D. Sebastin Larangeira, novo bispo
do Rio Grande do Sul .} que apenas fra sagrado
cm Roma por Sua Sar.tidade.
Este nosso prelado tenciona demorar-sc em
Portugal quinze dias, ro intuito de visitar Lis-
boa e principalmente o Seminario PUriarcl.alde
Santarem, estabelecmento ecclesiastico hoje de
grande importancia o que tudo deve ao seu res-
taurador o cardeal d.j Cirvalho, D. Guilher-
me i. '
Esto prelado, cuja existencia era ainda de ha
dous dias, conseguir com enormes sacrificios
levantar de quasi ruinas o edificio daquelle se-
minario, dotar esse instituto com os meios ape-
nas urgeules para sua exis'encia, e enriqucelo
com um pessoal importante no que respeita ao
magisterio, deixando por este modo a sua dio-
cese provida com um lo importante e essencial
eslabelecimento, do qual estivera privada por
mais de Tinte annos.
A morle. porm, veio arrebatar da vida aquel-
le to virtuoso quo illustre prelado antes de ha-
ver elle completado seus intentos quanto ao se-
minario episcopal ; mas j quando ao menos ha-
via comecado a colher alguns fructos dos que se-
mera, pois na occasio do fallecimento do car-
deal I). Guilherme se acharara j fuoccionando
regularmente as aulas com um concurso de mais
de irezentos alumnos.
Querenda, pois, o nosso respeitavel bispo exa-
minar e estudar de porto o estado daquelle se-
minario, dirigio-se Lisboa para esse fim. na es-
peranca de poder dalli colher alguraa luz nesse
ramo para ser bem illuminado na obra que con-
templa da creacio do seu seminario cm Porto
Alegre.
S. Exc. dever chegar Bahia no fim do mez
de dezembro seguinte.
As noticias mais importantes que deste paiz
posso communicar desta vez, sao as que dizem
respeilo campanha da China.
Os fortes deTaku foram tomados pelo exercito
alliado anglo-francez no dia 21 de agosto, depois
de urna encarnizada lula de 3 horas.
Os oulros fortes enlregarara-se aos alijados,
que perderam no combate 400 homens morios e
feridos.
Esta victoria deixou as mos dos alijados a
chave do rio Pei-ho. Estes concedersm ao im-
migo a faculdade de deixarem os fortes, com a
condico, porm, de entregaren) as munn oes.
Os plenipotenciarios alliados haviam chegado
no dia 26 ao Tien-lsin, e brevemente deveriam
partir para Pekn escoltados pela cavallaria. O
goveruo chiaez Ihes preraettera um acolhimento
favoravel.'
A noticia, porm, desle favor, que aqu nos
chegou por via Hong-Kong com data de 12 de
selembro, acaba de ser desmentida por outra
lambem d'ali, mas com data posterior de cinco
dias, asseverando que o inmigo longo de receber
os alliados com favor recomarra as hostilidades ;
de sorte que a guerra ia continuar.
Esta nova carece de confirmaco ; entretanto
parece que, qualquer que soja "a phase dessa
questao, os plenipotenciarios esto dispostos a
entrar em Pekin, acompanhadas de numerosas,
torgas aura de imporem a paz com as garantas,
que melhor Ihes parecerem.
Os rebeldes se haviam retirado de Shangai. ;
mas, havendo tentado no dia 18 o 20 de agosto
entrar de novo na cidade, tinham sido repetlidos
com grande perda.
Em religo poltica exterior deste. paiz, o uni-
facto importante a mencionar a nota de lord
John Russell de 27 de outubro ultimo-ao ministro
ioglez cm Turin, lonlende a certificar Italia das
synipa'.hias o cooperaco da Ingaterra para com
o movimento poltico que alli reina.
Este documenta parece ter sido destinado a
contrabalanrar a influencia da entrevista de Var-
sovia, cujos eleiio? cram enlo ainda desconhe-
cidos.
Quanto s discusses que neste congresso dos
imperadores da Austria e Russia e do prncipe da
Prussia, podessem tertido lugar, parece hoje lora
de duvida, que se limilram ellas possibilid-do
de certas eventualidades em que a aeco desses
tres gover.nos devesse obrar commumniente e
respeilo, das quaes, segundo affirma em urna cir-
cular o conde de Rechberg, esses tres principes
se a.cham de perfeito accordo.
Affirma todava esse mesmo | documenta, que


w
DIARIO DE PERHAMBUCO. SEXTA FEIRA 30 DE NOVEMBRO DE 1860.
nenhuroa intervenro nos negocios da Italia fui
combinada na conferencia de Vareovia. O resul-
tado, pois daquella entrevista,deixou de aroedron-
tar por emquanto i Italia.
O imperador da Bussia deixou Varaovia preci-
pitadamente no dia 26 de outubro, sendo chama-
do pressa a S. Petersburgo pelo grave estado de
saude da imperatrlz riuva Apenas chogou
lempo para dizer cus ltimos adeuses iHualre
enferma, polsesta fallecou no dia Io do correnle
naquella capital.
A ruinha de Inglaterra determinou que a sua
corle tomasse luto de tres semanas por aqoelle
motivo.
Os successos polticos de aples parece to-
car ao seu termo.
Vctor Emnisnuel, depois de ter atravessado o
Garigliauo, junlou a sua rro com Garibaldi,
que se acliava cercado e bombardeando -Capua.
Lsla praca cntregou-so (fulmente no dia 3 do
conente, sahindo a guarnirlo no numero de onze
mil homens cora as honras roiliiarcs e seguindo
para aples, onde foram licenciados.
Actualmente o thealro da guerra rsi resumido *
Gaeta, onde em data de 5 el-rei de aples se coes directas.
das anteriores arremataces, um mllho de frao-' plaudido : Viva D. Pedro V nue anda hadalnncdU hi,i. j .
eos pora. Era relajo a ultima reformadas ser rei de Hespanha 5. q *" ffi, \tl\VJ? ?,
eos por anco. Em rela^ao a ultima reforma das
pautas, eserevia o seguale ;
- O ministerio continua a aproveitar o inter-
vallo das%essoes parlamentares para activar a
realisaclo das reformas e dos projectos autorisa-
dos pelas cortes. Acaba de ser publicada urna
reforma de pautas, na qual 28* arligos, lodos im-
portantes, soffreram sensivel diminuirlo de d-
reitos; o gabinete nao tenclona parar na estrada
ao progresso que eecetou ; na prxima sessao
coota pedir autorisacio para novas reducepes, es-
pecialmente no assucar, no bacalho e u'outros
objeclos de primeira necessidade.
Esta apreciare exacta, s lho nao posso por
ora dar como cerio que o assucar sera favorecido
na paula, anda que os votos do paiz se inclinam
acslaimportanlereforma; comludo, decrerque
se nao faca esperar muilo. O cerlo 6 que a dif-
fereuca para mais no rendimento tas nossas al-
fandegas desde que a nova paula vigora, devej
tsr desvanecido os receios do que lemiara refor-
mar o imposto indirecto, ampliando nao obstante
com cerl* exagerado imprudeule, as contribui-
achavaaida : 6 poim provavel que brevemen-
te recebamos aqui a noticia da entrega dessa
fortaleza eda saluda do rei para a Hespanha. A
Franca e a Inglaterra recusram reconhecer o
bloqueio de Gaeta pelas forras sardas.
O voto popular nas Unas Sieilias em favor da
aonextcao teve lugar com o seguiuto resultado :
Um millio quinhenlos e trnta e seto votos de-
clarou-se pclaanuexacao. e dez mil e tantos con-
tra. A'vista dessa enorme maioria, o tribunal
superior de justica proclaaaou a annexacao das
Uuas Sicilias ao Pienunte.
Qsjornaes de hoje annunciam que um corpo
de 13 mil Napolitanos, com qualro ni'lcavallos o
32 pecas d'arlilharia, fura latido pelos Piemon-
tezes e obrigado reugiar-se no territorio ponti-
ficio, traiispondo a fronleira em Terracina Em
Cisterna f ji esse corpo d'excrcilo desarmado pelas
autoridades pontificias e francezas.
Sua Sanlidadc continua a residir em Roma,
apezar de prevalecer, segundse aftirma, cutre
us rardeaes urna decedida opiniao no sentido do
ausentar se o Pontfice daquella cidade.
Mas allendendo aos coiistlhus de alguns gabi-
netes intluenles. To IX parece determinado a
permanecer alli, alim de por este modo estorvar
do que o novo reino da Italia venha a ter por
sede a capital do mundo chrislao.
O general Goyon nao cessa de vigiar do perto
a manutenga O do patrimonio de S. Pedro sob a
auloridade Pontilicia.
A Hespanha araba de inlerromper as suas re-
lardes diplomticas com o governo sardo, por
moiivo da invasao dos territorios portillera o na-
politano i elo Piemonte.
O niinistru hespanhul deixou Turim com toda
a legara o.
Sua M. a rainha Victoria continua a residir no
palacio de Wiodsor ; e alli espera prximamente
o principe de Galles de rolla de sua viagem aos
Ljlados-L'uidos.
A nova pauta comecou a vigorar a 23 do agosto
prximo passado.
Comecando pois a contar do selembro para a
ser re de Hesoanhi" V" '' "*---------------------' T.'kaI Y~Z' oe 8CSrem para o lazareto de
as hcencas para passarera a fronleira. entreunto.! o .* rfii, n.. A.. orrespondencia,
a rainha mandou o governador general daquella
provincia a cumprimentar cl-rei, que q rectjbu
com toda a distineco convidou-o para um almo-
90 e alli bebeu saude da su* Bel alliada, sua
irma a rainha de Hespanha.
Vou acreditando que o partido ibrico muito
roaior em Hespanha do que entre nos : alli lo-
dos os partidos fuzilara ; em nome do lodos os
credos polticos se passa polas armas o primeiro
desgranado, embora tenha prestado ao sea paiz
os mais relevantes servicos, como anda ha pouco
succedeu ao geueral Ortega. '
verdade, la omiltindo quo ha poucas sema-
m.?.8.!!!0* BVl0" se do,Borarem fudeadoVpor"
mu.V,nnPn 0* qu, l'ermittido para refrescar,
qu apenas -de algumas horas.
Vita- T ta, das ""'ondades sanitarias de
m p- 1 fegulameulos do conselho de saude
S.,i *al obr'8m as embarcacoes de proce-
dencias suias cora deslino ao Porto, que o mo
fSJK PFocurar^ refugio na baha
de Vigo a azerem duas quarentenas !
Assira purificados os navios pelas summida-
des medicas hespanholas e> portuguezas, nao ha
a temer a impoilancia da febro amarella ...
rooro commercio martimo I
occ^o doreg^so "da-ra^ra" dHa acrc/o^ruS^na^for^r'tm0 L2T .SS
v.agera ao remo e Baleares, um rapaz Ihe dispa- nao teve solucao 1 O governo remeffeu
ECTBCtyCSTC ~B i fe A- ^ 8*. Taffio era'?
Jtomsr* felicita,-a pur H-MS^^jSS^
Ha dias sahio do Tejo o vapor de guerra Min- dSS-lhe "l"1:! ( *: ** NJ CVU ^^'"h P"CCuqUe fu fic"r S 1846" M-K5T SUT erTterrarmedlo8
ordens do nosso emuaixador em Roma, o viscon-ide 86 mil ninas i SB l .. .' ? "?!?10'
---r- .- 101 seiemuro para a de d'Alte. Lcvou U. Miguel da Cmara, aldante continafaSomlo Lra,?d. q.U0, .le"1"1 $***
Gomparacao acharaos, que em selembro de 1859, de campo do el-rei o encarregado de fazer cum- tr'or ^ noresceSe^na ^ inhS?r Ti '" 0.U"
o rendirnenlo da alfandega grande de Lisboa, foi primemos ao papa, em nome de seu amo. Seria las noticiarhar lJ ?P ff 1 .""".
d.e -.......................... 200:7009766 boa poltica faze-l ? Nao sei, entretanto .uelia cordes em ,J r!rP"'d'ff,!'en-HCS/"J i' CP"
Lm ou,ubro...................... ^22:781^453 enviatura nao (em carcter nacional. mas e *\&&rTVV^3&^ V^'
TsTm a01:""1"0 do rei para coni successor de s-11^ ^ssjsssl ;n;.:
Total.
423:478^219
Creio mesmo quo estando pendentes as neg-! dos como1 i?o nliC e"re la0 Pronun;cia
riaroes com a cd 10 de Roma" sobre \*Z- : X taS, o o ven Xa' "f^,
tisacau, e convtndo tanto, nara aue ee.-> modula 1(M1 nin,. ,( ,.;..i.. ... Dom Prego. Lmas
Em selembro de 1860.............. 227:8'JIS252 .
Em ou.ubro ate 0 dia 27.......... 226:398j9S3! saga. e convindo tanto, para que essa medida loo pipas de vno triSftl?iSSPl H!
Os dous d.as ule.s que faltara al ao obtenlia o consenso de (dos os1 partidos 1 a 1^ arhiram r i'd "ov,dl,de ^e 1834
l.m do crreme moa (icrmome- sive o re-ca.holico, que a Santa Se venha "um a zlw comPra'lor Pel VW ** 200
i0>.............................. I8.866582 accordo. creio como i. dizendo que essa silencio Km alguns sitios vinhateiros de fra da drmnr
------------------iildipi.tl
--------------z judicial.
UifTerenc? paramis: Continua a fallar-seem tornada de pares con
Km selembro....................... 27:185iJ4S5 decorar.oes para o Alemlcio, e dissoloro de rr-
Llnoul,jbro........................ 22:4745112, les. bom ir pondo de quarentena'o primeiro
e ultimo prognostico.
Tota1--;............................ .6580598
Consta-me que a entrada dosalgodes com di-
reitos reduzdos tcem inlluido muito nesia favo-
ravel diiTerenra.
O pre;o das inscripges leera subido ltima-
mente.
E' por estes symplomas que se avalia a pros-
peridado de urn paiz c o crdito de urna adminis-
Iracao.
l)e todos os assumnlos que oceupam o minis-
terio, o oais importante sem duvida a desamor-
lisacao dos bens dos conventos, dos captulos,
das mitras, dos mudicipios e dos eslabelccimeoios
pos.
Algumas difficuldades tcm encontrado o gabi-
nete nas preleuces que tem a Santa S de op- gad
No da 5 de novembro comer o julgameolo
dos implicados no crirne de mo'eda falsa.
/'. S.Chegou o Taima brasileiro.Joo Gaeta-
no dos Santos Tem sido visitado por algumas
de nossas notabilidades scenicas e luteranas ;
leu visitado os nossos llir-alros de declamarao e
vai representar no lliealro normal naDama de
S. Tropez.A pet,a esi em ensaios, c entraa
nalla os nossos primeiros artistas. A sui pri-
meirs lengao era dar a Gargalhadano Gym-
nasio ; mas por ultimo resolveu-se islo.
A menina Marcolo que vem com o celebre
actor, lem sido objeclo de urna floreada recepcao
joinalistica.
A empreza lyrica vai mal; a Gazzaniga foi urna
reputaco europea, mas hoje esta um tanto can-
no obstante urna cantora de primeira
Nas trras chamadas Itibeira d'Oura, quo antes
aa molestia produziam mais de vinte mil pipas,
collier-se-hiam esle armo, quando muito, 200
pipas I Era uestes sitios que se frbricava rauita
agurdente.
No conselho de Val-Pasaos, que tambem pro-
au/ia muita pipa do vinlio, a colheita foi in-
signiiicanie.
Ijara as parles de Mirandella, onde a molestia
nao atacou as videiras com muita violencia, a
colheita foi mais regular, o tem-se vendido o
almude do vinho de 1500 a 2
No dislriclo de Vizeu a uva fui geralmente de
boa qualioade : e vendeu-sa bstanle vinho a bi-
es de 1g rs. o almude.
No paiz vinhaieiro do ao, houve este anno
que alcangam tomar grao nas faculdades med- T.iho
cas. e tem merecido at de varias associacoes ZVrt\n ,UKm- Rcll valenle e hoa. um
scientificas, diplomas de mero-eo 2o naoexis- tm. ..... S9U 8erno militar dei-
lir le nenhuma porlugueza que prohiba s mu- ? "8, recordacoes entre os habitantes
Iheres o estudo da medicina ou da pharjmcia rn.M.^ S S qu.aes tralra scmPre com a
ncm ineompptibilidade de pratica pharmafTeutica "!, if- rcgal,a? devidas aos subditos
com o sexo femioino. d uma monarchia constitucional. Ao seu fune-
No Porto fizeramexame de pharmacia era 1828 maKT.nrd!ir.e,DOnlanea,nonle os cidauaos
e 1829, perante o delegado do physico-mr do u,;.".?">.; V'T' V S8Scmb^ Va-
reino e pharmaceuUcos examinadores asSias. D. g2f""!'"fP^cu, Por '" d'as as suas reu-
Maria Jos Xav.er Fajardo e D. i.cinlha Carolina ff?fr,nalLlattr^V"01'"'" pela PerJa o
de Pana ; a primeira exerce actualmento a phar- i.P W'? associado.
mana nesta cidade na botica da ra de Fernandos Alhenas comecou
Thomaz, e a segunda eslabelecida com botica em
Villa Nova de Fosca.
Tambera fez exame de pharmacia. mas nao
exerce a prossao, uma lilha do boticario Joao
Lvangelisla, estabelecido nesta cidade. na praca
da Balalha. r v
Os conventos do freirs de Arouca e Ferrcira
dAve leem pharmaceuticas examinadas.
Alera dassenhoras que fleam mencionadas ha
uma oulra que^o acha pralicando debaixo dadi-
reccao de seu pai, o Se. Eusebio, com botica na
praca de Carlos Alberto.
- a publicar-se no Io
do crreme mez, um jornal desunido exclusiva-
mente a advoglr os inleresses do commercio, da
agricultura, e da industria, com a denominacao
Commercio de Coimbra. Sahir duas vezes
por semana, e declara que a sua publicarao nao
significa uma especulado commercial, d'onde
desejem os seus proprielarios auferir lucros para
utilidade propna, prometiendo, alm d'oulros
raelnoramenios, se o jornal for bem acolhido do
publico,torna-lo diario.
Nao obstanlo era Coimbra j exislirem tres pe-
ridicospolticos, o Conimbricente, ha sete an-
I'oi honlem inaugurada, era sesso oublea a 2r0S,j0 Tnbun? Popular, ha cinco, e o Cysne do
-elim. posicao triennal da Academia Por.uenso "? S' T"0 modern. de 'espera? que o
das Bellas Artes, no Museu Porluense om s a- Lh -rna1' e'" nUenSao -specialidade a quo
Mro, cja exposicao se conservar aberta ao'p'u- %al' ,T r ? Pte,cSo da cll%se com-
bheo, sem interrupcao. ot ao dia 23 do prximo T?, ? h.6' CId,de do reino'
dezembro. Era occasio opportuna oceupar-nos- ,," f elrl*Vque por algiim lempo es-
hemos delidamente desla festa arlistica m rga0 l'r,vallV "a imprensa, em con-
No dia 2 do correnle aconleceu um Umentavel ItiiS an,lg0, Lei!iense l" cessado a sua
nmstro no moinho a vapor situado na es trad\ l*'?' ao;',rnaa 'r de novo om jornal deno-
marginal que vai desla cidade a S. Joo da Fez T?t Dutriel de L"". qe ja veio luz
Lm descuido do fogueiro deu causa a arrebentar P .'St. ..
iiiiiu .Minios muilo tino?*seeundo as nro- os oronmina snworn ..;, ......4. ,....."
vinho e vinhos muito tinos* "segundo as'pr-
prias expressoes d'um lavrrdor daquella locali-
dade, *
Os precos do mosto regularam de 203 a 24S
rs & pipa.
Lm descuido do fogueiro deu causa a arrebentar
a caldeira, que era muito velha, pois tinha mais
de 15 annos de eTertivo servico. A exploso foi
loo vilenla que desmoronou uma das paredes e
levou ao rio fragmentos da machina. Um des-
granado pedreiro chamado Jos Domingos, que
nesta occasio passava na estrada, foi gravemente
fnido, e conduzido aa hospital da Misericordia
onde so acha em curativo. Dous dos emprea-
dos do moinho tambera receberam conlusoesde
pouca importancia.
O mez do outubro deixou tristes recordacoes
Alcm das desgracasque menrionamos nas 'duas
respectivas carias, vai o leilor ver em breve qua-
dro, algumas dascataslrophes acouiecidas nesse
mez.
No dia 1 de outubro houve na cidade de Gui- |
maraes, no campo da Freir, um grande incendio
na habitacao do Sr. Domingos da Costa Vaz Viei-
ra. ao houve a lamentar perdas de vidas, po-
rm os prejuizos foram grandes.
Em 8 pegou o logo n'uma casa da na do Alto
1 V I 1 1 I FU .* I .". 1 1 '___
Lisboa.
29 da ouiubrode 1860.
Em quinto a Europa se agita convulsivamente
nsa eventualidades de uma pendencia gigantesca
d^ quo resultar, porvcnlura, a exlinccao oe mais
algumas autonomas, nos ueste cantnho do occi-
deute vamos gozando de una verdadeira paz oc-
laviana, sombia do chamado equilibrio euro-
peu, e nao menos dos instinctos ordeiros do nos-
so pov0 secundados per um rgimen de toleran-
cia e liberdade.
O joven rei D. Pedro V anda nao regressou da
sua risita provincia do Alemtcjo ; acompanha-
do por uma parte do ministerio e por alguns per-
Bonagens do seu sequilo : o real viajante, em toda
a parle tem sido recebido com as mais decisivas
demonstrares de popularidide o enlhusiasrao
espontaneo e sincero ; nao.sao ovaedes do en-
couimenda em que o thesouro faca a's despezas,
como lalvez tenha acontecido mais d'uma vez
ii'oulros paizes.
. Lrn Portugal [eserevia ha poucos diasum dos
jornaes mais senos da capital,) aprecia-sc no rei
o mancebo cuja nlelligencia superior compre-
bende os designios providenciaes que tem de
cuinprirr, e nao menos se vi": n.elle symbolisada
a cicellencia dos principios, em v irlnde dos quaes
tsi ocrupando ero pleno secura XIX, a mais ol-
la magistratura d'uma nacao livre.
Llkclivamciite, 1). Pedro V, educado nesse cul-
to de reciproca abuegago que tio eslreitamenle
vincula os inlcrnsses da monarclua e do throno,
ao respeilo e affeicao dos povos, conduzido e'
D 1 v'ado desde ten ros anuos pelo generoso es-
pirito da nossa primeira rainha constitucional,
para a difcil misso que, ua adolescencia aioda
foi iliamado exercer, lem amadurecido polo es-
tudo Constante, pela rellexao e superiores re-
cursos inlelleeluaes de que a Providencia o do-
lou, as salularesdoulriuas que 110 berro lhe fo-
lam ministradas com o mais alto exeraplo.
.ASSm se e*|irimii r. Opiniao i quo cima Ilu-
d. Esia falla Iraduzio em breves palavras oque
se est passando nesle paiz, ao mesmo lempo que
explica a verdadeira signilicacao desse entliu-
siasmo com que o monirriia festejado. Rti
constitucional, por coiiviccdes profundas, o pri-
meiro magistrado do paizj nas diversas phases
d.i sua vi la, lora recebido as mais positivas de-
monstrarles de syrnpalliia popular. O povo por-
tugus nunca deixou de prestar a merecida I10-
n.enageni s elevadas qualidades do soberano,
iando-se, com sincero interesse, s suas ale-
gras domesticas, ou s dores intimas com que a
raao de Dos lhe tem provado o coracSo. Cala-
midades lamentareis leem, uestes uflmos lem-
pos, coberlode luto e Ingrimas 0 paiz. No balsa-
mo de consolacu que pode caritativamente uer-
ramar o monaieba, visitando os enfermos, pro-
legendo a orphandade e a viuvez, exhortando
ru:u a mais corajosaasolicitude os que so dislin-
por sua deverao cvico, em ludo el-rei
A pipa de
Honlem e antes de honlem deram-nos oEr-
namcantado pela senhoiila Marecholla, que
brasilea, e segundo ouvi, fra cstudar Italia
por conta do suu governo. syinpathica, mui-
lo almadinha, e nao esta mal em scena. Nao se
pode chamar uma cantora do alio cartello, mas o
publico pela sympaiia que professa para com os
capital ames desse di Peda, deu-lhe applausos e mesmo uma chamada
A realisaco daquella importante medida ha de T&So^Vfr'T"/^ o r -____t af
retirar da cirrularao perto de 200 millies de ,1 l \'".udad" Condes rvao fa"
rrancoseminscr,p-,6estde3porcemoMor n iSt^SSL"" "t"1*** AVt
saysr rt vgssz sjss ^Sr^ -^no resu,amen-
umasomma de 100 u.ilhoes '"ercado t0 ; creou-se um monle-pio para os actores.refor-
Sao obvias as consequencias vantaiosas den a "SS0 90"u X- F" de Caslll' esla escreven-
operacio, lamo pelo Z^Vs^V:^^ jornal a b.ographia da Emilia
publico, como era relacao ao descnvolvimeulo n rJ.'; a 1 ". era
da produccao o ao augmento das vendas publicas ^lt %*ft '"! 8rand num?,ro de lrac^' e corao seu
em Portugal. pusucas assignantea e bous ortigos das nossas raelhorcs re, pai.
E' claro, nao menos, quo a desamorlisacao ha \ T ZVb^pltZ,*,** a j,ir>' 3usolre
de correr efflcazmente ,'ara o equilibrio don li m f'loresco no seu genero de peno-
cameoto. visto que na tW.dTHe^Li^-,,lMl-,,.a u,e-,hor q"e lcmos lid- s
asserera(desinexactas do um jornal inglez as li-
, le.icao escassez, e al cerlo poni, m quali-
por-se venda dos ens dos estabelccimeulos re- ordem ; o rest. da companhia pouco vale e ow\o- de"&8 Van* '
'.osos ; e corto, porm, que, escudado na jus- ry Itaraldy est cada vez mais inspido e re-e- matine c d 0 lica da sua causa, o ministerio com a sua iulelli- lado. msipuo e reDe pradores, pera-se que o preco subir em al-
gente iniciativa, ha de vencer a opposic,o siste-
mtica que crjile de Hoina cosluma fazer as
mala equitativas o sensatas reformas. Corria em
Lisboa ha poucos dias que, nao estando anda
terminadas as negociaces com a curia, a respei-
lo da desaniorlisaao, a abertura do parlamento
sena addiada.
os pro raptos soccorros,
perdas.
Neste mesmo dia, em Caslello Branco,
completamente destruida pelas chammas a pro-
pnedade pertencente ao Sr. Raphael Jos da Cu-
1 causado bastantes
flCOII
Odictores Gonralves Lopes ( rU da Cruz de Pao Qm'; f^m'ad''Z"tV Z'JZ.iVY1" a0
' f2".S2f.! P^car (,s mais bem es- | ^iTSiSlSXJP^^
naneas portuguezas se achan en. melhor eedo ~ .'idoT rZTc^ZllT.T^^ ^ "T.'ifc ln ^d lleirelfes di T vor e da
jorque as de algumas potencia mais por-C^ SXZSS^OA^l^^^^49 Caslro, redactor do
i,'' ..i___._ :__ do Mundo. A Cacado Lean n lti,,,u n,-o ,1'..,,.,.' ...__:_.-. ..
vinho embnjadp tem sido vendida nha. a qual foi avallada em tres contos
Oueiiuaram-se tambera urnas 400 carradas d
Em 11, em Santo Thyrso, ateiou-so casual-
mente o fogo em uma meda de palha, que eslava
prxima da casa de habitacao de um lavrador
residente no lugar do Ceara, e communicando-s
as chammas u mesma casa, a r-duzo a cinzas
U prejuizo foi calculado em COOJ).
Em 13 foi completamente devorada pelo foco
uma casa no lugar do R-al, freguezia de Gandra,
concelho de \ lenca. Suppoe-se, diz a ltazn
peridico publicado naquella loralidade, que tres
lilhos de Domingos Pedroza, que habitara a ca-
sa, tendo elle saludo e sua mulher, brir.caram
com uma caixa de phosphoros que eslava debaixo
do Iravessriro da cama, e quo incenjiando-so
causara o fogo. A voracidade das chammas foi
tal, que em poucos minutos com a casa reduzida
a cinzas, sendo os tres innocentes victimas de lo
lamentavol sinistro..
Na noite do 19 foi completamente destruido
pelo fogo o corpo central da casa da estaco Oa
mala-posta, em Grij, na estrada do Porto a
Coimbra. Para se salvarem os dous corpos .ate-
nea do edificio, foi raisler cortar o travejamenlo
dotelhado. Calcula-se o prejuizo eru mais de
um cont de ris.
Em 26, um incendio roduzio a cinzas, na villa
de I-aro. a casa de Josepha Hara. perJondo-e
qnasi todo que havia dentro da osa.
No da 5 de outubro. no lugar do Cardal, con-
celho de .Mu-anda do Corvo, appareceu raoilo Jo-
dade da colheita do Douro, Biarrada e Cercanas
do Coimbra ; nesta cidade, porm, em conse-
quwicia do vinho da Boira que ali tem arfluido,
vende-se o almude a 800 rs., e nas libernas o
quartilho a 25 e 30 rs.
N]a provincia do Mioho o oidium desenvol-
veu-se com urna Torca espantosa, havendo sitios
em que .nao se apanhou nem um cacho d'uvas
e era outros em que a colheita foi quasi nullc.
A querella dada contra o editor responsavel do
Jornal do Porto, por abuso de liberdade de im-
prejlsa, pelo ministro de Portugal em Washing-
ton, o Sr. Henriquc Stuart de l Figanierc o Mo-
rao. foi julga4 no penltimo dia do mez ultiraa-
mainc-nte findo.
O jornal acensado tinha publicado um artigo
sobre o desencaminho da heranra, superior a 11
contos de ris, pertencente a das senhoras, ir-
maas do subdito portuguez Francisco Baplisla de
Oliveira Mechas, fallecido era Ne\v-York, em
1838, sendo cnlo all cnsul o Sr. Figanire,
l la I ti o do dito ministro) que, no ailigo querella
Jo. era apontado como o principal autor da sub-
coraplice, o Sr. Figanie-
A alfandega do Porto renden no mez de ouiu-
bro ultimo ris 182 Io5630J7. e em igual m*z do
anuo passado 1H:7I5S9 ; excesso a favor no
correnle anno 1:8405608.
O movimento do mercado dos gneros abaixo
relacionados, foi desde 9 de outubro a 10 de no-
vembro, o seguinte :
Miicar.-Importaram-se da Baha 160caixas
8 barricas e 3 feixosj-do Para 10 barricas ;
do Siraiihao7 ditas ;-de Liverpool 1739 saceos;
de Amsderdain 30 caixas.
As vendas foram : G caixas mascavado do
rt.o a 25IOO; 1000 saccosfbranco e miscavado
ar-P"nambll'-. regulando o primeiro de 2S00
a i-jbOO c o segundo do 13700 a l{J80ii;-_ da
Baha 6 caixas do branco de 250.")0 a 23200, e j
ditas do mascavado de 1.3700 a I.5SOO.
S2?" cm dePos''o 674 caixas, 480 barricas
e lOoSO saceos.
Ha fallado branco do Rio de Janeiro.
Agurdenle Entraram 312 pipas da he=pa-
nhola, e 26 ditas da ingleza. Os precos sao
para a fabrica de vinho 220$000 a 23OJ000 e pa-
ra a de cereaes de 1483000 a 180000.
G,O0?G5?O00?,arde,,le dS Canna regUla d3
Despacharam-se durante o periodo a que ss
refere e na airandega 295 ditos. Vai escaccando.
-lou V '~ E,"lraram 730 saccas do Maranhao.
m oe Pernambuco. 41 do Para e 50 de Lisboa.
A venda consisti em 800 saccas para consu-
mo das f.bncasan prreo de 110 a 150 rs
O deposito 1100 saccas do Maranhao. C6 de
lernanibuco, o 115 da America.
Arroz. Vieram : do Para 4010 alqueircs
encascado; -do da India, por va de Inglaterra,
- por unanimidade o editor
Jornal do Por lo.
Presidio ao julgamenlo o Sr. jota Teixeira
do
de
tarih
E' realmente
tuguezes sejam suilicieuies para
que ho do resultar da oiecucAo
1 do Mundo, A Cara do Ledo.
mpossivel que os capilaes por- Senhora, etc. ele*
as operaroes
destas me-
0 lio manee d'uma
ul
dlddS.
As ultimas noticias de Angola sao satisfactorias: !
a provincia eslava pacificada.
S. alteza o infante D. Luiz, irmo de el-rei,
chegou de perleila saude 110 dia em que o sobe-
laiio paro para o Alemtejo.
rol ter com S. u. a Vendos Novas ondo as-
m=Uo as manobras de inianlaiia e experiencias
de artiiheria, que se flzeram no polygono all cs-
laoe ecido com os novos armamentos Mini e
ariilhena rayada no nosso arsenal.
o ministro da marioba lencionaaprcsentar va-
nas proposlas na prxima sessao legislativa, aflu
ue melnorar a siluaraodas colonias portuguezas
queaiuda hoje abrangera um espaco de mais d
J OU 1 t''i3S,
upponho que algumo cousa pretende fazer no
sentido de desviar para as nossas colonias a emi-
gracao portuguesa.
Anda lhe nao dissenada do resultado da elei-
cTrente eDlar qUB kV" 'Ugar no dia 14 d
I-ediei a rainha ultima na noite de 13 para 1
o nada a tal respeilo lhe podia noticiar de posi-
esle
Honlem ferhou-se a estaco toureira com
tima corrida no campo de Saia'Anna.
Os celebres Calmonas de Sevilha lizeram
vero aa delirias dos nossos louromaniacos.
Ha dias, ah para cima de Bellas, uru morgade-
le deu na sua quinta urna toirada em que houve
( contra a le ) urn ooide morte. Os espectado-
res, que erara dos mais enihusiastas, embaca-
rao quando viram a fra atravessada pelo esto-
que ao Carmena:
Este furor brutal ha do ir acabando cora a ci-
vilisaco.
E por hoje, nada mais.
L.
Nao assistimos discussao e julgamenlo desla
querella, que ha muilo se annuncira, e a ava-
narraos pelos joroaes, o que se pa-sou na bosso
os debales oraos nao correrara com a placidez
sangue fri que fra para desejar.
O propno jornal aecusado, no dia seguinte ao
^uem por sua deverao cvica, em ludo cl-rei *"uu,I'naram as
inanif.slou as relevantes qualidades que o fazem n,st;t,s- M"e, sendo
tao querido do povo. Na intima allianca deste *uns "deiras do 1
com a pessoa do monarcha, na reriproci'dade de
interesses, consolidados por essa mutua affeicao.
se firmara as bases daste edificio de paz que a
Europa contempla com estima, auspiciando-nos
uiu futuro de prosperidade, garantido pelo de-
senvolvimento dos nossos progressos nacionaes.
Dous principios diversos se dispulavam na Ita-
lia o predominio de uma nova era de indepen-
dencia ; o que menos se approximava da monar-
chia representativa, nao obteve lauta populari-
dado nesse bello paiz, como tem alcanzado, se-
gundo (actos rcenles vieram provar : esse ou-
iro mais era harmona com os instinctos da civi-
lisaro poltica da aclualidade.
A Austria, cuja influencia tem tido menos ex-
plendor, sem duvida em resultado da sua orga-
nisacao interna, espera dentro 'era pouco fazer
parto deste conimuuho a que as ideas do secu-
lo tem gradualmente admiltido quasi todas as
nades da Europa. Concedida pelo imperador
uma constituido liberal que tenha por base a
eleicao, como agora sa annuncia, aquella poten-
cia ver certamehle desvaneccrem-se as invete-
radas antipathiis que tem, porventura, segrega-
do os inleresses e direitos dasracasem que se di-
vide a sua populacho.
O Brasi. fadado pela Providencia, entre os
demais povosda America, marchar na vanguar-
da da civilisaro. herdou os nossos nacionaes
tnslioctos e v* com applauso do mundo poltico
a tremo dos seus destinos um monarcha verda-
deiramenle llustrado, digno successor do prin-
cipe generoso que implantou nos dous hemisfe-
rios a frondosa arvore da liberdade, d'oade se
derivara os nossos mais eflicazes progressos.
lor ISso meu amigo, quando o imperador do
Brasil, percorreudo oa seus vastissimos estados
iinda ha pouco lempo, recebia desses povos as"
mais sinceras demonstrarles do alTecto. symbo-
savo, nao s o primeiro cidado do imperio
querido por suas virtudes e amor patrio, mas as
instiluiroes, cuja salva-guardae protectorado lhe
conhou a Providencia. D. Pedro V viajando no
paiz, e sendo acolhido por todas as populoeoes
np?n,inairham,l0 e irraao- nao s representa o
neto de. libertador, mas ainda o mais fiel obser-
no^fnin!" COd'g0 P0li,ic0 em h3ona com a
nae" e C?m 'S n98"9 reU^s "'nacio-
Fme,f "S" IDOraes e coiom'cas e civis.
.E""lano Pro"nc,a d<> Alemtejo est viclo-
nando festiva o sobrinho de D. Pedro H e a ca-
pital espera a sua chegada para lhe demonstrar
mais um. vez. ,s symp.thias que lhe consagra
vamos nos passando em revista alguns fadosd
maior ou menor importancia, com relacd s
cousas, 011 nossa existencia poltica.
Na Independencia Belga lia-se ha'poucos dies
nm artigo muito lisongeiro para nos e sobreludo
para os membros do actual gabinete, eferia-se
a recehte adjudsacao do contrato do taba-
-0, na qual o governo ganhou, sobre o prejo
Triumpharam as candidaturas de touos os mi-
deputados, linham perdido as
- representantes do povo, pelo
tacto de enlrarem para o ministerio. Vingaram
aiem destas, ss demais alguns amigos do governo
e entre elles a do honrado juiz do supremo tri-
bunal dejustira Vellez Caideira. Que me conste
14 a prehencher na ele'ico supplementar. A
imprensa poltica de Lisboa tem-se entrelido por
nimios das a discutir exuberantemente a valli-
dade ou nullidado das listas brancas para o cal-
culo da niaioria absoluta. A nossa le clara e
poe lora de combate as listas annuladas, por se-
rem em papel de cor, por trazerem carimbo, ou
por outro qualquer fundamento legitimo. O pro-
pno Cormenin veio em auxilio das folhas minis-
leriaes que tem sustentado a nullidade dos votos
nao expressos, isto do papel era branco simu-
lando listas validas
Assim lambem o decidi a asssembla deapu-
ramento do circulo 116 (Lisboa) por onde foi elei-
lo o Sr. Carlos Beuto da Silva, ministro da mari-
nha e ultramar.
A questo agilou-se; pois se se contassera as
lis as brancas para o calculo do maioria, nao a
obteria elle a maioria absoluta, mas lo smente
a relativa, tendo de firar a sua eleicao para 2.
escrutinio, onde segundo a nossa le eleitoral
"asta apenas obter a maioria relativa.
Nos jomaos hespanhes de honlem, cm des-
pacho lelegraphico, lia-so o segrate :
Paris 23.
A Casero de Munich, diz que os cmbaixadores
da trussia, Hespanha e Portugal so preparara a
abandonar Turim.
Creio que nao passa do boalo elctrico. O
nosso governo tem muilo bom senso para se ao
ir embrulhar n uma questao destas em desaccor-
do rom o gaboete de Saint-James. E do certo
John Bull nao nos perdoaria a fanfarronada Ora'
accresce mais que se espera dentro em pouco
das um diplmala piemnnlez que vem acredi-
tado em nome de Vctor Emmanuel junto & nos-
sa corte.
Outro despacho, tambera nas folhas hespanho-
las do correio de honlem resava assim :
O diario que publica em aples Alexandre
Dumas, uiscre um memorndum, assignado
por Garibaldi, no qual este sustenta que a al-
hanca de Franca. Inglaterra. Italia Hespanha
Portugal e Russio, o nico meio do fazer im-
possivel uma guerra para o futuro. Diz-se que
o dictador pensa em relirar-se e que este do-
cu ment, ser tal vez o
tico.
Porto 11 do novembro.
loram adiadas as cortes geraes da najo para
o da 1 de Janeiro do anno prximo. Posto que
nao causasso sorpresa esta resoluco da prero-
gativa real, porque ha muilo corra no publico a
voz vaga de ser este o proposito dos actuaos mi-
nistros da corda, o certo que semelhanle acto
I01 geralmente mal iccebido.
E nao islo para admirar n'uma pocj em que
importantes e graves pontos de govemaco do
estado estao dependentes do parlamento.
A reforma dos tribunaes de justica, o a dos re-
glamenos sanitarios, a lei sobre*a liberdade e
commercio de vinhos do Dauro, 3 vaco publi-
ca, a organisacao do exercito, a introducrao das
irmaas de candada francezas, sao assuraptos que
demandara uma prompta sohico, e para os
quaes esl vollada a allen;ao publica.
Grande foi, pois, a responsabilidadc moral do
V'enderara-se cerca d'umasSOOO saccas ao'pre-
CO do 1J023 a 1CS323 a arroba.
Na alfandega existem 2344 saccas.
Co/e.Entraram apenas 96 saceos vindos do
Lisboa.
Venderam-se 100 saceos o 14 barricas
A I quahdade do 10 regula de3700a 45000
:w-rnba;Han\-3''5i,,,) a WtV 3SW a
.51.1U da Baha e esrolha lia falta.
Na alfandega existom 210 sacros e 30 barrica"
LisM M- lr"in do Pdr 50 saos, o de
E'pouco procurado, oblendo o do Tara SOO
a 5000 rs. "
Na alfandega existom 147 sacco.
Courot.Entraram : do Rio Grande 212",',i
de Pernambuco 2098;da Baha 581 ; do
Maranhao 442: e de Lisboa 1GS0.
Venderam-se para consumo cerra de OOOO
ncluiiido ICC salgados de Pernambuco a 105
rri?.
Ni alfandega existen 42300.
se Aniones Rosa, qnc se suppoe ter cabido do mJuSV '7 o Pr"^HiZ" do Rio GraniJe
telhado de uma casa onde andar a trabalhar. -i : ~ d(i Pt'rn;iD1lJoco 3805 ; c de Lisboa
Em 8 rahio pela pedreira abraixo, prxima ao '
la sua jhinlvi^n rf ^------."..juiiwjii no mesmo oa, abordo do bi
o aStff 22^fl22 *Lfi!" Pa3SU "a rU.Dour?. ca'- verga
no tribunal, escreve o periodo segrate
A audiencia corren com regularidade e pla-
cidez at cerlo ponto. (Juando porm pola segun-
da vez tocouapalavra ao Sr. advogado da aecusa-
rao comraetleii este a imprudencia de, falta de
melhcres razoes, provocar menos conveniente-
mente o nosso advogado, c a redar-cao deste or-
na Isto forcou oSr. J. Luciano d Castro a usar
polas'gunda vez da palana, e tal e tao cruel
ra ai corrcccao, que sinceramente vemos d do
^r. lalvora, e lastimamos a triste posicao, em que
se viocollocado. Depois disto nao fcil dizer
quera saino mais desairado do tribunalse o au-
tor, s o seu advogado .
Por outro lado, o advogado do qucrelmle
n um iroteslo que publirou no .Xacional, em lin-
guagem mui acrimoniosa, Ifj-se o seguinte :
_ No 2o dislnc'.o criminal desta cidade na ses-
sao d.
vou o
seminario do Hispo, nesta cidade, onde so anda
a quenrar podra para as obras da nova alfandega
na occasio de dar um tiro, o trabalhador Jos*
dos bantos. t-ui encontrado o cadver na estrada
marginal do rio.
No mesmo dia, a bordo do brigue Allianca,
os grandes regula de 7g0O0 a
e para os pequeos de 2;800 c
vif-rim a a,,,: j ------- ------- .""" -"3. "? '"' i'"19. > responsaoiiioaae mora do
a prd,en he tt^~*,2Z!*" && 0S l"blh *W~. sobre
o lundamento de que careca de mais'lempo pa-
ra preparar os projectos que pretende apresen-
lar ao parlamento 1
Terrainou. finalmente, a gravissirna questo
2a yndicancia do tribunal da relar-o desta ci-
aade. O supremo tribunal de justica decidi
cora excepruo de um nico voto, que "nao havm
S-nuicados" Pr0CCder cont'a nenhum dos juizes
A Associaco Commercial do Porto, sempre
sol.cita era remover todas as peas que embara-
cen! a livre acrao do commercio na sua variada
escala, dirigi uma rcpresonlar.o ao governo
nos fms do outubro ultimo, para que a agua-nr-
dente estrnngeira, admitlida na alfandega da Bar-
ca o Alva, possa ahi ser despachada para consu-
mo, ou cm outro qualquer ponto do paiz do Hon-
ro, alterando-so assim as disposices da portara
de 6 de junho. do presente anno, que permute a
entrada de agurdenlo n'aquella casa fiscal ape-
nas por transito, para a alfandega do Porto on-
de, vista da respectiva guia, s pode obter des-
pacho.
Em attencao cris? dosgracada por que tem
passado o paiz vinhaleiro do Douro. coiicedeu-
so n entrad da agurdente estrangeira, por isso
que a escassez da produccao vinicula nao convi-
dava ao fabrico daquelle genero, que s por pro
co elevadissuno podia ser presentado no mer-
cado. Satisfez-se a esta urgente necessidade da
lavoura e do commercio de vinhos do Douro
porm nao se allendeu conveniencia justo e
razoavel de nao fazer pesar sobre o preco primi-
tivo do genero a despeza de trajelo a que elle
e obligado sera conveniencia alguma da fiscali-
saSao. Se no Douro precisa a agurdente pa-
ra concertar os vinhos velhos, e para a prepara-
cao dos novos, por que se nao ha de eslabelecer
ati o despacho e pagamento dosdireilos da a-ua-
f.Jun hl!sPanho,iV q entra pela raa e que
pode d aqu seguir logo ao seu deslino r
Temeu-se, talvez, a fraude, e nao lembrou
quo e creara um incentivo ao contrabandista.
O vire-consul de Portugal em Vig0 parlicipou
associacao commercial do Porto, que a junta
provincial de saude prevenio aquello vice-ron.
seu testamento poli- solado de que os navios procedentes do Brasil
l que: enlrarem na bahia de Vigo, devera sahiriml
30 do correnle houve um homem que le-
arrojo e a corardia ao pon!) do vomitar
improperios^ e calumnias contra mira, quando a
me nao permiltia o desforro da resposla ;
lomera Jos Luciano de'Caslro; houve
homem que sendo juiz nesse tribunal nao
cuuipriuos deveres inherentes a esse cargo : esse
homem Jos Mana Teixeira de Queiroz
le j
essa
outro
pela

