Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08974

Full Text
vy
Auno XXV.
Sabbulo 28
rAHTIDAS SOI COBItXIOS.
Golanna eParahiba, segundas e scxtas-feiras.
11 io-Grande-do-Norte, quinlas-i'ciras ao mcio-
dla-
Cabu.Srrinhaem, Rio-Formoso, Porto-Calvo
e Macelo, no I.*, a 11 e 21 de cada me*.
Garaiihuos e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vista e Florea, a 13 e 28.
Victoria, a quintas-fciras.
Olinda, todo os dia.
EVBXsumoxs.
retn Di uu. Chela a 5, sllh. e 9 ni. da m.
Mlng. a 13, s 4h.e48 in.dain.
Nova a 19, as 6 h. c Mi ni. da t.
Cresc. a 26, a 10 h. e 16 m. da t
VKBAMAB. DE HOJI.
Primelra a 9 horas e lSminutosua manh.
Segunda s 9 horas e 42 minutos da tarde.
de Jiillio ce 1849.
N. 165.
mecos da. sbscbicAo.
Por tres meaes (adionlado) 4/000
Por seis infles 8/000
Por um auno IC^OtK)
oas da mili,
23 Seg. S. Apolllnario. Aud. do J. dos orphos e do
ni. da I. v, ...
24 Tere. S.Chrlstloa. Aud. dachane., do J. da 1. v.
do civ. e do dos feilos da fazenda.
25 uart. ** S.Thiago.
26 Quint. S. Justa. Aud. do J. dos orph. c do m.l.v.
27 e. S. PantaleSo. Aud. do J. da 1. v. do civ. c
do dos feilos da faienda.
28 Sab. S. Inoocencio. Aud. da Chance do J. da 2.
vara do crline.
29 Dom. S. Anna. ________ -
CAMBIOS KM V)
R
XMt
Sobre Londres. 25 d. por 1/000
Pars, 380.
. Lisboa, 115 por cento.
Oaro.Oucaa hcspanlloe........
loedasde6>400velh.
. de 6/4(10 novas.
de 4/000..........
Frota.Patacdea brasileiro*.....
Pesos columnarloa......
Ditos mexicano
JOIVHO.
rs. a 60 dlaa.
30/200 a 30/OO
17/200 a 17/400
16/200 a 16|4O0
9/200 a 9/4IKI
fj90 a 2/010
1/1190 a 2/UO
1/900. 1/JSO
DIARIO DE PEMiSlBim
PARTE OFFICIAl.
MINISTERIO DA. JUSTICA.
Decreto de 6 de jnlho de 1849. pre-
sentando o padre Mamede Antonio de
Rima na itreja matriz do Nossa Senhora
do Amparo da villa do Puly, na provincia do
Piauhy e bispado do Maranhflo.
dem, da mesma data, apresimlando o
padre Claro Mr-ndes de Carvalho na igreja
matriz de Noisa Senhora das Horr da vil-
la de Jairz, da mesma provincia e bis-
dem, da mesma dala, apresentando o
padre Joaquim Antonio BenevenutoMaga-
Ihfles na igreja matriz de Nossa Senhora
do-Carmoda villa de Piracuruca, da mesma
provincia e bispado.
tm dem, da mesma dala, apresentando o
padre Jos Francisco de Sales Landim na
igreja matriz de Noasa Senhora de Naza-
reth da villa do RiachSo, da provincia e bis-
pado do Msranliflo.
dem, da mesma data, apresentando o
adre Manoel Lourengo Ferreira na igreja
matriz de San Luiz Gonzaga do Alto-Meia-
m,da mesma provincia e bispado.
dem, da mesma dala, aposentando o
dreMarcolino da Assumpgflo eOliveira,
^ Igreja matriz de Nossa Senhora da Con-
ceicoeSnn Bernardo na villa do Ilrejo da
mesma provincia e bispado.
I lem, da mesma dala, apresentando o
padre Francisco Maximino Pereira Moreno
na igreja malriz de S. Sebastiflo da villa da
Minga, da mesma provincia ebispadoj
govero"da PROV
EXPEDIENTE DO DI A 2e ->.
OfOcio. Ao commanda armas,
censando recebido o ofllcio. 18. Etc.
participa que na paga.loris- ilar nSo
consta haver lido conflrmagflo sopenal a
nomeaco de Ignacio Bento de ljiyolla : e
declarando que a folhas 149 dolido 16. de
patentes imperiaes." existente no archivo da
secretaria do governo, est registrada a que
confirma o referido Ignacio Bento de I.oy-
olta no poslo de alferes da primeira comp-
nhia do balalhflo de cegadores n. 59 da ex-
tincla segunda linha do exercito, e que
corita da copia aulbenlica que remello.
D:lo. Ao inspector da Ihesouraria da
fazenda, transmiitndo os avfsos nme-
ros. 121 e122 de duaa letlras sacadas pela
Ihesouraria da provincia do Bio-Grande-do-
Norte sobre esga a favor de Antonio Mar-
quea da Silva e Antonio Bcnlo da Costa, a
primeira n importancia de 1.000,000 rs. e a
segunda na de 500.000 rs. Parlicipou-se
ao presidente da referida provincia.
Dito. Ao inspector da pagadoria-mili-
tar, ordenando que, nos termos do ofTicio
do commamlaiito das armas, que remelle
por copia, e que vai annexa outra da cun-
ta demonstrando a importancia do snldo,
etape mais vanlagens quo vencerm as
pracas do segundo halalhfode cegadores,
do 1 de Janeiro a 31 de maio do correle
anno, mande entrega' ao tenente-coroner
comanandante do mcsmo batalhSo a qnan-
tia de 17.735,081 is., caso nflo hsja nisto in-
conveniente. Communicou-se ao com-
mandante das armas.
Dito. Ao inspector da Ihesouraria de
fazenda provincial, transmittindo a conta
da despeza feita com o sustento dos presos
pobres da cadeia de Goianna pelo respecti-
vo arrematante, em os neies de maio e ju-
nho desle anno, alim deque, avista della,
mande latisfazr-r a sua importancia ( 85,500
ris) a pessoa que se mostrar auturisada
para receb-la. Scienliflcou-se o chefe de
polica.
Dito.Xo juis de dirrito da primelra vara
crime, comiminicando l.aver expedido as con-
venientes ordena para que sejam suspensos
do rxercicio dos respectivos lugares o profes-
or de Ingles do lycu desta cidade, Vicente
Pereira do Reg, e o segundo esciipturario
servlndo de secretarlo da ihesouraria da fazen-
da provincl I, Antonio Ferreira d'Annuncla-
cao, visto haverrm sido pronunciados por a-
quelle juio por crline de responsabilidade
que uoinmelteraru: o i., no exercicio de de-
legado que foi desle termo ; e o i.*, no de sup-
plente do julio municipal desta mesma cida-
de.Nene sentido officiou-se ao inspector da
lliesouraria da fazenda provincial e ao direc-
tor do lyceu.
Dito.Ao luis municipal e de orpbiios lote
rio da cidade da Victoria.Accusaudo a re-
cepcio de seu cilicio de 23 do correte mez,
trnbo a responder Ihe que os f Helios necessa-
nos da amnista sao, nao so vedar qualquer
procediinriun judiciario contra o individuo
compromeltido no crime de rebelliio, mas
anda tornar de nenhum vigor o procedimento
que por ul motivo tenha havido anteriormen-
te i concessao da amnista Cuinprr, poitauto
que Vine, asaiiu o fique entendendo, nao s
acerca do lenente-coronel Jos alendes Carnei-
ro Leo a quem conced amnlsiia cm nome de
Si M. o Imperador, como acerca de quaesquer
oulros cm Idnticas circiiinatancias.
Dito Ao coronel Apolliiiariu Florentino de
Ibuquerque Maranbao, declarando licar sci-
ile de haver amo. delxado de dar cumpri-
iento i portarla pela ma I fura comeado sub-
delegado da frrguciiad Agoas-Kellas, rincn-
fquencia de ter de tomar coma do cuminan-
lUpeiior interino di guarda nacional daquel-
nnuniclplo de Garaiiliuns.Inleirou-se o
efe de polica.
Portarla.Momeando para os lugares vagos
e 5;' e 6. supplentes do subdelegado da fre-
RUria de Darreiros a Ignacio AWes da Silva
Santos e Joao da Rocha VVaodrrley.
"ila.O presidente da provincia, usando da
*" a^acao que llie.confere o decreto de I de
j*o do correte anno, lem resolvido cou-
'i auiuistia ein iiume de S M. o Imperador
.el Dioniio Gomes do Reg pelo crime
"'-------------i.U ..* n.n.liwll
E para sua resalva se Ihe passa presente,
em virlude da qual nao poder ser processado
pelo dito crime.Iguaaa ao bacharel Antonio
Teluira de Borba e a I.un renco Justlnlano de
ilollanda e Souza.
Com man I o das armas.
Quarte do commatido da pra(a na cidade do
Heeifg, 25 de julho de 1849.
ORDEMDOPIA. N. 1.
Fac.o publicar,para conhecimenlo da guar-
nirlo, a ordem do dia abaixo transcripta do
Exm. Sr. general commandante das armas,
datada de hontem, a qual he do teor se-
guinte:
tQuarirl-genrral do commando da armat na
cidade do Keeife, 24 de jnlho de 149.
ORDEM DO DIA.
Tendode sabir para Cora da capital, tica
encarregado do commando da i rae o Sr.
coronel Jos Vicente de Amorim Bezerra,
qne paasara o commando doquarto bata-
lllo de ai tildara a p ao seu immediato. A
este Sr. recommendo lance suas vistas so-
bre os amanuenses do quartel-general, alim
de quo se nflo destraiam das suas obriga-
(Oes, como podero acontecer.
Jos Joaquim Coelho.t
Em cumprimenlo, pois, nomeio para aju-
danlo encarregado do delalhc o Sr. primei-
ro lente do quartu batalhfio de artilharia
Francisco Carlos Bueno Descliamts, e para
serieUu io o Sr. segundo lenle do mesmo
balalhflo Joaquim Fabririo de Mallos.
. 0 servico contina da mesma maneira,
hem como todas asordens estabelecidas em
seu inleiro vigor.
n Sr. espilfio doquarto balalhflo de arti-
lharia Izidoro Jos Roxa do Brasil comman-
dar interinamente o balalhflo no meu im-
pedimento.
Jos f cenle de Amorim Bezerra.
Coronel graduado.
Ovarle/ do commando da praca ch cidade do
Recife, 27 de julho de 1849.
ORDEM ixi DIA N. 3.
O Illm. Sr. coronel commandante da pra-
Qa manda declarar para conhecimenlo da
guarnieflo que, por despacho do Exm. Sr.
presidente da provincia, de 20 do correnle,
obleve 3 mezes de licenca para ir provin-
cia do Par tratar de sua sade como foi
indicado pela junta medica a queseproce-
deu, ao Sr. padre cnpellflo do toicciro bala-
lhflo da artilharia a p Francisco Antonio
Bernal.
Oulroam, o mcsmo Illm. Sr. ordena que
o Sr. alferes lierculano Alexandrino de Mel-
lo, da rompa nina fixa decavallaria da pro-
vincia da Baha, quechegou honlem arri-
bado a este porto, fique addido a companliia
fixa desta provincia at seguir a seu des-
tino.
troncheo Cario Botno Deiehamp,
Piimeiro lenle s ordens.
EXTERIOR.
CALIFORNIA.
Extracto de urna carta de um do joven de
Santiago que te acha na California.
S.-Francisco, 16 de fevereiro de 1849.
Meucharo.JesldA no paiz dotirado, a
que todo o mundo lem ancia de chogar.
Nadfr daquillo que nos tinham dito nessa he
rompsravel com o que estou venJo. Che-!
gamos no da 23 do Janeiro, e apenas salla-
mos cm lena, o nosso primeiro cuidado foi
procurar U0>a casa, empreza ardua pela es-i
eassez das mesmas. Por um quarto de tres j
varas quadradas pediratn-nos setenta pesos .
tnensaes, oque consideramos como muito
btalo, porque o prego ordinario sflo cem|
pesos. Antes de inslallar-nos. corlemos
loda a povoac,5o, o casualmente encontr-,
mosacasa de um militar voluntario quo.
veio com o exercito norle-ameticano e re-
cebe hospedes Pede pela cama vinto pe-
sos ineusaes por pessoa, e Ires pela comida.
Api zar de prego 13o elevado, os hospedes}
vcetn-se reduzidosa viver tresou quatro em f
cada quarto. Por ser urna das casas mais
resicitaveis, resolvemos alojar-nos nclla.
Andamos juntos S..,, H... o eu. o di& |
seguinte da nossa chegada desembarcamos
as nossas bagagens, e, depositadas na pruia,
chamamos alguna homeiis que passavam,
ellhes offerecmos urna grande quanlia para
que as conduzisscm a casa ; porem qual nflo
foi a nossa sorpreza quando nos responde-
rn! que nem porcem pesos mover.ain uin
bah! Amesn.a resposla obleve iguaof-
ferta que lijemos a oulros. lima cssualida-
de nos tirou do apuro : e proporcionou-se-
nos um dos carros que transpoitam as car-
gas na cidade. Oscarreleims pedem lies
pesos paraconduzir seis fardos pequeos,
por mais curie que sola a distancia. O car-
reteiro nflo se movo de seu assenlo, eo Ire-
guez lem de carregar e descarregar os Tar-
dos, apezar de pagar os scus lies pesos.
Kos poucos diaa que decorreram depois
da minba chegada, vi Unas cousas que s
ii'uuipaiz tflo maravilboso poda succeder,
que se m'as livessem contado nessa, de cer-
lo nflo Ibes teria dado crodilo. lie lal a ri-
queza do placer, ( este ho o nome da mina )
que oxtinguira a sede de ourode muitos ini-
ll.ares de bomena alm dos quo ate agora
lem chegado. As pedrea do novo placer
descobeito vendidas ltimamente nflo bai-
lara m do valor de 35 ongas de uuio cunTTa-
do, e duas alcaiiraram'o alto prego de 7,1/00
pesos, apezar.de serem vendidas |;or um
Indio, gente qte Bprecia menos aqueile me-
tal. Aqu iiDo1 ha pobre algum porem, a
julgar pelo exterior, os ha muitos; entre-
tanto nflo deixam de ter dousou Ires mil
pesos no bolso, ganhoa com o immemo Ira-
balho de tres ou quatro das conforme Ibes
foi a aorte mais ou menos favoravel; mas
ner.bum ha que tenha trabalhado quatro e
cinco mezea, que nflo possua de dez a doze
mil pesos. Nenhum desses homensqueteem
estado no p/ocr so aubjeita a trabalho al-
gum, qualquer aue seja o prego que se Ihcs
offerega : os que se dedicam a algum traba-
lho sflo os recem-chegados,; porm a que
prego.'
Um cozinheiro cem pesos mensaes!
Um criado qualquer noventa pesos !
Estes sao os officios em que menos se ga-
nha. Um operario recebe diariamente de
cinco at oito petis, segundo o seu ofllcio,
excepgflo dos carpinteiros, porque nflo ha
dinheiro que chegue para paga-Ios. a la-
vgem de roupa he tambem um meio de en-
riquecer-se : a duzia de pegas custa oito
pesos, e. ae eslflo muito sujas, doze. Este
ofTicio he dos Canacas, urna das tribus pro-
ximaa.
Os alimentos 980 demasiado caros, nflo
porque U tem, pois os ha em abundancia,
mas por causa de urna anomala bastante
rara. Aqu ae vende ludo a peso : a libra
de nozes dous pesos, a de queijo um peso, a
de manteiga um peso, apezar de proceder
dOregon ; a arroba de assucar vale trese
pesos, e tudo na mesma proporgflo.
