Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08983

Full Text

/
AMO HXVI. 1DMEBO 32.
Por tres mezes ada Pop tres mezes rene Jos 6$000.
QOIHTA FEIRA 9 DE FEYEREIRO DE 1860.
Por nnno lilinlado 10000.
Porte franco para o subscriptor.
E.NCXRREGVDOS DA SUBSCRIPQAO DO NOKTE.
Paralaba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima Na-
tal, o Sr. Antonio Marquusda Silva; Aracaty, oSr.
A.de LemosBragi;Cear,o Sr. J.JosdeOliveira
Maranho, o Sr. Manocl Jos Martiii9 Ribeiro
Guimares; Piauhy, o Sr. Joo Fernandes de
Moraes Jnior; Para, o Sr. Justino J. nomos;
Amazonas,o Sr. Jpronymo da Costa.
1'AKIIDA lH>SUKltfc.lOS.
Olinda todos os di as as 9 1/2 horas dodia.
Iguarass, Goianna o Parahiba as segundas e
sextas feiras.
S. Anto, Bezerros, Bonito, Caruar, Altinhoc
Garaiiliunsnos trras feiras.
Pao d'Alho, Nazarcih, Limoeiro, Brejo, Pes-
queira, Ingazeira, Flores, Villa Bella, Boa-Vista,
Onrioury e Ex nos quartas-feiras.
Cabo.Serinhaem, Rio Formse, L'na.Barrciros,
Agua Preta, Pimenleiras e Natal quintas feiras.
(Todos os oorreios partero slOhorasda monhoo )
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Reiaco: tercas feiras e sabbados.
Fazenda: tercas, quintas e sabbados as 10 horas.
Juizo do commercio: quintas ao meiodia.
Dito de orphos: tercas e sextas as 10 horas.
Primeira vara docivel: tercas e sextas ao meio dia
Segunda vara do civel: quartas e sabbados ao
meio di.
EPHEMERIDES DO MEZ DE FEVERE1BO.
7 La choia aos 15 minutos da monha.
13 Quartominguantc as i horas e 31 minutos da
tarde.
21 Loa nova as S horas e 20 minutos da tarde
29 Quarto crescente as 5 horas e 35 minutos do
'tarde.
PUEAMAR DE IIOJE.
Primeira as 6 horas e 51 minutos da manha.
Segundo a. 7 huras p 18 minutos da tarde.
DAS DA SEMANA.
6 Segunda. S. Dorotha v. m. ; S. Guariro.
7 Terca. S. Romualdo ab. S. Ricardo rei.
8 Ojiarla. S. Joo da Malla fundador.
9 Quinta. S. Apolonia v. m. ; S. Niccforo m.
10 Sexta. S. Escolstica v. m. ; S. Silvano b.
11 Sabbado. S. Lzaro, Dativa e Colaren hb.
12 Domingo. S. Eulalia v. m. ; 8. Modesto m.
EXTERIOR.
Hoje que a exppdicao hespanhola a Mar roces
est completamente orgarusada, comecandoj a
transluzir o plano do marechal O' Donnell, jul-
gemos opporluno transcrever o seguinte artigo
do Jouri.nl des Debuts eoi que se descreve a lar-
gos traeos o Iheatro da guerra, e se apreciam as
torees contraria* que se acham cm presenca.
i Xo primeiro periodo da cnmpanhu a lomada
de Tetuan parece deversero primeiro objeelit o,
e islo faz enm que as operacoes militares fiquem
ciuicriiiradas do lerriiorio compreheudido do
no.te ao su!,entre Geula e Tetuan, de leste a
oeste, enlre o Mediterrneo e a elevada cord-
Iheira chamada Sierra-Bullones : assim circum-
scripto, o iheatro da guerra abarca perto de 40
leguas quadradas do paiz, 10 de coinpriir.enlo
Sobre 4 de largura.
A cidade de Ceuta, eseolhida para baso de
operarles, em todas as pocas ha desempenhado
um papel importante as lucias da frica ceir
a Hespanba. A ana broa cooaisle na sua posi-
ras gcographira. Occupando urna pennsula que
Branca pelo mar dentro, distando apenas cinco
ou seis leguas da cosa de llespanha, ella una
das portas do estrello : ponto seguro c fortifica-
do para as invases. estacan egualmeiile propicio
para observar ou para atlarar. O seu porto, pos-
to que d'uma profundidade mediocre, cireurns-
lanria que o torna fatalmente inferior Gibral-
tir situada defronte, abre-so com sufficiente se-
gnraiea para os navios que pariem armados em
p de guerra, e para os que o temporal ou o re-
vi.'Z f-briga a buscar um abrigo. Da torre que co-
ra o monte Acho, a autiga Abyla, urna das co-
lumnas de Hercules, sentinellas permanentes
observam os movimentos dos inimigos em Ierra
e a navegaco do estreito. E' por isso que esta
praca foi successivamenle eobicada e oceupada
pelos Romanos, Godos, Vndalos, e por lodos os
DO vos que pozeram p na Mauritania-Tingila-
m. Na edade media seguio ella as ririssiludes
lo Haghreb, ora as maos dos reis mouros de
llespanha, ora em poder dos soberanos de Fez,
algumas vezes independonte sob a dynastia lo-
cal. N'aquelles lempos, os principes mussulnn-
nos mantinham rlaedes cnmmerdaes com asci-
dades mediterrneas, e a repblica de Harselha
tinha enviado Ceula um cnsul protegido por
tratados, Quando no seculo XV os reis de Portu-
gal resolvern] abrir carreira sua ambiru ma-
rtima ao mesmo lempo que sua f chrisla.
liclaran os olhos em Ceuta, que veio a ser a sua
primeira conquista na frica. Atacada em 1409,
foi lomada em 1 i 15 por I). Joo. Foi na guarni-
dlo de Ceuta que o celebre poeta Cames fez,
alguna anuos mais larde, as suas primeiras ar-
mas, perdendo um olho n'uma rerega rom os
Mouros. Anncxada llespanha pela rcunio da
Corda de Portugal de Castalia, a cidade africana
lirn sendo propriedade hespanhola, at mesmo
depois da separco dos dous estados, em virtu-
de do traiado de Lisboa de 101)8. A Hespanba,
depois de levantar fortificarnos, eslabeleceu all
OS seus presidios ou prisoes que sao qualio, a
seber : Ceuta, Penon de Vellez, Alhucemas e
Melilla.
* Foi, de resto, urna ocoupaco limitada, de
pouca honra e proveilo para as atinas hespa-
nholas, sempre ameacadas pelos indgenas; si-
tiadas e empoloiradas sobre os seos rorhedos, as
guarnicoes e os habitantes dos presidios davam
ares de prisioneiros. No meio de graves emba-
razos, a junta do Sevilha, refugiada em Cadix
'ni 1810, quorendn aplana-los e ao mesmo lem-
po galardoar os serviros da Gria-Bretanha, sua
alijada contra a Franca, cnlregou-Ilie Ceuta, cul-
posa imprudencia que, felizmente para a inde-
pendencia da Pennsula e aeguranca da Europa,
nem foi raclificada' rielo rei Fernando nem pelos
tratados.
Este golpe de vista retrospectivo moslra a
importancia poltica de urna iraca que, as maos
de urna grande potencia, deve proteger a liber-
dade da navegaco no estreito. Na Pennsula
levanlam-se as sele colimas que lhe deram o
seu Dome, e que siio defendidas por rortifleaces.
A cidade oceupa o isthmo ; o seu territorio es-
tende-se cousa de uma legua pelo continente, e
nesse rspaco o gado que alimenta a populac&o,
encontr campos para pastar. U assassinato
commellido em 1837 por um Moiiro sobre Val-
verde, governador de Ceuta, suseitou entre os
doos potos conflictos a que poz termo o tratado
de 1815 ; demarcarara-se as roiileiras com maior
precisan do que pelo passado, por meio de mar-
cos de pedra, cm que foram esculpidas as armas
do llespanha. Estas insignias naconaes foram
abatidas e profanadas pelos Mouros no mez de
agosto do anuo lindo, e esta a origein primei-
ra, causa nica e verdadeira segundo os Hespa-
nhoes, mero pretexto, segundo os Marroquiuos,
da guerra actual.
Seja como r, a posse de Ceula permillio
aos llespanhoes, e isso j foi um grande servido,
operarom sem dliculdade alguma o desembar-
que de todas as suas torcas. Desde o dia 18 de
novembro ale 3 de dezembro, os quatro cornos
de exercito, commanJados pelos generaes Echa-
gue, Zavala, Ros de Olano e Prim, e elevando-se
ao algarismo lolal de 30,000 conibatenles, pouco
mais ou menos, desembarcaran! na praia africa-
na, com plena seguranza, iodos os mus conliu-
geules de hnmens e cat.llos, todos os seos re-
cursos de armas e mantimenlos. A insulTicien-
cia da marinha de transporte e o oslado do mar
prolongaram durante quin/.e das uma operaran
de que a historia moderna, e al mesmo rcen-
le, fornece ciempis anda mais rpidamente
succedidos, em conjuncturas menos facis.
As tropas, uma vez desembarcadas, foram
ioimcdiatamenle empregndas em Irabalhos de
defensa sobre a baha do norte, ou no cumpo
aberto. No dia irameduito ao da sua ehogada,
a vanguarda den comeen s manobras que dc-
vjam assegurar-lhe posros, desembarcar e
franquear o paiz.
Os DOSSOS leilores foram postes ao facto, por
meio de numerosos bolelius. dos combates quasi
quotidianos sustentados pelos soldados hespa-
nhoes. Se cada passo na frente foi uma victo-
ria, cada victoria foi enrmenle paga. Que as
perdas foram mais graves do lado dos Momos,
que a disciplina foi superior ao fogoso ardor das
hordas ingoveinadas, isso nao padece duvda :
todava provuvel que, se nos chegassem mao,
como durante a guerra de Italia, os boletins dos
ver.cidos, a batanea nao seria to desigual como
resulta da narrativa dos vencedores. E islo p-
il- -se acreditar em vista da satisfaco com que
u acolbida na frica a dupla noticia da prxi-
ma iliegada do um corpo de voluntarios, c de
um alisiagienlo de 50,000 homens, decretado pe-
la rainha. A marcha lenta das liopas victorio-
sas, que dislam apenas uma ou duas leguas do
guarid-general do serralho, primeira posico
tomada ao inimigo em 19 do novembro, auto'ri-
sa-nos a suspeitarmos da insuficiencia dos
nietas de aeco, ou de uma resistencia mais se-
ria do que se lein dito. Devemos tambera ter na
dovida conta o cholera e as desnterias, cujos
estragos urna heroica coragem niio pode alalliar,
mas que sem duvida grassaram egualmente nos
dous acampamentos.
Para que lado avancar O'Doiincli com o I
seu exercilo ? A opinio publica hesitou ao prin-l
cipio enlre Tnger c Tetuan, situados a uma dis-!
tancia quasi egual do Ceula. e cuja importancia !
se poda julgaregual. Hoje os Irabalhos execu- !
tados na direcco de Tetuan j nao permillem a
duvida ; marefin-se para essa cidade com o lim j
de a sitiar o tomar. O terreno que se ha de per-
correr 6 escabroso e semeado de perigns. Da
crista dominante da Sierra Bullones e ds cordi-
aprezados, transportados e in-
inslruCQoes permute a
F.is o arl. 7." ; .< Tudas as vezes que uma em-
barcacBo de guerra encontrar um navio mercante
que esliter no caso de dever ser visitado, aqel-
li dever comporlar-se com toda a moderaeao,
e com as altenges devidas enlre nacoes amigas
e adiadas : e em todo o caso a risita ser fela
por ollicial que tenha o posto ao menos de l-
enle de marinha. En vez disto, frecuente-
mente se delegaran! inconvenientemente taes
Iheiras secundarias que lhe sao parallelas, a Sier-
ra Ximera, Castillejos, seguem-se contratarles
cujos ramaes accidentara o paiz em todos os sen
tidos.
Regatos torrenciaes excavam o solo, ornea-
do de rorhedos e semeado de densas florestas.
Ao longo da costa, a praia vai-se, todava, alar-
gando,e as visinhancas de Tetuan, offerece uma
planicie appropriada s manobras regulares das
tropas. O raminho que se estende pelos flancos
das uiontanhas dominado pelas cristas da cor-
dilheira principal d'onde os Mouros podero mo-
lestar a marcha do exercilo, se d'all nao tarem
de antemo expulsos. At mesmo parece que
a praia oo est de todo desembarazada, por
quanto se lem fallado do fogo dirigido contra um
navio trazador pelas baleras mouriscas, estabe-
lecidas na embocadura do Rio Castillejo.
Pde-se, portaulo, afoilamente prognosticar
que aps alguns das de penosas marchas o exer-
cilo hespanhol transpor a distancia de 35 a 40
kilmetros que separara Ceula de Tetuan, e po-
der investir esta ultima cidade e baler as suas
muralhascom ariilharia, ao passo que a escua-
dra levar a cabo a destruido das obras defen-
sivas do porto, comeeada ha algumas semanas
pela marinha franceza".
Menos cclebn
Afri
com
ticos
q
pon
Sej
e
m
sobreliidj, .,,, u.u,,lul, ou uiramm- .i uimciii- j ""'"".iii us legiiidineutos aas commissocs
ca de b kilmetros que separa a cidade do mar,' mixtas, egualmente com torca de tratado foram I
nao fallando do porta o qual se acha quasi ata-[ na maioria de suas provisoes, calcados,' como1
Ihado pelas areias e innavegavel por causa dos : passimos, per su mina capila. a demonstrar
ventas de ltslo. Dspoe o arl. 3o que em caso de divergencia se
Ossens annaes remontnm apenas ao comeen i Orara sorle um arbitro : em militas casos o
do seculo XV, poca em que foi saqueada pilos,'juiz britannico se oppz esta disposicao, e, o
Caslelhanos com lio sanguinosa feroiidade. que que 6 mais, chegou a pr objeccao a assignar
permaneceu deserta por espaco de noventa aunes. ; sentencas, por discordar da sua a' opinifto do ar-
Os seus novo* hospedes foram os Momos cal- bitro.
guns Israelitas oxpulsos de llespanha. Como era Pelo arl. 5o os captores deviam entregar va-
de esperar, os proscriptos recorrer m a todas as ras declararles por escripto, o que
vingancas que poderam oxercer, e Tetuan tor- mente deixaram de fazer.
nou-se no seculo XV um centro de aggressoes
marilimas contra a llespanha. Para por termo a
islo, Filippe II mandou enlulhar a entrada do
no, cuja embocadura forma o porto, com erabar-
caces alastradas de podras. Falhou osle meio
por isso que o commercio exterior e a piralaria
proseguiram as suas empresas bellieosas em
Tetuan. Mais tarde, diversos Estados da Europa
enviaram all consoles, antes que Tnger fosse
designada para sua residencia exclusiva. Hoje
penas all cxlslem alguns agentas consulares,
pertencentes pela mor parle a raca israelita, a quelie famoso tribunal parece ne tiuh
nuil i.m,, a. *_, ^=^_ x-*i < j .,*-.- T
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCO NO SIL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falcao Das ; Babia, a
Sr. Jos Martins Alvos ; Rio do Janeiro, o Sr.
Joo Pereira Martins.
EM PERNAMP.ICO.
O preprietario do dubio Manocl Fiuueiroa d
Paria.oa sua livrariapreca da IndepesHlencii nj
GeR.
ramVw/a,do?d "---"*'. n"ios b,.".,eirS f"- f"0 um 8ra"ue li* i
cendiados.
O art. 3." das mesmas
braneo
A eseada que lem cinco degros, feitos da mes-
-----. _-^ .....,., ,sui.\ui.i |n:ruiiR .i roa pedra dirige ao pavimenta que (ion cineo p.il-
visita e busca na proximidade, mas s qnaiiilo mos acraa do ph.no da calcada externa Asna-
nao houver aulondade local ; osla clausula foi redes do corredor estajo guarnecidas com uaoel
desrespe.tada. verde asselinad.., c,,n nomos de um braneo !r
U art. o. depois de estipular que se nao de- de prata. Ocha,, 6 forrado cora esleirs cl.i-
lenna o navio, anda quaudo o numero de osera- nezas
?Si!!L2*?!?n!!?J!l}?!fad na.8"MaPor, K8 W esU ornado cora arandellas de
accrescenta Has ueste caso o capilla e dono brome de bocaes dourados
trihonVal iT" S,>r enu,,.c1iadS P?"l "s '>* corredor ha Ires portadas : uma para a di-
i ,f-P / ? S "') Br'^'1, pi'ra aMl *rem r,ei,' HfW Pera a esqaeWa e autra para o cen.ro
mn fm .f Hfor"" "leiS *";. Buco- doedifte. As tres portas Mtio ornadeom re-
, 1n A,?,l,*,^ a C,r""C, 6- ri:c",,hecl'1 s,'r '"- !'steir.1S forrados de selini amarello, tendo na
oo aa competencia da legislacao interaa, emquan-, frente as armas imporiae*
lo as conimissoes mixtas e os Iribunaes ingleses
se arvoraraui em seus julgadores.
lomando para a direila est a sala destinada a
S. M. a Imperatrlz. A esta sala chamaremos sala
da perola. O pavimento tapetado com esleir
Chllieza branca, e as paredes forradas de p.ipel
adamascado cor do perola, ao gosto chines, guar-
nocido na pl/te superior cora urna f.iixa cr de
cafe com flurOes azul celeste, bein como no ro-
da pe.
Todos os portaos esto guarnecidos cora ricas
arandellas de bronze, com boceas douradas, guar-
necidas de pingenles. Asjanellas eslo ornadas
como nos das portas por onde delle sahe-se
para a sala de janlar, e para o quarto de
banho.
Acha-se osle ultimo tapet ido de esleir chine-
la, forradas as paredes de papel cinzenta com
llores brancas. Tem um lavatorio e um toilette
de vinhalico com pedra de marmore braneo
coniendo todos os seus perlences de porcellana
lim. Ha domis uma cadeira de bracos o nutra
de descanso ao lado dos banheros. Aos lados
dos lavatorios esto suspensas 2 toalhas de cam-
braia de linho, sendo uma de crivo muito linda,
e a outra de bordado (inissimo. Tem arandelas
de bronze dnurado
Do quarto de banho passa-se para o tcillete
imperial. E om quarto que chamiromos de lo-
res de ouro. Est alcatifado de esteira branca
chineza, forradas as paredes de lindissimo papel
cor de lyrio semeiado de flores douradas. Tem
janellas para a praca o porta para a galera, que
faz parle do accrescimo l'eilo, alm da que vera
do quarto do banho. Os portaos tem arandelas,
como as da sala de perola. Pendera das pare-
des Squadroa lindissimos um com o titulo The
jewel of lhe village e o outro Linda.
A um lado um guarda-vestido de Jacaranda
cora porta de vidros. Defronte desle um guarda
roupa tambera de Jacaranda com assento de
marmore braneo. No centro doste est um relo-
i gio de bronze representando Mara Siuart, levan-
do sobre a (esta o dedo ndex como cm medita-
cao o mostrador braneo sobre fundo domado.
Nos lados, jarro de porcellana lina douradajare-
presentando rojas e dhalias nbertas entre folhas
de ouro. o mei>
era frente do relogio, urna
A mobia singla, mas muito elegante, de
mogno, a Luz XV, contendo um piano da mes-
nia madeira. No centro di sala uma mesa em
forma de ellipse com pedra de marmore braneo.
onde as veias perdem-sa imitando as ondas do
ocano, conlem castiQaes de crystal lino, com as
mangas em formas de assueenas.
Aos lados do soph acham-se dous consolos
cora pedia marmore em harmona com a da mesa
central. Sobre um delles, o do lado do rio, le-
frequenle- vanta-se um relogio deouro.de base ellvplica,
. tendo na parto superior a figura de Urania, com
mos baixar s hypoihesea ( que alias todas se
deduzom dos principios geraes), oraitliremos
descrevet o molo pratico do funeconar de la.es
commissocs, especialmente na Serra-Lcoa, para
os quaes os mais futeis, pueris e anti-juridicos
pretextos produziam ell'eilo de prova plena. A-
rpo, tracando a de
l>re urna lamina de ooro i representaco do pon
smenlos, que de seus clculos sao'resultados.
K a densa da Astronoma.
Ao lado do relogio esio duas ricas jarras de
porcellana Knissima, imitando a de Sevres, com
llordes dourados. Eslo colloeadas entro cast'caes
le crystal guarnecidos de pingenles com me'da-
k iiui t.iuiponez na innocencia
I.... proli.i,.. wiipor pena, onde 1 de seus rost.imos.*feprose(.tat.H a-oulra um lago
J culpa culpa ubi non est, nec pana esse de- e uma penteApela qual vo alravessando um re-
i,Hi,'.,,w!rl"e ra <-'u"ae"'1"av;"". oade.xavaui de i banho langiJo por um menino : neste consolo
inaemnisar navios que licitamente viajavam, de estao casricaes da mesma forma que no oufo
contormidade com todas as regras marilimas. Sobre o soph pende um grande e rico es'pc-
ueiormaram o axioma: Dolus umus alten no-, Iho com guarnicoes muito bera douradas reore-
leiuan, seguros e preciosos elementos de pros- | tere non debe!, fundamentando sentencas contra sentando nos ngulos flores em rinald is Defron-
Apoderando-se da cidade. o exercilo navios iuoffensivos, em que consignatarios ou I ladate espelho est suspendido obre preos
oulios erara considerados como Contrabandistas, dourados o relalo da familia imperial ondeao
tielormaram o axioma : ebitor debitori
TOCOS, segundo se diz.
A principal industria consiste no fabrico das
armas de fogo para as tropas do sulto. Numero-
sos pomares, campos cultivados com esmero o
sobreludoum commercio consideravel de impor-
tacaoe de exporlaco, sao, para os habilinles de
peridade.
hespanhol lora vibrado um golpe cerleiro ao im-
perador nos seus rendimeulos e racios de de-
loza.
Este golpe ser decisivo? O imperador sen-
tir-se-ha acaso to gravemente ferido ou amea-
cado (|ue pera Ireguas para se curvar perante o
ultimtum, que o seu representante ha dous mo-
zos repudiou e que se lera aggravado com as
despezas da expedirlo ?
. .t mei
non esl debilor meus, lomando responsaveis pira
com a Inglaterra, Brasileiros, em rauitos casos
era que, quando muito, podoriam ser juigados
|>or lei e iribunaes brasileiros.
Reformarara o axioma : iclum unius, diclum
nullius, pois mais de uma senlenca foi proferi-
da sobro os dizeres de uma boa ou ra testemu-
lado do magestoso
" Ninguem espera por tal, c de suppr que I "lia.
a propria nao deseje urna to prorapla concluso | Reiormarara a jurisprudencia que inhabilita
da expedirao que lem por objecto, afora o casli- os escravos de serem testeraunhas ("i, fundan-
go das injurias receidas, i suppres^ao da pira- do sentencas era depoimenlos delles
lana de Riir, a regenoraro da marinha nacional! Passamos ainda por sobre dolos o fraudes de
o apasiguaraonto das dissencoes polticas, o pros- mais elevado alcance, quo nos envergonliamos
ligio que d a un povo, brilhanles e numerosas, de dissecar,
victorias. Nao prosigamos. Asss mostramos qual a ju-
f K, pois, provavel que a guerra continu risprudencia durante os 15 annos do rgimen dos
lepois do tomada de Tetuan, a monos| tratados : com cssa que a commisso se tem
i m pena
Par, a quem esto entregues
os destinos do Brasil, elevara os semblantes in-
genuos e purissimos os dous anjos tutelares do
Brasil naquella express.io singela da innocencia,
sem pensarem que ao futuro d'ella est intima-
mente ligado o futuro do imperio da torra da San-
ta Cruz.
Nos espaoos entre as janellas esto cspelhos
menores, mas igualmente ricos. Aos pes do so-
ph estende-se um bello tapete estufado com
bordados represen! mdo uma paisagera, onde tres
can,oros descancara dos ardores do sol sobre a
reir, sombra de uma floresta composla de ar-
vores cohei tas de llores. Ha aos lados escarradei-
ras de porcelana lina, todas douradas.
Tomando-se para a esquerdaest a salla que
fica para o lado da praca e era frente do ancora-
douro, a destinada a S M. o Imperador, quech-
convencoes pacificas.
[Jornal do Commercio de Lisboa.)
INTERIOR.
para as cinco cidados de Sergipe.
r\ c i-i. n.i_x. ____.-" r
ram a direceo dos
ros convenientes para os aposentas do
Commisso Ang:lo-Brasilera.
PRESOS.
Arligo XX.
2. poca desde o tratado de 1826 al que findou
em 1815
[Concluso,]
Toquemos agora, de corrida, oulros pontos cm
que a Graa-Bretanha tem rompido e^es mesmos
tratados, cuja observancia too minuciosamente
exige da outra parte contratante.
Tem aquello enverno dado aos seus cruzado-
res surcessivas inslrucces, todas unilateraes
todas destructivas das clausulas ajustada? Er* n r{!m^^: e
islo licita > Nao. '", inclemencia tomar
O art. 7". do tratado de 1817 exprimia-se as-
sim : As duas partes contratantes se reservara
a faculdade de mudar, ora todo ou em parle, as
ditas instruccoes conforme as circurastancias o
exgirem bein entendido, todava, que as ditas
mudancas no se podero fazer seno de com-
mum accordo e com o consentimento das duas
altas parles. >
Conseguintemenle os actos pralicados pelos ,
cruzadores em virtudedessas unilateraes ins ruc- : 1,,J" la", dcer n"". levanlai.do-se no oitao do
S6es sao completamente llegaos, reprehensive. i *" "? "aSlr" 8rla,'de nde d,nia mular o
indemnisados' pelo gover.mde quen uS^llKSl! ^ ""^ ****** d S' M<
dores orara orgaos, instrumentos: Actus sem- A A j
per tribuilur ordinanti. el non exeouentia. !,i,Trdr' lraa ***9** ou vestbulo
Exprimia-se assira o art. 8." do tratado Estas S^JSS'S2!,5 "? *"*** MrM *? Pro'
coramissoes julgo conforme ao regulamento e '"d\UXl? V^ t* ,|,Ugar S,',,R'n,T' d-IS,an-
inslrucces annexas presente convenro, c que w?" 'S"!^"P.i*!' "" """ le
sero consideradas como parte integrante delh..''!',g f1 S ',e ET? ""^ **" ?""
E os julgamcntos foram, nos nove decimos: Estas pedras sao ura marne que consli-
diversos, o al opposlos. i _
Diz o arl. 10. < S. M. B. se obriga a pagar, o {?) Dista o Sr. Bvar, fallando da sumaca E$-
mais tardar no espaco de um anno depois que peranca Feliz e do brigue Pez de Ferereiri
cada senienca for dada, as somraas que pelas Ainda ha pouco, M Carmina
commissocs forem concedidas. Ha muitos a- monto, tratando-se de me Iho
------------------ i------------, ... n.....j pelos lados por
lencas das commlssoes denominadas mixtas. 'eos de seda cor de purpura, franjados de tran-
I aasemos Boalmeole terceira e ultima poca.' 5 *'e seda (gregas) da mesma cor com los bran-
[l'ublicoh). i eos. Os portaos tem arandellas como as da sala
| da perola.
E de Jacaranda a mobia. Oceupa o cenlro di
sala urna mesa da mesma madeira, cubera com
um panno lino cor de caf, semeiado de rosas, o
folhas verdes orlado de uma franja propria. So-
bre esta mesa ha uma serpentina de baso de bron-
ze com a baste de porcelana dourada.
Nos espacos dos janellas dolado da praca eslo
dous consolos da mesma madeira. Sobre um
delles est um lindo relogio dnurado represen-
tando na parte superior a ligura de Soln com as
maos sobre um dos joelhos na altitude do pro-
funda medilaco tendo ao lado uma pilastra so-
i bre a qual est collucada uma familia de ouro era
SlHf.l FE.
Discrim/ao do l'ai-o Imperial no
Aracaj.
Apenas chegou provincia de Sergipe era niela-
dos de setembro, a faustosa noticia de que SS.
MM. II. se dignavara visitar as provincias do
norte do imperio, honrando tambem a provincia
de Sergipe, toda a capital, sob a influencia desla
nova, espanejava de prazer.
O Sr. Dr. Galvao, piesidenle da provincia pon-
do-se fenle do moiimenlo patritico, convo-
co as pessoas qualificadas das comarcas, e de
aeccordo com ellas nomeou diversas commissocs'
i forma de pergaminho, contendo os diclanies da-
sorlc a Sr ('"l'"e legislador, tendo gravadas em palavras
i propar ili- ~L(MS de SolOB- Encostado esta pilastra ?-
S Augustas fe a corft* ,"lvlra r'"" Vn povo Atheniense
Hospedes, sendo quadjuvados polo Sr. ongenhe- '"
ro Francisco Pereira da Silva, que foi por S. Exc. r0 it,c,.'.il(,- mo. indicando que tados
lonrou aquello sabio legislador, junto d'ella u
sos deslos, era que o anno to formalmente es- dos escravos das colonias inglezas que elle lul-
tipulado se lem eslendido a um quarto de seculo. gava improprio, e de ru.ns consequenchw para a
As mslruccoes nos cruzadores ( com forca de sociedade em geral, o admitlir-se
tratado
encarregndo do trabalho. D;cle damos hoie'a !"aes eo*oa ue leis emdo papyro era que So-
discripcao. l" "ara seus pnmeiros diclames.
Foi augmentado o palacio da presidencia com AuS, I"dS d./:,!l.08o acham-se duas jarras de
ama galera, e dous quartos, bera como alguns i Porccla"a az,ul ""'ssima, semejadas de palmase
departamentos mais no interior do edilicio Foi es d""rulas- e ous caslicaes de crystal com
lodo o palacio pintado de amarello, com porta l""^'^. o com medalhes azues.
No centro do consol vem-sc duas lindas jar-
ras verdes guarnecidas de crculos dourados, 3
caslicaes de crystal ornados de pingenles o me-
dalhes verdes.
Sobre cada um dos dous sophs pendem espe-
Ihos, ricamente moldurados com caixilhos dou-
rados. Aos ps do cada soph est um tapete rico
com pinturas delicadas, lias cstremidades dos
quaes estao oscarradeiras ae porcelana fina.
Passaodo-so desta sala para o interior do paco
onlra-se no gabinete de S. M. o Imperador. 'E
o quarto azul celesta. Alcatifado de esleir bran-
ca, lera as paredes forradas de papel azul-celes-
te, semeiado de rosas brancas alada em fesloes
Consta a mobilia do duas mezas chamadas de
oscriplorio, sobre cada uma das quaes ha uma
primorosa esenvaninhn de praia, tendo urna pen-
na de bicco do ouro. Ha lodos os outros utensis
de escripia. Ao.lado est uma estante contando
litros de sciencii e de litteralura, bem como os
disse cm parla-
ir a condico civil
para a
dizem no arl. 2 Nao poder scr'visi- munho como legal,' sem mua'.'reguardo n pm"
J^Sl^terilUrSSS fS U,|T- E l"."S,re m"S,,r0- com W*ta-w I "|a,orios ****^' prVsldonriar desta pro!
le Y V ra-"nwoalo">. oraquanto oslner, poderes oratorios que lhe sao peculinre forta- vincia. v
Zlnl a "m .'! e,"seac,a- portoncenlc a ; leceu a sua opinio com tantas argumentos que Pr cin'a da cadeira principal pende a Ka va
Silde neSU &SKU. Z 'T d ?** T S" ** **<* *' ">e, l"! Cmm C">9P>>a do?Zs. Enta ada
...? 'adasb,1le'ias,*"; mas. dado oca -'Icrcunho dos escravos nos processos do que se indo quadro de moldura ricamente
lLV>l,JJsem, ^irados "esta s.tuaeo. navios ; trata ; porque, en. verdado,' so os escravos, que d<"-ada. representando SM. o Imperador eS
M. a Imperalriz.
Sobre uma dns mesaseslAo os nmeros lti-
mos das gazetas da provincia, que sao o Correio
Sergiptnse, a poca, o Voto Livre o a Assembla
tatholica. O quarto azul celeste tem duas ja-
nellas para a praca, as quaes esto ornadas com
os seus cortinados proprios, tendo nos portnes
arandelas do bronze com bocaes dotirado, bem
suspeilos, podero fazer-se as representaedescon-; j tem adquirido um corlo grao de civilisao e
venientes as autoridades do paiz, pedir.do-lhes cultura, o recolndo a luz do Evangelho, M. Cau-
que lomcm medidas effieazes para obstar a se- fning nega a capacidnde absoluta para servirem
melhantes abusos. | dc leslemunhas e eslabelecerem
nceder-se a
Outro artigo era todas suas partos audaciosa- le, como poderia co
ente rota pela Graa-Bretauha. Ao alcance de gros que acabara dt ,
peca, dentro dos portas e enseadas, desafiando frica, o se conservan ainda no
s fortalezas prximas, sera representaco olgu-! baria e bruteza ?
Je ser tirados
a evidencia da
respeito de no-
dos sertesda
estado de bar-
carteira de escripia, de senhora, fela de diario,
leudo a face superior toda bordada, e iniprosso
no centro um ramalh.te de flores delicadas; a
parte interior da carteira forrada de velludo
carmesim. Ha sobre o guarda-roupa dous casli-
caes do crystal eguaes aos da sala da perola.
Ha dous lavatorios de jacarand i com assentos
de marmore braneo, tendo cada um bacia e jarro
de prata de bello bordado, e os outros perlences
de porcellana branca dourada. Aos lados dos
lavatorios pendem 4 toathas de cambraia de li-
nho, bordadas e arrendadas cora multa delicade-
za e perfeico. Sobre os dous toilettes corres-
pondentes, da mesma madeira e forma, esto os
utensis todos de porcellana lina bordada, enlre
08 quaes subresahe um lindo porta relogio de
base de jaspe finissimo, contendo sobre ella
presos-pnr uma grade dourada dous frisos de
perfume e entre esses uma concha de madrepe-
rola, cima da qual sobre as lusteas que a sus-
tenlam se eleva o receptculo do relogio. forra-
do de velludo carmesim. Ha vasos de perfuma-
ras, bem lindas jarras de porcellana a/.ul com
fnzos de ouro. No toilette destinado a S. M.
Imperial, est urna tripode elegante, fela de
seiim, froco de seda, contando myriad.i de alu-
nlos : esta trpode foi fela especialmente por
uma menina para S. M. a Imperalriz. No cen-
tro est uma mesa de mogno a I.uiz XV, coberla
de vidro bordado imitando marmore pteto com
velas e flores rubras. Sobre osla mesa eslo 3
riquissimos objectos. Lira estojo para viagem
de bano com cobertura de charo : conlm
utensis proprios de crystal com cobertur.13 de
metal dnurado : bem como outros objectos, leu-
do uma pasta de velludo carmesim, do qual
tambem forrado todo o interior do estajo, que
so divide em dous pavimentas contando diversas
repartirles. Ao lado desta uma lindissima car-
eira de escripia para senhora, de charlo, tendo
bordado na face superior uma paisagera com to-
das as suas bellezas, surgindo as llores varega-
das e as folhas verdes no meio do fundo de
ouro. Esta paisagera representa o Ros* Castls,
palavras que se veem tragadas no meio da selva
que tape.a o chao da p'aisagcm. Dentro est
toda forrada do velludo carmesim. Conlm lo-
dos os utensis para escripia, entre os quaes
de notar o areiro que lera uma rea finissima
cor de rosa com p de ouro, e a pena de escre-
ver com luco de diamante.
Entre esses dous objectos elova-se um riquis-
simo guarda-joias de charo. tendo de cumpri-
raento i palmos, de largura 1 e meio e do altura
1 palmo, levantado sobre ps do metal muito
bem dourado, imitando as garras de um leo, de
ouro. A parte superior do guarda-joias toda
embutida de frizos dourados, que enlretecidos
com a cor do charo, formam um bello aspecto,
cercando urna lamina central, onde esto grava-
das 3 letras inciaes.
A parle contrado guarda-joias todi forrada
ae damasco braneo bordado, guarnecido de fran-
jas de ouro. Levantada a tampa do guarda-
Jolas, tem ella pela taco lateral um espelno em
toda a sua dimenso, representando o frontespi-
co da entrada principal do palacio de cryslal,
sendo as columnatas, os capiteis e as ogivas for
radas por damasco e por velludo braneo, com
sanefas e franjas de ouro, que se reflecten] so-
bre, o espelho produzindo 11ra bollo elTeito. O
resto do guarda-joias dividido era dous pavi-
mentos.
A superficie do superior est dividida era cua-
drados, rhomboides e parallelogrammos. Nos
quadrados esto ricos vasos do crystal verde,
conlidosem um franjado dc ouro que lhes pren-
de as lampas : esses conlm perfumes suavsi-
mos. As coberturas dos rhomboides o dos pa-
rallelogramos tem em si divisos, taitas por vel-
ludo braneo franjado como lodo o interior do
guarda-joias : nessas dirises eslo uma cartei-
rinha muito delicada e um livrinho de folhas
de marflm, propria para acompnnhar as sen horas
aos bailes. Outras divisoes que representara
duas banquinhas todas modeladas, lem ni parte
superior um dedal de ouro, thesoura do mesmo
metal e outros objectos proprin* milito delicados.
Levantadas essas coberturas, os espacos interio-
res, todos forrados do setim braneo' offereccm
acoommodaces appropriadas para alfinetes de
diamantes, lios de perola. pulseiras de brilhanles
e oulras quaesquer joias.
O pavimento inferior, cuja superficie toda
semeiada de flores de ouro sobro a superficie
de damasco e velludo braneo, tem uma gaveta
que oceupa toda a dimenso do guarda-joias,
lendo por piichadores argolinhas de ouro qu
saltera do centro, de flores do mesmo matal.
Do toilette imperial passa-se qara a galera
que o faz communicar cora o quarlo de dormir
de SS. MM.
Este ultimo (o quarto de purpura), alcatifa-
do de esleir branca e forrado de papel bordado
de flores cor de purpura ora .fundo braneo. Ha
nelle dous leilos grandes : um do Jacaranda e
outro de mogno, os quaes ficam fronteiros. O
de mogno muito bem acabado o de grande tra-
balho artstico.
Ao lado de cada um ha v.m table de nuil se-
nielhanle ao leita : una com podra marmore
branca, e a outra marmore preta. Os cortina-
dos dos lcitossao de cassa fina bordada, presos
em uma cpula dourada com sanefas de setim '
escarate, cingidas por lacos de seda e velludo,!
em gregas da mesma cor, que formam lindas
franjas. O espaco que divide os dous leilos tem
tpelos lavrados. No espaco enlre os duas ja-
nellas, correspondendo ao que divide os leitos
est uma mesa de mogno a Luiz XV, contando
no cenlro uma lamparina de porcellana dourada,
tendo em um plano superior um Crucifixo todo
de marflm, a cujos lados esto dous caslicaes de
praia.
O colcho do leilo de mogno de damasco
braneo lavrado ; o do outro de marroquim en-
carnado. Os Iravesseirosdc ambos sao de da-
masco bronco lavrado, ungidos por cordoes de
seda, que terminam em borlas desfiadas da mes-
ma fazenda. O3 tences de cambraia de linho
bordados e arrendados nos extremidades
I As fronhas sao egualmente bordadas, aperii-
das por tita 3 cor de rosa. As col xas sao de da-
masco escarale com franjas de seda em lerido
de grega.
Sobre rada table de nuil esl. nm pardo MM-
ton/les de damasco, bordados ao gwsto urienta
o forrados de setim bronco.
Sohndo-sedo quarto de dormir de SS. MM
percorre de novo a galera viudo a sabir na -1
de janlar.
Esta que fica na porte central do edilb o.
com mnnir.acoes para lodosos departa aent
dpseriptas, em cajos portees esta* araadla*
eguaes s dos outros, bem romo para o quarto i) 1
dama de S M. a Imperalriz. Esl alcatifad
esteira branca, forradas as paredes de papel j.-
columnas brancas e florea verdes. No rentro
urna grande mesa de vinbaliro, caberla rl<
oleado cheio de ricos lavuures, rodeada de um
grande numero ile cadeira, sobreest mei
esplendido gervicn de praia larrada, no mi
de outroservicncompleto de porroliaoa lina.
Era frente est um guarda-lnura contendo ui 1
servico completo da porcellana Una, c mus 1
Bppare.lhodeelia.de prata. Sobre osdooi
adores, que estao enllocados de lado, maita>
bandejas de praia maasica, e silvas de pral 1
vrada com ps arrendados, bem como um I 1
ro de prata. Dahi se des,,, para a roo.
Na copa dous outros faqueiros do pral*
mais outro servicn de porcellana. Km conlinu 1-
cao da copo licaui os outros aposentos ne>
nos, principalmente a alega, que contera n
tas qualidades de vinhos delicados, e a despeos.
que conten iodos os vveres preciaos.
Nesse pavimenta, para o lado da secretar
goterno, lic.i o pateo, comeado Iota as roll.nl-
les destinadas ao fornecimenlo diario ti
imperial.
[Correio Strgipenn
ALAGOAS.
A NOITE DE 10 DE JANI IR
a DKSPEDina.
Soou a hora da partida.
Desde s 7 hora- da imite que o p 1 ,1
nal eslava cheio de cidadaos de ti
ejerarchias, que almejavam o momento i
jara rnao aos Augustos Soberano-.
Sua Magestadeo Impera,!,..- den ordem
que fossem admiitidos todos na grande
recepeo.
Eoi uma concurrencia extraordinaria < r
muita difficuldade que se po*ia subir as e i-
dasparo gechegar ateas salas
A despedida dnixava a titos impressionad
na mais viva saudade, e nesses mntenlos de -1
dosas recordieoes. o poro quera ainda ver
templar e adorar Aquelles a quem tribu i
culto deodoraeoes, nesse anglico phanatismo .
que se chama amor
Pelas escodas do poco riam-se homens e au-
Iberos, pobres o criacas- ludo se a;
pora ter a mesmo honro.
Na grande sala da recepeo eslava Sua M., -. .
aje o Imperador eom os seus semanarios
"hV P.V0. q"e e,,a conU">. 'l"* com mut-
is iiiiculdade se po la caminhar.
Apresentou-se a cmara municipal d.. ,.,
crecilou o seu discurso de despedida, e aindj
algumas felictaees foram lidas por dirersaj
ciedades, corporaeoes e cmaras.
Na sala do recepeo de Sua Mageslade 1 la
ratnz, eslava o Augusta Soberana Cora a
dama a Ezm." Sra. I). Josephina Costa, rodeada
de mullas senhoras, que tinhara ido um|.....
depuraos ps da Virtuosa Esposa suas rea
losas honienagens.
E esse acta solemne o pomposo do beijamia
de despedida pareca um nunca acabar : o povt,
nao quena sahirdas solas a contemplar os
los charos aos seus coracoes, e iraquelle moi
10 o soffrimento da dor u de saudade f../i,, ,!,-
OS labios, paro que o coroco fallasoe na humij,
liriguagem dos olhos.
A saudade de um amor celeste nao deve t,r .
morlalidade do mundo, mas do infinita 1
mensidado, porque a saudade a existencia do
espirito, o o espirito um conductor de a/a-- lai
gas raminhando de monta em monta, de an ji
em arvore, de flor em llor, em busca de ludo ..-
quillo que lhe pode inspirar, e de que elle pode
vtor. l '
Suas Majestades Imperiaes se mostraran! com-
movidas com o expectaculo solemne que repre-
sentara o povo perante sua Augusta Pres.
iodos lhe beijovsm os Maos, e em lodos os
oanles a dor pungente da saudade se tradur
nesses minios olhos que se endurara de la -
mas.
E essa homenagem muda que o coracfto tri-
butara aos Soberanos da ierra no momento em
que no deixavam, ora r.or demais gron lios 1
porque portia d,. povo em geral de todas
oasses ejerarchias.
Desde o prestmoso e ncansavel presidente d.
provincia, que com sua Exm'. senhora ah esta-
vam recebendo as despedidas do poto, e fratei-
nisando com ellas, offcrocendo-ai aomelhord -
Monorchas. mais virtuosa das Impera;.
ludo ah se confunda ; porque a hon;
gem era uma s nao linha class
Ero a saudade do povo, o seu adeos da d"--
pedida !
Todo o largo do paco eslava apinbado de p,v
mmenso, [iorque era impossivd que os sal ia 1
palacio contivessem tanta gente.
As 10 horas comecou o chover. As lagrima*
do ceo unirm-se s da trro.
0 povo porm'no obondonou a praca
eslava firme no seu poslo, esperando o'mom-rr
da separaco.
Nesse momeuto o que o cora-o senta nao se
pode descrever.
A chuta cahia a cantaros, o povo eoaehegai >-
se todo para junto de palacio, mas sem fnere
ohondona-lo ; as illiiminaces acezas, e a n
postada no palanque locando o final da opera -
ranata !... '
Essas notas vibrantes dos instrumentos.....as
harmonas celestas quo leeavam o alma o i
Iho da chuto, e o murmurio do poto, ludo islo,
era grande e sublime, mas melancoli -amonio in -
pressionava o coraco na.forca de um tal soflri-
mento, que s a saudade qu principiara a do-
minado, podia explicar ludo o quo seSenlia, m.
que se nao pode pintar.
De repeine abrio-se eaminho enlre o povo 01
vivas estrepitosos romperam toda aquello me-
lancola, as bandas de muaicl liearam o hvmn
nacional, e esses dous vultos Soberanos c* ino-
gestosos appareceram no meio das olas do poro
e descerara as escodas de palacio com muii.. f-
ficuldade, sendo saudado a cada psso com as
maiores signilicaces de affecto a fedieacao.
Na porta do par^o na roo, a wplosio dc
Ihusiasmo foi exlraordinoiia O poro senta .
que a dor da saudade Iraspassando-lhe a alma e
br.idava um viva, chorando pelo que io taltal -
lhe Aquella ovaco lo:ou ao sublime. A chut,
nao cessovo e o poto lamben nao cernea d
chorar, porque esses brados, e esses vitos del
ranles nao orara mais do que as 'lagrimas I
povo, que conhecou a felicidade para to depres
sa pcrde-la.
Suas Magestades Imperiaes agradeciam cons-
tanlemenle ao povo, manifestando no semblan!
a commocao que Ibes causaran aquello espec-
tculo tocante.
Suris Magestades Imperiaes porliram de carr
para Jaragu ; muitos outros carros o sezuiran,
bem corao uma porcao de cidadaos a total',
Toda a cidade se achata Iluminada corao ni.
principio da noite.
No ponte estarn postados o batathoe* pop.-
IMUTILADO


