Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08965

Full Text
Str
fea,
par-
lof-
II
Mi.
iri-
iel-
Or-
h
05-
r.
Cu-
cru
Ais
er-
03
fe
on
5:
ila-

Aniio XXV.
Tercft-feira 1*
;
PARTIDAS SOS OOUBZIOS.
Goianna eParahlba, segundas e sexUs-feirat.
Hiu-CiaiiiK-do-Norte.quinlai-fcirasaoircio-
Edia.
Olio. Serinhem.'IUo-Foriaoso, Porto-Calvo
c Macelo, no I.*, a II e 21 de cada met.
f.aranhuns e Bonito, a 8 e 33.
Boa-Vista e Flores, a 13 e 38.
Victoria, a quintas -felra. "
Ollnda, todos os das. ,
gjiiaan
XFHKMXHIDX9.
Phsszs da los. Chela a as 11b. e 9m. d.mi.
Mlng. a 13, s 4 h. e 48 m. da m.
Nova a 19, as Bh.cfim.di t.
Gresca 20,s 10 ti. e 16 in.da L
rntAMAE OB HOJE.
Prlmelra s 2 horas e 0 minutos da manh.
Segunda s 3 horas e 30 minutos da tarde.
de Julho de 1849.
ase.
FHEOOS DA SUBSCRIPOAo.
Por trf s niezes (adioniadoi) 4/000
Por el un es 8/000
Por umi auuo l.'i^UOO
DAS da semana.
16 Seg. N. S. do Carmo. Aud. do J. dos orphSos c do
ni. dal.v. .iji
17 Tere. S. Alelso. Aud. da chae, doJ.aai. ..
do clv. e do dos Cellos da fazenda.
18 Quart. S. Marlnha. Aud. do J. da 2. v. do clv.
19 Qulnt. S. Justa. Aud. do J. dos orph. c do m.l.v.
20 aext. S. Jeronymo Eniilano. Autf. do J. da 1. v.
do clv. cdo dos Cellos da fazenda.
21 Sabbado. S. Prxedes. Aud. da Chae, e do J.
da 2. vara do crlme.
23 Doni. S. Maria Magdalena.
CAMBIOS IW IB DE JOX.HO.
Sobre Londres. 24'/,24' ,a d.por 1/000 rs. aOO das.
. Pars, 380.
. Lisboa. 116 por cento de premio.
Ouro.-Ontas he.p.nholas ....... 30*000 a 31/000
Jloedasde0#400velhas.. 7/300 a 17/OO
. de6/400novas... 10/3(0 a 16^00
. dei/OOO........... 9/300 a 9/500
^.-PaUcOesbraVilelro,....... V90 a 3#0 0
Pesos coluinnarlos........ W Jffig
Diios mexicanos......... I/00 '*
DLOtlO DE PEMAlBlIfiO,
PARTE OFFICIAL.
lo.
Je-
los
)-
mi
ui-
ios!
ir
ailu
ICI
M
ma
co-
fa
DI
de
l-
s;
[I
li-
no
-
r-
!.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA )4 DEJULHO.
Oflicio.Ao presidente da provincia da
Baha, participando que lm das 73 pracas
do quarto batalhlo de artilharia a p, que
em virtuilo de onlens do governo imperial
embarcaran! na fragata Paraguass e vapor
paquete-do-Sul, com destino aquella pro-
vincia, nesta oceasiBo faz transportar no
vapor Thels cero pracas do mencionado ba-
UbalhSo que ainda existiam nesta capital;
e declarando que opportunamente irlo as
que fifjim, logo que se recolham dos desta-
camentos em que se acham.
Dito.Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda, declarando, em resposta ao seu ofli-
cio scompanhado do representado do ad-
Tiinitrador da mesa do consulado cerca da
nsufliciencia do crdito para porcentagem
dos respectivos ompregados, que pode man-
dar sui'prir o mesmo crdito com a qiiantia
de 2 856,480 rs., visto j te' S. S. solicitado
do tribunal do thesouro publico as necessa-
rias providencias a respeito.
Di lo Ao mesmo, para que mande abrir
tssentament da praua ao corneta Joflo
Francisco Correia, que fora engajado para
"' o quarto liatalhSo da guarda nacional do
:*i municipio de S.-AntBo,e cujs filie,!(o remel-
"" le.scieniificou-se o respectivo comman-
danle superior.
Hilo.Ao commsndante da corveta F.u-
terpe, ordenando faca prestar aocapilSo do
porlo e inspector do arsenal dtt mannha,
logo que elte requisilar, as lanchas ou esca-
eres, bem conloa marinhagom, que frem
necessarios psra oservico do mesmOijBorto;
e recommondando faca saber aos JTemsis
commandantea de embarcares de (guerra
para que igualmente satisfagan) as i Jquisi-
ces que IIjs frem feitas dire^tamcJle.
Dito.Ao commandante do brig/-eacu-
na Andon'nao, dizendo que pode fazer se-
guir para a corte no primeiro fia vio de
guerra, que desle porto partir otra all, o
imperial marinheiro Zeferino FeTeira.
Dito.-.Ao inspector da psgadoria militar,
declarando que pode mandar pagara Anto-
nio Gomes rtiheiro a quet>> de 266,400 rs.,
em que importa o frele de quatro cavallos
que conduziram as bagagens du mior
commandante do e eslado-maior do quinto
bstalliSo dn cacsilores por territorio cuja
eilensflo fOra de duientas e meia legoas.
Diio.-Ao meiio, transmliiindo as guias
e prets dos vencimentos das pracas da
guarda nacional que escoltaran) al esta
capital o preso Jos Barbosa da Silva, alien
deque,em vista de taes documentos, mande
pagaraquanlia de 54,000 rs., emqueelles
importam, pessoa que se mostrar auto-
risada para recebe-la.-lnteirou-se o chefe
de polica.
Dito.Ao commandante do corpo de po-
lica, scienlilicando-o de que |de mandar
rendar poroulras as pracas de pret daquel-
le corpo, ora destacadas em Po-d Alho.
Btto.--A' administradlo do patrimonio
dos orphaos, devolvendo os dous ornamen-
tos quo dizem respeito aos reparos a azer
no edificio em que se acha o collegio dos
orphSos, bem como em vanos predios do
respectivo patrimonio, e autorisando-a a
mandar proceder aos mencionados re-
paros.
Dito.Ao director do lyceu, para que man-
de por a concurso as cadelras de prlmeiras let-
trasdas freguexlas de Papacaca e lugazeira,
ltimamente creadas-
Dito.A Manoel Antonio Viegas.Em res-
posta ao seu ollicio de hontem datado, lenhoa
deelarar-lhe que, visto que Vine, por oinlssao
sua nao conclu como devra no dia i.'i do
inez pastado o acto da convocacao dos eleitoret
e supplrnles que devein comparecer a 15 do
crreme para a formacao da junta revisera
da qualiAcaco, dando com isso lugar a que
esse acto fosse concluido pelo juii de pas do
qualneiiiiio correute, que. tendo entrado em
exercicio no dia i, expediriniiiiediatainente
os ofHcios de convocacao, a este e nao a Vine,
compele presidir a junla de qualificaco, pois
que Vmc apenas assignou os editaes e a con-
vocacao nao se pode reputar Ceila senao de-
pols de se terem lambetn expedido os ollicios
aos rlrilorrs e supplenles, na Corma do arl. 4.*
da le de i9 de agosto de l846.
PortarlaNon.eaiido a Silvestre Antonio de
Ollvrira Mello para o logar vago de delegado
do termo do Pao-d'Albo.Communlcou-se ao
ebefe de polica.
Dita O presidente daprotincia, usando da
autoiisacao que Ibe confere o decreto de il
de Janeiro do correle anuo, ha por bem con-
ceder amnista em nome dr S. >1. o imperador
a Francisco Antoulo r.aodrira de Mello e Fran-
cisco Antonio Handeira de Mello Jnior, mo-
radores em Blo-Fonnoso, pelo crlme de re-
brlllaoque leve lugar nesta provincia.
E para sua resalva se Ibe passa aprsente
em virtude da qual nao se poder jmala pro-
Ceder contra elles pelo dito crlme.Iguaes a
Jow! Pornrlo Lobo de Andrade e a Lulz Ignacio
de OUveira Jardiin.
TRIBUNAL DA ItELAGAO'.
SESSAO' EU 14 DE JULUO DE 1849.
raCSIDINCU do ih. sr.siioa
COKCILBEIRO AZEVEUO.
A'a de horas da manhaa, aohando-se pre-
sentes os Sra. desembargadores Ramos, Vil-
lares, Leo, Souza e Kebello, fallando com
causa os Srs. desembargadores Ponee e Bastos,
o Sr. presidente decbrau aberta a tesiao.
Kuiu.Io prewnte o bacharel Antonio Tho-
mai de Luna Freir, deteinbargadordesta re-
lacao em virtude de caria Imperial, presin
juramento lomou posse e assento.
Sr. presidente apresentou em mesa um of-
Cicio elle dirigido pelo Exin Sr. concelheiro
"de estado presidente da provincia, datado de

7 do correte, remetiendo copla do avis da
secretarla de estado dos negocios do Imperio
de 34 de malo ultimo, approvando certas de.
cisdes dadas pela presidencia acerca da lei re-
gulamentar das cleicocs.
Julgamenloi.
Ilabttu de Manoel Antonio da Silva.
Foi concedido para o dia l7,ouvlndo-se o che-
Ce de polica.
Dito de Cosme Damiao.Mandou-se soltar.
Ditos de Jos Luiz Beltrao Mavlgnier e
Jos Angelo Marcio da Silva.Mandou-se in-
formar ojuiz de direlto cheCe de polica da
provincia das Alagas.
Dito do major Jos Carlos Teixelra Foi In-
deferldo, visto se ter elle conformado como
despacho 11. 6.
Recurso do bacharel Antonio d'Assumpcao
Cabral emque he recorrido o julzo do chefe de
polica.Julgou-se procedente, e refonnou-se
a pronuncia.
Revista civel em que s.io :
Recorrente, Jos Joaquim Damasceno e Silva i
recorrido, Francisco Das Ferreira.--Fol Jul-
gada a favor do recorrente.
Apptllacti finis.
Appellante, o coronel Manoel Cavalcanta de
Albuquerque e Mello ; appellado, Claudio
Diibi-iix FAram desprezdos os embargos
do appellante.
Appellante, Joaquim Antonio dos Santos An-
drade ; appellado, Antonio botelho Pinto de
Mesquit.Mandaram descer para se aver-
bar e depola dar-e vista ao Dr. curador-
geral.
Appellante, o julzo; appellados, Manoel Va-
lerlanno de Ca'rvalho e outio.Mandou-se
fosse ouvldo o Sr. desembargador procura-
dor da cora e Cazenda.
Appellante, Jos Joaquim Anastacio; appella-
da, a vluva e herdelros de Jos de Olivei-
ra.Mandou-se vista ao procurador dos ap-
pellaoles e ao Dr. curador-geral.
Foi assignado o 1." dia til para seren jul-
gadas as appellaces elveis em que sao :
Appellanies, Lenoir Puget C.; appellado,
Manoel Filippe da Fonseca Candi.
Appellante, Ignacla Thomaiia do Sacramento
appellado, Jos Ferreira de OUveira
Appellante, Jos Cyprianno Lopes da Silva
appellado, Jos Antonio de OUveira.
Appellante. Miguel Francisco Vieira ; appel-
lado, Miguel Bavelaque,
Appellante, Marcellino Jos Lopes ; appella-
do, Manoel Elias de Moura.
Appellantea, Jones Palton fc C. appellado,
Francisco Joaquim Duarte.
Appellante, Adolpbo Walechar; appellado,
Frederlco Hansen.
Appellante, Goncalo Guedes Alcanforado ; ap-
Srilados, a viuva e flllios de GoncAlo Gua-
ca U.rlclAivaiifo lln.
ReviiSe$.
Passaram do Sr. desembargador Ramos
Sr. desembargador Villares as appell*" "
J&X7& aria 4 appellado, Manoel F.rrelra da Silva Ramo,
Appellante. e appalsado. l-ernardo L sserre &.
(I. e Bernardiao Gomes de Carvalho.
Appellante. *os Goncalves Simas ; appellado,
Domingas Jos fereira Pacheco.
l'a.sa.m do Sr. desembargador I desembargador Souza as appellacOes civels em
Appe'uante, o julzo ; appellados, Nicolao O.
Appellante, Rento Jos da Costa; appellado,
Jos Joaquim Uezerra Cavalcanle.
Appellantes. Antonio Alves Ferreira e sua mu-
Iber ; appellado, Jos Joaqun) Bezerra Ca-
AppeUan'te, Anne Elisabet Adelle Poirson ; ap-
pellado, Aflonso ^aint-Martin. ___
Appellante. Gaudlno Agosllnho de Barros;
appellado, Joaquim Jos da Costa.
Apnellantes, os administradores da casa falli-
da de Francisco Jos da Costa ; appellado.
Joo Vieira da Cunha.
Passaram do Sr. desembargador Sousa ao
Sr. desembargador Rebello as appellacdes ci-
vels em que sao: ...
Appellantes. os administradores berdeiros
da casa de Joao Maria Seve ; appellado, til-
as Coellio Cintra.
Appellante, Jos Rodrigues do Paco ; appella-
do. Manoel Filippe da ronseca Candi.
Appellante. Jos da Costa Guimaraes ; appel-
lado, Joaquim Antonio do Forno.
Passoii do Sr. desembargador Rebello ao Sr.
desembargador Luna Freir a appellacao civel
em que sao : .
Appellante, Manoel Alves Guerra ; appellado,
Franu seo de Paula Pires Ramos.
Dlriftuifofi.
AoSr. dcierobargador Ramos a appellacao
crlme do jury da villa de Santa-Luzia en que
Appellante. o Julzo; appellado, Joaquim Ro-
drigues de Araujn Sipo,
dem do Jury do penedo emquesfio:
Appellante, ojuiso; appellado, Pedro Jos ds
O recurso crlme do Julzo de direlto do Cralo
em que so:
Recrreme, o Juio; recorridos, os vereado-
res da cmara municipal da mesma comarca.
Ao Sr. desembargador Villares a appellacao
criinc do jury da villa da luiperatrlx em que
Appellante. a iusllca; appellados, Sebasliab
Perelra da Silva e oulros.
dem do Julio de direlto do Po-d Albo em
AppeTlante, o julzo; appellado, Henrlque Jos
Brayner de Souta Rangel.
O recurso crlme do Jui de direlto do Ipu em
que s^o :
Recrreme, o juizo; recorrido, Antonio do
Valle Rorls.
Ao Sr. desembargador Souzi a appellacao
criine do jury de Uaturit em que sao :
Appellante, ojuiso; appellado, Francisco Jor
s do Nascluiento.
O recurso criine do chefe de polica em que
siio : ,,
Recorrente. o Dr. Filippe i*>i~i HeU ; recor-
rida, a uslica. .. t
O recurso crlme do Brejo-'Area em que
Recorrente, o jaiso ; recorrido, Luis do Reg
Montelro.
Peticao para prorogacao de inventarlo de
Victorianno Augusto llorges.
Ao Sr. desembargador Leao a appellacao
crime do Jury de S.-Miguel em Appellante, a justlca ; appellado, Poncianno,
escravo de Joao Baplista Montelro.
O recurso crlme do cheCe de polica desta
provinela em que so :
Recrreme, Manoel da Silva Neves; recorri-
da, ajustica. .....
O recurso crlme do julio de dlreito desta ci-
dade em que sao:
Recorrente, o Julio ; recorrido, Jos iiyglno
dos Santos Aragao.
