Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08842

Full Text
r.-

!

I
i

i
! '

A1VO XXXV. NUMERO 130.
Por iresj metes adiantados 4$0OO.
Por tres Meses vencidos S$000<
SAKIt 1IIO 18 DE ,11 AMO DE 1859.
Por anno adiantado i5$000.
Porte franco para o subscriptor
l ,. P4RTID* DOS CORREIOS.
Olinda iodos os das as nove e meia horas do dia.
Iguaiass, Goianna eParahiba as segundas e sextas-feirai
S. Anlo, Bezorros, Bonito, Caruar, Alliuho e Garanhuna
raiahiDa, o Sr.Joao Rodolpho Gome; Nalal.o Sr.Antonio as torcas feiras.
ElCallEGaOOS 01 SUiSCMrCM 10 NORTE.
AUDIENCIAS DOS TR1BUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commcrcio: secundas e quintas.
Relaco: ierras feiras e sabbados.
h, Limoeiro, Brejo, Pesqueira, Ingazei- Fazenda: Ierras, quintas e sabbados as 10 horas.
Bella,- Boa-Vista, Ourirury e Ex as i Jui/o doconimcrcio: quintas ao mnio dia
| Dito de orphos: tercas e sextas as 10 horas.
10 Formoso, Una, Barreiro, Agua Pre- > Primeira vara do civl: tereas e sextas ao meio dia
a, Pimenleir.s e Natal quintas feiras Segunda vara do civel: qua'rlag e sabbados ao meio dia,
(Todos os eorreos partem as 10 horas da manha.
O propr.elario dete Diario declara que inexac-
to o huato que circula nas proviucias do norte, de
que elle nao aceita artigas que deiiunciam actos
contrarios as leis pralhados pelos presidentes c
mais autoridades das mesraas provincias. O Dia-
rio lem como Un principal defonder a le e os di- 1
icitos dos cidadaos.
Ernbrtra este dever se e.lenda a todo Brasil i
romludoo norte sempre oconlrar preferencia eui i
suas columnas.
PARTE OFFICIAL
luanlia de 107$60.
Dito ao delegado do polica dn termo de Cabrob.
f.om a informaco junta por copia, do lente ge-
neral commandanle das armas, respondo ao olDcio
que Vine, me dirigid era 25 de abril prximo fndo,
representando sobre a oecessidade de um dcstaca-
mentu nesse termo.
Dito ao juiz de paz mals volado do 1" dislricto da
froguezia de Muribeca Nereu de Si e Albuquerque.
Declaro Vmc., com urgencia, o motivo por quo
GOVKBVO DA PRO VIV v.
Expediente ao da O. de junho.
Officio ao presidente da caixa filial do Banco do
Brasil nesla provincia.O inspector da Ihesoura-
na provincial participou-me, un ntlteio junto por
copia, que na calta filial do Banco do Brasil se re-
cusar* receber as quanllas presentadas ltimamen-
te clo thesoureiro daquella repartico, allegndo-
se que ollas tciiam do, ser retiradas antes de 60
das.
Nao me parece que cssa recusa, alias fundada
em urna mpra conjeclura, qual a de ser o dinheiro
retirado antes daquelle prazo. esteja autorisada pe-
las dispnsirucs, que gulam as iransacrocs entre
a thosourana o a caia filial. s
O prazo marcado para a retirada dos dinheiros
da mesma caixa s previlcee no caso de Dudar o
contrato, eomo se acha estipulado no artigo 1." do
contrato de 2 de abril de 1857, addicional ao dn 20
de julho de 1856. "
na- retida
os fundos q
juros sao co---------............ ,.,....., al,
julho, e nada se oppoe a que os dinheiros sejam
receidos na caixa tllial e entregues i thesouraria
quaudo for isso necessario.
Peco entretanto a V. Exc. que so sirva de infor-
mar sobre o fado, a que se refere o inspector da
lliesoiirana.equc eslou certo nao vira alterara re-
gulandado, que se lem sempre manlido nas opera-
cues entre aquella repartico e a caixa filial.
Hito ao commandanle das armas.Avista do que
V. Exc. mfortnou no *ou officio n. 472 de 3 do tor-
rente acerca do requeriraeuto. que devolvo, no qual
> anspecada do 4.' balalhao de artilharia a p Jos
1 iliurrio Barbosa pede baixa. oltereceudo ora seu
lugar para Hn.ilis.ir o lempo de servico, que ihe
falla, o paisano Jos Victorino da Silva, lenho a
dizerquo podo mandar passar escusa ao suppllcan-
le, acollando o substituto ofterecido. em cnjns as-
sentamenlos de praca sudesem fazer as convenien-
tes declaraeoes, afim de que se observe o disposlo
" *rt- 26 das inslruccocs aunexas ao decreto n.
21(1 do 1 de maio do anno prximo passadn.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Arhaiulu-so pendeuto de intorm.tro o seu olBcio
do 4 do correnle, sob n. 172. pode'Vmc, ate ulte-
rior deliberaro desl presidencia, conservar no co-
fre dessa thesouraria as quautias ahi existentes, fa-
zondn com ellas qualqucr despeza autorisada, sera
dependencia de passarcm pela caixa filial do banco
do Brasil.
Dito ao engenheiro fiscal da estrada de ferro.
A seu officio de 23 do maio ultimo respondo
declarando que Vmc. proceden regularmente finan-
do passou certificado para a isenrn dos direilos de
importacao deobjectos destinados a conslruceo da
estrada de ferro, nao romprelieuduiido porein ou-
tros, que forera considerados de cosleio.
Aguardo, entretanto,'os esclarecimentos que soli-
cito! do governo imperial sobre adevid inlelligen-
'oe a 8 do decreto <0*> de 7 de agosto de
loz, sobro que versa o citado officio de Vmc.
Porlnria.=0 rice-presidente da provincia resolve
nnmoar o padre I.ino do Monte Gannello Luna para
, "?*f dnu WWwHiecario da bibliotheca publica pru-
> racial, ficando sem efieito a portara de 31 de maio
ultimo, pela qual fui noiqeado o bacharel Pedro de
Albuquerque Aulran.Communicou-se ao inspec-
tor da thesouraria provincial e ao direcloj serl da
inslruco publica.
Expediente do ueretaria dn averno.
Oflicio no commandanle superior da guarda na-
cional desle municipio.O Eira. Sr. vico-presiden-
te da proviucia manda communicar a V. Exc. que
autorisou o inspector da lliesouraria de fazenda a
mandar pagar, os vencimentos dos officiaes do ba-
l liao da guarda nacional aquarlclado o o prct das
respectivas praca*, como V. Exc. sulicitou em olli-
co de 4 d,o corrate, o. 93.
Dilo ao cheto de.policia.=S. Exc. o Sr'. vice-pre-
sidenln da provincia manda communicar a V. S.
que, por despacho de hoje, autorisou a thesouraria
provincial a pagar a quaulia de 21500 rs., que se
despendeu com o fornecimentode luz para o quar-
tel do destacamento do Brejo, a coutar do 1." a 15
de maio ultimo, como se ve das canias e recibos
que acorapauharam o oflicio de V. S. de 4 do cr-
rente, sob n. 514.
Dito au delegado interino da repartico das trras
publicases. Eic. o Sr. vice-presieenl'e da provin-
cia manda communicar a V. S. que nesla dala se
expede ordora thesouraria de. fazenda para ser sa-
lisfeila a conla. que acompauhou o seu oflicio de 4
do corrente, que tica assim respondido.
Officio ao commandAnle das armas.Sirva-se V.
Exc. de informar sobre a inclusa representaco de
r.usiaquio .'ose Boavontura, ouvindo o capilo Jos
Joaqui ni de Barros, commandanle do destacamento
do Ouncury.
Dito ao mesmo.Expeca V. Exc. as suas orden
para que durante a sossao du jury,' que cumecou
hoje, se aprsenle diariamente ao respectivo pre-
sideule, s lu horas da mauhan, urna guarda para
conduziros presos e mauler a ordem naquclle tri-
bunal.Commuuicou-se ao juiz de direito presi-
dente do tribunal do jury.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal desle municipio.A' vista da informaran junta
que fui ministrada pelo comraandanle superior da
guarda nacional dos municipios de Ojlinda o Igua-
u irva-se V. Exc. de fazer declarar ao alteres
do .1. balalhao da guarda nacional desle municipio
Antonio Curdeiro da Cunha, quo nao podo ter lu-
gar a passagem, que ped'/ para o 9. balalhao de
inmolara do muiiicipio deOlinda, visto nao cons-
tar que elle teuha para all mudado a sua resi-
dencia.
Dito aoehefedc polica.Com a informaco, jun-
ta por copia, do engenbeiro fiscal do governo, res
pondo aos ofcios, que me dirigi o antecessor de
v. s. em 24 e 31 de maio, sob ns. 510 o 527, ca-
bendo-me declarar que a inspeccao sobre a illu-
minaeo publica dcv'e continuar a cargo da po-
Olto ao cnnselhciro presidente da relaco
Oueira V. S. iuformar sobre o incluso requerinien-
lo do escrivo Hanoal Peres Campello Jacom da
ama.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Haja V. S. de dar as providencias necessarias para
que o colleclor de rendas geraes da villa de Seri-
nhaern, nu o da cidad do Rio Formoso pague nos
devidos lempos os vencimentos do destacamento de
21) praeas de primeira linha, que sob o commando
do capilo Firmino da Cunha Reg segno para a-
quca villa no dia 6 do corrale.Communicou-se
ao commandanle das armas.
Dito ao mesmo.Ao sau officio de honlem, sob
n. dao, respaudo declarando que, em quanlo outra
deliberacao se nao tomar, deve continuar a ser pa-
go de seus vencimentos, como encarregado das
obras do melhoramento do porto, o engenbeiro Jo-
s Haniede Alvcs Ferreira, cujos servlcos sao an-
da nocessarios. que ao Sr. padre Manuel Thomaz da Silva capello
ci0. da repartico ecclesiastica do exercito, imoozora a
deira. que no mesmo olticio menciona-se.-l.o.n- Sacramento da freguexu de llaipeba, arceblspado sustentar aquellas medidas que orem"cuseniaiiea*
municou-se ao inspector da thesouraria de fa- I da Baha, pedindo dispensa das leis de amorlisacao n.m as nncessdac"
zeuda.
Dito ao director do arsenal de guerra.Forncc
Vmc. ao delegado da repartico especial das
publicas um sgnele das armas imperiaes pa
uso da mesma repartico.Commuuicou-se ao re-
ferido delegado.
Dito aojuiz de direito da comarca do Brejo.L
teirado de quantn Vmc. me communica em sen of-
ficio do 3'J de maio ultimo, tenho a dizcr-lhe
espero do seu zelo o maior empenho na repres
dos dolidos, e captura dos criminosos, para o
Vine, auxiliar osesforcos das autoridades poli
dessa enmarca.
Ao respectivo comman lanle superior lenho re- a esta cmara a graca de
EPHEIERIDES DO MEZ DE JUNHO.
1 La nova as 4 horas e 50 minutos da manha.
7 (.toarlo crescenle as 8 horas e 28 minuto da larde.
15 La cheia as 7 horas e 58 minutos da nianha.
23 Quarlo mnguanle aos 12 minutos da tarde.
PBEAMAR DE HOJE.
Primeiro as 6 horas e 54 minutos da manha.
Segundo as 7 horas e 18 minutos da tarde.
DAS DA SEMANA.
J3 Segunda. S. Antonio f. padrociro da provincia.
I i Lina. S. Basilio Magno b. doutor da igreja.
5 (.toarla. S. I.ybia m.; S. I.aiidiliuo al), ; S. Modesto m.
6 Quinta. S. Joo Francisco Regs ; S. Aurelianob.
17 Sexta. S. Thereza rainha de l.eo ; S. Manuel ni.
18 Sabbado. S. Leoncio in.; S. Tribuno e Theodulo m.
19 Domingo. S. niquelina f. v. ; S. Lrcesno m.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPClO NO SUL
Alagoas, o Sr. Claudino Falca o Das; Baha, o Sr. Jos
Marlus Alies; Rio de Janeiro, o 8r. Joo Pereira Marlins.
EM PERNAMBCO.
0 proprietario do DIARIO Manuel Figueiroa de Paria, na
sua livraria praca da Independencia ns. 6 e 8.
UmSr. depiitiulo: E dedicado.
O Sr. larras Pimenlel:... e dedicado.
o goveruo'emprega para a solueo pacifica desla do-a, soube que ella liavia sido barliarameiile eas-
cert
clr
regularid
conlin
ramo do servico publico. j commisso de pensos e ordenados, approvaiido' '. sar-lhe 'nos^ereditoe no
Dito ao director gcral da Inslrucgo publica.Pa-1 pensao concedida ao soldado do curpo policial da '
ra se resolver sobre a materia du seu olfico de 3 curto, Ricardo Jos Francisco,
do correnle, sob n. 127, cnnvm que Vmc. me de- : *'ai lambem a imprimir para entrar na ordem dos
clare qual o modo pratico de maiiifestor-sc o juizo I trabalhos o segunle projecto :
dos examinadores a respeilo dos concurrentes s A assembla geral resolve :
cadeiras de inslrucco publica da provincia, para o Arl. 1." Fca creada nina nova secretaria de
llm de vcrilicar-sc lersidn a approvaco plena ou '. estado com a doHominaco deSecretaria de esla-
simples. I do dos negocios da agricultura, commerciu e obras
Dito ao regedor do Gymnasio provincial.Pode publicas.
81.* O respectivo ministro e sccrclaVo de es-
lado lera as mesmas honras privilegios e vencimen-
tos de que gozamos actuaos ministros.
2." Pcrteucero a esla secretaria de estado lo-
dosos negocios e pendencias que actualmente eor-
rm pelas serces sexta e stima da dos nesncios do
imperio, e Ihes serio incorporadas a repartico das
trras publicas e a directora geral dos corrcios.
jo." O governo dar regularuenlo nova se-
cretaria de estado, empregando nella o pessoal ne-
cessario lirado da dos negocios do imperio e daquel-
lasduas reparlicocs.
8 *.* O numero de empregados dasduas sccre-
no satisfez alada a informaco exigida por esta tarjas de oslado nao poder exceder ao actualmente
presidencia no ofiicio junto por copia, acerca da \ existente na dos negocios do imperio e nas duas re-
reiiiiio da junta q "'
mA 25K?" Pron'"":iei SPm-' -mciliacao. parecen, agora amigos, nunca brand. o turibulo ; o anno passado | Pode todava o goverm. enganar-so em urna ou| Kssa ifelz escrava de nome Cosma e propr.eda-
ues senhor do engenlio lloa-
Tricunhacm, tormo de Sa-
legado de polica, lomon ja en-
fado c lala de proceder lespo-
s casa de delcnco, nn dia 1fi
que direito podemos recu- Mas nao pens enhores. que a poca seja das ^M^TZ^SZIT ^^ "' I tt'XSX3 *Z* di? Recito .V-
K verdade, senhores m- o lempo c Hinnu mu urna otca aind, de Tin-^' P52^ VT* JfVn desoja concurso d" camaras e q"2Sf d? in,sP,Cl:,or do arsenl de n",ri,l,ia : u"
d.mrasdemasiadame,Ue rapidis e Set dX em uest^o m-J ,tA t, .* i. ^ PS "."d C'" aux.l.o d.is luzes e patriotismo dos membros que subdelegado da fregueziada Boa-Vista por offensas
iMrdesnbrcavL aaS "npHM como poder elle, pois, lepelliri Plicas praticadas em sua mulher : 1 do da fre-
oes : mas nada au tETm\bot^^dw*^'KmSmSSSTSJtSS "ra"'sa,;a.0P"llU,:''':'I"aesil';r''servacoesquese Ihefizerem afi de ganado S. Jos por desorden. : 1 do depositario
nao esperar pelo deseiivolv i mentade"Vi ii lostil uT Trt \, 8 des d> d ca'-'ues' e ,"'m v'c Possa ,cer,ar m""'or '">s nicios d sjlisfazer 8eral sem declaraco do motivo.
osla aPpoS que tome ? i uc t oW. ft dn. '..Vj^,PUdfi T** '* ****- P >s melhores amigos do Consla-nos que segunda feira. 20 do corren-
i mine- sem Daixo. j. ......;. l_...i -
toes, que urgem por uma.solueo prompta eimme- sem paixo.
dala. A primeira vista se olTercce a questo banca-
do. uii fin).
interesse pnblico. (4poio- i s- Frei Peto Goncalves.'
As experiencias e ensaios que ahi foram feilos
; iirm'uro'n'Vton !'>P'dCr a,recordarao i passado, e I Mas o nobre deputado comprehende fcilmente I P.r 'res "O'tos consecutivas,"deram'o rJsiiitado'de-
feitaspPd SriiauS da faze.ma ^puldfco l^Jl rama^';?"--'S"verno nao pOde prescindir de um apoio sejado, o j, ofTereceram occasio de apr.ci.r-se ..
ca do Rio de S^mSAVt^Jm {aPtoJdCenesd f^J^S^-^^^A^h^^f^^ Parte d" ""*- *" iSASSSSS^.^. Tai <"" W R-
praeas das p
n'uma espectaco dolorosa ;'p ninguem pode deixar
do parliltiar essesseiilimentosque oppriucm todos
os iiitcrcsses, quo embaracam todas as Iransacees.
Nao que as pessoas iiie costumam dar s pala-
vras do Sr. ministro da fazenda o poso que niore-
cem, receiem que elle falte promessa solemne de
que ha de respeilar os tactos consummados ; mas
que uma phrase de seu relalorio em que condemna
o deplora o estado do meio circulante, o prometi
regularisir de um modo eslavel as emissoes, lem -
trazido o espirito publico suspenso, porque, senho- | mais urna prova de amor e respeilo ao au m >-
ualiflcadOra dessa frWoaU. I ferid repart.coes7nem ,oia *$& 'em cTes :&^TM^vt% C0d-' ""^ *"** KP0~,- '
recolher ao archivo da cunara ; seu, veucimeiilos poder exceder 4 que ora so des- de causar profundo eslremocimenlo. P
la qual.licacao que ha Ires anuos Pde. En^nd' pujs questo principal nao 6
,,,,:,.,, ,i......I:, ,----- .7, -----, --- -i'"- o"'"'"" "tu uuue prescinuir uc mu apuio
n7au7,tole : 1l,l,,d(Pub''.'lembre-Motue franco e elcaz d. parle das camaras. Deseja lo-
es* nos ,n, ,1T1 aPParecPm i8" d pessoaef, que tanto nos faz perder de torca moral. ""- ,:'-- -----
Venham pois esses projeclos de nielhoranientosque
tanto urgem.
Ahi esto as verdadeiras quesloes : gneros ali-
menticios, estradas do ferro, colonisaco, etc., ele
Julgo, senhores, ter assim dado lugar a explicar-
se o gabinete sobro sua poltica. Nao oslando nos
quer medidas, assim como lodo o paiz o deve deso-
jar, o concurso das cmaras indispensavel nao
so para fortalecer os actos do governo, mas tambom
P.1M illl-'ll" 4 llTi.iln -iiiUi. .rJlJ... a._.uf__
guezia nesse importante ramo de servico. Parece
que o bairro, em que ha maior regularidad e na
dislribuicao dos lampecs, e que melhor illumina-
cao Orar. E com ludo, segundo nos informa pes-
adoplar-sc. O que o governo deseja certa mente
o que far uma cmara aonde tem assenlo tantas
-- .... lluslrai'oes, todas ellas dedicadas a promover a
!!?^ab,U^dcilar Pa7ssem discusso. o accm-, fel.cdade do seu apiz. (.Ipoiado,. mmlobem, u(0
raeas rom algumas bem\
panhando a cmara o voto de
expressoes de benevolencia o svmpalha, tera dado
para levar a effeilo muiUs medidas que convm soa habilitada, mu ponca a duVrenca do nume-
ro de lampeos a gaz, sobre o de candiciros a azei-
te, nao obstante ter-se posio lampeos na ra do
Caes de Apollo, quo at ao presente tem estado pri-
vado do beneficio da illumnacao.
zendo, nutro sim
municipal o livro da qualilicaco que lia Ires anuos
se acha fra dellcCommunicou-se cmara mu-
nicipal do Recito.
Dito a' cmara municipal do Recite.Veriflcan-
do-se a utildade da ilesapropriaco da casa incen-
diada, sita no Aterro da Boa-visia, e perlencente
ao commend.idur Ilenriquo Marques Lins, pode a
cmara municipal do Recite providenciar sobre o
procosso da indemnisaco, na conformidade da lei
provincial n. 129 de 2 de maio do 1814.
Dito dila do Pao do Alho.Com o parecer, jun-
to por copia, do conselliciro presidente da relaco,
respondo ao officio que em 25 de maio ultimo "di-
rigio-me a cmara municipal de Pao do Albo, acer-
ca do pagamento de cusas.
Parecer do presidente da relaro.
Illm." e Ba.* $r.hespoiidnudo a'o officio de
V. Exc. do 1" do crrenle mez, que colirio o inclu-
so ollirio da cmara municipal du Pao do Alho, a
qual porgunta a V. Exc. se deve pagar aos juizes de
direito, municipaes, e ao promotor publico as cus-
as dos processos dos reos absolvidos, cuiupro-me
dizerquu o artigo51 do novo rogulamento de cus-
las expressameule ordena que a municipalidad!!,
quando fdr condemuada nas cusas, smente paga-
r motado desles emolumentos, e a outra metade
perdro os juizes, esenves e mais empregados
que as ti verein vencido, do que so conclue que a re-
ferida cmara est obrigada a pagar aos juizes, cs-
crives o mais empregados smenle melado das cus-
tas, pois o mencionado regiment de rostas apenas
marcou a laxa dos salarios e emolumentos, o nada
iiinovou sobre a obrigaco do pagar e direito de ha-
ver rustas, conforme eslava disposto o regulado na
legistacao anterior, aviso u. 404 do 29 de dczciuiru
de 1855. ^
lieos guarde a V. Exc. Agoslinho Ermelino de
Jjecn.
dlilo dita de Ouncury.Ao officio que me diri-
gi acamara municipal deOuticury eiu 27 de abril
prximo lindo, respondo declarando que, concluida
a eleico a que se mandn proceder para vereado-
res do termo do Ex, ltimamente creado, duvem
elles entrar no exercicio de suas funecoes, indepen-
denlemenlede communicaru da presidencia. Cum-
pre, entretanto, que essa cmara informo sobre o
resultado da cieico com todas as circuinslancias
pelas quaes se possa ajuizar da regularidade da dila
eleico, sendo, oulro sim, remellidos quaesquer do-
cumentos que forcni relativos a esso ojccblo, e que
pela sua natureza devam ser coiiveuieuteuienlo exa-
ininadoa.
Portara.O vice-prcsdenlo. da provincia, con-
fnrmando-se com a proposta do roajor coiuman-
danto da seceo de reserva n. 13 do municipio de
Ouricury.de 25 de abril ultimo, sobre que inforuioii
o respectivo commandanle superior em officio da
mesma dala, resolve, nos termos do art. 48 da lei
n. 602 de 19 de selembro de 1850, nomear para ofil-
ciaes dn mencionada seceo os cidadaos seguiules :
Estado maior.
Cirurgio alteresAntonio Laurentino Monleiro
Leitc.
1* Companhia.
CapiloAloxandrc Jos Barbosa Bahiano
TenenliiJoo Alhanasio de Cerqneira.
AlteresVergolino do HollandaCavalcanli.
3 Companhia.
CapiloFrancisco Jos Barbosa Velhinho.
TeiieulcMannel Pereira da Conceico.
AlterosJos do Rogo Barros.
3a Companhia.
CapiloGeraldo Rodrigues Coclho.
TenenlcJoaquim Gomes Ferreira.
AlteresM a noel Joaquim Dclmondes.
Comniunicou-se ao referido commandanle su-
perior.
Expediente do tecreiario do governo.
_ Officio ao inspector da thesouraria de fazenda.
S. Exc. o Sr vire-presidente da provincia manda
transmittir a V. S. a inclusa ordem do thesouro na-
cional, sobn. 80.
Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. vicc-presidcnle
da provincia manda communicar a V. S. que, por
despacho do hoje, autorisou a thesouraria provincial
a indemnisar, o cofre dessa da quantia de 1829400,
em que imporlam os vencimentos pagos ao desta-
camento de Pao do Alho. relativamente ao mez de
abril ultimo, como se v do pret em duplcala que
acnmpaohou o oflicio de V. datado de hontem, sob
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal dn Limoeiro.S. Exc. o Sr. vico-presidente da
provincia manda declarar a V. S., em resposta ao
officio de 30 de maio ultimo, que nesla data sesub-
melle ao conhecimento do govemo imperial a pro-
posta para officiaes do estado-maior desse comman-
do superior.
pend
Arl. 2. Ecam revogadas as disposiccs em con-
trario. "
t Sala das sessoes da cmara dos depulados2i de
aio de 1859. Sergio de acedo.*
Dito ao commandante superior da guarda naci
COHMAADO DAS ARMAS. .
Quartel general do eoramando das
armas de Pernambueo, na cid ade
do Recife, 1? de junho de 1H5SI.
ORDEM DO DIA N. 253.
O tenenle general commandante das arma faz
publico para ciencia da guarnirn e devidn efieito
que, o Exm. e Rvm. Sr. bispo diocesano foi servido
communicar em- officio datado do 15 do corrente.
ticava privado d'ora em diante at que exibisse pro-
vas de correccao na pralica dos factos que constran-
geram a S. Exc. Rvm. a ter para com elle seme-
ntante procedimento.
Assignado.Josr Joaquim Coelho.
Conforme. Horacio de Ousmao Coelho, alfeser
ajudanle de ordons do commando.
INTERIOR.
nal da comarca do Brejo.Convm que V. S. d Pena de suspenso uo uso de suas ordons, do qual
as providencias necessarias para que os chefes da ""
guarda nacional dessa comarca prestem prompta-
inente s respectivas autoridades policiaos os auxi-
lios de turca, que torem necessarios para a cap-
tura de criminosos, e quaesquer oulras diligencias
a bom do serviro publico.Ccmmuuicou-se ao che-
fe do polica.
Dito ao coosul-geral do Brasil na cidade de Lis-
boa.Na forma das ordens imperiaes transmiti ao
Sr. Vicente Ferreira da Silva, consul-geral do Bra-
sil na cidade do Lisboa, a lista dos subditos porlu-
guezes, que vieram para este provincia no vapor
iBglez Tyne. ^
Aproveilo esla occasio para renovar ao mesmo
Sr. consul-geral os protestos de minha estima c
considerarn.Officiou-se no mesmo sentido ao
vice-consul de Brasil em Southampton, euviando-
se-lhc a lista dos subditos inglezes vlndos no mes-
mo vapor.
Dilo ao capilo do porto Fernando Vieira da Ro-
cha.Fico inteirado de haver Vmc. reassumido o
exercicio do seu cargo, como me deca rou em offi-
nio datado de honlem.Communicou-se ao inspec-
tor da thesouraria de fazenda.
Dito ao inspector do arsenal de marinha.At-
iento o motivo declarado em sen officio do hon-
tem, sob n. 180, approvo a deliberacao, que Vmc.
tomou de comprar a Paulo Jos Gotues a tua-
maio i
ohdeh no nu.
Primeira parte.
F. adoptado em uma s discusso, a pedida do Sr
Sal"l,k
Honorio Pereira
RIO DE JANEIRO.
CMARA DOS SUS. DEPUTADOS.
SESSAO EM 21 DE MAIO DE 1859.
Presidencia do Sr. Conde de Baependy.
As 11 1/2 horas da manha feita a chamada e a-
chando-se presentes 68 Srs. depntados, abre-se a
sesso.
Lida a acta da anterior approvada.
0 Sr. Io Secretario d conla do segunle
F.XrKUlKNTE :
Um officio da directora da estrada de ferro de D.
Pedro II. enviando 130 cxemplarcs do uma memo-
ria a respeilo da futura redo de camiuhos de ferro
no Brasil. recebido com a
ilalhiel, o projecto que concede aposenladora no
ugardo secrolariodo governo na provincia do Per-
nambueo a Honorio Pereira do Azeredu ou-
linho.
Enlra em primeira discusso o projecto que con-
cede carta de naturalisaeo a Antonio Vieira Ma-
ciel e oulros.
OSr. Baptiita Monleiro pede que este projecto
telina uma s discusso.
A cmara coiisente.
l.eera-se e apoiam-so difiranles emendas enn-
ceilcndo a mesma graca a diversos eslrangeiros.
u Sr. C. Madurrtra entendn que a cmara nao
deve prodigalisar o titulo de cidado brasileiro, dis-
pensando as condicoes que a lei exige, tanto mais
quando temos uma to liberal : observa que osque
lazem as leis sao os primeiro* a desmoralisa-las. o
deplora este facto .. grande numeio de emendas
que se aprsenla agora cm rcprodur.co do que snc-
cedeu o auno passado com os projeclos das lole-
Dizo orador que os Francezes c oulros eslrangei-
ros nao qiicrem que seus llllins nascidos no Brasil
sejam cidadaos brasileiros, lo pouco caso fazem
desse titulo ; de mais, nao convm que a cmara
conceda casas dispensas, porque assim corefia as ren-
o.i do thesouro, e e principalmente para se esqui-
varem as despezas que esses eslrangeiros recorrem
a cmara.
Devemos dar o foro de cidado brasileiro, conli-
niia o orador, a homens uleis, ao colono agrcola e
industrioso, mas nao a proletarios o a padres que
querem ser vicarios.
OSr Uaplula Monleiro diz algumas palavrasem
lavor da sua emenda, mostrando que o estrangeiro
de que trata est uo caso de merecer o favor da c-
mara.
O projecto adoptado e rcmellido commisso
de redacrao com todas as emendas.
I', igualmente adoptado o projecto que coocede
caria do naturalisaeo a Joaquim Victorino da Cos-
ta >>ouriiiho, e bem assim dillerenles emendas con-
cedendo a mesma graca a diversos outrus eslran-
geiros.
Enlra cm 2.* discusso o projecto que eleva a
dous o numero dos dcpulados daquella* provincias
que sao representadas por um s.
O Sr. Sumir manda mesa oseguinlo requeri-
menlo, que, sendo apoiado. entra em discusso :
Itequeiro o adiamento da discusso al que se
trate da reforma eleiloral.
O Sr. Pereira Pinto oppoe-se ao adiamento e
pronuncia-s a favor do projecto, quo na opinio
dellc orador, nao embaraca de forma alguma qual-
qucr projecto do reforma eleiloral que o governo
tenha de apresenlar.
O Sr. Pae* Brrelo diz que s est resolvido a
augmentar o numero de dcpulados quando se lo-
mar uma deliberacao ger.l, e que as pequeas pro-
vincias lecm Unte direito au augmento de sua de-
pntacao como as grandes ; por Unto, espera que o
governo aprsente o seu projecto de reforma elei-
loral, declarando desde j o orador que se o nao fl-
zer. elle c alguns amigos esto dispostos a fa-
Obscrva ainda que nao possivel continuar a lei
eleiloral tal qual, e se isso acontecer ter o paiz de
presenciar as scenas mais calamitosas.
Vola, pois, contra o adiamento e contra o pro-
jecto. r
Posto a votos, o requerimento approvudo.
