Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08847

Full Text
AHKO &1&V. NUMERO 144.

For tres meici adiantados 4$000.
Por tres necea vencidos CSOOO.
DIARIO
RtAljilllit 'iha -z m*Wj Riiinv awKi i9av.
Por auno adlantado i.">f000.
Porte franco para o subscriptor.
1
.
tlCsIIEMOOS DI StlsSCRICiO NO NORTE.
AUDIENCIAS DOS TRIIUN1ES DI CAPITAL.
I PARTIDA DOS CORREIOS"
' Olinda todos os das as nove e meia horas do da.
Iguaiass, Goianna e Parahiba as segundas e sextas-feiras
S. Anto, Bezcrros, Bonito, Garuar, Allinho e Garanhuna Tribunal do commorcio: segundas e quintas,
rarahiba, o Sr.Jnao Rodolpho Gomes: Natal,o Sr. Antonio as tercas feiras. Belaro: ierras feiras e sabbados.
Marques da Silva; Aricaty, o Sr.A. de Lemos Braga.Cear, Pao d'Alli'o, Nazarelh, Limoeiro, Brejo, Pesqueira, Ingazei- \ Pateada: ierras, quintas e sabbados as 10horas,
lireira: alaranhn n Sr llaimel InaA M*rlinel ra Klnrns Yin-, n.ll.i rtna.V^ia n...-!.....-*. VA I i..;.n jn.nn....L. .,,;i........ "neio dia
110 horas,
i'itas ao rucio dia.
ta. Pimeuteiras e Natal quintas feiras
(Todos os correios partem as 10 horas da manhaa.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados ao meio dia.
EPHEIERIDES DO MEZ DE JUNHO.
1 La nova as 4 horas e 50 minutos da manhaa.
7 Qunrto cresronle as 8 huras e 28 minuto da tarde.
15 l.ua eheia as 7 horas e 58 minutos da manhaa.
23 Quarlo minguanle aos 12 minutos da tarde.
PREAMAR DE IIOJE.
Primeiro as 2 horas e SO minutos dn manhaa.
Segundo as 2 horas e 6 minutosda tarde.
NAMBUCO.
. _________ ___
DO IEZ DE JUNHO. DAS DA SEMANA. ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO.KO SU
I minutos da manhaa. 27 Segunda. S. I.ad slo rei ; S. Crescendo b. Alagoas, o Sr. Claudino Falco Dias; Babia, i
27 Segunda. S. I.ad
2H Terra. S. Lean I
29 Osarla. cjji S. Ped
lili Quinta. S. Marea
1 Sexta, SS. Corar
2 Sabbado. S. OH*
= A subacripc.o mi iluminarn de assiananle d''",'' c/^uriwm~M*rfML,"j at eslnro da os- um negocio possoal ; ioda a questao de reforma
: traila de ierro, convertida hoje cm casa livre. Ocos, sua propneiladu exclusiva, e nao admiltc que Ih'a
DAS DA SEMANA.
slo rei ; S. Crescendo b.
p. ; Ss. Argciniro e lreneo bb.
ro c S. Paulo ap.; Ss Cyro e Cselo bb.
I l>. : Ss. I.ueiuo c F.inillauo mu.
ii de Jess ; S. Theodoric. ab,
b. ; S. Meuegondes religiosa.
:l Domingo. S. Jnc ulho ni ; S. Ileliodoru b.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCiO.NO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Faleao Dias; Babia, o Sr. Jn<
Marlins A Ivs; Rio du Janeiro, o Sr. Jool'ereira Marlius.
EM PERNAS1BCC0.
O prnprietario do DIARIO Manoel Figuoiroa de Fara, ni
sua livraria praca da Independencia ns. 6 e 8.
[Conlina.)
dcsto Otario smente eita na luja de Tutos da
praca da Independencia ns. 6 e 8. e nenhuma ou- sabe ^ al" 5e Passuu' *
Ira pessoa pode aceitar ou iluminar assignaliira. O ]
pagamento ser feilo avista do recibo unpresso, c .. I1BBB.
e. reputado adiantado aleo dia 15 do comeco do! ., ,*,1,,"*,V 7
quirtel, edepois delle sincule so recebera a 5j I reforma eleitorala dxssoluraa da cmarao mi-
A entrada de assignante pode ser feila cm qual-! "sleno "'/'"J-" "l>l""'C"-
quer dia do mez, rom tauln que se considere do pri- V6"M '"">l >" utbalt do 1" do mam, o se-
usurpis, como espirituosamente disse o liciior
' neutral stano da discusso. O nobre lord ap-
pella, disse ir II. Cairos, para a sua anliga dedi-
< cacao i causa da reforma. Todo o mundo ha de
*< reconheeer, sem duvida, que essa dedicarn
< real, m.is sabe-se que ha urna especie de l.-r-
< mira que se converlu cm chimes, e nao cnsenle
. que a pessoa amada sej-i objeelo
assi
so
ionio o sen suppleiife o Dr. Oliulo Jos Mjira,que na aessao passada den como principal motivo da .--tn
aclin ueste corle.0ioeo rVIno. sua opposico ao ministerio a punca coiisiderar.io lie
'llhlM 1.0 |.|.\.
Primeira parte.
Kntra cm segunda discusso o projeclo que con-
de licenea ao vigario de S. Ghristovo. provincia
meiro. levando os Diarios questivcreni publicados; i g")!llfi: que a pessoa anuda sej.i objeclo do alicuces da
e a despedida al odia ultimo doouarlel auo II-' P"vo '"l07. nn momento em que a Europa se parle de um cstranho. t [orea confessar, to-
cando entendido que o recebimento do primeiro I acha mais *r'1vemon,c atialnda; lrila de eleger os davia, que este seutimenlo muilo natural. Ter
numero dn quarlcl seguinle d dircilo ao recebi- i nlPniuros 1",! lcm uc lolnal" asenlo na nova cama- paseado a vida inlelra a estudar una questao im-'
melo do importe do quarlcl.
EXTERIOR.
i ra doscommuns. portante, ter trabalhado por comprcheude-la e por
O parlamento foi dissnlvido por causa de urna laxe-la cumprehciidcr aos uniros, e ser ella de re-
ceue menea ao vigario oe ?. i.nnsiovao. p
de Sergipe", para estudar em qualquer laculdado o
curso cannico.
Tornea parte na discusso os Srs. Paes Brrelo,' .
eclo de attenrOes da l.uiz Carlos, Peiiolo de Azevedo, lagsanbe, Barros quandu fira interpeHadn
for..i confessar, lo- Pimenlel o Casomiro Madurcira. Observa o orador que nao baria contradiern en-
Vem li meca dilterenles addilivos concedendo o Ir as suas palanas e as do Sr. ministro d jusli-
mesmo favor a diversos. ca, neiu foram una anieara as do Sr. Ministro da
O projeclo approvado. Ia/.eiida quaudo disse que a" victoria seria do gover-
coni que fura tratado O orador pede ao Sr. prest- do
denle que Iba declare se existe no regiment alga- fre (
na dispusirio que obligue os ministros a responde- m; I
rein s inlerpellaroes que Ihc sao fcitas. e nao Ihe ni. i
paniee que., ui.br.! .Ii-pulndouvesse raza., para con- os dignos representantes da narao p,;r esta pro- doutriuas, pois sendo o governo o liador da com-
Md.r.,, como falla de allei.rao o proced.iuei.lo do Mc.a accederao rom a melho. vontde ao convite ,,,,,,,,3 ,. 0 maig i,,.r.>ssado no augmento dos
anele, visto como den lodos as explicares dd s. ble. c envidaran todos os esfor.us o inlluen- seos rendimenlos, c obvio que so de comhii.a.T.o
cii para a conseriiran i.inlo.loanx.li.. pecuniario co- ,., e|to p0llc(n sl.r ,0-MaJ ;1S deteriniuar.-.es que
importara,, de lodos i,,,,,,,,,,, subrc 0 ,,.lior ou mcllor rendiaislo, a.'g-
ineulo ou diminuirn do cosleio, c para is.su nao
i questao que est hnje quasi esquecida, e que uun- pente rnutiada por seus adversarios, cusa de l'a-
ca iulcressou demasiadamente aos proprios que mais zer perder a paciencia a um estadista niais phleg-
h

Boledm da x<>erra,
N. W.Tnrin, 8 de maio, A tarde. Ilontcm
maliro do que lord John Russell. Mas elle cscolheu
s nial o oceasiao. Se a grave questao poltica, que
I.Mirando cm discusso os addilivos, esta adiada 110 so so consullassc a opinio do paiz.
ca hora- | O gabinete, continua S. Ese., sempre leve e
K approvado sem debate o parecer da eommissao .eranra de obler mainria no parlanieulo, e os ra
e poderes sobre a indiraro Jo Sr. Diego Voltio, o tos prvaram que eram bem (lindadas as suas c
o4 objeclos que rieren do eslrangeiro para a cons-
Irli.eo dessa obra de vital inleresse para a nossa
ipital.
n Carta offlrial.
h Illni. e E\m. Sr.Sendo um dos incus mais
qual manda que se admita a lomar asseulo o Dr. perancas.
era preciso que tal dircilo fosso explicitamenle de-
clarado 110 contrato, mormeule quaudo o cosleio
excede os renaimeutos e o governo paga a tolalida-
de da (;araiili.i.
Nao c (rnenle o lastimoso estado da ponle do Re-
cios- boje oceupa os espirilos, reio lancar a da reforma Olinto Jos Mein, deputad.i siipplcnlu pela pro-1 Dadas estas explicanjrs passa a respotid
se nao '' um alhegoria secundaria, e isso um fado an- vincia da Parahiba do Norte, que se acha sesls F. OeUrieao.
leve es-
...i fac- ahlenlrs deseios promover os mellioramentos na- ,
se empenharam uella. um jai.
Essa dissoluro que priva o publico, ao
. por alguiii lempo, de csclarucimcnlos que anc
1 mente deseja4er, veio deitar um vacuo que se 1.
larde, sm eorp#de. cerca de 3.000 auslriaros coni ^5" ^modo .*,5Um SUpprir- .....le o qual o gabinete so de*e curvar e de que nao corle. O orador pondera que a cmara lem conc
urna balera pissoud 111 Quinto o licou cm Bsnnxo pode-se. todava, censurar o ministerio inglez pode ser reponsavel ,.._,; r ,. Segunda ptrte. governo aulnrisaces ampias para reformas de ou- dessarios pan dar-Ibes impulso e alienta a soiiei- ,,orndadelle". me7Xrm..hr7iim7imo"rr-.sd"
A ques-: r l-ord Pal.uerslo,, e lord John Russell d./.em que Continua al- d,sruss.. do projeclo que crea urna I Ira orde.n. e que aprcsnilando o projeclo de que se jflde com que o mes,,,., g.verno olha desvelada- % M ha a Znda^aSdM Sestet-
provincias, espero ob- ututos.
cilios
cm
triacos, que se dirigem para Valenza por Pievc del
Cairo.
Ao meto dia rhegaram a Mazzanabiglia 4,000.
: is Austracos lizeram sallar os dous primeiros
arcos da margen, eqncrda da pnnle de Valenza.
aOLETlXS DO O.'AHTKL-CtNF.IUI. I-KIMICAL 110
3H-S00
KXKH.'.ITII riF.SONTEl.
Um derribare ministerio, nao Ihe dissimula todava ', Eis ahi a questao que o paiz lem de resolver.
q alcance, e censura abertanicule o projeclo dei of- S elle a limitar reforma, a opposico lison,
' se de que as eloijoes serio desfavoraveis ao
fical.
De cnlo pora re neiihnma alleraro se fez, e en- I Quanio as multas reformas de que fallou o nobre
geni- trelanlo o Service lem-so multiplicado sobreludo na depulado pela provincia dn Rio de Janeiro, eonsic-
> mi- secretaria do imperio por onde correm os negocios nadas no relatnrio delle orador, observa que nao
("iianto a lord Palmerslon, nao pode elle occultar nislcno ; se a encarar em relacao ao procedimenlo relativos as obras publicas, aos correios, colonisa- i houve ainda muslro que nao bulaste na necessi-
oseu pasmo ; em seu entender aresoluconao e ?" patriotismo da opposico, o gabinete espera cao -
urna censura o nem mesmo um ataque contra o mi-1 triumpbar, ou ter ao meiios'um sullicicnle numero
ctc- "dade das reformas a que alluda ; ahi exislein pro-
-. ,7""' podesse provar que o ministerio do imperio 'jectos nesse senlidn.e mesmo sobre a diviso de sc-
nisleno. Por mais que se lho diga que lord John "e <'lo para poder governar. E em lodo 6 roso, pode allcnder a ludas as necessidades do servico pu- crclatia du imperio ha um pruiecto de 1815.
Russell nao a siibmclleu considerarn da cmara "!r"> experiencia que vale a pena de ser tentada ; e blico de que so acha incumbido, esto sera intil
j_ j nao de certo exigir muilo dos elelores o oedir-: a medida : mas. nt o sendo iak> nnaaiv.d havendo
necessi-
Xcsla surtida sahiram feridos um oOlcial e tres
soldados.
X. 4.Urna partida enviada de Alexandria ve-
riflcou que o inimgo abandonara honlem, depois
do meio da, Caslelnuovo-Scrivia, Casei, Alzano e
Woliiin-dei-Tosti, tomando o camiul.u de Gerola.
As vanguardas dn inimgo, para o lado do Vog-
hera, Ponleruronn e Tortona, rcirocndcram a toda a
pressa mal que as tropas d nossa segunda diviso
se apresenlar.ini no Scrivia, deiiaiido em uosso po-
der .-> prisioneiros. A pnnle da estrada do ferro,
sobre o Scrivia, adia-se j complelamenle reparada
pelos unssos, e a poni*' madeira concerlada cm
molade da largura, do modo que podem passar car-
ruagens o cacillos.
N. 5.Sabe-se do corlo, que os Austracas
tornaram a atravesar o P, pela ponte que laura-
ran porto de Ocila. Cpiuecuu a passagein das Iro-
as as 3 horas da lardo do dia e prulongnu-sc ale
i x horas depois do meia noile.
O inintigo levs comsigo os vveres e objeclos
qun Uiiham requisiladn. Depois de cllectuada a pas-
saaem, deiuolimm a ponle. Ainda se conservan.,
todava, acampados na margera esquerda do P.
Por ordom de S. M., etc.
' Dki.l\-Rocca.
" 21.T*rin, 9 INTERIOR.
rece-mc que eslo engaados. Tcnho para mim
que a. nioro facilita o trabalho penosissimo do
a ministerio, iudicando-llie com anleciparo o que
dere elle fazer. A moco deve agradar-lhe, sem
o que o meu voto nao Ihe teria sido favoravel.
Se lord Derbv nao reconhece este obsequio loma-
se reo da mais negra ingraiido I
Fallemos serio, e vejamos quacs eram os du"-'
remes alvilrcs que o ministerio tinha a seguir nes-
la conjuiictiira. Podiadar-sca dcmisso ou dissol-
ver a cmara, ou seguir o conselho de lord Pal-
merslon iicando no poder. A moro do lord John
Russell era com ctfcito redigda de modo que uo
implicara directamente um vnto de censura : nao
repellia exprcssamenle o bil nem continua a for-
mula sacramental :
a se guuda
o ministerio
l'Olllol r 11L1]. L il. ,,,,, lumaui: uu laillild, MU Ul...'ll-1 i
der-se rom ella para doixar cahir complelamenle1 u__,
a questao da reforma. Tinha cnnseguiilemente a I r!.'l,,pr"ncnlo de Joao Carlos de Ouveira Soa-
cscoll.a cnlre eslas duas allernalivas : nu de se de- ''.> Pca"."i'; s" naluralisado cidado brasileiro.-
millir sem consultar o paiz. ou de se doixa, Ocar A n'lldTA" ^P0**^. .
no poder com a condiro de apresenlar pura o sim- lcn"'s (l" seminario episcopal do Para
RIO DE JANEIRO.
CHARA DOS SRS. DEPl'TADOS.
SESS.VO EM 27 DE MAIO DE 1859.
/residencio rfo .Sr. Conde de Baependg.
As 11 1/2 horas da manhaa feila a chamada c a-
chando-sc presentes 68 Srs. depulados, abre-se a
sessao.
I.ida a acta da antecedente approvada.
O Sr. Io Secretario d conta do seguint
EXI KHIF.MK.
seguinle
que, em numero de 2<,0(H) huiiieus do if<..*.re c soliie.in .. n.ii.>i ..; ^ t..l... ~- -t
I do cavallaria tinhaiu por mu momento oceupa- dar prora de bnegacio quaudo os seus adversarios
plcsmcnte um novo bil conforme as ordens de lord i cmPreadns "n Hiesourana de fazenda da Baha,
Palinerstun. peaindo, augrnontn em seus ordenados.A' com-
Apezar dos manifeslos incnveiilenles de urna dis-
prova .le almenar
nao davam de palrioiismo. Os fados demoiislMiu
se esle alvilre foi o mais hbil : o que ccrln, po-
rni, que elle foi o mais honroso e legitimo.
O proce.limento da opposiru teni sido evidente-
. por u ui momento ore upa
dn Riella, reliraram-se boje s nito horas do da.
O maire da Cavaglio foi maltratado por ellos, por
nao Ihes ler cominunicadn acliareui-se as nossas
Iropa- na vizinhaura. Alguns exploradores auslria-
cosal Scrra : logo que vijan os aprestos de defeza
que faziam as tropas e o pero do Ivre, reliraram-
se. Acontecen outrn tanto ao destara.nenio aus-
traco que necupara Hongrande. A noile passada,
os austracos lizeram concertar a estrada de Trun-| vagos, aflm do captar as mais opposlas opinics fazenda da Babia
zauo, e niainlaram partidas exploradoras na direc-, Nao esta a primeira vez que a cmara, sem re- Da eommissao
cao de Cgliann. Repellio-as a nossa arlilharia com pellir expressamenle um bil, choga an mesmo re-
inissao depensoes e ordenados.
San Jujgpdos objeclos de dehberaro e fio a im-
r o res' r'r!,r na nnlimi ilni trnlllui
"s "aro-
Da commisso de pensf.es c ordenados, appro-
vaudo as peus.es concedidas a I). Mara Joaquina
Joaquina Mancebo Morel, viuva docapito Horario
da Gama Morel; a D. I'olurena Francisca de Jess
i medida que as outras admincstraVcs nao je atre-
vern! a iniciar
A- nova repartirn nao tras augmento de despeza,
como pretende a opposico. pois o servico contina
a ser o mesmo o os mesmo) os eiuprcgados das
reparlicocs que se anuexam i nova secretara.
.lijarles.)
Apenas fresco a despeza, contina o orador, enm
o ministro ; nem harn outro consultor, porque o
actual dos negocios ao imperio consultar lamben
nos negocios da secretaria a que se refere o projeclo
do governo.
(.iianto a ser anti-ecnnnmicu, urna das razoesem
que se fundara oSr. Silvcira Loba par negar o seu
voto ao projeclo, eulende o orador que a economa
nao consiste em gaslai pouco c sim o menos possi-
vel, mas cm rcgularidudo a bem do servico publi-
co, e bem pouco o augmento ; sao apenas 12:0003
com o ordenado do ministro, e nada mais.
Kespondendo a outro 1 real o do discurso do Sr.
Silveira Lobo que urrusa o 9r. ministro da fazenda
de versatilidad!' por ler S. El*, o auno passado pro-
posto a suppressu do imposto de i por cenlo e esle
anuo vir pedir a reslanraco do mesmo, diz o ora-
dor que o Sr. ministro da fazenda proceder o auno
passado muto bem, porquanlo o eslo ministro da
fazenda embalara n paiz enm a perspectiva de g.'au-
des saldos ; mas. verilicandc-se que laes saldos nn
"'- -i --- ijti- ii ir.
nao pedir a contiuuacio do imposto, o Sr. n
Sustenta que nao haver augmento de despeza ;
explica a forma e organisaco das seccoes, indica o
numero de empregados enm os respeclivos ordeua-
osro dos c procura provar que nao resultam da passa-
" va o] geni do projeclo os inconvenientes apuntados pela
pe- opposico.
Observa, porm, que haver nncessidade de um
edilUcio, porque o em que se acha a secretaria do
imperio j nimio acauhado para accommodar as
diversas seccoes.
Nao haver novo consultor, como parece oppo-
sico; o consultor da secretaria do imperio sulli-
cienle para consultar cm todos os negocios relati-
vos nos dous ministerios : se para a secretaria da
juslira foram nomcados dous consultores porque
podem haver homens muilo habilitados em admi-
Iheirisino e desiulcrcsse e annunciando-me que
aqui eslava em fns do srieiiil.ro ou principios de
oulubio vindouros.
'< Para encelar a obra
pretendo prevaleccr-me
REVISTA DIARIA.
Os busca-pci esle anno entraran) oulra vei em
das autorisaroes roncedidas a esta presidencia pela ''"B" Ouando o cuidado da Socicdade de hoje
lei provincia'l n. ,V> de 30 de abril do auno passa- melliorar os cosliimes, ninguom se pnderia per-
do ; mas V. Ele. bem sabe que semelliantes cons- sU'idir que essa pernicioso briuquedo fosse reslabc-
iosas o que as mingoadas focido !
Iruccoes sao inui dispendiosas o que as ming...
forras do cofre provincial, s por si, sero inellica-
zes para conclui-la ; invnco pois a valiosa inler-
rcsso de V. Exc. para coadjivar-me no empenho
de impetrar do governo una uuola sufficiente.
c Mein do auxilio pecuniario muilo importara
lambem conseguir-se urna isenro dos direitos de
importaran para lodos os objeclos que porvenlura
A polica cnlo, que urna desmancha prazere*,
intromctleu-se na fnlganca, fazendo diversas pri-
oes. Foi sesta necasio que as centelhas dos lut-
ca-ps, incendiando o animo dos apaixomdos, pro-
duziram a sua explosao !
Por cada priso que realisava a autoridade, era
tratada urna lula, em que os fugeles faziam grau-
nislraco. e que nao sejam versados nos nagocius
eclesisticos, e ento para este ramo que foi no-j
monte ropreheostrel a mais de um respeilo. Pri- Maia, viuva de Joaquim los Morein Maia ; a Isaas
ineir.iincnle, a segunda leitura do bil fui Dentellada Antonio Alvos, capito de guardas nacionaes da pro-
de um modo extraordinario, por mfin de'una -re- j vinca do Rio-Grande do Sul, c aposentara a Andr
llilcao--eipmaasiente redigda em termos.....ilo I Corsise Pinto Chichorro da Gama, juz dos fcilos da
alguns Uros ; houve lambem una pequea csca-
ramuca entro duas palmillas de carallaria. Foi con-, pratica nao pode ser adinitlida seno em mu raso
sultado de um modn indirecto ; mas semelhautc
*

quaudo a cmara, sem desapparecer complela-
raenlo o principio consagrado era um bil, julga to-
dava que ha inopporlunidade em sua apresenlaco.
Ora, poder-se-li dizer que se dava isso agora t A
cmara c o paiz desejaram estudar a questao 1 Nao,
de certo : antes era unnime o desojo de re>ks sol-
vida promptamenle. Eis, pois, ah a razo, porque
se reputa aresolucode lord John Russell mais
urna manobra solerte duque um.procedimenlo leal.
Se estavam rcsnlvidos a desembaracar-se dos torys'
deviam ter francamente proposto a fcgeico do bil.
Lord Palmerslon o lord John Russell coiilenlaram-
se em ahilar a autoridade de nm governo que nao
podem sifbsliluir e que nao leem
abortiraenlc.
1*


