Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09102


This item is only available as the following downloads:


Full Text
" *"*"

Por tres mezes adianlados b'SOO
Pop tres mezes vencidos fiydOO.
Dtp
Jj ULiUV Vil 109V.
Por anno adiantado ,9$000.
rorte franco para o subscritor.
'<
ErjCARn.F.GADOS DA SUBSCRIPTO' DO NORTE.
Parahiba,'o Sr. Antonio Alcxandrino de Lima;
IWal, o Sr. Antonio Marinos da Silva; Aracaly, o
S". A. do Leni03 Braga; Cera, o Sr. J. Jos do Uli-
vira; Marariho, o Sr. Manoel Josc Martina Ilibei-
rJGuimaros; Piauliy, o Sr. Jo5o Fernandos de
traos Jnior; Par, o Sr. Justino J. llamos ;
.Vniazonns. rv^Sr. Joronvmo da Costa.
5
l'AKl IDA UVS lOiUI-.ius.
Olinda todos os das as 9\2 horas do di.
Iguarass, Goianua o paralaba as segundas
e sextas feiras.
S. Anlo, Bezcrros.Ronito, Caruar, Altmhoe
Garanhnns as trras feiras.
Pao d'Alho, Nazare'h, Limoeiro, Brejo, Pes-
queira, lngazeira. Flores,'Villa Bella, Boa-Vista,
Oricury e Ex as quarlas-feiras.
Cabo, Serinhacm, Ric Formoso.Una, Barreiros.
Agua Prela, Pinten leirai e Natal quintas feiras.
(Todos 09 correios parten as 10 horas da manhaa.
EPIIEHERIDE5 DO MEZ DE JULHO.
3 La cheia a 1 hora e 47 minutos da manhaa.
11 Quarto minguanle as 3 horas e 38 minutos
da manhaa.
18 La nova as 12 horas da manhaa
25 Quarto crescente as 3 horas e :0 minutos da
manhaa.
PREAMAR DE HOJE.
Primein as 4 horas e 6 minutos da manhaa.
Segundo as 3 horas e 42 minutos da tarde.
PARTE GFFICIftL.
AUDIilECIAS DOS TBIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relacao : tercas feiras e sabbados.
Fazenda: tercas, quintas e sabbados as 10 horas.
Juizo do commercio: quintas ao meio dia.
Dito deorphos: tercas e sextas as 10 horas.
Primis vara do civil: tercas e sextas ao meio dia
Segundja vara do civil; qnartas e sabbados ao
meib dia.
Guvo
BXPBDIB!
ii la provim-ia,
(>0 DA 23 HE JIMIO DE 1860.
Oflicio ao Exm. presidente da provincia do
Cear.1)3 infornvioo junta por copia du I)r.
chcfo de polica d.ista provincia conheccr V.
l'.xe. a causa que mollvou a remessa dos qualor-
'/e presos, deque trata o oflicio de V. Exc.de5deste
mez, a que respondo, da cadeia de Ouricury
desla para a du Crato lossa provincia ; bem como
i dilliculdade e inconveniencia mosmo que ha,
om fj/.o-los rogressar, sem que estojara obvia-
dos esses embareos, e niclhorando ascircums-l federa
tandas naqui'lla locilidade. sejam clles requi-l do povo susso.
rilados, para entraram em julgamento.
Purecendo conveniente o alvilre lembrado na
mesma informadlo, rogo a V, Exc. que baja de
maullar transferir esses presos para a cdela da
capital dessa provincia, donde ser mais lacil
conduzi-los ao seu destino.
Dito ao commandaute das armas interino.
Respondo ao ofQcio que V. S. me dirigi em 27
do correte, sob n. 701, declarando que j foi
I ida a ordena necessana para seren pagos
>s venciraenlos dos dois artfices da corte, que
esli empregados na commissao asiruiiomica.
Dito ao inspector di thesouraria de fazenda.
Para evitar as repetidas reclamaces, que pe-
rante roiin teem foiio alguns operarios oserven-
tes do arsenal de guerra por causa da exiguidadp
de scus salarios, sobro o que convoin prever,
\i'i do respectivo director a relacao junta com
hdicac.ao dos uugmenios, que llie parecesseni
iltendiveis, e que sabraetto ao juizo de V. S.
lara iaierpr sobre elle osen parecer.
Ao mosmo. Transmiti a V. S., para os con-
atos exames, as Copias dos actos do cunse-
ho administrativo para forneciraenlo do arsenal
ie guerra, datadas de e 15 do crlenle.
Dito o mesmo.Em vista das cuntas que de-
iti) existir nessa thesouraria, relativas ao forne-
: ment de gneros feito por Jos Marcelino
loza ao arsenal de marinha nos mezes'Je-fe-
ereiro a abril oeste anno, c cojo pagamento
.edio o mesmo Roza no requerimenlo a que se
ofore a sua informaco de 25 do correute, sob
i. 629, mande V. S. 'descriminar a importancia
.os eeneros propriamcnie alimenticios, e paga-
i so'a intnlia responsabilidado, por sor essa
espez da natureza daquellas de que trata o
12 artigo 1. do decreto de 7 de maio do 1S2,
.arijo o inais para ser salisfeito quando houver
rdito.
Ao tuspector da thesouraria provincial.Em
isla da conla junta, estando ellas nos termos
igacs, mande V. S. pagar a Joaquim Aniunes
a Silva, conforme requisitou o chefe de polica
ni ollicio de honioni, sob n. 878, a quantia de
tneiiloi sessenta mil e quatrocenlos rois, des-
endida no mez do raaio ultimo com o sustento
os presos pobres da cadeia do termo de Gara-
Unns.Commuuicou-se ao chote de polica.
Hilo ao presidente do tribunal da relacao.
onsta de parlicpaco do uaeharel Joaquim do
ego Barros, que no dia 9 deste mez entrou elle
0 exercicio no cargo de promotor publico da
.marca de Flores, pora o qual foi removido
or portara tiesta presidencia de 11 de abril
Itimo. O que communico a V. S. para seu co-
hetiraenlo.Igual ao inspector da thesouraria
q fazenda
Dito ao commandaute do corpo de polica.
islo ter concluido o lempo de seu engajamento,
onforme V. S. doclarou em sua iuonnnro de
7 do corronle, sob n. 253, mande V. S. dar bai-
a do corpo sob seu commando ao soldado An-
inio Gomes da Silva.
Dito ao coramandante do presidio de Fernando.
'Cora copia da informaco do chefe de polica,
?27do correute, remollo a Vine, o requerimen-
dc Jos Joaquim Nogucira, afim de que o a-
nda como justo.
Dito ao director interino da reparlico das obras
iblicas.Tenho presente o offlcio de Vmc.sob
198, de 25 deste mez, a que acompanhou por
pa urna informaco do ajudante do engenhei-
, encarrogado da estrada do sul, relativa ao re-
lorimento em que oempreiteiro do 12 lauco
cidae tonlia a annexarJo Ua Saoya a tranca,
por so reconhecer os pernos que da mesma p"o-
dem resultar para a paz la Europa, c depois de
se haver inais e mais gaihado a conviceo, que
nenhuraa potencia se a cha seriamente decidida
a fazer una opposioao acJi^B ao perigo amea a-
dor, comeca-se acceitar Wm fatalismo ture > a
norte predestinada a Europtl pelo napoleonisr o
Nao se pode descotihccec nuo a Suissa 6 nc se
caso o principal culpado. O* procediracnto en ir-
(eito nasccr as n
rauca era de ospeiar que a loglaiera, opois uu
rompimcnto da allianra franio-inghza aproveita-
na disso. apoderando-so da influencia na Italia
DAS DA SEMANA.
Seg. Visitaco de N. S. a Santa Isabel.
Terca. S. Jacilho m.; S. Heliodoro b.
(.toarla. Sania Isabel Rainha de Portugal
Quinta. 5. Phelomona v.; S. Tryfina m.
Sexta. S- Domnsas v. m.; S. Romulo b.
7 Sabbado, S. Pulquea* v., impcralriz.
S Domingo S. Procopio m. ; S. Auspicio b.
gico do governo feajMl linUal
Ihores esperanzas, e/^segurlop boas informaco
em Berln se eslava decididl{ qiunto s co'nsbl
quencias desse procedmcnlo, & nao deixar
Suissa abandonada si mesan. Mas o consol u
nao cncontrou o derido apoio da pa U
S a minora volou favor al
como protectora da revolucao italiana, e toman-
do all urna posicao muito'receiosa para a Fran-
ca. S so Garibr.ldi suecumbisse, iada era do
recetar, mas quando o resultado se tornou mais
e mais do lado da empreza dos filit usteiros, en-
tao leve lugar a dita mudanca na poltica trnce-
la de que fallamos cima. Inglaterra desde o
principio nao occnllou as suas sympalhias pela
revolucao da Sicilia, c em Paris sj exforcaram
agora para nao ficarem na sombra, A duestao
Oriental foi adiada, e coriiintiou com? autor o en*
tendlmento com a Inglaterra. Debati d'eas
circumsiancias nao se devia estranhar, que aGa-
nbaldt licasse aberto do lado do mar o reforco de
maior parte dos Cantos, e entre ella os mais i-! gente, armase dinheiro, augmenlanco-se Manas
eos, nada quera saber d'nwa resistencia ar-
mada contra a J'ranca. Por ijso nada restou o
conselho geral, senao diplonAisor, c com isst a
causa da Suissa ficou perdida desde 0 prindp o'.
Logo tambora se moatruii, qe. o intecesse fr
ral que ao principio se manilestou conventh j
siasnio, tnha esmorecido, e se, durante alg m
lempo, anda so lisongeartim com a esperarf'a
d'um congresso, o despedacamenli das circum
tnncias europeas, e a dcsuiao cxiBtente entre,
diversas potencias a isso se oppoz^ram, sobrel
do apresontando-se de novo na cena a quesi&o
oriental, chamando os intcrcssesidplomatic >s
l>ara o seu lado. Entretanto, nos ltimos das
do armo passado. o parlamento da Sardenha, co-
mo era de suppr, ralilicou com grande maioi|ia
o tratado respei'.o da cesso de Nize c da S i
boya Franca. Entre a Franca c a Sardenha
negocio se acha pois concluido dcfiiilivament
o a Suissa nao lera remedio senao atceitar o fa'u
accompli. Para esse caso, segundo W pensa,
plano do conselho federal da Suissa.^te cedo
sem lomar sobre si qtialquer obrigasacHpela qu
| reconhoca legalmente o dito facto coqjmmad
cima fallamos da reapparcao di queslajo
oriental, o que nao deixou de causar geral sot
preza ; isso levo lugar do modo tegtiinte
I N urna bella manhaa, o principe GortchakofT e
Peteisburgo convidou os representante das d
I versas potencias ali acreditados o enriado Tu
co nao foi chamado a essa conferencia e llid
doclarou que o governo da Hussia muito senlita
havor-se convencido de que a Porta ttomana
nao cumpra as estipulaces da paz de Pars da
1836 acerca da posicao dos chrislaos na Turqu;,
que a posicao dos mesmos continuava i ser
mais desesperada, o que a Russia nao podia cot
sidorar-sc indlTerente vista dos sofrrimentds
dos seu* correligiosos, e que por isso se decidir
convidar as potencias para una conferencia acer-
ca da posicao dos chrislaos orienlaes, e ospieies
para fazer a Turqua preencher as suas obriga -
i.os. O embaixador da Franca -se declartw iui-
uiedialanicnie de accordo com essa aberluii e a
chamada d'uma conlerencia europea ; o enba
forjas sem cessar.
Km 27 do mnio elle j pode emprehender um
filt ique sobre as posic.es fortlicodas dos napoli-
tanos perto de Palermo. Elle lomou as postedes
entrou na cidade, em cujo centro sesuslentou
auxiliado pelo levaniamento da populacao As
tropas se rettraram para o caslello e d'aili bom-
bardearam durante algumas bar* a cidade
juniamente com differenles vasos de guerra na-
politanos surtos no porto de Palermo. Incendia-
ram-se ramios edificios, entro estes o palacio
real e mullos habitantes e insurgentes perderaui
Nao obstante, Gariba'.di sustentou a sua posi-
cao na cidade : requiscao dos cousules eslran-
geiros as Hopas e a esquadra napolita.a cessaram
o bombardeamenlo, c no da 28 de raaio Gari-
baldi allacou o caslello. No fim des a daremos
em 1. S. as ultimas occuirendas.
Comodisso se ver nao fallam a diplomacia
europea questoes para se enlreler, o (ara que el-
las nao esgoteni de novo se aprsenla urna no
norte queja ura dia foi muito ardente. E" a ques-
lao do Schleswig. As circumstancias na monar-
Cbu dinamarqucza nao correspondan! com as o-
brigacoes da Dinamarca segundo a paz de 1850
e segundo as couvences de 1852 entre a Allema-
nha e a Dinnnarca. Como se sabe 8 negocia-
coos pendentes nos ltimos annos se limilavam
exclusivamente as relacos do llolstein e Lauem-
ourgo, como perteneenles a Confederacao Allo-
maa, nao se oceupando a Dieta alleraa'a do Sch-
leswig, como trra nao perloncente Confedera-
cao. As vivas queixas as cmaras to Schles-
wig porem preocuparan! ltimamente a allencao
publica e urna pelicao de patriotas allemaes diri-
gida as cmaras prussianas, fez que aquesto do !
Schleswig entrasse em discussao. O ministro dos
negocios estrangeiros da Prussia, o barao deScli-
leiniiz recoriheccu francamente a jusl;ca dessas
aecusacuos. Ao mesmo lempo a cmara dos de-
putados, de aecrdo com o governo, exigi do
mesmo que se examinassem e rciuediassem os
negocios no Schleswig. A resposta a esses acon-
tecimenlos foi de um lado urna nota do gabinete
,"uf'0,!l' c"Jil urgriisa..ao se val eseino.-
vendo rpidamente ua vis de enderecos e ajunta-
montos com o Om de protestos pblicos conlra
x diiajexpressSo.
Aqu em Hamburgo a questao da conslilui^ao
"nao tere anda sua soluco. Anda nao temos
presentes os resultados das negocaces das com-
missoet do sonado e dos cidadaos '(Begerschafi;
e as ntJvas proposlas do senado s se esperara em
algumas semanas.
Diremos ainda algumas palavras sobre as ulti-
mas aecurrencias na Austria. O governo se per-
suade cada da mais que nao- pode continuar o
syslcma antiao, sera grandes pongos, mas nao
se pAde decidir a rompe-lo decididamente. As-
sim se nrocura de salvar o que possivel doan-
tigo systema, fazendo diversas conccsses e rau-
dancas; mas isso d poltica seguida o carcter
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SLL.
Alagoas, o Sr. Claudno Falc2o Dias; Baha,
Sr. Jos Hartn Alvos; Ro de Janeiro, c Sr.
Joao Pereira Martn*.
EM PERNAMBUCO.
O proprietario do Minio Manoel Figueiroa
Faria.nasua limita praca da Independencia c.
Rio a >"j-
mento de despezas em que incorrer brevero.ntor
o Inglaterra com a quasi certeza que ha de urna
nova guerra entre esta naci e a China Aaaiai
esta orara a 25 P's ePrnvavel que sondo prejudicalo a ti,,.,!
Si aaui no icia *"' 9<>bT,i (< Dulv **" W* novo* pro-
etembru d tso iez a riageo do
thampton em 21 dias o lamas horas.
A alca que se operou no cambio do Brasil so-
bre Londres, chegando a efl'oituarem-se em Per-
nambuco alguns saques sobre esta
d3(4e26d,e deque logo deram
todas ssfolhas, reputada como
minacao da crisc por que ha j muito- lempo lera
passado as nossas pracas em materia de cam- ,. cmara dos communs engio-ss ha dias em
bios. A impressao quo esse facto vero aqu cau- com"l.,sfi"> para deliberar delinilivamonto .obre
sar. foi favoravel ; e se espera que pelos Droxi- ..rrma Wlnl iflllialal
m
ticia
F o rara
hnliade Miuuiu-iiateii ao urasu. Ale hoje so- i
paquetes desse primeiro porto :'-".----'.f8??.-''' .r,lll!ia .Pdemos s*1eiiar de
sar. foi favoravel ; e se espera que pelos proxi- l^T^VV i ,''el,rt"1 aposentad., por
tnos paquetes sejam aindamis favoraveis as no- hov O voto que a ee res?, ,t.>
licia q.,anlo ao cambio do Brasil sob?e Londres l a i ,'?ar n5 esla Por cm q""'> ro-
alloradas as partidas dos paquetes da 1' P"bl,c" ; ma- Jl*r-*je pelos ru-
Milford-Haven ao Brasil. Al hoie so-1 h9 C(?rr?"le.s de 'i csso ministro podira a
o nono ua demisS"> "'"ha. podemos siiipe
LiverDOol' i\!', ** Pcelo nao foi provaretraont
rt-Tin ,h- ,Na Prem positivo qu lord JdI
guiam esses
mas a instaucia dos negociantes de L
ac-
pela ptenle de selembro. Tao gtylo que 'osse
esse plsso, naosatisfez, porquo ceiendo no terri-
torio eleiloral: nao foi questao do conccsses po-
lticas.
P. S.As ultimas noticias da Italia nos annun-
ciam a tomada de todas posices liimes da cidade
de Palermo por Garibaldi, a'ssira como differen-
les derrotas das tropas napolitanas, as quaes se
aehavam obrigadas a concluir um armisticio com
o chefe dos insurgentes para negociar acerca de
urna capitulando. As nicas posices ainda oc-
cupadas pelas tropas reaes so Mes'sina, Svracusa
o Oirgenli.
Segundo dizcm essas mesmas ultimas noticias
que sao muito confusas nao se realisou acapi-
tulaco c as hostilidades foram de novo abertas
algumas horas antea de (indar o anuislicio. Cor-
re que o re de aples pedir a intervemo do
geverno francez, as que esto Ihc responda que
antes de tomar qualquer rcsolugo prccisva sa-
ber quaes as conccsses que o governo napolitano
eslava disposto fazer.
dalles que recebe a quasi lolalidade dos
garuemos nos scus paquetes. O paquete Porlu-
lial seguo j de Liverpool para o Brasil no dia
2 do crreme ; e no da 30 deslo partir o Bra-
sil com igual destino. Escusado seria observar
aqu que'deslns mudanras resulta
nina
para a corapa-
nomMuf- Plr C0"t^a proles,ou com a mM.nja d Copenhague, queikaodo^e amargan ente que
promptidao conlra as proposlas russas, coib o Sr. do Schleinilz replicou
lindo desde j a presupposicao feita valer oa o
principo de GortschakofT, a pretendida trisle \\(
sicao dos chrislaos orienlaes, allegando quelos
relatoros esse respeilp recebidos pelo govoH o
mgicz erain inleiramenlo contradictorios aos i( s
agentes russos. Os represenlantes da Austria'e
da Prussia receberam a declaracao do minisho
russo, sem e exprimirera resp'eito da opinio
dos seus gabinetes.
A sonsacan causada por esses acontecimentos
em Poters,burgo foi geral e profunda. Logo cotJi
rea o boato que a Prussia, Austria e a Inglaterra
man de mos dadas na questao oriental, e
apoiariam era primero lugar, por va diplomti-
ca, o Turqua contra os planos russos, approva-
-' pela Franca. Ao mosmo lempo chegou de
dos
chrislaos.
mesma estrada pede, que soja elle provisoria- es,ava. decidido
ente recebido, e allendendo.ao que pondera u.ma inquiricao
nc. no llnal do sou oDico, tenho a dizer-lhc,
ie nao pode ser acceilo esse lanco da estrada,
ida mais por que o* embarco da thesouraria,
i reelis* c ,...(?ameTito que se deve ao emprei-
I i," o sao motivos saldenles p3ra que elle
ixo de concluir um iraballio, que,como expOe
nc, apenas exige urna semana de servico.
Dtoao mesmo.Mando Vmc. organisar, e rao
meltcr com urgencia, as clausulas que devem
rvir do base arremataco das obras do cemi-
io publico de Iguarass, cujo orcamento veio
nexo ao seu oflicio de 25 do corrente, sob n.
3.
liloao conselho administrativo.Recommcn-
ao conselho administrativo que compre para
ucciment da enfermaba do presidio de For-
illo os medicamentosc utencilius mencionado^
s duas rclages juntas por copia,
"orlara.0 presidente da provincia, lendo a
la o oflicio do coramandante superior da guar-
nacional do municipio do Limoeiro, datado de
do corrente, resolve privar do posto o alteres
8n companliia do bata.bao n. 22 de infamara
mesma guarda nacional, Luiz Jusliniano de
i/i Burba, por estar cumprehendido na dispo-
.0 do S 12_art. 65 da le n. 602 de 19 de se-
ibro de 1850.Communicou-so ao supradito
imandanle superior.
lita.O presidente da provincia, allendendo
le Ihe requereu JoaoGongalves Pereira, re-
e conreder-lhe llccnca para ir ao presidio do
nando tratar de seus negocios
expediente do secretario da provincia.
rucio ao chefe da commissao astronmica e
rographica ~-0 Exra. Sr presidenio da pro-
ra manda aecusar recebido o oflicio de lion-
era que V. S. partecipou ter depositado na
ipanhia de cavallaria dous cavallos e um sc-
com os competentes accessorios, que haviam
comprados para uso da commissao astroiio-
i o hydrographica.
ito ao bacharel Joaquim do Reg Barros, pro-
or publico de Flores.S. Exc. o Sr. pres'iden-
provincia, manda aecusar recebido opflicio
deslo mez, em* quo V. S. parlecipa ter na-!
la data entrado no exercicio do cargo do pro-
Constanlinopla um protesto do governo da Tur-
qua, o qual, fundado no art. 9." da paz de Pa-
rs de 1856, rejeitou toda e qualquer ingerencia
das potencias as relacos da Porla-Ottoraaha
para cora os seus subditos chrislaos, como con-
traria s estipulaces e aos direitos contratados.
Para lambem tirar todo o pretexto material
projeclada ingerencia da Russia, o gabinete tur-
co, apresentando o seu protesto, annunciou que
proceder espontneamente
da posicao dos scus subditos
Em connexao com esses passos esla-
va a mudanca que seguio no ministerio turco,
collocando a testa do mesmo Mahemed Kuprisli
lacha em lugar de Redschid Pacha. Um mo-
mento so pensava que deslo modo se tinha inau-
gurado uma poltica de condescendencia conlra
a Russia c a Franca.
As ultimas noticias porm desmenlem isso com-
pletamente. Ao resto a Porta Ottomana j ha
mais lempo eslava preparada para novas compli-
cacoos. Sobre ludo ella se achava preocupada
pelos recelos acerca dos acontecimenlos quo se
preparavam na Servia, onde com a moile do prin-
cipe Milosck, abandonado pelos mdicos, se es-
perara uma nova insurreico contra o governo
lurco.
N'essa prevsao ella nao deixou de tomar todas
as medidas militares necessarias, chamando o ce-
lebre general Omer Pascha, que vivia quasi em
erro em Bagdad, o qual acaba de chegar em
tousianlinopla e talvez em breve ter de partir
parao Iheatro das suas amigas cinpanhas nos
paizesdo Danubio inferior. Talvez que todas es-
sas oceurrencias nao teriam impedido a Russia e
a i-ranea deseguirem o caminho uma vez aberto,
se ura outto aconlecimento nao livesse decidido
,_ | ,n-a a Vritar 1"al1"er rompimenlo com a
Inglaterra. Logo fallaremos desse aconlecimen-
io. embaixador da Franca em Petersburgo o
duque era Montebello. recebeu instrueces para
moderar provisoriamente a iniciativa da Russia. e
determina-la a uma hal.il retirada. As conse-
quencias d essa mudanca j se mostrara, e a Rus-
sia ja consentio na projeclada inquiricao da Tur-
q,uia. resarvando-s6 ulteriores passos segundo o
resultadoida mesma inquiricao. O adiamento
momenlaeo da queslao Oriental, naturalmente
nao deixaesquecer o seu repentino incitamento
pela Rosna e Franca. Talvez que a mesma ques-
tao desda agora sustentar o seu lugar na ordem
do da europea, o a Europa nunca dever esque-
cer que coda momento Ihe podera de novo dar o
seu cara. er ardente provisoriamente removido.
Vamos fallar agora do acohtccimenlo a que se
deve aitr huir esse adiainenlo da questao Orien-
i ia 12 do mao o conhecido general Ca-
ri. >tor publico da comarca de Flores, para o qual' n_l,a,di d< pois de haver abandonado a sua posi-
oi nomeado. 5*0 no e ercilo sardo, tinha desembarcado na
Despachos do di* 28 de junho. una da S ciha com um corpo de 2,000 homens
-
ltequcrmctito de Jorge Jos Forreira Lima.
'ifnrmeo Sr. Dr curador dos africanos livres'
Dito de Francisco Vrssimo Bandeira.Passe
o havendo inconveniente.
Dito de Carlos Ernesto Misquta Falco.Como
quer.
Dito de BeUrraino Alv 'onsclho de compras navaes.
(o de Joaquim Dias de A/evedo.Informe o
rectordo arsenal de guerra.
lo de Joaquim Manoel de earvalho.Infor-
i Sr. Dr. chefe de polica.
EXTERIOR.
JfcSPONDENCIAS DO < dbO DE PER-
NAMBUCO. **
Jlamb'trgo, 5 de junho de 1860.
queslao susso-saboyana nao achou anda
..r :onclusao. Entretanto ella se acha posta do
USU U> iS Jmui, niais 8rares- *Pis le
M.1 i g'ad0durVlle a|8ra lempo Unto na
A.lemanhs como na IngUtrra, com inuila viva-
para mciar de novo a insurreico, quasi sunnri-
inida enj consequencia de diversas derrotas que
os msuri entes tinham solfrido.
Emba :ando-se n'um porto da Sardenha, o que
nao era ossivel se as autoridades sardas nao ti-
vessen, I chado os olhos. Garibaldi soubo Iludir
a vigilan .ados cruzeiros napolitanos, c entrar
no porto Siciliano de Marsala, all ciTectuando o
seu desmbarque, favorecido por differenles
circumsl ncias. A sua tentativa nao deixou de
ser coroi la de successo. Conlra todas as espe-
ranzas el si se apoderou dos importantes desfila-
deiros ddCalaiafinei, fracamente defendidos pe-
las tropa napolitana*, no meio do caminho de
Marsala re Palermo. e d'aili foi avaocando, sem-
pre relQrtado por novos corpos de insurgentes,
SraraeM0.,-.n caPllal,da'">a. defendida po
8,000 ni .olitanos. Sobre a priraera noticia da
partida d expedicao de Garibaldi se exigi de
Pars esc ireciraentos du gabinete de Turin
respeito i > seu procedimcnio neslo negocio. Era
todo o cao essa empreza veio mal a proposito
para a poSlica francezs. Engajada com a Russia
no Orient, ella nao poda lomar a parte da re-
voluto ija Sicilia ; mas com tanto maior segu-
.-plicou mui decid idamente,
e do oulro lado a renovaco dos esforeps que a
Dinamarca j lia mais lempo tinha l'eiio em Pa-
rs para realisar urna allianca com a Franca,
hsses esforcos nao ti vera m n'inda um resultado
positivo, mas nao ha duvida que nao serao ro-
jeitados era Paris, porque segundo as circums-
tancias a sllianca com a Dinamarca se poderia
aproveitar como meio defensivo contia a AIIf-
manha. '
Passando para- os negocios especiaes da Alle-
raanha temos de fallar era primeiro lugu das ul-
timas sessoes das cmaras prussianas. O princi-
pal assurapto que ainda tinha de solver, era re-
forma da organisaco do exercilo. Antes porm
gue entrou em plena discussao a respectiva pro-
Msla do governo, foi ella retirada pelo minisle-
o e subestabelecida por uma oulra, que de-
slindo d uma definitiva reorganisacc do exer-
Uo, exiga 9 milhes de thalers, pro'vi.soriamen-
^ por um anuo, para sob base da organisaco
naentc, das do exercilo a forca, que pirece ne-
cesaria a vista da posicao am'eaQadora da Euro-
pa: Os motivos que decidiram o governo a esse
paaso, foram. uma vez a opposifo da cmara dos
senuores que rejeitou o projecto deimnoslosso-
ro Vciis de-faiz, e em segundo lugar a divergen-
.ion.. m Pl.a,ao e,ltre governo e a cmara dos
"'Pitados acerca das mais importantes quesles
I,M rcforma do exercilo, como porexemplo a
quesio so o servico militar deveria str de tres
ou dt dous annos, a grande maoria sonde do la-
uo dajpposigo. Em todo o caso a retirada das
primii*as proposlas foi uma medida muito accr-
iiaa: i0 governo. o qual assim conseguio quo o
m,?^S"10 Pr clle *8r" Propio foi acceilo com
lamo mis promplido. Quasi unaniraenle a ca-
MiftM sd'!P,,ladS votou pelo* exigidos 9 mi-
uioes d* thalers, e a cmara dos senhores nao
P\!h ^r,de "nir-se a esse voto unnime.
rt Var- mai as caiT>aros foram eucorra-
n?cS!inC'pe- rcgente cm Pessoa' ^,le nes3*
eiw 0nciou um discurso, cuja substan-
cia e o qie segu :
das m.3"/e CSfor5a mui Wamen.o acerca
euronp,?!!:8 de 1ue seoecupam os gabinetes
ZZln, ^ra se co,lseoUirom solucOcs, corres-
pondenles ls necessidades do equilibrio poltico
norian1oParTP',0-S',UC diriSe"' governo as im-
portantes qtjestoes submellidas a Cor.faderaco
germnica Dicta federal, foram esp.slo, 'no
a'or nrf 4eSSa0' gOVCtno se mos'rara Hel
a esses princfHos e continuar a ver na susten-
propriooirei.r103 d'UtrS SaSl00^'1 d Scu
Bem quo dtrergencias d'opiniao se n presen-
pe .jc 1"es,oes niio graves, lodos
os goverrros e ttkos os povos da Allemanh, eslao
io rr, ?HC0.n,^go- e Pvo Pnwsiano, quan-
^3 a sua fidelidajo inabalaval pela patria com-
mum. e a sua yr*a conviccao que a independen-
cia da nacao e intkgridade do territorio apatiia
sao bens, diantefa importancia dos quaes des-
pparccem todas s quesles internas .todasas
discussoes. Immiatainente depois de (echadas
as cmaras o prncipe regento; parti parao
Rheno para assisti a aberlra dos camiihos de
ferro do Rheno-Nlho
nhara corrido rauifi
tam
nessa ocecasio, ent
principe da Prussia."
Porm as express
allusses, deixaram
esses boatos. Com.
e Trier-Saabrisek. Ti-
boatos de uma en revista,
o imperador apo Pao e o
lugar, tanto em
r
da falla do throno, e suas
pparecer sem fundamento
"cito s entrevista nao leve
. corno era Saar-Coucek o
principo regente tomoA motivo para petir exprs-
T,'l a* declaraH da falla "o throno.Pque
eslava decidido para slonlar debaixo de todas
as circumstancias a infcgridade da Alien auha e
a nunca consentir na ceaSo, nem d'um p j de ter-
reno allemao. '
Qoanto ao estado d'el^Rei, s podemo; repetir
oque refer moa j ha ipezes. El-Rci Frederico
GuiIherme IV vive anla, mas debaixo da mais
inste fraqueza intellecluil.
As discusses na Dieta ^deral nao Uve ara rn-
porlancia alguma. O assim chamado partido na-
cional, islo o partido qae quer era lugar da con-
federacao um estado gVal allemab debaixo da
direcQao da Prussia, cada tpzganha mais terreno
eiorca para o quo nao deixam de contribuir os
erros dos seus adversarios, L'm dos mais vio-
lentos adversarios o ministro do interior no
llanovcr o Sr. Borrier, n'drn momento inconsi-
derado lhc escapou na cmara hanoveriana a ex-
pressao, que os estados medianos da Allemanha
appellanam anles ao soccorro dos paizes estran-
geiros, do que se sujeitariam as exigencias do
partido nacional. Era loda a parle da allema-
nha se levantou uma verdadera tempestada de
mdignacao conlra essa expressao. que .eve por
consequencia um iramenso augmento do parii-
Ao meio dia.
As noticias de aples sao tao contraditoras c
mearlas, que mais fcil se obtem hoje as noti-
cias da China. Copiaremos os ultirros despachos
telegrophicos receidos boje, deixando a sua
coordenacao sat?acidade dos leitores.
Marselha, Ierra-feira 5 de junho.
Temos noticias de aples do dia 1 Sogundo
cartas vindas da esquadra franceza em Palermo,
o armisticio devia durar at o dia 5 deste mez.
A populacao mostra um furor indiscrlptivel na
lula ; ella laucava al movis preciosos sobre as
Hopas reaes.
Assagura-se que o rei havia aceitado a media-
cao da Franca sobre a base de um governo se-
parado para a Sicilia ; mas esta noticia dada
sob reserva.
Eis noticias do aplos mais autenticas que
as primeiras. O general Lelizia seguio de a-
ples para Palermo no dia 2 do junho, com or-
Idejn para prolongar o armisticio. Entretanto
navios carregados de projectilios continuara a
partir de aples.
O governo napolitano pedio particularmente o
apoio da Franca.
O conselho de estado napolitano est encarre-
gado de preparar uma constituico approxiraan-
do-se das instituices francezas"
500 feridos chegaram cm aples no Io de ju-
nhj. Os feridos prisioneiros de Garibaldi sao
tratados pelas senhoras de Palermo. Garibaldi
se mostra milito altencioso e muito cuidadoso
com os ofliciaes napolitanos, seus prisioneiros.
Elle espera que havero defocepes as ileiras do
exercilo napolitano. Os regimontos intrinchei-
rados no palacio real soffriam muito, porque a po-
sicao dominada pelas montanhas visinhas.
Genova, ten-a-feira 5 de junho.
Garibaldi por falta de munices concedeu o ar-
misticio.
Corre o boato que os insurgentes encontraran!
no thesouro fortes sommas de dinheiro,
As tropas napolitanas fizerara fogo sem pieda-
de sobre as mulheres e. meninos.
Turin, lerca-feira 5 de junho.
Segundo as noticias que recebemos de aples
o armisticio seria prolongado Ilimitadamente.
O general Letizia chegou em aples de volla
da Sicilia, poitador de um novo projeclo de
capituiupo. Elle informara ao governo napoli-
tano, que os soldados nao queriam combaler, e
comeepram a desertar, porque o enthusiasmo
por_Garibaldi comecava a galibar as tropas.
Na Sicilia o clero prega abertamenle contra o
governo napolauo.
Deve notar-se que nao fazeraos senao copiar
as noticias que boje d o lelegrapho.
Como a, Diario se iuteressa pelos Pernambu-
cariot ausentes, refiriremos um fado que presen-
ciamos em Bruxellas no fim de marco, principios
de abril. F
Achava-se all n'um collegio ura menino, filho
do Sr. conselheiro Sergio Teixeira do Macedo.
Tendo adoecido gravemente, o Sr. Dr. Filippe
Lopes Nelio, que reside em Bruxellas o foi bus-
car para a sua casa, onde o Iratou cora os mes-
mos carinbos e disvellos como se fora seu pro-
pno filho. Durante perto deum mez, em que o
joven Macedo estere as portas da morte o Sr. Dr.
Neito e sua senhora nao o abandonaran! ura s
instante, e chamando os methores mdicos de
Bruxellas, empregaram esforcos sobrehumanos
para salvar o doente.
Felizmente tiveram a sntisfaco de ver coreados
de successo* os seus infatigav'eis cuidados e o'
joven Macedo j pode deixar Bruxellas. Ouviraos
a um dos mdicos que depois da Providencia o
joven Macedo devia a vida aos cuidados inces-
sanies querecebcu do Sr. Dr. Netto e de sua ex-
cellonte senhora, que durante a longa molestia
do menino, nao o deixaram um s instante, nem
mesmo se deilavam para dormir alim de estrem
promptos para occorrer immedialamente ludo.
A nobre conducta do Sr. Dr. Netto nao admirou
aos seus amigos amigos, que conhecem o seu ge-
neroso e bemfazejocoracpo. O que podemos di-
zer que esse acoiKecimento, conhecido em
Bruxellas, por via dos mdicos, tem all feilo urna
reputac.aoao Sr. Dr. Netto, de que provavelraente
se elle nao aproveitar, se nao para ser til aos
compatriotas que recorren) ao seu prestirao.
Ultima noticiare mais d' Allemanha.
O ministro Borries do Hanover de quem fal
lamos na nossa correspondencia de 5, acaba de
ser agraciado com o titulo de conde. Esla no-
ticia produzio de honlem pan c o elTeilo do raio,
e nao se filia em outra cousa, nao sabemos se
prudente da parle del-rei do Hanover ferir tao
abertamenle a opinio publica da Allemanha.
Era todo o caso o aconlecimento de uma gra-
vidade extraordinaria.
dices.
A'vista dos continuos contralempos
compauhia est succedendo, e recei
emergencias, tenho resolvido escrev
monte a miaba segunda caria inensal pola linha
los paquetes de Bordeus, a qual so figura com
aspecto do prosperidado e perfeita regularidade ;
ao menos at que o servico da linha do Milford
se manlenha com a pcnlualidade que alias
muito para ser desojada no seu trafico. O pa-
quete que de Brdeos deve seguir neste mez para
o Brasil parlir no dia 24 cm vez do 25 comosuc-
cedou cora o do mez prximo passado.
Os nossos fundos pblicos ficara colados nesla
iuil8!1!.610 modos|,g"inte : 5 porOjl) a 100. 4 Ii2
DIO 89 l|- ex-dividendo. Os consoldalos inglezos
JOrara negociados nostes ltimos dias a 94 7[8 o
ministro brilannicn as duas Sicilia.*, no qual
avanen este a doutrina do que forras nava..*
inglesas, estacionadas naquellas pafaajMBS, com-
pele o direito de asilar nos difireme* raaaa de
guerra inglezes os criminosos polticos daqneli.-
pan, alientas as condic.es de desocganisa.-ao-
cm que se acha esse malfadado reino; e exigi
modo porque
melltanle apre-
w-, a qual segun-
do o interpellante era aiientatona
As aeces das nossas estradas de forro conti-
nuara a descorito : assira as do Recito esto com
1 hC f 'Ia ?\ 1'2 : as da Bahia 5 5|8 3.8 ; e
as de S. Paulo 34 a lj2.
O algodao da Babia foi vend Jo em Liverpool
a / d ljl por Ib. ; c o doMaranhao e Pernarabu-
co de 7 J 3[4 a 9 dl[l. subindo a venda diaria
uestes ltimos dias a 40 saccas. O pedido con-
tinua firme.
Varios outros nossos artigos venda neste
mercado se achara colados da maneira segrale
Coco do Brasil de 52 s a 68 s Dor cwt; caf su-
perior 63 s a /4 s ; 2a qualidade 57 s a 62 s e
ordinario de 51 s a 56 d ; pao Brasil de 80 s a 85
s por tonelada ; assucar de Pernambnco o da
Parahiba branco de 27 s a 32 s ; o mascavado de
20 s
....._ ...ornnr
ene ca verdade, erabora p.issa ser osla issagia
davel a alguem : o que quanto ao direito de boj -
lo era queslao lom sido constantemente BfMira
na Inglaterra distinguir enire criminosos polti-
cos e civs, concedendo aquellos a sua proiecr jo>
por estarem no numero das pessoas coja (Ha
nao corla e provada, e negando-a aos outros.
por entraren no numero daquelles que rommei-
leram ados incriminados e sobre cujo alen..' .i
sociedade iem regularracnle providenciado. Tal
foi o modo porque lord Parmerston dou-nJcu <
agente do governo brilanniro. quando foi ct,.
sado por Mr. Bowycr acerca do tpico d >
que rscreveii ao Foreign-Otlice > o
cima mencionado.
eriio acha sempre uma tangente para
"no Ihe convert anda os Biiim ai)-
surdoi, embora nao aoja minha intenco iiialr-
Iicar como tal o caso que Pica referido. Air. la
ha pouco, quando era Marsala (na Sicilia Vf-
embarcou Garibaldi rom a sua expe.-ao, al-
mirante protestou conlra as hostilidades da es-
quadra napolitana sobre esta expedico, a fez
cessar o fogo quo tinha sido aborto conlra os re-
beldes, allegando que lendo seguido para torra
em um escaler alguns ofliciaes inglezes o almi-
ranle inglez tinha o direito de posBc unMfuif
de hostilidades al que esse* subdito* pacficos d
rainha so livessem recolhido a bordo! PtttM isto
estratagema para proteger a expedico, ou baao
urna verdade sincera, o facto qu por motivo
dessa suspensao durante duas horas foi bem .ac-
cedido o desembarque dos rebeldes, que foi i :I.i-
tuado pouco mais ou menos ne*sc lempo. Tal
o
glaierra para o Brasil os dous seguimos navios ;
de Cardillo Gallanl (23;de maiopara o Par.e de
Liverpool o Lord Du/ferin (31) para a Bahia :
uo Brasil chegaram a diversos porto* da Ingla-
terra o* segrales: do Pernambuco Adelaide (221
a Liverpool ; da Parahiba (231 Clemenlhe a Li-
verpool ; do Cear Emily (23) a Liverpool ; do
taro (2d) Star-of-lhe-Easl a Liverpool ; do
Ro Grande (22) Juhanna a Queenstown ; do Ma-
ranhao Brasil (25) a Liverpool ; da Parahi-
ba i\orval (25) a Clyde ; do Rio Grande
Pnncess Boyal (25) a Plymoul ; do Rio Grande
tlandra (29) a Gravesend ; e do Cear 30) Hzn-
deford a Liverpool.
No da 30 do raez prximo passado chegou a
esla capital Sua M5ge3lade El-Rei dos Belgas
acompanhado do conde de Flandres seu filho em
vizita rainha Victoria. Sua Magestade el-rei se
acha actualmente era Windsor cora a mesraa Au-
gusta Senhora. No decurso deste mez
-. com
um olncial napolitano as foreas navaes inglezas
deixassem do obrar cora loda a liberdade de
acepo!.
as ultimas noticias viudas da China annun-
ciam que comquanto o imperador houvesse rc-
jeitado o ultimtum da Inzlaterra e da Fran. a
havia todava a espranos de que esse mesmo
ultimtum, explicado posteriormente pelo* agen-
tes hrftannico o francez, de uma maneira menos
odiosa do que fra entendido em Pekn, sena fi-
nalmente aceito pelo mesmo imperador. En-
| tretanto a impress.io geral que uma nova
I guerra vai brevemente rebentar entre a China e
i esto paiz alliado com a Franca, que lera tamlem
! offensas a vngar ; e para essa eventualidade se
tem preparado a Inglaterra desde que cm junho
do anuo prximo passado soffrcu o insulto de
! Pei-ho. A Franca acaba de conseguir de ura
dos chofes d'Abyssina a concesso de urna por-
co do lerrilorio no Mar-vermelho, onde vai fj-
briaonico encetou novaraente os seus trabalhos.
A repulsa pela cmara alta do projecto de lei
tendente a supprimir o Duly paper ou como
ja dissena minha precedente carta o imposto
sobre quaesquer publicaces luteranas feilas nes-
te paiz, causou nao s oa cmara dos communs
como no publico deste paiz, mui viva sensacaoi
por quanto de longa dala um e outra eslavam
habituados a ver aceitar pela cmara dos lords
quaesquer medidas sobro imposlos que houves-
sem recehido ura voto na casa dos communs.
ment poltico de tanta importancia, que julguei
dever dar delle noticia. o manifest do infan-
te de Hespanha, D. Joao Carlos de Bourbon e
Bragancp, por occasio da abdicaepo do conde de
Montemolim dos direitos que elle pretenda ter
corda de Hespanha. Ncsse documento declara
Sua Alteza Real, que competindo-lhe pela abdi-
caco referida os direitos cora dos seus ante-
passados, como immediato herdeiro. clle os re-
claraava para si, confiando que a Divina Provi-
dencia e a frcp das circumstancias, mas nunca
do
I.
o
da
parle do seu autor, assinrxomo os termes mude-
.... cma-
ra dos lords, o que todava so faz por mera re ,^.
verenda. Nestas circumstancias a cmara dos ; 'T-q h cHJr'l.do\ lhc 8raca'"
communs acaba de nomcar uma commissao dai?i*m,p"lhi*a in'Pre"fa Inle,au.m,e ?Ui's' loda-
inqueri.o, afim de que esta, estudando oTorece- I -,0m 7ad- Pub^a0 :omo obJccto de basla-
dente* parlamentares da I,'.glalerra era rcscSo i! 'mPrtn- o cre.o. porem. que entre os
.ocaso, em questao. d a sua opinia"acft? feS^rc^rem ma'0r,a ^
Londres 8 de junho de 1860.
Pelo vapor Oneida, chegado a Soulhamptoo"
com a mala do Brasil do mez de maio ultimo,
recebemo aqui noticias desse imperio no dia 2
do corrente. /
Esse paquete fez desla vez um* cxcellenle
viagem, tendo chegado Lisboa no dia 29 do
mez prximo passado e deslo porto ao de Sou-
thamplon na noite do i. do corrente. Deste
modo em 22 dias recebemos em Londres noticias
do Rio de Jaoeiro, o que sem duvida sumraa-
mente rpida e apenas 155 uma vez igualado pelo
paquete r>essa a usina linha Tay quando em
ILEGIVEL
J_