Segunda parte,
Entra em discusso o projecto de resposta i talla
do throriu.
Na occasio em que o Sr. presidente ia consultar
a casa se julgava a materia discutida, pedio a pala-
vra o Sr. Barros Pimtnlcl. ,
O Sr. Barrue Pimentel (Mocimenlo de atttnrao):
Sr. presidente, sou nvesso s mudancas rpidas :
le"du v<>gado constantemente a pratiea'de encetar-
fe kl? P0,ilico "a discusso da resposta fal-
la do throno. a qual sempre se ha prolongado por
rouitos das da sesso legislativa, e vendo eu que
denenhumdos lados da cmara membro algum se
levantou para romper semelhanto debate, entend
sor do meu dever tomar sobre mim a rcsponsabili-
Uade, nao de seguir a pratiea antiga de acompanhar
o projecto de resposla falla do Ihrouo passo a pas-
o, e discutir um por um lodos os actos do gover-
no mas de pedir algumas explicares, que acho
perfeilamentc compativeis com o "nosso systema
Na Inglaterra, senhores, onde, como sabido, o
oscurso da coroa tem uma resposta curta e promp-
ta, nao Oca o parlamento silencioso como no pre-
sente enseio se mostra a cmara dos Srs. deputa-
aos: All alguns representantes apresentam obser-
vacoes geraes ; um ministro responde immediata-
mento, e assim, depois de breve debate, a materia
se d por sufflcienlemente discutida.
Ouerer-se passar da longa e prnlixa discusso, que
sempre lem havido nesla casa, quando se trata do
Z a S5"' ao silencio absoluto, seria fado, em
verdade, sem eiplicaco na actualidade, mrmente
havendo nos visto a solreguido com que ha pou-
cos das encelou-se o debate poltico nesla cmara,
o que deixou persuadir de que muito se desejaria
su desenvolvimeuto na presento conjunctura.
_ > Sr. Augusto de Oliceira : que as explica-
cues dadas foram julgadas satisfactorias.
O Sr. Barros Pimenlel :Nao que as explica-
coes dadas fossem julgadas satisfactorias pelos
membros da opposico, porque a quasi todos, sem
excepeo ouvi dizer que appellavam para um ter-
reno mais largo, onde a discusso podia ser me-
lhormentc desenvolvida ; ouvi mesmo alguns mem-
bros do gabinete convidarem a opposico para esse
terreno, que c o presento debato, onde podiam ser
exposlos todos os principios pralicos que tem de
corresponder s necessidades apouladas lo discurso
com que o throno abri a sesso actual.
Entretanto acabamos de teslemunharo mais pro-
fundo silencio I Nao podendo explicar este phenome-
no, e nao desejaudo que se votasse o projecto sem
discusso, para a qual nao me achava airas dispos-
to, aventurei-me a fazer algumas consideraces ge-
raes, c a pedir explicacoes sobre alguns pontos da
poltica do gabinete.
O facto de romper o dbale nesla crcumslanria
excepcional nem importa hoslildade. nem perfeila
adheso aogabiuele. Estas explicacoes vio antes
_ a
questo bancaria e sim a questo monetaria, porque
nao pode haver um perfeito systema bancario sem
um bom systema monetario.
Nao emendo que o governo deva exigir que os de-
psitos dos Bancos sejam nicamente em ouro,
quando em nosso paiz o ouro nao passa, sobretodo
na ac lualidade, de uma mera mercadoria. Nao par-
lilho com o nobre ministro da fazenda os receios de
um pnico que possa trazer calamidades ao nosso
paiz
quem
deixar bem.)
0 Sr.ri$conde de Abaet [ presidente do consc-
Iho):Eu agradeco ao nobre deputado que acaba
de senlar-sc a occasio que acaba de dar ao gabino-
No havendo mais quem pedisse a palavra, foi o
projecto posto a votos e approvado.
O Sr. Pretidenle d para ordem do dia
1.* discusso do projecto a. 180 do anno passa-
do. que approva a penso concedida a D. Mara
Bemvinda Pinto Ramos
dem do projecto n. 190 do mesmo anno, que ap-
*" ao conego Joo Baptista
topara poder manifestar o sou pensamoulo cama-1 prova a penso concedida
ra dos Srs. deputado*. de Figueiredo ;
Seroi minio breve na resposla ; peco liecnca ao dem do projecto n. 171
nobro deputado para dar-lh'a em poucas palavra*. '
c espero quo a cmara me ouvir com a benevolen-
cia que cosluma. e desculpar o acanhamento com
que eu terei de expressar-mc peranle ella.
Senhores, o nobre deputado fez algumas observa-
porqu o nobre ministro, que muito lido e i cues sobro a maneira porque se exprime, o discurso
a da poltica
Nao existe no
iaco applicada
sempre cnlendoii
que a enneiliaco nao poda constituir um systema
de governo.
Senhores, a concillaran um facto que natural-
mente se osperou. um facto que todos devenios
applaudir ; mas de corlo a conciliario nao um
systema de governo.
Eu entendo quo a conciliaco o passado escoi-
mado doserros e excessosqie se com mollera m ;
o presente em que as ideas se dscutem, se compa-
rara, o prociiram triumphar pelos ineos logieos e
constitucin.-!.* ; o futuro dcste paiz. como o c
do todos os paizes que se regem pelo System* re-
presentativo.
Neslos paizes os principios existom sempre em
lula, mas em uma lula benfica, uacifica, da qual
provui sempre sem grandes vautagcus para a so-
ciedado.
Nao sondo pois a conciliaco um sysleraa de po-
ltica eu entendo que o gabinete nao deveria consi-
dera-la como tal; e por este motivo quo o discur-
so d.T rorrta nao empregou esla palavra, e a siihsli-
organisados, tendo por base titulas garantidos pela
divida publica c o papel do governo, eslejam sujei-
tos, como todos os Bancos de lastro melillico, a es-
Sas crises repentinas.
Nao que eu seja partidario do systema papelorio,
como aquisedisse ; era preciso estar bem longe do'
progresso da economa poltica para nao saber que
o syslema mixto o apregoado hoje pelas naces
rivilisadas : mas, querer-s dar aos Bancos do Bra-
sil, paiz cuja systema monetario paool.'uma base
melallica, querer, senhores, approximar o logo da
plvora, sem querer quo 80 alee o incendio.
Nao posso comprehender que em um paiz, cujo
systema monetario papel, cm um paiz Sujeito a
grandes oscillaces entre a importacu o expoita-
co, queira exigir-so como base fixa dos Bancos um
fundo melallio, isla aquillo que est sujeito a ser
destruido e a desappprcccr de um momento para
oulro.
E, senhores, debaixo desla apprelienso que se
acha o publico : todos rece i,-i ni que o Sr. ministro
da fazenda, a pretexto do mclhorar nfienda a lautos
direilos legi"
pois o nobrt
soja para dissi
Chamo igual
listerio sobre o facto publicado pelas foasde hoje,
facto delamanha Iranceudencia que, quando se n
desse esla opoortunidado, devia ser por qualquor
oulro modo trazido para esto recinto. Upoindos)
llefiro-me s noticias do paquete do Rio da Prat.v
O governo annunciou-uos como um facto digno
de especial meuco o ultimo tratado celebrado en-
tre o Brasil, Montevideo e a Repblica Argentina,
tendente a firmar a independencia e neutralidade
daquella primeira repblica; entretanto, quan-
do esperavanMs que esse tratado promeltido
solemnemente pela conven.o preliminar de
pazde 1828, solicilado eapplaudido pela popu-
iacao de Montevid foiae logo raliflcado. eis que
nos cliega a noticia do que o senado da Bepublica
do .Uruguay uoga-lho a sanceju !!l
E um facto gravo, e do qual o publico e esta c-
mara esperara francas explicacoes ; explicacoes
lano mais necessarias quanlo a paz se acha grave-
mente amcacada nas margens do Prata. Importa
ainda em relaco grande tempeslade quo se pre-
para ao norte do mundo, na Europa.
A nossa posico de neutros em um paiz novo que
se vai desouvolvendo exige que tomemos desde o
principio desses aconteciraenlus uma allilude digna
de uma nacolivre e independente, de uma naco
cujo commercio se desenvolve, o que nao quer ve-
lo lolhido por tratados ou relaces que nao sejam
muito claras e muito definidas pelo gabinete.
Chamo mais a alteuro do ministerio para este
ponto, quanlo nao lenho parlilhado sempre com o
govoruo imperial sua politica mediadora no Rio da
Prata. Entendo que nossos viziuhos teem querido
por mais du uma vez desfrutar o imperio do Brasil;
entendo que a nossa mediaro tem posto nossos vi-
brado e mandado dis-
,, ,. -------"~~ V niw ..a.ua vA^ntg. iic au ames
Lia requenmenlo da irmandadc do Sanlissimo' servir para firmar-ine uu proposito cm que eslou de
zinlius em tal habito, que tedas us vezes que o go-
verno imperial nao satisfaz a seus desejos, nos
ameaco e injuriara com uma linguagem impropria
de um paizcivilisado.
Nao tendo sido admirador desla politica, e tun-
do-nos dado lu amargos ructos, folgaria muito de
ver que o gabinete se conserva, ao menos daqui era
dianle, era perfeila neutralidade ; e que deseuvol-
vendo a riqueza da bella provincia do Rio-Grande
do Sul, inostrasse de perto aos nossos vizinbos quo
nao uo gozo dessa limitada liberdade que podem
encontrar estabilidade o grandeza.
Seria para desejar que esses sacrificios que por
elles temos feilo fossem empregados em fazeruio-
nos c dentro mais respeitados.
O Sr. J. de Mendonra :Dos queira que V. Exc.
concurra para o engraudecimente daquella provin-
cia ; mas para isso seja talvcz necessario mudar
alguma cousa do opinio. Eu o cuiprazo para
isso.
O Sr. Barros Pimentel : Se livesso meios, cu o
faria.
Senhores, outra questo importante assoma na
actualidade, o entretanto pouco on upa a opinio
publica, pelo menos na imprensa. esta, senhores,
a questo que se agita ao norte do Brasil, a questo
do Oyapock. Muilo graves sao as miuhas appre-
hensos, senhores, quando vejo testa do governo
francez um hornera de uma vonlade de ferro arden-
do sempre em patriotismo lo exaltado, que para
agradar sua naco nao duvidar em um dia de
descanco na Europa trazer-nos o brando da guer-
ra pira as margens do Amazonas.
E pelo menos minha intima convineco que no
momento em que o imperador dos Francezes reco-
lher ao descanco das lidas a quo chamado na ac-
tualidade na Europa, laucar seus olhos sobre o
nosso gigante do norte, Amazonas, porque, por
mais que se diga que o governo francez mandn um
emissario esludar essas paragens de accordu com o
governo brasileiro, nos vemos que esse emissario
all nao apparoceu ; e se appareceu foi oceulto, e o
nosso l se acha. Donde ludo me faz tirar a conclu-
so quo, mais ou menos cedo, de uma hora para
outra, leremos nas margens do Amazouas um exer-
cito francez.
Chamo a altenco do governo para este ponto,
porque, no mou fraco entender, descubro que ser
all o terreno era que a nossa nacioualidade ser
mais ou menos incommodada.
Senhores, uo oulrarei. como j disse no princi-
pio du mou discurso, na apreciaco das medidas
que o governo tem de apresenlar, "e de que nos fal-
la no discurso da cora ; appello para a occasio em
que torem apresenladas essas medidas para apre-
cia-las cora aquella independencia com que me pre-
zo sempre apresenlar nesla casa, e entendo que o
governo nao querer levar a sua exigencia no cam-
po de apuiar a desprezar as observaees donde aun-
que ellas parlara. *
Paco esla refiexo, senhores, porque so tem dito
nesla casa que o governo quer um apoto franco,
decidido e ilkmiado...
. approva a aposentado-
ra concedida ao conselhciro juiz de direito Angelo
Muniz da Silva Perras :
dem do projecto.n. 189 dn mesmo anno, que ap-
prova a aposentadora do juiz de direito Luiz Alvcs
Leite de Olivcira Bello,;
dem do projecto n. 163 do mesmo anno, que
manda admillir a defcnder'ihesc ao Dr. Ernesto Fer-
reira Franca, formado na utiivcrdade de Leio-
sich ; r
dem do projecto n. 111, que-manda admillir a
exame vago de todas as materias de direito a Es-
levo Jos Lopes da Silveira, cidado .portuguez.
dem do projecto n. 53 do mesmo anno, que dis-
pensa das leis de amorlisacao s irmandades de N.
Senhora do Rosario da cidade de Sanios o da cida-
de do Penedo, provincia das Alagoas :
dem do projecto n. 156 do mesmo anno, que
dispensa as leis de araortisaro a favor da casa daV
misericordia da cidade da Constiliiii o, provincia
de S. Paulo:
dem do projecto n. 173 do mesmo anno, que
dispensa as leis de amorlisacao a favor da capella
do Nossa Senhora do Penedo," da provincia das Ala-
goas.
I.ovanla-se a sesso s duas horas iLi larde.
Nos das 24 c 25 nao houve sesso lio senado.
25-
Presidencia do Sr. conde de Baependy.
As II 3/4 horas foila a chamad, e arhando-sc
presentes 68 Srs. depntados, abre-se a sesso.
Lida a nela antecedente, approvada.
O Sr. Io Secretario d conla do scguinle
EXPEDIENTE.
Um officio do ministerio do imperio, remeltendo
o prujeclo ora virlude do qual fui reformada a se-
cretaria desse ministerio. respectiva commisso.
Dilo do mesmo ministerio, enviando os decretos
pelos quaes Sua Magostado Imperial houve por
bem conceder pensoesa I) Mara Augusta de Lima
Poslana, viuva do capilo-tenenle Miguel Maria
Pestaa e nutras.A commisso de pausos e or-
denados.
Dito do mesmo ministerio, enviando uma col-
leccan de actos legislativos da assembla provin-
cial da Parahiba do Norte, promulgados o auno
passado, e diversas leis sobre aposentadoras, jubi-
laccs, eleA commisso de poderos.
Lm requerimento do padre Miguel Barbosa de
Castro, parodio da freguezia de Ilapura, provincia
de S. Paulo, pedindo augmento de congrua.
commisso de pensos.
Dilo dos herdeiros e representantes de Miguel la-
vares, pedindo que seja approvado o ultimo pare-
cer dado pela commisso respectiva sobre o que re-
claman] os supplicantes pelo aprisionamento do
navio Imperador Alexandre.A commisso a que
foi atron o requerimento do supplicante.
Dito da ordem terceira de S. Francisco da cida-
de de Campos, pedindo dispensa das leis do amor-
lizaro para poder possuir bens de raz at o va-
lor de 200:000. commisso de fazenda.
Julga-se objecto de deliberacao e vo a imprimir
.. juslica que vigia incessanleraente
soure a Del execuco da consliluico e das leis.
A.palavramoderarnindica q'uc o governo pre-
tende yelar sobre lodos estes objeelos; velar por
meio de um eslilo refleclido, volar fundado na ox-
Per'?ncja dos negocias e no canhccimenlo das ne-
cessidades publicas, applicando os remedios quo fo-
rem maja convenientes.
O nobro.depulado disse que elle se conservara
n uma ospeeiativa sympalhica a respeilo do actual
gabinete enlre oulras razies, porque a politica do
actual gabinete era a coutinuaco da politica do ga-
binete passado.
Senhores. o gabinete actual nao pretende entrar
nesta questo, o gabinete actual deseja que a sua
poltica seja apreciada, avahada polas medidas que
elle tiver a honra de apresenlar, ou do fazer apro-
sontaraocorpolegislalivo.
O Sr. A>oia* : Apoiado.
U Sr. presidente do contelho Depois que es-
tas medidas viorem ao conhecimento das camaras,
sera enlao occasio opportuna para que as cmaras
possam fazer uma comparaco exacto enlre a poli-
tica do gabinete passado e i politica do actual ga-
umete. Antes de se apresentarem as medidas, an-
les de poderem ellas ser apreciadas pelas cmaras
Skot^^ss jxagSsgSfiag
dida a viscondessa de Sepetiba, oulro a de 800 a
D. Julia Adelaide de Carvalbo, viuva do encarre-
gado de negocios do Brasil na Dinamarca.
Acha-se sobre a mesa e vai imprimir o parecer
da commisso de marinha e guerra, convertendo em
projecto a proposla do governo que fixa ia torca na-
val para o anuo financeiro de 1860 a 1861. "
ORDEM DO DIA.
Sao odoptados e remellidos commisso de re-
darco os projeclos que conceden) pensos a D.
Mana Bemvinda Pinto Ramos e ao conego Joo
Baptista de Figueiredo, fazendo extensiva a graca
desde as datas dos respectivos decretos.
Sao tambera adoptados os projeclos que appro-
vam as aposentadoras concedidas ao juiz de direito
conselheiro Angelo Muniz da Silva Ferraz e Luiz
Alvcs Leite do Olivcira Bello ; e permitte defender
Ihese em qualquer das faculdades de direito do
imperio ao Dr. Ernesto Ferreira Franca.
Entrando em primeira discusso p "projecto que
manda admillir a exarac vago de todas as materias
do curso de direito a Estevo Jos Lopes da Sil-
veira e Castro, a mesma adiada a requerimento
do Sr. Pacheco depois de algumas consideraces
feilas pelo Sr. Sergio do Macedo.
Sao approvadas cm segunda discusso os pro-
jeclos que dispensara as leis de amortiza, o a fa-
vor de diversas irmandades e casas de caridade.
O Sr. Presidente declarou esgotada a ordem do
dia e d para a da sesso seguinto :
Primeira parte.
1* discusso do projecto n. 195 do anno passado,
que dispensa as leu de amortizarn a favor da ir-
mandade do Seuhor dos Passos da cidade do Para-
hibuna. provincia de Minas Geraes :
2* dita do projecto n. 130 de 1857, que faz igual
favor irmandade do Sanlissimo da villa de Calda*
da mesma provincia ;
Dita do projecto n. 108 do mesmo anno. que faz
igual favor irmandade de Santo Antonio do Porto
das Caixas, provincia do Rio de Janeiro ;
Discusso do parecer n. 174 do anno passado, da
commisso de penses e ordenados, relativo i pre-
teneao do bacharel Jos Antonio de Oliveira c
Silva ;
3" dita do projecto n. 119 do mesmo anno, que
concede licenca ao vigario da freguezia de S. Chris-
tovo, provincia de Sergipe, para estudar em qual-
quer das faculdades de direito do impeno;
Dila do projecto n. 84 de 1857, que restabelcce
em segunda entrancia a comarca de Jaguary, pro-
vincia de Minas Geraes ;
Segunda parte (1 hora em diante.)
1* discusso do projecto que crea uma nova se-
cretaria com a denominacao desecretaria dos ne-
gocios de agricultura, commercio e obras pnblicas.
Levanlou-se a sesso 1 1/4 hora.
poliiica do gabinete passado.
Respeilo a poltica que seguio o gabinete passado
c faco o mais alto conecilo da illustraro e patrio-
tismo do lodos os membros qne o compozeram ;
mas agora nao se trata de julgar essa politica, c
sim a do gabinete actual, o peco que o gabinete
actual seja julgado pelos seus actos e pelas medi-
das que tiver de apresenlar ao corpo legislativo.
O nobre deputado referindo-se a alguns assump-
,S.1U0 JU'ga da maior urgencia, fallou na necessi-
uade do se altender circulaco monolaria. As
ideas do nobre ministro da fazenda sao assaz conhe-
cidas pelos debates em que elle tomou parte na
sesso do anno passado, e j no principio desla
sesso.
Nao eulrarei em delalhes respeilo das medidas
que o governo tem do apresenlar sobro este im-
portante objecto ; mas posso asseverar que ellas
terao principalmente por fl.ni tornar a circulaco
mais solida e mais segura. >
As medidas sero a presentadas dontro em muito
pouco lempo, e eutao a camarades Srs. depulados
poder resolver se ellas sao ou nao dignas de sua
approvaco.
FaMou lambem o nobre deputado no tratado do
* de Janeiro do corrente anno, celebrado entre o
governo imperial eosgovernns do Estado Oriental
e a Confederarlo Argentina. Disse o nobre deputa-
do que se adinirava muito de que este tratado nao
livesse lido a approvaco do senado da repblica
do Lruguay. Tenho de observar ao nobre depu-
tado que esla questo ainda nao se acha decidida
Segundo o regiment daquelle senado deve ha-
ver duas volaeas para que o tratado seja appro-
vado ou rejeitado. Houve, em verdade, uma vola-
cao dosfavoravel a esse projecto; mas nao teve ainda
lugar a segunda votaco, da qual depende definiti-
vamente a sua approvaco ou a sua rejeico.
(Jualquer, porm, que seja a sorte desse tratado
eu posso asseverar ao nobre deputado que desse
facto nao resultaro comprometimientos para o im-
perio. r
Nesse tratado, e em outras convenoes celebradas
pelo governo imperial com os oslados visinhos o
governo procurou sempre proceder de modo que
naorosultossem desses actos internacionaesobriga-
ioes que o levassem necessidade de fazer sacrill-
co contrario aos inleresses do paiz Ha todava urna
obriga^o preexistente do governo imperial, e vera
n.rrii,Hnft-en,afr a '"dependencia e integridado
uom^roneSdetalq,tt,,d0 CUaS0Cem Seriameme
no^xa^rf" e"tend0 que os Pderes do estado
oue .. 2o de Vlr ?m rceorro do governo., para
so fL.a deSempenhar es,e de'cr- Wra desteca-
ck% to.d^CHmprJume.llimt'nlosrio d independen-
noto h g da,ded0 Es'ado Oriental, fique certo o
nobre deputado, a quem tenho a honra de rospon-
utr, que o governo nao far sacrificio algum que se-
ja contrario aos inleresses e situaco do paiz.
Helerio-se tambera o nobre depitado.como a urna
questo dealta importancia, s discussesque exis-
tom entre o governo imperial e o governo da Fran-
ca acerca do Oyapock. O nobre deputado sabe que
e isto uma questo pendente que o governo lera
feilo lodos os esforcos para queella se decida e re-
solva pacificamente, e de um modo conveniente.
O nobro deputado tem apprehoiises de que esto
fim nao se possa conseguir. Eu nesla parte discor-
d dn nobre deputado a quem respondo. Tenho
confianca iuleira o pleua nos meios diplomticos que
Carecendo o vapor Oyapok chegado honlem
a larde dos portes do norte, de lempo sufficienle
para descarregar 1,500 saceos de farinha de man-
dioca, que conduzio para esta cidade. foi transferi-
da a saluda para domingo 19 do crranle, tirando a
malla do correio as 3 horas da tarde do referido
da 19
Na Estrella do Amasnos, se l:
A cheia neste anno tem sido to grande-, que
segundo dizem alguns velbo da Ierra, ha mais de
vinleanno* nao lera havido igual.
0 invern continua rigoroso, quando nos mais
annos neste mez tinha declinado.
_ Os sitios eplantaces acham-sc alagadas, se-
nao todas geralmentc, ao menos a maior parle del-
tas, seutvremos por isso a falto de farinha, que j
cusa o panneiro 450 o mais barato.
A comarca do bailo Amazonas, que nos forue-
ce constantemente gado, solfre prdas consideraveis
em suas fazenda*. Consta-nos que ha fazendoiro que
ja tem perdido para mais de mil o oitoceutas ca-
necas.
O Amazonas ainda nao deu signal de vasanto,
apezar do madeira, um de seus manares tribuanos
ja vasar acerca de 15 das: a cheia ueste rio foi
menor que a de 1854.
L-se na Prese:
"a 'JJPfno austraco comprehende uma superfl-
1 2u,!.?? mil,ins qandras, ou pouco raais ou
Vuenos 682.00Q kilmetros quadrados com uma po-
putajao de 37 milhes do habitantes.
^%op o pnnlo de vista territorial, dislnguem'-so
quatrargrandes grupos, a saber :
Pajires italianos 47,000 kilmetros quadrados e
j millioesjd. Ji.bilanles ;
PaizeWiuBgaros e dependencias 351,000 kilo-
raolros quaiMqlos e 14,500,000 habitantes ;
1 aizes polacos 79,400 kilmetros quadrados e
> milhoes do babitontos
InkZen^l!,',n*^:199'500 kilomelro* quadrados
c iz.ouu.ouu habitantes..
Somenle os paizcS-jllomes fazem parte da con-
foderacao germnica, o esto collocados sob a ga-
ranta dopado federal.
Eis os nomos desses paizes : o archiducado da
Austria, a Bohemia, a Horavia..a Silasia austraca-
Sabzbourg. o Tirol. a Carinthiaw Styria, \Carnio-
to. n cidade de Triute o seu territorio, os condados
aeConlz o do Cradiuca, finalmente uma parlo da
lslria.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
BAHHiuiiiinn.Informain-nos que nn di. 14
du correnle oslando em sua casa o Dr. jui/ de direi-
to da comarca de Nozaretb, ouvio uma voz, como
de pessoa maribunda, que fallava a porta : dirge-
se a ella, o vio uma prela, di- Idade de fio anuos,
que mal so poda suster, que com voz, qaaitimpcr-
ccptivel, pedia que a ralease.
O Sr. Dr. HercuUno mauduu-a eulrar.o iuterrogau-
-
As provincias nao allemcs da A'sttia sao: a
t.alicia a Bukovina, a Hungra, a Volvodina, a
nansylvania. a Croalia, a Esclavonia. as Ftonlciras
militares, a Dalmatia, a maior parte da lslria;. final-
mente o reino Lombardo-veneziano.
A Opinione conu que um drogado do Mnde-
na levou para Turin seto filhos ; quatro maiicckos,-
e tres donzellas:
Os primeiros alislaram-so nos balalhos pie'i
moiilezes, como voluntarios, e as segundas loma-
ram a rou pola de irmas da caridade. para entrar
no servico das ambulancias e dos hospilaes mili-
lares. r
As cartas de Turin do mez de abril communi-
cam que j naquello momento eslav.m alistados
mais de 25,000 voluntarios, que tinham corrido de
oaos os pontos da Italia para coadjuvar os Piemon-
leze*. a ebre guerreira est excitada tal ponto,
que a mocidade lombarda expoem-*e lodos osdias
ao logo das patrulhas austracas para passar s fron-
leiras do Piemonle.
O Cosmos do Abach Mogno publica oestudo
que acaba de ser fclto por um celebre chmico do
Londres, M. Hoffmann, de uma substancia chama-
ba i.trez a preencher o pergaminho, eque se ob-
lem, mcrgulnando durante poneos instantes o pa-
pel ordinario no acido ulphurico, e lavando dopos
era agua cominum o mesmo papel.
Sem alterar chraicamente o papel, o acido sul-
phunco o transforma n'uma materia transparente
iiexivel, mu tenaz, .presentando Indos os carado',
res do pergaminho, e podendo desde logo ser subs-
tituido ventajosamente ao pergaminho, materia de
grande preco, porque s se obtm das pclles dos
ammaes.
. ~ ^cisa Po(ographica annuncia o resultado
ao urna expenencia, quo j tem sido tentada mui-
n^.e8,rrt,.debal.d-e; cn,,sisle ellaemobtor ,
ruPcv?s,da.P1ho<8P'" por meio da Uz arlili-
cial, subsliluida luz do dia.
..ii!Im*ch.ilnicode '-"dre. M. John Moule, o in-
ventor deste novo syslema de photographia noc-
Repetidas recentemente em Paris. em casa de
resutados' expencncias leem ddo cxcellentes
cnmT.'m."8!8 conse8"'do ji minutos luz artificial,
cora uma demora, que nao excede a 10 segundos,
as provaseram Uo bellas, como as que se obtem po-
la luz natural. .
Comprehonde-so todas as vaotagens, que ra-
na a photographia nocturna, se ella se tornar de
urna pratiea fcil.
..J.0*4P,lolograPhos seriara para o futuro dispen-
sados de ter officinas na altura de 3 ou 4 andares.
O oporador pode trabalhar em qualquor casa com
os seus apparelhos;ellepoderia tirar retratos n'um
loiieue, n uma sala, n'um quarlo de cama. etc.
Eslainnovaco aprsenla uma face ainda mais
importante que a precodente.
.Al a1u'. o interiores dos monumentos, das
igrejas, des muzos, dos edificios, tera ficado innac-
cessivnis photographia pela usencia da luz ; gra-
cas a illumnacao artificial, essas vistos Interiores
podem ser lambem reproduzidas pela photogra-
phia.
O governo inglez acaba de conceder 250 fran-
cos a cada um dos oilo marinhoiros do barco do
pesca francez, o Aigle, por torem corajosamente
soccorrido a equip.gem do Marco-Polo, quo soco-
brava no mar em 17 de morc ultimo, a 30 mill'ias
ao largo de Sowcstofl, o por nao terem receado de
se apartar da sua derrota, afim de os desembarcar
saos e salvos uo porto de Liverpool, donde tinham
sabido.
Passagcirosdo vapor nacional Oyapock antea-
do dos portes do norte : D. Carolina Josepha Fer-
reira Mallos e 2 filhos, Antonio Jos Correia da
Mlva. ominicus Rodrigues, Pedro Antonio Barbo-
sa Bazim Luize, Maria Cayrolle. 1). Gerlrudcs de
Castro c seu filho, o pratico Jos Rodrigues Frailas
lorculano Al ves da Silva e 1 criado. Raimundo
"-arlos I cito. Joo Ribeiro da Silva, Jos Paulino
Manoel Vicente, Alexandre Flix, Manoel Jos d
aria, francisco Lopes Guimares, Pedro Jos de
reilas, Pedro Paulo, Joo Jos da Rocha. Antonio
Soares. Bernardo Velo/o, Francisco -Mgeini Bm-
tos, Francisco Jos de Almeida, Manoel
Carvalbo, "
Piulo de

^
s
1

*J
1

... Moreira, Manoel P. de AnI
ton"lT '" dS S' Va Uma' Amonio da r.su
Urna, Dr. Antonio de Souza Carralho, o capilo Te

.


