Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08943

Full Text
AUNO XXIY1. PMERO 17
Por tres mezcs ada todos 5$0O0.
Por tres mezes vencJ s 6$000.
SABMDO 21 DE JiBSIBO DE 1860.
Por anno adiantado 198000.
Porte franco para o subscriptor.
i a *.-
G.1CARREGADOS DA SU BSCRIPCAO 00 NORTE.
Paralaba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima; Na-
tal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaly, o Sr.
A. de l.emos Braga; Cear, o Sr. J. Jos deOliveira
Maranho, o Sr. Manoel Jos Martina Riticiro
Guimaros; Fiauhy, o Sr. Joao Fernandos de
Muraos Jnior; Para, o Sr. Justino J. naaios;
Amazonas,n Sr. Jornnyiun da Costa. ________
'Aiiia uva (.unuiiiua.
Qlinda todos os dins as 9 1/2 horas do da.
Iguarass, Coiannae Paralaba as segundas c
sextas feiras.
S. Anio, Bezerros, Bonito, Caruar, Allinhoc
Garaiiluins as lerdas feiras.
F.io d'Alho, Nazarelh, Limoeiro, Brejo, Pes-
queira, Ingazcira, Flores, Villa Bella, Boa-Vista,
Ourcury e Ex as quarlas-eiras.
Cabo, Sorinhcm, Rio I'ormoso, Una, Barreiros,
Agua Treta, Pimeoteiras e Natal quintas feiras.
[Todososcorreios parteni as 10horas-da manha.)
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Heladio : ternas feiras e s.-.bbados.
Fazcnda: trras, quintas e sabbados as 10 horas.
Juizo do commercio: quintas ao meiodia.
Dito de orphaos: torras c sextas as 10 horas.
Primera vara do civel: toreas c sextas ao meio din
Segunda vara do civel: quartas e sabbados ao
meio dia.
EPHEMERIDES DO ME/. DE JANEIRO.
1 Quarto cresceute as 8 horas e 28 minutos da
manha.
8 La cheia a 1 hora e 3 minutos da tarde.
15 Quarto minguaute as 4 horas e 38 uiiuutos da
maulia.
22 La nova as 9 horas e 27 minutos da tarde
31 Quarto crosc. as 2 horas e 51 min. da manha.
PREAMAR DE I10JE.
Primeiro as -i horas c 6 minutos da manha.
Segunde as 3 horas o 42 minutos da larde.
DAS DA SEMANA.
16 Segunda. S. M.ircello p. ni.; S. Bcrardo ni.
17 Terca. S. Anio ab.; S. Lennilla m.
18 Quarta. S. Frisca v. m. ; S. Lbenlo m.
19 Quinta. S. Camilo reini. ; S. Basiano b.
20 Sexta. S. Schaslio m ; S. Fabio p. ni.
21 Sabbado. S. Ignoc m. ; S. Palmelo ni.
22 Domingo. S. Vicente m. ; S. Apastado m.
ENCARREGADOSDA SUBSCRIl'CAO NO SIL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falcio Dias ; Babia, 9
Sr. Jos Marlins Alvos ; Uio de Janeiro, o Sr.
Joao Feroira Marlins.
EM PERJAMBUCO.
O preprelario do diario Manoel Fgucima da
Paria,no sua livraria naca da Independencia n.
fi e 8.
PARTE OFFICIaL
niiiiistei-io da suerra
Expediente no da 22 hk hk/emhro.
Ao presidente di provincia do Amazonas, ap-
frovando a proposta acerca de destacamentos no
interior, a que se refera o seu ofGcio de 2 de
; nombro ultimo.
- 27
Circular aos presidentes das provincias, decla-
rando que os medica montos para os oliciaes do
oxerco e mais pessoas de que trata o aviso de
ti7 de agosto do crrente anno serao fornecidos
pelos liospilacs ou enfermaras militares 5 vista
- reccitas dos mdicos do corpo do saude, que
sao obrigados a tratar dessas pessoas em suas
molestias.
Ao presidente do Rio Grande do Norte, de-
clarando que o alteres GaldinoCancio de Vascon-
celos llonleiro, despachado para a companhia
)i\a da provincia, dere seguir para o seu destino
or lod i o moz de Janeiro ;
pode o rapitao da oxtincta
| os eommerciamcs enrnnlran maiores vantagens
i na residencia tora dos muios. Estes leem a al
tura ile 60ps, e eslo bem conservadas. A tor-
re do cinco andaros que se eleva 10 ps cima
I da pmia da entrada aprsenla uM aspecto ma-
gestoso.
Avenida para que d entrada essa porta
1 tem mais de 1119 pos do largura ; mas nao 6 cal-
cada, o as climas recentes flzeram ah um loda-
zal era quo palinham na maior confusao os ca-
( vatios, carros o conductores.
Entramos na cidade rodeados de una mulli-
dao compacta do espectadores. Os homens c mu-
1 Hieres de classe mais abastada tomavam lugar
as primeiras tileiras. Todos mostravam essa cu-
no-i lado placida e moderada que distingue o po-
ro chi:nv ; o quo todava nao impedia que os
; agentes da polica dessem de vez era quandouma
mostra da sua aiiloridade emprogando os azorra-
I gues que tri'/iam.
No dia mmcdiato ao da nossa ehegida, sex-
' la-foira, l.ieh. juiz provincial de Kang-su, pro-
porlanto nao curou-nos para una conferencia sobre a entro-
2.a linhi francisco vista que desejavamos ler c.om os missionarios
Machado do Reg Barros continuar a ser em- imperiaes, e sobre a audiencia quo queramos
pregado tu servico da guarnidlo da mesma pro- obter do imperador.
.a.
28 -
Circular s presiden a s das provincias, para
que remcitam a esta secretara da estado una
relarao nominal dosotBciaes reformados do exor-
dio em pregados por nomeaedes das mesmas pre-
sidencias na guarda nacional, com declaradlo das
- das a poro vagos dadas a es-as nonn
por esle ministerio.
Ao presidente da Parahiba, approvandu o
eo.itraclo celebrado com o doulor eni medicina
Francisco Antonia Fernandos Jnior, para fazer
" O icivi'o do saude na guarnirn da provincia.
- 29 -'
Circular aos pn -i Ionios das provincias, para
ordenem s Ihcsoorarias de fazcnda quo re-
mellan) com pontualidade os documentos de des
is e demonslrarocs do estado do crdito da
reparlico da guerra.
Ao presidontc do Para, declarando que,
quando na provincia houvcr uecessidado de pl-
vora, deve remoller com antecedencia os pedidos
para seren salisfeilos: a!lm de evitar que contra
ibetecido, seja esse genero alli comprado
i arsenal de guerra, como ora se platica.
Ao d Ro Grande do Norte, dem que, ha-
n lo falla do ofliciaes na companhia fixa da
inda, nao possivel distrahir nenhum
servico para (loar disposico da presidencia.
Ao presidente das Alagoas, para expedir1
ordens terminantes thesouraria de fazcnda, afim
ipressa determinadlo desta seero-
de oslado, se nao alaste do que se acha
ripio na circular de 11 de abril do correte
anno, para quo se nao doem fados com o quo
usa ao governo, de ser o assislcnle do sjudan-
neral nessa provincia pago do quanlia igual
fi quefoi arbitrada para o expediente das respec-
tivas secretarias onde ha corpas regularmente
ur -.anisados, em ve/ da de ti1"- mensaes, que pela
redita circular loe foi concedida.
Como verdadeiro filho de Han, comceou por
lecor o elogio do seu soberano, e acabou elogian*
do-se a si proprio : gabou-sc da sua habilidad^
em resolvers questes anda as mais complica-)
das : fallou da recepeo honrosa que nos era fei-
l.i, e da considerarao excepcional com que nos
Ira l a va ni.
Depois d se hacer estendido muilo sobro
esses pontos, pissou a observar-nos com toda a
braudura, quo nos eslrangeiros viudos de tan
longe das ultimas regidos do globo e che-
gados pelo prmeira voz a pos lanas la ligas
capital do imperio celeste, deferamos duinons-
Irar.nossa gratidao por esse favor dos deoses.*
Responden-so laconicmeme que, leudo de
reunir-se no dia seguinte os plenipolcnciaros
para tralarom di nogoiiac.Vi, a que iaiaos, e nao
leudo os sous subordinados poderes especiaos
para semclhante liui, ora mais prudente nao en-
celar com clles qualquer discusso a ese res-
peito.
.Van obstante o juiz conlinaou dizendo-nos
que o imperador duvidara da sinceridade dos
Americanos por haver o Toeywan lmalo parlo
; no combate de Taku ; c que- a attilude dellcs n"S-
sa occasio conflrm-iva as oxpresseshoslisem-
pregadas em um despacho de M. Reed, do auno
do i passado, no qual este deelarava quetaLvez se
visse toreado a unir-sc aosalliados.
Esta observadlo don-nos uccasi i de expli-
car-lhe o proceJimcnlo do nosso commodore eui
Tiko, e de mostrar-llie as serias consequcncias
da incuria do seu proprm governo em nao man-
dar um funeconario competente ao Pei-ho para
receber os ministros plenipotenciarios, que alias
Nao posso, responden M. Ward, mudar
as leis e os usos do meu paiz, nem commetter
um acto, que o aville
Esta discussao duroii por duashoras, no fim
das quaes os commissarios a iuterromperam allir- ',
mando que mais lardo couliniiariam. Com clVei-
lo tornaram a vir em 2 de agosto em liteiras da
mesma especio das que foram foroecidas i em-
baixada, e sera escolta.
A discussao rcconiocou pooco mais ou me-
nos nos mesmos. Os Chinezcs fallaram do Roma,
e das ceremonias usadas as recepcocs do Vati-
cano. Rcspondeu-sc-Ihos immedialamenle que
nunca os embaixadbres inglezes ou americanos
so ajnclharan peranle o papa; e aquelles que se
ajoclhavam peranle a rainha de Inglaterra eram
os sous proprios subditos, quando do suas mOS
recoliiaiu nina ordem de cavallara, porm nao
os ministros eslrangeiros.
l'ediram eniio a M. Ward qu" e\pozesse por
cscrplo a ceremonia, a que se quena sujniar.
Depois de haverom percorrido com osollios, o
que escrevera M. Ward, disseram que ora intil
subincttcr a sua proposieao ao imperador, e dii-
Ihe-hiam antes que a grande dfferenca entre os
usos dos dous paizes obslava que podesse ler
lugar a audiencia. Negaran) lambem ainlenco
de embaracar (? pesquisar os actos do enviado na
capital, c assegnram que lnbam mandado postar
agentos de polica entrada da sua residencia
com o fim nicamente deafastaro povo. Enlre-
hibiram-nos tuda a relacao com os
foram recebidos por um simples subordinado,
cuja reracidude nao eslava garantida.
Pelas 11 horas do dia seguHto M. Ward,
acompatihado de lies pessoas da sua comitiva,
Itrigi l-se .i s.la poldic.i, onde os comuiissorios
I imperiaes vieram ao seu encontr cercados de
tanto pn
Russos.
". Os commissarios rctiraram-se para a i
denc'n de esto em Yuom-Ming-Yuem, a
millias de distancia da colado No da seguin-
te l.ieh lornou a procurar-nos; \ iiiha milito con-
tente. Disse-nos que os commissarios haviain
passado a noitc em conferencias, o fa/inn-n is a
seguinte proposla dirigiriam a M Ward urna
carta aniiiilicando que o imperador eslava dis-
posto a conceder Ihe una audiencia, alim de
receber a earla do presidente dos Estados-Uni-
dos; M. Ward respondera que eslava igualmen-
te promplo para apresenlar as suas homenagens
a S. M. pela mesma forma que an seu presi-
dente. Nenhuma objeceo foi [cita a esta pro-
posla.
.. l.ieh explicou enlo quo o ministro ao ou -
caminhar-se para o throno, do que estara sepa-
ra lo por urna meza, sobre a qual seria deposita-
da a caria do presidente, inclinar-se-llia pro-
fundamente, p dous camaristas s> chegaram a
elle fazendo mencao do o suspender, e diriam
Nao vos ajoelheis. Em seguida o ministro
enllocara a carta sobre ; um dos camaristas ra
ali loma-la, c de joclhos a apresentaria ao im-
porapor.
<< Lieh relirou-so anda mais conteni do
linha rindo ; porcni bem depressa vo|ton
di-er-nas que .> pniposta dos'commissari is
linha sido acolhida pelo imperador, o qual
va decidido que se o ministro americano
quizesse por umjocllio em lena, o sobre
varios artigas explicativos que lhes tem sido ad-
dicionados.
_ Art. 3"..... As ii'Slruoccs e regulacdes, <
formas de instrumentos annexos n> tratado do 28
de jiillio de 1817 serio appradas mutatis mu-
tunds.
Nao ha duvida de que el-rci de Portugal con-
cluio com o de Inglaterra, aos 15 de marro de
1823, unA convenrao addicional de 117 ; mas
lano essa convengo estipula grave materia no-
ta que a sua exposiro diz que as altas parios a
ajustaran) por terem reronitteido a necestidade
de acrecentar algUDS artigos convenoo de
1817 ; esses artigos sao, com toda a prnpriedade
denominados addicionaes: Addilional article*.
A citada disposico de 120 nao falla senao dos
artigos que fossem explicativos meramenli*, c se-
ria um absurdo, tanto em liiiguagem diplomtica
como na eommiiin, confundir o ncreseenlamento
de disposicos novas com a explicurao das j
existentes.
Uemais : n Inglaterra que tanto reiorihece o
alcance da independencia do Brasil, que al vi-
de convenio de 1858) tuina a simples dectaraco
dola como ponto de partida dos sous tratos, islo
, o anno de 1822, nao podia considerar como
valido para o Brasil, S' ni especificadauente o
citar, cono fez aos ou tros, o de I&23.
Oulrolaulo diremos do Brasil. A sua le de
20 do oulubro do 1823 i Slabcleceu quo as leis do
Imperio s abrangio as de Portugal ale; 35 do
abril de 1821, as do Sr. K. Pedro como regente
le como itbpcrador, e o mais que alli se especili-
cou ; ora, nema dala, nem a nature/a do aclo.
peza de estabelecer coramissoes mixtas; que nao > do mes......moselheim Jos Benlo, o matad
fosse mixtas, i.s'o emqnn urna s paito accu- publico, principiado e.i adminislracau do !>r. S
niulasse as qualidades de inlerossado, autor, ao- e Albuquerque ; o collegio de i ducan os al tilicos
cusador, jniz.o executor [fundado pelo consetheiro J. A. Saraiv.i, queoin-
0 Iribiiiial legitimo, competente, pactuado, > era o que seciimpuiiha do numero igual de aiem-1 de Jaragu onde tambeni se m-ha o consulado
dose pode abracar o documento a que alludinios.
Tanto nao adoptou a conveucao de 1826 a por-
lugueza de 1823, que no seu artigo 3o, especifi-
cando linda segunda vez que ficavam adoptadas
as inslrucooes e legiilaoes de IH17, tan eflcaz-
mente como se fossem repelidas p%lavra >ur pa-
lavra, nao juoluu igual adopcao das de 1823,
que, em pontos capilaes, auiiullam n Iransfor-
in.un aquellos de 1817, nicas revogadas e adop-
tadas.
Notc-se finalmente a redactan do art. -" :
......Concordara em nomear desde j cotn-
raissoes mixtas, na forma das cstabclecidas por
parto do s. M. 1!. e el-rci de Portugal,em tirlu-
dc '/( convenrao de 1S17
Islo lira todas as duvidas. O artigo 2" da con-
venan de 1823 allera, em ponto radical, de in-
calculaveis consequeiicias, a conveneo de 1817 :
o porianlo a ninguera licito por una errata no
artigo do lc>2, dizendo : Onde se t : em vir-
tudc da conveneo do 1810 ; ia-st : em virludc
da conveneo de 1817 c mais da de 1823.
Por lodos estos motivos, eremos nao haver
bom fund tinento paraconteslar-se a nossa as'ser-
jao de que nao vigora para o Brasil a conveneo
: porlugueza de 18J3, nem os sous artigos addi-
i maes, mas ssim os explicativos d is de 1815
c 181Z, islo os que do iiisiruococs aos navios
de guerra, regulamcnlu s commisses mixtas,
ele.
oros uomeados por ambos os soberanos, apenas
loraliiK ule sulistiinivois em caso de raorte.
Ora, durante os 15 anuos do tratado, parece
quo alienas em dous annos foi respoilada aquella
base fundamental da competencia da eommisso
em Serra-I.ea ; e nos restantes 13 annos as dir
cises foram proferidas exclusivamente por com-
missarios britnnni'O, oque totalmente as vicia
o infecta de insanavel nullidade.
Applioar-nos-hemos todava em seguida ao
estudo da materia, romo se lo incompetente
tribunal houvcssc regularmente funcrionado.
Publicla.
[Inri:al do Commercio do Rio.i
ALAGOAS.
S a u il a c a o.
::.' PARTE.
Esb ico geographico da procincia das Magnas.
Cumpie-me agora fazer o esboco geographico
da provincia : sua figura lopograpnica asseinellia-
se ,i um triangulo rectngulo cuja hvpothcnusa
a linha irregular que parlindo da foz do pequeo
rio Persinunga e atravessando as maltas de Jacu-
hipe o di: Peruambuco val terminar na cachoeira
do Paulo Alfonso (urna das maiores do mondo):
servem-llic dos oulros dous lados a costa banlia-
da pelas ailadas aguas do Allanli. o e o assober-
bado curso do Baixo S. Francisco, cuja fuz figura
o verlice do ngulo recto; a hypolhennsa ou
maior lado do triangulo orea por 8i leguas pou-
co mais ou menos; o lado formado pelo curso
do rio 5t) c o do liltoral 31, o qual lira compre-
heuddo entre os 8" 55' 3D" e 10" 31' de laliludc
sul e 2C" e 28" e 58" longitude oeste de Lisboa ;
em consequencia porm das sinuosidades da cosa
anda esta por mais de 50 leguas, sondo sous pon
tos extremos ao sul a foz do S. Francisco o ao
norte a do Persinunga. Limita com Peruambu-
co em que se acha encravada ao norte e a oeste ;
com Sergipe ao sul, flcando-lhe o Atlntico a
leste.
.Segundo o calculo do dislinclo engenhero
Conrado Jacob de Nioineyer le ni Alagoas 1', 200
leguas quadradas, sendo por tanto ella o Sergi-
pe calculada pelo mesmo engenheiro em igual
numero de leguas quadradas as duas menores
piovincias do imperio em territorio.
Existem nesls provincia 3 grandes lagoasd'on-
de Ihe proveio o nomo de Alagoas ; sao a de Je-
que
para
i : "i i i
ha-
llan
esta
.ludo em
provincial ; a directora de inslrucco publica, n
lyceu e gabinete de ieitnra que funeciouam j
ni mesma casa, que um puquio nacional, cojo
atuRUcl puyo pelo cufio provincial. Sao i -
os cdilir<>$ ccstabelccimeiitiis pblicos da capi-
tal, em cujo recinto so acham tambera igrejos,
das quaes a matriz funecionou pola primera v x
no fausto e venturoso dia 31 prximo passado i ni
que aqu chogou V. M. Imperial, inaugurndo-
se con; um Te-eum solemne em ac; de gra-
bas ao Altissmio por esse lu feliz acontec ment;
un magnifico e grandioso templo, cojos a!i-
ccrces liuham sido lia minio laucados; mas sua
conslruccao cncelou-se vordadeiramente no pnn-
ripiji da adiiiinistracu do consetheiro Jos lenlo
Ibtl a orago Nossa Senhora dos Prazeres;
as mus igrejas.' io o Rosario quo servio do n i-
triz provisoria durante u construc^o da nova, o
Martyrios e Lvrainenlo.
A um quarto de logia a leste da capital est e
povoacau de Jaragu. ligada a ella pela ra do
Saraiva, 6 u porto !> embarque e desembarque
o mido so achara a capitana, alfandega, mesa de
rendas geraes, collegio oe educandos arlifico,
consulado provincial, com jj rJisse. Existe alli
urna capclla do' invocaco do Nossa Senhora Mu
du Povo, nina e-cola de primeiras -liras para c>
sexo masculino ti oulra do feniiiiino.
A nma milha a oeslo da cidade acha se i povoa
Qo do Trapiche da liana, assim chamada por-
que outr'ora ora o ponto om quo vinham carre-
gar c descarregar em um pequeo trapicho
anda alli existo as erabarcaQes o canoas que
uavegavain as duas lagoas ; ha na povoaco una
capellinha de uivocaeo de Nossa Senhora da
Guia.
A duas legoas ao sudoeste da capital (lea .<
Pontol da Barr, aggregadodc cerca de 5) c ba-
ilas cuberas de palhase habitadas por pobre-
pescadores.
A una logoa ao norte da mesma capital est a
povoaco do Beljedooro, assim chamada por cau-
sa do riacho do raesui i nomo, onde varas fami-
lias da capital cosluniim ir passar os calmos is
das do vero : lia alli una capellinha de i
cacao de Sanio Antonio, urna cadeira'de pi
ras lettras para o sexo masculino o oulra pa i.
feminino
Sao eslos o? ppvoados da freguezia da capital
quo se divido ora 2 dislrictos do paz.
Sua popula-,"io segundo os dados estnUsticos
Rio do Janeiro.Ministerio dos negocios da
ra, era Jl) de dezembro do 1859.lllm. e
Exm. Sr.Em resposta ao seu officio n. 2!i de
17 do corren te, em que Y. Fxc. d parle da m-
. doi nfllciaps quo deviam servir no esla-
1.1 i-maior de dvisao mandada organisar na frnn-
leira do Rio Grande, declaro a V. Exc. que leude
Horneado commandante das armas da pro-
vincia o marechal commandante dessa divisan,
sera que se Ihe desse successor. lica annullada a
o do comman lano do fronteiras o que a
diriso lica immediatamente subordinada ao|
Commandante das armas, e desnecessaria so fe a
ncia d iquelle estado-maior, por nao se dar
o raso previsto no decreto n. 2.3S de 25 de no-
vembro di 1857.
Por esla occasio nao posso deixar de obser-
i V. Bxc. que por viras vezas so lem mos-
l i a inconveniencia de distrahir ofliciaes decor-
rregiracntadoB paraservico proprio do esta-
maior, o-ainda em aviso de83 de oulubro do
corr-ente auno eu disse a Y. Exc. que existilo
na provincia sele capilaes c um lente do esta-
I i-maior em dispontbilidade, designssse os que
devem substituir os ofliciaes arregimenlados ;
accrescendo que nu deve julgar-so procedente a
i dada pelo commandante das armas de nao
: no eslado-malor do exercilo praciocs
com as h.iliilitacoes precisos para o desempepho
de commisses proprios dos dous corposdo mes-
cstado-maior, pos de suppor que rcaHsada
--. hj polhese j so liouvessc 'razidu presenta
dij governo os nomos desses ofliciaes, para que
um grande numero de conccionanos com insig-
ni is de ludas as ordens. Kwciliang comectou de-
fendendo osados do seo governo : declarou que
o imperador linha o direito de mandar fechar a
i
entrada de
mandara fazer
que ss embar
Tienlsin ; mo
un dos ros do seu imperio, o assim
ao Poi-ho com o fina de impedir
acocs eslraiigeiras subissom al
s iiavia tomado todas as medidas
necessanas para que os ministros esl'angeiros
fjssom conduzidos al Pekn o la cidade de Poli-
lang.
O ministro Inglez recusou dirigir-se a esta
cidade, o preferio Corear as barreiras de'Taku ;
1 por conseguiilo linhain violado os tratados sem
que os chmezes fossem por isso responsaveis.
Ixwei-liang observou mais que era visivclmente
I conhecido o designio hostil dos Inglezes, os quaes
par a permuta dos trata los so lzeram acorapa-
nhar de una forja muito-maior do que antes para
a assignalura Jos mesmos tratados, quanto erara
evidentes os lesignios pacficos dos Americanos,
que tinhain ido com urna s embarcaco.
Parecen-iics que esse venoravel estadista
fallara mais para o seu auditorio, do que para o
enviado americano, o saugue fri com que al-
guns dos sous compatriotas tiraran) o; chapeos, c
sentaran) sobro os estrados que se achavam na
sala, pareca indicar que odies pertenejam a clas-
ses mais e'cvadas de que o davam a conheccr as
suas insignias, (i primeiro ministro julgou de-
ver explicar-lhcs a comrnisso de que eslava en-
carregaQo.
Collocar ao monos a man, nao sena rece
audiencia. Esta proposta oi rejeilala.
Apoz ludo islo recebemos um despacho do
primeiro ministro, que caraelcrisa a diplomacia
chineza Depois do ler tratado da discussao so-
bre a ceremonia pergunliva ao embaxadorame-
ricano para quelim viera a Pekn? Y. accres-
eeniava que nao querendo elle apresenlar-sc ao
imperador, lornava-se impossivel a reeepeo da
caria do presidente dos Estados-t nidos.
M Ward responden a Kwei-liong ijuo linha
viudo a Pekn para acceder ao convite, qno Ihe
fora feilo pelos chinezes, e'de conformidade com
urna ordem do imperador, comraunicada pelo
governador de Peh-tang.
Pasadas 815 horas Lieh veio perguntar-nos a
causa do nosso silencio. Declarou que se pedis-
varavcl at nina legua, communi ando entre si
suas aguas por canees naiuraes. 111 muilo que
Se osle poni nos como julgamos dever ser,! se projecta o osla elecmento de navegaro a va-
Iconcedido, lica obvia a incompetencia do tribu- por sobro ellas: o que acha-se autorisado pela
nal qno, era Sorra-Lea, sob o improprio nomo le provincial numero 205 de 21 de abril do 1856.
misso mixta, julgou a quasi totalidade Com esse intuito foi requisitado pela presidencia
quia a mais meridional e menos extensa ; a Man- existentes lia secretaria da presidencia anda p ir
guaba reconhecida vulgarmente por Lagoa do 12,000almas.
Sul ou do Pilar, e finalmente a Lagoa do Norte Existe anda no municipio de Slaceiii a freguc-
que bauha a capital; cada una das duas ultimas ziade Pioca roniprchendundo a povoaQo do oies-
lem do cumplimento cerca de 3 leguas e largura mo nomo 5 legoas a nordeste da cidade e os dis-
das prests brasiletras.
O tratado-de 1826, artigo!', ronfere a com-
rnissao mixta o direilo de laes julgarooutos, mas
psses Iribunaes, para serem legtimos, deviam
funecionar segundo o decretavam as instrueces
que formavam parle integrante desse, adoptado
e renovado, tratado de 1817.
Ora, eis aqu, em sua integra, o seu artigo
As duas alias partos conlratantes convieram
que, no caso da morle de um ou varios do.- com-
missarios, juizes e arbitros, que compoera asso-
broditas commisses mixtas, os sous lugares se-
" Disse-nos depois que o imperador se digna-
lhes desse destino denlro da accio das leis, va conceder-nos a lionra de urna audiencia, para
solicita; lo corpo legislativo providen- a. "*'so resta va regular o ceremonial. Kwo;-
lendenles a constituir aquellos corpos no llan6 repeli muilas vezes que o imperador nao
i em i ic devem existir, eno como collec- jpnrandia urna naco amiga como os Estados-
ro ile inutilidades. "'os, cujo primeiro magistrado era seu igual,
Reos '-nardo a Y R f..,.,. lerttu daproviucia de S. Podro r,''' -iouchew ou Annam.Chaniavo o presiden-
do liio Grande do Sul. 0'a ta-hwangli ou grande imperador, ora pre-
__ :(i I sidentcpalavra que aprenden a pronuncia, c al-
'. i ajndante general, dem, aflm de que le- gomas vezes lan.bom kinn-chou, ou chefe prin-
i baixa do servio. as pracas abaixo designa- 'cipal. Iccresceiitou quc^ nao sena exigido o
, que, em inspecr.o de saude, foram julga-
rtrrapazes de continuar as llleiras do exer-
cilo.
1. Balalhao de irlilhara p,
lado Valerio Justino le Araujo.
1." Balalhao de infatuara.
lele Lu/ Alvos Ferreira, o soldados Ma-
noel Antonio Pcrclra e Joao Baptista de l'roi-
las.
5." [atilliTio c'c infantari i.
i lo Vicente da
ellino dos Santos.
12." Balalhao de infantaria.
.i li te i indido Leoc i" da Silva Bczcrra.
Veio balalhao da Parahiba.
'- : lad Manoel Vicente Lomos.
Companhia fixa de Sergipe.
I Alvos Coelhe de Santa Fe.
Ando Uio do Janeiro, declarando que a
la i que suscita relativamente compotencia
seriamos aliendidos, e que se quizessemos far-
se-hia a permuta das ractilicacocs dos Iraclados
em nina das cidades do norte, Estas duas pro-
posias foram repellidas. Em conelusn declara-
mos que leudo os commissarios se negado ao re-
cebimonto da carta, reatava-nos esperar que u
imperador fizarse n lugar pdra a permuta das
raciifi acdos ; M. Ward declarou mais que sen-
ta bastante que fossem to diversos os uzos o
cosluir.es da China e da America, o que nao obs-
tante nao diminua a consideracu em que elle e
0 sen presidente lin'iam o imperador. Os chi-
nezes recearara ler Ido muilo longo, e pergun-
larain se o Dresidenio (Icaria irritado cora a re-
cusa feila ao seu cmbaixadoi'
No da seguinte nos foi enderezada una res-
posta corlez com urna ordem imperial para Kwci-
liang e llv.achaua alim de ser posto o grande
sollo sobro 0 traclad.rile Ten-lsin, e de roce-
ber-se a caria do presidente, Han-fuh, governa-
dor de Ciih-li foi designado para proceder as
raclilicacoes eni Pch-lang
Na quarta feira, que se seguio, Hwei-liang
k'it-au, signa! ordinario de respoilo, ou o San-
'Lcei-ki'i-li'jh. que significa e ajoclhar-so tres
vezes, e encoslar novo vezesa cabeca no chao.
Baslava ajoolharuraa voz e encostara cabeca no
chao iros vezes. Nao parecern) prestar grande
all ncao esta ckigen i a, o nem mesmo conli-
nuarara a tratar do kol-au, modificado por essa
forma.
M. Ward. rcspOndeu que trbulava grande res-
peito S. M., como o demonstram a caita do pro-
Costa, dito adtiido Severiano' sitenlo ; porm por maior que fosse a mporlan-
' ra da audiencia, que Ihe seria concedida, nao
se ajoclharia ao apmximar-se do throno, nem
se inclinara ante S. M scuo como cos una va
inclinar-se ante o seu presidente, c como os
ministros dos Estados-Unidos inclinam-se em
presenQa dos soberanos de todas as nacOes : li-
nalmenlo que s se ajoelhava peante lieos para
o adorar, e nunca peranle os homens. Accres-
centou que os Chinezes, subditos do imperador,
rop'ara julganicnlo dos militares qu achau-1 podam conformar-se com sso ceremonial ; mas
do-se empregadosna provincia em commisses elle, que repn-seiitavo nma najao, nao poda
rvis commetterem rrimes no cxeicicio das refe- compromelier a digmdade dtsta ; que o respoilo
ridis cenunissoes, nao de lo simples soluco, j que nao vinha do coracao era nypocrl j ; c qu
como primera vista parece, e por isso se aguar-
semos aos commissarios que recebessem a carta serao suppridos, aJ interim, da mancira se-
guinte :
Da |iarle do governo britnico as vacancias
sern substituidas successivameute na eommis-
so que residir nos dominios de S. M. Brlanni-
ca, pelo governador ou lenenle-governador resi-
dcnle iiaquella colonia, pelo principal magistra-
do do lugar e pelo secretario ; no Brasil pelo
cnsul brii-mnico e vice-ennsul, que resid re m
na cidade onde se adiar estabelecida a commis-
so mixta.
Da parle de Portugal, as vacancias serao
precochid.is no Brasil, pelas pessoas que o capi-
rao-general da provincia nomciar para esle enei-
to ; e vista a dilfieuldode que o governo porlu-
guez adiara de nomear pessoas adequadns para
substituir os lugares que possam vagar na com-1
misso residente nos dominios britannicos, con-
veo-se quo, succedendo morrerem os commis-
sarios portuguezes, juiz ou arbitros, o resto dos
individuos da sobredla cora misso dever procc-
der igualmente a jnlgar os navios de escravalura
I que urcui conduzidos peante ellos, eoxocuco
i da sua senlenca. Todava, ueste caso somonte,
as parles iulercssadas tero o direilo deappel-
lar da senlenca, se bem lhes parecer, para a com-
missao que residir no Brasil ; e o governo ao
qual porlencer o captor, licar obligado a satis-
lazer plenamente as indemnidades quo se deve-
re.in, no caso que a appellaco seja julgada a fa-
vor dos reclamadores ; bem entendido que o na-
vio o a carga licar.lo, om quanto durar esta appel-
laco, no lugar da residencia da primera com-
niisso, perantn qual tireremsidu conduzidos.
As altas partes contraanles se abrigan) a
preencher, o mais depressa quo seja possivel,
qualquer vacancia que posea occorrer as sobre-
ditas commisses, por causa de mortc OU entro
qualquer motivo. E no caso que a vacancia de
cela um dos commissarios portuguezes que resi-
direm nos dominio:

veio receber a carta ; lemou-a com respoilo, ele- ,
vou altura dos olhos a caixinha em que ella .
eslava encerrada; depois entregou-a um dos
homens da sua comitiva, 0 ordenen que fasSC I
acorapanhada de urna guarda de honra. Ser-
fio-se ura sumptuoso jantar, e o primeiro mi-;
iiislro declarou a M. Ward que ara cessar as
suas Cuncces de commissarD imperial, bem co-
mo as de seu coilega Uwashana.
Depois da conlirmaco dos Iraclados cm
Peh-tang, os chinezes quiseram entregar um
dos prsioneiros fcilos nos inglezes. Esse ho-
mem linha declarado que era americano. Vc-
lilicou-se que era de Canad; e. muilo Cdstou
fazer compreheuder aos chine/osa ill'erenca en-
tro O Canad o os Estados Luidos. Depois de
longa expaco os chinezes declararan) une
Ward j'ssi
A' 17 de agosto o Torga m lornou a vir para
o son ancuradouro, c a 18 Powhattam parti pa-
ra Shanghai.
IHTEHIO.
la o paiccer do consellio supremo militar, para
i ms lomar a dociso que mais coticentaiica
ira os iiitcresscs do servicv publico.
31 '
I presidente do Amazonas, para expedir or-
d ni Blim de q .o pelo deposito de artigos belli-
cos da provincia sejam fornecidos aula de pri-
as letras e rrecadacSo do corpo de guarni-
m, os objeclos cuiislanlrs-da nota que se
. ..va.
Ao do Para, Jem, afim de que pelo arse-
nal de guerra da provincia sejam fornecidas ao
corpo de gnarniro lixa da do Amazonas as seis
las para casiigo, designadas na nula que se
remolle.
MMRMMMni
EXTERIOR.
que obleve a ractilicaco do seu trotado .
Chega-se capital por urna ra larga con-
tmdo lojas bem construidas a qual se esleiidc em
distancia deo'lOpassosnta portaChan-Yag-Mun,
ou porta do Rscente : differem muilo essas lojas
das conslrurccs mal fetas das que se achara
dentre da cidade ; o que prova claramente que Inoro o cumprimcnto de-scacl.'.
alinal eslava promplo para inclinar-se profunda-
mente una, ou mesmo novo ve/es consecutivas,
se islo fos-e preciso para soleinisar a ceremo-
nia ; ou cntao que conservar-so-hia dcscoberto
durante a audiencia ; era assim que coslumava
lesicmunhar o sen respoilo ao presidente de seu
paiz, e que mais nao devia fazer pelo imperador
da China.
Os commissarios replicaram que seelles l-
vessem de ir aos Estados-Unidos, coriformar-sc-
bSam com aqullo que lhes fosse exigido, para
obter urna audiencia ; e o ministro americano
devia [noce.ler pola mesma forma ; s se pedia
leslemiinhar o respoilo, que se linha ao seii sobe-
rano, njoelhando-se em sua presenca : ludo o
1 mais a seus olhos nada valia ; o o imperador li-
I caria indignado se o ministro de nina naco ami-
ga viesse a sua capital, e nao procurasse a obter
' a honra de sua audiencia. Disseram igualmente
que em .-ligninas corles da Europa, c mesmo na
de ajoelhar-sc pe-
Ihe era apresenla-
rar que as homc-
no eram iguaes as
que se usa tribuamos deoses; mus que lambem
elles queimariam incens no presidente dos E-
Indos-l'nidos, i-execulariam o kof-au cm Was-
hington se isso lhes fosse exigido.
Sois um plenipotenciario, disse Uwashana
a M. Ward, c deveis tei os poderes ncccSSOrios
britannicos nao estoja pre-
simplcsmcnte porliumauldade eutregavam a M. iouchtdano fim de sois me/es, os navios que alli
hornera, que haviamtrazido cora sigo, forem conduzidos depois dossa poca para serem
julgados, cossaroode ler o direilo de appellaco
acuna estipulado.
Salla, pois, aos olhos que a subscrpeo ah pre-
! vista era, niea e exclusivamente, para o caso
! de mortc dos commissarios. No final se diz sim :
por mu te, ou qualquer oulro motivo, mas isso
alludo ao coinpromisso dos governos Ue recnehe-
rem as vacancias, o mais depressa que possivel
foise ; e nao estipula essa nem oulra alguma pe-
ualidade contra o governo a quera nao livesso
sido possivel proceder mais depressa. t.iuanto ao
tal recurso de appellaco, islo simples direilo
de parle, forma de processo, que nada enlende
com a organisaco do Iribufial.
De resto, a propra Inglaterra isto recoiihcccu
j Cormalmenle, no tratado em 1823 concluido
com Portugal queja viraos nao vigorar para o
Brasil), c cujo ail. i." comeca assim :
Nao se adiando estipulado na conveneo de
28 do jullio de 1817 o modo de supprir os com-
Piimeiro, que ala o anno de 1830, eram licitas missanos que vierem a fallar, por qualquer ou-
as operacoes de esclavatura, sem restrieco al- tra causa que nao seja a de morir
Commissao An^lt>-nrasi9cira.
FREZAS.
Artigo XVII.
SECl'.NDA K'0(.\.
Desde o tratado de 1826 aloque (iudou em lsi.
[Conlinuaeo.)
Diz o art. Io do tratado d 1826 que acabados
tres anuos, depois da troca das ralificaces, nao
ser licito aos Brasil o ros fazer o commercio do
escravos na Costa d*frica.
Porianlo SPKUC-Sfl evideulemcnle :
goma
Segundo, que depois disse s quando o com-
mercio se eslivesse efectivamente fazendo na
Costa d'frica 6 que se lurnava Ilegal. '
Ora, innumeravejs prosas de nav.os brasileros
se fizerara do lb26a 1830. isto quando o tra-
fica era licito, sao millas, devem ndemnisar-se.
Os nove decimos dos casos de apresamentos
que foi o ni-
co caso providenciada no art. 1 etc.
Se, pois, fra do caso de morle nao havia es-
lipulaco para a substituico dos commissarios
que. fditussein, s deve ser considerado vellido e.
competente o tribunal organisado segundo as
dispuso oes do regulan.culo auuexo ao tratado de
1817, que diz :
As duas altas parles conlratantes nomoarn,
foram de navios que nao eslavam effecfivamenlo cada lima aellas, um cominissnio juiz e um
(fizcudo commercio de escravos na costa d'Afr- \ commissario arbitro, os quaes sero aulorisados
ca ; sao nullos e devidas ndcmuisaoes. a ouvir c decidir sem appellaco todos os casos
Passemosa outro ponto imporlanlissim, quan-
to s applicaooos platicas.
Dispoz-sc aquello documento internacional o
modo como se havia de levar a effeito a disposi-
co do nrt. 1.
Art. !*...,. C-mcordam em aduptarem e re-
novaron..... todos os artigos dos tratados con-
cluidos entre S. M.'H. c el-rei de Portugal cm
22 de Janeiro de 181 j e 28 de julho de 1817, e os
de capturados navios do escravalura.
E mais explicito anda do que o regulaiiiento
o lio or do proprio tratado de 1817, o qua, no
seu ait. 8, se exprime assim :
......Kstabelecer-se-ho duas commisses
mixtas, compostas de um numero igual de indi-
tunos de ambas as naces mineados para esle
effeito pelos sew< soberanos respectivos.
da provincia o mandado polo ministerio da mari-|
nha no aun prximo passado o primeiro len-
le da armada Manoel Antonio Vital de Oliveira,
afim de levantar a planta hydrographica, que li-
cou concluida om filis do mesmo auno.
Alcm do S. Francisco, que nascendo aos 21
graos de latilude sul as visinhancas da sena da
Canastra em Minas Ueraes e atravessando as pro-
vincias da Babia c Pcriiambueo precipla-se em
cachoeira era Paulo Alfonso o vena despejar suas
abundantes aguas no Atlntico aos 10 o meio
graos, cursando nesta provincia cerca de Olegoas,
nao ha rios caudaes as Alagoas, apuntaremos
somenle como mais notare o Mo.xot afliuente
do sobredito; o do Poxim na villa desse nomo, o
de Jequi da lagoa do raesmo nome ; o S. Miguel,
que alravessa a villa deste nomo ; o Parahiba
que desagua no fundo da lagoa Malignaba ; o
Munda na do norte ; Santo Antonio Orando, o
Meirim e Getiluba, ao norte da capital; o Cama-
ragibe, Uanguaba, Jacuhipe e Persinanga na co-
marca de Porto Calvo os mais sao lo pouco so-
piosos que deixo do menciona-los.
Nos pontos contraes e lirailrophes de Fernam-
buco ha extensas matas de escolenles madeiras
de construeco.
O aspecto'geral do terreno pouco raontanho-
so : mencionare! somonte a serril dos i Irmaos
pela sua ingremidade e a do Barriga por si r his-
trica : foi nesti raoutanha (pouco distante da
povoaco Lago do Candlo) que se eslabeleceu
nos meiados do seclo XVII, a celebre repblica
dos Palmares 'formada de escravos pretus fgidos
que alli se omocanibararn c coiiservarain cerlo re-
gimen governalivo sob a direceo de un chefe
que appellidavam zumbi ; por mais de 6') anuos
persisti esse formidavel coito; foram porm at-
lacados por Coreas do guvernu do Pernambuco e
vencidos despeharam-se o chefe e os princi-
paes prclos cm um precipio da referida laouia-
ii ha.
No judicario divide-se a provincia era 8 co-
marcas; no civil em 18 municipios e no cede-
siaslicQ em 24 Cregueiias.
l'ratarci dos municipios c povoaces que elles
coraprehendem.
I u municipio de Macti : ronlcm a cidade do
mesmo nomo a qual era ha 21) annos urna villa
de poucas ras torlurosas; foi elevada a calhego-
ria de cidade c capital da provincia pela resolu-
eo provincial numero 11 de U de dezembro de
1839; uestes uliimos 11 omos porm tcm-se
augmentado de um modo noiavel, tornando-se
una linda cidade ornada de bous predios parti-
culares o elegantes edificios publico?.
Os eslabelecimenlos ou leparlieos publicas
estipendiados ou construidos pelo cofre geral sao
a capitana do porto e barraco de deporto das
madeiras do estado, eslabelecdos em Jaraguera
um predio construido e cabado no auno prximo
passado ; o palacio e secretaria da presidencia, a
thesouraria geral, a secretaria de polica e admi-
nistradlo do correio que luiiccionam era um mes-
mo predio alugado, a delegacia da direcloria ge-
ral das trras publicas lambem em casa particu-
lar alugada, a alfandega e mesado rendas geraes
om edificio de propriodade nacional porm em
man estado; o quarlel de prnieira linha, que
sendo reparado o augmentado ha anuos, tor-
nou-sc um edificio -de aspecto elegante ; a en-
fermara militar e o deposito do artigos bellicos
em um proprio da fazeuda nacional acanhado c
situado era um lugar mu inconveniente sos en-
fermos alli tratados; o farol c casa de residen-
cia do respectivo administrador, construidos na
presidencia do conselhciro Jos Benlo pelo dis-
linclo coronel de engonhoires Cliristiano Pereira
de Azeredo Coutinho, eslo situados em una co-
lina que domina o porto ; o apparelho de luz do
farol e catadioplrico e, no diter dos entendidos,
escolenla e esicollocado em local mu con-
venienlff navegaco: nessa mesma colina exis-
te urna pequea casa de propriedade nacional que
servo de deposito de plvora.
Os eslabelecimenlos e edificios pblicos pro-
vnciaes sao a cadeia casa da cmara e jun om
ura s edificio de elegante e solida conslruccao,
encelado a odnr.nistraco do Dr. V. Peixoto de
Brilo (anda nao est de lodo acabado) ; o mor-
cado publico construido na presidencia do Dr. J.
C. llandeia Mello; o liiidissimo palacete da os-
semblca legislativa provincial, em cujo andar
terreo funeciuna a thesouraria provincial, c tai-
vez o primeiro do seu genero cm todo o imperio ;
o hospital de caridade, ruja prlmcira pedra fui
laucada em 7 deseterabro de 1851 (anda nao cou-
| cluidoj ; n inspeceo do algodo, c o cemiierio
tridos de paz dii Meirim o Gitituba. Na |
cao ha una col,.-ira do prnaeiras lettras para mi -
uinos; a poiilaeo ilota freguezia 6 calculado
em 11,950; de maneira que todo o municipio
vem a ter 23,950 al mas, e contera 56 engenhos
do fabricar assucar mobnles e correntes.
2" O municipio de norto, que o outro ii r-
mo da comarca da capital, comprehonde a villa
do mesmo nome situ ida em urna eminencia jun-
io a nma pequea e forraosa baha formada pola
margem occidental da lagoa do norte, 3 leguas
i distante da capital. Ontrn foi a villa du uorl
| mu commercial e pra o ponto a' que vinha ler
todo o algodo do interior para ser transportado
capital havendo para isso um pequeo trapi-
che e ponto ; hoje porm est decadente. Na vil-
la existem 2 grojas; a matriz do invocaco de
SantaLuzia o detronto desta o Rosario; ha alli
uma escola de instrncro primaria para meninos
e oulra para meninas.
Alcm da villa ha no municipio a povoaco do
Coqueiro Seccu situada om uma eminencia em
frente da capital na margem occidental da I
do norte cm uma posico pilloresca ; existe alli
uma collegiada le llevlas que sem terem voto
algura claustral dedcaram-se ao snico de uma
groja que de amiga e fono conslruccao coc-
iendo purfeilissimas imagens, ticos rnalos e pa-
ramentos, nos quaes zelam as referidas devolas.
Eis-aul : o tratado de 1817 nao praticou a lor-1 publico sao todas obras enceladas uo presidencia
i> terreno da povoaco que a primera vista pa-
rece estril apropriadssimo i ultura da uva,
que a melhor da provincia. Nessa povoaco
ha uma escola de primeiras lettras para meninos
e oulra para meninas.
Comprehonde anda o municipio os povondos
Pao Amarello e dos Gregorios, para o qual foi
decretada uma cadeira de instruccoprimaria pola
novissima le provincial n. l'y.'' do 22 do auno passado ; mas nao fot anda provida. 0
municipio c extenso, populoso e frtil: lo la su i
populaco est calculada cm 1 i. 2r. almas,
contera 41 engenhos de fabricar ossucar todos
raoeules c correles.
3" u municipio de Alagoas conten a cidadt
do mesmo nome. No lempo em quo a provincia
l'azia paile da capitana do Pernambuco a villa
de Alagoas era cabeca de comarca ; depois da
desmembradlo foi elevada calhegor de cida-
de pela loi de 8 de marco do 1823. Situada lia
margem occidental da lagoa Malignaba cm uma
eminencia em amphilheatro aprsenla a cidade
do longe uma vista era extremo pilloresc,a, for-
mando o loado do quadro verde-negras e secu-
lares jaqueiras do que muito abunda aquello lu-
gar. Polo poenle alravessa a cidaJe o riacho
tilinga de cxcellentes e cryslalinas agoas o qual
vai ler a Subsma que c mais copioso e percor-
rendo uma aprasivel varzea vai desaguar na la-
goa. A culada aclia-Se em completa decadencia
por falta de commercio e talvez mesmo pola inn-
danca da capital em luis de 1839. Os edificios
pblicos odia existentes sao o palacio da presi-
dencia que cun proprio provincial anligo, a casa
da cmara, cada e jury, construida durante a
presidencia do COnselheiro Jos liento ha petto
de 'J annos, c um dos melhores edificiosdaquella
cidade e o mercado publico, construido ultima-
mente, um edificio simples porm elegante, lia
na cidade dous conventos : um franciscano com
mu poneos irados, tem contigua a groja por-
lenceute respectiva ordem lerceira e oulra do
Carino situado em um dos mais pitlorescos pon-
tos di: vista acba-se cm ruinas c abandonado ; a
groja porm que Ihe esl annexa perlcoce a or-
dem lerceira e funeciona ; alera desses dous con-
ventos e dos grrjas existe a matriz que necos-
sila de reparos, a igroja do Nossa Senhora do
Amparo nao acabada, e a do Rosario. Ha na ci-
dade urna cadeira de grainmatica latina e oulra
de francez pouco irequenladas, duas cadoiras do
primeiras lettras para meninos c oulras duas para
meninas.
L'm quarto de legoa, pouco mais ou menos, a
sueste da cjdade acha-se a povoaco do Tapcra-
gu onde existe uma cadeira de primeiras ledras
para o sexo masculino, oulra para o feminino, ,<
uma capclla de invocaco do Soqhor Bom-lim.
Comprehonde anda esle municipio o povoadu
di' Santa Hila na ilha do mesmo nome, formada
pelos canaes que uneni as duas lagoas, uma
pequea povoaco com uma capclla e urna esco-
la de primeiras lettras para o sexo masculino.
A populaco de todo.o municipio calculada
em 13,003 almas; existem cm todo elle 18 enge-
nhos de fabricar asse.car. o terreno alistado do
litoral parece mu oppropriado a plantaco ao
caf, cnio nibusto fftictiOca ettraoriinarianwnle
as circumvistnfcancas da cidade a sombra das
jaqueiras.
4" O municipio de S. Miguel comprehonde a
antfga villa do mesmo' nome e as povoaces do
Barra de S. Miguel e Cequia da Praia. A villa
regada polo rio que Ihe deu o nomo ; lem uma
cadeira de primoiras lettras do sexo masculino u
i_


