Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08794

Full Text
Auno de ,184?.
tasxctm
I) DURHX yiMic'-SP lo.bs os din nie-tilo
rcm de Pil".t : 0 praco el, i?njlam h He
ijOOi. rs.porqu*r!l. pagos ailanliii--- O an-
niinciM 2tJ. p.Hlnil.a, 10 r* em tvpo Wftraote, e as
.,, i,l Os qu.Mi.0 f.rooi
,"lr,pr0r porlinhi, e I8H e.n lypo
dillerente.-pof sad. [il>lic..c..o.
P1IASKS DA LuToMEzTi" DBKURR.
I u nova, 7, i 6 !< e "h-
C,.cte.l.. i l.on.6 low.d.mwh...
M a.* 2. oijll mlD. da Urde. .
Safohada 18
PART 3 4. DOS CORREIOS.
%'ioiniinaeParalivlia s segunda* escalas ft:ii.
i'.ni-i; randa-li-,Norlo quimas feirasaomeiy-dia
Cana, Serinliem, Rio-Formoso.Poito-Calvoe
Uacel no l.*, a I! c Si de cada mez.
ins o Rouito, 8 e S3.
ll.ia-Vi.-".i e Flores, a 13 e .
Victoria, s qutntatvfeiFM.
linda, lodos os dis.
PIIEAMAA DE HOJE.
I'riineira, a I lorae 19 manilos da inanhs.
Segunda, a I llora e 41 niiuulos d larde.
Dezembro Anno XXCV
DAS D\ SBMABA.
CAMBIOS IW> m A II O DK7.RMWIO.
13 Segunda S. Lusia. Aud. rioJ. d> orph.e do
J. doc d >U> J. M. <' v.
lo civ.
del.
14 Terra. S. Agudlo. Aud. do J.
da T.e do J. de poz do 5. lis'
,S fjuaita. S. Euzehio. Aud. do J. do civ. da 1
v edoJ.depazdoJ.dist.de!.
10 Quinla. S. Albina. Aud do J. de orpli.e
lo J. municipal da l.vara.
17 Seata. S. Colaiuco. Aud do J.dociv. da
r.a do J. de paz do I. dist de t.
18 atibado. S. Kspiridio. Aud. do .1 ilo Civ.
da i. e do .1 de paz ik> I dist. de I.
19 Domingo. S. Fausta.
gol ,i -a 1/mdres n "-7 Va'1 Pf '
P-ris 310 rs por (rano.
T.isl'^. !>:. p^r lOC'.depre
DeiC. de leliras dr I>om firmas I
OtlMOu?) l-espanholas .
,. MoetlasdcO"i>ell. .
de fltOO ne.T .
de afOOO .....
Prala Palacoes..........
Pesos columnares...
Ditos mexicanos ...
Muid i..........
Accei dacomp. do llelienn de
J rj. a O"" iiin>.
uro.
il7
J8?unn a
16*100 a
IPJfon a
9, li
aoin
2
||D40 a
10700 a
IJ960
i0|000 rs
JS|lll
I3J0O
l?IOi>
pal Od
ifllK
IjOCn
IJMI.I
i|ko
.sopar.
TITA
fll?. F
AOS SEKHORES SUBSCRIPTORES
EM ATP ASO.
Nflo he esta a primeirn vez qiie o emprezario ires-
t Diario ha rogado tos Jira, subscri plores queso
deix>*m atrasar no pagamento das respectivas as-
signaturas, hajam derealisa-lascoma devida^prorap-
tidilo ; mas, isto nflo obstante, semclhaiilc' atraso
contina quasi na nicsma escala, co'm grave; preju-
zo do reforido cmprezai io, que tcm de fazer despe-
zas cuotidianas 8 infalliveU, no entretanto que
sofTre, da parte desses Srs., urna demora extraor-
dinaria no cumprlmento da obrigag.no a que volun-
tariamente se suhjeltaram, quamio, por proprio ar-
bitrio, vieram inscrever-se na lista dos assignantes
deste peridico. Kilo, pois, espera que dora em
diante nflo continuo esaa pralica tilo abusiva
quanto prejudicial aos seus interesses, e que os
preititos Srs. subscriptores se decidam a pr-so oiti
da no indicado pagamento, como rigorosamente
Ihe9 cumnre.
EXTERirR.-
LISBOA, 1 DE NOVF.MIinO.
0 partido quo aspira ao dominio perpetuo do paiz
nflo condece ieis, nflo respeita instituigOes, xomba da
moral, o ri-so das conveniencias sociaes. O furor
roubou-lheojuizo. Cabio n'tim frcnosl de prostitui-
Sflo. O plano ltimamente concertado he a intimi-
acfln. Trabalham nelle os agitadores, desenfila-
se a imprensa para os ajudar.
Desde que ambiQflo he obngM pelas formas
consiilucionaes a justificar-sc peralte a rasilo pu-
blica ; desde que ella tem de so esconder como pai-
xflo, e do se fazer passar como systcnia de governo ;
desile que a imprensa he o echo dos orros e ilas ver-
dades, dos vicios o das virtudes dos partidos polti-
cos, inda ella nflo revelou tanto desaccordo, nem
ostentou tanto dosearamento.
Kssa faceflo hydrophobica nos nc.oesos da suri rai-
va. transrorma-se le mil modos, toma todos os as-
nelos. Insulta boje o que hontem reverencio!! ser-
vil mvnto. eemprega como meio licito oque censu-
rou iws outros como crimo. Ncm pessoas nem coli-
sas teem scguraiiga conlra ella. No accesso nem ye
nem ivve, arremessa-sc a ludo e a todos.
Queremos simplesmente em prova disto approxi-
mar os trechos mais furiosos que a faegilo mcorngi-
vel mninlou escrever, e combins-los coro alfuns fac-
tos ile que temos conhecimento.
Dissc-sc que o f rincipo Alberto havia cscripto a
el-rci, aconselhando-o anda outra vez i que influis-
se, para,que o paiz. fosso governado constitucional-
mente, e que, tendo finio os ltimos acontecimeotos
urna profunda impresslto no animo deste principe,
recebera as advertencias do su prenle enm mos-
traadeapprovacflo. Ksln caita e estes ditos Toram
ocoasiflo para que o Eitandart rompesso as hostili-
dades conlra o rei, altudindo a elle na pessoa do
principe Alberto da maneir ssguinte :
a Nflo podamos err que o principe Alberto, a
qncni os Inglezes nflo concedem a mais pequea in-
gerencia nos negocios polticos do sen paiz, e a quem
nein sequr concederam 6 portar servir-sccoui oti-
tros-criados (juc nao fossem nglezes-oflo podamos
crr dizemos, que aqlielle augusto principe, que.
unicauienlu marido da rainha da (rfla-Brelanha, es-
la estrieltmente circuinscripto no seu paiz adoptivo
aos devere.s de um bom pai de familtat, nflo tendo nem
pudendo tor outra voz que a do subdito, tivosso a
intenso de vir recular em l'oriugal o governo, ou
adminislracflo poltica deste paiz II!
l'oucos dis depois, o rei, que o Estandarte quera
bemestranhoaos negocios pblicos, bem limitado
aos seus ilevercs domsticos, nflo podon.lo esr.olher
os Kutcriad'.s, nflo tendo outra ros que- a dctub'hto,
he convidado para exercer urna influencia completa
sobre os negocios do esUido, lembra-se-Iho o favor
da regencia par* 0 obrigar pcloaradecimcnto a ser
lente fiel i urtla pareialidade poltica. O Mandarte
explica-se assim : .
Esperamos quo dothrononos venha o remedio
a tantos males, e que o Senhor n. Fernando, mos-
trando que he digno do alto posto que ocrupa ao la-
do da augusta rainha dos l-ortuguezes, e da conOan-
ca que merecen nos amigos da carta, para o faierom
designar, como regente do reino, na calamitosa fal-
ta quepeos afTaslo) dnnossa soberano.-ha de
tritiuir sempre; como Portuguez lale fiel,
> I____ m .1 nn na Itf ti i
do lodos os Portuguezes, nflo podiom seguir cami-
nlio mais proprio para chegar ao sen fin com se-
guranza. '
Felizmente os carlistas hflo de saber em todos
os lempos fazera'distinccflo devida entro os ininis-
Iros e o Himno de quem laes homens so dizem mi-
nistros ; e est certeza he que nos da animo, nos
conspla : se ella nos faltasse, a nossa magoa eafllic-
gflo de certo que nflo conheceriam limites.
F.spalhadns estas ameagas, estas desconfianzas pe-
la imprensa, era preciso autorisa-las com algtima
demonslragflo dconsontimenlo publico, o isto pre-
parou-se passando ordens As gentes que estilo en-
earregadas de exprimir a opiniflo nacional. O nego-
cio compoz-se da maneira seguintc. Insinuon-so ao
partido eahralita que nflo fosse no da do boija-
mflo ao pago en grande numero, e por outro lado
dsse-sequeosolllciaes dos batalhoes nacionaesfo-
ram constrangidosa apparecer la. OSr. marquez le
Fronlcira pAde, segundo se diz, trazer a bous ter-
mos os nimos irritados d'aquella distincta ollicia-
lidade, econseguio orrasla-la, principalmente por
contem'plagflo com osou chefe, a fazer cumpnmen-
tos para que o seu coragflo a nflo chumava. Ha mul-
t queoSr. marquez de Fren te ira traz s5l>re seus
hragos a causa do throno. Se nflo fora elle, se nflo
foramassuasmaneiras c a sna induencia sbreos
batalhOes nacionaes, ellcs devogao que leem- pelo
conde do Thomar, e ao -rencor que professam aos
intrigantes que I he nflo deixam salvar o paiz, ter-se-
hiam j dissolvido esponlaneamcnte para vngara
carta ultrajada e a Independencia nacional, que re-
negados l'orluguuzes venderam a eslrangeiros. Isto
toda a gente salie, c por isso todo 9 mundo olha pa-
ra o Sr. marquez de Fronleira como una columna
do estado.
irmuir sempru, cumu iui>a~-y; '.- j'"!'1 *' "
guranga da nossa independencia boje violada, para
o restabelecimento do prestigio do lorono, e do ta-
lado imperio da paz, e da verdadera libe.dadc de
Tpntt a Dos que os nossos vtossejam ouvidos
no Co, e que as nossas esperaiigasuflo sejam illu-
didasna trra. ,,..,
Kcitas estas advertencias a el-re. com o chapeo na
cahega, seguem-se asameagas arain lia1 do que o
partido artista rasgue o veo da .i.v.olal..l.dade da
(.ik-.i, e comece a ver nella um obstculo aos seus
dselos. ...
FstHsamcagossflo futuras ocondicionaes. Rflose
i une a Coia perca o affecto aos seus leaes defen-
sores ; mas, se Chegar essatenivcl calam.dade ha
dohillivlBiJWleVrovr-ue* salvagflo da republi-
ca. O Estandarte assim o diz nos temores que na u-
lesltdeque a magoa eaafflUfOo dos carlistas n.lo
eoltica os limil.'S. F.is-aqui as suas palavras :
Porm advirUm os ministros que, seestives-
sem encarregados de allienar do throno os nimos
No theatro foram proscriptos os vivas, as palmas
o as fardas. Bcinou profundo silencio. Os bilhetcs
qUn antes se davnm para applaudir, foram dados pa-
ra o nflo fazer. Em lodos os rostos eslava pintado
o desconteiiliimenlo. e via-se qno o partido carlis-
ta esta va a querer desconfiar de que os ministros
nfio eram s culpados na desgraga do grande ho-
mem. Todos quizeram com aquella significativa la-
citurnidade ensillar ao rei como os l'ortuguezcs sa-
l.ei.i castigar sem pao nem pclra os principes que
recebom cartas de seus primns.
A Imprensa annunciii depois quo o beija-mo es-
tove pouco concorrido, e annunciar de certo que
no theatro nflo houve a monor mostia do alegra.
Ella ja o sabia. Como ludo slo nflo foram mais do
quo svmptomas do dosgoslo que lavra no partido
carlista e ella o tinha sondado bem e indicado coni
anticipagflo, fcilmente podia prever quo taes oc-
currencias teriam lugar. Su o Eitandarte conhecia
quo o ardor do partido carlista eslava um poucaen-
tibiado, podo ver-sc pelas segumtcs linhns :
1, E queni o duvida ? Com seu proceder Ifl repre-
hensivel, tao culpavel, os ministros nflo s concitan)
contra si a indiguagfio puhlica ; mas tamben: lazein
adormecer sympalhias, que quizeramos v6r semprc
despe tas, e Iflu dedicadas, quanto convem, e ho ne-
cessano, para que nflo baja em caso nenlmm dilh-
culdade invencvel para alausa do throno, da qual
depende a salvagfio do estado.