V'Cv* *


Diario de Pernambuco Sabbado 18 de Junho de 1859.
motean I*, de Albuquerque Maranho e su.i familia,
Joao C. Cesar de Andrade, sua senhora e sa cu-
nliada, Bernardo llenrique e um lliu, Jos Teixci-
ra l.eile, Joaquim Josa de Medeiros, Joaquim dos
Sanios Oliveira, Antonio Justo, Martinlin Justo,
A. Marlns, J.Bracha, S. Brausou, Angelo Uarlg, 1
rriminoso c 2 bracas, 1 escrava, :l eseravos a Jos
Baptista da Fohsec'a, 2 ditos a Adriano e Castro, An-
ua Mara e Domingos Alves Matheus.
Seguem para o sul : o Exm. coronel llenri-
que de B. Rolian, sua senhora, 1 fillia e 3 criado,
lente coronel Luir Antonio da Silva Vianna, I)r,
Faln Alexaudrino de Carvalbo, Dr. Thom Fernon-
dea M. de Castro, Francisco Sabino Freitas Reis,
rimeiro lenle Alvaro A. de Carvalbo. o piloto
oaquim Alvos Coelho Jnior, D. Anna Rila C. da
Fonseca, D. Mathildo C. F. Ribeiro, Joaqaim Jos
Pacheco e sua senhora, o alteres Joo Antonio V.
Vorto, o padre, mestre Antonio do Valle, Arsenio
M. Pereira, Joao Bipsta da Cruz, Manoel D. Paes
a sua senhora, Silvestre Joaquim do Oliveira, 10
pracas, 6 remitas, 7 pracas do marinha e 9 escra-
vos'a entregar.
Passagelros do brigue porluguez Laia III, en-
trados do Lisboa Mauoel Antonio Flores, Joan
Mana Fonseca e Castro, Ignacio da Silva, Peter Der-
modv.
Passagoiro da barca tranceza Villa de Boulog-
ne sabido para o Havre : Joo Christiniano ei ii-
lhos.
Uatadouropublico.Mataram-sen da 16 do
rorronto para o consumo dosta cidade 58 rezos.
Nodia 17 do mestno.T'J.
Mortalidad do dia 17 :
Joan Jos Jorpe, branco, casado, 36 anuos, febre
amarella.
Manoel Jos Bernardo de Paiva, branco, sclloira,
46 anuos, pulmonite.
Joo l.ui/., bronco, solteiro, 33 annos, pulmonite
chrouica.
Antonio, prelo, escravo, 8 das, convulees.
Thereza Hara Joaquina, prota, viuva, 50 annos, in-
nato maco.
Eugenia Francisca do Mallos, prela solteira, 30 an-
nos, intente chrouica.
Isabel da Cunha Goianna, branca, solteira, 32 an-
nos, aneurisma no eorarao.
Leobalda, parda, 4 mezesj cenvulre.es.
Felicio da Costa, branco, 38 annos, febre ama-
rella.
Ch-istovo Romano de Araujo, branco, solteiro, 19
annos, febro amarella.
Hospital de caridade.Existem 49 homens, 52
mulheres, nacionaes; 1 hornero, estrangei.ro ; 2 es-
eraros ; total 104.
Foram visitadas as enfermaras pelo cirargio Pin-
to s 7 3/4 horas da manhaa, Dr. Dornellas s 8 1/2
horas da manh, cirurgio Pinto s 6 1/1 horas da
larde de hontem.
Falleccu um enfermo, sendo de diarrho.
CHRONICA JUDICIARIA.
mais ou meaos da argumeutoco do Sr. Barata ; u
por ultimo resolvcu-sc que se levassc ao conliec-
nienlo do Kmii. vicc-presidenle da provincia a com-
nitiuicaeao, por copia, do fiscal, rogando-llie expe-
dase as ordens cunveuieules reparleo das obras
publicas, pamesla fazer as mencionadas ras as
obras necessarias, tendentes a evitar a repreza das
aguas.
Outro do juiz de paz do quario anno do segundo
districlo dos Alfogados, communicando que, por
impedimento do juiz do corrento anuo entrara em
ejercicio.Inteirada.
Lina informarlo do fiscal da Boa-Vista a favor
do Joao Pedro Blancheu, fraucez, que requereu para
nao pagar os impostes alrazadoa, que deve a casa
numero 11 da ra do Atierro da Boa-Vista, em que
o peticionario eslabeleceu officiaa de sapatos por
Dio ter succedido em nenhura dos eslabelecimen-
tos que na meama houve,DeQrio-se.
Outro do fiscal de Muribeca, communicando quo
bavendo remetiido oo subdelegado supplenle em
exerricio da mesma freguezia seis termos do ochada
de infnicc&o do posturas, para processar o fado, e
fazer effectivas as mullas, elle responder pela ma-
ueira constante do offlcio que reraellia a cmara.
Que se respondesso ao fiscal que remenease os ter-
mos i conladoria municipal, pora d'ahi terom o
destino conveniente.
Despacharam-se as peticoes de 1). Anna do Sa-
cramento de Mello, Joan Pierro Planckn, Dr. Joao
Ncpouiuceno Dias Fornandas ; o levanlou-se a ses-
so.
Eu Manoel Ferrcira Accoli, secretario a cscre-
vi.Reg e Albuguerquc,presidente. Franca.
Jarata de Almeida. llego. Oliveira.
Kioda Pralal'alacbo nacional Mora Jos, Aum-
rim Irmos, 250 barrricas assucar branco, 120
ditas dito mascavado.
llioda PralaBrigue suuco Sidon, Aiuoriiu li-
maos, 450 barricas assucar branco.
Canol=Rrigue ingle/. cMary Weira, Jolmston Palor
6: C, 200 saceos assucar mascavado.
Exporta^ao.
Ro de Janeiro, brigue nacional Veloz, de 201
toueladas, conduo o seguinte : = 1,599 saceos as-
sucar, 25 pipas agurdenle, 50 saceos algodio, 29
caixas velas de carnauba, 10 saceos cera de car-
nauba, 100 mollios pclles de cabra, 1 canao espa-
nadores, 4 cestas vmho de caj, 3,472 meios de sola
Liverpool pela Parolaba, barca ingleza Midas,
de 382 toneladas, cooduzio o seguinte : =1,000
saceos assucar.
Passode Camaragibe, hiate Sania Luzia,de24
toneladas, cooduzio o seguinle : 200 voluntes g-
neros estraogeiros.
BECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GERAES
DE PERNAMBUCO.
Rendiraento do dia 1 a 16 18:4965939
dem do dia 17....... 3:3913394
21-8883333
- TRIBUNAL DO COMERCIO.
SF.SSO ADMINISTRATIVA EM 16 DE JUNHO
DE 1859.
rRESIDENCU DO F.XH. Sil. DESEMBARGADOS
SOLZA.
AsIO horas da manhaa, achando-sc prsenles os
Srs. depulados Reg, Basto, Lemos e Silveira, o Sr.
presidente declarou aberta asessao.
Foi lida e ipprovada a acta da antecedente.
I.ou-se o seguinte
IXPEDIBSTE.
Um offlcio da secretaria de eslado dos negocios
da juslica, de 3 do correte, acompanhando exem-
S laresimpressos da ordem expedida pelo ministerio
a fazenda, coi 24 de maio ultimo, resolvendo as
duvidas suscitadas na execuco do aviso do mesmo
ministerio n. 180 de 13 dejulho de 1849.Accu-
so-se a recepeo.
Outro do secretario do meritissimo tribunal do
commcrcio da capital do imperio, de 26 de maio
prximo passado, incluindo a relaco dos comiuer-
cianles matriculados all, durante o mez de abril
Uo correnle anno.Accuse-se a recepeo.
Outro do secrelario do meritissimo tribunal do
comniercio da Baha, de 10 do correte, acompa-
nhando a relaco dos commercianles matriculados
no mesmo tribunal, no decurso dos mezes de Ja-
neiro a maio ultimo.Accuse-se o recepeo.
Outro do ollicial-maior da secretaria dcste tribu?
na), de 11 do correle, participando achar-se no
exercico do seu lugar.nteirado.
Foram presentes as colices alucaos dos precos
correntes da praca, relativas s 2 semanas lidas.
- Archive-se.
DESPACHOS.
Um requermenlo de Benlo Jos Ramos de Oli-
veira, por seu procurador, pedindu quo o secreta-
rio desle tribunal declare qual o aluguel annoal que
se pagava pela cosa do aterro da Boa-Vista, em que
fiiniTioiioii o mesmo tribunal.Como requer.
Huiro de Tlioniaz Fernandos do Cunha, pedindo
n registro da nomeacao de seu caixeiro. Regis-
Ire-se.
Outro do Monsen A Vinassa, pedindo o registro
das cinco prncuracoes juntas.Como requerem.
Outro de Vidal' o Bastos, pedindo o registroj)a
nomeacao de seu caixeiro Vicente Alves da Costa c
Silva.Registre-sc.
Outro de Luiz Etlcr, pedindo o registro da pro-
ouraoo de Francisco Jos Germn. Como re-
quer'.
Oulro de Joaquim Francisco dos Sanios Maia, pe-
dindo o registro da procuruco qne ajunta.Regis-
tre-so.
Oulro de Domingos Alves Malheas, pedindo o re-
gistro da procuranro junta, em que consume seus
procuradores a Joaquim Jos Silveira, Antonio Lo-
pes Rodrigues e Jos Izidoro Martins, durante a sua
ausencia.Regislre-se.
Outro de Antonio Pedro d)3 Noves, pedindo por
rcrlido a nnuiearo de gerente de seus negocios,
que concedeu a Innocencio da Cunha. Goianna J-
nior e de qualqoer declararan registrada, em con-
trario da mesma nomeacao. De-sc-lho do que
constar.
Outro de Jos Goncalves de S, pedindo o seu
requermenloe documentos impetrando o lugar de
amanuense deslo tribunal, visto achar-se prvido o
mesmo lugar.Como requer.
Outro de Eduardo Feulon, gerente da firma de
James r.rablree & Componhia, pedindo o registro da
procurarn quo ajunta.Como requer.
Oulro'de Jos Marcelino da Rosa, pedindo certi-
do de ser ou nao commercante matriculado.Co-
mo requer.
Oulro de Joo Chrysoslomo Goncalves Rosa, pe-
dindo certidio de ser ou nao caixeiro de Jos Mar-
celino da Rosa.Como requer.
Oulro do corrector geral Francisco Mamede de
Almeida, declarando haver subslituidoo seu fiador
Joo Jom de Carvalho Muraos por Mauoel de Aze-
vedo Pontes, como mostra com o documento junto,
e pedindo se faram as declararnos necessarias a
respeilo.Como "requer, continuando a responsabi-
lidode do fiador por seis mezes.
Informados pelo Sr. desembargador fiscal, osse-
fruinies requerimentos :
lm de Alejandre Monsen e Christiano Eduardo
Augusto Vinassa, pedindo o registrado seu contrato
social. Salisfarnm o parecer do fiscal de 16 de
marco de 1858.
Olro do senador Francisco de Paula Cavalcanli
de Albuquerque, replicaudo do despacho desle tri-
bunal, de 21 de feverciro do correnle anno.N4o
tem lugar.
Outro de Joo Jos Saldanha, pedindo o lugar
decorretor da praca da cidade da Fortaleza,provin-
cia do Cear. Nao est ainda creado o lugar que
pede.
Oulro de Ignacio Nery Ferrcira, salisfazendo o
despacho deste tribunal de 26 de maio ultimo.
Justifique o quo allega em sua pelicao perante
o joizo especial do commercio.
Im de Vianna & Guimares, pedindo registrar o
seu contrato social.Como requer.
RESOLICAO.
O tribunal resolveu nomeara Prudencio Marques
de Amorim para presidente da junta dos correcto-
res, a Francisco Mamede de Almeida, para secreta-
rio, e a Guilhermo Stepple para ihesoureiro.
Nada mais houve a tratar.
DIARIO DE PERNAMBUCO.
Pelo Oyapok entrado hontem a tarde dos pnrlosdo
norte tivemos datas do Amazonas, que alcaiicoin a
28 do passado.
A 21 liavia a assembla provincial dirigido urna
felicitaco ao Exm. Sr. Dr. Furlado, presidente da
provincia, por meio de una commisso composta
do cinco niembros.
S. Exc. leudo obiido tres me/es de licenca do go-
vemo geral, liavia passado a administraco da pro-
vincia a um dos vlce-presidenles
O inveruo conliouava rigoroso.
As cheas do Amazonas e outros ros causavam
grandes dainos a provincia.
Do Para lemos datas de 9, que sao destituidas de
inleresse,
As enchentes do Amazonas causaram grandes
estragos em diversos pontos da provincia, com es-
pecialidade nos termos de Sanlarem, Obidos, Alem-
quer e Villa Franca.
Do Piauhy o ultima data de 25 do passado.
Nada de inleresse encontramos nos jumaos que
Jalli recebemos.
O Sr. Dr. Coulo, cuja exoneraoo nao era ainda
sabida na provincia, conlinuava a soffrer forte op-
posieao a seus actos.
Do Marauho lemos dalas de 11 e do Cear
del3.
tiestas provincias nada ha de inleresse.
Do Rio Grande as noticias chegam a 15.
O invern, romo por todo o norte, era rigoroso
uaqiiolla provincia.
Do jornal Rio a rndense, extractamos o seguinle
trecho de urna caria da villa do Principe.
Sao leudo cousas curiosos de que Ihe possa dar
noticia, s adianto a novidade que nos trouxe o in-
vern deste anno. Em dias de maree tivemos aqu
urna tempestuosa chuva de podras,'das quaes to-
meialgumas as mos, levando o rijo tufo de que
foi arompanhada, metade das arvores que encon-
Irou pelo campo : alera disto lo formidavel foi o
endiente do no Serid que destruio a maior parte
dos cercados, lavouras e fruleiras que Ihe ficavom
as margens em quasi toda a exlensao, chegandu a
enchenle al o pedestal da Santa Cruz da igreja
matriz.
Da Parahiba a ultima data de 17.
O Sr. Dr. Baurepere Hubam, lendo deixado a 4 a
adminislraco da provincia, segu ueste vapor pa-
ra a ciirle."
O Sr. Dr. Leilo da Cunha dirigi s autoridades
da provincia urna circular que foi muito bem rece-
tada pelos jornaes polticos, e del la copiamos o
seguinle :
Tendn por principio irrecusactl de adminis-
tracao o motor respeilo inriolabilidadi dos direi-
tosinditiduaes, e poli!icos do cidadao, e dos guc
he garntela sua tnlelligencia, moralidadc e hon-
rosos precedentes, como aptido para os cargos pu-
bliros^sem attender s suas crencatpolticas, guaes-
quer que sejam, desde que gyretn na esphera cons-
titucional, observara, e /Virio oiiserrar resrica-
menle na administrado da provincia semelliante
principio.
A febre amarella tinha-se desenvolvido na Cruz
do Espirito Santo.
Os gneros alimenticios esto va ni por altupreco.
A foriuha da va 500 rs. por cuia e a carne 2SO rs.
por libra.
A falla de Irocos miudos tornara ainda mais cr-
tica a siluuco.
O prero dos gneros do exporlaco nao era mi.
O algodo dav'a Tg por arroba, o assucar mascava-
do 2 e couros salgados 69500.
A hora adiautada em que recebemos os jomaos,
nao permiti que sejamos mais minuciosos.
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimentndndial a 16 59:418206
..... 3:968$05
63.3S038I1
dem do dia 17
Movimento do porto.
JVocio entrados no dia 17.
Para8 dias, vapor nacional Oyapoek, comman-
dante o segundo lenle Francisco Feneira llor-
ges.
Monle-Mdo15das, barca hospanholj Angelito,
23-i lonelladas, capilao Thomaz Manau, equpa-
gem 13, carga 3,700 quintaos hespauboes de car-
no ; a Bailar & Oliveira.
Lfsboa35 dias, brigue porluguez Laya III, de 22
toneladas capilao Jos Jauuario da Costa, equipa-
. gem 16, carga vinho, batatas e mais gneros ; a
Francisco S. llabello & Fillio.
Ifavios tahidos no memo dia.
LiverpoolBriguo inglez Eral Grey, capitn J.
Woof, carga assucar.
HavreBarca frauceza J'//e de Boulogne, capilao
Pugebel, carga assucar e couros.
LiverpoolBrigue iuglez Ages, capilao E. Carrgill,
carga assucar e algodo
OBSERVAt/lES METHF.OROLOGICAS.
DU 1( DE JIMIO.
VKNTQ. miMOMKTRo!
C3 1- E 0 G