r1)
DIARIO 151 PKRNAMBUCO. SACHADO 41 DE JANEIRO DE 1860.
oulra do foiiiinino, cada urna das duas povoa-
rtaf ion! una cadeira do primeiras ledras para o
neis masculino, iodo o municipio povoado
por pcilo de 10,0(0 simas; o terreno proprio
para a plantarn da coima : ha em lodo o muni-
cipio 28 engenhos de fabricar assucar esiando 1
do Gago niorto.
lisie rito municipio adquirir grande incre-
mento o pr'>8peridado qpando se conseguir des
<;nir mii racolho formado pelo estnse recio da
osla na fv)/. do rio -S. Migue!, impcdiiido a na-
vegaeo ; nlli lera sossobrado varias eiiijarcoroos-
l'ola lei provincial ii. :17 de 23 de abril de 18M
esti aittorisado o contrario rom qualquer em-
presa que claliclcca navegaran a vapor entre o
u ptHio da capital S. Miguel.
"u O municipio .lo INlar. Na margem oc-
mesmo nene, ribeirinha iloreseenlc. elevada a
ossa catlieov.no pela lei provincial n. 233 do 3
de marca d-elSS, tem urna escola deprimeiras
lellras para a sexo masculino c oulra para o fe-
minino, a povoaco do Piranlias com urna cadei-
ra de itislcueroprimarla para meninos, e o po-
cleo a fundacao de urna hiblolheca.e com os 1-
vros que corso joias deram os socios do referido
gabinete.
Telo decrete n. 1731 do Io do agosto de 1856
foi esla provincia dividida em 5 dislridos elei-
loraes o G collcyios : o 1. distinto o da capi-
voado ilii Arma/.cm. A populado do ludo o inu-1 tal,o compre liende 4 freguezias e di 2z3etoi!orcs ;
nicpia computada em i,020 almas. |o 2." u do l'or lo .Calvo com oulras i fresuezas
meta milha distante gado.
18.Muiiii-ipio da Malla-Glande coitlm a villa
deste nomo (central) elevada a essa calhcgoria
pela lei |in>v imial n. 18 de 18 tJi morco de 1837.
lem nina radjeira de primoiras lolti-is para me-
ninos e nutra pira meninas, n\u*ange a povoa-
no de Agua Branca que lem urna es. ola de pri-
meiras retiras para o sexo masculino. A popu-
ladlo total do municipio calcula so ora 9,75t) al-
mas : seu terreno proprio ['ara a creacao do
o li eleilores ; o 3." o de Assembla quo so
cenipoem de 5 fnyu../,as, dando 2t> chilares ;
o 4o o de S. Miguel que olrange i freguezias,
oda 185 eleilores ; e rinalni cute o 5. o do l'o-
nedo divid lo no boUogja do meamu nome e no
cidenta) da lagoa Mariguana
da fuz do rio Paralaba est o norescente e mui Sao estes os 18 municipios de que so compile
lOiunM-rcial Pilar que fui elevado ftcalhcgoria.deja provincia, que couicm perianto 3 cidades, 15
pela lei piovinciaj n.
ta&cajos eleilores reunidos sao 1 di,; viodo por
lauto n ser o numero de-lodoa os eleilores da pro-
vincia S
Etn Porto-Calvo S. M. eneonlrou urna recepcao
brilhante o digna delle, aeliando-se os aposen-
tos i ni periaes i cunen le adornados, apozar de
nao ser Elle esperado lo cedo anda. Visitn
lodos os lugares nelavn da villa, procurando
aquellas cujas Iradicres pela guerra cora osllol-
landezes a historia nos indica como interessanles ;
visilou as aula*publicas e pcrnoilofu na casa do
engenlio-Movo dn commendador JacinAho Paes
de Mondones, d'oude soguio no da immediato
para .a colunia.
N'essa-casa fui S. M. recebido com fausto, leu-
do Kilo e toda a comitiva mu tratair.cnlo e gasa-
de Pao de Assucar, abrnngcndo..amlw>s 6 fregu- litado talwz nao., esperado. O adorno da casa,
ruta pela lei piovinciaj n. 321 de 1 de mato de
1837, ic.u.i:,) ltimamente separada da c.....arca I
ie Alagnas a que perlencia e ligada a da Atalaia
P'Iuait. 7 da lei provincial ti. 330 de 11 dejo
Io prximo passado. A posicao da villa mui
vanlajosa ao rommcrclo celia se lera lomado o
emporio de todos os municipios centrara cojos
gcuvros e podnctos san pela maiof parle leva-
dos a"s iraj ii es do Pilar; m; a sua posicao lo-
plMca e exci'llenlc para o comni-'rtio 6 pes
Mina ijuanlo a iv^ielie : .-iluada lias l'al las de
uan uuteiro cuju cinto 6 nn exlensissimo tabo-
leiro quo intercepta a venlilaeio, banhada j el i
lagoa 'i io em corlas io.ia robre-so do una ra-
je substancia es'verdiirhada em putiefaccoo
lue os habitantes chamain verdete, do qual se
xnaia insuppoctavel cheiro de gaz gulfydrico
l'ie deve neccssaiirui>'Ule -damnilicar a suido:
ii.'hi admira porlauln que as epidemias gra i
alli mais iuteii.iienie > qu as Mires inteiii.il-
tonies sejam conslaiiies. Iious regatos atraves-
-i:u a villa levando as aguas lagoa : conlm '
>...i alguns predios particulares de (Mllente
ciisirtircao, eslaservindu de matriz, urna capella
particular, lio anda urna oulra pequea i;reja de
inyucacae de \. s. do Ro7ario. Ha Scadeii is de
pi itneiras lellras para, meninas e 1 para menino.*. A
popolccao de loUo o municipio [que nao lem en-
tro poioado imporlanle senaoa villa' calcula-se
ni perto J.. 4,0 (i a; as ; rnnrtm 21 engenhos
I.....ir assucar todos moentes e crrenles.
(i."ti municipio do Aliilaia, compreheii'lendu
a uli villa desle nome, boje decadente, lem
urna cadeira
Rr
iiimalica latina, urna d.
; i imeiras Lellras para meninos e oulra para me- la de bracos ; falla de eonhecin culos
ninas. simiaes ; 3. falla de capitaes ; i' falla
A povoaco da Capella une lainbein lem 2 ca- vias do coiumuuicago ; o 5 l;in
villas, oais de 50povoac&es importantes (alm
iins anaiaes e oulros povoudos do menor
ronsideradia os qnacs deixci de mencionar] e
(07 rngetihoa do fabricar assucar moentes ecot-
reules. A populaco, scgumlo o calculo feilo
ha dous anuos, anda por 250,000 almas, punco
niais ou menos, sendo esle numerJ o oais ap-
proximado possivcl exaciido, visto combinar
cun os ciiculos feilos vista dos Jados eslalis-
lioos fumecidos por difTerontes auloridadi'S, e
li'so.-.i ((un o ii-.ibalho eslalislico que o ex-pre-
sidenie S e Albuquerque incumbi no iuielli-
geute medico. Dr. Thomaz do BomCm Espiidola,
o qual fazeudo o abalimcnlo das victimas da
epidemia do cholera morbos eslimou ha dous
anuos a popula'io lotal da provincia em 2'J,17
almas.
' 1'. ULTIMA PAUTE.
R a provincia rica uos tres reinos da nata reza :
sen frtil solo nao ingrato ao lacrador que o
amanha ; a agricultura porcui ten.-se cons eva-
do estacionaria pelos prejuizos e erros da vlha
roliua sobreludo no cultura da caima e fabrico
do assucar, principal ramo de sua riqueza, o
depois iit eil'eciiva rpressao do trafico de afri-
canos, das calamidades do cholera-morbus u da
furmidavel com|icleucia que abelerraba romeca
a fazer-lho nos paizes da Alleraanl a, cse ramo
da nossa agricultura aracaca gruido ruinase
mi: Iliaco vigoroso o forte nao remover cinco in-
Ki'ues bices, qiro cora aula verdade, criterio c
ilisccrnimeiila apontou o ex-prcsitenle S e Al-
buquerque no rclalorio quc'dirigio asembla
itiva provincial iu auno de 855 : l. fal-
prolis-
de boas
i mente alniu-
currespondia ao paco desta cidade, excedendo-o
i alguns respeilos. 0 commendador J. de Men-
udos senadores^, o dos depuiados ., doea nada havia poupado para tornar decenios
;oral Icgi-lnliva 5co dos membrosda o brilhanles as occoinmodacoes e confortaveis
3.1.
assembla g
as-embla |iro\ incia
A torc publica consta da guarda nacional que
se coinpoei de 7 com mandos superioies com-
prehenoo 23 balalhes de cacadores e 1 crJu-
d
lhc havia sido offerecido, ainda recebeu algurnas
commisscs de varias corporacoes o deu beija-
mao, sendo em tal occasiao apresenlada lamben
a felicilarao do Gabinete de Leilnra, de que foi
orador o Dr. A. V. A S. Blake, a querespondeu
com muita benignidad.'.
IV
Logo pelas 8 horas da noile desse dia 8, se
acliavii.cxlerioruieiile Iluminada lo lo o palacete
da.. assembla provincial que oll'ereiia umospect i
animador e exlremaineie risonlin, iiillueinia Jo
pela lliiminacao interior e pouuraa oidenr de
emb.indtiifameiiio de pequenos pivilhoes do
seda que. circulavamas janeiias da Ia ordem do
pavimento do sali do baile : o qual se ochava
lieaiiienlo ornado com lustres e urna profur
sao deglutes que rellecliam sobro duas ordena
de espellios vanlajosa e apropiadamente collo-
cados, do modo a produzr a malor claridade
possivel, e tornar-se deslumbrante.
Todo o salao e todo o palacete havia sido cui-
dadosamcrile preparado para esse liin ; o pavi-
todos os punios da casa destinados hospeda-
izemdoiao Excelso \ iajanle c de lodos que o
acompaiihassem.
Consla-oos que os copos da mesa de S. M. II-
panlna do arlilhaiia na capital ; da torca do li- nliaiu gravado o nomo de Pedro II e que os scus j ment eslava pintado a tapeto com simplicidode
de que apenas ha na provincia 86 pracas do | talheres eran de ouro, sendo o mais servico de e goslo. Os toilettes de SS. HM. achavam-se
sua mesa em proporcao ricamente disposto e I primorosamente adornados, principalmente o de
cora o mellior gusto. S. M. a linperalri/. que primava em movis aproa-
rla viageo a colonia em distancia de 6 leguas
do engenho-Novo achava-se
7. balalliao, oslando prompl.is Gmente 32; edo
corpa de Polica com posto de 2 companbias com
l'J roldados.
U pessoal da adminisliacao policial compo-se
do 1 chefe de polica, 18 delegados, sendo 1 pa-
ra cada termo da provincia e 45 subdelegados.
Os nieioiaiculos inaleriaes csliio beiu palea
lentes, alguma cousa j se lem feito ; resta po-
rein milito a fazer : a salubridadc publica reda-
ma com urgencia o desecarnenlo uos pantanos
que atravessam a cidade, o aterro dos maiuues
da margem oriental da lagoa do Norte e o mc-
lliorameiito da levada, focos exuberantes de fe-
bles intermitentes, lyphoides e oulras molestias
endmicas; lia indcclinavel necessidade de um
edelicio aprupriado para alfsndcga com urna pon-
te que offereca coro modo e fcil desembarque;
o porto precisa ser raelborado, oproveilando-sc
piiados o ricos, como dous dvans e oulras pe-
i.as do delicado goslo e valor.
Havia no saliio sob o doeel ladeado de colum-
nas douradas, sustentando um grande retrato de
S. M. o Imperador, coberlo, mas deixaudo cn-
Irever por grande cortinado de damasco verde,
sobro
ira fra
panha-Lo colonia flcaram mu salisfoitos com
0 da Pajussra qiiu nec.'ssila sement ser exea- j o estado della c boa directo do povoado e cons
vado ou dcsolistruidu para tomar a ser o excel- IrucQo dos edificios : o que nao deve ter sido
lente e abrigado ancoradouio que era ha 30 an-1 je pouco regosijo para o digno e hencmerito
nos passados; ainda nao Icmus ha capital boa
urna barroca pelo
mesmo eorinn indador mandada construir em que
havia todo o oecessarto para o almoco e repouso
de S. M., nao se contando com a abundancia de
iguarias e rnalos do camarn destinado ao Im-
perador e extensao da mesa, com que se depa- | duas cadeiras ricas de espaldar assculadas
rou em laes alturas, alm de oulros objeclo.s ura 3o degro corrido elcgantcmenlo par
nreessanos quo nao escaparara previdencia, I om de recebe-los commodamente.
dedtcaeao e cavallersmo daquelle distincto ca-I As 10horas chegarara SS. MM., sendo recebi-
racler que tanta inveja excita a mesquinlias al- j dos com as honras devidas o grande regosijo e
mas, que ainda em rcasides laes nao querem I animacao, havendo quatro bandas de msica que
recenhecor o seu merecimenlo. | todas tocaram no recebimento em diTercntea u-
Consla que o Imperador, o seu ministro, ca-. gaies succossivaroente, havendo nessa oecasiao
"Tistae lodos que liveram a honra de acora- urna extraordinaria profuso de "irandulas.
Pouco depois deu ordem o Imperador para co-
mei;ar o baile.
enu'rodauca com a ExmaSra.
agua potovel para cojo encanaineiifo veio ulli-
niameiile, instancias do ox-presidente A. L.
da Gama, o habilissimo engenheiro Cunado
Jacob de Nieoieyer, que com acrisolado patrio-
tismo e loiivavel desinieresse presin so grolui-
; lamente a fazer os trabalhos graphicos e a le-
vaniar a pbnla respectiva que doixou promptn ;
as estradas do interior ain lu se acbam em pes-
simo estado e os rtOSdesprovi los de bo3 [.ou
les; em compcnsa;ao porem pode-so dizer que
as communicai'oi1
direrlor della o captSo Joao da Gamo Lobo Den-
les ; tendo S. H. percorrido lodos os pontos no-'
lavis das vlsinhancas com essa fortaleza e vi-
gor iii-.lti raveis que lem espantado a lodos des-
do que saltn da cidade da Babia.
Ahi perrioilou Elle, gahiudo muito cedo para o ;
engenho-Novo, onde aimocou ejanlou, indo no
da II larde para o Porto-Calvo, onde den bei-!
ja-Slfio e dormio ; partiudo muito cedo na ma- j
nhaa de 7 para narra-Grande.
O acompanhamenlo que leve S M. d'ahi para :
iresidente da pio-
I). Justina, esposa do
.ir ni,
lenas do pun, .i..- lellras lilil
uo e oulra do [eaiiniuo.
A povoaco do Arrasto onde existe anda 1
lu sexo masculino.
auligo ldeiamenlo
larra da Pora ligaba
Kiunicipi.....a po-
cadeira de primeiras I 'liras
11 ai raial .,; S.mlo .'.maro
. lu liosl e o povoad i da I
sao todos despovoados deslo
lo sexo m,.siu:i-' dan. 11 .je pesados impostos.
.- i ni feilo no intuito de aba
mas quasi lodos ellos para seren I italinenle re- "o prestan lo as duas companhias Haitiana e
movios exigem longo lempo continuo o aturado I Ptrnam buco na, cujos vapores navegan) periodi-
Irabalhn, e nao depende da vontade humana por camenle tocando eiu varios pontos do litoial e do
mais (Irme e forte queseja. nniquila-los de ni- '"; S. Francisco na conformidade dos
proviso Depois do assucar ou antes a pardos- celebrados com a provincia
r sao boa?, miento o esle lugar fui extraordinario, porque os co\
Alg ima cnisa j servico que ha muito [azi>m os paquetes da com- r,,s excederam do 50, c nidos" decentemente
ir esses 5 bices ; paulna de navegacau a vapor Ornstleira c ao que | vestidos c pessoas do dislinccao o da amizade do
contratos
Conlm 2'! enge-
quaes el. de fo-
ie esia o algodo, cojo rendnncnlo c quasi equi-
valente aodaqnellegeneo.em nossos orcaraentos
uiaro anda porl),G)U alo.as.
nhos do fabricar ass.nar, 1 dos quaes eala de fo- '.alent aodaqnellegeneo.em nossos orcaraentos Conclurci aqu o meu mesquiuho
gomorto. ... i.a e elles reunidos represeulaai a niaior feilissimo bosquejo: fui elle encelado
7."O municipio da Ass ni utnljcom- cifra: para o anuo linanceiro de I8.'9 a 1860 c*r dos sinos, ao rugir dos logeles,
a viha do mesmo neme, a fieguezia foram seus pinheiros oreados em 203:037^000.'as bombas, ao trovejar do canbo e
de S l.ourenijo Entre as mais despezas do reino vcgelal liguraiu ;
um i ( da de lambem as superiores madeiras de construce.io e
raarcinciia c o precioso po-brasil de que lauto
abundara oulrora a provincia, i actualmenle
Iscacha (..asi exhausta pelo fogo a machado do
proprielario e pela espcculaco o cobija do cou-
iie Ijuebraugulo e as poioaeot-s
i i'.,- igi-m : na villa e.vislc
primeiras lellras p-ira meninos 6 oulra para me-
j : -: lia (regu/, i a i lambem 2 esculos para
un e oulro sexo, a populaeao de lodo o rauuici-
p;i ralcula-se em li, iO habitantes: existem no
municipio 31 engenhos de fabricar assucar
I.'<) municipio da [mperalriz [central] con-
t u ovilla do mesmo nome (no lem urna escola
de meninos e outra de meninas, aspovoacoes d'
Huriri, Logo do Canlmto, Caruariizinh cada
urna das quaes com un a esc la de meninos eos I
povoados de Jussara, Cabeca do Porco e Kiaclio ;
.mi dos, municipios mais populosos, ronlm
': s de 22,1)00 habitantes e -23 engenhos de fa-
i tcar. .
0:uO municipio I. Anadia (central) rompre-
a villa do mesmo nome com urna esculi
i ra sexo masculino contra para o fjuiiriino,
do mil vor.es que ale
lio n :! !
trabandisla 1 () po-brasil especialmente parece | valentes
ter sido volado execraeao. Tcmpo vira em que
itera mesmo poderemos mostrar a nossos netos
um pedaciiibo dessa preciosa madeira cuja tinta
por sua gnea cor deu nome a nossa tena. Ins-
tigados pelodomonio da avidez e cubica, ignobeis
iralicantes nao contentes de o cortar, m foram
aindanrrancar das profundezas da Ierra alcas
mais delgadas raizes como se lemessem ver res-
suscitar ou revicejor a arvorc assassinada. Pa-
rece que houve oiitre ellos um maldito pacto para
essa obra de de.-trui.o eanniquilameuto e creio
que assim como .desappareccram da superficie
s povoaces do l.im iciru, Juiquciro, Tan que de do globo lodos os individuos petlenccntes ao ge-
nero o especie dos megaiherton mastodontes v
opilas fosseis /o,ilgicos, assim lambem perde-
- ', Pindoba, tendo caa un,a dellas una es-
1 meninos, c u Mar \ ermellio, a pu, u
ile lodo o municipio calcula-se em 13'7l lubi-
aiites lem 1 i pequenrs engenhos de fabricar as-
sui r.
i:'."O municipio da Palm eir central) roma
villa do mesmo nome ouc lem Una' cadeira de
primeiras lellras do meninos e oulra de meni-
nas e a poroacao Q'Olhos d'Agna com nina es-
i.'li. IS
Mires
!.....s
al as sementes dessas valiosas ar-
lan cobijadas c invejadas pelos curo-
cola d meninos. A pdpul.ic.iu de lodo o muni- vive excellente cacao trinara niel
cipio cab-ula-se em 12,600 halntantes. Nesle
1 inicipio nao ha engenhos de assucar, a cultura
de algodo : iirophe de Pernambuco.
1"o munbpio do Poxim [no littoral] cum-
prebundc a ciliado mesmo nomo com urna es-1
o'a de meninos e outra de meninas, a povea^o
|.ov.i.v;ao da Barra ce lequi e o do Pool al. A
pe,nnlaco do municipio computa-sc em !(},j:i
itantcsoralmente pobres pescadores : nos-!
o grande lagoa de Je-
iii! outr'ra haiia mai .i
qiiairlidadr do mclhor pao Brasil : lera 16 enge-
; hos de fabricar assucar pela niaior parte insig-
utos, estando um de fugo morlo.
12oO municipio de Porto Calvo, que con Gnu
.-o noile com Peruambuco, conten a mitiga vil
i i Jo mesmo nomo, central, a 7 leguas distante
ia i./, lo rio Malignaba, represenlou papel im- nesse empenho pelo actual ministro da
portante na historia da guerra hollandcza, foi conselheiro Francisco Xavier Paes Bar
ie municipio que se ada
guia, e ncllc em
.Nao a provincia pobre nos bu tros dous rei-
nos da ni tu reza ; seus ios, lagrtns e mar sao
aburidanlissimos do excollentes pei.xcs, em seus
eaiupos mallas e serios para bastante gado,
.. i-as aves.
>\S tenas OCCullam em sci seio thesonros de mi-
ueralogia escondidos pelo denso veo da ignoran-
cia : o carvao de podra ou un comhuslivcl equi-
valente lao necessario industria e locomaco a
vapor (.viste em inexgolarel abundancia era
quasi lodo 'i litoral, onde jaz esperando smenle
polo perito min.'iio que o extraa para ser apro-
reitado.
0ne a provincia cam'ulia com rapidez na sen-
da do progiesso moral e material iiiconlesla-
vel : os presidentes que o govemo do \. M.
tem mandado, lia um deceuriiu, odmillislra-l i,
;aram-se em bem dirigi-la .1 esse fim.
A admiiiislraeao policial oul'rora nefcazcon- musas
Ira os criminosos que zombavain la acyo das
aulnridados, foi arrancada desse brbaro esta-
do pelo enrgico e ilustrado rous Iheiro Jos
An'oiiio Saraiva, mui eflicasoienle coadjuvado
maiinia
e imper-
an repi-
so esta I ai
ao reboar
s repelan!viva 0. Pe-
e os cocos deslas plagas lao genlis
respondim incessantes : Viva.... Brodo ingen-
ie que faz pulsar lodo o coraeo brasilciro Era
a saudae.io .le dedcalos vassallos ao sen idola-
trada Soberano I Era a ovaeao da progenie dos
uso- ao descendente dos duques do Bra-
anra, ao neto dos res o imperadores, ao Qlho d-.
fuiijdor do imperio, ao ilorioso monarcha da
Sania Cruz! lia a voz irameiisa do povo grato
que so ergua al o Allissimo com ura jubiloso
hosanna ao seu Impera lor!
A prazenteira emocao que vossos liis subdi-
tos aentiam c lao contentos patentcavam nao
poda ser cstranho eu, o mais reverente .; sub-
misso dellcs D'ahi o desalinho e rudeza desle
informo esboco; lermino-o scnndojo deli-
ciosopungir a"acerba espinho que me ra rep
taro intimo peito com dar que os seiosd" atina di-
lacera; permilti porem que considerando-vi
por um momento simpiesmenle i
humildemente implore vossa beaig
receo para nieus inuliiplicadoserros
Macci 10 de Janeiro de 1860.
5oid cd Aruom.)
[Diario das Alagos).
siierand.i-M.:-. SS. MM.
um sabio, ..'- i. soas g
'tildado e cor- capital
referido coinnieinlador.
0 embirque de S. M. ahi foi extraordinaria-
mente roncorrido e leve lugar pelas 11 horas do
dia ou pouco mais.
Dcixou paro a matriz de Porlo de Pedias OOj,
6 para os pobres SOg : Para os pobres da colo-
nia 500$, e igual quanlia para os de Porto-Cal-
vo, e assim lambem igual quanlia para o cemi-
lerii, i "^ para os pobres da Barra-Gran do e
ll'Oj que deu com sua Mo a diversos.
III
Felas ', horas da larde do mesmo dia 7 so nao
antes, o morro do pliarol desta cidade fez signal
annunciaudo volta de S. M. A's 5 c um quarlo
undeava o Apa entro salvos dos vasos de guerra
surtos no porlofc as que so davam em tena, de-
sembarcando o Imperador e sua comitiva pelas5
e niela horas da larde.
A reccp;ao f>i ora JaraguA eslroodosa por
lodos os pontos ; urna quanlidadc ndisivel de
fraudlas repela por longo lempo o lirado de
vivas e saudacoes ao iiusso adora lo Monarcha
que entrn a carroe cidade cora grande acom-
panhamenlo c cora as mesillas saudacoes oslre-
i I as e incessantes que como por "encanto se
reuovavain do lodos os ngulos da cidade.
O concurso de povo Toi immenso desde as &
horas al as 0 da noile na frente do paco, Ol le
se renovara m todas as o vacos da Io dia, sendo
. MM. comprimentadas por grande numero de
rodos da provincia que hovinin affluido
DIARIO DAS
saquala par essa naaoein 1635 depuis fortifica-
da e guarnecida, lomada e retomada por vezes
.-o livre daquelles eslrangciros em li.
Actualmenle a villa conten 1 cadeira do priuii-
i.is lellras para o sexo masculino e oulra para o
femenino campichcndo o municipio a freguezi.i
jo Benlu, a povoa.;ao da Barra Liando lal-
v.'Z o mclhor ponto da | rovincia] e Jacuipe, ca-
da urna das 'naos tem urna escota do meninos, a
do Gamella com urna aula para o sexo masculiuo
e nutra para o Ceminino c a povoaco Ce Japa-
ratuba. Nesle municipio i que foi unJada a flo- ] paes e um especial d or
rscenle colonia militar Leopoldina em 1832. A mados
enlao aqu servia* o cargo de chefe de polica. | au
Desde essa poca comecou a ser garantida a vi-
da o a propriedade, respeilando-se o principio
de autoridade. Na estalistica me.isal .los cri-
nes, onde outr'ra avullava o algarismo dos as-
sass iiaios, nao raro encontrar-so boje
gracis arliridade e diligencia que a polica lem
desenvolvido.
Divide-se a provincia para a a'miiiislraro
CORRESPONDENCIA DO
ALAGOAf".
ILVfiOAS.
Macei, \'A de Janeiro de 1860.
i
Desdo que S. M. o
para a colunia
su de povo e pessoas de tulas asclassos.no pateo I
da matriz e no paco imperial a rondel suas ho-
inenagens mais virtuosa das prineezas, 5 o.ais
querida dos soberanas.
Todas as nuiles havia um tributo novo de ve-
ncra(ao c idolatra para a Iraperatriz. Umavez|
eram os msicos de todas as prossoes que ara
em frente do paco locar o hymno nacional e dar'
vivos s. al., in-umpanbados de adoradores das
que tantas inspirai,'des adoi{raveis prodi-
gaiisaram aosliosos amantes da poesa.
Outra vez erara vanos ollicacs superiores da I
guinda nacional que reunidos a alguns cidadaos i
disiiu tos em numero superior a 30, iam pedir
S. M. a Imperaliua dislujcta honra de fzc-l
elo, que i rom guarda Sua Pessoa, ao que nao pode ella
Daieoii Lile a Ia
D- Amalia, esposa do l.xm.
vincia.
A 2' cora a I".\mo. Sra.
deputado Caslello-Branco.
A 3' com a Exma. Sra. I). Adclaido, fllha do
barnde Atalaia, casada rom o Dr. Bcnjamim.
A com a Exma. Sra. D. Balbiua, esposa do
mspci lor i.iiillierm.!. da rara.
foram seus vis-a-v'is, o Dr. Neiva, chefe de
policio, que dancou rom a Sra. do secretario do
governo.
o Dr. Sobral, commandaule superior, que dan-
cou com nina llilia do leen te-coronel Paulo
Mosquita.
0 baiao de Giqui, que dancou com a Exma.
Sra. do commendador jacinlbo de M.
I" o Dr. Oilicco jue dan ou com orna das li-
Ihos do d'.'n lente- 'oronol P..Mosquil.i.
s. m. a Imperalriz dancou a l' contradanza
com o l'xm. Sr. ministro do im| to.
A 2' coro o Exro. Sr. presidente do pro-
vincia.
A 3" rom o Dr. Roberto Calhcirn3 do H lio,
deputado por esta provincia e l" vice-presi-
denle.
A com n Dr. Manoel J. de Moddoea Caslel-
lo-Branco, tambera depulado por esta pro-
i incia.
l'oram seus vis-a-vis, o deputado Di. rer-.
Antonio da Costa Monira. que leve por par o
Exma. Sra. I). Balbina, fllha do Sr. Guilherme
Ijraca.
o commendador laciutho P. de Mcnd
que dancou com a Exma. D. Dellarmina, lilha
ou Dr. Sobral.
i) director .la nslruccao publica, J. C. da S.
Tilro, que dancou com a Exma. Sra. D. I.au-
reutina, mulher do ollicial do gabinete da pre-
sidencia.
E o Dr. Antonio de Carvalho Raposo, que
dancou com a Exma. Sra. D. Mara, mulher do
negociante Guimaraes.
Dej s da quarta contra.tanca foi servido o l.j
a SS. MM. que enlao vi rain iiin fogo que foi ala-
1 al i na praea da matriz em lenle dojpaeo impe-
rial, a que concurren um povo immenso, que
nao caba na pa.-a. O fogo esleve iuteressaule
( oceupou seiupre a attengao de tudas as pessoas
do baile.
A' meia- noile leve lugar a ceia de SS. MM. e
sua comitiva, serviudo-sc geralmenlc o cha m --
sa oecasiao. j ekev
ss. MM. rctiraram-se depois da ceia por lerem ,., .
Concorreram igualmenle os balalhes voluntario
j denominados'tiro //-, romposto dos Lycis-
. ia-, o31 de dezembro e os rofftn/arios do lm-
\pecado?, cada uin leudo em sua vanguarda urna
liando de msica marcial; os quaes tilos toca-
ran! hymnos, proromperam em exploses de mul-
lipljcados vivas aos mais charos objectos da ado
ni.-ao e amor dos Brasileiros, renovando-se as lar e oulros lugares s 5 horas da madrugada.
piodiic -es poticas .'in larga escala. A mesa geral achava-SO abundante v. del ira-
Depois que SS. MM. se rccolheram, perenrre- damente preparada, sanio do mais de cem 1a-
.. rara esses balalhdes as mas da cidade, c lodo o I Ihercs; e todo o servico foi primoroso e feito
Imperador 9amo d ...lu pov al .,lla inlllrilada como rln elferveseenle com esmero.
.eopold.na.nao cessou o concur-j de|rio ,0 uma rerdJ,cIri s1Mla doV(1 ,-, 0 ,,.,,,
de seguir para acidado de Alagos, villa do Pi-
para a igreja, que collocada em uma bella emi-
nencia.
Deixou para os pobres desse lugar 300J e para
a igreja 200#.
A' villa do Norlc chegou elle lambem e reti-
rou-sc era inciahora, correndo asigrejas apenas,
sendo igualmenle bem recebido e esperado no
porto que lica'dislante da villa; por muita genio
de- dsiincrao e pela professora, rom as suas
alumnos, deixaudo a todos saudosos e pentUsa-
dos por lao pequea.demora.
Dolii passu ao lugar Fornn-Yelhn onde era
esperado pelos accionistas da companlii organi-
sa a pa a fabrica de lecidos e fuutSi<_u-j \'si-
tou lod'S os obras 0 lodos oslugares c obj.-clos
ledenles oo estabelecinienlo,. sen lo recebido
cora grande explosao de gyrando'.as o monas
pessoas que tiuhara do esperar all por SS.
MM. II.
Nesse lugar janlaram nao poupando a cora-
missao esforcos por bem receber aoa soberanos,
os quaes voitarara por 5 horas dj larde, entran-
do na cidade pelas 6 o meia.
Na villa.do noile deixou o Imperador par os
pobres 40!) torio da Coneeico 200
Nesla capital' deu para o? pobres LOOOjJOO,
para a obra d.i Levada ..1)005000, al.'in de raas
4:0000.0 que a cotuinis-ao do paco poz
disposico por nada querer receber, "e 3:000{>000
paiao hospital de candade.
Calculara-se as esmolas que tez aqu e ao nor-
te da provincia em 0:000^000.
VI
Chcgandn SS. MM. aqui na cidade ; el is 6 e
meia da lardo desse da 10, leudo vine
ro por trra, do lugar Peinan Velbo, ac .upa liba-
dos do grande numero de pessoas dislinctas, em
cano e a ca vallo, semprc festejados victori
em lodo o trajelo pelo povo que j imaisarn
em eslrundosas demouslracoes de i j sij i com
i sua presenga, deram beUa-mo d" ..
pelas8 horas da noile, recebendo umitas risitas e
felictajoes de varias corpora^ea, seuda .. c m-
curso extraordinariamente numeroso, de p
de todas as classes, uo pateo, onde nunca c< --..-
rain os vivas.
Sua Mageslade o Imperador, que havia .
nado aquella nnile para o seu embarque, .
elfeclivaraente pelas 11 horas, debaixu de ,
chiiva. que entao cahia, como o benelicin que a
mo de Dos i'a/ia pelo seu esc
inenlo dedcixar a lena, que a mais
me/.i's nao era bumidecida por aguas pluvia..-.
quaes se renovaram no dia seguinte.
Na oecasiao de SS. MM. tegui n em carro,
o povo correndo e debaixo de duna os acompa-
nhava ao porto de Jaragu, onde encontraran)
elles alm de inmenso povo, o bjlaibao de l>-
ceistas que havia lomado o n ime dePedro il,
e eslava lirme de ardiles na es. a ai.a do i m-
b.irqoe, ollumando aos seus dorados Monai :h is,
dando iodos os ltimos emboras, e prestando a-
ulliraas e ledicadas homenagens aos mais queri-
dos dos Soberanos, aos mais virtnosi s c .. i
Principes de iodo u universo conli i'. >.
Asaudade: a saudade era no dia 11 o caraclei
universal de todos os habitantes desta Icn
saudade profunda pelos seus Soberanos '
/"l Mil us.
8EVIST&0I&P,ia
No dia 10, levo lugar no prado i Piranga, i
segunda c irrida a Jockey Cl
da taido.
No priiueiro pareo .u:, -se os raval-
tos; Jocunda, pertencenle no Sr. Nii^'ii. 1 \
lo de U'iveira, trajando ojockej que monlava-o
aquelj, bonelo e calca broncos'; (Juararapt
Sr. John Lilly, leudo o jockey aquel i el
azul e caa branca; e Vilenlo, do Sr. Dr.
Berilo Jusd da Costa, teiHo o j. ck
quol.i -e boiiete pardos. Su.do de tres Vi
logo a primeira ficou fra de como do o y,
lo por haver cabido com o seu r ral ro. De-
pois de renhida lula vencen o Guararapes, i
difJerenca de cinco a seis palti -
No segundo lomaram parte: /';"">, de Sr.
Francisco Antonio de Oliveira, Irajan lu u j >. .
i bonelo e jaqueta a/.ues e caica branca; le:
|do Sr. Antonio Goncalves da Silva, tendo o jo-
b nicle e ja puta encrnalos e calca brin-
Slranger, do Sr. II. F. liit'cii, leu lonj ickey
bllete e jaquela lisli.ilos le a/'ii e blanco, '
caiga de ganga: elfo lo Se II. Raau
loin, len.'o o jo. !vc> ..orle o clen irin.
jaqueta prela Antes da corrida 'fui retirado o
Sanspeur, do Sr. Manoel Goncahcsda Silva lu-
' lao charos peuhores da felicidade publica : em o
conlinuou por cerca de 3 horas da ma-
me
[itla ausencia de S. M. o Imperador; scu-
cada um dos sexos, ,
do que essa guarda lena do ser conimandada at,ianlamenl0 com'quant0 0zesse varias reflexoes
pelo commandante superior desta capital u Ur-1 sobre o ensino de algumas materias, tendo-se
lemorado na do sexo masculino do 1" districlo,
(rugada, semprc animado por um numero avul-
e em iodos as demonslraces publicas se dls-' 'ado de seuhoras pela maior paite ricamente ves-
liiiguiraiu aquellos que nao viam anlcs no pnn- \ lidas com milito gasto.
' i io niouarchico senao ora elemento de regres o I O realce nesle baile foi evidente e nconlesla-
e de eslorvo ao principio liberal como entendan], vi ; era preciso que fosse elle digno dos objec-
o de 'iiiu o eco permita que estojara coideal- los i quera era dedicado e (uo ao menos llcasse
nieiiie arrependdos, poisque osen procedimen- cimo dos que tem havido uesta capital ondein-
lo agora foi um verdadeiropomitat me pecca- felizmente os recursos ainda nao abundara em
li, ao menos no rxterior. casos scmelhanles.
No dia seguinte, S desle me/, pelas 7 12 lio- Supra ao que falto i o bom desojo do lodos.
ras da maiihaa sabio o Imperador acompanhad > V
dos Exms. ministra do imperio, presidente da
provincia, camarista e o medico, o do director
da nstriicco publica, a vi/itar as aulas prima-
rias. npes.tr de ser domingo.
IVrrorrcii al 11 horas quatro escola-', duas de
parecendo salisfeilo com
ni ir; por doenlo. No
o Retroz, tomand i o
ngulo que deu o re;
rucio da primeira
freio nos denles, ir um
ulia.lo de quasi dea
Sobral.
r.m o noile porni de 5 desle mez aprescutou-
se na praca dos Marlyrios uma rcuniao dn se-
nliora gradas e honestas das principaes familias
desta cidade em numero superior a ltiO, cora 0
designio de formaren] um balalhao com a deno-
i ipulacao de todo o municipio compula-so em
11 habitantes lodo o terreno fcrlilissiino c
um dos mais ricos da provincia, CQiitendo 01 en-
genhos de fabricar RSSU ai'.
i:)" O municipio do Porto do Podas compre-
heihle a antiga villa do mesmo nome no litoral
junto a fox d i rio Manguaba ; lem nina cadena
de primeiras lettras para o sexo masculino e uu-
para o feminiuu, as povoacoes de S. Miguel
los Milagres. Tatuamunha, cala uma deltas com
uma e-cola de meninos oa povoaco de Morros
imaragibe com uma escola de primeiras le-
las para meninas: Esle municipio e" frtil e
lem \i engenhos de fabricar assucar, 1 dos quaes
"rt.i iii i .io anda por 19,-VJO b ahilan tos.
1 o municipio do I'asso comprchendendo
.: ilorescento villa do mesmo nome, situada a
margem do rio Camaragibe, contm un:~i escola
imeiras lellras Je meninos c outra de me-
ninas, a povoaco da matriz de Camaragibe com
I numero de escolas, Sanio Antonio Grande
i ni una cadeira para o sexo masculino e
Miado do Quil'inde. Este municipio com
jndiiiana em b comarcas que conipiodendera ls, niiiiacao do balalhao da Imperalriz. Ellecliva-
liiuos sob a juiisdiccao de 10 juizes muuici- mente se organsaram em forma a duas de fundo,
i.'ios bacliaieii for- | leudo i frente a Exma.
mados.
As rendas publicas provinciaea tecm crescidu
de um nodo noiavi'l; cmiiparando-se o rendi-
mento da Drovincia ha l annos com o actual,
ve-se que eleva-so quasi ao quadruplo: as.-im
00 auno linanceiro de 18H a 18ib fui m ada a
argiiiudo a dous pequeos em frace
i'..' :o1Iipii lo-se, ouvio missa e aimocou, depois
do que foi n p ao Lyceu, onde primeiramenle
isitou o Gabinete de Lesura, percorrendo com a
Pelas horas da madrugada do dia 9 embrca-
lo ra SS. MM. no Piruja para a cidade das Ala-
gos e villa do Pilar.
Na ci lado foram bem receidos o almocarara,
visitando o Imperador, alera dos templos os qua-
o | tro aulas d" primeiras lettras.
Sahiram datii pelas 4 horas da tarde ou depois
disso em demanda da villa do Pilar que 6 collo-
cada na exlrcmidado occidental da alaga do sul,
onde saltaron! ja por mais de 6 horas.
Desde que o vapor fondeou rompen urna ex-
plosao de vivos eutliusiaslicos que un los ao es-
trepitoso estampido de um cem numero de (tv-
do a classiDcacao feila p
scientificas, escolhondo i
o po-
os 2
denle da provincia, em
dora, poKiuo preieudiain ir apresentar um
curso de 1'eliciiacoes e verdadeira estima e amor
ao venerando oojeclo de sua idolatrada protec-
tora.
Tendo era fenle uma das msicas ni a res es
reccii.i era 128:000.> c no actual de 1859 a 1860, desla cidade.marcharam assim formadas, entre
foi calculada em 400 3310 rs
As rendas geiaes a pozar de lerem cres.lo
ainda nao sao suflkientes para occorrerera as
respectivos despezas, sendo que pera efTi cluaras
mesmas despezas tem silo a provincia supprida,
ora pelo thesoitro,ora pela Haba e Pernambuco:
o estado lual dn cofre geral no crrente excr-
cico de IS50a I8G0 o seguinte :
i citi 178:5329108 e n despeza realisada al
2 do dezembro ultimo 177:3630743 rs ha ven-
lo por lano o saldo de l:!is-'2j rs. que est I dem les a ventura de heijor-lhe a Augusta c mi-
sugeilo ao imgamenlo de um emprslimo delluosaMo; mostrando-se msnifeslamcnlc muito
10:0003 contrahido .com um negociante. Ireconhecida por semelhante demonslra^ao nc-
A i us ii-iieroo publica como era (|ua- lodos aslquivoca do amor de suas subditas tiio enthusias-
provincias de 2/' o 3.a classe ainda nao se ocha ticamente manifestado.
no grao de adiantaraeulo que seria de desejar, Assim, venios que a resposta da Iinperatriz
apezar do avullado numero de escolas creados ao discurso da oradora foi: Que muito Ihe pe
dos esforcos feilos nhoraea
, ,. ... "l" .ni..-, i.iui.ii.uju i: iviiiiu airos l
Btnhora do bxm. P'>- seus prospectos, no que foi imitado pe
quatidade de chefe coa- rI:,..< ag dc sua comUlva.
as ditferentes materias
endu alguns livrosera
as dil'e-
c dumnas dos mais distinelos cdados c empre-
g i los pblicos de ll oidora lodos com ardiles ;
e Rcompanhadas do uma guarda de honra de
olliciaes de mariuha e muitas pessoas dislinctas,
no meio de vivasinlrepilososo eiilbusiaslicos.pdo
ra do Comraercio al o poco imperial,em frente do
qual recebendo aulorisacao para seren admitlidas
presenca da Imperalriz, foram todas recebidas
por esto Anjode bondade com a alegra e candu-
ra que serapre-tem para distribuir com os que p-
. pela assembla provincial, o dos esforcos feilos nhoraea e muilo agradeca esta prora de amor
cima compoem a romaica dc Porto Calvo indu- ( para melhorar-se este importante ramo de admi- - provincia, O mu-|nistr cao publica. Na capital ha um lyceu ins-
maior atteiico todas os estantes e livros, segn- raudolas, prodnziam uma dessas saudacoes ex-
traordinarias que abalan) o coraeo e fazem bro-
tar dos olhos lorenles de crystalinas lagrimas,
que sao o expresso do prazer mais doce, mais
sincero, mais legitimo e mais expressivo.
Km lodo o trajelo, desde a ponto onde o res-
pectivo viga rio deu n bei jar o Cruciflxo a SS.
MM. al a igreja matriz nunca deixou do muir-
se um grito unisono e doliranle mesmo de vivos
a SS. MM. o povo agg'iomeradi em numero
lo'.vez de quatro mil pessoas atopelava-se e ic-
commetlia por ter o prazer de ver o seu mo-
narcha.
Os professores pblicos esperaran) a ss. '!'[.
com o- seus d's. ipulos uuiformisa ios. qqct de
ura quor de oulro sexo, e foram visitados pelo
Imperador, menos a segunda cadeira do sexo fc-
minino, por falta de lempo, pois fez a visita c5m
a naife.
Antes disso S. M. anlou a p na villa Jaguari
ao escureccr, subindo a una eminencia por mo
Ai hava-se presente o director da nUrocro
publica, que lambem o presidente do conseho
.i i mesmo Gabinete n o criador daquell esla-
decimento, sorvindo-sc para issa de mais de
ti.il volnmes que haviain sido dados provincia
para ncleo de ii na biblothoca pelo Dr. A. J. do
Mello M.iraes ; e foi fundado sob a presidencia
do Dr. Ucho, em 21 de setembro de 1857.
Dahi passou a uma das salas do mesmo Lyceu.
onde se demorn por cerca de 3 huras O meio,
examinando e ou rindo examinar a alguns estu-
danles era lalim, algebra e geographta, demo-
rando-se muito era uma equato do 2J grao
que mandn formular, em que provou quanto co-
nliecia dessas materias, o quanlo apieciava a
se enra dos lgatismos
lislavam | ivscnles os respectivos professores I catninho, junio de um foilim construido para dar
dessas mtenos que assistiram e ouvirara cora salvos por (al oecasiao.
grande prazer a S. SI., o qual em geographia as-l Foi depois que leve lugar ojanlar, tendo a
ironomica man.Ion argir o respectivo piofessot liorna de seren convdalos para elle o lenente-
Dr. Bspindola qno se houve bellamente come-i coronel Nicolao Alvos Rodrigues, seu gen ro, o
~"udo pelosdifferenles syslcmasplanetarios mais director litara easenhora desle, o vigario, o
alguns dos quaes nao
ca
i'iiavclnienie a mais rica
conheeidos, acerca do que no deixou S. 51. dc juiz de direito c municipal
avivar a memoria do argido quando era no- ebegaram a lempo.
cissaiio, lano nisto como no mais. manil'estau- A casa inm receben SS.
Deseendo do poco tormou de novo o balalhao do o perfeito conhecimenlo que lem de todas es-
palrnos de distancia, que foi excedido em pouco,
gaiihando estp, cora a distancia de |u
mus do Pegaso < dez do Stranger e Moleqne.
No lerceiru eutraram : Jocunda, do Sr. Uigm 1
Augusto de veira, com o mi sm i jo .
ck Th >m, do Sr. II. RamsboUom, ten lo o
ckej bonete c calca broncos, ja [ui la pi
n Guararape*, do Sr. Jubo Lilly, ( I
e jaqueta encarnados e c bra
Anda desla vez olcancon a victoria i"
pes, de-iois de renhida lula com o Ulack i l
com diminua differenca dc dous iln -
Acabada esla lerceira, ultima das c.e.iii.
programma, S. Kir. o Sr. presidente den un.
premio para uma nova corrida na pial en
sem lodos os ca val los, o que se nao ci
empenhondo-sc apenas o Citara Hetroz,
lavunda e Slranger, com seas mesm
era deas voltas. Por muilo lempo se .: spul
o campo o Guararapet c o Heinz, ex
osle jiielle mis viuie palmos antes d -
a pesar de achar-se para a retaguarda na d -i in-
da de diu a do/.c.
L'ra grande numero de senhoras,
de dislinceao da capital, o 3,500 a .
soas, assistiram ess. segunda i .- a de i
esgpcic para nossa populaeao.
Militas apostas foram i.-it is por oc -
diversas corridos, subindo .:' 3:0tK)g a i
res, sondo urna de 1:0009, I"i oecasiao di
ma, entre os cara los rVu i /;. ras.
Durante lodo o lempo reinou a maior ordem
possivel.
_ Por portara do 19 foi coa edida a le
sao pedida pelo pe Ir Joao Jos i da i .. .
ro, de censor do Gymnasio provincial.
Por portara de 17 di corrente foram
nerados, por se torera do reunir ..
0 capitao Jos Francisco da Silva, .i
delegado de lugazeira.
O lenle Domingos AH-es Bran :o M in
reto, de d i" icaral.
Uontem ao meio da foi o Sr rhefa da es-
tacao corasen ajudante de ordena, o taml
Sr. capito do porto visitar Sr. rom man .
da crvela U. Izbci. Na i h tuve salva i
aquello diefe a dispensan.
I)e Iguarass escre vera-nos em lata d
Nio agnuro bem dascousaa .leste i. uno. n
aspecto de paz, qu-, depois de lulas i
las e porfiadas, na anuos ten.
que se yai annuviondo, e de modo
te lempestade.
A simples organisaejo da junta da
para o sexo masculino : a populaeao i aitimnas.
de ludo o municipio calcula-se em 17,900 na- Ima direcloria gcrol cora agentes municipaes
Litantes ; contm elle 23 engenhos de fabricar e parochiaes-esti encarregada da inspecriin e ro-
assucar, melado porm osla de fogo morlo, va- ; gimen das aulas nos dulcientes municipios e fre-
nos doslillacoesdc agurdente e fabricas de pu-|guezias : essa direcloria geral foi creada pelo ra-
rificar oleo dc ricino e azeite de mamona, gulaniento de insiruccn primaria approvado
f8.O municipio de Porto da l'olha contera a pela lei provincial n. 316 de 11 dejulho dc
villa do mesmo nome, riboirinha [conhecida
vulgarmente por Tr-aipu) com uno escola de
primeiras lellras pora o sexo masculino e ou-
lra para o feminlne, comprehcmle a fieguezia de
Sania Anua c a povoaco de l.ogoa Ponda, leudo
ada uma uma cadeira de primeiras lellras para
163; o regulanicrilo de inslruccao secundaria
organizado no mesmo lempo aind'a nao foi ap-
provado ; de maneira que-as respectivas aulas
regem-se ainda pelos imperlelos estatutos do ly-
ceu, feilos uta 1841).Punccionaudo no mesmo
predio era que. se ncha o lyceu exisle umgabine-
aanos com varios
meninos. A populaeao de lodo o municipio cal- te do lcilura iustallado ha
cilla-seo 9,850 almas. volnmes doados pelo pn-slanle o'agoono Dr. A.
11.Pao dc Assucar comprebende s villa do, de MUevMoraes4.Qo intuito de ifirvirom de na-
cou a Imperalriz na cidade, sempre esleve illu-
minada. S. M. foi visitada todas essas nortes
por grande numero de senhoras dislinctas, e ca-
valleiros de dilTerenles hierarciiios, e lodos se
reliravam semprc caplivfts da iuoxgoiavel tfabi-
lidade do Anjo de aples, como disse o poeta.
II
A'ccrea da viagem do Imperador ao norte da
provincia pouco podero di/,er,e vou refenr-me Ixi
inl'ormacoos quo tenho como as mois exaelas,
posto que pouco minuciosas.
S. M. saltn ern-l'orto e Podras villa; na ma-
nual do dia 3, visilou asigrejas e a 'escola publi-
ca do sexo femenino, d'oude nao sahira muilosa-
tifeito. O professor nao se achara na villa. lt
ferias iam al o ^ia 6 deste mez.
ores
ment desempeuh; dos das cores emblemticas
de nosso pavilbo nocional.
' anda foi ru asa larde ft-r as aulas de Ja-
S. M.
molas para (ins dill'eientes.
No Coqucim Secco, povoado a margem occi-
dental da laga do mirle chegou o Piroja pelo
ragua, porm sendo j 7 horas, nenhuma dellas j nuio-dia, sallando apenas Sua Mageslade queso
lnha mais alumnos por nao coiitarein com a '
Augusta Visita aquella hora
Lnlo S. M. exigi do director certas informa-
cescerca dessas aulas que julgou carecer.
Dahi seguo para o collegio dc San-Bernerdo,
onde se demorn enaminando em Franccz e i.a-
tim al depois de 8 horas, assistindo tambera a
una lc.ode msica, e indo mesmo observar ao
p de alguns collegiaes se elles solfejavam se-
gundo a msica queliuhara presente.
Ckfgando ao Paco, e tendo de ir ao baile que
Iho, lerem haxa do posto, csUajna minia. Ao ta-
zer desla, | dias apenas depois da queslio d
junta de qnolicaciio, esl.i i tras reerulM lilado*.
e oulros lautos fgidos dos .aguazis da guarda
nacional. Ura guarda que, ja em oulra oecasiao
foi recruzado, e por molealias, juigado ncaiaz d>
'servico militar, lera ordem de re -i mmenlo, ,,.
vendo olguein medido em si o documento d'i
inhahilitacao da junta medica !
li iiolavel que durante lanos anuos que estj
no balalhao desla villa o ailual commaudauh
agora se leinbrasse de reerutar entre os guardas
moradores eem Ierras de seus conirar.
i lslo revela bem um calculo de petsegji.ao
que justo que o governo embarae, para pre '-
nir a exaeerbacao cm que vio os nimos nesle
termo, e assim acaulelai lulas que bem podera rir
a Iravar-sc.
leve lempo para correr a igreja, cuja invocacao De Iiamb, comarca de Goanna. cscrevem-
(i Nossa Scnhora Mai dos lloinens. Meia-horo nos cora data de 19 do correle -
demorou-se observando o perfelcifl dos imagens] Sempre em lodas as entradas de amo novo,
n o bom arranjo da igreja, correndo as acoinmo- se registra un assassinato Tal ainda o est-
ancas, ou trocados delicada- aleijado e l:il()0jf000 para os pobres e oulras es-
darns superiores, pos um bello templo.
_Foi ahi recebido no desembarque pela popula-
C0 cora o cniliusiasmo franco do povo sincero,
concorrendo grande numero dc senhoras do lu-
gar e a professora publica seguida de suas aluni-
r.as vestidas aprupriada
urna granee
do de selvagismo era que se acha
parle da gente do norte.
A's 6 botas do dia 16, no lugar Sirij, sub-
delegada ce Pedros de Fogo, Sevcrino Dantas
travaudo uma bnga com seu primo, deu-lhe duas
nas vestidasapropriadamenle, asouaes canlaram nU tres lacadas, o-como quer que o irmao 2uL
na hymno especial quando Sua Mageslade subi j facinora exprobasse de uib tal nroced m ?
tol procedimenio.
T


