Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08957

Full Text
-.-..
Anno XXV.
N
iaosu.Q
PARTIDAS SOS COKHT.10S.
doianna eParnhiha, segundas escxtas-felras.
nio-Grandc-do-Noi le, quinias-feiraa ao uicio-
dia.
Ol.i.Seiiiiliarm, Rio-Formoso, Porto-Calvo
e Hacei, no 1., a 11 e 21 de cada mez.
(', ii .Miliiins e Honitn, a 8 c 23.
Boa-Vista e Flores, a 13 e 28.
Victoria, lis quintas-felras.
Ollnda, lodos os dias.
KPBZMKaiDU.
Thaszs d lo... Chela a 5, s 1! h. e 9 ni. da m.
Mlng. a 13, os 4h.c48 m.dam.
Nova a 19, as (i li. c tim.da t.
Cresc.a26,il0h.el6in.da t,
VBXAMAB. DE BOJE.
Priinelras 6 horas e 6 minutos da mano.
Segunda s 6 horas e 30 minutos da larde.
uJIo Ce 1849.

*


FBE^OS DA SUBSCrvIPCO.
Por tres niC7.es [diflnlado)4/000
Por seis uio/.cs 8/1)00
Por mu anuo 15/000
DAS da semana.
2Seg. S.Othao. Aud.doJ.dos orph.jJpm.dal.v.
.' Tere.. S. Jaciulho. Aud. da chane.^H^ da I. v.
do civ. e do dos feitos da fazenda.
4 Quart. S. Izabet. Aud. do J. da*2. v. do civ.
5 Quint. S. Alhauazio. Aud. do J. dos orph. c do
iu. dal. v.
6 Sext. S. Domingas. Aud. do J. da 1. v. do civ.
e do dos fritos da faienda.
7 Sabbado. 5. Pulquera. Aud. da Chae, c do J.
da 2. vara do criine.
8 Doiu. S. Procopio.
CAMBIOS XM 6 DE JUX.HO.
Sobre Londres, a W/% d. por 1/000 rs. a 00
Paris, 380.
> Lisboa, 115 por cento de premio.
Ouro.Oncas hespanholas........ 31/000 a
Moudasdr (i/400 vejhaa.. 17/500 a
de(/lOOnovas... Ifi/TiOO a
de4/U00........... 9/700 a
Piala.Pajacesbrasileiros...... 2/000 a
4>esoscoluiiiuarios........ 2/000 a
* Ditos menicano.......... 1/1)00 a
dias.
31/400
17/700
10/70"
9/MMl
2/020
2/0211
1/920
MHA
LIRIO
PERViMBlCO.
PARTE OFFiCIAL.
GOVERNODA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DIA 30 DE JUNHO.
Omcio.Ao coinmandante das armas, re-
conunendando haja de expedir suas ordens
para que seja recolhido ao arsenal de guerra
noprazode trinta dias o armamento, constan-
te da nota que remelle, fornecldo antes da re-
volta e depois della aoa oflictacs e Inferiores
indicados na mencionada nota : e advirtindo
que a despesa que se houver de faser coin a
cnnducco daquelle armamento ser paga sem
demora.--Olcinu-ie taiiittem aos commandan-
les superiores de Olinda e Iguarass, de Seri-
nhein e Rio-Forinoio, do hrejo e Cimbres
e ao chefe delegiao do Po-d'Alho.ailin deque
mandem recolher o armauento fornreidoa
cada mu driles.
Dito.Ao inspector da thesouraria da fazen-
da, iransmittiudo rpla do aviso de urna le-1
tra da quantia de 639/920 rs., sacada pela ilic-
souraria doRio-Grande-do-orte sobre rasa e
a favor deJoaquim Ignacio Pereira.Partici-
pou-se ao presidente da referida provincia.
Dito.Ao inesmo, recommendando mande
pagar ao director das obras militares, a vista
da cootaque remelle, a quantia de 33/800rs.,
rin que importaran! osconeerlos feilos no pa-
'I lirio da presidencia, e ordenando que, caso
vio haja quota para esse fin,mande satisfazer
mencionada quantia lb respcnsabilliladc da
jAesideneia.--Scienlilicou-sc o director dasre-
Pridas obras.
Dilo.A inspector da thesouraria da ftren-
da provincial, dizendo que,au obstante a du-
\ >l.i que occorre a S. me. sobre o pagamento
da quanlia de 4:00j000 rs. que esta presiden-
cia man ion entregar pela quota de erentuaes
ao commendador Jeronymo Martlano-Fgucira
ilc .lili >, cumpre que "Sinc. mande fazer ef-
ferlivo o pagamento; visto que, sendo Uicerto
o lempo un que aquella despeza se havia de
realizar, drre-ae considerar que por esse mo-
tivo uo ful rila prevista na lei do orcamento,
nein ae pode dlser que perlones a eiercicio
lindo, quando so pddia eflecluar-se quando o
governo approvasse o Irabalho de que filra en-
r.irregaoo o dito couiinendador Figiiira de
Mello. T
Dito.Ao administrador das obras publicas.
Tendo observado alguna estragosxausados
pelas agoas pluvlaes no Alcrro-dos-Afogados,
especialmente nos lugares prozimos an enge-
nho Giqui, bein coino que ha urgente necea-
sidaile de ser pintada quauto antes a ponte sus-
pensa do Jaboaln. ordeno a Vine que, no i-ase
de nao haver j feilo o orcamento necessario,
snande proceder a elle, para que se cifretuem
sem perda de tempo os convenientes reparos
e pintura. O que bel por multo recomuien-
dado.
IDE5I DE 3 DE JULIIO.
Olficlo."lo coinmandante das armas, com-
inunirando que S. M. o Imperador, por su.i
liiiiinrdiata e imperial resolucao de 6 de junho
iliinio, tomada sobre consulta do concelho
upremo mililar de 2 de oiiiubro do anno pro-
iiio passado, acerca do requerimenlo de frei
lanoel do Santo Sepulchro, houve por bein
elertnlnar que, indeferidas todas as peticoes
o aupplicanle, se Ihe continu a abonar usnl-
0 mensal de 6/500 rs. que Ihe marcou o d-
relo de 14 de ftvereiro de 1827.Imeirou-se
inspector da pagadoria militar.
Dito.Ao mesmo, coininunicandoqiie, por
ecrelo de 2 de abril prniimo passado, S M n
operador houve por bem conceder passagem
lara a compauhia fisa de cacadores da provin-
ia do Hio-Grande-dq-Norle ao lenle do 8."
latallio da mesina arma, Joaquim Francisco
eOliveira, e declarando que o mesmo augus-
1 Senhor determinara que elle siga iiomedia-
nenle para o sru destino.Scientificou-se o
.pretor da pagadoria militar.
Dito.Ao mesmo, scjrmiiicando-o de que,
uvido o concelho supremo militar acerca do
estion que deve ter o padre Bemardu Lucio
'fizlo, houve 8. M. o Imperador por bem
(terminar, por sua (inmediata e Imperial re-
olucao de 6 de junho ultimo, que seja elle
'isp*nsado de todo e qualquer servico militar,
isla uo poder ser Incorporado a nrnhuma
as tuatro classes do exercito, por nao ter a
le erlencide, e porque sua Idade e inoles-
i "Inhibon de continuar a servir.--IntelU-
enebu-se o inspeclur da pagadoria mililar.
Dll 1. o Inperador houve por bem prorogar por
ous aezes a licenca de favor com que seacha
'acure para tratar de sua sade o alferes do
.'batilbo de fuzilriros, Jos Joaquim Hodrl-
ues Kaganca.Intcirou-se o inspector da pa-
adorituiilitar.
Dito.~Ao mesmo, participando que S. M o
niprralor houve por bem conceder licenca
alfers do 5.* batalhao de fuzilelros, Inno-
ncio luslaquio Ferreira de Araujo,para eslu-
r na scola mililar no protimo futuro anno
urso d'arma que perlence ; deveudo, po-
li, ele partir desta provincia com a anieor-
envla aue baste para achar-se na corle em
ns de Irvereirn do mesmo anno.
luto.Ao mesmo. communicando que S. M.
Iiurn -ador, por decreto de 8 de junho ulll-
o, dicnra-se de conceder panagem para o
' batalhiio de fuiileiros ao alferes do 3.* da
rama arma, Jos Corra de O.liveira e Cas-
o.lnlrirou-se o Inspector da pagadoria mi-
lar. ,
Dito.Ao mesmo, declarando que, para po-
lr cuuiprir o aviso da guerra de 20 de junho
''li-Mo, releva que S. txc. declare se j se
ha reunido ao 2. baiaihao de cacadores o
feres Ifannel Eloy Mondes, a quem, por d-
lo de 3 de novembro do anno findo, S. M.
inperador conceder passagem da compa-
ia rlxa da provincia da Parahiba para o rrfe-
' batalhao.
no.o Inspector da thesouraria de fa-
la, communicando que a20 de junho ulli-
se mandara pagar pelo thesouro publico
tonal ao bacharel Jos Francisco de Arruda
aia a quanlia de 1:200/000 rs de ajuda de
lo de volla, como deputado por esta pro-
"cia, cmara ltimamente diasolvida.
I'no. Ao mesmo, comiuuiiicando que, por
'relo de 6 de junho uilimo, S. M. o !ue-
dur dlguara-se de nomear o praticanle da
rminiM ..ciio do crrelo desta provincia Gal-
no Joao J.icinilio da i iu.lia para o lugar de
licil papelista da mesina administrarlo,
a ciiuo que o noineado perceber 500/000
rs. annuaea, sendo tres quartas partes de or-
denado e o restante de gratificar.o.-eienli-
ficou-se o administrador do crrelo.
Dito.Ao mesmo, tiansmiltindo copia da
tabella do crdito distribuido esta provincia
para as despozas do ministerio da justica no
anno financeiro correte, na Importancia de
131:010/400 rs.; e recommendando, em curn-
primenlo de ordrm Imperial, que remeta i
presidencia Irimcnsalmente nm balancete do
que se houver despendido por cada urna daa
verbas mencionadas na referida tabella.
Dilo.Ao coinmandante da divlso naval,
ordenando, em cumpriinento de ordens impo-
naos, que se prepare para seguir at o dia 7 do
crreme rom a fragata de seu caminando para
a Halii.i, levando a seu bordo a bagageni do 4."
batalhao de artilbaria a p e o numero de pra-
cas do mesmo batalhao que a fragata poder ad-
mittir, para cujo fim deve S. S. entender-se
com o commandanle das armas; e declarando
[ Ino quanto aoi presos que se acham na mes-
ina fragata faca-os S. S. remover para qualquer
das embarcarnos de guerra que ficam no por-
to. Neate sentido ofliciou-se ao commandan-
le das armas.
Dito.Ao coronel Jos Pedro Velloso da Sil -
veira, communicando que S. M. o Imperador
mandara aceitar e agradecer a ollera que S. S.
fizera dos aeus venermentoa como coinman-
dante das forras do llmiilo e Victoria durante
a drbellada revolta, afim de seren applicadoa
,i aiiiorilsaran da divida publica externaIn-
teirou-se o inspector da pagadoria militar.
Dito.Ao contador de marinha, recommen-
dando que faca constar a Filippe Nery de Oli-
v.iira Cruz que deve mandar solicitar na secre-
taria dos negocios da marinha o titulo do lu-
gar de porteiro daqurlla contadoria, para o
qual S. M. o Imperador ha por bem que elle
soja nomeado.
Dilo Ao provincial do convento de S -Fran-
cisco do Recife, remetiendo, em cumpriinento
de ordens imperaes, o requrrimonto do reli-
gioso daqurlla ordein, frei Jos de S.-I.uiz
nimben, que pede a S. M. o Imperador a gra-
ca de o nomear caprllo para qualquer doa
corpos do exercito, afim de que S. llvui. in-
forme acerca denla prrlencao.
Dito.Doserretnriodn governoaoDr Manoel
Mondes da Cunta Azevedo, participando, de
ordein de S. Exc o Sr. presidente da provin-
cia, que a II de junho ultimo sr expedir or-
dein para que a ihrsouraria de fazenda desta
provincia pague a S. S. a quanlia de 1:200/000
rs. de ajuda de custo de volta, como deputado
por esla mesina provincia cmara ltima-
mente dlssolvida.- Scienlilicou-sc a Ihesouia-
ria de fazenda.
O Sr. farlhelemy : Fazois a apologa Jzer a guerra rom algum desenvolvimenlo.
J Deu nosoSr. l-edru-Rollin, como prova
que tendo de entregar-me exclusivamente I
proroptiflcaco do meu navio, niloposso I dos tratados de 1815.
tratar doexpediento da frca naval, cujol O Sr. Thiert: Ouco dizer a um dos 'da intenrjflo em-que se eslava de interferir
com mando me est confiado at ao dia em Imcus Ilustres ailvnrsarios que Taco a apo- na Italia, o subido algarismo do exerrilo
que der rela, com a presteza que o mesmo Jlogia dos tratados de 1815. Pormitt que vos dos Alpes. N3o duvido que o Sr. I.odru-
servico reclama, cessa hoje esse expediente, citoaqui quatro linhas : nao ser fatigar, Rollin, que representav, permitta-me de
nespeco-mo, portanto, dos meus cmara- niuito a assembla qualro linhas somonte I assim o dizer, a parto ardente do governo
das, a quem agradecoa coadjuvacSo que proferidas por mim no tempo da mqnarchia I provisorio, tivesse mu boas intencOes psrs
sobre os tratados do 1815. Ilem, estes trata-1 com a Italia ; maseu n.lo trago aqui as in-
dos, ( cito textualmente, disse-o rta sess.lo, tencOes, trago os Tactos que silo mais oner-
do i.o de feverciro de 188 I k estes tratados! gicos.
he preciso olnerva-los at odia om que Sabis vos a quanto montava o algarismo
se (izer a guerra, porque at l preciso' da exercito dos Alpes para a guerra? No
he ter slguresa regra das nossas relacoes; mez de maio ebegava a 30.000 homens ; n
com os outros estados ; he necessario oh- estes 30.000 homens sobre o Adign teriam
serva-los o detesta-los. I la I vez fen do reduzidos a M 00 a 21,000 ho-
Eis-vos desprezanilo, ultrajando esta po-, mein, porque todos os militares concorda-
litica que^vos dizia:o He necessario proteger riocommigoque, quando um exercito, des-
r.oimiiaiulo das armas.
Quarltl-gentral Ptrnambueo, 6 de julho de 1849
OIIHKM DO DIA.
S. Exc. o Sr. iii.iitc.-iI de campo graduado,
commandanle das armas, manda fazer publi-
co guarnicao que por cilicios do F.xm. Sr.
presidente da provincia com data de 3 do maz
andanle Ihe foi participado ; I.", haver S. >1.
o Imperador, por decreto de 8 de junho findo,
communicado em aviso da secretaria de osla-
do dos negocios da guerra de II, se dignado
conceder passagem para o 5. balalho de fu-
zileiros ao alferes do 3. batalho da inesiua
arma Jos Correa do Olivcira Castro ; 2., por
iinnicdi.il.i e imperial resolucao de 6 do mes-
mo me/, tomada sobre consulta do concelho
supremo militar de 2 de oulubro do anno pr-
ximo passado, communlcada em aviso da mrs-
iii.i secretaria de 12 lambein de junho, dolor-
minar que,indeferidas todas as petiedes de frei
Manoel do Santo Sepulchro. se Ihe continuo a
abonar o sold men-al de 6/500 rs. que Ihe
larcou o decreto de 14 de feveiro de 1827. c
que, ouvido o concelho supremo militar acerca
do destino que deve ter o padre Bernardo Lucio
Pelxolo, resolver o mesmo imperial Senhor,
por sua inmediata e imperial reaolueio de 6
do mesmo mez, de junho, que seja elle dispen-
sado de todo e qualquer servico mililar. riilo
nao poder "ser incorporado a nenliuma das
quatro classes do ex;'rcro,.por nao ter a este
pertenrldo, e porque sua idade e molestias o
inliibein de continuar a servir ; 3., finalmen-
te, que por avisos de 19 i.imbom de junho
fin i concedida licenca ao ale.'CS do 5. bala-
Ih.io de fuzilriros Innocenclo KuslaqiV.n Ferrei-
ra de Araujo para rsludar na escola mili tai 'io
prximo anno lectivo o curso da arma qut
perlence, devendo, porm, partir desta pro-
vincia com a antecedencia que baste para
achar-se na corte em lins de fevereiro do mes-
mo anno, e prorogar por mais dous mozos a
licenca de favor com que se acha na corte para
tratar de sua sade o alferes do inesmo bata-
lhao Jos Joaiuim Rodrigues Dragauca.
