Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08795

Full Text
---------
Anno de 1847.
Sejarunda-feira 20
O "H1IO i>u'>lie-e todos oj diaj que n3o
Ar,m'.le -uarda oprero d asignatura he de
Ton*. r.uo qr'e!. Pa. **fr*"- "n-
;r,^Xh.*: e;tvl.cH,il,,-..e. .,,
?'n.,V6ej pila rnetade. Os que nao f-rem a-g-
Siffewote, porc.aai.bl.c,.c.o.
P1IASES DA LA. NO MIVA OK DKZBMBRO;
l na non, a 7, i 6 horas c ti. minutos d. m.nh.
r oseante lb. Lora e 0 mip. da m.iih..
i Xii a 21 as hoiaa e 49 mln. da larde.
PARTIDA DOS CORREIOS.
GoMnna e Parahiha J segundas esextas feir.
Rio-(lrande-liMorte quintas feirasao meio-dia
Cabo, Serinliem, Rio-t'orntoso, Porto-Calvo e
Macelo no I.*, a I! e Ii de cada mez.
(iara.iliunf e Bonito, a 8 e '*.
Boa-Vista e Flores, a ll e 18.
Victoria, s quiutas-feiras.
Diinda, todos ps dias.
PHEAMA.1 D& HJE
Primeira, a's 2 dorase t minutoi da tarde. ,
Segunda, as 3 llorase 18 minutos da inanhi.
de De^embro Anno XXYY^
s. wr.
das da semana.
50 Secunda S. Liberato.Aud. do J dos orph.e
do\l. do-c lav.edoJ. M. da.
21 Terra. >S !. Tliom. Aud. do J. ito Civ.
da v. e do J. de paz do 2. riist. de L
2! Quarta. 8. Hoi.orMo. Aud. doJ. do civ.da
2 v. edo J. de paz do 2 dist. 23 Quinta; S Servulo. Aud do J. de orpli. e
do J. municipal da l.vara.
i\ Seil. S. Gicgorio. Aud dol.dociT. da 1.
T.e do J. de paz do I. dist de I.
2!> abliado. ** Nascimcnto de Nomo Se-
nlior Jess Cliristo.
2li Domingo, Eslcvo Protomartyr.
COM IOS NO DA 19.DEDEZRMBBO.
t Londres. 7d. por l*r. a C Pars 360 rs. por Iranco.
Lisboa por I0f.dc Hrcm.0.
Desc. de en ras de Iwa Brmu I al U
Duro-OiiC lespaniioUs...- M0
Modasdei"Ovelli. II
. de 00190 oov.
. d4f000....
Prf Patacfiei.........
,i Pesos columoarc..
Dlt03 mexicanos..,
Miii.11.......
iilg'ni.o a
9*'. o) a
ifORO a
l)'.'\n a
ifTCtl a
1Of.O a
Acccs da comp.'do Derribe de iOjOOO rs
aom.
tV&QP
191160
iGf 10!)
HJIII.i
lf8<>
l9(iit
IJSOO
||9S0
.ao par.
DIARIO DE PER
EXTERIfR.
CORRESPONDENCIA DO. DIARIO DE PERNAMBUCO.
I.ibOu, 25 de outubro de 18i7.
As eleiges Jo depuUdos para a.prxima legisla-
iui*. que devo inaugurar-so no dia 2 do Janeiro, he
hojo "limpio que occupa todas as cabegas, que
di. ,.,.(,''** a todas as convergOes e emprego activi-
dane e lorcas dos partidos que combatom no campo
eleitoral. Tres silo os que disputam o triumphona
urna : o carlista, quo hoje segu quasi todo o conde,
de Thomar; o setembrista ou do progresso rpido,
frente de cuja commissSo eleitoral figuram os ho-
menschefesdcsse partido; o o absolutista, a cuja
fronte apparecera pela primoira vpz os velhos gene-
raes condesdo Barbacen, do San-Lourcngo o Po-
voas. Eslehetalvez de todos o que se mostr com
urna organisacao.mais forte o systomatica. Tom
unidadede f, e conta com urna grande massa da
populocflo, cuja devocjlo anfiga monarchia se tom!
tornado mais fervorosa pelas desgracas c desacertos
da nova. Cada qual destes partidos emprcga com
cuidado todos os meios quo a le po sua dispo-
sicflo ou lhe suggere a sua propria industria. Se o
campo eleitoral ficasse livro e scm obstculos aos
combatentes, lio mais que provavel que o Iriumpho
seria do partido setembrista, nlo s porque talvoz
ainda se lhe rena o partido absolutista, visto que
ha multas opiniOes do membros deste partido que
julgam elle s deve por emquanto ir a urna, colliga-
do como setembrista ; mas porque lio hoje o parti-
do popular, por isso mesmo que ha nove annos an-
da affastado da esphera do poder, o que tem feito
esquecer os seus desacertos e demasas no mando.
So o ministerio actual fosse composto de homens
de outra capacidade, poderia emprogar com fructo
os meios que todo o governo tom sua disposicffo,
mesmoscm sabir dos limites da lei, para trazer ao
parlamento urna maioria de homens sensatos o pu-
ros, n8o contaminados dos vicios e exaggeragcs
dos partidos ; porm, falto de algumas qualidades,
e combatido alm disso por recentes fallas, por to-
das as parcialidades, at pola mesma om quo se
achavam incaftiados os marcenaos,"nlo julgo possa
fazer nada firvcitoso a seu favor.
Entretanto, o grande mal que opprime osle des-
venturado paiz, he o estado da fazenda publica, mal
que todos os partidos, maneira dos charlatiles,
promctlet curar pela raiz quando sohom ao poder,
portn que, pelo contrario.se augmenta e agrava
mais todos os dias. As cataslrophcs quo aps da re-
volucSo, chamada doMinho, em abril do anno pas-
sndo, vicram sohrc os estahelecimentos de.creJilo,
osarruinaram, ccoin clles imniensas fortunas par-
ticulares cahiram no ahysmo scm fundo do gooriio
Aquellas catastrophes se uniram o desconcert da
administracHo cm todo o .reino, conscqnoncia dos
passados disturbios ; a anarchia o desobediencia dos
povos; e, para cumulo de males, a miseria conseguin-
te a ui anno do espantosa csterilidado. Os rendi-
mentos pblicos n3o chegam talvez para duas ter-
cas parles das obrigacOes do cslado, o a economa,
so he venlade, quo he a cousa de que mais se falla,
s escreve e prometi como o nico remedio p^ra
evitar a ultima calastrophe, he tamhom a do que
menos se cuida. O exorcilo, anda' que pequeo e
reduzido motado do que era em lempos menos des-
granados, excede milito aos recursos naturales pos-
sveis ; o as repartieres publicas, urna grande parle
de moderna creac3u para collocar amigos o afilha-
' dos, doque purserem reclamadas pelas noessidades
ou conveniencias do sarvico, e lo.las, antigs o mo-
dernas, dotadas de um pe'ssoal superabundante, de-
voram a cscassa substancia do estado, e o potico que
de longo em longe e a deshoras se reparte, coreado
alm disso por descont* da agiotagem proporcio-
nados a incerteza e inseguranca dos pagamentos,
naochoga para allouder s prmeiras necessidades
da vida. A fome e a descspcraco he o resultado dcs-
tc estado de cousas, quo necessarmente ha de ter
um termo.; e oxal que soja breve e ventajosa para
o paiz. .
O governo acaba do dar urna prova do que ileixo
dito, publicando urna portara, em quo so recom-
menda aos governadores civis o emprego dos meios
para evitara rregularidade e faltas coinmettidas na
escrpturagao dos livrosda fazenda publica!
Por um decreto, datado de 18 do corrente, foi pro-
rogado, por mais sois mezes, o prazo para a extrac-
to dos bufidos da lotera das inscripcOes, por nio
se ter podido elTectuar a venda delles. Duvida-so
muto que se cheguea ultimar tal venda.
(?jornal lleeoluco de Selembro tem entaholado urna
seria polmica com o jornal realista Kaeo, sobro
direitodolegitimdadc. A Miedo quer quo seja legi-
tima a lei d3 Almacave, equens.osque cxistcm ho-
je, nito a possamos alterar. A llevolucio sustenta o
contrario, quer quo 6eja loglimo ludo quanlo tom
sido saneconado pelas maorias. A questo ainda
contina, e tem-se dito bons boceados por Um o ou-
Iro lado.
Por outra parte luta o Patriota com o Rttandarte
sobro independencia o naconalidado. O Ettnndarte
a'ccusa o partido progressista de so querer submet-
teraos estrangeiros, appellando para elles o pedin-
do-lhes auxilio, p Patriota responde ao Estandartei que
foi o sou partido quem chamou C os'"estrangeiros,
que nos quer entregar a Ilespanha ; o que o par-
tido progressista nada mais faz.do que exigir a exc-
cugiio das comlicOes do protocollo.
Falla-se da suspens.lo de pagamentos da commis-
so agento financial em Londres. Esta noticia tem
causado a maior sensagflo nesta cidado. Entretanto,
ha quem assegure quo nlo no uve urna suspensilo to-
total de pagamentos ; mas nicamente algumas let-
tras protestadas.
Parece que a ranilla do Ilespanha agraciara com
gras-cruzes, coinmendas c hbitos de Carlos. III
do Izabel a Cutlioljca, varas personagens do nosso
paiz, como : o marquez de Fronteira, o conde do Ca-
sal, varios outros generaes, e comniandantes dos
lia tal lios uaciouaes.
Noticias do Porto dzcm tercm-so fotoalli algumas
visitas domilicaras o havercm encontrado armase
cartuchos embalados. Os espancamenlos o baone-
tadas tcem ido apasiguando, felizmente, no Porto e
outras trras das provincias; o que faz augurar que,
ae nfio livermos a desgrana do um novo transtorno
poltico, em breve entraremos completamente no
oslado normal.
dem, 28
O duque do Parmella parti daqui no dia 25, com
a sua familia, para a Iba da Madcira, onde vai paa-
sar, segundo se diz, alguns mezes. S. Ex. recebeu
urna caita de el-rei D. Fernando, o linibcm om no-
nomc da rainha, para ir ao pago O duque all foi
mais do urna voz, c leve cun SS. .MM. largas confe-
rencias. Isto tem dado lugar n largos commentarios
da parlo dos jornaes cabalistas; o tem Igualmente
motivado muitos rumores sobre mudanca ou mo-
dificagHo ministerial. Diz-se tanibem que, leudo o
mesmo duquo sido convidado para ir a um conce-
di de estado quo houve ltimamente, so cscusou a
isto, duendo que so cousiderava demlido desso
cargo, desde que pedir a sua dumi.-siio. Parece que,
posteriormente a esta resposta, so apresentou cm
casa de S. Ex. o ministro do reino, com urna porta-
ra limito I i so ii go ira, nao admiltiiido a demissiro do
duque, do cargo deconcelheiio do estado.
Diz-se que o duque deSaldanha lora cumprmen-
tar o do Parmella, e quo nlo fra recebido por elle,
dando-so um desculpa plausivl. Entrclanto, no
alialigo este faci, porque silo de sobejo condecidos
a urbanidade o cavalliuirismo do duquo de Palmelia.
O Estandarte, que lom tanto combatido o protocol-
lo, por causa da exclusao dos irmilos Cabraes do
ministerio, pede agora o sou cumprimento, na. parto
quo diz rospuito demissilo dos ministros do reino c
justiga, que foram feitos inumbros do supremo tri-
bunal de jusliga, durante a lula, e quando o throno
tinlia assumido todos os poderes. Estas noineagoes
sao contra o espirito da constituigao, o por isso
acham-se na lottrado protocollo, a o Estandarte oxi-
ge a sua execucilo para guerrear os ministros. I o-
rmosjornaes progressistas teeni-lho dado toza for-
midavol pola sua incoherencia, visto quo quer a
execugao do protocollo para urna cousa, o nao a
quer para outra. .
Parece que o barSo de Moncorvo sera exonerado
do careo de nosso ministro plenipotenciario em
Londres, e d-se como motivo da sua exoneragao o
seguinto. Diz-se quo n'um juntar particular, eque
nada tinha do poltico, quedera Mr Osborne, o ao
qual assisliram membros do ministerio mglez, do
parlamento, o duque de Palmelia o outras persona-
gens, linuveramalfiuns brindes quo desagradaram
ao barflo fle Moncorvo, o qual foi dizer para um so,-
redelord Palmerstou, que levo lugar no mesmo
dia : a que o Untar do Mr. Osborne fra de ir.ao
tom. .. Isto parece quo uno agradou muito a lord
Palmerstou c a outras pessoas; c por isso so i/.
que o nobro barrio ser retirado dalli,- pela sua
indiscripgao. O Diario do Governo ja fallou alguma
cousa a esto respeilo. Alli defende-so a conducta do
nosso ministro, como era de esperar.
Asscgura-sD.qu.eo Sr. Ayllon, ministro de Iles-
panha cm Portugal, pedir a sua demissao ao seu
Kovern. pornaoserem conformes com a sua cons-
Clencia, o com a dignidade da nagao que represen-
ta, as nstrueges que ltimamente recebera do sou
governo, folativamenle a Portugal.
-- Acaba de chegar a esta capital o novo emoai-
xador austraco que vem substituir o barao do Ma-
reclial, que ha j lempos se re tiro u de Lisboa. Di-
zemque brevemente ser recebido em audiencia
solemne por S. M. a rainha.
-- Em Lisboa contina a gozar-se do pouca segn-
ranga. -- ltimamente foi espancado Joo Mara de
Lacerda, ollical ao servigo da junta do Porto ; o um
boticario que ha na calcada d'Ajuda, chamado (no-
dos, foi ameagado para nao reunir gente na loja pa
ra conversar.
-- Diz-se quo Jos Cabial tem era sua casa urna se-
cretaria para tralar dceleiges, prfeitamente orga-
nisada, onde concorrem muilas autoridades admi-
nistrativas, o vao trabalhar varios empregados p-
blicos, as horas em quo so dovam adiar as suas
repartiges.
O DUQUE) DE GUISE. (*)
por freDenco ^oulte'.
PRIMEIRA PARTE.
XV.
Carnilo Scoppa, que ia sentado ao lome, vollou
a cabega inmediatamente para ver a barca que o
duque de Cuiso lhe assignala'va, ecxclamou verda-
deramente estupefacto :
PorSau-Hercules, patrono de meu irmlo, que
aquella he a minha barca.....
Ah!..... disso Guise levanlaudo-se, vs que
perderamos o nosso tempo, se a fossemos proeji-
rar?.....Ora dize-me, j que a recouheces IHo bem,
poder-me-has tu dizer quem vai nclla ?
- Pelo saiote encarnado o o veo doTranja> do ou-
ro, que brilhain aos derradeiros raios do sol, nao ha
d^'!.a que lio minha sobriuha Anita .... O rapaz
,uo dirige a vela he o patife de Francesco ; mas
vquem ser que esta sentado ao Icino ?.....
(*) Vide Diario n." 285.
data mais anliga do quo a'oulrasqueultimamcn-
le exaramos as paginas deste Ptan->, revivemos,
todava, a sua inscrgao, porque conliVn alguns lac-
tosdequeosletoros ainda se nao achavam mici-
rados.
Alfandega.
RF.NDIMENTO DO DIA 18........
Descarrega hoje, 20 de ittmbro.
Barca PrisciUn mercadorias.
4.011,337
CONSULADO GERAL.
ItENDIMENTO DO DIA 18.
., .................2:793.045
Diversas provincias..............._._J_*'l.!.-
8:8*7,10"
consulado provincial.
Itendimcnlo do dia 18........... !J.W|W'
PIIACA DORECIFE, 1S DE DE/EMRIIO lF. 1817,
AS 3 HORAS DA TARDE.
Cambio
PERNAMBUCO.
luasuua 39 j/ naaBatsai tea aa_>-y.
As duas cartas do nosso correspondente de Lis-
boa, que pubJicamos com este numero, foram tra/.i-
das pelo navio que hoje ancorou neste porto, proce-
dente dodessa capital. Comquanto ollas sojam de
He um homem de inmensa coragem, disse
Guise, o que se arroja alguma empreza desespera-
da; porque nunca vi ninguem que se ontregasse
com tanta audacia aos tufOes vilenlos do una tem-
pestade.....Vs? a vola vai cheia a nao poder mas ...
A proa corta as ondas o sopara-as com furor, como
um cavalleiro que so langa atravs do urna vil popu-
laga de peOes, rompe-llio as lilolras, o arroja-os por
torra, trmulos o vacillantes, para cada lado.
Poisbeni! replicou Scoppa, ferrem as v'elas.....
dcscansem os remos, esaberomos quem ousou apo-
derar-so da minha barca.
Para aples para aples! exclamou Guise
com autoridode; helqueestao nossa espera.....
e-ns nao esperamos a ninguem.
Mas aquella gente parece perseguir-nos ;ellen-
rquo de Loiena quorer que se diga que fugio dian-
le de urna mulher, de um rapaz, o.....
O duquo de Guise tnha-so posto ora pe cmcima
o banco em quo ostava, Com os olhos Clavados na
barca, a qual continuava a correr luriosa. De re-
pente, o rosto so lheassombrou cm extremo, o disso
ello com vozuin pouc alterada :
__ Ho preciso que aquella barca nos nao alcance
" Tem V. Alteza modo do homem que ella traz ?
pjrguulou Scoppa insolento.
So ello quizer tomar a tua espada, respoudeu
Guise, anda que eu s leiiha por aima'um dessos
remos que ah vao, eslou p*rompto a combat-lo ;
.mas ello tom una espada cuja menor arranhadura
he morta* e al dizom que, quando nao pode tocar
com ella os seus inimigos, basta-lho langar diaute
JUKYDO IVECIFK.
REUNIAO AOS 17 DE liEZEMBRO DE 1847.
KlSlDBHCU DO SBM1I0R DOU10R GERVASIO OONgALVES
DA SILVA.
A's II horas o tros quartos da manha, o Sr. pre-
sidente sobe cadera, diz que nao pode abrir a ses-
sio, nao obstante ter-se reunido numero sulllciente
de Sis. jurados, e a declara encerrada : 1., porque
o'juiz municipal supplenlc da primeira vara, que
eslava om exercico, dora parte de doente, o nao
havin quem trouxesso os processos ao tribunal, por
se adiar esgotada a lista dos suppleles, o nao ter
sido encontrado na respectiva residencia o presi-
dente da cmara municipal ; 2.", porque o promo-
tor publico interino participara incommodo, o mo
apparecia quem se quzesso cncarregar da promo-
toria provisoriamente; 3., emlim, porque eslava
mu prxima a festa do Natal.
DIARIO DE PERN.UI BUCO,
de si algumas partculas do p impercoptivol que
traz encerrado na macaa do punho, e por pequea
que seja a porcSo do lal p que chegue a seu ni mi-
go, logo este dea lomado de um fro mortal, e des-
fallece, mesmo antes de ter tompo decombater.....
Ah disse Scoppa descorando, he Melchor Ror-
gia!..... Largucm toda a vela ao vento; o para a-
ples..... para aples !..... *
Nao havia ainda Scoppa acabado estas palavras,
quo um tiro do pega partir de urna alta torre cuja
base se banha no mar, e senhora a entrada do gol-
pho de (acto.
Que torro ho esta ? disse Guise.
lie a torre Roland.
Guise tirou o chapeo da cabega ; e, saudando-a
com enlhusiasmo, exclamou ;
Tu quo; cm Roncevatix, morreste traicHo por
mfo dos Hespanhes, cu lo agradego por teres sal-
vado a boa chegada de um Franccz que ora se pre-
para a comhat-los.
I'm segundo tiro, que partir do molhc, brilhou
ao longe, o a bala por elle laucarla cabio a algumas
toozas da barca, levantou-so o arrebatou as plumas
do chapeo que o duque deCuiso linha na mao----
Seguio-a o duque, com os olhos lamalos, omquan-
to ella tragava urna cinta fulgurante do onda em on-
da at o momento em que parou ao p da barca quo
oouilu/.ia Itorgio.
Estamos descobertos, disse Carniolc. Agora,
que Inzer...... Urna segunda bala pode nos al'un-
"......
AlgOdao-
Assucar-
Co'.iros -
Ago'ardcnte-
BacaIho
Barricas yasias -
Carne secca
Farnha de trigo
Mantega -
Revista semanal.
- Fluctuou entre 27 e 27 1/2 d. p.
1,000 rs. A esto ultimo elloctua-
rani-se transaegoes diminuas
mas foram avultadas as que se
realisaram lendo por base o pn-
meiro.
- Entraran) 86G saccs. piooo
contiuuou a regular a 5,200 rs.
por arroba do primeira aorte.
- Clicgaram 337 caxas. A arro-
ba do branco vendeu-sc a 900
res, o a do mascavado a 800 rs. ,
sobre o forro.
- Conservaran) o proco de 100 a
105 rs. a libra.
- Vendeu-so de 50,000. a 52,000 res
a pipa.
- Cbegou a 3000 o numero das bar-
ricas vendidas de 6,000 11,500
rs.; o que prova que, felizmen-
te, vai sondo mais procurada es-
ta mcrcadora, que, lalvcz com
prejuizo dos especuladores, co-
mo quo se ia amcmtoando nos
armazens. -- O deposito orga por
(000 barricas.
- Venderam-sc a 1,100 rs.
- o consumo da semana andn por
1*000 arrobos. -- As vendas tve-
rara por base os pregos que no-
ticiemos na revista anterior.
Estilo em ser 18000 arrobas.
- Cbegou um ca regamenlo do Tri-
este com 1265 barricas, as quacs
foram vendidas a 21,000 rs. cada.
una, pouco mais ou menos. A
totalidade das vendas a tttalho
cbegou a 450 barricas que foram
negociadas do 19,000 a 22,000
rs, As que so achan em depo-
sito monlam a 2800.
- Vcndeu-se de 600 650 rs. a libra
da ingleza.
Marchemos para a bala, para que a hala uo
marche pranos, rospondeu Guise. Direito ao mo-
lde!
Vmosla, disso Scoppa, he umtiro perdido...
Guiso tornou a sentar-se, ea fala cbegou ligeira
ao inolho c ao alcance das sonlincllas que ah ve-
lavam. .
Quem vai ahi? bradou um ollical hespanbol
debrugado sobre o jiarapcito do molhc.
O condo dcBoigia, corrcio do conde d'iigua-
lo ao vice-rei de aples....., disso Cuise leyantan-
do-sc.
Entro no porto, para que se verifiquen! as suas
qualidades.
Ho impossivel, respoudeu o duque, a noticia
que levo nao admitte domora alguma, o ja osenhor
nos ha fcilo perder bastante lempo.
Entre no porto, replicn o ollical, ou inello-o
a pique.....
Comcffeito! disse Guise, o scuhor parece quo
quer deter-me, para quo llenriquc de Lorena che-
gue a aples antes que o duque d'Arcos o saiba i1
Entre ne porto, repeloo oflicial com'colcra.
Olhe que oseiibor lia do responder rom a sua,
cabega, replicou o duque sem cemmover-se, pelo
demora que occasiona entrega da minha nus-
siva.
Entre no porto, repeli outra vez o ollicial, lo-
mando urna mecha, e pondo-se lesto a tocar fogo a
pega que eslava ao p delle.
Os diabos carreguem com somelhante misera-
Ivol! disse o duque. Quem lio este bruto?.....
#
MUTILADO


