Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08791

Full Text
Anno fie F847.
Quarra-feira
ti OHRt() puSm-ae tn.loi oj din iju Jo
rt 'te qmMi i n irsro di miicnllura lia (le
4* nmirins Hm awi^nvu? a.i iiiseri ln r.s io le
}u r. pnrli'i!i, ti) r em tupo IIIpmhH, e as
rpetiC'Vci ptla -neta le. (>i qii'r n'ic l-rcm ass'^-
nanteit pagaran HO ra por u'ia, e I0> e.u lypo
diilereiite, por unta putilicac'ii).
PHASES DA LIU NO Mli OE DEZ6BRO.
1,0a ora, a 7, aa C lilas e II. minuto! da inanh.
Crescriilo a 14. I hora 6 ">'. d muliaa.
La dina a si atfl bois-4t mi Ha Unle.
M 1H.U..11I0 a JS, t 11 lioras e 59 iniu. da larde.
PART 3l DOS CORREIOS.
'loimn eParalil'ia s segui.das escitas feir
iltu-f';tiiHe-.1n. Norte quintas feiraiao meio-dia
ii., SeHii'ieii, Ho-Pormoso,Poito-Calvo e
M.iceiiV no i.*, a 11 e i! de cada mei.
(Jira Viuns e Konito. a 8 e 23.
ll.M-Vi-la e Florea, a l a 18.
Victoria, s quiulas-feiraa.
(Ilinda, lodos os dias.
efe Dezembro Auno XXIV.
.V. *5.
PHEAMA.l DE HO.IK.
I'rimeira, s 10 lloras c 64 minuto* da manliSa
Segunda, s J I lior.i
DAS DA SEMANA.
Seiunda S. I.ir/ia. Aud. do J dos orph.t do
J. im c da '' t. ei!o J. M. ii v.
Terra, S. Acuello, Aud. do J. do civ,
d l. v.e do J. de paz Quarta S. Kuy.ehio. Aud. do J. do civ. da 2
v. e do J. de pai do 2. dist. c'c t.
Ouinia. S. .tirina. Aud do J. de orpli. c
do J. municipal da I. vara.
Sexta. S. Colanico. Aud do I. dociv. da I.
r.e do J. do paz do dist de I.
Sabliado. S. Kspridio. Aud do I. do civ.
da I. v. e do .1 de paz do I dist de I.
Domingo. 8. runfla.
CAMBIOS NO DA M OF DK.nzRHP.O.
Solire Londres a 27 '/.d. por U I 6n a Paria Itl rj. por franco,
a Usl'i O'i pnr 100 depremn.
Dasc.delitr.mloloaslirni.s 1 a iK'Vo ,n-
OwroOuca I-espanholas.. 8"n a ISfiOO
a Modaido'i O felli lOIOil a l2no
t a de UlIOl! nov lltflOO :. fJlO
. de 1/000..... 0)((H) a ioIOC
Praia-Palacej..'....... ||U0 a ll!"0
a l'esoscolumnires... IjMn a IJ6
Ditos mexicanos.... ifTBO 1**00
a Miuda............ laSOO t#JO
A croes dncomp. do llrhariliede SilfOOft rs.aopar.
RTE CFFICVAl.
GOYERNO da PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 16 DO PASSADO.
Oflirio An lini, liispn diocesano, cientifican-
do-o de haver designado a igreja malriz le Santo-
Antonio para a reuniflo docollcgio eloitoral desta
cidade no dia 7 leicilo dos dnputados assombla geral; e convidan-
do-o a celebrar, na mesma matriz, no dia inme-
diato ao que fica declarado, a missa votiva ao Espi-
rilo-Sanl. Ofliciou-so a respailo n cmara muni-
pai do Itecifu c ao juiz do paz do primeiro dist rie-
lo da freguezia de Santo- Antonio.
Dito Ao commandante tas armas, recommen-
dando a eKpcdicr;lo do suas ordens para quo a tropa
de linha disponivcl se rena s legiOns primeira e
segunda d guarda nacional desle municipio, afini
de acompanhftr a procissflo de Corpus-Chrhti: .que
toni de sabir da matriz de Snnlo-Antoplo. Partici-
pou-seaoEsm. hispo diocesano em resposta a o lu-
cio su.
EXTERffR.
A ITALIA E AHESPANHA.
LONDRES, 27 DE SETEMBRO DE 1847.
No meio da igilac.To e do excilamenlo que reinam
actualmente, tanto na Italja como na llespanha, e da
incerteza o pengos que rodeam os destinos futuros
daquelles paizes, occorre ao espirito umaconside-
ratjlo primaria, na qual deposHamos nossas esperan-
cas e nossa ennfianga". A lula que existe na H>sp:i-
nhn e na Italia lem por objeclo principal a manu-
toncilo da sua independencia polilica. Nilo he urna
dessas contendas por certo's direitos polticos ou for-
ma de governo, quoahrem urna brecha fatal entre o
povo e os seus governantos, c que militas vezes en-
t regam o soberano protec^io estrang.'ira c o povo a
anarchia. Nfip he urna experiencia desta ou daqucl-
Is innnvacno que leude, ao menos por algum lempo,
a dividir a nac.to em fac<;0es hostia e a exasperar a
lula dos partidos. Pelo contrario, a tendencia dos
successos recentes, especialmente na Italia, tem si-
do inteiramcnle para a uniito. Esse mnvimento, Ion-
ge de enfraqueceros governos do Piernn te, da Tos-
cana e de Roma, dcu-lhes un impulso e urna frca
que at hoje nunca possuiram. As augustas pessoas
que proclamaran! estar decididas a partilharcm a
sorte dos povos que governam, identificaran! a sua
causa com a da nacTio c a do secuto, evitando assim
urna revoltillo anaichica ou urna reare Tu i sanguina
ria. Herasoavel esperar que o povo da Hnliasomos-
traia tilo judicioso c lio generoso como aqnclles
que mi hositaram oliedecer ao appello do sen paiz,
c que selembrara de que a piimeira necessidadede
sua posicHo actual li a de dar frca sos govcintis.
O pretexto antigo e conslaule da Intervengan eslran-
geira na llalla e cm todos os mais paizes tem sido a
necessiilado de livrar o estado dos excessosda lice.n-
ca c dnsalcsinestiradns exigencias do podOr popular.
Mas, quando un goveruo so declara francanionle'em
favor da causa nacional c se une aos seus subditos, a
npproxiinac^lo de um exercilo estiangeiro ainea^a,
uo nina inlcrven^flo', mas sim.una gticira. Contra
urna aggrcssiio, como essa, nflo podo defender-sc
um csUdo senio por meio da uniito mais intima de
todas as suas partes Quando O griio-duque da Tos-
cana tiocnu o distinctivo do principe austraco pelo
velho giglio de Florcnca, fez reviver um symbolo
glorioso nos annaes da Italia o da Europa ; mas es-
sa grande achilo ser recordada com duplicada hon-
ra, se, ao passn que restituir aothrono dos Mediis
a sua independencia, salvar tambem a sua ciiladc da
turbulencia da Eloreuca republicana.
Em urna palavra, saudamos o progresso desses
aconteciuieiitos na Italia, nio como o principio de
una i'cvolueao prende de grandes e de lerriveis mu-
danzas na condc"(o poltica daqticlle paiz, mas sim
como o comeco de um periodo cm que o phantasina
da revolueo de i xa: a de perseguiros governantes, o
em que os planos secretos do conspirador cessario
de por em movimenlo a desaffei^no do povo. O ga-
binete de Vienna nio acreditar fcilmente na pos-
sibilidade de scmlhanto mudanea. Segundo os
principios do principe de Metternich, principios com
quo tem governado o imperio austraco e exorcido
influencia nos concelbos da Europa, inda a manifos-
taclo popular to urna rcvolucito. Nao poder, pois,
fazer distnctAo entre o protesto deumauafflo em
favorda sua independencia eos designios videntes de
una faceto de esperar que recouliceesseesla uistinecao quando
a exprcssuo da vonlade popular be ISo lemvel
maiiuti'in'o da ascendencia da Austria cm urna par-
le importante dos seus proprios dominios. Comtu-
do, a declaraQo dos principes italianos o do povo da
Italia he to resoluta c unnime, que suppomos que
o goveruo austraco nflo se atrever a resistir aber-
laiticnte ou inflo armada. A experiencia que cm m
hora tentnu em Ferrara, nflo produzio efTeto senlo
o de excitar os prncipacs governos da Italia a deca-
rarcm-se contra elle, c no estado actual das suas fi-
nancas e do sen exercilo nflo pode emprehender o
governo imperial um systema vasto de opcrat;oes
militares na Italia. Alm das frcas dos estados ita-
lianos que teria de combater, vera cm plena iusur-
leieao OS seos propins dominios italianos, lima
guerra, como esta, seria ao meamo lempo urna cam-
pauha cstrangeira e una lula civil : teria nflo so de
conquistar a Italia, senflo tambem de snlTor.ar urna
revolueflo. Pondo de parle, pois, a intima^flo fcita
pelo goyerno inglez, c talvoz pelo de Kranca, do que
a independencia da Italia nflo ser violada impiine-
mente, somos de opiniflo que o gabinete de Vienna
se submeltera a necossidade da sua pOsiQc o trata-
r smente de manter a tranquillidado no reino lom-
bardo-vcni'ziano Se conimetter a imprudencia de
seguir outro alvitre, o castigo ser | rovaveltnente a
perda daquclla provincia e o arremessameuto da a-
guiaauslriaca para alm do Adige.
tem desejaramos que, a respeitode llespanha, se
podrs.se di/el que a na^flo est animada de um zelo
tito puro por um orejelo tilo simples, como aquelle
quo desperton o povo italiano. Ma verdade, a causa
da independencia he all tambem o atlralcivo que de-
via reunir lodos os llespanhcs em derredor do lliro-
no da sua corajosa e desventurada rainha. Todas as
consideracesde homens e de partidos deviain dos-
apparecer ante o.dcver de livrar a corte o n governo
da redep da intriga cstrangeira, que quasi tmz pa-
rausado o pqdr da soberana e decidi ja a sua per-
da para elevar um principe francez ao llirono dos
res calholicos. Desgrana da mente, ao pnsso que na
Italia um longo periodo de oppreasOo estrangeica
linha gradualmente preparado a nucQoparaun gu-
io siinuItaneo de independencia, na llespanha mu
longo periodo de desgoverno interno e de tumultos
revolucionarios tinlia transformado a nacflo mais ai-
rado, por forte queseja, he mil vezes prcferiyel a es-
se dominio clandestino c insidioso que corrompe os
criados da rainha e conspira contra osfunecionarios
do estado. A seguranca da propria pessoa da sobera-
na exige que se nonha termo a urna especie de influ-
encia que he un ultraje feito ao paiz, e hoje a orga-J
nisaeflo de um gabinete, subjeito influencia fran-
coza,' importara a occupac3o diplomtica da capital
hespanhola.
; 7 Y me )
| Jornal do Commercio. ,
'PRAMBUCO.
ELEICAQ PARA DEPUTADOS PROVINCIAES.
COLCtOfO DO KRCIFR.
Os Srs.
ManaeI de Souza Teixeira
Joai|uini Jos da ('.osla
Jeronvino Villela de Castro Tavares
Antonio Aflbnso Ferreira
Joaquini Nunes Machado
Padre Joaquim Francisco de Faria
Francisco Ra -liosa Nogtioira Paz
fcente Ferreira Gomes
l.anrenlino Antonio l'erera de Carvalho
rierculano (micalves da Rocha
Filippe Cameiro de 01 inda Campello
Filippe Lopes Neto Jnior
joaquim Jos Nunes da Cunta Machado
Antonio da AssuinpQflo (ahral
Francisco Camello Pessoa de l.acerda
I.iiureiico Trigo de l.uieiro
Jos c. Teixeira
Antonio CarneiroMachado Itios
l.ui/. Uarte Pereira
l.uiz Ignacio Uilieiro Roma
Simplicio Antonio Mavignicr
Antonio da Costa liego Monleiro
Joaquim Villela de Castro Tavares
Joaqtiim l.tiiz de Mello Carioca
Tiburlino l'mlo de A'meida
Joaquim de Aqtiiuo Fonseco
Joaquim Teixeira Peixolo de Abreti eJ.ima
Jos Mamede Alves Ferreira
liento Jos Ixmenlia l.ins
Antonio Teixeira de Itorba Jnior
Pedro Dornellas Pessoa
Pudre Maqdi Jos do Azevedo
Antonio Pereira Barroso
Manoel Severo Granja
Padre Vicente Ferrer li'Albuquerquo
llereulano de Son/a llandeira
Joflo Clemente Pessoa de Mello
Jos Pedro da Silva
Jos Francisco Arroda da Camera
.Manuel .Mendos da Cunta Azevedo
Ignacio Correia de Mello
Jfi
-y
o i>lqi;k we guise. (*;
por frrDcrico ^oulic'.