Aqu anda ocasoseapresenla mais gravo. As sym-
palhias menos despertas e dedicadas comproinet-
tem ja a causa do throno que antes disto' era inven-
cvel. O silencio do Iheatro o a ausencia do beiju-
mflo sflo precursores de maiores desgragas.
listando tflo desabrido o ameagador o grande par-
tido carlista conlra as mais altas personagens, para
tudo o quo Ihe tica inferior anda he mais cruel a sua
ira. Nflo podemos copiar os rasgos de impudencia,
de falsida-lc, d'ojmo gosto, o de pcssma educaeflo,
com que o Estandarte deturpa os retratos de alguns
carauleres pblicos da nossa tena. Nflo aprecia, in-
juria. Nos nflo temos IraquCza por nenhum homein
publico, mas tratamo-los a todos com jusliga. O E-
tandarte a eslo respeito dflo escreveu senflo mise-
ras, nem sabe maldizer. Negar hahlidade e servi-
cos diplomticos ao Sr. duque de Pal mella, e 110 Sr.
Itodrgo da Fonseca Magalhfles talento ealVejgflo as
lnnas consiilucionaes, he urna grande illjslica e
urna prova de pouco tacto,
Quem lom peior quinhflo as furias dos eabralis-
tas sflo os pobres ministros, o a fallar a verdade alies
sao os menos culpados. Osultao vn-se lomando ca-
da vez mais caprichoso, e nflo ha meio do contentar
aquella vonlade. Ilojam-se pela lena para o servir,
e elle em paga manda o cordflo 11 quem man seos-
faifa. Os ministros deixam iuo os assassiuos dos
Srs. Cabraes mataih a (iiiem ellos mandarn, que. as
suas autoridades pewigafli quemelles mdicam, que
os seus oWlores encltam sos as listas eleitoraos, que
os seus soldados os victoriem, e que us seus min-
eantes osmanloiiham. l'ois estes pobres minisiros
fflo condescendentes, tflo humildes, tflo servigaes
vflo ler o mais trgico lim. Vao ser supphciados no
mais honivel dos supplicios. He o titandarte quo
assim o manda.
i. Para lanos maleficios ha castigo, mas nos cala-
mo-io ; porque nunca apontarcmos o povo os ho-
meus que merecom os ossos muidos n'um potro.
Ha talvez quarenla aunes que na Europa um jor-
nal, c jornal orgflodeum partido nao exprime tflo
mas uaixoes, e em termos tflo brutacs. lia um ado-
cameiito nesta alrocidade. lie o ridiculo. Na verda-
de a massar n'un. potro os ossos do Sr, Franzini, do
Sr Perrito, iloSr. bardo da luz, o do Sr. Leilo, seria
Uia operaeflo hoirivel. Nao Ibes somos nada obli-
gados, e nflo Ibes lesejamos lano mal, nem consen-
tiramos que Ih'o lizessem.
Asvezes leiiibramo-nos de desconlar destas iras
do Brandarte. Os cabralistas te.m conheculo, que
ludo quanto tem o seu nome ou merece as suas sym-
palhias esta ameagado do pouca duragflo, oelles nflo
Ibesvai mal com o actual ministerio para que preci-
piten a sua queda. Com estas irrupgOos de rancor
querem acaso tirar ao governo o laboo de cahral.s
para que ello possa viver llhes entregar o eme lo
Miado. Nos sabemos que o Sr. Jos Cabral aiangarn
quesera a opposgflo delle que havia de sustentar
o ministerio. ,
Esle meios de ii.limdagflo que lomos resenhado
acabam por urna proclamagflo ao partido carlista em
que seanroveita a irresponsabilidade de um. papel
avuls.), para atacar com mais desavergonhamento
todas as influencias, que se suppOem unidas contra
as tramas cabralistas.
Esta proclamagflo foi espalhada com profusflo no
da B9, e ho do teor seguinte :
< Carlistas! Somos chegados ao momento solem-
ne de rallamos n lingoagem da franqueza o da ver-
dade. Carlistas! Os vossos inimigos nflo poderam
vencer-vos no campo. Em todos os combates live-
ramdefugir vergonhosamente para escaparen! ao
justo castigo de seus crimes. Essas victorias alean-
cadas sobre a acgflo Septcmbro-M.guol-Carrasco de-
viaoi parasempre assogurar otrumpho do verda-
dero partido nacional. Nflo aconleceu assim, o quo
nflo poderam obler pelas armas esperam boje rean-
sar por meio da mais baixa e infame minga.
Carlistas! Esses homens, encarnicados inimigos
da carta constitucional e da nossa adorada rainha,
eDItlralaram vender Portugal nossa ligadal uumi-
ga, a Inglaterra! Sm, esses infames deixaiam-se
corromper pelas promessas c pelo ouro de lord sey-
mour, desse Intrigante, que hojegoverna Portugal.
. o duque do l'almella, durante os poucos das
que se demorou em Lisboa, leve repelidas conferen-
cias.com o ministro de Inglaterra, o nellas se decidi
a sorte deste paiz. .__
Carlistas! Nflo-vos deixeis illudir, acredita! no
que vos dizemos : una alta persouagcm nflo he es-
tranha a todos estes inames manejos, coalligaUa
hoic com os nossos inimigos tornou-se. o foco da
grande conspirarlo conlra as nossas liberdades.
Ho lempo de moslrarmos a Europa, que somos
una nagflo ndependentc, e que ninguem lem dtrei-
to de nos vender.
A grande malria la nagflo quer a caria e a rai-
nha, ereconliece que o l'ortuguez, a quemeumpro
salvar esses sagrados objectos, be o nobre conde le
Thomar, que tuntas provas lem dado de Icaldadc e
de nacionalidade.
Carlistas I Nflo he poi luguez quem pretende ven-
der Portugal a Inglaterra.
., Njlo Ue l'n tuguez quem esta vendido ao nnse-
ravel Sevinoiir.
Nao"he Porluguez quem conspira contra a caita
c rainha.
.. Carlistas! Nao consintis outro ministerio que
nao seja composto pelo honrado l'ortuguez conde de
Thomar.
Llbcrta a nossa rainha do dominio dos malva-
dos Ingleses.
A's armas se necessario fr.
A's armas.
Viva a caria constitucional.
a Viva Sua Magestade a rainha.
Viva a independencia nacional.
( Morram os inglezados
Pelo que vemos, passou para u coallisflo o re o a
Inglaterra. J nflo he mo reforgo, mas o peior la-
que a coallisflo apezar disto est sendo sacrificada
por influencia, nflo sabemos de quem, a um minis-
terio imbcil. Ocunasco esse lica dispensado do
nosso servigo para esmigalhar os ossos dos minis-
tros, segundo a seiitenga (lo Estandarte.
E com esles espedientes e com esta lingoagem
pde-se ser partido, ou aspirar agovernanga publi-
ca n'um paiz qualquer? Nflo he possivel. Cena lues
elementos nflo lia senflo l'Orga emprestada. K quem
Ih'a presla ? A conseiencia publica quo respombi.
{Ilevolufio de Se'tembro.)
O Srs.
Major Joaqilini Fraiiciceo de Vasconeel los
Votos.
US
105
103
103
101
95
i\ Joaquim lerreira Nobre Pelma
Dr Francisco Xavier l'ereira de Brilo
AdvogadoMannel Gabriel de Carvalhn
li,- inflo Valentim Daolas Pinaje
Reverendo Jos l'aulioo de Borba Crillo
Tenentc Antonio Jos lo Moura
Irofessor de hUimtos Bibeiro Dantas
IleveieiidoThomaz l!rcira doAraujo
Commanilante superior Antonio Alves Maris
Iteveremlo vifilador Manoel Jos.'I ernandes
* Luiz da Fonseca Silva
Tenenle-coronel Luiz da Fonseca Silva
Tenente Manoel Fe reir Nobro
N II Ha alguns outros menos votados. Falta a-
r,nas reunir estes os votos los collegiosi do As-
s, Maiorilade, Prncipe e Apudy, nicos quo rts-
lain na provincia
91
90
7-2
58
18
'29
2
21
-tRNAMB'-iCO.
HF.SUMO
EIEICM" PARA DF.PIITADOS PBOVINCIAES.
os rolos dos eleitores de JaboalOo t Muribeea),
Ulinda, Iguarassu-, llio-Formmo ( pres,d pelo supplentedo juiz de pa). SerinMm, Pao-
d'Al/10, Limoeiro. Nasnreth, fonitoc frejo.
-.
SNERIR
. IUU-GHANI)E-I)0-N01\TE.
IIFSIII.TADO da eleicio para deputado geralepara di-
putados provinciaei noscollegios da capital,
San-Jot-de-M/pib, Goianninha e Toaros.
OP.PLTAl.0 GERAL.
OiSrs. Vu,ut-
rO Kxni. piesidente da provincia do Cear, a
I. Casimiro los d Moraes Sarment
O secretario lo governo lo Hio-C.raiulo-do-
Norte", Joo Carlos Waiuierloy
O juiz municipal do Ass, o bac.harcl Luiz
Conzaga de llrito
Joaqtiim Manoel Carneiro da Cunha
110
32
21
1
Os Srs.
nupiJTAnna paoviSCUM,
Fo'W
Dr. Jos Hcnrque de Oliveira
Inspector Joflo Ignacio d Uyolla Itarros
Tenenle-coronel Trajano Leocadio le Medeiros
Mura
Major Manoel l.ins Caldas
Coronel Joflo le Oliveira Mondes
Dr. Biaz Canillio do Reg Barros
Reverendo Jos Manoel dos Santos Rrigido
Tenenle-coronel Jos Lourengo do Alinela
Dr. Vctor Jos de Castro llnrroia
Reverendo Antonio de Souza Martina
Dr. Francisco de Souza Bibeiro Dantas
134
132
OS SBNHOBES.
Manoel de Souza Teixeira
Laurenlino Antonio Pereira de (.arvallio
Lourcnco Trigo de l.oureiro
Jeronymo Villela de Castro lavares
PadfeJoaquim Francisco de Faria
Antonio Alfonso Ferreira
Francisco Barboza Nogueira Paz
Antonio Teixeira de Borba Jnior
Joaquim Nones Machado
Filippe Carneiro de oliiuia Campelio
Filippe Lopes Nello Jnior
Herculano Concalves, da Rocha
Joaquim Jos da Costa
Joaquim Jos Nunes da Cunha Machado
Luiz Ignacio Bibeiro Roma
Antonio Pereira llanoso
Antonia da AssumpQflo Cabial
Antonio Herculano de Souza liandetra
Vicgnte Ferreira Gomes
Antonio da Costa Reg Monleno
Jos Pedro da Silva
Pedro Be/erra Pereira de Araujo Beltrflo
Padre Vicente Ferrcr de Alquqitorque .
Joaquim Teixeira Pcixolo do Abren c Lima
Luiz Duarte Pereira
Ignacio Concia de Mello
.los Severo Granja
Antonio Carneiro Machado Bios
Jos Carlos Teixeira
Jos Mamcde Alvcs Ferreira
Padre Joaquim Jos de Azevedo
Joaquim Luiz de Mello Carioca
Francisco Camello Pe'ssoa de Lacerda
Manoel Claro Goncalves Guerra
Tiburlino Pinto de Almeida
liento Jos l.cmenha Lina.
Joflo Clemente Pessoa de Mello
Simplicio Antonio Mavignier
Joaquim Villela do Castro lavares
Manoel Pereira le Moraes
Christovflo Xavier Lopes
Francisco Elias do llego Dantas
Antonio TriUo de Serpa Brandan
Jos Theodoro Cordeiro
Joaquim le Aquino Fonseca
Francisco Carneiro Machado Bios
Pedro Dorncllas Pessoa
Joflo Raplisla lo Amaral e Mello
Zelerino da Cunha Bastos
Jos Pacheco de Moraes
Jos Francisco Amula da Camera
llmbilino Ferreira Calilo
Manoel Mendes da Cunha Azevedo
Francisco Joaquim de Barros Corroa
J. P. de Alhuquerque Maranhflo
Joaquim lligino da Molta Silveira
Joflo Jos Pereira
Padre Nemesio de S. Joflo Cualbcrlo
Luiz Jos le Sampao Jnior
Urbano Sabino Pessoa de Mello
Luiz Crrela de Queiroz Barros
Francisco Ferreira Barreto
Francisco SmOes da Silva
Manoel Florencio Alves de Moraes
Bellarminoife Arroda Cmara
Francisco de Pmila Carneiro Leflo
Caetano Alves de Souza Filgueiras
Jos Caetano de Medeiros
Manuel Teixeira Pexolo
Vinalo"da Cunha Couveia
Francisco Xavier de Lima
.lose Antonio de Figuciredo
132
131
127
127
127
126
123
122
119
VOTOS.
585
53 i
524
519
505
483
482
479
473
455
440
439
435
133
431
42
420
417
39$
393
:iss
386
385
384
381
375
365
S61
360
SS8
356
346
345
340
332
330
330
298
297
293
284
246
237
232
223
205
200
192
192
191
18*
176
167
155
146
135
135
134.
132
129
12S
122
121
117
111
110
105
88
83
82
81
7*
lilAiTU) 7K peknam Bucu.
31:, tv a>j MJiiiJtiiisiji't) jjm asa<7<
Pelo vapor San-Salvador, cliegado hoic dos portos
do norte, recebemos folhas do ('.cara al li e do Ma-
ranhflo at "1 do corrente ; tissiin como dous exem-
i MUTILADO
IH

.



=s
sr.
pirres do 7r de Maio do Para, dos quars o ultimo
v.mii datado do 27 do novemhro prximo rindo.
