Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08970

Full Text
Anno XXV.
-
Segumla-feira 25
fabtida voa oaanoa.
rnianna ePrbi,wgwi etextai-IWris.
o-Graudc-do-Nortc, quintas-felras ao roclo.
r.iw^Serluhaem, rUo-Formoio, Porto-Calvo
, Macelo, no l., a 11 e 21 de cada mea.
Garn..hUoseBo.to,8e23.
rctor.,a.qulnua-feraa.
Qlioda, wdoa o diss. ,
I'iusud lu. Chela a 5, sllh. e 9 ni, da m.
Miog. a 13, s 4li. e48 m.dam.
Nova al9, 6h.c5tim.da t.
Cresc.a 26, as 10 li.e lliui.da t.
* pnttMin de hoje.
Primelra ( 7 horas e 42 mfnutoi da manh.
Seguida s 8 horas e 6 minutos da larde.
de Jiilliode849.
razeos da sxssciupco.
Por tres mezes (adianlado) 4//000
Por eis me/es 5895
Por un anno 15/000
BIAS 3A MAMA.
23 Seg. S. Apellinarlo. Aud. do J. dos orphuosedo
ni. da 1. v. ., t,
24 Tere. S.thrlstina. Aud. da chano., do i. aa i. t.
do civ. e do dos fritos da fazenda.
25 Quart. ** S. Thiago.
26 Uuint. S.Juila. Aud.do J.doiorph.cdoin.l.v.
27 sext. S. Pantaleo. Aud. do J. da 1. v. do clv. e
do dos frito da fazenda.
2S Sab. S. Innocencio. Aud. da Chance do J. da l.
vara do crime.
29 Dom. S. Auna. _______^^^^^^^^^^^
CAMBIOS TM. 1 BS JW1HO.
Sobre Londres. 25 d. por 1/^>rs. a 00 dl.
. Pars, 380.
. Lisboa, 145 por canto. .,00.30/500
16/200
"/200 a
1/090
1/990 a
*" a
.6*40"
9/400
2/010
2/1HII
1/020
DIARIO DE PJ^ilElia
PARTE OFFICIAl
GOYERNO DA PROVINCIA.
FXPED1ENTE DO DA 49 D JCLI10.
nicio.--Ao presidente do MaranhSo, ro-
lando a expedicSo de suas ordens pan que
, destella a utida encontrada na guia
Sailh.iour.rii de f.zenrla d.quell.pro-
incia paasou ao tenante do sexto de luz-
siros. Bernardo Jos da Graca.
Dito.--Ao commandante das armas, com-
unicando que por imperial resolucflo de
deianeirodocorrente anno passari1 para
erceira classe do exercito obraido01
Lro bitalhOo de Cacadores, Jos de Ohveira
ralo, e que poraviao de 2 de fevere.ro ul-
mo o particular segundo sirgenlo do mes-
10 haiilbao. Innocencio Biplista de Siqiiei-
Kego, nbtivera baixa do servico.-bcion-
Doou-se a pigadorii militar.
Dilo.-Ao infamo, transmitlindo copia do
viso da secretaria- de estado doa negocios
guerra, exigindo que aejam enviadas
1 brevdsda pcssivel as informaces se-
,*' rea dos corpos de primeira linha do ex-
rcito, relativas ao anno de 18*8, e recom-
jendando que d'ora em diante naja mais
ttuleridade na ramessa de senielliaules in-
irmiOes.
l)ito.~Ao mesmo, para que remella i se-

retara da presidencia alim de ser en
Ja so F.xm. ministro da guerra a f dr
10 do brigadeiro Francisco de Arrud
...
injja-
mar, extrahida do livro roestre do sexta
ulalh&o de cacadores. /
Dito.Ao mesmo, participando que por
Jecreto de 22 dejunho ultimo S. M. o *npe-
ridor houve por bem conceder pajfagem
ja mis pira oulros corpos do excrctTo aos
lliciaes constantes di relac8o que remelle.
Helado dos offleiats que se re/ere ? oflicio
cima.
Pira a companhia fixa de civallaria da
provincia de Pernimbuco, o lenle do pri-
rmeiro regiment de cavalliria ligeira Luu
Muniz Brrelo Nelto.
Pan o primeiro bstilhao de cacadores, o
fcnajor do setjmo da mesma arma, Joaquim
lodrigues C.nelbo Klly.
Pira o sexto balalhOO decacidores o ma-
or do olavo da mcsn.a arma Manoel Lopes
ecegueiro; o ciplflo graduado do mes-
mo oitavo bitalbniJrnorrrasf de Villa Nova,
> tenenle quailel/nestre (lo quinto bita-
lio de fuzijelros Jbs Joaquim de Meirelles
Aiara a Mein, e o alteres do referido oitavo
lalalliao Tito Livio da Silva.
Para o oitavo balalho de cegadores o
major do sexto di mesma arma Jo3o Gi!i-
Iherme de Bruce.
Hilo.Ao mesmo, communlcando que
por decreto de 22d S. M. 0 Imperador por bem conceder a de-
miss.io que pedio do servico do exercito o
ilferes do primeiro balalho de cacadores,
Joaquim Cairdido Pessoa de Seixas.Scien-
lilleou-se o inspector da psgodoria militar
Dito.AO Inspector da lliesouraria da fa-
zennda, traiismittindo copia da circular
em que o Exm. ministro da jusiici exige
umi nota das sommas que se teem despend
do al o im de junho prximo passado com
cada urna das verbos do crdito que foi con-
tedido i esta provincia por conta daquello
ministerio.
Dito.--ao mesmo, remetiendo o aviso de
urna Iettra daquinlia de 380,000 rs., saca-
pela lliesouraria da provincia do Blo-
'ode-do-Norte sobre essa e a favor de
Joio Chriaostomo de 01iveira.--Parlicipou-
se ao presidente daquelli provincia.
Dito.Ao inspector do arsenal de mi-
riiiln, declarando biver transferido para o
da 23 do correnle sabida do pata cho l'i-
rtpatna para a illia de Fornando-deNoro-
ulii.-Neste sentido ofciou-se ao commin-
daote dis armas, ao director do arsenal de
guerra e ao inspector da pagidoria mi-
litar.
Dito___Ao mesmo, 'determinando expe-
ci as convenientes ordens alim de que o
conimandanlo do patacho Pirapoma, n3o so
iransposte para ilha de Femando um caixDo
com firdamenlo para o deslicimento dosc-
gundo batslhSo de arlilharia a p que alli se
^.clia.bem como seis prafas que teem de ren-
der 1 nutras tantas ora existentes na mes-
ma ilba, se nao tambem v receber do pri-
meiro lente agente do referido batalhflo
os veneioieulos do mencionado destacamen-
to ni importancia de 4:118,080 rs. para fa-
zer entrega deilesaocommandanle daquelle
presidio.-InUirou-so o commaudanle das
armas.
Dito.Ao agente da companhia das barcas
de vapor, recommendando baja de ordenar
ao commaudanle do vapor UuMana receba
a sea bordo e coduxa para a provincia
Maraubflo Fortunata Fe reir e alaria F-
cisca m Ohveira, esta com tres
aquella com um, alim de que pos.
acotnpauhar duas das pracas do qui~~- -
I1II180 de fuzleiros coui quem silo casadas.
Scieniificnu-se ao comandante das armas.
' DitoAo mesmo, ordenando baja de
pruvindenciar alim de que o commaudanle
vapor aAaaa couduza para a provincia
MaranhSo as pracas do quinto batalbfio
fumlaires que aa Iba apresentarem de or-
m do cumniaadanle das armas.
Dito.Ao inspector da pagadoria militar,
coiiimullicando haver-sa mandado suspen-
der, em virtude de requiaicSu do brigadei-
SVranciscod. Arroda Cmara,o pagaman-
da coiisignaco de 35,000 rs. mensaes
qun o referido brigadeiro deixara a um
eu liliiado uesU piovincia
ivqjfjfndo os prels e
guardas nscionaas e paisanos da villa de
SerinhQem, alim de que, eliminado ludo
quanto mo esliver de conformidide com as
ordens expendidas pela presidencia, das
leise regulamentos a respeito, pague ni-
camente o que restar-se.
Dito.Ao mesmo, remeltendo as contis
de despezis feilas com a frca de paisanos
da freguezia do Bom-Jsrdim da comarca do
Limoeiro, aflmdeque depois de as exami-
nar mande pagar ao'tenente-coronel Anto-
nio Matheus Rangel, ou a pessoa por elle
autorlsada, a quantia de 2:581,910 rs., im-
portancia daa referidas contas.Sciontifi-
cou-se o delegado supplente do I.imociro.
Dito.Ao mesmo, ordenando mande en-
tregar ao commindinte do corpo de polica
26,880 rs., importancia das rices diarias
que elle forneceu do primeiro a dez do cor-
rente aos reorotas existentes as prisOcs do
referido corpo.Communicou-'so ao com-
mandante daquelle corpo.
Dito.-Ao inspector da thesouraris da fa-
zenda provincial, para que mande indem-
nissr o arsenal de guerra da quantia de
9:777,000 rs., em que importou o arma-
mento e correiame fornecido 10 corpo de
polica.Iutelligenciou-se o director do
referido arsenal.
Dito.--Ao mesmo, ordenando que por
conta da quota votada no artigo 16 da le
provincial n. 244 de 1G de junho ultimo,
mande pr disposiQSo do paracho da fre-
guezia da Boa-Vista, municipio do mesmo
nome, a quantia de 1:000,000 para ser ap-
plicada aos reparos de que necessita a res-
pectiva matriz,-com preferencia o das pa-
redes e teclo da grrj; e declarando que o
dito pirocho deve prestar contis opporlu-
nunente niquella lliesouraria do que des-
pender da refertda quantia.Neste sentido
ofliciou-se ao dito vigarioe cmara res-
pectiva.
Dito.A' Lourenco Trigo de Loureiro.
Accusmdo a recepQSo do offlcio que Vmc
dirigio-me em dala de boje, tenho a res-
ponder-lhe que, sendo o juiz de paz actual
Bernanlino de Senfia Das supplente do
quatriennio passado e competente para no
impedimento de Ve. ruirccionar como|pre-
sidente da^unla de qualilicacao, deve o
Dito A adrnlnlstracao dos eaubeleclmento
de caridad*.O contrafoque em virtude da le
provincial n. 216 de 16 de agosto de i848deve
essa adrainiatracao celebrar coro bernardo Jos
da Cmara acerca do aforamento perpetuo do
engenho Btmfica.nSo pode vigorar sem prvja
approvaeao deata presidencia, c como eu nao
trulla approvado aquella que 01 antecessores
de Vasca. proJeclaramelt'ectuar.seRundo cons-
ta do termo que por copia acompanhou o oflri-
cio que elies eoderefarain a um dos meiis prc-
deceasore com data do 1.* de setembro do an-
no citado, e sobre o nual Vmcs. ioformaram
a 26 de maio prximo passado, releva que
Vmc. cbamem A sua preaenca o mencionado
cidado. e Ihe facain constar ota minha reso-
lucao ; bem como que, noestaudo eapccinca-
d.is 11.1 lel'eud.i lei provincial as clausulas que
ha de conter o dito contrato, nao sao a linissi-
veis condifdea e clausulas que nao emanem da
natureta dellc, nem lao pouco aquellas que
porventura lendam a restringir o dominio di-
recto que da propriedade aforada cumpre se
conserve para o estabelerimenlos ali a adini-
nlstrac'u. de Vmcs., e que por Isso nao appro-
varei o aforamento de que se trata, sem que a
respeito se me aprsente um projeclo de es-
criptura, concordado e aceito pelo dito Bernar-
do Jos da Cmara e sua innlher (se a tlver), e
que alm das clausulas do eslyio contenha o se-
HUl 11 Ir :
I Declaraco da eitcnsao das trras de que
se compem o predito engenho Bemlica, c dos
seus limites.