PBIME1KA PARTE.
XII.
O dia vinha apenas rompendo, e j Borgia linha
(hegado a Terracinc; mas, ein ve/ de entrar nesta ei-
dade para descansar, deu vnlla em redor dell c
deixon a estrada real de Fondi para seguir a costa.
Por niuito lempo a percorreu Mclchior sem que
achasse o que procurava. Nflo he porque faltasseni
barcas de pescadores alguma distancia da praia,
presas a auroras, ou arrastrando redes, e bordejan-
do a cusi..... mas, por mais que elle llies acenas-
se, faziam-se os pescadores cegos e suidos, ou pelo
menos nenhum dilles pareca disposto a respon-
"er-lhe.
(*) Vide Oarte n." 282.
tiva do Europa cm proa fcil da intriga pslrangrira. i urbano Sabino Pessoa de Mello
Quem acreditara, ha ti ni serillo, queo espirito eos
erros de tima menina de 17 anuos se ria m boje n prin-
cipal garanta t independencia de Clistel la? Ouem
teria dito que, se a tortuosa poltica de Franca nflo
livesse atea'do um odio morlal entre a rainha de lles-
panha o a corle das Tuilerias, o priiiiciio ministro
da Despalilla seia Horneado lioje em Pars, e toda a
populacho de Madrid seria comprada ou condecora-
da para com prazer ambicio de um i I lio segundo
da casa de Oilans Se, poin, nos nflo engaamos,
0 carcter da ranilla D. Izabel nflo he para dohrar-sc
a influencia ou ameacas daquelles a queni deve os
amargles da sua vida ; e se alguma cousa pode,
despertar a nac,flo hespanhola da sua appaicnto apa-
tilia, sera a sorte de urna soberana, cuja indi penden-
cia pessoa I est tflo intimamente identificada com a
do seu reino. Os emissarios francezes leeoj tanto di-
reto pora invadiro gabinete de Madrid com seus en-
redse pcitas, como os emissarios da Austria, para
esltinder a sua auloridade alm das fronteiras dos
estados pontificios. A guerra com um iuinigo dccla-
0 cavallo de Melcliior, exhaurido de orcas, cami-
nhava lento pela arela da praia; eo proprio caval-
leiro, nflo obstante a energa de que era dotado, ia
suecumbindo de fadiga. Tinlia elle, einliui, i llegado
ao p de um rochedo quo seestendia pelo mar den-
tro, e cuja altura era de doze ps. Ilorgia desceu do
cavallo, trepou ao cu mu do rochedo, para ver ao
ionge e para ser mais fcilmente visto das barcas,
que se conservavam sempic ao largo mus, apenas
oliegai\i a essa altu'ra, as loteas llie faltaram de re-
pente, e deixou-se cahir em trra inanido, excla-
mando com desesperada colera :
Oh! perder cu una corrta, por nflo ter urna
miseravel barca !
Mas, apenas havia pronunciado estas palavras, ou-
vo um grilo rpido junto do rocheuo, e do lado op-
posto aquelle pelo qual subir. La neo u os ollios, e
vio que esse penhasco abrigava urna pequea oli-
scada, no Tundo da qual eslava construida una mi-
seravel choupana de pescador, o ah se achava urna
barca de forma pailicular e de urna agilidade mara-
villiosa.
Na barca via-se urna moca, que, com as mflos
postas e com os siguaes da mais piofuuda admira-
eflo e viva alegra, tiuha os olhos cravados nelle.
He Aila! exciamou Ilorgia, queiusvnielhaii-
(e neo litro inesperado restituir urna parte de suas
frcas.
Que! stu, Mclchior? exciamou a moca em-
quanlo Ilorgia tflo tu en lio nflo meenganou.
Francisco Carneiro Machado liios
Cluistovo Xavier Lopes
Podro J'ereira Be/.erra de Araujo Beltrflo
Francisco Honorio Rczcrra de Menezcs
l inlielino Fuireira Catflo
Francisco Joaquim de Barros Corroa
Antonio Tristflo de Serpa lliandflo
Zacharias da Cunta Bastos
Joaquim lligno da Multa Silveira
Padio Antonio Julifl'o Rogerlo
los Tiieodoto Cordeiro
Jos Xavier Rodrigues Campcllo
Manoel Florencio Alves de Moraes
J. R. do A'maral e Mello
Padre Nemezio de S. Joflo (jualherto
Manoel Claro Goncalves Guerra
Paula Leflo
VigarioM. I. R. de Barros
Vigario Francisco Fenoira Brrelo
Manoel Pereira de Moraes
Francisco Xavier de Lima
folot.
1*6
14(1
145
137
131
181
1^0
.128
121
119
119
118
117
116
II*
112
III
110
106
too
IOS
104
104
100
98
98
98
98
97
97
95
92
92
91
90
88
82
7.5
T
(8
67
65
601
;.<
59
57
56
54
53
51
50
48
48
48
48
46
46
45
44
43
43
42
40
O Sr.
Bellarminodc Anida Cmara
Lonrenco Bezerra Carneiro da Cunta
.los Flix de Bro Maeodo
Caetano Alvos tic Souza
Jos Francisco do Paita
Viga lio Joflo lose Pereira
Antonio Ferreira d'Anttuneiaeao
Florencio .lose Carneiro Monleiro
Francisco SimOea da Silva
Queiro/. Barros
lose CaeUiho do Medeiros
Joaquim Jos Oliveira o Souza
Antonio Anuos Jaeonie Pires Jnior
Izidoro J. Dias dos Santos
Padre Miguel do Sacramento Lopes Cama
Antonio Joaquim de Morae> c Silva
Aguiar Montarrovos
Moro ira Alves
Pereira dos Sanios
Joaquim Antonio de Faria Abren <: I ma
Antonio Peregrino Maciel Monleiro
Antonio Coellio de S e Alliuquoiqtio
Pedro F. de P. CavaloMiti de Allmquorque
Jos lenlo da Cunta Figuciredo
Joo de Barros F. de Albuquerquc Maranhflo
Joo Baptista Pereira Lobo
Jos dos Aojos Vieira de Amoiini
23
22
22
J2
L'l
21
20
20
I!
19
1S
17
15
Variedade.
Doquem he esta liarca? disse vivamcnlc Bor-
gia.
lie de met tio.
E quem tem o costumo de a guiar;
1 Meo tio.
Est ah leu lio?
Estou espera dclle.
Lnlflo onde est i'
t Ein Roma ou em aples...... ou lalvez cm
Cacto...... Quem sabe?...... Mas elle mandou-mo
que o esperasso aqu,.....': disse-mc que cu havia de
tornar a ver-te......desde que me rouboo de casa de
met pai.
Borgia, que, entregue a alegra que Ibecausava a
deseiilieria iless'a barca, nflo linha pensado noutra
cousa senflo na fortuna que se Iho anlolhava de con-
tinuar a viagem, lembou-se a proposito do repro-
elie que Luigi Ihe havia feito de ter mandado rouliar
Aila ; e antes de seaproveitar de tflo feliz encontr,
quz saber porque accidente a lilha de Pappone se
aelias a em semelliante lugar, 0 a rasflO pela qual ella
o esportiva all e disse-lhe :
Entilo, com effeto.teu tio Carniole Scoppa ral
lou-le verdade?
Nflo ha duvida que sim, replcou Ailo, (|uu:i-
do metrouxe garupa, e Picamos livres da perse-
guirlo dos soldados do met pai..... Elle tomn a es-
trada real de Mola e a de Fondi, mas nflo entrn nes-
ta ultima cidade e me conduzio para aqu, lia ja mais
iic oiio oas Foi entilo que elle me disso quo havia
de irazer aqu um (dalgo de alta fama, e de grande
DO BOSTON DAVLV STAR.
O RECOL,
Teetii-se feito militas tentativas para se caracteri-
sar o prsenle secuto com algum opitbeto appro-
pnado, designativoda sua verdadoira reiQflo. Osse-
culos d'ouro, do piala, de ferro e de chumbo d'ou
li'ora evaporaram-se todos no gira, ou esvaecorntr.-
so ao vapor do era que corre. Daqiii, he este clara-
mente o seclo das reso/iiecs; podemos prova-lo :
por cxcmplo.
Suscila-se urna queslflo polilica de alguma mag-
nituilc. He debatida as azetas, controvertida nos
clubs o discutida nos caf*, som propinqnidade al-
guma para a seluoSa. I'orto oxc lamento perpassa
toda a sociodade, al as velhas queremos dizer,
as matronas provectas, se emponham na polmica;
c, oliOal, assOiila.-SQ ser negocio vital, sondo nem
mais nem menos do que a-queslflo, se acidado do
Mullemhurgli sera reprcsenladada pelo honrado To-
bas Tweedle, ou por Ebernczer F,ldorb|ow E<(|. Nflo
podo tlar-scousa mais importante, o compre resol-
ver.
N'um tal estado de agitac.o publica, convm a to-
dos os venia leiros patriotas que quizerom defender
cscropulosamnto o sen proprio intoreSM, procurar
OS mojos mais cflcazes de acalmar aantiedado ge-
ral, pugnando assim pela honra o gloria da nacflo.
Pelo que, algum espirito superior, amigo nimio
intimo Je algum dos candidatos, convoca inmedia-
tamente ti'ii mceting de lodos aquecs que apoiain
a eleicflo do honra Jo Sr. Twoo lie ou do civathei-
ro Eldeiblow, segundo ocaso fi\r, para eJToitodeso
lomar me idas temhjntesa conseguir o mencionado
lim. Mr. Iliggins lie escolhido para presidente, c Mr.
Piggios he Horneado secretario. Hem, como so des-
lindar esta grande pendexidade ? Mr. Snob, orador
da provincia, faz um discurso cliciodo logo o pa-
pa. Bravo .' palmas, palmas e mais palmas. Mes*
ireTliong, pedagogo da fregtiezia, faz tambem urna
exlioriac.flo, seguida de estrepito e palmas. Depois,
nomeia-se urna c.omniissflo oucarregada de apresen-
lar um relatorio sobre este treniendo estado de cou-
sas: ao quo retiram-se. A commissflo submet-
te respeilosamcute o soguinle resultado de suas
deliberacOes, cuidadosamente preparado d'anlemflo;
0 qual he todo aceito, neminc ronirtidiornle.
liF.SOLLCA.
One encaramos a crise actual como prenhe do
consoquencias que podem
de milhoes de vindouros.
envolver a prosperidad
^'.BMaifi
nobleza, e quo en nflo caberia cm mim de contente
quando o visse.
Devoras? disse Borgia muito admirado de se-
nielhaiiles palavras ; o quo te disse mais?
Que aquello que linha devir, j Ilustre pelo
seu nomo e pelo sen animo, eslava destinado mais
alta fortuna, lalvez aaima cora.
Borgia lilavacm Aila olhos curiosos; mo dun-
da va da vcraciilade da moca ; mas nflo compreben-
dia como o que ella acaba va d Ihe dizer se podesse
a justar tilo bem com a proposicilo que Luigi Ihe fi-
zera de noiio.
Com os danos dizia elle comsigo mesmo, nflo
sabia cu que havia tanta gente inleressada em me
lazer soberano de aples !
Entreunto, com rcsolugSo firme de se aproveilar
de todas as occaciOes que o podessem servir em seus
projectos, coulinuou :
E leu tio te disse que ora para mim quo te rou-
bava a leu pai?