Sthffo paiz------contina a nder-se do 90 a 100
rs. a libra,
vihir m I2*mbnrcacfj0s. e eutraram 7 Acham-
Sfa T. "<" R0rln *' Mbnr : 3 """"aras. 17 bra-
W iris, f dmamarqu-za, 3 francezas, 1 hamborgue-
nhol. 8 Prtu8ueitl)S' 6 sardas o 1 hespa-
Movimento oToFo.
pitflo w.
Navio entrado no dia 18.
^2: tfl 'T'e^-^una brasileiro //-
H,d",35 toneladas, capilflo Jos joaquim
rol", .n Tipt*cm 12- car<5a "'o gene-
lal:^anf'a%l0,^u'm ''ereira '"Costa. Pas-
".wiro af.miliHdocapiWo e Jofto do llego AI-
me.da com tua familia. g
/Vacos saaaVM no mamo dia.
n'uu\er"C,!0; ?a,era 'C'l'n Luisa-Carolina, ca-
''h^ly^ll''ZS'h''r0 HumJ: capilflo Pedro
i, m *' CM** ass"car. IgodBo, agoarden-
1 ivPrnmTS C"ert,S' e 3 travosa entregar
"Mluw, carga assooar algodff.
^otmgunnba ; sumaca brasil eir Flor-d,-Anf,.i<,
piteo Bernardo de Souza carga bacallS?'
boado o mais gneros. Passageiros, KateJao i e
LSSSSST1 HrMl,eiro' Joa **56?Bs;
^Sr"* *"'"*' C8pila'- *.
"elu'^aScaf0"' '*' Anlonio M*
I'ortosdosul; vapor brasileiro .San-S/earfr, com-
mandanieo !. lente Antonio Carlos |lA7o-
do'n:J" ,0-A'' (los lasaageiro, que rouxe
Zff'"'"5 dosul 'va'a seu tor"
.Vave< entrados no dia 19.
Lisboa ; 51 dias, clialupa portugueza Veloz, do 75 to-
neladas, capilflo Joaquim de Almeida Bautista o-
qu.pagcm?, carga vinho, ceblas, figos, passa
vjlaema^cncros ; a Oliveira rmeos $%,
"fi'Sf ; S? 'lias'l,arca "'"encana John-Farnum,
de 219' toneladas,, capitao Luis I. Cassen, emnW
gen 12, carga familia -le trigo, MaeMahl eY-
/elidas; a Malheus Austin & Companhia. Passa-
geiro,J. W. Ncvins, Americano.
lioston; "
horas da mantilla at as 7 horas da noite. E para
quecheguoaoconhecimonto do lodosos morado-
res alim do prohibircm seus escravos a fazerem
ditos despejos no referido arco de S.-Antonio, de-
clara quepassaa fazercumprir as referidas posto-
ras.
B.aj,rJ!ode S.-Antonio do Itecife, 14 de dozembro
U6 1847.
O liscal interino,
__ Manoel Ignacio de Oliveira Lobo.
= .------r
Declarares.
-O eacrivao chefe da segunda scccSo do consulado
provincial, deordemdo lllm. Sr. administrador do
mesmo consulado, faz constar a todos os propieta-
rios de predios urbanos dos bairros desta cidade,
que, dodia l." do corrento mez de dezembro, se
principiaram a contar os trinta uteis para o pagamen-
to, a bocea do cofre, da respectiva decima do 1.se-
mestre do anno financeiro corren tu de 18*7 a 1848 :
c todos os que deixarem do pagar, dentro do referi-
do prazo, mcorrem na multa de 3 por cento sobre o
valor do seus dbitos, e serflo do prompto ejecuta-
dos. Ilecifo, 6 de dezembro de 18+7.
No impedimento do escrivlo,
Jos Quedes Salgueiro.
1." ordem, assigna-se no botiquim junto ao thea-
tro.
2.' ordem, na loja n. 10 da ra do Crespo.
3." ordem, na loja de calcado defronte da Cadeia,
onde se entregaran as respectivas quantias.
Todos os camarotes lerllo fechaduras, tranquetas
por dentro, ea casa estar decentomento armada.
A primeira recita ser na segunda oitava do Na-
tal.
Publica gao Luterana.
>.'. HISTORIA DE PORTUGAL,
por Alexandre Herculano.
OsSrs. novos assignanles quoiram maridar bus-
car ao segundo andar da casa n. 1 da ra da Cruz
os primeiro e segundo volumes desta nleressante
obra, que chegaram ltimamente servindo-se en-
viar o seu preco de 6,000 rs.
i- -
LOTERA
Avisos mar timos.
a, .------* d"*"' inri
loalon; 33 dias brigue sueco Custoff-Melin, de 1
toneladas capilflo C H. Schall, cq ipagen 1
lastro ; a Me. Ca'mont & Companhia
10
j ; a *c. i.amont ft Companl
(.enova; 39 das polaca sarda Catharina, do 180 to-
neladas, capilflo Oaetano Callo, equipage.n II,
em lastro ; a enO.r Puget & Companl.ia. '
Boslon, pelas ilhas de Cabo-Verde, 45 dias, barca
americana Oumcy, de 216 toneladas, capitao Osi-
'' Keng, pquipagein 10, carga lastro, algum ta-
bojdo e azendaa; ao capl&o. Seguio,i h
lli-de-Janeiro, por nfib querer fazer a quare.ite-
n do 6 das, que Ibo foi imposU. 1",rw
Navios taidos no mesmo dia.
Hamburgo pela Paraliiba ; patacho hamburgue? Pa-
rdicf,capilao2ybraiilz, Carga assucar. '
H.-dr Janeiro ; patacho brasiloiro Unido, capitilo
Manuel Joaqun, dos Santos, carga asacar, ago'ar-
~:.*,Vn" euer0i- ''oiros, Saoo-
leAo Cbi al Bez, l'.ancez, e 1 eseravo a entregar
EDITA L
Mnnoel I anaci de Oliveira Lobo, fiscal interino do
burro dt S.-Antonio do Itecife, no impedimento
do actual, em virtude d>t ei.
r1J,ap/m!M"'Sm"radnrc?d0 ,"esmo taino, que
poreliUl.lacarna/a municipal de ti de marco do
nno de 843, marco,. elladilTerentes lugares para se
fazerem desp.-jos neslacidadc.sendo noste bairro nos
I garas seguntes atrs do thealro veJho no run-
'I" da na do Mundo-Novo boje do S.-Francisco
no ea do Machado ra da Palma, no limou en-
contr da ra do Cano travessa do S.-Thereza
una borda do rio; e da parte da mar graodo na
P ,,,!., It.bein.: por este motivo be prohibido o
EL""! e '""undicea em outros quaesquer
lugares como por abuso o fazen. junto ao arce, de
Mol,,\Z?.-"a,'0,'le ? Itecife, causando damno
ao publ.co.nfio so por estar aquello lugar impregna-
do do uuasmas pul. idos.como porque no acto de a-
unm ditos do rejos olfende.n aoa que por all tran-
iitam.co.n salmeos das impuridades, mandando as
|oslurasmun.c.paosde19defeverciro de 1833, no
V 5- 3 ;"> coiiibina^flo com o 6. do til 3
i annCsmas l'oslur''s> '""'lar as pe'ssoas livres en.
ii',?.,om'.' 6 .S l'scrav!fei horas de prisfio. que
l./..e.,taes despejos tora dos lugares marcados ,
1,000 rs. os que laes despejos fizerom depois das 7
O caixa da companbia do Reberibe, tendo de pres-
tar as suas contas, lembra aos Srs. accionistas a rca-
l.sacflodos 4 por cont, ltimamente pedidos.
--Estando a terminar-so a obra a que a compa-
nbia do Bebenbo se comprometteu pelos seus con-
tratos, silo convidados os Srs. accionistas para so
reunirom em assemblca geral, quarla-feira, 22 do
corrente, pelas 10 horas da manhila, no escriptorio
da companbia, alim do se tomarem as medidas con-
vonicntes para ella entrar no gozo do privilegio ex-
clusivo, o se deliberar sobro outros objectos do seu
interesse. Namcsma reuiiio o director far o rola-
tono los trabalhos do. ultimo semestre, o o caixa
apresenlara as snas contas, sendo do esperar que no
entretanto so completo a entrada dos 4 por cento
l-.scriptorio da companbia do Reberibe, en ses-
slo de 11 de dezembro de 1847.
O secretario,
B. J. I'ernandes Horros.
THEATRO PUBLICO. |
OfiANDE E MACESTOSO PRESEPE COMPOSTO DK 3
DRAMAS NOVOS.
1."
A CKOUtUA OK TOBAS,
dividido em tres actos e seis quadros,
Para o Rio-C,rande-do-Sul pretende sabir, em
poneos dias, o brigue barca Generoso, capitilo Jos
de Oliveira e Souza. o mesmo tcm bons commodos
para passageiros e escravos, nicos objectos que
pode receber. Quem pretender pode entender-se
com o sobredito capitilo, ou com os consignatarios,
Amorim Irmflns, na ra da Cadeia, n. 45.
---Para o Porto sahe com a maior brevidade
brigue porluguez Ventura-Filis, por ter a maior
parte do carregamonto prompta: recebe carga a
frete o passageiros, para o quo temexcelentes com-
modos. Trata-se com os consignatarios. Mondes &
Tarrozo, na ra da Cruz, n. 54, ou com o capitao.
Zelenno Ventura dos Santos, ni praca do Com-
mercio.
. Para a Babia sahe, impreterivelmente no dia
24 do corrente, por ter a carga prompta, a escuna
Curiosa : para miudezas e passageiros, trata-se com
Domingos Antonio de Azevedo, a bordo da mesma
ou na ra da Cruz, n. 26, com Lulz Jos de S A-
raujo.
Para o Rio-de-Janeiro sahe por estes das, por
estar quasi prompto, o brigue Sociedade: para o rea-
to da carga, passageiros ou escravos afrete, falla-
se com Jos Francisco Calares, nos trapiches das es-
cadinhas, ou na loja de rerragens da esquina da ra
da Cadeia, com o capitao.
-- Para o Rio-de-Janeiro o brigue-escuna Feliz-
Ventura seguo com brevidade, por ter a maior par-
te de seu carregamento prompta : o capitao he JoS
Concalves Leite : quem no mesmo quizer carregar
dirija-sca Caudillo Agostinbo de Barros, na ora-
cinha do Corpo-Santo, n. 66.
, DO
Hospital Pedro 17.
Correm lioje (ao d dezembro) s 8 ho.
ras da manliaa, no consistorio do Livra-
ment, as rodas da primeira quinta par.
te desta lotera : convida-se o respeitavel
publico a assislir. '
NOTA
da numoraefio dos bilhetes o meios bilhetes da
primeira quinta parte da primeira loteria. con-
cedida a beneficio da edilicacao do hospital de
Pedro II, que nesta data ficam pertencendo
pbilantropica sociedade, que se dignoii enm-
prometter-se a tomar sobre sua responsabili,|a-
de at a qnantia de importancia de 20 hill.e-
tes inteires csd.~. sis dua socios, c que sao de-
positados, nesta mesma data, em m.lo do lllm. Sr
commendadorManool Concalves da Silva, que o
bondoso aceitou este trabalho.
Cincoenta bilhetes inteiroi,
Ns. 1812,1892,1803, 1582, 1893, 1533, 1534, 1540
1527, 1538, 1935,1526, 1544, 1537, 1510, 1516, ISOs'
1509, 1818, 1900, 1801, 1814, 1891, 1029. 1035, 1022'
1006. 1026, 1016, 1013, 1012, 1073, 1080, 1015. I0>l'
1027, 1003,1014. 1094. 1023, 1847, 1470, 1469, 1466*
1468,1471.1464,1114,1194,1107. '
Importancia......... 5oo,ooq
He o capitao Orribio, disse Scoppa chacotean-
no ; lie suido como um marco de pedra
O.toque franzio as sobrancelhas, o olhou para
Scoppa com corto ar de susj.eita.
Do7o o''leua.ugaar "rt0' ***** '"< lmando de
Para execular semelbanto manobra, era preciso
dohra.cn, a pona do molho, do qual s liavian. an-
proximado. \ barca foi dimita de maneira que p-
UesM trauspor esse obstculo sen. correr risco de ser
en>gfda contra os potentes mures do enorme di-
que A baica apartou-se dello devagar, mus sempre
do modo que licasse ao alcance da arlill.aria de que
as muralliaa estavam ericadas. q
Ao mesmo lempo ia a barca de Borgia ganbando
terreno; e como so diriga com toda a rranuueza
para o pollo de Cele, assenlinellas apenas llie ti-
i.l.ain osoll.oseraciina ; e poroutra parto abarca
milla sido ja reconhecida.
Rorgia havia entregue o leme a Anita, e em p so-
liie o banco da popa, dizia a Francesco :
Oh I que cobardes quo paletas!...... oi-los
que vSo entrar no porto..... Clise so lia, sem duvi-
Hespaaboes; bem so v que elle nfio osconhece
Anida quo so tratasse da vida de Philippe IV, o essa
Inlua levasse o medico/ eo remedio quo dovia dar
si'tie a i-.,., ,ic Hespanba, nem por isso sabiria do
|.orio sei.ao depois de lar sido 13o exactamente exa- I
i .nada con.., se levasse um carregamento de Jaran-1
jas ou do familia para os nossos iuimigos. I
i, ornado de
mgicas, transrormaces, dancas ecantorias.
2 PRKSgPB.
.Soroa de Aman e triumpko de Mardocheo,
ornado com arias, choros e dancas.
3. PHhSKPE. '
O grande drama do archivo theatral do Lisboa
A degolaqao dos innocentes.
N. II. Se os ospectadores pedirem, se repctir.lo
os dramas do presepe transacto.
N. ; Todas as pastoras cantarlo differenles a-
naa, n&O serflo admiltidas as que irflo cantarein.
O presepe constar de 10 noites.
Os Srs. que assignaram camarotes ou platea, os
pagarflo pelo proco da companbia dramtica, tondo
a ultima noitesraii ; os que naoassignarem, pa-
garflo os bilhetes de platea e camarotes pelo preco
da companbia italiana. v
Preco da companhia dramtica.
Primeira ordom de lado......-4 qaq
Dita de frente...........6.000
Segunda ordem de lado ... a*aan
Dita de rrenle..........' jJH
Terceira ordem de lado L
Dita de fronte....... fff
|>la I a .....4,000
"8Ua.............1,000
Preco da companhia italiana.
Primeira ordem do lado < nnn
Dita de Lente........' ,oooo
Segunda orden, de lado o'Z
Dita de fronte.......'.'"' 14 o
Terceira ordem do lado ... .'
lilla de frente..... J'SJ
1 "JJ*-8.......... 2 000
engra d"'0 racter08 lrcsd,amas ser!i0 segundo o respectivo ca-
Avisos diversos.
Milita a I lenca o
r
m,"TT10Hoven,"dc'd,1Me Francesco, j dobraram o
molbe, e agora 11B0 teom mais que virar a bombor-
do ; emdez minutos estarflo nasagoas do Cete.
N?o, com mildiabos! exclamou violentamen-
te Borgia ei-lo que corro.... Direito a ello !.... Fo-
Km:'i "6 co'" lodas as PCQas !..... bradou Borgi.
bem alto, como se o podessem ouvir do molhe ; be
o duque de Cujsc. '
Kcomosjo'vento tivesse levado esta palavra at
as n.uralhas, todas as bateras soltaran, ao mesmo
lempo urna descarga..... O mar, efivado de mil ba-
las, pareceu cni|iolar-se com novas ondas ; e a bar-
ca de Guiso desapi.areceu por um momento a todas
as vistas, envolvida u'uiiia efervescencia de gran-
des jorros de escuma branca.-
Us ecl.os do Cete anda reperculiam o estrondo
desta descarga, quando so vio de repente a barca ap-
parecer de novo em cima do urna onda : o mastro es-
lava quebrado, e a vela pendia-lbe pela borda fra ;
mas um homnm eslava em p no meio da Darca. airi-
tando un chapeo de longas plumas encarnadas
He cilo! ... mur.nurou Borgia cheiode raiva.
Ob quo estpidos !
mollie"0" deMclchiot c,,e6r" lambem pona do
Fo~o i"' GU'80!..... grtU "e 0m V0Z do trova-
- Nflo he preciso, respondeu a senlinella, a quem
ello so diriga; U saben, duas galeras das goas de
cangliano, que bem dopressa darflo cabo delle.
mZ -.eu oal)a"harei agora, disse Rorgia. Va-
mos, Anita, o [leme a estibordo, e dentro do um
r^NGAsEcioA e respeitosamente roga-se aos
^Reverendissimos Srs. examinadores no ultimo
concurso as vigararias vagas desto bispado, ha-
jam de declarar qual a bulla que autorisa os vigwios
a suspenderem o sacrificio .la missa.depois da segun-
da consagracao para, Irem levar o Sagrado Vil.atico
fcj^rora da greja^e^ a algum dos seus parochianos
que o reclame harticulom>rtis. A solicitada declara-
cao produzra dous resultadoi mu proveitosos
em primeiro lugar, far essa bulla condecida de mul-
tas pessoas entendidas na materia inclusive alguns
lentes de moral, que asseguram Ignorara existencia
dola :-em segundo, arredar de sobre SS. Reveren-
dissimas a suspeita dequea allegacaodosomelbante
bulla apenas leve porflmarranjaras cousas do ma-
neira a dar dous pontos a um dos concurrentes, que
Jem elles nflo poderia deixar de ser reprovado.
Hebrard, na ra Nova, n. 19,
avisa aos amantes do que he bom, que acaba de re-
ceber de Frarnja, pelos ltimos navios, um grande
sorlimcnto de conservas de todas as qualdades,
proprias para as pessoas que vfio passar a festa,
pois que lem das qualdades seguihles : conservas
de verduras, ditas doervilbas, ditas de sardinhas,
etc. ele, todas muito frescas o bem conservadas:
tem lambem um grande sortimenlo de bebidas, co-'
mo sojam, licores muito linos, ago'ardenle de Fran-
ea, kirsch, absinlhe, champagne das melbores
marcas, vinho tinto e brano, tanto em garrafas co-
mo en barra, das melbores qualdades que teom
vmdo a esta praca ;, vinho mais ordinario, porm
aom, por um preco muito em conla, voltando a gar-
rara; azote doce ; verdadeiro salame de Roulouue ;
presunto; salchichas; mostarda; queijo de Gruzre
fructas conservadas em xarope, e ludo da melhor
quaidade; verdadeiros charutos da Itavana ; ditos
da Babia de todas as qualdades : o vendedor res-
ponsabihsa-se pela boa qualidado dos comestives
cima, embora sejam mais baratos do quo em ouai-
queroutra parte. M
quarto de bora estaremos ao alcance de um tiro do
pistola daquella fala desmastreada.
-- Enlrc no porto, disse a voz obstinada doofli-
cial, que lornou a apparecer immediatamente, para
reconhecer esta segunda barca.
Eu son Melchior Rorgia, respondeu elle, levo
despachos do condo d'Ognale ao vice-rei de a-
ples.
Entre no porto, repeli a oflicial, para se veri-
ficar a sua qualidado.
Para que Henrique de Urena, disse Rorgia.
para que o duque de Guise quo o senhor acaba d
deixar escapar, possa ebegar at l, nflo he assim ?
Entre no porto, replicou obstinado o oflicial,
ou inetto-o a pique n'uin momento.
Rorgia lancou olhos Tunosos em torno de si, e vio
a alguma distancia a fala do duque affaslar-se a
custo, emquanto duas galeras sahiam da praiazinha
do Cangliai.o.
Oh! que estupidos animaos! exclamou elle
lodo furor; bao do deixa-lo escapar. Vamos, Anita,
\ira o leme a bombordo, al queeu aehe um burro
inenos estpido do que este digno oflicial bespa-
nnol. Mas tu mo lomars a ver bem depressa, Gui-
so I exclamou ello enfurecido.
Emquanto Borgia buscava as agoas de Cete, Gui-
so animava os dous remadores da sua lalua, queja
principiavam a murmurar com tanta obstinaeflo.
Aqu esta oque Tez nflo ao segu rem os mcus
consellio, disse Cernile Scoppa com mo humor;
5.0 V. Alloza mo tivossc deixado esperar pcla.minba
barca, levom-me mil diabos, se uos nflo Hveasem
Quatrocentos meios dos seguinte numero '
de 201 a 300, de 401 a 500, de 501 a 600 e Te <~n a
1300. "^
Importancia......... 2:o00,000
Mais quatrocentose cincoenta mei->s bilhetes dos seguin-
tes nmeros va importancia de 2:250,000 :
395, 397, 919, 399, 921, 916, 954, 936. 958, 860. 865.
861, 363,846, 913, 728, 729, 383, 373, 389, 398, 369
370, 371, 377, 392, 391. 383, 706, 707, 708, 368. 364
371, 864, 711.* 712, 365, 709, 710, 770. 366, 775 357
397, 400, 922, 925, 937, 399, 1689. 1690, 1691, 1692
1693, 1694, 300, 299, 298, 297, 296, 295, 291. 293*
292, 291, 290, 289, 288, 287, 286, 285, 283. 282
280, 279, 278, 277, 876, 973, 272, 271, 270, 269
268, 267, 266, 265, 264, 262. 261, 260, 259, 258. 257
256. 254, 253. 252, 251, 250, 249, 248, 247, 246,
245, 244, 243, 242, 241, 240, 239, 238, 237, 236
235, 234, 233, 232, 931, 230, 229, 228, 227, 226, 225!
224, 223, 222, 221, 220, 219, 918, 217, 216, 215, 214
213, 212, 211, 210, 209, 208. 207, 206, 205, 204, 203,
202,201,867,870,866,871, 873, 1247, 1248, 1249
412,429,872,419,418, 415,441. 420, 1960, 1784.
179,681.669, 132, 362, 1982. 359, 1980, 355, 785,
823,352,348,789,831,625,816, 820, 629, 634, 304.
140,302,751,752,753,795,757,790, 761, 792, 762
976, 984, 939, 987,981, 992, 781, 104, 139, 784, 785,
780, 750, 306, 742, 328, 393, 620, 313, 781, 684, 769!
783, 384, 324, 331, 333, 335, 330. 329, 324, 340, 149.
343,329,828, 343, 387, 1648, 705, 772, 150, 144!
345, 145, 387, 830, 315, 143, 1792, 1645, 1608 ,
1655, 1609, 1610, 1661, 1611, 1637, 1665, 1641,
1626, 1638, 1639, 1642, 1635, 1636, 1644, 1601,
1679, 1678, 1663, 1677, 1676. 1674, 1602, 1603,
1604, 1606, 1607, 1681, 1682, 1680, 1686,
1669, 1670, 1671, 1667, 1685, t684,1688, 1687, 1688,
1615, 1612, 1613, 1614, 1616, 1617, 1621, 1657, 6, 7,
8, 9, 747, 746, 745,744, 743. 742, 741, 740, 79, 738,
737, 736, 735, 734, 733, 714, 732, 731, 730..729, 728.
727, 726, 725, 724, 723, 722. 721, 720, 719, 718, 717,
716, 715, 713, 712, 711, 710, 709, 708, 706, 705 704
703, 702, 701, 688, 689, 690, 691. 693, 694, 695 697
698,700, 1298, 1297, 1296, 1295, 1294, 1293,1292
1291, 1290, 1289, 1288, 1287, 1286, 1285, 1284, 1283
982, 1281, 1280, 1275, 1274, 1273, 1271, 1270,1268
1266, 1265, 1264, 1263, 1262, 1261, 1260, 1259, 1258
1257, 1256,1254, 1253, 1252, 1299,330, 327, 320, 328.
117,305, 322, 318,319, 634, 146, 318, 335, 319, 623,
618, 327, 827, 326, 622, 331, 991, 320, 353, 358, 684
685, 687-, 683, 682, 679, 678, 672, 665, 662, 661, 666,
16, 17, 15, 14, 13, 11, 12, 10, 608, 615. 137 393, 790.
Importancia total..........4:750,000
O secrolaro da irmandade de N. S. do vra-
mento, em virtudo do despacho do lllm Sr; Dr. juiz
de direito provedor do capellas, pelo presente con-
vida a lodos os irmflos da mesma irmandade para
comparecerem, no consistorio, no dia 21 do cor-
rente, as 10 horas do dia, alim de quo, reunidos em
mesffgeial, possam eleger o novo juiz.
-OITerece-so para caixeiro de loja ou venda um
rapaz brasileiro, que sabe bem lr, escrever o con-
tar, e tcm algum conhecimento do negocio, inda
mesmo para o matto: quem do seu prostimo se
quizr utilisar annuncie para ser procurado.
A Voz do fraiiln. 9 sal ir impreterivelmente
no da 28 do corrente, Impressa na lypogiaphia do
mesmo nome, e nflo foi possivel sabir anles, | orque
estamos montando o cslabelecinienlo. Os Srs. as-
signantes teiiham a bondade de adantar o paga-
mento do ti imestro a vencer-seem o ultimo de Ja-
neiro prximo futuro, para ajudar-nos as despezas
que estamos fazendo.
tu nit.
deixado passar como alegres companheiros quo vol-
lavamos d'um bom banquete ou d'alguin passeioa-
n.oroso.
Para o largo.' para o largo! bradava continua-
mente Henrique.
De que servirflo lodos csses esforcos* dizia
Scoppa; pensa V. Alteza que podemos escapar
perseguieflo das galeras do CarigUaiio, como esca-
pamos sda Iba doponza? Ho melhor aborda-las
francamente e procurar engana-las por algum sub-
terfugio, do quo esperar que ellas nos manden, al-
guma descarga que quebrar esta barca como urna
palba.
Digo-le, replicou Guise, que esta barca ha do
ser o carro de triumpbo em cima do qual lie. de che-
gara aples, ou o esquifo em que me submergirei
ueste mar.
Carniole lancou a vista para tras de si, o vio com
effeito as galeras quevelejavam rapides. Depois des-
la nspeccaoasscnlou-se n'um banco, e conlinuou
dizendo:
Aqui so Dos nos pode salvar agora.
Nesto momento um mugido surdo o terrivel, viu-
do do horizonte, passou-lhes por cima Jas cabecas,
e vollou quasi que no mesmo momento, repercutido
por mil echos da costa.
He a tempestado, exclamou fiuise satisfeilo.
Ho verdade, disse Scoppa ; be o inimigo por
diantee o inimigo por Irs; os que tiverem algum
peccado na consciencia v3o-se cuconinioiidaudo a
Dos, porque dentro do dez minutos a noite estar
_ I
MUTILADO