T. "
P

dente* parlamentares da Inglaterra em relaca
o caso em queslao, d a sua opiniao-aceYca'di
egiiimidadecom quo deliberou a cmara dos
lords. E certo que se em resultado desse in-
quenio a cmara popular enlendeu que Ihe com
pete com excluso o direito de deliberar sobre
impostos, teremos de presenciar mais ura con-
iicto entre as duas casas, que constiluem o par- -A
lamento inglez; e enlo r.o me parece prova/'wd"
vel que a cmara popular esteja disposta acce-
der do seu direito, uma vez apoiada na opinio
da sua maiona, quando esta venha a manifes-
lar-se por virtude do parecer da comniisso de
inquenlo. Confio entretanto que usse caso a
prudencia aconselhar a cmara altt a entrar com
a casa dos communs em um deaes compromi-
sos, multas vezes j entre eltas usados, pelo
qual salvando a sua dignidad* venha todava a
reconhecer o direito do seu antagonista : tal se-
na porexemplo o caso eti que, com quanto hau-
vesse de aceitar o proioeto cm questao quando
novamente lho fosse remetlido, dectdisse de
coraraum accordo flue Ihe compela todava to-
mar conhecimomto do projeclo mencionado, em-
bora verse elbsobbre imposico ou isenco de
laxas.
Mr. GJdstone. chanceller do Exchequer e au-
tor da--*edida, parece disposlo a resistir ao cho-
que que recebeu o seu projecto na cmara alta,
e*esolvid\a propr, quando afirfal tivesse mes-
mo de relicar essa medida, uma redueco no
meme lx de sorle que possa ir avante o seu
plano de diminuir o peso dos imposlos que so-
bre o povo esl recahindo. Na opinio porm
de mullos isso um sonho da parte daquelle mi-
nistro, a quem attribuem Veilleidades de reduzr
os tributos para ganhar gloria sem lembrar-se
dos encargos que pesam sobre a* nacao; tanto
mais que ainda hn pouco as rendas publicas sof-
fre-am a notavel diminuicao de mais de qui-
nhenlas mil libras esterlinas era virtude do ira-
tado de commercio com a Franca e ou'-,as alle-
ragoes na paula das alfandegas, ale-,a 'a0 aug.
ao* seus fins, possa esse
manifest causar lo benfica impressao. posto
que parofa fra de duvida que esse partido reco-
riliecer sem hesitacpo como pretndeme o pria-
cipf que redigio o documento alludido.
.infante D. Joao de Bourbon Braganca re-
l ha raulos annos como exilado na Inglaterra,
onde so tem entregue cultura daslettras. Des-
posou ha mais de doze annos uma irma do du-
que de Modena, de quem tem tres filhos, mas
cora quem nao vive desdo algum lempo por rae-
ros caprichos do familia, provenientes de genios
differenles. Este principe geralmcntc fi:nn-
quislo na Inglaterra, onde todava tem sempre
vivido no mais rigoroso incgnito. Logo que
scu irmo o conde de Montemolim, resolveu se-
guir para Hespanha, afim de levantar o grito era
scu favor, o principe D. Joo reprovou aquella
poltica e Ihe declarou que se nao associaria s
consequencias de um lo temerario passo ; tan-
to mais que na sua opinio seu irmo deveria
ter comeepdo, antes de entrar em Hespanha, por
dirigir nacao um manifest em que Ihe pro-
mellesse instituiepes liberaes a paz do throno
legitimo. Quando em 23 de abril ultimo o pre-
lendente abdicou os seus direitos. aquello mes-
mo principe censurou a fraqueza de um tal pro-
cedimento, deliberando ao mesmo tempo assu-
mir a posicao que por virtude das leis Ihe com-
peta. Tal em resumo a noticia que julguei
dever dar do novo pretendente cora de Hes-
panha.
Os acontecimenlos polticos na Italia se succe-
demeom una rapidezinrrivel! Garibaldi queso no-
da II de maio desembarcou em Marsala se acha-
va no dia z7 s portas de Palermo, depois de era
Calafelini o outros pontos ler sustentado cora
vantagem muitos encontros com as tropas reaes I
Neste ultimo dia bateu-se elle com os seus volun-
tarios em forca de oito mil homens s portas des-
sa cidade, onde o marechal Lanza havia concen-
trado as foreas de el-rei superares a vinte c ci,-'
*Fnr

MUTILADO
7

- ... -
H!I'E I1



(2)
ftUTUO DE PERNAMBUCO. SEQ(J3DA FFjjU D )ULHoTW^o.
rem cahir desapiedadas sobre os ltimos rtCurS0S
d poro, extenuado o empobrecido pVias epide-
mias, pela iduajiQa dos poraare?, ^cl'as molestias
(logado, pelo mal das vinhas e pelas crises mo-
neUriai.
O Minti nao paga rooig um re;l para se pre-
st ntear a alilhadag'.-m que zumb cm torno do
co mil houiens : e depois de haver couseguiuo ( pera que desenvolva a necessara energa que to i\ plvora nao rebente quando as garrjsdo Barato*
nesse encontr urna grande victoria, obrigou as precisa val sor all as actuaos circunstancias.
tropas napolitanos a se recolherom ao castullo i O rcslo da expedico com S. A. o infante D.
onde estas se foiliflcaram. D'ahi rompeu a ar- Luiz, quando partir? E' urna porgunla que to-
tilharia sobre a cidade um vivo fogo que foi logo 1 dos se fozem, com a mais viva aneicdide. O go-
secundado por um bombardoaraento daesquadra,, verno tero tnoslndo a mais censuravel indolen-
OGaribaldi atacou as obras exteriores das furli- repouso, urna pequea torca, que cumpria scren-
icacoes, conseguindo anda um grande successo, ; viada com a maior bievidade. Quse nao te/3 pas-
Ncstas circumslancias o general napolitano pro-; sado naquolla provincia desde que de l parlio o
poz um armisticio, que (oi acceito pela junta re- vapor Estefana, isto ha 54 das? Logo que se
volucionaria, offerccendo esta varios artigos de receberam as primeiras tiolioas dos desastres do
capilulacao, em virtude dos quaes lindo o armis- Ambriz, devia o governo te? posto a maior dili-
ticio as tropos rraes deveriam evacuar a Sicilia goncia cm soccorrer a colonia do tropas c di-
concedondo-sc-lhes os honras militares. nheiro.
O general Lcelilia foi encarrrgado de levar a Iuterpellado honlem na cmara o ministro do
aplos o resultado destas negouarcs, que ape- reino para informar olUcialmeule os represcn-
uas furam levadas no conliecimetito de cl-rei das lanos do paiz sobro ns oceurrencias da Angola,
Duas Sicilias merecern) urna completa desappro- leve a franqueza de declarar que nada sabia,
vacuo, sendo o mesmo ollicial expedido com or- Nao havia j ninguem que o ignorasse O minis-
Mas cresceula-se unida em objeecao, que sio
fdra inutilisar os landos dos oulros licitantes, que
seriara baldados pela preferencia.
Ora, este augmento nao sabemos se peccar
antes por original, do que porargucioso, ou ent5o
a todo o Iranzequer-se produzir impressao, ainda
que seja ella elTeincra.
Com cffeito, quando concorrera urna arrema-
poder. A Reir clama contra os imposto* como tacao dilTcrentes licitantes, e em suas pro postas
desesperada. A Extramadura manfesla por todos, d-se aquella determinado do quantum, que ora
os modos o seu desagrado poltica do governo. i se sophisma intcncionalmenle, nao dar-se-ha
Anda ha poucos das repparecou o Leinen.se, I por ventura essa preferencia do um,que melhores
folha dislriclal fundada ha niguas anuos e que condices offereceu, c a consequcute inulilisaco
sempre gozou do bons crditos por sua seriedade.
lia dous anuos que suspender a sua publi-
coro.
Pois declarou-so agora abertanicntamontc na
opposirao. O numero dos peticionarios contra os
projeclos do fazenda excede tal'ez o de 50:000
rs. que derribaran! a regenorarao.
O infante D. Joo, duque de Boj a, lo'mou o
commando do regiment de lance iros da rainha,
do que S. A. 6 coronel.
Foi eleito deputado por Maco o lenle Mat-
los Correa. Por S Thora o bacl arel Abranches
reconduzido]. Por Loanda esperava-se que sa-
hisse um negociaiito desta prara, Antonio Jos
Seixas.
As noticias da Madeira alcancam a 7 doTcor-
rente. A colheita de crcaos, em consequoncia
da falta do chovas, nesto ann > muito esgassa
em todos os conselhos do sul da ilha.
O tiosso historiador Alex-mdie Ilrculano adia-
se reslabelecido da perigosa enfennidade que llie
puzora em risco a existencia. C>3 jornaes desta
semana publicaram a caria que o distincto escrip-
lor Ihes dirige, agradocendo as provas de sym-
pathia que recebera, nao s de toda a iinprensa
peridica, mas dos seus amigos.
A guerra dos jornaes contra as toiradas vai
continuando como pouco tracto. Os loireiros
dens para a rr-novac.no das hostild ijes. Varias lio da niarinha convidado a vir ao parlamento
partes tclographicas tom annunciado nesles uiti- ; communirar o que soiibesse, nao se dignou ap-
roes dias que a esquadra comecra de novo o parecer al s 4 da lardo, tendo a mala do Este-
bomliardeamcnto contra a cidade de Palermo, fania desembarcado s 8 e meia da manhaa.
roas por ultimse lem averiguado que erara sem Creia que o desconlcnlameiilo publico, motivado
fundamento semelhantes communicacoes, com- pela desacertada gerencia desle ministerio, lem
quanto paraca fora de duvida que issp venlia no- sido considcravelmentc aggravado com esse pro-
vanienle a succeder se o exercilo de'terra poder' cedimento inqualificavel.
sustonlar-se contra os ataques de Cnribahli, que1 Foram honlem vota los os ltimos artigos da
espera oslar em breve de posse do mesmo castullo loi do conlribuieo industrial. A discussao foi
d'onde expellir ai forras roses, obrigaudo-as a sufiocada pelos apagadores encartados. Os im-
cnpitulnrcm. postos vao sendo votados 's canaslradas ; os
Tal em resumo o estado da revolucSo na Si- coutribuinlos reagem e conlinuam a usar do di-
cilia, que hoje parece estar prestes a ver realisa- reito de petico contra essas medidas ; nao por
da pelos triuinphos dos seus bravos a sua sepa-, se persuadirem que os mellioramentos pblicos
raco do reino de aplos. Garibaldi proclama so pndem obter sem sacrificios, mas por que nao
a unido Italiana ; mas todos sabem que elle a depositam confianca na gerencia de um ministro
personifica em Vctor Emraauuel, rol dd Sarde- perdulario. Quer ver que rolla Ihe dao agora os
tilia. ministros? Ilontem mu deputado pela ilna da
Segundo lem publicado algumas folhas, o com- i Madeira, aecusava o governo de esbanjar milha-
lucndador Carafa, ministro dos negocios eslran- ros de contos com avenlureiros o consommir a
geiros de el-rei d-e aplos, acaba de pedir a me- substancia publica em nichos e prebendas para I toimam e o projeclo do ranrquez de Niza, appro-
diaco de Franca c de outras potencias, com quem afilhadosTrpaTeiites. O ministro do reino Fontes, I vado polos pares do reino jai na coromiss.io de
o gabinete napolitano se ncha ligado por tratados rospondeu-lho : que nao fora o governo, mas! agricultura da cmara lectiva, ande provavol
aOiO de sor sustentada a inlegridaJe da monar- as cmaras ou ns leis, qnem applicara essas som- j que durma por muito lempo,
chia. obrigande-se todava el-rei a dar nina cons- mas s obras publicas o outros ramos do servieo j Em consequenria de urnas declararnos felas
titubo cm que consagra o principio de um go- Foi j, perianto, acensada a maioria parlamentar hora da morlo no Bio de Jane ro por um frade
verno separado para a Sicilia diz-se al que o da sua reprehensivel condescendencia, polo pro- qoe (ora do convento da Sorra do Pilar, no Porto,
COOSelho de estado est j elaborando um pro- Pr'. governo! E' caso novo. Nao admira pois : declarando que em cortos sitios do mnsteiro es-
jeclo de lci fundamental naquelle sentido. 'lll(> lavre corta scisao entre os proprios ministe- lavan) soterrados grandes valores, um individuo
A posico em que na aolualiJade se acha el- riaos. O numero dos dissidentes e despeilados
rei do aples parece ser summamonle menla- t cada vez maior, e todos esses prfugos do campo
Ora ; porquanlo nao s o remedio, qualquerque minislerialista se vio unindo velha guarda liis-
elle possfl ser, parece vir tardamente, como a lrica, adversaria tenaz das prodigalidades dj ac-
tual ministerio.
A questo do prehonchimento davagatura que
ficou no conselho de oslado poltico, por raorle trassem.
do general Jos Jorge l.ouroiro, vai progredindo j At hoje. tristes achados : ossos carcomidos e
enrodada de mysterios e intrigas palacianas. I balas ferrngentas I I.ameulaveis documentos do
Parece que os ministros fazcm acreditar aossetisj urna guerra fralrecida em que pela liberdide c
| ntimos que leern posto o animo d'el-roi cm coac-: polo absolutismo se fizeram prodigios de vilor.
Para n Sicilia lem el-rei expedido numerosos | cao. Fontes quor aquella dislincgo e joga ns i Tcm abrandado um tanto os rumores que por
reforcos ; mas o estado de desanimo das tropas a ultimas cartas ; a opinio publica indigila o vis- aqu se fizeram correr sobro a quostionabilidade
tal, eo seu .espirito de defeceo to pronunciado, conde de S. ou Passos Manoel, e anda mesmo' da nossa autonoma. Esta palavra da moda,
que nada parece dever aproreitar causa real ( o yisconde de Alhouguia. A sluaco est careo- bem como as aivne.races quo irazom hoje ocen-
! mida por lodos os lados. N'uma conjectura era
que se precisara d'uroa alta inielligcncia no
ministerio da marinha o ultramar, foram re-
compeir-sc com o consclliciro S Vargas, que
nunca den testemunho visivel de competencia
I n'csta especialidade. Quizeram com este ronvi-
intriga piemonlexa as Duns Sicilias nao cessa do
influir mesmo cm aples noseulido de urna ex-i
plosao em favor das ideas de uniao italiana. Por
Cmquanto, porro, o socogo tem sido manlido na
capital, se bom que mais ou menos lenha o go-
rerno emprogado a violencia para obter esse re-
sultado.
solicitan e obteve licenca da auliridadc para pro
ceder excavajes, o que leve principio a semana
passada.
As autoridades do Porto e Villa Nova de Gaya
mandaram una forra militar para fa/.er a polica
mnntcr a seguranr.a dos Ihesouros que encon-
en) rolaran aquella porcao do territorio napoli-
tano. Allirma-fe mesmo quo o general Lcelitia
lera como motivo >io armisticio foito pelo maro-
cha! Lanza o receio de una completa defeceo
entre as tropas.
Parecen na opinio de muilos estar eminente
urna nlerrcncao d*Austria om favor de el-rei de
aples ; mas suppe-se que o receio de entrar
em novas complicnres com a Franca deliberou
o Imperador Francisco Jos a desistir de seme-
lhanle poltica.
A entrada dos Austracos nos dominios de el-
rei do aples seria piovotrncnle seguida da mar-
tretanto n Austria parece disposla a fazer con-
servar a lodo cusi as suas possesses de Veno-
za,onde conserva cm obserraeo um numeroso
exercito. Verana e o resto do famoso quadrila-
lero, o lugar em que os Austracos tem forma-
do o seu centro de oporaces, c onde com certe-
za se npoiaro no caso de urna nova guerra na
Italia entre a Austria e onlra qualquer potencia
Nos oslados pontificios a efervescencia sem-
pre ascendente; mas a presenea das forras fran-
eezas/e hoje tambem a reorganisneo das forras
papaos pelo general Lamoricire, tem deteriiiina-
drros revolucionarios a refreiarem seus planos
de sublevaro pelo rocoio de nina certa derrota.
E'ii Monlotiasconi oilenla dragos pontificios po-
zeran cm fuga mais do Irozculos patriotas que
ti i Toscana linham entrado nos esiades do Papa
para atcender a rcvoluro.
pada meia Europa a cstudar rumo ha de apode-
rar-so amauhaa da oulra melailo.
Nao sei se o governo portugmz anda pens em
elevar o ofToctivo do nosso exercito urna foi'.a
respeitavel, que sem demasia.do sacrificio, ma
com boa administraco poda chegar a 100,00!)
le ronleular a direita ou os velhos carlistas,' homens, segundo opinioos omito autarisnda.s.
mas nao attendbram que faze-los representar'. Creio que se trata disso, mas divagar e paulati-
L1SROA.
13 dejunho de 1860.
Pesteja-se hoje o patrono popular da velha
Lisboa, 0 tliaumaturgo Santo Antonio. A' noite
concorreram ns mas os costumados descantes de
violas, pfanos e ferrinhos. Urna clin va de mo- ioiaS "leTer'ro" par;
lha-lodos nao coseguio dispersar estes devotos qanti hav'endo
sniuulanles. A elasse media, |iorm, n gente de '
commercio, os politices, emiim a populado pen-
sante nao linhi por cerlo grande vonlade de se
divertir em presenea das deplorareis noticias que
honlem nos Irouxera do Angola o vapor Estefana | 'repulacac d'esses
da roiiipanhia uniao mercantil. | ml do Commercio
Conlirma-se em grande parle o que nos f,.ra clandestino do Iraspasso
communicado por um telegrama de Londres, se- nehelle-reres de Pars
fundo as participaroes q"ue li/.ora um vapor nier-
nos conselhos da cora porum liomen sem pres-
tigio de especie alguma, era mais um epy-gram-
ma. do que urna concosso.
Joaquirn Antonio de Agolar, presidente sem
pasta, comquanto fosse ministro do I). Pedro
IV e ganhasse colobridadc pela exlinro das or-
dens religiosas, de que Ihe firon o'alcunho do
sympalhias, nao predominar om nenhuma das
casas do parlamento e den um Iriste' documento
da sua pouca independencia pondo como^on-
digo para entrar no ministerio, o dar-so-lifr o
lugar de consclheiro de estado qu vagara por
murtc do duque daTerceira.
Fontes para mais por cm relevo i este presu-
mir! o muito acreditavel convenio, mandou es-
tampar na folha offlcial os dois dcrelos a par.
s^J yisconde da Luz um homeni obsequiador,
franco, estimado por grande numeri de amigos,
mas que se doixou levar para o ;abinele com
grande repugnancia, o que a paz mosirou, aecci-
lanio apasta da guerra interinan ente, iz-se
que para nao perder o direito aos arantajados
provenios do lugar que OCCupa na repartico de
obras publicss. Tanto elle presenta a pro'ximi-
dedn do naufragio !
Antonio do Serpa, malquilou-Sp enm meio
mundo por causa do contracto Langlols, espe-
cularo vergonhosa, baseada toda em conluios,
om otomessas de propinas e gorgelas de ceulo e
clenla contos do res para os agilas, para os
a os appalpalmri, para tuti
sido excluidos da prara
concorrrente oacionaes que so prestavam n to-
mar r.onla da empresa por monos 150 contos i!'
Contei-lhe pelo ultimo paquete a famosa forra
do masso n. 10, com que se lentava emporcallia- [
licitantes excluidos. O Jor-
que publicara o contracto
de Langlois casa lio-
menle, bom cmoda forlUI'aco das nossas
praras de guerra e lindas de ofe/.a.
Entretanto os puffltta vo cismando no seu
tiloma favorito.
Em Londres acaba de sabir luz um folheto
curiosissimo, intituladoO nevo mappa da Eu-
ropa, que o reverso da brochara de H. Aboul.
Eis como o tal cervidor poltico faz a obra : Ites-
litue-so a Alsacra Allemanha, e d-se em com-
pensarlo Franca o interior cj frica para quo
a colonise.
A Aleada, segundo o folhelD, depois de an-
nexada Allemanha, formara urna pequea re-
pblica como a Saboya, que est igualmente
n'uma sluaco anloga.
A Inglaterra adquirira a Syrin e urna parle do
Mar-Vermelho.
Porli gal d-se de presente Ilexpanha e man-
da-sc o re I). Pedro para Pesl >. a cingir a cora
de Hun ra (!)
O rei la Prussia proclamado imperador da
Allemai ha rom residencia cm Praga, e o impe-
rador Francisco Jos deseca eoudico do duque
d'AusIr a.
Por ultimo o rei Leopoldo c declarado re dos
Belgas e das Bhenanas.
Veja por aqu, nieu amigo, que os arredonda-
doros oiTiciosos nao dormera. E mais quando
se falla obstinadamente n'algl in plano.
As folhas hespanholas do todas conta da par-
te do folheto londrino que nuis lisoigoa o orgu-
lho caslelhano.
L.
dos demais leos ?
Parece que a resposla salta aos olhos, e que a
denudado perfeita, Picando perianto manifest o
valor que se deve ligar aquella argumentado.
Mas diz-so anda, que tanto a le nao permute
urna tal estrategia, quo manda que as licitacoes
sejam olferecidas em carta fechada, sem durda
para que um dos licitantes naopossa referir-se ao
anco offerecido por outro.
Nesso sem duvida, porcm, que esl loda
n duvida.
No fado do estalur o regulamcnlo da llicsou-
raria as licitacoes por caria fechada nao quiz
excluir a referencia alludida ; sira, nao excluio
virlualmenle a forma da proposta aprcsenlada
pelo proprietario deste Diario. Desle fado o que
lgicamente decorre, o que nelle est implcito
a inlencao de evitar conluios entre os licitantes
com detrimento da fazenda, como dara-se ou
poderia dar-se por meio de pregao dos leos,
cujos offerentes linham ou teriam ento lempo
de se combinarem, retirando-so os especulado-
res mediante a paga que lhes dar o empenhado
em (car com o ramo, que nao obstante sempre
ganhara, ao pasto que todo o prejuizo era para
a fazendia.
Da forma porm da proposta do proprietario
doste Diario pod' r resultar egual elTeito?
Sendo obvio que nao, o nem podendo ella ser
prejudicial aos inieresscs da fazenda, nenhuma
antinomia offeiecc com a disposicao do regula-
mento, que se ctou ; c por lano' mu regular-
incnte procedeu a thesouraria provincial submet-
tendo deciso do Exm. Sr. presidente, que na
egualdade do oirerecimento, perferir aquelleque
do melhores condices dispozer para o exacto
ciimprineuto do contrato.
poro br.m sensuel, o Sr. 1." lenle Ignacio
ARoslinho Jautfrel commandante da canhoneira
bicuhy falleceu no Para, em urna coiMussao do
governo. Distincto por seus talentos e Sauda-
des inoraos, o lenlo Jauffret. morreo p^tp
deixandouma riura e dous llhinhos. B* prora.
re, e de justga que o governo Ihe conceda urna
pensao.
< Consta-nos que Uvera lugar ltimamente cm
Caxias i fgida de setc criminosos, importantes,
por negligencia da guarda que se achara loda em-
briagada Os prezos fugiram por urna escavaco
quo lhes deu sabida no lugar em que devera
estar mas nao eslava a sentinella.
Cear.Fallecer o Bvm. Manoel Thomaz
Rodrigues Campello, vigario da freguezia do
Canind
Em data de 27, diz-nos o nosso correspon-
dente :
Sabemos que houve grandissima colheita de
logumes as comarcas do Ico, Crato o Jardim.
Grande tambem a emigraco que tem affluido
a essas comarcas, com especialidade as duas ul-
timas. Soubemos que o tal sacrista da matriz do
Cralo, que perpetrou o estupro dentro do proprio
templo, como j noticiei na minha ultima, nada
soUreu jpezarde perpetrar um allentado seme-
lliante eem Urna menina menor de trezo annos !
apenas soube-so do tal attenlado, correu-se logo
a bonzer a matriz, e ludo ficou ficou mudo e que-
do !... A liberdade ludo pulo !.... O tal sacrista
de nomeLucindo parnto bem conjunto do
aller ego daquelle que ootr'ora iluminan a ex-
communho a seu innigos polticos daquelle
mesmo Crato. Os entendidos na materia, dizem
que jamis o sacrista Lucindo podo deixar de
ser excommungado e olfrer um processo cri-
minal.
A assembla provincial deu hoje comeco a
suas sesses preparatorias. A abertura lera lugar
no dia 1." de julho prximo. Dous Ilumine os
escolhidos da provincia para que facam al-
gum bem provincia, e guerra s "chucha-
deiras.
No din 3 do julho lera lugar o comeco dos
Irnbalhosdo tribunal do jury.
Bespeito s eleices anda tudoem aclivida-
de I Deus permita qe ellas nao sejam feilas pe-
ei que ora vigora. Deixcmo nos mais de cx-
dias em discussao, e durante ton, a semana lem "
sido o pabulum vitat, dos ociosos das galern o
a materia prima da imprensa poltica.
Bem se v que o negocio de cordial inte-
resso para muilos, que se reem amea^tdos de.
t'"dertodo o trabalho j feiio para a sua icelei-
Qo, de ficarem assim prirados da imponencia-
que lini^m.
Mas o ministerio enlendeu a cousa de oui^j
modo, imporiiU-Se. pouco com estes desgosl-
nnos c com a guo-ra que eilcs llicdeviam susr-
tar, e ro por dianl. fazendo entrar o projpco
em discussao, e estero,n j0-se para que elle se,
convertido cm le do csk,do : porque entender,
como emende a grande mai.ria dos homens ser.
satos, que a legislaeao eleiloral que aclualm-n
te rege, en cerra grandes vicios na organisacao d
represenlarao nacional (como Ihe chamaml, .
grandes pongos para a ordem publica se 09SQ
subiiieitida a segunda experiencia.
Abencoados sejam os ministros que compre-
henderam tao acertadamente esta vital necessi-
dade publica, e que lireram a coragem de lomar
a seu cargo satisfnze-la. nao obstante os enfados
dcsagrajodo que os ameararam so o fi/esse.
Qnem mais enfadado se mostree coma re-
forma eleiloral, e quem porlanto rompeu o debata'
na enmara contra ella foi o deputado Oclaviauo
que dizem linha j o seu ninho feito no circu-
lo da corte, (do qual nao actualmente represon-
lantey e que se julgava muito seguro as pro-
messas de alguns lierales, comquanto me pa-
reca que, nao Ihe havia elle fazer azia.
Ora, a respeilo do promessas de liberales
ninguem raelhor sabe o que ellas valora do que*
Vmc. e os seus leitores, porque esla especie do
animaeaa mesma e tem os mesmos insiinctos
e hbitos em todas as latitudes do imperio.
Mas o deputado Oclaviauo, quo o redactor
principal do Correio Mercantil, camo sabe, en-
lendeu que o gover.io nao devia presentar nem
proteger a reforma, desde que Ihe coustasse que-
nao mereca ella a sua apprevaro. Ora, Dous
Ihe perde os seus peccados ca sua raidade, qoe
nao pequea para tao de'lgada cralora Knta>
lomado de sanio zolo pelo que elle chamara os
oteresses do povo le pcuplc cst lu), e do parti-
do liberal a que percence, desenvolveu um lis