PUMO PE PERNAMBUCO. S.VBBADO 2t nE JANEIRO DE 1860.
(31
desfecha-lho "esta fcra um clavinote as urzes,
le. o roatou inmediatamente, sahiiuto' a baila
dooutro lado, Irazeado-lhe pedios do palman,
i o que inais horroroso, c que esscejkialrecida
chando pouco csse erirao busca o pai afim do
constituir-ve parricida !... Ato- 0 presento a po-
ria por uns deligencias que ha (cito anda nao
podo prender csso vomito infernal.
Orando veruo3 esses c outros faci;, nao po-
demos deixar do lamentar a falla de educa-
rlo nossos lunarejos dos nossos matos, o aban-
dono oni que esl. a joventtido dessos lugarojos,
bem como a nossa Timbauba,"onde existe um
glande numero de meninos, que a falta de urna
ai la do primeiras lellras, cria m--se esses meni-
nos a lei da natureza, c que ser de um homein
qee nunca ouvi nem 1er una mxima moral, o
que mellido l no sea rrfnho s otive duer l
deram um tiro, l mataran), l morreu de baila,
ou facca !...
'. Sabbado t do correte chegou em Tirab-
ba, una (Orea commandada por um alteres do
polica, um tal Muniz, em virludc do ler fgido
da cadoia de oiauna, Jos Guilherme ; al o
presente nada lem teHo, pelo contrario tom ma-
cal rado, na noite de domingo, um pobre ht>-
rnorii que ia com urna carga, os soldados come-
r ni a dirigir pilhorias, c o pobro zangado por
lho ter-sc deilado ocavall o da carga respondeu
aos zurabcleiros, o o resultado foi ir para o tron-
co com as venias quebradas, e por lar adiado
man es.se procedimento o lenle Joan Raposo,
eutr'ora subdelegado do lugar, o tal Sr. alferes
o mandou calar bruscamente, dizcndo-lhc que o
prenda, s com os cidadaos paciftcosdeTmbauba
poduoSr. alfares ostentar estas bravatas, aliio-
se para as sorras, v doscnfar.iar essas (eras que
por ahi andam. harmouise-su o subdelegado d
como es nleressados n'ura sonhado despotismo
Iheocralico...
Mudaram-se as scenas, venreu o Evangelho :
hoja Cesar recebe o que O de Cesar, d ao povo
o que do povo, e Cesar e o povo do a Dos o
que c de Dos.
Tndo o poder vem de Dos. -
,l tiveste noticia, senhores. d'uma naeTio, d'u-
ma provincia, d'um municipio, d'uma tribu, d'u-
ma familia, d'uma associaro para lint particu-
lares, se ni um chefe, sem um poder? Al o so-
litario da Tliebaida linha sobre si dous poderes :
Dos no eo, e sua conscieneia na torra I Quera i
recusar, pois, quecm abstracto os poderes da
torra parlera do Tbrono de Dos?
Todos somos fllhos do mesmo limo, todos so-
mos igualmente pequeos peranln Dos e a So-
berana terrestre, que se impazesse a entes liires
sera urna degradaeo para os que a supporlas-
som : s ha governo legitimo, quando livremcn-
le conseguido.
Ora, mu governo como o nosso, livrenienle
consentido as margens do Ypiranga, coetneo
do grande fado da nossa independencia, nao es-
i tara na phraso de Samuel ? Nao poder cada um !
de nos dizeraos novos Cclliegos, que queiram ras-'
gar o sem da patria, esto o eleito de Dos ?
Cerl eideres quem el"jit Dominiu .'
O Hito: n importa um sacerdocio, e pesado sa-
cerdocio 1 Dedicar a vida inteira a ser seniinell-i
consianlc dos ioteresses d'um povo, do seu pro- <
senle e do seu futuro, que tarefa para aterrar os
mais {orles I Tolos os dias ouvimos, dos que
d'entrc as massas dos cidadaos sao chamados
para'e-xercer urna porriio de antoridade, que a
tarefa Ihes pesa, que a necnssidade de descanco
Ibes sobrevm em pouco lempo ,. E como recu-
i sar a olT'rend i da inats pura graldao ao que nao
Tira jauba com os cidados-pacilcos pois el les lhc I tota um mntenlo de sua vida despreocupado
po i ni prestar niuios servicos, e pela maueira dos altos encargos do Estado?
que o vemos segregado nao vai bem.
A Sra. I). Mara Florn ia Dezorra da-Silva,
que ncsla citado exerce ha muitos anuos, o
offici i de modista e coslureira, c que presente-
mente reside na roa da Imperalriz n. 21, fo
:iada com o lililo de midisla e coslureira
de S M. a IaiperalrU.
Apparceein alguns qucixuines contra uns
bufarinheiros, que andam pelas ras Teniendo
differontes ohjectosde melaes.
Nao pudendo avahar al que poni te ni fun-
damenlo taes quoixas,, e nem quemado por mo-
do algum entorpecer o exoreicio do una indus-
tria honesta, nao podemos comtudo doixar de so-
licilar urna indag-acao autorisada Acerca doste
fado, pira que solara punidos os verdadoiros
K" por isto, que o forto Sal fui o escolhido :
Quoniam non si/, simias ilii omnis populas.
Conheccii-se os ciedlos da Providencia, senho-1
res : sao glandes e fortes : grandes de espirito el
fortes de corpo. E o nosso Imperador grande I
e forie : grande, porque lem um espirito ele-
vado e cultivado ; fono, porque lem um corpo, '
que jamis leeusou-sc as fadigas do estudo, nem
aos atropellos,. que impon a govrnaro d'umj
grande estado : Cerle vtdetis quem elegit Domi-
n us.
E por nao sabir da presente viagem, assump-
lo, quo aqui nos congregou, eu della o so-
mente dola lirarci a conrmarao do que deixo
dito.
Ncsla excurso nao hou'vo anda um da per-
sos, ou desapparefam as apprehensdo.s di,Jo l1'11'3 observarn, urna Hora de cansar pa- \
que pairara nosespiritos em dcsproveilo daquel- .ra o corpo : era poneos das o pinculo dos ru-
les hulanoh uros.
1'. rislo, porlanlo, que urge o caso por iinn
averig ac i, juc por este motivo nao deve ser
preterida, e meaos' demorada em seu appareci-
roento.
_U coslume inveterado delancar-se agua p-
trida das janclUsou sobradse ra, nao pos-
cliedos de Paulo Alfonso vio sobro si a estatura
erecta do nosso imperador. Nesia excursflo an-
da nao hume um da, em que, alm do que cor-
tamente mi grande escala reserva para si exclu-
sivamente o Augusto Visitante, nao trinspare-
c '-se a dcmonsiraco, do que una glande ca-
bera 10, e conduc em circuuislancias que pas-
sivel levar um corto completo. J nao de lio- noi' desaporcebidas aos observadores cora-
je qu c mira elle aleamos a nossa vo/: mas muns
m urnas ras ha cessado, em oulras como '' assim o eleito da^Proridcncia
qu t >m recalcitrado ii.rsua pra
Deve-se de urna vei para sem pro por fin
Ihanle abuso, a semolhadte infraeco das
posturas municipaes ; e para islo chamamos a
attenro dos Srs. liscaes, que nao deveriam ca-
recer do aguilno algum para o cumprimenlo
desse seu derer.
S melhaatoraento calamos por agora donde
parle ni laos aclos, na esperanca de que os
bous altores ou consentidores reflectindo me-
Ihor, abriro do mo delles, e assim deixaro de
...... --,. ...-.^..^... ergue, como
] Sal, a rabera sobre todo o povoQuoniam non
sil siiniUs omnia populas.
Dous pontos, porin, souhorcs, ficaro toda
luz provados, e sao a mais segura garanta do
que possuimos no nosso Imperador, do bcillianle
f lluro que est reservado ao Brasil.
Senlior! Agora nesla viagem por entre as ii-
das de marchas precipitadas, dstos naciu o
mais proticuo e brilhaiilo exemplo, procurando
ladefectivelmente ao chegare ao partir u Tem-
plo do Dos Vivo. Grandes predicados vos adur-
encommodara quem transita pelas ras sem con- ":;;i. Senhor, mas ostou certo de qne este, o
lar rom um mollio, que Ihe cahe das nuvciis j da religiosid.ide, o de que lenJes mais intima e
quando menos 6 esperado.
Bis o discurso religioso pronunciado na ma-
triz das Alagos, pelo Itvm. Sr. padre Antonio
ue Mejlo e Albuquerque, por occasiao di visita
de 8S. MM. II. a aquella provincia.
I'.t ait Samuel ad omnem popu-
liim : ctrt videtis quem elegit
Dominus, quoniam non sit si-
milis i/li omnis populas, et ail :
Viral i-e.r.
E disse Samuncl a lodo o povo :
Vosbem vedes a quem o Senhor
escollieu, porque nao ha em lodo
o povo, quem lhcseja semclhan-
te. V. todo o povo acclamou, c
disse : Viva o Bei.
(Reo I. car. 10. v. 2.)
SENHOR SACBAMENTADO!
Quando um povo inlciro, oftegaudo d'enthu-
siasmo, vem curvar-se ante Vos, para expandir
as gratas erai .oes suscitadas pela vista daquelle,
T10 se acha collocado no verilee da pirmide so-
cial, este preilo, depois daqoelles que sao dedi-
cados directa e immediatamenle Vossa Provi-
dencia, Vos e o mais grato ; porque o poder so-
lial na Ierra o transumpto de Vossa Divina Ma-
geslade ; porque a homenagem rendida aos po-
d. res da (erra noblila o que a recebe, como o
que a rendo, por ser urna inieiaco das homeria-
R'uis perennes, que vos sao devidas : Pe* me re-
ge* regnant, per me principes imperan! meum
e?t coiisilium, mea es! prudentia, mea est forlitu-
do, mecltm sunt divitiat.
Si snoR (1)
as flores, que Vos lem tapizado os caminhos
ncsla viagem, nos risos, que engrinaldam as re-
pines quo leudes atravessado e haris de alraves-
b haiiiises. e iris haurindo as ineflaveis ale-
gras do mais puro amor, queso senle irrefraga-
velmente correspondido. Venho cu boje, o mais
humilde, o o menos apio dos que vos lem dirigi-
do a palavra, Iraduzr-Vos, o que alias to bem
expresso Icndes visto na phisionoma deslo povo,
cuja adheso Vossa Sagrada l'essoa c o seu
mais nobre braso. Escudo-mu com a grandeza
do assumpto, e, Senhor, com a proverbial gene-
lado, que lano Vos honra, c que a tantos lem
honrado.
Seniioiu 1
Vos, que Sais o Anjo do nosso Imperador, que
irais ao seu lado, romo a maior garanta para
nos, porque a Sania Esposa o mais f>rlc escu-
do do esposo, se por ventura Vos, que ludo Icn-
des visto com os ohos do malernal carinl.o que
nao tem rival na ierra, achardes, qne o orador nao
exprimir ao Vosso Augusto Esposo toda a
niagnitude do amor desle povo. entao, Scnhora,
Vos, o primeiro Levita dos lares imperiaes, con-
Hui a tarefa ; fallai-I.he dos risos, c flores, q ic vos
deram as meninas, das adhesoes que Vos proles-
tira;.) as matronas ; e dizci-Lhc : a parte,
parece ser do meu exclusivo reinado, mas
que totalmente do Vosso, porque eu nao te-
n'io reinado, que nao seja o Vosso. Se fosse
possivel, que um da este grande povo fraque-
580, verieis enlo como os meus anglicos
<' batalhdosseriama Vossa (orea. Sscerioquo
nos planos da historia, quernos ihronos, quer
no chao do povo a mulher lem senipre oceu-
pado um lugar saonle, as tradices nao se-
v rao quebradas no Imperio da Sania Cru7, que
assim o espero em Dos. Ajudai-me, Senio-
ra, at porque o proprio Bossiict.se quizesse inva-
dir os dominios, quo sao exclusivos de una San-
ta esposa, fallira na empreza. um servico este
que tendea feilo, e fareissempre : eu n'ello des-
i para eorda da minha prsenle misso, e
com tal cora, Senhora, sinto, que todas as mt-
iihas fraquezas sa (ortalccem.
Df.os Omnipotente !
Consent que eu di/crido ao Jlonarclia o amor
desto povo,saiba igualmente dizer ao povo, que
Este o Monarcba de Vossa cleicao ; Certi vi-
detisquem elegit Dominas.
ConseiUi, que, dizendo ao Monarclia. que esle
povo uto os dous grandes sentmontos do amol-
de Ueus e ca pairia, saiba igualmente dizer ao
povo, que esle Monarcha nutre mais quo nin-
gucn esses dous scntimenlos. Quoniam non sit
imilis-^ili umnispopulas.
pura saiislaro [>or fortuna vossa e nossa : vos-
sa, por pie o espirito religioso o reale da
frgil perfeicao humana ; nossa, porque a reli-
gio 6 o estelo dos Estados e o exemplo que vem
do cima, c de contagio infallivel.
rainbem, Senhor, provastes vosso zelo pola
educacao. A educarn prepara as giraros, el
urna s geraco mal preparada faz a ruina de
um Estado.se nao queabala toda a humaui-
dade, quando essa gerarjo franceza, e exerce o
sagrarlo direilo da enian ipaeo com as vestes do
pag mismo,
Ora, em lace destes dous sublimes predica-
dos, ludo o mais secundario, c eu com ellos:
completo a minha coiirmaco.
Permilli,, purea, Senhor, que com os direitos
que me d o pulpito, eu submelta ao vosso alto ,
juizo ligeiras consideroedes sobre as duas qnes-
loes que sao vitaos para ludo o Balado, e tpn fe-
lizmenlo podem receber mais prompta o fadl
SOlucO no Imperio da Santa Cruz. Elevai. Se-
nhor, do estado pouco lisongeiro em que se acha
o Clero do Brasil, dai-lho a inslruccao de que
carece, levantai aos olhos de todos o'ministerio
sagrado. Reformai o ensino secundario, poni de :
partida commum para o ocelesioslico, como pa-
re o profano.
Pois o paganismo continuar a ser a base do j
nsino em um paiz catholico ? Pois o raelbodo '
chrislo, queden os Paulos, Agoslinhos, Tertu-
lianuos, Bernardes, Tliomaz e outros ha de ser
olvidado ".' A Ierra boa, Senhor, c a SCOlCllle
brotar ; o Imperio da Sania Cruz c de hon-
lem, ainda nao temos legics de apostlos do
classismo para apedrejar os pregadoresdo catho-
licismo no ensino ; dai, Senhor, o grande exem-
plo de iniciar a reforma, e cu s pedirei a Dos
que lenhais segunda gloria como esta, para que
passeis aos vindouros, como o primeiro homem
do vosso serillo.
Nao se trata, senhores, de entregar o ensino
aos padres : erara padres os moslres de Veltaire
e dos outros, que queriam esmagar o infame,
eram padres os instituidores da geracao franceza
de 1789. E que padres!... que provram sobo'
cutidlo assassino no fundo das icasmorras seu
amor religlas !
Nao, senhores, a queslo 6 de rnethodo, s de
mThodo. Trala-se, como diz um grande ho-
mem (') do obstar a que a mocidade aprenda com
os Romanos, que a proprieddc funda-se na lei,
porque os Romanos com os seus escravos nao
coramprehendiam, que o homem fosse propriela-
rio de si proprio, e rom o seu despre/.o pelo tra-
balho, nao podiam dizer, que o homem pro-
priataro do producto de suas (acuidades ; que a
liberdade cifra-so as tempestades do l'orum. as
retiradas para o monte Aventino, em certa au-
dacia as latas intestinas, que a moral da fami-
lia deve ter por base urna servido organisada.
que o patriotismo c o odio ao estraugeiro... so-
cialista de hoje puro descendente de Lycurgo,
e de Plato, ignorando, que o corpo social um
com [insto do leis naluraes, descrendo de Dos,
insp*irando-se com a anliguidade paga Quem
de vos aprotundou no collegio a bella lilteratu-
ra ? Di/.ei : quando deixastes a elasse, nao ardieis i
no desojo do imitar os devastadores da Ierra, e
os agita lores do Forum ?..
Senhores, a anliguidade dos lempo.; a infan-
cia do mundo, c propriamt-ulc fallamlo antiga
a nossa idade. (**)
Ilaje a verdadeira inslruccao deve ter por base
o estado das obras do Dos, e da natureza na or-
dem moral, e na ordom material. Tratase da
libertacao das ra leas laucadas pelo convencio-
nalismo ilassico, que a chaga cancerosa das so-
ciedades modernas. E, vallando os olhos para
nos, donde vem o iudilferenlismo da nossa mo-
cidade ? O que so espera de um paz catholico,
em que os proprios a que chamam Ilustrados,
himpao de una crassa ignorancia ducalholicis-
mo ?
Felizmente, ahi osla o nosso Imperador para
salvar-nos Ao nosso Imperador nunca falla
una hora para o Templo, e oulra tiara o Colle-
gio, oo passo que tudo era torno d'Elle indiffa-
renca para urna, e oulra cmisa. Cen videtis
quem elegil Domimtf, qwjniam non sit similis
illi omnis pnpuius.
de. Israel, manilo Samuel lhe aecnou panrSaul :
/.'i ait : Viral It.x.
Ate Maria.
Ver um Monarcha, joven, prestigioso de talen-
tos, e virludos, a passeiar pur entre o seu povo,
filiando ao grande c ao pequeo, a arrostrar os
incommodos do viagens precipitadas,para sondar
por si mesmo as necessidades da aldeia, e da ci-
dade, pura calcular luz exclusiva do proprio eri
torio os recursos nuturaes, que a bem do futuro
do paiz poilem ser aproveilados, ver ludo islo, e
negar depois a difficuldade di tarefa dos rcis, e
a divindado do sua missao, nao seria fechar os
- luz, nao seria negar o sol ao meio dia ?
Sao idos os lempos, em que os povos viam nos
rei-'os exploradores dos fadigas, e Irabrdhos do
povo, rom um cofre aberto para receber, e um
alfnnge nr me para punir os que nao davam.
Sao idos os lempos, em que, os qucfallavam no
direilo di. no dos Ihronos, eram lidos peas tur-
bas, J^mvi^osadiiacharesdainag^adc terrestre,
(1) 8. M. o Imperador.
(2) S. M a Imperalriz.
g"
Eselo-ha semprc, que a legiiimilade tem um
encanto divino, quando a prolegem as virtudes,
que prometiera ser hereditarias no Throno do
Brasil.
O Brasil unnime as adhesoes Vossa Sa-
grada l'essoa ; o lirado de Israel Vos acompanha
sempre na Vossa passagem, ou articulado pelos
labios, ou senlido pelo coroco : 'A ail : Viva!
Rcx.
Vivat Uex tira orado de regio, por-
que os poderes da Ierra existem por vonladc de
Dos,
Vical Rex um bra lo de lgica, e de
Justina ; porque lgico, e justo, que um povo
sadc o delegado, quo elegeu.
Vital Uex! um brado de graldao, porque
um povo generoso reconhece os sacrificios do quo
vola sua vida inteira a um governo conscien-
cioso.
Xirat RexFinilmenle, um lirado de
patriotismo, porquo seria o mais dealoravel in-
ri Dasliat. '
[**] Bacon.
sania renegar o principio, quo -elevou o Brasil,
que comecou a viver de hontom, grandeza em
que o vemos
Eeslo brado, Senhor, o povo d'Alagoas entoa-
lo-ha, al quando nao mais possais ouvi-lo com
osouvidosdo corpo, e continuar a cntna-lo ;
sempre fiel s tradices lisongeiras do Throno'do
Brasil, emquanto nello sentar-se a primeira Dy-
naslia : assim Dos nos proleja a todos, o con-
ceda qne a arvoro da nossa falicidadc jamis
deixu de reproduzir-so I
Dos Omnipotente I Bcrebei as Acfes de Gra-
tas, que vamos render-Vos peladeliz chegadados
nossos Augustos Visitantes
O Soberano vem lancar de porto os olliares de
sua solicitude sobre esta poreo do seu povo, e
este povo confirma-so anda mais, se possivel.
em ser Elle o eleito de Dos : Ccrl videtis quem
elegit Dominus.
O Soberano vem provar ainda mais, se pos-
sivel. que Elle o maiszeloso sacerdote ifasaras
do amor da Patria, e o povo curva-so respeito-
so o rcconhccidoQuoniam non sit similis illis
omnis populus.
O primeiro Representante da Naci vem fallar
ao mais obscuro representado as fallas desvena-
dos de um coraco paternal, c de Norte ao Sul,
com os labios, ou com o coracio, repete-sc o
brado de Israel: Et ait : Vivat Rex !
Disse.
Suicidio.Jos Gomes Peruro, tendo sido
repolludo a priso por ordem do subdelegado do
distado de Calende, no termo do Bonito, por es-
lar indiciado em crime de bigamia, suicidou-se
na noite de 8 do crrante, enforcando-se.
No lugar Cojazeira, do termo de Flores,
achando-soLeonardo Alves de Lima em um di-
verlimento no dia ldo corn-nte, disparou um
tiro de davina sobre um menor de nomo Antonio
Canario, matando-o iustanlaiieanienle.
O criminoso conseguio evadir-sc, mas a auto-
ridade do districto promore com empenhu a sua
captura.
Foram rerolhidos no dia 19 d> corrcnle a
casa dedclcncyo 5homense3 mulheres, sendo :
tivres 5, escravos 3 a saber : 2 a oidem do Dr.
chefe de polica, 1 a ordem de Dr. delegado do
Io districto, 3 a ordem do subdelegado da fregue-
sa do Itecife, 1 a Ordem do da freguoza de Sao
Jos e 1 da freguezia do Poco.
Foram recolhidos i casa de delencao, no
dia 17 desle mez, H homensc 1 mulher, sendo :
Iivrei 4, escravos 2 ; a ordem do Dr. chefe de
policio 1, do subdelegado do Recife, do da Boa-
Visla 2, do do Poco da Panella 1 c do de Ja-
Doalol.
Foram recolhidos mesma, no dia 18 : ho-
mens 5, mulheres 2, livres 2. libertos 2 o es-
cravos 3, a saber : a ordem do Dr. dele,:,; lo do
1" distri. lo 4, a ordem do subdelegado de San-
Jos I, a ordem do da Boa-Vista 1, o do do
Poco da Panella 1.
L-se no Moniteur de la Fale:
Os ros nr. barrocos. A hydrographia de
Maocos tem actualmente um ntoresse particu-
lar. Conhccida como est a natureza do seu lii-
loral, rico em mollics e em pintos favoraveis ao
commercio e industria niarilima, o curso das
aguas e os rios do paiz mercrera igualmente
urna mencao, por causa da sua influencia sobre
a agricultura desta vasta regio.
A superficie de Harroros de 97,516 kilme-
tros qoaraJos, arha-se atravessado na dirceco
do sudoeste ao nordeste pela mnense cada do
grande Atlas, que o divide em /duas paites;
nina eslende-so do oulro lado do vertido occi-
dental da codea, e comprehende os reinos de
Fez o de Mar reos: a oulra eslende-so sobre a
parle oriental, e encerra o Estado de Tafllcl, o
de Souza e as provincias de Si-Djelmessa e de
Braba.
A maior altura da montanha quatro mil me-
tros cima do nivel do mar.
Harrocos contera no seu territorio perlo de
duzentas correntes ou rios.
As primeiras sd, pela maior parte, o pro-
ducid das noves derretidas, e llcam privadas
d'ogua uma parte do anuo. Os rios lem Rscen-
les perennes que todas diminuem conslderavel-
mente no vero. Entre estes ltimos, os prin-
ctpaessao, pura o vertido occideulal, comeeando
pelo norte: o Lenecos que os Mouros chmam
igualmente Lenecos ou el Khos; seu curso de
duzentos kilmetros : desemboca no Ocano,
nao longo do Sparlel, e na sea foz a cha-se a ci-
dade de l.arache. Quindo us Francezcs aloca-
ram e tomaram esta praco era 1765; as bom-
bardas Terrible e la Fouhe SUbiram pelo Cene-
eos naextcnco de 20 tiloinetros-; boje nao po-
dena ler lugar uma igual navesacao. iinrq-i o
no -mutilado de rea na sua emboca lura, nao
pode ser aecessivel seno a navios que exijam
muilo pouco fundo.
O Sebn ou Mal mora : nascc no Alias, corre
na direccao do norte, depois na do oeste, c vai
calnr na do Ocedno Alllanlico, depois de um
curso de 3t) kilmetros perlo da pequea ri
do Ramassa, que os indgenas clramam ahmo-
ra, derivando esto nomo de um chefe da tribu
dos Hassytas, que fundou seu porto em 1251).
Morbeaou Ora raer Rebieh : esto rio i
igualmente no Atlas, e pereorre um espoco
igual ao precedente ; mas mais profundo "e
mais rpido, e recebe um glande numero de
correales.
0 Tcnslf: esle rio, nascendo no Atlas, corre
ao sudoeste, depois ao noroeste, e vai desembo-
car no ocano a 32 kilmetros da cidade de Safi.
depois de um curso de 400 kilmetros:
Elle foi canalisado em 1580 pelos Portugueses,
c existem ainda numerosos vestigios de seus
trabalhos exocutados naquella poca.
O Uonlonia, ou o Honlonya, corro enlre as
duas cadeias do Alias; elle nunca ficou intera-
mento seceo, mas no vero, conserva apenas uma
pequenissima corrento, e por isS os Mouros o
chamam Bahr-bel-Ma, que significa rio sem
agua.
O verlcntc oriental encerra dous nos de algu-
ma importancia : o primeiro o Zis, qu desem-
boca no lago do Salamarra, sita,lo no limite do
Sahara depois de um curso de 400 kilmetros.
As aguas desle lago, noqnal se perdem muitos
regatse torrentes, nao diminuem nem augmen-
tara, o que se explica pelo syslema das infillra-
res subterrneas.
O segundo o ouachi Draha, ou o ouali Da-
rah. Seu curso de. 450 kilmetros. Elle per-
de-se as areias, que absorvem suas aguas co-
mo f.iria uma grandissima esponja, e sem occa-
sionar a creacao de um terreno pantanoso, assim
como so observa ordinariamente em lodos os
nos, que estn em circumstancias idnticas.
A II.TIMA BXPED1Q0 RTICA.Os jornae.s in-
glezes noticiara com os maiores encomios que
lady Eranklin fez presente do vapor Fox ao com-
m'andaatc Me Clinlock, quo dirigi a ultima ex-
pedidlo ao polo rtico em busca de noticias do
Sir John Franklin, como uma prova de reconhe-
cimenlo do seus serviros meratorios. E' um ac-
to de geaerosidade proprio ao nobre e elevado
carcter daquella dislincta senhora, que rom
uma rara preseverauca o despezas extraordina-
rias procurou constantemente obler noticias do
destino de sea infeliz marido, Concorrcndo para
as bellas descobertas geographicas que se teem
realisado naquellas inhspitas regios.
No United service gasele 8pconlra-se uma
mu curiosa lisia de varios oiliciaes da marinha
ingleza que assistiram celebre balallia de Tra-
falgar em 1805, e que ainda hoje vivem.
Sao em numero de 12 : des) s, 16 que eram
lenles na batalha, 7 sao hoje ofiieiaes genera, s,
3 capitcs de mar e guerra, & capiles de fraga-
la, 1 lenle, e lodos eslo reformados.
De 102, que entioerara mate ou guardas ma-
rinha, 20 sao officiaes generaos (4 no servico ac-
tivo) 19 caoilaes de mar o guerra, 45 capitaes de
fragata, 1C lenles (2 no corpo de guarda cos-
tas;, 1 major general da marinha, 1 capilo l-
ente, 1 commissario. De 2 mestres, um dos
quaes capiiau de fragata reformado. De 3 ci-
rurgioes, um dos quaes diredor geral dos hos-
pjlaes, o outro depulado do inspector gerol, o o
terceiro cirurgio reformado, e um eserivo que
hoje pagador.
t-so no Cov'rrier dn Havre o segninto artigo,
que bem pode demonstrar as amigareis disposi-
ces com que a Inglaterra ollia paro sua visinha
alm do estreilo :
Boina uma oclividade extraordinaria aclual-
menlo na fabrica real do canhes de Woolwicb,
sob a direceo superior do U. John Aaderson,
afim de se completar o numero do pecas. Arms-
Irong ciieommendadas para o Ora desle auno.
Um carro earregado com uma primeira serie do
canlioos de 12, que sabio da fundi'.o, foi Irans-
Mirlado desle eslabelecimenlo para Elsnick, on-
de devem ser acabados, porquo o rog-ulamenlo
eslabelcceu que uma parle somonte do Irabalho
serio cxeculodo cm cada fabrica, afim de obler
precaucoes mais seguras para occult-oi ao publi-
co o principio oj segredo.
O deparlamenlo da guerra deu as ordens as
mais rigorosas,prohibndo sem excepeo, a ad-
mssfio de qualqner pessoa que pretenda visitar
as fabricas. Como exemplo da soveridade com
qiro estas ordens sao observadas diremos que os
siembros da commisso real de dfeza pediram
licenco para visitar o estabelecimcclo : este pe-
dido foi trans-mitlido Pall-Mael prlo tolegra-
pho, o immediatamenle recebeu-se a resposla do
que o Sr. secretorio Herbert linha pezar deque
nao se podesse infringir us regulamenfos.f, ncih
mesmo nesla circums'.ancia especial.
Ainda poneos dias soffreu igual recusa o ga-
era! Daisy, que commanda a gnnruieao de Woo-
lwch.
Acaba de docidir-se que o arsenal c as offici-
nas de Woolwich sejam Iratrsforidas para Wee-
don. O Morning Post publica este rCspeilo
um longo artigo, prelendendo que todas as po-
lencias da Europa continuara fazer armamen-
tos formidaveis, que a Inglaterra, para se man-
tel na posico que oceupo. deve seguir a mesmo
va, que ella nao possuc seno um nico arse-
nal, o de Woolwich, que, por sua posico na pro-
xJjnidade do mar, poder fcilmente ser destrui-
do por meio de um desembarque operado em
condicoes favoraveis, o que a idea de crear um
segundo arsenal collocado no interior, e por con-
secuencia ao abrigo do urna tentativa audaz,
un*a idea feliz, pela qual se deve agradecer o ga-
binete. Resulla das expresses do Morning Post
que o projedo adoptado pelo goveino da rainlia
nao consiste smenle em certas mudencas no
arsenal de Woolwich, mas sini, na erraco de
um arsenal semelhante collocado no interior.
Passageiros do hiato naiional Invenrivel>\
viudo do Aracaty : Flix Gomes c sua familia.
Moiir.w.uiADE oo da 20 no corrEttb:
Soldado de polica Vicente I'erreira de Taula, In-
dio, solteiro, 18 anuos, bdxigas.
Maria, prela, 7 mozes, convulsoes.
Feliciana Maria do llego e Silva, branca, viuva,
80 airaos, asthraa.
Joaquina Hilario Correa, pardo, viuvo, 55 annos,
dyarrlida.
Francisca, parda, 5 aunes, maligna.
Matadooro rmuco :
M ilaram-se no dia >) do corralo para o con-
sumo desla cidade 63 rezos.
Hospital de caridadb. Existem CS ho-
mens, SI mulheres nacionacs, 1 homem estrau-
geiro, 1 homem escravo, total 131.
Na toialidadc dos doen'es existem 37 aliena-
dos sendo 30 mulheres e 7 homens.
Foram visitadas as enfermaras pelo cirur-
gio Pinto s 7 horas e '.'. ida manha, pilo I);-.
Dornelfas s b horas e 20 minutos da manha.
Falleceram 2 homens, sendo 1 soldado de po-
lica do bexigas, o I paisano de dy.mha.
zinco em follig, 4 barris prego?, 1 caixa tpeles,! Acamara municipal do Recife, cm tirluii
I dita perfumaras, 2 ditas eolitos de vilros, i ^ orr'ci.0 circiriar de S. Ksra. o Sr. prcsi.ier.ie
1 dita espoletas 23 ditas louen deb,rro, 4dH krriS^rr'^JnS
armamento, 52 dita* phosph'ios, 2 d'tas lazcn- edtal da presidencia, da mesma dala, decktaa-
das ilo a'go.lo ; a Trenle Yianna & C.
1 caixa fozendas ; a Seve & Irmaos.
do o prazo do 10 mezes mareados na le paiao
descont mensal do 10 O/y no valor das notas da
i i:... .i, i. r j-. j i a,-. 5f*- da 3." estampa, papel roxo, e de 5IHI da
3 ditas Pl osph. ros, 5 tu miudesas, t dita 1A 2., e3. 0t;111i,.,;3 \{ sp cM-;n sul,{iiJtilK
sabao 1 dita 'azoadas ; a Joao da SllW Paria. \ o qual principiar a correr do 1." de abril desla
Biigiic inglez Caber feigli* viudo de Livcr- j a'"10-
pool, consignado Paln Nash & C. manifeslou ,''ft-,da[r""?ara "M,n^fal 0*8"1* *
' ..:,_. |i1l' de Janeiro de 1860.Mmnoel Joaguim d-.
0 .e0uiine : ^ \Rtgoe Alhuquerque, presidente.Francisco Ca-
2 I fardos e 20 ca xas fazendas de linho e do, nulo da oa-Viagem, oflkial maior interino ser-
algoilo, 7 fardos lonas, 1245 barras e 231 fei-i viudo descero! i:..
xes ferro, I harnea carvao de nedra, 1 dito pL^^'JdtS;Tetno de Pernamburo. em 5
. ... ',. ,-, dejaneirodcl6.il
de dito, 1 barril cerveja, 20 ditos alvaiJe ; aos
consignatarios.
?8 toneladas carvao ; a Scoli Wilson.
1 caixa matas dealgolo ; a F. G. deOii-
veira S.
200 saccas arroz 100 barricas cerveja, 17 to- subsltindo, principiar correr lie i." abril <
nelaJas carvao le pedra; a Tasso & IrmSos. crreme son -J isi Denlo da Cunha e Fignn
251 barricas cerveja iUum*lbm*kl\^%u'?^ d Soverno.-Conform,
23 voluntes fa/endas de algodao e .la horma ,.cla i#pcf.fr,0 da AJ&odeaa se faz publico
1 caixa cha ; a iN O. Bieber *C. que no dia 21 do concille depois de atafcdia
harneas baritina, -i! ditas cerveja, 5 cu- S(! hio ,]earramalar a porta da mesma Repart-
xas fazendas de ,lgo.lao a ordem. ?o> scn(|ll a trrenwtoe5o |ivrc e ,,ireUo6 ao ar,
6 caisas (senlas do algolo, 31 caixasde remaunto, 28 eaixas mas domares S :!,;,,,-
ferro, H fewes 11 caixas, 88 pecas machi- donadas aos direitos pele negodanlo Tbones de
Dismo ; a Braga Silva &C, Aquino Foneeea. Alf.ndeg. da Pemamfco
fardos fazenda dealgolo ; a II. I.lbson. ,s ,,0 J;ineiro ^ ,,,.,_ () ,;c!r ,v, ,
S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda
fazer publico, em cumplimento das ordens Im-
periaes, quo o oa/o dr 10 mezes marcad
lei para o descont mensal le 10 O/g i.o valor
das notas de 50j da ."..' estampa, papel rosee
de 500J da f.:", i* ljj estn
as.
^lorrespondeiici
Srs. redactores : A directora do Calelo
Porlugucz ile I.eitura, tendo annunciado nosjor-
u.i's i|iio o achava vago o lugar de guara da
sua bihliolhi ca, o leudo cu apresentado o meu
requerimenlo na conformfdade do annuucio, sen-
do o nico concurrente, segundse me fez con.-;-
lar, nao 6 Je admirar quo eu deseje saber qual
foi a razio que moveu a mesma directora a pre-
ferir, no provimento de um lugar rago n'om cs-
labelecimento portuguez, um estrangeiro ao ni-
co concurrente portuguez que so aprcsenlou !
A carta, pois, que dirijo a Vs. Ss., SCrve de
emprazamento mesma directora, para apre-
senlaressa razio; o cu espero que ella nao fal-
tar a este emprazamento, como, alies, do.seu
dever.
Sou. Sr?. redactores, de Vs. Ss. aliento vene-
ra lor e criado, entonto Augusto Xavaet.
S C 10 d.> Janeiro de 1880.
21 ditos dita dito-, a llarroca Medeiros.
11 caivos fazendas de algodao ; II.
1 caixa meias ; a J. Keiler & C.
23 ditos fasendas JealgoJao ;a C. J- A>tlcv
&C.
20 barricas comer para cadoia JamesOliver.
3 fardos fazetiJa de algodao, I caixa miude-
zas, : a A. C. de Abren.
i caixas made?as ; a Jantes Cial>i^r t C.
1" faribsc 32 caixas (azenda de algodao ; a
James Ueyler i C.
IOS volumes fazenla do linho e de algodao
1 caixa ignoro ; a Artkmghtt ; <'..
5 fardos (azenda do algodao ; a Sanad.rs
Broiliers & C
1 barricas (erragens ; a Parante Yianna \ C.
- 2 caixas obras de m-jtal e Je latao ; a Roslroa
Rooeher & (].
Jos Fernando Barros.
^ll*t 'AvOv'fc-*
Sub-lelegaeia da'freguesia do Peo 19 do
Janeiro do 1800.
Acba-se depositado um cavallo-alazao, eme
fora lomado a Amonio Sotorino, no lazar d i
Arraial como furia lo, a pessoa a qn .n o
perlencercompareea nesla SubJdecacia ja-tili-
cando Ihd .-era entregee. O Su:
Jos Goncalves ia l'orciuncula.
= Tendo o gov rn > i>n erial resol
dar fazer por ai io a arl
mdoga, perti ncenle ao ministerio do
. e |u ai la se acha por ci ocluir,
prrtn n lida desde liaba da ra do !
o arsenal de guerra, obse i md i-se o plano
apresentado pelo engcnhi iro C los '
PublicaQoes a pedido.
[lira. Sr.Pela torecira vez vou rogar a V. .
deraisso do lugar que oceupo, sem que ao me-
nos lenha sido contestado : creio qne o bem do
serviijo publico exige que continu no emprego
Se assim for, rogo en ar-cdamente n V. s se
alcancar di. Exm. Sr. presdenle di ; i i-
vineia liecnca para eu ir a essa cidade com a
maior brevidade, e a (aeuldaJe de ahi me poder
demorar .le 10 a l dias, que me 6 de absoluta
neeessidade. Dos guarde a V. S. Delegada de
polica dolera) da Ingazeira 31 de dezembro de
lllra. Sr. Dr. Tristao de Alencar Arai pe,
chefe de polica da provincia.
Jos Francisco d Suca,
___________ CapitSo delegado.
rr .-,-..^-r-.^^...--.-_,, LU'I 'L.WBaCd
1 calJeira 27 rocas cm dous nacolos, machi- P"'^"'0 s" '";''id :'s'",
:--.. i, V f rematar a conliuacao da referida i
n.smo a b. I. Johaster i L. ienlarem suas pi i era carta f.
tingue nacional Mara vindo do lio secretaria de estado, dcuti lo pi
Gran !e do Sal, consignado a Amorim & Irmaos. contodos dr ta d
manifeslou osecainle : Secretaria de c lado dos negocios d
,-., ," .. emSidc noicmbrode 1859.
10:340 arrobas de carne de charqueada, 252 Fausto i
ditas de grata. iSdilasdesebo-em rama ell Xov) BailCO de PeilUilIlbUCO.
coures vaceum a ao mesmos. .. .
CONSULADO 6EUAL. U novo banco de Pernarnbuvo i
5! 8 .o.-j i le as notas de sua emiasao de 1 S e de
_f^-^'11 --''. e pe le aos possui lores d ... rursmaa
55-99819 avor de as virem trocar i" s t; et-
criplorio, das 1 1 huras da niai.i Ka i te
vendicaenlo do dial a 19.
dem do dia 1- .
PRACA Un RECIPE 20 DE JANttIHU DE lili.).
TRES HORAS DA l'ARDE.
Cotoc&es orriri es.
Descont de letras10, 11,12 e 120 ) ao anno.
francisco doiw.de de Almeida.
Secretario.
AI.FANDR'-.A.
Rendimonto do di* 1 a 19. .237:847^576
dem do dia 20......8:1879791
DIVERSAS PROVINCIAS.
I l Midimento do dia 1 a l). .
dem do dia ......
3 599 738
DESPACHOS DE CXPORTACO PEI.A MES.t
DO CONSULADO DESTA CIDADE NO DIA
20 DE JANEIRO DE 18G9.
New-York Barca americana Virgniat, tl'ha-
lely l-orster Cv i'.., 1,159 saceos ass icar m c i-
vado.
Mew-York Barca americana I. A. Ila-anl.--,
Baroll & ('.., 60 sarcos assucar mascavado.
1 Philadelphia = Darca americana Imp radon,
UiUieus A. iv C 5J sacros assucar masca-
vade.
i MarselhaBarca franceza Deus Eduard, N. O.
Bieber i C., 900 saceos assucar mascavado.
LisboaBii.'ue portuguez Laia III, Jos Ja-
nuario da Costa, 2j saceos assucar brinco c
10 IOS dito na-' availo.
RECEIIh'DlHtlA rE RENDAS INTERNAS
GERAE5 DE PERNAMBUCO
Rendimcnto do dia 1 a 19. 9:2fil$39l
I dem do uia 20...... 412^790
9 177-! 1
240 035330
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimcnto do dia 1 a 19. 61026$956
dem do da 20....... 2:3~|948
as 2 da tarde.
3073297 Subdetegacia da Fregucsis de de S. .'.
iiq 1G de Janeiro do 1860.
Achao-se depostalos ires cavallos casunb -.
qua (orno encontrados as roas desta cidade,
qoe-n or s:i; danos eompar a i ne le i
jiisiificaiiJo IIic sero entregaos. Aulmio
Bernardo Qvinleiro, Subdelegad Supi
Pela mesa do consulado
publico que os trila dias ulcis para o ; jmen-
lo a boi ra do cofre dos imposl
sobre diversos eslabeleciiuentos d I
-1- de mod -.
vora, o de 2 (sobre rasas de i".'-' i .
lalivos ao auno flnanceiro de lv"iii a 166
cipiam a contar do di 16 de janeiio com
(Indo os quaes Qcam incur: is na multa de li is
por rento os que paga re ni ,U\
Mesado consulado provincial de Pen i
11 do Janeiro de 1860.->-Antonio Carnti.o II
do Ros, administrador.
\ directora das o! ras m
ctnsimir no quarlel do i.u batalhao >! ..n.il. i..
uma casa para banhos das piaras do dito i
quem desle servico se ''; ii 11 ncairegar, rompa-
reca na mesma directora, das 10 horas em dwn-
i'-, nos dias 19, 20 e 21 para tratar .i r
Diiertoria das obras militares di Pcrna
18 de jain ir de 1860.0 2." lenca!-'
se, Joo Monteiro de Andrade Malvei,
MOVIMENTO DA ALPANDEA.
22
53)
57S
107
272
379
Volumes entradoseom fazendas
< com gene; os
Volumes sahidos com fazendas .
< com gennros .
Descarregam hoje 21 de Janeiro.
Barra inglezaMirandamercaduras.
Barca inglezaCrownearviio.
Carca franceza = S. Thomaz carvao.
Patacho americanoSlervcrsgello.
15ri;;iie inglozCiernentcarvao.
Rriguo portuguezAmalia j diversos gneros.
Da rea inglezaFavoritaidem
Importnco.
Patacho americano James Carey Coale
vindo de Baltimore, consignado a llenry Forslr
4 C. ; manifeslou o seguinte :
19G1 barricas faiinha do trigo, 175 meias
ditas com d;la, 75 caixas banha de porco, 6 dilas
ostras ; aos mesmos.
Patacho ameiicjno N. Slowers vindo de
Boston, consignado a Henry Forstec & C.
manifeslou o seguate:
2 caixas e pacotes com dous carros rodas e
perlences, 40 caixas oleoem latas, 0 pacotes com
lies machinas, l moinho para mil lio, 3 jugos
para bnis 30 paeotes lampioes. 50 barris piegrs,
50 barricas (ariuha de trigo, 300 dilas maeans,
50 caixas velas de spermacete, 14 sccccs com
carvao, 180 toneladas de gelo ; aos mesmos.
Escuna dinamarqueza Heinrik viuda de
Ilamburgo, manifeslou o seguate :
1 caixa imprensa liihographica, 8 dilas obras
de metal, 10 volumes fazendas diversas, 3 cai-
xas papel, 20 dilas neo, 2 dilas armamento. 1
dita lancetas, G dilas perfumaras, lH volumes
(erragens, 10 toneladas carvao de pedra, 200
fardos, uma caixa mobilia ; aj. A. M. Dias & C
2 caixas pahlos de fogo, 1 dita miudesas,
I dita (erragens ; Henrique k Azevedo.
1 caixa couros; a Moasen & Vinassa.
25 ditis licores, 2 ditas pellos proparadas ; a
VI. J. R. eSilva.
1 dia sapaios ; a G. Bous?el.
1 barril tinta em oleo ; a Schafheitlem A; C.
5 caixas couros de lustro, 1 dili vidros,
1 dita ferragens. 1 dita bordados, 3 barra c 4
caixas tintas, 1 dita machina de moer, 1 dita
roda de ferro, 1 dita carias de jagar, 1 dita fo-
Ihos de oitro, 30 dilas mobilia, 1 dita ruanua-
turas ; a ^. O- Bieber & C.
1 caixa mobilia, 12 ditas maeans, 1 pacote
a mostras ; a ordem.
1 caixa consera de (rucias, 1 dita cabellos do
animaes, 1 dita biscoutM, 1 p&cote a mosiras;
aChristani \ Irmaos.
3 caixas meias de algodao, calcado c niercea-
rias ; a Amaral Alvcs & C.
4 volumes vidros e pinceis ; a B. F. de Souza
3lJ meias pipas vinagre, 190 gigos btelas,
2 caixas phosphoro?, 2 dins miudesasequadros
a oleo, 2 dilas bisroulos 2 dilas cartas de jogar
2 ditas charutos, 200 saceos (arelo, 10 barricas
gonebra, 1 caixa queijos 1 dita (azenias de li-
nho, 1 dita sement, dilas casticaes e copos do
vidro, 1 barril presuntos ; a J. Prsegar: C.
50 barris alcalino, 307 caixas velas slearinas
10 barris oleo de linhaca, 74 rollos de cabos,
23 pacotes linha ; a Bolhe & Btlolac.
20 caixas queijos, 1 dita chapos, do feltrc;
a Lopes Rodrigues, y
7 caixas couro de lustro, 5 iins c 1 pacote ;
SloTimento do ooro.
Navios entrados no dii 20.
Terra-Nova30 dias, brigue inglez Pliai
de 250 toneladas, capilo I. Harlery, equipa-
gem 10, carga 8040 barricas com bacalho ; a
James Crabtrec \ C.
Aracatj- o Ass-lS dias e do ultimo porto 8,
hiato nacional Iuveneivel, de .15 toneladas,
capilo Jos Joaquim Alvos da Silva, equipa-
gem 6, carga cera de carnauba e mais gene-
ros ; ao mesmo capilo.
42o> 8f-og c^- A - c.^-ea i :-53 1 Horas.
ti P a 2 -. o c.3 c 1 "i 1 o>__^i V. V. 1 w rr j Atmospliera. o >
o n a, o o Uirccrao. - -y. O
as t 2 l 1 ilutensidade.
--5 2 -H 2 < l li l l 1^ 1 ^i pe o --i es fc* ce a> '** i* i Centgrado. 5
- is 5. -fl 11 l l 1 ~l cr. c: 'h. Ce "1 Reaumur. o i c c
2 o o. < oc oc cr ot. -i i ti c-i i = 1 Fahrenht < >
^ "D cz = 2. v. t -r O " -1 ~I-i-i= i t'i.iti= 1 .-'; ^-f-'.-'S ; ;i Ge t;i 1 Barmetro. ~-~ y%
Editaes.
Secretaria do governo de l'einambuco, tai
1 de Janeiro de 1860. "
S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda
I fazer publico, em cumprimenlo das ordens im-
periaes, que o prazo do 10 mezes marcado na lei
; para o descont mensal de 10 U'q no valor das
1 olas de 503 da 3.* eslampa, papel roso, e de
9000 rs. da !.", 8." o 3.a estampas, qao se I subsltindo principiar a correr no 1. de abr
do corrento auno.n secretario do governo, Jos
lenlo da Cunha Figueircdo Jnior.
De ordem do lllm. Sr. Inspector da The-
souraria de Fasendadesta Provincia, se faz pu-
blico que a arremataco da parlo do sobrado do
dous an lares na ra da Guia n. 20, penhorada
aos herdeiros do Antonio Ferreira Doarte Vel-
| oso, nao tuvo effeilo no da annunciado por falta
de licitantes, o por isso fie. a mesma arrema-
taco transferida para o dia 28 docorrente mez.
Secretaria da Thesouraria do Fazenda de l'er-
namhuco 9 de Janeiro de 18G0. Quicial
Maior interino,Luis Francisco de S. Paio o Silva
A cmara municipal manda publicar, para
conhecfmenlo de seus plnnlctpes, e devida exe-
1 carao, a postura abaixo transcripta,' que foi ap-
provada pelo Exm. Sr. presidente da provincia
Paco da cmara municipal do Recife em ses-
sao de 0 de Janeiro de 18. ttanoel oaquim
do llego e Alhuquerque, presidente.ilanoel
i Ferreira Accioli. secretario.
4." seecao. Palacio do governo dePernambu-
; co em 17 do dezembro de 1S59.
O presidente da provincia, altcndeirdo no que
lhe renresentou a cmara municipal do Recife
| em officio do 12 do corrente sob n. 125, resol ve
approvar provisoriamente o seguale artigo de
[Mistura.
Artigo nnico As pessoas que caiarem ou pin-
larem as frentes das casa?, e rom tres obras dam-
niliearem os notnes das ras o os nmeros dos
' edificios, deverao repo-los no sea perfeilo oslado.
1 os infractores soffrero a multa de 10/ ; e o tra-
i holln sera feilo a cusa delles. Lux/ Darbalho
i Muniz Fivrq, Conforme. Antonio Leitt de
Pinta,
TIIEATttO
i i i
: osci
Terca-feira 2 Se Janeiro de I I.
StStgundo cmicerlo vocu! a <
Selii soeiedndo lyrlca italiana,
PRIMEIRA PARTE.
Symphonia.
Cavatina da opera Va hth do mi stro '
pela Sra Sofa Marni I<
Duelo da opera Traviala do maestro Vi
r polilo
Cavatina da opera Hastiad ere do maesli \
di pelo Sr Luiz Testa.
Grande rondo da opera J.uiia de Lammeri
do maestro Donizrptti, pela Sra. Gavetti.
SEGUNDA PARTE.
Symphonia.
Cavatina da opera Beatriz de Tend do ma s-
Iro Bellini pelo Sr. Hyppolilo.
Duelo da opera /.i:i Villerdo maestro Terdi,
pela Sra. Gavetti c o Sr. Testa.
Cavatina da opera Barbeiro '
maestro R03sini, pelo Sr. Jai
Du t.) da mesma opera, pela Sra. Mariai e
Sr. Ramonea.
O concert e regido pelo Sr. maestro I. Sn
PRECOS.
1.a ordem.......... i.-ivri
2." dita............. 15jl l
.'!.J dita............. Sel' i
Cadeiras'f........... 3|000
Plateas............. 2g000
Os bilheles aeham-se venda do cscripterio
do thcalro.
Comccari s 8 leras.
t rrr-t.r.sm
iie iui
Sbbaio 21 do corrcnle. baver grande na
poso baile nos grandes eespa sosa raes
de Apollo.
Debaixo di drereo do nevo proprietario An-
tonio Teixeira dos Santos, lem apresentado esti>
estabelccimeiilo a melhor et Iipi em N m diver-
timontos, loatinuando o mosmo :i empregat in-
dos os nicios ao seu alcance para a corasen
da mesma ordem, o expleador nos gens dti
meiito*, pe liado ao respeitavr i publie i a sua va-
liosa roadjuvarao, para levar a illVito lao luu-
vavel intento.
-O recula ment do lllm. Sr. Dr. (I.cfe dr poli-
ca ser fielmente exerulado, nao poden!
ingresso quem nao se apresentar doccntetMOi
vestido.
Bilhetes para senhoras gratis, para domen
1M1L1
it
KO
MAGEST0S0 SALAO
DO
PALACETE DA RA DA PBAIA.
Ihijv, 21 de Janeiro.
Haver baile indiibilavelrnente, o ser conser-
vada a boa ordetn e hbrmonia do costume, e fid-
raente obseti'sJo o cegntamento ] pelo