A abundancia das mercadoria's he incri-
vel; entretanto conservam-se a pregos mui-
to altos. Assim, eslou vendendo a 8 pesos
cadaum osponchesquetrouxecommigodos
que comprci a 15 pesos e 4 reaes a duzia;
(parte delles vem atrase anda nflo rhegou)
e como esse prego he muito commodo, es-
pero que venderei a doze pesos os maiores,
que chegarflo dentro de pouco. Nflo creo
infundada a esperanga que tenho de vender
a minha pacotilha com vanlagem, porque
aqui o negocio ( fallando cm geral) que nflo
deixa (100 por 100 he meo negocio
Nflo exislem os perigos de que ahi tanto
se falla ; tambem nflo se commeltem rou-
bos como dizem : nflo ougo a ninguem que
lho falte um fardo ou nm barril, apezar da
mainr parle dos negociantes deixarem as
suas meicsdoras ao relenlo.
Meu charo,aqui nflo ha freio nenhum para
amullidilo: ella he ludo, ella se govemae
se manda ; nflo ha absolutamente autorida-
dealguma. Nflo lia muito, um sujeto da-
se: Sou administrador da alfandega e
abijo a sua oflicina. Logo declarou que as
mercadoras importadas tinham quo pagar
drclos, e cobra-os como molhor lho pare-
ce. O negociante protesta no livro contra
os direilos pagos.na esperanga de que, logo
que se eslabelega um governo regular. Ihe
serflo restituidos estes direitos, ou serflo re-
gulados de um modo juslo e conveniente.
A alfandega [de-se considerar como urna
das murta curjosidades desta trra. llave-
ra tros dias que o administrador e os empre-
gados da alfandega lomarain urna borra-
cheira horrivel, e no dia seguinle adminis-
trador e empregados deixaram a oflicina,
um porque nflo quera trabalhar mais, e oa
oulros porque nflo Ibes davam giais que
seis pesos por da. Assim he que temos es-
tado sem airandega durante quatro dias.
al que outro veio tomar conta da casa.
O procedimento do povo he regular, ea
ordem se conserva inalteravel. Duade que
eslou aqui nflo houve morte ou roubo al-
gum, ( excepgflo de duas mortes de que lo-
po te rallare) nada de violencia, e em tu-
do a major ordem que dar se pode. A's oi-
to horas da noile reina um silencio tilo com-
pleto, que julgar-se-hia que exisle nesta
povoagflo urna polica muilo vigilante Es-
ta tranquillidade nflo era de esperar-se do
urna populaglo de tres mil habitantes que
nflo conhecem outra le mais que a sua von-
lade. A" vista disto, estou disposto a crr
que nflo ha melbor governo do que este, se
Islo se pode chamar governo.
Ha urna estalagcm com o nome de Hotel
da cidade. Talvez te admires de que cute
fallo em holeis ; mas aqu a sorpreza be
moda crrente. Na dita estalagem habi-
ta m os maiores tunantes do mundo, e ha
urna partida conhecida com o nome Os Fnfe;
e se succede que alguem tenha urna disputa
ou desavenga com outro, dinge-se a riles e
IhesexpOea sua queixa. A sociedade pren-
de incontinente ao culpado e convoca varios
cdadflos, os que eslflo mais a mflo, e for-
niam o seu tribunal de juslga: ouvidas a
accusagflo e a defesa, se a junta acha crimi-
nalidade no reo, condemna-o prisflo e Ihe
faz pagar urna multa. Os autores das duas
multes de que cima fallei fram enforcados
por sentenga da junta. Fram accusado>
peranle a suciedade de roubo eassassinato,
e sendo convencidos do crime, fram con-
demnados morte; preparou-se a frga e
executuu-se a sentenga sem perda de lempo.
Tudo islo me sorprende, e admira-me como
estes homens salvam a sua responsabilidade
para mais tarde, chamando o povo a esses
aclos.
' Esta povoagflo, como j te disse, consta
de 3,000 habitantes; ha sete mezes nflo
conslava de mais de 1,000; exisliam no-
venta e lanas casas, agora existom trezon-
tas, alern das que se estilo edilicanilo. as
oulras povoaces a gente esta repartida
com a devida proporgflo, excepto no porto,
' aoqual dizom que chuparam 3.000 Mexica-
' nos. Dos 20,000 Norle-Americanos que nos
Idisseram encontraramos aqu, nenhum
ebegou. 'I euios na baha dous vasos de
guerra norte-americanos, e a bordo de um
; delles veio o commodore, com o llm, segun-
do niedisseraraconlidencalmenle, de pro
'curar o uielhor lugar para eatabelecer o
porto principal. Alocalidadeescolhida he..;
e como esta noticia he summamente impor-
tante para especular sobre a compra de ter-
renos, nflo a querem divulgar. Este nego-
cio he multo bom aqui: em S -Francisco o
terreno que ha oito mezes valia 74 pesos va-
le hoje 3,000. He provavol que a minba
volta da mina lome alguna terrenos que te-
nho visto em....; e como nflo os posso com-
prar em meu nome por nflo ser cidadAo da
America do norte, os tomarei em nomo de
um Americano.
Este porto precisar por mais algum lem-
po de bastante importagflo dos productos do
Chile, e principalmente de farinha, cevada
feijflo, nozes, quejos, agoardente, etc. As-
sim podes mandar-me estes gneros, que
sflo de venda certa e deixam bom lucro :
pdem fazer a fortuna de quem os traga em
lempo opportuno, pois nflo baixsrflo os pre-
gos emquanto chegarem emigrantes dn to-
das as partes do mundo. Um navio russia-
no que chegou ltimamente deCirea, urna
das suas colonias, levantou em seis dias
urna casinha para vender as suas mercado-
ras, que alcangaram pregos elevados... He
de admirar a rapidez com que aqui ludo
marcha, e agente pasma ao contemplara
prodigiosa revolugo que o industrioso Nor-
te-Americano inlroduz no paiz que tem a
fortuna dereceb-lo no seu seio: aqu tu-
do se desenvolv' COi a rapidez do rain.
Como no se pode Ir mina at principios
de abril, temos determinado sahir desta cm
dos dcste mei, tanto para tomar conheclmen-
to desses lugares, como para visitar o amigo
placer, boje abandonado porque oo se extra-
hiam mais de 80 a lOO pesos por dia, ainda
que na parte principal da mina nao se estra-
hisse menos de 140 a 200 pesos pur dia. Na
temporada antenior de trabalho havia pouco
mais ou menos 5,000 trabajadores, e ae, como
creio, he certo o que dizem, be de admirar a
ordem que reioava entre esses homens e a boa
intelligencla em que viviain. Succede que un
trabalhador encentra um bom lugar, outro vai
trabalhar no mesmo terreno, c o primeiro o
deixa tranquillo, com tanto que nao chegue a
loca-lo com a sua lerramenta.
Sao mili escaasos os meiosde conduccao para
qualquer ponto ; he muito dillinl viajar, tan-
to por trra como por mar. O pouco preco por
quediiiamse vendiam os animaes, he menti-
ra, pois sao tres vezes mais caros que no Chi-
le : um ravallo que all vale quatro ou cinco
pesos, veode-se aqu por 100 ou i20; um boi
vale 100 pesos Islo nao he de estranhar, pola
aqui nao ha um s hoiiiein que se dedique
agricultura, e mette do ver as fazendas arrui-
nadas e desrrlas, pois nao ha em todas ellas
mais que o dono, que, quando quer vender ou
matar um animal, tem de ir elle mesmo apa-
nha-lo. Isto nao deve causar admlracao, por-
que aqui se he amo e criado, e eumpre fazer
tudo. At agora mo vi em todo o paiz urna su
horla ou pomar : tudo quanlo se consom, al
as hlalas, vem do estrangeiro, e se por casua-
lidadc se loma alguma verdura,lie verdura que
velo em conserva.
As aves sao mui escassas e urna gallinha vale
tres pesos, una duzia de ovos vende-se pelo
inesiuo preco, e posso dizer-le qne o comer
mais delicado he um praio de feijOes, que
d.iu como grande regalo, pois al islo he caro
aqui. Outra con i he na regiao aurfera, cm
que tudo se paga a preco de ouro : a libra de
assucar dous pesos, a de farinha 12 reacs, a
garrafa de cerveja oito pesos, o callx de agoar-
dente dous pesos, e tudo o mais propoixao.
o momento em que te estou tacrevendo
acaba de chegar II... de S.-Jos, povoacao
viiinha, e coininmiica-nos ai noticias mais es-
tupendas a respeilo da rrgio aurifera, que nos
inspiram o mais vivo desejo de l ir. Dii que
vio ires pedacos de miro cu o peso era de 224
libras!... Islo parece sonlio, mesmo a quem
v a realidade.... Emlim, dir-te-hei que nao
me correm mal os negocios, e que aqueile que
vem aqui e nao ajunla dinheiro he um burro
ou a falalidade o perseguc.
la-le encarregar de ver S. ; porm vou es-
crever-llie, ainda que recele mullo que as mi-
nhas cartas nao clieguem a aeu destino ; pois
eslao interessados todos os negociantes e os ca-
piles de navios, sobretudo aquellcs que tra-
zem mercadorias suas, em nao levarem carta
alguma, e menos as que poderiam dar noticias
do mercado.
Dia 17.Corre o boato de que urna grande
einigracao de Inglaterra ae prepara para este
porto, e de que muitos navios carregados de
mercadorias sahiiam dalli e de oulros pontos
com o mesmo destino. Tambem se annuncia a
prxima chegada de um grande uninero de
Mexicanos.
Segundo clculos pouco exactos, o ouro ex-
trabido nos dez meies anteriores de trabalho
monta a mais de dous milhes de pesos.
Extracto de outra caria da mesma pesroa.
S.-Francisco, 21 de fevereijode 18-19.
Cbegmos no dia 13 de Janeiro a este pais
onde a Providencia tem aberto a sua arca para
que cada um tome o que nao Ihe tocou no
principio da reparlico : aqui nao ha outra
cousa que ouro, nada-se sobre elle: quem
o-o flier a sua fortuna he pateta ou o diabo
Un- ata as inaos.
Eslou me apromptando para ir ao placer re-
centemenle descoberto : ueste uao ha necessl-
dade de crivo, porque o ouro ae eocontra em
pedras do valor de 30 al Mi oncas.
At agora a repblica democrtica no ullimp
grao he a forma de governo, se aquttlo se pode
chamar governo. O governo que ha he este :
reune-se o povo na praia c falla quem quer,
aecusa c julga como o mellior tribunal : se ha
algum reo, o povo o prende, o julga e o color-
ea, como faz a sociedade de que fallo na mi-
nha a G.... He negocio que ae conclue com to-
da a |iroinfilld;io.
Aqui ninguem pode ser proprietario sem ser
cldadao ; por Uso serei obrigado a fazer mi-
abas compras em nome de outrein ; pois ja-
mis poderei resolver-mc a deixar de ser cida
do do Chile. 'i
A populacao conzpoe-ie de homens de todas
as naces do inunda, e o Chile he o nico es-
lado que nao teuxma baha um vaio de guerra
na cidade 'un cnsul para proteger os
PEP.NAMBUCO.
CMARA MUNICIPAL DO RECIPE.
6.* sissa oaDiruau em 28 os jI'sho dk 18*9.
Presidencia do Sr. Olivetra.
Presentes os Srs. Barros, Mamede. Barata,
CarneiroMonteiro, Dr. Moraes o Franca, a-
brio-se asesso, e foi lida e approvada a
acta da antecedente.
O secretario fez mengflo do seguinte ex-
pediente :
Um oflicio do Exm. presidente da provin-
cia, declarando que a lei do orcamento mu-
nicipal para o anno prximo futuro, da
qual linha remettido copia aulbenlica dos
artigos I.' e 2.", fra publicada na secreta-
ria aos 22 do corronle. Inteirada, e que
se communicasse conladoria.
Oulro docordeador, participando haver
dado a cordeagflo ltimamente solicitada
pelo inspector do arsenal de marinha.
Inteirada.
Outro do juiz de paz mais votado do pri-
meiro districto de Jaboato, requisitando
os objectos precisos para a revisan da qua-
liflcagflo. Que se salisfizesse, segundo as
ordens j dadas. .
A cmara decidi que fossem confirma-
dos lodos os seus emp egados, o em conse-
quencia ratificou logo os diplomas daquel-
les que os apresentaram, esperando tomar
primeramente eonlas ao procurador, para
cntflo ser tambem confirmada a sua nomea- m
gflo, sendo vencido o Sr. presidente no re-
querimenloque fez para que todos os di-
plomas fossem remettidos a urna commis-
sflo para dar seu parecor.
I'ara a commUs&o que lem de tomar con-
las ao procurador fram nomeados os Srs.
Blamede e Franca.
Compareceu o Sr. vareador Jos Joaquim
de Oliveira, prestou juramento e tomou as-
senlo.
Igualmente foi juramentado o juiz de paz
ilo primeiro dislrclo de Jaboalflo, Jos
Francisco Pereira da Silva.
I'assando-se a nomeagflo de commissoes,
fram ellas assim organisadas : edificagflo,
os Srs. Karata e Franca ; saule, os Srs. Dr.
Moraes e Barros ; polica, os Srs. Carneiro
Monleiroo Jos Joaquim de Oliveira; e pe-
tigOes, oSr. Mamede.
Propoz o Sr. presidente que.se mandasse
fazer um busto de S. M. o Imperador para
scrcollocado com a decencia devida na sa-
la das sessOes. Posta a votos a proposta foi
rejeitad por nflo haver quola designada no
orcamento municipal ; e em consequencia
oSr. Carneiro Monleiro propoz quo fosse
esta desbeza feita por conta dos vereadorea
presentes, oque foi approvado, sendo no-
meados o mesmo Sr. Carneiro Monleiro e
Oliveira para tratarem de por em execugflo
a resolugflo tomada.
Deltberou a cmara que se pedase ao go-
verno da provincia revogagflo da ordem que
lem pura nflo conceder lcengas para edifl-
cages, sem apresentagflo dos ttulos dos
terrenos que frem de marinha, em conse-
quencia do embarago que disto resulla aos
edificadores.
Deltberou mais que se autorisasse o pro-
curador a fazer as despezas necessaras com
a limpeza e asseio da casa.
U Sr. vereador Barata mandou mesa o
seguinte requerimento, que foi unnime-
mente approvado :
Ten do de rctirar-so desta provincia o
Exm. Sr. presidente o concelheiro Manoel
Vieira Tosa, e julgando eu que esta cmara
deve patentear ao mesmo Exm.-Sr. presi-
dente o aprego e considersgflo em que tem
os relevantsimos servigos prestados por S.
F.xc. a lieui da ordem publica, e pelo bem
que dirigi a administragflo desta provin-
cia, requeiro que esta cmara Ihe dirija, por
cscriplo, um teslemunho authenticodo seu
reconhecimenlo e gralidflo.
Sala das sessOes, 28 de junho de 1819.
O vereador, Barata.
Despacharam-se as peliges de Salustano
Augusto Pntenla de Souza Peres, de Severi-
anno Pinto, de JoSo Pinto dos Santos, e le-
vantou-se a sessflo. Eu, Joo Jote Ferreira
de Aguiar, secretario, a subscrev.Oliveira,
presidente. Olivetra. Batro. Carmi-
ro Uonteiro. Barata. Morae. Franca.
lUamede.
H;.ial) HE PKVtBBCO.
Bictrt, 37 DI JtHO ai U.
seus concidada'q
mi itii Ann
/
Falalidade !!.
(Proareuo.)
Foi emfim julgado pela junta dejustiga o
processi do Sr. coronel graduado Cypnaoo
Joscde Almoida.
Composla dos senhores desembargadorea
Domingos Nunes Ramos Ferreira, Manoel
Hodrigues Villares o Agostinho Ermelindo
de l.eflo, bem/como do Sr. cap tflo de mar e
guerra Itodrrgo Thcodoro de F'eitas e dos
senhores qj*roueis Bento Jos Lemenha Ltns
e Jos Vu/eiite de Amorim Uozerrra, a rete-
rida jurJfa, sb a presidencia do Exm. Sr.
concelheiro de estado Honorio Mrmelo Car-
neiro/Leflo, accordou em absolver o referi-
do seiihor coronel Cypriano. reformsndo a
seilcnca do coucelho de guerra, pela qual
oit ollicial fra condemnado pena ultima.
