Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08973

Full Text
Anuo XXV.
Sexta-feira 27
*abtida dob conaxios.
Ooianna t Parablba,segundas escxtas-felras,
jlio-Gracde-do-Korle, qulnlai-feiras ao melo-
da. '
Cl)o, Serinhem, Uio-Formoso, Porlo-Calvo
e Macelo, no 1., a II a 21 de cada mea.
Garanhun t Bonito, a 8 e23.
Boa-Vala a Flores, a 13 e 28.
\ iclorja, s quintas-feiras.
Olinda, todos oa dias.
KPBKMCBIDXB,
Phsi>ilD. Chlt a 5,asl!h.e 9m.dam.
Mlng. a 13, as 4 h. e 48 ni. da m.
* Nova a 19,ii 6h.cS6ra.da t.
Cresc.a28,tl0u.el0in.da c
PDIUUH BE BOJE.
Primeira s 10 horas e 54 minutos da manh.
Segunda s 11 horas e 18 minutos da larde.
DIARIO
de Jullio de 1849.
N. 164.
RICOS DA SOBSCRIPCAo.
Por.tres mezes (adianto*) 4^000
Por seis mc7.es 8/IUO
Por mu anno 15/000
ebmcb
DI AS, DA SEMANA.
23 a>g. S. Apolllnarlo. Aud. do J. dos orphose do
' ni.dal.v.
24 Tere. S. Christina. Aud. da chae, do J. da 1. v.
do clv. e do dos (Vitos da.faienda.
25 Quart. +* S. Thiago.
26 (.iiiiut. S. Justa. Aud. do J. dos orph. c do m.l.v.
27 e*t. S. Pan la leo. Aud. do J. da 1. v. do civ. c
do dos fritos da fazenda.
2S Sab. S. Innoceacio. Aud. da Chance do J. da 2.
ara do crime.
29 Do ni. S. Anna.__________________________
CAMBIOS OlMDI JTJXJXO.
Sobre Londres. 25 d. por 1/000 rs. a 60 dias.
. Pars, 380.
> I.iuboa. 115 por oento.
Oura.-OnY.'hcspmhoe.......... WM0 a 30/000
. Moedaa de^OOvelbas.. 7/200 17/400
de u/400 novas.. 16/200 a 16J400
. el/m........... 9/WOa 9/400
^..-Paucaesbrasilelros...... J/90 a gfDJO
Petos columnarlo........ g fg>"
Ditos mexicanos....... l/0O_e I/*
PERMMBli.0.
nifnu
ilpri
f>/H*TE OFFIClAl-
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 24 DEJULHO.
OITiciO. Ao Exm. hispo diocesano, re*
metiendo copia da lei provincial que ins-
taura a freguezia de Rarreiros, pal-a que S.
Kxc. digne-sede ordenar que o enligo pa-
rodio daquella freguezia entre immedia-
tsmente em ejercicio ; e dizendo naja Su
F.xcelleneia de dar as demais providencias
2:ie Ihe parererem necessarias, para que a
ita lei tenha inteira execur.Ho, no s na
parte a que se refere, mastambem na rela-
tiva aos limites das freguezias de Seri-
nhfiem, Ipojuca, Una e Rio-Formoso.
Dito. Ao agente da companhia das bar-
cas de vapor, determinando que, no primei-
ro vapor que dos portos do norte seguir
para os do sul, mando dar transporte at a
co'te como passageiro de estado se hou-
ver vaga, e no caso contrario pagando a te-
lenda publica suas passagens, o escrivflo
da armada Joaquim Jos Correia Freir e o
commissario Joaquim da Silva, desemhar-
idos ltimamente da* corveta Kulirpe, os
Mes leem de seguir para all, fim de pras-
ireo as suas cotilas. Scientiflcou-se o
ipector do arsenal de marinha
Dito. Ao procurador-Macal da thesoura-
ria da fazenda provinciol. declarando que,
tendo sido approvada pela presidencia a
proposta que 9. me. fez do Candido Libera-
to de Olivcira Maciel para o lugar de agen-
te daquella procuradoria-flscal no termo de
Ignaras, releva que o proposlo cun, '
sexercer lal logar cmquanto bem cu
os seus de veres.
Diio. Ao inspector do arsenal djfmari-
n!i, ordenando naja de expedir suas or-
dens, allm de que o patacho Piropatna rece-
ba e transporte para a ilha de Pr jindo os
sentenciados Antonio Francisco Ala Costa
Draga, Mara Francisca e Sebastinfo Pereira
da Silva ; bem como para que s>o forneca
aos meamos sentenciados as reles de que
precisaren durante a viagesli. Inteirou-
se o chefe de polica. \
Dito. AocapitSo do porto, communi-
cando liaver nomeado o coinmandanle d
corveta Knterpe e o juiz dc/direito da se-
gunda vara crime desla diado para servi-
rem do membros do concellto deque Irla
o prligol o Jo decreto deli.de agosto de
1815. Scientifcon-se os rameados.
Dito. Ap cnmmandantfe do corpo de
polica, declarando que o saldado do corpo
de seu commando, Cosme Jos Henriques,
scl.a-se proBunrisdo na freguezia de Sen-
t-Antonio, segundo inforniou o delegado
su pillen le do I." di sin el o deste termo.
Dito. Ao director do arsenal de guerra,
autorisandp-o a despender a quaniia de
402,440 rs. com a compra de 256 varas de
brim da Russia para prooiptificacSo de 171
moxilas, e bem assini com a de trescaldei-
ras de ferro balido para cem pravas cada
urna, e selscadeiras com assento de palhi-
nhi, tudo para o segundo batalhflo de cala-
dores. -- Communicou-se ao inspector da
pagadoria militar.
Dito. Ao juiz municipal e de orphfios
dcKio-Fonnoso Havendo-me sido apre-
aentado um requerimento em que Joaquim
Tlieodoro Alves pede provimento interino
do omcio de primeiro Ubelliflo publico do
judicial e notas, escrivSo de orphSos, cri-
me, civel, ausentes, ca pellas e residuosdos-
a villa e comarca, allegando quoo serven-
tuario vitalicio dorefeiido oflicio, Jos Co-
mes Coimhra, soffre molestia quo o priva
de exerc-lo; tenho resolvido ordenar a
Vmc. que, no caso de ser verdica semelhan-
te allegacflo, nomeie Vmc. quein interina
mente sirva tal lugar, sem adstringir-se
petaos indicada pelo mencionado servenlua-
rio vitalicio; bem como que intime a este
prove parante o governo achar-se as cir-
cunstancias declaradas no artigo 30 da lei
dett deoutubrode 1827 para poderobler,
por (raca do mesmo governo, a terca parto
do rendinienlo do seu ufllcio.
DEM DO DA 25.
Odelo.Ao juiz de paz do actual quatri-
ennlo da freguezia do Rom-Jardini.Em
solucOo a duvida por Vmc. proposta, lenlio
* dizer-lhe que,tendo sido feita a convoca-
rlo jo eleitores o supplenles para a orga
nissc.lo da junta de qualillcacilo pelo juiz
de paz do quatriennio passado, heclaro que
era elle metmo o competente para presidir
a dita junta, como he'exircsso no aitigo
110 Ja le regularmentardas < leirocs: cuin-
prej portento, que Vmc. Ilio devolva a presi-
dencia da mesa slim de proseguir-sc nos
IraualhofiJa qualilieaeflo.logo que receba o
presente ofcio. ^
Dilo.-Ao ihspeclor da lliesouraria da fa-
zenda provincial para que mande adiantar
tres im-zes de toldo, inclusive o crrente, ao
destacamento do corpo de polica, ora esta-
cionado na povoacfto de Taquaritinga.
fcienliflcou-se o commandanlc do referido
|Cprpo.
r Dito.-Ao juiz relator da junta de justica,
transoiiltindo, para que sejam apresenta-
oseiu.seaslo da junta de justica, os pro-
Ljessos verbaet dos reos Sebasliuo Marques,
'i hcio Itilieiro e Francisco do Espinto-
Fi'lo, lodos soldados do primeiro balalhSo
[de caladores.
Dito.-Ao juiz municipal da primeira vara
ta cldade, dizcndo queem consequencia
.oe requisitjflo do chefe do polica lem
presidencia expedido as convenientes or-
nns lim de que o patacho l'irapama, ao
ollar da ilh de Fernando-de-INoronlia,
JoaiV'"* Mla CP"'I < preso Raymundo
TRIBUNAL DA HELACAO'.
*
SESSAO* EM 24 DE JULHO DE 1849.
FHKSUESCU DO EXM. STMIOR
CONCELnEIRO AZEVEDO.
A's des horas da manhan, achando-se pre-
sentes oa Srs. desembargadores Ramos, Vil-
lares, Bastos, Lean. Snm.i, Rebello e Luna
Freir, faltando com causa n Sr. desembarga-
dores Ponce, o Sr. presidente declara aberta a
sesso.
JULOAMENTOS.
Apptllures civiii.
Appellante, Jos Varia da Costa Carvallio ;
appellado, Manoel Ferreira da Silva Ramos.
Frain recebidoi os embargos.
Appellantes e .ippcllados Kernardo Listerre &
(,. e Hernardino Gomes de Carvallio.rorain
recebidos os embargos deste.
Appellante, J.uli da Fonseca como curador do
menor Cetario ; appellado, ullno Rodrigues
Sanches.Fram recebidos os embargos do
appellado.
Appellante, o juito ; appellado, Luiz Antonio
rerreira de Albuquerque.r'rain recebidos
os embargos do appellado.
Appellante, los Rodrigues do Paco ; appella-
do, Manoel Filippc da Focseca Candi.F-
ram recebidos os embargos.
Appellantes, Lrnoir Puget 8t C, j appellado,
Manoel Kilippe da Fonseca Candi. Krain
despiezados os embargos dos appellantes.
Appellante, Adolpho Walccbar; appellado,
Frederico Hanscn.Foi a seulen^a conr-
inada.
Appellante, Miguel Jos Rarbosa Ouimarrs ;
appellando. Joo Alves de Caivallio Portu.
Fratu desprezados os embargos do appel-
lante.
Appellante, o reverendo guardiao do convento
de S.-Antonio ; nppell.nl i, a l.i/eml i publi-
ca.Foi a sentcii(a confirmada.
Iticumo$ crime.'.
Recorrcnte, a jusilla; recorrido. Jos Joa-
quim He/erra Cavalcante.Foi julgado Im*
procedente.
Recrreme, a justica ; recorridos, Henrique
Jos da Costa, Bernardino Jos I ourenco,
Thom llezerra e Joo arbo3a Goes.Foi
conrmado o despacho de uao pronuncia.
Hccorrenle, Antonio de Paula Madureira ; re-
corrido, a juizo.t-'oi reformada a pi omn-
ela.
Dnignafvca.
Foi assignailo o 1. dia til para seren jul-
gadas as appellacors civeis em que sao :
Appellante, o juizo; appellado, Luiz Gonsaga
de Menezes Lira.
Appellinte, Jos Xavier Rodrigues ampello ;
appellada, J). Amia Joaquina Lilis Wan-
derley.
Appellante, Jos Antonio Gomes Jnior ; ap-
pellado o juizo dos ausentes.
IltvMci.
Passaram do Sr. desembargador Ramos ao
Sr. desembargador Villares as appellaces ci-
veis em que sao :
Appellante, Joaquim Jos do Nasciinento ap-
pellado, Filippe I ucas da Caoba Lima.
Appellante, D. Anna Joaquina do Nascimento;
appellado, Diniz Antonio de Moraes Silva.
Appellantes, os administradores do patrimo-
nio dos orpliaos ; appellado, o lixin. bispo
de .M o i niii i.
A apprllacao crime em que sao :
Appellante, o juio ; appellado, .Manoel Fran-
cisco Pires.
Passaram do Sr. desembargado! Villares ac
Sr. desembargador bastos as appellantes ci-
veis coi que o :
Appellante, Joaquim Amonio dos Santos An-
ilr.ule i appellado, Antonio botelho Pinto de
Mesquita.
Api" II une, Joo Porfirio da Molta ; appella-
do, Manoel Antonio dos Santos.
Appel me, o Juizo; appellado, Joaquim dos
liis Gomes.
A appcllaco crime em que sao :
Appellante, o juizo ; appcllados, Henriquc Jos
Hrayncr dcSoui-a Rangcl e Agostinbo Ange-
lo dos Santos.
Passaram do Sr. desembaigador Rastos ao
Sr. drsembargaaor Leo as appellaces civeis
i-ni que sao :
Appell.inle, Ann.i Rayinunda da Paz ; appella-
do. id i'| u i ni Felis da Silva.
Appell mies. Joiio Pereira Lagos e oulro ; ap-
pellado, Herrla no Jos de Freilas.
Appellante, o juizo; appellado, Antouio Jos
da Rusa.
Api" Manir, ojuizo; appellada, 1). Anna Joa-
quina de Azevedu ^.
A appcllaco crime em que san :
Appellante, Joo Rodrigues Velloso ; appella-
do, o juizo.
Passaiaui do Sr. desembargador Lrao ao Sr.
desembargador Souza as appellaces civeis em
que sao :
Appellante, Jos Joaquim da Silva Mala ap-
pellado, Antonio Joaquim da Rosa por sua
inullier.
Apncllante, Elcutcrio bandeira dos Santos;
afrprllado, Jos de Barros Silva.
Appellante, Francisco Dias Ferreira; appella-
do, Joo i aulo dos Santos.
tppellante, a parda Scbaslianna com assisten-
ci do Dr. curador ; appellado, Francisco
Pereira da ConceicSo.
A appellacao crime em que sao :
Appellante, o Dr. promotor publico; appella-
do, jPonclaiino, cscravo de Joo tlaptista Al-
ves Monleiro.
Passaram do Sr. desembargador Rebello ao
Sr. desembargador Luna Freiie as appellaces
civeis em que sao :
Appellantes, liento Jos da Costa c sua mu-
Iher ; appcllados, Jos Joaquim Uezerra Ca-
valcante e sua inulher.
AppelUnies, os administradores e lieideirns
da casa de Joo Mara Sevc ; appellado, (.li-
as Coellio Cintra.
Appellante, Francisco Jos I arbosa ; appella-
do, Antonio Gomes Villar.
Appellante. Jos da Cosu Guimarael; appel-
lado, Joaquim Andullo do Forno.
As appellaces civeis em que sao ;
Appellante. a jusilla ; appellado, Porfirio Fer-
reira dos Santos.
Appellante, ojuizo; appellado, Francisco Jo-
ili>,ii.ri.iii.
Passou do Sr. desembargador Luna Freir
ao Sr. desembargador Ramos a appellaco ri-
val em que sao :
Appellante, Francisco Alves de Souza Carva-
Iho ; appellado, Jos Luis Pereira Lima.
A appellacao crime em que sao :
Appellante, ojuizo ; appellado, Jos Ciernen
le dos Santos.
DisiriftiuV".
Ao Sr. desembargador Luna Freir a appel-
lacSo civel desta cid.ide em que sao :
Appellantes. os hrrdeirns de Francisco Jos
da Costa Guimares Jnior; appellado, Jos
Joaquim Uezerra Cavalcante.
Ao Sr. desembargador Souza o recurso de
eleices da villa de Maranguapc em que sao :
Rccorrentes, Luiz do Reg Toscano de Brito
e outros; recorrida, a junta de revitao.
Ao >r. desembargador Rebello o recurso de
eleices da villa de Maranguapc em que sao
Recrreme, Antonio Ribciro Roma ; recorri-
da, a niesnia junta.
AoSr. deiembargador Ramos a appellacao
civel desta cidade em que sao :
Appellantes, Antonio I.ins Caldas eoutro ; ap-
pellado, Antonio Pedro de Mendnne.i Curie
Real.
An Sr. desembarRador Villares a appellacao
civel do juizo municipal do Aracaly em que
sao :
Appellante, Joao Goncalves Valente ; appella-
do, Antonio Ferreira dos Santos Camlnha.
Ao Sr. desembargador Bastos a appellacao
civel da villa do J.irdlin em que sao :
Appellante, Jos Paz l.andlni; appellado, Joa-
quim Pereira Lima.
Levantou-se a sessao s 2 horas.
PE NAWBUCO.
CMARA MUNICIPAL DO RI5CIFE.
