Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08959

Full Text
..
Anno XXV.
Ter^n-fera
SPABTIDAB DOS COBBXIOS.
Goianrra eParahiba,segundo e seitas-fefras.
l\iu-(iiaiidc-do-Notte, quinlas-feirasao lucio-
da.
Cubo.Scrinhem, Rio-Formoso, Porlo-Calvo
e Macei, no 1., 11 e 21 de cada mea.
Garanhuiis c llonito, a 8 e 23.
Boa-Vista _e Florea, a 13 e 28. '
Victoria, s quintas -feiras.
Olinda, todoi os das.
Bfummipn.
rHJSESDALDA. Chela a 5,sl!h.e Om.dam.
Ming. a 13, s 4 h. e 48 in. da in.
Nova a 19, s 6h.c56m.dat..
Gresca 26,i lOh.e lin.da t.
PBSAMAK DX HOJZ.
%
Primelra s 8 horas e 30 minutos da manli.
Segunda a 8 llorase M minutos da tarde.
de Jullio de 1840.
N. ISO.
PRIMOS DA SOBSCRtPCAO.
Por tres mezes (adiantadot) 40000
Por feis inezca 8/000
Por un auno 15/1)00
StJM DA SEMANA.
9 Seg. S. Cyrillo. Aud. doJ. dos orphaos e do m.
dal.v.
10 Terf. S. Janunro. Aud. da chae, do J. da I. T.
do clv. e do dos (filos da fazenda.
11 Quart. S. Sabino. Aud. do J. da 2. v. do clv.
12 (Juint. S. Joao Oualberto. Aud. do J. dos orpli.
c do m. da 1. v.
13 Sext. S. Auacleto.( Feriado.)
14 Sabbado. S. Boaven tura. Aud. da Chae. edoJ.
da 2. vara do criine.
15 oui. O Anjo Custodio do Imperio. j
CAMBIOS MtM JVBO.
Sobre Londres, a 24'/, d. por IJ00O rs. a 00
. Pars, 380.
> Lisboa, 115 por cento de premio.
Ouro.Oncas hespanholas........ 30/SOO a
Moedas dertfslOOvelhas.. 17/400 a
de e/400 novas... 16/400 a
. dc4/>00........... S#*"a
Prata.Pataches brasileiros. ..
Pesos columnarios.....
Ditos mesicanoa...........
0 a
das.
3IO00
17/800
16/600
9/6011
2/1)20
2/020
1/980
DIARIO DE PEMAMBM10.
GOVERNO DA PBOVINCIA.
Hala Vmc. de providenciar para que os Drs.
Jeronymo Vlllela de Castro Tavares e Fillppe
Lopes Relio, bem como Feliciano Joaquina dos
Santos, passem de bordo dos navios em que se
acliam detidos, osdous prime i ros paras forta-
leza do Urum, c o terceiro para a das Clnco-
Pontas.
Dos guarde a Vine. Palacio do governo de
Pernambuoo, 9 de julhn de 1849.Honorio Mr-
melo Carntiro Litio. Sr. capItSoteneDte com-
iii.indnnte da corveta Evtlerpe.Offlciou-se a
respeito ao mareclinl commandante das armas.
EXPEDIENTE DO DA & HK JI'I.IIO.
Olucio. -- Ao Mr. Jos liento da Cunha F-
gueiredo, presidente nomeado para a pro-
vincia das Alagas, participando haver pro-
videnciado, nfioio para que o inspector da
thesoursria de fazenda (<;* abonar a S.
Eic. a quantia deum ponto de res por con-
tada ajuda de custo que o Sr. ministro do
imperio Ihe arbitrar para as des "zas de seu
[rsnsporte aquella provincia, sol a con.li-
cu de restituir S. Kxc. o excesso, se por-
ventura o houver; seniio tambem para que
se lhe aprsente o sagundo tenente Pedro
Augusto de Alcntara Nabucode Aranjo e o
icompanie para a mencionada provincia,
sfiro re. ficar As suas ordens. Ofliciou-se
peste sentido aocommandanle das armas e
ao inspector da referida thesouraria.
Dito. Ao commandante das armas, re-
commendando espeja suasordens para que
se renam em parada no largo do Collegio os
cornos da guarnirlo, para fazeraa as* hon-
ras do estylo ao Sr. concelheiro Masfcel Vi-
eira Tosta no acto do seu embarque! a
provincia da Babia. Neste sentid*ofllci-
ou se ao commandante do eorpo de volun-
tarios.
Ifito. Ao inspector do arsenal ufe m a ri-
nda, ordenando que, depois de enleider-se
coin o commandanle das a^mas, nouha a
disposico deste as lanchas que forem pre-
cisas para que a mandila sepassef para bor-
do da-fragata I'araguanu' as prasjss do 4.
batalllo dearlilharia a peque'ella poder
conduzir, bem como a bagagem do mesmo
batalhao. luleirou-se o commandante das
armas.
Dito. Ao commandante do vapor Pa-
gmie-do-Sti. Faea -V. S. apromplar o va-
por sb seu commando e o ponha disposi-
co doSr. concelheiro Manocl Vieira Tosa,
transportando-o para a provincia da Babia
oliilli para a curto do imperio se elleassim
o determinar.
Em sua psssagem V. S. tocar em Macei,
levando a seu bordo o presidente nomeado
da provincia das Alagas Dr. Jos liento da
Cunha Figueiredo.
liilo. Ao jtiiz municipal e do orphaos do
termo do Goianna, declarando que, para po-
der cumpriroaviso do ministerio da justi-
oadeSOdejunho ultimo, releva queS. me.
informe cerca do requerimento que re-
melle, em que Francisco de Paula Noiberto
de Andrade pode a S. M. o Imperador ser
prvido vitaliciamente noofllcio de esrri-
vo de orphaos eausentes daquelle termo.
DEM 1)0 DA 6.
Ofllcio. ~ Ao commandante das armas.
Knviando V. Exc. a inclusa nota que me
foi aprescnlada pelo soldado do sexto bala-
ban de cacadores Jeronymo Emiliano Mon-
eiro, recommendo V. Exc. que o faca
prender por tres dias, por ter viudo reque-
rer presidencia em licenca de seus com-
aiandanles.
Entretanto convm que V. Exc. informe
como que tver occorrido cerca da baixa
que diz haver-lbu sido concedida.
Dito. Aocommandanle da divisilo na-
val, ordenando mande per a disposi(lo do
commandante das armas, afim de ser remo-
vido para urna das prises de Ierra, o olli-
cial de milicias Jos Higino de Miranda, que
se acba detido em urna das embarcarles de
guerra surtas no porto desla cidade. Com-
municou-se ao commandante das armas
Dito. Ao ebefe de polica Tomando
in considerarlo os documentos que me
fram presentes por parle do remita Alvaro
Xavier de mena, cun os quaes mostrou ser
lilho nico de viuva, altn de ser inhbil
Itr molestias para o servido do exercito, re-
solv ordenara V. S. que o mundo por em
iiberdade
l'ortaria. Nomeando para tenente-co-
ronel commandante do corpo de polica a
Joao do Reg Barros Ka leao que o coniman-
da com a.graduado de oiajor ; para major
ocapiUoda piimeira conipaubia do referi-
do corpo Jos Itibeiro Padilha ; e para subs-
tituir a esto no posto que lica vago o cspiSo
duquartobaUlliSo da guarda nacional do
niunicipio,do Hecife Jos Goucalves da Sil-
va, Conniiuuicou-se ao coniiiiaiidmite do
corpo de polica eao inspeclor de thesoura-
fia de fazenda provincial.
Ju/jamenriM.
Recurso crlme do chefe de polica em que
sao:
Recorrente, Francisco Ferreira de Mello ; re-
corrido, ojuizo.Foi julgado procedente, e
reformada a pronuncia, mandando-se dar
balsa 11a culpa ao recorrente.
Dito do recorrente Pedro Antonio Telxeira
Guimares.Teve o mesmo deterimento.
Dito do reco rente Joaquim Claudio Montel-
ro.Teve o mesmo deferimento.
Appellace civeii.
Appellante, o coronel Antonio Alves Vlann ;
appellado, Francisco Severianno Rebello.
Foi confirmada a senlenca.
Appellante, Arsenlo Fortunato da Silva ; ap-
pellado, Gabriel Antonio.Foi confirmada a
sentenca.
Appellante, Francisco arroso de Soma Cor-
dclro; appellado, Francisco Barroso braga.
Fram desprezados os embargados do appel-
lante.
Appellantes, Manoel Lopes de Souza e o cura-
dor dos orphaos herdeiros de Francisco Fer-
reira da Silva ; appellado, Joao Zeferino de
liollanda Cavalcaule.Mandou-se ouvir o
curador-geral.
Foi assignado o I.* dia til para seren jul-
gadas as appellafes civeis em que sao :
Appellante, o coronel Manoel Cavalcante de
Albuquerque ; appellado, Claudio Dubeux.
A revista clvrl em que sao :
Recrreme, Jos Joaquim Dainasaeno e Silva ;
rocorrido, Francisco Dias Ferreira,
ReviiOee.
Passaram do Sr. desembargador Ramos a*
Sr. desembargador Villares as appellacoes ci-
veis em que sao :
Appellantes, Joao Pereira Lagos, Joaquim de
Mello Carioca c outros ; appellado, Hcrcu-
lano Jos de Freltas.
Appellante, Jos Gomes Pereira Ribas; appel-
lada, a cmara do Filar.
Passou do Sr. desembargador Villares ao
Sr. desembargador Ramos a appellacao civel
em que sao:
Appellante, Jos Carlos Telxeira appellado,
Joaquim Jos Pereira de SanTAnna.
Passaram do Sr. desembargador Leo ao Sr.
desembargador Souza as appcllaces civeis em
que sSo :
Appellante, Jos Rodrigues do Paco appella-
do, Manocl Filippe da Fonseca Candi.
Appellante, o padre Silvestre Antonio de Me-
nezea ; appellado, I.uiz Ignacio de Uliveira
Maclel.
Appellante, Jos Cyprianno Lopes da Silva ;
appellado, Jos Antonio de Oliveira.
Appellantes, os administradores da casa r her-
deiros de Joao Mara Seve ; appellado, Elias
Coelho Cintra.
Appellante, (guacia Thomazfa do Sacramento ;
appellado, Jos Ferreira de Uliveira Dias.
A appellacSo crime em que sao :
Appellante, Miguel Fernandes Vieira ; appel-
lado, Manoel Bovelaque.
Passaram do Sr, desembargador Souia ao Sr.
desembargador Rebello as appellacoes civeis
em que sao :
Appellante, o juizo ; appellado, Luis Goncal-
ves de Menezes Lira.
Appellante, Jos X .hit Rodrigues Cainpello ;
appcllada, D. Auna Joaquina l.ins Wan-
deiley.
Appellante, Francisco Alves de Souza Carva-
llo ; appellado, Jus Luis Pereira Lima.
Appellante, o juizo dos feilos da fazenda do
Cear ; appellado, Luiz Antonio Ferreira de
Albuquerquc, lutor dos orpliaos filhos do
finado major Joo Rodrigues Piuicntel.
Passou do Sr. desembargador Rebello ao
Sr. desembargador Ramos a appella(o civil
em que sao :
Appellantes, Gabriel Germano de Agular Mon-
tarroyos e outros ; appellado, Manoel Fer-
reira Dlnlz.
ViMlribuifiei.
Ao Sr. desembargador Souza a revista civel
da ielar.ao da Babia em que sao :
Recrreme, D. Anua/rliriua llosa de Lima;
recorrido, Isaac Ainzolak.
A appellacao civel desta cidade em que sao :
Appellante, Jos da Costa Guimares appel-
lado. Joo Antonio Forno. ^
Ao Sr. desembargador Villares o recurso do
ebefe de polica desta cidade em que lia :
Recorrente, o batiarel Antonio da Assuinp-
(o Cabral recorrido, ojuizo.
AoSr. desembargador Leao a appellaca ci-
vel da comarca de Vw. <-1 ti em que ao :
Apprdiite, Carlos Jos Gomes de ivt ira ;
appellado, Pedro Jos Rodrigues.
Ao Sr. desembargador Villares a appellacao
civel desta cidade em que so :
Appellantes, Joaquim Antonio dos Santos An-
drade e outros appellado, Antonio Bote-
Iho Pinto de Mesuuita.
A Sr. desembargador Rebello a appellacao
civel desta cidade em que sao :
Appellante, Justiuianuo Antonio da Fonseca ;
appellados, Joao Keller Si C,
N'io se julgaram inais os recursos que ti-
nliain dia assignado por faltar o Sr. desembar-
gador Bastos.
Levamou-se a seisao s 2 horas e meia.
AdJicflfo aos Irabalhoi da uuSo pastada de 3
do eorrtnli.
O F.xm. Sr. concelheiro presidente da rela-
co apresentou em mesa o aviso da secretaria
de estado dos negocios da juslica de lOdeju-
nbo passado, em que S. M. o Imperador non ve
por bem,por sua inmediata resoluco de 14 do
dito un/., que se restabelecesse d'ora em dian-
te a pralica anterior ao aviso de 19 de abril de
>838, que dispensava nova distribuicao para o
Appellante, a justlca ; appellado, Miguel Fran-
cisco do liom-Fim
EXTERIOR.
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PERN'AM-
BCO.
julgaiiienlo dos embargos.
lu ollicio
TRIBUNAL DA liCLAGAO'.
SESSAO' EM 7 DE JULHO DE *1849.
rnesiDENCU DO BXM. seniio
COflCKLHtlRO AZEVEDO.
y* dez horas da tnanhaa, achando-se pre-
les os Sn. desenibargadores Ramos, VII-
Ip-". Leao, Souza, Rebello ejuizde direito
rereira Monteiro, faJlaudo com causa parlici-
IPidaoSr. desembargador Bastos, foi aberta a
"ssaoj e o Sr. presidente apresentou ein mesa
|uin ofcio do fcin Sr. concelheiro de estado
^ ouurio lirriniTo Carneiro Leao; coinmuni-
.iiilo-llie ter turnado posse no dia 2 do correu-
f1-' de presidente desta provincia, nomeado por
c a imperial de 3i de maio passado.
mt --------------
do Exui. Sr. presidente da pro-
vincia, em que participa ter deferido jura-
mento e posse ao bacbarel Francisco de Paula
Rodrigues de Alincids do lugar de juis muni-
cipal c de orphaos de Goianna.
Oulro do mesmo julz, participando-lhe ba-
ver tomado posse do dito luga.).
Drftrimtnloi.
Uabeoi-corput de Caetano Francisco de Bar-
ros Wanderley___Foi negada a soltura.
Dito de Cosme Damio.Uandou-se ouvir o
delegado de Iguarass para que informe at o
dia 10 do corrente.
Diilribuiti.
AoS
civel da
Appellantes, Dioultio Goiie do Reg c sua
inullier. I
Ao Sr. desembargador if ao a appellacao cri-
n/e do jury da Atalaya enjque sao:
Sr. desembargador llamos a appellacic
da cidade da Victoria em que sao :
I'aris, 19 de maio de 1849-
A correspondencia, que Vmc. me pedio,
creio satisfar seus leitores. Minha situa-
qo em Pars, no centro do movimentoda
poltica eda imprensa, me habilita a p-ln
ao Tacto dos acontecimentos e de suas cau-
sas. Conheco pessoalmente, e em todos
os partidos, os personagens com que pre-
tendo entre(-lo ; e nada, que importante
seja, escapar a Vmc. acerca dos factos que
aqui se passam ; fac'os que provocam o in-
teresse ou a curiosidade do mundo civili-
sado. A Franca d actualmente impulso
Europa : foi ella que comecou a dansa in-
fernal ; eque ateiou em todo o continente
europeo o brandilo das revolucoes. Ai! he
ella que caberia extingui-lo, e curar o
mal que fez Dever he este que ella pouco
enche. Mas he no proprio foco, em que el-
le nasce, que estudar devemos o incendio
para lhe seguirmos os desenvolvimentos.