Hado ao general Snnai o enmmaudo das tropas
designadas para a deteza da cdade.
N.R3.Tarta, 10 de maio, pela manhaa. Os
Austracos que estavam Cm Trnnzann, cm numero
de cerca de-8,000 homens enm 26 pecas de arli-
lharia, reliraram-se honlem 1 hora da larde. Ti-
jiham nllcs mandado reparar a oslrada de ferro de
Livorne a Snluxgia, e a estrada de carros de Liv.n-
'" CresQentino. inanio se adianlaram por ellas.
Teem ae esforrado em rio por construir de uovo
urna ponte sobre o P as vizinhanrjs de Gema, e
Sassaram alguns anidados para a margem direila.
ada lem occorrido Se novo na lnha de Valenza c
Bassignana. Soubemns que lem atravessado o Gra-
velfone, onde n nimigo contina a fazer fortifica-
roes, grande numero do carrocas de feridos. *
O Corr* Mercantile recebeu de Tortona, cida-
de piemosleza oceupada pelos ausiriacos, a seguin-
le carta, que musir a que sienas de pilhagem e de
devasucoes se lcm entregue as hordas cumman-
dadas pelo general Giulay :
c As oilo horas e meia da manhaa, pouco mais
ou menos, en ir o u na cidade urna numerosa Iropa
de austracos com semblantes lividos e vestimen-
tas rasgadaa, e foi tomar posic.ao as alturas do
rastelln. Vicram chegamlo oulros na manhaa se-
guinle a ponto de llcar a cidade completamente
invadida. Apresemaram-se nacommuna dous ofB-
c.iaes superiores para requisitarera vveres e lorra-
gens (5QUM0 raedes), mas seu procedmenlo nao foi
provocador, antes mostraram-se allencosos. Em
ludo aqaelle dia os soldados nao deram a mnima
demonstrarn do saque que prciueditavam. Mas,
pouco depois, todas as nossas esperanzas se des-
vaneccram, e Ibes 'succedeu o terror.
< Um esquadro de uhlun< despontou do lado do
caslello ei delu.ndoii,-se em todas as direccoes. Es-
palhou-so logo.o susto om toda a popularn e cada
anal se diapoza eutrincherar-se em casa". Imiiie-
ialamcnle depois-, apparuceram por toda a cidade
bandos de oito e de dez soldados a arrumbar as
portas das fojas. AO mesmo lempo, os furrieis,
srjenlos e cabos entravam e obrigavim os nrgo-
ciautes a aprsenla r-lhes o que linham de melhnr.
Os primeiros eslabelecinientos saqueados, fo-
ramos da modista Scolledo negociante Gallarat-
li ; a estes seguiram-se no dia seguinle. os joa-
Iheiros, os salchicheiros e taverneiros. Oulros ban-
dos apoderavam-se das carreras e do lodas as es-
pecies de vehculos e as conduziaiu como espolio
i A padaria foi devastada ; roubaram centenares de
saceos do farlnha e de graos e todo o dinheiro. Dos-
iruiram os curraas^HTem qualquer ra enconlra-
va-so um ou msi*W>groUs a conduzir para seus
quartes um boi ou sai carallo com tal desemba-
raco, que parece ser o roubo a sua oceuparo ha-
bitual.
Durante este temen, espalhava-se polo arrabal-
de de S. Beraardiso uiiif multido daquelles Croa-
tas, os quaes, reunindo-se depois no sitio do Sr.
Slranasso, alcancaram delle Indos os riveras que
quizeram. Bebern abundantemente. K.mim, i noi-
le vollaram para a cidade, meio toldados pe-
las libari.es, vociferando como possessos, com
acmpanhamento de gritos .Porca Piemonteza !
A ludo islo seguiam-se tiros contra as portas e ja-
nellas, de modo que o espanto foi geral, e a todos
parecen que tinha comecado o morticinio dos cida- Torno dTum "rjec'to laboriosamenl
daos inermes. modo a lornar-se o mais
de poderes, oulorisando o governo
tro da blenda, prosease o orador, vendo o oslado
critico em que nos adiamos, manifesla a sua opi-
nio com toda a franqueza o por isso digno de todo
o elogio.
Nota por ultimo que os nebros mcmbrns que o
anno passado apoiaram o gabinete Olinda nao sao os
mais proprios para lancarem o anathema sobro o
Sr. muslro da fazenda", laxando-., de falto de ca-
rcter, a esses peagenlar o orador: como denorui-
inead.i mu consultor especial.
Pondera o orador que lambem nao houve aug-j
ment de despeza na reforma da secretaria do im-
perio; comparaos vencimenlos autgos com os uto
demos e nioslra que desde o ofliriai maior, boj.
secretario geral, todos os empregados leem meno
res vencimenlos.
Aqui Irocam-sc apartes enlre o orador c os se
nhorea F. Octavinos Franco de Almcida.
O Sr. ministro do imperio observa ao nobre de
potado a quem responde que nao lho parece con
venieiile, autos perigoso, despertar ciumes e sus-
ceptibilidades enlre as provincias u a curte ; na.
ha razo de queixa, porque na realidade o muir
po da corle goza de muilo menores favores du qi
tcithara de vir do eslrangeiro para sua conslrucro. do espalhafalo. Alguns presos foram tomados
polica, que por isso leve de capturar alguns dos ca-
beceado tumulto, entre os quaes se encontrara dous
olliciaes de justca e dous caixeiros !
Estes factos foram praticados durante a noile do
2i,e cm consequencia delles o Sr. Dr. chefe de poli-
ca, poz a disposico do Sr. Dr. delegado urna forra
de (0 praras para as rondas do dia seguinle :
Com este recurso a autoridade conseguin ser mais
acatada, que nao o baria sido na noito ante-
rior.
Pensando sobre esses fados, ninguem deixar de
reconheeer o mo elfeito do desrespeilo que no
animo publico se vai desenvolvendo para rom as
, autoridades constituidas. preciso milita energa
Cunti muilo no patriotismo de V. Exc. e es-
pero que envidar os seus esforc.os nesse empenho.
De V. Exc. ctc.=; 1 gostinhn'l.ui: da Vaina.
* Palacio dn governo das Alagoas em Macei 18
de junho de 1859.
PERNAMBUCO.
RECIPE, 25 DE JUNHO DE 1859.
S 6 HOR.tS M TtnilE.
Retrospectu semanal.
Tiremos a festa de Sao Joo. com as suas fosuci- I
ras, suas sorles, o milho verde do rigor, suas len- ? C0.mlJatc-lo, porque a llcar a autondade poli-
| das populares, os bolos Iradiccionaes e a cangica ,-,lal s"Je!ta- cm. c,,ua Pris5 ; proverbial. Um amigo soaso, versad., na archeo- i ,'!| PP".l!l.il- ninguem mais se quercr cncarregar
logia culinaria, assegura-nns que esle delicado com-i misSi,0'l ,,,,-.
) poslo de milho, assucar c leilc, c precisamente a L "7 'Oteaplurado honlem, pelo cidadao Joaquim
dictnasa.JWis.eue invento maravilhoso da phn- ?L. x"0' Serrino arqse Brrelo, eondem-
lasa potica da Grecia, por muito lempo reputado d" a ?.!,*,W0*.d" ?"'**,1U a ,lous ann0< s0 ha"
um mvlho, e cuja reeeila sha aqu de nova deseo- ,a cl-ad'do da fortaleza do Brum.
berta por um acaso feliz, que quasi sempre a Pro-1 T Narcoraarca <>a Boa \ isla, no povoado do Pe-
. irniina, wi fondo rom urna tacada por Jos Honorio
videncia dos genios. De lodas as suas essenciaes
as provincias ; e leinbra que para fazer cessar ess; s qualidades, pnrm, amina suave e sabnr delicioso,
quoixas seria neressarn. deixar morrer na mise a s.'. perden, baixaudilLi' '
vnirias paf^g^^^^^^^^^^^ttKHmt^Btmmf^KttmK^KISrrmrfa-,
Enlcudc o orador que o governo serve bem o elhoreas do Olyinpo.
paiz, evitando estas qoestes, e serve bem ao p< iz V ""i,e de Sao ** scria elfcdivamenle urna das
propondo a medida em discusso. mais alegres c apraziveis do anno, seno fdra a
o dum de ...inioiialuar
^i.-vOUi. tulfilc^du patva
~er, us summidades
a conceder carta de natiiralisaco de cidado tirasi- narcis aquellos que cnsanguentaram a provincia de
leiro.a Antonio Francisco dos Santos.
I. approvado sem debato um parecer da conunis-
so de fazenda, enviando ao governo para tomar na
deuda cousderero a pretenro de Dionizio Alves
Rozcndo ihcsourbiro da ihesu.'ina do Espirito Santo.
Vo a imprimir os seguiiles projeclos :
Minas, romo chamareis aquellos que faziam do Ti-
mandro asna eartilba predilecta ?
{ Trocam-se apartes em voz baixit e ouce-n al-
J assu rr. )
O Sr. Francisco Octariann { murimento de at-
j lenro ) comeeando a fallar sobre o projeclo que es-
dos, como ule aqui.
depois destes pelos veroadores.
* Arl. 2. Sa falta nu impedimento dos substitu-
tos legaes, de que jrala o art. 1, se bouver no lugar
juiz de orphos especial, a estes e seus substituios
| passar a jurisdicro, e, sendo lodos impedidos, ao
ousado alacarijuiz municipal do termo mais riziuho o a seus res-
| peclvos substitutos.
O que, de faci, sa pnderia tancar em rosto ao < Art. 3. Em falta ou impedimento desses passa-
ministerio ? Soria o nao ter apresenlado um pro-Ira a jurisdicro ao juiz municipal mais prximo e
jeclo mais liberal ? Mas, rumiada a sorte da re- i s0"* substituios, scguindo-se-lhes o juz do or-
A asseml.la geral resolve. les dous dias lem oceupado a attoncan da cmara,
f Art. 1. as causas civeis ou crimes os juzes jdizque a materia de que se trata .' por sua natureza
municpaes serinos seus impedimentos substitu- | gravissima. 6 urna inttiluico que lem do onerar os
, pelos respectivos suppleutes, c cofres pblicos e que por conseguinte merece que
forma a um ministerio rnuservador, lano a c-
mara como o paiz deviam saber que nao deviam
esperar una reforma como a prega M. Brght O
ministerio nunca pretenden o titulo de reformador,
assim como lambem nao se Ihe pode aecusar de
ler-se esforrado para subir ao poder O partido a
que pertence, que a fraeco mais considcravelda
ramuja dos commiins, foi encarregade do governo,
porque as outresfraccf.es nao conseguan! chegar a
um accordu. Iinpoz-'se-lho qm bil de reforma :
elle acetnu a nbrigaro de owiprcseniar, e de
Eresumir que, se as diversas seccoes do partido li-
eral subm.illiam-se a receber esse bil das mos
dos conservadores, era no intuito de o* adoptar pon
accordo e eoneessoea reriprocas ; que os torus, fi-'
nalmcnle, presumi volunlariamenlc o seu concur-
so era favor de urna reforma que al ento haviam
combatido, esperavara que os liberaos nao seriain
muito exigentes.
Ouanto a M. lirjht, era bem de crer que as cou-
sas nao corressem medida de seu desejo ; pois se
anlecipara era declarar que esperara que a queslo
nao scria resolvida e se demorara addiada por
qualro ou cinco annos, aQm de quo o paiz chegas-
so i mxima possivel agitadlo. Mas, abandonados
s radicaos a seus proprios recursos, constituem
buje urna insignificante minora noseio da cmara,
o devia-se suppor, ainda o repelimos, que os libe-
raes nao fariam com elles causa comm.im, e acei-
lanam anles. posto que com o designio de o corri-
girinais tarde, um bil que continha, em summa,
nimias dispnsicous liberaos, liradas cm grande parte
do proprio programma do partido liberal.
So urna cousa lem a opposico que censurar ao
ministerio, que o nao ler mioria na cmara. Lord
J almerslon o lord John Bussel satisllzcrara-se em
renltcar ainda esta vex quo podiam derrotar o mi-
nisterio votando no mesmo sentido, poslo que se
achem em desaccordo sobre ludo o mais. Grande
descoberta, na verdade. yuem j poz em duvida de
que, urna vez reunidas as diversas frarees do par-
tido liberal, contaran) mais votus do que os con-
serradores f O minisleria, pela sua parte, nunca
poz isso em duvida.
Mas, lord John llussell se persuade de quo fun-
dar realmente um poder solido sobre os .'lmen-
los desaccordes que se confundirn! momentnea-
mente era favor de suaresoluco? Pode-se dar o
nome de maioria a essa agglnmeraco de membros,
que chegam a reunir-sj urna ve'z por sesso em
mente aedigido Ce
insignficanto possivel, o
Anda um extracto de urna correspondencia de|cetumde se ejei^erlmme^Tateisete'^delud
l.htvasso. datada de 9 de maio, dirigida redac- ler volado. So certo que o ministerio se ach
f
A
^
cao do Siicle, e terminaremos poc hoje o nosso
boletim. Por essa carta se pode fazer idea dos ac-
tos de canibalismo das tropas austracas na Italia.
Ei-la :
Escrero interrompidamente esta carta, sem sa-
ber de que'hei de tratar achando-se a partir a pos-
ta, tou confia-la a urna pessoa segura, que a en-
viara de Turra hoje mesmo alarde. esle, segun-
do pens, o meio mais seguro.
Umjnercador de manleiga de Ivre, que vai
duas retes por semana, a Vercelli, dirgia-se para
alli, com algumas pessoas de sua comitiva, ha dous
dias, quando viram aproximar-se-lhes, a todo o ga-
lope, um grupo de caralleiros. Ao Iropel dos ca-
vallosjuntarim-se gritos do afllicco, risadas es-
trepitosas e AorraAs. Por um momento esliveram
sem saber o que flzessem : depois, apoderando-
se-lhes o terror, quizeram voltar: mas j nao ba-
ria lempo. Osuhlant alcanraram-nos em poneos
minutse passarm, matando um dos da comitiva
com um tiro de pistola, smente para terem o pra-
zer de rir. Esses selvagcns lovavam as garupas
cerca de rinle bellas mocas que se debatan) no
meio daquella soldadesca embriagada, limas esta-
vam amarradas as sellas, outras iam acaimadas ; I
phos, como no artigo antecedente, e assim por
(liante,
Art. 4. Ficam revogadas as dispoiicoes em con-
trario.
Sala das ses3oes da cmara dos depulados, 27
de maio de 1859.Sergio de Macedo.
< A asseml.la geral resolve :
< Art. 1. Nos termos que se acharem no caso es-
pecilicandn no art. 31 da lei de 3 de dezembro de
1841, o rouselhe de jiilgament se comporde nove
juradns, procedendo-se na forma determinada no
art. 357 do regulamcnto n. 120 de 31 de Janeiro de
1812 c mais disoosicoes urgentes.
Ser d.i 30 jurados o numero necessario para
haver sesso :
< Art. 2. As reeusares de que trata o art. 275
do cdigo do pmcesso iio excedero emcasoalguui
para cada una das parles a cinco.
Art. 3. Todas as decises do jury sero toma-
das por uous tercos du votos conformes, excepto
para a imposico da pena de uiorte, para a qual se-
ro necessarios oilo tolos.
< Art. 4. Ouando, em consequencia de protesto
por novo jury dude se proceder novo julgamento,
por deciso do tribunal superior livor lugar esse jul-
gamento ser o processojulgadoiiojury dacapitalda
Srovincia, so a distancia nao exceder de 50 leguas,
o caso contrario lora lugar o julgamento no termo
mais popular da comarca mais prxima.
Arl. 5. Em um ou outro caso o juz peranle
quem se fizer o protesto, ou quem tirar decidido o
recurso, designar nessa oceasiao o lugar do segun-
do jury.
< Art. 6. Ficam revogadas as disposices em
coulrario.
Sal das sessoes, 27 de maio de 1859.Sergio
de Macedo.
A assembla geral resolre :
Art. 1. Tero applieacao s causas crcis as d-
posices dos arts 650 e seguimos at o arl. 660 in-
clusive do regulamcnto n. 737 de 25 de novembro de
1850.
Arl. 2. Ficam revogadas as disposices em
contrario.
Sala das sessoes, 27 de maio de 1859. Sergio
de Macedo.
A assembla geral resolve :
os representantes da naco procurara estuda-la e
anafysa-la ati.lilamente, alim de conhecerem a sua
conveniencia ou despYoveilo ; que o Sr. ministro
do imperio nao proceda do accordo com a boa razo
quando.submettia acamara para ser volado um pro-
jectn cujas bases, cujollm utilitario. 8. Exc. deixara
de apresenlar como era de Seu rigoroso dever; c que
era memo para se conhecer da ulilidade ou incon-
veniencia desse projeclo que o nobre deputado pelo
Bio do Janeiro harta pedido o adiamenie da dis-
cusso ; que por conseguinte esse adiamento nao
era protellalorio como disse S. Exc. ; tanto mais
quanlo o ministerio na sua ascendi prometteu urna
larga serie de medidas prdveifosas, cuja realisaco
nao pode, nao devo ser favorecida pela cmara, sem
que os seus membros chegasseui a convencer-se,
por nieiu'de urna analyse ltenla e severa, de que
elfecliramenle taes medidas Iraro o proreito que
se desoja.
Observa o orador que, se hoje {al opposico ao
ministerio, 'uiua opposico justa rasoavel e! cons-
titucional, urna opposico cujo espirito, cuja ndole
a economa dos dinhiros pblicos.
Enumerando a longa serie de reforma que o Sr.
ministro desoja elTecluar. diz queS. Exc. lo maior
reformista de lodos os ministros eque de nenhuma
d.M.iiilas reformas dicua-ae S. Exc. de apresenlar
as bases, nem demonstra a sua ulilidade. nn d o
menor esclarecimciilo nio emitir urna s idea que
faca crer na prollcudade dellus, e lano assim que
no seu relatorio nem se qiler explica a acro forte
da niuiiicipalidade que S. Exc. deseja entre outras
militas consas reformar.
Passando a fallar sol.ru a secretaria do imperio,
diz o orador que concorda com S. Exc. na diviso
de,ia secretaria em dous ministerios, porm que nao
pode approvar o arodaraefk|0 ou anciedade com que
S. Exc. deseja que passe o seu projeclo ; tanto me-
nos o approva quanto nao comprendido como que
o Sr. ministro do imperio, cora a creaco de um
"0 Sr. Fausto de Aguar :Raspondcu satisfaclln- nonos ouvidos.
ri.inioi.to. Esla. suata, bem como as do nosso anligo carna-
OSr. Franco de Almcida : Na opinio do ir. val> prolcsla altamente contra o nosso progresso c
secretario geral.
[Apoiados e risadas.)
A discusso tica adiada pela hora.
O Sr. Presidente d para ordcui do dia
Discusso do requenmento apresenlado pclofer
Bapllsla Muuleiro, pedindo uformacoe ao gove 10
sobre o contrato feilo para a limpexa da cidui e,
approvado pelo decreto n. 2-157 de 16dedezen-
bro do anuo passado;
Se houver lempo, discusso dos irtigos additiios
10 projeclo que concede iicenca para estudar i m
qualquer faculdadc do imperio ao vinario da fi e-
guezia de San Chrislovara. provincia de Sergipe
Segunda discusso do projeclo n. 8 i de 18 7,
que estabelece em segunda enlrancia a comarca do
Jaguary, provincia de Minas Geraes;
Cunlinuaco da primeira discusso do proojtn
que crea urna secretaria com a denominarn de te-
cretaria de estado dos negocios do agricultu a,
com mercio e obras publicas.
Levanlou-se a sesso s 3 horas.
\lu proas.
Dos Diarios daquella cidade de 17 e 21 do c r-
rente extraamos os seguintes artgos*:
f.iiraiiaintslo de aguapotaoel.
Xo relatorio que o Eira. Sr. presidente da pro-
vincia dirigi assembla legislativa provincial no
da 5 de maio prximo passado, tratando de ob ras
publicas, disse S. Exc que lomara a peito reo li-
sar a de maior inleresse para esla capital, o en:a-
immf 1.1 o de agua potarel
Nesse intuito dirigi S Exc- ao Sr. coronel do
corpo de engenheiros, Conrado Jacob de Niemej er,
um convite para vir levantir a planta, organisai o
plano o fazer o ornamento da obra. O distincto n-
genheiro apressou-se em responder :
lllm, e Eira. Sr.Tire a distinta hnnra dn re-
maio lindo, na qual V. Exc. se dignnu coiif idar-lmi:
para me dirigir a essa intcressanle provincia, i liru
de levantar a planta, organisar o plano o faz. r. o
orcaineiilo para a couduco das aguas potareis, |ue
derera abasleccr essa capital, e penhorado dai li-
songeiras expressoes que rae dirigi e com a de-
cidida eonfianca que era mim deposita, eu pavso a
responder a V. Exc. Estando com o general I el-
legardo encarregado da organisaco da caria n ro-
graphica desta provincia que. cora os preceito! d
novo miuisterio e por conseguinte com o augmento I arlu' *'evo apresenlar e concluir al lindar o a uno
a,. n..Dan.. ...:....,.._______..._____.___ _.< .la iar.ii a ......a.. .,.. i..- .,.. .1 .....i. .......^.i.
_ que o ministerio se acha
obngado a ter urna lal ou qual condescendencia
para com seus adversarios, nao soh a rendirn do
que Ihe noembarccem logo em principio os pro-
jeclos que elle propoe 1 Como pnderia elle adop-
tar as.-mondas da maioria, se u bil nn conseguo
ao menos chegar commisso e peremptori-
menle regeitado f Querer que o ministerio esteja
como que a recebor ordens, dizer-se-lhe quo nao
aprsenle um bil concebido nesles, mas sim na-
quelles lermos, sem Ihe darem, ao menos, a honra
da discusso, certamenlc impor-lhe urna humi-
Ihaco, a que de mudo algum se acha elle obrigado
a sujeitar-se,
E foi este, entretanto, o conselho que lord Pal-
merslon julgou conveniente dar ao ministerio. Pa-
rece que o nobre estadista conta com o estado dos
negocios e com os graves inconvenientes que ur-
rasluro inconlnslavelmcnle comsigo urna iiiudan-
ca do gabinete nu urna dissoluco, quandu aconsc-
lha ao ministerio que se conserve no poder c aceite
urna posieio hiiintlhante. Lord Paliuerslou parece
crer quo una mudanra de gabinete nao se faria
hoje em seu proveilo,' e prefure talvez adversarios
commodos a um rival. |
Lord John Russell encara a questao debaiio de
os cabellos e os vestidos iam em complete desor-1 oulro ponto de vista. Para lord John tiussell isto
Art. 1." Fica elevada a aleada das relaces a
f.OOOgOOO; a dos juizes de dircilo do civel o do
comraercin, dos feilos da fazenda, municipacs e
de orphios a 4009000, e a dos juizes de paz a ris
lOOjOOO.
Art. 2." Ficam revogadas as disposices em con-
trario.
Sala das sessoes, 27 de maio do 1859..Srrjio
de Macedo.
- A assembla geral resolve :
Arl. 1." Os (.tildaos do juslira de primeira ins-
tancia e os lugares das serrelarias do polica sero
prvidos pelo governo geral na corte, u pelos pre-
sidentes as respectivas provincias.
- Art. 2." Para essas nomeacoes c provimcnlos
continuarn a ser observadas ns formulas estabe-
lecidas as leis e regiilamcnlos geraes.
Art. 3." Feita a nomeaeo pela qual o nomea-
do entrar desde logo em ejercicio, o presidente^ o
communicar ao governo geral, transmiltindn ao
mesmo lempo as informronse documentos respec-
tivos para confirmar ou annullar a nomeaeo.
Neste ultimo caso mandar o governo proceder
a outra.
a Art. 4. Ficam revogadas as disposices em
contrario.
Sala das sessoes, 27 do maio de 1859.'ergio
de Macedo.
Vai commisso de poderes com urgencia a se-
guinle indicaco :
Indico que na ausencia do Dr Plavio Clcmenli-
no da Silva Freir, depuiado pelo quinto dislricto I
du pessoal, deixar de augmentar proporcionalroen-
te as despezas que realmente um grande adiado:
S. Exc. lem o grande poder de multiplicar o pao e
o peixe com a sua benco ; entreunto diz o orador
que nao acredita em taraanho milagre, a menos que
S. Exc. esteja resolvido a demitlir o empregados
actuacs que s assim as despezas so conservara., na
mesma cifra j existente. Visto que sobre essa ques-
tao os espirilos laboram na duvida, na obscuridade
pnr falla de esclarecimenlos fornecidos pelo Sr mi-
nistro do imperio como quer ento S. Exc. que se
vol sobre Irabalhos ijue ainda se achara em suas
mos e como em confidencia entre os seus collegas
nicamente, e cuja ulilidade s elles o conhecem ?
Qual a narao civilisada em que a cmara rola so-
bre projeclos quo nao ennhece, porquo linda nio sa-
hiram das mos dos ministros ?
Kespondendo um aparte do Sr. ministro do im-
perio, diz o orador que ha alguns annos tem assen-
to na cmara e que por conseguinte sabe o modo
porque se pedein as autorisaces ; sempre com
pnyiessas lisongeiras do que'ns cofre pblicos nao
serao unerados ; entretanto, apenas concedem-se
taes autorisaces, ai dos miseros cofres, lio grave e
desapiadadamente onerados.
S. Exc. lira para o noro ministerio, continua o
orador, ludo quanto relativo ao commercio, i la-
roura, i industria, s artes, correio, estradas de
ferro etc. etc. ; o que quer ento S. Exc. ? Prora-
velmenle descansar ; quer um ministerio de des-
canso, quer ser director de thcalros.'
Diz o orador que, assim como S. Ele., todos os
seus collegas acbaro-se igualmente sohrecarrega-
dos de Irabalhos c que se reservava a tratar delles
cm outra oceasiao ; que no eolanlo nao podia dei-
xar de observar que esse syslema de reforma trazia
o grave inconveniente de agitar o espirito publico
as provincias, sempre prevenidas contra aquillo
que se chama edite ; e dava oceasiao a dizerem
3ue aqui deixamdeser allendidasas conveniencias
as inesmas provincias para smente tratir-se
dos inleresses daquelles que achara se mais clega-
dos ao gremio.
Ero conclusn, observa o orador que o mioiste-
a nossa civilisaco. E lempo, em nosso concito,'
de siipprimi-la do programma da grande, feslivida-
de de 21 de junho, harmonisando-a assim com as
conveniencias da poca e as commodidadcs'do pu-
blico.
Acabamos cora as innundarese outras amenida-
des do enlrudo. Cunte peienne de molestias, de as-
suadas e de risas, que as vezes terminnvam trgi-
camente. lempo de acabar igualmente comas
fogueiras as vias publicas, com o fogo de arlili-
cio lauto as mas como da janella das casas.
Alem doemhararo que oppe semelhautc abuso
ao livre transito, do risco que a cada passo corre
quem nessas noites se aventura as ras, principal-
mente a cavallo uu a carro.'accresce o atordoaraen-
(o de nossos ouvidos pelo estrepito discorde e con-
tinuo dos fugeles, que se prolonga al alta noile c
nos condemna insorania, c linalmenle o pongo
real de accidentes mais ou menos serios, que dalii
podem so originar.
Ha cerca de dous annos, com elfeito, livemos de
deplorar a explosao no largo do Trro, fatal alan-
tas vidas e propried idos. E se esle anno escapa-
mos felizmente tamanha desgraca, nao {leamos to-
dava isemptos de successos causados pelo impru-
dente divenimento com malcras inflamraaveis e
explosiveis, das quaes rarias chegaram ao nosso co-
nherimento, embora despidas de sinistra gravidade
e importancia.
Reclamamos, pois, da polica, que ponha de ora
em dianle em inteiro vigor as posturas municpaes
respectivas. Abrigando-nos desl'urle contra funes-
tos successos, e protegendo aquellos que por ven-
tura nu acham prazer nesse innocente briuquedo a
percorrer lirremenle as ras da cidade, todos en-
tregues ao saturnal do fogo do artificio, como ou-
tr'ora no enlrudo, a saturnal d'.igua, da lama, do
mel de furo e ostras asquerosidades inventadas pe-
la frtil imaginarn dos amadores desse passatempo.
ceber a caria olcal de V. Exc. co.n data de. 20 de ?.eercicios pyrolhechnicos, a que alludimos, nao
so iiicommodaui e assuslam os que transitara pelas
no com suas pomposas promessas inexequiveis fa-
lha com a obediencia devida conslituiro e dedi-
caco sem limites s leis juradas.
O Sr. Sergio de Macedo ministro do imperio
eleiloral da Parahiba do Norte, se admita a lomar' comer respondendo ao Sr. Baplisla Monteitu, que
de 1800, esendo a estarn actual a mais apropia-
da para dar impulso a sses Irabalhos, sement em
fins de selembro ou principios de outubro me po-
derei apresenlar a V. Exc. nao pudendo exc der
nem julgando preciso, a rain ha demora nessa c ipi-
tal a mais de dous mozos ; se assim conrier, c inte
que empregarei todos os ni^iis esforcos para :or-
responder s vistas o desejos de V. Exc.
Nao inleresse pecuniario quem me anii la ;
mas sim os desejos de fazer a esssa provincia um
servico to importante, como em caso semelha He,
ti/, a provincia de Pernambuco : portanlo pa* a a
minha passagem de ida e rnlta e das pessoas, u en-
sise instrumentos que indispensarelmenle me de-
rem acompauhar, e ahi um quartel escolstico i on-
de em minlia completa liberdade e sem pompa ou
apparatu ou possa trabalhar, eis o que mo silffi-
c.enie ; se fr feliz cm minlias exploradles, nellas
oblerei a melhor recompensa s minhas fadigas,
sem quo outra qualquer me passe pela idea ; lenho
concluido. Dos guarde a V. Exc. Rio de Janeiro
4 de junho de 1859.Illm. e Exm. Sr. Dr. Agolti-
nho Luiz da Gama, dignissimo presidente da pro-
vincia das Alagoas.
c Conrado Jacob Siemeyer.
i As expressoes lisongeiras com que se enuncia
o distincto coronel, o desinteresse e caralheiris no
com que apressou-sc em aceitar o convite e respira-
dor ao Exm. Sr. presidente da provincia dispnsam-
eos de fazer quaesquer rcflexes. Foi esse mesmo
pentissimo eligenhcin. quem organisou o planee fez
a plantado aqueduclo de Pernambuco, elleincqn-
teslavelmente um dos mais habis engenheiros po
imperio o talvez o primeiro nessa especialidad ;
enderecamos pois um vol de gralido ao Eim. Sr.
presidente da provincia pela inapreuiarek acquii-
cao e congratulamos com os nossos comprovincia-
nos pela realisaco que antevemos) de urna da-
obras do inleresse mais vital para esta capital. |
< Asscmblfa.
t Honlem honre sesso.
O Sr. Jos Candido apresentou urna indicar
que foi lemellida commisso respectiva, para
assembla dirigir urna felicitadlo ao Eira. Sr. pr -
sideulc da provincia.
( Fncanamentn de agua potacel.
t Consta-nos que pelo vapor Ogapock o Exih.
Dr. Agoslinho Luiz da Gama dirigir aos Exm 3
Sra. senadores e depulados assembla eeral p

~ -.;/-*,' ..".-"'' tv
sil I
I m.
ras, que se tornara quasi descras, como aggrava
os ollrimentos dos doentes para quem o socego
quasi sempre u melhor e mais salutar de lodas as
medicinas.
Apazar das pequeas desordena que coraraum-
ineiite resultam de taes feslancas, podemos dizer
que a semana passou-se tranquilla, sendo o (telo
mais grave nella occorrido o tiro disparado por um
individuo em sen visinho la para as bandas de II..-
lem por causa de deslruices (eilas em suas lavou-
ras pelo gado do outro.
O Capibaribe rem deseendo outra vez rairoso,
Dos queira que as obras publicas e as particulares
nao oliram tanto quanlo no mez passado.
Somos informados que na ra da Senzalla do
bairro do Recito existe urna mplher que faz-se som-
nmbula, sendo ajudaa neste honroso ollicio por
um individuo que, na obstante ser coiuinercianle
matriculado no tribunal do commercio, nao se en-
vergonha de concorrer para lo illicila especuladlo.
O prero de cada consulta do 20} pagos a esle mes-
mo individuo que, segundo diz, os entrega & mulher
a quem protege.
Como o numero dos tolos infinito, nao admira
que a casa da ra da Senzalla seja mu (requemada
e que cunseguintemente grande numero de sed-
las de 20*, enlrem oara as algiheiras do tal protec-
tor. 0 que admira que a polica deixe que se ra
assim abusando da simpliscidade dos nescios, to-
mando-se-lhes o dinheiro de que poderiaui dispr
para outros fins, sol. o pretexto de dizer-lhes a som-
nmbula qual a doenca que softrem e qaal o reme-
dio que derem empregar para serem curados, as-
sim como outras cousas da mesma natureza.
Se a polica acha que a somnmbula c seu pro-
leclor podem prestar algum servico, ento que os
consulte para saber quaes foram e onde esto os
auiores'de lanos crimes entre nos commeltidos e
pelus quaes anda ninguem foi punido.
Aos taes discpulos de Jo Ralsamo aconselhare-
nios que em vez de irem recebendo dos tolos a in-
significante quanlia de 20J, procurcm comprar os
bilhetesdas loteras do Rio de Janeiro que lirerem
lirado os injieres premios, pois devem saber quaes
os seus nmeros antes da chegada das respectivas
listas.
Deslc modo o ganho ser maior e os pobres nao
tero que chorar o dinheiro quo Ihes derem.
Consta-nos que o Sr. superintendente da estrada
de ferro, n'um oflicio relativo as horas da chegada
e partida dos Irens, declarara que se achara mais
/ue aufor.sado a marcar ditas huras sem depen-
dencia de combinaco com pessoa alguma, e nao
linha satisfarn a dar a respeilo, pois no contrato
da companhia com o governo a uitervcnro deste,
nao era positivamente especificada cnmo'sedno
tocaste a tabellados fretes e passageiros.
lio de suppor portanlo que o Sr. superintendente
contine a subordinar os commodos do publico aos
dos seus empregados inglezes, e uo de admirar,
Tollos de Meno/.es, o cidado Augusto Jos Gomes
Leal.
O nin.inosn foi i.refin em flasranto.
.lo da 10 do crreme, na villa do Cabo, di-
versos trabalhadores da estrada de ferro, emnume- "
ro de 18, pretendern! cobrar violentamente do em-
prcileij-o Kisher, o que esle Ihes deria. Este pro-
posito nao foi realisado por nao ser o referido om-
encoulrado em casa, e ter a lempo sido
delegad', do termo, que os capturou.
Est noraeado tliesoureiro do consulado pro-
vincial, em consequencia de falecimento do indi-
viduo que o everria, o lid Jos de S I.citan.
Paro provar que uo nos engaamos quando
annuiiciamos que a provincia de Alagoas encontra-
ra no Sr. Dr. Gama um administrador zeloso e
jusliceiro, transcrevemos om lugar proprio os ei-
Iralos que iuetuos do Diario da referida provin-
cia.
Urna correspondencia de Macan refere o se-
guidle caso de historia que curioso.
ltimamente uma'rapariga do campo, Mara B.
domiciliada ha pouco tempo naquulla localidad
subi ao seu soto para se deilar. Dous dias se
passaram sem que a vissem descer ; finalmente ao
lerceiro dia petas onze huras da manhaa, proprie-
lario do sotan prevente o commissario de polica,
que depois de ter em rao chamado a rapariga, fez
abrir por um serralhciro a porta de sua mo-
rada.
Nao foi pequea a sOrpreza do magistrado, quan-
do encnnlrou Mara socegadamunte dorraindo na
sua cama, tenlou acorda-la, mas ella nao repen-
dia, entretanto, o pulso eslara regular, os- membros
couservaram a sua fleiibilidade natural, e o rosto
a mais bella cor.
Chamados, os mdicos, foram administrados
dormente diversos cordeaes, e ella conlinuou se-
pultada em seu profundo somno. Finalmente, tra-
taran! de a vestir para a mudar pata o hospital.
Dous enfermeiros com bastante dilucidado, a des-
cerara da sua trapeira, a pozeram n'uma maca,
sem que ella dsse accordo de si. S no flu de
mais algumas horas que abri os olhos.
Depois de um vigoroso exame feilo. no seu soto
conheceu-se evidentemente que a rapariga nada li-
nha lomado nem do venenoso, nem de soporfero.
Mara B. tinha experimentado aules de adorme-
cer vivas contrariedades ; a emocao que ella senlio
por isso podia-lhe causar estes phenomenos hist-
ricos 1 K o que a scieucia pode decidir.
Na Preste li-se :
Existe em Londres, diz o jornal, allemo Aut-
land, um Club de Viajantes ( Traoellers Club ).
Ninguem pode alli ser admiltido, segundo os esta-
tuios, sem ter feilo previamente urna viagein, pelo
menos de 1,000 militas (1.333 silomj.
Ora com rapores e caminhos de ferro, como ha,
nada mais fcil, do que prehencher essa condiro.
Para diminuir o numero dos reetsrendarios, exi-
ge-se presentemente que as 1.000 milhae, sejam
percorridas em linha recta, e nio comprehendendo
a volta.
O celebre Kean fundou era 1817 o Club dos Inte-
peraulcs, composto nicamente de 15 socios.
Para ser admiltido up mesmo Club era preciso
beber de ura Irago duas garrafas do agurdente.
Muitos dos recipiendarios morriam ; anles de ler
completamente satisfeilo prora.
Londres j tambera tere ura Club de corcovados,
c outro de resuscilados.
As ultimas noticias da India fallam de urna
tentativa de assassinulo commcliida contra a pessoa
de Rewan Salar Jung, ministro do Nizam.
O coVonel Davidson, residente britannico, tinha
ido a Burha. sala da audiencia do palacio, apresen-
lar urna caria do governador geral. No momento
de sabir acompanhado de Bevran e de dous nlliciars
inglezes, um carallciro indio aponteu sobre a sua
davina e disparou sobre o ministro. 0 tiro falhou,
o assassino puxou da espada, e loria morto o mi-
nistro se um dos seus ajudanles, se nao livesse
meltido de permeio, e aparasse o golpe. Esta pe-
quea demora bastou para fazer desandar urna du-
zia de espadas, e o assassino, gravemente fendo ca-
bio do cavallo. Este humera linha estado ao ser-
vico de AmeerKabeerShuinseerOnnrad, e li-
nha querido migara offensa de seu senhor sobre a
peona do um ministro, que Ihe era odioso.
Tribnnaes Eslrangeiro'.II tribunal prorin-
cial da Hollanda meridional, consagrou mullas au-
diencias ao julgamento de urna grare aecusacao do
envenenamenlo, que attrahia a atlenco do paiz in-
teiro por causa da alta posico social do aecusado.
0 lente general Guuckell, velho de 75 annos,
nao querendu restituir sua amante urna somma
que Ihe pedir emprestada, dicidio-se a enrene-
na-Ia.
Elle Jinha por hsbilo Icvar-lhe,quando a ia visi-
tar, alguns bollos e confeitos ; j muitas tentativas
de envenenamenlo liuharo sido baldadas; e no
principio deste anno elle levou um paio j prepa-
rado, do qual nao quiz comer allegando urna indis-
posicao de estomago. A mulher ou por um rogo
presenilmente, ou por nao estar boa, nao comcu
do dito paio, mas seu irmo, que comeu urna boa
porro delle, morreu dous dias depois com todos
os symploraas txicos de euvenenamcnlo arseu-
cial.
A autopsia do cadver nao deixou a menor duvi-
da, e o general Guuckell foi preso. Elle fez as con-'
fisscs mais cmplelas, e appareceu na audiencia,
queixando-sc smenle do longo ceremonial dajus-
tica, que Ihe parcela iuutil em vista de sua confls-
sao plena.
.5
:
. -


*-/* UWtUM A W
O.U
....i ivnu a. l UO U1IIIW no lil.l.