sao
lo pe
gistrad
lhe en
nao p
jas e
Esquecia-me dizer-lhe, ,, So n k ? n f i i*,UcI .e 1-mpor, 8,a0 CODSlderadas sujas pe-
rdr2 V entrou *! Ve\?22L J ^ ""' aClUalmenle em "Sor "'.-
n^ Dtrou na pr8?a d'Elvas, era esperado
por grande numero de hespanhes, e entre elles
mu tos estudames que linham passado a rala pi-
ra saud.rem o monarcha portuguez. Um dos
hespinhoee gnlou, sendo eothusiaicameolo ap-
0 procedimento da junta de saude de Vigo
motivado pela ordem que o vice-consul portu-
gue transmita aos capilaes de navios proceden-
tes d porlos sujoa ou suspeitos, entrados n'a-
ve a coragem de assislir at ao fim da ses-
ira ter o direito de protestar, como proles-
i imprensa, contra o abuso que esse ma-
o fez da vara de juiz que o Sr. Pedro V
tregou para a conservar intacta e pura, e
ra a torcer ao servico de torpes e vingau-
ile desvarios .
Ha diasandou o administrador d'um dos bair-
ros desta cidade, acompanhado do delegado do
saude e de alguns peritos a examinar os vinhos
expostos venda nas tabernas, concluindo quo a
maior parte delles eram artiliciaes, mas que a
sua composicao nao continha substancia alguraa
venenosa, ou que podesse prejudicar a sade pu-
blica. Ficou-se, pois, sabendo okialmenle o
que por supposiQao toda a gente julgava,qu o
liquido, chamado vinho, vendido a relalho nos
armazrns, uma raoxinitada Para esla visloria
reclamada desde ha muilo pela hygiene publica'
seguramente nao se guardou o segredo, que se-
melhantes actos demandara, para se colherem
delles todos os bons resultados. A prevencao em
que estavara os laberneiros, fez com que nao se
encontrassem nas suas pipas nenhum dos l-
quidos iguaes aos que j lem sido a causa de se-
rias indisposicos de sade, e mesmo, segundo a
lama publico, de algumas mortes.
Odia 29 do outubro, anniversario natalicio
do ar. p. lernaudo, cognominado o re ar-
tista, ro festejado nesta ciJade com as demons-
tracoes do costume. Embandeiraram-se os edi-
ficios oceupados pelas reparlices publicas e
igualmente as embarcacoes nacionaes e estrn-
geiras fondeadas no Douro. O servico da cuar-
niCao foi feto de grande nniforrae. e as msicas
regiraeutaes locaram alvorada dos respectivas
quaiteis. e noite. ao recolher. porta do conde
do Hulhao, por se achar alli hospedado o lente
general conde da Ponte de Santa Mara, que fra
gozar algura lempo de licenca sua casa de Va-
len?a do Minho, e j regrossou Lisboa, onde
commanda o primeira diviso militar.
A circumslancia deste general ser de patente
superior do que actualmente commanda a divi-
so do porto, e a de ter sido por algumas vezes
commandante interino do exercito, alterou a
praxe seguida das msicas tocarem porta do
quarlel geueral. v
Um caso pouco requeme, mas nao novo ero
Portugal appareceu no dia 7 do correnle nas co-
lumnas da folha offlcial. Referirao-nos portara
do ministerio do reino que ordena seja admitlida
a fazer came de pharmacia, como requeren,
na ruversidade Coimbra, D. Mara Jos Cruz de
Fi Loira nautal de Laros, conselho da
A portara diz assim em dous dos seus conside-
randos;-!0 o havernas oacoes mais adiantadas
onde e garantido a ambos os sexos o direito d
eiercorawle de curas, muliieres muilo disiinctai
do joanete so-
bre o marinheiro Jos Antonio Dionizio. quebrou-
Ihe a perna direila.
Na noite de 11 para 12. vhou-se no mar da
lovoa de \azim, um barco que se eniprcava
na pesca da sardinha. Era tripulado por oilo
pessoas que deveram a vida ao sangue fri cora
que, por espago de duas horas, luclaram contra a
una dos elementos, sendo porm salvos por uma
lancha que o acaso trouxera s alturas em que
se tuina dado o sinistro.
Em 15, nas obras de uma casa da ra das Flo-
res, quebrando o audaimo que eslava prximo
ao telhado, cahio roa o carpinteiro Manoel dos
santos e morreu logo. m seu companheiro
de trabalho, loi mais feliz, porque pode agarrar-
se ao beiral do telhado conseguindo assim salvar-
se, nao sem alguma contuses. de uma morte de-
saslroza.
Em1 18desaDou uma saibrelra no monle da
na da Piedade, Osando debaixo da trra dous
irauallndorcs, ; um delles tirou-se raorto. e o
outro oi conduzido em muito mo estado ao hos-
pital da Misericordia.
Em 26 cabio ao rio, no sitio de Ifiragaia. um
rapazuiho de 7 annos. Um calraieiro que se aclia-
va ueste local, vendo o acontecido, lanrou-so ao
no, e mergulhaudo, conseguio salvar' o inno-
Em 29, nas alturas da barra de Avciro. cabio a
esruta do traquete do hiato Prolector, e dando
em um dos tnpolanles. arremecou-o ao mor. O
mellz nao pode ser salvo.
No riacho da ponte de Arcozello, no concelho
de Barcellos, appareceu afogada uma mulher, por
nome Anna Joaquina, de 50 annos. Presume-se
que cabio agua eslondo a lavar.
Segundo os respectivos annuncios publicados
nas ralbas peridicas desla cidade, abriram com-
petencia entre si duas das princpaes alquilaras
na mesma cidade estabelecidas para a carreira
re la por diligencias entre o Porto e Coimbra e
vico-versa. E' o caso : a soriedade representa-
da por Miguel Perena de S Pacheco reduzio os
precos dos lugares a 3J600, incluindo a bagagem
pessoa ale uma arroba ; e os proprielarios de
oulra diligencia, Carneiro & Mannha, em conse-
(}"eil!UdeSSe abjUmen,. estabeleceram o preco
de 1,2o0 por cada passageiro O primeiro esii-
mula-see aprsenla nos jornaes a seguinte de-
clararlo: D
Vendo os anuuncianles (Miguel Pereira de
Sa Pacheco) um annuncio dos Srs. Carneiro &
Mannha por 2js250. declaram que fica sendo o
preco da no'sa corrida por pessoa 2j050. abalen-
do a qualquer preco que os mesmos Dzerera 200
res al irem de graca.
Em vista desle an'nuncio veremos o que fazem '
Carneiro & Marrana. Rtduziro ainda
preco ?
O preco para
SgOOO o'ceiilo,
| i000 ris.
Na alfandega existom 30000.
Melara. Entraram do Para
les; e de Inglaterra 50 pipas,
Encentra compradores ao proco
3-5200 ris.
O despacho foi de 130 barris, e 12 potes.
Na alfandega existem 1000 almudes.
65 barris c 9 po-
de 3S000 a
sobre Londres a 93 dias data 5 1 ;
Cambios
a 54 3/4.
Metaes. Soberanos -$J90 8 48500patacas
hespanholas 920 a 950ditas hrasileiras 920 a
950ditas brasiletras novas (do2j000) 880 a 920
ditas mexicanas 920 a 950.
Abriram termo do carga.-- cm 20 de outu-
bro, o brigue cuello I, para a Baha; era 3
de.novembro, a b*rca Palmeira, para o Pai
em 6 a barca Vdelaide, para o Rio de Ja-
Entraram no Douro: em 30 de outubro o
brigue Amalia I, de Pernambuco, por Lisboa
barca Ourense, do Rio Grande do Sui galera
Nova Subtll, e a barca brasileira Hydra, do
Rio de Janeiro, por Lisboa ;tm 3 de novembro
a barca Carolina, do Maranhao, por Vigo e
Lisboa, e a barca Unaos, do Para por Lisboa.
Sahiram : em 30 de outubro a barca Fer-
nandos Iu, para o Rio Grande do Sui; birca
.-,. Manoel II, para o llio de Janeiro ; patacho
brasileiro Monleiro I, para Porlo-Alegre
em 3 de novembro 3 barca Lima I, c a barca
Joven Erraelinda, para o Rio de Janeiro
Entrou era Lisboa no dia 26 de outubro, afim
de fazer qnarentena. a galera Amzade proce-
dente do Rio de Janeiro,- por Vigo, cora deslino
ao Porto.
Entrn era Vigo no dia 4 do novembro a barca
Oliveira, procedente do Rio de Janeiro, cora
destino ao Porto, seudo-lhe impostos 15 dias do
quarentena.
DIARIO DE PERNAMBUCO
As noticias que hoje recebemos da Europa pe-
lo paquete sao das mais importantes.
A votarao de aples foi favoravel annexa-
Cao ao Piemonte; houve 1,310:266 votos 3 favor
della e 10:012 coDtra.
As tropas realistas que se aclnvam em Capua e
aela tomando posices 11a linha do Vulturno li-
veram alguns recontros com as tropas pieraonle-
Z3s e garibaldinas, em que a sorte das armas
ora penlia para um, ora para oulro campo.
No dia Io do crreme comecou a artilharia de
sitio a bater as forlificacoos de Capua, no dia se-
grate capilulou esta praca, retirando a guaroi-
cao em numero de seis mil homens, sahio da
praea cora as honres militares, ficando depois os
armamentos e municocs era poder dos pieraou-
tezes.
As Jorcas do general Sannar tomaram depois
...... nwHiHg aioua mais o i PslCoes nas alturas que dominara Gaeta e na en-
Chegar-se-ha a percorrer 18 leguas gra-I seada desla pnfiea ultimo reducto dojovera prn-
luitimenle, que a distancia do Porto a Colm- |P
h 11? Presun'ir o-110 s Inleressados conhe- I As forcas que tnhara ficado fl;is eram em tao
cendo melhor os seus inleresses, venham a um I Sra"ue numero que nao cabam dentro dos muros
accordo. Se nao se harmoriisarcm terao ainda 1 da PraSa. e foi parte delias obrigadas a acampar
depois de franquear gratuitamente as portas das" fora-
suas diligencias, de offerecer algum conforto es- j Rompeu-se o fogo ; as tropas exteriores pedi-
tomacal aos passageiros para que estes preliram I ram. capitulaco que lhe foi immediatamenle con-
couveniencia Ihes pro-
0 que maior sorama de'
porronar.
Ha annos deu-se tambera o mesmo caso de
compencia entre os proprielarios dos vapores Lu-
silania e Duque do Porlo, que enlo faziam a car-
reira entre esta cidade e a de Lisboa, chegando a
reduzrem as passagens a preco insignificante,
roz termo a este desacord o naufragio do se-
gundo dosmencionados vapores.
A sor le grande da lotera da Santa Casa da
Misericordia de Lisboa, cuja exlraccao levo lo-
gar era 31 de outubro, veio d'esta vez para o
o Porlo. E' caso raro : nao temos memoria de
igual aconlecimento. Era de nove contos de rs.,
que coiioeram ao Sr. Jos Lourenco de Souzs,
propietario que foi do jornal o Echo Popular,
que se ostenlou nas lides honrosas da imprensa
pelo espaco de 15 annos, e findou a sua publica-
rao ainda ha poucos mezes.
Palleccu o bngadeiro governador da praca de
Valeoja do Minho, o Sr. ADtooio Peilo de Car-
cedida.
Francisco II de3ejando por um termo sua pe-
nosa situaco, nao contando cora soccorro algum
exterior, falla de recursos de toda a quaiidade
parlicipou que ia pedir a capitulado, nao por ter
perdido a confianca na parle do seu exercito quo
anda o acompanhava, mas porque desejava evi-
tar mais effuso de sangue, e a conlinuaco da-
quella lula fratricida.
Diz que se ia entregar a si e a sua familia, aos
seus inimigos, raas que estes o eucontrariam ro-
deado dos representantes de todas as nacesquo
o tinham reconhecido soberano das Duas Sici-
Quando a esquadrilha pieraonleza que eslava
na baha de Gaeta rotnpeu o fogo contra aquella
praca, deu-se um farra que tem dado muilo que
fallar imprtnsa europea. Dz-se que o comman-
dante das forcas navaes francezas estacionadas
naquellas aguas, intimara esquadra piemonleza
a que suspendesse o fogo; o fogo cessou effecli-
vamente aquella intimacio.
* -
'P