2. CoiisiUuicaodc fateoslm ou emphiteuses
perpetua as mesmas Ierra em favor de ller-
uardo Jos da Cmara, sua mulher e sucecs-
sores; cedendo os indicados estabeleclmeiito
o doiuiuio ulil das ierras e das bemfeilorias
quo nellas tenham.
3 Conservacao do domioio directo por par-
le de taes estabeleeiinentos, qur as trras,
qur as bemfeilorias, assini as que existiam,
como ik-.s que o senhor til leuha frito, ou
houver de faier.
4. Esllpulacao do foro, o qual ei de um
cont de ris aunuaes, e pagos no da de natal
de cada auno cm reconheciineiito do dominio
directo.
5." brigacao de denunciar e declarar o 10-
reiro qualqeer venda ou allienaco da pro-
priedade alorada, que projecte ; c maisaes-
lipularao de, uestes casos, pagar laudemio da
quareiiiena, nao s do prec-o do solo, seno
tambem do dequaesquer bemfeilorias.
.* Declaraco de que o fureleo caliir em
commissn, se por tres anuos conseculivus dei-
mesmo proceder nos trabalhos da dita jun-
ta.licando comludo pendente a quesillo se o
faz cumo juiz de pazdoqnatriennio prsenlo
ou como supplente do anterior, visto de-
pender essa quesillo di dita de sua posse, a
respeilo da qual mando, proceder a averi-
guncoes.
Portara.O] presidente da provincia,
usando da aulorisacno que Ibe confere o
decreto de 11 de Janeiro do correte auno,
ha por bem amnistiar em nome de S. II. o
Imperador a Nicolao Jnaquim de Santa
Anna pelocrimederebelliHo, ltimamente
coinniet tido nests provincia.
E para sua resalva se Ihe passa a presente,
em virtude da qual jamis ser processado
pelo dito crime. Iguses a Pedro Tayares
de Mello, Silvestre Kerreira, a Thom Nu-
nes di ExaltacSo, a Jos Barbosa da Silva, a
Filippe Benicio Alves Ferreira, a Antonio
Luiz l'ereira Palma, a Jo3o Ferreira das Vir-
gens, e ao ansperada reformado JoSo Lucio
da Silva.
Oflicio.Do secretario do governoa Joao
AtTofio llegueira, communicando de ordem
do S. Exo. o Sr. presidente da provincia,
que por decreto de 4 do correnle houve S.
M. o Imperador por bem fazer-lbe merc da
serventa vitalicia do oflicio de tibelliSn pu-
blico do judicial enotas, eescrivao do cri-
me, civel, ausentes, capellas e residuos do
tormo de SerinhSom.
Dito.Do mesmo a l.uiz Comes Ferreira,
participando baver sido indeferido o reque-
rimento em que S. S. pedio que scu arma-
zem sito na ra do Apollo continuo a ser um
dos pontos de embarque e iaspeceflo dos g-
neros de producclo da provincia, como lem
sido em virtudo da le provincial n. 195 de
20 de agosto de 1847.
DEM DO DA 20.
rnelo.Ao juiz de direilo da primeira vara
crime detla ridade.Pelo ofBcio em n. 1 que
em data de l5do correnle me dirigi Bernar-
dino de Senna Dia, juii de paz da freguezia ne
Sao-Pedro-Hartyr de Olinda, relre o dito juiz
de paz que fuera a convocaeo dos cleitore e
supplenle da dtla freguezia como supplente
do juiz de paz em exerciclo desde fevereiro
desie anno ; segulndo-e d'ahi que a posse que
lomara o dilo Senna Dias como 2. juiz de paz
do presente quatriennio fura posterior ao cha
i5de j|unho prximo paado, em que lora
feila aquella convocacao
A el3 officlo dei a tolucao constante da copla
n. 2.. e noileriormenlertcebias rrpreeuta-
{0dascplan.3.4,5e6, edei as providen-
|a cupial ns. 7 e 8 ; eseguindo-se receber
a 18 do correle a representacau da co-
. 9dirlgl-me c.dade de Olinda, onde me
.presentado um livro da cmara municipal
!iue com efl'eilo te acbavam lavrados tres
.nios de pone de julze de paz do preienle
luairiennlo coro a data de 14 de Junho prxi-
mo paisado.
- Considerando,nao obstante,suspeita a olvida-
cao do juiz de paz Senna Da a repeito da dala
de sua posse, principalmente por desappare-
ccr easa olvidaco ires dia depois, tendo pre-
cedido aa oceurrenciaa de que fazeui inencao
a repreaentace de qne Ihe remello copia ;
tenho rriolvrdo ordenara V. S. que, dingindo-
ae Olinda e fateudo as requisl{e necessa-
rlas, proceda a exame em todos os llvroi da
cmara municipal da dita cidade e Inqulra os
vereadorea que eiliveram em exerclcio O da
14, e uho do c'orreule aono, e quaesquer outraa
pessoa que convler, afim de venhear se os
termo que tue fram presentado sao verda-
driros, e se a posse do Juiz de paz Senna Das
lava lugar 110 da 14 ou no dia 16 de junho,
ieponabiliaudu a quaesquer empregados
isa acharen culpa, eyande^^con''1
II
zar de pagir o'foro. 1
Se o cidadiio Bernardo Jos da Cmara c sua
ff,:
iiiulner aceitaren) eslas clausulas e coudicri,
oiganisar-se-ba o projeclo de esciiplur.i que
Vmcs. lubmellerao a iiiinlia considerafau.
Juntamente com a c'-pia aulhenlica da doa;o
011 doafie que do engenho lenifica se le aos
estabeleeiinentos de earidade, e com o inven-
tario dai terral e demais objeelos doados.
Assim decido a questao que sobre esle nego-
cio se tem agitado, c lica respondido o ollicio
que cm primeiro lugar citei.
Dilo.Ao presidente das Alagdas, rogando
digue-se de exigir da repartilo competente
una Infonnaca clrcumitanclada acerca das
1111111 lias que,como agente dos direilos proviu-
claes do algodao desla piovincia exportido
para aquella, arrecadou Jos Angelo Marcioda
Silva emquanto csteve cncarregado de tal com-
missilo.
Dilo.__Ao cominandantc das armas, decla-
rando que pode S. hxc. encajar para o servico
do exercito, achando-sc as circumstanciai do
decrelo de 18 de novembro de 1848, o paisano
Manoel Francisco da Silva, bem como os ar-
gentos do quinlo balalho de fuzleiros Joao
llaptista Freir, Antonio Jos llorges e rran-
cisco Fernandcs de Souza | ccrlo de que lem
arbitrado a cada un dellesa gratilicacao de
lOO.OOO rs.Scientilioou-se, o inspector da pa-
gadura militar. .
Dito.Ao mesmo, transmitlindo copias de
duas provlsoes do concelho supreino militar
em urna das do Santo Sepulchro, capel lio da lorlaleza do
Brum.s tem direilo a percebe 1 o sold marca-
do no decrelo de sua nomeacao ; c na nutra
que ucnhum dcsllno devera dai-sc ao padre
Bernardo Lucio Peixolo, capelln do exmelo
hoipital desla provincia, licando dispensado
de qualquer crvico militar qucporveiilura es-
teja iiilerinamenie cxcrecndo.-lofeirou-se o
inspector da pagadoria militar.
Dito. Ao inspector da thesouraria da fa-
zends, aecusandorecebido o ollicio em que
S. S. da parle de baver providenciado para
que, em cumprimenlo da ordem do tribu-
nal do thesouro publico nicional de 21 de
junho uUimo, se nslalle por adminislra-
c:1o a cipatazia da mesa do consulado des-
la provincia, e exigindo quo proponba
pessoa idouea para oceupar o lu({r de ad-
ministrador da mesma cipatazia, alim de
oue tenha lugar a sua nomeacao na lorma
do disposlo no artigo 71 do reg...ment
d aquella repartirlo. .... .
Dilo. Ao commandaule du illia de l'cr-
nando, para que na volta do patacho Vira-
pama a esta cidade S. S. Tica condimr nelle
os individuos abaixo mencionados que f-
ram mandados para aquello presidio :
Innocencio Xavier Vianua, Antonio Fran-
cisco de Borja, Joao Correa Barbosa, Vic-
torino Bibeiro, Jos Lopes, Sevenano Co-
mes de Souza, Cosme llodrigues, Antonio
Joao Martina, Jeronymo Sevonano llodri-
gues, Nicolao Jos l'ereira, Jos Francisco
Santiago, Jos Fernandes Capanca, Jos,
Antonio Franco, Francisco Borgus deSoiiza?
Jos itibeirodeMoraes, J0S0 Manoel de,8a,
Jos Alvcs da Silva, Primo Feliciano da Cos-
ta Joiquim Jos de Alenla, Bicardo Ja
Silva, Joaquim Jos de Santa Auna, Pedro
Antonia de Barros, Mai tinho Jos de Mello,
Manoel d'Assumpto, Manuel da Silva Leite,
Augusto Cesar dos Aojos, Jos Ignacio, An-
tonio Fraucisco de Amorim, Jos Haymun-
do Macnado, Benedicto dss ('.bagas, Jos
Marcellino, Viceule Ferreira, Jos llodri-
gues, Joaquim Jos de Santa Anna, Jos
Frailesco, Joaquim Jos de Santa Anna,
Aleixo da Concaicao.
Dito. -- Ao inspector da thesounria da
fazenda provincial, ordeninJo mande en-
ssttgar ao carcereiro da ctdeia do Cabo, Es-
.tn \\i da l'urciujicula^^uuaaiia.
de 34,560 rs. que se despendeu com o sus-
tento dos presos pobres da mesma canela
do primeiro de Janeiro ao ultimo do junho
do anno crrante. -- Scientificou-se chete
de polica. ,
Dito. Ao inspector do arsenal de mari-
nha, ordenando contracto com algum navio
mercante n conducho para a curte do sete
caixes que ser.lo recebidos do coniman-
dante das armas, com equpamento, scllins,
ele, perlenccntess pracas do primeiro re-
giment decavallnria ligeira que para all
regressaram. Communicou-se ao com-
mandanto das armas. ?
Dito. Ao juiz municipal c de orphos
do termo de Flores. Na hypotese de se-
rem os clavicularlos do cofre dos orpliOns
desse termo os culpados do extravio de que
Vmc. dou parte a esta presidencia om 4 do
enrrente, acabo do remelter copia do sen
oflicio c do termo que o acompanhou ao juiz
do direilo dessa comarca para quo elle pro-
ceda contra os referidos claviclanos; mas,
se pelas indagarles a que Vine, est proco-
dendo, conhecer-so que lamben tivoram
parte no fado quaesquer oulras pessoas, a
Vmc. compolo formar-Ibes a culpa.
Pelo quo toca a indemnisaciiodosorpliaos
prejudesdos com o mencionado extravio,
deve ser ella feila pelos bous do thesourciro
e seu fiador, do juiz e do escrivo, a monos
que elles se muslrm isentos nflo s de
toda a culpa em tal acto, mas tamliem de
negligencia, nos termos da ordenaciio do
livro primeiro titulo 88 ^ 31 e seguintes;
competi'ndo a Vmc. procouVir contra olles,
seja ex-ollicio, seja a requerimento dos tu-
tores e do curador geral quebrara esse ellei-
to dever nomear-sese n liciou-se nesle sentido aoauiz do direilo da-
quella commarca eaoiApeetivo promotor
publico. / %
Com mand das armas.
Ouarlel-oental do enmmonifo rfci nrma tm
Pernambuco, 20 de julho de 1849.