Socegar-se-ha a Europa, no dia em que a
Franca recobrar sua serendade eseusan-
gue-frio. Inda n3o chegou esse dia, e es-
te desgranado paiz, quepensou tocar o ins-
tante do seu livramento, deve passar talvez
anda por muitas provas, quaes os seus vi-
zinhos soffreram o contra-golpe
Vou, pois, primeramente fallar a Vmc.
da Fiancn, e revistarei dopois os factos eu-
ropeos oais importantes.
Franca.- Eu supponho que, antes de re-
ceber a minha correspondencia, Vmc. haja
nteirao o publico no tocante aos succes-
sos q.ue tiveram lugar neste paiz : tralarei
s dos ltimos.
Terminamos nossas eleicfles : eis a pri-
meira prova desta coixa constituteiJo, que
improvisados legisladores nos expedirm.
Bellos nSo s.lo seus resultados : victorio-
sos nilo ficaram os hninens de dcsordsni ;
mas a publica expectar;So foi ctiganaia :
nesse sentido que nossos furibundos cle-
magogos, campeOes das doutrloai socialis-
tas e commnnistas chegam em gran nume-
ro nova assembla Ein setecentns c
(llnenla representantes Horneados, du-
zentos e citicocnU, pelo menos, silo faue
lores do conimunismo e do socialismo. To-
das as intermediarias amea;as de republi-
canos violentos ou moderados fdram im-
placavelmente repcllidas ; e muito apenas
se achara urna dezeua sobre os bancos da
cmara, O espirito de exclus.to foi iin-
pellido lo longe, quo os quatro persona-
gens que, a revezes, presidirain a consli-
tuinte, fram todos qualro eliminados ; e
dos onze membros quecompunbam ogo-
viino provisori i, tres smente acharam gra-
ta ante os ele Unes; e mesmo um dos tres, o
Sr. Ledru-ltollin, crigio-.se chefe do parii-
du socialista. Entre os exclusos avulta o
nosso eximio poeta Lamartine, oqualtem
sem duvida graves exprobracOes a fazer-se
por ter contribuido para urna deleslavel ro-
volucuo ; mas cujos estoicos teuderam,
desde essa poca, a manter o governo as
vias da moderadlo e justica. O bomem
que, no anno ultimo, colina onze nomoa-
cus e mais de um milho do votos, iiciu
sequr conseguio fazer-se eleger no seu
proprio departamento, do qual era amor e
ufana. Tristo retorno das mundanas cou-
sas.
Esperava o partido da ordem solucSo
melhor, e com rasSo. Este paiz quer or-
dem ; releva smenle lhe lacam claramen-
te comprebender por qual caminho ella
se ebega. Elle repudia os republicanos
formalistas ; porque outra cousa nilo sou-
beram fazee senlo enclierein-se deempre-
gos. Elle inclina um pouco aos socialis-
tas ; porque lhe promettein mundos efun-
das ;1 sobretudo porque oschefes do par-
tido nkda souberam fazer ou dizer que se
Cndere^asso ao povo. Elles dividiram-se,
qiiaiuW) liies i-onvmha permanecerem uni-
dos : Tileitearam o premio da victoria an-
tesda'batallin. Eis porque a victoria foi
in<'ompleta. Em I'aris, por exemplo, bou-
ve pelo menos dez listas de candidatos per-
tenec! tes a opiniSo moderada: os votos dis-
sennnaram-se ; e, bem que nos fossemos
muito mais fortes, nossos adversarios al-
ea nearam assim dez nomeacoes sobro vin-
te e oito.
A nova assembla reunio-se dentro n'u-
ma semana: no entanto a constituidle faz
scismas : ella acaba desupprimir por um
voto, que lera ell'eiio adalar do ldeja-
neiio de 1850, o imposto as bebidas, o
qual produz annualmente 103 milhes de
francos : e o nosso budget est j em d-
ficit de 180 milhOes, que ninguem sabe on-
de os ache.' Se a legislativa nSo pozer or-
dem nisso, iremos direitinhos banca-ro-
ta. A assembla constiluinle, por um vo-
to inda mais rcenle, acaba de tirar im-
plcitamente o commando da guarda na-
cional e das tropas de Pars so general Chao-
garnier. He este general um sujeito enr-
gico, cuja attilude coulinba os anarebis-
tas. Acaso quer a assembla, retirndo-
se, sollar a guerra civil em I'aris ? Eis o
que se pergunta. e os fundos pblicos bai-
Xam horrivelinento ; O traballio cessa em
toda a parte ; a publica confianca desappa-
rece : sua situado he espantosa : quan-
do maiorinenle se pensa que os anarchis-
tas se acham admirsvelmeute Organisados
em sociedades secretas, e prompuis a tu-
rnaren! armas ao primeiro sigual.
Exleriormente lemosum grave embarazo.
Dozeou'quinzemil Francezes fram lan^a-1 tido a curiosidade dos leitores. He vulgar,
dosnos estados romanos, sb o commando ['mas he til. Quanto aos inventos cieott-
dogeneral Oudinot.para auxliarem o resta-lflcos e industriaos, e aos productos das ar-
belecmento do papa, o ajudarem as pes- tes, brevemente tere occasiSo de laliar-ine
soas honradas nos estados pontificios, quejde uns e outros ; pois daqu a algumas se-
quizessem chegar ordem, sem se deixa-lmanas teremos a nossa expoiicao de piO-
retn confiscaras liberdades pelos Austria- tura eesculptura ; e (o que he mais impor-
' tanto) nossa exposcSo quinquenal dos pro-
ductos da industria : ella foi bellsima em
lempo de Filippe; veremos quaes progres-
sos nos fez a repblica.
mi mi Ann
eos. Kpganado por falsos avisos, o general
rnarchou Roma, e cabio n'uma cilada. Os
bandidos de todos os paizes, que Mazzini to-
mn a sold, sorprendern! algumas com-
panhias francezasque, julgando as chama-
vam Roma, entraran) na cidade, e ficaram
prisnneiras. A noticia deste revez chegou
a Pars, e foi prfidamente citada na assem-
bla. Ella teve por efleilo scenas parla-
mentarias cheias de violencia ; e, posto que
em resultado o governo lvesse a superio-
ridade, esle incidente produzio desgosto-
sissimo elle 11.) as elei^es; pois o povo
francez adora o successo, o nilo perda ao
dosbarato.
Agora que eu Iheescrevo, as noticias do
general Oudinot s.lo boas; c tudo annuncia
que, depois de urna negociaeflo j bastante-
mente adiantada, as portas de Roma lhe se-
rlo abortas.
I'ara eu nada omittir importantee comple-
tar este breve resumo das noticias de Fran-
ca, direi a Vmc. que o nosso ministro do in-
terior, o Sr. Lelo Faucher, homem enr-
gico e resoluto, mas pouco amado t no
seu partido, acaba de dar a sua demjs-
slo, em consequ8iicia de um voto de re-
prehens3o, quo lhe infligi a assembla,
por urna causa asss ftil. OSr. Faucher
uo sei a substituido sean qiiandoa nova
assembla se reunir. Encarrcgou-se um
de seus collegas do interim.
Allemanha.A Allemanba est mais afo-
gueada quo nunca. A assembla de Franc-
fort que, al esse dia, tinlia funecionado
sem quo nisso so allcntasse muito, cabio,
desdo algum tempo, as milos de furibun-
dos revolucionarios que lhe dictam suas re-
soluces, e parecen decididos a nao deixa-
rem pedra sobre pedra to edificio germni-
co. Elles proclamaram urna constituidlo
ullra-demneratiea ; e como os principes re-
t'us un acceila-la, os agentes de Francfort
soiVrein em toda a Allemanba o espirito de
revolta c nsurreicno. Em toda a parte as
pnvuac/ii's estilo amotinadas contra os prin-
cipes. El-rei de Wurlemberg foi violenta-
do : o rei do llanovor, o rei deSaxonia, fu-
giram de suas capitaes auto a revolta que
exiga sua ac placlo s espingardadas, A
l'russia 1 Mena na e o pala ti nado lia varo so
entregues s depredares do urna gentalha
desenfreiada, e de una soldadesca quees-
pingardeia seus ofilciaes fiis a sous deve-
res. Ograu-duquedeBjde deixou ahi sua
ducal cora, para salvar a vida ; e a rep-
blica foi momentneamente proclamada em
Calerne. Este borrivel e sanguinolento ca-
bos faz estremecer de horror todos os que
conhecem esses ricos paizes e essas gracio-
sas lidades, quejazem s margetis do Hhe-
no. Como acabar ludo istu : Convm o
perguntemos l'russia ; nica potencia que
pode, talvez, anda arrostar o mal, eque
resolv.la est a emprcgar-se nisso.
El-rei de l'russia deixou emfim de lado os
reas da escola histrica, edecide-se a fazer
rosto ao presente. Elle desembaracou-se,
em primeiro lugar, da sua cmara gritado-
ra e turbulenta que o insurdecia em Ilerlim
e fazia tenebrosas chamadas sedi<;3o; de-
pois veio em soccorro dos reis do Saxonia e
de llanover que os regeineces prussianos
estSo a ponto de rometler om plena posse
de seus Ihronos. Inda nSo lio ludo: elle
quiz fazer cessar a vergonbosa e sanguino-
lenta comedia que so representa em Franc-
fort. Elle lornou a chamar os deputados
prussianos, e declarou, n'uma enrgica
proclamado dirigida a seu povo, que, de
aecrdo com os outros governos, modilica-
va a constituicao federal, desembaracan-
do-a do elemento demaggico, eque resti-
tuira Alemanha a perdida ordem e paz.
Inda se iguora o effeito produzido por esta
recente proclamacSo ; mas todos os homens
sensatos conjecturam que el-rei de Pruwia
lomou o bom partido, e queja era tempo.
A Austria debate-se sempre contra a Hun-
gra : chegaram confusas e contradictorias
noticias. O cerlo he que a Russia inler-
vem; e que, com tSo poderoso concurso,
o resultado da lula uo he duvidoso
lalia -O Piemonle cicatriza suas chagas :
a l.ombardia est socegada : s Veneza re-
siste anda a Iradelzki; mas agora o cerco
desta cidade comecou. A Toscana lornou a
chamar o seu gran-duque ; smente l.iorne
fez alguma.-resistencia ; mas os Austracos
apoderaram-se della, e a malem severa-
mente. Resta Roma que deu mustias de
recusar o soccorro dos Francezes, e que uo
lem oulro refugio, ameacada a urna pelos
Napolitanos e pelas tropas imperiaes.
/nglalerra.-Sba influencia de sua admi-
ravel constituicao, a Inglaterra he feliz e
livre. Abrem-se abi, as assemblas deli-
berantes, quesles de gabinetes, relativas
a innocentes bilis, que dizem respeito ao
acto de navegacSo, ou aos direitos polticos
dos Judeus. O ministerio Kussel resisti a
essaa duas provas ; mas he fraco.
Occupa-se a liollanda tranquillamento
em corar seu novo rei ; eui quanto n'ou-
tra parle se quebram coras. N'oulra par-
te sao miseraveis e agitados; na liollanda
ludo lie aocegado e prospero.
Eu quizara fallar a Vmc, no fim deste re-
sumo.acerca de nossas novidades Iliterarias
e Bcieotilicas ; mas o lempo nao he proprio
agora para tao pacificse fecundos trabalhos
do espirito humano. Toda nossa lilleralura
consiste em luineloa polticos e em jomaes.
as .publicares da ra de Porliers (grande
eomUi dos moderados) teem smente eutie-
. .--.. .^.,
TIRO DE PISTOLA DISPARADO SOBRE
A ItAIMlA DE INGLATERRA.
Sabbado passado( 49 de maio Ja rainha
de Inglatorra, depois de pela manhfia haver
recebdo no palacio de San-James um gran-
de numero de pessoas que a fram cumpli-
mentar, por ger aquello dia o annversario
de seu nascimento, regressava pelas seis
horas da tarde para o palacio de Buckhin-
gbam, sua residencia habitual, quando, ao
atravessar urna das tapadas de Londres, um
tiro foi sobre ella disparado de urna monta
pouco distante do lugar onde j em 1843
Oxford havia attentado contra sua vida.
Ao ouvir o estrondo da explosfio, a rainha
lovantou-se na caleca e voltou-se vivamen-
te para a parte donde o tiro tinha partido.
A calrcn continuou a rodar, e a rainha che-
gou sla esalva ao palacio de Ruckingham.
O homem que disparara e tiro j ahi se
achava sb a guarda do constable ( oflicial
de juslica ) Tepley, o qual, ajudado por um
dos guardas da lapada, immediatamente o
prendera. De Buckingham foi este homem
conduzdo para o posto de Kina-Street, on-
de foi enllocado dehaixo da vigilancia de
um inspector de polica.
Elle tem l annos de idade, e por mullo
tempo recusou declarar o seu nomo; com-
tudoelle dsse afinal que se chamava John
llamilton.e era natural da Irlanda.
Este desgranado nfio condece pai nem m9i
nem nenhuma especiado prenle. Ha pou-
co mais ou menos cinco annos que, dei-
xando a Irlanda, |p transportara para a In-
glaterra. Em 1818 esteve elle em Franca, e
havia j tres mezos que nao tinha em que
Ira baldar.
No momento em que a caleca da rai-
nha enlrou em Cren-Part, John llamil-
ton perguntou a um individuo que esla-
va junto delle, se era com etTeito a rainha,
e como o oulro lhe rospondesse que era, ti-
rou da algibeira urna pistola e apontou-a
para a caleca real.
Todas as lestemunhas deelararam terou-
vido o estrondo da dotonacfto, mas nenhum
vestigio de bala foi encontrado. O general
Wemyss, ajudanto de ordens da rainha, o
qual ia junto da porta da caleca, sustontou,
desde o primeiro momento, que a pistola
nao tinha sido carregada seniio com plvora
secca ; porquanto se o lvesse sido com bal-
la a eu, dsse ello, teria cortamente sido fe-
rido.
0major genoral Wemyss, diz o Standard,
havendo reconhecido que sua S. t. nSo ti-
nha sido ferida, ordenou ao coebeiro que
continuasse a marcha.
Ao chegar em palacio, a rainha foi rece-
bula pelo principe Alberto, que, ao apear-
se do cavado, fura informado do todo o
acontecido. Louvado seja Dos, oxelamou
elle, recebendo a rainha em seus bracos,
eis-vos salva O principe a Ievou depois
para o sen gabinete.
Na occasiao da tentativa achavam-se na
caleca com a rainha tres de seus filhos, o
principe de Calles, a princeza real, e a prin-
ceza Eleonor.
Eis-aqui arosumo do primeiro interro-
gatorio feito a John Hamilton.
Como se chama?
JohtrHamilton.
Que idade tem ?
Vinte e quatro annos.
Onde mora 9
N3o quero dizer onde moro.
He natural da Inglaterra?
Nao.
Donde he ent3o natural ?
Da Irlanda.
De que condado ?
Do condado de Limerick.
Tem algum cmplice ? '
NSo.
Que molivo teve para perpetrar este
crite?
A miseria.
Depois deste primeiro interrogarlo, o
preso foi levado para a cadeia. Todas as me-
didas selomaram para impedi-lo de com-
melter um suicidio.
Sobre a pistola achava-se gravado O nomo
do armeiro : Clark, tm Ltndret. Ella era pe-
quena, e das que entre nos sao conhecidas
pelo nome de pistolas de algibeira.
. O povo, sendo informado do que se havia
passado, patenteou um vivo movimento de
indi^nac/io. Elle invadi immediatamente
a Rtgtni-Slreet, l'all-Mall e o largo do paco
gritando : Fiva a rainha Na tapada de San-
James cantou-sa toda a noite o liymno na-
cional Uod tav the queen. Nos theatros, o
mesmo hymno foi pedido pelos espectado-
res. Em todos os clubs a noticia de que a
rainha uo linha sido (erida foi accolhida
com applausos unnimes.
No domingo, pelas duas horas da tarde,
John HamiltoD foi conduzdo ao ministerio
do interior, onde se nchavam reunidos o
ministro sir Georges Grey, M. Waddington,
subsecretario de estado, o procurador geral
e M. Hall, magistrado
John Hamilton ostentou ao principio mul-
ta arrogancia, mas depois mudou de altittl-
de, empallideceu e tremeu.