Peticao para prorogs{5o de inventario de
Joaquim Jos Borbosa.
Ao Sr. desembargador Rebello a appellacao
crlme do KreJo-d'Arela em que sao ;
Appellante, o julio ; appellado, Jos Clemen-
te dos Santos. "'"
Dito do juio de direlto do Bonito em que
Appellante, o Julio ; appellado, Jos Martlns
da Silva.
O recurso crime do chefe desta cidade em
que sao : .
Recorren!*, o bacharel Lult Duarte Perelra ;
recorrida, ajustica. ... .
O aggravo de peticao do juizo de Cazenda
desta cidada em que sao:
Aggravante, Joo Ribeiro da Cunha ; aggra-
vado, o julio.
Ao Sr. desembergadnr Luna Freir a appel*
lacao crlme do Jury desta cidade em que sao :
Appellante, o julio ; appellado, Manoel Fran-
cisco Pires.
dem do jury desta cidade em que sao :
Appellante, Lucio Roberto Florencio do Espi-
rito-Sanlo; appellado, oiulzo.
O recurso crime desta cidade em que sao :
Recorrente, o juizo; recorrido, Joao Mabulnt.
A appellacao civel de Naiareth em que sao :
Appellante, Jos Vieira de Mello ; appellada,
D. Anna de Hollanda Cavalcanle.
I.evantou-se a sesso s 2 horas e meia.
PEnNAMBUCO.
Transporte
de Janeiro a 31 de dezembro
prximo passado, idem n 2
Ao regente do grande hospital,
importancia das despczss de
maio, idem n. 3
Ao dito da casa dos expostos,
idem n. 4
A JoSo Baptista Fernandcs, mes-
tre pedreiro enesrregado da
obra do hospital Pedro II, im-
portancia dos jornaes vencidos
de setemnro doanno prximo
passado a fevereiro do corren-
te, idem n. 5
A Felizardo Josrda Fonseca,
ex-servente do hospital dos
Lszaros.seu jornal do primeiro
de outubro do anno passado a
2 de abril do corrente, idem 6
A Manoel Antonio de Jess, por
120 arrobas o 12 [, de p5o for-
necido em abril e maio do cor-
rente anno, idem n. 7
A Joo Baptisla Fragozo, impor-
tancia de louej para o grande
hospital, idem 8
A Jo3o Francisco da Costa, pelos
reparos da casa n. 68 do Ater-
rona-Boa-Vista, idem n 9
Ao regente do hospital dos Laza-
ros, importancia das despezas
de maio, idem n. 10
Ao bacharel Jos dos Anjos Vieira
de Amorim, advogado dos es-
11,520
21,160
513,512
257,880
1:456,980
72,800
434,407
23^680
45,000
296,070
3:133,009
Transporte
tabelecimentos de caridade,
seu ordenado de outubro a de-
zembro do anno passado,
idem 11
Aos enermeiros, cozinheiros e
serventes do hospital dos La-
zaros, seus jornaes at 31 do
maio, idem 12
A Joaquim Maximiano Correia,
cx-servente do mesmo hospi-
tal, seu jornal do primoiro de
dezembro do anno passado a 7
de marco do corrente
Pago a Jos Tliemoteo Pereira
Bastos, importancia do foro do
diversos predios, vencido do
primeiro de julho de 1839 a 30
de Janeiro de 1849, documen-
to n. 14
A Caetano da Costa Monteiro, por
33 varas de lona, idem 15
A Vicente Jos de Brito, por me-
dicamentos para a botica,
idem 16
3:138.009
50,000
120,426
65,600
104,400
33,000
123,300
Por saldo emcaixa
3:639.735
735,249
4:374,984
Ad ministrado geral dos estabelecimen-
tos de caridade, 2 de julho do 1849.
Jos Piret Ferreira,
Thcsoureiro.
iinronio Jos Gomet do Correio,
F.scriv.10.
MAPPA do movfmento don JEsIahelee Intento* dn Caridade no
semestre de Janeiro a .mu tu de 18 49.
CMARA MUNICIPAL DO BECIFE.
4aSiSSA0 ordinsria em 25 oe jumio u 1849.
Presidencia do Sr. Reg e Albuquerque.
Presentes os Srs. Carneiro Monteiro, Ba-
rata, Mamede eVianna, faltando com causa
oSr. Reg Barros, esem ella osdemais se-
nhnres, abrio-se a sesso, efoi lida e Sp-
prnvada a acta da antecedente.
0 secretario fez a leitura do soguinte ex-
pediente :
Um offlciodo F.xm. presidente da provin-
cia, communicando ter mandado passar car-
ta de ubilago ao professor da cadnira de
primeiras lelfas do. hWiW.t."*''0- .
l-'^rb do fiscal de S-Antonio, consultan-
do sobre a disposiclo do paragrapho 6 do
artigo 12 titulo 7 das posturas em vigor.-
Que se ouvisse o advogado.
Findou-se a acta da apdr.cSo geral dos
votos para vereadores. e mandou-se expedir
diplomas aos novoseleitos. convidan.lo-os
a pPresT.rem jur.men.o nodi.27 taM*
Mandou-se tamben) convidar paro o mes-
mo dia os juizes de paz que anda DfiO pres-
taran) juramento. _
oniciou-se ao ministro do imperio e so
F.xm. presidente da provincia, dando parto
do reultado da eleirio de vereadores.
Comparcceram os cidados Joaquim tly-
ro de Moraes Carvalho, Antonio Aunes Ja-
come da Pires Jnior, Jos Antonio de t .-
gtieiredo e llanool Elias de Moura, e decla-
raran) serem os propietarios de urna typo-
graphia, que tinham estabelecido na ra do
Unge!, primeiro andar da casa n. 77, com
o titulo de /J6ero/f assignando todos o ter-
mo da sua declaracHo ; e U-yantou-seib sos-
sao.(Eram tres hort|B.) Eu.JoaoJote Ferreira
dcAguar, secretario, a subscrevi.Uoo Ai-
buq-uerque, presidenie.-Barros.Uarala.
Mamede.Fianna.
BALANCO DA RCEITA E nESPF.ZA DOS
F.STABF.LECIMEINTOS DE CAIUDADE, yE-
IIEFICADO NO MEZ DE JUNHNO.
Rtceita.
Por saldo em 31 do passado
Recobido do regente do grande
hospital, impone da mortalha
do finado Jos Themoto, cujo
cadover foi reclamado por seus
prenles
De Jos Pires Ferreira, pelo tra-
tamenlo do escravo Affonso
De Bernarda Mara dos Prazeres,
idem da escrava Bonedicta
DeJoao.MooloPommateau.idem
do escravo Luiz
De Jos Joaquim Pereira, como
fiador de Jos da Costa C.atn-
oello, pelo curativo deste
De Jos dos Santos Neves, como
procurador de Francisco de
Araujo pelo curativo do escra-
vo Fabricio
Do regente do grande hospital.
Imporfe por elle recebido do
cnsul Inglez, o lllm. Sr. II A.
Cowper.offcrla eita pelos tra-
balhadores da fundi^oda ra
da Aurora ao mesmo hospital
Do procurador da administrar/So,
importancia do repdimenlo dos
predios,arrecadaila ueste mez
GRANDE HOSPITAL.
T
UOHTAI.lD.UIK.
Homcns.
Mulliercs.
Geral.
F.xistiam
Kntraram
Sahiram.
I Curtidos.
Melhoiados.
N;lo curados.. .
) as 24 horas d'enlrada.
Morrcram)Dcroisdcssa poca.
Rvi^m IlOSPll.
Com todos
os morios
1:2,32.
Sem os que
inorreram
as 24horas
1:2,3.
Com todas
as que inor-
reram
1:2,64.
Sem asmor-
tas as 24
horas 1:2,5.
toda amor-
talidado
1:2,4.
Sem os mor-
ios as 24
horas 1:2,35
DOENTES.
Existiam.......
Entrnram .....
Curados. .
Melhorados
N3o curados
Morrer.im.......
Existen). ^......
10
3
0
0
0
3
III
^._
10
2
O
0
O
o
12
39
5
o
o
o
3
91
MORTALIDAD!!.
Ilomens.
Mulberes.
Geral.
CASA DOS LXPOSTOS.
EXP0STOS.
3:876,207
2,000
20,433
6,036
27,182
6,510
5,560
31,000
400,000
Existiam.................
Entraram................
Sahiram .^^.dinlrtda
Morrcram. J1)ep0s d'esla poca .
Existem. .. j_
99
99
3
0
12
106
123
20
1
0
25
127
22-2
42
4
0
37
233
Sexo
Masculino.
Sexo
Feminino.
Total.
DIARIO 1 PHSjJjW
4:374,984
Despeta.
Pago a Manoel L. da Veiga, por
48 orinos, documento n 1
Ao regente do hospital doParai-
zo pelo foro das casas nmeros
35, 36, 37 e 38 da ra da Boda,
e 68 da do Callabouco, vencido
11,520
11,520
Pulira.
A guerra civil contina a devastar este
outfor. nocente imperio
Os Hngaro*, "da vean jm_
dpe^e\aenSsads Vrtes emque camellas
"roSn'u" cidade de Buda, apus um
aqUe Jntll' antes quiz suicidar-se do
Z eZS-ke prisionero : depoia deale
qri a uarolcao rendeu-se a disenso.
k ercBwtt cal.iram t.mbem em
poder dos Magyares.
a Croacia e a Esclavonia, segundo an-
nunda a gazeta de Peslh, acl.am-so em ple-
M l'lf hung.ro conta presentemente
didas em onze corpos^ comma^n^ ^^
Aulich r'Allemao.;
A cavall.ria compfle-se de 27 esquadroes,
e a artilharia conta 408 pecas.
/iGoMleAllenw A publica as so
guintes particularidades acerca da marcha
dos llussos:
i As forjas russas raarebam em seta co-
umnas. .____
A primoira columna as ordena do gene-
ral Budger marcha por Cracovia e Jar-
danow. Ella compOe-se de 17,000 homens
deinfantaria e cavallana e de 900 deartt-
lliaria, e achava-se j em llradiach.
A secunda columna, commandada pelo
mesmo general chegra a God.ng.por Pelaz-
no e Di.kla ; ella conta 29,000 homens de to-
das as armas
A lerceira columna s ordens do gene-
ral Kinintschef, composta de 15,000 ho-
mens deinfantaria o 2,500 do avallara e
artilharia, alravossou Prezezow no da 13
(maio). ,
A quarta columna, commandada pelo
mesmo general, chegou a Kaiichau por
I emiierc o Stry ; ella conta 26,000 homens
de infamara e 6,000 de avallara e arti-
lharia.
A quinta columna, commandada pelo
general Kinjnlschef, se reunir* por Lem-
berg s ordens do general Karka; ella con-
ten) 7,000 homens de infantera e alguns de
avallara e artilharia.
A sexla columna chegou no dia 22 a
Lemberg, e alli permanece como guarniSo;
ella conta 9,000 homens de infantaria e 900
de cavallaria arlilharia.
A stima columnaontra na Transylva-
nia pela Moldavia ; eD/a comp0o-ede29,ooi
homens de infantam, cavallana o art.ma-
desta eiorelto.
xk\ itii Ann


Entretanto, se Motvennos dudar crdito
seguinle proclamacno, osRusjos leern ja
sido duasvezes derrotados :
c- Bravos puerreiros, nobre pov, nosso
combate rea liherdade tem altrahldo sobre
nos a atlenc,8o do Europa inteira ; cnrrci ao
rosso quartel-general, oabi acharis depu-
lados.nSo smente los paizes vizinhos, so-
nflo tamben) ainda da Franca, Inglaterra, e
at dos Estados-Unidos alm do Grande-
Occenno.
Nio l-mais a approximac3o dos Rus-
sos, nfot'emais diante de seus canhes.
Alais de 6 000 Russos dcpozeram as armas
em KriVHii a 7 de maio, e mais da 30,000 em
Arsa a 9 e 10 do mesmo mez ; seus odiciaes
combatpmhoje em nossas lileiras. Suas ar-
mas, seus canhes, suas munices, seus ca-
vallos, ludo ahioem nosso poder. Persis-
tamos simia um pouco no combate em de-
fensa dos nossos direitns, de nossa liberda--
de, e nnssa justa causa triumphar.
Debrcczin, 12 de maio le 1849.
O presidente, Kotsulh.
O imperador tinha partido deOlmutz pa-
ra Marzovia pelo caminho de ferro da Alia-
Silesia para o lim de ter urna entrevista com
o czar.
l'ruuia.
Este paiz ainda no se aclia tranquillo. A
capital contina subjeila ao mais rigoroso
estado de sitio, o governo v-so obrigado a
empregar medidas fortes para poder com-
primir o excitamento do povo. Vinte e tan-
tos deputados fram presos ecom elies,
alm deoulros miiilos, urna duzia de publi-
cistas dos que mais influencia tinham na
imprensa da oppoti<;3o ; mas, isto no ohs
tanle, vinle e cinco das prineipaes cidades
do reino linham enviado delegados a Ko-
nigsbi'rg, os quaes, reunindo-se em con-
gresso, adoptaram as seguintes conclnses
1." O ministerio bramicburgo-manteus-
sel ser destituido e substituido por um mi-
nisterio popular;
2.' A constituido do imperio da Alle-
manha ser immediatamente introducida
na Prussia;
3* As cmaras serio immeiliatamente
convocadas, sem modificarles a lei eleito-
ral, garantida pela consliluicSo de 5dede-
zembrode|818 ;
A lei de 10 deste mez sobre o osla-
do de sitio, a qual es'em contradicho, n3o
smente eom a couslituicSo do imperio, se-
nilo tamboril com a prussiana de S do de-
zembro, ser revogada ;
5.* A poltica eslrangeira do governo
prussiano, especialmente allianca coma
Itussia e a Austria,ser abandonada. A guer-
ra com a Dinamarca, renovada pelo poder
central, ser continuada com energa, o o
bloqueio dos porlos allemScs ser levanta-
do por urna paz honrosa.
O congresso nomeou urna commisso en-
carregada de couvocar em Elbing urna nova
dieta das cidades.
Carlas de flerlim datadas de 21 de maio
annunciam que o congresso dos plenipoten-
ciarios dos principes allemes, reunidos na-
quella cidade, tinha acabado a dscussSo do
projecto de eodStitoifAo que dever ser ou-
lorgada Allemanha. Este projecto foi en-
viado aos di llrenles governos que nelle lo
inlercssados. Os plenipotenciarios loma-
rain por base a cmstituiofio de Frankfurt
As ntudancjs..Quij..|t)e .flzeram refererq-se
Segundo a duela de Colonha, o projecto
de constituido estabelece como autoridad
federal um concellio lo impirio com voto
deliberativo, cuja presidencia ser confer-
tenonie-general hereditario da Allemanha.
Cartas da mesma cidade noticiam que os
governos russo, inglez e francez haviam di-
rigido ao ministro dos negocios estrangei-
ros da Piussia um mui enrgico protesto
Contra a entrada das tropas imperiaes na Ju-
tlandia ; entretanto sabemos mais quo o
primeiro destes governos nlo so limitara a
isso smente, porquanto urna arma da russa
partir de Cronstadt para ir offerecer scu
apoioaorei de Dinamarca.
O lUorning Herald de 30 de maio diz que
o gabinete prussiano concordara cmn o de
Copenhague as bases de um arranjainenlo
entre a Dinamarca e a Allemanha, mas que
este arranjamento ser conservado secieto
at a dissolucilo do parlamento de Frank-
fort, a qual no poder tardar muilo que
no tenha lugar; todava Fredericia conti-
nuava a ser bombardeada, o seus habitan-
tes pela maior parle linham-so refugiado na
Iba de Fiouia.
nimia.