O Ceara como quo se n aproximando dease esta-
i>quo Un. auguramos ao noticiadnos a posso do
Evo Sr. Casimiro Jos deltoraea Sarment :--a
le fomncava a sarraspeitada ; os reparos da op-
r"flicnojeram alteodldos pola primeira autorida-
ooaa provincia ;~o o proprio Perlmll, que a prin-
cipio nociarra nflo esperar coosa alguna do actual
administrador, registra va om suas paginas cortos
aciosilo Exm. Sr. Sarment, comprobatorios da (Jr-
me. isposicno.enique selle acha, dafazerjuslira
a iodos os Cea rengos, sem allencflo s opinioes poti-
ncas que porventura proressem
Para <|iie os leitores possain avaliar por si meamos
a importancia desses actos, vamos menciona-los
Qllli
Ordenara S. Ex. fossem dispensados do servico os
caminadas de quatro odlcias de |. linha, o o do ca-
pel ino co corpo que se cha em servico na provincia :
que
---------__. .ico na i.....
o perjudico que citamos mais cima, observo
osoiiiciaese o oapeflIoaupracitailosnSo l'nli:....
reiiii cainaradas, declarando que nao liavia lei que
Mi os concedesse : advenido por semellianle obser-
v-iciio s. l.x., como bo de presumr,decdo-se a
compulsar a legislado que dizia rospeito ao caso :
e.lendo reconliecido, por sem duvida, que a gazeta
fallava a lnigoago, da vordade, determino.! imme-
uiaUniente ao com mandan te do hatalhflo a que per-
lenciam os soldados com que entenda a primeira
oideui, que dsso as necessarias providencias para
que ciiliassein em servido tudas as placas que so
aelisssem fora dello por seconsiderarem como ca-
ntaradas do individuos a quem asleis nflo concediam
tal favor.
v '- izla apieciou tanto a presteza com que o Exm.
r Sai monto se resolveu a revogar urna ordem sua.
COlilia a qual ella reclmala ; .leu tanto peso essa
prova viva do animo jiisticeiro de S. Ex., que ro a
primeira a publica-la em un artigo sob a epigraphe
Triumpho da lei
Esto lio o primeiro dos actos do S. Ex., a que allu-
dui'osem outro Jugar. O segundo nflo nos parece
monos significativo; poisque demonstra que o ci-
uadflo, que ora preside o peora, est muito resolv-
Jo a nao consentir que a autOTidade publica se va I ha
da sua i osiciio para opprimii o bomem do povo, de
quom lenha alguma vinganga a tomar.
AlTonso Jos de Albuquerque.lcnciitc-coronel com-
mandante do hatalhflo da guarda nacional destaran-
assenlara de perseguir o guarda Reinaldo
Ferreira (iones, por se ter este negado a hypotho-
cnr-lho o voto tas ultimas eloicoes : o infeliz, depois
do bayer soflrido muitos dias de prisflo, queixara-se
a presidencia, que, in torada do occorrido, ri-com-
mendara ao coronel chefe de legiflo a quem o pro-
ito lenenle-coroiiol he subordinado, o advertisse
I "i ossaa e outras injusticia : o coronel cumprra a
reconimcndacflo na presenta duqucixo.su: entilo,
AlTonso Jos de Allinquerque, resolveu vingar-se d
individuo, i|ue, nao obstante sua flaqueza, ousara
rnneorrer para une elle fosse reprehendido; e,co-
mo meio mais azada a oxenoslo do plano que con-
cebra, recorreu ao alvitrede faz-lo nomearcabo-
de-esquiidra, corto deque o pobre Reinaldo deixai a
de aceitarsemelhante posto, porque nito sabia es-
crever, proporionando-lhe, isslm, orcasiflo oppor-
tuna paia esmaga-lo com ludo o sen poder as cou-
sas passaram-se da maneira que Alfonso as previra ;
0 por consegunto, case homem todo vmganca, de-
poisdo ter qualilicado a Reinaldo como desobedien-
te a ordena lgaos, depois de hav-lo prendido, de-
elaroti-o subjeiio a jurisdiceflo criminal do subdele-
gado do dial rielo, afini de i|uc fosse processado por
elle. Al aqu, ludo ia caminhando de accordocom
03 desejos do pretendido potentado ; mas, de lpen-
le, princpou a desmoroiiar-se o edificio da malda-
de ; porquanlo, tendo o commandanlo superior da
1 apital oluciado ao Exm. Sr. Sarniento a reapoito des-
>a oceurrencia, S. Ex, Me respondeu nos seguintea
termos :
Em resposta anodicioque V. S. uio enderecou
nesta data, transuiiltindo-ine a queixa do guar-
" da nacional do bitalhao de Maranguape, Reinaldo
Ferreira Comes, cumpre-me signilicar a V. ,v que
" lenlio expedido as convenientes ordens ao chele
de polica, para que este face iminedialameiile por
em lihcrdade o queixoso, que/aendo justamente
" preso pela iusuhordinac,ao deque u aecusava o seu
" leen te-coronel cuinniandanie, fra illegalmeute
" passado a disposicio do subdelegado da referida
" povoacfio do Maranguape; pois que, pelpcrime
que Ihe be imputado, ou poi qualqucr outro dos
marcados na lei de 19 de agosto de 1831, nos arti-
gos 83, 84 o 83, SO devia ser punido na forma da
citada lei, combinada com o decreto de 25 de ou-
lubrode 184-2, como V. S. acertadamente ponde-
ra. (i que V. S. fara saber ao tenente-coruuel
Alfonso Jos de Alhuquerque, advertindo-o deque
espero que elle, sem deslisar-sc da ausleridade
" que compre guardar cornos seus subordinados,
uflo reincindna em |iroccdimeutos que, como o do
(pie trato, merecam a mnha desBpprovaCflo
Reos guardo a V. S. Palaciodo governo do Cear,
em 9 deilezcinbro de 1847. Ur. Casimira Jim: dt
Veraei SarmenVi. Sr commandantu superior da
guarda nacional da capital.
Nflo obstante, porui, a louvavel tendencia do
Exm. Si. Sarinenlo para reprimir os passoa ilesor-
dciiados dos queaeeaforcam porsubjeitar asleis a
caprichos, ainda os agentes subalternos pralicavaiu
acloa mu condemnuveis, suppondo-ee, porventura,
sob o itomluiodessea outros administradores, cujo
dosrogramentoi censuramos por mais de una-vez.
Na incitada bOTSactlo de Maranguape, o sargento
(niiniiaiiilanle do destacamento invadir a casa do
Sr. Igu.iciu l'inlo de A lunilla e Castro, proprielario
abastado, inembrode nina familia iliuslre e conde
corado com o habito da Hosa ; mandara cerca-lo por
quatro soldados, que, calando baionelus, elevando
s niiiosaos gallillos dasgranadeiras, abocaram-nas
para oditoSr. Pinto; o depois de ler consentido,
mullo a costo, que se elle fosse vestir, conduzra-o
para o quartef, ondeo conservara iucummunicavel ;
.iie que, inteirnoodoxiccorrido, o subdelegado, que
se aebava doenlo, mandou-o cbamar, e orenou-llie
Iuc restituste a liberdade o indicado cidadiio. =
Cumprida esta ordem, o Sr. l'inlo dingio-su ao Exm.
presidente da provincia ; iitormou-o de todo o
aconlecininlo; e recebeu de S. Iix. a asseveraeio
duque piovidenciana sobre o caso. lie para notar
>|ue o sargento, ao pralicar semelbenteaciu, smente
levava em mira viugar dous soldados do destaca-
mento, quehaviam sido espancadus por algn* es-
clavos do Sr. Pinto, por terom querido violentar a
lins libidinosos uui.i das esclavas do mesmo Sr.
No da 2 desde me/, 0 Sr. I'rt deneo Augusto Pain-
etherea um individuo de mais d 40 annos do idade,
a quem linha to amputar urna perno, como do feito
amputon. -- lie esta a segunda vez que o Sr. doutor
Liberato colhe bous resultados da et/icrisap/lo.
I.'m correspondente conseguir da rcdaccio do
Pedro II a insereno do requerimento que abaixo
transcrevemos.eque, segundo elle, fora introduzi-
do por haixo da porta do juiz de direito da comarca
do Cralo :
lllm. Sr.juit dedireito. Diz frei Joaquim Ma-
noel do Nascimento Ayres, que sendo presa Nossa
Senhora da Ponha, padrocira desta villa do Crato,
por urna soldadasc de linha e mulambudm i or-
dem do delegado Vicente Amancio do Lima, no dia
7 do corrente, e como soja Ilegal esta nrisflo, nflo
so por faltarem as formalidades que a lei requer
(i paraexecueflo de urna prisflo, como porque a au-
toridade do um drlogado do polica nSohocom-
ptenle para prender urna pssoa tflo privilegiada
como he Nossa Senhora da I'en ha, va o supplican-
te peranle V. S. requerer uina ordem de hnhtn-
i mi>ut em favor da mesma; a qual so lite nflo pd-
der negar a vista do expendido: o por isso
P. a V. S. sejo servido deferir com juslica E. R.
o Me. Cralo, 10do novembro de 1847. l'rei Joa-
* quim Manotl do Nascimento Ayres.
Nada diremos acerca da moralidade desta peca
sui generis, como mu bem Ihc chama o correspon-
dente. Ha cousas que per si mesmas se explicam
o melhor possvel. Quem (|ur, pois, que lr este
documento, que o avaliedevdainenle.
l'm outro correspondente do mencionado peri-
dico descreve de modo bom desagradavel as actuaos
circomstaneias da provincia do Piauhy. A crermos o
que elle refere, os Piauhyenses estflo sendo ilosgo-
vernados:rorniigam as dcmssOes ;--o inesquinbo
espirito de partido domina ludo; osservicos pres-
tados ao eslado do nada valem, quando be preciso
dsempregar um funecionario encanecido no traba-
Ibo, para accommodar um cnrreligionario dedicad;--
ii lei nao he respeitada ; -- ludo he desordein, ludo
he confisSo.
O mesmo jornal allirma, pela segunda vez, quoo
padre Alexandre Francisco Ccrberon Vcrdeixa foi
um dos piimeiros quelizeram correr sangue na
matriz da Capital, por occasiflo do desaguisado que
ah leve lugar no segundo dia das elcices prima-
rias.
No Maranhflo dra-so um Cacto mui desagrada-
vel, e que altamente revela quanto forarn excitados
os nimos dos habitantes de Vianna pela luta elei-
loral que ullimamento se travou uessa comarca.
A 21 de novombro prximo passado, o Sr. major
Eduardo de Araujo Trindade, subdelegado de poli-
tudo depositario, comoj (lea demonstrado, nSo
podia naggravanto, sem rovelar conluio com o ar-
restado, projior acQflo emjuizo contra p mesmo, e
razar ponhorar e arrematar os mesmos bens _. do
que j anteriormente liavia assignado deposito ;
pois, quando muito, podia ponhora-los, para, depois
de apparelhada a oxncucflo, ou discutir preferencia,
ou reclamar ratdTo ; o nflo_cnmoi>rocedeu o aggra-
vanle. Pareco-mo, pois, quo nflo foi o aggravo que
so diz na minuta de folhas: todava V. M. I. decidir
romo melhor entender. Ilecfe, 28 de outubro do
IS47. Antonio da Silva.Nere Accordam em
relacfln os juizes abaixo assiguados procedi-
do o sorteio, om que aggravado nflo Coi o aggra-
vanto polojuizo aqu, no seu despacho a folhas d
ano so aggrava, vistos os autos, o o ponderado pelo
mesmo juiz em sua resposta a folhas, pelo que Ihe
den.gam prvimento. RecICo, 6 de novembro de
I8t7 Itamot, presidente interino.Bastoi-.Villa-
rm.N. Machado
JSnvmeiilo
^*e*rwi ? f zwm;.Srmx?2
CGMMERCIO.
Aliantiegti,
ItENDIJHiVTO l)(l III \ 17............7:175,901
Descarregam hoje, 18 de detembro.
Polaca Adriano podras para lagodo.
Itrigue Ceorgir-Ann carvflo.
Itarca Priicilla mercadorias.
do Porlo.
Navios entrados no dia 17.
Para e mais portos do norte ; 13 dias, o do ultimo
porto 8 horas, vapor brasiloiro San-Salvador, du
300toneladas, commandantc opiimeiro tenlo
Antonio Carlos de Azoredo Coulihbo, eqnipagein
33 Passageiros : para esla provincia, f>. Margan-
do do Lanos com 1 fillio menor, Portuguez, f)r.
J. C. II. eMello, tenonte Jos Manuel Itrag, alferes
Jnflo Xavier Postana, Brasileiros, e i esoravos a
entregar ; para o Kio-de-Janeiro, Luiz Eduardo do
Carvalho, llogero Augusto Pero ira, Antonio Luiz
da Carvalho, Brasileiros, o 19 rccrulas para o
exorcilo."
New-Castle ; <5 dias, galera siciliana Misa-Carolina,
de 446 toneladas, cap tflo Constantino de Barto-
lo, equipagem 18, carga carvflo de pedra ; ao ca-
nilfo. Vcrn refa7(>r-eo A'non.
Navio sabido no mesmo dia.
Trieste ; polaca sarda
gli, carga assucar.
Argentino, capitflo h. Camo-
KDITAES.