5 SESSAfji OHD1NARU. EM 27 DE JUKIIO UF. 1849.
Presidencia do Sr. Reg e Albuguerque.
Presentes os Srs. Cnrneiro Monleiro. Bar-
ros. Ilrala, Mamado e Vianna, faltando com
cansa os mais senliores, abrio-se a sessiio,
e foi lida o approvada a acta da antece-
dente.
O secretario fez meneflo do srgtiinte ex-
pediente :
UmofficiodoExm. presidente da provincia,
rommunieandoterantorsado o inspeclonlo
arsenal de marinha a mandar tirar do recife
do porto desta cidade, em os logaros indi-
oados no parecer que por copia rem-ltia,
as pedras de cantara nRce^Sl^rias para ti
obras do mellioramenlo do mesmo porto.
Inleirada, o mandou-se acensar a rerepcTo.
Outro do mesmo,trnnsmilindo, para ler a
ilcvida exeenrao. nina rupia autheillira dos
artigos primeiro o segundo da le do or?a-
mento municipal para o anno prximo fu-
turo. Inleirada, e que se remeltesso dita
copia contadura.
Outro do fiscal do Recifo, participando
acliar-se Hoento de uro ataque do fehre des-
de o dia 21 do correle, e nflo podfir assim
exercer as funreOcs do seu emprt'go.--Que
se olliciasse ao supplcnte para entrar em ex-
ercicio.
A urna hora da |arde,aehando-se presen-
te os vereadores novamente eleitos, toma-
ram posse conjunctamento comosrecleii.os,
e proseguio a nova cmara nos trnbalhos,
tendo aceitado a escusa do cargo de verea-
dor quo pedir o commendador Mnnoel do
Souza Teixcira, allegando molestia grave,
e prevalecendo-so da disposirjllo do arl. 19,
titulo 1 (la lei do primeiro de outubro de
1828, mandan lo a mesma cmara expedir
diploma ao mais votado dos supplenles,
para vir tomar assento como vereador ef-
feclivo.
Tendo comparecido diversos juizes de
paz eleitos a prostarem o juramento do es-
tylo, a cmara atienden a que oscidadfios
Jos Antonio dos Sanios e Silva, Manoel
Rodrigues l'inheiio o Rufino Jos Correia
do Ai mela tinham obtido igual numero de
votos para joizes de paz do segundo dis-
tricto da lioa-Vista, e procedendo ao tor-
mento para designar a antecedencia dus lu-
gares, a sorle manifostou-se da maneira
seguinte : em primeiro lugar Jos Antonio
dos Sai los e Silva, cm segundo Rufino Jos
Correia de Almeida, oetnlerceiro Manoel
Irrtioa Ribeiro.
O Sr. vereador Rarala fez o seguinte re-
querimento, quo foi approvado.
Requeiro que osompregados desta cma-
ra apresenleni osseus ttulos de nomcacSo,
para quo sejam examinados e possa a cma-
ra coiifirniu-lus, ulim de continuaren) a ser-
vir legalmenl no quatriennio crrente. Ite-
cife, 27 de junbo de 18*9.0 vereador, lia-
rala.
A cmara deliberou que se olliciasse aos
juizes de paz anda tillo juramentados para
comparecerem a prestar juramento no da 2
dejullio as 10 horas.
Itesolveu mais queas scssOes extraordina-
rias fussem tudas as segundus-feiras de cada
semana as horas designadas pela lei.
Iiespacliarani-se as peliQes do Antonio
Francisco da Costa Braga, da irmandadedo
N. S. da Soledade (2), de Jo;Io Morcira Mar-
ques, de Jos Fin,mu de Uliveira Regu ; e
li-vantou-se a sessDo. Eu, Jo/lo Jos ferreira
de Aguiar, secretario, a subscrevi. Uliveira,
presidente. Carneiro Monleiro.Barata.
Maraes. Uamtie.franca.
RKI.ACAO DOS R.Al'TISADOS DA FREGUEZIA
DE &A;NTU-A.NTiNIO 1)0 RECIFE, EM O
MEZ DE JU.1H0 DE 18*9.
Da 2. -- Manuel, brauco. Com 11 dias
de nascido.
Pfcm 3 SebastIo, branco Nascido em
17 de outubro du 1848.
dem. -- Alexandnna, branca. ~ Curo. 8
anuos de idade.
dem. Marit, parda. Escrava.
Cum um mez de uuscida.
dem 7. Candi ja. Nascida em 11 de
rrjo deste anno.
III l-l
dem 8. --Emilia, branca. Com cinco
mezes do nascida.
dem 10{ Femandina. branca. -- Nasci-
da em 2 de setembro de 1818.
dem. Izahias, pardo. Nascido em 3
de setembro de 1838.
dem. -- Jos, branco. -- Nascido em 20
de fevereiro deste anno.
dem. Jos, branco. Nascido em
25 do fevereiro de 1848.
dem. Endoxia, parda. -- Nascida em
1 de marco deste anno.
dem 13. ~ Camillo, branco. Nascido
em 15 de julho de 1848.
dem. -- Luiz, brancova- Com quatro
mezes de nascido
dem. Antonio branco. Niscido
em 21 de Janeiro deste anno.
dem.--Jos, branco. --Nascido em 29
de abril desta anno.
dem. Antonia, branca. Com dous
annos e quatro mezes de nascida.
dem. -- Rita, branca. -- Nascida em 9
de novembro de 1848.
dem. Leopoldina parda. -- Nasci-
da em 23 de dezembro de 1818.
dem, Joaquina, parda. ~ Com sele
mezes de nascida.
dem. Antonia, branca. -- Com oito
mezes de nascida.
dem 14. Antonio, branco. Com 11
mezes do nascido.
dem 15. -- Joann, parda. Nascida em
24 de junhode 1848.
dem 17. -- l.uiza, crioela. Escrava.
Nascida'emll deamarco do 1849.
dem. Carolina, criotila. ~ Nascida
em 2 de main de 1848.
dem. Maria, branca. Nascida em
9 de roaio de 1849.
dem 23. Edellrudes, parda. Nascida
em 23 de outubro de 1811.
dem 24. JoSo, preto. Nascido em 7
do marco deste anno.
dem. Maria, branca. Nascida em
23 de marco deste anno.
dem. Joiio, prelo. Escravo. Com
um mez de nascido.
dem. Justina, branca. Nascida em
12 de ilezombro de 1838.
dem. Manoel, branco. Nascido cm
10 de junhode 1848.
dem. Maria, cnoula. Nascida om 10
de in.'iin de 1848.
dem. Francisco, branco Nascido em
agosto de I8IC.
dem 28. Narclsa, crioula. -Escrava.
Nascida em 4 de outubro de 1847.
dem 29. -- Antonio, pardo. Escravo.
Com dous mezes e meio de nascido.
dem. ~ Francisco, branco. Nascido
em 18 de julho de 1848.
dem. -- Maximiana, branca. Nascida
em 29 de maiu desto anno.
Ao todo 37. Santo-Antonio do Recife, 15
de julho de 1849. O vigario,
leando Henrique de Resende.
l)i.l!(!!)l)SPEK\\I]|{liC(l.
sciro, 26 de julho be is9.
O paquete ingle/. Pelerel, chegado boje a
este porto, trouxe-nos jornaes rio-granden-
ses, fluminenses obahianos : os primeiros
ot 1G de junho ultimo, os segundos at 10
do correle, e os terceiros at 23.
Na provincia de San-1'cdro nada novo oc
correr.
No Rio-de Janeiro, conservavam-so as
cousas no ttaluguo.
OJornnldo Cummercio da ultima data pu-
blica a seguinte carta, escripia em Valpa-
raso aos 23 de maio prximo passado :
ii D. sla [iraca j sihram para California
muitas expedicoes e outras se preparam.
I.evam passageiros e producios deste paz,
ecalcula-se em 30,000 saccas a quantidade
de farinha de trigo exportada, e em Ires a
quiltro mil pessoxs a eniigraco para o S.-
Francisco desde quo principou a influencia
aurfera.
a Daquelle porto temos datas al 12 de
marco De fazendas seccas eslava o merca-
do sobrecarregado, das moldadas e comes-
tiveis, porm, nflo tinlia diminuido a pro-
cura. Aflua povo de todas as parles do
mundo, o bavl muitas embarcaces no
pollo abandonadas pelas tripolares. Ou-
tros novos districlos aurferos tinham sido
descobertos. A estacto propria para a ex-
plorarlo do ouro principiara em ahril,>o
grandes companhias se fnrmavam para se
tni prega rom naquella industria. Julgava-
so que o ouro acnar-se-bia em maor abun-
dancia do que davam lugar a esperar os cal-
culos mais exagerados.
Durante os ullimos oito mezes tem che-
gado a esta nivea para cima de 1:000,000
de pesos om ouro em p, e vendeu-se, prin-
cifialmcnto pata rcmessas para a Inglaterra,
a preco igual a 17 1|2 pesos a onca.
llalli cunliuuava a gozar de tranquilli-
dade.
Tinham chegado ao porto de San-Salva-
dor os vapores Paquele-do-Sul e Thelis.
(.(Hll HllllliCado.
iVKC MU LOGIA.
Urna lagrima ifnlidiiiima norte da Illin. Mobo-
ra B alaria Mnrccllma da Kedad* aliaeida,
consorte do lUm. r. aoroatl rrancism Mame-
de da Ahcr-'da.
.... Qui quosi los tareditur, it conttrilur I
Juim como lar atee, ella nmcm /
-4im ^Jbto a (lar atorre, ella morrea I
Eis resovido.o ultimo problema da vida
II A rxsx
Eis cumprido o ultimo artigo da lei irrevo-
gavel da natureza; a destruicUo de (#do ser
vvente, de todo ente organsado Um a
vocabulo o exprime : morte. Ah sim, he
ella que acaba de roubar-nos a muito no-
bre, muito Ilustre senhor D. Maria Marcel-
ina da Piedade Almeida. Esta senhora
quo soube cumplir exactamente com oa de-
veres de filha, souhe preencher as obriga-
ees de esposa, edo mesmo modo exercer
as funecues sagradas de ntfli, a mais terna
e desvelada. A natureza a tnha rodeado
dos mais temos penhores : seu thalamo
conjugal se achara cercado dos (Vuelos pre-
ciosos da honestidado e da virludo. Treza
lilhos o rodeavam, bem como os tenros pim
polhos da olivera que de redor a cireum-
dam e croscem sua sombra. Um signal dw
benclo foi s mpro a fecundidade. O co
concede aos bons urna prole dilatada. Os
campos, aonde a natureza prodigalisa as
suas gracas, sSo corados por excellentea
o mimosas prodceles. Mas um dia, um
dia, urna hora, um instante de dr intensa,
de verdadeira amargura deveriam cortar
estes momentos apreciavoisd'uma existen-
cia doce, deslizada no seio pacifico de vir-
tudes clirisulas : um momento.... ti o: el-
le se approximnu : soou nos espacos inde-
finidos da eternidado essa hora fatal Era
um decreto, ecumprin-se. Osoprodt vi-
da desapparoceu : cortnu-se essa respira-
Cflo, cujos momentos contados em quarenta
e lanos annos de existencia nflo fram
mais quo o reinado da virtude. Urna mor-
te prematura, verJadeiramente imprevista,
trocou essa carreira bordada de tantos ras-
gos domsticos de religiflo. Ah o justo
nflo corro perigo, quando a voz do Immor-
tal o arranca aos veos da humanidade em
um instante. 0 jutto est preparado. A
hora do lina ment, o instante do transito lie
n instante Ja recompensa. Rodeada de vir-
tudes, ella vioassomar a morte precipitada
que a roubou a osle mundo de dores e de
desgracia. Viveu : cheia de vigor e de ac-
tividade ainila o relmpago ferio os cos da
vida.eoraio sabido dessa tempestada que
em seu redomoinho terrivel destre todos
os seres, la nen por trra o edificio da vi-
da. No mesmo instante em que ella res-
pirava, acliou-se na .eternidade. N8o he
possivel bem descrever a rapidez de aua
morte. Os fogos elctricos desfechados do
co passaram pela fronte altiva dos mon-
tes, e ellos se precipitartm por sobre os val- -
los com ii na rapidez que se nflo pode bem
comprehender. A este espectculo terri-
bilissimo seguram-se as scenas mais enter-
oecedoras que nilo podemos descrever, por-
que mesmo nilo ser possivel imagina-las
bom. A esto golpe doloroso e imprevisto
o espirito de angustia e do desolarlo apo-
derou-se de toda familia em pranto. De-
i'ois de um momento de hesitacHo e quaai
de incredibilidad, rompeu um grito agu-
do de consternacao, e tudo foi a expressSo
da amargura o do delirio. O amor conjugal
recobrou todas as suas frcas nocoraclo do
esposo. A ternura abracava-se com a ami-
zade, eas lagrimas iuundavam as faces do
homem que Ihe pertencia pelos direilos
mais sagrados e irrevogaveis di religio.
Nunca, nunca a amizade se exprimi de um
modo i;V> digno de si mesma ; nunca, nun-
ca o amor conjugal appareceu em tanto vi-
gor, ncm rodeado decommocOes mais ter-
nas. Era a natureza tm tumulto, era a ra-
san como iVna de seu equilibrio, por um
incidente grave e magestoso que a razia
Iranspr seus limites. Era a magestadeda
li'ir que, rasgando um corceo generoso em
que se agasalhava, transluzia nos gestos e
as palavras. Ah E era s isto i' Era
nicamente o esposo ? Treza filhos !.....
Files cercavam o cadver, e seus gritos fe-
lam os cos. Vozes doridas, arrancadaa
do :'oni<,;o>, exclamaces prolongadas, la-
grimas tristissimas, suspiros entrecortados,
ivIih.i va ni pelo aposento funreo do cadver
maternal. .Era o pranto do ultimo momen-
to na vida. Era o canto lgubre improvi-
sado pela angustia, eo hymno dosepulchro
repetido pela gratidSo, pelo amor, pela vir-
tude, pela innocencia, pela natureza emQm.
Paremos. O pincel do homem pode sol-
tar traeos grosseiros e Imperfeitissimos ;
mas elle nflo poder copiar jamis esles re-
liiiaiiieniiis dolorosos d'agonia nesses pe-
no los em que a natureza nflo pode ser ex-
primida, embola seja por quem l'r. Que
i esta:' Urna lagrima. Que resta? (Jadeo!
da santidade, o ullimo adeos, e se aleen dis-
to existe alguma cousa, he nicamente a ea-
peanea da recompensa eterna. Sim, essa
esperanza da cora de tantas virtudes, da
recompensa de tantas fadigas no transito
afauoso da vida, essa osperanca que Irans-
luz e refulge aos seus olbos o ser dos seres,
essa morada do luz e de paz, este pelago de
gracas e de delicias; Dos, e Deot tfio au-
gusto, tilo immenso, 19o inexbaurivel, co-
mo elle o he em si mesmo.
Nos cos goza s o que o justo alcanga.
Leve a Ierra te seja, eis paz descansa.
Por
i. C. Q. P.
H'ul)lic;u;au a pedido.
Jos Antonio Comes Jnior requer a V.
S. digue-se de mandar que ocscnvSo Cu-
uha, a viste dos autos de libello que Felicia-
no Jos Gomes, como ceaseonario de Alexan-
dre Jos Gomes, encaminba contra o sup-
plicanle e seut lilhos, Ihe passe porcertidao
a senlenca proferida pelo autecessor de V.
S. assim como a de V. S,, em que desprezou
os embargos do referido cesseonario.Pede
lao Illm Sr. r. juiz do civel defertmento.
llER.M.
i


m
&>.
.

-
Passe. R ecife, 18 de julho do 1849. 5i7-
va Gunarn.