DIARIO DE PCRTAMRIO) SEXTA PEIRA 30 DE NOVEMBRO DE 1860.
m
Se este facto verdadetro, o ofll >ial francez, ou Buique o Sr. Manuel Thorac Fialho do Alb-i-
quirque
Poi concoiiida a demissio pedida polo guar-
da de segunda classo da alfandega desta ci-
dade, Benjamim Constata da Cunha Sales.
Pela thesourarh provincial foram ja rerael-
lidas para a procuradura fiscal as rolar;6es de
debilos liquidados d impostas pertencenles ao
auno Qnaoceiro de 1839 a 60, que doixaram de
ser pagos rio devido lempo, afim de quo sejara
cobrados judicialmente.
Aos respectivos dovedores foi assignado o pra-
zo de trinta das para a solicitacSo das guias,
antes que sejam empregados os mcios judi-
ciaes.
Pela capitana do porto foi imposta a mulla
de 100#000 aquellos proprielattos de restos de
navios existentes na cora dos Passarinhos, que
os deixaram de remover no espado concedido pa-
ra esse ui pela raesma capitana'
Por falta de mombros para trabalhar o tri-
bunal da relajan, em consequencia do impedi-
medimenlo de differentes senhores desembarga-
dores, acham-se fuuecionando as sessoes es Srs.
Drs. juizes de direito Francisco Deroingues
da Silva e Alvaro Barbalho Uchoa Caval-
canli.
Nao deu-se honlern a arremataco*da illu-
muaijo publica das cidades d'Olinia e Goiaana
por falta de licitante}.
A arremalacao anterior do servido dest fins
hoje ; e a diquella (oi traosferida para o dia 10
do dezembro.
Passageiros do vapor inglnz Magdalena,
entrado do Seuthampton o portus intermedios :
Commondadur Manuel Joaquim Raious o Sil-
va, sua senhora.l lillu e 1 criado, coronel Faus-
tino Fernandos de Lima e l criado, Jos Perelra
da Cunha. sua senhora e 1 filha menor, Fran-
cisco Jos Goncalves da Silva, sua senhura, 2 fl-
Ihis menores e 1 criada, Manoel da Silva San-
tos, \V. Wrighl, Christovo Guilherme Brecken-
feld, Richard C. Pauleng, Chrislopher Starr, Al-
fredo de Moroay, Richard II Bowrne, Charles
Il-rary Lowo, Mara Helena C. do Oliveira, Hen-
riquela Augusta do Amparo, Jos Luiz Machado
Brandan, Emilia de Oliveira da Cunha o 1 filha
menor, H. Uilpy e 1 filho, James Iladson, John
Nurray. RowIanJ Fisher, E iuard Heashman Co-
l e sua seuhora, J. P. Carueiro Monteiro, Fre-
derco C Cox, M. W. Rooker.
Seguem para os porlos do sul :Vctor Isaac
exhorbitou, ou seguio s ordens expressas de Na-
poleao ; nesio caso houve quebra do principio da
0.1o inlervonQao, e as potencias europeas teera
direito de pedir contas Franqa daquella quebra
do arando tomado; mas diz-se que o oTL-ial
francez obrara por iniciativa sua, e que fon por
isso speramente reprehendido per Luiz Napo-
leo. .
Tera-ae nest lucti dado faetes que inda cau-
sam maior admiracao. At o flm da lucta exisli-
tiram aparentemente as melhores relagoos di-
plomticas entre Francisco II e Vctor Emraaouel.
Aquelle tinha embaxador om Turim, e osle um
encarregado de negocios na praja de Gaeta. Vic-
gentes, entrando, e fazendoontrar tropas piemoo-
tezas regulares no reino das Duas Sicilias, sera
ter havido primeiro um rompiraenlo, o sera pre-
via declaracao de guerra.
E' verdadu que Francisco It, assim como seu
pai el-rei Fernando se recusarara sempre a ac-
ceitar os conselhos das potencias europeas ; re-
pellram todas as tentativas do Piemonte para
quo urna consliluicao fosso concedida aos napoli-
tanos. .Mas quan lo a revolucao rebentou na Si-
cilia, Francisco II concedeu urna constuigo tal
ou qual, e segundo as propostas do gabinete do
Turim, e propoz urna allianga a Vctor Emma-
nuel.
Que os seus subditos nao livessem conQanca
as promessas do seu soberano, o que nao acre-
ditassom n'urna consliluicao dada ultima hora,
e para conjurara tempestado que j rugia prxi-
ma, ellesquo estavam ousturaados a ver rasgar,
conjurado o perigo, as promessas formaes fetas
nos momentos de alico. acrodita-se ; avalia se
bem que nao quizessem -depr as armas sera to-
rom assegurado a eslabilidado das inslituicoos
qua tinhara conquistado.
No seculo actual cm aue os soberanos s se
podem manter pelo consenco dos povos, e nao
por direito divino, ao povo compete retirar o
mandato, ao re que nao cumpre os seus deve-
res.
Vctor Emmanuel porra nao poda, segundo
os principios do direito das gentes violar os esta-
dos do urna potencia amiga. Anda se concede
que nuxiliasse a tentativa de Garibaldi, que cor-
ra a auxiliar os italianos que luctavaui pela li-
berdide ; e a Europa fechou os olhos a essa in-
tervengo. Cromos quo o primeiro caso de urna
guerra entre dous paizes, som ter primeiro havi- i de Araujo e 1 criado, Frederico Marinho do
do quebra de relacoes. Araujo, Manoel Joaquim Liberato de Mallos,
Vctor Eramanuol declara que entrara com o Francisco Liberato do Mallos, Manoel Jos Es-
seu oxercito no reino napolitano, nao por intmi- pindula Jnior. Miguel C de R. Almeida, Flix
sade para com o soberano das Duas Sicilias, a i Mamede do Almeida o M. Rooker.
quera era affeigoado, mas era consequencia dos' Matadouro publico:
seus principios sobre a consliluicao da Italia, Mataram-so no din 2,9 do correle para o con-
que Jeve formar um s estado livre o indopen- sumo desia cidade 60 rezes.
dente.
Para conseguir taes fins ainda lhe resta Roma
o Vcnezs.
A queslo do Roma para ser decidida pela di-
plomacia, e parece quo desta vez fez o seu lem-
po o poder temporal dus papas. A religiao nfto
perde nada do seu lustro ; o pontfice nao ser
menos respeitado, por nao ter pequeos estados,
para governar mais ou menos despoeamente.
O Summo Pontfice ser sempre atacado e res-
pailado por lodas as nacoes catholicas ; ser
atada mais venerado quando se nao poder inlro-
mciter em questes polticas, quando liver ni-
camente o poder sobro as consciencias d; todos
os liis, e daixar de ser o senhor de brago e cu-
tello de alguns milliares de escravos, a que cha-
mara subditos do sua santidade. A religiao dei-
xar do ser oliscad.i pelas manchas que lhe
acaricia o governo menos liberal, e menos Ilus-
trado da curia romana.
A queslo de Veneza mais difficil de resol-
ver. A Austria tcm concentrado no Vneto um
exercito de 200 mil homens, fora a arlilharia,
que tcm 30 baleras, algumas dolas raiaJas,
ponlonciros engenheiros etc. ele
O imperador Francisco Jos lera andado a an-
gan.ir adhesoes entro os soberanos dos estados
da confederacao germnica. Diz-se quo o repre-
sentante de Baviera na Confederacao, propora
Dieta que considere qual quor tentativa contra
Veneza como urna declaracao de guerra a toda a
confederacao, setido considerada a posso do Ve-
neza pela Austria como um garanlia de seguran-
za para as fronleiras allemas. A conferencia da
VarsoTa porem entre os imperadores da Russia
e Austria o o principe regente da Prussia nao
produzio, ao que parece, o effeito que Francisco
Jos esperava.
Tenciooava esle ligar em interesses os dous
soberanos o contar com um apoio decidido na |
prxima luta cora os Ililianos. Parece que nesta
Zcpherioo de Lima Cavaleauti.
Manool Jos Lopes Braga.
Manoel do Almeida Nobre.
Alfonso PaUol'j da Silvoira Cavalcanli.
Francisco Ferrelra da Annunciacao.
Trajano Evaristo Castello-Branco.
Symphronio Olimpio de Queiraga.
Joaquim Jos Alves de Albuquerque.
Mauoel do Caldas Barrete.
Amaro Soares Mariz.
Deferido ao conselho de sentenca o juramente
dos Santos Evangelhos, o juiz de direito procedo
ao interrogatorio do reo, nomeando-lhe para in-
terpreto o Sr. Jos Francisco de Salles Baviera.
Versara os debates que se prolongara at 3 ho-
ras e moia da tarde.
Resumida cora lucidez a discussao, o Dr, juiz
de direito propoe ao jury os quesitos, da le so-
bre o facto principal e suas circumstauclas, pu-
blicando por flm a senlenga cm que julga ao reo
incurso no arl. 264, 40, gro minirao, condem-
nando-o soffrer a pena de 6 mezes de priso
cera Irabalho e & pagar a multa de 5 0|fj sobre o
valor das joias respeito das quaes versou o es-
tellionato.
Levanta-se a sesslo s 4 e 1(2 horas da tarde.
COHMKRCIO.
Alfamlega,
Rendimento do da 1 a 28. 3(8:9013788
dem do dia 29.......18:184g633
337.136-J42I
Jacaranda do Rio de Janeiro ;
16-35 marcos por 100 libras.
Da Babia :
12-16 marcos por 100 libras.
Mo vimento do porto.
No dia 28 nio houverara entradas nem sa-
ludas.
Na vios en traaos no dia 28.
Southampton e portos intermedios21 das, va-
por inglez Magdalena, commandanle R. Wool-
wnrd.
Para pelo MaranhoPalhabote narional Ltnio
Paquete, capitao Jacinlho Nunes da Costa,
carga varios gneros.
novimento da alfandegra.
V'olumes entrados cora fazeodas..
cora gneros..
Volnmes sahidos com fazendas..
com gneros..
57
420
------477
5i
259
------313
Descarregara hoje 30 de novembro.
Brizne inglezLiliancarvdo.
Galera francezaAdelemercadorias.
Brigue hespanholVigilante"inhos.
Brigue inglez Phantoubacalho.
Rccebedoria de rendas internas
geraes de Pernambuco.
Uendimenlo do dial a 28. 23:5913317
dem do dia 29....... 641055
24:235^372
Consulado provincial-
Raudimento do dia 1 a 28. 18:4765716
dem do da 29.......2:427g961
Mortalidaug do oa 29 do corrente :
Joaquina Archanja Rabello, parda, solteira, 59
anuos ; erysipeli.
Placida, parda, 9 annos ; gaslro-interito.
Caelano Cavaleauti, pardo, 12 anuos; gastro-
interie.
Fra celina Prima de Figueiredo, branca, soltei-
ra, 43 annos ; tumor gorduroso.
Rosa Mana da Penha, preta, solteira, 90 annos ;
gastro-inlerite.
Jacinlha, prela, escrava, solteira, 15 annos ;
. inflamma(o.
Monica Agosiinha dos Prazeres, preta, casada,
30 annos : phthysica.
Alexaudre, brauco, 3 mezes ; gastro interite.
CHRONlTulCIJiRIA.
TRIBUNAL DO COMUIERCIO.
SESSAO ADMINISTRATIVA EM 29 DE NOVEM-
BRO DE 1860.
rnESIDENClA DO EXU. SR. DESEXBXRGADOR
F. A. DE SOL'ZA.
As 10 horas da manha, reunidos osSrs. depu-
lados Lomos, Bastos c Silveira, o Sr. presidente
declarou aberta a sessao de mero expedieule, e
designou o Sr. deputado Silveira para servir de
secretario.
Foram lidas e approvaJas as actas das duas an-
tecedentes.
DESPACHOS.
Ura requcriraenlo de Manoel de Oliveira Maia
Jnior, pedindo o registro da procuracao que
junta.Como requer.
Outro de Victorino Domingues Alves Maia, pe-
dindo o registr" da escriptura de hypolheca que
apresenta.Coio requer.
Out'ro de Lourenco Pereira da Silva Pimentel,
Jo< Marques dos Santos Aguiar, e o Dr. Joao da
co a. ttt L & O a. f 5 Hora t
i s CA v 2 la 3! B O" c 01 Atmotphera
s H ireccao. i 2 O
es k * =3 03 C es o a a> 3 Intensidade a MI
$ 96 oo a o 00 te 1 1 Fakrenheit 1 -1 n 9 O n H 9) O o n y. o
00 o K9 Centgrado.
OS OS ^? 00 hS ~4 ti 1 te- Hygrojnetro
O o O Cisterna hydro-melrica.
-4 OJ -4 -a en 00 > Francs. cd > O
O to co o oo oo CO 8 ' ingles. O
A noite nublada, vento ENE at as 10 h 30' que
roudou para E e assim amanheceu.
03CILLACA0 da mare.
Preamar as 5 h. 18' da tarde, altura 7,2 p.
Baixamar as 11 h. 6' da manha, altura 0,6 p.
Observatorio do arsenal de marinha, 29 de no-
vembro de 1860.
ROMANO STEPPL*.
Io lente.
Silva llamos, pedindo o reislro do seu contrato
conferencia se nao lomou acc>rdo sgm,~peo de sociedade.Haja vista ao senhor desembarga-
toeuus tola a imprensa europea concorda em di- i dor liscal.
zer que o imperador d'Au3tria se retirara descon- v'stos pelo senhor desembargador fiscal, os se-
| guiles requerimentos :
Ura de Novaes & Lima, pedindo o registro do
; seu contrato do sociedade.Regsirc-se.
Oulro do Sebaslao Jos da Silva e Fortunato
Ribeiro Basto, pedindo tambera o registro do seu
Contrito social.Registro-se.
Oulro do mesmo e Miguel Ferreira Velloso, pe-
dindo igualmente o registro do seu contrato so-
cial. Registre-se. "
Nada mais houve.
V
tente.
Diz-se por oulro lado que a roeoncifucao de
Garibaldi e Cavour fui feila com as seguinles con-
diQoes : preparar para a prxima piiraavera 300
mil homens, ceui navios, re.ilisar un erapresli-
mo de duzeulos ralhoe3, recrutar voluntarios em
toda a Italia, instrui-los era breve lempo para
agmentar o exercito ; marchar sobre Veneza, ar
ranca-la Austria, apezar das doraonstraces da
Inglaterra dividir o comraando dcsla oxpedico
enlre Victot Emmanuel e Garibaldi, e no caso de
faltar a furQa nao recasar os soccorros que de
qualqu?r ponto da Europa, forera auxiliar a era-
preza.
Esta queslo, pelo que se v, est adiada, e
ser na prxima primavera talvez a causa de urna
luta europea.
Outra duvida que temos saber se os napoli-
tanos depois de passado o enthusiasmo actual,
se contt-ntaro com o mui secundario papel de
provincia pieraontea, elles que ha lanos secu-
los vivan) como nar;ao independenle. Ter Vc-
tor Emmanuel a habilidade dos conservar con-
tentes sab o seu governo '? Nao se suscilarao
porvenlura, mais das, menos dias, novas desr-
deos e urna lucta intestina que derrube o poder
de Vctor Emmanuel, como derrubou o de Fran-
cisco II ? Conlnuarao a trabalhar as sombras
mazzinistas, inimigo3 de todas as monarchias ?
So u terapo se poder encarregar de nos desfa-
zcr estas duridas.
A Austria alera da seu desassocego pela ques-
lo de Veneza, v tambora a efervescencia da
Hungra. Francisco Jos promulguu urna cons-
tituigo, que nao agradou como ello desejava
Na Hungra que esperavam o reslabelecimento
da amiga consliluicao hngara, houve grandes
deserdens quando se tem conhecimento dos de-
cretos rcstrirtivo3 que acompanhavam a consli-
tuico. Os festejos foram inlerrompido? em Ruth
e I'resburgo, e foi uccessarin intervir a forja ar-
mada.
Consta que se est organisando era aples
urna expedigao de voluntarios para ajudarem os
hngaros a reconquistar os seus direilos.
Na Syria houve urna peleja entre os drusos e
os maronilas acompanhados pelas tropas fran-
cezas do general Beauford. PizTara-se du-
zcnlos prisioneiros sem disparar um nico tiro.
Em Beyroulh, Saida e Trpoli exsliam mais
de vinte mil chrislaos refugiados pela maior par-
te enfermos ; dez mil tinham j regressado aos
seus lares, mas viam-se exhaustos pur falta do
auxilio o de subsistencias.
Os chrislaos de Damasco preparavam-se para
abandonar a cidade, por isso que depois da sa-
hida do comm3sario ollomano receiavara a vin-
ganca da parle dos musulmanas. U expe-
diente lomado pelas potencias europeas inefi
caz. Falla-se no augmento da divisan franceza e
na partida de (ropas mudadas por outras poten-
cias. Diz-sa lambem que so prolongar o prazo
de seis mezos que as potencias convencionaram
para a oceupacao franceza.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA-
Na quarla-feira por obra das 4 horas da tarde,
um preloentrou pela loja de fazeodas da ra do
Queimalo, de que proprotaiio o Sr. capilo
Antoaio Bczerra do Menezes Lyra, o langando
rao de uraa pcija de chita, deitou a correr cora
o resultado do seu audaciuso furto.
Sendo perseguido pelu referido Sr. Bezerra,
foi-the lomada a peca de chita j na ra do Cres-
po ; mas o tal larapio consoguio pr-se ao fres-
co, IV-m lo assim sem puniqo, o habili-
tado para continuar na pralica do taes fur-
tos.
Por acto da presidencia foi mandado consi-
derar na dislribuico dos 20 por cento aos em-
pregades provinciaes, consagrada no art. 34 da
lei n. 438, o oflicial da fazenda provincial Isido-
ro da Costa Rocha.
Foi designado para reger interinamente a
cadeira de instruccao elemonlar da villa do
SESSAO JLDICIARIA EM 29 DE NOVEMBRO.
PRESIDENCIA DO EXH. SR. DESEURARGADOR
SOIZA.
Secretario, Julio Guimares.
Ao raeio-dia, achando-se presentes os Srs.
desembargadores Villares, Silva Guimares, e
Guerra, e os senhores depulados Lomos, Bastos
e Silveira, o senhor presidente declarou aberla a
sessao.
Foi lida e opprovada a acta da ajiterior.
JXLCAMENTOS.
Appellanle, Arftonio da Silva Rocha ; appella-
do, Antonio Guncalves de Azevedo.
CoiiQrmada em parte e revogada em parle.
DILIGENCIAS.
Appellaiiles, J. Crabtree & Companhia ; appcl-
lalo, Braga & Anlunes
Vista as partes.
Appellanles, Azevedo & SIendes ; appellado,
Amonio Jos Arantes
Vista ns parles.
Appellanles, Francisco Brasileiro de Albuquer-
que e oulros herdeiro3 de Francisco do Reg Al-
buquerque ; appellado, Mximo Jos dos Santos
Andrade.
Vista as parles.
Nao havendo nada mais a tratar, o Sr. presi-
dente encorrou a sessao.
JURY DO RECIFc.
5 SESSAO.
DIA 29 DE NOVESIBRO DE 1869.
Presidencia do Sr. Dr. juiz de direito dapiimei-
ra vara criminal Bernardo Machado da Costa
Doria.
Promotor publico, o Sr. Dr. F. Leopoldino de
Gusmao Lobo.
Escrivao, o Sr. Antonio Joaquim Pereira de
Oliveira.
A's 10 horas da manha, o escrivao procede
chamada c verifica eslarem prsenles 42 juizes de
faci. i
' submellido julgamento o processo em que
reo E-nile Ischy, pronunciado em margo do
corrente anno pela subdelegada do Io dslriclo
du Recifo, no arl. 264, g 4" do cdigo crimina'.
E' advogado do aecusado o Sr. Dr. Jos Anto-
nio de Magalhes Bastos.
Proco lendo-so ao sorteio do conselho recusa-
do pelo minislerio publico o Srs. :
Esievo Jorge Baplisla.
Apolinario Pereira Baduera.
Frederico Augusto de Lemos.
Manoel Antonio Ribeiro.
Jos Dias da Silva.
Jos Cavalcanti do Albuquerque.
Jos Bernardino Pereira de Brilo.
Dr. Luiz Rodrigues Villares.
Antonio Pinto de Azevedo.
Joo Eduardo Pereira Borges.
O advogado do reo faz as seguinles recusa-
coes:
Jos Joaquim de Oliveira.
Jos Paulino da Silva.
Tenente-coronel Sebaslio Lopes Guimares.
Emilio Xavier Sobreira de Mello.
Jovino Epiphanio da Cunha.
Jos Francisco de Salles Baviera.
Manoel Lopes Rodrigues Guimares.
Coramendador Aulunio Jos de Castro.
Joo da Silva Furias.
Antonio Rodrigues de Moraes.
Jos Antonio Morera Dias.
Dr. Luiz Salazar Moscoz<\da Veiga Pessoa.
Comp5e-se o conselho de sentenra dos seguin-
les Sr?. jurados:
Joaquim Galino Coelho.
Joo Pedro da Rocha Pereira.
20:9043677
Hamburgo, 5 de nOvembro.
Bolelim eommercial.
Nao temos de notar alterarlo importante nesle
m ercado desde a nossa ultima, a maiorparte dos
gneros sustenta os seus precos, sem terem havi-
eo grandes Iransacres.
Caf.Depois de" havermos recebido em 23 de
oulubro as cartas viudas pelo vapor de Brdeos,
o mercado se conservou tranquillo, e as quali-
dades inferiores de Santos e do Rio de Janeiro
foram ofTerccidas a pre$os mais baixos, emquan-
lo que. as superiorc3 susientavam os seus presos,
sendo a escoiha muito limitada. As noticias do
Rio de 8 de oulubro, aqui recebdas por via do
telegrapho de Lisboa em fins de oulubro, decidi-
ram os possuidores a conceder redcelo nos pre-
sos. O nosso deposito de 6 milhdes de libras so-
mente, nao poder abastecer as exigencias e
iraporlacoes mesmo maiores do que as avisadas
seriam muito bem recebidas neste momento.
No mez de oulubro as vendas de caf regula-
ran) por cerca 40 mil saceos, dos quaes cerca de
25 mil do brasileiro.
Colamos nesle momento:
Caf do Rio de Janeiro ordinario 5 7/86 1/8
schillings.
Caf real ordinario 6 1/46 5/16.
Cifasqualidades superiores fallara.
Iraportacao at fins de oulubro.
1860 71 milhoes de libras.
1859 67 .
1858 5i
* 1857 80
1856 65
Em ser em fins de oulubro.
1869 6 milhoes de libras.
1859 9
1858 11
1857 29
1856 15 1/2
Assucar.O assucar tem eslado procurador e
livemos transarijoes bstanle consderaveis, ob-
tendo-se em parto precos mais altos de 4 ate 8
schilling3 por 100 libras.
Venderam-se em outubro 2,200 saceos de as-
sucar mascavado da Baha a 1717 3/4 marco
banco c 3,000 de dito de Pernambuco a 17 3/8
marco banco.
Colamos ;
Assucar da Baha em caxas, branco 1923
marco banco.
Dito dito mascavado 1618 marco banco.
Dito dito em saceos dito 1718 1/2 dem dem.
Assucar de Pernambuco em saceos, brauco 20
24 dem i ora.
Dito dito mascavado 1718 1/2 idem dem.
Importaco at fins de outubro.
1860 37 3/4 milhoes de libras
1859 461/2
1858 37 1/2
1857 44
1856 61 1/2
Em ser al fins de outubro.
1860 8 milhoes de libras.
1839 11 1/2
1858 3 t>
1857 5 3/4
1856 5 3/4
Algodo.Durante o mez de outubro o algodao
foi muito procurado; as ultimas noticias dos E3-
lados-Unidos fallara de golo as regioes do al-
godao, e de cotaces maiores em todos os mer-
cados. Essas noticias bem que muito recentes
ainda para so poder avaliar exactamenlc a perda
que resultar, tera comtudo oxercido grande in-
fluencia sobre o mercado do Liverpool. A con-
quencia foi que o negocio se tornou aqui muito
activo, e as transaccoes teriam sido anda muito
mais importantes su o nosso mercado oll'erecesse
um deposito mais abundante
Os presos do algodao norle-amcricano sub- |
ram do 3[8 schillings, e do das ludias Orientaos
do 1(1 schillings por libra. Devc-se sentir que
apparec,a to pouco algodao do Brasil, o qual
scraprc obtem prompta exlracco e bons precos
.^Cutamos : de Pernambuco 7 1(28 1(4 schil-
lings ; do Maranho e Para 6 3[47 1[2 schillin-
gs ; da Bahia 7 3]481|4.
Iruportago et fins de outubro*
1S60 81,300 balas
1359 48,300
1858 42,400
1857 67,100 a
Em ser em fins do outubro.
1860 16,140
1859 8,000
1858 4,500
1857 4,800
TYi&aco.A opinio Iho foi favoravel durante
todo o mez de oulubro; do brasileiro so vende-
rn) 1,600 balas e bons presos cotamos ; supe-
riores 10-12 schiMings.
Edita es.
THEATRO DE S. ISABEL.
fOtlPlNHIi LVI1ICS lE G. jHRMGEU
Domingo 2 de dezembro
Para festejar este dia de grande gala nacional, logo que S. F.xc. o Sr. presidente da pro-
vincia se apresentar na tribuna, eantar-se-ba o hymno nacional por toda a companhia, e os solos
pela senhora Giulia Beltramini
Em seguida represenlar-se-ha pela primeira vez a grande opera em tres actos de Donizatti:
Os bilhetes vendem-se j no escriptorio do theatro para duas noites, sendo a segunda
no dia quarta feire 5 de dezembro.
Avisos martimos.
Cear
O hiate nacional Exhalaco, segu para o
Cear no dia 6 de dezembro, e tem parle de sua
carga prompta : para o resto e passageiros trata-
Para o Rio Grande do Sul
segu com brevidado a barca Malhilde por ter
a maior parle da carga prompta ; para o restante
tratase com Manoel Alves Guerra no seu escrip- se com franc-sco Alfredo da Silva Castro, ou com
orodarua do Trapicho n. 14. austro no trapiche do algodao.
PARA O ARACATY E ASSU'
sae o hiate Sergipano: para carga, trata-se com
Martius & Irmo.
Porto por Lisboa.
Vai sahir para o Porto com escala por Lisboa
al o dia 25 do corrente mez o brigue portuguez
Promptidao II, forrado e encaviihudo de cobre,
de PRIMEIRA MARCHA E CLAS3E, por j ter
parte do seu carregamenlo; para o resto e passa-
geiros, para os auaes tem excellentes commodos,
trala-se com Elias Jos dos Sanios Andrade C,
ra da Madre de Dos n. 32, ou com o capitao.
Cear e Acarac.
No dia 30 do corrente, com a carga que lver a
bordo, segu o palhabole Sobralense, capitao
Francisco Jos da Silva Ralis ; recebe carjia a
frete e passageiros : a tratar com Caetano Cyriaco
da C. M. & Irmo. no lado do Corpo Santo u. 25.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Espera-se dos portos do sul at o da 30 do
corrente, o vapor Tocantins, commandanle o
primeiro-tenente Pedro Ilypolilo Duarle, o quet
depois da demora do coslume seguir para os
portos do norte
Recebem-sc desde j passageiros e engaja-ss
a carga que o vapor poder conduzir a qual de-
ver ser embarcada no dia d*soa chegada : agen-
cia ra da Cruz n. 1, escriptorio de Azevedo &
Mendos.
Bahia.
O Rvm. Jos Leite Pilla Ortigueira, juiz de paz
do primeiro districto da fregneza de S. Fr. Pe-
dro Goncalves da cidade do Recife, etc.
Faro saber as pessoas que se acham qualiflca-
das votantes desta freguczia, que d vi3:a dos de-
cretos ns. 1082 de 18 de agosto ultimo, o 2621 de
22 do mesmo mez, dos officios do Exm. presiden-
te da provincia e da cmara municipal, que no
dia 3n de dezembro desto anno as 9 horas da ma-
nha tem de proceder-se a eleic,o de eleitores
que hao de eleger os depntados oraos e provn-
ciaes, afim do quo hajam de comparecer na ma-
triz de S. Frei Pedro Gongalves com suas chapas
contendo 23 nomos do pessoas que eslejam as
circumsiancias de seren eleitores ; e convido aos
senhores :
ELEITORES.
Domingos ljenriques Mara.
Al tumo Henrlques Mafra.
Manoel Amancio de Santa Cruz.
Mauoel Francisco Marques.
Jofs Marrques da Costa Soares.
Jos Pedro das Neves.
Ignacio Antonio Borges
Antonio Boielho Pinto de Mesquita, "
Esievo Jorge Biptista.
SUPPLEN'TES.
Manoel da Silva Neves.
Antonio Jos Silva do Brasil.
Cndido Thornaz Pereira Dutra.
Manoel Bastos de Abreu Lima.
Manoel Estanislao da Costa.
Luiz Antonio Goncalves Penna.
Constancio da Silva Neves.
Joaquim Jos de Santa Anna Barros.
Major Alexan Ir Augusto Frias Villar.
Dr. Cosruo de Si Pereira.
Dr. Joaquim Jos de Souza.
Major Tiioraaz de Almeida Anlunes, quocompa-
rocam no da e hora cima declarados para se or-
ganisar a mesa parochial como determina o art.
41 da lei de 19 de agosto de 1816,
E para constar rnandei passar a prsenle. Fre-
guczia do S. Frei Pedro Goncalves do Recife, 29
do novembro de 18fil)
Eu Inuoccncio da Cunha Goianna, escrivao o
escrevi.
Padre Jos Lei'e Pitia Ortigueira.
Manoel Jos Teixeira Bastos, cavalleiro da impe-
rial orden da Rosa, juiz de paz mais votado
da fregueia de S. Jus do Recife, em virtudc
do le, etc.
Fago saber, era conformidade com o disposto
nos artigos 39 e 40 da lei n. 387 de 19 de agosto
de 1846, e em oxecuco das circulares expedidas
pela presidencia, que na ultima doming3 do mez
de dezembro prximo futuro (30 do mesmo mez),
se tem de proceder a eleico dos eleitores que
devem eleger, nao s os deputadus assembla
geral legislativa para a prxima legislatura do
1861 & 186, se nao tambera os membros da as-
sembla legislativa provincial, em seu devido
A escuna naric-nal Carlota, segu em poucos
dias para a Bahia, tem parte do sua carga en-
gajada ; pura o resto trala-se com o seu consig-
natario Francisco L. O. Azevedo, na ra da Ma-
dre de Deus n. 12.
Porto e Lisboa
A bem conhecda barca portugueza Sympa-
Ihia, capita Nogueira dos Santos, vai sahir bre-
vemente para os porlos cima indicados ; quera
na mosma quizer carregar ou ir do passagem,
poder entender-se com os consignatarios Rallar
& Oliveira, ra da Cadeia do bairro do Recife nu-
mero n. 12.
Porto por Lisboa.
A barca portugueza Silencio, capitao Fran-
cisco Martina de Carvolho, pretende sahir com
toda a brevidade para os portos cima indicados :
quera na raesma quizer carregar ou ir de passa-
gem, dirija-so ao consignatario Manoel Ferreira
da Silva Tarroso, na ra de Apollo n. 28, ou ao
referido capitao.
Para o Rio de Janeiro
O velero c brm conhecdo brigue nacional
Demao, prelende seguir nestes oiio dias, tem
melado de seu carregamenlo a bordo, para o
resto que lhe falla trala-se com os seus consig-
natarios Azevedo & Mendos, no seu escriptorio
ruada Cruz n. I.
Lisboa.
Vai sahii cora muita brevidade a bem conhe-
cda
Barca Gralido
para carga e passageiros, trata-se com os con-
signatarios Carvalho, Nogueira & C, na ra do
Vigario n. 9, primeiro andar, ou com o capitao
Borges Pestaa.
O hiale Garibaldi, segu para o Cear em pon-
eos dias : a tratar com Tasso Irmos ou com o
capitao Custadio Jos Vinnna.
Leudes.
Sexta-leira 30 do corrente.
Costa Carvalho far leilao em seu armazem na
ra Nova n. 65, por conta de nma pessoa que se
retira para fora da provincia, dos seguinles es-
cravos : 1 negra do 40 annos de idade, 1 dita bo-
nita figura e 1 moleque de 10 anuos, os quaes
sero entregues pelo maior preco que for encon-
trado, as 11 horas em ponto.
C01IPAMIU
rmuMBCCAiu
DE
Navegado costeira a vapor
L
O vapor Jaguaribe, commandante Lobato, se-
gu viagem para 03 portos do norte al a Granja
no dia 7 de dezembro as 5 11.2 horas da tarde
em ponto.
Recebe carga para a Granja e Cear nos dias
29, 30 e Io de dezembro. para o Aracaly no dia
3, Maco oo dia 4, Rio Grande do Norte e Pa-
rahiba nos das 5 e 6 al ao meio dia.
O expediento na gerencia ser at s 3 horas e
dopois de fechado nada mais se admillir : es-
terapo ; pelo que convoco os eleitores e supplen- criPtorio no Forle do Mallos **
lesabaixo declarados para que no da aprazado pflpa ar p rnn(l^ ,1A \nrfp f*
comparecara no corpo da igreja da Senhora do i d O l\lO UI dllUB UU i^OI
Terr;o, pelas 9 horas da manha, na conformida-
de do disposlo nos artigos 4", 5" e 41 da citada
lei eleiloral, aflm de que tenha lugar aorganisa-
co da mesa parochial que ser organisada se-
gundo o disposlo no Io do artigo Io do decreto
o. 8i2 de 19 de setembro de 1855, combinado
cora o artigo 4" e seguinles do decreto n. 1812 de
23 de agosto do dito anno, que tcm de receber
e apurar asustas dos votantes, adverliudo que
Picara sujeitos a molla cominada no artigo 126
5o n. 2 da naesma lei, os que sera impedimento
legitimo deixarem de comparecer.
ELEITORES.
Sexa-feira 30 do corrente.
Costa Carvalho far leilao em seu. armazem na
ra Nova a. 65, de
horas era ponto.
I cabriolet prometo, s II
Sexta -feira
30
DE
do correntt
ler parte de
passageiros,
l-'ez qualidade
7-18
3.a................ 51(4-6 1|4
Rollos............. 72-75
Couros Negocio animado : effectuaram-se
vendas satisfalorias mas a presos reduzidos. No
mez de outubro so venderam cerca de 14,700
couros do Rio Grande e 2,700 da Baha.
Em ser : 7,500 da Bahia e do Maranho, e
12,000 do Rio Grande do Sul.
Calarnos '.
Couros do Rio Grande do Sul :
11-13 schillings.
De Pernambuco e Bahia :
9 9 1l4
De Montevideo e Buenos-Ayres :
12-14. l
Credo, 150 saceos viudos da Bahia j esta-
vam vendidos sobre-agua ; do do Tara vende-
ram-se em primeira mo mil saceos, e todas as
outras qualidadesso muito procuradas.
Cacao do Maranho e Para :
6 3il-6 7i8schilliogs.
Da Bahia:
62 6 3( schillings.
O Jacaranda tainuom muito procurado. Ven-
deram-se ltimamente 150 libras da Bahia ; urna
porcao de cerca 470 mil libras viudas do Rio de
Janeiro, porm acha-se ainda em primeira taao
exigindo-se precos muito alto?, /-
1 Celamos :
Tenente-coronel Joaquim Lucio Monteiro da
Franca.
Manoel Ferreira Accioli.
Manoel Joaquim Ferreira Esleves.
Joaquim PeJru dos Santos Bezerra. Joo de Brito Correia. \
Joo Soares da Ponseca Velloso. V
Manoel de Almeida Lima. N
Filippe. Santiago Cavaleauti de Albuquerque.
Jos Simplicio de S Esteves.
Miguel Jos da Silva.
Antonio Gongalves Pereira Lima.
Jos Francisco Bento.
Joaquim Jos Tavares.
Joo Francisco Bastos de Oliveira.
SPPLENTE5.
Francisco Antonio das Chagas.
Dr. Innocencio Serfico de Asss Carvalho.
Padre Albino de Carvalho Lessa.
Manoel Camello Pessoa.
Jos Francisco do Souza Lima.
Jos Virissimo dos Anjos.
Francisco Antonio Pereira de Brilo.
Antonio Francisco Alves.
Joo Joaquim de Figueiredo.
Tiburcio Valeriano Baplisla.
Francisco Joaquim do Souza.
Jos de Freilaa Barboza.
Maximiano Francisco das Neves.
Manoel Joaquim de Souza Vianna.
Elias Marinho Falco de Albuquerque Maranho.
Antonio Emygdio Ribeiro.
Joo das Virgens Molla.
Braz Antonio da Cunha Albuquerque.
Outro sim, convoco aos cidados qualificados
volantes nesla freguezia para que comparecara no
dia cima indicado, afim de volarem, e advirto
que lendo de dar esta freguezia 32 eleitores de-
vem as suas listas conler os oomes de 32 cida-
dos nclla domiciliarios, com declararlo de seus
empregns, profisses ou officios, assim como que
nao sero apuradas as que contiverem non,os rip-
eados ou substituidos poroutros, segundo a lei.
E para constar mandei" passar o presente que
ser alllxado nos lugares do coslume e publica-
do pela imprcnsa.
Dado e passado nestr, freguozia de S. Jos do
Recife. aos 38 de novembro de 1860. Eu Jos
Goncalves de S, escrivao do juizo de paz o es-
crevi.
Ma.notl Jos rcwrfra Ba$lo.
Assu,
sahe o hiate Camaragibe por j
seu carregamenlo : para o resto e
trata-se na ra do Vigario.
Para Lisboa.
O brigue portuguez Constante prelende se-
guir viagem com a maior brevidade,para o que j
tem parte da carga engajada : quem no mesmo
quizer carregar ou ir do passagem, para oque
tem aceiados commodos. dirija-se ao consignata-
rio Thornaz de Aquino Fonseca, na ra do Viga-
no n. 19, primeiro andar, ou ao capitao o Sr.
Augusto Carlos dus Res, na prac,a.
4 excellentes vaecas lupi-
nas com crias.
Costa Carvalho far leilo era seu armazem no
dia cima designado do 4 vaecas turinas novas e
bonitas com crias as quaes sero entregues sem
reserva da proco, a vontade dos compradores, as
lt horas da m.anha.
Avisos diversos.
,--&* _
COMPAMIA PERMMBl'CWi
DI
Navegaco costeira a vapor.
O vapor Persinunga, segu viagem para os
porlos do sul no dia 5 de dezembro as 6 horas
da lardo.
Recebe carga para Macei e porlos intermedios
at o dia 4 ao -meio dia.
O expediente na gerencia ser al as 3 horaa e
depois de fechado nada mais se admilir: es-
criptorio no Forte do Mallos n. 1.
Para o Rio Grande do Norte
sahe por estes dias n barcaca Nova Esperanca,
recebe carga a frete corumudo : a tralar na ra
da Madre de Dos n. 2.
Para a Bahia.
A voleira sumaca nacional Hortencia, pre-
tende seguir com muita brevidade, tem parte de
seu carregamenlo prompto, para o reslo que lho
falta trata-se com osseus Consignalirioa Azeve-
do & Mondes, no seu escriptorio ruada'fouJL.4r
COMPAHHLt
DAS
Messagcries imperiales.
No da 1" da dezembro espera-se dos portos
do sul o vapor francez Savarr, commandante
Vedel, o qual depois da demora do coslume se-
guir para Bordeaux, tocando era bao Vicente e
Lisboa, para passageuo3, encommendas etc., a.
tratar na agencia, ra do Trapiche n. 9.
DO
Recife a Sao Francisco.
Ilimitado.
Aviso ao publico.
Abertura da segunda seccao
at a Escada.
No dia 3 do dezembro do 1869 a linha estar
aberla al a Ecada, os trens partirao da E-ca la
s 5 horas e 45 minutos da manha, e 1 hora e 45
da larde ; voltando das Cinco Ponas s 8 1(2 ho-
ras da rranhaa el 1(2 horas da tarde, para mais
inforraaces rofiram-se as tabellas da companhia
as estacos.
AssignadoE. II. Bramali,
Superintendenle.
O Dr. Sabino O. L. Pinho lendo eneon- Ej
Irado em aberlo quasi todas a; conlas que
5$ deixou quando parti para a Europa, ro-
ga nos seus devedores c,ue lenham a on- $g)
|$ dade de mandar salisfazer seu? dbitos ~>
com a maior promptidao, pois que o lein-
Q po que tcm decorrido sera que lenham si- ;-:3
f$ do cncommodadosdo ao mesmo Dr u @
J$ direito de esperar que ser allendido. ;;
iPara acabar!
A 2$500 rs. o corte.
Na loja de Guimarae& Villar ra do
Crespo n. 17, para acabar venden a2&50()
corte de cassa aquille com 14 covados.
manteletes ricamente bordados a vidri-
Iho com bico largo a 30?.
* BOT vS% y^ ^wW WB WUTMV&9 rt)" liTV CWJ I
MUTILADO