IMPOKTACAO'.
cia en, Moncflo.recebra, pelas costas, um tiro de "" wcwosuo aeda, S6.liUa
espingarda, ao alravcssar da povoac,'flo do Barra- a l''^ e me.,as ,lc se',n- d>1*
das para asna fazenda.-OSr. Eduardo ficara gra- !,'ta,est04fs'. P"ur?fe ores, 3 f
veniente Cendo, pois que sobre" um dos hombros
se Ibecravaiam urna bala o nflo pequea porcaode
carocos de chumbo.Segundo o allegado por um
genio do Sr. Eduardo na representaeflo quodirigir
ni. Exm. presidente da provincia, Jacinlho Jos Go-
mes era o individuo a quem a Cama publica aecusa-
va do ler mandado coinnieltor semelhanto atienta-
do.--A presidencia rcconimondra ao Sr. cheCe de
polica que fizesso immediata mente ddvssar dos
autores desso cnnie; e, reconhecidos ellos, orde-
nasse a sua captura antes da culpa formada, as-
Bim como a sua remessa para a villa de Vianna, at-
ienta a pouca seguranca das prisOes do Moncflo.
Fora inslallada nessa provincia a directora das
obras publicas, com duas secedes, tendo sido Hornea-
dos :director o chelo da primeira seceflo, oenge-
nbeiro civil Joflo Nuucs do Campos Jnior; -ajudan-
te do director, o Cidadflo Tiberio Cesar de Lomos :
escriplurario, Daniel Antonio l'ranco de Sa por-
teiro, Joaquim Jos Caslanheiru ; chefe inlerino
da segunda seceflo,o cidadflo Ventura llenriquesl'er-
reira. O engonlieiro civil Julio Boyer tlcaia addi-
do primeira seceflo, com o venciinenlo animal de
um cont o duzenlos mil ris.
Tinham fallecido : na cidade de San-Luiz, o ne-
gociante Antonio llomingues de Azevedo, o acad-
mico olindonSe Leopoldo de Souza ibutins, oscapi-
laes Antonio Pereira da Silva Coqueiro e Joaquim
Ignacio Vianna : em Guiniarfles, Ballbazar Jos
dos Beis, pai do Sr. Solhero Jos dos Heis.
Apparecra em Caxias um novo peridico sob o
titulo de Tkelegrapho. lie polilico-commercial, e de-
feude os principios da liga.
0 Jornal Caxiense declarara-so opposionisla.
O Para coiilinuava a gozar de tranquillidade.
Coniinunicaio.
Talvez porinduzfmento de atguem quedo fazer
mal nunca parece failar-se, apparcceu no Diario
de l'ernamhuco, ns. 230 o 231, annuncios despodiudo
un procurador deste auditorio como so a nomoa-
Cflo a eoinmissflo feita a esse procurador fosse pe-
lo Diario.
lio sem duvida que a immoralidadc e a licenca
leem rebaixado o proco de umitas publicacoes; mas,
sem embargos disso, he justo que pelo mesmo vehi-
culo socoulioca quo sem fundamento foi essa des-
pedida.
Nosupposto de baver esse procurador requerido
a entrega de um deposito, e de nflo ter ileixado por
omissflo correrem as cousas como alguem quera,
se promove essa despedida, talvez arleira o insi-
nuativamente.
Iloje, porem, que est, com sentencas e accordam,
justiiicada a rasfln com que se requera a entrega
do deposito, parece justo que essas decisOes saiam
luz publica, para que se conlicca a injuslica daquol-
les annuncios de despedida. E por isso, pco-lhes,
Sis. Redactores, a pubiiotcao deslas linbas odas
decisOes infra transcriptas.
O inimigo dos intrigantes.
t^* Allfiidendo quo Joflo Daniel Wolflioop a
lullias constiluio-se depositario dos bens arrestados
a folhas dos aulos, c de couformidade com o dispos-
to iio'g 5.*da ordenacitodolivro 4.0, tilulo76, mando
que so cunipra o n:eu despacho de folhas 89. por nflo
po'dr a vista, requerida a folhas 82, ser concedida
com suspensflo, como foi requerida, (cando assm
deferidos os requer montos do folhas a folhas. Ilec-
fe, 26 de outubro de 1847.--Silva Neves.Senhor.
l'arece-uie nao baver l'eito aggravo ao aggravanto
quando ordenci, por o inteiiocutoiio a folhas 90 dos
aulos, a priso do mesmo aggravanto. Q-jo o aggra-
vanlc, pelo terino de deposito a folhas 23 dos autos
tornou-so depositario, e como tal responsavel, para
Idona seguir para o Rio-(.iande-do-No. te, alomar T. .T" iPe' JU.'Z ordei,"doJ 1H los
posse da presidencia dessa provincia l,l-',s.0*'Ulos.de.i.oi.straiii,o entaode coiifonnidado
t de novembro, o Sr. doulor Libralo de ialro |^taffl^^ffi^ii l| 76'
Car,era subjeitra, con, fez successo, a >nnalAu(u | tfffflgUSSX que, iSfeSSS
Cesar, brigiio francez, vndo do Havre, entrado
no corrente mez, consignado a Avral Irmflos, ma-
n festou o segunle :
1 fardo panno de 19a, 7 caixas tecidos de algodSo,
I dita ditos do seda, 7 ditas sodas misturadas, f di-
ta sedas, 3 ditas chapeos de homem, 1 dita luvas e
roupa, 1 dita perfumaras, 1 dila bejoterias; aScha-
fethiu & Toblcr.
6caixas sedas, 3 fardos tecidos de algodSo, 12
caixas ditos dito, 2 ditas pannos de 1.1a, 50guarui-
ciV's de bahs, 2 caixas tecidos de seda e algodSo; a
Kalkmann & Itosenmund.
1 caixa sedas o luvas de pellica ; a Christopbers
& Donaldson.
2 caixas chapeos de palha ; a Joflo Pinto de Lo-
mos.
1 caixa (ocidos do seda, 26 ditas ditos de algodflo,
'"a loncos de cassa,
Cardos tecidos de
algodflo, 1 caixa bejoterias ; aJ. Keller.
I caxa chapeos do palha, 1 dita sedas, 2 ditas te-
cidos de algodflo; a E. Bolli.
1 barril producto" chimico, 80 barris e 40 meios
manteiga. I caxa agoa dentiCrica o vinagre, 1 dila
plvora denlfrca o prensa a copian, 1 dita pe les
decarnciro, 1 dila sedas, 1 dila diversos objocios,
I dita merino o lencos, 4 ditas chapeos do seda, 4
ditas incrceara e modas, 1 dita caixinhas de pape-
Iflo ; ordem.
2 caixas 2 .pianos ; a Vigncs.
3 caixas 1 bah chapos, roupa em uso c lvrara,
8 caixas diversos objeclos ; a L. G. Ferreira.
80 barris.o 40 meios manteiga ; a Jos Jcronyruo
Monleiro.
1 caixa vnbochainpanhe; a S. Soum.
1 caxa livraria ; a B. Jos Fernandos Barros.
1 caixa chapeos de palha, 1 dila perfumaras e
bruquedos ; a F. Dubarry.
1 caixa quincalharas, 1 dila diversos ohjectos;
a Pommatcau.
- 1 caxa pellos, 65 barris manteiga ; a N. 0. Bio-
ber&C
50 barris c"50 meios manteiga, 25 caxa aucij os ;
aF. A. Vianna.
170 barris o 60 meios manteiga, 16 barricas vinho,
4 barris ago'ardente, 1 caxa mostarda, 4 ditas vi-
(Iros, 2 ditas papel, 2 ditas chapos, 4 ditas tecidos
de laa, 3 dilas conservas, 2 ditas confeitos, 1 dita
mcrcearia, 2 ditas pclles preparadas, 1 dita ohjec-
tos de cscriploro, 1 dita tecidos de algodflo, 2 dilas
ohjectos do vidros, 6 fardos rolbas, 2 caixas lencos ;
a Avrial Frres.
22 barris o 16 moios manteiga ; a J. Sapority.
I caixa diversos objeclos; a II. S. Martin & C.
1 caixa pertences de chapos do sol, 1 dita cha-
pos de sol de homem, 1 dila tecidos de seda, 60
barris o 40 meios manteiga, 6 potes chouricos, 3 cai-
xas oleo do recio, 2 ditas conservas, 1 dita pre-
suntos; a Regord & Caucanas.
1 caixinha ohjectos de relojoeiro, 1 dita 1 chapo
o roupa, 5 fardos garrafas kfrcb ; a Relenot.
1 caixa seJIins e pertences; a G. A do Barros.
4 caixas machinas de destilar, :l ditas ervilhas e
sardiuhs, 1 dita chapos de liomeui, 2 ditas pellos
decarnciro, 1 dita pannos, 1 dila sedas, 6 ditas pa--
pel branco ; a Lcnoir Puget & C.
4 caixas vidros, 1 dita ferblantatia, 2 dilas per-
fumarias, 1 barril alfinetcs, 2 caixas confeitos ; a
Cezar Ktuger.
2 caixas biscoutos, 1 dita calcado do pello ; a Cala
Frres.
1 caixa fil de algodflo, 6 dilas papel, 1 dila pclles
preparadas, 1 dila calcado, 1 dita formas para cha-
peleiro ; a Dedier Colombiez & D.
I caixa chapeos para homem, 1 dita litas do seda,
? ditas chapeos, 1 dita oSpelbos, 4 ditas industria
parisiense, 1 dita calcado ;a J. P. Adour &C.
1 caixa objeclos de moda, 5 ditas vidros. veriz e
drogas ; a madama lleunaud.
t caixa amostras de porfumarias, I dita ditas de
tecidos ; ao l)r. Joaquim de Aquino Fonseca
Otorgo-Ann, tingue inglez, viudo de Kirkaldv,
entrado no corrente mez, maiiifeslou o seguinte'
200 toneladas de carvflo ; a l. Cahnonl & C
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade ofleial da im-
perial ordem da Rosa, cavalleiro da de Chtisto e ins-
pector da alfandega de pernambuco, por SJt. o
Imperador, que Dos guarde, etc.
Faz saber que, no dia 21 do corrente, ao maio-
dia, na porta da alfandega, se hflo do arrematar em
hasta publica 108 chapos de palhiuha para se-
nhora e menino, sondo 24 bordados, no valor do
160,000 rs., impugnados pelo guarda Jos Alves
Tenorio, no despacho por factura, n. 2600: sendo
a arrematacSo subjeita a dircilos.
Alfandega, 17 de dezembro de 1847.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade,
Jgnacio Josi Pinto, fiscal da freguezia da Boa-Fina,
em virlude da lei, etc.
Faz saber sos propietarios de casas situadas na
referida freguezia, que, no dia 19 do corrente,linda-
se o prazo de 40 dias marcado pela cmara munici-
pal para os conoc tos das calcadas.
E para que chegue ao conhecimento de todos,
mandn publicar o presente.
Freguezia da Boa-Vista, 14 de dezembro de 1847.
Ignacio Jo Pinto.
Ooolaraeo
O vapor San-Salvador focha as malas
para os portos do sal, hoje 18, ao
meio-dia..As cartas que viorem atol
hora pagaro oporleduplo.
Avisos martimos.
-- Para o Rio-de-Janeiro o patacho I7nC'o deve se-
guir em 17 do corrente : quem quizer embarcar es-
oravos ou ir de passagem drija-se a Gaudiuo
Agoslinho de Barros.
Para o Rio-de-Janeiro o brigue-escuna Felis-
Ventura sogue com brevidade, por ter a maior par-
te de seu carregamento prompta : o capitflo he Joflo
Go ncalves Lei te : quem no nipsmo quizer car regar
dirija-so a (andino Agoslinho de Barros, na pra-
cinha do Corpo-Santo, n.66.
Para a Baha segu viagom com muita brevida-
de, por tora maior parlo da carga promptaj a escuna
Curiosa, forrada o pregada de cobre : |ara carga o -
passageiros, trata-se com Domingos Antonio de A-
zcvoilo, a bordo da mesma, ou com Luiz Jos de
S Araujo, na ra da Cruz, n 26.
Para Lisboa pretende sahir rom toda a brevida-
de por ler parte da carga prompta o brigue por-
tuguez Carlola-&-Amelia de que he capitflo Ma-
nuel Joaquim dos Sanios: quem nelle quizer carre-
gar, ou ir de passagem, para o que tem exccllentes
o assciadns commodos, dirija-so aos seus consigna-
tarios Francisco Severiano llahello & Filho ou ao
mesmo capilflo.
Par o Rio-do-Janoiro o brigue Boin-Jesut,
bem condecido nesta praca deve partir a 17 do
corrente: quom no ii.esmo quizer ir depassagem,
ou embarcar escravos dirijn-se a Gaudino Agosli-
nho de Barros ou ao capitflo Pedro Jos de Sales.
Avisos diversos*
LTtiltfA
no
Hospital Pedro 1 i.
CONSULADO GEHAL.
RENDLMENTO DO DIA 17.
f"1......................... 4:565.218
Diversas provincias............... (jg 026
4:713,244
CU NSULA 1)0 PBOVIiNCUL.