)
.
a. -

.V rospuitavol estatura ilo general, sua phiiono-
nua marcial, c o respeito que sun idade o leni
seguido alean banco dos reos Inri dado a osle a-
conlccimento una solemuidade particular,
l'ergnnta-so ; se 6 pnssivol um trime lio odioso,
on se um auto 111 lio de completa aburraran men-
tal?
As testemunhas foram ouvidos, os mdicos mais
peritos declarara que o general lem conservado to-
das os suas facilidades mlcllecluaes ; o ministerio
publico participa dessa opiniao, o re'quer a pena
de moric.
Fot a 10 do abril quo o magistrados de Haya di-
cidiram a queilio.
A urna hora precita, o tribunal entra ni tala, que
eslava liileralnionlu clieia do eapecwdores, entro
ni quaea e encontriTO rarias notabilidades, com-
prehcndendoso neMaelasaeo general llausonrolT,
imiiisiro da Ruaiia.
O aceuiado, conduiido a audiuncio, guardou a
msii tranquilla olitude. Q presidunte du tribunal
Ihe dsse que poda conservar-so asaontado o co-
berto,
Passou-ae depols a 1er a tontcticn, o que levou
mais de duoa hora). Na mearon o Iribanol, repol-
lindo a idea de monomana ou de alienadlo men-
lal parcial, declara Gunckell reo do crime do en-
vonenamento, e o condemna a morror entercado ;
derendo a senlenra ser exocutada na cidade de
Haya.
aecusado ouvio pronunciar a sentenca do mor-
le som manifestar a menor emoeo ; c seu advoga-
do appellou para a corle de cassa'cn.
Raplisadns llovidos na freguezia de Sanio An-
Innio du Rerife de 19 a 85 do crtente.
Mara, branca, illha legitima de Jo3 Joaquim dos
Santos o I). Mara da Silva Sanios.
Jos, pardo, llio legitimo de Serapio Borges do
Menezos, e Mariana Suriano Borges.
Anaslicio, crenlo, escravo do Domingos Ferrcira
da.s Noves Guimares.
Rosa, branca, flha legitima de Antonio Heraldo do
l.ima Mondes e I). Candida Ursulina Mondes da
Cuaba.
I inliclina, branca, filha legitima de Joaquim Fran-
cisco dos Santos Maia, o 1). L'uibeliua Mara do
Kspirilo Sonto.
Mari, parda, Illha natural de Mara Cuno.
Marcolino, pardo, lillio natural do Mara Cune, San-
io oleo.
Mara, crioula, flha natural de Mara Paula do Espi-
rito Santo. i
llargarida, parda, flha legitima de Agosiinho do
Snuza Pinto, ja tinado, c Florencia Mara do Es-
pirito Santo.
Maurno, pardo, fllho legitimo de Aleixo Manoel do
Carme, c Prima Margarda da Conceicu..
Mara, parda, flha legitima de Rclarmi'no Duarle
l.ima, o Gerlrudes Baptist.i Fcrnandes.
Cassimiro, pardo, escravo do Francisco de Assis
Viegas.
Flix, braiiro, fllho legitime de Jos Mendos Salga-
de Guimares a D. Joaquina Mora da Coaceicao.
Jos, branre, lilho natural de Thercza Joaquina* da
Costa.
AITonso, pardo, filho legitimo de Joo Luil Beda, e
Aleandrna Gyriua l-ou renca Beda, santo oleo.
Emilia, branca, lilha legitima de Francisco Pinto
de (Jucho/, e D. Thercza de Jess Ferraz, santo
oleo
Candido, pardo, escravo de Mara Eugenia da Cruz.
Mara, branca. Illha legitima do Antonio Pereira
Pinto, eJoanna Francisca de Barros Pinto.
Emilia, semi-bianca, illha natural de Florinda Ma-
ra Borges.
Joo, semi-uranco, fllho natural do Auna Joaquina
Lopes Lima.
Casamentas;
Francisco Helarmiuo dos Santos Froilas com Mora
Alejandrina da Silva.
Joo Francisco de Mello Barrete com 1). Anna Mau-
ricio Wanderlcy.
Lista dos baptisados havidos na ficguczia de
S. Jos do 11) a 25 do correnle :
le,milla, parda, nascida ha 2 me/es. ;fllha natural.
Francisca, branca, nascida ha 3 mezes, Illha legi-
timo.
llomn, pardo, nascido a 28 do feverciro deslc an-
uo, tildo natural, escravo.
Eulalia, branca, nascida a 12 de feverciro deste an-
uo, flllia legitima.
Joaquina, parda, nascida ha 20 mezes, fillia natu-
ral, torra na pa.
irineii, pardo, nascido ha 2(1 mezes, fllho legitimo.
Eulalia, branca, nascida a 18 de selembro de 1857,
lilha legitima.
Mara, branca, nascida a 15 do mota de 1856, filha
natural.
Joo, branco, nascido a 2i de fuvereiro deste auno
filho legitimo.
Jeronymo, pafdo, nascido a 28 de suletol.ro de 1858,
lilho natural.
Jesuta, branca, nascida a 3 do marco de 185, f-
lha legitima.
Lista dos bitos havidos na freguezia de S.
Jos, de 19 a 25 do crrenlo.
Antonio, semi-pardu, idade 5 anuos.
Jos Mananto Seares, pardo, dado 3C anuos, ca-
sado.
Joaquina Micaela de Castro Accioly, branca, idade
74 anuos, viuvo.
Joo, pardo, dado lidias.
rmnlri mi n*mitt^fciattoMJSMM>.4*asaa*^aMai
casada.
recurrido, Alexandru de
Leurene
Recurrente, o jui/.o
Snuza Pereira.
Sorieades na Sis. desembargadores
Santiago, Silveira e Silva Gomes.
Ficiiu adiado.
Recurrente, o juizo ; recorrido, Francisco Diniz
da Penha.
Sorteados os Srs. desembargadores Cilirana, Sil-
veira c Guerra.
Improcedente.
Recurrente, o juio ; recorrido, Alejandre da Cruz
Lodovice Cambrainha do Imperio.
Sorteados os Srs. desembargadores Gilirana,
Guerra e Silveira.
Improcedente.
afandou-ao tirar cpa para ao proceder contra
aquello que se preiuma autor da avnlenca apo-
crlpha.
Recorronlc, o julio; recorrido Antonio Francisco
da Silva.
Sorteados os Srs, dosenibargadoros Silva Gomes,
Guerra o Gilirana,
Improcedente.
Recrreme, o juizo ; recorrido, Joaquim Marinho
de Santa Auna.
Sorteados os Srs. desombargadores Silveira, Guer-
ra e Gilirana.
Improcedente.
Recorrente, o juizo ; recorrido, Francisco oeOtt-
vera l.ima.
Sorteados os Srs. desembargadores Gilirana, San-
tiago c^ilvcira.
ImprucedcnJc
Negaram o habeas-enrpus pedido pelo bacharel
Nabor Carnciro Bezerra Cavalcauli, para o seu es-
cravo Raymiindu.
APPKI.I.VC.OF.S C.U1VKS.
Appellante, o juizo appelladu, llcnriquu I.uiz
de Barros Wanderley.
Maiidarain a nevo jury.
Appcllaules, Joaquim das Virgens e oulros ;
appelladu, o juizo.
Conllrmaram a sentenca.
lloras do da, atirou lugo no infeliz soldado, que
dopois fallecen ; c i|iiando se evadi foi preso por
parle da mesma patrulha, que eslava emboscada.
Ileuve mais nessa occsso um liomein ferido de
nome Pedro Jurema, que chegando-se ao soldado
ferido para deila-lo sobre um banco quandn a pa-
lmilla diligenciavj a prisn do reo, o mesmo sol-
dado, que anda eslava vivo, e quasi nos paroxis-
mos da mntte fere-u com baioneladas, e felizmente
no morreo, o |)r. juiz municipal j lirou o pro-
cesso, lendo-sc primeirameule feilo corpo de de-
licio no nado, o rio ferido, achando-se na cadeia o
reo.
As autoridades vio em harmona, cumprindo
cada utna sun missao, tendo d frente o novo juiz de
dircito Dr, Barros de Laccrdo, que por aaai ma-
netras val adqulrlndo affeicous. e moilrando sor
um carcter do paz e de juitiea. Ello e prepara
para no 1." de julho abrir o Jury no lermo do Pes-
uucirn, ondo tern mullo a faicr. Jd quo fallamos
en jury, nao deixaronioi-pnssac desaporcebido o
que dlssc o Cabrion a respeito do qua dssomos, de-
plorando a absolvigao, quo o Jury deito lermo den
aires criminosos do morlu e quo foram sollos e
oo mesmo lempo declaramos quu o juiz do direito
o promotor cumprirotn seu dever. O collvga en-
xorga conlradieco em nosso procedimenlo, ou
ignorancia j so sabe de rara, porque isso de cien-
cia lambom do raea, infusa e aprendida !he 6 pri-
vativo] porque uo se pode censurar, na opiniao
dolkl, o jury sein c.omprehcuder ao seu presidente a
ao prometer. Vejamos se lem razo. O jury posto
que seja un corpo moral composto de tres entida-
des, a saber : juiz de dircito, promotor c juiz de
faci entro si nao lem lana anidado de aecio
modo de cada una de persi ser solidaria, e que se-
rai umi absurdo : porquanlo tendu ellas atlribuices
privativas e diversas uo devem ser responsa'veis
urnas pelas ufroccoes de entras.
Se elogiamos esses deus empreg.idos pelo sen
compurlaineule, e uo ao jury (fique entendido, que
soinciilenos referimos ao consolho, que abselveu aes
reos) foi porque Hzoran quanlo eslava desua por-
Appellanlc, o promulor ; appcllado, Manoel li- | le, um aecusando e esclarecendo o crale e o oulro
appellado, Manoel hitos do
presidiado ao tribunal com dignidade.
Oiris, que pudiaui appellar das decises do jury.
Nao sabis, que esse correctivo uo arbitrario, e
nem indefinito? E que nos segundos julgamenlos,
como ero deus casos dos que nos occupom.o presi-
dente ne podo mais usar desse direito ; e que o
lippe Pereira.
A novo jury.
Appellante, o jui/.e
Nascimenlo.
A novo jury.
Assiguna-se da para julgamento das seguinles
appellacoes crimes: .......i promotor s6 delta pode gozorom todos os julgoinen-
Appellanto, o juizo ; appellado, Manoel t ranas- tos quando se dio irregularidades no processo? Di-
codos Santos. | reis mais, que no lerceiro caso, relalivomeule ao
Appellanlc, trancisco de Paula Azevedo ; appel- iassassino do infeliz Seares, c quo a primeua vez
lada, ajustica. | appareceu barra do tribunal, porque no appellou
Appellante, o juizo e Rosa Mana da i.unceieao ; o presitlenlc?
appellados, Joaquim Soares da Silva e a justica. Anda diremos quo obrou em reara, porque s
Appcllaule, o juuo ; appellado, Hauocl Rodn- ] deve servir-se desse remedio quandn o jury abselvc
gues Giqiieri. contra a ovllenle prova dos autos, o quo uo se d
Appellanle, o juizo ; appellado, Majioel Podro nesse summario.
I ltimamente diris., o sendo assim, porque foi in-
justa a obsolvieao ? Vibvia a resposla.
As appellar oes civ.-is :
Appellanle, Euzebio l'iulu ; appellado, Alejan-
drino Martins Crrela Barros.
Appellanle, Flix Cavalcauli de Albuquerquc;
appellado, Antonio Marlins l.cilc.
DILICRSCIAS.
Com vista ao Dr. curador geral as appellacoes
civois:
Appellanle, a viuva e filhos de Joo Henrique
da Silva ; appellados, os herdeiros de Anna Felicia
de Moura.
DISTniBL'ICOES.
Dislribuiram-se ao Sr. desernbargador Silveira,
os recursos crimes :
Recorrente, o juizo ; recorrido, Jos Antonio dos
Anjos.
Ao Senhor desemliargador Gilirana, os recursos
crimes :
Recorronlc, o juizo ; recorrido, Joaquim Jos do
Figueiredo.
Ao Sr. desernbargador l.uurcneo Santiago, os re-
cursos crimes :
Recrreme, o juizo ; recorrido, Manoel Francis-
co da Silva.
Ao Sr. desemliargador Silva Gomes, os recur-
sos crimes :
Recurrente, o juizo ; recorrido, Manoel Tcenlo
do Olivcira.
As 2 horas da larde eucerrou-sc a sesso.
JURY DO RECIFE.
2.' SESSAO EM 14 DE JUNHO DE 1859
PnF.SlUKNC(i DO SR. lili. FRANCISCO DE ARA! JO BARROS
JI'IZ lii: llIHKITO INTF.-
IHNO DA SKC.IMIA VAIU i U1HINAL.
Promotor publico interino o Sr. Dr. Joao Fran-
cisco Teixeira.
Escrivao o Sr. Francisco Ignacio de Ataide,
Adeogado o Sr. Dr. Francisco Josf ilartins Pena
Jnior.
As 11 horas da mauliaa feiU a chamada, aclia-
ram-se prsenles 42 senhoreg jurados.
Foram multados em 2llg cada um -dos senhores
jurados que (altaram.
O Sr. juiz de direilo declarou aberta a scsso de
pois do loque da campaiuha dado pelo porteiro do
jury.
Fei conduzido a presenca do tribunal para ser jul-
gade o reo preso Cyprianuo, escravo do Joo da
Cunha Reis, acensado por crime de ferimenlns le-
I^^U^|ujl^j^fT*v^r-|2^J^
-u~
ao
Candidaj carda, idade 4 mezes.
Isabel Antonia do l.ivramcnlri, Africana, idade id
anuos, solteiro, liberta.
Francisca, parda, idade 8 mezes.
Antonio Joao Freir de Vital, pruto, dado 32 an-
uos, casado.
lttilina, parda, idade 1 auno.
Antonio", pardo, idade 10 mezes.
Heleno, prela, idade 45 anuos, selteira, escrara.
Manoel, branco, idade U annos.
Mara, parda, idade 5 mezes.
Mara Jos da Fouscca, parda, idade 85 annos
viuva. '
Thercza, parda, idade 3 mezes.
O brigue porluguez Supina, trouxe os passa-
geiros :
Ernesto Adolpho N. Rolin,. Mara Miranda dos
Samse 2 Blhos, o Norbcrtn Marciano dos Sanios.
O vapor brastleiro Iguaraisi, trouxe os pas-
sageiroa :
Manoel Pereira Camillo e Epifanio Gomos do .Sa-
cramento.
ilaladouropublico.Malaram-sene dia 22 do
rorrento para o censiimo dcsla cidade 90 rezes.
No dia 23 do mesmo 75.
No dia 24 do mesmo 72. >
No dia 25 do mesmo 105.
' lorlaiidade do din 23 :
Candida, parda, 4 mezes inllamniacao.
lzabel Antonia do Sacramento, pre'la, solleira,
annos, entente.
Mara, cabra, escrava, solleira, 12 annos darrha.
Juo, pardo, (i das, espasmo.
Bernardina, parda,8 mezes, (obre amarilla.
I'raneisia, pardo, 8 mezes, chagas.
Um prvulo encontrado na porta da igreja nialrz
de Santo Antonio.
Adeaiile, parda, 2 annos. convulsoes.
Jos Jacinto Hapozo, branco, viuvo, 72 annos,
erysipella.
- 2i -
Francisca Joaquina de Macedo, branca, viuva, 80
annos, diarrha.
Rutina, parda, 1 anuo, convulsoes.
Helena, prela, escrava, solleira, 5 annos, bexigas.
Antonio Joao Freir de Vital, pardo, casado, 32 au-
nos, pulmonite.
Antoniu, pardo, 10 annos, convulsoes.
/.ulmira, branca, 15 dios, inflammaeo de intes-
tino.
Joauna, prela, escrava, solleira, 40 annos, interite.
Mara, parda, 9 mezes, inllammaco de ligado.
Foliciaoa de Mello, cxposla, prcia, um mez, es-
pasmo.
Frniina, parda, cxposla, 20 das, ferida na bocea.
Julia de Mello, parda, expusla, 2| dios, convul-
soes.
Auionio.Josa Barbosa, branco, casado, 35 annos, fo-
br*Njmarella.
-25 -
Amelia, parda, 2 mezes, febre.
Anna Januaftado^aasio^narda, solleira, 35 annos
dastros.
Mara, parda, 5 mezes, vermes.
Manoel, branco, (i anuos, desnleria.
Severino, parda, 2 mezes, cmaras de sanguc.
i--ttano, prclo, escravo, solteiro, 35 anuos ane-
mia.
Hara Jos da Fouscca, parda, viuva, 85 annos, in-
lerilo chronica.
Mara, parda, 5 mezes, hydiopesia.
Auaslacia, parda, 8 mezes, convulsoes.
Hospital de caridaife. Existem 48 homens, 52
mulhercs, nscionaes ; 1 homem eslrangeiro ; 2 es-
rravos; total 103.
Foram visitadas as enfermaras pelo cirurgio Pin-
to ds 7 1/2 horas da inanha, Dr. Dornnllas ds 8
X horas da manha, Dr. Firmo ds 5 3/4 horas da
larde de houleui. Fallecen lima enferma de duMru.
ALFANIIEliA.
Rendimento do da 1 a 22 .
dem do dia 25......
3:748S28
26 845|70y
306:093!'jy;i
Descarregam hoje 27 de junho.
Barca ingleza=John Uarln=ferro o i-arvao.
Brigue ingle/-Williaiu=rmercadorias.
Barca inglezaHindoo plvora.
Palhabotc americano Coast Pilot diversos g-
neros.
Brigue portuguezHarmonia=divcrsos gneros.
Brigue tardo Daino idem.
Briguo brasileiroMara Josidem.
Brigue portugucz=LaIa IIIidem.
Brigue hamburguez=Capiborbe-ferni.
Brigue porlugueSoplua^ccbolas, balatai e tou-
ClllllO,
M0V1MENT0 DA ALFANUEUA.
Volumen entrados com fazendas
* com gneros ,
Voluntes sabidos com fazendas ,
c com gneros .
CONSULADO GERAL.
Rendimento do da 1 a 22 .
dem do dia 25......
57
. 1170
1232
. 168
31
-----199
89.519*914
8Sj999
DIVERSAS PROVINCIAS
Rendimento do da 1 a 22 .
dem do dia 25.......
90:382S913
4:4781773
18|60
DESPACHOS DE EXPORTACAO PELA MESA DO
CONSULADO DBSTA CIDADE NO DIA 25
DEJI..MIODE1859.
Rio da PralaPatacho nacional Mara Jos>, Amo-
rim Irmos, 200 banricos assucar brauco.
S. MiguelEscuufi pertuguea Rfiiha dos Veo-
res Barroca \ Medeiros, 25 pipas agurdenle
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GBBAEs
DE PEIINAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 22 .
dem do da 23......
27-4G9J319
l:2I592
98:715*143
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 1 a 22
dem do dia 25 ,
N.io sabis, que os erimes praticados no ermo e
do neile (como esse) sil pedem ser julgadas por in-
dicie* vehemenles, sendo dillicil obter prora robus-
la? E se os indicios so dirigan! lodos contra o tal
assassiuo iudigilando-o como muco autor do crime,
e o conselhu tiuha dsso coiihucimonto, foi nqua ,i
abaolvieao.
Donis ; uo sabis, que o consolho nao deve so-
mente cingir-se aooffcaala el probata, como n juiz
de dircito. e loinhcm d sua cenviceo ex infrmala
conscienlia, o que por isso deve' coudeiniiar com
presumpeo, e indicios vehemeuL's na ausencia de
oulra prova ; e vii-e-versa, absolver quando a pro-
va los autos artificial,0 que nisto mesmo osla a
belleza o liberdadede jury? Nao deveis ignorar: e
per ludo isso no fustes iiiuilo feliz na vossa aceu-
sacao.
'rambem dissesles collega, que o artigo 10 do de-
creto du23 de agosto oe 1850, por nos citado para
justificar a legalidade, da mesa qu.-ililicadora ne o
isempl.iva dos deleitas que Ihe emprestasles, por-
que jd estando Geininiauo na mesa como membro
dola, no poda na qualidado de quinlo volado para
juiz de paz monear os outros deus msanos, pos
quo esses Ihe vriam dar matara. Essa razio de
larracha, e ue da le | porque se ella toase sulli-
cienle, nao podero o presidente da mesa v. g. com
um membro dola Bornear tres substituios para precn-
cherem as vagas de Ires mesarios impedidos dopois
de constituida mesa e lavrada a acta, como dis-
poe o artigo 17 do referido decreto, per causa de
tarmarem matara. Nu procede a vossa lembranea.
Eslraiihaslcs no termos anda tratado do occorri-
do no dia 14 de abril.
Emendo, collega, quo se livesseis mais prudencia
nao locarieis uisso; e que se nao estivesseis to
prevenido, terieis lido una uossa ultima missiva,
quo sligmatsames esse trisle o escandaloso acon-
locimeulu.... Bosta.
A comarca eslt em paz.
Sonde.
O conciliador.
CHRONICA JUDICIARIA.
TRIBUNAL Da BELigiO.
SESSAO ORDINARIA EM 25 DE JUNHO
DE 1859.
PRF.SinRCU DO El. 8R.-CCiXSEl.IIF.IRO EHSELINO
UE LEO.
As 10 horas da manha, 'achando-se presentes
os Srs. desembargadores Silveira, Gilirana, Guerra,
Lourenco Santiago, Silva Gomes, Caeano Santiago,
Srocurador da coren, e o Dr. juiz dos feitos da
azenda Uclida Cavalcauli, foi aberta a sesso.
Passadns os feilos e entregues os distribuidos,
procedou-se aosjulgamenlos seguinles:
HECI'RSOS CRlMS.
Recorrente, o juizo ; recorrido, Joo de Mello
Cavalcauli.
Sorteados os Srs. desembargadores Gilirana, Lou-
renco Santiago o Guerra.
Improcedente.
Recorrente, o juizo ; recorrido, Lourenco Carva-
lho Torres.
Sorteados os Srs. desembargadores Lourenco
Santiago, Guerra e Gilirana.
Improcedente.
Recorrente, o juizo ; recorrido, Jos Antonio
Bezerra.
Sorteados os Srs. desembargadores Silva Comes,
Silveira e Ouerra.
Improcedente.
ftu'log'o'Araujo.1
O Sr. Dr. Francisco Jos Marlins Pena Jnior, foi
noiueado curador do reo, e presin o juramento do
estylo.
O jury de scnlenea foi composto dos senhores se-
guinles : j_
Manuel francisco de Mello.
Hermenegildo Firmiuo uo Lemos.
Jos Francisco de Mallos.
Amonio Joaquim de Olivcira liad nem Filho,
Joaquim Vital Machado.
"Manoel Joaquim Scve.
Jos Francisco Brando.
Joo Pedro da Rocha Percira.
Francisco de Paula Ferrcira da Annuucwcao.
Jos Thoinaz de Aguar.
Dr. Antonio Gomes Tavares.
Basilio Baplisla Furtado.
E prestaran) o juramento dos Santos F.vangelhos.
Deferido o juramento o Sr. juiz de direito fez o
interrogatorio seguinle:
Jui; .-Como se chama, sua natural idade o idade?
fleo: Cypriano, natural desla provincia, idade
de 18 a 19 anuos.
Jai: : Aonde ostava no dia em que se deu o
ferimento no prelo Joaqbim .'
o : Eslava no Poco.
Juiz ; Cenhece o prelo Joaquim, escravo de
Placido Jos do llego Arauje .'
Ufo : Nao senhor.
luiz : Sabe porque est preso?
Ufo : Nao senhor.
Jniz : Precisa de esclarecimeutos a respeito?
Ufo : Sim senhor, Foram dadus pelo Sr juiz.
Juiz : Porque razo leudo dito em sen inter-
rogatorio feilo no juize da culpa que conhece o pre-
lo Joaquim, agora nega r
aMo : Nao disse cousj olgnina naquelle juizo.
Jui: : O dito prelo nao apparecia alguiuas ve-
zes na cecheira de seu senhor?
Uro : Nao senhor, c nem posso alTirmar consa
alguina a esse respeito, pois nu conheco o mesmo
prelo.
*i: : Porque razo nega esse faca, quando o
confessou naqueile interrogatorio?
Ufo : No dsse nado ento.
': Conhece as tcstemunhas que juraram
no processo ?
Ufo : No senhor, e por isso nada tenho que
allegar cunta as mesmas.
Jats : Tem algum motivo particular a tribua o presente processo ?
Uo Nao senhor.
Jniz : Sabe ler e escrerer?
Jo : Nao senhor.
Juiz: Tem fados a allegar em sua dofcsn ?
Ufo: O meu curador dird o que for a bem.
Finado o interrogatorio fez-se a leitura do pro-
cesso, sendo depoisconcedida a palacra ao Sr. pro-
motor interino, o este fazendo a aocusacao pedio h
condemnacao do reo no grao medio do artigo 205
do cdigo criminal.
O Sr. curador do reo deduzindo a defeza, anoli-
sou as provas do processo, e concluio pedindo a
absolvicao,
Findos os debates, depois da replica e (replica,
o Sr. juiz de direito perguntou' ao jury de senlen-
ca se eslava salisfeilo, e tendo resposla afRrmaliva,
propoz ao jury os quesilos sobre a queslao, o entre-
gando os ditos quisitos ao consclho, foi este condu-
zido a sala secreta das conferencias as 2 horas o 3/4
da larde, o sahio as 3 horas com suas resposlas que
oroin lulas pelo presidente do jury de sentenca. e
o Sr. juiz de direito, em vista da dcci.-oo, proferta
sua sentenca absulvcndo o reo, econdemuaudo a
miincipalidafle as cusas c levanten a sesso ad-
diando-a paro o da seguinle as 11 horas da uiauha
Cuinarca do 11 re jo
Brejn, 16 do junho
Possnu-se felizmente o mez de maio sem que li-
vessemos d lamentar faci algum desagradavel em
lodo o lermo, antes o bem-dizemos por trazer a-
bundanles*huvas, que vdo animando, e se conti-
nuaren! al julho, lereraos farlura de vveres, mor-
mente de milho. Nesse feliz lempo dedicado a Mai
de Dos e dos homens houvc ncsla freguezia o
ejercicio do Mez Maranno celebrado na greja de
Nossa Senbora do Bom Conselho com fervor e con-
currencia de povn, que desde os qualro hras ole
assete da manha de cada dia constantemente as-
sistia adorando a Sania Vrgem. enloando cnticos
de louvor, ouvindo missa e pratica anloga reci-
tada ora peta parocho, e ora pelo annnso e ncan-
savel coadjutor padre Cordelro ; e no ultimo dia
encerrou-se com missa solemne, sermao e precis-
ado, sahindo pelas ras prncipaes o andor da Im-
raaculada Senhora acempanhada de inmenso povo.
Se este acto no leve o esplendor proprio dos que
se fazem nessa capital, supprio a piedade c devo-
eo, sem disiinccoo de todos os flesquo a elle con-
correram.
Oulro tanto jd nao podemos dizer do mez an-
dante, dando-se logo no seu comeco um assassinalo
no lugar da Barra distante duas leguas desta villa,
sendo victima um soldado do destacamento de po-
lica aqu poslado, e autor Jos Benlo Bellro Vel-
loso ; o que succedeu do modo seguinle : Constan-
do ao delegado por denuncias, que o tal Bcllrao ira
commodava os moradores daquelle lugar com fur-
tos de gado o insultos, andando sempre armado,
mandn urna patrulha do referido destacamento c
de paisanos, prcnde-lo, e sendo cercado ds nove
C.VM.Vn.V IIIMIII'M, DO RF.CIFR.
1.a SESSAO ORDINARIA EM 9 DE HNIIO
DE 1859.
Presidencia do Sr:llego e Albuquerque.
Prsenles os Srs. Franca, llego, Olivcira, n Pinto,
faltando com causa o Sr. Mello, Barata, e som idla
os mais senhores .-ln-io-*.. n ^..^^.ri.
un- !H'."."j' .!''.'.".3r..,;. *'
77:41 M925
:402sirsr,
80:877gOI(l
PRAGA DO RECITE 25 DE JIMIO DE 1859,
AS 3 HORAS DA TARDE.
Revista sviiiunnl.
Cambios-----------Saeou-se sobre J.undres a 25 d
por 1-5, sobre Pars de 390 a IIMI
rs., sobre Lisboa de 112 a 120 por
coala de premio, e sobre o Rio de
Janeiro a 1 por cont.
Algodo-----------Ocnmmum veudou-sc a 7s200pnr
arroba, e u superior de 71800 a
7s900.
A-uiar-----------O mascavado posto a bordo na
Paralaba, vendeu-sc a 2S3II0 por
arroba. O desta provincia, nos
arma/.ens, venden-sede 3}o l5(ot)
por arroba do branco, de 2955o a
29000 por arroba do mascavado
purgado, o America a 240i), e o
Canal ,125200 por arroba ; a en-
trada fui pequea, e o deposito
avulta mu penco.
Agurdenle -- Vendeu-sc de 555 a OOg a pipa.
Couros--------------Os seceos salgados veuderam-sc
de 258 a 265 rs. por libra.
Arroz--------------Vendeu-so de 3} a 3s200 por ar-
robo.
Azeile doce--------O do Mediterrneo venden--.- o
29400, e o de Lisboa de 2250 a
2$300 por galo.
Bacalhdo-----------Vendeu-so em atacado a 13(00(1
e a rctalho de 129 a 13j por bar-
rica.
Batatas-----------Idem do 2J50O a 29600 por arroba.
Itolachinha------dem a 3>0O0 por barriquinha..
Carne secca A do Rio Grande vendeu-so de
49100 a 5S200 e a de Buenos-Av-
res de :l;tf00 a 49400 rs. ; licando
em ser 15,000 arrobas da primei-
ra, e 41,000 da segnnda,
Caryo de pedia- Vondou-se a 14 por tonelada.
Cale ----------Idemde 5$500 aC9por arroba.
Cha-----------------dem a l5O0 por libra.
Coerca-----------dem a 59200 a duzia de garrafas.
Farias de IrigO Relolhou-se de 21 a 263 por bar-
rica. Ilcaudo em ser 8,000 bor-
ricas.
Dita de maiidinrn-Vondeu-sc de 75508 a 8J por sacca
l-eijao---------------O branco e o amarellu vemlcu-se
a 20g por sacca e o preto a 149.
heno--------------Vendcu-se de 89 a 89500, por
quintal.
Gencbra-----------A do Hollando vendeu-se a 300
rs. por botija, e a de Hamburgo a
200 rs.
dem 1111 obras redas de secupi-
ra para carros......
dem idem risos de dila para
ditas.........
Mil..........
Milho.........
Podras de amolar. ....
Idem de Mirar......
dem relilos......
l'iassava em mollios ....
Puntas do boi......
Sabio.........
Salsa parrilha......
Sebo em rama......
Sola ou vaqueta [meto) .
Tapioca........
Lunas de uo.......
Vinagre .......
Carxuo du madeira ,
par