Oulrosiin, manda publicar que por ollicio
do Eini. Sr. presidente da provincia, de 5 do
mez curente, Ihe foi igualmente communica-
do que o Sr. 2.0 lente do 4. batalhao de ar-
tilbaria a p Pedro Augusto de Alcntara .Na-
buco de Araujo fdra nomeado ajudantc de or-
dena do Kxm. Sr. presidente da proviucia das
Maguas o Di. Jos ionio da Cunda Figueire-
do, e ordena o mesmo Kxm. Sr. marechal
coinmandante das armas, que o referido Sr.
2." lente se aprsente quauto antes ao sobre-
dito Exm. Sr. presidente.
Finalmente, determina que o Sr. Dr. Prxe-
des Gomes de Souza Pilanga.cirurgio ajudan-
te addldo ao 1 batalhao de catadores,siga com
o 4 batalhao de artllhaiiaa p para a provin-
cia da Babia.
Joti Pedro Heilor,
Ajudantede ordens interino.
Ihes merec nos melindrosos Irabalhos que
uestes oito ltimos longos mezes tivemos
de desempenhar. Eu farei jusliga perante
o governo imperial aos que em tflo nohre
empreza teem sabido cumprir os doveres
que eslSo ligados os militares : e muito
me ufanarei sempre que suubor quo a for-
ca naval estacionada nesta provincia con-
tina a bem merecer do paiz, para cuja sal-
vacflo tanto tem concurrido. Bordo da fra-
gata Paraguan, surta no lameirflo de Per-
nambuco, 4 de julho de18i9. loaquim
Joi Ignacio, commandanle da diviso
lllm. Sr Tem sido ISo distincto o com-
porta ment de V. S. c de todos os oflciaes
e pravas da diviso naval nesta provincia :
IVirain tflo relevantes os serviros que pres-
taram durante a minha adnijnistracflo pa-
ra ser pacificada esla porcSo do imperio,
que simia agora, no momento de deixar a
presidencia, comprazo-me dirigir-me a V.
S. para dar-lbe mais um lesleinunho de
tninha admiraco por semclliantes moti-
vos, o para manifestar-Uie minha gralidilo
pela muito valiosa coadjuvacito querecebi
em todo o tempo que-dirig os negocios
pblicos. Dos guarde a V. S. Palacio do go-
verno do l'ernainbuco. 2 de julho de 1849.
Manoel Flcira Tolla. Sr. capitSo de mar e
guerra Joaqum Jos Ignacio, commandan-
te da diviso naval.
a liberdade nos estados ndependenles da
Italia ; masalm dahi nilo su i Ale levar a
m.lo, porque fra isso rasgar essa poltica.
TIIF.SOURARIA DA FAZKNDA PROVINCIAL.
l/emnnsiracn do saldo existente na caixa do
txereieio findo em 30 de junho de 1849.
Saldo em 31 de maio
p. p........11:659/352
Iteceita do corrente
mez........
Despeza do corrento
mez.......
Saldo.
11:659/352
3:714/326
7:945/026
Em cobro ,
notas.
5/026
i 945/026
T/iomaz Jos da Silva GusmSo Jnior.
I.uiz-de l'inho llorges.
cansado ha muito, passa para urna certa
distancia, torna-se nolavclmcnte reJuzido.
Seria entao com 33 ou 24,000 homens que
Vos a proclamis no vosso manifest da na- loriis marchado para o Adige.
neira a mais formal, e se dopois disso (fui- Nilo vos julgo ISo insensatos que quizos-
zesseis fazer a guerra poderiam di7er-vos seis levar o paiz urna guerra com seme-
com muita justica quetinheis querido en- litantes melos.
ganara Europa. Depois de 1er dito que res- O que he ventada beque vsjqiiizesles'no
peitaneis os tratados, no po liis dizer que mez de fevereiro o ita maio o quo se no faz
raziis a guerra para chegar sua destru-, seno com o lempo ; o que he ventado he
cao. Nilo deixastcs, porm, o menor equi-|que nos pritneiros dias da vossa existencia
vuco sobre este punto. lailastes de paz, c fizestes muito bem ; fl-
llontein da minha cadeira. quando o hon- zestes nimia melhor, porque obrasles do
conformidade com a paz ; nilo flzesles mais
%
I,:
I 9
I P
fe 2
8 .
1*
1-8
il
1 v

EXTERIOR.
COMMANDO DAS l-'Ullil.VS NAVAES.
ORur.M nO uia N. 141.
Para conhecimenlo da l'rga naval esta-
cionada ueste | orlo, faro publico o ollicio
que recebi do Kxm. Sr. concelheiro Manoel
Vieii.i Tosa ao entregar a administra^iio
desia provinciuM succsssur que liie foi da-
do pelo^uixWno mporial. >lUungralulo-ine li_giidu impurtajvf.tf
s as prucas a'quem se -dirij^etnDo
expressOes. Teudo-mo sido ur-
que siga com esla hgala para o
lUlua no da 7 do crreme, detem
desse^ijia em dimite os Srs. commandantes
dirgir-se por si propnos as aulundades a
quem tivereai de recorrer nos objeelos de
ser ico de que cstaojeocarregados : e, yisto
c

r-j-
A QUESTAO ITALIANA.
DISCDnSO DO SKNH01 TUIEItS NA SKSSO DA AS-
SKMBLA NACIONAL CBANCEZA DO I." DE
ABklL.
{Continuando do numero 146.)
Sabis vos de que sejeompemos tratados
de 1815? CompOem-sa, em p'imeiro lugar,
do divisos territoriaag ; e he isso o peior,
porque estas divisOef de territorio foram
foi las no dia das noss s derrotas pela espa-
da do vencedor.
Sabis vos que al
tratados de 1815 ha
dade, principios admi
em que com a espada
a carta da Europa a n
3uo nella houvesse p
e. E aqui cumpre
cipe generoso, ao
Quiz elle que se con
dos as mximas mai
gentes ; que se gara
mares, a abbelo
dos ros, e a neutral
Sabis vos oqun t
destas divisOes, nos
I incipius de huinaoi-
a veis i1 No momento
0 vencedor irneav.im
ssa cusa, quzeram
Cipios tit: lu mam la-
er justica a um prin-
perador Alexandre.
grassem nestes trata-
nobres dodireitodas
issem a liberdade dos
'o trauco, a liberdade
lade da Suissa.
leis feilo se se tivesse
vosso manifest ?
Kssis divisos tcrrltoriaes qu*s3o a uossa
oppressio subsistiam, a, quando se livesse
querido, por exemplo, invocar a neutralida-
de da Suissa, dir-vos-lliam : Os tratados
de 1845 ja nao exislem de direito. Feliz-
mente, genitores, ninguein enlendeu aup
da leiira o vosso manifest. ( Movmenlo. A'
direita : Muito btm'.
....
radoSr. Ledru-Ilollin ctava o manifest,
o pensamento, a alma do governo proviso-
rio, tomei urna liberdade quo nunca tomo,
a de interromper o orador bem baixinho.
pois que nein me ouvio logo, dizendo
A'o eslaits ir.dependentes.-0 Ilustre Sr.
I.cdru-Hollin disse : Eu vos responderei.
Anda eslou espera da resposta.
Vou fazer a citiiQio : Seos esladns i
dependentes da Italia fossefii evad los.
(Independenles da Italia nao poda dirigir-
se Loinbardia e Venecia quo estilo sb o
jugo da Austija )
Oi estados independentes da Italia, se
por acaso so Itnpozessem limites ou obst-
culos ns cuas disposic,es interiores, so
tilo armada se Ibes negasse o direito de se
alliarem entre si para consolidaren! urna
patria italiana, a repblica franceza teria
direito do so armar para protestar.
Ora, qual era a vossa poltica no dia cm
quo cliegastes an pudor ? Res""-'-- ""r"n
um iiain .ai imuHssi ilHIlTIiiToil | e se os es-
tados iiiilepondcntes da Italia, contino a
recordar a palavru, fsseni constrangidos
em suas traiisformacos interiores, oppr-
se-ba a repblica. NflopOMO crer que no
ilia seguinto ao do urna revoltiQo, quando
se nilo recusa fallar s paixcs do puvo, se
mostrasse mais calma as paixcs du quo
nos actos.
Digo mais.'quo osados foram perfeita-
mente conformes lingoagem. Quo ? Que-
rieis fazer a guerra ? Ah, senhores, dexai
que vos lembro um dos meus mais serios
cuidados do auno passado.
Sabis qual era o meu principal cuida-
do durante o governo passado? Hoque no
estado de paz cm que eslava mus (desde
1815 nao so livessom feilo todos os esl'orgos
para organsar a lurc.i publica ; no ha um
sdos meus amigos que no mu odvisse
qucixar prolundamentc desto faci; e
quando vos vi chegar ao poder com todas
as deas quo representis, sent grande pe-
zar, pezar que nein a vos mesmos dissimu-
lei ; disse com migo Bem ao menos ostilo
livres; nao esto dehaito dos golpes de
urna maioria que os obrlgl a dar mais atten-
(3o OrganisaeflO interior, aos caminhos
de ferro, aos canaes, do quo frc publica.
Vamos ler urna frca publica, vamos ter um
exorcito grande. Nesta estado de cousas,
dizia ou : He una imprudencia no lan?ar
mo dos poilres quo se possuem, o que
permittem laucar sobre o paiz impostos que
lizestes mulo bem em estabelecer. Porm
esperava quo usarieis desse poder para ter
um exercito.
Passaram-se tres mezes. Entretirilia-me
disto com honrados generaes que, assim
como eu, me confiavaui seus temores pa-
triticos. Disse-lhes: Vos sois generaes, e
aos generaes perda-se sempre o terem ser-
vido debaixo de outro rgimen escutar-
vus lio. Ide dizer ao governo provisorio,
que ludo pode,, que faca um exercito, que
organise a arlilharia, o que Iqva mais lem-
po, que monte a cavallaria que est a p.
Tinham adiado o exercito, fallo dos tres
primeirus mezes, porque reconheco que sb
o commando do general t^avaignac, e no
lempo do general Lamoricire, se o exerci-
to nlo leve todo o desenvolvimenlo que eu
Ihaleria querido rr tornar, leve ao menos
aquelle que as Guaneas t(o paiz porinittiam
dar-lbe; tinham achado o exercito com
378,090 tiomeiis.islo he, em maio ; tiuha
em junho 431,000 homens, em julho 463,000,
em agoslo 498,000, em selembro e oulubro
503,000 homens.
Assim, os tres mezes mais importantes me
lemhram os cuidados que me devoravam,
estes tres mezes os mai importantes passa-
ram-esemquose fizessem os preparativos
da maior uecessiJade.....E o exercito dos
Alpes; os algarismos all esMIo.
O ir. Carnier Pags : Fallis verdade.
O Sr. Thiers : No sei como se possa
contestar o que digo, quanJo aprsenlo os
'garismos authenlicus do ministerio da
guerra. Eu comprobando porque esses so-
nliores se mostam indignados; lombram-
sc de suas inleiic.i)es que eram palriolicas,
no digo o contrario ; porm imaginatn quo
a intenco de armar he o armamento defi-
nitivo. Mo lie assim, e esla he a prova de
que a liitan nas emjuuhuquocumeijou a haver, no o
queeia necessario para ter a frc,a, porque
do que os vossos successores. Eu n.lo pre-
tendo mostrar-vos contradictorios, mas
quero provar que esla poltica que tentis
deprimir hoje foi a vossa quando estivestes
no poder, ,
Pormilli-moquo vos diga: Louvo-vos por
terdes querido a pz, o que eu no appro-
vo he no terdes armado com mais activi-
ade.
FaMasles da historia : ha nesle terreno
que vos espero. Que'. Os l'iemonlezes estilo
sobren Adige: a Austria meia destruida,
desorganisada, oflerece-vos urna occasio
nica de rcilisanles urna pnlitica que n'um
lempo regular no teria nanhiim xito ra-
zoavel : que a fortuna da revolucilo vos of-
ferece urna occasio unic, a Austria batida,
vencida: que! tendea anlo vos a indepen-
dencia da I.(miliar,lia, a juncQO da Loniliar-
dia an li.........4-, ;,..kr|<^iiiii'iiola da Veno
Ca com um archiduque por chefe, inatitui-
ces libcraes, um exercito veneziann, rrcas
venezianas : que ollerocem-vos juntar a
l.ombsna ao Piemonte, fazer da Venecia
urna outra Toseana, e nilo dais ouvidos, no
escotis a fortuna que neste momento vos
Irata talvez melhor do quo merecis, olTo-
recendo-vos a occasio nica, eu o repito,
do realisardesa vossa poltica I Vos me cha-
mis historia ? Muito bem: all vos espero.
(slpprovaqao na direita.)
OSr. Cremieux :Pego-vos quoirais mar-
car a data.
O Sr. Thiers :O Sr. Cremieux pede-mo
urna dala, pego perdo so esta data he da
esmagir i a data he do 24 de maio ; om
Londres :24 de maio.
Quo I Vos acbastes a Austria abatida pela
prinieira vez, no obstante ludo quanto ella
tem do tenacidade, do gloriosa pertinacia
em seu governo, porque quem lio pertinaz
a esse ponto pola grandeza de seu paiz,
mereco inesmo as bomenagens das naces
estrangeiras :.quc vos adustos a Austria
vencida por una revolucilo, a Austria que
abandona a sua antiga tenacidade, a Austria
que vos oflereco urna parto notavel dessa
Italia pela qual lula ha tantos scctilos, e
vos no aceitis Ksperaveis talvez a Italia
inteira, ou antes o rei de Piemonte era rei,
e vos nilo o queris servir em sua poltica.
Kis-ahi a razo verdadeira.
lia direita:--He iss.o, isso mesmo.
O Sr. Flocon :A razio era que a Loni-
lunli.i recusava !
O Sr. Thiers :a Lombardia recusou :
bem sei que italianos houve assaz insensa-
tos para no aceitarem. Pois que .' Eslais
merr daquelle:: que pretendis proteger *
daquelles por quem queris empenhar lodo
o poder da franca ? Estis na sua dependen-
cia a ponto de Ihes permittirdos recusara
dadiva que a fortuna Ibes offerece inespe-
radamente ?
Se hovesseis tido a loncio enrgica de
eprovetlar a occasio que se apresentava,
vos o podieis fazer ; e, quando tivestes ami-
gos to imprudentes que dosprezaram a
fortuna, queris li je sacrilicar-lhes a Fran-
ca ? J que fram tilo imprudentes que sa-
crificaraui a boa fortuna qde os favoreca,
vos no Ihes lie-sis devendo nada. (He ver-
dade, he isso mesni'i'.
Essa poliBca que deveria consistir ero di-
zer que devia sor protegida unicamenloa li-
berdade ilos estados independentes, fazer
votos pelo resto, e servir-se dos tratados,
esta poltica vos a adoplastes, e quando a
fortuna vos deparou enseju para seguirdes
melhor marcha, no a aproveilastes. Este
o vosso quiuho !
(Con/ntiar-i-iia.)
PEuNAMBUCJ.
CAMAHA MUNICIPAL DO RECIFE.
SKSSA KV1 luonuiwni A EH 2 DB JL'SHO DB 1849.
Presidencia do Sr. Dr. Nery da Fonseca.
Presentes os Srs. Karata, Gaudino, Ma-
raodo e Vianna, faltando com causa parti-
cipada os mais Srs., abrio-se a sesso, foi
lija e approwada a acta da antecedente.
O secretario fez a leitura do seguinto ex-
pediente :
Um olucio do Exm. presidente da provin-
cia, inundando que a cmara Ihe declarassa
qual o mal que provm da conservando dos
eram necessarios 800 000 homens para fa-lacjouguos na ra do Rangel, se sua estada
"^rcr:'.;:;': 'J ... ~r~* i*-?.-*v.., co.


