Citation
Diario de Pernambuco

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Publication Date:
Language:
Portuguese

Subjects

Genre:
newspaper ( marcgt )
newspaper ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
This item is presumed to be in the public domain. The University of Florida George A. Smathers Libraries respect the intellectual property rights of others and do not claim any copyright interest in this item. Users of this work have responsibility for determining copyright status prior to reusing, publishing or reproducing this item for purposes other than what is allowed by fair use or other copyright exemptions. Any reuse of this item in excess of fair use or other copyright exemptions may require permission of the copyright holder. The Smathers Libraries would like to learn more about this item and invite individuals or organizations to contact Digital Services (UFDC@uflib.ufl.edu) with any additional information they can provide.
Resource Identifier:
002044160 ( ALEPH )
AKN2060 ( NOTIS )
45907853 ( OCLC )

Full Text
Anj.o XXV.
Quinta-fe ira 19
PARTIDA DOB OOBBXIOS. "*
r.|,nna eParahib,segunda elextas-ferra.
!io-Cranilc-do-Norte,quinta-feiraaainpio.
Cnbo.Serinhaem, Rio-Formoso, Prtb-Calvo
c Macelo, no 1.*, a 11 c 21 de cada mea.
r.iraolmns e Bonito, a 8 e 23.
lg".Vi.taeFlore.,.13e28.
Victoria, as quintas-reirs.
Olinda, todos os dias.
DIARIO
Emamnon.
l'r.iSEs d u;. Chela a 5, sllh. e 9 m. da ni,
Miug. 13, s A h. e 48 ni. da m.
Nova alO.s 6h. cS6m.da t
Cresc.a26,s lOh.elni.da t.
TOEAMAR 9K BOJE.
Primelra s 3 horas e 24 minutos da mana
Segunda s 4 boras e 6 minutos da larde.
(le Julhode.MO.
n. ^a.
raxoOa da nrasonipi
Por tres Mezes (diantadot;
Por seis metes
Por un anno I!>jr8i0
DJAI DA UMANA.
16 Sg. R.S.doC*rmo. Aud. do/.dos orphlosedo
17 Tere* s/aIcUo. Aud. d chae, do J. da 1. v.
do clv. e do dos feittgda fatrnda.
I 10 Qcmrt. S. Marina**! > <**\ v- f eW.\
Quint. 5. Justa. AsAsmi. dos orpli. do m.l.v.
>e. S. JeronyiuoCirflano. Aud. do J. da i. v.
do olv. c do dos fcHos da faVenda.
U Sabbado. S. Prxedes. Aud. da Chae, e do i.
da 2. vara lo crlin.
ft Dom. S. Maria Magdalena.
CAMBIOS IM 18 DE J.HO.
Sobre Londres. M'/.WV.a d.por 1/000 rs. aOO dlaf.
. Pars, 380.
. Lisboa, 115DOT cento de premio.
uro -Oncas h**p*nhotas.........tt000 a '"""
Un- Moeda. dcVoOwlha... 1M00 a 700-
. deW400novas... luWUO a loS
PARTE OFFICIAL.
ipi
MINISTERIO DO IMPERIO.
AVISO DE 28 DE JUNHO DE 1849.
Di iiurncfo' poro a exetueo da lei regula-
mentar dai titirite.
1 Sereno.Rio-de-Janeiro. Minlaterio dos
negocios do Imperio, em 28 de junho de 1849
lllm. e Exm. Sr.Sendo conveniente reunir
it nrinclpaes providencias que teein aido expe-
didas para a execuco da le regulamcntar das
elelcOes, na parte sobreludo que diz respeilo
li elelcoes primaria e secundaria, a que tem
de se proceder no corrente anno : houve S.
M o Impender por bem mandar organisar as
instrucedes a este annexai, por mlin asiigna-
das na data de boje, cas quaes foram addieclo-
nados varios esclarccimeatos tendentes a pre-
venir as duvldat que se possam suscitar sobre
os ponto mals Importantes da dita lef; e or-
dena que se executem em todo o. imperio, ex-
pedirlo V. Exc. para este fim *l ordens ne-
cecarias as autoridades desaal provincias a
quem o seu conhcciineuto e execujao per-
tencer.
Dos guarde a V. Exc Fieonrf de lont'KU-
pt.Sr. presidente da provincia do Rlo-dt-
jtaeiro.
N ineama confonnidade e data aos presi-
niif i das demais provincias.
HS1MJCQOES A QUE SE REFERE O AVISO
DESTA DATA PARA A EXECUCO DA LE
REGL'I.AMNTAR DAS EI.tlCOES DE 19 DE
AGOSTO DE i84.
Art. 1.* A convocaco de que trata o art. 4i
da le Vegnlamentar das eleitftes de i9 de
agosto de l846, bem como a presidencia da as-
senibla parochial e collegio eleitoral at a
rleicao da mesa, compete no prlinelro anno
de mu novo quatrlennio ao juix de paz mais
votado do districto da matriz, elcilo hra csse
quatrlennio.
Art. 2.' as parochia em que por n lelijurr
motivo nao se teoha verificado a eledB dos
novos juizes de paz ao lempo da dita c&ora-
f ao e rrunio da assemblea parochiaVcolle-
pio eleitoral, ou porque no se ieuhajprocfdl-
doella, ou porque haja sido annulMoa a que
lora Telia, era aquella attribuicV exercida
pelo juii de paz man votado do ultimo qua-
trienoio.
Art. 3. Se a referida elelc estiver valida-
mente concluida depois da incsiiia convocaco,
porni antes da reunio das sobredltas assem-
blea e collegio, asiuinirii a presidencia des*
tas o juii de paz mais votado dessa eleicao. O
niesuio se observar quando a rleico tiver
lugar posteriormente i rruniao da assemblea
parochial, mas anteriormente nstallaco do
collegio eleitoral.
Art. 4 A substituido do juiz de paz mal*
votado pelos seus inmediatos em votos na for-
ma do ari. 2 da lei ter lugar, qualquerque
seja o motivo da sua falta, e cm qualqucrtem-
!o eiu que ella di, mesmo na occasiao da
sslgnatura das acias e diplomas dos eleilores.
Na falla dos Juizes de paz do districto d ma-
triz ser a substituirn exercida pelo juiz de
paz do districto mala viznho.
Art. !>" las subslituicde* tero lugar n-
depeudenlenienle de ordem previa da aulori-
dade superior, semprc que constar a una e ou-
Iros subslitulos por qualquer maneira a falla
do juiz de paz a qiiem devem substituir. Ces-
ura, poiin, a substltucAo logo que o juiz de
paz a quem de pref rencia ella competir se
api-neniar para funecionar nos termos da le
c ordeut em vigor.
Art O.'1 A demora na expedico das ordens
da cmara municipal nao impede que no da
proprio se facam as convocaedes determinadas
pela lei, assim para a reun'.o das juntas de
qualifica(o e concelhos iniinicipaes de recur-
f so. como para a das assemhllaa parochlaes em
liiiilquereleico. Para a rruniao dos colleglos
elciloraes nao exige a lei couvocaco.
Art. 7.* Se por qualquer motivo o juiz de
paz mais votado nao fzer as convocacoes de
que ii,ua o arligo antecedente, sero ellas ve-
rificadas Imiiiedlalaneule pelo seu legitimo
substituto, segundo a ordem estabelccida no
art. 4.a destas instrucedes; advertlndo que,
quando o iminediato ao dito Juit de paz nao
supprlr esta falta at s 10 horas da manha
do dia seguiite ao marcado para a rleico,
qualquer dos oulros subsiiiutoso de vera fazer.
Art. 8. Se por qualquer inconveniente f6r
demorada a couvocaco, ojuli que a houver
de fazer marcar no edital que mandar affixar
o dia em que deve ter lugar a reunio da jun-
ta, concelho municipal e assemblea parochial,
independente de mals ordem superior, de ma-
neira que fique salvo o prazo que na forma da
lei deve-mediar entre as ditas convocaco e
reunio.
Art. O.* Quando, porni. seja qual fdr o mo-
tivo, nao se poder salvar esse prazo ua elrico
de eleilores, porque nio haja espato suffici-
emeat o dia designado para a reuirhto do col-
legio eleitoral, proceder-se-ha nao OMtante
dita t'leico. po que na colllso de se fallar
una formalidade ca le, ou de delxar ama pa-
ruchla de concorrer para a eleicao dos repre-
sentantes da naco, deve-sc de preferencia
soccorrer a este dlrrito, cuja garanta he o
celtio municipal, embora das decisOes desa-
te penda recurso para a relaQo do distric-
to, pois quo o recurso neste cago no pro
duz elTeito suspensivo.
Art. 12. Se a qualilicscllo se concluir de-
pois da convocarlo dos votantes, mas antes
do dia rnarcado para a eleig.lo, ser esta
nfio obstante feita pela nova qualifcacfio
por isso que desde a data da sua conelusffo
tem caducado a qualificacjlo anterior, e se-
gundo a lei devem votar em urna eleico in-
dos e s os cidadSos qualiflcados. A falta
ie convocacflo dos cidadHos notamente
qnlineados nSo os inhibe de intervirem na
eliiclo, segundo o que fica declarado no
art 10 destas inslrurcOes.
' Art. 13. Se por falta de tempo ou outro
qualquer motivo, no poilrem ser preen-
chiilas as formalidades estabelecidas nos
artigos 37 e 38 da lei, de maneira que ao
tempo da eleicffo no estejam incluirlos na
lista da qualificncio os nomes dos cidadAos
prvidos em grao de recurso pelo concelho
municipal ou pela relcelo do districto, se-
rSo os meamos cidad3os no obstante ad-
millidos a votar, urna vez que se faca certo
o provimento do seu recurso, por isso que
o art. 50 da lei, quando prohibe que aeja re-
cebido o voto do individuo no incluido na
qualincaoflo, smente tem por fim impedir
quevotem pessnasnflo qualificadas: segun-
do este principio no devem ser admittidos
a votar os inlividuo* desqualifleados em
grao de recurso, embora nSo tenham os
seus nomea sido eliminados da qualifica(3o.
Art. 1*. Quando aconteca que depois de
organisada a junta le qualilicacSo e mesa
parochial venda a faltar algum dos seus
membros, (comexcepto do presidento.que
ser substituido na forma ja declarada^ se-
r elle substituido nos termos do art. 29 da
lei; o se a falta fr dos qustro msanos,
orgawsarvse-ha nova mesa segundo as re-
gras estabelecidas nos artigos 10 a 12 da
mesm.1 lei, pois que nenliuma outra pro-
videncia alm das que se conteem nesles
rligos pode melhor caber uesta hypotheso
nlo prevista.
Art. 15. A omissto da formalidade reli-
giosa nfio impe.le que se faca a eleitj.lo em
ue a lei a requer, por isso que nSo lie ella
a substancia da eleic3o : nao obstante, po-
rm, seempregsrllo todos osesforijos para
que ella seja cejebrada.
Art. 1G. Quando por algum motivo, Reja
qual fr, niloaejam fornecidos pela cmara
municipal os livres necessarios para as elei-
coes e qualificacoes, sera a sua falta sup-
prida porum livro especial, aberto, nume-
rado, rubricado e encerrado pelo presiden-
te da assemblea parochial, junta, de qualifi-
cacfto e concelho municipal.
Art. 17. A falta da lista geral dos votan-
tes, pela qual devo ser feit a chamada em
qualquer leQHn, ser supprida pcloodiial
que se houver aflizado na porta da matriz,
ou por urna copia aullienlica do mesmo, ou
Qnalmente por urna copia authenlica extra-
hida da que tiver sido enviada ao governo
na corle, e aos presidentes as provincias.
Art. 18. Se a cmara municipal deixar
de remetter ao collegio eleitorsl o livro das
actas d-s assemblas parochiaes, a que he
olirigada pelo artigo 67 da lei, ser elle sup-
prido em caso d* necessidade pelo original
ou pela copia do edital alTixado na porta da
matriz, em execueflo do arligo 109 da mes.
in.i lei.
Art. 19. Por nenhum motivo ou pretexto
deixar a mesa parochial de receber e apu-
rar a cdula do cidadflo qualilicado, bem
como os votos que recahirem em qualquer
individuo ; ficnndo-lhes salvo o direilo de
fazer inserir na acia as declaracoes que jul-
gar convenientes, e para que esta autorisa-
la pelo arligo 56 da loi. AapodOr compe-
tente perlence apreciar qualquer defeito dos
votantes e votados.
Art. 20. O presidente e membros perma-
nentes do collegio eleitoral sero substitui-
dos, qualquer que seja o motivo da sua fal-
ta, por.nova elelcHo eita deconformidade
com o artigo70 da lei, a qual ser verifica-
da peloseleitarepresntese pelos que im-
mediatamenle podrem comparecer. Du-
rante esta eleicao seivir inteiramente
de presidente o mombro do collegio msis
votado, completando-se a mesa com os elei-
lores que houverom oblido votos na primei-
ra eleicao da mesa, guardada a ordem da
votaco entre os presentes. No caso de em-
pale na elnifao dos novos msanos, bem
como na dos que houveremde completar a
masa, decidir a sorie.
Art. 91. Na acta da apurac&o geral dos
votos de qualquer eleicflo serio elles escrip-
tos em lollras alphabeticas, e nQo por alga-
rismos.
Art. 22. O aviso aos eleilores para assis-
princlpal fim da lei, no enlaudo que a autori-
dade competente apreciar a procedencia da' ijrem ao Te-Deum, e beai assim a Inutilisa-
omissao dista formalidade quaudo houver de .0 K cdulas. n0 devero ter lugar se-
veriBcar o, podares de seus membros iao aepo de concluidos todos os traba-
dade'es^eS. ^^ "Zl^t -d.^assemlHas parochuse, ^^oflegios
ta dos cidadioaqueteem de utervir nos actos eleiloraes, inclusive a assignatura da acta
da qualificacao e eleicao, nao prohibe a lei da apurado geral dos votos, expedirlo dos
que concorra aeaaea actos o cidado ou cida- diploma* aos eleilores e remessa dos hvrus
daos sao convocados. Estadoutrioa he estn- cmara municipal.
i.va ao supplerue Je eleilor que houver de ( ^ SJ QuanJo algum ou alguns dos
.!,ub"..T;0 'ltitorfallecid0' U1",ud" "" '"- quatro membros da mesa em qualquer elei-
kXgTtfel&XMStiSiZ i- de ..signar a. U- c6f J
dtUaremde ser convocados Po, nao baverem me.mM, tanto as que leer de servir do di -
. oneus nomea sido incluido* a lempo na lista plomas aos eleltos, como as que devem
se qualificacao. ser enviada, s autoridades a qum a lei or-
f Art. U. A elei;a primaria designada p-'den* a sua rtmtsM, devr pfesciudir-se
ra o dia 5 de agoslo prximo futuro se fara dest formalidade, declaraudo-se, porem,
Pela qualificacao do crrante anno, salvo n*. acia, copias os nomes dos msanos
as parochia* em que-ella nio Mtivev con- que nao signararo, e o motivo disto. No
cluia at odia da elatcflo, porque en to casoem que falU da assignatura seja dos
servir a ultime qualificacao ; en tendeado- qoatro me.aries, devera o presidente do ae-
por qualiflcac&o concluida aquella da toouwqie osubiltiluir, quando ello lam-
Hwl (ao tjver havido recurso, ou quando bem falte,'organisar nova mesa, na forma
[ teuba havido, esteja elle decidido pelo coa- tlecUradamo artigo 14 destas lostrucQOes, e
por ella ser preenchhla aquolU tsjrma-
dade.
Ait. 24. Se a falta de todos o membros
tiver lugar no collegio eleitoral, far-se-ha,
com o. eleilores presente* e os que imme-
diatamente podrem comparecer, eleitjflo
de nova mesa na forma da lei, qnr para a
assignatura das actas, q.ur para outro qual-
quer trabalho.