curso cuidadosamente arraujado para produzir
^^l'.", a?'Mo 1ne J sc aclia mais 1ue ex- I elTeito. e matizado de trexos de difTerenles escrip-
lores nacionaes c eslrangeiros, que exiensamento
cante chegado a Inglaterra da ilha de Fernn lo
IY>, do que ihes dei noticia pela mala do Portu-
gal que daqui saino a 8 do rorrete. O ei-go-
vernador Amaral, conservava-so em Loanda. As
nossas possessos ao norte do Loanda foram inva-
didas pelos indgenas. .
Em abril linha sido o Ambriz alacado por gran-
de numero do negros, que foram repellidos. A
comiiiunicaro cnire este ponto e o Bombe, con-
tinuara a estar iu^rcoplada.
A curvla Nova'Gda achava-se cslacionadn no
Ambriz, o parle da sua guarnico fazia snico
em torra.
O brigue Pedro Vunes estarionava cm Loanda,
para prestar o auxilio que exisisse o governador
goral da provincia. Urna torca de 143 praras e
duas boceas de fogo, que em 28 de abril, reco-
tna para o Ambriz, rdirando-se de Quiballa, foi
atacada por mais de vinle mil prelos. Vendo-so
os nossosseic plvora, depois de porfiado cm-
bale para nocoirem as mos dos prelos, pro-
curaran! salvar-se lanrando-so ao rio Loge ; pou-
cos erain os quo sabiam nadar, e perecernm 106
pessoas, [sondo 00 soldados.)
Conta-se entre as victimas urna senjiora, espo-
sa do lenle Sampaio, commandanle da referida
forra. O lenle coseguio salvar-se com muila
dimeuldade.
O eapitXo de infuntaria Francisco Aires Xavier,
jue exorcia o caigo de chote do conselho do Am-
briz, tiaba soa disposicao urnas quatrocenlas
pescas, o avisado, nao sabio a campo para dar
soccorro a seus compatriotas e camaradas em lao
arriscada coiijuncluia. Por este motivo foi exo-
nerado e mtiiido ni conselho de guerra, sendo
romeado para sabstirtii-10 o capilo do extincto
balalho naval do reino, Thcolonio Maria Coolho
Borges. Foi depois desse desasir,
para o Ambriz o brigue l'ero Nunes, cnduzindo
o batalhao de Infanta ra 1, flcando nssim oceupa-
ao aquello ponto por 500 prags de diversas ar-
mas.
Os mantimentos e muniedes j>ara o Ambriz,
vao por Loanda, por que dosponlos prximos, se'
recusam os prelos a leva-las.
As noticias do sul dn provincia, tambem sao
deplorareis. O major Rocha, chefe da colonia
de Huilla, bem como alguna saldados, foram ns-
sassinados pelo genlio, que, atacando com torca,
tez grandes estragos at s imraediacocs de Mo's-
smedes.
Chegarara s Hortas e incendiarnm um rico en-
genho de assucar no sitio dos Civalheims pro-
priedade de um porluguez Bernardino Freir,
que <-iegou a Lisboa pelo F.slefania.
"'-"Mossamedes, Huilla, Caconda e Quilenges
grande numero de negros roubavnm e dernsta-
vam ludo quo lhes licava nocaminho. As ruinas
do Bembe diz-se que eslao a estas horas desam-
paradas. Como o culpado desse abandono e de-
vastarn o gorerno por sua indolencia, de
presumir o,uea empreza reclame grossas indein-
iiisares.
Em Bcnguella, gnacip de Equimina, negocian-
te all estabelecido, precisou do 20 soldados para
c defender dos ataques dos indigenag. O go-
verno da colonia deu^lhe os soldados desarmados
e o negociante rio-se obrigado a andar por difTe-
renles casas pedindu armamento emprestado.
Muilos soldados, que eram'dos degradados e fac-
cinoras que da melropola para l se mandaran)
cumprir soiitenca, venderam as armas por pon-
tas de maifim e outros objeclos.
Eis em lecumo o eslado tristissimo ere que se
acha aquella impoilante provincia I
Antes d honlem (II) largou das aguas do Te-
jo s 8 he ras da manhaa a vanguarda da forra
expedicionaria, com posta dos vapores frica
(mrcame) e I). Uarianna (de guerra.) A bordo
do pnmeiro foram urnas quinhcntas pracas de ca-
cadores o o novo governador da Angola C. A.
i rdoco.
!?ff!* b bom homem, porm carregaijo
de familia, com oito ou nove filhoa, c nao se es-
o nsseveira que este
contracto era rendido n dois individuos ao mes-
mo lempo, esse jornal que allirmra lor o gre-
go Vitali aahido de Lisboa com cem hbitos do
Christo ao peilo para deixar a prara desembar-
rada ao ao especulador francez esse jornal que
dissera nao ter Langlois ao menos os 4" coritos
para fazer o deposito, sendo preciso que Huno-
bolle Ih'os emprestaste com urna ganancia de 7o
contos, esse jornal, digo foi amoscado, erapra-
zado, injii'iado, o por ultimo jnlimado para apre-
seniar ns provas dis suas asserejr>s perante a
autoridade administrativa, aj que acertadamen-
te sc recusou. Pois at boje anda nao foi que-
rellado; anda o nao chamaran) aos tribiinaes ;
nao ousam desment-lo com documentos, nem
se atrevern a rollar s cortes com um contrac-
to de estrada asombra do qual su andavam ur-
d n J o lao asquerosos escndalos.
Corra hontem nos corredores da cmara que o
ministerio combinara no seguinlc : A. de Serpa
0 ministro, dar parla de doenle e ir azi-
lar-se para Cintra ou Ericeira. Fonles Reara in-
terinamente encarrogado da pasta das obras pu-
blicas e rir cmara desistir da approvacjao do
contracto Langlois, cuja discussao linha sido
addiada como Ihe disse na minhn ultima.
Quera resla no gabinete ? Ca9al Ribeiro est
excommungado pelos coiitribuintes, porque vai
arrasar o paiz do mipostos, e faz operacoes 15o
desgrasadas como o emprestirao Lrlanger, disper-
dicio moniirnent'il que nos custou muilos contos
Hcspaiiliis.
Noticias at 10 dejunho.
O rimes de 5 publica o seguinto documento,
copia do manifest quo fazo principe I). Joo do
Rourbon nac&o hespanhola e que dirige ao
rongresso nacional por meio dos presidentes dos
corpos collegiladorcs.
A's corles.
A renunciados direitos que linha cora de
llcspanlia meu irmo Cirios ,.niz, consignada no
seu manifest de Tortosa aos 23 de abril desle
anuo, obriga-mc a reclamar os direilos do mi-
nha familia, c os que pessoalmente tonho ao
tlirono de meus aulopassads. Decodido a sus-
teiiia-|ns, nssim romo o prircipo do legalidade
em queso fundan), nao permiiurei que para ob-
ter o Iriumplio se appelle para as armas, e corra
urna vez mais o nobre sangue dos llespanhoes.
Pspero ludo da Divina Providencia, da roctido o
patriotismo dos hespanhoes e da forra das cir-
cumslaiicias.
Nao quero subir ao tliroio, encontrando ca-
dveres pelos degros ; quero ascender, apoiado
pola convicrao geral do que na legitimidade se
eslabelecc a ordem, c quo com ella o paiz mar-
char do acrordo com os progressas e illustracao
do secu'o. Poco esle manifest s cortes, para
que assim o lenha enlendidt a naro.
Londres, 2 do junhu de '860.
Joo de Dourbun.
A fobre nmarella diminua consideravelmcnlc
cm Malaga.
A fesiivdade de Corpus Chrisii celebrou-
se em Tctuo com extraordinaria pompa.
Sobre o manifest do D. J >ao de Rourbon diz
a Corrctoondeiicia de Espaua:
a Duvidamos multo que c papel remedido por
D. Joo de liourluii sej i objeclo de dbales no
de ris.'en) fallar no lnlo de barao que se deu parlamento como ci o nossi collega do Correo
por contrapelo ao astuto hanqoiro.
Casal Ribeiro ouve ledos os dias na cmara po-
pular alluses das mais pungentes celebre rc-
trataco que fizera o anuo passsdo na cmara al-
ta, das alrontas com que insultara pessoalmente
o conde de Thomar, nos seus immortaes pam-
5U( Prtio phletos.
Esla rersatilidide do homem publico, honlem
demcrata rermclho, hoje palaciano agoloado ;
honlem, disparando injurias contra o homem que
tributara onerosamente o poro ; boje, esperando
arcos df trumpho o coias ei'icas. pan os seus
projeclos de impostos ainda mais pozados que os
do conde de Thomar, reduz o riiimslro da fazen-
da s mais Ulipuliana8 propor. oes.
O ministro no reino, pela sot extrema filaucia,
afasta de si as sympalhias dos feus proprios cor-
religionarios.
E' o que rai succedendo, e ror sso a maioria,
caneada do tantas exigencias, >nda gasta o divi-
dida.
O ministro da justira definlu -se a olhos vistos
com o tal duelo que intentou contra os moedei-
ros falsos. A suas diligencia' teem sido louva-
veis, sim ; mas aoonrpanhadn de certa levian-
dade, como foi o acto de levar" s cmaras docu-
mentos de processos que eslilvam pendentes, e
palentea-los oos olhos de trezntas e tantos pes-
soas.
A higa, do conde de Bolho, )o acredila muito
a polica, o deu que fallar oos adversarios do mi-
nistro da justica.
A proposilo, disse a Naco ha quatro dias que
o conde de Bolho chegou a Londres, lendo-se
apresenlado na legtclo porlug|ieza!
T6ie calcular por lodos estes dados que a s-
luaco est em trra. J, por mais de urna rez
Ihe tenho dito, meu charo rodador, que nao fa-
\jo poltica de lorna-viagem.
Conheco a sua ulilidade, e vnjo que a obriga-
pordn o mais provavel qiie o dito papel soja
devolvido pelos presidentes do ambos os corpos,
a quem provavelmente daro conliecimento da
sua resol neto. Para resolver sobre o que se ta-
ra, reuniram-se honlem do tarde ( 8 de junho )
as duas mesas.
O commercio do Scvilha vai fazer um valioso
brinde do ministro da lxenla D. Pedro Salaver-
na, em prava de sua par cular eslima o pelo
acorto com que se houve ra gerencia dos recur-
sos necessarios para occorrer s despezas da
guerra d'A frica.
Discule-se no congresso a resposta falla do
throno.
L.
DIARIO DE PERNAMBUCO-
Continua-se no intento de arredar o espirito
publico Co rerdadeiro cen.ro, cm que deve ello
permanecer com relacao arreraataco das
publicaroes officiaes.
Respondido era nosso artigo anterior victorio-
samente ludo quanto frr antes ayancado com
soffriveis caviiaces; demonstrado que o proceder
do Exm.Sr.presidente,lon},e de pautar-se poresse
sabe que ainda esl longe de nos o lempo em que
as autoridades saibam fa:er juxtica a quem ella
devida, principalmente q tundo isso se oppein
os interesses dos poderoso t, pelo contrario ture o
cunho do inleressc publico, sem que esle fosse
subordinado aquellos; c predominando ainda os
mesmos estmulos, nao podia-se deixar de ler
recurso oulros meios do argumentado, que ao
menos myslificasse a quem so nao dsse apre-
ciaco da materia cm si e em suas reloeoes mais
acuradamente.
U assim, soccorro-se agDra ao modo da propos-
la feila pelo proprietario desto Diario,' desco-
briodo-lho urna inadmissibilidnde de forma lo J i
rao do correspondente ser cxoclo e dar cotila I graluil3, porque ella consignava o offerecimenlo
el do eslado em que sc acha a opinio pu- de fazer o respectivo Irabalho pelo mesmo preco
programma nesto jornal ha
blica.
Foi esle o meu
perlo de 5 annos.
Urna eiluaco com Ins elementos nao podo
manler-so ; una sluaco que so (Tro lodos os
dias os mais vilenlos ataques na tribuna e na
imprensa, c nao tem forca para desmenlir essas
acc?ices, az nos abysmos do mais profundo
desamparo, e dore cuidar em retirar-se. Talrez
que ou'ro qualquer. ped ndo simultneamente n
preferencia, em ntter.c.io faze-Io de longa
(Jala.
No entanto onde jusli cadamente exslc essa
inadmissibilidade ?
Em iwo hayer qaphtima quantia certa e deter-
minada, diz-se.
Esta porm nao oslar deler.7"naa"a plenamente
quando se declara, que far*se-ha C mcsmo serv-
csta stippoi?n que as leis papa os norosimposlos 50 pelo prego mais baixo do que por ,re for
Iha darao longV ViJ I Oxil qug o tal barril de ofTerecido, ou '
alias por idntico preco?
Anle-honlem fundeou cm nosso porto o vapor
Cruzeiro do Sul, procedente dos do norte, son-
do portador de jornaes e cartas com ns segnintes
dalas : Amazonas 9, Pnr 22, Maranho 25, Pinu-
hy 1G, Cear 26, Rio Grande do Norte 27, c Pa-
rahiba 29 do corrcnlo.
Amazonas. Nada de importante occorreu. O
rio Amazonas comecra a vasar no dia 13.
Para. O nosso correspondente diz-nos o se-
guinlc :
O rio Amazonas nesla data em que Ihe escre-
ro, ainda nao deu sigua) do rasante, o que tem
mellido susto a muitas familias, que j sc reti-
raran! para a cidade. O anuo passado, cm fins
de malo, j o rio vasava muito, entretanto que
j estamos cnijuulioc elle nem se quer indicios
disso deu I Dous nos defonda da endiente do au-
no de 1859, que, pelos estragos, d 1:11:1 >s e pre-
juizos que por aqu occasionou,sempre ser lem-
bialo como um anno terrirel que foi para o A-
mazonas.
Vmc. deve recordar-sc que ha annos que se
falla no pasmoso raucambo que ha no rio Trom-
betas, mucambo que, por assim dizer, tcm ater-
rado as autoridades Um destes dias, um preto
perseguido pelas carneiradas l por esses centros
daquelle rio, rao voluntariamente entregar-se a
seu senhor, o nesla occasio denunciou ao dele-
gado de polica, que tinhi do^cido com os oulros
seus companheiroi.
E sendo interrogado, confessou que vvondo
com os outros seos corapanheiros, todos mucam-
bados, no alio Trombetas, virain-so coagidos a
dcscer para o Amazonas por causa das carneira
das que nesses lugares, inteirnmenle erraos, a
clieia lera feto desenvolver, e os eslava dtzi-
uiaii o.
Confessra que desceram oilo canoas, tendo
cada urna deltas oilo negros, o que nesta descida
vieran) fazendo o que os negros fgidos cosluma-
varn a obrar Que nossa descida passaram por
13 malocas do gentos bravias, sendo as princi-
pos as segnintes :
Ariquenas, Piamocol, Tunayanas, Alfoya-
nas, Arauaqui e Parauaqui.
Esla ultima liibu composla de gente branca.
Lsle negro e seus companbeiros foram leva-
dos, pretexto de negocio, por uns ludios da tri-
bu .\ri (nenas, pelo alio Trombetas cima, e de-
pois de caminharem mezes foram dar comsigo ni
cosa de um immenso mar de agua salgada : e
que ahi chegados, o Indio que os servia de chefe.
pozera-se a locar urna buzina, mas ninguem ap-
parocera. Que nesse lugar, apozar de inleira-
mente inhabitado euconlraram latas velh:is,
cascos de monlaria, o outras muitas cousas, de-
nunciantes de por all ler passado gente em al-
guui lempo. Esle lugar, que o preto nao conde-
coro, julgo eu sor perlencento a Guyana Ilollan-
de/.a, porque pelo rio Trombetas vai-se a Stiri-
nan, e lem este rio conununiearo directa com
aquella Guyana.
Cdogados a esse lugar, e como alguns ne-
gros comerassem a morree de unas desinlerias
pasmosas, em ronsequencia da pessima agua que
bebiam, abandonaran) os Indios c fugiram por
esses sertes do Trombetas todos eslropiados,'
morios a ionio e inteirainenle BUS. Nesla corri
da que irouxeram. encontraran] com uns genlio
bravios, vendo-se cites coagidos a travar un|b
lua, cuja consequencia foi ficarem alguns Indita*
mortos, e roubarem, elles negros, duas Indias,
que coiiduziram para o mucaiubo
O delgalo de polica depois de otivir o le-
gro, expedio urnas diligencias a tira do ver se-jpa-
nhava os laes negros, mas todas ellas foramm-
prolieuas, alientas as ditUculdades que apresnta
o lio, c da facitidade que d aos negror df om
qualquer parle esconderem-se.
Ultimou-se com elteiio a fesla do Divino Ls-
piriio Sanio, como Ihe noliciei en) uitia d* n-
nhaa missivas passadas, tendo liavido um lolfri-
ver-oaile dado pelo juiz da fesla, o Sr. Luz Vl-
lenle do Cont. i
excusado dizer-lhn que o madamisrro Obi-
denso a ello concorreu cheio de todos m seus
encanlos. A msica que de proposilo fe/ man-
dada vir dcSanlarcm, cstevo boa, e dossSvolve-
ram-se os nisicos muito bom, todos ficapm con-
tentes e moslraiam-se sa'isteitos. /
O nosso novo juiz municipal o Sr./Or. Jos
Calandrini de Azevcdo, tem procendo mui
bem. Inieiramenle nlhoio nos partilos o Sr.
Calandrini s procura por cm pralicao que a
leis lho mandam cumprira just5Infeliz-
mente lalvez tenhainos de ficar privii/os da sua
presenea, por alg'iui lempo, porque sendo de-
putado provincial eleito pelo circuid de Santa-
rom, provavel que vi tomar, assonto na
assembla.
Em um do- dins passados cahii nesta cidade
urna trovoada to forte, os raios foram tantos,
que quas me rou ractler dentro up um armario
grande, que tenho n i raranda, ras felizmente
acabou-se tudo em Santa Paz.
Concilio j porque o rapor vil largar: aceite
saudades do Palho.
Maranho.Da leitura dosjdmaes nada co-
Ihemos alm do que diz a carta seguinle :
Ura facto bem gravo acab'ilde ler lugar na
Barra do Corda, comarca da Chipada.
Os Indios Guajajaras revoljaram-se conlra o
seu director o lenenle-coronef Joo da Cunha
Alcanfor, por occasio de ir Wtc A aldeia dos
mesmos Indios tirar alguns oir o trabalho de
urna igroja em construccau, e no qual percebera
elles ura salario rasoavel. O.maioral recusou-se
deixar sahirem os Indios o,inandou responder
cora urna descarga s razies que dara-lho o
director para mostrar a illealidade de seu pro-
cediraenlo. Foi morlo um cunhado do director
que o acompandara, e este ferido pode salvar a
vida alravessando a nado um rio. Nao conten-
tes com isto os Indios dir/gem-se a fazenda de
Alcanfor, saquciam-a, c pcra fogo casa e
roca.
Cdegando o fado, ao conliecimento da presi-
dencia, fez olla marchar inmediatamente para o
lugar da oceurrencia una forca de 30 pracas,
cornmandadas por um ollicial do confianca, a
disPBsicao do juiz municipal e delegado.' que
tem procedido em seinelhante negocio com loda
a prudencia e acliridade.
Espern-se que com estas providencias se
roslaUelecer a ordem, o rcapparecer o socego
entro os habitantes d aquelle lugar.
a Houve sem duvida alguem que incilasse os
Indios aquelle excesso, e trata-so de investigar e
punir os verdadeiros culpados.
< Vaimuilomil a nossa assembla provin-
cial. Tem harida discustoes, quo deveriam ter
outro nome: as exprcssespatife, ladro, infa-
me etc.i foram (rocadas entro alguns do seus
mombros.
A fobre araarella tem grassado com intensi-
dade, porm nao feito muilas vctimas. O sa*
rampQ o a bexiga |em-lhe servido de cortejo.
' A marinha brasiUira. acaba de soffrer urna
perimentado !
Muilos sao os candidatos que querem pres-
lir serviros palriana cmara temporaria.
Tambem ha lim numero de preleudenles
a senatoria. Mas aisso observa-se mais or-
dem.
Ninguem pode sabqr quem sero 03 caval-
leiros que coniporo a lista triplico. Entretanto ,
lia quem julgue que os mais votados soro os se-
guintes senhores ; mas nao se podendo assegu-
rar a ordem enj'l'ie cada um delles ler de ser1
collocado ; harendo porm probabilidades que
os dous primeirM sahirao mais volados :
Dr Miguel Remandes Vieira.
Dr. RayraunJo Ferreira de Araujo Lima.
esembargadur Jcrouymo Marliuiano Figueira i
de Mello.
Dr. Domingos Jos Nogueira Jaguaribe.
Desombargador Andr Bastos de Oliveira.
Dese.mbargidor Antonio Jos Machado.
Do-einbargidor Jos Peroira da Grara.
Dr. Francisco Doiuingues da Silva."
Acabam'de chegar de Lisboa alguns calce-
toiros porluguezes quo o Exm. Sr. presidente
Nada consta conlra a
havia maulado engajar
seguranza individual.
Anhelo-Ido ,1 melhor saude e pecunia. >
llio Grande do Sortee l'aralujba.Estas duas
provincias continuara a gozar de perfeita paz e
tranquil lijado.
lia, e do alguna lugares comrauns com que os ora-
doies liberaes cosiumam enfeitar os seu discursos
para excitaron o eolhusiasnio das turbas. E por
lim nada roncluio do que disse.
Alguna oradores que lomara ra depois delle a
pala ru\sohro a materia coinbaloram e demons-
traram-lde os erros om que eslava, e procura-
rain desassusta-lo dos resultados da nova loi ;
mas quem pulverisou completamente os seus ar-
gumentos, e poz a odo n at o ponsamenlo in-
timo da sua oraco foi o Sr. ministro do impe-
rio n'un discurso proferido em sesso do 20, pa-
ra o qual chamo asna allenco. A rejorrra elei-
loral ficou desde onlo cima de to/lo^-o tinques
possivel, e a sua necessidade provnda a todas ns
luzes. So porm fosse necossario mais algum
leslcmunho de valora este respeilo, -aslar-me-
ha recordar-lhe que estn inscriptos, entra ou-
lros oradores, paia faHarem a favor dola os de-
pulados l'edreira e p.nrandos, que eram minis-
tros quando foi decretada a actual loi de 19 de
selcmbro de 1855, vulgo, dos circuios c dos qua-
drados.
>.< Alm da reforma eleiloral eslo tambem era
discussao na cmara, as leis de tixaco de forras
de mar e Ierra, e no sonado lraio-se ultima-
mente de um projeclo de loi prodibindo e im-
pondo penas a certas rifase loteras particula-
res, o qual pelo geito da discussao parece que da
de ser ainda memorado lomando mais ampios o
n,.ni,,., i -n < a mais reaes os beneficios que elle doixa entrever,
nornw ,1 P P,r f"ran,f'Jnirlad0o ,0S l'-'a ...inda parlo o appla, do como urna tentali-
7 MiritA- ^'ta i' e2,|- di' Bah'" lirMe nosTpde condozir eitinccao completa
lt?AT a loteras, raga infernal qoe devora as econo-
erte q lata nosso correspondente da mias do povo com mais violencia ainda do quo
As duns grandes medidas legislativas quo se mJS" ^^ ,teWrm" 3S Se"S dS
da'sa'ilr.%0 '^t^T'*^35 C?r, ^^ I >" 1 Je mais irnporlan-
ei' ir, V, -,Pr "^.l ', /'" ,''rt! '. S"" l-' quinicia poltica, e se mais me occorrer.
SSS -a n?i U '^r Vp"^ drA e"' r^^um m ^ I* bar mala. >
psito uo digo que foram ellas presentadas'pe- &*?*' C,S ^ d *m m9tUM L''"
lo governo, o sim que lucrara a sua entrada na Poram nnnnadnl-
o 0.&??!9.nib S2.S dG f'C' de8de T Co"s"' "> "* EslaJo OmM J
3 ?r'' eogorernonao (^ Ur Sr. .Molc.dior Carneiro do Uendooc.
mais 00 que modilica-Ias ou substitu-las pelas praco .
?o t! ,', lt"l'cc-|M1aM1",1'0 conhecimen- da 0BSr. p M ^loe, da g||y om:10
MT*n^fL~r!5,ai?,l'; ar,anlr U0tio primeiro batalhao de infamara da
m^So7t.rmodo!iarcc,,ncnl0'depls de r* bt' da f,,rov,ria.d,! si,,,a ^a,,,1-
Ja lodos sabem que quero fallar-da reforma c"';1;,,0 C8PUao "fc>",miiao Fernando Antonio
UrSVa.n^Tsd,,0 frn..8Hq'!"e! \', ^ Ooaeeie.-ie a Duarte Henrique da Fonsecn
jetu.de le ofTerecido pelo deputado Sergio do
Matedo, ex-miiiislro do imperio ; e a segunda no
guarda nacional
Minas-Gomes, ns honras
do
pro vin-
inesmo
sena lo naquclle notavcl projeclo do ex-ministro
da fazenda Salles Torres-IIomem, que depois de
liver levantado a maior gritara que solera ou-
vido no paiz, coseguio sempre passar em lo las
s tres discussos na cmara dos deputados, e foi
i'emeltiJo para o senado ja no fim da sesso le-
gislativa do anuo passado Tratemos primo.ro
desto, sobre o qual da por ora menos que dizer,
fl nos oceuparemos depois do outro acerca do
qual ja se conta maior numero de accidentes e
peripecias parlamentaros.
Depois do haver passado em primoira discus-
sao no senado o amigo projesto bancario Salles
rorros-Homem, c apenas entrou na segunda, o
ar. ministro da fazenda actual olfereceu-lhe co-
mo emenda um projeclo substitutivo que seu
pedido foi com o primeiro remeUido comais-
sao de fazenda para dar sobro ambos o seu pare-
cor, e se poder proseguir na discussao da mate-
ria com mais regularidade. A comroisso de fa-
zenda aorcscnlou na sesso de 20 o seu parecer,
do qual se collige que esleve de perfeo accordo
rom o ministro, pois faz somonte algumas peque-
as modillcar.os as ideas do projeclo substitu-
tivo, com as quaes concordouo seu autor, e que
sao realmente judiciaes e salularos.
Para bom apreciar ambos estes trabalhos
preciso lr um em presenea do outro, e creio
ca de
posio.
Concedeu-se a Manoel de Araujo Coelho, olfe-
res do oilavo batalhao do serviro activa da guar-
da nacional da corle, passagem no mesmo posto
corno aggregado para o primeiro batalhao da re-
serva da dita guarda.
Foi perdoada a Luis Raptista Cantal a pona
de um mea de priso o mulla correspondente
melado do lempo a que foi condemnado por
senleoca do juiz do dircilo da primoira vara da
corle.
Por decretos de 9 :
Foram Horneados :
Quario escripturario di contidoria da mari-
nha o praticante dessa repartico Manoel Anto-
nio de Sou/.a c Silva ;
Secretario da capitana do porto de Paranngu
Julio Cesar Leal ;
Presidenta da provincia de Serppe, o Sr. Dr.
Thomaz Aires Jnior.
Foi exonerado, a son pedido, do lugar de aju-
dante contajlor da administrabas do correio di
proviiuHa-^da Paran a ir Candido Marques de
Azevodo :
Ti/eram mere: de foro de tidal go cavaiieir?
da cjsa imperial os Srs. tenent e-general Jos
Fernarides dos Sanios Percira, Ped ro Aloxandrinr
de Barros Cavalcanti de Lacorda e Francisco di-
Barros Falco
Cavalcanti do Albuquerque : 1
bem queserailesnecessaiioreco.nraoiidar-lhees-|dode rauco Hdalgoeom exercicio na mesma ca-
sa imperial, os Srs. capiles Elesbo Maria dj
e Conrado Maria da Silva lu-
d 1 Rosa o
la importadlo leitura o a Irauscrpco das duas
pecas, porque estou cerlo que o far cora o crite-
rio com quecosluma apreciar estas cousas. Pen-
s que nesles prximos dias comer..)r no sonado
a discussao desta importante materia, mais im-
portante ainda depois da lalitude que Ihe deu o
actual ministro da fazenda no seu projeclo subs-
titutivo, o qual acredila-se quo nao pass.ir lo- .
dara oxircmie de opposig.o ; nao securarrtonie luir no mesmo lugar o
porque ataque direitos era Interesses fuuJados
e legtimos, o menos ainda porque ponda em
perigo os interesses pblicos, pois quo uus o ou-
lros sao nelle respeitados e garantidos ; mas por
que rai oITcnder o amor proprio do alguem que
l lem a palarra, e porque 1 e lora de favida os
erros e os males do sysioma de ere lito fundado
entre nos de certo lempo para ca. 'las venda a
discussao, a discussao calma o Ilustrada, que
nao far mal a ninguem, o o paiz peder mellioi-
abrir os odos e O o abysmo borda do qual li-
nha sido condolido cora asiduas que vagavam.
Como estar lembrado, sempre mo pronun-
ciei pela necessidade e excedencia das medidas do
projeclo Salles, que agora substituido por este,
e pois a ningnem ser exlranho que Ihe continu*
agora a minha approvaro e sutl'r igios ; tanto
mais quanto o mal que ello tendia a prevenir I domnato por sentem-a
parece aggrarar-se de dia em dia, o quando re- marca de Nilherohy";
jo que o actual Sr. ministro da fazenda com o A Joo Cardoso do Carralho Mallos, a pena
seu novo projeclo abracou a questo u'im lio- de tres mezes do priso e multa correspon-
risonle muito raais ampio, que promette risulla- denle raclade do lempo que Ihe loi imposta
dosainda mais salutaios. por sentenra do juiz municipal da segunda rata
O trabalho do Sr. senador Ferraz realmen- da corte.
Silva Bitloncourl
lenc.ourt ;
Foi nomcado cavalleiro da orJera
Sr. Georgc N'esbilt.
Foi exonerado do lugar do secretario dr>
averno da provincia da Parahyba o Sr. Thomaz
Jo Aquino Hiadcllo ; e nonea.lo pira o substi-
Dr. Luit de Albuquorauo
Martina Percira.
Por decretos do 12 e 13 :
Foi a presentado o padre Joan Tai I sil 1 Plata
na freguezia do Claudio, da diocese de Ma-
riana.
Foi nomeado o lenenle-coronel Pr.ineisro Jo-
s Borges, chefe do cstado-maior do coni.n ,, >
superior da guarda nacional dos manteipi ,- | )
no Bonito eCapivary, da provincia do Rio do
aneiro.
Foz-se mrre a Porfirio Candido de Assiz Arau-
jo da serventia vitalicia do ofllcio de esenyo de
appollages da relario da corle.
Foram perdoadas .
A Hermenegildo Francisco de Souza c Mello,
a pena de dous mezes de priso e mulla cor-
respondente melade do tempo a que foi con-
de juiz de direilo da co-
te digno de admiraco e louvor, quo re'ela ura
esludo profundo da materia, c que Ihe em at-
trahido approraco dos homens mais ilustra-
dos, nacionaes ou eslrangeiros aqu residentes.
O ministro raoslrou comprehender a questo da
circulaco e do crdito no paiz em todasts suas
variedades, e procuren appliearum remedo 3 to-
das as psrtcs onde Ihe parecera haver um perigo
a evitar ou a corrigir, estabclcccndo mediiiasque
facililassern os resultados que desde imito se
promove e espera para regularsar essis dous
grandes fados econmicos no paiz, sobre o quaes
repuso loda a seguranr.a e prosperidale pu-
blica.
' Entretanio c apezir de ludo duvi'bsn que
este projoclo possa passar este anno a ser le do
Foi nome ido offkial da ordem da Rosa, o Sr.
Jos Peroira Tararos.
Por decreto de 18 :
Foi demiuido, seu pedido, o alteres dn pri-
meiro regiment de ca vallara ligera da corle
Leopoldino francisco Aires.
Haviam na corte noticias das seguales pro-
vincias :
Coyaz. 16 de raao.0 Sr. Dr. Arago chegra
no da 1. e lomara posse da presidencia da pro-
vincia no dia 2.
S. Paulo, 15 de junrio.Foi adiada, iepois do
oilo sesses preparatoria, a assembla provin-
cial, por nao tereni seus mcmbios rhegado
um accoido quanto eleiraodo prest lento.
Minas, 11.Chcgra 110 dia 10 a larde o presi-
paz, visto 1er de rollar cmara dos depilados,' denle da provincia, ultimaroenlo nomeado, o Sr.
e lendo-se era allenco a inlermionavel chica- consellieiro Pires da Molla.
Baha, i.-se no Jornal da Tarde :
fc A borlo da Euryalus, cuja chegadi annun-
riemos nnle-honlcm, '3,reio incecaitoS. A 'Real
. -.:_. iir...i........i- f.n. j_ '.
na parlamentar, de que dizem nao ser airda pos-
sivel livrar-nos
Ser realmente urna Iriste decepro^na qual
a naco ser grandemente prejudicad'a efiquanto: o prncioe Alfredo, segundo filho da laiakbaVu:-
os seus fiis representantes so divertirn a f-! loria de Inglaterra.
zer longos discursos, e a desforrar-se erriinjurias S. A Real pasese* honlem rom farda do
conlra os seus adversarios. Nao anticipemos guarda marinha, e parlio hoje para o Rio do Ja-
porm dosgostos, e esperemos pelo rfeullado' neiro, e depois ao Cabo da Boa Esperanca d'onde
que uo esl longe. rollar para a Inglaterra.
A reforma eleiloral, ou o projeclo dWx-mi- \ Abnfxo publicamos o bando da cmara mnni-
nistro Sergio, depoig de submellido ari rame de j cipal concedendo aos seus municipes tres di
Dta| c,ornmisso especial, quo sobre elleapresen- de publico regosijo pelo faustoso dia 2 de julho
tou unt-eitteusQ parecer, cqtrQU com eMe j ha e em seguida e progamma apresentado pela di-
ilegvelL
n
h ITII AHA


m
*m\* a
1/
marcanoo a ordeiu z recelo d'aquelLa sociedade,
dos festejos. I
BANDO.
v. A cmara municipal d'esla leal e valorosa
cidade -lo 3. Salvador, Bahia de lodos os San-
tos, a seus uiunicipes.
Bahianos sempre possuido do tnaia vivo
eutiiusissmo que a cmara municipal ves an-
nuntia a approxmaclo do inmortal e glorioso
da 2 de jullui !
Para um povo Hrre, a coinmemoraclo do dia
i independencia fui sempre o objecio de
DIARIO DE PEiWABKUCO. SEGUNDAYttrU i DE JULI DE ifi.
zeno a nulicia do quu iodo o Ainiiiiz Unia fa-
llido em poder dos indgenos insurgidos, os quaes
j tinham (ambem invadido Mossamedes, llocilla,
Cacondo, Quilenges, e Quiballa.
Benguell eslava sendo atacada pelos negros.
Nao havia n'aquellas colcnias senao um pe-
queo contingente de tropas regulares, e d'cssas
tropas anda perderam se ceulo e seis pravas,
que morreram afTogadas na passagem do rio
Logo.
No dia 11 do expirante mez parlram do Tejo
os vapores frica e Marii Anua, couiiuzindo o
sua maior gloria, dos seus ruis ardenles anhe- nv governador de "Angola e a vanguarda da
Jos ; o por is-_o aue clieios do jubilo costumaes expedidlo. O restaute da expedido, commaii-
sau.lar a sua refulgente aurora com as mais so- dada pelo infante D. Luiz Filippe,* irmo do rei
loamos dentenstraces de fervososo patriotismo devia sahircom brevidade.
c amor liberdade As cortos porluguezas volavam alguns impos-
. ..manos O da 2 de tulho, como aquello,.,os. T>e provocavam vivas reclamaces da parle
que sellara a nossa independencia, dando ao '.dos contribuientos.
Brasil um imporlantQ lugar na lista das netos el As noticias recebidas das provincias do irn-
idicara nossa -soberana e liberdade,' P01'10 e das repblicas vsinlns
que por tres seculos liaviam sido anniquiladas'
rao pode jamis passar desapercibido; le leudes
a proras n'esses pomposos festejos com que &
porfa lodos vos o celebraes, tornando-o immor-
redouro I
A cmara municipal, congratulondo-sc com-
vosco pela ronovacao de lio grandioso da, solTrido ataque cm nenhm parle,
cuja gloria compariilha, vos permiti lodosos lici-: Em Villa-Bella e alguns oulros pon
pelos vapores
nacionaes Miradas boje do norte e do sul, os
leilores acha-las-hlo ecunidas em outro lugar
d'este Diario. *
Do interior da provincia nao ha noticias
de maior interesse. A ordem publica e a segu-
ranza individual e de propriedade nao tinham
ponlos cont-
ios aiverlimenlos por tres das succossivos.ccon-! "nava a secca.apezar da alhmosphera annunciar
la que entregando-ros todas as demonstra- churas. Em Cimbres nao havia ao meno3 espe-i
coes de patritico jubilo e do mais puro cnlhu-' ranCa de chuvas, e linha-so alli desenvolvido a
siismo, daris, como sempre, urna prora sig- epidemia das anginas, da qual j haviam suc-
vossa civilisaclo e nobresa de
nifteatira de
sentimentos.
Bahianos! ainda urna vez coroai o da de
nossas glorias com os Iropheus do vossa dedica -
rao e com os applausos da vossa generosi-
dode.
Pagoda municlpaliJade da Bahia, 18 de iu-
aho d- 1860.
s Vira 0 gl.jrioso da 2 de julho !
Viva o Imperador constiluciou
nal e defensor
e liberdade I
perpetuo do Biasi
Viva a nossa independencia
< Viva a nossa religio !
Viva o povo baluano viva viva viva !
<' Jos Manoel Fe mandes Humos, V.
Dr. Jos Eduardo Freir de Carvalho.
a Dr. Tito Adriao Itebello.
<'. Caelano Vicente de Almeida Galeo.
fernardino de Sena Moreira.
Dr. relisberto Antonio dd Silva orla.
DOLS-DE JL'I.IIU DE1860.
Pogramma dos festejas no presente anno.
No dia 2a do crreme mez de junho, as 3 ho-
ras da tarde em ponto, urna girndola de fogue- miuuido do intonsidade.
tes dar o signal no largo da Lapinha para a par-
tida Co lu/.do beodo de catralleiros mascarados,
Que percorrendo a cidade peras ras do costume,
tcm por fin annunciar a approxjmarlodo immor-
tal Dous de Julho, dia de nossa independencia c
liberdade.
Na noite do Io de julho s 9 horas urna ou-
tra girndola annuneiar a partida do largo da
Piolado -ios balalhoes patriticos que acompanha-
ro os ranos para o pa vil bao da Lapinha, man-
dado coiislruir pela sociedade Dous de Julho pa-
ra o decente deposito dos emblemas da nossa li-
cumbido algumas crianzas. Na Victoria, onde t
mesma epidemia tinha apparecido, nao consta
que lenha lido progresso.
A companhia lyrca italiana deu sua pri-
mera representado n'esla semana, debutando
na Norma da Bellini. A companhia 6 o que se
esperava que fosse. De lodo o pessoal cantante
apenas se deslaca a prima-dona Bellramiui, cuja
voz e presenca nao sao desagradareis.
Abriu-so a terceira sesso annuol do tri-
bunal do jury do Recit. Os trabalhos deviam
ter principio boje.
A commisso astronmica e hydrographica,
que so ar.hava n'esla provincia desde o mez de
novemhro do aono prximo passodo, retia-so
para a corto do imperio. A commisso
| Eugenio, branco, a anuos, escarlatina.
Franklin Martins de Souza Carvalho, br&CD, sol-
leiro, 22 annos. erisipela.
Alexandre de Souza Pinte, pardo, solloiro, 10
anuos, hyJropisia.
--30
Joo, branco, 5 annos; escarlatina.
Carlos Moreira Martins da l'onseca, branco, sol-
leiro, 34 annos, hydropijia.
Raymundo d'Assumpco Castro S., branco, sol-
teirrt, 14 annos, congesta cerebral.
Manoel, pardo, 1 hora, es;orlatina.
Justina, parda, 3 annos, angina.
Filomena, branca, (i mezas, inflamaco de oles-
lino.
Justino, prelo, escravo, solleiro, 20 annos, bc-
xiga.
Antonio, pardo, escravo, 7 annos, hepatile.
Manoel, pardo, 4 metes, convulsoes.
Euiz Francisco das Chagas, preto, 8 anuos, escar-
laliiwi.
Francisco Botelho Dourado, pardo, solleiro, 14;
annos, apoplexia.
Matadocko publico :
Malaram-se no da 29 do torrente
sumo desta cidade 82 rezes.
No dia 30 dq mesnio 108 dilas.
Hospital de caiudadr. Existem 59 ho-
mens e 57 mulheres, n.Tcoi.aes; 7 homens es-
trangeiros, 1 escravo ; total 124.
Na lotalidade dos doeoles existem 37 alienados,
sendo 30 mulheres e 7 homens.
Foram visitadas as enfernarias pelo cirurgio
intos7 1[2 horas da manliaa, pelo Dr. Dorucl-
l)r. iranciscu de
da segunda rara
e a p re en la
120
Comparece ao tribunal o Sr.
Aranjo Barros, juiz municipal
e preparador dos processos do jury, v
2oprocessos convenienlemente preparados.
Do conformidade com o or 351 do reg n
de 31 de Janeiro de 1S12, o porleiro do jury
chama cm alus vozesos nomes dos autores, reos
e t slernunhas, comparecendo por bou procura-
dor llodolpho Joo Barata de Almeida [rom li-
cenca do juiz) o autor Carlos Jos Asilev & C.
Comparecem igualmente varias teslemunhas,
c o Dr. juiz de direito ordena que se ex-
peca mandado de priso contra aquellas que
sendo notificadas, nao compareceram ao tri-
bunal.
A's 2 horas da lardo, le
em
para o con-

las, s 8 horas da manhia.
. compu-
nha-se dos Sis: Dr. E. I.iais, director adjunc-
lo do observatorio imperial de Paris,primeiros
lenentes do imperial corpo de ongenliciros Joao
Baptisla da Silva e Luiz Antonio de Souza Pi-
langa ; ba'cliarol Ja imario Candido do Ulivora
e desenhista Ladislao de Souza Mello c Nctlo.
N'esles uliimos dias as epidemias leom di-
iiiuitf'
Doman.laram o nosso porto, durante a se-
mana, 17 embarcaedes mercantes, com a lotacSo
de 9,133 toneladas. Sahitam, durintc o mesmo
espaco de lempo, 13 embarcacos mcrcantes.com
a lotacao de 5, 21 toneladas
Henderra, durante a mesma semana: a
alfandega, 57:239*967 ruis : o consulado ge-
ral 3:42J$C99 riis ; a recebedoria das rendas
geraes Atenas, 11:998*610 ris ; o consulado
provincial, 22: 0t$0J3 ris.
O inovmento geral da alfandega, durante
CHR0N1CA_JUCIICIABIA.
TRIBUNAL DA RELAQAO.
SESSAO EM 30 DE JUN10DE 1860;
PRESIDENCIA DO EXM. SR. COSELIIE1RO ERMELINO
DE LEVO.
As 10 horas da manhia, achando-se presen-
tes os Srs. desembargadores Figuera de Mello,
Silveira, Gilirana, Gueria. Lourenco Santiago,
Silva Gomes, e Caelano Santhgo, procurador da
cora, fallando com participado o Sr. desembar-
gador-Bastos de Olireira, foi aberta a sesso.
Passidos os feilos e entregues os distribui-
dos, procedeu-se aos seguinles
JUI.G AMENTOS.
RECLUSO COMME1 CIAL.
do
\
recorido, Eduardo Hi-
o mesmo espaco do lempo, foi de 4,113 voluntes,
bordado e independencia, medianle subscripces a saber : voluntes entrados com tazendas, 343;
ngenciadas para esse lim. com gneros, 1,232 : total dos voluntes en-
_ No sempre memorare! Dous de Julho entra- Irados, 1,625. Volumes saludos com fazendas,
rao em Iriumplto os mesmos emblemas patrioli- 933 ; com gneros, 1,555 : total dos volu-
cos frente de una columna militar composla de I mes sabidos, 2,483.
toda a guarda nacional o tropa de linha que for- I l'alleceram durante a semana 66 pessoas,
marao em grande parada no Terreiro de Jess, sendo : 17 homens,12 mulheres c 26 prvulos li-
Jiavendo na calhedral um Te-eum em acoao de vres: 5 homens,lmulherc e prvulos cscravos:
gracas ao Deus dos victorias. total 66.
A' noite haver illuminaco no palacete do
ferreiro o no barrado da praga de palacio, onde
serlo collocados os emblemas patriticos, depois
da jurada. A illuminaco continuar as noites
de 3 e 4 de julho
Na noiie de 4 do mesmo mez, se reunirao
novamenle os balalhoes patriticos, e acompanh.i-
Jo os carros do Iriumpho para a Lapinha, alim
do seren deposita Jos no ru pavilho.
A commisso da sociedade Dous de Julho en-
carroada dos festejos no presente armo, corita
que todos os habitantes desla capital concorram
com o maior cnlhusiasmo, paz e ordem para abri-
ihanlarem o sempre memoravel dia da indepen-
dencia e liberdade.
Joaquim Ignacio da Cmara Pnheiro.
Domingos Lopes Ribeiro Jnior.
Pedro Moreira Sampaio.
Babia, 25 de junho de 1860. o
Alagos. No dia 16do correle, depois de mcia
noite, tocou no baixo de I). Rodrigo a escuna
portugueza Cybelle, procedente do Rio Grande
do Sul, consignada aos Srs. Guilherme, Carvalho
c\ C, desla praca, pordendo o lemc e fazendo
d -a- e mcia pollegadas d'agua por hora.
Apenas isso lite conslou, o capataz da eslacao
de Cururipe, preslou os soccorros precisos prori-
tenciando para lite ser fornecido um novo lemc,
e que o navio podesse seguir seu desuno.
PERNAMBUCO.
RECIPE, 30 DE JI.N1IO DE 1800.
S SEIS HORAS DA TARDE.
Retrespeeto semanal.
Durante a semana recebemos noticias Ja Eu-
ropa pelos paquetes da companhia anglo-luzo-
brasileira e da companhia ingleza de Soulhamp-
ton, e das provincias do norte e do sul do impe-
rio polos paquetes u.i companhia brasileira.
A marcha dos acontec metilos polticos nao
oll'erecc alteradlo sensvel senao paro peior. A
Italia meridional continua extremamente agitada.
A insurreiclo da Si;.ilia chegou a um ponto, que
o proprio governo de aples reconhece nao ter
forras para combaler. A Austria, a Franca e a
Inglaterra, a ruem aquello governo pedu auxilio
negaram-se a presta-lo. O principio de nao in-
lervenco, quando se traa do commoces pol-
ticas intestinas, anda ha bem pouc.o lempo dis-
cutido, proclamado c adoptado por aquellas po-
/tveias, nao Ibes pcrmillc de lomar parte na
gucpca da Sicilia.
Garbaldi representa um papel importante
n'essa hita travada entre a liberdade. o o despo-
tismo. Ao seu genio superior o sua incancavel
astividade devem os Sicilianos o feliz sucesso
das armas insurgentes, ti governo, que j antes
tinha pedido um armisticio, pedio a sua proro-
gacao indefinida para que os negocios se resol-
vam diplomticamente.
Garibaldi proclaniott-sc dictador da Sicilia em
nome de Vctor Emmanuel c declarou a Sicilia
nnnexada ao Picmonte, mas inlcrpellado o go-
verno de Turin a esle respeito pelo representan-
te da corte de aples, o conde de Cavour pro-
testen que os actos do Garibaldi nada tinham de
communs com o pensamento. ou com a vontade
do governo piemonlez, o qual nao s tuto accei-
tava a reSponsabilidode de taes ocios, como at
os reprorava
O governo franco/ declarou tambem pela sua
paito que nao annuira annexnclo da Sicilia ao
i'iemonlc, o que se tal annexacao se verifteasse,
a Franca incorporara a si a ilh da Sardenha.
Os negicios polticos da Allemanha 4ambem
n'io marcltam bom. Existe cnlro os differentes
estados da confederacao profundos c seriosk3cs-
accordos sobre os pontos mas importantes da
consliluhao federal.
I-'.illav-se em Berln em um projeclo de reu-
nio do homens do lodos os partidos e de lodos
os paizes da Allemanha com o im do por termo
;i< lulos intestinas.
As noticias du Hungra assustavam muilo o
gabinete de Vienna. Diz se que o imperador
Francisco Jos assigurra que seriam concedidas
a todas as provincias do imperio aquellas garan-
tios que estivessem de occordo com a unidade
poltica do imperio.
Nada por ora se sabe de mais acerca dos ne-
gocios do Oriente. Consta que o gabinete de
Vicua inlcrpellra o governo da llussia acerca
de seus projectos de armamento na Bessarabia,
c que esle respoudera que ncuhuma inlenclo
hostil o levara a guarnecer a margem do Pruth.
De Vienna assegiira-so quo a Prussia, a In-
glaterra e a Austria achavam-sc disposlas a en-
trar as conferencias relativas siluaclo dos
chrisllos no Oriente, se as informaces de seus
respectivos cnsules e agentes forem taes que
justifiquen! a riecessilade de urna inlervonciio.
O infanle D. Joao Carlos de Bourbon, segundo
ftlho de D. Carlos, e irmao do conde de Monte-
niolin publicou no Tintes um manifest, recia
mondo os direilos ao Ihrono de Hespanha, que
seu irmao renunciara em Tortoza.
Havia algumas noticias da China c do Japlo.
A resposta do gabinete de Pekn so ultimtum
o governo francez era tal, quo sosqppunha ne-
cessario tancar mo do recurso das armas.
O principo regente do Japlo linha sido assassi-
n:i lo no dia 25 de marco, "em pleno dia e na ra.
Portugal eslava em paz e a salubridade pu-
blica era a mas completa ; mas reinavj alli
urna anciedade extrema por causa dos ltimos
successos de Angola.
O \apor Eslephania, que se esperava a Lodos
os momentos em Lisboa, chegra por fim Ira-
S REVISTA DIARIA-
lomos informaces de que achara-sc os
nossos arrabaldes infestados de ladros de caval-
los ; os quaes formam at cempanhias, que fa-
zem guerra Viva quantos animaos ha.
Chamamos perianto a alinelo das autoridades
dessas localidades para taes aggressoes pro-
priedade ; que devem ser devidamcnlc punidas
e nao toleradas.
E' preciso que se nao conserve fechada a
segunda porta da entrada do tltcalro S. Isabel
as noites de espectculo, porque urna smente
no satisfaz as necesstdades do ingresso ; a qual
por lal forma e feilo com grande atropello dos
expedidores, e mrmenle dassonhoros.
Si nislo lia algttn accrescimo do despeza para
a empreza elle lio insignificonte, que nao de-
ve deixar de ser pralicada essa medida para com-
raod do publico.
No provincia do Par esto sendo submel-
tdos quarculena os novios procedentes desta,
como ainda ha pouco deu-se cora a barca fran-
ceza Sphre.
Quando clama-sc por ser islo prSto etfi pralica
em Portugal, como dulrimenloso ao commercio,
improvisa-se-no Para cousa semclhanle. que
para tudo servir, menos para evitar a introdc-
elo de molestias, como tem-se observado para
lelo da pralica, apezar do que so diz a respeito
o em coutraposiclo.
As cautellos cuntpre lomar-so a bem da sau-
de publico, devem cifrar-se n'outras medidas,
que a experiencia indica, e nao nessas que s
Irazom atropellos.
Acha-se no exercicio interino da capitana
do porto, o respectivo ajudante, 1" lente Jos
Avelino da Silva Jacques, em consequencia de
liqfbr vagado aqnelle lugar pela morle do capi-
llo ae mar e guerra Fernando Vieira da Rocho.
A chuva conlino a cabir tiesta cidade e
seus arrabaldes, ha tres dias som interrupclo,
depois de urna pausa de das.
O vapor de guerra nacional Gequitinhonha,
que chegou do Haranhio no da 29 do mez An-
do, parle para o Rio de Janeiro directamente,
logo que conclua o embarque do corroo.
o dia 12 do mez lindo aprcsenlou-so ao
Dr. Henrique Pereira de Lucent-, delegado de
Ouricury, o tenetite coronel Alvaro Ernesto de
Carvalho Granja, ndigitado como mandante do
ossossinalo do capillo Domingos Alvos Branco
Muniz Brrelo. _ No dio 14 procedeu do mesmo modo Jol-
vno Silvio Granja, ftlho do coronel Jos Severo
Granja, cumplice no referido ossossinalo.
Foram presos pelo mesmo delegado de Ou-
ricury os seguinles criminosos : Jos Cezorio
Rodrigues, processado por crime do feriments
graves, feilos na pessoa do Manoel Gomes Br-
relo de Aguor, lenle Francisco Raymundo
Tetxcira c Silva, pronunciado por crime do mor-
to feila em Ignacio de tal, quando o dito len-
le exerceu o cargo de subdelegado de Ortigas e
Contendns ; capillo Bellormino Gomes Ferreira,
pronunciado por crime de morle, quo se havia
evadido do prislo ; I). Joaquina Maria do Castro,
mandante do assossinoto de Paulo J. da Silva, suc-
cedido em 1356, sendo quo os jssassinos, escravos
da dita sciihora.lflvaram a entoldado ao poni deli-
raren! a pello do rosto da victima, c a levarem
sal-gado mandante.
No processo instaurado, pelo delegado de
polica do termo de Cabrobt, Jos Soares de
Mello Avellins, pelo assassinalo feito em Anto-
nio Soares da Silva, entro as tazendas Sacco, c
Slo Domingos, foram pronunciados como man-
dantes o coronel Jos Severo Granja, e Simio
Geraldo de Carvnfeo o como mandatarios Jos
Joaquim Burily, e Manoel Antonio.
Foi preso pelo delegado do polica da San-
to Ailo, no dia 16 do mez p.ip. Francisco Ta-
rares da Fonseca, criminoso de morle no termo
do Limoeiro
O vapor brazileiro Jequilinhonha. vindo dos
porto do norte trouxe a seu bordo para esta
provincia os seguinles passageiros :D. Anna
Perpetua de Carvalho Mondonga, D. Alce Grace,
consolheiro Jos Caries Marijnk, Dr. A. J. de A.
Pedra, Jos Ignacio Pimenta, Candido de Souza
Gonzoga, Manoel do Souza, Jos Joaquim da
Fonseca Merelles, Demetrio G. da Silveira, Eu-
genio Blum, Maria Margorida, Banto, 2o cadele
Augusto Fortunato dn Costa Campello, Jos Joa-
quim Dias Ferreira, Nicolao Jos Ferreira, Luiz
Ferreira de Campos Torres, Antonio Jos de C.
rdente, Francisco Esteves Alves, Candido Viei-
ra Vionna, Jos Egydio de Albuquerque, Jos
Joaquim da Rocha, Joaquim Lopes dos Anjos,
Bernardino Jos de Carvalho, Antonio Ferreira
Leite, Andr Ludovick, 2 proras do exorcito, 1
ex desla dito, 1 ajrfcndiz mornhrJiro, 2 crimino-
zs, 1 escravo entregar.
Os que seguem para o norte :|Dr. Fetrx Go-
mes do Reg c 1 filho, F.iliam Sjflim, Williant
Senlley, Manoel Joaquim da Molla, capillo An-
lero Jos Calisto, 2 scravos, Luiz Olivier, 1 ca-
dete, o nutro ex-cadete, 5 proras do exercito, 1
ex-di(o dito, 1 ex dito de marinhiii, 2 escravos
entregar.
MOIVTALIDADE DO DA 29 DO COBRESTR :
Francisco, preto, pO annos, soltcirq, hydropesia.
Jos, branco. 4 annos, angina.
Francisco d'Almeida, branco, soltero, 35 annos,
apoplexia.
Joanna Maria Polonha, parda, soltura, 78anno3,
diarhea.
Candido Antonio da Silveira Cabral branco, sol-
leiro, 7 annos, escarlatina.
Rerorrente, o juizo
bert Wiath.
Relator o Sr. desembargado! Figuera de Mello.
Sorteados os Srs. desemburgadoraa Gilirana,
Silveira c Silva G^rrrcsr------------^
Nlo tomaram conliccimculc..
Rerorrente, o juizo; recorr do, Pedro Jos de
Mello Costa.
Relator o Sr. desembargado- Silveira.
Sorteados os Srs. desembar adores Silva Go-
mes, Lourenco Santiago eFigteira de Mello.
Nlo tomaram conhecimento.
No habeas-corpus pedido por Jlo Baptisla Car-
nero da Cunha, concoderam-lhe a soltura.
APPELLAQES CUMIES.
Appellante, Vicente Alvos Ja Fonseca Lobo ;
appellado, Francisco Lopes de Olireira.
Confirmada a sentenca.
Appellante, o juizo : appellado, Manoel Filip-
pe Sanliago.
Improcedente a appcllacao.
Appollanle, o juizo ; appellado, Filippe Jlo
Joaquim.
Improcedente
Appellante, o juizo
mos de Souza.
A novo jury.
Appellante, o juizo
da Silva.
A novo jury.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Camillo
da Silva.
Improcedente a appellaelo.
Appellante, o juizo ; appllaco, Jos Ferreira
Calado.
Nlo tomaram conhecimento ila appclloclo.
Assignou-sc dia para julgamcnto das seguinles junho de 1660.
appellaeoes crimes:
appellado, Vicente Fer-
appellada, Vicente Ra-
appellalo, Manoel Vieira
, .cvanla o Sr. Dr. presi-
dente do jury a sesslo, adiando-a paro o dia 2
de julho de 1800, em que ser submeltido jul-
galtenlo o reo Jos do Reg Barros'.
Os processos apresentados devem entrar
julgauento na ordem da seguinle tabella:
A.A juslica.
R.Jos do Reg Barros.
A.A juslica.
RGrigori, escravo de
Costa Guimaraes.
A.A juslica.
R.Manoel"dos Santos.
A.A juslica.
R.Jlo, escravo que foi do finado Joaquim
Antonio dos Sanios.
A A juslica.
R-Alexandre Jos de Souza.
A.A juslica.
R Manoel," escravo de Francisco Jos
Campos Pamplona.
A.A justica.
RAntonio Braz da Silva.
A.A juslica.
It. Jos Francisco da Luz.
A.A justica.
R.Joaquim Antonio desgalilles.
A.A justica.
RJos Joaquim de Sant'Anna.
A.A justica.
It.Julio Levy.
A.A Justina.
R Jlo Jos de Santiago.
A,A justica.
R.Manoel'de Souza Pereira.
A.A juslica.
B.Antonio Jos Alves.
A.A justica.
R.MnoelJos da Paz.
A.A justica.
RR.Manoel Caelano c Jos Thomaz.
A.A juslica.
RR. Ivo Amonio da Araujo Larangcira Leite
c Jos Gomes Pereira.
A-A juslica.
1!.Doniiiigos Miguel de Souza.
A.A juslica.
B.Belchior Amancio Monieiro.
A.A juslica.
R Vicente Ferreira.
A.A juslica.
11.Emilio Ischy.
A.Carlos Jos Aslley & C.
R Jos Alexandre Gubian.
...-*.A justica.
K.Joaquim Marccllo do Olireira.
A.A justica.
11.Ado Malinas.
A.A juslica.
R.p.ariholomeu Soares de Souza.
1 caixao ; n Saunders lln/llieis a C.
I encopado ; a Anlonio Carioa Damaceno.
dilo ; a Rocha Lima c Guimaraes.
dito ; a Seraflm Teixeira Bastos.
dilo c 1 sarco ; ao Dr. Jos Sergio Ferreira.
caixote ; n Jlo Baptisla Hamos,
a Antonio de HonraJRolim.
. a Alfredo Henrique Garca.
10 panciros e 1 raixlo ; a ordem.
Rrigue escuna nacional Graciosa,svindo do Ma-
ranhoo, consignado a Almeida Gomes Alves & C
manifeslou o seguinle:
1,851 tactos forinha do mandioca, 200 ditos
arroz grodo, 12 ditos cero de carnauba, 1 dito 1
s
(If
1
i
i
i
1 dito
1 dilo ;
Carne secca- A do Rio-Grunde
deu-se de 3S500
Surroe7 barricas cravo girofe,13faxas cannella,
I roda de ferro quebrada ; a Joaquim Vieira de
Barros, Tasso & Irtnlose outros.
Palhabole nacional Piedade, vindo do Rio de
Janeiro, consignado a Barlliolomeu Lourenco
manilestou o seguinle : '
50 botris manieiga, 16 canastras albo 5' ca-
xasspalos de borracha, 20 saceos caf, 65 rollos
e o latos fumo, 1 caixlo chapeos, 1 dilo rapo 3
volumes gneros, 44 macos de estopa, 50 tubos
Domingos Jos da de lata o, {barricas charutos, Seaxdes cha 1 vo-
lunte' camardes, 1 sacco farinha de mandioca 2
babus roupa de uso ; a ordem de diversos.
Consulado geral.
Rendiraento do lia 1 a 28. 26 772j563
do dia ao....... 13jOO
dem
26.785*563
RELAQAO dos doenles tratados na enfermara
de niarinha desta provincia, no mez de junho
deste anuo.
Existi m.........46
Enlraram.........y|
Somma 130
Sahiram.........85
Falleceu.........1
Existem........./,%
Somma 130
Oossreafclo:
O fallecido foi do bronchile ebronica
Enfermara de marinha de Peinanibuco 30 de
Appellante, o juizo
reir da Silva.
Appellante, o juizo
ro da Silva.
Appellahte, o juizo
reir Evangelista.
Appellante, o juizo
nieto Garateante Pessoa.
Appellante, Anda Joaquina
pellada, a juslica.
Appellante, promotor ; appdlado, Simio do I
Siqueira Brandlo.
A appellaco civol:
Appellante, Candido Jos Pacheco
Malhias Jos Pacheco.
As 2 horasjencerron-sc a sesslo.
Joaquim Jos Alves d'Albuquerque,
Cirurgio o director.
appelkdo, Luiz Carnet- ^:Sj^-iMiaag{-i>.-,'*..;^'^:^-sassBfataE^gu-':.
appelltdo, Targino Pe-
appellado, Francisco Be-
de Jess ; ap-
Alfamlega.
Rcndimento do dia 1 a 28. .
dem do dia 30.....
268:5275194
5:6199127
Diversas provincias.
Rendimento do dia 1 a 28. .
dem do dia 30......
-4:4355756
2437
4%38il93
RENDIMENTO DA MESA DO
PERNAMBCO EM TODO
DE 1860.
Consulado de 15 por
rento do To Brasil. 369^97.
Consuladode 5 por cento. SS^e.'tSOCS
Ancoragent.....1 86O9IIO
LUreilos de 5 por cento
na compra c venda das
^ embarcacos. .
Expediente" da capalazia.
Sello fixo e proporcional.
Emolumentos de icrti-
des. ....
CONSULADO DE
MEZ DE JIMIO
4;oin
709II9I)
5853320
275000
_., Diversas provincias.
Dito do assucar dos Ala-
n.g(lai.......1:9135987
Dilo do alsodao, ossucar
o couros da Parahyba. 1.181$303
Dilo de diversos gneros
.d'1 tul"...... 5205596
Dizimo de diversos g-
neros do Rio Grande
do Norte.....
26:7855563
792J505
-------------- 4:43S$193
31:2233756
Saldo existente.
Depsitos.
184|394
do -S.l rn-
a ItSWI. e 4
do Rio da Prata de 27MO 1
3JI0I) por arroba ; H .'.> rrrr
ser 50.IKX) arrobas da primnrj
e 70.IMH) da .pjt.iii.Ja.
Cerveja------------a nliima vrnda fn-tm 1 o5.
PVfa ul'.in:anti.tf fuc ..ra-
li-oda.
Farinha de Irigo- Vendeu-se de l.-> | 2D9 oer
barrica de Ri. |,n ,...J I
delpl.ia. isj a j-jj de >.,,.,,-.
Icai.5.cd.-2l)9a 22^ Ti:.
Liando em ir. 6.0Oi> j ^r,_
tnera 1,500.1a amata, &t<).!.i
. tereeira, e 9.(MH) .1..
Dita de mandioca Ven4ea-s .. '><.*)> 1 i-r
Feijo-------------dem de 15280 a lCGfl p /ar-
roba.
Loura-------------A ingleza ordinaria ven->ii-e
de B8 a 2^5 t tr.in utv*
a (adore, c.1 n.l.io ao 1 ..
Manleiga----------A franceza iiideu-s.- d.- 5
5'O rs. r.or libra, r a mg 1. I
920 a l$M)0 rs. por libra, i. -
Iba; e unta partida .!. ID) bar-
lis viudos n* rapf .!m s.>-
thon.t.ton foram vendidos a
15100 por libra.
Oueijos----------Relalhoram-se a 2>M) es fli-
niengos.
Toiicinho----------Vondeu-se a BlM : n atralak
\inho-------------Urna partido ,1o I5fl ii|i Jet
Cello negoriou-se :. 1
205ctMI!l por pipo.
Vinagre----------Vondeu-se de 110* a H^rOW
l pipa.
tretes-------------Para o Onal .1 25, para ii.-r-
pool 8 12 6 e 7 16 pe alo-
dio.
Desconlos Regale* de 11 a M* aa annt>.
tetn a coi\a Vafiaia con
de 4lM) cotilos de It,
Hambnr^o, 5 lejunho de 1 -*U!
l'olelim commerci'il.
Se a poltica ir.nomma eop.ixnn.i, r-
no commercio ella s causa recios e d
banca.
O nosso aterrado, anim como todos d4 } ir..-
pa, se ocha opprimido, o se debote sob aac.
quenciaa das preoeeaaafes olilicaa.
Pode-se poijassim di/erque boje a ui.ica masa
quejo alimenta o nosso mercado o onsur
No principio do mez de n.aioo tiesocto f .1 am
pouco mais onimodo e os presos dos pria<
gneros, como cafe easaacar, aasteatraai
posclo firme, sem rom toda se reeliaan p
des IransacQes, poiqae s se aaerara tal 1 .. 1
ero nccessorio poro o consumo.
Cal O negocio coutiuuou traatmlla .1
precos firmes.
O caf do Rio de Janeiro foi procurado e
ve plenos precos.
No lim do mez de moio por causa das
Pentecosts e por se esperar as n.iiu
qoete do Brasil o mercado estese
ment.
:o- o 1 1 -
tcat 111. 1 :-
1 "doon9u,a,1?ePornambuco30 de junho phico de l.isb
le 1860.lelo esertrao, o pnmeiro escriptura- moio, annucia
Eml.'de junho chegou O despacho te,;r.i-
sboa com noticias do
rio Jlo Franc seo Regs Quintella.
Hecebciloria de reas internas
geraes dePernain!>uco
Rendimento do dia 1 a 28. 36:2015830
dilitk,......6:234$4fl
i; .;. n .,.
ndo urna exportarlo ,,.,; n ,
para Hamburgo e o Canal, .-subida de
fieles e precas.