.' .. -f I "- .. .
j-
.... ....,._.. -;,"-_;. ,a
k-faJ iIim ll Ti ii
,iri-T.n-^r.nBm~
_r._k. .<_ .-.-r.jrt.-THFtaiigiwsMWiaiiBii^?iiii i'..:. ,...'..
;nl prejud'ica a salubridade publica desta
cidade, ou concorre para que a limpeza
dolles tifio seja devidomente Pscalisada,
aflm do poder resolver a resucito d( --que-
rii.iento dos prnprietarios dos memos.
Que se rspondcsse satisfactoriamente.
Oiilro do mesmo, remetiendo copia do
'Viso'dasecretarla do estado dos negocios
do imperio do 3 do passado, que declara
qual a qualilicaeilo que deve servir>ar as
ehie/Vs que so tecm Je proceder. Que
S" rcsjiundcsse k ler a cmara remoltfflo
copias :1c .nesmo aviso a todos os presiden-
tes das juntas qualificadoras das freguezias
do municipio.
Oulro do mesmo, recommendando, em
riimpriment do avisn Je 4 de maio ultimo,
quo a cmara dsso as niais ellicazes provi-
il' iin.s. iiluii de que, na falta de puz vac-
OinOt se n<1o recorra a inoculado do Huido
das bexigas, como preservativo dellas, vis-
to que semelhanto meio, bem longedea-
fugentir a peste, a atOa e perpnla. Que
se respondesse quea camura daria as provi-
dencias a seu alcance, e se olliciisscao con-
cedi geral de salubridade.
Outro do mesmo, designando o dia 15 de
jullio prximo futuro para a minino das
junts qualilicadoras que teem de rever a
quallieaco do anno anterior naqullas pa-
ruebiasem que estes ttabalhos a inda se uflo
lizeram em consequencia dos aronlecimej-
tos polticos, e o da 9 de selembro subse-
quenle para a do roncelbo municipal de
recurso. Que se aecusasse a recepto e se
expedissem as convenientes orJens.
Outro do mesmo, determinando, om vr-
tildo do aviso da secretaria de estado dos
negocios do imperio de 0 dopassado, e da
lei de 19 ile agosto de 1846, o dia :!S de ou-
tubro prximo futuro para a eleieflo de
ideilores do parochia quo teem de eleger
dous senadores para preencherem as vagas
deixadas na respectiva cmara pelo falleci-
mento do concelbeiro Antonio (Jarlos Iti-
beiro de Amliada Machadoe Silva e coro-
nel Jn.-r Carlos Marink da Silva Ferrilo,
c o dia 28 de novembro subsequente para a
reunifio dos collogios eleitoraes. Que se
aecusasse a rocepyilo o se expedissem as
convenientes ordena.
Outro do mesmo, communicando que se
acba aancciouada e publicada a le provin-
cial ii. mu, que no arl. 3' declara abolidos
os districtos creados pela lei o. 224. Quo
so communicasse aos juizes do paz de Ja-
boato eoulrasTreguezias.
Outro do inspector do arsenal de ma-
rinba, solicitando cordeaco para diver-
sas obras que lem de-azer de aecrdo com
a planta da cidade. Que se orden'asse ao
cordeador fosse dar as curdeaces pedidas.
Oulro do contador desta cmara, pedin-
do soluco da duvida em que eslava sobre
a mancira por que devia passar o maulado
de pagamento da importancia de azeite e
agoa fornecida para a cadeia pelo ex-car-
cereiro da mes'ma Jos Francisco Mariulio,
por nilo existirquoia para agua eso para
azeite. Que o contador levasse a despe-
ga deslc a quota respectiva, e a daquella
de evenluaes.
Oulro do procurador, consultando se de-
via IMI llll l'npnr MJm.nM,..a..u
poitancia de l.SOug rs. de cusas de procos-
sos Criminan e mirronos as posturas, va-
lor da execuqilo que contra esta camaia eu-
caininha o mesmo escrivo, visto acliar-se
<|unsi intacta a respectiva quota. Que pa-
gasse iJiias custas, aliui de nao accrescenlar
/nais despezas.
Oulro do fiscal de Santo-Antonio, pedin-
do se msndasse pagara tbesuureiro da ir-
mendade de rVosaa-Sciihora-do-Rosario a
quantla de Si.o rs. do enterrainento de
dous cadveres mandidos all sepultar pelo
subdelegado delta freguezia. Quosepas-
sasse mandado.
L'wa mfonnaefo do engenbeiro cordea-
dor sobre a protencao de Jos Velloso Soa-
res. One se remeltesso dita informacdo
por rupia ao goveino da provincia, em cum-
prlnieuto ao seu desiacbo finnado sobre o
'lucio do administrador das obras publi-
cas
A cmara eslabeleceu opreco de \qq
rs. por ranada do agoas-ardentes de pro-
ducto brasfleira.
Iiespacbaram-se as petees de Antonio
Rodrigues l.ima, de Antonio Francisco da
Costa Braga, de Antonio Pereira Velloso,,
de Auna Muniz Tavares, de Antonia Joaqui-
na de MagalliSes, de Francisco Alves, de
Jos Francisco Marinbo, de Jos Goncalves
Ferreira e Silva, de Jos Cyriaco dos I'raze-
res, do Manuel (lardoso do Sou?a, dellay-
mmido Nonato de Araujo, de Sehasliiio Gun-
calves da Silva, e levantou-so a seacOo. F.u,
Manoel Ferreira Accioli, secrelario interino
Justino da Molla Sveira
Manoel Martina do ftego Farias
tutano |SflBColasso
H'inriqueTnTz d.i Farias
Manoel do Varias Maciel
Manoel de Farias Lo i te
linrnardino Comes de Moura Coutinbo
Tcncnte-coroncl Joaquim Antonio Cor-
roa CaiHo
Tonente-coronel Jo3o Pereira Freres
Manoel Joaquim de Castro
JoSo Francisco de Arruda
Segundo dislriclo.
Os Srs.: Votos.
Major Jos Francisco de Arruda jnior 138j
Subdelegado supplente Jolio Francisco
Xavier da Fonseca
Vicente Joaquim de Miranda
Antonio Joaquim da Costa Comes
Manoel l.eilflo de Albuquerque
JoSoFilippe de Mello
CapilSo Pedro de Souza Barbosa
3i
29
29
14
9
4
2
1
1
1
1
100
43
S
1
m
laKHHIIPaKVllRDCO.
niel", 8 DIJLHO DE 1849.
Iloje, pelas cinco e mcia horas da ma-
nhia, o ni pri-in c| 111- dizemserescravo, intro-
duzio-se no quintal da casi da ra da Con-
cerno do Inirro da Ba-Vista, onde resille
viuva D. Thereza Xavier Magalhes, eah
deu em urna escrava desla nilo menos de
"sete facadas, algumas das quaes silo mor-
taes.
Pe p Irado o rrime, o pretopde galgar
os muios do quintal, eevadir-se.
o escrevi. Reg e Albuquerque, presiden-
te. Cutneiro Uonleiro. llanos. Fi-
nina. Juwede.
RESULTADO DA ELEICAo PAltA VF.READO-
RES NA FKEGUKZIA DE R0M-JARU1M, CO-
MAItCA l)il I.IMOEIIIO.
UsSrs.:
O padre Antonio Francisco
Gu maraes
Joo Bernardino Neves Ribeiro
''oronel Jos l.eSo Pereira de Mello
Antonio Rodrigues Revoredo
Jos Antonio Pestaa
Major Jos Caelano l'ereira de Queirs
Subdelegado Jos Corroa Taveira de
Mello
'l'onoiiic-coroncl AntonioMatheus) Ran-
gel '
Manoel Ramos da Silva
Sebasliilo Marinbo Falco
Caldino Correia de Queirs
Manoel do Rogo Farias
Severino Alexandre Villarim
Jos Ignacio de Figueiredo
Coronel Ignacio Correia de Mello '
Votos
Consalves
317
292
273
265
210
181
151
137
70
68
64
60
38
28
28
RESULTADO DA EI.EICAO PARA JUIZES DE
l'AZ DA FREGUEZIA DE DOM-JAUDIM,
COMAIlCA DOLIMOFJRO.
Primeiro dislriclo.
Os Srs : Votos.
Tenente-cornel Antonio Matheus Ran-
gel 148
CapilSo Francisco do Reg Medeiros 138
Subdelegado Jos Correia Tavera de
Mello. 136
Subdelegado supplente Malhias Goncal-
ves Guerra 123
Francisco Gomes Taveira 45
Major Jos Caelano Pereira de Queirs 36
Galdino-Correia de Queirs 32
JoaoVoil.oUe Mello 82
Feliciano Joaquim de Aguiar_______.J
llontem leve lugar no palacio da presi-
dencia o baile com que os negociantes des-
la praca baviam resolvido teslemunhar ao
F.xm. Sr. concelbeiro Manoel Vieira Tosa
a gratidOoem que Ibes osliio pelos servigos
que elle aqui prestou em defesa da ordem
o das institnices juradas.
Tendo o Exm. Sr. presidente da provin-
cia codillo para o mencionado baila os l-
eos do mesmo palacio que flcaoi a sute,
sudoeste, nordeste o noroeste, a comrtiij-
sSo directora, compost dos Srs. Elias Rap-
tista da Silva, l.emos Jnior e E. Comber,
esmerou-se em adornar esses leos de mo-
do que offerecessem, como de feito olTere-
ceram, ao9 olhos do espectador a riqueza
de combinadlo com o inaisapurado gnslo.
nilo se osquecendo do providenciar para
que ;i escada, que ennduz aos salOes do
edificio, fosse guarnecida de vasos com bel-
las, exquisitas e odorferas flores, que, es-
pargindo mui agradavel aroma pelo saguio,
oqual se achava completamente illumina-
do, como que illudiam os convivas, e fa-
ziam que elles, ao transii'irem os primeiros
degros da mesma escada, so suppozessem
col lora, los a entrada dfl un j.-ir.lnn.
l'elaslOborasdanoile, quandoji seviam
nossalOes niio menos 131 senhoras e quasi
300 cavalbeiros, quandoja haviam toca-
do diversas symphoniasa banda de msica
da fragata Ciinsl'luiraO, a do corpo de po-
lica, a do quinto de l'uzileiros e a do sexto
de caladores, muitis gyrandolas annuncia-
ram o cometo do baile : immediatamente
se distribuio um impresso contendo una
alloeucSoaoExm. Sr. Tosta, e logodepois
outro no mesmo sentido.
A'* 3 horas da madrugada os convidados
ttrain chamados sala de jatitar, onde os
esperava urna mesa com oitenla tupieres,
coberta de iguarias, doces e fructas de di-
versas qualidades, e qual successivamen-
te se seularam lodos, guardadas as devidas
Duranto I coi ai lizeram-s V"..i .
Exms. Srs. presidente da provincia e conce-
lbeiro Manoel Vieira Tosa, bem como ase-
nhoradeste ; brindes que fram enlhusiaa-
ticamentn applaudidos pelos assistentes,
cujas vozes como que era ni abaladas pelo
soin dos instrumentos rom que as bandas
de msica locaram o bymno nacional, o pe-
lo estroudo dos rojes que uessa occasulu
subiram ao ar.
O baile lerminou as 5 horas da manhOa,
pouco mais ou menos.
vecclo do thealro de Apollo se portou para
coinmlgo nesse aranzel que or ahi corre
inferido emsua acreditada folha o. 143.
Sim, senhores redactores, frca he dizer
que o pretexto ou contesto desse aranzel
he bastante frouxo e prolixo, visto que a
convOctQo da sociedade lende a um nui
mui divo.sodaquellc que a actual directo
cscolheu para seu cnvallo de batalha. Quan-
do a causa he jusla. escusado |pe, para ga-
libar a victoria, engendrar novas visos a-
lm dos seisvoluires de Miguel Cervantes.
Saibam, porm, senhores .odactores, que
eu vivo em minhr residencia bem Iranquil-
'o e estranho a todos esses bolicos do sola-
! pada hypocriia, onde frvidas imagina-
^esseaccuniLlam em alternativas temera-
;6:rias e juizos confusos; se porventura um
An partido comecou de se arvorar em meti fa-
vor, foi sem duvida promovido pelos nobres
soiiliiimntos da imparcialidade, e por con-
segninte baseado na rasloi talvezalmeje
por derribar esse clebre triunvirato que
tilo desabridamente ha impolgado o mais
vil de lodos os caprichos contra a miuha
pesaos ; mas nilo que eu alucie, nSo quo
eu me involva no menor vislumbre de vin-
ganca a tal respeito, porque tenlio sobeja
coragem para superar os revezos do urna
negra ingralldlo, o mesmo porque despre-
zo todos esses opihetosalTroiilososcom que
ncessantemetite me acoimam meus encar-
niiM.los antagonistas.
Quanlo esta estipulada somma de 600
mil ris que por mais de dous anuos perce-
bi da sociedade em cpmpeusa<;<1o de meu
trabalho de machinista eensaiador, a qual
a aclual direceflo menciona em seu vergo-
nhoso aranzel talvez como assinle, bes
proprio de almas vis e mesquinbas tancar
em fuce publica escavaciosdo tal naturaza!..
Nilo se persuada a actual direcfiio do
thealro de Apollo, que, privando-me dessa
quautia, nilo equivalente ao meu trabalho,
me obrigaria a curvar a serviz sb seu
desmarcado capricho ; iio, gracas Provi-
dencia sube prevenir-me a lempo, e presen-
temente folgo de uio carecer para minha
subsistencia desse peculio directo e 13o in-
vejado.!!!
Senhores redactores, deixo por agora de
ser mais extenso: he verlade que muito li-
ntia minia a dizer, mas occasiflo mais opor-
tuna aguardo para expender os meus aeuli -
menlosem todaajua extenso; sirvam-se
enlrelAiito de fazer inserir estas poucas li-
ndas qu* muito obrigaro ao seu mais l-
tenlo venerador e criado. lodo Jos Leal.
tOmfREntlO.
ALFANDECA.
Rendimentododia6......8:277,179
CONSULADO GERAL.
ilendimento do dia 6....... 644,490
Diversas provincias........ 89,609
673,992
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 6...... 1:309,174
wovimento do (*orioa
Comniunicado.
Faltara a um dever, eat seria ingrali-
dilo, so deixassc passar em silencio, sem
que ao menos nma voz se levantassc nest
enmarca, para dar os devidos e bem me-
recidos elogios no mui digno Sr. tenentn-
coronel Antonio Maiia de Souza, ebefe do
segundo batnlhilo de catadores, e igual-
mente a todos os senhores odiciaes e pra-
C"s do mesmo, pelo bem que sehouverao-
nesta comarca, nilo s como homenspaiti-
culares, mas relativamente como militares
no desempenhu de seus deveres, que de tai
maneira se portaram, quedeixaram peMlin-
rados lodos os habitante-, por onde tran-
sitnvam, mxime aos desta villa. A subor-
dinaco da tropa, rdeme disciplina que
o Sr. Souza soube manier, acoiupanhada
dasmnneiras doccis, delicadeza eurhani-
dade com que tralava a todos, deu m
prova cabal dos seus nobres senlimeiitos:
os mesmos soldados, donde podeiia partir
a I u ni feito desagradavel contra este ou
aquelle individuo, pelo contrario ninguem
existe que se possa queixar de qualquer of-
fensa, que em vez de maldizerem a sua es
lada, polo contrario j todos deixou saudu-
sos; qualidades estas que um dever me
ubriga a nilo deixar passar inclumes, sem
as dar as conhecer aos tneus.concidadAos, o
como outro meio n3o tinba para podrem
cliegar aoconhecimenlo detodos 13o nobres
qualidades, procuro o prelo para as dilatar,
e por este meio pagar um tributo ao mri-
to, para que lodos respeilomos ao homem
i i Jad.iii e soldado ao mesmo lempo,to dig-
no de nossas sympalbias, o 13o uierecedoi
de nossos encomios.
Quand.i um dia se apartar de nos, ao me-
nos leve de l'ernambuco a lembranca da co-
marca do Rio-Furmoso, onde mililou tan-
tos mezes sem deixar inimigos e smeutt
a He I roa dos.
Rio-Foruioso, 4 de julho de 1849.
Um habiltale do Kto-Fvrmoso.
Correspondencia.
S. H. T.
Sr$. reiactortt: Decid afina 1 em minha
mente uianiteslar ao publico a maneira pon-
ti AL
Navloi entrados no da fi.