f)
JHAF.YQDB PERNAMBUCO. C_ 0UWT\ FEIRA 9 B FfcVEREIRO DE 1860.
lares dos Lyceislos X'edro II e os volunta
rios de 31 de dczcmbro.
Milito povo acompaniou a comitiva imperial,
al a ponte que ochava-s ulopclada.de gente c
toda Humiliada.
A dislincta c nobrc ollcialidade da armada na-
cional eslava formada con grande uniformo no
embarque.
Enmona horas o meia quando Suas Magesta-
des Impcri-acs chogarara ponte c foram recebi-
Jos com grande enthusiasmo.
(ltovia milito.
Algasias srnhoras apezar do lempo ahi esta-
vain, e a frente deltas se via a E\m. Sr.a D.
Amalia Dantas, digna consorte do Exm. Sr. pie-
sidenle da provincia.
Acamara municipal rrceben as Pessoas Impc-
Yiaesdebatxo do paliio, c assim os conduzio at;
.-i galeota e pesar da chuva o povo tambera a-,
oinponhou aos seus Solironos at as escadas da
ponte, que licaram alopeladas de gente, c que
supporlaram sobre o corpo toda a toreo da aguo
que vinha do co.
Por todo o trajelo da pontesolemne o grave, conservadora fazer da iusliea da sua causa o
. am os vivas estrepitosos que expriman! a couselho municipal.
que, se adiando presente, reconheccu o proceder
Ilegal da rnaioria da mesa, composla dos seus
correligionarios, entretanto que aeonsclhou que
continuasse a obrar como liavia principiado, por.
que raciocinava elle, o resollado c" semprcj
mesmo. Ue fado a mesa em rnaioria con'Jinueu
os seus trabalhos conforme redamavam. os in-
leresses dos candidatos ; um s nome nao quize-
ram admittir de pessoas que pertCjcignj n0 {(j0
conservador ; havendo em priucipio u,n dos
membros da mesa redamado, pela incluso de
um, foi categricamente respondido peto presi-
dente da junta do seguinto modo :nao mando
escrever este nme porque nao esl na lista do
Sr....... c conseguiuleinciite vai ser rasgado ;
islo e muile....
Depois de quat.ro das de trabalho Ilegal, c
millo pcranle a lei, resolveram-sc a mudar de
rumo, c cumplir com os preceitos da le. lslo
porque soubcram que unir, represen-
-'**^" dc nV0 C0B5e Itndo uma e na0 daas l-eoes, c foram todos mortos por seus odversa-
".nio a antes eram.
Disto ha procedido mui bous
Ora fela, e dirigida ao Exm. Sr. presiden- infame cerca de palias de coquoiro,
te ; 1" porque se coiivencevan de ser o seu capri-, feita, e que produz o effeito de uma'
ChOSO trabalho sem resultado visto tero lado ca com denles podres e pelos.
equvocos, pois
que a mesma numeraco acha-se em duplcala
n'oquella ra pelo motivo cima referido. E
pois, urge que em continente seja a numerarlo
reformada ou feita nesle sentido, am de se evi-
tar engaos ou quiproquos, que ja lem-se dado
Esla medida de extrema necessidade, por-
tento nao deve ser defirda para lempo indefini-
do, ou para os kalcudas gregas.
Parece que ha pessoas que se nulroni nes-
se espirito chamado de contradcoao, indo sem-
pre de encontr ao que est estabelecido.
Ser isto um meio de celebridade?
Cuando a ra do Sebo cresce em cmbelleci-
menlo, quando todos os edificios d'alii ostenlam
urna hcllissima perspectiva, com os seus muros
de Ujolo,- onde elles sao exigidos, ha um pro-
prietario que, ao lado de sua casa, conserva uma
milito mal
bo.iila buc-
P
Ja nao e a pnmcira vez que nos ocrupamos
dessa cerca, demonstrando k necosgidade d
nos.
Comludo ahi vivem em familiarldade com os
ledos as raposas d'Africa, queservem egualmcn-
te pora as cacadas imperiaes. O imperador ac-
tual, Sidi Mofiamed, anda sendo o pac vivo, era
um cneador intrpido, c frequeatava muito a flo-
resta dc Hahmore. Foi tiessa floresta que em
1853 um Icao o ferio gravemente: essa circums-
lancia fez espalhar naquella poca o boato de
sua morte. A populado do Mahmore consta
apenas de 800 almas
Mehedia urna cidade martima como Mahmo-
re. Peiteiiccu amigamente aos portuguezos, que
fizaram dclla urna praca de primeira ordem.
Ainda hoje existen excedientes feotes, e as rui-
nas dos templos edificados naquella poca. A
cidade ainda conserva bateras bem construidas
e armadaa.
Sobre a mesma parle do lilioral, e depois do
ter passado a cidade de Rabal, alravessadas sele
ou oilo lorenles, est a cidade descra que se
chama El-llanSouria ; sua mosquita, que foi
construida em 1520 (em urna torro com Irinla
ixmmnnu ob viras esiiepi.ubus que g*Pri uiam j o. municipal. uessa cerca, demonstrando k necessidade de ser metros de altura ; nao raiidc dislanch ei.tra-
it do coraeao do povo, que itaquelle fr. i- Anda mais esse Qguroo dina a quera o qui- destella ; mas o que i obro ludo nos admira 6 : se era Tidallah, utra cidade quasi abandonada
n na arda odo na poesa deomenthusiasmo, esse ouvir, que quera linha mesa nao poda que os agentes da cmara nao teiiham sido sol- que con la uma nopulaco de 300 almas ouando'
do de melancola c de suspiros, poique t sau-, perder a eleieSo, (.nivel precedente, mos pnn- los em mandar desmancha-la, e murar o CSpa- apezar das suas ruinas ainda imdia contar de/
tzc j o dotmnava ern lodo c santuario do seu | apios rao leudo os negocioselciiojaes ueste ler- ce, como imposto as (Misturas mil habitantes. Soguera-s depois Day e Beyda''
Semelhaiiteproceder, em que o dever de car- e finalmente Al-Uasar, que, sob os Almsrarides
ricas c poderosas. A ultima nao con-
'0 habitantes. Toda esla popula-
de antigs familias, que gozara
pcssivel ajuizar-se do futuro.
..mor, que linha degenerado cm fanatismo. I mo. .Nao e
y indo se rhogou ao firo da ponte houve um ; Ouc lodos ooneorrm asumas, que os partidos I go comittido escandalosamente, d lugar jui- foram lo ricase i
instante solemne, c de lana sttbHmidade que procurom obter triumpho a favor dos seus prio- ; zos encontrados, mas soiApre desfavoraveis au- la mais d> 5:1)00
impossivel que haja uma penno que possa des-1 cipiosacho rasoavel, nao se empreguem porm toridade que o desenvolve ;aqualporconseguin- cao composla
en
os meios indignos, que dosiiaturalisaiido o fim a le deve fazer efectiva a prohibicao csislente. m lo lo o paiz de urna grande reouiacao ofo d-
'JC Si lH'nnnn r.liti v i*i> n^ liia i.tamI.^ ansia 'rxninln rln i>*i>Ia kikU^a. .... i .-.,.. i .. ____ _< .i...... ,1.. ,j.. '
SS. MM. II. pararam, as msicas calaram-so, I qe sepropc. rebaixam os seus agentes mais pondo de parle qualquer patronato, que s deve
nao .: i mais viras, e hoove um silencio I nlima condi^o. cesenvolver-se quando nao implica com direilos
o em quaulo seTsaerava que a comitiva Confesso.o meu peccado, sigo o partido couser- de ouirem.
erial, rumpmde n iin(ia|de povo que eircun- rador, desejo o seu Iriumpho, sugeilo porm este1 Em consequencia de incommodos do saude,
Java o paltio, podesse chegar r.'.i junto dos So-1 mee dezejo e condic&o ao possivel, entendoquo que sobrevierakn s cantoras,^ nao levo hontem
qualquer doloempregado para o seu Iriumpho o "
dcskislra, o desmoralisa, e conseguintcmenle li-
ra-ltie toda a lona e prestigio que elle linha.
t e.-le anuo, o anuo da lula elleitoral; os par-
tidos preparem'se, \ao disputar, deixem-ee de
Brasil para a empregaf meios indignos, que cm todo caso lites |
vjr a prejudicar.
Conlinuarci sobre este assumpio.
dos So-
beran
O Imperador como que qolz fallar, porem ora
visivel a emia de vj elle c ai hava pos
: tojos mudos., com os e'.ims arrazados do lagri-
>:: is pi .ui.ivj.:: bi ijr-lhc man. c -i desse anje
bondade e : -. no Ihnuo do
S la i inipli '.de.
Era una espedida solemne e magestosa; era
um quadre toeORte o sOJlirael! Naquelle mo
ii.rn: i cotiundia-sc a rcelura com o sentimen-
i.i, ii seiCimcnl c ::. e alma c n alma com a
i ic, que drminava-j ei'n todos o? coFacees.
SS. Mil. 11, cni a s'.'a comitiva, 4eeccram as
i- alas-do ponte o embarco ram-se na galeota;
romp strrmdofos vivas c railhares de len-
i -', rarcos ; no ar.
En m os ltimos o-deoses do povo.
As i se*d iS da ; i;e npezai da grande rhuva
que eflhia sfresetrtava uma vista encaiitadcra^~
i id i eto] i: Ja de gente, com os batalhocs patrio-
is rostidos dc branco, allumiada por urna im-
sidntic dc 3rebutes, eo pove todo bradando
' ivas:: Sua Itagosladc o [niteta lor, Sua Ua-
I stadt Q'Impera'.rize s Augustas Princezas,
neos raolhaduS pila? lagrimas
:.i sen du'fida nlgnuia ludo isto um
grande magFSloso espectculo.
SS. mi. 1'. legaram aborde do ,'..A vinle
j. i riles d-a uma hora, e at s 2 horas e
1 mre os [' levanlou ferro o hiale Imperial
I d iixir a |*i ivincia que lano so nfauou com
.: ..... do! .- beranos, S. Exc. o Sr. presiden-
te i;.: provir.cc, com u secretario do govcrue con-1 nossos males.
ingar o concert de que tratamos ; o qual cons-
la-nos haver sido transferido para lerea-feira
vindoura I
Ainda os burros nao nos deixaram
praias !
as
dado
Foram recolhidos a casa de delenco no
da C do correnle 7 homens c 3 mulheres, sendo
/ livres c 3 esclavos, a saber : 2 ordem do Dr.
chote de polica, 1 ordem do delegado do pri-
meiro districlo, *> i ordem do subdelegado do
Recite, 1 ordem do de Santo Amonio e a do
subdelegado do segundo districlo dos Afogados.
Foram rerolliidos mesma no da 7 somet
E" ncodleslavel que d
o urna
sulla altos beneficios para a sociedade; a prc-
veiicuo dos delicies principalmente deve ser um
dos ramos de suas maiores allcncdes ; onde ella
deve era pregar serios cuidados, a sua maior acti-
vidade. Amos provenir di'I icios duque casliga-los,
i ste um principio que desde a sua origem nao
temsido refutado, ainda mesmo pelos tcrriveis
sophisias
l'ara que a polica de um lermoseja saudavel,
e bemdiia pelos seus muiiicpes, faz-se preciso
que em si rena muias ronsideracees. laz-se
preciso que os agentes que se aehain revestidos
le 2 homens ; 1 livree 1 escravo, a saber: 1 a
Oeeupam agora o esparo que vai do forte do ordem do Dr. chele de polica e 1 do subdele-
Brura ao do Buraco ; e nesta situacao vio aio- guio de S. Jos.
M.vTAnocao riiu.ie.o :
Malaram-se no da 8 do correnle para o con-
sumo dosta cidade 80 re/es.
Moni .i.ioMiK no mX 8 no correrte:
Geni rosa Mara Joaquina, branca, casada, 3i an-
nos, tabre cerebral.
matisando solTrirelmente o ar que respiramos,
boa polica re- achando-ee, segundo nos informara, em tal esla-
desta auioridade lenha'm
e resoluco en. seus actos :
do de putrefaccao que j nao c possivel rcrao-
v-los.
Nem os urilms querem come-los!
Nao ser porem excquivel manda-Ios enter-
rar, para evitar a corrupQao do ambiente, cor- Genovev i Mara da Conceico, parda, viuva, 50
rupcao que uao pode deixar dc ser fatal a po-
pulacoV '
Tome-se uma providencia, mas que seja etli-
caz, c nao comoessas que ho sido al; boje pos-
las em pratica.
Por portara de 31 dc passado foi nomeado Firmino Moreira da Costa
ajudante do procurador 0*cal do Limociru o Sr. anuos, gas tro hcpaliles.
bre a peticao de D. Antonia Francisca Cadava]
Piulo, cm que pedia permissao para substituir
por oulras madeiras, as que so icham podres,
da trapeira de sua propriedado n. 6, na ra da
Esperanca, c collocar as paredes da referida tra-
peira sobre os oiloes da mesma casa, o visto
ser ella dc oiloes dobrados, entenda o mesmo
fiscal que se dovia conceder a liccnfa, lano
mais que ficava rccolhida do aliuhainento da
ra cem palmos.Conccdcu-sc a liccn<;a.
Outro do fiscal do Poqo, informando favoravel-
mente a peliedo de Francisco Gucdes do Araujo.
que pedio lccnca para reedificar um dos oiloes
desea casa em Parnamerim.Concede i-se.
_ Foram approvados dous pareceres da commis-
sao de edificaroes ; o 1" no sentido de se poder
conceder licem;a a Joo Baptista de Medeiros
para reparar o predio, em que linha oslabeleci-
du urna prensa de algodo no Forte do Mallos, a
quai em consequencia do incendio que solfieu
no dia 27 do de/.embro ultimo, achava-sc deslc-
lhado em mais de melado, e com a coberla ar-
ruinada bem na terca parte ; o 2o no sentido de
nao poder Manoel Ribeteo Pontos continuar com
a obra que se achava (aseado em seu predio da
ra do Livramenlo.
U Sr. Barata declarou que o cidadao Joo da
Silveira BorgesTavora eslava exercendo as func-
eoes de juiz de paz do 4o anuo do 3' districlo da
tregue/.ia da Boa-Vista conjunciaineuic com as do
posto de capito da guarda nacional, que sen-
do a accumulaco dos exercicios prohibida por
le, acamara houvesse de officiar ao referido
capilao para fazer opeo.Assm se resolveu.
dos pelos homens creadores c illustrados: l."
como pens.
Se bom que nem sempre sao respailados ca-
recieres desle genero, comludo entendo qae s
assm poderemos chogar 6 um desidertum feliz .
por que sao est3s as vias ascencionaes e unifor-
mes que pjJerao regularisar os corpos collcc-
livos, a sociedade humana cm fim.
S lenhj vivido no munlo poltico pelos dic-
tames de minha consciemia c se meu rora?ao
essas vozes imperiosas tenho subordiiiado-uo.,
nao me arrependi ainda.
Republicano moderado como sou e espera ser
sempre, nao duvido [ quando precisar e aio livor
outro meio dc vida ) receber um eaapreg, por
que como Brasileiro tenho direilo a qualquer
conforme o raen merecimento : assira como
nao duvido unir-me ao govorno quando \;r
minha patria invadida por eslraogei os com >
pens e ser minha divisa.
Emquanto o Imperador do Brasil se ceotiver
nos limites que a Constituico Ihc pn
respeitarei, nao s como Imperador do Brai
nao como cidadao brasileiro allnente colla
nao quero mais a liiiguagmn virolenta e alaadea-
lina, porque ella c o corrosivo da so icdade.
l'rocedendo como lien evposlo, entendo que
ciimpro com o dever de' bom cidadio Brat
0 de repubublicauo sincero, uue lem encarnado
em seu coraeao o principio republicano para a
vivaz como a rcsta-lo, sem que todava con
especule.
Garibaldi, republicano sem msela e um d
rendes vultos desle sceulo, nao duvidnu unir-
t> .Sr. Gameiro represenlou contra uma tropel- se ao poder real, quando vio que a patria i
ra que se esl fazendo na roa atraz da matriz da seus srrvieos. E' assim que deve proceder
Boa-Vista sobre paredes singellas, e quemis republicano honesto,
pireco um andar do que trapeita, e exigi que a So iba por lano o paiz e o mundo, que
ira ordenasse ao engeuneiro para ir exami-| obstante nao haver comofals diacn-
par-
iiar.Mandou-se ofliciar ao mesmo engenheiro lid o republicano regularmente coi
no sentido da representa^ao. lino no meu posto de boma, .-.
O .sr. lranca, meiubro da commisso de po- lempo para resolver o grande pr
licia, apresen!ou o seguinto parecer sobre a pro- Nada de dehemencia ; espero que se renna |
posta do Sr. llego na sesso de 9 do correnle: la discusso dos principios, ella de p t ou
lendo considerado altentamenle sobre a pro- conlro Deixo os de excosaos, i
posta, que opresentou o Sr. vereador Reg, al- rommumenle degenerara.
lerando os precos das catacumbas c sepulturas Nao tenho mais nada a acrescenlar ao qm
'^.':""_lc.1,1." 'il'1''' r'1'1 .!'-' sou do parecer que se ca dito, s eserevo estas quat ra a-
moslrar ao pal/, o que tenho lo, -
em poltica : os i.....is cscriplos desde 183
hoje, mi lii >r a tiesta m.
cm ve-, de
irroandade
annos, cmaras dc sangue.
Mara, prela, escravo, soltcira,
to cerebral.
Manoel, pelo, soltciro,
zigos.
S anuos, conges-
cscravo, 32 annos, be-
brauco, soltciro, 28
moialidade propria, Jos Antonio da Silva cMello, advogado d'aquel- Josina Hermenegildo da Conceico, branca, sol-
que urna vez esluda-, le foro. leira, >\ anuos, tubrculo pulmonar.
dos, e conhccidos como justos, devem ser pos tos A barca franceza Yillc de Doulogne, entra- Josefa Mara d'Oliveira, blanca, casada, 45 annos,
em execueo sem ler cm vista consideracSesjda honlem, com 29 dias dc viagem, do Havre, coagesto cerebral.
quaesquer, ou censuras imprudentes e injustas nada adiaula as noticias trazidas pelo Oneida. Joaquina Mario de Santa Anua, parda sollera
dOS daSeinli.nli.c ana iili Manoel de Miranda, branco, soltciro, 20 annos,
in-so a bordo, sen [uo na provtn-
: :-iin a .. lira ile. lie ultime illSl I te da p:n-
...... em despedida a ntau de Mouar-
.':. duas lo;as c um qtinit j o vapor Apa ca-
inr hava a seu novo destine, deixandc aps de si
nacho de funx que si estendia al
dos dRconlentcs, e os adversarios polticos; nao De Iguaross recebemos a seguinto corlo,
ligar os seus actos mesquiulias vlngancas, e com data de li do correnle :
lulos caprichos ; c necessario que teuha tran- A' cortos incommodos de sado, que nlli-
queza eo,u aquellas pessoas dignas, e merecedo- mmenle me appareccram, altribuirci a omisso
ras della ; necessario esquivar-se sem o mais em que tenho cabido, j que nao me coiivcm dar-
ce mortiRcagoodo patronato, causa valentedosj lhe a verdadeira cansa... Os planos .das futuras
eleicos consliluem a prcoccupacao nica da gen-
io desle temo ; de outro cousa ningueiii se oc-
cupa seriamente.
Int.-
izm me entre nos a policio nao cumpre os
seus deveres, o criino se ostenta, c a lei 'des-
respeilada, o concorro para isto quem deveria
punir o criine o lomarrespeitavela lei.
Exislcm neste termo duas subdelegadas, a da
Babia da Traicao e a desta cidade. U subdelega-
do da Baha Decapa presentemente os cargos de
upraia.pi >lengando-se pela cidade como que pa- subdelegadodepolicia.de juiz de paz e dc le-
an iicgrunie-ctristeza de que toda nentc-coronel commandantc do batalhao da guar-
do nacional, c se mais mundo houvera, l che-
para. Como subdelegado limita todo o seu exer-
cicio em proteger criminosos como lem teilocom
os pronunciados Xavier e Ruviano, que com el-
febre amarclla,
Joaquim, paulo, escravo, solleiro, 30 annos,
pleuriz.
Moscital de caridadk. Existem 7 ho-
mens, 53 mulheres nacionacs, 2 homens estran-
geiros, 1 homem escravo, total 130.
Na lolalidade dos doeules existem 37 aliena-
_ Como natural, dessa consiente preoecupa- dos, sendo 30 mullicres.c 7 homens.
les vive na maior intimidado, tjuanlo ao cumpri- ltimamente occorreu nesta villa.
!: i se aclievajtossuida.
-. .- felicidaOe, c agora a a sombra
<: lia faz vivar .- -i, ,iv i saniamente, como a regiao dei
1 perdurada ne sua cruz I
unvi le da d podida as lagrimas do co
uidin :;.-: com as da letra, porque na au-
Eenca !..iv.:, lambem um onjo, C esl fazia com
ru i eo ciiorasaeiu.
F ag ra bem longos e solitarios os das
ru se passam, recordando c que se mo e o que
bc gozeu; orgulhando-nos-ecm es nossos das de
gloria e dc v iitura; e eneoslaudo-ncs ao monu-
raenle d passad mimoso, e lo radiante
li idode, como mpe'.a que se recosa pen- ca o curaprimento da lei nesta parte. A vista
i alivo a melancolice em busca de suas bellas re- i deste pequeo esboro biogra(ihico do subdelega-
i_orda(-r-;s para delirar Itarmouiosameme. do da Baha, bem conhecero os seus leilores o
d tiassado reverte toda pa?a a sauda- resultado da sua polica,
c do presente. Quanlo ao subdelegado daqui por ora urdi
cao se vai gerando lal excitaco, que cu j tenho
raedo de fallar dos negocios deste agradavcl lor-
raozito.
Era rerdade, cstou doudo que acabem com
esla historia de eleces una bebe leira, que
Iransvia a razae mais segura. Tenho visto i es
excessos por causas de eleces, que nunca pen-
sara eu que homens decerla ordem os praeas-
scm.
Ora, cu lhe contarei um caso exlranho, que
ment de ordens do delegado ainda una s nao
cumpli, que o diga o delegado do termo. Como
juiz de paz consente que criminosos apresenlem
se em audiencia para onde foi citado por um cri-
minoso Joo Manoel de Almeida. Como lenenla-
coroncl ainda urna s vez uo se apresentou em
forma, o lendo sido nonieade ha dous anuos nao
lado vencido na formaco da junta de qn.i-
liie-aeo, entendendo que os trabalhos desla n i
devero correr sem inspec;ao, conferirao mnda-
lo a corto moco, sem prestigio e torga mural bas
tintes para advogar os intercsses polticos dos
seus mandataiios, alm das inimizades antigs
que irazia com alguna dos membros .\ junta.
se firdou, pois, segundo a lei, perdeu a palele, Do desaceito da esculla, resullou, que cerli di-
c reclamamos doExm. Sr. presidente da provin- los e aeco de um dos iuimigos do com mies
do, o amolinasscn, e excilosse
susceptibilidade ao ponto de
posto, leudo este faeto desagroi
amigos do ainn/iiiadnr, pareca i
luido elle 0;,s funCCOeS do I
sua exltcma
Ion ir o seu
nos pn
d [luis Oe re-
mbro* da junta,
A coiihoaira de Paulo Alonso abri urna nova silencio, cstou procurando averiguar de um oc- como arontecen, nada obstava que o soai
ra para proriaeia das Ala-jas, porqce a visita ; corrido, cria segninle dar-ll:ci noticias minucio-
Jnipori?! a-ese lugar foi a prraeira pagina desse sas.
ti 6 ;. qa l*o cuidadosamente prepara 0
prestimonoe esperauojose cidadao queoi predes-
linndu ara presidir diiigi: '.odo esto movimen-
ria, de pregresso, -.de espeta ncas na
provincia cue Ihc im confiad
ti delegado do termo, urna das pessoas dignas,
ede ha hi I i tacos para o oxercicio desle emprego,
acha-se ha alguns me/es tora do exercicio.porgra-
ves 'incommodos em sua eaude, pelo que temos
estado privados dos bous resultados que sempre
Isto*, pi n ib,nao se
provocacao deseo
o dia 3! de deaesnbro do it<9 o cocsplemen- tirn dos seus trabalhos pehciaes. sen
ssc grande eite que ha d deixai na proviu- ro supplcnte
t ..i n:aluiavcis beootlcie
moco de bom coraeao, c mesmo do
nado vbha'sse ao seu olficio.
den seuo por meio de uma
raima!.
N'nm bom da, circulnva a noticia em toda a
villa, de que a (orciort devera ser o ttm-.nissio-
nado recoii'luzid i no seu officio de ilJJaVtor ; c
posto q'fe parecesse iuverossimil lal beato, umf
iu'fsa e tima eadeira, mandada collocar na igreja,
Foram visitadas as enfermaras pelo cirur-
gio l'inlo s 8 horas e. 10 minutos da"maii!ia,
pelo Dr. Demolas s 8 horas e 1, i da ma-
nh.ia.
Fallecen una mulherJJc aortides.
CAMAlA Ml'MCiPAL DO RECIFE.
SESSO EXTRAORDINARIA DE23 DE JANEI-
RO DE I8G0
Presidencia do Sr. Ilcj'j c Albnqnerq ue
Presentes os Srs. Franca, Barata, Mello, Oli-
veira o Gameiro, faltan,lo sem causa participada
os mais senhores ; abrio-se a sesso e foi lida c
approvada a acia da anlecedonle.
Foi lldo o segninle
" EXPEDIENTE.
I.m ollieio lio Exm. presidente da provincia,
commuiiicando, cm rcsposla ao desta cmara
do l(i do correle, ler designado o dia i de mar-
eo futuro para a reunio da junta de qualifica-
co da liegue/.ia de s. l'iei l'edro Goucalves, re-
cominrudandu a mesma cmara que desse de
sua parle as providencias necessarias para queso
efle-etuasso a reunio no din indicado.lulei-
ra i.i o n audou-se chamar dons supplenles para
se juianieulareln.
Outro do mesmo, remetiendo por copia o olli-
eio que CRl dala de 1!) do correle dirigi ao
juiz de paz presidente da jimia quaUiicadora da
fri guezia dos Afogados.nterada.
(I na informaco, viuda da ['residencia, do di-
recior interino das obras publicas, solee o ollieio
de Carlos l.uiz unibronne, emprezario da lim-
peza e escoaineiilo das aguas servidas das casa.-
aJopte a alter.ieao pela forma seguinto :
Oue se cobre por cada ealacuniba
23, :)(). Por cala catacumba de
era, vez de ib, 8. Por cada sepultura reserva-
da, em vez de i;, 5}. l\,r cada sepultura de es-
cravo, em vez de *, l~.
Deixo de convir na allcraco dos procos das
sepulturas communs o dos terrenos perpetui-l
dude por nao julga-la razoavel.
Paco da cmara muuicipal \ de Janeiro de
I 86 I.Franca.
Posto em discusso foi approvado, nao pos-an-
do o emendo do Sr. Barata, augmentando para
ti5 o prego das sepulturas reservadas, nem a
emenda do Sr. Gameiro para llcar no mesmo
prego de 2-3 as sepulturas de eseravos.
Dcspacharam-sc as pelces dc Antonio Egi-
dio da Silva, Amaro Jos i d >s l'razcres, bacJiarcl
Antonio l.uiz Cavalcanli de Albuquerque, Anto-
nio da Cuuha Soares Guimaies, Antonio Jos
Maciel, Candido de Albuquerque Maranho, ba-
charel Francisco de Araujo Borros, Francisco
I lias 1'erreiia, Ignacio Potronilio do Nasci.nenio,
Joaquim Ignacio Kibeiro Jnior, Joiio Baplisla
de Medeiros, Jos Antonio Pcrro de Pigueiredo,
loa i Goucalves Luc->s Lisboa, Jos Thom de Je-
ss, Joo Pacheco de (jueiroga, Jos Casimiro da
Silva Perclra, Joaquim Francisco Estoves I
mente, l.uiz Pereira Rapozo, tcneute coi......I
Manoel Joaquim do llego e Albuquerque, 2',
Manoel Colho Pnheiro, Martius & Alvares, Ma-
n id de Sou/.a lavares, Manoel Ilibeiro Pontos,
Viuva Castro \ Filhos, Virginio Fidelis liamos; e
levantou-sc a sesso. Eu Francisco Canuto da
Boa-Viagom, oflicial-miior a csrrev no impedi-
lieci
r.
Rom
roteo de ls
1/cev
Correspondencias.
Sr. reductores.Tendo ratolvido demorai
por mais algum lempo nesta capital, emauanlo
oblcuho a responsabilidad^ da
o Manca le, inserta no Liberal Pernamb*
19 de outubro do anuo prximo passado, de
Iralei ero meu precedenti micado,
opporluuo dizer acerca delta algu
que bastera a fazer conhecidaa i
ade ca protervia cien que um homi m d>
prezivel, procurando poi
contra mim seu odio profundo ilnm-
niar-me despejadamenlino misen;;:
de niilsinar-mc no animo di
pelo esfore desta intriga desliluido d i
subdelegado de S. Jos do termo de l
que ba mu s excrgo com a n a p< -
lo serv-o publico, perseguinde c pn
grande numero de criminosos qu
meu dislricti polidal, e isto a cusa ie ni
quinos sacrificios, de minha bolsa de a
vida !
l'ara que soconheca. piimeiro qi
ri i le do que acabo de referir nao n -
r i ; ;i prestar atlenro a pinas-
odio, ao desp'il.i e a sele Ue vinm .1 q<
sumbram do nranzel do Mancali
ment do secretario.Reg c Albuquerque.'ore- nham em cada una linha, cm ea la un
.
sem consentimento do presidente da junta, fazia
boas intencocs, nao lera a menor energa no seu acreditar que um tacto extraordinario estova enl-
abente. A policio poz-se logo a postes, e o des- ,!': ^'h ''l r,eu,oUendo mt'sm1a Mdecu
(acmenlo a quortel pjonta da cidade com o traeo geral da canai.sa-
Dentro ern.poueo, era a igreja invadida por P*101' lndldO os declives -A' comu.is-
iieiroui^b.'in peilnce-nesac coracao pela sau- coiilentoti-se em escrever ao chefe de polica um dos pleiliadores do circulo, armado dc chic-
le, e acoinpaiiliado por oilo aclitos, tambera ar-
mados de sip-pos I Os membros da junta man-
tiveram toda calma e icalterabilidade, sendo que
mui- ao presidente dirigio-se o senhor dc chicote, di-
A felicidade passeu, deixou .porm ntrenosos obrar. lio poneos dios den algumas demissoes de
:-.. ^. O da 31 de dexembro pcrlence- inspectores de quarleiro, alguns dos quaes de-
uos ae euragio pele amer;a noile de 10 de ja- viam estar as calcetas, que a lei lhe faculta,
neiro lambsm peileuce-nosac coracao pela sau- conlentou-se em escrever ao chefe de polica
dade !'... 1! a cccace perlonce exclusivamente a queixando-scao subdelegado. Parcce-me isto an-
quera lem i:, lie plantado um culto, abrasado em i tes historias de enancas, do que qi
e Olivetea] e ae cu-
qu Ibes occorrer i
_ quem tem bar-
para adora-uo, .porcuo esse culto e un lana- bas na cara, c conviccao no seu obrar. -
Aqu existem seis suldados, um vive ha
Para que a Visita Imperial na provine das A- | ios mozos doente sem prestar o menor sorvico. I zcn'do que achando-se insultado na pessoa do seu
lago-as se u-.viic uaua ieatidadc.gloriosa des mais (Pedimos ao Sr. coniimndanlc de policio, que covmissionudo, reclarnava a sua assistencia na
i.'.,.si. rd ages, temos uaaeeafluencia que de-1 mande recolhcr ao corpo este guarda o mande groja,
ve, pode e cunsegue udo. entro em sen lugar) douse tres vivem de ordens. A reclamaeo ero
- tem. dous com porte de doente assim, e Pica esta Cas de ser feita do sipo-pao cm punlio
cidade sem foica.
Ilonlem passei pela cadeia, c por curiosidade l
fui ter,cncontrei como guarda um nico homem
ainarello.e disse meque um outro seu corapanhei-
[iie pela sua vaste inteligencia, pela natu-
i u di seu tlenlo, e,pelas sjmpalhias que lem
;ido na proriaeia, vai poceo a pouco, sem
1 jrulho iiw!:i espaliaacui, raaiisando beneficios
s e materiaes que bao d^ turnar o seu no-
i; para sampre laaredi .
ojeo fu.uro da provincia '.j-ou-so ao dia :{1
dc dc/.eiiiLt j de lSVj1, e este d.; est ligado a ad-
uinislraf lo Exm. Sr. Dr. Dantas, que com o
uionumeuli de Paulo Aonso', cem a navega ;oai mos que o Sr. presidente utt
vapor do ti:; de S. Francisco e.ds lags do sul ria.
e norte, cj;. o vapor da Europa, com un; reinal No seguinto mostrare que este termo
Peraacibuco, e cor o pacifico por sua nalureza, acha-se
a inglesa, com asdifferen-
e nao de
raorrao acezo, c arlilharia abocada, e partir do
froco impetuoso contra o forte prudente, en: vez
do ser por abuso do lorie ousado contra o fraco
acobardado. Em lodo o caso, porm, o presi-
ro linha do procurar um modo de vida, examina i. dente da junta, prudente a toda a prova, decia-
era escusada lal reclamar
1
gronodeiras que lestavain em nm cont, todas rou que ero escusada tal reclamaro desde que a 2*f "t'guezios a q
podras o des- lei franqueava a lodo o cidadao o direilo de ins- ""*''.S,.' 'z':r.'
descarregodas e com os feixes sem
manlelladas. Bona presos sao os desta cidac
podem ser chamados presos voluntarios Espera-
esta miso-
sen
sao de ediiuaeoes [Barata
genheiro para dzerem o
respeilo.
Outro do advogado enviando, a postura que a
cmara em ollieio de 9 do crreme lhe exigi
organisasse, afira de satisfazer a requisico do
Dr. chele de polica paro regularisar as entradas
e sabidas dos carros, mnibus e oulros vehcu-
los de condueaa nos ras do cdode Mandou-
se ofliciar ao Exm. presidente da provincia, re-
metiendo a pnsluia, e pedindo a sua approvaco.
Oulro do Dr. juiz de direilo interino da se-
gunda vara, pedindo houvesse a.cmara de lhe
remellar iim mappa dos disticlos de paz, com-
prehendidos ueste municipio, com declara^io
das fregueztas a que elles perlencessem.Man-
sidente.Reg.Barata de Almeida.Mello.
'eir.Gameiro.
Communicados
lodossabcm como me tenho adiado enfermo :
minha saude ha sido seriamente comprometida,
e d'ahi vem que nao lenha lelo os jornaes, nem
mesmo o iuleressanlssimo Diario dc Peraam-
'juco.
Hoje porm casualmente, cahiodo-me sob os
olhos o n. 28 do Diario de 4 do correnle, a
Revista diaria, deparo com uma nota, que se
diz escripia j comarca da Boa vista a 11 de ja-
| neiro, quando apenas escripia aqui, e datada a
orliili io.
A nao ser a sec a, que na verda le nos Dagella
por loda a parle, eu pens que a imoginaco as-
suslada do pretendenle deputa.o crea as de-
sordens do Ouricury, e tanto mais fundamento
tem minha suspeita,' quanto noto o aspereza
, com que se falla do digno delegado de Cabrob,
e tambero do nao menos digno subdelegado-;
I sendo que o escriptor da nota, de seu escriptorio
| da ra do Collcgio, que arvorou em faiteara os
vi' furiosos e j em agilaco cleiloraf.
tonheeo ambos us funecionorios, e posse asse-
verar ao publico que nem o delegado Sr. Jos
Soares de Mello Avclino, nem o subdel
Sr. Romaneo Francisco dos Sanias, sao capazos
de procurar sull'ocar o espirito publico do lugar
- que adminislram.
em
Sodos conheeem
da prcdila correspondencia ; ah
legado atacado nao s pelos I
calumniosa e falsamente -
. ainda poy/ue (ttsja ser capitn da
a i/, r; arque ten lo uma beli
' svr official c nem /Ae at bem n fu
< Tu i:! o pude o furor no peilo humano.
Da idea que Rea dada <'.3 corresponden
ite, de sua Itnguogem abjecla c l
| seria difiicil apreciar o carcter e os sei
do seu infeliz autor, se que r
nhecc o uigante deixo porem de parle a
t.io [ esso i!, porque ab im no el ar lar- me,
un hornerodesc iircituado, no lodazal lin-
ios : conhecido conm son pelos homens
da minha enmarca, por aqaclfoi a cu
flagate jamistoen.', coma eal
hia mal una iscussn di
Futro pois na exposiije d
com prova r a inteirezj de meo caracii-r e i tran-
; i' i com que me expn
lo o vi rdade, romeeare pelo asa ssinal
Ite Jjja i Piulo de Abroo, q h
que se nic arge.
Nasc lo era 1M6, linha en 17 ann em
quando se den o faci d P
to d'AI ieo, tacto esse que i
coufessar, reslabeleci
dade dos motivos e circumslancias que ai
dorara e o acompanbaram, e que apri
vidamcnle pela jusliea do lugar di
rom minha abstlvico julgan ; -
codo o delicio, alientas as pravas exhu
i a proverbial independencia ,
do circulo da Boavista; sempre o os verdadei- m,n,str(,a Peft amigse parenli -
ros liberos, e os que se tecm proclamado faltos Sj2T BCOmPs,a* "a ceatiao d
que se lecm p
de proteccao, cncontraram acolhimento, e quan-
do o Sr. depulodo Rrando so vio engeilado dos
circuios d'aqu fui l que achou abrigo.
E como eu tenho conhecimento com o muito
digno Sr. Dr. chefe de polici, salisfazendu a
exigencia do candidato, que temo por sua can-1
didatura, lhe digo que nao v atraz de parolas
, de pretendeutes, e que sem lirios especificados '
| nao retiro sua confianca de erapregad
s
Hielo, e que coneorreram estabciccei I I
toda verdade, que s a impru I
bilann do fallecido Aloe.,, bem c im i B
io propria dos 17 annos de i lade
coniavo, pode rara oceasienai tan irati
ment que hoje s posso lamentar i
como Abree I i -
venturadas victimas. ('. tere
I cer. que minha situ i o no m iau iciiie sua coniuiuea ue empregados eomo ,,.,,,.,.,, i" i i '............x.....i
o o delegado e subdelegado d Cabrob (). '" V ,Abw0! 'C W ''
Aprsente o cominuncanle fados, e eu mos- "nplicavel, e que ,i ,
rarei o que eljes ralem. ,- escravo de # meu ptopno to ha
strada de ferro d resaaciuuco, c cem a i paciuco por sua nalureza, acha-se boje todo anar- pressenlimenlo das secnas que se preparara para
la levada, ka de d\ar osen ncane chisado pelo tino e gesto que lem do algnmas mais um oouco odiante!
- ripio i; | oriucia era fwtlras c ouro, perpeUi- autoridades. r> i i
dessa ferma a gloriaba V.isi'.-i Imperial. o foro anda esl em ferias "J^ i'1""5 d;5SO< "rC,U,?U ,,oMo dc 1!,e '""
a ,, protesto ii ser apresentado ao go.crno contra a
proeedeu-se revisan jimia. Nao se i
udendo o
A noilc gravaca no coracao do povo
ca Alagas.)
isso. o apenas me
C IRRESPCSCZXCIA DO b.'.AllIO ,LL PERNAAl-
BUCO-
PABAHfjBA.
zesse.
No dia 15 houve um grande barulho no enge-
; nho Dique, propriedade do Sr. Bruno llezerra
desle connielo resultornm facadas, bontoidas!
' de Uanangwape, 3U dc lansiro de t8M. j-etc; e consta-mc que foram presos seis indivi-
Pi lalivamenle oceupei me na minha anlerio: dos. A causa desdes barulhos provm de nao se
i rreepondoncia em tratar d visita imperial i indagar eceohecer dae pessoas quevecm de ou-
i sta cidade, e muito te ria que dizer se quii isse Irostormos para este,nesle numero v
analvaar ptocederesde varios individuos, o cele-1 salteadores e assassmos. Lm lugar cue aqu
brea episodios, que sederam; conside-ro porm, \ roe* chamado Condado e refugio"
que cora isto me tornara sebeemude massaauve ,-perpolram crimes, um Condado
.K*ido-correnle ,..........-.-,.; o,,m, ,,ia. Kao sei em que vai
I s nudos, naopjdendo o ;.- Jun de direilo contam que o juiz municipal andar agenciando
este termo, niandou o juiz municipal a l- assignaturas para o
mesmo protesto.
., V- ,1 ,- J ^ ,'^"1' iliiuiiuuiuu.---lllic.ie'l
: Mo obstante ter visto nodia da organisacao se chamar dous supplenles l: c 3.
illlltlla (t ftitiil.i It.'irct.i iniiitiiac ...,,..... .,.. ,.......
da junta, o modo.parcial porque se porlou esse ramentorem.
poro fornecer.
Oulro do cidadao Francisco Jos da Silva, 1"
supplcnte dos juizes de paz do 1" districlo da
freguezia de'S. Prei Pedro Goucalves, dizendo
nao i ir prestar juramento para entrar no exer-
ciciodo mesmo cargo por estar ha mais deum
oimo mudado para o freguezia do Poco, on-
de j so ocha qualificado.luleiala, mandou-
pora se Ju-
lia re o qt
Cont com a publicarn disto.
Recite t de feveieiro de 1860.
Dr. Antonio llorges da Fonceca.
vao
nao
l>ara os-seus loUores, e por ti* justa causa tuo
obstenhc ce lur.cr deste assumpto.
I'a.-sou-se a fcsla do Salvador do mundo, cq-
i i ou o nove anno de 1SC0. e com elle c anuo das
3, dae cabalas, dos agradoc, ras balxezas segundo informaru, os fvk roassacrar e ageita-
paij obler a sua piolecco, eo emprego de mui- '
los ouU-.os meios que re ugnaui o caracler de
um hoEien serio, me presa a sua dignidade.
0 que lem oceupado piesentemedte a altenoo
le uma grande inaioria deste termo so m fuiu-
Na villa dos Calmelos, chamada fregnieo -
houve. ha poucos das, uma aublevacao dos mes-
mes centro un capito do guarda nacional, que,
lam. OS 6UZ milSSOCiar o ncr,
os a-fious fins.
No dia 25 para 2C Icvou o porteguez Lenw;s asu-
enas lordnadas.
Neste mesmo dia a* casa do pertuguez
vadida L noile. feliraieiile nada liz.rra
juiz, dislribundo islas na igreja nao creio, to-
dava, que elle lome parte assim activa nos
queslocs eleiloraos, desde que vejo que a admi-
nistradlo superior.p.omelte toda a neulralidade.
No entietaiilo, bem pode ser que algum.i razo
-ue amK ?'}*0- ^'^ a Mdnla ue aqu e- do isso nao seja, abslenho-me de rooralisar os
d-Vri',,'mS| !i'clos ''.or ,'""r ^ auba,""Prcialidado,eat I omos, e pedindo
mesmo do meu pobre costado.
Afinol acabou-se a qualificaco
Oulro do juiz de paz do 4" anno, do dslric-
to da freguezia dos Afogados, communicando fer
entrado em pxercicio do dito cargo desdo o dia
> do correnle. luteirada.
Outro do juiz do paz, 2" supplenlc do 3o dis-
ido da freguezia dos Afogados, conimunicin-
OT doler servido no impedimento desdo '" c 4
ouvesse a cmara de Iho de-
MAN1PESTO.
Nao obstante as eventualidades que se
dando no paiz, contino a ser republicano,
1 para metlor a m?o no lar domestico da familia,
e menos para insultar ao Imperador ; por que
ser republicano nao ser sudario da calumnia e
do insulto.
Nao creio que o homem que tem aborto um
livro de philosophia, que consulla sua cooscicn-
cia e reconhece sua forma humana, egual a de
iodos os oulros homens, seja realista de convic-
cao : mas os coslumus dos povos, a lei da ne-
cessidade para manler o equilibrio da sociedade
em geral e dos corpos colleclivos cm particular,
faz com que e sustente o govorno, constituido,
visto como u.na mudaiiea nao su faz repentina e
precipitadamente, sem grande e ruinoso abalo da
mesma sociedade.
o in-
m por gri-
de orna gi
leicea, que se. tem de proceder do sedera bre Ufa doria da casa pelos seus eseravos.
mdianle. Jjcje trata-so da qualificace, os1 Kos domingos ha ooolinuadamende oreii
Os
ce.
clarar quem deva passar a jurisdieco, visto
. se esta nao ter o i" votado omdo prestado juramento.
(\ O Sr. Epaauuoodas V.eua aceilou o cargo de vo aO f votado, para vir prestar juramento no
Wdelegado, e celo que ja est em .cxe.ci- dia 30 do correnle, julgano a mesma cmara
i ___t ,, j ter cessado o impedimento que allegu o re-
ro da Z ^ '^ Cra.Ul"ssu'";,.i; ue dem naaeadaria velha; mas a santa chamado ; e nesle sealdo mandou-se responder
ao 2" supplectc.
Outro ao engenheiro cordeador, informando o
requerimento, que devolva, dc Jos Jacome
Tasso, em que pedia lliu conccdessc a cmara
lado fazer-me assassinar, i ;. -
der que minha sil laco no momeiil
to foi a mais critica e desesperada qu
ere* ; vi, rominhando yor uma estr<
diante de mim a deVpa*sos de distan ; i, ni
migo rruel qiejuc havia jurado di mor
olhos injeclados^le sangue, respiran I
vinganca, a voz convulsa pelo ac -
ro que oo avstar-me, o accommi itera, las
o conhecer-me como o esbarrar o
lando s bre mim a arma que tratia,
ncslea termos ; cu nao o mandei
onde te enconlrasse me pagarlas t ida
acento deslas palavras, nao menos ceg d
de raedo epreza de todas as cnao.des, que i
lal conjuntura soem accommjUle i
se do animo o mais fleugoaMw, vendo qn
me resto va senoo morrer ou Malar, rom a i
mo rpidos e qnacf ma(4in*alrnenie ai
Abroo cm uma arma de toga que n n
zia, quazi ao mesmo lempo em que cll
atirou sobre mim ; a arma d* Abren p r d'
si
paz prevaleceu.a
iPORTOS 1>E MilinOCOSsMaiimori-, Miiuou
A pequea cidade de Mahmere esl simada na
cosa dj Allanlico, pero de Uraehe. Ella leve
i ardidos cstoeui campo procurando o a,p,prova- eseravos os engenlios vem venden- o que rcu- uu,ro to'npo uma grande importancia ; octuel- coolinuor nos eoncerlos que faz cm a sua pro-
da rnaioria a favor dos seus principios neliti- bam aos.cts senhores, e o pioducle applieasa i "^ilf.? ^u. Pp1**** *^*-fr(feiiladloporpe>-1 priedaide^na .Cruz das AIsuA^ allegando nao ler
"s. Cousidere esle lulardos partidos como con-'agurdenle.
di.o necusaria para a exisaeueia, o nrosnero Aq*'
ivolvimenle da forma de govorno q.ue.(eiz-
nos rege, isla lucia deve ser do earailei-
leve ser pura, e jsincera, a boa a deve
dir. lnfelizmeale, poreui, isto nao se d no
IIOSSO termo : aprsenlo o seguiule.facto em
4*1 existan olgunns tabernas, verdodeirr,
coos de asacaros, queeslo abordas at 11 ho-
ras da ioite.e niaia ; um taberneiio, ceaheco eu,
que tendo, ha pouco mais de um anuo, q'uatr
garrafas, hoje eenhor proprielario,
dozc ou dezeseis conlos de res;
. eadoree, que gozara de uma grande reputaoeoeOi niio o fiscal, do Poco da Panclla no embarg
J todo a costa. A' bem pouca distancia desta e- que"
possueseus
enriquecer as-
lhe fez sob o pretexto de excesso de obra,
dade martima, o 110 centro de uma planicie ira- parecendo ao mesmo engenheiro
l m
, ki
) famoso pelo numero o qualitiade do suas '"as uma perfeila reedilica o ; acrescendo n
pescadores, qwe habiUm as suas o d:!o engenheiro que o policio
L'peao, i'or tanto, um re sa
bio nao pode desconhecer 0 principio scientGco
que jusllica e robustece a lei natural : is;o im-
possivel.
Ora, sendo inconcusa esla verdade, nao posso
deixar de ser republicano, mas nunca para pre-
cipitar os aconlecimentos do paiz.
Ouando o Imperador aqui chegou, entend que
os republicanos sinceros deviara publicar urna
gazeta em termos decentes, abrir uma discusso
guido a longa distancia pelos do sequilo
pude salvor-me ; logo depois fez-se o prrw
apresenle-me pirante meus juizes, confcsi
delicio com a franqueza que me propria ; ju-
raram como lostcmunhas no proeeose lod
pessoas de que.se conipunha o sequilo de Abren
na occasi.io de sua morte : essas lestemunl
rom as mosmos a juraren! que Abroe t"i 1
o agressor, pelas palavras dc provocarn q,,.
dirigi, como quem
. ........ o........- ter procedido
iiiisa, cala o lago do mosuio doids, que tem 2U Cm o referido fiscal ; purquanto a obro quo o
ilomeiros.de coinprimento e 3 de largura Este peticionario-faz nao era um simples concert,
lor cnenlo apreciado do publico, para sim, que o mais historia,
ue cale avahe que fundo de verdade lem esla Consla-me que um qudam desobodecera for-
ii.nha asserco. malmenle a um mandado do juiz de orphos ; es-
l!eui;idos os eleitores e suppletles no da 15 1 t den uma queixa ao seu substituto em ex'erci-
lu.ulc, procedeu-se eleieo da mesa ie-j ios, com o rol de cioco leslemuuhas de vista,
visura d.:s qualilicocoes do aun anterior,- salii- al o (iresente jaz cm.esquecimenlo ; dizem qu
ram eleites dous me'mbros do partido conserva- | s ladrinhos nao lem decaui;ad .ur, e dous dos rasgados, que com o presidente | do tuo hoiiver, e porei tudo em pralos limpos.
da junta.fo/maram rnaioria ; no di* segniole 16 As churas tem appnrecido em muito pouca
Jo correnle comecou a junla, por deciseo da quanliJade, lem enlretaiilo servido de algum be-
inoioiia, a traballiar fazendo uma nova qualilica-
jao contra a Ciiuessa, e lilteral disposicao dos |
orls. 2o e 2 da Jei de li) de agosto de IB-; Jia-I
vendo uma reclamaeo contra esle Ilegal modo
de proceder, um dos membros da rnaioria res-
pondeu quo desta ltegalidade compela a mesa
decidir, e sendo por ella rnaioria julgada mate-
ria de deliberado, foi posta o votos, e com lodo
escndalo passou que a disposicao fosse sacrili-
rada vonta le alta c soberana
deu-se pelo faelo de dcciJr a
os
fazem
um jndisivel commerco desta
neficio.
Adeos. do
Irmo dan almas.
PERNAMBUCO.
H RHSTA DIARIA.
Itavendo a lllm." cmara, para commemorar ,
da rnaioria, isto 1 a visita de SS. MM. f. provincia, modificado pora
ny.ioria, que se a denominacao anterior de 'certas ras, inclusive I rial.
continuasse a fazer uma nova quahlica^o. Oque
ainda se lornou mais nolavcl foi o proccdimenlo
ccnlro dc um bosque dc olivoras e amcudoelras.
Peilo do lago v-so o roagnillca lloresta do
Mahmore, que perlencc ao imperador. Ella lem
75 kilmetros de comprimenlo e 50 de largura,
e 6 habitada por urna soberba raca de lecs, que
nao se podem malar. Estes ledes sao rcservao'os
ra as cacadas dos principes da familia impe-
--d. e para presentes que o imperador costuraa
a das ras do Collcgio e Cadeia de Santo Anto- enviar aos soberanos esiranaoir.,6 M'nmt** iom
<'iiguias
a 1 ge ns
pasea.
tilles noveg&m no lago em jangadas ligeiras
feitit de junco, e apanham as euguias, que ap-
porecem uos cardumes, com loda o facili-dade.
que o pelicionario demoli as
paredes da coso, o conslruio-as de novo, dan-
do-lh.; maior altura, e nova forma, que sendo
precisa cord-aeo para uma tal obra, o suppli-
cante a ao pedio, limiltandu-sc a dizer que
pretenda J'jzer rncenos : que a casa, segundo
JVo centro do lago de Mahmore ba niuilos ilho-: planta approvada, nao poda ser rcedilicada
les halUadus por eremitas mahometanos, que no mesmo lugar em que se acha, devia recuar
eslaudo-em grande vencroco, tiweai de nujne-j obra de doze palmos do um lado' e oilo de ou-
rosas olleras, que diariamente Ibes a/.em osba- tro para dar sutliciento largura a' estrada.lu-
bilautes das visinhancas. Prximo ao logo, os I defirio-sc a policio vista da informocao.
ligos govornadores do Mahmore juandaram I Oulio do procurador, communicando'que ten-
construir uma albergara, onde se rocnlkcm com do-sc estragado o lustre, que o engenheiro cor-
loda o commodidadc lodt os viajamos, que pas-ideador havia pedido emprestado a irmandadedo
?*."!-p(!,r a11'eJ,0_Ponil, ..Esto edilico est 110 Kantissimo Sacramento da matriz da Boa-Vista,
p.-ra collocar 110 centro do povillio que a ca-
Jnara mandou fazer na praca do Pedro II, para
restituirlo a mesma irmandodo procurou dc 110-
,Vi 8|]ran|sa-lo, e lhe pedirarn por eslo liaba-
Iho 2aa000, mas que entendendo-SP elle procu-
rador com a mencionada irniondadc, alim de
combinar a aolhor maneira da restituico, lhe
pedir ella pelo mesmo lustre 20)g000, o qu
t.-azu to conhecimento da cmara.Autorisou-
8n ?'**/ V^^ade a quantia ped da.
Oultfl do fiscal da B^a-Vist^ irfnSS&l W*.
dadeiros liberaos s anhelara a feheidado da pa- i ?^eria S" !'/^po6"f.coin que afrcsi";''
tria, c pelos meios permi.l.dos pela Coost.tuicao. f "'8^ iVontaolo, 11 1BnftI ,
S assim que a parlo sa do novo e o Impera- E'",?8d0i e con{no 'u '' anns de ida Je. tr-
dor, respeitaio o partido republicano! Sao es- ; VC ??"C,a de que ""' C,gan d ".mc *,.
les 'os nUos constuiUvos d'e so a.argor a" S- "ft"1 "! "l"*** cavalh, ;
es os nietos consumitivos ue se alamar a es- a.>- _I-r-----
phera do piogresso o estabe.eccr a orde^m. o Zi^S a oprime" aS-me
os apodos, injunas, que devem ser reprova- | cnl,0P do latrocinarparea Z
pelo odio que
c segu no en-
e lomar Un a
O ar. Ur. llorges illude.-se perleilamenlc, preza ; enconlrando-me porem em carilindo cun
julgando escripia nesta cidado a caria de que
trola; e mais ainda querendo dar a sua palerni-
dode a quem quer que seja da ra do Collcgio., -
Nao costiimomos forgicar noticias, nem a'ccei- alguraa desgrana, o qud ouvindo, obediente com
lar insmuacdes de candidatos, quando damos sempre fui a meus pas. Tolt Wm renun-
meu voltio pa, este fez-nie ver que era impru-
dente o meu procediiDcnto, pois qn poda ler
com 0 ladro a!^"in conflicto de que resuliasse
publicidadca arligos da redaeco, como deve es-
lar intimamente convencido "o mesmo Sr. dou-
lor. Ouando se qoor defender amigos, faz-se
por outro meio, o nao fornido aquclles'que lhe
|g <5o desarenos.
Os Redactores.
ciando o desejo em aue eslava de' "r-rcheuder o>
animal que havia sido roubado.
Entretanto o lscale soube denegrir este fac-
i, porque lhe resta va a certeza dc que e-
vendo para esta captol e rcbm\iao com o manto
do aujnyrao niDgueuj poderia um dia couhecoc
ILEGfVEL