(4)
DIARIO ftt W.RNAMBUCO. SABBaDO 21 DE JaNMRO E 1860.

lllm. Sr. I)r. chefc de polica, o qual prohibe o | O'abaixo assignado forjado pela sua rc-
putaeao, a responder ao Sf. Bastos (sen ox-pa-
j lrao)| quaalo a perguntit que diz eu ler-lhc pas-
, sado alguns recibos, eslou ccrlo ler-lhe passa-
: do apenas un, o qtnl foi nolndo pelo mesrno
Sr Rastos (eslarS cerlo nisto), e en era lo nes-
cio e ncon.panhndo da boa que nem u t dc-
| pois delle passado ; mas estou pelo que Vmc.
quizer, s que Vmc. juslifiquo o que disse cm
seu oiinuiK'io inserto o Diario de 18 do corren-
te quaes sao a' despejas que iz e nao lancei; as-
ingifsso a quem ikio se apresentar cora de- pul
ceneja.
Devera principiar s 8 horas <: terminar s 2
da manda. Damas gratis, cavallioiros i$.
llavera soi-vete.
Avisos martimos.
Para o Porto.
Vi sabir rcm brevidade para a rdade do Por- sim como tem ospalhado por vanas parles que
lo o briguo portuguez Promptdao 11, forrado e son atrasos a mim agradece; Pergunto agora ao
encevilhado de cobre, de primeira marcha e pri- Sr. Bastos para que fazia o que nao podia, e
nicira classe, por ler parle do sen earregamenlo quando se lira diziaque ia mal; qual a resposla,
prompto : para o resto e passageiros, para os
quaes tem cxccllenlcs cojumodos, trata-se com
Elias Jos dusSautoa Aorado i ('.., ra da .Ma-
dre Jo Deus ii. 32, ou com o capitn.
luga-sco primeiro
andardacasa n. 15 da ra do Vigario: a tratar
coro Prxedes da Silva Gusmio na ra Augusta
n.9l.
Curso de inglez.
Eneas Bruce, natural de Inglaterra, e profes-
sor do liuguas, participa ao publico desla cidade,
que vai abrir um curso da lingua ingleza em sua
casa, todos os dios, especialmente para aquellas
possoas que desojara aperfoicoar-.se na conversa-
do ; .lesde as 7 ate 8 horas da noite, mediante a
quana de 5$ por BOX por cada alumno : na ra
do Queimado n. 26, primeiro andar, dcfronle da
Lr.i cnnsequenria de achar-se urna das pontes' loja da boa Varna
da via frrea em obras nao haver Irem na ler-
Para Lisboa,
mi MIMA
DO
Recife a Sao Francisco.
Ilimitado.
AVISO.
e urna das
OlVerecc-se amo mulher de meia idade pa-
ra ama de casa de pouca familia ou homem sol-
leiro : na ra do i'ilar, casa de urna porta e duas
janellas defronte da fabrica do abao Jo Sr.
Santos.
i
\ma.
Vcgeto-depuraivas
PILULAS VEGETAES
ASSUCARADAS
m t^ ros
ten excellcntes commodos, trata-sc rom .s seus
consignatarios Axevedo & Mundos, no seu es-
eriploro ruada Cruz n. 1, on com o capitao Ma-
de Oliveira Barros no Corpo Sanio.
Para o Rio de Ja-
neiro
NEW-YOUK.
O MELHOII REMEDIO CONHI-XIDO
o Sr. poder responder, j eslou cansado de cor-
rer para sua casa s para Ihc pagar seu protesto
de despezas, nao I aneadas, mas nem de noite
nem de din o posso encontrar, vea se marca
uma hora para nosso ajuste de cuntas, e que nao '
leve muito len:do, e sono justificar seu annuu-
cio ser Vmc. lido e havido por um grande en-
sogue com brevidade a barca portuguesa Harten- lumniador. em querer dessacreditar a honra de
cia, camino Jos Manoel fomao, por ter uma quem sua onsciencia mesmo conhece'o contra-
par! do rarrega monto prompto ; recebo carga a rio. Recife 20 de Janeiro de 1800.Manoel Mar-
irelc-, e tem boas acommodaedes para passagei- tins das Xeres Jnior.
ios: qnom na mesma luizcrcarregar, peder en- .. ,.,
lendcr-M com os consignatarios Amorin. Irmaos, = 'aixo ass.gi.ado tendo 1.do noCorre*
ra da Cruz n. 3, ou c5m o sobredi lo capitao na -"*'"''"""/ d" >> d ** : ut b '- de- TTccisa-so de uma ama que saiba aounhsr e
praca do commercio remoro do atino prximo passado um trecho da engommar : na praca da Independencia n. 3:
*' correspondencia desla provincia que a elle se re*- loja de chapeos.
Para a Fwucira, com escala por Lisboa, vai rerp> j,l)j;oll do SPll dcT agr;]e(.(.r pnr csll mn.., II
salnr no d.a 28 do crreme obligue portuguez do ao Ilustre correspondente as expressoes Ii- \ \\\l*\\Yt\l (l h'AVIl'J^ Estas pilulas, senJo nicamente cranoslas "Odas, diarr.iea.doenras da
.Bella Hgueireuse qnem neUo qu.zer carregar gras do que se servio, tratando da pessoa do i /llHIUlllll UU (MUiIU. de .,.. '.,"", p n Pe,,e' "'"pcis.e to lasas enformidade,
ou ir de passagem. trate com os mis consigna- ab,ux assignato. | a puros \etiats collados nos campos e malas provenientfs o estido implro do single
arios Francisco Sevenano Rabello & F.lho, no ; ,:, vrrilado nlmixo assignado ,m cmprega- SalllO a llIZ a fbihihn COITl I J'T'^13 de Pan,' Ja f,l analys>s 75,000 caixaadcste remediocousommem-se ai
brg-j da Assembla, ou com o capilao Luu de do 0 maior desvelo e mesrno algoih sacrificio! V J1,,Illua LUJ" polo Sr. Eiienne Lagarde no Correio l'aulis- nuatmente
Ohveirai Lobo na Prara,d,j commercio | para conseguir ler urna collec.ao a raais com- Oaillianak (13 prOVlllCia para Uno. onde sahiram algnmas nublicaces a res- i Remedio da nalureza.
^"i^MA^^l^TUS^i^ml ,,|a : >;s pubhcacoes da impresa nnsla COrirnP aiilin lo poilo das vitluJes c eflicacia dcste maravilloso, Approvodo pela faculdnde do medicina, e re-
liii.imiiiMi.ii ai, a uia zu ao rorrcnie, u m a provincia e a islo o lem movido a rnric.i do ,.,, U LUiiUllCilltllU UL ___ ,.......ndatio como o mais valioso catrtica re-
seu bordo dous tercos de seu cargamento : para ; est(1 Stni nfan um dia podcra ser do u,f,dado ao I ^ ^ ^ m '?">". e hoje se achao assar conhccidas gelal ()e ,odos ot wnhec'ds Sendo^!ui pHim
!.'''l.".q",!..'.': !^'!,.''J;''S'f'M'!'s.'''j'".05!1'10'^ ?" c1ue.Pr 8Ste modo ewar umalembran- jj (83j ;^ ifyk ; pelas innumuras curas que com ellas se tem puramente vegelaes, nao contera ellas nenhuiu
' ?a de si, evitar essa segunda morleo esquuci- 4| me.n'- ... .... ,. IS W >5r v&/ necessario, especialmente nos Incarcs onde nao esla0 bem^acondicionadas cm caixas de folha pa- j
A nossa historia poltica esta por ora nos nos- Tkr. i i- 8 raresguardar-se da humidade
isosjornaes, poisqueUmsidosempreojornalis- O qiial SC Vende a 800 l'S. lia "jcuverem mdicos e forera escasas os recursos Sao agradareis ao paladar segaras e efficaze
.moa arena onde se toom discutido lodas as ideas n|..,rn dalndpnpluIPTlfA livi-i- daemofclna' ?n> sua operaco, e um remedio poderoso para o '
boas ou mas. que depow se bao encarnado em i'1 Va ua nivii^ioiiuuilL i To^Jfolh^aoul'D^ lem dO nass.de sangue, .,ual ser a crcatura que! l^?^1"'1"0 aIC0,,,Pa",,i' ,n'la caixa pelo
louasas totliaa aqu puDIicailas o pie.iaiai osle- ,1,;",,.; ,u ,i, iar L,u ,-, .' i qalse licara couhecendo as multas curas mila-ro-
meiitosdequeumuiaseaprove.larqi.emsou- kaleil(lai'10 CCCleSiastlCO 6 MM? ender a propna conservaCao, der-, sas qilPlPI11 cWtuado. D. T l.anman & Kemp,
presando ura medicamento que, mesrno em esta- droguistas por atacado em Nova York sao
do de saudc, concorro para a loa nutricio da 1 eos fabricantes e propietarios.

s
-^ S.4?25i
Escravo fgido.
No dia 9 do corrente fugio do engfnho Piran-
hira.fraguezia da Escada, o escravo thom,
preto, estatura e corpo regular, semblante ale-
gre, falla desembarazado, representa 21 ranos,
p3 fcios, um tanto cambado, e dedos abertos ;
levou camisa de algodo de listra, calca de al-
godao azul o chapeo de liaola prelo; quera o le-
var ao dito engenho a seu senhor Roque Pe
da Costa, on a Francisco Jos l.eite nesla pnc,
ser generosamente recompensado.
Fugio no dia 17 do cumule o negro Boni-
facio, que tem officio de cohihoeiro perico
ao Sr. Diogo Jos Lcile Guimaraes, rapn
ler mais de 10 annos, leven vestido calca d<- rw-
cado, camisa de chita e paletol esbraqui
tem as pernas indiadas, ii baixo e leo i
marcas de ventosas que ltimamente batoa n i
pcito direilo, bstanle regrista, intitula -
curandeiro e fciticeirn : qur-m o pegar, leve-o
a ra da Cruz do Recife n. 61, quo ser grati-
licado.
O racio bllhele n. 1083 d.. 1 lotera d. S.
Pedro de Alcanltira do Rio da Janeiro, perten..:
cm nielado a Antonio Jos d >s liis, c so acha
assignado no verso do dito meio bilhete pe! >
O patacho nacional Capitam segu em poucos
<: ,'- por ter a maior parle da carga engajada :
pan n resto, passageiros o escravos, trala-se
oro .1. 1!. da Funseca Junior, na ra do Vigario
numero 23.
Para o Aracatv.
O luate Sei'ipano'> por ja' ter par-
t ld sen cure; unen;,), a Untar com o
iiic-tre IIMirujiu: Jos Vieira l^i Silva,on
com Luiz Borges de Ceiqueira na ra
do Vicario n. .
l'.iia Lisboa segu no dia 28 do correle o
brigje porlugusz l.aia III: quera nellc quizr
u- ou r de passagem, trate pon os seus
consignatarios Francisco Severiano Rabelln &
I h no largo da Assembla, ou com u capital
Jos Januario da Costa, na praca >) > commercio.
ber e quizer a historia da patria, quera quizer .,
civil:
apresenlar a face do mundo o que fumes, nossas
glori;
desvio.
Noticiados piiliciraes esta- existencia, e que serapre um "preventivo" de' cipVcSdTdVd^
qualquer molestia?... E'ineontestavel que gran-'
Concluir o abaito assignado estas reflexSes (los (];1 F IMTinn O \rrni*i-i Od
que Ihc cahiram involuntariameuie dos bicos da J AU de parle dos soffrimentos humanos lera por ori-
Contraconstipaccs, ictericia, affece, do finado SfSIB0?*?'.6f* Pder df Sr o5 An,oni
tbiliom^coca^di^e^^cT' 2d*!*B ^ "* *" '
(.fuera tirn (por engao] urna carta n.
do imperio, do miz de dezembro, m o l< ^ i
dono, ra do Encantamenlo n. 7, loja d al-
faiate.
O abaixo assignado daeUra ao corp i
racrcio, que o Sr. Manoel lavares Con. i i
de ser seu eaixciro desde o dia 10 do corrente .
Bssim como lica sendo seu caixoiro g n
uualqucr iraiisarco o Sr. Antonio Jos Bi| .
Jacintho Jote, do Amoral i
= Preeisa-se de uma pessoa activa, <\m- s
encarregue i.'c cobranzas nesla pia-a. i> qa
Qador, daodo-sc 5 OpVdc commissl < d i o.
brar ; a tratar no armazem de roupa feita d
Nova n. -(.
Ausenlou-se db raen poder, no dia l:i <
Janeiro corrente, O escravo Malbiis, en
tencente ao mcu casal ; rogare as aulorU i
mais pessoas, a apprehensio lo dito es ravo,
leva-lo ao esgenho Loa, ijne aeri gratifl .
maisum de nome Manoel, qu se acl i
desde outubro do aimi paliado
Precisa-se de orna ama do leite para criar
um menino: na povoaco do Monleiro,
Quiabc
os Ulll-
penna, assrgurando ainda uma vez ao ilustre o I'lOlllC, idade etc. (le SdlS illl- gero a impurosdo sana
correspondente do Mercantil a maior gralido
pola benevolencia com que otratou.
Recife 20 de ja icirode 1800.
Cactauo 1'irUo de Vera
ue.
DEPSITOS.
Rio de Janeiro, na ra da Alfandega n. 89.
pe-adores, reis e presidentes *-f'"5ta'" ^^U^^"^"**8^-''-80'".
T i uumanid.ido aconscliiando o uso destas pilulas, /-i i
ReSlimO dos mpOStoS ge-1, indicramos os differentes modos por que se tlirSO (lO prCpaiiatOriOS. I
Mga|ftfflgaBQBg l'aCS, pi'OVllCaeS, IllLlIlicipaC-S j8Ve,n tllas usar. segundo o estado das pessoas
Vndese a bar.-a i denominada Cor.
Brasileira, de primeira marcha, d< i.'.i.
consirucQ&o, fundea la '* \
tar na ra do Cr'.? luja
liaridade.
excellente conslruCQ&o, fundeada nn I
mos: a tratar ua ra d<> Cresp luja n. 'J.
Para Lisboa
da ultima moda.
Vendc-se bibis rerentementc ches
|| ei)oliciaes.
Tabella tos emolumentos
p pamebiaes.
Em pregados civis, milita-
eeclesiasticos, litterarios
dos '& res,
Deposito geral.
Ra Jo Porto n 119, perto da carioca Fio
de Janeiro.
A gradee! ment,
BaiflasKat'fto iguilo e esit<*m:s^<>.
[chapeos de senhora t>nra oasseiol un se- >&
nado andar do sobrado da esquina da S (,, l(,a a prOVIIlCia.
' ra do Queimado por cima da loja do Sr.
Prego 'a, entrada pelo bc;co do Pcixo
Frilo o. 1
Segu com toda a brevidade, por rr a maior
parlo da carga prompla o patacho porPiguez Jfa-
ria Ignes, capitao Antonio Jos da Rocha; re- ^^^s&ax^asE aa^*ffiCfia^a>Otaa
'"he carga afrete : quera no mesrno quizer car- owwo ir, poder enlender-se com Das'.os& Lemos,
i i.i iln Ti
:>:ctio n. 17.
Leudos.
Constando que ura dos herdeiros do finado'
Mrquez do Recife ja comecara a vender alguna
predios pertenecntes o cxlincio Hospital do
Ku abaixo assignado atiesto que padccenJo
minlia senhora de indaniaco de figado e esto- .,] ro paquete para o Rio de Janeiro declara
! mago por muito letr.po, e sempre tratada, ul- S 'i'"' '"''la ||,'VL''" c| (dado porem quera 'fP-
ASSOCiaCOCS COmmerCiaeS,limamer.teselhaaddieionou oo seu trataraento |i c julgar seu eredar apretentar as suas M
_. i i ,, ii. .i / 4 cuntas ie> liu:-l mglez, onde reside, den- Se
ngl'lCOlaS, indilStriaeS, llttera- "opa':o (cora permissao do medico atsistentei ag i,0 de dias a contar desta data, afim de
Has O nflrtMl!r.rf 3 "Ppl'co^ao das chapas medicinacs s do Sr. S
i ias c particulares. ^ Ricardo lvirk> C0II1 c,crplorio na rua (,0 Pail0 |g
EstabeIeCimentOSiabrS,n: n. 119, e a doente so resubeleceu nteiraroente,
dustriaes c commerciaes de faz uso (las c!,*pm do mesmo aul.or Para r,"aJo
ou estomago, sempro como coadjuvante do tra-
O bacharel A. R. de Taires Pandira, profes- I
preparatarios rhetorica, philesophia,. g^ogra- ES^&SSSM^u'*
pina, liuguas fiaucc/a e ingleza-; na casa de sua ,- "v"" ** l"it-
:ia. roa larga do Rosario n. 28, segundo ^>() (iCpOSt) O ,)rCl()
ssfse- reudem-se barricas com marcas da malltor. qu .-
io Jo gelo, o pala
andar.
seren pagas.
18CJ.
fl*-SS
S.
Recife 19 de Janeiro de x
-$19WfiKSIBHKfiia9aK-aKSI
Faraizo. Administrasao Geral dos Esbboleci- todas as (iualidadcs C01110 lo- lame-,
montos de (..andade de novo avisa ao publico i .
que esses bens ainda estao em litigio e por con- J,S' VClldaS, aCOllgUeS, dlge- ra"!0
sequencia toda a tranzarcao feita com ellos pode IlllOS,etC., etc.
tornar-se nullas- Assira pois ningucm para o
futuro se chame a ignorancia.
m
Na casa de banlios
do pateo do Car-
olo
Preeisa-se de
Serve elle de guia ao COm- Janeiro Joaquim Sabino Pinto Ribeiro
Uierciailte, agricultor, Uiari- Reconl* limo e ciiifiii, para todas asi'0 M* T ^ T' ^
classes da sociedade. LllPa OI1ipleta
Jos Soaresde A^Vedo, s<:" 'Wardo nesn incommodo.
professordeliogua e littera- lUieumatismo
r, >a mo at ao meio do braco.
nacional no uymitnmo Eu oboixo oMignodo, dociuroquo ma minha
Avisa-sc ao publico, que ningucra laca ne-
gocio algum "com Marciano Accioli Lins Barra las
acerca dus bens deste. visto estarem sujeitos ao
tito allnpathico a que se subrnetle, e vai ti- Vm o mesmo devedor.
proficuo resultado. Precisa-se de uma ama que saiba ensaboar.
|J que retiro e verdade, e o juro. \ comprar e fazer o servido interno de uma casa de
Collegio nacional em S. Cbristovao, Rio de pouca familia : na ruada Roda segundo andar
n. 47.
Altenco.
u agente Pestaa continua a estar aulorisado
pela comniissao liquidataria da cxtincla socieda-!
de de Qaco o (ccidos de algodao pira vender o
< istante do terreno do sitio da mesma sociedade.
O pretendenles podem dirigir ao armazem da ,
i ia doVigarion.il, a qualquer lioia do dia a1
ndiT-se com o difoagente.
CiLr.
Flix, Suuvage & C. farao leilafJ^pr
ntervencao do agente Hvppo!ilo da Sil-
v;i de um completo sortimento de fa-
zeadas de sed.i, seda e algodao, seda e
I.i, l e algodo, libo, elinio e algo-
dao todas propria para este mercado,
para o *iue convidam aos seus numero-
sos regueze a com parece tem no seu
armazem rua da Cruz : terca-feira 2
docorrente as 11 horas em |)onto-
Avisos diversos.
. co mais ou menos, chegado ha pnuco do Porto, Quera precisar de uma mulher de idade
^<>t lt Wl!; i t/^|V/SllV/ U^ Jiu^.l pal el n. M. i rua de Santo Amaro, casa n. 18.
ninrfkttC!fi Alll'APfnn^o r,-',-se 4003a juros, ou todo com seguranra
lIllJUL^^atr. 1 AU>CliLIltId. de alguma hypotheca, ou por partes com boas
Havia muito lempo que uma escrava minha
solTria de
,ficando debilitada irapossbilitanlo-a de fazer @
servido, soll'rtndo muitas dores e alem I
3-lho ministrado lodos os
como ultimo recurso re- j
laes do Sr. Ricardo Kirk
dor mistura a carne magra com ,gof*:".M%. dadora'ele Tiu^o oSado" S"^ C0'" escril,lorio na rua Jfl h* n. 119, cora as |
-O bacharelWlTRVIO tem de primeira sorte 5 gorda oalva. d nao a ano "Z2ZiSi6. do Quwn*do a M~ jqu.es irazendo a suppuracomuitos humores,
Na pra.j da Boa-Vista n. 1">, ha para
n= seguales objrclos : i cadeiras de I i
ditas de bracos, 1 mesa redonda de rneio de
tudo de amarello, 1 candelabro de vdrn, .
res de lanternas rom ps de vidm, i ,'.
grand-, 1 panno de mesa aveludado, 1 n
com ;i serias, e mus alguns objectoi
fcitcs.
Vende-sc um preto moco : na rua d
numero CO.
Existe na estribarla de palacio da i
ca umcavalln rodado, vmdo com os da
imperial, na viagem da Victoria, e cujo di n
nora-so quera seja : a jiessoa que se ja
direilo a elle, dirija-se a repart^o da obra
publicas, a fallar com o abaixo aasig .
avista dos signaos cerlos, far delle entrega.
Lma pessoa, que lem pratica do Magisterio, ; Precisa-so alagar um sitie com casa de ri-
e que se acha habelado, para ensinar primeiras
ATTE.XClO
venda pelos arraboldea desta cidade : na tu
Vigaiio n. 25, primeiro andar.
Isabel Mara Rodrigues da Silva, i
ia, relira-se pan o Kio de Jan ro.
O aniiiiriciaole do Diario n. 16 de .
corrente, em que chama Joio rarares Cordi ir",
morador na rua Velha, para que venha bascar
i urnas imagens que mandn encarna:, de.
Aquclles boohores. que ijuizcrom matricular que nao se emende com o negociante I
ecife a estacan es Crdeno, que mora na rua da Madre de
Pacheco, ane nnmejra 85.
mesma pessoa'. pess?" ?nc prPcisa arronJar -''"''
1 baua para plantar eapim, on fazer s-
letlras, grmraalica nacional, e nocoes geraes da
lingua latina, tem de abrir uma aula particular
na villa do Cabo, sendo preciso que lenha pelo
menos vinte a Irinta Huraos para poder princi-
piar
,,o. O, .te-ddri.*.. ,dcslas disciplinas, poden di- \S,tttt&*Lt&\ '^WM^fn
r*"* "" "**" igir-se-aindicada residencia ^.-f-g*-**. .^S. a^&^SL&L *-.
' Manoel F,,cisco Coelho ^:
-Prccisa-sc.lc.iinniomnodcll.micsp."*',?.!*"?.!*,.(>Ui.ll,l"C1' .101?-.. Ijlllft COIllplCtQ
Scii resguardo nem encoinmodo.
Inllaniarao to bacn e es-
Advertcncia.
Precisa-se de una pessoa forra aa i
que saiba engommar bem : na Pass igi :
da punte pequea, segunda casa a esju
andar, ou na alfandega, das ) s J da larde, a
tratar com Pirmino Jos de Oliveira.
Roga-se aos Srs. devedores do estabele-,
cimento do fallecido Jos da Silva Pinto, o ob- iJKSTM Fcrre,ira*.Si,?a ,
., ... r> i larl" na toja de raiudezas da rua do Livraa.
sequo de sa.darem seus dbitos na rua do Col- n. 2, Faz sc.enle aos seus regnes. qu- I.
legio venda n. 2 ou na rua do Queimado loja grande sortimento de.enfeiles para os
n. 10. e juntamente ricas franjas pretas para a qarcs-
iiiflamancao do baco o estomago AffiftASiSaa Afi ..-.'.i-.-> ma, e todos os mais preparas pan enl
. vestido e na mesma loja se dir queni .:
tomago.
n \ \ t p S "". "11:3.11.1 luja > una j'iei.i
i fllllx !?A II/UH? UL s*""*-"^""* 1 "ypotlieca ou boas lirnias. s-ja que quana or,
5 V ^ a prazos pequeos .! t, 4 m
igual
dias
o seu escriptorio no 1* andar
do sobrado n. 23da rn,. Nova,,,
o aiva e nao e a que i lar na mesma casa.
que tal vez soja de
lem-so dado estes
segunda sorte. = Precisa-se alagar ama escrava para o sor-
O abaixo assignado tem justo e contratado a "50 interno e externo de uma rasa, assim como
mais perlenccs da loja tambera ura escravo : na rua da Santa Cruz n. C6. 30ra lrauall)ar i porlanto, reconlieccudo eu o
brevemente sentio visiveis mclhoras, e no fira de] ^ ".hotel inglezahi receber a gratiflcaca
23 dias se achou per feita raen e loa, podendo Sala* .. .....>------Ba .-. ,0.
Dosapparcceu na noile del 7.do corrente IVphin.'hi enm
s 11 para as 12 horas, do hotel inglez, g t-^niIlLIld SCII
um cavallo castanho com cauda e dinas '' ^endem-se barrilnhos comllgosdeeonifl
largas, tendo ura dente quebrado e no $ pelo diminuto preo de 1,400 j barril: no
pescoco alguns calombos: quera o levar gg do Mallos, rua da lloeda n. 23.
<*Uja eiltrada pelaCambOadO ''- '!"".a J"*Hi com os'Srs. A.ilonio Josj Oadvogndo Souu Reis mudou "oseu^es- m(rerec'n>enio das ditas chapas, e dando ll.es o
CarmO. UonartVadSff^^^ ft" *? **. & a presento declarado
[Jos Pedro Fernanda
Precisa-se de uma ama forra 011 captiva
O- 1 1 : juiz municipal supplen-1 _
te ('Ul exerciCO da 2." Vara, para o enrien de uma casa de pouca "faimii"
trausferio sua residencia para '
a ruaNova, primeiro andar do
sobrado da esquina n. 23, on-
de te 111 fabrica de chapos de
sol o Sr. Manuel.
Pergunta-se
a ci'iero eatoder da materia, sr* e ou
nao exorbitante a nantia de .s', pela
encadernnoao com cipa de velludo, pe(|'icnas ponas
e tima delgada cimpa depiatn dourudn,
pedida por certo brnecedor pouco cs-
cnipuloso.
Charutos de Ha va na.
Vende se charutos da llavana das
psra salisfaco do seu amor. Antonio Mi-
Prope-sc uma pessoa que se acha habili- noel Sodr, rua do Conde n. 20, llio do Ja-
lada para ensinar primeiras letras com perfeico,
nocoes de arithmrlica, e desoja fra desla cida-
Monitor das Familias.
5;;;
AKeiifo.
O l)r Manoel Moreira Guerra,
t.:in o seu escriptorio de advocada na
rua e^treita do liosa rio n. 21, primeiro
andar, onde sera' encontrado nos dias
ut s das 10 lioras -x manhaa ale as 5
da tarde.
O tiniureiro do aterro da Boa-vista avisa
aos seus freguozes quo mudou sua residencia pa-
ra a rua da Itoda, segundo andar u. 47, onde
continua a ungir com perfeico.
Precisa-se alugar uma casinlia cujo alu-
guel nao excida a 1G rail ris, dando-se as ga-
do em algum engenho ou fa/.enda : quem de seu
prestimo se quizer ulilisar, dirija-se a rua do l"a-
gundoa n. 25, que achara cora quera tratar.
Precisa-se de uma ama para o servico de
pouca familia: na rua da Impcratriz n. T!
Altenco.
Roga-se aos devedores taberna sita na rua
neiro.
( Consultas lodosos dias, das 9 horas da ma-
ullan as 2 da larde. )
Km additamento ao annuncio inserto no
Diario n. M de i do corronli1, declara-se quo a
pessoa suspeila de ler furtado o novilho prolo
levara muito poneos rezos, e cujo conductor dol-
as era um dcstes individuos que fazem profissao
lessa industria, o a que chamara langedores.
inalmenle declara-so mais que no mesmo dia
V'eqde-se farol o d-.- Lisboa em saceos de :
liras, pelo barato proco do Gg o sai
Acham-sc publicados o 1., 2., 3., I." e 5." -".jOO o sacco, arroz, de casca em san as, di
nmeros da serie extraordinaria deste peridico, Maranho, cafe do Rio, feiio malalinho,
destinada a dar conta da visita imperial a esta do Arecaty a 2g500 a arroba, coarinhos de ca-
bra, esleirs do palh.i de carnauba, rass
idero, batatas a 25300 a arroba, muito n
figos muito frescr.es a l$(00, passa a Co u libra,
deS. Jos u 2,qucvenhamsalisfazerosseusde-.', fs,pcH" do fes,aJ P"^" 5ulr0 lanSed?r cou-
bitos at o lira dcste mez.alis passarUTpelo dis- d '" um VI"* lote do rezes, lo Jas. ou
sabor de verera seus nomos por extenso ueste 1"?sl'"daV. ViHcas sem cr!?s' sabe1e ?UV:, esto,
provincia, devendo sabir o 6." por loda a sema-
na vindoura.
Dcz estampas acompanhara os nmeros publi-
cados: os retratos de SS. MM. 11. : as vistas do
seu desembarque na rampa do caes do Collegio ;
a passagem do prestito imperial pela rua do Im-
perador; as liimiuaces da Boa-Vista, Arsenal
de Harinha, l'ra de Pintas, Lingoela, rua da
Praia e Cinco l'ontas ; o pavilhao e chave man-
dados fazer pela cmara municipal, o a sala do '.
docel do paco imperial na occasiao do boij.i-mao j
dado no dia 2 de dezembro.
O sexlo numero ser acompanhado pela vista |
' da igreja do I spirilo Sanio na occasiao do Te- I
doce do gc.ial.a, rolas do carnauba, dil
permacete ; lodos estes gneros vendem-t.
iiiCii'S preco que cm oua qualquer parte i.
armazem da rua do Rangel ti. 02.
Fesla na freguezia
dos Afosados.
Diario, e declaradas as quonlias
Roubo no Recife.
Roubaram da rua do Encantamento n 4 B.tcr-
_,. ... ------------ ** IM> WV l.il' MlUIIIIV.lty II 1 ','*- I
ranitas precisas : a tratar na rua Direita loja de ceiro andar, de 1 s 3 horas da lardo de 17 do
miiidcsas de urna porta confronto ao beco del corrente o seguinle :
1 coiTcnlao de ouro de lei cora 1 chave.
S. Pedio
No dia T) do corrente dcsapareceo da rua
larga dj Rosario um quartao coincangalha quera
o liver achado annuncie por esto Diario afim de
Na oRcina e galena da rua Nova n. 18, pr-
meifi andar, eoiitiinia.se a tirar roltos pelo
-t.a norte-americano. Mais de 50OO letra-I
quo seu dono o possa ir revendicar dando o ferro
melhores marcas canhectdas nesta pro !e8ignaes, que pagar todas as despesas.
vnca: na rua do Imperador a. 11 C. |
Fumo americano
Vende-se fuo americano para fazer cliarutos
c cigarro, e mascar cm caixinhas de 20, e 40
libras ao prec,o de 450 ris a libra ; na rua da
Cruz do Recife n. O primeiro andar.
Precisa-se alugar ura pequeo sitio na Ca-
los lirados em poucos annos pelo artista que'Pun33 ou Estancia, promete se nada deteriorar
quera o liver para alugar annuncie ou derijase
a rua da Caleia do Recifo n. 19. que achara
com quem Iralar.
Quem annunciou ter nma baixa com ca-
pia), para arrendn* queira dirijir-so a rua da
Cadeia do Recife n. 27 segundo andar por cima
do selleiro que achara com quem tratar.
Feitor
Um hornera, portuguez, offerece-se para tra-
tar de qualquer sitio nos arrabal-es desta cidade,
ou para tratar de cavallos era alguma cocheira.
Para ajustar no hotel Tro\ador rua larga do
Rosario n. 46 das 8 lioras al ao meio dia.
dirige esse estabele 'iiueulo, p.'ovam a bondade
Jos procesaos ompregados (nicos, que garan-
ii'/n um retrato innalteravel) e a aceilacao que
ai de BKM ALTO tem merecido. No n esmo
t-slaboleciiBonto se eucontra o mais variado,
abundante e bello sortimento, que exislfl nesla
. idado, de quadros, molduras dour?d.s, pas.-o-
par-lonls e caixinhas do lodos os lamanhose fei-
iii.s Cnstanlcmenie recebo -so de 1'ranea e dos
l'stidis-L'nidos todo o que diz respeilo a" photo-
graplna, e sempre despre/.ando-se r jieulas eco- '
iioini.s, mandara s" vir objeclos mais modernos, '
ede rdffhor ipislfdadc nttoslara-no as amostras
patelos ao publico, assira como aquellos que
tem honrado csso estabelecimento. Tiram-so
retratas lodos os di.is, e 03 precos principiam
cm jflOO r*i.
Ferreira Vllltla. protographo.
1 cadeia de duas voltas cora podra no meio.
1 redoma grande com a imageni de Christo
em um lado, o do outro a de Nossa Senhora or
lora.
1 pequeo rologio horizontal descobcito.
1 sinete. e chaves juntas, c grandes.
anneloes sem firma, sendo um com pedra
encarnada.
3 pares de botos, modello antigo.
1 boto de abertura, modello antigo.
1 annel do cabello cora as letras 1. A. B.
2 raood-.s de Ojcada uma.
2 ditas dolares de SoOOcada una.
1 dita dita de 43500.
1 dita dita de 2JO00.
1 dita Jila do 500 rs.
1 par de vellas de prala. de suspensorios.
2 iivellas de dita para calcas.
individuo dirigio-se com ollas para o lado.do sul
da provincia, sendo encontrado em camiohu por
uma pessoa que disse trr visto entre estas rae-
cas o novilho de que so traa : quem levar osle
novilho, on delleder noticia certa, de maucir.i
que possa seu dono hav-lo novamente a mo
ou son val.'i-, receber 20>000 de gralilicacao da
mo de Salvador Coellio de Drummond e'Albu-
qu erque.
Sitio Monte-Alegre 17 de jancirade 1860
Aluga-sc ou vende-se um carro do traba-
lhar na alfandega, quasi novo, c por barato pro-
co : a tratar na rua do Burgos n. 31.
O antigo cstabelecimen-!
lo de fabrica e loja de chapeos
nesta cidade na praca da In-
dependencia ns. 24 a 30, de
que proprietario o Sr. Joa-
quim de Oliveira Maia, ausen-
te, continua no mesmo lugar
No dia 27 do co: rento se levn.t ni a
j bandeira da padrocira Nossa Senhora da
Deum abi celebrado.
Cutre os 3rtigos publicados sobresali
que, dando conta da genealoga de SS. MM II ,' Paz, COrn O esplendor do COStnme, ves-
moslra que as mesinas Augustas l'cssoas contara. oe.,.. c O da ->. sera." lie lna (sta i
entro os seus ascendentes mais de 70 Reis e Im- : rL\a L u'a J sei l UL l l ,t''' '
peradores. ; noite o le-Deum, c d<*p^is machinas e o
Hecebera-se assignaturas por toda a serie ra- fogo de vista. No dia oO ter lugar u
zo de 5;0;)0, na rua do Imperador n 22, pri- (,r, i ce c -____% "
meiro andar. *e8la Jo ^!* sacramento, e a noite
tera' lugar no jiatco o brinqueio dn-
bmguelinlios.
Aviso.
Diversos podacos de ouro e prata, 2 passadores
e pegadores de tranceln!, tendo ainda nos pega- C CaSa, SOl) a gerencia de SeU
dores restos de trancelim : pode, nortanlo, o i _i_. a i i /-i*
abaixo assignado. a todos a quera Ihe for tcs SObrilllO MailOCl de OllVeira
objeclos oll'erecidos, e era particular aos senho-
ios ourives. 03 apprchcndam ; cortos de que,
quera der noticia de ditos objectos, ser gratifi-
cado rio caos de Apollo, deposito da relinacodo
Monleiro, por F. da B. Passos Lins.
Preciza-se de uma ama que saiba coziuhar, ranCISCO MOreirR Millil.
engommar, o que faca as compras diarias de Jfi i A A& nu>ii-n #1a i k\(\
uma pequea familia: na rua das Cruzos n. 41,.Cl,lyl* uejaUCHU UC lOOU.
segundo andar. j por procuracaode Joaquim de
Aluga-se o sobrado n. 11 C de dous anda- i .... '. _. *- / ,
res e sotao, silo na rua do Imperador : a tratar OllVeil'a MaR, JOSC AntOlllO UG
no Mondego, em casa do fallecido commendadorl r. il
Luiz Oomes Ferreira. v-aIVainO.
Maia Jnior, por ter de com-
mum accordo sessado nesta
data a gerencia do Sr. Manoel
Re-
Procisa-so do uma ama quo rnzinhe bem, para
casa de hornera solteiro : na rua do lrapcralri*/.,
loja n. 82.
Precisa-se alugar una escrava para o ser-
vico interno de casa do pequea familia : a Ira-
lar na rua do Cabug n. '.i, no segundo andar.
O Sr. Joo Tavares Cordeiro, que mora
na rua velha lenha a bondade de ir buscar as
imagens de Santa-Anua Santo Cosme e Damij
justas por vinte eum mil ris pois j bstan-
le lempo do espera, e bastantes veses que se tem
ido a sua casa peJir para quo assim o cumpra
fique o mesmo sr. advenido que se espera at
o fira do mez ; sirva este tambera para oulras
pessoas queem cisa do mesmo artista tem man-
dado encarnar santos e l esto!de!idcs, elle cm-
prega dinheiro o nao pode empatar sem lucro
algum por que entao os vender e perderao
seus donos todo o direilo a elles. Recife, 19
de Janeiro do 1860. Antonio Firmo
O Sr. Filippe Benicio de Albo,
querque Cavalcanti, queira chegar ao
pateo do Terco n. 40, a negocio que
nao ignora.
Fugio na madrugada do di.i 10 do
corrente do sitio do Sr. Jos Teixeira
Basto no Manguind, um cavallo decr
russa, gordo, idade pono man ou tre-
nos 11 annos, dinas grandes e com sig-
naes de eolleira no peauoco e uma mar-
ca no quarto eiquerdo : quem o levar
ao sobredito sitio ou a ru.i ra Cadeia to
Recife u. 21, receliera' alviraias.
l Denles arliciaes 1
jtjRuaeslrcita do Rosario n. :>
3$ Francisco Piulo Ozorio colloca denles S-
sg arlificiaes pelos dous syslernas Volciniie > ^
f$ dupas de ouro ou platina, podenda ser ;i
procurado na sobredila rua a qualquer 9
hora. SJP
Vende se na rua do Imperador
n. 5, o horn doce de banana assim co-
mo de outra qualquer qualidade.