Som duvida ; porque elle accrescenlouquo o 6-
dalgo que devia Irazer aqu) ino faria partilhar a sua
fortuna, e me elevara a jerarchia das maiores e mais
nobles damas. E de quem mais me podia elle fal-
lar a nflo ser de ti, que me amas, e que me promot-
leste a mflo de esposa?
Enlo ello nflo te disse <> mcu nnute .' excia-
mou vivamente Mclchior, a quem agora a verdade
apareca sbita.
Disse-me que o nomc anda era um segreda
MUTILADO



.f.
* Que os habitantes de Mullenburgh silo os mais
penalmente interessados no projecto do construir-
se urna presa d'agoa no ngulo de sudoeste do lago
de Pokcmouth.
Que vemos com aversilo a opposicflo a este oh-
jecti', feila pelos adherentes ilo candidato opposto
Que, sendo o honrado Toliias Tweedle favoravel
proposta experiencia, demanda o apoio individual
dos nossos concidadaos : porlaiUo,
Que emprearemos lodos os nossos esforcos l-
citos e honestos para consegoiruins a eleigfio do ilito
<-;i v.i llr i 11>; por ci im mus ser elle o homem mais aza-
do, nao s para defender os interesses desta anliga
cidaile, scnilo tamhoin os da repblica, como ile to-
do o paiz.
Assim se solve d'uma vez toda a dilllculdado pe-
Ja resolucfo, e o novo patritico vai para casa ceiar.
Do mesmo modo se tratam commummenle ou-
tros negocios -- qur relativos igreja, qur ao es-
tado.
MXIMA.
A mentira nSo tem pernas, e por isso nlo so pode
ter em pe; mas tem azas, e pode voar, in longum, la-
lumrl profundum.
(I'nileil States Gasttle.
>i,Mmajifi*r-.g'-v:^a,^n>mj>.Hi-gi..;-^

ERCIO,
Altande^;.
RF.SDIMENTO l0 Dl\ 14............5.965,47*
liescarregam hoy 1.1 de dttembro.
Itrigue Celar -- inercadorias.
Rugue Carlota e-Amelia -- dem.
E para que chegua ao conhecimonto de todos,
mandn publicar o presente,
Freguezia da Boa-Vista, l* de dezembro do 18*7.
Ignacio Joi Pinto.
Declarares.
PAIUOSPORTOS 1)0 SUL.
0 paquete brasilelro a vapor S.-Salvador, comman-
(lante A. ('.. de Azeredo Goutinho deve estar aqu
dosportos do norte at 17 do corrente, o seguir no
dia immediato.
O escrivo chefe da segunda seceso do consulado
provincial, de ordem do lllm. Sr. administrador do
mesmo consulado, faz constar a todos os propieta-
rios de predios urbanos dos bairros desta ciliado,
que, do dia 1." do corrente mez de dezembro, so
principiaran)a contar os Irinta uteisparao pagamen-
to bocea do cofre d r^sosclv.i dcima do i.Qse-
mestre do anuo financeiro corrente de 18*7 a 18*8 :
e lodosos que deixarem do pagar, dentro do referi-
do prazo, iicoitcmi na multa de 3 por cento sobre o
valor do seus dbitos, c serilo do prompto ejecuta-
dos. Recife, 6 de dezembro de 18*7.
No impedimento do escrivo,
Josi Guedtt Salgueiro.
CONSULADO GEHAL.
RF.NDIMFNTO DO DIA 1*.
Oral.........................4:830.009
Diversas provincias............... 305,719
5:135,728
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 1*..............2:963,912
www-! !.ij. jiMPMeapp!>
movimiento do Porto.
Navio entrado no dia 1*.
Koslon ; 48 dias, brigue americano Sarah-Abergail,
de 211 toneladas, oapitfo Miohacl Doylo, equipa-
gemll, carga taboado, fazendas e alcatro; ao
capitilo.
.Vatios sabidos no mesmo dia.
New-Bcdford ; calera americana Willium-Hamilton,
capimo Lorenzo Fisber, carga amesma.
Cear ; patacho brasilciro Laurentina, capitffo Jofo
Mirtina ilos Santos C.ardoso, carga varios gneros.
Passageiros, Joaquim Mentes da Cunta Guima-
ries Junior, Francisco Fidelis Rarrnso, Franeisoo
Dutra de Macedo com sua familia e Joo da Cos-
ta, Brasileiros ; Manoel Jos Salgado com sua fa-
milia, Joaqmm Domingos da Silva, Francisco Litis
Corris e f.uillierme Augusto de Miranda, Por-
luguezes.
Obiervaco.
A galera William-llamilton, eapitiio Lorenzo Fis-
li r. veio das libas de Sandwich ; co brigue inglez
d'nrgrann tem de equipagem 14 e nio 6, como se
declarou.
BGBGBDBB
0 caixa da companhia de lleberibe, tonda de pres-
tar as suas contas. lemhra aos Srs. accionistas a rea-
lisacili) dos 1 por cento, ltimamente podidos.
Estando a terminar-se a obra a que a compa-
nhia do Beberibo se comprometteu pelos sous con-
tratos, sSo convidados os Srs. accionistas para se
reunirem cin assembla geral, quarta-feira*, 22 do
corrente, pelas 10 horas da manilla, noescriptorio
da companhia, alim de se tomaren) as medidas con-
venientes para ella entrar no gozo do privilegio ex-
clusivo, e se deliberar sobre outros objectos do seu
interesse. Na mesma reuniiln o director far o rela-
loriodoslrabalhos do ultimo semestre, o o Caixa
apresenlara as snas contas, sendo de esperar que no
entretanto se complete a entrada dos por cento
Kscriptorio da companhia do Beberibo, em ses-
silo de 11 de dezembro de 1817.
O secretario,
B. J. remandes fanos.
nos trapiches das escadinhas, ou na loja do ferra-
gensda esquina da rua'da Cadeia.
Par o Rio-de-Janeiro o brigue Bom-Jesus ,
bem conhecido nesta praca deve partir a 17 do
correle : quem no mesmo quizer ir de passagem ,
ou embarcar escravos dirija-se a (andino Agosli-
nlio de Barros ou ao capitilo Pedro Jos de Sales.
Leilad.
l.eiino, por intervencSo do corrector Oliveira,
consislidn em um carrinhn do duas rodas com ca-
valloe mais pertences, sellim com pertcnees, com-
inndas, mesas de jantar, do meio de sala e outras,
sofs, cadeiras, ditas de bataneo, bancas dg jogo,
cspelhos, dous pianos novos e um usado, camas de
armacilo e de vento, secretaria de vidraca, lavato-
rios, louca, apparelhodecha, de prata, vid ros, relo-
gios de patente inglezes, qusdro, outros muitcs ob-
jectos e algmnas obras de ouro, iic, fice; sexta-fei ra
17 do corrente, s 10 horas da manhila, em casa de
Jo?oKeller& C, ruada Cruz, -cuto socio pretende
fazer urna viagom a Europa, pelo Sword-Pih, dei-
xandoa gerencia da casa ao Sr. Gustavo Lutz.
Avisos diversos
Eterat:a apprehendida pela polica.
Atina, de Loanda. ~ Foi presa canduzmdo duas
pecas de chita, vinte e novo velas do cera e seis de
sebo, que nio quiz declarar dequem recobera ea
quoiii levava. Acha-se recolhula cadeia desta
cidade, e deve de ser reclamada na subdelegada (los
Afogados.
'. viss martimos.
DITAKS.
Miguel Arrhanjn Vonleiro de Andrade official da im-
'perial ordem da llosa, caralleiro da de Christo e ins-
pector da alfandega de l'ernambuco, por S. M. o
Imperador, que Dos guarde, etc.
Faz. saber que, no dia 16 do corrente, ao melo-
da, e na porta da mesma .su hOo de arrematar em
hasta publica caixOcs, contundo 100 latas c *2
raixulcs com ntarmolada, no valor de 1**,000 is.,
impugnados polo guarda Jos Alves Tenorio, no
despacho por factura de Manoel Joaquim Ramos e
Silva, n.2533: sendo dita arroma tacAo subjoila a
direilos.
Alfandega, 1* de dezembro de 18*7.
Miguel Archunjo Monteiro de Andradi
Jgnacio Joti Pinto, fiscal da freguezia da foa-Visla,
em virtude da le, etc.
Faz. sabor aos propietarios de casas situadas na
referida freguezia, que, no dia 19 do correte,linda-
se o prazo de *0 das marcado pela cmara munici-
pal para os concert das calcadas.
-- Para o Rio-de-Janeiro o patacho f'rio deve se-
guir em 17 do corrente : quem quizer embarcar es-
clavos, ou ir de passagem, dirija-se a Caudillo
Agostinho de Barros.
--Para o Rio-de-Janeiro o brigiic-escuna Filis-
Ventura segu com brevidade por lera inainr par-
te de seu carregamenlo prompta : o capitio he Joflo
(oncalves l.eite : quem no mesmo quizer carregar
dirija-se a Gaudinn Agostinho de Barros, na pra-
cinha do Corpo-Sanlo n. 6fi.
(IsSrs. carregndores para o Porto na barca JS#-
pirito-Santo queiram at o dia 18 do corrento ,
entregar os conhecimentos para serem assignados.
Este navio deve sabir no dia 21 do corrente impre-
trrivelniente : s recebe passageiros para o que
leni excellenles commodos : a tratar com o consig-
natario Francisco Alves da Cimba, na ra do Viga-
rio, n. 11,ou como capitfio na praca do Com-
nieicio.
Para o Aracaty segu com brevidade o hiato
Huvidoso; para carga e passageiros, trata-se ao lado
do Corpo-Santo, loja do massames, n. 25.
-Paia a Babia segu viagem com milita brevida-
de, por lera niaior parte da carga prompta, a escuna
Curiosa, forrada e pregada do cobre : para carga e
passageiros, trata-se com Domingos Antonio de A-
z.eveilo, a bordo de mesma, ou com Luiz Jos de
S Araujo, na ra da Cruz, n. 26.
Para Lisboa pretendo sabir com toda a brevida-
de por 1er parte da carga prompta o brigue por-
tugiiez Cartvta-ti-Amelia de que he capillo Ma-
noel Joaquim dos Santos: quem nelle quizer carre-
gar, ou ir de passagem, para oque tem excellenles
e asseiados commodos. dirija-se aos seus consigna-
tarios Francisco Severiano Rabello & Filho ou ao
mesinn capitao.
Para o Rio-de-Janeiro sabe o brigue nacional
Sociedade: para carga, passageiros e escravos, tra-
ta-se com Jos Francisco Collares, ou com o capitilo
MlwwTtMMinriamapamMa -* -------- Tll
masque dentro em pouco toda a Italia o pronun-
ciara.
E tu pensas que foi de mim que elle teauiz
fallar?
Estou certa disso, porque elle mecommunicou
que o ia buscar a Roma, e eu souhe na vespera, em
Mola, que tu tinlias passado de manhiia por esta ci-
daile para te juntares com o conde il'Ugnate. Se-
gundo mediase meu lio, era elle mesmo portador
de despachos mu importantes, c deixou-me s nes-
ta rasa que Ihe perlericc.
Borgia nao respondeu ; segua elle em si mesmo
0 plano que Ihe revelavam as palavras d'Anila, e
comprehendia o papel que Carniole reservava a Ai-
la junto do duque de Guise.
Que patile! que miseravel I murmurava elle
entre lentes.
De quem fallas tu ? pergunloii Anita.
JNa verdade! respondeu Borgia, tens um lio
muilo honrado, e que quer fazer de ti urna dama
bem notavel Sabe que uiio era eu que elle devia
irazer-te aqu, Anita ; era um miseravel avent-
renos quem elle quer fazer duque de aples, e
cujo reconhecimcnio elle pretenda captar, dan-
do-lhe por amante a mais bella moca de lodo o
reino.
laso uno he possivel, respondeu Anita toda es-
pantada.
Edizestu que elles dovem vir ter a-estaca-1
bana P j
Sem duvida.
O TRIBUNO N. 60
esl venda na liviana da praca da Independencia,
ns. 6 o 8. S agora pode sabir, pela molestia do re-
dactor, quo anda se acha milito enfermo.
ATTENCAO.