dem do
42:if.vz:j9
appellado,
Antonio Joaquim Pe-
20SOOO os Srs. jurados que
JURY DO RECIPE.
3a SESSAO EM 28 DE JUNHO DE 1S60.
Presidencia do Sr. Dr. juiz de direito da pri-
meira vara criminal Bematdo lachado da
Cosa Doria.
Promotor publico o Sr. Dr. Frcncisco Leopoldi-
no de Gusmo Lobo,
Eserivo interino o Sr.
reir de Oliveira.
Aberta a sesslo pelo toque de campainha,
o escrfvao procede a chamada nominal, e' veri-
fica estarem presentes 43 juizes de fado.
ilavendo numero legal de ju zes, o SrT Dr.
presidente declara estar abarla a 3a sessac*judi-
ciaria.
Slo militados em
nao comparecern!
Alexondrino Maximino Leal de Birros.
Antonio Jos Pacheco e Silva.
Antonio Jos Teixeira de Castro.
Antonio Jos Conrado. '
Anlonio Jos de Vasconcellos.
Antonio Emygdiu Ribeiro.
Antonio Jos Dias da Silva Mendanha.
Anlonio Jos Joaquim de Oliveira.
Anlonio Gomes de Miranda Leal.
Antonio Ricardo do Reg.
Benedicto Jos Duarle Cedum.
Dionizio Solero Pereira.
Dr. Francisco do Reg Barros de I.ace/da.
Dr. Prxedes Gomes de Souza Pitonga.
Dr. Jos Joaquim de Souza.
Dr Joaquim do Souza Res.
Francisco Jos Duarle Camarco.
Flix Joaquim Domihgues.
Francisco Joaquim Cardoso.
Francisco de Pinho Borgcs.
Francelino Carneiro do Lacerda.
Jlo Coelho do Silva.
Joao Filpe Ciralcanti,
Joo Carueiro da Cunha.
Jlo Ribeiro Guimaraes.
Jos Francisco Ribeiro.
Jos Francisco de Mello.
Jos Antonio de Oliveira e Silva. ,
JosGulhermo Gumaries.
Jos Joaquim Lopes de Almeida.
Jos Alexandre Ribeiro.
Jos Caralcaifli Filgueira de Menczes.
Joaquim Silverio de Souza.
Joaquim Luiz Viraos.
Ilermes Carneiro Machado Ros.
Lauriano Jos de Barros.
Manoel Jos da Silva Leite.
Manoel Lopes Rodrigues.
Manoel Goncalves da Luz.
Manoel Jos" Baptisla
Mauoel Ignacio da Silva Teixeira.
Miguel da Fonseca Soares e Silta.
Serafim Leite Pereira
Em seguida, slo relevados das mullas cr1uc
incorreram em dias anteriores, os Sra.jnip*' 1ue
compareceram aos trabalhos, justificando08 suas
fallos ;
Faustino Jos dos Santos.
Miguel Archanjo de Figueiredo.
Genuino Jos Tavares
Manoel Anlonio Teixeira.
Sebasltoo Lopes Guimaraes Jutt>f-
Dr. Jos Sergio Ferreira.
Dr. Francisco Pinto Pessoa./
Tenenle-coronel Joao Vale,lm tllela.
Francisco Borges Leal.
Manoel Ignacio do Olive;a-
Monool Pblycarpo Mor'ra de Azevjdo.
Ricardo Pereira de Ff18S-
Jos do Reg Pache*5-
Francisco de Amo'ra Lima.
Slo dispensodr' le servir na rfesenle ses-
slo judiciariar Srs. juizes :
Antonio Jo. de Oliveira, por hnver servido
em urna das*ess5es do atino dcl85U.
Ricardo rereira de Faria, pt' justilicar impedi-
mento. *
Jos i" Reg Pacheco, pJr justificar impedi-
mento
FrF'ctsco de Amorim1oia, por haver servido
em jma das sesses dr anno de 185(1.
274.146S32I
Movimento da alfandes
Voluntes cutrados com fazendas
com gneros
t
Volumes sabidos com fazendas
com gneros
159
110
------ 269
42
60
------102
Descarregam lije 2 de julho.
Vapor nacional-Paranfazenda.
Horca francezaAlfred Clairpipas com vinh.
Palacho portuguezMoria da Gloriadiversos
gneros. ,
Brigue brasileiroEngeniaideal.
RENDIMENTO DA AI.l'ANDEf.A DE P.R-
NAMBL'CO NOME/. DE JUNHO DE
1800. '
linportaeao.
Direilos de importado para con-
sumo ...............267:8945811
Dilus de baldescaq..a.%reea4portar3o
pora os portes do" imperio '. 425793
Expediente dos gneros eslrangeros
navegados por cabolagem livre da
direto de con = um <........ 783J16S
Dito do*paiz............. 766SJ14
Dito livres.............. 110gOIO
Armazcnagem das mcrcadorias ... 2:4-5t09
Dita da plvora........... 872-5500
Premio de assignados........ 457^817
Interior.
Mullas................ 2585996
Sello do papelfixo......... 335000
Dito dito proporcional. ....... 9#00
Imposio dos despachantes...... 4125500
Dito doi ojudanles dos despachantes 12,>00
Emolumentos de ccrlides...... 34#000
Dilo de feilios de ttulos dos despa-
chantei.......... 4-5C00
RENDIMENTO DA RECEBEDORIA DE RENDAS
INTERNAS GERAES DE PEltNAMBUCO 1)0
MEZ DE JUNHO, A SABER :
Rendas dos proprios nacionaes...
Foros do terrenos de marinha ..
Ladennos .............'..........
Siza dos bens de raz.............
Decima addicionol dos corpora-
roes de mo mora.............
Direilos novos e velhos e de
chancello rio....................
Ditos de paleles dos ofiiciacs da
guarda nacional................
Dizima de chancellara...........
Muilo por ufraeces do regulo-
inonlo___'.___".................
Sello do papel fixo................
Dito do proporcional.............
Premio de depsitos pblicos___
Emolumentos.................
Imposto sobre tojas c casas de
desconlos.....,......
Dito sobre cosos de movis, rou-
pas, etc. fabricados em paz es-
trangeiro............
Dito sobro barcos do interior. .
Taxa de escravos.........
Cobronca da divido activo ....
Extraordinario.
Iiideninisacocs...........
inferior 1 -
urna boa rs 1 .-
3172000
^S0Si2-5
8 69OOO
12:241g775
2:9o2$00
436713
5181000
301-807
12j6 8
2:55.; )4i
5 3675165
163*245
4175020
11:259*800
8O5OOO
33S60O
2:8568000
744*393
Em conseqaeneiaa disso o espirito aa I
uiii-soiisleiio, e niosiro.i-sc asis roalade .ni
comprar, o que tonseliitoa es prrrea.
O deposito .!e caf neste asercaaa e
maior de 15 roilhes, -isto
anteriores, mas olTerece
dos os qualidades.
Sabe-sc que os depsitos aaiateries
ran era pouco lempo, e por isso se dere
que em breve all terse confiamo aos |
l< ules e cobtirlo m 1 \-., ias'do raasaa
les do que nao se podet espetar una *d
ro onimocoo do mercado.
Pn. US.
Caf do Rio e Sanios 6-6 3 i (lNaa i
banco.
lilo de Laguyana 6 317 916 slullu. ,
b.-.uco. c
S. Domiugos 0 :, -6 3 7 shlii^- i ,
Hioo 7 1/47 3 i swiaaa da
........ 100j?167
42:5365239
Recebedoria de Pernambuco 30 de junho de
1860,
O escrvlo,
llancel Antonio Simes do Amaral.
Consulado provincial.
a 28. .
Rendimenlo do dia 1
dem do dia 30. .
0:143*571
3.60;52
27i:l46;32f
Extraordinaria.
Ras seguintes especies.
Dinheiro
Assignados.
261:2025)04
12:9435817
p*:H6J32l
Depsitos.
Em balanco no ultimo roaio........ 13:2175360
Eulrados no correte 'nez. 1:424-5915
Sabidos
14:6325275
1:4205100
74.03! 95
RENDIMENTO DA MESA DO CONSULADO PRO-
VINCIAL EMO MEZ DE JUNHO DE1860.
Direilos de 3 por ccnlo do assucar
exportado............
Dito idem idem do algodoo expor-
tado ...............
dem idem de 5 idem dos mais
gneros exportados.......
Capalazia de 320 rs. por sacca de
algodoo cxporlado .......
Dcima dos prodios urbanos .
Sello de herancas e legados. .
2 por ccnlo de meia siza de
ciavos...........
10 por cenlo de novos e velhos
es-
di-
reitos dos empregados prorin-
ciaes...............
Imposto de 4 por cento sobre di-
versos estabelecimentos.....
Escravos despachados............
Dilo de 408 J00 por casa de perfu-
maras..........................
Emolumentos de polica.....
Taxa do inslrucclo publica.......
Mullas por infr'acces ....,-.
Juros da dcima. ."*........
Cusas..........................
15:2728317
1:459-3248
5:1823203
8638360
46.0548947
680*913 I
1:9318135
Dilo de
banco.
Dilo de Porto
banco.
O corregamenlo que se espera pato Antlope,
ja loi vendido mas iguora-se pal que pre....
ln.portarlo de caf at lint de n.aio".
J860...... 39 l/imilbesae libras.
1859...... ;i 3,' M
1858...... 24 3/4. <
1857...... 24
1856...... 38 1/1
Em ser em litis Jo mai
<:
isoo.
1859......
1858......
1857......
1856.
10.
15 milhoes de libras.
ia
h
12 1,2
8 l/t
marcos por
msaearaaa 17
O assucar coniina a sor procurado, e na alu-
nas semana o negocio foi bastate aaiaMda.
Os procos nao soffreram nenhuma ollera.....
Da 1 lavo na vol o branco 2520
100 libios, o amarello 223 e o
3/419.
De Jara 23 1|2 marcos por 100 libras.
Da Baha mascavado 17 1[4-1S1|2 marcos por
100 libras.
De Pernambuco 2123 marcos por 100 libra
c o mascavado 17 11 19.
Importarlo ate fins de maio.
1860...... l 1|2 milhoes de libras.
1859...... 18 lt2
1858...... 11
1857......*18
^J56......31
Em ser em una de maio.
1S60...... 7 milhoes de libras.
e

C
11P8903
1:2663360
5JO00
280-5000
22*800
I656OO
2005178,
1311
151-3820
13:2125175
Exisle'ies.......
Sa&eguintes especies.
Dieiro .... 439*?23
L*ras......12:772*952
Contribuieao de caridade.
Rendimf'10 "este mez......... 325*060
Aifa,Jcga de Peruanibuco, 30 de junho de
1860- .
Ftrinino Jos de Oliveira,
/ Io escriturario serviudo de escrvlo.
Importa^o,
Hiate nacional Rosa, viudo do Maranhio con-
signado a J B. da Fonseca Jnior, manifeslou o
seguinle :
1,590] saceos farinha de mandioca, 100 ditos
arroz, 294 ditos milbo ; a ordem de divetsos.
Barca belga Marie Key, viuda de Buenos-Ay-
res, consignada a Saundcrs Brothers & C. mani-
feslou o seguinle :
4,750 qiintaes hespanhocs de carne, 42 couros
seceos de feltro ; a ordem.
Batea nocional Euoent'a, rinda do Rio de Ja-
neiro, consignada a Azevedo & Mendes manifes-
lou o seguinle :
309 barricas farinha de Irigo, 4 dilas flor de
enxofre, 320 barriquinhas vazas, 125 volumes
barricas abatidas, 200 saceos farello, 2 caixas len-
cos, 50 saceos feijao, 100 ditos cat, 1,600 caixas
sabio, 2 caixocs cha, meia barrica aramia ; a or-
dem de diversos.
Polaca franceza Fameux, vinda de Montevideo,
consignada a Tysset Freres & C. manifeslou o se-
guinle :
60 mulos, 15 cavallos, 70 cascos vazios pora
aguada, 40 fardos feno, 60 saceos forelo, 40 ditos
milho, 65 ditos cevada, 2 pipas vinho ; ao mes-
mos.
Vapor nacional Cruzeiro do Sul, rinde do nor-
te, manifeslou o seguinle:
1 caixlo ; a Dubarry.
2 pecas de ferro ; a David W. Gowman.
4 saceos; ao Dr. Francisco Balthazar da Sil-
rcira.
T 74.034*095
Terceira seccao do consulado provincial 30 de
junho de 1860.
O escriplurario,
L'lisses Coklcs Cavalcan^e Mello.
PRACA DO RECIFE
Cambios-
II FflVFI
ao de .irxiio de 1860
AS 3 HORAS DA TARDE.
Revista Semanal.
-------Saccou-se sobro Londres cerca
de S 8,000, de 25 a 25 1/2 d.
por 1*. e sobre o Rio de Janei-
ro 30: OOOpOOO a o par e com 1 %
de desconlo.
Algadao----------O superior vendeu-se a 7J400 flav*
por arroba, e o commum '
Assucar----------O branco rendeu-se de57<)0 a
6:000 por arroba, soro;103, de
4j200 a 4SB0O. rnosco-'^0 Pur-
gado de 3S200 a 38.^'Canal a
2*500, e America %00 Por
arroba. Z_ ._
Vendeu-se por pipa. / ,
Ossccco^,;gados 'enderam-se
de 250 r rs- Pr 1br-
Arroz------------- Vendo-i?LiJ3S50 por arroba.
Ider. 2*700 Pr 8Iao.
Bacalho----------p> hou-se de 13 a 14000
i o/Xlf8' ficand0 em depo-
ilo 8,500 auintaes. V
Btalas--------" Verideram-se de 1$750 a 2gl0n
por arroba. ^
Bolaahiar "em 2*800 a arroba
Caf-------------ldim de 6S800 a 7*300 por ar-
roba.
cV.....lem de 1W00 a 1J900 por 1-|
.rrao de pedra- dem a 19/J500 por lonelada.

1859...... 7
1858...... 3 1[2
1857......1,2
1856...... 10 li2 a
A posicao do algodio foi vacillonlo durante o
mez de maio, porque os negocios polticos excr-
ceram unta nociva influencia sobre o negocio. O
mercado de Liverpool marchou muilo irrogular-
menle em consequencia das grandes entradas, e
as noticias de Man.hester slo frouxospor causa
das ultimas noticias da India.
No mercado de Hamburgo o negocio tem sido
tnuilo limitado, crescendo os depsitos o dinti-
nuitido a pergiinto.
As qualidades Inferiores do algodio dos Fsi-
dos-Unidos slo muilo negligenciadas, ao mesmo
lempo que as qualidades superiores susleniam
plenos procos. Das Indios Ori*taea temos urna
rica escolh'a, cu jos preco* marcados merecem
seria censideracao *> ransococs do Zjnez pas-
sado limitaran""---' a 3,930 balas. N
Uiporlacao al o lint de maio.
1860-56,568 balas
185926,656
185822.928
1857-47,748
Em ser no lim de maio,
186026,478
1859-15,0f0
1858 7*39
I8576.319
Precos.Algodao de 'ernambuco. Cear e Pa-
ralaba 7 1|2 1|4 schillings de banco.
Dilo da Bab e Macei 77 Ii2.
Dito do T* Tabaco iratisacoos regulares, continuando os
precos S"n alleracao.
Imporlacloenr.
maio. np
1859 1860*
1.935 9,916
1,091 919
-------3,013
2,603 74
astl pocotes
ana Saves
S. Domingos
Cuba
Agurdenlo-------
Couros -
Arroz -
Azeite doce-------
Em ser no im
de m:o.
1859 1860
4,485 5,607
2.1SO 987
MOO 11,160
7,130 100
1 abaco do Brostl superior vol 10lS'schi
1"qualidode6 3.7-8
>> 2- e35 1,4-oSif
em rolos 8-9
HnC^rO~Sem rai|danca nos precos. O merca-
nnsf.n Crn'?10 'irme aPezar diminuto de-
posito. Existen, em primeira mo 2,000 couros
do Santo Rosario. 2,000 diversos, o 2,500 das
Preos.Do Rio Grande do Sul 12 3t413 3t4
schillings.
De Pernambuco o Bahia 99 1(2.
De Monlertdo e Buenos-Avres 12 li i14
Das Indias Occidenlaos 1011.
Das Orientaos 510 1)2.
O cacao susienla os seus precos, sem Iransac-
coes dignas do mencionar-se.
Ouanlo ao arroznada de novo, o mercado es-
t ttrme, mas o negocio nao ganhou neuhuma
extensao, porquo se realisaram compras para o
pequeo consumo.
/


w
8 3|4da9 8 1|2d a 8 5|8il
8 1|4 da 8 3|8 d
81(8 d a8 1(4 d
7 3|id
7 1,4 di7 1[2 d
261 a 30|
2416 a 23(6
2ii
30|
2f|G
30|
85.6
2ii<>
a
a
a
211
S6|
211
26,
21,6
2I|
2|0
lilO
2|7 1(2 a 2i8
2|4
2|1
2,11
1|9
UOLETIM.
LIVERPOOL. 8 DE JUNHO DE 1860.
Imporlaco.
Livres de direiloi para o vendedor.
Genetot. Prego*.
Algodao de Pernambuco por lili.:
liom. 8 5,8 da 8 31 d
Mediano. 7 3|4 d
Ordinario. 7 1,4 d
dem da Babia, boro. 7 1|2<1
Mediano 7 1|4 d
Ordinario C 3,4 d
dem do Maranlio, fibra looga
Alcntara .
Itapicur .
Caxias .
dem de machina bom .
Mediano .
Ordinario. .
Assucar por 112 3 do Rio, b. .
I.ouro .
Mascavado .
dem de Pernambuco branca.
Mascavado .
dem da Babia e llaeai b. .
I.ouro. .
Mascavado .
Balsamo de cu paiba por 8,claro
Turvo .
Borracha por 5. Pina. .
Mediana. .
Ordinaria .
Cabera do Negro
Seroamby .
dem do ('..ir, palles. .
Sernamoy. .
Cacao, por 112 libras:
Para bom.....
Ualiia, .....
Caf, por 112 Rio l.sorte.
Segunda .
Cscolliido .
dem da Babia primeira sorle.
Segunda o
Escolbido .
dem do Caar ordinaro .
Caslanha por 112 ft lo Para n.
Cebo por 112 TE do Rio Grndo
Bom e duro.. .
Mediano. .
Escuro. .
Cera de carnauba, por 112 ff. .
Chifres, por 123 1 de vacca .
De boi.
Cinzas de ossos por tonelada:
Branca. .
Frea .
Clina por 9 decavalio .
de vacca .
Cauros por ir, do Rio,
Seceos de 30 a 33 .
de 20 a 24 11
de touro*. 33 a 10
Mem do Rio Grande, por % :
Salgados.de 65 a 70 l
"" de 15 a 50 $
de vacca 40 a 18
Cavallo loceos, 10 a 13
. U'"
IJein salgados, 23 a
30 s.
Mem idem 10 a 20%
dem de Pernambuco, Babia,
Maranho e Par por
Seceos ialg.,20a 30 !i
espichados 16 a 20
Curtidos 7 a 9 8 .
dem, do Ceer, Parahyba o
.Macei por
Secc is salg. 30 a 32 .
Motilados D5 a 30 .
Cumar por libra bom..
Ordinario ....
(jjniua oh buclm de p'ixe por
Gorujub8, i" qiuLd. *l*l?
2a tila. .
3a dita. .
Pescad?, i* qualidade
2 dita. .
3=
IURI E PERNAMBUCO SE'iUNDA. FEIR>. j t)E JULHO DE 1860.
As ven-
e 25 pa-
! 2/8 pe-
niediana ;
ll9
65,
50,
601
56 j
62,
37,
,
58|
6|
22|
67,
50|6
62,
58,6
65,
.58,
3G,
(i 11
Gil
2il
,-2i
a M|
a VJ,
a 19,
50,
Itii
46,
601
15| 8 20,
13| a 30(
4 10| a 5
2 i0 a r. 4 ,3
9 d a 11 d
10 d a17d
10 la 11 d
9 d a 10 a
8 d a 9 d
7 1,4 d a 7 3,i d
7 d a 7 1,2 d
7da7 1,2 d
10, d
Aieile doce..Hc".iado animado com bastante
procura.
As vendas ;,onlm era 460 toncladai aos pro-
cos de 5* 6?. a 63 10 s. polo do Galipoli \ S 59 a
60 pelo d. Portugal ; 60 a Cl pelo dfi Malaga,
e X 55 a 56 pelo de Mogador. Em ser ra 31 do
passado ficavam 1,150 toneladas.
Borracha.Continua a ser procurada
das montam ora 112 caitas, 686 saceos
coles, aos procos de 2/6 ><, 2/7, 2/7 '',
la Pina ; 2/3, 2/3 ',', 2; 1 e2/1 % pola
2/1 c2/l > pela ordinaria ; 1/10, 1/11 !e 1/11;
pela cabera de nejujo : 2/6 por Unte virgen) da
Pina em pellcs, e jfrHaxos da lina em viagem, a
2/6 por libia. ^^^
No leilio hontem venderam-se pequen is parti-
das do differentes qualidades aos preses cima
colados, ficando por vender quasi 10!' caixas da
Pina sora haver comprador. O precio da lina 2/8
por libra.
Caf.Nao lern havido tanla'procura para ex-
porlaco, o o prero tem baixado. As ventas mon-
tam nin 680 saceos aos precns de 62/ a 6/6 pelo
lavailo. e 58/ a 58/6 pelo ordinario por Ijtvar do
Rio ; -45/ por ordinario da Babia, o 57/ pjor urna
pequea pon-fio do ordinario do Rio aindi em
viagom.
Mercado frouxo.
Caslanha.lia penca era ser. Em Londres o
preco regula do 30/ a 40/ por barril, e aqu osla-
se remiendo promplamenlo de 22/ a 21/ por 112
libras. 7
Cinzas de ossos.As entradas montam em 960
toneladas, e as vendas em 1,050 toneladas, aos
procos de .S i15 s. pelo de superior qualidade,
e & 3-12 s. 6 d. a #317 s. 6 d. pelo do) 70 por
cenio.
Couros.As entradas dos seceos do Brasijl mon-
tam a 8,321 couros, o as vendas cerca de 5.80!)
aos precos de 9 1/2 d. por linca polos seceos sal-
gados do Cear, o 8 1/2 por lib'ra pelos hmidos.
Foram quasi lodos exportados.
Gomma copal.A procura regular.
Piassava.Ada Babia vale S 11. Do Para nao
ha, mas fcilmente rcalisaria.S 31.
Qucijos (lamongos.Os que estio embarcando
agora cuslam 63/ por 112 libras, em Rotterdam.
Salsa parrilha.Ha falta da de superior quali-
dade.
Tapioca.Tem pouca oxlracco.
Uruc A ultima venda foi de um
paneiros a 10 d. por libra.
lole
de 200
9| d
10,
5| i
a 12,
"I
9d
9 d
J d a tOd
a 9 1,11
a 9 1,4 d
9 d a 9 1,2 d
5 1,2 d a G d
1,2
1,0
3,6 a 3,10
3, a 3,4
'., a 4,2
3,6 a 3,10
2,9 a 3|3
3.9 4 3i10
3<
1.10 a 2,
(10 a 2,
3 dita.
Pirihaba, Ia MU.
2-i di (a
3a dita,
ligre, 1 qu.lila le (
2a dita (
Jacaranda por tonelada do Rio. i 16 a 19
dem da Babia...... 13 a i. li
Ger/elim, por quaiteinlo. 62|
Pias-ava p .r 2210 Ib. Jo Para', i 33 a di
da Babia..... U tQ
Pixarim, por 112 libra, bom. 10, a 1l
Salsa parrilha por libra boa. 1,9
Inferior......1|9
Tapioca por 112% Rio superior. 65, a <0,
Ordinaria ... 40, a 4oi
Uruc por do Para bom. 9 1,2 d
Fund? e Cambios.
Fundos inglezes.
Brfnctfde Inslalerra (ar;0es) Por 0|0 228 a 229
Consolidados..... 393 a 93 1,8
Keduzidos...... -93 3,8 a 931,2
Eslrangeros. \
.....4 1,2-93 a 97
LISBOA, II DE MAIO DE 1860,
Precos cor rentes dos gneros de importar-So do
Brasil.
Algodao e Pernambuco. .
Dilo di-Maranho e Pura*
Assucar de Pernambuco b.
Dito mascavado .....
Dilo do Rio do Janeiro m.
Dito da Babia b.....
Dilo dilo mascavado ...
Dilo do Para bruto ...
Dito de Cabo Verde.....
Agurdenle de canoa do Bra-
sil.........
Al piala







P
A

>>


C


a
o
H
ll
d
ar.

ar.
159
2S300
1?P30
1*600
2-5200
19330
191:09
2650
9
155
155
28800
29IOO
2f200
28300
1*900
18900
29750
DilTeridos
Passivos.
18561857 .
. 1833
599 a 101
41,288 /
317 1,2 a 18 1,2
3_37'l|4 a 37 3|'r
315 1,2 a 16 1,2
2 1|265 a 67
4 100 a 102
3 213,8 a 21 5,8
3
344 1|2/.5 1|2
3107 a 109
4 1|2 96 a 98
Ir. 2820
Arroz da India (Goa). .
Dito 1.1 Miranho e Para sup.
Diio dilo b-iin.......
Dilo dilo n,i';.lo.......
Ditj de Inglaterra, superior .
Dito dilo, regular.......
Caf do Rio primeira sorle .
Dito dilo segunda (lila. .
Dito dUo lerceira dito ....
Dilo de Galio Verde.....
Dito de S. T. e Principe. .
Dilo de Angola........
Cacao do Para .......
Dilo de San Tliom.....
Cera amarella de Augola .
D'la dila de Rengela. .
Ciavo do GiroTo ........
Chifres............
duros seceos do llia.....
Uilos verdes do Para .
Dilu e-|iicliado> das Minas. .
Dilos ditos da Bahii ....
Uilos ditos de Ang.l........
Di: 13 s- :, u ,|0 Maranhio .
Ditos salu. de Pernambuco...
Ditas ditis da Babia......
Ditos dilos de Angola.....
Dilos dilos de Cabo Verde.. .
Ditos dilos das libas.....
Dito dilos iihjuiii-.......
Cevada e-iian.onv. .
Cornil los ...... .
Denles de inarlim lei... .
Ditos dilo meiao......
Dilos dilo escrvelho. .
Eiva-doce.........
Gomma copal superior.. .
Dita dila regular.....
DRa dita ordinaria.....
Dila do Brasil........
Millio e-ir.iii.eiro......
Melaco..........
Oleo de cupahiba......B
Ouruc............A
1900
6800
5j!60J
39600
5,$(i00
4 8600
38900
39600
39i'>0
5S600
53100
'.9000
4,-rOO
3J0O
120
[509300
800
19600
68 00
3S800
49400
69:J00
.09200
18003
398OO
38500
59700
58603
?8200
8200
38890
320
322
150
M 30*000 7)3000
ar.

a

n
1;

D
O
O
D
157
112
187
160
120
177
157
112
110
129
200
120
310
2S100
I92OO
18IO0
700
39100
4^000
28000
18100
19500
310
3S9000
217
122
237
197
220
217
207
120
187
140
210
110
310
8200
g30
8230
9100
M600
8200
319000
8600
39OOO
330
108000
tos tem sustentado. As vendas foram lo lemi-
tadas que s mencionaremos como transares
d'alguma importancia duas cargas da Babia que
foram vendidas com grande reduega) de presos
em relaco s qualidodes ; o a rev ida do as-
sucar das Mauricias, quo foi bem acolhido pelos
consumidores.
11.>je os compradores conservam-se na espe-
ranca de maior baixa que lhcs.possa Inzer os sup-
primentos de Inalnlerra, j existenles no mer-
cado, e j em viagem, tanto assim que de 400
sacc.as do do Pernambuco, postas cm leilao no
dia 6 do correnle mez, apenas se poceram reali-
sar 25 saccas por 1650 rcis.
A existencia actual desto genero calcula-se
hoje em.
Caixaa Feixos Barricas Saceos
1:582 25 2:637 42:115
Azeitc.Na semana prxima concorreu mais
amito ao mercado, em consequencia do que os
precos declinaran) alguma cousa, regulando pa-
ra embarque os de nossa coltacao.
Algodao.Com os suprimenios cbegaJos, o
mercado Pica em alguma apalhia.
As vendas foram reduzidas ao consumo, por
que parte dos labricantes estavam surtidos. As
entradaa desto genero foram de 432 saccas do
Haranho ; 91 do Para ; e 123 fardos o 155 sac-
cas de Liverpool.
Agoardenle do Brasil.Entraram no periodo
desta revista de Cabo-Verdo 188 garrafes ; 21
volumes de Saint. Nazaire ; 10 pipas do Liver-
pool ; 33 cascos e 20 pipasde Glasgow ; o 2 cas-
cos da Madeira.
Arroz.Vendas loniad.is ao consumo. En-
traran) do Para 1:700 alqueires ; de Bissau 10J
bouchis e de Liverpool 450 saccas.
Caire.Os suprimenios que tiremos durante o
lempo que abrange esla revista foram de 100 sac-
cas do Rio de Janeiro ; 50 de Peni imbrico ; 35
do Maranhio ; 423 de Cabo-Verde ; u 261 do Ci-
brallar. '
Os precos do caf do Brasil vio declinando,
porque a roexportacao impossivel em qoanto
os iyi com ds dos mais mercados, e tamben porqueos
consumidores coslumadcs ao caf dei-L-Thom
preforem esta qualidade, mesmo cca a grande
differenca de proco queja tern ; co/orrendo a-
lm disso a dimiuuicao 110 consumo que sempre
ha nesla eslaco.
O do S. Tliom falta, e apenas os possuido-
res daquello suprimenlo quo mencionamos em
nossa ultima.revista cederam das suas porten-
coes, foi logo todo realisado a 5:400 reis, c j re-
vendido a 5:500 reis e 5:600 reis.
Seos navios dostj procedencia sedemorarem,
osle genero tornar mesma poalcSo que Iho
marcamos na revista passada.
Para o mais nao ha altoraro.
Cora.Para reexporlaco"cessara 11 complta-
me 11 te as traosacoes e para consumo sao ellas
lio limitadas que enllocaran! este genero cm a-
palhia. Nao temos a mencionar entrida alguma.
Cacao.Palla. O pouco quo havia foi realisa-
do para reexporlaco, mas a preco juo nao res-
pirou, ainla que de suppor nao excodesse o
de nossa colaco
Da Babia vieran) 32 saceos, c do Para 152
dilos.
Couros.Tonos a notar a chegida do
Babia; 2634 do Para ; 1131 do M iranho ; 156
do Bissau ; 197 de Cabo-Verdo : 308 de Madei-
ra ; c 81 da Terceira.
Piiueas lom sido as Iransacocs elfecluadas, c
nesla ultima semana nao bouvoram vendas al-
gu nas.
Gomma Copal.Nao tcmosanolar entrada al-
guma. A amarla e encarnada procurada, a
branca Uto a mediana s aos biixus precos
collados locui sidopossivel realisarse, ea ordina-
ria nao tem sabida alguma.
Gomma do Brasil.Entraran) do Haranho 25
paneiros. Puncas transaces teem lido, lugar,
poique o consumo pouco tem augmentado.
Molaco.Como o deposito era escasso ainda
se poderam effectuar algumas trans coes aos pro-
cos colados, mas nao so poden) suslenlar, por-
que a lei para a reducao dos dreito d'agoardon-
lo tem foi lo baixa r a'fabricada no paiz. Desde a
nossa ultima revista emlraram de Pernambuco
5 meias pipas o 8 barris ; do Para 360 barris ;
e do Londres 157 saceos.
Miilim.Poucas vendas, com lu.o os possui-
. dores conservam-se rmes.
Oleo do Copahiba.N.io ha.
Sal.O mercado tem-sc conservfdo animado,
e alguns embarques so tecra rcasado aos precos
colados.
l
Sahidas.
Tayne (v) Jcllicoe, Brasil.
Maria da Gloria, Valento, Pernambuco.
15 Aurora, Lopes, Maranhio,
24 Ligeiro II, Yaz, Para.
28 Guienne (v). Enout, Brasil.
Main