3<
Nacocheira do pateo da matriz de Santo-Anto-
nio contina-so a alugar carros que estilo arran-
jados de novo, o promotte-se aos freguezes da casa,
que so ter contemplagflo, pota fesla, no prego; fa-
zendo ver que he com aquolles quo teem sido cons-
tantes.
Ainda ha para so alujar urna das molhores ca-
sas no sitio do Cajueiro por ser grande o quo sor-
ve para duasfainiliaspassarem a fusta, e at se po-
de dividir urna ila nutra por torduas cozlnhas i a
tratar no mesmo sitio.
Carbs D. Fredricks, profes-
sor do dagucrrcolypo,
contina a tirar retratos na sua residencia da ra
da Cadeia-Nova, n. 26, das 9 horas da manh&a at
as duas da tarde. .
Permuta-so urna casa terrea, n.S sita na ra I
do Bom-Sucrsso, da ciilade de' Olinda reedifica- |
da d* novo com um siti 50ui', m ciiflos pro- i
pris, por outra qualquer nos huirros do S -Anto-
nio ou Boa-Vista prefer mi o-se no Aterro-dos-A To-
gados, ouSoledade: na praca da Boa-Vista, por
cima da botica n. 6, ou na ra do S.-Francisco, de-
fronte da venda do Nicolao.
Alugam-se o vondem-so tanto a retalho como,
aoscentos. muito grande o boas bichas, chega-
dns de Hamburgo : tambem so vilo applicar para
mais commodidade dos prctendenles: na ra es-
tricta do Bozario luja do harbeiro, n. 19, defronte
da ra das Larangeiras.
A pessoa que llie fallar um cavado ruco-pe-
'-z desde o dia quinta-fera, 9 do correnle, diri-
,'. io paleo do Torgo n. 6 que, dando os sig-
naeacertos, o pagando as dospozas que o mesmo
tiver feito, Ihesor entregue; do contrario, nflo
apparocemh) dono nestos tres dias ser entregue
polica.
Aluga-se para se passar a fesla a casa do sitio
Cajueiro sendo a primeira na entrada do porlan
a tratar na ra da Cadeia deS.-Antonio, n. t9.
M
Quem precisar de urna ama de leite dirija-se as
Cinco-Pontas, n. 166.
Precisa-so do um rapaz portuguez de 14 a
18annos para caxeiro de tima refinago, dando
fiador a sua conducta: na ra Direila, refinago
n. 78.
O meio hilhete n. 1929 da primeira quinta par-
le da primeira lotera do Hospital Pedro II. perren-
ce a Senhora Anglica Mara do Espirito-Santo, mo-
radora em Macei.
Precisa-se do urna ama para todo o servico de
urna casa : tambem se aluga urna preta ou mole-
que para o mesmo fim : na ra de S.-Jos, n. 7.
>
S
fi