OIIDKM DO DIA,
Tendo S. II. o Imperador se dignado conce-
der passagem, por decreto de 22 de junho lin-
do, de mis para nutros corpos do exerciln ao
Sis. ollieiaes cnnslantes da relacao abaixo.
coinofai participado ao Exm. Sr. presidente
da provincia em aviso da secretaria de estado
dos uegoeii. d.i guerra de >.'> do mesmo niet,
e pelo inclino Kxm. Sr. a S. Exe. o Sr. maie-
ehal de campo graduado, commandaule das
armas, cm oflicio de 19 do coireule, o mesmo
Exm Sr. iislm o manda publicar para ennhe-
cimento da guratelo, e ordena que os brs.
ollieiaes suballeinos, a quem ella se refere, e
jan mandados apreseniar quanto
corpos, para que foram nomeados, e que o Sr.
major Joan Gllllhcnue de Hruce, ajusUndo as
contas do (i. batalbfio de caad.ires ate terca-
feira da semana prxima futura, siga a reunir-
se ao 8." batalhSo da mesma arma na quarta-
felia da mesma semana, pira assumii seu
commaiido, por achar-se basiante doenlc o br.
lenle-coronel do referido batalhao.
Relac'i to ofician que por Vcrlo de 22 do cor-
renle, paitaran de un% ira oulros corms do
exercito.a que ee refere o aliso detU dala.
Para a companhia lixa de eavallaria da pro-
vincia de Pernambuco, o lenle do regi-
ment de eavallaria ligelia Lult Uunlz Brre-
lo Nelto. .
Para o I." batalhao de cacadores, O major lo
y.^da mesma arma Joaquim Kodrigues Coelho
Kelly.
Para o o.
OS sus.
JoSo Francisco dos Santos
ttr. Francisco Jos de Medeiros
Manoel Calllino Nunes-
Manoel de Souza Bello
Albino Jy Ferreira da Cunha
AnlonoPolicarpo Calado
votos.
ai
22
21
20
10
3
RESULTADO M KLEICAO PARA JUIZES DE
IM7.IH) PRIMEIRO E SECUNDO DISTIUC-
TO DA FRECt F./.IA D'ACOA-PRETA.
Primeiro disriclo.
OS SRS.
4ntonio Policarpo Callado
Manoel da Cunha Bastos
Joaquim Theodoro Ferreira
Joao V'ieirn Fialho
Domingos Soriano de Azevedo
Segundo disriclo.
OSSBS
Domingos Francisco da Silva
Albino Jos Ferreira da Cunha
Manoel Caldino Nunes
Manoel do Souza Bello
l)r. Francisco Jos deMedeiros
Jos Moreira Alves
VOTOS.
217
900
199
ia
60
VOTOS.
180
159
157
150
5*
6
Correspondencias.
batalhao de cacadores, o major
do1 8." balalho da mesma arma, .".'.anoel Lopes
Pccegueiro, o capilao graduado do intimo 8.
balalho Tboinaz de Villa Nova,
o lenle
qariei-iiistVc do 5. bataljiio de fu/.ileiros
Jos Joaquim Meirelles para a lileira, e 01 fc-
res-do referido 8." balalho lilol.ivio da Silva.
Para o 8. batalhao de cacadores, o major do
C da mesma arma, Joao Cuilheriiic de Bruce.
Secretaria de estado dos negocios da guerra,
em 25 de junho de l849 J-ifcuiii Auijuilo da
Cunha ajaltoi.Honorio Pcreira de Azercdotou-
' ulroslm, o mesmo Exm. Sr. manda fa/.er
publico guarnieo que por ollicio do hxm.
Sr. presidente da provincia.taiubein de 10, Ihe
foi communlcado que por aviso da mesma se
cretaria de 3 ludo do correnle, fura participa-
da ao mesmo Em. Sr. presidente, que por
imuiediala e Imperial resolucao de 31 de Janei-
ro prximo passado, se dignara S. M. O Impe-
rador passar para a lerceira classe dos oIRci-
ac do evercilo ao alfercs do 8. batalhao de
caradores Jos de Oliveira Prado que, por
aviso de 2 de fevereiro ultimo fra excuso do
crvico o particular SV sargento do inesmo 8
batalhao de cafadores Innocencio Baptisla de
Siqueira Rogo.
E linaliiietito que por decrelo de 22 do ju-
nho ultimo, comniunicado em aviso da re-
ferida secretaria de 25 do mesmo mez, hou-
vera por bem o mesmo Impeiial Seuhor
conceder a demissao que pedio do servido
do exercito o Sr. alfercs o primeiro bata-
Ihfio de cacadores Joaquim Candido Pessoa
deStrxas.
f los Pedro I/eiltr,
' Ajud ante de ordens interino
Senhorc redaclore i O publico esta pri-
vado de saber o bom ou mao andamento dos
negocios da companhia do Beberibe por
meio das publicarles dos seus trabalhos,
feilos por este jornal; para quo nOo lqne,
pois, iguorando a causa motriz desla priva-
cao e possa ajuizar da coherencia ou in-
coherencia com quo a mesma companhia
procedeu faco a seguinte expositBO :
Na rciiniao de 22 do maio prximo pas-
sado, uuando so poz o orcamento em discus-
sSo, um accionista fez urna interpellacjo a
mesa ufim de seber se ainda eslava em vi-
gor a verba do ornamento antecedente a es-
to, que marcava a quota de 2:000,000 de rs.
para a feitura de um chafara na ra do For-
te das Cinco-PonUs. Quom tomou a seu
cargo (talvez por competencia) responder a
esta inlerpellacao, foi o S. da C. edisse
que nao linha bavido lal verba : insis-
ti o mesmo accionista aQirmando que hou-
ve, e exigi que Ihefsse apresentadoO
orcamento; veio o .livro em que elles sao
registrados.; nao quiz convencer-se com o
livro, e esigio o original que foi lido na
sessfio denovnmbro do anno prximo pas-
sado ; com efTeito foi apresenlado o origi-
nal 110 qual vio-se a verba contestada, que .
dizia : a para um chsfariz, etc. etc. sem
mencionar quantia alguma ; depois dp que
foi dilo pelo mesmo Sr. quo 1 administra-
cao linha resolvido nilo fazer mais chafan-
zes; e assim licou respondida a inlerpella-
QflO.
Poda fazer aqu as reflexes que ocaso
ministra; mas, abslrahindo disso, conlinua-
rei con a narracilo al o seu linal, certo de
que o publico supprira a minha lalta.
O mesmo accionista, que fez a inlerpella-
cao, apresentou um requerimento para
oue se publicasse tambem o orcamento, as-
sim como so fazia com os oulros trabalhos
da companhia ; e fundamenlou o seu re-
querimento com o que cima lies referido:
loi posto a votos, nao foi approvado.
Oulio accionista fez oulro requerimento
para que nao so publicasse cousa alguma,
(nao allirmn so foi por insinuado do S.; e
so elle a Tez ou nilo que o diga, e a compa-
nhia) e luiidameiitou o seu requerimento
dizendo: que o publico nada tinha com os
trabalhos da companhia, que quem quizes*
se saber qualquT oousa fsse ou nundasse
ao escri ptoro, Ae as outras companhias
uo publican, 1....10 bem a do vapores: fot
posio a votos e apVovado.
Agora avalie o rejceilavel publico o qui-
late de coherencia ouVncoherencia com que
foi reprovado o primeiro requerimento, e
approvado o segundo; arespeto do quil a
administracSo nflo ponderou como convi-
utia que elle ia de encontr aos estatutos, e
a un coslume tao snligo como a mesma
companhia, instituido pela administracSo:
sem so lembrar, talvez, que noava mais ex-
posta a crilca ou censura das lingoas vipe-
rinas, quando queiram ferir as illibadas re-
pulacocs de seus membros. Cumpre aqu
advertir que a administracfio nao eslava
completa; faltaran tres membros, sendo
um o lllm. Sr. Dr. Jos Beoto da Cunha Fi-
gueiredo.
Queiram, pois, senhores redactores, por
obsequio a mim, inserir no seu conceituado
jornal estas toscas liubas, com o que multo
obrigado licar o
Accionitta coherente.
PEn^AMBCO.
i BLEICOES PARA VEREA-
IIABJMUNICIPAL D'ACOA-
RESULTADO DAS
DORES DA CAMAII
PBETA
os sus.
Manoel di Cunha Bastos
Joaquim Theodoro Ferreira da Cosa
Domingos Francisco da Silva
Dom mgos Soriano de Azovedo
Ivo Pinto de Miranda
Joo Vieira Fialho
Chrislovo Jos Machado
Manoel Francisco de Almcida
Miguel Havtnuudo de Lima
Miguel pfyeiro de AraujuLima
Srs. redactores. Li o Diario-Novo n. 40,
que, mencionando a exposicSo que fez dos
aconlecimeiilos ltimamente em Olinda,
nelles involve o nomede meu irtnSo Fnn-
ciscoLuizVires, dizendo que com oulro
Sr. commandava os grupos de cacetistas e
faquistas, oppondo-se a que o Sr. Dr. Lou-
reiro nQo oceupasse a presidencia da mesa
revisora. Protesto contra umi lal imputa-
cAo, pois ella he falsa ; e esle juizo s pode-
r ser feilo contra meu irmao por aquellos
que o nao conhecerem.
Amigo sempre das instituirles de seu
i. paiz, e coberlo com o escudo da ordem, ap-
388 pello para a sua vida passada, e ultmamen-
os 1 o para os servidos que prestou a bem da or-
370 dem.commaudando as frcas legaes durante
370 o lempo da rqyolla na cidade de Olinda : es-
366 te talvez seja o molivo por que atrozmente
S57 he calumniado de um tal procediniento, op-
355 posto a seus principios e educaciio.
40 Sou, senhores redactores, seu, ele.
33 Manoel tu3 Fird.
2 I BofVisU, 20 de julho de tW.



Mtaaw
-
Srsu redactores. Bem quizera guardar
era silencio, como o tenho feito at hoj,
as occurrencias entremime o Sr. Benio Jos
da Cosa, acerca das demandas que susten-
tamos f ibre o engenho Curado e sitio Cum-
ie ; miisconi -e me tem tito jado ha mili-
to e por militas vozes que acuelle senhor
so tem quemlo que tenho sido com ellu
injusto, priraeiro por liaver eu comprado
demandas contra elle, segundo por nao ter
queriilo conrpur-me a tal respeito, .snho
por esta vez esclarecer-me para coi,, aquel-
las pesses que lenham presenciado aquel-
las dccIa/acOes, e por julgar do meu de-
ver desviar de mim qualquer juizo desfsvo-
ravel que a respeito possa alguem fazer, de-
clarando que, lendo ou contratado desde
outubro do 1838 ale 3 de julljo de 1839, e
celebrado com os herdeiros successores da-
quellns propriedides escriptura de compra,
c seceso das partes edireitos que elles ti-
nham nellas, e tendo intentado contra os
berdeiros do Francisco Jos da Costa Gui-
rrarSrs desde 5 at 9 do mesmo mez f julho
do 183'j; os termos conicliatorios para le-
vara praca de renda aquellas propriedades,
em 20 do mesmo mez e anuo, tora cilcl.id-
da entro o rnesmo Sr.Costa ios lierdeiios
dnquelle Cuimarfles escriptura do-venda e
seccilo das partes que havia comprado este
a nutres herdeiros tambem successores da-
qiiellas propriedades earrendamento cog-|
dicional das mesmas; e, que tondo-me pro-
posto a vender ao rnesmo Sr. Bento aquel-
las parles edireitos que me toram transfe-
ridos, jamis pude consegui-lo, porque a-
quelle Sr. pretenden ludo obtor, ou por unf(
diminuto precn.correspondente a urna ter-
ca parle do que mo pertenco, ou por urna
opposleflo judicial, renhida e caprichosa .'