MAMO fiB PER&ABMUGO. SEXTA FF.IRA
Estando a coneccionar-se o almanak
civil, administrativo, comraercial, agri-
cola e industrial da provincia, roga-se
aos Srs. que tem de ser nelle incluidos
de mandarem suas declaracoes de mo-
radia e estabelecimentos a'* livraria n.
6 e 8 da praca da Ddependerria e o
mesmo se pede aos Srs. de engenho e
rendeiros.
v""JNa,,r,Ja Direita n" I20.aluga-se urna negri-
nha de 11 annos.
Precsa-se do um boleeiro : ua ra Direila
c. 66.
Precisa-sedeum quarlo mobilh'do era urna
casa particular, para pessoa decente ; a quero is-
to eonvier, dinja-se a esta typosjraphia.
0 Dr. Manoel Moreira Guerra contina a
preslar-se aos senhores estudantes de Faculdade
de Dimtocomo explicadorpara a occasio de
seu esiMdo dos punios para os actos: pode er
encontrado na na da Matriz da Boa-Vista n. 24
pela minhaa al as 10 horas, o a tarde das 4 eai
oante.
Aluga-se.
para se ppa'sar a festa urna casa no Cachang
cora bstanles commodos, defronte do rio a
aliar na ra Nova d. 61.
PI IX pontfice e re
PELO 6ENH0R
Z*. Antonio de Macedo Costa,
Bispaeleito doPar.
Eloquente demonstracSo do poder
temporal do Papa.
Vende seno bairro de Santo Antonio
as livrarias do Srs. Guimaraes & Oli-
veira e Nogueira de Souza & C. ; e no
bairro do Recie na livraria do Sr. Jos
de Mello : preco 2#.
stabcecida m Londres
imp si mu.
CAPITAL
Cinco miUioes de libias
strVinas.
Sainlers Brothers & C. tem a honra de infor-
mar aos senhores negociantes, proprielarios de
casa3, e a iiuom mais eonvier, que estao p!ena-
nonloautorisadas pela dita companhia para ef-
fectuar subiros sobro edificios de lijlo e pedra,
cobertos dejelha, e igualmente sobre osobjectos
que contivorera os raesraos edificios, quer con-
sista era raobilia ou era fazendas de iiualquer
jualidade.
lfrr r TTTTTTTT TTTTTTT-? TT7T<>
l DENTISTA FRANCEZ. 2
> Paulo- Gaignoux, dentista, ra das La- U
>* rang'ras 15. Na mesma casa tem agua e
T p dontico.
*mt!Li.t.i.t.LLxxxii.i.i.jLXXX
agencia dos fabricantes araerlca-
aos Grouver & Itakcr,
Machinas de coser: em casade SamueiP.
fjoaston & rua da Senzala Nova n. 52
Ao commercio.
Jacinlho Luiz Guorreiro encarrega-se de qual-
uor escripluracao mercantil, no que desenvolvo
aclividade e conhecimenlos, adqueridos era mais
de 20 annos de pratica : pode ser procurado na
loja dos Srs. Guimaraes & Lima, rua do Crespo
numero 7. r
Est para alugar-se a casa da rua da Espe-
ran, com 4 quartos, quintal e cacimba, gabi-
nete ndependente. por pre;o de 30g mensaes
a tratar na rua do Nogueira n. 21.
Onem precisar de um ptimo caballo de
Bella, queira dirigir-se a rua eslreila do Rosario
n. 2'J, que a:hara cora quem tratar.
||r. Cosme de Sa' Peieira da
, consultas medicas em. seu escrip-
5 torio, no bairro do Recie, rua
} da Cruz n. 53, todos os dias,me-
H nos nos domingos, desde as 6
2 horas ateas 10 da manhaa, so-
l breos seguintes pontos i
H 1.- Molestias de olLos ;
2." Molestias de coracao e de
u peit0'
H 3.- Molestias dos orgaos da ge-
rf racao e do anus ;
4* 4." Praticara' toda e qualquer
operacao que julgar conve-
l niente para o restabelecimen-
}K to dosseus doentes.
O examedaspessoafqueo con-
M sultarem sera' feito indistincta-
| mente, e na ordem de suas en- |2
g tradas, fazendo excepc,ao os doen- o
tes de ollios, ou aquelles que por ||
|g motivo justo obtiverem hora f
H marcada para este fim.
Os abaixo assignados declram que o Sr.
Joao Luiz de Bastos Jnior deixou de ser seu coi-
xeiro. Recife 23 de novembro de 1860.
Sodr&C.
Alug.i-se o primeiro sudar da propriedade
no aterro da Boa-Vista n. 4 quem o pretender,
e queira examinar, procure as chaves na loja de
fazendas D. 40, quina do becco dos Ferreiros.
Oes & Bastos fazem sciente ao respeilavel
publico e com especialidade ao corpo de com-
mercio que o socio Joao Baptisla Goncalves
Bastos deixou de fazer parte da mesrna socieda-
de desde o dia 19 do correnle, ficando todo o
activo e passivo a cargo dos socios Francisco de
Assis Goes eJos Joaquim Gonjalves Bastos.
Biliar do commercio.
Bairro do Recife.
Rua do Torres n. 12.
Esto estabelecimenlo estar aberto todos os
das das 9 horas da manhaa em dianle.
mm
30 DE NOVEMBRO DE 180.
Acham-se venda na livraria da praca da Independen-
rpograShia' ^ CheCdaS flhllhaS imP-ssas nesta
llCO
e civil para o
Folhinha de porta ou kalendario eeciesiast
n. bispado de Pernambuco.. ,
lta de algibeira contando alera do kalendario ecclesiaslico' e' c'ivil, "
explicaSao das fastas mudaveis, noticia dos planeta'
tabellas das mares e nascimenio e occaso do sol-
ditas dos emolumentos do tribunal do commercio
Jlas do sello; ditas do porte das cartas; ditas
dos imposlos geraes, provinciaes emunicipaes, ao
que se juntou urna collec?ao de bellos e divertidos
jogosdeprendas, para entretenimento da mocidade. 320 rs.
Estao no prelo o almanak e outra folhinha contendo
todas as oracoes para assistir semana santa? ele Com^
prando-se em porcoes seldarao per preee mat cSLST
Kilkmann Irmaos& C. avisam ao
respeitavel corpo do commercio que
forarn nomeados agentes nesta praca das
oompanlnas de seguros maiitimos^de
Bam burgo-
Por certo.
O Sr. Jos Antonio Rodrigues Canuto (Cazuqu)
queira ir a fabrica Sebastopool pagar os materiaes
maadn.h0 /SS'gn.ad0S "dN'nislradores da
Kirn rf"? casa' d0 """do Joao Tavares
oor AiflFJVlet? S devedor o do dito casal,
ald Venc,,las: 1ue "O caso de nao virera
salda-las no praso de dous mezes, do presente
verTn; ler5 de,se"onadas anmdoi-
ver-so os pagamentos referidos, visto como o
Sna?PrSarS,d,0 Pei "m- Sr- Dr- Jz iorphios
fivJ .T dCSla, Cldadc- para a liqida5ao do ac-
tivo e passivo do mesrao casal est conluindo-se
r..H 'i S'd0 os deveJorcs que tenbam pro-
curado saldar suas contis.
Recife, 12 do novembro de 1860.
Viuva Tavares Cordeiro.
Jas Teiieira Bastos.
Juan Anglaja Hyjo.
Henrique Jos da Cunha.
Esteiras da India de 4, 5
e 6 pamos de largo.
No armazem de tazendas da rua do\)ueimado
b. Propnamente para forro de salas e camas
P i *riv* melhor 1ua''dade, e todas brancas.
Jos Uias, porluguez, vae a Macai
Ainda resta para alugar-se 2 casas
na Torre, com comnjodos para familia,
assim como um sitio com toda propor-
cao para grande familia : a fallar no
mesmo lugar com o seu propietario
francisco Jos Arantes.
da
Engomma-se
roupa comperfeicao o brevidade : d^fronto
matriz da Boa-Vista u. 84. "-'romo
Aluga-se o segundo andar do so-
brado n. 15 da travessa do Veras bair-
ro da Boa-Yuta, muito fresco e com
muito bons commodos para familia :
tratase com Augusto C. de Abreu, no
armazem n. 36 da rua da Cadea. -
Precisa-se fallar ao Sr. Jos Pires
de Carvalho, que raorou em Apipucos
e tem all um hotel : na praca da Inde-
pendencia livraria n.6e8.
Ao commercio.
n C5Urador ISCal da fallencia de E.
a. \Y yatt, avisa pelo presente a todos
Srs. credores que o Exm. Sr. Dr, juiz
de direito especial do commercio, de-
signou de novo o dia 5 de dezembro
pelas 10 horas da manhaa, na sala dos
anditonos para ter lugar a reuniao dos
mesmos Srs. credores, aim de se tratar
da venficacao dos crditos, conceder-se
Os curadores fiscaes da fallencia
de Ignacio Nery Ferreira da Silva Lo-
pes, communicam a todos o Srs. credo-
res que o Exm. Sr. Dr. juiz de direito
especial do commercio. marcou o dia 5
de dezembro pelas 10 horas da manhaa
para se reunirem na sala dos auditorios
aGm.de proceder-se a verificacao dos
crditos, conceder-seounegar-se a con-
cordata ou formar-se o contrato de
umao nomeando-se administradores.
-- Oescrivaoda rmndade deNossa
Senhora da Conceiqao da Congregacao
para cumprir o que determina o rt,
*8 do compromisso da mesma rmn-
dade, convida aos seus charissimos ir-
maos para reunirem-se no consistorio
da mesma igreja no dia 2 de dezembro
do corrente anno, as 9 horas da ma-
nhaa.-para o hm de em masa geral ele-
gerem os mesarios que tem de reger a
mesma irmandade no futuro anno de
istjl.francisco Jos Leite.
v~nC!SH"S0 alugar uma ama 1vre O" escra-
va para todo o serviCo de uma casa de pequea
familia, na rua da Uuiao d. 40. V^l^aa
oo7aKoVeVoen.U 42!Znher Pm CZnhar'
Precisa-se de uma mullir j ido=a, livre e
do Rangcl n. 7.
algum servioo inierno : na rua
ATTE.Ng.VO.
Acha-se aberta confronte a estaco das Cinco
Z LTACO0bel"de C3rrosde alusueI. o 5e
.U',0h ul" "P> qe viajara pela va fr-
rea o dono desto estabelecimenlo promette ser-
vir ao publico com toda promptidao, para o nue
esla prevenido de bons carros o cavllos.
Aluga-se o armazem da rua da Madre de
Dos n. -2 ; a tratar com Marlins & Irmo.
.\a rua do Crespo n. 17 deseja-se fal- 3
e lar cora os senhores :
Trajano Carneiro Leal. >
^ Jos Rodrigues Ponlual. .
f(S Romualdo Alves de Oliveira. M
^ Joo Filippe dos Sanios. (J,
M*ilrS""^e Sou" l>ereira de Brito if
msmmmmsm m mm$m&mm
Coxeira de carros e ca-
briolet de alugueK
Rua do Imperador n. 25
O abaixo assiKnado faz sciente aos seus amizos
e fre^uezesquede novo acha-se montada a fu
mli?. Cm TV8"05, cabriolet, bons frda-
melos e encllenles parelhas de cavllos ludo
comaceio c a vonlade por preros razoaveis
Jos Goncalves Maheira.
MUniA
DA
PROVINCIA.
Na praca da Independencia n. 22 e as mai<
lojas do costme, ainda resta por vender Z
pequea porcao dos buhles e raeios da Ldl
parte da segunda lotera de Santa Isabel, gran-
udos de 8 por cento por Santos Vieira.
Bilhele 5;O0O
Meio 2^500
de dezembro. imPrelcriveIm^t6 sabbado 1
Gabiaete portuguez de
Leitura.
Por ordem da directora, rogo aos senhores
bKad0Aque lcem cm Seu Pder o" d ea-
binelo, com os prazos 5 vencidos, o favor de
as mandar entregar com a m^ior brevidade
Recite i:4de novembro de 1840.
Antonio Bapttsla Xogueira,
Io secretario.
Precisa-se
ou negarse concordata ao fallido oufor-
Ensino theorico pralico. Sb^ni
do seguros maritimos, utilidade publici,
comparecerera do dia 30 do correte ao meia
provincia. t'a'"?r^riptorio na rua da cade.a do flecife,
lem aberto em sua casa na rua do Nogueira n. 7. c22fS'.d.a.d?. -com 1 P",e-.V d 41
O abaixo assignado, professor de <
naval Ucencionado pelo governo da
uma aula de pilolagem.""e'ea'ia'^hmelYco; ?,<2 ^os statutos. Recife 26 de novembro d
trigonometria plana .~.! dlreclo"s> Manoel Alves Guerra. Jos
Antonio de Carvalho.
H,7J!ada.oise]!? Leconle. estabelecida na rua
da Imperatnz n.W.precisa de 15 coslureiras boas
| as que quizerem, pode dirigir-se loja cimo.
Precisa-se de
Altenco.

Antonio Jos da Silva Guimaraes, pelo presen-
to previne ao publico e as autoridades policiaes
desta provincia e di provincia da Parahiba do
Norte, que nao tem inimizado com pessoa algu-
na fe que soja capital), alera de seu cunhado
Anlonio Pinto de Azevedo Jnior, o qual. sondo
880 caixelro na cidade de Maraanguape daouella
provincia, all tentou assassina-lo no dia 2 do
correte mez de novembro, como provara em
aquelie mismo lugar, sen lo taulo necessario ;
c. porque dito seu cunkido ache-se nesta ciJade'
tenha se querido tornar seu ioimigo figadal, a'
ponto de continuar a dzer-lho que ha de levar
a eieito aquella seu intento, julga conveniente
fazer esta declaradlo ao publico e as autoridades
policiaes e criminaes do poiz, para, no caso de
soffrer alguma offeasa grave, saberem procurar o
uelinquente.
Precisa-sp de um caixeiro para taberna, de
idade de 10 a 12 annos, chegado agora : na rua
I):rpila n.39.
Precisa-se alugar uma
engomte, paga-sebem bem .
dirija-se a livraria da rua do Imperador n. 73.
Sabbado, 1.- de dezembro. depois da au-
diencia do Sr. Dr. juiz municipal da segunda va-
ia. tem de sor arremalada a requeriraento do
i'Slameuteiro de Bento Fornandes de Passo, a
Casa torrea n. 9 sita na travessa da Senzala Nova
era chaos propnos, avali da em 700*, para paga-
mento do sello nacional.
Precisa-se alujar um moleque de lia 16
annos, para servir era uma casa estrangeira : a
tratar na rua da Cruz n. 5.
escrava que lave e
e quem a tiver,
quo deve ha mais de 2 annos.
A aguato Labille. subdito francez, vai fazer
uma vi bgem ao Cear.
Precisa-se alugar um sitio no Arraial,
Cruz de Almas Purnamerim ou Belm : quem
o tiver d irija-se a rua Nova n. 6.
Ensino de msica.
Offerece-separa leccio soUejo.comotam-
bem a tocar varios instrumentos; dando as li-
cesdas7horass9 li3da noite:a tratar na rua
da Roda n. 50.
Muit i se deseja fallar com ossennores abai-
xo declarados, na ruado Queiraado n. 39, loja.
Antonio Jos de Amorim.
Antonio Francisco da Silva.
Manoel Jos Milete Meiriz.
Joaquim Jos Botelho.
Precisa-se alugar uma prata que engomme
e cosa, sendo sofiiciente paga-se bem : procure
na rua da Cruz n. 42, osciiplorio, das 7 horas da
manhaa al as 4 da tarde.
Precisa-se de uma ama para o servico in-
terno de uma casa de pouca familia : na rua Di-
reita n. 16, loja.
geometra, geographia e
espherica para a mesma pilotagem.
Jos Elias Machado Freir.
Curso particular derhe-
tOrfl sa"se e ,,ma ama Para cozinhar,
vv iva. gando-se bem agradando : na rua dos Pescador?*
O acadmico Manoel de Honorato, professor ns- 3.
particular, licenciado pelo governo, avisa aos se-
nhores escudantes de preparatorios que pretende
abrir no da 1 de dezembro um curso particular
de oratoria e potica para habilitado dos que
quizerem prestar exame das ditas"scicncias no
n-ez de marco de 1861. Aquelles quo de seu
nirp'.'fn So0Q f,ul?ere.m ,Jlilisar. dinjam-s rua
Uireita n. 88, pnmeiro andar.
AI
Attenco.
Sorvete.
De hoje era diante haver sorvete ao meio dia
o a i.oiie. era casa de Sodr & C, na rua eslreila
do Rosario n. 11.
Precisa-se de escravo para copeiro de urna
casa estrangeira ; a tratir no largo do Corpo San-1
:o n. 27, armazem de Linden Wild & C.
Manoel de Gouveia vai ao Rio de Janeiro
no pnmciro vapor a tratar de negocio de seu
particular inleresse.
Per leu-se da rua Nova at o flm da rua da
Aurora, um livro proprio para colar cartas e pa-
pis, em o qual haviam jl alguns s do impor-
tancia para a pessoa que os perdeu ; pelo que
roga-se a quera o tiver adiado, o favor de o res-
tituir na rua da Aurora n. 24. ou na rua do Im-
perador n. 1, quo scr recompensado.
Uoem precisar de una ama secca para o
servico inierno de uma casa de pouca familia
dirjase aos Bairros Baixos n. 24.
Aluga-se uma casa terrea nova, com 4
quartos, quintal e cacimba, pelo lempo de festa
ou por anno. sita na Baixa-Verde da Capunga n.
: f IwUr "a praca da Independencia nme-
ros lo e !.>.
Os abaixo assignados fazem scienlequo o
?vr. Joaquim Jos Ferreira da Gama deixou de ser
spu caixeiro desde o dia 28 do correnle. Recife
*i de novembro de 1860.Silva & Rosas.
Precisa-se de um caixeiro portuguez do 12
a 14 annos. com pratica de taberna, que d co-
nhfccnnenlo de sua conducta : a tratar na rua do
J adee Floriano, taberna da onca.
Joo Goncalves Pereira vi ao Ass.
HOSPITAL
Attenco.
O abaixo assignado offerece seus servigos a
todas as pessoas que precisarom de concertar
bombas de todas as quilidades, assim como cy-
lindros de padaras, por mdico preco, queiram
ter a bondade de procura-lo na rua do Padre
Floriano n. 34.
Francisco Antonio do Miranda.
Alexandre Pradre, subdito francez, retira-
se para a Parahiba.
Alugam-so dous armazens grandes, sendo
um na rua da Moeda e oulro no largo da Assem-
blea, com bom porto de embarque : a fallar na
rua da Moeda n. 5, primeiro andar.
Mudanca.
Carros fnebres.
O Agr, administrador desle estabelecimenlo,
faz ver ao publico e aos seus amigos, quo no da
30 do corrente faz a sua mudanca para a rua No-
va, casa n. 63, onde lem o seu escriptorio de
enlerroi ; e a entrada dos carros fnebres pela
rua das Flores, onde os lem patentes a toJas as
pessoas que os queiram ver, pois espera ler esle
estabelecraento ainda em maiores proporces do
queja tem, e conta que o publico e os sesami-
gos o coadjuvarao nesle empenho, certos de que
para ludo quanto esliver ao seu alcance para bem
daseropenhar as suas obrigacoes ; o encontraran
sempre no estabelecimenlo a qualquer horado
da c da noile. Approvcila o ensojo para agrade-
car a confianca que o publico e os seus amigos
mes lem prestado, pelo que eternamente grato.
Francisco Martins Barbosa retira-se para o
Rio Grande do Sul.
ugam-se dous andares do sobrado da rua
da Cadea n. 24, tendo commodos para grande
familia : a tratar na loja do mesmo.
SORVETE.
Hotel Trovador.
Rua Larga do Rosario numero U.
- Mart.ns\ ?r-UCa fam"la' i determinado fazer sorvete todos os di.s. pepa
va n 8 nnA"0 passorso Para a rua No- dos com lodo o aceio e por menos preco do
33,s? s-. poc. 2! ssrsasrwts. H
so encarrega de tomar conla de caxerariara trata
na rua larga do Rosario n. 26. loja de louga.
Ama.
Precisa-se de uma ama para casa de hornera
so teiro, prefere-so de idade: no beco do Padre
sobrado de varanda encarnado, por cima de um'
aiiaiaic.
Em testemunho de
alugar uma escrava que saiba
cozinhar e engommar : na rua larga do Rosario
n. 37, primeiro andar.
Precsa-se do um perfeilo feitor para tretar
de um pequeo sitio; na rua da Cadea n 6
I rccisa-se de uma mulher que saiba cozi-
nhar e engoramar, para ir servir em uma casa
naj.lla da Escada ; d-se um bora ordenado
tar np'^0,"Se' 9'^' S fr ^trangeira : a tra-
tar nesta lypographia.
GAZ.
lede-se aos senhores consumidores de "az que
se d.guem vir sorlir-se delle, pois novamente
chegado em abundancia ao antigo deposito rua
Nova n. 20. loja do Vianna. aePosll. rua

eslacao
vico-versa das
A proposta dever
entrega dos mes-
contratantes, tomando
@ Quem precisar de uma mulata bbTcoSTS
ureira e que se alaga para casa de fami- "
lia ou modista, por
g nhora : pode dirigir-se a rua da Cadcia do
Recife n. o2, segundo
@ horas da manhaa.
estar ausente a
a rua da Ca
andar, at as
so- m

10
- Aluga-se a casa n. 17 contendo dous andares e sollo : quem a preten-
der, dirija-se a rua da Aurora n. 36.
COIPASHIA DA VIA FRREA
DO
Recife ao rio Sao Francisco.
Com a aulorisaclo do governo a companhia
offerece a receber proposlas para a condcelo de
assucarese mais mercadorias, desdo a
das Cinco Ponas at o Recife e
mercadorias para o interior,
emprehender a boa guarda e
raos no Recife as partes
sobre si toda e qualquer responsabilidde, d
a companhia urca garanta sufliciente para o fiel
execucaodo contrato. Dever a prooosla decla-
rar aonde se prope desembarcar e recolher as
mercadorias. as
Recebem-se proposlas at 29 do presente mez
dirigidas ao superintendente da via frrea Es
criptono da companhia rua do Crespo, onde se
dar toda a informaclo em detalhe quem pre-
E- II. Dramah.
COMPANHIA
DO
O Sr. caixa da companhia (commen-
dador Manoel Goncalves da Silva) esta'
antonsadoa pagar desde hoje o 25- di-
videndo a razao de 30200 por a^cao.
Escriptorio da companhia do 'Bebe-
ribe 21 de novembro de 1800.
O secretario,
/ Manoel Gentil da Costa Alves.
gratidao.
iiillaminacao na bocea do estomago.
Declaro publicamente que padecendo, ha mais
at \ annos, de mflammaco na bocea do esto-
mago, em razao da qual sentia muito cansoco e
nao era possivel deitar-mo do lado esquefdo
ltimamente Uve a felicidade do ficar perfeita-
mente bom com a applicae,io das chapas medici-
nes doSr. Ricardo Kirk. escriptorio ruado Par-
to n. 119, no curto espago de 37 dias
Por isso recebendo cu tanto beneficio de to I
ulil remedio faco esta dpclaraclo, nio s por1
gratidao ao dito senher, mas tambem para ser
contiendo do publico o raerecimento das ditas
Mapas, das quaes se poderlo approvetar muitas
pessoas que sofTrem igual molestia. Largo de
S. Francisco da Pralnha n. 21, Rio de Janeiro.
... los LPes de Azevedo Cunha.
Reconhecidaverdadeiraaassgnatura supra pe-
lo labelhao I-rancisco de Paula Fernandos Thiago.
OLEADO
^p^Sv^^ a 3t0OO o cov,do. baralis-
MELIORADO E
Sorvete.
Na taberna da onca,
3a,lS.PluIe/Oll'0OJB-7*' haver ""le 'odos
os das, das 6 horas da tarde cm diante.
PORTUGUEZ DE BENEFICENCIA
EM
Pernambuco.
Do ordem do Iilm. Sr. provedor sao pelo pr-
senle convidados todos os senhores socios do
Hospital Portuguez a reunirem-se no mesmo
Hospital domingo 2 de dezembro prximo futuro
pelas 9 horas da manhaa, aim de ler lugar a
eleicioda nova junla administrativa para o anno
de 1861, comodispo 3. doart. 17 dos res-
P'. '.- estatutos.
Recife 28 de novembro de 1860.
Manoel Ribeiro Baslo,
1 recisa-se alugar uma prela que saiba co-
zinhar o f-ngommar : na rua da Aurora, na ca-
sas terreas do Sr. Tiburcio n. 1.
Arrenda-se, hypotheca-seou vende-se um
engenho bem montado de obras e maisaviameu-
tos, com exlenslo de Ierras para mais do tres
mil paes de assucar, grandes matas, etc., distan-
te meia legoa da nova estado da estrada de fer-
ro. Para informac&es e inlervenclo de qualquer
contrato de negocio. 05 prlendei.tes podem en-
[ender-so cora Joao Pereira Rebello Braga, no
stfU escriptorio da rua do Vigario n. II,
andar.
DA
A GRANDE SUPERIORIDADE DO EX-
TRACTO FLUIDO COM POSTO
DE
SALSA PARRILHA
Explica se pelo seo extraordinario
e quasi miraculoso effeito no
sangue.
Cada um sabe que a saule ou a infermiJae
depende directamente do estado deste floido vi-
tal. Isto ha de ser, visto o partido importante
que tem na economa animal.
A quautidade do sangue n'um homem d'es-
tatura mediana esla avallada pelas as primeiras
autoridades era vinta e oito arralis. Era cada
pulsarao duas ongas sahem do cora^o nos bofes
e dalli todo o sanguo passa alem no corpo huma-
no era menos de qatro minutos. Urna dis-
posicao extensiva tem sido formada
cora admiravel sabedoria
circular esta corrente db y por todas
O EXTRACTO
COMPOSTO DE
PAUHLHA E)R. nwmio
FABRICADO SOB ADIRECgAO' LO DR JAMES R. CBILTON,
O diimico e medico celebre de Xew York:
PROVINCIA.
O Sr. thesoureiro das loteras manda fazer pu-
blico que em consequencia de nao ler lido
prompta extraegao os bilhetcs das loteras ex-
iraludas pelo plano ltimamente em vigor oble-
ve do Exm. Sr presidente da provincia ajp o-
acao do que abaixo vai transcripto e na confor-
midade do mesmo se acham expostos a venda nos
lugares do costume os bilhelese raeios da se- n-
da parte da segunda lnleri do thealro do San
Isabel, cujas rodas devero andar
mente no Io de dezembro
horas do dia.
e destinada
a desiribuir e fazer
corrbnte db vida por todas as | .
parles da organisaSo. Desle modo corre sera-1 A> IDT- LAIIMAY, 69 Water Street,
pre pelo corpo em torrente, o qual a gran ^^* NORTHROP, GO Pearl Street,
fonle de infermidade ou de saude.
New-York, bavemos vendido durante muitos an-
nos o extracto de salsa parrilha do Dr. Town-
send, consideraraolo ser o exlracto original e -e-
n.i.no da salsa parrilha do Dr. Townsend.o
qual pnmeiramente sob este nome foi apre=cn-
lado ao publico.
B0YD A- PAUL. 40 Cortlandt Street.
WALTER. B TOW.NSEND & Co, 218 Pearl
otreet.
mS2?fTHA5D I21 Mtidaii Lae.
KWCo',53 Wa,er Slreei-
M WARD i Co, 53 Maiden Lae.
* F.' TRIPPE, 92 Maiden Lae.
GRAHAMACo, 10 Od Llip.
OSGODJt JENNINGS, 188 Pearl Street.
R.B. HAVILAND & Co, Office 177 Droad-
>HCmcN' R0BINS & Co- tM Watr S'reet.
%i?ML^MAXWELL- 86 Wi,liam S,reet.
):DERHILI'. J"-", '83 Water Street.
o sangue por causa alguraa se emprenha
mprelerivel-
proxirao futuro as 10
no
primeiro
Aluga-se uma boa casa pintada o concerta-
da de novo, no aprazivel arraial dos Arrombados,
era Olinda, cora banho no ameno rio Beberibe
muilo perto, pelo tempo da festa^u por anno .--.a
i o 3ecre(. PeM0" 1e Pretonder, dirija-se ao pateo do Ter-
- Xa livraria to ju!S*^m. j ftnJpSS?"' "' ^ Crael SalgUer0'
6 e 8, precisa-so fallar ao Sr. alferes Thom Co-
mea Vieira Lima.
. O Sr. alferes do nono balalhlo de nfanta-
n.i queira mandar pagar o quo deve na rua dos
Pires n. 50.
Precisa-se de uma ama para casa
de familia : na rua da Cadeia dQ Recife
n. 53, terceiro andar.
PLANO.
3000 Mneles a 4#................ I2.000WK
................. 2:400SOOO
20 por cento.
9.6005000
1 Premio de............ 4:<)00a
"to de................ 800S
4003
1 Dito de
2 Ditos
, 3 Ditos
4 Ditos
8 Ditos
10 Ditos
810 titos
de 2008........ 4009
de 100$........ 3OO3
de 50g........ 200S
de 20........ 160>
de
do
10.
J.
Bolinhos.
Preparam-ae bandejas enfeitadas cora di--
versos modelos de bolinhos dos mais nerfeilos
que ha ero nosso mercado, par bailes, casamen-
tos, feslas de igrejas e solemnissr as formaturas
dos senhores acadmicos? ludo da forma que
forera as encoaunoudos; dirijanj-se 4 ros da Pe-
ana d. 25.
840 Premiados.
2160 Brancos.
100
*3:240$
--------- 9:600J000
3000 Bilhetes.
Thesouraria das loteras 15 de novembro de
1860.O thesoureiro Maael Ca millo Pires Fal-
cao.-Approvo, Palacio do governo da Pernam-
buco 26 do novembro de 1860'.Leito da Cunha.
0 eicrivao, j. ja. da Crur.
So
de materias ftidas ou orrompidas, diffunde
com velocidade elctrica a corrupeo as
mais remotas e mais pequeas partes do corpo.
O veneno lanca-se para tras e para diante pelas
arterias, pelas veias, e pelos vasos capiilarios,
ale cada orgo e cada teagem se faz completa-
mente saturado e desordenado. Desta maneira
a circulaco evidentemente se faz um engenho
poderoso de doenca. Nao obstante pode tam-
bem obrar com igual poder na eructo de saude.
Elivesse o corpo infecionado da doenca maligna,
ou local ou geral, e situada no systema nervoso
ou glanduloso, ou muscular, se smente o san-
gue pode fazer-se puro e saudavel Gcar superior
a doenca e inevitavelmente a expellir da cons-
liluico.
0 grande manancial de doenga enlao como
d' aqu consta no fluido ciRcuLANTE.e nenhum
medicamento que nao obra directamente sobreel-
lepara purificar e renova-lo.possue algum direi-
to ao cuidado do publico.
O sangue I O sangue I o ponte no qual
se h myster fixar a altenco.
O ORIGINAL E O GINUINO!
AO PUBtlCO.
Nos, os Assignantes, Droguista na cidade de
NORTON, BABCOCK & WOOD, 139 Mai-
den Lone.
fSS2!kD' CLAY & Co' 4 F|e'cher Street.
OLCOTT, M KFSSON & CO, 127 Msiden
Lae.
A. B. & D. SANOS. 100 Fulton Street.
SCHIEFFELIN, BROTHEB & Co, 104 &
106 Jobn St.
LBWIS & PRICE. 55 Pearl Street.
HAVILAND, KEESE & CO, 80 -Maiden La-
e.
RUSHTON, CLARK & CO, 110 Broadway,
lOAslor. J
House, and 273 Broadway, cor. of Chambers
Street.
PHILIP SCUIEFFELIN & CO, 107 Water
Slreat.
POU & PALANCA, 96 John Street.
SHERWOOD & COFFIN, 64 Pearl Slreat.
f "ST & HOUGHTON, 83 John Street.
I. MINORA CO. 214 Fu ton Street.
tSSS?^1^ BR0THER, 230 Pearl Street.
JOSEPH E TRIPPI, 128 Maiden Lae.
GREENLEAF & KlNSLEY, 45 Cortlandt
Street.
HAYDOCK, C0BLIES& CLAY, 218 Pear
Street.
CUMMING &
Street.
HASKELL & MERRICK, 10 Gold Street.
B. A.FAHNESTOCK i Co. 49 John Street.
COHHECEMOS A ARVORE E SL VS FRU-
TAS ,
e -igualmente
Conhecemos um Medicamento nos seus Effeitos.
O exlracto composto de Salsa parrilha do
Dr Townsend esla
0 HED CIMENTO DO POVO
Adata-so tao maravilhosamente a consliluicao
que pode ser ulilisado em quasi todas as enferri-
dades.
ONDE E DEBILIDADE,
fortalf.ce;
ONDE E' CURRUPCAO,
purifica;
ONDE HE PODRID AO,
AL1.MPA.
Este medicamento celebrado que tao grandes
servicos presia a humanidade, prepara-se a^ore
na nova fabrica, na esquina das ras Fronte
Washington, Brooklyn. sob a nspeccSo directa
do muito conhecido chimtco e medico Dr. James
R. Chilln, da Cidade de New-York, cuja cer-
lido e assignalura se acha na capa exterior da
cada garrrfa de
ORIGINAL E GENUINO
extracto composto de SALSAPARRILHA
DO DR. TOWNSEND.
O grande purieador fio sangue
CURANDO
O Herpes
VANDUSER, 178Greenwch
Cada garrafa do
exterior de papel verde
original e genuino exractu do Dr. Townsend tem
A Herysipela,
A AriSTRICC_AODO VFN-
TRE,
As ALrORCAS
Os Effeitos do azou-
gue,
Dispepsia,
As Doenoas.defiga-
do,
A Uydropesia.
A Impinge
As Ulceras,
O Riieumatismo,
As Cuacas
A Df.dilidade geral*
As Doen cas de pelle
AS BORBULHAS > A CA-
RA,
As Tossesi,
tmm ^tCmm:tTt *&?** *yo.....a PeraM,bM J&-
Os Catarrhos, As Tsicas, etc.
O Extracto acha-seconlidoemgarrafas quadra-
das e garntese ser mais forie e melhor em to-
do o respeito a algum oulro puriQcador do san-
gue., conserva-se em todos os climas por cer-
to sspaco de tempo.
assignalura e a certidao do Dr. J. R. Chlitton, na capa
r
>
21 esciiptoiic 1. edar, tam-
MUTILADO
4Klk'v<-'.v'.~"


J V"
r
DURIO DE PERNAMBCO. ^ S^tA fElRA 30 DE NOVMBRO D 1860.
O)
CASA DE
~ so
"be ^m. ran E2 m:j
Asignatura da banhos frios, momos, de choque ou chuviscos (para urna pessoa)
tomados era 30 dias consecutivos. ,........... 105000
30 cartes paraos ditosbanhos tomados em qualquer lempo...... 158000
15 Ditos dito dito dito 8J0O0
7 ...:.. -4000
Banhoswulsos, aromticos, salgados esulphurososaosprecos annunciados.
Estareduccao de pregos facilitar ao respeitavel publico ogozo das vantagens que resultara
da frequenciadeum estabelecimento de urna utilidadeincontestavel.mas que infelizmente nao
estando em nosso* hbitos, ainda pouco conhecida eapreciada;
'
EAU MINERALE
NATURA1LE DE VICHY.
Deposito na botica franceza ra da Cruz n. 22
Remedio infallivel contra as agnorthas antigs e recentes.
nico deposito na botica franceza, ra da Cruz n. 22.
Preco do frasco 33000.
TABAC CAPORAL
Deposito das manufacturas impetiaes ileFraiica.
Esteexcelente fumo adiase depositado, diretamente na ra Nova n. 23, ESQUINA DA
CAMBOA DOCARMO, o qual se vende por masaos de 2 hectogramos a 13000e em porejiode
10 mseos para cima cora descomo de 25 porcento ; no mesmo estabelecimento acha-se tambem
^verdadeiro papel de linho para cigarros.
CASA DE SALDE
Sita em Santo Amaro.
Este estabelecimentocontinua debaixoda admiaistracao dos pro-
pietarios a receber doentes de qualquer natureza ou cathegoria que
sea.
O zelo e cuidado all empregades para o prompto restabeleciinen-
to dos doentes geralm Quem se quizer utilkai pode dirigir-se as easas dos propietarios :
ambos moradores na'rua Nova, ou entender-secom o regente.no esta-
tabelecimento.
Reforma de precos.
Escravos. .... 2^000
Marujos e criados, .... 2/}500
Primeira classe 5$ e. 5, As operaQoes serao previamenteajustadas.
CONSULTORIO
DO
MEDICO PARTEIRO E OPERADOR.
3 RA DA GLOIA, CASA ISO IXNDO 3*
CAiniea por ambos os systemas.
O Dr. Lobo Moscoso d consultas lodos os dias pela manha, e de tarde depois de 4
icras. Contrata partidos para curar annualmenle, nao s para acidade, eomopara os engenhoi
ou outras propriedades ruraee.
Oj chamados devera ser dirigidos a sua casa at s 10 horas da
de urgencia a oulra qualquer hora do dia ou da noite, sendo
o aome da pessoa, o da ra e o numero da casa.
Nos casos que nao orem de urgencia, as pesseas residentes no bairro do Recife
deraa remelter seus biHieles bolica do Sr. J. Sounn & C. na ra da Cruz, ou
livros do Sr. Jos Nogueira de Souza na ra do Crespo ao p da ponte velha.
N9ssa loja e na casa do annuncianie achar-se-ha constantemente os melhcres m
mjntosiqmcofalhicos j bem conhecidos e pelos presos seguinles:
Bolica de 12 tubos grandes...........10SOOO
Dita de 24 dilos.................159000
Dita de 36 dos.................205000
Dita de 48 ditos................. 25*000
Dita de 60 ditos................ 305000
Tubos avulsos cada um.......... 19000
Frasees de Unturas. ;.............28000
Manual de medicina homeopaihica pelo Dr. Jahr, tra-
duzidoem portuguez, com o diccionario dos termos
de medicina, cirurgia etc.. etc........ 2(15000
Medicina domestica do Dr. Hering, com diccionario. 105000
Repertorio do Dr. Mello Moraes. ,....... 65000
manhaa e em csso
por escriptoem que se declare
po-
Ioja de
lica-

mm msm
DE

Fazendas e de miudezas.