DIARIO DE PERNAMBUCO. SABBADO 31 DE JANEIRO DE 1860.
'M
Ll(lOES PRATICAS
DE
ESCRITA COfflMERCIAL
Por partidas dobradas
E DE
MHtnaiiriicn
Ra Nova n 15,segundo andar.
M. Foimoc: dclIetleiroH, escriturario da
Ihesourarin do fazcndadesla provincia,compclen-
DF.LICIOSAS E INFALUVEIS.
Pastilhas vegetaes de Kcmp
contra as lombrigas
infallivel contra as lombngas. Niocausam nau-
soasnem sensaeocs di bililanlea.
Testemiinho expon'.anco era abone das parti-
tementc h ibililado pela directora de instruceo
publica paa leecionar arilhinclica nosla cidade, approvadas pela Exm.a Dspccrao de esludo de
lem rosolvido juntar, couio complemento do seu i Habana e por militas outras juncias de hy-
curso pral co do escrituraran por partidas do- gieiie publica dos Eslados Unidos c mais paites
bradas, o casino de coiilalulidaio especialmente da America.
na parto relativa a redueco de moedas ao cal- Garantidas como puramente vegetaes, agra-
cillo de dcscontos e juros simples e composlos daveis vista, dores no paladar Sao O remedio
conhecimento inlispensavcl as pessoas que dc-
sejam empregar-se no commercio ou que j se
acham nelle eslabeleeidas. A aula ser aborta
no dia 15 de Janeiro prximo futuro s 7 horas, masue itemp.
da noite; e as pessoas que desejarem nialricu- Sis. D. T. Lanman e Kemp.Port Byron
lar-se pudero eixarseus nomos cm casa do an-112 de abril de 1S59. Senliores. As pastilhas
nunciante at o mencionado dia. Iqoe Vnies. fazem, curaram incu lilho ; u pobre
Lina pessoa que desoja mmlar-sc e nao tendo r**"* padeca de lorabrigas, exhalava iim chei-
achado casa. Dio tem duvida om Irucar o pri- ro ftido, tiuha o estomago tachado e continua
metro andar do sobrado em que mora coiu oulra I comichao no nariz, tao magro se po/.. pessoa qi e estoja as mesmos eireumstancias, tema perdc-lo. .Sosias eireumstancias um visi-
ainda mosmo que a troca soja por urna casa lor-1 nlio mcu disse que as pastilhas de Kcmp tinhan
rea: a tratar na ra Vclhu da Boa-Visla n. 77,1 curado'sua lilha. Logo que soube disso, cum-
primeiro .indar.
Procisa-se de
urna ama forra ou captiva
para o servico de urna casa de familia, e que se
preste a omprar e a sabir a roa em objeclos do
servico : na na larga do Rosario n. 28, segundo
andar.
CCSfPAffmJL
I i IANPF
Lstabcleeida em Londres
CAPITAL
Cinea mtlh&es (Le Ubras
esterlinas.
prei 2 vidr is do pastilhas e cora ellas salvci a
vida de meu filho.
Sou de Vtncs. sea amo agradecido.
W. T. Floyd.
Preparadas no sen laboratorio n. '' Cold
Slreet pelos uincos proprtelarios D. Lanman c
Kemp, droguistas por atacado em New Vork.
Acham-se venda em todas as boticas das
principaes cidades do Imperio.
DEPSITOS
Rio de Janeiro na ra da Alfandega n. 89.
Rabia, Germano & C, ra Julion. 1!.
Pernainliuco.no armazem de drogas de J. Soum
iS Companhia ra da Cruz n. 22.
v*i
niODO jfowffl
DO DR. CUABLE
MEDICO E PROFESSOR DE PHARMACIA, DE PARS,
PARA O TRATAMENTO E I-RMPTO CCRA11V0
BAS ENFKRM1DADES glIXCAES, DS TODAS AS AFrECCOES CLTANEAS, VlIl'S
Citrato de ferroChuble
Xaroptr mui preferivel ao
DO SAHCCE.
PLUS,DE
COPAHU
Copahiba as Cube-
bas, cura imraediataroen-
te qualquier purgarlo ,
relaxacao e dtbilidade, e igualmente fluxos e
flores brancas das raulheres. Injccgao e
Cbnbie. Esta injeecio benigna emprega-se mes-
mo tempo do xarjpe de citrato de ferro, uma vez
de mauba, e uma vez de larde .durante tres das;
ella segura a cura.
OEPURATIF
dnSANG
E Al.rKIl AC0ES
Depurativo de aunque.
X.nope vegetal scni mer-
curio, o nico conhecido
e approvado para curar
cen piemptidao e radi-
calmente inipigens, pulula?, bupes, sarna, co-
mix6s, acrimonia eaJttiariVs viciosas do san-
gue ; virus, e qualquer slleio venrea. a-
n'ios niiiiii ui-s Tomio-te doui por semana, se-
guindo otraiamenlo
  • tiiiei'pei'H. I)e un iBato nuravilhoso as ut-
    licoes cutneas e comios.
    Hc-itori'ohidnia.Pomada que ns cuaa em 3 das.
    O deposito e na ra larga do Itosario, botica de bartholomeo Francisco de Suuza, n. -%.
    Perci-a-sea!ugar um andar de sobrado,
    ou casa terrea, nos bainos de S. Jos, S. An-
    tonio, e Uccife. quem tiver an nuncio para ser
    procurado
    Compras
    Luvasdc Jo iiviJi-
    Vondem-se verdadeiras Ihtm de Jomvh n:
    novas, pretas, et do canua, a bacas pa
    mens e senhoras a 2$500 o par. par nabar : <
    i un da Emperatriz, loja da b Aviso aos senhores do en- i^ara acab'.* VCnde-SC
    gcnlios.
    Conipra-se mol em poreo : a tratar no caes
    do liamos n 6.
    Compra-ve um casal de eseravos. que es-
    lej.im acoslumados no trabalho do campa : ra
    da Ira-peratriz n. 47 teireiro andar
    Cjir.pra-se Uttia I tera
    do-se de mola : na itraca da
    delicia n. 6 c 8. Sapates do iustre para menina a
    ,-, .. .;,) Ditos '.: brterro pira meninai i
    Compra e moa llteira: ivMn y \p Bofina* de bp/cirol.ra m.m
    pographia. ^ lura pie ;-'
    = C.oinpram-so as seguint.- comedias Ber- SI '' ''' :
    nardo na La, o .Indas em Sabiado de Ailulcia. |?R apalo*ra*os le iuir<
    Quem casa quer casa, Tur causa de um ;.!
    prch-nn- ]
    lnuepen-
    natfl ry-
    barato n de Na'uu -
    Coa C na na Nova n. 2,
    o secuinte:
    *
    '- giiins de duraque gsspeaiiu de
    lust i" para enhorn a
    Hilos !. o I lo pai
    lo'S '.' lustre ar > lio mean .1

    11011:01:1 a
    mo, \ rosea, n l'uelo no Tcrcoiro Andar, o ir-l'i J.!1'"?
    mao Jai Almas eo biabo na escola : nesta tjpo- fie?
    ^^^r' Ruada Imneralrzn. 2
    graphia so dir.
    mvs Kxair. ;vv
    Vendas.
    ou
    Sil
    Ra Nova, em Bruxcllas (Blgica),
    SOB A DIRFCClO BE E- ktRVAD
    Vende se superitar <|ueijo !e pral i I;
    alifara dito suisso a 80<) is a liba, man
    ngleza prinieira rjnalidade a l2r(K<0 d frau-
    ceza 720 cka de priincira r|nildado 2$56< i
    --r-'ditoa 220U dito 21 I I I
    tilas as qualidades, pe ai sefrai a BfiO
    a libra e caisinkas de -i libras :-
    <], i
    1 a \j
    ifS O L)f. Cosme de Sa Pcreira V
    ^devokpdesua viogem njtructi-^
    ?tv.i a Europa continua no exer-Slg
    jlciciodeua proiissao medica. -v ^"emanlia o r ranea, como portera dous minutos de si, todos os theatros e diverlimcntos ; e,
    '' alm disso, os mdicos procos convidam.
    L'sle hotel CullocaJo no cenlro de urna das espitaos imrorlantes da Europa, loma-fe Je grande
    valor paraos brnsileiros e portuguezes, por setis hons commodos e confortavel. Sua posicao
    uma das inelhores da cidade, por so achar nao,s prximo s estafos de camiulios de ferro, da
    j Da' consultas em seu escripto-J
    [ro, no barro do Keci'e, ra da^
    Cruz ii. 33, todos os das, menos^jj
    Saundors Brothers & C." lem a honra de ln- ^
    formar es Sis. negociantes, proprietarios dellgnos domingos, desde as O lioras^j?
    casas, eaguemmaisconvier, que esiao plena- t as 10 da manhaa, sobre os&
    mente autonsados pola dita companhia para I jja :V
    etfectuar seguros sobre edificios de lijlo epe- -H se-;uintcs pontos :
    dra," cob.'rtos de tclha e igualmente sobre.os|S 1-. Molestias de olbos ;
    o agente do rerdadeiro xarope do Bosque lem
    PStabcleciJo o son deposito na ra da Cadeia Ve-
    Iba n. 61, na botica earmazem de drogas do V-
    rente Jos de Brtlo i Filho: desnecessario fa-
    JN'o liolul basempro pessoas espociaes, fallando o francez, allemo, (lamento, ngloz e por- /rr elogios bondadn deste iaro e, nao s polo |
    objectos que coutverem osmosmos edificios,
    quer consista cm mobilia ou cm fazendas di^
    qualquei qualidade.
    Traspassa-se o arrendamento de um enge-
    nho distante desla praca duas legoas. ven -se
    urna iiaric no mesmo engenho, machina nova
    dislilaeao nova ebem montada, 1
    vapor, dislilaeao nova ebem montada, z: bois fS* rau<
    de crrela, seis quarlos, algumas obras, salir;i J'| operaci
    plantada, etc. etc. ; trata-se na ra do Crespo n. \, .'
    i inin LC para
    ^:.j 1*. Molestias de caraca
    peito; j
    ;/' >-. Molestias dos igaos da gera-fcv,
    cao, e do antis ; ^v
    i". Pratie.ila' toda e qualquei v
    luguez, para acompanhar as tourisias, qur em snas e\cur?5es na cidade, (ur no icino, quer
    emfini para toda a Europa, por prrc.os por dia.
    Durante o aspaQo do oito a dez mezes, ah residiram os F.xms. Srs. conseliieiro Silva Fer-
    ro, e son filho o l)r. Pedro Augusto da Silva Ferrao, ( de Portugal) o es Drs. Felippe Lores
    Nelto, Manoe! deFigaeirda Faria, edesembargador l'cntes Visgueiro ( do Brasil, j c inuitas ou-
    defi SlrS pessoas tanto de um, como de oulio paiz.
    13, loja.
    Precisa-so de uma criada quesaiba engom- 3t
    mar perfeitamenle e ensaboar: na ruado Quci-|g| Q cxame das pessoas que o con- S5
    to quejulgarcouvenien* r
    para n resta belecimonto dos Se
    seus doentes. ;*
    Osprtc.osde lodo o servico, por dia, rugulam fl 10 a 12 francos (4-5 iNo hotel encontram-se informacis exaelas acerca de ludo que pode precisar um estrangeiro
    Bezerros frau-
    cezes,
    Je nitiito boa qualidade, reconlemenl 1., -.
    vende-so no armazem de Almeida Gomes, Alvos n 80 a libra, veilas da espermac.:; a Tro
    iSiC, ra daCruz n. 27. a l.bra libo tnaleira seca d
    muscalel
    Vi i
    , ai relias e j>rel pai
    r alares. i i j\ i n
    ' :T^ na N iv,i n. i .*, ;
    "----
    _. _
    .,_>:. m ;I -^ ._ .,-.. .
    Vende sa a loja de co!
    Cruzcs n. :0

    reconhecido credi o de seu autor como pela acci
    laefio que geralmenle tem Ijdo. I ni ocm mi- %
    nnoo de curas se lem conseguida com applica- l
    eodo xaropo de Bosque, oqual verdado.no an \'iy,\ raa Novan. 2, u se; linrc
    liiioio paia todas as molestias cm orjios pulmn. .\ Fumo caporal, o i .
    nares. Para conhecimeutn do publico declara-I ifci l)it.d se que o verdadeiro contera no i nvollorio a pro- Vi Hap -1 para i iros o I
    pria assignatura dos proprietarios, e no falsifica- S Cig.'ii Bol i .
    do esta lilhograpbada. | I.....rroi s di .
    Vinho doPorlo.

    ra .
    Aviso aosffifflanles
    .
    . I
    Sirop du
    DrPORGT
    JARABE DO FORGfiT.
    Este xarope est aptrovado pelos mais eminentes mdicos de Paiis,
    Icomo sendo o melhor para curar constipares, tosse convulsa e OOtras,
    aueccoes dos branetnos, ataques de peito, rritao&es nervosas e iusomnoier.ci:is: uma colheraia
    pela inanli, e outra i noite sao sufiicientes. O ctTeito deste excelente xaropc satisfaz ao mesmo
    lempo o doente e o medico.
    O dsposilo na ra larga do Rosario, botica de Bartholomeo Francisco de Souza, n. 36.
    Boleas pai i
    Vende-so o verdadeiro vinho do Porto- rugar- ,
    ! II,.,
    ni..
    r.ifado, c'eni barrisde qnarln, poi .i. -1 ,
    do: no armazem de Adamscn tlowit \ r. na
    ra da frapiche n. 12.

    arinhailc
    riso.
    o
    um da
    rnado n. 2S, lercoiro andar. */& .. ',,. KJt
    Piibltcago littefaria. !$"ita:em sera ffl10 J*1 ncla"i
    ^ ,, ..*. ... n ; Si mente, e na ordetn de soasen- t>
    Guia l.uso-P.rasileirodo \ i.nanle da Europa i -Ji hl-
    1 vol. em 4" de 50pag.: vende-se ua mao do V< tridas; lazcn.lo excepeaoosiloen- \*
    autor roa do Vigario n. 11, brox. 3 oncad 4# JKtes'de olhos, ou aqueilesque porUf. Inaependencia precisa-se tallar aoSr. ?oga no civil e no ctime; para o que
    $$&&&&&&& -jMf&MM>% i P motivo iustoobtiverem hora mar- 1 '>ndr Abreu Votto ou Awlr Alw| pode icr procurado das 10 horas da
    (i i)r. Casanova podi
    do ser procurado g /Acada para este im.
    ;u consultorio ho- g \ ^ A app|ica^0 d(; a,(un
    a qualquer hora em se
    g meopatilico
    28=RUA DASCRCZES=28
    ojmosmo consultorio acha-se sora-
    \ pro grande snrtimoiito de medicaraen-
    5 los em tinturas o glbulos, os mais no- & i /^ i""" eLL"-
    *voa o bern preparados, os elementos de g* ;V^ gratuita
    s inetitca
    >
    amentos ndisr.ensaveis em variosfV.
    iii '''"
    casos, como o do sulatodeafio- f
    % pina etc.) sera' 'eilo.ou concedido ^
    Na livraria n. lie 8 da
    Porto.
    prs
    O Di". Joo Jo Pinto Jnnior ad-
    tnnnlia ate as da tarde, na rita da
    No armazem de Val nra & C, na ra da Ma-
    dre de Dos n. 8, vende-so farinlia de trigo das
    mi reas sejruin'.ej, por pre ;os couvcnienti :
    S5S P.
    Gallega.
    Fonli ne.
    .. i
    ! Especiaos (as (le

    %&&OC%ai:ae ZvpOVaplXUR I Roda ,7' Plimcro andar.
    _ ^r _. .-, Estao a venda na livraria da praea da ln<
    Domingo, 22 docorrcnle, as 10 horas da ma- pendencia ns. G e 8 as fulhinhas para 1860, i
    Nci loja da aguii

    itie
    rector
    oracopathia e Nystem diccionario di
    de medicina.
    Jgtormos de medicina. y'i^"- -
    Allenco
    Precisa sede tuna ama para casa de
    pequea familia : na ra Bella n. 8.

    DENTISTA FRANCEZ.
    Paulo Gaignoux, dentista, ra das La- *i
    rangeiras l. Na mesma casa tem airua e *<
    mente. A confianza
    S fe I jl nelles deposita, a presteza de sua ? ",s *.mpa
    Ho, e a necessidade prompta if'-
    seu emprego; e ludo (planto o .V1
    ^demove era beneficio de seus'.>
    3fi doentes.
    AVISO
    Antonio Pcreira de Oliveira Ramos,
    tendo de fazer una vagem para ora
    do impe io, em virtude de sua
    nha.i, haver sessao ordinaria do consclho di-
    os senliores conselliei-
    sao convidados
    recor.
    J. L. Doriti los Cu niara,
    NICA, VERDADEIBA"E LE-
    GTIMA.
    c-
    pendencia ns. G e 8 as fulhinhas para 1880, im-
    pressas ncsla lypographia, das seguimos quali-
    dados :
    Salid
    e e
    l' dciHicO.
    i sendo pteeiso saldar todas as stias contas
    ~A&i..t\iJLi.jLJt..JLXX.*.*.*.i.*..i.s.*.i.i.*y: roIa a todos os seus devedores que ve-
    Vo/oina nillil^n i nnain pagar suas cotilas ate'oiliaoOdo
    \ anuid l'uwuu. i corrcnte mez agsim COIUO avsa a ,_
    rraismissao do Buido do braco a nraeo, as i ___ *
    quintas e d.....ingos, no torreo da alfandega, o '.q^ devema mais de um armo e (pie
    nos sabbados aleas 11 lioras da nianha, na re- 5o pagar ate o mencionado dia 30,
    sidencia do commissarioivaccinador, i-na estrella. aerao chamado a Unzo para papar O
    do Besarlo n. 28, segundo andar. ,' i i
    O I)r. Manocl Horeira Guerra mudou a ua 4ue CStlver devendu.
    residencia para a ra da Imperatriz n. 48, se-j Roga-so aos Srs. devedores a firma social
    gando andar. de Leite & Correia em liqu'ulacao, o obsequio
    Temos a honra Ic coin-!i'
    SALSA PAR1U.11A
    DE
    1
    Remedio sem igual-, sendo reconhecido pelos
    mdicos, os mais mnenles como remedio infal-
    liyel para curar oscrophulas, caeros, rhi'umalis-
    mo, enformidades do ligado, dyspcpsia, dcbili-
    dade geral, febre biliosa o intermitiente, enfer-
    s?
    O
    Xa ra Sova n. 1 i, continua n tor um comple- :
    01 ;\IU RKL1GIOSA, contendo, alm do [oe variadosorlimoulo das mais bellas n lindas
    ' ksl< regulainento dos direitos pa- 'aze,"1as pior.rius para praqa ; sssim ronm fa-i
    ruchiaes, a continua^o da l^ibliotheca do ''',s '"""i para aViiar^araa, como cortes
    Crislio Brosilciro. que so compbe. do Ion- ao vestidos pretos, grosoenaptes, lias, mantas de |
    vui no sanie nome de Dos, coroa dos ac- c ,na"loletes,garganlilhas prelas < de cores :
    ti de amor, hymnos ao Espirito Sanio e vcn!lc-se por menos du que em oulia iiuabiuer
    parle.
    vende-se superi i di al \ \\ o, bran-
    c<:se do cores, em novello, para costura : em
    casa de Sel hall Meiluri C., ra do forres
    I
    COin- do mandar saldar seus dbitos na loja da ra do; "lidadcs resultanles do emprego de mercurio,
    ,,,....; Queimado n. K). ulccras e eiul".ucs 'luc resultara da impureza do
    '*-'* i-*t^ .. ,, saiiiiuo
    1 i Uma pessoa do boa conducta se olio roce r> irru t
    no caso de poderoni fornecer o relalo li
    Augustos Mouarchas Brasileiro3, o que al
    era lao difficil do alcani;ar-se, visto que as copias
    dos
    raje
    municarao rospeitavel c.
    , j i -J ~~ na PCS50a do tioa conducta se olTerece
    (JO COinmerClO UeSla praca qUC Par? cdixeiro de vender assucar, do fino lem
    __i i < i- i i i'ia'a pralica : quom o pretender, annuncie on-
    aesta data tleiXa (IO existir a(de deve ser procurado.
    sociedade l lado e (jiic gyrava sob a ra-
    za o de
    Araaba ol tSryail Osabaixo assignados, honrados pelaincum-
    fifnndn cnn liniiidnnn n fivtrn bencia que receberam do SS. MM. 11., provinein
    IlCaiKIOSUaiHIUMinc^OacnigO respeitavel publico, que se acham actualmente
    de oossos snecessores os Srs.
    Ara naga, Hijo Pernainbuco 31 de dezem-
    brodel859.
    Arana ga A Bryan.
    Havendo cessado a so-
    ciedade que gyrava nestapra-
    qa. sob a firma de Aranaga &
    lrvan; participamos ao res-
    peitavelcorpocommercialque
    sna liquidaco flea a cargo e
    por corita da sociedade que
    nesta data formamos e que
    a N. S., a inilacau do de Sanio Ambr
    jaculatorias e commeiuorsi^o ao SS. Sa-
    cramento e N. S. do Carillo, exortko da
    \ ia-Sacra, directorio para oracao mental,
    dividido pelos das da semana, obsequios
    ao SS. corceo de Jess, saudaces devo-
    las as chagas de Chrislo, ora^oes a N. Sc-
    nbora, ao patrocinio de S. Jos e a lijo d:i
    guarda, respondo pelas almas, alm de
    outras oracoes. Preco 30rs.
    ITA DE VARIEDADES, contendo o kalenda-
    rio, regulamento dos direitosparochiacs, o
    uma colloceao de ancdotas, dilos chisto-
    sos, oontos, fbulas, pensamentos moi
    ias diversas, quer acerca de coznha,
    q ierde cultura, e preservativo de arvores
    e fin-tos. Preco 'Mo rs.
    ITA DE PORTA,a qual, alm das materias do
    costurae, conlin o resumo dos direitos
    parochiacs. Preco 1G rs.
    7WT
    ne ouro
    do Cfthiigi ii. !. i
    Vende-se capeciaes fiuc :'...!,- | !
    sendo caixtnbas ricamente enfeiudta !
    ie peras ealp'.cee ameixaa rainhi Claudia
    doa o -u; erior m rm id i i n quarto,
    para doontcs, ludo .-c venda ['.. bai I -
    proco para acabar, ssim pomo lUarmelaJa
    caixinhas a 500 a hbra.
    \ i n i luja de>
    g na : : I > I i- -
    I

    :8.
    -
    I
    m
    GRADEEYAIUMl SORTlEXTf)
    DE
    Koupas feif as e FazeniSas
    CAUTELA.
    D. T. Lanman flt Kemp, droguistas por atacado
    New York, acham-se obligados a prevenir o res-
    peitavel publico para desconfiar de algumas te- I
    mies imitaces da Salsa Parrilha do Brstol que I
    boje so vende neste imperio, declarando a lodos
    que sao ellos os nicos proprietarios da reccita !
    do Dr. Brstol, lendo-lhe comprado no anno de'
    1856.
    .M
    e armazem
    DE

    15111 (la
    O Sr. thesouretro manda lazei pu-
    Casa nenhurna mais ou pessoa olguma tem / blico que se adiara a venda todos o dias
    ireilo de fabricar a balsa Parrilha do Brstol, j ,. ni, i i- i
    orque o segrodo da sua preparaejio acha-se so-1 fla J .oras *a manhfia a O da tarde,
    no pavimento terreo da casa da ruada
    Amura n.2Gu as casas commissionadas

    rm Mfc""
    mente cm poder dos referidos Lanman & Kemp.
    Para evilar engaos com desaprecia vea co-
    bri.e_oes de drogas perniciosas, as pessoas que
    lilhographadas erara quasi lodas sem scmelhan- 'lm"cm comprar o verdadeiro deven nom ob-
    servar os soguintos signaos sem os quacs qual-
    quer outrapreparacSo falsa !
    Io O envoltorio de fora esta gravado de um
    ca ,i'_ ;;n:i
    Os Pornainbucanos que tanto amor e dedicado
    manifostaram aos seus Augustos Soberanos em
    sua rcenle visita a esta provincia aonde Kilos
    dcuarara recordayiies eternas, nao deixarto de seg>Dles palavras::
    approveitar este ensojo para possuirem uma u. l. I.ANMAN & KbMP
    leuilnanca de seus augustos hospedes. SOL AGEMS
    Alem era simples pholographia om lomo, pos-
    suimos retratos em aqu.iretla e a oleo sobre lela,
    quer para ornar salas, quer para repailices pu-
    blicas. O fina do que as incumbencias possam
    ser salisfeilas com presteza, rogamos as pessoas I 2" 0 mosmo do outro lado tem um rotulo em
    que desejarem possuir algun dos retratos acuna papel azul claro com a firma o rubrica dos pro-
    o obsequio de nos prevenirem rom antecedencia, prietarios.
    lado sob uma chapa do ac, trazendo ao pe as p> "i'Ctra lolena do cemiteno de '{Jila
    rassu', cujas rodas deverSo andar im-
    V. G9 Water Street.
    New \ok.
    I Na ra do Queima-
    do n. 16.
    ticas sobrecasacas de panno fino pretos
    ; o de cores a 2rfg, 30#e 35?, tambora ten: -
    - paietols dos mosmos pannos a 22g e 2fJ},
    palotols do rasomira de rnres de rauilo
    [ bom goslo-c finos a 12$, 1 Ig, IGJ e 18, di-
    pelo mesmo Senlior tliesoureiro na pa- los de panno prelo para menino a 18- o
    ca da Independencia ti. 11 e f 6, os : ff- '"'i05 dc ca**mi de cores a 8 e 10,
    i*-ii, ', .' t: caigas de cascmira de crese pretos eiun- 3
    netea c meios da primeira parte da ; } lamente para meninos a 7j, 8, 9#, la- o :1
    . 12S, colloles do gorgnrao de seda e case-i.
    mira a 5$, G e 7$, paietols du alpaca pro- \
    '>. ditos sobrecasacos :
    Insliluto photogrnphico
    DE
    gyrar sob a razfio de
    Aranaga, Hijo & C,
    a qual continuar os negocios
    da extinctafirnia e espera me-
    recer a mesma conianca de
    que gozava.
    Pernambuco i' de Janeiro
    de 1800.
    Anfonio de Aranaga.
    Enrique de Aranaga.
    Guilheraie J. Kreisler.
    Juan Anglada Hijo.
    l)a-se inleresse cm uma boa olaria, a quem
    livor dous eseravos, o que cnlcnda do trabalho:
    ao pretndeme so expor as v.intagens do mesmo,
    na ra da Imperatriz n. 47, 3" andar.
    Altenco.
    o
    O Sr. Spier, machinista inglez' morador oa
    ra do Brum n. 15, acaba dc assenlnr neste en-
    genbu uma machina de vapor, nao s cOm todo
    Stalil & Companhia
    PhotO>;i'aplios dc S. M. o Emperador.
    Una da Imperatriz (outr'ora aterro da
    preterivelmente no dia 5 do correte
    iner.. Thesouraria das loteras I i- de Ja-
    neiro de 1869.O escrivao. J. M. da
    Cruz.
    : los de cores saceos a
    a 78 e 8}, tutos do brim, de esguiao o do !
    fusio tanto branroc como de cores a -,
    , ajetiv!, raleas de luins brnncosmui- :
    .aleudo trance1
    Na loja u. 4 tl pirra da lia '
    pendencia set-se lorn
    mesin h iicn dc se !ul
    veluas.
    Broseguina para bom< :- a
    Ditos para scnbom a
    I) i tos para m inin
    Ditos para ci inora i
    Sapalues de lustro a
    Sapato de luslto rsos t
    Ditos de Pipete para l rnem a
    Sipa loes de beserro para borne n a
    Batiniihas do lustro mi ri Kjuim a
    Sapalinhos >le lusir > de r l\' l ,i
    Assimcomo iodo o 1. I i ven Je
    lo prono.