Art. 25 Quando por qualquer motivo a-
|.conteca queo eloitor nfio possa apresentar
o seu diploma na occasiao em que se tiver
de proceder a urna eleicao; ser elle nao
obstante admittido a volar, urna vez que o
seu nome conste do livro da eleicao respec-
tiva, ou do diploma de qualquer outro elei-
lor da parochia, e depois de recohhecida a
identidade da pessoa. No caso de n3o so
poder obler o livro, e de que nao haja ou-
Iro diploma, seja qual fr o motivo, dever
ser recebido o voto do eleitor se elle apre-
sentar attestado de algum ou alguns mem-
bros da mesa da sua parochia ou outro do-
cumento por onde conste ter ello oblido suf-
ficionto numero do votos para este cargo, e
jurando o mesmo eleitor a verdade disto,
sendo sufllciente o simples juramento, urna
vez que o8o aeja possivel acompanha-lo de
documento. O mesmo se observar a res-
peilo do supplente de eleitor chamado vo-
lar nos casos do artigo 65 da lei, quando
n3o lendo sido convocado comparece es-
pontneamente na forma do arligo 10 das
presentes instruccOes.
Art. 26. O voto dooleitorqueseapreseu-
tarsem diploma na fdrma do artigo ante-
cedente, ser apurado em separado, ofim de
que o poder competente resolva sobre a sus
validado pois que, so por um lado n.1o he
justo que pur falta de lerceiro fique privado
ife votar q-.iem tem a isto direito, nBo he
convenionte por outro que pela confusao
do seu voto com o dos outros efeitores se
inutilise os lestes, quando se venha a co-
nhecer que aquello voto fra movidamen-
te admittido.
Art. 27. O artigo 60 da lei n3o permute
que o presidente da assemblea parochial
antes da installacao da mesma a adi anti-
cipadamente, mas s) no caso em que, che-
gado o dia da eleicao, nHo possa ella verifl-
car-se depois de esgolados todos os recur-
sos legaes.
Art. 28. as actas que se lavrarem dos
trabalhos da junta de qualificncao. conce-
lho municipal e mesa da assemblea paro-
chial e collegio eleitoral, alm das domis
declaracOes ordenadas pela lei e decisOes
imperiaes, se far especificada mensao de
ludo quanto occorrer relativamente s pro-
videncias estabelecidas nestas iiistrurces,
afim de que a auturidade competente re-
solva como adiar de justic.
Palacio do Hio-dc-Janeiro, 28 de junho
de 18*9. Vitconde de Slonf legre.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Acabo de receber oolTIcio quo Vmc. me
dirigioem data de boje, participando que,
ameacado de violencias capazos de aterrar
homensde firmeza mais quo ordinaria, nao
pode entrar no exercicio das filnecOef que
Ihe incumbe a lei rcgulamentar das elei-
COes, pedindo por ultimo que se mande exa-
minar por pessoa imparcial o estado de a-
narchia em quo diz estar estar essa cidade;
e em resposta tenho a dizer-lhe, que, 1180
mencionando Vmc. os aclos de violencia
que tcem sido pralicados, o que fossem ca-
pazes de aterrar homens de firmeza mais
que ordinaria, parece-* sua illegacAo um
pretexto para se eximir do exercicio das
funccOes que Ihe incumbe a lei reglamen-
tar das eleices; comtudo, querondo fazer
cessar lodo o motivo de terror, so elle na
vordade oxste, faco desde j marchar para
essa cidade, sua disposic^o, urna Corea do
cava liara de 22 pracas, e hoje mesmo sellio
apresentarBo 100 pracas do primeira linha ;
e espero que, apoiado nessas Torcas, cesseo
pretextado terror.e que Vmc, fazendo cons-
tar isto mesmo aos eleilores que com Vmc.
assignaram o mencionado offlcio, d execu-
cllo s ordens que tem recebido, cm confor-
midadeda ditakg regulainentar das clei-
C3cs ; o no caso que anda assim se julguo
impedido de o fazer, passe a jurisdcc1o a
quem competir para que a lei se execule.
Dos guarde a Vino. Palacio do governo
de Pernambuco, 18 de julho de 1849. Ho-
norio Hermto Carneiro Leo. Sr. D l.ou-
renco Trigo de l.oureiro, juiz de paz presi-
dente da junta de qualificacao de Olinda.
EXPEDIENTE DO DIA 16 DE JULHO.
Officio. Ao chefede polica, declaran-
do que acaba de ordenar ao juiz de direilo
de comarca do Cabo e ao da segunda vara
desta cidade que remellan) a S. s. os map-
pas que delles exigi, conlendo os traba-
lhos que houveram lugar em o anno prxi-
mo psssado as duas sessOes dos jurados
daquella comarca, na segunda desle termo
e na primeira e segunda do de Olinda.
Neste sentido ofllciou-se aus juizes cima
referido.
Dito. Ao inspector da pagadoria-mili-
lar. Foi-me prsenle o ofciu de 2 do
crrenle, em que Vmc., manifestando as
duvidas que Ihe suscitara a leitura da or-
dem que Ihe expedir o meu antecessor
com dala de 27 do passado, pede que, em
solucao as mesmas duvidas, Ihe declare se
deve de considerar com direilo ao paga-
mento dos espoclivos piel* us chefes de
frca* que teuhan recolliid* desmantelado
ou arruinado ao arsenal de guerra o arma-
i a 10 do corrente ; e communlcando-lho
clonadas n.relacao que acompanhou a_or ,rou" jdenciido' que 0 inspector
. ... .. .. _^n.U rtnUefmtan
.lem supracitada.j esto de posse da impor-
tancia dos vencimentos que se ella re-
feri. .
Respondendo ao dito officio, tenho de
significsr-lhe : 1., que, se fr extraordin*-
jio o estrago ou ruina do armamento que
se rcrolher quelle estabelecimcnto, releva
que Vmc, me reprsenle a respeito, para
queeu U-eida o que fr mais justo; mas
que, so o ilerioratpento das armas n3o ex-
ceder ao que de ordinario costumam ellas
Sofirer n'um servico de campanha feito por
paisanos nao habituados a tratarem-nas e
zelarem-nas convenientemente, nada ha
que se opponha a quo Vmc. d por salisfei-
ta a oondicao imposta por esfa presidencia,
e por consegunto effectue o pagamento dos
prcls deque cima tratei : 2.", quo deve
Vmc. remetler-me urna nota dos individuos
que, tendo responsahilidade por armamen*
loque se Ihes distribuio, j receberam as
quanlias que reclamavam da fazenda publi-
ca, afim do providenciar sobre isto o que
maisaeertado me parecer ; 3.*, finalmente,
que vou determinar ao director do indicado
arsenal que nos conhecimenlos da racapOlO
do ariomonto faca mencionar o estado Hel-
ia. Oflicioii-se a este respeilo ao director
do mencionado arsenal.
Dito. Ao juiz do civel desta cidade, or-
denando mande proceder avaliacaodo si-
tio denominado do Espinheiro, e traga ao
conhecimento da presidencia o resultado
Helia, afim de que seja elle vendido em has-
ta publica, om cumprimenlo do artigo 42
da le do ornamento provincial vigente.
Neste sentido ofllciou-se ao juiz municipal
e.d'orpliflos do" termo de Olinda corca do
jardim botnico da mesma cidade.
Dito. Ao inspector da pagadoria-mili-
tar,determinando que, avista dos docu-
mentos que remelle, mande entregar ao pa-
tr.lo-mr deste porto a quantia de 91,720 rs.
para pagamento da despeza feita com n con-
ducto da hagagem doquarlo balalhao do
artilharia a p, bem como do algumas pra-
Cs e presos do mesmo balalhao para bordo
da frngala Paraguast. Scientificou-se o
inspector do arsenal de marinlia.
DEM DO DA 17.
Ofilcio.-Ao commandante das armas.para
que fac apromptar para seguircm para o
Maranhao no vapor que hoje cheiou do sul
as pravas do quinto batalhao de fuzleiros
que se acharein nesla capital, devendo ir
commandando-as o oflicial mais graduado
do mesmo corpo que aqui existir.
Dito.Ao mesmo, transmitlindo copia da
tabella demonslmtiva das elaprs e forragens
para a tropa de linha no segundo semestre
do corrente anno financeiro, qual, sendo
apresentada paesidencia pelo coronel ins-
peclor da pagadoria militar, foi approvada
hoje de confonnidade com a informacHo de
S. ExcIlemetteu-so copia da mencionada
tabella ao inspector da referida pagadoria,
e ao da thesouraria da fazenda provincial
para que tenha applicac3o quinto ao corpo
de polica.
Dito.Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda, aiitorisando-o a salisfazer os podidos
para as despezas da pagadoria mililar no
corrente mez, visto que, segundo S. S. in-
forma, mo obstante ter-sej excedido dos
crditos fixados para o exercicio fin lo, a
qanlia solicitada pode ser furnecula em
vista do disposlo na ordem do tribunal do
.thesouro, de 4 de Janeiro do presente anno.
Dito.Ao mesmo, communicando hayer
o commandante superior da guarda nacio-
nal do municipio do Brejo recebido do col-
lector daquelle municipio, JonoJose \elho,
a quantia de 51,350 rs. para forneriineiito
da frca que all estivera estacionada.
Dlto.-Ao mesmo, para que mande abrir
assentamonto do praca aos cornetas Janua-
rio Francisco Carneiro e Jos dos Santos quo
foram engajados para servirem no qiiarto
hatallio de guarda nacional deste munici-
pio, e cujas filiacoeslreiiieltc-Scientilicju-
se o commandante superior respectivo.
Dito Ao agente da companhia das bar-
cas de vapor, ordenando faca llar pissagem
para o Cear no vapor que segu amanhfla
para o norte ao soldado do corpo flxo
daquella provincia Luciano Martins.t'.om-
municou-se ao commandante das armas.
Dito.-Ao mesmo para que d passagem
para o Cear a bordo do vapor que st''.ie
a mantia* para o norte Francisca Bispa de
Jess.
Dito.Ao nspe'tor de arsenal de mar-
nha, determinando f*ca apromptar o pata-
cho Pifapama afim de partir para a ilha de
Fernando no din. 20 do corrente, levando
manlimentos e o mais que nesla occasiao se
houver de reinelter para o mesmo presidio.
Neste se.iitido ofllciou-se ao commandan-
te das auna*, ao juiz municipal da primeira
vara/i-esta cidade, ao inspector da pagadoria
mil'iiar o ao director do arsenal do guerra,
ailorisando a esle a fazor acompauhar os
(bjeotos mandados preparar para aquello
presidio por um guarda do almoxarifado do
arsenal afim de enlrega-lo all aquem fr
romp '.ente para receb-los.
Dito,. -AoadminislradordasobrS publi-
cas, declarando que pode ordenar ao enge-
nlieiro *iquella repartidlo que v orear as
despezas B fazer com os concertos de quo
precisa o porUoecasa da barreira da poule
da Tacaruiia. S
Dito.-Ao mesmo, ilindo que releva que
Smc. requisitp ao ini<^ector da thesouraria
d* fazenda as quantiasoA que carecer para
levar a efleito us conccrlos Je que precisa o
torreaoda alfaqdega, em que se *ch* esta-
mento que rnceberamtanles d revolt* e belecid* a r.'parii<;3o sb sua adminislra-
duraifte alia; bem corto qual o proced-1 tj5o, visto Sfr proprio nacional o edificio da
ment que Ihe tumpre deenvolver para I mesma lfandega ; declarando que flca
com aquellas pessoas que, acti.udo-se meu- reroga-* a ordem de cuja eipedic,&o o intei-
da sobredita thesouraria mande satisrazer
os pedidos que Smc. Ihe dirigir cornotim
de habilirr-se occorrer aos referidos
concertos.Nesto sentido ofllciou-se ao ins-
pector da thesouraria da fazenda.
l>ortaria.--Nomeando membro adjunto do
concelho geral de salubridade em lugar do
doutor Francisco Concalve, de Moraes. que
n3o aceilou o lugar, o doutor Cosme de Sa
l'ereira.-lnteirou-se o inspector da thesou-
rarin da azenda e o referido concelho.
Dita.-O presidente da provincia, usando
da aulori*co que Iho confere o decreto de
11 do joneiro do corrente anno. ha por bem
conceder amnista era nome le s. M, o im-
perador ao tenente-coronel Antonio Aure-
llano Lope. Coulioho pelo cnmederebel-
USo commettido nesta provincia.
E para sua resalva se Ihe passa a presen-
te em virtude da qul nlo podera jamis wr
processado pelo dito crme.-lgual Joso
Mendes C.rnero Loao, mor.dor na regue-
zia de Santo-Aniao.
TRIBUNAL DA HELAGAO*.
SESSAO' EM 17 DE JULHO DE 1849.
rnrsiDRNCiA DO MT. Muoa
CONCBLHBIBO AZBVOO.
A's des boras da manha, achando-se pr-
sente os Srs. desembargadores Ramos, Bas-
to,, Leo. Souza. Rebello, I.un Freir eo
uiste direlto Pereira Montelro. faltando os
Sra. desembargadoses Ponce c VUlare. n !>r.
presidente dcclr ju aberta a sessao.
./ligamentos.
naUai eorpii de M*no*l Antonio da Silva.
Denegaran! a soltura. ___,T
Aggravo de pelicao de Antonio Pereirly-
ranno.-Foi prvido.
Recurso crime da comarca do Crato em
lecoTrldos, os vereadores da eamara muni-
cipal da mesma comarca.Foi conhrmaaa a
sentenca. ,. .
Dito dliiizoem que h> recorrido Lulz do
llego Monteirn.-Tteformaram o'despacho.
Dito em que he recorrente o r. F.llppe Lo-
pes Ketto e recorrido o juuo de polcl.-re-
ii ii.iin provimento. __.
Recorrente. Manocl da Silva Neves; recorri-
do, o julio de polica.Deram provimento
e reformaran! a pronuncia.
Recorrente, o jui/o ; recorrido. BVgiM dos
Santos Arago.-Kni confirmado o despacho.
Recorrenie, o bacharrl Luis Duarte Pereira.
Foi prvido e reformada a pronuncia.
Foi assignado o 1." dia til para seren jul-
iradas as aiipellacOes civel* em que. sao :
Appellante, Aune Elisabet Adelle Poirson ; an-
pellado, Ailonso -ainl-Marlin.
Appellante, Goncalo Pereira de Souza appel-
do, Manoel Soares da Silva.
Reviioei.
Passaram do Sr. desembargador Bastos M
Sr. desembargador Leo as appellacdea civel
em que sao: __,..._
Appellante, a parda Seba.tianna com sslaten-
cia de seu curador; appellado, FrancUco
Ferreira da Cnnceicao.
Appellante. Jos Das Macleira ; appellado,
Manoel Jos Salgado.
Appellante, Francisco Dias Ferreira ; appell-
dei, Jos Paulo dos Santos.
Appellante, Elcutorio bandelra dos bantos ;
appellado, Jos de Barros Silva.
Appellante, Manuel Joaquim Soaresi; *PP""-
do. o curador da lieranca do- fallecido Jos
Francisco Collares.
Passou do Si. desembargador Souza ao !>r.
desembirgador Rebello a appellacao civel em
Appellante, Francisco Jos Barbosa; appella-
do, Antonio Gomes Villar.
As appellaces crime* cm que ao :
Appellante, ojuiso; appellado, Piorio Fer-
reira dosSaulos.
Appellante, o julio; appellado, Francisco Jo-
s do Sacramento. .
Passaram do Sr. desembargador Rebello ao
Sr. desembargador Luna Freir as appellacoe
civeis em que sao :
Appellmte, Jos Xavier Rodrigue Campillo ;
appellada, D. Aana Joaquina Lins Wan-
Appellanle, Jos Affonso de Macedo ; appella-
do, Luli Gomes Silverlo.
Passou do Sr. desembargador Luna Freir
ao Sr. desembargador Ramos a appellacao cri-
me em que sao :
Appellante, Luiz Ribeiro Florentino do Hspi-
rilo-Sanlo; appellado, ojuizo do crime.
Passou do Sr. juU de dije lio Pereira Monlei-
ro ao Sr. dcsmbrgjdor Luna FritTVtyflz^
l.ii .in civel em que sao :
Appellante, Rento Jos da Costa e sua mu-
liier; appellado, Jos Joaquim Bezerra Ca-
valcante e sua mulher.
Distribuiente-
Ao Sr. desembargador Ramo o recurso cri-
me do julio de direlto dest cidade em que
sao:
Recorrente, o julio; recorrido, Miguel Affon-
so Ferreira.