A Gazela da Allemanha occidental publica
a scpuinle noticia :
Multas conjurarles contra o imperador
teem sido descoberlas ern San-Pelersburgo.
Varios odiciaes eat geneiaes bo sido pre-
sos, e,em vez de serem mandados para a Si-
llera, fram enfoicados. Paiece que he o
exercito que sobretudo est descontente
O mesmo jornal annuncia que houvera na
dita capital um grande concelho de guerra,
no qual todos os nirmbros una voce vola-
ram contra a intervengo da Itussia nos ne-
gocios da Europa. O imperador licou mui
irritado com isso, e no s desprezuu o con-
tedlo, como al insultou a muitos sena-
dores.
O presidente do concelho, o general Jer-
molofl", ievaniou-se entilo e declarou ao im-
perador queNapoIeflo tinha-se perdido pur
sua obsu'nac3o, e que isso poderla tainbem
acontecer a S. M.
O diario de Koezlueny annuncia que urna
conspiraeflo fia descoberta em Moscow, pa-
ra o lim de destruir dyuaslia deitomanow,
esubslilui-lapela de Oemilrow, ssim co-
mo que os Moscovilas recusaran! submelter-
se ao recrulamento, e pediram a furnla,ao
de urna guarda nacional. So estas noticias
s3o verdadeiras, v-,e que as ideias novas
j vilo penetrando no imperio dos czares, e
que, talvez mais breve do que ao pensa, te-
i a ello de passar por alguma lrans('ormac3o.
A Abtlha, jornafde San-I'elersburgo, pu-
blica o seguinle arligo, o qual da bem a co-
nhecer o pensameulo que inspirou a
mtervencAo da Itussia na lula da Hungra o
Austria.
compatriotas.do dia 9 de abril df 1812? Nes-
se dia, es'avamos immovois no paleo da
igreja de Nossa Senhorn do Kazan, com os
olhos itos .as portas do templo, no qual o
czar russo, indo ao encontr do inimigo
ate entSo nunc yencldo, supplicava ao rei
dos reis que iioiivcsao do ahencoar sua an-
ta causa. As portas se abriram ; nosso czar
Alejandre appareceu com a fronte carreja-
da de um pensameulo melanclico, porm
com o olhar sereno, e sorrio-sn para nos
com seu sorrizo encantador. llnurroh
exclamaran) mil vozes.
Dos te abengoe!
nos adeos e dous anuos ma
IDO lugar recebemos nelle
Dos te
nosso pin. Elba
so, jurando n3n poupar nenhum inimigo, e
vingar sobre Soulouque e seu povo todos
os insultos que baviam feito a seupaiz.
ItTblicacaoa pedido.
Ao Itvm. Sr. vice-prefeito do hospicio de Nona
Senhora da Penha.
Illm. e Rvm. Sr. Nos abaixo assignados
vamos, em nome do pnvo desta freguezia de
Nossa Senhora da Sfide de Tacnratu, ren-
guie der as devidas gracas a V. Hvm. pelo aco-
pa,. i:..iv disse-.'himentofavoravelqueteveanoiBasupplica
s tarde no mes- | numdo a V. Hvm pedimos um atissioiiario.
le o venced -ir, o Sim, nos seriamos os mais ingratos de
sulvador, o senhor do mundo. i lodos os povos, so deixassemos T*Ihe tes-
lia trulla i' si'ir a luios preparavamo-nos (emunhar o grande reconheci ment em que
para lutar contra vinte povos diversos com- '
mandados pelo primeiro guerreiro le seu
seclo; oravamos a Dos e nao desanma-
van.os. Podemos acaso temor boje alguma
cnusa? N3o silo exercitos regulares e disci-
plinados que teremos que combater, scnlio
li indos de celerados que, nlo cuidando so-
nrio em pilbagem, arrastam aps si a plebe
estupida. ITtii pequeno numero de misera-
veis apuderam-se do poder, grados inde-
cislo do peiitfil fraca, e toman para seus
auxiliares a gentalha indisciplinada das
grandes cidades, entre nos desconhecid.
Mas onde qur que os governos sem fraccio-
nar suas forcas, sem se deixarem levar por
una docura deslocada,teem obrado com fr-
<;a, rapidez e energa, a matilha ten) cabido
impotente dianle da lei, e os chefes teem f-
gido trmulos ou cnbertos le vergonba
Entretanto he possivel que a guerra que nos
espera seja longa e dillicil ; o futuro esta
as nulos do Dos. Mas o sucesso n!io pode
faltar, e a gloria que ha de vir corrtar a Itus-
sia he iniluliitavel. Pela segunda ves a llus-
na restituir/i a Deot ecus altares, aos reis seus
thronos, aos povos a paz a o trunquilidade,
sullucar a anarcliia o salvar n3o .rnenle
seus amigos, MnSo lambem anda seus ini-
migos desvairados.
Assiin como outr'ora reconduzimos leu
immortal pai, o grande czar cheios de con-
fianza no Altissimo, contamos reconduzr-
te agora Permuta o co que voltes logo,
depois le teres fe izmento cumprido a gran-
de inissao quo le be conliada.
Val, abencoado do Senhor, vai cumpri-
la, nosso czar mui amado! amor a con-
lianca, as oracOes incessantes de leu povo
le acompanhain. Os anjos do co eslar3n
sempro invisivelmente em redor do ti.
Dianle do ti cahir.lo no p os espirilos das
Irevas e da pi rlidia ; e l te levantars so-
bre o mundo como o sol da paz e da felici-
dade
A' vista deste arligo, quem, a no ser um
simples, poiler espacilar-se que as opera-
5esdoczar teem smente por alvosuhjeilar
a Huogria a casa dellapsburgo? Quem n3o
v que elle se propfie mais alguma OOUM ,
eque pretende sullbcar as ideias que Irium-
pharaui em Fianza com a revolu;30 M fe-
vereiro, as quaes teme peuclreial tambem
em seu vaslissimo imperio t N3^.diz a a'--
Iha que o seu amado soberano restituir abs
res os seus ihronos 1 O mundo, portanlo,
parece que lera de presenciar outra vez
una guerra geral na Europa ; mas qual se-
r o sU resultado ? Por a_ui siiieule Dos
o conbeee; aos homens lio o futuro que o
l.mos o manifest de 26 de abril com
um sentimenlo de profunda tristeza, occa-
sionada pelos aconteciineniosactuaes, po-
ii'm lambem com o de urna esperanca de-
leitosa e certa do successo da Itussia, e da
gloria que a espera, quaudo pela segunda
vez tiver salvado os reis e os povos.
He pela segunda vez que a Djvina Pro-
videncia pe as niSos dos czares os desti-
nos do inundo civilisado. Lmbfai-vos,
A assembla nacional deste paiz approvou
em a sessSo de 25 de maio o seguinle de-
creto :
Art. 1 o os contratos militares sao de-
clarados incom alivcs com a diguidado e
honra da confi'der-r;3i>.
Art. 2 O concelho federal he convi-
dado a entabolar sem demora as negocia -
ces necessarias para obter a revogac3o dos
contratos militares ainda existentes, assiin
como a dar cunta assembla dos resulta-
dos lessas negociacOes, esubmelter as
semidea federal as propostas que para este
lim julgar convenientes.
Art. 3." A assembla feifral he alm
diso eucarregada do pronunciar e facer
executar em nome da confederado asaup-
piesses dos contratos, s-as tropas enga-
jadas deverem ser empregadas pjra intervir
em oulro estado, ou contra o principio de
direito que tem um povo de coustituir-se
livremeiile.
Ait. 4. Todo o cii.-ij nudillo para o
servico militar estrangeiro lica prohibido
em toda a extensfio da coufeilora;3o
Acabou-se, perianto, o viveiro onde os
soberanos da Europa acliavam sempre ho-
mons que quizessom pordinheiro arriscar
as proprias vidas em sua defensa. I.ouvo-
res leja01 dados a assembla nacional su-
issa.
listndus-Vnidos.
Em a noite le lo de maio houvc em N>w-
Yoik una grande desorden) no tliealro de
Aslor-Ptace. Dentro os espectadores 22 pes-
soas fram moras e 30 licaram feridas.
Da guarda nacional e polica que concorre-
rem para apartar os contendores, 61 fram
postos fra .lo cmbalo.
A causa deste sanguinoso conflicto he
bastante ftil. Dous comediantes, um ame-
ricano, oulro inglez, altrahem presente-
mente asatlences do povo daquella cida-
de : lodos concordan) em quo ambos s3o
actores de pruueira ordem ; mas, entretan-
to que unsjulgam o americano .superior ao
inglez, outros julgam o iugloz superior ao
americano: esta differenca de parecer foi,
pois, oque deu OCCasiflo a scena trgica que
cima referimos.
Canad e Haity.
A rcvolla canadaense pareca ir-se acal-
mando pouco e pouco ; o governailor lord
Elgm havia recebido da campanha dille-
renies protestares de afleiciio sua pes-
aos e governo.
O presidente Soulouque, que maichava
contra S.-omingos, foi obrigado a retro-
ceder
O exercito hailyense acampou-se poucas
legoas distante de S.-Domingos as mar-
geos de um rio que nasce perto da cidade
bespanhoia. Os Dominicanos cnvenenaran
a agoa dorio, jar soldados de Soulouquo,
como nSo souTL.--.mii de tal, bebendo del
la, ciiinram pela maior parte doenles ; um
grande nuSnero delles pececeu, e os Domi-
canos, aproveilando-se desta circomstan
ci, cahiram aobre elles (a 16 de abril), ma-
tarain todos os que n.lo poderam ugir, e
pouo laitou que nfio Ilzessem prisioneiro u
proprio Soulouque.
No dia 21 J -hril a cidade d'Agoa foi to-
mada de novo "^os; o gene-
ral Santaoa alraveitv,. 'uaityen-
IHUIIIiai V giniiuv vv-------------
...e estamos pelos benelicios quotos resul
laram da chegada do Sr. Fr. Honriques do
Castello de San-Pedro nesta freguezia, ose
ao mesmo lempo deixassemos de patentear
ao publico as grandes vii tu Jes de que he or-
nalo o mesmo Rvm. Sr.
Sim, este homem extraordinario apresen-
tou-se entro nos como um verdadeiro apos-
tlo, j brilhando pela sua f, como urna no-
va luz; pela sua esperance do ver converti-
dos os povos, como um novo AbrSo; pela
sua caridade com os frageis peccadores,
como Jaco; pela sua obediencia em cum-
prircom asrdeos de seu superior quando
o mandn para o meio de nos, como um
novo Elias; pela sua humildade em consi-
derar-so o mais fraco dos ministros do se-
nhor, como David ; pela sua fortaleza em
su linear o crme por meio da divina palavra,
como Josu e os llacabeos. He mpossivel,
Itvm Sr., diz-r-se todo quanto em nosso
beneficio fez o Sr. Fr. H.nriques diraniei3
das que esteve nesta freguezia: apenas nos
limitamos em dizer qiieseconservava vivo
como pnrmilagre, porque apenas a aurora
despontava suba ao altar para celebrar, p
ten lo acabado, sentava-se no consistorio at
seis horas da tarde, donde selevantava pa-
ra tomar urna leve sopa; depois suba ao
pulpito, e delle dcscia as 11 horas da noite
e as vezes depois, para tomar urna at duas
chavanas de cha simples ; e n3o saptisfeUo
de lanos trabadlos, apenas se recollua a sa-
crista (onde assistia) ia reconciliar os cri-
minosos, os amancebados e os usurarios,
at depois da meia noite; do que resullou
que os criminosos e malvados vieram arro-
jar seus instrumentos offeiisivos dehaixo lo
pulpito; as mulheres,cortan lo seus cabellos
e i r.i /lulo seus los de liulio, como causa do
cciiiiialii, lis vieran) tamben) depositar no
iiiesmo lugar; os tocadores de violas e ra-
becas seguirain o-mesmo oxemplo; aquel-
les que da va ni dinheiros a premio com gran-
de usura, pararam i ni mediata mente e res-
tituirn) o queja tinham recebido; celebra-
ran!-so sessenla casamciitos de pessoas qup
viviain mcrgulhadas ha longos anuos no lo-
doso charco da manceba. Eos mais se di-
-ludo uo licaram convertidos, ao menos es-
la o prevalido que de multas cousas se teom
CollilidO. *
Oerxamos lambem dS fallar no grande
numero de baptisados que se fizeram, e na
prodigiosa devoQSo do rosario do Maria San-
tsima, que planlou enlre nos. E ainda
mais o que nos admira he que depois de ter
este Tlenle capilSo da milicia do Cruxiflea-
liu quasi succuuibido no Coqueiro-Serco de
ut';w.7r.m\iV)',-apena-'vti. esteve ungido e
melhora, poz-se a caminbo, e mi,a; j.....,
mullos lugares com igual proveito dos rS
hanhus do Tudo-Poderos. Emlim, o mes-
mo Senhor o queira bencoar e tainbcn a
V. Hvm. e a todos os oulios, visto o rdeme
uesejo com que ab.indoiiir.im a suas palriaa
para bem das almas. Entretanto, queira
V Hvm. aceitar os nossos di i nulos agr-
declnenlos o crer que somos de V Hvm
amaines oli.igadissi.uos. Ir \nlanio di
anta Clara. LUS Jos Correia de S, sub-
delegado.
OfnmEnilO,
arrematado a quem por menos fizer, a obra
do ces do Passeio-Poblico, na ra d"Auro-
ra, sb as clausulas especiaes abaixo trans-
criptas, o pelo preco de 6:949,800.
As pessoas que se propozerem esta arre-
mataco, comparecam na sala das sessOes
do sobrodito tribunal, nos dias cima indi-
cados, pelo moio-di8, compotentemenle ha-
bilitadas.
R para constar a mindou afllxar o pr-
nsente, o publicar pe!u "ario.
Secretaria da thesuu.aria da fzpnda pro-
vincial de Pcrnambuco, 21 o junhode
1849. O segundo escriturario, Antonio
Ferteira oVAr.nunciacio.
Clausulas especiaes fia arremalaeo.
a 1." Asobrasdocaesdol'asseio-Publico
da ra d'Aurora serSo feitas pela forma, sb
as condiqes e do modo indicado no orna-
mento e nos riscos a presentados nesta data
approvacilo do Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, sendo a importancia da obra em seis
contos nove ceios quarenta e nove mile
oitocentos ris.
2." O arrematante comecar as obras
no pra?o de um mez, e acabar no do seis
mezes, ambos contados na conformidade
do art. 10 do regulamento para as arre-
matacoes, de 11 de julbo de 1843.
3. 0 pagampnto da arrematado
realisar-se-ha cmquatro preslageslo mo-
do determinado no art. 15 do precitado
regulamento.
o 4 o para ludo o mais que n3o est de-
terminado pelas presentes clausulas, seguir-
se-ha inteiramenle o que dispe o regula-
mento mencionado le ti de julho de 1843.
Cabinete dos engenheiros, 30 de abril
de 1849. 0 engenheiro, /. 1. Viclor
l.ieutier. >
O Illm. Sr. inspector da thesouraria da
fazenda provincial, em cumprimento da or-
dom do Exm. presidente da provincia, le
18 do correte, manda far.er publico que
nos dias 17,18 e 19 de julho prximo vm-
dotiro ir praca peranle o tribunal
administraclivo da mesma thesouraria, para
ser arrematado a quem por menos fizer, o
concert da varanda da ponte da Una-Vista,
sb as clausulas especiaes abaixo copiadas,
e pelo prego de 3:567,920.