    '
    -
    r i i
    l5(i
    ;
    < '
    1 -
    ''-.".
    I Av'so
    $ Ronpa feila, chapcoi ,,
    ^e se M-siir um homeai dos pea i ral
    '* na loja dcNabue 14 C. \ ., _
    Sfe atrazda matriz.
    :' .
    Gneros SHMriores o ba-
    ra
    i.
    19
    -. lo finos a 5, Cs e 7?, colloles brancos cdo .
    ; coros a '$ e SjSUO, camisas para meninos .
    : de diversas qualidades, calcas de brinsde!<
    : 'ores linas a3*500.4J o 5, um rico aorti- 'S
    menlo de vestidos dc cambraia brancos =.
    ii i i -, ; i, bordados do niolhnr ''oslo que lora anui-
    UfiCreaCOO to thratrO d Apollo. I recidoa s?, manteletes dc tilo prelo ede \
    r^-,i,.i:i ,. i eor muilo superior gosto o niuo moderno^
    PordellberaeaO tOIUada Clll : a20$cada ume il, ricos easaveaues de:
    conselho, manda o Sr. director
    Boa-Vistan n. 12.
    Faz publico
    O propriclario do baile nacional dos salos do
    caes dc Apollo, que achando-se os mosmos decen-
    temente preparados com toda a liropcza e acero,
    o.s oll'ercco paia qualquer sociedade que nelles
    quoira celebrar as suas sesses, por aluguel com-
    modo : portanto, quem pretender dirija-so ra
    do Imperador a tratar com o seu propriclario An-
    tonio Teixeira dos Sanios.
    agenda dos fabricantes america-
    nos Grouver & Baker.
    Machinas de coser : em casa dc Samuel P.
    assoio e porfeico, como com economa e pros- | Johnston & C, ra da Scnzals Nova n. 52.
    teza, por isso rocommendo aos meus collegas; ^_ preci8a-se fallar ao corresponden-
    quo livcremmachinas do vapor para asseiilarcm, |. i .*
    que o prefira a outro qualquer inachinisia, com I te dos Srs. teen te-coronel Ilemeterio
    o que muilo ganharo. Jos Velloso da Silveira e Francisco Xa-
    Engenho Tirab-Ass, na freRiiozia do Ipoju- I j_ nfirafJ|> na livraria n fi p fi
    ca. 3 de Janeiro de 1860.-An.onw Peregrino Ca-1 *ICr e AndI ade na 'Vraria n. O e
    vakanli de Albuqnerque. da praqa da Independencia.
    t Companhia ra da Cruz n. -.
    Traspasse-se o ar renda raen
    ;cnho muito perlo da praca, vende
    ! te do mesmo Engenho, uma maq
    i umi destilai-ao nova montada de um ludo, 22
    | bois de ca
    Precisa-se de costuteiras de alfaiatc de lodas iracla-se na
    as obras : na ra Nova n. 60, esquina da ponte
    3o Sobro a rolba acha-se o retrato e firma do
    inventor C. C. Rrtitol em-papel cr de rosa.
    4o Que as diroeies juntas a cada garrafa tora
    nma phenix semelhaiile a que vai cima do pr-
    senlo annuncio. DEposIT()S i vvu90u.u, uiamio uot.uuectur ; tos para senhura a 15$, tiros-enfeites de
    Rio de Janeiro na ra da Alfandega n. 89. IBZQT publico tlUC O COlISClllO j nT~MdnV.eW 52? mC,!for Kabia Germano &C ra lulio n 8 i i ':: l,a,e/,d0 a ,(,9c 1-9. p outras muila.s la-:
    Feruambuco o rmm de dVas d"e J. Soum (I'' "OJC fUlICCIOll.l, 1UIO Se I| J^Jfftf ^Jg "
    ___________ i i i ureni su iiii,i iiiiioiiic.
    resnoiisabilisa por divida al-'f'/i
    "::::PE;,:Igma cein. anteriormente vi. Lasacis ymI jiiresiist
    nina a vapor,'tolllVer recebido ;t CaiXa dai i !cste mosmo eslabelecimcnlo ha umi:
    ilscao nova mouda de um tudo, 22 (, i i ilohi|n alfflim : grande orttal ''.'^asacas proles, as-i|
    rro, 6 quarlos, e oulros objectos : C ULUllO dlgllill. : sim como manda-sefazer por medida a von-=|
    na ra do Queimado n. 10. ReClfe 18 de jiliieirO (le 1860. I lad dofregoea. escoll.enjo os nwsiuos os p
    n r : l''""l0s a seu Sslo sendo os pie;os a :5 \.
    Coilcgio (le BcniGca.
    Director e nnico proprictario
    Eslevo Xavier da Cuaba.
    Esto collegio, legalmonle autorisado, e eslabo-
    Iccidono arrabalde do Chora-menino, abre o sou
    auno escolar, cm conformidade dos respectivos
    ostaiutos, no dia 7 docorrcnle. Seu director es-
    pera continuar a merecer aconfianea de que al
    ag"ra lera gozado, nao cessando de'emprogar lo-
    do o disvello para quo seus alumnos recebara a
    iustrucco e a educaeo convenientes.
    Seve, filhos & C. declaram que Mauool Jos
    do Almeida lunior deixou do ser sou caixeiro
    desdo o dia 12 do concille. Recite, 12 de Janeiro
    dc 1800.
    O prime i ro secretario, Joo ;e i0*-
    Mara de Moraes Navarro. Camisas inglczas
    Srs. lledatores. Vendo-me todos os dias ij N*o mesmo eslabelocimonio acaba dc che- |
    baslante incommodado por algumas pessoas po- ?jr lim ?r*no sorlimento das verdadeiras H
    km desh, minha Fregru-zia do So Mr, Mar- | %" *gg -J- -^--- ^ |
    lyr do Ulinda, persuadidos dei|ue cu receb al- K quontrdade gunia quantia Jada por S. M. o Imperador,'^ menos do *a*or sendo a duzia a :i\>.
    para dosiribuir em osraolas ; e como nao appa- ** aj
    recesse ossa dosliibuigao, ha nasciJo di.bi juizos Po^IIIIi^IQ
    sem duvida.bem desfavoraveis a minlia iepula- v'vlIllILllua
    jao, posto que inieiratnenie injustas.
    Vende-Si
    prola de moia idade, --.idi.i e
    Por tanto presando, como mecumpre o mitin- robusta por 280$ :' na ra do (Jooimado, loja de
    dre da minha rapula5o, apreso-me em levar ao i miudezas n. -|:l sedir quem a vende,
    conhecimento de todos pela publicidade da sua1 ^Slll'lA
    lao bem conceiiuada folha (itie nao recebido' CjtlliclU
    Aluna-se uma mulata para serv- Mrjm j c m t i i > i >.,.-
    ,,. Mordomo deS. Si. 1. nom anda de cutra pes-j do deposito geral do Rm do Janeiro: a tialar
    soa (juanlia alguma para laes csmolas. Ficar- l0m,Almeida Gomes, Alves & c, ra da Cruz
    llie-hei assas obrigado por esta puLlicaco. "" ^ i ,.
    Olinda, Itde Janeirode 18G0. I alllha C 111311(11003
    O Arcediago Viario Joao Jo?c Poreira. 'a Halar cora Almoida Gome?, AlvoscV C.
    co de casa : na ra do Crespo n. lti.
    OSr. Antonio da Suva Bastos Pi-
    mentel queira dirigir-se a loja da rua-
    do Crespn. 16.
    ltua ila Imperatriz, outr'nri at< rro d
    ti, taberna da e<; uin; 12, d virn te d
    queimado.
    Superior vinho vellio di Poi finada
    i>i.i dilo Lisb Fi ifira,
    uito dilo de Olte, i I
    uto Duque engarrfalo, o ttelber do
    mercado, d.' ^uior Vnl niu !" rroir.
    Ucnezes, garrafa
    Hilo dilo Madelra, i ;
    Hito superior, Porto, io
    Uito dito dilo, dem
    Dilo muscali I Sotuba!, lem
    li.io dilo francez, idom
    Champanha, marca multo -. n lili la
    Licores i'iaiu-ezcs mui.o linos
    Vinagre brauco do ,. qualidade,
    garrafa
    I
    i.-' '
    Frascos do ;,n
    Ditos dc dita mais peque
    Dilos de conserva grandes
    Sal refinado igual ao do polos [cuia
    Chocolate francez muilo fino, libra
    Volas de eapormacete, superkn quali .
    Cha hyssou amito superior
    Dio iichiin, o mais superior do merend i
    .Mauteiga ingleza flor
    Itila dita de 040 a
    Dila francoza mui!o ?opfrf
    Latas de sardinhas do N*ii--~
    Ditas ditas omito superiores
    Dilas de blscoilinhos i
    Bolacha americana, libra
    Dita Ingleza
    Vmho engrratelo Walvaswa snoeiior
    l'ares de garrafal oraneas, o [-ar a -vl o ^
    Ba ns de cognac inglez. cauadas, ma
    ga francoza c ingleza, em barra o mit
    e oulros m(ritos gneros que so v.-ndem [ or
    nos que em oulra qualquer paite.
    I
    '
    !
    1211
    Veinlom-se
    camisas
    franeezas d.
    di-
    versas cualidades, 'o.ouhs de linlm, di-
    tas do algodao, eamUas do meias 11
    ludo por proco conimolo : ni loja de \..
    buco & C. ua rus Nova n. 2. m
    Ihlho, farinlia e fardo.
    Vendo-so na armazn' de Francisco I. ". Ae-
    icdo, na roa ds M-idre de Heos n. 12.
    ll
    \


    (6)
    DIARIO DE PERNAMBUOO &ABBADO 2! DE JANEIRO DE 8G0.
    SN.V-1
    I
    l RU\ DA IMPERATRIZ N. 27
    Queimado n. 40.
    Grande c variado sortimento
    DE
    Fazcndas francezas erou-
    pasfeitas recetadas era di-
    reitura pelo ultimonavio.
    Dao-se as amostras com penhor.
    Machinas k cos'nra
    ?f ., de S. M.Singer &C. de
    New-York, 'o mais apcr-
    foieoodo systcma, tafea-
    do posponto igual pelos
    ilous lados da costura,
    A.GNC1\
    DA
    FINDIC140 LOW-MOW,
    Ra d Senzala tova u. 42.
    Nesle estalmlecimonlo continua a havor nm
    garanlo-se a segura una i conuplctos'irlimento.do moendas e meias moen-
    das ir achinas e manda- das para euonho, machinas de vapor e taixas
    do ferro batilo e coado, de todos os tamanhos
    para dto.
    !ia para vender ricas
    grandes r pequeos,
    i., y
    los para camas
    ultima moda.
    r.. 'Lilias de jacarando e de mogno,
    assim como muitos trastes aleos ;
    e janellas, lava-so cliapos de palhinha da Italia o se pe na
    ava-se lambeni a p dhinha das mobilias a mais eneardida torna-so ou-
    rico3 vidros de cspcllio
    na mesma leja se fazem
    fe y?> j Ricos cortes de vestido de seda de cores
    '.'N-''1 do 2 saias.
    Ditos de ditos de seda prelos bordados a
    m
    '"'' Ira ve/, nova sem ser mais preciso as mandar pintar, limpa-se o gruda-se estatuas do
    podra niarmore, de alabastro e vidros de todas as quahdades torna-se oulra vez lao
    seguro e liuipo cerno o estado primitivo.

    velludo...,
    Dos de ditos de seda de gaze phantasia
    Ricasromeiraa defil e de seda bordadas
    Taimas de grosdenaples bordadas......
    Chales de touquin branco bojdadosa
    . 30*e..................
    Grosdeoaple de cores do quadrinhos co-
    >?M$M$ Duodeduo-io-covadV.:::::::.:::::::
    ... ., jwvm. ..-.. m e. ,-... msbmsqms &<&-m/&^&wm$x3WiK Seda branpa lavrada covado-1S600 a._
    Re
    logios.
    e oovo chegaram os afamados rologios in-
    - de ouro.de patente, e esto renda no
    armazem demostr Rookei & C, praca doCorpo
    Sannto n. 48.
    *!#= V'eodcra-sc 20 escravos do ambos os so-
    tos sendo 3 mulatinhos proprios para pagos, 2
    m le pues de 12 anuos. 5 escravos proprios para
    servir, ) c 10 escravos com habilidades e
    Has, todos se vendem por procos eommo-
    izo D a dinheiro e tambem troca-sc : na
    Diicila n. CC.
    Oleados piulados
    a 21000ocovado.
    I is padroes
    i e'ndencia n.
    <'<\eiru M ...
    e boa qualidade : na Draga da
    -\ a 30, cha pelara de Joaquim
    SGOO
    Grosdenaple prelo lavrado covado......
    Dito dito liso erieorpado a l#600e___
    Dito dito com 3 palmos de largura a
    , 1$600 e..............................
    Sarja de cores larga com 4 palmos de
    largura covado a......................
    Gaze de sedada China de floreselistras
    covado a ............................
    Follar de seda de listras goslo novo co-
    ra Jo..............................., .
    Selim de escocia e diana de seda covado
    lnRficii'irt nraiATAm rio ImiPA n,a,' d,u flores "ovosdesenhos covado
    (10 ixOSdl 10 aillldzem L LOU9a. Barojode sedado varias cualidades co-
    vado.................................
    Meio velludo do cores covado..........
    Veluulina do todas as cores............
    draca.
    A 6$ a caixa: na na larga
    n.
    28
    Panno prelo e de cor Uno provade li-
    mo a 3$500 a........................
    Corles de caseniira do cor a g c........
    a
    ras com 32 libras de mararro. reren lamen-
    barcadas a 44 cada urna, ditas de aletria
    i o mesmo peso a Cjt: na prara da Indepen-
    ia i!.
    22.
    OSELLE 10S
    nF.
    Vendem-sc fages de ferro econmicos, de
    ra casas de familia, conlendo i forna-
    run para co/.iulia com lenha ou carviio,
    >> pela economa de gastar um
    i '.j' le nha ou ern lo dos anligos, c de cozi-
    nhar cora mais presteza, Icm a difTerenga
    ; s, oceuparem pequeo espago da
    . i' de fcil condueco: vundem-sc por pre-
    iHo mdicos, na lundro de Francisco A
    : Mosquil i] ra do Brum, e as lujas de
    : ri le I u loso, junto a Ci/Ueen-ao dj pou-
    i : l'.ecife, o ra do Queimcdo di 3.
    loja do sertanejo, raali

    Racimado n. 43 A.
    a
    erara em direilura de Pranfa, deencom-
    n la, os melhores chapeos de castor rapadossl ;
    i prelos, e ts formas as mais mo-
    ue lera vlado ao mercado,, e por me-
    'iii autra qualquer parle, assim como
    m um grande soriimcnto do enfeilo,
    trilito prol isc Je cores pelo diminuto pro-
    unt, asfim como tem chapeos de
    : inno a IgiOScada umemperfeitoesta-
    rluras brancas muito Moas a 320, ditas de
    lii>! o 1,' urna, cambraia prela lina
    '. c a vara a 5U9,e a CO, gangas
    : a 550, brim branco de Helio a 1$200 a Ta-
    i I retes de velludo do furta-corespretos a
    ' ,>-.' i pretos a 8 e a 9$, calcas de case-
    n le edr a 7, 8 e II"!, dil pi los 7, 9 e
    1
    Vidros para caixilhos.
    Na ra larga do Rosario loja
    armazem de Louca.mandam-se botar vi-; ^e!.i.m do: 'odas as cores liso covado ...
    i Bnlhantiiia branca muito f na a.......
    dros em casas particulares por preco chitas francezas clarase escuras* 260 o
    muito comrnodo, assim como vendem- Casemira preta fiua alfiOOo..........
    se vidros a reta Uto do tr.manho mais pc-
    queno ate mais de 6 palmos.
    Ra da Senzaia Nova n. 421 ^!^f'^".^^!;
    Vende-se em casa de S. Y. Jonhston & C. va- Ditas francezas muito linas a............
    quetas de lustre para carros, scllins c shoes in- Manguitos de cambraia transparente bor-
    glezes, eandeeiros c caslicaes bronzeados, lo I dados miiilo ricos....................
    as inglezas, fio de vela, chicote para carros, e I Golinhas de cambraia bordadas de ponta
    montara, arrcios para carro de um e dous aval- Wtasdedito bociadas a 600a..........
    os. e reoslos d'ouro patente inulczes. Tiras e eulremeiosdecambraiabordados
    S319ai ; Ricas mantasprelas de lihho para se-
    nhora ................................
    Ditas dilas de blind brancas e prelas..
    Chales de soda decores, pretos eroxos..
    Ditos de merino bordados eomfranja de
    soda..................................
    Dos de dito dito dr la..................
    Hilos de dito liso culo do seda..........
    Dito de diio dilo de 15..................
    Dito de dito estampados fino listado
    ui seda ..................................
    dil garrafas C IllCiaS Car- S Lenrosde cambraia de linho bordados
    ,r finos..................................
    raiilS. Ditos re alaodao de Iabyrintho800e....
    'apellas brancas para noiva............
    Eofeites de vidnlho preto c de ceros___
    -----------------S Aberturas .ara camisa de esguiao de
    linho..................................
    Ditas de dito de algodao brancas 8 de
    cores..................................
    Satas baldo modernas..................
    Chapeos francezes forma moderna......
    Grava!.q Je seda depona bordadas a
    velludo ..............................
    Camisas francezas do cor c brancas
    finas aljjSOO e........................
    Ditas ditas de fusiao branco c de cor....
    Ditas dilas de esguiao muito linas mo-
    dernas ................................
    Seroulosde brim de algodao e de linho
    2', Galeas de casemira prela selim 9 e....
    Dilas de dilas de cores 8$ c............
    a Dita de meia casemira .................
    Dijas de brim fino e varias qualidadjcs
    33 e Colletcs de velludo, gorgurao.)
    casemira e selim..............'......'
    Casacas de pm
    V
    t
    803000
    1J5200
    1--IMI
    296OO
    2*000
    2S500
    2S500
    1;500
    1$000
    1*000
    1J000
    1)00
    500
    1.-500
    700
    800
    500
    320
    2!50
    7J0O0
    7&000
    igooo
    Loo
    9
    %
    1S500
    9
    S
    S
    3
    L.OMDRES
    C. J.Astley&C.
    Scgoro coaira Fogo
    COMPAjIHIA
    T
    ;<
    ; a 4, 5 e 6^, saceos pa-
    le rsos lamanhos, eiascruas, por
    rco, a otlO, ditas a 1$600 e % a
    1 las a 3 e 4$, chapeos enfeitados para
    lose meninas e senhorasporqualquer pre-
    todo o mais ajui se encontrar o preco,
    > so d usa de venindc.r.
    LONDRES
    AGENTES
    ; C J. Astlcy & Companhia.
    Mias de se para senhora, brancas c pretas, e para meninas, Jjacas de panno preto muito fino 303 e
    brancas e riscadas: vende-se na loja de Leite Drecasacos e paietots do panno preto
    4 Irmao na rga da Cadeia do Recife n. 48. Vn,, e............................
    i aietou de casemira niesclada golla de
    --
    I
    VemJe-sc
    -
    -

    i
    a peca
    : idode um dedo miiiiniode largura
    I ';; raras, bandos de crina para sen hora
    m lito !> iii3 1 I 10 rs. o par, pulseiras de coutas
    ora ou meninas muito lindas a 160 rs.
    . :abar ; na loja de miudezas do aterro da
    '.. la-Vista n. 82, quasi confronte a matriz.
    ni
    Brothi rs & C. tem para vender era
    11 armazei na prara do Corpo Santo n. 11,
    pian 9 d'.i ultimo goslo. recenlimentc
    os bem conhecidos c acreditados fa-
    I. Broadwood &Sons de Londres, e
    ito proprios para este clima.
    Folha de cobre e Metal
    a nja re lio.
    Estanho em barra e Pre-
    gos de cobre.
    Alvaiade e Verniz copal.
    Folha de Flandres.
    Palhmha para marc
    nciro.
    Viuhos linos de Champa-
    nhe e Moselle.
    Lonas da Pussia e Brim
    de vela: no armazem .
    de C. J. Astley & C.
    , Chapeos de caslor prelo
    e brancos
    velludo ....
    g Ditos de alpaca prota muito finos......
    g Ditos da merino setini pretos c do cores
    : Dilosdc meiacasemira..................
    g Ditos de alpaca pretos e de cor forrados
    Ditos de brim branco epardo finos......
    Ditos de brim de quadrinhos linos
    355OO e ..............................
    Dilo de alpaca preto e de cores..........
    Ilologios de o uro pateo........los......
    7*500
    75090
    C-'inii
    0500
    83000
    lOOO
    $
    S
    G-000
    83500
    S
    mg5oo
    2$500
    t
    1igooo
    109000
    45O
    f>3000
    40SU00
    353000
    183000
    ".
    9000
    73000
    so ensinar as casas de
    familia, bem como se
    mostrara a qualqucr ho-
    ra-do dia ou da noite
    nesla agencia : nicos
    agentes em Pernambuco Raymundo Carlos Lei-
    te cS; Irmao, aterro da Boa-Vista n. 10.
    Vendem-sc corlus de vestidos de phantasia
    a 20,3, ditos de larlalana bordadas a rptroz a25J,
    dilos de popelina a 12: na ra Nova n. 14,
    loja do bom goslo.
    2*000 e2S500 a peca.
    Algodao trarrendo americano branco, proprio
    para loalhas e roupa de escravos, com um pe-
    queo toque de agua doce : noarniazexn de fa-
    zendas da ra do Uucimado n. 19.
    Cheguem ao barato.
    O Leite cv Irmao continuara a torrar na ra
    da-Cadea do Recife n. 58, pecas de cambraia li-
    sa com 10 jardas a 4-3500 e 5$, lencos de cam-
    braia de linho a 3-3 a duzia, cambrai'as muito li-
    nas e de lindos padroes a 640 a vara, meias li-
    nas para senhora a 33800 a duzia, dilas cruasIn-
    glezas para hornera e meninos, chales de meri-
    no lisos a 4$500, o bordados a 63, paletotsde
    alpaca prela e do cores a 5$, ccroulas do linho
    e algodao, camisas inglezas muito superiores a
    003 a duzia, organdys do lindos desenhos a
    13100 a vara, corles "do cassa chita a SjJ, chita
    franceza a 210, 280, 300 e 400 rs. o covado, peras
    de madapolao com 30 varas a 4$800, 5$, 5jj[500,
    0,7 t 8$, chitas inglezas dr -ores fias a 200 rs o
    covado, loalhas para mesa a 3 e 3, curies do
    calca de brim de linho a 23, dilas de mcia case-
    mira a 23240, vestuarios b irdados para meni-
    nos, o outras militas fazcndas que se vende por
    barato prego.
    Era casa de N. O. Bieber
    & C. ra da Cruz n. 4, vende-so ;
    Champagne de suserior qualidade de marca acre-
    ditada na corle.
    Tinta branca superior em oleo, latas de 25 1-
    bras, por comrnodo preco caixas do4 latas.
    Verniz e verniz copal.
    lgodanzinho da fabrica Todos os Sanios da Ba-
    ha.
    Brilhantes de diversos lamanhos e de primeira
    qualidado
    sortimei
    Fazcndas por pretos ba-
    ralssimos.
    O Preguica vende em sua luja na roa do t.'u.-
    mado n. 2, as seguinles fazendas :
    Lencos de cambraia lisa inuito lina, du-
    zia
    Dilosdc cassa brancos e de cores, du/ia
    Cambraias de cores de diversos goslos,
    covado 14'<
    Chitas francezas de lindes padrdi t, co-
    vado a 290 e
    Chales de merino lisos cora franj 1-
    retroz, um
    Ditos de dilo bordados de velludo, um
    !\a Pna O QlIClffladO II. 3/ lOja OC \ Ditos de dilo rom palmas d- teda, um
    norias acaba de recetor pelo ultimo i-V^'1' de.18P,,!a d 'i,Kil
    1 ,. Meias muito linas pira senl
    navio viudo do narre inn completo sor-' otas ditas pa dita, duzia
    lmenlo de vestidos de seda de 2 saias, g"" P.OTa diu- d,"!",
    Hi lascasemiras de quadmiho
    Cortes de vesdos
    de seda
    invado
    lora, du/.ia
    2 hahados c de aventados qnaes se ven-
    dem por preco comrnodo.
    ChafClinas de seda e de
    velludo para senhora.
    Ricas chapclinas de seda c de vcllu- ?"01d,to dil',1
    , i /\ outras muiti
    do para senhora: na ra do Queimado ude do comprador,
    n. 7, loja de \ portas.
    Golas e manguitos.
    Ricas -olas c manguitos de eam- FalllOSde !>nm a
    Ditasdi>as escuras com duus
    covado
    Cortes de dita muito fina
    Ditos de dila prela bordada
    Brim branco de linho fino, vara
    Dilo dito dilo, vara
    Dito dito dilo. vara
    vara
    cova.io
    larguras,
    o outras muitas fazendas que se vendero
    62{i
    i

    = Yendom-se cortes de vestidos de seda tt
    coceza, muito lindos padroes a '..' : ni raa
    va n. l'i, hija do bom goslo.
    3 1 in-
    Cobertas de eliila
    Na ra do Queimado n. 19. esl in-
    do Palitos de Brim a 3C0U0
    a 2^000.
    Hua Jo Queimado n. 19.
    .
    ^^
    j braia : na ra do Queimado n. 37, loja
    | de A portas.
    Man teleles
    Ricos manteletes de grosdenaple ri-
    camente bordados: na ra do Queima-
    do n. o7, loja de -i portas.
    Penles de tartaruga.
    Rico:', pentes de tartaruga para atar,
    cabello: na ra do Queimado ji. 37,iSaa*bordadas* 3200
    loia d"-i norias. Corte de riscado Francs 13 cavados a
    'Chapeos em faltados para raeniu
    Chita a ICO covado
    lYcas de chita miudinha fina con ";
    |eio de linho como de algodao e de fus- Craamb';;3iniUiIIlli1 a 00 twa
    ao: na raa do Queimado n. 3/, luja de du a 400 ara.
    ( lales oscuros para ir ao Lanho 'lOO
    Chitas francezas muio finas miuJas
    Armazem de mm-
    Una do Queimado n. l.
    Camisas francezas
    Hicas camisas francezas tanto
    de
    2500
    cova.l
    (le cha-
    peos,
    4 ponas.
    Bonelsparacriauca
    Ricas bonets de marroquim para
    crianca: na ra do Queimado u 37, !o-
    ja del [Muas.
    Fazendas boas c

    Chapeos de castor pretos de superior fjnali '..1-
    dc a IOS, ditos francezes de sed a 7$, Uitos de
    castor brancos a lig, ditos de telludo a Se '.)-,
    ditos da lontra de todas as cores muito finos, di- l\ l*%1 1
    losdepaUa inglezcsde copa alia e baixa a 3 e Mfi.M.1 *tt,xio
    "i?, ditos de fel tro, um soriimcnto complete, de Chapelinas c chapeos de
    2gD00 a 6|500, ditos do Chile de3*500', 5, 6, 8,
    9, 10 c 12?, ditos de seda para senhora, dos mais
    modernos, a 12g, chapelinas com veos do ulti-
    mo gosto a 153, enfeites finissimos para cabera
    a i;p (00 o 55, chapeos de palha escura, massae
    seda, muito proprios par;: as meninas do escola,
    sendo os seus procos muito em conta, ditos para
    baptisado de meninos e passcios dos mesmos,
    tendo diversas qualaades para csco'her, bonels
    de galao, ditos de marroquim, ditos do vellu-
    do, ditos enfeitados, chapeos do boa qualidade
    para pagem, chapeos de sol de seda para mi-
    ninos da escola, emesmo para senlioraepara ho-
    nipns ; Dnalmcnte oulros muitos objectos ria enfadonho mencionar, e tudo so ven de mui-
    to cm roma ; c os senhores treguczi 3 vista da
    fazendn fcarao convencidos da verdade : na bem
    conhecida loja de chapeos da ra Dircita n. 61,
    do liento de Barros Feij.
    fu' '
    seda c palha
    e bem eiil'ei-
    lachas para engenno
    Fundi^ode ferro e bronze
    he
    Francisco Aulonio Correia Cardozo,
    tem um grande sortimculo de
    DOOO
    5g000
    33500
    iu'-^i
    . I ^Chapeos de seda paral
    1- l. s a
    te
    Campos & Lima tem para vender
    chapeos de seda para senhora a l cada
    Bj i
    $; um : na ruedo Crespo n. 12.

    I


    m?&
    11?
    ,
    n
    k5
    ,. Na ruado Queimado n. 37, vcr.dcm-so es mc-
    - en lo-s j Vende-se em casa de Saundeis Broihers &
    ]G.,praca do Corpo Santo, relogios do afama-
    ido fabrieaute Roskell, por procos commodos,
    e tambem trancellins e cadeias para os mesmos,
    ' de escolenle osto.
    .., com assenlo para 4 pessoas de
    1 ro, e um assenlo para boleeiro e criado [ora,
    lo de panno fino, e ludo bem arrar.jado :
    ir, com o Sr l'oirioi no aterro da Boa-
    * -la, e 1 cscriptorio de James Crablree C. n.
    i,z i:i da Cruz.
    Ra do Qeriiiado
    loja de 4 porlas 11.10.
    Aviso.
    No armazem de Adamson, Ilo-v.-ie & C. roa
    Jo Trapiche n. 42, vende-so selins para homem
    o peuhora, arrcios praleados para caoriolet, chi-
    cotes para carro, coleiras para carallo ele.
    Em casa do Rabe ScJ-ateltan &
    C, ra da Cadeia n. 37, veudern-sc
    Anda reslam atgumas fezendas para conclu- elegante pianos do afamado abrican-
    ir a lijuidacao da firma de Leite & Correia, as te Trauooann de Hamburgo.
    caaes se vendem por deminuto proco, sendo en- | rj/\<*
    \ ende-so urna prela crioula nmilo mora, de
    esvelta figura, com urna Dllia do 4 renos", sabe
    pcrfeilameiiie engommar c cozinhar, c propria
    para casa de tratamento : no lanzo da Asscm-
    bla n. 6.
    - fcS
    OI m -m 51
    I i
    tu
    tachas de ferro fundido, assim
    como se faz c concerta-se qual-
    quer obra tanto de ferro fun-
    dido como batido.
    SYSTEM MEDICO DEHOUOWAY.
    PILLAS HOLLWOYA.
    Este Inestimavcl especifico, comp co inteira -
    mente de hervas medicinaos, nao......lm mercu-
    rio, neiii alguma outra substancia deb cteria. Be-
    nigno mais tenra infancia, e a compleicao mais
    ida igualmente ['rompi e no para
    desarraigar o mal na complciyao mais robusta;
    intcirami nte innocente em suas operacoes e i f-
    feitos; pois busca e remove as doencaj dequal-
    quer especie c grao por mais antigs e tenazes
    que sejam.
    Entre milhares de pessoas curadas com este
    remedio, muias que j es'avam as por!;' da
    morte, preservando em sou uso : conseguirm
    rec '.n-nl- a saudc e lorias, depois de haver tenta-
    do intilmente todos os oulros remedios.
    As mi is afllictas nao devem entregar-sc ade-
    sesperar;ao tacara um competente ensato dos
    efilcazes effeitos (i la assombrosa medicina, c
    prestesrecuperaro o beneficio da sande.
    Nao se perca lempo cm tomar este remedio
    para qnatquer das seguintes enfermidades :
    Accidentes epilpticos.
    Alporcas.
    para senhora, bonitos
    icios a 159 e
    Chapeos de seda enfeilados para meni-
    nas a S e
    Capellas c enfeites do flores e froco para
    cibera de meninas a 21000, c pura se-
    nhora a 59 o
    Enfeites de vidrilho para cabera a 3;50 c
    Chapeos pretos francezes, linos, para
    homcni a 8g e
    Hilos brancos de caslor, modernos
    Hilos de casemira de cores para homem
    Ditos de fe 11 ro linos a 4#, 5o
    Ditos do dilo finissimos, lila larga
    Hilos de seda d cores delicadas
    Hilos de ca.-lor tambem copa baixa e
    finos
    Bonels de panno fino, francezes, para
    meninos a 2-3 o
    Camisas brancas c com pcilos de cores
    a igboo e
    Hilas dilas com pcilo de fuslao, finas,
    a 2.-800 c
    D'tas com peito de linho a 3500, 43 o
    ic;ooo
    ras a 2 0 covado.
    Um completo sortimento de
    A' 2000 a duzia
    ' Lencos de cambraia para algibeira a 2,000 a !
    zia ra do Queimado n. 19.
    Corles de cambraia prelas
    Na ra do Queimado n. l.
    Aprazo ou adi-
    iro.
    lili
    j
    128000
    .(J0b0
    14S000
    i-DOO
    ( :- 11(1 1
    716000 I
    88000
    Vende-se a cocheira da rea da i
    to Aulonio n. 7, tendo I
    sem uso alguna: quera pretender, .... -
    mesma, que achara com nuem ti
    mzri
    M MM
    9000
    3300O
    2goOO
    ajooo
    5g000
    s
    Calcas do brim de cores e brancas de :! a 6000
    agooo
    c-ii;
    1 000
    73000
    129000
    26$000
    3S3000
    12?0OO
    25S000
    89OOO
    308000
    3JKKW O
    6*000 jP
    ^ endem-se taran las por
    preco e atgumas por menos
    valor para acabar, era pera a a 1
    lito : na ruado Qu
    5: porlas n. 10.
    4 os estudantesde rhc-
    torica.
    _ O resumo de potica nacional [cito
    1'. de Honorato est renda na '..
    na praca de Pedro 11 11. 2.
    ;
    opath
    da Europa pelo Sr. Dr
    Sabino O. L. Piiho.
    Es'es medicamentos preparados espe- t^
    'i.'': Jnta > gundo as ncci
    liomeopalhiano Rissil, vendem-se \
    precos conhecidos na I >lica central bo- H
    meopalhica, ra de San I 1 Km
    . Novo] n. 6.
    C500O 1 ...-,-..
    . ai: .'r.,>. .'.:, jt... ..... .. _
    Id Mi
    Ra do Imperador n. <*.
    120c000
    5OO0
    2;S00
    2500
    tro outras as segumtds :
    M is de meits cruas para hornera a
    de dilas decores
    Ditos de ditas cruas muito superiores
    Dito* do ditos para senhora
    Diioa de ditas muito finas
    Corles de caiga de meia cisemira
    s do ditas de casemira de cores
    Ditos de ditas de casemira prela a 59 e
    Brim trancado branco de linho fino
    vara
    Cortes Je colle de gorgurao de seda
    e
    ica.
    19G00
    29000
    49000
    39000
    45OOO
    23JOOO
    59000
    63OOO
    prelo inc, prova de limao 39
    Gri salas de seda prela e de cores
    Riscados francezes, largos, cores fixes
    (ovalo 200
    Chitas francezas largas Coas covado 240
    Dilas estrellas 160
    Tascados de cassa de cores lindos patlrSeso
    superior qualidade covado 280
    Cassas de cores covado 2i0
    r.'-fis de cassa branca bordada cora 8 va-
    ias or 2?f0OO
    Tiras bordadas 200
    Cambraias lisas muito finas peca
    : islillas do coros para vestidos covado
    Challes de laa bordados de seda um
    Grodcnaple preto, largo covado 1*800 e 29000
    Seda, e sarja lavrada 1^800 e 29000
    Vestidos brancos bordados para baptisado 5$0O0 '
    rtarl'iolomcu Tranclsco Je Souza, ra larga ; .]
    do Rosario 11. 36, vendo os seguintes medica-
    mentos :
    Rob L'AITecteur.
    Tilulas contra sezes.
    Dilas vegetaes.
    Salsaparrilha Bristol.
    Dita Sands.
    Verraifugo inglez.
    J'aropc do Bosque. 1
    Tilulas americanas (contra febres). '
    19000 ; 0'ngucnto Hollway.
    Pilulas do dilo.
    Ellixir anti-asraalhlco.
    Vidros de boca larga com rolhas, de 2 oucas a
    12 libras.
    Assim como tem um grande mrlimenfo de pa-
    pel para forro de sala, o qual vende a mdico
    preco.

    OO rs. o covado.
    m?
    Campos & Lima, lem para vender |-
    alcatifa eom qualro palmos de largura a
    5UU rs. o covado : na ra do Crespo n.12. H
    29?>000
    455000
    1500O
    49000
    240 j
    2900O
    Superior ao meilior
    presunto de fiambre.
    Linguasdc vacca emsalmoura vindas
    de Londre, vendem-se nicamente no
    armazem de Luiz Aunes defronte da
    port-.i da alfandega.
    cobertos e descobertos, pequeos e grandes, de
    ouro patente inglez, para homem o senhora,
    de um dos melhoTes fabricantes de Liverpool,
    vindos pelo ultimo paquete inglez : em casa de
    Southall Mellors & c
    \ endem-se loalhas de linho do Portn SJ*
    Ampolas.
    Arelas (mal de}.
    Aslhma.
    Clicas.
    i.onvulsoes.
    Debilidade ou etterwa-
    Debilidadc ou falta de
    forcr.s para qualquer
    cousa.
    Dysinteria.
    Dorde garganta.
    de barriga,
    nos ros.
    Dureza no venlre.
    Enfeunidades no veu'ie.
    Dilas no ligado.
    Dilas venreas.
    Bnzaqueca.
    Herysipela.
    l'ebrc biliosa?.
    Febreto internitonte.
    Vendem-se esta3 pilulas no eslabelecimcnto
    gcral do Londres n.22i, Strand, e na loja de
    todos os boticarios droguistas e outras pessoas
    encarregadas de sua venda cm toda a America do
    Sul, llavana e llcspanha.
    Vendem-sc asbocelidhas a.SOOrs. cada urna
    dellas, contem urna instruccao em poilagucz pa-
    Pcbreto da especie.
    Cotia.
    Beniorrhoidas.
    Hydropesia.
    (cti icia.
    Indigestoe?.
    (cflammaces.
    1 r r e g is la ri dados
    menstruaco.
    Lombrigasdo toda es-
    pecie.
    Mal de podra.
    Manchas nau!is
    Obstruc^o deventre.
    Phtysica 01: consump-
    pulmonar.
    Reten(o de ourina.
    Rhcumatismo.
    Symptomas secunda-
    rios
    Tumores.
    Tico doloroso.
    Ulceras.
    \ enereo (mal).
    T a duzia,guardanapos grandes a 3g adu- @ ra explicar o modo do so usar destas pilulas.
    3S00O
    39500
    83OOO
    que na
    zia, dito mais pequeos a 29 : na loja de Jr
    m
    Nabuco & C, ha ra
    Nova n, 2.
    6

    Cal de Lisboa.
    Veos bordados para chapeo
    E.iire mios bordados
    Ailiobilndo adamascado largo vara
    Lencos de chita escuros um 100
    ' '.-Mi^s de cores para palitos covado 200
    Bom negocio.
    Vende-se, com poucos fundos, a taberna do
    dsteo do Ter;o n. 12 : a tratar na mesma,
    45Ra Direita
    Para homens.
    2&0001
    1*5600
    19280 Borzeguins arisocraticos (lustre)
    Borzeguins zouavos, obra ortissima (be-
    zerro)
    Borzeguins cidados (bezerro o lustre
    Borzeguins econmicos
    Sapates baledores
    Para senhoras.
    Borzeguins para senhora (primeira cli>3se)
    Ditos para meninas (primeira dasse)
    Vendem-se barris com cal do Lisboa, da mais
    nova que ha no mercado, per prego de 6$ cada
    um barril: na ra do Brum n. 18, armazem de
    assucar.
    . Para (lenles. |
    Vende-se na loja de Nabuco & C. na
    ra Nova n. 2, camisas de
    99000 las ^c Oanella, ccroulas do mcia
    @ la e carapucas de meia.
    83000 #@ '@8S @
    na
    semira^ d-
    meia de
    O dspusito geral em casa do Sr. Soum
    pharrr.aeeutico. na ra da Cruz n. 22, em Per-
    nambuco.
    Ditas de casemira de cOr e prelas a 83 c
    Clleles de brim e fuslao a 48 e
    Dilos di'gorgurao do cortas a 5 o
    Ditos de velludo de cores a 12$ e
    Paietots de brim de cores e brancos
    de o~ a
    Dilos do alpaca prela e do cores a 59 c
    Dilos de panno e casemira pretos e de
    cores a 20. 22, 2i o
    Sobrccasacos de panno preto superior
    Vestuarios de fustn, ciui lindos, para
    mininos
    Pentes de tartaruga modernos a 10, 16 c
    Leques entrefinos o bonitos a 3, 5 e
    Dilos de madrpperola a 10, 20, 23 e
    llamos de llores linas a lg, 2j) e
    Saias a bal.o de boa qualidade a 5 e
    Vestidos de phantasia, de lindas cores,
    a 2591100 e
    Cortes de vestido de seda de cores deli-
    cadas, com isjiase 2 babadus borda-
    (i s .1 100J c
    Caifas para meninos bordadas a 4 o
    Toalhas de algodao e do linho a 1SCC0,
    19800, 2g60O e
    Luvas de peluca brancas, ar>:arellas c
    prila;, para senhora c homem a 29 e
    Gollinhas bordadas a 600, 800, 1#200
    4C(iO, 2900 e
    Manguitos beldados a 2$ e
    Ditos com golliuha a 330OO, 4, G o
    Alem desias, outras muitas fazendas,
    loia de Cu nha Silva, na ra da Cadoia do Recife,
    se vendem por procos baratos.
    iisiazei k fazendas.
    Ru do Queimado numero 19.
    Cortes de riscado francez 3 1[2 covadosa2c50.
    Cobertas de chita a -J?60U.
    Chapeos enfeilados para meninos e meninas.
    Dilos prelos fines, ultima moda.
    Dilos de fe 11 ro.
    Cambraia organdys muito fina.
    Chales de frono de tres ponas.
    Ditos de merino bordados de duas pontas.
    Dilos muito linos bordados a froco.
    Ricos chales de louquim brinco.
    Cortes do seda do duas asios.
    Luvas enfeitados.
    Manteletes pretos bordados.
    Lencos para algibeira, brancos, a 2 a duzia.
    tlua do Oueimado n. 57.
    A 30S cortes de vestidos de seda que costara m1
    609; a 163cortes de vestidos de phantasia que!
    cuslaran 309; a 8$ chapcnhas para senhora:1
    na ra do Queimado n. 37.
    Brim trancado de linho todo de cima Para penteados de
    preto, senhora.
    fozenda muito superior; garante-so que
    desbota : na roa da Cadei i do Recife n." 48,
    ja de Lcile & Irmao.
    Enfeilcs de vidrilho c de relroz a 49 cada
    um : na ra do Queimado c.37, loja de 4 portas.
    Pechjpcha sem fcual.
    conf ontc ao gaz.
    Caixas com 32 libras de mscarro novo
    Ditas com o mesmo peso de talharim dito
    D:ias com o mesmo pesa de aletria
    Cestas com cerca de I (2 arroba de :
    Sapalos do Aracaly, o par
    Dilos de lustre para senhora dem
    '
    -
    Sapates de lustre pata homem, Jem
    Arados americanos e mach
    para lavar roupa: cm casa de S. P. J -
    hnston A C. ra da Se&zala n. 42
    Chapeos prelos.
    Na na do Queimado
    numero i 9.
    Chapeos pretos de primeira qualidade, I d
    lrma elegante a 10j} cada um.
    apenei-
    Ccada,
    Bandos, ou almofadas
    83000
    6g000
    5tK)00
    5000
    40L>0
    Vendem-se
    meios de sola envernisados.couros de lustre, pel-
    licas brancas, tudo chegado cecenlcmcnte : no
    armazem de Aimeida Gomes, Aires & C, ra ;
    Ctuz n. 27.
    Vende-se urna porco de burros en-
    tre os cjuaes existera 40 parellias, todos
    muitos gordos, novos e de bom tama-
    ito do cxcellente carregamento che-
    gado ltimamente de Montevideo: os
    preterdenlcs diiijam-se ao trapiche da
    companhia ou ao armazem de carrocas
    emVora de Portas, de Flix da Cunta
    Teixeira.
    Tachas e moendas
    Braga Silva & C, tem seraprc no scu deposito
    da ra da MGeda n. 3 A, um grande sorliroeiilo
    de tachas e moendas para engenho, do mullo
    acreditado fabricante Edwin Maw : a tratar do
    mesmo deposito ou na ra do Trapiche n 44.
    Vende-se nicamente na ra da Cadeia do F.#-
    fo n. 48, loja de Leite & Irmao.
    Para mesas e
    camas.
    Bnfeitos do vidrilho preto os mais niodernor,
    vendem-se por 3$, na rna do Crespo u. 16, leja
    da esquina da ra das Cruzes
    do deposito geral do Rio de Janeiro : a
    com Tasso & Irmos.
    Toalhas de algodao alcoxoaJo para mesa
    do 1, 1 1.2, 2, 2 li-2 c 3 varas a 800,
    lgOO, 2, 3 c
    Das de linho de 2, 3, 3 112, 4 e 4 li2
    varas de 4$ a
    i Ditas de dito innilo superiores de 2 a 3
    varas a 0,8, 10, 12, 14 c
    Aloalhado de duas larguras, trancado e
    L adamascado, vara a 1$, 1^200 o
    tratar j Guardas-roupa do algodao alcoxoado,
    duzia, azje
    Ditos de linho a
    Dramanle de linho para lenco com 8 c
    10 palmos de largo a 1;80 e
    Toalhas de linho com labyrintho para
    rosto a 3/ e
    Babados de linho para lencoe?, toalhas
    e camisas de linho, pocas de 30 varas
    a 2*500, 3j e
    E oulros muitos arligos, que na loja de Culi
    Vende-se a obra de Casos de Consciencia, I & Silva, na ra da Cadeia do Recife n. 50, esqui-
    du Benedicto XIV, e os cxcrcicios de analyse lo- i na defronte da ra da Madre de Dos, renden:-
    gica e grammalical: naVrua do Queimado u. 43. 'se baratos.
    Farfulla de mandioca
    Passo & Irm
    Milho
    nos armazens do Tasso & limaos.
    nos armazens de T,;sso & rmeos
    ir>i
    4j?00'
    a>.Ki


    DIARIO DE PERNAMMJCO. SABBADO 21 E JANEIRO DE 1860.
    ? *
    f
    m
    iscrava.
    *f onde-sc "n,a bonita cscrava prela, ciioula, *_
    co-
    Batatas baratas!
    Gigos de 32 libras a 1JM0 para acabar: na
    ra da Madre de Dos n. 8, armazcm de Valon-
    ea c* C.
    Defronte da matriz da Boa Vista, n. 86, ven-