Muitos membros do governo assistiam a
esle interrogatorio, entre outros H. Wood,
.co.


<1
chancellcr do fisco, e o secretario de lord
John Russell.
A primeira teslemunha interrogada fo
mu amijo do preso, .llamado Daniel O'
Kcefc, oqual morav.i com elle.
O procurador gtral l'erlence-lhe islo?
( Mostrando a pillla de que Flamlllon se ser-
vir. )
Sim, scnhor.
Sabe dealguma particularidade rela-
tiva ao acontecido?
N3o, senhor. Nada sei absolutamente,
lie introdnzida a mulher da testemunha
cima, de nomo Brigitte O' Keele.
Conhcco isto.' (A pillla.)
Sim, senhor.
" O que sabe de mais?
Sabbado passado cu fui ao jardim e vi
Ilamilton assentado em utn banco. Pre-
ciso de una pstela, disse-me elle, Daniel
tem urna ja vellin, faca o favor de empres-
ta r-in "a.
Vosse emprestou-a comelTeito?
$m. Fui ao nosso quarto de dormir,
e dei-lh'a pela janella.
Quedisse elleentSo?
lhou para a arma e disse : Est em
muito mo estado.
Observou mais alguma cousa?
NSo ; pnrm pouco dcpois ouvi tres
tiros de pistola successivos no jardim.
Sabe se elle tem em que trabalbe t
Desdo o natal al agora n3o tem tra-
balhado endsele semanas.
Como viva elle entilo ?
Urna rapariga que mora com nosco, e
que conhece muila gente, trazia-nos os so-
bejos das mesas das casas suas conbecidas,
eajudava-nos a suslenta-lo.
He introduzido depois o 1 I lio das duas
precedentes testemunhas de nome Eduardo
O' Keefe.
Que idade tem ?
Onze annos.
O que loi que Ilamilton llie pedio ?
Sabbado ello pedio-me que llie fosse
comprar um sold de plvora.
E vosse foi t
Sim, fui a urna loja na ra Elisabeth,
e-comprei um sold de plvora. A mulher
que m'a vendeu, disse-me que n3o bavia
plvora nit-1 luir.
A que horas foi isto ?
A's tres horas, pouco mais ou menos.
Elle sabio, euquiz sabir tambom, mas elle
disse-me que ficasse.
As outras testemunhas n3o fizeram mais |
que repetir osdepoimentos.destss tres.
O major gederal Wemyss declarou de no-
vo que eslava pessoalmente convencido quo
a pistola nOo fura carregada sen3o com pl-
vora serca.
Haniilton foi remetlido para o tribunal
criminal central, perante o qual compare-
cer a II de junho prximo futuro. Elle nao
he aecusado de ter attentado contra os das
da rainh, massimplesmento de ter procu-
rado intimida-la. Isto he pelo menos oque
declarou M. Hall, magistrado encarregado
da iustrtirc3o do processo.
Os Inglezes n3o se esmeram nunca em
exagerar o explorar o crime. Elles nio tra-
tam jamis os autores de taes tentativas
com essa snlcmnidade qno nao serve senSo
para excitar as imgiiiac,Ses depravadas.
Ilamilton sera julgadosimplesmenle pe-
lo t'iliunal do jury. (l'resie. )
ventre, foi toda a therapeutica tpplicada sos
tetnicos, um dos quaes morreu no fim de
2* horas ; e os outros, como se v, se salva-
ran).
Aos bexiguentos, com feridas de arma
do fogo, todas as vezes que sobrevinha in-
flammaQIo de vicera, nao aproveitou o tra-
tamento preconisado por Mead e Huxhan,
Sydenlian e Culen, e por fim o do Raspail :
este mo resultado talvez seja devido ao lo-
cal o construcc3o do hospital.
Nos casos de morte, tres nos pareceram
dignos de exame ; e foi praticada a autop-
sia. Em um o figado todo era um saeco
purulento, o seus intestinos um viveirode
vermes lombricoides. Os outros dous f-
ram bexiguentos ; em um delles quesuc-
cumbio 13 das depois de ter entrado para o
hospital, em quem as bexigas majeharam
lentamente, lodo o canal digestivo e o res-
piratorio estavam marchelados de pstulas,
e os polmoes hepalisadoscm varias parles ;
e no Otilio, urna grande quantidade de san-
gue foi encontrada no intestino delgado,
onde existia urna pcrfuracSo que deu lugar
extravaso do mesmo liquido para o inte-
rior do peritoneo, e varias pstulas em todo
o intestino ; e o mais que se encontrou em
lodos elles era o resultado de sou passa-
mento.
Hospital regimontal do corpo de polica,
6dejulho de 1849. Dr. Joi Joaquim de
Souza, cirurgiao-mr do mesmo.
N. B. Entraram para o hospital mais tres
l'i ara s de pi i mi-1 ra I ii.lia e duas do corpo de
voluntarios, quo nao vilo mencionadas na
estalistica ; todas baleadas e alguinas das
quaes liveram bexigas. Sahiram curadas
tres a bstanlo lempo, e ficam duas que silo
de pi ni.rira Indi.i, uma das quaes (leve sa-
bir muito breve.
!
DIARIO DE mulMCO.
PEnWAMBUCO.
ESTATISTICA DO HOSPITAL REGIMF.NTAL
DO CORPO DE POLICA EM O l.SEMES-
TRE DE 1849.
Janeiro. Occuparam 34, exisliam 14,
ent.iran 10, sahiiam 8, morreu 1, resta-
ra m 15.
Fcvcreiro. Occuparam 41, existiam 15,
en: i ai ai 25, suliiraiii 13, morreram 8, res-
laram 21.
Marco. Occuparam 4C, exisliam 21, en-
traran) 26, fahiram 26, morreram 4, resta-
ran! 16.
Abril.-Occuparam 28, existiam 16, en-
traram 12, sahiram 11, morreu 1, resla-
ram 16.
Maio. Occuparam 25, existiam 16, en-
traram 9, sahiram 13, restaran) 12.
Junlio. Occuparam 22, existiam 12, en-
traram io, sahiram II, restaram II.
Ao todo, occuparam 186, exisliam 94, en-
traram 92, sahiram 81, morreram 14, res-
taram 91.
Obterrafei.
Entraram, como moslra a relacSo cima,
92 doenles que, com 14 que existiam dos
mezes anteriores a Janeiro, lave ai um total
verdadeiro de 106 doenles, aos quaes ajun-
tando-se o n. que de um mez passa para nu-
tro, quo fram de 15, 21,16, 16 o 12, fazem
um total ficticio de 186: esta explicado
torna-se necessaria, visto que se nao faz
abale em cada mez dos doenles que entran)
para o oulro, sendo porcousequoncia con-
tados dous mezes; entretanto que a cifra
de 186 he verdadeira se se quer saber o nu-
mero de doenles em cada mez e sua somma.
Em 106 doenles, contiram-se 16 feridos por
arma de fogo; 35 do bexigas; e o restante
de variadas molestias. Saturan) curados 81
e morreram 14, cujo numero vem a ser, pa-
ra o total do 106 doenles, de cerca de 13
morios por cem, propongo esta considera-
vel; entretanto olla he rasoavel, assim en-
carada, eassim vista com outros mappas ;
porm nos a achamos m, e por isso tira-
remos a rasSo entre os morios e os curados
rnente em cada numero do doenles sof-
fredores de una mesma molestia ; e desta
maneira julgatnos que sepoder apreciar a
vanlagcm ou desvanlagem dos meios em-
pregados com o fim uSo s de diminuir a
cifra dos morios, como de augmentar a dos
curados. Um quadro destea nflo nos per-
mute a critica. As molestias que nos rou-
baram os 14 doenles, fram 3 fenmentos de
bala, du 16 feridos ; 2 de col i le cli romea ;
1 de abeesso do ligado; 1 de ttano, 3 do tre-
telanicoa; e 7 de bexigas, de 35 bexiguens
los.
A gravidade do ferimenlo e a rebelda
dos doenles para o ultimo recurso em taes
casos, nao nos permitle que se possa ava-
llar qual a yaolagem do meio applicado.
Os inucilaginosoa, as sangras locaes, os
adstringentes, os analpticos e os revulsi-
vos fram alternadamente applicadosem
os dous casos de colite chronica. A poma-
da mercurial e belladona, os fios unta-
dos em pomada canforada o opio; a-
quella no dorno e extremidades, e esta so-
rbi a ferida; a infusiio de lllia e rnica, o
lo, calomelanos e almiscar, e trtaro
mwjco em layagem as conslipac,oesde
BCOirE, 9 DI JDLHO DE 1849.
Pela barca WilliamRussel, vinila do la-
vernool, recebemos a carta do nosso corres-
pondente do Paris, que os leitores lerflo vs-
lo sb a rubrica competente; bem como
varios nmeros do Time, dalados do 14 a
23 de maio prximo passado.
As noticias com que nelles deparamos
acerca dos diversos paizes da Europa j f-
ram por nos publicadas nesta folba, exlra-
hidas de gazetas francezas; todava temos
que communicar a nossos leitores quo no
din 12 de maio leve lugar em Amstcrdum a
ceremonia da investidura do novo re da
Hollando.
O jornal, cuja recepc3o cima aecusmos,
dando conta deste acto, diz que o novo so-
berano, sentado no throno e cercado do sua
familia, fizera nesla occasio a seguinle
Dollaly sabemos que o presidente Sou -
louque frente de um exercito de 30,000
liomens se diriga a atacar acidado de San-
Domingos, a qual com toda a parte da ilha
que havii pertencido a llespanha linha pro-
clamado urna repblica separada.
No Canad grandes disturbio tiveram l-
timamente lugar.
o dia 25 de abril, diz o Tima de 15 de maio,
o governador geral dirlgio-se casa do parla-
mento em Monlteal, para o lim de dar assenti-
mento real a varios bilis que tinham sido ap-
provados, entre outros ao bil de, indemnidade.
No nioinenlo em que o presidenta da casa len
o titulo deste bil revestido da sanc9.n0 real,
o povo das galeras rompeu em assovios e ge-
inidos.e sabio immediatamente para communi-
car cidade esta desagradavel noticia.
O representante do soberano foi pessoal-
mente ultrajado. O parlamento foi dissolvldo
violentamente, co povo infurecldo, impellin-
do os iiiembros desta corporaefio para fra do
edificio em que se acbavam reunidos, o entre-
gnu s chammai Dentro de poucas horas a
.casa do parlamento, e com ella os registros e
archivos da colonia, assim como urna bella li-
viana, tudo foi redolido a cintas.
Os amotinados aliiarain com ovos e lama na
face do governadir-gcral e tambem naquelles
Miembros do parlamento que por elles rram
odiados ; mas, carregando a tropa sobre elles,
por lini se aquietaram.
I'in diversos lugares do campo o governador-
geral foi >|iieiinailo em efigie, sendo as auto-
ridades obrigadas a assistirem a este desacato.
Em Quebec, porm, oppondo-se a isto urna
sn'ijii do partido irlands, srguio-se um con-
flii-io, o qual afinal foi supprimldo pela po-
lica.
Em Kingston o mesmo teve lugar ; porm a
oi-iieni publica nao tiuba sido mais pertur-
bada.
Em Toronto celebrou-se um meeting in-
menso, no qual se decidi enviar urna depnia-
95o r 11 oh 1, para o fim de pedir a dcmlssu
do governador e a dissoliif. Eslava depositado n'um dos armazens da
alfandega desta cidade certo caixflo, cujo
conteilo se ignorava ; mas que cncerrava
garrafas do vitriolo, as quaes, chocando-se
enlre si, produzrain lal expltis3oquo,a nSo
ser a rapidez e energa com que o inspector
daquella reparticilo prov lenciou a rospei-
to, talvez que a esta hora livessemos que
lamentar a ruina de urna parte do edificio
em que se acha estabelecida semelhanle
t'.-.I a t, 11 1, e por conseguirte o prejuzo, por-
venlura consideravol, de algumas casas
commerciaes di nostn praca.
Felizmente, porm, as medidas fram
dadas eexeculadas 13o a lempo, que neu-
lrah.-, 1 rain o mal na'sua orgem. ________
COfME 0.
ralla :
n Srs. membros dos estados geraesl
Depois ta morte do meu pai, cuja memoria
permanecor indclcvel, sendo chamado por
meu nascimonlo, assim como pela lei fun-
damental que nos rege, ao throno da llol-
landa, tomei inmediatamente as redeas do
governo, bem como solemnemente parlic-
pei a mens vanados, O momento lie ago-
ra chegado, no qual na presenca do Allissi-
mo, que tem em suas mftos os deslios dos
i'i'is c dos pnvos, invocando seu divino no-
me, vou un i-mea meu nobre e fiel povo
Exaltada he por certo a posic3o em quo me
cho collocatlo ; mas pesados s3o os tleve-
res que ella me impe Os res nao s3o
iscntos das frnqiiczas da humanidad,), e
conseguiutemente teem necessidado de se-
rcm Iluminados o sustenlados pelas insli-
tuic,Ges,afim deque o tbrono permane^a um
foco de luz, que derrame em torno do si
raios benficos. Este povo,um tos prmeiros
que conquistou a orden) o a liberdade, as-
sim como as garantas necessarias para
manl-las ambas livres da obscuridnde da
frca bruta, e da oppiessfio das idades me-
dias, acabo do rever e consolidar estas ins-
tituyos de conformidade com as necessi-
dades da presente poca. O re e o povo de
Orango e dos Paizes-Raixos completaran)
com calma esta importante larefa, e as
vanlagens iucalculaveis da lrant|ulldadue
da paz so teem tomado o dote desta amada
trra.
11 Nossa attitudo tranquilla nestes lempos
de agilacao, nao suienle nos tem preser-
vado de grandes desgranas, senao tambem
tem augmentado a consideradlo do que o
pai/ gdzava ; porquanlo tem adquirido por
ella a admirado de todas as naces civi-
lisadas. Eu cstou unido a um povo muito
maior por suas virtudes do que pela exten-
-.io de seu territorio, mais poderoso por
sua iiniao do que por seu numero. Grande
e bella he cortamente a miss3ode ser rei de
um tal povo.
Depois desta falla o re prestou oseguin-
te juramento,prescriplo pela lei fundamen-
tal dr) pai/ :
JuTo ao (ovo da lio]lauda maniere
sempre sustentar a lei fundamental do rei-
no. Juro defender e manter, com todo o
meu poder, a independencia e territorio do
reino, proteger as liberdades geraes e in-
d'viduaes de meus vassalios, e empregar
todos os meios que a constituido pOe
minlia disposic3o para promover e animar
bem geral e individual. Dos queira as--
sistir-me no desempenho desta tarefa.
O presidente das duas cmaras reunidas,
dirigindo-se enl3o para a frente do throno,
pronunciou o seguinte juramento, o qual
foi repetido por todos os membros :
Recebemos e inauguraino-vos como rei
em o nome do povo dos Paizes-Uaixos, e
em virlude da cunstituicSo. Juramos man-
ter a vossa inviolubilidade e os dircitos de
vossa cora. Juramos fazer tudo quonto
dove ser feito pelos bous e liis estados ge^
raes, lieos queira assistir-nos no desem-
penho desta taiefa.
O pnmeiro rei de armas proclamou on-
tao Guilhcrmti III redos Paizes-Uaixos
No mesmo dia 13 de maio a municipali-
dade da cidade do Lime na Tosca:ia adhe-
r., ao governo constitucional dograo^du-
que Leopoldo II.
I'assdiemos agora a dizer alguma cousa a
respeilo da America septentrional.
Os Estados-Unidos ficaram em perfeta
paz. '
Na California o ouro se enconjtrava anda
em grande abundancia, e, segundo corra,
novas minas se descohriam all quasi todos
os das.
O Mxico ficra em paz, porm o cholera-
morbus ia fazendo naquelle paiz grandeses-
"ragos.
ALFANDEGA.
Rendmento do dia 9......
CONSULADO GERAL.
Ron lmenlo do da 9.......