es *- O g & a 8 a 1 3 c
^ "5 5 I O == "5 "5 aa
5 tO --
0 0 0 0 mu
da ni Cumulus S Fresco 20.1 20.8 Til 72 757 r
9 Sh 20.6 M.3 80 7:1 757.
1/2 dia 27.1 21. J 81 74 758
3 da t. > a 20,0 21.3 MI 1
6 b 20.1 20.8 79 >
A noite esleve clara com grandes nevoeiros, ven-
to SE, veio para o terral e ao auianheccr rondou
polo S.
Observatorio da arsenal de piarinlia 17 de junho
de 1859.
Viseas ju.xior.
contraante dar fiador ao contrato, pagar a multa
de 50 por eiiilo do valor de cada serviro, caso nao
o preste logo que se exija, e licar-llie a cargo oex-
cesso que baja, conceriienle ao valor, ou proco, se,
pela falla, recorra-se a outro. Sala do eonselhode
compras navaes de Pernambuco 15 do junho de.
1859.=0 secretario,
.t/exandr Ilodrigaes dos Alijos,
Batalhfiode artilharia a p n.A.
O conselho econmico do mesmo balalho con-
trata para fornecimento das pracas arranchadas du-
rante o segundo simestre do correnle anno, os gc-
noros alimenticios seguintes : arroz pilado, assu-
car refinado, azeite doce, bacalb,10, carne seca, car-
ne verde, caf, (ariuha, ferjo, lenha achas, mau-
teiga francesa, pies de 6| e de 4|, toucinhe e vi-
nagre Aspropostaa serio entregues cm cartas
fechadas na secretaria do mesmo batalho na for-
taleza do Bru ole o dio 22. (juarlel na Fortaleza
do Brum 17de junhc do!859.=Carlos Esteves de
Freitas Guimares, segundo lente aldanle.
Pela recebedoria de rendas internas desta ci-
dade se faz publico que no correnle mez de junho
a poca do pagamonlo, sem multa, do segundo
semestre do exercicin de 1858-1859 dos inipostns
seguintes : derima add.ional das eorporaroes de
niao mora : imposto de 20 0/0 sobre todas as casas
de negocio ; dito especial de 80g000 sobre todas as
casas que veudercm om grnsso ou a relalbo, perfu-
maras, coufeilarias, roup.i, calcado e trastes fabri-
cados cm paiz estrangeiro ; depois do que scro
cobrados com a multa de 3 0/0 : oulro sim, que os
devedores de rendas dos proprios nacionaes ; furos
de terrenos e de marinha, barcos do ulterior e laxa
dos eseravos, a fin de evinrem a cobranca execuri-
va, venham pagar na mesma recebedoria" o quoes-
tiverem a dever do mesmo exercicio. Recebedoria
de Pernambuco 1." de junho de 1&59.O adminis-
trador, Manoel Carneiro de Souza Lacerda. .
Conselho administrativo.
O conseino administrativo, para fornecimento do
arsenal de guerra, leni de comprar os objeclos se-
guintes :
Para a fortaleza do Brum.
COOcovados de baelilba para saceos de peca,
fura provimento dos armazens do arsenal de
guerra.
5 arrobas de verde crome, 5 arrobas de alvaide,
5 arrobas de oleo de liuhaca, 1 arroba do cera bran-
ca, 12 duzias de lixa sorlid'a, 5 arrobas de cola da
Rabia, 1 arroba do lineal, 20 resmas de papel alma-
co, 20 garrafas do tinta de escrever, 20 maros de
brelas.
Oiii'in quizer vender laes objectos aprsenle as
suas propnstas cm carta fechada na secretaria do
conselho s 10 horas da manhaa do dia 18 do cor-
renle mez.
Saladas sessoes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra 13 de junho de
1859.Lu: Antonio Favilta, brigadeiro presidente
do consolho.'rmicisco Joaquim l'ereir Lobo,
coronel vosal secrelario.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo, para fiirnoeimenlo do
asenol de guerra, lem de, comprar os objertos se-
guintes :
Para fardammla de diversos corpas do exercilo.
Panno azul, covados 5.000 ; casemira encarnada,
corados 150 ; dita caruiesim, covados 100; dila
verde, corados 60: hollanda do forro,covadtis 0000;
oleado, covados 40; brim branco, varas 10,000 ; al-
godaozinho, varas 5,000: aninagem, varas 600; cor-
d.in prelo de la, varas 2,000; botoes grandes de
metal aoiarello lisos 6,000; botoes pequeos de me-
tal amarollo lisos 4,000 bolOes gramas de metal
ainarello com o n. 4 4,200 ; boloes pequeos de
racial amarcllo com o n. 4 2.700; botoes grandes
de metal amarello com o o. 3 1,680; botoes peque-
os de metal amarello rom o n. 3 1080; boloes
Editaes.
Publicaces a pedido.
Ao publico.
as O Illm. Sr. inspector da thesourara de fazen-
da desta provincia manda fazer publico, para co-
nliccimenlo dos interessados a relaco infra trans-
cripta, dos credores por dividas de etercicios udos,
cujo pagamento acaba de ser aulorisado por ordem
do Iribunal do thesouro nacional de 14 de maio ul-
timo n. 78.
Secretaria da thesourara de Pernambuco 9 de
junho de 1859. O ollicial-maor interino, Lu;
Francisco de S. Paio e Silva.
RELACO t OLE SE REFERE O ANNLNCIO
SLPRA
Joo Cerdoso Ayrcs. ...... 138310
Francisco Joaquim das Chagas. 500{|00
Francisco Marlins da Cosa..... 43S010
Joao Anlunes Correia Lins Wandcrlev. SOOgOOO
Joo Jos Pereira....... .". Sigilo
Sebaslo Lopes Guimares..... 1113500
Abraho Morera Barbosa...... 9$S23
Alexandre Fernandos de Magalhes Bas-
les............ 20S168
Antonio Francisco Segundo..... 8$227
Antonio Fiancisco de Snnza Magalhes. 76|668
Antonio Viclor de S Brrelo. 81$000
Arislides Uarle Carneiro da Cunha
Gama. ,....... 11S045
Bernardo da Roca Bastos..... 21 083
C. Stlarr k C. '........ 2C7S0OO
Carlos de Moraes Camiso..... 2$000
Claoduo de Hollanda Cavalcanli. 20j!10K
Coriolano de Castro e Silva..... 3tlg 100
pequeos demelal amarello com a letra R480; bo-
loes grandes de melal amarello com a letra C 2,800:
boloes pequeos de metal amarello com a letra C
1,800; clcheles pretos, pares 2.000.
Para a escola do 4." batallio deartilheria a p.
Papel almaco, resmas 2 ; penuas de ganro 100 ;
caivete 1 ; tinta de escrever, garrafas 2; lapis 12 ;
arria prela, libras 2 ; pautas 2.
Ouem quizer vender laes objectos aprsenle as
snasproposlas em caria fechada na secretaria do
conselho is 10 horas da manhaa do dia 27 do cor-
renle mez.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra 15do junho de
1850.Lu; Jiilonio Vnidln, brigadeiro presdeme
do conselho.Francisco Joaquim Pereira Lobo,
coronel vogal secretario.
CAPITANA DO PORTO.
Pela capitana do Porlo se declara efazscicnlo a
lodos os captes de navios e consignatarios, que
nao deveui consentir que trabalhem na estiva sc-
no os individuos que forem matriculados na capi-
tana, sob pena do solrereni os ditos captes c con-
signatarios as mullas legaes que Ihe forem impostas.
Capitana do porto de Pernambuco 15 de junho de
1&9.O capilao do porlb,
Fernando Vieira do Bocha.
Ancoras de ferro 2, de 8 a 13 quintaos.
Bren 10 barra.
Brochas surtidas 100. f
Biiui da llussia 50 pecas.
Randeiras impelaos di' 8 pannos 2.
Ditas dilas de 7 ditos 2.
Hilas ditas de 0 ditos i
Dilas dilas de 5 ditos 1.
Bataneas romanas 6.
Bordoes para caisa de guerra 2.
Bonets de panno 200.
Ditos de dito com chapa e pala 14.
Cr 10 arrobas.
Chumbo em barra 20 arrobas.
Cabo de linho de 13 4 at 3 e 1/2 pollogadas (Operas.
Colheres de ferro 500.
Cravos de dito de pipa e barrica 10,000.
Cobre em folhas 20 caixas.
Dito cm varo de 5, 6 e 7 8 50 tardes.
Caivetes para penuas 24.
Cadeados sortidos 20.
Cadinhos do lapis ns. 60, 40 e 20 40.
Calcas de panno azul 21,
Ditos de brim 100.
Camisas do dito 100.
Dedaes de repudio 200.
Kslanho em verguinha 8 arrobas.
Eslopares 5,000.
Fechaduras de camarotes 50.
Fio de vela 0 amibas. '
Faleixas de ferro 1.
Fardas de panno azul 31.
Ditas de lu ni 14.
Ferro em leucol de 5 a 16 60.
Dilo inglez qadrodo de 7/8 20 vergalhoes.
Dito dilo de 8 8 20 ditos.
Dilo dilo de9/8 40ditos.
Hilo ingl.1/. redondo de 5 8 80 tardes.
Grvalas de sola 3.
Governaduras de ferro 20.
Graxa 4 arrobas.
Grosas 24.
Lapis 36 duzias.
Lona ingleza estrella 50 peras.
Dila larga 30 dilas.
Litro era branco de 50 folhas 40.
Ditos impressospara socrorrns de 150 folhas 25.
Limas -unidas 106 duzias.
Lencos de seda nieta 50.
Liona de cozer 25 varas.
Dita de barca 4 arrobas.
Merlina 2 arrobas. ,
Maugueira de sola 200 ps.
Oleo de linhara 60 arrobas.
Papel baela 10 arrobas.
Dilo almaco 50 resmas.
Dilo carluxo 60 dilas.
Dito mata-horran lt0 cadern-.
Dilo lixa de vidro 30 folhas.
Pregos de costado do cobro de i a 5 pollogadas 30
arrobas.
Dilo de dilo para forro 2,000 libras.
Peonas d'aro 12 cai'.as.
I's de ferro 48.
Piassava 100 mullios,
Parafusos de ferro 2 e 21/2 pollegaJas 40 grosas.
Ditos de metal do 1 pullegada 10 ditas.
Pregos de costado do ferro de 4 pollogadas 50 ar-
robas.
Ditos de 5 ditos 35 arrobas.
Ditos de 6 ditos 35 arrobas.
Ditos de 7 ditos 35 dilas.
Paos de queri 150.
Polainas de panno prelo 30 pares.
Raspas de ferro 30.
Sebo em pao 1 arrobas.
Sapalilhosde ferro 200.
Saceos de couducco 500.
Secante -i arrobas.
Sapatos 80 pares.
Sondarcza 6 pecas.
Sola 00 meios.
Dila ordinaria 40 meios.
Tinta de escrever 50 garrafas,
Dila branca de chumbo 50 latas.
Torcidas francezas 72 grosas.
Tachas de cobre surtidas 40 libras.
Ditas de ferro 50 millieiros.
Tijolos inglczcs 200.
Vistas de ossu 200.
Vid ros sortidos 3 caixas.
/.arcan ti arrobas.
Sala do conselho de compras navaes 15 de junho
de 1859.
dos os meios afim de que a boa ordem e harmona
soja a iiiesnia que al boje se lelo observado. Para
a boa ordem e regularidade do divertiinenlo conti-
nua ase plenamente observada o rigulainenlo in-
terno que o Itlm. Sr. Dr. ehefe de polieia se dignou
apprnvar, o qual probibe o ingresso i todas as pes-
soas que nao se apivsoniareui com a devida decen-
cia, e armas prohibidas.
Entrad) para damas gratis, ravalheiros 2S- De-
ver principiar s "> horas e terminar s2 da ma-
nhaa.
Baile popular
Sabbado 18 do correnle ser.1 a abertura dos salos
do caes de Apollo, com toda o sua illuninaro a
gaz.
Neslc dia lera lugar um grande e brilhante bai-
le masqu com mascaras e sem ellas composto de
grande e variada phantasia ; eslaro os salos rica-
mente ornados e Iluminados : a msica ser do-
brada, tocar variadssimas pecas todas novas e en-
tre elas polkas schoths, eslrada de ferro, lancei-
ros, illiiniinaco a gaz, 29 011 Honra o Gloria, galo-
pe moderno o oulras muitas valsas o quadrilhas
novas.
Os saldes alera de seu realce natural, ueste da
eslaro lodos perfumados, aromalisados com chei-
ros de toda a qualidade de flores do paiz e ser tal
a profuso que se podero igualar neste genero aos
melhorcs da Europa, porquanto o dono deste. im-
portante cstabelecimenlo nao te'm nlhado a despe-
zas ucm a sacrificios, leudo s em vista o salisfazer
ao mu respoitavel publico desta cidade.
Ser mautido em sua plenilude o rrgulamcnlo
saneciouado pelo Sr. Dr. chefo de polica, nao po-
dendn ter entrada quem nao se aprescnlar vestido
decentemente.
Ter principio o dilo baile s 9 horas da noite,
rom osigual de urna gyrandola de fogo de bomba.
Entradas para homens 2$, senhoras gratis.
II 2s pipas com superior violto linio do Lisboa.
lOquartnlascoui agurdenle de Franca.
S pipas coin vinagre de Lisboa
Na mesjaaoccasio conlinuar-se-ha o leilo de
queijos.
Avisos diversos.
Per ordem do Sr. Dr. juiz de orphos foi cercado
o praieiro andar do sobredo onde moro, sendo mi-
nha residencia 110 segundo. O que molivou esse Filippe Antonio Teixera de Alhiiquerquc
cerro foi suppnr-se que no 1" andar estovara hnmi-
siados alguns eseravos do fallecido Ignacio de Hol-
lando Cavalcanli, que devem entrar em inventario,
011 serem partidos na forma da le.
Faco esta declararo afim de arredar qualquer
jallo, que nessas occasides o vulgo cosluma fazer ;
e, nunca lendo sido minha casa vareja pela polica,
e morando no rnesmo sobrado, son toreado a orien-
tar o respeilavcl publico da oceurrancia, ondee por
que.
Recic 17 de junho de 1859.
ilomiiaJdo Alves de Oliveira.
(Jos Mara Srhefler. cesionario de). 17J816
Femando Francisco de Aguar Monlar-
royos.........., SSfDQO
Francisca Barbosa do Espirito Sanio SOgOOO
Francisco Goncalves de Arruda. 2T>j000
Gnillicrine Jos'......... 26S-17.
Joo da Cunha More-ira Alves. 20JJ1G8
Joo Fernandos Prente Vianna. 368000
Joo Jos de Souza........ 7g740
Joaquim Alves de Freitas..... 33138
Joaquim Garca dos Santos.
Joaquim Jos da Costa.......
Joaquim Jos Pereira Vianna (Umbclina
Joaquina de Lima, viuva de). .
Illm. Sr. Dr. juiz de orphos.Marcelino Dias de
Araujo da cidade de Olinda. reqdrr a V. S., digne- Joaquuu MigueTd'o Amral"
se de mandar que os escrives de orphos ccrtili- Jos Caetano Feilosa. ".
quem.se alguma vez se rnntou ueste juizo do Reci- '
fe ao Dr. curador dos orphos, e ao official de jus-
lica honorario c salario por occasio dos bens in-
ventariados, sendo as avaliaces feitas nesta cida-
de. Pede a V. S. assm Ihe delira.E R. M.Mar-
colino Dias de Araujo.
Sim.Recite 6 de junho de 1859.Aquino Fon-
seca.
Ploriano Corra de Brto, ravalleiro da ordem de
Christo e primeiro escrivo de orphos da cidade
Avisos martimos.
Rio Grande do Sul.
O veleiro e bem construido patacho Tggre tem
do ns tercos da sua carga proinptns, e logo que a
receba, seguir para o Ro Grande do Sul : quem
quizer aproveilar a prara que Ihe sobeja, dinja-se
a ra da Cadeia do Recito, n. 12, escriptorio de
Bailar & Oliveira.
Para a ilha de S. Miguel
Seguir at 25 do correnle a escuna Ilainha dos
Acores; para o resto da carga e passageirns tra-
la'-secom Barroca A Medeiros, na ra da Cadeia do
Recite 11. 4.
Para o Rio de Ja-
neiro.
THEATRO
DE
Jos das Chagas Accioli......
Jos Francisco Alves de Lima. .
Jos Francisco Pereiro da Silva. .
Jos Francisco de Souza.......
Jos llvppolio da Silva......
Jos Manuel. i .' .
Jos Pereira Santiago.......
Jos Rodrigues da Costa......
Jos de S. Luiz Bimbert {Domingas Ma-
ra da Conceico, mi de).....
do Rncife o seu termo, por S. M. imperial que. Manoel Francisco Lopes.
lien* aufirrfp ni, l uR....Hi .__ ... *,'_
Dos guarde etc.
Certifico, que, neste juizo, se nao conla salario
oo Dr. curador geral dos orphos, e nem aos offi-
ciaes de juslica, por occasio de so descrever o ava-
liarem hens are inventaro ; sendo que o estes
apenas perteuce cusas pelas nolillracdes que fazem,
e aquello apenas se paga na forma do regiment
em vigor, as promonrdes que escrevera nos autos
ou em pelices. O referido verdade.
Recite 8 do junho de 1859.Fiz escrever e assig-
110. Em f de verdad
'foriano Correa de Brito.
COMMCRCIO.
Manoel Isidro do Nasrimcnlo.
Manuel Joaquim Carneiro Leal. .
Manoel Joaquim de Sapl'Anna .
Manoel Jos Vianna.......
Mauoel Pires dos Santos......
Manoel de Vera Cruz (Anna Mara Pc-
xoto............
Manoel Vicente do Nascimento. .
llaymundo Jos de Souza Lobo. .
Hay mundo dos Santos Figuuiredo. .
Fernando Alfonso de Mello.....
Joaquim Theodoro Alves......
Jos Francisco de Paula......
Nicolao Vieira da Silva. ', .
PRAQA DO RECIPE 17 DE JUNHODE 1859.
AS TRES HORAS DA TARDE.
Cuiscdes officaes.
Descont de letras12 por cenlo ao aaao.
Fred. Robilliard, presidente.
ALPANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 16 .
dem do dia 17......
223-.137J906
24:011S397
CAMABA MUNICIPAL DO RFXIFE.
2." SESSAO ORDINARIA EM 7 DE JLN1IO
DE 1859.
Presidencia do Sr. Reg e Albuquerque.
Presmosos Srs. Franca, Barata, Reg, e Olivei-
ra, faltando com cousa o Sr. Mello, abro-sc a ses-.au
o foi lida e approvada a acta da antecedente. Com-
parecen tambera mais tarde o Sr. Piulo.
Fui lido o seguinte
EXPEDIENTE.
I'm offlcio do fiscal de S. Jos, participando que
os arougucs da sua freguezia precsavam ser rete-
Ihads, por terem com as copiosas churas appare-
rido muitas goteiras, que, nao sercm logo toma-
das, podem arruinar o madelramento.Que man-
da sse fazer os reparos indispensaveis, e quefossem
pnsaiveis na actualidade.
Oulro do mesmo, participando que em consecuen-
cia da muita chura do da 28 de maio ultimo, as
aguas represadas em grande quantidade as tra-
versas da ra Augusta, edo Dique, nao ochan Ju sa-
bida, enlraram por quasl todas as casas das mesmas
roas, o que deu lugar a que Jos Mara Placido Ma-
galhes, para evitar maior mal, rompesse o caita-
mente em toda a largura da rila Augusta, e desse
por ah evacuarn as aguas, do que tomara tesle-
inunhas para irazer ao conhecimento da cmara,
romo agora o feria, anda que reconhecesse a ne-
ressidade que obrlgou a Semolhanto proccdimenlo.
Poslo cm discusso, appareceram diversos pen-
samcnlos i respeilo.
O Sr. Barata disso que reconhecia a causa que
dera lugar ao roropimento do calcamento, mas que
nem por isso deixava de reconhecer tambora que
o fado era criminoso, e para evitar a sua reprodu-
jo, quo importara a continuadlo das deslrucdes
das obras publicas, entenda que" se devia proceder
contra o seu autor, pira este defendef-se com as
razos que Ihe assistissem, como permitiera as leis
do paiz.
Os Srs. Franca, Reg c Albuquerque, Reg e Pin-
to, foram do opino diversa, sustentando o primei-
ro rom energa que, em caso idntico, vendo sua
propredade env estado de arruinar-se, c a conster-
naban das familias, sera apparecer medida neuhuma
de salvarn da parle das autoridades, elle obrara
do mesmo modo sem o menor receto de coinmetler
crime.
O S"r. Oliveira fallou no mesmo sentido pouco
547-.149J303
Descarregam hoje 18 de junho. ,
Brigue portuguez Harmona = fejo, farello e
milbo.
Barca inglezaBonta=rferro e rarvio.
Barca ingleza=John Martin=:mercadoras.
Barca ingleza=;Norvaldem.
Calera francezaBerlliedem,
brigue sardoTlainnmassas, mil Inte farello.
Barra dinamarqurza Precioso u resto.
Brigue hamburguez=Thereza = idem.
Patacho amercauoCoast Piiot farinha niilho e
arroz.
Escuna honoveriana = Joannesdiversos gneros.
MOVIMENTO DA ALFANDEGA.
Volumes entrados com fazendas .
< < com gneros .
26$055
20S168
500,000
20*168
11*151
28*9*6
39*902
29*400
16*333
7*338
20*10
11S151
20*108
518333
11*151
0*980
2lug000
7*198
110*106
14S748
158000
20*168
132*000
54*690
25*530
19*152
12*708
12*708
Os fiscaes das quatro freguezias desla cidade, etc.,
etc.
Fazem publico, para conhecimento de todos os
proprielaros de casas cujos passeios vulgo calcadas
esliverem arruinadas, que a cmara municipal por
circular to 6 do correnle, lhes determinaran! que
fizessem executar o art. 18 do lt. 7 das posturas de
30 de junho de 1849, cujo artigo terminantemen-
te expoem o dever aos proprielaros de concertar
as calcadas todas as vezes que Qcarera arruinadas,
sob pena de pagarera a multa de 4*. e o duplo na
reincidencia de conformidade com o art. 1. do tit.
14 das citadas posturas. Pelo que, cumpre que os
Srs. proprielaros procedam quanlo antes aos res-
pectivos colicortos dos passeios de seus predios que
por ventura acharem-ae arruinados, cortos de que
pelas corridas que lero de fazer, se maodar la-
vrar termo de achada contra todo aquello proprie-
tario que nao lenha concertado o passeio arruinado.
E para que nao appareca ignorancia, mandaram
lavrar o presente que ser publicado pelo Diario
Cidade do Recite 11 de junho de 1859.Os lis-
caes, Manoel Ignacio de Oliveira Lobo.Manoel
Joaquim da Silva Ribeiro.Joao Xavier da Fonse-
ca Capibaribe.Thomaz Augusto de Vasconcellos
Albuquerque Maranho.
Volumes saludos com fazendas .
a c com gneros .
CONSULADO GERAL.
Rendimento do dial a 10 .
dem do dia 17.......
423
209
------632
. 127
. 274
------401
76:912*708
5:077*713
81.989*421
DIVERSAS PROVINCIAS
Rendimento do dial a 16 .
dem do dia 17 .
\
Declarares.
Crrelo gem.
As malas que tem de conduzir o vapor Oia-
pot para os portos do sul sero fechadas hoje as
3 horas da Urde. Os seguros sero feitos al 2
horas.
Conselho de compras navaes.
4: 429*333
DESPACHOS DE EXPORTACAO PELA MESA DO
CONSULADO DESTA CIDADE NO DIA 17
DEJUNHODE1859.
HavreBurea franceza Ville de Bologne, Osear
Deslebcaure, 60 couruhos de cabra.
MarselhaBarra franceza Mara Nicols, F. Sou-
vage & O, 200 saceos assucar mascavado.
CanalBrigue francez Cily Auck, H. Brunu \
l'.., 800 saceos assucar mascavado.
CanalBrigue inglez James Hull, Monsen & Vi-
nassa, 1,000 saceos assucar mascavado.
CanalBarca ingleza Biltern, Paln Nash & C,,
1,800 saceos assucar mascavado.
Em addilamento ao annunco datado de hoje
acerca da acquisico de diversos objectos do male-
j rial, faz-sc mais publico que o conselho contratar
213300 em sess* ^e *7 do correnle. vsla tambem de pro-
__^__I postas apresentadas neste mesmo dia al as 11 ho-
ras da manhaa. os serviros de barbeiro enferma-
ra de marinha por lempo de um anno, lindo no
ultimo de junho prximo, e o forneeimento no tri-
mestre de julho a setembro, tambera prximo, de
niautimentos e outros objectos para consumo dos
navios da armada, e eslabelecimentos de marinha,
sendo arroz do Maranho, agurdente, assucar bran-
co grosso, azeile doce de Lisboa, bacalho, bolacha,
carne secca, cangica, carne verde, caf em grao,
farinha de mandioca, feijo, manteiga, malte, pao,
toucinho de Lisboa, vinagre dito, velas de carnauba
e volas stearnas, porra effecluados os contratos
do fornecimento de mantimentos e outros objeclos,
sobas clausulas declaradas em dilo annunco e dos
serviros de barbeiro enfermara de marinha, do
forma semelhante as mesmas clausulas, como do
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesoura-
ra de fazenda desta provincia se faz publico, que
110 dia 22 do correnle tem de ir praca peranle a
mesma thesourara o arrendamento das rasas ter-
reas ns. 19 e 31 da ra Direila e Santa Thereza, e
bem assm o do sobrado 11.11 da mesma ra Direi-
la. Secretaria da thesourara de fazenda de Per-
nambuco 15 de junho de 1859. O official maior
interino, Luiz Francisco de Sampaio e Silva.
. :=: O iniiselliu erniiomito do balalho de infan-
larian. 10, lendo de contratar paro fornecimento de
suas pracas no segundo semestre dd correnle auno,
os gneros alimenticios abaixo declarados, os quaes
devera ser de boa qualidade, e convida os solici-
tantes a aprescnlar suas (impostas 0111 carta fechada,
na secretaria do dito balalho, aleo da 27, em que
lera do se proceder a arremataro. Arroz pilado,
assucar retinado, azeite dore, bacalho, caf muido,
carne verde, dila secca, farinha de mandioca da
Ierra, fejo, lenha om achas, manteiga franceza,
pes de 6 e 4 onras, luucnho, e vinagre.
Ouortel no Hospicio era Pernambuco, 15 de ju-
nho do 1859.Lino Augusto de Carvalho, alteres
servindo de secretario.
= O conselho administrativo do patrimonio dos
orphos tem de continuar a por em hasta publica,
na sala de suas sessoes no dia 20 do correnle, a ren-
da de parle das casas do mesmo patrimonio, abaixo
mencionadas, por lempo de um a Ircs annos, que
tem de decorrerdol." dejulho prximo futuro, se-
gundo o que dispcm os arts. 28 e 29 dos estatutos
em vigor, a saber:
Ra do Vigaro.
Ns.
71Casa de sobrado de tres andares.
72Casa de sobrado de dous andares.
73Casa de sobrado de tres andares.
Ra do Enrantameulu.
74 -Casa terrea.
75dem.
76Casa de sobfado do dous acidares.
77dem idem.
Ra da Senzola Vellia.
78Casa de sobrado de dous andares.
79dem idem.
80dem idiMii.
81Casa terrea.
82dem.
Itua da Guia.
83Casa terrea.
Wdem.
Ra do Trapiche.
85Casa de sobrado do tres andares.
lloco da l.inguei-i.
86Casa do sobrado de dous andares.
Ra da Cruz.
87Casa de sobrado de dous andares.
88dem dem.
89dem idem.
90dem idem.
Os licitantes hajam de comparecer com seus fia-
dores na sala das serenes do mesmo ronselho, As
11 horas da manhaa do mencionado dia 20 do cor-
rente.
Secretaria do conselho administrativo do patri-
monio dos orphos 15 de junho de 1859.Dr. Vi-
cent* Pereira do llego, secrelario.
Tribunal do eommerrlo.
Pela secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco se faz publico, que leudo o corrclor geral
desta praca Francisco Mamede de Almeida, substi-
tuido o seu fiador Joo Jos de Carvalho Moraes por
Manoel de Azevedo Pontes, tica subsistindo a ban-
ca prestada por aquello, gor esparo de seis mezes
contados do da 11 do correnle, em que fui substi-
tuido, quanlo s transaccoes effertuadas pelo men-
cionado corrector al o referido dia.
Secretoria, 17 do junho de 1859.Dr. Aprigio
Guimares, official maior.
Pola mesma secretaria se faz publico que ncsla da-
ta lica inscripto no livro de matricula dos commer-
cianles, o Sr. Manoe! Antonio da Silva Morera, ci-
dadao brasilciro, domiciliado e cstobelerido nesta
praca, com sua casa de commercio de gneros de
estiva, em grosso e a rclalho.
Secretaria 17 de junho de 1859.Dr. Aprigio
Guimares, official maior.
Conselho de compras navaes.
Tondo de fazer a acquisico de diversos objectos
do material, para provimcnlo do almoiaritado do
arsenal de majuha, sendo os abaixo declarados,
manda o conselho fazer publico, que tratar disso
em sesso de 25 do correnle mez, i vista de pro-
postas em carias fechadas, recebidas neste mesmo
dia at As 11 horas da manhaa, acompanhadas das
amostras dos objectos, que caibam no possivel; cer-
los os que propondo-se vende-los terem de dar fia-
dor aos i-ontratos sob a cundirn de multa de 50 o/0
a favor da fazenda, do valor "de cada um quando
nao seja entregue da qualidade e na quantidade
contratadas, e do ficar-lhes a cargo o excesso de
preco, raso o hoja, em ronsequencia de, na falta,
rcccorrcr-se ao mercado ; bem como de serem pa-
gos do que venderem, pela forma al boje cm pra-
tica.
Objeclos.
Agua raz 3 arrobas.
Almagro 7 arrobas.
Ac de milo 6 arrobas.
Agulh.is do lona e brim 500.
Alcatro 12 barris.
Azoite de peixe 100 medidas.
Algodo em rama 2 saceos.
Amarras de ferro 8, de 8, 9 e 10/8.
Santa Isabel.
i-:mphi'./.a-germa\o.
A." recita da nova assignatura.
SABBADO 18 DE JUNHO DE 1859.
Subir a scena o magnifico drama em 5 actos c 1
prologo, original do Sr. Luiz A. Rurgain, autor do
l.ui/ de Caniies, e de outros mulos dramas :
PEDRO-SEH
QUE JATEVE E AGORA HlO TEM
PERSONAGENS.
Pedro.....
I.ourenco. ,
Joo Goncalves. .
Padre Moa. .
Mauoel Ribeiro. .
(I juiz da \ mena
Andr.....
Serapio. .
Malliias. .
Mara.....
Josepha .
Marianna. .
Thereza. .
Malvina.
Germano.
Lisboa.
Nones.
Valle.
Thomaz.
oliveira Vasqucs.
Pinheiro.
Correia Vasques
Francisco.
I). Manuela.
D. Carmela.
D. Jesuna.
I). V cenca.
N. N.
A escuna Linda sahe para o Rio de
Janeiro infallivelmente at o dia 18 do
corren!", por ter quasi toda a carga
prompta, para o resto trata-ie com o ca-
pitao Joao Ferreira Pinto, ou com o
consignatario Manuel Alves Guerra, na
ra do Trapichen. 14.
PABA OBIO DE JANEIRO
segu coui brevidade o brigue brasileiro Puritano:
para carga e passageiros a tratar na ra da Cruz
11. 54.
Para a Bahia.
O palarho nacional Ponta Arvore* pretende se-
guir rom umita brevidade,tem parle de sen carre-
gamenlo prompto : para o resto que lite falla,trata-
se com Antonio Luiz de Oliveira Azevedo, no seu
escriptorio, ra da Cruz u. 1.
Para a Bahia.
A escuna nacional candles pretende seguir
com brevidade, parle de seu carregamento esl
prompto : o reslo que Ihe falle, trala-se com o seo
consignatario Antonio Luiz de Oliveira Azevedo, no
sen escriptorio, ra da Cruz n. 1.
Cear Maranho ePar
O bem ronbecido Late Lindo Paquetea, rapilo
Jos Pinto Niuies, segu com a maior brevidade
jos portos iudicadns ; para a carga que Ihe falta,
Irata-se com os consignatarios Almeida Gomes, Al-
ves & C, ra da Cruz n. 27.
Para o Rio de Ja-
neiro
u brigue nacional Bomflni pretende seguir ues-
tes oilo dias, tem parto do seu carrcg.-.mrnlo a bor-
do ; para o reslo que Ihe falta, trala-sc com o seu
consignatario Antonio Luiz de Oliveira Azevedo, no
seu escriptorio, ra da Cruz n. 1.
Para o Bio de Janeiro.
A veleira e brm mohecida barca nacional Ame-
lo pretende seguir rom muta brevidade, lem par-
le de seu earregamenlo prompto ; para o reslo que
Ihe falla, Irata-se rom o sen consignatario Amo-
nio Luiz de Oliveira Azevedo, no seu escriptorio,
ra da Cruz n. 1.
= O abaixo assignado pede ao Sr. rodador do
Poco que a bem de aua honra se digne declarar se
elle leve alguma parle no annunco publicado em
dito jornal de I600 torrente [a, 211), o qual ira/
por titulo TBANPOLINAGEM; coiu oque Ihe li-
cai obrigado. Recite 17 do junho de 1859. ,
Caetano Pinto de Veras.
ios consumidores do gaz.
Previn-se a lodos os senhores que receberam
contas dos ulencilios de que forneeeu a mesma com-
panhia s casas de commercio, que deixem de pa-
gar a tal machina, registro que marca o gaz, visto
terem os mesmas senhores da companhia dito que
nao ao pagava tal objeclo, e sendo que nao que
ram os mesmos senhores attender as nossas justas
rrr.lamacoes, devero tirar o dito registro para o
gaz passarcom mais violencia, e mesmo para nn
lerem oruidado de vir marcar o que gastamos nos
consumidores, e por isso se despensa ral" registro.
I'ni consumidor do gaz.
Atteneo.
o
Na ra do Bangsl 11.1056 rende-so entibadas de
murs seceos a 3 por dous, quem comprar porro
leva quebra, vende-so tambora gaitas e assobos.
No mesmo eslabelerimento tem diariamente ripas
de viuti'in pora inoleques c meninos da escolla,
sendo os premios charutos turados, os meninos que
nao livor dinheiro recebe-so lapis o quadernos de
papel etc., aos inoleques recebe-so as economas
das compras, d-se tambera lices de espada
preta.
Pcrmuta-se um terreuo as Cinco Ponas por
urna casa terrea ou por escravo na ra da Cruz
do llecife n. 61, primeiro andar.
= Desde agosto de 1846 iue anda fgido o prelo
de nome Agostinho. de naco Angola, o qual foi
comprado ao Sr. Manoel Alves Teicira o consta
andar para o Rio Formoso : quem p pegar leve an
Sr. Lourenro Joao das Neves 110 engenhn Perricoza
comarca do Porto Calvo na provincia das Alagos
ou nosla praca na ra da Cruz do Recite n. fil, que
receber lOgde gratificarn.
GABINETE PORTUGUEZ
DE
UITIRA.
Nao podendo a directora do Gabinete Porluguez
de Leitiira traosmilllr dividas a sna successora, ro-
mo determina o artigo 48 dos eslatuibs, por ordem
da mesma" avisa a todas as pessoas que se julgarem
crodnras do referido eslahelecmenlo, que teiiam
1 hondade de apresentar as suas contas no prazo de
oito dias para serem satisfeitas pelo Sr- Ibcsoureiro.
Secretara do Gabinete Jtortugucz de Leitiira em
Pernambuco 13 de junho de 1859.O 2." secreta-
rio. /o*e" F. Ba\rolU.
= D. Mathilde de Jess retira-se para o ilha de
S. Miguel, levando em sua companhia a sua fllhn
Cecilia Julia de Rezeude, de monar idade, e um
criado.
Precisa-sede um bom amassador: na ruada
So>i/.ala Nova n. 30.
O Sr. sargento Monteiro, do 4." batalho de
artilharia, queira dar cumprimeoto do que Iralou
na casan. 14da travessa das Cruzes.
Canipnnezes, soldados, convidados, ele. etc.
Terminar o espectculo com a graciosa scena C-
mica :
0 JOS MARA
&S3MIMaVJ)9 "m SliiWIfiD
Pelos Srs. Pinheiro e Correia Vasques, que pro-
mellem fazer novas sorles.
Principiar s 8 horas.
A M A ll A A
DOMINGO, 19 DE JUNHO DE 1859.
S 4 1/2 HORAS DA TVRCF..
Recita extraordinaria livre da
assignatui'a.
Subir scena o escllente drama de coslumes
militares, em 4 actos
OU
GLORIA.
Terminar o espectculo com a graciosa comedia
em 1 acto :
UMA MI I III It
0 JOSAS StAS,
O espectculo comerar jmprelervelmente s 4
horaso meia. Os buhles achar-so-ho venda das
7 hora3 da manhaa em dianle.
Deseja-se comprar um papagaio que seja mul-
lo bom tallador, nao se duvidaudo pagar bem : na
ra das Trinoheras 11. 17, sobrado.
Quem lver una traduccao do Cicero em tres
volumes, c pretender vende-l'a, dria-se a loja do
baralejro, ra do Crejno n. IV
Precsa-se de um bom Irabalhador de mas-
seira, e queenteoda de forneiro, para urna podara
do malo, e paga-te bem : na ra da Cruz n. 45, se-
gundo andar.
lOOSdegraliBcacao.
Fugo do engenho Trapiche do Cabo a esrava
crioula de nome Joaquina, desdo Janeiro do cor-
renle anno ; os signaos desla escrava sao os seguin-
tes : alta, corpo reforrado,' tem falta de alguns
denles na fronte e um cicatriz na testa, falla mili-
to desombaracada, ps grandes, cosluma andar de
liiinioecom urna trouxa de roupa, inculca-se ser
lavadera, por diversas vezes tem sido encontrada
na passagem da Magdalena alera da ponle grande
e em outros lugares apile tem sido encontrada :
rogam-se pois as autoridades polciaes e captes
de campo a apprcbenco desla escrava e leva-la
an seo senbor no engenho Trapiche no Cabo ou na
rita da Aurora palacete do Emi. Sr. viscoude da
Boa-Vista quesera recompensado com a gralica-
ro de100g.
= No dia 10 do correnta ausentou-se da casa de
seu senbor Joo Goncalves de Oliveira sua escrava
parda de nome Persila, idade 14 annos, baixa, com
algumas marras do betigas; levou vestido de algo-
do trancado ; tem sido vista 110 Recite : quem a
pegar leve estrada dos A inicios confronte ao berro
do Espiuheiro, que ser generosamente reeompen-
sado ou no Recite a travessa do (Juemado ni.
Leilcs.
Leilo
JUD (CilffilR,
Francisco Gomes de Oliveira, agente do leloee,
abaixo assignado, tendo de relirar-se para a Eu-
ropa pelo primeiro vapor inglez, para tratar da sua
muito deteriorada saude, avisa ao corpo do com-
mercio e especialmente aos seus benvolos ami-
gos, o a quem mais possa competir que tica Hornea-
do o Sr. Joo da Cruz Macedo como seu proposto
approvado pelo meretissiuio tribunal do commer-
co desta cidade. para esercer as fuoccocs do seu
emprego e era ludo quanlo mais seja necessario
como se fura elle proprio. Recite 1G de junho de
1859.Francisco Gomes de Oliveira, agente
leiles.
de
THEATRO
Segunda-feira 20 do crrante lera lugar o primei-
ro espectculo lyrico (a cararter e coiu orchestra)
em beneficio da prima dona E. Palresi Torricelli.
Depois que a orchestra liver desempenhado a
grande ouvertura com posta pelo Sr. Castellao e dedi-
cada beneficiada, dar-se-ha principio ao especia-
culo da manoira seguinle :
PRMEIIIA PARTE>
Cavatina da opera MARIA PADILLA pela bene-
ficiada.
Huello da opera ELIXIR II'AMOR pela Sra. Gia-
nclli e L. Torricelli.
Aria da opera II. BBAVO pela Sra. Gianelli.
SEGUNDA PARTE.
Duelo da opera PURITANOS pelos Srs. Torrcell
e Gianelli.
Cavatina da opera ERNANI pela beneflada.
Terceto da mesma opera pela beneficiada, a Sra.
e o Sr. Gianelli.
TERCERA PARTE.
Grande aria da opera NABUCODONOSOR pela be-
neficiada.
Duetto do opera COLLMEI.I.A pela Sra. Gianelli
e Torriceli.
A beneficiada reronhecida ao bom acolhimeolo
com que fui honrada na eslaco passada, ainda con-
la com a protecro do to generoso publico, ao qual
convida para o "seu beneficio.
O reslo dos buhles acham-se venda na ra Nora
n. 30, e 110 theatro no dia do espectculo. Princi-
piar s 8 1/2 horas em poni.
MIU
C..SSIXO POPULAR
&G3830SO AliO
DO
PALACETE DA RA DA PRAIA.
Domingo i 9 do correute.
llavera bailo nesto dia, e sero empregidos lo-
Sabbado 18 docorrente.
O AGENTE
BORJA
faro leilo no dia cima designado no seu arma-
zem da ra do Collegio n. 15 s 10 horas em ponto
do seguinte : obras de marcineiria, realejos, ntica,
cidros, crystaes, prala, ouro, candelabros, serpen-
tina.-, una grande porro do tomamos de. todos os
lmanlo)- ote, etc. ludo ser vendido no referi-
do dia sem reserva de preco algum.
LEILO
Sabbado 18 do corrate.
PELO AGENTE
HYPPOLITO
No armazem do Sr. Jos Anlonio de Araujo, o
referido agente vender por ordem do capilao Hen-
ry Roper, por conla e risco de quem pertenrer,
em presenra do Sr. cnsul de S. M. Britannica e
por autorsaro dainsperro da alfandega, os sal-
vados do brigue inglez Sphav, inclusive 100 sac-
eos com assucar mascavado, sendo o leilo feitoa
hites oo a vonlade do comprador, tendo lugar no
referido armazem sll horas em ponto.
LEILO
Terca-feira 21 do correte.
PELO AGENTE
Os segredos da rallgraphia divulgados por Gni-
lhernie Scully se vende em sua casa na ra do Ran-
gei n. 47 sobrado, e ra do Crespo n. 12. Este trata-
do o mais completo que tem apparecido sobre.a
arte de calligraphia, coiitem Indas as regras o urna
colleccao de ejemplares autographadoa, apropia-
dos a habilitar qualquer pessoa a adquirir, perfei-
eio nesta arte. Aos que residera tora da cidade
da maior utilidade, pois guiando-se qualquer pes-
soa por elle pode dispensar a presenca.de um
pinfessor. Osystuma seguido neste tratado tem
merecido a approracao de milhares de pessoas no
Brasil do que pode o seu autor apresentar muitos e
valiosos documentos, preco de rada colleern 7S.
N. B. Tambem para vender algumas penasde
ac oV primeira qualidado.
MHMMHHH
Justino da Silva Boa-Vista e Ventura da
Silva Boa-Vista, tendo de mandar sufragar a
alma de sen muito presado irran Jos da Sil-
va Macieira, ltimamente fallecido na cidade
de Pellas, rogam encarecidamente a seus
amigos o obsequio de assistir a esto acto de
caridade e religio que lera lugar na igreja
de N. S. do Torco, segunda-feira 20 do cor-
renle pelas 7 horas da manhaa pelo que Ihe
licaro summamente gratos.
Precisa-se de um foilor para um engenho dis-
tante desta praca 8 legoas : a tratar na ra da Glo-
ria n. 91, sitio dos herdeiros de Jos dos Santos
Neves de Oliveira.
= Precisa-se de urna ama para coznhar : na
ra Nova n. 8, loja.
Colegi de Noss'a
ra do BomCoaselho rua'
do Hospicio u. l).
O director desle instituto tem a hon-
ra de convidar aos paes de seus colle-
giaes o na ausencia destes aos corres-
pondeules dos mesmos para assislirera
a cxposco que pretende fazer no dia
23 do correute s 8 horas da noite.
Espera receber delles mis esta pro-
va de consideraco.
O referido agente no dia cima desnadn e pelas
10 horas da manhaa a porta do armazem do Sr.
Annes defronte da alfandega vender por cunta de
quem pertenec u em lotes vonlade dos compra-
dores
'
'
Nova especie de macacos.
Arisa-se a cortos mocaqiiinhs moradores do
bairrodo Recite (rua da Senzala Velha) que se de-
x.'in de dar osean Jalo, s familias que moram as
suas visinhanes com conrersares pouco decorosas
at certa hora da noile, recoramrndamos-lhe que
deixem de continuar ScnSo mais os atormentaremos
com a respectiva chronica
Finalmente Srs. macaquinhos
Deixont-se de patotas
Do muito lempo pendurado
Ficaro com as pernas tortas.
Uta dos apreciadores do buraco.
-
t
\
t
3'
:

*.
Aluga-se urna negrinha de 18 a 19
annos de idade para andar com meni-
no ou para servco de alguma casa :
quem precisar dinja-se a rua do Hos-
| picio n. 36,que achara com quem tratar. 1
SPNMMMM
= Offerece-se um moro portuguez com bas-
tante pralica de negocio, de 13 para 14 annos, para
qualquer negocio mesmo cobranca fon da cidade
ou para tomar conla de alguma taberna : quem
pretender dirija-sa a rua da Senzala Velha n. 74.
Precsa-se de urna ama de leite para criar
um menino recemnascido a qual se pagar genero-
samente : na rua da Cadeia do Recite n. 20 ou no
Mondego silo da viuva do commendador Luiz Co-
mea Ferreira.
= O Sr. que talvez por engao, delxou hoje na
secretaria da fazenda geral o seu chapeo, prelo, e
levou o do outrem, tambem prelo, trance/, em bom
eslado e de melhor qualidade que o seu, que alem
de ser fabricado no paiz, esl bastante maltratado ;
queira reslitui-lo ao abaixo assignado quem per-
tence. Diz-se que o aulor desla graca fura um Sr.
ofRcial reformado de primeira lnh'a. Recite 17 de
junho de 1859.Manoel Ferreira Accioli.
4 i
*
' \ ....- "
.
'
-
,:-



\
V*.
V
Sortes para S. Joao.
Xa livraria da praca da Independencia
ns. (i c N.
O livro do Pag.
Kslf excelicnta livrn de sorles conlm 20 assum-
ptns, com 440 sortes, para huuiens o senhoras, ns
quaes sendo ezlrahidas coni f. nunca deizarao do
Sf sar' por,,uu a sibil* n5 menle: vcnde-se a
19000.
Acasos da fortuna
ou livro de sortes divertida, aro que, por virtude
de dous dados, vera cada ubi no conhecimenlo do
estado, riquezas, herancas, amizades. fortunas,
etc., que tar, o outras multas, e galantes sorles
annuneadas do principio da mcsnia obra. Ultima
tmpressao expurgada dos muilos erros e defeitos
das precedentes. Augmentada com um novo nie-
thodo de azer mais de mil decimas, tnicamente
com o Irabalho de laucaros dousdados. Uro. trata-
do das sinas ou dos elfeilos, e prognostico dos doze
signos do anno : A 640 rs.
A Sibila de Bajara.
SorUs para as sempro divertidas noiles de S.
Joo e S. Pedro, com 1 f assnmptos dos prinripacs
arlos da vida, contendo 308 versos, om cada un
dos quaes enconlraro os fcsleiros a predican du
son futuro, quo ser realisavel tanto quanl para
elle concorrer ; preco 500 rs.
l'olhas do papo) com sorles para senhoras o ho-
niens, a qualro vjntcns.
, Precisa-se de um porluguez que entenda de
plantarucs para trabalhar om um sitio perlo da ci-
dade: na ra Augusta, defronte do n. 17.
Precisa-se de urna ama para casa de familia
de duas pessoas ; nao se quer pessoa milita moca,
1 prefere-sc estrangeira .- na ra do Oueimado'n.
06, pj-imeiro andar.
CASA DE SALDE
|Sla na passagem da Magdalena eu-$
Ir a ponte grande e a pequea
no
CHORA MEM.NO.
=e Julio Cesor Pmtb d olivoia declara que"n"sT
Joaquim Kuzebio de Barres Kerro p Miguel Baptis-
la da Costa, nao sao mais seus raixeiros, este des-
de odia 23 de abril, e aquello de 10-do maio pr-
ximo pas3ido. v
Diario de Pernambuco Sabbado 18 de Junho de 1859.
DO
SS. Sacramento do Corno Santo.
O actual escrita* da irmandade do SS. Sacra-
mento da matriz de S. Frei Pedro Concalvcs do Ite-
^ rife, convida a todos os seus irmaos'para que se
dignen comparecer domingo, 19 do correnle, as 10
lioras da manh.ia, no consistorio da mesma, alim
v deelegerem a nova mesa que tem de servir duran-
te o anno de 1859 a 1860.
Francisco Xavier de-Oliveira.
Aluga-se o armazem da rua de Apollo n. 27
a tratar na ra da Cadcia do Recita n. 4.
tm rapaz que ge acna arrumado, querendo
mudar de arrumacao, se offoreee para caixeirn de
cobrancas, ou mesmo para tirar cuntas: quem de
, ?''" praslimo se quizer utilisar, aununcie por esta
tulla para ser procurado.
Precisa-se de um porluguez que entenda do
agricultura para ser feitor do engenlio Minas Novas,
na fregnezia de Serinliaem ; assim como ambem
dous portuguezes de idade de 12 a 14 annos, para
sorvirem de criados : a tratar na ra do Rangel n.
' 18. segundo andar.
Hospital Portuguez de Beneficencia era
', Pernambuco.
De ordem do Illm. Sr. provedor se convidam a
lodos os sepliorcs merohrns da junta administrativa
* do Hospital Portuguez de Beneficencia uesta rida-
de, para a sessao que dove ter lugar no dia 18 do
correnle, as 5 lioras da tarde, no proprio estahele-
'< cimento. Recita 16 de junho do 1859. =-Jfaiiori
, Htbnro /lanos, 1." secretario.
Prcrisa-se do um caixeiro com pratica de ta-
berna : na roa Iireita n. 30.
i =r secretario da irmandade de Mpssa Sonliora
* Ji Boa Hra. erecta na igreja de Nossa Senhora do
? osario ua fregnezia da Santo Antonio, por ordem
da mesa leva ao conhecimoulo do publico, especial-
mente ans devotas, que por motivos justos foi
_> transferida a fesla da mesma senhora para o dia 26
^ do correte, espera porlanto a coadjuvarao dos de-
votas para dito acto.
* Victor .1 ljelo Gregorio.
Aviso.
C. Babin desejando retirar-so quanl antes para
a. nropa' "*erei-'e l venda reloginschrnnomctrnsa
:ibO,, ao ropelicao -a 25Q>, patentes suissos ajl
honsonlaes a 70$ e 80$. Belogios para senhoras de
\ 0$ lis, relogios de prata a 25, todos clles de
urna das melhores fabricas da Suissa, joias de ulti-
mo gosta, dedaes de ouro e de prata; caixas para
\ rape, etc., alguns cortes de seda para vestido, lin-
das cassas francezas, meias do linho muilo linas pa-
ra senhoras a 2 o par, facas de mesa e do sobre-
mesa e trinchantes 50 peras por 759, tesouras de
bordar, ditas de costuras etc., c rauilas miiidezas
no hotel inglez quarto n. 3.
= -Moga-se o sobrado da ra do Amorim n. 56,
edificado no gotto moderno, e com excellcnlvs
commodos-. n tratar com JooQuirino de Aguilar
na ru da Cadeia do Recite n. 6i.
i II !,;'1 "oi' '0 din '^ d0 co"onte fuglo da j-ua
de Hortas na octasio em que acompanliava seu se-
ihor urna mulata de nome Florinda, cor oe cand-
a, altura ecorpn regalar, cabello cortado, c est
grvida de 6 niezes, levou vestido de chita roxa
emn listras j usado e chales de listras j desbata-
do 6 Ulna de Caruar donde ha pouco vpio, e foi
vendida a madama Rosa, a quem foi ltimamente
"comprada : quera pegar a dita muala leve-a ra
Augusta n. 9 em casa de Joaquim Francisco de Al-
buquerque Santiago, que ser bem recompensado.
8
. FINIO DE FERRO E BROME
DE
Francisco Antonio Correia Cardozo.
Srande edificio construido
10 arsenal de marinha
para esle fin
NO II10SI110
Esle enligo estabeleciraento acha-se enllocado no
polos Srs. Mesquita & Dulra, na ra do Briini n. 28, em fren
oslabelecimeolo achario seus numerosos freguezes e amigos sempro promptos : alambiques de cobre
de qualquer traanho, simples e conliuuos, que aflaneam seu bom Irabalho, o podem dislilar 3 a 4 i-
pas do agurdente em 24 horas, e sao da melhor construceao possivel, caldciras, tachas bombas e
cobres para engenhos, bicas e canos de qualquer melal para ditos, casas ou navios. Faz e concerta
machinas o bombas de qualquer naliireza que soja, com a brevidado e perfcieao possiveis e todas as
obras perlenccntes as ,-utos de que consta sua fabrica o fundico de ferro e'bronze romo seiaiu
moendas e ninas moendas para cana, de qualquer tanianho e'qualidadi* envos o portas do fornalha
para assentamentns de engenhos, dislilacoes o tornos de padaria, bocine o mistos para ditas a-ni-
lhues de forro balido e fundido, cruzlas e parafusos para rodas de agua, indas de agua Todas de
ferro ou para cubos de madeira, rodas dentadas angulares o diroilas, carretas eerwetaa para moen-
das de qualquer lamanho, eixos, Irilhos e mangas para can-ora, simples e de patenta mancaos para
estrada do ferro, escovens c bolenetes para navios, e ludo mais que possa sor preciso e til para fa-
brico de engenhos, rasas e navios, de cobre, hronze, oslando, zimo e chumbo, forro batido ou fun-
dido por lor na direccS do seus trabalhar, um dos melhores e mais amigo engpnheiro e marhinisla
inglez James Solara. Nao poupando o dono desle eslabelecinioiilo exforcos o fadigas para bem servir
seus numerosos freguezes e amigos, o fBdos os senhores que mais o quizerem homar com sua enn
flanea -
CONSULTORIO
DO
Wr. P. A. Kobo Moseoso^
wmm mmwm i ipismidiie.
3 RA DA GLORIA, CASA DO FiNDO 3
Clnica pov amitos os sysientas.
O Dr. Lobo Hoscoso d consultas todos os diaspela maullan o de tarde depois de 4 horas. Con-
traa partidos para curar animalmente nao sopara a cidade como para os engenhos ou outras proprie-
dades ruraes.
Os chamados devem ser dirigidos sua casa al as 10 Jioras da manilla e em raso de urgencia
a oulra qualquer hora do dia ou da noilc sendo por escriplo em que se declare o nome da pessoa o da
ra e o uunicro da casa.
Nos casos que nao forcm de urgencia, as pessoas residentes no bairro do Recife poderao remol-
ler seus buhles bolico do Sr. Joao Souiin & C. na ra da (.111/. ou luja de livros do Sr. Jos Nouo-
ra de Souza na run do Crespo ao p da ponto velha.
Nessa loja e na casa do annnnrianle achar-sc-lia constantemente os melhores medicamentos
hnrOPopathicos ja bom condecidos p pelos preeos seguinles:
Botica de 12 tubos grandes...........KKfXIO
I)itosde24 ditos...............15000
Hilos de 36 ditos.
Hilo de 48 ditos..............
Ditos de 60 ditos...............
Tubos a misos coda um............[
Frascos de linduras.......'. ,; .....
Manual de medicina hnmeopathica pelo Dr. Jahr Iraduzido
em porluguez rom o diccionario dos termos de medi-
cina, cirurgin etc.. etc............
Medicina domestica do Dr. Ilering, com diccionario. .
Repertorio do Dr. Mello Moraes.........
2lbJ!09i)
25C.000
30oiMi
imon
2SIKMI
2(19000
OJIMH!
BgOOO
Ao grande armazem
Ra Nova n. 49. junio da Conceico dos Militares.
Nestc armazem encongar o publico nm grande e variado sorlimentn de roupas fallas '
para huinem, rapazese meninos de 5 a 14 anuos, fardameiilos para a guarda nacional > pri-
I lucir linha, bocas para dosembargadoros e juizes municipaese do diroilo, libres para criados e
vestidos para montana, nao agradando ao comprador alguma das roupas taitas se apromplar
f oulra a son gosto com toda a preste/a, para a quo tem escolhidos e habis olliciai'S, e grande
A snrlimeiilode panos linos, casemiras, velludos ebrios de todas as qualidades.
CASA DE SAIIDE
SITA EWI SANTO AMARO.
DOS
BAZAR PERNA
Ra larga do Rosario n. 32.
Odonodcste ostahole iin.iiu. avisa ao publico o a seus amigos e fivguozes qus |. m de novo pre-
parado osen antigo duposiiodochamlos linos com um variado sOrtiment.i das mais arrediladas mar-
i.i-doihariiliisiiuevoiii a esle mercado, assim como diversas qualidades de cigarros rhegadoa pro.
oimamenle do Rio de Janeiro, sendo cigarros bola-fogo, ditos do papel pardo, ditos de palha de iiiilho
da dnersos tamanhos papel de linho para cigarros com fumo propio., fumo francez para laximbo ou
cigarros, rumo em folha para relalho e em porco, phosphoro do cera o. de caz, rtulos oara caixa "
xharutoa, papel de cores: todos -- -
)s estes gneros vende-se por commodo proco diuheiro a vista.
FUNOIQAO D'AURORA.
Este ulillssimo estabeleciraento aclia-se, lia pouco lempo, augmentado tanto no material como no
seu pessoal, o seus proprielarios habilitados para vencer qualquer opposicao hostil e desprezarem a ig-
norante viluperacao de malevolencia. OfTerccom a seus numerosos freguezes e ao publico em eral as
vantagens do sua longa experiencia e reconhecida promplido e fldelidade na execurao das obras as
mais importantes de ongonharia, entro outras pode enumerar as seguintes : machinas de vapor de lodos
os tamaitos, rodas d agua de todos os dimetros, todas de ferro ou para cubos de madeira, moend
para canna todas de fono e independemos com os melhoramentos que a experiencia mostr
dispensavel, meias ditas com lodos o
as
ser in-
spreparos, tachas para engenho de todas as qualidadese tamanhos
rodas, rodetes, agiiillinos, crivos e boceas para fornalha e lodas as forrag.ns para engenho, machinas
para amassai pao n bolacha, ditas para moer mandioca, tainos o prensas para farinha, pontos do ferro
aaldeiras, tanques, boias e lodas as obras de machinismo ole., etc.
TOOjjOOO a juros cun seguraitoa em ltens de raiz i
na ra estrella do Rosario n. 7, se dir quem d.
Lices de franeez e
piano.
Mademoiselle Clemertce d'llannetnl
de Manneiillo mudou a sua residencia
para a rita da Cruz n. 9, segundo andar.
Precisa-se de urna ama para o sorvico de casa
de pouca familia : na praca do Corpo Sa'ulo n. 17.
Na livraria ns. 6 u 8 ila praca da Independen-
cia, precisa-se fallar ans Srs. Antonio ovencn
Marques, Alexandr J.is Hornos, da povoacio de
A rugados, para negocio que Ihe diz respeilo.'
Precisa-se de urna ama forra ou captiva, pan
lodo o sel vico de urna casa do. familia : na ra lar-
ga do Rosario u. 28, segundo andar.
Quein livor um prelo cum alguma molestia c
queira vender, annunrie sua morada para ser pro-
curado, ma da molestia que for.
:,: DENTISTA FRANCEZ.
o- Paulo Gaignonx, dentista,
*V rangeiras 15. Na mesma casa lem
3C p deutillco.
ra das La- ->;
agua e O
S C 6
M%
Escriplorio de advogacia.
Oabaixo assignado leudo fixado doOnilivamente
sua residencia nesta cidade, tem escriptorio do ad-
vogacia na ra do Collegio n. 17 primeiro andar,
onde pode sor procurado das 9 noras da manliaa as
3 da tardo om todos os dias uteis.
Trabalha em comniuiu cun son genro o bacliarel
Joao Baptista do Amara! e Mello.
Habilitado para o crime, civel, orphos, e com-
mercial, offereceseu presumo a tudus que delle se
quizerem utilisar.
Tendo-se oceupado na Europa especialmente do
estudo do direiio commercial, lem toda a legislaro
' dos paites eslrangciros e os melhores expositores.
Advogam gratis em favor dos pobres.
O escriplorio esla organisado do modo que pode
0 abaixo assignado tomar quaesquer causas pava
os termos da Escuda, Serinliaem, Rio Formoso,
Barroiros e Agua l'rela, e para a provincia da l'a-
rahiba lomando a sen cuidado a cobranea do qual-
quer divida, qualquer que soja a importancia do
devedor.
Km casos extraordidariosou urgentes, fora das
horas do escriplorio, podem ambos os referidos
advogados ser procurados na casa da sua residen-
cia na ra da matriz da Roa-Vista n. 33.
Recife 14 de maio de 1859.
Dr Jnloitio torqesda Fonseca.
HCusutorio iTiiiiai iioraepiliiico*
DR. SABINO O. t. PIMO.
Companhia de se-]
gurosequidadeda
cidade do Porto.
AgMda era IVi-narabuco:
Manoet Duarte Hodripuei, formalmen-
te autorisado aceita e ellectua seguros
martimo* e terrestres, por conta desta
companhia ; com as condicoes as mais ra-
zoaveis : ra do Trapiclie n. 26.
Companhia do Beberibe.
No dia 18 do correte pelas 12 horas
do diatera' lugar no escriptorio da com-
panhia ruado Cabuga' n. 1C, a arre-
mataco do rendtmento de todos os cha-
tarizese bicas por bairros e por espaco
de umanno, sob as bases abaixo trans-
criptas e mais condicriies patentes no es-
criptorio ; os Srs. licitantes comparecam
com sl'us (adores ou declararlo dos mes
inos no mencionado dia devendo ser as
propostas porescrtpto.
Ifcisp.s sobre sis quacs se leve lanoar.
Bairro do Recite.
Chafarizc bica do caes da al-
fandega.
Dito da-ra da Cruz.
Dito da ra dolriun.
Dito do Forte do Mattos.
Compras.
5:2715000
6:7354750
:68i-i50
2:8Vl6'500
18:532^500
Bairro de Sanio Antonio.
Cliafariz do pateo do Carino. 8:4-21 J000
Dito do jiateo do Paraizo.
Dito do Paneio Publico.
Dito da ra do Sol.
Dito da rila da Concordia.
6:9* i-730
3:3684-i00
3:155j' 50
3:I554'150
Compra-so nm carro americano com coberla
llxa, quo sirva para qualro pessoas, e que seja leve,
estando em hora estado: na ra da Croado Recife
11. 13, primeiro andar.
Na roa do Collegio n. 21, lorceiro andar, rnm-
pram-se escravos de ambos os sexos da idade de V a
it) anuos o paga-ae naito bem.
Cnmpra-se urna carraca nova ou com algum
USO, oslando om lium oslado, para um boi : na rita
da cadeia do Itecife, loja a.50, de Cnnhat Silva.
Conipram-se moedas de OSOOO : na ra do
Collegio u. 13.
= Compra-so^ o Diario de Pernambuco de 10 de
setemliro du 1850, em que vem nina corresponden-
cia assignada por Antonio Brochado Snares 'uiina-
res, contra Antonio da Conha Soares Cuimaracs;
paga-so bem : quem livor aununcie.
Vendas.
25:043$550
Bairro de S. Jas.
Chafan?, do pateo da ribeira. 11:217{500
Dito danta Imperial. 3:712(1250
1 4:95!)$750
Bairro da Boa-Vista.
COMPANHIA
ALLIANCE
Estabclecida era Londres
EH
CAPITAL
Cineo mvUiies de liliras
esterlinas.
Saunders Brothers 4 C tem a honra de tnrorma
aes Srs. negociantes, proprietarios de casas, e a
3uom mais convier, que eslao plenamente autorisa-
os pela dita companhia para ell'eeluar seguros so-
bre edificios de lijlo epedra, coberlos de tolha e
Igualmente sobre os objeclos que contiverem os mea-
mos edificios, quer consista eumobiliaou emfazen-
das de qualquer qualidade.
QVA ML

Hitare Sanio Amaro (Mundo Novo] n.
I Coiilinuam as consultas e visitas do mes- b>
I mo modo que "antes. A eonflanea que
? Dr. RabiiiD deposita na pessoa que Oca ?>w
encarregada do seu consultorio nao ser ;J
desmentida. \:\
Os pobres sero sempre tratados gra- b
tuitamenle. -v,;
As correspondencias sero inderecaaa I
com o subscripto ao l)r. Sabino com" au- B3
seucia ao abaixo assignado. H
Wanotlde Kattos Teixeira Lima. *
Professor cm liomcopalltia e secretario W
do consultarlo. ;:
|ij Botica central lioracopalliica
:'; I)B. SABINO O. L. PINHO. |jjj
3B Contiua a vendor-se grande sortimento -
yj de medicamentos honieopalbicos tanto em si
gg glbulos como cm tinturas. _",
gjj Os preeos das carteiras sao os que se gj
^jj acham estipulados nu linal do thesouro C
."i liomeopatliico. _"'
a^| Cada tubo avulso......lgOOO t&
?*3 Cada vidro de tintura. 2$000 *r'
K*< Thesouro hoioeopalhico ou vade-
^j( mecum do homeopalha, obra in-
J3 dispensavel a todu pai de familias.
Cha.iriz e bica da ponte.
Dito da caixa d'apua.
Dito da praca.
Dito da Soledadc.
5:129j*80
4-:593.S800
4:470)200
t.29.s-6()0
x:
ispe
viajantes etc.
11000
arfi..r.4..'\-..--...".:..-..'\..-:..-.,.- -;.rv.*".,-.w -i.-.
Coiisc ra-
se c lim-
Vende-se esta agua a mellinr quo lem appareci-
do para lingir o cabella e SBissas de preto: na li-
vraria universal ra du Collegio n. 20, d-se junto
um impresso t'ralis. eusinando a forma de applicar.
-=<^__1l 8H .?JJL5^2,-4_^i?>i,^ i onrivo!
( : v 4. sVp eni fre
Com promp-
tido c as-
*
Nesle estabelecimento ha as melhores acommodacoes para se Iralaiem doenles dTuualquer cathe-
gonae sexo.
Adiara menor he de 28500, devendo o pagameulo ser feilo por quinzenas adiantcs.
Haver omaiorzelo eempenhono tralamcnlo dos doentcs os quaes serio visitados pelo menos
duas vcies por dia pelos mdicos proprietarios do estabelecimento.
Precisa-se alugar um negro para
todo o servicode casa dehomem sol-
leiro ; na loja da rua do Queimado
u.l. *
.V

Faiem-se na rua Direita, sobrado de um an-
dai n. .W, defronle do nicho, bolos de. diHerenles
qualidades, enfeilados com capcllas de alfinim, ra-
mos, flores, tudo com perfeic&o e commodos pre-
oos- tambem se fazem bandejas tie bolinltos, dore
de diversas qualidades : mais do que em outra
qualquer parle os freguezes nao devem aesaara-
aar-se do preco.
Precisa-ce epaga-se bem a urna es-
crava que cosinhe e fac.a todo o serviro
(menos engommar) de urna casa de pe-
quea familia : na rua da Cadeia do Re-
cife n. 15, segundo andar.
= Deseja-se fallar com q Illm. Sr. Joaquim Soa-
res Raposo, ou com o Illm. Sr. Luiz Soares de Oui-
xaramobim a negocio de seus interesses, na rua da
Madre de Dos n. 86, ou na trnvessa da mesmo rua,
armazem n. 9 ; ou de annunciarem suas moradas
para seren procuradas.
= Perden-se no dia sabbado, a noile, no con-
venio de S. Francisco, urna pulseira de ouro com
pouca bordadora, setn esmalta : quem tiver adia-
do c quizer restituir, naja de leva-la rua do Li-
\ ramelo n. 4. que ser assas recompensado.
A pessoa oue annunciou querer comprar um
escravo com alguma doonc,a, dirija-se a rua do Li-
1 Mnenlo n. 2.
Fugio no dia 3 de abril, do engenho Curado,
do lavradur Manoel de Sampaio Barros Azevedo, a
oscrava liara, crioula, idade 35 annos. altura re-
gular, corpo proporcionado, cara redonda, meia
futa, beicos grossos. nariz chalo, cabello grande,
desdentada nu frerne da parle superior, e levou
roupa branca. Um portuguez morador no Chora
Menino de nomeAutonio Pinto, pessoa que cu delle
nao lenho relaco nenhuma, quer comprar a dila
negra, pois por qualro mozos lem mandado offere-
cer 800g, estando a dita negra fgida : as,un rogo
as autoridades policiaesaqueiram prender, ou mes-
mo algiima pessoa do povn, que sero generosa-
mente recompensados.
Deseja-se alugar urna cscrava
una ama para tratar de um doente,
na rua de Aguas Verdes n. 62.
O abaixo assignado declara que nao contina
a ter casa de cominissao de compra e venda dees-
oravo, v'uto ter passado para nutro negocio. Reci-
fe 16 de junho de 1859. = tlarciano Acdioli Lint
Horrada.
%XXXX.tJiJJt.&..l3JL2.x.K.
< PEDRAS PRECIOSAS.
2 Aderecns de brilhan- >
j les, diamantes e perolas,
2 pulceiras, allinetes, brin-
< eos e rosetas, botos e
< anneis de differentes gos-
JJ tos e de diversas pedias
^ de valor.