Ao Sr. desembargador Rastos o recurso cri-
me do juizo de direlto detla cidade em que
siio ;
Recorrente, Jos Flix de Brito Macedo; re-
corrido, ojuizo.
A appellacao crime do juizo de direilo desta
cidade cm que lo :
Appellante. Joo Rodrigues Velloso ; appella-
do, o juizo.
Ao Sr. deiembargador Rebello o re corso cri-
me do juito de direlto desta cidade em que
sao:
Recorrente, Jos Alexandre Ferreira ; recor-
rido, o juizo.
Ao Sr. desembargador Luna Freirc o recur-
so crime do juizo de direilo do Rio-Formoso
em que sao:
Recrreme, Antonio de Paula Madureir*; re-
corrida, a juttica.
Nao e julgaram a appellafe que eHavam
com dia assignado por uo ter comparecido a
sessao o Sr. desembargador Villares.
Levantou-se a sesso s 2 horas.
iai ii-ii a r\r\
V


ih-.
INTERIOR,
RIO-DE-JANEIRO.
O coronel Cypriano.
Uma noticia 'rouxe o vapor, ultimamcn-
le clicgado do n' -te,, que tcm aplivado lo-
la a publica Bttengflo; a coffemnagllo
p-.iia de morto de um oflicial superior do
nosso exereito em concelho de gne- .. Qual
o tacto exposlo no processo <'. nfflcial
quo Ihe me-rcesso twi severa pona.'.Ge-
ralmento o ignoram : as circumstancias da
entrada dos rebeldes em Coianua ilepois da
derrota que solTreram no Recita, silo geral-
mente pouco sabidas, o assim nflo habili-
ta ni qualquer juizo quo se queira fazer acer-
ca do procedimento desse militar.
Fszemos votos para que a sentenga tenha
sido severa do mais na apreciadlo do proce-
dimento desse Sr. : tanto para honra del-
le, como, nflo menos, para honra do nosso
ejercito, fazemos votos para que nflo corra
maisesse sangue brasilejro, nflo baja mais
essa desgraga, depois de tantas desgiagas,
de tanto saugue derramado em testemunho
da ferocidade da facgflo anarchics.
(O Brasil.)
Communicado.
A MISSAO' DO GOVEIINO ACTUAL.
Os espiilos nimiamente Traeos, e de es-
phera aeanliada, nflo passam nunca da su-
perficie das cousas : as visle-s do sua phan-
tasia, as apparencias substituem s reali-
dades, as formas aos principios rigorosos,
e as exterioridades insignificantes sflo a
expressflo dos ntimos pensamentos : sem
comprehenderem a rasflo intrnseca que
determina certos factos, esses fracos racio-
cnadores vingam-se do myopismo de sua
lgica com exhibirem interpretages err-
neas quillo que, por sua transcendencia,
escapa sua penctragflo.
He isto o que precisamente acontece na
quadra actual acerca de alguns actos da ad-
ministragflo publica ; actos que, conside-
rados luz do grande pensamento poltico
que os preside, nflo pdem deixar de rece-
ber a sanceflo moral de todos os Brasilei-
ros bem intencionados. AITeilos a deplo-
rar por cinco annos a calamitosa ausencia
de todos os principios regulares, certos in-
dividuos, para quem a resurreicflo das gran-
des ideias e a reparagflo dos males exis-
tentes pareceram talvez um dicto impossi-
vel, como que teem estremecido com a mar-
cha, verdaderamente constitucional, es-
treada pelo distincto administrador da pro-
vincia ; edahi verses inexactas, e appre-
hensoes infundadas a modo que vilo geran-
douma especie de sceptcismo, dealguina
sorto incompativel com aquella confianca
prolunda que todos nos, os homens da per-
severanga e do futuro, devemos tributara
esse benemrito estadista, cujas vistas am-
pias e patriticas tendem a dissipar as som-
bras que embaciaram por algum lempo o
rgimen representativo, e provar ao paiz e
as nagoes vizinhas que a constituigflo bra-
silelra, se bem que solapada pelo vandalis-
mo recente, passara a ser urna realidade
pratica, e nflo urna ficgio do paganismo
Neste ufan magnnimo uiaicba, cheio ile s,
o Exm. Sr. Honorio Mrmelo Carneiro Lefio,
iulaligavel collaborador da sabia poltica,
adoptada pelo governo central; esse gover-
no que em toda a frca de seus meios e re-
cursos procura evocar a nagflo desse estado
ussustador, em que a deixra a transada
adniinistragflo. Tflo nobre he esse ompe-
lillo do governo, que nflo julgamos possi-
vel haver um s Itrasileiro que, amando de
coragflo a prospendade e ventura de sua
patria, deixe de envidar todos oaseuses-
lorgos, para que consigamos que se dilate
cada vez mais a esph-ra de grandeza e im-
portancia deste imperio abengoado: nflo :
he imperioso oppr barreiras aessas pai-
xes odientas, que em sua recrudescencia
termal hflo desnaturado lodosos germens
deuniflo e de harmona social; ealmejan-
do o governo a domesticar costumes tflo s-
peros, por meio do una poltica deconci-
Jiag3o e de Justina, cumpre que todos nos,
e cada uui de per si ajude a carrear o ci-
mento que deve bascar essa obra do rege-
neraeflo. O exterminio dos mos princi-
pios dcpcnJe da congruencia dos nossos
meios de acgflo no desenvolvimento clIVc-
tivo dos principios que proclamavamos
quando na opposicflo : releva queattinja-
mos em nossas praticas este futuro gigan-
tesco quo enlflo prometamos ao puiz; d.s-
te modo daiemos urna prova nconlrastavel
da nossa sincendado e coherencia
Se,poim, he da honra dos nossos princi-
pios que assim procedamos, he uascotidi-
ges tssenciaes do nosso.pacto fundamen-
tal que nao tullamos aos nossos adversa-
rios o pleno exercicio das prcrogativas que
o inesmo pacto Ihes outorga ; he conveni-
ente que ellos entrem comnosco na apre-
ciagflo dasquestesdo da ; porque he mui-
to provavel que desse uebalo rebente a luz
que os deve ferr de convicgflo. Exhiba-
mos, pois, altas ligoes desmuralidadeji.ts-J
sesjmsains, quo uflu nos querem compre-
licnder, e que nflo souberam respeilar as
i.ossas insliluicfles; sejamos generosos pa-
ra com esses queoutr'ora nos reduzram a
estiaiigeiros na nossa mestna tena, coarc-
tando-nos violentamente o exercico dos
nossos direitus : ellos que aprendam na
nossa conducta os dictames da s3a moral,
eque observein na nossa poltica lodosos
symptomaa de civilisagflo.
que se sujeitaram ao rgimen, con forme o
caso o exiga,eque continuaran) c*m os re-
medios, flcaram perfeitamente curados, e
fallam a favor da homecopathia. Os dqen-
(es, cuja cura se nflo roalisoujfra m os que,
faltos de paciencia para cehtinu:ir cornos
romedios e guardara dicta,os abandonaram
nu obslaram os seus bons efieitos ; e sSo os
que fallam contra a homecopathia : note-se
quo varias pessoas cos'.umam, aviles do to-
mar um remedio homceopalhico ou allopa-
thico,dirigr-se a varios professores expon-
do a cada um delles que fdram tratados por
fulano osicrano; mas quo se nflo deram
bem ; e aprescutando as roceitas de outros
facultativos dizem quo nada aproveitram, e
isto ainda que nflo tenham feilo preparar
urna s receita ; c quando se encontram
com os professores.Enlflo como passou de
sua de sua molestia ? Fez uso do remedio?
--Sim, senhor, eslou melhor.Mas o reme-
dio ficou em papel, persuadidos que assim
seria melhor.
Na homecopathia o caso be milito peior :
querem experimentar os remedios, e antes
de sabir a ra querem logo e logo ser radi-
calmente curados, e nflo se lembram que
gastam mezes e annos em remedios allopa-
thicos e sofrem mnilissimas privaefles.
I'ara se dizer alguma cousa a favor ou
contra a homecopathia ho preciso tomar o
remedio, e continuar com ello ; subjeitar-se
ao rgimen com alguma constancia, c nflo
exooriinentar smeute os remedios : desta
maneira obterflo os doentes curas radicaes
e duravois.
As familias mais sensatas desta provincia
nflo querem boje senao a homrcopathia, e
rs. a duzia ; e tO duzias e um terco de cani-
I vetes finos de dous ferros, a 4,000 rs. a du-
zia, valor total 99,660 rs.: todo apprehen-
dido pelos empreados, no aclo da confe-
rencia dabarca ingleza Bonita, por nflo vir
manifestado, sendo a arrematacSo li-
vre dedireitos ao arrematante. Alfandega,
14 de julho de 18*9. O inspector, luis An-
tonio de Sampaio Vianna.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria da
fazenda provincial manda annunciar quoa-
arrematages designadas para terem lugar
no da 19do corrento licam transferidas pa-
ra o da 20, em consequencia do ser aquel-
lo foliado e de granrle gala
Secreta/ia da thesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernal/ uco, 17 de julho de 1819.
O segundo escriturario, Antonio Ferrei-
ra d'Annunoiafo.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria da
fazenda provincial, em cumprimento das
ordens do Exm. presdenlo do provincia,
manda avisar aos que pretenden) osempre-
gosda n es ni i thesouraria, creados pola le
do ornamento vigente, que os devem re-
querer, sh condieflo do se suhjetarem a
um exame de idoneidade perante o mesmo
Exm. Sr.
Secretarla da thesouraria da fazenda
provincial de l'ernambuco, 16 de julho de
1849. O segundo escripturario, Antonio
l'crreira d' Annunciacao.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria da
fazenda provincial, em cumprimento da or-
(b'in do.Exm. Sr. presidente da provincia.de
(8dejunho prximo passado, manda fazer
publico que nos das 23,24 e 26 do rorrente
irao praca perante o tribunal administra-
se nflo.estvessem satisfeilas deste meio tHo tivuda mesma thesouraria, para seren ar-
simples e tu proprio que mesmo aos reem-
OUCidos se pode ministrar, nflo continua-
ran) com ello.
Consultorio bomceopathico de Pernam- prego de 1:699,500 rs,
remntadosa quem por menos fizer, oscon-
certos da ponte dos Carvalhos, sb as clau-
sulas especiaes abaixo transcriptas, e pelo
buco, ra da Cadeia do San-Antonio, n. 22,
17 de julho de 1849.
Caianova, medio.
LOftlftiE*f;|0.
ALFANDEGA.
Rendlmenlo do da 18.....10:160,501
nil'ORTACAO'.
Jules, barca franceza. viuda do Havre, en-
trada neslo mez, consignada a I!. Lasserre
& C, rntnifestou oseguuite:
1 caixa bnnqui'dos ; a Ilolii.
12 fardos papel, 2 caixas fzendas de se-
da, i dia com um relogio e pertcnces; a
Crocco & C.
1 halrca limas, 1 caixa ferramentss, 9 vo-
lumes fazendas do algodflo, 1 caixa fazen-
:tes delfit, S ditas sanlinnas emszete, 1
fardo para chapos, 1 caixa fazenjas de se-
da ; a J Keller.
20caixas extracto do absyntho ; a C. Be-
lenot.
Tcaisas manteiga em frascos ; aRoutin.
4 caxas balanzas, 5 barris tintas, 1 ca-
xa lniii'.i, 1 dita vidros, 1 dita peneiras e
drogas, 2 ditas ditas ; a S. Soum.
1 caixa instrumentos do cirurgia ; a J.
Ferrera da Silva.
1 caixa fazendas de 13a, 500 barricas fa-
rinha de trigo, 4 caxas massas, 30 ditas
queijos, 400 barris e 100 meios ditos man-
teiga ; a II. Lasserre t C.
lieaixas c 4 fardos fazendas de also-
d3n, 1 caixa fazendas de seda, 3 ditas car-
neiras ; a N. O. Iliiber & C.
3ciixas chapeos deso de seda, 3 ditas
ditos de algodflo. 1 dita fazendas d.-algo-
d3o, i dita fazendas de algodflo eseda : a
C. S. Aslley.
10 caixas e 2 fardos fazendas do algodflo,
1 dita fazendas de Ifla, i dita fazendas de
hla e soda ; a Schlfleitlin & Tobler.
1 caixa merinos, 1 dita fazendas de algo-
dflo, 1 dita fazendas para caigas : a L. Bru-
guire.
8 caixas e 2 fardos fazendas de algodflo,
7 caixas roupa do algodflo, 1 fardo pannos,
I caixa fazendas de seda e algodflo, 1 dila
agulhas ; a Kalkmann & F eres.
150 barris e 100 meios ditos de manteiga-
a Caris Frcres. '
1 lardo fazendas de algodflo; a E. Bolli
1 caixa livros; a J de Aquino Fonsica.
1 Ciixa modas ; a Millocbeaii.
1 caixa iravesseirosesemcnles; a J. Pin-
to de Lemos.
5 caixas objeclos de sapateiro, 2 ditas
pelles envernizadas, 2 ditas ditas prepara-
das, 1 dita bezerros, 1 caixa chai us de
sol do algodSo, 1 dita fazendas do Ifla, 1
dita suspensorios, 2 ditas fazendas de algo-
dflo. 1 dita vidros; a Dedier Colombiez &
Co tn panilla.
3 caixas vidros, 1 dita drogas, 2 ba'rris
verde inglez, 5 caixas agoa mineral, | dita
me4icamenlos; a Bartholoineu Francisco
deSouza.
CONSULADO CERAL.
Itendimento do da 18...... 1:415 326
Divorsas proviucias........ 'jj-j
Correspondencia.
PROPAGANDA HOMOEOPTAHIGA.
II
Caridade t beneficencia.
Tencionava nflo publicar mais cousa altru-
ma acerca daliomceopathi. ; mas.venuc i-
ln fsU bel1" cu" Padecendo' de
multas doencas assu.tad.as, particular-
mente das bexigas, disen.cri.efcbrtsin-
tcrm entes, o que a homecopathi cura com
a ma.or f.c.Ud.de, me vejo por isso
obr.gatflo de dizer alguma cousa
pe lo. .
fi,ueJnCOnlesUve,.hoje que homoeopa-
thia cura com mais presteza e facilidadc
queaallopatli.a, oqueprovarei por meio
de varias Curas da maior importancia
Primeiramcnte tratarei das pessoas que
l.zeramuso da homceopalhia o que oLlive-
r.m ou nfloonue desejavam. Osdoentes
lia
res-
1:416,151
CONSULADO PROVINCIAL.
Rend ment do da 18..... 1.297,042
As pessoas que se propozerem a esta
arrematagflo, comparegam na sala das ses-
sOes do sobredto tribunal, nos dias cima
indicados, pelo mcio-dia, competentemen-
te habilitadas.
E para constar se mandou afiliar o pre-
sente, e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial de IVrnambuco, 15 de julho de
1849. O 2." escripturario, Antonio Ferreira
ci'Annunciacuo'.
Clausulas especiad da arremataco.
1. As obras dos concertos da ponte dos
Carvalhos serflo foilas de conformidade]
com o ornamento apresentado nesta dala
approvagflo do Exm. Sr. presidente pelo pre-
go de 1:699,500 rs.
2. As obras principiarflo no prazode
um mez, e serflo concluidas no de 4, ambos
contadosemeonformidade do arl. iodo re-
gulainento das arrematares.
3." Todos os malcraos serflo previa-
mente examinados pelo eugenheiro, e ap-
provados lavrar-se-ha um termo.
ii 4." O pagamento do importe das obras
realisar-se-ha depois de concluidos lodos os
concerlos e examinados pelo engenhelro.
5 Para ludo o mais que nflo est de-
terminado as presentes clausulas seguir-
se-ha inteiramente o que dispOe o regula-
mento das nrreuialagOes, de 11 de julho de
1813.
Obras publicas, 30demaio de 1849.
O eugenheiro, J. /.. Vctor Lieuticr.