Pedro Tertuliano da Cunha, escrivoB vita-
licio das varas do civel nata eidade do Re-
cife e seu termo? por S. Af. I. constitucional
que feos guarde, etc.
i Certifico que. vendo os nulos do libcllo
civcl em quo he autor Alexandrc Jos Co-
mes, e reos Jos Antonio Comes Jnior por
si e como tutor du seus filhos e outros, del-
les consta ser o leor das sentencas de
que trata a peteflo suppra, e pede porcer-
t.I.mi da forma, modo e maneira seguinte
k Vistos osles autos, excepeflo a folhas oi-
tcnta o tres, contrariedade a folhas cento e
onze verso, e o mais que dos autos consta,
ele Considerando que o excepto iieuin
yerdadf iro cesslonario, visto como transfe-
rio-lhe Alexandrc Jos Comes, irrevogavol-
mente. o direito que suppunha ter median-
te um valor que mencnnou.na escriptura a
folhas selent e nove, Dig. Port. tom. 3 arts
fi.'il o 652: que os autos mostram que o de-
hito supposto, em compensado de que fez
Comes* transferencia, n.lo se prova verda-
doiro, visto como nflo apparece constitui-
dlo de dote, antes dos documentos se mos-
tra que, tendo fallido Comes em 1837 antes
do casamento da filha, nflo poda prometler
esse dote, e o fllho Pedro antes se mostra
credor que devedor : que o cedente, tendo
fallido em Portugal, enlo se tendo rehabi-
litada como prov/m os documentse folhas
120 e 122, nao poda alheiar seus hens,dilec-
tos e acces.arls 1132 do cdigo Com.l'oit.,
449 do cod. da Franca, e 1035 do cdigo
Com. Ilesp.: que o pacto relalivoao paga-
mento de urna cota do que robrar, he urna
verdadeira quita litis, prohibida pela orde-
nacflo livro primeiro, titulo 48, paragrapho
11, l.obflo Fase. Dessert. sexta paragrapho 6,
not., pois que he um pacto do valor da cau-
sa, se cobrar, quohequando judicialmen-
te pode cobrar o procurador judicial, com
quem fui feito esse pacto, como mostra o
documento a folha 144: que a qualidadode
prente que j figurou em oulra cessflo a
folha 105, argida do falsa folhas 126, mduz
presumpeflo da simularan que Ioiiih frca
com as demais circunstancias constantes
dos autos : julgo provada a excepeflo a fo-
lha 83, e pague o excepto as cusas.
Itecife, 99 de revereiro de 1819. (ier-
vazio Goncalves dq Silva.
Considerando que a sentenca folha 153
verso, pelos fundamentos em que se firma,
nflo foi combatida pelos embargos folha
15", por se nflo tercm destruido os factos
qup, alm de provados por documentos va-
liosos, teem em seu favor a legislarlo apnn-
taila nos presentes autos, nflo se podendo
leixar de reconhecer que a escriptura do |
folha 79 he verdaderamente um contrato
de allienncflo, e nflo simples mandato,como
parece ao en hargante: considerando que os
motivos que tornam aquella rsoiptura milla
e simula.! n'o li'uain desvanecidos pelo
embargante, visto lerem sido reproiluzidos
os meamos argumentos que j forana dosat-
tendidos pela referida sentenra folha con-
siderando que nflo pode aproveilar ao em-
bargante o argumento que se soccorre, li-
rado i'o direito que tem quatquerilc poder
transmillir a outro os poderes para em jai-
zo intentar as accOes'que Ihe compeliiem,
visto como no presente caso disto su nflo ira-
la por sera rscnpluia a folha 79 de diversa
nato' c/.a, e fundat-se em motivos que cons-
tiluem a sita ini|iroceilencia e nullidade, co-
mo dos autos est provado : sem embargo
dos embargos folha 157, que nflo recebo,
sentenos embargada folha secumpra pela
frmn que uella se conten, e pague o em-
bargante as cusas.
" Id cife, 16 ue julho de 1849. Custodio
Manoel da Mita Guimaries.
Nada mais se coutiiiha em ditas sentcn-
c>s aqui copiadas, que eu dito escrivflo, ne
principio desta declarado, bem e fielmente
fiz copiar dos proprios autos a que uio re-
pollo, e vaina verdade sem cousa quedu-
vida laca, conferida e concertad na forma
do eslylo, e a presente vai por nim subs-
cripta e assignada nesia eidade do Hecfe oe
l'ernamhuc.i aos 18 de julho de 1849. Subs-
crevi e assignei. Km f de verdade e con-
certada. -- l'edro Tertulian da Cunha.
Comniigo Manuel Antonio Cuclho de Oliveira.*
mmta'Li.
AI.FANDECA.
llendlmento dodia 26.....
CONSULADO CERAL
Itendimento do da 26......
Diversas provincias........
6:493,801
1:663,232
23,098
1:686,330
CONSULADO PROVINCIAL.
Itendimento do da 26..... 1:609,536
RIO-DE-JANEIRO.
CAMBIOS NO DA 9 UE JULHO.
25 a 25 l|4
Cambios sobre Londres
Parla 378 a 380
llanihiirgo (i5
Metaes. Oncas hespaiihlas 39/000
da patria 31/000
Pecas de tS/400, vclha. 18^ii00 a
Pcaos hespanhrs. I1180 a
da patria. 1/W60 a
Pataefic .... 1/uOO a
Apclicei de 6 por cento 87
provinciacs nominal
31 #200
18/400
2t000
1/W80
0980
(Jornal do l'-ommtrcio.)
BAHA.
cambks no da 22 de jimio.
Londres........25 '/, firme
Paria.........nuniin.il.
Ilamburgo....... >
Lisboa e Porto.....115 p. /,.
OtlHi
Onfas despalillla
" mexicanas
Pecas de 6/400 .
nov.ia .
Muidas de 4/000. .
I'jiacocj brasileiroB.
hegpanhes
mexicanos.
31^600 a 31/800
31/400 a 3i/500
17400 a 17/6U0
i6/)00 a 17/000
9/400 a 9/CO0
2/000
SMOO
2-KjhO
(.Mrranlil.)
iovimento do orto.
Navio entrad s no dia 26.
Rio-de-Janeiro e Baha 15 das e do ulti-
mo porto 2, paquete inglez l'eterel, com-
mandaiile o teucnte Dioser.
Ilio-do-Janeiro 23 dia, brigue brtailero
Viriato, de 247 toneladas, capilSo Augus-
to Antonio de Couto, equipagem 13, car-
ga farinha, caf ornis gneros; a Th-o-
iaz do Aquino Fonseca & Flhos.
Babia 44 horas, brigue francez Beaujeu,
de 132 toneladas, capitflo Evers, equipa-
gem 11, em lastro ; a B. Lasserret Co'm-
panbia. Passageiros, Charles Chapron
com sua senhora e um mito menor.
Rio-de-Janeiro 9 dias, escuna brasileira
Galante-Maria, de 149 toneladas, capitflo
Jos Metido deSouza, equipagem 12, car-
ga farinha de mandioca, caf, fumo o
mais gneros ; a Silva & Grillo.
Harto sakido no mesmo dia.
Ilia de Fernando Transporte brasilero
l'irapama, capitflo Camillode Lelis Fon-
seca, carga gneros do governo. Passa-
geiros, Miguel Alexaudriuo da Fonsecu
Calvflo, Justino Manoel Correia Vianna,
6 loaras do prct do segundo hatalliao de
artiihariaa p e 3 sentenciados.
Observando.
Arribou, tendo sabido no dia 15 para a
Baha, o hale brasilero San-Jodo, capitflo
ll.'ii' ii|ni' Jo i- Vieira.
KI)TAE"~
Pela inspectora da alfandega se faz
publico que no dia 27 do correte, ao
meio-dia, na porta da mesma, so hilo de
arrematar em hasta publica 192 duzias'de
lencos do Cmbrala de nlgodflo bordados,
a 3,000 rs. a dtizia tUI 57K.O0O rs. ; 27
corles de rolletes de seda corte 2,960 rs. ,
total 79.220 rs. ; 12 cuites de vestidos de
seda, corle 18,400 is. total 220,800 rs.;
impugnados pelo guarda Antonio Lopes Pe-
reira de Carvalho, no despacho por factura
sob n. 377 : se' do a arrematadlo subjeita a
direitos Alfandega, 24 de julho de 1819.
O inspector, Luiz Antonio de Sampalo
Vianna.
Perante a tbesouraria da fazenda desta
provincia se ha de prtr em hasta publica, nos
dias 28, 30 e 31 do mez de julho prximo fu-
turo, para ser arrematado por quem menos
prcijo olTerecer, o servido da capatazia da
alfandega desta eidade pelo lempo de vinte
e dous metes que terflo principio no primei-
ro de tetembro deflte auno, e com as condi-
efles que serflo patentes no acto da arre-
matado. As pessoas quo se propoz<*rem a
licitar deverflo comparecer nos referidos
das na sala das sesses da mesma lliesou- |
raria, competentemente habilitadas.
Secretaiia da thesouraria da fazenda pro-
vincial do Pernairihoco, 28 de jiiuho de
1819. -- O ollicinl-maior, Jfnacio dos Sardos
da t'onseca.
Olllm.Sr.inspector da thesouraria man-
da convidar os credores da divida fundada
da mesma tbesouraria para requerereiiioseu
pagamento na conformi'lnde do artigo 40 da
le do ornamento vigente; ssim como os
juros da mesma divida, vencidos at junho
do 1849, cm requei'imeiitn separado.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernambuco, 20 de julho de 1819.
O segundo escripluraru, Antonio l'crrei-
ra a"Annunaac&o.
O lllm. Sr. inspector da tbesouraria da
fazenda provincial, em virtude da reSolucSo
do tribunal administrativo, manda facer
publico que, cm cumplimento da le, pe-
rante o mesmo tribunal, vai iiovamente, a
prapa no dia 2 de agosto prximo futuro o
imposto seguinto :
2,500 rs. por eaheca de gado varcurn que
for consumido nos municipios abaixo de-
clarados :
Olinda iivaliado annualmente por 2.240,000
I'o-d'Alho dito 2:560,000
A arieiiiaiae.*o ser feita por lempo de um
anno e 10 me>es a contar do primeiro de
selembro de 1849 a 30 do junlio de 1851.
As possoasquese propozerem esta arre-
matac.il, oomparecm na sala das sesses
do sohredito tribunal, no dia cima indi-
cad, pelo meio-dia, competentemente ha-
bilitadas.
E par constar se mandn alTixar o pre-
sente, e publicar pelo Diario.
Secretaria da tbesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernambuco 20 de julho de
1819. O segundo escriplurario, Antonio
Fcrreirada Annunciaro.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria da
fazenda provincial, em cumprimento das
ordens do Exm. Sr. presidente da provincia,
convida os pretndante! aos lugares criados
pela le do ni enmonto vigente a compaiece-
rem no dia 30 do crrante mez na secretaria
da mesma thesouraria para serem por elle
examinados: os que se propOe aos lugares
de secretario e escrivflo da receita, nos
principios de grammatica nacional, ritli-
metica, e na teora e pralica de rgeriptura-
(,'o (> calculo mercantil; o os que pieten-
dem os lugares de praticantes, gmenle em
arithmclica pratica, e nos principios de
grammalica nacional.
Thesouraria da fazenda provincial de Per-
nambuco, 26 de julho de 1849. Oprimei
ro amanuence serviudo de secretario, t'iun-
cisco Antonio Cava/cante C.ovsseiro.
-Penete a adtnifistracfl da mesado
consulado so ha de arrematar em hasU pu-
blica no dia 31 do correle mez, ao meio-
dia urna barrica com fumo, com o peso de
4 arrobas.e 72 libras, apprehendida no
mar pelo guarda da alfandega Honorato
Barboza da Costa commandante da barca
de viga n. 3 : cuja arremalacflo he livre de
espe/as. Mesa do consulado de Pernam-
buco, 27 de julho de 1849 0 administra-
do^ Joo Xacier Carneiro da Cunha.
Lista gerat dos cidaddos residentes no primei-
ro, segundo e terceiro dislrictus do termo
do Iterife, que tem as quatidades exigidas
por lei para serem jurados, orgnisada pe-
la unta retisora em 19 de maio de 1849,
pelos membros abaixo assignados.
(Continuaco do n. 161.)
Major Joaqun) de Pontos Marinho, Dr.
Joaquim Villola de Castro lavares, Juaquim
Lucio Mouteiro da Franca, Juaquim Mon-
des da Cunha Azevedo, Juaquim l'edro dos
Santos Bezerra, Joaquim Ignacio de Carva-
lho M' iidoiica, Jouqulm Rodrigues de Al-
m.'iila, Joaqun) Lopes de Almena, Joaquim
Jos Alves de Albuquerque, Joaquim Jos
de Figueuedo, Joaquim Francisco do Alm,
Joaquim Jos do Miranda, Joaquim de Sou-
za PintO, Joaquim Jos de Faria Noves, Joa-
quim Itibeiro Pontea, Joaquim dosSanlos,
Joaquim Concalves Vieira Cumiarnos, foa-
quim Jos de Smil'Ainia Bairoso, Joaquim
Km reir Ramos, solicitador Joaquim Cor-
re de Araujo, Joaquim Jusfcfe Albuquer-
que, Joaquim Jou Ferreira, JoViuim An-
tonio de Moraes, Joaquim Jos Mreira, ba-
More
charol Joaquim de Oliveira o Souza, Joa-
quim Rodrigues de Almeida, Joaquim Cor-
rea* da Cesta, Joaquim Silverio de Sqiiz,
Joaquim Fernandos Cama, Joaquim Ignacio
de Barros Lima, coronel Joaquim Jos Luiz
do Souza, Joaquim Candido Leal de Barros,
Joaquim Jos da Costa, Joaquim de Olivei-
ra o Souza, Joaquim Carneiro de Souza L-
enla, Joaquim Leocadio de Frailas, Joa-
quim Juvcncio da Silva, Joaquim Jos do
\morim, Joaquim Correa da Silva, Joaquim
Jos Carnoiro Mouteiro, Joaquim Antonio
.'arneiro, Joaquim Theodoro Correa da Sil-
va, Joaquim Francisco do Paula Estoves
Clemente, Joaquim Jos Cavalcantt, Joa-
quim Tiburcio Ferreira, Joaquim Candido
Ferreira, Joaquim Canuto do Figueiredo,
Joaquim Jos de Carvalho, Joaquim llorcu-
lauo Pcreira Caldas, Joaquim Silverio de
Souza, major Joaquim Caetano de Souza
Cousseiro, Joaquim Innoceucio da Costa,
Joaquim Mauricio Wanderley, Joaquim dos
Santos Azevedo, Joaquim Jos l'ereira dos
Santos.