As pessoas que se propozerem esta
arrematadlo, comparecen) na sala do sobre-
dito tribunal, posdias cima indicados, pelo
meio-dia, competentemente habilitadas.
E para constar se mandn afllxar o pre-
sente, e publicar pelo Diario.
Secretaria da Ihesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernambuco, 26 de junho de
1849. O escriplurano, Antonio Ferreira
d'Annunciacao'.
1." Os concertos da varanda da ponte
da Roa -Vista ser<1o feitos pela forma com as
diminuices e do modo indicado no orca-
iiiimiIo e no risco approvados pelo Exm. Sr.
presidente da provincia, e pelo preco de
3:567/920 rs.
2. As obras principiarSo no prazo de
15 dias, e coiiclu.ir-sc-fi.io no de 4 mezes,
ambos contadosem conformidade do artigo
10 do regulamento das arrematarles.
i 3. Durante a execueno das obras o
arrematante dar um transito fcil e segu-
ro, enllocando varan las provisorias.
4.* O pagamento far-se-ha em duas
prestares iguaes; urna quando tiver ei"-<<
lado meia le da ohr, uUhm nn'r'Ju es-
iiwn- ..-"""Io concluida.
i 5. Para ludo o mais que nio est de-
ii-rioinado as presentes clausulas especiaes
segoins- hR inteiramenle o quo dispe o
precitado reg.i.inento.
Gabineto do engenheiro, 25 de junho de
-ngenheiro, *, /,. Fictor Lieu-
ros Ribel o de Moraes, Patricio Jos tu I
ges de Fre tas, Aleixo Jos deOlivoira a I
Ionio Manoel deMoraes da Mesquitapiln I
tel, Alexandre dos Santoa Barros, Jos b!""
bos de Miranda Santiago, Ruflno (nm
da Fonseca. padre Sm3o de Azevedo c, L
pos, Jos Joaquim Xavier Snbreirg r. ,
Jos da Cosa, Jacinlho Eleodoro u.',i, ,
Olivoira. Jo3o Jos Lopes Jnior *,;
Xavier Pcreira de Rrillo, Antonio d.c',nu
/...:_...itna o..ni.i:n d~.i_:---- ua oliva
(;uimar3es, Braulio Rodriguos Telx,
Francisco Lopos Vianna, Ceraldo d i '
ranle dos Santos JoSo Pacheco deOup
ga Jnior, Joaquim Rodrigues Hnh.'i'
Joaquim Leocadio de FreiUs, Joan ai* '
noel deOliveira, JoSo Baptisla dosCuim
rSes Poixoto, Joaquim Jos Mnreira j7
Bernardo Ventura, Jo3o de S Leita,,' u*0
quim de Sanl'Anna Monteiro, Luiz da'ij
vedo Souza, Manoel Rodrigues do Piu!
Manoel Ferreira Pinto le Arauio, ,1
Ferreira Chaves Jnior, Miguel Martinica,
ta Ribeiro, Manoel de Mello Albuquerau
Thomaz Garret.Jose Ignacio da Aitusl.
pcSo.
Afim de que comparecen em o coran h.
igreja matriz desta mearas freguezia rio r.
ferido dia 6 de agosto, pelas 9 horas di m
nh3a, para a orgenisacSo da mesa parochiil
ficando subjeitos os que n3ocomprecereJ
sem escusa legitima a mulla comminidi
no artigo 126 n. 2 da citada lei (je 19
agosto de 1846. Outrnsim, convoco iu.
dos os cidadSos qualiflcados par direm
seus votos, observando-Ibes que. diodo
freguezia 38 eleitores, dovem susceiiU|
conter os nomes de 38 ciddSos domicilia-
rios nesta freguezia, especificando suis <
cupa(es.
E para que o prsenle chegue ao -
nhecimento de lodos, ser aflixido aoi
lugares pblicos e publicado pel iq.
prensa. Primeiro districto da freguezii di
Ba-Vista, 3 de julho de 1849. E eu, Fraa-
cisco de Barros Correa, escnvllo, o escreti.
Antonio Carneiro Machado Kus.
Decan
ra^oes.
ALFANDEGA.
Rendlmento do dia 16.....
CONSULADO GERAL.
Rendimenlo do dia 16......
Diversas provincias........
4:823,540
1:071.959
55,430
1:127,389
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimenlo do dia 16
612,217
"oviijueiito do 'orlo.
Navio entrado no dia 16.
Rio-Grndp-,lo-Norto -17 lias, briguc bra-
sileiro Despique, de 178 toneladas, capitn
Manoel Jos de Scnna Marlins, equipa-
gem II, carga varios gneros. Veio re-
ceher ordens de Machado & Pinhoiro e
segu para o Rio-de-Janeiro.
iTwlM sahidos no mesmo dia.
Rio-de-Janeiro Rriguo brasileiro Josefina
capitn JoSo Daptista da Trindade, carga
assucar o ago'amentn. Passageiros, Na-
pola3o Gabriel Beys, Francez ; Francisco
Anlonio de Lima, Portuguez ; e 1 escravo
a entregar.
I'ortosdosul Vapor brasileiro San-Sal-
vador, commandante o primeiro lenle
Anlonio Carlos do Azere.lo Coulinho.
Passageiros, os meamos que trouxa do
norte.
HD1TAUS.
-- O Illm. Sr. inspector da thesouraria da
razenda provincial, .em cumprimenlo das
ordens d) Exm. presidente da provincia,
'anda avisar aos que prelendem oseinpre-
Kosda uesma lliesouraria, creados pela lei
lo orcamento vigente, que os devem re-
querer, sb comlicSo do se suhjeilarem a
umexamedeidoneidade peranle o mesmo
Exm. Sr.
Secretaria da
\
thesouraria da fazend
provincial do Pernambuco, 16 de julho de
1849. fi sftgundo escriplurano, Antonio
terreira d'Annunciacao.
O Illm. Sr.* inspector da thpsouraria
la fazenda provincial, em cumprimento da
rdeiu do Exm. presidente da provincia, de
20 do correle, manda fazor publico que
"os mas 17, 18 e 19 de julho prximo vin-
Jouro, ira a praca, peranle o tribunal admi-
nistrativo da mesma thesouraria, parr*r
1849. O
thier.
- Peranle a thesouraria da fazenda desta
provincia se ha de por em hasta publica, nos
luis 28, 30 c 31 do mez de julho prximo fu-
turo, para ser arrematado por quem menos
preco otTerecer, o servico da capatazia da
alfandega desta cidade pelo lempo de vinte
e dous mezes que terSo principio no primei-
ro de setembro deste anuo, e com as condi-
ces que ser3o patentes no aclo da arre-
matado. As pessoas que se propozrem
licuar deveriiu comparecer nos referidos
das na sala das sessOes da mesma thesou-
raria, competentemente habilitadas
Secretaria da thesouraria da razenda pro-
vincial de Pernambuco, 28 de junho de
1849. O ofllcial-maior, Ignacio dos Santos
da tonscca.
O tenente-coronel Antonio Carneiro Machado
Rio, juiz de pnz (lo primeiro districto
da freguezia do Saniissimo Sacramento do
bnirro da Da-da-Visla, termo da cidade do
llecife, em virlude da lei, ele.
Tendo de proceder-se nesta freguezia no
da 5 de agosto prximo Coluro, em cum
iHiniPiilo as ordens do Exm Sr. presiden-
te da provincia, que mu fram Iraiisniitti-
las pela cmara municipal desla cidade,
eleicfio dos eleitores que h3o le nomear
os iiepulados assembla geral para a pre-
sente legislatura em consequencia do ter
sido dissolvida a cmara dos referidos di-
putados, e ao mesmo lempo osmembros
la assembla provincial da legislatura de
1850 a 1851, convoco em cumprimento do
arngo 41 da lei n 387 de 19 de agosto de
1846, e em vntude das dilas ordens, os
eleilores o supplennte desta freguezia tul-
la residentes, cujos nomes s3o os seguinles
ELEITORES.
O senhor es
coa
p
da e
baixo
com
de co
6, defi
deudo
para se
servar.
- Pela segunda seceso da mesa do consu-
lado provincial se annuncia, que dodiiir
locorrente mez em dianle principia-sai
cobrar o imposto de 20 por cento sobrio
consumo das agoas ar.lentes qo brasileira do municipio do Kecire,ptr-
lencente ao trimestre de outubro a deiea-
bro do anno Ando, e semestre de Janeiro i
j unho do corrente anno.
LADO DE PORTUGAL EM PERNAM-
BUCO.
ando saber-se com toda a certeza
lemeia, nesta cidade, da pesson i-
isignadas, a bem de seus iolcreiMf
nsionistas do estado, roga-se-lhei
arecerem neste consulado, casa n.
ite &o Trapiche-Novo; e, nao opo-
ner por si, queiram mandar pessoa
nteirada do quo Ibes compre ob-
? senhoras D. Anni doScnmento
de Mello, B. Mara Magdalena de. Mello e I).
Antonia Luiza Cuedes.
(^ O segundo batalllo de eacadoras da 2
8 |nh> lom de mandar ri les de panno azul com listras de pin-
nu prcto e crrelas de lustro; 300 far- 0
r. dlas do panno azul com goja do pin- 0
'^ no pelo q vistaade caulioes do rae*- 0
'^ mo panno; 300 pares iln polainas, 5
> lambem do panno preto.com foiroi q
J do brim : a pessoa que para isso sa q
q sejulgar habilitada, aprsenle sua Vi
q julgar habilitada aprsenle sua pro- 2
posta no dia 17 do crrente, pelas J
' 10 horas do dia, na secretaria do O
O prediio batalhSo, na ra do Hospicio, 0
& n. 32, com as competentes amoslns. 0
O 0
Compaiihia ele Bebenbe.
Asess3o para se contratar a cobrancadi
laxa nos Cliafarizes foi espagada para odi
20 do corrente, visto n.lo ter ipparecido ai
sess3o de hontem quem apreseolassa pro-
posla de vantagem para a cumpanhia.
'
l'ublicacao liltcrari.
Urna associac3o de Iliteratos pretende pu-
blicar, no mez de agosto prximo futuro,
um peridico sb o titulo do
ACULA CATHOLICA,
por meio do qual se derrame pelo povo, to
carece lor do nstrucc5o, ludo quanto dig
respeilo santa o veneranda rcligilo da
nossos pas, assim do dogma, como da mo-
ral evanglica, disciplina e rilo da igreja.
menos todava a parte polmica. Satura a
luz lodos os domingos em formato grande,
isto he, em urna follia ordinaria de papel.
Subscreve-se na praca da Independencia,
loja ns. 6 e 8, a ras3o de 400 rs. por mez. Es-
cusadosefaz o mostrar agrande utilnlade
de um peridico desla natureza. A religiJ
lie o primeiro e mais forte elemento da ao*
ciedde ; e o povo que fr mais instruido
>a religiflo augusta de Nosso Senhor Jeiui-
Clirislo, e mais liel fr na pratica da moral
evanglica, esse sera o povo verdadera-
mente livre, bem morigerado e te\iv
avisos martimos.
Francisco Antonio Cavalcante Cousseiro,
JoseMarmho Pereira dos Santos, Jos An-
tonio dos Santos e Silva. Simplicio Jos de
Mello, padre Francisco Alves de branles
JoSo Pacheco de Queiroga, Joaquim Jos da'
Costa, Jos Marques da Co.la Soares Per-
lino da Cunha Moreira Alvs, Cartano tien-
des da Cunha Azevedo, Francisco Itartin
Raposo, Francisco Ferreira de Mello Dr
"edro Autran da Malta Albuquerque nt'
lo Concalves Ferreira, Braz llamos Cha-
es, Jos Francisco de Souza Lima, Tbom
arlos Pe.etli, Jos Goncalves da Silva, Jo-
Pedro Autran da Malta Albuquerque Arito
"e G.""f.!f?.Ferr,,.i,'a' ll-mo's Cha-
c'
s Francisco Pires, pVdToalojlio doUaV
|ho Lessa, Marcelino Jos Lopes, Rento dos
sanios Ramos, Dr. Joaquim de Oliveira Sou-
za Jos A poli na rio da Guuha, Francisco
Anlonio da .Silva Cavalcante, Jos de Barros
Correa Selle, Miguel Archanjo Fernandes
Vianna, Theolonio Tiburliiio Couro-d'An-
la. Jos Ignacio do Monte, Ignacio Jos da
Assomprno, vigario Manoel Joaquim Xavier
Sobreira.
SUPPLENTES.
OsiSenhoru:
Aui**"tn Joaquim de SanfAnna, Antonio
Para a Baha sabe, nestes oilo diis,
com a carga quu tiver abordo, o hiato *
ciidade: quem nelle quizr carregar, oO ir
le passagem, dlrija-se a ra da Crul Jo Ra-
cile, n. 24.
- Para Lisboa sahe, at o di 5 da agosto,
o brigue portuguez Novo-Vencedor portar
a maior parto de sua carga prompla : P"r*
'resto e passageiros, para o que offerece
excellentes commodos, Irata-se com os
consignaUrioa Thomaz de Aquino Fonse-
ca & Filho na ra do Vigario, o. 19, pri-
meiro andar, ou com o capilflo, Antonio
Jos dos Santos Lapa na praca.
Para o Rio-de-Janeiro
satura, com mu Ha brevidade o brigue bra-
sileiro D.-/jonso capitao Abelled : qu6 quizer carregar ou ir de passagem pira
o que offerece os raais excedentes comino-
dos, dirija-seao mesmo eapitSo, ouaoaeu
proprietario, Manoel Joaquim llamos e Sil-
va n ra da Cadeja do llecife, n. 38.
Para o llio-de-Janeiro segu, em pou-
cos dial, o bem conbecido brigue Assembro:
para carga epassageiros, trata-sena ruiJ,Q|
CadeiaWoRecife, n. 61, com Jo.lo Jos FctJ
nandesMasalhe*


- Para o Havre pretende se-
mr viagem, com muita brevida-
de, a barca franceza Zampa, de
ri'meira marcha, tendo j parte do
u carregamento prompta : oinda
cebe algum frete tos pretenden-
\et pdem dirigir-se aos consig-
natarios da mesma, B. Lsserre &
Companbia, ra da Senzalla Ve-
llia, 38'
.. |>r o Rio-de-Janeiro segu viagem,
-m pouco di, o bem conhecdo brigue
jlotn-Jtsui. que se ada com parle de eu
i-aireeamento j prompto; anda recebe al-
euma carga escrito e passageiro para o
aiie tom encllenles commodos : quera pre-
tender pode dirigirse ao capitfio, Jolo Ven-
tura da Sil n praca do Corpo-Sanlo, ou
ra da Madre-de-Deos, n. 3, lerceiro an-
dar. ,,
~ Par o Aracaly seguc. em poucos da,
0 patacho nla-Cruz : para o resto da car-
ga e passageiro, tr ta-se ao lado do Corpo-
Sanlo, loja n 25.
-Pira Lisboa, com a maior brevidade
possivel, partir o brigue porluguez Tarujo-
1 forrado e encatilhado de cobre : tero ex-
cllenle commodos e tratamento para pas-
ageiros : o prelendenle para carga p-
dem tratar com o cpil8o, Manoef de Oli-
eir Kaneco, na praca do Corpo-Snlo, ou
com Firmino Jos Flix da Rosa, o ra da
Senzlla-Nova, n. 42.
Para o Para com escala pelo Cear e
Maranlifio partir com muita brevidade o
patacho Fortuna, j se acba com un terco
da carga a bordo e mais de meia carga en-
gajada : quem no mesmo quizrr carregar
para qualquer dns mencionados porto, di-
rija-so ra da Seuzalla-Nova, n. 42, pri-
meiro andar.