O 111 tu. Sr. inspector na thesouraria da
fazenula provincial, em virlude da resoluefln
do tribunal administrativo, manda fazer
publico que, perrillo o mesmo tribunal, se
liflo do arrematar nos das 23, 24 e 26 do I
frrente, a quem por menos izer, as im-
piesses dos trabadlos das diversas reparli-
cd>s publicas p'roviuciaes, avaliadus em rs
2.700,000 por anuo.
A arreuiatagflo ser feita por lempo de
on/e mezes a contar do primeiro de agosto
de 1849 a 30 de junho de 1850.
As pessoas que se propozerem esta arre-
matagao, comparegam na sala das sessOes
do sobredito tribunal, nos dias cima indi-
cados, pelo tneio-dia, competentemente
habilitadas
E para constarse mandn affixar o pre-
sente, e publicar pelo Diario.
Secrelaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial de l'ernambuco 16 de julho de
1819. 0 segundo escripturario, Antonio
Ferreira da Annunciacao.
Perante a thesouraria da fazenda desta
provincia se ha do por em hasta publica, nos
dias 28, 30 e 31 do mez de julho prximo fu-
turo, para ser arrematado por quem menos
prego offerecer, o servigo da capataziada
alfandega desta cidade pelo lempo de vinte
e dous mezes quo ter3o principio no primei-
ro de setembro deste anuo, e com as condi-
g"s que serflo patentes no acto da arre-
matagao. As pessoas quo se propozrem a
licitar doverflo comparecer nos referidos
dias na sala das sessOes da mesma thesou-
rari, competentemente habilitadas.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial do l'ernambuco, 28 de juulio de
lagiacio dot Santos
da existencia, nesta cidade, das pessoas a-
baixo designadas, a bom de seus intoresses
como'pensionistas do estado, roga-se-lhes
de comparecerem neste consulado, casa n.
6, defronte do Trapiche-Novo; e, nflo o po-
dendo fazer por si, queiram mandar pessoa
para ser inteirada do que lhes cumpre ob-
servar. As senhoras D. Anna do Sacramento
de Mello, D. Mara Magdalena de Mello e D.
Antonia Luiza Guedes.
O escrivflo da recebedoria de rondas In-
ternas geraes, sei .indo de administrador,
avisa a todas as pessoas que teem objectos
expostos venda na freguezia de San-Frei-
Pedro-Goncalres, que, tendo-se de proceder
all collccta do imposto de 20 por cento,
deduzdos do aluguel de suas casas, se faz
mister que deixem aos seus caixeiros os re-
cibos do aluguel que pagam pelo mesmo
predio, para os apresentarem aos langado-
res, afiru de podrem proceder com acert a
collecta, prevenindo-se assim qualquer ar-
bitramento injusto.
Acha'-se recolhido a cadeia desta cida-
de o preto Manoel, por estar fgido, o qual
iliz que seu senhor mora em Maria-Fannha :
a quem elle perlencer, dirija-se subdele-
gada da Boa-Vista.
Companhia de Beberibe.
A sessflu para se contratar a cobranga da
taxa nos chafarizes foi espagada para o dia
20 do corrente, visto nflo ter apparecido na
sessflo de hontem quem apresentasse pro-
posta de vantagem para a companhia.
NOTICIA.
SEGUNDA-FEIRA, 23 DO CORRENTE-
Sendo este dia o do oitavo anniversario da
maioridadedo nosso adorado moiiarcha, o
director do theatro de S.-Franccisconflopo-
de deixar de preparar para a noite do mes-
mo dia um divertimento que proporcione
aos habitantes desta bella cidade mais urna
orea m Ao de mostrar em o vivo prazer de que
se sentem possuidos ao recordarem-se da
data em que o melhor dos imperantes assu-
mio o leme da nao do estado para dar-lne a
conveniente direcgflo, fazendo-se rodear de
nuticos tflo experimentados quanto capa-
zos deconduzirem-iia ao porto da prosperi-
dade.
Entre as varias pegas existentes no archi-
vo do theatro, o director deu preferencia
para o indicado divertimento ao
CASTELLO DE LAVAL
eo
Bel Francisco I,
drama recentemcnlc chegado do Rio-de-Ja-
neiro, e rep'Bsenlado repetidas vezes com
geral aceilagflo no theatro doSr. JouCae-
lauo dos Santos.
" Avisos martimos.
DtnominacSo dot quadrot.
1. A volta da balalha.
2.* O annel o a carta.
3.' O encontr inesperado.
4.* O duellu.
5.* A entregada espada.
6." A vinganga e a morte.
Fertonagent do drama. O Sr$.
Conde de Chateaubriand Joaquim Jos da
_ Gama.
Francisco l.,re de Franga Antonio JosDu-
., 8rte Coimbra.
Almirante Bonivct
Tartarem, volito soldado
1849. -- O olllcial-maior,
da Fonieca.
.viovmteii!
taido aborto
ftavio entrado tirria 18.
Ass 9 dias, hiate brasilehu Duvidoto, de
44 toneladas, capitflo Jos Jdaquim Alvo
da Silva, equipagem 6, carga sal e palha ;
a Jos Manuel Alves. l'assageiro, i escra-
vo a entregar.
Ravlot tahidot no menino dia.
Liverpool por Macci Barca ingleza Ban-
ger, capitflo William Paige, carga assucar
o algodflo.
Rio-Grande-do-Sul Briguebrasileiro no, capito Jos Fracisco dos Santos/ car-
ga assucar e ago'ardente.
dem Brigue hrasileiro Formato, capitflo
Manoel Gongalves, carga assucar algo-
dflo. Passageiros, Joaquim da Costa Gui-
marfles e Silva, menor, el escravo a en-
entregar. <
EiH'rAlsa.
11 ,a '"'^ctofia da alfandega so faz
publico que rio dia 19 do correa10 se hflo
do arrematar em hasta publica M> porta
da mesma, olio carlOes com 6 duzak''ous
ergos di navalhas finas, a 6,000 rs a d'" :
11 navallias de cabo do marm, .20
JoSo Xavier Carneiro da Cunha, /dalgo caval-
leiro da cata imperial, cavalteiro da ordem
de Christe e adminitti ador da meta do con-
sulado detta provincia, par S. IU. o Impe-
rador que tttot guarde, ttc.
Faz saber que, no dii 22 do corrente,
urna hora da larde na porta desta repar-
tigflo se ha de arrematar urra sacca de
algodflo apprehendida por o arqueador des-
la mesa sorvindo de fetor Joaquim Ignacio
do Barros Lima por falsificagao de peso
emrasflo.de conter algodflo le carogo n
centro para com ello ser augmentado o peso
do em pluma cuja sacca tem algodflo do'
primeira sorle 4 arrobas o 4 libras e de
a^godao com carogo27 libras: e sua arrema-
tado livre de despezas. Mesa do consu-
lado\le l'ernambuco, 18 de julho de 1849.
O i\lirinislrador, ./o-io Xacier Carneiro da
Cun/u,\
Jos Francisco
Monteiro-
Pedro Baptisla
de Santa-llosa.
Manoel Fiel.
Para a Babia segu em poneos dias..
ter a maior parle da carga protnpu 0VT-'J
to Exalacio, forrado e pregado de cohr. v
quem no mesmo quizer cariejir ou r i *
passagem, dirija-se a loja de forragens inn
to ao arco da Conceigflo. !"-
I'ara Buenos-Ayres sabir bravo |h I
ca Tentativa, por ter parle do carregament
prompto ;^a qual por seu porte ainda m!
receber rorgflo de Carga a frelo : queni n,
mesma quizer carregar, pode entender ti
com os consignatarios, Amorim lrm3os tZ
da Cadeia, n. 39.
Pan o Aracaty segu no flm do correa."I
le mez, com a carga que tivor a bordo *
patacho Santa-Crus : quem pretendero>rnv!'
gar ou ir de passagem, dirija-se ao lado da
Corpo-Santo, loja n. 25.
Para a Bahia sabe mpreterivelmmHi'
no dia 22 do corrente o hiate Sociedade <$
a carga que tiver a bordo: para cargaa
sageiros, trata-se na ruada Cruz doiltrir,"
n. 24. ''
Para Parahiba sahe impreterivelmeiti.
at o dia 20 do corrente o hiate nacin,!
F.tpadarle : quem quizer carregar ou ir i,
passagem, dirija-se a ruado Vlgario, n. i
ou ao meslre a bordo.
Para Lisboa sahe, at o dia 5 de igo
o brigue porluguez Novo-Vencedor, f
a maior parte de sua carga promp
o resto e passageiros, pira o que ol
excedentes commodos, trata-se com
consignatarios Thomaz de Aquino
ca & Filho na ra do Vigirio, .n. it,
meiro andar, ou com o capitflo, An
Jos dos Santos I .ojia na praga.
Para o lto-de-Janeiro
sabir, com multa brovidade, o brigue 1
sileiro D.-Alonto,c\\.'\o Abelleda : q
quizer carregar, ou ir de passagem, _
o que offerece o mata excedentes coman-
dos dirija-se ao mesmo capitflo, ou lowq j
proprietariJ, Manoel Joaquim Ramos sil-
va na ra da Cadeia do Recife, n. SS.
- Para o Havre pretende se,
guir viagem, com milita breda-
de, a barca francea. Zampa, de
primeira marcha, tendo j parle
seu carregamento prompla : ai
recebe algum frete :os pretenden-1
tes pdem dirigir-se aos convig- I
natarios da mesma, B. Lasserre k
Cumpanbia, ra da Senzalla Ve-j
i38.
Rio-de-Ianairo segu viinn,'
em poaVosdiaa, o bem onhecido brigue
llom-Jtfut. que seacba oom parte de sea
lento ja prompto; tinda recebe al-
ga escravos e passageiroi, pira o
encllenles commodos: quem pre-
'i dirigirse ao capitSo, JoSo Ven-
i na praga do Gorpo-Sanlo, ou
B-de-Deos, n.f, terceiro in-
O capellflo.
Condessa de Chateaubriand FelisminaMaria
,, daConceigflo.
um pagam.
Conde de Vandome.
Conde de S. Paulo
Joaquim Jos
Pereira.
Jos da .Silva
Giiiinarfles.
Bernardo da Sil-
va Cardozo.
Emilia.
Edith
Um reposteiro.
UmGentil-homem.
Fersunogent mudas.
Chancelcr Duprat.-Gentia-homens.--Pa-
gens.Archeiros.Escudeiros.
A acgflo passa-se no seculo 16.
O theatro estar tflo descenlemenle or-
nado, quanto o exige a magnilude do dia.
A illuminaoflo ser dobrada.
A orcbeslra apparecer augmentada e
tocar as melbores symphonias, cuidadosa-
mente ensaladas, pelo hbil director o Sr.
Tbeudoro Oraste.
O espectculo comegar depois da chega-
da do Exm. presidente da provincia, e com
a appangflo do retrato de S. M. o Imperador,
ante o qual cantar soha ohymno nacional.
Nflo obslantanle ser dia de grande gala,
o director ha resolvido levar escena urna
jocosa farga quesera precidida por um tor-
ce o dangado pelas duas jovens Jesuina o
relismina, e por certocavalheiro.

carreg:
gum
que tem
tender
tura da
a ra da
dar.
Para Lisboa, com a maior brevdade
possivcl, partir o brigue pnrtuguez Tanja-
I, forrado e encavilhado de cobre : tem ex-
cellentes commodos e trata ment pira pas-
sageiros : os pretenden tes para carga p-
dem tratar com o capitflo, Manuel de li-
veira I' iuxo, na praga do Corpo-Santo, ou
com I'irminoJos Flix da Rosa,' oa ra di
Senzalla-Nova.'H). 42.
~ Para o Para cOm escala pelo Ceari e
Maranhflo partir com maila brevidade o
pa la elio Foi luna, ja se acba" com um largo
da carga a burdo e mais de meia carga en-
gajada : quem no mesmo quizer carregar
para qualquer dos mencionados porto*,di-
rija-so a ra da Seuzalla-Nova, n. 42, pri-
meiro andar.
-- Para o Rio-Grande-do-Snl pretende si-
hir bieveo brigue Juno capitflo Jos Fran-
cisco dos Santos: ainda pode- receber al-
guma carga a frote, escravos e passageiroi:
trata-se com Amonm Irmflos, na ra da
Cadeia n. 39.
Publicat^oes Herarias.
Declarares.
Pela segunda secgflo da mesa do consu-
lado provincial se annuiicia, que do dia 17
do crrenle mez em (liante pi incipia-se a
cobrar o iuiposto de 20 por cenlOBobreo
Consumo das agoas ar.lentes de produc-
gflo brasilea, do muuicipiu do Recife, per-
lencenteau trimestre de outubio a dezeni-
bro do auno (indo,?semestre de Janeiro a
junho do coriento anuo.
CONSULADO DE PORTUGAL EM PERNAM-
BUCO.
Precisando saber-se com toda acer"
Urna associagflo de latera tos pretende pu-
blicar, no mez de agosto prximo futuro,
um peridico sb o titulo de
AGUIA CATIIOLICA,
por meio do qual se derrame pelo povo, tflo
carecedordeinstrucgflo, ludo quanto diga
respeilo santa e veneranda religiflo de
nossos pais, assim do dogma, como da mo-
ral evanglica, disciplina e rilo da igreja.
monos todava a parte polomica. Salina a
luz todos os domingos em formato grande,
islohe, em urna folba ordinaria de papel.
Subscreve-se na praca da Independencia,
loja ns. 6 e 8, d rasflo de 400 rs. por mez. Es-
cusadosefaz o mostrar agrande utilidide
de um peridico desta natureza. A religiflo
lie o primeiro e mais forte elemento da so-
ciedade; e o povo que for mais instruido
lia religiflo augusta de Nosso Senhor Jezus-
Chnslo, e mais fiel for na pratica da moral
evanglica, esse ser o povo verdadera-
mente livre, bem morigerado e feliz.
Sshio do prelo
.....no u.i lui-io.a primeira forma da im-
pressao de urna obra que devora constar de
mais de 400 pagina, eque tem por titulo
Adagios, l'ruuerbiot, RifSes i Annexins da
Lmgoa Nacional : a sua ulilidade nflo ca-
rece ser exagerada, basta que te saiba que
asabedoria ea prudencia de qualquer u-
go consisto em seus proverbios.
O seu prego he inaigncantiairmo, 200
rs. por cada forma de impressflo, naaos de
cinco em cinco formas adianiaeainenle
Assigna-se pa praga da Independencia
loja d livros, ns. 6 e8, e na ra S i-'
n. 11, acba j .'primeira frrn.reSP'
Avisos diversos.
Eu, abaixo assignado, pergunto, se bal
permitlido a um guarda da alfandega fizer '
meetings nos botiquins contra o governo.
Ao fazer esta pergunta, nflo posso deixar de
advertir, por mera caridade, a esse guardi
ousado e pouco conhecedor dos seus deve-
res, que, se ello nao arripiar carreira, tilo j
terei outro remedio senflo contar a historia 1
do ramo. Kuleude, Sr. guarda ? Tome (en- |
to. Quando nflo, obrigar-lhe-hei a cantan
palinodia marcador i* bithar.
Jos Fernandes Gulmarfles retira-sa
para tora do imperio a tratar de sus sau le.
Precisa-se de um prelo escravo que en-1
tenda perfeitamente de servigo de padarii:
as Cinco-Pon las, padaria de Jos Joaquim ,
Soares
--Os abaixo assignados scientificam so
publico e particularmente aos seus credo-,
res, que dissolveram amigavelmente a so-
ciedade que liiiham nesta praca, na taber-
na sita ni praga da Boa-Vista, n. 15, a qual
gyrava soba firma Paula Jnior & Compa-
nhia : (cando o socio Joaquim de Paula Lo-
pes nicamente obrigado a indeinnisar 01
dbitos conlrhidos por dita firma. PernOlj
buco, 14 de julho de 1849. Francisco Jos
de Pauta Ju-ior. Joaquim de Paula Luptt.
Aluga-se um sitio na estrada do Ar-
raial, com 3baixaspara capim e uma P?"
queua malta, com banho e boa casa de n*
venda : a tratar na praga da independe"01*
numero 12.