JnsRibeiroSimOes, Jos Ignacio Xavier,
Jos Maria de Castio Nunes, Jos Antonio
de Azevedo, Jos Pinto de Oliveira, Jos
Egydio Ferreira, Jos Rento da Costa, ha
clirel Jos Francisco de Pal va, Jos Alves
da Cosa, Jos Theodoro da Concoicflo, Jo-
s Tiberio do Amaral, Jos Jeronymo l.imo-
ciro, Jos Joaquim de Oliveira," Jos Con-
calves da Porciuncula, Jos Nicacio da Sil-
va, Jos Chrispim da Asaumpcjlo, Jos Fer-
nandas Eiras, Jos do Reg Pacheco, Jos
Maria da Ciuz, Jos Leflo de Castro Jnior,
Jos Luiz Cuaiaco, Jos Domingues Co-
desseira, Jos Joaquim Ferreira de Carva-
lho, Jos Antonio do Souza Magalhfles, Jos
Francisco Concalvea, Jos Ignacas da Costa
Paiva, Jos de Freitas Uaibosa, coronel Jos
de Brillo Inglez, Jos Concalves de Albu-
querque, JosSoares de Azevedo, bacharel
Jos Bei nardo Calvao Alcanforado, Jos Tei-
xeira l'eixoto, Jos Francisco Pinto Cuima-
rfles, Jo.- Narciso Camello, Jos do Alen-
guer Siii'es do Amara), Jos Joaquim Pe-
reir, Jos l'ereira da Silva, Jos Ignacio
Correa, Jos da Rocha Pananos, Jos Joa-
quim nias Feruandes, Jos Pedro de Alcn-
tara, bacharel Jos Antonio deFgueiredo,
Jo- Alves da Silva Cuimaifles, Jos Cue-
desSalgueiro, Jos Polycarpo de Frenas,
[Jos Lopes llosa, capitflo Jos Leit.io de Al-
mera, coronel Jos Uernaido Salgueiro,
Josllabello Padilna, Jos H>gino deSou
za Peixe, Jos Marcelino da Rosa, captilo
Jos oe Almeida Pinto Pioeuca, Jos Lucio
Mouteiro da Fiano, Jos Lourenco fastos,
Jos Victorino de Lomos, Jos Pires Ferrei-
ra, Jos do >a Leilo, Dr. Jos Denlo da Cu-
nha Kigueireoo, Jos Rodrigues do Paco,
Jos AiTonsO Ferreira, Jos Pacheco de
uueiroga, Jos Mari Frene Carneiro, Jo-
s Baplists Cuimaiaes l'eixoto, Jos deli-
nques Machaco, Jos Cou^alves Ferreira da
Costa, Jos Cant'io Comes da Silva, Jos l'e-
dro da Silva, Jos Alves Guerra, bacharel
Jos Joaquim Couiinisuo de Moraes Navarro,
JosC Rolieito deMoic.es e Silva, Jo.^ Ca-
mello do ItOpO Baos, Jos Luiz Inuocmi-
ci l'oges, JosCoiKjaKes da Silva, Jos Joa-
quim Xavier Sobreira, Joac Teixena Bas-
tos, Jos ValeiUi.ii da Silva, Jos Marques
d Costa Suarus, Jo. Juaquim da hiiva (iui-
marfles, Jos Ignacio ua Costa Uonteiro,
bacharel Jos Rodliguesdos l'ossos, L)r Jo-
s Eustaquio Gomes, Jos lleruaroo de Sou-
za, Jos Martina l'iiiheiro, Jo.- Faustino
Poito, Jos Antonio Piulo, Jos Diogo da
Silva, Jos Antonio de Sa Vianna, Jos Iti-
beiro do Brillo, Jos Ferreira da Cunha, Jo-
s dr loso Ayros, Jos Antonio Bastos, Jo-
s Joo doAinonm, Jos Comes Leal, Jos
Joaquim da Cunta, Jos Marcellino da Silva
Biaa-a, Jos Paulo da/ooaeca, Jos Podro
do llego, Jos da Silva Braga, Jos Concal-
ves Ferreira, Jos Francisco Marinho, Jos
Francisco Mame.le de Al neda, Jos Jero-
nymo Mouteiro, JosBptista da Fonseca
Jnior, bacharel JoSe Raymuudo da Cota
Meuezes, Joe Joaquim doSanfAiina Fra-
zflo, Jos Alves de Souza Rangel, Jos Ro-
drigues de ulivcira Lima, Jos Mana de
Carvalho, Jos Lu2 pesso, Jos Francisco
C.ineiro Mouteiro, Jos Ignacio Pe eir da
Rocha, Jos Leopoldo da Silva, Jos Camel-
lo Conexivos do Mello, Jos Lopes Coima-
raes, Jos Beruardino de Sena, J,.s Alfon-
so do Reg Brrelo. Jos Rod.igues Peinia.
Jos Jaiuiario de Carvalho Paz de Andrade,
Jos Correa Leal, Jos Themutoo Pe eir'
Bastos, Jos Antonio Correa Comes, Jus
Beruardino Peieua do Brillo, Jos Antonio
Lourenco, Jos Mana Selieflor, Jos Fran-
cisco de Souza, Jos Bastala Itibeiro do Pa-
ria, Jos Mariano de Albuquerque, Jos Ma-
na Cesar do Amaral, major Jos da Silva
Cumarfles, Jos Paulino de Almeida, Jos
Lucio Ltns, Jos Pedio de Feria, Jos Co-
mes lavares, Jos Amonio do Souza Macha-
do, Jos Ignacio Soares de Maccdo, Jos Joa-
quim l'ereira de Oliveira, Jos Xavier Faus-
tino Ramos, Jos Joaquim da Cosa Figuei-
ra, Jos Francisco de Souza Leflo, Jos
Thoiuaz Dallare, Jos Francisco de Ranos
Reg, Jos da Costa Nogueiea, Jos Fran-
cisco Poreira da Silva, Jos Coii(alvus Tor-
res, Jos Francisco Itibeiro.
(Continuar-se-ha.)
resmas de papel carluxinho, 6 paos de si-
cnpira cornil palmos de compnmenlo e 10
pollegdas de grossura. 4 duzas de taboas
de assoalho de amanillo, urna duzia de cos-
tados de dito e 6 ditas de taboas de pmho :
qtiem taes generoa tiver e quzer vender
comparecer na sala da dirocloria do mes-
mo arsenal no dia 27 do correte mez, com
sua proposta e ultimo preco em carta fe-
chada.
-- O Sr. director do lyceu manda fnzer
publico que, por ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, de 13 de julho do cor-
rete anno, ir a concurso, da data oeste a
60 dias, a cadeira do grammalica latina da
villa de Nazarcth : portanto, os cidadflos
brasileiros quo se quizerom oppr dita
cadeira, queiram remetter seus documen-
tos esta seeretaria do lyceu 8 dias antes
do concurso, segundo a lei. Lyceu, 24 do
julho de 1849. -- Januario Alexandrino da
Silva Rubello Caneca, professor do desenho
c secretario.
Associaco com inercia 1
de Pernambuco.
A dreceflo faz sciente aosSrs. socios que
haver reuniflo de assembla geral no dia
1." de agosto vindouro alim de se cumprir
o disposto no art. 5. do cap. 3' dos esta-
tutos que regem esta us-oeiaoo.
Pela administraeflo do correio se faz
publico quo hoje( 27 J, s 11 horas da ma-
nhfla, principia-se a consumir pelo fogo as
carias antigs. Correio de Pernambuco, 27
lo julho de 18490 administrador, Anto-
nio Jos omes do Correio.
Publiccad ulterari
-Alugam-se os segundo o tereoiro ,
dares da cas do largo da Assembla n .
a tratar com Joaquim Francisco de aiu'
no Forto-.lo-Mattes.
Precisa-se de om caixeiro do m
idade para venda : em Fra-ae-Prfr,
ra do Pilar, n. 82. 'w \
. Itoga-se ao Sr..do engenho Conci-.J4
queira examinar ae a prata que iDt,
no seo engenho tom os slgnaes se
de nome Antonia, crioula, alta bastan
lula caneen pequea o redonda, earati
linm redonda e curta, olhos grandes
pequeo .dontes largse separados'
co comprido secca do corpo, de 18* '
pouco ii'"is ol menos ; tem um letrirn
luaco direito impresso oom o nome AOn
lo, o sendo que se verifique queira h
favor de mandara ra da Cideiade 8
Ionio n.2#, onde mora sua' senlion J
esta prompta a cooperar com toda dew
que se fizer para isso e flear muito i
decida, ou a seu irmSo o major Mayar,
Antonio Joaquim Vidal mudou i
sidencia para a ra da Senzalla-VelDt
142, terceiro andar.
Urna associaco de iitteratos pretende pu-
blicar, no mez de agosto prximo futuro,
um peridico soh o titulo de
AGL'I V CATIIOLICA,
por meio do qual se derramo pelo povo, tilo
carecodordeinslruccflo, ludo quanto diga
respeito sant e veneranda relgiflo de
nossos pas, assim do dogma, como da mo-
ral evanglica, disciplina e rito da igreja.
menos todava a parte polmica. Sal ira a
luz todos os domingos em frmalo grande,
isto he, em urna folha ordinaria de papel.
Suhsereve-se na praea da Independencia,
toja ns. 6 e 8, rasflo de 400 rs. por mez. Es-
cusadosefaz omoslrar agrande utilidade
do um peridico desta uatureza. A relgiflo
be o primeiro e mais foile elemento da so-
ciedade; e o povo que fdr mais instruido
na relgiflo augusta de Nosso Senhor Jezua-
Chrislo, e tnaisfiel for na iiato-a da moral
evanglica, esse sera o povo verdadera-
mente livre. bem morigerado e feliz.
aviaos martimos.
Deca races.
be ordem do lllm. Sr coronel inspector
da pogadoria militar, em virtude da ordem
que racebeu do Exm. Sr. senador presiden;
le da provincia, se faz publico que su pre-
tende vender em leilflo ante esla pagadura,
das 11 lloras ao meio-dia, nos dias 28, 30 e
31 desle mez, 19 travs de vanos coinpn-
mentos, 8 taboas de amarello, 2 portas de
cosladinho, 1 grade de callabouco, 3 lucias
portas, madeira que se liiou das obras mi-
litares, o pode servir para algiim misler, a
qual judo ser examinada,on Je so aclu junto
a cocina da cavallaria ao lado do scenle
do palacio.
--O escrivflo, servindo de administrador
da recebedoria do rendas internas geraes,
abaixo assignado, avisa allos os lliesoa-
reiios de nina miados para que coiiipare^am
na mesma repaiiicflo, alim de pagarem o
quo esiiveiem a dover ue segunda decima
denominada uo inflo mora do auno de 1848
a 1849 lindo, visto ler de ser remullida pa-
ra juizo a cunta dos devodures de tal iaV-
pustu, para ser all judicialmente rreca-
dada. Manoel AntonioSimOcs do ./mural.
O arsenal de guena precisa cumprar
urna arroba de buxu de pescada, urna u,la
do rame do lalilu, 256 covadug do baelilha,
20 duzias de limas aoitidas, 6 co,lados do
pao d'oleo, 1200 folhas de papel cando, 40,
PAR\ BUENOS-AYRES
pretende sabir at o dia 31 do crrante o
brigue brasilero l'rincipe-fom-Affonso, ca-
pitflo F'ancisco da Silva Aveleda : para
carga e passageiros, para o que oh"ercce os
mais excedentes eommndos, os pretenden-
tas queiram dirigr-so ao mesmo capitflo
na praea, ou a seu proprietario, Manoel Joa-
quim Ramos e Silva, na ra da Cadcia do
Recifo, n. 38.
Para o Rio-dc-Janeiro spgue, at odia
primeiro de agosto prximo futuro, o bem
condecido brigue Assombro, por ler o seu
Carregamento proropto : recebe alguma car-
ga minia e passageiros, para o que tem
bous commodos : os pretendentes dirijam-
se rua da Ca lea lo Itecife n. 61 a fal-
lar com Joo Jos Fe au les Magalhfles.
Para Buenos-Ayres
O patacho dinamarquez Apenrad-Packct,
forrado de cobre, e de primeira marcha,
deve seguir viageo nestes 3 dias para o Bio-
da-l*rata:p le receber alguma carga a com-
modo fretc : a quem convier carregar, din
ja-so a Cnudino Agoslinho de Barros, rua
da Cruz do Itecife, n. 66.
Para o Rio-de-Janoiro
seguir com toda a brevidade, por ter a
maior parle da carga, o bi gue-eseuna />-
Hz-Venlura, forrado de cobre, e de boa mar-
cha : quem no mesmo quizer carregar e ir
de passagein, dinja-se a Caudino Agoslinho
de Barros, rua du Cruz, n 66.
Pan o Aracaly segu no lim do corren-
to mez, com a carga que tiver a bordo, o
patacho Santa-Cruz : quem pretender carre-
gar ou ir de passagein, dinja-so ao lado do
Corpo-Sanlo, toja n. 25.
~ Vende-se a polaca sarda Gemina, de lo-
te de 180 toneladas fundeada neste porto:
a tratar com os consignatarios, Le Bretn
Schramm tv. C. na rua do Trapiche, n. 17.
Para o Rio-de-Janeiro segu viagem,
em poucosdas, o bem onhecido brigue
Bom-Jesus quesoaclia com paite de seu
carregamento ja piompto; linda recebe al-
guma carga escravos e passageiros para o
que tem encllenles commodos quem pre-
tender pode dirigirse ao capitflo, Joflo Ven-
tura da Silva na placa do Corpo-Santo, ou
a roa da Madre-dc-l)eos n. 3, terceiro an-
dar.
Para Buenos-Ayres sahiri breve a bar-
ca Tentativa, por ter parto do carregamento
promplo ; a qual por seu porte anida pode
receber porcSo de carga a/rete: quem na
mesma quizer carregar, pode cntendei-se
com os consignatarios, Amorim Irmaos, na
da Cadeia, u. 39.
O al
tilico qu
quanliu d]
julho e a
Avisos aivrrstis.
~ Aluga-se o armazem, n. 59, da rua So
Rangel, o qual ha mais de 10 anuos lem
servido de acougue. c conserva todos o.
Ulensis do mesmo Irafico : na praca du In-
dependencia, ns. 6 e8.
Roga-se sos credores de Joaquim Jos
Riheiro queiram apiesentar suas contas a
Vicente Ferreira da Costa. *
Precita se .lugar una casa
de dous andares pequenrs, ou de
um s andar grande, que lenha
boas a com quintal e cacimba, no b'ino
di: 5 Hito-A nloniu, ou no da la-
Visla, prximo ponte. Anntin-
ciar por esle Diario.
--Urna possoa com pralica liastaiite de
ensillar muidnos, se olforeea para o mesmo
lim em algum eiigei.tio perto da praca
Sniiscupresl,n,08e,iizf^r;
^-Arreuda-se um sitio em S.-Amaro ot
boa casa fruteiras urna grande plantad
abacachiso com pasto para 10 viccjj
leite : a tratar na rua da Gloria n. 70
Muito sodeseja fallar com as pesMtf
abaixo mencionadas para negocio de m
seu inleresso, na luja da rua da Cadeii rj0
Itecife, n. 24, casa de cambio da Vlun
eir cV Filhos: os Srs. Jdaquim JosMndn"
Manoel Jos Coelho Barbosa, Filippe J
dos Santos, Jos Bernardo da Costa, j
do Carvalho Ferreira Lima, Manoel Antn*
Itets iNogueira, Evaristo Ferreira de Artult'
Jos Ignario de Moraes Passos e D. M
Thereza de Jess.
Aluga-se o segundo andardo sobruJo
da rua das Ti indiciis, n. 46 : a tratar mj
primeiro andar do mesmo.
OiTerece-se urna ama para o servieo joJ
torno do nina casa de pouca familia : ni roa'
das Larangeiras n. *, loja de marceneiftl
O bacnarel Candido Autran da Malta**
Albuquerque acha-so rosidindo no primal.
ro andar do sobrado n. 30 da rui eslreila^
dollozario: as |essas que se dgnareap
procura-lo para advogar, tanto no civel
como no crime, o acharfl sempre promiilo.
-- Joflu da Silva Freitas, Brasilero, ra a i
Baha tratar de seu negocio.
Precisa-se de um feitor casado cori
pouca familia ou mesmo solteiro, pira mal
sitio porto desta prac.a : na travesa doVV|
ras, n. 15.
Quem quizer comprar umSJj
coibccSo de x 4 inenlti bui leseo ao Patriota, diri*|
ja seXlojaileMoia Kamos&Cora-
panbiaL rua Nova, n. 6.
ixo assignado faz sciente sopo-I
I lio foi roubada urna leltra da]
200,000 rs., passada em 10 de.)
ncer no ultimo de dezembro rj(
1849, assigisda por Luiz da Costa eseuO-
Iho, e sendo o piincipal pagador o Sr. le-j
iiejitc-coronel Antonio Lins Caldas, cujo sa-4
uhor ji so ada prevenido para a nflo pa
gar senao ao propriu dono. Jfanoel Josi '\
Gomara. S
B0AffrTIFICAC*.O\
Desappareceij na noite dodia 99 do car. ]
rente 11107, do sobra lo n. 16 da rua estrellar
do Rosario,nina, uegrinha de ncelo Reholla,
de nome Cerlrudes, dol a 12annusde ida- i
de, com os sigivaes seguimos : cor fula,,!
testa grande, com duas costuras encruiaa-T
do na tosa do lado direito, nariz cblo,,|
bocea grande, heicus finos, denles bastan-J
te grandes e aparados, pernas arqueadaiyti
pscompridos o seceos; levou vestiJo de I
camhraia pn-ta com ramagens brancas, lj
urnas argolinhas lisas de ouro n.is orclhai. i
O abaixo assignado doixou desereiM
xeiro do Sr. Joflo da Cunha Magalhfles dovj
do o dia 23 do crrante, e previne s pessou 1
com quem lem transac(0cs, que sua mor* |
da he na rua da Senzalla-Velha, primeiro I
andar da casa n.l*4.
Antonio Josl di Siqueira.
Precisa-se de um criado para o Sfrrita 1
interno de urna casa no Puco-da-Pinella,]
dando-se a preferencia a um crioulo forro r
na rua da Alfandega-Velha, n. 5.
Dcseja-se saberse de presente est nes> I
ta ci la.le o Sr. bacharel Lourenco Acciola j
Waudcrley, morador no Passo-de-Camara-1
gibo de Alagas, ou quem nesla eidade do
Itecife sej seu correspondente, para tra-.i
tar-se do negocio interessante ao dito Sr. j I
roga-se o favor de annunciar por este 0is<|
rio, ou de dirigir-so a rua Nova, n. 47, I
gundo andar.