-- Para o Rio-Grande-do-Snl pretende sa-
bir lueve o brigue Juno capitfio Jos Fran-
cisco do Santos : anda pode receber al-
guma carga a frete, escravos e passageiro:
trata-se com A ni un m lrrafio, na ra da
Cadeia n. 39.
Leudo.
Aiiamsor. lowie & G. farfio leilflo, por
interveiiQfio do corretor Oliveira de gran-
de e variadoorlimentode fazendas ingle-
jas todas propria do mercado : boje ,
17 do crrante, s 10 horas da mantilla
en ponto, no teu armazem da ra do Tra-
piche-Novo.
Avisos diversos
Ru
Na Ba-Visla, ra da Alegra? c9s n.
34, exilien) cartas deinteresse para osS'S.
Juno d Costa Villar, do engenho flbus-Ros,
llenrique Lins da Cunt e Mello* do enge-
nho Miranda, Simplicio Jos Tovafes de Mel-
lo, do engenho Mrin, FraoaUsco Caval-
"" cante do Vasconcellos e U*\tn% do engenho
Teixeira, JoSo Tavares da Rucha e Jos l.ou-
renco da Rocha, do engenho Macaco; eLe
andr Guedes Alcanforado, do engenho
Acui.
--Noarmazem n. 64, na'ra da Cadei,
junio ao arco da.Conceiclo, ha para.ven-
der ceblas, cinteada proximamei
l.UbA, o cento alOO r.
Hojo sii helas para meio-djfa, se ha
de anematar, porfcr a_ul tima ptfaca. o sitio
com casa de vivenda, no largo de Sant'An-
n, na sal das audiencias, pelo juiz doci-
vel da primeira vara, escivfio Baplista, pe-
nhorado porl.uiz Gomes Ferreira contra os
herdeiros de Francisco Xavier da Fonseca
Coutinho.
Silva, sangrador e dentista, mudou-se
para a ra da Roda, n. 46, prompto toda a
hora para servir nesta arto todas as peg-
suas que se quizerem utilisar deseu presti-
nio, que desangrar, tirar denles, limpa-los
perrunamente, abr-tos, chumbar, e ludo
mais precito para sen aperfeicoamento, e
tambem applica ventosas esconificadas por
machina, com urna velocidade quenada in-
comindaos doente, tendo para islo gran-
de praiica desde 1836, pralic.m lo em um
ho.-pial nove anuos: tambem aluga bichas
dellamburgo das melhores que ha no mer-
cado.
CIIICUMSTANCIAS QUE ACARRETAM A FAL-
TA DE NEGOCIO DE CERTA LOJA NA
RU\ DO CRESPO.
- 0 administrador desto estabelecimentn,
acompnhdo de sua lingoa ferina, o oulros
d'igual qualidde,largaram-se nudia 15 para
certoarrbaldea cossara lingoa com o com-
poitamento dealgumas pessoas; pelo que.se
nao se retiram tocados por algumas pedra-
das,leriam o premio dosseu relevantes ser-
vico.
A parede tem mu-idus.
Quemllver para vender asudenacOes
do Reino ; Primeira Linhas sobre o nroces-
so civil, por Pereira e Souza ; Doulrina das
Acedes, por Corroa Telles; Digisto Itrasi-
leiro ; Manual Pratico ; Digesto Poituguez,
por Correa TellA ; e a LegislacSo Braailei-
r>,em brochura, de papel azul: queira an-
nunciar se usta em bom uso para te nego-
ciar.
ATTENgAO!
Offerec-eum hornero solteiro. Rrasilei-
ro, paia caixeiro de qualquer engenho, ou
mesmo pan administrador, pois que de lu-
do tem ba*lanle pratica : quem deseu pres-
umo se quizer utilisar annuncie.
Oa absixo assignados srientilicam ao
publico epaiticularmente aos seus credo-
res, que iiissolveram amigavelmente a o-
ciodade que linliam nesta pra(a, na taber-
na sita n> praca da Hua-Visla, n. 15, a qual
gyrara soba firma Paula Jnior & Compa-
nbia : Picando o socio Joaquim de Paula Lo-
pes nicamente obrigado a indemnisar os
dbitos contrahidos por dita firma. Pernam-
.buco, 14 dcjullio de 18(9. Francitco Jou-
le /'flua Jwtor. Joaquim de l'aula Lopet.
Ha noel Jos Pereira, subdito porlu-
guez, relira-se para fofa do imperio.
Rog-e ao Sr. J. J. S. A., do sexto ba-
_ linio, que queira mandar pagar aquantia
de 24,600 r*. onde nSo ignora, desde no-
vembrode 1848 : pois li bastante lempo
que se tem esperado.
Aluga-so um sitio na estrada do Ar-
faial, com 3baixapra capim e urna po-
'( Mena malta, com banho e boa casa de vi-
uda : a iratir na praca da Independencia,
'mero i J. *
Oabaixo assigotdo seicnliflea aos cro-
dores da extincta firma Paula Juohr &
Companbia, que, tendo-se esla dtssolvido,
ella se obriga a indemnisar o debito que a
mesma contrahio. Pernambuco, 14 de ju-
Iho do 1849. -Joaquim de Paula lopet.
Previne-so ao respeitivel publico que
no armazem do Baplista, na esquina da ru
da Flores, ha carvfio da melhor qualidade
a preco de 600 rs. cada sacco, preco em ver-
dade multo barato se se attender que os
saceos teem cinco palmos do comprmanlo
e dous do largo, e contnm mais carvSo do
que dous dos oulros saceos que se veudem
ordinal ament em cargas.
Traspassam-se as chaves do um armazem
de assucar, na ra de Apollo, vendendo-se
os seus uleosis, ou parte driles, como cai-
xes, etc., rujo armazem paga muito mdi-
co aiuguel, e est ptimo para quem qui-
zer esta bolecer-se com armazem de assu-
car : a tratar na ra Augusta, n. 26.
Madama Melania Gillain com tres filhos
menores vai fazeruma viagem a Europa.
A pessoa que tem empenhada na ven-
da que fui de Bernardo de tal, na estrada de
Santo-Amaro, cuja venda perlenco buje a
Gabriel Mara Velloso, urna lesoura grande
de aparar cerca, queira ir resgata-la dentro
de oito das, contados da publicarlo deste ;
do contrario sera vendida por conta de
quem perlencer, para pagamento de 1,600
rs. por quanto est empenhada.
Pcrante o lllm. Sr. doulor juz de di-
reitoda primeira var do civel, na au-
diencia (i'amanhla linda a mesma, he a
ultima praca da casa terrea de podra e cal,
sita na estrada que vai da Soledade para o
Mangunho, cuja casa tem 2* palmos de
frente e 64 ditos do fundo, com cozinha f-
ra e um quarto mais achando-se dita cas
collocada em um magnifico terreno de 30
calmos de frente e fundos bastantes, tendo
cacimba propria com excellenle agoa, tan
que para banho diversos ps de Iruleiras ,
creado de h'mSo e espinho, fechado a fren-
lo de muro com grde de ferro e com urna
porta de madeira sendo o sollo proprio ,
avaliada em 900,000 rs., penhorada a seu
legitimo propietario e sua muiher por
execuefio de seu credor, hypethecario da
mesma casa. Os pretendeutes a dita cas e
lilio pdem dirigir-se so indicado lugar
para seu exame, e verfio que boa proprieda-
de por tfio diminuta quanlia cuja proprie-
dado dara em outro lempo tres cont de
res
Na ra estreila do Rozario n. 43, se-
gundo andar, se dir quem d dinheiro a
premio al a quanlia de 1:000,000 rs. sobre
boa firmas hypoihecaem hens do raz e
penhores deouro e prala da 6 s 10 ho-
ras da mandila.
- lloie, depois da audiencia do Sr. dou-
llUoriuiz do civel da primeira vara.se ha
de i'-'uiatar um cavallo peilencente a
bens vagos'."*--_
do sobrado
deltas conhecimenlo, e a entreguom ao
mesmo abaixoassgnado. Pommateau.
Aluga-seo prime/w ndr
da ra do Qneimado n. 4 : irtar na loja
do mesmo sobrado.
Precisa-se de urna ama do leilo p ra
acabar de criar uma menina: prefere ge a-^
que esteja para sabir de alguma criaefio :
na ra da Cruze, n. 22, segundo andar.
Precisa-se de 180,000 rs por 10 mezes.
dando-se 280,000 r. : quem quizer dar
annuncie. .
oSr. Jofio Luiz Ferreira Ribeiro tem
ana cria na ra do Trapiche n. 23, casa
de Novaes & C.
--ifcecisa-se alugar duas pessoas para
tralialliareii. em un* sitio na Ponte-do-
Ucha : na ra da Lat/a do Uecife.,i| 45.
-- Da-se uinheiroa premio sobre I penho-
res de nuroe prala: na ra do Hospicio ,
venda do leilo de bur. /
Aluga-se uma casa que sirva 'para pa-
daria eque tenha commodos para fami-
lia em S.-Amaro Hospicio, ou Si iledado :
quem liver, dirija-so ra da Madre-de-
Deos armazem de Vicente Ferreira da
Costa- ,-
Relira-so para fura da prov ncia Flix
Ferreira de MaltO.
J Honipopalliii- i
SPrimcito consultorio b/omoeo- 1
palbicoem Fernamb/uco, .nag
fi ra da Cadeia de Jjf.-Ant" I
I nio, n. ai. fi
Este consultorio estar dos M
S os dias, desde s lOhor iha ^
a, at s 3 da tarde : as pe n.to ^
pnderem cliegar ao con^ ..irio po- ^
au der.rio ser visitadas em suas casas, ^
qualquer que seja a distancia desla ^
au praca. Os indigentes sei ,1o tratados ^
a. gratuitamente, apresentando um al- ^
m testado do vigario de sua fregueza. a)
# &>
# *mmnnn
Na ra Direita, n. 61 se dir quem
compra uma casa terrea, ou sobrado nfio
sendo este de grande preco e sendo em boa
ra.
-- Precisa-se de um caixero que tenha
bastante pratica de venda para turnar con
ta de uma caaa por bataneo : d-se bom or-
denado : na praca da Boa-Vista, n. 5.
Nodia 9 de jullio do crrente anuo ap-
arecen no engenho novo da Conceiffio, na
fregueza de Sanlo-Amaro-JaboatSu, uma
pre.ia que diz andar fgida, e ser escrava do
Sr.Manoel de Figueiredo, morador no sitio
do...... achando-se a dita preta doento por
estar bastante descorada de sezOes que con-
tinuadamente lite esl.lo dando : porlanto-
quein frtr seu verdadeiro senlior queira di-
rigir-so ao referido engenho, que, dando os
signaes celos, Ihc ser entregue; advertin-
lo, poim, que no se responsabilsa o se-
nlior do'dito engenho por fuga ou outro
qualquer acontec ment que pussa haver
durante o tempu que a mesma esliver em
dito engenho.
Um individuo foi lioje" 9 do correte )
loja do obaixo assignado buscar em nome
do Sr. major Sebastiilo, commandante da
cavallaria, duas pequeas espingardas pa-
ra espoletas, cujo canos teem de com pri-
melo de 22 a 24 polegadas, as quaes ti-
iham sido separadas por compra pelo dito
Sr. SeisliSo e pelo Sr. Almeis ; c, teudo-
th'aa o abaixo assignado entregado, aconte-
ce que o dito individuo nSohavia sido en-
rarregudo'.de as conduzir, e lora um mei
de que se servir para l'urta-las. Assim, o
abaixo assWnado, avisa ao publico, e es-
lecialrnenurs autoridades policiaes, que
se digneantf apprehend-U, cai^nham
Novo p3o do Provenca.
Na padaria do becco das Barroirase
no deposito da Estrella, no Aterro-
da-Boa-Vista, o. 39, fabnca-se o no-
vo po de Provenga, o qual he fabri-
cado pelo methodo do seu primei-
ro intro.luriuri|ueveioesta provin-
cia e com a melhores farinhasque
ha no mercado, e asseio que he pos-
sivel: da mesma sorle se fabricam as
falias da rainha do Hespanha bol-
naaaa. biscoulos, biscoutinhos, fatias,
caraJa : ludo do melhor gosto pos-
sivel proprio para cha ; tambem ha
boladrimha de Lisboa em latas de 8
libras, por preco commodo ; amen-
doas confeitada e de varias quali-
dades.
, ^_____ l
mmmmmm wmwmnmmwm
Arrendam-se duas casas terreas na Pas-
sagem da Magdalena ao p da ponte : a
tratar com Agostinho da Silva Guimarfies ,
no mesmo lugar, o. 37.
Furtarm da casa do abaixo assignado,
na noite do da 12 de julho, meio faqueiro,
eontendo 6 colheres de sopa, 6 garlos, t>
facas, colher de tirar sopa, 1 dita para ar-
roz, 1 dita para peixe, gario e faca de
trinchar, 1 atanaz, 6 colheres de cha, 1 con-
cha do assurareiro : todas eslas obras de
prala, feilas no Porto : roga-se a todas as
pessoas a quem fdrem offerecidas, ou dellas
livercm noticia, dirjam-se ra do Torres,
n. 18, quesern generosa ment recompen-
sadas. /lidia Jos Capar ira.
A pessoa que annunciou, no Diario dn
Pernambuco, querer tomar 200,000 rs. a
premio dando boa firma, dirija se ra do
Sebo n. 8, que ahi se dir quem d.
Quem tiveruma preta para todo o ser-
vico de uma casa de familia, dirija-se ao
pateo do Terco, venda n. 7.
Existe um escravo no engenho Dia-
mante comarca de Goianna, de nome IV
lippe o qual oceulta o nome do senhor e
do engenho de onde veio fgido : qur.m se
julgarcom direlo a elle, dirija-se ao dito
engenho, que, mostrando os documentos, e
dando os signaes certo llie ser entregue,
ou roce liera o importe, se o quizer vender e
conviero preco; mo se responsabilisando
o proprielario daquelle engenho por qual-
quer fuga, ou extravio que o mesmo escra-
vo possa ter.
Carlos Claudio Tresse fabrican-
te de orgos e realejos na ra
das Iflores, n. Q ,
avisa ao respetavel publico que concerta
orgflos 2 realejos pOe marchas modernas
deste paiz concerta pianos, seraphinas,
calas de msica acordaos e qualquer ins-
trumento que appareca : tambem faz obra
nova e vende um orgfio proprio para capel-
$, ou altar-mr, com boas vozes por pre-
icom modo.
V- Prjecisa-se de uma ama doleile, quo i>
t^raiiH ibome abundante, para uma enanca
''e % mezes : na ra do Collegio, n. 19, pri-
meirO|andr.
I Carlas finas, de jogar-
conta f
-Prccisa-se de uma pessoa para traba-
l'iar om reflnacfio 'de assucar : na ra da
Senzalla-Nova, a. 4.
Madama Paulina Bruguiere vai fazer
uma viagem Franca.
Quem annunciou querer comprar uma
estante em meio uso, dirija-se Gamba-
do-Carmo, sobrado de um andar n. 21.
0 tabellio interino das by-
pothecas mora na ra Augusta,
n. 66.
--Precisa-se alugar um sitio distanto des-
ta pra^a uma legoa pouco mais ou menos,
que.tenha sufliciente pasto para 12 vaccas
do leile : na Passagem-da-Magnalena n.