Arica; 78das, barra ingleza Pertian, de
347 toneladas, capitilo Willam llopkius,
equipagem 13, carga salitre equina; ao
capiilo. Veo lomar aguada e segu pa-
ra Londres.
Rio-Crando-do-Norie; 8 das, transporte
nacional Virapama, commandante Ca-
mino Lelis da Fonseca.
Rio-do-Janeiro ; 15 das, brigue pnrluguez
Tarujo I, de 255 toneladas, capitilo Ma
noel deOliveira Fanoco, equi|>Bgem 16,
emlast'o; a Firmino Jos Flix da Rosa.
Baha; 10 das, galinta blgica Jeuneilla-
ilaria, de 225 toneladas, Cu pililo M.
Preiisrblsc, equipngem 11, carga assucar
e fazondas ; a Me. Calinoul & Companliia.
Nnrio taido no metmo dia.
New London ; barca americana Ulack-War-
reor, capito W. Rabrock.
Declaracos.
:>itai.s.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria
da fazenda provincial, em cumprimento da
residuclo do Iribunal administrativo, man-
da fazer publico que no dia 12 do correntc,
ao mein-di, perante o mesmo tribunal se
ha de arrematar a qu-m mais ofierecer, por
lempo de dous annos e onze mezes, a con-
tar do primeiro de agosto do corrente auno
a 30 de juiho du 1852, o imposto seguinle :
i'axa da harreira da estrada e ponte de
V.(oeolomlii), avaliada animalmente por
2:720,000 rs.
Dita dita da ponte de Rujary, avaliada
animalmente por640,000 rs.
Dita dita da Tacan; ;V!.'8!J5 iiuai'"
mente por 640,000 rij/" '
As pessoas que 0 pr0pozerem esta
arremal.cao.coiiipartcam na sala das ses-
sOesdo mesmo tribunal, no dia cima in-
dicado, competentemL|lle habilitadas.
h para constar se nUniiuu aflixar o pre-
sente e publicar pelo/j,'ar,-0.
Secretaria da thesUraria a r8zendi pro-
vincial de Pernamb4C0 5 de julho de
1849.-0 segundo eperipturario, Antonio
rerreira da Annuticiacf
01
"<"ffo.
m. Sr. inspector ris thesouraria da
f.zeiwa provincial, err, virlude da re!,ol.,crio
do ribunal adm.nistratjV0i manda ravzer
publico que em cumpillienioda |ei parM1.
te o mesmo tribunal, V8 novamente pra-
ca no da 19 do correte 0 ln,,0sto seguinle:
Dous mil e qunilie,log reJ!l por caheca
de gdo vaceum que, fr consumido nos
municipios abaixo deci;,,.a,ios :
anda avallado annualrnente em ris
2:800,000.
Po-d'Albo, dito 3:200000 rs.
Nazarelh, dito 4:40U,O|')O rs_
A arremataoflo sera feita 'poP temp0 de
umanno e nove mezes a contar do primei-
ro de agosto de 1849 a 30 de junno de lt,
As pessoas que se proomem a ^l arre-
maUcao, comparecam na ta|a da8 sessOes
do sobredi! iribunal, no da .!. indi-
cados, pelo meio-dia, cooipelenlemenle
habilitadas.
E para constar se mandn affixar o pr-
senle, e publicar pelo Diario.
Secretarla da thesouraria da fazenda
provincial de l'ernambuco, 5 do julho de
1849. O segundo escripturario, Antonio
O escriviio servindo de administrador
da recebedoria de rendas geraes internas,
abaixo assgnaJo.tendo de mandar proceder
no crreme mor. ao lancamonto de imposto
de carros, que lem de servir no anno de
1849 a 1850, transcreve paia conhecimeto
dequem pe-tencer o art. 26 do decreto n.
361 de 15 de Janeiro de 1844, captulo 4.
Quem montar, ou comprar qualquer
sege ou carruagem, de qualquer forma,
ou denominado, quo seja para seu uso, ou
para aluguer, sera obrigado a manifesta-la
na repartiefio fiscal para ser inscripta no
lancameuto do anno, eos quo o contrario
praticarem incorrerflo na multa do duplo
do imposto, e os que occullarem, e usarem
de meios Ilcitos para subtrahircm-se ao
imposto, nilo declarando no acto do lan;a-
mentoosque estilo em circumslancias de
pagar o imposto devido; serflo subjetos
a igual multa do duplo do imposto, em caso
nenhum, porm, exceder a multa a 200.000
ris. Monoel Antonio Simet do Amoral.
Pela segunda seccSo da mesa do con-
sulado provincial se faz publico que o prazo
dos 30 dias uteis pora o pagamento a boca
do cofre da decima dos predios urbanos do
segn lo semestre de 1848 a 1849, espira no
dia 10 de julho prximo vindouro e desse
dia em diante psgarfloa multa de 3 por cen-
to'sob o valor de seus dbitos, todos os que
ficarem devendoalito semestre.
Companhia de Beberibe.
A administrado da companhia de Beberi-
be faz publico que, no dia 16 do corrente mez
de j o llio. contratar com quein maU oflerecer
a eu i) r.-i n{ i da laxa de 20 ris por caneco d'a-
goa, por lempo de um anno, que ter princi-
pio no primeiro de agosto seguinle: o con-
trato ter feito por bairroi, sendo excluido
no da BdaVista o reirrvalorlo e o chafan* jun-
io aponte, e uodollecife a bica prxima ao
arco da Concelcao. 0$ pretendentea remette-
rao at o dia 10 de julho ao escriplorio da
companhia as suas propostas em cartas fecha-
das, aasignada por ti e por sms fiadores, e
Ciiiiiparrcero no referido dia 16. As condi-
edes do contrato aero patentra no mesmo
eacriplorio todos os dias de trabalho, das oito
horas da nianhaa ao ineio-dia, e das (res as
iei* da tarde.
Nesta comarca do Rrejo-da-Madre-de-
Deos, provincia de Pernambuco, acha-ise
preso um mulato de nome Roberto, fgido
ha 2 para 3 annos, e diz elle ser escravo de
Joilo Norhcrlo da Silva Muniz, morador que
era no Aracaty, provincia do Ceara, mas
liojo he morador na provincia do Para. Por
isso aviso ao dito Sr., ou seus herdeiros,
que, munidos de documento que provm o
dito mulato Ihes pertencer, hajam de o man-
dar buscar, pagando as despezas fetas com
o mesmo.
Villa do Brejo, 20 de abril de 1849.--0 de-
legado de pula, Antonio Francisco Cordei-
ro de Crvalho.
O abaixo assignado faz publico que,
de ordem do lllm. Sr. administrador da me-
sa do consulado provincial vai nesta data
proceder na freguezia de S.-Frei-Pedro-
Gonculves ao lancamenlo de 12.809 sobre
di versos esta heleci inenlos industriaos, com-
prebendidos no paragrapho 14 da lei vigen-
te n. 244.- Recife, 6 de julho de 1819.
Maximiano Francisco Duarte.
o abala. ii signa.io de ordem do
lllm Sr. administrador da mesa do con-
sulado provincial, faz publico que vai pro-
ceder ainaiilifla, 7 do crrenlo na fregue-
zia da Roa-Visla e povoacSo dos Afogados,
ao liiiioan cuto do 12.800 rs. sobre diversos
cstabclecimentos industriada comprehen-
IhIos no paragrapho 14 da lei vigente u.
244 principiando pela ireguezia da Boa-
Vista. Recife, 6 do julho de 1849. JoaO
llaerra de Mello.
AVio ixtantiUiO!*.
Para o Rio-dc-Janeiro o patacho na-
cional Nereide de primeira marcha, como te-
lilla a maior parte da sua carga prompta,
pretende sabir al o dia 10 de julho cr-
renle : para o resto e passageiros tra-
ta-so com Novaos & C ra do Trapiche,
n. 34, ou com Joo de Carvalbo Raposo, na
praca.
I'ara Ruenos-Ayres o patacho brasileiro
D'-'urodeve seguir cm poucos dias, por pou-
co Ihe faltar para seu completo carregamen-
to : quem no m^smo auizer carregar, diri-
ja-so a CaudinoiAgosinho de Barros, na
praca doCorpo-Santo, n^S"------
Freta-se parauT^ortos do norte ou
sul, una bsroaQl de lote de 40 caixas,
muito bem constdjda na ra da Madrc-
de-Deos, n 3C aT|ado da alandega.
. "" 'iTi-fi^racaty segu com tuda a bre-
djfJS baicaea Felis-dat-Onda*: quem
Sella quizer carregar ou ir de passagem, di-
rij-se casa doSr. Francisco CoiiQalves da
Silva Pereira, ra da Cadeia do llecifc, u. 40,
que achai com quem trillar.
-- O hiate S -Joao' sahe em poucos dias
para a Babia por ter j a bordo a maior
parle do sua carga : para o resto trata-se
com Novaes & Companhia na ra do Tra-
piche, n. 34.
Para o Rio-de-Janero segu, cm pou-
cos dias, o bem condecido brigue Astombro:
para carga e passageiros, trala-se na ra da
Cadeia do Recife, n. 61, com Joo Jos Fer-
nandas Magalhiica.
Para o Para com escala pelo Cear e
MaranhOo partir com umita brevidade o
pataclio Fortuna, ja so cha CoDl un terco
da carga a bordo e mais de meia carga en-
gajada : quem no mesmo quizer carregar
para qualquer dos mencionados portos, di-
rija-so ra da Seuzalla-Nova, u. 42, pri-
meiro andar.
PASSAGEIROS.
Para o Rio-de-Janeiro sahe, nestes das,
o briguo americano Luis, de primeira mar-
cha, o com asSeiados cummodos para passa-
geiros : quem pieii inler ir, diriia-se ao.
seus consignatarios, Matheus Auslin & Com-
panhia, ra do Trapiche, n. 36.
Para Lisboa sabe imprelerivelmente,
no dia 18 do crrente o briguo pnrluguez
Conceirdo-dc-Mara : anda- recebe alguma
carga e passageiros ^'pa'to.que oiterec-
exccllenlea cw^"'los IrarV
otualmente fra da provincia, consislindn
em ricas cadeiras, sofas, mesas da sala, coa.
solos, mi>rquez8S, espelhos, toucadores
quadros, leitos par casillos, e outros mais
pequeos, secretaria, commodas, guarda-
rnupas, lavatorios,aoaradores, mesadejaiC
tar, louca, vdros, duas lindas cadeiras de
ra com suas corrers, etc.. banh-iroin-
glez, e mujtos outros artigos que se n.lo
cl.issificam por brevidade do annuncio : so-
gunda-feira, 9 do corrente, as lo horas da
manhilo, ra do Aterro-da-Ra-Vista, n. 8
onde morou o Sr. I)r. Arbuckle.
Avisos diversos.
COIK
ww
les car
lanr
Thoniaz de Aquinl Fonse-
ca & rimo, ou com u capitSo na pra
Leilo.
--OcorretorOliveira Ara loi|o da mobi-
""^jfcS^^i-JiUuiiiiju.inesr r^ti^lojaj
FLNDICAO DE fEKRO
E FABUfCA DE MACHINAS NA RA dq
BRUM. Bowman & Me. Callum, engeohei-
ros machinislaae fundidores de ferro, mu
respeilosamento annunciam aos Senhores
proprio taos de ongeiihos, fazendeiros, mi-
nearos, negociantes, fabricantes e ao res.
peitavel publico, quo o seu cstabelecimenio
de ferro movido por machina de vapor con-
tina em effeclivo exercicio, e se acha cora-
p I ola meu le montado com apparelhos da pn.
meira qualidade para a perfejta coofccqjo
das maiores pecas do machinismo.
Habilitados para emprehender quaesquer
obras da sua arte, Bowman & Me. Ca||um
desejam mais particularmente chamar i
atlenco publica para a ssegunles, por
terem dellas grande sortimenloj prompta,
as quaes construidas na sua fabrica poden
competir com a fabricadas em pai: .
trangeiro, tanto em prego comoeut qui-
lidade das materias primas e milo d'obra,
a saber:
Machinas de vapor da melhorconstruccao.
Moendas de caima para engenhos da lo.
dos os lamanhos, movidas a vapor por agoi
OU a n i oaos.
Rodas d'agoa, moinhos de vento e larri
ras.
Manejos independentes para cavallos.
Rodas dentadas. ,
Aguilhvg, bronzes e chumaceiras.
Cavilhcs e parafusos de lodos os tama
nlius.
Taixas, pares, crivos e boceas de fora
Iba.
. Moinhns de mandioca, movidos a mSo,
por auimaos, c prensas para a dita.
Chapas de fogilo e tornos de farinlia.
Canos de ferro, lorueiras do ferro e de
bronze.
PomJjas para cacimba ede repucho, an-
udas a mSo, oor animaos ou vento.
Cuiddasles, guinchse macacos.
1'remsas hydraulicas e de parafuso.
Ferjragenspara navios, carros e obrai pu
blicafc.
CuBumnas, varandas, grades e portes.
Prensas do copiar Carlas e de Sellar.
Ca mas, carros de milo e arados de ferros,
&c, tac.
Ali.n da superioriade das suas obras, ja
geralnflente reconhecida, Bowman & Me,
Callo ni' aranlom a mais exacta confur in-
da do coniV/aj .moldes e dezentios rcmeitnloi
pelos Senhores quo se dignarem de, fazer-
Mies eiicommendas, aproveilando occasili
para agradeccrem aos seus numerosos aun-
gos e freguezes a preferencia com que lesa
sido por elles honrados, e assegurain-lhes
qqe nSo pouparilo osl'oigos e diligenciail
para continuaron) a merecer a sua cont
an;a.
Antonio Jos Ferreira Machado Braga
retra-se para Portugal a tratar de su
sade
I LIMA.
i", faz scienteaquem convier, que *u-
T dou o seu ostabelecimento de unifor-
? mes militares da loja da roa do Quei- g
r mado, n. 10, para o primeiro andar 7
A do sobrado n. 19 da mesma ra,
V anude contina a vender os dita*
d uniformes para todas as patentes das
1$ d dieren los armas do exorci toe guarda
) nacional, msicas, etc.; tendo effoc-1
u tivamenta aboluaduras para fardas'
X esobre-casacas de (olas as classes,
{ galesde ouro e prata fine para di-
t visas,calcas e chapeos de pagens,
chapeos envernizados para pagens,
T de tdrmas as mais modernas a 5,000
) ris.
V
>>*- <*>'*>
-_______ O BEIJA-FLOR.
Com o ttulo cima salus boje dos noflji
prios o primeiro numero de umjornalzalw
elaborado porJJ. Ferreira Villela.cujo jorjsl
de ora om diante continuar a sabir WW
os sabbados.
S. H. 7.
A reuniao da sociedade ler/ lu-
gar amanhSn s i o horas dqdi,
no salao do thcatto
Boga-se ao Sr. Christovflo de Hd'*
Cava loante, que esteve no engenlioCsf"'-
ragihe, e passou-se para Araiidipedlpo)""
ca, eque era arremalantcde urna das estra-
dos, que trnha a bondade de ir, ou nll,r
alguem por si, ao paleo do Carmo, i. I*-
OHVrece-se um rapaz braaleirt de"
a 18 annos, para algum armszem docarsA
ou de assucar e mesmo para loja di "'
dezas : quem o pretender annuncio.
Quem annunciou no Diario 1.1**
querer arrendar um sitio, querenlo a
comas qualidades que pretende, dirij'-5*
ao proprielario do engenho Giqui, tn
verse Ihe agrada um que tem oe a***"
engenho.
O segundo lente ajud*nle doqu,f'
lo baiiilhiio Manuel Desdas da Fonseca, t'
do de seguir para a provincia da B-*''"
julga nada devor a esta praga; po'i algum individuo se julgar seu credo', ap*
-sent sua cunta na ra da matriz da B
4
Vista n. 7, para ser inmediatamente P*'J
Ka : e aproveila o ensejo para naqurll' r'l
viucia ou onde o deslino o conduzir. otW
rocer seu limitado prestiino despediiiJ0'1
-.nudoso de seos aniigos e afeicoados.