&M
Em casa de Augusto C. de Abreu, ha para vender um completo
gortimento de perfumaras, constando de leos, banbas, pos para
dentes, sabao, extractos, aguas de cheiro e rauitos outros artigos dos ||
melhores perfumistas de Londres e Paris,
a

PUBLIC Ai AO Lll-TURAIIIA.
TRATADO DE ECONOMA POLITICE
pelo Sr. Gonselheiro
DR. TEDRO AUTRAS DA MATTA E ALBUQUERQl'B.
Esta obra do dislioclo economista brasileiro
sobro ludo notavcl pela lucidez e exaego com
que trata das questoes da sciencia, e pela preci-
so e fluidez da forma, em pinna harmona com
as ideas e com a doulrina. Aos horneas de le-
tras, aos estudiosos, e principalmente quellcs
que se dedicara ao|culto do direito na sua parle
racional o philosophica, interessa muilo urna pu-
blicado de scmelhante natureza : o norae do
seu autor por, si s urna boa garanlia, que va-
lera mais do que outra qualquer recotnmenda-
gao.
Esl venda na livraria Universal dos editores
Guimares & Oliveira, ra do Imperador n. 54.
Os Srs.^jue assignaram tenharn a bondade de
mandar buscar os seus exemplares. e os que nao
assignaram e quizercm, podem faze-loatao ul-
timo de dezembro em que ser fechada a assig-
natura eaugmentado o preco.
Os abaixo ass'gnados fazem publico, que
dissolveram de commum accordo a sociedado
commercial, que sob a Arma de Martinho & Oli-
veira tinham no estabelecimento de fazendas da
ra da Cadeia do Recife n. JO, o qual flea per-
tencendo ao socio Martinho, a cujo cargo ca
tambem o activo e passivo da exlincla Arma, que
do 1. de dezernbro do crrenle anno em diantc
gyrur sob a (Irma de Martinho de Oliveira Bor-
ges, ficando o socio Oliveira livre de qualquer
responsabilidad^, rernarobuco 28 de noverabro
de 1860.Martinho de Oliveira BorgesAurelia-
no Augusto de Oliveira.
Offerece-so urna pessoa para engommar,
muilo perita, por prego commodo : quem quizer,
dirija-se a ra Augusta n. 47.
Quem precisar comprar urna mobilia de
amarello, em segunda taao, dirija-so ao primeiro
andar n. 82 da ra ireila.
Perante o juizo de paz do segundo districlo
da freguezja de S- Fr. Pedro Gongalves, lem de
screm arrematados os bens penhorados 4 Joao
Estanislao Cordeiro, por execucao que lhe move
Valonea & C, no dia I.* de dezembro, as 4 horas
da tarde, na porta do juiz de paz da mesma fre-
guezia.
Antonio Airea Barbosa mudou o seu escrip-
torio para a ra dos Guararapes n. 28.
Com'raria de Nossa Seiihora
do Livrauento
O abaixo assignado, secretario aclual da con-
traria de N. S. do Livramenlo, convida a todos
os seus irmaos a compareccrem no consistorio
da mesma confera no dia 2 de dezembro prxi-
mo viodouro, pelas 10 horas da.manhaa, aflm de
reunidos em mesa geral proceder-se a eleico do
novojuiz para o anno de 1861. Consistorio da
contraria de N. S. do Livramento 23 de novem-
bro de 1860.O secretario,
Domingos Jos Ribciro Gouvim.
Est para alugar-se uui segundo andar de
um sobrado na ra do Rosario da Roa-Vista,
quasi no largo da Santa Cruz, confronte a taber-
na da esquina que deila para o largo, junto a
psdaria do Sr. Manoel Ignacio : quem preten-
der, falle na taberna do mesmo sobrado.
ii
Fugio no dia 17 do corrente a preta Caeta-
na.de nagao Costa, idado de 40 annos, pouco
mais ou menos, estatura alta, secca do corpo e
bem espigada, levou vestido do aTgodao azul, ca-
misa de algodo branco e panno da Costa azul,
costuma andar com ura panno amarrado natos-
la, lem cabellos brancos na frente da cabeca :
quema pegar, leve ra das Larangciras n. 18,
que ser recorapeusado ; assim como prolesta-se
com o|rigor da le contra quom a tiver acoulsdo.
C ompras.
Corapra-se urna sorvoteira com todos os
perlences, e quo esteja em bom estado: na ra
do Brum n. 44.
"~~ Compr-so urna escrava crioulade
idade de 20 a 30 annos, que seja bonita
e de boa figura e que saiba engommar
e cosinbar perfeitamente : no largo da
Assembla n. 1 2, primeiro andar.
Compra-so urna tipoia em bom ou mo es-
tado ; quera tiver annuncie para ser procurado.
Compra-so urna mulalinha, ou cabrinha de
5 a 8 annos de idade, quem a quiscr vender di-
rija-se a ra do Queimado n. 16 que se dir
quem a pretende.
Compram-se
escravos de ambos os sexos para fra da provin-
cia, lendo boas figuras e sendo sadias, paga-se
bem : no escriptorio de Francisco Malhias Pe-
reira da Costa na ra Direita n. 66.
A quem fallar uns pranehes de amarello, di-
nja-se ao cstaleiro de Santo Amaro das Salinas
no lim da ra da Aurora, que dando os sigoaes
compeleotes, se lhe dir quem os achou e aonde
eslao.
PIBUCAWJLRIDICA.
LICES DE DIREITO CRIMINAL
PELO SENHOR D0LT0R
Braz Florentino llcnriqucs de Souza.
O norae Ilustre do Sr. Dr. Braz Florentino
Henriques de Souza, collocado frente deste lu-
minoso trabalho, nos dispensa de encarere-lo
qur pelo lsdo jurdico e Iliterario, qur pelo da
utilidade, tanlo para os que estudam como para
os queja sao versados ua materia. Est ven-
da na livraria universal de Guimares & Olivei-
ra, ra do Imperador n. 54, onde larabem se ven-
de a licao da Reincidencia.
No dia 1." de dezembro prximo vindouro,
ao meio dia, ter lugar a praca por venda de 2
escravos. pelo juizo de orpliaos do termo de
Olinda, porta da casa da residencia do Dr. juiz
de orphaos, sendo um dos escravos de naci]
com pouco mais de 30 annos de idade, avalade
por 1.0008, e outro crioulo, com pouco mais de
20 annos de idnde, avaliado por 1:200$, sendo
um excellente ceiador, e outro oCQcial de ai-
faiale.
Fugio no dia 15 do corrente um negro de
idade 45 annos, pouco mais ou menos, chama-se
Nicacio, e foi vestido de calca e camisa de algo-
do azul de listra e chapeo de palha usado; tem
a perna esquerda meia arqueada, c por isso quaB-
do anda pucha um tanto por ella, cor fula, olhos
encovados e grandes, e o beigo superior bastante4 lissimo prego de 33
O rnce n rtna i> i n P -1- .i. -. 1... ...'. -. \ .-. \ ____ Daail.BL i -__j
Vendas.
Vendom-se duas escravas pretas sendo
urna perfeila engommadeira e ptima cozinhei-
ra, cose, faz labyrintlio e todo o mais arranjo de
urna casa, a outra engomma bem, cozinha e faz
o maisservieo de urna casa ; na ra das Cruzes
numero !8.
Cabriolet novo
Vende-so com os seus competentes arreios :
ua ra do Hospicio n. 37.
Vende-se doce de caj secco novo : na ci-
dadede Olinda, na de Malhias Ferreira n. 12, e
tambem se preparam bocetas para encommendes.
Vende-se urna vacca de raga totuma, pre-
nhe, e tambera se troca por urna que esteja pa-
rida : quem quizer procure no sitio de Antonio
l.eal de Barros, no Manguioho, ra de Joao Fer-
nandes Vieira.
Quando falla o di-
nheiro, o bom vende-se
barato.
Duas escravas de 30 a 35 annos de idade, co-
zinham, engomuiam, 1-ivam e sao boas quitan-
deiras, ambas por 16005, 1 esbelta mulalinha de
18 annos, recolhida, lem boas habilidades, 1 es-
crava da Costa, boa quilandeira, e fazo mais ser-
vigo por 1 250, 1 magnifico moleque de 20 an-
nos, bom copeiro, 1 moleca recolhida de idade
20 annos, cora boas habilidades por 1:350; na
ra de Aguas-Verdes n. 46.
De urna familia que se
retira.
Urna escrava dos melhores costumes, de idade
20 annos, engomma muilo bem, cozinha e lava,
por 1:500 ; na ra das Aguas-Verdes n. 6.
Nova loja
miudezas na ruado Queimado
n. 59, aonde tem o lampio
do gaz na porta, vendem-se
as seguintes miudezas:
Facas e garfos muilo finos de 2 bolesa 65 a
duza.
Dilas e dilos cravados a 3ff.
Ditas e dilos oilavadas a 2S800.
Ditas flaraengas para cozinha a 80 rs. cada
urna.
Pacotes com 6 sabonetes muito lino3 a 1S200
o pacote.
Caixinhas com 6 sabonctes mui delicadas
13500 e 23 a ciixinha.
Ditas com 12 sabonetes a 63.
Caixinhas com cheiros para dadivas a 13, 16500
Ricos chapeozinhos de seda para baplisados, o
que ha de mais moderno e ultimo gosto a 8# ca-
da um.
Ricos (oucados de la para meninos e meninas,
obra de3purado gosto para passeio, e pelo bara-
grosso : quem o descobrir, pode leva-lo
das Cruzes n. 29, qie ser recompensado.
Aluga-se urna escrava perita engonxnadei-
ra, e para o servigo interno de urna casa de fami-
lia .: a tratar na ra do Hospicio n. 64.
Aluga-se urna salinha nos fundos do urna
taberna na ra Nova n. 50, com urna poita para
a-ra.de Sanio Amaro, propria para 2 horaens
solleiros : a tratar na mesma taberna.
Santa Cecilia. I
A commisso das novenas de Sania Cecilia
agradece cordialmente a todas as pe6soas qu de
bom grado coadjuvaram com suas esmolas para
dilas novenas, e assim as Illmas. e Exmas. Sras.
que se dignaram cantar os versos. Outro sir,
agradece a todos os companheiros que com seus
instrumentos, so prestaram s ditas novenas.
Nesia mesma occasio faz sciente que julga nada
dever de dito acto, com tudo se "alguera aiuda
estiver para pagar, queira apresenlar suasconlas
ao ihesourciro da coramissao. na ra do Jardiui
numero
ASSOCIAQAO
DE
Soccorros Mutuos
E
Lenta Eniancipaco dos Captivos.
De ordem do Sr. presidente sao couvidados lo-
dos os senhores socios eliVrlivos para a reuniSo
da assembla geral na turma do art. 19 (domingo
2 de dezembro,] as 10 horas da manhaa, o nesta
mesma occasio lera lugar a posse do novo con-
selho, para o lerceiro semestre de 1860 a 61.
Secretaiia das Associagao de Soccorros Mutuos
e Lenta Emancipagao dos Captivos 29 denovem-
bro de 1860.
Albino de Jess Randcira,
1. secretario
Precisa-se de urna ama deleito som filhos,
e oulra secca para o trrico iiilerno e externo de
casa : na ra dos Prazores", nos Coelho3, casa de
poilo com 2 Ices.
Sapatinhos de seda ricamente enfeitados, o que
ha de bom a 33.
Ditos de merino porcm mui bonitos a 13500
o par.
Camisas de meia para meninas a 500 r?. cada
urna.
Cartes de clcheles com duas csrreiras a 20
rs. o carto.
Caixinhas de alfinetcs com diversos lamanhos
a 160 rs. 3 caixinho.
Caixinhas com mobilias para bonecas a 23000
cada urna.
Appareihos de Dorcelana para bonecas a3000
e 4g000.
E outras muitissimas miudezas, que vista dos
compradores, nao secngeita dinheiro : na ra do
Queimado n. 59, loja de miudezas aonde tem o
lampio do gaz na porta.
Vende se urna mobilia pequea, mo-
derna em meio uso, por preco muito
commodo, bem
por preco
como alguna trastes
avulsos: na ra da Gloria n. 27.
Machinas de costura
DE
Slvat & Companhia.
Estas machinas siio as mais perfeilas
no ramo de mecanismo, unindo a urna
mpcidade a maior ligetreza e perf'ei-
cao para toda e qualquer qualidade de
costura, do ponto mais ino ao mais
{jrosso. O vendedor se obra a entinar
o methodo aos compradores tt o sa-
bertm bem, assim como a ter as machi-
cbinas em ordem durante um anno.
Estas machinas cosem com 2 fos nao
quebram o lio como muitas outras o fa-
zem e tao as melhores e mais baratas
Bonels para meninos.
O lempo proprio para se comprar os bonitos
bonets de panno fino enfeitados cora fita de cha-
malote e borlla, outros enfeitados com fita de
velludo e pluma, e outros com galozinho dou-
rado. todos pelos baratissimos pregos do 33500,
3 e 5a, ditos de palha escura, mui bonitos e
fortes a 33, gorras de palha branca enfeitadas a
13500, e outros mui differentes bonets de panno
enfeitados a 13 e 13280 : na ra do Queimado,
loja da aguia branca n. 16.
(apellas e flores.
Mui bonitas cappllas para noivas a 53, 63 e 7#,
ditas para meninas a 2$. bonitos e delicados cai-
tos de flores finas a 1J500, 28 e 33 : na ra do
Queimado, loja da aguia branca n. 16
mmmmmmmmmMm
Receberam pelo vapor francez, superio- &
res vestidos de blondc de duas saias.baba- 75
dinhos e arregago com manta, capella o S|
mais perlences : na ra da Cadeia loja n. flB
23 de Ourgel & Perdiga o.
Receberam superiores vestidos de s,eda a
de coies, ditos de phantasia, ambos de f|
duassaias ou babadinhos, grosdenaples >^
de quadriuhos para covado, seda de qua- ff
diiuhos, moreanlique e grosdenaples es- |
euros de superior qualidade: na ra da (CE
Cadeia loja n. 23 do Gurgcl & Perdigo. 9*
g> Receberam chapeos de palha para se-
H nhara armados a moderna e enfeitados do
a plumas ou llores, completo sorlimenlo de
^ pulseiras, estratos e essencia de sndalo,
fitas adamascadas c a chamaloladas pa-
ra cintos, luvas do pellica branca e do
SOS Gurgel & Perdigo.
|b Receberam as acreditadas saias balo
-y, de musselina e selim de algodao muilo
3g commodaspara as senhoras e criancas
g pelo preco de 43 e 53, bolinas modernas
gj para senhora gaspeado alto, capas bran-
tU cas e de cores de croxe de seda, taimas,
j^ polonczas de gorgurao, manteletes e ca-
li pinhas de grosdenaples bordadas e com
sO> bico : na loja da ra da Cadeia n. 23 de
M Gurgel & Perdigo. ________
5g Heceberara chapeos de castor prelos e *
t brancos, dilos de seda forma inteiramen- wk
jp te moderna na ra da Cadeia loja n. 23 J&
^g de Gurgel & Perdigo. wj
mwimmmi-smm mmmm
Antonio da Silva Barbosa
Ferro
vende em seu armazem da ra do Codorniz
n. 10, os gneros seguinles :
Cerveja inglcza da primeira marca.
Farello novo em seccas muito grande.
Milho novo dito dito.
Arroz de casca dito dito.
Arroz do Maranho, graudo.
ioma muito lina em saccas.
Dita dita em paneiros.
l'arinha do Maranho para papa, superior.
Sebolas novas grande, em caixinhas.
Ditas dilas aos ceios.
Sabo de todas as qualidades.
Alhos muilo novos, chegados agora, o outros
muilos, ludo palo menor prego possivel.
Roupas feitas.
Por arceos razoaveis para acabar.
Na ra Nova n. 47, junto a Conceico.
Calcas finas de casemira para hornera do 53 a
G&000.
Dias de brim para dito de 1800 a 2$500,
Dilas brancf s a 3?.
Colletes de fusto de 1;500 a 23.
Ditos de gorgurao de seda de 23500 a 4$.
Dilos de velludo finos de (ij a8J.
Casacas de panno fino para homem de 203 a
25S000.
Paletols do casemira para dito de 123 a 16S-
Caigas de casemira para menino de 42000 a
4550O.
Paletots de brim para dito a 24.
Casacas de panno fino para dito de 163 a 20$.
Paletots de panno de 8 a 10#.
Ditos de seda para homem a 6g*
Casemiras de duas larguras de 23300 a 33 o
covado.
Brim de linho muito fino de 400 a 500 rs. o
covado ; e quem comprar por atacado, ainda se
far algum abatimento nos objectos, assim como
lambem so vende a armago com lodos os seus
perlences, para quem quizer continuar com o
mesmo negocio por a casa esta' afreguezada.
Vendem-se 400 saceos vasios que foram de
carnauba, propiios para o mesmo uso, ou outro
qualquer, como seja, camisas de escravos, etc.,
os quaes tem vara e meia, a 160 rs. cada um : na
ra do Nogueira n. 21.
Na taberna da ra Nova h.50, vende-se pe-
lo barato prego o segninte : amendoas(a 200 rs.,
bolacha ingleza a 320, queijos novos a 23900 e
33, chourigas a 560, licores finos a 2JJ50O, vinho
do Porto vindo j engarrafado a !;SoO, superior,
ervilhas em libra a200 rs em latas a 800 rs.,
superior, conservas a 800 rs., cerveja. a duzia a
Gj300, diflerentes marcas, bolacha de soda a
1$00 a lata, champanha a 2JOO urna garrafa,
boa marca.

Na loja da boa f, na ra
do Queimado n. 22,
vende-se muito barato.
Cambraia lisa fina cora 8 1|2 varas cada peca a
4-3500, dita muito fina com salpicos a 53, dil co
cores de padres muilo bonitos a 320 o covado,
cortes de cassa pintada com 7 varas a 23240, Dl
de licho liso muilo fino a 800 rs. a vara, tarlata-
na muilo fina branca e de cores com 1 1[2 rara
de largura a 800 rs a vara, guarnigoes de cam-
braia [manguitos e golla] bordadas muilo finas a
o3, gollinhas bordadas de cambraia muito fina a
1, esparlilhos muilo superiores pelo baralissimo
prego de 6j, pentes de tartaruga a imperatriz
muilo superiores a 9, bonets do velludo para
meninos a 5, ditos de panno prelo a 3$, sapa-
nhos de merino muilo enfeitados a2J o par, chi-
ta francezas finas escuras e claras a 280 o cova-
do, corles de cambraia de cores com 3 babados
com 11 e 12 varas cada corte a 49500, superiores
lengos de cambraia de linho muito fina e rica-
mente bordados a 9$, dilos de cambraia de algo-
dao com bico de linho a 13280, ditos de cam-
braia de linho proprios para algibeira a6jj, 7e
83 a duzia, dilos de cambraia de algodao a 2J40O
e 33 a duzia, liras bordadas largas e finas com 3
1|2 varas cada peca a 2S500, e assim outras mui-
tas fazendas qua vendem-se por precos muito
baratos : na ra do Queimado n. 22, n'a bem co-
nhecida loja da boa f.
Toalhas.
Vendem-se loalhas ce linho para mos pelo
baralissimo preco de 93 a duzia, ditas de pello
muito superiores a 123 a duzia : na ra do Quei-
mado n. 22, ua loja da boa t.
Barretes de seda
para padres
Finos barretes pretos de seda para padres a .-
cada um : na loja da aguia branca, ra do Q
raado n. 10.
Bramante
bretanhas e atoalbado
Na loja da boa f, na na do Queimado 11. 22
vende-se bramante de linho muito fino com duss
varas de largura, pelo baralissimo prego do 1- ,
a vara, bretanha de linho muilo fina e Q
larga a 203, 22g e 24? a pega com 30 jardas,
atoalhado de algodao c*.m duas larguras a Ici' '>
a vara, dito do linho muito superior, tambem
com duas larguras a 33 a vara, ; na ra do Que i-
mado n. 22, na leja da boa f.
Franjas de seda
de laa e algodao.
Hu bonitas franjas de seda do diversas larg- -
ras e cores a 500, 640 e 800 rs. a vara, ditas dr
la a 240 e 320, dilas de algodao brancas e piu-
ladas a 160 e 200 rs. a rara, todas proprias para
enfeilesde vestidos e casaveques, ditas com hur-
llas e lisas, cora mui bonitos lavrores, proprijs
para cortinados, toalhas, cobertas, ele., lano
brancas como pintadas a 33. 33500, 43, 5g e 6fl
a peca : na loja d'aguia branca, ra do Queima-
do d. 16.
Bonecas chinezas.
Mui bonitas bonecas de choro vestidas a chi-
neza a l$500cada urna, assim como outras bw-
bem elegantemente vestidas e de saias balo a
1?500 : na l do n. 16
E o ullioio gosto.
Superiores gurgures do'seda de quadrinnos,
de lindos padrocs, pelo baralissimo prego de 13
o covado, grosdenaples liso de lindas cores a 2
o covado. corles de 15a muilo fina com 15 cova-
dos, padres muilo bonitos a 8#, dilas de quadros
padres tambem muito bonitos a 480 rs. o cova-
do, chales de cores, padres inteiramenle novas
a 13 rs. o covado
acaba :
boa-fe.
aproveitem em quanlo se nT.o
na ra do Queimado n. 22. leja de
e ouliss
para liqui-
corrente
em conta
rs.
m
o covado.
NA LOJA DE
Giiimaracs cC Villar}
x Ra do Crespo n. 17.
o Vende-so ricas sedinhas de quadri-
|R nhos a 640 rs. o covado. fazenda de 2
n prego admirare!, para acabar com urna l
Ss porgo de pegas.
do sihidas de baile, muito
passa a festa, pelo baralissimo
cada um.
Vestidos brancos bor-
dados.
Vendem-se corles de vestidos brancos de cam-
braia com dous e tros babados ricamente borda-
dados, pelo baralissimo prego de 53500 : na ra
do Queimado n. 22, na leja da boa f.
Para vestidos.
Superiores grosdenaples de seda de quadri-
nhos, fazenda de muilo gosto e de lindos padres,
pelo mdico prego de 1S5O0 rs. o covado : ua ra
do Queimado n.22, na loja da boa f.
Vende-se um casal de coelhos
rindo* de Lisboa, muito bonitos, bem
SORVETE
x Jo meio dia s 3 horas e das 6 li2 a3 9 horas da noite : na ra da Cadeia do Recife d. 15, loja.
A pessoa que por este Diario tem annunciado
ter 1003 para dar a premio, tenha a bondade de
ir ra das AguasrVerdes, sobrado n. 78, iue
achara com quem tratar. Tambem se pede igual
quanlia ; na mesma casa ha quem queira em-
prestar sob penhores de ouro ou prala. Tede-se
brevidade do negocio.
Boa gralificaQo
a quem apprehender o escravo Luiz, alto, pernas
lorias, maos grandes e com dedos bastantes com-
pridos e grossos, cosluma embreagar-se muilo e
em extremo preguigoso, demonstrando ter 50
annos. Igualmente o escravo Izidro, idade 20
annos, cabega rapada, estatura regular, esperto e
bem prelo : ambos sao crioulos e marinhoiros do
brigue Algreles : recommenda-se as autorida-
des policiaes e campiles de campo a sua appre-
henso levando-os ao escriptorio de Manoel
Gongalves da Silvj, que recompensar genero-
saoieoK
ate boje conhecidas no mundo, ellas te W" um casal de galinhai da Cocbin-
acliam expostas na galera do SR. OS-
BORN, RETRATISTA AMERICANO NA
RA DO IMPERADOR N. 38, onde
urna senhora competentemente habili-
tada as fara' ver e traba/liar. Igual-
mente se acham expostas no armazem
de MACHINAS AMERICANAS, RA DA
CRUZ N. i E 9.
Vende-se um cavallo de estribara com todos
os andares, muito novo : quem pretender diri-
ja-se a praga da Independencia n?. 36 e 38.
china, o mais lindo que aqu tem appa-
recido, tudo muito barato: na ra dos
Tanoei ros junto aon. 5, primeiro andar.
Attenco
Vende-se urna famosa taberna as Cinco Pon-
tas n. 82, junto as casas cahidas, possuindo de
fundos oitocentos e tantos mil ris, propria para
qnalquer principiante que queira estobelecer-se
e ganhar dinheiro ; o local em que esl colloca-
do a dita taberna, a bonita vista que tem, o o
commodo, torna-se bstanle recoramendavel por-
que lem um grande solo lodo corrido, arranjo
que se torna muilo apreciavel para os freguezes
do mato que goslam comprara. Approveitero, que o tempo
de se fazer muito negocio, que a festa
porta ; vende-ge por q (joo ser
poder continuar.
onde
proprio
es\ na
doente, e o
Ra Direita n. 103.
1 grande realejo com tambor e pratos.
3 ditos com maracos mgicos.
f menores com um s macaco.
Caixas com msica para costura.
Ditas CDin citeiras e estojo para viagem.
Caigas e paletots de casemiras.
Dilase dilos de brim branco, riscado e ;
amarella.
Cortes de collelcs de velludo e sarja.
Mangas com nichos e flores.
Jarros sonidos de porcelana.
Pomadas e cheiros.
Armnicas sorlidas.
Bicos e rendas.
Caixas com perfumaras.
Calcado de tranca, bezerro e lustre
muitas miudezas, que ludo se vende p'
dar contas at o lro do dezembro do
anno.
Vende-se urna negra muilo
ra do Rangeln. 11, loja.
Vende-se formas ferradas para calcado tcx;>..
do, porprecos muilo comraodos: defrote da ma-
triz da Doa-\isla n. 8.
A Imperatriz Fugeae.
Admiragao .
N. 19 Iua do Queimado N. 19
Modernsimos chales do novo modelo, in t.ir.
propriis para quem
prego de 5j II
Nova loja de miudezas
na ra do Queimado n. 59, 011-'
de tem o lampio do gaz na
porta veudem-se as segu li-
tes miudezas por baratos
pregos, como sejam :
---'i! pa? borJar a nielhor que ha no mercado a
fcoOO a libra.
Seda frxa de todas as cores para bordar a 1 9
rs a miadiul.a.
Luvas de fio de Escoca para montara a 500
rs. o par.
Ditas de algodao de cores a 2O rs. o par.
Espelhosde moldura dourados a 3|cada um.
Capachos compridos para porta a 5(0 rs ca-
da um.
Itieospenles de tartaruga virados muilo forni-
dos c bonitos desuihos a 10.
Dilos sem serem virados propiios para and r
em casa a 3{*.
mSL'6 ran?a todos lornea> Para Iravcssa
a lj>500 cada um.
Ditor lisos mui fornidos a 640 cada um.
Caixinhas do madeira com esptlhos para cos-
tura a 26500o 3g cadi um.
Agulhas inglezas em caixinhas, o melhor que
lem vindo a este mercado, tanlo em pualidade
como grossura a 00 rs. a caixinha ; na ra ;o
Queimado n. 59, luja de miudezas de Maia & Car-
ros, onde tem o lampio do gaz na porta. Xa
mesma loja cheguu um variavel sorlimenlo de
meias de cores para meninos, as melhores que
lem apparectdo nesle mercado, lamo pela sua
delicadeza como econmicas, as quaes lem um
boccal lingindo calclas, e ao mesmo lempo lor-
nam sa muilo desnecessarias as calcas ; estas
meias s se cnconlram na ra do Queimado, loja
de miudezas de Maia Barros, onde iom o ar-
piao do gaz na porta.
Attenco.
Vende-se na ra Direita n. 14, arroz do Mara-
nho a 100 rs. a libra, toucinho de Lisboa a 320,
azeitede peixe a iOOrs. a garrafa, chouriras os
maia uovas neste mercado a 560.
uiilp jm m.


P)
DIARIO DE PRRfl*BUCO. SXTA FEIRA 30 DE NOYEMBRO DE 1860.
E' baratissimo.
Palitos de brim braoco muito bem finios e pro-
prios para a presente eslagao, pelo baralissimo
preco de 5| cada um : na ra do Queimado o.
22, loja da boa-f.
de graca.
Cortes de cal*#s de meia casemira de coros os-
curas al $600, altos de brim delinho de cores a
2$, riscatlinhos de linho proprios para obras de
meninos a 200 rs o corado, grvalas de seda de
cores a 6i0. dilas pretas estreitinhas e largas a
lJJ, e alem disto oulras fazendas que se vendem
muito em conta ; na loja da boa f, Da ra do
Queimado n. 22.
Baloesde 30 arcos.
Vendem-se superiores baldes com 30 arcos,
sendo muito recommendaveis poi poderem Q'car
do tamanho que se precisar, pelo baratissimo
pr,- ;o de O3 ; na ra do Queimado d. 22, na loja
da boi f.
Eitremeios e tiras
bordadas,
Vande-se mui bonitos eDtremeios e liras bor-
dadas em Tina cambraia, obras mui bem acaba-
das, os ntremelos pelos baralissimos presos de
12)600, 2 2#400 a pega e as liras bordadas por
23, 2*500, 33, 4, 5S e 6*. Avista da supcrio-
ridade da (azenda ninguein deixar de comprar e
para isso dirijam-se a ra do Queimado loja da
aguia branca n. 16.
Pechincha.
Chales.
Ricos chales do merino eslampados, de cores
muito bonitas a 7*. ditos muito linos a 8*500,
ditos lisos a 5#, ditos bordados a matiz a 8*50n,
aa ra do Queimado n. 22, loja da boa-f.
Algodao inonsfro.
VenJo-se algodao monstro com duas larguras,
muito proprio para loalhas e lences por dispen-
sar toda e qualquer costura, pelo baratissimo
preco do COrs. a vara ; na ra do Queimado n.
22, na loja da boa f.
Labyrinlos c biccos das
lllias.
\ loja d'agota branca acaba de receber urna no-
vo e bonito sorlimenlo de labyciolos e biccos das
Ilhas, obras j bem conhecidts por suas boas
qualidades o duracao. Os labyrinlos por suas
mui diversas larguras regulara de 2 a 9200 a
vara, o os biccos do 200 a 1.9000. L'ns e oulros
8O de su mina uiilidado, e por isso se tornam
necessarios para as familias. Vendera-se em dita
loja d'aguia braca, ra do Queimado n. 16.
to barato que admira.
Cnssas de cores de padrees muito bonitos que
pirecem urgandys, pelo baralissimo prero do 240
rs. o covado : na ra do Queimado 0. 22, na loja
da boa f.
Vende-so o engonho Primavera, moenle e cor-
rele, e com excellentes trras, no lermo de Se-
rinhaom : quem a pretendor, Irate com Manoel
Ooncalves da Silva, ou com sua proprielaria no
engenho Camarao, termo de Barreiros ; por pre-
so commodo.
Attenco.
AO BARATO.
Vendc-se um sitio no lugar Peres com duas
casas, sendo urna de podra o col, na qual lem
urna padana e oulra para qualquer familia mo-
rar, tem banho do rio Tigipi, e bastantes fruc-
leiras : na ra do Queimado n. 69.
Vendem-se saceos com feijo mulalinho.
larinha, milho, por pregos commodos : na ra
da Cadeia do Recite n. 55. junto ao armazem dos
Srs. Prenle Vianna & C.
Msica por metade do seu valor para
liquidar.
Msicas do Trovador, Traviala, Puritanos. Lu-
cia, Lucrecia Borgia e oulras, pela motado do
prego marcado e que cuslara no Rio de Janeiro :
na livraria acadmica, ra do Imperador n 79.
Vende-so urna escrava de naci Angola e
de boa conducta, o o motivo da venda so dir ao
comprador : em Fra de Portas, ra do Pilar nu-
mero 102.
Na roa da Imperatriz n: 2, junto a loja de
(landres, vend^-se superior vinho bordeaux a
900 rs. a garrafa, dito xerez a I96OO, dito duque
do Porto fino a 19500, chapanha das melhores
marcas a 29 a garrafa, doce em latas de urna li-
bra a 900 rs., bolachinhas em latas de todas as
Cualidades mnito novas a 1(600, figos de coma-
re em caixinha de 4 libras a 29, peras seccas a
29 a caixinha, fumo da Garanhuns a 800 rs. a
libra, barato que admira : nesla casa acha-se
um completo sorlimento de boas gneros e pre-
gas commodos.
4o---RuaD irrita--45
ESCOMIDO SORTIMENTO
DE
Vestidos de blondo
NA LOJA DE
Guimares & Villar.
Ra do Crespo numero 17.
Vende-se ricos corles Je vestidos de
ig blondo ltimamente chegados de Paria.
Vendem-se formas ferradas para calcado
taxiado : defronle da matriz da Boa-Vista n. 84.
Vendem-se peonas de ema muito boas : na
ra do Vigario n. 18, primeiro andar.
Vende-se urna padaria muito afreguezada
em pao o bolacha, sita na Estrada Nova, perto do
Cachang : quem a pretendor, dirija-sa mesma.
acha-sesuprido o deposito desta superior pitada em botes de libra e dilos do eia libra, garanlin-
oo-sc a superior qualidade : na ra da Cadeia do Recite n. 15, loja do
Centro comiucrcial.
I
1L0G0S.
Vonde-se emeasa de Saunders Brothers &
G. praca do Corpo Santo, relogios do afama
i> asneante Roskell, porprecos commodos
e timbera --vic-iiliiu e cadeiasparaos mesmos
xc illnle oslo.
'' Li :J> a ,_B it J.D 13 .c3 13 i
o