    DE
    qualqu
    Rtulos para charutos.
    ila um grande sortimento de rollos para coi-
    las de charutos, para garrafas de Inores, tanto
    de bojo como de gargallo, em braneo, para nelles
    se escrever o que se quizar, de botica, para cai-
    xas de cha, vind do Rio de Janeiro, de vinhos
    do Torio, feitoria, O de caj ; na tfpographia c
    oncadcrnaco da ra do Imperador doliente-de
    *^ Francisco.
    Simo dcNantua.
    Obra completa nitidaraoirtc irapressa era milito
    bom papel, eqoe est usada em todas as escolas
    la provincia, cartas de A B C, tabeadas, trasla-
    dos de muitos nio tollos, aile do 1er por veutu-
    ra, methodo facilimo, os piarlvres peruambuta-
    nos, que se achara adoptados para a leilura das
    a arle de barbeiro.
    Vndese urna casa de laipa nos-Afogados,
    na ra do Quiabo : quera a quizer, dirija-so ao
    inesme Alagado, na ra Direita logouj n. 19.
    No aterro da Boa-VUta n. 80, vende-se
    presunto de Lisboa inleiros a 40O rs. a bra, ale- i
    tria, macarrao e talharim a 400 :s., macarrao;
    > braneo a 320.
    Na coctieira n. 2G co p;iteo do
    | Puraizo, vende-se un cabriolet de I ro-
    i das muilo uianeiro e em boin estado.
    | Marmelada
    Vende-se matmelo !a superior em latas de 2
    libras a 500 ris a libra ; na ra Direita n. 93.
    Sila na ra Imperial n. 1 i 8 e 120 junio a fabrica de salto.
    a
    57 Ra do Queimado 371 Farinha.
    Loja de i portas.
    o armazcm na ir:
    Fcrrcira & Martina em
    ressa da Madre de Dos n. 1C, vondom por pi o
    commodo a supciior foriuha de mandioca n
    Chegou a este estalHccimento ,,m completo E=to diega! Mo Z
    I,T"'"*< &$Sh?21 tlT. : Pa,c- Oes, Unto era pereces ton." a refal!
    coa cr -
    DE
    vav< linele- augmentada, economiada vida, urna
    conforlissima carlonagem, arithmattea o gram-
    malicado profeesor Castro Nunes, caihec.ismo da
    doctrina chrlstaa, n.ui correcto, impresso em
    mu bom papel o lypo grande, papel transparente para escrever naa escotas com pau-
    to, slniaeo de linlio. grave, de machina, etc. : na
    ypographia o> cncadernacao da ru
    dor, defrontc de S. l-'ionciseo.
    -\o armazem do fazendas de
    escolas, carlUhas de mu boa edicao c cooside- esquina do beco do Scrigado, no mesmo estabe-
    lecimento vende-se cognac e magas mais bara-
    to que era outra parte.
    Clicgiicm a Pediincha
    ttta.!Na loja do Pregwica na ra do]
    Queimado q. 2. tem para
    armazem de ra/entias ei vender*
    l\i\\ llllUtdO Lai'IOS Le tC & Clurly e merino decores, ptimo nao sopara
    h'lllAo, ra da mperatriz ll. roupSes evestidos de montara de a. comopara
    10, tem constantemente ura grande aertimenloj *'fs.'.,a^os d0 meninos a 360 e -ICO risoeova-j
    do fazendas fazendas unas por menos do que ca
    outrn qualquer parte, a saber ;
    Vestidos de seda borlados a torea!, de
    Sebasio J.tla Silva dirigid!! por Manee! Garnciro Lea!. |^S|i
    Nesle estabelecimento ha sempre promptos alambiques de cobre de diffcrcnlcs dimencoes
    (de 3003 a 3:0i)0>) simples e dobrados, para destilar agurdente, aparelhos destilatorios cuntios
    para resillar e destilar espritus com grado a cao al 40 graos (pola graduarlo deSellon Cartier) dos
    mcihores systemas hoje approvados e conbecidos nesta e oulrasprovincias do imperio, bombas
    de todas as dimencoes, asperanles c de repucho tanto de cobre como de bronze e ferio, tonietras
    de bronze dc iodas as dimencoes o feilios para alambiques, tanques etc., parafusos de bronze e
    ferro para rodas d'agua,portas parafornalhas ccrivos de ferro, tubos de cobre e cliuiubo de todas
    as dimencoes pava encmenlos, camas de ferro com armaco e sem ella, fugos de ferro polavcis e
    econmicos, lachas e lachos de cobre, fundos de alambiques, passaceicas, espumadeiras, cocos
    para engenho, folha de b'laudros, chambo era lencol e barra, zinco em lencol e barra, Isnces e
    arrocllas.de cobre, lonccs de ierro a lalao,ferro su ocia inglez do todas as dimonsoes, safras, Ionios
    e folies para ferreiros etc., e oulros muitos ai ligos por menos proco do que em outra qualquer
    oils de panno tino de 163 t 88*. sobrecasacas !.
    de panno fino preto c de cores muilo superiores ] v,.-,1...,,, _'-^." ,,.. x-_.- e. <# :
    a 35$, um completo sortimento de palelots 'de ; f*.
    riscadinho lo bnm pardo e broncos, de braman- 1
    te, que se vondom por pceo commodo, cerou- | 9
    las de linho de diversos lmannos, camisas :
    francezas de linho e de panninho de 2$ at 5g
    cada urna, chapeos francezes para homem a 8j, S
    ditos muilo superiores a 103, ditos avelludados,
    copa alta a 13?, ditos copa baixa a 10$, cha- 5f
    paite, desenipenhando-se tuda e qualquer encommenda com presteza e pcrfeie.ao j eonhecida
    e para commodidado dos freguezes que se dignarcm hoorarcm-nos com a sua confianQa, acha-
    :'-.'. na ra Nova ji. 37 loja de [erragens pe.-soa habilitada para lomar nota das eneommendas.
    II/I^II
    ^l
    Briin loii i
    i}ai vend
    dar do sobrado d.n esnuiua d.i ra do
    omem de43. 53 e ot ,Vi
    a e do palha enteitadoa pa- I
    tos de palha para senhora a *$
    125, chapelinhas de velludo ricamenlo enfeita-
    das a 2rg, ditas de palha de Italia muilo finas a
    25* cortes de vestido de seda em cartao de M)-t
    ot 150$, ditos de phanlasia de 163 ot 35J000,
    goUinhas de cambrara de 19 t 53, manguitos
    de Ig300al53, organdys oscuras e claras a
    800 rs. a varo, cassas francezas muito superiores
    o padrees novos a 720 a vara, casemiros de cor-
    tes para rolletes, paletolse calcas de 3-5(1(1 ,-,i '-'!,!l IS P"i n m
    i$ O corado, panno linopreloe de cores de 23500 rl:' '-' "'" -! ''n! r> -
    al lOg o covado, corles de rollete de velludo Graxa ingleza em boioes
    iranro e de cores para
    a 39 .i rara, no a
    1
    l Queimado, por i ima da loja do Sr. i .
    entra la pelo becco d.> Pcixc Frito i I
    .-.'. : -.--. : ,:: Vt I
    ^: Vende-se no armazem o- Jos Ai
    reir Dias & C, na na da Cruz a.26
    Mercurio doco
    Itetroz.
    muilo superiores a 9 e. 1fjJ, ditos de gorj
    e de fuslao tironeos de
    barato, atoalha-lo d
    urao
    Laza i ii; i
    s e ilavmi i< -.
    cores, tudo por
    ro lo -i 182S0 a
    . Chumbo em 1>:i
    nreco' '-ooiupo em ii-;i'_-oj.
    vara "''" '''' tnuiile.'to.
    eriesde casemiros de cores de 5 at 9J, gresde- ''''':I'"S ;" "".'" [' "" engommar.
    Pregos de fprro te Jas as \n
    Ditos francezes
    lo Challes Ja merino estampados muito linos pelo
    deminuto prc;o de 2:500 cada um musselinas
    REVISTA HEBDOMADARIA
    COLLA BU El ADO
    |6O00
    angooo
    30OCO
    55JJ00
    (i'.O
    odas as cores,que se venderam a 300$,
    vende-se agora ror IGOjOOO
    i itos que se venderam por 1203000,
    vended-se a
    Hitos que se ven I ram por 703. a
    Ditos do phanlasia queso venderam a
    !'., rende-se a
    9 de bai o que se venderam a 2i!,
    vende-se a
    tarios de seda de cores jara crian-
    cas a l8$e
    sas de cambraia de linho para ao-
    nhoras a 89, I2| e
    Manieletes de seda decores a
    Hitos de soda prela a 20a, 25$
    Ditos de lenaple prcto, \) ultimo
    goslo, por
    l.aas de cores matizadas, muito bonitos
    padrees, covado
    Ditas i'r cores, lisas, de urna c6r s,
    covado
    1 orles de casen.ira il<> cor pora cairas
    Bonels de pitantasia para meninos
    Chapi os den para meninas
    Gollinhas de misbangaa pora senhoras
    ''.hales de troco com tros ponas
    lucos cortes de gorguro para rollles
    ijiitsfranccza escura celara, covado a
    280, 330 e
    Bramante do linho, 10 palmos de largu-
    ra, vara
    idos, duzia. a IOS
    I20t0c
    1,1 :"= dalgodao acolchoados, duzia
    Salas de balao de crinoUnc, da roelhor
    qualidade que at hoje tem apparecido
    nesle mercado, de 12$ a
    ' ni grande sortimento de catrisas de
    - as cualidades paia hornera a
    Ferfumnrias inglezoa do afamado fabri-
    cante John Gosnell & ('..
    '--:ni como i!:l n-rnn,l
    !"S;nM'b'su"t0 l:,r"as;dc var'a,!os. H^os :,_ Antonio dnCtSta _k_ p-
    pelos sns,
    a 200 e 2S0 ris o cova o grvalas a antazia.o
    I mais moderno pos ivel a 13 c 1200 cada urna, e^
    O^'O 0U,raS mu',,1s fnzenJas- cuJrtS prc?'S extiaor-
    linariaoienla baratos, s tufaro a exiecUtiva
    2O3OOO, do comprador.
    = Vende-so o romance Uodolpho 011 o lou- :
    ljPOO co asvassino, obra importante e ja bem conheci- |
    a o muito ocnMlilada, por luc- coatmodo : lia I
    ljOOO livroria n. 6 da praca de Pedro II
    1
    le r.astilhoA. GilAloxan.lre HerrulanoA. O. RamosA. Guima-
    resA. de LimaA.de Oliveira MarrecaAires Braneoa. P. Lopes de McndoncaA. Xavier
    Rodrigues CordeiroCarlos -lose BarreirosCarlos Jos ColdeiraE. Pinto da Silva' o CunhaF.
    Comes do Anmrim F. M. BordalloJ. A. do Frcilas Oliveira.1. A Maia.1. A. MarquesJ. de
    Andr.id" CorvoJ. da Costa Cascaos.1. Daniel CollacoJ. K. de Magalhaes CoutinhoJ. G. Lobato
    PiresJ. 11. da Cunha RivaraJ. I. da Qraca JniorJ. Julio de Oliveira PintoJos Mara
    Latino CnelhoJulio Mximo do Oliveira PimentalI. Podro de SouzaJ. S. da Silva Fcrraz__
    los de Torres.1. \. S. .'i MollaLeandro Jos da CosaLuiz Filippo l.eitc__Luiz -los da
    Cunha L. A. Rehollo da SilvaPaulo Midos;IIcardo Julio FerrazValenlim Jos da Silveira
    LopesXislo Cmara.
    DIRIGIDO
    l'OH
    V filfa 8*^C3
    A. P. de CarvalhoI. F. Silveira la MollaRodrigo Paganino.
    1
    noples de cores e pretos de 1*600 at 3)200 o
    covado, espaiiilhos para senhora a (ij, coeiros
    de casomira ricamente bordados a 125 cad 1 ui
    s dt cambraia de linho bordados para se-
    nliora aOe lzj cada um, ditos lisos para ho-
    rnera, fazenda muito superior, de 12 at 203 a
    duzia,casemiras decores para coeiro, covado o
    2S100, barPgede seda para vestidos, covado a
    I94OO, um completo sortimento do rolletes do
    gorguro, casemira prela lisa e bordado, e dc
    luslo decores, os quaes se vondom por barato
    proco, velludo de cores a 73 o covado, pannos
    para cima de mesa a 1(>3 cada um, merino al-
    cochoado propno para palelotsecollctes a 2S00
    o covado, bandos para armaco de cabello a
    liJO, saceos de lapeln e do ma'rn ra ia-
    gem.cum grande sortimento dc macas e malos,
    de pregara, que tudo se vende vontade dos
    fiogiiezos, c entras muitos fazendas que 1 1
    possivcl aqui mencionar, porcm rom o vista dos
    compradores se mostraran.
    REMEDIO SiiCOMPARaVEL.
    UNGENTO IIOLLOWAY.
    Milharende individuos de todas as nacoos pn-
    dem le-ieiiMinhar as virtudesdosle r medio in-
    comparavcl o provar em raso accessario, que,
    pelo ns,1 que (l,.||n "


    1.
    i'i se acabando sobla; !> rest -
    solala 1-2: 111 ra do Vigario n. 7.
    Escravos fu^itos.

    As autoridad
    I -,': 'tiho Bous Irmos i
    no.'.', proxim --alo uni osera i il
    i i J -' Flix, arrelro, ; tt>>, soi ro,
    go e di ii| aeado, denles 11 erl
    annos ; im o mais nu ni eiius,
    se a i i ote piando ~ 1.'. boba I, 1
    sem sobresahir os 11R ; lev u .
    dn mn pe hram o, esln-lla na i< -
    um A de 1-' ila na : 11 a.
    do fallo ido I. ; ; dizein que
    Desliuado o resumir todas as semanas o movimenlp jornalislico e a ofTereccr aos leilores, con
    Relogios de ouro e prata, cobertos e descober- i".11^"""'"''' cin a resista do que mais notavel houvcr occorrido na polilica, na sciencia, na indus-
    I pelo uso que dellc fizorara lem seu corpo e .....m- o su:. anl li/.ia
    brosinteiramente sSosdopoisdo haveremprega- pngeoho'dn su!, eqne l r.in ion 1 i-.r.-n
    liw patente inglez, os melhor
    mercado, e despachados boje
    4 vendem-so por
    bW procos raroaveis : no escnploiio do agente 01?-
    .JiOOO veira, ra da Cadeia do Recite n. 62, primoiro
    3JO00 andar.
    j.....:., d r iiiM-si :
    11 vinno do Torto, do mais superior, engarrafado,
    dito champagne, idem, dito musc.ilel, dem: no I
    armazem de Barroca & Medoiros, ra da Cadeia
    do Recife 11. f.
    es oue existen) 1 1 lna 0li,na arl"s. alpona artigos originaes sobre qualquer desles assumplos,
    desdo Janeiro de lbo'.t, em que com
    exaelido c rogularida
    Publica-so lodas as segundas foiros em fulhas de 10 paginas, e completa todos os semestres
    um volme do 120 paginas com indico e frontispicio competentes.
    Assfgua-se 110 escriptorio desle Diario, ra dasCruzes, o na ra Nova n. 8.
    'S 1
    I .
    do intilmente outros tratamentos. Cada pesca '-'|| rnga-se s su
    o mchvo rsivEBSAt P|de'-s.c-,>a convencer dessascuras raaravilhosas dito negro, li raudo se em
    ecou a publicarle, lem salisfeito aos scus as, com a maior f"" a leiluJa u.os perod'os, que Ih'as relatam despeza.
    I loaos os das lia muitos annos; ea maior parte Fugio a os 1 rana,
    I dallas sao tao sor prndenlos une uicjimpc so pelo Aterro oi ra loi .. '.. '-.
    mdicos mais col bres. nanlas pessoas reco- annos, parda, la com lenco
    braram cora esto soberano remedio o uso dc scus queixos | causa i- fondas 110 pea o<-u
    bracos "
    f.0!
    2}5C0
    Proco da asignatura: pelos paquetes vapor 10$200 por auno; por navio de vela 88 (raoeda 1 uraos c P?rnas, depois dc ter permanecido Ion- pegar, levo-a Solojado na
    brasileira). go^tempq nos^liospitaes, onde do viam soTrcr 1 beroa da |uiua que so gratificar.
    i!a algumas colleccoes dosle ocomeco da publicacao do jornal.

    mwm.
    ->: j
    rl. SHSI3
    OOO
    OOO
    tem para vender no son deposito da ra do Vi-
    gario n. 27, velas d" carnauba de 6, 7, 9 e 12
    em libra, ditas de coniposicaode (i.' 7,soceos de
    fejiio bramo e amarello, todo se vende em pe-
    queas e grandes porrees, c por n.rnos do que
    em outra qoalquer parte ; e compra-se olTotliva-'
    grande sortimento de fazendas
    B para OS serios, que se vendlo muilo
    s, e o niesrao estabelecimento .-e obliga a
    xotar despachar, embarcar
    presteza possivel.
    .-e
    cora a
    da
    Acaba de
    cliegar 00 armazem de fazendas
    Seus proprielarios offerecem a seus numerosos [reguezes e ao publico em geral, toda e
    qoalquer obra manufacturada era seu reconliecido estabelecimento a saber: machinas de vapor de
    lodos os lamanhos, rodas d'agua para engcuhos lodas de ferro ou pora cubos de madeira, raoen-
    das e meias moendas, taclias de ferro bol,do e fundido de todos os Uimanh is, guindastes, guin-
    mente toda o qti.il uer porejio de pingos que cahe ''"'^ '' lo"l'ia~. rodas, rodetes, aguilbes e boceas para fornalha, machinas para amassai man-
    das velas quando acezas. j pioca o para descarocar slgodo, preucas para mandioca e oleo de ricini, portees gradara, co-
    _____ ^^ .lumiias e muinhos de teiiio, orados, culliva.lojes, pontos, 'aldeiras c lanauos, hoias, alvarengas,
    ; boles c lo ;. preeo al mesmo por menos do sen valor, '.
    * S^iiiSSrfi3! : {11 '"j;' Ji' '' '"'""S w^o"i^DalorieBo Jos Joaquim da Costa Pcreira", com
    ": ". T.'l ": ::-,:-. entender para qualquer obra.
    eolios ou moldes que para tal lim forem opresentados. Rocebem-sa encommondas nesto esla-
    ecimeniona ruado Brum n. 28 A o na ra do Culi egio hoje do Imperador n... nioradia do cai-
    [uem os pretendentes se podem
    amputaeoo I Dellas ha mnitasque havendodei-
    I xado csses asylos de padeoimentos, para sonao
    Isuhmelterem essa operaoc dolorosa foram
    1 curadas completamente, mediante ousodesse Pugio ha poneos dias, do lug r ! preciosoremedio. Algui aos pessoas na '*, ocabro 0.:laviiiio, | ini
    eiifusao de sen recouhecimento declararam es Vm da Silva Le le XI
    ! tes resultados bonetieos dianle do lord corr re- laucos mozos e 111 comp nhia dn nloM; >,
    dor e outros magistrados, am do mais autenii- :s -:|- '" inles : es
    carera sua firmaliva. .lo do corpo, representa le 10 unios, p.
    Ninguem desesperara do estsdo do saude si ou men -. : m marcas di 11 .;,-.-
    livessebastante, conlianca para ensaiar estere- Unia fazer a haiha deixandii .-. -
    medio constantemente seguindu alguin lempo o piolli, muilo 1 -', falla um j .
    I mentratatoquenecessilassea natureza dome.!, saJ, anda calcado, mi r ion
    cojo resultado seria prova rincontcstavclmenle :
    Oue ludo cura.
    O aagnento be atil, mais parttea
    Inrmciitc uus seornintes easos.
    sado,
    caira e 1 iimisa de algo '.1 i/ini
    e bonel de laa pro>ri para n anijo : n
    qnem o \ og ir de levar .1 Manuel da SUv.. -
    ra da Cadi ia do Re ife 11. D2.
    -in da mperatriz n. Id, o seguale ;
    Ferros de eogoaimar
    econeraicos, do melhor autor.
    Chalala.
    Proraracao propria para torrftr as mobilas
    s em novas. |
    Pannocouro,
    que ptimo pora fazer guardas-lamas d*c carros |
    o mais incorpado, e preto e lustroso, di. que o
    melhor ..-ouro de lustre.
    Para Tora Goiabada Imperial.
    Vende-se em eaixdes e em latas a mais fina
    . goiaba que se lem visto. Kua Direita 11. 6.
    Fub.
    Farinha dc milho americana, om barricas, cho-
    eada no ultimo navio dos lisiados Unidos: nos
    armazens de Tasso Irmaos.
    Espirito de vinheciH \\.
    Vende-scum escravo boi'ila figura, crioulo, | (wh\(\
    lo oannos, punco mais ou raeBos, porfeilo I tuv^i
    lineiro, advirtindo-se.porcm, so-' O
    1 clausula do ser .para lora da provincia:! Vende-se espirito de vinhoverdadeiro com i
    a convier Jirija-S0 a ra da Cadeia, loja de \ graos, chegado da Europa, as garrafas ou as ca-
    i illh
    TT
    **
    DO
    IffiD I tPlEIMI

    ib!
    S


    <w (*
    Alporcas.
    Coi/obras.
    Callos.
    Canceres.
    Cortaduras.
    Don .- de cabega.
    das costas.
    dos membros.
    Cufermidadcs da cutis
    em peral.
    Ditas do aniis.
    Liupcoes e escorbti-
    cas.
    Fstulas no abdomen.
    Frialdade ou falta de
    'olor nas extremida-
    1 es
    Frieiras.
    Gengivas escldalas.
    lnchacoes
    laflammaco dofigado
    Inflammaco dabexiga.
    Ida matriz
    Lepra.
    Ha .-: das pernas.
    - peitos.
    Ihos.
    Mordeduras do ieplis.
    Picadura de mosquitos.
    Pulinoes.
    Queimadelas.
    Sama
    Supuro ;oes ptridas.
    Tinba. 1:1 qua'
    te que soja.
    Tremor de ervos.
    Ulceras na bocea.
    do flgado.
    das arliculacoes.
    Veas torcidas ou uoda-
    das nas ponas.
    !"u:o no iIj 27 de dezenibro '...
    prximo pasado, do engenho Brcjn, fi
    Jabeato, oeseraro AJtxanflre, cabra, t
    io, idade de 30 annos p meo mais cu meni
    estatura mediana, mcco, e pisando m.,1 por esa -
    sa das Lobas, que livera n s ha um .;.
    e lem o coslurne de. embriagar-se : deccori(ia- .,
    que est no Recife ou [tamarar -. pelo so r-
    lanto a quem 0 encontrar queira leva-lo a
    engenho, ou ao escritorio do Sr. Manocl
    Mo
    Oda
    promel
    Sampaio Silva t\ (;.
    Ni ra do Rosario larga n. .tS. segundoan-r
    dar, existo para so vender dous escravus pecas de
    til ) 1 ira viiito annos do idade.
    nadas : na ra larga do 'osario u. ;(0.
    ^^^'aRussia
    'oiassa
    4 v- .-
    " -^ 'Zl
    i- n S
    uvull. &&& DO FITHBAO 3
    Clnica i^or ambos os systemas.
    O Dr. Lobo Moscoso d coBsultas"todos os dias pela manha c de larde depois de 4 horas i
    po rid -1,2 i uTa's CUtar a""u,1"no"10 n* s Para a ci,lad,-' cf"> PJ" os engenbos ou oulras
    Os chamados devem ser dirigidos sua casa al as 10 hoias da manha e m caso de ur-
    gencia a outra qualquer hora do da ou da noile sendo por escripto em que so declare o nome da !
    .2 "r o
    "*Sg5
    _- c _
    5 5'"- 2S-S-I
    icm ios casos que nao forem de urgencia, as p< soas residentes no bairrodo Recife poderao re-
    uto metter seus bi .. i s ., botica do Sr. Joao Souun & C. na ruada Cruz ou loja de vros Co Sr. Jos
    ; Kogucira de Souza na ra do Crespo ao p da ponte velha.
    m
    lMM!t'3XL
    I-|!!il
    UU*2T\l
    a rSaS8sg"
    r- S a S m STgjg 2
    c^*- -ft C Q ffl 0 _
    S. n C ^ c = H ''- -
    | g= .=.s-s
    -_ >. ^ ? a _r
    S|-S|s|||
    *iB.r.;|i|
    ^95" = = ., xi o
    S 9 a S &.. -
    % = S ^ -" :- 5 2 'c
    SI |g S *5 a g
    E CAL DE LISBOA.
    No bem conhecido e acreditado deposito da
    ra da Cadeia do Recife n. l, 1.a para vender
    potassa da Kussia e da do Rio do Janeiro, nova pessoa, o da ra e o numero da casa.
    e de superior qualidade, assim como lmbela ios casos que nao forem de ura <.
    cal virgem em india : ludo nor nrecos mu'
    razoaveis.
    ..' SELI.INS. Nessa loja c na casa do annnnciante aciiar-se-ha constantement
    \_cndcm-se os raelhorcs_seilins inglezes do pa- mentosbomeopnlhieos ja bem conhucidos e pelos procos seguinles :
    Botica d* \ tubos grandes, .* .
    Ditos dc ^ ditos............
    Ditosdc 36 (tilos...........
    Dito do 4S ditos. ...
    Ditos de 60 ditos. ......... \ \
    Tubos avulsos cada um............
    1 rseos de linduras.....
    Vende-se este ungento no estabecimento
    geral de Londres n. "i, -Sirand, c na loja de
    iodos os boticeiios droguistas e outras pessi -
    encarregadas de sua venda em toda a America
    de .-ni. ttavana o Hcspanha.
    Ven Je so aS00 is., cada bocetinha contm
    urna i.nstiiceao em prlugucz tara o modo de
    fazer uso deste ungento.
    O deposito geral em casa do Sr. Soiiui,
    pharmaceulico, na ra du Crun. -1, em Pcr-
    uambuco.
    lente, no armazem do Roslron Rooker&C.,
    praca do Corpo Sinlo n. 58.
    !
    :--'ji
    Cortos de vestidos prelos, lieos de
    70$ a
    Hilos de seda dc cores ricos
    403 a
    Ditos.proprios para casamento de
    80$ a
    . 5j3 Vestnanos de se Ja para meninos a
    n Tolos de alcochoadinho pata ditos a
    Variado sortimento dc chapeos pa-
    gj ra meninos.
    '"Segundo andar do

    termos de nicdi-
    Uanoal de medicina homeepalhica pelo l)r. Jahr traduzido
    era portuguezcora o diccionario dos le
    cia, cirurgia etc.. etc. ......
    Medicina domestica do Dr. Ucring, com diccionario!
    Repertorio do Dr. Mello loraes.
    e os mcihores medica-
    10.OOO
    i
    208090
    25$G0
    O.-O'J
    2so;o
    204000
    OSO
    6S00O
    Espirito de vinho a IjJSOO a caada, manteiga
    inglez flor a 960 rs.. franceza a 6i0rs., macar-
    rito, talharim e alelria a 400 rs, passas e ameixos
    muilo novas a -S rs.. figos a 320 rs., doce de
    goiaba fino a ISSi), dito do banana a cha hisson a 25, gomtna do araruta a 1 0 rs. :
    ni taberna da travessa do pateo do Poraizo n.
    18, paredemeiada fabrica do chapeos do Senhor
    Maia.
    200b 55
    15
    12SS
    s ***
    9 (J.A

    SO-
    Nesle prove toso estabelecimento, que polos no vos meThoramentos feitos acha-se
    conve-
    i do 1 de novembro em vanie, contratos mensacs para
    <| I mentemenle montado, far-se-hao tambei
    lirado lia CStllllliada I'Ua uS ; maior commcdidadcecconomiado publico de quem os proprielarios esperara a remunerac de
    . m tgW. I Ini.t.e DMfiiina
    to Qiieimailo por cuna ^
    da loja do Sr.
    entrada pelo
    Peixe Frito n. J.
    geifigSi&ssftii&gs.zg* *8&fiSf. &Gissg.'! Ie copeiro, nas obras lem os necessarios, novos
    tantos sacrificios.
    Assignalur. de banhos fros para urna pessoa por mez.....
    momos, de choque ou chuviscos por mez
    S.ries de oartoo.s e banhos avulsos aos nrecos annunejodos.
    neceo do m \ Ven
    Preguicap
    ogooo
    lojOO
    z.-z z = i- c =
    n c j r
    Lelorios.
    londc-seou arrenda-se o engenho Fotozi,
    ^ | sito na freguezia d'Agoa-Preta, moe com a^oa
    gje copeiro
    commodos, e bem construidos, e no que respei-
    Acaba de Chegar (1o RlO de Ja Ion prodcelo para todas as quadadesde cul-
    iiciro nlruns excmplaresdoluraS[,arece nDo haver s,,Prior em paneai-
    \^^A:,WS'^
    Vcnde-se e permuta-sc por casas
    no bairro dc S. Antonio desta cidaelc.
    ou arrenda-se o sitio da travessa dos
    Iletnedios, na treguezia dos A togados
    n. 21, peo tempo que r convenci
    pnmeiro e segundo volum'e
    \onde-secm casa de Arkurighl
    da Corographia.
    Histrica clionolo{j'ica, genealgica, ^
    J malera boas mallas e terreno para levantar i \'UOtn P**eneler urna, destas de
    oulro engenho, Picando o Potozi com as laiwt c .r8^f*' cnten(lase com o seu po
    necessarias para safrejar os mil pies de assucar Pr'et;iri Caetano Pinto de Veras, na
    que se quiser plantar, do prsenle o nico n-! casa de sua residencio, ra dc S. Fran-
    & C., ra da
    Cruz, armazcm n. 61, relogios do fabricante Hi-' ig 0 voluine, podendo-
    qlibury, sondo que polo seu perfeito machinismo l .
    pode-se usar cora coberla ou sera ella. flu,ldu e'n separado : n
    J
    nobiliaria e poltica do imperio do Bral hnete que se apvesent estar lonje do era-j cisco n. 8, ou ca reparticSo da alfan-
    sil, pelo Dr. Mello Moraes: vende-se a ^!:.u3 'a8.!l0.v"?*!l pa^ida. evolla dosTdcga, para tintar do seu ajuste.
    Elf\Jf
    V'ende-se um rico vcstiiaiio de volbutiiia de
    cor, proprio para o carnaval, na ra Ja Cruz n.
    20, armazem.
    Champa uha.
    Vcndc-sc barato, para fechar coalas, urna po- !
    quena quanlldade de champanha, em gigos, da
    marca acieJitada C&.C, na ra.da Cadeia do Reci- ;
    fe n. 62.
    S^T P.VIT\ 0 CARNAVAL,
    Na ra do Cabuga, loja do fazendas finas n. 8,
    do Almcida & Burgos, vendein-se vclbiilinas edr
    de carmizim, verde, azul ferrete, claro, rxo,
    c jr de rosa e preto, dc boa qualidade, que bem
    assemelha-se com o verdadeiro velludo, a proco
    de 720 cada covado : existe muilas oulras fazen-
    das proprias para apromplarem-se 03 masca-
    rados.
    0 Vende-so urna cscrava do 24 annos, de bo-
    nita figura, engomma, cozinha, java e cose bem,
    c urna negrinba de 10 annos : na ra brga do
    Rosario ni 26, segundo andar.
    :car--ueiros, inconveniente esle que breve tem i ~.Em casa do llcnry l'orsler & C, ra do
    i de desaparecer com achegada da estrada du ferro Tro,Pu,ne n- 8. vcnde-se :
    Lm carro americano dc i rod.is.
    Arreios americanos.
    se vender o se
    na hvrana n. 6 e iqe reduz a ,lias cargas por Jia p0rlanlo f.ucm i
    h da praca da Indenendencia. ,|Uzer p0cSUr ni Potozi, ou mesmo desfrtalo
    \ CStidOS de Seda. porarrendamenio no engenho Udia achara com
    Vendcm-se corles de vestidos de seda com 2e iquem halar ou na ra do Queimado n. 39 a
    3 bailados, armados, de 20 a 40# cada ura, sen- fallar con) Mauoel Florencio Alves de Morae.
    do que seu valor razoavel ser de 80$ : na loja '
    de 4 norias da na do Oueimado n. 10.
    9
    i
    9
    eiio a
    i
    d ::
    Desembarcadas ullimamculc \ indos do m
    g Porto, proprias para prsenles, por che- j$
    garcra inteiramcnle perfeilas : vendem-se ; manso e hora andador
    no armazem Progresso no largo da Penha $J ; iwro 1(>.
    n. 8, lauto em por^o como a relalho ; g!
    prego commodo. 5I ^kl/\

    @8@SS S^@@@
    0^000 rs.
    Saccas grandes ; na ra Nova n. 52.
    Vende-se um cavallo prcto, gordo, muilo
    no paleo do Paraizonu-
    nos.
    VeUUe-Se a, aimacao ei Vendem-se relogios de ouro inglezes, de pa-
    generos da taberna n. 14 do pateo do Terco: a '.ente : no armazem de Augusto C. de Abren,
    tratar na ra Auusta u. 94. na ra da Cadeia do Recife n. 36.
    Bombas americas.
    Toges americanos.
    Arados de ferro a 30|
    Champagne e cognac.
    Relogios americanos.
    Farinha de Irigo de lodas as marcos.
    Veudo-se um covallo novo, de bonita cor,
    bem feito, e bom andador, sera achaque algum :
    a tratar na ra Imperial, casi ou sitio do mojor
    Anlouio da Silva Gusmo.
    Marmelada-
    Na ra Direita n. 6. vende se marmelada
    de primeira qualidade a 6i0 ri a libra a ella
    antes que se acabe.
    - Vende-se nm escravo crioulo. mogo e bo- 5 r*zen?". de Rynundo^Larlos Leiie^i
    pila figura, para roca : quem o pretender, diri-
    ja-se a loja de ferragens na ra da Cadeia do Re-
    [uerpar- Ferreira, na ra da
    urna boa recompensa.
    Desapparecen o Escravo Virgini i -
    lato. Liado parle de quarenta annos, rosto i i
    pido, pouca hirba ; anda calcado, a i
    serio, consta que para ali seguir de can
    pela villa de Sahoera. Qoem o apprdiender, e
    conluzir a mo da Cadeia da Recife n.
    meiro andar ser generosaoMAta roeomp:i
    Di ipparecen no noile do da 7 de
    correulc de S. Jos do Han^uinho, i j.i .
    Tpixeira Bastos, i escravo crioulo, fl -
    nodieto representa 25 a E6 ann >s :. ii
    cu mais ou menos, sem barbaj llura i
    corpo guali......le regular e bem
    po, constando de cal le ca mira,
    panno lino azul, camisas brai
    ganga o de brim trancado braneo, liapi i
    I de follro escuro, e uma rede, Indo usa i ---
    ; Ruido por una niiillior forra, edr fula, '
    Can lida, q i i onsta ser natural dc Ua i
    I cabello amarrado, o escravo natural
    gipe, aonde lem mai, hoje forra.
    Roga-se a quem o aprehend i '
    Manguinho em casa de Jos T. D istos,
    cidade emeoso de Raslos & Letnos, ra i
    piche n. 17, que sel -
    I sodo.
    10OS de grali&aco
    a quem pegar o ravo Joaquiro, fgida
    dezembro prximo paseado, com >a sig
    guinles : ca bocio, de idade dc 27 annos,
    mais ou monos, baixo e cheiodoi
    dondo, cabellos duros o corridos, nlhos
    nariz pequeo, bo ca pequea, com fa
    les superiores na frente, usa I g Ir, o ;
    davia podetorrapado, sem barba; cond;:.
    rodo, calcas o i rmi is, (erando vi slido
    camisa de alg ido riscado aml ri
    ro ; vcio do Ceari uo vapor Cruzeii
    i de niilutiru prximo passado,
    Luiz Ribcii :.i Cnnha i Antonia .
    los & Roliin quem n apprehender,
    cidade da Recife, ra do Crespo n. li.
    cebera a recompensa cimo. Pi I
    is ulonilodes pliriai a e capili da, c.; >
    upprohcnsao do mencionado escravo, qui
    poe fosse para o centro do Cear, porqui
    ser natural do villa do Cascavel e mui
    suppor que va se inculcando de fon
    vetes lem f' ib .
    Gama & Silva, no a.Kigo ater- ^^(fUC Pagido.
    ro da boa-Msta hoje ma Rog^^^^^ a ,
    mperatriz ll. (50. qualquer sutordade a apnielionsao de nm i:
    Vendem lindissimos cham dotes da al;;oIaoj T'e de nomo .AJanoel, crioulo, iorade
    a imitado de seda, de todas as cores proprios
    para vestidos de senhoras para vestuarios para
    homens por proco baru'.issimo que facilita faser-
    ce ura rico vestuario ga&ttndo muito pouco di-
    nheiro da-se as moslias com pinhor.
    Pera e ameixa
    Vende-se pera secca e amoixas rainha clau-
    sem igual.
    Lindos cortos de chilas francezas largas pelo
    i baralissimo proco de 2$ cada corlo: na loja do
    jsobrado amaioo nos quatro cantos da ra do
    Oueimado n. 29, de Jos Moreira Lopes.
    Resumo das lo oes de eloquencia nacional
    para facilitar os exames desta faculdade : acha-se
    venda na livraria acadmica, ra do Imperador
    n.81.
    Para os olgasesjio Car-
    ' "' :
    j ; nao
    pouco mais ou menos, o qual fugio da cal
    ahaixo assignado no dia 30 de ouiubro do C -
    rente anno, lavando calca dc cor, comiza rzu',
    chapeo de palha oleado e o maior ligtial s
    de asibma e a pouco cslevedoenie de bexigas j
    desconfiase que estoja acoitado por tlgum l
    talhao, que se queira oproveiiar de sua peajMM
    idade para o fcduzir, desde j pro'csta o mv-rr
    diaem caixinhas de '2 libras a l00O a cahi" fb?ix0 Sftft* "''"obre dilo laraph
    nha ou 500 ris a libra ; na ra Direila n. 93. >,odo flgdr ,e,'' firatilica da ma:.e.ra M
    aqutlle que Ihe der noticia rerta, e paga I
    despeza que fe fizer com o mesmo moleque
    esquina do beco do SerigaJo.
    Com (oque de avaria
    1:800
    Corles de vestido de chita rocha fina a 1:800
    lencos de cambraia brancos a 2:000' 2:500 3??
    4:000 a dusia ditos cora 4 palmos por cada face
    e de 4 o ineio por 5:000 co usa rara no Arma-
    cite, de Sampaio Silva & C, que se dir quem
    vende.
    Vcnde-se um relogio com diversas pecaj :
    na ra Direita n 23.
    Irmaos. ra da mperatriz n. 10.
    Farelo.
    Vende-se farelo superior, saceos com 90 e lan-
    as libras a SgJOO: na travessa da Madre de Dos
    n. 18.
    se effectuar dita aprehenso, levando ru "
    o. 21. Francisco Jos Germano
    No dia 2 do Janeiro desle auno fagi i
    lato escuro, idade de -10 i 50 anuos, i
    Francisco Dias de Aroujo, mortdor nnlugar Gua<
    rila, pertencente a Parahiba, cujo escravo
    o signaos se^uiiios : cheio do coepa e c
    comalguns cabellos brancos, quane anda ilM
    a poma direita para lora o leva a poali i
    em procura do ciuordo, o que chaman zai
    ta ; lovou chapeo do couro, leudo j .
    unas bololas feitas do mesmo caafO, que i.
    pora o lado, e uaii veste com guarJ.i-pe.i,i, i j-
    dodc couro ; julga-se andar pola rWaay da
    Magdalena, aonde lem um mano-: pessoa qm
    q pear, dirija-se a Boa-Vista, ra da Mang>u.
    ia, casa n. 1!. que ser bem recompensada.
    11 r-^ft r-i