O provedor da ii mandado doSr-
lesus das Chagas, vista do artigo 61
compromisso, convida a lodos os iruiAos <
mesma irmandadepara mesa geral no di
do corrente mez pelas 9 horas da mannas
L^Jiqgtieie' tendente a mes'ma innandau
^isto tererh apparecido motivos que m!r"J
madevoi tomar em grande consdoragao-l
presente annuncio ulo s convida os i
milo desiiiipedidos como a aquello 'Iu0_J
acha ni



i- i__iji_rrj / '*' ^:a.it*sak:-*x.>T.
Offoreco-se por prego commodo a qual-
quer scnhorcommandante de batalhflo que
precisar do urna rica handeira, para grande
cala: na ra do Queimado, n. 14, segundo
ndf,r- u u
Precisa-se de urna ama que lenha bnm
Inite.: nfiu se ollia ao prego : na ra do Jar-
[ dim. casa n 43.
Josepli Falque vai ao Rio-de-Janeiro,
levando em sua comanlos-o seu escravo
Fi.mino, d naclto Cagange. '
Arrenda-sc ou vendo-se a casa terpea
da ra do Mondego n. 135 com urna das rao-
Hieres olariasno fundo, chflo proprio, com
mu i tos bnns comroodos para qualquer ou-
tro estabelecimefito, por ter hot porto de
mar esahiJa por terra,|independenteda ca-
sa : ouoni o pretender por venda ou arron-
damenlo, procure o seu propriotario, Jos
Antonio Correia Jnior, na ra da Concor-
dia, que lodo, o negocio far.
ASSASSINATO HORROROSO!
D. Francisca da Cimba Bandeira de Me-
llo viuva do burgo, e seus lilhos pedem
encarecidamente aos Srs. delegados e todas
as nutras autoridades policiaes, caplfles de
campo e pessoas particulares a apprehcn-
sio de dous de seos escravos que, em o seu
engenho Agoas-Claras do t'rucu' da fregue-
zia de S.-Antao, dirigiram-se a casa de seu
administrador, o Portuguez Domingos de
Oliveira e alli achando-o dormindo assas-
sinaram-no com urna fouce dando-lbe um
so golpe na testa, de maneira que abri-
rtm-na. Este brbaro acontecimento leve
lugar no da 26 de maio do correte em
alta noite, e assim que perpelraram esse
crime evadiram-se; ecomoosannunciantes
quere'm os entregar aoslribunaes de jus-
tiga para devidamente srem sentenciados,
fazem o presente seguindo este outru.
200,000 rs.
R-se esta quantia de g'alifieaglo a quem
levar ao engenho Agoas-Claras, de Uruc,
da viuva do burgos, ou nesta praga, no
pateo do Carmo, n. 18, segn lo andar, a
Antonio Carlos Pereira de Burgos l'once de
l.enn, os dous escravos seguidles que ru-
girn! nos ili.-is sabbado para domingo, 26
a 27 do correnle : Vicente, pardo de 26 ali-
os, de altura regular cabellos crescidos e
cirapinhados, testa sobresabida olbns pe-
buenos, nariz chato, tomador de tabaco de
Jraco, rosto descarnado e com espinbas,
se.in neohuma barba; levou I camisa do ma-
dapoln, urna caiga de casimira usada, uma
jaqueta de bretariba, um bonete de velludo
azul ja usad&arfiin chapeo de palba, um
sv nua tir.si wnt. s,: KM
ara.2
ij'MJKJWmaatrriMWm i un ""
Dflo-se 800,000 rs. a premia sobre pc-
nhores de ouro e prata : un Camboa-do-
Carmo, n. 29, so dir quem d
Qmmmmm&m mmmmmaammm
* i
g Obacharel Josedos Anms Vieirade JJ
1 Amorlm mudou o seuescriptorio pa- |
i ni o primeiro andar do sobrado do jfc
* pateo do Collegio, junto ao sobrado 5
* amarello : as pessoas que se digna-
gj rem procura-lo, ahi o acharflo, das ;!-
oito horas da manbSa at as quatro m
* da tarde, promptn a advognr, tanto
i: nocivelcomo no crime.
Bi as horas diversas das indicadas o
j eocontrarflo em o segundo andar do
sobrado da ra Nova, n. 63 ; 6 em
dilo iie pello |Mo : Joaquim, crioulo hns-
tante preto, daiS annos, alto', seco, cara
pequea bem barbado ; tem o costme de
levara mflo i barba ; be gago ; ailar com-
passado; dizem ter mili em Pajah*de-Flo-
res; foi escravo do c'apitflo Leandro tandei-
ra de Meare do Apody o qual se ojia pre-
sentemente na cnmaica de S -Anflol e tem
um sitio em Cravat presumc-se terem
pai lido para o Apody, ondo lia munos p-
renles do dito Moura; comquanto Jprimei-
ro anilassc sempre em viagens s sertOes
dosulao poente, com os cohr >res desla
casa : este ultimo escravo levo um chapeo
preto de pello e outro de rouro duas ja-
qurtas branras, 1 caiga de brim pardo., 1 di-
ta d* riscado, 1 camisa de madapoln,
duassJitas de algodflo da teira e ceroulas.
Roga-se a vigilancia uestes don escravos,
qu>* vindn com muita brevidade, serilo
gratificados ainda com ans do que se o flo-
rece.
--Jo3o Antonio Pereira de Camposj Por-
tuguez, relira-se para Portugal.
O proprietario do engenho Canba, situ-
ado dim leguas ao sul de Sautn-Antao, esti re-
solvlito a vender u icfriido engenho, o qual
moe com animaes, e est paramentado de to
do o preciso, e com urna (afra de dous mi
piles: este engenho tem mais de meia legoa
quarirada de eicellenles Ierras e de ptima
produccao, tendo grandes vaneas. Tambem
c veudrm, se agradar ao comprador, 32 ani-
maes de roda t 20 bola mansos: quem pre-
tender, dirija-se ao mesmo engenho, que todo
o negocio se tara, c se precisar de alguiu cscla-
rcciinenlo, dirija-se a ra do Queimado, n. 27.
Precisa-se de um homem que quena
assenlar praga por nutro por 3 annos e
meio : quem estiver nestas circunstancias,
dirija-se rua da Cruz, n- 61.
A viuva de Lu/ Ignacio Ribeiro Roma
pede aos rredures do seu casal quelirem as
siiascoiitiis para serum atteudidss no in-
ventario que esta procedendo pelo juizo
dnsorphos. cuja cnlrega se devora realisar
at o dja 10 do correle.
Agencia depassaporles.
No paleo da matriz de Santo-Antonio,
sobrado n. 4, tiram-se. passaportes para
dentro e fura do impeilo, assim como cor-
rem-se folhas e despacham-se escravos.
O tabelliSo interino ilas bypothccas
mora na rua Augusta, n. 66.
O Sr. Miguel da Costa tenba a bnndade
de dirigir-se a rua do Queimado n. 39, casa
do thesnureiroda lotera do thealro publi-
co, a fallar com o lillm Prxedes da Silva
Guango.
Quem precisar de 400,000 rs. a juros
sobre penhores de ouro ou prata, ou mesmo
em pequeas quanlias, dirija-se ao arco de
Santo-Antonio, luja de miudezas, quo se di-
r quem da.
Domingos Antonio Gome
Guiarles, nflo pudendo por causado seu
estado de saude continuar com seu nego-
cio, ofl'erece a pessoa a quem r noviero seu
eatabelecimenlo da rua do Crespo, as divi-
ds e fazen las, etc. ,ou qualquer cousa em
separado: a pessoa, pois, a quem convier
entrar em negocio, dirija-se a elle na Ponte-
de- Uchda. ou a seu irmilo Joflo Antonio Go-
mes Guimarfles, no mesmo esiabelecimen-
to, o qual se acha competentemente auto-
risado para este fim, ou para outros quaes-
quer tendentes ao commrcio.
Pelas 6 horas de manbSa do dia 27 do
prximo passado, sahiudo uma preta da ca-
sa 11.25. segundo andar,! da ruada Penha,
entmu um ladrfio na dita casa, por Acara
porta sberla, e furtou urna crleira dealgi-
[carlt dobrada, bilhetes de visita, com a as-
ignatura de F. A. V. C, edous mil rs. em
fuheiro, nina lesoura para velas de casqui-
, ama camisa de inadapolilo e um n lu-
de urna cana de prata, com vidro in-
lltlez sobra o grande, da-se corda por dentro,
Icujo relugio eslava sobre a mesa, e os mais
|otiji'ctos na a sala: as pessoas que souberem
[do dito furto dinjam-sea casa mencionada,
m reparligilu do sello, a faltar com o dono
gratificara assim como roga-se o mes -
> ao seubores agentes encarregados da
.-----' .1-,-i.,
| qualquer das partes cordial e gratui-
tnmente tambem se ollereceaos infe-
M lizes que quizerem reclamar a usur- Vi
K pagSo de seus direilos, %
I I
UN VHnHNl I ~*^~"&'*>ir*T.W
Precisa-se alugar urna casa para uma
familia*, preferindo-se casa terrea, no bairro
de Santo-Antonio: quem a tiver annuncie
por esta fulha.
Deseja-se arrumar de caixeiro um mo-
go brasilciro, de ida'de de 17 annos, que
tem alguma pratica de armazem de assucar:
quem pretender, dirija-se a rua da Santa-
Cruz, n. 66, ou annuncie.
Alugam-se e vendem-se bitas bambur-
guezas, das melhores que ha no mercado :
na rua das Cruzes, n. 40.
O proprietario do engenho da Lama na
provincia das Alagas aununcia ao publico
a venda do dito engenho, livre esem emba-
rago, demarcado, e com asqualidades se-
guiules : engenho d'agna da maior frga,
quo nos lempos das grandes secoas nfko
mostra a menor dilTerenca, como se obser-
vou as de 18(5 a 1818, quando muitos dei-
xaram de safrejar por falta d'agoa. A casa
de engenho he bastante grande, com cas
de pulgar suflicienle para tirar qualquer sa-
fra, o tambem com grande eneaiamenlo,
contendo serrara d'agoa. Nos flns das Ier-
ras- ha proporgfles para outro grande enge-
nho d'agoa, que, calculado pelo engenhei-
ro Carlos Mnmay, a sua moagem vinha a
ser de 160 pues por semana e h lempos cr-
ticos; ja tendo parta das madeiras liradas
para fectura do mesmo engenho. O enge-
nho ofTereco nutras vantagens que muitn
convida, que he porto de embarque na por-
leira do engenho : o seu transporte para o
porto deJaragu be deiO legoas, feito em
barcagas, pagando o diminuto frcle.de 2/
rs. por caixa. Alm do referido, a produc-
g<1o da caima chama atlengilo do qualquer
pessoa que enleiida de agricultura, temi
varzeas inuito frescas que mo assesonam
caniljs, leudo trras do sobra para 5nu6
mil piles de assucar, em qualquer um delles
quesequeira fabricar; tem uma solt ou
pasta'gem para 800 cabegas da gado, com-
posta de grandes hrejos, desnrteque, du-
rante a moagem.nSo se fazem precisos olhos
para o susto da boiada : tal he a abundan-
cia de pasto. Muilas proporgues para o bom
passadio, llcando a urna legoa da povoagilo
do Pilar, e tres a cidade das Alagas. O en-
genho he de meia machina forte, roda d'a-
goa feila esle auno, com 35 palmos de di-
metro, e todo p de nioenda novo, bica-
re, etc., ele. Entrega o proprietario 50 bola
mansos, ecunvindo ao comprador 60cabe-
gas d criar, carros, duas grandes carrogas
novas, duas pequeas, casas do vivenda.
Quem pretender dirija-se rua da Aurora,
n 56, lerceiro andar
OhIihxo assignado faz sciente ao pu-
blico que cnmprou a Jos Ignacio de Olivei-
ra o seu deposito de bolacha, na rua do Li-
'! vremento.n. 26, eque o mesmo yendodor (I-
ca para pagar a praga : quem tiver negocio
com o mesmo cima, eutendu-so.
Manuel Dial 'Pinho.
No dia 2 do crrente um preto enlregnu
um ctodo de talharim na rua do Rosario,
n. 1 ; e como por engao se recebeu, pen-
sando o caixeiro que o patrilo o tinha com-
prado, quem forscu dono, pagandj asdes-
pezas ilnannunco, o pode ir buscar. '.
Precisa-se alugar um preto que seja
bom trabalhador de masseira : d-se bom
aluguel : quem o tiver annuncie, ou dirija-
se a parlara da Passagem-da-M igdaieim.
Aluga-se o armazem por baixo da casa
n. 5 da rua do Vigario : a tratar na mesma
rua n. 7, primeiro andar.
OSr. Jos Francisco da Cruz 'em uma
carta, vigila do Rio-de-Janeiro do alguma
importancia, e como fosse entregue por
engao, roga-se ao dilo Sr. que so dirija a
Suledade, n. 14.
N. 9-
Puro vinho ta Figueira.
Novo armazem desta pinga deliciosa aca-
ba de se abrir na rua da Madre-Deos, n. 9,
d"frunle do extincto armazem ao mesmo
prego de 180 rs. a garrafa, e a 1,360 rs. a
caada : os amantes desla deliciosa pinga
all eneonlrarflu garrafas promptamcnle la-
vadas e lacradas com o seu competente ro-
tulo, e que se trocarilo por outras immedia-
tamenle; assim como tambem encontrarSo
harria de diversos tan auhos e vii.ho (tran-
co de Lisboa, a 1,600 rs. a caada, e a 22"
rs. a garrafa. O proprietario desle estabe-
lecimento pede o examepara poderem ava-
llar a pureza de sua quadade e asseio,
e que em nada desagradara aos concur-
rentes.
Joaquim Pereira Arantes scientifca
ans seus devedores que incumbi ao Sr An-
tonio Pereira Vellozo a cobranga do suas
dividas, pelo que ao mesmo Sr. poderSo
pagar seus dbitos.
Um rapaz brasileiro, que sabe francez e
geometra, se ofl'erece i ara caixeiro de 00-
brangas ; ou para outro qualquer arranjo ,
para o que da Dadora sua conducta: na
tua do Queimado, n. 24.
Domingos Antonio Gomes
Cumaifes, leudo de tratar coui urgencia
da liquidago de seu negocio, ofl'erece
aquoiles de seus devedores -me al 15 do
correte mez, Ihe pagarem suas cuotas ou
dbitos umabalimeolo de5 a 25 por ceu-
to como de piomplu pagamento; assim
coii.n que desde ja eslfio dadas as suas or-
ileos. e aulorisado seu irmilo Joo Aolooiu
Gomes Guimai.les para fazer chamar a jui-
zo eexccutsr lodos aquelles que r.So bou-
eroui pago, c isto sem exepgSo de pessoa.
i'or laso f que conste a todos aquelles que em sua ca-
sa tem cuotas.
-- Aolonio Vicente da Cruz mudou a sua
Dentista.
I). W. Baynoi), cirurgifio dentista a-
mericano brove se retira desta pro-
vincia e pelo pouCalempo que aqu se de-
mora, tem a honra de oflerecer ao respei-
tavel publico o seu preslimo, na rua do
Tra pibe-Novo, n. 14.
Poiicarpo Jos Layne fai
publico, para que ninguem se cha-
me ignorancia, que nao se res-
ponsamlisa por qualquer divida
que em seu mue seja coutrahida.
Sociedade Harmnico- 7 heatral.
A direccaoda sociedade llanno-
nico-Theatral, tendo annuido ao
pedido de um grande numero de
seus socios para a repetico do dra-
ma a Veneziana faz sciente
aos mesmos que o espectculo te-
r lugar em o dia 7 do corrente, e
que 11 jo se lecclior mensahdade ;
tambem scientifca que nao se en-
tregarlo os bilhetes sf nao ao pro-
prio sucio, ou a pessoa por elle le-
galmente aulorisada, assim como
qucdeverSo assignaros bilhetes de
galera para que se nao repitam
abusos ; os bilhetes distribuem-se
nos das 5, 6 e 7 at ao meio-dia.