kegaro coaira
o
o deposito continua a receber o verdadeiro tabaco caporal, vendendo-se pelo preco do costume
fazendo-se o abatimento do 25 por cento sobre a quanlia do 10 ; assim como recebu-se o superioi
tabaco tnreo em magos de i libra e ditos de meia libra : na ra da Cadeia do Recite n. 15, loja do
Centro commerciai.
PROGRESSO
de
& liiii
Aproximando-se o lempo festivo, e sendo in-
dispensavcl que as lindas e amaveis filhas da
opulenta e potica Mauricea se previnam do que
necessario para o resguardo dos seus mimosos
e pequenlnos pes; attendendo tambera a que
urna crinolina empavesada nao podo estar de
acord com urna botina acalcanhada ou desco-
sida, assim como um cavalheiro de /alga balao,
com um borzeguim estragado, far urna triste'
figura vis-a-vis de urna bella; considerares lao
acertadas actuaram no espirito do propietario do
estabelecimento, j lao conhecido pel3 modici-
de dos pregos do seu calcado, para reduzi-los
anda mais, raunmdo-se de um abundanlo sor-
limento e sem defeito, que aprsenla aos seus
benignos freguezes [moeda em punho) pelos
pregos abaixo :
Senhoras
Borzeguins 52 a 59. 4#800
Ditos ditos. ...... 4$500
Ditos ditos.......4#000
Meninas
Boizeguins29 a 51. 5^-800
Ditos25a28......3#600,
Ditos 18 a2i......5#2001
Homem
Borzeguins. .
Ditos........
Pianos
Saunders Brothers & C. tem para Tender em
eu armazem, na praga do Corpo Santo n. 11,
alguna pianos do ullimo gosto.recentimente
chegados,dos bem conhecidos e acreditados fa-
bricantes J. Broadwood &Sons do Londres, e
muito oroDriosoara este clima.
Ditos prora de fogo e d'agua.
Ditos.........
95500
85800
8$500(
65000
caooo;
55000'
5600
55000
Meios borzeguins de lustre. .
Sapatoes coin elstico e lustre.
Ditos arranca pelle, bezerro. .
Ditos de bezerro. ,
Meninos
SapatGs........55600
Ditos. ........3^000
Ha tambera na variado sorlimento de todas as
classes eprecos nfimos, sondo os annunciados
somente de priraeira classe.
Calcados baratos.
Vondom-se os seguinlcs calgados : borzeguins
d< couro de lustro de Nantes a 9$, do bezerro a
836OO, de lustre do Paris a 8$ e a 7$, borzeguins
para senhora a 4*500, para meninas a 33500. sa-
pallo de couro de be/.erro do Nantes a 4J, 4$700,
taxiados de sola jupia a 55700 : tambora so ven- x> Krm turf W
dem chapeos de fellro finos a 3j800. camisas de || 2'*smoI9-,c^a* de bJlm a 25u00', 3.c
fusto a 25 cada urna, e chapeos do seda pretos 3*500. paletots saceos de casemira de cur
finos a 7j! e 63 na loja da ra Nova n. 1.
GRANDE SORTIMEMTO
azendas e obras feitasj
KA
luoja e armazem
DE
oes &Basto.i
Na ra do Queimado n. |
46, frente amarella.
Sortimento completo do sobrecasaca de fj
panno prelo e de cor a 25, 28>, 30J e
35J, casacas a 28, 30 e 35, palitots dos J|
mesmos pannos20. 22 e 25S, ditos de
casemira do cor a 16g e 18, dilos sac- J
eos das mesmas casemiras modelo inglcz Jt
casemira fina a 10, 12/14 e 15g, ditos I
saceos de alpaca preto a 4$, ditos sobre *
fino de alpaca a 7, 8 e 9, ditos dme- 9
ri selim a 10$, ditos de merino cordao S
a 10$ e 12, ditos de sarja pret trangada
saceos a 63, ditos sobrecasacos da mes- |j
raa 'azenda a 8, ditos de fusta o de cor e
branco a 4, 4g500 e b$, colletss de ca- m
sernira de cor e preto a 5 c C, ditos de *!
merino preto para luto a 4 e 5, dilos Sj
de velludo preto de cor a 9 e 10, dilos *!
de gorguro de seda a5 o 6, dilos de 3j
brim branco e de cor a SfSQQ e3. caigas *
de casemira de cor e preto a 7$, 8g, 9 m
e 10, ditas para menino a 6 e 7, ditas $
de merino de cordao para nomem a 5J o Ij
6, ditas de brim branco a 5 e 6, ditas J
ditd de cor a 3, 3500, 45 e 5, o de 1
todas estas obras temos um grande sor- nn
tmenlo para menino de todos os tama- -1
nhos ; camisas inglezas a 30 a duzia. Na g
mesma loja ha paletots de panno preto J|
para menino a 14fl, 15| o 16. ditos do jg
casemira para os mesmos pelo mesmo J
prego, ditos do alpaca saceos a 3 e jjfl
3j50, ditos sobrecasacos a 5 e 6 para n
AGENTES
J. \stley Si Companhia. \
l Os proprietarios deste estabele-
5 cimento con vida m ao respeitavel publico, principalmente aoe amigos do bom ebaralo, que se
achara em seu armazem de molliados de novamenle sonido de gneros, os melhores que tem
viudo a esle mercado, por serem escolhidos por ura dos socios na capital do Lisboa e por serem
a maior parle delles vindos por conta dos proprietarios.
I Chocolate
S dos melhores autores de Europa a 900 rs. a libra em porgao a 880 tfa..
Cera de carnauba nova
por diversos pregos, do SjjIO, 9j00 o 10!, qna-
lidade especial : no Ijrgo da Asscmbla, arma-
zem de Antunes Guimares & C.
Milho a 3,500 rs. osacco,
era muito bom estado, e para acabar : no largo
da Assembla, armazem de Antunes Guimares
& Companhia.
V
r
I
MatEe\at\a imperial
Vende-se
Formas de ferro para
purgar assucar,
Ruchadas de ferro
a Ferro sueco.
F.c^ingardas.
ac le Trieste.
I Pregos de cobre de corn-
il posico.
u Barritha e cabos.
I Briui de vela.
I Couro de lustre.
I PaliiLiiha para marcinei- :
a ro : uo armazem de C. !
J. Astley C.
>9 tas* ina 'ca "Tt ri ti i
Na ma da Cadeia n. 24, vendem-se as se-
^ i iti>5 fizea las, por metade do seu valor, para
li piidagao.
Bicos io soda brancos e prelos, de (odas as
apiras, vara a 16'), 210,400, 800 e 1000.
Un completo sortimento de franjas do sedae
de algodao.
Chales dotnu-iuim a 10, 13, 20 e 35.
Botos de seda, velludo, de louga e de fusilo
de qnali lides finas, duzia a 200, 400 o 600 rs.
Collarinhos bordados de 500 rs., 2#, 3 e 4.
Er.trenreios fims, pegas com 12 varas a 1J.
Follios bordados tiras a 500, 1, 2, 3500.
Camisetas eom manguitos a 3, 4, 5 e 6$.
Eofeites do flores a 6J.
Chapos de seda para senhora a lOg.
Casavo]nes do velludo a 40 e 60g.
Ditos do seda a 255-
Bitos de fusto a 8 e 12.
Filis de seda e de todas as qualidaJes de 160
rs. a l)!)0.
Ditas de velludo de 210 rs. a 1$.
Pechincha
Na ra do Imperador, taberna n. 63, defronte
do retratista americano, tem para vender pesca-
da o ruivosem calda, chegados por este ultimo
navio do Porto, por prego muito barato.
Atteugo.
Vende-se urna preta de meia idade, bastante
robusta, com urna linda filha de 6 anuos, a preta
lava, tngomma, cozinha, e muito fiel, e sem
vicios, o que se afianga : a tratar na ra do Quei-
mado, loja 11. 28.
Espirito de vinho.
Vende-M barato : na Iravcssa do paleo do Pa-
raizo ns. 16 o 18, casa piulada de amarello.
No escriptarlo de J. P. R. Draga, ra do Vi-
gario n. 11, primeiro andar, vende-so cal de Lis-
boa a 'ris nova que ha no mcrcudo.
Vrnde-so urna aruacao de taberna, sita no
boceo Largo n. 1 ; a tratar nu mesma.
Carro e boi.
Vende-se um boi e um carro de 4 rodas, tudo
era bom estado, e veude-se era conta por ser to-
mado por divida : oa taberna grande da Sole-
dade.
Vcidem-se duas casas acabadas ha pouco :
a tratar nos Qualro Cantos n. 3.
Vende-so um lindo ruo'eque cora iiade do
12 annjs : na ra do Hospicio o. 23.
do afamado Abreu, e do outros mais fabricantes de Lisboa em latas de 1 a libras a 80
rs., em porgao de se far algum abatimento.
Macja de tomate
I :em latas de 1 libra por 900 rs., em porgao vende-se a 850 rs.
I
l*atas com evvilVias
vende-se nicamente no armazem progresso a G40 rs. cada huma.
Conservas francezas e inglezas
as mais novas que ha no mercado a 700 rs. o frasco.
I^atas de bolacninha de soda
com diferentes qualidades a tBGOOa lata
\mcixas francezas
filiRN SORTIMENTO
DE
Fazendas e roupa feila
s mais novas que tem vindo a este mercado em compoteiras, contendo 3 libras por 33OOO rs.
eem atas del 1 [2 libra por 1*500 reis
Verdaderos ngos de eomadre
em caixa com 16 libras por 39000 rs. a relalho a 240 res a libra.
CaVxVivas com 8 libras de nassas
a 39000 rs. em porgao se far algum abatimento, vende-se lambem a relalho a libra a 500 rs. |
Manteiga ingleza
NA LOJA E ARMAZEM
DE
Joaqun Rodrigues Tarares de Mello
RA DOlJUEIMADO N. 39
EM SUA LOln DE Qi:\TRO PORTAS.
Tem um completoortimento de roupa feila,
convida a lo los os seus freguezes e a todos
quedesejarera ler ura uniforme feito com todo o
gosto dirijam-se a esle estabelicimento que era-
conlrarao ura liahol artista chegado ltimamen-
te de Lisboa para desempenhar as obras a von-
tade dos freguezes, j lera urn completo sorti-
mento de palitots de Qna casemira modello im-
g'ez, e muito bem acabados a 16D00, dilos
de merino selim a 1-29000, dilos do alpaca
pre.tos a 59000, dilos de alpaca sobre casacas
a 83OOO, dilos com galla de veludo a 99000,
dilos da fusto, dilos de ganga, ditos de brim,
tudo a 590 0, ditos de brim de lindo tranca-
do a 6J0OO, caiga do brim delinho muito su-
perior a 5000, ditas de casemira de cor a
99000 ea 109000, ditas de casemira pre-
ta superior fazonda a 128000, palitots fran-
cezes de panno fino fazenda muito fina
a 69 e 73, toalhas de linho a 800 e 18 ca-- M
da urna. JBJ
No mesmo estabelecimento manda-se a|
aproraptar todas as qualidades de obras 9
3f tendentes a roupas feitas.em poucos dias, ae
i que para csse im tomos numero suf- S
jli ficionle de peritos officiaes de alfaiates a|
d> rigidos por ura hbil raeslre de seme- v>
f| Ihante arle, flcando os donos do eslabe- |g
20 lecimento responsaveis pelas mesmas {*>
fl obras at a sua entrega.
Sebo e graixa.
Se'..j coado o graixa em bexigas: no armazem
u* Tasso Irmos, no caos de Apollo
i Machinas de vapor.
@ Rodas d'agua. (g
3 Hoeodas do canoa. o;
: Tai xas. g
^ Rodas dentadas. @
3$ Bronzcs e aguilhes.
$ Alambiques de ferro. @
j Crivos, padroes etc., ele. @
}$ Na fundiQao de ferro de D W. Bowman, @
H ra do Brum passando o chafariz. ^
Carro.
Vende-se um exrellente carro todo envidraca-
do, co m urna boa parelha de cavallos, por prro
com modo, prazo ou vista : na ra larga do
Rosario n. 24, loja de ouro, se dir quem tem.
Rival sem segundo.
noi^H-"e.d0 80brad0 n0T0 h Pra vender
pe os diminutos oreos os seguintes rticos :
Duzia de saboneles muilo finos a 600 rs
Candes de clcheles com duas ordene 520 rs
Caixas de clcheles batidos a 60 rs.
Duzia de meias cruas para homem a 3a.
Dita de ditas para senhora a 3&5O0.
Pares de meias para senhora a 300 rs
Latas com banha muilo fina a 500 rs.
Iseas para acender charutos, caixa a 60 rs.
Phosphoros em caixa de folha a 120 rs.
Cartas de alfinetes muilo finos a 100 rs.
Caixas de agulhas francezas a 120 rs.
Pares de sapalos de tranca de algodao a i*.
Frascos de macass peroa a 200 rs.
Ditos de dito oleo a 120 rs.
Duzia de facas e garfos, cabo preto, a 3{.
Pares de sapalos de 15a para meninos a 200 rs.
pitos de luvas de cor fio de Escoria a 320.
Massos de grampas muito finas a 40 rs
Caivetes de aparar penna a 80 rs.
Tesouras muilo linas para costura a 500 rs.
Dilas ditas para unhas a 500 rs.
Pecas de franja delaa com 10 varas a 800 rs.
lillas de tranca rom 10 varas a 320.
I.inha Pedro V, carta o com 2C0 jardas a 60 rs
Dita com 100 jardas a 20 rs.
Escoyas para denles muito finas a 200 rs.
Cordao imperial lirio e grosso a 40 rs.
Oleo de babosa muito lino (frasco) 400 rs.
Filinhas eslreitas para enfeitar vestidos a 800
rs. a pei;a.
Labyrinthos de muilo bonitos gostos por todo
o prero.
Conloes para eufiar esparlilho muito grandes
a 100 rs.
Dito para dilo pequeos a 80 rs.
PeCM de tranca de linho com 10 varas a 200 rs.
O'Jas de irania de seda preta cora 10 varas a
Vara de dita a ICO rs.
Pares de meias de cores para meninos a 160
Caixas para rap muito finas a I35.
, Linho para marcar [caixa de 10 nvelos) a 320.
I Roupa feila para liquidar
na ruada Imperatriz li. 60,
loja de Gama efe Silva.
CaJaif de casemira de cor muilo finas a 7! d-
as de brim de huho broncos muito fino a 4, di-
res a i$, 2500 e 3, collctes oe velludo, dilos de
srda e ontrns qualidades, Dalelols de alpaca preta
muilo boa fazenda b 5, dilos de princeza preta
3 6g. dilos de merm prelo a 7g, dilos de panno
preio tino, dilos de riscadinho levizinhos a2$5C0
Coke (carvfio),
ou combustive! para cozinhas, caldeiras, ele.
muilo econmico para as casas particulares: ven-
le-se na fabrica do gaz, em porres de um quin-
tal para cima a l{j o quinta!.
Pechincha para os fabri-
cantes de velas.
Na ra Imperial, taberna n. 37, vende-se fio
Inglez, proprio para pavios de velas, pelo barate
prero de 1-3 a libra.
Na ra do Livi amento, loja de calcado
n 19, vende-se calcado francez ma.'s
barato do que em outra rarte, pelos
precos seguintes:
Para homem.
Borzeguins Melis de lastre e bezerro a SfOO
Dilos inglczes de lustro a 5g.
Dilos dilos do bezerro a 6$.
Dilos Tranrczes de lustre a 6g.
Dilos de bezerro, sola dupla a 7?.
Dilos de dito, vaqueta de lustre, a 7$.
Sapatdes de Nanles, sola fina, a 4j3t0.
Dilos, sola dupla, taxiado, a 5.
Para senhora.
Borzeguins de lustre a 45 (Jolli.)
Menino o meninas.
Borzeguins para menina a 3{500 e 4fi.
Ditos para menino, sola e vira, a 5J5C0.
!$itM mBmmmmsmmu
a 259
perfectamente flor a mais nova que ha no mercado a 18000 rs. a libra, era barril se far al-1 sobre casacas de panno muilo superiores a 359
gum abatimento. Je a 409000, urn completo sortimento decami-
^v r sas fracezas, tanto de linho como ie algodao
Kjjlvl peroia
o me'ilior que ha neste genero a 29500 rs. a libra dito hyson a 29000 rs.
Palitos de denles cAiados
a 200 rs. cera 20 macinhos.
pexe sare\ em posta
o melhor peixe que exzisle em Portugal era
oulras muitas qualidades que se vendem pelo mesmo prero
e fusto vende-se muilo em conla, afira de que-
rer-se liqiudar com as camisas.
pechincha.
Na loja do Preguica, na roa do Queimado n.2
tem cobertores de algodao de cores bastante
grandes, proprios para escravos, pelo baratissi-
mo prego delg.
Vende-se na ra do Livrmeuto
latas grandes por 1*500 rs. cada urna e de ,n ""*w*."" /" ao *-'
esmo nreco ** ?' 9 borzefl"n francezes a 6^, dito
de bezerro a C^. dito de vaqueta a 7$.
Mauteiga Craneeza
a 7-20 rs. a libra om barril se far abatimento.
T ouein\vo de LAsboa
o mais novo que ha no mercado a 320 reis a libra.
Macas pata sopa
era caxinhas de 8 libras eom deferentes qualidades por 49000 rs.
Tambem vend*ra-se os seguintes gneros, tudo recentemenle chagado e de superiores qua-
lidades, presuntos a 4S(> rs. a libra, chourica muila nova, raarmelada do mais afamado fabricante
de Lisboa, maga de tomate, pera secca, passas, fructas em calda, araendoas, nozes, frascos com
araendoas cobertas, confeites, pastilhas de varias qualidades, vinagre branco Bordeaux, proprio
para conservas, charutos dos melhores fabricantes de San Flix, marcas de todas as qualidades,
gomma muilo fina, ervilhas francezas, champagne das mais acreditadas marcas, cervejas de ditas,
spermacete barato, licores francezesmuito fiaos, marrasquino de zara, azeile doce purificado, azei-
lonas muito novas, banha de porco refinada e outros muitos gneros que encontrarlo tendentes ai
molhados, por isso prometiera os proprietarios venderem por muito menos do que outro qualquer,
prometiera mais tambem servirem aquellas pessoas que mandarera por outras pouco praticas como j
se vieftem pessoalmente-, rogam tambem a todos os senhores de engenho e senhores lavradores.
queirara man lar suas encoraracnlas no armazem Progresso. que se lhes afianza.a boa qualidade el
o aconJtcionameulo,
Botica.
Aos senhores armadores e
proprietarios de carros fn-
n:bres.
Vendera-so velbulina preta superior a 400 rs,
o covado ; na ra do Crespo n. 25.
Z/Oja esperanca.
Vendo-so borracha do seda preta para borze-
guins a 2#200 o covado, graixa em barris muito
boa a 610 rs., est acabando-se, flautas do ebino
de Gautrot a 18 e 20#, braceletes de mozaico a
6S laa para bordar a 6$1oO a libra, trangas do li-
nho brancas para as roupas da festa a 800, 1>,
1?200 o 1JJ600 a peca, seto padrOes diflercntes]
colheres linas, facas, trinchantes, etc.: na ra
do Queimado n. 33 A, Guimares & Rocha.
Por metade do seu
valor.
Barlholomeu Francisco de Souza, ra larga do
Rosario n. 36, vende-se os seguintes medica-
mentos :
Rob IWffi-cleur.
Pilulas conlra sezoes.
Ditas vegetaes.
Salsaparrilha Brislol.
Dita Sands.
Vermfugo inglez.
Xarope do Bosque.
Pilulas americanas (conlra febres).
Ungento Holloway.
Pilulas do dito.
Ellixir anli-asmathico.
Vidrosde bocea larga com rolhas, de 2 oncas
o z libras.
Assim como lem um grando sortimento de a-
peleara forro de sala, oqual rende a mdico
Vende*m-se libras sterlinas, em
casa de N. O. Bieber&C. : ruadaCru'
n. 4.
Arados americanos e machinas
para lavar roupa: em casa de S. P Jo-
hnston & C. ra da Senzala n.i2.
&** M#M>4 @@
-$ Keceueu-se o continua a receber-se por @
Ji lodos os vapores arligos do modas para
@ liomens, incluindo calcado de Melis na
2 Loja de mar more.
Ceblas e velas.
Vendem-se ceblas novas a 800 rs. o cenlo
espermacete a 630 a libra ; na travessa do pateo
do Parauo n. 16, casa pinlada de amarello.
g Kecobou-se e continua a recober-se por @
lodosos vapores, veslimentas, calcado e 91
^ chapeos para meninos na
h^Para acabarJ
Guimares & Tillar.
}Rua do Crespo numero 1.%
A 20,$000. i
Corles de rembrain brancos ricamente ^g
bordados com duas sains. ^
A 4^000. m
Tecas de cambraia com salpicos cem >
K 9 varas. |g
A 5000. |
Pecas de cambraia com salpicos ; bor- S
dadas com 9 varas.
A C$500. |
Cambraia da China bordadas o melhor D
possivel pecas com 9 varas. Ig
A 18^000.
Cortes de cambraia ricamente borda- 3*
das com 2 saias, ^
\ende-se urna porco de lijlos j servidos
em bom eslado, em conta : quem quizer appare-
ca na roa das Flores n. 25 ; na mesma se vende
urna casa terrea no bairro da Boa-Vista, muilo
boa, e com commodos para familia.
S
Loja de marmore. f
Vinho genuino.
Ainda ha urna pequea quanlidade de ancore-
tas deste vinho sera confeieo, e proprio de doen-
tes : na ra do Vigario n. 19, primeiro andar-
Vinho do Porto, genuino,
Rico de 1820.
Storaacal de 1830.
Precioso de 1847.
As duzias, e era caixinhas, a dinheiro, por ba-
ouassaias, pelo baratissimo prec.o da 10$ cada rato prec,o : vende-se na ra do Trapiche n 40
,,m -f"ta escriptorio. l
Ra do Queimado n. 19.
Vestidos de gaze e phantasia, muitos lindos, de
um corte.
Brito & C. pretendem vender sua loja do leuca
da ra Nova n. 52: quem a pretender, dirija-se
aos mesmos na dita loja,
DE
Differentes qualidades
Na loja da aguia branca se acha um grande
sorlimenlode papel de differentes qualidades, al-
maco liso e paulado, de peso tambem liso e pau-
ta,d0 proprio para se mandar marear a 38, 3*500,
4>e 4g500 a resma ; dito fatilasia de bonitas co-
res e bons goslos a 1 e 1*200 a raixinha. dilo do
boira dourada s 2*500 a caixinha, envelopes de
cores, broncos, bordados a 1?e Sf rs. a caixinha :
na dita loja da ouuia branca, ra do Queima-
do n. 16.
Peinchas
PARA ALFAIATES.
Na ra Nova n. 47, junto a
Conceieo.
Boles de cores de seda para paletots a 1J600
a groza.
Dilos pretos finos a l&OO.
Ditos de ac brancos e prelos a 400 rs.
Ditos de osso muilo finos para calca a 160 rs.
Marcas para cobrir a 80 rs.
Filas decores para debrum a Cj[ a peca com
110 varas.
Foular de seda para forro de obras a 20# a M
qa com 36 covados.
Gorguio de seda a 2$500 o covado.
Platia branca preta a 2*800 a peqa.
Vt Iludo de cor?s para gollas e outras obras a
31500 o covado. -
Bombazina, cluilim e sargelim para forro mui-
lo barate para se acabar com tudo, assim como
tambem se vende a ormacao com todos os seus
perleoces para quem quizer fontinuar eom o
mesmo negocio, por a casa estar afreguezada.

*
h


DIARIO DE PBRNAMBUCO. SEXTA FEIRA 30 DE NOVEMBRO DE 1860.
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------_--------------------------------------
ro
AGENCIA
DA
FINDICiO LOW-MOW,
Roa da Senzalla Nova n. 42,
Nesle eslabelecimenlo comina a haver um
completo sortimento de moendas e meias moen-
das para engenh, machinas de vapor e laixas
de jerro balido e coado, de todos os tamanhos
para dito,
Potassa da Russia e cal de
Lisboa.
No bem conhacido eacreditado deposito da
ra da Cadeia do Recife o. 12, ha para vender
verdadeira potassa Ja Russia nova e de superior
quiliJaia, assim como tambem cal virgem era
paira, tildo por pregos mais baratos do que era
outra qualquer parte.
Viiiio de Bordeaux.
Em casa de Kalkmann lrmaos&C, ra da
Cruz n. 10 .encontra-se o deposito das bem co-
nh3cidas marca dos Srs. Brandenburg Frres
e dos Srs. Oldekop Mareilhac A C, em Bor-
J aix Tem as seguintes qualidades :
De Brandenburg frres.
St. Estph.
Si. Julien.
Margan.
La rose. '
Chdleau Loville.
Chiteau Margaux.
Oe Oldekop St, Julien
St. Julien Mdoc.
Chateau Loville.
Na mestaa casa ha
vender:
Sherry em barris.
Madoira em barris.
Cognac em barris quadade fina
Cognac em caixasqualidade inferior.
Cerveia branca.
As aielhores machinas de coser dos mais
afamados autores de New-York, I.
M. Singer & G. e Wbceler & Wilson.
Neste estabeleci-
mento vendem-se as
machinas destes dous
autores, mostram-se a
qualquer hora do dia ou
ds noiie, e responsabili-
samo-nos por sua boa
qualidade esegranos:
no armazem de fazendas
do Raymundo Carlos
Leite & Irraaos ra da
amigamente aterro da Boa-
para
Vende-se
EM CASA DE
Adamson Howie & C.
Vinho do Porto de superior qualidade.
Tinta de todas as cores.
Lona e flele.
Fio de vela.
Sellins, silhes, arreios e chicotes.
Rolhas.
Ra do Trapiche n. 42.
r? ctnv 9DV G/BQ 9of Wo^ WVWSv fCalcado barato
para acabar
1 Vende-sc na^loja de Nabuco A C, na
J| Nova n. 2, osseguiolos calcados baratos
para homcm, senhoras e meninos a di-
nlieiro a vista :
Borzeguins de duraque gaspeados para
homcm a 7J.
f. Ditos ditos para senhora e meninos a 2#.
Ditos todos de duraque prelo e de cores
para senhora a 40.
Ditos ditos sem sillo a 3$.
Ditos de pellica com salto e sem salto
a 5.
Ditos do setim preto gaspeado e com sal-
to a 69.
Ditos todos de setim sem salto a 5$.
Sapalos rasos de lustre para hornera a 3#.
Sapatos de lustre e bczerro para meni-
nos a 2#
Borzeguins todos de bezerro para meni-
nos a 5JJ.
mwm
cobertos e descobertosr pequeos e grandes, de
ouro patenie inglez, para homem e senhora de
um dos melhores fabricantes de Liverpool, vin-
dos pelo ultimo paquete inglez : em casa de
Sonthall Mellor d C.
mmtmmzm em-smm$mmm
Imperatriz n. 10
Yista.
Uua i\o Queimado n. 39
Lojade quatro portas
DE
JOAQUIM RODRIGUES TAVARES
DE MELLO.
Ha cortes do vestidos de seda de cores, fazenda
muito superior com pequeo toque de mofo a
603OOO, ditos sem defeito a 100000, tem um
resto de chales de loquim que esiac-se acabando
a 303000, di'os de mirin* bordados com ponta
redonda a 8S0O0, ditos sem ser de ponta redonda
a 89000, ditos estanpados com listras de seda
em roda da barra a 9&000, ditos de ricas estam-
pas a 7&000, ditos de ganga franceza com fran-
ja branca a 2000, ditos sem franja e muito
encorpado a 29000, ricos manteletes de grosdi-
naplcs preto e de cores ricamente enfeitados a
253000, ditos muito superiores a 309000, en-
feiles de vidrilho preto a 39000, ditos de relroz
a 33500, organlisda mais fina que ha no mer-
cado a 19000 o covalo, cambraias decores
de padroes muito delicados a 800 rs. a vara, ditas
Je oulras qualidades a 600 rs. a vara, ricas chitas
arncezas de muito boas qualidades a 280, 300,
320, e 400 rs. ao covado, a melhor que se pode
imaginar, peitos para camisa a 240 rs. cada urna,
cortes de casemira decores a 6J50GO, ditas em
"Einerivel a 22$.
Chapeos para senhoras, de seda branca
ricamente enfeitados e com veos : na lo-
ja de Guimaraes & Villar.
415,000.
Manteletes de fil prelos a 15, para
acabar.
A 15#000.
Vestidos de phantasia de 309, vende-se
por 153 para acabar.
A 5#000.
Manguitos de fil prelo com golla o me-
lhorpossivel a 59 para acabar: na loja
de Guimaraes & Villar.
A 5#O00.
Chapeos de sol de seda para homem
a 5$ cada um e em porco de urna du-
zia para cima lar-se-ha 10 por cento
de abate : na ra Nova n. 23, esquina
da Gamboa do Carino.
Ra do Queimado
n. 39.
NA
Loja de quatro portas
DE
JOAQUIM RODRIGUES TAVARES
DE MELLO.
Chegou ltimamente a este estabeleciment um
completo suriimcnto de chapeos pretos francezs-
do melhor.fabricante de Pars, os quaes se vene
dem a 79000, ditos a 89000, dilos a 9$000,
ditos muito superior a 109000, ditos de castor
dreos e breos a 169000, o melhor que se
pode desejar, chapeos de feltro a Garibaldi de
muito superior massa a 79000, ditos de copa
baixa para diversos precos, dilos de palha escura
de varias qualidades que se vendem por prec,o
barato, bonets de veludo para meninos a 59000,
ditos de palha escuras e claras a 49000, ditos
de panno muilo bem arranjados a 33500
chapeos de seda para senhoras a259000 muilo,
supericres, ditos de palha escuras proprios para
campo a 125000, ditos para meninasa 109000,
chapeos de sol de seda inglezesa 109 e a 129
muito superiores, ditos francezes a 83000,
ditos de panno muito grandes e bons a 4$000.
sapalos de volido a 29000. ditos de tranca a
19600, sintos de grugurao para senhoras e me-
ninas a 29000, coeiros de casemira ricamente
bordados a 129000, e oulras muita fazendas
que a vista dos
prar.
freguozes nao deixaro de com-
Campos ( Lima
receberam urna factura de chapeos de sold se-
da para homem, tendo entre estes alguns peque-
nos que serven) para as senhoras que vao para o
campo tomar banhos se cobrirem do sol, e como
LiquidacAo.
Por barato preco, para acabar, na ra da Im-
peratriz n. 40, outr'ora aterro da Boa-Vista, loja
da esquina do becco dos Ferreiros, vende-se novo
sortimento de fazendas para liquidar, a ser cam-
braias brancas, o mais uno que possivel, a pe-
ca a 39, 39500, 4, 4S500 e 59, cortes de mcia
casemira e brim lavrados brancos a I96OO e 2J,
toallias para rosto de nova aveneno a 640, cortes
de riscado francez com 12 covados a 293C0' cha-
les estampados de merino a 29500, e ludo o main
se vende barato.
^ -j Vende-se urna bella placa ou in-
signia de official da ordem da Rosa : na
ra do Cabuga' loja de ourives de Se-
rafina & Irmao, n. 9.
Vende-se um casal de escravos
por preco comraodo : na ra Direita
n. 3.
Chapeos de sol
DE
Seda grandes para homem
A 5$000,
na na Nova n. 36, defronte da igreja da Concei-
codos Militares.
Vendem-se saceos com farelo de Lisboa,
chegodo ltimamente: na travessa da Madre de
Dos n. 15.
. Cheguem ao barato
O Preguica esl queimando, em sua loja na
ra do Queimado n. 2.
Pp$as de bretanha de rolo com 10 varas a
2, casemira escura infestada propria para cal-
ta, collete e palilots a 960 rs. o covado, cam-
braia organdy de muito bom gosto a 480, rs.
a vara, dita liza transparente muito fina a 39,
49, 59, e G9 a pega, dita lapada, com 10 varas
a 59 e 69 a pec,a, chitas largas de modernos e
escolhidos padroesa2O, 260e280 rs. o cova-1
do, riquissimos chales de merino eslanpado a J
79 e 89, ditos bordados com duas palmas, T-
zenda muito delicada a 99 cada um, ditos com
urna s palma, muito finos a 89500, ditos lisos
com franjas de seda a 59, lencos de cassas com
Vende-se urna escrava prela, csioula, bo-
nita figura e moga; ne becco do Sarapatel n. 12.
Vende-se a laberna n. 35 sita na ra Im-
perial pertencente a Jos Lopes da Silva, os pre-
lendentes podom ir examina-la, e entenderem-se
com Ferreira & Maitins, travessa da Madre de
Dos o. 16, nicos autorisados para a venda.
Baratos calcados de tranca de
Lisboa a 18#000 a duzia.
Vende-se na loja da ra nova u- 1.
Baratos calcados de Mil-
lies a 13#
Vende-se na loja da ra nova n. 1*
Vende-se um terreno na ra Imperia, pro-
prio, com 110 palmos de frente, com urna casi-
nha de lijlos, cora rauito bella vista, desembar-
que alraz, grandes fundos al o no, aterrado e
promplo a edificar um grande esUbclecimenlo,
ou propriedades, que se vender com todo o fun-
do ou parles,assim como lauses de 30 palmos co-
mo convenha aos compradores : no mesmo lu-
gar, casa n. 222, a tratar com o proprielario Vic-
torino Francisco dos Santos.
Rap nacional D.
Pedro II da imperial fabri-
ca de Joo Candido de Mi-
randa, Rio de Janeiro.
No armazem de F. A. Bur-
le C, ra da Cruz nu-
mero 48,
vende-se champsnha das melhores marcas que
vera ao mercado, mais barato que em qualquer
outra parte ; cofres de ferro (burras) das que cos-
luma receber, do melhor fabricante que ha nesto
geuero, sortimentos de lodos os tamanhos e to-
dos os precos ; novo sonimenlo de pianos, de
um excelleule fabricante, que se venderlo por
conta do mesmo, doduzindo-se a commissao eo
descont que os tornas'se baratissimos.
geieese.ee sn3K mmmm
m A loja de iuarmore U
U recebeu vestidos de blonde bordado para S
q casamento. Je
A loja de marmore S
recebeu vestidos de seda de cores do ul- ti
timo gosto. &?
pKeKCKOK ^^^ aKflKOgfi
A loja de marmore
recebeu vestidos de phantasia do ultimo ?.
gosto. 5>
3| A loja de marmore
i? recebeu vestidos brancos de cambraia \
j&i bordada do ull.tto gosto.
MeeKMseiB mam ommmzm'i
A loja de marmsre
S recebeu mante.eles, rond?, taimas, pe- J
jX regrinas e mantas do ultimo gosto. '
A loja de marmore
, recebeu novo sortimento de bouruus be- !
douine para sahida de baile.
gfiKfiR QK8H eKMNK 9KM898
A loja de marmore
Este rap sem duvida o de melhor qualidade
fabricado neste imperio, acaba de chegar e ven-
de-se no deposito, ra do Vigario n. 23, escrip-
torio.
J arreios : na ra Nova n. 21. Qg
54' @-@
Afl AAA 1 I o ra vestidos, in.-luindo bicos de blund
Vende-se cera de carnauba da vellia
e nova safra a preco de 9,$ : no antigo
deposito do largo da Assembla n. 9.
a porrao seja grande se resolverlo vender pelo hanJ inri ion.(fin.,i.L
n,L'^ Ronnn .1....- ......a Darra a 10U iu e loo cada um, meias muito
finas psra senhora a 49 a duzia, ditas de
prego de 69 e 6S500, e alguns com pequeo de-
> ] fuito a 59 : na ra do Crespo n. 16.
Ra da Senzala Nova n.42
Relogios
Suissos.
4&