Jnuho6 Soberano, Almcida, Pernambuco.
Boa-F, Madeira. Maranhio.
8 Portugal, (v) Brion, Brasil.
10 Tarujo & Filho, Pernambuco.
EMBARCACOKSACARGA EM 11.
Pernambuco.Patacho Jareo e barcas Flor de
Sirao o Cralido.
Maranhio.Bsrca Feliz Unio.
ParaBarca Eereida e Flor de Vez.
Movimento do porto.
Navio entrado no dia 28.
Macei1 dia, briguo inglez Tetania, do 213
toneladas, capilio Congdon, equipagem 12,
carga assucar ; a Johnston Paler & C. Veio|
receber ordena e seguio parj o Canal.
Navios entrados no dia 29.
Southampton e portos nlermedios18 dias, va-
por inglez Magdalena, commandante Robert
Woolward.
Terra-Nova30 dias, barca ingleza Queen, de
215 toneladas, capitn Baily, equipagem 13,
carga 2610 barricas com bacalho ; a Saun-
ders Brolhers & C.
Rio de Janeiro6 dias, barca ingleza D. Auna,
de 286 toneladas, capilio John Cahn, equipa-
gem 12. Cm lastro; a Saunders Brothers & C.
Montevideo32 dias, polaca franceza Fameur,
de 218 toneladas, capilo Eugenio Boire,
equipagem 13, carga 58 mullas e 13 cavallos ;
a Tissel Frre & C.
Acarac16 dias, hiato brasileiro Jorge, do
160 toneladas, capilio Joao Antones da Silva,
equipagem 10, carga sola e mais gneros ; a
Tasso Irmios.
Maranhio c- Cear16 dias, crvela brasileira a
vapor JequilinhoTtha, commandante o pri-
meiro toi)ejg^Hen,rique A. Baplista.
Rio de Janore-T3 dTns-.hiate brasileiro Pie-
dade, do 242 toneladas.'c'pilao Jos M. Vi-
aiina, equipagem 12 cm lastro ; a Bartbolo-
meu Louren;o.
Navios sahidos no mesmo dia.
LorientVapor francez de guerra Bisson, com-
mandante Morkery.
Montevideo21 dias, barca franceza S. Luiz,
de 217 tmmjadas, capilo Bernel, equipagem
12, carga 08, burros o 6 cavallos; a N. O. Bie-
ber&C. 7
Rio-Grande do Sul30 dias, brgue brasileiro
Alegrlo, de 131 toneladas, capilo Francis-
co de A. G. Pcnna, equipagem 12, carga 6,000
arrobas de carne ; a Manool G. da Silva.
Rio de JaneiroPatacho americano Slella, ca-
pilio Lully, carga madeira do pinho.
Navio entrado no dia 30.
Porlos do norte7 dias, vapor brasileiro Cru-
zeiro do Sul, commandante o capilio de mar
e guerra Gervazio Mancebo.
THEAT
DE
SANTA ISABEL
COMPANHIA LYRIGA
DE
Terca-feira 3 dejulho.
Terceira recita da assiguatura e scgniida da primeira serie para os camarotes.
Representar-se-ha a opera cm tres aclos do Bellini.
As 8 horas.cm ponto se dar principio, e para maior commodidade
estar aborto meia hora anles.
no di
Existem ainda bilheles de camarotes e cadeiras para assignarem-se,
ia do espectculo, desde 9 horas em diante juntamente aos de platea.
do publico, o lheatr>
ou para serem vendidos
Avisos martimos.
1271" da
, 1
1
Para Lisboa, sahir at o dia 10 de julho! 1
prximo o patacho portuguez Afana da Gloria, \ ,
por ler grande parte da carga prompla : quem '
nelle quizer carregar ou ir do passagem, trata-se todos fortes
com os seus consignatarios Francisco Severiano
Rabello & Filho, ao lado da Assemblea n. 6.
Para o Aracaty.
Segu com a maior brevidade possivel o hiato
Gralido. por j ter a maior parlo da carga
prompla ; para o resto e passageiros, dirijam-se
ao Passeio Publico n. 11, ou ra dp Cordoniz
n. 5, casa de Pereira ot Valento, no Forte do
Mallos.
Aracaty
SI ce o. S" O o. u 5 1 Boras 1
* w 3! 5" Atmosphera
*! !tf a VI Direcgo. z o
w T3 c/s O 09 Ed 3 1 | Intensidade. 1
l m "o l> O c lo 19 1 Centgrado. -i '=: o X WS -i 9 O
00 35 l-S o co i Reaumur.
i*. -1 ^1 ^1 co ^1 C5 n. | Fahrenheit
co 00 Cu 00 | Hygromelro.
1 ^1 o 1 00 Si 3 .-"3 o Barmetro l
c
ce
cr.
p;
se
<
s|
O
Iliate Sorgipano ja lom parle da carga, para o
resto Irala-se com Martius Irmios : ra do
Madre de Dos n. 2.
negro de 50
preta de 20
preto de 10
negro de 30
e de excellentes figuras:
qiiarta-feira i de julho as 11 horas e:n
ponto no seuarrxnzem n. 35 da ra do
Imperador.
Avisos diversos.
MM1ISM
DAS
Hessageries imperiales.
At o fim do mez espora-se do Bio de Janeiro
o vapor francez Guyenne, commandante F.notit,
o qual depois da demora do costume seguir pa-
ra Bordeaux tocendoem S. Vicente e Lisboa, pa-
ra passageiros, eneommendas e etc., a tratar
na agencia ra do Trapiche n. 9.
Cear, Maranho e
Para.
Segu em poneos dias o hiato nacional aBosa,
K
v-
&
p?
-
M
O
5C
O







""(ti
77|8 a 77,8 1|-2
8 76i6
7| a 7113
,')il 5[8
5|
5i1 Ii2a6|
4,11 3|4
5i0 1|4
Libaa. .
Porto. .
Rio de Janeiro.
A i sterilam.
liamburgo .
Pon. .
.
Naviris
52 3i8
53
Bileas. .
lirasileiros

Hespauhes.

B
llollandezes
o
Mexicano.
Porluguezes

RlISSO!......
b .....
Banco de Franca (aeces,
Pandos francezes. 4 l|2--r-96a 96 30
x a 370,I5a70,C9
^ Metaes preciosos.
Ouro em barra.....P. onca "|9
a Porluguez era moeda.
i) Brasil.....
Oucas bespanholas. .
b a americanas.
Prala em barra ....
Palaras brasilciras .
Pesos columnarios he-pan.
Pesos das repblicas liesp.
mexicanos.....
Mo i.i de 5 Ir.....
Cruzadui dovoi ....
Cambioi.
. 90d.d.521)2
b 52 7i8
60d. .2i
3m.d.12,16 1|2
b 13,5 1|2 .
25,35 a 25. O
. 3 d. v. 25.10 a 25.15
i carga para o Brasil.
Junho 15.Para o Cear, Velocidade.
5.Para o Maranhio, .Brasil.
13.Para o Pai, -.(Til Bit.
15.Para o Para, Shark.
dem.dem, Isabella Scolt.
14.Para Pernambuco, Mercury.
15.dem, Bonita.
25.Iderh, Merchant
21. dem, Minslrel
Numerario.Nao oDstanle o desassocego que
existe no continente, o a incerteza de se resta-
belecer a tranquilade na India por algum lem-
po, o pieco de numentrio tem baixado. Km 2 i do
passado o banco redujo a taxa do juro para 4
por cento, o as casas descintaJoras esto toman-
do papel de Ia classe e cur^ prazo, a 3 3/4 o 3
7/8 por ecuto ; todava existe u corpocommer-
cial um tal ou qual senlimento lo desconlianra
que poe todos em guarda, e limita s*ns operaces
> negocios inteiramente legiliraos.
Algodao.-Ha urna grande quantidade le algo-
dao em ser, c cf'-^cco para inuitas qualidau.g vai
declinando. "'
O total das entradas este anno al hoje moua
m 2,230,284 saccas, incluindo 50,740 do Brasil.
As vendas no mesmo periodo montam em
1,453,100 saccas, incluindo 57,900 do Brasil. Era
ser cam 1,358,000 saccas, incluindo 13,500 sac-
eos de Pernambuco. etc. ; 2,700 saccas da Bahia
le, e 10,950 saccas do Maranhio.
O total do algodao em ser no mesmo periodo
.-Jo anno passado montavaem 618,600 saccas.
Assucar.O mercado est mui desanimado, e
os precos continuara baixos, mas natural que
esle estado nao pode durar, o dentro em bem
poucos mezes a subida deve ser consideravel. As
entradas sao mui pequeas ; sabido quo as
quantidades era viagem tambem sao inferiores ao
quo se poda esperar, e a colheila da frucla da
ierra para doces promette ser enorme. As ven-
das depois da partida do ultimo paquete montam
*m 35,870 saceos e 20 caixas aos presos do 23/9
24/ polo de Parahyba ; 24/6 e 24/9 pelo do Cea-
r ; 23/3,24/ e 24/6 pelo de Pernnrflbuco ; 23/
Pei da Baha; 24/9 e25/6 pelo do Rio Grande,
e 24/6 pelo do Haranho.
Tambem se vendeu urna carga de 4,200 sacC08
fciSf B/9?*' Par" Vm Prl D'Ga"
Pimeula da India........
Salsa parrilha superior..... @
Dita dila regalar....... b
Dila dila ordinaria......
Trigo eslrangeiro rijo..... A
b b mole. ... b
Tapioca boa.......... @
Urzella de Angola......qi|
Dita de Bengaela.......
Dita de Cilio Verde...... >
Vaquetas do Maranho..... orna
Dila de Pernambuco ...
Exportarlo.
50*000 525^00
130 140
130 110
15S000 16000
123000 119000
8*000 10*000
620 680
580 650
IftlOO 2.3100
i:WOO|
133500
113000 123'XKJ
I3OOO 2300
19600 ajino
Agurdenle
Azeile doce.......
Amendoa doceem milo
Batatas..........
Cera branca em gruine. .
Dila dila em velas. .
Ceblas.........,
Cevada ..........
Centeio.
P. 2IO3OOO 21C3000
Alm. 33700 3*800
a 33IOO
ar.
B

M
A
A
Carne do vacca....... 6 @
b de porco b
Chouri^os ........
Farinha de trigo. .
Milito...........
Manleiga de porco. .
Paios...........
Presuntos.......
Sal...... .
Trigo rijo do Beino. .
Dito mulle........
Toucinho.......... >J
Vinho de Lisboa liulo ... P
3500
320
400
420
09
330
330
10300)
22300
1*200
93000
370
3S800
13000
43000
23000
690
690
23800
1003000 1103000
Salsa parrilha.Para reexporlaco embarca-
ram-se no mez passado 815 rolos, som que os
possuidores baixassem dos precos que exigiam, e
aos quaesos compradores so recusaran).
Urzella,As qualidades boas, quasi todas fo-
ram realisadas ; as ordinarias com reducQao do
proco liveram alguma sabida, montando a reex-
porlaco no moz passado 20 5 sancas.
De Cabo-Verde vieran) 507 saccas.
Vinhos.Suslentora-se os precos, c continuara
os embarques para Inglaterra, o" que lom dade
animacao ao mercado. A novidade pendente
soffrivol, ainda que nao se pode calcular o seu
resultado.
Para. Ligeiro II brigue portuguez, com
Jl pipas, 521 barris, o 38 ancn tas do vinho;
10 meias pipas e 87 barris de vinagre, 17 caixas,
56 4arris o 12 latas de azeile ; 66 larris e 30 an-
corlas de chouricos ; 20 barris de toucinho ;
25 barris de presuntos; 5 barris da linguicas; 5
de banha ; 1 2 caixas de massas 10 de iassi-
nbas ; 9 caixotes de poixo ; 10 ancceas de paios;
32 saceos de feijio ; 10 do grao ; :i de ervilhas e
10 do varios loguraes; 167 caixa-, e 30 caixotes
do cera em relias; 1 caixa do dita em rama ; 8
de vidros; 6 de poliamc ; 10 barucas de berra-
doce ; 222 moios de sal ; 27 caixas do doce ; 35
volumes de drogas e hervas modicinacs ; 107
do figos ; 20 dilas
A noile nublada e de constante chura, vento
S, e assim amanheceu.
0SC1LLACA0 DA MAn.
Baixamar as 7 h. 18'da manhia, altura 1.25 p.
Preamar a 1 h 30' da larde, altura 7.0'p.
Observatorio do arsenal de marinlia 30 dejunho
Je 186Q Viegas J'Jsior.
O
clarares
o recebe carga ; trala-se com o consignatario J.
B. da Fonseca Jnior, na ra do Vigario n..23.
ConscIIio administrativo.
O conselho administrativo, para fornecimenlo
do arsenal de guerra, em cum
22 do regulamonio de 14 de deze
faz publico que foram aceitas as propost's dos
sonhoros abaixo declarados, pa'ra fornecerem
companhia dos aprendizes menores do arsenal
de guerra, durante os dous mezes de julho e
agoslo prximo vindouros.
Manoel Antonio .de Jess :
Pi a 33400 a arroba, bolacha a 3J680 a ar-
roba.
Antonio Joaquim GonQalres Fraga :
Assucar refinado a 160 rs. a libra, manteiga
franceza a 580 rs. a libra, cha hyson a 1^700 a
libra, arroz do Maranhio a 110 rs. a libra, touci-
nho de Lisboa a 360 rs. a libra, azeito doce de
Lisboa a 580 rs. a garrafa, vinagro do Lisboa a
280 rs. a garrafa, caf em grio a 210 rs. a libra,
feijio preto ou mulatinho a 73 rs. o alqueire, fa-
- do mandioca a 3;960 o alqueire, bacalho
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegaoao costeira a vapor.
O rpor Persinunga, commandante Lobalo,
sahir para os porlos do sul de sua escala no dia
primonlo aarl". 5 de julho. e s receber carga at o dia 4 ao meio j Porderam-se leilras vencidas hoje 30 do
zembro do 1852, J'a- Previne-se aos senhotes caf regadores que junho, sendo urna da quanlia de 665g260 rs. ac-
ceita por Antonio de Bezerra de Meuezes Lyra :
Rio de Janeiro
Aos 20:000,$', 10:000^, 4:000.$
e 2:000$.
Na praca da Independencia n 22, acham-se
venda os bilheles, meos e quarlos das loteras
44 da casa de correceo c 33 das casas de cari-
dade timbrado por Santos Lima.
ciirrr"TTiaii ii ni iiTmniagn^ni,
lllona Leopoldina Marques dos Santos
Lima, sua lilha, seus pala, manos e todos
os seus cunhados, cordealmente agradecen)
a todas as pessoas que se dignaran) assistir
as ultimas exequias do seu mui presado es-
poso, pai, genro, cimbado o irmio Fran-
cisco Manoel dos Santos Lima, na igreja
matuz do Corpo Santo, e dahi arompaiihar
o seu cadver ao cemitorlo publico, do
mesmo modo convida as mesmas pessoas
para assislirem na mesnia igreja. a missa do
stimo dia, cm 2dc julho, pelas 7 horas da
manhia, o por lio grande obsequio Ibes i-
carao eternamente agradecidos.
Dfseja-se alagar urna ama sim-
plesmente para cosinha)-, preierindo
casa de moco solttiro, affiasca-re que-
rendo o comportamento, assim como a
sua pratica : quem pretender dirija-se
a ra das Aguas Verdes n. 6i, loja.
s@s@ j mutua
vtp Beceheu-sc pelo ultimo paquete Bonr-
us, para sahida de Ihealro. vestidos do M
soda do crese oulros arligos para senho- {;
g ra, ludo do ultimo gosto a duqueza de C
@ Combcrland Z
Loja de marmorc.
&
andar da mesma.
non bu ni a carga ser recebida a bordo sem o res-
pectivo bilhele da gerencia.
rinha
a 115 js. a libra, carne verde a 200 rs. a libra,
carne secca a ICO rs. a libra.
O^onsolho avisa aos mes ni os fornecedores, que
B
A
3>
linz.

Moio
A

300
380
400
320
320
320
620
60
i caixas do figos ; 20 dilas o 46 meias de passas ,
33 fardos de cabos de linho ; 100 caixas e 800 deve ter comeco o fornecimenlo cima menciona-
molhos do cebollas; 200 canaslias de batatas :! J. "O dia I." de julho vindouro.
200 ancoretas d'azeilonas ; 12 barris de er ; l' Sala das sessoes do conselho administrativo,
83000 83030
153100 153300
11*000 113200
183250 183100
13190 4*500
13980 23000
' 950 970
910 960
910 960
33530 33560
880 893
83050 83100
Dito dito branco...... 1203000 140*000
Vinagre de Lisboa tinto P. 453000 50*000
Dilo dito branco...... 453000 508000
Cambios.
Ki.i de Janeiro. 60 div. 220.
Londres 90 d|4......53 3(4
Pars 100 d|d.......534
Genova 3 m|d.......530.
liamburgo 3 in|d.....47 5[8
\msterdam'3 mid.....42 li
Maorid 8 div........945
Porto 8 o.........par.
Metaes.
Pesas de 83000 ....
Ouqus hespjnbola.s. .
Dilas mexicanas. .
Aguias de ouro dosEsta-
doi-Liiidos ....
Soberanos (a prata). .
Duro cerceado (a ouro) .
Patacas bespanholas .
Ditas brasileiras .
Dilas mexicanas .
Viole francos .
Cinco francos ....
Prata (marco).....
Fundos e accos.
3 por cent de ausntame uto 45 l|2 a 16
^oupons......44 1)2 45
D) Ban^ de Portugal. 550*000 a
Dito Cunmerclal do Porto 256*000 a
Dilo mevsanlil, idem 250/000 a
Hcvisia commereial.
de\2 de maio a 11 de junho.
No decurso esta revista o nosso mercado con-
(inuou na meSHa apalhia, e poucas foram as
iransaceea que sealizaran) de maior importan-
c>a, porque quast cu geral as vendas foram s
hm)tadas ao consumo.
O mercado4o fundos vmbem so tem conser-
vado na mesma naci.
Assucar.Durante este r*jodo consistiram as
entradas em 197 caixas da Bava ; 269 barricas
o 8835 saccas de Pernambuco ; 341 barricas c
31 saccas do Par ; 158 barricas i0 Maranhio ;
51 de CahorVerde ; 43 da Madeira t50l sacias
de Genora ; 151 de Londres ; o 791 tar.
A pouca reduccao que se nota nos precs em
comparacio cora o que dissemos em nossa' ante-
rior reyjsta, 4 derjda, firicczj 5513000
2573000
2.51*000
latas de quoijos ; 8i lages, 9 soleirasde cantara
o \l volumes diversos.
Pernambuco. Soberano, brigue portu-
guez, com 12 pipas e 115 barris do vinho ; 10
barris de vinagre; 160 d'azeile ; 265 ditose 1
caixa do carne ; 99 saceos de semeas ; 7 do cera ;
16 barris de peixe ; 300 de cal; 610 caixas com
ltalas; 6 de colgado ; 60 de cebollas; 6 do vi-
dros; 1 de livros ; 8 volumes de drogas ; 8 di-
tos diversos e 2 vaccas.
Mara da Gloria Patacho portuguez,
cora 8 pipas. 112 barris e caixotes de vinho ;
Jo barris d'azeite ; 77 de carne ensaccada \\f\
de toucinho ; 66 de chouricos ; 20 do linguicas :
22 caixas de balaias ; 76 de sebcllas ; 81 d ce-
ra om vellas; 6 barricas de dita em grumo ; 20
de ere ; 13d'alpisva : 6 caixoes de poliame; 300
barris de cal cm pidra : 8 volumes de drogas e
hervas medicinaos ; 19 diverso.!.
Portugal V.por portuguez, com 1,650
arrobas de batatas, 4ti*Xas de sebollas, 1G bar-
ricas de albos, e 5 voluru>s diversos.
Tarujo & Pilhos .Brigue portuguez, com
71 pipes, 6 meias dilas e A barris de vinho ; 24
pipas, 10 meias dilas e 92 ba-s ,|0 vinagre 141
de azeito ; 230 de toucinho ;i)[ ,|0 Canie 700
saccas do Carelios ; 400 de barias ; 9 volumes
de peixe ; 11 de drogas ; 10 c)ras'd'azu|,,os .
9 volumes de cera ; 42 pedras o\ cantara ; 13
volumes de mobilia : e 20 volumes\jVersos.'
Maranhio. Aurora barca wlugeza
com 21 pipas ; 6 meias ditas ; 37 barr e \q anJ
crelas de vinho ; 5 pipas, 10 meias d\^s e |yg
barris de .vinagre ; 105 barr:. d'azpito\fg de
carne ; 40 de toucinho ; 26 de chouricos ;\har.
ris e 10 ancorelas do paios; 50 baricas de-,n
nha; 6 caixas de rap ; 10 do cera em vellas ; W
sacas de semeas ; 22 caixas de fructas doces; 25
caixas e 60 canastras de balatan ; 4 barricas e 4
saccas de erva-doce : 105 pedr.'s de cantara
volumes de drogase 23 diversos.
Boa F (patacho portuguezi com 10 pipas, 10
meias dilas,357 barris, 40 ancn:tas, e 54 caixas de
vinho ; 30 caixas de ditomosotel ; 21 pipas, 38
meias ditas, e 55 barris de vinagre ; 22 caixas c
146 barris d'azeite ; 5 barris de carne, 143 de
loicinho : 61 de chouriros: 10 de paios ;-3 de
presuntos; 74 caixas c 49 caixoles de cera cm
vellas; 600 molhos de ceblas ; 250 caixas de
batatas ; 10 de cha : 12 de fructas doces ; 5 de
vidros ; 3 do cebo em vellas ; 3 de rap ; 4 sac-
eos do crva doce ; 25 do feijio, 193 lagos de
cantara. 10 barricas do alhos ; 2 de carro ani-
mal; 15 fardos de lonas e brim ; 9 barris e 6
borricas de salitre ; 26 volumes do oleot, dro-
gas, e ervas medicinaos, e 32 diversos.
BABBA DE LISBOA.
Entradas.
Maio 14 Nereida, Oliveira, Pai.
15 Amazonas, Leite Jnior, idem.
29 Oneida, (v. Beris), Brisil.
Junho 2 Flor do S. Simio, Canario, Pernam-
buco.
Jason (v) Euslicc, Brasil,
3 Feliz Unio, llosa, Maranhio.
Raioha dos Acores, Marttns, Pernam-
bcp.
< Jareo, sobrinho, idea.
4 Plorindo, Souza, Penambuco.
para fornecimenlo do arsenal de guerra, 30 de
junho de 1800.Francisco Joaquim Pereira Lobo
coronel vogal secretario interino.
Cunsellio de eompras navaes,
Tendo-se de promover aaequisigao do diversos
objeclos do material, abaixo declarados, manda
0 conselho fazer publico, que tratar disto em
sess'io de 5 do prximo mez de julho, i vista de
propostas om cartas* fechadas, entregues nesse
dia al s 11 horas da manhia, acompanhadas
das respectivas amostras, cerlos os que contrata-
ren) a renda, de entregaren) os objeclos da qua-
lidade e na quantidade contratadas, sob pena de
pagarem a multa de 50 0(0 do valor de cada um,
elem do carregarcra com o excesso do preco del-
los no mercado, caso motiven) cssas faltas rec-
correr-se ah: bem como de serem pagos pela
forras ha muito eslabelecida.
Objeclos.
Para o arsenal e navios.
4 arrobas de agua raz.
'2 rrrobas de almagre.
500 agulhas de lona e brim.
6 barris de breu.
100 arrobas de oleo de linhac*.
60 meios de sola.
Para os navios.
1 arroba de areia de escripia.
231 bonels do panno.
8 dilos com chapa.
16 arrobas de cairo velho.
300 camisas de algodao azul.
300 calcas de algodao azul.
389 camisas de brim.,
385 calcas de dito.
53 dilas de panno.
50 croques.
110 camisas de baeia.
&j fardas de panno para imperiaes marinheiros.
00 dilas do brim.
Varataa de couro.
u agos de compasos e tira-lnhas para escrip-
J5J*Np era branco de 25, 50 o 100 folhas.
i Njnpreiaoa, para soccorros, de 50, 100,
150 e Sq foi Ins.
134 ler.cos.0 seua eta<
6 arrobas d^,^
6 arrobas de Kkora fina
30 resmas de p(^lalmaC0-
. ditcs^e dito Sluchin-h0>
li S!. h P?U"S de Panno-
21 raspas de ferro.
im SL'l SBPa\03\ sola e vira.
300 saceos de conducsa,
Para o\.pnl
lfoledel2pollegadas.X'
48 ps de ferro.
2penerastearame.
180 camisolas 100 pares de chuelas.
100 fronhas de bf^j.
200 tensos de brim.
50 loalhas de brra.
24 traresseiros de para.
Sala do conselho de orapras naraes \a per_
nambuco, 30 de junho ie 1860.O sechiario
lexandre Rodrigues dos i+jot. '
Riode Janeiro.
O veloiro e bem conhecido brigue nacional
Eugenia, pretande-sahir cora muita brevidade,
tem metadedeseu carregamenlo promplo ; para
o resto, trata-se cora os seus consignatarios Azc-
vedo & Mendes, no seu escriptorio na ra da
Cruz n. 1.
o Rio de Janeiro
Espera-se daquella praca a barca naciona
Castro III, de que capilio Antonio Gonralvoj"
Torres, a qual pouca demora deve ter neslc pos-
to : quem na mesma quizer carregar ou ir de
passagem, para o que tora excellentes commo\
dos, trala-se com os consignatarios Pinto de Sou-
za & Bairio, na ra da Penha n. 6.
Maranho e Pa*.
O releiro brigue escuna Graciosa*, capilio o
pralico Joao Jos do Souza, deve seguir em pou-
cos dias para os portos indicados : recebe carga,
para o que trata-se com os consignatarios Alraei-
da Gomes, Alvos & C, ra da Cruz n. 27.
Cear.
Segu com muila brevidade o palhabote Santa
Cruz, capilo Jos Victorino das Neves ; para o
resto da carga, trata-so com Caotano Cyriaco da
C. M., no lado do Corpo Santo n. 25.
Leiles.
outra de 6673900 rs., aceila por Joaquim FeVrei-
ra de S ; outra de 33* aceita por Antonio Pe-
reira da Silva ,-oulra de 5103120 rs., aceila por
Francisco Jos Rodrigues Bastos, todas oslas lot-
tras sao sacadas por llenry Bruno & C.hoje Kalk-
man & Irmader i C. e endosadas por Antonio
F.migdio Bibeiro, pois foram compradas no sen
cambio ; j esli prevenidas todas as firmas alini
de s serem pagas ao abaixo assignado. decla-
rando o mesmo abaixo assignado queso Iho falla
recebera do Antonio Becerra do Menezes l.vra
da quanlia de 65260 rs., pois quo os oul'rca
Iho pagaran) roconhecendo ser o aliaixo assigna-
do o seu legitimo possuidnr. Becifo 30 de junho
dolSaO.Joio da Cunba Tavares Guimaries.
Precisa-so de urna ama forra ou captiva pa-
ra casa de pouca familia : na ra de Hortas nu-
mero 16.
\ llieiiu Pernanibccano.
Aviso aos membros da sociedado Ailieneii
Pernambucano que no dia 15 de julho, em vir-
tude do disposto noart. 21 cap 4 til. 2 dos esta-
tutos que a regem, se proceder a elesao da me-
sa e commisses que lera de estar era exprcicio
at marco futuro.
Secretaria do Alheu Pernambucano 30 de ju-
nho de 1860.O pnmeiro secretario, Manoel Eu-
phrasio Correia.
Aviso.
LEILAO
DE
Urna botica.
A requer meato dos herdeiros de
Marcelino Ludgero da Fonseca Candi e
despacho do Exm. juiz municipal da
primeira vara, o agente Ilyppolito da
Silva fara' leilao de urna botica, dividas
activa e um escravo de nacao Angola :
segunda-feira 2 de julho as 11 horas em
ponto na botica n. 3 do pateo do Carmo.
LEILAO
DE
10 escravos.
O agente Hyppolito da Silva
leilao por conta e risco de quem
teucer de 10 escravos sendo:
5 molequesde 11 a 12 annos.
1 mulatinhode 11 a 12
1 negro de 16
1 mulato de 40 a
fara"
per-
Pola gerencia da Companhia Pernambucana do
navogacao cosleira a vapor, re faz publico que
Qzeram-se razoavois altoracdee nas tabellas do
passagense freles que se deverio pagar do 1- do
julho prximo om diante aos vapores da dila com-
panhia. Essas alteraces constan) das respec-
tivas tabellas approvadas provsoriarnenle por S.
Exc. o Sr. presidente da provincia em data de 25
do cadente mez, e que esli plenles a quem as
quizer consnllar no escriptorio da companhia.
Boga-so pela segunda vez ao Sr. Antonio
Henriques de Miranda o favor apparecer na ra
dos Marlyrios n. 36, a negocio quo lhe diz res-
peiio.
Precisao.
Na ra da Praia, taberna n. 39, precisa-so do
um pequeo de idade de 12 a 14 annos. sendo
Portuguez, para ser caixeiro em urna taberna na
Escada.
PERDA.
Perdeu-se no dia 19 de junho, da praca da Boa-
Visla, ra da Imperatrz, Nova, do Rosario bec-
co do Sarapatel c ra da Praia, 2553000, sendo,
qualro notas de banco de 509. e o restante era
sedulas de 53, embrulhadas em papel amarello :
quem as livor achado e quizer ter a caridade de
reslitui-las a seu dono, um pai de familia pobre
pode-o fazer na ra Nova de Olinda, sobrado do
varanda de pao, ou no Rccife, ra da Aurora, ao
Sr. Domingos Antones Villaca, que ser recom-
pensado.
Pede-se ao Sr Jos Mendes Rodrigues Cam-
pello o favor de apparecer na ra dos Marlyrios
n. 36, a negocio de seu inleresse.
Roga-se a o Sr. Antonio Tiburcio da Costa
Monleiro o favor apparecer na ra dos Marlyrios
n.36, para se lhe entregar urna carta.
Tersa-feira 3 de julho, depois da audiencia
do juiz de pai do 1. districto de Santo Antonio,
as 2 horas da tarde, vio a psasa para serem ar-
rematadas 9 cadeiras do condur com assento de
palhinha, duas banquinhas da mesma madeira
com lampos de marmore, e dous pares de lan-
ternas, por execusao do Monteiro & Soares con-
tra o seu devedor Joo Gonsalves Ferrera.
-- Vende-se urna casa terrea na freguezia de
5. Jos; quem prelender, annuocle.
* ;
II FGIVEL


PUMO E>E frRNAMfeim SEGUNDA FE1HA 2 DE JLHO BE i860.
Dinheiro
sobre penhores, por mdico juro ; na ra do Li-
vramento. sobrado n. 19, se dir quem d.
- Roga-se aos Srt. abaixo mencio-
nados o favor dtj virem ou uumdareui
saldar seus antigos dbitos a firma de
Rocha & Lima Guiraaraes, hoje perten*
cenes a.de Martinho & Oliveira, po
CASI LUSO-BKASLEI,^
2, Golden Square, Londres.
J. G. OLIVEIRA-lendo augmentado, com to-
mar a casa contigua, ampias e exccllcntes ac-
commodaQoes para muito mnior numero de hos-
pedesJn novo so recomtnenda ao favor e lem-
branga dos scus amigos e dosSrs. viajantes que
'"* visitmosla capital; continua a prestar-lhesscus
jservicose bons oficios guiando-os cm todas as
COmp que estes zcram da foja de fa- cousas que precisen conheciraento pratico do
sendas da ra da Cadea n. 40, a saber:
Themoteo Antonio d'Araujo Reg.Kngenho Ara-
ripe de Baixo
Padre Fortnalo Jos de Sousa.Vigario de Ha-
marac.
Jos do Caraio.Ilamarac.
Msnoel Cancio Pereira dos Sanios,Para.
WiristovSe de llollanda Cavalcanle. Cidade de
Nazaroth.
Joiio ds bilva Monteiro Pasmado.
Antonio Por Dos da Costa Lima.Cear.
Antonio Soarcs d'Almcida. PovoaciioGarno do
Vacca.
F.osrenco Soares Cordeiro de MelloPassassunga.
Jos Rodrigos Revoredo.Liraoeiro.
Andr Ferretea de Mattos.Goianna.
Jos Ignacio de Mello.dem.
Amaro Gomes da Curiha Rabcllo.Idenr.
Galdino Xavier da Gosla.-Goianna Grande.
Vicente Cavalcanle d'Albuquerque.Goianna.
Alexandro Concia Bezerra de Menezcs.dem.
I). Ignacia Hada da Concceao.Barra de Goianna
Francisco Bezerra Cavalcanle.
Jos da Silva Santos.Engenho Tayp.
.Manoel Jos da Silva.Goianna.
.losCarnciro da Cunha.dem.
Iltnriquc Cavaloanle d'Albuquerque.N. Senho-
ra do O*.
Maaocl Correia d'Oliveira.
I.uiz Pedro Bezerra.Goianna
Francisco Symphronio O.Tarares.dem.
1). Iras Mari da Conceicao.dem.
Padre Graciano Gomes de S I.eilao.dem.
Simio Jo de Azevedo Santos.dem.
Dr, os Mara FreirGameiro.
Antonio ae Maraes Magalhaes.dem.
Jos l)ini-
Viocnte Jos da Costa.Remedios.
g 8@f @@g @ #$*#
^5 Dr. Carneiro Monteiro aprovetando da $j
i& proporuao que lem para mais fcilmente
exeeular ostraballios departo, o aconse- $
lliado pelo feliz resultado que tem oblido @
5 ero multiplicados partos laboriosos, tem g$
5 felj sua especiatidade sobre este ramo {;
5$ para o que poder ser procurado a qual- QiJ
- (pser hora, na ruado Haugcl n 1G. 2
#t9#9a #$$$
- Trecisa-se de orna ama forra ou captiva pa-
ra o servido de urna casa de pouca familia : qu^m
eeliver nestas circunstancias, dirija-sc a ra das
Cruzes, sobrado junto a ordem terceira de S.
Francisco n. 2, no primeiro andar, que achara
com quem tratar.
Roga-se ao Sr. Candido Augusto de Mede-
ros, da villa do Pilar, provincia da Paralaba, o
favor de vir ou mandar ra do (Jueimado n. 27,
loja de miudezas.
O ^. Jo.V) Paulo da Rosa queira vir ou
mandar ra Njva, loja n. -7, a negocio que nao
ignora.
romo -as uiogra-
paiz, etc.: alm do porluguez e do nslez falla-se
na casa o hespanhole francez.
agencia dos fabricantes america-
nos Grouver & Italcr.
Machinas de coser: em casa de SamuelP.
Johnston & ra da Senza.la Nova n. 52.
Na ra da Cadcia do Recite n. 38, primeiro
andar, precisa-sc fallar ao Sr. solicitador Manoel
Pereira de Magalhaes.
Do abaixo assignado se desencaminhou urna
letra de 2809 saccada cm 6 do andante ha dous
mezes e acbila pelo Sr. Jos I.uiz de Oliveira
Azevedo, pagavel em 6 de agosto prximo. Nao
obstante a dita letra uo estar sellada e transfe-
rida p elo abaixo assignado, previne-se que est
nulla quando apparecaper haver o raesrao Sr.
Azevedo aceitado outra de igual data e quantia
do abaixo assignado.
Recite 20 dejunho de IS60.Joaqun Vieira
de Barros.
Ama.
Precisa-se de urna ama para cozinhar e engom-
mar, para casa de pouca familia : a tratar na loja
de livros ao p do arco de Santo Antonio.
Saino u luz o 3
pinas de alguns poetas, e outros
Na ra Nova n. 18, primeiro andar, tiram-
se retratos pliotographcos, em trtibroty-
po, amphilypo e daguerreolypo, systena ame-
ricano. Na mesma casa ewccntram-'se bellas
caxiuhas c quadros pretos e dourades para se
collocarem os retratos.F. Yilella, photographo.
gLieoes de francez piano.
Rdemoiselle Clemence de Ilannctot *|
jp de Menncvillecontinua a -dar licocs de g
fraecez e piano na cidade o nos arrabal- *
des : na ra da Cruz n. 9. segundo andar. e
Bollinhos;
Bandejas enfeiladas com divertios goso, dos
molhores bolinhos do nosso mercado1; em norcao
de libras ou a rctalho, que conservam-se rnuito
para embarque ou viagem ; assim como pudins,
pastis de nata, crome, tortas, o outra qual-
quer pastelera para dessert: lambem preparara-
se bolos linos para o lempo de S. Joao e S. Pe-
dro, das meihores qualidades da n assa molhada
e secca superior, ludo com o melhor asseio, e o
mais em conta do mercado, diriji-sc a ra da
Penhu n. 25, para tralar-se.
@@ @ >@@,
1 DENTES |
I ARTIFICIAES. 1
fttuaestreita do Rosario n. 3
@ Francisco Pinto Ozorio collocu denles ar-
tificiaes pelos dous syslemasVC'LCANITE, @
@ chapas de ouro ou platina, pt deudo ser
@ procurado na sobredila ra a qualquer
hora.-
i ?#
Roga-se aos Srs. devedores a firma social
de Leile & Correia em liquidarlo, o obsequio
de mandar salda seus dbitos na loja da ruado
Queimado n. 10.
Por um corle de cabello e
frisamenlo S00 rs.
m w& di poian
Grande e novo sor timen to de fazendas de todas as qua-
lidades por baratissitnos precus.
lpkaDo-se amostras com penhor.
fl
ho-
rneas Ilustre da provincia de Pernam- i '
buco, pido co ninendador Antonio Joa-
qu'nii de Mello. Con tero, as btographias
de Lk Francisco Je -Carvalho Couto, I
Ra da Imperatriz n. 7.
Lecomtc acaba de receber do Rio de Janeiro
o primeiro contra-mestre da casa Augusto Clau-
dio, c um oulro vindo de Pars. Esta estabele-
cimento est hoje n-as meihores condices que
possivel para satisazor as encommendas dos
objectos em cabelles, no mais brevn tempo, co-
mo sejam : matTr.'fas a Luz XV, callejas de rflo-
gies, braceletes, aunis, rosetas, ule, etc., ca-
balleiras de toda a especie, para liomens e se-
nhoras, lava-c igualmente a cabera a moda dos
Etldos-Unidos, sem deixar nina s pelcula na
cabeca dos clientes, para satisfazer 3S pretenden-
tos, os objectos em cabello scrao f presenra.ix! o desejarem, c achar-i>e-ha sempee
urna pessea disponivel para corta? os cabellos, e
pentcar as senhoras em casa parictlar.
E' chegado leja de Lecom e, alerro da
Boa-Vista n. 7, o escolente lcite virginal de ro- ;
sas blanca para refrescar a pclle, tirar pannos
sardsse espinhas, e igualmente o afamado oleo
babrsa para limpar e fazer crescer os cabellOj
ass:m como pos imperial de lyro de "Florenra
para bortoejas e asperidados da pelle, conser-
va a frescura o o avclludado da primavera da
vida
Lindos cortes de vestidos de seda pretos
de 2 saias
Dilos ditos de ditos de seda de cores
com babados
Ditos dilos de ditos de gaze phantazia
de cores
Romeiras de Ci de seda preta bordadas
Visitas de grosdenoples prcto bordadas
com froco
Grosdenaples de cores com quadrinhos
corado
Dito liso preto e de cores, covado
Seda lavrada preta e branca, covado 1? e
Dita lisa preta e de cores, cora 4 palmos
de largura, propria para forros
Corles de vestido de seda de gaze trans-
parentes
Ditos Je ditos de cambraia e seda, corle
CamlirsiasorlaDdys de cores, lindos pa-
drees, vara
Manguitos de cambraia lisos e bordados
; Tiras e ntremelos bordados
Mantas de blonde brancas e pretas
Ditas de fil de linho pretas ,
Chales de seda de todas as cores
Lencos de cambraia de linho- bordados
Dilos de dita de algodiio bojdados
Panno preto e de cores de todas as qua-
lidades, covado
Casemiras idem idem dem '
Gollinhas de cambraia a
Chales de touquim broncos
Dilos de merino bordados, Usos e es-
tampados de todas as qualidades
Enfeiles de vidrilho franeczes pretos e
de coies
Aberturas para camisa de linho e algo-
do, brancas e de cores
Saias balo de varias qualidades
Tafet rxo, covado
Chitas francezas claras e escaras, co-
vado
Cassas francezas de cores, vara
Collarinhos de esguiao de linho mo-
dernos
Um completo sortimento de ronpa feita
sendo casacas, sobrecasacas, palctots,
S colletes, calcas de muitas qualidades
de fazendas
I Chapeos francezes finos, forma moderna
Um sortimenlo completo de grvalas de
seda de todas as qualidades
9 Camisas francezas, peitos de linho e de
algodao trancase de cores
9 Ditas de fusto brancas e de cores
Ceroulas de linho e de algodao
15200 Capellas brancas para noivas muito finas
S Um completo sorlimento de fazendas
3$000 para vestido, sedas, laa e seda, cam-
braia e seda tapadas e transparentes,
1500 covado
Meias cruas brancas e de cores para
lOJOOO meninos
t6j000 Ditas de seda para menina, par
Luvas de fio de Escocia, pardas, para
W00 menino
9 Vclludilho de cores, covado
9 Velbutina decores, covado
0 Pulseiras de velludo pretas e da co-
res, o par
9 Ditas de seda dem idem
8 Um sortimento completo de lu-'as de
g900 seda bordadas, lisas, para senhoras,
homens e meninos, de todas as qua-
9 lidades
9 Corles de colete de gorgurao de seda
5.610 de cores
9"' Ditos de vellu'do muito finos
Lencos de seda rxos para senhora
9 Marquezitas ou smbrinhas de seda com
molas para senhora
oj500 Sapatinhosde merino borJados proprios
para baplisados, o par
9 Casinetas de cores de duas largurasmui-
6*000 lo superiores, covado
$500 Setim prcto, encarnado e azul, proprio
para forros, com 4 palmos de largura,
9280| fazenda nova covado
5500 j Selm liso de todas as cores covado
j Lencos de gorgurao de seda pretos
J800 j Relogos e obras de ouro
i Cortes de casemira de cores a
9
89500
9
9
9
8
9
8
9
19600
9320
19*00
9700
2$0O0
ljjOOO
1600
9
55000
O Sr. thesourciro das loteras manda fazer pu-
Jerony.no de Albuquerque Maranbo, i blk? q-"e fe acham a ;e1n,V*dosos das noes-
l T j i 1 ''criptono das mesmas lolcnas na ra do Impe-
mvaro Ittseira de Macedo, e Joao' rador n. 36, e na casas commissionadas pelo
Antonio Saler de
entre os quaes 30
Mendonca ; versos mesmo Sr. ihesoureiro na praca da Indepen-
,1^. .,l..I_- .' dencia ns. 14 e 16 c na rus Nova n. 56, os bi-
odes anacrenticas. ,,hcl08CineosdailUiraa,oda 0tdV'a e pr.
UBta noticia intere.-sae do levante de meira da nona lotera da matriTda Boa-Vista
(ioianna em 1821, e noventa ** dous desla cidade cujas rodas deverao andar mpreia-
documentos inneditos. Por
rao do autor.
ora em
O Dr. Joar, Eerreira da Silva mudou-eeda
ra do Rangel para a do Livraraento n. 26. so-
brado do Sr. JInoel Buarque de Macedo, defron-
te (e sua anliga habacao. A grande pralca de
auscultado reconhecida por quas lodos os seus
CoHegaa 4eata cidade (orna-o recommendado no
diagnostico das molestias dos pulmes e do^cora-
ce ; assim corno para verificar o estado do sali-
do dos escravos que se dosejam comprar. Telo
CFOSCdo numero e variedades de operaces que
Ja feito com bem resultado em 0 exercicio de
mais de 20 aunes, se julga habilitado para pral-
car toda e qualquer operacao cirurgica por mais
delicada c diOIcultosa aue seja.
Thesouraria das loteras 16 de junhode 186G
J. M. da Cruz, cscrivo.
Av
OMPAMDA DA VIA fIRREA
DO
RECIFEAS. FRANCISCO.
l7iso.
p,rcvi'!e-se o rcspeilavel publico que do da
1 de julho (inclusivo) ei:i dianle, al segondo
aviso ser supprimido o trem dos dominaos e
das santos que parta da villa d o Cabo.s 5 horas
d tarde evoHa va das Cinco Pont as as 61 [2 horas.
Aluga-se o primeiro andar e arreazens da
casa n. 13 da ra do Vigario : a tratar no caes do
Hamos n. 2, escriptoro, ou ra Augusta d 94
com Prxedes da Silva Cusmao.
";VyTTTT-?TTTYTVTYTTTTrr!TTTT>i
;; DENTISTA FRANCEZ. 3
Paulo Gaignous, dentista, ra das La- 2
r rangeiras 15. Na mesma casa tem agua e t> r dentifico. <
* Ai. 4. A AAAAAAAAA A A A AAA A A A A AA A P
fioga-se aos.Srs. devedores do estabele-
cimento do fallecido Josda Silva Pinto, o ob-
sequio de saldarera seus dbitos na ra do Col-
gi venda n. 25 ou na ra do Queira ado loja
n. 10.
Nova lndico de ferro
.e iroDze.
Uuado Rvum \\.l.
James E. B. Spears.
Fundidor machinisla e engenhero encarreg*-
se de qualquer obra, assim como sentar vapores
de lodas ai qualidades para serrara, refinacao,
fabrica de sabao, machinas para amassar pao,
para moer mandioca, ludo por proco commodo,
e concerla alvarenges, bombas, vapores, e toda e
qualquer obra.
I Dentista de Paris. |
a 15 Ra Nova15
*.) Frcderco Gautier, cirurguio dentista, ^
Wb faz lodas as opcra;oes da sua arte e col-
gg loca denles arliflciaes, ludo com a supe-
^ rioridade o perfeioao que as pessoas cn-
cjj toKdidas Ihe recoheccm.
S^g lm agua e pos dentifricios ele.
IMB
Attenco.
o
Ua moro brasileiro. com pralca do 6 annos de
commcrci testa praca, e ha pouco desarruma-
do, se offereoe para temar c,onta de urna casal
commercial de fazendas por balanco, presla flan-
ea e garante o-bom desempenho d sua profissao :
quem de sen preslimo se quizer iitilisar, dirija-se
a ra das Cruzes n. II, loja, deixando 6eu nome
e residencia para ser procurado,
Sirop du
DrFORGTI
J*4
t
NATURALLE DE VICHY.
Deposito na botica franceza ra da Cruz n. 22.
isRi
CHANDE SORTIMENTO
DE
Fazendas e roupa feia
POR MEDIDA.
NTa loja e armazem deJoaquim
Rodrigues T. de Mello.
l\ua do Queimado &* S9,
cm sua loja de 4 p nvas,
Tem um completo sorlimento de roupas feilas
e por medida a vontade dos reguez-rs : calcas de
casemira de bri-m, colletes de diversas quali-
des, sobrecasacas de muito bomgosio, um sor-
lmenlo de palctots-de panno e de casemira, al-
paca, laazinlia, riscadinhos e de brim, que ludo
se vende por preco commodo ; um completo sor-
lmenlo de chapeos prelosde seda para homem,
de superior qualidade a 10?J, dilos di castor mui-
to superiores a 16?, chapeos de sol de seda in-
glezcs dos meihores que tem vindo o mrcalo,
dilos francezes de diversas qualidades, ditos de
panno grandes e pequeos, cortes de vestidos de
seda de variados gostos para diverso? presos, um
completo sortimento de bordados e ntre-meios,
golwhase manguitos, ludo por preec commodo ;
chaly deseda e 15a de gosto mais apurado que
lem apparecido a 1$280 o covado, chitas france-
zas muito superiores de 260 at 410 :s. o covado
de gostos muito delicados : um granee sorlimen-
to de fazendas francezas e inglezas o alientas que
seria irapossivcl aqui se poder mencionar com
preros, assevera-se aos freguezes que ludo se
vende maa era conta que em outra parte sendo
a dinheiro.
Espectculos iy ricos.
W DO FOKGET.
Este lan
uno sead'
afl'ec;6es dos bronebios, ataques d
pela manli, e outra noite sao su
tempo o doente e o medico.
O dsposito na rita larga do
-. P~4, I
Collegio de Bemica,
estabelecido na ra da Aurora, edificio contiguo ao do
collegio das orphaas. \
O director deste d'este-estabeleciment participa que no mesmo se'ensinam as disciplinas
-segtiintes:
Leitura e escripia. ,.......\
Dculrina christaa.........J irofessores.
Aritltmetica pralca........[
Grammatica nacional........0 Sr. Honorato Augusto
jGeographi elementar.......de Miranda e o director.
f Elementos da historia do Brasil. .1
\ Ditos da hUtoria Sagrada.......I
Easino primario
Eos:no secundario
"O
LAT.
Grammatica latina
Latinidade. .
Grammatica philosophica..... ) O Sr. Antonio Joaquim de
Mytologia...........|Passos.
Poesa classica
FRANCEZ.
l'.cadeira, grammatica e traduccao.
2. dita locuQo composigao e escripia
1NGLEZ.
0 Sr. Francisco Antonio
Cesa rio de Azevedo.
O Sr. Jos Mara Ra-
monda.
O Exm. Sr.jDr. Francisco
Ballazor da Siiveim, quo se
encarregou d'esla cadeira gra-
tuitamente, c por especial ob-
/ sequo ao director.
ITALIANO.
Grammatica, tradcelo, composicao, escripia el
lCUS5.....'.....f O Sr. Jos Mara Ra-
allemAo. (monda,
dem, idim, idem, idem.......J
PUILOSOPHIA. ) _
Philosophia racional e moral e hisloria ghilo-J
sopbica..........
RnETORICA.
Rhetorica, potica e hisloria da ltteralura .
GEOGRAPIIIA.
Geographia, historia e chronologa -
geometra.
Aritliimlica, algebra e geometra. .
Pedro Aulran.
O Sr. Vital Pendra
Moran Sarment,
de
. (Msica
1,
O Director.