27 entre as duas ponte dus 6 s 9 horas
da manhfia, e das 3 as 6 da tarde.
taren, para receborom as partilhas o qn0
so Ihes deve ____________
Compras.
a retalhf. e em porco, muito em
Charutos
,oj\ clibrefuluica de S.,-l'elix o oulros, sec-
eos e de primeira qualidade, pelo barato
preco dj 2,000 is. a caika de um cento; co-
mestivs conservas e licores de diversas
quaidades, chegados pelos ltimos navios;
um irtimentode vinliy l-ranco o tinto,
ordianos e superiores/, em garrafas e em
haris: na ra Nova, ffrsa franceza n. 69.
-rO gerente do contrato do tap prince-
za l.isba continala vender esto rap a
re i, a dinheiro*vista e nfio se fia a
p alguma e r/ga as pessoas que ain-
d .3o a dever o^fevor do mandar satisfa-
seus dehitos
--Precisa-se/comprar urna escrava que
saiba cosinha/c engommar, sendo recolhi-
da : na praca/do Commercio, n. 2, primeiro
andar.
fifiDr. Lobo Moscoso conti-
na a/receber doentes em sua ca-
sa, no Aterro-da-Ba-Vista, n. 48,
onde ha commodos suflicientes,
nao s para se tratarcm de suas en-
fermidades, como para se Ihes fa-
zer qualquer operacao : as pessoas,
portanto, que s quizercm curar ou
mandar algum escravo, pdem di-
rigir-se so annunciante em dita ca-
sa, certos de que sero tratados
com todo o desvelo.
Prccisa-se de uma muiher de hons cos-
tumes que queira acumpanhar uma senho-
ra casada para seu engenho, e que se quei-
ra encarregar de duas crianzas j desma-
madas para as pensar com desvelo, pagan-
do-sc-lhc o que se convencionar : a quem
convior procure na praca da Boa-Vista, casa
n. 32, segundo andar.
- Alugam-se e vendem-se bxas hambur-
guezas, das melhores que ba no mercado :
na ra das Cruzes, n. 40.
D-se algum dinheiro a premio de 2 por
cento ao mez sol penhores de ouro e prala,
e tambem se dar sobhypolheca em algu-
ma casa terrea dentro desta praca, ou com
firmas a contento : no Aleiro-da-Ba-V6la,
n. 72, se dir quem d.
A pessoa que annunciou precisar de
roupa engommada o lavada com perfeicfio,
dirija-se ao principio da ra da Gloria de-
fronte do hospital, que achara cum quem
tratar.
~ Oproprietarlo do engenho Canha, ahil-
ado duas legoas ao tul de Sautn-Antao, est re-
olvido a vender o refu ido engcoho, o <|ual
inoe com aniuaca, e est parauentado de to-
do o preciso, e com urna afra de dous mil
pues: este eogeobo tem mais de meia legoa
quadrada de excellentei terraa de ptima
producan, tendo grandes vaneas. Tambem
te vendeui, se agradar ao comprador, 32 ani-
inaes de roda e 20 bois mansos: quem'pre-
teuder, dirrja-se ao menino eogenho, que todo
o negocio ae far, e se precisar de algum escla-
rtciuicuto, dirija-se a ra do (indinado, n. 27.
Aluga-se uma excellenle casa na ra
do Seve, junto a uma olaria, com 9 quartos,
e um grande suio: na ra da Cadeia do lle-
cil'e, ii. 51, segundo andar.
Dentista.
--, D. W. Baynon, cirurgao dentista a-
^^mericano, breve se retira desta pro-
vincia e pelo pouco lempo que aqui se de-
mora, tem a honra de offerecer ao respei-
tavel publieo o seu prestimo, na ra do
Trapihe-Novo, n. 14.
Lotera do Guadalupe.
Nilo podendo effectuar-se o andamento
das rodas desl lotera no din li como se
tiavia annunciado o respectivo tliesourei-
ro designa novamenteo da 27 do crrenlo
mez, em que o mesmo andamento sera
realisado inlallivelmente vistos os esforcos
que para estefim lem a irmandade benefi-
ciada empregado.
A pessoa que quizer e- carregar-so do
tratamento deum escravo com principios
de molestia de peilo, dirija-se ra de S.-
Francisco, na casa apalagada quo achata
com quem tratar, e que se dar muito boa
recompensa.
--Prccisa-se alugar um moleque que se-
ja fiel para fazer compras o o mais neces-
sario de uma casa de pouca familia: tam-
bem se precisa de uma ama para coznhar,
e fazer todo o mais servico em Fra-de-
Portas, ra do Pilar n. 72, segundo andar.
Dflo-se 600,000 is. a juros com penho-
res ou boas firmas : na ra larga do Ro-
zario, n. 28, primeiro andar.
V
'*: faz scienteaquem convier, que mu- tu
T dou o seu estabelecmentodo unifor- ^
me militares da loja da ra do Quei-
T mado, n. 10, para o primeiro andar T
A do sobrado n. 19 da mesma ra ffl
V sondo conlina a vender os ditos V
A uniformes para todas as patentes das A
V difieren les armas do excrcitoe guarda (0?
A nacional, msicas etc. ; tendo efiec-
tu tivamenle abotusduras para fardas -
X e solire-casacas de toJas as classes a
S galOesde ouroe prala lina para di-
T visas, calcas e chapeos do pageos, T
chapeos envernizados par pageos,
de lrmas as mais modernas a 5,000 J
'-if ruis. i
V V
S>-<5 T> >*><
Desappareccu, no da |5 do
corrente, vihdo da l'onte-de-U-
cIih para o hospilal inglez, na Ba-
Yisto, o preto escravo, de nome
Patricio, crioulo, alto e bem pare-
cido ; representa ter 3o annos de
idade pouco mais ou menos : jul-
ga-sc ter fgido para o serian,
donde he natural ; foi vestido com
camisa e calca brancas, e Ievou
urna trouxinba de roupa: quem
tiver noticia delle e poder appre-
hcnd-lo, levo-o a ra da Cadeia
do Hecife ao corretor Oliveia, que
recompensar generosamente
Precisa-so de um rapaz de 14 annos,
para caixero do na: prefere-se estrangei-
ros: na ra Imperial, n. 165.
O abaixo assignado, como administra-
dor de sua muiher, I) AIIina Pope da Silva
Lopes, fl I lia do finado Jos Antonio Alves
da Silva avisa a qualquer devedor que se-
ja da casa daquelle finado, para que nilo
paguo o importe de seus debito sem ser
de accordo com todos os herdeiros visto
como as ditas dividas se acham inventaria-
das e teem do ser divididas entre a vuva
inveniai lanie e meieira e es herdeirus ;
e mesmo algumas dividas que sinda mo
estilo inventariadas nilo podero perlencer
exclusivamente a um s herdeiro.
Marcellino Jos Lopu.
O Sr. do engenho Canainlulia, fregueza
doSanto-Amaro-JaboitDo, abaixo assigna-
do, vendo que so est para vender o enge-
nho Camassary dos frades.declara que inlei-
ramente se oppc que continuo a existir
o r.ssudc novo do mesmo engenho Camas-
sary pelos grandes prejuizos quesoffre, em
vi rinde do sei em alagadas o inluirailiento
nutilisadas por aquello agudo grande por-
(,'u de suas lettras, sem que para isto tenha
aquello engenho direito ou ao menos auto-
risacHo ou conscntimenlo do abaixo assig-
nado. E para que qualquer comprador uo
se chume a engao em lempo algum, en-
tended dover la/er o presente aniiuiicio.--
Jos Joaquim das Chagai.
EXTRAVIO.
Mandando-so no da 13 do corrente a um
negro levar um cavallo para a estribara do
Sr. Bernardo, na ra da Senzalla, e cnlre-
gando-se-lbe igualmente um chicote de bo-
jear, novo, cabo de balea ; accontcceu o
negro entregar s o cavallo tendo comsigo
levado o chicote : por sso avisa-se a quem
o mesmo o dsse a guardar, queira leval-o
loja de louca doSr. Fragoso, na ra da Ca-
deia, para prevenir que nilo se proceda con-
tra quem retcm om seu poder objectos
albeios, o quo se protesta fazer logo que se
encontr o dito negro.
O abaixo assignado faz publico que
deixou de ser caixero do Sr. Francisco Joa-*!
quim Duarlc, desde o dia 14 do correte.
Joaquim Ferreira de Jraujo Guimardet.
D. I.UZa Margar ida llerli.-ler vuva de
JoSo Baplista Herbster, enlregou a sdmi-
nistnclo da marcenera,pertencenle ao seu
casal), ao Sr. Francisco liorges da Assump-
c3o o qual he tambem o nico aulorisa-
Paga-se bem.
Compra-se cl?ado relio na trra, do
toda a qualidade: na praca da Independen-
cia, n. 33. ..
Compra-se, por qualquer preco o n-
vro intitulado Combate Espiritual na
rufdo Cabug, loja de miudezas, n. l ll.
Compra-se, em segunda niao, e em
hom estado a obra Mil e urna no.tos na
praca da Independencia loja de livros, ns.
' Compram-se onros velhos sem Teto,
om pequeas agrandes porcO" : no paleo
da Santa-Cruz junto da botica, n. 8.
Compra-se uma escrava parda ou pre-
ta quo tenha cria e bastante-leite: na ra
da Madre-de-Deos, n 36, segundo andar.
Cumpra-se uma carroca nova ou em
bom estado, e que trabalhe com dous bois :
na rtrODireit, venda que foi de Jos da
Penha n.' 23
Compra-se, para uma oncommenda ,
uma escrava para se npplicir a vender miu-
pezas que seja da Costa ou do Angola o
inda moca : na run larga do Romio, n. 23,
ou annuncie.
Compra-se, por.incumbencia que uma
pessoa tem urna casa terrea com dous ou
3 quartos sala na frenlo o atrs cozinha
fra, quintal e cacimba : preere-so as ras
do Itangel, l.nrangciras o Trincheiras e
que seja em chilos proprio: na ra larga
do Rozario, ti. 22, ou annuncie.
Compra-se um guarda louca usado, pa-
ra cozinha : quem tiver annuncie.
Comnra-se urna estante quo csteja em
bom estado quem tiver annuncie.
-Compra-se um moleque do 12 a 18 an-
nos : na ra do Livramenlo n. 38, primei-
ro andar. __________^_____
Vendas.
lloje, das 9 horas da ma-
nhiia cm diante, estar, no largo
da Cadeia, uma porco de bestas,
poldros, cavallos c quartos, que
se vendero em cunta.
--Na ra das Cruzes, n. 22, segundo an-
dor vendem -se 5 escravos, sendo : um'mo-
leque ; um prelo de bonita figura ptimo
canoero ; um pelo de meia idade ; duas
pretas do nacSo sendo uma de meia ida-
de e que he boa lavadeira o outra cozi-
nha, lava e vende na ra.
-- Vendc-se um moleque muito esperto ,
de 7 anuos chegado agora do sertao : na
ra da Florentina, n. 1.
- Em casa de .Joo
Slwart vende-sc mnilei-
ga ingleza, chegada pelo
ultimo navio, por preco
commodo, c quantidade
a vontade do comprador.
Vende-so um grando sitio no lugar do
Mangunho o qual lica defroote dos sitios
dos Sis. Carneiros, com grande casa do
vivenda do 4 agoas, gratulo senzalla co-
cheira estribara baixa do capim que
sustenta 3 a 4 cavallos, grande cacimba
com bomba o tanque cobcrlo para banho,
bastante! arvoredos de fructo : na ra da
Concordia, primeiro sobrado novo de um
andar.
Vendom-so ps de laranjas de todas as
qualidade, cm mullo bom oslado para mu-
dar, e por barato preco : na riheirada Ba-
Vista, venda da estrella.
Vcnde-se um carro de qua-
tro rodas novo, com a parelha de
cavallos ; assim como tambem um
prcto moro, -hbil bolieiro, por
preco rasoavel : na loja da ra do
Crespo, n. ti, se indicar o ven-
dedor-
Vcnde-se, por seu dono retirsr-se'para
fara da provincia, uma morada de casa no
lugar da Capunga, de pcdraecal, perto do
no : a tratar com Jos Januaro Alves da
Maia, morador no mesmo lugar,
Ao bom e barato,
Na ra duQueimado, vindo do Rozario,
segunda loja n. 18, conlinuam-se a ven-
der suspensorios de seda a 500 rs. o par ;
linas do seda a 200 rs. o par : mei.as de
seda curtas, pretas, brancas e,do cores a
800 rs. o par ; lencos pretos de seda a 00
rs. ; ditos do cambraia para gravata a 400
rs.; lencos blancos a 160 rs.; e oulras
inulta-, la /eudas por cun modo preco.
Vende-se a muito acredita-
da firinha franceza Barn, chega-
da ltimamente, e por preco rasoa-
vel : na la da Senzalla-Velha,
n. 138. '
Na ra do Quemado, vindo do Roza-
rio segunda loja n. 18, vende-so panno
lino azul, verde o preto, a 2,000 rs. o co-
vado. ,
-- Vendem-so 10 lindos moleque de 12 a
25 annos; tres pretos do 25 a 30 annos; uro
lindu mulatinho de 16 anuos, bom para pa-
gem ; um negra que coze perfeitametite,
faz lavarinlo, borda, engomma sornvel o
lio muito carinhosa para meninos; uma par-
da que lava perfeitamente, trata muito
bem do enancas e da-se cm conta; um pre-
ta boa quitandeira; assim como oulros mul-
los escravos : na ra do Vigario, n. 24.
V/fdein-ie bilhettM*lote-
ria do/Uio-de-Janeiro : na pTSCaL.
da Independencia, n. 3"].
Pura casas particulares-
Batatas de Tenerife, muito su-
periores, a a,56o rs. a arroba :
no armazem do Aunes, caes da Al-
fandega.
Pechinch.
Vendc-se uma porcSo de charutos fura-
na praqa da Boa-Vis-
141 IT1I A r\/\
do a rece' er as dividas do mesmo casal e. dos, proprio pera seren de novo cobertos ,
passar recibos. Os credores da casa se po-1 por diminuto preco -
derao eoteuder com elle, aflm de se habi-1 ta, n. v>.
-i



Vende-se cal virgem de l.i.-boa de
superior qualidade, cm barris Je 4 arrobas,
chegada nr.sle mez pelo brigue Mar'"-Jot :
a tratar na ra do Brutn, arrazem de
Antonio Augusto da Fonseca, ou na ra do
'. gario, ii. 19.
AGENCIA
da funda) LoW-Hoor,
IUJA DJk SKNZALT.A-KOVA, K. [\-X.
Neste estabelecimento conti-
na a haver um completo sorti-
mento de moendas e meias mofli-
das, para cngenho ; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido e
coado, de todos os tamaitos,
para dito.
A aoo rs. o covado.
Vende-se zuarte azul trancado, muito en-
corpado e com i palmos e meio de largura ,
a melhor fazenda para vestir escravo pelo
barato prego de S200 rs. o covado: na loj da
esquina da ra do Crespo, que volta para a
cadeia.
JSovos riscados monstros, de vara
de largura, a 320 rs. o covado.
Na ra do Crespo, n. 5, vendem-se os no-
vos riscados monstros, muito finos o pa-
d i fies nunca vindos a este mercado, pelo
barato preco de 320 rs. o covado.
O monstruoso bramante de linho
de 11 pnlmos de largura.
Na loja def.uimarfies & llenriques, na ra
do Crespo, n. 5, vende-se bramante fino de
puro linho de It palmos de largura, pelo
barato prego de 2.800 rs. a vara; ricos co-
bertores do barra de seda, muito grandes, a
6,000 rs. e m;iis pequeos, a 5,000 rs. ;
fazendas estas nunca viudas a este mer-
cado.