7 Este co da junta dejustiga, lodo basca-
do no cumprimenlo do seu rigoroso devore
ua restricta observancia das leis, ao passo
nue lavou a ndoa que a mencionada sen-
lunca havia laucado sobre um militar brioso
oue sempre so ostentara amigo das insttui-
ces do paiz e cordia'.menle devotado a cau-
sa da moaarcuia e da ordem, eocheu

p--'raww^.nw'.
sumTO prnzer os numerosos amigos desse
mc.-roo militar quo com dr profunda o
viam oncarcerado em urna fortaleza, ecomo
jijo espera do golpe fatal coii que devig
sor recompensado da dedicarlo com quesem-
pra servir a sua patria.
lie para notar que, tendo a junta princi-
piado a considerar o processn do Sr coro-
nel Cypriano liontem pelas 10 horas da m-
iilia, interrompeu a sesso slreseincia
horas da tarde som que ainda tivesse pro-
nunciado o seu juizo acca delle, c que s-
menle Moje proferto a respeito a seguinte
seiilenca :
Refrmala a sentones do concefho e
gucru, alienta a prova existente neste pro-
cesso ; porquinto ba..eando-se toda a ac-
cusacw) do reo nos tres seguintes artigos
de que se exigo a responsabilidado :
a 1 o Quul a rasflo por que, tendo a fdrea
do seu comniando, conforme o uitiino map-
pa. tSC pravas, s existiam no dia da accSo
60 ?
S. Porque n3o se rclirou, inutilisando
0 armamenlo e cartuxamo que nao podesse
'tmduzir, saliendo que era atacado por fr-
ca muilo superior, sem que tivesseordem
]iara se sustentar no ponto quo guarnen a ?
3." Porque nao cumprio a ordem que
teve de remetter para a capital ocarluxa-
iiic que all era desnecessario ?
a Me evidente, quanto ao piimciro, que
a conducta do reo se aclia sobejamenle jus-
1 i filada pelos niappas e mais documentos
juntos de (1. a ti., que. pulas desertos e
mais occurrcncias delles constantes, de-
uionstram satisfactoriamente a rasilo por
que, c. ii-l,in Id a fic do seu coinmando
do 126 pravas conformo O ultimo mapp.i,
Mmenlo existiam 60 no dia da acc,fio, sem
que to lavia mereja o sobre-lito leo alguma
imputando.
Moslra-so igualmente, quanto ao so-
gundo, que, tendo recebido ordem dogo-
verno, cin ollicio de 25 de Janeiro a II 130,
fiara segurar e sustentar aquelle ponto com
Inda a cautela e vigilancia, para nS ser
i'rprendido, al poder ser socrorriilo, ou
pelas forjas legaes dos pontos mais vizi-
ujios, em pela columna do primeira linlia,
orgaiiis'iila na capital, comn.andada pelo
coronel liezerra. e nOo tendo recebido ate
entilo alguma outra orden) em contrallo,
lie visto quo nem poda nom devia retirar-
se, iiiulilisandn o armamento ncarluxame
quo nffo podesse conducir, o abandonando
o seu posto ; antes ao contra'io, ainda nilo
' sendo, i-oiiiii n.'io fui, soccorrido nem pula
sohredils columna de primeira linlia, nem
mesmo pelas fricas lugacs do ponto mais
vizinlin, como mo-tra o documento II. 113,
eia do seu ligoruso dever suslenlar-se, e
manter o seu posto, oppondo nellc toda a
resistencia possivel, o que sem iluvi.la
alguma execulara como convencen! as
teslcmunUai de sua ik'fesa, de Toldas a
folhas, e moslrain os aulos, dos quaes
consta que, sendo atacado pelas frcas re-
belde! em numero manir de 600 no dia 11
de feveroiro ultimo, pelas horas da larde,
no convento ilo Cumio de Goianna, aoudo se
liuvia forlilicado,tendo lomado todas as pro-
videncias liara sua ucTesa, com as necossa-
lias piovisoes para 8 ilias, H/era lugo rom-
per o fugo contra os sohre.iilos rebeldes,
que os cercaran) por todos os lados, as-
mente cessra das seise nteia para as sale
lloras da imite, em que elles fram dcsap-
pareeendo. Illoslrandu-se (uaisque, sede-
piis disto ellos conseguirn), leudo reappa-
iii!.lo, penetrar no pavimento terreo do
edilicio, arrombando o porlflo que bavia no
muro por parte dos fundos, nao podra elle
loolislar-llie; porque, sendo esta o*ira ex-
terior ao mesmo edificio, uo permi'liam
a eunslruccao e localidades delle que po-
desse desculirir-se e doininar-se o referido
portQo, com exceptan smento do local das
ladinas, cujo travejamenlo e assoallio su
acliavaiu ariombadose inteiramente arrui-
nadas, como declara o alteres .M.nioel Eloy
Mendes em seu depoiniculo a II. 150; mas
que, Bssim mesmo, ello reo lmente deixi-
ra de guarnecer por nilo podr faz-lo sem
desguarnecer oulros pontos mais impor-
tantes e necessarios defesa, quuj liaviam
sido atacados, e l>em poderla m ser tomados
sem dependencia do porlflo, a cujo arrom-
l'amento n3o era | rovavel poder otistar, e
atlffi disso pelo receto, bem fundado, e
perder a pequea frca quo alli collocasse,
a qual era luda guarda nacional sem disci-
plina, eque nenhuma conlianca podia me-
recer-llie, I aven lo grande probabilidade
que por alli desuilasse, como por vezes ti-
nlia acontecido, pirferiiidu por isso conser-
var a frta sobre esses pontos ja ditos, paia
n3o perd-los enfraquecendo-os mais, vis-
to estar cercado por todos os lados.
Mcitca iei ue.s, pois, acliaudo-se provados
todos estes Tactos pelos dcpoiiiieiitus contrates
das lesteiuuiilias da defesa do niesioo reo, e
sendo entre si discordes as do concedi de in-
veillgajio e de guerra sobre eircuuistaucias
acuciara dos fados n,ue rel'ercn, resenliiido-
se alin disto de aU'eelajao e aniniusidade, lie
sem duvida i|uc deveni prevalecer ai|Uellas,
alias dignas de todo o crdito por eu carcter,
graduaran, intclligrncia c vrrosiinUhauca de
seu ditos, dos quaes cousta que o reo oppote-
ia toda a resistencia possjvel, (aleudo logo c
maniendo m lie oideiii, nau s no sobrrditu
da 11 s horas ditas, como na madrugada da
dia segirnle al as 8 horas, em que os leliel-
des, ili'x iiganadus Ue nao poded ein, tiluer van-
lagein, flteraiu por mcio da cxploso de mu
barril de plvora sallar o asso>lhado do edili-
>i", com cujas ruinas fura l'erido o sobredito
reo i o ni os idliei.ies e soldados que alli seaclia-
vam; fuglodo espavorido para o cioda igreja
o rest da gii.irnicao, abandonando a armas,
por cujo moiivo se tornara hupossivel tl.iln em
diantc toda a rcsisleucia. *
I el les naquella poca ; pois que, tendo o
reo representado na sua corresponcia Qui-
cial do fl. a fl., o estado critico em que se
aehava pela deficiencia, desorganisatfio e
continuada deserefio de suas frcas, n!io fu-
ra isso sulieiente para quo podessem pres-
ta r-so-llio os soccorros promettidns pelo
ofiicio de 25 de Janeiro, a ditas fl. 130; nilo
podendo haver outra rasflo que assim o de-
terminasse, senflo a dos movimentos dos
rebeldes sobre esta capital, ea sua retirada
successivumente sobre o ponto guarnecido
pelo reo, onde nfio s he verosimel como
eonseqiicnte que os soliredilos ollic: >s fram
igualmente interceptados, e nilo recebidos
pelo reo.
Portanto, achando-so provado, nos ter-
mos ditos, que nfio depender do reo que a
sua .'uannefio tivesse maior numero do que
as 60 pragas quo existiam naquelle dia ;
que tivera ordem para sustentar o seu posto
sem quo rcebesse outra contraria ;-- que
nelle oppn/era toda a possivel resistencia
at a ultima extremidade, e ltimamente
que nilo recebra a ordem relativa a remes-
sa dos 10.000 cartuxos para esta capital; --
o nao tolerando a jus ica, nem a boa ras.lo,
quealguem seja respoiisabilisado por factos
ou omisses que nem prcsumplivamente
pdem imputar-so-llie, absolvem ao sobre-
dito reo, julgando justificada a sua conduc-
ta militar, e sem alguma nota.
Itecifi em laSSSO da junta de Justina
do 27 do julhode 1849. Curneiro Ledo.
Hamos. Villara o. ~ irritas. Le-
mtnh'i Lint fzerra.t
o A ludo Uto accresce que, tendo tomado
durante a indte todas as providelicias para que
ficassc inulilisado para os rebeldes, em caso
de sinistro, todo o armamento de subresalen-
le, tliaudo-lhe os fechos, e nao devendo fazer
iiiu'.ilis.ir o eartuxame seuo (juando seapre-
seni i-se o ultimo caso de necessidade, para
nao perd-lo aeni ella, e mesmo para que niio
podesse fallar-llie para repellir u ataque cuja
durado nao podia calcular, fdra ialelirnicu-
tc prevenido e impedido de poder execular
esta providencia por aquelle sbito e fatal acci-
dente, de urna maneira lrrcslstivel e que nao
podera superar.
Mostra-se ltimamente, quanto ao tercei-
ro, que, tendo sido interceptado pelos rebel-
des o rnelo folhas 19, em que se Ihe ordena-
ra a i emessa dos 10,000 cartuxos para esta ca-
pital, como depem as teiteuiunhas da inesma
defesa, com referencia ao geueral dos rebel-
de, que assim o declarara ein Po-Aiuarello,
nao podia o reo ter noticia, e ainda menos ter
i na Miado una ordem que rile nao recebra.
Outro tanto devo concluir-se relativa-
mente aos cilicios II. 15, 11. 16 e fl. 17, a vis-
ta das circumsUncias e movimentos dos re-1
Obsequiaram-nos com alguna exemplares
do Comi Merratllil Ilumnense, o ultimo
dos quaes (raz a dala de 16 do enrrontn.
Na tardo de II, S. Jl. o Imperador passra
revista, no campo Ja Aivlnmae.io, a linla-
as tropas da guarnic&o da corte, s quaes
em numero do_ 1,450 hoinens formaran),
manobraram, eflzeram aliiexercicio de fu-
go, sb o cumulando do Exm. conde de (U-
xias.
.Segundo urna pessoa que assistio esta
solcinnidadu militar, cis como olla tivora
lugar:
^ A's tres horas c meia da larde, o Sr. tenen-
le-eorouej Couto, serviudo de .ijudantc-gruc-
ral, deu o aliiiliaiuento, na conforuiida da or-
dem do dia de hoje, e os carpos form.irani-se
em ordem de halalha pela friua seguinte, fa-
zendo frente para o paco do senado :
i. I." regiment de cavallaria, quatro boceas
de fugo do '." hatalhao de arlilharia a p ; iu-
faiitaria do enrpo de miinieipies permanen-
tes ; 2." batalho de fii/ileiros; 5." de cacado-
res, quatro linceas de fogo do mencionado l.
biial ao de arlilharia, o cavallaria dos niiiui-
cipaes.
u Ponen depois chegando o Sr. general das
armas conde de Casias, acompanhado do seu
estado-iuaior, recelieu a eoiitmeiicia do eAlylo,
e collocoii-se em Urente do centro da liona,
a- ii 11 .lu d. i a chegada de S. M. o Imqerador,
a qual leve lugar s 4 boras, pouco mais ou
menos.
n S. vi. o Imperador veio acompanhado do
seu ajiidante de campo o Sr. inarechal de cam-
po graduado Francisco Xavier Calmon da Silva
Cabral. do Sr. ministro da guerra, do camaris-
ta de semana o Sr. concelhelro Candido Jos de
Araujo Vianna, do guarda-roupa o Sr. Anto-
nio llfiiriqup de Miranda Kegn, e do estribei-
ro-menor oSr. Antonio Pedro. S. M. fui rece-
bido com as honras que Ihe sao devidas, e hn-
medialainenle passou em revista toda liaba.
a (Jomecaiam enlo as evolucoe para o exer-
clcio de fogo. As tropas meiteram-se em co-
lumnas cerradas e contiguas sobre o 5." bata-
lho de caladores, mudando a frente para a
eaqiiadra. Do !." regiment de cavallaria sabio
urna linha de aliradores, e foi cobrir o flanco
esquerdo. Ksle fez fugo avancando, e rotirou
"e pela direita. A arlilharia aiiruu sobre csie
flanco.
Todas as columnas mudaram de frente
retaguarda. Duas companliias do 5.*de
catadores partirn), o esteuderam-se co-
brindo a fenle; lizeram fogo avancando e
recolberam-se pela direita. As columnas
ha|. lm-se em retirada por pelotes ; ces-
sou figo c Ozeraoi alto.
Km seguida os batalhes formaram-se
em columnas cerradas e contiguas ; assim
avanzaran, e lizeram alto. A cavallaria de
linha e municipacs passou pelo flanco es-
querdo, q, dispoz-se em columna com a
frente para os batalhes. Estesganharam
dislanri.i, e forinar.ui) quadrados em esca-
13o. A arlilharia dissuiniuou-se pelos iu-
lervallos a flancos.
A cavallaria carregou per meios esqua-
dres, e os quadrados se defendiam, auxi-
liados pela arlilharia.
Cessou o fogo. Os balalhes forma-
ram-se, com iutorvallos, em Columnas pio-
fundas, o mudaram do frento esquerda ;
o 1. regiment veio poslar-se direiu,
formado em columnas ; a cavallaria do mu-
nicipios, na mcsina oidoin, a esquerda ;
a arlilharia, nos flancos; e todos como na
disposioOo primiitiva.
Desenvolvorain-se em linha e lizeram
continencia. Multeram-so du novo ein co-
lumna e Oeslilaraui por defronle do pac; i do
senado, onde se aehava S. M. a Imperalri/.,
e perlo do qual saf a taniheni collocJrS.
M. o Imperador para receber as ultimas con-
tinencias.a
l'or decreto de 8 desto mez, fra creado
um lugar de juiz municipal e de orplios na
filiado Conde, provincia la Uallia ; sondo
uomeado para ello o h..charol Francisco
.Marques dos Santos, bem como para o do
termo de Ahbadia da mesma provincia o
bacharcl Jcronyino do Arago e Souza.
A II s. Ihi'.i para Santos o vapor ue guer-
ra A/f.mso, tra.spoi lando 200 prSCSS do
quinto balalhau de cagadores, as quaes, sb
o commando do respectivo major, deviam ir
aquarlellar em S.-I'aulo, sum duvida para
fazer o servido da guainiQlu dessa provin-
cia ; pois que, como allirma o jornal cuja
recepc3o accusauos, nao bavia alli indicio
du perturbacOo da trauquillidade publica.
Ilavia noticias do Itio-Craude-do-Sul at
28 do passado, o de l'orto-Alegre at 23.
A' exceptan de alguna im ios, nada do
extraordinario bavia alli occorrdo.
Ilefei indo-so a folhas do Ilusin al 29 de
maio e de New-York al 26, o sobredilo pe-
ridico resume assim, emoseu n. 187, o
que de mais interussanlo uellas'si conti-
nlia :
i Os estados da Unio acbavam-se em
paz.
liaviam alli noticias de San-francisco
te a data de 9 do abril, as quaes conlir-
m os avisos anteriores sobre a abundan-
do ouro. As provises exislentos esla-
af ma grande parle da pu)iulac3o enlre-
gava-Vi com prugessivo excessoVao vicio du
jgo e\ outros ilesregraiuenlos.
0 pViBO Uo urna mundato
tavaa oidade de Nova-Orleans era ainda im-
minente. A abertura do dique Sauves foi
successivamente alargando-se, e a agoa es-
lava smente meia legoa de distancia da
cidade.
No dia l.o de abril Iratou-se em Mon-
terev, capital da Cslafornia. de pedir urna
coiis'lituicao para essa parte dos Estados-
Unidos.