Bendimoiilo do dio 17..............3:565,3*4
Ao espcilavel publico assegura o the-
soureiro desta loteria que as rodas de .sua
primeira quinta paite correm iufalliycU
mente no eonsi^torio da i^reja do Livra-
inciilo, no dia 20 d corTente mez, eque
a venda dos billiete.s ser smei-te at o
di 1 antecedente (19), fie indo o restante
pertencendo sociedade, desde o meio-
(lia.
Precisa-sealugar urna negrinha do 12'a 14 an-
uos, que soja esperta e diligente, para cuidar em um
menino desmamado: no Aterro-da-Boa-Viata, 11.
42, segundo andar.
-- Procisa-se de um caixeiro de 12 a 14 annos : na
refinaeflo da ra de Hortas. u. 7, se dir quem ore-
cisa. ^ v
Declara-se que oannuncio publicado no Diario
n.285, relativo ao Sr. bacbarcl Louronco Acoioli
Wanderley, foi smente para se Ihe pedir o favor do
incumbir-se de um negocio na provinnia das A-
-- Ja tendo-so dcscoberto quem lio o oulor do
roubo da taixa do cobre nova, com 9 a 10 palmos de
bocea,qu furlaram, ao amanbeccr do dia 16 do cor-*
reule, do trapiche Giquia, o qual j soacha occul- V
lo; provine-so novamenlc a qualquer pessoa que *
descubrir dila laixa, ou a'qiicm for offerecida, de
participar na ra doQuoimado, n. 38, que se gratifi-
cara com generosidade, ou mesmo participar com
certeza onde oxiste, assiin como o autor que se aclia
escondido.
.Mu
i
MUTILADO


5*=

a
m.
O primeiro Secretario avisa aos Srs. socios em go-
ral para a sua reuniflo, Moje, 18 docorrente, os 6 e
meia horas da tarde.
Manocl Lopes da Silva faz scicnle ao respeita-
vel publico, que,lando sido estabelecido na ra do
Bangui, n. 11, aondetom negociado com moldados,
hiendas etc. jalga nada dever a pessoa algumaj
porm, nilo obstante sondo quo alguma pessoa se
julgueser nuacrcdora .queira a presentar sua con-
ta at.o fim do correte anno, que, sondo reco-
nhecida legal, ser paga : oulro sim adverte ao
mosnio publico, que nln lem autorisado pessoa al-
guma para fazer nenhuma transacgfio em seu nome,
cquoporisso s so responsabilisa por a/iuellaslde branco, docolovelo at a mito; quem o pegar
feitas por si proprio. Adverte mais o t ojias as pes-llcve-o a ra da Senzalla-Velba, n. 98, quo ser* ge-
O LWADOR.
O n. 237 est inlcressante, pois q-uetraz a resur-
reigao do Jos Corroa Onca.
O TRIBUNO N. 63
est a venda aomeio-dia, na praga da Independen-
cia, ns. 6 e 8 : o redactor peile ao'povo que lea es-
te n. para ver milito boas cousas dignas dcllo. 6 lam-
bem dos tratantes quo as praticam : dous vntem'ntw
he dinheiro para umlhodo povo.
--l'recisa-se de um amassador: na padaria de
urna s porta ; junto ao sobrado da esquina da ra
Velba na praga da S.-Cruz.
Fugio, na noile do da 8 do novotnbro do cor-
rente anno, um escravo de nomo Rufino, nagSo Con-
o, de idade 40 anuos: levou calcado estopa, camisa
e algodilo azul; lem estatura alta, corpq medio, cor
fula, ollios grandes, nariz e bocea regulares; be bar-
bado; tem urna pama' cambada, e um braceo malbado
soas quo lite estilo devendo proveniente do qual-
quer Iransacgno llie viTo pagar no prazo cima di-
to lindo O qual usar dos mojos judiciaes.
Aluga-se urna pequea casinha na Soletado
para o Manguind ra do Joao-Fernandes-Vieira',
n. 22: a tratar na ra Nova, loj n. 58.
--T.rapassa-se o armnzem do assucar da na da
Senzalla-yelha n. 110,. com todos os-utensilios e
arranjos necessarios para o soque de assucar por
milito barato prego o com o consentimento do pro-
prielariodo predio : a tratar no'primeiro andar da
n'icsma casa.
OsSrs. assignantesdo Panorama tenham a bon-
dade de mandar buscar na ra da Praia n. 24, at
o niimorn 36. Na mesma Casa vende-so o primeiro
anno da HluUracio em 52 nmeros, por 4,000 rs.
-- Precisa-se do nina pessoa capaz, que d conhe-
cimenlo da sua conducta para cobrar unas divi-
das no Rio-Doce, Jang Po-Amarello, N. S. d'O'
e Maria-Farinha, dando-se-lhe um portador pora
ensillar as casas dos llovedores que lodos sao pes-
soas capazes : nesta lypograpbia.
Precisa-se do urna ama, ou de urna oscrava que
saiba cozinhar e engommar : na ra do Crespo, loja
de miudezas, n. II. Na mesma loja compra-se una
eseravade18a 20 anuos, de honita ligura que
sHiba.cnzinliar, engommar, lavar de sabo e azor
todos os mais arranjos de urna cusa e que nilo le-
nha vicios nem achaques ; agradando, paga-so bem.
Aluga-se urna grande casa terrea jia ra Impe-
rial com duassalas, 7 qmirtos cozinha fra, quin-
tal muradoecacimba : a tralirna ruada Cadeia do
Recife sobrado n. 55
l'recisa-se do um caixoiro de 14 a 16 anuos,
que ontenda de negocio que seja diligente e d
liador a sua conducta : na ra Direita n. 26, se di-
r quem precisa.
Precisa-se do prelas para venderem pSo pa-
gando-se vendagem, sob lianga de seus senhores :
na ra Direita, n. 26. -
-- Precisa-se de um trabalhador de masseira quo
seja porito em sua occupacHo : na ra Direita, pa-
daria n. 26.
Para casa de familia estrangeira precisa-se alu-
gar una piola oscrava quo seja carinhosa para
meninos de lenra id.ide o que saiba lavar roupa
dosmosmos : na ra do Trapiche n. 16, primeiro'
andar ou arinuncio.
Pcrdeu-so, desde a.praga do Commercio at ao
pateo do Collegio, unja cdula do 200,000 rs. : quem
achou sendo queira restituir levo ao tanque de
agoatteJoode Brilo Corroa atrs da rlbeira, que
se llie dar una ferca parte tiesta mesma quanlia.
Precisa-se de urna ama seeca para todo o servi-
co ilo urna casa de pequea lamilia : na ra da S.-
Cniz, n. 24.
Desapparcceu, no dia 14 do correse, um me-
nino de nonio elemento, de 6 anuos pouco mais
ou monos; levon calcas do riscadinhoazul .jaqueta
de lila j deshutadn : quem o liver levo-o ao becco
do Padre, n. 2, loja do alfaiato.
-- Pede-se a Senhora I uiza moradora cm algum
lempo no cngeiilio Caiar quo annuncio por esta
l'olha a'su morada, para ser procurada a negocio
de seu inlcresse.
Aluga-se o segundo andar do sobrado sito na
ra da Cuia, n. 64 por preco milito commodo : a
tratar na mesma ra. venda u. 7, de Jos Pereda.
Dcsjppnroceu, no dia 16 docorrente, pelas' 2
lloras da tarde, do pateo da Santa-Cruz, um caval-
lo castanho ovo, com urna .marca branca na testa,
e com urna caiigaba e sele saceos de carvilo vasios ;
altribuc-sc ler ido com algiini comboi : quem o pe-
gar leve-o ao Alcrru-da-Uoa-Visla, loja do babs, n.
55, ou na estrada da Taniaiineira, a fallar com Ja-
cinlho AfTonso Bolelho, quo recompensar a quem
Ibe lizer cnlroga ou Ihe der noticias
.Precisa-se de um pequeo para venda que te-
nlu alguma pratica da mesma : na ra Nova, n 55,
se dir quem precisa
De novse participa nos moradores das ras
j a iluminadas por este fliario quo a procissito da
Senhora da Piedade be jiiif.illivelnienle no dia 19
do correlo ; e por isso roga-sc de novo quo tenham
as ras varridas para esse in.
Esl para so alugar o^ primeiro audar da casa
n. 6 airas da matriz da Roa-Vista, com bastantes
comutodos para familia : a tratar na mesma ra
n.29
llorosamente gratilicado.
Roga-so a pessoa, que no dia 4 do corr.nte re-
cebeu, lalvez por engao, cinco latas com bolacbi-
nhas do araruta, que um preto Icvava para o llolel-
Commercio, sendo quo as queira entregar, diri-
ja-se ao dito Hotel, ou na escadinha da alfande-
ga, armazem ns. I ou 2, que so pagar toda a des-
peza.
Dsela-se saber nesta piara quem
he corresponden le dos Sr.s. Carlos Jos
de Albuqiierquc e Joo Lopes dos San-
Ios aquellc senhor do engenlio San-
Francisco, em l'orlo-'. alvo, e este senlmr
do engenlio Haslio, termo do Kio-Foi-
inoso, para negocio de grande interesse
aos mt-smos seuliorcs,- na un ta Cadeia
de Santo-Antonio, casa onde mora l'ran-
eisco .l(i npiiin (lardoso.
Aluga-se o sobrado de um andar e soto, na
ra da Praia, n. 74 : a tratar no armazem por bailo
ilo mesmo.
Aluga-se a casa torrea, no bairro de Fra-de-
Portas, ra do Pilar, n. 7, o outra na ra dos Uuara-
rapes, n. 13, ambas novas, envidracadas e com bons
commodos para familia : a tratar com Antonio Joa-
qun) de Souza Ribeiro, na ra da Cadeia, n. 18.
Vende-se um bom cavallo de sella,quo carrega o
esquipa por prego commodo : na ra do Lfvra-
mento n. 22, primeiro andar.
Vende-se urna propredade de meia legoa de
trra na comarca do l.imoeiro, com duas legoas
de fundo casa de vivenda assude 3 curraes par
gado, bnm oorcadn.equo he milito favoravel d'agoa:
na ra da Gonceicflo da Boa-Vista armazom de sal
doSr. Bolillo a fallar com o proprictano Francis-
co Lopes Itaudeira, que a d por preco commodo.
Vende-se meia duza de cadeirs de coiidur ,
em mel uso, por preco commodo : por baixo do
hospital da ordem terceira de S.-Francisco, loja
que tica confronte a venda da esquina da na das
Cruzes.
PECIILNCHA.
hiuum.ha. das capollas de llor de la.a.ija; plumas brancas to
Anda ha um resto das eaixinbas com 12 frascos a8sar |lho tanto para enfeiles de cahega como pa-
de^azeite doce retinado, poto commodo praco de ^ chaojt. ctiale.- taiUij lencos; luvasdepel-
2,000 rs. cada caixinha : na ra da Cruz, no Recife. |ica e do so.1 ; mci.is Compra-se
um esciv.vo,.preto, sein vicios, nem mo-
lestias; e que enlia nteii'O eonliecimen-
to de ir.ili-illi ( coni arado, para o que se
pe.de garanta, e nao :-c olha a preco : na
ra da Cruz, n. 45, cm casi de Nasci-
mento & rnorim.
Compra-se um paliteiro o urna salva *de praia,
que lave dous copos : quem liver qualquor das di-
las pecas e as quizer vender sem fetio dirija-sc ao
largo do Carino venda n. 1.
--Na ra Nova, loja n. 58, compram-so os ferros
necessarios para um olTicial dqsurrador ou esco-
liador de Couros, apparclhar OS con ros ; para o
que lambein se precisa de um oflicial do dito ollicio,
que saiba e o queira cxecular.
Compra-so um cachorrinlio ha pouco nascido,
quoseja de casta pequea, chamado do reino : quem
tiver, e quizer vender, v ao pateo do Ter^o, n. 5,
que adiar com quem ai listar.
Compra-se, em segunda milo e sem fotio um
tranceJin de ouro de le com o peso de 7 a 8 ola-
vas : na ra do Hozarlo da Boa-Vista, n. 8.
--Compram-so os piiinji'o c segundo voluir.es
do Jiideu Errante, traduceno do Lisboa segunda
ediclo, 1814 : na mi da Cruz n. I, segundo andar.
ii. 18, segundo andar.
Vende.-se, no largo do Livramentb, n. 20, um
pelo do 18 anuos; urna pela da mesma idade:
ambos de bonitas figuras propros para qualquor
servgo tanto de campo como de casa : a prcta co-
se, cozinha o eugomma : quem pretender annun-
cio
Vende-se a casa terrea da ra da Praia, n. 54,
por prego milito commodo : quem a pretender cn-
teuda-sc com Domingos Jos da (osla Cuimarilcs
no trapicheRarhoza] defronto do Corpo-Santo.
Vciirias.
I'OI.IIIMIAS
ARA 1848.
Vondcm-sc fiilhinhas de algibnira, de porta e de
padre as mais correctas e mais regularos : na pra-
ca da Independencia, livraria ns. 6 08; na ru da
Cruz, loja n. 56 ; na ra do Crespo, loja n. II ; na
hija da esquina do Collegio; na botica do Sr. Mo-
reira .defronteda matriz
Vondem-se boas laranjas Ha China: no sitio
grande envidracado da estrada do Monteiro.
Vende-so um braco de balanea com conchas
e pesos : na ra do Trapiche, n. 8.