Pannos, ale 3,000 rs. o covado
Na loja de Cu imariies & llenriques, na ra
do Crespo, n. 5, vende-se panno preto e
azul, pelo barato preco de 8,000 rs. o co-
vado e preto mais inferior pelo diminu-
to preco de 2,000 rs. o covado ; bem como
um completo sortimento de todas as cores,
e de diversos presos.
A pechincha.
Cortes de esmbraia adamascada
com toque de avaria, 2,5oo res ;
ditos limpo.s para vestidos e corti-
nados, a 3,ooo ris ; ditos de tala-
garca, a i,Goo ris ; dilos finos, a
y.."ido ris; cassa-chita de cores fi-
I, 2 e 4 libras ; ditas de sardinhas ,- ditas de
hervilhas ; ditas de checolate de Lisboa ;
frascos de conservas ; ditos d'agoa de flor
Elvas ; garrafas com vlnho moscatel de Se-
luhal o da Meduira ; queijos de prato ,
frescaes : ludo uovo e chegado ltima-
mente di lsbfis : n.i rua da Cruz, no
Recife, D. 40.
Taixas para engenho.
Na fuidigBo le ferro da rua do Brum,
acaba-so de reeeber um completo sortimen-
to de taixas de 4 a 8 palmos de bocea, a.
quaes acham-se a vcrida por prego com-|
modo 0 com promplidSo embarcam-se.i
>u camgam-secm carros sem despegas a.
comprador.
Vende-se algodao trancedo
da fabrica de Todos-os-Santos a
970 e a 3oo rs. a vara : na rua da
Cadeia, n. 52.
A 1,000 rs.
o corle de calcas.
Vende-se brim trancado pardo de puro
linho a mil rs. o curie de cs'gas : na rua
do Crespo, loja da esquina que volta para a
Cadeia.
Vendem-se sellins inglezes e
camas de ferro : na rua da Senzalla-
nova, n. (\"x.
rol ha de Fiandres.
Vendem-se canas com folha de Flan-
dres : em rasa de J. J. Tasso Jnior : na rua
do Amorim, n. 35.
Na rua Nova. n. 5,
4
Potica pelo doutor Vele :
vende-se no pateo do C.ollegio loja de li-
vros de Joilo da Costa Dourado.
Vende-so urna propnedade distante do
Reelfe menos de urna legos, com duas boas
casas, sendo um torrea e outra de um an-
drr o sotlio com 3 olaries, ci.m muito bom
barro 2 grandes vveires o oulros quasi
1 nllo tem, vicios nem achaques o que promptos uma veitcnte que corre todo o
langa um preto de meia idade, muito anno l0(1() cerc,0 0 espinho o valos,
cozinheiro, e queda-so cm conta^>eni comaigunsarvorndos de fructo, com pro-
porgOes de se fazer uma engenhoca pela
xas, a 3oo ris o covado; meado
emeassa, o covado a 200 ris; lan-
zin has para vestidos, calcas e roupa
de meninos, a 320 rcis o covado ;
e nutras umitas fazendas por preco
brrato : na rua do Crespo, loja de
Cnnha Guimaraes, n. l5.
A 640 rs. cada um.
Vendem-se cobertores de algodilo, dos
mais encornados que ha, e proprios para es-
cravos, a 640 rs. cada um: na rua da Cadeia-
Velha, n. 33.
Aos 2o:ooo,ooo de ris.
C3T Continuam-se j>
a vender bilhetes, meios, quartos, oilavns c
vigsimos da decima loleria concedida a
beneficio da construcgfio e reparo das ma-
trizes da provincia do Rio -de-Janeiro cu-
jas listas devem de chegar a esta provincia
no primeiro vapor : na rua da Cadeia do Ite-
cife, loja de fazendas, n. 51, de Joiloda Cu-
nta MagalhSes onde existem as listas das
loteras passadas.
Bilhetes com assignatura de
Siquera.
Loteria do Rio-de-Janeiro.
Aos 20:000,000 de ris.
He chegada a lista da terceira loteria de
Campos e com ella grande sortimento de
bilhetes, meios, quartos, oitavos e vigsi-
mos, na rua da Cadeia, n. 56, loja de fer-
ragens, de Antonio Joaquim Vidal. Adver-
te-se que deslas loteras foram vendidos na
inrsmii loja os bilhetes ns. 1,015 e 5,505
com 1:000,000de rs.; assim coirn* ante-
cedente ae venden o numero 5,573 com
4:000,000 de ris.
Chitas de cores fixas, a 5,200, ou
a'\40rs. o covado.
Na loja n. 5, que faz esquina para a rua
do Collegio vendem-se chiles de bons pa-
drese cores finas, a 5,200 a pega c 140 rs.
o covado; ricos cortes de chssb da rainha
Victoria a 3,600 rs. o corle ; lindas cassas
francezas, largas, pelo barato prego de 610
rs. a vara : esta fazenda se torna muito re-
commendavel por ser de padrfies novos e
muito finas ; lm destas ha um com-
pleto sortimento de todas as qualidades de
fazendas, por prego muito commodo.
4os fumantes de bom gosto.
Noarmazem de molhados atrs do Cor-
po-Sanlo, n. 66, ha para vender, chegados
pelo ultimo vapor vindo do sul, superio-
res charutos S.-Flix, e de nutras muitas
qualidades que se venderSo mais barato do
que em outra qualquer parle : bem como
cigarrilhos hespanhes ditos de palha de
millio, que se estilo vendendo pelo diminu-
to prego de 500 rs. o cento.
Vende-se champanha da mais superior
qualidade que tem vindo a este mercado :
na rua da Cruz, o. 97. armizem de Crocco
&C. .
Cha barato. \
Vende-se muito bom eha, pelo pV de
500 rs. a libra : na rua do Crespo,^k2S.
ica d Deposito da fabrica
Todos-os-Santos na Bahia.
Vende-se eso casa de N.O. Bieber& C.
na rua da Cruz, n. 4, algodilo Irangado
daquella fabrica, multo pioprio para saceos
de assucar.
Vendem se presuntos inglozes para
fiambre ; litas com bolachinbas de Lisboa ; ,
ditas de araruta ; ditas de marmelada d I n. 25, se dir quero vende.
UMi
vende-se um lindo mulntinhodc 15 annos ,
proprio para pagem, por saber muito bem
bolear; um mnleque de 1C annos, mnito
lindo um dito de 18 annos ; um preto bom
cozinheiro; um dito bom ganhador de rua
quo paga 560 rs. pordia; uma parda de lin-
da figura de 20 annos com todas as ha-
bilidades precisas ; uma preta por 300,000
rs. ptima para vender na rua por ter
lisso pratica ; uma dita ptima para o tra-
balho de enxada ; nma dita de 20 annos ,
boa quitandeira.
Novo sortimento de brim trancado
a i,5oo-rs.
Vendem-se brins trancados brancos, lisos
e de lislras de puro linho a 1,500 rs. o cor-
te ; cortes de fustn alcorhoado a 480 rs.:
na rua do Crespo, loja da esquina quo volta
para a Cadei
Na livrarians. 6 e 8 da praga da Inde-
pendencia vende-se o seguinte :
MANUAL ELEITORAL
contemlo a Ici regulamentar das cleigfiese
os decretos e decs Oes do governo quo dSo
eselareoimcntos sobre sua execugilo,expedi-
dos a' abril do corrrenle anno, com notas
explicativas fundadas uestes mesmos eseja-
recimentos;
CDIGO DO PROCF.SSO CRIMINA!/
de primeira instancia do imperio do Brasil,
com a disposigfio provisoria acerca d ad-
mnistraglo da jusliga civil, seguido dn lei
de 3 ile dezembro de 1841, e icgulamentos
para sua exeeugo de 31 de Janeiro e 15 de
margo de 1842, segunda edigSu mais cor-
recta c augmentada com notas
SSSF.
Manoel da Silva Santos continua a vender
barricas de familia de trigo da marca ci-
ma mencionadas, ltimamente chegada a
este mercado: a tratar no armazem de Anto-
nio Aunes, no caes da Alfaudega.
Na loj 1 da rua do Crespo, n. G, ao
p do lampeao, chegoii novo
sortimento de lazendas, todas
de muito superior qualidade e
milito baratos.
Cortes de brim trancado branco liso e
listrado, a1,500rs ; ditos escures, si ,000
rs. ; dio cor de ganga, a 1,440 rs. ; cober-
tores de slgOdfio americano, muito eucor-
pado a f 40 rs. ; chitas finas c de cores (1-
xas, a 6,400 rs. a pega e a 180 rs. o cova-
do ; chapeos de maesa a 1,600 rs. ; ditos
de seda a 640 rs. ; pegas de cassa para lia
hados, a 2,400 is., e 320 rs. a vara ; e nu-
tras muitas fazendas por prego commodo.
Na rua da Cruz, armazem n. 33, de S
Araujo, vendem-se superiores batatas de
Lisboa em canastrasdcS arrobas, a 2.000
rs. a arroba : lambein se vende as arrobas
Pichinchas extraordinarias.
Na rua do Crespo, n 5 A, vendem-se lu-
vas de pellica, innto para homem como pa-
ra senhora a 160 rs. o par ; ditas de seda
curtas para senhora a 120 rs. e com-
pridas a 6(0 rs. ; meias de seda cumpri-
das tanto brancas como prelas 8 1,280
rs. o par ; ditas brancas, bordadas e aber-
tas a 1.1 ou rs. o par ; ditas prelas e blan-
cas para humem a 1,000 rs. o par; luvas
compridas de pellica para senhora a 610
rs. o par ; enutras muitas fazendas que se
darflo as amostras com o competente pe-
nbor.
A 640 rs. cada um.
Vendem-se cobertores de algodilo ameri-
cano, encorpadose grandes a duas pata-
cas ; chitas escuras de bons padrOes e co-
res seguras, a meia pataca o covado : na
rua do Crespo, na loja da esquina que vol-
ta para a cadeia.
Vende-se vime, chegada ltimamente
no brigue Novo-Vencedor : na rua do Apol-
lo aiuiazem de Antonio Augusto da Fon
seca.
A 200, 1,280 e i,5oo rs.
Vendem-se 6 lindos moleques de na-
g3o e crioulos, de 16 a 20 annos, sem vicios
nem achaque*; 2 pardos do 18 a 20 annos ,
um dos quaes he perfeito offlcial de sapa-
toiro, e ambdr^iropros para pageos ; 4 pre-
'os de 25 a 30 annos de bonitas figuras ,
sendo un driles bom serrador e muito h-
bil para qualquer servigo, o qusl he de na-
gflo e nflo tem vicios nem achaques ,
se a (I
hiirn coznneiro, o queua-so cm wmA
como oulros muitos esctB'os : ni I do
Vigario, n. 24.
para grvalas a
. cada um.
rua do Crespo, vendent-se
longos protos psra gravatai.com um peque-
no loque de moro, pelo barato prego de 720
ris. ^^^^^bhv
Cha brasileiro.
Vende-se cha brasileiro no armazem de
molhados, atrs do Corpo-Santo, n. 66, o
mais excedente cha produzido em S.-Pau-
lo que lem vindo a este mercado, por
prego muito commodo.
.-- Vende-se uma porgfo de madeira de
louro qnc foi da srmsgflo de urna loja, mui-
to secca e propria para marceneiro ; um
hlelo ; 7 caixilhos envidragados: todo
muito proprio para loja de fazendas, miu-
dezi.s e calgado : no Aterro-da-Doa-Vista ,
n. 72.
CarlosIlardy, ourives, na rua Nova,
n. 32, vendem obras de ourn de lei, co-
mo spjam : brincos, anneis, alfinetes, cr-
gantilhas e obras feilas na Ierra: tambern
concerta e faz obras de encommenda. Na
mesma loja vendem-se chapos de palha de
arroz abertose bordados, os mais bonitos
que teem apparecido enfeitadose sem en-
feiles ; chapeos de palha suissa para se-
nhora e meninas de todos OS tamanhns, en-
feilados e teem enfeites ; fitas largas, flores,
penachos de todas as cores e muito ricos pa-
ra chnpost luvas de pellica para homem
e senhora ; \liia~ prelas para senhora; ditas
de algodilo .brancas e de cores para ho-
mem montarla cavallo; meias de seda bran-
ca e preta piara senhora ; ricos lengos de
garga para senhora; lengos de seda para
grvala de homem ; crep de lodas as co-
res ; requififesdeseda para enfeites de cha-
paos e vestidos ; franjas para manteletes;
toucas para meninrs ; srmagOes de chapeos
de formas modernns e de todas as cores ,
muito facis de cohrir; manteletes de seda:
todas estas fazendas silo novas e chegadas
de Paris na ultima embareago. Na mesma
lojs lambern se fazeml chapeos de todss ss
qualidades para senhora.
Vende-se, a bordo do brigue fiero, Tun-
deado aop da rampa do fiamos seboem
rama de boa qualidade por preco muito
em cunta.
--No armazem da rua da Moda, Ai. 7, con
lina-se a vender superior colla (las fabri
cas do Rio-Grande-do-Sul, por nrego ba-
rato.
Vendem-se espachos, a 480,
rs. cada um ; fitas largas de seda
de diversas rres, n>uto propriss
pos do senhora e enfeit<> de cama
40 e 800
svran'e
rarJia-
. aP2.
400,480,640, 800 e 1,000 rs. a vah/ um
grande sortimento He bicos e rendas fle to-
das as larguras franceses, principiando da
largura de um dedo al um palmo, que a
vista. xaf de comprar a prista das amostras-
meias de slgOdSo muito finas i;jri) senho-
ra, homem e meninas ; luvas d(U,e||pB en_
feiladas para senhora a 1,280 rs Jitns de
seda de varias cores, curtas e '".'npridas
ditas de pellica pura homem, a U'iiis.
par; ditas de algodilo brancas, a 400 rS. e
decores, muito proprias para mondaria,
a 400 rs.; um sortimento de inuiiu mlias
para enancas ; papel de peso de machina,
branco e azul em meias resmas, a 9,Mq rs'
a resma, oa40rs. o caderno ; e outra .nui-
tas miudezas por prego commodo : ier.
ro-da-Hoa-Vsla, n. 72.
Vende-se uma commoda de a
com muito pouco uso : no Aterro-da
Vista, n. 72.
Vende-se azeite doce em csixas b
12 garrafas ; vlnho clarete em ditas ; dito
de Dordeaux em ditas o harris; dito Bour-
gogne e Champanha ; cerveja p'eta em bo-
tijas ; esleirs americanas, proprias para
forrar salas: tudo de superior qualidade,
por prego cammodo : na ruada Cakleia do
Recife, loja n. 45. >
N. 9.
lelecimenlo pedeexame para poderem ava-
har a pureza de sua qualiilnde e asseio e
Na rua do Crespo, n. i4, loja de
Jos Francisco Dias.
vende-se superior brim pardo de puro
linho a 1,280 rs. o corte; dito cor de gan-
ga, a 1,500 rs. o corte; superior chita de ra-
magem pera coberla, de cores muito hxss;
a 200 rs. ; chitas miudinhas de lodas ss co-
res ede psnnos finos, a 160 rs. o covado,
dita de superior qualidade, a 200 rs. ; cor-
etes de fusloes de cores lixas, a 320e 400 rs.,
\de superior qualidade, a 1,280 rs.; pegas
dcNareUnlia de rolo com 10 varas, s 1,600
rs. ;*e,ouiras muitas fazendas por bsrsto
prego. \ .
Vende-se ums cabra fincho) parida
ha 40 dias, da segunda barriga^ mocha, e
que he muito bo leileir : nafrua Bella
RtM da Madre-de-Deos.