0 Sr, Jos Leandro luf-
as Filgueiras.
- *, < ^,sta de
*Ra-
= O juiz de direito aposcnlado\..., a abaixo
assignado, propoe-se (como ultimo recurso!...
dentro da espbera de suas haln'litacoes) exercer
a nobre e sublime profissao de dvogdo ; ou
seja especialmente no ro e tribunaca^Jeala .a-
pilal, ou seja no de qualquer dos termos r o-
marcas da provincia. As pessoas que so ou;. -
rem utilisar de seus frncos prestimos, o podei. u
procurar em lodos os das que nao foroni santos
uu feriados, desde s 9 horas da minitaa at &a
da larde, na rasa de sua actual residencia, na
ruaouii'era do Collegio e hoje denominada du
Imperador.n. 42, e cxlraordnaiiamenle em butro
qualquer da e hora : assegurando a lodos quan-
los se dignarem assim honra-lo e favorecer, ni o
s toda diligencia e desvelo no desempenho de
lo importantes deveres, so nao lambem una ;1-
limilada gratidao. Outro sim [permitU-se-lhe
declarar mu expliritamenle) que patrocnala
gratis a quem querque nao esteja as circuns-
tancias de renumerar seus serviros.Jos Fran-
cisco Arruda da ('.amara.
compra-se, vende-se e troca-se escravos : n.....
Direila n.'66, escriplorio de Francisco Hathias
Pereira da Cosa.

>mrtv
U Dr. Cosme tle Sa'
^de volts desua viagem instructi-'
/^tiva a Europa continua noexer-r
^cicioclesua profissao medica. ^
3i Da' consuitas em seu escripto- #(.'
3i'io, nobairro doRecife, ra da'*^
Cruz n. 5o, todos os das, menoigS
fnos domingos, desde as C hora&
t as 10 da manhaa, sobre OSS
seguintcs pontos :
J*. Molestias de lhos
I*. Molestias de cora cao e de.
peito ; ^
. Molestias dos orgos da gera- ;..V
cao, e doanus ; ^
'. Praticara' toda e qualquei -j^
operacao quejulgar convenid)- *>*
te para o restabelccimento do 8;
seusdoentes. .y1
S^ O exame das pessoas que o con- ,ih
'V_sultrucm sera' feito irdiftinch :-
^mente, e na ordtm de %v&i tu-
fetr das; fazendo exc< pco os t!c< n
<>.tc-sde ollios, ou aquel les que poj -.
- ;
f T
fmotivojustoobtiverf m noi ama
-(cada para este ira.
... '
mentos indispensaveis ;i(. ;<
aicasos, como o do sulfato de ali c
^pina etc.) |era' feito,ou conced rf<
^gratuitamente. A confianca qt:i g
Vaciles deposita, a presteza de sua 1|!
Vaccao, e a necessidade promjt; f
vde seuemprego; tudoquantc i
demove em beneficio de seus
doentes.
DA
O thesourciro das loteras declara que o pa-
gamento dos premios da quarla parle da quarla
lotera do Gymnaso Pernambucano, cujas lisias
leem de ser publicadas cm odia 18 do presente
mez, principia a ser eflectuodo do da 19 do mes-
mo mez cm dirnle, visto como al o referido lia
18 lem o mesmo thesoureiro e os mais empe-
gados de eslarem anda oceupados com a con-
clusao da exlraccao dos nmeros que nao forara
premiados, para assim se verificar a exactido Ja
mencionada lotera.
Thesouraria das loteras 1C de juiho de 1660.
Camrilo Pire?.
|g Um moro habilitado e de boa conduela >:
tta ofTerecc-se para ensinarem qualquer ea- .S
;ffi sa parlicular.a pessoas de qualquer sexo, l$
P primeiras lellras, lingua nacional, fran- p
^ eez, ltiro, msica, inslromental e vocal, t
e bem assim copia qualquer peca de mu- nj
5j| sica muito bem imilando a copia lilhogra- K
< phada, ornando a frente da peca de ca- 3b
(jji racleres gticos ou de oulros quaesquer (jr
a| o isto com a presteza que se exigir: a ^
n tratar na ra larga do Rosario n. 1, pri- '
H meiro andar.
Sotlr & C
Vvva eslreita Ao IVosavio
numero 11.
Avisam aos scus freguezes que receberam
manteiga refinada era frascos, e araendoas c<>'
feiladas, ludo de superior uualidade, v- '
vapor Guiene.
O Sr. Jos Alfonso d" "
bondade de se dirig'-'
20, que se lb<> '
FUIN
DO
\n i \i
+
Raa do Brum (passando o chafariz.)
No denozVlo aeste eslabeleemeiito sempre \\a grande sorlimento d> me-
enanismo para os engennos de assnear a saber: \
Machinas de vapor modernas, de golpe cumprido, econmicas de combustivel, e defacillimoassento ;
Rodas d agua de ferro com cubos de madeira largas, leves, fortes, e bem balancadas:
Canos de ferro, e portas d'aguapara ditas, e serrilbas para rodas de madeira*;
Moendas nteiras com virgens muito fortes, e convenientes ;
Metas moendas com rodetas motoras para agua, cavallos, ou bois, acunbadas em aeuilhoes deazs ;
Taixas de ferro fundido e batido, e de cobre ;
Pares ebcas para o caldo, crivos e portas de ferro para as fornalbas
Alambiques de ferro, moinhos de mandioca, fornos para cozer farinba
Rodetas dentadas de todos os tamanhoi para vapor, agua, cavallos oubois'-
Aguilhoes, bronzes e parausos, arados, eixos e rodas para carrocas, formas galvanizadas para purgar etc.,etc.
D.W.Bowman confia quejos seus freguezes acharo tudo digno da preferencia com
que o honrara, pela longa. experiencia que elle tem do mechanismo proprio para os agricul-
tores desta provincia, epelofacto de mandar construir pessoalmente as suas obras as
mais acreditadas fabricas da Inglaterra, para onde elle faz viagem annual para o dito fim
assim como pela eoutinuaco da sua fabrica em Pernambuco, para modificar o mechanis-
mo a vontade de cada comprador, e de fazer os concertos de que poderap neoessiar
em to-
llo para
.. ...
que os alumnos obtenh"ani'lodo o aaio^mc^. T..
O director do collegio de Bemfica tem empregado todos os meios ao seu aJcaaeo, gju pou-
pandosacrificios, afio deque os alumnos que o frequentarem, alcancam a mais solida ins-
trucrao, a moral a maisauslera e a educagaS a mais eleganteO director, Estevao Xavier da
Cunha.
Precisa-se de duas amas, urna pa-
ra cosinltar e outra para engommar,
dando-se preferencia a escravas: a tra-
tar na ruado Imperador n. 15.
|Cousallorio central homeopalliicof
M Z
% vwMwsm. t
Continua sob a mesma direcQiio da Ma-
noel de Mallos Texeira Lima, professor @
em homeopathia. As consultas como d'an-
% tes.
| Botica central uomcopatliica f
f Do I
DR. SABINO 0, L PIMO |
f$ Novos medicamentoshomeopalhicos en- ^
Z viadosda Europa pelo Dr. Sabino. ^
A Estes medicamantos preparados espe- $$
cialmentc segundo as necessidades da ho- ^
meopathia no Brasil, vende-se pelos pre- ^
qos conhecidos na botica central horneo- a
palluca, ra de Santo Amaro (MundoNo- a
vo) n 6. a
-7 Roga-se ao Sr. Jos Mendos Rodrigues
Campello que tenha a bondade de apparecer na
ra do Queimado n. 46, loja, que se deseja fallar.
Roga-so ao Sr. Francisco da Sila Lisboa
tenha a bondade de procurar urna carta vinda da
corte a lhe ser entregue : na ra do Rangel n.
36, segirDdo andar, ou uinuncie a sua morada.
COJffPANHIA
ALLIANCE
Estabelecida em Londres
n
m&w ei tas*.
CAPITAL
Cinco milnScs de \\\sras
esterlinas.
Saunders Brothers & C." tem a honra deln-
rormar aes Srs. negociantes, proprietarios de
2asas, e a guem mais convicr, que estao plena-
mente autorisados pela dita companhia para
effectuar seguros sobre edificios de tijolo epe-
dra, cobertos de telhae igualmente sobre os
objectos que contiverem os mesmos edificios,
quer consista em mobilia ou em fazendas d
qualqu alidade.
Precisa se de urna ama de boa conducta
para todo o servico de casa de pouca familia : na
taberna da ra das Cruies n. 22.
cc -a desta ex ti nr-
ta socie. .ua a todos os r8 f0
cos a vi .. rebeber o ultimo dividen-
do que tera' lugar todos os dias titeis
das 6 as 9 horas da manhaa na ra No-
va n. 38, loja.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da
ruado Vigario n. 22: a tratar na travessa da
Madre de Dos n 21.
O thesoureiro da irmandade do Divino Es-
pirito Sanio erecla no convento de S. Francisco,
declara quejulga nada dever dita irmandade ate
o presente ; e se aljjuem se julgar seu credor,
aprsente suas contas para serem pagas. Re .-fe
26jlo unho de 1860.J. Nogucira de Souza.
Joaquim Antonio de Araujo retira-se cara
Macei.
@5
!@
I Attenco.
Curso pratico'e Iheorico de lingua fran- <
ceza por urna senhora franceza, para dez
mocas, segunda equinta-feira de cada se- &>
mana, das 10 horas at mcio da : uem @
9 quizer aprovetlar pode dirigr-se a ra da m
Cruz n. 9, segund andar. Pagamentos)
Sh adiantados. 2
S@ @@@ @@ @@*|
Os abaixo assignados fazem scienle ao Sr
Luiz Jos Marques, arremtame do imposto de
zU porcenfo sobre o consumo de espiriios de
produ^ao brasileira, que ndando-se no ultimo
?2o0rrenle raez Primcr" semestre de 1859 u
1860, porque fora o cstabelecimenlo dos annun-
cianles, silo no lsrgo da Penha n. 8. collectados,
que daquella dala cm dianle nao lhes convm
venderem era seu cstabelecimenlo mais seme-
lhantes espirito?, por isso o previne de que n.io
so colleclam para o segundo semestre, e de que
lambem nao produz a justificacao que o mesmo
Sr. Marques lem exiguo do alguns conlribuinles
visto nao se acharem nessascircumslancias, pois
tal justifleagao s se devem entender para com
aquelles que estando collectados querem deix.t
do vender e nao com aquelles que dcixam e
vender pelo facto de se nao collectar romo os an-
Rnri..n n- ,nunoianIes. Recife, 28 dejunho del860.-Duar-
Fortunato Pinto segu viagem para Baha.1 te & Irmo.
ILEGIVEL


(6)
DIARIO DE PERNAMBUCO. SEGUNDA FEIRA 2 DE JULHO DE 1860.
v>
V>
as s@@*@
Aluga-se utn icrceiro andar e solio cun
grandes commodos na ruada Praia: a tralar com
Jos Uygino de Miranda.
Na estrada do Manguinbo, sitio
da viuvaCarvalho, ha para se alugar
una efcrava recolhiua, que faz todo
sii vico de casa, engomma, cosnlia e
cose.
Agencia de passaporte e folha
corrida.
Claudino do Kego Lima (ira passaporte para
dcniro c forado imperio, por commodo preco e
presteza : na ra da Praia, primeiro andar nu-
mero -13.
Aluga-se por proco commodo o armazeni n.
23, silo no caes 22 de Novembro ; a tratar eni
casa do fallecido conimendador Luiz Gomes Fer-
relra, no Mondego.
Aluga-se urna bella sala com 2 quarlos, no
primeiro andar da casa da ra do Imperador n.
75, primeiro andar, onde achar-sc ha com quera
tratar a respeilo.
l)r. Augusto Carneiro Monteiro da Silva @
@ Santos, medico operador e parteiro pode @
(g ser procurado na casa Je sua residencia
-na ra do Rangel n. 16. Jg
Prec"sa-se de dus amas, una sec
tr? de lcile : no pateo do Terco n. 26,
Precisa-se de urna senhora que saiba bem
primeiras leltras, francez, piano e msica, para
tomar conta da educacao de seis meninas, em
um engenho da freguezia da Escada : a tralar na
r;ia do Imperador n. 39, segundo andar, enlrada
pelo boceo do bolequim do Paiva.
Novena de N. S. do Carmo
Acha-se venda a novena completa eredigida,
segundo usara os reverendos Carmelitas da cida-
de do Rccife, ssim como os versos, salve, etc.,
e tambera a exposicao do excapullario, na ra do
Imperador n 15.
400$000 de gratificacao.
Ainda contina a estar fgido o preto Nicolao,
escravo de Francisco Antonio Cabral de Mello,
senhor do engenho Tabocas da fieguezia da Luz ;
e;!e prelo alto, cheio do corpo, representa ler
22 a 24 annts de idade, lem as costas algumas
itarcas de castigos, e teni alguns principios do
cilicio do campia. Ha algumas suspeitas que
c.le teiiha procurado os serles cm demanda da
provincia do Maranhao, d'onde veio sor vendido
to Rocife. A sua apprehcnsao e entrega, quer
no referido engenho, a seu scnlior, quer no lleci-
fo, ao Sr. Manoel Antonio Goncalves, ser grati-
ficada com a quanlia cima, de f00$.
Jos Escunlia Millo, subdito Napolitano, re-
t!ra-se para Macei.
orferecc-se um iiioqo para caixeiro de taber-
na, da qual tem bastante pralica, e di flanea a
sua conduela : quera precisar do mesmo, pode
diiigir-sc a rua da Senzala Volha n. 104.
Fugio na noilo dodia 26 do corrente o es-
cravo Jacinlho, crioulo, que representa ler 25
annos, 6 alio e secco, porm est com principio
de frialdadc, e por isso lem os ps e o rosto in-
tliados, os oros um tanto plidos por sofTrer de
ictericia : pede-se as autoridades policiaes, capi-
ties de campo, ou pessoas que o apprehendam,
o ievom rua do Santa Cruz n. 44, que serao ge-
i.ojosamente recompensados.
Preci-sO de urna ama para criar c tratar um
menino recemnascido, que devera ler boui lcite :
a eotender-se na casa assobradada que fien ao
norte da fabriea do gaz, marsem dorio, com o
\ ,:ixo assignado.
Luiz Manoel Rodrigues Valenra.
Sr. Hermenegildo Fernando de Souza Lobo
> ixou de ser caixoiro do Viconle Ferreira da
('.'.la desdo o dia O do coi rente mez.
Souza & Lopes fazcm scienle ao respeilavcl
corpo do commercio, que dissoheram amigavel-
raonto a sodedado que linham na taberna sita na
BARATO SO NOPROGRESSO
DE
ct*
Bfluhs
libra
-largo da Penlia-
Neste armazem de molhados con-
linua-sc a vender os seguinles gneros abaixo mencianados de superiores qualidades e mais barato
do que em outra qualquer parte, por seren a maior parte delles recebidos em direitura por conta
dos proprietarios.
Mantcga IngYeza e franceza
perfeitamenle flor a mais nova que lem vindo ao mercado de 640 a 800 is. a libra e cm barril
se far algura abalimenlo.
Qucijos fYamcngos
muilo noros reeenlemenle chegados no ultimo vapor da Europa de 1J700 a 3f e a visla'ito gasto
que o freguez lizer se far mais algum abatimento.
os mais novos que cxislem no mercado a l a libra, em porco se far abatimento.
\mcivas fraucezas^ ,
em latas de 1 1[2 libra por lg500 rs., e em campoteiras de vidro*onlendc cada
por 3000. ,
Muslarda ngleza f rauceza
em frascos a 640 rs. e era potes franceza a 800 rs. cada.um.-
Ver&aderos ft**os de comadre
ai caixinhasde 8 libras elegantemente enfeitadas proprias para mimo a 1$6J0 rs.
UoVacViinVia ngleza
a mais nova que ha no mercado a 2{0 rs. a libra c em barrica com 1 arroba por 4$.
Potes vidrados
de 1 a 8 libras proprias para manteiga ou outro qualquer liquido de 400 a IJpOOO rs. cada um.
iVineiuloas c o i\ le Viadas proprias pava sovtes
de S Joao
a 1S a libra e em frasquinhos, contundo 1 112 libra po: 2J.
CU pvelo, liyson e pevola
os melhorcs que ha ncsle mercado ae I56OO, 2$ e 2J)500 a libra.
Ma$&s em cavVnUas de 8libras
contendo cada urna dilTerentes qualidades a 4>50O.
Palitos de denlesliebados
em molhos cam 20 maciuhos cada um por 200 rs.
'lijlo francez
propriospara limpar faca a 200 rs.
GonseHas inglezas c francesas
em latas e cm frascos de differcntesi quulidades.
Pvcsnntos, cnouricas c paios
o mais novo que ha neste genero a 480, 640 e 720 rs. a libra.
lalas e bolaebinba de soda
de differentcs qualidades a 1$60O em porcao se far algum abalimenloy
Tambora vendem-se os seguinles gneros ludo recentompnte che gado c de uperio
res qualidades, presuntos a 480 rs. a libra, chaunca muito nova, marmelada do mais afamado fa-
bricante de Lisboa, maca de tomate pera secca, pascas, fruclas em calda, amondoas, nozes, frascos
com amenJoascobertas, confeites, astilhas do varias qualidades, vinagre branco Bordeaiu.proprio
para conservas, charutos dos mclho'es fabricantes de S. Flix, magas de lodi.sas qualidades.gom-
ma muilo fina, ervilhas francezas, :liarapagne das mais acreditadas niaras, cervejas de ditas,
spermacelebaralo, licores franceze muilo finos, marrasquino de zara, azeiledoce purificado,azei
tonas muilo novas, banha de porco diada e oulros muito gneros que eni ontrarao tendentes a
raolhados, por isso prometiera 09 proprietarios venderera por muito menos do que outro qualquer,
promclem mais tambem servirem aquellas pessoas que mandarem por outras pouco pralicas como
e viessera pessoalmonle ; rogam tambem a lodos os sanhoresde engenho e senhores lavradoics
di Rango, n. 18, ficando o activo c passiro a queiram mandar suas encomraenda no armazera Progresso que se lhes alanca a boa qualidadeo
r. Baratissimo.
I\iia do Qu timado 11. ly.
Xrmazem de fazendas.
Chitas francezas finas de padroes miudinhos a
220 o corado, pecas de chita com 33 corados por
5g800.
Coberta a 2^000.
Coberlas chinezas muilo liadas a 2J.
Riscado francez a 2$000.
Corles de riscado com 13 i(2 covados por 2$.
Lencos brancos a 2#000.
Lengos para algibeira a 2J aduzia.
Algodo raonslro a 600 rs. a rara.
- Chales de merino a 2#500.
Chales de merino eslampados a 2J5O0.
Casemira preta 6^000.
Corles de casomira prcta fina a 6$, paletots de
brira a 3S, Ci de linho fino a 800 rs.
Carabraia de cores a 160 rs.
Carabraia de cores muilo fina com defeito de
agua dfte a preco de 160 o covado.
= Ganga de cor e brim de linho muito fino a
T500 rs. o covado.
Seraea
de superior qualtdado, e muito propria para en-
gordar animaes, em saceos grandes ; no arma-
zem de Antunes Guimaraes & C, bo largo da
Assembla n. 19.
Arados americanos e machinas
para lavar roupa: em casa de S. P. Jo-
hnston & C. rua da Senzalan. 42.
Verdadeiras luvas de Jovin de to-
das as cores, rua da Imperatriz n. 7,
loja do Leconte.
Barato.
Leite, lenha e fructa
No sitio do fallecido visconde de Goianna, na
estrada de Joo de Barros, ha paia vender leite
puro, lenha de malta, e fructis de dilTerentes
qualidades, por preco commodo, de modo que
pode se revender nesla cidade e tirar bom ganho.
REMEDIO INC0MPARAVEL.
UNGENTO HOLLOWAY.
Milhares de individuos de todas as nacocs po-
dem testemunhar as virtudes deste remedio in-
comparavel e provar em caso necessario, que,
pelo uso que delle izeram tem seu corpo e mem-
bros inteiramenle saos depois de haveremprega-
do intilmente outros tratamentos. Cada pesoa
poder-se-ha convencer dessascura maravilhosas
pela leilura dos peridicos, que lh'as relatam
todos os dias ha muitos annos; e a maior parte
dellas sao to sor prndenles que admiran; os
mdicos mais celebres. Quantas pessoas reco_
brarajn com este soberano remedio o uso de seus
bracos e pernas, depois de ter permanecido lon-
go tempo nos hospitaes, onde de viam soffrer a
amputacao! Dellas ha muitasque harendo dei-
xado esses asylos de padecimentos, para seno
submetterem essa operacao dolorosa foram
curadas completamente, mediante o uso desse
preciosoremedio. Algumas das taes pessoa na
enfuso de seu recouhecimento declararam es
tes resultados benficos diante do lord correge-
dor e outros magistrados, afirn de maisautenti-
carem suafirmativa.
Ninguem desesperara do estsdo de saude sa
rresse bstanle confianca para ensaiar este re-
medio constantemente seguindo algum tempo o
mentratatoquenecessitasse a natureza dom&i.
cujo resultado seria prora riuconlestavelmente''
Quetudocura.
O ungento e til, mais particu-
lanaente nos seguinles casos.
Inflammaco dabexiga.
da matriz
Alcatifa,
Campos & Lima, na rua do Crespo n.
16, lem para vender alcatifa com 4 pal-
mos de largura de muilo boa qualidado
e propiia para alcatifar, salas e igrejas a
800 rs. o covado, diuhoiro a vista.
aporcas
Caimbras
Callos.
anee res.
Cortaduras.
Dores de cabeca.
das costas,
dos membros.
tuferniidades da culis
em geral.
Ditas do anus.
Erupcoes e escorbti-
cas.
Fstulas no abdomen.
Fnaldade ou falta de
calor as extremida-
des.
Frieiras.
Gengiva escaldadas.
Inchagoes
Inflammaco do figado.
L0J4 DO VAPOR-
Grande e ranado sortimenlo de calcado fran-
cez, reupa feita, miudezas finas c perfumaras,
tudo por menos do que em outras parles : na lo
ja do vapor na rua Nova n. 7.
SISTEMA MEDICO DE HOLLOWAY.
PILULAS HOLLWOYA.
Este inestimavel especifico, composlo inteira-
mente de hervas medicinacs, nao conlm mercu-
rio, era algum a outra substancia delectcria.Be
nigno mais tenra infancia, e a compleico mais
delicada igualmeute prompto c seguro para
desarreigar o mal na compleico mais robusta ;
inteiramenle innocente em suas operares e ef-
feitos; pois busca e remore as doencas de qual-
quer especie e grao por mais antigs e "ienazes
queseam.
Entre milhares de pessoas curadas com este
remedio, muitas que j estaram as portas da
morte, preservando em seu uso : consuguiram
recobrar a saude e torcas, depois de haver tenta-
do intilmente todos os outros remedios.
As mis afflictas nao derem entregar-se a de-
sesperado ; facam um competente ensaio dos
elcazes effeitos desta assorabrosa medicinare
prestesrecuperaro o beneficio da saude.
Nao se perca tempo em tomar este remedio
para qnaiquer das seguinles enfermidades :
Lepra.
Males das pernas.
dos peitos.
de olhos.
Mordeduras de reptis.
Picadura de mosquitos.
Pulmes.
Queimadelas.
Sarna
Supuracoes ptridas
Tinha, em qualquer par-
te que seja.
Tremor de ervos.
Ulceras na bocea.
do figado.
dasarticulaces.
Veas torcidas ou noda-
das as pernas.
c;tr'o do socio Manoel Alvos do Souza.
O visarlo da freguezia de Santo Antonio,
Venancio Henriquede Rezendo, faz publico, que
por engao foi incluido na relaco das lierncas
] ara baptisado, publicada no Diario de 27docor-
rente o nomo do Sr. Caetano Piulo de Veras,
quando esle senhor tinha entregue era lempo
I ionio, eso achara Lineado, e al exlrahi-
do cerlid.o.
Roga-se ao Sr. Andr de F. queira trazer
as facas quo podio para rr.ostra, 011 o dinheiro,
poisj f.i/ern l dias, senao se declrala seu no-
Ee por exlon.-o
Joaquim Ja Silv^i Xorres, tenflo de fazer
orna riagera ao Aracaly, /eixa durante a sua pe-
quea ausencia por >ou procurador o Sr. Fran-
cisco Pinto Ribciro Guimaraes.
Precisa-se de tiabalhadores de raasseira e
tendedeira, e que enlendam pcrfeilamonle do
trafogo: na pndaria da rua dos Quarleis, hoje
larga do Rosario 11.IS, acharo com quem tralar.
Preciza-sc de urna ama, para coslnhar om
urna casa de pouca familia : na rua Nova u 7.
Antonio Domingos de Alincida Tocas faz
soicnle ao publicoc a todas as pessoas eommer-
cantes, lano desla pra;a como fra della, que o
buhte inieiro da quarla parlo da quarta lotera
do ymnasio Peruamhueano n. C15 est embar-
gado pela quanlia de 'J20}f000 em mao e poder do
.hesoureiro das loteras desta provincia, por una
exucucao que move o mesmo declarante pelo
juizo municipal da primeira vara do civel.
SOCIEDxVDE
DAS
ARTES
ECIIAMCAS E LIKERAES
DE
PERIS'AMBUCO.
Pelo prsenle sao conviiiados todos os socios
efiectivos para a elcicao da nova directora, a
qual deve ter lugar as 5 horas da larde da pri-
niaira dominga do mez de julho prximo futuro.
Outro sim para que o socio possa usar .do dircito
'" volar, quer o art. 43 1. do rogulamento in-
" nao deva sociedade mais de umaquo-
"odade das Artes Mechancas
y 25 de junho do 1860.
"cisco de Mello.
otario.
o acondiconamento.
Em dias do mez co junho do corrente anno
*oi ao engenho Pintos, procurando senhor, a es-
crava Joaquina, que diz sor escrava do Sr. Joo
Bernardo, morador om Caclmbinh 1 ; o mesmo
senhor a pode vir receber, pois nao me respon-
sabiliso pola vida, nem por fuga que a mesma
possa fazer.
Compras.
Compram-se
cravos.
es-
Compram-se, vendem-se e trocato-se escra-
vos, na rua do Imperador n. 79, pri neiro andar
Compram-se effeclivamenle molas garrafas
que foram do champanha : na rua U
sario n. 30, bolica.
Compra-se
rga do Ro-
o guarda livros moderno ou curso com-
nleto de instruccoes eletnantares sobre
as operacesdo commercio, por Manoel
Teixeira Cabra! de Mendonca : na pra-
qu da Independencia livraria 1 6 e 8.
AtteiiQo.
Compra-so urna negra que nao seja muilo mo-
cozinhar e
u dirija-se
ca, de boa conducta, que saiba lavar,
engommar : quom a tiver, annuncie
s Cinco Ponas n. 80.
Vendas.
27 de
Paco publico pla-
to dos socios, que acha ,
lo interno om a classificno..
ponas com que devem ser punidos,
rogo aos senhores socios que so acham"
que queiram salisfazer seu debito casa
thesoureiro.
Secretaria Ja sociedade Arte e Amzadc
junho de 1860.
Manoel Thomaz de Souza.
1 secretario.
Roga-so ao Sr. D. S. E. S. o favor de com-
parecer na rua da Lingoela, casa n. 4, a negocio
de seu interesse, c islo no prazo de 30 dias, o
contar da data desle. Recite 27 de junho do ,186o
O abaixo assignado, cncarregado da desin-
fecto como deve constar aos senhores inspecto-
res de quarleirao, pela circular do Illm. Sr. Dr.
chefe de polica aos senhores subdelegados, a
qual dalada de 10 do maio corrente, faz seice
rom casos de angina, escarlatina e outras moles-
tias que grassam epidmicamente, avisem ao
mesmo abaixo assignado para mandar proceder
desmfoccocomo por ordem superior foi deter-
Minado. Jos da Rocha Paranhos.
Sabbado, 23 de junho, pelas 4 horas da
tarde, chamou-se um negro que ia vendendo la-
ranjas, e comgrando-se, em quanto se foi ver o
tioJii*-o-#no negro furlou um dedal do ouro
fora a firma J. F. A. M., que eslava em cima de
urna mesa na sala onde se comprou as laranjas :
quom soubordo dito dedal, dirija-se rua de s!
Francisco n. 39
Aluga-se parte do primeiro andar de um
sobrado na rua da Cruz do Recite, consislindo
em urna sala com quarlo, propria para escripto-
rio ou morada de hornera solleiro : quem preci-
sar dirija-se L rua da Cruz, armazem n. 11.
Com mulla urgencia deseja-se fallar ao Sr.
Basiliano Pae.s Brrelo, a negocio do seu inleres-
sc : na rua da Praia, serrara n. 55.
Precisa-se de um bom forneiro; na padaria
da rua Imfuyial n. 37.
NaTiia da Praia n. 43
andar, borda-se tanto a
seda
capas
etc., etc.
para
segundo
ouro como a
imagens, gorros
Em casa de J, Praeger &
Chapara vender:
Alvaiade era barricas de 4 arrobas.
Tinta em oleo de dilTerentes cores.
Brim de vela.
Lona.
Velas de cspcrniarcie. "
tv a.
el
;tC.
de c
inhas
larda i
rao aire
-rveja ing
v .inho de Cb^-=ac, superior mar^a Clicquot
Dito do Porto.
Dito de Xerez.
Dito de Bordean* de tres qualidadesj.
Licores de Marselha em garrafas gr indes, su-
perior qual ida
Venda de predio.
Vcnde-se a meiaco do um magesteso predio
de um andar bem codificado, ha 3 paia 4 annos,
situado em una das mais bellas ras desta cida-
de (Concordia) : podendo qualquer prelendente
examinar o mesmo predio na rua da Concordia
te aos senhores inspectores, que logo que se de^f~- ^6 ; para tralar, na rua do Livramento n. 27,
loja de calcado.
-\ Na travessa dos Remedios, hoje-do Bemfl-
ca, inda so rendem alguns burros do serlao.j
esperiracnlados e costumados ao pas o : quem
os pretender, dirija-se mesma casa cima, que
so lho dir quem rende:
Na rua da Cruz n. 5, armazem do G. Bous-
set i C, rende-se o seguinle, por falta de lugar:
Charutos deJIIarana (fines).
Biscoulos inglezes a 1&300.
Vinho de Bordeaux.
Dilo do Porto.
Dito do Cherry.
Cognac, indo ultimamenle despacha lo, o por
com modos presos.
Farelo do Po^to,
em saceos muilo grandes, ltimamente chega-
dos : rende-se na rua do Vigario n. 9, primeiro
andar, escriplorio de Carralho Nogaeira & Com-
panhia.
5.S00 RS.
por sacco com farinha : rende o Braudo, na Lin-
goela n 5.
Botica.
Bartholomeu Francisco de Souza, rua larga
do Rosario n. 36, rende os seguintes medica-
mentos :
Rob L'Affecteur.
Pilulas contra sezoes.
Ditas regetaes.
Salsaparrilha Bristol.
DilaSands.
Vermfugo inglez.
.Tarop do Bosque.
Pilulas americanas (contra febre).
Ungento Hollway.
Pilulas do dito.
Ellixir anli-asmathico.
Vidrosde boca larga com rolhas, de 2 ongas a
121ibras.
Assim como tem um grande sortimenfo de pa-
pel para forro de sala, o qual reude a mdico
pre Qo^
Vende-so um diccionc rio latino Magnum Le-
xicn, usado : na rua Dircil a'dos Afogados, ta-
berna do Silvano.
Vendem-se
latas com oleo de ricino muito novo, com 30 li-
bras cada urna, por preco commodo: na rua do
Vigario n. 5.
Liazintias para vestido a 320
rs., e toalhis de linho a
800 rs.
Na rua do Queimado n. 19, rendem-se lazi-
nhas muito finas para resudo, e para meninos,
pelo baratissimo proco do 320 rs. o corado, toa-
lhas de linho a 800 js. cada urna, coberlas a chi-
neza, de chita muilo fina a 2$.
PotassadaRussia
E CAL DE LISBOA.
No bem conhecido e acreditado deposito da
rua da Cadeia do Recife n. 12, ha para render
potassa da Russia c da do Rio de Janeiro, ora
e desuperiorqualidade, assim como tambem
cal rirgem em pedra: tudo nor urecos muito
razoareis
Vende-se um carro de 4 rodas, bem cons-
truido e forte, com assento para 4 pessoas de
dentro, e um assento para boleeiro e criado fra,
forrado de panno fino, e tudo bem arranjado :
para fallar, cora o Sr. James Crabtree & C. n.
42 rua da Cruz.
Vende-se este ungento no estabecimento
geralde Londres n. 224, Strand, e na loja de
todos os boticarios droguistas e outras pessoas
encarregadas de sua renda em loda a America
do snl, liarana e Hespanha.
Vende-se a800 rs., C3da bocetinha contm
urna instrucco em prtuguez para o modo de
fazer uso deste ungento.
O deposito geral em casa do Sr. Soum,
gfgll pharmaceutico, na rua da Crun. 22. em Per-
nambu.io.
Accidentes epilpticos.
Alporcas.
Ampolas.
Arelas (mal de).
Asthma.
Clicas
Conrulses.
Debilidade ou extenua-
co.
Debilidade ou falta de
torgas para qualquer
cousa.
Dysinteria.
Dor de garganta.
de barriga.
nos rins.
Dureza no ventre.
Enfeimidades no ventre.
Ditas no figado.
Ditas.renereas.
Enxaqueca
Herysipela.
'ebre biliosas.
Pebretointermtentfi.
Febreto da especie.
Gota.
Hemorrh oidas.
Hydropesia.
Ictericia.
Iudigestoes.
Inflammaces. .
Ir r eg u la miados
menstruacao.
Lorabrigasd'e toda es-
pecie.
Mal de pedra.
Manchas na culis.
Obstrucco de rentre.
Phtysica ou consump-
pulmonar.
Retenrao de ourina.
Rheumatismo.
Symptomas secunda-
rios
Tumores.
Tico doloroso.
Ulceras.
Venreo (mal).
RELOGIOS.
m*%*mwi mmz tm%imm
| dade.
K Para senhoras. M
Recebeu-se pelo paquete francez Bour- *j
j$ us Bdouine [capas para passelo o sahi- ||
da de thealrc) a 308 cada urna ej
M LOJA DE MARMORE.
KA
e u* mazcm
DE
Vende-se em casa de Siaunders Brothers &
C, praca do Corpo Santo, relogios do afama-
do fabricante Roskell, por precos commodos,
e tambem trancollins e caceias para os mesmos.j
deexcellente. kd?io -----
to"
GR.4XDE S9RTI)IE!\T0
DE
IFazendase obras eilasj
Ges&Bastoj
Na rua do Queimad) n. |
46, frente amarella.
Grande e rariado sorlimcnto de sobre-
casacase casacas de pannos finos pretos '
c de cores a 283. 30J e 353, paletots dos |
uig mesmos pannos pretos e de cores a 28S, (
;R 203 22Se 259, ditos de casemira msela- j
S| dos de superior gosto a 163 189, ditos !
3JB das mosmas casemiras saceos modelo \
H inglez 109,123, 149 e 159. ditos de al- c
g paca preta fina saceos a 43. io -1--
. ..
Palhadecar-
naba
por baralo proco, em poroocs ou a retalho : no
armazem de Antunes Guimaraes ti C, no largo
da Assembla n. 19.
Cobertores.
Vcndera-se excellenles cobertores de la escu-
ros, por commodos precos, por grosso e a reta-
lho : osles cobertores se turnara recommenda-
reis na presente quadra invernosa aos senhores
de engenho?, porque com pouco dinheiro podeni
agasalhar osseus escravus : a tratar na ruada
Imperalriz n. 18, oulr'ora aterro da Boa-Vista.
23
i.....
Attenco
Vende-se a armario da taberna
Terco o, 28, a dinheiro ou a prazo
rua das Cruzes n. 21.
(Jo pateo do
a tralar na
Milita aencao.
Ao bom e barato que faz ad-
mirar aos compradores.
RuaDireita lujan.68.
Nao se engeita dinheiro.
Riquissimos corles de rostidos de grosdna-
ples preto bordado a relludo, cortes de restidos
de phantasia de seda muito moderno, cortes de
restidos de raossulioa de stda, cortes de resti-
dos de barege de seda com ricos desenhos, cor-
les de reslidos de carabraia bordado a seda, po-
lacas de grosdenaples preto muito bom ohjeclo
da moda, paletots de panno de todas as qualida-
des, ditos de casemira mui o fino,ditos de alpa-
ca de diflerenles modelos e qualidades, calcas de
casemira preta e de cores, ditas de brim branco
e de cores de puro linho, camisas de todas as
qualidades, carabraia organdys com modernos
desenhos, chales d merino mnito fino bordado
a frocotodo em roda e com ponta redonda, obra
de muito gosto, chapeos dj sol com molas e
sem ellas, seroulas de pur>> linho, riquissimos
cortes de casemiras de cores muito fina padroes
do muito goslo, enfeiles deridrilho, luras, gra-
ralas, esparlilhos francezes, alpacas de todas as
cores, grosdenaples preto fianccz o melhor que
pode harer. Alm dostas fazendas exislera ou-
tras muilps que se esto vendendo por menos
dp seu ralor.
"' 0^.^Htiim ao, 73
k, u(f, uites'de brim para homem a 39,
33500. 43 c 5$, ditos brancos finos a 59,
6g e 73, ditos de meia casemira a 43 e
59, colletes de casemiras preta e de co-
res a 53, e 63, ditos de gorguro de seda
brancos e de cores a 59 e 63, ditos de
velludo preto e de cores a 93 e 103, ditos
I de brim branco e de cor a39, 33500 e4>,
palitols do panno fino para menino a
159, I69 e I89, ditos do casemira de cor
a 73,89 e 93, ditos de alpaca a 33 e 33500,
sobrecasacas de alpaca tambem pai me-
nino a 53 e 63, camisas para os mesmos
de cores c brancas a duzia 15g, 163 e 203,
meiascruss c pintadas para menino de
lodos os lamanhos, calcas de brira para
32 os mesmos a 23500 e 35, colarinho de li-
<* nho a 69000 a duzia, toalhas de linho pa-
H ra mos a 900 rs. cala urna, casareques
S de cambraia muilo fina e modernos pelo
|n diminuto preQ0.de 129, chapeos com abas
8** do lustre a 53, amisas para homem de
todas as qualidades, seroulas para ho-
raera a 163, 203 o 259 a duzia, reslimen-
las para menino de 3 a 8 annos, sendo
calca, jaqueta e coleles tudo por 109, co-
| bertas de fuslo a 69, toalhas de linho 1
para mesa grande a 73 e 89, camisas in- 5
glezas novamontechegada a 363 a duzia. |
SS 2sS 3fl 1*2 *2^3 j^^g^,'^
*"** &m^nWMl WmW JBm M NfHI||v||
Cocos italianos
defolha de flandres,muito bem acaba,
dos, podendo um durar tanto quanto
duram quatro dos nossos 400 rs. um
e 4$ urna duzia : na rua Direita n. 47,
toja de unileiro.
Vende-se por commodo prec,o um
fino apparelho de porcelana, mandado
vjr de encommenda, constando de tres
ricos servirlos para cha', almoco ejan-
tar : na rua da Cruz n. 61, armazem.
Fazendas finas
roupa feita.
>
Augusto k Perdigo.
Com loja na rua da Cadeia do Recite n.
rendem e dao amostras as seguintes fazendas
i Cortes de vestidos do seda pretos e de cores.
I Corles de ditos de barege, de larlalana e dega-
ze de soda.
, Cambraias de cores, brancas e organdys.
Anquinhas para saias, saias balo, de clina, raa-
dapolo e bordadas.
nlho do Aracaly e francezes-
as de palha e de seda para se-
nas.
', de vldrilho e de flores,
ga, imperalriz e outros gofios.
-, ponto inglez, francez e mis-
slao, de la e de seda para
ptoanieTles, taimas e pelerinas de dilTerentes qua-
lidades.
Chales de touquim, de merino e de la de ponta
redonda.
Luvas de. pellica brancas, pretas e de cores.
Vestidos do blond, maulas de dilo, capellas e
fiores solas.
Sintures, camisas de linho e esparlilhos para
senhora.
Perfumaras finas, sabonetes c agua de colonia.
Casacas, sobrecasacas e paletots de panno prelo
e de cor.
Paletots de alpaca, de seda e de linho.
Calcas de casemira de cor, pretas e de brim.
Camisas de madapolo, de [inho ioglez e de la.
Seroulas de linho e de meia.
Malas, saceos,apctreizvpara riagera.
Chancas para inrernos, bolinas de Meli e oulros
fabricantes.
Chapeos do Chyli, de raassa e de fellro para ho-
mem.
Charutos manilha, harana, Rio de Janeiro e
Baha.
Loja da boneca rua da Impe-
ratriz n. 7.
Vendem-se caixasde tintura para tin-
gir os cabellos em dez minutos, como
tambem liagem-se na mesma casa a
qualquer bora.
Aossenhores logistas de miudezas.
Wcos pretos de seda,
Ditos brancos e pretos de algodo.
Luras pretas de torcal.
Cintos elsticos.
Lionas de algodo em norellos : rendem-sa
por precos commodos, em casa de SoulhallUel-
lors & C, rua do Trapiche n. 38.
Amendoas conteitadas para sor-
tes de S. Antonio, S, Joao e S. Pedro e
tambem pora presentes a2| o irasco,
vende-se na loja de Leite & Ii mao, vua
da Cadeia do Recife n. 48.
Vendem-se estas pilulas no estabelecimento
geral de Londres n. 224, Strand, e na loja de
todos os boticarios droguistas e outras pessoas
encarregadas de sua renda em toda a America do
Sul, Harana e Hespanha.
Vendem-se asbocetidhas a 800 rs. cada urna
dellas, contm urna instrueco emportuguez pa-
ra explicar o modo de se usar destas pilulas.
O doposito geral em casa do Sr. Soum
pharmaceutico, na rua da Cruz n. 22, em Per-
nanib o.
Pede-se toda attenco.
Na loja d'aguia de ouro, na ruado Cabug n. 1
B, rende-se tudo por procos baralissimos para
liquidar, assim como seja :
Fitas e franjas.
Fita de velludo de todas as larguras, aberas e
lisas, do lindos padroes.
I'rar.jfs de seda de todas as larguras e de lin-
dos gostos.
Ditas de la c seda por preco que admira.
Dilas de linha para casaveque.
Ditas de algodo para toalha e para corlinado.
Trancas de linho e de la brancas e de cores.
Pentes.
Pentes de tartaruga virados e lisos.
Ditos de massa virados a irailaco de tartaruga.
Ditos lisos para alar cabello.
Ditos de desembarazar cabello.
Para balos.
Molas para fazer balos, vendem-se a 160 rs. a
vara.ou peca de 50 molhos a 69.
Bicos.
Ricos de seda de lidas as larguras e lindos pa-
droes.
Ditos de algodo.
Loques muilo finos.
Capellas brancas para noira.
Chapeozinhos para crianca. j
Riquissimos quadros para enfeile de saa, as-
sim como redomas com flores.
Assim como perfumaras muito finas, e mais
objeelosquea vista do freguez far-se-ha lodo o
negocio
HMi t3'13>E&CilBrSO>liia>iO>C3:-"
\ Seguro contra Fogo %
COMPAIMMA
LONDRES
AGENTES
G J. Astley & Companhia. I
para
* -
i
r
9 Vende-se
I Formas de ferro
purgar assucar.
Esianho em barra.
I Verniz copal.
Vinhos fino de Moselle.
I Enchadas de ferro.
I Brim de vela.
I Folhas de metal.
i Ferro sueco.
Ac de Trieste.
I Pregos de composico.
3 Lona ingleza : no arma-
zemdeC.J. Astley <& C.
CALCADO
Grande sortimento.
4S-Rua Direita*4S
Os estragadores de calcado encentra-
rao neste estabelecimento, ebra supe-
rior pelos precos abaixo :
Homem.
Borzegainsaristocrticos. .
Ditos (lustre e bezerro)., .
Borzeguins arranca tocos.
Ditos econmicos.
SapatSes.de bater (lustre).
Senhora.
Borzeguins primeira classe (sal-
to de quebrar)....... 5000
Ditos todos de merino contra
calos (salto dengoso).....4A500
Borzeg'uinspaia meninas (for-
trssimos)..........^Q0
E um perfeitosortimento de todo cal-
cado e daqullo que serve para fabrca-
los cmo sala, couros, marroouin, cou-
ro^d lustre, ot fitas, sedas etc.
'*<
i .
>
9#000
IflOOO
7000
6^000
5j000
i
ILEGJVELl