Diversas provincias ........
I
9;785,582
3:434,241
2,595
3:436,836
CONSULADO PROVINCIAL-.
Re.ndimenlo do dia 9...... 2:910,789
EDITA KS.
O lllm. Sr. inspector da thesourara
da fa/enda provincial, em cumprimeuto da
ordoin do Exin. presidente da provincia, de
18 do correte, manda fazer publico que
no da 12 do corienle ir 1 praca, perante
o tribunal administrativo da mesma thesou-
rara, para serem arrematados a quem por
menos User, os conferios da ponte de Moto-
colomb, tas pontezinhas Checheo, Po-
Secco e do seis bombas na estrada to sul,
sb as clausulas especiaos abaxo transcrip-
tas, 0 pelo preco de 841,500 rs.
As pessnas quo se propozerem esta
arrematarlo, compareQam na sala do sobre-
dito tribunal no da cima indicado, pelo
meio-dia, competentemente habilitadas.
E para constar se mandou afiliar o pr-
senle e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesourara da fazentla pro-
vincial de Pernambuco, 5 de julho do
1849. O segundo cscripturario, Antonio
t'eiteira d'Annunciaco.
Clausulas especiaei da arremntaedo.
1. Os concerlos da ponte do Motoco-
lomh, das pontezinhas do Checheo e l'o-
Secco, e das seis bombas da estrada do sul,
ser3o feilos de conformidade com o or?a-
menlo apresentado approvac3o do Exm.
presidente pelo prego de 841,500 rs.
a 2. As obras pincipiarilo no prazode
um mez, econcluir-so-h3o no de 5, ambos
contadosem conformidade do art. 10 do re-
gulamenlo das arrematares.
:i." Os niati'iiaes sern previamente
examinados pelo engenheiro, e approvados
lavrar-se-ha um termo.
4." O pagamento do imporle das obras.
realisar-5e-ha depois de concluidos todos os
concerlos e examinados pelo engenbe|ro.
50 |iara iu,|0 0 majs qUe n3p est de-
terminado as presentes clausulas seguir-
se-ha inteiramente o que dispe o regula-
mento das arremalacOes do 1.a de julho de
1843. ,
Obras publicas, l.'de julho de 1849.
0 engenheiro, J. L. fictor Lieutier.
O lllm. Sr. inspector da thesousaria
da fa/enda pr ivi 111-1:11 manda convidar ao
Sr. ex-a nenia tanto do imposto de 2,500 so-
bre o gado vaceutn consumido, e dizimo do
mesmo gado, para requerer a entrega de
suas ledras que se acham depositadas nes-
ta thesourara, e inulilsadas em conse-
quencia de recis3o do respectivo contrato.
Secretaria da thesourara da fazenda pro-
vincial de Pernambuco, 9 do julho de 1849.
O segundo cscripturario, Antonio b'emir*
d' Annunciatio.
O lllm. Sr. inspector da thesourara
da fazenda provincial, em cumprimeuto da
reaoluco do tribunal administrativo, man-
da fazer publico que no da 12 do corrente,
ao meio-dia, perante o mesmo tribunal se
ha de arrematar a qm-ru mais offerecer, por
tempo de tlons anaos e onze mezes, a con-
tar ilo pnmeiro de agosto do corrente auno
a J>0 dojunho de 1852, 0 imposto seguinte :
laxa da b'arrcira da estrada ponte de
Mutocoloinb, avaliada annualmenle por
2:780,000 rs.
Dita dita da ponte de Bujary, avallada
annualmente por 640,000 rs,
Dita dita da Tacaruna avaliada annual-
mente por 640,000 rs.
As pessoai que se propozerem esta
a rrematat;ao, com pareja 111 na sala das ses-
sesdo mesmo tribunal; no dia cima in-
dicado, competentemente babiliUda^^aM
E para constar se mandou afiliar o pre-
sente e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesourara da fazenda pro-
vincial de Pernambuco, 5 de julho de
1849. O segundo cscripturario, Antonio
Femira da Annunela(3o.
OHIm.Sr. inspector da thesourara da
fazema provincial, em virtude da resolucSo
do tribunal administrativo, manda faxer
publico que em cumprimento da lei, paran-
te o mesmo tribunal, val novamente pra-
ta no da 19 do corrente o imposto seguinte:
Dous mil e quinhentos res por caheca
de gado vacenm que fr"consumido nos
municipios abaxo declarados:
Oiinda avahado annualmente em ris
2:800,000.
.Po-d'Albo, dito 3:200,000 rs.
Nazareth, dito 4:400,000 rs.
A arremalacSo sera feita por tempo de
umanno e nove mezes a contar do primei-
ro de agosto de 1849 a 30 de junho de 1851
As pessoas que se propozerem esta arre-
malaoo, compnrecain na sala das sesses
do sobredito tribunal, no dia cima indi-
cados, pelo meio-dia, competentemente
habilitadas.
E para constar se mandn afiliar o pre-
sente, e publicar pelo Diario.
Secretaria da Ihesouraria da fazenda
provincial de Pernambuco, 5 de julho de
1849. 0 segundo escriturario, Antonio
Ferreira d' Annunciacdo.
O coronel Francisco lamerle de Almeida, juiz
de paz presidente da mesa parochial da fre-
guezia de S.-Frei-Pedro-Goncaloes, em vir-
tude da lei.
Faco saber, em observancia das ordens
do Exm. Se. preside uto ta provincia, que
me fram transmitilas pela cmara muni-
cipal desta cidade, que, temi de proceder-
se no dia 5 de agosto prximo futuro
fien-lo dos eleitores que teem de eleger os
deputados assemhlea geral legislativa, e
os deputados da assembla legislativa des-
ta provincia, para a legislatura quo ha de
ter comeen no futuro auno de 1850, convo-
co, em face do disposto no art. 41 da lei de
19 de agosto de 1846, os eleitores e supplen-
tes abaxo declarados, alim de que com-
parecen) no indicado da 15 de agosto na
respectiva igreja matriz, pelas 9 horas da
manh.ni, para a organsar3o da respectiva
mesa parochial, sb as penas da lei.
ELEITORES.
Osienhore :
Vigaro Francisco Ferreira Brrelo, Ro-
drigo Thoodoro de Freitas, Gaudinq^gos...
tinh.1 de Barros, Alexandre Rodrigues dos
Anjos, Antonio Aunes Jacome Pires Jnior,
Ladislao Jos Ferreira, Jos Lete PitaOrli-
gueira, Antonio Leilo de Pinito, Antonio
Aunes Jacome Pires, Candido Jos Lisboa,
Antonio Leilo Pila Ortigueira, Andr Xa-
vier \ launa, Joaquim Jos de Sanl'Anna
Barros.
SUPPELNTES. -
Os saibores :
Jo3o Lucio da Costa Monteiro, Mauoel
Antero de Souza Res, Dr. Jos Raymundo
da Costa Menezes, Dr. Jo3o Jos Pinto, Jo3o
Leile Pita Ortigueira, Caetano Jos Coelho
Nudo Mafia de Solas, Luiz Pedro dasNe-
ves, Antonio Coelho de Mello, JoBo Baptis-
ta Fragoso Jnior, Louren^o Luiz das .No-
ves, Lucio Rodrigues Poreira, Jos Velloso
Soares, Lauriano Jos da Costa, Jo3o Pru-
dencio da Cruz.
Outrosim convoco igualmente aos cida-
d3os qualicados votantes desta freguezia
a comparecerem no referido da para da-
rem seus votos, advertindo qup, dando a
freguezia 22 eleitores, deve cada urna lista
Contar 89nqmfts, na conformidade do art.
51 da supracitada lei, meneionando-se adi-
anto do nono do individuo a sua respec-
tiva occupa^So.
E para constar mandei lavrar o presente
que ser publicado pela imprensa, e afil-
iado nos lugares mais pblicos. Fregue-
zia deS.-Fre-Pedro-Goncalvcs, 3 de julho
de 1849. E eu, Manoet Joaquim da Silva lii-
beiro, escrivflo, o escrevi.
Francisco lamcde de Almeida.
te da provincia, de 14.do corrente-, vistoter
eipiradb o tempp do seu cogajaoiento
tambem por .haverem cessado os motini
que aconselharam a sua creacSo, cumor
um deverque Ihe impoz-o mesmo f,ib
Sr. presidente, louvando de sua parte^S
dos os Srs. qoe'tSo patriticamente con'
correram para que se verificaste a organi
sac3o da referida companhia petos eafor"
gos que para isso empregaram e que fo'
cortamente de tanto mais acert, euinin
de reconhecida vantagem : e em nome d
mesmo governo aprsente a todos os cidi.
d3os de quise compoem a companhia o
tlevidos a gradee; menlos por to subida pro.
va de patriotismo, de amor h ordeme i,
nstituicesdo paiz. E por esta opportuni.
dade o delegado, -por si e por parle de todos
os socios que contribniram para a crwM0
da companhia ao passo que a dissolit
tambem se despede saudoso de cidi um do
bravos que a compe declarando-lhes tm
nome da sociedade que os seus valiosos Mr.
vqos suas fadiga e esforcos pela traao
liilade e restabeecimonto da paz e ord(|
na comarca ficam sendo para cada urnas-
co como ttulos indeleveise da mais 1I14
recommendac3ode nome de cada cavalliaj.
ro. Delegada de Nazareth, 28 de jun|
de 1849. O delegado, Jos Francisco j^
Lima.
O vapor Paracnie foi Inm.
ferido para sabir hoje(iaj;
as malas fecham-se s I0bi
ras da manhfia.
Avisos ruaritimos^
i.nuea uu
uan^pwM:
lS Maranhao
Declaraces.
O escriv3o servindo de administrador
da recehedoria de rendas geraes internas,
abaiio assignaJo,lendo de mandar proceder
no corrente mez ao lauca ment de imposto
de carras, quo tem de servir no anno de
1849 a 1850, transcreve pura ronhecimento
de quem peitencer o art. 26 do decreto n.
361 de 15do Janeiro de 1844, capitulo 4.<<
< Quem montar, ou -comprar qualquer
sega ou carruagem, de qualquer forma,
ou denoininac.'io, que seja para seu uso, ou
para aluguer, sera obrjgado a manifesta-la
na lepartico fiscal para ser inscripta no
lancamento do anno, eos quo o contrario
praticarem incorrer3o na mulla do duplo
do imposto, e os que occullarem, e usarem
do meios ilhcitos para subtrahirom-se ao
imposlo, n3o declarando no acto do lanca-
menlo os que est.lo em circumstancias de
pagar o imposto devido; ser3o subjeitos
a igual multa do duplo do imposto, em caso
ireiihnm, porm, eiceder a multa a 200.000
ris.Monetl Antonio SimSis do Amoral.
Pela segunda sircan ta mesa do con-
sulado provincial se faz publico que o prazo
dos 30 das uteis para o pagamento a boca
do cofre da decima dos predios urbanos do
segundo semestre de 1848 a 1849, espira no
da 10 de julho prolimo vindouro e desse
dia em dianle paganlo a multa de 3 por cen-
tosob o valor de seus dbitos, todos os que
llcarem devendo dito semestre.
Companhia ele Beberibe.
A administrado da companhia de Beberi-
be faz publico que, 00 dia 16 do frrenle mez
de julho, contratar com quem mais oflerccer
acobran(ada taxade20ris por caneco d'a-
goa, por lempo de um anno, que ter princi-
pio no primeiro de agosto seguiute: o con-
trato ser feito por bairros, sendo excluido
no da Boa Vista o reservatorio e o cbafarlz jun-
to a poote, e no do Recifc a. bica prxima ao
arco da Conceicao. Os pretendentes reinette-
ruo at o Ht 10 de julho ao escriploro da
companhia as suas propostas ein cartas fecha-
das, assiguadas por si e por seus fiadores, e
comparecero no referido dia 16. As condi-
(des du contrato serio patentes no mesmo
escriptorio todos os diai de trabalho, das oito
horas da maoha ao meio-dia, e das tres ai
seis da tarde.
-- O delegado do termo do Nazareth, fa-
zendo dissolver hoje a companhia de ca-
vallaria de volunlariop desta comarca, em
HgcXlCaO da orri-om dkfrtm. Sr. nre|dn.
^ Para Angola salie at o dia 20 doc.
rente, o briguenacional Destino, cpm bot
commodos para passageiros: a tratar Bal
da Moda, n. 7.
PARA O PORTO
saldr no dia 15 do andante mez o brip
portuguez Maria-Feliz, do que ha capillo
LourencqJ''ernandes do Carmo, podend
ainda recPber alguma carga miuda, aisla
como ainda tem alguna commodos pin
passageiros : os pretendentes tratem com 1
ditocapitao na Praca, ou com o consign.
tario, Antonio Joaquim de Souza Ribeir
Os Srs. carregadores queiram mandar ot
conlieciinentos ao escriptorio do consigat-
tario, parase promptifjcarem osmanifesliis,
Para o Rio-de-Janeiro segu, em pao.
cosdias, o bem condecido brigue Assomtrt
para carga e passageiros. trata-sen rnij
Cadeia do Recife, n. 61, com Joao Jos Fer*
'lagalhSes.
a o Para com escala pelo Ceari e:
o partir com muila brevidada 1
pataeho Fortuna, j se acha com um tere]
da car>i a bordo e mais de meia carga eit-
gajada^: quem no mesmo quizer carreg
alquer dos mencionados porlos, di-
ra da Seuzalla-Nova, n. 43, pri->
ndir.
ra Lisboa sali impreterivelmeota,
no*it0t& do corrente o brigue porluguai
Conceic&f*-Maria : ainda recebe algumi
carga e Hssageiros, para o qua offerec|
exfellfiitos -commodos : trala-se com ot
consignatarios, Thomaz de Aquino Fonse
ca & Filho, ou com o capitflo na praca.
Vende-se urna barcada de luanlo
20 caixasde assucar em saceos, muito
leirae com lodosos prepares para viajar:
a tratar no Aterro-da-Boa-Viata, n.44.
Sahepara Lisboa, no dia 45 do e
rente, o briguo porluguez Maria-Jos,'
que he capitn Joaquim Jos Mesquita : p*-|
ra o resto da carga ou passagoiros, tratar;
se com oa seus consignatarios, Francisco"
veriano Rabello& Filho ou com o mil
capital) na praca do Commercio.
-Leiloes.
-- Jo3o Keller & C. far3o Icilao, por M
veiiciio do corretor Oliveira, de grandes
(ment de fazeudas de seda, ISi, linoj
de algndao, asmis proprias do mercado!
terQa-feira, 10 ilo corrente, s W horas
maiilia, no sen armazem, ra da Cruz.
0 corretor Oliveira continuar o leiUtl
da mobilia doSr. Joo Joaquim Gomes, n\
lirado para o seu engenbo, eda ilo Sr. W.
E Smilh, aeltialmenie fra da"provincia,
consistindo em ricas cadeiras, sofs," xtiesuT
de sala, consolos, marquezas, espelbol t
outros muitosobjeclos.de g.oato, que pofj
falta de lempo nao se poderam vender:!
quart8-fcira, II do corrente, slO horas di I
ni niio, ra do Alerro-da-Ra-Visla, -8,|
onde morou oSr. Dr. Arbuckle.____
i- -SSi==s;
Avisus divv-rss.