O;
1 attf.ncao.
I O melhor especifico e o mais efflcaz quo
ha nesta provincia para applacartfc des-
truir as mais violentas dores do lentes,
producidas pela carie, ou por qualquer
outra affecgflo da bocea he o verdadi-
ro paroguaroux odontalglco, composto
por MM. Houx & Companhia pharmaceu-
ticos em Paris. Este remedio goza do gran-
de reputacocm Franca, foi entgamen-
te aqui vondido na botica do Sr. Saissot, i
o foi muito appr-ovado. Afrma-se ao res-
peitavel pttblico e a todos os mais hab- I
(antes desta provincia, quo as pessoas que
soffrerem dores de denles, e applicarcm
este remedio verflo immediatamente em
cinco minutos o grande all vio cscusan-
do cada um tirar os seus tientes. Vcndc-se
este remedio nicamente em casa do ilen-
tislae sangrador, Jos Anecilo, na ra
estreila do Bozario, junto a igreja casa
terrea.n. 7, na freguezia. de S.-Antonio
desta cidade do Becife cada frasqunho
com um impresso que ensina o melhor
methododese applicar, por 4,000, 6,000
e 10,000 rs., o em pequeas porches a
1,000 c 2,000 rs. ;e embebido em algodflo,
trazendo cada um seu vidrinho com rolha,
a 320 rs. em cobre. ,.
N
Pelo juizo do civcl desta cidade, se ha de arre-
malar urna morada de casa de sobrado de qtiatro an-
dares ii. sila na ra do Crespo ( e outra de um an-
dar o slito, na na do Collegio, n. por oxecugflo
de Jos Buptsta llibeiro de Paria e liento Jos da
Silva Maglh.les, contra os herdeiros do fallecido
Antonio Baptisla Bibeiro dcFaria.
Alugam-se boas bichas, tanto em tamaito
comocm qualidade, viudas prximamente de llam-
burgo : tambem se vendem em porgflo e a rotalho ;
ludo por prego commodo : na ra larga do Bozario,
n. 52, venda da esquina confronte a igreja.
A direccao da sociedade Kecreio-
.1 ii ven i I transferios partida de 18 do cor-
rente para Janeiro de 1848.
I'recisa-so de urna ama secca quo cozinho o
diario de una casa com preferencia a urna mulher
idosa : na ra da Uniflo do lado esquerdo ante-
penltima casa, indo para a mar.
- Precisa-se para caixcro de urna luja de fazen-
das un menino que tetiha bastante pratica do bal-
do : tratar na ra da Cruz II. 23 boje, das 10
lloras at ao meio ilia.
No da 17 1I0 correnle, ccrlo Sr. veio a ra
da Cadcia do Becife, oja de pariros, comprar um
alHnete de senhora (; deu una cdula de 200/
rs. para trocar onde houve un engao : sirva-se ,
portano, o mesmo Sr. voltarao mesmo lagar para o
desfazor; do contrario, ser procurado, visto ser
condecido.
O doutor Alexandre de Souza Perera do
Carino, medico mudou sua residencia 'Q
para a ra larga do Bozario n. 12, segn- v-
do e terceiro andares do sobrado onde tcm f&
botica o Sr. Jos Maria Goncalves Bamos. 5
-- Desaparecen da ra do Cabug, n, 16, urna
gata malicia, cor de cinza com a cauda o orelhas
corladas: quem a tiver achado quera restitui-la
por obsequio, que ser gratificado.
Aluga-se urna casa terrea na esquina da ra
do Nogueira para S.-Jos com muitos bons com-
modos : a tratar na praga da Independencia livra-
ria ns. 6 e 8.
Furlo.
' Furtaram na mandila de 17 do correnle, as 9 ho-
ras pouco mais ou menos, no boceo do Monten o, no
Becife, um quarlaocapado, rugo-pedrez, vcnne-
llio hein escuro o casco da inflo esqnerda lascado,
porter tido encimada pela parte de dentro ; levou
cangalha n6va com capa de sola duas enqueridei-
ras de corda velha: o roubador foi um mulatinho
vestido de calcas azues, camisa branca suja e bone-
te velho na cabega. Boga-so a pessoa a quem for
olTerccido, ou quo do dito cavado sotilicr do o to-
mar, ou avisar na ra da Cadeia luja n. 50, do
Cunha imorim, ou a seu dono Pedro Jos dos
Santos, no engenho Brepib freguezia da Kscada,
que se recompensar.
Precisa-se alugar urna preta para o servico de
urna casa de pouca familia : na ra larga do Boza-
rio, padaria n. 48.
Cheguem in(luidos com os
bons cavallos.
Joilo da Cunha Beis com cochora atrs do theatro
publico tom cavallos para alugar todos os dias. e
principalmente todos os domingos e das santos.
Tambem adverle aos Srs. queso dgnarem alugar
cavallos no seu estabeleclmento, que nilo so esque-
gflodc andarem com cuidado nos aneios que tem
lido muito grande prejuizo. Adverto mais, que to-
dos aquelles Srs. qu quizerem alugar os scus ca-
vados dcvcni pagar logo o aluguel.para assim serum
sempre bom servidos. Na mesma*casa recebem-se
cavallos para seren tratados por mez, medante um
prego rasoavel, e tambem se alugam cavallos poj'
mz aquellas pessoas quo assim o quizerem. ll-
rijam-sc ao dito lugar que sempre sordo servidos
com muilo asseio, promplidlo e ligeireza. Tam-
bem se recebom cavados para cuiur-so de espra-
vOes, sobre-cannas, etc.
l'recisa-se de urna escrava, que en-
tenda alguma cousa dccozinlia, parafazer
a comida diaria de urna pequea familia ;
que saiba comprar, e vender, sendo pre
ciso; c que seja fiel: a tratar no Alerro-da-
Boa-Vista, loja de funileiro, ao p da
matriz.
1
K O doutor em medicina Manoel Adriano- da
Silva Pontos, contina-a residir na ra larga
Compras.
y Comprase
um eseravo, preto, sem vicios, nem mo-
lestias, e que tenha inteiro ronhecimen-
to ile (raliilli ir com arado, para o que se
pede garanta, e no se olha a preco : na
ra da V,rt% n. 45, em casi de Nasci-
mento & Amorim.
Cnmpra-sc um paliteiro o urna salva de prala,
quo lavo dous copos : quem tiver qualquer das di-
tas pegas e as quizer vender sem fetio dirija-se ao
largo do Carino venda ni.
Compram-se, para urna encommenda, escravos
de ambos os sexos de 10 a 40 annos : na ra es-
eslreita do Bozario n. 31, primevo andar.
--Na ra Nova, loja n. 58, compram-soos ferros
necessarios para um official dosurrador ou esco-
liador de couros, a apparelhar os cornos ; pura o
que tambem se precisa de um official do tlilo officio,
que saiha o o queira executar.
Compra-se um cachorrinho ha pouco nascKIo,
que seja do casta pequea, chamado do reino : quem
tiver, e quizer vender, v ao pateo do Torco, 11. 5,
que achara com quem ajustar.
--Compram-se os prinuiro o segundo volumes
do Judeu Errante, traducgflo de Lisboa segunda
edigto, 1814 : na ruada Cruz,41. 1, segundo andar.
Vendas.
FOLIIINTIAS PABA 1848.
Vendem-sc fnlhinhas de algibeira, de porta e do
padre as mais correlas c mais regulares : na pra-
ca da Independencia, liviana ns. 6e8; na. ra da
Cruz, loja n. 56 ; na ra do Crespo, loja n. 11 ; na
loja da esquina do Collegio; na botica do Sr. Mo-
reira del'ronloda matriz.
comnosco ; a tempestado estar em toda a sua fOrga,
eeu nflo conhego no mundo barca que possa resis-
tir ao furor das ondas dosto golpho ; nom conhego
honiem que possa distinguir caininho na noite que
nos vai envolver.
Posessa barca ser esta.rcplicou Guise, e esse
bomein sorei cu.
E, dizeiulo isto, arrancou com frga aScoppado
banco em que elle eslava sentado, e tomando o leme
na man, dirigi a fala contra a proceda, que cami-
nhava mugindo.
Scoppa, a quem a violencia do duque havia irri-
tado, levou a nnlo ao puulial, mas os seus olhos le -
rozes euconiraram-se com a visla d'aguia de Guiso,
e a mflo cahio-lhe da cinta cmquanlo elle murmura-
va com despeitn :
Este homem he maior do que os outros!
Semduvida que nesse momento fazia olleailusflo
a lodos aqut'lles do quem lora carrasco.
I'a maneira por que elle se poslra, nflo poda ver
Guise o que se passava atrs de s: e por isso poz-so
a interrogar Scoppa ; o qual, em pe no meio da bar-
ca, observara o que se passava na costa.
Eutiiu ? as galeras, perguntou Guize, j estilo
agora bem perto de nos ?
No mesmo instante, deixon-sc Scoppa cahir de
aslhos, Um furaeflo furioso, arremegado pelo ho-
.'.zonte, passou mugindo por cima da barca, cm-
quanlo una nuvcm de balas passava nlcm dola em
sentido opposto, confundndo os seuscrueis sybi-
los com o profundo mugir da tempestado.
% do Bozario, ti. 30, segundo andar, ondepo- '0
I de ser procurado qualquer hoia : tambem fc
trata bomceopatliicamcnlo aquelles que se m
quizerem subjeilar a este melhodo curali- m
vo o reccitar gratuitamente das 6 as 8 ho-
ras da inauliaa e das 3 as 5 da tarde, aos
pobres quo tambem lerflo os remedios gratn
fornecidos pelo boticario.
Desappareceu do sitio do Arag cmSanlo-Ama-
ro, na madrugada do dia 16 do correnle, um caval-
lo alazflo, com a pona da cauda branca, frente u-
beila, com achaques as mios, provenientes de ven-
to quem o pegar levo em Santo-Amaro, no mesmo
sitio.
Precisa-se alugar urna negrinha de 12 "a 14 an-
uos, quo seja esperta e diligente, para cuidar em um
menino desmamado: no Aterro-da-Boa-Vista, n.
42, segundo andar.
com acoinpanhamcnto do piano'-, vende-sc na ra da
Cadeia-Velha, loja n. 31. Prego 500 rs.
Na mesma. loja ainda ha um resto da Estrellada
Noitt (valsa) e da Par Mente f polka), que se vende por
todo o prego.
Freguezes!
Na venda n. 7 do piteo do Terco ha
tudo linm e barato para a petisqueira dos
dias santos de festa"; c tambem se vende
fiado a quem dcixe o competente penbor
de o uro ou prata.
Vcndem-se 12 barricas com sebo em rama, viu-
do do Aracaty : a tratar com Antonio Joaquim do
Souza llibeiro.
Vendo-se um melhodo de flauta com pouco
uso porcommodo prego : na ra do S.-Francisco,
dcfroule da venda do Sr. Nicolao.
Vcnde-so urna mobilia de Jacaranda, em meio
uso por prego muitocommodo : no pateo do Pa-
raizo n. 16,1101 cimaSla venda da esquina.
Vende-so urna bonita escrava de 24 annos ,
ptima engommadeira, cozinheira,e que cosecliflo:
na ra estreila do Bozario, n. 31, priineiro andar
Vendeni-se 14 escravos, sendo seis pretos, al-
guns delles enm officio, de 18 a 25 annos; 2 par-
dos, de 18 anuos, proprins para pagem; 2 pardas
de 12 11 20 anuos, com habilidades, c quatro pretas
de 12 a 30 anuos com algumas habilidades: na ra
do Collegio, 11. 3, segundo andar, se dir quem
vendo.
Vendem-se nieios bilhetes da lote-
ra do hospital Pedro II, que orre hoje:
na ra Direila, n 7.
Vende-so um cavado novoe gordo bom mar-
cbador muito esquipador proprio.para se ler pe-
la fesla por nflo ter achaques e ser tic linda cor :
bom como 6 formidaveis quarlos : tudo por pre-
go rasoavel: na ra da S.-Cruz n. 70, confronte a
ribeira da Boa-Vista.
Vende-se froco de todas as cores,
os mais lindos que ha : na ra Nova,
n. 10, loja de Hiplito Saint Martin
&C
Os dous marinheiros deixaram os remos suspen-
sos borda, ecabiram tambem de joelhos benzen-
do-se.
Iiemem, remen), bradou Guiso com voz impe-
rativa ; vosss nflo vcem que foi o spro de lieos que
desviou de nos as balas dos nossos inimigosP
Scoppa foi o priineiro quo se lovantou ; -- os ma-
rinheiros tomaram de novo os reinos.
Oh I oh disse Scoppa em tom alegre, as gale-
ras recusam dansar com nosco a sarabanda a que
nos convidado senhor Elo ei-las que-viram de bor-
do, e entran) pacificas no porlo.
Assim, replicou Guise, adeos inimigosquo nos
persegam.
V. que quer V. Alleza, disse um dos marinhei-
ros, quem se atreve a aOTrontar oinaru'um tempo
como este, a monos que urna corda ou urna forca o
espere na praia em quo deve desembarcar ?
Pois ha algiiem que so atreva a faz-lo, disse
de repento Scoppa ; la esta o inastro azul; la est a
flmula encarnada, lio ainda a minha barca.
Entilo ainda he Borgia, disse Guise tt'um tom
sombro.
Nflo admira, accioscnlou um dos marinhei-
ros ; lodos csses Borgias sflo finios do diabo.
Facam todos os esforgos para Ihe escapar, dis-
so Guise. Curagerii, rapuzes;e no da da minha alle-
gada a aples, darei a cada um de vosss unta ga-,
lera para commaudar.
Bom, bom, replicou Scoppa; a menos que
Melchior Borgia lenha odios de ligro ou de leopar-
do, que vCem no meio das trevas, elle nflo deve saber
para que lado nos dirigimos, porque nflo temos nem
mastro nem vela que se possam ver de longc; eeu,
que me gabo do ter melhor visla do que os oculos
com quo Cucurulle faz as s'uas observagOes d'aslro-
logia, apenas posso vera flmula vermellia que est
igada no mastro da minha barca.
Guise, que tinha estremecido 10 ouvir o nomo que
Scoppa arabava ilc pronunciar, poz-so a examinar
ltenlo o bandido, cmqtranlo esle, com os olhos fi-
Xos no horizonte, dzia :
I. vai a bandeira desapparecendo pouco o pou-
co .... some-se...... j desappareceu.... Ah ci-la
nutra vez.....nflo ; nflo he mais ella.....he.....
Um vilenlo trovo, quo rolumbou subilo, mos-
trou que a crtr vermelha que elle julgra ver no lio-1
rizoutt) nflo fAra aenflo o relmpago que preceder
alguns segundos ao tcrrivcl estroncio do raio.
De quem fallaste tu ainda agora? perguntou
Guiso a Scoppa, nao fui do CuCUrufTei1
Foi, si 111, senhor.
E tu o condeces .' disse llenrique.
So conhego o vellio Justiniaiio .' replicou Scop-
pa, foi elle quem mu. predisse que ou seria n'cslc
mundo o ministro mais terrivel da. vinganga dos
reis ; c f que me nflo inenlio.
E consultaslc-0 lu a rospeito desla viagem?
Ilic perguntou o duque uncioso.
Nflo sou homem que o deixasse de fazer, res-
pondeu Scoppa.
E que le respondeu elle P
Leve o diabo a pergunta disse brutalmente
Carinle, linlia-mo j esquecido da prediegao de Cu-
- Na loja da ra Nova, n, 30, vende se por preco
commodo o seguinlo : superiores chales ** '
grandes e perruei.os; mantas de seda de "P^
qualidade bonitos longos de seda com franja ; cor
les de cambraia bordada para vestido de senhor.t ,
superiores olliohas de cambraia bordada, para pes-
cotfo de sem.ora ; lencos pelos o de cotes para gia-
vala ; matttinhas de seda para .lita grvalas de so-
tim prelo; chapeos de seda para senhora e inejimas,
ditos de crep, da ultima moda; ditos pretos do
massa francezos para homem ; luvas compridas1 ae
seda preta, bordadas de cor,, para senhora ; anas
curtas sem dedos do seda de cores, para senhora ,
ditas de seda branca e preta para homem ; ditas
pretas iberias, do seda, paro senhora; ditas Ijran-
cas do IgodflO, para hornera; meias do seda ao
peso e do cores, para homem ; ditas de seila listra-
daso pretas, para homem ; ditas de borra de seda
c pardas dealgodiio, para homem; ditas pretas do
algodflo o de linho, para senhora ; ditas brancas do
algodiio, para meninas; superiores pannos para
bancas, grandes e pequeos; ligas de borracha ,
parasonhora; bicos largos de linho ; fitas de seda
lavradas para chapeos de senhora ; ditas de garga de
toilas as larguras; ditas assetinadas estrellas;
dragonas para olliciaes do cavallaria da guarda na-
cional; bandas para ditos e de infantina ; llores
francezasde diversas qualidades, para chapeos de
senhora ; copas e papelflo lino para ditos ; franja de
algodflo para cortinados, loalhas e guardanapos ;
superiores loques de diversas qualidades ; pentes
de tartaruga para marrara ; ditos de dita para ali-
sar ; ditos do marlim para tirar piolho ; caixas do
tartaruga para rap; ditas superiores de massa de
tartaruga ; dilas de bfalo pretas e dourada; co-
Iheres douradas para cha ; dilas brancas do metal
para sopa ; facas to meta! para manteiga ou cor-
tar papel; balancinhas pequeas para ourivos, ou
boticarios; bules de metal paradla, do diversos
taannos; urna salva de casquinha bordada de pra-
la ; urna espivitadeira com bandeja de casquinha;
urna habito do Cruzeiro ; um dilo do Avz ; 2 ditos
de Christo; um par do serpentinas de bronze, com
as suas competentes lanternas ; bandejas de todos
os lmannos; trinchantes de cabo de inarfim com
os seus competentes garfos; ditos de cabo de osso;
saca-rolhas inglezus de patento; ditas ordinarias;
caixas do charflo, com cha ; superiores raspadeiras
inglezas ; florcs dourados para toadlas ; tntoiros
devidro; campanillas do metal; sombra verde o
azul ; lacre encarnado do superior qualidade; bo-
tes dourados grandes e pequeos, para marinba;
ditos dourados para casaca ; ditos grandoso peque-
os do diversas qualidades; guisos brancos para
l'ardamonto do pretos ; pedias para a fiar navalhas ;
torcidas para candieiro; meiadasde linha de cores
to Porto ; ditas brancas em carreteis; ditas de cores
em nvelos; atacadores pretos o dourados, para
capotes; espoletas de superior qualidade ; sedas es-
cocezas muito baratas, por terom um toquo de mo-
fo ; o oulras mu Has cousas, por pregos rasoavois.
Novo Irem de cozinha.
He chegado a loja tic fi migeos
Jos Lua Feretra, na 1
um novo so runenlo de
No
ras, cassarolas e
frigidei
ua
panel
as
va,
as,
de
de
n. 16,
chalet-
Ierro,
forradas de porcellaua. s Sis. que teem
cito encommendos queireni appareoer
com tempo.
-- Vcndem-se scllins nglczes elsticos c do pa-
tente, para montara de homem os melhores im-
portados neste morcado, por prego commodo : tam-
bem vendem-se pianos tos muito acreditados au-
tores Collard & Collard to Londres: em casa de Geo:
Kcnworlhy & Companhia, uWua da Cruz, n. 2.
Lotera do Kio-de-Janeiro.-
Vendem-se billietes c meios ditos da
8. lotera a beneficio di construccSo c
reparo das matrizes : na ra da (Cadeia,
loja de cambio, 11. 38, de Manoel Gomes.
Vendom-so boas laranjas ta China; 110 sitio
grande envidragado da estrada do Monleiro.
Admira veis navalhas de .ico
da China.
Na ra larga do Rozara, n. 35, loja do Lody.
Estas navalhas teem a vantagem de corlar o ca-
bello sem ofl'ender a pello, tlexando a cara parecen-
do oslar na sua brilhantc inoculado. Este ico he da
China, e seu autor lio Shan. Por todas as socieda-
des tas scioncias nicdico-cirurgicas, tanto da Eu-
ropa como da America, Asia c frica, bereconhe-
cido o uso dc'slas navalhas maravillosas, nflo s
para prevenir as molestias cutneas a que a huma-
nidade eslsubjeita mas tambem como um meio
de as curar.
Vcndem-se as vcidadeiras s na loja cima indi-
cada.
curulle, oabi veio V. Alteza lembrar-m'a. ... Esta-
mos perdidos.
Entilo que te disse elle .* replicou Guise com
anciodade.
Dissc-mc que alcangara meus intentos, se Q
homem que ia buscar livesse ao mesmo tompo as
veas sangue de imperador o sanguo de papa.
('.ragas a Dos exclamou Cuise cheo de ale-
gra, estaremos amanhfla em aples.
He antes a esse Borgia que nos persegue, que
se applica a prcdicgflo de Cucurulle, tortiou Carin-
lo com mo humor.
Entilo tu nflo sabes, replicou llenrique, que os
Guises conlam entro os seus avth o imperador Car-
los Magno, e o papa Alexandre VI ? A predicgfio de
Cucnrcllo lio commigo .' exclamou alegremente o
duque de Guise Para aples..... para Napelos, rn-
pazes I lieos e o desuno sflo em nosso favor.
De feito, era urna pretengflo da casa de Lorena o
descender di reclmenle da raga carlovingiana ; e os
seus cheles lizeram publicar a este respeito urna
chronologia mu circumstanciada na poca em que
se julgaram prestes a scapossarcm do throno de
Pranga. guanto ao seu parentesco com o papa Ale-
xandre, era elle tfi real quanto aquella outra pre-
tengflo era chimenea ; porquo Lucrecia Borgia era
com effeilo a bisav dosto duque de Guise do que
estamos fazendo mengflo em nossa viridicabisloria.
iContinuar-it-ha.)
\
MUTILADO