recebeu novo .sortimento de enfeites pa- S;
ra vestidos, inquirido bicos de blond.
A loja de marmore
recebeu novo sortimento de chapeos e 533
enfi'ites para senhoras. |s
Pao de Senleio novo.
Acha-se todas as quartas e sabbsdos, dos 11
horas do dia em c'iantc : em Santo Anaro, pa-
daria allemaa, e ra ra da Imperatriz n. 2, ta-
' berna.___________^____^_____________
Escravos fgido?.
Vende-se em casa de S. P. Jonliston &C
vaquelas de lustre para carros, sellins e silhes
qualidade a 39 e 39500 a duzia, chitas fran-
cezas de ricos desenhos, para coberta a 280 rs.
o covado, chitas escuras inglezas a 59900 a
pega, e a 160 rs. o covado, brim branco de puro
linho a 19, 19200 e 19000 a vara, dito prelo
,inglezes, candeeirose casiic,aes bronzeados, lonas | muiio encorpado a 19500 a vara, brilhantina
inglezes, fio de vela, chicote para carros, emon-1 a^u' a ^0 rs- o covado, alpacas de difierentes
taria, arreios para carro de um e dous cvalos ^res a **P rs-_ covado, casemiras pretas
e relogios de ouro patente inglez.
Era casa de Schafleitlin & C, ra da Cruz n.
boa 38, vende-se um grande e v de relogios de al^ibeira liorisontaes, patentes,
chronomelros, meioschronometros de ouro, pra-
ta dourada e oleados a ouro, sendo esles relo-
gios dos primeiros fabricantes da Suissa, que se
vonderao ror precos razoaveis.
Macas e peras
de todas as qualidades que existera em Portugal,
tanto em porco como a retalho, sem lemite do
prefo : vend-se nicamente no armazem Pro-
gresso do Duarte & Irmo, no largo da Penha
numero 8.
A 28400 o corte.
NO
Armazem de fazendas da ra
do Queimado n. 19.
Cortes de chita franceza pelo baralissimo prejo
e 2900, anles que se acabem.
Vendera-se duas moradas de casas lerrase
em Olinda, sendo urna na ra do Ampiro com
bastantes commodos, quintal murado, e estriba-
ra para 2 cavallos ; e a outra na ra de S. Fran-
cisco com hora quintal e cacimba propria para
quera precisar tomar banhos salgados por ser
a tra-
escada
pesca de quadrinhos a 49000 o covado, gollinhas l ,muil pcrl0,' ambas por Pre5 commodo ; i
ST2 .l "000'JhOl .U,rS I S!SRS S?0dDoraparo!
Loja das seis portas era
@^Se@@@@8 33@@@
@ Recebcu-se recentemente e con'inua a @
receber-se directamente de Paris e Lon-
drestDrtodososvapores.de encommen @
da especial, arligos de modas paro se-
nhoras na
f Lojade marmore. 9
@@@@@ @ @@ @@
Loja da seis portas em
frente do Livramealo.
Roupa feita barata.
Palilots de casimira escuras a 49000, ditasde
alpaca preta 49000 e 59(00, camisas brancas
ede cores a 29000, ditas de fustao a 29500
serolas muilas finas a 19600 e 29000, palilots
de brim pardo a 39000 calcas de casemira pre-
ta e de cores, palilots de panno preto sobre casa-
cas, colleles de casemira preta ede cores, ditos
de veludo preto e de cores ; um completo sorti-
mentode roupas feitas
Vende-se frco de todas 8s cures e grossuras,
com rame e sem elle a 400, 500, 640 e 19 rs. a
peca ; na ra do Queimado,
can. 16.
Do engenho Cutigi, freguezia da Escada,
fugio no dia 3 de novembro do corrente anno o
escravu de nomo Antonio, cora os signaos se-
guintes : estatura regular, cor mulato, cebello de
nrgro, pouca barba, denles limados, idade 5 ou
28 annos, pescoco e ps grossos, tem pelo rosto,
pesclo e peitos algumas marcas de pannos, e
algumas cicatrizes pelas costas que parecem ter
sido de chicote ; nao levou comsigo roupa algu-
na, e consta haver fgido para o lado o serio
d'iiide viera : qiem o apprehender, poder el-
va-lo ao referido engenho, ou no Recif<', rua es-
_ treila do Rosario n. 29, ao Illm. Sr- Fiorismun-
loja'da aguia bran-;*10 MarTiesLins, que ser bem recompensado.
Rua do Crespo
Fugiram
nc dia sal).lado 24 de noveffibro, os es-
cravos seguintes : Leonardo, pardo es-
curo, alto, bastante corpolento, falto
de dentesno queixo superior, com cica-
e 3a, vende- n ,
calar tas- IZ Um Panan^0 em um dedo gran-
ja a fijfitnn l^t ^a mSo esquerda, tem falla muito
bardados'ricos a 3>000, manguitos de cambraia
bordados a 39C00, liras bordados e enirimeios
que se vendem por preQO commodo, bombazil de
cores proprio para roupa de crianzas, e capinhas
para senhoras a 19400 rs. o covado, cortes de
cambraias de salpicos a 59000, cortes de cam-
braia enfeiladas com tiras bordadas a 69OOO,
e outras muilas mais fazendas que ser difcil
aijui pode -las mencionar todas.
Gama & Silva,
na rua da Imperatriz, outr'ora aterro da Boa-
Vista o. 60, vendem para liquidar-se as fazendas
seguintes, por menos de seu valor.
Cortes de vestidos de la o seda a 139, pecas
de bretanha com 10 varas a 49, ditas de rulo cm
10 varas a 2$", chalys de cores muito bonitos, co-
vado a 800 rs., folar do soda lindos padrocs a 800
rs., laazinhas de quadrinhos e muito linas a 400
rs. o covado, ditas bareges de quadros o covado
a 230, merino de urna s cor para vestido a 320 o
covado, chitas francozas escuras o covado a 240,
260 e 280, riscados iargos francezes o covado a
200 rs., mussulinas matizadas o covado a 200 rs.,
cassas francezas para vestidos o covado a 240, e
dilos multo finos a 300 rs., corles de riscados
inouslros para vestido a 39, cambraia de salpico!
muito fina a vara a 800 rs. ditas brancas e de cor
a 400 rs., enfeiles de vidrilho pretos e de cores a I
3g, gollinhas de Iraspisso muilo finas a 39, gros- |
denaples muito cncorpados o covado a 2j, dC tu-
dosedao amostra;, ficaodo penhor.
Loja das seis portas em
frente do Livrameiiio.
Covado a 200.
Chitas largas de bonitos gostos a 200 rs. o
csalo, ditas eslruitas a imitaco de laazinhas a
160 rs., cassas do salpicos brancas e de cores a
200 rs. o covado, pegas de esguio de algodo
auito fino a 39 a pega, ditas de bretanha de rolo
com 10 varas a 29, riscadinho de linho a 160
:s. o covado, chahs de merino eslanpados a 29,
lencos brancos com barra de cor a 120 rs. ditos
tom bico a 200 rs. algodao monstro de duas lar-
juras o melhor que possivel a 640 rs. a vara,
nussulina encarnada a 240 o covado, fil de 1-
1 lio prelo bastante largo. A loja esl abena al
15 9 horas da noite.
Grammatica in-
gleza de Ollendorff.
Novo methodopara aprender a lr,
a cscrever e a fallar inglez em 6 mezes,
obra inteirament nova, para uso de
to los os estabelecimentos de instruc-
co, pblicos e prticulares. Vende-
se napraca de Pedro II (antigo largo
do CoU'egto) n. 37, segundo andar.
frente do Livramento
Covado a 200 rs.
Chitas largas de bonitos gostos a 200 rs. o co-
vado, ditas estrellas de cores escuras a 160 rs ,
pegas de bretanha de rolo com 10 varas a 29,
dilas de esguiSj de algodao muito fino a 3$, ris-
cadinho de linho a 160 o covado, lencos brancos
com barra de cor a 120 rs, ditos brancos com bi-
co a 200 rs., algodao monstro com duas larguras
a 640 a vara, laazinhas de duas larguras, fazenda
nova para vestidos a 500 rs. o covado, enfeiles de
tranca com lago de fita para cabega de senhoras
a 29500, cortes de riscado para vestidos a 2g, pe-
cas de raadapolao com 4 1|2 palmos de largura a
49<00, chales de merino eslampados muilo finos
a 69. A loja est abarla at as 9 horas da noile.
Carros.
Vendem-se 2 ricos carros, um grande c outro
pequeo, bem aparelhados e elegantemente pin-
tados : na largo do Corpo Santo, cscriplorio de
Manoel Ignacio de Oliveira & l'ilho.
A loja de marmore
receben enfeites de plumas brancas e de
Cores para cabega de senhoras.
Tachas e moendas
Braga Silva & C., tem sempre no seu depo-
sito da rua da Moeda n. 3 A, um grande sorti-
mento de lachas e moendas* para engenho, do
muito acreditado fabricante Edwin Rlaw a tra-
tar no mesmo deposito ou na rua do Trapi-
che n.4.
cores a 360 rs. o
finas a 2950O, 39 e 39500 o covado, cambraia
preta e de salpiccs a 500 rs. a vara, e outras
muilas fazendas que se far palenle ao compra-'
dor, e de todas se daro amostras com penhor.
Relogios.
Vende-se em casa de Johnslon Pater & C,
rua do Vigario n. 3, um bello sortimento de! loja n. 25 de Joaquim Ferreira de S, vende-
relogios de ouro, patente inglez, de nm dos mais e por pregos baratissimos para ac
afamados fabricantes de Liverpool ; tambem tidos de tarlalana bordados de seda a 89C0O,.
urna vaiiedade de bonitos irancelios para os'organd de cores muito finas a 320 rs. co-j"131158' e sempre'que lalla e iindc-se,
mesmos. | vado .cassas de cores a 240 rs., chita Idrga a i 'evou alguma roupa de seu uso, e tam-
20O, e 240 rs., capas de fustao enfeiladas a bem roupa engommada de seusenlior,
590C0, easavequts de cambraia e fil a 59000, stndocamias, tenris, meias, etraves-
penleadores de cambraia bordados a 6f000, j seiro ; Sinao, pardo, baixo, cabellos
babados a 3'20 rs. a vara, tiras bordada|mui- corridos, com todos os dintcs, marcado
to finas a 195(0 a pega, riscado francez fino de bexigas pelo corpo, com peuca bar-
[ rs. o covado, golinl as de ponips hor- ba, quando anda puxa por umpe.na-
a2950O, manguitos le cambrai,.e fil riz ato, pescoco bastante enterrado,
a 29000, canusinhas bordadas minio finas a -
i 29000, chita larga com lustro e muile fina
propria para coberta e roupes a 320 rs., es-1
'guiaode linho a 1,5200 a vara, roupes dc "tre, urna camisa branca, urna dita
N. 19.
Armazem de fazendas ba-
ratas, na rua do Quei-
mado.
a
dadas
riz chato,
levou alguma roupa de seu uso, sendo
urna calca branca, sapatos de ce uro dc
seda eiles a 12900C, vestidos de seda mofados
a 89000, luvas arrendadas a ICO rs. o par,
; vestidos de grosdcnaple pretos com barra de
a 109 cor a 20000, palitos de pao pelo e de ccres
I de 16000a -0900, scbrccasacas depann0
antigo
(lepo-
Ruada Senzala
sito do gelo.
Vendem se barricas com macaes de
muito boa qualidade vin Jas no gelo a
6.*; a barrica, assim como o gelo a 4$ a
arroba, o deposito estara' aberto todos
os das das 9 horas da manhaa as 5 da
tarde.
ARMAZEM DE EOUPA FEITA
Defronte do becco da Congregago letreiro verde.
Casacasde panno preto a 309, 359 e 409000
Sobrecasacas de dito dito a 359000
Paleiots de panno prelos ede cores a
209, 259, 309 e 359000
Ditos de casemira de cores a 159 e 229000
Ditos de casemiras dc cores a ~9 e 129000
Dilos de alpaca prela gola de velludo a 129000
Ditos de merino setim preto e de cor
a 89 e 99000
Ditos de alpaca de cores a 39500 e 59000
Dilos de alpaca preta a 39500, 59,
79 e 99000
Ditos de brim de cores a 39500,
49500 e 59000
Dilos de bramante de linho brancos a
49500 e G90C0
Caigas de casemira preta e de cores a
9, I09e 129000
Ditas de princeza e alpaca de cordae
pretos a 59000
Ditas de brim branco e de cores a
29500 49500 e 59000
Dilas de ganga de cores a 39000
Ditas de casemira a 59500
Colleles de velludo decores muitofino a
Dilos de casemira bordados e lisos
prelos e de cores a 59, 59500 e
Ditos de setim prelo a
Ditos de casemira a
Ditos de seda branca a 59 e
Ditos de gurgurao de seda a 59 e
Ditos de fustao brancose decores a
39 e
Ditos de brim branco e decofesa29e
Selouras de linho a
Dilas de algodo a 19600 e
Camisas de peitode fuslo branco e
de cores a 29300 e
Dilas de peilo e punhosde linho mui-
to finas inglezas a duzia
Dilas de msdapolao brancas e de cores
a 19800, 29e
Dilas de meia a 19 e
Relogios de ouro patente eorisonlaes
Ditos de prata galvanizados a 259 e
Obras de ouro, aderemos, pulseiras e
rosetas
109000
69000
59000
39500
69000
69000
39500
29500
29500
29000
29500
359000
29500
19600
9
309000
Ricos cortes de gaze de seda e phanlazia com
duas saias, (pela terca parle do seu valor
cada corle.
T I muilo fino a 259(00, calgss de casemira prea
LenCOeS e CODeriaS. e decores de 69OOO a 1(9000, dilas de brim
Lencoes de bramente, dito de panno de linho, branco e de cores de 25000 a 5*CC0, nalitc
cobertas a chineza pelo barato preco de lgSOO.
Vestidos de seda.
Ricos vestidos de seda para meninos e meni-
nas, fazenda superior, feitos no Rio dc Janeiro
por urna das melhores modistas, e pelo barato
prego de 89.
Chitas francezas.
Chitas francezas proprias para casa por serem
escuras, e dilas claras a 220 rs. o covado.
Colchas de fuslo.
Grandes colchas de fuslo com ricos lavores a
5500
Chales de merino.
Chales de merino bordados, franja de seda, a
59500, dilos eslampados a 3100.
Paletots escuros.
Palctots escuros a 2600 cada um, cambraia
organdys a 500 rs. a vara, dilas muito finas a
j 640 rs., baloes de mal ha a 5g, dilos tapados a 4$,
1 lencos brancos a 1J800 e 2g, algodao com 8 pal-
mos de largo a 600 rs. a vara.
Ricos manteletes.
Os mais modernos manteletes pelo preco de
30^000
Loja das 6 portas
em frente do Livramento
Laazinhas a 500 rs.
Camisinhas muilo bonitas com duas larguras
para vestidos de senhora a 500 rs. o covado, cor-
tes de riscado francez para vestido a 29, sa;as
balao parr menina a 39500, ditas para senhora a
4500e 59 ; d-so amostra com penhor. A loja
esl aberla al as 9 horas da noite.
Vende-se uvas
boas, e por prego
Rosario n. ti.
OT&
da ilha de
commodo :
'Ct
Itamarac muito
na rua estreita do
Farelo a 3#500,
em porgao se far abatimeuto : na taberna da
estrella no largo do Paraizo u. 14.
Vende-se um cabriolet de 4 rodas, 4 as-
seutos, com um bom cavallo, pelo prego de 4009:
na rua Nova d. 22,
Ainda contina a estar para se vender,
permutar por casa nesta cidude, e em ultimo ca-
so, arrenda-se a quena Dzer as obras e conoerlos
que a casa precisar, sendo descontada a quantia
gastado aluguel que tiver de pagar, o sitio da
travessa do Remedio na fregueiia dos Afogados
n. 21 ; quem o pretender, enteuda-se com seu
proprielario na rua de S. Francisco, como quem
vai para a rua Bella, sobrado n. 10, ou na alfan-
dega, aonde empregedo.
de brim branco e de cores de 29500 a 5900o
dilos de alpaca de 39000 a 89000^ ^^
transado de algodao com 9 palmos dc largura
proprio para loalhas a 900 rs. a vara, damas-
co de la com 9 palmos de largura a I96OO0
covado, velbulina prela a 400 rs., brim de
linho de cores a 15500 o corle, meias cruas
para homem a 15200 a duzia, camisas de
linho inglezas a 329000 a duzia, pegas de
madapolao fino a 49500, corles de lanzinha
muito fina com 15 covados a 8^000 rs., ca-
misas de cores e brancas de 15C0 a 35000,
e outras muitas fazendas por menos do sen
valor para fechar conlast
Exposico
NIETAE
E' chegado ultimamenle a este estabelecimen-
to um riquissimo sortimento de metaes que mui-
to dever agradar aos compradores que preci-
saren! : da rua Nova n. 20, loja do Vianna
Machinas e outros objec-
tos americanos.
N. O. BIEBER & C. SUCCESSORESteem expos-
to nos armazens, rua da Cruz, n. 4 e 9, nma in-
finidade de machinas e outros artigos como sa-
jam :
Machinas do moer caf e milho.
dem dedescarogar milho.
Bombas de todas as dimensdes para cacimbas,
navios, etc. etc.
dem para levar agua a maneira das bomba
para incendio.
Machinas de fazer assucar de um modo muito
simples.
dem de fazer bolachinhas.
Balangas de 1000 arrobas para baixo, proprias
para armazens de assucar, depsitos, tabernas,
etc. etc.
Carros de mao, mais baratos do que em outra
qualquer parte.
Mappas geographicos dg mundo e suas parles.
I'(Trmenlas de toda a qualidade.
Cadeiras americanas, douradas e outras.
{.Obras de metal principe prateado.
Ferros de engommar, econmicos.
Verniz para carros dc ptima qualidade.
Rap caco.
Fumo para cigarros e cachimbo.
Instrumentos para agricultura.
N. O. Biebr & C. Succrssores e Domiagos Al-
ves Maihes, administradores da casado fallecido
Marcolinode BorjaGeraldes, participan) aos de-
vedorea do mesmo fallecido, que incumbiram o
Sr. Bernardino de Sena Dias para promover a co-
branga.
ce iscado ce algodao trancado de (na-
dies amarelios, e urna calca dc lgodao
trancado de listas escuras, e clif peo do
Chil> pintado cor de ganga, anbos es-
tes escravos o ilhos de sei toes do Cca-
ra' : foram calcados e intitulam te for-
ros, tendo sido vistos em seguimento da
estrada i>ova do Caxanga' na mesma
noite da lega : sendo generosamente
gratificado quem os levar a rua do Des-
tino casa terrea de dous portoes nume-
ro 16.
Escravofugido.
Un mulato claro, mapto, cem pannos prrlrs
na maraa do roslo, representando ler 55 annos
deidade, natural do Rio do Veixe, chamado
Luiz, desapparCeu no dia 30 de outulro da rasa
do Dr. Cosme dc S Tereira, de quem escravo ;
rappoe-ae ter levado um eavallo prelo do Sr!
ostrn que se hsvia sollado, e que elle fora
em busca do roesmo ; suppe-se mais que sua
mulher de nome Maria lan.bem o acompanha,
levando un pequeo bah de flandres : roga-se
as autoridades policiae e a culras quaequer
pessoas que o prendam, e remellara ao seu se-
nhor, que pagar qualquer despez.
Desapparcceu desdo o dia 23 de solembro
prximo passado um escravo de nome Luiz, ofli-
cial de chapelleiro, idade de 23 annos. pouco
nnis ou menos, estatura alta, rosto regular, cor
prela. Desde que largou a fabrica da rua da
florentina (em fevereiro prximo passado), as-
sisiio como ganhador na rua da Praia. Suppc-
seque elle se diz livre. Roga-se as autoridades
policiaes e capites de campo de captura-lo onde
quer que o encontr e traze-lo rua da Cruz n.
22, botica franceza, onde ser generosamente re-
compensado.
Escravo fgido do Rio de Ja-
neiro 110 vapor Milford
Ha ven..
Desappareceu no dia 28 de outubro do corre-
le anno, do poder de Joo Antonio de Miranda
Vasconcellos, do Rio de Jaueiro, o escravo pardo
escuro de nome Honorato, que representa ter do
25 a 30 annos, estatura ordinaria para baixo. cor-
po reforgado, hombros largos, roslo pequeo,
lesta baixa, pouca buba, cabello carapinho e
olhos pretos, sabe ler alguma cousa, tem cfficio
de cocheiro e, tambera de pedreiro, natural do
Para mas lamber diz ser do Maranhao, o qual
obteve passaporto na corte como cidado Brasi-
leirocom o nome de Jos do Porto, para Lisboa
se seguio no mesmo dia a bordo do vapor Mil-
ford llaveu, por .-m nao obstante ter tom ado e
pago passagem neste vapor para aquella cidade,
muito de suppor lenha desembarcado nesta
provincia para daqui seguir ao Maranhao ou Pa-
ra d'onde foi para o Rio de Janeiro em 22 de
novembro de 1856 com o passaporle afliancado
por Jos Joaquim de Gouveia e Silva e renetlido
a Novaes & Passos, lendo j anteriormente ido
a corle como criado de um Sr deputado : roga-se
portanto as autoridades policiaes ou a qualquer
pessoa que delle der noticias de se entender
com Azevedo & Mendes rua da Cruz n. 1, que
se gratificar generosamente.
Fugio de bordo do brigue brasileiro Cama-
coarn o prelo marioheiro de nome Pedro, do
Benguella. idade de 40 annos, estatura regnlar,
Com os ps inchados ; levou camisa branra com
golla azul e calca de algodo riscado, bonet de
panno preto com fitas atraz de amarrar : quem o
prender e o condazir i bordo do mesmo navio,
on rua da Cruz n. 3, ser recompensado.
=?75FKS


r-8)
DIARIO DE PERNAMBUCO. SEXTA FE1RA 30 DE NOVEMBR6 D ,80.
Variedades.
NAUFRAGIOS.
Segn Jo a Shipping-Gizetle, o numero do
tnufcigioj relatados as suas columnas durante
raei 'le setembro ful de 103. No mi de janei-
rj acontecern 229 ca fevcreiro 151 ; em mar-
188 j em abril 13) ; era raaio 12 ; em junho
1 i' ; em julho 6) ; e era agosto 96 : o que d
no oresente anno a totalidade do 1:211 naufra-
CASVUENTO.
Dentro em pouco vae casar a joven ptincaza
Chrialina, do 20 annos de odade, tilha da rai-
nha Christina, com o marquez de Campo Sagra-
do filho, que occupa um elevado posto na diplo-
macia, e cuja residencia habitual as Asturias
F.sle casamento foi annunciado n'um banque-
te que ulliraamente dcu no palacio de Malmai-
son a rainha Christina, e ser celebrado na ca-
paila do mesmo palacio.
Anda nao esl fxada a poca em que doveve-
ricar-M o consorcio, mas no dia 23 do mezpas-
aado j se fez a publicaco do casamento na egre-
j i Je Reuil.
GRANDES SINISTROS EM CONSTANTINOPLA.
Escrevem cora data do 17, de Constantinopla,
q te ba muito lempo se nao vio urna lerapestade
lao espantosa como a quo rebentou sobre aquel-
la cidade na manhaa de 10 do mez passado.
Anda Ve nao podem determinar, diz urna car-
ta, as desgranas que occasionou ; sao ncalcula-
v i. ft.coia-sc pela sorte dos vapores da cotu-
pi nia fran;o-serva, que no dia anterior linham
sabido para o mar. Para complemento das des-
gracia, na mesma noite declarou-sc um violen-
te incendio no meio do porto. Porderara-so cin-
coenta navios ; a esquaira turca pouco falln
para Bear destruida, o Calata salvou-so por mi-
lagre. Nao se pule determinar so este iacenJio
foi obra da casualidado ou da m intengo ; po-
rcm os incendios succelem-se com tal rogulari-
dade que tudo induz crcr que nao sao casuaes.
C03TUHES PBLICOS DE IXGLATERA.
o Correio de Londres, que publica a Revis-
ta europea, revela alguns pormenores inleres-
santea sobre as finanzas e coslumes pblicos na
Inglaterra.
.Mr. Disraeli, sir George Grey e lord Glenelg re-
m urna pensao de 2:000 libras (9:0002000
res), na qualidade de antigos ministros.
Cinco ex-lords chancellercs recebem libras
5:0 0 por anno.
Era Inglaterra, quando se supprime um lugar,
acuelle que o occupa ao lempo da supprcsso,
contina receber o seu ordenado em quanto
vivo.
Assira, o conde de Ellemborough lem direilo
urna pensao annual de 7:680 libras, como an-
' > primetro agente do tribunal do banco da
ha, e o reverendo T. Turlow, ex-guarda do
Lssouro, cujo emprego foi abolido ha muitos
annos, contina receber 4:021 libras.
Alguna dos pensionados do Estado parecem
d 'alus de urna longevidade muito cara ao paiz
i:.' 60 annos que no existe a anliga cmara dos
li.rJs de Irlanda e aluda no orcamento inglez G-
g iram os nomes de dous empregados d'ella.
GRANDEZA DE APLES.
A cidade de aples conta 180 conventos de
mulheres, 200 conventos de homeus e egrejas
o'esla proporrao.
Tem quarteis quo acommodam umi guarnicao
do 20 25:000 homens.
protege' a ^edra porosa contra a efflorescencia,
mas que pJe serempregada em carnada tao te-
nue, quencm rauda a cor original dos raateriaes
de construc.ao, nem prejudica de modo algum os
ornatos da pedra lavradi.
Outra vantagera que a substancia pouco
dispendiosa c de fcil preparado. Mr. Szerel-
tney diz que tiran a ana d6scobcrli das pyrami-
des e.outros antigos monumentos da arcliitectura
dos Egypcios.
Com o seu liquido elle quer tornar, r.o s a
pedra, mas tambera a madeira, os melaes e ole
os proluctos da massa de papel, por til modo
duro3 e resistentes agua, que se poderao fazer
casas, canos d'agua e boles da massa do carlao 1
Deu o nome de silica xopissa sua composi-
gao, que o vae por no caminho da riqueza.
INCENDIO DE UM VAPOR.
O vapor Connaughh, da real companhia do
Atlntico, foi devorado pelas chammas na sua
viagem de Galway para a America. Esto des-
granado aconteciraentooccorreu 7 do mez pas-
sado, 150 miadas da altura do Boston. O fugo
foi causado por se ter eilo urna abertura no de-
partamento da machina no dia anterior, pene-
trando o fogo no interior e conflagrando todo o
navio.
A' seu bordo iam nada menos de G7 pasaagei-
ros e 12 homens de tripolacao. Fcil imagi-
nar qual seria o terror d'estas pobres creaturas
ao acharera-so com um incen lio bordo no
meio do ocano e com a rocordacc da Lady
Elgin, ainla fresca. Afortunadamente quiz a
Providencia que passasse ao mes rao lempo por
ali oulro navio, que salvou tola a gente e as
malas, ainda que, tanto a tripolacao como pas-
sageiros, perderam ludo quanto "levavam com-
sigo.
DESCOBF.RTA.
Ha muitos annos que se trata em Inglaterra
de procurar qual ser a substancia ruis conve-
niente para garantir os edificios do parlamento
contra a influencia deleteria da atmosphera de
Lo idres.
A commissao nomeada ad hoc decidiu-se pelo
melhodo indicado por um Hngaro emigrado,
chamado Szerclmey, que foi comprehendido na
capitulagao da guarnigao de Consoro, e que des-
de csse lempo tem residido a raaior parte do
tempo em Inglaterra.
Este Hngaro foi cncarregado de applicar to-
dos os edificios do parlamenta a composigao por
elle inventada, c de que s revelou o segredo
Faraday e algumasoutras pessoas competentes,
que declararam ser a melhor, porque nao s
MARAVILHvS.
Nos Estados-Uoidos, o luxo exterior marcha
par do conforto interior. Ria a descrpeo
d'uraa loja Je joias, que ltimamente se abriu
em Broadway, na cidade de New York. Eslo es-
tabolecimento occupa todo um edificio, ou antes
palacio de marinte, cuja construego nao cus -
tou menos de duzentos mil dolan. Este pala-
cio, cheio de ouro e pedrarhs, lem seis andares.
Os materiares do edificio sao nicamente mar-
moro e ferro, o que o poe prora de fogo.
A archileclura do eslylo corintheo, c o in-
terior est em re icao com a fachada.
Os tres primeiros an lares sao destinados para
a exposicao e venda das jutas, e os oulros tres
sao ocenpados pela oflicina.
O primeiro andar consiste om um salo de 90
pos de comprimento e 45 de largura. O pavi-
mento todo de marmore branco.
Ha all dez mostradores tambera de marmore
branco, e tao polido, que ple servir de espo-
Iho s damas. As eaixaa das jotas sao de pao
de bano, cora dourados, forman lo contras'.e
com a brancura do pavimento e lecto. Os vidro3
das tabolelas sao urna s peca, de 15 ps de al-
tura, com 9 ps o duas polegaias de largo. Fo-
ram fabricados em Franca. O lelo o todas as
escadas sao de marmore de [talla, sustentados
por columnas de ferro.
Urna machina de vapor da Torca de 3J caval-
los foi collocada n'uma das fojas, e serve para
aquentar o edificio e por em nmimcnio os ins-
trumentos das oILnas da fabrica.
No basemenl ( por baixo do slo ) ha um im-
nieuso cofre forte destinado receber em depo-
sito os objectos preciosos dos freguezes da casa,
quando se ausentara da cidade. Tal o es-
plendido edificio, verdaderamente nico no
mundo, onde todos os dias se agglomera urna
multido de ladies, em cijos olhos brilha o
desejo de se enfeilarem com as joias que ali se
ostentan).
A populado da Stberia, comprehen'dendo os
povos nmades de Kasan, Astrakan e Oreoburg,
de 4 mllhes.
AMOR MARCIAL,
O Almanak illuslrado dos Dous Mundos conta
que era Harllepool ( Inglaterra j se formou uro
corpo de mu'heres voluntarias que, todas as se-
manas, se exe'cilara do manejo de carabina, na
escola de Pristick. Mr. Stephenson, sargento
instructor do governo no corpo de artilharia, foi
o encarregado da in3lruccaa militar dos volunta-
rios femininos.
A' principio tudo ia bem, porm nao tardou a
discordia no bando gracioso dos mimosos c ro-
sados soldados. O sargento instructor, que -ura
bello rapaz, Inspirou a mais violenta paixo ao
cabo raiss Fanoy II... Desgragadamente, miss
Fanny nao era o nico soldado da sua compa-
nhia cujo coraco se achava impressionado do
ar marcial e da belleza masculina do sargento
Stephenson. Houve explicacoes, o as damas
militares passaram das palmas s obras, ha-
veno em um s dia 3 duellos. Segundo toda a
probabilidade, ou o corpo de voluntarios mu-
lheres de Harllepool ser dissolvido, ou o facho
da discordia, o bello Stephenson, ser transfe-
rido para o seu anligo regiment, e substituido
por algum respeitavel invalido.