-- Oprup rielar o do engenlio Canba, jH"*.
ado duaa kgoas ao aul de Saolo-Antao, e "\
olvido a vender o referido rngenho. o q'
moe com aniniaea, a est paramentado de la-
do o preciso, e com uma .afra de doui ib
pea: cale eogcnbo tem mais de uieia lful
quadrada de eicellcniei terral e de opi""1
produccao, leudo grandes vaneas. TaiuWt
e vendem, se agradar a comprador, 32 '-
inaes de roda e 20 boii mansai: quem pre-
tender, dirija-se ao mesmo cugeuho, que wjMi
negocio se far, e te precisar d* algum rscl
reciinemo, dirija-ae a rita 4o Queiuiado, > -
i'adeiro para o Bonito.
Convida-se aoa Srs. padeiros a eslabe-
lecer uma padaria na villa do Bonito onde
nflo existe quem fabrique pflo e bolacha ,
podendo a'Ili consumir o mentor de 10,000
r. diarios.
Sexta-feira, 20 do corrente, u ?
arrematar em praga, depois da audiencia
do civel um escravo e urna mubilia usada^
na nrAlon^n--- -' -


a larga do Rosario, n. 4.
i;n< cutileiroearmeiro, tem a hon-
^prevcnr o respeitvel publico qued-
ara de receber um grande o lindo sor-
VnoJcespingardas de un; e dous ca-
i eos de pistolas tambero de um e dous
ni nue elle vender por prego murto em
,, nnr lercm vindo em direirura de urna
Umelhorts fabricas do Franca. Ellecon-
i amolar na tergas, quintos esab-
i 0, esecncarrega do apromplar com a
t'nr' brevidado possivol qualquer encom-
Udqueso,hefaca-
i nosa-se a pesaoa em cujo pquer se
I,r,r m cdula de 50,000 rs. n. 2,179 ,
I" i encornado, pnmeira serie, queira
I pinrarem carta ao agente do correio de
fonda por quem Ihe foi ella dada ; por-
Uanlo estando mencionada em urna carta
le dentro vinha a referida cdula preci-
l se saber quem a poi em circulagflo, sem
le se pretenda proceder por Bemelhante
usa : so pessoa que a ttver r do Reci-
roK,-se-lheque mandesua derlaracOo
Vrsria da praga da Independencia ns. 6
Tg com sobscripto ao referido agente do
orreio de Olinda.
-Precisa-sede um caixeiro para cobrar
lvidas fra da praga : quero disto se qui-
ler oceupar, ja tendo pratica poder ,
Ireslando fiador a sua conducta tratar no
Lateo do Carmo, n. 18, segundo andar.
I-Os Srs. Francisco de Paula do Reg
lirros e Frankliro Itenjamim ou slguem
or auss pessoas dirijam-ae a ra do Cres-
o, loja n. 10, a negocio de seu interesse.
- peaeja-se follar ao Sr. Ismael da Cruz
touveia : na ra do Crespo, n. S3.
- Algum Sr. sacerdote a quem convenba
jer capcllilo em um engenho distante destH
[ic)a.te9 legoa, queira apparecer na ra
fiova, sobrado n. 48, para Ojiar o negocio
OSr. que foi a pag*Mwfailitarie la
leiouporeaquecimenaji IttMfJalAM'sol,
|eserla, qatira ir busaa'reTqiM se Ihe en-
regar.
- ouem precisar de um ama para todo
iservico de urna casa quo engnmma, la-
te coznha, dirija-se aos Cuelhos, casa
ue fica confronte ao hospital, n. 7.
f- l'recisa-se de um caixeiro" quo ten ha
tilica de venda, e de conhecimenlo de sua
Induca : em Fqra-de-Porlaa, n. 135.
[/Francisco Josl'ereira retira se para a
prte do impefio.
LIMA ALFAIATIC.
Nt ra larga do Rosario, n. 40, precisa-se
e ofliciaes de alfaiate e costureiras.
- Antonio Eneas Gustavo Grv3o, cidadSo
rasileiro, retirarse para Portugal.
-- fferoce-se um rapaz brasileiro para
aixeiro de cobrancas, ou de outraoual-
oer irrumag3o : quem dt sen pr<> m io se_ j^ne^^reftTircTda sacco,
uizerulilsar annuncie.
.-(i Sr Manuel Alfonso de Miran
que queira ler a hondada de diri
ii. Nova, n 42,que se Ihe desoja faj
- Precisa-sede urna ama de lei
inco-Pontas, n 21.
-Quem precisar deroupa lavada een-
ommada com perfeico e por tnjfljco pre-
o, dirija-se ra de Santa-Ri' fn. 15.
-Hdame Mara uareau .-.'ira-su dests
rovincia. -
- Precisa-se de um caixeiro que il|,fiador
sua conducta : na ra da Gloria, remugo
eassucar, 11. 114.
-Oabaixusssignado declara, cm abono
a verdade.quea balina remellida deOlin-
a ao Uvm. Sr. Dt. Meira pelo corheiro Ja-
>l>, Ihe foi entregue, logo que este se p-
va fra dos seus sentidos, na venda pro-
ima a ordein terceira de San-Francisco.
l'rederico Hanitn.
- Precisa-se fallar, a negocio de seu In-
resse, com a viuva de Jos Mara Vasron-
ellos e Buurbon, ou na falta aos seus tiei -
eiros: as Cinco-Pontas, 11. 104, ou an-
uncien) anas moradas.
- Jos Firmno de Souza, proprietario
0 engenho Duas-Bnrras no termo deSe-
inhacm, faz sciente ao respeitvel pubhico
uefoL-lhe roubada urna letlra da quanlia
e8758 rs., aceita por seu mano Antonio da
onseca Souza Unaos liqudala 1 ios da ca-
ldo finado coronel Antonio Marques da
osla Soares, endilgada por elle annunci-
ntfl, vencida om das de maio de 1847. e pa-
por sua orden) de 3 de junho do un sino
jilo a favor de Antonio Alves da Suva
'"Ira seu correspondente do Reo i fe o Sr.
ommeodador Mauoel Gongalves da Silva,
qual a pago-i proroptameule a Rodrigo da
osta Carvllio, quem dito Silva liavi.
oslo O pague-so Dita letlra, tendo lica-
em poder do annuiicianle em conse-
uencia da c-r.lem eaqui cendo-se de inu-
lisa-la, lenibra-sc lia\er guardado em um
vro que, peranle elle, servia entilo na sub-
elegacia do seu districto ; o qual, tond-
T'iis ido para casa do respectivo escrivflo,
ni ilnviila de l foi tirada por alguem. K
mofosse de novo aj resenlada no Recife
'Sr. Jos Marques da Costa Soares, e por
l ao Sr. connnendador Manocl Congal-
da Silva por una pessoa quem um
eso da rcvolla, quo embaroou para fra
provincia, a deixou negociada, ou por
gociar, que foi quando o annuncianle
11 por falla dell, por ser avisado; roga
ue ninguem a negocie, porque desde ja
olesla nao paga-la, provando exuberan-
meute o roubo com o lestemunho da pes-
a que pagou a ordera de que faz meu
0. em a qual ella foi especificada, e com
tWs precedencias que o fado acarretou,
qu por ora abstem-se de patenten..
--Quem quizer comprar urna colleccSo
148 relhas do supplemenlo burlesco ao
ilrioia dirija-se a loja de Maia llamos &
1 na ra Nova, 11. 6.
-Leonor l.uiza da Rocha tem justo e
"tratado com a Sra. D. Anglica da Coala
los a compra da parle da sua casa terrea
' ra da. Calcada, n. 28 j quem so julgar
m direitoadiu parle, declare por este
mal no prazo.de oito das, contados desla
. Hecie, 18 de julho de 1849.
- Precisa-se de urna pessoa que saiba
"r bem pisno, para eiismar n'um enge-
wpcrlode S.-AnUo ; ununcie, oudiri-
ao paleo do (.armo, sobrado, n. 1
icliara com quiyniralar.
^Precisa-se lugar duas peasoas para
atinaren) em um sitio na Ponie- : na ra da Cadeia do Recife, n. 44.
- H-se ainliciro a premio sobre penho-
n^?Ur. pr"",! n" ,'ua d0' Hospicio .
ni|ado teltodeouro, '
iTn'"'^ Priraeir andardo sobraflo
Carlos Claudio Tresse fabrican-
te de orgaos e realejos na ra
das Flores, n. 9 ,
avisa ao*respeitvel publico que concerta
orgflos realejos, poe marchas modernas
deste palz concerta pianos, seraphinas ,
calxas de msica arordffos e qualquer ins-
trumento que appareca : tambem faz obra
nova e vende um orgfto proprio para capel-
la, ou altar-mr, com boas vozes, por pre-
r;o commodo.
Cartas fina:, de jognr
a retalho e em porco, muita em conta ;
Charutos
da clebre fabrica do S.-Flix eoutros, sec-
eos e de pnmeira qualidade, pelo barato
prego de 2,000 rs. a caixa de um rento; co-
mestives conservas e licores de diversas
qualidades, chegados pelos ltimos navios;
um sortimentode vinnos hranco e tinto,
ordinarios e superiores, ero garrafas e em
iiarrs : na ra Nova, cesa franceza n. 69.
~ Existe um escravo no engenho Dia-
mante comarca de Goianna, de nome Fi-
lippe oqualocculla n mime do senhor e
do engenho de onde veio fgido : quem se
julgar com direito a elle, dirija-se ao dito
engenho, que, mostrando os documentos, e
liando os stgnaes cerlos, I lie ser entregue,
ou recebera o importe, se o quizer vender e.
convier o preco; nBo se reapousabilisando
o proprietario daquelle engenho por qual-
quer fuga, ou extravio que o mesmo escra-
vo possa ter.
Simfio Caetano da Silva Portuguez ,
retira-so par Portugal.
Traspassam-se as chaves do um armazem
de assucar, na ra de Apollo, vendendo-se
os seus utensis, ou parte delles, como cai-
xes, etc. ,cuioarmazem paga multo mdi-
co aluguel, e est ptimo para quem qui-
zer atabclecer-se com armazem de assu-
car : a tratar na ra Angosta, n. 26.
ATTENCAO
Offerece-se um homem solteiro, Brasilei-
ro, para caixeiro de qualquer engenho, ou
mesmo para administrador, poia que de lu-
do lem bastante pratica : quero de seu pres-
umo se quixerulilisar annuncie.
Manoel Jos Pereira, subdito portu-
guez, relira-se para fra do imperio.
O abaixo assignado acienlifica aos ere-
dores da exlincta firma Paula Jnior &
Companhia, que, tendo-se esta dissolvido,
elle se obriga a inderonisar o debito que a
mesma contrahio. Pernambuco, 14 de ju-
lho de 1849. -- Joaquim de Paula lapet.
Previne-se ao respeitvel publico que
no armazem do Raptista, na esquina da ro-
das Flores, ha carvSo da mell
'3
dade multo barato se se attender que os
saceos leem cinco palmos de uomprimento
e dous de largo, e contom mais carv.ln rio
que dous dos oulros saceos que se veudein
ordinal ament em cargas.
Madama Melanie Gillain com tres lilhos
menores vai fazeruma viagem a Europa.
A pessoa que lem empenhada na ven-
a que foi de Rernardode tal, na estrada de
anlo-Amaro, cuja venda perienco hoje a
Gabriel Maria Velloso, urna tesoura grande
de aparar cerca, queira ir resgata-la dentro
le oito dias, contados da publicado deste ;
ido contrario sera vendido por conta de
quem |M'i ii'iicei-, para pagamento de 1,600
rs. por quanto est empenhada.
Aluga-se urna casa que sirva para pa-
liara equetenha commodos para fami-
lia em S.-Amaro Hospicio, ou Soledade :
quem tiver dirija-se ra da Madre-de-
Deos, armazem de Vicente Ferreira da
Costal
Prerisa-se de urna ama do leile para
acabarle criar urna menina: prefere-sea
que est-ja para sabir de alguma criaQ.lo :
ta rtia das Cn17.es, 11. 22, segn.lo andar.
O gerente do contrato do rap prinre-
za de Lisboa contina a vender este rap a
retalho a dinheiroa vista e nSose fia a
pessoa alguma e roga as pessoas que an-
da estilo a dever o favor de mandar satisfa-
cer seus dbitos.
-Offerecc-se urna crioula para fazor todo
o sen ico de urna casa : na ra Pircita,
n. 68.
Fabrica de pianos.
Na ra do Queimado, ti. la.
Jnfln Vignes dirigi urna das printei-
ras labricas de Paris, frequentada pelos
primeiros pianistas, os quaes por militas ve-
zes sequeixaram por n"o podrcm expri-
miros sentimentos dos autores de msica,
porquo os instrumentos nflo obedeca m con-
formo o pianista queria.
O dito fabricante fez fabricar pianos de
proposito pata este paiz, os quacs leem to-
das as qualidades reunidas; bem como um
macbinismo superior a lodos os que leem
apparecido, e que o pianista pdecxecutiir
qualquer peca de msica,capricho, ou phan-
tasias, do pianissimo al ao fortissimo, os
niais extraordinarios em rapidez, sem nun-
ca ralbar, porque sito feitns de maneira q...
nem o calor, nem a humidade pdem influ-
ir nelles.
Qesappareceu, nodia.15 docorrente,
urna jaqueta de panno lino verde escuro,
principiada a fazr, levando dentro da mes-
ma algumas pegas de oulra jaqueta do mes-
mo, (cando a outra nutilisada por nfio ha-
ver mais panno igual, tendo a mesma pessoa
que fez esta graca levado una caiga de
riscado escuro de algo.lSo, o outra delinho
antes da jaqueta ; pelo que roga-se a quem
comprou dita jaqueta e as duas calcas man-
de-as na ra .Nova, n. 18, que recebara a
quanlia por que comprou.
Offerecc-so urna ama de leile, sem fi-
Iho : quem precisar dirija-se ruada Con-
cordia, n. 5.
i.nurenco Jos das Neves avisa a quem
convier, que desde o anno de 1847 be mora-
dor em seu engenho I'errirosa, na fregue-
sa de San-liento e comarca de Porlo-Calvo,
provincia das AlagOas.
\\. Feliciana de Almeida o Silva, tendo
(cilio a dever a J0B0 Baplisla Urauco a
quanVi'ai de um cunto de ris, e tendo este
morridoXsua viuva passra este debito a
Theolonio'-iFragoso da Silva, oqual, tendo
arrendado o\engenho Camorinzinho aoa
hel-deiros da nada D Feliciana, para com
o rejidimontb/do mesmo engenho pagar-se
do debito referido, estando com o engenho
arrendado, ie tendo tirado seto safras que
importan em quatro conlos e duzetitos mil
ris, np teim querido o arrendatario Theo-
va abalcr os rend metilos das
bito contrabido por^-aila
AJ i
finada D Feliciana, cuja representagao fa-
zero seusfilhos ; e nem paga aos herdeiros:
e como pode ser quo aquelle Theotonio
queira vender esta divida a nutra pessoa na
sua tojalidade, faz o presente annuncio pa-
ra que ninguem contrato a tal respeito, vis-
to que se pretende liquidar este negocio,
ou por amigavel coroposigo, ou judicial-
mente.
Aluga-se, ou vende-sc um prelo
cozinheiro, rouilo fiel e sem vicios: atrs
do theatro, ns. 16e 18.
aajafraaaMM aaHHIi lUBaaMUE
Novo pSo de Provenca.
Na padaria do becco das llarreirase I
no deposito da Estrella, no Aterro-
da-Roa-Vista, n. 39, fahrica-.se o no- fi
tro pSode Provenga, oqual he fabri- jp
cado pelo melnodo do seu primei-
ro introductor que veio esta provin- ;j
ca e com as melborea farinbasque ft
ha no mercado, e assei quo lio pos- ;
sivel: da mesma sorte se fabricam as a
fatiasda rainha de liespanha boli-
nhos, biscoutos, biscoulinhos, fatias, &
i cavacas : ludo do melhor gosto pos- 33
2 sivel e proprio para cha ; lamben) ha ^
I bolachinha de Lisboa em latas de 8 g
Z libras, por prego commodo ; amen- j
mi doas confeitadas e de varias quali-
3 dades.
1 __^ I
Precisa-se de urna ama/de leite, forra
ou captiva : no patoo da riostra, casa ter-
rea, n. 23.
Lotera do Guadalupe.