~ Um Sr. engracado que veio casa do
thesoureiro da lotera do theatro publico
com um meio bilbete de n. 607 da segunda
terceira parte da decima-nilava lotera do
mesmo theatro, cojo bilhete leve por aorte
sabir branco.e nesta ultima terceira parte
da deeima-oilava loloiia neste numero sa-
bio 50,000 rs., e como os bilhetesparecem-
se, o thesoureiro; mo suppondn a pessoa
que o traza capaz de traficaucias.vio aquel-
le numero na lista da ultima terca parte e
que elle eslava premiado, oilo reparando no
lugar que diz segunda, terceira parle, e en-
gaado pagou 50,000 rs. as costas do di-
lo bilhete tem escripto perlence a Miguel
da Costa, o o ehgragado por cima desle no-
medeitou o nomo de Mano'I Panasco de
Souza Itritto : su o eogragado maoeira de
graga nflo quzer ir para a cadeia, dirija-se
a restituir.
tenenle Feij despede-se
de seus amigos, oflerecendo-se para algum
servigo que Ibes pussa prestar oa rovmcia
da Rabia.
O lente Feij nada deve
nesta provincia, bem como os soldados da
oiiava coiiipanhia que sempre coinman-
dou ; porm, se alguem se julgar seu cre-
dor, ou dos seus soldados, entenda-se
com o seu amigo Cypriano Aolonio da Rusa
Magalhfles, alim de levar 110 seu couheci-
meoto, para que seja sali-feito.
t- Joto Fructuoso da Silva roga a seus
credores que queiram apresentar suas coti-
las ao seu mano Manorl Fructuoso da Sil-
va no prazo de 3 dias a contar de boje.
Iloje, 7 do correle, pelas 3 horas da
tarde, porta do Sr. doulor juiz do civel,
se hflo de arrematar, por ser a ultima pra-
ga varias ferramenlas e mais pertences
da tenda de marceneiro, pertencente a Jlo
Picaril, por cxecugflu de Miguel Mirtina
Cosa Ribeiro.
Quem precisar de orna ama secca para
o servigode portis a doniro dirija-se ao
pateo da ribeira da Boa-Vista n. 70.
O Arlifufan Sirtti ritipenw-aa de dar
explicagOes ao \llia lo California por
entender que ninguem melhor o poderia ter
comprehendido. Se por (al meio toutava
engazopa-lo, aconsellia-lbe que reserve a
sua perspicacia para mais bem a empregar
na descoberta que empiehendeu ; e rela
que atlribuio o annuncio a quem est mul-
lo longe de ser delle autor.
Iloje, 7 do c< rrente, pelas 4 horas da
tarde porante o Sr. doutor juiz da segun-
da vara se ha de arrematar, por ser a ul-
tima praga urna luja de fazeodas sita oa
rua do Queimado, pertenconte a beranga
do finado Antonio Joaquim de Azevedo : os
pretendemos comparegam na dita praga ,
visto que 00 dia 4 nflo se pJo elTeituar por
causa da chava.
Roga-se ao Sr. I!. A. C. S. baja de ter
a bundade de ir pagar no lerceiro andar do
sobrado o. 18 na rua do Vigario, o que
consta do mandado de ponhora contra o
mesmo Sr. oblido em juizo, escrivflo Cu-
nta para evitar mus despezas e mesmo
para nflo dar motivo a publicar-se o seu no-
mo por extenso.
Quem aonunciffu querer comprar um
viulilo em bom uso, dirija-ss ao Becco-Lar-
go, loja de baibeiro.
Quem precisar de um mulatinho para
pagein, ou para o servigo de urna casa di-
rija-se rua das Cruzes, n. 12.
Permula-sepor casas terreas nos tres
bairros, sendo em chaos proprios, um so-
brado de dous andares sito na rua do Co-
dorniz, n. 10, livre e desembaragado : a
Iralar na rua do.Qiieimado, n. 57.
No seminario de Olioda procura-se
um mogo portuguez ioglez, ou francez,
por menino que seja, para criado de urna
casa : a fallar no uiesioo seminario, com o
seu reverendo reilor ou vice-reilor.
^* PREVIMA-SK ^8
adirecgSo da sociedade II. T. om nomear
porteiros que tio sejam susceptiveis de se
deixaremengazopar, puis ha problbilida-
de rio que, sobre sur graluiU para os socios
a recita de hoje queiram i i Callforntni dar
beueflcio propno, fabricando bilhetes
iguaesaos que a mesma direcgSo fez dis-
tribuir com a facilldade qua comprova a
sua consumada boa f :Pal noiie.^rj
O ronda.
--OSr. Joaquim Francisco de Souza e
Jlva queira annunciar a sua inorada, ou
dirigir-* a rua do Rozariu da Boa-Vista ,
o. 32, qde se Ihe deseja fallar a negocio que
iiiuitn Ihe ioteressa.
Aluga-se, ou vende-se um escravo boa.
cozioheiio, e que uo lem vicios neo.
achaques: atrsuo theatro, os. 16 c!8.
Loteiia de N. S. doLivrameoto.
As rodas desta lotera andaro no dia 30
do crrente o os bilbeles estilo a vaada
; Mi 'jvJVtfl"^.A /"o'iiime ...___.a .__
LOTERA DE NOSSA SENII0RA
DAI.UPE.
Em vista da disposigito dojjtigo 48 da
le provincial n. 244 de 16 yjnnho prxi-
mo (indo, que eoncedeu odireito do prefe-
rencia qualquer outra lotera concedi-
da a favor das obras da groja de N. Sra.
do Guadalupe de Olinda, o do despacho de
27 do referido mez do lllm. e Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, proferido om requer-
monto da mesa da irmandadedaquella igre-
ja, declara o thesoureiro desta lotera, que
as respectivas rodas correm impretcrivol-
mento no dia 14 do corrente mez, concur-
rendo para isto nflo s a bondade do plano
quo tem merecido o geral agrado, como a
rpida e espantosa venda que vflo leudos
bilhetes; merecendo particular considera-
giio o facto de que a irmaodado pretende']
'-o nt- esse dia restaren! bilhetes) (car com
ellos, e bem assim que os mesmos bilhetes
sflo do 8,000 rs. os inteiros, e de 4,000 rs.
os meios: acham-se venda nos lugares do
costume, habililando-se, quem os comprar,
para obter os vantajosos premios de seis,
tres e um cont do ris, etc., etc., alm dos
mais que nflo sflo menos intcressanlos.
I'recisa-se de uma ama de lete, que o
tenba borne abundante, para uma cnanga
de 6 mezes : or rua do Collegio, n. 19, pri-
meiro andar.
Precisa-se alugar um preto para fazer
o servigo ordinario de orna parlu i a o ca ro-
gar pfl : na padaria da casa d'agoa.
Ainda se precisa do um padeiro e for-
neii'o quo queira ir para Macei, conforme
se annunciou por este Diario.
1)0 GL'A-lcom *> varas, muito forto, propno para
roupa de pretos, a 3,000 rs; ditos mais finos
a 3,600, 4, e 4,500 rs. ; liabas grossas do
novelo, arguroa cousa sujas.a 160 rs. a quar-
ta e tres nvelos por 20 rs.; pegas de chi-
tas para forro do bahi a oito patacas ; cin-
tas de coberta, bonitas estampas, a 160 rs. o
covado; ditas, cores lixas. muito fortes e no-
vas, a 5,400 a pega, o a 160 rs. a retalbo ;
lengos do toqulin com franges, proprms pa-
ra mnnm, 3a escola, a 6t0 rs. na rua dn
Compras.
-- Compra-so urna negnnha, ou mole-
que, sendo bonitos, que be para uma en-
commenda na rua larga do Rozario, loja
n. 35.
Compra-se uma escrava aue seja perita
engommaileira e cnstureira, de boa ennduc-
ta e moga ; um dita aimla mesmo sendo re
idade que tenba habilidades : oo su olha
a prego : oa rua de Agoas-Verdei, 11. 46, so
dir quem compra.
Compra-so um chumbeiro de dous ca-
nos, inda mesmo roto: na praga da Inde-
pendencia, n. 34.
Compra-se uma porgflo de estacas o
varas para cercar um sitio : atrs do thea-
tro ns. 16 e 18.
Compra-se urna bos escrava de algu-
mas habilidades: paga-se bem : na botica
da rua do Rosario, n. 36.
Compra-se a Sagrada Escrptura, sen-
do verdadeira ; e a obra Diflerenga entre o
temporal eelerno; um armario proprio pa-
ra Cozinha : quem tiver annuncie.
Compra-se uma escrava ba coslureira
n on^oioina letra ; assim como escravos fer-
reiros e carpioas : 00 patoo do Carmo, o.
18, seguodo andar.
Compra-se um jogo do gamiio, que
esteja co bom estado : na rua da Cadeia-
Volha loja o. 42._____________________
ra meninas do escola, a
Passcio, loja n. 17.
VondeUa una preta da (psta, de 30 an-
nos, boa cozinbeira e quitandeira, e que
cose : no pateo de N. S. do Tergo, n. 36.
Vende-sechampanha da maissupenor
qualidado que tem vindo a esle mercado :
na rua da Cruz, n. 27, armazem de Cro.co
Vendem-se as obrs com platas do Ca-
mOes, em 3 v da ultima e mais ntida
edig.1o.por prego extremamente mdico:
na rua Nova, loja n. 56
Vende-se uma preta de nagflo, que en-
gommn, coso e cozinha solTrivelmente : na
roa da Moda, n. 19.
Na ven la que foi de Jos da Penha na
rua Oireita, n. 23, vende-se toucinho dn
sanios, a 160 rs. a libra dito com alguma
carne a 80 rs.
Na rua das Cruzes, n. 22, segundo an-
dar, vendem-se 6 escravos, sendo 1 uma ne-
grota do 18 annos, de nagflo. qde engom-
rra, cozinha o lava ; uma dita da Costa, do
bonita figura eque he quitandeira; uma
rlita de nagflo de 40 annos, que engomma.
cozinha e lava ; uma dila do nagflo, de meia
dado boa Invaden a ; um preto do nagflo ,
ptimo canoeiroesocador de assucar; tim
dito do meia idade. muito fiel, de boa
conducta, e quo cozinha o diario de uma
ansa.
Vende-se um preto de nagflo Mozambi-
que, mogo e sem achaques, o que se apan-
ga : o motivo porque se vende se dir ao
comprador : no pateo do Tergo, padaria
n. 30.
Vendem-se chitas com algum mofo ,
propias para escravos, a 5, 6, 7, 8 e 9 vin-
tens, o linas muito bonitas, por mais prego;
lindas grossas'de noveln, com algum sujo,
a 160 rs. umaquarta-; luvas finas de pelli-
ca, a 500 rs. ; lencinhos de fil de linbo ,
proprios para meninas, a 409 rs. ; ditos de
cambraia com bonitas palmas, a 400 rs. ;
ditos do toquim com fi aojas, a to rs.: na
rua do Passeio, loja n. 17.
fj Vendo-se farinha de mandioca em
ifi saccas" grandes, de superior qualida- ^
X do, fina e muito alva por prego com- i
' -...I .*... Molida ita finia P'iPlllllils) ^j.
S modo e em medida de cuia caculuda
Y a 200 rs. ; dila de aramia, a 200 rs. a
Vendas.
Vcndc-se, na rua do Crespo, n. 11, Dic-
cionario Magoum Lexicn, novo, por 6,000
rs. ; dito j usado, por 5,000 rs. ; Cunllts
ile avnux, 2 v. encadernados, por 3.C00
rs ; Poesas encadernadas, por 1.280 rs ,e
em brochura.a 1,000 rs.; ooutros mullos
livros que so vendeni baratos.
B'dachinha-estrella.
Vende-se a muita acreditarla bolachinha
intitulada estrella, muito propiia para
docntes : na rua Direita, padaria o 79.
Vendem-se, por progo commodo 300
a 400 barricas vasias, que foram de fari-
nha asmesmas oceupam : na rua larga do Ro-
zario, n. 18.
Vende-so a venda do Atcrro-d.i-Boa-
Vista n. 22 : na rua do Camariio n. 5 a
fallar com Manoel Fluctuoso da Silva.
Vende-se ou permula-se por casas ter-
reas ou escravos uma torga parte de um
muito bom sobrado do 2 andares e sotflo,
combom quintal, e cacimba, no Atterro-
da-BiVi-Vista, n. 24, o qual rende annual-
meote 700,000 ris : 00 Attcrro-da-ltoa-Vis-
ta, fabrica de licores, o. 17, de Frcdcrico
Chaves.
Vende-se uma escrava cabra, bastan-
tanle robusta, por prego commodo : na rua
Bella, n. 14, primeiro andar.
Vendem-se telhas de vidro,
em grandes e pequeas porcoes :
no armazem da rua da Cruz, nu-
mero 4B.
Vende-se uma casa terrea, sita na tra-
vessa do Peixoto, a qual rende 8,000 ris
raensaes, por 900,000 rs. ou troca-se por
escravos Esta casa esl ao vendedor em
1:225.0O0 rs., como mostrar de escriptura
e mais documentos. Trata-se no paleo do
Carmo, n. 18, segundo andar.
Vende-se a casa 'la rua do Cotove'lo,
n. 10, em chaos proprios, com grande quin-
tal murado por un lado e fundo, e boa ca-
cimba : o local hepropiiopara qualquer es
tabelecimento : na rua do Sebo, n 26.
Vendo-se urna casa terrea, sita uo bair-
ro da Boa-Vista na rua do Mondego : a tra-
tar na rua do Collegio, n. 15, segundo
andar.
Vendem-se 18 cadeiras e um sof d
Jacaranda, em meio uso, por 130,000 rs:
na rua do Aragflo, loja de maicenciro, nu-
mero 24.
Casimiras a 5,000 rs. o corte.
Vendem-se, na rua Nova defrooteda Con-/
ceigflo dos militares, muito superiores ca-l
si miras de bom gusto a 5,000 rs. o corte,
bem como mi tras melhores a 5,500 e 6,000
Na loj 1 da rua do Crespo, n. (3, ao
p do lampean ebegou novo
sortimento de lazendas, lodas
de muito superior qualidade e
muito baratas.
Corles de brim trangado branco liso e
listrado, a 1,500 rs ; dilos escuros, a 1,000
rs. ; dito cor de ganga, a 1,440 rs.; cober-
tores de algodflo americano, muito eocor-
pado.a 640 rs. ; chitas finas o de cores fi-
xas, a 6,400 rs. a pega e a 180 rs. o cova-
do ; chapeos de massa a 1,600 rs. ; dito
de seda a 640 rs. ; pegas de cassa para ba
hados, a 2,400 rs., e 320 rs a vara ; e ou-
tras muitas fazeodas por prego commodo
Vl>ltm-r' Til\C"
V

,\m m * libra ;e lodos os mais gneros de
Y boa qualidade por prego mais com-
* modo do que em outra qualquer par-
^ to: no paleo do Tergo, venda n. 7.

:><" ->-f>mp iuhbw
Na roa do Vigario, n. 7, vendem-se os
seguintes livros: um diccionaiio de com-
posigflo latino ; 2 ditos inglezes, por Vieira;
um dito latine de fbulas; um dito francez,
por Fonseca ; 1 philosophia do Goruzez ;
uma Selecta ; 3 Virgilios, latino em poesa;
I Salustin ; fbulas em latim poesia ; Car-
tas de Cicero ; 3 Artes latinas ; 1 Barrote
Feio, traducgilo latina; Vollaire; Fbulas
de La Fonlaine; Thompson; Historia in-
Clcza ; Diccionario Fonseca, portuguez o
francez : ludo proprio pora esdutaotc do
l.yceu
Vendem-so dous escravos de nagflo, de
conducta aliangada, de 25 a 28 aonos ; duas
esclavas mogas por 800,000 rs. ambas ;
uma dita de exemplar conduela; 3 escra-
vos de oagflo, de 18 a 20 aonos; um pardo
ptimo pagem c carreiro : na rua de Agoas-
Verdes, n. 46, so dir quem vende.
Vendem-se 9 moloques do boas figu-
ras do 12 a 20 annos tendo um delles
principios de marceneiro, e que sabo ompa-
Ihar cadeiras; 10 pretos do 24 a 30 annos,
>roprios para lorio o servigo, sendo um
delles ofliciul de alfaiate o ptimo bolieiro ;
um pardo de 18 annos, proprio para pagem;
duas negnnhas de 10 a 12 annos, com prin-
cipios de costura ; 3 pretas, proprias paru
todo o servigo : na rua do Collegio, n. 3, se
dir quem vende.
Vendo-sea venda da rua do Colovello,
n. 31,com poucos fundse muito afregue-
zada que o menos que venda sflo 12,000
rs. diaiios, alm disso faz-se urna vaola-
gem ao comprador, que quem tiver pouca
vooiado se animar : o motivo por que se
vende so dir ao pretendenlc : a tratar na
mesma venda.