Na rua de Agoas-Vordcs n. 46, vende-so um
excellcnle escravo de 22 anuos do boa ligura, bom
carreiro, mcslre tic assucar o ptimo sangrador; 3
molocotesde nacSo de 15 18 annos; 6 escravos
para to.lo o servico ; um dito proprio para silio ou
tratar decavallos por 160,000rs. ; um dito muito
fiel, e que he ganhador por 380,000 rs ; 2 escra-
vos com boas habilidades, que se vendem por pre-
cisaos ditos para todoo servigo.
JiuMartinsComes retira-se para fra da pro-
D-so dinheiro a premio sobro penhores de ou- i S|.'g.'#5.'g f}S6:.'S'6.'S;;S;@.*@:fJ!@
ro, prata hypothecas cm casas tearcas. ou boas fir- n
mas : na ruacstreita do Rozario, n. 30, segundo Js
andar, so dir quem tl. i 2
Alugarsc, por pfego commodo urna nxcellente {jj
casa terrea para se passar a fosla no Pogo-da-Pa- j <
nella prxima ap rio com grandes commodos pa- ^^..g.
ra familia dous quintaos, cacimba, cozinha fura, ^w t "*.* ..e..f.ieSiSH
banbeiro. o neosla piulada do novo : a tratar no, ,
KStSST* -51' c"m Tl"""'! *\&!S^T21 SWS HSffc
'eos: na rua da Cadeia-Vcllu n. 17, segundo an-
P?" dar, se dir quem vende.
Vende-se marmelada nova, viuda de Lisboa
no patacho Andurinhn : na rua das Cruzes,

l'recisa-se alugar um preto ou mleque
ra o servigo de um casa e juntamente de urna am
quocozinheeengomme : na rua da Cadeia de
Antonio n. 19.
O secretario da irmandade de N. S. da Soleda-
d, erecta na igieja do l.ivraiiienlo, por ordem da
mesa, pelo presente convida a todos os irm.loa pa-
ra que comparecam no consistorio ta mesma ir-
mandade, no dia 19 do con ente", as 3 horas da Ur-
do alim do que, reunidos em mesa geral, possain
elegero uovojuiz e mais empiegados, que teem de
reger a dita irmandade para o anuo de 1848.
Em consequencia de se nio baver reunido no
dia 12 do enrente numero legal de irmaos da do-
nosa S. Rita de Cassia para se fazer nova olcigflo ,
para este lim sao nuvamonto convidados os irmaos
a comparecern! no consistorio da irmandade, no
di IB do concille, pulas 8 horas da uiauhaa.
Vende-se cobre a quatro por cento: na rua lar-
ST. ga do Rozario, padaria n. 48.
--Na rua do Agoas-Verdes, n. 46, vende-se um
esciaivoUe 20 annos de bonita Qgura sem vicios ,
que faz carros para engonho elrahalha mu i bom
de marecnoiro e carpina.
Vcndcm-se ous pianos fortes patele inglez,
da fabrica do Collard & Collard : na ruado Viga-
rio, n. 4.
Vendo-so, ou permuta-so por urna casa fiesta
praga.uin pequeo sitio na Capunga, com casa no-
va, cercado do limilo, com algumas arvores que dito
fructo o oulras que n.lo dito, e boa agoa de beber :
mi rua Direita, n. 16.
Vende-se una morada do casa torroa na rua
do Pocinho-da-Pauella : na travessa dos Quarteis,)
t. 29,
Vendc-sem dozo escravos, a saber: 5
escravos muito mogos, hons para lodo o
servigo ; duas mulaliiihas do 13 a 14 an-
uos, rcolhidas, nina das quaes cose
muito bem, marca, faz lavarinto, en-
gomina solTrivel, o he muito desembara-
gila para o mais arranjo de casa ; 2 mu-
laliulios de 9 a II annos, muito lindos e
esportos ;-3 prelas muito mogas, com al-
gumas habilidades, e que sabem vender
na rua : na rua do Vigai o, n. 24, se dir
quem vendo.
Vendom-sc 12 cadeirs com assento de pa-
Ihinlia ,em bom uso ; um guar.la-louga; urna com-
moda de Jacaranda ; duas mesas do sala; duas ca-
mas, una de armagflo o outra som ella : na rua do
Queiuiado, n. 30.
Companltia gera! da iigriciil-
lura das vinhas do Alto-
lio uro
Oabalxoassiguado, agente dosta companhia nes-
ta praga de Pernanibuco acaba de receber pelo lui-
gue-escuna Fttot urna romessa de vinhos daquella
companhia i depois que ella fui rcabililada pela
logislatura de Portugal, o dotada com. os fundos
pblicos, pelas le de 21 de abril de 1843 para le-
vara todos os mercados os padrdes e bausas do vi-
nho genuino o puro dj Allo-Douro geralmente
conhecido polo nomo do vinho do Porto, alim do
servirem de guia ao commercio. Ksla remessa, to-
da do vinhos da mais escolhida qualidade deve
oflVroccr aos Srs. consumidores nilo s a corteza
do sua pureza mas tainbein o typo verdadeiro dos
oxccllenles vinhos do Porto. Espera pois o abaixoi
assignado, que os Srs. consumidores se dirigirlo al
sua residencia na rua la Cadeia do Recife loja
n. 51 para tralarem do ajuste do qualquei'- porga)
quo desejarem \ntonio l'raneiicu de Maraes.
Veinle-se um moleque do 22 anuos, pouco mais
ou menos, que eutende de oleiro e he canoeiro : na
rua da (,'adeia-Velha, n. 17, no segundo andar. Ven-
de-se por prego com modo, por o dono oslar de via-
gem para a Par.ihilia uestes dous dias
Vende-se una nuilaliiilia recolhida, quo lem
principios de costura, cozinha o diario de urna casa,
e faz o mais servigo quo se llio mando : o motivo da
venda se dir ao comprador : dctronle do oitiki do
llicalro novo, casa n. 5.
Vende-se um negro perito oflicial de sapateiro,
deidadodo 20 annos, e urna negra cozinheira, cos-
tiireira, lavadeira e eiigoinniaileira, tic idade de 22
anuos pouco mais ou menos : na rua estrella do Ro-
zario, n. 43, sefcundo andar.
Hiedas de Hamburgo.
Vendom-se as superiores bichas de Hamburgo, a
500 rs. cada urna a retalho, o aos ceios por menor
prego: tamliom se alugam o so vilo applicar, para
mis commodidiide dos pretendentes : na rua ta
Cruz do Recife, n. 13, loja de Joaquiui Antonio Car-
neiro & C.
Vendem-so- os utensilios de um armazem para
soccarassucar, contend) Iros grandos caixOes ^.di-
vididos em dous caila um o quo levam de (45 a 150
cargas de assuc*iir, leudo as la boas da frente de tirar
e por, eos mais pertences : para ver-se, a chavo a-
cjia-sc na loja da ferragens do Antonio Joaquiui Vi-
dal. na rua da Cadeia do Recife, n. 56. Advorte-se
que o armazem he na rua do Ainorim, casa terrea
n 32, a qual lambein so altiga para Continuagrio do
mesmo estabclecimenlo, por prego commodo. (lu-
li'osini, tamliein se vendem 2 rotulas, 1 porta, 2
caixilhose 1 bandeira para alcova, por prego com-
modo.
-----Vendem-se euleiles de froco de di-
versas cores para cuberas de senlioras
na |nj i de Mava Hamos & C, rua Nova,
.. 6.
Vende-se o magnifico predio sito na rua to
Amprim, prximo a alfandoga arando, o qual he
quasinovo, construido com forli,la"o ti esmero a
moderna com varandas ile ferro de quatro anda-
res formando o quinlo um mirante muito elegan-
te, cuja maravilhosa o arrebatadora vista alirau-
ge o_mar alio esla cidade e os campos adjacen-
tes recortados pelos to justamente decantados rios
Cap han be o Bcberibo ; lo i o cm que noro James
Ciabtree e he mu proprio para qualquor estabe-
locimento do commercio; a dinheiro de contalo
pelo que se ajustar no todo, ou em parte e em
parte a prazo : "os prclundentes dirijam-se no cor-
retorOhveira.
Em casa de M. Berncls na rua do
Trapiche, n. 3^, vende-se salame su-
perior c muito fresco; assucar refinado,
em pao, a oo rs. a libra; cbarutos da
Vende-se fnrinlia do reino a 100 rs. a libra; as-
sucar, passas, batatas, arroz de vapor, toijcmho,
mantoiga, pomada, salino l.'ranco, cha, lenlia do
mangue o queijos, ludo isto n-nto superior, e (lo
mellior : na rua do Mort >s, nu esquina que .lcita
para Santa-Wicrezo.
Vendem-se vitellos : na rua da Aurora, n. 4*-
Chapeos ere mola, brancos e
pretor.
Vondem-se chapos francozes para homom ; di-
to de sol, de seda flirt)-cores tanto para liomoin
como para senhora ; chapos de soda e do pama ,
para senhora ; mu ricas sedas para noivados ; lin-
1raneas do
pinha bordada; a verdadeira sarja despalillla; sa-
pillos de lustro setim 8 marrbquim, tanto para
senhora como para meninas; nicias de ww prela
para padro ; mui lindas sedas rara chapeos ; crep
decores; copas de fil para chapeos de" crep; bor-
zegnins para senhora ; perfilniarias muito Unas ;
ludo de mellior gusto o qualidade por preco com-
modo : na rua do Calinga loja b'Miuoel l'inbeini
de Mendonga, junto a botica do Sr. Jollb Moreira.
.-* Vendenvse diversos escra-
vos mogo* ede boas Ikmas,che-
gados proximamenle do Gear ,
sendo negras, mulatas costnrei-
ras, lovadeiras e eo/.inheiras; mu-
alos, nenise inoe(|ues, projuios
de lodi) o servigo : na rua do
Crespo, loja, n. 2 A, se dir quem
vende.
RAPE' NACIONAI AN'DARAIIV.
Coiitinua-se a venderem libras e inoias libras o
ja bem conhecido cap nacional Andarahy, viudo
Iresquinho no ultimo navio ilo Rio-de-Janeiio : no
deposito da rua do Trapiche, n. 94, e nos lugares an-
niiueiados
-- Vendem-se 42 pipas ahati-
d is: na rua da Cadeia do bairro
de Santo-Antonio, n. 25.
MOBII.IA.
Vondc-so urna porgo de Irastcs novos e quasi HO-
TOS ;lougase crystaes ; urna iiiiilalinha de 4 anuos;
tim moleque de 7 annos ; caixascom vinho de Boi-
dcaux Colares Lisboa, Porto S Madeira : lambem
algumaseaixas de cera do Rio-de-Janeiro : ludo
muito barato em virtude ^ retirada: para ver o
tratar ua rua da Senzalla-Velha n 110.
SSSF.
Manuel da Silva Santos vende barricas
de larinlia de, (rigo da marca SSSF* clie-
adu u ultimo navio a este mercado.
Vendom-sn velvtites pretos e velas de cera do
liio-de-Janeiro : na rua estrella do Rozario n. 3 ,
joja decerioiro o armador de Antonio Valenlim.
No armazem do Braguezi na rua da Cadeia, von-
dem-se barricas com superior farelode Lisboa, o di-
las com nozes por commodo prego.
Loleria do Hio-de-.laneiro.
Vetidcm-se bilbetr-s e ineios ditos da
i), lotera n beneficio di construccao e
reparo das malrizes : na rua da Cadeia,
lop de cambio, n. 38, do Manuel Gomes.
Vondem-se no armazom do Dias Ferreira.,
junto as escadindas da alfandoga es seguintes g-
neros por commodo progo 6 do superior qualida-
de ; caixas com passas ditas com ameixas, ditas
com figos., potos de uvas, ancorlas com azoito-
nas ilc Elvas barricas com sardinhas ; ditas peque-
as com ditas e hlalas a 1,000 rs. a arroba.
Adiiiiraveis uavallias deago
da China.
.Va rua larga do Rozara, n. 35, lo/u do Lody.
Estas uavalhas teem a vantageni de cortar o ca-
bello sem offender a pclle, deixando a cara parecen-
do estar na sua brilhauto mocidade. Este ago he da
China, e seu autor he Shan. Por lodas as socieda-
des das sciencias medico-cirurgicaa, tanto da Eu-
ropa cmo da America, Asia e frica, lio reconhe-
eidu o uso dcslas uavalhas maravilhosas, uo s
para prevenir as molestias cutneas a que a huma-
niilade e.'ta sulijeila mas tamdem como um meio
de ascuiar.
Vendem-se as verdmleiras s na loja cima ii.di-
cada.
Seiiientesde horlalice
de todas as qualidades homilas tortas 0 direitas,
feijilo-carrapalo : ludo muito novo viudo de Lis-
boa : na rua da Cruz n. i-2.
Tresse, fabricante de igaos e realejos, no Ater-
ro-da-Boa-Vista n. 2f, tem para vendei tres or-
gBos propros para igreja ou qualquer oulro parte:
lambein concertii ditos instrumentos f p6o mar-
chas novas e compra realejos j servidos.
--Thomaz Pourcell, marecneiro junto a cadeia,
tem uma(ai inagiio para loja de fazendas ou ootro
qualquer eslabelecimento para vender muito ba-
rata, com a condigilo le arma-la a quem a comprar.