Nfo podendo effectuar-se o andamento
das rodas desta lotera no da 14, como se
havia annunciado o respectivo thesourei-
ro designa novaroentoo dia 27 do crrante
moz ero que o mesmo andamento ser
realisado i 11 tal I i veintn te, vistos os esforgos
que para eslefim tem a innandade benefi-
ciada empregado.
Precisa-se de urna ama de leite, que '
tenlia boro e abundante, para urna changa
de 6 mezea : na ruado Collegio, n. 19, pn-
meiro andar.
: *!* >& 41>^
f
m faz sciente a quem convier, que niti-
f dou o seu estabeleciroenlo de unifor-
S roes militares da loja da ra do Quei-
mado, n. 10, para o primeiro andar
do sobrado n 19 da mesma ra ,
aonde contina a vender os ditos
mmmmcmmammHartamnmmrmm
nos, de altura regular. cabellos croscidos e
carapinhados, testa sobresahida olhos pe-
queos, nariz chato, tomador de tabaco de
caco rosto descarnado e com espinhas,
sem nenhuma bsrba; lovou 1 camisa do ma-
dapolo tima caflfa de casimira usada, unta
jaqueU de bretanba, um bonete de velludo
azul ja usado um chapeo de patito, um
dito do pello prelo : Joaquim, crioulo bas-
tante preto, de 33 almos, alto secco, cara
pequea bem barbado ; tem o costume de
levar a m8o barba ; lie gago ; andar com-
nassado ; dizem ter mili om Pajah-de-Flo-
res; foi escravo do capit.lo Leandro Bandei-
ra de Moura do Apody o qual se acha pre-
sentemente na comarca de S.-Anl3o, e tem
um sitio cm Crttval; presume-se terem
partido para o Apody onde lia muitos p-
renles do dito Moura; comquanto o primei-
ro andasse sempre em viagens dos sertOes
do sul ao poente, com os cobradores desta
casa : este ultimo escravo levou um chapeo
preto de pello eoutro de couro, duas ja-
queles brancas, 1 caiga do brim pardo 1 di-
ta de riscado, 1 camisa de madapolSo,
duas ditas de algodao da trra e ceroulas.
Roga-se a vigilancia nestesdou escravos,
que vindo com muita brevi.lade, serilo
gratificados ainda com mais do que se offe-
rece.
O Dr. Lobo Mosccso conti-
na a receber doentes em sua ca-
sa, no Aterro-da-Ba-Vista, n. 48,
onde lia commodos sulTicientes,
nao s para se trataran de suas en-
fermidades, como para se Ibes fa-
zer qualquer operadlo : as pessoas,
portento, que se quizercm curar oif
mandar algum escravo, pdem di-
rigir-se so annunciante em dita ca-
sa, certos de que serao tratados
com todo o desvelo.
Corles de brim de puro
linho, a 1,280.
Vendetn-se cortes de brim trangado
pardo de pu'o linho, pelo diminuto prego
de quatro patacas : na run do Crespo, loja
da esquina que volla para cadeia.
--Ventle-nm novilho turnio legitimo,
muito novo: naruadoQueimado. loja de
orives, n-3-. Na mesma loja tambero se
vendo urna escrava.
.....
Compras,
A
" uniformes para todas as patentes das A
$ difiranles armas do exerciloe guarda

nacional, msicas, ele.; tendo elfec-
tivsmenle abotuaduras para fardas
e sobre-casacas de todas as claases ,
l galOesde ouro o prata fina para di-
visas, caigas e chapeos de pagens,
* chapeos envernizados para
? de turmas as mais modernas
A ris.
*
MI M>4|4Maa>*C aV* :
pagana, 1
, a 5,000
Dentista.
D. W. Baynon, cirurgi.lo dentista a-
mericano breve se retira desta pro-
vincia e pelo pouco tonino quo aqu se de-
mora, tem a honra de offerecer ao respei-
tvel publico o sen preslimo, na ra do
Trapihe-Novo, n..!4.
Desappareccu, no dia 15 do
corrente, vindo da Ponte-de-U-
cbiparao hospital inglez, na Boa-
Vista, o prelo escravo, de nome
Patricio, crioulo, alto e bem pare-
cido ; representa ter 3o annos de
idade pouco mais ou menos : jul-
ga-se ter fgido para o sertao,
donde be natural ; foi vestido com
camisa e calca brancas, e levou
urna tiniixiiili 1 de rcupa : quem
liver noticia delle e poder appre-
hcnd-lo, levo-o a ra da Cadeia
do Recita ao corretor Oliveiia,que
recompensar generosamente.
? 9
1 Homoeopalhia. i
# Primeiro consultorio homeco- ?
patbicoem Pernambuco, na C
m iua da Cadeia de S.-Anlo- 3
1
*
: uto, n. 22
Sj Este consultorio estar aberto lodos
Z os dias desde s 10 horas da manha
,, al s 3 da tarde : as pessoas que nao
gj podrem cltegar ao consultorio po-
*,;, der.lo ser visitadas ero suas casas, I
a,; qualquer que seja a distancia desta
j praga. f indigentes serSo tratados '
u gratu' ..lente, apresentando um al- g*
Z testado do vigario de sua freguezia. ^
? "*
f )$99&9&-*9^9M99!%99
ASSASSINATO HORROROSO!
D. Francisca da Cunha Bandeira de Me-
llo viuva do Burgos, e seus lilhos pedem
encarecidamente aos Srs. delegados e todas
as nutras autoridades policiae3, capules de
campo e pessoas particulares a apprehen-
sfio de dous de seus escravos que, em o seu
engenho Agoas-Claras doUrucu' da fregue-
zia de S.-Antilo, dirigiram-se a casa de seu
administrador o Portuguez Domingos de
Oliveira ,e all achando-o dormindo assas-l
sinaram-no com urna fouce dando-lhe um1
s golpe na tesla, de maneira que abri-
raro-na. Este brbaro acontecimeulo leve
lugar no dia 26 de mato do corrente em
alta noite, e assim que perpetraran) esse
mine evadtram-se; e como os annuncianles
querem os entregar aos Iribunaes de jus-
tiga para devidamente serem sentenciados,
fazero o presente seguindo esto outro.
200,000 rs.
D-se esta quanlia de gralficagSo a quem
levar ao engenho Agoas-Claras, de Uruc,
da viuva do Burgos, ou nesta praga, no
paleo do Carmo, 11. 18, segundo, andar, a
Anitonio Carlos Pereira de Burgos Ponce de
Len,os dous escravos seguintes que fu-
giram nos das sabbado para domingo, 26
a 27 d 'Trente: Vicente, pardo, de 96 an-
II A T>N ^-----
-- Compra-so unta casa terrea, ou pe-
queo sobrado, as melhores tubs do bair-
ro da Ba-Visla, cujo pregn nio exceda a
3:000,000 rs.: na rus Formse, segunda ca-
sa, ao entrar pela da Aurora.
Couiprnm-se ns Diarios de Pernambuct
de 24 de abril de 1843 e 29 de maio de 1816 :
pagam-se generosamente : na ra do Cres-
po, loja 11.15.
Compra-se um sellim que esteja em
liiim uso : na rus do Crespo, loja n. 9.
Compram-se dous 011 tres bois de car-
ro, sendo magros ; porm prefere-se nlo
sendo velhns: na ra da Cadeia, loja de
cambio do Sr. V'ieira.
Compra-se urna preta de 12 a 14 annns,
que seja lecnlhida e tenha algumas habili-
dades: em Fra-de-Portas, ra do Pilar, n.
85, primeiro andar.
Compram-se duas ou tres moradas de
casas terreas que estejam em bnm esta-
do cujo prego regule de 800,000 a um
ciinlu de ris: quem tiver annuncie.
Paga-se bem.
Compra-se calgado feito na trra de
toda a qualidade : na praga da Independen-
cia, n. 33.
-- Compra-sc, para urna cncomnienda ,
urna escrava para se applicar a vender miu-
pezas que seja da Costa ou de Angola e
inda moga : na ra larga do Rozario, n. 22,
ou annuncie.
Compra-se, por incumbencia que urna
pesaos tem unta casa terrea rom dous ou
3quartos .sala na fre.nle o airas coznha
fura, quintal e cacimba : preferc-so as ras
do Rangel, Larangeiras o Trincheiras e
que seja em chilns proprios : na ra larga
do Rozario, ti. 22, ou annuncie.
\eiiias.
Vetidcm-sc 8 lindos molequesde 12 a
20 anuos ; 10 pretos de 25 a 30 annos, sen-
do um delles cozinheiro ; 3 negrintias de 9
a 12 anuos com principios de costura ; 2
pardas de 20 a 24 anuos com algumas ha-
bilidades ; j pela-, de 20a.ID anuos sen-
do una deiins .1] tuna coznlieira e ouira
com urna cria de 2 annos' : na ra do Col-
legio, n. 3, se dir quem vende.
f Vende se farinha de mandioca do 11
superior qualidade milito fina e al-
l va em sarcas*, por prego commodo,
i e cm medida decuia a 200 rs. ; fari-
S tilia de aramia, a 200 rs. a libra ; car- jn
* ne com toucinho, a 80 rs. : no palco ;j
t| do Tergo, venda n. 7.
i I
Venden,-se .las parles de um sitio no
lugar do Monleiro delimite do sitio do
major Carlos Martins de Almeida : na ra da
Mangueira 11. i.
JVa ra do Cabugd, loja do
Duartc, vendem-se
tesourag para alfaiale e barbelro fabrica-
das em (.iiiniiirr.es pelo melhor culileiro
daquelle lugar; ditas de Lisboa, para so-
11 hora com tus r.dicos de ago fino.
A prego baralo,
para se ultimar a venda dos seguintes li-
vros : Noites do Young ; Georgiana ; Es-
pectculo das bellas arles ; Fbulas de F.so-
po, An 1 una ; e outras mais : na esquina do
arco de S.-Antouio, loja n. 1.
Vende-se um sitio na estrada dos Afilie-
tos /O qual lien condigno ao lado direito do
sitio de Vaiiiel Paulo Quintella : no pateo
da S -Cruz no sobrado da viuva Perelli,
no segundo andar. '
.Igoricia de FclwinNjlIaw.
Na rita de A "olio armazem n. 6, diM. Cal-
montfit Cumpa nina, acha-se consla/len ente
um grande soHimcnto de ferragyns nglezas
para engenhos de fabricar aiSsucar, bem
como laixas de fero cuado (/liando de de-
ferentes tamanhos e modelos, muendas
lie dito, tanto para armar ero madeira como
(odas de ferr para anitimes e agoa, ma-
chinas de vapor de lrga do 4 cava I los, alia
prcsso, repartideiras, espumadeiras, ele.
de ferro estanhado. Na mesma agencia acha-
se um sortimento de pesos para balangas ,
escovas pata navios, ferro embarra, tanto
quadrado como redondo, salra para ferrei-
ro, e urna porgilode tinta verde em latas:
ludo por barato prego.
freguezia.
1 Vinho da Figueira de superior qua-
=} lidade a 1,880 rs. a caada, e *1 gar- (S
^ rafa a 160 rs. sendo engarrafado, o 1
i dando o fregueza garrafa vasta ; vi-
a- nhobrancode Lisboa, a 1,600 rs. a #
? caada e a garrafa a 200 rs. : no pa- )
leo do Tergo, vend* n. 7. <
Cnntina-sea vpnder boa manteiga ,
a 400, 500,640 c 1,000 rs.; farinha do Ma-
ranlnlo, alOO rs.; cevada nova, a 80 rs.;
letria, a 140 rs. ; bolachinha ngleza, a 200
rs. ; caf ero grfio a 120 rs. ; dito moldo,
a 160 rs. ; passas, a 240 rs. ; cha hyisson ,
a 2,000 rs.; carnauba de 6, 7 e 8 em libra ,
a 320 rs.; feijflo novo a 320 rs. a cuia;
toucinho de Santos, a 200 rs.; arroz bran-
eo, a 100 rs.; espermacete americano e
francez a 880 ; queijos novos, a 1,200 rs.:
no paleo do Carmo. venda por baixo do so-
brado novo, n. 2.
JSa ra do Cabugd, loja do
Vitarte, vendem-se
fitas de setim lavradas; ditas com franja;
setins lisos o de cores; galOes finos e ordi-
narios ; volantes ; trinas; espiguilltas ; flo-
res ; capellas de flor de laranja ; luvasde
seda ; mantas de seda para meninas, a 800
rs.; ditas para senhora a 9,000 rs.; lencos
para grvala, do lindos modellos.
JVa ra do Cabugd, loja do
Vitarte, vendem-se
lamparinas nglezas da urna invengSo mais
moderna que tem apparecido ; bandejas li-
nas ; botes de Pedro II, da 1.*, 2.'ei 3. ;
ditos amarellos para casaca; ditos ditos e
de massa para militares ; ditos pretos do
seda para casaca ; ditos para vestidos de se-
nhora e enfeites de roupas para meninos a
de mndre-pcrolit do diversos tamaitos ; di-
tos do libr brancos o amarellos.
Na rita do Cabugd, loja do
Vitarte, vendem-se
relogios feitos na Amorica de fabricas de
metal, a 16,000 rs.; quadros de santos com
molduras douradas ; chapeos de pella da
lebro, sem pello e de castor, a 3,000 rs.
Vtreito das mulheres
e mjusliga dos homens-, traduzido por urna
Rrasileira : vende-se a 640 rs., na praga
da Independencia, livraria ns. 6 e 8.
Vende-se urna preta de 18 annos, que
lava coznha pouco, e he sadia por 300#
rs., istn por ser de pessoa que se telira pa-
ra o Uio-de-Janeiro com o seu balalhao a
tillo pode fazer esta venda com vagar : para
ver, na ra larga do Rozario, n. 35
Vendem-se, na ra do Llvratnento, n.
20, ossuccrioreso mui frescaes queijos do
Cear, chegados no vapor S.-Saltador: tam-
bom se vende urna nogrinha de 14 annos;
urna preta jde idade. que entendo do co-
zinba, pelo diminuto prego do 230,000 rs.
-- Vendem-se pelles de couro de lustro,
do muito boa qualidade hamburguez, a
4,000 rs. e francez, pelles grandes, a 4,500
rs.; marroquim de todas as cores, a 1,920
rs ; hezerros francezes a 3,500 rs.; graxa
i ngleza a 240 rs. : na praga da Indepen-
dencia n 15.
Vcnde-se carvflo patente o qual exce-
de o carvSo natural por sua superiorida-
do no incendio, por prego commodo, a
vontadade do comprador : na ra da Cadeia
do Recife, n. 48.
-- Vende-se peixe secco grande e peque-
no ; courinhns mindos superiores; supe-
riores velas de carnauba formas de esper-
macete ; barricas com superiores sapatOes;
caixas de tartaruga superiores; hezerros
corlidos ; duas libras do tartaruga muito
grossa o duas unhas da mesma : 11a ra da
Cruz 110 Recife, 11. 24.
Vcndom-so, na praga do Corpo-Santn,
armazem n. 4, esleirs do Aracaty, em por-
gilo de com, por prego commodo.
Vende-se um pardo de 23 annos, sem
vicios proprio para qualquer servgo : na
ra do Crespo, loja n. 15, de Cunha Gui-
lliaiiios.
Attencelo.
Na ra do Crespo, loja n. 5 A, junto ao
arco de S.-Antonio, vendom-se ricas mau-
las de seda de noves lavrores a 6 e 8,000
rs., tanto para senhora como para roeni-
n,1s; alm destas fazendas ha u.n rico sor-
timento de leques com enfeites inieira-
mento novos, e que se vendem maisem
conta do que em outra qualquer parto.
Vonde-scum moleque de nag.lo Mo-
gatnbiqtte de 18 annos, de bonita figura,
bom cozinheiro 11 a.) tem vicios ucm acha-
ques, o que se alianza ao comprador: se
1.ir para o mallo ou lora da provincia, se
dar mais cm conta : na ra da Concordia,
passando a ponlezinha, direila segunda
casa terrea se dir quom vende.
a praca da Independencia, n.
1O, ao vallar para a rita das
Cruzes,
vendem-se e tambem so applicam as me-
lhores lusas que ho possivel baverem no
mercado ; limpara-se, churobam-se e ti-
rain-se denles com toda a perfeigito : tam-
bero se applicam ventosas com a maior de-
licadeza que be possivel, e tudo o mais qua
perlence a arte de sangrador: tudo por
prego muito rasoavel.
Firmiano Jos Rodrigues Ferreira, an-
nuncia que tem mudado um dos seus esta-
heieejmi nlos do la/eiulus da loja, n. 9, e
transferido para a mesma ra em outra (de
11.19, aonde os seus antigos freguezes e
amigos cliaiao um completo sortimento
de (uzeadas de gosto, e por muito baralo
prego, como sejatn pannos finos de todas as
cores, por 2.4U0, 2.80O, 3,000 e 3,200 ris;
alguias gasmiras a 5.000 ris o corle; lila
para caigas a 4800 ris; chitas finas, a 200,
220, 240 e160 ris; madapoIOo, cutrins e
outras mu tas fazendas de gostos, que se
venderlo por pregus que muito agradarlo
aos compradores.
1
1


Vende-so?cal virgem de Lisboa de
superior qualidade, em barris de 4 arrobas,
chocada neste mez pelo brigue Maria-Joi:
tratar na ra do Brum, armazem de
Antonio Augusto da Fonseca, ou na ra do
Vicario, n. 19.
O monstruoso bramante de hnho
de 1 1 palmos de largura.
Na loja doGuimarSes & Hennques. na ra
do Crespo, n. 5, vende-se bramante fino de
puro linho del palmos do largura, pelo
barato proco de 2,800 rs. a vara; rieos co-
bertores de barra de seda, muito grandes, a
6,000 rs. e mais pequeos, a V\) rs. ;
fazendas estas nunca vindas u esie mer-
cado.
Pannos,a2e3,000 rs. o covado.
Na loja de f:ii imariles & llenriques, na ra
do Crespo, n. 5, vende-se panno preto e
azul, pelo barato prego de 3,000 rs. o co-
vado e preto mais inferior pelo diminu-
to preco de 2,000 rs. o covado ; bem como
um completo sortimento de todas as cores,
e de diversos precos.
A pechincha.
Cortes de cambraia adamascada
com loque de avaria, 2,5oo res ;
ditos I i m pos para vestidos e corti-
nados, a 3,ooo ris ; ditos de tala-
garca, a 1,600 ris; ditos finos, a
'2,5oo ris; cassa-chita de cores fi-
xas, a 3oo ris o covado; riscado
em cassa, o covado a aoo ris; lan-
zinhas para vestidos, calcas e roupa
de meninos, a 320 ris o covado ;
e outras umitas fazendas por preco
brrato : na rus do Crespo, loja de
Cunha Guimaraes, n. 5
A 64o rs. cada um.
Vendem-se cobertores de algodSo, dos
mais encorpados que ha, e proprios para es-
cravos, a 640 rs. cada um: na ra da Cadeia-
Velha, n. 33.
AGENCIA
da fu n di cao Low-Moor,
BA D\ SFIMZALTA-NOVA, N. /(2.
Neste estabelecimento cont-|
ma a haver um completo sorti-
mento de moendas e meias moen-
das, para engenho; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido e
todos os tamanhos,
mulo, de
para dito.
A 200 rs. o covado.
Vende-se zuarte azul trancado, muito en-
corpado c com 4 palmos e meio de largura ,
a melhor fazenda para vestir escravo pelo
baralo preco de 200 rs. o covado: na loja d
esquina da ra do Crespo, que volta para a
cadeia.
IVovos riscados monstros, de vara
de largura, a 320 rs. o covado.
Na ra do Crespo, n. 5, vendem-se os no-
vos riseados monstros, muito finos o pa-
drOes nunca vindos a este mercado, pelo
barato preco de 320 rs. o covado.
Vendem se presuntos inglezes para
fiambre ; latas com bolachinhas de Lisboa ;
ditas de araruta ; ditas de marmelada de
1, 2 e 4 libras ; ditas de sardinhas ; ditas de
hervillias ; ditas de checolate de Lisboa ;
frascos de conservas ; ditos d'agoa de flor
de laranja; barris com azeitonas hranras de
Erras; garrafas comvinho moscatel de Se-
tubal e da Madeira ; queijos de prato ,
frescaes: tudo novo e chegado ultima-
mente de Lisboa : na ra da Cruz, no
Recite, n. 46.
Jos amantes da lotera do Rio-
de-Janeiro.
G3Ts4os 2o:ooo,ooo de ris.j>
Silo chegadas as listas da sexta loleria do
theatro de S.-Pedro, e com ellas novo sor-
timento de bilheles e cautelas da 50." lote-
ra da Santa-Casa-da-Msericordin, cujas
listas veem no primeiro vapor. A elles an-
tes que se acabem. Na ra da Cadeia do Re-
cife, loja de fazendas, n. 51, de Joiloda Cu-
nha Magalhaes onde existem as listas das
loteras pnssadas.
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Aos 20:000,000 de ris.
He chegaila a lista da sexta lotera do
Uiealro de S.-Pedro, e com ella grande sor-
tmenlo de bilhetes, meios, quartos, oita-
vos e vicsimos da 50.a lotera da Santa-
Casa-da-Misericordia do Rio-de-Janeiro ,
cuja listas devem chegar no primeiro *-
por : na ra da Cadeia, n. 56, loja do fer-
ragens, de Antonio Joaquim Vidal.
Chitas de cores /xas, a 5,200, ou
a \40rs. o covado.
Na loja n. 5, que faz esquina para a ra
do Collegio, vendem-se chitas de bons pa-
drues e cores filas, a 5,200 a peca e 140 rs.
o covado; ricos cortes de cassa da rainha
Victoria a 3,600 rs. o corle ; lindas cassas
francezas, hrgas, pelo barato prego de 640
rs. a vara : esta fazenda se torna muito re-
commcndavel por ser de padrOes novos o
mullo finas ; alm destaa ha um com-
pleto sorlimento de todas as qualidades de
fazendas, por prego muito commodo.
4os fumantes de bom gosto.
No armazem de molhados atrs do Cor-
po-Santo, n. 66, ha para vender, ebegados
pelo ultimo vapor viudo do sul, superio-
res charutos S.-Flix, e de outras militas
qualidades que se venderSo mais baralo do
que em oulra qualquer parte : bem como
ciparrlhos hespanhes ditos de palha de
niilho, que se eslSo vendendo pelo diminu-
to prego do. 500 rs. o cento.
Cha baralo.
Vende-se muito bom cha, pelo prego de
500 rs.. a libra : na ra do Crespo, n. 23.
Vende-se, na ra das Cruzes, n. 22 ,
segundo andar, urna muiatinhade 22 li-
nos boa engommadeira, costureira, cozi-
nheira e que lava de sabSo.
Tai xas para engenho.
Na fundig&o de ferro da ra do Brum,
acaba-se de receher um completo sorlimen-
to de taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
quaes acham-se a venda por prego com-
modo e com promptidSo embarcam-se,
ou carregam-seem carros sem despezas ao
comprador.
Deposito da fabrica de
Todos-os-Santosna Baha.
Vende-se em casa de N. O. Bieber & C.
na ra da Cruz, n. 4, algodSo Irangado
daquella fabrica, muito proprio para saceos
de assucar.
Vende-se champanha da mais superior
qualidade que tem viudo a este mercado :
na ra da Cruz, n. 27, armazem de Crocco
&C.
Vcnde-se algodao trancado
da fabrica de Todos-os-Santos a
1.7o e a 3oo rs. a vara : na ra da
Cadeia, n. [>>..
\ 1,000 rs.
o corte de calcas.
Vende-se brim trancado pardo de puro
linho, a mil rs. o corle de ca'gas : na ra
do Crespo, loja da esquina que volta para a
Cadeia.
Vendem-se sellins inglezese
camas de ferro: na ra da Senzalla-
nova, n. 4^.
Folha de Flandres.
Vendem-se caixas com folha de Flan-
dres : em casa do J. J. Tasso Jnior : na ra
do Amorim, n. 35.
Feijo.
No caes da Alfandega, armazem confron-
te 80 chafariz, e na ra da Cruz, armazem
n. 13, vendem-se saccas com feijlo mula-
tinhn e rajado, por menos prego do que em
outra qualquer parle.
Cabos, lonas e br'tns.
Na ra da Cruz, no Recife, armazem n.
13, vende-se um completo sortimento de
cabos do linho patente, de todas as grossu-
ras ; lonas da Russia verdadeiras; ( conhe-
cidas por imperiaes) brins para velas, de
primoira qualidade.
Lanternas de patente.
No armazem da ra da Cruz, n. 13, ven-
dem-se lanlernas de patente para navio ,
muito bem feitas e de varios tamanhos.
Novo sortimento de brim trancado
a i,5oo rs.
Vendem-se brins trangados brancos, lisos
o de listras de puro linho a 1,500 rs. o cor-
te cOrtes de Instan alcochoado a 480 rs.:
na rua do Crespo, loja da esquina que volta
para a Cadeia.
Na liviaiia ns. 6 e 8 da praga da Inde-
pendencia vende-se o seguinte :
Manual eleitoral
contendo a lei regulamentar das eleigQese
os decretos e decisOes do governo que dSo
220 rs. a garrafa. O proprielario deste esta-
belecimento pedeexame para poderem ava-
llar a pureza de sua'qualidade e asseio,, e
que em nada desagradar aos concur-
rentes.
Vende-se urna preta de 14 annos, que
cose bem, engomma e cozinha : na rua lar-
ga do Rozario, loja n. 35.
Panno azul.
Vende-se panno fino azul, t-"orio para
farda ment, por prego mais barado do que
em outra' qualquer parte : na rua_ do Amo-
rim n. 35, casa de J. J. Tasso Jnior.
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Na praga da Independencia, loja n. 4, che-
gou novo sortimento de bilhetes e cautelas
da decima lotera concedida a beneficio das
construcgOes e reparos das matrizes do Rio-
de-Janeiro.
Farinha de trigo.
i. J. Tasso Jnior vende faiinha america-
na dePhladelpbia chegada ltimamente,
de boa qualidade, e por prego commodo.
Vendem-se chapeos de lebro, brancos
o pelos de escova, de castor eoutros : na
rua dos Quarteis loja de miudezas, n. 24.
Potica pelo doutor Velez :
vende-se no pateo do Collegio, loja de Ii-
vros de Jo.lo da Costa Honrado.
Vende-se setineta propria para toalhas
de mesa a novevintens o covado ; chape-
linas enfeitadas, proprias para mucamas,-
a 1,000 rs.: na rua do Passeio, loja n. 17.
Rap roldo francez.
Vende-seo superior rap rolSo francez,
nicamente as lojasdosSrs. Caetano Luiz
Ferreira no Aterro-da-Roa-Vista n. 46 ;
Thomaz de Mallos Fstima na mesma rua,
n. 54 ; Francisco Joaquim Ruarte, ruado
Cabug Pinto&lrm3o, na rua da Cadeia
do Recife, n. 19.
Cadeiras de palhin ha e de balanco;
armarios para roupa; lavatorios; sophs;
mesas e mais mobilia; bem como um rico
sortimento de
vasos de cryslal brancos e de cores
para adornos de sala ; garrafs e copos de
cryslal de cores : em casa do Kalkmann Ir-
mSo, na rua da Cruz, n. 10.
Vende-se, e quem comprar ha de ges-
tar um escrava cabra sem vicios nem
achaques pelo diminuto prego de 350,000
rs.: na rua Bella, n. 14, primeiro andar.
~ Vende-se cal virgem de Lisboa em
barris pequeos ; feches de arcos de pao e
rodas de ditos para lian iras; cunhetes de
pinlio abatidos para assucar; pregos cai-
xaes do Porto, em barris de 10 milhe'iros
ditos de estuque em barrisde 32 milheiroi
marmelada de Lisboa em latas de 1 e 2 li-,
bras; pillas de familia; cadeiras de pao
dar, a fallarcom Manoel Antonio dos Pas-
sose Silva.
-1 Vende-se um boi manso manteudo.e
novo, que serve para botar todo o material
em urna grande obra, para o que est
muito proprio por trabalhar muito bem
emcarrogaeestaaaffeitoa trabalhar todos
os dias em descanso 1 na rua do Queimado,
" 38.
Vendem-se 3 tres escravos de U a 12
annos pretos e de bonitas figuras : na pra-
ga do Corpo-Santo, loja de cabos.
Vendem-se saccas com milho e cai-
xascom feijSo preto; saccas com dito : no
armazem de Bacalar, defronle da escadi-
nha do caes da Alrandega.
Calcado barato.
Acham-se venda na lojadecalgadodarua
do Livramento, n. 11, de Bernardino de
Souza e Silva cortes de sapatos de couro
de lustro, para senhora promptos de um
tudo, faltando apenas coser-se, pois vieram
de Franga cortados com forro palmilhas e
sola preparada os quaes cosidos que se-
jam nlo se conhece se sito feitas na trra ,
ou vindos de Franga ; bem como de car-
nelr'a da mesma maneira e pelos seus di-
minutos pregoadeve excitar aos amigos da
economa a utilisarem-se de to bom ense-
jo : cuslam os de couro de lustro, a 1,100
rs. o par e a duzia a 12/ rs. ; de cordovSo, a
1/ rs o par, e a 10/ rs. a duzia, e os de cores
a 800 rs. o par e 9,000 rs. a duzia. Appro-
veitem emquanto he tempo.
Vende-se sebo em rama muito supe-
rior, e cera'de carnauba: na rua Nova, ven-
da n. 55.
Aos Srs. de engenho.
Vendem-se tijolos para fogo.propros para
assentamento de caldeiras dos engenhos,
por serem de grande duragio: vendem-se
por prego muito em conta: na rua do Brum,
fundirlo, de Mesquita & Dudra, onde ha
constantemente grande porgfio.
--No armazem n. 64, na rua da Cadeia,
junto ao arco da ConceigSo, ha para ven-
der ceblas, chegadas prximamente de
Lisboa, o cento a 700 rs.
Na rua das Cruzes, n. 22, segundo an-
dor venden -se 5 escravos, sendo: um'mo-
leque; um preto de bonita figura ptimo
canoeiro ; um preto de meia idade ; duas
pretas de nagfio sendo urna de meia ida-
de e que he boa lavadeira o outra cozi-
nha, lava e vonde na rua.
Vende-se um moleque muito esperto,
de 7 annos chegado agora do sertHo : na
rua da Florentina, 11.1.
.Em casa de Joao
Stwart vende-se ma 11 tei-
za, chegada peo
ultimo navio, por preco
Vcndom-se as obras completas de rJ
mOe,em 3v., da ultima e maia ntida ed|
gSo; Diccionario inglez-portuguez e.tml
tuguez-inglezde Vieira, por prego mull
mdico : na rua Nova, loja n. 56.
- Vende-se urna negrinha de 7 annos,*
muito linda figura, muito esperta e i,
nSo tem vicios nem achaques: defronleid
ordem terceira de S. Franesco,asa ao
da sociedade Apollinca. Na mesan oasaali
ga-se um moleque, que sabe cozinhar
comprar, e be muito fiel.
Vende-se urna escrava moca, com
guias habilidades, e que nSo tem vcL
nem achaques : o motivo por que se vend
se dir ao comprador: na rua da Linen*
ta venda n. 4.
~ Vende-se um cavallo aiazBo, qUB i.
da baixo al meio e est gordo : na rui i.
S.-RiU, n. 91.
gWWfffffffffff|f9
Para liquidar quaoto antai.
^Contnuam-se a vender lencos de se-'
^ da para hombros de senhora e par'
!> algbeira, a 500,800, 1,000, 1,260e<
th 1,280 rs., e muito superiores 11
1,600, 2,000, 2,240, 2,400 e 2,560 r'l. 11
* esguino fino de linho, a i,sso
2 a vara ; cortes de vestidos de cam-'
J braia com barra branca a de odres, 1'
p. 1,600rs.; meiasazuese pretas para!
g). senhora e meninas, a 1,000 e 1,6
" rs. a duzia ; suspensorios finos de >
meia, a 960 rs. a duzia ; botes duraqiiee franklim a-240 rs. a gro-'
sa; um resto de brim pardo para for-'
ro a 80 rs. o covado: no pateo do'
Carmo n. 18, segundo andar.
O$>AMAiftAAAAA*aAA4t
Attenc&o ao que he bom.
S3o chegados os superiores queijoi di
qualha de muito boa qualidade : na rutfc
(jueimado, loja de miudezas, n. 95.
Muito barato.
Vendem-se 49 barricas com cal pji
caiar: no armazem de Antonio Aones, u
caes da Alfarrdega, ou a tratar com M
carpo Jos Layne, na rua do Trapiclit, ir
mazeui de assucar, 11. 94.
Jo bom gosto.
Chapelinhos para senhora, com delictdj!
feitlos enfeites mu variados, flores ni
mosas e com um lindo heija-lores que ten
urna cauda definissimas pennas; todos dt
seda : vondem-seem cdnta : na rua doCre.
po, loja de quatro portas n. 19.
Aos '2o 000,000 de ris.
Na livraria da esquina do Collegio, m-
dem- '>ilheles e cautelas da 50.* loteru
Santa-(',asa-da Misericordia que hade
extraada a 24 do correnLe.
fe
esclareeimonlos sobre sua exeeugao.expedi- q(l8| reSullou o inpurgitamenlo nos ten-
preto, anpico e cerdeira. chegadas ullima-1 _^.
monte do Porto : a tratar com Joquim Fer- COmDlOUO, C (J UaniKiatlefl Na Ibja da rua do Crespo, n. 6, ai
JZ' a vontade docomprador.l Pf lampeSo, continuam-se
Vende-se um grande sitio no lugardol a ve|ider fazendas baratas,
Manguinho o qual lira defronle dos sitios! Corteado brim Irangado amirello, 11,4(0
dos Srs. Carneiros, com grande casa del rs. ; ditos le dito escuro, da melhor qu.
vi venda de 4 agoas, grande senzalla co* lidade que' u vindo a este mercado,
cheira estribara baixa de capim qufc 1,280 rs. ; iK nranr'strdo a 1,500 rt
reir Mondes Cuimares,
n.49.
- Vende-se, por prego muito commodo,
um moleque de 12 annos proprio para
aprender qualquer oflicio be manco de
urna perna emeonsequencia de ter soffr-
do em um quaito urna enfermidade. da
dos ale abril do corrrente anno, com notas
explicativas fundadas uestes mesmos escla-
rec men tos :
D. Sebastiio
Vende-se o romance de D. Sebastiio em
seis enntos e varias poesas modernas com
o hymnodo Povoas ltimamente impres-
so pelo diminuto prego de 400 rs. : na es-
trella do Rozario, n. 4 ; na rua das Cruzes,
n. 41. A elles que poucos restam.
A 640 rs. cada um.
Vendem-se cobertores de algodflo ameri-
cano, encorpados e grandes a duas pata-
cas ; chitas escuras de lionspadres e co-
res seguras, a meia pataca o covado : na
rua do Crespo, na loja da esquina que vol-
ta para a cadeia.
Vende-se vime, chegada ltimamente
no brigue Novo-Vencedor : na rua do Apol-
lo armazem de Antonio Augusto da Fon-
seca.
A aoo, 1,280 e i,5oo rs.
iV rua do Crespo, n. i4> loja de
Jos francisco Dias.
vende-se superior brim pardo de puro
linho a 1,280 rs. o ri te ; dito cor de gan-
ga, a 1,500 rs. o corte ; superior chita de ra-
maem para coberto, de cores muito lisas;
a 200 rs. ; chitas miudjnhas do todas as co-
res e de pannos finos, a ICO rs. o covado,
ditas ile superior qualidade, a 200 rs. ; cor-
tes de fnsioes de cores lixas, a 320 e 400 rs.,
e de superior qualidade, a 1,280 rs.; pegas
de brelanha de rolo com 10 varas, a 1,600
rs.; e outras umitas fazendas por barato
prego.
Vende-se urna cabra (bicho) parida
ha 40 dias, da segunda barriga, mocha, e
que he muito boa leiteira: na rua Bella
n. 25, se dir quem vende.
Lencos pretos pa<-a grvalas a
720 rs. cada um.
Na loja n. 5 da rua do Crespo, vendem-se
lengos pretos para grvalas, com um peque-
no toque de mofo, pelo barato prego de 720
ris.
Chd bmsileiro.
Vende-se cha brasireiro no armazem de
molhados, airas do Corpo-Santo, n. 66, o
mais excellente cha produjo em S.-Pau-
lo que lem vindo a esteNqjercado, por
prego muito commodo.
No armazem da rua da Mda,"Ii. 7, con-
lina-se a vender superior colla da fabri-
cas do Rio-Grande-do-Sul, por prego ba-
rato, y
Vende-se urna commoda de angico,
com muito pouco uso : no Aterro-da-Boa-
Vlsta, n. 73.
N. 9. y
h\ia da Madre-dq-Deos.
Ftiro vinho da Figueira.
O novo armazem desta pinga deliciosa
acaba de so abrt nesta rua, defronle do ex-
tinclo armazem o mesmo prego de 180
rs. a garrafa e a 1,360 rs. a caada. Os
amantes deste licor ||j encontraro garra-
fas promptamenle lacradas e com o seu
competente rotulo para trocarem por outras
promptamenle ; assim coino tambein en-
contraro barris de diversos tamanhos,
por precos bem rasoaveis ; bm como vinho
branco d* Lisboa a 1,600 rsN caada c a
des que com o tempo provavelinente (ei-
r sem defeito algum como asseveram al-
guna facultativos e por ter este defeito
vende-so por 200,000 rs.: na rua do Quei-
mado ;n. 18, vindo do llozario,
Vendem-se apparelhos de louga fina in-
gleza do bom goslo para janlar, por pre-
go commodo : na rua da Cadeia do Recife,
11. 48.
Vendem-se, na rua do Crespo, n. 11 ,
os seguintes livrns : Diccionario porluguez
de Constancio nevo, por 10.000 rs.; dito
franeez e porluguez evisse-versa, por Cons-
tancio por 3,000 r.; dito francez e porlu-
guez pelo ca itfio M. de Souza 1 v., por
8,000 rs. ; F.loquencia do P. Miguel, nova ,
5,000 rs. ; Cecinetria do F.urlides, por 3.000
rs. ; dita de Lacroixem francez, por 3.000
rs ; Algebra de dita por 2,500 rs.; f.ram-
maliea franceza deSevene, nova por 4,500
rs. ; Telemaco, por 1,000 rs. ; Secretario
porluguez, por 2,000 rs.; Epistolar, por
1,280 rs. ; poesas do doutor Barros, encad.,
por 1,280 rs. e brpeh. por 1,000 rs.; Geo-
graphia de Vales, por 1,280 rs.; dita de
Gautier, por 1,280 rs.; Tito Livio, por
2,500 rs.; Horacio, 2 v. por 2.500 rs. ;
Virgilio, 3 v. por 2,000 rs. ; Salustio, por
1,000 rs. ; Fbulas, por 610 rs. ; Selecta,
por neo "is. ; grammatica latina, por 480
rs.; e oulrns muitos lvros baratos, so a di-
nhero, e continuam-se a trocar.
Na rua estrellado Itozario, n. 4, ven-
dem-se os seguintes livros: Diccionario
porluguez e latino ; dito porluguez de Fon-
seca 2 v ; dito da fbula, 1 v. ; dito fran-
cez de Constancio 2 v.; leis do Brasil, de
1838,1 v. Fbulas de Lafontaine Iradu-
zidas por Filinto Flislo, 1 v.; l'hilosophia de
Hialina, 1 v. ; dita de Cousin, 3 v.; Alge-
bra de Lacroi, 1 v.; Arilhmctica, 1 v.;
Mestre francez, 1 v ; ilenriqueta deOileans,
8 v. ; Virgilio, 3 v.; Horacio 9 v.; Tilo
Livio, 1 v.; Salustio, 1 v.; Orlhographia de
lladureira I .v. ; Potica nacional de (lar-
val lio 1 v. ; Manual de chimicf 1 v.; Poe-
sa de Costa e Silva, 9 v. ; e o -s muitos
livros j annunciados por prego muito
commodo.
Vende-se, por prego commodo, mau
preta da Costa, de 28 annos de bonita fi-
gura que cozinha, lava cose e he boa
quitandeira : no largo de N. S. do Tergo ,
sobrado n. 36,
Vende-se, ou permuta-se por casas ter-
reas, ou escravos, una terga parte de um
muito bom sobrado de 9 andares e slito,
com bom quintal e cacimba no Alerro-da-
Boa-Vista, n. 24, o uual rende 700,000 rs.
annuaes: no Aterro-da-Boa-Vista, n. 17,fa-
brica de licores, de Frederico Chaves.
Vende-se um alambique francez de
cobre e cora pouco uso, que leva a cal-
deira 50 caadas com muito bo serpen-
tina de estanho fino, e que pesa 300 libras :
este alambique trabalha por dous systemas,
um que serve para destilar garapa e oulro
para restilar ago'ardente: para este tem tres
replicadores, os quaes fazem com que o al-
cool saia sem cheiro e muito superior em
grao, e muito simples para qualquer pessoa
podr trabalhar: aclia-se montado e promp-
to a trabalhar para o comprador ver: naTa-
brica de licores do Aterro-da Boa-Vista,
n. 17.
Vendem-se duas moradas de cagas ter-
reas urna sita na rua de S.-Pedro-Martyr,
n. 3 e a outra na rua do Bom-Fim n. 3 :
na rua das Triucheiras n. 48, pri|ico an-
suslenla 3 a 4 cavallos, grande cacimba
com bomba e tanque coberlo para hanbo,
bastantes arvoredos de fructo : na rua da
Concordia, primeiro sobrado novo de um
andar.
Vende-se um carro de qua-
tro rodas novo, com a p&relha de
cavallos ; assim como tambem um
preto moco, hbil boliero, por
preco rasoavel : na loja da rua do
C
11. 11. se indicar o ven-
respo,
dedor.
Vende-se, por seu dono retirar-sejoara
fara da provincia, urna morada de casa no
lugar daCapunga, de podra e cal, perto do
no : a tratar com Jos Januario Alves da
Maia, morador no mesmo lugar.
Ao bom e batato.
Na rua doQueimado, vindo do Rozario
segunda loja n. 18, conlinuam-se a ven-
der suspensorios de seda a 500 rs. o par
luvas de seda ,a 200 rs. o par ; meias de
seda curtas, pretas brancas e de cores a
800 rs. o par ; lengos prolo's de seda a 200
rs. ; ditos de cambraia para prava ta a 400
rs.; lengos brancos, a 160 rs.; e outras
muilas fazendas por commodo prego.
Vende-se a muito acredita-
da l'irinlia franceza liaron, chega-
da ltimamente, e por preco rasoa-
vel : na rua da Senzalla-Velha,
n. 138.
Vendem-se 10 lindos moleques de 19 a
25 annos; tres pretos de 25 a 30 annos; um
lindo mulalinho de 16 annos, bom para pa-
gem ; urna negra que coze perfeitamenle,
faz lavarinto, borda, engomma sofrivel e
he muito carinhosa para meninos; urna par-
da que lava perfectamente, trata muito
bem de mangas e d-se em conta; urna pre-
ta boa quitandeira; assim como outros mui-
tos escravos: na rua do Vigario, n. 4*.
Vendem-se bilhetes da lote-
ra do Bio-de-Janeiro: na
da Independencia, n. 37.
Vendem-se taboas depinho e
Eranches de 10 a 30 palmos, por prego
ralo para fechar contas : atrs do theatro,
arma/ens ns tG c 18 ; no porto voltio das
canoas armazem do Machado; no Forlo-
do-Maltos, armazem do Vianna.
praca
Vendem-se 6 moradas de casas
as seguintes ras : em Fra-de-Portas, rua
Principal, i>. 52; becco do Teixeira, ti. 9
Guararspcs, n. 71 ; praia do Pliarol ns. 56
e 64 ;Olinda, biquinli de S -Podro Jo. 16;
Arrombado, a metade n. 31 ; todas muito
em conta, oque uilo precisan! concedi
gum : na rua da Cruz, n. 63, segundo an-
dar.
Vendem-so ps da laranjas do 'todas as
Sualidades, em mullo bom eslado par* mu-
ar, e por baralo prego ; na ribira da Ba-
Vista, venda da estrella. i
Na rua do Quciniado, n. 12, primeiro
andar, vondem-se msicas modernas e m-
pressas, de differentes autores recem-che-
gadasda Franga; bem como dus missas em
partituras, de um autor acreditado, ele-
gantemente cncadernrdas, e proprias para
iruandadej de igrejis.
cobeitor/s de algod.to mais encorpida
dos quos de oulra parte, a 640 re.; chilu
parecuberla a 200 rs. o covado ; chitas
Uuras com cores lixas, a 160 e 180 rs.; ch|
lieos do oassa a 1,600 rs. : dilos desedi
.1 64o rs.; cassa para baados e cortinado^
a 2,400 rs a pega e a 390 rs. a vara.
Na rua do Livramento, n. 10, loja iM
Fernando da Luz & Inulto, vendem-se cor
tes de caigas de casimira de listras e qu>
dros, a 5,000 rs.
Vende-se um cavallo muito bonito
gordo e bom andador, por prego commo-
do : na rua do Queimado, n. 14.
fcscravos. futooo*
)
Fugio urna escrava de nagSo Caganft
de nome Domingas de cor fula baiu;
tem um signal de qoeimadura na cara e un
carogo no brago esqoerdo; levou yeslidi
branco, panno da Costa azul e saia tira
bem azul : quem a pegar leve-a a seu sfr
nhor, Jos Malinas da Costa na rua dalla-
da, n. 35, que gratificar.
-- Fugio, no dia 15 do eorrente, flel;.
horas do dia, urna prela de nome Jlaymuil
da fula, baixa e cheia do corpo ; esia coi
un odo inchado, proveniente de urna pis-
cada ; levou vestido de chita de riscadoe^
curo e panno da Costa azul e novo; Jo
vista hontem pelas 10 horas no engarnio
Dous-Irmilos: quem a pegar leve-a ao Aler-
ro-da-Boa-Visla, padaria o. 6, que un
bem recompensado.
Fugio, no dia 3 do junho prximo pli-
sado oprelo Diogo, de nacso Congo, r
40 annos, cheio do corpo; he bastante i"
cansado no andar; tem urna cicatriz q
principia da face at junto a orelhaesq1
da e na direita tem urna' falha que Pr, _
pia do meio do circo para cima ; levou
misa e ceroulasdealgoddoda Ierra. Ro
se as autoridades policiaes e pessoas pin
culares, que o appreheodam e levem-i""
rua larga ru gratificados generosamente.
liesappareceram, do poder de seu
nhor, Antonio Bernardo Freir, os pe""
JofloGabfio, alto, cheio do corpo: Arnir
baixo ; ambos do gento de Angola : qj"*
os pegar leve-os rua da Senzalla- J|P
n. 70, que ser rec impensado.
Fugio, no Oa 4 do correte, um w
lat olio de nome Eugenio, de.46 nnos; 11
vou camisa de bata encarnada por cinu"
outra branca calcas do ganga azule outn
por cima de outras, bonete de panno; v
os cabellos bem crespos e grandes, ol"
regulares, ventas arregagadas, pescogor
to e algum tanto lorto pese mos 8rB(l*!_
.estatura baixa. Roga-se as suloridadei
hciaese capitaes de campo, que o 'PPT1
hendam e levem-no a casa do cirorgia"5
guel Fclicio da Silva, na roa das Hore,
" ..mi
I Fugio, m dia 8 do correte, a un|
hora da tardo, urna prela crioola, ae a
mo Mara de estatura ordinaria P^ 'l(
eos olhos pequenose vtos, bem 'illa?
lem n'uma das iniosodedo oiinimoi
torio, e oa coxa da perna dlreifa urna '
triz proveniente de um aignaL graiwe
se corlou ; levou veslido de chiu ru
com babado e oauno da Costa oom
mes grandes; quem a pegar lev*-
e panno
es; quem a
do Collegio, n. 9, que sera recompon^
PSIN.
; HA TTP. DE M. '4 DI FAlU.