Vendem-se 30 onga de ouro hespa-
nholas : na loja da rua da Cadeia do Rccife,
n. 18.
Cobre
para caldeireiro e para forro de navio ;
bataneas decimaes
para pesar 100 ot 2,000 libras ;
cojres de ferro
com chaves de segredo ;
facSes,
parnahibas o mais ferragens : tudo por pre-
go commodo : na rua da Alfandega-Velba ,
n. 5.
Vende-se um lindo mulatinho de 12
annos de idade, de excellcole conduela o
com mullos bous principios de sapateiro ;
uma escrava de nagflo, para lodo o servigo
de casa ; duas ditas para o campo ; um mti-
leque do nagflo : no paleo da matriz do
Santo-Antonio, sobrado o. 4, se dir quem
vende.
Fe/do.
No caes da Alfandega, armazem confron-
te ao chafariz, e na rua da Cruz, armazem
n. 13, vendem-se saccas com fejflo mula-
tinho e rajado, por menos prego do que em
oulra qualquer parte.
Cabos, lonas e brim.
Na rua da Cruz, no Recife, armazem n.
13, veode-se um completo sortimento de
cabusdo linho patente, de todas as grossu-
ras; lonas da Russia verdadeiras; ( coohe-
cidas por imperias) brjna para velas, de
primoira qualidade.
Vende-se sag primera sorte, cevadi-
nlta de Fraoga, cavada, gomma de araruta,
tapioca de Maiaiihao, por prego rasoavel:
na un das Cruzes, n. 40.
LAGRIMAS E SORRISOS.
Poosias de M. F. R. de Andrada : vende-
so oa livraria da esquiua do Collegio.a 1,000
1,.-
:.. > .,, .co.
m




V.
/
' i

- Vende-ae o engenho do Canha, duaatrgoaa
ao sul de Santo-A lilac, sendo dito cngenbo de
animaos c estardo moentc, com safra para niais
de do'is mil prs, tendo mais de meia legoa
qtiadrarla de 'erra, de nimio boa produccao,
tend" dito engenho grandes varzeas, bein como
32 animaos de nd e 20 bois de crrela A
tratar c /fcifu flroprielario no dito engenho, o
ipinl iodo*\ nebocio l'.n'. (para tomar alguna
csclarcctmentos na ra do Qucimado, n. 27.
Lotera do Rio-de-Janeiro.
AOS 9.0:000,000 is.
Na praca da Independencia, loja r \ che-
guu novo soi tmenlo de bilhetes cautelas
da ni 11 i( acreditada lotera di corto. A elles
antes une seacabem.
Phosphoros para accender cha-
rutos.
Yendem'se na ra da Cadeia
do riec'fe, loja de ferragens, nu-
mero 5G.
Vende-se azeilade cocoa 400 rs. 1 gar-
rafa.eem caada a 3,040 rs. : na ra da
J'raia, n. 42.
Pechinchas para quidaco.
Vendem-se, na loja da ra do Crespo, n.
5 A, ao p do arco de s.-Antonio, as srgoin-
tes (zondas, para liquidacao: corles de cas-
sa com solevaras, para vestido, de mu i (o
lindos padroes e de cures tlxas, a 2,000,
2,500, 3/)00 e 3,500 rs. "cortes de collele de
setim lavrailo de diversas cores, a 4,000 rs.;
ditos do gorgorito de seda, gosto moderno,
a 2,500 e 3,000 rs ; ditos de velludo de di-
versas cores e tambem lavrados, a 2,500
at 4,000 rs. ocrte; fusilo branco slcoclioa-
do para collete, a 500 rs o corlo ; goigu-
rio de algodo escuro, para collete, a 200
rs. o corto; casimira para calcas de supe-
rior qualidade e gosto delicado a 4,000 rs.
o corle; cassas de cores com 4 palmos de
largura, proprias para vestidos a 210 rs. o
covado; e outras multas fazendas : bem co-
mo anula resta ni alguna pannos linos de 3 e
4,000 rs. ; merino, a 2,500 rs.; loncos guar-
necidos de bico para inflo de senliora, a 400,
500 e 640 rs.
Cha barato.
Vende-se muilo bom cha, pelo preco de
500 rs. a libra : na ra do Crespo, 11. 23.
Deposito da fabrica de
Todos-os-Santosiia Baha.
Vende-se em casa de N. O. Bieber & C.,
na ra da Cruz, n. 4, algodo trancado
daquella fabrica, omito ptopriu para saceos
de asscar.
-- Vendem-se presuntos inglozes para
fiambre ; latas com bolachinhas de Lisboa
ditas de aramia ; ditas de mermelada de
1, 2 e 4 libras ; ditas de sardinhas ; ditas de
hervillias ; ditas de chocolate de Lisbo
frascos de conservas ; dilos d'agoa do flor
de laranja; lia 11 is rom azeitonas brancas de
Elvas ; garrafas com vinho moscatel de Se-
tubal e da Madeira; queijos do prato ,
frescaes: ludo novo e chegado ultima-
mente de l.isbt 1 na ra da Cruz, no
llecife, n. 46. -
Taixas para engenho.
Na fundieflo de ferro da ra do Brum,
acaba-se de receber um completo soilimen-
todo tantas de 4 a 8 palmos de bocea as
quaes actiam-se a venda por preco rom-
modo e com promptidflo embarcam-se,
ou carregam-se em carros sem despezas ao
comprador.
Vende-sealgodao trancado
da fabrica de Todos-os-Santos a
270 e a 3oo rs. a vara : na ra da
Cadeia, n. 5a.
A 1,000 rs.
o corle de calcas.
Vende-se brim trancado pardo de puro
linho a mil rs. o corle de ca'cas : na ra
do Crespo, loja da esquina que volla para a
Cadeia.
-- Vende-se muilo superior farinlia de
araruta, a 200 rs. a libra : na venda da es-
quina que entra para a Camboa-do-Carmo.
Novo sortimento de brim trancado
a i,fio rs.
Vendem-se brins i raneados brancos, lisos
e delistrasde puro linho, a 1,500 rs. ocr-
te ; cortes do fustiio alcochoado a 480 rs. :
na v.ia do Crespo, loja da esquina que volla
paraja Cadeia.
Vendem-se sellins inglezese
camas de ferro: na ra da Senzalla-
nova, n. 4-
Na 1 ivr.iria ns. 6 e 8 da praca da Inde-
pendencia vnnde-sc o seeuinte :
MANUAL KLF.ITORAL
contendo a loi regulamentar das eleicfles o
os decretos o deeises do governo que dio
esclarecimentos sobre sua e*ecuc3o,exped-
dos al abril do corrrente anno, com notas
explicativas fundadas uestes mesroos escla-
recimenlos;
NOVO MANUAL DO JIIIZ DE PAZ
contendo urna minuciosa explicacflo de to-
dos os seus actos no desempenho de suss
atlribuicOes, seguido de um appendice das
leis, regulamentos. avisos, etc. relativas
aos ditos juizes inclusive ai das eleicfles,
o regiment dos salarios* e de um ndice
alphabeticode todas as materias contidas
neste manual;'
COniCO DO PR0CF.SSO CRIMINAL
ile pi imeira instancia do imperio do Brasil,
com a disposieflo provisoria acerca da ad-
ministrac-lo da justica civil, seguido da lei
de 3 dodezemhrode 1841, e regulamentos
para sua exenicAa do 31 de Janeiro e 15 de
marco de 1842, segunda edieflo mais cor-
recta e augmentada com notas.
Chocolate de saude e xa-
rope de angico
fabricado no Maranhiio por l.uiz Rotentuit
& Companhia, boticarios chimicos da escola
esjucial de Pars. Fstes dous objeclos tfln
necessarios as molestias do peilo, como
mesmo a conservaefo da saude, j experi-
mentados por muitas pessoasque bem con-
flrmam seus bons resultados. Constante-
mente liaver-j um deposito destes sortimen-
tosna mi da Cadeia do Recife, n. 25, de-
fronledoBecco-l.argo. Scu preco fixo ser de
800 rs. a libra do chocolate, e 1,000 rs. ca-
da urna garra fin ha de xarope, acompanhan-
do um receituario do seu autor.
0
6

o

dilos limnos para vestidos e corti-
nados, a 6,ooo ris ; ditos de tala-
garca, a 1,600 ris; ditos finos, a
2,5oo ris; cassa-chita de cores fi-
xas, a 3oo ris o coveJo; rscado
em cassa, o covado a aoo ris; lan-
zinhas para vestidos, calcas e roupa
de meninos, a io ris o covado ;
e outras moitas fazendas por preco
brrato : na ra do Crespo, loja de
Cunha Guimares, n. 15.
Bom e barato.
Na ra do Queimado, vindo do Rozario,
segunda loja n. 18, vendem-se suspensorios
de seda, a 500 rs. o par; meias de seda
curtas brancas, pretas e de cores, a 800 rs.
o par; I uvas de seda prela e de cores para
senhora a 200 rs. o par ; lencos de cam-
braia para grvala, a 400 rs ; chapos de sol,
de seda, para meninas, a 2,600 rs.; e outras
mui'as fazendas por preco commodo.
Vende-se superior bolachinha de Lis-
boa em latas de 8 em libra, e a retalho por
preco milito em conla : na ra larga do Ro-
zario, venda n. 25.
A 64o rs. cada um.
Vendem-se cobertores de algodo, dos
mais encorpados que ha, e proprios para es-
chivos, a 640 rs. cada um; na ra da Cadeia-
Velha, n. 33.
Fazenda barata.
Conlinuam-sea vender cortes de
calcas de puro linho pardo e tran-
cado a 1,000 rs. ; dilos de dito
branco e com listras, a 1,280 rs.;
ditos de dito amarello, a 1,500 rs.;
ditos de macedonia, padroes iguaes
a casimira, a 2,000 rs.; dilos de ca-
simira, a 4,6 o 7,000 rs. : na ra do
Queimado, loja do sobrado ama-
rello, n. 29.
0
Vende-se princeza prela de duas Q
larguras, fazenda igual a merino,
a 1,000*8. o covado ; alpaca preta
de lustro, a 600 rs. o covado; me-
rino reto, a 2,500 rs.; diio mui-
lo lino, a 3,500 rs. ; panno fino de
cor fixa, cor de vinho, caf e vrr-
de-garrafa, a 4,000 rs. o covado, e
prelo para todo o preco, lendo do
todos muito aonde esculher ; ca-
simira preta elstica, a 2,500 rs.
o covado ; dita superior, a 3 e
3.500 rs ; e outras mullas fazendas
linas e muito em conla : na ra do !
Queimado, luja do sobrado a.na-
relio, n. 29.
MI
Fotha de Flandres.
Vendern-se caixas com folha de Flan-
dres : em casa de J. J. Tasso Jnior : na ra
do Amorim, n. 35.
Farinha de trigo SSSF
de superior qualidade e nova ; dita ameri-
cana em meias barricas ; dita gallega, em
meias barricas; cal virgem de Lisboa ; vinho
do Porto, em pipas e barris de quarto e
oitavo superior e mais inferior ; aechadu-
ras para porta de armazem ; superior cha
hysson nacional de S.-Paulo; farinhi de
mandioca, em saccas, por preco commodo :
na ra do Vigario, armazem n. 11, de
Francisco Alves da Cunha.
= Vende-sr|cal virgem de Lisboa em barra ;
feixet de arcos e rodas de ditos para barricas ;
cunhetes de pinhu abatidos para aaaucar ; pre-
gos caixaes do Porto em barris de 10 milhel-
ros ; ditos de estuque em barris de 32 inilhei-
rot; marmelada ,de Lisboa em latas de 1 e 2
libras ; pitillas da familia ; cadeiras de pao pre-
to, anglco e serdelra, chegadas ltimamente
do Porto: a traur com Joaquhn Ferreira Meo-
dea Guimares, na ra da Crui, n. 49.
Vende-se orna preta de 22 a 23 annos ,
que cose, engnmma cozinha o diario de
urna casa e lava de salino : vende-se por sua
senhora retirar-se para fra do imperio :
na ra larga do Rozario, n. 40, se dir vende.
Vende-sc um moleque crioulo, de 13
annos : na ra de S.-Rita, n. 81.
Vende-se urna bonita escrava, com al-
gumas habilidades que muito agradar&o ao
comprador : no Passeio-Publico. loja n. .
Atoalhadosde linho.
Vendo-so atoalhado de puro linho,
com 6 palmos de largura, a 1,600 rs.
avara ; dito muilo superior, com 8
palmos, a 4,000 rs.; dito com 11 pal-
mos, a 5,000 rs.; tnalhas da mesma ^
. fazenda, com 7 palmos de compri- **
9 metilo e 6 dilos de largura, a 2,000 *>
0 rs.; e guardanapos. a 3,000 rs. a du- vi
0 zia : na ra do Queimado, loja do so- O
0 brado amarello, n. 29. O
0 <3
Vende-so farinha du mandioca de S-
Catharina, muito superior, por prego com-
modo, desembarcada hoje paraos armazens
n. 1, de Ilacclar e Dias Ferreira, no caes da
Alfamlega : atraamos mesmos ou com
Novaes & C.
Vende-se, por barato preco, fumo mui-
lo superior para capas de charutos ; polassa
em barriquinhas,desembarcada nestes dias:
no armazem de Dias Ferreira, no caes da
Alfaudega, ou a tratar com Novaes & C.
SSSF.
Manoel da Silva Santos continua a vender
barricas de farinha de trigo da marca ci-
ma mencionadas,'ltimamente chegada a
este mercado: a tratar no armazem de Anto-
nio Annes, no caes da Alfandega.
Ainda est por vender o sobrado de
dous andares na ra Direita, muito largo,
com duas lojas e grande quintal com ca-
cimba : vende-so com algum prazo em par-
te do seu importe, o se recebem permutas
que sejam rasnaveis : faz-se todo o nego-
cio, e a puhlicidade dos annuncios prova o
desembarazo do negocio que se propo : na
ra do Caldeireiro, n. 62, ou na praca da
Independencia, ns. 6 e8.
Vende-se
Panno de linbo do Porto
entre-lino esuperior, por preco commodo:
na ra da Madre-de-Peos, armazem o. 26,
de A. V. da Silva Barroca.
A 640 rs. cada um.
Cobertores de elgodao ameri-
cano os mais encorpados que ha,
a duas pa taces cada um, e algodo
de listra proprio para roupa de es-
clavos, por ser muito encordado,
a i\o rs. o covado: nn ra do
Crespo, loja da esquina que volta
para a datJadeia.
Vende-se cal virgem de Lisboa de
superior qualidade, em barris de 4 arrobas,
chegada neste mez pelo brigue Baria-Jote:
a tratar na ra do Brum armazem de.
Antonio Augusto da Fonseca, ou na ra do
Vigario, n. 19.
AGENCIA
da fundiQo Low-Moor,
UVA D\ 8EKZAI.T A-T>'OVA, N. /|3.
Neste estabelecimento conti-
na a haver um completo sorti-
mento de moendas e meias moen-
das, para engenho; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido e
coudo, de todos os tamanhos,
para dito.
A aoo rs. o covado.
Vende-se zuarle azul trancado, muito en-
corpado e com 4 palmos e tneio de largura ,
a niellior fazenda para vestir escravo pelo
barato preco de 200 rs. o covado: na loja da
esquina da ra do Crespo, que volla para a
cadeia.
A pecbincba.
Cortes de cambraia adamascada
com toque de avara,-^ 2,5oo tis }
Aos 2o;ooo,ooo de ris.
C3T Continnam-se _j?>
a^vender bilhetes, meios, quartos, oilayos e
vigsimos da decima lotera concodida a
henelicio da constrnc$.1o e reparo das ma-
trizes da provincia do Rio de-Janeiro cu-
jas listas devem de chegar a esta provincia
no primeiro vapor : na ra da Cadeia do Re-
cife loja de fazendas, n. 51, de JoSo da Cu-
nha Magalhes onde existen) as listas das
loteras passadas.