^
A>
y
''"'lom-so dous armarios grandes, 4 ditos pe-
qi eno, o nbalcdas : na ra da Cadeia ,do Recife ,
---Vendem-se pegas r!e chitas escuras, muito en-
rorpadaa o de cores fitas ; ditas cor de rosa todas
'i upas i r.,500 rs., c a 160 rs. a retalho; madapo-
!.Vi fino c largo ; o nutras fazendas baratas : na ra
e troita do Rozarlo, a. 10, 'erceiro andar.
Resisto alguns eseravos por se ven-
dererp, muito baratos, e todos de bonita
figura, pois be para se fecbarem as cori-
tas deste anno : um lindo negro peca de idade de 20
annos, de nagilo, bom canoeiroe cozinheiro ; um
dito de 16 anuos, crioulo, ptimo para um pagem,
por ser bastante ligeiro; um dito de idade de 25
jimios, pcrfeiio ollicial de sapateiro, este vende-se
n.uito cnicoiita, por ter um pequeo dofeilo ; um
mulato de dado do 35 anuos, do muito boa conduc-
ta, bom para tomar conta de um sitio, por 360,000
rs.; dous negros muito fortes e de bonita figura,
i" i'lailoilc 22 aunos; um dito de naclo, bom ga-
in.iiiof'ile ra, e que sabe fazer todo o servido do
una casa, por 310,000 rs.; um dito por 400,000 rs.,
anda moco; um dito por 200,000 rs.; urna negri-
il'a de idade de 20 anuos, que cose ptima mente,
faz lavarinto, ougomma e cozinlia ; urna dita de 26
anuos, porfeita coznheira o engommadeira ; una
mulata de ptima conducta, por 450,O00rs. ; urna
negra por 200,000; na ra das l.arangeiras, n. 14,
segundo andar.
A 2*000 rs.
Vendem-se saccas com bom mllho: no raes da
Aifan.lcgi, arma/.em de Antonio Annes Jacome
A 4^200 Rs.
tic Guimares Serafim &
Vende-se umcevado muito gordo, o de bom
lamanbo : na ra da Gloria n. 26.
Vende-se um relogio, saboneta de ouro ho-
rizontal, patente l.ondon por baratissimo prego:
na ra dos Martyrios, n. 13.
~ Vendem-sc, ou trocam-se por eseravos de am-
bos os sexos, duas moradas de casas de pedra e
cal sitas dentro desta piaga : tambem se vende
parte de ambas a prazo de um por cento ao mez
quem pretender annuncie.
Va ra do Crespo, lo ja n. 12,
de Jos Joaquim da Silva
Maya,
vendem-se muito lindos chapeos para meninas,
tanto de seda como de palhinha ebegados ultima-
menta do Paria ; chapeos de seda para senhora ;
corles de erambraia de seda de ricos gostos por
prego muito oommodo; cortos de vestidos de cam-
braia n eassa-chi'.ss de dTerenics Usd&des, por
pregosbaratos; ditos com urna pinta de mofo
Na loja
t Companhia ra do Oes*-
po, n. 5,
vcndemse chapeos de sol de se-
da para h >mem, pelo barato pre
code 1,^200 rs cada um.
Vende-so champanha do muito superior quali-
riade iccciilementc chegada : na ra da Cruz,
n. :ik.
-..ipiad i.!(]r,sse.i]souie se as-opp
:mn opeo sJOOSJ'r P otoidojej
rcq ojod 'apepiD niS9uopioo.itddi?
oa;! snl) soou sioui sojsotf a soo.ip
-id sup )s;> epuazvj 'saeijadW
snSiBO op saj.io.-) soou as-ujapuaA
'e *u
B9jn op-enj
:.(V tuijiua,; say.icuunr) ap clb e^l
saii.iaduiisessBa sraoii sy
od
"liitpiuduio)
sem elle, a 2,000 e 2,500 rs. cada corte; mantas de
seda e lila para senbora das mais modernas que
leem vindo a esta praga a 5,000 rs. cada urna ;
manas chales do seda (levaras qualidades e ba-
ratos; alpaca prota a 800 o 1,600 rs. o cova.lo;
pannode linho, a 400 rs. a vara; casimiras fran-
cezas eelsticas, para caigas, a5,000 rs. o corte;
fustfles; setinse velludos para collete, por prego
mu llorn conta ; bem como um sortimento de ou-
tras muifas fazondas, que se vendem pelo barato.
Na ra do Trapiche, armazem n.
34, de M. ternel, vende-se o
sepilite :
salame fresco; presuntos de VYestphalia; licores
superfinos o superiores a todos que tecm chegado
intimamente ; corago verdadeiro de Hollanda; an-
chovis muito fresco; absintho da verdadeifa marca
e kirsehwasser da Suissa; wermoulh; fruclas em
ago'ardente; conservas de petits-poise sardinhas;
ditas inglesas om vinagre; conservas de bajes
fschnitlbohnen; cm potes muito frescos, chegado
no ultimo navio de Hamburgo; licor de kirsch cm
meias garrafas brancas de superior qualidade; as-
simeomo todas as qualidades de vinhos, ago'ar-
dentes, conservas de carne, etc.; charutos regalos
SOll'l(" "arana>* e muitos oulros objeclos de superior
(qualidade e por prego maiscommodcque cm qual-
quer outra parte.
No Aterro-da-Boa-Vista, luja n.
78, vendem-se ricos chicotes para mon-
tara, obra de muito bom gosto ; ossiui
como superiores chapeos de sol de seda
pata senhora, de muito bonitos p&drdes
e por preco comtnodo, proprios para a
Testa.
Vende-se urna cama de forro cojo armcfo do
mesmo ; 2 pares de suspensorios; 2 manteletas pre-
las ; 6 indispensaveis : ludo bordado a matiz e de
muito bom gosto por prego commodo : na ra da
Cadeia do Kecife, lojade ferragens, n. 56.
9W0W0 ^\& 10 10 10 tPtJfWfi
Vendem-sc corles de.cassa e cambraia de se-
1 a 0,000 e 10,000 rs. ; ditos de novos e r-
eos padrees, a 14,000 o 16,000 rs. chapeos
de mansa, Irancezcs, da ultima moda ; risca- @
i > ilos franeazea para vestidos de senhora ; no- '$;
vos corts do cassa-chita; coutras uiuitasfa- O
zcnilas de gosto proprias para o lempo de ^
resta: linio por menos prego, do quo cm ou- O
Ira qualquer loja : na roa do Qucimado, nos
(inilro-eantos loja da casa amarella, 11. 29. O
^>1%&&8>'& #A 01& 0% 01% 0ft 01*8
Pannos' finos.
Vendem-se superiores pannos finos a prova de
limBo preto, a :t,000, 4,500,5,500 e 6,500 rs.; di-
loazul, a 3,000 rs. ,e muito lino, a 4,500 rs. stas
1 annos silo novos e pela sua barateza, attendendo
a Ma boa qualidade, tornam-se recommendaveis.
a ra do Collegio, 11.1.
Na loja nova da ra d Quci-
mado, 11. II A, de Kayfmiii-
do Cario* Lcitc, a 2 400rs. o
covado.
Al i.1 ni de ler um completo sortimenlo de fazendas
linas c grossas pelos pregos mais rasoaveis poss-
veis ha casimiras lisas c elsticas da melhor qua-
lidade que tem vindo a este mercado, a 2,400 rs. o
covado bom como de listras a 4/, 8/e 10/000 rs.
o corle.
Vendem-sc superiores esleirs pintadas de to-
dos os tamaitos por prego muito commodo : ven-
de-se tambem urna carroga : na ra da Cruz, n. 64.
a-imras elsticas e finas, a
7#000 rs.
Vendem-se superiores casimiras elsticas, finas o
decores, pelo baratissimo prego de 7,000 rs. o cor-
le ile caiga. Esta fazenda he rccommendavel pela
sua qualidade lauto em fazenda como cm gostos ,
pors.'iom os mais modernos; casimiras prclas ,
sn| >'i loe fazenda por serein muito linas a 2, 3 e
:1,50o rs. o covado : na ra do Collegio, loja n. 1.
PARA A FESTA.
\a I ja nova da ra do Qnei-
aiado, n. II A, de Itaymun-
do Carlos Leilc,
vendem-se os mclhercs chapos do Chili, que teem
(parecido neste mercado, a 16,000 rs. cada um :
tambero hade 7,000, 8,000 o 9,000 rs.; mantas de
soda a 2,000 4,000, 10,000 e 16,000 rs. cada urna ;
um nnvo sortimento de chapos francezes; mcias
pretas e grandes, para padre, a 600 rs. o par ; e um
cnmplcio sortimento de pannos finos, do todas as
cures por pregos commodos.
do de 600 rs., e hamburgos finos1: estilo se aca-
bando os guardanapos de linho a 800 rg.
Vende-se urna redo de muito boa qualidade,
fazenda muito superior, e de muito bom gosto
na ra do Cabug, loja de Joaquim Jos da Costa
l'ajozes.
~ A venda reformada toda de novo defronte da
matriz da Boa-Vista n. 88, convida a todos os seus
freguezesa comprarcm os superiores e novos gene-
ros, por freg o mais commodo possivcl, a saber:
vinho do Porto engarrafado, a 400 rs.; dito de Lis-
boa PRR, a 240 rs.; dito de outroa autores, a 200
rs. ; dito branco, a 240 rs.; vinagre, a 100 rs. ; cer-
veja, a 480 rs.; azeite doce a 500 rs.; dito do co-
co a 400 rs.; dito de cmapalo, a 240 rs., macar-
ro aletria e lalharim a 300 rs. a libra; passas, a
240 rs.; figos, a 240 rs.; ameixas, a 240 rs.; cha
liysson muito superior, a 1,600, 2,150, e 2,300 rs.
a libra ; chourigos.a 48ors. a libra ; paios a 940
rs. cada um ; manteiga ingleza, a 800 rs.; dita fran-
ceza a 600 rs.; queijos flamengos.a 1,400 rs. ;
sab.lo hespanhol. a 240 rs. dito ingle/, a 140 r ;
nozes a 160 rs.; amondoas a 240 rs.; esprma-
cete americano-, a 800 rs.; dito francez, a 700 rs.;
bolachinha ingleza, a 940 rs.: em todos estes pro-
cos se faro abates comprando-so porgSo mais avul-
tada o que tudo so far com milita promptidSo e
asseiadamente.
Vende-se um pardo de 25 annos poucojmais ou
menos,sem molestia algnma,que hecopeiro.bolieiro
e tem principios do alfaiate : ao comprador ae dir
o motivo por queso vende, com preferencia e por
menos para fura da provincia : na ra de Jo3o-Fer-
nanpes-Vieireira, aosahir da Soledade, in um si-
tio que tem I Oes nos porlOes das 3 horas da tarde
cm diante ou na alfandega das 8 horas da ma-
nbaa at as duas da tarde, a fallar com o inspector
da mesma alfandega.
Vende-se um preto sem vicios, que he bom
carreiro : na fabrica de licores do Alerro-da-Boa-
Vista, n. 17.
---Vende-se urna das mclhores vendas em Fra-
dc-Porlas, bem afreguezada para a trra, e tem
commodos para morar urna pequea familia : ven-
de-se a dinheiro ou a prazo com boas firmas, por
seu dono se retirar : a vista se far todo o negocio :
a tratar na mesma venda n. 92, ou na casa uefron-
teda dita.
Vende-se urna venda com poucos fundos,
bem afreguezada para a Ierra, e tem bons commo-
dos para inorar urna pequea familia : na rna de
S.-Francisco, n. 68.
Vendem-se, na ra do Trapiche, n. 6 11 es-
eravos sendo : 5 mulatinhos de 6 a 14 annos, pro-
prios para aprenderem qualquer oOlcio, ou para
pageos; um bonito moleque de 12 annos; duas
pardas cosiureiras, o que cozinham o diario de urna
casa ; duas pretas de 35 annos, proprias para cam-
po ; urna cabra de 24 annos: tudo por pregocomm-
po pelo donse retirar para frada provincia.
sVendem-se saccas com milho; ditas do arroz
de casca ; urna porgSo do saccas vasias, de estou-
pa urna bandeja rica decasquinha praleada, com
18 casaes de chicaras e pires de porcellana dourada;
urna cama do Jacaranda com seus pertences: na ra
da Cadeia de S.-Antonio, n. 19.
Potassa.
O BARATEIRO
avisa antes que chegue a
Vende-se potassa mui nova, prxi-
mamente chegada do Rio-de-Janeiro
na na da Cadeia-Velha, armazem de
Bailar & Oliveira.
Itichas de Hamburgo.
Vendem-se bichas de Hamburgo,
(i'|i ,s- a retalbo e em porco em casa
de M a noel Jos de S Araujo, na ra
da Cruz, n. i\.
Na ra da Cadeia-velha, n,
J, loja de J. O. Elsler,
vende-sc vinho do Porto, de divorsasqnalidadcs;
dito da Madeira ; dito de Malaga ; dito de Sherry ;
dito de Carcavellos; dito de Tenerife ; dito de Lis-
boa ; dito do Kheino ; dito Craves; dito Sauter-
ne ; dito do Bordeaux; dito Chateaux-la-rose; dito
S.-Juliim; dito S.-George ; ago'ardente de Franca,
de varias qualidades; cher.ry-cordial; marraschi-
no ; licores linos; PTIMA CHAMPANHA.em garrafas
inteiras e meias ditas j velas de composiSo ; cha
preto e verde de superior qualidade ; presuntos e
salames de Hamburgo; sardinhas em ltase vidros;
petils-pois, em latas; mostarda ingleza e franec-
za ; vidros com frutas em calda de assucar i) espi-
rito ; agoa de flor de laranja; CHIiltUTOS DE IIA-
VANA E DA BAHA ; o oulros muitos objeclos : tudo
recente-monto chegado.
Belmiras.
Vendem-se suporioros cortes da fazenda nova
denominada belmira, para vestidos de senhora ,
pelo barato prego de 4,500 c 5,000 rs. o corte. Esta
fazenda he nova e de muito sublimes gostos sen
do as suas cores mui apreciaveis por seren cor de
Uro rosa e perola. A elles, antes que se acabem.
.vi ra do Collegio loja n. 1.
Vendem-se caixasde ch-hysson de 13 libras,
cm porglo, oo a retalho: na ra da Alfandega-
Velba n. 36, em casa deMatheus Austin & C.
AGENCIA DA FUNDigAO' EE LOW-MOOR.
Na ra da SenzaUa-Nova, n. 42, continas ha-
ver um completo sortimento de moendas e machi-
nas de vapor, para engenhos de assucar : bem como
laixas de ferro balido c coado de todos os tama-
itos : ludo por prego commodo.