-- Na rua da Cadeia do Recito, escriptono.
de Jos Antonio Baslp existe urna cartiij
para o Sr. Joaquim Spiridiflo da Silva Coi*
marfles a quem serogao favor de a mat>
dar receber, porque com a entrega da mea-
ma carta a mais que tratar com o dito Sf.
Cumarfles. 1
Aluga-se, vende-se ou permola-seac- J
sa terrea, n. 20, entra as duas pooles *
l'assagein, em chitos proprios cujo terreno
lem 40 palmos de frente e 160 de fundo, pof
algum silio pequeo, ou casa com graiiJe
quintal, no mesmo bairro da Boa-Vis" I
comanlo que seja mais perto ao de'al**]
Antonio do quo ao daquellaia quem.cnV" |
algum do# referidos negocios, quei *"'
nunciar por esle tiarh, ou dirigir-seso'"
siundo andar da casa da rua Nova, n. 47, o I
ao Sr. Oliveira, na casa junto a ponte R"w
quena da dita Passagein.
O Dr. Lobo Moscoso eonti*
ca
na a receber doentes em
sa, no \terro-da-Ba-Vista, n. 48lJ
onde ha commodos sufficienlesjj]
nao s para se t rata re m de suas ei
fermidades, como para se Ihes f
/.er qualqueroperato : as pessoJ!
port 1 uto, que se quizerem curar off"|
mandar algum escravo, pdemd'"
rigir-se ao aun uncante en ditacs^V-1
.sa
ira
tadfl
, certos de que sero
com todo o desvelo.
-- Reconimeiida-se o prelo Francisco," I
nuQflo Benguella, que foi escrao do bar^
de lia.maraca venha no praxo de 15 '' J
resgalar aquellc documento que Iflo """r
s-rio Itie deve ser, cujo o empeniiou P
0,000 rs. pois a pessoa retira-se V*ft.r
lugal, ao depois nflo tenba 1


.-Offereee-se para o servipo interno de
mi casa de homem soltero estrangeirn ,
mo pouca familia,-uma parda que sabe
|,em cozinhar, lavar e engommar : ni rua
, pires, n. f.6.
.- Na rua das Larangeiras, n. 15, lava-se
Lngoinma-so com muito asseio e preste-
I por prego com modo. ,
I- Itoga-se ao Sr. do engenho Diamante o
Livor de examinar ge o escravo que appare-
u em sen engenbo te'm os signaes segnin-
: crioulo.de 25 a 30 annos, de nome
fculano, cor Tula que parece cabra, cabe-
reto olhos pequeos corpo grosso ,
Cuca barba estatura regular ; tem urna
icalrii no hombro esquerdo, que pode ter
i 4 pollegadHs de comprimento ; he bas-
lante espadad Jo ; costuma embebedar-
esta fgido desdo 8 de novembro de
847 : sendo exacto os signaes cima re-
eridos, fin o favor de avisar a seu senhor,
los Ferreira Marnho em Olinda, rua do
Imp.TQ, u.1. .
' lioga-se aoSr. doongenho Diamanteo
l,vor de ver se o escravo de que falla no
leu annuncio desU folha tem os signaes se-
tuintes : baixo, grosso do corpo, cor fula,
ouca barba,j foi surrado ; tem urna cica-
laiz em urna perna ; he de nap3o Angola,
hits veio pequeo falla bem claro, j foi
fscravo de engenho, e esteva no Brejo-de-
Loia; be tocador de viola a moda do ser-
ian ; quando se embebeda d para valcnta;
feeu verdadeiro nome he Manoel : sendo
Le leuda ditos signaes, baja do o remet-
ler a rua da Cruz, no Hecie n. 31, que se
tagarno todas as despetas.
Deseja-se saber s estflo aqu em Per-
bambuco os Sr Antonio Manriques Rodri-
gues suas nudas Donas Mara do Carino
itodrigues Alves, viuva, Mara Carlota Ru-
ngues Alves, casada todas hlbas de An-
eldo Jos Itodrigues da cidade de Lisboa,
lim deenlrarem na lieranca que Ihes dei-
ou naquella cidade seu fallecido to, Fran-
isco Jos Rodrigues: se, em verdade, aqu
sliverem tenham a bondade de aparecer na
pa do Cullegio armazem n. 21.
Na .rua dosQuatio-Canlos em Olinda,
luga-se una escrava para ama do leile ,
m vicios nem achaques.
Do.engenho novo da Muribeca ausen-
,ou-se, montado em um cavallo, um Por u-
;ez que dizia ser natural do ro lo, e no
a 20 do crrenle o propiietario do dito
ngenho o vio aqui no Reciie, seguindo
uta narco de S -Antonio e ponte: ecomo
mesmo Portuguez tivesse um seu prente
ara os latios da l.ingota, julgou o **"
r-prietaro que elle para la su lingise > e
u depois llie viesse fallar; mas com" *'e
ioje n8o lenha apporecido roga-se al au-
cridades policiaes ou a quem o >r "e
laiiicipar as ditas autoridades para^ue
jrendam, para dar conta do cava'"0 Q"e
em os signaes seguintes : castaiihO/t1"1"1 e
Inafico do quarlo esquerdo ; tem mlis de ti!
anuos, de bonita figura clinasannelladas;
ni um pequeo sipnal na testa, e algumas
arras de cabellos brancos as lomuduras
as feridas decangalha; he muito espan-
to para se montar : o Portuguez chama-
ejoxquim de mediana altura, grosso do
orpo musculoso, corado peinas incha-
i'.s por ler sezOes e se estar curando de
ma grande inflummapuo-, falla alrapalha-
o e mao portuguez : o cavallo eslava sel-
o e lem na pa dlreila e quarlo esquer-
o MP.
Grande galera ptica.
Vende-se 100 vistas das prircipaes partes
o mundo obra muito rica pela natu-
eza aproprada dos objectos, 12 ptimos
idros e outros pertences para qualquer
essoa expo-lasaqui, ou em outra pruvin-
ia : na rua Bella n, 36.
JoSo Anselmo da Silveira Vidal, mora-
or na comarca do Aracaty, encarrega-se de
obrar dividas em toda a provincia do Cea-
a : quem do seu presumo se quizer til i
r, pdeprocura-lo na rua do Collegio, n.
I, primeiro andar.
Precisa-se alugar um preto para o ser-
ico de cass de pasto : na rua da Cruz do
ecife, n. 18.
\ pessoa que annunciou no Otario de
'ernambuco n. 161 precisar de urna roulher
idade para cozinhar a um homem sollei-
, dirija-se ao segundo andar do sobrado
rua do ArapOo, junto a botica, que acha-
a com quem tratar.
Na padaria da rua larga do Rozario, n.
8, precisa-se de um homem hranco que
ntetida perfeilamenle da arte de padeiro,
raajudar no fabrico do pflo e bolacha a
eseravos : quem se adiar nestas circums-
aneias, eolenda-se cm o dono da ntesma
dara.
--Offerece-se um rapaz hrasileiro para
ixeiro de qualquerjestabelecimento, e
do que lom bas-
or a sua conducta :
-se s Cinco-Pontas,
jma preta
pm outra :
para an-
quera l-
juros sobre ponin-
as firmas : na rua
rimeiro andar,
miar do sobrado
Mnclpalmente de ven
te pratica, ed (i
Juem pretender, dirii
i 23, ou annuncio.
Precisa-te alug
Par vendando fazenda
fer annuncie.
Dflo-se 600,000 rs.
es de ouro e prata, ou
fg '"o Rozario, n. 28,,
Aluga-se o segundo
la rua de Agoas-VerdesAna esquiua da tra-
fessa duAinorim, com 2 salas, 3 quaitos,
ozinha fra e muito frescotipor prepo coni-
nodo :no auiiHzem da la lva, n. 67.
I -- llaje, 27 do convide aleraute o IIIm.
r. ooutorjuizdocivel.na Sala daSaudicn-
rias, se hau de arrematar alguns eseravos
I bensde raiz penhoradps aos herdeirus
leBiulu Antonio Domingoes, por execu-
tno do (adre Pascual Correia.
I -Alug-seo sitio da estrada do Reme-
llo, na, com sollrivel casa de inorada,
leitzalla para pretos, boa agoa, bstanles
Vvoredos.comoscjam : laiangeiras, man-
kuciras, j'.quefras,-cafezelros roqueirose
atiibeiroa alui de una excellente buixa
i capirii : Taz-se todo o negocio : a tra-
na rua da Cruz, no Recfe, u. 17, depu-
Ko de rap.
~ Na luja de. Carlos Hardy, na rua Nova,
32 vendein-se lindos manteletes de sc-
i)nua ; chapeos de aeda o de palha para
ora e meninas. Na uiesma loja Umbem
lazem chapo's deencommenda e ha um
i aurtuuento de iludas loucas para me-
jillas por preco mais barato do que em
futra qualquer parle.
Antonio da Silveira Lns avisa aos ac-
)ll'Ik> fnnti.nl.H .1 I.. ___ '_
leiros,gyra-sol,. novidades, saquarema ,
vista-faz-f, quem-fumar-sahera : em Olin-
da, rua do Coxo deposito n. 2.
Quem annunciou querer alugar um
sohiado de um andar ou de dous, querendo
um de um andar com sotflo ecommodos pa-
ra grande familia, com quintal murado e
cacimba, drja-se a rua astreita do Rosario,
loja de relojoeiro, que l sedir onde ha
um para se despejar.
Aluga-sc urna casa terrea na rua do Ca-
marita da Ra-Vista, com bastantes com-
modos o sotfo : na rua da Cruz, n. 30.
Antonio Fortunato da Silveira Vidal,
subdito portuguez, retira-se para o Cear.
Deseja-se saber quom he nesta praca o
procurador ou correspondente dos Srs. Jos
Vicente Dias Torres e Roberto Das Torres
que sedizom moradores na villa do Inga,
para se lhe pedir certas explicacOes sobre os
seusannuncios de 28 e 2* do corrente, vis-
to uo ser por ora possivel aoannunciante
procura-Ios naquella villa : quem o souber
dizerqueira annuncia-lo por esta folha.
Aluga-se o primeiro andar Jo sobrado
do becco do theatro de S.-Francisco, por
cima do botiquim do Sr. Paiva : a tratar no
segundo andar do mesmo sobrado.
No botiquim Cova-da-Onca precisa-se
le um caixeiro que de fiador sua con-
ducta.
Quem precisar de um caixei-
ro para alguma cseripturaco e cobrancas,
ou outra occiyiacno honesta, temi esta
pessoa sofTrivel lettra, e dando os necessa-
rios conhecimentos do seu proced ment,
dirija-se a rua das Cruzes, n. 40.
-- Arrenda-se o sitio do Espinheiro na es-
trada de Bolm, com casa de pedra e cal,
com sotilo, casa de familia e forno de cobre
e bastante trra para plantar : quem o pre-
tender, dirija-se a Estancia, na primeira ca-
sa dofronte da cacimba.
Precisa-so de una ama secca para tra-
tar de un menino, a qual saiba coser um
pouco e seja esperta para servir a uina casa
de pouca familia : em casa de Mr. I.eon, gra-
vador e profestor de desenlio, na rua da
Cruz, casa do Sr. liolli, segundo andar.
Lotera do Guadelupe.
A rpida extraccao que v5o ten-
do os billietesdesla lotera habili-
ta ao respectivo U^soureiro para
alfinnar que as rodas andan m-
preterivelmente no dia i-] do cor-
renie :%ie-
Preeisa-sede nw i>nm<>Qi.om familia ,
ou sem ella para morar em um 'siii.vner-
lo da praca no qual trabalbo e feilorise :
na praca da Independencia ns. 68.
Na quinta-feira p. p. entregou-se na
casa do Sr. Firmo Antonio de Figueired/o
ti caixa de folha com roupa e mais objc-
tos deflce pra lev. a do Sr. J J. Tusso^jn-
oior : a dita caixa tem a V.SrGi de sou Joo
J. J. T. ('. inscripta na dita : quem fr entre-
gue da dita caixa e quizer reslitui-la, pode
dirigir-se a dita casa deJ. J. Tusso Jnior,
que sr-ra bem recompensado.
-r Precisa-se de urna ama que tenha bom
e bastante leite : nas^Cinco-Ponlas, n. 21.
A pessoa que annunciou, no Otario de
f'ernambucou. 160, precisar do urna mu-
Iber velha de assento para cozinhar urna
homem solleiro, dirija-se rua larga do
Rozario, loja de miudetat, n. 22.
Precisa-se de um forneiroque seja pe-
rilo : na rua ireita n. 26.
Agencia de passaporles.
Na rua do Collegio, n. 10, e no Aterro-
da-Boa-Vista, n. *8, continuam-se a tirar
passaporles para dentro e fra do imperio
assim como despachain-se eseravos : ludo
com.brevidade.
Aluga-so um prclo ptimo cozinbeiro
e-perilo em tudo que diz respeito ao arran-
jo de una casa para qualquer funcofio! na
prensa de algodfiode Joaquim Jos Ferei-
ra se dir quem o aluga.
OSr. V. B. queira lera bondade de sal-
dar a sua letra que assignou na rua do
Qucimado, a qual j est vencida a perto de
2 anuos, o S. S. nem faz caso, como que so
fosse herdefro de seu credor ; se nao der
da si.ter de ver o negocio muito explicado.
Dentista.
, D. W. Baynon, cirurgiSo dentista a-
i mericano breve so retira desta pro-
e pelo pouco lempo que aqui so de-
vincia ,
mora, tem a honra de olTerccer ao respei-
tavel publico o seu prestimo, na rua do
Trapihc-Novo, n. 1*.
AO PUBLICO.
Em mui cresci d. numero conlavamos
mdicos at agora molestias incuraveis,
contra as quaes s era permiltilo ao paci-
ente resgnacfto para solfrer um nijI Je que
j nilo havia csperaiif,as do poder librta-
lo, e ao meJico philantropiro a dor de ver
muilos de seus scmelhantes victimas de
enfenndades, contra as quaes se declarava
impotente, podendo apenas lamentar a fla-
queza da iiitelligencia humana. Mas, gra-
pas aos progressos da medicina, grapas ao
zelo do homens incansaveis. que, nflo des-
esperando da perfeclibilidade da sciencia,
' sn teem dedicado iiivesligaeo de rene-
dios que postara alliviar luiirtanidadedi'
alguns males que a auligem, o numero ihri
moteslias lepuladas incuraveis vai de dia
emola diminuindo. Assim, adiar depois
de longos trabalhos, do profunda nicdita-
c3o r! reiteradas experiencias, medicamen-
tos que nos restituam o uso dos dous mais
importantes sentidos deque he dolado o
iiomem, quando estes ja te achavam no sup-
posto estado de ncurahilidade e inb ira-
mente perdidos, he por ccrlo um dos mino-
res servicos que se poda prestar liiinia-
niilade; eis o que estava reservado a um
bometn i'lnlaniiupo da cidade de Braga, em
Portugal, cuja sciencia, cujn amor de teu
semelhantes so teem feito geralmente co-
nliecer Os remedios que ora ofTerecomo.s
ao publico, nflo cntram na classe daquelles
que o vido e ousado charlatanismo incul-
ca com roucos n descom astados brados, e
que o crdulo vulgo por ignorancia lecebe
na boa le esem discernimentd, achando-se
depois Iludido; lem, purm, de orcupai
mui distincto lugar entre os inedicamentos
iicos fumaotesdo bom gosto, que lem ; que niaiores benelicios preslam ao homem
'lmenlo de charutos, chegdos,coiistam (lies da dissolucao aquosa deex-
('oximauente dt Baha
.laneeirna. Vanna
, das qualidades I tractos de plantas medicinaos, de vil tules
. vav. r.aval-I mo rpcnnberaaias e verificadas. O longo
uso, as continuadas e sevoras experiencias,
a que por toda a parle teem olios sido sub-
mettidos, sem que nina s vez hajam falha-
do em seus bous eff.-itos, e desmentido as
esperanzas que sobre ellos havia fundado
o seu inventor, dne teem grangeado cons-
tantes e repetidos elogios dos mais sabios o
respeitaves mdicos, assim da Europa, co-
mo da America, que unsonos abonam e
proclamam sua aceflo sempre certa e beni-
gna. Um destes licores he destiuado a
cmbater as molestias de olhos, e tem por
principal virtude restituir aoorg3os da vi-
sSo suas funcpOes ; reanimar e l'azorreap-
parecer em sua natural perfeipflo a vista,
quando sta estiver fraca ou quasi exlinc-
ta comtanto, porm, quajjflo haja ceguei-
ra absoluta com desorganjtspao das partes ;
uo menos til e enrgico lie para desfazer
as cataratas, destruir as nevoas e de prom-
pto debellar qualquer infltmmapflo ou ver-
ii'llii'lo dos olhos. Nao causa dor, nem
estimulo na parto.