Em algumas partes do Mxico cidades
inleiras licaram deserlss, por ter a popula-
tfioemigaado para as regies aurferas. Em
Valparaizoaconteceu quasi o mesmo.
Os Indios sobre o.Mxico linha m feito
novas invases. costavam, ndala das ul-
timas noticias, perto de San-Lniz-de-l'oto-
si. Julgava-so quo ogoverno nao teria fr-
ta para repelli-los, e dcsconfiava-se da boa
f do governader de Santa-Cruz, que para
esse fim devia reunir frtas. As ultimas no-
ticias do Canad nSo aecusavam novas per-
turbares.
Em Jalapa ( Mxico ) descobriram-se ri-
cas minas, das quaes algumas aurferas. E
em Santa-K constava que lambem em San-
gue-ile-Cliristii se reconliecia urna abun-
dante mina de ouro, para cujo exame e ex-
ploracflo se formava urna expedigHo.
UMRMiilClOa
AI.FANDECA.
Itcndimento do dia 27.....
CO\SUI.AI)0 CEItAL.
Ilendimento ifo dia 27......
Diversas provincias........
3:*43,729
1:817,521
92,761
1:910,282
CONSULADO PROVINCIAL,
rtendimeuto do dia 27.....
900,#82
tiovimento do aborto.
rente anno, irs consurso, da data deste a
60 dias, a cadeira de grammalica.latina da
villa de Nazareth : portanlo, os cidadn>>s
brasleiros que se quizerom oppr i dita
cadeira, queiram remetter seus documen-
tse esta secretaria do lyceu 8 dias antes
do concurso, segundo a lei. I.yeco, 24 de
julho de 1849. Januario Alexandrinn da
Silva tabello Caneca, profejsor de desenho
a secretario.
Associaeo commercia!
de Pernambuco.
A dirretao faz sciente aos Srs. socios que
haver minino de assembla geral no dia
l.o de agosto vindouro jfim de se cumprir
o disposto no art. 5. do cap. 3 dos esta-
tutos que regem esta associafo.
COIIREIO CEKAL.
Cartas seguras para Manuel l.ui/. Vieira ,
D. Anua Joaquina de Mello e Albuquerque ,
Pedro de Alhabide Lobo M isctiso.
Theatro de S.-Francisco.
QUI.NTA-FEIIU, 3 DE AGOSTO DE 1849.
ULTIMA IIKI>lli:SK*Tt
de passagens mgicas, physicas, etc. em bo-
nelicio doSr.
Navios entrad s no dia 27.
Ilo-de-Janeiro 15 dias, brigue brasileiro
Aurora, de 1S9 toneladas, ca ilfio Joa-
quim Jorge Concalves, equipagem II,
carga fumo e mais gneros ; a Jolo Fran-
cisco da Cruz. I'assageiro, Andr Guilher-
me llreckenfeld.
dem 14 dias, barca brasileira Firmeza,
de 214 toneladas, capito Narciso Jos de
Sant'Anna, equipagem 16, carga farinha
de man linea ; a .Manuel francisco da Sil-
Va. Passagero, Cypriano Luizda Paz.
- i, |
UD1TAES.
I'ela inspecloria da alfandega se faz
publico, que no dia 28 do correte se hSo de
arrematar em hasta publica, na porta da
mesma, depois do meio dia, 10 caixas com
920 livios em branco, 600 rs. cada um, to-
tal 552,000 rs.: impugnadas pelo primeiro
escriplurario Manoel Iphigenio da Silva,
no despacho por factura n. 389 : sendo a ar-
rciiiatacfio Mihjeila a ilireilns.
Alfandega de Pernambuco, 26 dejulhode
ISU). ~ 0 iupector. Mis Antonio deSampaio
Vianna.
Perante a thesouraria da fazenda desta
provincia se ha de por em hasta publica, nos
dias 28, 30 e 31 do mez de julho prximo fu-
turo, para ser arrematado por qucni menos
preto offerecer, o servio da capatazia da-
alfandega desta cidade pulo lempo de vinte
e dous mezes que terQo principio no primei-
ro de sutuaibro desle anuo, e com as coudi-
C0es que serSo patentes no acto da arre-
nutaeflo. As peasoai que se propoz-rem a
licitar devero comparecer nos referidos
dias na sala das sesses da mesma thesou-
raria, competentemente habilitadas.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial do Pernambuco, 28 de junho do
1819. O ollcial-maiur, gnacio dos Santos
da tonseca.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria da
fazenda provincial, em virtudo da resulut3o
do tribuya! administrativo, manda fazer
publico que, em cumplimento da lei, pe-
rante o mesmo Inbuual, vai novamontu a
prses no dia 2 do agosto prximo futuro o
iinposio seguinte :
uUiu
s*ao
JS.\
10 i*'
2,500 rs. por cabeta de gado vaceum que
lu' consumido nos municipios abaixo de-
clarados :
Olinda avaliado annualmento por 2:240,0110
l'o-d'Albo dito 2:560,000
A ariemalatilo ser feita por lempo de um
anno a 10 mezes a contar do primeiro de
sulembru de 1849 a 30 do junho de 1851.
As pe- si las i| ue se propozerem esta arru-
matacHo, comparetam na sala das sesses
do sobredito tribunal, no dia cima indi-
cado, pelo uieio-dia, competentemente ha-
bilitadas.
E para constarse mandn allixar o pre-
sente, e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial da Pernambuco 20 de julho de
1849. O segundo escriplurario, Antonio
rerreira da Annunciac&o.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria da
fazenda provincial, em cumprimento das
oidens do Exin. Sr. p>esidento da provincia,
convida os pretendentcs aos luga-es criados
pela le doorcamento vigente a comparecu-
rem no dia 30 do correte mez na secretaria
da mesma thesouraria para serom por elle
examinados : os qoe se prope aos lugares
de secretario e escrivOo da receila, nos
principios de grammatica nacional, arilh-
metica, o na teoria e pralica de esuripluia-
Cfio e calculo mercantil; e os que preten-
den! os lugares de praticantes, somenle em
arithmetica pralica, e nos principios de
grammalica nacional,
Thesouraria da fazenda provincial de Per-
nambuco, 26 de julho de 1819. O primei-
ro ainsnueuce serviudo de secretario, fran-
cisco Antonio Cavatcantc Cousseiro.
W. F. Walter.
Depois que urna caprichosa orchestra
Imuver deseinpenhado a linllunte cavatina
da Norma, dar principio o espectculo pela
maneira stguinte:
Partt I.
Extraordinarias passagens e transforrria-
tes do melborgoslo, o intelramenlo novas
nesia capital,em as quaes o artista mostrar
a dillicultosa metamorphose do Veixe ma-
ravilhoso.
Parle II.
Grande scena de danga, em a qual Mr.
Adolpho e mailemoiseiie Filismina dangarSo
o Vas Hongrois, a carcter nacional.
Parte III.
Iiill'erenles e novas illuses do gabinete
physico. Nesla occasiilo o Sr. W. F Wal-
ter introduzir a adiniravel m .china galva-
nico-magnetica, com a qual intretei os be-
nignos espectadores com diversas experien-
cias de electricidades, sem ser preciso gal-
garem o scenario.
Parte IV.
A rica, applaudida e dillicultosa ligeireza
da senhora encantada.
Parle Y.
Brilhanle e jocoso pantomimo em um ac-
to, recctilemenio chegado de Taris, intitu-
lado
OS TANOEIROS DE SAN-CLAUDIO;
terminando osla partee o espectculo com
urna jocosa scena de dantas de alegra.
Os inlervallos serSo preenchidos com as
seguinies petas dos autores mais celebres,
terceto da opera Lucrecia Borggia, Novo fi-
garo t A'a&ueodonator.cuidadosameiUe desem-
penhadas pela nrcheslra, dirigida pelo mu
hbil Mr. Theodoro Oreste.
O arlista espera que, attendendo ao gran-
de ensaio que tem feito de todas as passa-
gens que ha de apresentar ao publico,os res-
pailaveia espectadores serSo suflicieule-
uioni.i divertidos.
Tambem julga de seu dever agradecer aos
senhores que se dignaram concorrer sua
ultima representatao, e Ibes prutosta que
jamis se esquecer das demonsiraces de
sympalhia que Ihe patentearam.
Os bilhetes acbam-se i venda na casa
contigua ao thealro, residencia do director
do mesmo, o Sr. Santa Kosa, aos presos do
costume.
mmm
a ra da Madre-de-Deos, n. 3, teroeiro
ilar
dar.
Leo.
Por in
N.O. Bieber & C. farSoleilo,
tervent'lo do corrotor Oliveira de ion
tas 20 meas ditas e 30 quartos de vi,,?'
deCelte, cascos a catalSa d'allj u|u
mente importado pelo navio Ann eat S
a vontado dos compradores : terca-bi,
31 do corrente, as 11 horas emuuni.
largo da porta da alfandega.
Avisos diversos.
~ Aluga-se o armazem, n. 59, da rui s>
Rangel, o qual lu'mais de lo mam i
servido de atougue, a conserva todo,
utensis do mosmo trafico : na praea di \
dependencia, ns. 6 e 8
Precisase singar timaran
de dous andares pequeos, ou
un s andar grande, que lenL
boas accommodacOes para familia,
com quintal e cacimba, no baim
de Santo-A nlonio, ou no da Boj.
Vislo, prximo ponte. Annao.
ciar por este Diario.
Urna pessoa com pralica bastala L
ensinar meninos, se offerefce para o nMfc
lim ein algum engenho perlo da praeT
quem do seu prestimo se quizer utilii
annuncle.
Alugam-sn os segundo e terceiro u,
dares da casa do largo da Assembla,n.|.
a tratar com Joaquim Francisco de Ali,
no Forte-do Mallos. ~
I'recisa-se de um caixeiro de mea
idade para venda : em Fra-de-Pur
ra do Pilar, n. 82.
Antonio Joaquim Vidal mudou suin.
sidencia para a ra da Senzalla-Velhs
143, terceiro andar.
--Arrenda-se um sitio om S-Amaro, coa
boa casa fruteras urna grande planu
ahacachisocom pasto para 10 vacca d
leite: a tratar na ra da Gloria q. 70. i
-- Muilo se deseja fallar com as pesuti
abaixo mencionadas para negocio de miiii,
seu iuleresse, na loja da ra da Cadaii i
Recife, n. 24, casa de cambio da Vluva jj.
eir & Filbos: os Prs. Joaquim JosMemiii
Mmoel Jos Coelho Barbosa. Filippe Jm
dosjSantos, Jos Bernardo da Costa, Joa
o Ferreira Lima, Manoel Antonio
-a, F.varisto Ferreira de Anuio
*e Moraes Passos e D. Alaria
Res.
Jos
Thereza
Al
da ra d
primeiro
Oh
Albuquei
ro andar
Publicaran liUerari
Dina associatio de littnratos pretende pu-
blicar, no mez de agosto prximo futuro,
um peridico sb o titulo de
AGDIA CATIIOLICA,
por mco do qual se derrame pelo povo, ilo
carecedordeinstructo, ludo quanto diga
respeito santa e veneranda religilo du
uossos pais, assim do dogma, como da mo-
ral evanglica, disciplina o rito da igreja.
menos toda via a paite polmica. Satura a
luz todos os dumingos em formato grande,
isto ha, em urna folha ordinaria de papel.
Subscreve-se na praca da Independencia,
loja ns. 6 e 8, rasflo do 400 rs. por mez. Es-
cusadosefaz o mostrar agrande utilidade
de um peridico desla uatuieza. a religiilo
he o primeiro e mais forte elemento da so-
ciedade ; e o povo que fr mais instruido
na religiflo augusta de Nosso Senhur Juzus-
Chrislo, e mais liel fr na pralica da moral
evanglica, esse ser o povo verdadeira-
meiilo livre, bem morigerado e feliz.
Ueclaraces.
-- O escrivo, servindo de administrador
da recebedor>a de rendas internas geraes,
abaixo assignado, avisa a todos os llicsou-
reiros do irmaudades para que comparecam
na mesma repartido, anu de pagarem o
que estiverem a dever de segunda decima
denominada do mio mora do anuo de 1818
a 184 lindo, visto ter de ser remeltida pa-
ra juizo a cunta dos devedores de tal im-
posto, para ser alli judicialmente arreca-
dada. Manoel AntonioSimtSt* do .imnrul
I-,.0 Sr-director do lyceu manda Ulxi
publico que, por ordem do Exm. Sr. proai-
dente da provincia, do 13 do julno do ror-
i
AVISOS UtrtritiUlOS.
PARA BDENOS-AYRES
pretende sabir al o dia 31 do corrente o
brigue brasileiro l'rincipe-Dom-Affonso, ca-
pitflo Fiancisco da Silva Aveleda : para
carga e passageiros, para o que ofl'ercce os
mais excellentes commodos, os pretenden-
tes queiram dirigir-so ao mesmo capit.lo
a prata, ou a seu proprielario, Manoel Joa-
quim llamos e Silva, na ra da Cadeia do
I lee i le, ti. 38.
-- Para o Rio-de-Janeiro segu, at odia
priniciro-de agosto prximo futuro, o bem
condecido brigue Assombro, or ter o seu
carregament prompto : recebe alguma car-
ga miuda e passageiros, para o que tem
bons commodos : os prelendontes dirijam-
se a ra da Cadeia do Recife, n. 61 a fal-
lar com Joo Jos Fernandos Magalhies.
Para o Rio-de-Janoiro
seguir com toda a brevidade, por ter a
maior parte da carga, o brigue-esruna Fe-
liz-Venlura, Torrado de cobre, e de boa mar-
cha : quem no mesmo quizer carregar e ir
de passagetn, dinja-se a Gaudino Agosliuho
de Barros, ra da Cruz, n. 66.
-- Pan o Aracaly segu no lim do corre-
lo mez, com a carga que livor a bordo, o
patacho Santa-Cruz : quem pretender carre-
gar ou ir de passagem, dinja-se ao lado do
Corpo-Sanlo, loja n. 25.
Para o Rio-de-Jaueiro segu viagem,
m poucosdias, o bem llum-Jtsus que se acha com parte de seu
carregamento ja proirfplo ; ainda recebe al-
guma carga esclavos e passageiros para o
ijue tem excellentes commodos : quem pre-
tender pode dingir-seao capi"o. Jofio Ven-
. segundo andar do sobrado
ncheiras, o. 46 : a tratar no
'dar do mesmo.
arel Candido Autrin da Milla
ue acha-se residindo no priniei-
o sobrado n. 30 da ma estrella
dolto/.ario: as pessoas que se dignireal
procura-lo para advogar, tanlo no civet I
como no crime, o acharSosempre prompto.
- Joflo da Silva Freilas, Brasileiro, vai i
Babia tratar de seu negocio.
Precisa-se de uta feitor casado caa I
pouca familia ou mesmosortclro, para mol
sitio perto desla prata : na traressa do Ta-I
ras, n. 15.
Quem quizer comprar ti mal
colleccSo de 146 folhas do supple-l
ment burlesco ao Patriota, diri-l
ja se a loja de M-iia Hamos kCom-l
panhia, ra Nova, n. 6.
O abaixo assignado faz sciente aopa.l
blico que Ihe foi roubada urna leltra dal
quaulia de 200,000rs., passsda em 10 del
julho e a vencer no ultimo de dezembro dal
1849, assignada por Luizda Costa eseufi-l
1 'in, o sendo o piincipsl pagador oSr. ta-l
nenie-coronel Autonio Lins Caldas, cujo w-1
nhor ja se acha prevenido para a nilo pa-l
gar senflo ao proprio dono. Manosl Josi i* I
Cmara.
O abaixo assignado deixou daserni-l
xciro do Sr. Joflo da Cunha MagalhaVs det-l
do odia 3 do crrenle, e previne as pessoa, I
com quem tem transaeces, que sua oioraa I
da he na ra da Senzalls-Velha, primeira I
andar da casa n. 142.
Antonio Josi ie Siqutirm.
Precisa-se de um criado para o servivo I
interno de urna casa no Poto-da-panall*, I
dando-se a preferencia a um crioulo forra: I
na ra da All'.ui.iega-Velha, n. i
Deseja-se saber se de presente est cai-
ta cidade o Sr. tiacharel Loureneo AccioU I
Wanderley, morador no Passu-de-Cmiri-
gibe de Alag'as, ou quem nesla cidade 4o I
Itecife seja seu correspondente, para Inv I
lar-se de negocio interessante ao dito Sr.i I
roga-se 11 favor de annunciar por este 0*1
rio, oudediiigir-sea ra Nova, n. 47, a>|
gundo andar.
Aluga-se, vende-se ou permnls-se a to-
sa terrea, n. 20, entre as duas ponles *
Passagem, em cliSos pioprioa, cujo terreno I
tem 40 palmus de frente e 160 de fundo. 1^ I
algum sitio pequeo, ou casa com grandOH
quintal, no mesmo bairro da Ba-VisU,
comanlo que seja mais perto ao de Sanio-
Antonio do que ao daquella:a quem convier
algum dos referidos negocios, queira as-1
nunciar por este Diarifo\i dirigir-seaoo-
gundo andar da casa da ra Nova, n. 47, o
ao Sr. Oliveira, na casa junto ponto t* I
quena da dita Passagem.
0 r. Lobo M08CO8O conti-
na a receber doentes em sua *
sa, no Atcrro-da-Ba-Vista, n. $1 I
onde lia commodos sullicientw I
nao s para se tratarcm da sua etr I
crmidades, como para se Ibes h'A
zer qualqueroperacao : as pessoa,
port nilo, que se quizerem curar o I
mandar algum escravo, poden) di'1
rigir-se ao annunciante em dita cafj
aa, certos de que sero tratado!
com todo o desvelo.
Offerece-se para o servico Interno &* I
urna casa de homem solleiro estrangeiro 1
ou de pouca ramilla urna parda que ""**
hem cozinhar, lavar e eugommar: na ,_M
do Pires, n. 66. X
Precisa-se alagar urna preta para aj


Com panliia do theatro de
Apollo
AmanhSa, 29 do corrente, ha rcuniflode
sembla (oral dos acctffiistas pira ap-
rovaeflo da redacSo do seos estatutos.
Jos Pacheco Osnrlo, natural de Ango-
h, retra-se para Benguella a tratar dos
teas negocios.
Lotera do Guadalupe.
Sepiinda vez deixaram as rodas dcsta lo-
tera de ter andamento no da 27 do cor-
rele pela raslo de se nlo ter completado
i venda dos respectivos bilhetes, os quaes
continan) a ser vendidos nos lugares |do
coslume marcando o thesoureiro o dia 13
de agosto para o referlo andamento.
precisa-sede um feltnr que trabalhe,
cntemla de horta"e de vaccas: na Magdale-
na estrada nova, primetro porlilo de ferro
Oahaixn asiignado, vendo no aaferio
le i'emambuco n. 161, um annuncio leito
pdlosS'S. Jos Vicente Das Torres e Rober-
to Dias Torrea, respeito a urna vinculo que
dizem lierdaram deaeu finado av na ilha
de 8.-Miguel, declarando que vendem o va-
lor do arrendamenlo vencido, e farflo novo,
declara o abaixo assignado que ninguem
faca negocio com til arrendamenlo e mes-
mo com es vencidos que dizem; pols que
este vinculo fui vendidos Francisco Manoel
Tavares, pai do abaixo assignado de cuja
venda se sucitou lia ver urna grande deman-
da que durou muitos annos, e a (nal foi de-
rednlo em Lisboa a favor do mesmo Tva-
res, como so pode ver da sentenca que exis-
te em poder dos liTleiros, que existem
ainda na ilha de S.-Miguel.
Manoel Ferretr Tavartt
Pede-se ao Sr. do engenho novo Con-
reino o favor de examinarse a preta que
appareceu en sen engenho chama-se Anto-
nia crioula, de estatura baixa e magra, de
40 annos pouco mais ou menos; tem al-
gumis marcas de chicote e so ja esteve na
provincia da l'arahiha, de onde veio para
pagamento de Jos Joaquim de Froilas Gui-
is rites com lojs na ra do Crespo, n. 10.
Aluga-se para o servico de casa e
mandados, menos para cozinha um roole-
que muilu intelligente e fiel: na praca do
Commercio. n. 2, primeiro andar.
Hhje, 28 do corrente, se ha de arrema-
r um resto de cousas que estilo por sr-
niatar, do fallido Pedro Alexandrino
Guimarfies: os licitantes compsrecam a
porta do Sr. doutor juiz municipal da se-
gunda vara, as 4 horas da larde do dito
dia, na ra das Cruzes.
Precisa-se de urna scrava que sirva pa-
ra fazer compras na rus, e cosa ajguma
ct"-a : na ra da Cruz n. 40, aajjrundo
andar. W
l Oh da polica/ r
Na ra do Rozarlo ha tabolagem todos os
diss e eu que sou o maior padeceute, por
jssodenuucio.Soueu mesmo Opepi.
Na ra da Praia, n. 27, se tira quem
d dinheiro a premio.
j Irapassa-se urna hypolheca de 5 bons
rscravoscrioolos, moros e sailios, hypothe-
cados nesta cidade por 600,000 rs., ao
premio de 2 por cento ao mez : quem con-
vicr annuncie. .
. Precisa-so alugsr urna preta para o sor-
vico de urna casa de pouca familia, que sai-
b cozinhar e engommar : na ra do Quei-
Biadn. n. 7, segundo andar.
Na ra da Cadeia do Recife, n. 54, de-
sej-se fallar com o Sr. Francisco Duarte
Cecilio a negocio.
Roga-se ao Sr. capilflo Antonio Bene-
nedtetode Araujo Pernambuco que lenha
a bondede de dirigir-se ao Itecife, na loja
de Joaquim Itilieiro l'onles, alim de reali-
sar-secerlo negocio que S. S. nSo ignora.
O Sr. alfares Matoso, secretario do pri-
meiro batalhSo deeacadores, queira ir res-
tituir o trancelim de ouro a quem bem sa-
be; do contrario ter de\er contar-so a his-
toria do dito tranceln), e entilo conhecerflo
os seus chefes e o publico a capacidade e
proced ment do Sr. alferes.
Josefa Kpiphaniada Fonsecs, litigando
com Me.no.'! da Fonseca Selva sobre sua Le-
ranoa, que este, mancommunado com mi-
Iros, a prelendi'u esbulbar dells, sloaneuu
sentenc, do tribunal da rehiran a scu favor,
qiie foi embargada pelo dito Fonseca e seus
companheiros, cuja sentenca manu'ou en-
trar a annunciante no gozo de seus'dircitos
hereditarios; e porque, para fortuna de
Pernamhuco, nflo s o tribunal superior co-
mo os inferiores hoje Sflo todos de pura jus-
tica, por isso roga ao lllm. Sr. juiz dos or-
plins nfioconsiiita esse Fonseca fazer par-
lilbas, sem que seja decidido esse embargo
por elle orposto a "dita sentenca, eassiino
espera da rectidfio do Ilustrado Sr. juiz,
como vordadeiro pai quo be dos infelizes
ot idilios, mo conseuliiido em tal, pois qu
tersan depois a annunciante de ver a sua
hertica pela mSo do Jodeu Errante. E acu-
de a ir buscar ?
Arretida-se o sitio do Espinheiro na es-
irada de Belm, com casa de pedra ecal,
com sotlo, casa de farinha e lorno de cobre
> bastante ierra para plantar : quem o prc-
ender, dirija-se Estancia, na primeira ca-
defrunte da cacimba.
importantes sentido de que he dotado o
homem, quando estes j se aohavam no sup-
posto estado de incurabildade e inteira-
mente perdidos, he por certo um dos mejo-
res serveos que se poda prestar a huma-
nidade; eis o que eslava reservado um
homem philantropo da cidade de Braga, em
Portugal, cuja sajencia, cujo amor de seus
sementantes se teem feitqgeralmente co-
nhecer. Os remedios que ora oflerecemos
ao publico, nSo ontrsm na classe daquelles
que |o vido o ousado charlatanismo incul-
ca com mucos n descompassados brados, e
que o crdulo vulgo por ignorancia recebe
na boa f e setrt discernimenlo, ach.indo-se
depois llluddo ; tem, porm, do oceupar
muidistncto lugar entre os modicamentos
que maiores beneficios prestam ao homem :
constan) elles (la dssnliiQflo aqunsa de ex-
tractos de plantas medicinaos, de virtudes
mu reeonhecidas e verificadas. O longo
uso, as continuadas e severas experiencias
que por toda a parte teem elles sido sub-
meltidos, sem que nina s vez hajam falha-
do em seus bons or. los. e desmentido as
esperances que sobre elles havia fundado
o seu inventor, lhe teem grangeado cons-
tantes o repetidos elogios dos mais sabios e
respeitaveis mdicos, assim da Europa, co-
mo da America, que unsonos a*bonam e
proclamam sua aceito sempre certa e beni-
gna. Um destes licores he destiuado a
comhater as molestias de olhos, e tem por
principal virtude restituir aosorgtos da v-
slo suas funeces ; reanimar e fazer reap-
parecer em sua natural perfeicfto a vista,
quando' esta estiver fracs ou quasi extinc-
ta ; comtanto, porm, que nilo haja ceguei-
ra absoluta com desorganisac.no das partes ;
nlo menos til e enrgico he para desfazer
as cataratas, destruir as nevoas e de prom-
plo debellar qualquer nammacno ou ver-
melhidHo dos olhos. Nao causa dr, nem
estmulo na parte.
Outro liquido restitue a faculdade de ou-
vir os sons ao ouvldo tocado de surdez, an-
da que inveterada, urna vez que o mal n.lo
seja de nascen^a, sem causar em lempo al-
go m o menor incommodo ao doente, e sem
priva-lo de cuidar em seus negocios.
iNSTRUcgEs Para o uso dos re-
medios.
0 doi olhoi emprega-se do modo seguale :
0 doente pela mandila, emjejum, urna
hora pouco mais ou menos depois quo er-
guef-ss lia li'it", lomar sobre a palma da
mito pequena^0CjloJ8''ue"a *Ba ; com
ella molhar beinoso{;3*r-!4'2.<-'''Jo que al-
gumas guitas caiam sobre o fclo>0 oceular :
semoslmpar, os conservara njolbados al
que naturalmente enxuguora : ao licitar-
se a noite praticar o mesmo : durante o
lempo que usar do remedio evitar o calor,
acc3o de fumaca e o vento; far abstinen-
cia de comidas salgadas, azedas, e adoba-
das com especiaras.
0 remedio doi ouvidoi ser opplicado do modo
que legue:.
O doente pela man.la, urna hora pouco
mais ou menos depois de erguer-se, anda
em jejum, far derramar dentro dosouvi-
dos quatro ou cinco gottas do liquido, la-
pando-os depois com algodao em rama ; a
noite aodeitar-se repetir a mesma opera-
eflo. Durante o uso do remedio evitar ex-
pr, os ouvidos principalmente, acgSo do
calor e do vento, aim de evitar grande
transpiracilo, lia vendo cuidado Oin nSo 11)0- i
ihai'i |/j-|fea ,'iii ;n. i ,a ;tiiiciMiMtiui lavtJ
abstler-se de comidas salgadas, azedas e
aduliadas.
es remedios eslito venda na botica de
olomeu Francisco de Souza, na ra
do Rosario, n. 36, nico deposto em
mbuco, pelo preco de 2,240 ris cada
Dilo-se 600,000 rs. a juros sobre penho-
res de ouro prata. ou"boas firmas : na ra
larga do Rozario. n 28, primeiro andar.
Aluga-se o segundo andar do sobrado
da ra de Agoas-Verdes, na esquina da tra-
vessa do Amorim, com 2 salas, 3 quartos,
cozinha fra e muito fresco, or prego com-
modo : no armazem da ra NoVa, n. 67.
Aluga-se o sitio da estrada do Reme-
dio, n. 2, com soffrivel casa de morada,
senzalla para pretos, boa agoa, bastantes
arvoredos.comosejam : Iarangei8s, man-
guelras, jaqueiras, caezeiros, coqueirose
jambeiros alm de urna excellenle baixa
para capim : faz-se todo o negocio : a tra-
tar na ra da Cruz, no Recife, n. 17, depo-
sito de rap.
-- Antonio da Silveira Lns avisa aos aca-
dmicos fumantes do bom goslo, que tem
um rico sort ment de charutos, chegados
prximamente da Baha das qualidades
seguintes : lanceiros, Venus, yaya, ctval-
leiros gyra-sol, novidades saquarema .
vista-faz-f, qiiem-fumiir-saber : cm Olin-
da, ra do Coxo deposito n. 2.
-- Aluga-se urna casa terrea na ra do Ga-
anlo da Ra-Visla, com bastantes com-
modos o sotSo : na ra da Cruz, n. 80.
Antonio Fortunato da Silveira Vidal,
subdito portuguez, retira-se para o Gear.
Desoja -se saber quem he ueste praca o
procurador ou correspondente dos Srs. Jos
Vicente Dias Torres e Roberto Dias Torres
que se dizem moradores na villa do Inga,
para se lhe pedir certas explicarles sobre os
seusannuncios de 28 e 24 do corrente, vis-
to mili ser por ora possivel ao annunciante
procura-Ios naquella villa : quem o souber
dizer queira annuncia-lo por esta ful ha.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado
do becco do theatro deS.-Francisco, por
cima do botiqun) do Sr. Paiva : a tratar no
segundo andar do mesmo sobrado.
No botiqun! Cova-da-Onca precisa-se
de um caixeiro que d fiador sua con-
ducta.
Quem precisar de un caixei-
ro para alguma esc irturarfo e cobrancas,
ou outra occupac.lo honesta, leudo esta
pessoa soffiivel leltra, e dando os necessa-
rios conheciinentos do seu procedimenio,
dirija-se a ra das Cruzes, n. 40.
Agencia de passaportes.
Na ra do Collegio, n. 10, e no Aterro-
da-Ba-Vista, n. 48, conlinuam-se a tirar
pussaporles para dentro e fra do imperio,
assim como despacham-se cscravos ludo
com brevidade.
fa?r'ca (^e P'anos.
Narna d^Vfiueimtfo,
i n. 12.
(io urna das primei-
s, frequentada pelos
Y, os quaes por militas ve-
' soqucixaram P<>r nlo podrem expr-
r os sentimenl os ,dos ""lores de msica,
porque os insiru nentoanfloobedeciam con-
forme o pianisl (>',,eri"-
0 dito fabr. fabricar pianos do
proposito par8, cste P* os <1"" leem l-
j...ljitaM reunidas; bem como um
Joflo Vignes diri
ras fabricas de Pi
primeiros pianista,
zes
m
El
Ban
lar,
I
vidr

DAURORA
. k ti
rufvrn&rtH
das as quali
marliinism
apparecido,
qualquer pe?.
lasias, do pa
mais exlrnon
- r ..i,... ,f
superior a lodos os que teem
que o pianista pdeexecutar
de musita,capricho, ou phan-
issimo al ao fortissimo, os
narios ero i api de/, sem nun-
e sito fritos de maneira que
Dentista.
D. W. Baynoa, cirurgiSo dentista a-
rmericano breve se relira desla pro-
vincia e pelo poucj lempo que aqu se de-
aora, tem a honra de oTerecer ao respei-
avel publico o seu prestimo, na ra do
rapihe-Novo, n. 14.
AO PUBLICO.
Em mu tresci do numero conlavam os
mdicos at agora molestias incuraveis,
nutra as quaes s era permillido ao paci-
it resiguaflto para soll'rer um mal deque
nSo havia esperanzas do poder lherta-
o, eao medico philantropico a dr de ver
kuiloa de seus semelhantrs viclimas de
nifermidades, contra as quaes se declarava
mpoleiite, pudendo apenas lamentar a fra-
Jueza da intelligencia humana. Mas, gra-
W aos progressos da medicina, grecas ao
4o de hornera incansaveis, que, no des-
perande da perfeclibilidade da scienci,
teem dedicado inveatigaeflo de reme-
i.s que posssm alliviar bumanidade de
"guns males que a afiligeni, o numero d;:s'
desles repuladas incuraveis vai de dia
i dia diminuindo. Assim, echar depois
| longos tr.balhos, de profunda medita-
G. Starr & Gompanbia teem a honra de
avisar aos seus freguezes, e ao publico em
geral.quea sua grande fundicilo om S.-
amuro alm do sortmenlo que constan-
temente lem acha-se de novo prvida de
militas unleudas de rann, ocle varios t-
mannos feitas no mesmo eslahelecimento
pelos mais perita officaes, e com o maior
cuidado e perfeicilo ; tanto assim he que
os annunciante se ufanan) em garant-las
pelo primeiro anno. As moendas interas
todas de ferro*, construidas as obVinas
Josannuncianes, sflo muito superiores a
quaesquer oulras da mesma nalureza que
al aora teem sido aqui olTerecidas, pois
aquellas encerram em si rerlos o importan-
tes melhoramentos rastillado oe mais de
20 annos de experiencia e pralica do pai/.
Na ra das l.arangeras, n. 15, lavase
o engomma-se com muilo asseio e preste-
za, por preco commodo.
Roga-se ao Sr. do engenho Diamante o
favor de examinar se o escravo que appare-
ceu em seu engenho tem os signaes segnin-
les: crioulo, de 25 a 30 annos, de nome
llerculano, cor fula que parece cabra, cbe-
lo ralo, olhos pequeos, corpo grosso,
pouca barba estatura regular ; tem urna
cicatriz no hombro esquerdo que pode ter
Sai pollegedas do comprimenlo ; be bas-
tante espadado ; costuma embebeJar-
se; est fgido desdi; 8 do novenibro de
1847 : sendo exarlos os sipnaes cima re-
feridos, far o favor de avisar aseusenhor,
Jos Fcrreira Mariubo em Olinda, ra do
Amparo, n. 7.
Grande galera oplie.i
Vendo-se 100 vistas das principaes partes
do mundo obra muito rica pela nalu-
reza apropriada dos objeclos, 12 ptimos
vidros e oulrus perteuces para qualquer
pessoa expo-lasaqui, ou em outra provin-
cia : na ra Bella n. 36.
--Na padaiia da ra larga do Rozario, n.
18, precisa-se de um homem branco que
rotunda pe ledamente da arle de padeiro,
para ajudar no fabrico de pilo e bolacha a
10 esclavos : quem se adiar ueslas circuuis-
lanciasy enlendu-se com o dono da mesma
Ladarin
Offerece-se um rapaz brasilero para
caixeir de qualquer eslabeleciinenlu, e
principaVtiente de venda, do que tem bas-
tante p ral 8|, ed fiador a sua conduela:
reiteradas experiencias, medicameu-1 quem prttunijy, diiija-sc s Cinoo-Pontas,
os restituam o uso os dous mais| u. 23, ou annuicic.
nem o calor, nem a bumidade pdem influ-
ir nelles.
Cartas finas de jogar
a rctalho e em porclo muito em conta ;
Charutos
da clebre fabrica do S.-Flix e outros, sec-
eos e de primeira qualidade, pelo barato
pirro do 2,000 rs. a caixa de um cento ; na
ra Nova, cesa franceza n. 69.
Precisa-se de um estrangei-
ro que seja orneiro e padeiro, pa-
ra ir para Mocei : d-se bom or-
denado : quem pretender, dirja-
se ao armazem do Aunes, no caes
da Alfandcga, a tratar com Ma-
noel da Silva Sanios.
Novo pSo deProvcnea.
P N* padaria do becco das Barroirase j?)
5 no deposito da Estrella, no Aterro- jg
da-Boa-Vista, n. 39, fabnca-se o no- -Jj
i vo pilo de Provenc,a, oqual he fabri- j
^ ca.lo pelo melhodo do seupriinei- s
ro introductorqueveio esta provin- |
ca o com as melhores farinhasque I
ha no mercado, e asseio que he pos- n
sivel: da mesma sorle so fabricam as |
faliasda rainha de llespanha bou- S
nlios, biscoutos, biscoulinlios, la lias, i:,
$ cavaras : tildo do mellior gOSto pos-
sivel e proprio para cha ; tambem ha *|
I bolachinbade Lisboa em latas de 8 f.
I libras, por preco comniiido ; amen-
^ doas confeitadas e de varias quali- S
dades.
k&wm'swwaw mmmmmmmw
Roga-se ao senbor do engenho Dia-
mante o favor ver se o escravo quo anniiii-
eiii, lem os seguintes signaes : na^flo Ben-
guella, representa 35 a 40 anuos, cor preta,
altura e corpo regulares.puuca barba, muito
pequeos o UOUCOS signaos de boxiga ro-
da do nariz, um pe ueno lulho no roeiodo
queixu que a barba encobie, pisa um pou-
co esbarrado e apapageiado, com os dedos
grandes dos ps abortos para deulro, quasi
nunca falla pelo que parece mudo, e quando
falla lio I lio pouco, confuso e atrapalhado,
quo pareen bucal, be um pouco leso ou ma-
luco; (salvo alguma niudauca que deve ter
frito no corpo e cor) chama-so Vicente; e
roga-se a S. S., de quem se espera em sus
houdade e honra o favor de o remoller ao
abaixo assignado ns ra do Rangel, u. 54,
reslilacflo de Victorino Francisco dos San-
tos, com a conta das despezas que lenha
feito, que serSo promplamente pagas, as-
sim como se gratificara generosamente ao
portador que o trouxer, ou annucie para
se ir buscar.
200,000 rs.
D-se esta quantia de gratificado a quem
levar ao engenho Agoas-Glaras, de Uruc,
la vi uva do Burgos, ou nesta praca, uo
pateo do Ca mo, n. 18, segundo amiar, a
Antonio Carlos Pereira de Burgos Ponce de
Len, os dous escravos seguales que fu-
t sil --.. a
giram nos dias sabbado para domingo, 26
a 27 do corrente : Vicente, pardo do 26 an-
nos, de altura regular cabellos crescidos e
carapinhados testa sobresabida olhos pe-
queos, nariz chato, tomador de tabaco de
caco, rosto descarnado e com espinhas,
sem nenhuma barba; levou 1 camisa Jo ma-
dapolSo orna calca de casimira usada, urna
jaquela debretanba, um bonete de velludo
azul ja usado, um chapeo de pallia, um
dito de pello preto : Joaquim, crioulo bas-
tante preto, de 38 annos, alto, secco, cara
pequea bem barbado ; tem o coslume de
levar a mSo barba ; he gago ; andar com-
oassado ; dizem ter mili em Pajahii-de-Flo
res; foi escravo do cnpitflo Leandro Bandei-
ra de Moura do Apody o qual se india pre-
sentemente na comarca de S.-Antflo, o lem
um sitio cm Cravat; presume-se Icrein
partido para o Apody., onde ha muitos p-
renles do dito Moura; comquanlo o primei-
ro andasse sempre em vagens dos sertes
do sul ao poente, com os cobradores desta
casa : este ultimo escravo levou um chapeo
preto de pello e outro de couro duas ja-
queles brancas, i calca do brm pardo 1 di-
ta de riscado i camisa de madapolflo,
duas ditas do aigodflo da trra e ceroulas.
Roga-se a vigilancia nestesdou escravos,
quo vindo com muita brevidade, serilo
gratificados anda com mais do que se o Ho-
rero.
Compras.
Paga-se bem.
Compra-se calcado feito na Ierra de
toda a qualidade : na praca da Independen-
cia, n. 33.
Gompra-se, para urna enrommenda ,
urna casa terrea sita no bairro de S.-An-
lonio ,com 2ou 3 quartos sala adianle e
atrs cozinha fra, quintal e cacimba : na
ra larga do Rozario, loja de miudezas,
n-22.
-- Compra-se um boa casa terrea em S.-
AnIonio uas mas da Cadeia, Cruzes, l.a-
rangeras Trincheiras Mundo-Novo Ro-
da, ou nos pateos do Paraso Garmo o S -
Pedro : na ra de S.-Rita, sobrado n. 14.
Gompram-se 30 ps de larangeiras e
limeiras pequeas: na ra do Livramento,
n. 14.
Vendas.
Na lvraria ns. 6 e 8 da praca da Inde-
pendencia vende-se o seguinte :
Manual eleitoral
conlendo a lei regulamcntar das- eleiQ6e.se
os decretos e decisues do governo que dito
esclarecimenlos sobre sua execuclo,expedi-
dos al abril do corrrenle anuo, com olas
explicativas fundadas uestes mesmos escla-
recimentos
Vcndcm-se cortes de cambraias ada-
mascadas propriaspara vestidos, a 3,000
rs. ditosde talagaren, a 1,600 e 2,500 rs. ;
cassa-cbila decores fixas a 300 rs. ; lan-
/ii'lias para vestidos, calcas e roupa do me-
ninos, a 320 rs o covado ; fazenda de lila
com lislras de seda, propria para vestido
de seuhora a 640 rs. ; lilas para calcas, de
muito bom gosto c de supciior qualidade ,
a 2,20 rs. o corte ; cortes de cassa, a 1,400
rs. cada um ; pannmho com vara de lar-
gura a 240 rs. a vara, e a 2,500 rs. a poca
com 10 varas e meia ; chales de seda e lila ,
a 2,000 rs cada um ; fustOes para rolletes,
a 500 rs. o corle ; o outras minias fazendas
por barato preco: na ra do Crespo, loja
n 15, de Cunlia-Cuimarflcs & Gompanhia.
Venuem-se 3 fortes pianos, chegados
pelo ultimo navio franrez do muito boas
vozes, superiores as de outro qualquer que
tenlia apparecido, e de novo modello que
nao dcixraflo de agradar ao comprador;
charutos de llavana, por preco mais commo-
do do que em outra qualquer parle; un
completo soi tmenlo de instrumentos de
msica, tanto de metal como de madeira ;
bustos de gesso representando muito fiel-
mente s rainha Victoria c o principe Alber-
to; relogiosdeouro o de prata, chegados
ltimamente da Suissa. Estes relogios que
sflo muito bem acabados se tornam mui-
lo recommendaveis a qualquer particular,
o advertc-se que ha entre elles alguns que
andam oilo dias sem precisaren) de cuma :
na ra da Cruz, no Itecife, n. 55.
Vende-se um molecote de 18 a 20 an-
nos quo sabe lavar, engommar e cozinhar,
ludo com perfeicfloj: na ra Augusta, n. 94.
-- Vendem-se 4 oscravas, a saber: urna
negrinbi de 7 annos ; dous niulalinhos,
um de 7 annos e outro do 13 ; um moleque
de 12 anuos, muito bonito: todos muito
em contii.atendendoa talla destes objeclos:
na ra larga do Rozario, loja n. 35.
Na ra do Crespo, loja n.
G, ao p do lampeiio, vendem-se
pecas de cassa de quadros, muito
tinas, por a,ooo rs. a peca e a 320
rs. a vara.
Vendem-se diccionarios da lingos
porluguezu, pur Constancio, de ptima en-
cademnrao e por preco commodo : cm casa
de Elias Baplisla da Silva, na ra do Sol,
n. 1.
Vende-se um bonito moleque de 13
annos rouen maisou menos muito sadio ;
una no;. 11;.ta de 7 linos: ambos chegados
do Ico : na ra larga do Rozario, n. 35.
-- Vendem-se tres moradas de casas, sen-
do urna de um andar, e duas terreas, no
bairro de Sanlo-Anlonio em ras princi-
paes, duas acabadas a pouco lempo a moder-
na, | or pirro muilo commodo : no arma-
zem da ra Nova, n. 67.
~Vonde-.se una negra do gento de An-
gola, que sabe soffrivel mente cozinhar e
engommar o diario de urna casa : vende-se
para fra da provincia, ou paia algum en-
genho : quem a quizer comprar dirija-se
ua da Praia, armazem n. 18.
Vende se a Lem acreditada
obra intitulada Cartas da India
e China escripias pelo bem co-
nhecido Jos Ignacio de Andradc;
tem varios retratos lilhograplia
dos de persouagens daquellas lon-
gincuas trras : emim o nome do
autor basta para o seu elogio : a
volumes fm bom typo: na ra da
Crui, n/ 9.
Vende-se cha brasilero, o molhor que
tem apparecido neste mercado, por preco
commodo : om casa de Elias Baplisla da Sil-
va, na ra do Sol, n. 1.
Para amanlifia, domingo, havera carne
de carneiro gordo, e om conla: no acuu-
gua novo da esquina do pateo do Paraizo ,
n. 27.
JttencOo ao batato.
Na ra do Livramento, n. 14, vendem-se
cortes de Ifia de bonitos padrtJes, a 2,100
rs. o corte ; riscados monstros, a 260 rs. o
covado ; lencos decambraia de linho, mui-
to finos, para senhora ; pecas do madapo-
lflo fino, a 2,800,3,800, 4,000 e 4,5001 rs. ;
cli itas escuras de cores flxas.a 160, 180 o
200 rs., e muito finas, a 240 rs. ; cortes de
cambraia para vestidos, de ricos padroes ; e
oulras muites fazendas baratas.
Vende-se um molecSo de naco Mo-
cambique, de 18 annos bom cozinheiro ,
nilo tem vicios nem acbaques, o que se
afiance ao comprador: na ra da Concor-
dia, passando a ponlezinha, direila se-
gunda casa terrea.
Na ra do AragSo, loja de barbeiro,
n. 33, vendem-se e alugam-se bixas do
llamburgo.
Vende-se urna negrinha de nacflo ,
com principios de costura : na ra estrella,
do Rozarlo, n. 16.
Vende-se um lindo moleque peca, de 15
annos de excellenle conducta : na ra do
Paiiro-Florianno, sobrado de um andar n. 7.
& o
& 3* Na ra do Crespo, JE^ O
5? loja da esquina que volia g
A para a cadeia, vendem-se q
Q os acreditados brns trancados bran- 9 '
9
O
o
9
O
o
eos lisos, de lislras e de linho puro, 0
a 1,500 rs. o corte; dito amarello a q
1,440 rs. ; dito muito superior, a q
1,600 rs. ; picote muito encorpado }
proprio para escravos, a 180 rs. o V
rnvaio; panno preto muito fino, a ~*
3,200 rs. o covado ; cassa de quadros 9
para babados, a 2,000 rs. a peca ; lu- vj
Q vas de aigodflo de cor, muilo linas, a O
> 240 rs o par ; chilas rouxas com Do- O
y rey encarnadas, de tintas seguras, a 0
Q 180 rs. o covado ; cassas pretas, pro- 0
q priaspara lulo, a 160 rs. o covado; q
f\ pocas de platuda de aigodflo com 25 .
J varas, a 4,200 rs.; e outra multas X
':';' fazendas por preco commodo. ~jj
Vendem-se molduras douradas de lo-
dos os lmannos : na ra da Cruz, n. 10,
casa de Kalkmann Irmflos.
Vendem-se ricas toucas para baptisa-
dos de criancas, por preco o mais diminu-
to possivel : na ra do Cabug, loja de 4
porlas, de Francisco Joaquim Duarte.
Vende-se muilo boa mauteiga ingleza ,
a 800rs. a libra; dita franceza, a 640 rs.;
doce de goiaba m caixOes de 5 em libras,
muilo bom a 880 rs. cada um ; bom cha
de S -Paula a 1,920 rs. a libra; bolachnha
de Lisboa em lelas e a retalho : todos es-
tes gneros silo muito bons : na ra larga
do Rozario, n. 39, por baixo do sobrado de
tres andares.
Vende-so o silio Salinas, fronteiro Ta-
caruna : quem o pretender annuncie por
esta folbao lugar de sua residencia, que ir
pessoa competente contratar.
Vendem-se a croes da com-
panhia de l'ernambuco e Parala-
ba : no escriptorio de Olivfira Ir-
tnaos & Companbia, ruada Cruz,
o. 9.
Na loja de Garlos llardy, na ra Nova,
n. 32, vendem-se manteletas proles para
senhora; chapeos de seda e de palha para
senhora e meninas. Na mesma loja tambem
se fazem chapos de encommenda e ha um
soi lmenlo de lindas toucas para meni-
nas por preco mais barato do que em
outra qualquer parle.