Lid Sr. engracado quo veio casa *
thesoureiro da lotera do Diestro publiS
com um meio bilhele do n. 607 da seguai
terceira parte da decima-oitava lotera.1
mesmo theatro, cujo bilhele teve por sortj
sabir branco, e nesta ultima terceira
da decima-oitava loloria inste nmeros
bio 50,000 rs.. i' como os bilheles pare
se, o Ihesou eiro; nBo suppondo a p------
que o trazia cap iz de traficaucias.vio aqu-
le numero na usta da ultima terca parta
qneelle eslava premiado, nSo reparando a
lugar que diz segunda, terceira parle, eea-|
ganado pagou 50,000 rs. as coalas dar
lo bilhele tem escripia perienca a Mig"
da Costa, e o engracado por cima deste I
me deiloii o nomo do Manoel Panasco
Souza Brillo : so o engracado maneira 1
graca n3o quizer ir para a cadeia, dirij-M
a restituir.
iNodia 7 do corrente, da ra do Cre-
po, viudo pela do Queimado ra DireiH
perdeu-se urna carleira de marroqu
branco, j usada, contando na mesma rW I
65,000 om cdulas, sendo urna de 50,000,
urna de 10,000 e oulra de 5,000 rs., Jl'
versos papis que s servein ao abaxo "
signado, entre os quaes acha-so um rec^
bo do 500,000 rs.pasado pelo Sr. Joaqui
Jos de Mesquita e outro pelo Sr. UinWJ
Joaquim Ferreira jnior : roga-so a p*851
em cujo poder, estiver dita carteira, 01
do leva-la na ra Direila, n. 82, prime"0 |
andar, que ser generosamente recompon"-
sado. -- Francisco Ignacio de l'aiva-
Na ra da Praia, n. 14, deseja-se falla
com o Sr tenente-corouel Fernando frt~ t
cisco do Agular Monlarroyos, oh annuucioa
sua morada nesta praca por esta folh<-
Achou-se um cavallo com cangs!-* n
dia 6 do corrente : quem for seu dooo nJ :
de o procurar no becco do Gongal68' ""
mazem n. 4, que, dando os signaes cortos
pagando as despezas que se U'oui fei'd
era enUenU*.



__ Precisa-se de quem se encar-
regue d lavar e engommar com
toila a perfeifSo a roupa de urna
casa de pouca familia, responsabi-
sendo-se pelas faltas. A quem
sto convier, annuncie para ser
procurado.
Carlos Montero Teixeira, tondo vendi-
do a sua taberna, lita na ru da S.-Cruz n.
3 nuidou-se para a travessa da Campia, n.
j' no mesmo beirro, onde souWredores p-
dem drigir-se para serem pagos. O mesmo
faz ver a scusdevedorcs que lites vilo pagar,
porbem aj o flm do corrento mez, pas
que hem a seu pozar demandar os que dei-
xarcm para a Europa. .
.. precita-se dedous oflictaesde carpina,
noriiiguozes, que qucira,m irtrabalhar em
un engenho distante daqui 16 legoas, dan-
do-se-llie conducho : na ra Nova, n. 58,
terceiro andar, de meio-dia at as 9 horas
da larde,
GratificacSo de loo.ooors por
j um rclogio.
Dcsappareceu um relogio deou-
ro de patente, suisso; nao he rl sa-
Lonele, lem mostrador de louca,
autor Le Roy 8c Fils, e no mos-
trador urna quebradura ; levou
urna cadeia de ouro com um peque-
no grupo, sendo o sinele de mo-
laico, e est um pouco quebrado.
Quem apresentar o mencionado
relogio na ra da Cadeia do Reci-
fe, n. ai| receber a gratiicaco
offerecida sem mais indagacSo al-
l'guma.
Pergunta-se ao actual fornecedor da
cadeia desla ci'tade seno seu contrato lia a
dihIicSo de fornecar gneros arruinados
ara gstenlo dos miseros presos ?
Precisa-se comprar urna osera va que
1 saiba cosinhar e engommar, sendo recolhi-
l da: na praca do Commercio, n. 3, prlmeiro
[andar.
Precisa-so de urna ama de leito forra
I ou captiva : na ra Nova, n. 9.
Hoje, depois da audiencia do Sr. lir.
Juizdocivelda primoira vara, he a ultima
pra<;a do terreno da ra da I'raia. j annun-
I ciado no n. 21, com serrara : quDiTTr-pT8-
, tender compareca. ,
Itoga-so encarecidamente ao frocura
dorou administrador da casa dos*. M. J.
G. e Silva que lenha a bondade de vfr pagar
oquedeve na ra da Praia, n. iH"*io coh-
trrio se publicar o seu nomo plm xtcnso.
l)eseja-se saber que. i he o
Sr. Jos Eugenio da Costa/Paiva,
ouquem suaa vezes faca,rpara Ihc
serem enviadas do Hio-'dc-Janeiro
diversas encommendas de impor-
tancia: na roa da Cruz, n. 28, casa
de Lima Jnior & Companbia.
--O major Innocencio Eustaquio Ferrei-
I ra de Araujado quarto batalho de arlilha-
ria a p de 1.a linha segu para a provincia
da Haltia, e declara nada dever a esta pra-
I ?a bem como que, deixando de exercer a
directo das olnas militares, licam pagas
todas as despezas fcitas com as mesillas
I obras no lempo Ua sua dita di'eccno.
O major innocencio Eustaquio Ferreira
de Araujo, tondo de retirar-se pan a pro-
Ivincia da labia em cumprimenLo de or-
Idem superior, r,8o tondo lempo de pessoal-
[mento se despedir de todos os seus amigos e
Imais pessoas que o obsequiaram nesta pro-
Ivincia pela brevidade de sua viagem, o
[faz por meio deste, rogando-Ibes descui-
de m esta falta involuntaria, e oiTerecendo-
lies O seu diminuto prestimo naquella pro-
vincia ou m outi.a qualquer parte que o
Jestmo o levar.
Cartas finas de jogar
retalho e empotro, muitu em conta ;
Charutos
[di clebre fabrica de S.-Fclix e outros, sec-
|cos e dii primoira qualidade, polo barato
|proQo de 2.000 rs. a caixa de um cenlo; co-
[mestivos conservas e licores de diversas
Validades, chegados pelos ltimos navios;
*. sorlimento de vinhos I raneo c tinto,
Alanos e superiores, em garrafas o em
irris : na ra Nova, cesa francez n. 69.
Avisa-so K> tubariloda ra do Crespo ,
le nao continuo a aceitar convitos de ir
Binor frigideira e tomar rouxo-pallna, cu-
pelisqueira o leva a embreagir-se, e vir
ara casa coinmeller desaculos.
O lampeio da rtquina.
Furtnram, no dia 7 do corronte, um
/ivallo castanbo, com um espravflo na per-
ita .aignal branco na testa pes hrancos,
lie bom tamaito": quem o levar ra de
ipollo armazera n. 22, ser recompen-
rio.
Quem annunciou, no Diario de Peram-
iueo e segunda-feira, n.' 149, querer tom-J
prar um armario para cozinha quertndo
um quo precisa de um pequeo concert ,
l.rija-se ra da Piaia ,-armazem n. 4, que
9 dir quom o tem.
Na loja de Joaquim Ribeiro Pontes, t.\
[ra da Cadeia do Recife, 11. 54, existe um
carta, vinda do Rio-Grande-do-Norle, para
> Sr. Manuel Jos de Aginar.
A pessoa que levou da thesouraria geral
I um chapeo de sol novo, e deixou nutro
usadu, queira dirigir-se ra do Livra-
[ ment sobrado n. 8, para o destrocar.
O1T1 rece-se urna mulher para ama de
[casa de portas a dentro : na ra dos Coe-
vos, n. 7.
Kstolana Francisca dos Reis," Brasileira,
M Europa.
Antonio EuzcbJa) Rabello, Brasileiro ,
i Europa. *~
i Francisco Cuilherme Wellhausen faz
ia viagem para fra da provincia.
Pncisa-se alugar um mulequeque se-
is fiel, para fazer as compras e o oais scr-
I vico de urna casa de pouca familia : na ra
[da Cruz, armazum n. 48.
Quem annunciou querer comprar o li-
\ vro Temporil e eterno dirija-se ao Mun-
| do-Novo, o. 30.
--Precisa-se de um caixeiro que tenha
ntica de loja de ferragens, o qual d fia-
dor a sua conducta : no Alerro-da-Boa-Vis-
ta, n. 46.
Precisa-se de um homem que tenha
bailante pratica de venda ,para lomar con-
ta de urna por balancn. e se liver algum
fundo com que entre para ella se llio dar
interesse em proporefio do seu fundo: quom
esliver nestas circumstancias annuncie.
5 II. /.eon, gravador em gravuraea
Z boril em toda qualidade de metaos,
antes de se retirar para a Baha, tem _
S a honra de prevenir ao respeitavel pu-
Z Mico, que elle se acha em casa doSr. 2
Cardoso Ayres, ra da Cadoia-Veltia, <
n. 31, das 10 horas da manhfla at as 4 "
da tardo, aflm de receber as encom- _
$ mendas ou as proposIcOes que podero $
9 ser foilas no toinpo de sua residencia
2 nesta cidade ; elle se encarrega tam- *
S liem de formar discpulos em grsvura %
* de roligiSo, imagens, retratos, vinhe- *
las, flores, animaes, architectura, ro- #
# tulos, sinetes, letlras encadeadas na X
* hejotaria e na baixella de prata. E sua
* esposa he meslra de desenlio Me col- *>
S rido e pintura ao pastel. *
Procisa-siMle um raixeiro de 14 a 18
annos de dade : na ra Direila, n. 80.
Um individuo foi hoje (9 o corrente )
loja do abaixo assignado buscar|em nome
do Sr. major Sebastio, commandante da
cavallari, duas pequeas espingardas pa-
ra espoletas,cujos canos teem de compri-
mento de 22 a 24 polegadas, as quaes ti-
nham sido separadas por compra pelo dito
Sr. Sebastiflo e polo Sr. 'Almeida ; e, tendo-
Ih'as o abaixo assignado entregado, aconte-
ce que o dito individuo nSohavia sido 011-
carregado de aaconduzir, efra um meio
de que se servir para furta-las Assim, o
abaixo assignado, avisa ao publico, e es-
pecialmente s autoridades policiaes, que
se dignemdeapprehend-las, caso tenham
dellas conhecimento, e as etitreguem ao
mesmo abaixo assignado. Pommaltau.
Aluga-se urna excellente casa na ra
do Se ve, junto a una olaria, com 9 quintos,
e um grande slito: na ra da Cadeia do Re-
cito, n 51, segundo andar.
~ Anda se precisa de um padeiro e for-
neiro que queira ir para Macei, conforme
so annunoiou por este Diario.
Piecisa-se de urna ama de leite, que '.
tenha borne abundante, para urna enanca
de 6 mezes : na ra do Collego, n. 19, pri-
meiro andar.
jj| Capteos de sol g
Ra do Passeio, n. 5.
Oh! que petincha para o amavel o res-
peitavel publico Novas sedas da melhor
qualidade que se pode fabricar, por serem
re .encommenda e da melhor fabrica de
Franca, recebidas agora.
O fabricante deste estabclecimenlo ad-
verte no respeitavel publico desta cidade
que elle possue presentemente um rico sor-
lmenlo de chapeos de sol, assm como cha-
pos de sol de seda furta-cres, dos mais
ricos que teem apparecido neste mercado,
e de cores conhecidas ; ditos para senhoras
de bom tom, adamascados, lavrados, com
suas competentes franjas de retroz, ludo
que tem de mais moderno o do melhor gos-
to; um completo sorlimento de chapeos
de sol de pannnho de todas as cores e do
todos os tamauhos, para homens, senhoras
e meninos: ha tamhcni igual sortimenlo de
raiomlas para cubrir armacoes, tanto de se-
das de cores, como do ponninhos trancados
e lisos imitando seda. Adverte-se que os
freguezes serflo servidos com brevidade, e
se adiarlo satisfeitos da boa qualidade, do
bom gqsto e do bom proco.
Pormula-se por casas terreas nos tres
bairros, sendo em chaos proprios um so-
brado de dous aullares sito na ra do Co-
dorniz, n. 10, livre e desembarazado: a
tratar na ra do Queimado, n. 57.
Antonio Jos Ferreira Machado Braga
retira-se para Portugal a tratar de sua
sade.
Perdeu-se, no dia 5 do correnle, da
matriz de S. Antmio alea ra Nova, um
arrelicario anglico, e unsoculos do qua-
tro vidros sendo os dous da frente bran-
cos e os dos lados azues quemosachou,
e quizer restituir, dirija-se ao pateo do Car-
ato, na esquina da ra das Trinclieiras, pri-
meiro andar por cima do tartarugueiro,
que ser gratificado.
0 Sr. Jos Podro Dias Cordozo tem una
carta na na da Cadcia-Velha, n. 29.
~ Aluga-se urna escravt para o servico
interno de urna casa de familia : a tratar na
ra da (.loria n. 76. Na mesma casa rece-
be-se roupa para engommar.
mmm&mmximmm mms mmmmmm
Santos Pereira, queira dirigir-se a roa da
Cruz, n. 49, a negocio que Ihe dii reaseito'.
' Amonio Jos Vieira de Araujo relra-se
para fra da provincia.
No dia 3 do corrente urna, hora da
tarde, fugio da ra do Collegio, casa n. 2.,
urna preta crioula de nome Mara da Cruz,
de estatura ordinaria, magra, rosto descar-
nado, ps seceos, olhos pequeos o vivos,
bem fallante; (ove na coxa da perna direila
Um signa) grande que se cortou, do qual fi-
cou una cicatriz; sahio com pao da Costa;
representa ter trinta e tantos anuos de
idade.
No dia 7 do corrente fugio da casa do
abaixo assignadooscu oscravo Jos,Angola,
de 30 annos, bastinte preto, grossodocor-
po, falto de dentes incisivos, oalguns mo-
lares, e com urna ulcera venrea na perna
direila; levou camisa de algodozinho,
calsa de rucado azul, e chapeo do palha do
Chile ; quem o aprehender o leve a ra Di-
reila, n. 31, que ser recompensado.
Dr. Ignacio fiery da Fonteca.
Precisa-se de alugar urna ama de leite,
3iie o tenha bom, forra ou captiva: na ra
a Unirlo penltima casa.
D- Delmira Adelaide Jorge da Costa re-
tira-se para Lisboa.
Qnem precisar de urna ama
de leite, dirija-se a travessa de S.-
Pedro, casa n. 1, que ahi achara a
mesma para tratar.
No dia J. do corrente furtaram do por-
to do Mundo-Novo urna la techa com corren-
te. de cinco e meia bracas de comprlo :
quem descobrir o ladro receber 4,000 rs.
de gratificaeflo, na ra Nova, ti. 41.
Jofto Fructuoso da Silva roga a seus
credores que queram apresenlar suascon-
las ao seu mano Manoel Fructuoso da Sil-
va no prazo de 3 dias a contardo hoje.
Homoeopathia. %
Primciro consultorio bomceO-
patbicoem Pernambuco, na 1
ra da Cadeia de S.-Anto- I
M nio, n. aa
|| Este consultorio estar aberto todos ^
t, os dias desde s 10 horas da manha *
, al as : 1I11 tarde : as pessoas que nSo ^
a podrem chegar ao consultorio po- a
^ derSo ser visitadas enf suas casas, *
&') qualquer que seja a distancia desta
1. pi"ai;a. Os indigentes serSo tratados ^
ff gratuitamente, apresentando um at- .,^
, testado do vigario de sua freguezia. ,;a
' i
#*#
No seminario de Olinda procura-se
um moco portuguez inglez, ou francez,
por menino quo soja, para criado de urna
casa : a fallar no mesmo seminario, com o
seu reverendo reitor ou vice-reitor.
-lm rapaz brasileiro, que sube francez e
geometra, se olerece para caixelru de co-
branzas ; ou para oulro quilquer arranjo ,
para o que d fiador a sua conducta : na
ra do Queimado, e. 24.
Quom precisar de um mulatinho para
pagem, ou para o servid) do urna casa di-
rija-se ra das Cruzes, n. 12.
m faz scientea quem convier, que mu-
T dou o seu estabelecimento de unifor-
? mes militares da loja da ra do Quei-
j* mado, 11. 10, para o piimeiro andar
do sobrado n. 19 da mesma ra ,
V aonde contina a vender os dilos
""ti uniformes para todas as patentes das
dilTerentesarmasdo exerctoe guarda ty
nacional, msicas etc.; tendo effec-
tivamente abotuaduras para fardas m
e sobre-casacas de todas as classes T
galOesde ouro e prata fina para di- S
r vshs, calcas e chapeos de pagens T
^ chapeos envernizados parj pageos,
'v de u'irinas as mais modernas a 5,000 ?
ris.