F.queainda lujo mesmo, nflo obstanto ter
conseguido decisOes favoraveis conforme a
justica das mesmas causas, conservo-modis-
poslo a compor-me rasoavelmente con o
mesmoSr., vendendo ou comprando-lhe a-
quellas mesmas partes e direito-s respecti-
vos que nos silo pertencentos, do conformi-
dade com a part I lu julgada por entonga
pelo juizo de orphaos, escrivflo ft'ego. (*j
BeciTe, 20 de julho de 1849, Jos Joa-
quim Bescrra Cavbante de Albuquerque.
CLIN16A HOMEOOPATIHCA.
III.
Luiza, com idade de 20annos, escrava do
lllm. Sr. Jos Antonio dos Santos e Silva,
morador na ra de Santa-Cruz, n. 66, acha-
va-so bastante doente nodia 29demaiop.
p., o havia um mez que tomava remedios
allopathicos: vendo seu senhor que ella nilo
tinlia mclhora algumS, veio consultar-mu a
respeito, resolvido a dar-lhe a homceopa-
tllia.
ram por 6,000 arrobas aos
precos de 2 a 2,600 rs. por
arroba da do Bio-(rande, e
de 9 a 2,940 rs.'da de Monte-
video. Ficarr n em sr as
ombircacOes 28,000 arro-
bas.
Chumbo Vcndeu-se a 17,000 rs. por
quintal em lencol; e de 18
a 19.000 rs. odemunieflo.
Cobre ----- dem de 650 a 700 rs. por
libra do de forro.
Farinlia dctrigo-Os precos toram os mesmos
ila semsna passada. Estflo
por vender 2,000 barricas.
Manteiga Vendcu-se de 500 a 520 rs.
por libra da franceza.
Vinhos----------dem do 90 a 92,000 rs. por
pipa do de despacha.
F.nlrarara II embarcados, e sabiram 7.
Existem no porto 53, saber: 30 hrasilci-
ras, 1 belga, 3 dinamarquesas, 3 francezas,
Symptomas. Pelle secca e fra, bocea I, hamburguezu, 1 hespanhla, 9 inglezas, 3
amarga, com muila sede, vontade delan- portugu-zas e 2 sardas
car, e as vezes lancava bilis, lingos suja
desgoslo por toda a comida, dores no esto-
mago, augmentando pela pressflo, e n ais
activas no abdomen, suppress.lo do mens-
truo, urina nitrito vermelha, obrava inais
de 30 vezes por dia sangue e materia, com
.muilo renesmo, febrecontinua nflo muito
prte, fraqueza oxeessiva.
Tratainento No mesmo dia (29) s 4 horas
da tarde lomou urna colher de cha de um
medicamento homueopalhico quelhepres-
icreye outra colher as lo horas da noile.
No dia ivdojunho estava perfoitamente boa,
obrava senflo duas vezes em 24 horas.
Consultorio homoeopalhico do Pernambu-
co, ra da Cadeia do Santo-Antonio, n. 22,
nao 19 de julho de 1849.
Caianova, medico.
1! JBLic UAO A
.ENFERB1AIUA DE MAR1NI1A
PEDIDO.
EM PERNAMUUCO.
SS&JP1P& cstatistico das molestia tratadas tiesta enfermara no tri-
mestre decorrido do 1 de abril ao ultimo dcjuno de 1840.
NOMENCLATURA DAS MOLESTIAS.
Bronquites----------------------- -
i mliaraeos intestinacs
Sarnas-------------..-.._.
Cceras---------------------------------
Fracturas ------------------...
Molestias venreas-- -------------
Ferimentos d'arma de fogo---------
Diarrhea ---------.
llipertrophia do coraeflo -
Caslro-hepatites-------------------------
Gastro-interiies--------------- -
Febres intermitentes------
Hitas intermitentes perniciosas -
Amorose ------------------
Esquineucia----------------------...
Febres inflammatorias---------
Erisipelas------------------------
llores espamolicas--------------
Tlhcumatismos----------------------
Sarampo------------------------------.
Hexigas-------------------------------.
I)r de clica- ------...,
Colla coral --------._.
Meningiles----------------------------.
ContusOos---------------*-------.
Abcessos------------.---------.
Ferimentos simples -----..
Carcinoma do testculo e cxtracQIo-
llidroceles e cura radical
Cephalalgii--------------------------------
Ascites---------------------------------------
Hisenleria --------..-------
rchites-----------------------------._
I'htysica pulmonar tuberculosa -
llemopliiteze ------------------------ -
Nozostelgia-------------------------- _
Fistulas ------------ ________
"iic aguda -------____. -
Splcncles crhonica- --------
portugu"
iviovmenio do 4*orto.
Navio* entrados no da 21.
Liverpool 41 dias, brigue inglez Richard,
de 296 toneladas, capilflo William NV'hite,
equipagem 17, em lastro ; aocapilflo.
Terra-Nova40 dias, hrigue ingle?. Cyn-
thea, de 26 toneladas, capitilo William
Coldsworlhy, equipagem 13, carga 2760
barricas com hacalho ; a James Crabtree
& Companhia.
Kavlo tahido no mesmo dia.
Havre Briguo francez Arago, capitilo Jor-
ge Claudio Jorge, carga assucar e algo-
dflo. Passageira, madama Burguin, Fran-
ceza.
Navioi taidos no dia 22.
Lisboa por Maranhflo Brigue de guerra
portuguez Villa-Flor, commandahte o
primeiro-tenente Pedro Valento Loureiro
da Costa Pinto.
Parahiba lliate brasileiro Espadarle, ca-
pitilo Victorino Jos Pereira, carga varios
eneros.
GOITAES.
i
2
2
6
1
85
1N
1
1
1
1
1
1
9
5
6
II
n

SOMMA
61
24
10
7
8
17
1
C0
18
.1
1
6
9
9
2
1
6
19
5
8
6
84
5
1
3
2
13
3
2
1
2
4
1
1
4
o
1
1
4
2
')
285
9
(i
B
15
1
sa
16
5
1
6
9
5
2
5
12
5
8
6
3ii
1
6
:t
i
11
3
S
1
'2
4
OBSEnVACOES.
1
1
1
1
3
i
3
233
U
19
8
i
60
285
Por ordem da presi-
dencia toram tratados
nesta enfermara 56 pri-
sioneros do dia 2 de fe-
vereiro deste auno : sen-
do 42 feridos d'armas de
fogo elide soffiimen-
los differentes.dos quacs
fallecern) (res.
Enfermara do marinha de Pernanjbuco, 12 de julho de 1849.
Juaquim Josi Alies de Albuquerque, cirurgiflo da enfermara.
COMMEftC
a J. D. Wolphoppe &
Fox llro-
ALFANDEGA.
Rcndlmenlo dodia-JI.-. 8:602,588
IMPORTACAO".
Cumberlard, barca ngleza, vnda de Li-
verpool, entrada no corren te mez, consig-
nada a Deane. Yoiile & Companhia, manifes-
tuuoseguinte :
30 gigos e 50 meios ditos louca, 149 tone-
ladas, e 10 quilines carvHo de pedrn, 105
Jardos r 18 caixss fazendas de algo Jan, 200
embru'hos aduelas, lampos e arcos de br-
ris. 3 fardos fazendas de 1.1a ; a Deane Youle
& Companhia.
1 caixa lencos de seda, 1 dita chales, 1 di-
la cortes de colleles e chales, 2 fardos fazen-
das de algodlo, 1 dito ditas de 13a edeal-
godilo; a Kalkmann &Firea.
4 fardos Tizendas de algodflo, 1 caixa com
magnesia ; a J. Crabtree & Companhia.
23 taixas do ferro, 33 fardos fazendas de
algodao, 2 cmbrulhos linhaso fazendas de
algodao; a Me. Caimont & Compaa.
20 fardos e 6 caixss fazendas de algodflo,
1 dita miudezas ; a H. Cibson.
1 caixa fazendas de ISa e algodao ; a A.
Howia & Companhia.
40 gigos, ce meios ditos e 100 barris man-
teiga ; a llosas Braga & Companhia.
32 barris ferragens, 18caixas e 4 fardos
azendas de algodao; a J. Paln & Compa-
nhia. r
5 toneladas arcos de ferro, 5 ditas equa-
tro quintaos ferro, 1 dita e 4 ditos ferro em
barra ; a A. V. da Silva Barroca.
24 caixss e 10 fardos fazendas de algodao,
1 fardo bonetes
Companhia.
2 fardos fazendas de algodao ;
Ihers.
2 fardos fazendas de linho; a James Ry-
der & Companhia.
1 embrulho papel; a Crabtrcee, Aked &
Companhia.
3 arados de ferro ; a C. J. Astlcy,
3 caxas fazendas de linho, 1 lata quejo :
a Johnston Pater & Companhia.
CONSULADO GEIJAL.
I'.endimento do da 21...... 1:012,967
Diversas provincias........ 77,184
1:090,151
CONSULADO PROVINCIAL
1 caixa pertenees para sellero, 1 barril _
go uniente do Franca. 6 caixus linhas de al-
godo, 1 embrulho 2gemas; a G. Kenw-
orlhy & Companhia.
29 fardos fazendas de algodao, 7 caitas
linhas; a R. Royle.
l caixa livros H. Cbristophers,.
Rendimento do da 21...... 1:017,350
l'BACA DO RECIFE, 22 DBWUfO DE 1849,
AS 3 HORAS DA^AllDE.
Revista semanat^
Cambios Fizeram-.se trahxaccoos re-
. guiares a 25 d. po> 1,000 rs.
Algodao---------- Enlraram 578 saccas^As
vendas do de primeir sor-
lo regularan) a 4,800 rs.
por arroba.
Assucar- Vieram ao mercado 132 ca-
xas. -- Os presos do embar-
ricado e ensaccado branco
toram de 2,100 a 2,600 rs
por arroba, e osdomasca-
vada 1,800 rs.
Bacalho Existem em ser cinco mil
Jrtrricas, inclusive umear-
fJ' regament entrado desta
*' semana que.nSo fui rendi-
I do. Heta1liou-se de 8 a
10,000 rs. pbr barrica.
Carne-sccca- As vendas da semana orca-
Pela inspectora da alfanfega se faz
publico que, no dia 23 do corrente depols
do meo-dia se ha de arrematar em hasta
publica e na porta da mesma um fogflo
arruinado que fui doservco da primeir
barca do viga : livre de direHos. Alfan-
dega, 20 de julho do 1849. O inspector,
Luis Antonio de Sampato Vianna.
-- Pela inspectora da alfandega se faz
publico que, no dia 23 do corrente, na por-
ta da mesma, ao meo-dia, se hflo do arre-
malar em hasla publica 600 cortes de cassa
de cores estampadas por factura um 2,000
rs,, letal 1:200,000 rs, impugnados pelo
guarda Jo3o Gregorio dos Santos no des-
pacho por factura n. 29 : sendo dita arre-
mnlacao suhjeita ansVdircitns. Alfande-
ga, 19 de julho de 1849.'O inpector, fe
Antonio de Sampaio Vianna.
Olllm. Sr. inspector da Iheaburaria da
fazenda provincial, em cumpripenloda or-
dem do.Exm. Sr. presidente ds provincia,de
18dojunho prximo paseado, manda fazer
publico que nos das 23, B4e 26 do corrente
irflo |)iai;a perniile o tribunal administra-
tivo da mesma lliesourawa, para serein ar-
rematados a quern por menos lizer, oscon-
iii tus da ponto dos (arvillhos, sb as clau-
sulas espeeiaes ahuixo transcriptas, e pelo
preco de 1:699,500 rs,
As pessoas que se ptropozerem esta
arrematado, comparecen) na sala das ses-
ses do sobrcdilo Uihunal, nos dias cima
indicados, pelo mcio-dia, competentemen-
te habilitadas.
E para constar se mandou afjixaro pre-
sente, o publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernambuco, 15 de julho de
1849. O 2 escriturario, Antonio l'erreira
U'Annunciacao'.