    -9".
    DIARIO DE PERNAMBCO. SUMADO 21 DE JANEIRO DE fR60.
    L i llera tura.
    sa nao ura beneficio, lugo ludo aqucllc que dcl-
    lc scapossarnao incurre na excomrauuhao.
    Alrn disto, diz elle, quando a Europa resliluio
    0 dominio tcaiparal da Sailla Se C a ex- ao papa sua soberana, cortamente nao foi obri-
    coinniuiilio.
    Em nm dos nmeros d.i Ovilla Catholiea, v6-
    m ora opnsculo moresso em FInrenca sob oslo
    i i'o : l::l rilo ajllAlloi-iiziuuc, alta LcUcj en-
    orie di dirigi publico di Sua San-
    i ''-. ..i :ini i resposia del C ir. a
    irelii, nrmc il dola Cuta remana, 1 139.
    ' Irabatho da ileri-iu Humana, tedente, o
    i uos conrcn apresentar .-na subsl m-
    i j.
    ".. Achule Gonnarelli Jco! ira aulheiilicamen-
    ' i s i1, ni uto que ,i nllocu '' a 'Mi-
    I atl ;,[ i \ u r 11 i: 111 1 > 3 osle
    apelos vol ici in.iri nas Romagnes contorc
    iin;ilos erros. Kltc ola e explica osles erros,
    ; ni liii' causar a menor sorpre/a. O papa, di/
    inl.illivol quando doiino os dogmas e in
    gada pela regra da sessao XXII do concilio de
    Trono, o siro pelas razos polticas que prevale-
    cer.! ni no congresso de Vicnna. Isto verdade,
    porem est tora da qu esli Agora nao se trata
    de saber quacs os motivos qne fi-varam os sobe-
    ranos a roslituir ao papa o que Ibc peilencia,
    Quopautfs, quer ao depois da usurpocio, o osla-
    do ecclosiaslieo, c em lodo o rigor da palavra, nm
    liem da egroia; o quer se quena, quer nao, elle
    e.-l coinprehoiiaido na se. iao XXII.
    O dominio lemporal do papa, ti;/ M. Geunareli,
    liau pode .-.'i ohjt co das dllberacOeS do nm con-
    cilio roniii lo pora reformar os abusos inlroduzi-
    dos na enreja, dociJii os punios de fe controver
    lulos e determinar as regras da disciplina ucclc-
    saslca.
    Nova eontradicao. O impugnador da doulrna
    da mocidado, linlia-lhe penetrado n'alma por
    lodos os poros, em cada aopro e com todos os
    perfumes do sua passagem. Tinha o espirito em-
    bebido em Dos, e sabia de Dos ludo, quo o lio
    mera pode saber, sobre a trra, e face face
    com a solidao.
    Mas bastante pira a conta, que cada um de-
    vc dar de si, esse prlmoiro Edn do pensamenlo,
    esso perpetu monologo TexlaM om face da
    magnificencia da Croacia, dianto da pagini de iicll
    fugo du sol poenlo, ou aolcs diante da moJrsia
    queixa da abelha violeta, ou anda da gotia de
    orvalho, cabida sobre a follia amarga do absin-
    llin, como urna lagrima de sympalliia sobre a
    cliaga secreta d'um sol'riment? u que al-
    gumas vezes, sob a haslea lacrimosa da madre-
    silva, borda da cscala, a sibylla pensativa do
    mancebo, rodillada sobre o rochedo nao Interro-
    gara o hotaeonte, c nao cliamava com a vista o
    dosconheeido?
    '.' muilo sonhar. E' misler viver. E' mislor
    em silencio, e amonloa um segundo lencol sobre
    um primeiro sudario I So ao menos Everard ou-
    visse por delraz da cortina do horizonte um mur-
    murio longinqoo, quo annunriasse alguma cousa
    grande, como um problema proposlo humani-
    dnde, poderia talvez lomar parto nelle por sym-
    pathia ou eontradicao, poderia dilatar seu peilo a
    aragem do exterior, e enviar ao ospaco a expan-
    di do coraco como grito do esperanca ou de
    Mas nao- a inteligencia recua [mr toda
    parle na Europa peranle nao importa que qu es-
    li proposla ; elladiriado boa vonlado, como a
    imperatriz: HuiipetUmnage. Enlo Everard
    olha o c risonho, onde brilha ainda a estrella,
    o val morrer d'uma baila no coraco sobre urna
    plaga de Sicilia.
    muilo sabio? O magistrado cochinchiue/. que li-
    vesse lido quinze livros seria considerado um se-
    gundo Confucius, umDeosl Elcvar-se-hiam es-
    tatuas em sua honra. At o prsenle porm ain-
    da se naodeve este fado o por urna razio bem
    simples. Esse horaem phenomeno seria mats*- nao podemdiminuiro v.ilordas observables -
    tficas, que adianto lerao.
    Se, com effetlo, o ultimo trimestre de (859
    em que recebimos a.- inforicdes deste U ata -
    Iho, que se operou esta repenlia mudam a atli-
    mospherica. Julgmos pois conven, i lo conti-
    nuar os nossos traballios, urna vez que, a
    ver, as calamidades que referen* J*oje as jorn.i. ,
    sabio do que o imperador, que tom lido apenas
    seto, secundo so diz, e o monarcha enviara por
    meio de um pequeo taco de seda, omonos des- nao aprsenla es mesm
    se sabio ao templo de memoria. Por lano para
    ser-so aqui alguma cousa noiossaiio sor-se ho-
    rnera de lellras.
    Os costumes do povo ainda sao os do lempo
    primitivo. Sao os meamos queso bem na escrp-
    lura sanl.i, cm Homero e Virgilio ; os cochinchi-
    neses queiman os morios, o com o cadver os
    E Pile o livro. Mostrara o dvspeilo d'um ge-i pnneipaos objectos que lite peVloneeram. A n-
    1 to elle i s |
    libidado do papa nao lotn > por objeclo a fe, po
    i ;:i os coslumi'S : iu rebus Ildi-i el morum ; que
    eilo publii'o, as rousa^ lemporaes, os-faclos
    lano cites osto debaixo do dominio da le
    i i"; ...ii!, dojiendoiii do soberano ponli-
    c, juu supremo e m'allivel do iuo se dove
    i 'T fazofle evitar para a salvacao ; elle esque-
    omHin du que o dever est comprehendi-
    il" na doulrna, e que, a nao se conlradizer, po-
    d :, subtrabir ao Iribuual do papa, as verdades
    s', porque ellas perlcuceo ao doposi-
    unos porm o principal erro em quo cabio
    1:> 1\ declarando excomrauugados lodosos ijuo
    iii'niado ou houvercm de a i ten lar contra a
    - iberania temporal, i) papa, diz M. Genria-
    relli, nao eslabeleceu urna nova legske.ao, po-
    i"in servio-so di Ici do concilio de Trono, ci-
    i nido em seu avor o capitulo \l da Wll ses-
    i que em nada Ibc e_favoravel, anles ruanifes-
    11 mente contrario.
    '.ules de ludo notemos que a Eitcytlica nao
    - do concilio de Tiento, porcm nos cano-
    i. >sd.is consliluices apostlicas e dos decretos
    divos .-lis synodos ocumenicus. Ora, para nao
    rilar um s esempo, .mies do concilio du Tren-
    i na coitslilnii;ao l'asloralis romani pontifteis
    niiia... t$ 20, nos vemos excurawungados c
    .- ij.-tos .10 auailiema lodos aquellos'que, por si
    0 i por uniros, .necia ou indirectamente, debai-
    1 i le quabitiPr titulo ou pretexto qno seja, ou-
    ii invadir, destruir,oceupar e relcr... asci-
    -, torras, lugares ou direitos que pertcncain
    romana u que l'ie sao medala ou im-
    iiamente ujeiius: logos revolucio
    inos, com seusassuclas ; fautores, e compli-
    dire ios ou indirectos es
    vanlado contra a cobica dos invasores sacrile-
    gos. Quaudo.H. Gcnnarcliaflirma que estas ques-
    loes nao pertencem ao diieiio cannico, porm
    ao dircilo publico universal, elle estabulecu que
    loda a usurpaco d
    seculares nao indigno de oceupar as dclibera-
    fes de um concilio.
    Balas grandes assemblas consorvara-scno seu
    dircilo e cumprcm seu dever, inslruindo os liis
    acerca dos mandamentos de Dos, sera exceptear
    o sptimo, que prohibe fu r lar os bensde ouirem,
    castigando os seos transgressores. Logo a forlii-
    ri, o concilio do Tienlo pedia instruir os chrisios
    do dever que Ibes incumbe de respelnr os dirci-
    los dn egreja, o as penas que elle eslabeleco sao
    o acto justo c uecessario de urna auloridaJe le-
    gilima.
    esla a M. Geunareli um ultimo orawmcnlo
    iioincm d provas de si, e que lem depois o di-
    rcilo de morrer.
    L'm dia pois Everard dc>ce da monlanha.
    Anude o leva a locomotiva ao sibillar estrondoso
    bensc direitos puramente | de apito ? I. adianto, bem longo, bem porto
    comtudo, gracas velocidado do vapor, Raby-
    I o ni a brusca ainda, chamada a capital da inlelli-
    gencia Toa finalmente com o p a trra sagra-
    da da idea, loca-a com a man, como Cesar, para
    lomar posse dola. Eil-a, eis-mo, nos ambos!
    Onde esl a palavra de vida, que ouco e que di-
    go por minha vez? onde esl o grupo de elei-
    I cao, onde a palavra d'ordem do futuro? Elle er-'
    i ra seni fim no iiiimenso labyiintho, olha, escu-
    ta... as car.uagens rodam. os Iransitaules vio e
    vem. As sombras comecan a obumbrar as roas,
    , as perolas do gaz faisc'am a perder de vista na
    atmosphera.
    nio nao comprehendido. que ere vingar a humi-
    lia^ao de seu amor proprio menoscabando una
    geraco inteirn? Conscienciosamenle fallando,
    loria muilo mal comprehendido a corresponden-
    cia d'Everard quem nella podesse descobrir a
    prcocupacao de um nome de mais ou menos a
    tancar na mullido. Um nomo, quequer slodi-
    zer? Qoem nao lem um nome com alguma per-
    sistencia? Os labios do publico teem por ven-
    tura tanto encanto que se deseje ver nelle fluc-
    tuar sua pequea syliaba emeompanhia do beijo
    do sero o da mentira do momento "? Everard ao
    contrario tem muita sciencia do destino do ho-
    mem para crer em outra grandaza, que nao a da
    idea. Ser-!he til, at sob o anonymo, eis a glo-
    ria d'um coraco bem formado, eis a ambicio de
    habi-
    oreeederam ; so o uiomno coropensou um pou-
    co os prejuizos soA-idos p -la \ ,, duraa-
    tc o ultimo verlo, nao ha duvi q
    ltimos annos passadoa tiveram alguna
    taita seara. O mundo intelligcntr tem-sc
    pado seriamente disto, > j cena
    urna diminuicao real da qu
    que cahe aiiuaalmentc.
    O que agora se ra Icr o as <>bser>
    mundo inielligenle ; publicando-as, eule
    sobreludo fazer apparec^r o inlercssc a impor-
    tancia resultantes dos trabalims d" in
    hbilmente emprebendi los, e lo
    mente animados pela adiuiii.stiaeao superiei ew
    Franca.
    Foi no rotatorio de um sabio inglez, s!. I
    Everard, ouso alfirma-lo. pelo accenlo altivo de ra a sua. Sabcm perfeiUmenle que o potenta-
    sua palavra do nao brinca rcspeilo de desobediencia as suas
    Mostrara alias, o destino da crenca, o signal de ordena, o ainda menos com o que pode parecer
    lujamos? Quem primeiro disse quo o odio era urna resistencia. As exacedes, as extorcoes, os
    muilas vezes urna affficao voltada? Ouiroianto ptcvaricacOos sao (So numerosas, lio descome-
    direi da obra de Mr. I.anfrey. O fogo do sua < didas, lao' horrive
    lumaco se faz o mais pelo possivel da
    lacio
    A cousa que urna mnlher mais ambiciona
    nina grande fecundidadu ; aqu urna vergonha
    nao ler filbos, e militasmulherossio esteris. As
    familias pobres vnidom seus (ilhos aquellas que
    nao os tem. O preco um derapazsinho naoalto,
    varia de seis pennys i seis schillings. Ha|mri-
    dos que cxploram a fecundad)! de suas mulheres,; her, relat or o uliimamunlc %f\
    como os rsticos a de suas bostas. E as mulhe- ma das sciendas d*-Londros, que sueoot I
    res esteris o os maridos impolcnles correm dos j as pri metras firma-, que atteatavaoi a diminu-
    quatro cantos do imperio para essas coudelarias jio gradual na quanlidade da chava, i ta !;mi-
    le-r
    porcxemplo, por um trimestre do ol
    oitasuos ltimos das de juibo, d.' urna
    gada ingl./.a 3/1. Durante os annos de
    1855, 1858, 1857 e 1858, apeu is Un
    25 polegadas, tormo medio. Dcrecia tan b*>m n -
    sultai de observaeoes feitas, desde II5
    1859, que, durante os quarenla e qoall
    l'ianiidado d'agua derramada na Ierra
    lumanas de maior reputacao pela belleza c gen- nuicao, na phrase de M. Glaishcr, Ion
    tileza de suas produccoos.* sensivel quo inquietante i i deve
    E lal o lmur que a auloridado inspira, que lo-
    dos se guarda m de manifestar urna oniniio contra-
    s, que o mehinchiiicz procura
    tristeza prova o vigor de sua espcratica. Elle loca : cuidadosamente nao mostrar-so salisfeilo, nem delxou de diminuir, e que esta diminu
    E' a hora do baile lusido e do
    para provaj que os que se apoderara dos bens ce- caf chantant.
    clesiaslicos nao esiiio excommungados.. Elle E'esta a cidade que elle hava sonhado ? Sim,
    chama era seu lestemunho a mesraa egreja na sem duvida, a cidade da elegancia, do prazer,
    pessoa de seu chefe. O papa, diz elle, osero-, da puJra nivelada com arle, do vestido trazlo
    vendo a um destes pretendidos excommungados, com grace, das guitas do vinho de Champagne
    com energa na inlellgencia de seu lempo para ta/.er queixas lao pouco.
    desperla-la o po-la caminho. Souwarow con- J vos disse que este paiz encen unerosa
    duzio ura da seu exercito atravez da monlanha : riquezas melarlugicas, ninguem se occiipa nem '
    a novo lurbilhonava em roda do precipicio, e o procura oceupr-sn com ellas por esla razio : o!
    exercito perdido no nevoeiro recusou marchar. 0 natural que por sua dosTara iloscobris.se veas:
    general mandn cavar um fosso na nevo, e, ah de ouro, ou urna mina do diamantes, do sapl
    deit ido-so era seu capote: Deixai-mo aqui, diz ras, de rubina e de esmeraldas, e que livesse
    0 chama seu querido lilho. Ah sem duvida,
    quando Judas Iranio a sen mostr com um os-
    elo, eslava innocente, pois que o Salvador lhe
    disse Vmigo a que vieste ?
    Deixemos porm esta trisie brochura. acres-
    cenia udo algumas palacras sobre o grave objeclo
    deque ella se oceupou. Nio sJI. Geunareli
    queso lem escandalisado de ver una cousa tem-
    poral e perivol como os bens ecclesiasticos u urna
    soberana deste mundo protegidas pela excorn-
    munhio, isto pela priracio dos bens espiri-
    """ ; luaes, infinitamente mais preciosos que (odas as
    BrY, I riquezas terrestres. Os que assim pensam sem
    duvida nao lem rcdeclido sobre a excommunhio
    jo incursos no ana-1 falminacla pelo Salvador no Evangelho-Se leu
    ., i BurpoMo mesmo que os padres de lenlo irw5o peccSrCon,ra ... dlze.0 6 %gtlja se eHe
    quor.do punir oulros alten ados alen, n0 0vjl. ^ ^ lh
    lum praticado os invasores das Romag- ,lub|1CIUI ,,, ,
    s I tuii eio os invas
    i;i -.
    Porm o ijie dereremos pensar deste decreto
    encontra na sessao Wlt do ultimoconci-
    iitiiva-rsal, e da estranhd licao que, em inale-
    pecci
    i nao ouvir
    h.'XVII. 15, 1", .
    Do quo se tratar aqui 1 De um damno tem-
    poral, de urna injustica feita em mciis bens ou
    sobre o copo de cristal, o da chova estrondosa
    da msica italiana sobro orna platea esvaecida
    de voluptuosidade; todo 6 feliz, bom. talvez.
    Dos me defenda de calumniar l'aris, c de rou-
    bar-lho o mrito Recebcudo o mundo inteiro,
    bem que ao menos faca honra liospitalidade ;
    mas com a condicao de que a alma tenhn sua
    vez, porque, provavelmente, se o bomem lem
    algum preyo neste mundo, porque sabe fazer
    alguma cousa de melhor, do que saborear a am-
    brosia dos cabellos ornados de llores, o,u collier
    a flor de camelia meio niurehada na alrnosptic-
    ra ambreada do toilette.
    Everard escola o olha ainda 0 desvia (rsle-
    meute a cabeca. Que vim aqu fazer? Obedecer
    a voz imperiosa da voeacio, Unoar una voz de
    mais no concilio da espirito humano. Mas a phi-
    losophia escapou-sc e guarda silencio; olla
    acnou a conciliario, at entao impossivel do ou
    o do nao cu, com salisfacao completa do cu,
    r coufessar; c brand'ameule deitada d'ra
    elle a seos soldados, pois quo vos vi recuar, le-
    nho vivido bastante. O exercito, com tal espe-
    laculo, corou de sua fraque/a e bradou : Avante !
    Pode com ludo dizcr-SO que o leilor de*a to-
    mar leltra todas as paginas d'uma obra, onde
    fogosamente enlrava urna parte de flcr;io?
    Nossa poca, Dos louvado! nao se acha lio
    desamparada; como parece crer, Everard. Ha
    anda em p mais de nm honiein, mais do um
    tlenlo, comec.ando por Mr. I.anfrey, pita con-
    tilo urna propoi
    vindouros.
    Km seu relalorio, M. Ole. itrou siaa-
    plcsmeulo os tactos, sera examiaai
    mas esses fados sao de fcil d N ,
    ha una s soriedade sibia na i..
    rica, que nao possu.i um
    tenia lomado nota da bu va ci-
    l-
    a
    imprudencia para obedecer a lei, de declarar sua
    descoberla i auloridado, seria acolitado com o hida nos lugares, on l
    bamb por nao ter deseoborto A mais tempo. respectivos pluvimetro*. D ptuvi
    la mil causas da requena populaco do impe-l metros enllocados sobre o lerrapb rva-
    rio, sendo u primeira o pouco cuidado, que SO] lorio de Pars, e observa lo COUl '
    lem na creaeao c na cura das febres provenien- cem otis informac,des.
    les dos pas, que quasi sempre lerminam fatal- Segundo os extractos officiaes, a quanl
    mente, se deve accrescenlar o desprezo da auto- d'agua que cahe em Pars, nio dove
    pela especie humana, que a sobearrega o,m. ib Os cxlraclos olfiriats > i I
    ridado
    do terriveis encargos.
    servar ainda o fogo sobre o altar. \. depois, di- ( An-nam est
    lo-hci? por que irazer a mulher ao caso ? Que
    tem ella fcilo, coitada, para merecer essedo-
    Quando o imperador dr
    guerra com seus visinhos, ou
    quelite capricho?
    fu'uro lhe tenlia
    renda vitalicia, c
    sabe Dos com) ;
    lempo ella ten'ia
    prosa (ionio di
    j mi clrigos ou leigos.qualquer que soja suadig-
    . ', todos esli comprehendidos na suntenca
    que os Ii r i at a reslituie.io intuir e a absolvi-
    i.ao d i soberano poulilicc. Eis as proprias pa-
    - do concilio :
    S quem clericorum vel laicorum, quacum-
    ^niaie, eliam iinperialiaut regali proful-
    ; il inlum m il irum omuiuin radtx cupidilas
    i cupaverit, ul alicujusEcclesi, seu cujusvis se-
    enlaris vr! regnlars benelicii, montium pielatis,
    ie piorum locorum jurisdiciiones, bona,
    i clisos ac jura niclus, einolumunla, seu
    qiiascumque o! tlti s, quee in ministrorum
    ti pauperum necessitates convcrli debcnl, per se
    los.... in proprios usus converlero, illosque
    os re, pi esumpserit.... auatheinali tandiu
    bit, 11 landiu j irisdictiones, bona, vel, ju-
    i, froctus el rediius, quos oceupavert... Eccle-
    si .. nilegrC resiiiuent, ac deinde a romano
    pontifico absolutionpui obiinueril.
    , d i leitoi de I fe que enlcnde ololim ver
    i.este decreto a coude'muaco dos invasores dos
    dados '' clesiaglinos. Ao ler estas patarras ali-
    :' r dir sem a menor duvida: aqui se
    i coninreheiidida a groja romana. Porm M.
    arelh ciileude de ouira forma. Contra lo-
    i ;ras da construeco grammaleal, contra
    . ni es in i uvid :.";-, elle junta palavra Leclesia
    , que se acba muilo depois, e en-
    i diz : a os oens... que devora ser para as ne-
    lados dos ministros e dos pobres de qual-
    i greja.
    Prosoguin lo a sua analyse, diz este autor, sea
    i do anathema reservada ao papa, o
    lo nio Irala de sua soberana temporal. A
    < msequencia & ao menos muilo bizarra. M. Gen-
    nnreli fundamenta osla opiniaS dizendn queocs-
    i lo temporal do papa nao um beneficio cede-
    ico. Oque vh a ser isto '.' II. Gennarcli
    be i o que se deva entender por benc-
    I i eccli siaslii o, collocan lo dcbaixo deste tiiu-
    l.i os bens, juiisdiecoes, direitos, rendas, ele. du
    . illa o.eoucilio ? Osen argumento verdadei-
    -i; inlm c o seguinle, se tal on tal con-
    prohibirao expressa, publica, solemne um lugar lilteralura; mas a lilteratura sen
    e muilas vezes reno va la pela egreja.
    Deraais, uu a exconniunlio nao deve nunca
    ser fulminada, o que contra o Evangelho, ou
    no caso de se empregar, deve ler por (im castigar
    ura poccadu grave. E nao
    roubo. o roubo de urna cousa pertenecido
    ja e que se chama sagrada em todas as liuguas
    do Ierra ? O simples bom sonso nao admillr
    que aexromniunhao seja urna pena excessiva
    quando inftineidaa aos ladros sacrilegos.
    ser peccado grave o du romance d'alcova.
    ve-Se de lpenle. Al
    encolhe os hombros e passa, porque sabe que a
    mullido, depois de ler tentado substituir o
    peusamoiilo escriplo pela musa girante, piido,
    ito muilo, reproducir o rao verso alterado
    Ah 1 que bom livro ; 011-
    i
    Todas as
    laeoos cercara de urna proteccin
    que bello livro, respon-
    e 0 echo. Lste-0 ? Anda nao. Pois bem,
    Iu le-o; faz furor. Na ra s o que se encon-
    tra as vidraeas das bijas ou sabio s 0 que
    se vO sobre as mezas. O marido o compra de-
    manhia, e, como o le durante o dia, a mulher|
    o c esquece
    Quero anles que o partido do
    feito mais de um avaneo cm
    que ella o teiiha reembolsado,
    quero mesmo que em nosso
    adquirido o mal do verso e da
    passar sua poca de realeza a
    invocar, aos paludos claros de urna lampada, as
    furias da inspirarn, e fazer nlhns terriveis A seu
    liutciro. Reconheeo filialmente que om nosso
    lempo ella lem podido exercer urna deploravol
    influencia, precipitando no-si geraco na orga
    do luso, e suffocando o pensamenlo*serio^debaij
    ico das ondas di' borda ios o rendas. Mas cm ul-
    tima analyse quera lem culpa disso? o como
    corrigi-la da vaidado do espirito, chimada toi-
    Ihete, a nao ser leudo f no senlimenio de seu
    valor, e nsprando-lho o orgulho d'um ouiro
    desiino ?
    Como ijuer que soja Mr. Lanfrey escreveu urna
    obra admira vel pela nobreza da idean belleza
    do esiylo Digo-o afluitamentc, sem regatear mi-
    nha sympalhia. E que para escrever bem,
    preciso ler o diabo no corpo,
    re, slo o dom da poesa,
    da raciocina, este o seu mrito; ella demonstra,
    quando osgovernos devem enviar acorte de Hu
    ou impostos pagos cm gneros ou as colhoitas
    de s. M., requisita-so ura exercito de rsticos
    para levar ntuniccs, impostes e colheitas as
    costas como animaos de carga. Ora sendo o
    clima muilo insalubre, e nao tendo os desgrana-
    dos por uulrieo senio filelos colhidos aqui c
    all as florestas, acontece que os nove decimos
    raorrera no caminho de febres, do cholera, de
    clicas seccas, a peior das molestias.
    Termino, chara lia ; o esbo.
    zer nos deve dar una idea da
    chichina. Na primeira
    dor para Sncapoor, vos mandare! i
    de minhas observa
    rop attestam, que a cid I
    Madrid, onde nao cahe la i ,m. S
    chova por anno ; o Bergen, em Nonreg
    cidade 'ido mais chove ; a letra ah
    m., -J d agua.
    O faele da diminui^ao da chuva, d
    progressiva c annnal da chuva,
    amias do co, ainda se prova ;
    menos meteorolgicos. Estes ;
    sam des percebidos no mundo ordina
    para cortos homens, sio obj
    preorcupacao. A suj erl io, ha i
    i que acabo de f.i- lom por varias vezes leudado do
    cor local da Co- mudanzas sao devidas,
    oceasio que liver porta-1 ficaces opi
    contmuaeao Em Inglaterra, na Allcmanha. no m \e-
    cocs. i i, o at era Pai is, o i' n
    \ lehinchina neste momento parece-se coto "; panlan 13 foi m <- susl
    vas i, ..|n geccado, sem que o !
    tenba trabalhailo para o fi
    cerl 1 qu > eii./s icm des
    ci da Ierra, ni > recebe n I n -, nm :
    grandes quai lades d' ag 3 1
    lera tdo ugual deslino.
    doduz mil maravilhas;
    que resla? urna dissvrlaco. Isto didactvoi
    regulado como um rologio de Genova. L6-se
    de principio a liin quando se esl de sangue trio
    e um quarto de hora depois esquecc-se com a
    mesma fdcitiilade do principio lira. Mas se a
    ura grande banlio de vapor. As ebuvas ci
    ram a tres semanas, o sao subsiitnidas por um
    sol ardente, cora os raios rerlcaes de 50 gr is
    Reamour. Portanto tenho muila pressa de deixar
    esla estufa mortal.
    No momento de fechar minha carta a aulori-
    dado cochinchinesa de Tourane sob a forma de
    tres mandarins muilo bochechudos c obesos ar-
    cenlo dina \oltai- ba iic observar-me que os regulamentos do paiz
    A ra/ao sem luvi- prohibem a todo navio estrangeiro 1.....servar-se
    na baha, e pede-mc politicamente ou que me
    mas depois que falla, o retiro 011 eulo que va ancorar a tres militas de
    distancia. Respond que, se dentro Je dsas ho-
    ras nao livesse bordo dez vacas, forragem, seis-
    cenias melancias o ananazes, cincoenta saceos
    de arroz o cento e cincoenta cestas com frtelas
    e tabaco, e que se no lim do da me nao condu-
    e',P?.n, ,''"" q!'0 "!'"S e5f08los ;1 '"J"8"- compra-o lamben, para ganbar lem
    ;'\. ,! s "T.....;'"' ?s u.Bl',' toilette. Como chama-se em obra prima !
    .' 1." ,-i ":i 2raeoados ,le 1,ulos sao S bll,!; Esqueci-me do titulo; mas.segnramente, o con-
    cecies a- icos. Estes sao os pnmeiros que sof- te-.Uu mpr.sso em papel asselnado olfenderia a
    m 110 lempo das revolucoes. nanlas vezes delicadez,, da criada grave de Ninon de Lelos.
    na serie dos seclos nao foram roubados, vendi-
    dos e mal restituidos? justo pois, que a 1 gro-
    ja empregue para os defender as armas que Dos
    lhe den.
    Que lempo taz? pergunla^a alguem ao er-
    guer-SO da cama. O criado abro a j molla.
    Neiibum, senhor. Uis o oslado do penBaracnto;
    Nao lia mao piedosa quo lhe anime a chanima.
    Lm um e corlo que o c litigo deve ser propor- U idea marca passo, cm Franca, depois do haver
    Clonado ao enme, nao ser urna filia considera- muilo lempo guiado a marcha do espirito hu-
    vel roubar a egreja c aos estabolecimontos de ca-
    ndado os bens sem os quaes impossive'
    as nece-sidades do servico divino c
    que sao indispensaveis para manter
    imaginaeao presta soccorro razio, eutin o es- zissem os Malaios perseguidos anles de lionlem,
    pinto inelaphysiro, fro como um rain de la de e que durante a nonio so refugia rain atraz das'
    invern, toma vida e forma luz e calor. rochas marmreas do Fay-Foh, onde ou nio po-
    Al agora Mr. I.anfrey tinha apenas se occu- dia chegar, queimaria a cidade, a| 11 il dous'
    pado de pensar. Em sua primeira obra sobre a fortes de bambs, cora que me amoaravam eque
    philosophia do dcimo oilavo seclo, tinha cha- lem a louca prelenco de guardar o'rio.
    niel 1 a Franca com um vikor de espidi incoin- Obscrvara-me que nio sabem onde esle
    o T unisa, o Senna, o Li re, a
    lancain no mar, por exomplo, o mi -
    d'agua, |ue, ha um seculo, lancaram. I. isl
    phenomeno quo hoje se acha mal
    demonstrado, quantoao Tamisa.
    Quanto ao llbeno cao Danubio, -
    rios lio caudalosos, vet-m lodos os
    muilo n a.s temeo do que d'antes, a
    gae.io inlerrompda pt talla d'a .
    - das, corra (Mino ceil
    i uslavam 1 oraplel 11
    1
    Crimea,que foi para grande numen' d
    francezes e inglezes, una poca d
    om a carta de Homero as n." -. ti
    : 1 a verifica; lambem a desa|
    curso de aguas importaut nos lugai 1 ond<
    W'LMftTK
    BRANCAS,
    Alfredo
    ASSOl.INT.
    Vl!l
    inuac
    dous homens de eiloi 1 lie differente,
    iiiiuiida le so a confralernidadu d'arraas ex-
    1, paspivain junios pelo jardim do major.
    Entao disse o coronel, quando farcinos nos
    liento ? responden Bonsergenl.
    Ora que casamento O de iiossos filhos. J
    1 1 [uecesli '
    Claudia ta 1 ran
    Mas j ''s! i muilo alia.
    : sem 1 plicar rou da algbeira urna
    nha e poz- i pu lar urna roscira branca.
    I'e ahi de patle a bine e responde-me,
    1 i. olio oilo filhos. cada um dos
    f as lude rece ici I 11 ral francos a 1 dia em que
    rera. 0 nicu filho Audinel, secretario gcral
    i -I '.'ura.
    listas vendo i.-'.o ? iulerrorapeti o major.
    Sim um botio. E dep
    Um bolo s ?
    Entio 0 que mais.
    Konscrgonl levaiilou o botio altura dos olhos,
    1- 1 revirou-o, conlcmplou-O por algum
    o com amor e iiu lioando-se para o coronel
    f. o tlalhai.'
    Ah lano m-'lhor. Em dous annos hade
    ! : prcldlo.
    Qirem ? o gigante das balalhast
    Nao, raen lilho Audinel.
    Sim, c um rapaz Je futuro c nio lenho
    sustos pdo sen adiantameuto. Mas onde diabo
    t porei .'
    - Audinel ?
    Ora nao me qurluesa CaberaCOm 0 leu Au-
    Fal'o-le du meo gigante das batalhas.
    Olha aqui leus rosa aman lia, de flores dobra-
    1 ^ de om vermelbo alaranjado.nointerior rosa
    nio ai-has bonita t Mis este amarel-
    I" faria mal 1.....searlate do mou bollo gigante.
    ' Is vendo a minha pimpinclla de flores de
    1 I \s largas llores brancas delta ario va-
    l : o gigante... Levantas os hombros Ignoran-
    jo como se a minha pimpinella nao valesse to-
    das as prefeiluras da franca. Ora vejamos, di-
    ni.io que o leo Audinel hava de ser prc-
    1 lo deliro de dous anuos.
    Prefeilo on deputido.
    comer bem. Em que crculo ?
    a egreja em
    sua independencia e libordad ? Dos tem reser-
    vado cajligo paraos ladros.
    L'Abb Franeois Chesnel.
    'icivdor i'athoiic.)
    lempo guiado a marcha do espirito
    mano. Sem duvida que mais de um de nossos
    proven a voso mestres, poderia adiar a nspraeo sa-
    os pobres, o grada ; mas, envolvido na magesl ido du seu no-
    paravcl a gloriosa IradiQo do Vollairc. Na se- I cultos os piratas e que se en queimar sua 1 1- Sabe-se, que II 1
    gunda sobro a revolucio franceza. ello linlia ca- sas, o imperador, irmio do filho do co man- grapljo como grand
    ramenle separado a liberdado de sua irm bas- : dar a cada um delles ura larlnlm de seda' e que p1''''""1 "" l,df li""" ** """ '''
    tarda a doulrna da salvacao publica, e, em ani- bem provavel que o portador dos sobreditos umoa* c,'ln eslemunho dos imbal
    As Cartas d'Everard.
    Everard tinha comecado por sonhar. Habila-
    va entilo solee a monlanha, 1
    da 11 a tu reza ; aspitava a alma do mundo oquili-l
    brando-se no cther, e beba a sabedoria as;
    aguas da corrcnlo; aprenda a candura na ose-;
    11 da flor desabrochada ao sol, o esctava o ora-
    culo erraqte do vento atravs da noite da llores-!
    ta de pinheiros; e, quando o sol abandonava o
    horisontc, via a estrella dcslisar-se silenciosa,
    com um passo pdico, sobre a nevo do glo.
    A rcligiio do infinito, essa primeira virludc
    do leu filho Zanga-te isso ? Ora, meu amigo,
    ha mais do sessenta annos que temos rolado
    ambos por esse mundo de Christo devenios co-
    nhecer-nos a fundo, o fallar francamente.
    Ora '.amos a ver o que lhe censuras. Lile
    nao prodigo.
    me, dormo sobro o capital adquirido de seu pas-
    sado, no feliz panlltcon de sua fama. Que o
    discpulo negu O uiestro,. esl na onlem das
    cousas desde o canto do gallo de S. Pedro ; mas
    que o mestre abandone o discpulo, ah mui-
    lo ; a propria paciencia sentina o fogo devorar-
    Ibe a forma. Assim, diante desta bancarrota
    palavra, Everard dcixa trasbordar
    1 on-
    ac 11-
    irar ordein de conduzir suas
    , senhores. E' minha
    nacionaos, o destruir
    ralas, de prender os
    las encontrar, e castigar a |ui
    universal da
    via das patarrasl^0 coraco a tristeza da voeacio trohids, c
    um esiylo d'uma
    em
    da de amargura corre
    monia magnifica.
    E quem poderia censurar oslo oleito da dor
    do assim billar no meio dessa calma enfastenla
    d'uma alhuausphcra inlelleclual sem corrente ;
    diante desse nada montono, esse nada perpe-
    tuo na ordern do pensamenlo ;. esso amanha
    sompre moliendo na vospera, c raorrendo sem-
    precomo a 11 evo que cabe sobre a nev c corre
    arrk? j-hmc ^t.tit ?_'
    sententiam liiam, como dizia depais de beleo
    nosso dcfunlo cura.
    Sim, de corlo, conse'.hciro de estado. Quem
    o impedira do s-lo?
    Ku, de corlo quo nao.
    Audiuet lioinem do espirito. Sabe o of-
    oas, hara se alistado era primeiro lugar fren-1 cordoes lambcni
    te da flor bclligcrante da mocidado ; mas ph- caberas Hu.
    losopho ou publicista, tinha at enlo fallado a Isto l comvos;o
    linguagem da lgica, d'uma logiea temperada da obrgacao proteger mes
    verdade. I! >je porem torna-se poeta o expande todas as embarcaces de 1
    o leclad 1 de seu talento, que respira ao mesmo homens quo nella
    lempo a gra^a descriptiva do ilylli.;^ a mages- que Ihes dio asilo.
    lado da conviccao, a irona do despreso cohe-j Os comedores vieram, o eslou espera d is
    roismo do foluro. Escriptor completo.alrn dis- Malaios, para quem esto penduradas cordas as
    lo, pode ler a forlumo de ser muilo lido, me- vergas desde autes de hontem, seno voii dar o
    nos todava que o publico nao durma o soiiino do divorlimcnto de um fogo de artificio do fogueles,
    somnmbulo. o urna illuminarao monslro, para a qual coucor-
    EtcEmo Pf.lleta.\. \rei\io s casas de Tourane.
    F. G. Dm.viiNV.
    [7/lKStra(ion.A. L.
    Variedades.
    A
    instrucco iienhuma 011 quasi iienhuma
    no povo. as altas classes da sociedade ostenta-
    se pelo numero do livros, que se tem lido na lin-
    goa nacional. Nao grande elogio para sua lil-
    leralura. Quantos Ijvros lem lido oslo manda-
    rn], pergun!a-so; a que equivale a dizer" o
    _ 1 Da dimianioao ffradoal da chova.

    erem sera duvida alguma admirar-se nossos oreos Anciens Egypliens,
    leitores, ouvmio tratar do semelhanlc assump-
    lo, no lempo eni que as chovas prematuras lem
    tornado cachociras alguna do nossos rios, e cau-
    sado taraanhas inundadnos em varios departa-
    mentos. Foi porm precisamente no momento
    por esses h-rous descendentes dos sos
    con lem mais os rins, onde esses lerrii -
    n iros iam-se banhar lo l< col 1 rtos
    de p, rom lio pouco as fonles, onde
    i 1 con.....le. Os ri esta 1 -
    e a carta est eoborl 1 de urna i; r..
    . da. J ha alguna s< culos a chu
    esse terreno abandonada.
    Pod -si lambem nelar o d
    oulros ros, loes como oOronie, o Ti} o F.u-
    [ihrales, o Nilosobreludo, cujas
    110 lempo de Herodes, c dez sei ilos ai
    lo maiores, do que actualmente. Os 1
    ; veiros, os numerosos canaes cread -
    lia Pharaf, attestam, que a mas.,1 ,
    rio despejava no mar exceda muilo ; .
    anea !, ijp. Cbamp
    mu les Pitaron ; Whilkinson, en
    e muitos
    jantes demonslram .
    de numero de cidades edificadas as mar?
    Mo, e nas de seus tiraos, se
    islantu desviad -
    [onUnu ir-st-ka
    A sobre-meza contar-lhes-hei o
    L isso uo. Eu anles quzcra que ello bo- "cio. conheco os negocios, lera desembarazo, au-
    1
    Em Vieiileville.
    Vai a molhor. Dns-lhe entao o leu voto ?
    Fallemos serio, disso o coronel. Audinel
    dtria ler cem mil francos 110 dia do seu casamen-
    to com Claudia ; mas em leu favor e
    . o' elle seja denotado, dobrarei a dose ;
    M'm-t' '
    Devoras? Fars itma bella aeco,meu velho
    Malaga Vales mais do que a tua'reputago e a
    (*} Vide o Diario n 10.
    para
    con-
    tasse o dinheiro pela janella fora.
    L'm dinheiro ganho com tanto Iraballio !
    Eucreiu Tiveste mtiitu Irabalbo era des-
    eliumbara pobre Sania Virgera de ouro massico
    da capella dos dominicanos em Halaga Jess" !
    como era pesada Dous homens custavam a le-
    vanla-la. Lombras-te .'
    Bonsergenl disse o coronel rom lom se-
    vero.
    Ora, o que receias ? Ninguem nos ouve.
    E aquello marlvr de Valasiuy pelo qual o
    verno le olferuceu vintu mil francos o anno pas-
    sado e que s le custou o enfardamento !
    Tu bem sabes que- m'o veuJerain.
    Ora boa, he eu assisti venda. Ainda me
    rio quando me lrabro da cara quo fazia o geral
    dos franciscanospuando, com a pistola nas god-
    as, lhe dtacsle que assignasso o acto de venda,
    2 geni rosamente urna piastra. Mas,
    Panca, o lodo peccado, miscri-
    200 mil francos Audinel, dou-
    rvondo-lhc serapro o consenli-
    ndido.
    dara, le
    de convida-los.
    resto.
    F. fazendo urna reverencia, enlrou em casa.
    rom se essa que passou vuliar iodos os dias, abal-: A f, disse o coronel, da va de bom cu:
    roar comnosco, so a sua janella livor vista para os inous oilo filhos para ler urna lilha com este
    o nosso jardim, su a sua mulher eslender a roupa carador.
    cusios dse o!Tenderem mutuamente. lima pes-
    s ia pouco se lhe impoila com urna cotovelada
    q m lhe d outra a quem nunca mais ver ; po-
    Muilo bem, disse o coronel, mas ha ti
    nos j que lal! un : devem t-slai
    Ihos a arder.
    Tem paciencia, disse Bons< 1 til, a ve? do-
    tardar a clirgar. v-
    na nossa cerca, su os seus filhos treparen] nas
    Sim replicou Bonsergenl, o cantarada nao
    o ruim de con leu lar.
    Hetralha. inferna o catapulta O Audiucl
    nao infeliz.
    Sabes, disse Uonscrgcnl, que nao me mello
    em nada.
    oque diz toa mulher dos nossos projectos?
    Minha mulher que ella diz, sei eu,
    mas o que pensa, se lonseuriosidade de sabe-lo,
    ra tu mesmo pcrgunlar-llie.
    Bom E o quo diz ella '.'
    Que esso partido c muilo conveniente, que
    estreilar a unio das duas familias, que Audi-
    ida do Vieiileville Sua belleza exctara a inveja quu nada eulende do ideal, e que tem, a rcspei-
    I das mulheres, e seu orgulho offmdin o sexo bar-he ^e um marido em casa, deplorareis theo-
    Sua, bndo, ijue nio gosla que nao se faca caso de lhe as.
    como diz Sandio
    cordia. So derui
    lo a Claudia, res*
    ment, bem ente
    egitima confianca em suas fon-as, s lem nnssas ameixeiras, se as suas galliuhas rierera
    apego 1 sua propria fortuna. Com lao bellas debicar a nossa salada, C o seu cio morder-nos
    qualela Jes, se elle nao tivcr bom xito, quem o as pomas, claro que ao cabo de um mez pen-
    icia .' De.xa estar, que ainda haremos du ro-lo saremos era degola-la secretamente ou em fazer-
    mutslro. I Hieda pclle un lambor. D'ahi, esses odios im-
    Ouca-lc o eco disse Bonsergenl. Alli vem moraos que se extinguen) algumas vezes do mes-
    a minha Claudia. Bom da, Claudia | mo modo que o de Hontagne o Capuleto, porem
    A bella Claudia enlrava nosse momento no jar- com ura destecho mais feliz. A laca envenenada
    dim. Se eu livesse nasudo poeta ( e oxal que cabe ainda cheia das maos de Julieta, e itudieu
    e. os (leuses mmortaes me livessem dado o dom di- p8e a lempo a espada na bainlia.
    -O-1 vino da poesa I ] procurara pintar essa belleza Ser uecessario dizer depois deslfl prembulo
    divina em que a nalureza e a arle luhain reun- que maJumoisellc Claudia Bonsergenl era a mo-
    do lodas as suas gracas. Qual belleza gre.'a da
    famosa Helena, esposa do rei Mondar qual
    mascara inditierenlc e fra da Venus do Milo 1
    A minha Claudia era mil vezes mais bella.
    lesla, olhos, bocea e sonriso eramo que osdouseslagradar, tila enlrava no baile ndiilerento (
    lera feito de mais primoroso. Seus cabellos ne-1 soberna, recebendo lodas as homciiagens sem de-
    gros, finos e sedosos, naturalmente annelledos, |sejar neohuma. Na egreja, em que desde lora-
    cahiam-lhc livromente sobre os hombros, agila-
    eiro sopro d
    oulros nao
    pages que 1 sgrimcm mte bem 1
    com indo o aceio as guelas dos Qlho

    E cem mil francos ?
    Vio os cem mil francos, com quanto me
    loam um pomo porque nao sou ura Creso como
    lu. Os sanios o as virgcns nada fizeram era
    meu favor.
    Anda disse Mala
    dos pelo mais ligeiro sopro de vento. Sousoliios
    tinham docura, torca o serenida Je ; seus hom-
    bros, ainda um pouco magros, eram ligeiramenle
    arredondados, e seu corpo, delicadamente escul-
    pido, mais nao fraco, offerecia todas as sinuosi-
    dades que se admiram nas lindas estatuaslnhas
    do Pradies.
    Ser bella tudo e nada. E o poder inrenci-
    vet, c a espada que nao ha nada que embote ou
    _a com impaciencia. quebr, a gloria, o genio ; mas uecessario
    Sompre, mea velho. De que serve a ami-1 saber manejar essa arma pergosa. Um prover-
    zade.se nao para nos deixar ser francos com se-1 bio inventado pelas feias.quc fazera a maioria do
    guranga 1 : bello sexo, quer que as bellas nio lenhara ospi-
    Est bom, esl arraigado o negocio, disse rilo. Entao porque ? ser u nalureza lo avara
    o coronel. Ido seus donos? Claudia luha espirito, eu o ga-
    *ES!nJ isso' fr"no foi nrra"Juaa 0 car- ranto, e muilo delicado, muitu cullivado.um espi-
    la de 1830 c a realeza cidadua. rilo gracioso altrahente, cheio de encantos, um
    Val ludo bem. Agora trata-so de demolir I espirito de urna forma loda divina, e queso li-
    0 Oliveira. nlia o defeilo de urna altivez semegual, deleito'
    E dillicil. ^ que a moca nio procurara dissimular. Ella dei-
    espi
    o prrfeito du^quem pensa que nao precisa mais.
    o meu Audinel quo lem a fiexibilidade da ser-
    pente o a astucia do tigre, vai fazer com que bri-
    guem de todo. V. negocio do um quario de hora.
    Todos os sujeitos ricos e quo pensam bem vio
    janlar casa do prefeilo ; os voltios da velha s
    conhecem a li, os pas de familia que querem
    adianlar os filhos na magistratura, ou no rega-
    nos mmemoriaea se rene a boa sociedade de'
    Vieiileville, lodos os olhos se IIlavam nella. Os
    seus chapeos que iam de Paris, linhamumnioi
    sei que de victorioso e imprevisto que lodos pro-i
    curavam imitar. Copiaran os seus modos, mas'
    de balde. Claudia guardara o segredo da sua I
    belleza.
    Tal era a fllha nica e herdeira presumpliva do j
    velho Bonsergenl. Enlrou no jardim com o pas-
    so ligeiro da bella Camilla, eujos pes nio enrva-
    rara a haste des higos, den a lesla beijar ao
    major e estendeu graciosamente a mi ao coro-.
    nol "pie a beijou com a galantaria dos marqnezes
    na e muilo moca, que nao quer se-
    E de opiniio quu esperemos, etc.
    replicn o coronel, que Audinel
    mil francos 110 dia do casamen-
    Hais bella que a aurora disse o coronel,
    uu desconfiara rosponduu ella sor-
    Total ?
    Que a Ii!
    parar-se delta,
    etc..
    J sabe,
    lem duzeulos
    lu ?
    Nao.
    Pois dize-lhc Essa noticia ha de fazer dcs-
    apparacer muitos escrpulos.
    Fallas como um livro. Vamos almocar.
    Madama Bonsergenl recebou o eoronel com a
    cordiaiidade de um amigo velho. Sentaram-se
    mesa e no meio do almoco, cuja lome eslava
    meio satisfeita comecaram urna conversa se-
    guida.
    Fizeram boa viagum rergunlou o co-
    ronel.
    ptima, resuoiidou madama Bonsergenl,
    la. Deixa-os a pan bar Abdcl-Kader e vers con,
    que ar entrae em Pranca c como s 1
    I jar lugar. Lembra-te do dito de Bugrand : o
    futuro senhor da Franca fuma n<
    seu cachimbo em algum bivouac do Vtlas.
    \ cio o caf
    Cumo se chama o leu advocado, Clan
    perguntou o coronel.
    Esse advogado que 6 tanto meu c -
    disse Claudia, o Sr. Brancas.
    E o lamoso Brancas que ha pone.. :
    um Iralanlczuho quo linha degolado o na
    Sim coronel.
    Nao lhe laco os meas comprimentoe
    so. Fazer absolver esse malvado quando U
    condemnavam. Foi urna pessima f
    Cono sabes ? disse o major. que 1 -se infeliz nao linha sido exa
    leu ura por longos solfrimenies C
    pescoco aos parricidas, muilo bem ; m......
    se faz aos pais que degolaio os lili iu : -
    tara do trato social ? Quasi nada. j-
    I serapro indulgencia par* com ti; -
    e acnam sempre circumstaucias atii
    qual lem prazeremprolege-bas. 0
    do achou-se em urna adega, presa a um. mi 1,
    rodeada de liso e cortada .i chicoiadas uma ;
    creanca de dez nnuos. Baria cinco u
    ella viria assim ethiea, phiysica, idiota. .1
    que conderanaramo |iai norte .' Ora
    pai ; linha todo 0 dircilo sobro a tilii.i \
    o julgaram digno de seis muzos de pt -
    que os pais fizeram a lei e appticam-aa I
    mente.
    Bom queros enlo dumotir a a al n
    rnij0 """'*" "-st-u.ejcu e-.m soi- n0,que k,jd a diligencia rolado a um predpi- paternal, j laooffendida ? disse Mala
    - bormislosbem, minha querida Claudia, re-! ^RV.SV perdc,nos um ou dous frascos d'**ua d" ~.x uloridade paternal nao uro din
    Nem por isso. 0 Oliveira faz-se linmem de \ xava-so adorar o apenas deilava um olliar dislra-
    rilo, independente ; j est meio brigadocom hido para os fiis proslrados no templo. Quantas
    tro, mi na reparlico dasgabellas, quo hoje, por
    polidez, chamara imposlos indirectos ( como se
    houvesse alguma cousa de indirelo cm materia
    de imposlos ) loda essa gente prefat pelo menos
    160 ou 180 cidados- Ilustrados, patriotas, vir-
    tuosos e dolic'idos que gosiam do meiter sua co-
    oulras lem o mesmo orgulho sem torera a mes-
    ma desculpa.
    A provincia, que vale bem Paris, nao todava
    porfuila. Entro visinbos, as retacees sao muilas
    rezos muilo falsas, como fallara os scnhore.<<" di-
    plmalas que esporo conhecerio melhor o direi-
    to das genios do que a lingua franceza. De cer-
    to o mulo branco um animal extraordinario, e
    que raras vezes se ve ; mas um grupo de dez ou
    doze pessoas que so veom com prazer, que con-
    versam sem questionar, que discutem sem baler-
    sc, que nao dzem nial dos ausentes, quo nao
    trocara segundo as (radicos da antga e nobre
    polidez franceza, seno palavras amigas ou cor-
    plieou o velho Malaga, pois
    mais '.."lia tez do mundo.
    Sim. Tive sonhos du ouro.
    Sonhos de ouro ? Conle-nos
    favor.
    Colonia.
    estaos hoje com a A mcsmo ,cnip0i conlou lodos Q dclalhcs do
    i incidente.
    isso
    por
    lher na marmita do orcamenlo. 18i) eleitoresso- tezes, instructivas ou alegres, que sao benvolas
    bre dl) tima bella maioria, e conhego muila para com o prximo o que nao calumniara o ini-
    gcnle que licaria bera contente cora ella.
    t> Bom concedo que Audinel seja nomea-
    do. Com trrzeulos rail francos nao se faz figura
    em Pars.
    Bem replicado. E enlo nio nada o seu
    ordenado de conselheiro de estado ?
    migo, esse grupo, ouso dize-to, e s reccio re-
    petir uma verdade por demais conhecida, nao se
    podo encontrar. Nao por culpa dos provincia-
    nos, que do corlo, nao sao mais tolos era peio-
    ; res que os Parisienses ; por culpa do divino J-
    piter que nao leve cuidado em ajuslar os ngulos
    Conselheiro de eslado enlo para que nao! salientes do uns com os ngulos reinlrantes dos
    te explicaras ? Slanibus et pedibus desetndo in oulros, e quo lhes tem proporcionado muitas oc-
    Oh muilo simples c a minha imaginacao
    nao fez grandes esforcos para adiar essas bullas
    cousas. Imagino que eu passeiava em uma mag-
    nifica floresta, muilo semelhanlc & floresta de S.
    Germano. O sol que a cusi pcnclrava polas fo-
    Ihas das arvores allumiava a estrada. Eu esla-
    va s e via ao longo o valle do Sena e a cpula
    do Pantheon.
    Oh eu tremo, disse o coronel.
    E lera ra/.o para isso. De repente um lo-
    bo esfaimado sabio do fundo da floresta e corrou
    para devorai-me. Quero fugir. 6 terror 1 os
    raeus ps estavam pregados no chao...
    Acabe, disse Malaga. Nao faz idea com que
    medo estou.
    O lobo vinha is carreiras, cora os olhos
    scinlillantes, e a guella aberla. J cu eslava fa-
    zendo a minha ultima orario c recommendando-
    me a Dos. Felizmente..".
    Entao acabou a hisloria ? Continu. Feliz-
    mente...
    Meu charo coronel, disse Claudia, o almo-
    co est na meza e minha uai encarrega-rac
    um dever. Os pais sao a propriedade ,;
    Bravo, meo pai dista Claudia
    palmas, bem dilo, u sinlo muilo aa< nio h
    lor felictdade, acresccnlou ella, hara alli' redigido o cdigo.
    um Parisiense sem o que ler-nos-hia dado liaba-; Cala-I", disse o major, MBCttem ta
    Iho vermo-nos livros. | tua opiniio.
    Coiihecu esse Parisiense ? perguntou o co-: Mas eu a offereco, meu pai, e qm re que 1
    ronel.. atiendas. E para coinecar j que s iniulia 1
    um advogado, respondeu Claudia, que priedade, nao quero quo deterioren) os meus Ihus.
    Toma eslo brrele de velludo para ganiitii-i
    do vento fresco da larde, vamos ao j udiu \
    coronel ?
    Os dous vclrenos obedeceram.
    A proposilo, disse Malaga, ciMa-nr-
    do leu sonho.
    Onde eslava cu ?
    No lobo que le ia devorar. 1\-Vum 'ole...
    Pois bem veio um guerreuro mais 1
    o dia, do espada na mo e como um ratdadi ro
    S. Jorge, deilou por trra o lobo.
    depois casarara ambas ? disse o Ci
    a rr,
    Vjala! Como sabe ? pcrgonlvu
    Ora desde Eva as mera- m
    Ira cousa.
    Nesse moraenlo, aununciaram Br.:
    (6'on/inna; -< t
    PERN. TYP. DE M. F. DE PARIA. .. "
    vem a Vieiileville para. defender a causa do Sr.
    Athanazio Ripainscl. amigo de minha amiga
    Rila.
    Dove vir ver-nos hoje, acrcscenlou madama
    de Bonsergenl.
    Sob que pretexto ? perguntou o major.
    Hila, disse a moga corando, encarregou-o
    de entregar-me uma pulseira do Fromcnt Meuri-
    ce de que me faz presunto.
    Os dous ancies olharam-se.
    Deve sor ura bom fallador, disse o coronel,
    um desses idelogos que perderam a Franca anles
    e depois do Napoleao.
    Ora, disso Bonsergent, Napoleao morreu c
    nos passamos s mil maravilhas. Bebamos a
    saude dos vivos c nao despresemos ninguem. A
    Franca feita para fallar e esgrimir ; quando es-
    grime, cala-so ; quando falla pea a espada no
    prego. E loda a sua historia. Pois bem che-
    gou agora a vez dos advogados.
    1
    (II