Puro vinho da l'igueira.
O novo armazem desta pinga deliciosa
acaba dse abrir nesta-rua, delrontc do cx-
tincto armazem ao mesmo prego de 180
rs. a garrafa e a 1,360 rs. a caada. Os
amantes desle licor alli encontraro garra-
fas prnmplanienle lacradas e com o scu
competente rotulo para trocarem por outras
promptamenle ; assim como tamhem'en-
eonliarilo barris de diversos lmannos,
por pregos bem rasosveis ; bem como vinho
branco de Lisboa a 1,600 rs a caada o a
220 rs. a garrafa. O propietario desle esta-
e ni
uaii
que cm nada desagradar aos concur-
rentes.
Vende-se una preta de 14 annos, que
cose bem.engomina e cozinlis : na la lar-
ga do Rnzario, loja n. 85.
Anda est para se vender a tsberna da
rua do Cotovello, n. 31 com os fundos
de 300 a 400,000 rs. muito boa para nego-
cio por estar bstanlo afreguezada ; lem
bous commodos para familia e o seu alu-
guel he muito barato : o motivo por que se
vndese dir ao comprador: a tratar na
mesma taberna.
Panno azul.
Vende-se panno lino azul, proprio para
fardamenlo por prego mais barado do que
em outra qualquer parle : na rua do Amo-
rim n. 35, casa de J. J. Tssso Jnior.
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Na prsgs ds Independencia, loja n. 4, che-
gou novo sortimento de bilhetes e cautelas
da decima loteria concedida a beneficio dss
construccoes e reparos das matrizes do Bio-
de-Janeiro.
Farinha de trigo.
J. J. Tasso Jnior vende [amina america-
na de Philadelpl.ia chegada ltimamente,
do boa qualidade e por prego commodo.
Vendem-se chai eos de Ubre,, brancos
1 de escova, de castor-e outro im
extensflo que tem de terreno, com suflicien-
cia para ter muitas vaccas de leite, por ser
muito abundante de casto 1 esta propne-
dade rene em si muitas proporges vents-
josas pos tsnlo serve para recreio, como
para se faier usodosestabelecimentos que
em si tem e se poder langar milo de outros
que ella offerece ; bem comoquem a com-
prar querendo pode ter de rendimento
annual psra mais de 800,000 rs. sem em-
prego de capital, como se fai ver a com-
prador: lambern se vende em separado a
casa Ierres com arvoredos, olsria e grande
terreno : tudo a vontade do comprador:
recebe-se em pagamento alguns escravos e
casa nesta prega : afallarcom JosFernan-
des Eiras ns rua de S.-Francisco pala-
cete junto a maro.
Vende-se setineta propria psrs toalhas
de mesa a nove vintens o covado ; chape-
linas enfeitadas, proprias para mucamas,
a 1,000 rs.: na rua do Passeio, loja n. 17.
Feijo.
No caes da Alfandega, armazem confron-
te ao chafariz, e na rus da Cruz. armszem
n. 13, vendem-se saccas com feijilo mula-
linhn e rajado, por menos prego do que em
outra qualquer parte.
Cabos, lonas e brins.
Na rua da Cruz, no llecife, armazem n.
13, vende-se um completo sortimento de
cabos de linho patente, de todas as grossu-
ras ; lonas ds Russia verdadeiras; ( conhe-
cidss por imperias) brins para velas, de
primeiraqualidsde.
Lanternas depatente.
No armazem da rus da Cruz, n. 13, ven-
dem-se lanlernas de patente para navio,
muito bem feitasede varios tamanhos.
Rap roldo francez.
Vende-seo superior rap rolSo francez,
nicamente as lojasdosSrs. Caetano Luiz
Ferreira no Aterro-da-Boa-Vista n. 46 ;
Thomaz deMattos Estims na mesma rua,
n. 54 ; Francisco Joaquim Duarte ruado
Cabug ; Pinto &lrmo, na rua da Cadeia
do Itecifc, n. 19.
Cadeiras de palhinha e debalanco;
armarios para roupa; lavatorios; sopfis;
mesase mais mobilia; bem como um rico
sortimento de
vasos de ctystalbrancos e de cores
para adornos desala ; garrafas e copos de
cryslal de cores : em csss de Kalkmann lr-
111 ao, na rua da Cruz, n. 10.
-- Vende-se, o quem comprar hs de gos-
lar, um escrava cabra sem vicios nem
achaques, pelo diminuto prego de 350,000
rs.: na rua Bella, n. 14, primeiro andar.
~ Vende-se cal virgem de Lisboa em
harris pequeos fechesde arcos de paoe
rodas de ditos para barricas; cndeles de
pinito abatidos para assucar; pregos ca-
xaes do Porto em barris de 10 milhpiroi?.
ditos de estuque em barris de M milheiros;
marniejoda deljsb em latas del c 2 li-
bras pilulas "de familia ; cadeiras de pao
preto, angico e cerdeira, chegadas ultima-
mentedo Porto: a tratar com Joquim Fer-
reira Vendes Guimares, na rua da Cruz,
n.49.
Vinde-se, por prego muito commodo,
um mileque de 12 annos proprio para
a premier qualquer ullicio he manco de
urna peina em consecuencia de ter solTri-
do em um quailo uma rnfermidade, da
qual resillou o ingurgitainenlo nos ten-
does quecom o lempo provavelnicnte Jica-
ra sem difeito algum como asseveram al-
guns facdlativos, o por ter este deleito
vende-sc \>v 200,000 rs.: na rua do Quei-
Vmado n. 8, vindo do Kozario.
\ Vemlen-se apparelhos de louga fina in-
gfleza de om gosto para janlar, por pre-
go' coinmoo : na rua da Cadei& do Recife,
n.
- 'e duas prelas, umscrioula,
de 18 iuco mais ou menos, re-
colhld >oa costureira, e com prin-
elplos mure ensaboar;uma dita
prota da Costa, de 28 annos, de bonil r I
gurs, que cozinhs, Uva, cose e he V"
quitandoira : no largo do N. s. do Jen \
sobradon. 36. lrv,|
Vende-se urna preta moga, sadja eft I
uma cria mulalinha.de 7 mezei *
muitb bom leite: na rua do Csbut
de miudezas, n 3. z"' '"J^
Vendem-se 12 escravos de nicn
do : dous lindos mulalinhos de \{\ i ,
nos ; 2 escravos carreiros de bonita n""
ras; 2 negrinhas ; um ptimo pardo 1.""
cravos mogos e de bonitas figuras n, ,BS"
Dlreita, n 3. n*
Vende-se, oupermula-se poretsut
ress, ou escravos, ums lerga parte de
muito bom sobrsdo de 2 sudares e mi
com bom quintal 0 cacimba no Aterro a'
lloa-Vista, 11. 24, O anal rende 700,Omi i"
annuaes: no Aterro-da-Bos-Vista, n 17?
brica de licores, deTrederico Chaves!
Vende-se um alambique frsncst ib
cobre e com pouco uso que lev ',
deirs 50 caadas com muito boa arM
lina de estanto fino, e que pesa 300Uvnt
este alsmbique trabalha por doutvttn,
um que serve para destilar garap e ot
para restilar ago'ardente: para este tem!
retilicailores, os quaes fazem com que 01?
coul saia sem cheiro e muflo superior era
grao, e muito simples psra qualquer ms,*!
poder tranalhar: achs-se montado tan,
toa trabalhar para o comprador ver: nj
brica de licores do Alerro-da Boi-Viit,
n. 17.
V'endcm-se duas moradas de caiai ter-
reas
n.3
, urna sita na rua de S.-Pedro-Nrtvr'
, e a outra na rua do Bom-Fim ,' n. Sj'
na rua das TrincheraS n. 48, primiiro n^
dar, a fallar com Manoel Antonio do p,,.
sos e Silva,
Vende-se um gsmSo ; ums btrctgi oo-
va, de lote de alca i xas, faltando-Uta mui-
lo pouca obra para cahir ao mar: na ru di
Prsla, defronte da ribeira, ns. 0 e 12
Vende-se um boi manso, manteiido
novo, que serve psra botar lodo o miUriil
em uma grande obra, para o qus est
muito proprio por Irabalhir muito bem
em carroga e esta amito a trabalhar tofo
os dias sem descansfo: na rua do Queitnado
ou annuncie. / j
--Vendem-se tres escravos de 11 tf
annos pelos e ole bonitas figuras ; na pr.
ga do Corpo-Santo, loja de cabos,
Vendem-se saccas com niilb e cii
xas com feijSo preto; saccas com dito : do
armazem de Bacelar, defronle da escai-
ulia do caes da Alfandega.
Calgado barato.
Acham-se venda na lojs de calgado darui
do l.ivrsmento, n. II, de Berntrdiivj de
Souza^^ilva corles de sipatos de couro
j!a4usw -ra senhora, promptos de uai
tudo, faltando apenas cosar-se, pois vieran
de Franga cortados com forro, palmilhase
sola p/ejparada os quaes cosidos qus le-
jam naove conhece se silo feitas na ierra ,
ou vindo* de Franca ; bem como de or-
neira da mesma maneira e pelos uusdi-
inin 11 tos (Arceos deve excitar aos amigos di
economis a\utilisarein-se de tilo boa eose-
jo : c usa 111 fi' cuuro de lustro 1,000 rs.
upir.ei 10,000 rs. a iluzia eos de cures
a 800 rs. o par e 9,000 rs. a duzia. Appro-
veilem cmquanto he lempo.
Vende-se sebo em rama muitojupe-
rior, e cera de carnauba : na rua Nova, ven-
da 11. 55.
-fcscmvos
t
ib Jo enrrente, t
de 40 anuo.
co nais ou menos, que co-
1
zinlm, engnmma e ensaboa.s qual he de An-
gola : na rua larga do Kozario, vpnda n. 46.
Vendem-se velas de carnauba de seis
e noveem libra, muito alvas, quo parecem
espermacelee doboa luz, por prego mui-
tucommodo-.a rua de llortas, n. 120.
Vender"-J, na rua do Crespo, n. II,
os seguiutes livros : Diccionario porluguez
de Constancio novo, por 10,000 rs. ; dito
francez e porluguez e visse-versa, por Cons-
tancio, por 3,000 rs.; dito francez e porlu-
guez 1 elo capilflo M. de Souza 1 v., por
8,000 rs. ; Eloqueucia do P. Miguel, nova ,
5,000 rs. ; Geometra do Kuclides, por 3,000
rs. ; dita de Lscruix em francez, por 3,000
rs ; Algebra de dita por 2,500 rs.; Cram-
matica franceza de Sevene, nova por 4,500
rs. ; Telemaco por 1,000 rs ; Secretario
porluguez, por 2,000 rs.; Epistolar, por
1,280 rs. ; poesas do doutor Barros, enead.,
por 1,280 rs. ,e broch. por 1,000 rs.; Ceo-
grophis de Vales, por 1,280 rs.; dita de
Caulier, por 1,280 rs.; Tilo Livio por
2,500 rs.; Horacio 2 v., por 2,500 rs.;
Vintilio, 3 v. por 2,000 rs.; Saluslio, por
1,000 rs. ; Fatulas, por 6(0 rs.; Selecta,
por 600 rs.; grammatica latina, por 480
rs.; e oulros muitos livros baratos, s a di-
nheiro, e conlinusm-se a trocar.
Na rua cstreiUdo Bozario, n. 4, ven-
dem-se os seguintes livros: Diccionario
poi luguez e latino ; dito porluguez de Fon-
seca 2 v ; dito da fbula, 1 v. ; dito fran-
cez de Constancio 2 v.; leis do Brasil, de
1838, 1 v. ; Fbulas do Lafontaiuo Irsdu-
zidaspor fililo Elisio, 1 v.; l'hilosuphiade
Chauna, 1 v.; dita de Cousm, 1 v.; Alge-
bra de Lacrois, 1 v.; Arilhmelica, 1 v. ;
Mesire francez, 1 v ; llennqueU du Orleans,
2 v. ; Virgilio, 3 v. ; Horacio 2 v.; Tilo
Lisio, 1 v. ; Saluslio, 1 v. ; Orthographia de
Madurei'ru 1 v.; Potica nacional de Car-
vallio 1 v. ; Manual de chimicu, 1 v.; Poe-
sa de Cosa e Silva, 2 v.; e oulros muitos
livros j aununciados por prego mulla
e pelos de escova," de castor-e olro : rua dos Quarteis, toja de miudezas, n. a. -**-% por prego commodo. mau
-- Fugio, iiottuia d cnrrenle, pelisi
horas do dia, uma prels de nome fltymuii'
ds fula, baixa echis docorpo; est com
um olho incitado, proveniente de uma pan-
rada ; levou vestido de chita de riscidoes-
curo e panno, da Costa azul e novo; foi
vista hontem pelas 10 horas no ngenho
Dous-lrmfios: queme pegar leve-s seAler-
ro-da-Boa-Visla psdaria o. 66, que seri
bem recompenssdo.
-- Fugio, no dia 3 do junho prximo pli-
sado o preto Dingo, de nagiio Congo, ds
40 annos, cheio do corpo; he bastante d-
cansado no andar; tem ums ricstnz que
principia da face at junto a orelhs enqoer-
da e na direita tem uma falha que princi-
pia do meio do circo para cima ; levou ca-
misa e ceroulas de algodilo da ierra. Roga-
se as autoridades poheisese pessoss parti-
culares, que o apprehendsm e levent-no
rua larga do Bozario, padarfa n. IS.quese-
rlo gntificados generossmente.
Dessppreceu. no da 1 do correte, 1
parda Genoveva, de 30 annos rouco roa
ou menos estatura alta, cum uns pannoj
pretos na cara ; levou veslido de cniti
azul com flores amarellss e panno da tos-
a ; desconlia-se que tenlta tomado o c-
minho do rio do Peixe, por ser nalursi
do mesmo lugar. Bog-se as sulondsdM
policises, capiflesde campo e pessoss par-
ticulares que a apprehendsm e levem-n
a rua da Maliz da Boa-Vista, n. 33, que-
rflo recompensados generosamente.
-- Fugio, no dis!3 do enrrente o\m
Francisco, mas que s d pelo nome de u
co de naglo Benguella de 40 auno po
co mais ou menos alto ;%osto comprUo
testa bastante larga e 'entrando nos can
para o centro ds cabega olhoS abugalM
dos o a vista Instante destarada ; fsll mul-
lo embaragsda andar desea nssdo e levi
taais a perna esquerda qnando de na
passada ; levou camisa e ceroulas da algo-
dilo da Ierra. Boga-seas autoridades v\\-
ciaesc pessoas particulares que o S|e
hcmlam e levem-no rua larga do ii'
rio, padarla n. 18, que serio recompe"-
sados.
5o,ooo ris
Roga seaoscapitfles de camlM,0U1o"IJr.
qualquer pessoa queiram pegr 1 aioieqI
que fugio no dia 12 do oorrente, de no
Luiz, de nsgflo Congo, de 1 a 1J nno
tem o rosto redondo e nadegss bsM*"
grandes bem reforgado do corpo; iu
camisa e caigas de riscado azul ja desD01"
do do trafico de coziuha : quem o Iev*rv
Hotel-Francisco, na rus da Alfsndegs-"
Iba, n. 0, receber 50,000 rs. de grsiww
gao.
- Desspparecersm, do poder de seu
nhor, Antonio Bernardo Freir, os pr
JoaoGabao, alto, cheio do corpo: *m"'"
baixo; ambos do gento de AngoU : q
os pegar leve-os i rua da Senzall
n- 70, que sera rec impensado
PU. : HA TTP. DE M. 'J DK