\
diario pe penaMSco. j qE-nya feira q de f^veretro ttt i8o.
a ignominia e a perfidia de seu deUVlavcl proce-
dimento e a calumnia asquerosa do so1' escripto.
Itesla-mon*:onscienciisaae tranquilla,q.,,e nun-
ca, desampaioo o hornein de bem.'e aorocu favor
o juizo dasnielhores pessOaso lugar, come$fli.,_
de Janeiro de
Despacho.
O da 27 docorrenle. Recife,
1360.A q u i no Fonseca.
Sello.
Numero 32.Esl o sgnele das armas impe-
pelo Dr. juiz de direilo da comarca e mais i P*Vh Pagou 160 rs. llecife, 7 de jaueiro de 1S60.
autoridades que rae lem prestado, como aiiia\^.arva^-Limoeiro.
?.?.ra.por octilsiao d minht deslituico me ac- Npliji
liam de prestar, as mais significativas" provas da
considcracao a do opreco em que semprc me hito
lldo, j como empregad'o publico, ja como parti-
cular ; para o juio deses appello, sollictando
mesmo por esla occasiao do Exm. Sr. presidente
c do Dr. chote de polica hajam de ouvir ofticial-
niente essas pessoaa, acerca de minha conducta
durante o lempo que-naquolle lermo hei rezidido
na qualidade de empregado publico, assira como
do particular, para que convenca-mc de que as-
sm ser restaboleeiJa a verdade lao atrozmente
conspurcada pelos meus inimigos desleaes e in-
gratos calumniadores, e me reslaro novos o va-
liosos documentos para confundir os servs de-
tractores.
Part o juizo 'dessas autoridades e de todos os
nomens emminenles do lug3r en declino quanto
s aecusaeoes do que hei sido victima ; siles que
digam com toda verdade e consciencia quanlos sa-
crificios nao rae impuz, quanta dedicaco e quanla
nbnegaco de meus mais viciaos nterosses n.io
procurei sompro mostrar no longo exercicio de
cargos policiaea que oceupci naquella localidade ;
ellos que digam se fui jamis auloridade que
transegisso ou mercadejasse com a causa do cri-
me ; ellos que reohato eu mou appoio a declarar
se houve jamis quem cora mais afn, energa e
valor porsegtiisso os criminosos daquella locali-
dade, coiiseguindo depura-la delles, reslabele-
cenJo o oslado de perfoila seguranza individual
fiaquellas longincuas c remotas paragens e isto
anda com o sarrilicio de minha
.tcacoes
Certifico qno nolifiquei a os doulorpg em me-
dicina Joao'tK,>"a Sev" e Joo da Silva Hamos,
pelo conleudo no despacho e petico relro, o i-
caram scienles.
_ Recife, 20 de Janeiro i?e 1860.O escrivo Joo
Facundo da Silva Gitimaraes.
Documentos.
Estavam estampadas as imprtaos armss.
Pagina l.Vice-consulado do imperio do Bra-
sil, em Vianda do Castello Numero.-Siloa.
Aos 8 de outubro de 1857, neste vicc-consu-
Iado do imperio do Brasil, rua do Caos, numero
10, achando-se presentes os Srs. Albano Jos da
Cruz c Souza, hacharel em medicina, Domingos
Luiz Goncalves, crurgio-mor do regrnoslo de
infamara numero 3, o Joio Florindo de Azeve-
do Conceico, cirurgio delegado do conselho de
saude, nosta cidade, c bem assim o Sr. Jos da
Silva Mendonca Vianna, subdito brasileiro, o
qual Sr. Viannn veio a este vice-consulado no
da 6 do corrcnle, queixando-se de que seu ir-
mao Antonio Jos Goncalves Vianna Ihc retinha
em seu poder dinheiro e roupa que lhe perten-
cia ; e passando em seguida, ou vice-consol do
Brasil, a procurar dito Antonio Jos Goncalves
Manna, para o fina de fazer a entregado dinhei-
ro o roupa a seu irmao, o Sr. Vianna respondeu-
rae que eslava promplo a faze-lo, que a quanlia
guardada em sua casa em a gaveta de urna com-
moda de que seu irmio linha a chave, ora do
32")3000 rs. em dinheiro e500#000 rs. em urna
leira, ealguma roupa de uso; c que flnrlmenle
que son irmao ikio
ii juizo para regor-se e tjover-
tedos seus commaudados, e superiores, o que
eem atiestan) seus relevantes e gloiiosos serr-
eos, s. S. ao passo que com rigor fazia cada um
entrar na rbita de seus deveres, ( so occasiao
nana para isso,; ja no com mando do batolhao
por mais de urna voz, ja as funecos de fiscal,
e ullimameuto as de commandanle de sua com-
pnnhia (a 5.a ) Iratou a lodos com Ihaneza e af-
abilidade. Qu
Editaes.
(*J
pequea fortuna .
pagando,a expensas minha,toda a despeza de po-! por esla occasiao declarava
licia secreta para apprehonso de criminosos e I se acava
desertores quo pejavam aquellas mallas??!!
Ao passo quo assim hei sompre procedido nao
ha Riuitos dias que passei pola decepcao de ver
anniqoillados lodos esses serviros, diaite dasin-
cropacoes fementidas e torpes dos nicus inimigos,
e s porque os fados nao poderam ser do mo-
mento devidr-iucnte depreciados e conheridos pc-ivam ora estado do reger-se c administrar-seT E
la auloridade superior, se bem que illas Irada c '-passando-.se em seguida a fazor o dito exame con-
de un carador respeilavel, como sou o primero versando e azendo varias porcuntas ao dita Sr
a reconheoM i Mendonca Vianna, julgaram quo elle responda a
aia que l.nalmente se conlieea a m f com ellas correnlemento. mas mo nara nnd.-mm .lar
que se lanearam ao papel na correspondencia do
at essas arguiedeg calumniosasde que i zer mais duas ou tres risitas ao domicilio do Sr
veto o inda abano vai transcripto o recibo que ; Mendonca,
que
nar-se. A vista dosla declaradlo, para interesse
do dilo Sr. Jos da Silva Mendonca Vianna, o do
sua familia existente em Pernambuco, convi-
dei-o para que apparocesse liojo ueste vice-con-
sulado, e aos mdicos cima mencionados, para
o ii ni de o examinareni e deelararem se o julga-
e os venios lhe sejam propicios, a
os nossos rmios do 1. o recebara de bracos a-
bcrlos, quanto desojamos, corlo S. S. de* que
era cada um de nos encontrar uro amigo fiel e
dedicado.
Recife, 6 de fevereiro de 1860.
Capilo.Joaquina Francisco de Oliveira.
Jos dos Santos Nunes Lima.
Jos Antonio de Cirvalho Dantas.
Caetano Gaspar Lopes de Azevcdo Vil-
las-Boas.
Joao Hanoel Florindo.
Ignacio Gomos de S Oueiroz.
Tenenle.Joaquim Fabrcio de Mallos.

<


h?ooel Joaquim da Silva Rbeiro, fisca! da fre-
guesa de Sanio Antonio do termo da cidado
do Reciic, etc., etc.
Paco saber a lodos os parochianos desta fre-
guezia, que a cmara municipal desla cidade, por
proposta minha, tern suprimido o lugar do novo
caos que tica por Ira! da rua do Imperador, ou-
ti ora rua da Cadeia, para despojos pblicos,
quor de lixos, quer de todas e oulra3 quaesquer
malcras; pelo que, d'ora em diante n>io per-
millido fozer-se despojo naquelle lugar, e s-
menle rio fin da rua do S. Francisco, oul'rors
Mundo Novo, e lim do caes do Ramos, junto a
ribeira. Convem porlanlo que os senhores dos
escravos facam as advertencias nceessarias aos
mesmos escravos, visto como aquello que for de-
positar immundir;as e oulras malcras prohibi-
das, a hscalis.ie.lo esl na firme deliberadlo de
I lazer elfectira as penas das posturas marcadas
gao e proersso de ftabilitaco das opposiloras,
na forma das citada? inslrucgos.
Salvador enriqve de Albuqucrque.
Secretorio interino.
De ordera dolllm. Sr. inspector da thesou-
raria de fazonda desla provincia se faz publico,
L-mles.
Azevcdo & Mondes, consignaiarios d.. bo-
gue portuguez Tino, caplao Manoel de 01.vena
que a arremalacao da parte do sobrado de douii I SE,iWSK r IZZZJS!?/" forCa .,"'a"-.
naotoveeTeitonod annunciado por falla de ^ tn^^^'t^^Vv^
licitanlcs, e por is?o flca a metma arremalacao
transrenda para o da 18 do correle.
Secretaria da thesouraria do fazenda de IYr-
nambuco 1." de fevereird de 1860. O oDicial
raaior interino.
Sr.
Francisco Borges de Lima.
Augusto Leal Ferroia.
quartel mostr.Joao Paulo de Mi-
randa.
Tenonte.Manoel do Azevcdo do Nascimento.
Alfercs.Pedro Garlos Nogueira do Bauraans."


ileoionio Joaquim de AlmeiJa For- para laos casos; scieniificando, que nao lam-
na- bem concedido o se couduzir as materias duran-
te o da.
E para que nao apparecam, como sempre
decostume, quem diga que nao sabe das dispo-
Sicoes das pisturas, nem das ordens a seme-
liante rcspeiio, lavrei o presente, quo ser pu-
bhcado polo Diario.
Fiscalisai-fio da ficguezia de Santo Antonio, 7
de reyereirode 1S60.- fiscal, Manoel Joaquim
da Silva lhbeiro.
1.
Luis Francisco de Sampaio e Silva, 'i deado.
inspector da altaodega o em pn-senea o
tllni. Sr. cnsul de S M. Fidolisstma, no MU*
era que se ada o dilo bruo, e por conta B ris-
co de quem pcrlenccr : es pretendemos o podo-
rao examinar no ancoradouro em qur csl.i uu-
TIIEATRO
Jo.io Paul1 d>> Lima.
Feliciano -eir de Lira.
too Bapiis .^de Menezes.
Francisco Antonio de S
nior.
Thomaz Gomos Vieira Lins.
Leopoldo Borges Galvo ehoa
Brrelo Ju-
Tonentc.Joaquim Caoino dos Kcis.
secretario do balalho.J os Francis-
co do lioraes Vasconcollos.
Alteros.Xilderico Cicero do Aloncor Ararpe.
Podro Velho do 3a Brrelo.
Pulicarpo Jorge de Campos.
?, resolve, que
as pii-iu-
de julho de 1855, approva-
em 11 de Janeiro prximo
lindo, acerca dos cairos c mais vehculos de con-
dcelo, que transitara nesla cidade
se observe o seguinte
RtQnlamenlo :
c u y, As nnlrailas de carros na tregnezia do
HYSTEftlO S. ir. Pedro Goncalves, seroo feitas pelas mas
n,r'i .r .. .'.'^ ,,:",n1u"', d?, Carvalh. q". ? "H d Alfandoga, Cadeia Velha. Corpo San-
pareco serum aos credores mclhor iniciados nos -1. trapiche e Cruz, e a sabidas pelo lar-o do
roystenos da quebrada casa Caminha & PHhos, arsenal de marinha o caes de Apollo
Ti...dita casa tcndpura activo de no vcenlos e Ait. 2." Na fregueria de Santo Antonio osear-
amos cornos ae res, um passivo do setecentos e ; r'"1 V*1-' "lerein da Boa-Vista farao suas cnirad'is
amos eolitos, eportanlo du/.oulos c tanlos con- P'das roas Nova, Cabug, Crespo e Oueimado sa-
losde saldo a sou favor nao obstante isto, como >" dacao nfalhvelmento ter de perder' travessa do Oavidor, mas da Boda do Sol
SOCIEDIOE DRrIRATICA NACIONAL
SOB A IIIIIKCI AO D Al. 1011
ANTONIO JOS DIjARTECOIMBRA.
PRIMEIRA RECITA.
Sexta-felra lOde fevereiro.
popis da ouvertura do estro, subir scena
pela prmioira voz nesla capital o drama de cran-
U i)r. uiee do polica da provincia, providen- de espectculo em 5 aclos
ciando nos tormos do artigo addilivo '
ras muniipaos de 18
do pela presidencia
seccao.Secretaria da poliiia de Pernam-
buco, 6 do fevereiro do 1860.
r.i leili* porconta dr qti< ni
pertMoer. sexta feira 10 do rorro.-.!,., .< i \
da manlia no arrn.zrm da L
bocana no Forlo d) Mallo
I
ii ir. o em
11 fardos com
,,. decido dedaravam que era prodso f I os laes ^S^VSS renHoTeldlaVTo^u'o viermdo l'Mns
^ V' a" dom,clll ,d- Sr- crod,ort:31 ,oJerri receber mais de vinte.e quando enlrarao pelas ,as l.irlia. LivramSto,5 QZ I ord
nM^i^iS'SZiST^^^SSU. nno?|POrCen,0eeSteSnpm *Mto- -'-Jl* ~ Cocr,,po osai:noV'is mStS^"
I'l'lisi v VGENS.
O coronel Jorge..............
San.y, representante do pov*.
Luiz, amigo criado do marquez
do Esla i n.....................
l)r. Bernardo, medico do bospi-
lal de Bcetre................
los, priado de Sarnv
g ni do lodos os malos de que nestes ltimos
tempos hei sido victima, e quic mesmo da de-
mis-o que rece'.u.
Protesto pois do alto da iroprensa, e com toda
energa, vigor o franqueza do que capa/, um
homem verdadeiro-, probo, e que preza sua repu- Manoel
Luiz Mano
Jos
bao Jone
gocianle nglez.
; Oz da criminosa Lima, que nao oostanle ser feira 12 do crreme, de novo se reuniriam nes^c Ora bem so o Sr Cnva'ho fallando Au-uiin M'"-V|'u's e Sebastiao......................
prima legitima de minha mnlhor, e a despeito vice-consulado para darom a sua final decisao ezprime-se seriamenlV m.i *JSS An % n. Ignez de Borcerf...............
dos maiores empenhos de familias, fiz timbre em o para constar lavrei esto termo aue val nal or'. somo i, .i. i.-o- "0S Suppor r ?V*"2?' quo do camP vlProm P0,a La7- Bertrand.....
preiHlor-fa^o-o em possoa, com genio paga J a^gnadn/ o pX. slK.'.cma SLK Sffl^"^^^-?^^-1?1-^ -g"-- "'"-"' ^ *#% & Isabel- Cnfc
a miiiha costa : c sondo esta pusao a fonto o or- nados, o por Antonio Carlos de Souza Caldas, e valho por ura abali<..l
caos do Capiboribe o sabirao de Bicel
ermoira do |
lienf allo-
e.sliipefaclos como
tOQao, que falsos e calumniosos sao lodos esses
fados que dahi ficam apreciados e outros que
desleal e prfidamente se me imputara com todo
o cynismo do una alma inaecessivel em bons
seniimoiilos e todo o principio do dignidide
pessoal, para o effeilo nico do prejudicar o ini-
migo poltico, de arrancar-lhe as poscocs ofii-
ciaes, que seu mrito aproveilado pelo'govcrno
lhe ha grangoado ; e isso a despeito mesmo da
opiniao publica, que ah esl erguida cima de
todos esses embustes para suToear a voz sem
echo dossos vis energmenos, que fazem prolis- ,
sao do macular a honra alhoia, porque a nao ton- soque
do propria, nao a saben) prezar nos oulros, o so-
molliantos aos monturos que sem erguer-se so-
bre as ruinas dos edificios, apenas sobre os des-
trozos de urna boa reputaco vilipendiada podor
crguer o simulacro de unia outra,
el Soares como teslomunhas presen- pratico, como Iheorico, nao devenios
fot.Jos Caetano da Silva, vco-consul.Al- mos, pasmados, enlovados
(i Cruz e Souza.-Domingos Luis pode islo ser
r.onrnlvet-joao Florindo de Asevedo Concei- Pois como podo ser que a casa perdendo *o
ntonio Carlos de Sousa Caldas-Luiz monto o quo tora do lucros, e mesmo mais al-
guma cousa, s possa pagar ou 30 por conlo ? '
iperalnz, AragSo o Sebo, entran-
re ..
lospital
Coiml ; i.
Roznido
Raymundo
Lisboa.
-: i a.
Vicenlo.
Lossa.
Barros.
I). Isabel.
D. Marta Luiza.
D Jesuina.
Sexta-feira 10do c
NA
do Imperador
numero 15.
0 fgenle Borja farA lellio cm mu un
"a do Collegio n. As 11 boraa en: ;
ntes moris de casa, ci

has, candelab ., vid -,
- r outres muitcsartigos
ros.
0
Soares.
Aos Iro/o dus do mez de outubro do mil oilo-
ccnlos o cincoenta c sote, neste vice-consulado
do imperio do Brasil, rua do Caos, numero dez,
nesla cidade de Vianna do Castello, achando-se
presentes os Srs. Albano Jos da Cruz c Souza,
hacharel em medicina, Domingos Luiz Goncal-
ves, cirurgio-mor do regiment de infatua-
ra numero Iros, e Joao Florindo de Azovo o Con-
ceicao, cirurgiio delegado do conselho do saude
insta cidade, e bem assim o Sr.'Jos da Silva
Mendonca Vianna, subdito brasileiro ; polos pri-
;iros tres senhores foi declarado, que em con-
oca das varias vesilas que fizeram ao domi-
cilio, conversando e examinando ao mencionado
I Sr. Jos da Silva Mendonca Vianna, o julgavam
em suas conscioncas, estar em estado de poder
er-se o administrar-se ; e desta forma davam
Aqu ha mysterio.e o Sr. Carvalho nao s tal-1 carro.
devo%ora3^"rACO,no' s,'Su,ldo a|S"ns, o Art. 5.; Os infractores do pr,
do os q.. vieren, de Olnda pela rua de Sanio A''c^oo'.neoa oro setembro de 1707 e acaba
. a ,x r em novembro de 171)0 !
Ait. -,. Os mnibus farao a sua entrada esa- Terminar o espectculo cmase, lereinnl-,
hida polas ras Nova, Cabug e Crespo ; e quan- .da comedia en. 1 a lo asei.iprcapplau-
do se incontrem com algum carro na rua do Ca-
bug, pararao para dar passagem ao mesmo
Gneros de estiva.
HM
5
descanco da
.1/ma do finado Lima,
(O Araealy.
to encorrerao as penas do art. 17 das sobredi-
las posturas de 18 de julho do 1855.Alencar
iraripe.Conforme.O secretario, fufino A.
m CllSA D'tl ALfiAfilSSO. ; Por dallfa i -.
Faz a parle de Sacnslao o Sr. Baymundo Jos o a-onlr Bri ,,->-'
Araiiio. a..,i.ni. .
. e
quo nao po- a s.ua resolucao final. Esta reunio nao pdde ter
Vint' ase J MS SU,e,,lar-sc sobro ''!S l'oiitem. como so t.nha convenclonado no
v-,,, .... ,.'-,m____i : 01l docorrenle, por impedimento do ura
Nao posso. poiom, concluir sem que especial- dos Srs. facultativos, que declararan! que a nio-
mente me dirija ao faraigerado Sr. Jos Fran- Icslia que solTre 0 dito Si-101* da SUvaManZn
CISCO do Nascimento, para louvar-lho a perfidia o ca Viama, urna tremura -eral ou paral vsi
mn^m^te^^.^.1111! ,? ,0? ie lol,, >e impossibilita mais ou monos
vromlZ C d.oiil"h'V m "" ,U S a faUa' lrna,'J"-se em algumas occasioes quas
propria sortan daquelles individuos, que. como impercepiivel
procurador do patrimonio do santos Ibes vende | E para constar lavrei este termo nuc ass"nei
ibens.do.aos pe. devoro dos chrisl5os-a | e aspessoos acim mencfonadas"se,?do Smu-
Piaca do Recite 8 d fevereiro tic 1800
AS TKES HORAS DA TARDE.
Cotaecs offleiaes.
Cambio sobro Londres-2 3i{ d. 90 dtv
Descmodo letras10 o 12 (>;0 ao auno.'
6'eo/-_7c PatchellPresidente.
DubourcqSecretario.
umseu propio lilho, e assim especula al cora
i isas que inleressan o mais respcitavol da
religiao sania do Jess Cliristo I !
^ Em breve contaremos ao publico com mais
largueza este o outrosacontocimenlos, e que se-:
rao propnosa por em claro quem oreo de po-'
licia, so eu, que sempre, como auloridade do lu-
gar prend, piocessei e aecusci os criminosos do
dislncto, ou S aquellos que mercadejam al com
Alfanje??!*.
Rendimonto do da 1 a 7 .
dem do da 8 .
7G:450$7S8
13:78575
90.179JJ363
A
noel Joaquim do ejoe Albuqucr-
c.Francisco Canuto da Boa-Via-
Iflovimeiit da alfandec
Volum.es entrados com fazendas .
com gneros .
237
Voluntes sabidos

com fazendas
bom gneros
Descarregam boje 9 do fevereiro.
Barca inglezaBonitafazendas.
Barca frauceza Villo de Bolo
talas.
230
390
------620
nhas prsenles Antonio Carlos de Souza Caldas,
o Luiz Manoel Soares.Jos Caetano da Silva,
victi-consul. Albano Jos da Cruz e Souza..
Domingos Luiz Goncalves.Joo Florindo de Aze-
vcdo Conceico.Jos da Silva Mendonca Vian-
na.~Antonio Carlos de Souza Caldas.Luiz Ha-
noel Soares.Est conforme, ao original exarado
vWn'V^S3 Pul'1C0S A t0lhM dezesse;e 8rge ingloz-Georgc-fazendas.
J verso ; o para constar aonde D.igue inSIez-CabeFfugh-erro ocarvo.
ellonadiversos
sidenr.
jgnequoijos e ba-
caraara municipal desta cidade faz pu-
blico, que nesla dala propoz ao Exm. presidente
da provincia a ulilidade da desapropriacao
11 casa d'um andar e solao, sila na rua do Cr-
doniz, pertcncenle a Candido Alberto Sodr da
Molla, a qual devo ser demolida, por assim o de-
terminar a planla da cidade. Paro di amara
municipal do Recifc, oni sessodc (ido fevereiro
de 1860.M-inoc '
que, presiilout
gem,ofJBcial-maior servindo de secretario.
Banco do Brasil.
Afim de poder abreviar o expedienle do todos
negocios a seu cargo, a directora da caixa fi-
lial do Bancoroga 'todosaquellos que.-!' propo-
Izerem rcalisar Ira/isacQoes com csse cstabele-
I cimento, do ipromptar as suas proposlas, lodos
ib os das uleis das 9 ao meio dia, ficando para so-
re m despachadas no dia seguinte
queltas que forem approvadas d
hora.
0 juftde direilo do crime da prinieira va-
ra desla cidadu do Recife e auditor de guerra da
provincia esl reeidindo na rua do l^iperauor n.
23, segundo andar.
ItepartReao das obras publicas.
A repart,;; o das obras publicas lem para ven-.
Ner una pordio de canos vclhos de ferro, cora 4
e 5 pollegadas de dimetro, avahados em 60J5
do Aran; .
actor CoimbrJ que lanas provas >\o amizade ^uZtSS*
lera recebido do publico desla capital, espera que
os seus esforcos sero coroados, pois nao lem
emjisla mais do que proporcionar si o mis
irraaos darlo mojos do subsistencia, m -
quo este desejo deja completo, lhe necessario
urna assignalura para poder fazer face fisd
zas com que lem a hilar.
As pessoas quo quizercm assignar podera-se
entender com oSr Cunha, goranlindo p mesmo
director que sero todos novos para esta ca-
pital. '
O actor Joao Perjeira da Cosa Lima, oslando
aqu de passagem, e querendo ajudar
amigos e irmos d'arlo, prcsla-sc a
urna scena cmica, intitulada :
representar
como sejam :