Clausulas espeeiaes da arrematafilo.
al. As obras dos concertos da ponte dos
Carvalhos senfo foilas de conformidade
como orcamenloapresenlado nesta data a
approvacao do Exm. Sr, presidente pelo pre-
0 de 1:G99,50O rs.
2 As obras piincipiarSo no prazode
um mez, osero concluidas no do 4, ambos
contados em conformidade do arl. iodo re-
gulamento das arrematarles.
3. Todos os materiacs serflo previa-
mente examinados pelo engenheiro, e ap-
provados lavrar-sc-ha um termo.
ii 4." Opagamciito do importe das obras
realisar-se-ha depois de concluidos todos os
concerlos c examinados pelo engenheiro.
5o Para ludo o inais que nflo esta de-
terminado as presentes clausulas seguir-
se-ha iiteiranente o que dispe o regula-
memo das arrematares, do 11 de julho de
1843.
Obras publicas, 30demaio de 1849.
O engenheiro, J. L. fictor Lieulicr.
Permito a thesouraria da fazenda desta
provincia so ha de por em hasta publica, nos
das 28, 30e.3l do mez de julho prximo fu-
turo, ra sor arrematado por quem menos
preco oirerecer, o servico da capatazia da
alfandega desta ciiUde pelo lempo de vinle
e dous mezes que lero principio no primei-
ro de setembro desle auno, e com as condi-
cOes que serBo pateles no acto da arre-
malacau. As pessoas que se propozTcm u
licitar deverflo comparecer nos referidus
dias na sala das sessOes da mesma thesou-
raria, competentemente habilitadas.
Secretaria da thesouraria da fazouda pro-
vincial de Pernambuco, 28 de junho de
1849. -- O ofllcial-niaior, Ignacio dos Santos
da Fonscca.
quin Mchado, Francisco Munlz de Albu-
querque Francisco Riboiro do Britto, Fran-
c;sco Antonio Ferrnira, Erancisco Rodrigues
Xanda, Francisco Antonio Pereira de, Britto,
Fructuoso Jos l'ercira Dutra, Francisco
Joaqun) Ribeiro de Brillo.
Guilhermo Soares Botelho, Cemimano
H'lariodcOlvcra e Mello, Gaspar Jos dos
leis. Caudino Agostnho do Itafros, Gu-
Iherme dos Sontos Soares, Gabriel Alfonso
Re^ueira.
llerculano Jos de Frcitas, llerculano
Alves da Silva, llygino Xavier da Silva, Hy-
gino dos Santos' Aragflo, tlemeterio Jos
Velloso da Silveira.
Joflo Menrlques da Silva, Joflo Jos Garca,
Joflo TheoJoro da Cruz, JoSo Ignacio do
llego, Joflo Francisco Ferreira, Joflo do Re-
g Barros Brrelo, Joflo Francisco Bastos,
Joflo da Molla Botelho. Joflo Antonio Villa-
Sccca, Joflo Forrera da Silva, Joflo Pedro
Pessoa de Mello, Joflo llom Capistrano, Joflo
Rodrigues de Miranda, Joflo Alhanasio Bo-
telliO) Joflo de Santa Rosa Muniz, Joflo Pau-
lo Xavier de Salles,joflo LinsCavalcantede
Albuquerque, Joflo Bernardino do Vascon-
celos, Joflo Baptista de Araujo, Joflo Morci-
ra Margues, Joflo Jacintho de Souza, Joflo
Manuel de Siqueira, Jnflo Hermenegildo
Borges Diniz, Joflo Fernandes da Cruz, Joflo
Jacintho Morers, Joflo Ignacio de Medeiros
Reg, Joflo Antonio de Paula Rodrigues,
Joflo Manocl Rodrigues Vallenca, Joflo Ler
lo de Azevedo, Joflo Valentn) Villela, Joflo
Forrera da Costa, Joflo Pardclhas, Joflo
Baplista deOlveira GnimarSes, Joflo Bap-
tista Fragoso, Joflo Baptista Fragoso Jnior,
Joflo Filippe ds Cosa, Joflo Jos Alves,
Joflo Evangelista da Cosa, Joflo Antonio
Ribeiro, Joflo Vieira Lima, Joflo Alves de
Carvalho Porto, Dr. Joflo Jos Pinto, Joflo
Jos de Moraes, JoSo Cardoso Ayres, Joflo
da Cunta Magalhfles, Joflo Npomuceno
Barroso, Joflo Antonio Pereira da Rocha,
Joflo Francisco Pontes, JoSo Antonio da
Silva Grillo, coronel Joflo Francisco Cha-
by, Joflo do Reg Barros, Joflo Pinto de l.e-
mos, Joflo Xavier Carneiro da Cimba, Joflo
Nepomuceno Ferrera de Mello, Joflo Poli-
carpo dos Santos Campos, Joflo Pereira La-
gos, Joflo Jos Lopes Jnior, Joflo Facundo
da Silva Cuimarfles, Joflo Goncalves da Sil-
va, Joflo Pinto de Lemos Jnior, Joflo Fran-
cisco Regis Coelho, Joflo de Freitis Barbo-
sa, Joflo Viclor Lieutier, Joflo Paulo Mon-
teiro de Andrsdc, Joflo Pires Ferreira, Joflo
Pacheco de Queiroga, Joflo Ribeiro Pessoa
de VasconcelloSi Joflo Baplista de S, Joflo
Manoel Miguis, Joflo Baptista Ferreira da
Annunciacflo, Joflo Manoel Hbeiro do'Co-
to, JoSo Rodrigues de Mours, JoSo da Sil-
va Loureiro, JoSo da Malta de Miranda Cas-
tro. Joflo Francisco Regis dos Anjos, Joflo
Diniz e Silva, Joflo Nunes da FonsecaGal
vilo, Joflo Moreira do Mendouca, Joflo Vaz
de (ilivena, JoSo Ferreira dos Sanios, JoSo
Jos de Miranda. Joflo Carneiro Rodrigues
Campello, JoSo Leile Rodovalho, Joflo Se-
verino do Reg Barros, Joflo Carneiro Lins
Suriano, Joflo Pereira da Costa, Joflo Leile
Pita Ortigueira. Joflo Miguel da Costa, Joflo
Bautista de Almejda Mello, Joflo Arsenio
Barbosa, JoSo Francsc~044o lezp Maa.'Joflo
Francico Carneiro Montoiro, Tolro B-'ze.rr
Monleiro, Joflo Ferreira da Cunda, Joflo
Albino da Silva e Souza, Joflo Alves Machi-
do, Jyflo Vieira de Araujo, Joflo Jos de
Moraes, Joflo Manoel Pessoa de l.acerda,
Joao Marnho de Souza Leo, Joflo Francis-
co de Barros llego, Joflo de Carvalho Paz de
An.irado, Joflo Coelho da Silva, Joflo Joa-
quim da Costa F'gueirda.
Joaquim Jos Pereira Vianna, Josqum
Jus de Paiva, Joaqun) Celestino Concal-
ves, Joaquim Flix Machadu, Joaquim llen-
riquesda Silva, Joaquim Machado Portella,
bacharel Joaquim Jos da Fonseca, Joaquim
de Albuquerque o Mello, Joaquim Jos de
Abreu Jnior, Joaquim da Silva llego. Di.
Joaquim deAquino Fonseca, Joaquim An-
tonio de Faria, Joaquim Jos Ferreira da
Rocha, Joaquim Goncalves do Cabo, Joa-
quim Jos de Abreu, Joaquim Jos Ferrei-
ra de Carvalho, Joaquim Teiieira Peixolo,
Joaquim Francisco de Albuquerquo San-
liagu, Joaquim Jos da Silva Castro, Joa-
quim Bernardo de Figueiredo, Joaquim Ju-
s Pinto Cuimarfles, Joaquim do Alraeiila
Pinto, Joaquim Bernardo dos Rcis, JolqWui
Jo.- da Costa, Joaquinr.Maria dcCrvalho,
Joaquim Pereira Bastos, Joaquim Francisco
de Mello Sanius, Joaquim Anlonio de Cas-
tro Nunes.
quoi se quizerem oppr s ditas cadet
uorn ramal lar A n-___l-_. .vou<"ris
verflo remoller 6 secretarla
seus.documentos 8i das ai
lyceu
cursos. Lyceu, 18 Jo julho do 1849
nuario Alexandrinn da Silva Jffl4e//0 ,' ~
professor de dosenho e secretario
-Tendoa dmlnistracao do crrelo ^
ta cidado por mullas vezes puWicarln! it
das cartas antigs existente* na -, "*'
ministrac.'io pela ultima vez o r4n.
lempo de oito das contados de bol
dos os quaes vai proceder i queirn din.
comodispe o regulamento de 2
zembro de 1814. E pa'a qoeeheuan
nhociment de todos.se faz o 6r
Becife, 21 do julho de 184S -o i
nistrador, Antonio Jos Gomes do Corr!
O commandante e fllciaes do hri*'
de guerra do S. M Fidolissirna Vf|/.rb
nflo podendo dcixar de dar um u
munho do sua gralidflo ag pessois n
quem tiveram a honra de trat
sondo possvel faze-lo a cada u
licular.o fazem por este meio,
agradecendo a franqueza e urbanidad I
que frara Ira lados mas ofTerem
servicos om Lisboa para onde regr su"
ou para outro qualquer lugar iojkJ
acharem.
Companhia de Beberibe.I
A adniiuislracflo da companhia de4ts]jJ
ribe reune-se no da 25 do orrente pelas
horas da mairiifla no escrlptorto da meia
para contratar a arrecadacSo da taiji
chafarzes o bicas.
(Continuar-te-ha)
Occlararoes.
(*) Liquidou-se na mesma rifcasiflo as ac-
eces de liqudscOes de rendas dj julgadas
por aenlencas para m6screm pagis ou com-J Francisco Jos
Pns*du- f IlhoPaa deAodrade J'unior.Franeisee '
Lisia geral dos cidadios residentes no primei-
r, segundo i tereeiro districlos do termo
do fecife, que teem as qualidadts exigidas
por lei para serein jurados, orgtnisada pe-
la i un I a revisores em 19 de muio di 1849,
pelos membros ubaixoassij/nadoi.
(ContinuacSodon. 135.)
Francisco de Paula do Reg Barros, Fio--
rencio Jos Carneiro Monleiro, Francisco
de Carvalho Paz de Andrade, Francisco Xa
xier Confia Comes, Francisco do Paula Cor-
reia de Araujo, Francisco Xavier Carneiro
Lins, Francisco Jos Vianna, Francisco Xa-
vier da Cunlii, Francisco Lucas Ferreira,
Alves, Francisco de Carv-
A cmara municipal desla cJade faz
sessflo extraordinaria boje, 23 do corrente.
Pela segunda seccilo da mesa do consu-
lado provincial se annunca, que do da 17
do corrente mez em dimite piincipia-s a
cobrar o imposto de 20 por cento sobre o
consumo das agoas menles de prodc-
elo brasilera do municipio do Becife, per-
tencenleao trimestre de outubro a dczeui-
bro do aunp lindo, e semestre de Janeiro a
junho do corrente anno.
Tendo deixado do se arrematar as ren-
das das casas ns. 22 na ra deSan-Goncalo,
1 na ra da Madre-de-l)eos, 14 na ra do
Torres, 2 na ra da Lapa, i o 2 na ra do
Codorniz 17 na ra da Moda 54 e .( na
ra doAmorim, 18 na ra do Burgos, 27
na ra do Vigario, 132, 134 e 136 na ra
da Senzalla-Velha, 11 na ra da fcruz, e
o sitio na mala da Mroera por n*> terem
compaiecdo licitlos, a administrado do
patrimonio dos orphflos manda fazer p
coque no dia 26 do presente lornarfl
praca as rendas.das prsenles casas;
que as pessoas que quizerem sobre ella
citar, pdenlo comparecer no mencioi.
din, na casa das sessOes da mesma admin.