3 Compram, vendem, nu
<* trocain prata, ouro, bri-
< lhanles, diamantas e pe-
3 rolas, e outras quaesquer
<.< joias de valor, a diuhei-
"HOBEIRAiDRTE
Loja de tur i ves
RUADOCABUGA'N-7-
Receben^ por todos os 5
vapores da Europa as
obras do mais moderno
E gosto tanto de Franca
como de Lisboa, as quaes
: vendem por preco com-
3 OURO E PRATA. 5
3
X3
2~ Misas de llamiiiirgo a 320 cada lima de S"
i alugiicl, defronte da malrl H Rnn.Vwin c<,
1. n. 86.
Ai,

Adereces completos de Z
ouro, meios dilos, pul- }>
coilas, allinetes, brincos c
e roslas, cordoos, lian- S
solins, modallias, corren- )
tos e onfeilos para relo- V"
*< ros ou por obras.
vrrrrrfrtrrrrrrrtx mdo como eostumam.
<{ gio e oulros muilos ob- J,
2 jeclos de ouro. >
^ Apparelhos rompilos *Z
Z de prata para cha, han-
-; dejas, salvas, onslieaes, >^
2 cullieres de sopa e cha e S-
< muilos oulros objectosde
2 prala. C
^s-r8-rTyyT?TrTT?"r"?^
CASA DE BANHOS.
Neste proveitoso estabelecimento, que pelos novos melhoramentos taitas acha-se conveniente-
mente montado, far-se-hao tambem do 1 denovembro em vante, contratos mensaes para maior com-
modidade e economa do publico de quem os proprielarios esperam a remuneracio de tantas sacrificios
Assignatura de banhos fros para urna pessoa por mez.....108000
mornos, de choque ouchuviscos por mez 15)000
Senes de cartoes e baohos avulsos aos preeos annunciados.
ou contratar
paga-se bem :
f'
Aderecos
tas, diamantes e pero-
las, pulsoiras, alfineles,
brincos e rosetas, bo-
l loes e anneis de diffe-
<1 rentes goslos e de mag-
nficos brilhantes.
Compram, vendem c
fcj Irncam prafa, ouro, bri-
^ lhanles diamantes e
r? pcrolds, e outras quaes-
j-4 quer joias de valor,
b% dinheiro ou por obras.
j. LHiiiiiniiSi Bhini?
JOALHEIROS.
\u rua da Cruz n. SO, se-
Kundo andar.
lioi'obom por todos os vapo-fifj
res da Europa c do Rio de .la-( }
neiro obras do mais modemof(|
gosto, tanto de Franca como''pi
desta ultima capital, as quaesf(<|
vendem rom toda a garanta
na qualidade dos metaes c
das pedras, e pelos preeos
mais commodos possiveis,1
pendo sempre a disposico dos
freguezes uni bello e variado1
!sor ti ment.
Aderecos completos de
ouro, meios ditas, pul-
ceiras, allinetes, brincos
e rosetas, corddes, =Tau-
celins, medalhas, cor-
rentes, enfeiles e corren- t^J
toes de ouro para relo- J>
gbs, e outras militas
obras de ouro c de coral.
Rclogios patente inglez
dos melhores tabriranles,
dilos suissos, lano d
ouro como de prata.chro-
nomolros e meios chro-
nomelros e tambem re-
logios horisonlaos de ou-
ro e de pralo. Vendem e
trocam.
'
O escrpturario da Companhia do
Beberibe, Murcolino Jos Pupe anda
continua a agenciar a compra e venda
de* accles da mesma companhia, poden-
do ser procurado na rua do Cabuga'
lf, escriptorio da dita companhia.
Escravo fgido.
Honlem 5 do correte mez fugio um motaquo de
nome Joaquim, idade 14 annos, pouco mais ou
menos, levando calca azul, camisa branca, chapeo
de palha, elle o 'do mato chegado ha pouco o maior
signal que lem taro umbigo grande de urna rotu-
ra ; roga-se aos capitses da campo c loda o qual-
' < quer autoridade a aprehenso do dito moleque e
protesta ja contra a pessoa que o seduzir orcultado
em seu poder, quem o appreheuder dirija-se a rua
, do Cabuga n. 2, quesera gratificado.
Precisa-sede urna ama para comprar cos
_ nhar para rasa de 3 pessoas ; a fallar na rua Impe-
V rial n. 47.
musa ,ff3u-!B:ai32i23jiii,
2, Golden Square, Londres.
HvKt'iii Street.
J. C. OLIVEIraTondo augmentado, com to-
mar a casa contigua, ampias e cxcclleutes accom-
modaeoes para milito maior numero do hospedes-
de novo se recommenda ao favor e lembrunca dos
seus amigos e dos senhores viajantes que visitera
esta capital; contina a prostar-Ihes seus serviros
o bous ollicios, guiando-os em todas as coususque
piocisem coiiliecimenlo pratico do paiz, ole. Alem
do porluguez e do inglez falla-se na casa o hespa-
nhol e franeez.
= W. H. Daniels retira-se para fura da provincia.
l)o sitio de Joao Malheus, no Poco da Panel-
la, fugio no dia 6 do correnle maz de j'unho o es-
cravo preto crioulo, de nome Jos, lilho do serlao
do Rio do Peine, d'onde voio de pouca idade, re-
presenta ter 24 annos, pouco mais ou menos, al-'
lo e secco do corpo, lem denles grandes e sahidos
para fura da bocea, falla descaneada, prosista, lo-
ca viola e Mala qucui o pegar queira leva-lo ao
referido sitio cima, ou alraz da matriz da Roa-
Vista, sobrado n. 18, que ser recompensado.
Precisa-se de urna ama de cita ainda mesmo
com cria : em Fura de Ponas, rua do Areal n. 2G.
Vaecina publica.
Iransmisso do fluido de braco a braco nos sab-
bados na residoncia do commissario vacciuador, se-
gundo andar do sobrade da rua eslreita do Rosario
i'- 30, e as quintas e domingos no torrcao da al-
faudega.
= Conlinua-sc a dar dinheiro em poreoes nao
menores de uOg a juns razoaveis, com soguranea
em obras de ouro ou prata : na rua da Cadeia de
.Santo Antonio n. 8, se dir quem d.
REMEDIO INCOMPARAVEL.
UNGENTO HllIJ.OW.VY.
Milhares de individuos de todas as naeoos pdem
lestemunharas virtudes desle remedio incompara-
vel e provar em caso neceasario, que, polo uso que
delle lizeram tem seu corpo emembros intoiramenle
saos dopnis do havor empregado intilmente oulros
Iratamenlos. Cada pesoa poder-se-ha convencer
dessas curas maravilhusas pela leilura dos peridi-
cos, que Ih'as relatara todos os dias ha muilos an-
nos ; en maior parle deltas sao to sorprendentes
que adimrain os mdicos mais celebres. Olanlas
pessoas recobraran! com esle soberano remedio u
uso deseos bracos e pernas, depois de ter perma-
necido longo lempo nos hospitaos, onde deviam
soifror a amputaco I Deltas ha militas que havendo
donado csses asylos de padecimentos, para seno
siibmellerein i essa operaco doloroso forom cura-
das complelamenle, mediante o usodesse precioso
remedio. Algumas das laes pessoas na enmato de
son loiiinlioeiini-nlo declararan! estes rosullados be-
nficos diante do lord corregedor e oulros magistra-
dos, alini domisauteiilecarem sua lirmaliva.
Ninguoin desesperara do estsdo desando se ti-
reasa bastante eonflanea para ensatar este remedio
coiisianionii.nl,. seguindo algum lempo o Infmen-
lo que iioi-essilasse a naliiro/.a do mal, cujo resulta-
do seria provar iucoiitostavoluiento : Ou' ludo cura.
O ungento he til, mais particular-
mente nos seguintes casos.
pa-se. ^or *^nsf B m ^^F Se 10.
Os abaixo assgnadoa, osiabelocidos com loja de
s na rua do Cabug n. 11, esquina que tira
Ule a rua Nova e paleo da matriz de Santo
Antonio, ranqueiam para esrolha do publico um
grande sortiinenlo de ricas obras de ouro, as mais
em moda e de difterflnlesgostos, com coral, poro-
las, esmaltes, diamantes, brilhantes, ede ouro liso
com gravuna, por proco mais em conta do que em
outras parles ; os compradores recebero una con-
ta com recibo, declarando as qualidades do ouro de
14 ou 18 quilates, conforme a escollia.
Seraphim & Irmo.
U:823.S000
Escriptorio da administrarao da Com-
panhia do Beberibe 10 de junho del 859.
N. B. S se fiitnccera' agua as canoas
e embarcarles as duas bicas do caes dj
Recife e do Capibaribe.O secretario,
Bartholomeu francisco de Souza.
Ama (!c leile.
Precisa-so de uma ama de lce : na rua do Ran-
gel n. 18, primeiro andar.
= Precisa-so de uma iiiullior idosa que saiba on-
gnmmar : na Praia do Caldeireiro, casa de solio de-
fronte da casa n. 9.
= Roga-so aos lierdeiros do fallecido Francisco
Goncalvaa llodiigues de apparecer na rua do Viga-
rio n. 10, alim de tratar-so sobre a heranra perlen-
cenlc aos mesinos lierdeiros.
= Prerisa-se de dous amacadores de primeira
ordem : na padaria da rua larga do Rosario n. 18.
= Precisa-se alugar dous escravos: na fabrica
do sabio porlraz da igreja de Santa Rila.
U abaixo assignado procurador
bastante dos herdeiros de Jos Joaquim
PeixotO Guimaraes, fallecido na cidade
deMamanguape la provincia da Parahi-
ba, temi de annular oinventar'o e par-
tilhas dosbens deixads pelo dito Gui-
maraes, previne a quem interessar que
se nao faca transacSo alguma acerca dos
mestnos bens, alim de evitar-se futuras
questoesjudiciaes,
Antonio Rtbeiro GuimatSes.
Allenco.
!aVJLT
DO
RECIFE A SAO FRANCISCO.
Alporras.
Caimbras.
Callos.
Canceres.
Corladuras.
Dous de rabera.
das costas.
dos membros.
informidades da culis em
gem.
Ditas do anus.
F.rupces e escorbticas.
Fstulas no abdomen.
Frialdadeou falta de calo
as extremidades.
^n.,r,a',cC4ASK MF-mH C e afue'la 1 "a Firosicio Universal de 1855, na seccao das industrias
consagradas a pharmacia e medicina, obteve a medalha de ouru, designada sob o nome de meoaliu
u iiomh : ella se aprsenla pois aos pharmacoulicos e aos commercianles do nosso paiz com lodas as Weims.
garantas de uma reputacao de capacidade e honradez a toda a prova. Gengivas escaldadas.
Do seu estaliclecimentn, o mais consideravel de Pars, a casi Miaa fabrica e expede todos os
arligos, que sao uteis a prolssao de pharmaccultco e de medico. Pode-se julgar da eiteosao dos seus
negocios e dos serricos que ella deve prestar, melhor que qualquer oi.lro eaUDelmTmato, nlowdro
dos diversos captulos dos seus preces correntes geraes, livro excessivameule til aos pharu.aceuticos
e a todas as pessoas que se oceupam de silencias.
Substancias uaturaes (drogas);
Pos medicinaes;
Preparacocs pharmaceuticas;
Productos chimicos medicinaes;
Plantas medicinaes ;
Medicamentos especiaos e de patente ;
Preparacoes homeopalhicas;
Utensilios e apparefho de chfmica
Laboratorios de chimica j montados;
Instrumentos de cirurgia ;
Inslrumenlos de casiilhone vulcanisado ;
Machinas para fabricar aguas gazuzas ",
Instrumentos de plivsica-c de procisao ;
Rtulos e ornajus para phannacia ;
Ralauras de sorvico, de luxo e deanalyse chimica ;
Vas is de vidro, crystal e porcelana.
IjIvtos de medicina de nnarmaeia e de seieneias.
*.* ",E? '^apj'a'le a quaesquer informaces que se lhe pecam. Encarrega-se de fazer
lhe faca
valor ap-
garantia, os productos Aerando ser pagos em Paris.'os' despezas de cambm to" a"'c"argo''dos commet-
Todas as encommendas devem ser taitas a casa Mf.mer & C n. 37. rua Sainte Croix de la Bree
sonnenr, cm Pars.
a lasa MKMl.r, responde a quaesquer informaces que se lhe pecam. Enrarrca-se
lodas as despezas at ao porto de embarque (transporte?,'despezas de segur etc.,) quando se
qualquer encnmmenda de productos neceasario mandar ao mesmo lempo uma letra de tal \
proiimalivamente ou indicar em Franca ou na Europa, uma casa encar.ogada do pagar ou de !
Iuflamniarao da maslriz.
Lepra.
Malos das pernas.
dos pollos.
de olhos.
Mordeduras de reptis.
Picadura du mosquitas,
l'uluioes.
Oueim adelas.
Sarna.
Supuracoes ptridas.
Tinha, em qualquer parta
que seja.
Tremor de ervos.
Ulceras na bocea,
do ligado.
dasarlirulacocs.
Veas torcidas ou lindadas
as ponas.
\ endo-se este ungenta no estabelecimento geral
de Londres n. 224, Strand.a e na loja do lodos os
boticarios droguistas o unirs pessoas encarnaadas
de sua venda em luda a America do Sul, Jlavana e
Hespanha.
Vende-se a 800 rs. cada hocelinha, contem uma
insuman cm portuguez para o modo de fazer uso
desle ungento.
O deposito geral he em casa do Sr. Soum pliar-
maceuieofoa rua da Cruz n. 11. em Pernambuco.
SEGURO CONTRA FOGO
NOUTHEUN ASSCltANCt; CMP\NY
LONDOX.
CAPITAL 1,500,000.
agente C. 1. \st\cy c C.
Offerece condices muilo favuraveis e premios
moderados.
Inoliaoo.cs.
Intlainacaodo flgado.
ila bexiga.
Faz-se publico quedell de junho em dianle o
trem do meio incumbido da condueo de gneros,
s percorrer a linha as tercas, quintas e sabba-
do de cada semana.
O de passagelros aos domingos'partir naseguin-
tc conformidad!-:
TREM PARA CIMA.
IIANHAA. TARDE.
Partida das Cinco Ponas 7,30 1,00
Chegada a villa do Cabo 8,45 2,15
TREM PARA BAIXO,
HAMIAA.
Partida da villa do Cabo 0,00 10,30
Chegada a Cinco Ponas 7,15 fl,30
N. B. Deixar de haver at oulro aviso o Irem
que ale aqu tem havido, que parle da villa do Ca-
bo s 5 horas da larde nos domingos sendo substi-
tuido pelo trem especial que parle da villa do Cabo
para o Recite as 10 horas da manha, o qual nao
parar em poni intermedio:
Escriptorio da via forrea 11 do junho de 1859.
AssignadoA". U.Drainah,
Superintendente.
Quem tiver um eslojo matnematico, bem
completa, ou ao menos um compaco du proporcao,
eununcie ou dirija-se rua du Crespo, loja doSr.
Caslro; que se lhe dir quem pretende.
LOTERA
OSr. thesoureiro manda fazer publico
que se acham a venda todos os dias das 9
horas da manhaa as 8 da noite, no pavi-
mento terreo da casa da rua da Aurora n.
26ena casa commissionada pelo mesmo
Senhor thesoureiro na praca da Inde-
pendencia numero 22, ate as 6 horas da
tarde somente, os bilhetes e meios da pri
meira parte da primeira lotera da ir-
mandade de Nossa Senhora do Bom Par-
to da igreja de S. Sebastiao de Olinda,
cujas rodas deverao andar impreterivel-
menteno dia 22 do corrente mez.
Thesouraria das loteras 11 de junho
de 18590 escrivSo. J. M. da Cruz.
LOTERA
DA
PROVINCIA
O Sr. thesoureiro das loteras manda fazer publi-
co que em consequencia dse ter reformado o pla-
no para a extrai-o das loteras foi mistar alterar o
proco de alguns bilhetes da primeira parle da pri-
iiieira lotera da irmandade de Nossa Senhora do
llora Parlo da groja do S. Sebasli.io de Olinda, que
ja se achavam impreseoae por isto nenhuma du-
vida se pode suscitar nos bilhetes da dita I.....na
que se acharen) emendados com tinta prela porque
o mesmo Sr. thesoureiro por -lies so maponsabili-
sa. Thesouraria das loteras 11 de junho de 1859.
O escrivo, J. M, da Cruz
Ama.
Oucm precisar de um rapaz porluguez para cai-
xeiro de qualquer estabelecimento, excepto taber-
na, dirija-se a rua da Conceicap n. 19.
O bacliarel A. R. de Torres Ban-
deira, professor de lingua franceza no
gymnasio desta praca continua a dar li-
ces desta mesma lingua, e bem assim de
philosophia e rhetoric era cursos parti-
culares na casa de sua residencia, rua
larga do Rosario, n. 28. segundo andar.
Acha-se prompto para leccionar em
qualquer collegio.
agenda dos fal.ri-;mu>s americanos
Grouver & Baker.
Machinas de coser : em casa de Samuel P. Jo-
hnslon & C, rua da Senzala Nova n. 52.
ROUBO.
Na noile de sabbado para domingo, 12 do corren-
le, furlaram de um sitio junio ao cemiterio publico
um cavallo de meio, caslanho bem escuro, cm
grao, cauda e clinas grandes, com um cedenho
aborta nos peilos por estar manco, todo tapado :
gratifica-so gonerosamenlo a quem o apprehender,
ou der noticia em Santo Amaro, taberna de Jos Ja-
i.-inlho de Carvalho, ao p da fundico.
Hotel da esperanca
No dia 1." de julho vindouro tari lugar aabertu-
ra do novo hotel da esperanca. na rua do Rangel n.
47 : parlicipa-sc ao respeitavel publico e a quem
quizer lomar freguezia de almoco, janlar e ceia,
querendo ir mesmo ao hotel ou mandando buscar
de suas casas, assegurando-se que sero servidos
com promptidao o accio, lera caf das 6 horas da
manhaa s 10 da noile, ter todos os domingos e
qitintas-fciras mo de vaco.-i das 4 horas s 8 da ma-
nha, o eslabelerimenlo tem duas entradas, tanto
pola rua do Rangel como pela rua da Praia; as
pessoas de tyra que se quizerem hospedar acharo
lodas as commodidades precisas, lem cncheira e
commodos para cavallos : na mesma casa se pre-
cisa de um escravo para o serviro.
= Precisa-se de uma mulher para ama jJe uma
casa com pouca familia : quem quizer, dirija-se a
rua da Santa Cruz n.21.
COMPANHIA
DE
Illuminarao a gaz.
Acha-se preparada para collocar canos as casas
para fornecimenlo de gaz.
O preco do gaz de 10J por mil ps cbicos.
Os canos que se collocarem desde o cano prin-
cipal al a porta da casa ou sitio do consumidor,
sero col locados a custa da companhia.
A collocaco dos canos no interior das casas ou
sitios custar ao consumidor mil reis por p (termo
medio).
Os candieiros, bracos, lampeoes etc., sero de
preeos relativos as suas elasses e qualidades, e os
preeos sao mdicos, e as qualidades proprias para
todos os fins.
Tres ps cbicos de gaz dao uma luz igual a cinco
velas de espermacele vendidas aqui de 6 em libra,
consumindo 250 graos de espermacele por hora.
Tres ps cbicos de gaz custar somente por hora
30 reis.
Emquanlo que as velas custam por hora 200 rs.
E uma luz de azeile de coloya, de coco ou de es-
permacele cusa por hora 190 rs.
O gaz deve ser vendido por registro vendido ao
consumidor somente o que diariamente for consu-
mido ; esta registro deve ser guardadu em ordem
pela companhia isento de pagamento, e o consumi-
dor garantido pela c-roninstancia do registro, sen-
do sellado para nao ser aberto scoo cm sua pre-
senta.
Aquellos quo desejarem ter gaz devem fazer o seu
pedido quanl antes, pois que os primeiros viudos
serao tambem servidos em primeiro lugar decon-
formidade com as datas dos seus podidos.
As pessoas que se acham insesiptas devem com-
parecer paca esoollierein os apparelhos que Ibes
ronveiii no armazem da rua da Cadeia de Sanio An-
tonio onde acharao um cmplelo sortimento.
Escriptorio da companhia. Recite 3 de maio di-
1S5-J.
Loeoiona-sc cm casas porticulares, primeiras
letras, portuguez, franeez, Inglez e italiano : na rua
da matriz da Boa-Vi-ia n. 34.
\ mesa administrativa da irmandade do San-
Prccisa-se d--uma ama para casa do hornera sol- lissimo Sacramento da matriz di- Santo Antonio
leiro : na rua do Queimado n. Iii. convida a tojos os seas ir-naos para compareceris
= Quem quizer arrendar o engenho Genipapei- domingo, 19 do corrente, as 9 horas da manhaa
ro, prximo ao engenho Panliata, no termo del no consistorio da mesma, alim de se olegor a nnv.i
Olinda, dirija-so ao mesmo engeuho Paulista, que | mesa que lem do regar o anuo de 1859 a 1800 =U
achara com quem tratar. escrivo, Josl Flix di Arito Jocedo.
Aparellios para cha
brinqueilosdi' meninas em ponto grande
e de metal, compostos de bule, assucarei-
io, leiteira, chicaras, pires, colhetes.
uma rica bandeja etc. tudo por 2,f: l-a
rua Direita n. 45.
Attenco.
Na taberna gran Je da Soledade vende-se mantei-
ga ingleza minio boa a 81)0. 9ll, IfUO, e franceza
800 r., amondoa a 320. chi muilo lino a 2$ e
2,5240, caf primeira qualidade a 280, 210 o 200 rs
picsuulos para fiambro a C40 rs. a libra e muilos
oulros gneros de bom gosto, por preco commodo.
Vende-se na rua da Senzala Nova n. 30, as
mais novas latas com bolachlnhas de soda, por
monos preco do que em oulra qualquer parle.
Fogo artificial.
Orando sorliineuto de fogo illuminaco, pistolas
o rodinhas para festejar S. Joao, por'proco muilo
commodo: no aterro da Boa-Vista, loja nova n. 71.
lliquissinios eslojos para barba
Orando sorlimento de estajos do homem para
barba, desde ornis fino at o mais ordinario : na
rua Nova n. 20, loja do Vianna.
Espingardas (ronchadas.
Riquissimo sortiniciito ds espingardas tronchadas,
desde o mais fino ale o mais ordinario : na rna No-
va, ii. 20, loja do Vianna.
Hiquissiinas caixas de costura.
Grande sorliuionlo do caixas de costura, desde o
mais lino at o mais ordinaiio : na rua Nova n. 2H,
loja do Vianna.
Attenco ao barato
Xo bem condecido armazem de louea da rua ila
Cadeia u. 8, ao p da loia do Sr. Fragoso, ha para
vender um completa c variado sorlimento de suin-
ma utilidade, como tejara : finas esleirs para for-
rar sala, ditas de palha de carnauba, baldes ame-
ricanos para compras, cestas do Porlo com lampa
ou sen) ella, condecas surtidas, balaios de lodos ns
lmannos, compridos e redondos, lindas resfriadei-
ras hainburguczas para agua, jarras da Babia do
melhor gosto que lem vindo a esla cidade, ditas da
Ierra de todas as qualidades : no mesmo armazem
tambem existe um completa sortimento de louea,
tanto vidrada como sem sor vidrada, que so vende
mais barata que em outra qualquer parle.
Nova invenco para en-
gommar.
Na rua Nova n. 20.
Crandc sortilimento de fogoes para esqnenlar
tarro de engommar eom a maior violencia, dar que
[aseria uma engommadeira, trabalhando com min-
ia ligereza; poder engommar por dia 100 pecas de
roupa. i
Riquissimo sortimeuto
de objectos de melal fino para qualquer uma casa
que necessita ter o verdadeiro melal plaqu em lodo
genero que se desoja comprar: na rua Nova n. 20,
loja do Vianna.
Aos senhores de engenhos.
Riquissimo sorlimento das verdadeiras eiu-hadas
calcadas de ac e de outras muilas terragons por
preeos muilo commodos, que com suas presencas
poderao se justificar o que se annuncia : na rua
Nova u. 20, loja do Vianna.
Sem igual.
Continua vender-so lindas vic-
torias do la malisadas a mesma fa-
zenda nova que a pouco su venden
por lg o i-ovado por o bailo preso
de 400 rs. : na roa do Queiinado
loja do sobrado amarello n. 29, nos qualro cantos
(dao-se as amostras; ; na mesma loja ha sempre
um completo ser ti menta de chitas escuras, mus-
sulina. casaveques, cambraias, manguitos, cortas
de seda, ditos de cambraia.
ATTENCO.
\ende-se muilo superior doce de goiaba a 1g2tHI
para acabar, aproveitem freguezes que pechin-
cha : as Cinco Ponas n. 82, junto os casas cabi-
das na taberna nova.
..VellJl!~s'' "lanlciga ingleza muilo superior a
1S80.lSl20el8, dita franceza a 880 rs., queijos
do reino muilo frescaes a 2$500 e 2j : na taberna
da rua dos Marlyrios n. 36.
Vende-se um silhao para cavallo de senhora,
com todos os arrotas completos, em perfeilo cata-
do : na cochvira do aterro da Boa-VIsla defronte
do boceo dos Ferrelros.
Vende-se uma cscrava moca que sabe lavar,
engommar, coser, cozinhar c fazer labyriothc-: na
rua Augusta, porm a tratar no convento do Car-
me com Fr. Manoel de Santaclara doaAnjos.
= Vende-se mantaiga ingleza superior a lj, 720,
e .>60 a lifem dita franceza a 880, vinho de Lisboa
a .)00e 480 a garrafa, queijos do reino a 1JJ600 e
2/: no paleo do Terco n. 21.
Aguia de ouro.
Loja de qualro portas
Naraa do Ca\mga n. U.
Este bem conhecido estabelecimento acaba de
receber um completo sortimento de franjas e ou-
lros muilos mais objeclos de muilo gosto e barato,
como seja : louquinhas para rrianca, todas guarne-
cidas com tilas a 1gfj00 c 2S, ditas do lia-muilo
lindas a 19 cl$60d, chapeliuhos propriospara bap-
tisados, os mais lindos que se podem encontrar a
12S, capcllas com palmas todas braucas proprias
parauoivas a 6 e modernos.de c.oroa, a 24$, ditos a impuratriz a 12
e 143, muilo rico a 22J, enfeiles para cabeca os
mais linos possiveis, que avista do freguez," nao.
deiiara de comprar, gravalinhas muilo lindas a 2S
e 2S500, garganlilhas lodas bordadas a canotilho,
ultima moda, para senhora, bonets muilo lindos
para meninos a 2$ c 3J500, pentes de massa, vira-
dos, a 2, ditos sem seren virados a 160 al 320,
penles de alisar de tartaruga a 48, ditos de oulras
qualidades a 240 at 800 rs., la para bordar ou
para sapalinhos, ou toncas a 7$ a libra, renda e bien
de labyrintho de muilo lindos padroes e de lodas as
larguras a 280, 320, 400, 520 e 600 rs. a vara, bico
de seda c de algodao, fitas muito linas, a muilos
mais objectos que se allanca vender por menos do
que em outra qualquer parlo.; vista do fregus
se fura todo o negocio: na loja da aguia de ouro
da rua do Cabug.
= Na rua das Cruz.es n. 21, vende-se bolachinha
de soda e aguada, em tatas de todos os lamanhns,
e tambera a relalho, queijos a 2g, ludo muilo supe-
rior, para araoar,
= Vendem-se 3 bnis e 2 carrocas per preco
commodo. podem ser vistos no sitio do Sr. Manen I
Joaquim Carneiro Leal e tratar na rua do Cabug
loja n.9.
Castanhas do Ma-
ranho
a 110 rs. a libra, 3$200 a arroba, mantaiga Iranreza
a880, dila ingleza a 960, lgl20 e 15200 a libra,
queijos ,do reino a 1J800, dilos do serto a 960 a
libra, o a gemina fina se acaba : quem quizer, nao
se discuide; e tambem se vende um raizao de
amostras, proprio pora taberna : na rua Direita
n. 91.
Jacaranda superior.
Vende Antonio Luizde Oliveira Azevedo, no seu
escriplorio, rua da Crnz n 1 : para ver, no seu ar-
mazem da rua do Vigario n. 20.
Jogos de d.-iinas.
Vendem-se murta bons jogos do damas com as
competentes pedras, pelo baratismo proco de 3>
cadaiogo na rua doljueimado, na In-ni conlu-clda
loja de miudezaada Boa lama n, 35.
Gravtihas para senhoras e
meninas.
Vendem-se riquissimas gravalinhas de soda com
passadores para senhoras e meninas, pelo baralis
siinopren>de2cadauma: na rua doyueimad
na boiu wiuhecida loja de miudezas da Boa Pama
n. oJ.
J
; .
.
.