Novo po de Provenr;. |
Na paiiana do becco das larrciras e A
no deposito da Estrella, no Aterro- B
da-Boa-Vista, n. 39, fabrica-se 0110- :(|
vo pilo de l'rovonca, o qual he fabri- ij)
cado pelo melhodo do seu priinei- g
ro introductor que veio esta provin- ^
cia e com as melhores farinbasquo ||
ha no mercado, o asseo que he pos- p
sivel: da mesma sorte sofatiricam as u
falias da rainha de Hespanlia boli- m
nhos, biscoutos, biscoutinhos, latas, |
cavacas : ludo do melhor goslo pos- |
sivel e proprio para cha ; tamhem ha |
bolachinha de LisbOa em latas ile H ''
libras, por pre(ocommudo ; amen-
doas confeiladas e de varias quali- |
dad es.
.- Leonor Lu.izi da Rocha tem justo a
compra da casa terrea n. 27 da ra de S.-
Jos pertencente ao Sr. Antonio Manoel
Hamos: quem se adiar com direilo a dita
casa queira declarar por este jornal, no
pralo do 5 dias, contados da publicaeo
den annuncio. Recife, 7 de julhodc
1849.
' O gerente do contrato do rap prinre-
zNJe Lisboa contina a vender este rap a
retaJho a dinheiroa vista o mo se fia a
possa alguma e roga as pessoas quo an-
da esto a dever o favor de mandar salisfa-
zer seiis dbitos.
Precisa-se de um homem que queira
asientar prgoa por oulro por 3 anuos e
meio : queniWi61" nestiscircumstancias,
dirija-se ra 3# Cruz, n. 64.
0 Sur. Auto*}'0 dos Santos Ferreira ,
csixeiro que fo:
O proprietario do engenhn Canha, situ-
ado duai Irgoas aosul de Santn-Antao, est re-
solvido a vender o referido engenho, o qual
moe eoin animaos, e est paramentado de to-
do o preciso, e com una safra do dous mil
paes: eale engenho tem mais de meia legua
quadrada de exccllentcs torras e de ptima
produccao, trndo grandes vaneas. Tainbein
se vendem, se agradar ao comprador, 32 ani-
maes de roda e 20 uois mansos: quem pre-
Ltender, dirija-se ao mesmo engenho, que todo
o negocio se far, e se precisar de algum escla-
recinicnto, dirija-se a ra do Queimado, n. 27.
O Dr. Lobo Moscoso conti-
na a receber doentes em sua ca-
sa, no Aterro-da-Ba-Vista, n. 48,
onde lia commodoa sulicientes,
nao s para se tratarcm de suas en-
fermedades, como para se Ibes fa-
zer qualquer operacao : as pessoas,
portaiilo, que se quizercm curar ou
mandar algum escravo, pdem di-
rigir-se ao annunciante em di,, ca-
sa, certos de que serao tratados
com todo o desvelo.
(Ji'erecem-se 12,000 rs, men-
saes a urna boa ama de leite forra
ou escrava, que nao [traga llho :
na praca do Commercio, n. a,
primciro andar. I
Precisa-se alugar um preto que seja
bom trabalhador de masseira : d-se bom
aluguel : quem o livor annuncie, ou dirja-
se a padaria da Passagem-da-Mifc'dfilena.
Aluga-se o armazem por baixo da casa
n. 5 da ra do Vigario : ar.tritsr na mesma
ra, n. 7, priineiro andar.
O Sr. Jos Francisco da Cruz lem urna
carta, vinda do Rio-de-Janeiro de alguma
importancia e como fosso entregue por
engano, roga-seao dito Sr. que se dirija a
Solidado, n. 14.
Joaquim Pereira Arantes' scientifica
aos seus devedores que incumbi ao Sr. An-
tonio Pereira Vellozo a cobranza de suas
dividas, pelo que ao niosuio Sr. poderao
pagar seus dbitos.
tem alguma pratica de armazem de assuear:
quem pretender, dirija-se a ra da Santa-
Cruz, n. 66, ou annuncie.
Alugam-see vendom-se bixas hambur-
guezas, das melhores quo ha no mercado
na ra das Cruzes, n. 40.
O bacharel Jos dos Anjos Vieira de
W Amorlm mudou o seu escriptorio pa-
i ra o prmeiro andar do sobrado do
2 paleo do Collegio, junto ao sobrado
S amarello : as pessoas que sedigna-
H rem procura-lo, ah o acharSo, das
r oito horas da manhila at as quatro m
* da tarde, promplo a advogar, tanto *
I nocivelcomo nocrime.
as horas diversas das indicadas o w
encontraro em o segundo andar do j
Sobrado da ra Nova, n. 63; e em 1
qualquer das parles cordial e grilui- 8
tamente tambem se offerece aos infe- 1
lizes que quizerem reclamara usur-
piicao de seus direilos, B
ItKtlalti'MIaHiimi H*WWt
Precsa-se alugar urna casa para urna
ramilia, preferindo-se casa terrea, no bairro
de Santo-Antonio: quem a tiver annuncie
por esta folha.
-- O abaixo assignado faz sel en te ao pu-
blico que comprou a Jos Ignacio de Olivei-
ra o seu deposito de bolacha, na ra do l.i-
vre ni en to, n. 26, e que o mesmo vendodor li -
ca para pagar a praca : quem tiver negocio
com o mesmo cima, entenda-se.
Mantel Dias Pinho.
Ferragens pira navios, carros o obras pu-
blicas. ,
Columnas, varandas, gndes e portoes.
Prensas de copiar cartas e de sellar.
Camas, carros de rao e arados de ferros,
'lm da superiorlade das suas obras, j
ecralmente reconhecida, Bowman & lie.
Callum garantemamais exacta conformi-
dade com os moldes e dezenhos romeltldos
pelos Scnhores que se dignarem de razer-
Ihfis encommendas, aproveitando a occas.ao
para agradecerem aos seus numerosos an-
eos o freguezes a preferencia com que teem
sido por elles honrados, e oguram-|hes
quo n.1o pouparno esforCos e diligencias
para continuaren! a merecer a sua confi-
*n--P.oga-so ao Sr. Christovo de Hollanda
Cavalcante, que esteve no engenho Cimi-
ragiho, e passou-se para Arandtpe de Ipoju-
ca, e que era arrematante do urna das estra-
das, que tenha a bondade de ir, ou mandar
alguem por ai, ao pateo do Carino, n. 18.
-- Precisa-se de urna ama que tenha bom
leite: nflo se olha ao prego : na ra do Jar-
dim, casa n 43.
Agencia de passaportes.
No pateo da matriz de Santo-Antonio,
sobrado n. 4, tiram-se passiportes para
dentro e fra do imperio, assim como cor-
rcm-se/folhas e despacham-seescravos.i
Compras.
Deseja-se arrumar de caixeiro um mo-
Sr. Luiz Antonio dos 0.0 brasileiro, do idade de 17 anuos, que
Dentista.
D. W. Baynon, cirurgifio dentista a-
mericano breve se retira desta pro-
vincia e pelo pouco lempo que aqu se de-
mora, lem a honra de offerecer ao respei-
tavel publico o seu prestimo, na ra do
Trapihe-Novo, n. 14.
Antonio Vicente da Cruz mudou a sua
residencia para a ra da Roda n. 15.
ASSASSINATO HORROROSO!
I). Francisca da Cunha Bandeira de Me-
llo viuva do Burgos, e sous filhos pedem
encarecidamente aos Srs. delegados e todas
as outras autoridades policiaes capit.les de
campo c pessoas particulares a approhen-
sdo de dous de seus escravos que, em o seu
engenho Agnas-Claras doUrucu' da fregue-
zia de S.-Ant!to, dirigiram-se a casa de seu
administrador o Portuguez Domingos de
Oliveira e all achando-o dormindo assns-
siiiarani-no com urna fouco dando-lhe um
s golpe na tesis, de mancira que abri-
rim-na. Este brbaro acontecimento leve
lugar no da 26 do moio do corrente, em
alta noite, e assim que perpetraran esse
crime evadiram-se; e como os annunciantes
quorum os entregar aoslribunaes de jus-
tica para devidamente serem sentenciados,
fazem o presente seguindo esto oulro.
200,000 rs.
D-se esta quantia de pra tifica^So a quem
levar ao engenho Agoas-Claras.de Uruc,
da viuva do Burgos, ou nesta prueba, no
pateo do Carmo, n. 18, segn lo andar, a
Antonio Carlos Pereira de Burgos Ponce de
l.eon, os dous escravos seguintes que fu-
giram nos dias sahhado para domingo, 26
a 27 do corrento : Vicente, pardo de 26 ali-
os, de altura regular. cabellos crescidos e
carapinhados testa sobresabida olhos pe-
queos, nariz chato, tomador de tabaco de
caco rosto descarnado e com espinhas,
sem .....ilium.i barba; levou 1 camisa do ma-
dapolio, urna calca de casimira usada, urna
jaqueta de bretanlia, um bonete do velludo
azul ja usado, um rhapo de palha, um
dito do pello preto : Joaquim, crioulo bas-
tante preto, de :ts annos, alto socco, cara
pequea bem barbado ; tem o costiime de
levar a m0o barba ; he gago ; andar com-
Dassado; dizem ter mili em Pajah-de-Flo-
res ; foi escravo do eapito Leandro Bandei-
ra de Moura do Apody o qual so ada pre-
sentemente na comarca de S.-Ant3o, e tem
um sitio em Craval; presume-se terem
partido para o Apody, onde ha muitos pa-
1 coles do dito Moura; comquanto o prmei-
ro andasse sempre em viagens dos serlfles
do sul ao poenio, com os cobradores desta
casa: este ultimo escravo levou um chapeo
preto de pello e oulro de couro, duas ja-
quetas brancas, 1 caira de brim pardo 1 di-
ta do riscado, 1 camisa de madapol3o,
duas ditas de algodilo da tetra o ceroulas.
Itoga-se a vigilancia nestesdous escravos,
que vindo com minia brevidade, senlo
gratilicadosainda com mais Jo que se offo-
rece.
FDNDIGAO DE FEBRO
E FABRICA f)i: MACHINAS NA RA DO
BRUM. Bowman & Me. Callum, engenhei-
ros machinislas e> fundidores de ferro, mu
respetosamente annunciam aos Senhores
proprietanos deengenhos, fazenderos, m-
nciros, negociantes, fabricantes, e ao ros-
peilavel publico, que o seu estabelecmenlo
de forro movido por machina do vapor con-
tina em dl'ecli vo excrcicio, e se acha com-
pletamente montado com apparelbos da pr-
meira qualidade para a porfeita confec(3o
das maiores pecas de machinismo.
Habilitados para emprehender quaesquer
obras da sua arlo, Bowman & Me. Callum
desejam mais parlicularmento chamar a
attencio publica para a sseguinles, por
terem dellas grande sorlimento jprompta,
as quaes construidas na sua fabrica pdem
competir com as faLriradas em a;/ cs-
trungeiro, tanto em predi como em qua-
lidade das materias primas e inilo d'obra,
a sabor:
Machinidevaporda melhor construcc^o.
Moendas de caima para etigenhos de to-
dos os lmannos, movidas a vapor por agoa
Compra-se urna escrava moca de na-
t;3o que nflo tenha vicios nem achaques ,
a qual saiba bem engommar e cozinbar;
as Cinco-Pontas, n. 80.
Compra-se Gnie du christianisme: na
ra do Queimado botica n. 15.
Compra-se urna negrnha, ou mola-
que, sendo bonitos, que lie pira urna en-
commenda : na ra larga do Rozario, loja
n. 35.
Compra-se urna porcSo de estacas e
varas para cercar um sitio : atrs do thea-
tro ns. 16 e 18.
Compra-se urna boa escrava de algu-
mas habilidades: paga-se bem : na botica
da ra do Rosario, n. 36.
Compra-sea Sagrada Escriptun, sen-
do verdadein ; e a obra Difieren?! entre o
temporal e eterno; um armario proprio pa-
ra cozinha : quem liver annuncie.
Compra-se urna escrava boa costureira
e engommadeira ; assim como escravos far-
reiros e carpinas : 110 pateo do Carmo, n.
18, segundo andar.
Compra-so um jogo de gam.to, quo
estoja em bom estado : na ra da Cadoia-
Vellia loja n. 42.
Vendas.
ou animaos.
\
Rodas d'agoa, moinhos de vento e serra
rins. V
Manejos independenles para cayallosX
Rodas dentadas. V
Aguilhoea, bronzes e chumacciras.
CavilbOes e parausos de lodos os tama-
itos.
Taixas, paros, crivos e boceas de orna-
Iha.
Moinhos do mandioca, movidos a mSo ou
por animaes, e prensas para a dita.
Chapas de fog.lo e fmos de farinha.
Canos de ferro, lorueiras de ferro e de
bronze. '
Bombas para cacimba e de repucho, mu
vidas a mSo, por animaes ou vento.
Guindastes, guinchos e macacos.
Prensas bydraulicas c de parafuso.
Irara da Iiulcpt nciencia*
numero 57.
A os 90:000^000.
Vendem-se bilheles e cautelas da lotera
do Rio-de-Janeiro, concedida a beneficio
das coNsiruocoes e reparos das matrizes.
Na mostna casase mostram as listas das lo-
teras passadas, o se trocam os bilheles pre-
miados : a elles,' qucs.lo poneos.
Vende-se um preto de 20 annos, ser-
rador e canoelro : no Aterro-da-Boa-Vis-
ta, n. 94.
Vende-se urna taberna as Cinco-Pon-
tas, n. 23 : a tratar na mesma taberna.
Vendem-se velas de carnauba de seis
e nove em libra, muito alvas, quo parecem
espermaecte e ilio boa luz por preco mui-
lo commodo : na ra de lionas, n. 190.
Na ra da Cruz, irmazem n. 33, de S
Araujo, vendem-se superiores batatas de
Lisboa em canastrasdeS arrobas, a 2,000
rs a arroba : tambem se vende as arrobas.
Vende-se urna botica com armac&o
moderna na cidade de Goianna na ra
do Amparo : a tratar na mesma botica, ou
com Barlholomeu Francisco de Souza na
ra larga do Bozario, n. 36.
Vende-se doce de calda de varias qua-
lidades em libras e barris, por preco com-
modo : no armazem de molhados, na ra
do Encantamento, por baixo do sobrado do
reverendo vigario do Recife.
Vende-se urna preta de Angola da
40annos, que engomma, e cozinha .* na
ra larga do Rozario, venda n. 46.
Vende-se urna padaria bem afregueza-
da, em lugar marcado pelo cmara : na ra
da Senzalla-Velha, n. 106.
Vendem-se leitOes de espeto: na ribei-
rada Boa-Vista, n. 3.
Vende-se a rcuuaefo sita na ra Direi-
la, n. 22, bem afreguezada, com dous es-
cravos bons, ou sem elles, sendo a dinhei-
ro se vender mais barato, por seu dono se
retirar paia a Europa a cuidar de sua saudv:
a tratar na mesma refinado.
Vende-se, na ra da Cruz, armazem n.
17, feijSo vermelho a 5,003 rs. o alqueire;
vinlio omito superior, a 200 rs. a garrafa;
charutos regalos de Havana muito supe-
riores,;i 1,200rs. aciixa; assim com outroa
muitos gneros por pre?o commodo.
~ Vende-se, a bordo do brigue ero. Tun-
deado aop da rampa do Ramos seboem
rama de boa qualidade por preco muito
em conta.
No armazem da ra 4a Moda, n. 7, con-
lina-se a vender superior-, colla das fabri-
cas do Rio-Grande-do-Sulj por preoo ba-
rato, tf
Vende-se a armacSo da fa'
rulos da ra Direlta n. 31 jr/ca Uo
para qualquer principian! muito pronri
com loja de miudezas esta crecer-s
ser em boa ra e ser o --gu fazendas, p
modo : atrs da matrrzJ|UgUe| mut0 co_
-- Vende^-se urna 7 que faz lo-* *.n-anjo escrava de 20 annos.
sosljaaca de urna casa, da qual
.de 15 ana co nu u un)> ,jndj| mo|eCa
800,000 rtos dUas scravas mocas, por
molequesV} "m bom escravo de nacSo ; 2
de Agoaa;' um r,ardrj bom carreiro : na roa.