cauaila
olqin ir
urna
um
cenio
libra
arroba
*
urna
arroba
cenia
pipa
arroba
3 IjOOO
ln$000
180
: itKi
11 n
i IKK)
; siam
2110
JOOO
120
Jobo
J5O0
300
9000
:S000
4(
Movimento do porto.
Kavios miradas no dia 23.
Lisboa31 dios, brigue porluguez Sophia, do 130
Inuellados, capilo Antonio da Silva Guim.i es,
equipagem 12, carga ribo o mais genero
Cacvalho Nogueira i C.
Macoi=38 horas, vapor brasileiro /juarassi!, rom-
niaudanle Antonio da S. M. Juntar.
Xavuts sahiilos no mesmo dia.
FalmniilhBrigue franco/. City Aiitch, capilo l.ef-
leeb, carga assucar.
l'.analBarca ingle/a Flcetu HVhj, capilo Roberto
G. Kingbl, carga assucar.
A'iirio entrado no dia 21
Macota1 dia, barra ingleza hnbell llidley, de 232
touelladas, capilao R. Bulley. equipagem 12, -ar-
ga assucar : a Sounders Brntber I 1'.. Velo re-
ceber ordene, e segar para Liverpool.
Mario entrado 110 dia 25.
Liverpool30 das, escuna dnamarque/a ira ice,
de 1(19 toneladas, eapilao J. II. kroger, equ pa-
gein 7, carga hiendas : a E. Wyait.
yaci sahido uo mesmo dia.
Barhadoes llana ingle/a Sitiero, capilo Tho-
maz Eales, eui lastro.
OKSEBVAQOES MKTIIKOROLOGICAS.
ni v 25 he jimio.
0 da m
9'
1/2 dia
3 da I.
G
Cmulos
Nimbes
Cuiniilus
SO
S
SE

a
Ron.
Heg.
TKHMilllKIlUl
23.8
2 4
25,0
21.4
lfl.1
19.5
2il.ll
19.5

75 88
76 71
3=
W.I0 ARIA.
lT.lt SONAGE.VS.
D. Luiz de Sondes, marqucztlo
Pinhcl ........
D. Manoel de Castro ....
Simio da Cruz.. ....
Julio, da Cruz. ..-,..
Jos Lopes, barao de. S. Bene-
dicto.........
0 abbadc do Loriga ,
Thoim). ,......
Jos Cnico s.....
L'm criado........
I). Mara do Castro, aenhora du
Sandomil.......
Joonninha. .....
liarla Miguel.......
Rendeiros, ele. etc.
Nunca.
Thomaz.
Germano.
Valle.
Lisboa,
Olivcira Vasqucs.
Correa Vaiquea.
Pinheiio.
Ribciro
D. Monoella.
I). C.rmella,
l). Juzuiua,
Aoccao possa-se em Sandomil, a provincia
Aclualidade.
No ubi du drama o Sr. Correa Vasqucs csecular
a graciosa scena cmica :
i mEM.
Terminar o espectculo com a comedia em um
acln:
011! QUE APIROS!
0 \0I\0 El. MAMAS DE CAMISA.
CASSINO POPULAR
MAGESTOSO SALO
no
PALACETE DA RA DA PRAIA.
Qnrla-rfira 29, ili u> San-Pedr.
Nestedia liaver baile, o sern iuvidados lodosos
meios, .-iliiii deque reinos boa ordom e harmona
que sempre lem sido observada uo baile Cassiuo
A orilieslra ueste dia execular alero de nutras 3
linda qnadrilba probidade dos Caixeiros, e a no-
va quadnlha intitulada 29 011 Honra o Cloria. De
P* .
I'01 lido o seguinle .
EXPEDIENTE.
Urna inforinacao do fiscal de Santo Antonio, di-
zendoser verdadu haver Luiz Teixeira Guimores
acabado com o ostaneleeimenio que. tinha na ra
da Paz, desde o lempo que menciona em sua pet-
eo, peta que Ihe pareca justo a eliminacoo que
roquor da cellecta ao mesmo estabeleciienlo.
Mandnu-se eliminar.
Oulra do fiscal de S. Jos, informando.que Ma-
uocl Joaquim Nnncs Beiro est no caso de obter
a licenea que requer para eslabelncer padarii na
ra Imperial, casa 11. 161, por ficar esla em lugar
designado pelas posturas para siluarao de taes fa-
bricas. Deferio-se.
Oulra do mesmo, nao se oppondo a que Joao Bap-
lisla Fragoso deniula o segundo ondar e solo do
sobrado desaprumado, na ra dos Acouguinhos 11.
62, reduzindo um s andar, comlantu que dobre
os o loes, que so singedlos. Ouc voliasse so fis-
cal para declarar se o desapruino das paredes dos
Oiloes de alto haixn ql a sspsls,
Oniradollsc.il da Vanea, commuuicando quo a
estrada nova daqnella iregnezia se acha quasi in-
transitovel por lerem as ltimos chuvas a arrum-
bado no lugar junta da bomba, prxima povoa-
cao, acbando-sc tambem a mesma bomba arruina-
da. Mandou-se communicar no engenheiro, para,
enlendendn-sc com o arrcinalautn da estrada, pro-
videnciar sobro os scus reparos.
O Sr. Franca fez o seguinle requermenlo, que foi
mandado remoller rommisso de poderes, para
rever a materia delle, c propor a medida conve-
niente.
l'roponho qi;o esla cmara, de ora em dioule,
no conceda licenea parase levanlarem lelheirosou
barracoes de madeira, anda mesmo recolhidos dos
alnliamenlos das na, emquanlo as frentes uo os-
tiverem muradas na forma das posturas em vigor.
Ououdo quolquer prnprielario requerer licenea para
levantar lelheiros poro recolber maierioes* s se
Ih'a aever conceder depois de obtida tambem li-
cenea pora edillcaco do predio que pretenda fa-
zer o competente cordeaeo, e pagos os respectivos
diroilos municipaes, assi'giiando alui disso termo
pelo quol se obligue a demolir, ou ver demolir
taes lelheiros, se um aneo depois de levantados nao
liver principiado o predio.Franca.
Hespochorom-se as policoes de Antonio Jnsc Al-
ves de \.....rim, de Amonio Luiz Teixeira ; elevan-
tou-se a sesso.
Eu Manoel ferrcira Accioli, secretario a escre-
vl-llego e Albuguerquc, presidente. Franca.
Higo. barata de Almeida. Oliteira. Pinto.
A noiie esleve nublada de aguaceiros,
ESE, veo para o terral e assim amanhereu.
Observatorio da arsenal de marinha 25 de junho
de 1859.
Viesas jimob
Declara^oes.
BISl'ADO DEPERNAMBICO.
S. Esc. Rvm.'' manda declarar que no dio 29
correnle concede indulgencia plenoria a todas
pessoas que depois de se haveieni coiifessidn
cnnimuiigadn, assislirem missa da fesiividade d
glorioso principe dos apostlos, no i'.m da qoi
pretende o roesnm Etna. Sr. dar a beneao papa
Palacio da Soledade 25 de junho de 1859.o prol-
visor, Francisco Jos Tavares da Gama.
=_0 conselho administrativo do patrimonio do 1
orbaos lem de rnuliunar a por em basta publica
na sala de suas sessoes no dia 28 do correan), a ren
da das cosas do mesmo patrimonio,abaixo menciona
das, por lempo de um a tres annos, que tem di
decorrerdol." de.julho proximn futuro, segundo c
que dispocm os arls. 28 e 29 dos estatutos em visor
a saber :
Ns.
Ra do Vigario.
71 Casa de sobrado de tres andares.
Ra da Sensata Velha.
79Casa de sobrado de dous andares.
SO dem idem.
Fura de' Purlas.
91Casa terrea.
93-Idem.
98dem.
Sitios.
2Dila na estrada do l'ainanieirim.
3 Hilo dito do Rosarinho.
Os licuantes hajam de comparecer com seus fia-
dores na sala das soci.oes do miismn 1 onselhn, s
11 luirs da manaes do mencionado dia 28 do cor-
renle.
tu uu**a^ -i-onea -.._ &0^\wM*mrmm.
cambio ao par.
Manteiga-----------Vendeu-se alguma da ingleza de
600 a 700 rs. por libra, no ha-
vendo venda da francesa. Pica-
ram em ser 1500 barris.
Maesas -----------dem a 10$5U0.
Oleo de linhaca- dem de lo7tKa I98OO por gala.
Oin-ijos--------------dem de UfiOO a 1S90II cada um.
Vinagre o dejiriineira quolidode veudeu-
se a \\% por pina.
Viilhos-------------O de Lisboa vendeu-se de 230$ a
26itJ per pipa.
Descont----------O rebate de letlras regulou de 8
a 18 por ceulo ao anuo.
Freles--------------De lustro para Liverpool a 17/6.
Pauta das .ppocos carrales do assucar
algodo e nais gneros e produc-
focs nacionaes
quesedespneham pela mesa do consu-
lado de Pernambuco na
semana deil de ttn/10,0 idejUIho de 1859.
Secretariado cnnsHIio administrativo do palri-
W1......<' ar. .1,. |i,. ,!-, |t, 1-;.,
r cente 1
cnnl'ormidadc com o rogutameolo approvado pel
Illin.Sr Dr. cliefe de polica obsoliilamentepro-
hibido o ingresso as pessoas que nao se apresenla-
reni com a devida decencia, e com aunas prohibi-
das. Os corlees de ingresso estarn a venda no lo
gar do coslume, para homens 2} a damos gratis
nevera principiar s 8 horas e terminar s 2 da
mauliaa.
PlLICACAO LITTERAI.1A.
Acha-se venda na livraria n. 6 e 8 da praca da
Independencia o 1. votame da
COROGRAPHIA
histrica, chronographica. genealgica, nobiliaria o
poltica do imperio do Brasil, conlendo noces his-
tricas e polticas, a cumecar do descobrimenlo da
America e particularmente "do Brasil, o lempo em
que foram pomadas as suas dilferenles cidades,
villas e lugares ; seus governadores, e a nrgem das
diversas familias brasileiras o seas appellidos,e\lra-
hda de amigos manuscriplns histricos e geneal-
gicos, que em iras dtrerenles se poderao obler : os
tratados, as bullas, cartas regias, ele. etc. a historia
des ministerios, sua poltica, e cores com que SO-
pareceram ; a historia das assombleas temporaria e
vitalicia, c tambem urna exposicao da historia da
independencia, escripia e enmprvada com docu-
mentos inedictos, e por leslemunhas oceulares que
anda reslam, o dns outros inovimenlos pnlilicos :
d^senpeo geogr.iphica, viagcns, a histeria das mi-
nas e quinlo do 011ro ele. etc. am deque se tenho
um coiihecimenln exacto nao s da geegraphia do
Brasil, como da sua historia civil e poltica ; pelo
Dr. Mello Moraes [A. I. de 1, pelo proco de 4gll00.
Breve deve chegar do Rio de Janeiro o segundo vo-
lunte.
de Saolo Antonio n. H'-C. de 011ro e prata em obra,
lamben) ser vendido se quizerem mnbilias, lourn
etc., lerc.-i-feira 28 do crrenle
nonio.
ae meio dia em
LE1LA0
Quinta-fcira 30 do coi-rente.
O AGENTE
lar lelio no dia cima designado cm se arma-
' ni rus do r.niiegio n. 13 a 10 horas cm ponto do
seguinle obras do marcincria, louca, vidros, crys-
toes, miro, prata, e oulros muitos objeclos de gos-
lo queestarao ptenlos, cuja vonda se eftecluar
sem reservo de pre>;o algum.
Leilao
Transferencia para
27 do eorrente.
Saunders Brolhers & C, nao podendn reolisor o
sen leilao de grande soi limento da mais bella por-
eode porcelanos finos, e vidrns de varios qnoiida-
des, por causo da chuva do da 22, transferirn! o
mismo leilao, que lera lugar por interrenroo do
preposlo do agente Olivcira. na segunda-(eii27 do
correnle, lis 10 horas da manha, no sen amasen
arao do Corpo Sanio.
Avisos diversos.
= Duero tiver emitas com o capitn Coller quei-
ra npresenta-las na ra do Trapiche n. 8 para seren
pagas islo no prazo de 3 dias.
=-- 0 abaixo assignado leudo despedido de sua
coso no dia 56 de mott do correnle annn, a seu
discpulo Joaquim Alejandrino L.-ineca, previne aos
senhores que Ihe fazem o favor de Sever, que uo
pagiiem conta alguma a esse senhor Recife 25 de
junho de 1859.Antonio Joaquim de Sanf Anua.
, Aluga-se o andar terreo da casa n... da na
-Nova : trata-se na ra da Cruz n. 45, escriplorio.
= A mesa regedora da irmandade do apostlo
s. I'eiiro desta cidade, faz sentte ao respeilavel
publico, que no dio 20 do correnle celebrar com
toda a solemuidade a (asta do glorioso S. Pedro
com vesperas, fosla e Te-Deum, ulliciaudo na fesUi
com missa nova o Rvmd. Sr. Jos llaymuiid
Baplisla. Ser o orador do F.vaugelhn o Rvmd. Sr.
conego Joaquim Ferrcira dos Sanios, e do l'e-lleum
o Rvd. Sr. coadjulor da freguezia de S. Fre Pedro
Concalves, Antonio Manoel d'Assiimpco, e nn tlm
da missa S. lixc. Rvm.* dar a bcne'o papal.O
escrivao, padre Manoel Adriano d Albuqaerqne
Mello.
Xo da 28 depois da audiencia do Sr. juiz do
paz do Recife," se ha du arrematar em praca coni-
mnda, cama de arin.iiao, marqueza, mesa'grande,
mesa pequea e oratorio, pcnborados a Domingos
Marlins dos Santos.
Precisa-se de urna senhora de bons Ibstnmcs
para nina casa de pouca familia, para nservicode
porlas a dentro : a Iralar na na do l.ivrameplo nu-
mero 9.
PONTE DOS CaRYaLHOS
O Sr. FeUciauo do llego Bar-
ros, tem nma carta em casa de
Jos Duarte das Nev.es.
i-i.'S^SaaaTnB
Pulilicacao litteraria.
O CASAMENTO CIVIL
0 CASAMENTO RELIGIOSO.
lAiinit'ila proposla do cr,ovci-no aprc-|
scnlada cmnara dos depulados na;
Correspondencias.
Sr>. redactores.Acaba de apparecer um facto
nesta cidade da Victoria, que repugna a sua narra-
cao, visto que na idade dos meus sessenla jonei-
ros como matulo que sou anda nao vi (al, c como
nunca eserevesse para o publico, e vivendo muiln
relrado dos rebolicos desla cidade, e por no ler a
capocidade precisa para tal fim. vejo-mo toreado
a uarra-lo romo passo.
Ezisle nesta cidade da Victoria um homem de
pouca mnralidade, qua por divertimenlo, ou o que
querque seja atirou para o quintal do visinhocom
urna perna de gallinha em pulrefarcao, e islo deu
lugar a ser recambiada a remessa e a argumenta-
cies etc., mas em lugar de acabar-se este incidente,
appareceu o desmoralisado em juizo dando urna
denuncia com a senhura du agredido, o o mais ,
que obteve a pronuncia contra a senhora dooJTen-
dido, jurando no processo al meninos.
Consta-Ble que o marido da mesma senhora vai
recorrer para o integro juiz de direito da comarca, a
qnem este pobre malulo com os sessenta janeiros
como dsse muilo confia na recia juslica desse dig-
iio magistrado de nao consentir que una mi aillic-
to com urna lilha moca, utna sobrinha e mais lilhos,
va pararem urna masmnrra, e porque, pnrum ho-
mem i inmoral que nao se peija de viver deshones-
tamente.
Sim, senhores redactores, se esse homem tives-
se lilhos, egoubesseo que era mi, a sua ousadia
nao chegaria a tanto. Agora passare a fazer os
meus rogos ou integro juiz de direilo, a quem vai
Eender a sorle dessa infeliz senhura, que atienda
em o ejemplo que nesla cidade apparere, desta
mi afilela parar na masmorra, e que quolquer lio-
mmti > ,r <. i ni i i I a ...... ., .1 nnJ>ial lA..^^___x_ J-
Assucar branco......
dem mascavado.....
Algodo em pluma 1.* sorle. .
dem idem 2.* dila. .
dem idem U.* dita ....
dem ero carneo.....
Agurdente al'cpol ou espirita
de agurdenle .....
dem catara.......
dem de cana. ...;..
Idem genebra.......
Idem dem.......
dem licor.......
Ideai idem........
dem n'stileda edn reino. .
Arroz pilado.......
dem com casra.....
Aziite de mamona.....
dem de mendnin e de cuco.
Idem de peixe......
Aves araras.........
dem papagains......
Idem perequilos.....
Rolachas........
Biscoilos........
Cacao .........
Cachimbos.......
Laf en grao bom.....
dem idem reslolbo ....
dem idem com casca. .
dem moide.......
Carne secca .......
Cera de carnauba em pu .
dem idem em velas ....
Charutos bons ......
dem ordinarios.....
dem regala e primor. .
focos seceos.......
f euros de bei salgados. .
Idem idem seceos u espichados
dem idem verdes.....
dem de onra......
dem de cabra Curtidos .
dem de carnciro ideal .
Doces de calda......
dem de Guiaba. .
ldeiu seceos.......
dem de jeleia ......
Espanadores grandes '.
dem pequeos......
Esleirs de preperi.....
Ksloupa nacional.....
Idem eslrangeira (man d'ubra).
Farinba de Aramia ....
dem de mandioca.....
dem de milho......
Feijo.........
Fumo em rolo bom ....
Idem idem ordinario ....
dem em folln bom .
Idem idem ordinario ....
dem idem reslolho.....
Cengibre........
liumiua (2 arrobas).....
Ipecacuauha ......
Loaba em achas grandes. .
dem idem pequeas....
dem em loros
arroba
s



>
caada
botija
caada
garrafa
caada
arroba
alquMre
caada


nma
u m

arroba
milheiro
arroba


cenlo


libra
mero corrompido, o immoral poder laucar roo do if,J". '' V-
lei para injuriar a oualouer senhora anula e i Madura pranchees de amarellu
lei para injuriar a qualquer senhora casada, o ai
de militas que por punir por seu marido que a sorle
que lera ser ....
Aqui paro por esta vez, e creio que na a vaneada
idade em que me ocho, sempre me lembrore que
os filhos desnaturados don para ludo.
Rogo-lhes 9rs. redaclores, se dignein publicar
essas toscas linhas do pobre malulo que quanlo mais
vive mais aprende.
COJIMERCIO.
PRACA 00 RECIPE 25 DE JUNHOIIE 1859.
AS TRES HORAS DA TARDE. *
Colsces oIRciacs. 7
Descont de letras8 por cenlo ao anuo.
Assucar mascavado purgado2/650 por arroba,
rred. Robilliard, presidente.
de dous custados.
dem idem de louro ....
dem tahuas de costado de ama-
relio de 35 a 40 p. de c. e 2
1/2 a 3 de largura ....
dem idem dito de dito uzuaes.
dem idem custadinho de dito.
dem dem soalho de dito. .
dem ide.ro forro de dito. .
dem idem costado de louro .
dem idem cosladinho de dito.
dem idem soalho de dito .
dem idem ferro de dito .
dem idem dito de cedro. .
dem toros de lalajuba .
Idein varas de pereira. .
dem varas aguilhadas .
dem quiriz.......
libra
um