Na loja nova da ra do Quci-
mado, n. II A, de Hay mun-
do Carlos Le le, vende-se a
1,000 e 1,1200 rs.
a vara de um excellenlo pannode linho quo die-
go u ltimamente de Portugal, cujas pegass lo de 21
varas : tambem se vende a retalho : assim como che-
Vende-se urna casa terrea, sita na ra das I gou novo sortimento do de 800 rs. a vara, e as pe-
Cinco Ponas, n, 112 ; a tratar na mesma casa. Igascom 18 varas e meia : alada continua haver
Testa.
O baraleiro Ricardo Jos de Freitas Itibeiro, as
suas duas lojas, ua ra do Crespo, n. 4, e no Passoio-
Puhlico n. 17, recebeu um variado sortimento de
fazendas finas do melhor gosto possivel e que es-
ta vondcndoaOsseus froguezes que teem de com-
prar para festa por prego o mais commodo possi-
vel como sejam : ricos vestidos de cambraia de
seda a 12,000 rs. ; cortes de princezinas todas de
seda, a 15,000 rs., do gosto rico; mantas de soda
da melhor gosto a 9/, 12/e 15/000 rs.; ricos cha-
les de soda a 12y, 15 20/e 25/000 rs.; ricos tan-
gos de seda da India padrOes nunca vistos a 2,560
rs.; ditos do soda de bonitos padrOes porm nflo
de tilo boa seda a 1,600 rs.; chapeos de massa
francezs dps mais modernos, para hornero a
7,500 rs.; ditos de mola, tanto brancos como pre-
tos de excedentes formas, a 8,000 rs. ; lindos tan-
gos de cambraia fina, com bico abertos e com cer-
cadura o sem ella a 640 rs. ; um grande e variado
sortimento de corles de cambraia tanto brancos
como de cores do 2,560 rs. at 5,000 rs,; bom co-
mo um sortimento de chitas linas, de 16*0 rs. al 320
rs. o covado ; pannos finos de todas as cores; e ou-
tras militas fazendas proprias do consumo desta
cidado.
SAPATOS.
Vendem-se sapatos a turca e borzeguins de cores,
para senhora: na praga da Independencia, lojas
ns. I3el5.
ATM.
Vende-se muito bom atum vindo prximamen-
te de Lisboa, foito de escabeche e j prompio a co-
mer-se a 240 rs. a libra : na ra esteita do Roza-
rio venda da esquina que volta para o paleo do
Carino, n. 47.
Caf da Ierra,
vende-sena iua estreita do Rozario, deposito de
assucar, u. 43.
Vendem-se, na ra Augnsta, n. 34, 3 casaes del
rolas brancas de Hamburgo, por prego commodo.
Vendem-se duas moradas do casas ero caixo
una coro 3t palmos e j travojada "e a outra com -
36 palmos e com quatro portas do frente, todas uni-
das, o vendem-se mesmo a prazo que convenha as
partes : as casas silo sitas ua ra Augusta confronte
ao Sr. Pessoa. Havendoquemsojulgue com alsum
dneitoa ellas.de hypotheca ou outro qualquer do-
cu menlo.queira declarar no prazo do 30 dias.tconla-
dos desta data, a Luiz Jos Marques na ra do n-
gel a qualquer hora.
Na ra do Rangel, venda de 3 portas, defronto
do boceo do Trem, vende-se cerveja bocea pralea-
dai, de suponor qualidade, a 4,800 rs., e a garrafa
a400rs.; quoyos novos; macarro; aletria; le-
iriarim ; cevadinha ; vinhos de boas qualidades. de
1,600 rs. ate 2,240 rs. ; dito engarrafado ; e oulros
gneros de venda multo em conta a dinheiro a
vista para liquidar.
-: Madama Millochau recebeu pelo Cetar, ultimo
navio vindo de Frauga um lindo sorlimento de
chapeos de soda da ullima moda, para senhora-
luvas de pellica brancat e de eores.de qualidade su-
perior para senhora ; esparlilhos ; lilas ; bicos ;
tarlatapas cor de rosa, brancas e cor de palha ; tou-
cisecamisinhasdo montara; carol.raias de listras e
las; trongas do enfeiUr vestidos; franja de
as qualidades, o de pal lias diversas, desde 2,000 rs.
at 12,000 rs., lisos chapos e bonetes dn palha di
Italia; ricos filos de linho branco ; fil de bico preto
de quasi duas varas de largura, para mantas, man-
teletas o vestidos; bicos pretos verdadeiros; bicos
de blondoe de linho ; tangos de milo de todas as
qualidades ; gravatinhas de lilas; cinturas de fita
asmis ricas possiveis, para senhora ; camhraias
do linho puro ; entremeios e tiras bordadas; fitas do
velludo; rendas de seda e de linho ; vestidos bor-
dados brancos ede diversas cores; visitas do bieo.
Madama Millochau contina sempre a fazer chapeos
e vestidos de senhora toucas para senhora e me-
ninas, por prego muito rasoavel, na sua casado
de modas francezas,no Atcrro-da-Bot-Visla n.
1, primeiro andar, defronto do chafariz.
AO BOM TOM DE PARS.
. Vendem-se o mais superiores o ricos chapeos de
castor para meninos, ao gosto de Henrique VIII.,
e que estflo mais em moda em Pars, diegados lti-
mamente do Franga pelo brigua Cnat; bem como
chaos frsriceze* d* uHis mod** bonetes Je te-
das as qualidades, para meninos ; chapos do pa-
iha da Halla, paro meninos; chapos de castor bran-
cos e pretos -. tudo por prego commodo ; na ra do
Queimado, loja do chapeos, n. 38.
ATTENfAO'.
Vendem-se bandejas muito finas de lodos os l-
mannos por prego commodo : na ru Nova, n. 20,
loja de ferragens jupio ao rolojoeiro.
Vende-so urna armago toda envidragada por
prego muito commodo, a qual pode servir para urna
loja de miudezas, ou qualquer outro negocio : na
ra larga do Rozario, antigamente dos Quarteis .. '
loja de cutileiro. -
Vendem-se 6 escravas, sendo: 3 pretas de*
25 annos, boas quitandeiras, e que lavam bem de
sabfioe varrella ; urna dita do meia idade sem
molestia alguma por 230,000 rs.; 9 moloques um
de 16 annos de muito bonita figura e o outro de
12a 13 anuos, que cozinha solfrivelmenle ; um
mulalinlio de "a 8annos, muito lindo e'sem mo-
lestias : no pateo da S.-Cruz, n. 4, se dir quem
vende.
Vende-se a posse, com urna casa de tijoro arrui-
nada do sitio da Piranga, que foi de Francisco
Rodrigues do Rozario junto ao capililo JosGon-
galves Sirvina^: a tratar com o proprietaro do on-
geuho (guia a quero pertence o mesmo sitio, por
execugo que o empossou dolle.
Eseravos Fgidos.
Fugio, no dia 5 docorrente, um preto de no-
mo Filippe de nagfo Mogambique ; representa 25
annos, cheio do corpo haixo cara larga. Este es-
cravo pertenco ao Sr Jos Mara do Jess Muniz.
Quem o pegar leve a ra uo Brum fuiidigflo de
Mesquita &Dutra.que ser recompensado.
Fugio, na imite do 5 docorrente, de bordo do
brigue S.-Maria-Boa-Sorle, o escravo marinheiro ,
de nome Joaquim de nagilo que parece crioulo ,
de bonita figura, bem fallante, estatura alta bar-
bado com suissas por baixo do quoixo ; representa
30annos poucomaisou menos; consta andar pa-
los arrabaldas desta cidade. Roga-se a captura do
mesmo certificando-se que quem o levar a bordo
do dito briguo, ou a Amorim Irmaos, roceber boa
gratificac.lo.
Fugiram, nodia 21 de oulubro, do engenho
MazagHo os seguintes eseravos : um crioulo de
30 annos, alto e alguma cousa vermelho o signal
mais visivel que tem he ser quebrado : outro ra-
melo fugio no dia 29 de novembro, do nome Jos
Brs com cabellos bem cacheados, mogo ; tem as
pernas arqueadas c ps grandes : e outro preto de
nomo Jeronymo, do* altura regular, mogo c bem
barbado. Todos estes eseravos sSo do serillo e por
isso he de suppr quo seguissem para cima. Ro-
ga-se as authordades policiaes e capilSes do campo,
que os apprcheudam o levcni-nos ao dito engenho,
ou a ra da Cruz, no Recife n. 26, a Luiz Jos de
S Araujo que gratificar.
Ainda contina a estar fgido, desu-
de o dia 8 do correnfe, o cabra Manoel,
natural do Har, e que leni os sigues se-
guintes : representa ter 30'annos, alto,
rosto redondo, di bellos pretos e corridos,
ollos pretos, pouca barba; tem a falla >il-
guma cousa descansada ; consta que tem
andado pela Boa-Vista, inlilulando-se
por forro, e julga-se que cotn es^a eva-
siva j llie assenlaram proc no l'ar.
Costuma embriagar-ae amiudsdas vezes.
liste escravo pertenee ao Sr. Nicolao An-
tonio Hodrigues Chaves, do Far. Quem
o pegar leve em casa de Novaes&C, na
ra do Trapiche, n. 34, que receber boa
gra'ifi cacao.
Fugio, no da 15 do correte o escravo Luiz,
preto Congo baixo, bem preto ; tem o dedo mni-
mo da man esquerda cortado ua parle superior :
quem o pegar leve-o a Jos Autonio Lourengo, mo-
rador cm Olinda ra do Varadouro ou no lenle,
la Jos Joaquim de Lima, que ser recompensado.
Fugio, na noitedo 12 para 13 do correte o
preto Silvestre grosso, baixo, ps apalhetados, cor
avermelhada], cabellos tambem avermelhados ; tem
a marca C n pcilo csquerlo; tem dous melhodos
de falla grossa e fina ; lovou camisa c ccroulas de
algodSo da Ierra, e chapeo de palha ; conduzia um
bauzinho forrado do couro preto com malhaS bran-
cas do Recife para o Sanches cheio do roupa:
quem o pegar leve-o a ra da Praia, sobrado n. 25 ,
a Antonio Paulino da Silva, ou ao dito sitio de
Francisco de Carvalho Jnior, ou no engenho do
Meio que ser recompensado.
Desappaieceu, nodia 17 do correte, depois
das horas da tarde, o molequo Domingos do 1*
anuos pouco mais ou menos de nagilo Costa ; lem
alguns talhts nu cara nariz grande, caliega com-
prida para tras, ol.os pequeos, ps grandes e mal
feitos ; levou caigas de brim ja velhas camisa do
olgodo azul, e bonete de panno com bolotas en-
carnadas : quem o pegar leve-o-a ra da Cadeia di
Recife loja do cambio, n. 38, quesera recompen-
sado.