Iracflo s 4 horas da tarde com seus ladoro
Perante a administrado do patrimo-
nio dos orphflos se hflo de arromatar a quem
por menos izer os concertos de que preci-
sa o edilico do collegio dos orphaos o a ca-
sa n. 11 da praca da Boa-Vista, os desta
avahados em 525,460rs. e osdaquelleem
644,450 rs.: as pessoas que se p'ropozerei
a arrematar ditos concertos, poderflo com-
parecer nodia 26 do prsenle mee na casa
das sessOes da dila admiiiisiracflo, a'4 ho-
ras Qa tarde, Cun seus (adores.
OSr. director do lyceu fazsciente ao
publico que, por portara do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, de 13 do crrenle, as
eadeiras de primeiras letlras novameite
creadas para aa freguezus do PapaCaoa e
izeira vilo a concurso da data d
-"-. > IMi|.| .,!-J---1--
tere
fflt
I
"i
IVI
Thcatro de S.-Franciscd
Deixa de ler lugar o espectculo annu
ciado para boje em consequencia do
lempo, licando loJavia transferido
i|uarta-fi)irs, 25 do crrenlo.
Avisos martimos'
Para o Rio-de-Janeir
primeiro de agosto prximo
condecido brigue Assombro, poi
carregamenlo prompto : recebe algumal1
ga miuda e passageiros, para o qae'l
honscommodos : os pretendontes diriji
se a ra da Cadeia do Recife, n. I
lar com Joao Jos Fernandes Magalhfles.
I'ara Liverpool
O brigue inglez Barkill, declarado j
la^vistorias competentes, capaz de |
ifW urgijf de algodflo a qualquer part
bropa, lefndo ja reccbidooS concjjrtoir
;isos. Itoceber smente o referido gl
Para Buenos-Ayres
(/ iatacho dinamarquez Apettrad-
forra*) de cobre, e de primeir ni
deve kVguir viagom nestes 3 das parac
da-Pra(a: pode receber algurna carga
modo frclo : a quem conviercarregSf,
ja-so aiGaulino Agostiuho de Barros,
da Cruz! do Recife, n. 66.
^ Para o Rio-de-Ja'noiro
seguir\com toda a hrevidade, portetj
maior parbada carga, o b'igue-escuna "|J
t'z-Venlura, tarrudo de cobre, e de boa m
cha : quem no msalo quizer cirregar
de passagem, dinja-sea Gaudmo Agostl
de Barros, ra da Cruz, n 66.
Vende-se a polaca sarda Cemma, de 1
te de 180 toneladas fondeada nestepoil
a Iralar com os ennMnalarlos, La BH
Schramm & C. na ra do Trapiche, n.
I'ara Bueiios-Ayresabir breve a I
xa Tentativa, por ler parlo do carregamenl
pro:ii|ilo ; a qual por seu porte anda p
receber poreflo de carga a froto : quem
nipsma quizer carregar, pode entender-
com os consignatarios, Aniurim Iraffos, ru
da Cadeia, n. 39.
Para o Aracaly ssho, com leda a bi
vidado o hiate Flor-de-Curuript: para c
ga o passageiros, trata-se na ra da Cadeia]
do Recife, luja n. 21.
Par* o Aracaly segu no im do corrl
lo mez, com a raiga que tivef a bordo,
patacho Santa-Cruz : quem pretender cirn
g*r ou ir de passagem, dirija-se so lado <
Corpo-Sanlo, loja n. 25.
Para Lisboa sahe, at o dia 5 de agosto,
o brigue portuguez No a maior parte de. sua carga prumpta : P
o resto e passageiros, para o que oflt
exilenles commodos, trats-se
consignatarios Thnmaz do Aquino Fonse-
ca & Filho na ra do Vigario, n. 19, pri-
meiro andar, ou com o capilflo, Anlonio
Jos dos Santos l.opa na praca.
Para o Rio-de-Jsneiro
sahir, com muila brovidade, o brigue bn-
sileiro I).-\ffonso capilflo Abellcda : quora
quizer carregar, ou ir de passagem, pira
oque offereco os inais excellenles commo-
dos, dirija-seao mesmo capilflo, outoseo
proprietario, Manoel Joaquim Bamo< Sil-
va na ra da Cadeia do Recife, n. 38
Para o Rio-de-Janeiro segu ringem,
em poucosdias, o bem i onhecido brigue
Rom-lesus que se acha com psrte de
curegaineiito ja prompto; inda recabe li-
gnina carga escravose passageiros.,pari
que tem excellenles commodos : quero pre-
tender pode dirigirse ao capitilo, Joflo Ven-
tura da Silva na praca do Corpo-Sanlo, oo
a na da Madre-de-Deos, n. 3, tereeiro in-
dar.
- Para Lisboa, qpm a maior breviilade
?ossivel, partir o brigue portuguez Tartsp*
, foi rado e encavllhado de cobre : tem --
cellentes commodos e tratamento para P"'
sageiros : os pretendeules para crg P
dem iralar com o eapilf, Manoel de 0
veira Faeco, na praca do Corpo-Sanlo, <"
com Firmino Jos Flix da Ros*, na ra
Senzalla-Nova, n. 42.
ex-
* l
i.ei loes.
iard Royle far leilflo, per inW
ocorretor Oliveira de unwl*
chitas averiadas, por conla *
de quem perlenrer, edomuilaso *-**
zendes inglesas limpas-, 'para iilli"1-*8
algumas coutas : buje, 23 do corrente.
10 horas da manhfla no seu rinMi
ra da CaJeia.
O corretor Oliveira fara leilflo, pOrV
dem do respectivo juizo e a rrqueriineu
dos ere loresdudovedor Domingos A-0'0",.-.
de Oliveira, das fazendas e miudezas
luja desle, sita na me Nova ( oulr'ur loj
do.Quoresmaj: terca-feira 24 do corren-1
le, as 10 horas dmanhfla, ni referirte l
rsos.


I
'
!
1
ar r j^^mnf,''f j ? a'euma e roca as pesacws que in-lden?r i Congo, e 50 annos, baiu,


..'..

Lotera do Rio-de-Janeiro.
Na prca da Independencia, loja n. 4, ven-
dom-.se bilhele e cautelas da 50.* lotera
da Santa-Cosa-da-Misericordia da corte.
Na mesma casa se mostrara as listas das
loteras passadas e se trocara billiete
pieniiados.
1,980 ris.
Vendem-se superiores cortes de brim
trancado do puro linhocr da lama de Pa-
rs pelo barato prego de 1,280 rs.: na ra
do Crespo, n. 14, loja de Jos Francisco
Das.
Vendem-se duas escravis crioulas com
habilidades, urna de 20annose a outra de
30.: na ra dos Tanoeiros, armazem o. 5.
Lencos pretos vam grvalas a
720 rs. cada um.
Na loja n. 5 da ra do Crespo, vendem-se
lencos pretos para grvalas, com um peque-
no toque de mofo, pelo barato preco de 720
ruis.
Chd brasileiro.
Vende-se cha brasileiro no armazem de
molhados, atrs do Corpo-Sanlo, n. 66, o
11 ais exce lente cha produzido em s.-Piu-
lo que lem vindo a este mercado, por
preco multo commodo.
Novo .sortimento de brim trancado
a i,5oo rs.
4 Vendem-se brns trancados brancos, lisos
o de lislras de puro lnho a 1,500 rs. o cor-
te ; cortes de Insiri alcochoado a 80 rs.:
na ra do Crespo, loja da esquina que volla
para a Cadoa.
Na livraria ns. 6 e 8 da praga da Inde-
pendencia vende-se o soguinle :
Manual eleitorali
contendo a le regulamentar das eleicfie.se
os decretos e decises do governo que dio
esclarecimenlos sobre sua execug3o,expedi
dosat abril do corrrente anno, com notas
explicativas fundadas uestes mesmos escla-
recimentos;
reir Mandes GuimarSes, na ra da Cruz,
n. *0.
Rap roldo francez i
Vende-seo superior rap rolSo francez ,
tnicamente as lojas dos Srs. Caetano Luiz
Ferreira no Aterro-da-Boa-Vista n. 46 ;
Thomaz deMattos Estima na mesma ra,
n. 54 ; Francisco Joaquim Duarte, ra do
Cabug ; Pinto &lrmuo, na ra da Cadeia
Jo 11ce fe, n. 19.
A 09 Srs. de engenho.
Vendem-se lijlos para fogo,proprios para
assentamento de calderas dos engenhos,
por serem de grande duracSo: vendem-se
por preco muito em conta: na ra do Brum,
fundieflo de Mosquita & Dudra, onde ha
constantemente grande purgflo.
m casa de Joo
Slwarl vende-sc muntei-
ga ingleza, chegada peo
ultimo navio, por preco
commodo, e quantidade
a vontade do comprador.
Jo bom e batato.
A 640 rs. cada um.
Vendem-se cobertores de algodflo ameri-
cano, encorpadose grandes, a duas pata-
cas ; chitas escuras, de bonspsdres e co-
res seguras, a rucia pataca o corado: na
ra do Crespo, na loja da esquina que vol-
tn para a cadeia.
Vende-se vime, chegada ltimamente
no brigue Novo-Vtneedor: na ra do Apol-
lo armazem de Antonio Augusto da Fon-
seca.
Vcnde-se algodao trancado
da fabrica de Todos-os-Sanlos a
>7<> e a 3oo rs. a vara : na ra da
Cadeia, n. 59.
Tafxas para engenho.
Na fundicSo de ferro da ra do Brum,
araba-se de receber um completo sortimen-
tode taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
quaes acham-se a venda por preco com-
modo e com promptidSo embarcam-se,
ou carregam-se em carros sem despezas ao
comprador.
Deposito da fabrica de
Todos-os-Santnsna Baha.
Vende-se em casa de N. O. Itieber & C.
na ra da Cruz, n. 4, aleodfio trancado
daquella fabrica, mnilo propriu para saceos
Je tssucar e roupa de escravos.
-- Vende-se cliampinia da maissuperior
qualidade que tem vindo a este mercado:
na ra da Cruz, n. 27, armazem de Crocco
A; C.
Vendem-se sellins inglez
camas de ferro: na ra da Sema
Na ra do Queimado, vindo do Rozario,
segunda loja n. 18, conlinuam-se a ven-
der suspensorios de seda a 500 rs. o par
luvasdeseda ,a 200 rs. o par; meias de
seda curtas, prelas, brancas e do cores
800 rs. o par ; lencos pretos de seda a 200
rs. ; ditos de cambraia para gravata a 400
rs.; lencos brancos, a ICO rs.; e outras
muitas fazendas por commodo preco.
Vende-se a muito acredita-
da firinha franceza liaron, chega-
da ltimamente, e por preco rasoa-
vel : na la da Senzalla-Velba,
n. 138.
Vendem-se bilhetes da lote-
ra do Dio-de-Janeiro: na praca
da Independencia, n. 37.
Na ra do Qireimado, n. 12, primeiro
andar, vendem-se msicas modernas e im-
pressas, de dilferentes autores recem-che-
gailas da Franca; bem como duas missas era
partituras de um 1 autor acreditado ele-
gantemente cncadernrdas, eproprias para
irmandades de igrejas.
Jo bom gosto.
Chapelinhos para senhora, com delicados
feitios enfeites mu variados, llores mi-
mosas e com um lindo heija-flores quo lem
urna cauda definissimas pennas ; todos de
seda : vendem-se em conta : na ra do Cres-
po, loja de quatro portas 11. 12.
Na loja da ra do Crespo, n. 6, ao
p do lampeao, continuam-se
a vender lazendas baratas.