oc e-^e sts
liU
SlSS-
^ Sai:- -s
Chapeos e mais ohjeclos. I:
\a antiga luja de chancos
da ra Direila numero 01,
Ac liento Ae Barros Fei j
Diario de i'crnambuco Sabbado 18 tic .lunlio tic i.>'.i.
Corles de colletes
baratissimos.
Chapeos francezes ile soda, furnias modernas o
'IYiii para vender na ra da Cadete da Recite
lio, nina cimu 111)1,1 muilo liiinilu ligura de 15
unos i- jarusinlia bem.
Vendoin-sc passas novas- na taberna da ra
do Hangel n. T.
Vende-ee superior linha de algodn, brancase
do cores, em novrllo, para costura : era casa de
Seutholl. Mollera: C. ra do Torres n. 3H.
XABOPE E PASTA DE C0DE1NA DE lIKItTH.
As prnpriedados Dolareis do Xaropk c a Pasta
muilo Unos 11 ($600, dilos de. cnslnr branros rapa- de Conr.iMA lem sido propaladas pelas sabias ex-
dns, rhegados lia poneos dias, fazenda iniiiln supe- I pericucias clnicas e comparativas de Mcenme,
idea 148 Barbieb u'Amiens, Wiu.i.uis U*e<
HS
oe

JL
i t- t, ~~ s
O re = X ="&
^aSSVt^tiJU.ill.S.S.XX &J8.AAA'
O
O
~ a 2
2 ea
l
?"? /TTTTYTT TTYTT''
Vendem-88 cortos de collelcs de rusti a 4IK) rs.,
e muilo linos a 1$280, assim como ditos do gorgo-
ro, polo diminuto preou de 2s ; a olios, que se
estao acabando: na ra do Oucimado 11. 23, na luja
da Roa F.
Vendem-se dnus escravos mocos, do muiln
rior, tonto em formas como em qualidade *149,I Banaia d Amif.ss. Williams Ubesobt, Martin So- bonitas figuras e proprios para Utdo o*servir, alera
ditos de castor prelos do pollo a 12$, dilos de fellro ] L10N KTCy membros do instituto de Franca, da ac- '. do que, uin oleiro e o outro lioni oltieia'l do la-
liospiaes dejloetrp, e ambos esto aeostuandoa ao servio do
campo : a tratar cora Manocl Atoes ferreira i l.i-
rontos oIaj: mo, rua da Moeda n. 3, segundo andar.
, profes- '
sold soda de panno, tanto para hornera como sores da faculdado de medicina do Pars, mdicos!
para senbora, enfeilos milito finos c do boni gosto dos hospitacs de Parte etc., etc., Icm demonstrado;
para caliera, velludos de todas as cores, bom pro- I1"' Xabopf. c a Pasta de Coiif.ixa de Bf.htiik sao
prios paia'rozavoqnes, rlleles, gollas de palelots,! os remedios mais elieazes para todas asdoresnervo-
0 outros usos por seren de superior qualidade ; I sas> agudas, o as rezes lio rebeldes ; e que affroxa
com nina rapidez inaravilhosa, os accossos conse-
cutivos o que tanto
w ai 1 m a o
= m n
> ea o vj ^ =
o e-* 2 "
n = ui o C a
5>*2.2 -o u
5 = ?,2 -
o o re .2
te -
O 0OJ2 o o
.-0.60.= 3 cj
g-vgw" c
S 2 -"
_-- o E oj; 01
'See^
itly
S1" 9.
Si
o2
* c"
He

= n
c
3
c; a.
''C o
01 -
II

o C
c n
.i'o
'

(^hegueni fregueses loja da
Boa Fama da ra Direita
n. 64.
Facas e garlos com cabo de marflm muiln finas a
10500 a doria, ditas de cabo prelo a 6gl00, ditas
b'S, ditas do cali do osso linas a $200. ditas o
5&4UO, ditas cravadas liuas a 492M), ditas de cabo
prelo ebranco a 33200, ditas a2S80t),ditasa2Ofl,
ilitas para sobre-mesa linas a 4550, g, e 5S5II0
ns de ferro a 640. 800, 900, 1$, ljlOO. la20U
1400,1 ama de vent muitu larga a 8g, ditas a 7 a
C8. arail' de lal.io do todas asgrossras a 800 rs. a
libra, barbante de todas as quididades por barat-
simo preco, (ngareiros de torro a 1J200, 1S400
1S600, l.300,2S, 2S300 e 2SG00. ferros de aro da
mellinr qualidade .1 720, rastiraes de lalao a 1S6O0,
1MHI u 2g o par, couro de lustre muilo grande a
4JWI0 a pello, marroquim a 1900 a pello, pannos
de lapelo para mesa a 3g200, alfinole de forro para
aiinadoi- a Sjfillll o maco, fonliaduras de broca para
porta a 610,720, 880 elg. ditas para irmazema
4S500, escrivaniilias de latDo a 3*500, i$ e 4$800.
bandejas grandes c pequeas, biros hrancos e pro-
tos por barali.sslmo proco, finos e ordinarios, ferra-
gons o miiiile/as de todas as qualidades, mais ba-
rato do quoem outra qualauer parte : na ra lii-
ri'ila n. 64.
Na loja da estrella.
Ra do Queimado n. 7.
Este estabelocimento contina a tero mais com-
pleto sortimento dofazendas do todas as qualidades,
e so venden] por menos do que em outra qualquer
parle; assim como :.
i.bitas franrozas, o corado 160
Corles de casemira ingleza 2S400
Ditos de dita inuito superior, franceza,
o corle 6S500
Chapeos francezes para cabera, finos 6g800
Cortos de calca debrim 1928U
Casemira de' duas larguras muto fina,
. o corado 3J500
Taimas bordadas muto ricas.
chapeos para meninas e senhoras.
Camisas para senhora, bordadas.
Cortos do collete do fustao, bonitos padrdes 500
Camisas de todas as qualidades para honiem.
Carteiras de perfumaras inglozas 58000
Ca/.avoquos de fustao, fazenda muito superior,
rolletes de velludo prelo e de cores.
Palelots de panno prelo 16g000
Olios de dito superior a 28$ o SOjJOO
Calcas do casetmras pretas e de cores.
Espartilhos para senbora 5g500
Palelots de ganga muito superior 5(500
Ditos de btim branro 48800
Ricos vestidos de fil de seda proprios para
bailo e casamento.
Ditos de seda de todas as cores.
Ditos do cambraia rom babados 5J5O0
Lencos de seda a 500, 1280 e 2SUKI
I.mas de seda para homem e senhora IgOOO
Cheguem ao barato.
O Leite & Irmo continuara a torrar merino prcto
e de cores cora duas larguras a 19600 o covado,
cortes do caifa do moia casemira a 2S21I0. lindos
nrte;s de collelo de cachimira a 19, cortos de cassa
de lindos deseubos a 2g, grosdenaple prcto de
1*600 a 38 o covado, ricos manteletes de grosde-
naple prcto, luvas de seda do difierentes qualidades
pare senhora e raeniua, musselina toda encarnada
a 220 o covado, chita franceza de lindos desenhos
a 240 e 300 rs. o covado, cortes de calca de brini
de linho a 18800, lindos cortes de riscado francez a
2g800, pecas de cambraia lisa com 10 jardas a 2*440
38600, 4g500. 5 a 5S600, loalhas de ioho para me-
sa 38500, chales de merino lisos a 48600, dilos ma-
tisados de lindos desenhos a 78, ditos de louquim
prolos, lencos de cassa muilo finos e de lindas cer-
caduras a $ a du/ia, chapeos de sol de seda a
fiJHOO, palelots de alpaca muilo fina a 6$, chita de
lindos desenhos o cores fizas a 200 rs. o covaoo,
casemira prela do 2 a 58 o covado, loalha do algo-
dao para mesa a 4g. panno tino de difierentes qua-
lidades, bramanlo para lencoes a SgSOO a vara, la-
petos para entrada de sala a 3g, meias muilo finas
para senhora a 3(800 a duzia, ditas para menina e
menino de todos os taraauhos, grosdeuaples de lin-
das cores a 28 o covado, cortos de muilo boa case-
mira a 6 e 78, calca de casemira preta a 108. saias
bordadas a lg600, 3 e 48, ditas de balo a 6*500,
pecas de madapoln a 3, 4. 48300, 48500, 4g800,
5g00 e 6g, cobertores de algodo a lg280, meias
rruas muito finas a 5g a duzia, chally de bonitos
desenhos a 800 e lg o covado, veneziana nropria
iara balinas a 2g o covado, damasco de la de duas
arguras proprio para coberta de cama a 2g400 o
covado, brilhanlina asselinada de lindos padres a
700 rs. o covado, espartilhos para senhora, pentes
de tartaruga a imperalriz a I1g, redes de palba a
6g, touca de fil muito bem enfeitadas a 28, vel-
ludo de cores de muito boa qualidade, fil liso com
21/2 varas de largura a 640 a vara, franquelim com
C palmos de largura a 640 o covado, e ouiras nimias
fazendas que se venden] por barato preco, e de lu-
do sedar amostra:ua ra daCadeiado Recite u.48.
Para acabar.
Ra Novan. 1.
Vendem-se os nielhores calcados que' lora vindn
a este mercado, e em porfeilo estado, como sejam:
ilorzeeuins francezes de seda c laeo do
fabricante Mliez
Rorzoguins de merino setim do uesmo fa-
bricante
Sapatos rasos do duas solas com salto e
laeo, ditO
Ditos do una sida, de laeo o saito, dito
Vciiilom-se 10 tajes proprias para dous cai-
ides subtemineos para deposito de ossos poilerein
viudo de Lisboa para este lini: na ra da Senzala
Vclbt u. 96.
tambem existo urna porro de escorailha de soda do
coros, buje muilo procurada pnri cobrir os can-
dieiros do gaz, e outros mnilos objectos de gosto,
que osscnborcs freguezes couhccero avista delles,
que sao em conta.
Vendc-se urna escrava parda do meia idade,
bstanle sadia, affeila a lidar com meninos, e pro-
pria para o serviro interno de urna rasa de familia,
por 600g : a tratar na typographia da ra da Praia
n. 43.
= Vcnde-se na ra de Romingos Pires, na casa
de Frederico Ferreira, um carro novo de 4 rodas, I
Eroprio para engonho, sondo de dous bois e tam-
etn de um, e serve para a eslacao do vapor.
Fazendas por precos commodcs.
NA*
Loja do sertanejo
liua d Queimado n. 43 A.
Cazaveques de fustn branco ricamente enfcila-iP
dosa 13,1 Iel6g000, dilos de musselina a 11, 12e|
138, meias de seda brancas e de cores e pretas, en-
feilcs para cabera de senhora, de froro, a 4, 5, 6,
7, 9 c lOg, ditos com vidrilho, bengalas do lodas
as qualidades, um grande sortimento do chapeos
ricamente enfeitados para meninos e meninas para
baplisado e passcio, por monos proco do que ora
onlra qualquer parle ; contina a t'or nm grande
sortimento de grosdcnaplos prctos de todos os pro-
cos, que quer acabar, al8500,186(10.18700, 18800
23, 28400, 3,8 e 38500, chally muilo fino e bonitos
padros a 860 c 900 rs o covado, lazinhas muilo
miudinhas e mais gradas a 400 rs. o covado, liare-
ge de selao muito bonitos padroes a 500 rs. o co-
vado, sedinhas de quadros muito finas a 1(300 o
covado, palelots do panno, saceos e sobro-casaca-
dos a 20 e 18g, todos forrados de seda a 25g, e ludo
o mais aqu se encontrar do hora c por menos do
que em outra ouabtuer parlo.
Tamancos a 320 rs.
o par.
De diversos tamaitos, para acabar: na loja do
miudezas do aterro da Roa-Vfsta n. 82, quasi con-
fronte a matriz.
SYSTEMA MEDICO DE HOLLOWAY.
PII.UI.AS HOI.LWOVA.
Esle inestimavol especifico, lomposlo inleiramon-
lo do herios medicinaos, nao contera mercurio, nom
alguma onlra substancia dolecteria. Renollno mais
tenra infancia, e a comploiio mais delicada he
igualmente promplo c seguro para dosarreigar o mal
na rompleiro mais robusta ; he inicuamente inno-
cente era siias oporacoes e otfeilos; pos busca e
remove as doencas de qualquer especio o groo por
mais antigs e tenazes que sojam.
Entre milhares de pessoascuradas com esto reme-
dio, militas que j estarn as portas da niortc, pre-
servando era son uso : conseguirain recobrara saude
e toreas, depoisde haver tentado iuulilinonto todos
os outros remedios.
Asmis afilelas nodevem ontregar-se a deses-
peracao facam um competente enaaio doseffieazei
elfeilos destn aaaombrosa medicina, e prestos recu-
peraran o beneficio da saude.
Nao se perca lempo em tomar esto remedio pora
qualquer das seguinles enfermidades
Accidentes epilpticos.
Alporcas.
A raplas.
Areias(raalde).
Aslbma.
Clicas.
CohviiIsos.
Debilidade 011 exlonua-
eo.
Debilidade 011 falla do for-
ras para qualquerconsa
Dysintoria.
Dorde garganta.
de barriga.
nos rins.
Dureza no vonlre.
Enfermidades no vonlre.
Ditas no ligado.
Ditas venreas.
Eniaqtieca.
Herysipela.
Pebre biliosas.
Febreln intornitonle.
ansam, do cataiiriio, da tosse
convi lsi, da hronc.hite oda piitiiish.a PCLBOHAK
O Xakope e a Pasta de Coheina do Rertiik en-
contram-se em todasas pharniacias de Franca e do
estrangero.
Para evitar a falsillcacao deve-sc exigir em cada
vidro a assicnatiha, e o xome Rerthe.
Dirigir os pedidos em grosso casa Mmf.r & C*
n. 37, ru Sante Croix de la Uretonnerie em
Pars.
PALETOTS.
Vcndem-sc palelots de brim de puioliuho, bran-
cos e pardos a; na ra do (Jucimado n. 22, loja
da Roa F.
GRANDE S0RT1MEM0
DE
Roupas feilase fazendas
NO
Armazeme loja
DE
Gees & Bastn
NA ROA DO QUEIMADO N. 46.
Ricas sobrecasacas de panno lino prelo c S
fardo a 3*500 o sarco.I
i
Na nm do Matlrt le Dos n.
33, vende-se Prelo de Hain
burgo saceos com O libias a
PARA ACABAR.
Grosdenaplesde cores de quadrinhos miudinhos,
padroes muilo bonitos a 1^281) o covado. chollv de
seda com llores matizadas a 18 o covado, filo de
linho liso muilo fino a 8(10 rs. a vara, dito bordado
a I ,S asi I, cambraia de linho muilo lina a 60 rs. a
vara, superiores pantos de tartaruga para pniule
cabellos, muito fornidos, pelo diminuto proco do
4jJ, ditos virados a imperalriz a 12, sapilinhos do
merino para mancas, bordados ricamente e com
locos de froro a 2g'o*par, bonots do palha para me-
nino a 2850(1, loques muilo finos a 4$501), chales
de morillo liso com franjas do la a 5>, ditos muito
finos com franjas de seda a 6$, dilos bordados rom
franja do la a 78, corles de cediles de velludo
muilo superiores a 7, 10 e 12$, panno fino prelo,
prora de limo a 2, 4 o 5$ o covado, casemira pre-
lo lina a 2, '.i c 4$ o rovado, luvas de seda para
meninas, bordadas e ricamente enfeitadas a 28500 o
par, gorguro do linho c soda muito superior e pro-
prio para colletes a 18 o covado, alpacas de cores,
enfesladas, para palelots, pelo baratissimo preco de
610 o covado, e alem disto um completo sortimen-
to de fazendas linas e grnssas, que se vendom mui-
lo em coma : no ra do (Jueimado n. 22, loja da
Roa F
ESCBAVO.
Vcndcosc um escravo crioulo, de dado de 16 an-
uos : na ra da Cruz, armazom u. 33.
Farinhademilho.
Ao atorro da Boa-Vista, junto a casa queimado,
i bogada nova porrao de familia do milhn muito
novo e tina, que ge vende pelo diminuto preco de
100 rs. a libra, e :l; a ai roba.
raBH
f&xxiaixiaiX
Fumo em follia.
Recelmlas em direilnra de!
Pars.
Vende-se chegado receiitemenle da Babia por
monos preeo do que em nutro quolquer porte : na
ra do Cruz do Recite n. 13, priun-iru andar.
Vdnde-tn urna poltra e um cavallo novo o
com l.i.us andares : quera quizer osles animaos,
*|drija-se a esto typographia, das 2 s 4 horas da
tardo, que so dir quom os vendo.
Na loja de 4 portas, na ra do
fc. Queimado n. :J7,
;doseja-sc liquidar as sepililes fazendas, como soja,
grosdenaple do cor a 1?SI0 o rnvadn, organdvs es-
J i e.urns de nniilo lindos padroes ., 500 rs. n invado,
(sedinhas do quodriiihns muilo finas a lg, dem
i milito superior a l.SUMl o rovado, vestidos do seda
1 y^'^yyyyyyyy**yy_yyyyww *. '? #? !; Instan muilo bem enfeilados, rapoliuhos prelos de
Cheffuem A loja nova d P??fi'te--* *. hph.iw-.
Toallias adamascadas.
Fio de vela.
Bisooitos.
Estopas.
Vendem-se em casa de Ailwiglit
& C. na ra da Cruz n. lil, |iot*
preco com modo.
jg do cores com golla de velludo o forradas do S
Bj sedo.foita com todogoslo eoceio a 228. 25g, H
& 28 e 30, bem assim palelots do cosemira de S|
.., quadrinhos a 108, dilos de casemira escures, ^
*; padros muito modernos, a 188, ditos a 148, e?
& ditos do alpaca prcla e de cora 4g, dilos d j
i esguio do Vnibu pardo muiln fino a 5g, dilns S
% do fustao de muito gosto a 5g, ditos do ganga
g do edr a 58, ditos de bramante do linho bran-g barra estampada a 4g, niiissolina branca a
Doce de arac
a
Vcnde-se doce de orac c de banana muilo supe-
rior : na ra do Collegio u. 5.
Na loja das seis portas
EM
Frente do Livramento.
Cassas franeczas, fazenda novo, a 160 rs. o cova-
do, e a peca a 58 com 33 covodos, cortes do cam-
braia com salpico a 3g, dilos pintados a 2l, lomos
de reiroz a 500 rs., luvas do seda pretil lizas o bur-
iladas para senhora a 18, chales de merino rom
. barra estampada a 4J, musselina branca a 210 o
,*, -a aV 'ule \'o..C,5u,"ra lTi'" P dft e.r E covado- dil:' "-"rnada a 320, vclliidilho do cores
nL,/,w 2''t f do fustao mui- k para roupas de criancas a 800 e lg, fil do linho
Z irt -e H^ 3Si,d"S dr fj^'j | Preto, fazenda fina, a 1g280 a vara : do-se amo.s-
I r, i' .,S dC m-iUt,r a"al,d,,dc 6S W\, e a loja esl aborta das 6 horas da manha fa
e (8,dilos do setim macao a 6g, ricas col- 311 9 da iioite
g chas de fustao de diversas cores o muilo Srl'
gj grandes a 68500, ceroulas de bromante a fe'
g 18600 codo urna, 18800, 1$9i,0 o 28. ditas do I I U
w panno de linho cora borracha a 2,$500, eolio- & 5
, .' ll'S lli ltrm Itrinpn m.tiln Riu O-l J5... ."
Pobreto da especie.
Colla.
llomorrboidas.
llydrope.-i 1.
Ictericia.
Indigestos.
Infiammacoes.
Irregnlaridades da mens-
Iruaio.
-ombligas do toda espe-
cie.
Mol do podro.
Manchas na culis.
Ohslrncco do vonlre.
I'blvsiia 011 colisiimpcao
pulmonar.
Iloloiico de ourina.
Rheiiiuatismo.
Symplnraas segundarios.
Tumores.
TicO doloroso.
Ulceras.
Venreo (nial).
Vendem-se estas pillas noestabeleeimento ge-
ral 4e Londres 11. 224, Slrond. o na loja do lodos
os boticarios droguistas eoulras pessoas.....arroga-
das de sua venda em toda a America do Sul, Ilava-
ua e Despalilla.
" Vendem-se as boeelinhasa 800 rs. cada urna dol-
as eomlm nina instrueco em rmrtuguoz para ex-
plicar o modo de se asardeatas punas.
0 deposito goral he em casa do Sr. Scnim pharma-
ceulico. na ra da Cruz u. 22 era l'oniambuco.
Loja
NA
Ra do Queimado n. 22
Ncsta loja os bons freguezes encontrarlo fazendas
boas por pouco dinheiro, como soja : chitas fran-
cezas de padroes muito bonitos a 260 rs. o rovado,
riscados escocezes muito bonitos com padroes d
seda a 160 rs. o covado, chitas escuras de cores fi-
xos a 200 rs. o covado, ditas finas de padroes novos
a 260 o covado, cortes de cassa pintada com 7 varas
cada um a2g, bretanha de linho fina a 148 a peco,
com 25 varas, dila muito fina e muilo larga com 35
jardas a28, brim branco de linho a lg el<(280, c
muito superior a lg440 a vara, dito pardo a 800 rs.
avara, dito decores a lg a vara, dito liso de qua-
drinhos oscuros, fazenda muilo superior, a 560o
covado. brim liso muito fino a 108 a peca com 20
varas, ganga amarella franceza muilo lia a 320 o
revado, diias escuras a 560 o covado, briiu de cores
de liuho puro, denominado arranca pregos, a 600
rs. a vara, bramante de linho muilo fino com duas
Varas de largura a 2g400 a vara, aloalhado adamas-
cado com duas larguras a 1g280 a vara, camisas do
meia a U, ditas cruas muito finas a 1$200, alpaca
prela lina a 640 e 800 rs., e muilo fina a 1 o cova-
do, meias de algodo cru para homem a 180O e
2g400, e inglezas muilo superiores a 5g a duzia,
ditas para meninos e para meninas a 280 o par, di-
los brancas de seda para menina a 2g o par, lencos
braucosdo cambraia para algibeira a 2g400c o'3g
a duzia, dilos muito grandes proprios para cabera a
400 rs. cada um, fraiiklira prelo de la com 6 p'al-
mos de largura a 800 rs. o covado, merino setim
preto e de cor a 800 rs. o covado, meias brancas li-
nas pora senhora a 38600 a duzia, ditas inglezas
muito superiores a 58 a duzia, luvas de fio de Es-
cocia para criancas a 200 rs. o par, lencos de linho
para rap a 400 rs., dilos de cambraia de linho
com bico largo em volla a 2, e assim outras mul-
tas fazendas que vendem-se muito baratas para apu-
ror-se dinheiro: na ra do Queimado n. 22 ua
bem condecida lo a da Boa P.
Aviso.
No armazom de Adamson, Howio, 4 C., na do Tra-
piche n. 42, vende-so sellius para homem o senhora
arreos prateados para cabriolis, chicotes para car-
ro, colleiras nara cavallo etc.
tes de brim branco muilo Uno a 3S, dilos de v
$ seda branco a 5g, calcas de brins de diversas S
| cores e padroes a 38. SgOO, 4 e 5$, ditas ^
B de meia casemira, padroes miudinhos a 48, ,
'p ditas de brim branco trancado de linho a 5g p
< e 68, c outras militas fazendas e obras que S
g s cora a visto que o freguez pode avaliar o
j que vender borato. H
S*. i -:-..: ..-.;.:. ;. -
Bonets de panno lino e gor-
guro.
Mui bonitos bonets de panno fino prcto enfeilados
com ricas lilas de chamalotc, trancas de relroz e
galozinho duurado, ditos de gorguro furia-cores
o de lindos gostos a 4 e 58, precos baratilsiraos
vista da suporioridade da obro : na rua do Queima-
do, eos uuatro cautos, loja d'aguia branca n. 16.
JM5NG1\.
UA
FTOICAO LOW-MOYV,
WLm
s
t
8