DIARIO DE PER3AMBIC0. SEGfNDA FEIRA 2 DE JULHO DE 1860.
FNDIQAO DAURORA. &-
** J. F.'llTIlO nnrli-Mif fino omm ** -__
Seus propnetarios offerecem a seus numerosos freguezes e ao publico em (feral, tdda e
qualquer obra manufacturada em seu reconbccido estabelecimento a saber: machinas de Vapor de
todos os lmannos, rodas d agua para engenhos todas de ferro ou para cubos de madeira moen-
das e meias moendas, tachas de ferro batido e fundido de lodos os lmannos, guindastes fcuin-
thos e bombas, rodas, rodetes, aguilboes e boceas para fornalha, machinas para amassi man-
dioca e para descarocar algodao, prencas para mandioca e oleo de ncini, portes gradara? co-
mnas e moinhos de vento arados, cultivaJoaes, pontes. -aldeiras e tanejues, bolas, alvarngas.
botes e todas as obras de machimsmo. Executa-se qualquer obra seja qual fr sua nolureza
des >nhos ou moldes que para tal Ora forem aposentados. Recebem-se encommendas neste
ST ? Ka.rU?d ,Bru,mi1-, M A e "a ra do Collegiohoje do Imperadora. 65moradia d
xeiro do estabelecimento Jos Joaquim da Costa Pereira. cora quem os pretendenies m r
entender para qualquer obra. ac t
Vinli de Bordcaux.
Em casa de Kalkmann lrmos& C, ra da
Cruz n. 10. cnconlra-se o deposito das bera co-
nhccidas marca dos Srs. Brandenburg Frres.
e dos Srs. Oldckop Mareilhac & C, em Bor-
jeaux. Tcm as seguintes qualidades :
DeBraudcnburg frres.
St. Estph.
Si. Julien.
Margaux.
Larose.
Chteau Loville.
Chteau Margaux.
De Oldckop & Mareilhac.
St, Julien.
Si. Julien Mdoc.
Cliateau Loville.
Na mesma casa ha
vender:
Shcrry cm barris.
Madeira em barris.
Ce gnac cm barris qualidade fina
Cognac em caix.is qualidade inferior,
rvcia branca.
pelos
esta-
i cai-
odem
Relogios
Suissos.
Em casa de Schafleillin &C, ra da (Cruz
38. vende-se um grande e variado sortimenlo de
relogios de algibeira horisonlaes, patentes, chro-
nometros, meios ehronometros, de ouro, prala
dourada efolheadosa ouro, sendo esles relogios
dospnmeiros fabricantes da Suissa, que ;e ven-
uciao po piceos razoaveis.
Pedras baratas.
Jo.io Donnelly (endo contratado com o
para
Relogios patentes.
Estopas.
Lonas.
Camisas inglezas.
Pellos para camisas,
Riscoutos.
Em casa de Arkwight i C, ra da
Cruz n. 61.
da provincia, por intermedio do Illm. Sr
tor das obras publicas o forneciraento
as podras cxlrahidas da ilha de Santo
prnpriedade do annunciantc, para calram
ras desta cidade ; e como as mesmafc
publicas por emquanlo se acham poraly
tenha o Exm. presidente da provincia po despa-
cho de 18 deste mez concedido licenea ao mesmo
annunciantc para dispor das mesmas pe Iras, c
por grande quantidade que lem o aununciantc,
no caes do Ramos, olTeroce a quem int
em grande ou pequea porcao, que as
muilo em conla. O mesmo annunciantc
J. Falque participa aos seus fregiezos que elle
acaba de receber pelo vapor francez Guiene,
um pequeo sortimenlo de luvas do pellica Jou-
vin, botinas Mcllis para homens, (lilas todas de
duraque preto e de cor para senhons ; assiTn co-
mo por lodos os-vapores receber um sortimento
desies e oulros objectos, que veudei sempre por
preco razoavel.
Na ra da Praia n. 25, Iravessi do Carioca,
ha para vender 12 pipas de mel do muilo boa
qualidade ; na mesma casa ha um rioinho e tor-
radordecaf.
Ferros de en-
gommar
econmicos
a 5#000.
Estes magnficos fer-
ros achati-se a venda
no armazn de fazen-
das de Raymundo Car-
los Leitc da Impcrilriz n. 10.
Trapiche de depsitos, ^1-
fandegadon. 19. '
lavgo Aa assemMa.
Ha continuainenle para vender neste trapicho
saceos de feijao mulatinbo muilo novo com 6 al-
queires, farinha de mandioca de dhersas quali-
dades, njillio, fardo superior em saceos muilo
grandes, arroz do Maranhao, cera de carnauba,
courinhos curtidos, sola e palha de (arnauba, lo-
sadas e ^ for PrcC0S commodos e em grandes porccs
ou a relalho, conforme a vontade dos compra-
dores.
Bezerro francez
grande e grosso:
-WJi
lVSS
C7)
GRANDE mRMZEM

SNSSS*
eosse
GrammaUcaingle-
sa de Ollendorff.
Novo methodo pera aprender a lr,
a eserever e a fallar inglez em G mezes!
obra nteiramenle nova, para uso .
S8 itodos os tabelecimentos de instrueci
de

Ra Nova n. 47, junto a igreja da Con-
* ceieao dos Militares.
overno
direc-
dje lodas
Alcixo,
uto das
obras
sess
uso
JO,
Vende-sc na
argo do Col-
!ressar,
vende
cnlen-
Dc 4 e 5J.
Na ra Direita n. 45.
MM
Vcndem-se 8cscrvns com habilidades c sem
%ellas de 15 a f() annos, de 8(10* a 1:500, um es-
cravo de 30 sanos, bom rozinheiro, por 1.300;
um mulato de 22 anuos por 1:300, e mais al-
gunsescravoa baratos que se venden), tanto a
prazo romo a dinnerro, na ra Direita, no escrip-
torio de Francisco Mathias Pereira da Costa.
Farello de Lisboa
a o,000 rs.
Na ra do Vigario n. 19, prmieiro andar, ven-
dc-se farello ltimamente chegado, assim como
cal rirgem.
Vende-se um excellente deposito com al-
guns gneros, c una boa armacao, be* casa, ex-
cellento localidade, lendo duas entradas, una
pela ra do Imperador e oulra pelo Caes de 22
de .Norembro para commercio, cum dos primei-
ros cstabelecirnenlos na ra do Imperador n. 71:
na mesma casa se dir com quem se Irata.
dendo-se com o Sr. Rampa, hbil architeto, bem
condecido nesta cidade, conhecedor das
dades de pedras e tijolos, se tcm admirido de
nao se (er empregado cm alicorees este material,
qual as pedras do annunciante, como se
na Europa, para evitar a humidade as phredes.
O mesmo Sr. Rampa lem encommend ido ao cobertos edescobertos, pequeos e grandes, de
annunciante 500 toneladas para esse fim, dizen- !ouro patente inglez, para homem 3 senhora,
do que em obra sua jamis deilar lijo] os em de uni dos melhores fabricantes de Liverpool,
aliccrce ; pelo preco que tcm o annu leanle
vendido ao mesmo senhor lhe sabe mu mais
barato do que lijlo. O mesmo Sr. Ramia deu-
me licenra para .usar de sen nome no presente
annuncio. As pedras escolhidas para armazens
ou calcadas, a dez mil ris por cen palmos, dei-
tadas as pedras em qualquer parle desli cida-
de a cusa do annunciante, com toda actividade
possivel, para o que tem as proporcoes necessa-
rias; os pretendemos dirifam-so a ra n Praie,
escriptorio do annunciante.
W* m Acha-icidir^Oidaofficiiiade.le acreditado armazem o hbil
W VFZlZSTkd?Am*llari aDt,& co"^-mestre do tallecido
^ Manoel Jos Ferre.ra. O respeitavel publico continuara* a encon-
*j* trar em d.to armazem um grande e variado sortimento de roupas
M h TES5 "/TV deraei''n bombarina. alpaCaPpreta 1^
ggj e de cores, d.tos de bnm de l.nho branco, pardo e de cores, calcas P
!p de *Jsem,ra P,>ela e decores, ditas de merino, de princeza, de brins M
g| pardo, brancoe de cores, colUtes de velludo preto e decores, ditos de H
^ g?^^0^.10.06^^ preto e branco, ditos de merino para luto
W d,to;.de/u8taobran?oe^ cores, paletots, casacas, jaquetas, calcas
^ ecollietes para menmos de 6 a 12 annos, camisas, seroulas. chapeos P
^ e grvalas pretal e de cores Ubres pard criados, fardamentos para |g
^^ a guarda nacional da capital e do interior. r |^
^l Apromptam-se becas para desembarga dores, lentes, juizes de di- *
"e,t.' mun,Faese promotores, e vestidos para montara. Nao agr-
^ dando ao comprador algumas das roupas eitas se apromptarao ou-
^m tra> a cu gosto, quer com fazenda sua ou do armazem para
| tem escollados e habis ofliciaes, dando-setoda e qualquer
^^ dia convencionado.
o que
roupa no

aiiiiiiniiiiiiiiiii iiiiiiiiiiiiiiil
m
w.
im
Progresso na cidade da Victoria
pblicos e particulares,
praca de Pedro 11 (antigo
legio) n. 37, segundo andar.
Vende-se leite puro a 120 rs j nrraf*
pateo do Col.egio jui'.to da igreja da"Co,^e^-
cao, das 7 horas da manhaa cm diante.
AUenco
ao progresso c deseitrolvimento da rta
daSaulaCruzii.3.
Vendem-se queijosdo serto os uns frescaes
que irem vindo ao mercado pelo preco de 800 rs
e a arroba a 24 : a ellos antes quc'se acaben
sao de boa qualidade, por seren de Serid
Na ra larga do Rosario n. 12, veoden-se
calcados das qualidades seguintes : borzeguinl
de couro do pono, ditos de lustre, ditos dC be-
zerro, ditos dacordavao, sap.jtoes de ranas oua-
liaados e gostos e oulras ni-iilas qualidades do
calcados ; assim como laniaucos
pas-
a tratar
pequeas porcoes, por precos muilo"barato" **
>fndein-se 12 bois mansos e Cilios do
lo, acoslumados a Irabalhar em carro
no engenho Roncador.
Vende-so una parelha de burros niaii'o
proprios para aprcnderein a andar era carro : :1
ra Relia n. 35
Vende-se um moleque de 15 annos de iJa-
uc : no caes da alfandega, nrm.-wein n. 3.
Vende-se um sitio muilo grande, pe (o
DE
Grande sortimenlo de ferros de engolm
vapor dos mais ricos modellos que se por em en-
contrar nesle mercado, com seus perlences de
nova invenco, que muilo dever agrada s pes-
soas que oscomprarcm na ra Nova n. :0, loja
do Vianna.
Hiberiaa2tS00 o corle.
No armazem de fazendak da
Vende-se urna escrava de 9 a 10; ra do Queimado n. 9.
" r,nt! |Dt,,t0ePerta Cf dH-i f V^^o cortes de hiberia com 14|Ldos,
gnte no servico de casa, cose perfeita- fazenda muilo fina, imitando seda, pe
5^000 .
vindos pelo ultimo paquete inglez ; em casa di
Southall Mellor.';& C.
Tachas e moendas
Braga Silva & C, tem sempre no en deposito
da ra da Hoeda n. 3 A, um grande sortimento
de lachase moendas para engenho, do rnuito
acreditado fabricante Edwin Maw a tratar no
mesmo deposito ou na ra do Trapiche n 4.
Pechinclia.
nra j Com pequeo toque de avaria.
Na ra do Queimado n. 2, loja co Prcguica,
vendem-se pecas de algodao encorpado, largo,
com pequeo loque de avaria aSfSMI cada urna.
Na fabrica de raldeirciro da rui Imperial,
junto a fabrica de sabao, e na ra Nova, loja de
ferragens n. 37, ha urna grande porc lo de folbas
de zinco, j preparada para lelhados, c pelo di-
minuto preco de 140 is. a libra.
Aos amantes da economa
Francisco Xaxier de Salles Cavalcante de Alineitla
NO
Pateo i\a Fcira.
O proprieiario deste eslabelecimento, como se acha com um grande o completo sorii-
mento, tendente a molhados, ferragens e miudezas convida porlanto a lodos os moradores
I desia cidade da Victoria, senhores de engenho e lavradores queiram mandar suas
encommendas no Progresso do pateo da Feira, pois s ah enconlrarao o bom e barato,
i visto o proprieiario estar resolvidoa vender, tanto em grosso, como a relalho, por menos
do que em outra qualquer parte como sejam :
Latas de marraelada de 1 2 libras a H00, frascos com differentes qualidades de doce
por 2w>000, latas de soda con leudo nove qualidades a 2000, azeitonas muilo novas.
passas de d'uas, vinho de todas as qualidades de 503 a 2,->000 rs. a garrafa, licores
francezes de todas as qualidades, champanhe, conhaque dedilas, louca fina, azul,pialada,
e branca de lodos os padrues, ameixas era compaleiras e em latas a 15?000 rs. libra'
lalasde pene de posto por 2000 rs banlia de poico refinada, ararula, folias, bolachi-
nlia ingleza, biscoilinho, eoutras mais qualidades de massas finas, massa de tmale em
atase a relalho, lelria, macarro, lalhorm a 800 a libra, verdadeira gomma de araruta,
insenso de lodas as qualidades, espirito* de cravo, canella, e alfazeraa, verdaderos nenies
a imperatris, e de tartaruga de 9->000 a 109000 cada um, tranca e franja de seda, Te-
chadoras de broca, pregos em quantidade de todos os taraanhos e qualidades e oulros
muitos objectos que por so tornar enfadotiho deixa de os mencionar,
:?s
S3
praca, com casa de vivenda, com paredes dobra-
das o solio ; o mesmo sillo lem grandes bau, 3
de capim, queso corlan. 100 feixes diarios de ve-
A ? ,lIVt,-^,IO LerreB0 para vaci'as dc leilc e pa-
r iplaiiiacoes. bom coqueiral ealgunsarvoredos
dcfrncta< rcBdo-se s dinheiro ou a prazo !
Iratar na ra da Prala. sciraria n. 55. De
se que o terreno proprio.
Vende-se um sitio na Tassafren
lena com una grande casa, duas grande
o 01 o quartos, coziriha fra, douscopJawT faz
rento faVa o no, toda miirada, com porto da
ferro, lem bstanles ps de larangeiras, de caf
de frucla-pao e de oiuro* mullos arvoredos; a
iratar com Joao Hanoel Rodrigues Valenca no
mesmo lugar, ou na ra '
O e 2.
aclara-
da Magda-
_:ies Valenca,
do Amorim nmeros
para engenho 2)
Fundicao de ferro e bronzo
I)E
H
5>^!
Fraucisco Anlouio Concia Carduzo,
|tem um grande sortimento de
tachas de ferro fundido, assim
como se faz e concer ta-se qual-
quer obra tanto de ferro fun-
dido como batido.
Calcado, roupa eila e
mente chao e taz labyrintho : quem a
pretender dirjase ao largo do Carmo
n. 10.
Batatas.
Vandem-se btalas novas ltimamente
das de Lisboa a 2J a arroba
de Dos n'. 20.
na ra da
chega-
Madre
\endc-sc urna parelha de cavallos casla-
< iiho gordos e bous de carro e cabriulet, bem co-
rno um eabrolel de dujs rodas, moderno c com
ponco uso, com cavallo.e ai reos, ludo prompto,
por commodo prego : quem quizer approveitarl
dirija-se a fabrica de charutos da ra cslceita do
Jtosario n. 5. ou ao Sr. Augusto Fichen que di-
r com quem lia de Iratar.
Vendem-se tros sobrados, sendo um na ra
do Ouoimado n. 3!), na esquina do becco da Con-
gregaco, com duas frentes e iros andares na
freote : outro na ra eslreila do osario, de dous
andares e SOtao, novo e com muito-bons commo-
dos n. 25, confronte i ra das Larangeiras ; e
outro na ra do Livramenlo, lambem de dous
andares e sol.io n. 9 : quem os pretender, pro-
cure o majorGusmao, na ra Imperial, lodos os
das das 6 as9 da mdnhaa, e das 10 ao moio dia,
na ruado ra es.
Fazendas por kixos precos
Ra do Queimado, loja
de 4 portas n. 10.
Anda restara algumas fazendas para concluir
a liqoidaco da firma de Leile& Correia, asqu3es
se vendem por diminuid preco, sendo entre ou-
tras as seguintes:
Chitas de cores escuras e claras, o covado
a ICO rs.
Hitas largas, francezas, finas, a 240 e 260.
iscados francezes de cores flxas a 200 rs.
Cassasde cores,"bons padroes, a 240.
Brim de linho de quadres, covado, a 160 rs.
Brim trancado branco de linho muito bom, va-
ra, a 1S000.
Cortes de calca de meia casemira a 2g.
Ditos de dita de casemira de cores a 5#.
Panno preto fine a 3# e 4#.
Meias de cores, finas, para homem, duziaa
lc800.
Grvalas de seda de cores e pretas a 1$.
Ueias brancas finas para senhora a 3g.
Dilas ditas muilo finas a 4$.
Ditas cruas finas para homem a 4g.
Cortes de colletcsde gorgurao de seda a 2#.
Cambraia lisa fina transparente, peca, a 4>.
Chales de laa e seda, grandes, um 2jf.
Orosdenaple preto de lgGOO a 23.
Seda prela lavrada para veslido a 15J600 e 2g
Cortes de vestido de seda prela lavrada a 16#
Lencos de chita a 100 rs.
Laa dequadros para vestido, covado, a 560.
Peitespara camisa, um, 320.
Chita franceza moderna, lingindo seda, covod0
ra 400 rs.
Entremeios bordados a 200 rs.
Camisetas para senhora a 640 rs.
Ditas bordadas finas a 2gS00.
Toalha3 de linho para mesa a 2} e 4?.
Camisas.de meia, uraa 640 rs.
Lencos de seda para pescoco de senhora a
560 rs.
Vestidos brancos bordados para baptisar crian-
as a 5J000.
Cortes decalca de casemira preta a 6.
Chales do merino com franja de seda a 58.
Cortes de calca de riscado de quadros a 800 rs.
Merino verde para vestido de montara, cova-
do, 1 #280.
Lencos braceos rje cambraia, a duzia, 2#.
preco de 2*500, meias cruas finas para
a 2gS0Oa duzia.
Farinha
de qualidade especial para mesa : no irmazem
de Anlunes Guimatacs r C, no largo do Assem-
bla n. 19.
*- Vende-se urna mulata moca sem vi
achaques, cose, lava, engomma o co/inl
velmente : os prelendentes podem dr
na da Iniperatriz n. 5, segundo andar, (,uc acha-
ra o com quera tratar.
Na na do Queimado n. 2, loja do Preguiea,
barato ve"dem-se chilas de cores flxas bastante escu-
homem I "s, pelo baratissimo preco de 6g a peca, e 160
rs. o covado.
Era casa de Rabe Sel mettan &
C, ra da Cadeia n. 37, vendem-se
elegantes pianos doafamado fabrican-
te Traumann dellamburgo.
CAL DE LISBOA, v
nova e muito bem acondicionada : na ra da Ca-
deia do Rerifen. 38, primeiro andar.
z^mm^-^vs*,-
Wki uu\
DE
SE lEf I
i0
Sita oa roa Imperialn. US c \ 20 junto a fabrica de sabo.
nos nem
a soll'ri-
gir-se i,
i
LOTERAS
DO
Rio de Janeiro.
I
'm
4:000$ c 1:000$.
Na pra$a da Iiidcpeaqencia
Chancas para invern..
Na ra da Cadeia do Rerife n. 23 loja
ig confronte ao Becco Largo, vendem-se j
j*j chancas proprias para o invern cu para i
^ andar-se em casas ladrilhadas a rrarmore j
o ou tijolo pelo mdico preco de cg cada
Admiraveis remedios
americanos.
Todas as casas de famMia, scnhore;> de enge-
nho, fazendeiros, etc., devem estar prevenidos
com estes remedios. SSo tres medicamentos com
os quacs se cura eficazmente as principacs mo-
lestias.
Prompto alivio deRdway.
Instantneamente alivia as mais acerbas dores
e cura 03 peiores casos de rheumatisno, dor de
22, expor-sp-hao (venda1
* (le JUlllO eill Oante, OSJcabcQa, nevralgia.darrha, cmaras, clicas, bi-
bilheteS, meiOS e (]liartOS daS 'lis- 'digeslao, crup, dores nos ossos, contusocs,
loteriasacima, timbrdob por c
Santos Vieira.
liIIli
|| Para senhoras.
es Capolinbos de la para uso de manhk e de
^ noile.
5 Casave'ques de la para uso de casa.
^ Cacheneres de la para pescoco.
ZL Meias de 15.
Para homens. m
nk Meias de l. ^
9 Camisas de l. ^
|| Seroulas de l. r.
Loja de marmore. I
Para acabar.
No deposito n. 73 da ra do Rangel ha para
vender urna porcao de excellente fumo da Ba-
hia, tanto para capa como para milo, e grande
quantidade de caixas, muilo boas c limpas para
charutos.
Coral.
Vende-se verdadeiro coral de raz, muito em
conla, na ra larga do Rosario, passando a boti-
ca do Sr. Barlhoomeu, a secunda loja de miu-
dezas n 38. Na mesma loja vendem-se trancas
brancas de linho de caracol, ditas de cores muito
baratas, e so a vista se dir o preco de ludo ; e
muitas miudezas em conla.
Vende-se um terreno com duas mei-aguas,
e urna ja tem um acougue ; a tratar as mes-
mas, no largo da Soledado.
MHho bom.
r?Vendem-6e saceos grandes com milho nova a
59OOO oa taberna grande da Soledade.
Vende-se um escraro de iJade de 15 an-
uos : na ra Bella a, 14,
eo de ourina, ele, ele.
Solutivo renovador.
Cura todas ns enferitiidadesescrophi losas,chro-
nicas esyp hlilicas; resolve os depsitos de raaos
humores, purifica o sangn*, reaoja o syslema;
prompto e radicalmente cura, escropbulas.vene-
reo^Humoj-cs glandulares, ictericia, dores le os-
sos^ianiorcs brancos, afeccoes do ligado e rins,
erysipclas, abeessos e ulceras de'toda. as classes,
molestias d'olhos, dfculdade das regras das
mulheies, hipocondra, venreo, etc.
Pilulas reguladoras de Rad-
way
para regularisar o sj'stema, equilibrar a circula-
cao do sangue, inteiramenle vegetan favoraveis
em todos os casos nunca occasona muzeas ne
dores de ventre, dses de 1 a 3 regult risam, de 4
a 8purgam. Estas pilulas sao efTicazei as alTec-
joes do figrdo, bilis, dor de cabeca, ictericia, in-
dgeslo, e era lodas 83 enfermidad(s das mu-
Iheres, a saber : irregularidades, fluxo, reten-
coes, flores brancas, obstruccoes, histrsmo, etc.,
sao do mais prompto effeilo na escarlatina, febre
biliosa, febre amarella, e em lodas ai febres ma-
lignas.
Esles tres importantes medicawer los vera a-
companhados de instrueces impre'ssas que mos-
trara com a usier minuciosidade a maneira de
applica los em qualquer enfermidade. Eslao ga-
ranlidos de falsificace por s have venda no
armazem de fazendas de Raymundo Carlos Leite
& Irm.o, na ra da Imperatrz n. 10, nicos
agentes em rernambuco.
Em segunda mo.
Vende-se um balcao de amarello e envernisa-
do, era bom estado, proprio para es:riptorio ou
loja de mivdezas, por ser em dous pedaeos : na
ra do Filar n. 120.
DE
Scbasao J. da Silva dirigida por Francisco Belmiro da Costa.
Neste estabelecimento ha sempre promptos alambiques de cobre de diflerenies dimencoes
(de 300 a 3:000) simples e dobrados.para destilar agurdenle, aparelhos destilatorios continos
para restilar c destilar espiritos com graduaciio at 40 graos (pela graduaefio dcSellon Cartier) dos
melhores syslemas hoje approvados e conhecidos nesta e oulras provincias do imperio, bombas
de todas as dimencoes, asperantes ede repudio Imito de cobre como de bronze e ferro, torneiras
de bronze de iodas as dimencoes e feilios para alambiques, tanques ele, parafusos do bronze e
ferro para rodas d'agua,portas para fornallias e crivos de ferro, tubos de cobre e chumbo de lodas
as dimencoes para encmenlos, camas de ferro com armacao e sem ella, fugues de ferro potaveis e
econmicos, lachas e lachos de cobre, fundos de alambiques, passadeicas, espumadeiras, cocos
para engenho, folba de l'landres, chumbo cm lencole barra, zinco era lencol e barra, lsnces e
arroellas de cobre, lenccs de ferro a lato,ferro suena inglez de todas as dimnsoes, safras, tornos
e folies para ferreiros etc., e oulros muitos artigos por menos preco do que em outra qualquer
parte, desempenhando-se toda e qualquer encommenda cora presteza e perfeico ja conhecida
e para comrnodidade dos freguezes que se dignarcm honrarem-nos com a sua onfianra, acha-
ras na ra Nova n. 37 loja de ferragens pessoa habilitada para tomar ola das encommendas.
Relogios.
Vende-seem casa de Johnston Pater i C, ra
do Vigario n. 3, um bellosortiraenlo de relogios
de ouro, patente inglez, de um dos mais afa-
mados fabricantes de Liverpool ; lambem urna
variedade de bonitos trancclins para os mesraos.
rilo de \iniio com 44
graos.
Vande-se espirito de vinho verdadeirocom 44
Kros, chegado da Europa, as garrafas ou as ca-
andas Da ra larga do Rosario d. 36
Ra daSenzala Noya n. 42
Vende-seem casa de S. P. Jonhston 4 C. va-
quetas de lustre para carros, scllins esilhocs in-
glezes, candeeiros e casticaes bronzeados, lo-
nas inglezas, fio de vela, chicote para carros, e
montara, arreios para carro de um e dous cval-
os, e reiuitio 'oore patente inalezes
1 Engenho. I
@ Vende-se o engenhe SantaLuzia,sito na @
freguezia de S. Lourenco da Malla, enlre
os engenhos Penedo de Baixoe Penedo de
@ Cima : trata-se no mesmo engenho ou no g;
engenho Mussambique com Felisbino de f
Carvalho Rapozo.
VGE1\CIV
FUNDIClOLOWMOW,
Ra da Scnzala Yova n. 42.
Nesle eslabelecimento continua a haverum
comapletosortiraento de moendas e meias moen-
das para euSenho, machinas de vapor e taixas
de ferro balido e coado. de todos os lmannos
Dar di
Loja de
VM1A
43Ra Nova
Os prnprielarios deste estabelecimento
avisara arxrcspeitarcl publico, que aca-
bam de receber pelos nllimos vapores da
Europa, um variado sortimenlo de arti-
gos de novidades, tanto para senhorasco-
mo para homem e menines, e enlre
tes :
es-
Sandalo.
Ricas bengalas, pulceiras e leques :
vendem-se na ra da Imperatrz n. 7,
loja d Lecomte.
/ende-se superior linha de algodao, bran-
cas e do cores, em novello, para costura: em
casa de Seuthall Mellor di C, ra do Torres
n.3 .
| A ugiisto & Perdigao. |
a fiO* Vendem camisas de linho inglezas a>
^ muito finas por 40j a duzia, dilas de fus a
g to por 24, ditas de musselina por 24J,
Jl ditas para menino por 249 e avulsa a
f 3$500 e 2$. chancas inglezas a 2#500 e
3 bolinas de Mclis a 129 : na sua loja da
|5 ra da Cadeia do Recifc n. 23.
Vende-se dinheiro de cobre a dous por cen-
to : na ra Direita n. 8.
Vende-se a colleccao dasltis do Imperio do
Brasil de 1855 ; na ra do Cabug, loja da es-
quina deronle da matriz.
Para senhoras.
Vestidos de cores de raoirantique e gro- 22
de-fric. %i
Capas para sahida de baile e theatroguar- |E
necidas a arniinho, ultimo goslo. p
Ditas de velludo preto, ultimo gosto. $g
Enfeites de phantasia para baile e thea-
tro 3^
Chapelinasde palha da Italia e seda ul- jgj
timo goslo. <
Leques de phantasia o madreperola.
Chales de cachemira com bordado es- x
penal. *p
Braceletes de sndalo e leques. 3
Extractos de sndalo. Vestidos de cambraia branca bordada. |e
Luvas do Jouvin brancas, pretas e de ^
cores.
Murcas, broches e pellerines com man- >
gitos de cambraia Cnissima, borda-
dos a ponto de Inglaterra e guarne- &?
cidos a renda valenciana. ^
* rae mam VSW bKBWsw WMRrMWHI
Refinaco de assu-
cardoMonteiro.
Continua-se a vender assucar cryslalisado de
superior qualidade, da acreditada fabrica do Mon-
leiro, pelo precede 7*000 a arroba, eaprempta-
se barricas de todos os tamanhos, com brevida-
de e aceto : na ra do Cae3 de Apollo n. 63.
Vende-re uraa mei-agua que rende lOg por
mez, sita na travessa do, Caldeireiro n. 7 ; ssira
como urna canoa nova de carga de 2,000 lijlos :
ludo a contratar Da ra Nova n. 33.
Augusto & Perdiga, com loja na ra da f i-
dea do llecife n. 23, vendem as fazendas men-
cionadas, pelos seguintes precos, que sao os mais
commodos possiveis.
Chancas feilas no Porto p roprias rara o inri r-
no por 2500.
Borzeguins francezes dos melhores fabricantes
por lOcOOO.
Borzeguins de Neli por 12^000.
Sobrecasacos de panno lino preto c de cr su-
perior por 3.)$000.
Paletols e sobrecasacas de casemira por 2"',-;.
Calcas de casemira superior porlOj o 125.
Camisas inglezas de linho superior por S0.
Chancas proprias para andar cm sitios e ence-
nhos por 2^500,
Charutos superiores e oulras marcas conheci-
das, rana 59000.
Vende-se cal virgem nova e em pedra, che-
gada agora no patacho portuRiiez Maa da Clo-
na: no escriptorio de Francisco Severiano Ra-
bcllo & Pilho, largo da Assembla Provincial
o. b, Forte do Mattos.
Camisas inglezas
Na loja de Gocs & Baslos, ra
do Queimado n. 4G.
Acaba-se de receber um grande sortimento
das verdadeiras camisas inglezas muilo tir.es,
com pregas largas, peitos de linho, sendo estas
ultimas camisas de um goslo apurado, tanto (rn
pregas como em collerinlios, pois decente tarto
aos rapazescomo aos senhores de niaior. porissO
sendo muila a porcao que recebemos, delibren-
se a vende-las por 389 a duzia, nesta bem conhe-
cida loja de Goes & Basto.
As melhores machinas de coser dos mais
afamados autores de New*York, I.
M. Singer & C. e Wheeler &WIon.
Nesle eslabuieu-
mcnto vendem-se as
machinas destes dous
autores, mostram-se a
qualquer hora do dia ou
da noe, e responsabili-
samo-nos por sua boa
qualidade o seguranza :
no armazem de fazendas
do Raymundo Carlos
Leite & limaos na da
amigamente aterro da Eo;-
Imperalriz n. 10,
Vista.
Saunders Brothers & C. tem para vender em
leu armazem, na praca do Corpo Santo n. 11,
alguns pianos do ultimo goslo, recentimei.;9
chegados, dos bem conhecidos e acreditados '.i-
bricantes J. Broadwood ASons de Londres, e
muito proprios para este clima.
Escravos fgidos.
Fugio oescravo de neme Cesaiio, idade do
vinte e tantos annos, pouco mais ou menos, es-
tatura mediana c reforcado, bons denles c lima-
dos, cabra escuro quasi negro, barba na pona o
queixo, olhos avernielhados; peinas um pouco
arqueadas, filho do .Sobral (Cear) ; porlanto
roga-se aos capilaes de campo, s autoridades
policiaes, e qualquer pessoa que o possa encon-
trar, o apprehcndam e o levem a sua senhora, no
caes do Ramos, sobrado encarnado, que sero
gratificados ; o-se protesta contra quem o liver
acoutado em sua casa,
Hontcm 25 de junho fugio a mulata de no-
me Luiza, que representa ler 40 a 50 anuos de
idade, levou vestido de chita ^oscura, panno da
Costa, muito falladcira, e quando anda parece
que Tai sallando ; julga-se indar para as bandas
da Tassagem, e mesmo dormir por alli cm al-
gum sitio ; roga-sc aos capilcs de campo e au-
toridades policiaes que apprehendam-a c levem
ra do Vigario n. 10, loja, que scro recompen-
sados.
Na madrugada de 24 docorrenlc fugiram do
engenho Monjope dous mulatos, um de nome
Agostinho, chelo do corpo, idade de 25 annos,
acaboclado, pos grosaos. cabellos corridos, c sem
barba ; c oulro chamado Izidro, secco, nao alio,
aireUfis crespos e cortados muilo rente, lendo
urna cifcalriz no alio da tesl, e buco de barba :
levaram 2cavallos, um melado raposo o rabo, e
oulro alaso, um pouco magro : quera os appre-
hender, levando-os ao referido engenho Monjope
ser gnerosiraeule recompensado.
ILEGVEL