Cortes de brim trancado amare.Vu, a 1,440
rs.; ditosde-dilo escuro, da melhor qua-
lidade que tem vindo a este mercado, a
1,280 rs. ; ditobranco istrado a 1,500 rs. ;
cobertores de algodflo, mais encorpados
dos que os de nutra parte, a 640 rs.; chitas
para coberta a 2A0 rs. oenvado ; chitas es-
curas com cures li xas a 160 e 180 rs. ; cha-
peos do irassn a 1JOO rs. : ditos le seda ,
a 64o rs.; cassae>.rl hahados e cortinados,
a 2,400 rs a ufea e a 320 rs. a vara.
Vender cal virgem, de Lisboa de
superior cfualidade, era barris de 4 arrobas,
chegadafneste mez pelo brigue Maria-Joi:
Afilar na ra do Brum, armazem de
'Antonio Augusto da Fonseca, ou na ra do
Vigario, n. 19.
nova,n. 4ar
Folha de Fiandres.
Vendem-se canas com folha de Fian-
dres : em casa de J. J. Tasso Jnior : na ra
do Amorim. n. 35.
--No armazem da ra da Moda, n. 7, con-
lina-se a vender superior colla das fabri-
cas do Bio-Crande-do-Sul, por preco ba-
rato.
N. 9.
Kua da Madre-de-Deos.
Puro vinho dai Figueira.
O novo armazem desta pinga deliciosa
acaba de se abrir nesta ra, defronte do ex-
tincto armaiem ao mesmo preco de 180
rs. a garrafa e a 1,360 rs. a caada. Os
amantes deste licor all encontraran garra-
fas prnmplamente lacradas e com o seu
competente rotulo para trocarem por outras
promptamente ; assim como tambem en-
contrarlo barris de diversos tamanhos,
por pregos bem rasoaveis ; bem como vinho
brancode Lisboa a 1,600 rs a caada e a
220 rs. a garraa. O propietario deste esta-
belecimento pede exime para poderem ava-
llar a pureza do sua qualidade e asseio e
que em nada desagrdate ios concur-
rentes.
Vende-se urna preta de 14 annos, que
cose bem, engomma e cozioha : na ra lar-
ga do Rozario, Joja n. 35.
Panno azul.
Vende-se panno lino azul, proprio para
fBrdamento por preco mais barato do que
em outra qualquer parte : na ra do Amo-
rim n. 35, casa de J. J. Tasso Junior.
Farnha de trigo.
J. J. Tasso Junior vende fai jnha america-
na dePhiladelpbia chegada ltimamente,
de boa qualidade, e por prego commodo.
Cadeiras depalhinha e debalanco;
armarios pira roupa; lavatorios; soplias;
mesase mais mobilia; bem como um rico
sorlimenlo de
vasos de cry stal brancos e de cores
para adornos de sala; garrafas e copos de
crystal de cores em casa de Kalkmann Ir-
rnao, na ra da Cruz, n. 10.
~ Vende-se cal virgem de Lisboa em
barris pequeos ; feches de arcos de poe
rodas de ditos para barricas; qpnhetes de
pinho abatidos para assucar; pregos cai-
xaes do Porto em barris de 10 milheiros ;
ditos de estuque em barris de 32 milheiros;
mermelada de Lisboa em latas de 1 e 2 li-
bras; pilulas de familia ; cadeiras de pao
preto, angico e cerdeira, chegada* ltima-
mente do Porto : a tratar com Joquira Fer-
a.melhor fazenda para vestir escravo pelo
barato preco de 200 rs. o covado: na loja da
esquina da ra do Crespo, que volta para a
cadeia.
AGENCIA
da fundicSo Low-lloor,
RA Da. SETiZALT.A-TiOVA, l. [\1.
Neste estabelecimento conti-
na a haver um completo sorti-
tnento de moendas e meias moen-
das, para engenho; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos,
para dito.
Novos riscados monstros, de vara
de largura, a 320 rs. o covado.
Na ra do Crespo, n. 5, vendem-se os no-
vos riscados monstros, muito tinos e pa-
drOes nunca vindos a este mercado, pelo
barato prego de 320 rs. n covado.
Vendem se presuntos inglezes para
fiambre; latas com bolachinhas de Lisboa ;
ditas de araruta ; ditas de marmelada de
1,2 e 4 libras ; ditas de sardinhas ; ditas de
hervilhas ; ditas de chocolate de Lisboa ;
frascos de conservas ; ditos d'agoa de flor
de laranja; barris com azeitonas brancas de
Elvas ; garrafas com vinho moscatel de Se-
tubal, e da Madeira; queijos de prato ,
frescaes: tudo novo e ebegado ltima-
mente de Lisbt: na ra da Cruz, no
Recife, n. 48.
Aos amantes da lotera do Rio-
de-Janeiro.

Sflo chegadas as listas da sexA lotera do
theatro de S.-Pedro, e com ellas novo sor-
timento de bilhetes e cautelas na 50.a lote-
ra da Sanla-Casa-da-Uisericprdia, cujas
listas veem no primeiro vaport A elles an-
tes que se acabem. Na ra da (Zadeia do Re-
cife loja de fazendas, n. 51, nta Magalhes, onde existen as listas das
loteras passadas. \
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Aos 20:000,000 de ris.
He chegada a lista da sexta lotera do
thealro de S.-Pedro, e com ella grande sor-
timento de bilhetes, meios, quartos, ota-
vos e vigsimos da 50.' lotera da Santa-
Casa-da-Misericordia do Ro-de-Janeiro,
cuja listas devem rhpgar no primeiro va-
por: na ra da Cadeia, n. 06, loja de fer-
ragens, de Antonio Joaquim Vidal.
Chitas de cores fixas, a 5,200, ou
a 140rs. o covado.
& ....."
Para liquidar quanto antes.
>. Conlinuam-se a vender lencos de se- ^
9. da para hombros de senhora e para <<
g algihelra a 500, 8fl0, 1,000, 1.200 e <
i> 1,280 rs., e muito superiores, a <":
1,600, 2,000, 2,240, 2,400 e 2,560 rs. ;
esguio fino de lnho, a 1,280 rs **
j? a vara ; cortes de vestidos de cam- |J5
X braia com barra branca e decores,a ,
<> 1,600 rs.; meias azuese pretas para m senhora e meninas, a 1,000 e 1,600 2
> rs. a duzia ; suspensorios linos de S> meB, a 960 rs. a duzia ; botoes de -C
U" duraque e franklim a 240 rs. a gro- J
** sa; um resto de brim pardo para for- "5
E ro, a 80 rs. o covado : no pateo do I
'*" .'______ II ........l ..!..
Ca 1110 n. 18, segundo andar.
Na loja n. '<, ^wiiz esquina para a ra
do Colleg, vendem-se chitas de bons pa-
drees vres fixas, a 5,200 a peca e 140 rs.
o ovado; ricos cortes de cassa da rainha
Victoria a 3,600 rs. o corte ; lindas cassas
francezas, largas, pelo barato preco de 640
rs. a vara esta fazenda se torna muito re-
commendavel por ser de padrOes novos e
muito finas; alm destas ha um com-
pleto sortimento de todas as qualidades de
fazendas, por preco muito commodo.
Vendem-se, na ra do Livramento, n.
20, ossurcriorese mui frescaes queijos do
Cears, chegadosno vapor S.-Salvador: tam-
bem se vende urna negrinha de 14 annos;
urna preta j de idade, que entende de co-
zinha, pelo diminuto preco de 230,000 rs.
Vendem-se, na praca do Corpo-Santn,
armazem n. 4, esleirs do Aracaly, em por-
cSo de cen, por peco commodo.
4cs fumantes de bom qosto.
No armazem de molhados atrs do Cor-
po-Santo, n. 66, ha para vender, chegados
pelo ultimo vapor vindo do sol, superio-
res charutos S.-Felix, e de outras muitas
qualidades que se venderSo mais barato do
que em outra qualquer parte : bem como
ciparrilhos hespanhes ditos de palha de
n illui, que seeslSo venciendo pelo diminu-
to prego de 500 rs. o cento.
Cha barato.
Vende-se muito bom cha, pelo preco de
500 rs. a libra : na ra do Crespo, 11. 23.
Na ra do Cabugrt, loja do
Duarte,, vendem-se
relogosfritos na America, de fabricas de
metal, a 16,000 rs.; quadros de santos com
molduras douradas ; chapeos de pella de
lebre, sem pello e de castor, a 3,000 rs.
Direito das mulheres
carobique de 18 annos, de bonita1 figura
bom cozinheiro nSa tem vicusnem acha-
que, o que se .llanca ao comprador se
forparaomaUo, ou lora da provincia, se
.lar mais em conta: na ra da Concorda.
passandoaponte-;nha, 9 direita segunda
casa terrea se dir quera vende.
Vende-se panno dclinho
do Porlo,
bastante largo, entre-fino e de superior
qualidade;
palitos de flor para den-
les ; folha de Fiandres,
Charcoal; ferro ero bar-
ra de superior qualidade
garantido e igual como o da Suecia, a 9,000
rs. o quintal :no armazem de A. V. Silva
Barroca, na ra da Madre-de-Deos, 11. 26,
defronte da igroja.
Attenc&o.
Na ra do Crespo, loja n. 5 A, junto ao
arco de S.-Antonio, vendem-se ricas man-
tas de seda de novos lavrores a 6 e 8,000
rs., tanto para senhora como para meni-
nas ; alm destas fazendas ha u.n rico sor-
timento de leques com enfeites inleira-
mente novos, e que se vendem maisem
conta do que em outra qualquer parle.
*'endem-sc pilles de couro de lustro
de muito boa qualidade hamburguez, a
4,000 rs., e francez, pelles grandes, a 4,500
rs.; marroquim de todas as cores, a 1,920
rs ; bezerros francezes a 3,500 rs.; graxa
ingleza, a 240 rs. : na praca da Indepen-
dencia n 15.
Vende-se peixe secco grande e peque-
no ; courinhns mindos superiores; supe-
riores velas de carnauba formas de esper-
macete; barricas com superiores sapatOes;
caixas de tartaruga superiores; bezerros
curtidos; duas libras de tartaruga muito
grossaeduas unhasda mesma: na ra da
Cruz, no Recife, n. 24.
Vende-se um pardo de 23 annos, sem
vicios proprio para qualquer servido : na
ra do Crespo, loja n. 15, de Cunha Gui-
arle*.
Charutos iln S.-Felix.
Na loja de Antonio Joaquitai Vidal ven-
dem-se supeiiores charutos \de S.-Felix
verdadeiros, os quaes se recortjnienda aos
bons fumantes.
Vendem-se 2 pretas de rilc/io, sem
vicios nem achaques e que cn/ujliam, la-
vara de varrella e sablto: vendem-se para
pagamento de urna divida : na ra do Livra-
mento n. 4, se dir quem vende.
Vendem-se meios de sola muiti gran-
des e de superior qualidade; salsa muito
nova vinda do Para no ultimo vapor, em
^aalquerporc.7o do Trapiche, n
26, casa deManocl Duarte i>od/7gues.
Agoa de lingir cabellos e suissas.
Contina-se a vender agoa de tingir ca-
bellos e suissas : na ruado Queimado, n.
31. O methodo de applicar dita agoa acom-
panha os vidros.
Vendem-se escravos baratos, na ra d
Vende-se um baleflo proprio ng 1
criptorio, ou outro qualquer esUhei.M
ment; umabalanca paraourives- n
da Cadeia do Recife, n. 34. ""J
Vcnde-se um sitio na estrada dos Affl
s, o qual fica contiguo ao lado direi <
tos
sitio de Manuel
Paulo Quintella
ireiio
"o piteo
segundo anda
Vcnde-se
cobre para forro* de
navios:
no armazem de A. V. da Silva Btrrota
No deposito da estrella
na ra Nova, n, 66,
da S.-Cruz no sobrado da viuva doPerfir
ar. '>
acha-se um grande sortimento das
melhores qualidades de charutos que
O teem vindo a este mercado, conten.
> do os precia veis eseguintes charutos:
0 monstruoso bramante de linh
de I 1 palmos de largura.