$
2a800
1M00
1s600
SffiOO
3J000
1S:I0
2j2t)0
1S500
IgOOO
900
igooo
18()
18000
800
'J00
Vende-se em casa de Saundcrs Brothers & C.
praea do Corno Sanio, relogios do afamado fabri-
cante Rnskell, por procos .commodos, e lambem
tranrellins e cadoias para os mesmos, de eicollenle
gosto
Ricos enfeites com vidrilhos
para cabetja.
Vendem-se os mais ricos enfeites prelos e de
cores com vidrilhos, pelo haralissimo proco de 4ge
6} cada um : na bem conhecida loja do miudezas
da Roa Pama, na rua do Queimado n. 33.
Potassa da Russia
E CAL DE LISBOA.
No bem conhecido e acreditado deposito da rua
da Cadeia do Recite n. 12, ha para vender potassa
da Russia o da do Ilio do Janeiro, novo e de supe-
rior qualidade, assim como tambera cal virgem em
pedra : ludo por precos muilo razoanisi
13S000
12$000
68500
Bfsm
Para bolos.
do Arago n. 36, vende-se man
iu960el8l20alibra.
Algodo avadado.
Na rua do Aragio n. 36, vende-se mantena in-
gleza Una a 960e 18120 a libra.
Noarmazem da rua do Quei-
mado n. 19.
Algodo americano largo fazenda superior com
um pequeo toque de agua doce a 2S500 e 3g a
pera.
Batata doce
dos Acores: na rua da Madre de Dos n. 33 ou na
rua da Cadeia do Recite n. 4.
Farnha.
Vendem-se saccas grandes com boa forinho de
mandioca : na rua da Cadeia do Recife n. 55, pri-
meiro ondar.
= Vendo-so a armonio da loja do sobrado silo
na rua Direila n. 43, cora fundos e seni ellos ; a
tratar na mesma loja.
Em cosa de Domingos Alvos Malhous, rua da
Cadeia n. 51, ha para vender os segiiintes arligos :
Panno de algodo nacional.
Fio Je algodo.
Couro de lustre.
Fumo em folha.
Ralancas romanas.
Relroz superior.
Cochina de linho.
lio badas de ferro.
Burras de ferro.
Cera em volas.
Roa da Senzala Ptova n. 42.
Neste oslabelecimento continua a haver um com
o r"m T'nd'1S m''ias ,no"fnda^,,ar;,!te* P!an01 do f*do fabricante
engonno, uiacliinas de vapor e tanas de ferro bat-
do e ruado, de lodos os tanionhos para dito.
Manguitos.
Vendem-se manguitos do cambraia bordados pa-
ra meninas, pelo barolissimo prer.o de 18 o par,
ditos muilo finos para senhora a 28500e 4g o par:
naruadoUuoimado n. 22, na lujada Boa F.
coborlos e descoberlos, pequeos e grondes, de ou-
ro patente inglez, paro homem e senhora, de um
dos mellones fabricantes de Liverpool, vindos pelo
ultimo paquete inglez: em casa de Southall Mel-
lors & c *
Para criancas.
lui bonitos e delirados rhapenzinhos de merino
e setim bordados e enfeitados, com aba coluda, ul-
tima moda, mui proprios para baptisadns ou mes-
rao posseio, pelos baratissimos precos de 5 e 68000:
na rua do Queimado, loja da Aguia* Bronca n. 16.
Vinho do Porto.
Vcnde-se superior vinho do l'orlo engarrafado a
lga garrafa, dito xerez a 18800. dilo modeira sec-
ra, di lo bonica o i a1g, caitinhas do passas enfeita-
das a 3g500, biscoitinhos cmlalas, de diversas qua-
lidades, a volitado do freguez : no aterro da Bua-
Visla ii. 2.
A lyoilao da Rahia.
No escriptorio de Manuel Ignacio de Oliveira i
Filho, vende-so superior panno do algodo da
Babia.
Fio de algodo.
No escriptorio de Manuel Ignacio de Oliveira &
Filho, vende-so superior fio do algodo.
FARNHA.
Vendem-se no ormozem da rua da Cruz n. 33,
saceos rom familia muito nova o fina, de Santa Ca-
tharna.
Manguitos para senhoras e me-
ninas.
Manguitos bordados de cambraia fina transparen-
te, para senhoras e meninas, pelos baratissimos
procos de 18 e 18610 o par, perinbas deentromeio
de mui booitos bordados a 18600 : na rua do Quei-
mado, nos quatro cautos, luja da aguia branca
n. 16.
Carteiras grandes com chaves.
Vendem-se por preco muilo barato carteiras
grandes com chave, proprias para guardar dinheiro
e letras : na rua do Queimado, na bem conhecida
loja de miudezas da Boa Fama n. 33.
Luvas de todas as
qualidades.
Acabo de chegar loja d'aguia branca um novo e
completo sortimento de luvas de todas as qualida-
des, sendo as verdadeiras de Jouvin brancas, cor de
caima e prelas para homem e senhora a 2S500 o
par, lisas de seda brancas o aman-I las paro senhora
a lg2fill o par, ditas com borllas a 18600, ditas
bordadas com lindas palmas a 2g, ditas mui finas o
bonitas enfeitadas com palmas e bicos a 28500, di-
tas pretas tambem de seda com palmas e bicos en-
feitadas com vidrilhos a 2$500, dilas com palmas e
lisas a 2g e 1g600, dilas do tonal mui finos com
polmas de vidrilhos a 2g, ditas 'tambem finas com
palmas de relroz e lisas a 1g500 e 18200, ditas de
iaftnpara .men'nas a 18200, ditas para boiilem a
IgoOO assim como muitas outras do diversas qua-
lidades, como de fio de Escocia brancas e de cores,
brancas de castor, mui boas e fortes, e de algodo,
proprias para montana e guardas nacionaes, aos
baralissimos precos de lg at 320 o par: na rua
oo Queimado. nos quatro cantos, loja d'aguia bran-
ca n. 16.
Visporas e dminos.
Visporas em bonitas raiiinhas de madeira enver-
13,CiT?''''-"VaSa2S\ e" ""*- caixinhasa
J~~ invencao aperleicoada |
Era casa dellahe Scl>mettan & C.
ruada Cadeia'n. 57, vendem-se elegan-
tes pianos do afamado fabricante Trau-
iniuiii de Hamburgo.
Chapeosinhos para crian-
cas.
Vendem-se cbapoosiiihos ricamente enfeitados,
pelo mdico nrecii de6e~8, assim como bonete de
Qlu muilo enfeitados a 5|: na bem conhecida loja
da Roa Fama n. 33.
Enfeites prelos e de cores
eom vidrilhos..
Na loja d'aguia branca acharan as senhoras de
bom gosto um lindo e novo sortimento de enfeilos
pretosedo coros com vidrilhos e de mui bonitos
desenhos aos baralissimos precos de 4, 5 e 68: na
rua do Queimado, loja de miudezas d'aguia branca
n. 16
Pechioclia sera igual.
Borzegains inglezes do duas solas para
invern.
Prova d'agua.
A 10$000 rs. o par.
IVinUeivo vista.
Os nielhores bnrzoguins que al boje vieram a
este ir.ercado : vendem-se tnicamente na loja de
Leite & Irmo. rua da Cadeia di, Recite n. AS.
Vendas.
Relogios do ouroe prata, cnberloso descoberlos,
patente inglez, os nielhores que existem no mer-
cado, e despachados boje, vendem-se por- precos
razoaveis : no escriptorio do agente Oliveira, rua
da Cadeia do Recife n. 62, primeiro andar.
He rhogado a loja do Lcenle, aterro da Boa-
Vista n. 7 excellonte leite virginal de rosa bran-
ca, para refrescar a pello, tirar pannos, sardas e cs-
pinhas, igualmente o alomado oleo babosa para lim-
e fazer croscer os cabellos; assim como p impe-
rial do lyrio de Plorenea para bortoejas e osperida-
des da polle, cnnserva'a frescura e navelludado da
primavera da vida.
Bonets ricos para meninos
Vendem-so bonets de panno muilo finos e de
velludo o melhor que se pode encontrar, lano uns
como outros ricamente enfeitados para meninos,
pelo baratissimo preco de 4 e tig cada um na rua
do Queimado, na bem conhecida loja de miudezas
da Boa Fama n. 33.
Cognac.
Cognac superior em caixasde urna duzia, vende-
se em casa de Henr Brnnn & C. rua da Cruz n. 10.
Meias de borracha.
CHEGADAS LTIMAMENTE NO NAVIO FRANCEZ.
Na rua do Queimado, na bom ronherida loja de
miudezas da Boa Faina n. 33, j tcm para vender
Eor preco barato as muito procuradas' meias ea
orracha, nicamente proprios e approvadas pord
loda e iiualiiuer eiicharou fias pomas.
A Margarida Sa-
chero.
Os mais ricos manteletes prelos que lem rindo a
este mercado, vindo cada um em um rico carto
ornado com o retrato da insigne cantora Margarida
Sachero, os quaos se vendom nnicaraente na loja
de Leite & Irmo, na rua da Cadeia do Recife u 48.
LOJA DA BOA FAMA.
Vendem-se por preco que faz admirar nquissimas
Glas la viadas de lodas os cores e larguras, titas lisas
com ponta e si m ella, bicos brancos de seda de mui-
lo lindos padroes e de todos as larguras, tromoias
abortas do linho para babados a 120 e 160 reis a vara,
jarros para flores a2S o par, atacadores ou en fiadores
I de sedo do todas as cores para veslidos.dilos proprios
lilllmiP^ All nlnitll'ltl'lC lpara Prtah08, tesuuras do todas os qualidades
KIIHIULS UU dlIIlUldUdS j as mais linas que he po.ssivoloncontrar-se.agulheiros
de crina para penteado de senhoras.
TjtOOO
2S500
1S000
600
$
s
s

8
I
BiOOO
1S280
8
1^500
8
S
9
8
2, i
30S000
8
OjlOOO
78500
5$5I)0
3JI800
I
Vestidos prelos rom babados bordados a
velludo e seda..........................
Dilos de cores e brancos cora babados....
Ditos do gaze cun babados de velludo___
Dilos do ditos cun dilos de froco..........
Dilos do dilos a Stephanio e Victoria......
Ricas sodas brancas lavradas o rovado
l$200e..................................
Grosdenaple liso do lodas as cores a......
Sodas do quadros largos a................
Grosdenaple preto encornado a ljtiOOc.
Dito dito muito largo o I96OO e..........
Ditodo coros do qiiadriuhus o............
Sarja preto hespanhola a..................
Dilo prela e de coros cora 4 palmos do
largura a___[...........................
Rol le/,i ,1.1 China Indo de seda a..........
Choly do flores 111 a Usadas a..............
Follar de Pars o mois moderno a........
Gazo do sedo de flores a..................
Selim de escorial'diana de seda o........
Seda de quadros o lislras com loque de
m ofo o..................................
Duque/a de seda do romogom a..........
Baroge de soda de varias qualidades a 300
rete e....................................
Meio velludo de cores a..................
Volbulina do cores........................
Rrilhoiilina branro muilo lina a..........
Chitas franrozas claros e oscuras a 2K0 o
l'annn preto e do cor fino prova de limo
a 3g500 c..............................
Casemira preta lina a 1$600 e............
r.assa. orlandys do novos desenhos a vara
Ditas franeczas muito linas a..............
Manas pretas de linho ricas..............
Hilas de hloiul brancas c pretas..........
Taimas bordadas muito ricas..............
Ricos chales de louquim bordados........
Ditos do seda do cores prelos e tacuros..
Dilos de merino bordados a velludo......
Ditos ditos a sedo o fi500 e..............
Dilos dilos lisos franjo de seda............ 63OOO
Ditos ditos franja do la.................... -15800
Dilos ditos eslampados do 2$8(H) a........ 6-J000
Lencos do linho fino bordados............ 8
Dilos de algodo labyrinlho do 900 rs. a
Manguitos o tires c enlremeins bordados
do cambraia............................
Guliiihos de cambraia bordadas a 610 c..
Ditas ditas muito linas de punta..........
Enfeilos de troco e llores modernos......
Peilos para camisa de algodo o linho___
j .Seroulas do brim de algodo c de linho..
Camisas fraucezas de cor e brancas a
1$920 e................................
Diias de ditos de esguio finas..........
Casacas e sobrecasacus do panno prelo fi-
no a228 e..............................
I'aleiots de casemira claros e cscuros___
Ditos de merino selim prcto e de cor....
Dilns do alpaca prcros o de cor com golla
de velludo..............................
Ditos do brim bramo e de cores finos___
Ditos de alpaca prelo e de cor............
Calcas de casemira prcla e do cor........
Collelcs do velludo casemiraegorguro..
Bordados finos.
Ha na na do Queimado, loja de 4 portas n. 37,
^im completo sortimento do tiras bordadas muilo
proprias para ralcinhas de criancas, Iravesseiros
para onfeilar cosavoquos, gollinhas com manguito,
de variados gustos o diversos procos, gollinhas para
600, 800 lg, 18500. 2& 28550 e 35, manguitos, o
par l;bU0 al 38, caniisinhas bordadas para bapti-
sados por diversos procos, camisinhos para senhora
com gollinha o manguitos, saias com 3 babados
bordados por 68, dilos por 48, saias de balo de
goslo moderno para78, eoulras muitas mais fazen-
das, que ueste oslabelecimento se vendom por pre-
co mais cmmodo uue em oulra qualqun loja.
Vendera -se em casa de C. J. Astley
& Companhia :
Cabo da liussla e inglez patente.
Salitre, alvaiadee verniz branco.
Palltinba para marcineiro.
Vinhos linos de Moselie e Champagne.
Pedias de marinte para mesas e con-
solos.
Baldes americanos,
(enebra e agurdenle de Franca.
Pregos de cobre e de zinco.
Vinho Bordeax.
Em casa de Henr Brui.n C, rua da Crnz n. 10,
vende-se vinho Oordcaux de difierentes qualidades
como Lafolle, Ch, Leovillo, Ls. Julicen, em caixa
de urna duzia cor barato pre o.
Para meninos de 5 a 15 annos, chapeos de
couro da Russia. mijito pioprios para a presente es-
laeao ehuvosa a la : na praea da Independencia ns.
10 e 21, loja que lem lampeando gaz ua porta.
Norte para os insectos..
Exposicao Universal de 185G.
Esta rnmposiro derida As mais perservantes in-
vesligaeoes e aos Ilustrados consolhosde um dou-
tor ineii amigo, conhecido pelos suas viognns pela
America, Ilespanha, o polos estados do norte
destinado segundo pens a fazer um grande ser-
vico ao publico.
Destruir sem a menor difficuldode e sobre ludo
som que o meio emprogado pnssa prejudirar de
maneiro alguma a saude, todos os insectos que nos
porsegnem c nos afftigem, taes como persnvejos,
piolhus, pulgas, formigas etc., tal o problema que
se acha resolvido pelo progresso intitulado morte
paro ns insectos.
Para conseguir esto fim. grondes esforcos se lem
fono ato hnje ; mas todos se nao lem sido inleira-
menle iufruclirosos no menos estao longc de cor-
responder ao que promettiam os pomposos au-
nuncios.
Nao succederA teto com o morte poro os insertos
e espero som medode ser desmentido, que nenhum
insecto podori resistir a sua oceo.
Mas osperimentei, julgue qiiem quizer por si
mesnio : no fim de una simples prova reconhe-
cer-se-ha que a rainha descoberla c boa, de um f-
cil emprogo e de infallivcl resultado ; e ento o
bom xito colhido convncela a todos e ser este
para mim o melhor dos prospertns c o mais seguro.
Cada frasco de morte para os iusectos leva a nn-
nho firma e o meu sinete.
Se alguem falsificar a minha descoberla promet-
i persegui-lo.
' EMPREGO.
Para destruir os insectos que se introduzem em
geral em buracos e fendas como persovejos etc.,
etc., indispensavel um folies cuja eitremidade se
inlrodiiz nos buracos e 03 insectos nao tardam em
sabir por lodos os lados e morrem pouco lempo
depois. *
Para todos os insectos que voam quasi constan-
temente, como moscas, mosquitos etc., etc., basta
soprar a morte para os insectos.
i'guem a loja nova do serla-
nejo, rua do Qneimado
n. A.
Neste novo eslabelecinionlo que s conlm fa-
zendas novos o do hora gosto, os treguo/es do bom
o barato cnconlraro um rompilo sortimento de
fazendas, o que se menciona apenos o seguinte,
por ser enfadnnhn annunciar lodas os fazendas : ri-
cos curtes de vestidos de seda de coroso melln-
que so pode encontrar ueste genero, sendo 3 folhns,
2 saias o aquillo, grosdenaplos do coros o muito
boa qualidade a 18'JtlO e 28. luvas de pellica de
Jouvin para senhora e para homem de lodas as co-
res a 28(00 o por. ricos manguitos bordados a 38.
ditos com golla o ilriMi, ditos o 48500. dilos lodos
abortos o 0501111 e 63500, ditos rom loaziuha a 78,
dilos a 98, ricos pannos poro mesa a 7 o 8J, chales
com froco muito bonitas a 16 e 15S, dilos mois pe-
queos a 139. sabidas do baile nimio ricas, as nie-
lhores que pode haver ueste genero, e por preco
conimodo : assim como tambera tem um grande
sortimento de ubras follas, assim como sejam.: cal-
cos de casemira a 8, 0 e 108, dilas pretas a 7, 9 a
ii9, palelots do alpaca prelos a 18 e 3$800, o muilo
linos a 08, ditos do alpaca de cor a 39500, de lodas
as qualidades, rlleles de velludo pretose d coros,
de gorguro, de selim
do brim do linho branca
de sedo pora senhora a IOS coda um, um sorlimen-
10 do palelots de cosemira do rr e prelos o de al-
paca e brins. que ludo islo so desoja acabar, o en -
t jo so vende .1 dinheiro muiln barato.
Toalhas de linho para mesa.
Na bem conherida loja de quatro portas, na rua
do Queimado 11. 37, lem para vender um completo
sortimento destas loalhas, as quaes se vendera o
conforme os taannos, e por preco muilo cm-
modo.
ATTKNfllA
ATTENCO.
> Kissel, relojoeiro francez, vende relogios da
> 011ro e prala, concerta relugios, jotes c mus- >
ras, ja aqu he conhecido ha muitos annos, Q
> habita nu pateo do Hospital n. 17. v
= vendem-se patacoes hespauhoese brasiloiros :
ua rua da Cadeia do Recite n. 4.
= Vcnde-se urna escrava mora, com .ligninas
habilidades c sem vicio algum quem a pretender
dirija-sc rua do Calinga, loja n. 3.
Ricas chape I linas.
. O Leile & Irmo, na rua da Cadeia n. 48, sca-
mocao, o de fustao, calcas I bam de recober pelo ultimo navio vindo de Paris
is e de cores, gollinhas de um completo sortimento de chapellinas paro senh
diversas qualidades, o ludo o mais aqu e euconlra | c estao se veudndo polo" diminuto preco de 15$
cada urna : a ellas,.que jA lem poneos.
lauto em fazendas como em obras feilas.

XAROPE DE SAUDE DE ARRAULT
/
para curar efllcazmentc, som o uso do mercurio, as molestias citaxf.as, svphimticas, o
iiiiki auTisao, as Tairsus peridicas, krcpc/ks hk rELut pktimzm, as lxcmas imVktkii-
uas e i>KHKSuKNTKs de um vicio svpiiilitico c LinriiiTii-.o, as bkonchitf.s c phh momas de-
ledenles do sirmi-is, as boiias, os uahthos, as wnuexs, a opilac.o, e outras muitas en-
ormidades desle genero.
As molestias do 1 ii.no, lodos os desarranjos c irregularidades da henstrcacao, a hts-
tehia e os mois suffrimoulos della provenientes, romo COkes fallidas, coaatSETOS bk>\-
COS, ri.HTINA/ IIVrOCIIONDHIA e FALTA DE M-0I.II 1K.
Balsamo inlallivel de Arrault
paro cicatrizar coniplotamenle em 24 horas os colfes e feridas de qualquer qualidade que I
sejam.
Pos purgativos de cilralo de magnesia gazoza
em po para proparar as limonadas e em garrafas j preparadas.
Esta limonada a mate bem preparada que s conhece at hojo nao s pelo gosto co- i
mo porque tem a vantagem de se poder conserrar no estomago o mais excitado.
Neude-.so no deposito geral, rua da Quitanda n, 58, defrontc do Correio Mercantil,
EM CASA DE
SOUZA BASTOS Agencia em Pernambuco rua da Cruz n. 24.
Armazom de fazendas.
Rua do Queimado n. 19."
Santos Coelho visa no respoilavel publico que
lora o melhor sorliraenlo de fazendas, e vende mais
DE
Na loja de Leite & Irmo, na rua da Cadeia do
Recife ii. 48
Arados americanos e machinas pa-
'ia lavar roupa : em casa de S. P. Julins-
| ton tS G. rua da Senzala n. 42.
ol-is minias qualidades, fitas de vel-
o lodos os qualidades, bolombos de camurca
muilo luidas para meninas de escola, frasquinno
com cardinal a melhor eousa que tem apparecido
para tirar nodoas om qualqu
Espartilhos traneczes de nova
inven^o.
Vendem-se espartilhos francezes de molas e car-
releis, o melhor que se pode encontrar neste gene-
ro, ua bemfeilroia e ua commodidade, a quem usar
delles, pelo baratissimo preco de 0, 7 e 8j. Estes
barato do que em oulra qualquer parle, como se- espartilhos sao chegados no ultimo navio tiancez,
joni chitos escuras linas a 100 rs. o invado, risca- j
diihos miiidos, leudo cada poro :1S covodos a 4)600 I
dulas franeczas linas a 210, '280, 300 e 320 o ro-
vado, cortes de cambraia de cor eom babados a 2j,
cortes de rhilo larga a if, corles do risoadu franiei
lino a 2>'800, corles de larlatoua cora 14 cuvados;
por 3t500, cambraia clilueza o 200 rs. o covodo, I
cambraia de cor imitando chally a 200 rs. o covo-
do, brinzinhn do linho a 180, proprio pora roupa
do mollinos, lenciulios para meninos e meninas a
H0 rs. cada um, lencos de cambraia para algibeira
a 29 a duzia, ditos de cambraia de linho a 3J5O0,
ditos cum bico largo para senbora, ricos organdys
com o moior apurado gosto de l'aris a 1; a vara,
lindos challys do soda a lg o covado, ricas cober-
las au-lludadas a 10J cada una, ricos manteletes
o sabidos do baile princesa de Gales, ricos chales
do louquim brancos, ditos de merino cora duas pal-
mas, copas do panno fino do diversos (cilios, cha-
les do lia'escuras para andar en rosa a IjSliKl roda
um, chita de rainagens franceza para coberta a 240,
risiadiiilins muilo linos para roupao a 220 o cova-
do, velludinho.de coros para vestido a 900 rs. o co-
vado, brilhaolina branca asselinada de ricos lavo-
res o 560 e 750 o covado, brilhanlina prela propria
para lulo a 320 o covado, uiadapolo patento a 4g
a peco.
Rua da Senzala Nova n. 42.
Vende-se em casa de S. P. Jnnhslon & C. vaque-
tas de lustre para carros, sellnis e silhoes inglezes,
eandeoiros e rasuraos brnnznados, lonas inglezas,
fio de vela, chirote'para carros, e montara, arreios
para corro de um e dous cavallos, e relogios d'ouro
patente inglezes.
Manguitos para senhoras e
meninas
4'endem-se manguitos bordados de cambraia pa-
ra senhoras e meninas, pelo baratissimo preco de
ljg o par, ditos muilissimo finos a 3 e 5$, ditos de
lil do linho muito finos com lindissimos bordados
a 5a ; timbera se vendom gollinhas de cambraia
bordadas muito linas e as raais lindas qoe so pode
encontrar a 3 e 4$ : na rua do Quoimedo, na hora
conhecida loia de miudezas da Boa Fama n. 33.
Abridores de luvas
a .500
Na rua do Queimado, ua loja de miudezas da Boa
Fama n. 33.
Chapeos enfeitados.
Tem na rua do Queimado, loja de 4 portas n. 37,
lodo sortimento de chapeos para meninas, de seda e
do palha ricamente enfeitados, dilos para senhora,
do palha o de fellro, enfeites de froco para 3S500 e
6S, ditos de retroz com vidrilhos pretos e de cores
a 4J, gravatinhas para senhora, de froco, a 2jJ, e
todo o sortimento do chapeos de seda,ditos de sol
para hornera c senhora, que ludo se vender por
menos que em oulra qualquer parte, assim os fre-
guezes lenhara a bondade de comprar ; tambem se
encootra um sortimento de focos para 4 e 2$.
Loja das seis portas
EM
Frente do Livramento.
Grosdenaple prelo para todos os precos, manta
pretas de linbo com bordados de seda, luvas de se-
da pretas para senhora a 19, gollinhas bordadas a
a 19, ditas finas a 1$600, manguitos a 8, lencos de
seda brancos e encarnados a 800 rs., camisas'fran-
eczas brancas e de cores finas a 2$, palelots brancos
h.,__ ,, 1 : crian ei.incas e oe
lacrios a!,h,"JSJ;0ni0 f;:rnl:;s- Pula"- P^11"5"- de bramante fino a 5$, ditos de'bnm pardo a" 3|,
Dodom alcance l^ '"" ldaS TfP* ^ di,os de alCaca Prel09 a c *. casemira
ponera alcanear basta soprar com a nimba compo- ^~..-ti j!... j- /..-.--" _,."..
sicao ou estregar os objectos infectados.
Quando o insecto lem absolvido o principio mor-
tfero, trata de fruir c vai raorrer pouca distancia
do lugar onde foi atacado.
Hedanle o emprogo do principio se preservarn
as telas preciosas, as pellos c as laas dos destrosos
dos insectos. A nresenca de meu droducto causa
nao s a morle aos insectos, mas tambem os afas-
ia dos lugares onde acodem.
Vende-se em Pernambuco ua botica do Sr. B. F,
de Souza, rua larga do Rosario n. 36 a 500 rs. o tras"
de cores a 5$, ditos de fustao de cores a 5J: a loja
esta aberla das C horas da manhaa as 9 da noite.
Pulseiras de Troco.
Vendem-se pulseiras de froco enfeitadas com li-
tase bicos de seda, pelo baratissimo preco de 3g :
na bem conhecida loja da Boa Fama n. 33.
Algodo da Baha,
^ ^^jrtmlSl'Z^^^L g^S??y-"**- P>Prio para roupa de escravos o saceos de assu-
Se S'coro'"oUes^uK/ll^^^
rara senhoras.
= C. J. Astley & C. tem para vender couro de
Bicos enfeilos de flores para cabera a 58 cada '"1slre c snalos, de borracha do dierenles tama-
11. 10, loja de Adriano di "hos c 1ual'des.
um : na rua do Crespo
Castro.
Chapeos de marroquim a 23 : na prora do
Independencia ns. 1!) e 21, loja que lem lampeao
na porla.
A 2$000 CADA FRASCO.
E chegada a nova rcmessa dos frascos do cemen-
to inglez para colar vidros, louca, marmore, mar-
flm, madreperola e tartaruga, prova d'agua e do
VILLA 110 CABO.
Loja de fazendas.
Francisco de Paula Rufino lem o honra de parti-
cipar aos respeilaveis habitantes da villa do Cabo,
o ao publico em geral. que 110 seu estabelecimento
I oezas, tudo do mais moderno e superiores qualida-
Ycndc-sc um carro da altandega, novo, 'na
rua dos Pires, era casa de Frederico Ferreira
praea da Boa-Visla, taberna da estrella.
des, que vende por grosso e a reta'lho, por' precos
na muilo commodos, c talvez com differeuca para re-
j nos dos precos do Recife, como podorb presenciar
I as pessoas que concorrorem a osle imprtente es-
^ ende-s.i manlciga ingleza a 960 a libro, dila tabolccimenlo. *^
ra.n11i3 ? m rs-. r" liyssun a 1S920, dito prelo Em casa de James Crabtree & C, rua da Cruz
e s so eiirnntram na rua do.Queimado, na bem co-
nhecida loia de miudezas da Boa Fama o. 33.
CHEGUEM
a loja nova, no aterro da Boa-
Vista n. 74,
que acharao o nova e completo sortimeulo de miu-
dezas, ricos nenies do tartaruga, virados, muilo
torios a 12 o 14$, ditos sem ser virados a 4$, ricos
eufeites do froco a 5 e 6$, dilos de froco rom vidri-
lho a 4$, ditos do vidrilho a 2500 e 3, dilos preto.-.
de relroz com vidrilho a 4$, ricos manguitos com
camisinha 6 gollinha de cambraia muilo lina a 7;,
ricos manguitos cora gollinha para meninas e se-
nhora a 5, ricas gollinhas o l$600c 2fl, ricas fran-
jas para cortinados, brancas o de cores, pecas cura
15 varas a 49500, verdadeiras luvas de Jouvin a 2a
o par, grvalas de seda e gorguro pretas e de co-
res a 1$ e 18280, raiiinha com jogo Ae risporn a
ls, napel alraaco muilo bom a 3$ e 3$500 a reama,
dito' de peso a 3$40, peonas de tenca a 1/ a grosa,
ditos sem ser oe lonco a 500 rs., cai'xinlio com alll-
netcs a tfOrs., dila' com grampas surtidas a 60 o
100 rs.. slntnroes do borracha a 600 rs., facas r
garios de todas ss qualidades, colheres de todas os
Suolidad.-s, tesouras c caivetes do todas as quali-
ades. franjas de sedo e 15a, e lioho, galOes brancos
e de cores. Olas de velludo e seda de todasas qua-
lidades, sapaliuhos de merino, dilos de laa, touros
e carapucas para criancas, linhas de cairelis de
todas as qualidades, agulbas franoezas mullo finas,
e muitos mate objectos, que se tornara enfadonhn
menciona-los, e se dar amostra de todos os ob-
jectos, e so vender por menos do que em outra
qualquer loja
Vcnde-se mais de um torco do engenbo ala-
chado, dislaute desla idade 7 8 legoas, silo na
freguezia de Iguarass, moenle c corren le, com as
principaes obras de pedra e tai, semen lado rom
vcrlenlc de agua, vaneas frescas, matas em abun-
dancia, com partidos por abrir, distante da dila vil-
la do Iguarass pan mais de quatro legoas: diri-
jam-soa rua da Gloria, casa do Sr. major Nasci-
mento.
TROCA.
Vende-se ou troca-se por um preto relho, um
cavallo de estimacao sem o menor achaque, com
os seus competentes arreios, urna carraca nova de
sicupira, chapeada de ferro, e um boi p'ertenccnto
a mesma : no aterro da Boa-Vista n. 4.
= No lugar da Ponte Velha da freguezia da Boa-
^ ista ha ura terreno para se vender, proprio pora
se edificar tira grande predio : quem o quizer com-
prar, dirjjo-se ao primeiro andar do sobrado nico
da Iraressa de S. Jos, que achara com quem
tratar.
Para acabar.
Rua Novan, i.
Vendem-se lodos os calcados existentes ncsla lo-
ja, pelo custo e com prejuizo.
Camisas inglezas.
Vendem-se superiores camisas ingle-
zas : na rua do Collegio loja 11. 3.
Relogios.
Vendem-se relogios de ouro Agieses de patente-
no armazem de Augusto C. de Abreu. rua da Ca-
deia do Recite n. 36.
Escravos fgidos.
No da 14 de agosto do anno prximo passado,
nigiram do engenho Seto Ranchos, freguezia do
Nossa Senhora da Escada, comarcada ctdade da
>ictona, ossegiiinlcsescravos: Damiao.crioulo.de
za annos de idade pouco mate ou menos, cor tula
beicos grossos e meio arrebitados, tem urna cicatriz
na testa proveniente de umroice de animal, pernas
finas e alguma cousa arqueadas para fora, esmalma-
0o, espaduado, altura regular, e esta bucando ago-
ra. Jacintho, crioulo. de 28 annos de idade pouco
mais ou menos, altura regular, cor prela, pouca
barba bcics grossos e faz certo geito na bocea quan-
do "lia, tem urna cicatriz em urna das faces, pernas
finas, esmalmado, fuma, o tocador de viola O
primeiro fot comprado ao Sr. Joao Francisco Barbo-
za dadiva Cumor, e o segundo diz que fui escra-
vo da 'amiba do Sr. Joao Nunes, da fazenda do Sitio,
em Paje" de clores e comprado na praea do Per-
nambuco- Consta que dilos escravos estao em Pa-
jede Flores por portadores que mandei ede l vie-
ram : roga-se as autoridades policiaes e capilesde
campo de os pegar e lerar ao referido engenho, a
Bernardino Barboza da Silva ou na praea de Per-
nambuco aos Srs. Mannel Alves Ferreira k Lima, na
ruada Moda n. 3, segundo andar, que serio re-
compensados com a quanlia cima.
PKBN.: TTP. DE M. F. DE FAB1A. 185.
I
f

;

.;.