Aluga-so iini excellenle sobrado para passar a
l'i'sia, n. (8, prximo do porto de desembarque da
cidade de ('linda, com grandes commodos para fa-
milia o expeliente banbeiro no fundo : quem o
pretender dirija-so venda por baxo do mesmo so-
brado, que achara com quem tratar.
Quem precisar de urna ama para o servico in-
terno e externo de urna casa, dirija-so ra das
Trincheiras, n. 1*.
A praca dos tres escravos do casal do finado Jo-
s Manoel Fiusa ficoutransferida para quarla-fei-
ra, 16 do corrente, em rasflo do feriado quo houvo
para o dia aun iniciado : a praca he a hora do cos-
ame.
Agencia de passaporlcs.
Narua do Collegio, n. 10, o no A(erro-da-Boa-
Visia, n. *8, contnuam-se a tirar passapqrtes tan-
to para dentro, como parafra do imperio; assm
como despacliam so escravos: tud com brevidade.
Precisa-se de urna ama de leite : na ra do Col-
legio, n. 21, segondo andar.
Aluga-se urna casa terrea na ra Bella, prxi-
ma a mar, rom duas salas, tres quartos, corredor
ao lado, cozinha fra, quintal e cacimba : a Iralar
na ra ile San-Francisco, amigamente Palacete, ale
as oilo horas da mantilla.
Pelo juizode nrphflos, na ra do Atcrro-da-Boa-
Vista, na quinla-feira, 16 do corrente mez, pelas *
horas da tarde.se hilo de arrematar, porser a ultima
praca, Iros escravos, a saber : um preto "oflicial de
marceneiro ; outro dito de maior idade, do servido
decampo; e urna preta que sabe cozinhar o diario
do una casa.
Troca-se um oratorio com bastantes imagens,
por preco cotnmodo: troca-so porque a dona retira-
se para o mallo : quem o quizer dirija-se a ra do
Mendego, o. 3*.
Aluga-so um primeiro amiar de sobrado, na
ra do Rangel, defronle da botica : a tratar na ra
do Cabng, loja de Joaquim Jos da Costa Pajosos.
Precisa-se de urna ama forra ou captiva para ca-
sa de pouca familia : na la da Santa-Ciuz n. 66.
Alugam-se os segundo e tereciro andares do so-
brado da ra da Cruz. n. 40, no Recife ptimos
para um consulado ou escriptorio visto estes an-
dares nao lerein cozinha : a tratar no primeiro an-
dar do mesmo sobrado.
-- Pede-se a Senhora l.ulza moradora em alguin
lempo no engeidio Caiar que annuncie por esta
folha a sua morada, para ser procurada a negocio
do seu interesse.
-- Aluga-sc o segundo andar do sobrado sit o na
ra da Guia, n. 64 por prego muito commodo : a
tratar na mesma ra, venda n. 7, de Jos Pereira.
Lcmbra-se ao Sr. J. J. 1). G., que, antes de se
retirar para o Porto na barca Espirito-Santo, baja de
pagar o que esta devendo a diversos.
Precisa-sede um caixeiro para venda : em F-
ra-de-Porlas, n. 84.
Aluga-se urna excellenle venda em bom lu-
gar com commodos para morar familia : a Iralar
na ra do Quciinado n. 53-
No da 13 concille, pelas 5 llorase meia da
larde, foram entregues a um preto no arniazem de
F. Das Ferreira duas caixas com passas : e como
O dito prclo nio enliegou aonde Ihe foi mandado ,
rogu-scaquem das ditas caixas saiba ou dolas
estoja de posse de participar no referido arma-
zem que sera recompensado.
Precisa-so de urna ama quo seja do bons conto-
rnes, para tratar de um boniem soltciro que est
docnte : na ru do Vgario, n. 33, segundo andar.
ATTENCAO.
O melhorespecifico eo mais efllcaz que
ha nesla provincia para applacar o des-
truirs mais violentas dores de denles,
produzidas pela carie, ou por qualquer
oulra alTeecflo da bocea he o vordadei-
ro paroguaroux odontal^lco, composto
por MM. Roux & CompairtiTa, pharmaceu-
ticos em Paris. Este remedio goza do gran-
de reputacoflm Franca, foi amigamen-
te aqu vendido na botica do Sr. Saissot,
e foi muito approvado. Afilrma-se ao res-
peilavel publico e a todos os mais habi-
tantes desta provincia, que as pessoas que
' solTrerem dore de denles, e applicarem
esto remedio rerfo immediatamenle em-j
cinco minutos o grande allivio, escusan-
I do cada um tirar os seus denles. Vendo-se
este remedio nicamente em casa do den-
tista e sangrador, Jos Anecleto na ra
eslreita do Rozaro, junio a igreja casa
lerrca, n. 7, na freguezia de S.-Antonio
desta cidade do Recife cada frasquinho
com um impresso quo cnsina o melhor
methododese applicar por 4,000, 6,000
e 10,000 rs., o em pequeras porcOes a
1,000 e 2,000 rs. ;e embebido em algodito,
trazando cada um seu vidrinho com rolha,
a 320 rs. em cobre.
Borgia laucn os olbosem torno de si, levou nia-
chiiialmeulc aman ao punlio da espada, examinoo
as pistolas e murmiirou em voz baixa :
- Tal vez fosse melhor espera-Ios ; e esperndo-
os poderia fazer com que Guise uilo chegasse a a-
ples.
Mas que tens tu que dizer a li mesmo ?
Borgia nao ou,va ; levanlou-se de repente.
- .Nao, disseelle, het de tentar a fortuna at ao
(im; oque um Guise emprehende um Borgia pode
execiita-lo.
K ficou anda por um momento a pensar ; depois
continuou :
Estas tu s nesta casa, Anita?
Estou com una criada velha, o um rapazinho
que vai lodos os dias procurar-nos.viveres na aldea
vi/inlia,
Ab exclamou Borgia, viveros, eis-ahi urna
cousa essencial..... Miuha chara Anita, estas vendo
um.hoineni que fez o trajelo de Roma al aqu, ora
a cavallo, ora ap, ora as costas de um einbaixador ;
mas que anda nao comen urna onca depilo desde a
sua partida..... Poders tu dar-mo alguina cousa
para comer Y
Vem commgo at casa.
NAO, disse Borgia. Traze-me antes alguma
cousa ao cu me desle rochedo : lio preciso que eu vi-
ge as barcas que so podem approximar da costa.
Aila apressou-se em obedecer aos desejos de Mel-
chior, e dah a pouco ja elle havia recobrado as fr-
cas Emquanto beba e coma com aactividade de
Traspasss-se a posse de. um terreno no lugar
da malta da Torre, a margem do rioCapiharibe, j
beneficiado com urna mei'agoa de pedra o cal, ca-
cimba de boa agoa, roca em estado de fazer-so fari-
nha, ecapm de planta : confronte a otaria do Jos
Francisco Bellem, ou a tratar na ra doCaldereiro,
numero 68.
Precsa-so de um menino para caixeiro de lo- ,
ja de razendas, eque esteja habilitado para poder
tomar conta de um balcito na ra da Cadeia, n. 19.
Na noite de 10 para onze do cor-
rente, desappareceu um co d'agoa, to-
do branco,raspado do meio lo corpo para
tras, com as pernas tambem raspadas :
quem o pegar ou alguem que o tenha
recollii lo, leve-o rin Nova, armazem
de trastes, defronte da ra de Santo-A ma-
ro, n. 59, que ser bem recompensado.
--Alugam-se dous sobrados com mirantes, mui-
to grandes com bons commodos para grande f-
mula e com grandes quintaes sitos na ra Au-
gusta : a tratar 110 vvero doMuniz.
--Jos Martins Gomes retira-se para fra da pro-
vincia.
-- Aluga-se urna pequea c'asinha na Solidado
para o Manguind, ra de Jono-Femandes-Vieira ,
n. 22: a tratar na ra Nova, loja n. 58.
O Sr. Joao KreiJerico de Abren Re-
g queiri dirigir-se ra do Queimado,
11. q, a negocio de tea interesse.
~ Precisa-se de urna mulher para cozinhar em
casa de um homem solteiro a qual seja perita nes-
te ofilcio. e que d fiador a sua conducta : na ra da
Cadeia-Vclha, loja n. 40, se dir quem precisa.
Ocoronel Manoel Cavalcanli de Albuquerque Mello,,
tendo de se retirar para o serillo uestes 15 dias, faz.
sciente aos seus foreiros de Giqui e Peres, que a
31 do corrente se venreih seus foros, quo at o dia
6 dcjanciio de 18*8 os i rilo pagar a seu filho Ma-
noel Joaquim do Reg e Albuquerque, que (ica en-
carregado da gerencia de sua casa, c o que al o di-
to da nao i'or pagar, ser chamado ao foro para pa-
gar, para o que"Pica o mesmo munido de poderes
para este lim.
Trapassa-se o armazem de assucar da ra da
Scnzalla-Velha, 11.110, com lodos os utensilios e
arraigos necessarios para o soque de assucar, por
muito barato preco e com o consentmenlo do pro-
pnetario do predio : a Iralar 110. primeiro andar da
mesma casa,
Precisa-se do um official de foneiro que en-
tenda bemdcscu ollicio : no Alerro-da-Boa-Vista,
n. 65.
O coronel'Manoel Cavalcanli de Albuquerque
Mello vai ao serlo tratar de sua siide, e fica a sua
casa entregue a sen lilho Manoel Joaquim do Reg
o Albuquerque : quem se julgar seu credor por lat-
irs, ou por contas de livro, deve-as apreseotar at
o dia 18 do correte, 110 seu engenho Ciqui, para
serem pagas, visto que ni julga dever a pessoa
alguma. 0 mesmo seu filho fica incumbido de to-
das as suas causas, tanto cives como ciirnos ,
munido de procurado bastante para este lim.
Jeronymo de Abreu participa a todas as pes-
soas que leem penhores em sua mito de Janeiro de
18*3 at o presente hajain do os ir tirar no prazo
de 15 dias ,oa pagar os juros que trataran) ; do con-
trario osvendor para seu pagamento, o publi-
car os nomos das pessoas a quem perlencereui ,
por esta folha visto ignorar suas residencias.
um homem que deseja salisfazer apressado tjo mi-
seravel necessidade da vida, Aila Ihe dirigi pala-
vras do mu grande ternura, mas nao obleve delle
seniio rcsposlBS disi rbidas, porque Borgia arranja-
va eutfio na cabeca loda a leia do plano que preten-
da seguir para chegar ao seu fin. Assim que acca-
bou a modesta rereicSo:
Anita, Ihe disse elle, nos vamos pa"rtir.
Como ha de sor isso ? replicou ella.
Nesla barca.....Esto rapaz quo nos serve devo
saber manejar um reino c urna vela ; e eu nilo seria
digno de ter nascido em um palacio que banha os
ps no mar,, se uflo soubesse fazer outro tanto. Per-
mita Dos que o vento que com vea a soprar con-
tinu, que nos estamos salvos..... O rapaz mano-
brara as velas e ou licarei ao lome.....se o vento
nos defxar, tomaremos ambos os remse tu o le-
ine. Nio te esquocas, Aila, que leu lio liuha rasflo,
oque vaisacompanliar um homem que talvez al-
cance urna corda.
Quo tu repartidas commigo ?
NiJo o duvldcs, Aila, disse Borgia Dcijando-
Ihe as mDos.
Depois conlinuou iinmodialaincnlo :
Poder-nos-hemos liar na velha que te serve ?
Podemos.
Pois bem vai charaa-la, o d-ine o que lie
preciso para escrevor.
Nflo he 11'nina miseravel casa de pescador co-
mo esta que so encontra o que he preciso para es-
erever. .
A snrle sorrl tninha empreza, disse Melcbior,
al nos obstculos que me suscita; quo impruden-
cia ia eu commeter Fscrcver seinelhantes cousas !
Depois bnloicou a cabera, e accroscenlou :
Une loucura he bastante isto.
Tirou entilo um nnnol d'ouro do dedo.....tomou
outro de prata que Anita trazia, ealou-os ambos.