Venrcr',.es,n. 46, se dir quem vende
guez, aor3" 3e, no armazem do finido Bra-
q3o de cop do arco da Conceic^o, urna por-
Ve/nadas de azeite de peiie.
caroco^hdem-se14 arrobas de algoda#,pm
Mi itii Anr,
roba^. i or junto, oua retalhode'meiPar-
Hr JJjiai ma ; em Olinda, na ra da Boa-
ra, na qpii que o muro vai ter ao rio.
- Vende-se urna casi na ra Velha da
Boa-Vista, n. 125, em chaos foreiros est
ivre e desembarazada, e que rende 8,000
ls. mensaes: vende-se pur 800,000 rs.:
tem pretender annuncie.


.^-
/
Vande-sc. muito superior firinha de
araruta, a 200 rs. a libra : na renda da es-
quina que entra para a Camboa-do-Carrr.o.
Fccliinchas para liq'idacSo.
Vendem-se, na loja da ra do Crespo, n.
5 A, ao p do aroo de S.-Antonio, as seguin-
tes fazondas, para liquidadlo: cortes de cas-
sa cora sete varas, para vestido, de muiln
lindos padres e de cores fixas a 2,000,
2,500, 3.0C0 e 3,500 rs. "cortea de rollete de
sctitn lavrado de diversas cores, a 1,000 rs.;
ditos do gnrgurflo de seda, gosto moderno,
a 2,500 e 3,000 rs.; ditos de velludo de di-
versas cAres e tamliem lavrado, a 2,500
at 4,000 rs. o corte; fus tilo branco alcocnoa-
do para rllelo, a 500 rs. o corle ; gorgu-
rSo de algodOo essuro, para rollete, a 200
rs. o corte; casimira para caigas de supe-
rior qualidade e gosto delicado a 4.000 rs.
o corte; cassas de cores com 4 palmos de
largura, proprias para vestidos a 240 rs. o
covado; e mitras muitas fazondas : bem co-
mo anda restam alguna pannos finos de 3 e
4,000 rs. ; merino, a 2,500 rs. ; loncos guar-
necidos de bico para mSo de senhora, a 400,
500 e 640 rs.
- Vende-ae o engenbo do Canha, du.is legoaa
ao tul de Santo-Anio, sendo dito engenbo de
animara e estando morntc, com safra para mals
de dous mil pies, tendo mala de mrla Irgoa
quadraila de trra, de muito boa produrcao,
tendo dito engrano grandes vaneas, bem como
32 animara de roda e 20 bola de corma. A
tratar com seu proprletario no dito g/igmlin, o
Sual todo o negocio far, e para lomar alguna
iclareclmentoa na ra do Quelmado, n. 27.
Lotera do Rio-dt-Janeiro.
aos ao:ooo,ooo rs.
Na praga da Independencia, loja n. 4, che-
pon novo soitmenlo de bilhetes e cautelas
da muito acreditada lotera da corte. A elles
antes que se acabem.
Cha barato-
Vende-se muito bom cha, pelo prego de
500 rs. a libra : na ra do Crespo, a. 23.
Deposito da fabrica de
Todos-oS'Santosna Babia.
Vende-se em caa de N. O. Bieber & C.,
na ra da Cruz, n. 4, algodSo trancado
daquella fabrica, muito ptoprio para saceos
de assucar.
Vendem-se presuntos inglezes para
fiambre ; latas com bolacbinhaa de Lisboa
ditas de araruta ; ditas de marmelada de
1, 2 e 4 libras ; ditas de sardinhas ; ditas de
hervidlas; ditas de checolate de Lisboa ;
frascos de conservas ; ditos d'agoa de flor
de laranja; barra com azeitonas brancas de
Eiras ; garrafas com vinho moscatel de Se-
tubal, e da Madeira ; queijos de prato ,
frescaes: tudo novo e chegado ultima-
mente de Lisboa.: na ra da Cruz, no
Recife, n. 48.
Taixas para erigen lio.
Na fundigfio de ferro da ra do Brum,
acaba-se de recebar um completo sorlimen-
tode taixas de 4 a 8 palmos de bocea, as
quaes acham-se a venda por prego com-
modo e com promptidSo embarcam-se,
ou carregam-seem carros sem despezas ao
comprador.
Vende-se algodao traneado
da fabrica de Todos-os-Santos a
370 e a 3oo rs. a vara : na ra da
Cadeia, n. 5s.
Vende-se urna prela de.28 a 23 arinos ,
que cose, engomma cozinha o diario de
urna casa e lava de sabflo: vende-se por sua
seuhora retirar-se para fra do imperio:
na ra larga do Rozario, n. 40, se dir quem
vende.
Vende-se urna bonita escrava, com al-
gumas habilidades que muito agradarSo ao
comprador : no Passeio-Publico, loja n. 9.
A 1,000 rs.
o corte de calcas.
Vende-so brim trancado pardo de puro
lindo a mil rs. o corte de calcas : na ra
do Crespo, loja da esquina que Volta para a
Cadeia.
relio,
Vende-se princeza preta de duas
larguras, fazenda igual a merino,
a 1,000 rs. o covado ; alpaca preta
de lustro, a 600 rs. o covado; me-
rm reto, a 2,500 rs. ; dito mui-
. to lino, a 3,500 rs.; panno fino de
cor liza, cOr de vinho, caf e ver-
de-garrafa, a 4,000 rs. o covado, e
preto para todo o prego, tendo de
todos muito aonde escolner; ca-
simira preta elstica, a 2,500 rs.
o covado ; dita superior, a 3 e
3,500 rs ; e outras multas fazendas
Anas e muito em conta : na ra do
Queimado, loja do sobrado auia-
n. 29.
a* KMMMsh^BvHtokn
Vendem-se sellins inglezese
camas de ferro: na ra da Senzalla-
nova, n. 4a-
Folha de Flandres.
Vendem-se canas com folha de Flan-
dres : em casa de i. J. Tasso Jnior na ra
do Amorim. n. 35.
Farinha de trigo SSSF
*- ...a i/ualjdade e nova ; dita ameri-
can em mea.s.barricas ; dita gallega, em
meias barri-cas, *| virgem de Lisboa ; vinho
00 .orto, em p.ijas e barra de quarto e
oitavo, superior ejpais inferior ; fechadu-
ras para porta de armazem ; superior cha
hysson nacional de>.-Paulo; farinha de
mandioca, em saccas,
na ra do Vigariu,
Francisco Alves da C
Novo sortimento
1,5o
r prec- "ommodo
di 1. 11, de
'iba.
e .brim Vaneado
rs.
esclarec.nentos sobre aua execugfio,expedM-fr;_
dos al abril do corrrente tfnno, com notas Cft~d
explicativas fundadas nestes meamos escla-
recimentos;
NOVO MANUAL DO JUIZ DE PAZ
contendo urna minuciosa explicaeSo de to-
dos os scus actos no desempenho de suas
atlribuigoes, seguido de um appendice das
leis, regulamentos, avisos, etc. relativas
aos ditos juizes inclusive as das eleigoes,
eregjmento dos salarios, e de um ndice
alphahetende todas ai materias contidas
neste manual;
CDIGO DO PROCESSO CRIMINAL
de primeira instancia do imperio do Brasil,
com a disposigSo provisoria acerca da ad-
ministragflo da justiga civil, seguido da le
deS de dezembrode 1841, e regulamentos
pira sua execucjlo do 31 de Janeiro e 15 de
margo de 1842, segunda edigSo mais col-
recta e augmentada com notas.
Chocolate de saude e ta-
rop de angico
fabricado no Maranhfio por Luiz Bolenluit
& rompanbia, boticarios chimicosda escola
esjucial de Pars. Estes dous objectos lo
necessarios as molestias do peito, como
roesmo a conservagflo da saude, ja experi-
mentados por muitas pessoas que bem con-
firmam seus bons resultados. Constante-
mente haver um deposito destea sortimen-
tos na ra da Cadeia dtf Recife, n. 25, de-
fronte'do Becco-Largo. Seu prego fixo sari de
800 rs. a libra do chocolate, e 1,000 rs. ca-
da urna garrafinha de xarope, acompanhan-
do um receituario do seu autor.
O o
9 Atoalhadosdelinho. O
9 Vendo-se atoalhado de puro linhn, q
q com 6 palmos de largura, a 1,600 rs. q
a a vara dito muito superior, com 8 q
palmos, a 4^000 rs.; dito com 11 pal- .
'X mos, a 5,000 rs.; toalhas da mesma x,
** fazonda, com 7 palmos de compri- *
J ment e 6 ditos de largura, a 2,000 }*
O rs.; e guardanapos. a 3,000 rs. a du- O
O zia : na ra do Queimado, loja do so- Q
O brado amarello, n. 29. O
O O
OOOOOOOOOOOOOOOOOO
Vende-se 11 m moleque crioulo, de 13
annos : na ra de S.-lula, n. 81.
SSSF.
Manoel da Silva Santos continua a vender
barricas de farinha de trigo da marca ci-
ma mencionadas, 'ullimamente chegada a
este mercado: a tratar no armazem do Anto-
nio Armes, no caes da Alfaodega.
Vende-se cal virgem de LisbOa de
superior qualidade, em barris de 4 arrobas,
chegada neste mez pelo brigue Maria-Jot:
a tratar na ra do Brum, armazem de
Antonio Augusto da Fonseca, ou na ra do
Vigario, n. 19.
AGENCIA
da fundico Low-Moor,
RA Da. 8ENZALT.A-NOVA, N. 1^1.
Neste estabelecimento conti-
na a haver um completo sorti-
mento de moendas e meias moen-
das, para engenho ; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido e
coado, de todos os taannos,
para dito.
A 200 rs. o covado.
Vende-se zuarle azul truncado, muito en-
corpado e com 4 palmos e meio de largura ,
melhor fazenda para vestir escravo pelo
barato prego de 200 rs. o covado; na loja da
esquina da ra do Crespo, que volta para a
cadeia.
A pecbincha.
Cortes de cambraia adamascada
com toque de avaria, 2,50o n'is ;
ditos 1 i tupos para vestidos e corti-
nados, a 3,ooo ris ; dilos de tala-
garca, a 1,600 ris ; ditos finos, a
2,5oo ris; cassa-chita de cores fi-
xas, a 3oo ris o covado;
em cassa,
o covado a 200 ris;
riscado
lan-
zinhas para vestidos, calcas e roupa
de meninos, a 3ao ris o covado ;
e outras muilas fazendas por preco
bf rato : na ra do Crespo, loja de
Cimba Guimaraes, n. 15
A 64o rs. cada um.
Vendem-se cobertores de algodSo, dos
mais encorpados que ha, e proprios para os-
era vos, a 640 rs. cada um: na ra da Cadeia-
Velha, n. 33.
Fazenda barata.
Continuam-se a vender cortes de
caigas de puro linho pardo e tran-
cado a 1,000 rs. ; ditos de dito
brancoecom listras, a 1,280 rs.;
ditos de dito amarello, a 1,500 rs.;
ditos de macedonia, padrOesiguaes
a casimira, a 2,000 rs.; ditos de ca-
simira, a 4,6 o 7,000 rs. : na ra do
Queimado, loja do sobrado ama-
rello, n. 29.
oreqoilifes, chegados ultimamen-
rga, o da ultima roda. Da"o-se
amostras.
Vende-se a casa terrea de podra e cal
n. 136 da roa Imperial, com grande aterro
at o rio-, e mais um terreno ao lado ,
promptopara outra casa t tudo em chaos,
proprios: na ra do Collegio, n. 6.
Bilhetes com assignatura de '
Siqueim.
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Aos 20:000,000 tje ris.
Be chegada a lista da terceira lotera de
Campos e cern ella grande sortimento de
bilhetes, meros, quartos, oitavos e vigsi-
mos na ra da Cadeia, n. W, loja de fer-
ragens. de Antonio Joaqnim Vidal. Adver-
te-se que destaa loteras fram vendidos na
mesma loja os bilhetes ns. 1,015 e 5,505
com 1:000,000 de ra.; assim como na ante-
cedente se vendeu o numero 5,573 com
4:000,000 de ris.
Novos riscados monstros, de aara
de largura, a 320 rs. o covado.
Na ra do Crespo, n. 5, vendem-se os no-
vos riscados monstros, muito finos e pa-
drees nunca vindos a este mercado, pelo
barato prego de 320 rs. o covado.
Freguezia.
Vende-se vinho da Figueira de superior
qualidade, a 1,280 rs. a caada, e a garra-
fa a 160 rs. sendo engarrafado dando o
freguez oulra garrafa : no paleo do Tergo,
venda n. 7.
O monstruoso hrarnante de linho
de M palmos de largura.
Na loja do Guimaraes* Manriques, na ra
do Crespo, n. 5, vende-se bramante fino de
puro linho, de 11 palmos do largura, pelo
barato prego de 2,800 rs. a vara; ricos co-
bertores de barra de seda, muito grandes, a
6,000 rs., e mais pequeos, a 5,000 rs.;
fazendas estas nunca vindas a este mer-
cado.
Pannos,ale3,000 rs. o covado.
Na loja de Cuimarfles & Henriques, na ra
do Crespo, n. 5, vende-ae panno preto e
azul, pelo barato prego de 3,000 rs. o co-
vado e preto maia inferior pelo diminu-
to prego de 2,000 rs. o covado ; bem como
um completo sortimento de todas as cores,
ede diversos pregos.
Chitas de cqres fxas, a 5,200, ou
a 140rs. o covado.
Na loja n. 5, que faz esquina para a rus
do Collegio, vendem-se chitas de bons pa-
drOes e cores fixas, a 5,200 a pega e 140 ra.
o covado; ricos cortes de cassa da rainha
Victoria, a 3,60t>rs. o corte; lindas cassas
francezas, largas, pelo barato prego de 640
rs. a vara : esta fazenda se torna muito re-
eommendavel por ser de padroes novos e
muilo finas ; alm destas ha um com-
pleto sortimento de todas as qualidades de
fazendas, por prego, muito commodo.
Na ra do Cabugd, loja do Duar-
te, vendem-se
fitas de setim lavradas ; ditas com franjas ;
selins lisos e de cores; galOes volantes ,
trinas e espeguilha ; flores, capellas de flo-
res de laranja ; luvas de seda; mantas para
meninas, a 800 rs.; ditas para seuhora, a
9,000 rs.; lencos para grvalas; cortes de
rolle!, s ; cullrias finas; diversas galante-
ras : tudo por prego commodo.
Na rita do Cabugd, lojh do Duar-
te, vendem-se
bolOes de Pedro II, de primeira, segunda e
terceira qualidade; ditos de cavallarla da
guarda nacional; ditos de infantaria ; ditos
de massa para ragadoies ; ditos de diversas
qualidades ; ditos de marinha ; ditos pre-
los da ultima moda; ditos de madre-pero-
I para palitos ; ditos de seda, proprios pa-
ra enfeites de vestidos de senhora e meni-
nas.
Na ra do Cabugd, oja do uncir-
le vendem-se
lesouras para alfaiate e barbeiro, fabrica-
das em Cu i ni a riles pelo melhor cutileiro
daquelle lugar; ditas de Lisboa, para se-
nhora, com arosroligos deagoGno. D3o-se
amostras.
Vendem-se tres ricas estolas, con
pouco uso : na ra da Cadeia, n. 5
Vende-se superior farinha de mandio-
ca em barricas, por prego commodo, e sac-
cas a 4,000 rs.: no armazem da ra de A-
pollo, n. 4, o no do defunto Braguez, ao p
do arco da Conceigo.
4cs fumantes de bom gosto.
Nq armazem de moldados atrs do Cor-
po-santo, n. 66, ha para vend*, chegados
pelo ultimo vapor, vindo do sul, superio-
res charutos S.-Felix, e de outras muitas
qualidades que se venderSo mais barato do
que em outra qualaer parte : bem como
cigarrilhos hespanhes ditos de palha de
millio, que se cslSo vendendo pelo diminu-
to prego de 500 rs. o cenlo.