Dilo
Chan
Velas -
Conserva
' 110 '.
1
:i : |
obj tos al
O AGE.NTE
D ffilf HIT I W PRECOS.
1.a oidem......'___
2.a dila.............
3.* dila.............
f.adeiras............
Caleras.............
r,noo
bgono
25000
ISOOO
Comecar s 8 horas.
lodas a-
lepots dessa
JA
trantferto para boje i) do corren te
horas c:ii ponto, na porta do arui
io Sr. Annes, o leiLj que !iav i annun-
ciado para hontem, o qantl com
porcao de latas de bolacinhas,
cora queijos londrioos, cor
sunto, tudo isto ebegado
navio inglez.
.' pre-
i
pelo
bidoso se nao serve. O publico ser lestemunha
ususpeita do nosso ajusto decontas, que ser na
iroprensa e nos tribunaes 1
Esperando, pois, o ultimtum desles fados c a
io dos tribunaes, para com maior largueza
do esclarecimento traze-los ao conhecimenio do
publico, aqu remello esla ligeira exposicao, soli-
citando de VV. SS.. Srs. redactores, o 'obsequio
da insercao dista em sou concoiluado jornal,
com que muilo obrigarooDo VV. SS., atiento
amigo, obrigado e criado. Joo Alces lorato.
Receb do Sr subdelegado Joao Alvcs Morato
a criminosa do niorte, Lu/.ia.
H legaca de Ingazeira 13 do maio de 185'J.
J>.<- Francisco da SIra.
Publicacoes a pedido.
ze de Janeiro de mil
Carvalho.Limoeiro.
oilocenlo se scssenla.
Diversas provm
Rendimenlo do dia 1 a 7
dem do dia S .
Illm. Sr. Dr. juiz de orphaM.
Mondonea Vianna requer av. S.
Jos
se
da Silva
digne de
Auto de exame.
Atino do nascimento de Nosso Senhor Jess
Cnristo de rail oilocenlos esesseuta, ao primero
de fevereiro nesta cidado do Rocife, em casa de
morada do Dr. juiz de orphos doste tormo, Er-
nesto do Aquino Fonseca, compareceram os Drs.
em medicina Joao Marta Seve, c Joo da Silva I Liveroo
Ramos, designados a requerimento de Jos da
bilva Hendonca Vianna, para procederem a exa-
me de sanidade em sua pessoa ; e achando-se
este presente, disseram ditos perilos, que em
consequencia do quo por ellos foi ponderado no
da vin lo e solo do correte, em que se reunir ni
para o referido exame, leudo sido o mesmo cs-
pacado para o lempo em que por tres visitas pelo
menos, podessera ellos prescrutar o osudo das
facilidades intellecluaes do paciente, vinham boje
r o seu juizo perante o dito juiz
1:7628863
l quino fonseca.
Joao Facundo da Silva Guimaraes, segundo es-
crivao de orpl aos da cidade do Recife o sou
termo, capital da provincia do I'ernambuco,
por Sua Magostarlo o Imperador, que Dos
guardo, ele.
Certifico sor o theorda pelioo, replicas, des-
pachos, distribuidlo, cerlidao de notificacoos, do-
nloe auto do exame pedido por corlidao na
t i cao retro, da orma, modo, maneira e razoes
seguintcs :
Pelicao.
Illm. Sr. Dr. jeiz de orphos Jos da Silva
Mendonca Vianna, casado o morador nesta cida-
de, leudo soltrido urna paralysia, que embaraca-
Ihe a falla e o anlar, c leudo alguem propalado
que elle soffre desarranjo mental, roga a V. S.
so digne de nomear perilos, que em sua presen-
ta, no da e hora que designar, procedam a un
mi un oso exame desanidado, e declarem qual
o estado de suas faculdades intellectuaes. Em
estado das facilidades intellectuaes do paciente ;
-1 recebido por ellos o juramento, promelleram as-
sim cumprir.
E logo declararan] que lendo procedido a exa-
me do sanidade sobre o eslado mental do p-
ctenle Jos da Silva Mendonca Vianna, do idade
defiannos, natural de Vianna do Minho, reino
de Portugal, duianle tres dias, e havendo o mes-
mo saliseito com acorto as pergunlas que por
ellos Ibes foram dirigidas sobro variados objeclos,
sao concordes em quo a excepeo de apresenlar
o mesmo paciente dilliculdade "em pronunciar as
palavras, devido a eslar solTrendo de paralvsia
nos orgos vocaes, acha-se ello no gozo porleito
de suas faculdades intellectuaes.
E nada mais havendo declarado
mandou o juizlavrar este aulo
com siles o com o paciente.
Eu Joao Jos de Souza Comes, escrevente ju-
ramentado o escrevi.
Eu Joo Facundo da Silva Guimares, escrivo
Despachos le exportacao pela me-
sa do M>ns:ilado desta cidade n ,
dia de fevereiro do l&i).
eza Isabella Ridley, S.
Rrothers & C, 112 saccas algo lo.
CanalSarta ingleza Favorita, James Rvder &
C, 1,J.)0 saceos assucar niascavado
Baltimore llrigue americano Chaltanooga
Whately Forsler & C, 1,800 saceos assvcar
niaseavado.
Rio da Prata Brigue dinamarquez Hoindal
A. Irmaos, 300 barricas assucar braneo e 50
1 frito m3SCavado' 10 P''33 chaca, 1 ditas
Ro da Prala Carca hespanhola Christina,
Aranaga Hijo & C. 300 saceos arroz.
Ilecebedoria de rendas Internas
Seraes de Pernambuco.
tlendimento do da 1 a 7 7-nnssin
idemi*.....: : jKSio
7:5699042
Consulado provincial.
Rendimenlo do dia 1 a 7 to-iOI^K
" d0 8......._i590^7t
1 :700$5b6
os perilos,
em quo assignou
!frt."fa.,:.?f0 esUv5 08uPPPjcanto tralando-sc o subscrevi. Aquino Fonseca.- Jos da Silva
Mendonca Vianna.Joo da Silva Ramos. Dr.
Joao Hara Seve.
de sua saude, procedeu-S~j a um exame se-
melhanle, que dou o resultado constante do do-
cumento junto.
Podo a V. S. assim lhe delira. E. R. M.
Joao da Silva Mendonca Vianna.
Despacho.
Distribuida, nomeio para procederem ao exa-
me requerido, que lera lugar no dia lo
E mais se nao contm, nem outra alguma cou-
sa se declara em dita petico, replica, trepliea,
despachos, dislribuicao, verbas desello, certido
de nolilieaeoes, documenlo e aulo de exame, aqu
ludo cima bem e fielmente de voibo advorbum
do cor-; transcripto e copiado dos proprios originaos que
rente pelas II) horas da manhaa, os Drs. Joo ficam era meu poder
Maria Sevu e Joo da Silva Ramos, quo presta-
rao juramento.
Becife, 17 de Janeiro de 1860. Aquino Fon-
teca.
Diilribuiro.
Distribuida.A. Cuimar'es.Freir.
feplica.
Illm. Sr. Dr. juiz de orphos.O supplicante
roga a v. s. se digne de querer designar um ou-
tro da para o exame requerido, visto nao se ter
podido hoje effectuar, mandando que seja distri-
buida.E R. M. '
Despacho,
<,c2d,\23 50 corren,- Rent. 20 de Janeiro de
16W).Aquino eonstea.
Sello.
Numero 31.Esl o sgnele das armas irnpe-
riaes. Pagou 160 rs. Recife, 27 de Janeiro do
186').Carvalho.Limoeiro.
Trepliea.
Illm. Sr. Dr. juiz de orphos.Nao tendo sido
possivrl o exame requerido no dia que V. S. se
uignou do marcar, por isso o supplicanle vem
pedir V. S. que haja de nomear oulro dia para
ler lugar o mesmo exame.
Pede a V. S. lhe delira favoravelmenlf.E R,
M. Jos dv Silva Mendonca Vianna.
e carlorio, mais do que o
que dito c e declarado fica Vai a presento cer-
lido, na verdade sem cousa que faca duvida con-
lirida, concertada, subscripta e assignada na
forma do eslylo nesla cidade de Santo Antonio
do Recife, capital da provincia do Pernambuco,
aos 7 dias do mez uc fevereiro do anuo do nasci-
mcnlo de Nosso Seulior Jess Chrislo de 1860,
trigsimo nono da independencia e do imperio
do Brasil. Fiz escrever, subscrovo eossigno.
O escrivo, JoO.o Facundo da Silva Guima-
res.
VOTO DEDF.SIM.DIHA.
Os ofDciaes do 9. balalhae de infantera de li-
nha do exorcito, abaixo assgnados, nao cumpri-
ram um de seus primeiros deveros, se deixa-
sem de pateutear ao Illm. Sr. major Joo Bap-
tista de Souza Braga, o quanto lhe lisongeiro
este momento em quo s despedem de S. S., por
assim moslrarem ao publico quo eUo3 lem em
alta considcraco uapreco asqoalidades que or-
nara o pes-ioa de quem se despedem. O Sr. major
Raptista Draga, que durante o lempo que per-
tcnceu 5 esto balalho por espido de 18 anuos,
que com elle paililhou de lodas asfadigas e vi-
(issiiudos da guerra e da paz, sempre den exu-
bcrnlot provas. d.e $eu cavaUcirismo para cora
Movimento do porto,
tt :v"l'os entrados no dia 8.
Ilavre-21) das, barca franceza Hile do itoulon-
a'z'end "^ ,0"0la,i'1S' C0pi,i, Po"^ "ga
buendas e mais gneros; a Tysset fieros ,v C
navios saludos no mesmo dia
Aracaly-lliate nacional Duvidoso, capilo Pc-
rpr 'fll. 'anc-si"0'.cirga varios 8eneros-
Vn.Tni i nan?"al SanUl I", caplao Jos
Antonio Pernandcs, carga dlTereeles
Rio do JaneiroPatacho nacional lie
pituo Joaquim los dos Res, car-a
mais gneros l'assageros dous-esc
tregar.
Rabia-Escuna hollandeza Specuianl, capilo B
Vn Oesl, carga parte da quo trouxe de lio'-
Rio Crandedo Sul-Rarca nacional Sania Ma-
rta Uoa sorl, capitao Mauoel Luiz dos
los, carga assucar.
CearBarca
gneros.
Beberibe, ca-
assucar e-
escravos a cn-
San-
mgleza
Simpson, era lastro.
Ibjndford,
Suspenden
eapito J.
do lamaro.
1*11
3 "*
**8 i
-, -i
o -
w o
P o
caco tooa
o. 73 a.
I
a
3'
Horas.
Atvtosphera.
3
Direccao.
3
I Intensidade.
>J> KE M) hfi t
r: ^ ts -~! ^ ci
" s --J ^-> i.t
2 5*1
5osS
- u.
Centgrado.
ig M t: KS M)
p ^ l. ^* O
Reawmnr.
8323 Fahrwheit
38B8R
Ilygromelro.
r' >' r4 t4 rj 3 i
01 s> $ i 5 i
Barom*!ro.
c
Cs
ir.
K
n
eco
re t.

es :
Fura os corpos e fortalezas.
fino caadas de azeile de carrapato ; 2 arroba
de lio do algodao.
Pwa o l. balalho de infamara.
Galio de prala com urna pollegada do largura
varas 10.
Quera qnizer vender laes ohjectos aprsenle
as suas proposlas em carta fechada na secretario
do conselho s l horas da manha do dia lo do
correte mez.
Sala das sesscs do conselho administrativo
para fornecmento do arsenal de guerra, 8 de
fevereiro de IbW.liento Jos Lamcnha Lins,co-
ronel presidente.francisco ioaquun l'ereira
Lobo, coroi.ol vosal secretario interino.
Pela mesa do consulado provincial so faz
publico, que os 30 dias uteia para o pagamento
boca do cofre dos impostas do 4 por cotilo so-
bro diversos estabelccimenlos do O?, sobro casas
de modas, de perfumarlas e de vender plvora, e
de20*sobre casado jugo de buhar,' iidam-se
no da 20 de fevereiro, Picando sugeitos a mulla
de 3 por cont sobre os seus dbitos, Iodos os
que forem pagos depois desse prazo. Mesa do
consulado provincial, 7 do fevereiro do l>60.
Pelo administrador, Theodoro Machado Freir
l'ereira da Silva.
Banco do Brasil.
Afim de poder abreviar o expedienle de lodos
os negocios a seu cargo, a directora da caixa fi-
lial do Banco roga a todos aquellos que se propo-
zerem realisar transaceoes com csse eslabeleci-
menlo, do apresenlar as .suas propostas todos os
das litis das U huras ao meio dia, ficando para
serem apreciadas no dia seguinte, todas aquellas
quo forem apresentadas depois dessa hora.
Crrelo.
As malas que lem de couduzir o vapor costei-
ro Fersinunga para os portas do sul, soro fe-
chadas no Jia I5as3 horas da larde.
Novo Banco de Pernambuco.
O novo hinco de Pernambuco reco-
llie as notas de sua emissao de 1 <',<,' e de
20$, e pede aos possuidores das mesmas
o favor de as virem trocar no seu es-
criplorio, das^l 1 horas da manhaa ate
as 2 da tarde.
INSPECCAQ DO ARSENAL DE MARINHA.
Tendo de continuar 110 bairro de Santo Anto-
nio a construeco do lauco do caes entre a ponte
provisoria e oulro lance feilo do lado do ihea-
tro publico, convida Sr. inspector aos que
queiram tomar a si essa obra a apresentarem se
nesla secretoria com as suas proposlas em cartas
fechadas no da 13 do mez prximo, pelas 11 ho-
ras da manha, em que lera lugar o contrata :
sendo quo as condicoes concernentcs a feitura
da mesmaobra, e o respectivo orcamenlo es^o
patentes nesla secretaria para quem antes do con-
trato precise consulla-lus.
luspecco do arsenal do marnha de Pernam-
buco, em 2 de Janeiro do 1810.O secretario,
Alexandic Rodrigues dos Alijos,
Secretaria da nstruccao publica de
Pernambuco 1.- de fevereiro
de 18G0.
O Illm. Sr. director geral manda azer publico
que achondosc vagas as cadeiras de inslrucco-
elemonlar do primero grao do sexo femiHino
da villa de Garantios e da cidade de Caruar,
a primeira por ter sido '.limnrapnle creada, e a
segunda por jubilaco da respectiva professora.
osla marcado de conL)truida.de com o art. O das
inslrurces dcll (Je junho de 1859, o prazo.de
30 das, a conla; da. dato tete, p$ft a inscip-
0 luale na seguinte semana : para o tosanle do seo car- *
regamento, trata-so cora Gurgel limaos, no seu
esenptorioda rua da Cadeia do Recife, primero
andar 11. 28. -
C03IPAMIIA rERMMDLCAM
) do
corrate,
Pelo agen le
vapor.
Navegaco costeira a
O vapor Ignarass, Irommandante o segundo,
lente Uorcirs, seguir para os portes do norte
de sua escala al o da cidade da Fortaleza, no
da 10 do frrente s-f horas da tarde. Recebe 1
carga posta bordo a cusa dos senhores caree- j
gadores, nos dias 0 para o Cear, 7 para o Ara- !
ealy o Ass, 8 para o Rio Grande, e S) al meio
da para a Parahiba, devendo a mesma seracom-
pannada dos competentes conhecimentos, somo
que nao ser recebida.
COMPAKHIA BRASILEiRA
PAQUETEA A VAPOR-
O vapor Cruzeiro do Sul, commandanle o
capilo de mar e guerra Gervasio Mancebo, es-
pera-so dos portos do sul em seguiuicnto aos
do norte al o dia 13 do corrente mez.
Recebe-so desde j passageiros, fretc do di-
nheiro e enaommcudas e ongaja se a carga que
o vapor poder conduzir, sondo os volumes des-
pachados com antecedencia al a veapera de
sua chc^da : agencia rua do Trapiche n. 0.
Xo citado dia e pelas 1:) horas
da manha, aporta do arma-
zemdo Sr. a naos, defronle,
d'alfndega, o referidoagea-
te vender por con'a .!
quem perteoeer e sem reser-
va de preco:
OOcaisas cora sabo inglez.
7 barris com carne do raeca salgada.
60latas com carnes mi conserva.
13 barris com manloiga in^
8 taitas com presuntos para fiambro.
10O caixas com videos.
50 caixas cora WislMgr.
i*
O agente Peotona continua a elar tntor -
pelacommso lquidataiia da eatiacta sim
de de Bacn o lecidcs <
restante doterreno do silio da mosmi sociedad
Os prote-adon-tes podom dirigir ao rmazi m i%
rua doNigarion.il, a qoalqaes hora do ::a
eulender-si com o dito ageule.
BEAL COJlPAPilllA
Aiiio-Liiso-Brasileiri.
Leildo
Freres Gufio leilao p i- inter-
vencao do agente Hvppoto a Silvi.
de ura vanadasortimento de miudiz.is
e artigos de phantasia e lu.\o, para o
que pedera aot seus fregueaet a oompa-
recerem quitrv leira 9 do convnt-
11 horas eta ponto, noseuarmuzem da.
rua da L-uz.
O vapor Brasileiro espera-se dos portos do
sul de 11 a 12 do corrente, e seguir no mesmo
dia para os portos da Europa de sua escala. Pas-
sageiros c eiKoniniendas trato-so cora os agen-
tes Tasso & irmos.
Porlo c Lisboa.
Sahc com hrevidade a barca portugueza For-
mosa., capilo Joaquim Fiancisco Pinheiro, re-
cebe carga e passageiros, para oque lem magn-
ficos commodos : quem qnizer carregar ou ir de
passagem, trate com o capitio na pruca, ou com
os consignatarios Manoel Ignacio de Oliveira
Filho, no laigo do Corpo Santo.
iftio de Janeiro.
Vai brevemento salr.r o brigue brasileiro Du-
que da Victoria, capilo Lisboa : cara carga
algiyo passa?eiro, trala-se na ra da Cudeia di> i Ue um c''>OlUO excellente oflicial de pe-
Rwiu,cscriptorlo n,l2. Idi^.ro e ura. mulatinlto, ptimo holeei-
IlyppotorJa Silva lara' leilao no seu
nrmazem da rua do Imperador n. 11 C,
ILEGIVEL


M)
DIARIO DE PERNAMBUCO. QUJNTA FEIRA 9 DE FEVEBEIRO DE 1860.
ro: sexta feira 10 do correte, a urna
hora em ponto.
L1ILJV0
DE
Carro e c-
vanos.
Hyppolitoda Silva (ara' leilo no seu
armazem da ra do Imperador n. 11
C, de umexcellente carro do quetro ro-
das e qoatro cavallos todos adextrados
para cano : sexta eira 10 do con ente,
a una liora em ponto.
Agradecimento.
O abaixo assignado, tendo-se desliga-
do de commura accordo do estubeleci-
mento de chapeos do Sr. Joaquina de
O Uve ira Maia, na praca da Indepen-
dencia ns 2k a 30, approveita a occa-
siaopara agradecer ao mesmo senhor o
bom trata ment, estima e confianza que
nelle sempre depositou,nSo na quali-
dade de caixeiro, durante o longo es-
paco de 17 annos, como na de socio ge-
rente desde 1 dejulho de 1850 a 14 de
Janeiro de 1800 ; nao podendo deixar
em esqueciment o geneoso olfereci-
mento que o mesmo senhor ainda mes-
Attenco.

Na ra do Hospicio n. 32 apromplam-se comi-
das com muilo accio e promplidao.lanlopara ca-
sas particulares como para os senhores esludnntcs,
logo que mande os scus conductores ; assiiu como
fornece-se em casa para aquellas pessoas que
nao liverem conductores, por preco razoavel :
a tralar na casa cima
O abaixo assignndo roga aos Srs. devedores,
o obsequio de mandarem saldar os seos dbitos
ua loja de ourives da ra cslreila do Rozario,
.17.
Joao Paulo de Souza.
Attenco.
Devendo o abaixo assignado partir para a coi te
por estos dins, e niio querendo que seu norae B-
que em m repulacao, faz ver a quom por ventu-
Saca-se para o Porto e
Lisboa, no escriptorio deCar-
valho Nogueira & C, na ra do
Vigario n." 9, |primeiro andar.
Acliando-se em casado abaixo assignado a-
prendendo o olFicio de mnreineiro um crioulinho,
forro, de nome Feliciano,que representa ler de 13
Attenco,
Pcrdeu-se no da 4 do correnle mez um meio
bilhelo n. 511 da 29." lotera a beneficio da em-
preza lyrica da corte, o pede-se a quera o tiver
adiado, o favor de o entregar no paleo do Carmo
em casa de Miguel Jos d'Almeida Pernambuco,
que ser recompensado.
Qucm tiver e quizer vender urna mobilia
cr
Pregos avariados.
Henry i-'oster & C-, farao leilan po;
mo ausente, se dignou lazcr-lhe de sua ; evaalgiima quanlia, que aprseme, suas con-
i i i las na r.ia larga do Rosario n. 40, pnmeiro an-
casa em Portugal, para onde o abaixo | dar; c com quanto, porm, cm su* eonsciencia
assignado pretende sef.uir no prximo julgue nada dever a pessoa alguma, alera de
'.. i ..* ..,!! muilas aliencoes c favores, com ludo o esqueri-
paquete inglez,a tratar de sua saudee roenl0 podB ler sido ca',isri de Mgll|n Oqngano
negocios. Kecife 8 de fe fretro de 18b0. | ou descuido de suas obrigages. Recife, 5 de fe-
Manoel Francisco Morcira Maia. Weroiro do 1860._
Manoel Francisco Morena Maia
vai a Europa.
Aluga-se annualmente o sitio da
interveneao do agente Hyppolito da campia da Casa Forte, antes de chegar
Silva, c3in autorisaco do inspector da | o capella, lado do norte, casa foi ree-
allandega, e ena pivsonea de um em- dilicada ha pouco e tem bons comino-
pregado da mesma repartico, de 50 dos : trata se no primeiro sitio do mes-
barricas com pregos avariados, a bordo mo lado ou no Recife ra do Trapiche l
do patac'io americano N. Slaweis :; n. 9, armaren! de assucar.
sexta-feira 10 do corren te as 10 horas
Precisa-se de um sobrado de dous
em ponto no armazem n. 10, da alian- andares ou um andar sotao por com-
Ipra, hvpothecaou aluguel, cora tanto
que tenha bonscommodos e esteja si-
tuado em as principaes i uas da liegue-
zia de Santo Antonio: tiata-se na ra
O major Juo Baptitta de Souza Draga.
Para urna taberna na Cnpunga, precisa-se
de um menino que lenlia pralica de ser caixeiro
de laes estabelccimenlos, e promelie-se-lhe bora
ordenado, se bern servir : no caes do Ramos, ar-
mazem de iarinha.
Quem precisar de um bom destilador ou
administrador, para qualquer engenho ou fabrica
dentro ou fra tiesta cidade : dirijo-se ra do
,o n. 40, ou annuncic para ser procurado.
Percisa-se do um caixeiro que tenha prati-
ca de taberna ; nao se rcpaia pagar beiu : na
ra do Rosario da Boa-Vista n. 51.
Aluga-se
crigo n. 36 :
niesiu.
-los Tortella, subJilo hcspanliol ra para
Macei.
nina casa terrea na ra da Con-
quero a pretender dirija-so a
do Rngel n. 56.
0 referido agento far leilo por ronta do quera
pertencer, quinta-feira 9 do corrale,s 10 horas,
da manhaa, na porta do armazem do Sr. Aunes, zoaveis) e excellente, nao s
defronleda alfandega, de lil barris com man-
. em barris de 25 libras, viuda da Amrica,
a nielhor qiiolcm vindo .'i este mercado.
Avisos diversos.
Precisa-se de una niulber forra para ir em
companhia de una familia al o Maranhao :
qucm quizer tazor este
iiio da senhora ruva
L'choa.
Pngio a 3 do correnle o escravo pardo, d
D-se qualquer quanlia ajino sobre prnho-
0! res de ouro e prala : na ra di Paz n. :tisc dir
abaixo assignado traspassa o di-U(,m ^ '
reito (pie tem no engenho Braco da iva
guezia da Victoria, o qual llie esta' hv-
pothecado pela quanlia de 10:000#,pou-
co mais ou menos, "esse engenho (que
tamben) se vende e a pagamentos ra-
por ser
multo novo e productivo e ter muitas
| matas, cJtno por estar qiusi piompto
para moer com agua : trata-se no enge-
! nho Bella Rosa comJo5o A. de Souza
: Beltruo de Araujo Pereira.
$
$
-
negocio, compare' a no iW i.ava-se u engomina-se com perfeico e
Auiorim, ni Ponte de j'or mdico proco, na rua da Cruz. n. 27.
111 nfiilA
no
Recife a Sao Francisco.
LAmUa&o.
Aviso.
; dia 3 do correnle' mandado por sua protectora
; a Illm.a Sr.a 1). francisca Theodora da Cunlia
Reg, esle desappareceu sem se saber qual fosse
o motivo, por isso suppe-sc ler si seduzido,
a mesnia senhora cima protesta contra qucm o
tiver occultado. F. rosa-seas autoridades poli-
ciaesou a quem delle tiver noticia, lcva-lo a casa
da diti senhora, na Passageni, defronlo do sobra-
do grande, ou na ra do Imperador, loja de
trastes n. 21, que ser gralicado Chrisliano
os Tarares.
Estrata de Ferro
DE
TAMUDnilB HJM.
Sao convocados a r uirem-se na assoiiaro
coramercial os Srs. accionistas da compauhia'da
estrada de ferro de Tamandar e Una, no dia 1G j i
do correnle mez.
0 Sr. Honorato Jos d Oliveira Figucirc- I
do queira annunciar sua morada ou dirigir-se :
livrariada praca da Independencia,que se preci-
sa fallar-lhe.
O Sr. Albino Pinto da Silva queira appare- j
ccr na rua da Santa Cruz n. 5, a negocio que,
nao ignora.
Furlarara do engenho Tclha um cavallo prelo i
caxito perlcncento ao abaivo assignado, cas-;
t-rado, grande, e est bem carnudo, anda bem
balso, bota al meio. lera urna estrida na testa,
nina bexiga no cspinha;o lera o p esquerdo o
a lujo direita branca, ha toda probalidade que o
dito cavallo fra conduzido para alguns dos en-
genhns do norte pelo ladreo que furtouos caval-
los do lenente-coronel Bandeira do engenhoCar-
rapato, e que j foi um appehendido no lugar
Maela, portanllo quem npprehender o dilo ca-
vallo ou delle der noticia ao abaixo assignado
ser generosamente recompensado. Tilha 30 de
Janeiro de 1800. Thom Joaquina de Oliveira.
Aluga-se
a lujo do sobrado da rua da Aurora n. 40 ; na
mesma vende-se urna cadeinnha em bom esta-
do : a tratar na rua do Cabug, loja n. 9.
Alinanak da provincia.
Sabio a luz a folhinha com
o ahnanak da provincia para
ocorreneaimo de
Satuslio, alto, magio, bigede e
&&*i'-U$! j5fe@-gK i.^#3i
pouea bar-
ba na punta do queiio, aula calcado e sabe ler,
tem urna marea de caustico sobro o peilo direilo,
urna los.se nervosa, furto e frequente : quem o
pegar, leve a seu sr-nhoi o I)r. Aprigio Guima-
'.'s, na Ilha dos Rales, que sei gratilcado
Precisa-se alugar urna casa terrea com quin-
ta1, cujo aluguel nao exreda de 10 a 20^, no baii-
ro da loa-Vista ju Sanio Antonio: a tratar na
rua do Hospicio, sobrado de um andar n. 15, at
" dia 24 'le fevereiro.
Prerisa-se de una ama que engomme, co-
zinho e compre para duas pessoas : a tratar na
rua do Hospicio, sobrado de um andar n. 15.
Domingos Itibeiro de Oliveira vai a Parala-
ba, Rio i'.rande do Norte o Cear.
A festa do glorioso Sanio
Amaro
!i Cidadc Nova ser celebrada com toda a 60-
lemnidade, no domingo 12 do corrate mez. A
noile soltar-se-ha um bello fogo de vista.
Ama.
U'iem precisar de urna ama, dirija-se a rua Di-
rcita n. Oi, primeiro andar.
No dia 7 do correnle desappareceu da rua
do Sol um cavallo caslanlio sem signal visivel,
com cangalha c saceos vasios de carvao : quem
0 achou, queira dar noticia no lugar de Tabalin-
ga, junto do engenho Burralho, que ser grali-
cado;
Vende-se um preto de idade de 25 annos,
bonita figura por ser reforjado, que cozinha o
diario de nina casa, nesla "lypogrsphia se dir
quem vende.
Pede-se encarecidamente ao Sr. juiz muni-
cipal da cidadc da Victoria, que repita, em le-
tras com que se annunca o uropc do bosaue, a
publicae daquella celebrrima descripeo da
viagem de SS. MM. mesma cidade, e que sua
merc teve a habilidade de forgicar e mandar
publicar no Liberal com o fim nico, nao de
tralar da recep'.ao, mas de clogiar-se, proclaman-
do que fez islo e aquillo, que trabalhou, correu,
.sallou, virn, voltou, pegou moscas, matou ara-
nli.is, e por fim, e por fim............ por lim teve
urna adiscusso com S. M. o Imperador, na qual
sua merc leve a gloria de sabir vencedor!! U !
! '"ino este pedacinho vale ouro, pede-se a sua
repeticao por sete vezes, nao se eSquecendo lam-
bem de publicar o tinal da decantada descripeo,
que parece mesmo um fraseado de pansudo fran-
ciscano, ou pelo menos de quem provm deori-
gem ecclesiastica. Se sua merc quizer, alm
da pulilirai'ao pedida, favorecer-nos com alguma
palavrada, entao nao se dirija a oulro, que nao
soja e^te. seu humilde servo, o qual conhece per-
feitamenle o engenho Canoas, aos que veem de
1 j, conhece lambem a Joanna, e se assigna
0 ordenativa do Uellto.
Na rua Direita n. 95 lia para alugar ura
prelo robusto e sadio : quem o pretender, appa-
reea pira tratar.
Precisa-se de urna pessoa para distribuir!
um jornal era Olinda : quem quizer, dirija-se a i i
typograpbia Coramercial, na rua do Qucimado
numero 38.
Pedreiro.
Na rua do Imperador, armazem do gaz, preci-
sj-sc de um pedreiro.
O abaixo assignado deixou de ser caixeiro
do Illm. Sr. Manoel I'erreira da Silva Tarroso, o
io mesmo agradece o bom Iralameiilo, conside-
Previne-sc ao respeilavel publico, que (endo-
se de Irabalhar na ponte dos Afogedos, os Irens
Vende-se urna taberna bem afreguezada pa- I que parlirem da eslagao da villa do Cabo no dia 7
ra a praca, a tralar na esquina da Iravessa de San- as 3 1|2 horas da larde, c no dia 8 s 7 da ma-
la Cicilia n. 18. lulia, nao passaro alora da estando dos Afoga-
Desappareceu ou furlarara do cercado do 1 dos, assim como os que parlirem s 5 horas da
sitio Sapucaia, cm Reberibe, um cavallo russo, tarde no dia 7 as81|2 horas da manhaa no dia 8
de cauda prela e curtD, de sella, orelhas um tan- terao sahidas somonte da eslaco dos Afogados.
lo cabanas, urn ponto magro, castrado, lendo no No dia 7 s i li2 horas da tarde havero omni-
quarlo direilo a marca .MI', o qual tem de 10 a 12 bus na eslaco das Cinco Ponas, oudc podem os
anuos de idade, os denles um pouco quebrados, senhores passageiros, munidos dos competentes
havendo desapparecido ha 8 das : quera o ap- bilheles, seguirem grates aos Afogados; osquaes
prehendef queira lvalo ao dilo sitio ou rua ( devero transportaros passageiros que vierem no
do Oueimado, leja n. 1 que ser generosamen- Irem do Cabo para o Recife. Ilavci o mesmo
Gollegio de Santa
Theroza.
^i. SI \>va^a i\a Ifcoa-
Wsta 1. anaav.
DIRIGIDO POR
Theresa Guilhcr-
mina de Carcalho.
A directora dcslc collegio avisa
aos pas de suas alumnos, o ao res-
peitavel publico, que as materias,
que ueste cstabeleiimeulose ensinam
tendentes completa educaco das
meninas, e bem assim todos os ra-
mos da mais perfeita educaco se
acham em exercicio.
Sendo a cducaQo a base principal
da felicidade humana, oceupa os pri-
meiros cuidados da directora deste
collegio, que, incansavel pelos pro-
gressos de suas alumnas, nao des-
cauca em inslrui-las em lodos os ob-
jcclos uteisaoseu desenvulvimenlo :
assiiu ella recebe pensionistas, meio-
peusionislas e externas, com as con-
di';oes expecilicadas em seus respec-
tivos estatutos, que podero ser vis-
tos cm seu eslabelccimenlo.
Furtaram
na noile de 1 para 2 do correnle, da Torre, um
cavallo rastatiho, com os signaes seguintes : a
mao direita prela eaesquerda branca, a perna
direita branca e a esquerda prela, e o casco da
mao direita
levar sua
eicr, receber -^OOO de gratificaco.
Barato que
admira.
nova loja da rua Direita n. 87, ha para
s paletos de fusl.io branco e de cores,
anc-lim pelo diminuto prern de 5j c
s saceos de alpaca di: corea,feilM com
osto a 45500. calcas de meia casernir.i
muilo boa fazenda a 4?500, ditas Je brim de li-
nho padree* de gestos modernos a 3800, ditas a
3-3000, ditas a 2590, saias a balao (le lalivrinlbo
a 8000, dilas de musselina a f.g'lOO, chales de
touquim a 10JOOO por ter um s de cor, vei ;
por lao diminuto prero : c outras mullas fazen-
das que s com a vista do freguez.
No Diario de honlem, 7 ao inrrente,
urna casa terrea n. 59, na rua de Sinla Rita, pa-
ra se vender, julga-se ser engae de nuii're,
pois que essa casa nao se vende, pertence a "r-
phos.
Vuou na tarde do dia 6, da casa n. i>\ i i
rua Augusta, em direceo a rua do Alecriaa, ama
rola do serlao chamada aza branca queu, a ;
gou, querendo reslitui-la, leve i n.
que ser recompensado.
Precisa-se alugar urna pr< ta eaent
sirva para vender na rua : na rua da '.
| Precisa-sede urna ama para rasa de
1 familia, que saiba cozinhar e far.i as compra- b i
:rua ; pode ser capliva ou forra", dan
que abone sua conducta : no al"rri d* I \
ita, actualmente rua da Imperatriz n. M, I
Para mascarados.
Na loja d'aguia de ouro, rua do Cabagi n. 1
R, vendem-se lantijoulas. galoes gi
das as qualidades, proprias para nMUsa di
tuarios de mascarados, assim como m. -
rame e de papetio, muilo finas, tudo muilo barato por seren raeebid -
reilura.
Vende-se um mualo de 18 annos, ti
lente figura, proprio para criado, nfficial de
teiro ; a pessoa que pretender, dirija-se "a rua
da Conceicao da Boa-Vistan. 5.
Para a q ti a resma.
Sedas prclas labradas, liados desenhos
covado
Gorgurao de seda lanada, superhr em
qualidade, para vestido, covado
Grosdeiiaplc preto, covado
"lito largo
tirr~.
'':" '
t muilo superior a 2$ c
Sarja prela larga, covado
fendido :" quem o apprehender e"o na rujl do Quinlo, loja de 4 portas n. M.
da Cruz n. 5'J, loja do alfaiate Mer-
1XHI
o qual se vende a 800 rs. na
praca da Independencia livra-
ria n. 6 e 8 contendo alm do
kalendario ecclesiastico e
civil:
le recompensado.
GABINETE PORTUGUEZ
DE
Sao convidados os senhores meinbros do con-
selho deliberativo para se reunirem em sesso
extraordinaria, no lugar do COStumo, sexla-feira
10 do corrente, s 4 Ii2 horas da tarde.
Secretaria do conselhu deliberativo do Gabinete
Portugucz de Leitura 8 de fevereiro de 1860.
A. D. Nogueira.
1." secretario.
0 curador fiscal da fallencia de Doeesley &
G. convida a todos >s senhores credores a pre-
sentaren! seus ttulos na rua do Collegio n. 3,
primeiro andar, no termo de 8 dias, a contar da
data do presente. Recife 8 de fevereiro de 1860.
L'm professor jubilado com as necessarias
habililaces para exerecr qualquer emprego ou
oceupacao em qualquer casa commercial desla
iraca, fferece o seu preslimo, dando fiador a
sua conducta : quem delle precisar, dirija-se a
rua eslreita do Rosario n. 17, loja de outives,
que se dir quem _______________________
arranjo na manbaa do dia 8, cora a difTerenea de
parlir das Cinco Ponas s 8 horas em ponto", lis-
criptorio da superintendencia, 3 de fevereiro de
1800. E. W. iramah.
Superintendente.
Novas machinas de cozer,
Noticia dos principaes esta! wl i D Wj|son
is da Europa e America com ** "^cici Vk, >> iisuil
riE
New-Yvrk.
tOMPAMUA DA VIA FFRREA
no
RECIFE AS. FRANCISCO.
dos ua fcurop
o nome, idade etc. de seus im-
peradores, res e presidentes.
Resumo dos impostos gc-
raes, provinciacs, municipaes
c policiaes.
Tabella dos emolumentos
parochiaes.
Empregados civis, milita-
res, eCClesiasticOS, litterarioS Pnjnciano aterro da Roa-Vista, "aclalmente
! rua da Imperatiiz n.
de toda a provincia.
Associacoes commerciacs,
agrcolas, industriaos, littera-
Manoel Joaqim Moreira e Jos Francisco
Rodriguess da Costa Iraspassados de dr
pela sbita c prematura morlo de seu mili-
to prezado socio e mano, Miguel Jos Ro-
drigues da Costa, cordealmente agradecem
a lodas as pessoas que izeram o piedoso
obsequio de assislircm aos ltimos sufra-
gios, e auompanhar ao jazigo os restos
moraos daquelle bom amigo, cuja perda
nunca mais deixarao de prantcar.
De novo rogam aos mesmos senhores o
aquellesamigos do fallecido, que por falla
de lempo deixaram de ser convidados no
infausto dia da raerte para assistirem ao
ollicio do stimo dia, cujo lera lugar na
mesma egreja do Espirito Sanio, no dia
sexla-feira 10 do corrente, pelas 8 horas
da manhaa. Kecife. 7 de fevereiro de l8i).
Pelo presente sao convidados os senhores ac-
cionistas virem do dia 3 do corrente cm diante
ao escriplorio da rua do Crespo n. 2, par* rece-
berem o 8. dividendo de juros do suas aeces,
contados no semestre decorrido do 1. de agosto
de 1859 31 de Janeiro de 1860. Recife, 1." de
fevereiro de ,860. rias e particulares.
Precisa-se de um bom forneiro ; na pada-
ria da rua dos Pescadores n. 1 e 3.
Quem precisar de um homem portuguez de
idede para administrar qualquer cslabelecime
lo, ou mesmo para cobrancas de rua nu oulro : i,i.,,, nc, ,,^i*i_ i i
quelquer mister; na rua da Praia n. 58. dasO^OdasaS qualidades C01UO lo-
Estabelecimentosfabris, in-
ue _
n-duslnaes e commerciaes de
Acham-sc venda estas interessantes machi-
nas de costura, asquaes rcunem lodas as vanta-
gens desejaveis, nao s pela perfeico o seguran-
za do mechanismo, como por seren da mais bo-
nita apparencla, sendo muito facis para se
aprender a Irabalhar nellas, o que se conseguc
com urna simples licjio. Estas machinas fazem
posponto dos dous lados da costura e cozem com
raaior rapidez c perfeico possivel.
Acham-se venda e moslram-se a qualquer
hora ds dia ou da noile na nica agencia desla
primeiro andar.
Relogios
dando fiador a sua con-
ATTENCO
i
Pugiram da casa de seu senhor dous escravos,
um de nomo Luiz, crioulo, cora os signaes se-
uintes : bem preto, nariz grosso, peinas gros-
sas, olhos bisonhos, falla pouco, mui vagaroso
no andar, altura regular, representa ter de 18 a
20 anuos; o oulro de nome Thomaz, cabra, rom
marcas de bexigas j desfarcadas, bem fallante
e muito condecido por Irabalhar na alfandega
com boi, tem falta de um denle na fenle, bem
horas do dia em dianlc
duela.
ADMINISTRACO DA PRENSA NACIONAL linOS, etc., CtC.
de Lisboa, lendo publicado o Specimen dos ly-I r, ni
pos que se fundem na sua fundicao, garante aos JSei'VC ClIC UC gUia 30 COIll-
Sis. lypographos a raaior rapidez na promplii- ', mroantA \ftr ipillnr mnri
cacao de suas encoramendas, perfeita execucao "i^i^"""^) o^uluhui, iii.iii-
do Irabalho, boa qualidade de metal, e exacta \ i mn O Pnifiu nipi tril-ic ie
conformidade comasrequisicoes qucsallicfi-l11/110 e emilH pai 1 tOtlctS as
zerem. A adminislraco nu'lre a bem fundada CiaSSCSda SOCedadC.
jesperanea de continuar a merecer a preferencia
que lhe dado os Srs. lypographos, na certeza de
que nao descansar no caminho que encelou,
i pois que se avha em andamento a fundicao de
oulros muitos corpos de typos, cujas proras so
; publicaro em folhas supplementares.
Ratificando o aviso publicado em muitos pe-
ridicos porluguezes e brasileiros, a administra-
cao da [mprensa Nacional declara que coiilinua-
ro a fazer-se os ebalimenlos na propon-o se-
guinle :
as encoramendas que excederem
de 10$ at 100-5 ruis.............. 10 por ccnlo
as que excederem de 100-5000 al
500& rcis..........................15 por cont
as que excederem de 500$ ris___20 por rento
O lypo inutilisado recebe-se como dinheiro, a
razo de 100 ris o arralel.
Aceitam-so em pagamento letras a prazo, abo-
nr.das por firmas conhecidas, mas nesle caso ou-
Suissos. j
Km casa de Schatheitlin & C, rua da
jas, vendas, acouerues. eiirc-i'-.T""1?' vndese um grande c
V,^ ..i nado sortimento de relofrios hori
e va-
zon-
Baralo que ad-
mira.
Na rua di Madre de Dos, leja nova n 7.
queimando por lodo preca, be i omo i
de cores de lindissimos padrees a 5, sa
balao ingletu a 5$S0O, cortes d. chitas i
cores ixas com 13 covados a 1-
eos brancos de cassa, Useada lina, a i
2$600, -25800 c 3$0o a daa, chitas larg -
cezaa de lindissimos padres e o n
260 e280 o covado, cambraia de
fixas e novos desenhos a 440 avara, n
do 3$800, 4$600, 4*800, Sjimi, e3 e (,.:, ,,
! l.:s_de merino estampados, gestos mod
(l.-iO'i, cassa de quadros, fazenda soffi
buhados, a 2S0 a vara, ou 9IOO I |
jardas, cambraia lisa muito fina, pe 1
: das a :$uo c 4*480, a alen dase nuil is -utra^
) Uzeiidas, que seria enfadonho mencionar.
Charutos.
Na taberna do paleo do Paraizi n.M
lao jiara a rua da Florentina, vendem-i
. tos linos para 40 rs. SflOQ a caii
rs. a l$8tM), o para 20 rs. por mi to n< n -
I vende-se fumo muito velbo, boa tuatid
j rnuilo menos do que em oulra qu
Irelalho; afianca-sc os bons chai ules e
Mimo a lodos os frcgUfzes que Se >j n i x. .-
guesar nesla nova fabrica de charol .
M LIJA
ao p do arco do Sanio
Antooio,
ha para vender coeiros bordados
propiios para baplisado.
Yeeglo-depunilivas
PaultstaaM
m,
Estas i'iLL'LAS, sendo nicamente compoUs
laes, patentes chroHometros e meo d ar08 ,, ^^^ w e
chrouorretros de ouro, prata domada, dl pr0vincia de S. Paulo, j forao an.lv-
efoleados a ouro ; sendo estes relogios ; pelo Sr. Etienne LagarJe no Cor.eio talu-
do primeiro abiicmte da Suissa : que tao ondesahiram algnmas pnblicsrjftai a r?~-
se vendero por preeos razoaveis. peilo das virtudes e efcacia desie DMfafilL
Aluga-se urna casa no Cachanga', i medicamento, ehoje se achao astas conhe.
bem confronte a egreja, com bons com- \ Pe'?s innumeras curas que com e'.l.is se
modos, banlio ao pede casa : a tratar ol)lilio tornndose um remedio sempre
na rua do Cabuga' n. 16, loja de c 1- necessario- especialmente nos Ingjrcs
cado.
parecido, julga-se terem ido para o serlao por tro dever ser o abatimenlo, e previamente con-
ser um da reguczia de Quipap e outro de Rui- vencionado.
raao, c estima que sempre teve durante o lem- j e' capi,5^ de >
po qnoeetere era sua casa. Recife de feverc- (:iru., Poolaa D>65
IS3.Jos Mana Marques. mente
Fugio de casa, na tarde do dia 6 do cor-
renle, a prela crioula, Deucdicla, estatura baixa,
porlanto, as autoridades policiaes
ipo os peguera e levem-os s
quu se gratificar generosa-
grande de
25
A admiaistrac&o da Imprensa Nacional de
Lisboa procura dar a raaior exlncao aos seus
producios, o para este fim conseguio ter respei-i
lavis agentes em algumas das principaes ci-
dades do rico imperio do Brasil:Na corte do j
Ilio de Janeiro o Sr. Francisco Telxein Baslo. i
Km Pernambuco o Sr. Amoritn Irmaos. Na Ha-
PILUUS VEGETAES
ASSUCARADAS
NEW-YORK.
O MF.LIIOR REMEDIO CONIIECIDO
Aluga-se urna casa de quina, na rua di Roa
llora, com armacao propria para taberna, o com
cheia docorpo pes apalhetados leu. una marca colllInoj0 para -familia : quem della precisar,
n r! dirija-se no paleo de S. Pedro Novo, taberna do : hia o Sr. Antonio Pereira F.spinheira CNo Contra constipares, ictericia, afecvoes do figado,
i tralar j Maranhao a Sra. viuva Rocha Santos & l'ilhos. febres biliosas, clicas, inditjestes,eiixaquecas.
para casa de pouca
rua da Senzala Velha nu-
2.. anuos, pouco mais ou menos: roga-se as au- gobJa(Jo da eSquna< q,le .chara com'quera
toridade, policiaes. capilaes de campo, ou quera Precisa.la do lia ama para caa do
delta tiver noticia, a sua appreheusao, e leva-la
e
.1 sen senho- na rua Direita n. 8, que ser sa-
(isfeita qualquer despeja resultante.
A irmaadade do Senhor Bom
Jess das Dores,
,m s. Congalo, scienlifica ao respeitivel publico
ij'ieuo dia 0 do correnle lera de baver a ben^io
da mageraRom Jess das Dores, padroeiro'da
familia : a tralar na
mero 10 .
Os administradores da massa fal-
lida de Jos Duartede Oliveira llego,
avisam a todos os senhores que se jul-
garem credores de apresentar-lhes no
prazo de 8 disos seus ttulos, afina de
casa;c convida aos Ccis devotos ao comparec raen-1 poderem proceder na forma determi-
nada no art. 839 do cod. do comtncr-
cio, devendo a apresentaco
10 deste acto, e l-rar expoeta at o dia 11 ; as-
- ,11 romo roga aos Ihesoureiros das contrarias,
irmandades, ao signal do logo, mandar repicar
para se tornar cora mais esplendor, pelo que fi-
jaremos gratos.i Ot Lucio do Carino, escrivao.
Nao tendo pulido desc.jbrir a morada do
r>r. Antonio ioaquim Britu e Oliveira, rogo ao
mesmo senhor o favor de apparecer na rua do
Rangel n. 56, para lhe entregar urna encom-
metida Dr. Ferrein.
Continua a estar fgido desde o mez de 011-
tubro do anuo prximo panado, o escravo Ma- p0p olimos pequeos, representa 40 ?n-
No Para o Sr. Marlins & Irmaos.
Precisa-se traspassa
da quantia de 8:0i/U.S, ve
mi de urn por cento ao mez, a qual nualmente I
esta' garantida em ura sobrado de dous Remedio da imturc/.a.
andares da praca da Boa-Vista, a qual APProv.ado Pe,a f'culdade de medicina, e rc-
, .,' I commendaao como o mais valioso catrtico vc-
esta vencida: quem quizer azer este gelal de todos os conhecidos. Sendo estas pillas
negocio, que O crece vant&ff'-ns, como i puamente vegetaes, no conten ellas nenhum
dirija-se a' mesma pra^a da'veoeBO "w"r nem al8,,m outro *':
O bacliarel Adelino Antonio de
. houverera medicse forem eteassea 0;
da medicina.

ilemorrlioidas, diarrbea.doenras da
ira liypotlieca pelie, rupcoes.e todas as enferraidades,'
pn-i>n"(ln n nm. i ovkiestbs do bstaoo niri-RO do sanci e.
eiiccuuu u pi u 75/100 caixas deste remedio consommem-se an '
se di
ra
j eslao bem acondicionadas era caixas de follia pa-
na loja deJoao de Siqueira
do Crespo n. 13.Recife, 7 de leverei-
rode 1800.
Fugio no dia 3 do corrente do
lugar Boa Viagem a escrava Anna,
'i'ioula, cor fula, baixa e secca do cor-
o ter lugar Boa Vista botica do Sr. Joaquim Ignacio ; ra resguardar-se da humidade.
FerrSo, rua | Uibeiro Jnior, que informara*. I Sa0 '*! ao paladar, i
theus (que se intitula .Malinas), de nacao Ango
la, representa ter 50 annos de idade, tem falla
le denles na frente e os dedos das mos foveiros;
ule prelo foi escravo dos herdeiros de Jos l.u-
nos; foi escrava lia poucos raezes do Sr.
Dr. Buarque Nazaretli, morador era
Santo Antao, conduzio uma trouxinlia
a- Constan-
teniente
et.no momo uei SenJ() 0 Bffl principai Jel35 p,L,LAi ficar
Luna Frene mudou sua residencia para, massa do sanH5lIe/qua| scia creilur.,
a rua Direita n. 82, primeiro andar, deixar de atiender a propria eoaeemeie, der-
O abaixo assignado, dono da loja presando um medicamento que, mesmo era M
da fama do aterro da Boa Vista n. 48. .do de saude, concorre para a Loa nuujf.,
tem de novo garantido os bilbetes das existencia, e que sempre ura preventivo
loteras da provincia, pagando os 8 por 'qualquer molestia ?... E'inconiestavel quegran-
cento da lei. Antonio da Silva Gui- lle Parle ioi soffrimenlos humanos tem por oii-
maraes. em a 'mIH,resa J sanano.
Os administradores da massa fal '. Assim julgamos fazer um gnnle servicoa
liJadeJoseDuarte de Oliveira Reg, |h ?T",Ide TS?,1 ** *
e indicaremos os diferenles mo !o< ror on
prev.nem a todos os devedores a mesma devemelm ur, segando o esudo i
massa, que o podem pagar seus dbitos
aellesou as pessoas que se mostrarem Wailoi-imiMilo
devidamente aulorisadas cora procura- ,.,,,, *-h ,
- ,' Imauummmmo do fijado e eslomaso.
c3o sua, ass.ra como, que devemvirl Eu abaixo assignado allesl0 ,B pHj((V1,:
quanto antes satistazer seus deftitos na mnha senhora de nfiamac.no de gade e i
rua do Crespo loja de Joo de Siqueira [mago por muito lempo, e mmpre tratada,
Ferrao, n. 13, no espaco de 30 dias, e (limamentese lhe addicionou ao seu Ualam
na falta lerao levados aos tribunaes. j allopalhico (com permisso do medico aacisU
Kecife, 7 de fevereiro de 1860. Ja applica^ao das chapas medicinaes -> do >
Manoel de Oliveira Carros, retira-so para | Ricardo Kiik. coro escriplorio na rua do !
n. 119, e a doente se resubeleceu inleiraase
faz uso das chapas do mesmo autor para o li
Lisboa.
Attenco.
ou eslomago, sempre como coadjuvante do t*a-
tamento allopathicoa que se subrntlte, e xai u-
; raudo proficuo resultado.
Fugio do poder do abaixo assignado. a escrava \ } ?,l,e.reQr VfraJe'ce J"r0- n. .
Cesara, crioula, com ns signaos seguintes : bai- Collegio nacional em S. Chr.slotao, Ido de
emsuaoperato eu edio ooderoso nar^a xa',.mafa- cara 'gosa, falla fanhosa. levou Janeiro Joaquim Sabino Tinto Bibe.ro
juvcnlude, puLerdade c velbfce P P n^T^tlZcn1car,,ad"' leyna9 m. Reconhecida verdadeir. a signatura suPra pe-
I ea-se o folheto que acompanha cada caixapelo B ^Z aT^2ZJ^ lo -labelia0 Luiz RoJl '^ *"* dl <**
qual se iicara conhecendo as muito curas milagro-! pirit0 Sanl0i c hojc pertence a0" ^SJ da
mesma ; desconfia-se ler
trocam-se, compram-se evendem-se escravos de
ambos os sexos, de lodas as idades e cores com
habilidades e sem ellas e lodo este negocio se
de roupa de seu uso : quero a pegar ou | raz debaixode todasinceridade : na rua Direita
ci Teixeira i.avalcanli, que teem olaria no He-
medio, e sendo levado pra^a por execugao
contra os mesmos, foi arrematado por Joaquim della der noticia sera' gratificado por'numero 66
da Silva Lopes emjuiihoe 1859, e consta quo | tnn\tnn fMt v,ntn, m,m||iSo o I O Sr. Scbasliao Alfonso do Reg Barros
o mesmo prelo se acha em uma casa trabalhan-
d i oculto, pelo que protesta o annuncianle usar
cora lodo o rigor da lei contra quem liver occul-
to o seu escravo, e cobrar-lhc os dias do servico :
roga-se, perianto, a todas as autoridades pli-
i iaes e capiles de campo a captura do mencio-
nado prlo. mandando leva-lo paJaria de An-
dr & Narciso, as Cinco Puntas, d'onde se au-
sentou, ou casa de seu senhor Joaquim dn Sil-
va Lopes, na Iravessa da Madre de Dos, no Re-
cife n. 16, que gratificar generosa nenie.
seu senhor Jos Pinto Magalhaes, na
i'dade do Recife, pateo do hospital do
Parazo, cocheira n. 10.
ATTENCiO.
Precisa-se de uma escrava por alguel, que
saiba cozinhar bem : qucm liver dirija-se rua
das Cinco Ponas n. 71, quo achara cora quem
trotar.
queira apparecer na rua do Qucimado, loja n. 10,
a negocio de interesse.
Vendem-se 7 escravos, sendo 2 casaes de
25 at 45 annos de idade, muito acostumados ao
servico de engenho ; entro estes escravos ha
oleiro, pedreiro, carreiro, e todos servem bera
sua officina ; na rua Direita, caa de negocio n.
; 72, se dir quera os vende.
Vendem-se saceos do farinha da trra de
boa qualidade c prero commodo na rua das
, Crines n. 20.
sas quetern electuado. D. T. I.anman & Kemp,
droguistas por atacado em Nova York, sao os ni-
cos fabricantes e proprictaros.
Acham-se venda em lodas as boticas das prin-
cipaes cidades do imperio.
DEPSITOS.
Rio de Janeiro, na rua da Alfandega n. 89.
Rahia, Germano & C, rua Juliao n. 2.
Pernambuco, no armazem de drogas de J. Soum
& C, rua da Cruz n. 22.
Commoda.
Vende-se uma boa cmoda de mogno, chegada
ltimamente de fra ; na marcineria da rua das
Cruzes.
Diccionarios.
Vendem-se por commodo prego dous jogos de
diccionarios de Moraes da ullima ediegao ; na
praca da Independencia n. 22.
O Sr. que annunciou querer ensinarem al-
gum lugar fra da capital, queira apparecer na
rua de Santa Rila n. 26, segundo andar.
Gura completa
Sem resfiruardo non inconimodo-
llheumalismo
Da tno at ao meio do bravo.
Eu abaixo assignado, declaro que uma minha
aggregada soTria ha bastante tompo de theuma-
(j tismo as costas da mao al ao meio do braco,
tralar I ficanJo Por i$so impossibiliuda de fzer coisa
a dita escrava tomado
para as bandas do sul : podc-se as autoridades e
capilaes de campo c a qualquer pessoa pega-la e
levarem-na rua de Santa Rita n. 61, ou na
mesnia rua n. 45, que se gralifiew generosa-
mente.
Manoel Jos dos Santos.
Aluga-se
uma casa no largo do Terco n. 30,
qualquer estabelecimento coramercial .
na rua da Cadea do Recife n. 4. alguma com essa mao ; e fazenJo uso de muitos
Precisa-sede um forneiro : a tratar napa- remedios sem resultado favoravel, recorrea as
tend^.nc,no&s^^^ do Sr. Ricardo Kirk,
son n. io. r
Joao Jacinlho de Medeiros Rezende faz ver Pono n. 119, com as qu; e>
ao commcrcio que Manoel Jacinlho de Souza Tra- ficou completamenla boa. E para constar fjco
vassos deixou de ser seu caixeiro desde o dia 6 a prseme, declaracao. Rua de S. Pedro, n.
d0-Orueem' quizer vender um sobradinho ou "7*> de J-eiro Manoel Antonio Rodrf-
uma casa terrea na Roa-Vista, dirija-se a esta
lypographia, que a;har com quem tralar.
gues Reconhecida verdadeira a asjigna.u-
ra supra pelo labelliao Pedro Jos de Castro.
f mil inri I AP\A 1


DIARIO DE TERNAMBUCO. QUINTA FFIRA 9 DE FEVEREIRO DE 1860.
(5)
LI0ES PRATICAS
DE
ESCRITA CONIMERCIAL
Por partidas dobradas
E DE
Ra Nova n i^segundo andar.
M. 1'inttiTn le Medelro*, escriturario da
thesouraria de fazendadesta provincia,compelen-
teraente habilitado pela directora de instrucc.io
publica para leccionar aritlimetica nesta cidade,
lem rosolvido juntar, como complemento doseu
curso pratico do oscriluroco por partidas do-
bradas, o ensino de contabilidade especialmente
na parle relativa a redcela de moedas ao cal-
culo de descontse juros simples e conipostos
conhecimento in lspensavcl as pessoas que de-
sojan) empregar-se no commercio ou que j se
acham nellc eslabelecidas. A aula ser iberia
no dia 13 de Janeiro prximo futuro s 7 horas
da noite ; e as pessoas que desejarem malricu-
lar-so poderlo deixarseus nomesem casa do an-
nuncianle at o mencionado dia.
DELICIOSAS E INFALLIVEIS.
para o servido de urna cafa de familia, c que se
preste a comprar e a sabir a ra em objeelos do
servico : na ra larga do Rosario n. 28, seguudo
andar.
COMF ANUA
ALLIANCE
Estabclccida cm Londres
EM
Pastilhas vegetacs Je Kemp
contra as lombrigas
approvadas pela Exm.* inspeceao de esludo de
Habana e por muitas outras juncias de hy-
giene publica dos tslados Unidos c mais paizes
da America.
Garantidas como puramente vegelaes, agra-
daveis vista, doces ao paladar sao o remedio
iufallivcl CODtra as lombrigas. Nao causam nau-
seasnem sensaodes debilitantes.
Testcmunho'exponlaneo em abone das parti-
lhas de Kemp.
Srs. I). T. Lanman o Kemp. Porl Byron
12 de abril de 1&59. Senhorca. As pastilbas
que Vnics. fazem, curaram meu lilho ; o pobre
Precisa-se de urna ama forra ou captiva, rapaz padeca de lombrigas, exhalava uiu cliei-
ro felido, tintn o estomago inchado e continua
comichao no nariz, tiio magro se poz. u.ue eu
tema perde-lo. Nestas circumslancias um visi-
nho meu disse que as pastilhas de Kemp linham
curado sua Bina. Logo que soube disso, com-
prei 2 vidros de pastilhas e cora ellas salvei a
vida de meu lilho.
Sou de Vracs. seu amo agradecido.
W. T. Floyd.
PrrparaJas no scu laboratorio n. 36 Gold
Street pelos uincos propietarios D. Lanman e
Kemp, droguistas por atacado em New York.
Acham-se venda em todas as boticas das
principacs cidades do Imperio.
DEPSITOS
Rio de Janeiro na ra da Alfandega n. 89.
Babia, Germano & G.,rua Juliaou. 2.
PerDambuco.no armazem de drogas de J. Soum
iS Companhia ra da Cruz n. 22.
i/x O Dr. Cosme de Sa' Pereira
mders Brothers ft C- tem a honra de m- |gde volt* desua viageiil instructi-gf
m>
casas
me
e
d
objectos que conUverem osmesmos edificios, |Cruz n. 55, todos os dias, menos,,
qu.r consista em mobilia ou emfazenuas de. -j. a
qualquerqualidade. 33,10S dominaos, desde as G borasgg
Traspassa-se o arreadamente de um enge-|jE t as 10 da manhaa, sobre os/?
nho distante desta praca duas legoas, vende-se | j^
una parta no mesmo engenho, machina nova
vapor, distilacao nova e bem montada, 22 bois ; *uy
de correia, seis quartos, algumas obras, saffra j &S,
plantada, etc. ele. ; Irala-se na ra do Crespo D.
13, toja.
Publieaoao litteraria.
Guia I.uso-Brasleirodo Viajante da Europa
1 vol. em 4o de 500 png.: vende-se na mo do
autor ra do Vigario n. 11, brox. 3$ encad 3 I
DENTISTA FRANCEZ. 4
ft- Paulo Gaignoux, dentista, ra das La- <*,
rangeiras 15. Na mesnia casa tem agua e
pd dentilico. ^ ,
XAXAt.i.LAXXXXiJt.Xl .it 11AA LiAi-A* '
irr'i
J-iiC^tli.
o
DODIt. CIIAB'E
MEDICO E PROFESSOH DE PHARMACIA, DE PARS,
PLUS. DE
COPH
DAS INFORMIDADES SXIJAES,
(talo dC f i o < llllhlc
Xaropn mui preleiivel ao
Copah ba e as Cube-
bas, ci.ri iiiiuieduiaiiR'ii-
le qualquier i'iip.'n u .
renuncio e Hebilidade, e igualmente fluxos e
flores brancas das raulheres. lajcefao de
Cimillo. E-ita njeccO benigna emprega-se mes-
mo U-mpo do xjrope de citrato de ferro, uma vez
de manha, e urna vez de larde duraule tres das;
ella segura a cura.
PAA O TIIATAHENTO E Pi MPTO CI'RAIUO
l)M T DAS AS AFFEC.IfiES CtTASEAS, VIHUS E AITERACOES 1)0 SANGl E.
DEPURTIF
n SAIVG
u. pin uii> o de Kiincue.
JUropt vegetal tem mer-
curio, o nico coubecido
e tpprovado para tvnt
con 11 i'inpiul: e radi-
calmente unpigeiif, pusiulap. hirpes, sarna, co-
mixdt, acrimonia e ahcrarrs viciosts do san-
gne ; viiu?, e qualquer aflciao venrea. Ba-
nltuH miiii'i ni'.. Tun.o-se dous por semana, se-
i'iiiniln o lialamenlo depuialivo. Pnmdu un-
tiiier|ie(iea. Ue um ttfiito nuravilhuso as af-
lecAea cutneas e romixoes.
He iiorrahidaa.Pomada que as cusa em 3 dias.
O deposito ai ra larga do losarte, botica de Uartholomeo Francisco de Souza, n. 36.
DA
rawm
I&SP fi>g iM.
CAPITAL
CAueo mvWioes de Wliras
esterViuas.
Ra Nova, em Bruxellas (Blgica), RuSszzsr* m *******
* Precisa-se alugar uma cscravade bonsros
SOB A DHECUO BE E- KKEVAND
Para o carnaval.
Vende-so um rico vestuario de reibutina
noto, eiuutamenta o casal de antoajoco:
le vestidos : na ra das Calcadas n. 6.
Na ra da Catleiado Re-
cife loja de ferrageos e Vidal
O Sr. thesoureno manda lazet pu- & BaStOS, ha para Vender 03
bltco que se acham a venda todos o dias. ohjCClOS abaXO notados |
das 9 horas da manhaa as 8 da noite, pPefi0S COinmodoS e tud( da
no pavimento terreo da casa da ruada .. ,. j i
Aurora n.26e nascasas commissionadas. n,clho1' ql'lidc J>OSSlVrl,
pelo mesmo Senhor thesoureiro na pra- 1110 SOjai '.
ca da Independencia n. li e 16, e na Camas de ierro e com lona,
ra da Cadeia do Ilecife numero ate Bombas de japv completas,
as tS horas da tarde somente, os bilhe- Canos He chumbo de tocias as eroMU S5.
tes e meios da quinta parte da priraeira Ferro Suecia de todas as larguras.
lotera do rccolhimento de Papacara, Aro de Milao.
cujas rodas deverao andar impreterivel- Arcos de Ierro de todas as larguras.
mente no dia 15 do correnle mez. Cravos de ferro de todos os htmanhi
O mesmo Sr. theroiireiro manda Ferramenta comph-ta para tanoeiro.
igualmente fazer publico que ras casal Ferramenta completa para 'ei it iro.
cima mencionadas se acham bilhetes Tremcompletoestanhado para cofii
de numeraco soitidas a vontade dos .Tremcompleto de porcelana pata
compradores. sinha.
Thesouraria das loteras V He leve- Guardas comidas redondos e nuadrad
reiro de 18C0.0 escrivao, J. M. da Enchadat americanas e de todas ai
Cruz. hdades.
O Dr. Joao Ferreira da Silva, de Ditas do Porto de todos rs tamanl.t .
volta He sua viagem ao norte, esta' re- Prego de todas as qt.alteados.
sidindo na ra do Rangtl, sobrado mi- Caixascom ferramenta de cara pina t -
mero 56. ra curiosos)
Precisa-se de um portuguez para tratar de Bandejas milito linas de todas al ([
avallos e sabir de criado: quem nstiver oeslas ,t. \ .
Tornos (rancezes pata astados.
seguintes pontos :
@ I*. Molestias de olhos
.>
Molestias de coracao e de
peito ;
Molestias dos orgos da gera-
cSo, e do anus ;
. Praticara'toda e qualquer g
opeiaeao qucjulgarconvenien- fC
te para o resta heledme uto dos.T:
Trovador.
Ra larga do Rosario n. 46.
0 novo dono desto hotel tcro-se esmerado cm
reforma-lo para nelleencontrarem todas ascom-
modidades, oo s as pessoas desta praca, mas
especialmente aquellas que vierem, quer do cen-
tro da provincia, quer das provincias visinhas.
O mesmo encarrega-se de mandar comida para
fra, e as pessoas sero servidas do modo que
quizerem. e segundo o que se convencionar.
Sos domingos e dias sanlilicados cncontrar-se-
lia, como era de costume, mi de vacca prepa-
rada com todo o esmero de um hbil COlioheiro,
das i horas di manhaa etn dianle. Os melborcs
viohos do mercado, licores, xaropes, agurdente
de Wishcy, etc.,se enconlrariio nesle hotel.
DENTES
Este hotel collocado no centro de uma das capilaes importantes da Europa, torna-se de grande
valor paraos brasileos e portuguezes.'por seus bons commoJos e confurtavel. Sua posiefio
uma das melliores da cidade, por se acltar nao s prximo s estagCes de caminlios re ferro, da
Allemanba e Franca, como por ter a dous minutos de si, lodos os theatros e diverliincntos ; e,
alera disso, os mdicos pretjos cot.vidam.
No hotel hasempre pessoas especiaes, fallando o francez, allelnao, flamenco, tnglez e po
luguez, paia acompanhar as louristas, rur em suas excurses na cidade, qur no icino, quer i
emfini para toda a Europa, por precos que nunca exceden de 8 a 10 francos (3^200 4v000 ) ct
por dia. 3*
Durante o espseo de oito a dez mezes, ahi residirn) os F.xms. Srs. conselheiro Silva Fer- \t>
turnes c que cozinhe, lave e engornine, paga-se
20$ nieusaes' na ruada Imperatriz n. (8,segun-
do andar.
Alugam-so 2 moloques de 1"> i !(' annos
:
quem precisar, dirijase a praca
casa n. 5, primeiro andar
da Boa-Vista,
Bules, ca fetn as, assucaretroi
tegu ii as de metal.
Penenas de latao de todas 81 groutn
para padaria e reinacSo.
i)'ias de metal dita dita.
&^8W9grf&$gS@i&5iS-g3& Moinhc-i de todos os lamanhos i
'x_ Lices de francez c Fode%oda
a., i
\o Dito frouxo inglez proprio para
saceos para assucar.
rao, e seu filho o r. Pedro Augusto da Silva Ferrao, ( de Portugal ) e os Drs. Feltppe Lopes
Nello, Manoel de Figueiia Faria, edesemhargador Pontes Visgueiro ( do Brasil, j e militas ou-
tras pessoas tanto do um, como de outro paiz.
Os precos de todo o servico, por dia, regulam de 10 a 12 francos ( 4SO00 4?50O.)
Ko hotel c-nconlram-se informar6is exactas acerca de tuJoque pode precisar um esirangeiro
SipdL
DrFORGET
JARABE DO IWKGifcT.
seus doentes.
O e.varae das pessoas que o con-
Isultarem sera' feto indistincta-
j mente, e na ordem de suas en- g^
CM trtdas; fazendo excepcao os doen- \V
tesdeolhos.ou aquelesque por I ^dependenc.a prec.sa-se fallar ao Sr.
raotivoiustoobtiverem hora mar- fe I nd,c Abreu
,.u J-. ..- :^ m Porto.
Kste xarope esi aiqruvaio pelos mais eminentes mdicos de Pars,
como sendo o mellior para curar constiptcoeii, >-* convulsa e ohti-s.
affeccoes los branetnos, ataques de jieito, irtii -."-s nervosas e insoinaelunci s: nina colberada
pela inauli, e outra noite sao suleienles. O ilcito dtsle excelente xaropti Silsfax ao mesmo
lempo o ilnenle e o mclico.
O dsposilo na ruu larga do Honorio, botica de llartholumeo Francisco it Souza, n. ?G.
piano,
Uadcmoiselle Cleraencc de llannclol -V-1 .,
do Manneville continua n dar lices de Si formas para pudins, pasteliocbounhc*.
francez .- piano na cidade. e nos arrabal- i LatrinaS pati nte (! poteelai
des : na ra da Cruz u. 9, segundoandar. y* \ .,....,.,' j;,n <.
Alguns moradores do boceo do Abreu no- \\\ .,. / .
dem oncarrecidamente ao Sr. subdelegado d.i U'T terramentai propriai pa
liedle, para bem do soreg publico, maule mu- jardim
dar riburna Mara Soarr-s. moradora no pri- Bataneas decimaede todoBMteman!
mono ailar da i-asa n. i, sita no referido boceo,
lauto pelasdesordensque lem batido, romo pe-
ra provocaeo que ronlinuadtimenle dirige a um
visinho morador e eslabelecido n loj do mearao
sobrado.
ITO.
Ierra meu tas
Garapias.
se dir
cada
este im.
para *olc mu.
A applicacao dealfjuns medica "C
jmentos ndispensaveis em varios i
casos, como o do sulfato de atro-^
; pina etc.) sera' feito,ou concedido f\
|gratuitamente. A confanca que^

AlUTiFICIAf]^
||Rna estrella do Rosario n.3S
r nelles deposita, a presteza de sua SjJ
!accao, e a necessidade prompta;
de seu emprego; e tudo quanto o
demove era beneficio de seus
doentes.
Iloga-se aos Srs. devedores a firma social
de Leite & Correia em lquidacao, o obsequio
de mandar saldar seus dbitos na loja da ruado
' Queimado n. l().

te
. Na livraria n. C e 8 da piara da
fallar ao Sr.
Porto ou Andre Alves
E LE-
NICA, VERDADEIRA
GITIMA.
SALSA PAttlUU
Senda los fabricantes america-
nos (rmivcr & Baker,
Machinas de coser : em casa de Samuel P.
Johnslon & C, ra da Rnzala Nova n. 52.
Precisa-te fallar ao corresponden-
te dos Srs. tenente-coronel Ilemeterio
Jos Velloso da Silveira c Francisco Xa-
livraria n. G e 8
na
.*| Francisco Pinto O/oTio colloca denlos ar
$;j tiQciaes pelos dous syslemas VOLCANITE @
" napas de ouro ou platina, podendo ser @
t procurado na sobredila ra a qualquer @
C hora.
Wai&&1M SrJ3?i S:;;S?v v,er de Andrade
Na officina e galena da ra Nova n. 18, pri- j da praca da Independencia,
meiro andar, continua-se a tirar rer ilos pelo I \^^
syslema norte-americano. Mais de 50(K) retra-
tos tirados em quatro anuos pelo artista que
dirige esse estabelecitnenlo, provatu a bondade
dos processos empreados (nicos, que garan-
ten) um retrato innalteravel) e a aceilacao que
al de BEM ALTO lem merecido. No n.csmo
estabelecimento se enconira o mais variado,
Grande sorlimento.
FOIHIMIAS PARA 1860. fi^&^TXZJFS3:45111 Dirttla'45
Esliio venda na livraria da praca da Indo- V,''"'''Onplves. dar audiencia ims di.s ut.-is
lemlencia ns. 6 e 8 as folhinhas para 1SC0, im-ac qMeiraesabbados, Ss i horas da tan! Usestr.i'fadoi es (ie calcido eucon
.resmas nesta typographi,, dasseguintesquali- &e^l*tWM' M fUa 'l llla' "' no neste oMabelecimento, obra Itipe-
::::;: ;;-:ii20:n,;::: )S >'01' pelo prer/ abaixo :
O Dr. Manoel Moreira Guerra, continua jj llni'li-
w
Na livraria da ra do mp?rador n. 20,
quem aluga peritos olli.iaes de i arapina.
Manoel Estanislao da Cosa, jniz de paz do
!. anno do 2." distrulo da frcgueiia d S. Frei
Pedro (ioncHvos, dar audiencia nos dmsuioisi
OLHINHA RELIGIOSA, conlendo, slm do
kalendario e regulamonlo dos direitos pa-
rochiaes, a conlinuaco da bibliolhocn do
Crislao Brasiloro. que se compon : do lou-
vor ao sanio nenie de Dos, coroa dos ac-
tos de amor, bymnos ao Espirito Santo e
a N. S., a i/nilacao do de Santo Ambrozio,
jaculatorias e commomors^o ao SS. Sa-
cramento eJi. S. do Carmo, exercicio da
Va-Sacra, mrectorio para orflQo mental.
;Q).
O Dr. Manoel Moreira Guerra, continua .'..
a advogar no forocivel e criminal, assim $
como se cncarrega tambera das quostoos :; Bo rzeff J i ns aristocrticos.
-i di> foro ecclesiastico c militar
n--;
ecclesiastico o militar no
preslai com a maior solliciludc as pi
} soas que o honraren) com a mis confianza, *
g podendo ser procurado para o sobrodo '".
^J lini em iodos os dias uloi.s, das lti horas .
;. da manhaa at sSda larde, no seu escrip- H
{.$ lorio ra estreita do Rosario n. 21, pri- f*
ij meiro andar. ?:;
em anuncia neta, e rpie se-
.1es* s 1) tos (lust.ee btzerro).....
as |l('S- J.; ., v .
riorzeguins arranca toen?. .
Ditos econmicos......
Sapatoes de bater lusti .
Senliora.
Borzeguins primeira classt tal-
lo de quebrar) ......
Ditos todos de merino contra
n.s-fl i
S l

I I
:...- i
de leite,
calos salto dengoso).
etratos.
Os abaixo assignados, honrados pela incum-
bencia que receberam de SS. MM. II., previnem
abundante e bello sorlimento, que e.jsle nesla reSpeitavel publico, que se acham actualmente
cdado.de quadros, molduras douradas. passe- no caso d(, poderom fornecer o retrato Del dos
par-touls c caixinhas de todos os tamanhose lei-
tios. Constantemente recebe-sede Franca e dos
Estados-Unidos ludo o que diz respeilo a photo-
graphia, e sempre desprezatulo-se ridiculas eco-
nomas, mandam-se ir objectos mais modernos,
e de mellior qualidade : ntlestam-no as amostras
patentes ao publico, assim como aquellos que
tem honrido esse estabelecimento. Tiram-se
retratos iodos os dias, e os precos principiam
em ipOOO ris.
Ferreira Villela. protographo.
0 Dr. Francisco de Araujo Barros, juiz mu-
nicipal da segunda vara deste termo, acha-se no
exercicio do scu cargo, e pode ser procurado
para todos os actos do seu cargo em lodos os
dias atis, na casa de sua residencia, ra
Imperador n. 25.
Da-se sociedade ou orrenda-se um sitio
com olaria, que lem barro e porto muilo peito,
mais do. oito ceios arvoredos de fruclo, viveiros,
_-om para gado, o baixa para capim : na ra
dn Imperataiz n 47, 3. andar.
Aviso.
poderom fornecer o retrato fie
Augustos Uonarchas Biasileiros, oque at boje
era lao diucl de alcancar-se, visto que as copias
lilhographadas eram luasi todas se ni seintlhaii-
ra alsuma.
Os l'ernanibucanos que tanlo amor ^dedicac.lo
manifeslaram aos seus Augustos Soocranos em
sua recente visita a esta provincia aonde Ellos
deixaram recordacocs eternas, nao del xa rao de
approveitar este ensejo para possuirem urna
; loinbrauca de seus augustos hospedes.
Alera da simples pholographia em fumo, pos-
suimos retratos em aqu.irella e a oleo sobre lela,
quer para ornar salas, quer para repailicocs pu-
blicas. 0 fim de que as incumbencias possara
! ser satisfeilas com presteza, rogamos as pessoas
': que desejarem possuir algum dos relalos cima
o obsequiado nos prevenirem com antecedencia.
Instituto photographico
DE
Slahl &Gompanliia
Pliolou;ia|ihos tic S. M. o Impciatlor.
aterro da
O proessor de latim da freguezia
0;- llua da Impertriz (outr'ora
9 Domingos Jos Tinlo Braga Jnior, ad- U Boa-Vista) n. 12.
regado na cidade do Sobral, encarrega-se
C5 de qualquer causa civel, crime ou com-
$) mercial. em qualquer parlo da provincia U< de S. Jos desta cidade, abaixo assijjna
m do r.ear: assim como de cobrancas aun- J0j declara ao publico que a matric
gaveis ou jii'Jtciaes. Para normaeoes, ii i i '
quem quizer ulilisar-sa de seas servaos, 0 la p *ua ^ula se acna al,ei ta e 0"e os bois de carro, 6
(ep dirija-se nesta cidade aos Illins. Srs. Dr.
< Aprgio Jusliniano da Silva Guimaraes,
@ Dr. Jos Bernardo Galvo Alcoforad
Remedio sem igual, sendo reconhecido pelos
mdicos, os maisimincnles como remedio iufal-
livel para curar escrophulas, cancros, rheumalis-
mo, enfermidades do ligado, dyspcpsia, debili-
dade geral, febre biliosa e iiiUrinillente, enfer-
midades resultantes do cm prego de mercurio,
ulceras e eiupcoes que resultara da impureza do
sangue
CAUTELA.
D. T. Lanman & Kemp, droguistas por alacado
New York, acham-se obligados a prevenir o res-
peilavel publico para desconfiar de algumas te-
nues imilaces da Salsa Parrilha de Brisiol que
hoje se vende nesle imperio, declarando a todos
que sao ellos os nicos proprietaiios da receita
do Dr. Brisiol, tendo-lhe comprado no anuo de
1856.
Casa nenhuma mais ou pessoa alguma tem
direito de fabricar a Salsa Parrilha de Brisiol,
porque o segredo da sua prepararlo acha-se so-
mente em poder dos referidos Lanman x Kemp.
Tara evitar engaos com desapreciaveis co-
biuajoes de drogas perniciosos, as pessoas que
quizerem comprar o verdadeiro deven) bem ob-
servar os soguiules signaos sem os quaes qual-
quer oulrapreparacao falsa !
Io O envoltorio defora est gravado de ura
lado sob una chapa de aro, trazendo ao p as
seguinlcs palavras:
D. T. LANMAN & KEMP
SOL AfENTS
N. G9 Water Street.
New York.
2 O mesmo do outro lado tem um rotulo em
papel azul claro com a firma e rubrica dos pro-
p rielarlos.
8o Sobre a rolha acha-se o retrato e firma do
inventor C. C. Brisiol em papel cor de rosa.
4o Que as uireeoes juntas a cada garrafa tem
nma pbenix senielhante a que vai cima do pre-
sente annuncio.
DEPSITOS.
Rio de.Ianeiro na ruada Alfandega n. 89.
Baha, Germano & C, ra Juliao n. 2.
l'ernanibuco no armazem de drogas'de J. Soum
& Companhia ra da Cruz n. 22.
Traspasse-se o arremlamento de um En-
l>
dividido pelos das da semana, obsequios
ap SS. ooraciio de Jess, saudacoes dovo- iviffff 99 i
tas s chagas de Christo, oracos a N. So- Precisa-se de nma ama
nfiora, ao patrocinio de S. Jos e anjo da nue O ten ha
guarda, responco pelas almas, alera, de ,
outras orajes. Preco320rs. l ja mutto adiae de bons coslumes : pa
I ga-sebem. Dirija-se a'praca de Pedro Borzeguiw paia meninas (Cor
FITA DE VARIEDADES, conlendo o kalenda- M ( aiItirro pateo do Collef'i ) numero tisfimos). .
no, regulamento dos direitos parochiaes.e__J ^ i "v-,""-{J"/ 'Jl-""^"
uma colleccao de ancdotas, dilos chisto- >'. segundo andar.
sos, contos, fbulas, pensamcnlos moracs, FTj 1 ,1.UI0 na PAIYimOPPA
reeeitasdiversas, quer acerca de coznha, *j lliivi\lvy iXKt v vMillllt l LiU.
quer de cultura, e preservativo de arvores t'roa pessoa muilo habilitada i
nesla provincia, na das Alagoas e Sergipe, boira-
e fructos. Proco 320 rs.
ini'i <- ihm'i oiii n iL-a\. j'oin i t'i un
1TADE POBTA.a qual, alem das materiasdo mediante um ajuste de porcentagem, po
costume, contm o resumo dos direitos
parochiaes. freco 1G0 rs.
O K\ '.. ..'..<.'<-. <.> f.\ .:.'...'.-. .. -:k ..-* r^ <.<_. -7. --.
V> xi o xi> w ** v^ ^> V>x'v> i;vi \ii- it>'>,e> <^> xi> x_ *>
1 Altencao. i
@ beza por urna senliora franco/a, para dez ,'C
Q mocas, segunda e quinta-feira de cada se- ;c
mana, das 10 horas al roeio dia : quom
g$ quizer aproveilar pode dirigir-so a ra da
@ Cruz n. II, segundo andar. Pagamentos ^>
U adiantados. a Quera tiver e quizer alagar um rscravo ouhy-
999f^9 99999 @*@ 9# pothecar por qualquer lempo, dirija-se a ra do
Livramento n. 1 i.
"el
I
8<
E n-.n pe feitosortiment de i" lo
Icado e daquillo que serve para fab i
I lo, como sala, couros, mano uins, c
11 roce lustre, fio, fitas, sed..s etc.
mar e centro, olTerecc-sc para cobrar dividas, t/gasAasa -:- -n-,-./ c.o- -a cac .^
iidoran- ":'->--^'
do o crdito do devedor e o lugar de sua mi ra-
da, ser o ajuste maisou menos commodo, reme
lamben) nao se recusar prestar (is mesmos
vicos para as provincias do norte ; [conforme fo-
rein as qnantias dar garantid ao seu ero.lito.
(,'uem de lo vantijoso servico precisar, dii
ra d Madre de Dos n V. que achara com
quem tratar, e na falla deixarfi a nota de sua
morada para ser procurado.
Allcxico.
iuA!\t aRiAZ!
HE
oiisia
Roga-se aos Srs. devedores do estabele-
cimento do fallecido Jos da Silva Pinto, o ob-
sequio de saldarem seus dehilos na ra do Col-
Icgio venia n. 25.ou na ra do Queimado loja
n. 10.
abaixo assignado. residente no tercoiro
andar do sobrado n. 58 da ra Nova, scicntilica
ao respcitavel publico o aos senliores pas de seus
alumnos, que pretende dar principio ao exerci-
cio de sua aula no dia 3 de fevereiro do correnle,
econtina admillir alumnos internos e externos
para seren leccionados em primuiras letras, la-
lim e francez. Ilecife 2G de Janeiro de 1&G0.
Jos Mara Machado de Figueircdo.
Jos Soarcs de Azevedo,
professor tlclingua o littera-
tura nacional
n Ra Nova n. 49, junto
'-': (I Kjrcjtl da Contri: en
Compras.
Militares.
Nesle armazem encontrar o
um gran le t i u iad i sorlimento '
pas fcilas, cemo sejam asacas,
saca, gndolas, fraques, e pal. I
panno lino neto n do ci le '
sol recasacas de merino, alpaca e l
L-uaipio-^ b |'<0il SL li< ni lid *g casaros de seda ecasemira de 101
casle casemira prela e d> rores,
merino, de priuceza, de brim de linl
branco c de cores, de fuslao c ris
Seiiicnte de tuelaiicia,
c bem: na
rita ila Cadeia do Recife n. 35.
M
es

a genho muilo perto da prara, vende-se uma par-
| te do mesmo Engenho, urna maquina a vapor,
uma destilacao nova montada de um tudo, 22
quarlos, e outros objectos :
trabalhos lectivos da mesma principia- tracta-se na ra do Queimado n. 10:
rao no dia 5 de fevereiro prximo fu- O advogado Souza Res mudou (
Dr. Jos lior.iariio ualvao Alcoioraao e ao ; nteressados diriiam-..- i aun cril,,orit> P a ru > < Rosario, sobrado da
abaixo assignado, com loja de ferragons # ; lu,- yj- imeicsfcduos uiri|am-st a casa ; ,.,., ^ '
n. 14 n* ruado Queimado.Jos RoJri-de Sua residencia, n. 33, sita no pateo t < i
doler,. Aviso ao respeilavcl pu-
Manoel Francisco Coelho
Nesta typographia pre-
Comprase para urna oiiconinien la urna
casa torrea na freguezia de Sanio Antonio, Boa-
Vista ou S. Josr-, e que leu ha bous cora modos
para uma familia, c nao so olha a proco ; a tra-
tar na ra da Ponha n C, cora Joo Pinto Regs
do Souza.
Coinp'-ain-se caibros
e mais pertences para andaimes ; no aterro da
110 Gvillliasio Roa-Vista n. 10, actualmente ra da Imperatriz,
" 1ti i
desta Cidade, tem aborto em Compra-se uma preta robusta e sadia. que
snacasa.pracadeD.PedmII,. ^X-;rr^^
37,segundo andadura curso de:^^*&Z f& ..
PuiLOSOPII[.\,COlltrodeLl.\(;o V continuadamente modas de IGfl e'20*000. aguias
p, dos Eslados-l nidos, modas de cinco francos,
lRANCEZA. AS peSSOaS ([UC (le-o'i'.is hesoanholas e mexicanas, cm grandes e
sejarem estudar urna ououlra ''-ZES'' moedas



II calcas de algod.io, rlleles de k
U puto o de cores, dilOS de '.ai | I
i** branco, ditos de gorgur'io >
:^ los de fustes e brins, fardan ntos
^ a guarda nacional, libres para n
-,'v: crolas e camisas franceza?, el
'Si grvalas, grande ^sorlimento de ronj
? para meninos de'fi'a 1 i anuos : n
u. dando ao comprador algumas das ron
j?| feilas se 'aptomptaio onlia- i -
tS comprador dandose no da i -i
mazera de as- iHMHHBSMS^^t^^r??: ;- "
comprara -se
@ gues Ferreira.
99 888Ss:SS$8
SaccH-sesobreo Porto por qual-
quer soiuina |iaiii\i'l all ou cuiLisboa;
podendo
med
cen
evigirem: dirijain-sc a Joaquimda Sil- q bacharelWitruvio tem
va Castro, ra do Crespo. seu cscriptori no 1- andar
O juiz de paz do segundo dis- r M _.
tricto da treguetia de Santo Antonio, UO Sobrado II. 26 (la l'lia INova,
faz scienteao publico, em como as au-jcuja entrada pelaCamboa do
diencias continu m a ser as quartas- CamiO.
feirase sabbados a uma hora da tarde,
as quaes terao lugar na sala das audien-
cias, depois de linda a do juizo munici-
pal da segunda vara.
Precisa-se de um preto para andar com
nina carreja : na padaria da rus dos Tescadores
ns. 1 e3.
Aluga-se o soguado andar de um sobrado
na ra da Aurora
numero 14
Mico.
E chegado esta cidade, do Rio Formoso, D.
da ouro ." no cscrip-
tiestas disciplinas, podein d- loroa dLTrlpcj^' lh F|i;i,,uir," andat
. i rvuv"' U1 Compra-so. urna escrava de cor prela o pou-
PliriP-SC a indicada PCSideilCia ('a idil!l1'- 'I"e Miba engommar e coser, cora per-i
i i f. I feicao: na ra larga do Rosario, eslabclecimonlo
. de manhaa ate as 9 horas, ejdeouron. 6.
ilphi'ih a mialninw hnt~* CQmpra-se urna escrava quosojamooa.de
ue un ni a (ll.uqiu [ IlOla. bonita figura, que saiba engommar, cozinliar, el
S8 @5!>-<-:@#fc### costura : na ra do Brum n. Ib, armazem dej
9 r, ,-n _. "! -f *anoe' ,,t)SU ^c ^u franjo.
a traiar na ra da Cruz n. i2, em casa de James
| Crablrce & C.
Ao publico.
Furtaram do engenho Garrapato, termo do
-
:'
9

5- Reir-
tos daguerreotypo
Si
U
9
i
fe
Aluga-se o segundo andar da casa n. 69 da
ra Nova com ampias accommodaces para fa-
milia, e no nielhor estado de asseio que se pode
desojar : trala-se na run da Cruz n. ib, escrip-
torio de viuva Amorim & Filho.
Continua-se a preparar bandejas enfeiladas
de diversos gostos, com bolinlios dos mais pro-
curados e dos mais ptrfeltos do nosso mercado ;
assim como pudins, bolos inglo/es e franceos, e
a traiar na ra da Imperatriz da nossa massa os mais perfeitos, e lambem as
bellas seringas e tilhozes para o lempo do carna-
Precisa-se de um ou dous Irabalhadores de j val, e uma parcao de doce de caj secco por pre-
maceira, que entendam do trafico de padaria : | eo commodo : procure na na da Pcnlia o. 2,
na ra larga do Rosario n, 10. I segundo andar, que se ar negocio.
9ua do Queimado n. 2G, pri-
meiro andar.
& O dono desste estabelecimento, lira re- ;;?
tratos com toda perfoicao das 10 s da @
tarde, encontrando o respcitavel publico @
tio Porraoso na noite de 28 de'deznibro pro-! ,n" cmplelo surlimenlo de ricos quadros
ximo passado, ura cavallo caslanho amarello, de
bom lamanho, castrado, tem uma m.io torta na
iiiunheca, anda milito bem meio para cima e a
passu : porm 0 passo 6 curio ; tem un dos cas-
cos da mao rachada e com um furo de varruma
na extremidade da tachadura do casco : nao
novo ( doce para qualorze anuos ). Iloga-se a
qualquer pessoa que o aprehender de entrega
no Recife a Jovino Bandeira de Mello, aira/.
Matriz da Boa-Vista, sobrado do Sr. Joo Ma- .
Ihias ou no engenho Garrapato, ou no engenho t\(\ i\'ii U\ t\i\ PaPiVir*
Souza em Agua-Preta que se graliticar. uu |fasivU VlU VjuI lili,
OHerece-se urna pessoa habilitada para en- precisa-se de lavadciras e engommadeiras que
sinar as pnmeiras leltras fra desla ciJade : sejain livres ou escravas : paga-se o trata-se bem.
quem pretender annuiicie que ser procurado n^> Precisa-se de uma ama de leile : na ra do
lugar indicado. lAmjiim n. 9.
Compra-se ouro cm moeda com
pernio : em casa deiVibe Schmetton c\
C., ra da Cadeia n. 57.
= Coinprara-se as soguintes comedas Ri r-
nirdo na La, o Judas em Sabbado de Alloh.ia,
Quem casa quer casa. Por causa de um algaris-
mo, A rosca, o Duelo no Terceiro Andar, o Ir-
mo das Almas e o Diabo na escola : nesta tyjm-
graphia se dir.
Compram-se duas vaccas tourinas : na rus
do Trapiche n. 14.
fp e carteiras proprias para osle Oro; assim @
}: pois espera o annuniante de seus palri- at
fie, c.iosPeinarabueanose outros que o coad- j
juvaroem frequcutar scu novo estabele- m,
^* cimento. S
&&9t9 @S @a@@
:^|Na casa de banhos
Vendas.
iioiislro.
A 000 rs.avara.
No armazem da ra do Queimado n. 19, ven-
dc-se algoao com 8 palmos de largo, polo ba-
rato proco de 60 rs. a vara ; esle agodo servo
p^ra toalhas de mesa por ser de superior quali-
dade.
1,000 rs.
por sacca de milho ;
limaos.
dos aimozeis de Tasso
-NOVA LO
encyclopedica
BE
Fazendas linas, para ho-
niens e senhoras, de Gas-
par Antonio Vieira Guiniu-
pes, gerente .los Gomes.
Wviu uo Cves\o n. \5.
t^
para senhoras.
Vestidos proles riqusimos,borda Jos a *el
Ditos dilos lavrados.
Ditos de superior oda do cotos.
Mipenor posiw ,
Qhapcliiiasde palha o mais
para senliora*.
Codos de vestidos brancos borda
Superiores maiiielcles prelos c do cores.
Loques de Sndalo.
Casaveqiios ecambralas burdadvs.
Cassas de superiores padroes.
Tiras bordadas.
ca-
para hwiM'iis.
Sobrecasacas do panno fino.
Palitos do panno e do oasemiras de cor11.'.
Calcas c colleles de ulliin.is modas, de i
mira.
Camisas de todas ns qualidade-.
Chapos de castor e de ni >;a.


(6)
DIARIO DE PERWAMBUCO QUINTA FEIRA 9 DE FEvtRglRO DE 1360.
O aj-ente <3o verdadeiro xarope do Bosque (em
estabelecido o seu deposilo na ra da Cadeia Va-
ina n. 61, na boliea o arma/era de drogas de Vi-
cente Jos de Brtto & Filho : desnecessario fa-
zer ologios bondado deste xarope, nao s pelo
reconliecido crdito de scu autor como pela acei-
tarlo que geralmenlo ten. lido. Um cem nu-
mero de curas se tem conseguido com applica-
c.o do xarope de Bosque, o qual verdadeiro an
tidoto para todas as molestias dos orgaos pulmo
r.aros. Para conhceimenlo do publico declara-
se que o verdadeiro contera no envoltorio a pro-
pia asignatura dos proprietarios, e no falsifica-
do e esta lithographada.
Vende-so um caninho de 4 rodos de puchar
cora bol, para carregar gneros ; vende-se mais
pranclioes de louro, pao d'oleo, oilicica, pao car-
p, travs do fuudo de 35 a 55 palmos de com-
primcnto e travs de touro ; tambem se serra to-
ua e qualquer madcira, tanto comprada ao an-
nunuante como alguma que so qucira serrar ; a
tratar na ra Nora de Santa Rila, defronu da
cacimba da ribeira n. 12.
Pechincha sem igual!!
Ven lem-se barrilihos rom figos decommadre
peto diminuto preco de 1,400 o barril: uo Torio
l Mallos, ra da .Moeda n 23
Acaba de chegar do Ro de Ja
neir lguns exeniplares do
primeiro e segundo volunie
da Corographia.
Histrica chonoiogiru, genealgica,
nobiliaria e poltica do imperio do Bra-
peloDr. Mello Mora es : vende-se a
- C3 ~~
- "* g a ">
Sa
cao
2 !
3
OJ > C N
? o n -
o -
. oa x
im
a .=
re ce -
V S 5 _-2 =
^|Srefreg
c.!3 o.,
re S .-
3 "O
= -2 2 re 2 =-g
~r*A--> = 2 a .=
re'-'tna.^ = a=2^:
re = ~ 3 S '-
r ~7. t z> ,a t- H
o ~
5 6
SI
4$ o volutne, podendo-se vender o se-
gundo em separado : na livraria n. 6e
8 da praca da Independencia.
Oleados pintados
a 2$000 o covado.
Lindos padres e boa qualidade : na praca da
Independencia n. 2 a 30, chapelaria de Joaquim
Oliveira Maia.
Vende-se um carro de 4 rodas, bem cons-
truido e forte, cora assento para 4 pessoas de
dentro, e um assento para boleeiro e criado fra,
forrado de panno fino, e tudo bem arrar.jado :
para fallar, com o Sr. James Crablree & C. n.
42, ra da Cruz.
Attenco.

Vefido-se um casal de escravinhos, sendo um
moleque de 6 annos e urna ncgnha de 5, muito
bonitas pecas, proprios para um mimo: a tratar
na ra Imperial n. 51). confronte ao viveiro do
Muniz.
^ Coniinua-se a venderfazendas por bixo g
;;J PTOfO at mesmo por menos do seu valor, S
rj afim de liquidar contas : na lojade 4 pollas -4
m na ra do O'ieimado n. 10.
msM................:
Queimado n.40.
Grande e variado sortimento
DE
Fazendas francezas erou-
pasfeitas recebidas em di-
reitura pelo ultimonavio.
Dao-se as amostras cora penhor.
Ricos cortes de vestido de seda de cores
de 2 saias............................
Ditos de ditos de seda, pretos bordads'
velludo.............................
Ditos de ditos de seda de gaze phantasia
Ricasromeiras defil e de seda bordadas
Taimas de grosdenaples bordadas......
Chales de touquim branco bojdadosa
30} e...........
Grosdenapledo cores de quadrinho3 co-
vado ..............................
Dito de dito liso covado..............\\
Seda branca lavrada covado 1J600 a....
Grosdenaple preto lavrado covado...... 28000
Dito dito liso encorpado a IgfiOOe.... 2500
Dito dito cora 3 palmos de largura a
1S600 e,................ ...... 2S500
barja de cores larga cora 4 palmos de
largura covado a.................... 1^500
Gaze do seda da Cliina de flores c listras
,.cv^ a;........................... 1000
'ollar de seda do listras gosto novo co-
vado..........................
Setim de escocia c diana de seda'covado
Jjnaljr de flores novos desenhos covado
narejede sedado variasqualidades co-
|
I
i
s
80S000
1200
1800
2*000
pechincha
sem igual.
Na loja do rreguica, na ra do Queimado n. 2
vendem-se cambraias organdys para vestidos de
senhora, o mais fino que possivel, e de lindes
Clieguem a Pecliiiiclia
Na loja do Preguica na ra do
Queimado n. 2. tem para
"Vender : modoPrnP*"'? vende era sua loja na ra do Quei-
Chalye merino de cores, ptimo nao sopara Lencos de eiSSuS SS& da
roupoes evesudos de montara de Sra. como para za
Fazendas por presos ha-
ratissimos.
1J000
1S000
900
vado.
Mojo velludo de co'rs'cva'j'o,'.'.'.'.'.'.'.'..'
>elbulinado todas ascores............
Setim do (odas as cores liso covado ...
Bnlnantina branca muito lina a.......
Untas francezas claras e escuras o 260 e
Casemira preta fina alSOe.......... gjKOO
lanno preto e de cor Qno provade li-
mo a 3$500a........................
500
15500
'700
800
500
320
ME
-reo
a 2 2 = = re _
r s % -. S S
re ^ *^ rr
o. O 2 o r a. 2
s*.sa" .2
>-re,- = --i'. -
c f 1 o a re S
i. ~ v~- ts w 5 a "
- H ~ -* -" S ". .2 o
re ^ ~ T ~ .5 -J *
t. O j, c S t.o
draca.
A rf ^- 1 ''orlcs de casemira de cora 5S o..
Ab^acaixa: na Tila larga Cassasorgandys de novos desenhos a
(loRosario armazem de louca. ^s^^m^K^;::::::::::::
\ idl'OS para CaixilllOS. Ma,gJI!t0Sde.cani.DratraDsparentebor-
j 1 ^ oauos muito ricos.............
na ra larga do Kosano loja n. 28 Golmhasde cambraiabordadas depona
armazem do louca, mandam-se botar vi-' !?"as dodil bordadas a 600a..........
dro. em casns articulares por Prcco' R-USa^S^tr ^s"
como vendem- ""^ra ....................
litas ditas de blod brancas
manho mais pe-
rnos.
Ra da Senzala Nova n. 42
Vende-se em casa de S. P. Jonhston C. va-
quetas de lustre para carros, sellins e silbos in-
glezes, candeeiros e casticaes bronzeados, lo-
nas inglezas, lio de vela, chicote para cairos, e
montana, arreios para carro de um e dous cval-
os, e relogios d'ouro patente inalezes.
B 3 9 .
|l Capellasbrancas para n"
" DPI f [1 SACIOGIITV a ??feitesdevidnlhopret
...- ...o e pretas..
-halesde soda decores, pretoseroxos..
unos do merino bordados com franja de
seda................... '
Ditos de dito dito de 15.!!...............
Ditos de dito liso dito de seda....!."!'!
Dito de dito dito de la..
Dito de dito
seda......
Lencos do cambraia de Yiiiho' bordados
tinos...............
Ditos de alaodao d Ya'byriVitioS'e!!!!
estampados fino lista de

.- "A
- X re -
3 O -

\ endem-se fogoes de ferro econmicos, de
nte, ma casas de familia, conlendo i forna-
-, 8 romo para co/inha com I en ha ou carvao,
i invcno pela economa de gastar um
Icnha oa carvao dos anligos, c de cozi-
D t com mais presteza, tem a dillerenca de se-
amoviveis, occuiiarem pequeo espago da
i a, e do fcil condticcao: vendem-so porpre-
gos muito mdicos, na fundco de Francisco A
1 Hi mita) ra do Brum, e as lujas de
de Cardoso, junto a Conceicao da pon-
I do Kecife, e ra do Queimado n. 30.
i loja do sertanejo, ra
do Queimado n. 43 A.
R iccberam em direitura de Franca, de encom-
ia, 03 melhorea chapeos de ca'sior rapadoss
lo brancos e prelos.eas frraas as maismo-
dernas que tem vindo ao mercado, e por me-
nos que cm eutra qualquer parte, assim como
m 1 m u 11 grande sortimento de enfeite,
Irilho prctose de cores pelo diminuto pre-
I.; cada um, assim como tem chapeos de
le panno a i200cada umem perfeito esta-
iDerluras brancas muito finas a 320, ditas de
io de linho a lj urna, cambraia pela fina
1 o covado, e a vara a 5G0,e a 6 0, gangas
a 540, brim branco de linho a I32O a ra-
deles de velludo de furla-coresprctos a
, ditos pretos a 8 e a 93, caigas de case-
de cor a 7, 3 e 11$, ditos pretos a 7, 9 e
123, colletes de gorgurao a -1, 5 e 6$, saceos pa-
ra viagem de diversos lmannos, eiascruas, por
ande pon-o, a l500, ditas a lO0 e 2J a
1, linas a 3 e -(, chapeos enfeitados para
iose me.-iinas e senhoras por qualquer pre-
5 e lud 1 o mais aqui se eucontrar o preco,
e n3o se deia de vemnder.
A prazo ou a di-
nlieiro.
le-se a cocheira da ra.da Cadeia de San-
Autooio n. 7, tendo 5 carros e 1 rico coupe
alguna : quem pretender, dirija-se d
ia, que achara com quem tratar.
TO1D SMOT & (Cs
r.i
emgarraias c meias gar-
rafas.
,y
C.J.Astley&C.
e
Seguro coaira Fogo
cosiPAmiA
LONDRES
AGENTES
J. Astley & Companhia. !
Meias de seda de peso
para senhora, brancas e pretas, e para meninas,
brancas e riscadas: vende-se na loja de Leite
& Irmao na ra da Cadeia do Recife 11. 48.
oiva............
preto e de cores___
camisa de esguio de
tnho....................
Ditas de dito de agodao "brancas"e de
cores...................
Saias balo modernas!!!!!!!!!!!!!!!!!!
C.iapeos francezes forma moderna'!!!.'!!
vem'id a SCa deponla Guadas a
, Camisas JraaceVas' do' 'c'r'' e 'brancas
! .'mas aljjSuO e...................
Ditas ditas de fuslao brance "d cr"
Uitas ditas de esguiao muito finas mo-
dernas.................
Seroulasde brim de'algodao e'deVinho
oai..as de casemira preta setim 9;? e....
tt i "''as de ditas de cores 83 o...
t;
7$ono
73000
1$000
500
8
t
lgaOO
9
7500
7*090
6-5000
4J50
85000
icooo
0.-000
8a500
padres, os raais modernos que ha'no mercado > vestuarios de meninos a 360 e 400 ris o cova- Pito?de cssa brancos e de cores, duria
pelo barato preo de 500 rs. a vara. do Challes de merino estampados muito Gnospelo |
Fumo americano
Vende-se fumo americano para fazer charutos
mascar em caixinhas de 20, e 40
a libra ; na ra da
primeiro andar.
Estamenha.
e cigarro, e
libras ao prego de 450 ris
Cruz do llecifo n. 50
Na roa do Queimado n. 17, loja de faiondas a
pnmeira passando a botica, vende-so a verd'a-
deira estamenha, fazenda propria para hbitos
oos irraaos da veneravel ordem terecira de S.
Francisco.
2$000e2SS00 a peca.
Algodao trancado americano branco, proprio
para toalhas e roupa de escravos, com ura pe-
queo toque de agua doce : no armazem de fa-
zendas da ra do Queimado n. 19.
Cheguem ao barato.
O Leite c\ Irmao continuam a torrar na ra
da cadeia do Recife n. 48, pecas de cambraia li-
sa cora 10 jardas a 4&500 c 5$, lencos de cam-
braia de linho a 3.J a duzia, cambrai'as muito fi-
nas e de lindos padres a 640 a vara, meias fi-
nas para senhora a 3;S00 1 duzia, ditas cruas in- 35 t-
e/as para hornera e meninos, chales do raeri- M 11111as de Oleo
sos a 4S500, e bordados a 6,
diversos gostos,
r- 1 covado
deminuto preco de 2:500 cada um musselinas Chitas francezas de lindos padres co-
modernas, bastante largas, de variados padres : yado a 290 e
Chales de merino lisos com franjas do
relroz, um
a 260 e 280 ris o covaJo grvalas a farilazia.o
mais moderno posvel a De 1200 cada urna, e
oulras muitas fazendas, cujos preces extraor-
dinariamente baratos, stisfaro a" expectativa
do comprador.
achinas de costura
de S. M.Singer &C. de
New-York, o mais aper-
feiroado systeraa, fazen-
do posponto igual pelos
dous lados da costura,
garante-se a seguranca
das ir achinas e manda-
se ensinar as casas de
familia, bem como se
mostrara a qualquer ho-
fa do dia ou da noito
,,,,___ nesta aRencia : nicos
agentes era Pernarabuco Raymundo Carlos Lei-
SJl*2, at I9OOO
j
BV000
6:n
490111
50 1
Cv
m
1*
Ditos de dito bordados de velludo, um
Ditos de dito com palmas de seda, um
Alpaca de seda de quadros, covado
Meias muito finas para senhora, duzia
Ditas ditas para dita, duzia
Ditas ditas para dita, duzia
Meias casera i ras de quadrinhos, covado
Dilasditas escuras cera duas lareuia*
covado '
Cortes de dita muito fina
Ditos de dita preta bordada
Brim branco de linho fino, vara
Dito dito dito, vara
Dito dito dito, vara
Dilodito dito, vara
o oulras muitas fazendas que se vendero aTon-
ladc do comprador.
6|40M
IfftNl
19400
19* 1
IfOOQ
Vende
s
- cores 8$ c,
una de meia casemira ...
Dii
ji de brim flno e varias dualidades
Se Colletes de velludo, gorSurao.
casemira e setim....
VJ-IUU
2550
9
11S000
Ktono
45000
n usos a 4JJ3UU, e bordados a 6, palelotsdei
alpaca preta e do cores a 5J), ceroulas de linho
e algodao, camisas inglezas muito superiores a
?*?,?d,Kla' orSandys de lindos desenhos a
191W a vara, corles de cassa cliita a'33, chita
franceza a 240, 280, 300 e 400 rs. o covado, pecas
de madapolo com 30 varas a 4$S00, 5?, 5S500,
o, 7 e <3, chitas inglezas de cores lixas a 200 rs o
covado toalhas para mesa a 3 e 49, corles de
caira de brim de linho a 2f dilas de meia case-
mira a 29240, vestuarios bordados para meni-
nos, e oulras muitas fazendas que se vende por
barato preco.
-mZ Vendem-8fl 200 pecas portuguezas de 49 e
'Tbrasileirasde 200 : na praca do Corpo Sanio,
escriptono de Manoel Ignacio de Oliveira
sorlimeolo de cha-
peos.
Chapeos de castor pretos de superior qualida-
de a 109, ditos fr-Jiicezes de seda a 7J, ditos de
castor brancos a lig, ditos de velludo a 8 e 99,
ditos da onlra de todas as cores muito finos, di-
tos de palha inglezes de copa alta e baila a 3 e
o;*, ditos de fel tro. um sortimento
marci-
g Formas de ferro
1 purgar assucar.
% Estanlio em barra.
S Verniz copal.
I Palhinha para
g neiro.
I Vinhos finos de Moselle.
U Folhas de cobre.
% Brim do vela: noarma-
i zcmdeC.J. Astlcv&C.
\endc-se um escravo crioulo, de idadefo
annos, pouco mais ou menos, bonita figura, sem
vicio nenhum :_na ra da Praia n. 74. '
preta perita cozioheira e 2 pre-
Vende-so 1
os, um muito bom oleiro, tambera faz trmas
para engenho, carreiro o trabalha de pedreiro
e carapina ; mitro bom traballiador de enxada e I
ambos proprios para algum senhor de engenho
em Sanio Amaro, passando a fundicao do Si.
siarr, junio acs ps de arvores, at as'd horas da
manhia, e dos 4 da tarde em dianle, ou fallar no
trapiche Barbosa cora Domingos Jos da Costa
O ui maraes.
Palitos de Brim 3#000
Na ra do Queimado n. 19. estao-se acaban-
do Palitos de Brim a 39000
Cobertas de chila
a 2#000.
Ra do Queimado n. 19.
Armazem de fazendas
Ruado Queimado n. l!j.
Saias bordadas a 3200
Corle de riscado francez l3covadcs a 2500
Chapeos cmfeitados para menino
Cinta a 100 covado
Pecas de chita miudinha fina Cora 38
a 55CO
Crambraia miudinha a 500 a vara.
Dta 4C0 vara.
Chelea escuros para ir ao banho I iOO
Chitas francezas muito finas miudas
ras a 240 covado.
m completo sortimento de madapolo.
A' 2000 a duzia
Lencos de cambraia para algibeira a 2,000 a .1 .
zia ra do Queimado n. 19.
cjvad
e e-
;-: I Cortes de cambraia pretas
tendo
de galao,
Veailc-se
r setim.......#...........
Lasacas de panno preto muio fino 30a e
fino5*!!08 e palelots ue i)anno Pre'9
Paletots de casemira mesclada golide
vellujo ............................... 18$000
Jilos do alpaca preta muito finos!!!!!'. 10#000
Hi os da merino setim pretos e da cores 9000
Hitos de meia casemira.............
Pitos de alpaca pretos e de cor forrados
mos de brim branco epardo linos......
S-ndr,e bnm de quadrinhos unos
o-jouu e.................
Hito de alpaca preto e de cores!!! !!.'""
Kelogiosdc ouro uaten........tes...!!!
5S00O
40U00
33;000
7o0()i)
0O500
6S00
5g000
3|500
Taclias para ensrcnlio
^500 a 65500, di/o. do ChUe de ? % V j P^^^^^M^^If ^^ \
J, 10 c 12.J, ditos de seda para senhora, dos mais h ~ W^ ""nrw -m- <->- S
medernos, a 12^, chapelinas com vosdo ulii-
mo S'^lo a 15, enfeites finissimos para' cabera
a 4&J0 e 5J). chapeos de palha escura, masso'e
seda, minio proprios para as meninas de escola
sendo os seus procos muilo em conla, ditos para
baptisado de meninos e passeios dos mesmos
diversas qualiJades para escolher, bonets
ditos do marroquini, ditos do vellu-
do, ditos enfeitados, chapeos de boa qualidade
para pagem, chapeos de sol de seda para me-
ninos de escola, e mesrno para senhora e para ho-
mens ; finalmente outros muitos objectos que se-
na enfadoiih mencionar, e tudo Se ven de mui-
to em corita ; e os senhores freguezes vista da
lazenda ficarao conwncidos da verdade : na bem
conhecida loja de chapeos da ra Direita n. 61
Je liento de Barros Fiij.
Na ra do Queimado
..... ...... ........
RELOGIOS.
Vende-se
. cm casa de Saunders Brothers A
-. u, praca do Corpo Santo, relogios do afama-
do fabrcame Roskell, por precos commodos,
e tambera trancell-ns e cadeias pkra os mesmos.
oeexcellente Kosto.
I
cobertos e descoberlos, pequeos e grandes, de
ouro patente inglez, para hornera o senhora,
de um dos melhores fabricantes de Liverpool,
ultimo paquete inglez: era caaa de
q'inders Brothers & C. tem para vender em
irmazem, na praca do Gorpo Santo n. 11,
ia pianos do ullimo gosto, recenlimente
idos, dos bem conhecidos e acreditados fa-
ites .!. Sroadwood iSons de Londres, e
j proprios para este clima.
Ra do Queimado
loja de 4 portas n. 10.
Ainda re-tara algumos fezendas para conclu-
ir a liquidado da firma de Leite &Correa, as
quaesso vendem por deminulo proco, endoen- colesPara carr. coleiras para cavalloetc.
Botica.
para homem a 1&600
9
Folha de cobre c Metal
ama relio.
Estanho em barra e Pre-
gos de cobre.
Alvaiade o Verniz copal.
Folha de Flandres.
Palhinha para marci-
neiro.
Vinhos tinos de Champa- Eon 77T,'' TT38' ,de S' h Jo
v.T,^ ~ ht____i- nnston *** lua da Senzala n. -2.
Cocos italianos
de blha de flandres, muito hem acaba-
dos, podendo um durar tanto quanto
duram quatrodos nossosa 400 rs. um
e i$ urna duzia : na ra Direita n. 47,
Fundicao de ferro e bronze
Irancisco Antonio Correia Cardozo,
tem um grande sortimento de
tachas de ferro fundido, assim
como se faz e concerta-se qual-
quer obra tanto de ferro fun-
dido como batido.
SYSTEMA MEDICO DEIIOLLOWAY.
PILULAS HOI.t.WOYA.
ni
delicada
da ultima moda.
Vende-se bibis recentemente chegados M
gg chapeos de senhora parapasseio no se- W=
^ gundo andar do sobrado da esquina da 8j
9K ra do Queimado por cima da loja do Sr. |R
^ reguica, entrada pelo becco do Teixe *5>
Scnientes dehortalice.
Sementes do htfrtalico de todas as qualidades
vir.das pelo vapor Brasil ; vendem-sc na ra
BasoCll Rc(ateloJa dl-' ferragens de Vidal &
fgNovos medicamenlos
S meopathicos enviados!
g da Europa pelo Sr. Dr/
p Sabino O. L. Pinho.
Estes medicamentos preparados espe-
necessidades da
n. 19.

KA
DE
emam
ho-1
GRANDE E VARIADO S0RTIKE.M0
DE
Souasp fcilas c fazendas.
Loja
Ges& Bastos
Na ra do Queima-
do n. 40.
Ricas Bobrecasacas
^ cia:^,3nto segundo as
Ag homeopaihiano Brasil, vendem-se pelos
73 precos conhecidos na botica
- central hn-
meopatluca, ra de Santo Amaro [Mundo
6 Novo) n. 6.
m : lucas sobrerasacas de panno fino r-
X .; e de cores a 2SJ, 30^e To;, tambera le
e i>a elots dos mesmos pannos a SS e
gcb .: iialeols de casemira de cores d
S ; bom gosto c finos a 12?, US. Ifig e 18. d
tos de panno preto jara menino
'
:m%

Este inestimavel especifico, composto inicua-
mente de hervas medicinaos, nao contm mercu-
rio, nem alguma outra substancia delecteria Pe-
no a mais tenrainfancia, eacompleieao mais
e igualmente promnto e seguit) tiara
desarraigar o mal na coropleicSo mais robusta
e inteiramente innocente em suas operacoes e ef-
fetos; pois busca,c retnove as docn.;a3 de qual- comapleto sortimento de moendas en
querespec.ee grao por mais antigs e .cnazes | das para ei.3c.ho, machinas de vapor eTaixas
de ferro batido e coado. de todos os tamaitos
FUNDICAO LOW-MOW,
llua da Senzala i\ova n. 42.
Neste estabelecimento continua a I:
i
;*; vindos pelo
g Southall Mellors '&. C.
Arados
americanos e
nhe e Moselle.
Lonas da Russia e Brim 1
de vela: no armazem 1
de C. J. Astley fe G.
nCM Chapeos de castor preto
e brancos
Na ra do Queimado n. 37, vendem-so os me-
lhores chapes de castor.
quesejam.
Entre milhares de pessoas curadas com este
remedio, muitas gue j estavara as portas da
, morle, preservando en. sen uso : conseguirn!
machinas rf.a Sa'"Je fi,forCas. Jepois de haver tenta-
a& do intilmente todos os outros remedios.
As mais afilelas nao devem entregarle a de-
sesperaco; faeam um competente ensaio dos
elhcazes elleitos desta assombrosa medicina e
preslos recuperarlo o beneficio da saude.
Nao se perca tempo cm tomar este remedio
para qnoirtucr das seguinles (informidades :
para dio.
loja de unileiro.
Aviso.
Allenco.
No armazem de Adamson, liowie & C. .ra
do Tiapiche n. 42, vende-se selins para homem
3 penhora, arreios prateados para cabriolet, chi-
2S000
45000
3?000
d-3000
2^000
53000
1000
29000
43JOOO
15000
ira outras 3S seguinles
Macos de meias cruas
Ditos Je dilas de cores
Ditos do ditas cruas muito superiores
Ditos de ditos para senhora
!- :,sde ditas muitoOnas
Corles de caiga do maia casemira
Ditos Jo dt3s Je casemira de cores
Dilos de ditas de casemira preta a 59 e 63OOO
Brim trancado branco de linho Gno
vara
Cortes Je coleta de gorgurao de seda
lino preto fino, prova de limao 39 o
Grvalas desoja preta e decores
Riscados francezes, largos, cores fixes
cova lo 200
Chitas francezas largas finas corado 210
Dilas estrellas 160
Riscados de cassa de cores linJos padres o
^ superior qualiJade eovado 280
Cas-as Je cores cova Jo 240
Persas de cassa branca bordada com 8 va-
.ras por 20OO
Tiras bordadas 200
Cambraias lisas muila finas peca 4O00
Ernestinas do cores para vestidos covado 240
Challes da laa bordados de seJa ura 2J00O
Grodenaplo preto, largo covado 1#800 e 2*000
Seda, e sarja lavrada U?800 e 2#000
Vestidos brancos borJados para baplisado 55000
^ eos bordados para chapeo 29000
Entre rneios bordados 1?G00
Alhoulhado adamascado largo vara 1*280
Leos de chita escuros ura 100
Gangas de cores ^ara palitos cova Jo 200
Barlholoraeu Francisco de Souza, ra larga
do Rosario n. 36, vende os seguinles medica-
mentos :
Rob L'Affecteur.
Pilulas contra sezoes.
Ditas vegetaes.
Salsapnrrilha Bristol.
Dita Sands.
Vermfugo inglez.
Jarope do Bosque.
Pilulas americanas (contra febre3).
Ungento Holloway.
Pilnla3do dito.
Kllixir anli-asmathico.
vJrosde boca larga com rolhas, de 2 oncas a
12 libras
Assim como tem um grande sortimenfo de pa-
pel para forro de sala, o qual vende a mdico
prego.
Superior ao mellior
presunto de fiambre.
Linguasde vacca emsalmoura vindas
de Londres, vendem-se nicamente no
-armazem de Luiz Annes defronte da
porta da alfandega.
Vendas.
Relogios de ouro e prata, cobertos e descober-
los patente inglez, os melhores que existem no
\ enfle-se Trelo de Lisboa em saceos de 90 li-
bras pelo barato preco de 6| o sacco, milho a
OSOUU o sacco, arroz de casca em saceos, dito do
Maranhao. cafe do Rio, feijao mulalinho, gomma
do Araraty a 2S5tW a arroba, courinhos de ca-
bra, esleirs de palha de carnauba, vassouras
dem, batatas a 2?300 a arroba, muito novas,
l.gos muito frescaes a 1.J600, passa a 640 u libra, i Dureza no ventre.
doce de guiaba, vela3 de carnauba, dilas de cs- Enfei midades no ventre.
permacete; lodos estes gneros vendem-sc por
menos preco que-em outra qualquer parle : no
armazem da ra do Rangel n. 62.
Accidentes epilpticos.
Alporcas.
Ampolas.
Areias(malde).
Asthma.
Clicas.
Convulsoes.
ebilidade ou exterwia-
cao.
Debilidado ou, falta de
forcas para qualquer
cousa.
Dysinteria.
Uor de garganta,
de barriga.
-nos ria.
Para os folgasOes do Car-
naval
Gama & Silva, no antigo ater-
ro da boa-vista hoje ra
Imperatrk n. G0.
Vendem lindsimos chamalotes de algodao
a imitacaodeseda, de todas ascores proprios
para vestidos de senhoras para vestuarios para
homens por prego baralissimo que facilita faser-
ceura rico vestuario gastando muito pouco di-
nheiro da-se as moslras com pinhor.
Olhem que pe-
chincha!!!
Na ra da Cadeia do Recife
n. 35, loja, vende-se urna ex-
cellente cama de ferro de no-
va invencao, porque fecheda
serve de soph.
Ditas no figado.
Ditas venreas.
Enxaqueca.
Herysipela.
Pebre biliosas*
Febreto intermtcnte.
Febreto da especie.
Gotla.
Bemorrhoidas.
Ilydro pesia.
Ictericia.
Indigestoes.
Inflammacoes.
Ir r cg u aridados
menstruacco.
Lombrigas de toda es-
pecie.
Mal de pedra.
Manchas na cuts.
Obstruccao de ventre.
Phtysicaou consump-
pulmonar.
Retencao de ourina.
Rheumatismo.
Symploraas secunda-
rios
Tumores.
Tico doloroso.
Ulceras
Venreo fmal).
\ endem-se fazondas por barato
proco e algumas por menos de seu
valor para acabar, era peca c a rcia-
lha: na ra do Queimado" loja do 4
porlasn. 10.
' ^ii\i i-r """ -------" 1 a l
: zuf, anos de casemira de cores a 8?
calcas de casemira de cores e preto- ej io-
: il0"10 Para nios 1 7, B, :'-.
,: \2, colletes de Korguri 1 de seda
,; mira a 5J, 6S e 7$, paletots de alpaca prc- :
i. eSIea saccos a -fo. ditos sobr.
a ,qc 8|, ditos de brim, de esguio a le
mstao tanto branros como de ;~
: jSoOO, 59 e 6$, calcas de brina brao
: 10 Uosa F-5. 03e 7*. colletes Ir;,;
; cores a ,!,> e 3;.100, camisas para n
" .; cores linas 3 3.M00. 4J e 5* um rico soiti-
: ment de vestidos de cambraia brao
; bordados do melhor gosto que lem ai
.= recidoa 2S>, mantel preto
cor rtwiilo superior goslo e muito modr
.. a 05 cada um e 2J, ricos cas
, I cambraia bordados para menino a 10'. Ji-
; tos para senhora a 15$, ricos enfeites de ;
troco de velludo gosto melhor que tem .ip-
;: parecido a 10j e 123, e oulras Muitas h-
, j zondas e ruupas teitas que cora a
: do freguez se far patente.
TJoTa, i 8 ',8,mellores 1ue existem no Vendem-se rarrihhos de mo a 15I000 rs
mercado, e despachados hoje, vendem-se por! na ra Nova n. 71. *
precos razoaveis : no escriptono do agente Oli-
veira. ra da Cadeia do Recite n. 62, primeiro
andar.
Vende-se tima casa terrea na ra de Santa
Rita n. od : a tratar pa ra de Santa Rila Nova,
n. 2d.
Vendem-se estas pilulas no estabelecimento
geral de Londres n. 224, Slrand, e na loja de
todos os boticarios droguistas e oulras pessoas
encarregadas de sua venda em toda a America do
Sul, Ilavana e llespanha.
Vendem-so asbocedhas a 800 rs. cada urna
dellas, conten urna insttuccao era portuguez pa-
ra explicar o modo do so usar deslas pilulas.
O deposito geral em casa do Sr. Soum
pharmaceutico. na ra da Cruz u. 22, em Per-
narabuco.
Attenco
Vende-se uma porco de burros en-
tre os quaes existem 40 parelhas, todos
muitos gordos, novos e de bom tama-
nho do excellente carregamento che-
gado ltimamente de Montevideo: os
preterdenles d;pijam-sc ao trapiche da
companhia 011 ao armazem de carrocas
em Fora de Portas, de Flix da Cunha
Teixeira.
Tachas e moendas
Braga Silva & C, tem serapre no seu deposito
da ra da Moeda n. 3 A, um grande sortimento
do tachas e moendas para engenho, do mui'o
acreditado fabricante EdwinMaw: a tratar bq
t mesmo deposito ou na ra do Trapiche o 44.
Chapeos preos.
Na ra do Queimado
numerlo.
Chapeos pretos de primeira qualidade, e de
tornia elegaute a 10j cada um.
Nova iiiveiicao aperfei-
coada,
Bandos ou almofadas
de crina para penteados de
senhora.
Vende-se nicamente na ra da Cadeia do Re-
cto n. 48, loja de Leile& Irmao.
Ra do Oueiraado n. 37.
A 3S cortes de vestidos de seda quecustaram
G0S; a 16$ cortes do vestidos de phaulasia que
cusa rara 30; a S;J chapelinhas para senhora-
na ra do Queiraado n. 37.
Brim trancado de linho todo
preto,
fazenda muito superior; garante-se que nao i
desbota : na na da Cadeia do Recife n 43. lo-1
ja de Leite & Irmao. i &
Enfeites de vidrilho e de retroz a 4 cada
um : na ra do Queimado n.37, loja de 4 porta.: #
~ Em casa de Habe Scbmettan & |
C, ra da Cadeia
e
;:
acasparaaquarcsnia
Neslo mesmo estabelecimento ha um "
T: grande sortimento de casacas preta
; simeomo manda-se fazer por medida a von- -
; lade do freguez, escolhendo os mr-ino-
;: pannos a seu gosto sendo os prcos a :K>5
40JS.
Camisas inglezas
: No mesmo estabelccimenio acaba de chc-
. gir um grande sortimento das verdad.
,; camisas inglezas pe.os de linho com pn
: largas, ulima moda, por ler-se mi
: qiiantidade delerminou-se a vender
menos do valor sendo a duzia a 'i-
-
JOIAS.
Osabaixoasstgnados, estabelecido? na r
Cabug com lejas de ourives ns. 9 o 11 >
publico queteem receido de novo os mais bel-
los sorliraculos de obras de ouro, o vendem or
precos mais em conla que possivel, e p-
conlas com recibos garantindo a qualidadi
ouro, pelo qual Qeam responsaveis : r.TeVm en
commendas, e concertara qualquer obta de our i
com asse.o e promplidao.
Straphim Irma o

Vende-se
Estopa,
Loria.
n. 37, vendem-se
elegantes pianos do afamado fabrican-
te Trautnann de Hamburgo.
do deposito geral do Rio de Janeiro: a tratar
com Tasso & limaos.
Farfolla de mandioca
nos armaiens de Tasso & Irmos.
libo
nos armazens de Tasso & Irmos.
Camisas inglezas finas.
No armazpm de Arkwriglit
@ ra da Cruz n. 61.
S-8@ 3#8
&C.
ti
'i

ISHIDI-SI8
vinho do Porto, do mais superior, engarrafad .
dito champagne, idem, dtlo muscatel, \tm : n..
armazem de Barroca i Medeiros, ra da Udeu
do Recife n. 4.
D.8.
Batatas novas em gigos de 40 libras a lgSOO.
feijao mulalinho, saccos grandes, 125. e ovtro*
gneros mais baratos do que em outra qucliuer
parte.
Carne de vacca salgada, rm bartis deSOt'
libras : cm casa de Tassc Irmso.


DIARIO DE PERNAMBUCO. QUINTA FEHU 9 DE FEVERBITtO DE 1860.
FABRICA
a
DE
uammk i dnscfM m mtk\
Sita na rua Imperial n. 118 e 120 jnnto a fabrica de sabo.
DE
Sebaslio J.da Silva dirigida por ManoelCarnciro Leal.
Neste estabelecimento lia sempre promptos alambiques de cobre de diferentes dimences
(de 300 a 3:0003) simples c dobrados, para destilar agurdenle, aparelhos destilatorios contnos
para rcstilai c destilar espintos com graduarlo at 40 graos (pela graduacao de Sellon Carticr dos
rnelhores systemas hoje approvados e conhecidos nesta e outras provincias do imperio bombas
de todas as dimences, asperantes c de repudio tanto de cobre como de bronze c ferro 'tornciras
de bronze deiodas as diruengocs e fcitios para alambiques, tanques etc., parafusos d'e bronze e
ferro pararodas d'agua,portas para fornalbas e crivos de ferro, tubos de cobre e chumbo de todas
as dimences para encmenlos, camas de ferro com armacao e sem ella, fugos de ferro polaveis e
econmicos, lachas e lachos de cobro, fundos de alambiques, passadeicas, espumadeiras, cocos
pora engenho, folha de Flandres, chumbo cm lcneol e barra, zinco em lencol c barra, ls'nces c
armellas dc cobre, lenccs de ferro a latao,ferro succia inglez de todas as dimnses, safras, tornos
e folies para ferreiros etc., e oulros muilos artigos por menos prero do que em outra 'qualquer
parte, desempenhnndo-sc toda e qualquer encommenda com presteza e perfeieo ja conhecida
e para comruodidade dos freguezes que se dignarem honrarem-nos com a sua confianza, acha-
rao na ra Nova n. 37 loja de ferragens pessoa habilitada para tomar nota das eneormendas.
Jos da
Silveir
REVISTA HEBDOMADARIA
COLLA ItORADO ,
PELOS SRS.
D. Antonio da Costa -A. F. d^Castilho-A. Gil-Alejandre Herculano-A. G. Ramo-A
mes-A. de l.imaA. de Ohveira Marreca-Alves RrancoA. P. Lopes de Mendonea A Xavier
Rodrigues CordeuoCarlos Jos BarrenosCarlos Jos CaldeiraE. Pinto da Silva e Cunlia F
Gomes de Amorim F. M. BordalloJ. A. de Freitas OliveiraJ. A Maia J \ MarquesJ d
Andrade CorvoJ. da Cosa CascaesJ. Daniel CollagoJ. E. de Magalh.ies CoulinhoJ G Lobato
TiresJ. H. da Cunha RivaraJ. J. da Graga JniorJ. Julio de Oliveira PintoJo Maria
Latino CoelhoJulio Mximo de Oliveira PimentelJ. Pedro de SouzaJ S da Silva Ferraz
Jos de TorresJ. X. S. da MotiaLeandro Jos da Cosla-Luiz Filinpe LeileLuiV
Cunha L. A. Rebello da SilvaPaulo MidosiRicardo Julio FerrazValentim Jos da
LopesXislo Cmara.
DIRIGIDO
ron
A. P. de CarvalhaI. F. Silcica da HptfaRodrigo Paganino.
Destinaco a resumir todas as semanas o raovimenlo jornalistico c a offerecer aos lcilorcs con-
juntamente com a revista do que mais nota ve 1 houvcr occorrido na poltica, na scicoeia na indus-
tria ou as arles, alguns arligos originaes sobre qualquer desles assumptos, o archivo universal
desde janeiro de 18o9, em que coniecou a publicar-se, lem satisfeilo aos seus fms. com a maior
cxaclidao c regulandade.
Pubica-se todas as segundas reirs em fullias de 16 paginas, e completa todos os semestres
um volurae de 420 paginas com indico e frontispicio competentes.
Assigna-se no escriptorio dcste Diario, ra dasCruzcs, e na ra Nova n 8
IraseTrio d'' asil"alura : pdos Pa,lueles vaPor l^O por aunp ; por navio de vela 8g (moeda
Ha algumascollccooes desde ocomero da publicacao do jornal.
Relogios.
Vendc-se em casa de Johnslon Tator & C, roa
do Vigarlo n, 3, um bello sortimento de relogios
de ouro, patente inglez, de um dos mais afa-
mados fabricantes de Liverpool ; tambera urna
variedade de bonitos trancelins para os mesmos.
(7)
Ceblas
No armazem da ra do Amorim n. 46,vcndem-
sc ceblas solas por commodo preco.
TARLATANA.
Vende-se superior tarlatana, branca e de co-
res com 1 1(2 vara-de largura : na ra da Cadeia
do Recife n. 48, loja de Leite & Irmao.
REMEDIO INCOIYIPARVEL.
UNGENTO HOLI.OWAY.
Milhares de individuos de todas as naeoes po-
dem lestemunhar as virtudes (leste remedio in-
comparavel e provar em caso necessario, que,
pelo uso que delfe fizeram tem sen corpo e mem-
bros inteiramente saos depois de haver emprega-
do intilmente outros tratamentos. Cada pesoa
poder-se-ha convencer dessas curas maravillosas
pela leitura dos peridicos, que lh'as relatam
lodos os dias ha muilos annos ; e a maior parte
dellas sao lao sor prndenles que luejuupe so
mdicos mais celebres. (.inanias pessoas reco-
braran) com este soberano remedio o uso de seus
bracos e pernas, depois de ter permanecido lon-
go lempo nos hospitaes, onde de viarn soffror h
aniputago Dellas lia multas que havendo dei-
xado csses osylos de padecimentos, para senao
suhmellerein essa operaco dulorosa foram
curadas completamente, mediante o uso desse
preciosoreniedio. Algumaa das taes pessoas na
enfuso de sen reconhecimenlo declararam es
tes resultados benficos dianle do lord correge-
dor c oulros magistrados, alim de mais autenti-
ca rom sua tirmativa.
Ninguem desesperara do estsdo de saude so
tivesse bastante confianga para ensaiar este re-
medio constantemente seguind^ algum lempo o
maltrtaloque necessitassea nalureza do mal,
cujo resultado seria prova riconlestavelmente :
(Juo ludo cura.
O ungento lie til, mais particu-
lariaeuto nos Beguintes vasos.
Seus propnelarios oTerecem a seus numerosos freguezes e ao publico era coral toda e
qualquer obra manufacturada em seu reconhecido estabelecimento a saber: machinas de vapor de
lodos os tamanhos, rodas d'agua para engenhos todas de ferro ou para cubos de madeira moen-
uase meias muendas, taclias de ferro batido o fundido de todos os tdmanhos, guindastes guin-
e bombas, rodas, rodetes, aguilhoes e boceas para ornalha, machinas para amassai man-
dioca e para descarocar algodao, prengas para mandioca e oleo de ncini, portos gradara co-
lumnas o moinhus de rento, arados, culiiva.Joies, pontos, -alderas e tauejuos, boias, alvarenstas
boles o lodasas obras de machimsmo. Executa-se qualquer obra seja qual fr sua nalureza pelos
nnos ou moldea que para tal fim forera aproseritados. Rccebem-se encommendas neste esta-
belecimento na ruado Brum n. 28 A c na ra do Collegio hoje do Imperador n... moradia do cai-
xeiro do estibelecunento Jos Joaquiu da Costa Pereira, com quera os pretendenles se nodem
entender para qualquer obra. '
Alporcas.
Caimbras.
Callos.
Canceres.
Cortaduras.
Dores de cabera.
das costas.
dos membros.
Enfermidades da culis
om geral.
Ditas do nnus.
Erupcoes e escorbti-
cas.
Fistolas no abdomen.
Frialdade ou falta de
calor as extreiuida-
_ des.
Frieiras.
Gengivas escalda las.
Inchaeoes
Inflammaco dofigado
Inflammaco da bexiga.
da matriz
Lepra.
Hales das pernas.
dos peilos.
de olhos.
Mordeduras de repts.
Picadura de mosquitos.
Pululos.
Queimadelas.
S rna
Supurarnos ptridas.
Tinha, i ni qualquer par-
te que soja.
Tremor de ervos.
Ulceras na bocea.
PMrafi S GlMIDIIL
3 RUA DA GLORIA, CASA HO FUHDlO 3
Clnica or ambos os systemas.
O Dr. Lobo Moscosod consultas todos os dias
Contrata partidos para curar annualmenlc nao s para
propnedades ruraes.
Os chamados devem ser dirigidos & sua casa al
gencia a outra qualquer hora do dia ou da noite sendo
pessoa, o dama e o numero da casa.
Nos casos
mr-tter seus
pela manhfia e de larde depois de 4
a cidade como para os engenhos ou
horas,
outras
as 10 horas da manha e em caso de ur-
por escripto em que se declare o nome da
Nogueira de
''bino.,,iU^'rr,r'T dc u^?nca- as P^soas residentes no bairro.do Recife poderao
SSXiS :nnni c-narua* truzou lojade Irnos do Sr J
Souza na ra do Crespo ao pe da ponte velha. o.
re-
os
do ligado.
das articular-oes.
Veias torcidas ou noda-
das as pernas
>cnde-se este ungento no estabecimonto
geral de Londres n. 24, Slrand, c na luja de
todos os boticarios droguistas e outras pessoas
encarregadas de sua venda era toda a America
do snl. Uavana o Hespanha.
Ven le se a 800 rs., cada bocetinha conlm
urna -.nstruccao em prtuguez para o modo de
fazer uso deste ungento.
O deposito geral em casa do Sr. Soum,
pharmaceutico, na ra da Crun. 22, em Per-
nambuco.
Grande sorlinieiilo de fa-
zeadas prelas para a
(juaresma.
Grosdenaples nreto a IS'OOts. ocovado.dilo a
L-SUil, dito a 2jj(100, dito largo a 2200, di lo a
"SiW, dito a 29600, dito mais superior a :.
soja prota tarrada superior a 2;000 o covado, di-
ta mmto larga a3$200 o covado. chamalote pre-
to largo a3j200 o covado, dito largo mullo su-
pciior a 48000 o dito, sarja prota dc soda a 2&000
o dito, dita hespar.liola milito superior a 2500o
dito, setim preto a 3$Oli0 o dito, dito Maco
rnuito superior a 4, cortos de soda pelos para
vestido com babados a 50j o corte, ditos do duas
saias superiores a 70$, ditos muito sopeiiores a
0, ditos bordados a velludo a 150, ditos muilo
superiores a 200?, mantas prelas de fil a 10$
cada urna, ditas a 12$, ditas muito superiores a
148, los prelos a 7g, pao preto a 3j o covado
do a 3j500, dito a 4, dilo a 59, dito a Gj, dito
;l l^,"^a 8- dll n 10> e 12-5- casemira prota
a 1$800, 23, 25500, 3j c 3500 o covado, dita
muito lina a j, chapeos prctos de seda, ditos de
castor para homem, c outras militas fazendas
prelis de gosto, por procos mais baratos do que
em outra qualquer parle : na loja do sobrado
amarollo, nos quatro cantos da ra do Oueiaiado
; I n. 29. de Jos Moreira Lopes.
~ Vendem-se em porfao ou a rotalho travos
de 32, de 42 c 50 palmos de comprido, encha-
mes de 22 a 42 palmos dc comprido e 6 pollega-
das de grossura, e caibros de 25 a 35 : a tratar na
ra do Collegio n. 10, terceiro andar.
No
la grande
fabrica de tamancos da
ra Direita, esquina
da travessa de S. Pedro
numero 16,
ha effeclivamente um grande sortimento de la-
mancos de todas as qualidodes, tanto a retalho,
como em pequeas e grandes porcoes; a esta-
cao invernosa est prxima, e nesie estabeleci-
mento ncharao continuadamente de um a mil
pares de tamancos sempre promplos para qual-
quer encommenda, por preros commodos.
Nova confeilaria.!
Neste novo eslabelecimento encontrarao as
pessoas de bom gosto os rnelhores doces seceos '
de cabla, grande sortimenlo de paslilhas, as mi-
mosas cocadas nunca vislas nesta provincia, as
nmendoas de chirotes e torradas, aprecinvel or-
chata; na mesma preparam-sc bandejas com o'.
melhor goslo : na ra da Sanzala-Nova n. 30.
Nova confeilaria. j
Neste brilhante e novo estabelecimento ha pa-
ra vender imrnensas ijualdadcs de doces secco
e de calda, para torra e exporfacao, proparado
nerum novo melhodo, bem como caj inteiro,
laranja c abacaxi em latas lacradas, como as que
vom da Europa: na ra da Sanzala-Nova
37 Rna do Oncimado
Loja de 4 por las.
Chegou a este estabelecimento um completo
sortimento dc obras foitas, como sejam : pale-
oits de panno tino de 16g at 28g, sobrecasacas
de panno fino preto e de cores muito superiores
a 3o?, um completo sortimenlo de paletots de
riscadinho de brtm pardo e brancos, de braman-
te, que se vondem or preco commodo, cerou-
las de linho de diversos 'tamaitos, camisas
francezas de lnho c de panninho de 2t al M
rada urna, chapeos franeezos para homem a 8$,
ditos muilo superiores a 10$, ditos avelludados,'
copa alta a 133, ditos copa baila a 10jt, cha-
peos de fellro para homem de 4*. 5j e at 7i
cada um, ditos de seda e de palha enfeilados pa-
ra meninas a 105, ditos de palha para senhnra a
12j?, chapelinhas de velludo ricamente enfeita-
das a 25g, ditas de palha de Italia muito finas a
25$, corles de vestido de seda em carlo de 40
at 150J, ditos de phantasia dc I63 al35g000,
gollinhas de cambraa de 13 at 5, manguitos
de lgoOO at5>, organdys escuras e claras a
800 rs. a vara, cassas francezas muito superiores
c padroes novos a 720 a vara, casemiras de cor-
les para col'.etes, paletots e calcas de 3&500 al
4g o covado, panno lino preto e de cores de 2-5(10
al lOg o covado, cortes de collete de vellu do
minio superiores a 9 e 12, ditos de gorgurao
e de fustao brancos de cores, tudo por preco
barato, atoalhado de algodo a 13280 a vara,
corles de casomiras de cores de 5 al 9, grosde-
naples de cores c prctos de 13000 at 35200 o
covado, esparlilhos para sonhora a 0$, coeiros
de casemira ricamente bordados a 123 cada um,
, lencos de cambraia de liulio bordados para se-
Inliora a 9e 12{ cada um, ditos lisos para ho-
I mera, fazenda muilo superior, do 12 al B# a
Idiizia,casemiras decores para coeiro, covado a
2>400, barego de seda para vestidos, covado a
19400, um completo sortimenlo de colletesde
gorgurao, casemira pela lisa e bordada, e de
fustao de cores, os quaes se vendem por barato
preco, velludo decoros a 7$ o covado, pannos
para cima de mesa a 103 cada um, merino al-
cochoadt propno para palclols e colletes a 238O
o covado, bandos para armaco dc cabello a
1&500, saceos de tapete c de ma'rroquim para via- j *
pem.eum grande sortimento dc macas e (malas ^
de pregara, que tudo se vende vonlade dos
heguezes, e outras muitas fazendas que nao 1
possivel aqu mencionar, porm com a vista dos |
compradores se '^ loslraiao.
^*
Para acabar,
NA LOJA
Encyclopedica
DE
Gaspar Antonio Vicira Gomes;
gerente Jos Gomes Villar,
Hua do Crespo i\. 15.
Cassas de superiores padroes a 200 ris o co-
vado.
Ricos vesliJos de phantasia a 203.
Admiravel pcehincha,
Manlcloles para meninas a 85.
Velas de carnauba.
No escriplorio de Gurgel limaos, vendem-se
velas dc carnauba do Araealy, c lambem couti-
nlios de cabra c sola.
Vende-sc urna escrava crioula, de idade de
JO annos, pouco mais ou menos, sabe cozinhar
o diario de urna casa, lava, de sabo, c lambem
e quitandeiia : na ra da Praia 11. 9, armazem
de carne secca.
. *T vendc-se um cscravo de bonita figura, dc
idade do 22 annos, ptimo ollicial de calafate : a
Iralar-se no escriptorio de Jos Joaquini l),-s
I-einandes & Filhu, no largo da Asscrablan. 10
pnmeiro andar.
Yendo-so um palanquim cm bom uso : na
ra Cireila, sobrado 11. 40, lorceiro andar.
Vendo-se niel para embarque : no caes do
amos n. G.
Rua do Gabug n. 8,
^ Para a quarcsma.|
Grande e variado sorti-
mento de fazendas
finas e grossas, de todas
as qualidades e
preros commodos.
Uoupas feilas francezas
e finas perfumaras.
NA
Doce de caj.
Vende-so doce de caj seren de ptima q
dadee por mdico preco: na rua da Boda i
vende-se urna armarJo toda cm;;
propria para loja de calcados, miudezas nu
tro qualquer negocio : na rua da lmpcratri -
mero 14. '
Para a qiiarcsma.
Na rua do Queimado n. 17, a primoir^
passanda a botica, vende-se superior soda ;
lavrada. lano cm covados como em rertes i r
baratissimo preco por hnver um gran!" -
ment.
Na rua do Queimado n. 17. vondorn-s.
dernas saludas de bailo, rom pequeo d-
pela tojci parle de seu valor.
Eseravos fgidos.

***


ffi
i
M
Ai
1
m
LOJA
DE
& Sirsros.
no
4b
m

i
! 8OJSO00 X*'
10-30(111 g
13280
23400
3:500
29400
39200
5)000

I
i
m
::
43000 p
O3OOO >
65200 lis:
3720 S
1g20O i*>
33000
3g200 $h
3C0
Com (oque dc avaria
% 1:800
Cortes d vestido de chita rocha fina a 1:800
longos de cambraia brancos a 2:000 2:500 33? \ $j
4:000 a dusia ditos com 4 palmos por cada face ^
e de 4 e meio por 5:000 cousa rara no Arma-
zem de fazendas de Raymundo Carlos Leite &
Irmaos. rua da Imperatriz n. 1C.
nt.n.'^ J' "f d0 """"aale achar-se-ha constantement eos rnelhores medica-
mcntoshomeopailueos ja bem conhecidos e pelos oreos scuintes memores medica
Botica de 12 tubos grandes. .
Hitos dc 2 ditos. !.........
Litosde 36 ditos..............
1 o de 48 ditos.....' ......
Ditos de (0 dilos......'.'.'.......
Tul is cada ura. ', '. ] \ '
Frascos.de linduras..... .....
liaooal de medicina homeopathic plobr.'Jahr'trdu'zido
era portuguez cora o diccionario dos termos de medi-
cina, cirurgia etc.. etc. ,
Medicina domestica do Dr. Hering, cra diccionario." .' .'
._____________Repertorio do Dr. Moli Moraes. .
105000
15g000
20^090
2$000
03000
igooo
2000
mu
Ne;te proveitoso eslalrlecimento, que poli
nuntrmente montado, far-sc-hao tambem do 1
203000
lOgOOO
6S0H)
os no vos melhoramentos feilos acha-se conve-
~ Io denovembro em vanle, contratos mensaes para
autos sTrSos-Ciad puWlC0 de uem os P^ptieUiio esperara a remuneracao de
Assignatur. de banhosfrios para urna pessoa por mez.....OJOOO
a-!- a 4 u .morn05> de choque ou chuviscos por mez 15a000
____________senes de cartoes e banhos avulsos aos Drecos annunciados.
560
3;000
23000
500
IjIOOO
400
0S5U0
5JO0O
13(X)0
CS000
OgOO
4000
500
123000
6S500
55000
Vande-seem casa de Arkurighl & C., rua da
Cruz, armazem n. 61, relogios o fabricante Hi-
qhbury, sendo que pelo seu perfeito machinismo
pode-sc usar com coberla ou sem ella.
Relogios.
Vendem-se relogios de ouro inglezes,
ente : no armazem de Augusto C. de
na rua da Cadeia do Recife n. 36.
de pa-
Abreu,
Espirito de violto com 44
graos.
Vande-se espirito de vinho verdadeirocom 44
graos, chegado da Europa, as garrafas ou as ca-
andas: na rua larj*a do Rosario n. 36
Vende-se urna cadeirinha era bom estado
na rua da Aurora u. 40, e na mesma casa aluga-
se a loja: a tratar na rua do Cabug, loja d. 9.
Era casa de Henry Forsler & C, rua do
Trapiche n. 8, vende-se :
L'ra carro americano de 4 rodas.
Arreios americanos.
Bombas americanas.
Fogoes americanos.
Arados a 30
Champagne e cognac.
Relogios americanos.
Familia de trigo de todas as marca?.
Lampeos le patente e azeite proprio, ltima-
mente chegalos dos Estados Unidos.
Na loja
ao p do arco de
Sanio Antonio.
Estando resolvido acabar com urna porcao dc
cambraias muilo linas e cores lixas, vend-se a
260 o covado, a ellas, antes que se acabem, cor-
les de meias casemir.s a 3$500, dilas muito fi-
nas a 59 o corte, pannos de tpele para cima de
mesa, corles de chally cora 18 covados, fazenda
a mais moderna que tora viudo ao mercado, di-
tos de phantasia de laa e seda com 3 babados,
gestos inteiramente novos, ricos vestidos prelos
com babados de velludo, grosdcnaple prelo mui-
to largo, chapclinas de palha da Italia para se-
nhora, as mais ricas que ha no mercado, dilas
redondas de palha, dilas de seda, ditas de todas
as qualidades para meninas, tanto para baptisa-
do como para passeio, bonelsde velludo, ditos de*
seda, ditos de palha enfeilados, ditos redondos garrafas lapidadas do m
fiara moninno cocima- Ha ,-^^. r. -,.,:..*-. j ** _*
sobrado a m arel lo da rua
do Crespo n. 14, vende-se
V'elliutina amarella. azul c cor de rosa,
covado
Manguitos bordados finos
Gollinhas bordadas finas
Gravalinhas de seda
Chally de cores, covado
l.a e seda escura, covado
Chapeos francezes prelos
Dilos francezes de mola
Gollinhas linas para luto
Chales do chally com franja de seda
Ditos de merino estampado fino
Dilos de merino liso
Camisas de meia para mascarados
EsguiO lino de puro linho, peca
Saias finas bordadas
Dilas ditas ditas
e outras muitas fazendas que vista dedinheiro,
uaodeixarao dc ser vendidas.
Aos scnliores armadores.
Vende-se por muilo menos do cusi, airea,
Salos, llores, etc.. ele da armacao da igreja do
Divino Espirito Santo : a tratar na rua do Encan-
tamento n. 11, ou na rua do Queimado n. 42
Vendem-se canoas de amarcllo, proprias
para pescarla, por preco commodo : na rua do
Viga rio n. 5.
Vende-se cera de carnauba a lOgOO a ar-
robo, dita em velas a 14$, dila do composicaoa
15$, sebo refinado a 123, rosarios demissanga
galoes.espiguilhas, volantes, trinas e podras pa-
ra aliar navalhas : na rua da Cruz, armazem nu-
mero 33.
Vende-sc urna prcla moca
diario dc urna casa, cose bcra" e
rua da Cruz n.60.
Vendem-se dous moloques pequeos: na
ru da Cruz n. 60.
Attenco.
Vende-sc doce secco de peluxo muito
1g a libra, dito de calda a 720, ameixas
zasalgiOO, dilas porluguezas a 500 rs.,
de carnada muito boas a 500 rs., marmelada em
latas de duas libras a 1*400, massas finas de di-
versas qualidades a 320, 3G0, 40, 440, 480 60
o 8o0 rs. a libra, doce de goiaba a 1$400 o c'aixao
de 3 libras, queijos a 23400, 23200 2$ e 1S6 /0
por cada um, raanleiga ingleza muito fina a 800
rs. a libra, dita francesa a 600 rs., licores era
que cozinha o
engomma na
Vinho do Por lo.
Vende-se overdadeiro vinho do Porto engar-
rafado, e era barrisde quarto, por preco commo-
do : no armazem de Adamson llowi 6; C. na
rua da Trapiche n. 42.
Vende-se superior linha de algodao, bran-
CBse do cores, era novello, para costura : em
casa de Seuthall Mellor & C, rua do Torres
D. to.
Ferros de cngouimar econmicos.
Alniella .&
Ricos corles de vestido preto
de seda bordados, com duas
e tres saias, em grandes car-
loes, pelo baratissimo preco
de 70? e
Veos prelos de fil de linho a
Ditos dilos para chapclinas a
Grosdenaples preto, o covado a
Dilo dilo superior de duas lar-
guras, o covado a
Seiim preto de Maco a
Dilo piolo de boa qnalidade a
Dito piolo muito superior a
Curtos de coleles de gorgurao
prelo bordados a
Ditos de setim de Maco, borda-
dos a
Velludo prelo o covado a 53800 c a
Veluuna pela o covado a
Luyas pelas de seda a 13 e
l Meias de seda pela para senho-
ra a
Ditas de soda preta para homem a
Dilas de algodao, prensa
&,; Lencos de soda de gorgurao pro-
'if. lo muito superior, raeius len-
ae eos a
X Grvalas dc seda prelaa
jjj> Enfeiles finos do vidrilno prctos,
M. f'ara t'lll0ra de senhora a
(V Casomiras prelas, o covado a 2?.
&> 2*240, 33200, 3520, -i; o a
ffi Panno fino prcln, o covado a 23
238S0. 3-600, 43000,4^00
5?(l()t), 68(900, 0*500 a
Camisinhns de cambraia para se-
nhoras a
Manguitos e golas de fil de li-
li lio a 55OOO e a
Manteletes riquissimos de gros-
denaples preto de 30;. 35- n
h apeos liuus dc massa, france-
zes, dos mais modernos a 83 e
Alpaca preta de diversos procos, casa-
cas, calcas, paletos e colotes prctos do
diversas qualidades c precos.
inglezes e quei-
jos lontlrinos.
Viudos pelo vapor inglez, os mais superiores
do mercado : na rua do Imperador n. 12.
Vcnde-se a armacao da casa n. 12 da rua
estrella do Rosario, com muitos cbnimodos para
qualquer negocio : tratar na na do Nogueira
11. 2o, ou na mesma rua estrella n. 17.
SS7- Defronle da malriz da Boa Vista,n.86, ven-
dem-se e alugani-se bichas dc llamburgo, por
menos do que em qualquer oulra parte, amola-
se qualquer ferramenta, iira-se e chumba-so
denles, sangra-se e faz-sc ludo quanto perlence
e arle debarbeiro.
7" Veslidos hrancosde blond de seda com ba-
bados e com pequeo defeilo, pormetade de seu
valor, muito proprios para casamento : na rua
do (Juciuiado n. 17, a primeira passando a botica.
Fugio no c3 5 do corrcnle, da casa do al
assignado, o eseravo de n fillio do sertio do Mochlo, rom <., stgiin
guinles: cor prcla, denli s lima li
dos da mao direila alegados dc urna n 1
padari, o qual julga se ter I
pantua urna pn la escrava ; este
senla tor 24 a 25 annos dc idade, levan ,
.sua roupa; rogase, portanto, u a
policiaes c capilaes dc campo a caplai
escravo, c que o levem i n
Pescadores ns. 1 e 3, que lerao recomp. m
generosa ment.
ioioJacnihodt >1. Rtstne.
Tupio do engoiilio Mundo-Novo, con
dc Nazarclli, fieguezia dc Traeunliaem, no 1
de Janeiro prximo passadn, o cscravo h-
velho, nacao llenguella, bstanle regrista, rest"-
do de cal'-a branca e camisa do chita ; jul
que oslar em alguma fabrica dc sibo ou I
cao desla cidade, por j ler tral
luirs : portante roga-se as aalori I
c eapitars do campo que o apprehenden n
vemem casa do annanciante, na rua N'ova t ~
la Rila n. 1, quesera be.ii gral
No dia 6 de Janeiro de I do < \.: -
uno Puntes, districlo de Porto dc i
ciadas .Vlagoas, o cscravo crioolo de noo
nardo, dc 35 anuos de -Jado, com os aign -
guinles :fallo dc denles no nueh
beca calva al ao meio, baixo e gri
bem barbado, lem um braco 1 -
que oulro por ler sido quebrado : qu
dito escravo queira leva-lo ao dao e.,.-
Joao Baplisla dos Sanios Lobo, 110 caos d
mus, casa encarnada, n. 4, que sei genc
mente recompensado.
tppareceu na noite do dia 7 dc j..
cnente dc S. Jos do Manguind, casa dc
feixeira Bastos, o cscravo crinmla, do nomi
nedicto ; representa 25 a 56 annos de idade pou-
co mais ou menos, sem barba, altura n,
corpo igualmente regular c bem foito, levou
pa, constando do calcas do casimira, jaquel* de
panno lino azul, camisas braiH u lina-, cal
ganga e de luim trancado braaco, cba| 1
de fcllro escuro, c nina ti le, Ind
guido por uma inulher torra, cor fula, de ti
Candida,'que consta ser natural di Maeei
cabello amarrado. O escravo nalu
gipn, aonde lem mi, hoje forra.
Roga-se a quem o aprehender de entres
Uanguinho em casa de Jos T. Bast -
cidade em casa dc Pastos l.- moa.rua d I
"que ser generosamente !
Fgido.
100^000 de gratifica cao.
Moleque
1005000 de
2000 331! "0S3-se aos opiues de campos, e a I
1*500 ?' lua''luer autoridade a appiehensao de um nv ic-
i
1
na
':
4;000
i-500
S000
1*600
63OOO
403000
ogooo
, ca
prctos
86
i
JE
m
as
Os abaixo assignados para coramodidade do
respeitavel publico, procuraram e conseguirn!
eslabeleccr cm diversos pontos desla cidade a
vendagera dos ferros econmicos do Rlesse Draki
pelos mesmos piceos por que tem vendido no
seu eslabelecimento da rua da Imperatriz n. 10,
islo .de 123 porapparelho completo, que cons-
ta de ferro,fule e descanco. Esta maravilha d'ar-
te americana c um daquelles invenios de grande
ulilidadepara a industria, pois nao s economi-
sa o carvo e lempo mas se consegue em doler- 1
minado espaco de lempo engommar o triplo do lg, primeira qualidade, cha do melhor nuc n
queseobtemeora um ferro commum : com 60 no mercado a 23240 a 1 ibr>. a/ce doce fr neo
rs. decarvao engomma se ura dia inteiro, s no- a 00 rs. a garrafa, hlalas a 40 rs a Tibia
cessita limpar o ferro quando se principia a opc- '- J
raco, o qual conserva sempre o grao de calor
que se pretenda, para o*quc tem um registro ; o
seu peso esl graduado para, sem esforco, poder
ser manipulado a vonlade do mais dbil traba-
IhaJor, tem mais ura apparelho que obsta
o calor do ferro possa prejudicar a
Vndese
a que
quem' com
que de nome Mar.oel, crioulo, idde 12 .1.1,
i pouco mais ou menos, o qual fugio da ca
ji.La\o assignado no dia 30 de otitubro do ccr-
rente anno, levando calca de cor, carniza
! chapeo de palha oleado e o maior signal -
:de aslhma e a pouco estevedoenie de Lev
j desconfiase que estoja acoitado por algum .
i lalhao, que se queira aproveitar de sua pequ;:.
I idade para o seduzir, desde j proiesia o n
j abaixo assignado de cahir sobre dilo larapi
J todo o rigor da lei, e gratifica da maneira 1
aqutlle que lhe der noticia certa, e paga lo la
despeza que se,lizer com o mesmo moleque pira
se effectuar dita aprehenso, levando rua Nc-1
n. 21. Francisco Jos Germano.
Fugio nodm 7 de novembro do anno pr-
ximo passado O escravo l'elippe.de Meio An-
gola, de idade 45 a 50 annos, com os" si
segrales : um tanto baixo do corpo, cor
tosa carregada, olhos pequeos, cara larga
jarba, lalla fina e a voz sempre baixa I
larga, com alguns cabellos brancos polas f
parocendo ser muito mancinho, porm muito
vclliaco e mollino a curador dcempostarias
bom corpo, pernas um tanto finas, wguodo )
mesmo corpo, cujo cscravo c de Antonio S -
jago Peroira da Cost, proprietario do eng
Providencia, na fregoezia de Agua Preta
o pegar ou dissor onde de corlo est ser
recompensado.
200$ de gratificarlo.
Anda contina ausente o preto Nicolao el
vo de Francisco Antonio Cabra 1 de Mello,
prictaru. do engenho Tabocas da roguezia l, \.
S. da Lu. Este prelo uto dos cinco
marco do auno passado fugiram da.iuclle <
nho, e.lcm OS signaea seguintes- alto, 1
do corpo, representa ler 22 annos de ida
tem alguns signacs do castigo as costas, IccJi
lambem alguns principios doofllcto de carnina;
consla ler sido visiono uricury, inculcan,:
torro : qncm oapprehcuder e eoln ai
engenho a seu senhor, ou no Recife
Antonio Goncalvcs, ser gratificado con SO
100,$'000
travessa da rua das Cruzes n. 6.
PotassadaRnssia
E CAL DE LISBOA.
No bem conhecido e acreditado deposito d
ellos trabalha. Achara-se a venda nos seguin- rua da ^^in do Recife n. 12, ha para vender
tos lugares : praca do Corpo Santo n. 2,estabelc- Potassa da Russia o da do Rio de Janei
cimento do Sr. Jos Alvos Barbosa ; rua da Ca- e de superior qualidade, assim
novo a
france-
passas
e montaa, bombazina preta muilo fina, 1
gitos de todas as qualidades, manteletes prelos
bordados, dilos de cores, fazenda muilo rica
lencos de labyrintho, toalhas fronhas,, velludilh
de fiores.proprio para vestidos, tanto de senhora
como de menina, chales de louquim, ditos a in-
gleza ditos do crep bordados, dilos de merino
de todas as qualidades, perfumaras muito supe-
nores.bainhas transparentes; ludo isla se vende
por menos do que em outra qualquer loja, assim
como vestidos de seda brancos pora casamento
-- ~piruo de 40
graos, proprias para pudim ou bolos francezes e
outros ramios gneros que se torna enfadonho
publica-los : no novo deposito dc genero das
Unco Ponas n. 148, defronto da estacao da via-
ferrea.
Vendem-se 2 eseravos, sendo 1 mulata de ida-
de, pouco mais ou menos, 25 anns, o 1 negro
de naco .Angola, tambem com idade, pouco
mais ou menos, de 30 annos : quem quizer com-
prar, dirija-se a xua Nova de Santa Rila n I, ta-
berna, que achara fom auem tratar.
deia do Recite 11. 4. idem do Sr. Thomaz Fcr-
nandes daCunlu ; rua da Madre de Dos n. 7
idem dos Srs. Fonseca & Marlins ; rua do Crespo*
n. 5, idem do Sr. Jos Elculcrlo de Azevedo
rua da Pcnha n. 16. idem dos Srs. Piulo dc Souza
& Bairo ; rui do Cabug n. 1 B, na aguia de
ouro ; rua Nova n. 20, estabelecimento do Sr.
Antonio Duarte Carneiro Vianna ; rua do Impe-
rador n. 20, idem do Sr. Cuimaros & Oliveira
rua do Queimado n. 14, idem do Sr. Jos Rodri-
gues Ferrcira ; rua Dircita n. 72, idem do Sr
Jos Soares Pinto Correia ; rua da Praiu n
dem do Sr. Custodio Manoel de Magalhos ;
da Praia n. 46, idem do Sr. Pedro Jos da Costa
Caslello Branco ; rua do Livramento n. 36, idem
do Sr. Joao Antonio deMacedo; rua da Sania
Cruz n. 3, idem do Sr. Luiz Moreira da Silva : e
na rua da Imneralriz, idem dos abaixo assignados
Hay mundo Carlos Leile & Irmao,
cal virgem em
razoaveis.
podra
eiro, nova
como tambem
udo uor xirccos muito
Pianos venda
Btalas
a 800 rs. o gigo.
Batatas escolhidas a 800 rs. o gigo de arroba,
para acabar : na rua da Madre do Dos n. 8.
Feijo amarello.
Antonio Farnandes da Silva Beiris tem para
vender por preco commodo, em pequeas e gran-
des porcoes, saceos com feijao amarello de 6 al.
querres cada um, ou 30 cuias, medida dcsta e da
melhor qualidade que ha no mercado, o chegado
ltimamente do Porto no brigue porluguez Ama-
fia / : na rua do Vigario n. 27.
Milho a 4^000.
Vende-se na armazem de Francisco L. O. Aze-
vedo, na rua da Madre de Deosn. 12.
Err. casa dc E. A. Burle & C, rua da Cruz n.
4o, ha sempre para vender um completo sorli-
ment de ricos e 0x00110111* pianos de todos os
28, precos e qualidades, os quaes sao dc muita du-
rua I ra?5 Pcla sua boa construccao. Estes pianos
que foram premiados com a medalha de primei-
ra classe na exposico universal de 1855, alem
de serem de 7 oitavas e 3cordas,so de Jacaran-
da e chapeados de metal. As pessoas que preci-
sarcm podem cmpralos com 20 ou 30 0|0 de
menos que em outra qualquer parle.
Leite puro.
Vende-sc leile puro a 400 rs. a garrafa: na
rua do Vigario n. 6, deposito da esquina,
Snperiores relogios de ouro e praia, che-
dos pelo vapor Oneida : no escriptorio de Sou-
Ihall Mellors & C, rua do Torres n. 38.
Amorim limaos, rua da Cruz n. 3, teem
para vender algumas acedes da companhia geral
de Pernambuco e Parahiba : quem as pretender
pode dingir-se aos mesmos para tratar.
Presuntos inglezes, queijos londrinos, latas
coni bolachmha surtida, ludo de superior quali-
dade, chegado pelo ultimo navio, por prego com-
modo : em casa deSoulhall Mellors & C, na rua
do Torres n. 38.
~~ Milho, farelo, farinha, gomma, arroz, sa-
bo, velas de espermacete, vinagre de Lisboa ;
vende-se no armazem de Francisco L. O. Azeve-
do, na ruada Madre de Dos a, 12.
de gratificaco a quem capturar o cabra M
Candido, que lalvez trate-so boje por Uor 1 1
beba-flor, fgido desde agosto de 1066, de idade
20 annos, alto, boa estatua, rabelloa crea
um olho varado e grande cicatriz do nesao
do rosto, 2 denles lirados na lenle, costun
dar elogiando que faz adjunto, sendo condu
a rua do Collegio n. 16, cu engenho Tac
Iguarass.
Attenco.
200^000 de grafificnoao.
Fugio no dia 10 de dezernbro do anno prximo
passado o escravo do. nomo Juvcnal, com prin-
cipio de oficio de alfaiate, de idade de 22 ann --.
prinriphndo a barbar, dc cor bem prota. 1
muito vivos, sobranedhas cabelludas, denles al-
vos e perfeitos, de feices regulares, estatura um
pouco cima do regular, poseoeo comprido.
co do corpo, ps bcra feilos, falla correnlemen-
te, muito esperto c cheio de mrwha. 1
para o Recife, aonde estove alguns das, d
dos quaes desappareceu ; levou basfanre roup?,
chopeo do Chille usado, caiga de ganga, jaqtx t.i
branca, borzoguins novos de'pnlimenlo : qtk-m o
posar teiiha-o cora toda a seguran, p o let j
ao engenho Caiar da freguezia de"s. Lom
da Malla, que roceber a gratificaco de 2003.
Fugio no dia 8 de dezembro prximo pau-
sado, do engenho Torra-Preta, na comarca do
Nazarelh, o escravo Joao, crioulo, bastante pre-
to,.alto, secco, sem barba, coro falta dc um den-
te na frente, bem feilo de ps c maos, muito
dangador, e quando foge s quer ser forro, c co-
mo forro eslava no Recife com o nome de Ha-
noel dos Sanios, onde foi preso no dia 1 I
correle, e tornou a fugir por descuido dos nhores mocos alli esludantes, pelo que pcdc-. aos arrematantes das obras publicas, a quem se
ofTerecem trabalhadoros, o cuidado, se apparecer
o fallado escravo, que tem ptimo signal, que
uma marca de um talho era loda cosU da mao
esquerda, que quando fugio levou em ferida .
pagase muito bem a quem o approhcndcr e ie-
va-lo ao mesmo engenho, ou no Recife, na So-
ledade, aos esludantes Hosmida Correia de tras-
to e Austerliano Correia de Craslo.
""