retroz ; ricas flores do ultimo gosto de Paris; um o,
bomlo sortimento de chapeos de senhora, de todas' Pern. : na tp. Dtst. f. petara. 1047
)
MUTILADO


14 nno de 18417.
*
Secunda feira 20 de Dezembro
N'51^
@A&
DE
PERNAMBUCO.
(SOB 08 AU8PICT0S DA SOCIEDADE COMMERCIAL.)
______________' ___________________
Subscreve-fi na Praea da Independencia, loja de livros n. G e 8, por aasooo ris por anno. pagos adianlados.
PHE^OS CORREJNTES DA P11 AA (Corregido Sabbado as 3 horas da tarde.)
<
l
>
1 .i

_ d e .0
2.a -.:
'S .2
Beuce
^5
B 3
bis J b- n
ES f > 5 'J-
8
I
i I

1-8
.'. II
s =0
3 "8
2
-c.
.?
W i s i i'.'
i I
P P
.1
c-"5
U
. 5 O) O O 3 O O S O O
o o o -o x c* o to^rie*sC'
01 t- r -5 -o -O N =0 *" P* .T r- *-?* s*
-=-=

--a

> n -
-9 .
41
= = o = .
coe eo o o -* 00
0-
- : = =
o 2 a ~ < J ? 3 p ,S "
^ s m -- -r s -
.3 .-g i


o
x ca

** ^B: U
-* ^*
- O O
rincn
coco 9.
J o
r- -f x o o
"1 -* ^
* r-j e*
* e o T T>* *------
--? c -o o ,0 s *^ ya
C' '
- CCCCC3S'-iC5C-*
(j -wesi -w
C C -rt
: r c a.

c c
c c
c cree ^ t* o ooo
fl C C< ff^WO C-eO
? r r* >o
ocsrooc c 9 =
s=oeeceo ^3
ceocsc c -2
r* oor-- *
00
C O O
o = O O
* *to ^ ** -^
r* rt -o o
ee=0 eco cce -occc coo
o _- 3 e o o 00 c
o c
000 r- w
oc r-

x
u
i
c
3,fiii:.ij-ijj.i-...:.illf-i!-l.-.i-iHii--|4tjl-|-|-J...........-I-
I -i 5.-3 !".= :
I I lilil I. ti i T'*tj i ^ 1 I ii'i'c j =|

o.
3.-S = |3 2 5 5 3*14
= S c 3 S t .= f z = o -t =
2;!?Z i a
r^ejo^s. apees
C- J = U ~C-_ -e O-
3 b C ~
I 5^3 ,j 5 :
c = oc=:<= = cc = ==
co-fl= = -- = c= c =*< ,
^^" 5
? 5
>-J
J i 2
s eeve
-o a: O O sV
C4 O 9
C99
ncc*Or*
9*tc>cj
g fifi g5 Ifllll il|
- saz* fe-**" "55? j?S
eoc99
st r> c- r
k