Na loja de Cuimarfles & llenriques, na roa
do Crespo, n. 5, vende-se bramante fino de
puro Inho de 11 palmos de largura, pelo
barato prego de 2,800 rs. a vara; ricos co-
bertores de barra de seda, muito grandes, a
6,000 rs. e mais pequeos, a 5,000 rs.;
fazendas estas nunca vindas a este mer-
cado.
Pannos, a 2 e 3,000 rs. o covado-
Na loja de Cuimarfles & llenriques, na ra
do Crespo, n. 5, vende-se panno preto e
azul, pelo barato preco de 3,000 rs. o co-
vado e preto mais inferior pelo diminu-
to preco de 2,000 rs. o covado ; bem como
um completo sortimento de todas as cores,
ede diversos precos.
A pechincha.
Cortes de cambraia adamascada
com toque de avaria, 2,5oo ris ;
ditos limpos para vestidos e corti-
nados, a 3,ooo ris ; ditos de tala-
garca, a 1,600 ris ; ditos finos, a
2,5oo ris; cassa-chita de cores li-
e injustica dos homens, traduzido por urna
Brasileira : vcnde-se a 640 rs. na pruja
da Independencia, livraria ns. 6 e 8.
xas, a 3oo ris o covado; riscado
em cassa, o covado a 900 ris; lan-
ziriiias para vestidos, calcas e roupa
de meninos, a 3so ris o covado;
e outras muitas fazendas por preco
be rato : na ra do Crespo, loja de
Cunha GuimarSes, n.15
A 900 rs. o covaVa.
Vende-se tuarte azul trancado^ multo en-
corpado e com 4 palmos e mel largura,
Na ra do Cabugd, loja do
Duarte, vendem-se
tpsouras para alfaiate e barbeiro fabrica-
das em CuimarSes pelo melhor culileiro
daquelle lugar; ditas de Lisboa, para se-
nhora com aros rolicos de ac fino.
Cortes de brim de puro
linlio, a 1,280.
Vciideiii-sa corles de brim trancado
pardo de purolinho, pelo diminuto preco
de quatro pticas : na ra do|Crespo, loja
da esquina que volta para a cadeia.
Na ra do Cabugd, loja do
Duarte, vendem-se
lamparinas inglezas da urna invencSo mais
moderna que tem apparecido ; bandejas fi-
nas ; bolOes de Pedro II, da 1.", 2.e 3.
ditos amarellos para casaca; ditos ditose
de massa para militares; ditos pelos de
seda para casaca ; ditos para vestidos de se-
nhora e enfeites de roupas para meninos e
de madre-nerola de diversos tamanhos; di-
tos de libre brancos e amarellos.
Vendem-se sapatOes brancos
do Aracaly a 1,000 e 1,200 rs.
o par : -na ra da Cadeia do Reci-
fe n. 9,
Vende-se una canoa aberta,
de 600 alvenarias grossas, oji tro-
ca-se por materines finos ou gros-
sos: na traveasa da Concordia, so-
brado novo,, n.
I.arangciras, n. 14, segundo andar, negras,
moleques, negros e mulatinhas.
Vende-se um pardo de 18 annos, opti-
moollieial de sapateiro, o qual he muito
liel o humilde, e nflo tem vicios por pre-
co muito em conta por se achar o dito
pardo com urna pequea inriamraagflo e
o seu dono pretender relirar-se para fra do
imperio: na ra das Larangeiras, n. 14, se-
gundo andar.
Na ra do Cabugd, loja do
Duarte, vendem-se
fitas de selim lavradas; ditas rom franja
setins lisosede cOres ; galOes finos o ordi-
narios ; volantes ; trinas; espiguilhas ; flo-
res ; capellas de or de laranja; luvas de
seda ; mantas de seda para meninas a 800
rs.; dilas para senhora a 9,000 rs.; lengos
para gravata, de lindos modcllos.
--Firmiano JoscRodriguesFcrroira, an-
iiunca que tem mudado um dosseus esta-
belecimentos de fazendas da loja, n. 9, e
transferido para a mesma ra em outra (de
n. 19, aonde os seus antigos freguezes o
amigos acharan um completo sortimento
de fazendas de gosto, e por muito barato
preco, como sejam pannos finos de tntlasas
cores, por 2,400, 2,800, 3,000 e 3.200 ris;
algunas fHsin. iras 1 5.000 ruis o corle ; lila
para caigas a 4800 res; chitas linas, a 200,
220, 240 e 160 ris; madapole, cutrins e
outras muitas fazendas de goslos, que se
vendern por precos que mullo agradarSo
aos compradores.
Na praca da Independencia, n.
iO, ao vollar para a ra das
Cruzes,
vendem-se e tambem se applicam as me-
lhores bixas que he possivcl haverem no
mercado ; limpam-se, chumbam-se e ti-
ram-se denles com toda a peifeicflo : tam-
bem se applicam ventosas com a maior de-
licadeza que he possivel, e tudo o mais quo
perlence a arte de sangrador: tudo por
prego muito rasoavel.
Vende-se
na loja da ra do Passeio-Publico, n. 19 ,
urna poreflo de chilla branca, propria para
escravos ao barato prego de 80 rs o cova-
do ; chapeos de sol, de seda, a 4,800 rs.
cada um.
Grande galera ptica.
Vende-so 100 vistas das principaes partes
do mundo obra muito rica pela natu-
reza apropriada dos objeclos, 12 ptimos
vidros e outros periquees para qualquer
pessoa expo-lasaqui, ou em outra provin-
cia : na ra Bella 11. 36.
Vendem-se dusa pretas ptimas para
o trabalhode campo ; urna preta que cori-
ntia e lava de sabifo e varrella, cun urna
cria de 10 annos, muito linda para ser edu-
cada : na ra do Collegio, n. 21, se dir
quero vende.
Na ra das Cruzes, n. 22, segundo an-
dar, vende-se umamulalinhade 22 annos,
quo cozinha, cose chao, lava, e be engom-
madeira ; urna escrava de nacSo de meia
idade e que he boa lavadeira; um mule-
que*de nacSo de 18 annos; um bom escra-
vo de nagBo, ptimo canoeiro.
Vende-se um bom sellim inglez em
meii u>o : ua ra da Cadeia do S.-Antonio'
n.25.
O
I
o
o
&
o
&
Saquaremas,
Deputados,
Senadores,
Venus,
Lanceiros,
Quem-fumar-saber,
.Melindres,
limos de yaya,
Emilios,
NSo idus.ultra,
Itegalia,
Patuscos,
& o outras muitis qualidades que serlo
& patentes aos freguezes, e se venda-
O 1 Ho por pregos rasoaveis.
Vende-se a legislag3o brasileira, dei-
dea poca de sua independencia, 182*n
1834, em 0 tomos em folio, de boi em
dernagflo e em bom uso, por25,000 rs.
ra do Rozario, loja de encadernagSo.
Vendem-so duas casis terreas com qui-
taes, sitas na travesa do Peixoto, aauits
perto da nova matriz de S.-Jos : faz-sela-
do o negocio: no pateo do Carino n. II,
segundo andar.
AttencHo as boas wrles.
Fram vendidos na loja de cambio di m
da Cadeia do Recife. n. 24, da viuvi di
Viciro & Filhos da sexta lotera 1 beneficie
do thealro de S.-Pedro de Alcntara do fti
de-Janeiro, os premios seguinles : 5,56
20:0110,000 de ris; 2,982, 1:000,000;8M,
853 e 3,870, 400,000 ris; 1,223,2,907,
4.740, 100,000 rs.; 2,257, 41/
tes premios de 20,000 rs.
HA),om> rs. ; 1
rs. ; eVasta ni
cravo Fuminos
>.ei
Vendo-stbum moleque do nac*A "- a.aa.
Vendem-se capachos por barato.preg(L
na ra larga do Rozario, loja de roiudoz *
Fu*, oHa 20 do contente um m.
1 1 n 11..-.- .Je nome Luiz de 16 anuos, bti-
xo.cheio do corpo; muito gago, vendi
pilo da padaria doBarrelier; he natural di
rio do Peixe : quom o pegar,leve-oa ra di
Mangueira n. 9.
Fugio, 110 da 19 do correnle, o preto
Roberto, de nagSo .osla trra Crusss. di
22 annos pouco mais ou menos estilan
regular, grosso do corpo, olhos grandes,
denles repicados o meios amarellados, pou-
co talhado no rosto ; quando anda parre*
querer ginar ; est vacciaado om ambos 01
bracos ; levou camisa de algodSozinho
braneo, de mangas curtas e j usada, nl-
gus de linho azul, suspensorios de meii
com lislras, cirapuga de manijo nova:
quem o pegar leve-o a rus da Cru, defron-
te do becco da Lingola terceiro andir dt
casa da esquina quo ser bem recompen-
sado.
Aoamanhecer do dii terca-fei-
ra 17 do correle, fugio, do
engenho Caiap, na freguezii
de Iguarass, Mximo, pirdo es-
curo vulgarmente cabra, do
30 anuos, grosso do corpo, barhido, olhos
pequeos, papudos e embranquigados, coa
falla de denles pernas algum tanto finat;
levou bata encarnada debrunhida de ua
s lado, 2 camisas de algodSozinho cha-
peo de palha, um eavallo caslanho, capido,
com tomaduras de ambos os lados o con
ferro; foi comprado no Recife ao Sr Bay
mundo Carlos Leite como procurador do
Sr. Antonio Luiz Alves Pequeo Junior,
quo Ihe o remetteu da villa do Crato em
Cariiys-Novos. Roga-se as autoridades po-
liciaes, cs>iaes decampo e pessoas parti-
culares que o apprehendam e levem-no 10
dito engenho a seu senhor Luiz Antonio
da Silva ,ou nesta praga aos Srs. Jos Pe-
rcira da Cunha e Bailar & Oliveira, as rii
da Cadeia (e Cruz, quej gralUicaio 101
conductores.
Fugio, nodia 3 do junho prximo pli-
sado, oprejo Diogo, de nagflo Congo, do
40 annos, cheio do corpo ; he bastinle des-
cansado 110 andar; tem urna cicatriz 0,u0
principia da face al junto a orelha esquer-
da e ua direita lem urna falla que princi-
pia do meio do circo para cima ; levou ca-
misa e ceroulas de algodflo da Ierra. Rog-
se as autoridades policiaes e pessoas parti-
culares, que o apprehendam e levem-no
ra larga do Rozario, padaria n. 18, quK-
rflo gratificados generosamente.
Fugiram, no da 12 do correnle, 00 ei-
cravos seguinles : Luiz, crioulo, do 20 an-
nos, altura regular, meio grosso, rosto
redondo denles limados, olhos grandes ;
he bem desembargado na falla: Celrudw,
crioula, altura menos que mediana, gron*
do corpo, rosto largo, deules limodoSi
beigos grtssos ; lem.dons calombos dechi*
coladas na p esquerda, ps grandes : q,,crn
os pegar leve-os a asa de Joaquim Fen
alachado, morado/na casa da esquina, jun-
to a rampa do caes do Ramos ou ao en-
genho Tinlugal/, freguezia de Barreiroi,
comarcado Itio Formoso a Flix Antonio
Paz, que era qualquer paite se reeompe
sara com geuerosidade. y^
Fugio, no da 16 do.torrente do engo-
nho Maranhilo fre-ezia de Ipojuca
escravo da ^slaf, de nome Cosme ;
e riscado azul; he um ti
ule alio corpo e prri
elhasfuradaao > De'*0.,,
usa vir.do. Roga-se as ali-
es cap les ue campo
res, que o apprehendam o
engenho ou nesta praga
reir da Cunha, que
>
levJUl
camisa e caigas
lo bugal, baat.
linas ; tem as
tenor alguma
toridades policj
pessoas parliri
eveni-nu ao di
a caso de Jos
compensar.
ro*l
t