Vonde-so urna prela moga com nina cria mu-
patinha de 3 annos ou sem ella : a piola cozinha ,
lavado varrella o salino e que vende na rua: na
rua ta Mailrc-de-leos, n. 36, primeiro andar.
\a rua dos Tanoeiros, n. 5,
vendem-se dous escravos de 20 a 28 anuos, proprioa
para todo o servigo, e duas cscravas de 22 a 28 an-
nos, qecosem chilo c-enlondcui soffrivelmente de
II ivana, verdadeiros ; vinhos Bordeaux
le Sautcroes, cm caixtnbas.
cozinha, l.ivam e fazem toda a' qualidade de bl-
cos e rendas. Veiidcm-su por commodo prego, por
ser para um pagamento.
Vende-se um lindo mulatinho de 12 anuos, com
bous principios de sapateiro : vcntle-so por se ter
rerebldo em pagamento -. na rua larga do llozario,
luja de miudezas 11. 35.
v.
4


/
M
^^
mr^n
9

i. *
! Vendeo-se dous armarios grandes di los pe-
queo* o .1 balcoes : na ra li. 36.
Vendcm-se pegas de chitas t sourns, muilo en-
cmpadas -i de cores fixas ; ditas cor da rosa todas
limpas i 5,500 rs. c a 160 rs a re albo ; madapo-
lilo (ni irgo ;c otitras fazei das >araUs : na ra
eslreila Rozarin. n. 10, tere >o andar.
.'.."sluiii l^nns esciavos por se ven-
derem, muilo baratos, n todos de bonita
figura, pois he para se fecharem as cori-
tas leste anno : um lindo negro peca annos, de nagMo, bom canoeiroe cozinheiro ; um
lito de 16 anuos, orioulo, ptimo para um pagem,
por ser bastante ligoiro; um dito do dade de 25
anuos, perreitoonicial de sapaleiro, este vende-so
milito emeonta, por ter um pequeo dofeijo ; um
mulato de idado do 35 annos, do milito boa condue-
la, Imm para tomar cunta n um sitio, por 360,000
is ; dous negros milito fortes e de bonita figura,
de idadedca annosj um dito do nacflo, bom ga-
nhador de ra, e que sabe fazer iodo o servico de
nina casa, por 310,000 Ti.; um dito por 400,000 rs.,
anda moco; um dito por 200,000 rs.; urna negri-
nba de idado de 20 annos, que cose ptimamente,
faz la vari irte, engomuia o cozinha ; urna dita de 26
anuos, perfidia cozinheira o engommadeira ; urna
mulata do ptima conduela, por 450,000rs. ; urna
negra por 200,00 : na ra -Jas l.arangeiras, n. 11,
segundo andar.
A .JOOO rs.
\endem-se saccas com bom milbo : no caes da
Mfandega armazdm de Antonio Aunes Jacomc
A 200 U.
Na lo ja le Guimares 6eraftm#c
Comnatthia na do Cres-
po, h. 5,
vendem-se chapeos de sol de se-
da para h >mem, pelo barato pre
(,-ode .)?200 rs cada um.
Vende-so champanha de milito superior quali-
dade reoentomente eliegada : na ra da Cruz,
n. 3
S9.I
- Ijliod >.IC| 8 SIMISOIUK 8B 9S-OI?|>
:tun \.\)v.o 's.i 009^'^ aP oboi ojo i
-i;(| ojad 'api pa e|S3uopiD0.inddt
itiaaj anl) sooi.i s;eui sojsoi a sdo.ip
-zn\ sop isa epudzej- 'sauuadui
sisvifa ap 9a).ioa sooi.i as-mapuaA
'<] *u 'od
-so.r) o) Bnj 'citturudtiio')
:d tuijiMa,, sai.wmiiH) ap efoj n^i
saci.iaduiisessna siwou sy
OWS>:0!0 %i0 %!0 %l<0 H# #$H#%!0Sj
@ Vendom- i- da, a 0.000 e 10,000 rs. ; ditos de novse ri- 0
: coapadroeff, ali.OOO c 16,000 rs.; chapos ^
do massa," francezes, da ultima moda ; risca- ,Z)
'f dos francezes para vestidos de senhora ; no- '<^
. vos cortos do cassa-cbila ; contras militas la- j
zepdas de goetfb, riropriaspara o lempo. 1. festa : ludo por menos prego, do que em ou- &
lia qualquer loja : na ra do Queinrado, nos (R,
, qualru-canls, loja da casa amarella, n. 29. 0
')&e>M:]'$',% 0>'& 0ffa 0i^ ?fc #'^ ^1^0
Faunos furos.
Vendem- esuperiores pannos finos, a prava do
limBO pretn, a 3,000, 4;500, 5,500 e 0,500 rs. ; di-
loazul, a 3,000 rs. ,e muilo fino, a 4,500 rs. Batea
i annos s8o novos pela su a bai ateza, allcndcndo
asna boa qualidade, lornam-sc rccoinmcndavcis.
.Na ra do Collcgio, n. 1.
Na loja nova dama d Quei-
mado, n. 1 i ele liayimm-
do Carlos Lcile, a <2 400 rs. o
covffo.
Alm de ter um completo sorlimcnto de fazendas
linas c grossas pelos iremos mnis rasoaveis posai-
veis ha casimiras Isbs e elsticas da melhor qua-
I i dade que tem viudo a este mercado, a 2,400 rs. o
covado beui como de lislras a 4/, 8/ o 10^000 rs.
0 corle,
Vende-sc urna casa lerrea, sita na ra das
Cinco Ponas, n. 112 : a tratar na mesina casa.
Venc-se umcevado muilo gordo, e de bom
tamanho : na ra da Gloria n. 26.
Vende-sc um relogio, sabonetc do ouro lio
rizonlaJ patente l.ondun por baralissimo prego :
na ra dosMarlyrins, n 13.
Vcndcm-se,OU Irocam-se por escravos doain-
l'.is iissexos duas moradas de casas de podra e
cal sitas dentro de.la praca tambem se vende
parte de ambas a prazo de um por rento ao moz :
quein pretender anuuncie.
- Vende-so umoialorio grande, em que se ce-
lebra mlssa J-coni seus utensilios; e um pouco de
prBla vclha : na ra de Aguas-Verdes, n. 18.
Na ra do Agoas-Verdes ,n. 46, vndenme 3 es-
cravas para lodo ti servido ; 3 bonitos moleques de
naeflo, de IS a 16 annos ; 2 escravos ptimos para
engarito por 800,000 rs ; um dito muilo liel stfm
vicios, de 30anuos, por 380,000 rs. ; um dito pro-
prio para tratar de sitio por 100,000 rs. ; um dito,
que trabalba de carpna, ile bonita figura.
Vendem-se superiores esleirs pintadas de to-
dos os larnaubos por prego muilo commodu : ven-
d.'-se lauliem una carioca : na ra da Cruz, n. 64.,

7^000 rs.
Veudom-se superiores casimiras eluslicas linas e
de cores, .pelo baralissimo prego de 7,000 rs. o cor-
le de caiga. Kla lazenua lie recoiiiiiieiiduvci' pela
sua qualidude lanto em fazenda como em goslos ,
po-serem os niais modernos; casimiras prctas >
superior fazenda por seren muito finas a 2, 3 e
3,500 rs. o covado : na ra do Collegio, loja n. 1.
PARA A FESTA.
Xa lija nova da ra do Quei-
mado, n. II A, deRaymun-
do Carlo Le te ,
vendem-se os melheres. chapos do Chili, que toem
apparecido neste mercado a 16,000 rs. cada um :
tambem ha de 7,000, 8,000 o 9,000 rs. ; inanias de
seda a 2,000 4,000, 10,000 e 16,000 rs. cada urna ;
um novosortimento de chapos francez.es; meias
pretas e grandes, para padre, a 600 rs. o par ; e um
completosortimento de pfcnuos"finos, do todas as
cores, por precoscommodos.
Va ra do Crespo, loja n. 12,
de Jos Joaquim da Silva
Haya,
vondem-se muito lindos chapos para meninas ,
tanto de sc.la como de palhinha chegados ltima-
mente de Pars ; chapos de seda para senhor ;
cortes de crambraia do seda do ricos gostos por
prego muilo commodo ; cortes de vestidos de cam-
braia ecassa-chilas de dilfcrcnlus qualidades, por
pregos baratos; ditos com urna pinta de mofo c
sem clc a 2,000 o2,500 rs. cada corto ; mantas de
seila e la para senhora das mais modernas que
leeni'vindo n esla piara a 5,000 rs. cada urna;
mantas e chales de seda de varias qualidadcs c ba-
ralos ; alpaca preta a 800 e 1,600 rs. o covado;
panno de linlio a 400 rs. a vara; casimiras fran-
cezas e elsticas para caigas a 5,000 rs. o Olte ;
fusloes ; selins e velludos para collele, por prego
muito em conta ; bein como um sortiinenlo de un-
irs umitas fazendas, que se vendem polo barato.
\a ra do Trapiche, armazem n.
34, de JVJ. Uernel, vende-se o
sefuinle :
salame fresco ; presuntos de Weslphalia ; licores
superfinos c superiores a todos que leem chegado
ani i.: -111 > i 1111 ; coragfio verdadeiro de llollan.ta; an-
chovis muito fresco; absinlho da verdadeira marca
e kirschwasser da Suissa ; werinoulh; fructas em
ago'ardenle; conservas de pelits-poisc sardiulias;
ditas inglezas em vinagre ; conservas de bajes
'schnilibohnen' em poles muito frescos, chegado
no ultimo navio de llainbiirgo ; licor de kirsch em
meias garrafas brancas de superior qualidude; as-
sim como lodas as qualidades de vinhos, ago'ar-
dentes, conservas de carne, etc.; charutos regalos
de lia va na; e muilos oulros objeetos de superior
qualidade e por prego mais commodc que em qual-
quer oulra parle.
No AlciTO-da-IJoa-Visti, loja n
78, vendem-se ricos chicotes para mon-
tara, o! 1111 ilc muito lioni goslo ; ossiin
como superiores cliapcos re sol de sed
para senhora, de muilo bonitos p.sdres
e por proco commodo, proprios para a
fes til.
Vendem-se dous escravos sendo um bom mo-
leque cozinheiro e copeiio c o outro sapaleiro o
bolieiru : este vende-se para fra da provincia: a
tratar no sitio do Cajueiro ou na loja do Sr. Guer-
ra na ra Nova.
Vendem-se 6 escravos sendo : urna prela de
20 annos que engomma liso e cozinha ; urna dila
quitandeira ; nina (lila que ven.le miudezas, ou ou-
lra qualquer venda e cozinha bem o diario de nina
casa ; nina dila de meia dade por 230,000 rs. que
he boa vendedeira ; um mulaliuho de 12 annos ; um
moleque de 12 a 13 annos, que tem muilo bons
principios de cozinheiro : todos mo leem vicios
uem achaques : no pateo da S.-Cruz n. 14, se di-
r quem vende.
Vndese urna casa terrea, com muito bons
commodos: na ruado Codorniz,junto ao Forle-do-
Maltos casa nova sem numero.
mesmo ; 2 pares de suspensorios; 2 manteletas pre-
las ; 6 mspeTisaveis : ludo bordado a matiz e de
muito bom gosto por prego commodo: na ra da
Cadeia do Recife, loja de ferragens, n. 56.
Potassa.
Vende-se potassa. mu nova, prxi-
mamente, chegada do Bio-de-Janeiro :
na ra da Cadeia- Velha, armazem de
Baltar & Oliveira.
Na ra estreila do Rozario n. 11, segundo an-
dar, vonde-se um bonito escravo que trabalba mu
liein de carpiua ; um dito do 16 anuos bom ca-
nooiro; um molequodell ounos.
Vende-se urna toallia de lavarinto, toda aborta
de chadrez de cravo, mnito bem fetta ; duas carro-
gas e dois bois mansos e gordos: ha Trempe, n. 1.
Belmiras.
Vendem-se superiores cortes da fazenda nova
denominada belmira para vestidos de se'nhora ,
pelo barato prego de 4,500 c 3,000 rs. o corte. Esta
fazenda be nova e de muilo sublimes gostos sen -
do as suas cores mui apreciaveis por serem cor de
lii-n rosa e perola. A el les, antes que se acabem.
A'a ra do t'.ollegio loja 11. 1.
--Vendem-se caixasde cha hysson de 13 libras,
em porglo, 011 a rctalhn: na ra da Alfandoga-
Velha n. 36, em casa de Mathous Austin & C.
AGENCIA DA RJ.NmCAO' EE LOW-MOOR.
Na ra da Senzalla-Nova, n. 42, contina a ha-
ver um completo sortimento de moendas e machi-
nas de vapor para eugenbos de as-mear : bem como
taixas de ferro batido e coado de todos os tama-
nlins: ludo por prego commodo.
Itiehas de Ilainhurgo.