ESTATISTICA.
Depois da guerra da Crimea, fez-se tira recen-
seamenlo eral na Russia, que se concluio lti-
mamente, dando os seguiules resultados :
A Russia conta 79 milhes de habitantes. O
sexo feminino apresenta, com relaro ao mascu-
lino, ura excedente de 1 niiho c 730:000 almas.
As classes inferiores, serros, pequeos negocian-
j tes e artistas, formam um total do 53 milhes c
I meio. A nobreza conta porto de 1 milhao. A
nobreza possue ainda2 milhes de servos.
FOOEETOl
o
GIY LEVINGSTO^E
ou
A'TODO TRANSE
POR
Jorge Alfredo Lawrenee
PAS0UIM NOTAVEL.
Em marco de 1706 appaieceu as esquinas das
ras de Madrid o seguinle pasquim :
A Hespanha, est por ludo;
A Allcmanha, quer tudo ;
A Prussia, topa tudo ;
A Inglaterra, enreda ludo ;
A Russia, logra ludo ;
A Suecia, empilha tudo .
Na Polonia, l vae tudo ;
A Hollanda, paga tudo ;
Na Sardenha, gemo ludo ;
A Suissa, aproveita tudo ;
Portugal, receia ludo ;
A Dinamarca, observa tudo ;
Roma, benze ludo ;
A Franca, zomba de ludo ;
Se Deus nao remedeia tudo,
Leva o diabo tudo.
Posloque lenham decorrido sessenta e q uatro
annos depois quo escreveram este pasquim, ain-
da hoje podiam appltcar-se, sem modiGcago, al-
gumas das suas alluses.
MORREU A PROPOSITO.
Falleceu em Constantinopla a hasnadar ha-
uoutn (thesoureira) do palacio, beixou urna im-
mensa fortuna, que se calcula om 150 milhes de
piastras, que osullao herda.
A hasnadar henoum era urna escrava. A in-
fluencia desta mulherera considerarelno palacio,
e, por mais de urna vez, o seu nome andou in-
volvido as intrigas ministeriaes.
A heranca vem muito proposito para o sul-
tao, queestava^ ponto de mandar a sua baixella
para a casa da moeda.
O CONDE DE PARS.
O conde de Taris, neto de Luiz Felippe, an-
dando no dia 13 caga, em Claremont, o seu ca-
vallodesenfreiou-se, eo priucipe, temendo des-
pedagar-se uas arvores, lancou-se abaixo 6 que-
brou urna canelb. Quando o conduziram n'uma
padiola, a rainha Maria Amelia, que eslava ja-
nella, sentio-se atorrada por um triste present-
ment, recordando-se da data do 13, tao funesta
para a sua Camila.
A reduccao da fractura foi operada as melho-
res condices possiveis.
COUSAS IIORRIVEIS.
As noticias da costa do Ouro, (frica), de 16 de
setembro, dizem que a carnagera em Dahomey
para festejar a asceocao do novo re ao throno',
foi muito raaior do que se linha annunciado. Fo-
rana sacrificadas militares de victimas. Um na-
vio desembarcou na costa 1,500 escravos. Es-
tacionava ali um navio de guerra inglez, que nao
eslorvou o desembarque, porque eslava longe de
suspeitar que os 1,500 desgranadas estavam vo-
lados morle. Alguns Ingleze3je oulros Euro-
peus foram encarcerados por nao quererem assis-
lir s festas c regosijos sanguinarios.
Elle ficou mmovel, com as negras sobrance- Nada, responden Levingslone com um tora
lnas inclinadas para o chao, com os bracos cruza- decidido. Se as desculpas e explicacoes servis-
tr.omenlo parecer notar nos dedos
que procuravain tocar-lhe a
XX
(Conlinuacao.)
A voz so llie alterara ao pronunciar estas ulti-
mas palavras, e elle acabou por urna surda ornea-
ra ; sua fronte eslava sombra e contrahida pela
colera.
Seria por ventura o effeilo de sua imaginaco
excitada, ou o de urna nuvom, que passou justa-
mente nesse momento pela la ; mas elle julgou
ver tremerem os labios de Constancia. Se assim
foi, licae certo que nao foi o medo, que causou
cssa emoco, assaz desculpavel nessa circumslan-
cid ; foi nles, creio eu.a angustia de um pezar,
a consciencia de haver obrado sem reftexo; e
Calvez tambera que a obslinacia desse coragao,
que ella outt'ora domara, livesse alguroa cousa
de svrapalhico para seu proprio peccado ca-
pital".
Ou prefera ella selvagcns amcafas frios sar-
casmos ?
Como quer que fosse, ella responden com
mais dorura do que dera at ento suas pa-
lavras :
Acredito-vos, mas vos raeconheceis bastan-
te para pensardes que urna ameca possa ter sobre
nim alguma influencia, entretanto nada temei,
cu nunca procurarei a felicidade neste mundo.
Para o futuro chorareis certas cousas que hoje
me haveis dito. Interrogae vos mesrao, quan-
do ou vos tivesse amado, como parecis cr6-lo,
mais que f salvaco de mlnha alma, teria sido
dilTerenle o resultado ? Agora, muito tarde
para nos dizermos outra cousa que nao seja
adeus. Adeus, pois 1 Recusareis vos dize-lo
como eu, com bondade, ou ao menos sem colera,
Cuy?
Ella parou ura iuslante entre estas duas ultimas
palavras, e seu accento de supplica quasi que fa-
zia pena.
Era preciso que em Levingstone houvesse urna
f is :imr)o estranha, porquanlo, despeilo da dor
desla sania mulher, nenhuraa outra crealura hu-
mana teria obtido urna semelhante concessao
da caridade chrstaa de Constancia Brandao.
Se Cuy livesse entao fallado como de/ra, creio
que ludo se teria podido leparar ; mas o demo-
nio da colera fervia nelle e obstinava-se nao
soltar sua preza.
() Vide Diario a. 276.
dos, sem um
encantadores,
man.
E' verdade que nao ha cousa que torne um ho-
mem nfais intlexivel, do que a consciencia de ter
feito urna ferida profunda.
Elle ouvio um suspiro desesperado, como o
de Franceses moribunda, vendo repellida sua
supplica suprema, e vio urna sombra ligeira fugr
travez da relva iluminada pelo paludo claraoda
la.
Quando crgueu a cabeca achou-se s, como
.Alo sobre a borda do mar, para julgar o comba-
te que so travava j entre os remorsos de sua
consciencia e a dureza de seu coraeo.
Ninguem nessa noile vio mais Levingstone.
Constancia entrou sozinha nos saloes, onde ape-
nas sua ausencia fra notada ; e durante o pouco
tempo que passou ah ainda, ninguem poderia
adevinhar pelo seu rosto que ella Irazia o cora-
cao despedogado, bem como Napoleo nao sou-
be que o ajudanle de campo, que Ihe Irazia a no-
ticia da victoria de Lanues, tinha sido quasi cor-
lado em duas parles pela metralha.
ra
Ib
si
no.
XXI
Ella era tmida e julguei-a
fra ; julguei-a altiva e fugi
para alm dos mares ; eu esla-
va cheio de loucura e colera,
emquanto Helena Adair morria
por mim.
Quando enlrei na manhaa do dia seguinle no
quarto de Levingstone, achei-o s. Elleappoia-
va negligentemente a cabega no encoslo da vasta
poltrona, na qual eslava entendido, seu roslo so-
bresahia ao velludo vermelho, e elle pareca trans-
tornado e horrivelmente fatigado-
As nuvens rspessas e azuladas da fumaga de
seu charuto lurbilhonavam em.torno delle como
um nevoeiro da Escossia.
Em urna mesa eslava um monte de ouro e no-
tas de banco.
Elle acabara a noite em seu club, onde jogra
sem de alguma cousa, pens que era honlem
noite que se devia tratar disso. Vos nao de-
sejareis, supponho, que cu me humilhe sem pro-
veito algum.
Nada tinha responder-lhe; eu comprehendia
minha incapacidade, e a inutilidade de meus es-
forgos : eu ficava immovel na mesma hora em
que se realisava urna desgraca lerrivcl, vendo.s-
menle no futuro sombro desgracas para GuyJ
isolamento e desastres para Consla'nga.
E entretanto, eu nao encontrava raciocinio neti
conselho que podessem ser da menor ulilidade.
Senta faltar-me o animo, o fiz urna p3usa antes
de responder sua ultima pergunla. Em-
fim quasi sem pensar deixei escapar estas pa-
lavras :
Ah I como podereis vos dar conta Deu
e aos homens, do que tuestes noite pas-
sada ?
Citei, sem refleclir, o grito da viuva do Cove-
nantario, quando de joelhos junio do cadver do
marido ergua a cabeca para olhar Claverhouse,
de frente, com esses raesmos olhos tirstes, que
se cobtiam semprc de urna nuvem depois de ter
visto brilhar os relmpagos dos tiros de cara-
binas.
Mas, Guy lembrou-se disso, e respondeu-me
logo com as mesmas palavras de seu hroe lavo-
rito :
Saberei satsfazer perfeitamente qual-
quer hornero, e regularei cem Deus a minha
conta.
Muitos annos depois, ambos nos recordamo-nos
desse fatal desafio, quando o infeliz iazia na im-
potencia merc do Todo Poderoso," quera elle
tinha.ousado aTronlar.
Nesle int-rim entrou seu criado, que se oceu-
pava activamente da partida.
Willis era um hornera de acanhada apparencia,
pequea estatura, e de uns cincoenta annos pou-
1 co mais ou menos ; elle tinha a cor terrena e in-
j definivel, pouca barba grisalha, raspada com gra-
ga, pesuas e sobrancelhas extremamenle bran-
um lansquenel ^encarnigado, muito tempo depois,cas o raras, o que dava sua physonomia ura
aspecto vago e incompleto.
A expresso natural deste roslo era urna baixa
e maliciosa astucia ; mas elle possuia um tao
perfeilo imperio sobre suas feices e sobre 6eus
pequeos olhos verdes, que estes,regragcral,
nada linham do caraclerislico, nao ser seu olhar
vago e insignificante. Em seu genero, era urna
pcrfeigSo.
Nao havia commissao, de que o encarregassem,
que lhe podesse arrancar urna observagao ou ura
olhar de sorpreza ; elle executava litieralmenle
tudo que lhe ordenavam, o desempenhava de um
modo Irreprehensivel os mais minuciosos deve-
res de suas funrges, com urna aclividade silen-
ciosa e toda felina. Elle era corao o cavallo de
guerra de Douglas :
que o sol nascra. A fortuna fra-lhe mais fa-
voravcl que de coslume, e o producto de urna
bancada de oito sorles eslava amonloado sua
frente.
Urna garrafa de licor ao alcance de sua raao,
testemunhava que o jogo nao era o nico esti-
mulante, que elle recorreu.
Eucontava encontra-lo em disposiges de ar-
rependimento ; mas suas primeiras palavras des-
enganaram-me. t
Parlo para Pars no trem da larde, diz-me
elle. .
Nolei cnlao em roda de mim os indicios de urna
partida immediata.
Nao tendo mais que urna idea confusa do que
se tinha passado, eu eslava inquieto e desejoso
de saber a verdade. -
Guy foi muito conciso em suas respostas, e s
depois de muilo tempo foi que cu soube as par-
ticularidades do que tinha succedido.
Nao ha nada mais fazer? lhe pergunlei eu
a ..........e anda que um tanto velho,
Em seu passo rpido, calmo, e muito corajoso.
Elle (razia na mo urna pequea caixa..,.
Sonhor, e preciso meller isto as malas '
quando elle acabou de. dicr-me o que quera par! perguntou elle com essa voz lenta e cpmpassa
lecipar-me. I que lhe era habitual.
VIVEU MAL, MAS MORREU BE.M.
Quando o libusteiro Walker entrou na prisao
deTrujillo (Honduras), pozeram-lhe forles gri-
Ihes, e pergunlaodo-se-lhe o que precisava, s
pedio agua. Mandou em seguida chamar o ca-
pellSo do porto, e protestando a sua f como ca-
thoco romano, ajoelhou aos ps do sacerdote,
em frente de um poqueno altar, onde escag
luz das velas se va imagem de Christo. Entre
oulras cousas disse ao capello : Eslon resig-
nado morrer: a minha carreara termnou
As 7 horas da noite, de 11 de selcrabro, foi-lhe
inlimada senlenga de morte. Perguntou que
horas o execulariara, e so teria tempo de es-
crever.
As 8 horas da manhaa do dia 12 marchara pa-
o lugar da execugao com um cruxifixo na mo,
sem olhar para ninguem, ouvindo os psalmos que
recilava o sacerdote.
Entrou no quadrado, que no lugar da execuco
rraava a Iropa. e ali pronunciou cheio de "re-
gnaco oslas palavras : Sou catlico roma-
E injusta a guerra que fiz Honduras por
sugestes de outros. Os que me acompanharam
nao lem culpa, que toda minha. Pego perdo
ao povo. Recebo cora resignagao a morle, e oxa-
l que ella fosso um bem para a sociedade.
Walker morreu com urna impassbtlidadc ex-
traordinaria.
QUE BOAS PERNAS.
ltimamente houve em Salamanca urna apos-
ta enlte um celebre andarilho e um oulro indi-
viduo. Consista a aposta era dar o primeiro duas
\ ollas ao redor do passeio chamado o Rollo, no
tempo que o segundo, montado n'um bom caval-
lo, dsse tres. O andarilho tere ainda urna rao-
lagem de tres minutos.
QUE FILHO E QUE PAE I
Hs pouco tempo foi enforcado na cidade de
Jersey (Estados-Unidos) um padre da religiio
protestante, pelo crime de ter envenenado len-
tamente sua esposa com arsnico. |0 pae do sup-
pjiciado anda por Nova-York venderos folhetos
impressos. que contam a confisso de seu fiho e
a senlenga, cencorrendo assim, troco dos lucros
da venda, para fazer mais geralmente odiosa o
memoria do infeliz 4 quem dra o ser.
UM Al.FAIATE EMINENTE.
L'm alfaiate de Barcelona presenteou o rci do
Hespanha com um frac notavel, pelo seu feitio.
As medidas foram liradas porum retrato em mi-
niatura, sem que o alfaiate visse nuoca o origi-
nal, o corte forma as iniciaes F. A. Francisco
de Assiz), triumphando o artista da difficuldade
que leve para dar symelria s letlras.
O frac parece feilo do urna s pega. Nao se
lhe v nenhuma costura.
O inventor offerece ura premio quem fizer um
semelhante, comprchendendo no convite os al-
faiatesestrangeiros.
CURIOSIDADE HISTRICA.
Vendeu-se no da 16, em Pars, urna curiosi-
d^de histrica rarissima. urna nota do.banco
de Law. E muilo simples, sem tarja e sem vi-
nheta era Gligranna. assim. textualmente :
N. 1.59S:*l8=Cem libras turnezas. O banco
promelle pagar ao portador, vista a quaalia de
cem libras turaezas, em dinheiro de prala. valor
recebdo em Paris no Io de Janeiro de 1720. Vis-
to pelo Sr. Fenellon. Assignado pelo Sr. Bour-
gevis.Assignado Rumont.Assignado Duvaux.
Conferido ;pelo Sr. Dureve.-t.Assignado La-
baslide.
Foi arrematada por 595 francos, alm das des-
pezas
E' DA QUADRA 1
Houve em Millo um grande incendio na fabri-
ca dos tabacos, que deslruio toda a ala do edifi-
cio que COntioha o laboratorio do trilurago e ma-
nipulagao dos tabacos. coragem dos bombei-
ros, bersaglieri piemontezes e carabneros reoes
so deveu nao tomar o sinistro maiores proporges.
O prejuzo calculado em 500 mil francos (90
contos de ris.)
CACADA IMPERIAL.
proposito da entrevista do Varsova, conta o
Sicle o seguinle :
No campo os campezinos trabalham em cor-
Seu amo Iancoti-lho um olhar penetrante como
se quizesse descobrir urna irona occulla.
Ora, menos perigoso seria acariciar a cabega
de um cascavel, do que gracejar com Levingsto-
ne em tal circumslancia.
Mas o rosto de Willis estava lao calmo, e nao
tinha mais expresso q%e a superficie do urna pa-
rede.
Ponde isso sobre a mesa, e ide acaar vossas
bagag^ns. Nao tendes lempo perder.
O criado poz a caixa em urna mesa de marmo-
re, que eslava nosso lado, e sahio.
Guy loraou a caixinha e a contemplou Iran-
quillamenlo durante alguns segundos ; depois
ergueu os olhos e enearou-me. Taleez houvesse
elle sorprendido em meus olhos urna supplica
ardenle,-eu sabia com effeilo perfectamente que
tragos elle considerava assim ;essa supplica
lhe desagradou e irtilou S6u humor, porquanto
elle frangi fortemenle as sobrancelhas, e seu
punho fechado cahio pesadamente sobre o retrato
como esses raartellos que esmagam o ferro.
Resta va apenas um pequeo pedago de p
de vidro e de marfim quebrados do que
nha sido a viva imagem de Constancia Bra
do.
Um calafrio se me apoderou dos membros e
correu por todo o corpo, c um grito suffoado ps-
capou-me dos labios. Pareceu-rae um momento
que o scco nao fra dado sobre o retrato, mas
sobre o proprio original.
Todava conservei-me silencioso. A hora fatal
possuia Sal, e eu ignora va o encanto quo po-
desse conjurar o espirito do mal.
Guy fallou finalmente
Tudo nelle mostrava frieza e constrangimenlo
desacoslumado.
Espero encontrar Honra ora Paris, o ire-
mos provavelmenie Vienna. Hesito incomrao-
dar vos com miiihas commisses, mas assim
preciso. Escutae me :Deixo mcu nome e o de
urna oulra pessoa sob vossa salvaguarda ; desejo
que se saiba que foi miss Brando, e nao eu,
quem rompeu seus eompromissos. So alguma
vez ouvirdes algum homcm fallar delta de um
modo inconveniente respelo do que passado,
podis insulta-lo em meu nome tao gravemente
como quizerdes. Aqui estarc lao depressa quan-
to o vapor poder trazer-me, para sustentar tudo
que houverdes dito, tudo que tiverdes feito. Eis
o nico ponto, sobre o qual, eu o espero, acei-
tareis a guarda de .minha honra. Quanto ao
censurarem, mim pessoalmente, poderao dizer
quanto quizerem. Tendes-me comprehendido?
Prometteis fazer-me o quo pego ?
Proraetli tudo, o depois de termos trocado al-
gnmas palavras,separamo-nos mais framente do
que nunca durante tanto lempo de urna amizade
lo intima.
Guy deixou a Iuglaterra na mesma tarde, o
cahio como um raio na linda cazinha da ra da
Magdalena, onde Forrester e sua joven esposa fa-
ziara ainda agitar suas azas essa doce prima-
vera da la de mel, que se segu alguraas vezes
10 dia das bodas
Essas duas creaturas erara (clizes s mil ma-
ravillas. Na realidade, pareca que ellos linham
um s e mesmo gosto, e era o de Charley. Se
elle desejava, o que nao era raropermanecer
cta urna iaacejio completa, sua mulher o ani-
o,
ti-
an-
vea extraordinaria, ha tres ou quatro mezes, e
em numero de perto de 3,000, para preparara
cagada imperial, que dere ter lugar em Bia-
1 oviez. Trata-se de apachar vivos os animaes
quedevemter a honra de aer mortos por Sua
Magestade.
O terreno da cagada tem petto de 5 kilmetros
quadrados. Es!e espago foi cercado de palissadas
o repartido com outras, todas convergemos para
um s ponto, onde se estabeleceram pequeas
casas destinadas aos augustos cagadores.
Todo o terreno da cagada esl cheio de toda a
sorlo de caga apanhada as diversas provincias,
e transportada para ali, com grandes despezas.
Ha bises, ursos, javalis, lobos, veados, rapo-
zas, e lebres tambem. Alm dos 100 mil rublos
j gastos, todos estes preparativos custaram vi-
da porto de 300 campezinos, pois evidente
que impunemente se nao poderiam apanhar vivos
tantos animaes selvagehs. Quidquid detirant
regio....
PROPHECIA.
Celebrou-so no dia 13 de outubro, em Berln, o
50. anniversario da inauguragao da universidade
daquella capital, fundada em 1810.
Todas ascorporagesscientificas da Allemanha
foram representadas naquella solemnidade, na
qual o celebre jurisconsulto Mitlermayer pronun-
ciou um discurso, o disse que no 100." anniver-
sario daquella insliluicao, em 1910, a Allemanha !
seria representada peios membros do seu parla-
mento nacional.
NAVIOS ARTICULADOS.
A Oriental Inland Sleam Company, empre-
ga na navegagao dos rios do Otienle, navios arli- '
colados, d'ura comprimento quasi egual ao do
Greal Easlern e maior que o de lodos os ou-
tros navios do globo. Estes navios tcem 900 ps
de comprimento, e comprehendera cinco paites
reunidas por juncturas circulares.
Estas cinco parles formam um navio, do casco
flexivel, e podem deslocar-se fcilmente, aem
risco de avaria.
Estes navios teem 30 ps de largura, 7 de pro-
foodidadc e demandan) 3 ps d'agua. Sao muito
uteis para o transporte dos algodes, linhos e ou-
tras produeges da agricultura industrial.
NOVO REMEDIO CONTRA O OIDIM.
Os jornaes de Bordos do nolicia de um novo
remedio conlra o oidium, do qual seu inventor (
assegura ter obtido resultados efficazps Este re-
medio,que foi descoberlo por Mr. de Golberg.coro !
nel de um regiment francez de linha, consiste
na vaccinacio da3 videiras. Eis-aqui urna carta
que Mr. de Golberg dirigi ltimamente ao pre-
feito da Gironda, que a communicou .ios jornaes
daquella cidade, e quo levamos ao conhocimento
da lavoura vincola para poder ensaiaro novo pro-
cesso na occasiao opporiuna :
Sr. prefeilo.Ha tres mezes live a honra de
ser visitado por diversos membros da sociedide
de agricultura do deparlamento da Gironda, quo i
se dignaram perguntar-me qual era o processoi
que eu empregava para vaccinar as cepas das vi- i
deiras
Neste raoraento, a seiva da vioha comega
deixar de correr; escolhi esta occasio para ve-
rificar, pralicando as minhas incises as quaes
tinha collocado um ou dous bagos de uva affecla-
da do oidium, qual linha sido o resultado.
Vaceinei dez cepas de videiras no periodo d'um
mez ; as quatro que foram vacr.inadas no princi-
pio da molestia deram-me resultados notaveis, e
sao esses resultados que desejo mostrar aos Ilus-
tres membros que se dignaram procurar-me.
Ejs-aqui os resultados ; as quatro cepas vac-
cinadas primeiro sararam completamente as uvas
que tinham, e formou-se no interior das incises
urna materia riscosa que prende a vaceioa v-
deira ; as outras vae nadas posteriormente nao
liveram tao bons resultados ; a materia viscosa I
produzo-se s em pequea quantidide, o nue '
taz suppor que as videiras devem ser vaccinadas
cedo e logo queapparece a molestia. D'uma vi-
deira que nao foi vaccinada nao so salvou nem
ura s bago dos seus cachos; outra vaccinada
nao produzio as suas incises materia viscosa, e
as sua3 uvas apodreceram em parte.
Tenho a honra de vos agradecer, Sr. prefeilo,
a bondade que tivesles applcando todo3 os vos-
sos cuidados ao estudo dos fados que vos desig-
nei, e pego-vos que acceiteis os protestos de meus
respeitosos senlimenlos.O coronel do 38. de
linha, de Gobtrg.
TRISTE F1M D'UMA CELEBRIDADE.
Urna carta de New-otk diz que Lola-Mou-
tes a celebre bailarina, e avenlureira, extingue-se
rapdamenle. ltimamente foi atacada de para-
lysia, que lhe alfectou o cerebro. Est eo. com-
pleto estado de idiotismo. As suas feiges dc-
compozeram-se inleiramenle, e a sua losse secca
aanuncia que a morle lhe acea de porto.
NECROLOGIO.
Faleceu em Paris, na tarde de 24 do passado,
o duque Decazes, anligo primeiro ministro de
Luiz XVIII e anligo chanceller-mr da cmara
dos pares, no reinado de Luiz Felippe.
ASSASSINATO.
Urna caria de Roma diz que o conego Liberali,
cujas opiaies polticas eram impopulares, fra
mar em sua indolencia, contento de passar ho-
ras ioteiras em sua cadeira do plano, com os
cabellos de seda ao alcance da mo de seu mi-
rido : c-quando depois do janlar elle lhe fallava i
nos Italianos ou as Bullas, era justamente nes-
te theatro que ella tinha pensado toda a ma- |
nhaa. Ella subia ao selimo co quando elle ga-
nhava urna corrida de barrairas no campo de
Marle.
Files fazam arabos excurses aos arredores, o
algumas vezes iam mais loage,ao campo, co-1
mo ura par do bairro Latino no fogo de seus |
primeiros amores. Os restaurantes de Sainl-Ger-
main e de Ville-d'Avray os conheciam muito, e
torabem o porto d'Asnires, onde so reunem pa-
ra suas algazarras os marinheiros do Sena cora
seus chapos de couro envernisado e suas j*,-
quelas. Que digo ? Nao foi voz geral que mais
de urna vez, protegida por ura veo espesso, e
estreilamente agarrada ao brago do seu mando,
Isabel assistio, j em Mabille, j em Chaumire,
aos triuraphos choregraphicos dos Tomar, dos
Mogador e das Friselte !
A mo rae treme ao narrar egual enormidade i
e taos infraeges do bora tom. O' jovens filhas da !
Belgravia I vos que nunca dstes vossas maes !
um minuto ao menos de inquietago,estrellas !
do hemispherio occidental, que se p-ie deixar
por toda a parle com confianga, sem temor de
vos ver desviar de vossas rbitas,peasao nessa
Pleiada perdida, outr'ora vossa companheira, c
aproveitae a ligao. Os homens sao serapre ea-
ganadores, ainda mesmo pensando no casamen-
to, e a compaixo de um drago ligeiro bem
cruel 1
Isabel senlio um medo raostal com a sbita
apparico de seu primo. Suas nogoes respeito
do poder real de Guy eram raal definidas e pou-
co raciooaes, e creio que sua primeira idea foi
que elle tinha mudado de pensar sobre a conve-
niencia desse casamento, e que tinha viudo
lo somenle para reintegra-la com sua mo
robusla na casa de sua escravido primi-
tiva.
Quando suas phrases breves lhe ensinaram o
que se tinha passado, por mais affiicta que ella
eslivesse, cerlo que experimenlou logo um al-
livio. Charley pelo que lhe tocava, estava com-
padecido, mas elle s o disse sua mulher : elle
sabia que era intil tentar consolar Guy, e
comprehendeu logo que o caso prsenle era era
extremo doloroso para que sua traca influencia
podesse cura-lo.
Finalmente, Charley e sua mulher viram Le-
vingstone poucas vezes. O contraste de sua fe-
licidade com seu estado devia gelar-lho o cora-
gao. Sua presenga sombra langava fri e como
que urna nuvem carregada sobre seus pequeos
festins nos Trois-Frres-Provenceaux, ou no caf
de Pars. Ah Levingstone sentava-so mesa no
meio do brilho dos lustres e das llores, como
urna estatua de marmore, que irnpossivel ani-
mar, e bebia lodo o tempo, setn alegrar-se, os
vinhos mais fortes, em porgues que causavam'in-
jquietagao Isabel e tiravam a alegria de seu
marido.
Talvez quo Guy'oolasse o effeilo que produzia
sobre elles ; ero todo o caso elle evilava de bom
grado os Forresters. achando era Mohun urna so-
ciedae mais seu gosto.
apunhalado, em pleno dia, n'uma das ras daquel-
la cidade, mnrrendo logo. Por muito impopular
que fosse.a poltica do assassinado, a poltica do
punhal que professam os assassinos, mais que
Impopular: odiosa e revoltante l
[Couimercio do Porto.)
gaetaT n
QEsla cidade que amigamente os latinos chamar
vam Caseta, hoje urna linda e forle cidade da
provincia da Terra de Lavor, situada ao p d'uma
monlanha, sobre urna lingua de trra,c a setenta
kilmetros ao noroeste de aples sobre o mar
Tirreno e o golfo de Gaeta.
Tera 15 mil habitantes. Era residencia d'um
governador militar, d'um bispo e do corpo con-
sular.
O porto de Gaela pequeo, e a cidade esl
situada em urna posigo mui saudavel, apezar
das suas roas seren estrellas e as construccoes
um lano irregulares.
A cidade, propriamenje dita, nao tera mais
de 3 mil habitantes ; mas os seus arrabaldes sao
consideraveis, e estendem-se pelos lados d'a-
quella.
A cidadella esl flanqueada por torrea em urna
posigo elevada.
Gaeta a chave do territorio napolitano, e
possue urna famosa calhodral, numerosas ant-
guidades romanas e os tmulos de Binocio
Plauco, duque de Bourbon e principo de Hesse.
A urna mvlha de Gaela foi assassinado Cicero.
Cr-se que esla cidade foi fundada pelos Gregos
oque osen nome o da ama de leile de Eneas
que este principe all fez enterrar.
Em 1454 foi sitiada por Affonso V de Arago ;
em 1707 rendendo-se aos imperiaes depois de
um sitio de 3 mezes em 173i resisti quatro me-
zes aos esforgos combinados dos hespanlioes,
francezes e piemontezes.
Em 1799 foi lomada pelos franceze3 quasi lera
disparar um tiro.
Em 1806, apezar dos auxilios da armada in-
gle/a. senhora do mar, e da defensa que fez o
principe de Hesse, loroou Gaeta cahir as mos
do exercllo francez quo acabava de conqui'tar o
reino de aples para Jos Bonaparte.
Pelo golfo de Gaeta por onde o Gareano
enlra no mar Tirreno O golfo tem quinze kil-
metros de profundidade por qualro metros de
largura.
O NAVIO CYSRE.
as aguas do rio Eio, que corre algumas
millias ao sul da cidade de Exeter, acaba de lan-
car-se um elegantsimo hiate, construido de mo-
do que representa, tao exactomenle quanto
possivel um cynismo gigante.
O Swan, cuja construeco dirigi o capito
Jeorge Poacock.de Slarero'ss, teune maior ele-
gancia no exterior o mais aprimorado luso na
interior.
E" o navio exleriormente pintado de braneo e
recamade de relevos dourados.
Sobre urna baudeira azul, quo o cysM tom no
seu bico de bronze. est em letras ne ouro es-
cripto o seu nome: The Swan of lhe Exa.
Este pequeo hiaie tem 16 ps e 6 pollegaias
de comprimento, sendo a sua altura da quilha S
extremidade posterior, de 7 ps e 3 pollegadas.
Em todas as particularidades guardaram-se as
proporges do cysne.
As velas, que teem a sua origem na baso do
pescogo, e qu sao presas cabega, figurara as
azas da ave.
Tem o pequeo navio urna dupla quilha, o que
o impede de voltar-se, se bater n'algura banco de
areia do rio Exe.
Nao carece de lastro, e acha-se ao abrigo dos
furacoes de vento como os barcos de salvaco.
Alm da forga de impulso, que as velas pro-
curara ao navio, o Swan navega ainda com o au-
xilio de duas poderosas palhetas do ac, colloca-
das entre as quilhas c movidas por dous ou qua-
lro homens.
Pode ainda augmentar-se a rapidez de nave-
gagao desta ave gigante por meio de dous pares
de remos.
Por estes diversos meios o capito Peacock de-
ve c-bter em aguas tranquillas a velocidado de 5
milhas por hora.
L^ o Swan principalmente desuado nave-
gaco nos rios ou nos lagos.
O interior deste barco est diaposto como um
wagn de primeira classe, c, se fosse montado
em rodas, seria urna commoda carruagem.
Tem bellos espelhos de Veneza, e sophs mag-
nficamente estofados ; eos videos, por onde ett-
tra a luz, sao da maior pureza, e csto elegante-
mente encaixilhados.
No centro de cmara est urna mesa bstanle
larga pora que dez pessuas possaua jaratar sua
volitado.
Ha na mesa pequeas aberturas, por onde se
pode fizer passar urna linha, a fin de dar lugar
a que se tenha a possibtlidade de pescar estndo-
se sentado na cmara.
Ha cozinha a bordo, cujo fumo cncontrasahida
pelo bico do cysno.
O toucador das senhoras na proa.
E' interiormente ornado de delicadas pinturas,
e todos os moveis-csiufados de marroquim.
E' reservada manobra urna parte do navio.
O Swan tem 5 toneladas ; a sua capacidado
interior de 500 ps cbicos ; o seu peso tolalde
IGquinlaes: quando tem abordo 15 pessoas,
necessita um fundo de 17 pollegadas de agua.
Depois de ter sido solemnemente laucado em
lixmoulli, o Swanof lhe Exe fez no Exe.com
completo xito, um passeio durante o qual re-
cebeu os mais lisongeiros lestemunhos de admi-
nislrago geral. [Naro.J
Esle ultimo senta sem duvida o que tinha
acontecido ; talvez sua rude natureza se sen-
tisse attrahida para Guy por urna especie de
sympathia; mas isto mislurava-se u:n triste
seiilimenlo de S3lisfaco, vendo u:n espirito de
forte tempera, urna organisagao audaciosa descer
rapidaraent') ao nivel de sua propria misanthro-
pia. Tal foi a. alegria Iriumphal, que raiou no co-
rago lugubra dos reis e dos principes da Ierra,
quando se l3vantarara, cada um sobre seu thro-
no, e o inferno abalau-se em seus fundamentos
iom a vinda do Filho da Aurora.
Os dous amigos passaram era Paris dous dias.
apenas, anles que se pozessem caminho psra
Vienna.
Quanto nos, que elles dcixaram em Ingla-
terra, ao principio fallamos um pouco desso ca-
samento desmanchado -, mas nao live occasio
de langar o cartel, que Guy deixra-mc eatre as
mos. Nunca ouve rospeilo de miss Brando
nada peior do que isto.
Ella nunca tinha sido feita para sua uoi-
va,ella era muito boa para elle.
Oulros, sempre tinha esperado o que
succedera,seria preciso ainda ruuitu tempo pa-
ra domar 4 Levingstone.
Sir Heniy Fallowield observou que nao se
poda cucoutrar cousa alguma mais natural e
melhor na ordom das cousas. A joven mulher era
urna santa, e parece que falla" sempre alguma
cousa s sanias, quo ellas es.to incompletas,
quando nao as fazem martvves. O soffrimento
seu calado normal.
Notou-se que SirHenrv senlio um prazerpoa-
co ordinario muitos.dias depois do aconlecimca-
to, e quando se tralava do procedimento de Guy,
elle pareca muito disposlo citar as palavras
do velho moslre de escola, que, testeraunba dos
succossos- do seu anligo discipulc, exclaraava;
Deus abenge ao querido menino I Fui eu
quem lhe deu a educaco.
Em breve sobreveio" um oulro assurapto de
conversaco, que subsliluio a admirago da se-
mana.
Conslancia parti com seu lio quasi immeda-
tamente, e tlquei sem saber noticias delia por
muito3 mezes. Miss Bellassys ficou em Londres.
Muilo poucas pessoas adevinharam a parle que
ella linha tido no rompimenlo do casamento de
Guy com Conslancia. Assim sua reputagao pou-
co solfreu, e sua campanha foi lao bnlhanle e
assignalada por tantos successos como serapre
Se a sbita partida de Guy causou-lho urna
grande decepgo, tila soube occulta-la admi-
ravelmenle. Em cortos casos, apezar da natu-
reza impetuosa e pouco paciento de seu carc-
ter, ella tinha toda a fleugma de um caboclo,
e sabia esperar e espiar muilo tempo, por menos
que ella entrevisse urna perspectiva de successo
final.
Assim passaram-se os dias, que Iraziam, com
um passo rpido e seguro, a poca fatal da ceifa,
em que quem tinha semeado ventos, devia co-
Iher tempestades.
fConlinuar-se-ha.J
PERN. TYP. DE H. F, DE FARIA.18W.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EFQMNXZWA_FT60WV INGEST_TIME 2013-04-30T22:48:11Z PACKAGE AA00011611_09178
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES