Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08966

Full Text
Anno XXV.
Quarta-feira 13
PABTIDAS SOS COHBXIOS.
r-laniia Parahiba,segundas e sextas-feiras*
Ilio-Crande-do-Norle, quinlas-felras ao mclo-
r^bo'scrinhem, Ilio-Formoso, Porto-Calvo
e Macei, no 1.*, a 11 c 21 de cada mex.
r,ranhunse Bonilo, a 8 c 23.
^istWlores.al^.
Victoria, s quintas-feras.
Olinda, todoa os dlai.
EPHEMERlDrS.
i'iiasi:s u un.--Chela a 5,sllh.e flm.dam.
Mlng. a 13, s 4 h. c 48 ni. da ni.
Nova a 19, a Ch. c 5(1 ni. da t.
Cresc. a 26, s 10 h. elih.da L
VBZAXAB. SE HOJE.
Prlmelra s 2 horas e 51 minutos da inanh.
Segunda s 3horas e 18 minutos da lardea
de Jullio de 1849.
n. isr.
PBKOOB DA SOBSCniPIJAO.
Por tres meies {adiqnUiot) 4/000
Por seis iiirirs *"9
Por uhi anu 15>000
DAS da semana.
IB Seg. Hi S. do Carino. Aud. do J. dos orphSos e do
17 Tere. S. leixo. Aud. da chae, doJ. dal.v.
do civ. e do dos feltos da fazenda.
18 Quart. S. Marlnhr. Aud. do J. da 2. v. do ci%.
10 Quint. S. Justa. Aud. do J. dos orph. c do m.i.v.
20 Sext. S. Jeronymo Emllano. Aud. do J. da l. v.
do civ. e do dos lalos da fazenda.
21 Sabbado. S Prxedes. Aud. da Chae, e do i.
da 2. vara do crlme.
Pon. S. Maria Magdalena.
CAMBIOS XM 17 BE JUX.HO.
Sobre Londres. 24'/s24V.a d.por 1JO0O rs.
. Paris, 380.
. Lisboa, 115 por cenlo de nremio.
Ouro.-Oucas hespanholas ....... 3JV00O a
Moedasde/ioOvcllias.. 17/300 a
. de6/400notas... 1<>P '
deiTooo .......... ggg
frata.-Paweoesbrasile ros...... g a
pesoscolumnarios....... i/w
Ditos mexicanos..........._i^luu._.
adias.
3I00O
17/500
16/500
9/500
'2/llll
2/ 1/'J20
PARTE 0FF1C1 Al.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Communico a Vmc., em resposla ao seu
oTlcio de hontem, que nesta data expeco
o dem ao commandante do corpo de poli-
ria para que faca seguir arnanhaa dema-
nhfla paraessa cidade urna frca de 12 pra-
ras daquelle corpo, commandada por um
ofiicsl de confianca. para o auxiliar na ma-
n enno da tranquillida.le publica, duran-
te os trabamos da junla qualilcadora dessa
pnjugo. porero, dever-lhe fazer sentir que,
sendo esta frca destinada a apoiar a auto-
riJaile no legitimo ejercicio de seus deve-
res, cumpre que Vmo., dando livre ma-
nifestarao das opinies toda a expanso
cornpativel com as disposces dos les e
suslentacSo da ordam publica, trate de re-
primir com rr.parcialidade os excessos que
su apresehtem por qualquer dos lados.
Oque Vmc. rara constar aos leitoros e
supplenles desa parochia, em resposta ao
odirioque mediiigiram na mesmadata de
hontem. ",
leo guarde a Vmc. Palacio do governo
ile Pernambuco, 17de julho de 1849. Ho-
norio lemelo Carnelro ledo. Sr. I)r. I.ou-
renco Trigo de Loureiro, juiz do paz do dis-
tricto de San-Pedro-Marlyr de indi.
Illm. Sr.-Transmitlindo i V. S. os inclu-
sos tfiicios do juiz de paz presidente da jun-
la de qualificacflo da rreguezia deSan-Pe-
dro-Martyr d cidade do Olinda, e de^lguns
leiiores e supplenles que compta-ccoram
para a tormasflo djnesma junta,"U
ordenar-lheque,dir.Bindo-se aque
who a
cida-
de, proceda as convenientes averjpaces
para conhecer da existencia dos os all
relatados, e me informe com o res a do de
suas pesquizaa; cumprindo cnlrelHlo que,
a terem-sedado s ameagas deqj se tra-
ta nos ditos ofllcios, V. S. proca contra
seus autOTS na forma da le, Jazendo-os
assignar termo de bero viver.
Por esta occasiflo Ihe communico, que
miodei por disposi<;fl do juiz de paz urna
torca de 12 pracas do corpo de polica, com-
mandada por um oITlcial, a qual devef se-
guir amanhaa cedo.
lieos guarde a V. S. Palacio do governo
de Pernambuco, 17 de julho de 1849. Ho-
norio lltrmclo Carneiro Uo. Sr. desem-
bargador cliefe de polica
EXPEDIENTE DO DA i5 DEJULllO.
Officio. A cmara municipal desta ci-
dade. Acabo de receber uro officio Jo juiz
de paz do i rimeiro districlo da freguezia
da Muribeca. Agosllnho Hezerra da Silva
Cavalcanle, datado de hontem. no qual de-
clara que naquella freguezia nto existe juiz
de pazalgum em circumstancins de presi-
dir a junla de qualincnQo ; porquanto, a-
chando-se elle impedido por molestia, pas-
cara a jurisdiCQilo ao lerceiro juiz de paz do
presenta qualriennio, Joaquim Machado
PorleIJa, nico que consta baver prestado
juramento, e porque este se cscusasse, of-
liciur ao primeiro supplente do qualrien-
nio passado, JoBo Manoel Carneiro do 1.a-
cerda, que igualmente se escusou por moti-
vo de molestia.
Nao declarando, porm, osobredilo juiz
de paz, nem constando na secretaria se a
ronvoc rjflo ilus eleitores e supplenles fra
feita por juiz de paz do qualriennio passa-
do ou pelo rio prsenle, e sendo expresso
pejo artigo lio da lei regulamcntar das
cleicOcs^que a junta de qimlificaij.'io deve
ser presidida pelo Juiz que houvcr feilo a
convocaclo, excluindo absolutamente de
assumir a presidencia um juiz cleito para
nm novo quatrientiio, resolv ordenar a
Viurs. que, averiguando qual foi o juiz de
piz que fez a convocado dos eleilores e
supplenles da freguezia da Muribeca, tra-
tem imniedialamcnlc de dar posse aos sup-
plenles da lista deque foi tirado csse juiz
de paz, aflm de que se aprsenle para pro-
seguir nos Irabalhos da junla, devendo
Vmcs. juramentar igualmente os juizes elei-
tos para o presente qualriennio, ulim de
entrar em exercicio aquello a queni compe-
tir, visto acharm-se impedidos, como ci-
ma se diz, o dous nicos que esto jura-
mentados.
Dito. Ao juiz de paz supplente da fre-
guezia de San-Pedro-llartyr, liernardinode
Sena Das. Em resposla o seu officio da-
lado de hoje, lenho a dizer-lhe que, se o l>r.
.J.ourenco Trigo de Loureiro, juiz de paz
mais volado do qualritn/iiio (iodo, niiu li-
nda por motivo legal perdido o direilo do
exerCcTcate cargo, outiflo eslava delledis-
ensado, he o competente para presidir
unta de qualilicafao, ppis que a ausencia
ou imped metilo temporario nSo o inhibe de
exercerapresidencialogoqueces.se o im-
pedimenlo, como lie expresso iw decreto
de 20 de fevereiro de 1847. i
estilo os nimos irritados -. he que aqu ha
muilo mais tolerancia do que ahi.
Na poltica nada ha de que se pnssa fazer
menQio, a nSo ser a maneira um pouco vio-
lenta pela qual trata o Mercantil dos ne-
gocios de Minas. Segundo esse jornal, ou
para melhor dizer, segundo o Chrisliano
Oltoni que j confessou por oseripto ser o
autor dos artigos publicados, ha grande ex-
cilamento deespiritos nos serlOes daquella
provincia, principalmente em Minas-Novas,
Fnrmigas e Paracalu, pelas prnvocacfies e
attentados das autoridades ; refere alguns
casos de asfassinatos horrorosos. He, po-
rm, preciso ser juslo; sejam quaes forem
as autoridades, esteja o podAr na modeste
0|i dooutto partido, sempro no interior de
nossas provincias hilo de dir-se desses assas-
anatos barbaros, quenada menos revelam
que o estado simi-selvatico em que ainda
se acha essa parte da nossa populacho. Ma-
les silo esses que nfo pdem achar efficaz
repressSo em nossas les, por demais im-
potentes, quando o espirito de illusIracjSo e
moraldade nflo poderam ainda penetrar ao
travez da escura e crassa atmnsphera de ig-
norancia e barbarismo.que cobre urna gran-
de parle da superficie do nosso paiz.
O Beaiil contesta o Mercantil, o diz que
um ou nutro assassinato que tem havido he
smente: devirio a rixas particulares.
Publicou ltimamente o governo urnas
nstrucroes para regular a execuc.no da lei
de eleiees, prevenindo cerlos rasos que
nto fura m previstos pela le de 19 de agosto.
Por carta imperial de 28 do passado foi
nomeado .presidente do Espirito-Santo o
bem conhecido oflicial de marinha Filippe
Jos Perera Leal, em sulistiluic.no ao Si-
queira que pedio demissfio. Segundo se
dizoque motivou esta rcsoluglo da parlo
deste foi a recommendaco do governo
aos presidentes para senflo elegerem de-
putados, e a candidatura do Pedreira por
aquella provincia. Acho-lhe eu muita
rasHo : j que mo era permitilo Irahalhar
para si, fez muilo bem nflo querenrio tra-
balharparaosoutros.
Tomou a corle luto por dous mezes. a
rontar de 3 do correnta, pelo fallecimiento
da rainha viuva da Sardenha, lia de S. M. a
Impera ti i/.. No da 30 do junho foi o haro
l'icolet de liermilhon, ministro residente
Mnitiuniranduodito ','ec7?"10' e"! general Belz O"torrrft.ndo supremo
Mguida apresentou tambem oulra caria da como.clteram as mais eapaii.
Jos GonQalves de Barros, a quem substituio
o praticante addido Ignacio Joaquim da Sil-
veira. .
No dia 2 entrou neste porto de cruzar o
vapor inglez Rifleman, ue na altura de Ca-
bo-Fro deu casa a um briguerescuna ne-
greiro, e nlio o pda alcancar logo por so-
brevir a noite ; podendo esle encalhar en-
15o na praia e fuRir a tripolaclo, nSo obs-
tante rebenUr ahi o mar com multa Torca.
No dia seguinteachou-o o Rifleman naque -
le estado com 124 Africanos dentro, pMa
maior parte criancas, e que a muitocusto
poderam ser salvos: alguns duzentos mor-
reram afogados e fram arrojados a praia
pelas ondas. Alguns que ahi anda chega-
ram com vida fram redolhidos pelos mora-
dores. A tripolac.no, quando abandonou o
navio e safou-sc nos escaleres, leve o cuida-
do de levar comsigo todos os papis e ohjec-
tos que podeasem revelar quem era o seu
propretario. Este relo, alias brbaro, pre-
cedido de tantosoutroscom notavcl escn-
dalo offensivoao desenvolvimento moral do
paiz, tem finalmente reclamado a m,ais se-
ria attoneno do governo, que parece dispos-
to a dar golpe bem forte no trafico.
Pelo paquete ingle SpWer, entrado a 28
do passado, livemos noticias do io-da-Pra-
ta ; sendo as ultimas dalas de Bueoos-Ay-
res de 13, e ss de Montevideo de 16. Nada
houvera ah ocerridou de extraordinario ;
apenas neste houvera o*ja modiflcacilomi-
nisteria!, sahlndo D. ose Maria Muoz que
oceupave a pasta da fazenda e interinamen-
te a da marinba e guerra, e sendo substi-
tuido na primeira por I). Jos Antonio Zu-
vllaga, e na segunda pelo coronel D Carlos
do San-Vicente.
Da Bolivia diz o flritia Packet o seguinte:
As ultimas noticias do interior apresen-
lam a Bolivia no mais depjoravel estado. O
general Belz, dopois de haver completa-
mente triumphado do presidente Velasco,
foi por seu turno atacado pelos psrtidarios
do general Ballivan. Simultanamele re-
bentaram movimentos revolucionarios em
Par, Oruro, Cochabanda, Potosi e Cobeja,
movimentos esses que fram ao principio
to felizes, que o general Ballivan esteve
em termos de sahir de Valparaso no vapor
francez L'ocyli para dirigir-se ao ultimo
ponto, esperando achar all sua autoridade
picoim de fm'II17'..m''""rnr"XvBn ompleumenlc reslabalecida. Nflo obstan
daquello re.no, recebldo em Si*C*'Wj* te, o momento de partir, receheu par tic i
para apresentar a caria que ao Imperador >" '.' ,,/:.------:.:..i._,
J : _f ____ n i ^__ l l'nalnn klt\iv(rv
| (Mil (l|'HJt,ll|"l ^M* -..-r .
dirigi em 13 de margo o re Cario* Alberto,
eommutiirando o dito fallecimento o em
i -" WL
INTERIOR,
CORRESPONDENCIA DODIARIODE PEBNflM-
UCO.
Mio-de-Utuir, 7 i jtlko de 1849.
s ultimas dalas que temos dessa provin-
cia sflo de 21 do passado, e Tram-nog ti azi-
das pelo l'ernam'jucuna, entrado neste poito
na tardedo prmciio do correte : folgamos
saber que a iranquilliuade publica conti-
nuava inalleravel. Por ca tambem o mesmo
acontece; e, posto bem prximos eslejamos
da febriciUnte poca eleitoral, nem porisso
30 do mesmo mez," em a qual o novo rei
Vctor Eirnnanuel participa a suaexnlta5.no
ao Ihrono, em consequencia da abdicacOo
de seu pai em Novora.
O barao proferio a seguinte .illopuc.no :
1. Senhor. Penetrado de profunda dr,
cumpro o triste dever de entregar a V. Ma-
geslsde 4 carta de notificaQo do fallec-
meuto de S. M. a rainha Maria Christin, de
llourbon, infanta das Duas-Sicilias, viuva
dcS. M. o rei Carlos Flix. A" Providencia
iprou've chama-la a si ero 12 de margo ulti-
mo. Modelo de todas as virtudes, a augusta
lia do V. II., senhor, deixa em todos os co-
rnces profundos pezares pela sua inexgo-
tavel beneficencia, que nunca ser esque-
cida.
Senhor, lenho tambem a honra de en-
tregar a V. M- a notiflcaso da exaltago de
S. M. o rei Vctor F.mmanuel ao ihrono de
Sardenha, em consequencia da ahlicac.no
fela om seu favor pelo rei Carlos Alborto,
seu augusto pai.
0Imperadorrespondeu :
Me para mim muilo dolorosa a perda
que me annuncias de minha muilo queri-
da tia a rainha viuva de Sardenha, dr esta
quesera muilo mais profunda senflo fora
ao mesmo lempo acompanhada da reliz no-
ticia da exallacfloao itirono de meu muilo
charo irmflo o novo rei, que ser, assnn o
espero, a fonte de reaes beneficios para um
povo'quesempreencotilrou em seus sobe-
ranos a mais sincora dedicaeflo eos senli-
mentos os mais heroicos.
Consta-me quo a finada rainha em seu
testamento nflo esqueceu-se de sua sobri-
nha ; dexou um legado em Ierras Impera-
Irz, que tem algum valor, calculando-se em
20 conlos da nossa moda sua renda aniiual.
Ha poucos das aqui chegou de Angola o
clebre commendador portuguez Arsenio
Pompeo Pompiliodel Carpi, e foi ultima-
menle recolhido pela polica ao quarlel de
permanentes, com ordem do governo para
sahir do territorio brasileiro. Parece que
graves suspeitas de inlroduzir, ou querer
introduzr sedulas falsas, recahem sobre
elle, e, segundo se diz, foi isso o que moti-
vou o acto do governo ; posto quo muilo se
tivesse elle e seus amigos offendido por ha-
ver o Jornal do Commercio dito isso. Admir-
me que ainda em dias da semana passada li-
zesse o Braiil elogios aquello hroe, notan-
do o proced ment do govorno porluguez
queodegradou para Angola, e a injustica
(diz elle ) eom que se pronunciou a impren-
sa, nao s na Europa, como entre nos.
Segundo o Correio da Tarde, chamou elle
o 7orna/ do Commercio responsabilidade
por lerdadoa noticia por aquella maneira;
e he de suppr quo em alguma cousa se fie
com que possa repellir as suspeilas de que
todos se acham possuidos. Pela minha pr-
tanlas cousas lenho visto, que quasi es-
tico, e j nao creio multo em jusli-
dadas uos tribunaas.
,, Jcrelo de 8 de junho foi aposentado
o prr3o da seceflo do almoxar.fado de
mir-nn, Vraucisco de Paula Mallos, sendo
XtaidP Pel lerceiro fflcial d",coul-
riona nraV marmha llenr.que Jos do
CamoTelo. o lugar deste foi no-
meado o almanuooso da mesma reftarluo
pa'^es de urna reaceflo fcU principa I menle
pela genlalha, e cujo objecto era reintegrar
Dizem que se cooimctteram (S mais espan-
tosas desordens, paiticularmente em Par,
onde as casas dos paludarios de Ballivan,
se assegura, fram completamente saquea-
das.
Segundo o mesmo jornal pareco quena
provincia argentina de Jujui houve um mo-
vimento sedicioso que fra sulTocado logo,
mediante a cooperado das autoridades de
Salla. O governador de Entre-llios rediizio
o direilo de importav'o sobro o sal deslina-
do a salgar carne o couros terca parte do
que pagava, e mandou admittir livre de di-
reitos as pipas vasias, ariuelas e arcos de
ferro destinados importac1o do sebo. Em
San-l.uiz haviam-so sentido alguns tremo-
res de trras, que caiwarain graves dainos
emmutos edificios.
O compositor Cianini que daqui parti
em lius de dozembro para a Europa, encar-
regado pela direcloria do thealro de Sp-
Pedro do contratar urna companhia de can-
to, communicou ltimamente ter desempe-
nhado sua commissflo. Acham-se, porlanto,
escriplurados os seguintes cantores que
breve devem chegar: duas primas donas,
urna com prmazia, tres tenores, um bar-
tono, dous baixos, qualro primeros-cores-
tes, doze damas de coro, seis professores
para orcheslra, um machinisla, um pinlor
scenographo o dous ajudanles. Urna das
primas donas, la tignora Ida Edelvira (o
nome he romntico) segundo se diz, nao
ter-se-hia contratado a vir para o Brasil se-
no fram os acontecimenlos da Italia que
Kle causaram mu desagradavel impressSo
no delicado animo; mas, mesmo assim, nflo
vem s plagas americanas por menos de seis
mil francos mensaes: (2:2808000 rs.) he
mo?a e bella, e ha de ter por certo muitos
adoradores. ,
NSo sei, porm, onde ira o theatro bus-
car dinheiro para sustentar urna companhia
assim organisada, e com corpo de baile:
he-lho necessaria urna despeza de 20 conlos
mensaes
Teve lugar na noile de 28 do passado o
baile mensal do Cai$ino-Fluminense, o mais
brilhanteo luzido deste anuo, devido cer-
tamenle presenta de SS. MU, II. quo o
honraram. Setecentas pessoas de diversas
gerarchias, das quaes duzentas e oitenta
perlenciam ao sexo amavel, enchiam as sa-
las ricamente decoradas e Iluminadas. SS.
MM. danaram eai todas as contradanzas e
valsas al urna hora da noile, quando reti-
raram-se; disporsando-se toda a compa-
nhia as duas horas.
em que eslava ; c como dianle de tSo alta per-
sonagem que Ihe diriga palavra, '""r"'c
elle, quando responda, fazer esforco de que-
rer levant.r-se. S. M. pondo-Ihe a mao sobre
o hombro com prasenlelra fainillar.dajie. dis-
se-lhe Nao se incommode... se nao poae,
para que qiier levantar-se i e aenlando-se 3
seu lado, ahi esteve a conversar com elle. Nao
sendo semelhantes familiaridades muilo com-
11.uns no nosso Monarcha, nao deixou cssa de
causar grande especlacao, Unto mais que pela
bocea pequea espalhavam cerlos senhores
que se inculcain grandes *i6dor, Jno oouarema nSo goiava das syinpalhias im-
perlaes,idela que por csse facto se acha des-
vanecida.
Ilc bello conquistar assim urna posico pe-
las armas da intelligencia !
A alfandrga da corle rendeu no mei passa-
do 710:591.265 ris, dando um excesso de"
258:730,594 ris sobre o rendimento no mesmo
mez do anno passado. .Comparado o primei-
ro semestre deste anno que rendeu. .. ..
4,481:035,261 corno do anno passado que foi
3,2i7:348,32i, hauma dillerencade aeerescimo
nesta parte de nossa renda de 1,J3;b86,740 rs.
No auno financeiio que llndou no ultimo do
mez paaaado, cujo rendimento foi calculado
na cmara dos deputados em 7.075.000,000,
rendeu a a alfandega 8.854:911,705, oque da
um aeerescimo de 1,779:527,006 rs.
O consulado rendeu I40:?31,788 rs.
Ao commandante das armas ofilclou lti-
mamente o ministro ordenando que infor-
na-.se aquella secretarla qual o orada! de
engeuheiro que tivesse as necessarias habill-
lacdes para cncarregar-ae,,das obras do me-
Ihoramenlo do porto do Reclfe, visto exigir o
ministro da marinha um engeuheiro. Estou
que ser um pouco dlmcil fazer-se urna boa
noincaco para es cominissao ; porque, se-
gundo me dizem, nao temos inultos engenhci-
roa hidrulicos que estejam no caso de encar-
regar-se da direccao de semelhanle obra : os
poucos que exlstcm cilao sendo aproveitados
em cominlsses do nicsnio genero.
Nb expediente de 21 do passado publicou-sc
um fenicio do iniuislro da guerra, que chamou
sobre S. Ex. mulla consideacao e estima de
torios os nios da nossa esrola militar: aqu o
trauscrevo Ao Sr. ministro dos negocios es-
trangeiros, devolvendo-lhe a ola sobre a
viuda de engvnlieiros belgas da escola de en-
golillarla de G. me que, coiaquanlo no imperial corpo de cn-
genheiros haja aclualinentc vagas, 11:10 heper-
iiniii.li. por lei que nellas entren eslrangei-
ros : alm deque tal admlssao levarla o desa-
nimo nossa mocidade que frcquenla o res-
pectivo curso na escola militar, e demais,
como informa o coininandnnle daquellc corpo,
us discpulos da escola de Oand nao estarao
habilitados a servir aqui 110 ramo militar que
Hit- seria destinado, acrescentando a ludo isso
a falla de experiencia, jovens como sao, e
apenas acabando de cursar os seus estndos.
Isto pelo lado militar, e quanlo ao civil, que
cumpre observar que, sendo as obras milita-
res actualmente existentes no municipio da
corle e na provincia do Rio-de-Jaueiro. como
as oulras provincias do imperio, dirigidas
por ofnclaet rio mesmo corpo de engenheros,
que a urnas j teem dado, e as que se acham
em andamento daro. como he de esperar,
cabal desempenlio, resultarla que, a serrn
aqui ailmillidos pelo governo imperial os en-
gcnlieiros de que se trata, so iria dar prolec-
co a eslrangeiros, com prejuizo dos dlrellos
que a ella teem os uacionaes, sem proveilo do
paiz. j,
Informam-me que o major Rruce lora passa-
do para o 8. balalhao de caradores, passando
deste para oulro corpo do Mil, segundo
creio. -..,
Acabo de lr aqui um jornal scicntilico pu-
blicado em Olinda pelos esludanles. Felicito
aos seus jovens redactores, mesmo no incu
incgnito viver, conjiirando-os aque nao des-
animen!, e saibam superar as dilliculriades
inherentes a taes publicacors em sua nascen-
ca, A Juran he um jornal bem escrlpto, c
merece bem que se Ihe prolongue os das de
SemquercroiTcnderos seus colaboradores,
pedir Ihes-hci que consagrem urna pagina, a
Ultima sequr, aos nielliorameiilus uiateriacs
da provincia.
N. O. Na minha ultima, onde se le, tratan-
do da elcicao do presidente da repblica fran-
ceza: quasi 17 milhdes de Franceses apres-
saram-se, etc., lcia-sc-quasi 7 milhes de
Kraucezes. .
P. S. Neste momento ha um ntensissuno
fjgo no largo da Carioca : o incendio lavra em
trese casas, c nao obstaute osesforcos nao se
pode cont-lo.
m
que accrescentar ao que refere o correspon-
6A 6 do corrente 1 hora da tarde naufra-
gara no costlo da Santa-Cruz o brigue-es-
cuna brasileiro Carolina, quo a S navia sa-
ltillo do porlo da Victoria.
O Jotnal gio do modoseguinle:
. Vnha entrando o brigue-escuna com
vento sudooste quando este rodou para oos-
te : oreando entflo o brigue em frente de
Santa-Cruz, o tentando virar de bordo,
mentio. Nestes apuros, o nflo podendo j*
livrar em roda, deu fundo, mas come;ou1
garrar e foi balar contra o costflo de Sanla-
Cruz, do que resultou ir logo s pique.
Salvou-se toda a tripolacflo en. um bo-
te do mesmo brigue-escuna, acudindo logo
varios escaleres dos navios de guerra.
A respeilo do Incendio d. que o orreifon-
dente falla ao terminar a sua carta, els o que
di* o Jornal citado : .
.< incendion-se hontem (7 a padana da
viuva l'fallzgralT&C.,sita no largo da Cario-
ca,n. 18. Manifeslou-se o fogo peIo!meio-dia.
Apenas comcqaram os sinos a tocar *"*
immensas labaredas romperam pelo' el ha-
do, e o incendio lavrou com extraordinaria
intensidade e violencia. i,..-ml
a Acudiram o Sr. inspector das obras pu-
blicas com a bomba da inspeccSo, as bom-
bas dos areenaes, osSrs. chefe de polica,
inspector do arsenal de mariuha, olliciaes
da armada, ministro da justica, comman-
dante do corpo de permanentes, delegados,
subdelegados, e um sem numero de ciua-
dflos que todos rivalisaram para apagar o
fogo. Apezar, porm, de todos os esfonjos
e da proximidade do chafariz, nflo foi pos-
sivel salvara pedira, e lornou-se uecessa-
rio, para circumscrever o fiagello no toco
do desastre, abater com machados parte
dos telhados das casas contiguas.
A padaria ficou reduzida a um montao
do ruinas : ouvimos dizer queconlinlia 400
barricas de farinha, e que a casa eslava se-
gura em 15:000,000. Os predios CUJO te-
lhados ficaram bastante arruinados sOo os
do ns. 16 e 20 do largo da Carioca, a 1S3 e
125 da ra da Assembla.
Nflo temos felzmonte do lamentar mor-
le alguma : comtudo ficaram feridos ou
contusos dous soldados e um Africano li-
berto. .
O incendio comeqou nomadeiramenio
superior da padaria;gnora-se a sua orgem,
mas ha quem supponha que communicou-
se por urna tanda da chamine. -
O Corrro Mercantil annuncia que fallecer
em Porto-Alegreo juiz de direlto Jos Vleira
llraga, ulllmamente removido da comarca de
Pasto-Hons para a do Ronito.
liahia conlinuava a goiar de socego.
A 4 deste mez encelara a assembla legisla-
tiva dessa provincia os trabalhos da 2.* sessao
ordinaria da sua 7.'legislatura.
O dia 2 fra ah festejado com o enthusias-
1110 docoslume, apezar do afn com que pro-
curaran! inlroduzir a desorden! no festejo al-
guns opposicionistas phrenelico, que a poli-
ca soube conlcr sem recorrer a tnelos extra-
ordinarios.
Communicado.
UNLSceiri
licacc
Um facto se deu nesse baile quecbamou ge-
ral allenco. O senador, Vaaconcellos, apezar
de paral) neo, nao dando um s passo sem que
va agarrado em duas pessoas, nao perde bai-
le, e he um famoso funconisla. Sentado um
cauto, tem sempre una grande roda para pa-
lestra ; ahi o ministro de estado, o senador,
o concelheiro, o magistrado,1 o camarista, o
negociante, o propretario, todos finalmente
vo ter com elle ; e com todoa elle falla, de
tudo falla, (menos da poltica) fsz nbservaces
e'notas espirituosas; criticopolido e delicado,
he ferlilissimo em ditos de muilo chiste e sal.
Em um* palavra, onde elle esii ha sempre
conrersaco variada e animada. Parece que,
para que se nao dissesse que seu circulo nao
era completo, na noile a que me reflro, o Im-
perador ptocurou-o e foi fallar-lae ao lugar 1
DiARIII lie fMSiiBCO.
BEC1FE, 17 DX JUl.HO X 1849.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia vi-
sitou hojea alfandega, a mesa do consula-
do goral e o trapiche do algodflo.
Nestes ltimos dias tem corrido ahi que
alguns disturbios nflo tirio lugar em Bonilo
c Po-d'Alho. F.nlrelanlo, asseveramos aos
letores que taes boalos sflo inteiramente
baldos de fundamento. Estas duas comarcas
gozam de perfeilo socego.
O vapor Bahiana, chegado hoje dos por-
tos do sul, trouxe-nos a caria do nosso
correspondente da corte, que os letores te-
r3o vislo sb a rubrica competente, bem
como jornaes mineiros, fluminenses e ha-
banos : os primeros al 23 do passado ; os
segundos al 8 do corrente, e os tercoiros
at 14.
Minas ficra em paz. mediante os osfor-
eos do respectivo administrador quo nada
poupava por dirigir as cousas de modo que
se manlivesse a tranquillidade publica
Entretanto, em Minas-Novas os nimos
n3o estavam de todo desassombrados, prin-
cipalmente depois do assassinato doJoso
Viera UUoni, o qual a 16 de maio p p. re-
cobra feriment tflo grave, que 3 das do-
pois o levara a sepultura. ____
Quanlo, ao Kio-de-Janeiro pouco temos
O Diario-Novo de quarta-feira, II do cor-
rente, em um artigo curioso, em quo pre-
tendo extremar o quo elle chama difieren-
tes grupos quo dividem a provincia, eem
cujo artigo d por domonstrada a sublimi-
dades poltica da praia, entende que em
Pernambuco nSo ha mais que o partido li-
beral, cujo principio he tatiifazer a necestl-
dade da naco organiando-a, de maneira que
a liherdade naO seja urna burla ; e que tudo
mais s:1o grupo da faccaS que hoje te atienta
orgulhosa e tohtrba, a qual pode grimpar o
posto que oceupa pelas preuaricacOet dot pre-
tident't Dahi, divide esles grupos em
tres : Cavolcanti-Begos, praia-nova e sa-
quaremas ; caractersa-os, e acha que o
governo carcunda, que tentaste cha-nar UM
gremio o grupo dot taquaremat, faria com isto
um servico importante prai, porque dara
lugar a que o partido da revolta t Hueste de
combater principios, e naO viciot e crimet.
Cromos que he esta a summa fiel desse lon-
go artigo.
Se no tvessemos a pelo conservar em
semelhante disc.ussao a compostura quede-
manda tflo grave assumpto, e nos nflo per-
suadisseinos que os cavalheros que hoje se
acham testa da redaceflo do Diario-oco
proclamam os principios subversivos da or-
dem publica com a melhor f de espiritos
unientes, que se arrebatan! pelo ideal de
felicidade que algumas tlieorias sociaes lhes
promeltem, descernimos a enumerar asas-
serces ridiculas, eo disparato das conclu-
ses que vflo por esse arligo : outro, porm,
he o nosso alvo Contenlar-nos-hemos em
mostrar apenas o erro involuntario em que
cahiram os inexperentes redactores do Oa-
rio-Novo quando, ao apreciar os partidos
que dominam a provincia, collocaram de
um lado o partido liberal da revolta, e do
oulro o que elles so dignam chamar urna
[accaO, repartida em tres grupos. Foi ape-
nas da sua parte um emprego d'olhos falso,
porque foi lancado de travez : foi um erro
de divisflo simplesmenle. E quem ha ahi
que se nflo engae n'um calculo, por menos
complexo que elle seja T
Ora ouvi. A historia de Pernambuco, que
vos invocis, desde 1836 at hoje, d-nos
urna lula constante de principios entre os
homens moderadose constiluconaes, eos
seguidores fanticos de ideas exageradas,
que teudein a laucar a mullidlo em exces-
sos, e perverte-la. E esta lula de princi-
pios converteu-se desgracadmente em tac-
tos, que hflo deshonrado a nossa geoerosi-
dade e calumniado a ndole do nosso povo.
II I'

' ___


- I
- J.v'*-. I,
Os esforcos dos e9piritos Ilustrados, que
pretendem sustentar a liberdado poltica
lesempecondo o caminho da ordem, come-
qaram com a primeira adminlstracflo do Sr.
barrio da Ba-Vista, quo lie u.n dos seus
niais estroiuios de|wisores,-c quo muito
teve que traballi. r, muit.isdifllculdades quo
vencer, mullas amarguras por quepassar,
para conseguir que a ordem e a liberdado
produzissem os fructos de bcncfl': -i 10 ca-
ractcnsaram cssa poca, e ob'< -j :iotave'
progresan noral o material da provincia,
que so dcu na sua segunda gerencia : esses
(jurfu- continuaram as aiiniinistiacoe*
que se fdram succedendo, com mai ou me-
nos fuituna, at poca cm quo aprouvoa
Dcos que aportasse cm nossas praias um
tinmem scm coracflo, que vendeu a sua hon-
ra e todos os senhmenlos do dever i urna
promcssa dourada o incerta, eque l est
tragando na obscuridade o bsyntho dos
remorsos que o rnatam. Mas vde: ncssa
poca mesma, i'in .[iio se soltaram todos es
diques immoralidade; em que se ensi-
non ao povo que o seu primeiro dever era
desfazcr-so pelo ferro de todos os amigos
da orJem o da liberdade conslituciona
cm que so llie cnsinou quo os Brasileiros
nasciilos em outras provincias e aqui resi-
dentes cram cstrangeiros ; o que urna clas-
sointeira de bomens industriosos e pacfi-
cos devia ser expulsa com violencia do nos-
so territorio ; nessa poca mesma do indi-
sivcl terror, fui que melhor que nunca se
extremarsm, como era natural, os partidos
que a nossa Ierra aprsenla, que silo sempre
os mesmos, e que cada um delles tomou a
elliludc que Ihe Convinha no campo da po-
li'j.'i. li'uiii lado os amigos da constitu
i;."o e das leis, os homens do progresso re-
grado i- pacifico, os soldados da ordem o da
Iiberilade; do outro os innovadores in-
renes de ideias subversivas, os bomens da
demolieflo e do sangue, os soldados da anar-
chia c da licenca. E nada mais.
D'essa poca por dantp, a luta tornou-se
mais encarnizada ; e falta, sem duvida,
darnos ao vergoiihoso e borrivel 2 de fevo-
reiro que vos lodos conheceis. Tudo mais
silo illusOes do vosso espirito, profunda-
mente repassado de amor da patria, (nos so-
mos os prlmeiros a ronfessa-lo) mas de
que he nccessarlo desfuzer-vos, porque em-
Jiiti silo illusOes. Isso do grupos Cavalcau-
ti-Regns, paia-nova o saquaremas, fram
divlsuas pueris, inventadas no principio de
nossas lutas para inllammarem o pobie po-
vo,sempre crdulo, e tirar delle o que ja os
hons soldados da anarnhia delle tiraram.
Queris desmentir-nos ? Ah estilo os factos
tehontem, que fallar.lo mais alto que to-
llos os vossos brados. Essas divisos de
bandos entro o partido constitucional, silo
romo as perseguic.cs horriveis de que nos
tullis em vossos artigos, e notavelmenle
ueste que ora analisamos : sito como os a-
Imsos de po'r de que acusis os funecio-
nnrins pblicos, desde que a rebelliiio fura
suffocada : silo como todos os episodios que
drscreveis neste ingrato drama que os vos-
.i.~ trouxeram sceaa : espectros que vos
uppareceni no humo do pavor que anda vos
assosvbrs.
Queris discutir e combuter principios e niio
irimes, dizeis vos ? Porque o iio fazeis ?
I'uique o nflo lendcs actuado al hojo,
lautas vezes que baveis sido provocados pe-
los joinaes quo vos silo adversos? Escreveis
O postulado I'ois silo com effeito os grupos fatart que vos
embargan! rsse combato? iN.lo: o que
v-loein burga silo os feitos desordenados de
Viissns soldados ; silo as ambiges sem mo-
nto de vossos agentes; he a extravagancia
de vistas polticas de vossos cliefes.
Soccgai. I ni grande servico, o maior de
todos os servidos que vos podis fazer pa-
tria oudo nascemos, era.darcspansflo regu-
lar ao vosso patriotismo, estudar com sere-
Did.-iilc em' soas applicages as novas llieo-
rias de direilo publico republicano, queso
vos aliguram nicas salvadoras da especie
iiilc ira, mas que dentro em pouco compre-
licn.Irn-is uieliiiu ; e cooperar cmfirn com
noscodo um modo sincero para a uniilo de
lodos os Brasileiros, o particularmente os
Pernamhucanos, em um s pciisamenlo de
ordem e de fraternidade, que he o evange-
lbo poltico em quo de coracflo nos achainos
eriipenbados, Se o Diario-Novo se elevasse
ii semellianlc altura, com o talento e nobre-
za de senlimenlos que suppomos em seus
collaboradores, nflu temos duvida de adir-
mar que n.uito ganbaria a causa da rasilo e
da le, e que dentro em pouco veramos
cessar Cases odios quo anda nos aflligem, e
que lauto retardam a poca do prugresso
real do paiz. Dessa altura veriam elles
di sassombrados que os partidos que divi-
den) Pernambuco desde o principio du ac-
tual lula silo apenas dous :
O partido constitucional, que ubedece ao
governo do Imperador, eo ajuda com todas
suas forjas, seja quern fr o seu delegado.
O partido dos homens da liceii';a, hoju de-
Dominados cun'liluinle, que vivem 11'uma
perpetua aglaco, o quo se alguma cousa
se propOo a crguer he com a cundieflo de
amaiihfla a deinolir.
Felizmente, a populacho da provincia,
quas cm sua lotalidade, pertence primei-
ra cooimuuhSo ;una [fracgilo, hoje insig-
nificante, professa a sogunda. Reparai
n'um fado apenas, de que vos todos aca-
bis de ser Icstemunha. Tratou-so de di-
zer adeos ao hornero que suffociya entre
nos a guerra civil, c salvara a nossa capital
das labaredas do plireuesi ; lodos os habi-
tantes do Reci fe, sem.distinccflo de credo
neni do cor poltica, bxcepeflo da insignifi-
canlissi 111a minora de que tai lanos,coi ro a 111
ao encontr do cidadflo notavel de quern
nao tinbam mais que esperar, mas a quem
deviam a paz ea seguranza do quo goza-
mos; e manifestaram-llie porlia o so
profundo rcconhccimento, por cuantos mo-
dos a gratido 1110 suggerio : o n,eso. o lze-
ram com antecedencia a mor parle dos do
interior, por roeiode numerosos documen-
tos, todos espontneos. Ser isto ao me-
nos para vos evidente? Ser para vos ao
menos claro que a populacho iuteira he
eminentemente constitucional, em I'ernam-
buco como em lodo o Brasil, e que rejeita
por actos c demonstracoes enrgicas, sem-
pre que pode, o horror que temaos tene-
brosos manejos dos anarchistas, hoje ba pli-
sados com o louco nome de constituales ?
Era esta a verdade a que queramos che-
gar, por amor mesmo du ingenua creduli-
tlade dos rodadores do Diario-uto, tilo fa-
talmenle couiprontellida n'umi mi causa.
ffflMME^IO.
ALFANDEGA.
Itendfmcnto dodia 17.. .
CONSULADO GERAL.
Itendimento do dia 17......
Diversas provincias ........
5:449,218
77,075
83,641
CONSULADO PROVINCIAL,
ftondimento do dia 17 .... 1:697,039
RIO-DE-JANEIRO.
CAMBIOS NO DA 8 DE Jt'LIIO.
Cambios sobre Londres 2Sa9ft_1|i
Pars .
M llambiirgo .
Mctaes. (luyas bespanhlas .
.l.i patria .
Pejas de G/400, velhas.
" Pesos licspauhes. .
da patria
Patacflra ....
Apolices de G por cento .
provinciaes
378 a 380
695
32/000
31/000 a3l200
18*000 a 18/400
1/980 a 2/lWO
1/B60 a 1/980
1/960 a 1(1980
87
nominal
(Jornal do Commercio.)
BAHA.
CAMB1S NO DIA |3 DE Jt'LIIO.
Londres........25 '/, firme
Paris.........nominal.
Ilanibuigo......
Lisboa e Porto ....
MF.TAES.
(Joyas bespanhlas. .
mexicanas .
Pecas de 6/400 ....
novas.....
Modas de 4/1100. .
PaUccs brasileiros. .
a hespanhocs.
mexicanos. .
115 p./,.
31/600 a 311800
31/400 a 311500
17/400 a 17/600
16/500 a 17/000
9/400 a 9/600
2/000
2/000
SJOoO
(Sltrcantil.j
Viovimento do 'nrto.
riavioi enlradoi nodia 17.
Rio-de-Jansiro, Babia e Macei 9 das e
do ultimo porto 17 horas, vapor brasilci-
ro Hahiana, de 2(0 toneladas, comman-
danteJosSecundino Gomensoro, ejui-
pagem 26. Passagcirns : para esta pro-
vincia, Thomas R. Goodbern, Inglez ;
.Inflo llaptista Fervaro, Italiano; Jos de
Moraes Gomes Ferreira, Antonio Cando
de Lima, Francisco Jos de Magalhfies
Bastos com sua senhora e urna criada,
Pedro Ignacio Francisco dos Santos, An-
tonio l.uiz dos Santos, 1 soldado ir pri-
meira linba e 5 ex-soldados ; para o nor-
te, o I)r. Joaquim JoSo Lamuier Vianna,
o Hr. Antonio de Aguiar com sua senho-
ra, 4 lilhos e 3 escravos, David Aguiar,
Portuguez ; o escrivSo da armada Ber-
nardo Miranda Fonlora e o sargento Jos
BaplstH de Olveira Guimarfles"
lilla de Iterrnuda 86 das, transporte in-
glez ycplune, cjpitlo John llenders, e-
quipagem 41. Londuz 235 degredatlos
para o cabo da Boa-Esperanza, remeti-
dos ao cnsul.
Sete 49 das, escuna ingleza Ann, de 58
toneladas, capililo John Durell, cquipa-
gem 5, carga vinho ; o N. O. Bieber &
Companbia.
Genova, Malaga p Gbraltar70 dias e do
ultimo porto 36, patacho sardo Kleonor-
Ik-formado, de 134 toneladas, capito Mar-
' eos Ivolich, equipagein 10, carga vinho,
frutas o mais gneros do paiz; a Na.-ci-
mento & Amornn.
Navlot lahidos no meimo dia.
Ilavro barca franceza Emilie, capito
Gregorio Bobiquit, carga assucar.
Rio-de-Janeiro brigue brasileiro Despi-
que, capiUm Manuel Jos de Seiiiia Mar-
tin s, carga a m itoni que trouxe.
i'"..... "
EDITAES.
Pela inspectora da alfandega so faz
publico que no dia 18 do crreme se hilo
do arrematar em hasta iiublica, e na porta
da mesma alfandega, na forma do ai i. 283
do regulamenlo, 100 caixas da marca BB
com 87 e meia arrobas de massas, que se
acliam com principio de corrupco, avaha-
das pela tarifa a 4,000 rs. a arroba; sendo a
arrematacto livrede direito, ao arrematan-
te. Alfandega, 17 de julho de 18490 ins-
pector, Luis Antonio de Sampnio Vianna.
- Pela inspectora da alfandega se faz
publico que nodia 18 do crrente se hSo de
arrematar em basta publica, em a porta da
mesma, 12 caixas com cha, do 13 libras ra-
da urna, vindas de l'hiladelphia no brigue
americano Lucs, a requerimento dos con-
signatarios, Matneos Auslin & Companhia,
por se acharern com avaria gara I, na forma
do 4 do arligo 263 do regulamenlo, sen-
do a arrematadlo livre de diccilos. Alfan-
dega, ni de julho de 1849. inspector,
Luis Antonio de Sampaio Vianna.-
O lllin."Sr. inspector da thesouraria da
fazenda provincial insuda amiunciar quea-
arremstacOes designadas para lerem lugar
no dia 19 do correle licam transferidas pa-
ra o dia 20, em consequencia de ser aquel-
lo feriado e de grande gala.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernambuco, 17 de julho de 1819.
O segundo escripturario, Antonio Ferrei-
ra d'Annunciacilo.
O lllm.Sr. inspector da thesouraria da
fazenda provincial, em cumprimento das
ordena do Exm. prosidcnle da provincia,
manda avisar aos que pretendem os empre-
gosda ii.esiini thesouraria, creados pela lei
do orcamento vigente, que os devem re-
querer, .-ol condiefio do se subjeilarem a
um exame de idoueidade perante o mesmo
Exm. Sr.
Secretaria da thesouraria da fazonda
provincial de Pernambuco, 16 de julho de
1849. O segundo escripturario, Antonio
Ferreira d'Annunciacdo.
O lllrn. Sr. inspector da thesouraria
da fazenda provincial, em cumprimento da
ordem do Exm. presidente da provincia, de
20 do corrente, manda fazer publico que
nos dias 18 e 19 de julho prximo vin-
douro, ir praca, perante o tribunal admi-
nistrativo da mesma thesouraria, para ser
arrematado a quern por menos fzer, a obra
do caes do Passeio-Publico, na ra d'Auro-
ra, sb as clausulas especiaes abaixo trans-
criptas, e pelo preco de 6:949,800.
As pessoas que so propozerem a esta arre-
matado, comparecam na sala das sessOes
do sobredilo tribunal, nos dias cima indi-
cados, pelo oieio-dia, competentemente hn-
ll iludas
R para constar se mandou aflixar o pre-
sente, e publicar pelo Diario.
Sccrctariada thesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernambuco, 21 de junhode
1849. O segundo oscripturario, Antonio
Ferrara "Annunciacdo.
" Clauulai especian da arrtmataco.
1." As olfas do caes do Passeio-Publico
da ra d'Aurora serilo foitas pela forma, sb
1:96* 71G as condicOesedo modo indica** no orca-
mento eos riscos apresentados Mata data
a approvaeo do Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, sendo a importancia da obra em seis
coritos nove ceios qnarenta e nove mile
oitocentos risT*
2." O itrematante comecar as obras
no prazo de nm mez, eacabar no de seis
mezes, ambos contados na conformidade
do art. 10 do regulamenlo para as arre-
mstaQ0es.de 11 de julho de 1843.
3. O pagamento da arrematac-lo
realisar-se-ha em qualro prestacoesdo mo-
do determinado no art. 15 do precitado
regulamenlo.
4 Para tudo o mais que nSo est de-
terminado pelas presentes clausulas, seguir-
se-ha inleiramenleoque dispe o regula-
menlo mencionado de 11 de julho de 1843.
Gabinete dos engenheiros, 30 de abril
de 184. O engenheiro, i. L. Victor
Lieutier.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria da
fazenda provincial, em cumprimento da or-
dem do Exm. presidente da provincia, de
18 do corrente, manda faier publico que
nos dias 18 e 19 de julho prximo vin-
douro ir prsca perante o tribunal
administractivo da mesma thesouraria, para
ser arrematado a quern por menos lizcr, o
concert da varanda da ponte da Boa-Vista,
sb as clausulas especiaes abaixo copiadas,
e pelo preco de 3:567,920.
As pessoas que se propozerem 4 esta
arrematadlo, comparecam na sala do sobre-
dito tribunal, nosdias cima indicados, pelo
meio-ilia, competentemente habilitadas.
E para constar se mandou alxaro pre-
sente, e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernambuco, 26 de junho de
1849. O escripturario, Antonio Firreira
d'Annunciacao'.
Clausulas especiaes da arremataedo.
c 1. Os concertos da varanda da ponte
da Bol -Vista serilo lei los pela lorma com as
diiniimic/ics e do modo indicado no orca-
mento e no risco approvadus pelo Exm. Sr.
presidente da provincia, e pelo preco de
3.567/920 rs.
2. As obras prinripiar.lo no prazo do
15 dias, econcluir-se-ho no de 4 mezes,
ambos contados em conformidade do artigo
iodo regulamenlo das arremalacOes.
:>." Durante a execuefto das obras o
arrematante dar um Iransito fcil e segu-
ro, collocando verandas provisorias.
4.* O pagamento far-se-ha em duas
prestares iguaes; urna quando tiver execu-
lado metaJo da obra, e a ultima quando es-
tivo inteiramente concluida.
5.' Para'tudo o mais que nSo est de-
terminado as presentes clausulas especiaes
seguir-se-ha inteiramenle o quo dispGo o
precitado regulamenlo.
(la lmete do engenheiro, 25 de junho de
18(9.'O engenheiro, J. L. Victor Lieu-
thier.
O lllm. Sr. mspeetor da thesouraria da
f i/eiiv.a provincial, em virtile da resolufiln
do tribunal administrativo, manda fazer
publico que, per?nte o mesmo tribunal, se
hilo de arrematar nos dias 23, 24 e 26 do
corrente, a quern por menos lizer, as im-
presscsdos trabalbos das diversas reparti-
>s publicas provinciaes, avahados em rs.
2:700,000 por anuo.
A arrematacSo ser feila por tempo de
onza mezes a contar do primeiro de agosto
de 1849 a 30 de junho de 1850
As pessoas que se propozerem esta arre-
mataco, comparecam na sala das sessOes
do sobredilo tribunal, nos dias cima indi-
cados, pelo meio-dia, competentemente
habilitadas.
E para constar se mandn allixar o pre-
sente, e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernambuco 16 de julho de
1849. O segundo escripturario, Antonio
Ferreira da Annunciac&o.
-- Perante a thesouraria da fazenda desta
provincia se ha de por em hasta publica, nos
dias 28, 30 o 31 do mez de julho prximo fu-
turo, para ser arrematado por quern menos
preco offerecer, o servico da capatazia da
alfandega desta cidade pelo tempo de vinte
e dous mezes que terflo principio no primei-
ro Je setembro deste anuo, e com as condi-
cOes que serilo patentes no acto da arre-
mataeflo. As pessoas que se propozerem a
licitar devoran comparecer nos referidos
dias na sala das sessOes da mesma thesou-
raria, competentemente habilitadas.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial do Pernambuco, 28 de junho de
1849. -- O offlcial-maior, Ignacio dos Santos
da Fonseca.
collecta, prevenindo-se assim qualqunr ar- dos, dirija-seso mesmo capililo, ou
bitrsmento injusto.
As malas do vapor Bahiana,
,com destino aos portes do
norte, principiam-se a fechar
hojo (18; uma hora da tar-
do : at as 2 horas recebem-se correspon-
dencias cora o porle duplo, e depois no se
rcceberOo mais.
Cartas seguras paraos Srs. :
Antonio Ferreira Pinto.
Caetano Lulz Ferreira. -
Elias Ignacio de Olrveira. <
Francisco Pereira da Costa.
F. Paula Pereira Andrado.
F. Rodrigues Selle.
Francisca Brgida Mello.
Julio da Costa Ribeiro.
Jos Teixeira Campos.
Luiz C.onc,lves Rodrigues Franca.
Marmol Jos da Silva Neiva.
Pedro Silva Poir Jnior.
Companbia de Beberibe.
A sessilo para se contratar a cobranca da
laxa nos chafarizes fui espacada para o dia
20 do corrente, visto nlo ter apparecido na
sesso de hontem quern apresentasse pro-
posta de vantagem para a companhia.
NOTICIA.
SEGUNDA-FEIRA, 23 DO CORRENTE.
Sendo este dia o do oitavo anniversar io da
raaioridadedonosso adorado monarcha, o
director do theatro de S.-Franccisco nflo po-
de deixar de preparar para a noe do mes-
mo dia um divertimento queyproporcione
aos habitantes desta bella cidade mais um
uceas i fio de ni ostra rei o vivo prazer de que
se senlem possuidos ao recordarem-se da
dala em que o melhor dos imperantes assu-
mio o leme da nao do estado para dar-lbe a
conveniente direceno, fazendo-se rodear de
nuticos tilo experimentados quanto capa-
zes de conduzircin-na ao porto da prosperi-
dade.
Entre as varias peets existentes no archi-
vo do theatro, o director deu preferencia
para o indicado divertimento ao
CASTELLO DE UVAL
eo
lf Francisco I,
drama recentemente chegado do Rio-de-Ja-
neiro, e representado repetidas vezes com
geral aceilaeflo no theatro do Sr. Joflo Cae-
tano dos Santos.
Denominatio dos quadros.
1." A volts da batalba.
2. O annel o a carta.
3.* O encontr inesperado.
*. Oduello.
5 A entrega da espada.
6." A vinganca e a morte.
Fersonagens do drama.
Conde de Chateaubriand Antonio Jos Ru-
arlo Coimbra.
Francisco l.,rei de Franca Joaquim Jos d
Almirante Ronivet
Tartarem, voltio soldado
Ueclarat^es.
Gama.
Jos Francisco
Monteiro.
Pedro Baptista
de Santa-Rosa.
O capellDo.
Codessa de Chateaubriand Fclismina Mara
da Conceicfio.
I'in pagem.
Conde de Vandome.
Conde de S. Paulo
Edilh
Um reposteiro.
Um Genlil-homem.
proprielario, Manoel Joaquim.Ramos n Su-
va na ra da Cadeia do Reci fe, n. 38.
Para o Rio-de-Janeiro segu, em pan]
eos das, o bem conhecido brigue AssomhL
paracaega e passageiros,trata-sena ruad
Cadeia do Recife, n. 61, eom JoSo Jos Ver
nandes Magalhfles. cr"
Para o Havre pretende ge.
guir viagem, com inuita brvida-
de, a barca franceza Zampa, de
primeira marcha, tendo j parte do
seu carregamento protnpta : oinda
recebe algum frete :os pretenden-
tes pdem dirigir-se aos consig-
natarios da mesma, B. Lasserre&
Companbia, ra da SenzaHa-Ve.
lha, n. 138.
Para o Rio-de-Janeiro segu atan
em poucosdias, o bem ronhecido briirua
Bom-Jesus. que se aclis com parte de u
carregamento j prompto; anda recebe ii
guma carga escravose passageiros, paria
que tem excellentes commodos: quern pr.
tender pode dingir-se so capitflo, Joflo Ven"
tura da Silva na prarja do Corpo-Santo ou
a ra da lladre-de-Deos, n. 3, terceiro'an
dar.
Para o Aracaly segu, em poucos dUa,
o patacho 5anta-Cm : para o resto da car-
ga e passageiros, trata-se ao lado do Coran!
Santo, luja n. 25.
--Para Lisboa, com a maior brevidada
possvel, partir o brigue portuguez 7'urW.
/, forrado e encavilhado de cobre : tem ex-
cellentes commodos e tratamento para pas-
sageiros : os pretendentes para carga po.
dem tratar com o capitflo, Manoel de Ol-
veira Faneco, na praca do Corpo-Santo ou
com 1'irrriino Jos Flix da llosa, na ru di
Senzalla-Nova, n. 49.
Para o Para com escala pelo Cear e
Maranhflo partir com muita brovidade o
patacho Fortuna, j se acha com um terco
da carga a bordo, e mais de meia carga en-
gajada : quem no mesmo quizer carregar
para qualquer dos mencionados porloa,di-
rija-so ra da Seuzalli-.Nov, n. 42, pri-
meiro andar.
--Para o llio-Grande-do-Snl pretende li-
li ir breve o brigue Juno capitflo Jos Fran-
cisco dos Santos: ainda pode recebrr il-
guma carga a frote, escravos e passageiros:
irata-se com Amorim Irmflos, na ra di
Cdelt. n. 39.
Leilo.
-H
Santus
guez,
10 hora
(je he o ultimo lelito de toucinbo da
no armazem quo foi do finado Bra-
o p do arco da ConceicJo, pelas
Lda manhfla.
^viss diversos.

Dernardo da Sil-
va Cardozo.
Emilia.
Personagent mudas.
Chanceler Duprat.-Gentis-homens.--Pa-
gens.Archeiros.Escudoiros.
A ac(flo passa-se no seculo 16.
O theatro estar tfio descenlemente or-
nado, quanto o exige a magnilude do dia.
A illuminacflo sea dobrada.
A orchestra apparcer augmentada, e
tocar as melhores syrnphonias, cuidadosa-
mente eusaiadas..
O espectculo comecar depois da chepu-
da do Exm. presidente da provincia, e com
a appai cilo do retrato de S. M. o Imperador,
anto o qual cantar se ha ohymno nacional.
Nflo obslanlante ser dia de grande gala,
o director ha resolvido levar aseen a uma
jocosa Tarca que ser precidida por um ter-
ceto danzado pelas dus jovens Jesuina e
Felismina, e por certo cavalheiro.
bulladas.
Pela segunda seCQflo da mesa do consu-
lado provincial se annuncia, que do dia 17
do corrente mez em diante principia-se a
cobrar o imposto de 20 por cento sobre o
consumo das agoas rlenles de produc-
eflo brasilera do inuuicipio do Recife, per-
tencente ao trimestre de outubro a dezem-
bro do anno luido, c semestre de Janeiro a
junho do corrente anno.
CONSULADO DE PORTl'GAL EM PERNAM-
BUCO.
Precisando saber-se com toda a certeza
da existencia, nesta cidade, das pessoas a-
baixo designadas, a bem de seus interesses
como pensionistas do estado, roga-se-lhes
de comparecer! nesle consulado, casa n.
6, defronle do Trapiche-Novo ; e, nflo o pu-
dendo fazer por si, queiram mandar pessoa
para ser inteirada. do que Ibes cumpre ob-
servar. As senhoras D. Anna do Sacramento
de Mello, D. Mara Magdalena de Mello e D
Antonia Luiza Guedes.
U escrivflo da rerebedoria de rendas In-
ternas geraes, servindo de administrador,
avisa a todas aa pessoas que teem objectos
expostos venda na freguezia de San-Fre-
Pedro-Gomal res, que, tendo-se de proceder
all cullecta do imposto de 20 por cento,
deduzdos du aluguel do suas casas, se hi
niibler que deixeui aos seus caixeiroa os re-
cibos do aluguel aue pagara pelo mesmo
predio, para os apreseutarem aos Untado-
res, alim de nodAr>m nmoii. ~~. -
Fublicci^ao iilterari.
Sahodoprelo a primeira forma da ini-
presso de uma obra que dever constar de
mais de 400 paginas, eque tem por titulo
Adagios, Proverbios, RifSu e Annexins da
Lingoa Nacional : a sua utilidade nSo ca-
rece ser exagerada, basta que se sai ba que
asabedoria ea prudencia de qualquer na-
co consisto em seus proverbios.
O seu preco he insgn'licanlissimo, 200
rs. por cada forma de impressflo, pagos de
cinco em cinco formas adisnladamente.
Assigna-se na praca da Independencia,
loja de I i nos, ns. 6 e 8, e na ra do Crespo,
n. 11, onde se aclis j a primeira forma.
avisos martimos.
Para a Babia segu em poucos dias, por
ter a maior parle da carga prompta, o hia-
to F.xalacao, forrado e pregado de cobre :
quem no mesmo quizer carregar ou ir de
passagem, dirija-se loja de ferragens, jun-
to so arco da Concecflo.
Para Buenos-Ayres sahir breve a bar-
ca Tentativa, por ter parto do carregamento
prompto ; a qual por seu porte ainda poda
receber poreflo de carga a frete : quem aa
mesma quizer carregar, pode enlendcr-se
com os consignatarios, Amorim Irmflos, ra
da Cadeia, n. 39.
-Para LisbOa sahe, at o dia 5 de agosto,
o brigue portuguez Novo-Vusudor portar
a msior parte de sua carga prompta : par
o resto e passageiros, para o que oOV
excellentes commodos, trata-se
consignatarios Thomas de Aqu
ca & Fillio na ra do Vigario,
ineiro andar, ou com o capit
Jos dos Santos Lapa na prac
Para o Itio-de-Junei
sahir, eom muita brevidade ,
leirq^^onM, capitSo A
rece
com os
o Fonse-
19, pri-
y, Antonio
quize*
brigue bra-
leda : quem
i>i:ci,\i.a(;\6.
Um amigo do Exm. Sr. Dr. Jo-
s Bento da Cimba Figoeiredo de>
clara que o mesmo Sr. tifio se apr-
senla como candidato pela provin-
cia das Alagas, as prximas ele-
c5es pira a assembla geral.
Jos Fernandos Gulmaries relira-^e
para fra do imperio a tratar de sua sa le.
-- Precisa-se de um preto escravo que en-
tenda perfeitamente de servido de padaria :
as Cnco-I'ontas, padaria de Jos Joaquim
Soares
Na Hn-Visiu, rus da Alegra, casa n.
34, exislem cartas de interesse para os Srs.
Joflo da Costa Villar, do engenho Dous-ltios,
llenrique Lins da Cunta e Mello, do enge-
nho Miranda, Simplicio Jos Tavares de Mel-
lo, do engenho Marina, Francisco* Caval-
canle de Vasconcellos e Mello, do engenho
Teixeira, Joflo Tavares da Rocha e Jos Lou-
renco da Rocha, do engenho Macaco^ e La
andr Guedes Alcanforado, do engenho
Aca.
Silva, sangrador e dentista, mudou-se
para a ra da Roda, n. 46, prompto toda a
hora para servir nesta arle (odas as pes-
soas que se quizerem ulilisar de seu presu-
mo, que he sangrar, tirar denles, linipa-los
perfeitamente, abri-los, chumbar, e ludo
mais preciso para seu aperfeicoamenlo, e
tambera applica ventosas esconificadas por
machina, com uma velocdade quenada in-
coiniriJa os doentes, tendo para isto grao-
de praiica desde 1836, praticamto em um
hospital nove annos : tambera aluga bichas
de llainburgo das melhores que ha no mer-
cado.
-- Os abaixo assgnados scientificam io
publico e particularmente aos seus credo-
res, que dissolveram amigavclmente a so-
ciedade que linham nesta praca, na taber-
na sita na praca da Ra-Vista, n. 15, a quij
gyrava sb a lrma Paula Jnior & Cumpa**
nliia : ilcando o socio Joaquim de Paula Lo-
pes nicamente abrigado a indemnisar os
dbitos conlrahidos por dita firma. Pernam-
buco, 14 dejulho de 1849. Francisco Jou
de Paula Jwior. Joaquim di Paula Lof*-
Aluga-se -um sitio na estrada do Ar-
raial, com 3 babas para capim e uma pe-
quea malla, cofia banho e boa casa de vi-
venda : a tratar ukpraca da Independencia,
numero 12. ^
OproprleUrloJdo engenho Caoba, Us-
ado duas legoas ao ald de Sauto-Anuo, esta re-
volvido a vender Vreferido t-iigeuho, o qual
uoe com animaea J sl parmuenlado de la-
do o preciiC*;,. coln ufi~ safra de doua wA
paca: eaie^Dgcni,0 te, mais ie meia Ui"
quadi-adarde ?iccllente Urraa a dii "P"**
Prodlt So. tendo grande, varaea.. -Taaibej"
e "-Sein, se agradar io comprador, 32 aw
ni"2#5e roda e 20 bols manso: qo"n P1 ,
Unmr, dlrila-se ao inesiuo cogenbo, que io* /
%faoc\o se far, e se precisar de algn' el
'Wiuienun dirija-ie a ra do Queimado, o. '
--l'recisa-sa de uma pessoa para iri
har em refinac,flo |do assucar: na iua -
Senzalla-Nova, n. 4. ...J
-Madama Paulina Bruguiere vai i"w
uma viagem Frange. ,
O tabellio interino das ny-
pothecas mora na ra Augus'8
n. 66. '
Agencia de passaporles-
No pateo da matriz de anto-Aotonio,
sobrado n. 4, tiram-se passajjurtey|Jll


Fabrica de pianos.
: Na ra do Queimado, n. ia.
I ,.. Vignes dirigi urna das primei-
I I ..brices de Pana, frequentada pelos
Kmeiros pianistas, os quaes por militas ve-
E se qiicixrn Por n3 podrem expri-
i'r os sentimentoa dos autores de msica,
I*' u0os inslrurnentos HIoobedcciam cort-
Ifnrme o pianista quera.
I n dito fabricante fez fabricar pianos de
..nnosito para este paiz, os quaes teem lo-
5 anualidades reunidas: bemcomoum
lm,cliinismo superior a todos os que teem
l,nD,rerido,eque o.pianista pdeexecutar
lualauer peca de musica.capricho, ou phan-
Ii.sit do nianissimo at ao fortissimo, os
Imaisxtraordinarlos em rapidez, sem nun-
Im falhar porque sBoeitos de maneira que
I nem o caior, nem a humldade pdem influ-
I __ pesappareceu, nodte 15 do correte,
I urna aqueta de panno lino verde escuro,
Inrincipiadaa fazer, lerendo dentro da mea-
mi algnmas pegas de outra jaquela do mes-
mo ficando a outra inutilisada por n3oha-
ver'mnis panno igual, tendo a mesma pessoa
Le fez esta graca levago urna calca de
riscido escuro de Igodfo.e outra delmbo
antes da jaqueta ; pelo quo roga-se a quem
comprou dita jaqueta e as duas calcas man-
de-as na rtu Nota. n. 18, que recober a
quaptia por que comprou.
- ODerece-se una ama de leite, sem II-
lho : quem precisar dlrija-se ra da Con-
eordia, n. 5.
- Lourengo Jos das Neves avisa a quem
convier, que dtsde o auno de 1847 he mora-
dor em seu engenbo Frricos, na fregue-
sa de San-Bento e comarca de Porto-Calvo,
provincia das AlagOas.
.. i). Feliciana de Almeida e Silva, tendo
(ica'to a dever a JoSo Kartista Branco a
quanlia de um cont de ris, e tendo este
monillo, sua viuva pnssra este debito a
Theotonio Fragoso da Silva, oqual, tendo
arrendado o engenbo Camorinzinbo aos
henleiros da finada D Feliciana, para com
o rendlmanto do mcsmo engenbo pagar-se
do detrito referido, estando com o engenbo
arrendado, e tendo tirado sete safras que
importan) em quatro conloa e duzentos mil
i ris, nSo tem querido o arrendatario Theo-
tonio da Silva abater os rendimenlos das
safras ao debito conlrahido por aquella
finada f Feliciana, cuja representado fa-
zem seus Minos ; e nem paga aos herdciros:
e como pode ser que uquelle Theotonio
queira vender esta divida a outra pessoa na
sua tolalidade, faz o presente annunciofla-
ra que ninguem contrato a tal respe i tu, vis-
to que se pretende liquidar este negocio,
ou por amigavel composieflo/ ou ju/icial-
meute. /
m Simfio Caetano da Silva Porljpguez ,
retira-se para Portugal. /
Alagase, ou vndese ufo preto
cozinhei'o, muito fiel o sem vicios: alias
dolheatro, ns. 16 18.
fmmmmmmmmmmmM.mmmmm9
Novo po de Provenca.
8 Na padaria do becco das liarroirase J
3 no deposito da Estrella, no Aterro- j|
a da-Boa-Vista, n. 89, fabnca-se o no- 9}
2 vo pode Provenga, oquol he fabri- jg
2 redo pelo methodo do seu primci- jg
ro introductor que veio esta provin-
- ca, e com asmelhorea farinhasque
ha no mercado, e asseio que he pos-
sivel: da merma sorle se fabrican) as
faliasda rainlia de Hespaiiha bol i-
hos, blscoutos, biscoulinhos, falias,
cavacaa : ludo do melhor gosto pos-
sivel e proprio para cha ; Iniubem ha
bolachinha de Lisboa em latas de 8
libras, por preco com mudo ; amen-
doas confeitadus e de varias quali-
dades.
contendo 6 colheres de sopa, 6 garfos, 6
facas, colher de tirar sopa, 1 dita para ar-
roz, 1 dita para peixe, garfo e faca de
trinchar, 1 alanaz, 6 colhere? de cha, 1 coiu-
cha de assucareiro : todas estas obras de
prata, feitas no Porto : roga-se a todas as
pessoas a quem frem offerecidas, ou dellas
tiverem noticia, dlrijam-se ra do Torres,
n. 18, quesero generosamente recompen-
sadas. hidio Jote Cgpurica.
Ilomoopatliia. |
Primeiro consultorio homoco- #
pathicoemPernambuco, na I
ra da Cadeia de S.-Arito- #
nio, n. n-x
Este consultorio estar aberto lodos a
os das desde s 10 horas da manhaa 2
al as 3 da tarde : as pessoas que nSo &
podrem chegar ao consultorio po- g)
derfo ser visitadas em suas casas, ^
qualquer que seja a distancia desta ^
praga. Os indigentes serio tratados
gratuitamente, apresentando umal- ^
testado do vigario de sua freguezia. m
ma casa terrea denlro desta praga, ou com
firmas a contento : no Alerro-da-Ba-Vista,
n. 72, se dir quem da.
--A pessoa que aiiininciou J*ecisar de
roupa engommada o lavadkV com perfeig3o,
dirija-se ao" principio da ra da Gloria de-
fronte do hospital, que achara com quem
tratar. + .
-I'recin-se alujar um si pistante des-
ta praoaunu legotfpoueo mais ou menos,
que tenlia aulliciente pasto para 12 vaccas
de leitefba Passagem-da-Magdalena n.
27 entre as duas pontea das 6 s 9 horas
da manhaa, e da 3 s 6 da tarde.
*5! m

Urna mulher de bous coslumcs se of-
fi'i'ci'i; para ama secca de una casa de pou-
ca familia, ou mesmo d homem solteiro:
na ra dos Copiares, loja do sobrado n. 1
.OQerece-se urna crioula para fazer todo
o servico de urna casa: na ra Direita,
n.68.
Hoje, 18docorrente, pelas horas da
tarde, porta do Sr. Ur. juiz do civil da se-
gunda vara se hilo do arrematar, por ser
a ultima praca varias tarramentas e to-
dos os mais pertences da tenda do marce-
neiro prrtcnccnte JoSo Picard ior exe-
cucfio de Miguel tlaitins Costa Ribeiro.
Precisa-se de urna ama de Ic-ile, forra
ou captiva : no palco da ribeira, casa ter-
rea, n. 23.
Pergunta-se cmara municipal se os
passeios das ras entendem-se das portas
das casas para dentro, ou para fra ?
Padciro para o Bonito.'
Convida-se aos Srs. padeiros a cstabo-
lecer una padaria na villa do Benito onde
nao existe quem fabrique piio e bola
podando illi consumir o melhor de 1
rs. diarios.
Hoje, s 4 horas da tardo na por
lllin Sr. Ur juiz municipal da segund
ra, se ha de arrematar urna preta com
e um preto padeiro penhoradi s a M
Joaquim Suares, por execugfo do Ju
vares Cordeiro : he a ultima praca.
Aluga-se a rasa do hecco das Barr
perlcnrenU ios herdciros do fallecido
Antonio Alvesda Silva com grandes
modos e quintal :atular na ra da
gria, o.S." >
Sexla-feira.ao do correte, se b
arrematare pr4c,a, depois da audi
do civel, um escravo e urna mobilia us
os pretndanles comparecam em dita pr|
Nanoite do dia 11 do correte
mou-sede um preto qjie andava vende
lampefloaioda novo eque parece &
escada : quem fr seu dono, piocure i
do l.ivramento, n. 32, que, daudo or
naes, llie ser ontregue.
Quem precisar de um rozinhei
rija-se ra eslicita do Hozarlo til ,
primeiro andar,
Quem tiver urna preta para.'l>
'vico de urna casa de familia di rija-..
pateo do Tergo, venda n. 7.
0 gerente du contrato do rape prinre-
za de Lisboa continua a vender *sto rap a
retalho, dinheiroa vista e nfo se fia a
pessoa alguma ,e roga as pessoa.4 quo an-
da estilo a dever o favor de niandur satisfa
zer sevs dbitos.
Fnrtaram da casa do abatai^ssienado.
o iio ir
--Na ra Direita, n. 61, se dir quem
compra urna casa terrea, ou sobrado 1180
sendo este de grande preco e sendo em boa
ra. '
Prccisa-se de um caixeiro que tenha
bastante pratica de venda para tomar con -
ta de urna casa por balanco : d-se bom or-
denado : na praca da Boa-Vista, n. 5.
No dia 9 de julho do corren te annoap-
pareceu no engenbo novo da ConceicSo, na
freguezia de Sanlo-Amaro-Jaboatflo, urna
preta que diz andar fgida, e ser escrava do
Sr. ManoeldeFiguelredo, morador no sitio
do...... achando-se a dita preta doente por
estar bastante descorada de sezoes que con-
tinuadamente Ihe estflo dando : -portanto-
quom for seu verdadeiro aenhor queira di-
riRir^so ao referido engenbo, que, dando os
signaes cetos, Ihe ser entregue ; adverlm-
do, porm, que nao se responsabilisa o se-
nhor de dito engenho por fuga ou outro
qualquer acontecimento que possa haver
durante o lempo que a mesma esliver em
dito engenho.
ATTENCXO!
Offerece-se um homem solteiro, Brasilel-
ro, para caixeiro de qualquer engenho, ou
mesmo para administrador, pois que de lu-
do lem bastante pratica : quem de seu pres-
umo se quizerutilisar annuncie.
Manoel Jos Pereira, subdito porlu-
guez, relirt-se para fra do imperio.
-- Roga-se ao Sr. J. J. S. A., do sexto ba-
talhao, que queira mandar pagar a quanlia
de 24,800 rs. aonde n3o ignora, desde no-
vembrode 1848 : pois he bastante o lempo
que se tem esperado.
o abaixo assiguado scicntifica aos ere-
dores da extincta firma Paula Junir &
Companbia, que, tendo-se esta dissolvido,
ellseobrgea indemnisar o debito que a
mesma contrahio. Pernambuco, 14 de ju-
lho do 1849. Joaquim Previne-se ao respeitavel publico que
no armozem do Baptisla, na esquina da ra
das Flores, ha carv3o da melhor quslidade
a preco de 600 rs. cada sacco, prego cm ver-
dade muito barato se se attender que os
saceos teem cinco palmos de comprimento
e dous do largo, e conlem mais carvilo do
que dous dos oulros saceos que se vendem
ordinaiiamenle em cargas,
Triispassam-se as chaves de um armazem
de assucar, na ra de Apollo, vendendo-se
os seus ulensis, ou parle dclles, como cai-
xles, etc., cuioarmazem paga muito mdi-
co aluguel, e 'est ptimo para quem qui-
zereslabclecer-se com armazem d_e assu-
car : a tratar na ra Augusta, n. 2C.
Madama MclanicCillain com tres fillios
menores vai fazer urna viagem a Europa.
A pessoa que tem empenhada na ven-
da que foi de Bernardo de tal, na estrada de
Santo-Amaro, cuja venda pertence boje a
Gabriel Italia Velloso, urna tesoura grande
de aparar cerca, queira ir resgata-la dentro
de oito dias, contados da publicagao deste ;
do contrario ser vendida por conta de
quem pertencer. para pagamento de 1,600
rs. por quanto est empenhada.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado
darua doQncimado ,n.4: a tratar na loja
do mesmo obrado.
Precisa-se de urna ama do leito para
acabar decriar urna menina: prefere se a
queest'japara sabir de alguma criago :
na ra das Cruzes, n. 22, segundo andar.
--Precisa-se alugar duas pesaos! para
trahalharem em um sitio na Ponte-do-
Ucha : na ra da Cadeia do llecife, n. 45.
-D-se oinheiroa premio sobre penho-
res de ouro e prata : na ra do Hospicio ,
venda do IcHo de ouro.
Aluga-se urna casa que sirva para pa-
dariu equeti-nha cominodos para fami-
lia em S.-Amaro Hospicio, ou Suledade
quem tiver, dirija-se ra da Madre-d-
lleos armazem de Vicente Ferreira da
Costa.
Prccisa-se alugar um moleque que se-
ja fiel para fazer compras o o mais neces-
sario de urna casa de pouca familia : tam-
beni se precisa de urna ama para cozinhar,
e fazer todo o mais servigo : em Fra-de-
Portas, ra do Pilar n. 72, segundo andar.
O abaixo assignado faz publico que
deixou de ser caixeiro do Sr. Fiancisco Joa-
quim Hilarte, desde O.dia 14 do correle.
Joaqun Ferreira de Araujo Guimarei.
0 Dr. Lobo Mostoso conti-
na-a receber doentes em sua cd-
aa, no Aterro-da-Ba-Vista, n. 48,
ondeaba commodoa sulicientes,
nao s para se tratarcm de suas en-
fermedades, como para se Ihes fa-
zer qualquer operato : as pessoas,
portaulo, que se quizercm curar ou
mandar algum escrava, pdem di-
;gir-se o annunciante em dita ca-
cerlos de que serao tratados
.^ todo o desvelo.
i'jecisa-se de urna ama de leite, que <>
tenha Wn e abundante, para urna enanca
de 6 meses : na ra do Collegio, n. 19, pri-
meiro anclar.
con;
Dentista.
D. W. Baynon, cirurgiSo dentista a-
_ mericano, breve se retira desta pro-
vincia ,e pelo pouco lempo que aquice de-
mora, tem a honra de oftereber ao raspei-
tavel publico o seu prestimo, na ra do
Trapihe-Novo, n. 14.
Lotera do Guadalupe.
Nlfo podendo effectuar-se o andamento
das rodas desta lotera no dia 14, conio se
havia annunciado, o respectivo, thesourei-
ro designa novamento o dia 27 ao crreme
moz em que o mesmo andamento ser
realisado inllivelmenlo vistos os esforcos
que para ajBfim tem a^irmandade benefi-
ciada ompregado.
A pessoa que quizer c carregar-se do
trata melo do um escravo com principios
do molestia de peilo, dirija-se ra de S.-
Francisco, na casa apalagada, que achara
com quem tratar, e que se dar muito boa
recompensa.
ASSASSINATO HORBOftOSO!
D. Francisca da Cunha Bandeira de Me-
llo viuva do Burgos, e sous filhos pedem
encarecidamente aos Srs. delegados e todas
as outras autoridades policiaes. capitaes de
campo e pessoas particulares a apprchen-
sflo de dous de seus escravos que, em o seu
engenho Agoas-Claras doUrucu' da regue-
zia de S.-Anlflo, dirigiram-se a casa de seu
administrador,o Portugoez Domingos de
Oliveira ,e all achando-o doimindo assas-
sinaram-no com urna fouce dando-lho um
s golpe na testa, de maneira que abri-
ram-na. Esle brbaro acontecimento leve
lugar no dia 26 de maio do correte em
alta noite, e assim que perpetraran) esse
crim evadiram-se; e como os annunciantes
querem os entregar aos Iribunaes de jus-
tica para devidamente serem sentenciados,
fazem o presente seguinJo esle oulro.
200,000 rs.
D-se esta quanlia de gratificacSo a quem
levar ao engenho Agoas-Claras, de Uruc,
da viuva do Burgos, ou nesta praga, uo
pateo do Carmo, n. 18, segundo andar, a
Antonio Carlos Pereira de Burgos Ponce de
Len, os dous escravos seguinles que fu-
giram nos dias sabhado para domingo, 26
a 27 do corrento : Vicente, pardo do 26 an-
nos, de altura regular cabellos crescidos e
carapinhados testa sobresabida olbos pe-
queos, nariz chato, tomador de tabaco de
caco rosto descarnado e com espionas,
sem nenhuma barba; levou 1 camisa do ma-
diipolSo, urna caiga de casimira usada, urna
jaqueta de bretanha, um bonete de velludo
azul ja usado um chapeo de palhs, um
dito de pello preto : Joaquirrt, crioulo bas-
tante preto, de 38 annos, alto, secco, cara
pequea bem barbado ; lem o coslumc de
levar a mSo barba ; he gago ; andar com-
nassado; dilem ter m3i em Pajali-de-Flo-
res ; foi escravo docapitfio Leandro Bandei-
ra de Moura do Apody o qual se acha pre-
sentemente na comarca de 3.-Anto, e tem
um silio em Cravat; presume-se terem
paitido para o Apody, onde ha muilos p-
renles do dito Moura; comquanto o primei-
ro andasse sempre em viagens dos sertOes
do sul ao poente, com os cobradores desta
casa : este ultimo escravo levou um chapeo
preto de pello e outro de couro, duas ja-
quetas brancas, 1 caiga de brim pardo, 1 di-
ta de riscado 1 camisa de madapoiao,
duas ditas de algodao da trra e ceroulas.
Roga-se a vigilancia nestes dous escravos,
que vindo com muila brevidade, serio
gratificados ainda com mis do que se oflb-
rece.
Cartas finas de ogar
a retalho e em potg.lo muito em conla ;
Charutos
da clebre fabrica de S.-Felix eoutros, sec-
eos e de primeira qualidade, pelo barato
prego de 2,000 is. a caixa de um cento; co-
mestives conservas e licores de diversas
qualidades, ebegados pelos ltimos navios;
um sortimentode vinhos branco e tinto,
ordinarios e superiores em garrafas e cm
barris : na ra Nova, crsa franceza n. 69.
Precisa-se de urna mulher do bons cos-
tumes que queira acompsnhar una senho-
ra casada para seu engenho, eque se quei-
ra encarregar de duas criaugas j desma-
madas para as pensar com desvelo, pagan-
do-sc-lho o que se convencionar : a quem
convier procure na praga da Ba-Vista, casa
n. 32, segundo andar. '
Existe m escravo no engenho Dia-
mante comarca de Goianoa, de nome Fi-
lippe o qual occulla o nome do senhor e
do engenbo de onde veio fgido quem se
julgareom direito a elle dirija-se ao dito
engenho, que, mostrando os documentos, e
dando os signaes cerlos, Ihe ser entregue,
ou recebera o importe, se o quizer vender e
convier o prego ; nilo se responsabilizando
0 proprietarlo daquelre engenho por qual-
quer fuga, ou extravio que o mesmo escra-
vo possa ter.
Carlos Claudio Tresse fabrican-
te de orgos e realejos na ra
das Flores, n. 9 ,
avisa ao respeitavel publico que concert
orgHos, realejos pe marchas modernas
deste paiz concert pianos, seraphinas,
caixas de msica, acordaos e qualquer ins-
trumento que apparega : tambem faz obra
novae vende um orgao proprio para capel-
la, ou allar-mr, com boas vozes por pre-
go commodo.
OSr. do engenho Cananduba, freguezia
de Sanlo-Amaro-iaboiiao, abaixo assigna-
do, vendo que se esl para vender o enge-
nho Camassary dos frades.declsra que intei-
ramenle se oppoe que continu a existir
o assude novo do mesmo engenho Camas-
sary pelos grandes prejoizos quo soffre, em
virlude de seren alagadas e inteirameute
risacao ou consenlimenlo do abaixo assig-
nado? E para que qualquer compradpr nao
se chame a engao om lempo algum, en-
lendeu doverfwer o presente annuncio.
Jos Joaquim diSCkagat.
precisa-so dum rapaz de 14 annos,
para caiiciro de ra: prefere-se eslrangei-
ros: na na Imperial, n. 165.___
FgWICAO E FERRO
E FABRICA DE MACHINAS NA RA DO
BRUJ* Bowman & Me Callum, engennei-
ros machinislas e fundidores de ferro, mu
repeitosameote snnunciam aos Senliores
iroprieiarios deengenhos, fazendeiros, mi-
neiros, negociantes, fabricantes e ao res-
peitavel publico, quo o seu estabelecimenro
M ferro m&do Por machina do vapor con-
tina em eftttivo exercicio, e se acha com-
pletamente montado cora appareUiosida jpri-
meira qualidade para a parteiU confocgSo
das maiores pegas de roachinismo.
Habilitados para emprel.cnder quaesquer
obras da sua arte, BovfmBii & Me. Callum
desejam mais particularmente chamar
altencflo publica para a ^gUinU, pOT
terem dellasgrande sortimentojaproinpta,
as quaes construidas na sua fabrica pdem
competir com as fabricadas em paiz es-
transeiro. tanto eni prego comoem qua-
lidade das materias primase m8o doora,
* saber: ....
Machinas de vapor da melhorconstrucgao.
Moendas de canna para engenhos de lo-
dos os lmannos, movidas a vapor por agoa
ouanirraes.
Rodas d'agoa, moinhos de vento e serra
rias.
Manejos independentes para cav&uos.
Rodas dentadas.
Aguilhoes, bronzes e cbumaceiras.
CavilhOes e parafusos de todos os tama-
Taxas, pares, crivos e boceas de forna-
Moinhos de mandioca, movidos a mSo ou
por animaes, e prensas para a dita.
Chapas de fogo e tornos de farinha.
Canos de ferro, torueiras do ferro e do
bronze. .
Bombas para cacimba e de repucho, mo-
vidas a mBo, por animaes 011 venlo.
Guindastes, guinchse mscaco*.
Prensas hydraulicas e de parafuso.
Ferragens para navios, curros e obras pu-
blicas. ,
Columnas, verandas, grades e porles.
Prensas do copiar cartas e de sellar.
Camas, carros de 080 o arados de ferros,
&c, &c.
Alem da sperionade das suas obras, ja
geralmcnle reconhecida, Bowman & Me.
Callum garantema mais exacta conformi-
dade com os moldes e dezenhos remedidos
pelos Senliores que se dignarem de fazer-
Ihes encommendas, aproveilando a occasiflo
para agradecern) aos seus numerosos ami-
gos e freguezes a preferencia com que teem
sido por elles honrados, e asseguram-lhes
que nflo pouparao esforcos e diligencias
para continuaren! a merecer a sua conh-
anga.
Desappareceu, no da i5 do
corrente, vindo da Fonte-de-13-
clia para o hospital ingles, na Boa
Visto, o preto escravo, de nome
Patricio, ci ionio, alto e bem pare-
cido ; representa, ter 3o annos de
idade pouco mais 011 menos : jul-
ga-se ter fgido para o sertSo,
donde he natural ; foi vestido com
camisa e talca brancas, e levou
una tronxinha de roupa: quem
liver noticia delle e poder appre-
hende-lo, levo-o a ra da Cadeia
do Uecifeaocorretor Oliveiia,que
recompensar generosamente
noramo, por 10,000 wi ^".,'!|
Franga porCuizot, pereito, a '.600mrs'iHu-
tropi. Broviarium Hisloric Romano, an -
euissimo, om latir, com notas om portu-
luez, por 1,000 rs ; ludo eiicadernadc, e,., -
^nsoerfeitissimos: %' eS'vol. de ph -
guns perfoi
d7sfmer.rs>r "MunWBarrete com apen-
fee do Braslf; exemplarcs de.strono-
jnia pelo mesmo, e romances
fosophia por Cwsin.^oeo rs.
de Vollaire,
por 1/ r.. era bwchura ; 2 quadros de1 mo -
duratouradas, .dps. Napoleac, e o F.ll o
uor 4O00 rs : na "* Nova' n" 5^* l T
aPnd.r domeio^dia em diante, ales.bbad^
Vende-se farinha de mandioca de
superior qualidade mu.lo Ona a al- |
va em saccas por P^Mm?!,1S' {
eem medida do cuia a 200 rs. fan- *
iba deararuta, a 200 rs. a libra car-
ne com toucinho, a 80 rs. 1 no paloo
do Tergo, venda n. 7.
Vende-se velas de carnauba, muito al-
vos e que d.1 o boa luz, de 6 a 9 em libra :
lambem se fazem encommendas : ludo por
prego commodo : na ra do Rangel, n. 17.
Vendem-se duas parjos de um sitio no
luear do Monteiro defronle do sitio ao
msjor Carlos Martins de Almeida : na ra a
Mangueirt, n.1.' _.
Vende-se um sitio na estrada dos Afile-
los o qual tica contiguo o lado direito do
siti de Manoel Paulo Quintella : no pateo
da S.-Cruz no sobrado da viuva Peretti ,
110 segundo andar.
Vendem-se 8 lindos moleques de 12 a
20 annos ; 10 prelos do 25 a 30 annos, sen-
do um delles coziulieiro ; 3 negrinhas do 9
a 12 annos com principios de costura ;
pardas de 20 a 24 annos, com algumaa ha-
bilidades ; 5 prelas de 20 a 30 annos sen-
do urna dellas ptima cozinheira e oulra
com urna cria de 2 annos : na ra do col-
legio, n. 3, se dir quem vende.
-- Vende-se um novilho turino legitimo,
muito novo: na ra do Queimado. loja de
ourives, 11.3-. Na mesma loja tambem so
vende urna esorava. _
JVa ra do Cabugd, loja do
Duartc, vendem-se.
teaouras psra alf.iate e barbelro '>-
das em Guimarfles pelo melhor culilairo
daquelle lugar; ditas de I-.sba para se-
nhora com aros roligos do ago Uno.
A prego barato,
para se ultimar a venda dos seguinles II-
vros : Noiles de Young; Georgiana .es-
pectculo das bellas artes ; MnAmMiSO-
po Anoma ; e outras mais: na esqu.na do
arco de S.-Antonio, loja n. 1.
- Vendem-se velas de carnauba de 6 em
libra muito alvas, que imitara esperma-
cete e ufo.boa luz por prego muito com-
modo a arroba ; na ra de lloitas, n.
m
120.

Compris.
Freguezia.
Vinho da Figueira de superior qua-
li.la,le a.1,280 rs. a caada, o a gar-
rafa a 160 is. sendo engarrafado, o J
dando o fregueza garrafa vasia ; vi-
nlio branco de Lisba, a 1,600 rs. a
caada c a garrafa a 200 rs. i no pa-
leo do Tergo, venda n. 7.
Compra-se urna casa terrea, ou pe-
queo sobrado, as melhnres ras do bair-
ro da Ba-Vista, cujo prego n3o exceda a
3:000,000 rs.: na ra Formos, segunda ca-
sa, ao entrar pela da Aurora.
Compram-se duas ou tres moradas de
casas terreas que eslejam em bom esta-
do cujo prego regule de 800,000 a um
cont de ris : quem tiver annuncie.
Paga-se bem.
Compra-se calgado fcito na Ierra de
toda a qualidade : na praga da Independen-
cia, n. 33.
Compra-se, por qualquer prego o Ii-
vro intitulado Combate Espiritual : na
ra do Cabug, loja de miudezas, n. 1 D.
Compra-se, em segunda m3o, e cm
bom estado, a obra Mil a urna noites: na
praga da Independencia loja de livros, ns.
6e8.
~ Compram-so ouros velhos sem eilio,
em pequeas e grandes porgues : no pateo
da Santa-Cruz junto da botica, n. 8.
Compra-se urna escrava parda ou pre-
ta que tenha cria e bastante leile : na ra
da Madre-de Dos, 11 36, segundo andar.
Compra-se urna carroga nova ou em
bom estado, e que trabalhe com dous hois ;
na ra Direita, venda que foi de Jos da
Penha n. 23.
Compra-se, por incumbencia que urna
pessoa lem urna casa terrea com dous ou
Squarlos .sala na frente e airas, cozifiha
fra, quintal e cacimba : prefere-se. as ras
do Rangel, Larangeiras e Trincheiras, e
que seja em chaos proprios : na ra larga
do Rozario, n. 22, ou annuncie.
mmsmm
Il-se>lgum dinheiro a premiode 2 po* inutilizadas por aquella agude grande por-
cento ao mez sb penhores de ouro e prata. I gao de suas lellras, sem que para islo tenha
sbby.
Vendas.
Hoje, das 9 horas da ma-
nliaa cm diante, estar, no largo
da Cadeia, urna porcao de bestas,
poldros, cavados c quartos, que
se venderSo em eonta.
'r- Vend-se os l.uziadas, edigffo de Paris,
douVada, por 3,000 rs. ; Heloisa e Abailard,
2 w\ por 9,000 ra.; compendio A geogral
de Casado Geraldes, por 2,000 rs.t Diccidna-
110 de Constancio, 2.* edicgSo, por 8,000 rs ;
dilo da Fbula por Chompr, por 1,000 rs ;
Carta Sceletas do padre A Vieira, por 1,000
1,000 rs. 1 Elementos
, Telemaco, por 1,000 rs .
de Eloquencia, por 1,000 rs.; Ripanso, dou-
aiguM igulle engenho direito ou o menos auto-1 rado, fr 2,000 rs.j i.', 9." e 3." vol. do Ta-
9
i
Contina-so a vender boa manteiga ,
a 400, 500, 610 c 1,000 rs. ; farinha Mo Ma-
ranhflo a 100 rs.; cevada nova, a 80 rs.;
letria, a 140 rs.; bolachinha ingleza, a 200
rs. ; caf em grao a 120 rs. ; dito moido,
a 160 rs. ; passas, a 240 rs. ; cha hyisson ,
a 2 000 rs.; carnauba do 6, 7 e 8 em libra,
a 320 rs.; feijBo novo a 320 rs. a cuia;
toucinho de Santos, a 200 rs ; arroz bran-
co a 100 rs.; espermacete americano e
fra'ncez a 880 ; queijos novos, a 1,200 rs.:
no pateo do Carmo, venda por baixo do so-
brado novo, n. 2.
Na ra do Cubug, loja do m
Duarte, vndemse
fitas de selim lavradas ; ditas com franja;
setins lisos e de cures; ga lea finos e ordi-
narios ; volantes ; trinas; espiguilhas ; llo-
res ; cnpellas de flor de laranja ; luvas de
seda ; mantas 'de seda para meninas a 800
rs. ; ditas para senhora a 9,000 rs.; longos
para grvala, de lindos modellos.
JVrt ra do Cabugd, loja do
Duarte, vendem-se
lamparines inglezas da urna invengSo mais
moderna que tem apparecido ; bandejas fi-
nas ; botes de Pedro 11, da 1.', 2.'e 3.';
ditos amarellos para casaca; ditos ditose
de massa para militares ; ditos pretos do
seda para casaca ; ditos para vestidos de se-
nhora e enfeites de roupas para meninos u
do madre-perola de diversos ta manhos ; di-
tos de libr brancos e amarellos.
Na ra do Cabugd, loja do
Duarte, vendem-se
relogiosfeilos na America, de fabricas de
metal, a 16,000 rs. ; quadros de sanios oom
molduras douradas ; chapeos de pelle do
lebre, sem pello e de castor, a 3,000 rs.
Direito das mulheres
e injustiga dos homens, traduzido por ama
Brasileira : vende-so a 640 rs., na praga
da Independencia, livraria ns. 6 e 8.
__Vende-se urna preta de 18 annos, que
lava cozinha pouco, e he sadia, por 300#
rs. isto por ser de pessoa que se retira pa-
ra o Rio-de-Janeiro cora o seu batslbfo o
nBo pode fazer esta venda com vagar para
ver, na ra estreita do Rozario, n. 35
-Vcndem-se, na ra do Llvramento, n.
20 os superiores e mui frescacs queijos do
Ceara, chegadosno vapor S.-Sahudor: tam-
bem se vende urna negrinha de 14 annos;
uma preta j de idade, que entende de co-
zinha, pelo diminuto prego de 230,000 rs.