-r Ouve, disse elle a velha, toma um jumento,
anda depressa, e chega boje mesmo aSessa, loma l
dous ducados.. .. Im mediatamente irs a casa de
Pappooe o Ihe dirs: a F.is-aqui o signal d'allianca
que Ihe manda Melcbior Borgia ; lio preciso que as
j nupcias solemnes das quaes estes aunis sao penhor
! se celehrem depois d'amanhfia de inanha em pa-
lples. Nlo tp esquejas dizer-llio quo leve todos os
i seus amigos, anula que sejam dez mil, para seren
esiemuiilias desle magnifico casamento.
E pronunciando esta ultima palavra, olliou elle
para Aila, cujo rosto esplaiide.cia de alegra e de
orgulho. Umsurriso impercoplivel de desprezo e de
astucia ileslisou pelos labios de Borgia; e depois
exclamou elle com nlhusiasuio :
Para o mar, Anita..,.. lio urna corda soberana a
gndara cari-eir. /, ,,
A vellia parti pelo seu lado, e, J-guo .listantes
depois, a.barca, que conduzca. Molcluor Borgia, A-
1111 a o um rapa/, de dezasei' allos, sahia da peque-
a useada onde se abrigr,,ef orna vcloz.*o largo. -
i .. ,: y>
Conltftuar-H'ka.) '.
MUTILADO


*m
-_
MJTRRIA
no
Hospital Pedro
i
Othesoureiro da primeira quinta parle da pri-
inaira lotera a beneficio do novo hospital do Pe-
dro II. tom a satisfazlo do aniiunciar ao respeitavel
publico quo acaba deconseguira formagAo de urna
abastada o philantrnpica socodade composta de ne-
goclantes nacionaes e eslrangeiros para o restante
dos bilhetes que houverem de licar, om virtude do
que alianca'quoo andamento das respectivas rodas
ser impreterivelmente no da 20 do corrento mez,
j annunciado, e por isao s se venderflo bilhetes
al odia 19 ao meio-dia. Igualmente roga o mesmo
thesoureiro as possoas que apartaram bilhete que
hajamile irbnsca-los-al o nippn.innie >!* 19,
horas marcadas para a venda.
Aluga-se um prclode meia idade que seja
fiel, para trabalhar ein um pequeo silio muito por-
to desta praga :quemo tiver dirija-se ao largo do
Collegio loju de livros n. 2.
Qtiem precisar de um sacerdote para celebrar
as missasdo Natal at Reis em algum engenho ,
ou em oulro qualquer lugar, dirija-sc a praca da
Independencia ns. 6 e 8.
Precsa-se alugar um molequo de 13 a 15 an-
uos para o semen de urna casa do pouca familia ,
o qual saiba comprar na ra o soja (iel, dando-s e-
Ihe o sustento e 8,000 rs. mensacs : na Soledade ,
indo pela Trompe, lado esqiierdo casa n. 42.
Jos Nuiles de Farin pretende fj-
zer tuna viagema (Europa a lialar de sua
sade : e porissol'oz sciente n todas as
pi-ssoas coin qiiem tem transaceoes ha-
i un de concluir seus deliilos al o ulti-
mo de fevereiro do auno futuro de 1848.
Aluga-se urna boa casa terrea para grande fa-
milia no l'oco-da-Paiiella : a tratar em Fra-de-
Portas com Manoel da Silva Noves.
D-sol;4i'0,000 rs. a premio sobre, hypollieca
em casas terreas ou mesmo sitio penhores de cu-
ro e prala ou.boas firmas : na ra estreita do Ro-
zario v n. 30, segundo andar.
a 8'i
0
O Carmo, medico mu Ion sua residencia
para a ra larga do Rozario 11.12, segun-
do e terceiro andares do sobrado onde tem
botica o Sr. Jos Mara Gougalves Ramos.
m
v
i
I'recisa-se de um caixero portuguez para en-
caixamento de um engenho distante desta praca 10
legoas : 110 fargo do l.ivrainento, n. 20.
Jolo da Cunlia Reis promotte usar dos meios
que a Ici liic faculta caso o Sr. Jos Gomes da Silva
Prtela mo resgate a casa que Ihe esta hypolheca-
da cuja hypollieca fimlou no primero du corren-
te. 0 mesmo so ver obrigndo a obrar com aquel-
los que ha muto Ihe devem.
Alugam-se boas bichas tanto em tamanbo
comoem qualidado, viudas prximamente de 'liam-
burgo : tambom se vendom em porefto c a retalho:
lulo por prego commodr. : na rila larga do Rozario,
11. 52, vetida da esquina confronte a igreja.
Ainda ha para se alugar urna das mclhorcs ca-
sas no sitio do Cajueiro por ser grande e que ser-
ve para duas familias passarem a Testa c at se po-
de dividir nina da outra por ter duas cozinhas : a
tratar no mesmo sitio.
A pessoa que, ha lempos, comprou urna phan-
lasmagoria, sendo que a queira vender annuncio,
ou dirija-se a ra da Cadeia, n. 14.
Snbbado, II do correnle, furia rain da cscadinha
da alfandega dous rolos coin fumo, os quacs, alm
do terem o peso marcado, tecm urna marca P. Ro-
ga-sea pessoa a quem forem offerecidos, queira dar
parte 110 annazem de Baccllar quesera gratifica-
da.
Mensal.
Prccsa-se alugar um moleque'mciisalinentc : na
ra larga do Rov.ario n. Si.
I'reesa-se de urna ama para casa de um ho-
rneen solteiro : na ra do Rangcl, n. 59, primero
andar.
Na ra do Mondego, n. 59, engomma-so perfei-
tamente por prego commodo.
Cari s D. Fredrieks, profes*
sor do dagucrreoiypo,
contina a tirar retratos na sua residencia da ra
da Cadeia-Nova, 11, 2C, das 9 horas da manliAa at
as duas da tarde.
LKDK.
as Ginco-Ponlas padaria n. 63, anda se pre-
cisa de um mogo portuguez para tomar couU, por
lis lauco, do mesmo estabe leciniento.
Sorvele.
O LID ADOR.
On. |236acha-soa venda. Contina a tratar dos
successosda nossa capital.
- Quem annunciou por esta, folln querer com-
prar urna venda om bom lugar, dirija-se a ruada
Sen/alia--Vellia, ao p du Uecco-I.argn, li. 98, que
se dir quem vende.
"--A pessoa que lho faltar um cavallo rugo-pe-
drez desde o da quint-feira, 9 do corrente, di ri-
ja -se ao pateo do Tergo n. 6 quo, dando os sig-
naos certos, e pagando as despezas que o mesmo
tiver feito, Ihe ser entregue; do conlrrro 11A0
apparecendo dono nesles lies das sera entregue
polica.
ATTENCAO'.
A mesa regedora deN.S. da Conceigfo dos milita-
res, nflo podendo fazer a eletgflo do presidente no
di mercado c corprorr.iss, em rasSo se no
ler reunido o numero de irmaos su lii cenles para a
eleiefo, convida do novo a lodos para, no illa 16 do
corrente mez, s horas da larde, se acharem no
consistorio para a referida eleigo.
Affonso Honorato Batios,
Secretario.
Compras.
Compra 111 se
vesliilos bordados de prala, 011 011ro; limOes do
velludo ou do soda anligos ; cabelleiras de 1 dos os turnndose caracteres; fazendas de lila de
urna s cor, excepto prela ; e tuilros quaesquer
objectos antigos.propros para so desmancharein em
trages de grande carcter para presepe : 110 llica-
tro publico, a fallar com o director;
Na ra Nova, loja 11. 58, compra m-so os ferros
necossarios para um ofllcial de surrador, ou esco-
dador de couros, 11 apparelhar os couros ; para o
que tambem se precisa le um oflicial do dito oflico,
qu saiba e o queira executnr.
--'"ampra-seuma casa terrea quo tenha bom
quintal : na ra do Sebo n. 37, ou annuncic.
Vendas*.
Bichas de Hamburgo.
Vendem-se as superiores bichas de llamburgo, a
500 rs. cada urna a retalho, o aos ceios por menor
prego: tambem sealugam u so vAo applicar, para
mais commoilidade dos pretendentos : na ra da
Cruz do Recife, n. 43, loja de Joaqum Antonio Car-
neiro&G.
Vendem-sc os utensilios de um armazem para
soccar assucar, contendo tres grandes caixes di-
vididos em dous cada um oque levam do 115 a 150
caigas de assucar, leudo as tabeas da frente de tirar
e por, c os mais 1 eilenees : paia ver-so, a chave 1-
cba-sena loja do ferragens de Antonio Joaquim Vi-
dal, na ruada Gadeia do Recife, n. 56. Advcrlo-so
que o armazem he na ra do Amorim, casa tarreo
n 32, a qual tambem se aluga para euiilinungao do
mesmo cstabelecimento, por prego commodo. u-
trosim, tambem se vendom 2 rolulas, 1 porta, 2
caixilhose 1 bandeirn para alcova, porj.rcgo com-
modo.
Vende-6C urna osera va de nagAo, quo cozinha ,
o faz todo o servigo de casa e ra sadia o sem vi-
cios: na ra da Cadeia-Vellia n. I", segundo an-
dar, se dir quem vende.
Vcnde-se cobre a quiltro por cento: na na lar-
ga do Rozario, padaria 11. 48.
--Na ra de Agoas-Verdes, 11. 46, vende-se 11111
cscravo de 20 annos de bonita figura sem vicios ,
quo faz carros para engenho etrabalha mu bem
de mnrcciiciro o carpiua.
Na ra ile Agoas-Verdes 11. 46, vende-se um
cxcellentc cscravo de 22 annus do boa figura, bom
carrero, mcslro do assucar o ptimo sangrador; 3
molocotes de nagAo de 15 a 18 annos; C esclavos
para todo o servigo ; um dito propro para silio 011
tratar dccavallos por 160,000 rs. ; um dito muito
fiel, e que he ganhador por 380,000 rs ; 2escra-
vos com boas habilidades, que so vendeni por pre-
cisAo ; 3 ditos para lodo o servigo.
IVeiidem-se dous pianos fortes pllenle ingle/.,
da fabrica de Collagd & Gollard : na ruado Viga-*
rio, 11. 4.
Vende-se um cavallo de muto linda cor bem
gordo bom carregador de baixo a meio, com ar-
i'cios ou sem ellcs : na ra da Gloria 11. 26, das 6
as 8 huras da manba, e das Seiu entes ele norial ce
de todas as qualidndcs hcrvlhns tortas c direitas,
fejAo-carrapalo : tudo muito novo viudo de Lis-
boa : na ra da Cruz 11. 62. .
NA MVRAIUA l)A RIJA DA CRUZ, N. 56,
acha-.sc 11 venda una obrado Parnaso l.uzitano ,
ricamente encadernada por prego mdico.
Vende-se una bonita loja na ra Nova n. 30,
com armagAo toda envidragada propria para qual-
quer cstabelecimento, principalmente o de atraa-
lo : alm disto tem muitos commodos o propor-
ges para inorar familia : a tratar na inosma loja,
que se l'ar negocio a contento o desewliaragado de
todo e qualquer obstculo.
- Vendem-se dous escravos sendo um bom mo-
leque cozinhoiro c copoiro e o outro sapateiro e
bolieiro : esto vende-se para fra da provincia: a
tratar no sitio do Cajueiro ou na loja do Sr. Guer-
ra na ra Nova.
------Vendem-se eneiles de froco de di-
versas cores para calieras de senlioras :
na loja de Maya Hamos & C, ra Nova,
n. 6.
PF.CIIINCIIA.
Ainda ha um resto das caixnhas com 12 frascos
doazeito doce refinado, pelo commodo prego de
2;00O rs. cada caixinba : na ra da Cruz, no Recife,
li. -18, segundo andar.
Na ra dos Tanoeiros, n. 5,
vendem-se dous escravos de 20 a 98 annos, proprios
para todo o servigo, e duas escravns de 2-2 a 28 an-
uos, quecoscm eliAo e entendem soffrivelmenle de
cozinlia, lavam e fazoui toda a qualidado de lu-
cos e rendas. Vendem-sc por commodo prego, por
ser para um pagamento.
Vendem-so no armazem de Das l'erreira
junto asoscadinhas da alfandega os seguintes g-
neros por commodo prego e de superior qualda-
de ; caixas com passas dilas com a incitas, ditas
com figos, potes do uvas, ancorlas com azeito-
nas'de Klvas barricas com sardiulias ; ditas peque-
nas-com ditas c batatas a 1,000 rs. a arroba.
Vende-se, na ra da
Cadeia, n. 37,cera em ve-
las fabricadis no Rio-
de-Janeiro, em urna das
melliores fabricas em
caixas pequeas, sorli-
&$ mentos ao f;osto do com-
prador, e por prego mais
barato do tjue em oulra
(jiialqner parte.
g&gg&g. %.
- -Conlini'ia a oslara venda na loja de livros da
praca da'Independencia, O na da esquina ila rua do
Collegio,o f'lbelo Justaaprerlaco do predominio do
partido praiiiro, ou littoiia da dominafo du praia.
As essoas quo leom comprado o mencionado l'ollie-
lo, encontrando por i\C9*n qutlqner desarranjo na
lirochura, pdenlo Iroca-lo nos mencionadas luga-
res.
SAI,.
Vende-se sal muilo alvo e grosso, a bordo : a tra-
tar no armazem do Jos Antonio de Araujo, no bec-
co de .Miiioel-I.niz-Gongalves.
MOBII.IA.
Vende-se urna porgan do trastes novos e qnasi no-
vos ; lougase ciystaes ; uma mulatinlm de. i anuos;
um moleque de 7 annos ; caixas com vinlio de l!or-
deaux Colares Lisboa, Porto e Madera : tambem
ilgumasc-iix:is de cera di)
cuito barato ,em virtude de
tratar na rua da Sonzalla-Vell
Rio-de-Janeiro
retirada : para
a, n. lio.
tinto
ver o
O BO
BARATE1RO.
n loja n. 50, da rua da Cadeia
do Kecife, de Cunln &Amo-
rim, confronte a rua da Ma-
dre-de-Dos ,
ha um completo sorlimento de fazendas de boa
qualidade, que fo venden) por atacado e a retalho ,
pelo mais commodo prego possivel, alm de militas
chitas linas c de bom gusto ha chitas de rainageiis
para cobertas, a 5,600 rs. a pega, e a1!60 rs. o cova-
do e nutrs, a 200 rs. ; chitas de tintas ixas e de
boas qnalidades a 5.600, 5,800, 6,400 e 6,600 a pe-
ga, a 150,160 c 180 rs. o cuvado ; um complete sur-
t minio de madapoloes, a 2,700 e 6,000 rs. a pega
de
na rua
Tresse, fabricante de orgAus e realejos, no A ter- variedades de algodOoszinlios bous de 120 a 210 rs
Na rua da Aurora, junto loja de louca, baver
sorvetecom todo o asseio e perfeigilo que fr possi-
vel
Alu;,a-se para senssar pa fesla a casa do sitio
Cajueiro sendo a primeira na entrada do porTSo :
a tratar na rua da Gadeia de S.-Antonio n. 19.
l'ermulMO urna casa terrea, n. 3 sita na rua
do Uoin-Sucofso dacidade de (llinda reedifica-
da de novo com um sitio soffeivel, em chitos pro-
prios, |or oulra qualquer nos bairros de S Anto-'
nio ou Roa-Vista preferndo-se no A Ierro-dos-A fo-
gados, ou Soledade : na praga da- Roa-Vista pon
cima da botica n. 6,,ou na rua de S.-Francisco, dc-|rs.
fronte da venda do \i:ui...
Quem precisar des um capellao para dzer mis-
sa de Natal, rom destai cflade dirijs-sc a rua Di-
I Cita f|. 6.
As pessoas quo precisarcm de um sacerdote
para celebrar a missa doNiital ncsla praga, ou mes-
mo to mallo, nflo excedendo a distancia de nina a
duas legoas, drijam-se a ruado (jueimado, n. 44,
aoniiechw^O'iu qum tra'tar.
~ Alugam-se otviidem-se tanto a retalho como
aos ceios, muito grandes c boas bichas; ebega-
das de llaiiibiirgo : tambem so' vtto applicar para
ro-dn-lloa-Vista n. 21, te o para vendei tres or-
gAos proprios para igreja ou qualquer oulra parte:
tambem eflneerta ditos instrumentos^, pe mar-
idas novas o compra realejos j servidos.
--Tbomaz Pourccll, marceneiro junio a cadeia ,
tem una srmagAo para loja do fazendas, ou oulro
qualquer eslabclecinienlo para vender muito bH-
rata, com a condigAo de arma-la a quem a compiar.
r..'is commodidade dos prclendenles : na rua
trena do Rozario loja do bal bero ll. 19
da rua des l.arangetras.
iSa na de \ftoas-Vcrdes,
n M ,
vende-se um escravo do bonita figura muilo pro-
pro para feilor de engenho, por tor excejlente
conducta o qual be ptico carreiro, bom sangra-
dor e mostr de assucar; 3 moloques de 16 a 20
anuos; 2 escravos para todo o servigo, por 800/
rs.; ii ni Jilo muilo fiel, sem vicios, por 380,000
um dito por 160,000 rs ; uindto bom ca pi-
na ; 3 escravas e urna linda molequmba.
Vende-se urna preta moga com urna cria mu-
;itinlia do 3 anuos ou sem ella : a preta cozinha ,
lava de varrclla o sabao e que vende na rua : na
rua da Madre-de-lieos, n. 36, primero andar.
Vende-se um lindo mulalinho de 12 annos, com
bous principios de sapateiro vende-se por se ter
recebido em pagamento : na rua larga do Rozario,
loja de miudezas n. 35.
Vende-se um cavallo novo e gordo bom mar-
chador, muito esquipador, prnpiio parase terpe-
a Testa por nflo ter achaques c ser de linda cor :
es- bem como 6 formidaveis quartos : tudo por pi e-
a jarda ; pegas de dito de boa qualidado o. largura,
a 1,900 e 2,000 rs. a pega ; algodAo trangado Dran-
cir, azul e nscado ; bous baniburgos ; boas phiti-
Ihas; bous bramantes; boas cassas e camliraias
brancas o de cores; lengos; chales e outras mais
fazendas.
Vamos as pechinchas do novo
harateiro anlfs que se aca-
ben!.
O novo baraleiro est torrando por todo o diubei-
ro na sua nova luja de miudezas d rua do Queima
do n. 16, lindas brancas muito fortes, em carre-
teis de pao branco a 40 rs. cada carretel do 100 va-
ras de linlia ; agullias francezas muito linas a 280
rs. cada caixinba ; relroz do todas as cores, a 120
rs. aoilava; bengalas modernas, para passeio, a
320 rs. cada urna ; ricas lesouras muito finas com
toque de fcrrugein a 160 rs. cada uma ; lilas lisas
e lavradas de ludas as larguras e cores ; caixas de
vidro para guardar joias ; loques de seda com plu-
mas ; ditos do pennas tambem com plumas; lucos
de linho de todas as larguras, do que as amostras
se acbam sempre promptas para qualquer pessoa;
fitas de velludo de todas as larguras o coros ; o ou-
tras militas miudezas de luxo propriaspara as se-
nhoras du bom tom pernambucano. A ellas, antes
Vende-se urna mobilia moderna, de Jacaran-
da composla das pegas seguintes : uma mesa re-
donda para meio de sala iinijogo de bancas, un
bonito supl seis c.vieirus de bragas 12 ditas seui
dragos: lado quasi novo e lemdefeitos, Ma mo-
liili vande-se por se ter retralo desl i provincia O
sen dono. Na rua Nova, loi* B. 30, mi na rua a
Aurora n. 62, terceiro andar.
No Alerro-da-Boa-Visli. loja n.
78, vendem-se riro chicotes pira mon-
tara, obra de muito bou gosto : assirn
como superiores chapeos de sd de seJa
para senhora, de muito bonitos pdrSes
e por pjreco commodo, proprios para a
festa.
__Vende seums !;!?' de eadeiras de jscarsaJs,
usadas, em segunda nilo, por 45,000 rs.; un tO
usado, por 35,000 rs. ; mais nina marqueza
conduri'i, usada, e mais diversos trastis
da Cadeia de Saiito-Anloiiio, n. 18.
L Ven le-sc marmelada nova, viuda de Usba 9
?S no patacho AnduitUm: na rua das Gruzes, "|
lo. 41. 1
n 9
Vendem-se 2 moloques sendo um do 12 an-
nos o o mitin de 13 ; 1 dito de 16 anuos ; 4 escra-
vos do servigo de campo ; 4 iiiiilalinhas muito lin-
das de 11 annos ; urna negrinlia de 17 annos: na
rua Direita n 3.
Vende-so um braco de balanga COul conchas
e pesos : na rua do Trapiche, n.8.
Vende-se vinhn titilo, a 1,800 rs. a caada ;
dito branco, 2,000 rs. ; niaiiteiga ngle/.a a 1,000
rs. a libra ; e lodosos mais generOl 0 mais baralr.
possivel : na venda da rua Vellia que faz esquina
com a travessado JoAo-l;rancseo.
Para as senhoras Pernam>
[incalasqoe trajam a moda.
Na nova loja da rua da Cadeia do Recife, n. 32,
de Claudno Salvador Peroira Rraga vendem-sa
exlremadas sedas lnssimas brancas e de cores
transparentes de excellontes padrfjes c do subli-
mes gostos propras para noivas, bailes 011 qual-
quer funecAo principalmente para a festa do Natal,
a 2,000 rs ; grandes corles de superiores gorsruroes
coin bordados rqussimos, para collcles, a ",000
rs.; engragados bonetes de velludo, com enfeites,
para hoiiiem c meninos .1 720 rs. ; reos chcoti-
ulios Irancezes, encastoados para lioincm c se-
nhora, a 1,600e2,000 rs. ; lamosos brins trangados
de linho branco com lstras lavradas, a 1,440 rs. ; se-
tiib mac.111 preto 0 lino a 2,240 rs.; ditos francezes,
kanCOS e de todas as cores, a 900 rs. ; latra.
00 rs. ; alpaca preta lina de cordAo 1 1,280 rs. ;
dita lisa muilo lina a 1,000 e 1,280 rs.; lapim a
1.200 rs. o miiitissiiiio tino a 1,800 rs.; panno da
Costa encarnado e azul Iraucez propro para co-
brir mesas e cobertura para quaiulo se andar em-
barcado o 1,200 rs. o covado ; chitas roxas, a 140
rs. ; riscados do qnadrose listras padroes mudos,
a 160 rs.; meias de seda prela, para liomem, a 1,500
rs. ; ditas eonipi idas brancas, para senliora a
2,000 rs.; chapeos l'mucezes de palliinlia amartillo,
para bomein a 3,000 rs. ; luvas de pellica para li-
me m a 1,000 o 1,500 rs. ; ditas para senhora ,i
1,000 rs., com borricba a 1,500 rs. e enfeitadasa
1,600 rs. ; chapeos de sol, do seda, para liomem,
com barra grande basteas de balea com capa do
sola e li ve I 1 para trancar, a 7,000 rs. ; lengos de
selim macan para grvala de coras o do padres
muito agradarais a 1,880 rs. os de tres pontas, e os
le qiinlro pontos a 2,560 rs. ; eambraia lisa muito
lina a 880 rs. ; dita mais grossa, a 560, 640 e 720
rs. ; madapnllo lino para camisa a 200, 220 o 240
rs. a vara e as pecas de 20 varas a 4,000, 4,400 o
4,H00 rs. ; dito de forro a 110 rs. a vara, o a 2,400
rs. a pega ; algoilozinho americano muto encor-
pndu, a 200 rs. ; dito inglez a 140 0 160 rs. ; bco
de dedo e meio de largura 1 100 rs. a vara ; dito de
dous dedos, a 140 rs. ; dito de tres dedos, a 180 rs. ;
dito de tres dcdos.e meio a 200 rs.; cortes de ves-
tidos de barra, a 4,700 rs.; ditos de seda para se-
nliora a 12,000 rs.; ditos mu superiores, a 18^ rs.
Vendem-se dous ptimos queraos : na cochei-
ra da rua darioientiiia.
Vendem-se velvutes pelos e velas de cera do
Ro-dc-Janeiro : na rua estreita do Rozario n. 3,
loja dccriciro c armador de Antonio Valenlim.
Novo Irem de cozinha.
lie thegadn .1 loju
Jos Luiz Peroira, na
ue
111 1
IriTigens
Nova, n.
de
i6\
novo sorlimento de p m.11 .s. chilei-
11111
1 as, cassar.ilis e
faadas de porcel
frito encommcnil'is
l'rigidcias de ferro',
ana. Os Srs. que teem
querrn apparecer
com lempo.
Vende-se urna casa terrea na rua das Cinco-
Pon tas n. 112 : a tratar na mosma casa.
Vendeui-se sellins inglezcs elsticos o do pa-
tente para montara do liomem os melliores im-
portados ueste mercado, por prego commodo : tam-
bem vendem-se pianos dos muito acreditados au-
tores Gollard & Gollard de Londres: em casa de Geo:
Knwoilliy <* Cumpanhia, na rua da Cruz, n. 2.
Vendem-se, por diminuto prego, as obras de
Bereior, diccionario de theologia ; ce Fritot, scien-
cia do publicista ; de Comte, tratado de legislagilo;
de lioiste, diccionario universal ; do Guisot, pena
de inorte : na rua do Cahug, loja de Jos RrandAo
da Rocha, defronteda matriz.
PARA A FESTA.
No eseriptorio de l'rcderco UobiltiarJ, rua do
Trapiche-Novo, n. 18, vende-se. a retalho, em barri-
cas do 3 duzias, a muilo afamada cerveja preta, em
botijas, o mais superior que aqu tom viudo. Na mes-
ma casa cima, vende-sc inoda de cobre por prego
commodo,
Vendem-se escravos sendo : urna prela de
20 annos, que engomma lisoe cozinha; urna dita
qilitandeira ; Ulna dita que vende miudezas, OU ou-
lra qualquer venda e cozinha bem o diario de uma
casa ; uma dita do meia idade por 230,000 rs. que
he boa vendedeira ; um mulalinho do 12 annos; um
que se acabciu.
Vendem-se tres casnhas de taina com seusl moleque de \- a 13 anuos, que tem muilo bous
quintaes que botam para o rio Capibarib', e com! principios de co/inheiio : todos nao tooin vicios
defronte I gorasoavcl: na rua da S.-Cruz 11 70, confime a Isuas penlas por 300,000 rs.: na ruado Amoriiii ,jnem achaques : no pateo da S.-Gruz n. 14, sedi-
I ribeira da Boa-Vista. 10. 24. lia quem vende.
ILEGIVEL


Resta ru aiguns escravos por se ven-
doren, lAtiito baratos, e lodos de bonita
figura, pois he para se (fecharen), as con-
tas teste anno : um lindo negro pega .vinos, denagilo, bom Canoeiroe cozinlieiro j um
dito lo 10 annos, crioulo, ptimo para um pagem,
por ser bastante ligeiro ; um dito de dado de 23
anuos, permito ollicial de sapateiro, este vende-so
minio einconta, por ter um pequeo defeilo ; um
mulato de idado do 35 anuos, do muilo boa conduc-
ta, bom para tomar conta n um sitio, por 360,000
rs.; dous nebros muito fortes e de bonita figura,
de idadede22 annos; um dito de naclo, bom ga-
nhador de ra, e que sabe azor tolo o servico do
urna casa, por 310,000 rs.; um dito por 400,000 rs.,
nimia moco; um dito por 200,000 rs.; urna negr-
iiba de iijade do 20 anuos, que cose optim imeiitc,
faz lavarinto. engomma ocozinlia ; urna dita de 26
annos, perffita cozinheira o engommadoira ; urna
mulata de ptima conducta, por 450,000rs. ; urna
negra por 200,000: na ra das Laraneciras. n. U
segundo andar.
Vemlem-so 18cscravos sendo : 8 pretos al-
guns delloscom ollicio de 14 a 25 anuos ; 2 par-
tios de 18 anuos propriospara pagens ; duas par-
das de 12a 20 anuos, com.habilidadcs; 6 pretas de
12 a 30 anuos, com habilidades: todos proprios
para o servico de campo e da praga por sercm de
boaeonpuoia: na ra do Collegio, n. 3, segundo
andar, so lira quem vende.
Vende-so urna duzia de cadeiras de Jacaranda
em mmo uso o outra duna e um canap de oleo
].nr prego commodo : na ra la Penha, n. 21.
\ 25000 rs.
Vendem-se sacras com bom milho
All'andega
J'ires.
no caes da
armazn) do Antonio Anuos Jacome
A 4^200 Rs.
Na lo ja de Guimarues Serafini &
Companhia, rua do Cres-
po, n. 5,
vendem-se chap. >s de sol de se-
da para huiiern, pelo barato pre
yode 4^200 rs cada tim.
Vende-se cliampanba do muito superior qunli-
dade recenlemonte chegada : na rua da Cruz ,
n. 38. '
sa.i
""(piad a.KpssiMisoiur> se as-onp
ruin Hpeo 'j 009 ^ P ob^i o|bj
BC| opd *apipp pjsati opioojndde
uiaai anb soou sinm sojso? a sao.ip
-wl sop isa epnazej 'sacuaduj;
sbSsbo ap sajjoo soou as-uiapnaA
'5 *u od
89.13 P Bnj 'BI'pJlUO')
2uiyB.ia.- sdBJBHJinr) ap eloj r>^
saeuadun sessea se.vou sy
<*0%:#*!0 *1*7 %j# *i!0 *J0 tj#%l**!#G
1
jas com 18 varase meia : anda contina ha haver
do de 600 rs., e hamburgos finos; estilo se aca-
bando os guardanapos de linho a 800 rs.
Casimiras clsticas e finas, a
7,?0Hl rs.
Venilom-so superiores casimiras elsticas finas o
de coros, pelo baratissimo preco de 7,000 rs. o cor-
te de caiga. Esta fazenda lio recommemlovl pola
sua qualidado tanto em fazenda como em gustos ,
porserem os mais modernos; casimiras pretas ,
superior fazenda por serem muito linas a 2, 3 e
3,500 rs. o covado : na rua do Collegio, loja n. 1.
Vende-se por preco commodo ,
por nao ser muito moca una preta ,
tpie cose, lava cozinha fjz doces e
vende na na : na rua do Crespo, loja
n. io.
Vendem-se mascaras de bi-
chos e de diferentes caricatu-
ras : naruado'Cabug, loj-t de
Manoel Pinheiro de Mendonca ,
junto a botica do Sr. Joo Mo-
reira.
!;# m. m m m mmm
DEG PORTAS UJ2
I .\esla loja das pecliinchas, vendem-so pan-
I nos linos, a 2,500, 3,000 3,500 o 4,000 rs. ,
e muito lino, prova de limito a 5, 6 e 7,000
rs. ; casimiraa de duas larguras, a 1,500 o
2,000 rs o covado, e muito superior, a 3,000
e 4,000 rs. ; cortes de seliin e de velludo
para cohete, a 2,000, 2.500 e 3.000 rs.; Oan-
las desetim para homem, a 2,000 rs. ; um
grande sortimento de madapoles chitas
e oulrns muitas fazendas para a festa por
baratissimo prego, para acabar antes do ba-
lando.
a
>.
Vendem-se cortes derassa e cambraia de se- I
da, a 9,000 e 10,000 rs. ; ditos do novse ri- J
eos pa.lrfles, a 14,000 o 16,000 rs.; chapos
do massa, francezes, da ultima moda ; risca- a
dos francezes'para vestidos desenlila; no- vos corles da cassa-chita ; contras muitas a- 9
zondas de posto proprias para o lempo de $*
nnta ludo por monos prego, loque em 0U- 9
Ira qualquer luja : na rua lo Queimado, nos %
quatro-canlos, loja da casa amarella, n. 29. 0
Na loja nova da rua d Quei-
mado, n. 11 ,i, de Kaymun-
do Cario* Leile.a 2 400 rs. o
covado.
Aln) de ter um completo sortimento de fazendas
finas c grossas, pelos pregos mais rasoaveis possi-
veis ha casimiras lisas e elsticas da inelhor qua-
lidade que tem viudo a este mercado, a 2,400 rs. o
covado bem como de lislras a M 8/ e 10/000 rs.
o corle;
S.-Juliim; ditoS.-f.eorge ; ago'ardente de Fronga ,
de varias qualidades ; cherry-cordial; marraschi-
no ; licores linos;-PTIMA CHAMPANHA.em garrafas
inleiras emeias ditas; velas de cnmposi53o ; cha
preto e verde de superior qualidado; presuntos e
salames ile llamhurgo ; sanfinhasem ltase vidros;
petits-pois em latas; tnostarda ingleza e france-
za ; vidros com frutas em calda de assucar o espi-
rito ; ago de flor de laranja ;. CHHRUTO.S E HA-
VANAEDA BAHA ;.e oulros muitos objectos : tudo
rcceiitemento chegado.
PARA A FESTA.
Xa laja nova da rua do Quei-
mado, n. II A, de Raymun-
do Carlos Le te ,
vendem-se os melhcres chapos do Chili, que teem
apparecido ueste mercado a 16,000 rs. cada um :
t.'imbciTi a de 7,000,8.nix> ,000 rs.; mantas de
seda a 2,000 4,000,10,000 e 16,000 rs. cada urna ;
um novo sortimento de chapos france/.es; mels
pretas e grandes, para padre, a 600 rs. o par ; e um
completo sortimento de pannos finos, de todas as
ciares por pregos com modos.
Va rua do Crespo, loja n. 12,
de Jos Joaqum da Silva
Maya,
vendem-so muito lindos chapos para meninas ,
tanto lesela como depalhinha chegados ltima-
mente de Paris ; chapos de seda para senhora ;
cortes do crambraia de seda.de ricos gostos, por
prego muito commodo; cortes le vestidos de cam-
braia ecassa-chitas de diflercntes qualidades, por
pregos baratos; ditos com urna pinta de mofo e
sem elle a 2,000 e 2,500 rs. cada corte ; mantas de
seda e lila para senhora das mais modernas que
teem vindo a esta praga a 5,000 rs. cada urna ;
mantas chales do seda de varias qualidades c ba-
ratos; alpaca prcta a 800 e 1,600 rs. o covado ;
panno de linho, a 400 rs. a vara; casimiras fran-
cezas eelsticas, para calcas, a5,000 rs. o corte;
fustes; setins e veyudos para collete, por prego
muilo em conta ; bem como um sortimento de ou-
tras muitas fazendas, quo se vendem pelo barato.
<3a#;$0it0i &to ew* *i> &\% @fa e>\ Pannos finos.
Vendem-se superiores, pannos finos, a prova do
limflo preto, :t,000, 4,500, 5,500 e 6.500 rs. ; di-
li) azul, a 3,000 rs. ,e muito fino, a 4,5(10 rs. Estes
l annos silo no vos e pela sua barataza", Uiondendo
a sua boa qualidado, lornam-se recoinmeiidaveis.
Na rua do Collegio, n. 1.
He s na loja do nicho que
apparccem i stas pecliinchas.
Na esquina do Livramento loja do bicho, ven-
dem-se mantas para senhora a 1,000 e 2,000 rs. ;
seiim branco fe llores, com duas larguras, a
1,280 rs. o covado ; riscadinhos chinezes, com lis-
tms de seda n 360 rs. o covado ; chales muito gran-
des de garga e se.la a 2,000 rs. ; longos grandes da
mesma hienda a 1,000 rs. ; ditos e.seoeezes de
bonitos gostos ,a200 e 320 rs. ; c outras muitas
pechinchas novas ehegadas de proposito para a
\o Atirro-da-Boa-Vista, lo-
ja n- 7,
vendem-se sapalos de lustro para meninas de 3 a 15
annos; assim como para senhora.
ACENCIA hA FONMCAO'nE LOW-MOOR.
Na rua da Senzalla-.Nova n. 42, contina a haver
un completo sortimento de moendas o machinas do
vapor para engenhos de assucar : bem como tai-
xas de Ierro batido e coado de todos os tamaitos :
ludo por prego commodo.
Ite Imiras.
Vendem-se superiores cortos da fazenda nova
denominada belmira para vestidos de senhora
pelo barato prego do4,500 e 5,000 rs. o corte. Esta
lazenda he nova e de muilo sublimes gostos, sen-,
do as suas c>r;s mu apreciaveis por serem edr de
lino, rosa o perol
Na rui do Trapiche, armazem n.
34, de M. Uernei, vende-se o
sejjuinte :
salame fresco; presuntos de Weslphalia ; licores
superfinos e superiores a todos que teem chegado
anii-amento; coragilo verdadeiro de Hollanda; an-
chovis muilo fresco ; absinlbo da verdadeira marca
e kirschwasscr da Suissa ; wermouth; Inicias em
ago'ardentc; conservas de petits-pois e sardinhas;
ditas inglezas em vinagre; conservas de bajes
i'schnillbohncn) em potes muito frescos, chegado
, no ultimo navio de Hamburgo; licor de kirsch em
mcias garrafas brancas de superior qualidade; as-
sim como todas- as qualidades de vinhos, ago'ar-
lenles, conservas de carne, etc.; charutos regalos
de llavana; e muitos oulros objectos do superior
qualidade o por prego mais commodo que em qual-
quer outra prte.
Na rua da Cadeia-Velha n. 29,
loja de J. O. Elster,
vendem-se bilhetes o meios ditos da lotera a bene-!,)oa SraUfigilo.
licio da construegno o reparo das matrizesda provin-
cia do Ilio-de-Janeiro. Alverle-se aos amantes la for-
que al o dia 20 do correte ja poderiTo gozar
gardas l.ages, do termo da villa do Bananeirs da
casa do sen senhor, Castor Vieira do Alustn 'Na-
varro, um mulato acabralhado, de name Joaqnim"
cujos signaos- s.1o os seguintes dl 30 annos
pouco mais ou menos, baixo, seoco do corpo ca
bello pichaim, testa gaando e bem cantuda,' pul
vando a calvo, pouca barba, com lodos os .lentes
da frente, pernas linas, pos pequeos e bem feitoa
peilos cabelludos; tem eicalriios as oadegas, tiroI
venientes de agoules ; he muito pichla e meiiido
rhetorico: quem o aprcnemler, dirija-se ao lugar
-cima indicado, quo ser generosamente recom-
pensado.
IMP'-SE 100,000 RS. DE GRATIFICACAO.
Eugio, 011 fui furtado, em 27 de setembro de 1844
um moleque, de ncima Carlos devendo ter hoj
1.5 para 16 annos, robusta e cheio do corpo, com
urna belida no canto do olho direito e eom nma
marca de ferro perto do peito dirnito.qoe parece ser
AE, e contra-marca por baixo destas lotlrns.que n?i2
se jidu jc istiiiuiiir : fulla aina muito psuco
por isso com estes signaes bem fcil He do ser co-
nhecidado. Hoga-so a todas as autoridades o capi-
liies de campo que o apprehendam e tiagam a osla
typograpbia quoreceberno 100,000 rs. de gralili-
cagflo, e se paga rilo todas as dospezas.-
Degapparoceu, na noito do dia 13' para 1S do
corrente o preto Silvestre r levou um bahu de cou-.
ro preto com na llias brancas o com roupa, da rua
da l'raia n. 25, para o sitio do Sancho om Tigipi:
o preto he grosso, baixo,. pos apalhetados cabel-
los vermell.os ; tom a marca C no poilo esquerdo;
pertence a Francisco de Carvalho Paes de Andrude
Jnior, morador no mosmo sitio. Quemo pegar
011 der noticia do bah na casa jii indicada ser
bem recompensado.
Ausentou-se, na noile do din 8 de novomhro
lo correle anno o eseravo Hereulano do c la, que parece cabra, cabega pequea, cabello ra-
lo olhos pequeos corpo grosso, pouca barba ^
estatura regular; tem urna cicatri no hombro es-
querdo, que pode ter 3 a 4 pollogadas de compri-
mento; costuma embebedar-se o noste caso inti-
tula-so por Hereulano Jos dos Santos Tranca-Rua ;
levou camisa o caigas de algodflo trangado azul e
algumas camisas de madapolilo : quem o pegar le-
ve-o a cidade de Olinda na rua da Boa-Hora a seu
senhor, Jos Ferreira Marinho quo gratificar ge-
nerosamente.
Fugio, nanoitede5 do corrente, de bordo do
brigue S.-Maria-Boa-Sorte, o eseravo marinlieiio ,
de nomc Joaquim de nagflo que parece crioulo,
de bonita figura, bem fallante, estatura alta bar-
bado com suissas por baixo doquoixo ; representa
30 annos pouco mais ou menos; consta andar pe-
los arrebaldas testa cidade. Roga-se a acaptura do
mesmo cerlificando-se que quem o levar a bordo
do dito briguo, ou a Amorim I maos receber boa
gratificaciio.
Fugi le bordo do briguo Confianza, na noite
de 30 de novomhro passado, o eseravo marinheiro
de nomo Jos, de nagflo Cabrio; representa 30 c lan-
os annos; de estatura' bniss; sem barba ; levou
caiga de brim, camisa de algodao c barrete, e assim
mais urna caiga do casimira amarelladn, camisa de
chita e uns sapalos. O dito eseravo sabe lodosos lu-
gares da provincia, o assim como os de frn dola,
ej foge por habito, visto que.no anno prxi-
mo passado tambem fugio de bordo do brigue Men-
tor, e foi capturado para as partes de Porto-Calvo,
aondo se iuculcava por forro: elle pertence ao
Sr. Jos Mara de SA, negociante no Rio-de-Janeiro.
Roga-se, e pede-sea todas as pessoas e autorida-
des policaes a sua captura, cortos de que quem o
trouxera esta praga aos abaixoassignados, receber
tuna 1
do premio que por sorto Inca sahir ecomoj res-
lam poneos bilhetes, por isso se annuncia.
A venda reformada loda de novo lefronle da
matriz da Roa -Vista, n. 88, convida a todos os seus
fregoez.es n compraron os superiores e novos gne-
ros por prego o mais commodo possivcl, a saber
vmho do l'orlo engarrafado a 400 rs. ; dito de Lis-
boa Pllit a 240 rs ; dito ue outios autores a 200
rs. ; dito blanco a 240 rs. ; vinagre, a 100 rs.; cer-
veja a 480 rs. ; azeile doce a 500 rs.; dito de co-
co a 400 rs.; dilo le 'arrpalo a 240 rs.; macar-
ro aleUia o lalharim a 300 rs, a libra ; passas a
: 240 rs ; figos ~
festa.
Peehinchas para a Testa.
Vendem-se bonetes para rao banho a 360 rs. ,
nflo pode haver mais barato : no Aterro-da-Boa-Vis-
ta loja n. 78.
fcao de patente, c smenle se
vendem no Alerro-da-B >a-
Vi ta, loja 11. 7,
excellenles bonetes do venladciro marroqum pre-
to e c6r de ganga de modelo muito engragado ,
obra franeeza cujo gosto pode ser bem avahado,
vi -ndo-se a fazenda, sSo tflo decentes que podem
serem usados por qualquer persouagem ; dilos de
merm do cores bordados, edeexcellentes gostos.
Na loja nova da rua do Quci-
utado,n. II A de Hayiuun-
do Carlos Lcitc vende-se a
1,000 e 1,300 rs
a vara de'umexeellente
gou ultima mente de P01
varas ; tambem se vend
gou novo sortimento do
Cheguem que eso se acabando
os sapa toes de bezerra para homem, a 1,280 rs., e as
bengalinhas para passeio a 320 rs.: n Aterro-dii-
Boa-Vista, loja n. 78.
Amorim Irmiot.
Fugio, na noite de 8 do corrente, um cahr a
nBtural do Para o qual tem os signaes seguinles :
representa ter30anuos, alto, rosto comprido ca-
bellos pretos e corridos olhos prelos, nariz gros-
so pouca barba ; costuma andar devagar ; tem a
falla alguma cnusa descansada. K.-te eseravo chama-
se Manoel, e perler.ee a Sr. Nicolao Antonio Ro-
drigues Chaves do Por. Quem o pegar leve-o a
rua do Trapicho n. 34, quesera recompensado.
l''ugio, no da a3 le noveiiibro, do
engenho das Maltas frrguezia do Cabo,
um cal)r.i carioca de no me Joo que
>a pouco foi comprado a Antonio lava-
res de Andraile morador em LNazareth;
Potassa,
Vende-se potassa muito nova, prxi-
mamente chegada do Kio-de-Janeiro :
na rua da Cadeia-Vellia armazem de
Bailar ck Oliveira.
Vende-se urna casa terrea no bairro de S.-Jo-
s com bons commodos para grande familia: na
rua da Praia, n. 25, segundo andar, so dir quem
vende.
Vendem-se obras de ouro de varias qualida-
des tanto para homem como para senhora : bem
como um relogio de 011ro ; um dito de piala ; 6 co-
meros e 6 garlos do prata : na rua do Rangel, n. 11.
Vcnde-se cevadinlia em gairafoes
de urna arroba chegada prximamente :
ua rua da Cruz, aiimzem n. 48.
Yo /ilerro-da-Boa-Vista. n.78,
vende-se bauszinhos de pao com lindas pintaras, e
queservem para guardar roupa de ci langas e costu-
ra, do 6t0 a 2.560 rs.; bonetes Je velludo para me-
ninos ; sapalos para senhora a 1,000 rs.
le umeriacno a 800 rs ; dito francez, a 700 rs. ; bo-
lacbinha ingleza, a 240 rs. : em todos estes pregos se
arfio abales compraudo-se porglo mais svullada.o
que ludo se fara com muita promptidOoe asseada-
nienle.
Bichas de Hamburgo.
Vendem-se bichas de Ha
a 64o i>; a retalho e em
casa de Manoel Jos de S
rua da Cruz, n. a4.
lamburgo ,
porco : em
Araujo na
s-azjzjzjzzf zj sj"
t
i
ai
I
(T
rGl vendem-se mu lindos chapos para senho- L,
in ra.degosloo mais moderno, e de cOres Ull
mu lindas, por terom chegados ullimamcn- P
le de tranca por pregos rasoaveis ; e ou- W|
Na loja de .Jos Manoelfe
Momc o Braga, na rua B!
do Crespo, n.i6,esf|U- B
naque vira para a rua
das Ci-zcs,
Na rua da Cadcia-velha, n.
29, loja de J. O. Elster ,
ijl c ucriKiig* por pregos rasna
.ru tras muitas fazendas do gusto.
Id
l..r.V?'iem*M Ch" d0 E*lreil Unl "" q^-
lidade como m forma somolhaiitea as de Hambur-
go, por prego commodo : na rua larga do Rozano .
botiquim da Cova-da-Ooga,fl. 34.
o qual trazia urna guia do subdelegado
do lagar, o major Amaro Jos Lopes
Coiitinho Cavalciinti. Os signaes do es-
eravo sao os seguintes : baixo bastante
retornado do corpo escuro, olhos bran-
cos cabellos incarapiahados : em qual-
quer parte que chega intitula-se forro e
se ofFerece pra cerreiro. Quem o pegar
leve-no ao Hilo engenho, q.ie ser gra-
tificado generosamente.
Fugio, no da 9 do corrente, do en-
genho das Mattas.fieguezia do Cabo, um
pardo, denome Filippe, muito conheci-
do pelo B.1110 e Jangdinha aonde j
por muito lempo passou por forr, apel-
lidndole por Manoel Camassary e
tambem no curato do Bom-Jardun ,
d nfe j veio preso : tem os signaes se-
guintes : bastante alto secco j repr-
senla 3o a 35 annos ; tem a cara bechi-
gosa olhos pequeas e bem pretos, na-
riz grosso e com bastante tab.co falla
'leiiiina'l.i; tem marcas de a cou tes ca-
bellos pretos e corridos : quem o p'gnf
leve o ao dito engenho, que ser, bem
recompensado.
- Fugio, no dia 13 do corrente, o preto Benedic-
lo, crioulo de bonita ligiir, alto; tema cara re-
donda; levou camisa e caiga do algo.Mo ; tem a
falla muito mansa e deseaiisaija ; ho natural do ser-
illo, Roga-se as pussoas encareegada* da -policial o
Ciipites decampo, que o apprehendam < leve in-110
ruf d* Crut "" Kecife, a)rma?Bin ote aaauwr |n.
23, da vjuva Percira da Cunha que ser-Jo *eciHQ-
pensados. y
'KR^.: NA TY1-. UK .'. fr)RA.-~ ib'^