4>.i #
*>j 3** Por preco commodo. ^$
./ Vendem-se dous sobrados de dous Q
#>. andares, umna ruado Collegio, n. .4t
i- 1, com frente para o Passeio-Publico,
> e outro na ra da Aurora, n 10; a ca-
(- sa terrea da ra do Seve, n. 1 A : ua
a ruado Crespo, n. II.
i
CIIECUKM A PEGHINCHA.
Vendem-se cortes de casimira de lindas
cores pelo diminuto preco de 4,500,5,500 e
7,000 rs. ; assim como ainda existem cor-
tes de brim trancado pardo a 1,000 rs. o
corte : na ra do Collegio, n 3. *
Vende-se, na ra das Cruzes n. 33 ,
primeiro andar urna casaca nova de pan-
no fino preto.
Vendem-se duas escravas sendo urna
crioula de idadede 18annos, recolhida.qua
sabe per feitamentecozer.ensaboar e engom-
mar a outra de 40 annos, que cozinha, en-
gouiiua o ensaboc : quem as pretender,pro-
cure na venda d;; ro,a do Rosario larga,n. 46.
Vende-se ,uma mobilia de Jacaranda,
obra bem construida, eem bom estado: na
praca da independencia, n. 1.
* #
# CASIMIRAS ELSTICAS DE CORES. A
|>, Na loja do sobrado amarello da ra K
$ do Queimado, n. 29, ha um grande e ( 4> novo sort 1 melo de casimiras de c- m
res, padrOes muilo modernos, a 6,000, ap
t> 6*500 e 7,000 rs. cada corte. #
i
Na ra Nova, n. 5,
Vende-se um lindo mulatiho '16 an-
nos proprio para pagem e que he de boa
conducta ; um moleque de 16 annos de
muilo bonila figura ; urna parda de linda
figura que sabe engommar, coser e cozi-
nhar ; duas pretas mocas, prendadas com
habilidades : duas ditas proprias para tra-
balharem de enxada; urna dita boa qui-
tandeira.
VENDEM-SE CHITAS A 4,500 RS.
Vendem-se pecas de chitas novas e honi-
tinbas, com toque de avaria a 4,500 rs. e a
6 vintens a retalho : na ra do Passeio, nu-
mero 17. ^
Superior cb
Vende-se cha d
tilias de 1 e2libr
1 Recife, i). Si.
...



para curar da phlysica em todo os seus
diffcrentes graos i 011 motivada por al-
giinia das seguintes molestias: conslipa-
goos, tosse, aslhma pleuriz escarros de
sa ugue coqueluche dor de costase pei-
tns, bronchites dr na garganta e todas as
molestias dos orgilos pulmonares. Este es-
colente remedio que tem gozado de tilo boa
repulagilo nos Estados-Unidos da America
do Norte, polos seus bons effeitos na cura
diis varias molestias cima mencionada*, 111-
duzio os proprietarios de>le a manda-Io pa-
ra o Brasil, onde a esperanza de suas virtu-
des nflo l-"'i-.-ini vin fundamento como a
experiencia tem mostrado desde a sua in-
Iroducgilo, poisos ndmiraveis efieitos que
lem produzido aqu silo iguacs aos melho-
res que all tem feilo c que silo bem altes-
lado pelos varios lestemunhos e certifica-
dos das pessoas que teem sido curadas por
este medicamento sem igual, laitcular-
mnnte an sul destn imperio onde foi pri-
meiramente introduzido, e j nesta mesma
provincia receitado pelos mdicos e siem-
pre com hom suces'O. Novaes & Compa-
nhia, os nicos agentes nesta cidade e pro-
vincia, nom> ados pelos agentes geraes do
Itio-de-Jaiiciro os Srs. K. C. Yates & Com-
panliia rruiluram o deposito deste xaropa
para a botica do Sr. Jos Mara llamos, na
ra dosQuarleis, n. 12, junto ao quailel de
polica onde sempre ach-iiilo O nico ver-
dadero, vindo duquelle deposito, a 5,500
rs. cada garrafa.
O o
Q FAZEXDAS BARATAS. fj>
($ Vendem-se cortes de brim trangado f
j-\ pardo, a 1,280; ditos de dito bran- q
,x co troncado e de listras, a 1,280 ; di- n
%, tos de dito nmarello, a 1,500; ditos '
'"' de macedonia, padrOes de casimira, 9
~J a 2,000; ditos de casimira do algo- 9
w dio, fazenda escura einuilo encor-
''? pada, a 2,000; eoulras militas fazen- &
:> das baratas : na luja do sobrado ama-
<;'3 relio da rua do Queimado, n. 29.
FARINHA DE MANDIOCA.
A melbor farinlia de mandioca que tem
venda be a bordo do brigue minerva, chega-
do ilr s ma- Cstlinrina, e fundeadu na praia
do f.iillegio, onde so vendo o prego mais
commodo que em qualquer outro barco ; e
lambem se pile tratar na prsca do Coiu-
mercio, n. 6, primeiro andar.
Vcnde-se farinha de mandio-
doCrospo, n. 5, vende-se panno preto e
azul, pelo barato prego de 3,000 rs. o co-
vado e preto mais inferior pelo diminu-
to prego de 2,000 rs. o covado; bem como
n ni completo sortimento de todas as cores,
e de diversos presos.
0 monstruoso bramante de linho
de 11 palmos de largura.
Na Inja de C,nimara"es & llenriques, ns ra
do Crespo, n. 5, vende-se bramante fino de
puro linho de 11 palmos de largura, pelo
barato prego de 2.800rs. a vara; ricos co-
bertores de barra de seda, muito grandes, a
6,000 rs. e mais pequeos, a 5,000 rs.
fazendas estas nunca vindas a este mer-
cado.
A pechinclia.
Cortes de cambraia adamascada
com toque de avaria, 2,5oo ris ;
ditos litnpoM para vestidos e corti-
nados, a 3,ooo ris ; ditos de tala-
garra, a i,Coo ris; ditos finos, a
2,5oo ris; cassa-chita de cores fi-
xas, a 3oo ris o covado; riscado
emeassa, o covado a aoo ris; lan-
zinbas pura vestidos, calcas e roupa
de meninos, a 3io ris o covado ;
e outras muitas fazendas por preco
I) rato : na ra do Crespo, loja de
(un lia Guimarars, n. 15
A 200 rs. o covado;
Vende-se zuarle azul trancado, muilo en-
r.ii piulo e com 4 paln'os e meio de largura ,
a melbor fazenda para veslir escravo pelo
barato prego de 200 rs. o covado: na loja da
esquina da ra do Crespo, que volta para a
cadeia.
-- Vendem se presuntos inglozes para
fiambre ; latas com bolacbinhas de Lisboa ;
lilas do ararula ; ditas de mermelada de
I, 2 e 4 libras ; ditas de sardinbas ; ditas de
hervilhas ; ditas de chocolate de Lisboa ;
frascos de conservas ; dilos d'agoa de flor
He laranja; barris com azf ilonas brancas de
Elvas ; garrafas com vinbo moscatel de Se-
Inbal e da. Madcira ; queijos de prato ,
frescaes : ludo novo e
menle de Lisboa : na ra
llecife, n. 46.
Aos amantes da lotera
de-Janeiro.

Silo chegadas as listas da sexta lotera do
tbeatro de.S.-Pedro, e com ellas novo sor-
timento de bilhetes e cautelas da 50.' lote-
lia da Santa-Casa-da-Misercordin, cujas
listas veem no primeiro vapor. A elles an-
4
n ais excellenle cha produzido em S.-Pau-
o que lem vindo a este mercado, por
prego muito commodo.
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Na praga da Independencia, loja n., ven-
dem-se bilhetes e cautelas da 50.' lotera
da Santa-Casa-da-Miericordia da corte.
Na mesma casa se mostram as listas das
loteras passadas e se trocara | bilhetes
premiados.
i,a8o ris.
Vendem-se superiores cortes Tde brim
trancado do puro linbo cor de lama de Pa-
ria pelo barato prego de 1,280 rs.: na ra
do Crespo, n. 14, loja de Jos Francisco
Das. ,
- Vendem-se duasescravis crioulascom
habilidades, urna de 20 aunse a outra de
30 : na ra dos Tanoeiros armazem n. 5.
Lencos pretos pa*a gravatas a
720 rs. cada um.
Na loja n. 5 da ra do Crespo, vendem-se
lengos prelos para gravatas, com um peque-
no loque de mofo, pelo barato prego de 720
ris.
Folha de Flandres.
Vendem-se canas com folha de Flan-
dres : em casa de J. J. Tasso Jnior : na ra
do Amoi im. n. 35.
No armazem da ra da Mola, n. 7,'con-
tina-se a vender superior colla das fabri-
cas do Rio-Grande-do-Sul, por prego ba-
rato.
N. 9.
lina da Madre-de-Deos.
Puro vinlio da Figueira.
O novo armazem desla pinga deliciosa
acaba dse abrir nesta ra, defronte do ex-
melo armazem ao mesmo prego de 180
rs a garrafa e a 1,360 rs. a caada. Os
amantes deste licor all encontrarlo garra-
fas promplamenle lacradas e com o seu
competente rotulo para trocarem por outras
promptamente ; assim como tambem cn-
ronliarlo barris de diversos tamaitos,
por pregos bem rasoaveis ; bem como vinbo
branco de Lisboa a 1,600 rs a caada, e a
220 rs. a garrafa. O proprietario deste esta-
heleeimenlo pedeexame para poderem ava-
chegado ultima-1 |jar 8 pUre7a do sua qualidade e asseio e
a da jz no que em nada desagradar aos concur-
rentes.
Vende-se nma preta de 14 annos, que
cose bem, engomma e cozioha : na ra lar-
ga do Rozario, loja n. 35.
Estrella.
Vende-se superior bolachinha intitulada
estrella muito propria para doentes, por
ser agnada e de muito superior farinha : na
ra Direita, n. 79.
do Rio-
,f ,.
Ofe'ffitll(B0flBff>IF:IBtelBtttIIlfv3rt
una luapaiiiiius onue exisiem as iiaiaa uas '
loteras passadas.
AGENCIA
da fundicao Low-IIoor,
SIKZALT A-rOVA, N. 42
ca, muito superior c por preco
commodo, a bordo da sumaca
Villa-Carolina, entrada de San-
JMatheus, a qual se aclia Tundeada
defronte do caes do Collegio : tra-
ta-sc rom o rapitao a bordo, ou
com Wacbado & Pinbeito, na ra
do Vigario, n. 19, segundo andar.
--A bordo do*hiato S.-Jodo, fondeado
ilefrnnlc do l'asseio-Publico vende-se boa
farinha de mandioca por prego rasoavel: a
tratar com o mestre do mesmo hiate ou
1 mi Amorim Intuios na ra da Cadeia
n. 39.
Vendem-se 6 lindos moleques do na-
go, de 20 annos; 4 pretos de 20 a 30 annos,
urna negriitba de 10 annos ; 6 ditos de na-
giloe crioulas, de 14 a 15 annos; urna par-
da boa lavadeira e que he carinhosa para
meninos; urna dita com habilidades; um
ptelo i ni coziitheiro ; um dito de meia ida-
de ; e ou ti os muitos escravos : na ra do
Viga rio, n. 24.
Vende-se um pardo de 24 annos, de
bonita figura sem vicios e qua he pro-
prio para qualquer servico : na roa do
Crespo, loja n. 15 de Cunlia Cuintaraes&
Companhia.
Rap rolofrancez.
Vende-seo superior rap rolilo francez ,
nicamente as lujas dos Srs. Cnetano l.uiz
Ferieira no Aterro-ila-Roa-Vista n. 46 ;
Tliomaz de Mattos Istima na mesma ra,
n. 54 ; Fiancisco Joaquim Iluarte ra do
Cabug ; Piulo & Irmfio na ra da Cadeia
do llecife, n. 19.
Vcnde-se a muito acredita-
da f da ltimamente, e por pirco rasoa-
vel : na 1 na da Senzall-Velba,
n 138.
Vendem-se bilhetes da lote-
ra do tfio-de-Janeiro : na praca
da Independencia, n. 37.
Na loja da ra do Crespo, n. G, ao
p do lampeao continuarn-se
a vender fazendas baratas.
Cortes de brim Irangado amarello, a 1,440
rs. ; ditos de dito escuro, da melbor qua-l
lidade que tem vindo a este mercado, a
1,280 rs.; dito branco strado a 1,500 rs. ;
cobertores de algodflo mais encorpados
dos que os de oulra parte, a 640 rs.; chitas
para coberla a 200 rs. o covado ; chitas es-
curas com cores fixas a 160 e 180 rs.; cha-
peos do n.assa a 1,600 rs. : dilos de seda ,
.1 64o rs.; cassa para buhados e cortinados,
a 2,400 rs a pega e a 320 rs. a vara.
Vende-se cal virgem de Lisboa de
superior qualidade, em barris de 4 arrobas,
che*gida neste mez pelo brigue Maria-Jot :
a tratar na na do Brum armazem de
Antonio Af 'a Fonseca, ou na ra do
RA D\
!Ne8te estubelecimento conti-
na a haver um completo sorti-
mento de moendas e meias moru-
llas, para engenho; machinas de
vapor, e taclias de ferro batido e
emulo, de todos os tamanhos,
para dito.
Vende-se vime, chegada ltimamente
no brigue Novo-Vencedor: na ra do Apol-
"0 ai mazem de Antonio Augusto da Fon-
seca.
w <
Para liquidar quanto antei. *
q. Conlinuam-se a vender lengos de se- j
^. da para hombros de senhnra e pa 1 a ^
& alglheira, asoo.soo, 1,000, i.sooe -s
i- 1,280 rs., c muilo superiores, a
W 1,600, 2,000, 2,240, 2,400 e 2,560 rs. ;
!^ esguiHo fino de linho, a 1,280 rs
i? a vara ; corles de vestidos de cam-
f brais com barra branca e de cores, a
> 1,600 rs.; meias azuese pretas para

ATOALHADO DE PURO LINHO.
Vende-se atoalhado detairo linho,
com 6 palmos de largura, 'a 1,600 rs.
a vara ; dito muito superior, com 8
palmos, a 4.000; dilo com II pal-
mos, a 5,000 ; loa litas da mesma fa-
zenda, com 7 palmos de comprido e 6 de largo, a 2,000 ; e gilardanapos, *
a 3,000 r.. a duzia : na loja do sobra- <^
do amarello da ruv do'Queimado, i;
n. 29. '2
O C A 3 9 :* A A M11 y, A O
Farinha de trigo.
J. J. Tasso Jnior vende faiinha america-
Direito das mulheres
a iniuatica dos homens, traduzido por urna
Braaileira : vende-so a 640 rs. na praga
da Independencia, livrana ns. 6 e 8.
Cortes de brim de puro
linho, a 1,280
Vendem-se cortes e bnm trancado
pardo de pu'o linho, pelo diminuto prego
de qua tro patacas : na ra do Crespo, loja
da esquina que volla para a cadeia.
Vendem-se sapales brancos
do A racaty a 1,00o e 1,200 rs.
o par : na ra da Cadeia do Reci-
te 9.
Vende-se urna canoa aberta,
de 600 alvenarias grossas, ou tro-
ca-se por materioes finos ou gros-
sos: na travesa da Concordia, so-
brado novo, n. 5.
Attcnco.
Na ra do Crespo, loja* n. 5 A, junto ao
arco de S.-Antonio, vendem-se ricas man-
tas de seda de novos lavrores a 6 e 8,000
rs., tanto para senhora como para meni-
nas ; alm deslas fazendas ha u.n rico sor-
timento de leques com enfeites inteira-
meole novos, e que se vendem maisem
conla do que em outra qualquer parte.
Charutos do S.-Felix.
Na loja de Antonio Joaquim Vidal ven-
dem-se supeiiores charutos de S.-Felix,
verdadeiros, osquaes se recommenda aos
bons fumantes.