urna
arroba

*
alqueire
arrobo
alqueire
arroba




alqueire
arroba
cenlo

um




quintal
duzia
3S600
28360
7$00
7SI00
7SIKHI
1S950
500
32(1
360
fin
210
610
2X11
720
38IMMI
3J500
isooo
1-1000
1SI2II
12J000
3p00
1 SIMIO
Hgrfm
70O0
5S500
4,*>00
6.SII00
4$ 100
ISOOO
98600
S5IMI
10S00U
13gO(Ml
2*000
800
2S500
3S000
260
280
160
lfMIWp
350
350
500
400
1SOO0
800
38200
1 SIMIO
300
18600
18000
38000
3J2IHI
28 88000
12S0O0
OjOOO
l.KlKKI
9$tMM)
780(10
(8000
5glHM)
32SOOII
28500
1g000
128000
308000
128000
458000
aujOOQ
128000
KljfKIO
58000
lll.SIHIII
88IMM)
68IMN)
38IKMI
48000
18280
1H00
1892U
18280
Conselho de compras naues.
Em addilamento oo annuncio dotado de hoje
acerca do aequisieo de diversos objei los do mate-
rial, foz-se mais publico que o conselho contratar
eni sesso de 27 do correnle. avisto tambero de pro-
postas apresenlados ueste mesmo dio al as 11 lio-
ras da manliaa, os serviros de barbeirn a enferma-
ra de uiarinlia por lempo de um anuo. Iludo no
ultimo dejunbn prximo, e o fernceimenlo no Iri-
nieslro de julho a selembro, lombero prximo, de
mamullemos e outros objeclos para consumo dos
navios da armada, e eslabelecimentos de marinho,
sendo arroz do Marauhao, agurdente, assucar bran-
co grosso, azeile doce de Lisboa, bacalho, bolacha,
carne secca, cangica, carne verde, caf em grao,
farinha de mandioca, feijo, manteiga, niattc, po,
toucinho de Lisboa, vinagre dito, velas de carnauba
e velas slcarnos, porra cftecliiados os contratos
do i'nrii.-cimento de manlimentos e pulros objeclos,
sobas clausulas declaradas em dilo annuncio e dos
servi;os de barbeiro enfermara de marinha, de
forma semcllianlo as mesmas clausulas, como do
contraanle dar Mador ao contrato, pagar a mulla
de 50 por cenlo do valer de cadoservieo, caso no
o preste logo que se exija, c ficar-lhe cargo o cx-
cesso que haja, conceruente ao valor, ou preco, se,
pela falla, recorra-so a oulro. Sala do conselho de
compras navaes de Peruambuco 15 de junho de
1859.^0 secretario,
Alejandre Uodrigues dos Anjos.
Conselho administrativo.
O consemo administrativo, para fornecimento do
arsenal de guerra, lem de contratar OS objeclos se-
guinles, para o rancho da cumpanhia de aprendizes
menores do mesmo arsenal, druante os deus mezes
de julho c agosto :
Pes de 4 ancas, bolachas, cha hyson, manteiga
franceza, caf em gro, assucar refinado, carne ver-
de, dila secca. farinha da Ierra, toucinho de Lis-
boa, vinagre de dila, azeite de dila, arroz do Slora-
nho, bacalho, feijo prelo ou mulolinho.
yuein qui/.ercontratar taes objeclos aprsenteos
suas aropostas em caria fechada na secretaria do
conseilio s 10 horas do uiauha do dia 28 do cr-
renle mez.
Sala das sessoes do consclho administrativo para
forneciniento do arsenal de guerra 20 de junho de
1859.liento Jos Lamenha Lins, coronel presi-
dente. Francisco Joaquim Pereira Lobo, coronel
vunal secretario interino.
tatalhio de infantera n. O.
Tendo o conselho econmico do mesmo b.ilalho
de arrematar para as pracns arranchadas du-
ranle o segundo semestre do correnle anuo os
gneros alimenticios abaito mencionados, con-
vida aos Srs uegociantes que se queiram pres-
tar a isso, a coiiipare ci.-in na respectiva secreta-
ra no .lia 28 pelas 10 horas da manha com suas
proposlas em carias fechadas ; adverlindo-se porem
que os gneros devero ser dos da roelhur qualida-
do do mercado : arroz pilado, assucar branco ou
mascavado refinado, azeile doce, bacalho, caf em
carero, carne secca, dita verde, farinha de mandio-
ca, feijo, lenha, manteiga, pes de 6 o 4 oucas, sal,
loui-inho, e vinagre.
(Juartel na Soledade 17 de junho de 1859.O le-
uente-secreiario, Josf Francisco de Moraes e Va*-
concellos.
Capitana do porto
Pela capitana do porto desla provincia se faz
publico o aviso infra, que veta commumeado da
capitana do porto da provincia do Haranbo.
Deordem do Sr. capilo do porlo foz-se publi-
co novecoean, achar-se o edificio do pharol de
Sanl'Anna em estado de ruina proveniente de um
desinoronanienlo que ltimamente soffreu no can-
to de leste ; e pudendo um oulro impossibilila-lo
de momento de poder continuar a sua llumiiiacao,
antes que a comuiisso encarregada de o examinar
possa indicar ou dar as necessarias providencias,
previue-se as embarcacoes que demandarem este
porlo, para que lenham toda a cautela as proxi-
midades daquelle lugar, 6 no expouham-se a
qualquer sinistro. Secretaria da capitana do por-
to do Marauho 3 de junho de 1859. = Uaymundo
Ildefonso de Suuza tarradas, secretario.
Capitana do porlo de I'ernambuco 18 de junho
de 1859.
\inio passado.
Hit. BRAZ FLOREXTIXO H. DE S01ZA.1
| Lente ca Hiedra tico da fnculdade
de direilo do Reate.
;$ Sabio luz, esta iiileressanle piibliraco e R
^ acha-se a venda as liirarias do Nogueira de S
g Son/a i C, junto so arco de Sanio Antonio, j|
ij e Olivcira e Cuimares na esquina do ra do
g Collego .
Avisos maritimos.
THEATRO
DE
Santa Isabel.
EHPRI>/A-GKR1IA\0,
Recita extraordinaria livre da
assiiiiatun
0UARTA-KE1RA 29 DE JNI|0 DE 1859.
S 4 1,2 HORAS U.V I Vll-I'..
Subir scena o novo drama original em Ires
actas :
REALCOMPANHIA
DE
tii|iietes inglezes a vapor.
Ale o dia 29 deste mez espera-s da Kuropa um
dos vapores desla cumpanhia, o qual depois da de-
mora do coslume seguir para o Kiu de Janeiro lo-
cando na llalna, para passogens etc. Irola-se com
es agentes Adamson, llowe i C.ra do Trapiche
Novo n. 42.
Lisboa.
Vai sabir com umita brevidade o brigue porlu-
guez Suphia :. para carga c passagaims, irola-se
com f.arvolho Nogueira ai C, ra da Cruz n. 40,
primeiro andar, uu coro o capilao na praca.
yara a Bahia.
O patacho nacional Tonta Aurora pretende se-
guir nesles dias, tem dous tercos do seu carrega-
iiieuto a bordo : para o reslo que Ihe falla, trata-
se com o seu consignatario Antonio I.uiz de Olivci-
ra Azevedo, no seu escriplorio ra da Cruz n. 1.
Para a Bahia.
A veleira e bem conhecida escuna nacional cCar-
loln pretende seguir coro umita brevidade, tem
parle de seu carrcgamenlo prompto : pac o resto
que Ihe falla, Irala-se com o seu consignatario An-
tonio I.uiz de Olivcira Azevedo, no seu escriplorio
ra da Cruz o. 1.
. Joaniia Amaneio da Silva Csta73a^|
noel Kstanisto da Costa e Joo Jos Rodri-
5ucs Mendos, ogradecem cordalmcule a to- ;
as as pessoas que se dignaron! honrar coui j
sua presenca s exequias felaa a seu muilo-1
presado marido, pai e sogro Francisco Esta-
nislao da Costo, obsequio esto que nunca ja-
mis dei varan de reconliecer.
icen bu na
Trospossa-se a renda de un ehge'ulio na fre-
Suezia deS. Lourenco da Mallo,'com dos safras a
lindar, vendendo-se a safra presente com desosis
animaos de ruda, lachas e mais utensilios que loro o
rendeiro, a dinheiro ou a prazo: quero quizeran-
nuncio para ser procurado.
Precisa-se 4:0008000 a juros, dando-so de ga-
ranti uni pnreoo de escraros criolitas mocos, por
nma csrriplura"d,c hvpotheca, o ufTerecc-se ao mes-
mo lempo a comnusso da venda de assucar de
urna, duasc Ires safras de uro engeuhe porlo desla
praca a pessoa, que der com Ires por cenlo de ven-
Ju 10 do iulk* "* r^"*~^ NO UIB 15 di orr-rttr Aa I htirai do ^oitl*,
-- fugio do roa de H.irt.is, acompanhando seu senhor,"
a muala rlorinda, com os signaos seguinles : n'ir
de conella, grvida de 6 mezes, estatura regular,
cabellos crespos, e corlados redondo, oariz afilado!
denles limados, com nma queimodura em urna das
mos, levon vestido deJttras com palmas encar-
nadas, chales tambero de listrasj debolado, levuu
mais um rnpo escuro de lisiras, um chales encar-
nado usado, e nina cubera de cinta, Illha do Ca-
ruor, de donde veio o tai vendida a Madama Rosa,
a quem seu presente senhor a comprou : roga s
as autoridades policaesc caoilesde campo a cap-
treme levem-o a rua Augusta casa de Joaquim
Francisen de Albuquerque Santiago, que serlo ge-
nerosamente recompensados.
Pn'Cisa-sc alugar urna ama forra ou captiva,
que saiba cosinhar e ensabopr: na rua Bolla n. 38.
Attenco.
a
Dcsappareceu do abaixo assignadn um eavallo
ruco, puch.iiido a rodado, que olera de nutras mar-
cas tem em cima ds anca dircta o ferro seguiole :
Solidoe como jiilga-se feriado dito carallo,
rogase os autoridades policiaca e qualquer pessoa
que delle tiver noticia, o fafanpprehender e levar
ao abaixo assignado, oue sern bem recompensa-
dos : oulro sim. previno-s; de novo ao rspeitarol
publico, que loes cavallos so innegocoveis como
po' vezes se lem feito ver petas jorliaes. Engenho
Solido no freguezia de Agua l'reta 30 de uioio de
1859.Pedro Hiliano da Siheira Lesea.
Martjr H. Manrtel da Paciencia, erer-
to na igreja do Treo.
Os enesrregodos da fesla do mesmo saqta, no
deudo liopnloeni, 2G do corrento,-festejar o seu p.i
droeiro por nao lerem recebido a matar parle das
esniolas, fazem ver o seus devotos que tico trans-
ferida para o da 17 de julho; e os encarregados
pedemaos devotos que conebrram cor as suas es-
molas para um arlo to religioso ; assegnrando-
Ihes que o programma da, test sar annunciado por
este icario.=0 encarregado da fesla,
Josf Chnspiniano da Silva.
Trecisa-se fallar ao Sr. Antonio Julio de Mi-
randa e Oliveiro, que morou na rua de S. Cunalo,
casa n. 29, ou ao Sr A., que du o nome do mes-
mo Sr. Julio em lugar do seu : na livrariJ da praca
da Independencia ns. 6 e 8.
GABINETE POBJUGUEZ
DE
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAOUETES 4 VAPOR-
Cm dos vapores desta rnmponliia espera-se dns
tonrtos do sul em seguimeuto ansdo norte aleo da
30 do correnle mez.
Rerehc-se desde ja passageiros, frete de dinheiro
je encommendas c engaja-se a carga que o vapor
poder conduzir, sendo ns volamos despachados
~oni antecedencia al vespera de sua chegada :
igcncia rua de Trapiche n. 40.
Para o Aracaty.
O hiato Correio do Norte segu uestes dias, re-
cebe careo e passageiros : a Iralar com Caetano f.v-
Haco da fosla Moreira, no lado do Corpo Santo
n. 25.
PARA O RIO DE JANEIRO
legue com brevidade o brigue brasileiro Puritano:
ara carga e passageiros a tratar na rua da Cruz
54. .
= Para Lisboa sobe coro brevidade, por terpar-
e da cargo prompto, o brigue porluguez I.aia III,
apilan Jos Jouuorio da Costa : pora o mais da
i arga e passageiros, para u que tem os melhores
rnroinodos: a fallar coro os seus consignatarios
'raucisco Severiano Ilabello i Filho, ou com o
* apilo.
Leiles.


PELO AGENTE
HYPPOLITO
ara leilao em seu armazem sito na rua da Cadeia
----- ^r*
Acha-se vago o lugar de guarda da bibltathoca
do Uabuietc l'ortuguez de l.eitura : quem se julgor
com as devidas liabilitacoes, queira apresentar a
sua proposla direcloria! SecrelArp do GUaeie
Porluguez de Leituro enj Peroamluico 23 de jiinho
de 185.dtO 2." secretario, ^osc F. Barrotte.
Aviso
a todos os freguezes e mais pessoas que gosloni do
pao de senteio, que contina haver todas ss quar-
las-feras c sabbados, na padoria em Saulo Autam,
e uo aterro da Boa- Via, taberna n. 2, das 11 bo-
ros em dianje : na mesma padaria precisa-se de
uro eauiro e um amassador.
= Na rua da l'raia, casan. 70, engomma-so coa
aceta e proroptidio.
Aluga-se um sitia no lugar do Parnsraeirim,
e tambero se vende : a listar na rua do (Juciinado
u. 18, segunda taja viudo do Rosario.
=: Avisa-se a pessoa que emprabou um retalio
em 2:1 de maio prximo passado na taberna u. 14,
sita na rua Dircta desla (reguezia de Santo Anto-
nio, pola quaniia de lOj, o vcuha buscar al o dia
i do mez de julho, e nao o vindo perder o direilo
que uelle tero, ou ser chaado a juizo.
Precisa-se de urna ama para casa de pouca
familia, islo de duas pessoas ; a tratar em (lita-
da, casa por cima da bica de S. Pedro, ou na rua da
Cadeia do Recife, qqarto andar do sobrado a. 4. -
Aluga-se urna escrava mora que saiba cozi-
nhar e eugommar com perfeicn : quera a lirer an-
iium-ie ou dirija-se Olinda, casa por cima da bica
de S. Pedro, ou ru da Cadeia do Recife, quarlo
andor do sobrado n. 4.
Na terca -leira, 21 do correle, fugio um es-
cravo de nome Antonio, por antonomasia, Camba-
do, croulo, idade de 20 annos, sito, eorpolenlo,
costuma a liabalhar no caes da alfaudega : quem
o capturar, entregue-n a sua senhora, residente no
sobrado n. 19 da travessa do Azeite de Peixe.
= Fugio do engenho Barbalho, freguezia do Ca-
bo, o escravo de nome Antonio, appellidado chato
por ler o nariz chato, curio de corpo, cara largo,
pes largos, lallando-lhe alguns denles na (reate e
ira/, a cabera rapada : quem o sppreheuder, diri-
jo se oo referido engenho, ou rua do Hospicio
n. 3, ou rus di Cadeia do Recife n. ID, qoe ser
generosamente gratificado.
= Preci3a-se de um caixeiro para urna taberna
em Santo Amaro de Jaboalao : a tratar na rua do
Queimado n. 46 A.
= Amonta Rodrigues Pinto vai a Portugal tra-
tar da sua sade.
= Aluga-se una croulinha para o servico de
urna casa de familia : na rua da Praia n. 43, se-
gundo andar.
r-

i
.-I
I
':
*
nidl


CONSULTORIO
Diario de Pernamburo Segunda feira 27 de Junho de 1859.
DO
Dr. P. A. ftoiio Moscos.
3 RA 111 GLORIA, CASA O 11 \l>O 3
Clnica not ambos os sy.-femas.
O Dr. Lobo Hoscoso d consullas todos os (fias pola manha ej tarde depois de 4 horas. Con-
trata partidos para curar annualmente nao so para a cidade como pai ,s engcnlios ou outras proorie-
dados ruraes. u r v
Os cliamados devem sor dirigidos i sua casa al as 10 horas dtnianha e em caso do urgencia
a oulra qnalquiT hora do dia ou da noite sendo por uscripto em que > 'celare o nomo da pessoa o da
rua e o numero da caa.
Nos casos ijue nao forem de urgencia, as pessoas residentes ni..jSrrn do Recife podorn remol-
ler seus lu heles a botica do Sr. Joo Sounn & C. na ra da Cruz ou '*i de livros do Sr. Jos Noguei-
ra do Souzi na ra do Crespo an pe da ponte vellia.
Nesia toja o na rasa do annnnciaule achar-se-ha eoiistaulcme. os melhores medicamcnlos
honioopallii os ja bom condecidos e pelos preoos seguimos: ;.
Bolica do t tubos grandes........... 10<000
Ditos de 24 dilos............|< 15$000
Ditos de 3C (titos........'. 20$()90
Dito de 48 dilos............... 251000
Rua larga do Rosario n. 32.
O donodesle estabelecimenlo avisa ao publico o a sous amigos o fregueses qns lem do novo pre-
parado o son amigo deposito do charutos finos cora um varia.lu sorlimento das mais acreditadas mar-
eas de charutos que vem a este morcado, assim como diversas qualidades do cigarros chegados pro-
cimaroenle do flio de Janeiro, sendo cigarros bota-fngn, dilos do papel pardo, ditos do palha >ln milho
de diversos lmannos, papel de lililao para cigarros oom fumo propino, fuiun franco/, para caximho ou
cigarros, [uni em olha para relalho e em porro, phosphprode cora e de gaz, minios para caixa de
por comniudo proco dinheiro a vista.
xharulos, papel de cores: lodos osles gneros vendo-se

\
^

Dilos de 60 dilos.
Tubos avulsos cada um.
Frascos de linduras. .......... .\ .
Manoal de medicina homcopalhica polo Dr. Jab IradiSlo
em portuguez enm o diccionario dos termos de a' .-
cia, cirurgia ele. ele..........\ii .
Medicina domestica do Dr. Hering r,nm n*inrio *
Reperlorio do Dr. Mello Bloraes.
com diccionario.
mijooii
1,non
251)00
aoooo
OJOIK)
osmio
Ao grande armaien.
*m
n. 49, junio da Conccifao dn Militares,
Neslariuazem encontrar o publico um grande e variado snrlimoj i do roupas taitas U
para bointi, rapazese mininos de 5a 14 anqos, fardamenlos para a giJW nacional e pri-
iiteira. linli. becas para dnsembargadores ejuizes miiuiripaes e do diieito, i Us para criados o
vestidos pa montara, nao agradando ao comprador alguma das roupas La so aproiaptar
oulra aseigoslocom toda a preste/a, para o que lem escolliidos e habcil dici.ies, c grande
;j\ somtentele panos linos, casemiras, velludos ebrios do todas as qualidai. el
Este uiillssimo estabelecimenlo acha-se, ha ponco lempo, augmentado lantn no material romo no
sen pessoal, c seus propriotarios habilitados para vencer qua'.quer opposico hostil e dospreznrom a ig-
nrame rituperoco do malevolencia. Otrercri-m a seus numerosos fregueses e ao publico om geral, as
vanlagens de sua tenga experiencia e roronhecida promptidao e fidelidade na oxecuon das obras as
mais importantes de eogenharia, entre outras pode enumera! as seguimos ; machinas de vapor de todos
oslamanbos, rodas d'agua de lodos os dimetros, todas de ferro ou para cubos de madeira, moendas
|. ni .anua todas do forro e independentes com os niellioramoiilos que a experiencia mostr ser in-
disponsavol, nefas ditas com tridos os proparos, tachas para engolillo de lodos as qualidades e. lamanhns
rodas, rodetes, aguilhies, crivos c boceas para fornalha o todas as ferragens para engenho; machinas
para amassai pao e bolacha, ditas para moer mandioca, fornos e prensas para faiinha, pontos de fono
aaldeiras, lancines, boias c todas as obras do luacliinisiiio ele, ele.
Perdeu-se nina pulseira de ouro das Cinoo-
Ponlas al os Afogados : a pessoa que a achon, que-
rendo rostilni-la levo-a as t'.inco-Ponlas n. 118, que
ser gratilicado'gonorosamcnlo.
Elisio de borilo do patacho nacional Tinrr
um eseravo por nomo Jnaquim, do 40 annos de
de, pnuro mais ou menos, natural da Cosa do
as, rosto redondo e riscado, estatura baixa e ,,;-
forcada. masca fumo o embebeda-se ; traja calca e ? '"'T '"' lodM os dias u,eis-
camisa de ganga azul, usadas o barrlo: quemo !?&%&.??,comlM"nlcolljB genr0 bacIlel
pegar leve-o a bordo do mesmo patacho, no anco- I JTJ ChI *""* C "el
radonro da Carne Serta, ou ra da Cadoia do Re- ,la!" '"Io P8ra er,n,e! re, nrphaos. e eom-
cifen. 12. escriplorio de Bailar & Oliveira. nue ^''-^ ^eseu presumo a todos que delle se
se, i gratificado/ I" ulilisar
= Precisa-se de urna ama sem filho, que tenha JS?2?5?S!?!j! na t"^,op.;, ^^l^cialmor.te do
bom e abundante leite. para criar um menino de 5' S 1- dlr'.' conin"'rilal- ":[" lodaa logislacao
_ dos paizes estrangeirose. os mellinrcs expositores.
scriplorio de advogacia.
abaixo ossignado leudo fiado definiivamenie
ida- s"a 'e*''*nc'a nesla cidade,lem escriplorio de ad-
Hi_ vogacia na roa do Collegto n. 17 primeiro andar,
onde pode ser procurado das 9 horas da nianba as
paga-se bem : na roa do Hospicio, defron-
ledoCollegio de N. S. do Bom
Os abaixo assignados tai
Conselho.
scienle
Advogam gratis em favor dos puliros.
ti escriplorio esta organisado de modo que pode
iiikii iies, i j,.^_i ,
Decife -22 de junho do. 189. Francisco J. Concia !?' ?a,l"s ?' t'r"uos na casa da sua
ca na ra da matriz da l!oa-\ i
feilas pela mosma lirma al o dia 19 de maio ulli-
nio, e dosta dala em dianle Ora a dita toja gyrando ,
nicamente nado Francisco Marques Cuimaries.
do 1859. Prancis
Marques, Francisco Marques Guimares.
Adiado.
Desappareceii do porto das canoas da ra Nova,
nina canoa iberia, que se achaca em concert no
eslaleiro que fica ao lado da casa de dolemao : ajji
quem a livor ou dor noticia onde se aclia, ser ge- ;"
ncrosamentc recompensado, no paleo do
sobrado n. 9, primeiro andar.
derdor.
Km casos exlraordidariosou urgentes,
loras do escriplorio, pudem ambos os
Companhia de se-
guros cquidade da
cidade do Por lo.
Agencia eiiiPi'i'nainliaco.
Hanoel Duarte Uodriguef, fnrmalmen-
te antoiisailo aceita e eli'ectua seguroi
martimos e terrestres, por conla desta
c im li.nln.i ; com as condiroes as mais ra-
zoaveis: ra do Trapiche n. 26.
100S de graliGcacao.
Fugio do engenho Trapiche do Cabo a escrava
crioula de nomo Joaquina, desde Janeiro do cr-
rante anno ; os signaos dcsla escrava sao os seguin-
les: alta, corpo reforcado, tem falta de alguns
denles na frente c una cicatriz na testa, falla mni-
lodesembaracada, pos grandes, cosluma andar do
limao e cun nina trnuxa do roiipa, iuculra-se ser
lavadeira, por diversas ve/os tem sido encontrada
na passagem da Magdalena alm da ponte grande
c em oulros lugares onde t.:u >:o encontrada :
rogam-se pois as autoridades policiaes c eapiles
de campo a apprehenrao dcsla escrava e leva-la
an seu senhoino engnho Trapicho no Cabo ou na
ra da Aurora palacete do Exm. Sr. risconde da
lloa-Visla quesera recompensado com a grafica-
ciodelOOg.
Companhia Pernamhucana.
Roo;a-se a todas as pessoas que se jul-
fjarem aeccionistat desta companliia,
(jueiram apreteotar as sitas apolicet no
escriptorio da gerencia na prac/i do Cor-
po Sauto n.-i-S, dentro do prazo de 50
diadelta data, alim deserem verillcados
coir. os livros da corapauliia para que
a direceao nao se veja toreada a por em
ortica urna das disposieoes de seus esta-
tutos sem que tenlia feio todos os e\a-
t.i es necessarios.
^p Existe por nlugar um fornn c todos os acces-
sorios do soivico de padaria : a quem convier. pro-
m
Hofeario
le
fura ilas
referidos
residen-
isla n. .'13.
llecife 11 de maio de 1839.
Dr .!)i/mio Itorqes da Foliaren.
3
Vendas.
- Vende-se urna canoa aberla deamarello, com
6 palmos de bocea, propria para conduzir capim. ou
para olaria : quem pretender, dirija-se em Fra
de Portas, no eslaleiro de Thomaz .lose das rferea.
:s Vende-so a taberna da roa dos Piros n. 28,
ilo afregue7,ida para a tena : a tratar na ra do
ario da lloa-Visla n. 58.
Vende-se ou nrrenda-sc o engenho Timb,
miente e crreme, distante da praca 4 leguas, mui-
lo hom de agua, com bous cercados e grandes si-
lio l de lavraduros, com mais de duaslegeos de ma-
ta virgem : quem quizor fazeralgum negocio, diri-
ja-*a a ra estreila do Itoserio n 20, primeiro an-
daf, que achara com quem tratar.
Borzoguins para senliora a
4#800.
Na ra da Cadeia do flecife n. 48, loja de Leite
& Irmiio, vendem-so superiores borzoguins paia
se hora a 4$800 o par.
= Vende-se una das melhores casas na fregue-
de Santo Antonio, naqnalidade de taberna : na
1 da Cadoia de Santo Antonio n. 8.
Vendem-se dous carros com os seuscompe-
ilesapparolbos, sendo um grande para dous ca-
vados, o o oiilro pequeo para um ou dous caval-
toi: quem pretender, dirija-sc ao aterro da Boa-
Vi-la n. 2, segundo andar, das 9 horas do dia al as
3 la larde.
Vende-se algodio da Babia para roupa de cs-
crivos e saceos de issucar : nico deposito na ra
d.' Cruz, escriplorio do Antonio Luiz de Oliveira
evedo.
= Vendem-se urna preta moca e sadia, a qual
ccrinha bem, e ensabna solTrivel: na loja da na
di Crespo u. 3, prxima ao arco de Santo Antonio,
di Gcilbcrme da Silva Guimares.
A 22,000 rs. cada
um.
Manteletes e visitas de grns.ienaple prcln na
rua do Crespo n. 11!, loja de Adriano & Castro.
Tpeles modernos
prjiprios para ornamento das salas, de goslo apprn-
enre no sitio do Sr. Valonea, na Passagem da Mag- I1' ados para candelabros, mangas de vidro, casli-
dalena. cai.s, porcelanas, leudo redondos o Ir
Attengo.
Lina pessoa com as babilitai oes precisas, e exe-
crada de familia, seofterece para leccionar pri-
or Antonio Hornesda Fonuea. | nieirns letras fura da cidade, principalmente para
\r .- s."\.'s"-;;\V"3':*>>:"s'-"v""'\'>!J5JP!i a'K"m engenho, cujo propriolario oceupe cargo po-
: ;."',', "." "1,l'V" "'" r.-"--"v- '""'' l""''1'"' '"''"'' '-"iibom servido de amaniieiiso
X (.OllSUlltriO CCIllral noilll'UnalllICd %& Pra il'" 'pedionle : aununcie por esle Diario.
00
no
DIl. SABINO O. L. PINHO.
'armo, yUnuade Santo Amaro (Mundo Yoco) n. fi )'-
KH Conliniiaiu as consultas e visitas do mes- v!
- Prccisa-se de una ama forra ou escrava para fri mo n,od uc d'amcs. A conlianoa que o M
zinhar e comprar : na ruada Cadc.a do Sanio K |)r. Sabino deposita na pessoa "que fica
i-i-
Antonio n. 11, entrada aolado esquerdo.
Compahiu do Beberibe.
Continua m arrematarao a arrecada-
rao des rends da companhia proceden-
tes dos chafa zes de Santo Antonio e S.
Frei Pedro (inca I ves, e ser' encerrada
em 27 do crente ao meio dia em se-
smo da mesmi companliia elleetuada se-
ffundo a baserpie vai abai\o declarada.
Bases sobris quaes se deve laucar.
Birro do Recife.
Cliafarize bic do cae da al-
fandega.
Dito da rua d.Cruz.
Dito da na dBrutn.
Dilo do Prtelo Mallos.
r,:27l.^000
Ii:7o.s7j0
o:68i.si()
2:8ils00
1S:52^500
Bairnde Sanio Antonio.
Cliafariz do paeo doCarmo. 8: i2l#000
Dito do pateo o Paraizo.
Dito do PaaseiiPublico.
Dito da rua dcBol.
Dito da rua diConcordia.
G:M ,s7.-)0
o:368$-V00
r.:l.").").i>';5a
5:l53r>-l50
para eozinhar: na
ENSINADA !;,
Ossegredos da ralligraphia di Jlgados porCuilher-
iiio Scully se vende em sua c) na rua do Hangelu.
47 sobrado, c rua do Crespo n.' livraria. Esle trata-
do o mais completo que lem pparecido sobro a
arle de calligraphia, conloni tas asregras c nina
colleccao de ejemplares aalogfphudos, apropria-
dos a habilitar qualqucr possl a adquirir perloi-
i;ao nesla arto. Aos que resiuV lora da cidade
da maior ulilidadc, pois guiolo-so qualquer pes-
soa por elle pode dispensar prcseiira de
professor. Osysloma seguido osle Halado ..
merecido a approvacao do milh\^s de'pessoas
brasil do.pie po.le o'sen autor ,-' esenlar inulto'
ii m
lem
no
i?
valiosos documentos, preoo de ..;!>' cidioceao 7ii.
N. II. Tambein para vender : moas peiiiiasdc
aro de primeira i|uaildadc. \e
Lices das 6 hora5 da ma-
nila at as OdaLoile.
SEGUNDO K l I.T1MO OSSO.
Para salisfazer ao dezejo do mu'
cupadas-durante o dia, abrir
5 DENTISTA FRANCEZ.
Paulo Gaignonx, dentista, rua das
*~ rangeiras 15. Na mesma casa
f* p denlilico.
">/ oncarrogada do seu consultorio nao ser \.:
La- ^40
lem agua e **>,
*>! IX'
4o X
Os pobres serao sempre
y initamente.*
js As correspondencias sero inderecadas m
-': r.un o subscripto ao Dr. Sabino com" au- &>|
tratados gra- ''-
w^.
' sncia ao abaixo assignado.

ut
i o <
5 6 f> 4 v; V ,
ttlttfw
pessoas oc-
novo e ulliino
25:0*5^550
Escriptorio a ndininistraoo da Com-
panhia do Bebtibe22dejnntio de 1859.
O secretario,Bartholomeu francisco
deSouza,
= Precisa-se diurna ama
rua Nova n. 8, loja.
GonsakAJves Tavaros
muden o ?eu anotan de gneros seceos da Ierra,
da rua do .ngel n.iO para a travesea da Uibeira,
irniazem que oulr'oi i do Sr. Florencio.
AIiiko-sc urna ija milito propria para qual-
quer ostabelecinioiii, o mesmo para morada, o o
segundo andar do sondada rua Imperial : quem
o pretender, dirija- na mesmo sobrado.
Precisa-se do SOOg a juros sobre hypolheca
"s ,em urna casa terrea :quin quizer, dirija-se a rua
hieila n. .'10, que sidir quem faz o negocio.
:is\u I"'. Sr. regdor do gymnasin manda de-
araA^ios pais, iirjres ou correspondentes dos
Eslabelecida em Londres
mm m mu,'
CAPITAL
Cinco roAUiv.es Ac Ubvas
cstcvVinas.
Banadera Brothers A C.'tem a honra delnrorma.
aos Srs. negociantes, propriotarios de casas, ea
quem mais convier, que estao plenamenteautorisa-
dos pela dita companhia para etfectnar .seguros so-
bre edificios de lijlo epedra, cobertos de telha e
igualmente sbreosobjectoeque coiiiivorom os moa-
moeedificios, qner consista em niobiliaou em fazen-
"das do qualquerqualidade.
SI

. -
A-i
anotldt Mallos Ttixeira Urna. ?f*
Professor em homeopalhia e Secretario ''-
do consultorio. tai
Bolica ceir! hoiucopalhica
nn. SATI1N0 O. L. PINHO. ;>;
Contina a vender-sa grande sortimento 9
," do iiioccamontos hoineopalhicos lauto em k
X'- glbulos como em Unturas.' ;~-
,- Os procos das carteiras sao os que so ';;'
r;, achara estipulados no final do lliosouro :'':
.': bomoopathico. ggj
;-' Cada tubo avulso......1SfKn r~-
S5 Cada vidro de tintura. 2^001) * ;': Thesouro homeopalhico ou vade- .rv
s.; mecum do homenpathn, obra in- >*'
roensavel a lodo pai de familias, :";
J^ viajantes etc........llsfllin ?i
-.;..'.. .-,;.,.'..-''--"',..-.,
,:\.z\,.r..r...r...:->..r.. -..-'..:'..-: r,.
Recreacao.
Previnc-se aos senhoros socios que no dia 2fi do
corrento lera lugar a segunda recita, e que pndem
mandar buscar seus burletes no llieatro de* Apollo
nos dias 27 e 2S, das 9 horas da manha s 0 da
larde.0 secretario, C.'M.
Bichas de ilimhurgo.
Amola-ae todo o ferro cortante, sangra-sc, liram-
se deules, vendem-se e alugain-se bichas de llam-
hurgo, e applicam-so ventosas : defronte da matriz
da lloa-Visla n. 60.
nangularos,
so-lidos em lmannos, por procos coininodos: na
da cadoia do Recite ii. l, esquina da Madrede
D
no engolillo
de furo era
a tratar no
r.lara.1
alumiiosXinlertios, reiopensioiiislas n externos,
que no dio 22 do cnn>ut principia o rocebimenlo
das mcnsaliobdes, corespoodente ao ;1." quortol do .
1." de jiiiho ,-iii nliiuirde setembro. Gymnasio Pro-
vinrtaldoPcrnambqnl8dciunho de 1859.0 se-
i-riftario, A. A. Cabra,
Na noilc de 15do corrente me* fugiram da
casa ilo abairo assigudo dous osnavos, sondo um
do in.me Cdslaquin,roulo, de idade 17 anuos,
altura liairi, corpo rgular, cabellos carapinhos,
olhos grandes e espadados, lem o andar um lanto
calcundn, U-rou ch^o de palha novo, camisa
branca e calca de brioinho de qnadros. eseravo
das parles do snrlao oulra do nome Marcelina ca-
curso de calligrapliia commercial. "
Os discipnlos podem receber li 5 a qualquer
hora desde as 6 da manha al as ^arua do lian-
gol n. 47 (al o primeiro do nicz] iSas :t horas da
lardale as 9 horas da noite, na r\-da Cadeia do
Berife n. 40.
l'ara ajustes devem dirigir-se unf'menle a rua
do Kangel lodos os dias, aonde al* dos inuilos
lesliiniinlios com que j lui honr.idol|'las diforon-
los anihoridadesdo Brazil, podo gejwtamiaado o
progresso dos discpulos provando aWa a infalibi-
lidade Jo meu syslema. Ui
Este infadonho esludo de unnos pe-se adquirir
em poneos dias, seguindo-se um mewdo perfeilo
com cuidado e assiduidade, U
Coudiret U
Por 10 lirocs inclusive pennas, pa;i e
urna rnlleeo de exemplaros....... i-- 35S0OD
Por 20 ditas........i..................f,. dOJOOO
Pa'gamonlo adiaulado.
Todas as pessoasque conlralarcrapoi J lices de-
voiu conclui-las em 15 dias por 2il lites :I0 dias,
h.ivendo qualro pessoas junios podeil 'eceber li-
c.oes em suas pruprias casas s.'ib as litumas con-
dicoes.Huilherme Scully, professona' caliigra-
phia e nico inventor de lellra corrida imercial.
Aula de calligraphia, rua do Itangul i.i7, sobra-
do o ruada Cadeia do Recito n. (II. .1
Na livraria ns. Ce8da praca da Iltfpenden-
cia, procisa-se fallar ao Sr. Antonio Jof.d)cW Mar-
ques, da povoaco dos Afogados, para l'KWjp que
Ibe diz respeild. \~
Com promp-
lidao e as-
O Sr. thesoureiro manda Eazer publico
que se achara a venca todos 03 dias das 9
horas da manba as 8 da noite, no pavi-
mento terreo da casa da rua da Aurora n.
2(3 e na casa commissionada pelo mesmo
Scnhor lliesoureiro na praca da Inde-
pendencia numero 22, ate as 6 horas da
tarde somonte, os bilbeles e meios da ter-
ccira parte da terceira lotera do Gim-
nasio Pernambucano cujai rodas dverBo
andar impretetivelmente no dia G Jo
grande sorliinen de ricas obras do ouro, as mais. futuro me/, de jullio.
em moda o de diflerflntes gostos, com coral, pero-
pa-se.
Os abaixo assignado*,
ourives na rua do Cabu
em frente a rua Nova e paleo da matriz do Sanio
Antonio, [ranqueiam para cseollia do publico um
soio.
'slabelecidos com loja de
i n. 11, esquina que fica
Vendo-se
fj ua rara pos niel
pande porrao :
mesmo engenho.
4 peciiineha vAa.
Modcrnissinins corles de organdys do mais apu-
rado desenlio de goslo Aauille, com 7 e meia va-
polo diminuto proco de HjOO o corle : na rua
Ni
va n. i>.
A elles.
.ores do rassa com tres ordens de babados de
di ersas padrees com 12 varas pelo dimiuulo proco
de :;o00 o corle, fazonda b.ia e Unas livas, sahe a
2) a vara, nao ha nada mais barato, chitas largas
linas de lindissimos costosa ;I2I) o covado, linas do
a bordadas com onfeites de bieo do seda proprias
a senhora a 2g2l) o par: na rua Nova u. 42.
pa
Eslao-se acabando.
DefronlcdeS.Francp
n
loa um tanto tula, rto cniprdis C.beUns cara- I TYPOGR.VIMA DEF. C. DE LEVOS SILVA
pinitos, tem falta de icule na frente, n tem a fenle
do rosto chela de painos, de idado 2fi anuos, le-
rou Vestida de ehilae cambraia branca, chales do ,
cinta dourada, n eoin branro do chally de qna-
dros ; fui das parles lo llecife e lem ma na fregue-
zia dos Afogados, aoide se julga eslarem ambos os
escravos, ou lerem siguido pura o Recife, donde
fui ella comprada : pirlanlo roga-sc as autoridades
poliriacs e aos capilies de campa, alim do seren
apprehendidos ditos escravos, c seren entregues
an abaiio assignado a cidade da Victoria, rua da
Matriz, ou nesla lypigrap^iia, que ser be.m grati-
ficado. Cidade da Victoria 17 de jiiiibo de 1859.
Alezandi Jos de llollanda Caratcanti
J Prerisa-se de una ama do leite para criar
"Tin menino recemnistido a qual se pagar genero-
,samenta ; na ru ds Cadeia do llecife n. 20 ou no
Mondegoaitio da vijva do eonuneiidador Luiz Go-
mes Ferreira.
se podem esecular com nilidez dille -ent' obras,
comosejam patentes derman Ades
por terk lypographia militse diltercnles .mBI.F.-
MAS lli: D1VK1ISOS SANTOS, carias para M mes-
mas, CAUTAS DE F.NTKUBO KTC, ETC. imboni
tem TINTAS UK TODAS AS CORES, OUR( PKA-
T.v proprias para improssao. Se vendem *mbom
om laixinhas de folha TINTAS DE IllFb'E.'tM I.S
CORES, com lanto que as pessoasque as tKt'.erem
avisemS horas anles para se apromplar. ,
Arrenda-se o en;enho Motsainj que
duas leguas distante desta piara, pr| Mo-
to de um tudo, com escravos bois "li-
ma es, vende-se a safra creada efz-se
toda a vantagem : trata-se na ni do
Queimado loja n. 10.
Vende-se esta agua a mollinr que lem appareci-
do para ungir o cabello o suissas do preta : na li-
vraria universal rua do Coilegio n. 20, d-se junto
um inuirosso gratis, ensillando a forma de applicar.
*- Bixasdu llamli.-.rgo a 320 cada nina do <~
3 aluguel, defronte da matriz da Boa-Vista 2^
o>o n. 86. *
teA K H..4.AX. tX i. 4.,t *4 5, .. A i. >-.X&*
Sliitiiifil T 5 Sti j:
(B2 li'J3'f>-a!liA33aS3'Ji,
2, Goldcn Squarp, Londres.
Begent Mtrcct.
J. G. OLIVEIRA Teudo augmentado, com lo-
mar a casa contigua, ampias e excellenles aecum-
modaooes para innilo maior numero de hospedes-
de novo so roe om Hienda ao favor e leinbranoa Jos
seus amigos e dos senhoros viajantes que visilem
osla capital; contina a preslar-lhos seus servioos
e bons oflicios, guiando-os em Indas as c.ousas que
preeiseni conhecinioiilo pratico do paiz, ole. Aloni
do porlnguoz e do inglez falla-se na casa o hespa-
nhul e trancez.
Precisa-se fallar a Jos Bernardo
Ventura, na livraria n. 6 e 8 da praca
da Independencia.
= Trecisa-se de urna mulber para ama de urna
casa com pouca familia : quem quizer, dirija-se a
rua da Sania Cruz n. 21.
Yaccina publica.
Transmissao do fluido de braco a braco nos sab-
badns na residencia do commissario vaccinadnr, se-
gundo andar do sobrade da rua estreila do Rosario
n. 30, e as quimas e domingos no lorreao da al-
fanc'ega.
Seraiiliim A; Irmn.
TO1 IlEMIEii
1)11
\\mn A SAO FIUMISCO.
Faz-so publco quedell de junho era dianln o
Irein do meio incuinhido da condu.o de gneros,
. Lebmanu&Bluml
SC-i
JOALnRinos.
-\a rua da Cruz n. 50,
Sumi ailar.
i Rrcp.lipm por lodos os vipo-^|
^ reios gostos e de mag- |)n*Cl'0 plll'.lS (lo lllilis lll(Mll'rno';('
{t(^ niiicos briihanies. ))|?!Oslo, lano de Irdiicu coraog!
y:;deslaullima capilal, jLst|uacs;(,!
Comprara, vendem o 5M'MeM Cttm lOllil l gai'ailtia^j
trooain prala, ouro, bri- 'JClW l(Pal(ladO (IOS Illl'lai'S
[das pedras, e pelos
; OURO ERELOGIOS.
Adcrecns do
los, diamantes e
las, pulseiras, alliueles,
brinros e rosetas, bo-
'^ loes e anneis de
uag-
t,
) .
'.(.; I bales diamantes af
'i'' porolas, o outras quaes-
^ ('< fiuer joias de valor, a
leiro ou por obras.
Aderecos completos de?\
ouro, meios ditos, pul- JP
cciras, alfincles, brincos]
e rosetas, cordes, an- ;
celins, medalhas, cor-
rentes, enfeiles e corren-J
loes de ouro para rolo--
gios, e nutras militas
obras de ouro e de coral.
,: i|uer j<
l dinheir
(mais coromodos possiv
coiilinua a agenciar a compra e venda
de acedes da mesma companhia, poden-
do ser procurado na rua do Cubuga' n.
10, escriptorio da dita romptinhia.
= Precisa-se de um feitor que tenha praliea de
lodo o servico de engenho, para perto da praca : a
oiiioudor-se no paleo do Carino n. 11.
O hachar >1 A. R. de Torres Ban-
deira, professor de lingua franceza no
(jviiinasio desta praca continua a dar l-
cies desta mesma lingua, e bem assim de
philosophia e rhetorici em cursos parti-
culares na casa de sua residencia, rua
dos|,deradalmanaa "** *'**' Oilo passagir'os'aos domingos parliri na seguin-i Ac,1a"*e P''omPto Para leccionar un
le conformidalc : rpinlqner coilegio.
agencia dos fabricantes americanos
Grouver & Baker.
Machinas de coser : em casa de Samuel P. Jo-
hnstnn i C... rua da Senzala Nova n. 52.
Iladapolao com loque de agua doce a 2J a peca:
rua Nova li. 2.
Riqiissfmo sortimento
ibjoctoa de metal fino para qualquer nina casa
leeessite tero rerdadeiro metal plaqu em iodo
i o .pie se desoja comprar : na rua Nova n. 20,
do ViatuM.
Jogos de tlainas.
endem-se mullo bons jogos de damas com as
ptenles podras, pido baratissimo preou de 3$
ijogo : na rua dnOueimado, nabem conheclda
de miudezas da Roa Fama n. 33.
ravatinhas para senhoras e
meninas.
bndera-se riquissimas gravalinhas de seda rom
pasi adores para senhoras c meninas, pelo'baratis,
preeo de9cada una : na rua dnOueimado,
tu couhecida loja do miudezas da Boa Fama
de
OiO
KOI I
loj
V
com
cad
loja
(
LOJA DA BOA FAMA.'
^ endem-se por proco que faz admirar riquissimas
filas lacradas cora pona e si m olla, bicos brancos de seda de mui-
to lindos padrees o de todas as larguras, tramoias
abortas de linho para babados a lte 100 roisa vara,
jarros para lloros a 23 u par, alacadores ou enlladoros
de soda de lodasasxores pura rcslidos.dilosproprios
para eaparlilhoa, lesouras r todas as qualidades
as mais unasqne he possiv. I encontrar-so,agulheiros
dcmarlim e nutras limitas qualidades, fitas de vel-
ludo .e todas as qualidades, bnlrinhas de camurca
muilo lindas para Meninas de e-cola, frasojuiaho
com cardinal a niolhor causa que tem apparecido
para tirar nodoas em qualquer qualidade do faien-
oa. pelo muilo barato proco de 2, liancinhas de se-
da de todas as cores muilo lindas proprias paraen-
feiiar roiipinha para meninos c meninas, e outras
mnitissimas cousas que se allanen vender-so ludo
por proco baratissimo : na rua do O'ieiiuado na bom
conheciila loia de miudezas da boa fama.
Meias de borracha,
CIIEGAO.VS LLTIMAMENTK NO NAVIO PBANCEZ.
Na rua do Ouoimado, na bom conhoiida loja de
miudezas da Boa Fama n. 88, ji lora para vender
tior preoo barato as muilo procuradas meias ea
orracha, nicamente proprias e appruvadas pird
toda o qualauer enchacao as pemas.
A Margarida Sa-
chero.
Os mais ricos manteletes prelos que tem rindo a
esle morcado, vindo cada um em um rico cario
ornado como rolrato da insigne cantera Margarida
Sai boro, os quaes so vendem nnicamente lia loja
de Leite A; Irni.io, na rua da Cadeia do Becife u iS.
Borle para os insectos.
Exposigao Universal de 1850.
F.sla composico devida is maisperservanles in-
rcsligaeoes o aos illuslrados consclhos de um dnu-
tor meu amigo, ronhecido pelas suas viagons pela
America, llespanha, e pelos oslados do norte .
destinado segundo pens a fazer um grande ser-
vico so publico.
Destruir sema menor difficuldade c sobre ludo
sem que o meio empregado possa prejudicar do
maneira alguma a saude, lodos os insectos que nos
perseguem c nos affligoni, laeS como persovejos,
piolhos, pulgas, formigaselc, tal o problema que
se acha resolvido pelo progresso intitulado morle
para os insectos.
Para conseguir este fim, grandes ostnreos so lem
feilo al boje ; mas lodos se nao lem sido inteira-
ii.'iito infructirosos ao menea esli longo de cor-
responder ao que promelliam OS pomposos au-
nunzios,
Nao succeder lslo com a morle para os insertes
c espero sem modo de ser desmentido, que ncnhiiiii
insecto poder.'i resistir a sua accao.
Mas esperimenlei, jutgue quem quizer por si
mesmo : no lim de una simples prova jveouhe-
cer-se-ha que a minha doscoberta *; boa, de um f-
cil emprego c de inf.illivel resultado ; e ento n
bom xito colhido convencer a todos* e ser esle
para mim o melhor dos prospectos eo mais seguro.
Cada frasco de morle para os insectos leva a nn-
nha firma c o men sinete.
Se alguem falsificara minha doscoberta promet-
Ip perscgui-lo.
F.MPRF,CO.
Para destruir os insectos que se inlroduzem em
geral era buracos c fendas como persovojos etc.,
. '.' indispensavel um tulles cuja exlremidade so
inlroduz nos buracos e os insertos nao lardam em
sabir por lodos os lados e morrem ponco lempo
depois.
l'ara todos os insectos que voam quasl conslan-
leraente, como moscas, mosquitos ele., etc., basta
soprara mnrlc para os insectos.
Para osilemais como formigas, pulgas, piolhos.
lacraos, aranhas etc., emfim todos aquellos que se
podem alcancar basla soprarcom a minha compo-
sico ou esfregar os objectos infectados.
Quaudo o insecto tem absolvidoo principio mor-
lifero, tratado fruir e vai morrer & pouca distancia
do lugar onde fui atacado.
Mediante o emprego do principio se preserraro
as telas preciosas, as pollos o as las dos deslrosos
dos insectos. A oresenea de meu drodocto causa
nao s a morlo aos insectos, mas tambera os afas-
ia dos lugares nudo acodera.
Vonde-se em l'ernamlmco na botica do Sr. B. F,
de Souza, rua larga do Rosario n. 36a 5IH) rs. o fras-
co pequeo, lj dilo mediano e lgOO frase., gran-
de : assim como o folies com tullo por 1J250.
/
sin.
na I.
n. 31.
Vi
lica
n.
iillii
Alten cao.
nile-sc na rua larga do Rosario, passando a bo-
lo Sr. llarllionioii, segunda loja de miudezas
rap Paulo Cordeiro, muilo fresco, chegado
lamente do Bio de Janeiro.
Chesuom frcruezcs
ouro,
Belogios patente inglez ,.
dosmelhnrcsfabrioanles, >',
dilos suissos, tanto de f
ouro como de prola.chro- tu
iioinelros c meios chro-
nometros e lambem re- fj'
^lomlo sempre a dispsicao dosg ^^ vSS
fyii'egucze.sum bello e variado|g trocam.
ksoi'linieuto. 5
REMEDIO INCOMPARAVEL.
UNGIKNTO HOLI.OWAY.
Milhares do individuos do todas as nac&es pdom
tesieuiunhar as virtudes deslo remedio iucouipara-
vel e provar em caso aeeessario, que, pelo uso que
delle li/eiam lem son corpo oincnibros mteiramente
Saos depois de haver empregado intilmente oulros
testamentos. Cada pesoa poder-ee-ha convencer
dessas curasmararilhosaspela leitura dos peridi-
cos, que Ih'as relatara lodos os dias ha muitns an-
nos ; c a maior parte dolas so tao sorprendentes
que admirara os mdicos mais celebres. Qnantas
pessoas recobraram com esle soberano remedio o
uso do seus bracos o pemas, depois de ter perma-
necido longo lempo nos hospilaes, onde deviam
soffrer a amputacao 1 Delbs ha militas que- havendo
dcixadr, esses asylos de padecimonlos, para senao
suhmoltoroni ossa opora.-ao dolorosa foram cura-
das completamente, mediante o usodesse proejse
remedio. Algumas das taes pessoas na enluaao de
seu reeonhocimonio declararan] estes resultados be-
nficos diante do lord corregedlir o oulros magistra-
dos, afim de mais autentecarem suafirmalira.
Nlnguem desesperara doeslsdo desaudeaeti-
vesse bastante eonfianea para ensaiar esto remidi
constantemente seguindo algum lempo o Indamen-
te que neeessilasse a naluri'/.a do mal. cujo resolta-
do seria Jirovar incnntostaveliuonlo : IJue ludo cura.
O ungento he til, mais parlicular-
menie nos so.nlntps casos.
Inilaminaco da maslriz.
Lepra.
Males das pomas,
dos peilos.
do olhos.
Mordeduras de reptis.
Picadura do mosquitos.
Piilmoos.
Queimadelas.
Sama. i
Supuracoes ptridas.
Tinia, era qualquer parte
que soja. #
Tremor de ervos.
Cceras na bocea.
do ligado.
das arliculacoes.
Veas torcidas ou nodadas
as peinas.
Alpnrc.
Caimbras.
Callos.
Canceres.
Corladuras.
Dores de cabeca.
das cos.is.
dos membros.
_. Knforuiidados da culis em
'){ geral.
1252?4,A Ditas do anus.
Erupeoes o escorbticas.
Fstulas no abdomen.
u...^. f" i i MEM.r-r' 4 I aquella que na F.xposicvo l'nivcrsal de 1S53, na seccao das industrias niajdade ou faltade calor
consagradas a pliarmaciae medicina, obteve a niedalha de ouro, designada sob o rime de ei.aliu as extremidades,
n hosm citase aprsenla pois aos pharmaceulicos e aos commercianles do nosso paiz, com todas as Frieiras.
garantas de una repulacao de .-apacidado o honradez a toda a prova. enva
Do seu eslabelecimnnlii, o mais consideravel de Paris, a casa Mimeb fabrica e espede lodosos
auigos, que sao uleis a proliss u, de pharniaceutico e de medico. Pode-se julgar da exleuso dos seus
negocios c dos servicos que ella deve prestar, melhor que qualquer o'ulro eslabelecimento, peloquadro
dos diversos captulos dos sc-.us preces correntes geraes, livro excessivamente ulil aos pharmaceulicos
tedas as pessoas une se pecupam de sciencias.
iraes drogas); Labratenos de cbimica j montados ;
Instrumentos de cirurgia ;
Instrumentos do oasuthonc vulcanisado ;
Machinas para fabricar aguas gaznas ;
liisiriiini i.tos do physica o de preoisao ;
Rtulos e rnalos para pharmacia ;
Balances de snico, do laxoede analrsc chiraica ;
. Vasos de vidro, crystal e porcelana.
Livros de medicina de pharmacia c de sciencias.
A CASA MENIER responde a quaesquer informarfies que se lhe peram. Encarrega-se de fazer
lodasasdespezas at jo porto do embarque (Iransportes, despezas de seguro etc.,) quando se lhe faca
qualquer enconimenda de producios uecessarlo mandar ao mesmo lempo una elra de tal valor a-
proxiniativamenle ou indicar em Franca ouna Europa, urna casa encar.egada de pagar ou de servir de
garanta, os producios devendo sor pagos em Paris, as despezas de cambio sao ao cargo dos conimel-
Todas as encommendas devem ser feilas a casx M f.mer & C. n. 37, rua Sainlc Croii de la Bree
nosneiif, em Pars.
Pos medicinaos .
Proparaeoes pharmaceulicos ;
Productos chinacos mediciuaes;
Plantas mediciuaes ; j'
Medicamenlos especiaos jytfe patente ",
l'reparacoes honieonaljjjfis;
Llensilios e apparelho de chfmica
engiras escaldadas.
Uiehacoes.
Vllaiiiaca) do figado.
MI bexiga.
.aVende-se oslo ungento no estabelecimenlo geral
ti' Londres n. 221, Slrand, e na loja de lodos os
pMicarios droguistas c outras pessoas encarregadaa
diisiia venda om loda a Amoncu do Sul, ilavaua o
nBpanha. .
Vende-so a 800 rs. cada bocetinha, ronlm urna
injliuc.o em porluguez para o modo do fa/.er uso
di'.lo uug.....ilo.
I deposito geral he em casa do Sr. Soum, phar-
mafeulieo. na rua da Cruz n. 22, era l'ernaiilhn. o.
' SEGURO CONTRA FOGO
ngutheiun aSMKA.NCE com pan y
LONUON.
CAPITAL 1,000,000.
\gcnte C.l. iVstlcy c C
Oljprece condices muilo favoraveia e premios
iQodlrados.
uiMuA. nnnF.
Partida das Cinco Ponas 7.30 1.IM1
Chogadi a villa do Cabo 8.45 2,lj
TllKM PARA BAIXO,
1NHA.
Partida da villa do Cabo C.UO 10,30
Chegadl a Cinco Ponas 7,15 11,30
N. B. Deixa- de haver al nutro aviso o trem
que al aqui t'in havido, que parte da villa do Ca-
bo s horas la lardo nos dominicos sendo substi-
tuido pelo ireii especial que parle da villa do Cabo
para o Recife s 10 horas da manha, o qual nao
parar em porto intermedio:
Escriplorio la via frrea 11 de junho de lS'J.
Assignado t. II. Bramah,
Superintendente.
COMPANHIA
DE
Illiiminaco a gaz.
Acha-se preparada para collocar canos as casas
para (ornccinvnto de gaz.
O preoo do gaz 6 de 10 por mil ps cbicos.
Os canos |iie se collocarem desde o cano prin-
cipal al a pula da casa ou silio do consumidor,
sero collocalusa cusa da companhia.
A collocacTo dos canos no interior das casas ou
sitios custarao consumidor mil res por p (termo
medio).
Os candieins, bracos, lampeos registros etc.,
sero de preos relativos as suas classes e quali-
dades, e os irecos sao mdicos, e as qualidades
proprias par: todos os lins.
Tres ps cibicos de gaz do urna luz igual a cinco
velas de espmatele Tendidas aqui do 0 em libra,
consumindn 2M) graos de espermaccle por hora.
Tres ps cibicas de gaz costar smente por hora
oO res.
Emquantoque as velas cuslam por hora 200 rs.
K urna lu/deazele do coloya, de coco ou de es-
permacote cisla por hora UK) rs.
O gaz dovtser Tendido por registro o vendido ao
consumidor rnente o que diariamente for consu-
mido; esle registro deve sor guardado em ordein
pela coinpaihia isenio de pagamento, e o consumi-
dor garanldo pola circunstancia do registro, sen-
do sellado pra nao sor aborto senao em sua pre-
senea.
Aquellos pie desojarem lor gaz devem fazer o seu
pedido quailo anles, pois que os prinieiros viudos
serao tamben servidos era primeiro lugar decun-
formidade om as datas dos seus pedidos.
As pessoa que se achara inscsipla, devem com-
parecer paa escollierora os apparelhos que' Ibes
ronvein ninrmazom da rua da Cadoia de Santo An-
tonio onde icharn um completo sortimento.
Escriploro da companhia. llecife 3 de maio do
1S69.
CAS.1 DE SALDE
JiiJA?
*Sila un pasNfMi da lagdaloia pn-
tre a |onlc israndc c i pequea
CHORA'MENINO.
Aviso.
C. Babin desojando relirar-se qnanlo anles para
| a Europa, ofierece venda rologios rhronometros a
380J, de repelico a 250, patentes suissos a 115.
rua do Calinga n. \ B,
haro um complete sorlimento do miudezas,
como temos do bandejas por baratissimo pre-
9, a vulso 152(10. IJ600,8g, 2S500, 35, 3S00
facas o garios a 3S a duzia, ditas do cabo do
a 48, ditivs para sobremesa a 38, navalhas
).ira aarba o mais fino que possivel, de caho de
narlli i a ig, e de outras muilas qualidades, cha-
ruloins tedas doutadas e muilo lindas a 49, boleas
com apparelho de costura com o Ululo do caminho
do fer o proprias para viagem a 6, 7 e 8*. esparli-
Ihos de nova invoncao para senhora, dos mais mo-
derno qiu tem apparecido, que se do para amos-
tra, a: sim como lindas pulseiras pretas c de cores,
de Indas as qualidades para cazaveque, lin-
linhas com alliueles a 200 rs., escovas para
1g, ditas para denles a 200 at 600 rs., bor-
dara horzeguins a 1JI00 o covado, caslieacs
al a2 e 2$5IKI o par, lesouras finas de lodo
iib. e proprias para alfaiale,por preco mui-
modo, jarros de flores proprios para enfeile
I, fi, 8,10 e 12J o par, transparente para
janella muilo linda a 8g, corliuados os mais ricos
que se pode encontrara 253 o par, fil de lioho e
de sed. do lindos padroos, rosarios muilo lindos de
cornalina, oculos grandes de alcance a 10 e 12$,
capach is do pona e redondos a 600 rs., dilos gran-
des paiasof a 1?G00, sabonetes transparentes mui-
lo fino salio de todas as qualidades, que se ven-
de por baralissirao preoo de 800,1* c 1g200 a du-
zia, dit is grandes a 3S a duzia, lavas de tedas as
qualidades e de pellica Jourin a 23100 o por, ligas
muilo indas para senhora a 1*600 e 23 o par, 11o-
bonsontaes a 7j e 80g. Belogios para senhoras de |n!S 'ra' eezas e da ierra para todos os procos, assim
0# a 753, relogios de prala a 2J, todos ellos de jeomo niuilos mais objectos que se alianca vender
limadas melhores fabricas da Suissa, joias de ulli-I Porbar ilissimo preco: na aguia de ouro, rua do
Ama de leilo.
Precisa-s- de urna ama de leiic : na rua do Ran-
gel 11. 18. iriineiro /,ndar.
- -
;; Mugare urna negrinha de 18 a m annos
/.-. do idade: a tratar na rua do Hospicio n. 3(. -\
v
No primiro andar do sol radon. 21 da rua do
Aragao, deronle da botica do Sr. Nevos, anda so
precisa de una ama que cozinhe e saiba lambem
engommar.
Avis.-se aos senhores que dorara trastes para
empalhar 1 concertar, na casa da rua de Hurlas n.
o, ao Sr. Artonio da Silva Teixeira. hajam do fazer o
favor de osir buscar no prazo de 8 dias, do contra-
rio serao v.ndidos para pagamento dos mcsmoS.
= Joao le Pinho Borges, tendo de retirar-se
para a Kunpa a tratar de sua saude, deisa por seu
procurador a seu irroao Antonio Carlos de Pinho
Borges.
Suissa, joias de ulli
mo goslo, dedaes do ouro e de. prala, eaixas para
rap, ele, alguns cortes de seda para vestido, lin-
das canas francesas, meias do linho muilo finas pa-
ra senhoras a 230 par, facas de mesa c de sobre-
mesa e trinchantes 50 pecas por 753, lesouras do
bordar, ditas de costuras etc., e rauitas miudezas :
110 holel inglez quarlo n. 3.
= Aluga-so o sobrado da ruadoAmnrim n. 56,
edificado no goslo moderno, j/. com excellenles
eoramodos : n Iratar com Joan (nimio de Aguilar :
na rua da Cadoia do llecife n. 62.
GABINETE PORTUGUEZ
DE
LEITURA.
Nao pndondo a di roclo ra do abinete Porluguez
de Leitura transmitllr dividas a sua suocossnra, co-
ran determina o artigo 18 dos estatutos, por ordem
da mesma avisa a tedas as pessoas que se julgarom
'redoras do referido eslabelecimento, que lenham
a bondado de apresonlar as suas eontas no prazo de
oilo dias para seren satisfeilaspeloSr- tbesouroiio.
Secretaria do Gabinete Porluguez de Leitura em
Pernamlinci. 13 do junho de 1859.-0 2." secreta-
rio. JosF. arrolle.
_= Aindacsl por arrendar-se o engenho Conti-
eno da froguezia da Victoria, com boa casa de vi-
venda eoplimas Ierras, especialmente para caima
e mandioca, com muilo boas obras, e quasi a mar-
gen) da estrada da Victoria, com dous pomares de
muilas qualidades de fructoiras que j vo dando
grande producoo : os pretendemos dirijam-se ao
engenho Helia Posa da froguezia da Luz. no mes-
mo engenho Bolla Rosa ha dosocenpado um sitio
com grande casa 0 ptimas lenas de caima para
um lacrador de 4 a 8 escravos.
Companhia vigilante "do vapor
de reboque.
Por ordem ios directores, os Sis. que
precisaren) do servio*do vapor dii re-
boque queii'am'dirigir seus pedidos por
(.'Scripto a agencia do mesmo vapor, rus
do Trapiche n. S.
Cabug
n-,1 B.
economa.
Banhji franceza igual a dos jarros de porcellana a
2g560 1 libra, vendo-se qualquer ponan at urna
onea po 160 rs. : na loja de miudezas do aterro da
Boa-Vis a 11. 82.
Vi ndo-so mais de um terco do engenho Ma-
chado, distante desta cidade 7a 8 logoas, silo na
reguezi l de Iguarass, moenlc e corrente, enm as
principies obras de pedra e cal, sementado rom
verlenlt de agua, varzeas frescas, matas em abun-
dancia, (um partidos por abrir, distante da dita vil-
la de lgaaras.su para mais de qualro legoas : diri-
jam-se a rua da Cloria, casa do Sr. major Nasci-
mcnlo.
Al bnlando o progresso
Jos
goela n.
maisbanl
da Ponha
\ua da Lhujoeta n. .">.
Dias Rrandio em sua casa da Lin-
5, lem .para vender superiores gneros
los do que annuncia o progresso do largo
11. 8, e alm do que tem annunciado tem
superiores velas de espermarete a 700 rs. a libra,
e em groiso o freguez nao sahe sera ellas, nao levo
o progresfo era conla.
ali,
'ISUJG
Largo da Pvnha n. 8
ABMAZEH PBOCHESSO
Compras.
. Compra-se um carro americano com robera
fifia, que sirva para aualro pessoOS, i'que soja leve,
estando om bom estado : na rua da Cruz do llecife
n. 13, primeiro andar.
C.inlinu
miles, s
superior q
tu de nrat
/os, alelri.
manteiga,
progressn a
i do os seguintes
10 i
U '" ': '
v -*:

torrar gneros sem li-
qoeijo londrino o mais
ppareridono nosso mercado,dn
; .-. is. ameias, aniemioas, no-
macarro, lalharim, figos, e superior
ante inglesa como franco/a, o ludo islo
mais baral) que em oulra qualquer parle por sor
no armase n progresso de uarle & Irniao.
Manguitos para senhoras e
meninas
Vendem-se maoguitos bordados do cambraia pa-
ra senhoras e meninas, pelo baratissimo preco de
1_S o par, dilos mnilissimo linos a l! e ")?>, dilos de
fil de linho muilo finos com lindissimos bordados
a 5S ; lambem se vendem gollinhas de cambraia
bordadas muilo linas e as mais lindas que se pode
encontrara 3 e 4g : na rua do Queimedo, na bem
couhecida loia de miudezas da Boa Fama n. 3X
Chapeos enfeitados.
Tem na rua do Queimado, loja de \ portes n. 17,
lodo sortiroenlo de chapeos para meninas, de seda o
de palha ricamente enfeitados, ditos para senhora,
de palha e de feltro, enfeiles de froco para 35500o
6t, ditos de rotroz com vidrilhos proles c decores
a 49, gravalinhas para senliora, de froco, a 2j!, e
lodo o sorlimento de chapeos de seda,dilos de sol
[.ara hornera e senhora, que tudo se vender por
monos que em oulra qualquer parle assim os fre-
guezes lenham a bnndade de comprar; lambem so
enconlra um sortimento de foros para 4 e 2g.
Loja das seis portas
EM
Frente do Livrameato.
Crosdenaple prelo para todos os procos, mana
pretas de linho com bordados de seda, liivasde so-
da prelas para senhora a lj, gollinhas bordadas a
a 19, ditas finas a lgGOO, manguitos a 'Si, lencos de
seda brancos e encarnados a 800 rs., camisas" fran-
cesas brancas e de cores finas a 2g, palctols brancos
de bramante fino a 5g, ditos de brim pardo a 3J,
ditos de alpaca prelos a 4 e 58, dilos de casemira
de cores a 5$, ditos de fusto de cores a 5$ : a loja
csl.i aberta das 6 horas da manha s 9 da noite.
Em, casa de James Crabtree & C, rua da Cruz
n. 42, ha para vender ossegnintes artigos : a ver-
dadeira graxa ingleza n. 97, champagne de superior
qualidade, linhas em novellos de snrlimenlos di-
versos, arreios para carros e cabriolis, chicotes pa-
ra carro, sellins inglezes para homens, senhoras o
meninos, livellas para obras de selleiros, perneiras
de lustro.
Calcado inglez
impericavel agua.
Rorzeguins, sa pa toes a lw>ti nados e sa-
patdes tudo de bezerro ingle/., (abrica-
dos em Manchester, obra superior pira
a estarao actual e preco mdico : na rua
Direita n. 45.
Camisas inglezas.
Vendem-se superiores camisas ingle-
zas : na rua do Coilegio loja n. 3.
Sem igual.
Continua vender-so lindas rir-
lorias de la inalisadas a mesma f.i -
zonda nova que a ponco se venden
por 18 o corado por o bailo preeo
(le 400 rs. : na rua do Queimado
loja do sobrado amarello n. 29, nos qualro cantos
(do-se as amostras); ua mesma loja ha sempre
um completo sorlimento de chitas escuras, mus-
suliua, casaveques, cambraias, manguito*, corles
de seda, ditos de cambraia.
imam
loja nova, no aterro da lioa-
Visla n.74,
que acharaoo novo c completo sorlimento de miu-
dezas, ricos penles de tartaruga, virados, muilo
fortes a 12ellg, dilos sera ser virados a 43, ricos
enfeiles de froco a 5 o 6$, flitos de froco rom vidri-
lho a 4g, dilos de vid ilho a 25500 e 38, ditos pelos
de rolroz com vidrilho a 4$, ricos manguilos cora
camisinha egollinha de cambraia muilo lina a 7a,
ricos manguilos com gollinha para meninas e se-
nhora a 59, ricas gollinhas a lsf.00 e 2t, ricas (na-
jas para corliuados, brancas o de cores, pecas cora
15 varas a *500, vor.ladeiras luv;.s deJouria a 28
o par, graratas de seda o gorguro pn'i:is o de co-
res a lj o 1C28H, caixinlia com jogo de vispora a
18, popel alma o milito tioin a 3J c 3$50ll a resma,
dilo de poso a 3$ iUO, pinnas de anca a 1/ a grosa,
ditas sem ser de lauca a 500 rs., caixinh.' rom alli-
ueles a Ifirs., dita rom grampas soitidas a lili e
100 rs., sinlnres de borracha a lill rs., tacase
ganos de ledas as qualidades. eoiheres de lodas as
qualidades, lesouras o caivetes de todas ,is quah-
uad -. franjas do id.i o laa, e linho. galdes brancos
o de coi.s, lins de relindo e soda de indas ;i> qua-
lidades, sa|.alinhos de merino, dilos de la, louras
o earapueis para crian.as, liuli.is de carret.is de
todas as qualidades, agulbaS Irancezas hiuito finas,
. muilos mais objectos, que so lornam oiifadonhn
monriona-los, e se dar amostra do todos ospb-
ocios, e se vender por menos do que em'wnlra
qualquer loja


V
Diario de Pernambuco Segunda feira T de Junho de 1859.
14
. NACIONAL
Grande sorlimento de
DA RA DA
FLORE
Lllilrlj"lj de lodas as qualidades.
Tintuiaria, MACHINAS DE COSER, garantidla'
UVA.
Altenco ao barato
o
No bem eonherido armazn] do loura da ruada
Cadeia n. 8, ao pe da loia do Sr. Fragoso, ha para
vender um rompilo o variado sorlimento de sum-
ina utilidad.', como sojam : linas esleirs para for-
rar sala, dilas de pallia de carnauba, baldos ame-
ricanos para compras, ceslas do Porto com lampa
ou seni ella, condenas sorlidas, bal.iios de lodos os
lamanhos, rompilo- e redondos, lindas resfriadoi-
ras hamburguezas para agua, jarras da Baha do
nielhor goslo que lein vindo a esla cidade, dilas da
torra de lodas as qualidades : no luesmo armazem
lambem exislo um completo sortimenlo do loura,
tanjo vidrada como som ser vidrada, que se vende
mais baralo que cm oulra qualquer parte.
91-i ^'S
f~5 2

y

fcf I o o
o-o-aia
^ 2 o-
= % "_->!
^ o n So
> too w i- c
oE**"
z c'35 o o B
glf&a*
1***41
2 > 5 ** c
'v w i o v 9
ft > o 3 >
oH o a; era.
"=> ra 5 -i =
o te.; o rao
8 C ?g 2
. o E ra 5 Vi
"S? =.5'3 2
C = ra
' a c ^ -ra
s 8-.. a
' S i
z S-o

"2 o
5.5 0-o
.=
cj .
- -N
O
_ o i 2 c^ -
^
s
M
56
s*
2 o
I
Z- gl
^Slra|I
IB? I
i 3= C-

a ra
ra-=
.* O
;
c-5
Chapeos e mais objeclos.
Na anliiiii luja le chapeos
da ra Direita numero C1,
de liento de Barros Fctj
Chapes (ranrezos de soda, formas modernas c
muito finos a 6g600, ditos de castor branros rapa-
dos, chogados ha poneos das, fazenda tniiilo supe-
rior, tanlo om furnias como em qualidade a 149,
ditos de castor relos do pello a 12$, ditos de fellr
das crese qualidailes que os traguetea desojaron!,
o por procos commodos, dilos de diversas qualida-
des parasenhora, ditos do Chille de diversas qua-
lidades, e por procos muito conunodos, dilos de
sol do seda o de panno, lano para homom como
para sonhora, enoilos muilo finos c do. bom goslo
para cabera, velludos de lodas as coros, bem pro-
prios para cazavequos, collotes, gollas de paletols,
o outros usos por seren de superior qualidade ;
tamboin existe urna porco de escomilha de soda do
coros, luije muito procurada par cobrir os ran-
dieiros do gaz, e oulros minios objeclos de goslo,
queossenhores freguezes conhecerio Aflata dollos,
que sao em conta. '
Vcndc-se superior linha de algodao, bronces e
do'coros, em novello, para costura: em casa de
SeuthaU, Mellor & C, ra do Torres n. 38.
Fazendas por precos cominodes.
NA*
Laja do serianejo
Ra do Qucimado n. 43 A.
Cazaveques de fuslao branco ricamente onfoila-
dos a 13, l o 16S000, dilos de iniisselina a 11, 12 o
13J, meias de seda brancas e de coros o pretas, en-
foiles para cabrea de senhora, de froco, a 4, 5, 6,
7, 9 c lOg, dilos com vidrilho, bengalas do todas
as qualidades, nm grande sortimenlo de chapos
ricamente enfeitados para meninos e meninas para
boplisado o passcio, por menos proco do que em
onlra qualquer parle ; contina a le nm grande
sorlimento de grosdonoplos pretoa de lodos ospre-
ros, que quor acabar, a 1g500, IgfiOO. 13700, 19800,
25, 2j400, 3,5 c 3*500, chally muilo lino e bonitos
padrees a 800 o 900 rs o covado, lozinhas muilo
miudiiilins o mais gradas a 4011 rs. o covado, baro-
go de selao muito bonitos padroos a 500 rs. o co-
vado, sedinhas do quadrus mui/o finas a lg300 o
covado, paletols de panno, saceos o sobro-casaca-
dos a 20 e 18g, lodos forrados de seda a 25g. e ludo
o mais aqui se encontrar do boiu e por monos do
que om oulra uuahiucr parte.
SISTEMA MEDICO DE HOLL WAT.
PII.UI.AS HOF.1.WOVA.
Esto inosliniavol especifico, ciimposlo inloiramen-
le de berras medicinis, nao eontem mercurio, nem
alguma oulra substancia delectera. Bonollun i mais
loma infancia, e a comploicao mais delicada he
igualmonio prompio ejegnro nara desarreigar q mal
na eompleicao mais robusta ; he inleiramcnle inno-
cente om suas operaroes e effeilos; pois busca e
remore asdoencaa do qualquer especie vgro por
mais antigs o leazos que sojam.
Entro milliaros de possoas curadas com oslo reme-
dio, umitas que j oslavam as portas da morte, prc-
sorvando om son uso : coiiso^uiran recobrar a salido
o forras, depoisde barer tentade inutilnionte lodos
os uniros remedios,
As milis afilelas naodovom enlrogar-se adeses-
poraro ; faram um competente onsaio dosolirazos
effeilos dosla assonilirosa niodicina, e prestesrecu-
perarao o beneficio da saude.
Nao se perca lempo om tomar esto remedio para
qualquer das seguimos onfrruiiilados :
XAItl'E F. PASTA DE CODE1NA DE itEKTIlP..
As propriedades notareis do Xnon e a Tasta
de Coiif.ina tom sido propaladas polas sabias ex-
periencias clnicas e ^comparativas de Hasskmb,
Baubikr ii'Amiens, W/lliams (Ibegokv, Mabtin So-
los ktc, memhros do instituto de Eranra, da aca-
demia de medicina, e mcdico3 dos hospilaes de
I'aris.
Asexpenencias confirmadas pelas rcenles ou-
servacoes dos Srs. AlU!f, Viola, G. Diimont, profos-
sores da faculdade de medicina de Paris, medios
dos hospilaes de Paris ele, ole, tem demonstrado
que o Xaopk e a Pasta de Coiieixa de Bf.iitiik sao
os remedios mais ofiieazes para lodas asdores nervo-
sas, agudas, e as vezes lao rebeldes ; e que alTroxa
com urna rapidez maravilhosa, os accessos conse-
cutiros e que tanto cansan, do cataiuiiio, da tossk
COXVI-LSA, da BllOM'.IIITE C da PHTHISICA PPT.MONVB.
O Xahope e a Pasta de Codeina de lli inii: cn-
" conlram-se em todas as pharmacios de l'ranra edo
' | oslrangciro.
Para evilar a falsillcacao devo-se exigir em cada
: vidro a assiuvatira, e o'nojie Bf.hthk.
Dirigir os pedidos em grosso casa Mnier & C*
ti. 37, ru Sanie Cruix de la llrelunnerie em
l'Ants.
TALETOTS.
Vendem-se palelotsde brim de purolinhn, bran-
cos e pardos a 55 : na ra do (Jueimado n. 22, loja
da Boa Fe.
Cortes de colletqs
baralissimos. ,
Vendem-se cortos de rlleles de fust.io a40vrs.,
e muilo finos a 1S280, assiin como dilos do gorgu- '
rao, pelo diminuto prero do 29 ; a ollcs, que se
oslan arabaudo : na ra do Uueimado n. 22, na loja
da Boa F.
Vcndem-se dous oscravos moros, de muito
bonitas figuras e proprios para todo O servico, alom
do que, um c olero o o oulro bom oflicial de la-
looiro, o ambos eslao arostumados ao gervien do
campo : a tratar com Manool Alvos Forreira i Li-
ma, ra da Moeda n. 3, segundo andar.
Farelo a
^m
-
i
GRANDE S0RTIHE.T0
DE
Roupas feitas e fazendas
NO
Armazem e loja
wwv o saceo.
Na ra da Madre de Dos n.
33, vende-se farelo de llam
Ixirgo saceos com 90 libras a
5#500.
PARA ACABAR.
Grnsdenaplosde cores de quadrinhos miudinhos,
padroos muilo bonitos a 1$280 o covado, chally du
seda com flores matizadas a 18 o covado, lili> de
linho liso muilo fino a 800 rs. a vara, dilo bordado
a 1$280, cambraia de linho muito fina a 600 rs. a
vara, superiores pantos de tartaruga para prender
cabellos, multo fornidos, pelo diminuto proco ide
4S, dilos virados a imperatriz a 12g, sapatinhos.de
merino para crianras, bordados ricamente e com
lacos de froroa 2$ o par, bonolsde palha para ule-
nio a 2S500, loques muilo linos a 4f500, chales
de merino liso com franjas de la a 5g, dilos multo
finos com franjas de seda a tig, ditos bordados cini
franja de la a 78, corles de collotes do velludo
muilo superiures a 7, 10 c I2g, panno fino preto,
prova de liman a 2, 4 c 5g o covado, casemira prc-
la lina a 2, 3 e 4g o covado, luvas de soda para
un ninas, bordadas e ricamente enfeitadas a 28500 o
par, gorgorito de linho c seda muito superior e pro-
prio para Golletes a 18 o covado, alpacas decores,
Cmara*.
Muilo rtovo, sere.0 o grande, vijn do Maranho
no vapor yyapock, vende-se no a-iazem de For-
reira & Marlins, travessa da Madre de lieos n
por prero|commodo.
Fumo em follia.
m,
Toalhas ailaiaascadas.
Fio de vela.
Idsi-oitos. .
Estopas. I !
Ventcm-se era casa d irkwiglit
& C. na ra da Cruz i 61, por
nrijco commodo.
Vonde-se chocado recrnlemcnle da Babia por
menos proco do que em oulra qualquer parle : na
ra da Cruz do Iterife n. 1.1, primeiro andar.
= Vende-se manleiga ingiera superior a 1g, 720,
& o 500 a libra, dila franceza a 880, vin'-
fS a 560 e 480 a garrafa, qiieiios do rain
2/: no pateo du Terco n. 21.
lio te Lisboa
ramo t 18600 o
Reccbidas em direiliira de
Paris.
Vestidos prctos rom babados bordados a
velludo e soda.......................... g
Dilos de coros o blancos rom babados j
Kilos de gaze cora babados de velludo___ a
Dilos de dilos rom ditos de froco.......... g
Ditos de dilos a Slephanie e Victoria...... g
llicas sedas brancas lavradas o coiado
l$200e.................................. 2?8O0
Grosdenaplelisn do lodas as coros a...... 1yfi(Kl
Sedas de quadros largos a................ 1s600
Grosdenaplc prolo oiiiorpado a ljj600e.. 2j'500
.Dilo dilo muito largo a 18600 c.......... 3g000
Dilo de cores do quadrinhos a............ 1j300
Sarja preta hospanhola a.................. 2200
Dita prola c de cores com i palmos de
largura a................................
Belleza da China toda de seda a..........
Chaly de flores malisadas a..............
Follar do Paris o mais moderno a.........
; Gaze de seda do lloros a..................
entestadas; para paletols, pelobraiiWo proco i i |*Sm ,de osc,0,'i e tl1i.a?', de scd\a......:
_ 640 o covado, o alemdisloum completo sortimen- ^1^'luadros c l,slras com ,01ue do
i* | lo de fazendas linas e grossas, que so vendom mili-
to em conta : ua ra do Queiuiado n. 22, loia da
Boa F
18500
lgOOO
900
1$000
18000
1j000
,Nalojade 4 portas, na rita do
j Queimado n. 37,
doseja-sc liquidar as sognlnles fazendas, mme soja,
grosdenaple de cor a lg200 o covad*, ormndrs os-
curos de muilo lindos padres a 500 rs. o rotado,
sedinhas de quadrinhos muilo linas a 1g, ideni
y-SffiffSaESSffii 'Jggrf^ygys~< "'"'l0 suPerir a IgtOOo invado, vestisde seda
5aiSS"f;iSi;-XJ"S; W?t?tW%-Zl de ^^^ Pr tt*V baratos, easnequos do
fuslio muilo bom enfeitados, rapolinhos pretns de
grosdenaple, saias muito enfeildas, rlapollinhos
de 3oda para sonhora a 10$ cada um, umsorlimon-
to de paletols de casemira do cor e preas e de al-
paca e brins, que ludo islo se deseja ac bar, c en-
tao se vende a dinheiro muilo barato.
Toalhas de linho para nesa.
Na bem conhecida loja de quatro poras, na ra
do Queimado n. 37, tem para vender ua completo
sorlimento dosla toalhas, as quaes e venderlo
conforme os lamanhos, e por preco auito com-
modo.
Ttt?tttt TY-rrrr-TTTTrrrs rrT._M
Cheguem lojn no' i do serla-
nejo, ra do Queimado
n. 43 A
njoro cstabelccimenli-que s conUSm fa-
i ras e de bom goslo froguezes do bom
Nesle rjovo
zendas no
o baralo okicontrarao um coi'lelo'sorlimento de
fazendas, o que se mencin;' .penas o sogeiulc,
porsor enl idinilio auiniiiriar i,s, as fazendas : ri-
cos corles le vestidos de sed^Fe cores o melhor
que se pile encontrar ueste Joro, sendo 3 fnlhos,
2 saias e iquilla, grosdenapi de cores e muito
boa jualidide a 13'JOO e 2U ivas de pellica de
Jonvn para senhora c para i nem de lodas as co-
ros a 2j4 J o par, ricos m.r utos bordados a 3g,
dilos com golla a :l.">00, dil^a 48500, ditos lodos
aberlosa 8500 e C8500, diL com laazinha a 78,
ditos a 98 ricos pannos parf'mesa a 7 e 8g, chales
com froco nimio bonitos a
quonos a 138, sabidas de
lhorcs qut pode haver i
enmmodo a-.-im como I
sortimenh
cas de casi
128, palote
linos a 99,
fSL
O,--
Cheguem froguezes loja dq
Boa Fama da ra Direita
n. 64.
Facas e garfos rom cabo de marfim muilo finas a
108500 a duzia, dilas de cabo prelo a 6g400, dilas
a 6g, dilas de cabo do osso linas a 6S200, dilas a
5*100, dilas cravadas finas a 48200, dilas de rabo
preto o branco a 38200, dilas a 2S800, dilas a 28C00,
dilas para sobre-mesa finas a 48500, 5g, e 5S500'
ps de ferro a 640, 800, 900, lg, 1100, 18200
19400, rama- de venlo muilo larga a 8g, dilas a 7 o
68, rame de lalo de lodos as grossuras a 800 rs. a
libra, barbante do todas as qualidades por barat-
simo preco, fugareiros de forro a 18200, 1R400
1S600. 18800, 2$. 2g300 e 2g60ll, forros de ac da
melhor qualidade a 720, rasticaes de lalo a 1$600,
1g800 ci$ Pr, courn de lustre muito grande a
4j600 o pello, marroquim a lg900 a pollo, pannos
de tapete para mesa a 3g200, ollinele de ferro para
armador a 28600 o maco, fechadurasdo broca para
porta a 640, 720, 880 e Ig. ditas para armazem a
4J500, osorivaninhas de lalfio a 3J500. 4g o 4g.S(K),
bandejas grandes e pequeas, bicos blancos e pro-
les por barolisslmo preco, finos e ordinarios, ferra-
.'1'iis e miudezas de todas as qualidades, mais ba-
rato do que em oulra qualquer parle : na ra Di-
reita n. 64.
Na loja da estrella.
Ra do Queimado n. 7.
F.ste cslabelecimenlo contina a tero mais com-
pleto sorlimento d fazendas de todas as qualidades,
e se vendom pur menos do que cm oulra qualquer
parle, assim como :
imitas francezas, o covado 160
Cortes de casemira ingleza 2g400
Dilos de dita muito superior, franceza,
o corte 6g500
Chapeos fraucezespara cabera, finos 6g800
Corles de calca de brim 18280
Casemira de'duas larguras muito fina,
o corada 3g500
Taimas bordadas muilo ricas.
Chapeos para meninas e sonhoras.
Camisas pora senhora, bordadas.
Corles de collete de fustn, bonitos padrees 500
Camisas de todas as qualidades para homem.
Carteiras de perfumaras inglezas 55000
Caza roques de fuslao, faznda muito superior,
Ce'.' tos de velludo prelo e de cores.
Paletols de panno preto 16g000
Dilos de dito superior a 28g e 30g000
Cairas de casemiras pretas e de cores.
5g500
51500
4g800
Accidentes epilpticos.
Alporras.
A mpolas.
Arrias (mal de).
Aslhma.
Clicas.
Com ulsos.
Debilidade ou citenua-
co.
Debilidade ou falla de for-
ras para quahiuorcousa
Dysinteria.
Dordo garganta.
de barriga,
nos rins.
Dureza norentre.
Eiifermidades no venlro.
Ditas no ligado.
Dilas venreas.
Enxaqueca.
Ilorysipola.
Pebre biliosas.
Pebreto inlernitentc.
Pebrelo da especio.
Colla.
Semorrhoidas.
llydrupesia.
Ictericia.
liidigisloes.
Inllanimaroes.
Irregularidades da mens-
Iruaoao.
Lombrigas do toda espe-
cio.
Mal de podra.
Mam has na rulis.
Obstruri;n do venlro.
l'hlysira ou consiimprao
pulmonar.
Roloiii o do ourina.
Rheumatismo.
Srmptomas segundarios.
Tumores.
Tiro doloroso.
Cceras. t
Venreo (mal).
NA BIJA DO QUEIMADO N. 46.
S Ricas sobrecasacas de>panno fino preto e K
3 de coros com golla de velludo e forradas de fg
g seda, feila com lodo goslo c areio a 228, 23g, K
28 e 30, bem assim palolols de casemira d
3 quadrinhos a 108, dilos de casemira oscuros,
padroos muilo modernos,'a 188, dilos a 148, !
a ditos do alpaca prola c de cora 4g, dilos de 5
ja esguiao l'c linho pardo muilo fino a 5S. dilos ^
iS de fusto de muilo goslo a 5g, dilos de ganga K
i| decora 58, dilos de bramante de linho oran- 2
ja ro a 5S500, calcos do casemira preta o de cr
8 7$, 88. 95 e 10g, collotes do fuslao rom- (S
-. lo bom foilos a 28500 e 3g, dilos de gorgur.io '
g de seda a 5g, dilos de melhor qualidade a 6g S
S c 78,dilos desolim nmeao a ug, ricas col-
^ chas de fuslao de diversas coros e muito g
C. grandes a bjfiO, reroulas de bramante a B
'.; lafiOOcada urna, 18800, lg'Ji 0 e 28, dilas de ra
M panno de linho com borracha a 2,S00, rolle-
a los de brim branro muilo fino a 3g, dilos de 3
seda branca a 5$, ealcas do brins de diversas fe
.oros c padroos a 3. 3g500, 4 o 5|, dilas i
de meia rasomira, padroos miiulinlios a 4s, '-
ilitasde brim branco Iraurado do linlu a 5g a
o lia, e oulras militas fazondas a obras que p;
S s rom a visla que ofroguoz pode avaliar o
que vender baralo. p
FUINDIC^O LOWJIOW,
lina da ScHzala IVova ii. 42.
Nesle eslaholocinionlo continua a barer um com-
plelo snrnionln do munidas e meias moradas para
engeiiho, machinas d vapor c laixasde ferro bati-
do o roado, de lodos os lamanhos uara dilo.
Mai gitos.
Vendem-se manguitos de cambraia bordados pa-
ra meninas, pelo baralissimo preco de 18 o par, !
ditos muilo finos para senhora a Sa500e 4g o par:
na ra do Uiii'imado n. 22, ua loja da Bou F.
Vendem-se estas pillas noestabekicimealoge-
ral de Londres n. 22i, Strand, o na loja de lodos
os boticarios droguistas o nutras pessoasenearrega-
dasde sua venda em luda a America du Sul, Dava-
la o llospanha.
Vendem-se as boeetlnhas a 800 rs. cada urna dol-
as i omlm nina inslruccao em portuguez para ex-
plicar o modo do se usar'doslas pillas.
O deposito peral he em casa do Sr. Soiim pbarma-
ceulico, na na da Cruz n. 22 eui Poruambiiro.
Na loja das seis portas
EM
Frente do Licramcnto.
Cassas francezas, fazenda nova, a 160 rs. o cova-
do, e a pera a 58 com 33 covadns, cortes de cam-
braia com salpico a 3g, ditos pintadas a 2g. lenco
de retroz a 500 rs., luvas de seda prelas lizas e bor-
dadas para senhora a 18, chales de merino com
barra estampada a 4$, musselina branca a 240 o
corado, dila encarnada a 320, velludilho de cores
para roupas de crianras a 800 e lg, fil de linho
prolo, fazenda fiua,lg280 avara; dao-se amos-
Iras, e a loja est abena das 6 horas da mauhaa s
9 da noito
-gooo;'
2$500
1g000
600!
^
Loja
NA
Espaitilhos para senhora
Paletols de ganga muito superior
Ditos de biim branco
Hicos vestidos de fil de seda proprios para
baile c casamento.
Ditos de seda de lodas as rores.
Dilos de cambraia com babados 5g500
Lencos de seda a 500, 18280 e 2SiXKi
Luvas de seda para homem e senhora IgOOO
Cheguem ao barato.
O Leile & Irmao continuara a torrar merino preto
n de rores com ditas larguras a 18600 o covado,
cortes de calca de meia casemira a 2S200, lindos
corles de collete de cachimira a 18. corles de cassa
de lindos desonhos a 2g, grosdenaple preto de
18600 a 39 o covado, ricos manteletes de grosde-
naple prelo, luvas de seda de dilTerenles qualidades
para senhora e menina, musselina toda encarnada
a 220 o covado, chita franceza de lindos desenhos
a 240 e 300 rs. o covado, curtes de caira de brim
de linho a 1g800, lindos cortes de riscado franco/, a
2g800, poras de cambraia lisa com 10 jardas a 2840,
38600. 4$500, 5 e gfOO, toalhas de linho para me-
sa 3S500, chales de merino lisos a 48600. dilos na-
usados de lindos desenhos a 7g, ditos de touquim
prelos, loncos de cassa muito linos e de lindas cer-
caduras a 3g a duzia, chapeos de sol de seda a
68800, paletols de alpacmullo fina a 6g, chita de
lindos desenhos e cores fizas a 200 rs. o covado,
casemira preta de 2 a 5 o covado, toalha de algo-
dio para mesa a 4g, panno fino do diflerentcs qua-
lidades, bramante para lencoos a 2g300 a vara, t-
peles para entrada de sala a 3g, meias muilo finas
para senhora a 3g800 a duzia, dilos paro menina e
menino de lodos os lamanhos, grosdeuaples de lin-
das euros a 28o covado, cortes de muilo boa case-
mira a 6 e 78, caira de casemira preta a 10>. saias
bordadas a lgtjOO. 3 e 48, dilas de baln a 68500,
Secas de madapolao a 3. 4, 48300, 48500, 4S00,
8500 c 6g, cobertores de algodao a lg280, meias
ornas muilo finas a 5g a duzia, chally de bonitos
desenhos a 800 e lg o covado, vciicziana propria
Ra do Queimado n. 22
Nesta loja os bons freguezes encontraran fazendas
boas por pouco dinheiro, como seja : chitas fran-
cezas de padrees muito bonitos a 260 rs. o covado,
titeados escoceses muito bonitos com padroos do
soda a 160 rs. o covado, chitas escuras de cores fi-
xas a200rs. o covado, dilas finos de padroos Boros
a 260 o covado, corles de cassa piulada com 7 varas
cada um a 2$, brelanha de linho fina a 148 a peca,
com 25 varas, dila muito fina n muilo larga com '35
jardas a 208. brim branco de linho a 1g el, muilo superior a lg440 avara, dilo pardo a 800 rs.
a vara, dito decores a 1g a vara, dito liso de qua-
drinhos oscuros, fazenda muilo Superior, a 560 o
covado, brim liso muilo lino a 108 a peca com 20
varas, ganga .marella franceza muilo fina a 320 o
covado, dilas escuras a 560 o covado, brim de coros
de linho puro, denominado arranca pregos, a 600
rs. a vara, bramante de linho muilo fino com duas
varas de largura a 2g400 a vara, aloalhado adamas-
cado.cora duas larguras a 1g280 a vara, camisas do
meia a 18, dilas creas muilo finas a 1$200, alpaca
preta fina a 640 e 800 rs., e muilo fina a 18 o cova-
do, meias de algodao cru para homom a 1g80O e
2g40O, e inglezas muilo superiores a 5g a duzia,
dilas para meninos e para meninas a 280 o par, di-
las brancas do seda para menina a 2g o par, lencos
brancosde cambraia para algibeira a 2g4O0c a 3$
a duzia, ditos muilo grandes proprios para cabeca a
400 rs. cada um, fraiiklim prelo de laa com 6 pal-
mos do largura a 800 rs. o covado, merino selim
preto e de edr a 800 rs. o covado, meias brancas li-
nas para senhora a 38600 a duzia, dilas inglezas
muilo superiores a 58 a duzia, luvas de fio de Es-
cocia para criancas a 200 rs. o par, loncos de linho
para rap a 400 rs., ditos de cambraia de linho
com bico largo em vollo a 28, e assim outras mul-
tas fazendas que vendem-se muito baratas para apu-
rar-se dinheiro: na ra do Queimado n. 22, na
bem conhecida lo a da Ba F.
Aviso.
ora balinas a 2g o covado, damasco de laa de duas | Fio de algodao.
irguras proprio para coberla de cama a 2g400o Couro de lustro,
covado, lirilhanlina asselinada de lindos padrees a j Fumo em folha.
700 rs. o covado, espartilhos para' sonhora, pentea ; Balaneas romanas,
de tartaruga a imperatriz a 1 lg, rodos de palha a I Reros superior.
6g, toncas de fil muilo bem enfeitadas a 28, vi-l-
indo de cores de muilo boa qualidade, fil liso com
21/2 varas do largura o 640 a vara, franquelim rom
G palmos do largura a 640 o covado, o nutras militas
fazendas que se vendom por borato prero, e de lu-
do se dar amoslra:ua ra da Cadcia do'llecite u.4S.
No armazem de Adamson, Howie,4 C, ra do Tra-
piche n. 42, vende-se scllins para homem e senhora,
arreos praleados para cabriolis, chicotes para car-
ro, collonas oara cavallo etc.
Algodao avariado.
No armazem da ra do Quei-
mado n. 19.
Algodao americano largo fazenda superior com
um pequeo toque de agua doce a 2g500 e 3g a
pera.
Farnha.
Vendem-se saceos grandes com boa farinha de
mandioca : na ra da Cadcia do Itecife n. 55, pri-
meiro andar.
Vende-se urna eserara muilo propria para qui-
tanda ou campo, e muilo em conta : no atierro da
Una-Vista n. 86, primeiro andar, de 1 hora da lar-
do as 6, acharan com qiiem tratar.
Km rasa do Domingos Alvos Mathous, rila da
Cidria n. 51, ha para vender os seguiules arligos :
l'anno de algodao nacional.
kunm
robertos e doseobertos, pequeos e grandes, de ou-
ro patente inglez, para homem e senhora, de um
dos mclhorcs fabricantes de Liverpool, viudos pelo
ultimo paquete ingles: em casa de Southall Mel-
lora Al c*
Para criancas.
Mni bonitos e delirados rhapeozinhos de merino
o selim bordados e enfeitados, rom aba cabida, ul-
tima moda, inui proprios para baplisados ou mrs-
mo passoio, polos baralissimos procos de 5 c 6&000:
na roa do Queimado, loja da Aguia'Branca n. 16.
Aos senhores deengenhos.
niquissimn sorlimento das verdadelras enchadas
calcadas de ac o de ontras militas ferragens por
procos muilo commodos, que com suos presencos
poder.io se justificar o que se annuncia : na ra
Nova n. 20, loja do Vianna.
Algodao da Babia,
No osoriptorio de Manoel Ignacio de Olivoira &
Filho, vende-se superior panno de algodao da
Bahia.
Fio de algodao.
No escriplorio de Manoel Ignacio de Olivcira &
Filho, vende-se superior fio de algodu.
Manguitos para senhoras e me-
ninas.
Manguitos bordados de cambraia fina transparen-
te, pora senhoros e meninas, pelos baralissimos
precos de 18 e 1861 0 o par, pocinhas de entremeio
de raui bonitos bordados a 18600 : na ra do Quei-
mado, nos quatro cantos, loja da aguia branca
n. 16.
Carteiras grandes com chaves.
Vendem-se por prero muito baralo carteiras
grandes com chave, nroprias para guardar dinheiro
e letras : na ra do Qneimado, na bem conhecida
loia de miudezas da Boa Fuma n. 33.
Luvas de todas as
qualidades.
Acaba de chegar<6 loja d'aguia bronca um novo e
romp.-lo sorlimento de luvas de todas as qualida-
des, sendo as verdadeiras de Jouvin brancas, cor de
caima e pretas para homem e senhora a 2g500 o
par, lisas de seda brancas e amarellas para senhora
a 1g280 o par, dilas com borllas a 18600, ditas
bordadas com lindas palmas a 2$, dilas mu finase
bonitas enfeitadas com palmas e bicos a 28500, di-
tas pretas tambora de seda cora palmas e bicos en-
feitadas com vidrilhos a 2g500, ditas com palmas e
lisas a 2g e 1g600, ditas de torcal mui finas com
palmas de vidrilhos a 2g, dilas 'tambem tinas com
palmas de retro/, e lisas a lg500 e 18200, dilas de
seda para meninas a 18200, dilas para hornera a
lg600 ; assim como muilas outras de diversas qua-
lidades, como de fio de Escocia brancas e de cores,
brancosde castor, mui boas e fortes, e de algodao,
Eroprias para montara e guardas nacionaes, aos
aratissiraos precos de 1g ale 320 o par : na ra
do Queimado, nos quatro cantos, loja d'aguia bran-
ca n 16.

Vende-se em casa de Sanndors Brothers Al C,
prora do Corpo Santo, relogiOS do afamado fabri-
cante ltoskoll, por procos commodos, c taiuliem
train ollins e cdelas para os mesmos, de escolenle
goslo
. Ricos enfeites com vidrilhojs
para cabeca.
Vendem-se os mais ricos eufeites prctos e de
cores com vidrilhos, pelo baratissiaio preco de fi;eada um : na bem conhecida loja do miudezas
da Boa Fama, na ra do Queimado n. 33.
Potassa da Russi
E CAL D LISBOA.
No bem conhecido e acreditado deposito da na
da Cadcia do Bocifo n. 12, lia para vender potassa
da Bussia e da do Rio de Janeiro, nova e de supe-
rior qualidade, assim como tambem cal virgem em
nidia : tudonor oreros muilo razoaveis.
Em casa de Kube Scl-mettnn & !C.
ra da Caduia n. 37, vcndem-se elefan-
tes pianos do afamado iabricante Trau-
tnnnn de Hamburgo.
Chapeos.ihos para crian-
cas.
Vendem-se cliapeosinlios ricamente enfeitados,
polo modiro prero de 6 e 78, assim cmo bnnels de
tilo limito enfeitados a 59 : na bem conhecida baja
da Boa Fama n. 33.
Enfeites prelos e de cores
com vidrilhos..
Na loja d'aguia branca acharao as senhoras de
bom gosto um lindo e novo sorlimento de eufeites
prelos e de cores com vidrilhos e di mui bonitos
desenhos aos baralissimos procos de 4, Se 68: ua
ra do Queimado, luja de miudezas d'aguia branca
n. 16
sem
Sg800
f
30gf)00
g
9g000
78500
SAMO
3$80O
s
i
Cochins de linho.
Enchadas de forro.
Burras de ferro.
Vende-se na ra da Sonzala Nova n. 30, as
mais novas lolas com bolaehlnhas do soda, por
monos preco do que em oulra qualquer parte.
Borzcguins iiii.ltv.es do iluiis solas para
invern.
Prova d'agua.
A 10#000 rs. o par.
Dinlieiro "vista.
Os molliores bnrzeguins que at hije vieram a
osle mercado : vendem-se uniratiwnti na loja de
Leile i Irmao. ra da Cadeia do lteci'e n. 48.
= Na 'prora da Boa-Vista, taberna 1.12, vnde-
se bolarliiuha de soda de superior pialidadc, o
mais novo que ha no morcado, porljjGOO a lata.
Pulsaras de froco.
Vendcm se pulseiras de froco enfeitidas com fi-
tas e bicos de seda, pelo haratissimo iroeo de 3g :
na bem conhecida loja da Boa Fama i. 33.
Riquissiinos estojospaia harba
erando sortimenlo de eslojos de lomem para
harba, desde o mais fino at o mais oidinario : na
ra Nova n. 20, loja do Vianna.
Espingardas tronchadas.
Biquissimo so i ti monto ds espiggarda tronchadas,
desde o mais fino al o mais ordinario* na rna No-
va, n. 20, loja do Vianna.
Riquissimas caixas de costura.
Grande sortimenlo de caias de costira desde o
mais fino al o mais ordinaiio : na ra Nova n.20,
loja do Vianna.
Bonets de panno fino t gor-
guro.
mofo a.
Tluqueza de .-oda de ramagem a..........
Barege de seda de varias qualidade! a 300
ris e....................................
Meio velludo de cores a..................
Velbulina do cores........................
Brilhaulina brama uiuin lina a..........
Chitas francezas claras e oscuras a 280 o
l'anno preto e de cor fino prova de limao
a 3g5O0 c..............................
Casemira preta lina a 1 600 c............
Cassas orlandys de iinvus desenhos a vara
Hilas francezas muilo linas a..............
Maulas pretas de linho'ricas..............
Ditas de blond brancas e pretas..........
Taimas bordadas muito ricas..............
Ricos chales de touquim bordados........
Dilos de seda de cores prelos e osen ros..
Dilos de merino bordados a' velludo......
Dilos ditos a seda a 6g500 e..............
Ditos ditos lisos franja de seda............
Ditos ditos franja de la....................
Dilos dilos estampados de 2g800 a........
Lencos de linho lino bordados............
Dilo's de algodao labvrinllio de 900 rs. a
Manguitose lina e eulremeios bordados
de cambraia............................
Cnlitillas do cambraia bordadas a Oi e..
Ditas ditas muilo linas de punta..........
Enfeites de froeo e llores modernas......
l'oilos para camisa de algodao o linho___
Semillas do brim de algodao o do linho..
Camisas francezas du cor e brancas a
lg920 e................................
Duas de ditos de esguiao finos..........
Cosacas e sobrecasacus de panno preto li-
no a 228 c..............................
Palolols de casemira claros e escuros___
Ditos do merino sotini prelo e de cor___
Dilos de alpaca oreros e de cor com golla
de velludo..............................
Dilos do' brim branco e de cores linos___
Dilos de alpaca prolo e de cor............
Calcas de casemira preta c de cor........
Colleles de velludo casemira egorgurao..
Bordados finos.
Ha na ra do Queimado, loja de 4 portas n. 37,
um completo sorlimento de liras bordadas muito
proprios para calcinitas de criancas, travesseiros
para enteilar casaveques, gotlinhas com manguitos
de variados gostoa e diversos procos, eullinhas para
600, 800, lg, 1S5O0. 2g, 2g550 e" 38, manguitos, o
par 18600 al 3g, camisiiihas bordadas para bapli-
sados por diversos precos, camisinhas para senhora
cora gollinha e manguitos, saias cora 3 babados
bordados por 6g, ditas por 48, saias de balito de
goslo moderno para 78, o nutras muilas mais fazen-
das, que neste t-slabclecinicnlo se vendom por prc-
90 mais commodo auc etn oulra qualque' loja.
Vend-m se em casa de C J. Astley
& Companhia :
Cabo da llussia e inglez patente.
Salitre, alvuiade e verniz branco.
Palliinha para inarcineiro.
Vinlioi linos de Moselle e Champagne.
Pedras de marmore para metal e con-
t lo 1.
Baldes americanos.
Genebra e agurdente de Franca.
Pregoi de cobre e de zinco.
VinhoBordcaux.
Em casa de Henr Bnmn 4 C, rus da Crnz n. 10,
vende-se vinho Bordcaux de diflerentcs qualidades
como I.afolle, Ch, l.eoville, Ls. Jitlicoii, em caita
de unta duzia or barato pre o.
s= Vendem-se ptimas ps pora podara a 48*o
par na serrara da ra da Praia de Sania Rita n.
13, ou roa dos Copiares n. 4.
Aparelhos para cha
brinquedos de meniras em ponto grande
e de metal, compostos de bule, aisucarei-
ro, leiteira, chics ra, pires, colliere,
urna rica bandeja etc. tudo por 2$: 1 a
ra Direita n. 45.
= Vende-se na ra da Cadeia do Recite n. 60
urna esrrava de bonita figura com poucas habilida-
des, de 22anuos, pouco mais ou menos: baralo
de obras foilos
miro o 8, 9 e 1
ls de alpaca pro
ditos de alpaca
asqualida los, rlleles de I
de gorgur
de brim di
diversasq
lano em
ATTEN(liO.
Kissel, rolojooiro franroz, vende rlogios du \
ouro-e prata, concerta relogins, joia emnsi- >
cas, ja aqui he conhei ido ha muits annos, r
habita no pateo do Hospital n. 17. C
'yii.XJLi.iii XiS. Li.-milii.XXXi**
z= Vende-se na ra de Domingos Pjtt, na casa
de Frederiro Forreira, um erro nov de 4 rodas,
proprio para ongoiiho, sendo de doustois e lam-
de selim 1
linho lun. .0
c 15g, dilos mais pe-
rcuti ricas, as me-
gencro, e por proco
bem tem 11111 grande
i 111 como sejara : cal-
ditas pretas a 7, 9 e
o 18 o 3g800, e muilo
cor a 38500, de lodas
do prelos e de cores, I
lio, o de fuslao. calcas I bam de retener peo ultimo avio'vido a> Paria,
o rores, gollinhos do um completo sorlimento dechnpellim parssenho-
em de um, e serve p.ra a esioro divapor.
Ricas chapel lints.
O Leile i Irm.io, na na da Cadei n. 48,. aca-
alidades, o tu. lo mais aqui se encoulra I ra, e estao se veudendopeto dnintipreco delM
obras fetlas. ~~>--------- ---
das como j
I cada urna : a ellas, queja tem pouca
:-5
MIOPE DE SAIDE DE ARRMJL
turar efTicar
m 1 ismii, asi
DAS 11 DEPEXDKXfl
pend
denles de svj
fermidadesdestf
As molesl
teri.l e oimai
eos, PKiirts.u
|mle, sem o uso do mercurio, as molestias ctrturus, syfiiieicas, o
SIPKLAS MDICAS, ESXrCOES UF. PELLS I-EST1XVZE8. SSCLCESAS |TETBA-
3e um victo STPniLiTir.0 e LisrnATico, as iroxchites c pueujkias do-
lis, as bobas, os uartkos, as mpicEss, a opiLAcio, e outras mitas en-
nero.
n 1 tebo, todos os desarranjos e irregularidades da MESSTauAr., a nvs-
rinienlos dclla provenientes, como coses paludas, corhihks* bran-
lICHONURIA e fALTA DE AfPETITE.
para|ricalriza|eAmplclamcnle cm 21 horas os colpes c eeridas de qualquer qualade que
'7
Balsamo infaliivel de Arrault
nplclamenle cm 21 horas os colpks e EERiDAsde qualqu.
Pos ^irgavos de curato de magnesia gaaza
p| para Reparar as limonadas e em garrafas ji preparadas.
1 ranada c a mais bem preparada que se conhoce ot boje nao s peloslo ro-
a vantagom de se poder ronservar no eslomagoo mais excilado.
no deposito gcial, ra da tjuilanda 11, 58, defrdnte do Corrcio Meanlil,
EM CASA DE
OIJZA BASTO* la em Pernambuco ra da Cnizi.%h>.
Yisporas e dminos.
Visporas cm bonitas caiziihas de maoira enver-
nisadas, rom 2 tranrasaag, em outras cdtinhasa
1500 e lg, dminos mui bem foilos c seguros a
lsOOe lg280 : na ra do Queimado, loja d'aguia
branca n. 16.
Nova inven?ao aperfeif oada
DE
Bandes o almofadas
de crina para penlcado de
senhoras.
Na loja de Leile clrmo, na ra da Cadcia do
Recite 11. 48
Arados americanos e machinas pa-
ta lavar rotipa: em casa de S. P. Johni-
ton Si C. ra da Senzala n. i2.
-Vamos freguezes aguia
de 011ro da ma do Cabug n. 1 B., aonde
acharao um bello sortimenlo de miudezas de bom
gosto, como sojam : capellas com palma proprias
para noiva c chapos proprios para haptisado tanlo
una euusa como oulra o mais iindo que possivel,
caiiiuhas r.heias com amendoa enfeitadas propria
para mimo, penlcs de tartaruga e de massa os mais
modernos e mais lindos que tem apparecido, fran-
jas de seda de lodos as larguras e precos, dita de
linho para casaveque, ditas para cortinado, apare-
lhos para brinquedo de menina compotido-se de
talhores, salveiros e mais pcrleuces, bandeijos por
610 rs., ditas maiores por 18, e oulros muitos mais
brinquedos para menino, tintnos de lodos os ta-
maitos proprios para escriplorio, gravalinhas to-
das bordados a vidrilho para senhora, ditas rom
1.as-ador muilo lindo, riquissimas litas de todas as
larguras e precos, touquinhas de retroz com vidn-
Mui bonitos bonets do panno lino preti enfoitadns "'" llara menina, bicos e rendas de labyrinlho de
com ricas filas de chamalolc, trancas de rclroz e '"lasas larguras, grande porco de froco de todas
iSEvESS^BB2a
aSS^^KS
Ariuarin de fazendas.
Ra to Queimado n. 19.
Sanios ".oelfi avisa ao respoilavel publico que
" espartilhos sao chegados no uimo navio ancez.
cintas fra ices linas a 2t0 "280, 300 o 320 o^ I nllef ?W d" ? *? .33_
ado, en, a^gy* de cor 2 babados '.%. y^ *fi& &$S%Z&
Espartilhos tranceos de nova
inven^o
Vendem-se espartilhos trancis de molas e car-
retis, o melhor que se pode emntrar ueste geno-
i n>, na bemfeitroia e na comraodlade, a queni usar
corles de ch
lino a 2g$l
porfSali, irahraia cbioeza a 200 rs. o covado.
cambraia depr imitando chally a 200 rs. o cova-
do, brini nh de linho a 180, proprio para roupa
de menii os loncinhos para meninos c meninas a
BO rs. ca. a ni, lencos de cambraia para algibeira
a 28 a di li ditos de cambraia de linho a 3J5O0,
dilos com Ico largo para senhora. ricos organdvs
cora o mit apurado gosto de Paris a 18 a vara,
lindos el *)'l de seda a 1g o covado, ricas cuber-
as avell itdas a lOg cada una, ricos manteletes
e -adida S bailo prtnreza de Gules, ricos chales
delouqu broncos, dilos de merino com duaspol-
mos, eapvde panno fino de diversos feilios, cha-
les de la iiscurns para andar em rasa a lhuleada
um. rhit le ramagens franceza pera robera a 240,
riscadinhfe muilo finos para roupao a 220 o cova-
do, velluinho de cores para vestido a 900 rs. o Co-
vado, brnanlina brama asselinada de ricos Livo-
res ti 560) 750 o covado, brilhaulina preta propria
para lulh 320 o covado, madapolao patento a 4g
a peco.
Rualla Senzala Nova n. 42.
VendMe em casa de S. P. Jonhslon 4 C. vaque-
tas de lie. para carros, sellins e silbos inglezes,
candeeM e casticaes bronzeados, lonas inglezas,
lio de vja( chicote para carros, e montara, arreios
para cafoideume dous cavallos. e relogios d'ouro
patculinglezes.
1 ridores de luvas
a1$500
cada um.
Vcndem-se queijo3 muilo superiores a 2g24(
galozinho dourado, ditos de gorgurao furia-cores
c de lindos gustos a 4 e 58, precos baatiLsimos
vistada superioridade da obra : na rita lo Queima-
do, nos auatro cantos, loja d'aguia braica n. 16.
Attenco.
Vende-se por preco razoavel farelo Ino de Lis-
boa : no armazem da ra da Moeda n. SI.
= Vende-se urna morada de casa lerea sita na
ra dos Fraterna na Boa-Vista : na tebena de Joao
Jos Lopes do Silva, esquina do beceo las llarrei-. dilo do manleiga, "vindo do serlao' a 960 a libr
ras se dir quem vende. pur baixo do sobrado n. 16. com o oilatj para a rn
\ endo-se na loja da ra da Cade do Recite da Florentino.
Sebo refinado. /
Vende-se sobo refinado em caitas c barricasio
da Bahia, cera de abelha e farinha de Sania Cata-
rina : no armazem n. 33 da ra da Cruz.
Queijos do serlao.
No largo do Carmo, quina da ra de Hurtas I 2,
.1800;,.
lgabr
Na ni do Queimado, na loja de miudezas da Boa
Famai. 31.
I ^elogios.
Vtdem-se relogios de ouro inglezes de patente:
no anazi-m de Augusto C. de Abreu, ra da Ca-
dealo Iterife n. 36.
a Vende-se no sitio da viuva de Joo Carioll,
laraceiras de umbigo o da Chioa, ps de frngtapao,
sa|*i, limao para cerca, e muilas outras qualida-
desle plan a.
- Vend m-se pataces : na loja n. 26 da ra da
Capia do torife.
Para senhoras.
iui boni as e delicadas pulseiras de seda e froco,
evitadas i om bicos c vidrilhos, obra inlcirameu-
teaova c d i sublime gosto a 3g o par, lindas gra-
viinhas de fino ecido de la e seda cora borllas
efe cores nui bellas e agradaveis a lg500, assim
emo miiit bem feilos abafadores de la proprios
mocessari is para os senhoras cohrirem os outi-
ds especialmente na presente estacan a 3g cada
ni : ua ri a do Queimado, loja da aguia brauca
116.
I> un ocas de camursa.
Mui boni as e bem feilas lioneras grandes de ca-
nursa, exc dientes para brinquedo de meninas por
ua muita duraran a 800, lg e lg200 : na ra do
iiioiinado, loja da aguia branca n. 16.
Chapeos de Italia. Venda de escravos.
Os nicos n verdadeiros chapeos de palliinha de Vendom-
Italia dobrados, e com forro de diversas cores, veitr-de de 35 annos
dem-se nicamente na ra Direita n. 91 : na riia0u'menos,
do Aragao n. 36, e nos quatro cantos da Boa-Vistid |ra|ar na r
debaixo do sobrado, pelo dimiuulo prego de lgbo] chapeos.
as cores paro se escolher e oulros ranilos mais ob-
jeclos que so ofianca vender o mais barato possi-
vel : na bem conhecida loja de miudezas aguia de
ouro na ra do Cabug.
pinnas, igualmente o afamado eo babosa para lim-
e fazercrescer os cabellos; asim como no impo- ..
rial do lyrio de Plorenca para urloejas e asperida-
des da pello, conservas (resecae o avelluaads"fla
primavera da vida. v
Bonets ricos paiji meninos
Vendem-se bonets de paff muito Unos e de
velludo o melhor que se pdencontrar, tanto uns
como outros ricamente enfeildos para meninos,
pelo baratissimo proco de 4 e .J cada, um na ra
do Queimado, ua bem conheida loja de miudezas
da Boa Fama n. 83.
Na ra da Cadeia
nj
vende-se foijo branco furado, por preco baralissi-
mo, que serve para animaes.
Finas balaneas.
Na ra do Queimado n. 28, e ma Direita n. 57,
lojas de ferragens de Santos Uiveira 4 C, vnde-
se por 12g bracos de balanca amarelhados com con-
chas e corremos de metal ana relio, os meHiores
que tem vindo ao mercado, proprios para depsitos;
a elles, que estao no resto. ,
= Vende-se urna mulalinha de 6 annoc o urna
negrinha de 10 annos: na ra direita n. 34.
Vende-se urna preta de 18 annos, bonita figu-
ra, com bastante principio de labilidades, apta pa-
ra qualquer servico, urna oulri preta de 25 annos,
boa peca, com lodas as habilidades, para servico de
cara e de ra, e um preto robusto de 26 annos': na
ra do Cabug n. 9, no egundt andar.
Farinha.
Muito superior, em saceos grandes, desembarcada
boje do vapor Oyapock, procedente do Maranho ;
vende-se no armazem de Kerreirn 4 Martina, tra-
vessa da Madre de Dos n. 16, por prero commodo.
Nova ijivenco para en-
gommar.
Na ra Nova n. 20.
Grande snrtitimento de foges para esquenlsr
ferro de engommar eom a maior violencia,.dar quo
fazer a urna ongoinmadeira, trabalhandn com mui-
ta ligereza, poder engommar por da 100 pecas de
roupa.
r

Escravos fgidos.
n. 40,
Cemento romano,
de superior qualidade. chogado ullimancntc, por
preco commodo, por junio e a rclalho.
Vid ros com ac para esfelhos,
t.'ilvez os mais superiores que lenham vhdo a este
mercado, uo s por sita grosura, cono por sua
qualidade, de grandes e pequeas dimnsoes, cm
porco o a roialho, o proco commodo.
No engenho Ponainduba vende-se 2 animaes vcndem-se superiures queijos do serlao a 800r, "a
para roda, muilobons: quem os_ proieiiter. dirija- libra, superior manleiga ingleza a 900 e a lg a pro,
gonimo pora engommar a 100 a libra.
se ao niesrao engenho, que achara com qnjm tratar.
Cognac.
Cognac sjuperior em caixas de urna duzia, vnde-
se em casa
Vcnd
se duas escravos, sondo urna de 4a-
o oulra de 40 anuos, pouco mais
as quaes eoziiiham cura perfeieo : a
o da Cadcia do Becifo n. 46, loja de
le Henr Bruiin 4 C. ra da Cruz n. 10.
-se um carro da alfandega, novo, na
ra dos Pites, em casa de Frcderico Ferreira :
praca da Bia-Visla, taberna da estrella.
Vendas.
Relogios de ouro o prata, cobertose descobertos,
patente inijlcz, os melhores que eiistem no mer-
cado, e despachados boje, vendem-se por precos
razoaveis: no osrriptorio do agente Oliveira, j'ua
da Cadeia C o Recite u. 62, primeiro andar.

k II I
I
No dia 14 de agosto do anno prximo passado,
fugtram do engenho Sete Ranchos, reguezia de
Nossa Senhora da Escada, comarcada cidade da
Victoria, osseguintosescravos: Damio,crioulo,de
25 anuos de idade pouco mais ou menos, cor fula,
beicos grossos e meio arrehilados, tem unta cicatriz
na testa proveniente de um rotee de animal, pernas
finas e alguma euusa arqueadas para fora, esmalma-
do, espoduad,altura regular, e esli bulando ago-
ra. Jai inthu, crioulo, de 28 annos de idade pouco
mais ou menos, altura regular, edr preta, pouca
barba, beicos grossos e faz certo geito na bocea quan-
do falla, tem urna cicatriz em urna das faces, pernas
finas, esmalntado, fuma, e locador de viola. O
primeiro foi comprado aoSr. Joo Francisco Barbo-
za daSilva Citmar, -ewegundo diz que foiescra-
voda femiliado Sr. Jooljpnes, da fazenda do Sitio,
em l-aje de Flores c comprado na praca da Per-
nambuco. Consta que ditos escravos es'lo em Pa-
jede Flores por portadores que mandei ede 14 vie-
ram : roga-se as autoridades policiaes e rapitesde
campo de os pegar c levar ao referido engenho, a
Iieriiardino Itarboza da Silva ou na praca de Per-
nambuco aos Srs. Manoel Alves Ferreira 4 Lima, na
ruada Moda n. 3, segundo andar, que serio re-
compensados com a quantiaicima.
PERN.: TTP. DE M. F. DE FARIA. 19.
- m