Oulro liquido reslitue a faculdade de ou-
vir os sons ao ouvido tocado de surdez, an-
da que inveterada, urna vez que o mal nao
seja de nascenpa, sem causar em lempo al-
gum o menor incommodo ao doenle, e sem
priva-lo de cuidar em seus negocios.
INSTRUCCOES PARA O USO DOS RE-
MEDIOS.
O doi olhnt emprega-se do moda ttguinte :
O doente pela manhla, em jejum, urna
hora pouco mais ou menos depois quo er-
guer-se do leito, tomar sobre a palma da
mo pequea porpo daquella agoa ; o com
ella -i olliar bem os olhos, fazeuJo que al-
gumas gottas caiam sobro o (Jobo occular :
sem os limpar, os conservar molhailos at
quo naturalmente cnxuguom : ao detar-
se a imite pralcar o mesmo : durante o
l"inpo que usar do remedio evitar o calor,
acpflo de furflapa eo vento; fara abstinen-
cia de comidas salgadas, azedas, eaduba-
das com especiaras.
0 remedio dot ouvidot ser applicado do modo
que tegue :
O doente pela manlifla, urna hora pouco
mais ou menos depois de erguer-se, anda
em jejum, far derramar dentro dosouvi-
dosquatro ou cinco gottas do liquido, ta-
pando-os depois com algodSo em rama ; a
imite ao deitar-se repetir a mesma opegi-
pflo. Durante o uso do remedio evitar ex-
pi'ir, os ouvidos prlDClptlmente, acpSodo
calor e do vento, afim do evitar grando
t/aiispiraco, lia vendo cuidado cu) uno mo-
ldar os peten agoa fra; lnajmente deve
abslor-se de comidas salgadas, azedas o
aduladas.
Estos remedios estilo venda na botica de
Hai'tln Inmeii Francisco de Snuza, na rua
larga do Rosario, n. 36, nico deposito em
l'ei n,nilhue.i, pelo preco de 2,240 res cada
vidro.
Fabrica de pianos.
Na i na do Uiii'iin i Ni, n. la.
Joilo Vignes dirigi urna das prmei-
ras latineas do Pars, frequeolada pelos
[ii i ni c 11 ns pianistas, os quaes por militas ve-
zes seqneixaram por nilo poderem expri-
mir os seiilimentos dos aulop-s do msica,
porquoos instrumentos nBoobedecan con-
forme o pianista quera.
O dito fabricante fez fabricar pianos do
proposito paia este paiz, os quaes teem to-
das as qualidades reunidas; bem como um
macbiiiismo superior a lodos ns que leem
apparecido, e que o pianista pdeexecutar
qualquer pepa de msica,capricho, ou phan-
tasias, do pianissimo at ao t.n tisimo, os
mais extraordinarios em rapidez, sem nun-
ca biliar, porque silo feitos do nianeira que
nem o calor, nem a humidade pdem influ-
ir nelles.
Roga-se ao Sr. do engenho novo de-
nominado CODCoicSO queira examinar so a
preta que tppareceo do seu engenho clia-
ina-se Rosa, da Costa, regula ler 40 annos,
altura regular, olhos apitombados e vei-
melhos e mcia fanbosa por causa de tomar
tabaco, deiitts cultos, tem uina costura no
peito do p e um dedo mais curto do que os
outros; se for a mencionada piola baja de a
mandar Irazer, quo se pagara Inda i despe-
za na rua Nova, fabrica do chapos de Cliris-
tiano liuiao.
Aluga-se a sala, alcova e um quarto do
primeiro andar da casa da rua do .inclina-
do, 0.4 I a tratar na luja da mesma.
-- Os abaixo assignailos declaram ao i es-
peilavel publico que,sendo berdeiros de seu
avJos Alves Ferreira, houvcram por he-
ianea um vinculo na ilha de San-Miguel, no
lugar da itibeira-Crandn, cujo vnculo no
anuo da 1805 foi arren lado por 9 annos pe-
los abaixo assignados a F ancisco Mmoel
Tavares, morador naquella ilba, por inter-
medio de sen filho o alferes Jos Leonardo
Tavares, cuja cscriptura foi passada as no-
las to tabellifio Silva, entilo morador na rua
do Livramento desta cidade. E porque o
sohredito rendciro fallecesse, deixando o
vinculo na posse de seus berdeiros sem que
desde a data da escriplura tenham feito um
s pagamento do arrenilamcnlo, porissoos
abaixo assignadns couvidam a qualquer se-
nhor que com elles quizer negociar o valor
do arrendamenlo vencido, se dirijam ao so-
hredito cartorio, e com a cpii fiel da es-
Criptura os procure na villa do Inga da pro-
vincia da I',i inhiba do norte, onde taino to-
do o negocio, e a vista da oscriplura fario
novo arrendamenlo. Jote Vicenle Qtai
Torres. Roberto Dios Torres.
Roga-se ao senhor do engenho Dia-
mante O favor ver seo escravo que aimun-
cia, lem osiscfc'.V.'ti'S.signaes : napSo Men-
guella, representa 33 a 40 ans, ti"' preta,
altura e coapo regularcs.pouca bai b, muito
pe|ueuos c poucos signaes do boxiJa ro-
da do nal iz, um po jiicno talbo no meiu do
queiSO qiie a barba encobre, pisa iim pou-
co esba raido e apapagaiado, com o* dedos
grandes duis ps aberlos para dentro, quasi
mu ca l'all.li pelo que parece mudo, e quando
falla he lio pouco, confuso e alrapalia.io,
que paree bupal, be um pouco leso ou ma-
luco; '.-al/vo algoma mudanpa que deve le
foito no dorpo e cor) chama-se Vicente ; c
roga-se a/s. S., do quem so espera em sua
huuJaue ) honra o favor de o remetter ao
abaixo asignado no rua do Itaugel, u. 54,
restilapo Ido Vicloriuo Francisco dos San-
tos, com a conta das despezas que tt nha
lilo, que seiJo promplanieute pagas, as-|
siin como ke gratificara generosaoienle ao
portador que o trouxer, ou'anuucie para
se ir busetr.
S. P. Jlhnslon enmarca para o Msra-
niiHo os esclavos Mara do Rozu-io, Mari
Jos, Miguel e Antonio, rtnieltidos ao seu
senhor, W. C. Smilh.
Compras.
Compra-so um relogio de ouro, patente
inglez, que seja bom : quem tver an-
nuncio.
Compra-s a chcara dos dous Renega-
dos, para piano : na rua Nova n. 58, lor-
ceiro andar, ou annuncie.
Compra-se a obra intitulada Com-
bate Espiritual ou mesmo a segunda
parte della smento; bem como algumas
outras obras espirituaes antigs : na rua do
Cabuya, loja de miudezas, n. 1 D.
Paga-se bem.
Compra-se calptdo feito na trra, de
todaaqualdade: na prapa da Independen-
cia, n. 33.
Compra-se, para urna encommenda ,
urna casa terrea sita no barro de .S.-An-
tonio com 2 ou 3 quartos sala adianto e
atrs cozinha fra, quintal e cacimba : na
rua larga do Rozario, loja de miudezas,
n. 22.
Compra-se um boa casa terrea em 8.-
Anlonio as mas da Cadeia, Cruzes, La-
rangeiras Trncheras Mundo-Novo Ro-
da, ou nos pateos do Paraiio Carmo o S -
Pedro : na rua de S.-ltita, sobrado n. 14.
Vendas.
Na livraria ns. 6 e 8 da prapa da Inde-
pendencia vende-se o segunte :
Slanual eleifnral
cnntendoalei regulamentar das elcipoese
os decretos e doclfst do governo que dlo
esclarecimenlos sobre sua execupflo.expedi-
dos al abril do corrrente anno, com notas
explicativas fundadas uestes mesmos escla-
rerimentos
Vendem-so cortes de cambraias ada-
mascadas prop/iaspara vestidos, a 3,000
rs. ; ditos de lalsgarpa, a 1,600 e 2,500 rs. ;
cassa-chila decores fixas a 300 rs. ; lan-
zinhtt para vestidos, calpas e roupa de me-
ninos, a 320 rs. n covado ; fazenda de lila
com lislras de seda, propria para vestido
de senhora a 610 rs. ; lilas para calpas-, de
muito liom gosto e de superior qualidade ,
a 2,200 rs. o corle ; corles de casa, a 1,400
rs. cada um ; pannmhocom vara do lar-
gura a 240 rs. a vara, c a 2,500 rs a popa
com 10 varas e meia ; chales de seda e lila ,
a 2,000 rs. cada um ; fustOes para colletes,
a 500 rs. o corle ; e outras muitas fazendas
por barato pceo : na rua do Crespo, loja
n 15, de lamlia l.ui manes & l'ompaiiliia.
Vende-se um molecote de 18 a 20 an-
nos que sabe lavar, engommar e cozinhar,
ludo com perfeiploj: na rua Augusta, n. 94.
Vendem-se 4 escravas, a saber : urna
negrinha de 7 annos; dous mulatinhos,
um de 7 anuos e oulro de 13 ; um moleque
de 12 annos, luuito bonito: todos mnito
em conta,! ndendo a taita dcsles objeclos:
na rua larga do Rozario, loja n. 35.
Na rua do (jrespo, loja n.
G, ao p do Iampeo, vendem-se
pecas de cassa de quadros, milito
linas, por i,ooo rs. a peca e a 3ao
rs. a vara.
Vende-se ch.i hrasileiro, o mellior que
lem apparecido ueste mc-cado, por preco
com modo : em casa do Elias Uaptisla da Sil-
va, na rua do Sol, n. 1.
Vendem-se diccionarios da lingoa
pnrlugueza, por Constancio, de oplima en-
radeniapo o por prepo commodo : em casa
de Elias Itaplista da Silva, na rua do Sol,
n. 1.
Vende-se urna grammatica franceza de
Clamopin em muito bom estado, por
prepo commodo : na rua do Queimado, loja
de miudezas, n. 25.
Vende-se um bonito moleque de 13
annos pouco mais ou menos muilo sadio ;
una negrinha de 7 anuos: ambos uhegados
do Ico : na n*a larga do Rozario, n. 35.
VENDEM-SE CUITAS A 4,500 RS.
Vendem-se pepas de chitas novas e boni-
tillhtS, com toque do varia a 4,500 rs. o a
6 vintn! a rutalbO : na rua do Passeio, nu-
mero 17.
-- Vendem-so Ires moradas de casas, sen-
do una do um andar, e las terreas, no
btirro do Santo-Antonio em ras princi-
paes, duas acabadas a pouco tempo a moder-
na, por prepo muito commodo: no arma-
zem da rua Nova, n. 67.
Superior cIk brasileo.
Vende-se cha de S.-Paulo, em caixi-
nbas de 1 e 2 libras: na rua da Cadeia do
liecife, n. 5i.
Vende-se urna negra do gontio de An-
gola, quo sabe solTrivelmenle cozinhar e
engommar o diario de urna casa : vende-se
para fura da provincia, ou para algum en-
geollo : quem a quizer comprar dirija-se
lm da Praia, armazem n. 18.
:\a rua .Nova. n. 5,
Vemlc-se um lindo mulalinho 16 an-
nos proprio para pagem e quo he le boa
conduela ; um moleque do 16 annos de
muilo Uoniia ligura ; uina paida de linda
ligura', que sabe engommar, coser o cozi-
nhi-; duas preta-, mopas, prendadas com
habilidades; duas ditas proprias para 1ra-
balliareiii de enxada ; una dita boa qui-
landeira.
Vende-se, na rua das Cruzes n. 33 ,
primeiro andar urna casaca nova de paji-
no lino pelo.
Vendem-se duas escravas sendo urna
criuulado idadedo 18 annos, rccolhida,!)!!*
sabe pe feilanienlecozcr,eiisaboar e en ilum-
ina r, a outra de 40 annos, que cozinha, en-
guiiima e ensaboc : quem as preteudcr,pro-
cure na venda da rua do Rqsario larga,n. 46.
Agencia de ir dwin .11 au.
^a rua de Apollo armazem n. 6, de II, Cal-
uionl t\ (.oiiipauliia, acha-se conslanteu cute
um grande sorliaicnlo iio ferragens inglezas
para) engenhus de la linear assucar, bem
com > laixas de fero coado e balido de dfi-
l'ere ites lamauhos e modelos meendas
je i ito, tanto para armar em madeira como
todi > de ferro para animaos e agoa, na-
as de vapor de lrpa de 4cavallos, alta
Bo, repartideras, espumaderas, etc.
rroestanhado. Na mesma agencia acha-
ra soriimeiiiy de pesos para balanpas ,
vas pala navLjs, Ierro em barra, tanto
drado como rfduudo, sala para ferrei-
e urna porp/o de uta verde em latas :
o por baratij preco.
- Na loja Ale Maia Ramos & C. vende-
sipolo dinfiiiuto prepo de 500 rs. unidos
ufis bello* romances que tem por titulo
Aroseira traduzido do francez por urna
senhora portugueza. Recommenda-se mui-
to a leitura desta obra, principalmente aos
pais de familia; para que, dando-a a lera
seus nihos,, conhepam a grande utilidado
que se lira em derramar por entre a moci-
dado lipfles de tanta moralidad* como as
que te conlem em dito romance. Quem
pretender os ditos livrot, dirija-te a rua No-
va, n 6, n indicada lojt cima.
1 Vende-se urna mobilia de Jacaranda,
obra bem construida, eem boro estado: na
praca da Independencia, n. I.
-Vendem-se 15 eseravos, sendo2lindos
mulatinhos de 13 annos ; a ditos de^18
annos, ptimos para pagens; 1 dij
annos.quo entende de purgador ; 3 ?crTof
de bonitas figuras, de nacflo; negrinhas de
18 a 22 annos.sendo i engomrnaaeirts^a es-
cravas de servipo de campo : na rua Dtreua,
b
i Vende-se panno de varias cores,
"i. muito fino e de cOr fita, a 4,000 rs: o
S covado; merino preto, a 2,500; dito
I muito fino, a 3 e 3,500; sarja de Ua
$ preta e de cores, a 800 rs. o covsdo ;
a prnceza preta enfestada, fazenda
3 igual a merino, a 1,000 o covado ; tl-
5 paca preta de lustro, a 600 rs. o co-
vado, e outras fazendas" muito em w
| conta : na rua do Queimado, loja do y
m sobrado amarello, n.29. ____ ft
^wmmmmmm :.-:ii www jiwiw
Vendem-se canastrascomalhos novos
em maunpas, por prepo muito commodo pa-
ra fechar conta : no armazem defronle do
chafariz do caes da Alfandega.
Vemle-se retroz preto a 8.000 rt. a
libra, palmatorias delatilo a 320 rs., meias
para homem a 480 rs pepas de fita de linho
a 50 rs., carreleis de linha preta a 20 rs.,
pennas de escrever a 100 rs. o quarteirAo,
lindas de cores a 1,000 rs.a libra, escovas
de fado a 500 rs., agulheiros de vidro a 200
rs., caixinhas de agulhas francezas a a<0
rs., luvas de pellica de cOra 320 rs. : no A-
terro-da-lMa-Visla, D, 84.
CASIMIRAS ELSTICAS DE CORES.
#> Na loja do sobrado amarello da rut
do Queimado, n. 29, ha um grande e
, novosoriimentode casimiras deco-
*>f res, padrOe* muito modernos, a 6,000,
- 6,500 e 7,000 rs. cada corte.
Aos 2o:ooo,ooo deris.'
Acham-sej a venda na' loja de cambio
da viuva do Vieia & Filhos na rua da Ca-
deia do Recife, n. 24, billietet e meios di-
tos c*a 50.' lotera a beneficio da SanU-Ca-
sa-da-Misericordia do Rio-de-Janeiro, cu-
jas rodas andam no dia 25 do corrente.