Firmiano Jos Rodrigues Ferreira, an-
nuncia que tem mudado um dos seus esta-
belecimentoa de fazendas da loja, n. 9, e
transferido para a mesma ra em outra de
n. 19, aonde os seus antigoa freguezes'e
amigos acharSo um completo sortimento
de fazendas de gosto, epor muito baj-ato
prego, como sejam pannos finos de todas as
cores, por 2.400, 2,800, 3,000 e 3,200 ris;
algunas gasimiras a 5,000 ris o corte ; fl
para caigas a 4800 rispehitas linas, a 200,
220, 240 e 160 ris; madapolfie, culrins e
outras muitas fazendas de goslos, que se
venderflo por pregos que muilo sgradarSo
aos compradores.
Vende-se a casa terreado pedia a cal
n. 136 da ra Imperial; um terreno junto a
mesma para outra casa j aterrado, ludo
al o rio, o em chaos proprios : na ra do
Collegio, n. 6.
Vendem-se duas camas de angico, em
bomuso; 6 Iravesde louro : na ra da Ca-
deia do Recife, n. 30.
Vendem-se duas pretas ptimas para
o trabalho de campo juma prela que eoz-
nha e lava de sabSo e varrella com urna
cria de 10 annos muilo linda para ser edu
Vende-se retroz preto a 8 000 ,.
libra, palmatorias delatlo asaorj ,'
para homem a 480 rs pegas de lita de n?
a 50 rs., carreleis de Hnha preta % ni
pennas deescrever a 100 ra. o aiian.;."""'!
linhas de crs a 1,000 rg. |ib?"'- "I
de Tacto a 500 rs., agulheiros de vidro
rs.
rs
trro
Vende-sejuma escrava cabra
lenvul
., caixmhas de agulhas francpz.ii ,,
., luvas do pellica decOra 320r !,.
rro-da-Ba-ViSla. n.84. "noA-
. Vende-s]uma escrava cabr ( .-
da qual faz f, e por preco de 350,000 rs 1
baralissima : na ra Bella, numero u',.
andar. ''
MadapolSo largo a 3,000 rs.
Vondem-se pecas de raadipoUi0 /,.
com 20 varas, muito encorpado e ror,
proprio para camisa de pretos e fot, '
3,000 rs ;ditos mai "nos por raaisdiB.,^!
linhas grossas de novello, a ldOri
quarla; pegas de chitas, cores fixts, 15 J
e aj)60 rs. o covado; luvaa finas de pi
a 500 rs. : na loja da ra do Pasaeio, Vti
Vende-se a taberna da ra do (w
vello, n. 31, com os fundos de 300,000^
bem afreguezada a qual estando' gofia.'
vende 16,000 rs. diarios, a sendo o i|u.
rouilo barato : vendo-sea prazocotnb
firmas : a tratar na mesma taberna.
Vcndem-se saccas grandes com mili
no armazem de Bacelar defronte da tu
nha da alfandega.
Na ra das Cruzes.n. 4l,vendem-se bw
ris de cinco em pipa de vinbo de Luridin
proprio pira casa particular, porjarmuil
cada : na ra do Collegio, n. 21, se dir
quem vende.
Vende-se
cubre para forro de
navios:
no armazem de A. V. da Si'va Barroca.
A 400 ris.
Vende-se superior esguifto de algodo de
quatio palmse meio de largura, preprio
para camisas de senhora e jaquetas, pelo
barato preco de 400 rs. a vara ; bretanhas
de rolo com 10 varas, a 1,6000 rs. ; supe-
riores corles de fuslOes alcochoado a
1,28o rs '; dilos miados, a 400 rs o corlo
na dePhiladelpbia chegada ltimamente,IIM ra doCrespo, n. 14, loja de Jos Fran-
lie IlOM O I.H I 1,1-ol.' A or or.>Co fOMwiw.,1,. CiSCO DiaS '
Vende-se, diariamente, farinha de mi-
na ra de S.-Rita-No-
scnliora e meninas a 1,000 e i,ioii<-
rs. a duzia ; suspensorios linos de meia, a 960 rs. a duzia ; botOes de duraque e rranklifli, a 210 rs. a gro- J
sa ; um resto de brim pardo para for- J
ro a 80 is. o covado : no pateo do .
Carino 11.18, segundo andar. <:.
<:
~ Vende-se champanha da mais superior
qualidade que tem vindo este mercado:
na ra da Cruz, n. 27, armazem de Crocco
& Compendia.
A 6'40 rs. cada um.
Vendem-se cobertores de algodflo ameri-
cano, encorpados e grandes a duas pata-
''O rs. o covado.
llenriques, na ra
cas ; cbilas escuras de bons padrOes e co-
res segurus, a meia pataca o covado: na
ra do Crespo, na loja da esquina que vol-
la para a cadeia.
Vcnde-se algodao trancado
da fabrica de Todos-os-Santos a
270 e a 3oo rs. a vara : na rua da
Cadeia, n. 52.
Taixas para engenho.
Na fundiglo de ferro da rua do Hrum,
acaba-se de receberum completo sorlim,
lo de laixas de 4 a 8 palmos de bocea as
quaes acham-se a venda por prego com-
modo e com prompldo embarcam-se,
ou cariepam-se en carros sem despezas ao
omprador.
Deposito da fabrica de
rodos-os-Santosna Itahia.
Vende-se em casa de W, O. Ilieher & C.
ia rua da Cruz, n. 4, algodflo trangado
aquella fabrica, muito pioprio para saceos
Je .assucar e roupa de escravus.
Vendem-se sellins inglezese
camas de Ierro: na rua da Semalla-
(ova, n. 4>.
Chd brasileiro.
Vende-se cha b'rasilelro noairmazcm de
! molltados, airas do Corpo-San\, 0.66, o
IIOJ-IICIIU HUy! Illfl/.t
do Corpo-SaiV o.
de boa qualidade, e por prego commodo.
Bilhar no Passeio.
Anda est para vender-se o bilhar do
Passeio, com lodos os perlences, conten-
do mpsas com tampos de marmore bancos
e mochos com assento de palhinha : ludo
por prego commodo a dinheiro ou apra-
zo com firmas a contento : a tralar no mes-
mo bilhar, das 2 horas em diante.
Vende-se cal virgem de Lisboa em
barris pequeos ; feches de arcos de pioa
rodas de oitos para barricas; cimbeles de
pinho ahalidos para assucar ; pregos cai-
xaes do Porto em barris de 10 milheiros ;
dilos de estuque em barris de 32 milheiros;
na 1 melada de Lisboa em latas de 1 e 2 li-
bras ; plalas de familia ; cadeiras de pao
preto, angico e cerdeira. chegadas ltima-
mente do Porlo : a tralar cora Joquim Fer-
reira alendes Cuimares na rua da Cruz,
n.49.
JSovos riscados monstros, de vara
de largura, a 320 rs. o covado.
Na rua do Crespo, n. 5, vendem-se os no-
vos riscados llionstios, minio finos e a-
d es nunca vindos a este mercado, pelo
barato prego de 320 rs. o covado.
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Aos 20:000,000 de ris.
lie chegada a lisia da sexta loleija do
thealro de S.-Pedro, e com ella grande sor-
tntenlo de bilhetes, meios, quarlns, oila-
vos e vigesiooa da 50.' lotera da Sanla-
Casa-da-Misericordia do Rio-de-Janeiro,
cuja listas devem chegar no primeiro va-
por : na rua da Cadeia, n. 56, loja de fer-
ragens, de Antonio Joaquim Vidal.
Chitas de cores fixas, a 5,200, ou
a 140rs. o covado.
Na lojan. 5, que faz esquina para a rua
do Collegio vendem-se chitas de bons pa-
drOes e cores fixas, a 5,200 a pega e 140 rs.
o covado; ricos corles de cassa da lainha
Victoria, a 3,600 rs. o corle; lindas casses
francezas, largas, pelo barato prego de 640
rs. a vara : esta fazenda se loma muito ic-
contmendavel por ser de padrOea novos e
muilo finas; alm destas ha um com-
pleto sortimento de todas as qualidades de
fazendas, por prego muito commodo.
4cs fumantes de boxa gosto.
No armazem de molhados atrs do Cor-
po-Santo, n. 66, ha para vender, chegados
pelo ultimo vapor vindo do sul, superio-
res charutos S.-Felix, e de outras. muitas
qualidades que se venderflo mais barato do
que em oulra qualquer parle : bem como
cigarrilhos hespanbes ditos de palha de
n.ilbo, que se estilo vendendo pelo diminu-
to prego de 500 rs. o cento.
Cha barato.
Vende-se muito bom cha, pelo prego de
600 rs. a libra : na roa do Crespo, n. 23.
Um a 80 rs. a libra
va, n. 16.
#a>Mk>^
f
i Farinha de S-Malhns
fraco.
wj^w^w.wswawww "wsawnw^w aaaaaniwnipji
; ; Vende-se panno de varias corea,
3 muilo fino e de cor fia, a 4,000 rs. o
covado ; merino preto, a 2,500; dita
3 muito fino, a 3 e 3,500; sarja de lii
preta e de cOrea, a 800 ra. o covado;
fprinceza preta enfeatada, fazenda
iguala merino, a 1,000 o corado ;i|.
paca preta de lustro, a 600 rs co-
fvado, e outrai fazendas muito em
conta : na rua do Queimado, loja do
sobrado amarello, n. 20.
Bwm*wwB*wwmmm...
Vendem-se canastrascom Irios .
om maungas, por prego muito commodo p;
ra fechar conta : no armazem defronte
cliafariz 4o caes da Alfandega.
Aos amantes da lotera do
Rio-de-Janeiro.
Ao* 2o:ooo,ooo de ris.
I Sito chegadas as listas da sexta loterii t
thetro de S.-Pedro e com ellas novo tor-
tmenlo de bilhetes e cautelas da 50.* lou>
ria dfcf.anlu-Casa-da-Misericordia; euiu
rodasHdam no dia 24 do crtenle, den*.
do che(r as listas no primeiro vapor. A ti-
les. No pateo do Collegio, toja da Jirroa.
n. 6.
Vende-se farinha de mandioei da su-
perior qualidade, muito lina ealva.em uc-
eas por prego commodo e em medida at
cuia caculada a 200 rs.; superior farinha
de ararula a 400 rs. a libra ; carne de ion-
cinho a 80 rs.; irflo de bico, a Ors.: m
pateo do Terco, venda n. 7.
VELALDI-: CARNAUBA.
Vendem-se superiores velas de carniubi,
l>or prego mais commodo do que em outn
qualquer parte: na rua de Ifortas, ctu
terrea n. 54, na esquina do becco qua tu
para a rua de S.-Thereza.
Vende-se graxa ingleza,a 200 rs. o as
le c a 2,300 rs. a duzia : na praga da la-
dependencia loja de miudezas, n. 3.
Escravo f upsoft
Vende-se farinha muito superior, por
V prego commodo a bordo da sumaca
Feliz-Aurora, Tundeada em frente do
- caes do Collegio : a tratar com o ca- at
A pao a bordo ou com Machado & Pi- X
nheiro na rua do Vigario, n. 19, se-
* gundo andar.
e> a>''4g"C^
A ellos antes que se
acabem.
Sflo chegados, icio ultimo vapor que veio
do norte os superiores queijos de qualha :
na rua do Queimado, n. 25, loja de miude-
zas.
Vende-so boa manlcga franceza a
640 rs. a libra ; dita ingleza a 400, 560 e
20 rs. ; letria, a 240 rs.; macarrilo a 160
rs. ; bolacha ingleza grande, a 160 rs. ; pas-
sas a;i00 rs. ; 'vinbo verde, a 160 rs. a gar-
rafa ; e uniros muitos gneros : na rua Di-
reita, n. 18.
I cucos de cambraia
de li ho
Na rua do l.ivramento n. 1*. vendem-se
lengos de cambraia de linho, para homem
o senhora ; pegas de chila para roupa de
escravos com 24 covados a 1,400 rs. a pe^
ga e o covado pelo barato prego de (nalro
vinlcns ; chitas finas a 180 e 200 rs. o coJ
vado ; e outras muitas fazendas que a vista)
dos compradores se farflo patentes; bem
como um rico sortimento de madapolei
finse baratos.
Camisas francezas
Na rua Nova, n. 14, loja de alfainte h
chegado um riquissimo sorlimenlo de ca
misas brancas e de riscados os mais lindo
padrOes e cores fixas, por prego Commodi
Vendem-se 6 lindos moleques de 12
20 annos ; 8 pretos de 25 a 30 annos. send
um di lies cozinheiro ; duas negrinhaa d
10 a 12 annos com principios do habilida
des; duas pardas de 20 a 24 anuos; dua
prelasde20a30annoB, sendo urna della
ptima cozinheira : na rua do Collegio
11. 3, se dir quem vende.
Barricas.
Vcndem-se barricas vasias que Mr
farinha, era p e bem accoudic*ndia
na rua do Amorim, n. 35, casaJde J. I
Tasso Jnior.
Vende-se um preta moga, de jftco Ca-
gange Quejava de sabo, e h^uii0 |,0
^
Fugio, na noite do dia 15 do corrrntej
o preto Cnetano de nagflo MogamblqaaJ
cor fula, alto echeio do corito, que pertrt-l
ce aos herdeirosde*Jns alaria de Jess VI
niz; representa ler 30 annos ; levoucl{ii|
e camisa de algodflo ; tem sido enconlriatl
em algumas partea desta cidade: quem ti
pegar leve-oa fundigSo de Mesquita & Di-1
Ira na rua do Brum, no Recife, qua aera|
recompensado.
No dia 21 do correle sabio da ribeH
ra um preto ja velho de nome Benedirtoi
baixo, secco docorpo, pouca barba,
calvo, com falta de denles na frente ; I
um ca va 1 lo castanho pequeo e magro, w I
regado de carvflo que andava vendando,I
jo preto desappareceu : quem o pegar If1
ve-oao dilo lugar a Lourengo Justiain
Rodrigues, que gratificar.
Fugiram em agoslo de 1832, Ci**/!
ria de nagflo Cagange de 14 annos, BH
xa, chea do corpo, com falta de um deattl
na frenle; hoje deve representar Jl anixml
Jacob pardo de 18 annos, aereo do csf'l
po, cabellos estirados; tem um pequenoU-J
Iho na magia do rosto, e falla-lhe um dea-I
te na frenle o mais visivel signal he a mM
ca de um caustico as costa fugio eai #>l
zembro de 1847; quem os pegar leve-Mil
rua Nova a Jos Luiz Pereira, que grilifl-l
cara.
Fugio, no dia 28 de maio.-proumo pas-l
sado um preto de nome Manoel, de nattal
Bcnguella, mas parece crioula, por ler
lado no mallo muito I lempo; falla w
claro ; ho baixo, grossot do corpo; beoiMf-|
bado cor Tula ; tem osl beigos grossea, l
no inferior una cicatriz), ps apalheU*tl
olhos o rosto do quem/he bailante ebrio,
toca vio'a a moda do sejrto ; lem sido
to desde a Passagem aij*
ga-se ler mudado o ni
titulo de forro : quera i
da Cruz, no llecife, n. J
menle gralificado.
Fugio, no dia 26 do\correte, um |
ue de nagfio Tapa. de 16 a 17, annoi p
mais ou menos i levo/u caigas e ,l"''[
de tlgodOo azuA riscado ; leo. 3 tainos"'!
rosto de cada Dado ; he de estatura regula'i
aecco do coc/po ; lem duas ingoas nal '
m o pegar leve-o ao Atef'0'1!*!
, n 66, que aera recompens^^r
a se ach fgida a parda Jo>epn^
de o dia 21 do pasudo desa|P,r<
. foi Vista em Apiucos, e dize'ni Qw|
1 com o socorro do 2 hlhos que !>'
do Queimado para as bandas do I*
Hito onde mota sua infli : por i0
oimeudaa todas as auloiidadea c
Jes de campo que a aprehendam
ensaia protesta haveros dias de *>' |
o e proceder na conforraidade da lab
( o Cacbang; JJ
\me,9 anda co"'|
1 pegar lee-o a i
II, que ser r"
rilhits:
Boa- V ib
- Aiji
que djl
re
'H. : XA TTP. DE 1. DE ['
-!8<*d