Vendem-se pegas de madapolfoJargo
com 20 varas, muito forte, ptoprio pan
roupa de pretos, a 3.000 rs; ditos mais finos
a 3,600, 4, e 4,500 rs.; linbaagrossas de
novelo, aliruma cousa sujas.a t60 rs. a qusr-
U, e tres nvelos por 20 rs.; pegas de chi-
taa pera forro do bah a oito.pBlacas; chi-
tas de cberta, bonitas estampas, > 160 rs. o
covado; ditas, cOres fixas. muito fortes e no-
vas, a 5,400 a pega, e a 160 rs. a reUlho ;
longos de toquim com fraugas, proprios pa-
ra meninas de escola, a 610 rs. : na ruado
Passeio, loja n. 17.
Vende-sechampanha da maissupenor
qualidade que tem vlndo a este mercado :
na ra da Cruz, n. 27, armazem de Crocco
& C.
' Na venda que foi de Jos da Penha na
ra nireila, n. 23, vende-se toucinho de
Santos, a 160 rs. a libra dito com alguma
carne, a 80 rs.
Na loja da ra do Crespo, n. 6, ao
p do lampeao chegou novo
sortimento de fazendas, todas
de muito superior qualidade e
muito* baratas.
Cortes de brim trangado branco liso e
listrado a 1,500 rs. ; ditos escuros, a 1,000
rs. ; dito cor de ganga, 1,440 ra.; cober-
tores de algodfio americano, muio encor-
pado, a 640 rs.; chitas finas o de cores fi-
xas, a 6,400 rs. a pega, e a 180 rs. o cova-
do ; chapeos de massa a 1,600 rs. ; ditos
de seda a 640 rs.; pegas de cassa para ba
bados, a 2,400 rs., e 320 rs. a vara ; e ou-
tras "muitas fazendas por prego commodo.
Vende-se urna casa terrea, sita na tra-
vessa do Peixoto, a qual rende 8,000 ris
mensses, por 900,000 rs. ou troca-so por
escravos Esta casa est ao vendedor em
1:225,000 rs., como mostrar de escriptura
e mais documentos. Trata-se no pateo do
Carmo, n. 18, segundo andar.
Vende-se a casa da ra do Cotove'lo,
n. 10, em chaos proprios, com grande quin-
tal murado por um lado e fundo, e boa ca-
cimba : o local he proprio para qualquerea-
labelecimento : na ruado Sebo, n 26.
-- Vende-se urna casa terrea, sita no bair-
ro da Boa-Vista na ra do Mondego : a tra-
tar na ra do Collegio, n. 15, segundo
andar.
Vendem-se 18 cadeiras e um sof de
Jacaranda, em meio uso, por 130,000 rs:
na ra do AragOo, loja demarcenoiro, nu-
mero 24. -
Vende-se a venda do Alerro-da-Boa-
Vista n. 22 : na ra do Carnario n. 5, a
fallar com Manoel Fructuoso da Silva,
v Vende-so ou permuta-se por casas ler-
','ngla
nholas : na loja da roa da Gadei do I
n. 18.
-- Vende-se um vestido e tour
no. proprios para baplisado por "J
muito asserada : na ra da C'uz, n Jj 1
Oculos de alcance.
alcance recentemente 1 j ."w
trra por prego commodo : no,..*
de Eduardo H.Wyalt, naruadoT
IVovo, n. 18.
VeOdem^se coqueiros em bom
do de se plantarem a 200 rs. cada o
ra do QueJmado, n. 57.
A 640 r8. cada um,
Vendom-se cobertores da algodSo ,B
cano, encorpadose granees, a d,n3
cas ; chitas escuras, de ns padrOas/'n
res seguras, a meia patata o corado-i
ra do Crespo, na loja da esquina qut.
ta para a cadeia. ^*
Vende-se, na" ra do Crespo, n. 11
cionario Magnum Lexicn, novo, por j
rs. ; dito j usado por 5,000 rs.
do Bavoux, 2 v. encadernadr
rs ; Poesas encadernadas, por 1
em brochura a 1,000 rs:; e outros
lvros que se vendem baratos.
Vende-se vime, negada utl_,
no brigue JVot>o-Fence*>r: na ra'
"o "armazem de Antonio Augustc
seca.
A aoo, 1,380 e i,5oo
Na ra do Crespo^ n. i4,
Jos Francisco Dias.
vende-se superior brim pardo
linho, a 1,280 rs. o corte; dito 1
ga, a 1,500 rs. o corte ; superior! _
magpm para coberta, de cores mu]
a 200 rs. ; chitas miudinhas de to
res e de pannos finos, a 160 rs. o '
ditas de superior qualidade, a 2001.
tes de fuslfles de cures lxas, a 320
e de superior qualidade, a 1,280 ra.j^|
de brota nha de rolo com 10 varas), 1
rs.; e outras muitas fazendas por
prego.
Vendem-se 6 lindos molequea di
go e crioulos, de 16 a 20 annos, sem i[
nem achaques; 2 pardos de 18 a 20 anal,
um dos quaes he per fe i lo oflicial de 1
tero, e ambos proprios para pageos; 41_
'os de 25 a 30 annos de bonitas liguraa"]
sendo um driles bom serrador a muitot
bil para qualquer servrgo, o qual he de 1
g3o e nlo tem vicios nem achaques o,
so apanga ; um preto de meia idade, muii
bom cozinheiro, e qued-seem conta; |
ros : na iui 1
muito bom sobrado'de 2 andares e sollo,
com bom quintal, e cacimba, no Alterro-
da-Ba-Visl*, n. 24, o qual renda animal-
mente 700,000 res : no Alterro-da-Boa-Vis-
ta, fabrica de licores, n. 17, de Fredgrico
Chavea. *
Vende-se urna escrava cabra, bastan-
tante robusta, por prego commodo: na ra
Bella, n. 14, pritneiro andar.
Vendem-se telhas de vidro,
em grandes e pequeas porcoes :
no armazem da ra da Cruz, nu-
mero 48.
a>a>a>
9 f
4^ Vende-se farinha de mandioca em ^
a saccas grandes de superior qualida- m
a de, fina e muito alva, por prego com-
modo e em medida de cuia caculuda
f a 200 rs. ; dita de araruta, a 200 rs. a
libra ;e todos os maia gneros de
? boa qualidade por preco mais com- .
A modo do que em outra qualquer par- k
te : no piteo do Tergo, venda n. .7.
!cr- limo,
ttff Tigai
a
iio'oo,
Aos 201000,000 de ris.
Ontinuam-se
a vender bilhetes, meios, quartos, oilavos e
la a
yendem-se brins trancados ff^cos, lisos
e de listras d puro linho, l,50 te ; cortes de fustSo alcochoedo aV*80 '
na ra do Crespo, loja da esquina ae volt"
paraa Cadeia. *\
Na livrarians. 6e8 da praea da Vnde'
pendenciar, vende-se o scguinle: .
MANUAL ELElTOn AL
contendo a ieiregulamenjar das eleigoesef
os decretos e decUoes do governo que dflo'
vigsimos da decima lotera cncedid
beneficio da construcgSo e reparo das ma- '
trizas da provincia do Rio-de-Jauoiro cu-
jas listas devera de chegar a esta paxrihicia
imeiro vapor : na ra da Cadeia do lie-
, loja de fazendas, n. 51, de JoHo da Cu-
nda Magalh3es, onde existen) as listas das
loteras passadas.
Farinha de trigo
Vende-se superior fsrinha franceza del
Provenga chegada ltimamente : em ca-
as de J. i. Tasso Jnior, na ra do Amo-
rim, n. 55.
Na ra do Cabugd, loja do Duar-
* te, vendem-se
ros de blonda pretos ; ditos braceos ;
A elles antes que se acabem.
Na loja da ra do Crespo, n. 5 A, ao p do
arco de S.-Antonio vendeni-*e curtes de
cambraia de cores fixas de riovos padrOes,
a 2,000, 2,500 e 3,000 Ya.; pegas de cassa de
baftado, com 10 varas, pelo diminuto prego
de 2,560 rs. ; panno lino azul e preto, a
2,500 e 3,000 rs. superior fazenda ; cortes
deaeda para collctes padrOes novos, a
2,000 rs. ; assim como ha um sortimento
completo do todas as fazendas, por prego
mais commodo do que em outra qualquer
parte.
Vende-se sag primeira sorte, cevadi-
nba d Franajaj, cavada, gomma de araruta,
tapioca de Maranhfio, por prego rasoavel:
na tus das Cruces, n. 40.
Vende-se" um lindo mulatinho de 12
annos do idade,*le excellente conducta e
com mu tos bons principios de sapateiro ;
urna escrava de nagOo, para tod^p servigo
is ditas para o campo ; um mo-
nago : no palco da maliiz 'de
Santo-Antonio, som-ado n. 4, se dir quem
vende.
de-ae a venda da ra do Cotovello,
rom poucosfundle muito afregue-
zada que o menos que venda sfio 12,000
rs. danos, alm dlsso az-se urna, vanta-
gem ao comprador, que quem "tiver pouca
vontade se animar : o motivo por que se
vende se dir ao pretndeme : a tratar na
mesma renda.
Bolachinha-estrella.
Vende-se a muita acreditada bolachinha
intitulada estrella, muito propiia para
doentes : na ra Dreita, padaria n. 79.
Vendem-se, por prego commodo 300
a 400 barricas vasiaa, que fram de fari-
nha de trigo por se precisar do lugar que
as mesmas oceupam : na ra larga do Ro-
zario, n. 18.
Pechinchas extraordinarias
Na ra do Crespo, n 5 A, vendem-se lu-
vas de pellica, tanto para homem como pa-
ra senhora a 1(0 rs. o par ; ditas de seda
curtas, para senhora a 120 rs., e com-
prdas a 640 rs.; meias de seda compr-
das, tanto brancas como pretas, a 1,280
rs. o par ; ditas Trancas, bordadas e aber-
tas a 1,600 rs. o par ; ditas pretas e bran-
cas para homem a 1,000 rs. o par; luvas
compridas de pellica para senhora a 610
rs. o par ; e outras muitas fazendas que se
darfio as amostras com o competente pe-
nhor.
Fendem-se, as lajas do abaixo
assignado,
na ra Nova, n. 28, defronte da greja da
Conreic.no e na ra do Queimado, n. 9, de-
fronte dq-becco do Pexe-Frto, sellins in-
glezes p francezes para montara de ho-
mem e senhora ; cabegadas brancas, roligas
chatas ; ditas de coro de lustro ; talins e
cananas de couro de lustro, brancas e pre-
tas ; barretinas para ofllciaes e soldados de
infantaria e cavallaria ; bandas ; perneiras
de couro de lustro e brancas : couro de lus-
tro branco e amarello para canhOes do bo-
las ; fundas inglezas, de una e duas veri-
Ihas ; colchOes de todaa as qualidades.
Antonio Ftrrtira da Coila Braga.
Casimiras a 5,000 rs. o corte.
Vendem-se, na ra Nova defronte da C.on-
ceigBo dos militares, muito superiores ca-
simiras de bom gosto a 5,000 rs. o corte,
bem como outras mclliores a 5,500 e 6,000.
Vend-se um deposito de assucar refi-
nado, com lodos os seus pertencea, sito (las
Cinco-Pontas, n. 10 : a tratar na mesma
casa.
Vendem-se 9 jnoleques do boas fig
ras de 18 a 20 annos tendo um deles
principios de marceoeiro, e que sabe empa-
char cadeiras ; 10 pretos de 24 a 30ennos ,
roprios para todo o aervigo, sendo um
dolles oflloml de alfaiate e ptimo bol/eiro ;
um pardo de 18 annos, proprio para.p'agem;
duas negrinhaa de 10 a 12 annos, com prin-
cipios do costura ; 3 pretas, proprias para
todo o servigo : na ra do Collegio, n. 3, se
dir quem vende.
Vendem-ae 30 ongaa ije ouro hespa-
Lenos pretos para grvalas,
\ 720 rs. cada um.
Na n. 5 da ra do Crespo, renden-a
lencos tos para grvalas, com um peqo!
no toqi de mofo, pelo barato prego de rJ
ris.
Veaije-tfcuma casa na ruadoflangel.aJ
44, frri iWsrop|w,Mn quartos, cozi
nha fora b\n>. qapitsl e cacimba s: naj
ra Augusta, n. 58; se dir quem vende.
Vende-so tima taberna com coucoj
fundos a desobriga a pra.ga, na ra Novij
n. 1 : a Iratar na mesma laherna.
Vendem-se escravas quitandeirase mu-
camas, pardas e pretas, eom l,abilidad;J
ouga vidrada muito danta ; doces de I
das as qualidades secco e de calda: 1
l'ra-de-l'orlas ra do Pilar n. 51, a
da viuva de Manoel Ferreira Pinto.
Aiscravos Fgidos
s
- Fugio, no da 29 do prximo panado,
um mulatinho bastante claro, de Dome Ti
cente de 12 annos ; levou caigas ajiqiw-
ta de algodHo azul,bonete azul e velbo.umi
troucliinha com 5 lengos sendo 3 de li-
varinto edous demarca com es leltrii C.
I A. Este mulatinho j faz urna fgida t
foi pegado em Fragoso. Rogs-se as aula
dades policiacs e capites de campo, que o
apprehendamelevem-no ra das Trin-
cheiras, n. 50, que serfio gratificados.
~ Fu gio, do engenho Boa-Esperanca, da
freguezia do Bom-Jardim, o cabrGoagi-
lo, de 30 annos; hebaixoe secco; lem 1
face um signal bem visivel de urna deol
de cavallo; fugio ha 3 mezes ; tem nojirre-
te um laido que mal se divisa : quem o pe-
gar leve-oaodito engenho, ouao ajn>i-
zem do assucar de Candido Lobo, na ra
de Apollo, 11. 22, que ser bem recompee
sado.
Anda fgido, desde malo prximo pi
sado, opreloAgostinho, crioulo, alto, ln
feto de 26 anuos, bem fanfnte; he oiu-
cial de calafate ; anda calcado e ineulett
do-se forro ; te/m sido visto de sobre-caM-
ca pela Bo-Vrsla e estrada nova da PalM*
gem quem o pegar leve-o a 9.-Amaro,
sa de Blanoel Cardozo da Fonseca 00 os
prega do Commercio.
Fugio, no dia 6 do correnta, s 7 hi
ras da noite, da casa do abaixo assigoaa
um seu escravo de nomo Iknlonio, de A
gola de 18 a 20 annos o qual furtou
levou comsigo sendo aeduzido e ajuda
pelosrelo Filippe, escravo do Sr. Emetei
Maciel da STITi w bah que continha
seguirte : urna casaca de panno preto, 01
sobre-casaca do panno cor de pinhSo, uj
caiga de casimira preta urna dita de Cr,
umajaqueta de merino azul ja usada,
collete*, sendo um de velludo preto e ai
de seda, camisas, ceroulaa, lenges, B
de linho novas, lengos de seda, ti
etc. sendo que a roupa branca tem 1
ca L. J. F. C., 623,000 rs. em cdulairn"
do 3 de 50/ ra. e as mais de 20, 10. 5,2 V
rs., um palacSo, 3 moda'a de 1,880 ra.
alguma prala miuda ; urna leltra sacada por
Luiz Jos Ferreira e aceita por Antonio lo*
de Meiidjuiga da quaritia de 188,900 >
ja vencida ; urna dita sacada a fver de lo
quim Luiz refreir aeeila por Francisco
oe Mello Baslos.de42,440 rs j vencida,
outra aceita por ManoeLJPaiiasCo de Sol
Uritoa favor do mesmrYiwz Jos Ferreira,
alm de outras obrigages que o aba*0***
signado nfio tem agora em lembranga : t
dos estes objectos perlencem seu caixe'-
roLuizJos Ferreira. O abixo assignauo
gratificar com cera mil rs. a quem der no-
ticia de qualquer desaea objectos, na rui
da l'raia n. 33. Troclo da Silva Campa.
Pf. : RA TVP. DE ti. Vi DE FA.U
.-lW
Mi itii Ann