Vende-se urna escrava cabra, a viste
da qual faz f, e por prepo de 350,000 rs. lie
baralissima: na rua Bella, numero!, I.
andar.
MadapolSo largo a 3,000 rs.
Vondem-so pepas de madapolSo 'argo
com 20 varas, muito encorpado e forte,
proprio para camisa de pretos e forro, a
3,000 rs ditos mais finos por mais dinheiro;
lindas grossas de novello, a 160rs. urna
quarla; pepas.do chitas, cores fixas, a 5,200,
e a 160 rs. o covado; luvas finas de pellica
a 500 rs. : na loja da rua do Passeio, n. 17.
Vende-se a taberna da rua do Coto-
vello, n. 31 com os fundos de 300,000 rs.,
bem afreguezada a qual estando sorlida
vende 16,000 rs. diarios, e sendo o aluguel
muilo barato: vende-se a prazo com bots
firmas : a tratar na mesma taberna.
Vcndem-se saccas grandes com milho;
no armazem do Bacelar defronte da escadi-
nda da alfandega.
Na rua das Cruzes,n.l,vendem-se bar-
is de cinco em pipa de viudo de Lavradio,
uoprio para casa particular, por ser muito
fraco.
Vendem-se armas capadeiras deume
lous canos, muito finas : na rua Nova, lo-
ja de erragens, n. 16, de Jos Luiz Pereira.
Aos amantes da lotera do
Rio-de-Janeiro.
Aoi 2o:ooo,ooo de ris.
Silo chegadas as litas da sexta lotera do
theatro deS.-Pedro e com ellas novo sor-
timentode bilhetes e cautelas da 50. lote-
ra da Santa-Casa-da-Misericordia; cuj
rodas andam no da 24 do corrente, deven-
do chegar as listas no primeiro vapor. A el-
les. No paleo do Collegio loja de livros ,
.6.
Vende-se farinha de mandioca de su-
perior qualidade, muito lina e alva, eni sac-
cas por prepo commodo e em medida de
cuia caculada a 200 rs.; superior farinha
do a ra uta, a 200 rs. a libra ; carne detou-
cinho a 80 rs.; grSo de bico a 60 rs.: no
pateo do Terpo, venda n. 7.
t^ Por prepo commodo. *rj
Vendem-se dous sobrados de dout
$i andares, um na ruado Collegio, n.
f l.com frente para o Passeo-Publjco,
0 e oulro na rua da Aurora, n 10;aca-
.; sa terrea da rua do Seve, n. 1 A : na
| ruado Crespo, n. II.
CHEGUEM A PECHINCIIA.
Vendem-se corles de casimira de lindas
rrtres pelo diminuto prepo de 4,500, 5,500 e
7,000 rs ; assim como anda exiatom cor-
tes de brm tranpado pardo a 1,000 rs. o
corte : na rua do Collegio, n 3.
Vendem-se superiores telhas de vidro :
na fumlpao de Mesquita & Dutra, rua do
llrum do Recife.
Vende-se tinta verde em latat, a me-
Idor possivel : na fundicao de Mesquita *
Dulra, rua do Brum do Recife.
Vende se a bem acreditada
obra intitulada Cartas da India
e Chin escripias pelo bem co-
nhecido Jos Ignacio de Andradc;
tem varios retratos lilhographa -
dos de personagens daquellas lon-
gincuas trras: emfim o nome do
autor basta para o seu elogio : a
volumcsem bom typo: na rua da
Gru, n. 9.


S,
wmo

II.
Rap roldo francez.
Vendo-seo superior rap rolSo francez,
nicamente as lojas dos Srs. Caetano l.uiz
Ferreira no Aterro-da-Roa-Vista n. 46 :
Tliomaz deMattos Estima, na mesra ra,
n. .".* ; Francisco Joaquim Duarte ra do
Cbug ; Pinto & IroiSo, na ra da Cadeia
do Recito, n. 19.
Vende-se a multo acredita-
da ftrinha francesa Barn, chega-
da ltimamente, e por proco rasoa-
vel : na ra da Senzalla-Velha,
138.
Vendem-se bilhetes da lote-
ra do Bio-de-Janeiro : na praca
da Independencia, n. "i").
Na loja da ra do Crespo, n. 6, ao
p do lampeo continuam-se
a vender iazendas baratas.
Cortes de brim trancado amarello, a 1,440
rs. ; ditos de dito escuro, da melhor qua-
lidade que tcm vindo a este mercado, a
1,280 rs. ; dito liranco strado a 1,500 rs. ;
cobertores de algodfio tnais encorpados
ilos que os do outra parte, a 640 rs. ; chitas
para coberla a 200 rs. ocovado ; chitas es-
curas com cores lisas, a 160 e 180 rs.; cha-
pos do vassa a 1/00 rs. : ditos de seda ,
:i C4o rs.; cassa para bahados e cortinados,
i 2,400 rs a pega e a 320 rs. a vara.
Vende-se cal virgen) de Lisboa de
superior qualidade, em barris de 4 arrobas,
chegada ueste mez pelo brigue aria-Joi :
a tratar na ra do llrum, armazem do
Antonio Augusto da Fonseca, ou na ra do
Vigario, n. 19.
^iyV'f^fVV^VWfWVVvVV
*> Para liquidar quanto ante. J
j, Conlinuam-se a vender lencos do se- ^
ip. da para hombros de senhora e para <*
> algibeira a 500,8(10, 1,000, 1,200 e i?> 1,280 rs., e muito superiores, a 41
1,600, 2,000, 2,240. 2,400 e 2,560 rs. ; *[
l> esgui.to lino de linho, a 1,280 rs ^
* a vara ; cortes do vestidos de eam- Jj
* hrais com barra branca e de cures, a ^
Ly 1,600 rs.; meiasazuese pretas para ^
>> senhora e meninas a 1,000 e 1,600 4g
> rs. a dnzia ; suspensorios finos de O
:> meia, a 960 rs. n duzia ; hotOes de 4R
| lT.qttBd!K'SoVr.^: Ha?
lo armazem de Antonio Augusto da Fon-
seca.
Se mentes de hortalice.
Vendem-se sementcs de hortalico de to-
das as qoalidades, por prego muito com-
modo : na ra pireita, n. 76, venda da es-
quina do becco de Jos-Lourengo.
- Vende-se champanha da mais superior
qualidade que tem vinifo este mercado :
na ra da Cruz, n. 27, armazem de Crocco
& Companhia.
A 640 rs. cada uin.
Vendem-se cobertores de algodSo ameri-
cano, encorpados agrandes, a duas pata-
cas ; chitas escuras, de bons padrOes e co-
res seguras, a meia pataca o covado: na
ra do Crespo, na loja da esquina que vol-
la para a cadeia. *
Vende-se algodo trancado
da fabrica de Todos-os-Santos a
370 e a 3oo rs. a vara : na rua da
Cadeia, n. 52.
Taixas para engenho.
Na fundirlo de ferro da rua do Brum,
acaba-M de receber um completo sortimen-
tode taixas do 4 a 8 palmos de bocea as
quaes acham-se a venda por preQO com-
modo e com promptidSo embarcam-se,
ou carregam-se em carros sem despezas ao
lomprador.
Dcposilo da fabrica de
rodos-os-Santosna Dahia.
Vende-se em casa de N, O. Iiieher & C.
m rua da Cruz, n. 4, algodSo trancado
aquella rubrica, muito proprio para saceos
da assucar e roupa de escravos.
Vendem-se sellina inglsese
camas de ferro: na rua da Senzalla-
nova, n. \i.
Cha brasileiro.
Vende-se cha brasileiro no armazem de
molhsdns, airas do Corpn-Santo, n. 66, o
mais cxcellenle cha produziilo em S.-Pau-
lo que lem vindo a esto mercado, por
prego muito commodo.
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Na praca da Independencia, loja n. 4, ven-
ilem-se bilhetes e cautlasela 50.a lotera
la Santa-Casa-da-Misericordia da corte.
'" gj Carmo.n. 18, segundo andar *
G>6tA6k
O monstruoso bramante de linho
de 11 palmos de largura.
Na loja do Cuimarfles & llenriques, na rua
i do Crespo, n. 5, vende-se bramante fino de
j puro linho de 11 palmos de largura, pelo
I barato preco de 2,800 rs. a vara; ricos co-
bertores de barra de seda, muito grandes, a
6,000 rs. o mais pequeos a 5,000 rs. ;
fazendas estas nunca vindas a este mer-
cado.
Pannos, ale 3,000 rs. o covado.
Na loja deCuimarH.es & llenriques, na rua
do Crespo, n. 5, vndese panno prelo e
azul pelo barato preco de 3,000 rs. o co-
vado e preto mais inferior pelo diminu-
to preco de 2.000 rs. o covado ; hem como
nm completo snrtimento de todas as cores,
e do diversos presos.
A pechincha.
Cortes de cimbra ia adamascada
com loque de avaria, 2,5oo ic'is ;
dilos limpo.s para vestidos e corti-
nados, a 3,ooo ris ; dilos de tala-
;:->iv', a 1,600 ris; ditos finos, a
^,5oo ris; cassa-chita de cores li-
xas, a 3oo ris o covado; riscado
em cassa, o covado a aoo ris; lan-
zinias para vestidos, calcas e roupa
de meninos, a Z10 ris o covado ;
e outras militas fazendas por proco
b: ralo : na rua do Crespo, loja de
Cunta GuimarSes, n. 15
A 200 rs. o covado.
Vende-se zuarte azul trancado, muito cn-
corpado e com 4 palpaos e meio de largura ,
a melhor IV/. ma para vestir escravo pelo
barato preco de 200 rs. o covado: na loja da
esquina da rua do Crespo, que volla para a
cadeia.
Vcndem se presuntos inglezes para
fiambre ; latas rom bolachinhas de Lisboa ;
ditas de aramia ; ditas de marinelnda de
1, 2 e 4 libras ; ditas de sardinhas ; ditas de
hervilhas ; ditas de chncolate de Lisboa j
frascos de conservas ; dilos d'agoa de flor
de laranja; barris com azeitonas brancas de
Elvas ; garrafas com vinho moscatel de Se-
tubal e da Madvira ; queijoa de pralo ,
frescacs : tudo novo e chegadn ltima-
mente de l.ishfh : na rua da Cruz, no
lecife, n. 46.
Ao* 'amantes da lotera do Rio-
de-Janeiro.
Sio chegadas as listas da sexta lotera do
theatro dcS.-Pedro, e com ellas novo sor-
timento de bilhetes e cautelas da 50.*.lolc-
ria da Santa-Casa-da-Misericordia, cujas
listas veem no primeiro vapor. A elles an-
tes que se acabem. Na rua da Cadeia do le-
cife loja de fazendas, n. 51, de Jofls.da Cu-
nta MagalhSes onde existem as listas das
loteras passadas.
AGENCIA
da fundicao Low-Hoor,
RUA D. SEHZAI.T-A-KOVA, N. l\1.
Neste estabelecimento conti-
na a ha ver 11ra completo sorti-
mento de moendas e meias moen-
das, para engenho; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido e
co ido, de todos os tamanhos,
para dito.
Vende-se vi me, cliegada ltimamente
no brigue Novo-Vencedor: na rua do Apol-
loterias passadas e se trocam bilhetes
premiados.
1,280 ris.
Vendem-se superiores cortes Tdo brim
trancado ilc puro linho cor de lama de Pa-
rs pelo barato preco de 1,280 rs. : na rua
do Crespo, n. 14, loja de Jos Francisco
Das.
Vendem-se duas escravus crioulas com
habilidades urna de 20 annos e a outra de
30 : na rua dos Tanoeiros armazem 11. 5.
Lencos prelos vwa
720 rs. cada
tmenlo de bilhetes, meirw, quarfos, olta-
vos e vigsimos da 50.' lotera da Santa-
Casa-da-Misericordia do Rlo-de-Janeiro,
cuja listas devem chegar no primeiro va-
por : na ruada Cadeia, n. 56. loja de fer-
ragens, de Antonio Joaqun? Vidal.
Chitas de cores fixas, a 5,200, ou
a i40rs. o covado.
Na loja n. 5, que faz esquina para a rua
do -Collegio, vendem-se chitas de bons pa-
drees e cores fixas, a 5,200 a peca e 140 rs.
ocovado; ricas corles do cassa da rainlia
Victoria a 3,600 rs. o corle ; lindas cassas
francezas, largas, pelo barato preco de 6o
rs. avara : esta fszendt se torna muito re-
commendavel por ser de padrOes novos e
muito finas; alm destas lia um com-
pleto sortimento de todas as qualidades de
fazendas, por preco muito commodo.
4cs fumantes de bom gosto.
No armazem de molbados atrs do Cor-
po-Santo, n. 66, ha para vender, chegados
pelo ultimo vapor .viudo do sul, superio-
res charutos S.-Felix, e de outras inuitas
qualdades que se venderSo mais barato do
que em outra qualqucr parte : bem como
cigarrilhos hespanhes ditos de pajha de
milito, que se estilo vendendo pelo diminu-
to prego do 500 rs. o eento.
Cha barato.
Vende-se muito bom cha, pelo prego de
500 rs. a libra : na rua do Crespo, n. 23.
Direilo das mulheres
e injustiga dos homens, traduzido por urna
Brasileira : vende-se a 640 rs. na praga
ila Independencia, lvraria ns. 6 e 8.
Cortes ds brim de puro
linho, a 1,280.
-- Vendem-se corles de brim trancado
pardo de puro linho, pelo diminuto preco
de qualro patacas: na rua doJCrespo, loja
da esquina que volla para a cadeia.
Yendem-scsapatoes brancos
do Aracaiy a 1,000 e 1,200 rs.
o par : na rua da Cadeia do Reci-
te, n. 9.
Vende-se urna canoa aberta,
de 600 alvenarias grossas, ou tro-
ca-se por materioes finos ou gros
sos: na trSvessa da Concordia so-
brado novo n 5.
para camisas de senhora e jaquetas, pelo
barato prego de 400 rs. a tara ; bretanhas
de rolo com 10 varas a 1,6000 rs. ; supe-
riores cortes de fuslties alcochoado, a
1,28o rs I; ditos miudos, a 400 rs. o corte ;
na rua do Crespo, n. 14, loja de Jos Fran-
cisco Das
Vende-se urna venda com poneos run-
dos e que vende muito para a trra na rua
da Lingoeta a tratar com Vicente Ferreira
da Costa na rua da Madre-de-Deos.
Vende-se, diariamente, faruiha de mi-
Iho, a 80 rs. a libra : na rua de S.-Rita-No-
va, IH 16.
* Farnhade S-Mathens
V prego commodo a bordo da sumaca
Felis-Aurora, fundeada em frente do
ff caos do Collegio : a tratar com o ca- 9
A pil3o a bordo ou com Machado & Pi- j.
u nheiro na rua do Vigario, n. 19, se- y
a gundo andar.
A elles antes que se
acabem.
grvalas ,
um.
f
?
i
f
9
I'ieguezia.
m
Vinho da Figueira de superior qua- (8*
lidade a 1,280 rs. a cunada, e a gar- "3
rafa a 160 is. sendo engairafado, o ..
dando o freguez a garrafa vasin ; vi- ^
nho branro de l.i>ba, a 1,600 rs. a <9-
cuuaila e a garrafa a 200 rs. : no pa- %
teo do Terco, vend n 7. #
Na loja n. 5 da rua do Crespo, vendem-se, %%9%^t^9>9%9.%99.&9M&9Z
Vende-se panno de linho
do Porto,
bastante largo, entre-fino e do superior
qualidade;
palitos de flor para den-
les ; follia le Flandres,
Charcoal; ferro em bar-
ra de superior qualidade
garantido e igual como o da Suecia, a 9,000
rs. o quintal :no armazem de A. V. Silva
Barroca, na rua da Madre-de-Deos n, 26,
defronte da igroja.
Atlenco.
Na roa do Crespo, lija n. 5 A, junto ao
arco de S -AntoniM vendem-se ricas man-
tas de seda de noves lavrnres a 6 e 8,000
rs., tanto para senhora- Como para meni-
nas ; alm destas Calendas ha u.n rico sor-
limonto de leques com enfeiles inteira-
menle novos, e que se vcndem maisem
conta do que em outra qualquer parte.