Na loja de Maia Ramos & C. vende-
se pelo diminuto prego de 506 rs. um dos
mais bellos romances que tem por titulo
A roseira traduzido alo francez por uma
senhora portugueza. Reoommenda-se mui-
lo a leitura desta obra, principalmente aos
pas de familia; para que, dando-a a era
seus filhos,, conhegam a grande utilidado
que sojira eni derramar por enlrea moci-
dado IicOjs de tanta moralidade como as
que se conlem em dito romance. Quem
pretender os ditos livros, dirija-se a ra No-
va, n. 6, na indicada loja cima.
II A


Vendem so presuntos inglczes para
fiambre ; latas com bolachinhas de Lisboa ;
ditas do araruta ; ditas de mormclada de
1, 2 4 libras ; ditas de sardinhas ; ditas de
hervilhas ; ditas de chocolate de Lisboa ;
frascos do conservas ; ditos d'agoa do flor
do laranja; harr's com azeitonas brancas de
Elvas ; garrafas com vinho atoscatel de Se-
ttihal e da Madeira ; quajos de prato ,
frescacs : tu do novo e cnegari" ultima-
monto de l.isbi: na ra d'-CiUZ, no
tecife, n. <6.
Vmidc-so cal virgen? do Lisboa de
superior qualidade, em barris de arrobas,
abocada neste mes peto rigue Mara-Jote :
tintar Da ra do Brum armazem de
araba-so de receber im completosorlimen-
tode taixas de a 8 palmos de bocea, as
quaos acham-se a venda por proco com-
modo e com promptldfio embarcam-se,
ou carregam-seom carnajsm despezas ao
comprador.
Deposito da fabrica de
Todos-os-Santosna Baha.
< Vende-se em casa de N. Q, Riebcr & C.
n ra da Cruz, n. 4, algodSo trancado
daquella fabrica, muito pioprio para saceos
de assucar.
-- Vende-se champanba da maissuperior
qualidade que tem vindo a este mercado :
4
Antonio Augusto da Fonscca, ou na ra do ta ra da Cruz, n. 27, armazem de Crocco
Vigario, n. 19. &C.
AGENCIA
da fundicao Lovv-Moor,
BA DA SEttCALT. A-NOVA, N. /j2.
Nesfe estabelecimento conti-
na a haver um completo sorti-
mento de moendas e meias moen-
vapor, e taclias de ferro batido e
coado, de todos os taannos,
para dito.
A 200 rs. o covado.
Vende-so zuarle azul trancado, muito en-
corpado o com \ palmos e meio de largura ,
a melhor hienda para vestir escravo pelo
haralo preco de 200 rs. o covado: na loja (la
esquina da ra do Crespo, quo volta para a
cadeia.
JVowos riscados monstros, de vara
de largura, a 320 rs. o covado.
Na ra do Crespo, n. 5, vendem-se os no-
vos riscados monstros, muito finos o pa-
dres nunca vindos a este mercado, pelo
barato preco de 320 rs. o covado.
C monstruoso bramante de linho
de 11 palmos de largura.
Na loja dcGuimar.les & llenriqnes, na na
do Crespo, n. 5, vemle-se bramante fino de
puro linho de 11 palmos de largura, pelo
barato preco de 2,800 rs. a vara; ricos co-
bertores de barra de soda, muito grandes, a
6,000 rs. e niBis pequeos, a 5,000 rs. ;
hiendas estas nunca vindas a esto mer-
. cado.
Pannos, a 2 e 3,000 rs. o covado.
Na loja deCuimar.tes & llenriques, na ra
do Crespo, n. 5, vende-se panno prelo e
azul pelo barato preco de 3,000 rs. o co-
vado e prelo mais inferior pelo diminu-
to preco de 2,000 rs. o covado ; bem como
um completo sortimento de todas as cores,
e de diversos precos.
A pechncha.
Corles de cembraia adamascada
com loque de avaria, 2,5oo ris ;
ditos limpos para vestidos e corti-
nados, a 3,ooo ris ; dilos de tala-
garca, a i,Goo ris; ditos finos, a
2,5oo ris; cassa-chita de cores fi-
xas, a 3oo ris o covado; riscado
em cassa, o covado a aoo ris; lan-
zinbas para vestidos, calcas e roupa
de meninos, a 320 ris o covado ;
e outras muitas fazendas por preco
br ralo : na ra do Crespo, loja de
C'unlia Guimaraes, n. 15
A 64o rs. cada um.
Vendem-se cobertores de algodSo, dos
mais encornados que ha, o proprios para es-
cravos, a C40 is. cada um: na ra da Cadeia-
\eiha, n. 33.
Aos 2o:ooo,ooo de ris.
* a vender bilhetes. meios, quartos, oilavos e
vigsimos da decima lotera concedida a
beneficio da construcefto o reparo das ros-
trizos da provincia do Rio-de-Janeiro, cu-
jas listas devem de chegar a esta provincia
no primoiro vapor : na ra da Cadeia do lie-
dlo loja de fazendas n. 51, de Jo.lo da Cu-
nta MagalhSes onde existem as listas das
loteras passadas.
Bilhetes com assignatura de
Siqueira.
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Aos 2o:ooo,ooo de ris.
He chegada a lista da terceira lotera de
Campos e com ella grande sortimento de
bilhetes, meios, quartos, oitavos e vigsi-
mos na ra da Cadeia, n. 56, loja do fer-
ragens, de Antonio Joaquim Vidal. Adver-
te-se que destas loteras fOram vendidos na
inesina loja ns bilhetes ns. 1,015 e 5,505
com 1:000,000 de rs. ; assim como na ante-
cedente se vendeu o numero 5,573 com
4:000,000 de ris.
Chitas de cores /xas, a 5,200, ou
a 140rs. o covado.
Na loja n. 5, que faz esquina para a ra
do Collegio, vendem-se chitas de bons pa-
drees e cores fixas, a 5,200 a peca c 140 rs.
o covado ; ricos cortes de cassa da rainha
Victoria a 3,600 rs. o corle ; lindas cassas
francezas, largas, pelo barato preco de 640
rs. a vara : esta fazenda se torna muito re-
corr mcndavel por ser de padres novos o
muito finas ,- alm destas Ha um com-
pleto sortimento de todas ai qualidades de
fazendas, por preco muito commodo.
fies fumantes de bota gosto.
No armazem de molhados atrs do Cor-
po-Sanlo, n. 66, ha pitra vender, ebegados
pelo ultimo vapor vindo do sul, superio-
res charutos S.-Fclix, e de outras muitas
qualidades que se venderSo mais barato do
que em outra qualquer parte : bem como
cigarrilhos hespanhes, ditos de palha de
milho, que so ceno vendendo pelo diminu-
to preco de 500 rs. o cento.
Cha barato.
Vende-se muito bom cha, pelo preco de
500 rs. a libra : na ra do Creso, ti. 23.
Taixas para engenho.
Na fndic&o de ferro da ra do Brui,
: na es-
Cruzes,
vender
Vcnde-se algodSo trancado
da fabtica de Todos-os-Santos a
270 e a 3oo rs. a vara : na ra da
Cadeia, n. 52.
A 1,000 rs.
o corle de calcas.
Vende-se brim trancado pardo de puro
linho a mil rs. o corte de calcas : na ra
do Crespo, loja da esquina que volta para a
Cadeia.
Vendem-se sellins inglezes e
camas de ferro: na ra da Senzalla-
nova, n. l\i.
Folha de Flandres.
Vendem-se canas com folha de Flan-
dres : em casa de J. J. Tasso Jnior : ns ra
do Amorim. n. 35,
Na ra Nova. n. 5,
vende-se um lindo mulatinhode 15 annos ,
prnprio para pagem, por saber muito bem
bolear ; um moleque do 16 annos muito
lindo ; um dito do 18 annos ; um preto bom
cozinheiro ; um dito hom ganhador de ra
quo paga 560 rs. por da; una parda de lin-
da figura de 20 annos com todas as ha-
bilidades precisas ; urna preta por 300.000
rs. ,01 tima para vender na ra, por Icr
disto pratica ; urna dita ptima para o tra-
balbo de enxada ; nma dita de 20 annos,
boa quitandeira.
Novo sortimento de brim trancado
a i,5oo rs.
Vendem-se brins trancados hrancos, lisos]
e de listras de puro linho a 1,500 rs. o cor-
te ; cortes do fiislio alcorhoado a 480 rs. :
na ra do Crespo, loja da esquina quo volta
para a Cadeia.
Na livraria ns. 6 e 8 da praca da Inde-
pendencia vende-se o seguinte :
Manual eleitoral
conlendo a lei regulamentar das eleigoose
os decretos e decises do governo que dito
esclaroeimentos sobre sua eiecocffo,expedi-
dos a' abril do corrrenle anno, com notas
explicativas fundadas uestes meamos escla-
recimentos:
D- Sebastian.
Vende-se o romance de D. Sebaslito em
se is contos e varias poesas modernas com
o hymnodo Povoas ltimamente impres-
so pelo diminuto preco do 400 rs.
treita do Kozario, n. 4 ; na ma das
n. 41. A ellos que ponen? restam.
SSSF.
Manoel da Silva Santos continua 1
barricas de familia de trigo da marca ci-
ma mencionadas, ltimamente chrgada a
este mercado: a tratar no armazem de Anto-
nio Aunes, no caes da Alfamlega.
A 640 rs. cada um.
Vendem-se cobertores de algodSo ameri-
cano, encorpadose grandes, a duas pata-
cas ; chitas escuras de hons padres e co-
res seguras, a meia pataca o covado: nal
ra do Crespo, na loja da esquina que vol-l
ta para a cadeia.
Vende-se vime, chegada ltimamente!
nobrigue Novo-Vencedor: un ra do Apol-
lo armazem de Antonio Augusto da Fon-
seca.
A 200, 1,280 e i,5oo rs.
Na ra do Crespo, n. i4, loja de
Jos Francisco Das.
vende-se superior brim pardo de puro
nho a 1,280 rs. o corte; dito cor de gan-
ga, a 1,500 rs. o corte ; superior chita de ra-
magein para coberta, de cores muito hxas;
a 200 rs.; chitas miudinhas de todas as co-
res c de pannos finos, a 160 rs. o covado,
ditas de superior qualidade, a 200 rs. ; cor-
les de fustfles decores fixas, a 320e400 rs.,
e de superior qualidade, a 1,280 rs.; pecas
de hretanha de rolo com 10 varas, a 1,600
rs.; e outras muitas fazendas por barato
preco.
Vende-se urna cabra (bicho) parida
ha 40 dias da segunda barriga mocha, c
que he muito boa leiteira: na ra Helia,
n. 25, se dir quem vende.
Vendem-se 6 lindos moloques de na-
C'lo e crioulos, de 16 a 20 annos, sem vicios
nem achaques ; 2 pardos de 18 a 20 annos ,
um dos quaos lie perfeilo oflieial de sapa-
leiro, e ambos proprios para pagens ; 4 pre-
'os de 25 a 30 annos de bonitas figuras ,
sendo um delles bom serrador e muito h-
bil para qualquer srrvico, oqual he de na-
C3o e nio tem vicios nem achaques o que
se alianra ; um prelo de meia idade, muitu
bom cozinheiro, equed-seem conta ; bem
orno oulros mullos cscravos : na ra do
Vigario, n 24.
Lencos pretos va*a grvalas a
720 rs. cada um.
Na loja n. 5 da ra do Crespo, vendem-se
lencos pretos para grvalas, com um peque-
no loque de mofo, pelo barato preco de 720
ris.
Cha brasileiro.
Vende-se cb brasileiro no armazem de
molhados, atrs do Corpo-Santo, n. 66, o
mais excellenle cha produzido em s.-Pau-
lo que tem viudo a este mercado, por
preco muito commodo.
Vende-se, a bordo dobrigue Kere, Tun-
deado aop da rampa do Ramos seboem
rama de boa qualidade por preco muito
em conta. *
--No armazem da ra da Moda, n. 7, con-
linua-se a vender superior colla das fabri-
cas do Rio-Grande-do-Sul, por preco ba-
com muito pouco uso : no Aterro-da-Boa-
Vista. n. 72.
~ Tende-se azeite doce, em caixas de
12 garra fus ; vinho clarete em ditas; dito
de Bordean* em ditas c barris; dito Bour-
gfljne c Chnmpsnha ; cerveja^preta om bo-
tijas 'esleirs americanas, proprias para
forrar salas: Indo de superior qualidade,
por pcjfacammodo : na ra da Cadeia do
Itecife,- foja n. 45.
t*4p N* 9*
ft*a da Madrc-dc-eos.
Poro"vinho da Figueira.
O boto armeem dcsla pinga deliciosa
acaba*den abrir nosta ra, defronte do ex-
tinclo armazem ao mesmo preco de 180
rs. s garrafa e a 1,360 rs. a caada. Os
amantes deste licor all encontrarlo garra-
fas proajpUaierilo lacradas o com o sen
competente rotulo para trocarem por outras
promptamente ; assim como tambem en-
contrarse barris de diversos lmannos,
por precos bom rasoaveis ; bem como vinho
lira neo do Lisboa ,a 1,600 rs a caada, e a
220 rs. a garrafa. O proprietarie deste esta-
belocimento pedeexame para poderem ava-
har a pureza do sua qualidade e asseio e
gue em nada desagradar aos concur-
rentes.
Vende-se urna preta de 14 annos, que
cose bem.engomma e cozinlia : na ra lar-
ga do Rozario, Toja n. 35.
Panno azul.
Vende-se panno fino azul, proprio para
fardamento por preco mais barado do que
em outra qualquer parte : na ra do Amo-
rim n. 35, casa de J. J. Tasso Jnior.
5,000 rs. ; Geometria do F.uclides, por 3,000
rs.; dita de Lacroix em francez, por 3,000
rs.; Algebra de dita por 2,500 rs.; Gram-
malics franceza de Sevene, nova por 4,500
rs.;Telemaco, por 1,000 rs. ; Secretario
portoguez, por 2,000 rs.; Epistolar, por
1,280 rs. ; poesas do doutor Barros, encad.,
por 1,280 rs. e broch. por 1,000 rs.; Geo-
grapha de Vales, por 1,280 rs.; dita do
Cautier, por 1,280 rs.; Tito Livio, por
2,500 rs.; Ilorat.3, 2 v., por 2,500 rs.;
Vlrailio, 3 v. por 2,000 rs.; Salustio, por
1,000 rs. ; Fbulas, por 640 rs.; Selecta ,
por600'es.; grarrimatica latina ,fror 480
rs.; e oulros muitos livros baratos, so a di-
nlieiro, e continuam-se a trocar.
--Na ra estreitado Rozario, n. 4, ven-
dem-se os seguintes livros: Diccionario
portuguez e latino; dito portgguez de Fon-
seca 2 v. ; dito da fbula, 1 v.j dito fran-
cez de Constancio 2 v.; leis do Brasil, de
1838,1 v. Fbulas do Lafontaino tradu-
zidas por Filinto Elisio, 1 v.; l'hilosophia de
Charm, 1 v.; dita de Cousin, 3 v.; Alge-
bra de Lacroix, 1 v.; Arithmetica, 1 v.;
Meslre francez, 1 v. HenriquetadeOileans,
2 v. ; Virgilio, 3 v.; Horacio 2 v.; Tilo
'-'vio, 1 v.; Salustio, 1 v. ; Orthographia de
Madureira 1 v.; Potica nacional de Car-
vallo, 1 v. ; Manual de chimica, 1 v.; Poe-
sa de Costa e Silva, 2 v. ; e outros muitos
livros j annunciados por preco muilo
commodo.
Vende-se por preco commodo, mau
prelada Costa, de28annos, de bonita fi-
gura, que cozinha, lava cose e he boa
quitandeira : no largo de N. S. do Tergo ,
ve

tro rodas novo, com o parelh
cavallos; assim como tambem,
preto moco, hbil bolieiro
preco rasoavel : na loja da ro
Crespo, n. n, se indicar 0 '
dedor.
- Vende-se, por seu dono retirar
fara daprovinc.a, urna morada ..''!
lugar da Gapunga, de pedra e c.l n f
no: .tratar com Jos Jan 3 ?,'*?
Maia, morador no mesmo lugar.
i*.Jo bom e batato.
Na ra do Que.ma4o, vindo do ,,
segunda loja n. 1$, eoniinu.in ""r
der suspensorios de seda a 5o *
is de seda .a 900 rs. o pir *'
sobrado n. 36.
Vende-se urna preta moca, sadia, com
Lotera do fio-de-Janeiro. |"ma cria mulatinha de 7 mezes e com
Na praca da Independencia, loja n. 4. che- muito bom loit : na ra do Cabug, loja
Vende-se urna commoda de angieo,
gou novo sortimento de bilhetes e cautelas
da decima lotera concedida a beneficio das
construyes e reparos das matrizes do Rio-
de-Janeiro.
Farinha de trigo.
J. 1 Tasso Jnior vende farinha america-
na de Philadelphia chegada ltimamente,
de boa qualidade e por preco commodo.
Vendem-se charcos de lebre, hrancos
o pretos do escova, de castor e outros : na
ra dos Quartes, loja de miudezas, n. 24.
Potica pelo doutor Velez :
vende-se no pateo do Collegio loja de li-
vros de Joo da Costa Honrado.
Vende-se urna prnpriedade distante do
Recife menos de urna logoa, com duas boas
casas, sendo urna torrea e outra de um an-
drresotilo,com 3olarias, cora muito bom
barro 2 grandes viveirose outros quasi
promptos urna ve 1 tente que corre todo o
anno, todo cercado de espinho o valos,
romalgunsarvoredos de fructo, com pro
porcOesde se fazer urna engenhoca pela
allnalo que tem de terreno, com suflicien-
cia para ter muitas vaccas de Icite, por ser
muito abundante de pasto: esta proprie-
dade rene em si muitas proporces venta-
josas pois tanto serve para recreio, como
para se fazer uso dosestabelecimentos que
em si tem e se poder lancar mito de oulros
que ella offerece ; bem como quem a com-
prar querendo, pode ter de rendimenlo
annual para mais de 800,0110 rs. sem em-
prego do capital como se far ver a com-
prador: tambem se vende em separado a
casa terrea rom arvoredos, otaria e grande
terreno : ludo a vontade do comprador
recebe-seem pagamento alguns escravos e
casa nesta praca : a fallar com Jos Fernan-
dos Eiras na ra do S -Francisco ,1 pala-
cete junto a mar.
Vende-se setineta propria para loalhas
de mesa ahove vintens o covado ; chape-
linas enlejiadas, proprias para mucamas,
a 1,000 rs.: na ra do Passeio, loja n. 17.
Rap roldo francez.
Vende-seo superior rap rolo francez,
nicamente as lojasdosSrs. Caelano l.uiz
Ferreira no Aterro-da-Roa-Vista n. 46
Thomaz dcMattos Estima na mesma ra,
n. 54 ; Francisco Joaquim Duarte ra do
Cabug ; Pinto &lrmo, na ra da Cadeia
do Recife, n. 19.
Cadeiras de palhin 7>a e de balanco;
armarios para roupa; lavatorios; sophs ;
mesase maismobilia; bem como um rico
sortimento de
vasos de ciystal broncos e de cores
para adornos de sala; garrafss e copos de
erystal decores : em casB de Kalkmann Ir-
miio, na ra da Cruz, n. 10.
-- Vende-se, o quem comprar ba degos-
lar um escrava cabra, sem vicios nem
achaques, polo diminuto preco de 350,000
rs.: na ra Bella, n. 14, primeiro andar.
Vende-se cal virgem de Lisboa em
barris pequeos fechesde arcos de poe
rodas de ditos para barricas; cunhetes do
pmho abatidos para assucar; pregos cai-
xaes do Porto em barris de 10 milheiros ;
ditos de cstsiqueem barris de 32 milheiros;
marmelada de Lisboa em latas de 1 e 2 li-
bras ; piulas de familia cadeiras de pao
preto, angieo e cerdeira. chegadas ultima-
mente do Porto : a tratar com Joquim Fer-
reira alendes Guimaraes, na ra da Cruz ,
n.49. '
- Vende-se. por preco muito commodo,
um moleque de 12 annos proprio para
aprender qualquer oflicio, he manco de
urna perna em consequencia de ter solTri-
do em um quailo urna fnfermidado, da
qual resullou o ingurgitamento nos len-
dOesquecomo lempo provavelniente fica-
r sem defeito algum como asseveram al-
guns facultativos, o por ter este defeito
vende-so por 200,000 rs.: na ra do Quei-
mado n. 48, vindo do Rozario.
Vondem-se apparelhos de louca fina in-
gleza de bom gosio para janlar, por pre-
Co commodo : na ma da Cadeia do Recie.
n. 48.
- Vendem-se duas prelas, umacrioula,
de 18 annos pouco mais ou menos, re-
coluida, muito boa costureira, e com prin-
cipios de engommare ensaboar; una dita
de 40 annos pouco mais ou menos, que co-
zinha, engomma e ensaboa,a qual he de An-
gola : na ra larga do Rozario, venda n. 46.
Vendem-se velas de carnauba de seis
e nove em libra, muito alvas, quo parecem
ospermaceteo dflwboa luz, por preco mui-
lo commodo I na ra do Hortas, n. 120.
-Vendem-se, na ra do Crespo, n. II
os seguintes livros : Diccionario porluguez
de Constancio novo, por 10,000 rs. dito
francez e portuguez evisse-versa, por Cons-
tancio por 3,000 r.; dito francez e portu-
de miudezas, n 3.
Vendem-se 12 escravos de naca"" sen-
do : dous lindos mulatinhos de 13 a 15 an-
nos 2 escravos carreiros de bonitas figu-
ras; 2 negrinhas ;um ptimo pardo; 3 es-
cravos mocos e de bonitas figuras : na ra
Direita, n 3.
|Vende-se, ou permula-se por casas ter-
reas, ou escravos, urna terca parte de um
muito bom sobrado de 2 andares e sotilo ,
com bom quintal e cacimba no A terro-da-
Roa-Vista, n. 24. o uual rende 700,000 rs.
snnuaes: no Aterro-da-Boa-Visla, n. 17,fa-
brica de licores, de Frederico Chaves.
Vende-se um alambique francez de
cobre ecom pouco uso, que leva a cal-
deira 50 caadas com muito boa sorpen-
lina de estanho fino, o que pesa 300 libras :
este alambique trabalha por dous systemas,
um que serve para destilar garapa e outro
para resillar ago'urdente: para este tem Ires
retificadores, os quaes fazem com que o al-
eonl saia sem cheiro e muito superior em
grao, e muito simples para qualquer pessoa
poder Irabalhar: ac|ia-se montado e promp-
to a trabalhar para, o comprador ver: na fa-
brica de licores do Aterro-da Boa-Vista,
n. 17.
Vendem-se duas moradas de casas ter-
reas urna sita na ra de S.-Pedro-Martyr,
n. 3, e a outra na ra doBom-Fim n. 32:
na ra das Trincheiras n. 48, primero an-
dar, a fallar com Manoel Antonio dos Pas-
sos e Silva.
Vende-se um boi manso manteudo e
novo, que serve para botar todo o material
em urna grande obra para o que est
muito proprio por trabalhar muito bem
em crnica eostaa affeito a trabalhar todos
os dias sem descanso: na ra do Queimado,
n. 38.
~ Vndenle 3 tres escravos de 11 a 12
annos pretos e do bonitas figuras : na pru-
Ca do Corpo-Sanlo, loja de cabos.
Vendem-se saccas com milho, e cai-
xas com feijlo preto; saccas com dito : no
armazem de Bacelar, defronte da escadi-
nha do caes da Alfandega.
Calcado barato,
Acham-se venda na loja de calcado da ra
do Livramento n. II, de Bernardino de
Souza e Silva cortes de sapatos de couro
de lustro, para senhora promptos de um
tudo, faltando apenas coser-se, pois vieram
de Franca cortados com forro palmilhas e
sola preparada os quaes cosidos que se-
jam nSo se condece se sito feitas na Ierra,
ou vindos de Franca ; bem como de car-
neira da mesma maneira e pelos scus di-
minutos precos deve excitar aos amigos da
oconomia a ulilisarem-se de loo bom ense-
jo : cuslam os de couro de lustro, a 1,100
rs. o par e a duzia a 12/rs. ; de cordovilo, a
1/ rs o par, e a 10/ rs. a duzia, e os de cores
a 800 rs. o par e 9,000 rs. a duzia. Appro-
veitem cmquanto he lempo.
Vende-so sebo em rama muito supe-
rior, e cera de carnauba : na ra Nova, ven-
da n. 55.

seda curias, pretas, brancas! d.^*'1
800 rs. o par ; lencos pretos do sed, i
rs. ditos decambraia para Bravata' .
ra. lencos brajicoa, a leo rs ,'?
muitas fazendas por commodo pre'co
Vende-se a muito acredita
da fannha franceza Baroo, che*
da ltimamente, e por pre?o rata
vcl : na ma da Senzalla-Velhj,
n. too.
Vendem-se 10 lindos moleauesdu
25 annos; tres pretos de 25 aSaaiSrl
lindo mulatmho den annos, bom DAr.r
gem ; urna negra que eoze perfait.m.l
faz lavannto, Borda, engomma sorZI
he muito cannhosa para meninos; umim,
da que lava perfeitamente, trata ,5
Uem de enancas e da-so em conta; una en
ta boa quitandeira; assim como outro,mJ
tos escravos : na ra do Vigario n. 2t.
- Vendem-se bilhetes da lote
ra do Bo-de-Janeiro: na piac
da Independencia, n. 37.
-- Vendem-so ps de laranjas da todisa.
qualidades, era multo bom estado pan mi
dar e por barato preco : na ribaira drWi
Vista, venda da estrella.
-Vendem-se 3 fortes pianos, cherid.
pelo ultimo navio francez de muilo Jm
vozes, superiores as de outro qualquet h
tenha apparecido, e de novo modello ow
nHo deixraSo de agradar ao comprador;
charutos de llavana, por preco mais com
do do que em outra qualquer parle; 1
completo sortimento de inslrumentoi 1
msica, tanto de metal como demadein
bustos de gesso representando amito lid
mente a rainha Victoria e o principe *lb
i; relogios deouro e de prala, checadi
ultnmente da Suiasa.Estes relogios 01
sflo Viuito Jjem acabados, se tornam rain
to nVomniondaveis a qualquer partcula
e ad">arte-se que ha entre elles alguns qu
anda-l) oito dias sem precisaren decor.li
na runa da Cruz, no Recife, n. 55.
ye\dem-se taboas de pinito e,
prancMolps de 10 a 80 palmos, por preco
barato ptVa fechar cnlas : atrs do theilro,
armazensTML 16 e!8; no porto vellio J11
canoas armarera do Machado ; no Fort
do-Mallos, armazem do Viapna.
Vendem-se 6 moradas de casas
as seguintes ras: em Fra-de-Portas, iui
Principal, n. 52; becco do Teixeira, n. S
Cuararapes, n. 71 ; praia do Pharol, ns. Si
e 64 Olinda, biquinha de .S.-Podro n. II!
Arrumbado, a melade n. 31 : todas muiv
em conta, e que no precisam concert al
gum : na ra da Cruz, n. 63, segundo tu
dar.
Na ru do Queimado, n. 12, primeiro
andar, vondem-se msicas modernas e io>
pressas, de differentes autores recem-cli*
cadas da Franca; bem como duas missasen
partituras de um autor acreditado ele-
gantemente cncadernrdas, e proprias pan
irmandades de grojas.
Vcndcm-se as obras completas de Ci-
mes, cm 3 v., da ultima a mais ntida edi-
rm ; Diccionario inglez-portuguez o por-
tuguez-inglezde Vienra, por preco muilo
mdico : na ra Nova, loja 11. 56.
Vende-se urna negrinha de 7 annos, de
muito linda figura, muito esperta a que
nilo tem vicios nem achaques: defronte di
ordem terceira de S. Francisco, casa ao pe
dasociedade Apollinea. Na mesma casa alu
Escravos Fupico*
os Srs. de engenho.
Vendem-se lijlos para fogo,proprios para
aisentamento de caldeiras dos engenhos,
por serem de grande duraco: vendem-se
por preco muito em conta: na ra do Brum,
fundieflo de Mosquita & Dudra, ondo ha
constantemente grande porrao
No armazem n. 6t, na ra da Cadeia,
junto ao arco da Concoieilo, ha para ven-
der ceblas, chegadas prximamente de
Lisboa, o cento a 700 rs.
-Na ra das Cruzes, n. 22, segundo an-
lor vendem -se 5 escravos, sendo : um mo-
leque ; um preto de bonita figura ptimo
canoeiro ; um pteU de meia idade ; duas
pretas do nacHo, sendo urna de meia ida-
de e que he boa lavadeira o oulra cozi-
nha, lava e vonde na ra.
Vende-se um moleque muilo esperto,
dc7 annos chegado agora do serlSo: na
ra da Florentina, n. 1.
** Em casa de Joao
Slwart vende-sc maiitci-
ga nglcza, chegada pe o
ultimo navio, por prego
commodo, c quantidade
a vontade do comprador.
Vende-se um grando sitio no lugar
Jlanguinho o qual tica defronte dos a:
dos Srs. Carneiros, com grande cas
vi venda de 4 agoas .grande aeniall co- nhor, Amonio Bernardo .
..,'\,br" "" de "P/m. que Jo3ofiabao.lto,cheiodo corpo: AmanM
sustenta 4 cavallps, grande jeacimha baixo: ainhos o gento do Ango a : y**
ga-se um moleque, que sabe coiiiihar o
comprar, e he muito fiel.
-- Vendr-se urna escrava moca com al-
gunas habilidades, o que nao tem vicim
nem achaques : o motivo por quo se vend
se dir ao comprador : na ra da I.ingoe-
ta venda n. 4.
Vende-se um cavallo alazSo, que en
da baixo at meio e est gordo : ua ni
8-R(ia, n. 91.
Fugio urna escrava de nacSo Cacange,
de noma Domingas de cor Tula, bi
tem um signal de queimadura na cara e ubi
ciroco no braco osquerdo ; levou vestido
blanco, panno da Costa azul e saia tam-
bem azul : quem a pegar leve-a a seu s-
nior, Jos Malinas da Costa na ra da Ro-
da, n. 35, que gratificar.
-- Kugio, nodia 15 do corrente, pelas
horas dodia, urna preta de nomo Iteymun-
da fula, baixa c ebeia do corpo ; esta com
um olho inchado, proveniente de urna pan-
cada levou vestido do chita de riscado es-
culo e panno da Costa azul e novoj j"'
vina hontem pelas- M) horas no engeiino
Dous-lrmflos : quem a flltor leve-a ao Atar-
roVda-Boa-Visla, padarMp. 1ue er
bem recompensado. ,*
, Fugio, nodia 3 ile junho prximo paj-
eado o prelo Diogor/ de nac Congo,
40 annos, cheio do curpo he bastante dn
cansado no andar ;5tem urna cicatn* q
prilncipia da face al* junto a orelhaesqu'
da e na direiU teirVuma falha que priac
pia do meio doo/Tco para cima ; tevou c
misl o ceroulasj|e algodHo da trra. "ST
'Mof .poiiciaese pe8f"mp'o
pprehemlam e ^^
,z.rio, padaria n. l*,<\*
>s generosamente.
- Des eeeram, do poder di1 si"1 "J
io Bernardo Freir, os prel
seat
guez, pelo capitao M. de Souza 1 v:, por "nd,lf
8,000 rs. j Eloquancia do P. Miguel, pofa,1 -4 Vende-se
com bombee tanque coberlo para hanho
bastantes arvoredos de fructo : na ra da'
Concordia, primeiro sobrado novo do um
andar,
1x0 a
os pogar
n. 70, q(
eve-osg?ui,TaBs"enBz;n.-V-l
sera rec impensado.
um carro de
Ta-PiM.:-------.
de m. '4 na