Vendem-se bichas de II mljnrgo, a
640 rs. i! relalho e em porco em casa
de M mu I Jos de S Araujo, na ra
da Ciuz, n. 24
Na ra da Cadeia-velha, n,
lO, loja deJ. O. FJster,
vende-se vinho do Porto, de diversas qnalidailes;
dito da Madcira ; dito de Malaga ; dito de Shcrry ;
dito de Carcavellos; dito de Tenerife ; dito de Lis-
boa ; dito |do Itheiuo ; dito Craves; dito Sauter-
ne ; dito de llordeaux; dito Cbateaux-la-rose; dito
S.-Juliini; dito S.-Ceorge ; ago'ardenle de 1'raiiea .
de varias qualidades ; cherry-cordial ; morraseiii-
nn ; licores finos; PTIMA CHAMPANHA,em garrafas
inleiras o meias dilas ; velas de composiifio ; cha
preto e verde de superior qualidade; presuntos e
.salames de llamhurgo; sardinbasem ltase vidros;
pelits-pois em latas ; moslarda ingleza e franec-
za ; vidros com fruas em calda de assucar e espi-
rito ; agoa de llor de laranja ; (.Hllltl!IOS |>E IIA-
VANA K DA IIAIIIA ; e utios minios objeclos : ludo
recentemente chegado.
l\'a ra da Cadeia-Velha, n
0, loja de I O. Elster ,
vendem-se bilheles e molos ditos da lotera a lienc-
ficio da construcgo n reparo das niatrizes da pro-
vincia do Itio-Janeiro. Adverle-se aos amantes da
fortuna que ule o da 20 do crrente ja pdenlo go-
zar do premio que por sorlc Ibes sabir : e como j
reslam poneos hillietes por isso se aununciu.
Vende-se urna tablela nova de duaa faces ,
3 caixOcs para deposito de l'arinha ou de assucar ,
muilo bem fritos una carleira sem pos para cima
de pies 1 ou baleflo 4 enchamcis de 30 palmos : lu-
do muito em cotila : na ra do Codorniz junio ao
I orle-do-Mallos cas nova sem numero,
MICHAS.
Vendem-se c alugam-se muito boas bichas de
llaiiiburgo : na 1 na do Roz.irio'da Boa-Vista, loja
de liartieiro, n. 60.
Vende-se urna caaui de ferro cuio ariuagao do
Xo Vterro-da-Bpa-Vsta, lo-
ja n. 78,
vendem-se sapa tos de lastro para menims de 13 a
15 annos ;assim como para senhora.
Na Joja nova da ra do Quei-
mado. n. 11 A, de Raymun-
do Carlos Leile, vende-se a
1,000 e 1,200 rs.
a vara de um excellenle panno de lindo que che-
gou ltimamente de Portugal/cujas pegass lo de 21
varas : tambem se vende a relilho: assim como che-
gou novo sortimento do de 800 rs. a vara, o as pe-
gas com 18 varas e meia : anda contina haver
do de 600 rs. e bambucos finos': estilo s aca-
bando os guardanaposde linho a 800 rs.
jj] Na loja de Jos Manocl [|
:iS llohtciro Braga, na rila fe
1 do Crespo, n. I6,esqui-
|ij na qiiti vira para a
ni ra das Cruzes,
ij] vendem-se mui lindos chapeos para senho-
\J. ra de goslo o mais moderno e de cores
_J mui lindas, por terem chegado ltimamen-
te le do Franca, por pregos rasoaveis; c ou-
ril tras muilas tazendas de gosto.
s.
m
Vende-se urna redo do muito boa qualidade ,
fazenda muilo superior, e de muito bom goslo
na ra do Calinga, loja do Joaquim Jos da Costa
Fajozes.
A venda reformada toda de novo defronte da
matriz da oa-Visla 11. 88, convida a todos os seus
freguezesa compraren) os superiores e novos gene-
ros, por prego o mais commodo possivel a saber:
vinho do Porto engarrafado, a 400 rs. ; dito de Lis-
boa l'lill, a 240 rs. ; dito de outros autores a 200
W. ; dito braneo, a 340 rs.; vinagre, a 100 rs. ; cer-
veja a 480 rs.; azeile doce a 500 rs.; dilo de co-
co a 400 rs.; dilo de eirrapalo a 240 rs,, macr-
1 'iin aletria e lalharim a 300 rs. a libra ; passas a
240 rs. ; figos, a 240 rs.; ameixas a 40 rs. ; cha
hysson muito superior a 1,600, 2,150, e 2,300 rs
a "libra ; ebourigos, a 48o rs. a libra ; paios a 240
rs. cada um ; inunteiga ingleza, a 800 rs. ; dita frau-
ecza a 600 rs. ; queijos llamengiis.a 1,400 rs. ;
sabilo bespanhol, a 240 rs. ; dito iuglez, a 140 rs. ;
nozes a 160 rs.; ameudoas a 240. rs.; esperma-
ceteamericano a 800 rs. ; dilo frunce/., a 700 rs. ;
bolachiuha ingleza a 240 rs.: em lodos estes pre-
gos se fatuo abates comprandorsc porgSo mais avul-
tada o que ludo so l'ar com iniiiU prumptidilo e
asociadamente.
Vende-se umpardo de 25 anuos pouco mais ou
iiiein*, sem molestia alguma,que be copeiro.bolieiro
e tem prineipiosde alfaiale : ao compiador se dir
o motivo por queso vendo, com preferencia e por
lucilos para fra da provincia : na ra de Joo-Kcr-
iiaupcs-Vieireira, ao sabir da Soledado ,- em um si-
tio que. tem loes nos porloes das 3 horas da tarde
em diante ou lia all'audega das 8 huras da ina-
nliaa al as duas da larde a fallar como iusfpctor
da mesilla all'audega.
Vende-so um pelo sem vicios quo be bom
carreiro: na fabrica de licores do Alcrro-da-Boa-
Viata, n. 17.
---Vende-se urna das inelliorcs vendas em Fra-
de-Portas, bem afreguezada para a trra, e tem
cqmmodos para morar urna pequea familia : ven-
do-so a ilinheiro, ou a prazo com bas firmas, por
sen dono se retirar : a vista,se far todo o negocio :
x Iratar na mesma vehda u. 92, ou na casauefion-
le da dila.
Vende-se urna s>vcna com poucos fundos,
bem afreguezada para a ierra o tem bons commo-
dos para morar urna pequea familia : na na de
S.-Francisco, n. 68.
- Veudcm-se, na ra do Trapiche, u. 6, II es-
cravos acudo : 5 mulatinhos de 6 a 14 annos, pro-
prios para aprenderem qualquer u(Ticiu ou para
pagens ; um dimito moleque de 12 annos; duas
pardas cosiureiras, e que cor.iubam o diario de una
casa ; duas prclas de 35 annos, proprias para cam-
po ; nina cabra do 2* anuos: tudo por prego com iiio--
10 pelo dona se retirar pera fra da provincia.
Veiidem-se saccas com millio ; ditas de arroz
de casca ; urna porgo do saccas vasiaa de estou-
pa urna Inniieja rica de casquinba praleada, com
18 casaes de chicaras e pires de porccllana duurada;
urna cama do jacaTand com seus perlences : na. ra
da Cadeia de S.-Antonio, n. 19.
O IJARATEItO
avisa antes que chgue a
'esta.
O baraleiro KicardoJoa de Freita, Ribeiro as
suas duas lojas, ua ra do Crespo, n. 4, e no Passcio-
Publicoyti. 17, rocobeuum variado sortimento de
Jazendas linas do melhor gusto possivel o que es-
itli-vendendoaosaeus fregufizes que teem de com-
pilar para festa por prego o maia commodo possi-
vel, como sejm : ricos vestidos do cambraia do
soda a 12,000 rs. ; cortes de nrincczinas todas do
seda a 15,000 rs., de gosto rico; manta de soda
da melhor gosto a 9/, 12/e 15#000 rs.; ricos cha-
les de soda a 12/ 15f 20/e 25/000 rs. ; ricos lon-
gos de seda da India padrogs nunca vistos a'2,560
*8.; ditos deseda da bonitos nadre's porm nflo
de tilo boa seda a 1,600 rs! ; chapeos de inassa
franeezas dos mais modernos para horneo a
7,500 rs.; ditos do mola tanto brancos como |ire-
tos de cxccllenlcs formas a 8,000 rs. ; lindos len-
cos do cambraia fina com bico abortos e com cer-
cadura o sem ella a 610 rs ; um grande e variado
sortimento de corles de cambraia, tanto brincos
como de cores do 2,560 rs. at 5,000 rs. ; bem co-<
ino um sortiinenlo de ehit-is linas, de 160 rs. at 320
rs. o covado ; pannos finos de-todas as cores; e ou-
Iras inuitas fazendas proprias do consumo desta
cidado.
SAPAT0S.
Vendem-se sapatos a turca e lioreeguins do cores,
para senhora: na praca da Independencia, lojas
ns. 13e15.
ATUJI.
Vonde-se muilo bom atum vindo prximamen-
te de Lisboa feito de escabeche o j prompio a co-
mer-se a 240 rs. a libra : na ra estreila do Roza-
rio, venda da esquina que volta para o pateo do
Carmo, n. 47.
Caf da trra, .
vende-sena iua estreita do Rozario, deposito de
assucar, n. 43.
Vonde-se sal do Ass a bordo do brigue filis '.
a tratar como propietario, Firmino J. F. da Roza,
ra do Trapiche, n. 44.
-.
Escravos Fgidos.
Fugio, do poder do Jos da Fonseca e Silva o
escravo crioulo, do nomo Benedicto de 22 annos
pouco mais ou menos ; levou caigas e eeroulas do
algodilo, chapeo de massa velbo ; he de estatura
regular cabega bastante oval ; tem no pcito sig-
nal visivel de caustico e cicatrizes por bailo do
peito esquerdo ; quando falla pronuncia as pata-
vras muito meigas e musir sor muito humilde. Ro-
ga-se a.s autoridades policiaes e capiliics de campo,
que o apprehendam e levem-no a ra Dircita, casa
do annunciante quo gratificar generosamente.
Fugio, no dia S do corrento, um preto de no-
me Filippe do nago Mogambique ; reprsenla 25
annos cheio do corpo baixo cara larga. Este es-
cravo iierlencc ao Sr Jos Maria de Jess Muuiz.
Quemo pegar levo a roa do I'.rum findigo do
Mcsquita A; Huir que ser recumpensado.
Fugio, no dia 14 do corrento, o pardo Jos de
25a 30annos, cr-fechada, bem barbado alto e
secco do corpo ; tem as pernas um tanto arqueadas,
com lados os denles da'frente ; levou caigas de ris-
doc camisa fina. Este pardo pertence ao engenho
Carnadas, pertciiconle aoSr. doutor Manoel Firmi-
no de Mello. Quem o pegar levo-o ao dito engenho,
oua ra do Aguas-Verdes, n. 46.
-- Fugio, na noite de5 do crrenle de bordo do
briguo>.-/ori'(i-/oa-5orf, o eseravo marinheiro ,
de nomo Joaquim de nagflo que parece crioulo,
de bonita figura, bom fallante, estatura alta bar-
bado com suissas por baixo doqueixo ; ropresenta
30 afinos pouco mais ou menos; consta andar pe-
los arrabal las desta cidade. Hoga-se a captura do
mesmo ,-certificando-so quo quem o levar a bordo
do dilo brigue ou a Amorim Irmiios, receber boa
gratificaefio.
Fugiram, no dia 21 de oulubro do engenho
Mazagflo os seguinles escravos : um crioulo, de
30 annos alto e alguma cousa vermellio o signal
mais visivel que tem- he ser quebrado : out'0 c-
lmelo fugio no dia 29 de novembro, de nonio Jos
liras com cabellos bem cacheados mogo ; tem as
pernas arqueaos o ps grandes : o outro preto do
nomo Jeronvino, do altura-regular mocoebcm
barbado. Todos estes escravos sSo do serillo e por
isso be de suppor que soguissem para cima. Ro-
ga-se as authoridades policiaes* capitfies de campo;
que os apprchcndau o levem-nos ao dito engenho,
oua ra da Cruz, no Recife n. 26, a Luir. Jos de
S Araujo que gratificar.
Anda contina a estar fgido,~de$,-
deo dia 8 do con ente, o cabra Manoel,
natural do Pai,-cqiie leni os signacs $e-
^uiiitcs : repicscnla 1er 30 annos, alto,
rosto redondo, cdirllos prelos e corridos,
olltos |irctos,' pouca barba', lein a fall 'il-
'guinn. cousn deseat*ada ; consta que tem
andado pela Bul Visla, iiitilul.ralo-.se
por forro, e julga-se que co:n es.'a eva-
siva j Ihe nssen'aram prata no parf.
(>ostnma enibriagar-se nmiudadas vezes.
Ivste escravo peiienee uo Sr. Nicolao An-
tonio tU'drigucs Chaves, do Hura. Quem
o pegar leve em casa de Novaes tk C,' na
na do Trapich, 11. 34, que receber boa
gr'itjfCacao.
Fugio, no dia 15 do corrente o escravo l.uiz,
preto (longo baixo,bem preto ; tem o dedo mni-
mo.da mSo esquerda cortado ua parlo su|ierior.:
quem o pegar leve-oa Jos AutoiJtW l.ourengo, mo-
rador 0111 Olinda ra. do Varadourou uu no Recife,
a Jos Joaquim do Lima, que sera recompensado.
PeII\. : M'*W. b*. #. JDPRtl. 1