- Vendem-se eseravos baratos, na ra
das Larangeiras, n. 14, segundo andar, duas
pretas de 21 annos, com algumas habilida-
des ; urna parda de 30 annos, de minia boa
conduela, sem vicios, que cozinha o diario
annos, que cose e marca ;um pardinho de
18 annos. de muito boa conducta sem vi-
cios, e por isso ptimo para pagem; um mo-
leque de 12 annos; um preto de nacn Cos-
ta, bom ganhadnr de ra, que paga 480 rs
diarios por 430,000 rs.; 3 pretos para o
servico de campo.
Farinha de trigo.
Vende-se superior farinha franceza de
Provenca chegada ltimamente : em ca-
ss de J. J. Tasso Jnior na ra do Amo-
rim, ii. 55.
Vende-se urna preta de 24 annos com
um lllio de ."> minos a qual he ptimo en-
gommodeira, ensaboadeira, costureira e
cozinht'ia ; est petada de sele mezes e
que he muilo afavel para criancas : urna
dita de 40 annos, boa cozinheira por pre-
co commodo : na ra larga do Rozario,
venda p.4C.
Liquidadlo.
Na ra do Crespo, n* 9, loja do Domingos
Antonio Comes CuimarScs, vende-se toda e
qualiduda do pannos finos e casimiras lisas
e dequadros, velludos, setinse sedas, lan-
o para veslido como para collete, lencos da
seda e selim para gravata, ditos de cores
para mito, manas para grvalas de homem,
ditas para senhora, manteletas, chales de
seda, meias luvas de seda o de pellica ,
cassas e cambraias de cores para vestidos,
e todas as mais fazendas de linho e de al-
godito, proprias para senhora e homem :
ludo com um abaiimento de 20 a 30 por
cento, pela necessidade de liquidar o ven-
der-se esle eslahelecimenlo, como ja se
acha aniiiiuciado por este mesmo jornal.
Esperanca !
Vende-se o botiquim Esperan-
ca, bem montado, com todos es
utensis precisos e efreguezado ,
tem commodidades independentes
para familia, e oulras proporcoea
ventajosas que se farao ver eon
pretendentes, e o motivo da ven
da: por preco commodo, a dinbei
ro, ou a prazo com garantas : n
ra da Senzalla-Velha, n. 126.
Na ra do Cabugd, loja do Duar-
te, vendem-se
bicos de Monde pretos ; ditos hrancos ;
franjas e requififes, chegados ltimamen-
te de Franca, e da ultima mida. DSo-se
amostras.
Vende-se a casa terrea de pedra e cal
n. 136 da ra Imperial, com grande aterro
at o rio, e mais um terreno ao lado ,
piomplo para oulra casa : ludo em chitos
proprioja,: na ra do Collegio, n. 6.
Bilhetes com assignatura de
Siqueira.
Lotera do RiO'de-Janeiro.
Aos 2o:ooo,ooo de ris.
He chegada a lisia da terceira lotera de
Campos e com ella grando sortimento de
bilhetes, meios, quartos, oitavos e vigsi-
mos na ra da Cadeia, n. 56, loja de fer-
ragens, de Antonio Joaquim Vidal. Adver-
le-se que destas loteras fram vendidos na
mesma, loja os bilhetes ns. 1,015 e 5,505
com 1 :C0O,00O de rs. ; assim como na ante-
cedente se vendeu o numero 5,573 com
4:000,000 de ris.
perfeita costureira, engommadeira, o que
sabe bem vestir urna sennora; urna dita
penVita cozinheira e engommadeira, po-
rm s se vende para fra da provincia ;
um parda de 20annos, de muito linda-li-
gura queengomma, cose, cozinha e taz
doces de todas as cualidades; urna preta de
45 annos, boa vendedeira de ra por 300^
rs.; urna dita para trabalhar de enxada ;
urna dita boa quitandeira ; um prelo bom
coxinheiro; dous molecotcs muito lindos,
sendo um de naco e outro crioulo.
A aoo, 1,280 e i,5oo rs.
Na ra do Crespo, n. i4, loja de
Jos Francisco Dias,
vende-se superior brim pardo de puro
linho, a 1,280 rs. o corte; dito cor do gan-
ga, a 1,500 rs. corte ; superior chita de ra-
maecm para coberta, de cores muito lisas,
a 200 rs.; chitas miudinhas de todas as co-
res e de pannos finos, a 160 rs. o covado;
ditas de superior qualidade, a 200 rs.; cor-
tes de fustoes de cores fixas, a 320 e 400 rs.,
e de superior qualidade, a 1,280 rs.; pecas
de bretanha de rolo com 10 varas, a 1,600
rs.; e outras muitas fazendas por barato
prego.
Vendem-se 6 lindos moloques de naclo
e crioulos, de 16 a 20 annos, sem vicios
ncm molestias; 2 pardos de 18 a 20annos,
um dos quaes he perfeito ollicial de sapa-
teiro, e ambos proprios para pagens; <~
pretos de 25 a 30 annos, de bonitas figuras
sendo um delles bom serrador e muitojhahil
para'qualqucr servico oqual he de naclo
e no tem vicios < em achaques, o que se
afiance ; un preto de meia idade, muito
bom cozinheiro, e que d-so em conla; bem
como outrns nimios eseravos : na ra do
Vigario, n.24.
Lencos pretos para graixitas t
720 rs. cada um.
Na loja n. 5, da ra do Crespo, vendem-se
lencos prelos para grvalas, com um peque-
no toque de mofo, pelo barato preco de 720
ris.
Novos riscados monstros, de aara
de largura, a 320 rs. o covado.
Na ra do Crespo, n. 5, vendem-se os no-
vos riscados monstros, muito finos e pa-
droes nunca vindos a este mercado, pelo
barato preco de 320 rs. n covado.
Vende-se um berco de angco para
enanca, por milito barato prego e em bom
uso: na ra eslreita do Rozario, loja de
marceneiro, n 27,
Freguezii.
Vende-so vinho da Figucira de superior
Suadade, a 1,280 rs. a caada, e a garra-
1 a 160 rs. sendo engarrafado dando o
frepuez oulra garrafa : no paleo do Terco,
venda n. 7.
tos da ultima moda; dilos de madre-no
I para plits ; ditos de soda, prooriok L"
ra enfeites de vestidos de senhora e m P''
as. m,|)i-
Vendem-se, effectivamente, na ra m
treita do Rozario, n. 8, os seguintes |,rnT
lreito publico 4>elo doutor Auiran RrV
viarios romanos, ricarnento encadenado,>
Diurnos; cartas de a b c, taboada cathn
csmns, procuracoes bastantes, apu'datitaV
lettras, conhecimentos, traslados, pania
todos os livaos latinos; Sevaine; Tcsramen'
todo gello da uallinha e do cachorro ["
leja entre o diabo eS. Miguel com estam
pas; muitas e diversas obras de direito
philosopbia ; papel achamalotado de t0j,,
as cores, pedrado, marbrado, etc.
Na ra do Cabugd, loja do Duar.
te, vendem-se
tesouras para alfiateebarbelro, fabrica
das em GuimarSes pelo melhor cutileir
daquelle lugar; ditas de Lisboa, para i.
nhora, com aros roligos de ac fino. Dio**
amostras.
Deposito da estrella, na ra 9
A Nova, n. 56.
? Odonodeste estabeleci ment pelo
A presente avisa aos seus freguezes e ($
? ao publico, que o seu estabeleci man- ^ to cha-se motilado com um grande ?
% e esplendido sortimento das melhnres ?
fr e mais hem fabricadas qualidades de
? charutos que veem da Rahia. Os fre- 4
9 guezes pnder.Toescolher a sua vonla- 4
6 de, promettendo-se receber qual- t
(g) quer qualidade que n.1o agrade ao ?
? comprador, pois he hoje este depo- #
? sito um dosque lecm merecido e pre- #
tendem merecer toda a estima e alten- ?
0d cao dos amantes da boa fumaca: con- *
~ tendo o sorlimenlo as qualilades so- ?
f guintes: saquaremas, deputados, Ve- ?
? us, lanceiros, patuscos', meln- 8
dres, quem fumar sabara, cavallei- 9
? rps de llavana regala superfina
meia-regalia, nao prosultra, gyracol
? e outras muitas qualidades que a vis- 4
? ta dos compradores serSo patentes.
i ___^___ i
Praca da Independencia
numero 57.
Aos 20:000^000.
Vendem-se bilhetes e cautelas da lotera
do Rio-de-Janeiro, concedida a beneficio
das construeces e reparos das matriz
Na mesma casa se mostram as listas daslof
terias passadas, o se trocam os bilhetes pre-
miados: a elles, quesopoucos.
Pretende-se vender duas mil bracas de
trras, na ribeira de Ipojuca, termo de Ci.
ruart'i, no lugar Alaga-das-Coras, ja ln.
nunciadis a 17 c 18 de abril prximo pat-
sado, e a 10 de maio : quem se achar coro
direito a ellas por hypolheca, ou oulro
qualquer titulo, annuncie.
--Vende-se vinho de Champanha,deiu-
perior qualidade, em garrafas e meiai di-
tas :em casa de Kalkmann IrmSos, ruada
Cruz, n. 10.
Chegaram ltimamente lonas da Ro-
sia e charutos de llavana verdadeiros, eo
caixinhas de 100: na ra da Cruz, n. 10,
sa de Kalkmann IrmSos.
Vendem-se tres ricas estolas,
pouco uso : na ra da Cadeia, n. 5.
-Vende-se urna venda no pateo da San-
ta-Cruz, n. 6: a tratar na mesma.
Vende-se superior farinha de mandio-
ca em barricas, por preco commodo, e Me-
cas a 4,000 rs.: no armazem da ra d A-
pollo, n. 4, e no do defuuto Braguez, ao pe
do arco-jla ConceicSo.
Aos 20:000,000 de ris!
-se, na ra da Cadeia- do Irecife,
oja de cambio da Viuva Vieira A f\.
muitos afortunados bilhetes da 10.'
a beneficio da conslruccSo e repa-
s matrizes do Rio-de-Jsneiro : calilo
to pela grande extraccSo que lera
i elles, a elles, quem quizer tirar
emios.
e-seem fieberibe-de-Rajxo, noti-
l'te, urna porcSo-T* |'s*"deanm.
nazes d Wi ra e abacacbfs, proprios para se
mudarem paralm-.a"tratar na ruado Ro-
sario eslreita, luja de sapaleiro.n. 39.
Mos fumantes de bom goitq.
No armazem de molhados atrs do Cor-
po-Santo, n. 66, ha para vender, chegados
pelo ultimo vapor vindo do sul, superio-
res charutos S.-Flix, e de outras muiai
qualidades que se vndenlo mais barato do
que em outra qualquer parle : bem como
cigarrilhos hespanhes, ditos de palha de
n.llio, que se estilo vendendo pelo diminu-
to preco de 500 rs. o cento.
atoteravog l u^tin.v
0 monstruoso bramante de linho
de 11 palmos de largura.
Na ra Nova, n. 5,
vende-so juna preta de nacSo-deao anns,
Na lojadoCumarlles& llenriques, na ra
do Crespo, n. 5, vende-se bramante fino de
puro linho de 11 palmos de largura, pelo
barato preco de 2.800rs.a vara; ricos co-
bertores de barra de seda, muilo grandes, a
6,000 rs., e mais pequeos, a 5,000 rs. ;
fazendas estas nunca vindas a jalo mer-
cado.
Pannos, ale 3,000 rs. o covado.
Na loja de Cuimanes & llenriques, na ra
do Crespo, n. 5, vende-se panno prelo
azul, pelo barato preco de 3,000 rs. o co-
vado e preto mais inferior, pelo diminu-
to preco de 2,000 rs. o covado ; bem como
um completo sortimento de todas as cores,
e de diversos precos.
Chitas de cores fixas, a 5,200, ou
a 140rs. o covado.
Na loja n. 5, que faz esquina para a ra
do Collegio, vendem-se chitas de bons pa-
droes e cores fixas, a 5,200 a peca c 140 rs.
o covado; ricos cortes de cassa da rainha
Victoria a 3,600 rs. o corle ; liodas cassas
francezas, largas, pelo barato preco de 640
rs. a vara esta fazenda se torna muito re-
commcndavel por ser de padrOes novos e
muilo finas ; alm destas ha um com-
pleto sortimento de todas as qualidades de
fazendas, por preco muito commodo.
Aviso aos amantes da boa pitada.
Na ra do Queimado, loja da esquina do
becco da Congregaclo, n. 41, vende-se ra-
p de Lisboa, chegado no ultimo navio, pe-
lo preco de 50 rs. a oitava. Cheguem fre-
guezes.
Na na do Cabugd, loja do Duar-
te, vendem-se
fitas de selim lavradas ; ditas com franjas ;
setins lisos e de cies ; galOes volantes ,
trinas e espeguilha ; flores, capellas de do-
res de laranja luvas de seda; mantas para
meninas,a800 rs.; ditas para senhora, a
9,000 ra.; lencos para grvalas; corles de
collel s ; cutilanas linas ; diversas galante-
ras : ludo por preco commodo.
Na ra du Cabugd, toja do Duar-
te, vendemfse
hoUSes de Pedro II, deurirneira, segundee
terceira qualidade; ditos :'do cavallarla da
guarda nacional; ditos de'infanlaria ; ditos
de maasa para cacadores ; ditos de diversas
flualidadeaj ditos de nurinba; ditos pre-
Anda fgido, desde malo prximo paa.
aado, o preto Agostinho, crioulo, alio, ban
feito de 26 annos, hem fallante ; he ofli-
cial de calafate ; anda calcado e inculcan-
do-se forro ; lem sido visto de sobre-casa-
ca pela Bo-Visla e estiada nova da l'assi-
gem : quem o pegar leve-o a S.-Amaro, ca-
sa de Manoel Cardozo da Fonseca, ou o
praca do Commercio.
-- I'ugio, no da 3 do corrente o mole-
que Joaquim, de nacSo Cassange, de esta-
tura regular, representa 20 a 22 annos ;[M
tem pouca barba cor um pouco fula, cari m
redonda nariz chato e repuxado a roda,
que parece tersido queimado, cabello cres-
cido, ps um pouco grandes; levou cami-
sa eceroulas de algodfio da Ierra. Este mo-
leque ln canoeiio e ausenlou-se na madru-
gada do dia cima com urna canoa gramil
que pega mil lijlos de alveoaria grossi
cuja canoa tem urna borda mais alta doqM
a outra, por onde pode ser bem conhecid
lloga-su as autoridades policiaea e pessoal
particulares, que o aprehendam e levem-no
a ra larga do Rozario, padara n. 18, que
senlo gratificados com generosidade.
Fugio, no dia 2 do correte a noite,
vindo de S -Amaro para o Recife, o prelo
Mathias escravo d, l'.ugenio Norberto Al-
ves ; he muito cpnhecido pelo sul da pro-
vincia, por ser pagem do dito senlior e sem-
pre andar em viagem daquelle lado para es-
ta praca e agora esteva empregado em o
servico de urna eocheira, onde tnha mui-
tos conhecimentos; be alto, magro, cor pre-
ta olhos regulares e vermelhos, roslo si-
tente ; tem una cicatriz de talho ero um
dos lados dos olhos, nariz chalo; he muilo
ladino, vivoe desembaracado que pireee
crioulo; representa ter 30 annos ; leon
calcas e jaquela: quem o pegar leve-oi
ra do Itaugel, n 35.
Fugio, mi domingo, do Espirito Santo,
o pardo Jos, de 40 auno pouco mais ou
menos desdentado, com pouca barba ; ieffl
nas peinas marcas ue sarnas, e a bocea me-
tida para dentro : quem o pegar leve-o <
engenho Novo de S.-Amarinho, do Sr. JoSo
Francisco de Carvalho faca de Andrade, *>
ao lavrador, Joao Baptista de Souza, 4ua
gralilicara.
- Fugio, no dia 29 do prximo passa'Jft
um mulaliiihu bastante claro, de nomo Vi-
cente de 12 annos ; levou calcas e jaqu
la de algod&u azul, bonte azul e velno, un
truuclunha com 5 lencos sendo 3 de la-
varinlu e dous de marca com as lettras C-
A A. Este mulalinlio ja fez urna fugidi
foi pegado em Fragozo Roga-se as autori-
dades policiaca e capites de campo, que
apprehendam e lu.ve>u-no a ra das
clieiras, n. 50, que ser.lo gratificados.
I'rin-
P.: ni trr. bk m. r. br paria, ssj