(8)
DIARIO DE PERNAMBCO. QUINTA FEIRA 0 DE FEVERETRO DE 1860.
Agricultura.
O Cearit, Rio Grande dd Norte, para-
hiba e pernambuco.
AS SECCAS.
r-ii
Capital III.
Ras dir-se-ha : em lugar do 5, 75 fones, f.ira-
sc 'i dobre, mi emfim titn numero tal que Jti para
as necesidades. 1> m, MH cnlao onJo
8 payar rom r.; drspezas? Urna fonto arlc-
ii i Cear, rom tudas as condices favora-
vois di> so.o, de instrumentes aperriroados o do
trabalho barato, nunca andar por menos de
25:0809. Para 5,175 (eremos 136,875:00(1$, e por
Considerarnos srmelhnntcs as fritas sobre os ca-
li'^= ; esto numero de lentes s estara piompto
.m 273,75 annos, quasi tres seeulos.
A' vista disto o que devoremos dizer sobro as
lazo manda anda esperar que o anno a vr se-
r quosi sem chuvas, o se as observaroes dercm
resultados afaslando-se completttmento e cm
grande escala de tudo quanto nos bous e sofri-
ves anuos ellas marravam, a razo manda anda
esperar por nina secca extraordinaria que durar
pelo menos 20 mozos.
Mas, vedo, nos diro, que com islo nada g:i-
nlriis; podoreis predizer as secras, c depois "?
Tudo, responderemos.
>c asseceos forcm predias 3 oh 4 mozos an-
tes, $uc inmensos beneficios nao tirar a pro-
viuda do Cear desta predirro I Us criadores
eonliecendo que o mal cerlo nao se conserva*o
immoveis com nina funesta esperanca de bom
lempo, e faro opporiunamente a relirada dos
soiis godos para os lugares onde as seccas nao
chegam. O lavrador deixar de vender o exce-
dente dassuas colheilas ; n.lo perder as semen-
tes que urna ou outra chura espordica o faz
mullas rezos tancar no solo, aproveltar as plan-
fon tes artesianas r Diremos que acreditamos na tacos que o fazem viver, antes que a secca as
ua possib lidade no Cear. mas nao aseveramos I |on|0 ta ,M ^^ |irar.se ^^^ ,,..
que ellas nhi han di- dar por forra um bom re-
sultado, porque nenhuma sondagem so fez o nada
mentidas, e as pora a bom recado. O negociante
em lugar de fazer transronos, rujo* bous re-
do positivo se enhoc sobro a geologa da pro-.8uadM dll.)(,,ld(.m (las estaedes chuvosas, dolas
Diremos, que para supprir a falla de '
v incia.
aguas potareis em urna cidade papulosa, por sua
incerteza, s devem ser tentadas como ultimo re-
i rso. Diremos emfim que, para irrigar vastas
provincias e de Cacto substituir s dunas, sao
insufRcientes com um pequeo numero, o, rom
um grande, impossivets polos capitaes ero prega -
dos sem lucro correspondente.
abster-se-ha. A paite da popularn que s po-
de existir, quaiido lodos os ramos da industria
norescem, poder sem temor de encontrar a
moric a cada momento, emigrar para as outras
provincias, se julgar mellior, ou approximar-se
"os [ioniosda costa, onde osoccorro possivel e
certo. Ogoverno, presuroso pelo boro estar do
combateram, e o resultado desla contenda foi que,
nao s as observacoes meteorolgicas continua-
ra m a ser feitas em Franca, como o ministro da
guerra de euto mandou eslabelecer en) todos .os
poslos militares do Argel observatorios meteoro-
lgicos. A Inglaterra, bem longe de nao acredi-
tar na sua eiTicacia, registra com cuidado todos
os phenomenos a Imosphcricos, e o mesmo manda
fazer cm todas.as suas colonias da India, Austra-
lia, etc. A ItusSia 'contina cada vez niais firme
no proposito de observa-los. Emfim, os Estados-
Unidos ti llalli a m para serem os primeiros a dar
as leis atinosphericas sobre a trra, comj deram
sobre o mar, haveudo no rongresso americano
um bil, propondo a extenso das observaroes
meteorolgicas por todos os Estados da L'nio.
O nosso projeclo principal estabelecer, como
j dissomos, um glande numero deestares para
observarnos meteorolgicas na provincia do Cea-
r.
soltados, quanto predcelo das seccas, nico
meio de evitar os seus niales. Porrn, para dar
a ultima de mo a esta predieco ; para que o be-
que se entregara a este divertimenlo, e Cicero diz
as que as pessoas que dansam ou esto embriaga-
das ou loucas. Foi sem duvida este dito do Ci-
cero que fez Alfonso, re do Arago, comparar
tambera um dansarino com um louco ; deve-se
notar purera urna cousa, e que a loucuradeum,
dura menos que a de outro.
Tiberio expolsou de Roma os hystries; Do-
miciano excluio do senado os partidarios d) dan-i
Ha urna passagem, de seis a seto militas de
extensor por entre riscos e despenliadeiros ni-
ca por onde se pode atravessar esta cada.
Nocumeda monlanha est situado Ain-Ghe-
dida do cujo ponto a descida plantee do Woolja
mais suave.
Esta planicie se cxlcnde do norle ao sul na
sa ; e o imperador Julio forrado a apprender a distancia de oilo millus, e termiin na colina do
Zinete, que flca no extremo da planicie (l'aas)
Tnger.
de
le
cia de vinle e tros a viole e quatro milhas, as
inontauhas sao mais accessveis, mas a planicie
pjrrhica, exclamou todo envergonhado:O' Pla-
tao, IMatiio, que officio para um pbilosopho !
Se a dansa proprimente dita, nao leve em
Boma honras olficiaes, em compensarn panto-
mina cabio no agrado publico e chegou a um al-
to grao do perfeicao,
Hojc lomos cliegado decadencia da arto.
Nos primeiros seeulos do ohrislianismo a dan-
sa entrara, cmo os cnticos religiosos, as ce- 'lo 0o,Ja e a dc Fa0S (planicie) de Tnger, es-
remonias do culto, e isso durou por tanto tempo, lo corladas por muilos riachos profundos o ra-
que ha apenas um seculo que era Limoges, no pidos na actual eslcao, e o terreno orgiloso lor-
fJtb VSS^TJSL *"' M ?"ldM "ansitaveis *" chovas.
Os Godos e os Francos sainara poucas dansas c A cidade de Teluau quo conten uns 30,000
com ellas estamos convencidos dos bons re- ; estas mesillas erara guerreiras. habitantes, nao pode considerar-so como urna
Durante a media dado a dansa estove sepulta |-praca fortificada, porque achando-se dominada
da no esqueciiueulo ; ressuscitou no tim do de-
cimoquinto seculo, grabas, segundse diz, a,
um gtnlil-homem da l.ombardia, Berganzo de s forma.
mas. Como quer qu seja, resulta de todas esta;
considerarles que nos o-dado escolher, entre t
immensidade da substancias alimentares, asa
certo numero dellas, e proscrever outras para so
chegar a um lini qualquer, sem que a saudc do
alguem quo se sugeitarao rgimen escolliido sol-
fra damno
Depois do que temos enunciado nos captulos
precedentes, lehdo-se em couls os principios ph< -
siologicos cima exposlos, c faril de se guiar i a
escolna dos alimentos que se dora lomai para
conservar a gordura com tendencias a sugmci -
cm
se
ttencao as segralos observarr
As carnes contiendas com onome "de cae
milito mili ionios mesmo em pequea quan
de, e por roaseguinla dcsenrolresn posteo a i
digestivo, e conten pouco carbono em proaor-
oo dos outros elementos de mm sao compostas ;
devenios, pois, servir-nos dellas as maiadas ve-
zes possivel. Os animaos que fnrnecem esta es-
pecie de alimentos sao o cabrito, lebre e ceelba,
gallinha, narseja, a perdiz, gallo bravo, codorniz,
cotovia, melro, etc.
A parte liquida dos ensopados deve ser evitada
por algumas emminencias nao deve resistir um Pe,as pessoas que recciam engordar ; devem ser
Nosta parte, que i occidental do quadrih- '", e para fazor diminuir aquella qilR soja c
i j r>, .-. ~ ,. excesso : para chegar a este propoMi,, Ji-ve-
sro, ha, de A.n-Wicdida a Tnger urna distan- ler em nlt,ncl) ns seguimos observ.vo.'s
noficio se eslenda s outras provincias, que tara- Dola, que apreciava muito a dansa ea chorogra-
bem solTrcni, pira que o Brasil conheca, como I'1'1;'-
deve, a sua cliinalologia, para que a sciencia nos; !!, r-'!>r\
ra as sociedades de baile coniroaram
no reinado de Luil XII.
Catliarina de Mdicos foi quein deu o primeiro
grandiosa oxplor.icao de seus campos,, para que, baile no Louvre, em 1581.
deva algum dia sinceros agradecinieulos, pela
linalmente, demos ura.i prova mageslosa e inne-
gavel da nossa civilisaco, estn lamo as nossas
obsorvaroos costa iniera do Biasil c ao interior
de todas as suas provincias.
Noin urna despeza alm da iiisigniQcante em
povo, far vir de anlemao os vveres que fal- que se incorrer com a compra dos instrumentos
Se as arvoreg.oscnnr.es, os acudes e as fon les ial ; poder compra-Ios a baixo prei;o e ven- iiulispensa veis, ser feila, e as observacoes sao
artesianas nao servem. carao os Cearenses con- de-Ios pelo costo, ou recebendo dnheiro, ou ; to facis que. seguindo-se um plano ge'ral com
em trocao barato trabalho de milharcs de lio- claras c concisas insIruccOos, carao ao alcance
mens cnlao reunidos era um pequeo nuaierodo
pontos.
Esta circunstancia bem aproveitada ser a fon-
te de grandes beneficios. Quanlas obras nao po-
dero ser feitas cora urna despeza diminuta ? Os
poilos do Cear, as suas vias de communicaco,
a construeco de edificios pblicos, ovalcamento
das ras de suas cidades, em summa os melho-
den nados a soffrer eternamente ?
Eis quando precisamos de toda a clareza, pa-
ra que sejamos bem comprehendidos e nao nos
lomem por um desles que s vcem as cousas pe-
le lado negro.
Posto estojamos convencidos que o mal ine-
vitavel, pesio pensemos que elle nao pode ser
efflcazmen o combalido com nidos que militas
; >snas, cijas opinioes respeitamos, Julgam os
nicos possivds e nossa disposicao, e posto ramelos miieriaesganharoumimpulsofalque,
juand lornarem as estaques chuvosas, a provin-
cia em lugar de adianlar como unia.diantar como
quatro, o na reapparico das seccas os seus males
serie anda evitados mais fcilmente. Alm disto
o moni do povo milito progredir. Apresenlados
os meios do subsistencia e a maneira de adquiri-
los, os crimes uao serao era numero lo elevado ;
os roubos naturalmente cessaro, e as pessoas
empreadas nos Irabalhos pblicos, acosturaadas
de todas as inlelligencias.
Parece-nos lizemos conhecer a necessdade das
observaroes meteorolgicas no Brasil, eprimi-
A sua defensa nao est as murallns, rnassim
as ras, que mmlas dellas tcm aros e formam
preparadas as raras assadas ; no raso de gostar-
se dos guisados tome-se ento pouco caldo.
E' desla m-'snn manoira que se deve empe-
gar acarno dos acougues, tendo-se cuidado de
um labyrintho mu a proposito para urna lula f,17er **" dos podaros oais ricos e.n azoto.
como seja o tombo da vacea, o booftack. as cos-
tellas de vitella, de carneiro, de porco fresco, o
urna paternal disciplina, ou toraaro hbitos I espranos, fervenles preces dirigiremos ao Al-
regularcs, ou sero laucadas lora do servico, a i lissimo pelo maior bem feto una provincia que
nao sajamos homcm da scncia, coratudo es-
lamos longe de desesperar dola e dizer aos Cea-
- s-o remedio que leudes rr.orror de fume
i sede.
(jual o vosso meio, nos diro ? O nosso meio
simples, como sao simples os acoDselhados pe-
1 senso i'oinmuni.
O que faz o navegante quando depois doler
relejado dase dias sobre um mar de rosas fa-
vorec lo pjr bonanzosos ventos e protegido por
amigas nuvens, consultando os seus instrumen-
tos meteoiologicos, ve que o mercurio do Iher-
moraetro elevou-se," o do barmetro bdxou, e o
vento niudou ? Espera elle que as nuvens pro-
Icctoras se.am substituidas pelas contraras, e
uipassivel dcixa que a borrasca abra as portas
dos medonhns abysnios do ocano, para nelles
ergi-lo Cauteloso tonn em lempo os avi-
s [ue as vozes da sciencia Ihe ministrara,
procurando abrigo era seguro porlo ah deixa
que passem as tongas horas de tempestado,
i ; parecam os cerios signaos de urna feliz via-
8 m.
Os Cearerises esto no caso do navegante. O
Cear 6 o mar e as suas lorigas seccas as teme- ou tres annos antes das seccas i
rosas borrascas. Mas os Cearenses. como lodos lentes plantares ; nao regorgitaes os vossos ce-l "nabypothese.
os Brasileirus, esto no caso dos navegantes,
iaos anda nao chegou o conhecimento do
: >i instrumentes meteorolgicos, l.ui lodo o |
Brasil, comprehendendo urna exleuso de costa
forara emprog idos! Quera nao desculpar aos
Cearenses"? Tal improvidenciana~o existe. Oque
ha 6 um bullo principio de virtudo naquelle povo
infeliz, que s desacoroeda, quando a morte faz-
llie dar o ultimo arranco.
cujas consequencias estamos certos nunca se ex-
poro.
Por qualquer lado, pois, que encaremos a pre-
dieco das seccas, fundadi as observacoes rao- I
leroologicas, nao vemos senao motivos para que!
ellas sojarn roalisalas. A maior parte das victi- I
mas dos lempos de fogo sao causadas pela va
esperanca de que as aguas viro apaga-lo. E como
nao ler esta esperanca se sem as observacoes que
propomos impossivel saber so quando as aguas
Honrique IV gastara muito da dansa, c obri-
gava aoseu mni>tro Sully a dansar com elle.
Luiz XIII deu alguiua proleeco dansa, e
l.ui/ XIV foz dos bailes o divertimenlo maisinne-
briante de sua corte.
Dar ainda que em resumo os nomes das diffe-
rentes especies de dansas conhecidas de nossos
anlepassados seria um trabalho lo longo como
fastidioso. No prximo artigo porm dnreraos o
das principacs.
(Espelho.)
MARBOCOS.
A provincia de Augera, thealro da guerra,
um conjunclo de monlanhas que formara um
plmente no Cear; parece-nos que ninguem ; qnadrilalero, cu jos ngulos sao : Tnger, Ceuta,
duvidar da sua simples exequbillade. O que Tetuan, o Ain-Ghedida especie de descanco dos
nos resta agora a dizer? Somonte que, como Dra- viajantes] como melade do caminho entre Tnger
siloiro e Cearense, cumplimos o nosso dever, ex- e Tetuan.
pondo o mal, a sua causa o o nico ,'emedio que j \ parte do norte, que forma a cosa africana
em nossi consciencia julgaraos poderoso para do Estreito, formada de rochas volcnicas mui
neutralisar os seus ofidios. alcantiladas para o lado do mar e corladas por
Aos representantes da naco cabe dar os meios profundos vales.
para a rcalisaco de nossas ideas, so, em sua sa- | l' im possivel caminhar pela costa, ou para fal- Henos.
bedoria, julgarem que ellas sao rasoaveis. | lar com mais clareza, a vereda que conduz a Tan- Algumas das suas ras eslo como as de Fez
Do primeiro amigo dos Brasileiros, de um dos: ger est praticada sobre as maiores emminencias e outras cidades do imperio, cobertas por cima e
mais ilustrados Monarchas, pedimos o poderoso j do Motrte-Abyla (geralmcnte conliecido por Seria formara escuras o compridas galeras, onde se
v um grande numero de lojasde venda que pa-
recen) oulros lanos armarios.
As murallns de Tetuan lera a fama de serem
as maisamaveis de toda a Barbaria, c por isso
se pretende que esta seja a razo porque raras
ve/os se concede aos chrislos a permissao de
alli se domiciliaren!.
No seculo passado permillio-se que residissem
varios cnsules chrislos, mas agora s ha vico-
(.onsules ou agentes que pelo geral sao Hebreos.
Os arrabaldis de Tetuan sao formosissimos.
frietnd e os quartos de carneiro. Deve-se aacler
dos ligado* gordos, dos milos dos animar* mis-
apoio, se no seu alto juizo entender que somos
justos as vistas que ntretemos.
Se forraos lao feliz que se realsem as nossas
nos c chara por tudo, quanto nascimento, familia,
Bollones) entre os barbaros, cujo passo mui dif-
licil e penoso.
Baixando pela parle occidental do dilo monte,
chega-se a praia de Alcacar Svor, onde ainda
subsistoin vestigios de um caslello portuguez
Alravessando outras monlanhas chega-sc
amigos e recordaces da juvenlude gravara ter- praia da Cata Grande, o logo que se lem aire-
amente no coraio humano. vessado a dita praia, o caminho atravs do outras
Viriato de Hkbeiros. elevadas monlanhas, conduz ao Cabo Malaba ao
[Correin Mercantil do Rio.)
Variedades.
Historiada Onde, quando e de que modo a dansa leve ori-
9
falharao ou nao? Como, pergii.ilamos mis, podo- g0"
se rasoavelmcute lancar sobre o povo do Cear a S? f"ram10s S-CM,S V" **?
. < u uu ^'"t a Estas perguntas sao como todas as outras i
pecha de raprevidenle, e dizer-se : porque don* tendera origem das cousas, e que firam
que
que liram sem
Cora tudo permitla-se-nos
sle da baha de Tnger.
E' de notar que as praias, de
que temos feilo
ser mui dfficil o accesso a ellas, atravs das es-
carpadas monlanhas que as rodeiam.
A distancia de Ceuta a Tnger ora linha recta
do vinte e quatro milhas, porm podo formar- os melhores do mundo,
se urna dea approximada das dillieuldades do ca-
minho por este faci: um cavallciro em prega
dia e meio ou dous dias era ir de um ponto a S1DADF..
obstinada e sanguinolenta.
Tetuan chamado no idioma do pau Tetaren,
ou Tetavean, c antigamente Jagalh pelos Boma-
nos, e Teguen pelos Amazirgas. urna grande ci-Jm. franjados era fritada ou em pastis; os per-
dade mercantil mui rica e farinosa na provincia |'." d*n''t^a J^ meuo sao gelatmosos, c por
isso convem por de lado.
As aves, qual o capao, a gallinha, o per, o
pombo domestico, assados, podendo ser guarne-
cidos de tobara, nao sao CMrtrs-iadirados.
Obscrvou-se que os povos que se alianenli m
principalmente rom pcixe sao Bfcguicosos o .
soiros, tem menos coragem do que os ,jup ea-
niem carne proprimente dita ; s. paludos o
Ivraphalicos. <> peixes favorecom, pois o liu-
nior e o desenvolvimente da gordura, o mol, i
com que elle so serve ordinariamente nos paites
civilisados contribu*muito para islo, e taires
mais do que o propfio peixe. Soria, pois, con-
trario ao tralamento antl-obesico comer m
muito peixe; mis temos observado que loio
aquello que come pouco peixe ao janlar
multa carne nao pode reeeiar d gordura; somenle dever lomar o menos molho
possivel.-
<)s peixes mais procurados como nutriente^
sao o rodov.ilho, truta, liuguada. solho, rali
As ostra*, lagoatas, ramares e carangiu ios, -
excellentea para purificaros humores e m ,
a formao da gordura.
A alface, beldroega, chicoria, azuda, as arri-
Ihas, espinafre, faras, alcaxofres, Icijes tordo.
o repolho, aipo, c todos os legnaaes que se i -
mem em salladas, enntem pouca substancia
triliva, o polo contrario muilos el >men1
sos o iiiussil.iginosos que farorecem o desean I-
vimento da gordura ; acontece o mesmo cosa
cenouras, rabanetes. feijes seceos batatas, ar-
roz, be trra va, abobora e Icntihas, as prepara-
ces todas que se chamam massas italianas .
iiiacarroni, as fculas, e todos os manjares
base c a familia, desenvolvom gmdura ; col.o-
quemos na mesma linha o pan, as sipas de t -
as especies, lodosos bolos queconslituem a pas-
lelara e os biscoulos. O grande mestre de gas-
tronoma, observador profundo dos pi
meza e suas consrquencias, Brillal de Sa va-
rio, aprecieu de urna maneira a mais justa
bolos dos elementos rotativamente gordura.
Kis-aqui o que elle nos corita era form da iia-
logo ern sua sAjf.no/09ia 4n go*tn. Este diz
tirado de mais do 500 conrersaces que 1 01
iido rom s"us visinhos de mesa, ami arados ou
aflli lo* pela obosid ido ;
Oobtto.Dos! que delicioso pao,
pi
de Hasbat, est situada na falda de una colina,
coroada de um forte caslello onde reside um al-
caide ou governador.
A mea millia, depois de passado o rio Marfil,
e distante quatro milhas e meia,ha outro caslei
lo, ou antes uina torre, c porto nao mui bom
onde se faz um coramercio importante com a
Hespanha, Franca e a Italia em las, corada,
cera, couros, peles, esleirs, gados o muilos co-
mes'i veis.
O coramercio interior subministra sedas, co-
reaos, armas de fogo, loucas. babuchas, azulejos,
lelhas vidradas e escolenle tabaco.
Cercara esta cidade boas muralhas flanqueadas
por torres quadradas e tem 1,500 casas das
quaes 170 formara o Millah ou bairro dosjudeos,
que lera 7 svuigogas, 2.0J0 negros e 1,000 lti-
mencao, se achara completamente soladas por perfeitaraenle cultivados, cheios de amonas casas
de campo, de floridos jardins, ricas vinhas, cujas
uvas sao reputadas as melhores, assm como os
alperches (lestes contornos sao indubilavelmcntc
[Sarao.]
1! mais de mil leguas, excepeo do RiodeJa-
neiro e de um ou dous lugares mais, as mudan-
ras atmosphericas nao sao registradas ; suppe-
sequeos henomenos meteorolgicos sao ti 1 los
do caprichoso acaso e nao vozes necessarias para
c complemento do innravilhoso concert, com
que no universo o Altissimo faz conhecer a sua
existencia eo seu poder infinito.
v nomem exprime sua a.egr.a, sua or. .odas uulr"- Ewo,h dos *****? V "'-
iciros, para que os nveres vos nao fallera, e naoLs emoedes de seu espirito com exclamar,,,.* e; Be Ceuta a Tetuan a cordilneira de monta-' nuir a orduro.
raen liguis nos lempos da desgraca ? Como I So gestos animados. Estas oxdimares, estes'gestos I nhas comer no cu me do monto Abyla (cujas fal- Sembramos, comecando este capitulo, une fa-
nestas eras de grandes peccados os Joss nao ap. queso o instincto onMna poderam muito bem das orientaes forman, a cade, mais p eqoena de Z^^
parecem c os unicus meios dt> nro/liwSn .: ser os rudimentos informes da dansa, e esta hv- umi qut compum mu. .iqui ms
iccao nunca hpsc parefer ajnja mnis rcro9m, aUendpn. clevacoes que agora oceupa o exercito hespanhol para desenvolver a gordura, e a outra composta
doso como os antisos classilikaram as suas dan- ,! se extende desdo Serra Bullones sobre o estrei-, dos quo nao teera este inconveniente, te-nos sim-
ias, em alegres e fnebres, Mais tardo a civi- lo at ponte de Castillejos sobre o Med Ierra- l'lesmenle tracado um quadro nidisper.savel par-
lisaro far inqueslionavelmenle da dansa um ,._ distante tres milhas da anliga linha froutei-
Ns j mostramos como appareciam as seccas
ra da fortaleza bespauhola.
exercicio hygienico c a converter era um fri-
volo divertimenlo. ^
Deixemos porem isso de parte e lat .'mos um Desde Castillejos voltando ao sul acha-se en-
Estamos persuadidos que as seccas podein mes- rpido golpe de vista sobre a sua hist tria. I tre a sua base e o mar una planicie que tora de-
mo ser predtetas dous ou tres annos antes do seu A Escriplura disse. Elovai em honra do I /()ilo nii|has dc ClimpnJo c ,,.cs a 8e8 do |ar|t0
apparecimenlo, porque nao nos parece ,, I Scnhor cnticos, e dansai. '
,. r vara ao transpor o mar verra
que por salto se passe de una sene de anuos dc do bezerro de ouro.
grandes estacos chuvosas, a vinte mezes e mais da arca santa. Zoila, lili... de Jephte, caminha-1 milhas ao sul de Ceuta, por urna curvatura que
i.ji..i....i..i...._ .... sem chuva algunia. Somos nduzidjs a crer que va dinsando ao encontr do seu pai.
Os hebreos dansa -
vermelho e na presenca endendo-se ate Martin porto de Tetuan, po-
David danaava em torno! I*m *' planicie est dividida em duas onze
sao devidass evoluces atmosphericas, queven-
i i partidas do interior contrariavara nao s os
Leneicos ventos de I., como mesmo de annos a
anuos, o movimciilo das calmas equaloriaes
Agora pergunlaremos : se estabeiecer-se por to-
da a provincia um grande numero dc observato-
rios melecrologicos, onde todos os phenomenos,
c principalmente os que dizem respeilo aos ven-
tos reinantes, forera cuidadosamente registrados
nao s durante os anno* chuvosos, mas tambera
1. i- tongas seccas, nao salta aos olhosque, fun-
dados na sua comparaco, poderemos predizer
com um grao de probabildade muito prximo
certeza, nao s quando viro os annos mais ou
menos chuvosos, porm mesmo s grandes sec-
tas ? Parece-nos que sim. Vejamos como islo
ser feito Partamos de um anno cm que a es,-
tacSo chuvosa anche a medida dos desejosaoj
Cearense. Fazom-se as observacoes nos mezes j
de chura e nos de secca, e registram-se. Vem o ,
seguinle enno as mesmas coudicoes do primei-
ro ; islo bom, e emfim urna serie de annos fa-
voraveis. Os resullados das observai/ics ou sero
osmesmos, ou solTrerao alleraces insignifican-
tes. Vem depois um oulro, ou mais annos, nos
quaes, posto liouvessc chuva, as observacoes me-
teorolgicas, principalmente nos mozos de ju-
nho, jullio, agosto e setembro, do resultados
mui diversos aos do anno anterior ; os ventos
sao di Arenles, as temperaturas e presados at-
mosphericas nao sao como de coslume, etc. O
entre estes dous extremos ha um meio de annos
de chuvas escassas, que pouco a pouco rao droi-
nuindo, al que as condices atmosphericas siu-
dara de todo, c ellas se extinguen!. Tudo islo as
observaroes meteorolgicas no* moslraio.
Pode ser que baja incrdulos na edkacia dos
nossos meios. Nao parece fcil contrariar o que
o boro senso indica,o demonstra' que u meteora-
ligia de nada vale. Tudo quanto se disser contra
esta parte das sacadas physicas, por nao serem
ainda conhecidas as suas leis geraes, nao ach
mos muito rasoavel ; 1.", porque as observacoes
ainda nao se estenderam a lodas as partes habi-
tadas e habitareis do nosso globo, e em tal es-
cala feitas que ministren) lodos os dados neces-
sarios ; 2., porque as suas leis sobre o ocano
deduzidas de milhes de observacoes, feitas pelos
Segundo a mylhologia, Minerva arrebatada de
conlenlainento, dansou saliendo da derrota dos
Titans. Rhea ensinava aos sacerdotes esla arle,
que foi posta depois sob o protectorado da mu-
sa Terpsichore. Os hroes de Homero dansa-
rara, lindas as fadigas do longo sitio de Troia.
(Jlisses na corle de Alcinous extasiava-se ante a
pericia de alguns dansarnos.
Futro 03 Gregosa dansa gosou semprc grande
eslima ; Pl ito e I.ycurgo veneraram-na, c S-
crates falln calorosamente em seu favor.
Ao principio ella linha por lira dar aos niem-
bros benfica tloxibilidade, ou era preparada em
honra dos deuses ; mais tarde porem perdeu
este carcter por assim dizer sagrado, olvidou o
seu (im hygienico, erigo-se em arte, e entrn
110 tlieatro com um deleite de urna populadlo ef-
feminada
Tem-se dado mais de duzentas denominares
s dansas gregas. D'enlre ellas citaremos, as
serias a cubica, a espherica, a memphitica, etc.;
'laviara outras acompanhadas de cantigas, a que
formam alli as monlanhas de Augera, avancen-
do at ao mar e uaudo origem ao Cabo Negro.
Nesla estaro descem correles das ditas raou-
lanbas, que lornam impratiearel a planicie co-
berta, alm disso, de espessos bosques, pantanos
e lagoas na parte baixa.
Como ponto estratgico existe a qualro milhas
ao sul de Castillejo* a Negruna, colina solada 1
que domina a planicie.
nosso sysletna, mas nao se convino de tudo islo
que nos acouselliatnos a alimentarn exclusiva-
mente do carne O hornera c omnvoro, por isso
deve comer um pouco de tudo que conslitue'sua
aliraentacao ordinaria; o quando so trata do
nosso syslema, deve-se nutrir principalmente das
substancias azotadas, mas nao exclusivamente.
O homom emprega em sua aliraentacao urna
grande quaniidadc do substancias nao s inimacs
como vegetaes. E'provavel que nao soja natural
tor necessdade de damanha quaniidadc ; certns
[ihllosophos pretendiam queso a carne fosse pro-
pria para alinnutaro ; oulros, polo contrario,
que ella fosse lirada s do reino vegetal: final- mi enlmente inspido.
Sai nrhi, Na padaria do \..... asen vi/
com eguaes biscoulos eu dispensav 1.
mais.
Outro obeto.O que fazeis ? Tomis o caldo
de vossa sopa, e deixais o bello arroz do I
lina "
Savaritt.I'.' um rgimen particular ;'ie a-
doptei.
O oaeso. Mo rgimen! < arroz n isi
nhas delicias, assim romo as tecnias.
o outras cousas eguaes, o nada me nutro ni
mais barato e coa menos trabalho.
'",; obeso rtforendo. Senhor, Ca^a-me
le |..i#.ir 05 btalas ijue lem parlo de i j., p
iioiii porque rao, receta licar aera ell 11
Sararin.Senhor, esto todas vos > .
sico.
Ooosso.Pode servir-se que ainda 1
dous; depois de nso diluvio.
Sacara.Eu Ufas agradecn, nio 2 -
batata seno como preserraiiva contra 1 lome
nao ser assim, nao eiiconti nada de n. I
monte a maior parte dos naturalistas osla con-
corde de que a especie humana 6 omnvora, que
pode-se nutrii de substancias animaos e vege-
taes. O que prova em nossa opinio de urna ma-
neira certa que lomos reunidas as duas espe-
! cies de denlos que se encontra separadamente
nos carnvoros e nos herbvoros. O que admira
primeira vista quando se examina o liornein no
Na falda das monlanhas que formam o ngulo estado de civilisaco presente, v-lo lo pouco
do quadrilatero, est a cidade de Tetuan, edili- ''Pl para descubrir o que Iheul ou nocivo co-
cada sobre urna planicie muito mais elevada que j "njo senSo por habito c por enstno que elle
o mar e o vallo por ondo corre o rio Boosfelia condece que tal substancia boa ou m. emquan-
quese lanca na Mediterrneo cinco milhas abai-
homens martimos de quasi todas as nacoes do j pode-se dar a denominaco de profanas,
mundo civilisado, eslo a tal ponto conhecidas Nao deixaremos de citar tambera a dansa suero
que habilitaram ao sabio director do observatorio rxecu,ada n0 limpio das dvindades; a fnebre.
.1. w,0i.;.,i., ........... especie de pantomina que representava os gestos
de Washington a apresentar as suas cartas dos c v0 ;lIldar/0 defunl0i \ a sc\enda qil0 se 5ut)di.
ventos e correntes, seguidas boje por quasi lodos vidia em trgica, salyrica e cmica. A dansa pijr-
os navegantes, e que teera feito encurlar as via- r,'c" ora a dos guerreiros quando iarn par os
gens dc um terco do lempo d'anles nellas empre- eoml,alesr iwltap|ae a execntavam bem, erara
gado.
xo de Tetuan.
lo que os aniraaos teera um inslincto que faz des-
cernir o que proprio ou nocivo. O cavado an-
da novo, o as pequeas ovelhas, sabem, lio meio
Na desembocadura deste no esta o porto de das diforentes plantas que cresiem nos pastos,
Aquellos que nos trouxerera as opinioes de al-
guns sabios e nos disserora :Augusto Cont nao
deposita confianca na meteorologa ; Biol pensa
do mesmo modo, etc.responderemos com as
duas razes que acabamos de dar, e, se ellas nao
que se cover esperar nos seguinles mezes e no bastaren, diremos anda que, quando Biot fez a
anno vindouro ? Que contra lodos os indicios de
una boa eslaco, ella nos apparera ? Nao. A
BRANCAS,
POK
ALFREDO ASSM. VA T.
XV.
[Continuariio.)
O Parisiense parecen llcar sorprendido e ve-
tado por encontrar raademoisello Oliveira ; en-
tretanto, como ambos liuham multo espirito e
traquejo do mundo, csse relame reciproco ces-
sou logo. Brancas, depois do refloctir, licou
conlen'e por ter adiado occasio de por tira
urna situaco ridicula. Desenvolveu a mais rara
habilidade para dar a entender a Bila, sem of-
fende-ia, que ainava Claudia ; o. madeiiioiselle
Oliveira que ria dos seus esfor^os para explicar
urna cousa que ella entenda to bem e que lhc
era indilTerentc, diverlia-sa em alrapalha-lo.
Depois de urna hora desse exercicio fatigante,
Brancas caneado e desesperando de se fazer com-
cobeiJos de glorias, e segundo Luciano, o povo
elevou urna estatua a Illaton por esse motivo.
Nos primeiros annos da fundaran de Boma a
dansa era quasi completamente desconhecida ;
lolcrara-se nicamente a guerroira e a pyrrhiea.
Depois os costuraos gregos foram a' pouco
o pouco alli penetrando, al que afnalos Boma-
nos adoptaram todos os ducrlimento* chorogra-
phicos da Creca.
Confessa-se porem que a dansa existi por
muito tempo em um decahimento nascido do des- ; tanhas de Augera, o a subida para atravessar a se mais fcilmente, quer a um, quer a outro
preso que por ella senlia-sc. Horacio censura falda esqnerda da monlanha mui diffiril. gimen, segundo as idades da vida, estacos e
sua tarda profisso de f no instituto de Fraila,
l.cvcrrier e outros sabios na mesma occasio o I
-------------------------------------------------------------------------------------------------------_--------!---------------_ 1
Mas, disse Claudia, so Bita un anjo, o :
que rae resto "?
Tu' sers urna divindade, disse Rila rindo-
so Adeos, meos amigos, eu osdeixo. Cnsem-se bre Relmpago est eslropiado. Agora descou-
e sejara felizes, o que raelhor podem fa- fia do coronel Malaga e lembra-te daquclle ta-
zer. garella Ilustre que dizia que o Capitolio visi-
E pondo o chale eo chapeo, sabio. nho da rocha Tarpeia.
Voss ama-me': disse Brancas Clau-; XVI.
dia. Audinel voltra casa ardendo em furia. A
,l que ella o disse replicou elle sar-1 frieza quasi desprezadora de Claudia desespera-
rindo. va-o. No dia seguinle aquello em que Brancas
Como piular os transportes e a alegra dos dous pedio Claudia em casamento, elle fot casa do
amantes? Claudia era a mais feliz1 das mulhe- major Bonsergent e s cnconlrou Elodia. Sou-
res. Esquecia Audinel, ennebrava-sc com aven-, be por ella a nova e irreparavel desgraca de que
tura presente ecom a felicidade futura. Felizes eslava ameacado, e sahio ento mais furioso que
momentos, muito raros na vida do hornera e nunca,
que deviara ser seguidos de ti iste despertar! Amo-a bastante, disse elle, para odia-la
Ajustaran) ambos, que Brancas, que linha al a morte. Oh! heide vingar-me.
pressa de rollar Paais, a pedira cm casamento De repente apresenlou-sc-lhe urna idea nfer-
nesse mesmo dia, e que as nupcias lerian lugar nal e ndnptou-'a immediatamente,
o mascedo possivel, a despeilo do todos os Au-1 Na mesma larde, s 6 horas, recebeu Brancas
dinet do mundo. j um bilhetc anouymo concebido uestes ter-
0 major Bonsergent, consultado nao se atre- mos :
ven a dar nem a recusar o seu consenlimento. Enganam-no. A pessa a quem o senhor
1o-
-sc
Martin, protegido por urna torro quadrada guar-
necida por nove canhoes.
Na margem opposta do rio lia urna cada de
elevadissimas monlanhas que so extende at o
ste, desde o Cabo de Mazcti al fronteira de
Argel formando o Biffe, e pela parle do Medi-
terrneo se une cada do pequeo Atlas, e
esta cada fir.da no monte Abyla.
Ni parte do sul do quadrilatero, entre Teluan
e Ain-Ghedida, na primeira metude do caminho
de Tnger, enconlra-sc urna rica e frtil plani-
cie de doze a quatorze milhas, que se extende at
falda do pe jueno Atlas, regada pelo Boosfe-
lia.
Reste ponto varia do repente o aspecto do
paiz : o rio corre sobre adireila entre as mon-
escollier as que mais Ibes convm.
S nc oslado domestico, e quando falle aliinon-
ta(o sufficienle que vemos alguns animaos co-
mer plantas venenosas. Isso d logar a acreditar-
se que o hornera deve ao sen estado de civilisa-
co ter perdido este inslincto' que observamos
nos animaos, por ter adquirido urna conlianra ce-
ga para comer tudo que se Ihe olleieco e Ihe pre-
parara, o que faz pensar assim o que se obser-
va nos selvagens c nos habitantes dos paiz.es pou-
co civilisados. Esses habitantes reeusam comer
o que nao conhecem, ainda que fosse preparado
com toda a perfoico. Encoutra-se em Franca
camponezes sem edicaco alguma que eslo ain-
da neste caso. Nao querem provar qualquer co-
mida que nao conhecam, e quando o fazem
com arando, descnnlianca.
A experiencia de todo* os oas demonstra que
nos podemos nutrir simultneamente de animaes
e vegetaes. Todava essa faciildadc accommeda-
ro re-
rli-
0 orso.Feresia gastronmica! Nio lia na-
da mellior do que as batatas, eu as emo de to-
das as formas ; se apparecer unoa la
borla e que voiiliam feitas j Ivon,-/a. o i fl
en faro protestos para a conservacio do- .
difoitos.
Foi com senielhantes observaroes qne 1'.
Savarin chegou. sem ser medico nem c
estabelecer Ma llieoria, que admille como 1
do excesso de gordura una alimentara
sobrocarrogada de elementos feculentos c
naceos, theoriaque bastante verdadeira. par-
que as fculas e farinhas engordara, com j te-
mos dilo.
Os ovos, os cromes, qualquer quo -
preparadlo, sao, como o* queijos. contrari
Iratamenlo ante-obesico ; necessario rosaer-s
pouco disto. Chama-so chocolate ania
que resulla de imendwa do cacao raladi
assncar e canda, a que janla-se o araaaa da
bauttillia, que torna perfeita esl rarao.
Este alimento deu lugar era certo lempo I n tu-
las disserlacoes, com ,. Qm de se saber -
nao nutritivo ; mas depois que a rhiaaiea fe/
progresso*, tem sido eonflrmada 1 idea d-- que
pelos seus alimentoso chocolate nao pedia si
to nutritivo como a carne ; todava 1
cia prova que urna preparaeo I
de fcil dige.sto, muito conveniente > ai
que so entregara una grande conten,
espirito, aos irabalhos do pulpito c do ', -
lorio
Alguns observadores disseram que o rho<
linha a virludede (ornar a gordura estacionaria
uma.vantagem imprtame de eerificar-se i'
parado com agua, preferir! ao caf com hite,
que engorda e que occasion.i nanitas res
denlos as senhoras que fazem um uso quoti-
diauo desla bebida. #
(roiii'iiiiar-sf-/,,;
Vou casar-rae auto son amado disse O; O sccrelario geral abri com urna charo falsa
Parisiense sallando aos aunos com o amigo. a porta do jardim, visinha do kiosque, que se-
Est se vendo ; disse. Athanazio, o meu po- j guia por urna ra deserta, c fechou-a com cui-
dado. O advogado, j abalado por essa chave
prebendar, la despedir-so das duas mocas quan- 1 Coni0 violiU. a pa|STra dada ao coronel Malaga ? ama, ama a oulro, e lodas as nuiles, s onze
do a nnliciosa Hila o deleve. Como romper una amizade de tincocnla an ras, recebe-o no seu quarto. Pode certificar
atenhor, disse ella, eu o cnlendo. o senhor! Il03 ? l-;|retanlo. Claudia nao leve muito traba- por'si mesmo.
ama Claudia e nao se atreve a dizer-m o. Serc |ho ei determina-lo isso. Uma amioa desconhecida.
assim tan lerrivel ? Meu Dos, nao ha nada mais
simples ; a minha franqueza talvez Ihe pareja
extraordinaria, e eu talvez abrace mellior segun-
do as regras da cicilidade pueril e honesta, se
flngisseignorar as convences o meu pac e do
senhor Graindorge, mas que son s na trra,
porque um pac um pae. e nao so pode cncarre-
Pois bem, disse elle.se miuha mullier con-
sentir...
Mas, Elodia responden com uma recusa callie-
gorica. As allences de Brancas, os pedidos e
as lagrimas de Claudia, nao pederam cur
va-la.
Facam o que quizerem, disse ella, podem,
gar de corlas negociaces dfficeis e delicadas. I mas a ,(!, TOniade immutavel. Tenho a
senhor est livre e me encarrego de dze-lo,
a meu pae : Claudia, ama-o, eu o sei...
Eu nao disse isso, exclamou Claudia.
Eu advinhei.
Inventaste !
Advinhei. E deraais a palavra nao adian-
ta idea. OlTercro-me para servir-lhes de teste-
munha.
Madcmoiselle, disse o Parisiense beijando-
lhe a .nao, lem a grac,a c o espirito de um
anjo. _______________^^
Vidc o Diario n. 31.
alma muito ingenua para nao comprehender que
se falle assim palavra dada.
Na realidade, ella quera tomar tempo para
consultar Audinel.
Nao a vezo muito, disse em voz baixa o
major Brancas, assim far com que ella em-
perr como ura burro n'uma pedra. Eu respon-
do por ludo.
Brancas parti com o eorar;o cheio de uma
ventura infinita. O seu cavallo fez em de/ mi-
nutos o trajelo er.tre Vieilleville, c a case de
Athanazio.
falsa, quz verificar a sua desgraca at o Qm.
Ajudando-se com os ps e com as mos, trepou
no muro e dahi, sem muito esforco deseen ao
jardim. Alli, vio o sccrelario geral subir por
raoio de uma escuta de corda, janella do quar-
to de Claudia, que era no primeiro andar, ao la-
do do do sua mo, o lancar-se nos bracos de uma
muihci' vestida de bruco que segurava a es-
cada.
Brancas ficou anniquilado. Nao era possivel
mais duvida nenhuma. Condeca esse quarto e
qnem o habitara. No furor de que eslava ani-
mado, teve vontade de subir _aps ujjnet, sor-
prender a prfida, confundi-la* e niataWT Feliz-
mente, Audinel linha retirado a oseada de cor-
das, e o mancebo se ochava sem armas e sem
meios de vlganla.
Ooe escola pensara elle com os denles
aperlados. Eis alli uma virtude de provincia.
E eu que por ella dosprezei Bita, um mitho e
a depulaco. Amor, riqueza, nmbieo, ludo me
escapa !
Esperou Audinel. Quera forra-lo baler-se
e mata-lo a lodo o cusi ; mas uma chuva vi-
lenla forcou-o n sabir do jardim e a procurar
asylo deb'aixo de um telhado que baria na na vi-
sinha. Ksso incidente niudou o curso de suas
ideas ; a chuva e o fri golavam-o ; massenlio-
se atacado de uma febre violenta e voltou rasa
ramente mais efeitos'do que as cartas assigna-; de Athanazio que nao dra nem pela sua sabida,'
das com os mais respailareis nomes, e o signal era pela volla.
mais cfrto de sua utilidadc, o uso constante No dia seguinle, apezar da febre, o adrngado
iue dellas fazem to grande numero de pessoas resolveu parlir. O amigo procuiou dcstrahi-lo
Tenho pressa. Quero fazer as minlias ma-
las. Nao me interrogues.
Uiim islo extraordinario, disse Bpan-
sel e nao fez mais pergunla nenhuma.
Claudia eslava do mais bello humor do mun-
do, quando recebeu a caria do seu amante. Can-
tara, ria, fazia mil caricias ao major. Tomn s
caria c subi ao sen quarto para l-la mais do canto, que anda me fa'zendo rapaps ton,
.eu o sinete, leu cavallo do palro c far a sua coinmissao em .11-
vosse e ao seu cmplice como dous caes. Fi-
que, eu Ihe pordo, com a condico de qui ha
de levar islo j ao senhor Blancas em casa do
senhor Ripainael.
Ol fcil disse Cattiarina. contentiasima,
por so ver livre rom lo pouco. padeiro aqu
A lettra eslava disfamado. Brancas empalli-
deceu de colera e de dr. Audinel dos pes de
Claudia vollou-lhe ao espirito.
Que aquello roizeravel pensou elle.
Tem-se fallado muito nial das cartas anony-
mas Todava verdade que ellas produzem ge-
e cabio desmaiada :
Claudia.Vi esla noile Audinel s onze
horas subir ao sen quarto ; voss segurava a es-
cada de cordas. Nao minia : eu vi. A princi-
pio eu quiz mala-Ios ambos c punir a sua infa-
mia. E' mellior que eu parla. Adeos, .viva fe-
liz, se o sen crime nao Ihe causa remorsos.
Aquello que a amava, que a odeia e que a
araaldica.
<. Brancas.
Alguns instantes depois ella tornou si, vai a
carta e comprehendeu toda a sua desgraca
Estarei sonhando ?.disse ella, elle vio-me ;
era todas as pequeas cidades de provincia. O
Parisiense, arraslado por uma forra invencivel,
lomou o caminho de Vieilleville esem se mos-
trar a ninguem, pz a vaguear nos arredores da
casa Bonsergent.
Nao esperou muito lempo. Audinel appare-
ceu, smenle reconhecivel pelo andar, porque a
notte eslava negra e apenas aliumiada pela pal-
uda luz das estrellas. O coraco do dvogado
bn'.leu violentamente.
disso.
Nao. disse Brancas, recebi cartas de um
ctenle, cujo proresso se vai julgar neslcs tres
das. Cunipre que eu parla.
E poique razo nao me fallas-te nisso tr.nis
cedo 1
Tinha esquecido, disse Braceas. Mando,
por obsequio, ura portador levar esla cartel
mademoiselle Bonsergent.
r porque nao vais tu' mesmo ?
vio Audinel! Julga-mc criminosa, e sem dar-me
lempo para justilicar-me, parle Onde eslava
eu essa noile ? Mir.ha me eslava dooiito ; fize-
ram-me uma rama junto da della ; eu dorm no
seu quarto. Quera poderia segurar uma oseada
de cordas e fazer com que aquello homcm su
bisse ? Ah infeliz que sou 1 E Catliarina ?
Chamou c appareceu a criada.
Catharina, disse impetuosamente Claudia,
o que fez esla noile ?
Dormi. mademoiselle, responden est um
pouco perturbada.
Estova dnrmindos onze horas da noite?
Catharina flcou calada.
Nao fez entrar ninguem no meu quarto 1
Rcsponda-me sinceramente ou mando-a interro-
gar por meu pae.
Mademoiselle, disse, Catliarina assustada,
foi elle quem o quiz.
Elle, quera ?
O senhor Audinel. Disse-me que era um
puro gracejo, e como mademoiselle dorma o dous
dios no quarto de sua me, julguci quo nao fazia
mal...
Est bem, Calharina. Se scmelhante cou-
sa se renovar, cu direi a meu pae que matar a
te minutos.
Eis a carta de Claudia ;
1 Vosso me acensa de infamia. Cofcdemna-
me sem ouvir-me, e parle 1 F.u Ih'o prohibo.
nhor Quero que confiraos verdnloiros cu -
pados. Depois partir, porque nunca mais r
narei a ver rosa duvidou de mim.
a Cim M \
Brancas leu essa carta e sentio-se abalad 1
Como todos os apaixonados, desojara achar a
sua amante innocente.
Entretanto, vi disse elle, o que inve llar*
ella para sahir-se desta ? F.sle Audinel capaz
de tudo, masquem segurava a oseada ? n ada-
ma Bonsergent est doeuie e nao se levanta da
cama. Serei cf-go ou insensato ? Depoi-
sempre lempo de parlir !
Feitas estas sabias reftexoes. mandou sellar
o cavallo. parti a galope e aproo-so porta do
major. Claudia esperavo-o, tomou-lli- 1
o levou-o presenca de Catharina que repeli
as explicacoes que j hada dad" I
Ento disse Claudia quando Ccou s iora
oT'arisiense.
Elle lancou-se-lhe aos ps, e pedio perdi nos
termos mais eloquentes. Claudia moMrou-se In-
flexivel. Era uma alma orgulhosa, altiva o obs-
tinada, que antes quera quebrar que dobrar. e
quo nao perdoava ao seu amante ter duvidado
della.
r.iaudia exclamen Brancas, eu te ac'cro
Quem nao teria duvidado come cu. ante aquello
lerrivel leslemuutio? Claudia, lera piedadr do
meu desespero.
Adeos. disse ella.
[fonfi/iMar-f-/,a.)
PERN. TiT. DE M. F. DEFAMA.. Wi>.