Charutos de S.-Flix.
Na loja de Antonio Joaquim Vidal ven-
dem-se supeiiores charutos de S.-Felix,
verdadeiros, os quaes se iccouinienda aos
bons fumantes.
Firmlano Joaftodriguea Ferreira, an-
nuncia que tem mudailo um dos seus esla-
lielecimentos do fazendas da loja, n. 9, e
transferido para a mesina rua cni mitra de
n. 19, aonde os seus anligos freguezes o
amigos achanto um completo sonimento
de fazendas de goslo, ejpor muito barato
preco, como S'jam pannos finos de todas as
cores, por 2.400, 2.800, 3,ono e 3,200 ris;
algunas gasimirasa 5.000 ris o corte ; lila
para calcas a 4800 ris; chitas linas, a 200,
220, 240 e 160 ris; madapoloe, cutrins c
outras militas fazendas de gostos, que se
vndenlo por pregos que inuilo agradarfio
aos compradores.
Vende-se a casa terrea de pedra e cal
n. 136 da rua Imperial ; um terreno junio a
mrs-na para outra rasi j aterrado, ludo
aleono, eem chSos proprios : na rua do
CHi'gio, n. 6.
Vendem-se duas camas de angico, em
beim uso; 6 travs de louro : na rua da Ca-
deia'do Hecife n. 30.
VWtdem-se <-- .
otrahal """* ^relas IHimas para
nha e I, 10 de ca'!'L' ; ,,r"a ,re,a 11ue cozi-
lencos prelos para grvalas, com um peque-
no loque do mofo, pelo barato prego de 720
ris. .
Folha de Flandres.
Vendem-se caixas com folha de Flan-
dres : em casa de J. J. Tasso Jnior : na rua
do Amorim, n. 35.
No armazem da rua da Mi c la, n. 7, con-
tina-se a vender superior colla das fabri-
cas do Rio-Crande-do-Sul, por prego ba-
rato.
N. 9.
Ruada Madre-de-Deos.
Furo vinho da l'igueira.
O novo armazem (esta pinga deliciosa
acaba de se abrir nesta rua, defronle do ex-
linclo armazem ao mesmo preco de 180
rs a garrafa, e a 1,360 rs. a caada. Os
amaines des licor all encontranto garra-I
fas promptamenlc lacradas e com o seu !
competente rotulo para trucaren) por outras ,
promptsotente ; assim como tambem en-,
conlrnro barris de diversos tamanhos, I
por pregos bem rasoaveis ; bem como vinho
branro de Lisboa ,a 1,600 rs acanada.oa
220 rs. a garrafa. O proprielario desle ista-
belecimenlo pede exame para poderem ava-
har a pureza de sua qualida.de e asseio e
que em nada desagradar aos concur-
rentes.
Vende-se urna preta de 14 annos, que
0086 bem, engomma e cozinha : na rua lar-
ga do Rozario, loja n. 35.
Estrella.
Vende-se supeiior bolarhinia intitulada
estrella muito propria para doentes ppr
ser ainada e de muito superior familia : na
rua Dircila, n. 79.
Farinha de trigo.
i. i Tasso Jnior vende faiinha america-
na de l'hiladelpl.ia chegada ltimamente,
de boa qualidade e por preco commodo.
Rilhar no Passeio.
Ainda est para vender-se o buhar do
Passeio enm lodosos peitences, conten-
do mesas com tampos de marmore bancos
e mochos com assento de palbinha : ludo
pqr prego commodo a dinheiro ou apra-
zo com firmas a contento : a tralar no mes-
mo hilbar, das 2 horas em diaute.
Vende-se cal virgem de Lisboa em
barris pequeos ; feches de arcos do pao e
rodas de ditos para barricas; cunbetes de
pinho abatidos para assucar ; pregos cai-
xaes dol'orlo em barris do 10 niilheiros ;
ditos de estuque em barris de 32 milheiros;
mermelada de Lisboa em latas de 1 e 2 li-
bras ; p'ilulas de familia ; cadeiras de pao
prelo, angico e cerdeira. chegadas ltima-
mente do Porto : a trotar com Joquim Fer-
reira Mendes Cuimarfies na rua da C..,_
n.49. uz'
Novos riscados monstros, de v ara
de largura, a 320 rs. o covadi
Na rua do Crespo, n. 5, vendem-se os
vos riscados monstros, mullo finos e
drOes nunca vindos a este mercado,
barato preco de 320 rs. o covado.
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Aos 2o:ooo,oor> de ris.
He chegada a lista da sext lotera
theatro de S.-Pedro, e com ella grande soC"
Silo chegados, pelo ultimo vapor que veio
do norte os superiores queijos de qualha :
naruadoQueimado, n. 25, loja de miude-
zas.
Vende-se boa manteiga franceza ,
640 rs. a libra ; dita ingleza, a 400, 560 e
'20 rs. ; letra, a 240 rs.; macarrito a 160
rs. ; bolacha ingleza grande, a 160 rs. ; pas
sas a 100 rs. ; 'vinho verde, a 160 rs. a gar-
rafa jeoutros muitos gneros: na rua Di-
reita, n. 18.
Vende-seo deposito de charutos e ta-
baco do largo do Livramenlo n. 34, com
um ou mais escravos odiciaes de charutei-
ros : o motivo por que so vende he por o
dono estar doente, em estado de n.lo po-
der continuar : a tratar no mesmo depo-
sito.
Calcado.
Na rua Direita, n. 63, vendem-so sapatflos
do Aracaty por prego commodo.
I.neos decambraia
de li lio
Na rua do Livramenlo n. 14, venilem-se
lencos decambraia de linho, para homem ^efron te do I 'as ,eio-l >uM ico vende-se boi
e senhora ; pecas de chila paa roupa de fannha de Bta^d.oca por prego-|
escravos com 24 covados a *** rs' ,
Ca e o covaWeio ww prego de quatro
panltia, mudaram o deposito desle xw
para a bolea do Sr. Jos Mara Ramns -J
rua dpsQuarteis, n. 12 junto aoquarteu
polica ondo sempr tioharUcre urrtco w
dadeiro, viodo daquelfe deposito. 5 I
rs. cada garrafa. '*
0 FAZF.NDAS BARATAS.
3 Vendem-se cortes do brim trancado 3
v pardo, a 1,280; ditos de dito brao'.
,;* co trancado e de listrae, a 1,280; di. |
p. tos de dito amarello, a 1,500 ditos ^1
~ de macodonia, padrOes de casimin 5
v 2,000; ditos de casimira de algolO
& do, fazenda escura e muito ancor- 0
O pada, a 2,000; eoalras multas faier 3
> das baratas : na loja do sobrado arn- f
oooooooo ooooooq|
FARINHA DE MANDIOCA.
A melhor farinha de mandioca que Un*
venda he a bordo do brigue Minerva, chen
do deSanta-Catharina, e fundeado Mprjij,
do Collegio, onde se vendo a prego
commodo quo em qualquer oulro bare*.,
lambem se pode tratar naprsgadoQ
mercio, n. 6, primeiro andar.
Vende-se farinha de maridio.
ca, muito superior e por preco
commodo, a bordo da suman
Filia-Carolina, entrada de San.
Mathcus, a qual se acha fundeadi
defronte do caes do Collegio : tr.
ta-.se com o capito a bordo, oq
com Machado & Pinheiro, na roj
do Vigario, n. 19, segundo and
ATOALIIADO DE PURO LINHO.
Vende-se atoalhado depuro llnhe.
com 6 palmos de largura, a 1,300 n,
a vara ; dito muito superior, cora I
palmos, a 4,000; dito com 11 pl-.
nrns, a 5,00(1; loaltias da mesma tt.\
zenda, com 7 palmos de comprido s 1
6 de largo, a 2,000 ; o gnardanapos.1
a 3,000 rs. a duzia : na loja do sobra-"
* do amarello da rua do Queimado,
n. 29.
A bordo do biiite S.-Joo fumlftdo
vinie.is ; etilUat finas a 180 e 200 rs. o cu-
iado ; e outras muitas fazendas quo a vista
dos compradores se farilo patentes; bem
como um rico sortimento de madapolOes
finos e baratos.
Camisas fcaceras< ~
Na ruaN'Ova,n. 14, loja d alfaiate, he
chegado um riquissimo sortimento de ca-
misas brancas o de riscados os mais lindos
padrOes e cores lisas, por prego commodo.
Vendem-se lindos moleqnes de 12 a
aoannoi ; 8 prelos de 25 a 30 anuos, sendo
umdelles cozinheiro; duas negrinhas de
10 a 12 anuos com principios do habilida-
des ; duas pardas de 20 a 24 annos ; duas
pretat de SO a 30 anuos, sendo urna dellas
ptima cozinheira : na rua do Collegio,
n. 3, se dir quem vende.
Ilarricas.
Vendem-se barricas vasias queforamde
farinha, om p o bem acondicionadas!
na rua do Amorim, n. 35, casa de J. J.
Tasso Jnior.
Vende-se, na rua da Cruz, n. 26,
champanha muito boa por todo o prego,
para liquidadlo de cuntas.
Vende-se urna casa terrea na rua do
Aljibe emOlinda, n 20: na mesma ci-
dado, rua de Malbias-Ferreira n. 3
~ Vende-se um Dreta moca, do nag^o Ca-
gange, que lava de sabflo, e he muito boa
vendodeira do rua : na rua da Cruz, no Ite-
cife,n.23.
- Vende-se urna cscrava de 16 a 18 an-
nos, que cozinha cose hem e engomma :
no palco do Terco, n 20, primeiro andar.
Vende-se um cachorro de lint, vindo da
Iba milito novo, por prego commodo : na
rua da Concordia, passando a ponte, a di-
reita, primeira casa.
Vende-se uina prela de 18 annos, que
cozinha e tcm principios de engommar : no
becco do Sarapel, sobrado n. 12.
mestre do mesmo hule m
Irnios na rua da Cadeia,
con
n. 3f
"\bj.h... -se 6 lindos moleques di
giio. da^20 ann(lS 4 prelos de 20a 30 annoi,
urna nv.nna je to annos ; 6 dilos de ni
guo e cif0U|a) t dc n a 15 anuos ; urna par--
rf nos IbvBdeira e que he carinhon pan
meninos^ urna dita com hab I id idas; un
preto bol) cozinheiro ; um dito de meia di-
de; e oullrns muitos escravos: na ruido
VigarioJt. 2*.
-Venem-s-a 3 fortes pianos, chegartoj
pelo ultimo navio francez.de muito bou
vozes, superiores as k oulro qualquer qw
tenlia apparecido, e de novo modello que
iiilo deixrafio de-agradar ao comprador;
charutos de lia vana, por prego matscommo-
lo do que em outra qualquer parte; US
completo soitmenlo de instrumentos de
msica, tanto de metal como da madein;
bustos de gesso representando muito Bel
mente a rainha Victoria e o principe Alber-
to ; relogios de ouro e de prala, chrgidei
ltimamente da Suissa. Estes relogios que
sio milito hem acabados, se tornam mui-
to recommendaveis a qualquer particular,
e advertc-se que ha entre elles alguns que
andam oilo das sem precisaren! de corda:
na rua da Cruz, no Recife, n. 55.
Vende-se um pardo de 2* annoi, de
bonita figura sem vicios, e que he pro-
prio para qualquer servigo: na rua do
Crespo, loja 11.15, de Cunha GuimSriei*
Companhia.
JtSCriVOS sVUK>AHi
>0 ja uo n0
9**
cria de 1'" dp s"bil .e Wrtelto, com una
cada
Oannos, muito luida
\
.. ......-------- pura ser edu-
quemv(*drua do ColleS">. 21', se dir
Vende-se
, c'jhrc para forro de
navios: ,
no armazem de A. V. da Si'va I Barroca.
Vendem-so duas casas terreas ejom quin-
laes, sitas na travessa do Peixot/o muito
pe lo da nova matriz de S.-Jos :( faz-se to-
do o negocio: 110 pateo do Carra/o, n. 18,
segundo andar.
Na rua eslreita do Rozario,
gundo andar, vende-seuma boa
prendada ; ao comprador sedir
por que se vende.
A 4c ris.
Vende-se superior esguiflo de (algodSo de
qualro palmse meio de largu, proprio
n. 16, a-
rela, bem
o motivo
para curar da phtysica em lodp_ Tis seus
diirerenles^ -Jf.o,, "Ju Tnotivada" por al-
giinia das sepililes molestias: constipa-
COes, tosse, asihma pleuriz escarror de
sai'gui' coqueluche dor de costase pei-
tos bronchites dr na garganta e todas as
molestias dos orgflos pulmonares Fsln en-
cllenle remedio que tem gozado de lito boa
reputado nos F.slados-Unidos da America
do Norte, pelos seus bons efTeitns na cura
das varias molestias acin a mencionadas, 111-
duzio os proprietarios dele a manda-lo pa-
ra o llrasil, onde a esperanca de suas virtu-
des nfio frain sem fundamenlo como a
experiencia tem mostrado desde a sua in-
lriiducg tent produzido aqui sSo iguaes aos mellio-
res que all lem feito e que sSo bom attes-
tado pelos varios teslemunhos e certillca-
dos das pessoas que leem sido curadas por
este medicamento' sem igual, particular-
mente ao sul desle imperio onde foi pri-
meiramonlo introducido, e j nesta mesma
provincia receilado pelos mdicos e sem-
pre com bom suceseo. Novaes 6t Compa-
ohi, os nicos Hgeutes nesta cidade e pro-
vincia, normados pelos agentes geraes do
Ilio-de-Jjoeiro os Srs. K. C. Yates & Com-
I'tigio, na noile do dia 15 do correte,
o preto Coetano, de nagilo Mogam.blque,
ei\r fula, alto e chcio do corpo, que prrtg*
ce aosberdcirosdeJnsMaria de Jess Mu-
niz; representa ter 30 annos; levou calgtl
e camisa de algodfio; tem sido encontr
emalgumas partes desta cidade: quem 0
pegar leve-o a fundici de Mesquita & D!
tra na rua do Rrum. ro Recife que rl
recompensado.
No dia 21 do eorrnte saino da ribei'
ra 11 m preto ja velho de nomo Renediclo,
baixo, secco do corpo',. pouca barba, niele
calvo, com falta de d*ttes na frente ; leeoa
um cavallo cestanho iequeno e magro, ce^
regado de carvllo que hndava vendendo, ta-
jo preto desappareceo : quem o peger U
ve-oao dito lugar a'; U rengo Jusliniiuo
Hodrigues, que gratin/lcarii.
Fugiram em agosto de 1832, CtM;
ria do nago Cagaige de 14 anuos, di
xa, cheia do corpo, com falla de um oes
na frente ; boje de vi representar 31 annoi'
Jacob, pardo, deJ18 annos, secco do rof-
po, cabellos estiraifos; tem um pequeoU
Iho na magua do e/osto. e fella-lhe um den-
le na frente. ro is visivel signal he a mr-
ce.-fle umeaustidt nascosta, fugiu em d;
zembrode 1847% quem os pegar leve-osi
rua Nova', a Josl.uiz l'erelra, que greini-
cara.
Funio, no dia8 de riaio prximo pa-
sado um pelo d nomojManoel, de n
lienguella, mas parece cBoula, Por lerJ[
lado no mallo muito fcmpo; ralla r*
claro ; 10 baixo, grosso fc corpo; ben
bado c6r fula ; tem os fcaigos grosso*.
no inferior urna cicatril. pes apalheta
olhos e rosto de quem lie bastante i'"'
tuca vio'a a moda do serto ; lem sidn
to desde a l'assagem al o *cb*ng,,'nn,]r
ga-se ter mudado o nome,e.anda c tM
titulo de forro : quem o pegar leve-o ,W
da Cruz, no Racife, o. 31, que ser* geif .
smente gratificado. n*w
Fugio, no dia 26 do crtente, um "^J
leque de nagilo Tapa, de 1 a 17 annos r.'JW'
co mais ou menos ; levou calcas e ci
de algodSo azul liscado ; ten. 3 talhos' I
rosto de cada.lado ; tt de estatura reg"i
secco do corpo ; lem duas ingoas na ^m
rilhas: quem o pegar leve-o ao Kler'-,^fmx
Roa-Vista n 66, que ser* racompe"^|J
PH.