J
(*>
EXPORTAgO.
Agoardente Casaca -
AlgoJo |. sorte- -
I. -
Assucar iraneo em cimas novo
mascavado *
par em barricar ou en-
saccar, lirauco uovo -
mascavado -i'
Uou'ros seceos salgados. -
Meios do sola -
Cnifrsl da Ierra- -
do Kio Grande -
Rum....... 0J000
Colln I. qualilj- _
2. .
Silgar in cates wliilc new _
t brown _
lor Barris or Uags .
wliite new |
lirowu. -
Dry salled hides -
Tanne liides -
Ot-horns -
mm
14900
14400
100
2j!e00
2J0OO
S2JOO0
5*201
447O0
a ou
8 U0
54100
10b
1420(1
3|u00
Pipa.
Arroba.
s. ferro
Libra.
Iliiin.
denlo.
CAMBIOS.
Londres
Lisboa .
Franca..........................
ftio de Janeiro..............
PK Al'A milicia...................
> l'aisces Braiileiros.....
Pesos Columnarios......
' Ditos Meiicanos........
OURO. Moedas de 6**00 velhas ...
UilM ditas noval ...
Ditas de 4000............
a Duras l.espaoholai .......
mus Palriolicas
.... a 37 d. por 1/ rs. a 60das.
9& por cenlo premio, por metal, eflectuade.
,... 360 res por Trauco.
.... ao par
... i*00 a i/20
... I*0 a JflKSO
Ifv40 a 14960
14760 a I|8n0
16/H'i a I6JJO0
lOJOOO a lO^lOO
' SfOUO a 84200
2KJO00 a 28;i00
5 34&00 a 38*000
Letras................/.......... la I 7t Por '" ao '""
FKTBS.
ASSUCAR.
Liverpool...............Saceos f I. 10.
Caail, portos Inglezes........... 2.11
Hilo, diloentreHaiiiu.e Havre. Dit6 0 >jjiCC0J,
Geiov.................Saceos *.
II1 luirn caitas................ 3-
D.llic.i........................
Trieste.................Saceos tl.H
Bal dos-Unidos................
Portugal........................* 4
f 'raoc 1.................
80 frs.
Com 5 %
llom 5 /
Com inn/
Portugal..
Franca...,
Inglaterra.
Hai-celoua,
Inglaterra
(ranea.. .
r'.slad'ns-U
Seceos.
nidos
, ACODAO.
00 por (> sem primagem nominal
<()por (ge tOpV" aocainli.de lli0p-lr nominal.
Y,il e a p. /o c'e primageiu,
4 coris
counos.
......... 310 por tonelada ei/o, nominal.
........ 10 rancus por tonelada*, com 10 p, ccuto.
. ......' No lia.
V
Jai-B^f 15 c c ~w a
0T2
KS
Da da
folh
de Novembro de 18" S > Jtanle pagarn 60 p. c.o rape011 tabuco | iguaes de nuda naco.
Os artigns nao especificados na -paula pagoodireiloarf ra/nrtmsobrea factura
presentada pelo despachante 1 podendo porm ser impugnados por qualqurr ofliciai
da Alfandega, que em tal caso paga o 111 porte da factura ou valor, eos direiloa.
">o caso de duvida sobre a classilicacn da mercednria, pode a parle requerer
arbllrameulo pura designar a qualidadr e.valor da pauta, que ihe compete.
Saoisentas de diieitos as macbinas. ainda nao usadas no lugar, em que Torean
importadas.
em p, os charuto* ou cigarros, o fumo tiu lo ou em
. Pag.raO n. c. os saceos decanhaiuottO. grossaria ou gimes da India, oscaiii-
vetei c.n, loma 'le punlial, as almofadas pWcanuagen* as pedra. Uvadas parala-
Cedo, as pedral decantara para p'orloes, porUs e jaufllai, as pedias lavad., para
eicaiia.nentos. cepas, cuahaes e cornijas, o assiica rehilado, crystahsado 011 de quel-
juor m.ucira cor.feitado, o cha. a agoardente, a cerveja. a cidra, .1 genera, o mar-
rasquino, ou outros licores, e os viuhos de qualquer quahdade e precedencia
Haear 40 p. c. as alcatifas ou tapetes, O canhamaco ordinario ou grossrrl. as
ajalaocas de qualquer qiialidade, e roupa fetos, nao espechcada na tarda, asearlas pa-
ra logar, ai scovas de cabo de inarhm, o fogo da China em carias, ou qualquer ou-
trolo'go de artilicio, o papel piulado, pratcado. ou dourado, sendo de quahdades
linas o panel pintado liara fori.r salas em collecroes uu paizagens, o pape, de llol-
HtlJl, imperial, ou outro nao especificado na tarila a plvora, os saboneles, o saino,
,,,-..,,.*, Cl velas, as velas de Sleirina ou composicSo, as amenas, ou ontras fructa*
em frascos ou latas, seccas, em calda, ou t.11 espirito, o cliorolate de cacao ordinario,
o vinagre, os carriiihoi, carruagens ou caina, jogos, rodas, arreios pan- nina e ou-
t-a cousa as esleirs para forrar casas, os carros para condiuir gente, os sociaveis,
silhoes, os areieiros e tinteiros de porcelana, e qualquer objecto de louca nao coin-
pretiendido na tarifa ; os lustres, OS clices para licor 011 vinlin de vidro liso ordina-
rio 01 de vidro moldado ordinario lavrado ou moldado, e lavrado ordinario da Alle-
nianha e scinelhautes os de vidro liso moldado ou lavrado, de fundo cortado ou liso,
o n molde ou lavor ordinario ; 01 clices para Champanhe ou cervrja, as canecas,
cpo diieitos de 10 a J em quartilho. as garrafas de vidro at 1 quarlilhc 011 mais,
mudo todos estes objectos de ni. le! as garrafal de vidro pela 011 escuras da
acama capacidade, comprehendida as que servein para licores ou Le-lloy ; 01 copos
dura tabernas ate urna caada, os frascos de vidro ordinario com ralbas do mesmo
le 3 liliras ou mais ; ou sem rolda al 1 libras 011 mais, os de lioca larca com rolhas
do mesmo, al 4 libras ou mais, ou sem rollia para opodeldoc os vid ros para a-
jiiim las 0,1 candeiros, as talioas ou l'olhasfde mogno ou outra madeira lina, e tras-
ees de qualquer madeira.
Pagaro Ji p. c. o ac, alcatro, lineo em barra 011 em folba, clmmlioem barra
ou lencol, estanto em barra ou em vergiiinha, ferro embair verguinha, chapan
lin uaiios para l'undir.ao, folba de Flandrcs-, gallia de Alepo, lata em folhas. lalo em
Cliapa inarhm, salitre, vime, hacalho, pene pao, e qualquer outro, secco ou tal-
ludo bolacha, carue secca ou de salmoura, berva-doce. feriaba de trigo, pellicas
branca ou pintadas, cordoves 011 cortes de brierro para calcado, bezerroi e conros
euverniudos, cauros de porco ou boi, salgados ou seceos i sola clara para sapaleiro
ou correeiro, coDre e caparrosa.
pagaran 20 p. c. o trigo em grao, barrilh. canolilbo, espiguilha, fieiras, lios,
f'auias' lanlijoulas, palhet, pasiamanes, sendo deourooii praUentrefina, oidina-
r ou falsa: galoes da mas m nalarei, 011 tecido* com retro/., linbo. nl^ndo nu
seda rendas ou ntremelos de algodao nu bordados ; rendas de lit, as ue algoilo,
relio"'. 011 tracal; lencos de cainbraia de buho ou algodao. e bandas de retrot de
malba.
Pazar 10 p c. os livros, maupas c i'ol>0*geograpliicos, inslrumentos malbe-
maticos de physic'a ou cbimica, cortes de vestidos de velludos 011 llmaseos, borda-
dos oe prata ou ouro lino ; retroi ou tracal, e cabello para calielleiieiro.
Pagara B p c. o canulilho, cordao.de ho, espiguilha, fieira, lios, franjas, ga-
lio de ho ou palbcta, lanlijoulas, palhela. rendas, cadarros e todos o mais objec-
to* desta nalureza, sendo de ouro e prala fina
Paga-id & p. c.
nteiuus de prata,
pagarifi 4 f. c. as Joias deouro ou prata, ou quaesquer obras de ouro.
Pagar) 2 p. c os diamntese oulras podras preciosas sltas, semenles, plan-
. tas e races novas de animaos utei*.
PaearO 0 p. c. todos os mais objectos,
t'~mlU eros rcesportados 011 baldeados pago I p. c. de dir'tos alm da armase-
nagsm; e o despachante presta flanea at approvaro desta medida pela Assem-
bla'raU!
Conctdem-se livres de armazenagens, por lidias, as mere .dorias de Estiva, e
ous meses as outras ; e findos eites prasos, pagaro /, p. c. ao mes do respec-
vo valor.
Osdlreitos das faienda, que pgSo por vara, dere entenderse vara quadrada
Os direitos nao podem ser augmentados dentro do anno finaneeiro ; mas o Go-1
verno Doler mandar pagar em moeda de ouro ou prata urna vigsima parle das que
forem maiores de 6 e menares de SO p. c. dos precos das mercadonas, on mesmo
diminui-lns, segundo IKe parecer. ,", 1
O Governo est autorisado a esUbelecer um tlireilo diflerenctal sobre os genero*
direitos pago-se so-bre a ayaliaco de urna pauta sema-
r 10 p. c. Algodao, cal, e fumo lip c. Agoar-
F.XPORTACAO ')s dii
nal na razo scguinle 1 .isucar 10 p. c". Algo
denle, ciiuros.'e todo* ./i mais generas 7 p. c. Alem destes direitos pagfo Se no
lasas ile 160 rs. em cada caita; de 4u is, em Cada lecho, de 50 rs. em Cada barrica,
ou saceos de assucar, e de 40 rs em cada sacca de algodao.
Couros o* todos os mais generas sao livres de direitos Sara os portos do Imperio, a
excepcao do algodao, assucar. caf, e fui, o. que pagu 3 p. c. e as laxas por volme*
Os metaes preciosos em barra pago de direitos 2 p $. solrre o valor do mer-
cado', e a prata e o ouro amoedado nacional ou eslrangeiro paga unicamenle '/2 }>. c.
Os escravos exportados pago &/JO00 por cada un
DKSPEZ.A DO POHTO As embarcaces nacionaes, ou eslrangeiras,. que
naveuio para fnra do Imperio, pago 00 rs de ancoragem por tonelada : e as
nacioiiaes, que navegan entre os diversos portos do Brasil 9C rs. As que entraren,
em lastro e sahirem com carga, e vicc-versa, pagaro ornado do iin|islosupra e um
terco as que entraren), e sahirem em lastro; e mesmo as que eutrarein por I anqu,
nu escala, quer en I rom en lastro, quer com caiga Desta mposioo pnimicro
inciil.-is as que impoi-taremmais de 100 Colonosbrancos, e asqueenlrarlrem poi arribad
loisrada, com tanto qne estas nao cnrregiiein. ou descarreguem smente os genero
uecessarios para pagamento dus reparos, que fizercm.
REVISTA SEMANAL.
CAMI'IO?. Transac^es regulares a 27 d. e algiimas pequeas a"27 ALGODAO fnti.i'o 86& .saccis, e vrn'eram-se as qiiutarors
SSUCAB, Rntraro 337 caitas, tendo-se pago algumas |5or 900 rs do
branen, c 800 rs sobre n ferro do mascavado.
COnOS. em alleraco.
FAHIMH DF. TIUGO. LlietOU un carregamento de Trieste com 1,2*
barricas, o nual se venden ien-a de 21,1111o rs. ; o deposito andar por 2000 bar-
ricas. ,
RACALIIAO. ^o houvernin miradas ;,o- deposito anda cere de 6,000
barricas
CARfiF. DE CHARQUE Nao eutrou ncnl.um carregamento ; o deposito ho
de 18,000 arrollas, e os precos os mismos.
Resumo das Embarcacet existentes neste porto no dio 18 di Detcmbra di 1847.
carvo de pedra, ouro par domar, ou quaesquerobras e
........
Austraca ..............
Hiasileiras ........a.-*......^......................................
Diin-marqucza..............*...........-......................,...
fraucezas .... ............,...............................,a......
lia'- hurgueza...........................................................
llcipanhoia................................................. .........
Ingletas ...........
Portuguesas.........'...,
Saidas................
...
Total
. t
IT
3
I
I
4
S
4
41
A Piotiiicis goza Iranquiliilac*


(5)__________________________
LISTA das Embarcaces existeotes nest porto at o dia 18 de Dezembro de 1847.
NTRADAS.
Dezembro 2

1
Setembro 2 4
Outubi-o I*
50
. S
25
. 57
Koveinbro'
i
m
7
DONDE VBM.

52
58
Dezembro I
4
o
.. r
12
I
ISovcmbro 28
Dezembro 2

12
IVovembro I"
Puvembro l>
Novembro J3
21
Dezembro 2
U
10
ulubro 21
5S
Nnvembro 28
Dezembro 9
Selemhro 3 i
Novembro 15
20
28
Dezembro 4
J2
Mastaganem
Waltlord
Trieste
Rabia.
Ilahia.
Rio Grnelo do S.

Ruenos-Ayres.
Baliia.
Rio(ramle do S.
Ce ar
Angola.
A s ii
Terra-Nova
Por lo
Marnntio
A ss
Baha
Rio ile Janeiro
Ass
Parali iba
Trieste
Terra Noy
Havre de (jr..cc
Ilambur^o.
Camarias
Liverpool.
Tena-flova
Gnspe
Kirkaldy
Liverpool
Porto.
Figueira.
Porto
Lisboa
CardilT.
Madeira
Genova p. Malig,
Marsellia
Genova
Maiscllia.
cisco.
polaca
Larca
es cuua.
date
brigue.
patacho
hriyue
barca.'
brigue-

patacho
patacho
brigue
escuna
br. esc.
pataono
brigue
l>arc<
brigu;
liiaie. '
b..-esc.
brigue
bngue
l.rjgue
sumici.
galera

C'CU'l-
hrigu
barca
barca.
brigue.
brigue
brigue
barca.
biig.ie
barca
brizne
I rea
luigue.
NACAO.
Austr.

Uratil.
in.im
I'rmc
llamb.
lies,..
Ingl,
Pon.
Sanio.
NONES.
Perast
Ped
Angeona
Boa-Viagem.
Minerva.
Marcial.
S. Mara Boa Sorte.
Douro.
Cnnlianca.
Firmeza.
Independente.
Dos te Guarde.
Laurenlina
Dnio.
Sociedade
Curiosa
Veloz
A reclina
F.liz
Generosa
Ki-li/. Venan *
Duvi.loso
Denriqueta
Dnurad
Beaujcu
C'ezr
Paradles.
Ailiiano
Swonl Fish
Serapll'na
Johii-llomillv
GenrTgaan
^risci.i ,
Espirito-Santo
Primavera.
Ventura e.'iz
Carlota 8c Amclja
Washington.
Tergesleo
BfJli.a.
5, Jos Fortuna
Calliariua
Liurfc
TOHS.
K>4
208
18a
JO
141
189
222
I6S
508
n*
192
114
lie
in.)
195
til
I&3
5U6
187
598
133
144
136
13
138
132
IfiJ
19"
9t
fTi
S9
102
280
518
303
102
530
208
23o
411
I9.J
278
524
197
MESTRE.
Marco Serovich
lli.-ejio Debita
Covucovich
Jos Antonio de Sonra
Antonio Kibeiro dos Santos.
Justino Anlo io 'ia .Silva.
Jos Joaquini Das dos P.
los Caetano Vietra da Silva
AntonioBapiista de Oliveir
Naicizo Joa de Santa Anua.
F. J. Pereira Dulra.
Manoel Jos d'Azeeilo.
Ant. Germano das lleves
Domingos Gantes loares.
Jeronyrro Joa Telki
I. V-evedo
Franc Heanlo de Mallos
Ant Sil-cia Maciel Jnior.
Je.Miino.J05e de .souza
Ji>" de Oliveirn Suuza
Joo Guiiralvcs I/ i!!
Josc J.)..i|uiin Dimite
Jos IOdi|mu Alvcf
CONSIGNATARIOS.
V.L Elueraa,
I Ion el.
Evers.
Leinelez
P. Xybranlz.
Oiver
Riebarilo Greca
liilm Tavlor
Hicl.-ld K.-ndall.
D. Itronu
R. (oble
Amonio Ferreira l.eite J.
Rodrigo Joaquim Correia.
Zelrmn \ entina dos StQS*
Manoel Joaquiui dos Santos
A. t.opula.
L. Demouresii
umingos Bosano.
Jo.- Canepa.
redro Leonaido l^ovoco
J.. l.iceie
N. O. Bleber & C.
Le Bretn 'c'iramm & C.
1N. O. Bieber & C.
Jos Luiz de Sonz*.
Francisco Alves da Cunha.
Guadino Apostinho de Barros.
Amvrim lrmos.
G. Agostinho de Barros.
Amoiifn lrmos
'andino Agostinho de Barros.
"Manoel Alves Guerra.
Jos Pereira da (.unlia.
l-ourciico Jos das JVeves
Gandido Agost'nbo de Barros
Jos Francisco Collares
Luis Jos de S Aratijo
Manoel Uuarte Hodri^u s.
Fumino Jos Felin da Roza
rfranno Jos Flix da Roza
Auionm lrmos
(ladino Aeoslinho de Harroi
Joa .Manoel
r, Joaquim Pedro da Custa,
N. O. Hicber & C.
Xvnal Frres.
B. lserre Si C
Avrial lrmos
N. Bieber C.
J. Pinto d Lemos S: Filbo.
Me. Calniont i C.
Johnstcn Palor & C
Kredriick Ruhilliard.
ate. Calmnnt Si C
Julinsiiiii Pater & C.
I'ranciso Alves la Cunha.
A. 'oaquim do Son?.. Ril.eiio.
Ment St 'IVrozo.
F. Severiauo Rabello & Filho
Joaquim Itaptisia Moreira.
Oveira Diaos iX' C
Glli-eiia Iriiijns & C.
Joo Pinto de Lcinos & Filho
Joan Piulo ilc Lemos & Filho.
Jos Saporiii
DK8TINO.
Trieste.
Baha.
Fernando.
Biienos-Ayres.
Rio de Janeiro.
a a
Babia
Rio de Janeiro.
M.iranhioel'ari.
Rio Grande do Sul.
Rio de Janeiro.
Triesle.
Havre.
m
(Jarqburgo pela Par."
Liverpool a 21
. 23
Canal.
Canal.
L veipooi pela Par.
Porto a 20
Lisboa.
Trieste.
Genova a 21.
Genova.
Trieste pela Pr.'
Genova.
Afielar
Permmbuco na Typo;rapbii de X. F. de Faria 1847.
y\