00
DIARIO DE PERNAHBUCO. SEGUNDA FE1RA 2 DE JLIl BE 1860.
Variedades.
d ocano
uma cierna primavera.
coTumini, segundo dizem, lem realisado urna lor-
tuna do 40 mil libras esterlinas. O marquez tam-
bera rico e de uma dstncta familia. O verda-
deiro nomo de raademoiselle Picol oraini Cle-
menlini ; seu pai conde de Clementini. as
cinco ultimas represenlaces, que ella deu em
AILHA DE TALLO PENANG.
Este pequeo canlo da torra, perdido no raeio
indico, rcalisa lodos os sonhos de ,
JNio so somenle a sita- I' dres' aperso"- ,l1ulda do pezas, a impor-
Penang encantadora, mas tambera c a
- -ilutar ; o ar que ali se respiro., temperado
; urna brisa eterna, de uma perfeita pureza. I
tancia de 8C0 libras esterlinas.
i isso lodos os Europeos, que nao podera sup-
' ir os calores, trof'ieaes de Madaslra, Rom-
b im e Calcula, vio ali reslabelccer sua saude.
A ilha de Paulo Penang nao ruuito extensa.
aog sua capital est eleganlemenle assentada
RAINHA DE INGLATERRA.
A rainlia de Inglaterra, Alcxandrina Victoria,
complelou 41 annos no da 24 do corrrnte.
filha do 4" fillio de Jorge III Eduardo Au-
gusto, duque do Kenl, fallecido era 1820, o que
borda do mar. e eslende seus bracos fortifica- i "v010 ua g^rra peninsular at 1809, casado era
dos rofa de ura excellento oncora'douro, a cN*818 com uma filha do du1ue dc S"e Cbur*-
dadeUa comraanda a cnseada, e ura vasto arse- i do qucra, te;c. u,na umca "a.quo a actual so-
ha! basta para 1odas as oxignelas do servico e I beranad'1 Grt" Brclanha.
,. McSo militar. Suas casas pequeas brancas! A princesa Alcxandnna Victoria succedeu a seu
,csUio rodeadas dc lindos jardn. O interior da Gu,lherme IV m 20 de junho de 1837, e foi
dude 6 geralraentc habitado pelos Europeos e ?oroada em 28 dounho de 1838' Casou a 10 dc
Chinas. Os Indios o Malayos morara no ox- J*"*! df180 com ***** Alberto de Sa*e
Coburg Gotha, primo de S. M. o Sr. D.Fernando,
pai do actual rei dc Portugal.
CURIOSIDADES PARLAMENTARES.
Na sssio de 15 da cmara dos comrauns de
Inglaterra houve dous curiosos incidentes.
LorJ Haddo pedio que fosse prohibido que as
academias publicas apparecessom mulheres nao
Malyi
terior. Avalia-so a popularlo em 60:000 habi-
li ;,'eS.
A Ubi de Paulo-Penang est dominada por
un i mottlanha bstanle alta, formada pela i-
;ao repentina de ura volco, quo deixou
is vealigios do lava as suas vizinhancas,
N i ha ali un canto dd Ierra, que nao seja cul-
tivado. Ao lado de altos pinheiros, que modera
ii. la menos de i) metros, v-se a/canelleira, a vestidas.
n E-mascada, c Udas as mais plantas oromali-1 Sir Levis respondeu quo os artistas linham a
. que abundara na India.
as planicies se ostenta a canna d'assucar to
gr -si como os mais- vigorosos bambs.
N >s flancos da montanlia volcnica, entre s
inhas encantadoras, que se asscmelham ni-
perdidos entre as arvores, eleva-so a casa
ii' recreio do governador dc Paulo-Penang. E'
uma espseosa e vasta hebilacao, rodeada de una
gatera aborta, guarnecida de slores, que a pro-
triste necessidade de copiar a natureza.
Lord Palmerslon declinou a competencia do
parlamento, e a mocao foi regeilada por 147 vo-
tos contra 32.
Lord Lovaino fallou contra os sanguinolentos
combales dos boxers.
Lord Palmerslon, como verdadeiro inglez da
velha Inglaterra, fez observar que o pugilato era
considerado como uma das mil maneiras do pro-
ra do ardor do sol. Ao lado da casi do go- i var a fjr' c a solidez, c que, alera disso, os com-
i;
vornador levanta-sc n torre dos signaos, no tope
da qual fiucluam as cores de Inglaterra.
Os vehculos de Penang sao urna especio de
palanqun), assentados ora quatro rodas o'pucha-
)s por cavallos, mas os cocheiros os governam
a pe e nao na almofada, como se usa as outras
I res.
Todas as casas ricas tem uma especie de gran-
i '< venlarollas, agitadas por criados, afim de
serraren] uma constante viraeo as sillos.
is venlarollas chamam-se pauks.
As mulhercs malayas leem o mu gosto de companhia de engenbeirjs, tres coaipanhius de
i n 'grecer os denlos, arrancando-llies o esmalte, 'ambulancia, etc.
o tingindo-os cora um oleo particular, que os j A forca total monta a 40,000 homens. Espe-
torna edr de azeviche. ra-sc que este acampamento se converter n'uma
hlenles nao faziam um ao outro mal irreraedia-
vel ; e acrescentou :
Nio espectculo mnis perigoso que o de
una asecncao aercoslalica.
A discusso nao progredio.
ENSAIOS DE TRAGEDIA.
Organisou-se dcQuilivaraenle o acampamento
militar em Chalos (Franca).
Compoe-se de tres divisos de infamara, uma
de cavallaria, tres bateras de artilharia, uma
bre os selvngeus uma nuvem ce balas, que os fez
parar.
Porem era evidente que os Indios se nao da-
ran] por batidos, c que seria impossivel resistir
aos seus assaltos successivos.
Emquanto o sargento escog a va o expediente,
vio um pequeo cao que tinha seguido a compa-
nhia, e quo no momento do perigo se refugiara
entre as pernas do cabo.
6 sargento leve logo uma densas ideas repenti-
nas c luminosas que nasccm nos momentos cr-
ticos.
Com ura lapis escreveu n'uri Locad.> do papel
duas ou tres liabas, para informar o commandan-
te do forte da situarao em que so achava, amar-
rou o bilhete ao pescoco do cao e atoo ao rabo
do animal um curto barbante, na xlremidade
prendeu ura copo do lata, cora pedras dentro,
tapando a bocea do copo com um pedaco de
panno.
Feito isto, deu duas ou tres hibala Jas no cao,
toda a companhia soltou grandes gritos e o cao
dcsalou a correr, como se o vento o levasso.
Chegando ao forte, a seulinella julgou, a prin-
cipio, que era brincadeira do seus camaradas,
mas dando pelo bilhete do saigenlo, o leu e le-
vou ao capilo, que reuni loge toda a sua gente
para ir a marche-marche livrai a companhia.
Ojiando os soccorros chegaram, j os 36 ho-
mens nao podiam mais c estovara quasi asuc-
cumbir.
Que seria dellcs se o cao nao livesse rabo ?
O RIO DA NEVA.
No dia 5 dc abril appareceu o rio Nova livre do
gelo que o cobra.
Segundo o costume dc todos osannos, no dia
scguinle o governador de S. Petersburgo alraves-
souo rio embarcado ao som das salvas de arti-
lharia, quo annunciam achar-sj abcrla a.navega-
eao d o rio.

A RELIGIAO CHRISTA.
Dz urna caria de um viajante, escripia de Shan-
ghai, que passara de 2,000 as cranlas que lodos
osannos recolhe naquella cidade a Congregae.o
da Santa Infancia, fundada ha innos pelos disc-
pulos de S. Vicente do Paulo.
Parle deslas innocentes creaturas sao entregues
a familias chrslas, que as criam e educara por
uma pequea retribuicao mcn.-ial, c as outras fi-
cam na casa central e aprenden dilTerentcs offi-
cios, debaixo da vigilancia dos missionarios ou
dos religiosos, que se dedican a tratar dos en-
fermos.
E um grande consol saber-so que a religiao
chrstj exerco a sui doce, santa e humanitaria
Paulo-Penang nao s uma morada encanta- escola militar de primeira ordem. Experimen- influencia em todos os paizes d) mundo.
i ra, o centro inlelleclual onde estao reunidos
grandes eslabelecimentos sustentados por mis-
narios franeczes e inglezes, por negociantes
idas as naees, o pelos mesmos Indios.
Ali se acha uma boa bibliolheca, e uma cx-
'Uente lypographia, onde se imprime o jornal
Penang Gazette.
Conlam-so rauitos eslabelecimentos de.cduca-
, e os mais importantes sao o collegii anglo-
i li nes, a escola primar! frcquenlada pelos me- pelos militares praticos de loda a Europa, envia-
dos pelosjdill'erentes governos para que presen-
ciem as manobras.
Napolcao IIl passar a maior parte do verao na
soa tenda de campanha, dirigindo as operacoes
dos seus excrcitos.
laf-se-ho algumas theorias novas bascadas so-
bre principios applicaveis iafanlaria o arli-
.. BlUnHEAlaB.
* ai.,- Monreale, onde alguns despachos dizem, se
A experiencia da guerra da Italia, e o emprego ,h.,.m JLa.. *
, acha\am os ganbaldinos, uma povoacaosem
dc novas c poderosas armas de fogo. darao Itt-1Hftfa,M mil,.-,rne c,.h, .w n ,
gar a manobras importantes que excitarao extra-
ordinario inlcressc ua Europa.
O acampamento de Chalons, e be ni assira os de
is portuguezes c malayos, c collegio Pulo-
Ricoux fundado pelos missionarios franeczes.
'.'. ida um desles eslabelecimentos c frcquenlado
I )t mais de 250 alumuos.
OS NARCTICOS AS PRISE5 DA INDIA.
O ludan Lanal contera umjrclatorio interessan-
!c Jo l)r. Jos Ewart, pertencentc ao servico medi-
co dis Indias, relativo aboliejo do uso do ta-
baco as prisoea da India. Esta provado quo
un: -ios resultados do cslabelccimcnto dos inspec-
tores de saude foi a abolirio quasi completa do
";;o dos narcticos. N'oulro lempo dislribu ia-se
. ac c opio aos presos no pensamento, que es-
tcs narcticos lies erara nocessarios, Em Pun-
jab, as provincias baixas do Bengala, e em Ma-
drasta Foi dicidido que nao seriara concedidos aos
presos tabaco c opio, senao no caso, em que os
mdicos conhecessera que sua suppresso preju-
dicaria a saude, contrariando hbitos invelcra-
s. As experiencias, que se fizeram, moslra-
r: ::i, que se poda supprimir sera perigo os nar-
cticos aos presos, anda quo eslivessem acostu-
rnados -ao seu uso desde a infancia.
II i algums anuos que a rcparlieo de saude de
Bengala harta declarado, que reputava o uso do
tinaco tao necessario aos presos como o uso do
s! e outros condimentos ; mas tres annos depois
o doutor Monat apresenlou ao governo ura rea-
lo tio cslabelec'endo que de cincoenla mdicos
is, eucarregados do servico das prisoens, Irinla
e tros declaravam que a suspensiio do tabaco
nada harta alterado a saude dos presos, Ires li-
nham sido de opinio contraria, e os qualorzc
restantes nao quizeram cmitlir sua opinio.
Conseguiolemenle o doutor Monat niostrou
com lo Ja a probabiliJade. que nadase dpvia te-
mer daabslenco do tabaco, anda quando ella
tinha logor para com individuos, que desde a
infancia eslejam acoslumados ao seu uso : esta
opinio, porm, diamctralmenle opposla dos
mais imminctcs physiologistas da Europa.
L-seuos jomaos franeczes: MademoisellcPico-
lomini deixou Londres, e parlio para Sienne, onde
dore desposar o marquez de Gaetani. Antes da
sua partida foi assignado o contrato esponsali-
cio com magnficos banquetes e festas brilhan-
tes. Por seu distinclo tlenlo raademoiselle Pi-
defezas militaros, situada sobre o monto Capulo,
n'uma posigao encantadora, 6 propiamente uma
villa recreio .
Dista 5 kilmetros (uma legua] de Palermo
Saml-Omer, Boulogne e Satory, serio visitados rn.rr, a.i._*^___. ui. j
__,____SM,"______f._ ,.j. ,.. Lncerra, comprehendonJo os ambaldrs de Roca
c de S. Martino, uma populacods mais do trezc
mil almas.
Debaixo do ponto de vista le arte, possuc os
mais bello3 monumentos de arel lectura religiosa
de toda a Sicilia.
Anda que nao fortificada, ( uma posico im-
portante para preparar e orgauisar um golpe dc
mi sobre Palermo.
PALACIO SENATORIAL.
O palacio senatorial, onde se inslallou Gari-
baldi quando penetrou em Palermo, est situado
na prac Pretoriana. Foi comecado em 1300 e
concluido e aperfeicoado em 1470.
Este palacio encerra urna bibliolheca publica
com mais de 40,000 volumes c uma porfo dc
manuscriplos anligos e modernos.
PALACIO REAL DE PALERMO.
O palacio reai de Palermo, que foi incendiado
por occasio da enliada de Garibaldi naquella
cidade, foi amigamente uma fortaleza musulma-
na defendida por rauitos torreos, de queso, ros-
lava um que servia de observatorio. Era a resi-
dencia do vico-re. Eslava situado junto da Por-
la Nova.
Enccrrava anliguidades preciosas. Tem uma
capolla com adornos de mnrmore branco, prGdo
c mosaicos.
A sua archlectura raagestosa e erigio-se
debaixo da invocaco de S. Pedro.
No obscrvalorlo deste edificio guardava-se o
circulo c os instrumentos construidos era Lon-
dres por Ranisdeu, sob a "direceao de Plazzi, e
com os quaes se descobrio era 1801 o planeta
Ceres.
E' CASO SERIO.
L-se no Morning Herald :
Espalhou-se um rumor assuslador em Callao
(Per)
Dizia-se que o mar se relrava da praia c
aprescnlava o mesmo phenomeno que cm 1849,
antes, c durante a submerso da amiga ci-
dade.
Uma carta de Callao diz:
Por volta das duas horas da madrugada sen-
lio-so um vilenlo tremor de trra quedurou oi-
lenla segundos. Os habitantes corriara tda na
maior consternarlo ; era ura pnico geral. Todas
as estradas que dio saluda da cidado islavam
cheias dc gente aterrada.
Trens especiaes levaram om lodo o dia cen-
tenas de pessoas para Lima (a 8 kilmetros do
Callao) Na mesma noite o prefeito publicou urna
proelamacao, convidando os habitantes a regres-
sar suas casas, assegurando-lhes que nao ba-
ria perigo, e que sealgum indicio viesse a lser
presentir uma innundacao da cidade, tres tiros
de peca o annuncanam a lempo dc so poder es-
capar ao perigo.
A maior parte dos que abandonaram Callao
nao tinhara ainda regressado.
Era Lima (capital do Per) os ahalos subter-
rneos, acompanhados de riboinbos o estampi-
dos, conlinuavam.
Callao foi destruida era 1746 por um terre-
moto.
ESTATISTICA.
Querem saber os nssos leitores quanlos ovos
se consoraem annualmcnle em Franca ?
Segundo os clculos mais exaelos regula por
9:300,000,000, sem contar os que seexportam, e
os que se conservara para areprodueco, deven-
do notar-se que osdireilos de exportac.30 de ovos
1.", chai um remedio ctlicaz; 2., acluf, o que
tolvez era mais difflcil ainda, o raeio de combalcf,
em loda a sua torga, um mal que pareca recusar-
se a loda a applicaco directa.
Esta dupla difficuldade foi, felizmente, ven-
cida.
O remedio o enrgico metallotde, que se co-
nhece com o nome do ide.
Applica-so cm inhalar.es. Um muilo simples
e muilo engenhoso instrumento vaporisa o ide
e o transporta, com a columna de ar inspralo,
al s ultimas sub Jivisoes dos vesiculos pulmo-
nares. Cada ponto affectado que receba uma mo-
lcula de ar, recebe ao mesmo tempouma mol-
cula idica.
O mal por assim dizer, exaclamante curado,
como o poderiaserum mal externo.
Nao ha tratamento mais simples e inoffen-
sivo, que os doentes preludiara fumando cigar-
rilhas ideadas, que acostumam, doctfmenle, os
orgios a tolerar a oCQo do poderoso raclal-
loide
O doutor Grognat diz :
E' scnslvel que a applicaco do iodo em inha-
laccsutilsa, em proveito da medica^o, toda a
substancia, todas as virtudes, todas as cncrgiis
do medicamento. E' mesmo de presumir que en-
tro os innuroeraveis remedios que se tero ensaia-
do contra a pthysica pulmonar alguns ha que
seriam eTicazes so fossem applicados como o
doulor Chalroule achou raeio de applicar o
ide.
berlo Smit, romancista e viajante inglez, autor
da Viagera na China e no Monte Branco.
Na semana que fludou a 16 de malo chega-
ram a Inglaterra 288,000 lib. est. em ouro e pra-
ta. e exportaram-se para differentes psizes 168,000
lib. esl.
Muitas celebridades indianas embarcaram
para visitar a Inglaterra. No numero destas con-
lara-se Cursetj, Jamselji e Jejeebhoy, que pela
sua cathegoria, gozam da maior consideraco.
Corselji, elevado dgnidade de baronele pelo
governo inglez, deu o exemplo do divorcio com
os prejuizos da sua raga pelo partido que lomou
do visitar a Europa. Perlence antga religiio
dos Parsis.
O presente que a guarda palatina resajveu
ofterecer ao Papa uma thira que costar 20,000
escudos, Para um corpo que nao conta mais de
600 homens ura presente de bstanle conside-
raco.
No dia 12 dc mao foi pescado no porto dc
Nassau (Blgica) um tubarao. No estomago en-
contraram-lhe uma mo de homem, que por ter
um bocado de camisa so reconheceu ser a do in-
feliz Isaac Vally, afogado poucos dias antes. Alera
da mo humana, enconlraram-lhe una cabeea dc
cabra, com as duas ponas.
I
O Phamaceulical Journal publica um ar-
ligo-uTT'alr. Hirch, com pormenores inleressanles
Lomo quer que scia, est hoie perfeita mente. -'.. j____,_____u. .c. -
. acerca do costume que ha na Styna entre os cara-
CAMIN1IOS DE FERRO.
Segundo os clculos bascados era dados authen-
IC03, desde que se eslabeleceram cm Franca os
caminhos de ferro, morreu um viajante por cada
dous militos de pessoas transportadas nos cami-
nhos de ferro c ha um fondo pot cada 50,000 via-
jantes.
as diliaenejas e mila-postas, no intcrvallo
de dez ennas^houve um viajante niorto por cada
365,000 e um ferido por cada 30,000.
De modo quo, viajando-se era Franca nos ca-
minaos de ferro, se corre seis vezes menos peri-
go do que na diligencia e mala-posta.
Na Blgica s se conta um viajante morlo so-
bre novo milhes de viajantes dos carainhos de
ferro e um ferido sobre dous milhes.
Na Prussia c no ducado de Badn s ha ura
morlo entre 17 milhes e meio de viajantes trans-
portados nos caminhos de ferro e um ferido en-
tre 1,200,000.
Assim ve-sc que a vanlagera dos caminhos de
ferro nao est s na celeridade, mas lanibem na
seguranca.
montaran era 1844 a 114,000 francos. Estes ovos, Cometlora da fa
demonstrado que este inapreciavel medicamento,
applicado na forma vaporosa, pode curar a
pthysica pulmonar. Duas sabias academiasNj-tc.-
conheceram ; a experiencia o confirma todos os
dias ao doutor Chalroule, he que deve acharmo-
livo de gozos puros nos louvores acadmicos que
recebcu c nos lostomunho9 dc reconhecimento
quo Ihc prodigalisam os numerosos doentes que
llie deverh a sua salvaco.
UMA GARIBALDINA.
Lady Noel Byron, viuva de lord Byron, antes
de morrer, enviou 40 libras esterlinas para a
subscripeo promovida a favor de Garibaldi. Pa-
rece que ella recordou, diz o Morning Ckronicle,
que o nome que usava urasymbolo dc harmo-
na eterna entro a Inglaterrra e a Italia, e que
o espirituoso aulor doChild Harold a illuminoii,
quando nos seos ltimos momentos leve f na re-
surreieao da Italia.
CONTA SALGADA.
A despeza da ccia, em 6 de junho- de 1775, por
occasio da inauguraro da estatua equestre, fo
de 40:7233615, afora 2:2878660, despendidos em
gratificaces.
No rol da despeza da cozinha incluem-sc nove
raoiosde sal, pelo custo de 17g300, c foi por isso
que o marquez de Pombal, quando lhc apresen-
laram a conta, disse que a achava muito salgada.
A despeza assim dividida :
Dossert de S. M. e corle.............. 3:9862)274
Gasloda copa........................ 3:461*070
da cozinha...................... 2:4763074
ponezes dc comer arsnico, que dizem augmenta
as forras, sem prejudiear a saude. Tomara mais
veneno cm jejum cm qualquer liquido quente
como caf, etc. A dse para comecar do tama-
nilo de urna cabeea de alfinclo e vai progressiva-
mente augmentando. Os corpos dos que tomara
arsnico conservam-se por muito lempo, depois
da morlo, sem alteraco.
Vai publcar-se em Roma, segundo diz o
jornal francez Sicle, por ordem de Pi IX, uma
collecco de todas as manifesiacoes favoraveis ao
poder temporal, que tem vislo a luz publica por
meio da imprensa, ou que se lera dirigido direc-
tamente ao Padre Santo. /
Ha poucos dias suiciden-se, enforeando-se
em ura quintal de Cordova um rapaz de deic an-
nos Um jornal aquella cidade diz que se igno-
ram as razes que o levaram a por termo exis-
tencia. Depressa se aborreceu da vida.
O general Carlista D. Jtwquini Elio devia
sabir no dia 19 de maio de MadriJ para Barcelo-
na, afim dc embarcar ah par Franra.
O conde Monlmolin e seu irmao D. Fernando
dirigem-se a Londres.
*A
FOjLUETUI
PALERMO.
E' a capital da Sicilia e esl rodeada de inon-
tanhas.
Tem 200,000 habitantes, arel iepiscopado, nor-
lo, com um caes e um castello forte. Tem 8 ki-
lmetros de circumferfncia, muro dc circumva-
laeio, duas grandes ras (Cassaro ou Toledo e a
Nova), 7 grandes pregas, palacio real com um
observatorio, palacio do juslica, cathedral, egre-
jas do Jess, dos capuchinhes, dc S. Jos c de
Olivelli, grande hospital, casa de alienados, ci-
dadcllas, universidade, lyceu, seminario, colle-
gio dos Jesutas, bibliolheca, jardim botnico,
etc., academia de medicina e academia do bom
gosto.
A sua induslria principalmente de sedaras,
luvas, passementaras de ouro e prala pcllamcs,
ele. Tem grande commercio.
A fesla de Santa Rosala, pacroeira da cidade,
atlrahe allicm juho uma extraordinaria concur-
rencia.
O PRINCIPE DETUANl.
Segundo as proraessas do zeneral Lanza, aos
Sicilianos, logo que a autoridade real se restabe-
leca cm loda a ilha, formar esta um vice-reina-
do, consliluiees particulares, leudo por vicc-rei
o principe de Tran, segundo irmo do rei.
Este joven principe nasceunol.0 dc agosto de
1838 o des"posou-sc em 1858 com a princeza Ma-
Ihilde de Baviera, segunda filha do duque de Ba-
viera eirmaa da actual rainha de aples.
O principo de Trani, como seu irmao-o conde
do Casera, ocial do exercilo napolitano.
O vicc-rei da Sicilia residir em Palermo, que
ser a capital da ilha c centro administrativo c
do governo.
UTILIDADE DO RABO DE UM CAO.
Com este titulo conta o Corrcio dos Eslados
Luidos o scguinle :
Deus nao fez nada intil.
Um dia ou outro se aprsenla occasio de se
reconhecer a utilidade dos obiectos mais desde-
nhados, se o espirito do homem os sabe apro-
veilar.
Se os gansos nao tivessem voz, o capitolio ro-
mano calara, c a soberba repblica nao conquis-
tara o mundo inteiro : se os caes nao tivessem
rabo, um sargento do forte Desconfianza (Novo
Mxico), sorprendido por 400 Indios, emquanto
pasloriava os gados com 36 homens, uma certa
distancia do posto, seria incvilavelmcnlc troc-
dado,
A ludo isto pode muito bem ier que os aconte-
No primeiro momento do ataque, os Mexicanos ;mi. ... j L .
, .*' tmenlos rospondara com a phraso tao significa-
refugiaram-se n uma eminencia edispararam so-j j
tiva em poltica : est trop tad (
cadji um dos quaes custa cinco cntimos, pouco
ais ou menos (9 ris), representa um valor an-
riual do 469:41)0,000 francos.
Ha as capoeiras 40:000,000 de galinhas, ava-
lladas cm um franco cada uraa. Calcula-se
que uma galinha consom dous decilitros de
grao, (jue cuslam dous e meio cntimos diarios,
ou 9 francos c 12 cntimos por anno (725
ris).
O Engineer publica a eslatistica das loco-
motivas empregadas nos caminhos de ferro.
A Franca tem 2,624 locomotivas, das quaes
2,521 sao de fabrica franceza.
Nos caminhos do ferro allemes ha 2,850lo-
comotivas, sendo 2,277 dc fabrcaeo alle-
maa.
Os caminhos de ferro allemes s tem 301 lo-
comotivas inglczas, 190 belgas, 60 americanas e
22 francezas.
A maior parle das locomotivas da Russia
sao construidas em S. Peterburgo e imme-
daces.
Na Austria ha uma grande fabrica dc loco-
motivas, na capital. Esta fabrica pertence ao go-
verno. Fabricam-se ali locomotivas de pri-
meira classe a 500 libras esterlinas mais baratas
que as locomotivas de New-Casllo ou de Man-
chester.
Ha oulra fabrica cm Weimar-Ncusladl, a 29
milhas sudoeste dc Vienna.
Na Prussia a fabrica de Borsig, cm Berlira., lom
fornecido perlo de 1,200 locomotivas desde que
funeciona.
PROGRESSO DA MEDICINA.
O doutor Grognal d. na Independencia belga,
a noticia de que o doulor Chalroule, sabio con-
temporneo, por uma prudente audacia as ex-
periencias o irabalhos coroados do resultado,
conseguio dcscobrir o meio curativo dc pthy-
sica pulmonar, que as academias do medicina
de Paris e Bruxellas sanecionaram, classiican-
do-o como uma magnifica conquista da sciencia
medica.
Para curar a pthysica pulmcaar era pre-
ciso achar um agento therapeutico que podsse
suspender ou destruir os tubrculos no primeiro
periodo e provocar a cicalrisaco das cavernas
no segundo.
Havia duas enormes diCculdades a vencer :
milia................
Ornatos ..............................
Armario............................. 2:847il5
Despezas grandes.................... 19':673S595
Dizem a um jo mal francez que um rapaz
dc Hara apostara era como Gcaria deitado sobre
a va forrea no momento da passagem do trem.
Effeclivamenle pa era praica a sua louca em-
presa, e to folia foi que ganhou a aposta, que
consista cm alguns copos de cerveja ; nas nao se
2 313S375 Pense Io*lui sem incoivenienle._^Einpnmcro lu-
5 96>812 gar uma uraz3 cabida do fogo da machina fez-lho
uma grande queimadura no pescoco, e depois
instaurou-sc um processo contra elle por causa,
da sua imprudencia.
40:723S615
Aqui se ve a difTe-rcnca que vai dos lempos de
D. Joo IV a D. Jos I, pois s era sal se gastou
mais na cea que ica mencionada do que custa-
va tres ccias no lempo do primeiro rei da casa de
Braganca.
CZ2IZE2
PAULO DE KOCK.
VIII
A seducao.
[Continuaro.)
Nao, senhor, posso Ihe afliancar que nao co-
ihcH nada.
A mulher nio m, porm depois que soffre
da gita, comeeou a ter ciumese creio que nao
se affligiria muito se cu sahisse da eslalagem....
Bateo, voc aceita a mnha proposico? vi-
r.' comnosco, parlilhar o raeu amor?
Oh eu nao disse isso, senhor.
Cerisclle, cu lo araarei lano Cada dia irc
querendo-te maisbcm.
J o senhor me traa por tu, nao me falle
assim, que me causa um cfteito singular___
Quero que me d3 a resposta hoje noile ;
recebe-me por um momento no teu quarlo....
No meu quartio ? dc noitc? nao de certo....
E depois
Aqni a conversa interrumpida por um mov-
mcnlo geral que se opera na sala. E' Pousse-
raard que entrou com a rabeca e que j comecou
a locar a walsa do fobin des Dois. Immediala-
menlo Albertina e Zinzinette erapurram a mesa
para um canlo; uma agarra Desroseax, oulra
Montcsuma e comegam os dous pares a val-
san_________________________________________
(*] Vido o Diario n. 148.
Chatouillc aproeitou o movtmcnlo para correr
Ceriselte, e dizer-lhc com acconlo colrico :
Ha uma hora quo rainha mulher a chama,
v v-la. E' melhor do que eslar a lagarcllar pe-
los cantos.
Em vez de deixar a moca retirar-se, Angely
passa-lhe o braco pela cintura dizendo :
Dcixc l madama Chatouill chama-la quan-
las vezes quizer, ms eu j convidei Cerisetle
para valsar c nao a deixarei ir embora.
Senhor, Ceriselte nao sabe valsar.
Pois vou ser seu professor, e affianeo-lhe
que hci de fazer alguma cousa;...
Mas o senhor nao lem o dirciio de dispor
assira da rainha criada, o eu nao quero....
Com licenca, Sr. Chalouill, esta moca nao
sua criada! Tem a liberda4c desalar da sua
casa quando bem lhe parecer I Como esqueci-
do 1 Ento j so nao lembra quo nos contou a
historia delta ?
Chalouill ficou como um pimenio; antes de
poder responder, j o joven galn tinha arraslado
Ceriselte que, em quatro voltas, eslava uma val
sista perfeita, porque deixou-so conduzir pelo seu
par, sem procurar fazer passos.
O cstalajadeiro ficou furioso ; enterrou o bar-
rete de algodo e resmungou :
Ah 1 se eu soubesse desla 1 Mostrava-lhes
sempre com que que se havia do fazer a caldei-
rada 1
COSTUMEIRAS.
Ha coslumcs em diversas partes do reino que
o- uso e coslumo tomou tei, como se v da se-
guinto nolicia que o conta o Campeao das Pro-
vincias :
Na freguezia de Chaves, conselho de Arouca,
distrielo dc Aveiro, bispado de La mego, as pes-
soas que morrem ab-rnosla Jas que nao teem as-
cendente ou descendente, o parocho, por coslumcs
anliquissimos, herdeiro da lerga de todos os bens.
Na mesma freguezia sao os herdeiros das pessoas
fallecidas obrgados a mandar ao parocho por uma
das raparigas mais bem apessoadas da freguezia,
que vai alraz do fretro, tres padis de pao. doze
ovos c meia caada do vinho.
as freguoz-ias dc Fajes o Cesar, conselho
de Oliveira d'Azemeis, distrelo de Aveiro, bis-
pado do Porto, os freguozes sao obrigado3 a dar
aos parochos toda a manteiga de vacoa.que se faz
na semana do Espirito Santo .
MOSAICO.
O advogado Gamarell, de Rolonha, publicou
um livro, em quo se moslra quo desde 23 de
maio de 1819 al egual dada cVe 1857 foraoi con-
deranadas mortc e fuziladas om Bolonha, pelo
conselho dc guerra austraco, 186 pessoas e 90
mais executadas as legaedes.
Pullnger, caixeiro doBanco-Uno, de Lon-
dres, quo roubou a este estabelecimeata grandes
sommas, foi condemnado a 20 annos de Irabalhos
forcados em presidio.
No da 2! de maio annunciou-se em todas
as erejas de aples canonisaeio de Mara
Chrislina de Saboya.
Morreu em Londres, no dia 24 de maio ul-
timo, cm consequeneia de uma bronchile, M. Al-
Para acabarem do exaspora-lo, senle M. Cha-
louill que o agarrara pelo raeio do corpo, e ar-
rastarara-o para a sala. E' madama Greltenboulo,
que muito alegre s repetidas libaces, que-
ra por forca dansar uma allcma. Como nao
podra obler que Cuchot se lcvanlasse da mesa,
posto que estenio desamparava por quanla val-
!sa allema houvesse no mundo, nem que Gran-
gerant fosse seu cayalleiro, a mi de Albertina
atirou-sc ao cstalajadeiro, e :omo agarrando-o
pela cabeea, cnterrou-lho o barrete dc algodo,
Chatouill que j nao sabia a juantas andava, o
que demais nao va nada c nac podia mover com
as mos, vio-so obrigado a fa;;er todas as figuras
da allema que sio amiliare: madama Grat-
lenboule.
J havia algura lempo que curava aquelle bai-
le de novo genero ; madama Graltenboule e o seu
cavalleiro ceg atiravam-sc sobro os walsistas
que iam lhes dando empurrSo vclho sem para-
rem. O cstalajadeiro peda misericordia, gri-
tando :
Basta, basta, eu nao vejo nadal....
Madama Graltenboule respor dia-lhe :
Assira melhor, a passo do Amor c Psi-
ch; j o dansei ha quarenta innos era presenca
do imperador da Russia, que inmediatamente me
atirou o lenco
Do repente de um canto da sala para ondenin-
guom olhava parten gritos agudos. Era .madama
Rarobourc que, continuando a representar Paulo
e Virginia cora Francisco, tinha querido que elle
fizesse cora ella a scena cm qa os dous meninos
se cscondem debaixo da saia da Virginia para se
livrarem da chuva. No momento em que monos
esperava, Francisco vira a velha levantaras saias
e atira-las sobre o cabeea do oobre rapaz; lalvez
Francisco livesse vislo oulra eousa quo nao o se-
duzio, porque gritava como un desesperado, de-
batendo-sc debaixo das salando madama Rara-
bouro;
Nao quero nao quero I Estou abafado!
E' da peca I da peca I respondeu a velha
csorcando-se por conservar Francisco debaixo
das saias. Vora, Paulinho, nmu bom irmo, va-
mos subir o rochedo, e passai a trrenle. Chega-
te bem para mim.
Mas Francisco que nao eslava pelos autos, era
' Durante o mea de abril o rendimento de
lodos os ih rea tres- c espectculos pblicos de Pa-
rs foi do 1,422:070 francos 41 cent. (255:9723700)
Em marco tinha sido o rendimento de 1,551:737
fr.9-5 cen (279:St2*800).
Na cidade de Porcuna, na provincia de Jaco,
em Hespanha, uma mulher deu ltimamente 5
luz cinco enancas, sendo duas do sexo masculino
e tres do femenino. As tres meninas eram pouco
desenvolvidas e morroram pouco terapo depois
de nascerem, porem-os dous meninos vivem ain-
da, nao obstante serom pegados pelas costas. O
lacos orgnicos qsfl os prendera nao podem ser
corlados, porque,.segundo a opinio demed-
eos, esta operaco seria perigosa pesa a vida de-
ambos.
M. Oorstodt,. celebre jurisconsulto dinamsr-
quez, e presidenta que foi do conselho de minis- '
tros, falleccu ulbimamcnte cm Copenhague.
O principe Napoleo, acompanhado de Mr.
K. Girardin e do ultimo rei de Baviera, chegou a
Genova.
Em Sasagoea pende um pleito entre duas
mulhercs que ambas pretenden ser railes de ura
mesmo menino.
Na recente guerra que a Hespanha suslea-\
tou com M-arrocos, as perdas que soffreu o
exercilo hespanhol durante a campanha, isto ,
desde 19 do novenbro ultimo, forara : officiaes
morios 60 feridos 354, enfermos 205soldados
morios 300-4, feridos 5736, cofermos 92SMK Em
24 de marco ficavam em cuxalivo o em estado
de convalescenca 114 officiaes e 5909 soldados.
A companhia do vapor monslro o Grando
Oriental (Greal Eastern) annunciou que esle sa-
hir a 9dc junho prximo para New-York, con-
duzindo s 300 passageiros de priraera classe,
que pagaro 32 lib. por ida e volta.
M. Emilio Girardin comprou a propriedado
do jornal Le Courrie: de Pars.
vez de chegar-se para Virginia poz-se do quatro
ps para sahir daquelle interno ; madama Rara-
boure, que nao quera isso, senlou-so-lho as
costas e pareca muito disposta a andar assim era
volta do quarlo : mas os companheirc-s liveram
pena daa affliccoes do pobre rapaz. Monlcsuraa
correu velha, mas vio-so em apuros para tira-
la de cima do seu cavallinho ; Chatouill livrou-se
das mos de madama Graltenboule e atirando
com o barrete ao ar f-lo cahir sobro a rabeca dc
Poussemard. Parou a msica. Francisco livre
cmfim das saias de madama Uamboure, tralou do
pr-sc a pannos, e correu com quanla perna ti-
nha, como so a Virginia ainda o perseguisse. A
companhia pensou que era lempo de dar dcscan-
co ao corpo. Cada qual pedio o seu quarlo ; Cha-
touill vai levando Cerisetle diante do si, nrde-
nando-lhe que conduza as senhoras, que elle se
cncarrega dos homens quo teem quartos sepa-
rados.
A linda moca s obedeceu dopos de ter dei-
tado um olhar para Angely que a eslava conlcm-
plando. Drpois disseram-se lodosas boas nuiles,
e ao cabo de alguns instantes um silencio profun-
do succedeu aobarulho da msica, s gargalha-
J das e gritara dc Francisco, que naquella occa-
sio mostrou-so um Jos do castdade, o que
lambem nao era l muilo difficil, porque por ma-
dama Rambouro ningucm ira parar ao inferno.
IX
O bem e o mal.
(Commercio do Porto).
Sabretache dorma profundamente, como dor-
mc quem est morto dc caneado, e que tem oco-
racao livre de pezaxes. IIas-Ce-riselle pensou que
elle nao se zangara por acorda-lo para comer
uma boa cea, depois do quo dormir melhor.
Approximou-se de Sabrelache, e empurrando-lhe
o braco disse:
Senhor Sabretache, acorde, sou eu que lhc
trago a ccia.
O soldado abri os olhos, senlou-se dizendo :
Que l isso? O inimigo?
Nao, Sr. Sabrelache, nao o inimigo, o se-
nhor nio esl na frica o eu nao son Bcduina.
Sabretache deilou um olhor pelo quarlo, de-
pois saltou da cama para ir apenar a mo da
mora dizcndo-lhe :
Ah 1 desculpe, mnha querida filha, eslou
no seu quarlo, foi voc quera mo deu hospitali-
dade, ah sin agora eslou bem acordado 1 J
dorm um bom somno na sua cama ; raacia que
[az gosto 1
O senhor ne difficil de contentar.
Eslava sonhando que ainda andava pela Al-
geria c que combata com Arabos cm un dcsfila-
deiro, s___longe de lodo o soceorro Achei-
me nesses apuros e sahi-mo bem,... Mas quo
horas sao ?
Onzc horas e meia.... talvoz mais....
Safa ento j dorm tres horas.
E agora vai ceiar.
E dizendo isso, Cerisetle tirou as provises do
cesto e poz sobre uma mesa pao, vinho, uma
Acabavara do dar onze horas c meia, .o que,, do [r um Aq g
n uraa aldea equivale duas horas da madruga- ^J^ grandes
da em Paris. Foi enlo que Ceriselte com um
ceslinho coberlo debaixo do>braco e cora uma luz
ni mo, parou dianle da porta do seu quarlo, poz
a luz no chao, lirou da algibeira uraa chave e on-
Irou devagarinho no seu domicilio, onde sabia
muito bem que havia tle adiar gente,
Pois para mim ludo isso ? disse o vetera-
no, vendo a moca por a ccia na mesa.
Sim, para o senhor: nao muilo mas
foi o que pode arranjar Isso sempre allirta a
fome.
Allvia a foroc? E.' uma ceia d/e. generalera
chefe, um banquete; vou lomar um rogatorio....
Nio lhc occultarei que isto veio, muito a propo-
sito. Antes dc dormir cu tinha fome, mas a tal
proverbio que diz Que-m dorme jaula mente..
como um '.'.enlista, porque tenho ainda mais ionio
que antes do dormir,
Nesse caso secle-se mesa. Voo iha-BMI
companhia, se isso nao a contraria....
Conlrarar-rae A sua presenca eo. podo
contrahir a ningucm Mas para mimser sem-
pre uma felicidad.... Com mil esuairos o que.
liz eu para que voc seja to boa comigo r
Nao sei.... cousa lio natural a gente fa-
zer favores quando pode !
Sim, muito nalural,?mas h.a mutos qua o
fazem de mo humor e oulros que nao o fazsai.
Nao ceia comigo ?
Nao, jcei; nao tenho fome. Mas. xe-lo-
hci ceiar e terei prazer nisso.
Pois vai ver um .hornera quo c t'.a bom na,
mesa como no fogo.
E Sabretache senlando-se mesa, foi atacan-
do vigorosamente o que havia. Cerisetle sen-
tou-sc em frento do soldado e pareca feliz por
v-lo salisfa/.er to bem o seu appelile. Entre-
tanto, para um observador, a physioaomia da
moca nao tinha mais cssa. negligencia ingenua,
essa araavel jovialidado que nellase lia quando u
soldado entrara na eslalagem. Era fcil adevi-
nhar que eslava fortemenle preoecupada e quo
um senlimento novo se havia ensiuuado em sua
alma.
(Confinuar-e-Zia.)

PERN. TYP. DE M. F.DE FARIA. 186Q
(.
V ., J'^IT
>

Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2K285OCH_Y5TG75 INGEST_TIME 2013-05-01T00:08:24Z PACKAGE AA00011611_09102
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES