Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08788

Full Text
Anno de 1847.
Sabbado II
h
'
O IUlltIO puMsi-se todas os dias rjie n._
Arem le goards n prono d Mtlgnitwfc ha de
4flC" rs.poi qnartel. pao adian'ttdnt, Oj an-
nuncios dai Rssi^'Mntcs iti-.erilis raso de
?o rs. p'irliiilia, 10 rs em lypo dill'tronte, e as
repfftijocs psla nksCsrte. Os que no f.treiii ma-
nantes pa$ar3o SO rj. par Itabo, e 10:1 en lypo
difireme, por cada publicarlo.
PHASES DA La NO MF.7, DE DEZBWBRQ.
I.ua nova, a 7, < 6 lloras e Id minutos d manli.
Cretcente a IJ>. I lloras 0 inin.da mauha.
Luacheiaall. s boii e 49 min. da larde.
M'n-.oaute a 29, as 11 lloras e 29 min. da tarde.
PARTIDA DOS CORREI.OS.
'joiamia eParaliiba as segundas esextas feir
Itio-ti unle-dn-Norte quintas reirasao meio-dia
Cabo, Suriii'iSem, Uio-Kormoso.Poito-Calvo e
Maoolft, no 1.a, a II e 21 de cada mez.
(arantiuiis e Bonito, a 8 e 2S.
Boa-Vi"U e Plores, a 13 e 28,
Victoria, as qiiiutm-feiras.
t >linda, lodos os das.
PIlEAUAd DE HOJE.
Primeira, 7 hora e 42 minutos da inanha
Segunda, i 8 hora e S minutos- da (arde.
DIARIO DE
de Dezembro Anno XXIV.
N. *#>
DAS d\ JEMAN \.
0 Seg. S. Nicolao. Aud. do J. dos orpli. c do
J. do c. ila "-'v. do I. M. ila ? v.
7 Terra. H. A-iibrnzio. And. do I. do civ.
da l.v.edo.l. de pez do? iisl. de t.
R Qtiarle. > Conceiej ile Nos a Btntie-
ra Padioeirt do Iinp.rio.
9 Quinfa, .">. l.'Ocadia. Aud. do J. deo'pb, e
do J. municipal da I. vara.
10 Sesta. S. Melquades. Aud do J. do civ. da
l.v.e do I. de pat do I. dist de I.
ti Sililndo. S Dam \ And. do J do civ.
da I. v. e do J. de pat do I dist del.
I) Domingo. 3. Justino.
CAMBIOS NO DA I DF.DEZEMBnO.
Sobre Londres J8 d por IJ r. a 6* di
Pars 340 rs por Iranco.
I.isloi 95 a 100 de premio.
OeM.deleUMsdrboaaflroM! a 'I* l
OnroOncas I cspinbolas----0i>n a
MoWasdoOliOOTelli
* de OfflOe nov
de 4 *000-----
Praa Palaces........
Pesos columnares..
Pilos mexicanos...
M ii.11
1 ti.* I 00
i (Olio a
90000 a
IJ9R0 a
i.i 140 a
, 10700 a
1,1'Ji' > a
Acc6esdacoinp. do llelieribedeaOfOOO rs
aom.
?S|500
Hfoo
lejioo
s i o
I ('.'Sil
IJ960
iisno
if;n
.i." |"ir.

EXTERK R.
NOTICIAS DO MXICO.
COMBATES DE CONTREBAS E CHURUBUSCO.
DRRBOTA DOS MEXICANOS.
TACODWA, 28 DE ACOST.
Kostes informado sem llovido do que, durante a
nossa demoro' cm la Puebla, o general em rhefe o
Mr. Trist reerherum varias visitas to secretario da
legaeitn inglcza no Mxico acerca da paz com esle
Eaiz, o que alguns Americanos chegarnm a conoc-
er a esperanca de que promplnmente se assignaria
um tratado do paz ; ludo isto, porm, se desvanecen
logo que Sanl'Anna cnnsegtiio reunir tuna frca res-
pcitavel na capital pura resistir aoinimigo. No en-
tretanto, recebeu reforcoso general Scott, e no dio
7 pz-sc em marclfa sobre a capital. Ao reconheccr
o morro do l'cnon, distante tres legos da cidade o
fortificado, resolveu o general em clicfo nflo atacar
por aquello ponto, eos tropas ti vera ni ortlem do ro-
dear a laga Chajco ou Tlalpam, ou Satito-Agosti-
nlio, onde os ltimos soldados chegaram no dia 19.
Na tarde desse dia as tropas dos generaos Twiggs o
Pillow travaram o combato a qualro milhas do Tlal-
pam, na estrada do S.-Angel, onde os Mexicanos oc-
cunavam urna forte posicilo. com 20 pecas de arli-
lliaria o 6,000 homens as ordens do general Valen-
cia, emum lugar chamado Coniferas e cm algumas
eminencias denominadas is Lamas-dc-Magdalena.
O logo ilnron al imite com gratulo vivacidado
da parle tos Mexicanos, que estavamem urna dis-
tancia consideravel dos seus adversarios, osquoes
sofTriam muito da arlilharia mexicana ; mas na ma-
drugada do dia 20 o general Smilh flanquoou urna
ala do inimigo, cabio sobro a sua retaguarda, fez
mais do 3,000 prisionoiros, loinou toda a Bill arli-
lharia o itialou G00 ou 700 homens. Os Americanos,
as ordens do Twiggs o Pillow, continuaran) a sua
marcha sobre S.-ngel e Coyoacan, afim de posta-
rem-so na retaguarda de Santo-Antonio, na estrada
que vai de Tlalpam para a capital, onde os Mexica-
nos estavam fortificados, emqur.nlo o general Worth
avancava sobro Santo-Antonio, que o inimigo nbati-
donou rpidamente retirando-so para urna ponte que
alravessa um rio que paspa- pela estrada, onde li-
nham grandes fortificue/ies. A esquerda da estrada,
em distancia do 200 jardas, existia oulra fortificaeflo
em utn grande convento betu guarnecido e fnrtifi-
catlo. Este lugar chania-.se Chiirubtisco. All as frcas
americanos reunkain-sc todas, c soiTreram um fogo
muito vivo da parte dos Mexicanos por espaco de
una hora. As tropas do general Worth cxpellfram
osinimigos das fortilicaces da ponte e persegui-
r nwo pela estrada, emquanto ri general Shields
alacava umafnzenda em pequea distancia dalli e
punha ludo um dehandada. Ilastaram duas horas
para gwihar a balalha do Chttrubuseo, na qual o
inimigo centava 20,000 homens coiniiiandados pelo
proprio Sanl'Anna, uue so retirou para Guadalupe,
alravt'ss uni a cidade do Mxico, porque pcnbava
que os Americanos alli entrariam. O general Worth
dormio nessa noile nos poslos avancados, logoa e
ineia da capital, e no dia seguinte veio para Tacu-
bava, onde ebegou tainbeiti o general em ebefe.
I'erderam os Mexicanos, entro morios, foridose
prisionciros, nto menos de 13 generaos, entro elle
3 ox-presidentes ,o 5,000 homens. I'erderam lam-
bem 45 pecas do arlilharia. Apeldados America-
nos anda por t,000 homens. O general Scolt flcou
levemente ferido.
No dia 23 deagoslo, Sanl'Anna publicou um ma-
nifest no qual procura langartoda a culpa da der-
rota sobre o general Valencia, llamos um extracto
desta pega importante, sem precedente, mcsino nos
anncs mexicanos.
Ogeneral Sanl'Anna comega o seu manifest an-
nunciando ao povo mexicano o armisticio quo aca-
ba va tle concluir com o general Scclt, o dizendoquo
os acoiitociiiienlos do dia 19 o 20 sao jt muito noto-
rios, por isso mesmo que furatn desgranados. Falla
entilo dos seus extraordinarios esforgos para levan-
lar o armar um exercito do niats de 20,000 homens,
para ajuqUr manlinionlos" e para construir linhas
de fortificacio. Se plano de tlefosa pode ser fcil-
mente compreheiidulo, lancando-so urna vista d'o-
Ihos sobre qs trabalhos de fortificaciio o sobre a dis-
pos'tcflu desuas tropas ; mas na guerra urna circums-
lancia appareiileuietile insignificante podo frustrar
as mais sabias coinbiiioges. No dia 18, as II horas
da maiilifia, ordenara a um general quecommamla-
vii una divisilo de-5,000 homens e 24 pecas de arli-
lharia, que relroccdesso para a villa de Coyoacan,
afim de effeiluar una conccntraclo do frcas em
consequencia de um movimonto do inimigo. Mas.
este general, esquecido deque nocaiii|io da bata-
llia nlo podo liaver dous commandantes, tomou so-
bre si oppr-so a osla ordem, c, em vez do rectiar,
aviincoii. A primeira noticia quo Sanl'Anna leve de
tilo desgracado movimonto loi o rihombo do canhil
annunciando quo eslava iravada a peleja. Cotn un
presentimento fatal dasconsequencias, piV/-so iiir-
medialamente testa de utna biilhaute brigada de
4,000 homens com 5 pecas de catnpanha e marchou
em auxilio do general; ja era larde, o inimigo linlia
inlcrposto suas frcas entre entro ellos : veio a noi-
le, a chuva cahia a cantaros; forcoso foi retirar-so ;
todava, mamlti por um ajudanle do ordens ao ge-
neral refaclartoquo se icluasse para S.-Angel pelo
tnico oaminbo que I lie restava ; mus, em vez do o-
bedeccr a esta ordem, mandou-llio dizer o general
quo o que Ihe faltava eram tropas, quo balera o der-
rotara o inimigo, e lizera promucOes em consequen-
cia desta victoria.
No dia seguinte, contina Santa Anna, fiz novo
esforco para correr cm soccorro do leimoso general;
mas, apenas so linha posto a caminho, atacou-o o
inimigo, c em 10 minutos foi o general derrotado.
A consequencia dessa derrota, diz elle, foi terriveh-
Podia o inimigo, pnrum movimcnlo rpido, chegar
capital antes que Ihofosse possivcl soccorro-la, ou
poda cahir com todas as suas frcas sobre urna par-
lo doexercito mexicano. Travoti-sn a lula entre as
vaneadas dos rospoclivos exercilos, e tliz Santa An-
na que os seus osforcos eiist.ir.i-u ao inimigo no
pequeo ilerraniamciito dosanguei oque consegtio
lomar una pos.ieilo que cobrisse a capital; mas, ao
icceber nina conimunicaQlo to goncral Scott, pro-
ponda um armisticio, resolved aceitar. Talla entilo
da conveniencia dos armisicios cm geral, o conclue
que, se o resultado desto passo nlo fr a paz, polle-
ra continuar a guerra, pois que anda so acha fron-
te do urna frca rospoitavol, e porque a nacfo ha de
stislenta-lo na manutenQiio do sua honra ; conluo
amea^ando castigar a oppositjlo facciosa.
. ( hxtrahido do Sun of Anahuac. )
New-York, 17 de Seltmbro.
As importantes noticias do Mxico causar.im aqu
grande sensactlo, e parece haver grande divergencia
do opiniio acerca da silua^flo dos negocios. Hece-
hemos muitos delalhes da peb'ja entre os dous exer-
cilos ; mas aititla nlo podemos formar urna opiniilo
imito correcta quanto ao resultado provavel o dolrni-
tivo. Nilo comprehendemns exactamente a nalurcza
ou o fim do armisticio. Houve sem duvida grande
|ierda de ambos os latios; mas, se he corlo que se
toncordou no armisticio a podido to general Scott,
esta circtimslancia iliiiiiiiuo muito a gloria do com-
bate. Uu as retacos nilo silo exactas quanto der-
rota dos Mexicanos, ou o nosso exercito solVrcu mais
do que al agora se tCQJ dito.
A quesillo natural que suggerc a leitura tas rela-
cos do combato be : ha motor ospe/anca to paz?
existe a maiofeprobabilidado tle se nc&barem as hos-
tilidades? A noss ver, uin arranjo amigavel entre
os dous governus est tilo remoto como dantos, o a
tomada da capital do' Moxico uo trara os resollados
quo so esperavatn. As ultimas noticias referem quo
o general Valencia oppunha-so ao armisticio ; que
so evadir ta cidade e pronuncira-so conlrn Santa
Anna. lie muilo provavol quo so rena a Paredes, o
que dem muito que fazer retaguarda do nosso ex-
ercito. A divisilo que existo entre os chefes mexica-
nos sor o mais serio obstculo ao restabelecimenlo
da paz ou a pcrmattcconcia de qualqucr tratado que
possamos fazer com o partido quo esta no poder. At
que possamos reconcilia-los, fra melhor que abau-
donossemos a itleia tic arranjar promptament a
quesillo por|moiosamigaveis.
Nao temos meio nenlium to ajuiziuqiial ser a
durago provavol do armisticio. Euiquanto durar o
nosso commissario, cmpcnhiira sem duvida lodos
ossous osfoi'QOS'para entaholar um tratado, c o nos-
so governo concontrar, tilo perlo la capital quanto
os termos do armisticio pcrmiltcqi, o inaior nume-
ro do frcas possivcl, alim do estar preparado para
qualquer emergencia. Depositautis muilo pouca f
hos Mexicanos, e nilo duvidntnos do que aprovcilar-
sc-hilo da primeira opporlunidade para cahir sobre
nos. O nosso exercito est boje no centro do paiz
inimigo, o os nossu.s chofos dovem ser prudentes, ou
iicarilo cercados por todas as parles.
Se as nogociaces de que fallam as ultimas noti-
cias falharein, nilo nos restara nonhuma outra al-
lertiuliva sonilo oceupar totlo o paiz militarmen-
te.
( New-York Herald.)
FRANCA. -
PARS, 23 DK SKTKIIP.RO DE 1847.
A l'ill SlIH.-.U 00 COMCKLIIO.
O Sr. Cuizot osla feito presidente do concelho.
Esta nomeacilo era esperada", e na verdade do ha
muito quo dovia ter-se verificado. 0 marechal
Soult, desde que deixou a pasta da guerra, pouco se
tem importado com os negocios to estado, o era s
nominalmcnle presidente do concelho. Niio resida
em Paris senlo duranto a sessao das. cmaras. Kra
nina ficcHo conslilucional levada a excesso a que
considerava presidente to concelho um ministro
sem pasta, que passava tres quartas partes do auno
a mais tle 150 leguas do centro tos negocios. O ga-
binete adoptou medidas ni.pulanles oslando au-
sento o marechal o quando Ihe era impossivcl ter
coiihccimcnto dos tactos, ao passo que, soh o pon-
to de vista constitucional, sobre elle recallia a prin-
cipal rcsponsabilidatle. Qumido o ministerio resol-
veu acabar com osle estallo do cousas oxlra-uarla-
meiitaro falso o decidi nomear um presidente real,
a escolha nem por um momento podia ser duvido-
sa. Reverten legiiimamcnte para o Sr. Cuizot, nao
porque fosso elle p inembro director do gabinete,
pois que iiinguem podia ter pi-lencos dircccio
de ii tu ministerio 8om poltica fisa, sem vistas i ai
dependentes, mas siitl por causa dos seus servigos,
da sua experiencia, o, rabjquo tudo, dojsepsla-
lontos. O Sr Cuizot era o priuieiro ntreos seus
collegas. Tinha tanta docilitlade o mais flcxihilida-
dedo quo qualquer del les. Como escriptor e como
orador, a drsproporQilo era iuimensa. O Sr. Dcha-
le! he homem de mais tino administrativo, de muito
inaiores recursos ; mas o Sr. Guizol lie o nico que
sabe arreiar em lingoageni pomposa as maiores
miserias, edar pretexto as niaiorias para se illudi-
Ireui a si mesmas. Km urna palavra, sobre elle roca-
he o peso das discusses graves, seja qual fr a sua
origem. He justo, portanto, que, carrcgamlo.a cruz
da presidencia, gozo lambem de todas as suas hon-
ras. Encarad! constitucionalmonlc, nilo podemos,
i pois, dcixardt! oppMutlir una nomcaerto que pe
as apparencias do accrtrilo com a realitlado o torna
a collocar o gabinete dentro das rogras parlamen-
taros.
Comoopposicionistas, congratulamo-nos por os-
le aeonleeimento. A nomeacilo do Sr. Cuizot para
a presidencia do concellio, as circumstancias ac-
tuis, heo indicio mais fiel ecompleto do systenia
que nos governa o uue est personalisado no Sr.
Cuizot. O partido biDoral tem finalmente, taco a
facp, o systoma em toda a sua pureza ; j nilo ha
ainhigitidades, equvocos, incertezas, lio ovhrenle.
a todos dora em diantequeaos partidarios ta reac-
cilo se diz agora, como oulr'ora sodizia a tima la-
migerada ordem : Sintutsunl. aulnon sinlf A nos-
sa siltiacilo adquiro assim utna franqueza, um ca-
rcter dislinctivo, qtmo piulido liberal nilo podo
dcixar do applainlir. As cousas, potm, carilo no
oslado actual. O titulo de presidente nao dar no
Sr. Cuizot o goslo e os hbitos do trobalho, con-
cepcilo tos negocios. Ninguem foi 1.1o injusto que
imputa'sse ao marechal Soiill as dilapidacos do mi-
nisterio da guerra, a ruina da nossa esqitadra o a
ilosorilem das nossas flaneas. Nilo foi por falta Ja
direcc.loqiiii as cousas cliegram ao dcploravel es-
tallo em quo so acham. Nilo foi s por falla deca-
papidatlo no ministro das obras publicas, por falta
.do superintendencia da parte do presidente do con-
celho, que os caminlos tle ferro forana divididos e
multiplicados por tal modo que se loruaram preju-
diciaos ao crdito publico ; he porquo o systema, a-
litn de stislon'.ar-se, love do convortc-los em una
mina para fina eleitoraes. Nisto, a presidencia do
Sr. Guizot nilo faa a menor mudanca Nflo ta ao mi-
nistro ta fuzenda maior firmeza para resistir as exi-
gencia! dos seus collegas, exigencias que eram con-
sequencias tle urna poltica eommutn. Nilo tornar
O gabinete actual mais activo nem mais vigilante,
nao o privara do gozar tranquillamcnte das docu-
ras ta villegialure, ombora as pracaa de Londres e
de Paria estejam na criso mais assustadora, ombora
o thesouro tonha exhaurido lotloS os. seus recursos o
nao achu quem Ihe empresto dinlieir'o. .
O almirante Mackau valia lauto como o seu suc-
oesaor. Nilo foi por falla tle capacidade nosso ofli-
ciul-goneral quo a nossa mantilla tem empobrecido
constantemente; deliulioii, porquo nilo so quera
que a I'ranya fosse poderosa 6 prospera no mar. Nilo
Dro'mos que a presidencia do Sr. Cuizot seja o co-
meen du tuna nova era para a nossa mariuba, ou
que transformo elle o Sr. Montehcllo em um Col-
bcrt, ou o Sr. Trezcl em um Demosthcnes ou lli-
cneliou ; c, mo grado a experiencia do marechal
Rugeaiit, pelo menos na frica, e a superintenden-
cia do Si'. Cuizot om Paria, parece-nos quo os ne-
gocios da nossa colonia ulo srflo dirigidos com
mais inlelligencia e aclividade.
locaremos muito admirados so virmos o Sr. Cu-
zol, como presidente do concelho, tirar da sua
pasta ou do seu cerebro planos do administracHo,
de linaucaso de colonisaQilo, que ninguem at boje
suspoitou podesse elle conceller. Nlo veremos, por
corlo, esse exomplo do unta metamorpboso promp-
ta o completa."Tudo ir como al agora, com a mes-
iii.i reclidao, com a mesma atleiiQrm aos intoresses
ilo paiz, COlll igual elovacilo do pens.tinento, com o
mesma amor as i leas liberaos. Em nada mudara
a poltica to governo; a respectiva posieflo dos par-
tidos sera a mesma. O ministerio nem ser mais
fraco tioui mais forte ; o estado do cousas ser, po-
rm, mais regular o mais evidente a lodos. Os o-
ros j nflo pdenlo ser altribuidos ausencia do
um chofe real e a exploses de independencia -pes-
soal. Urna experiencia decisiva o inconteslavcl vai
dissipar as recentes illuses O Sr. Cuizot j nflo
lio moramente o inembro mais saliente do gabine-
te ; a superioridatlo da influencia o do tlenlo jun-
ta agora a to lugar: Tornou-se chelo, o pode fazer
prevalecer sua volitado. Veremos se tem urna po-
ltica, ou se consisto a sua politica cm nilo a ler.
(Comtilutionnn/.
{Jornal do Commercio.)
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DK PERNAMBUCO.
Lisboa, 31 de oulubro de H7.
0 estado to paiz contina a ser o mesmo, o todas
as apparencias indicain que nflo mclhorar tilo tlo-
pressa. o governo sem lrca, nein prestigio, rom-
batido por lodosos partidos, pois que Ihe n;lo tem
sido possivcl formar um seu, prosegue na iuaceflo
o uo se delibera a tomar rcsolucfio algtima enr-
gica. Ha quemao supponha de aecrdo com os Ca-
braes, porm ha lambem quem uo tlt> crdito a tal
supposiciio, e a guerra que Ihofuz o cubralismo lio
soli'eja prova du disconcordancia.
i.iiiioiaiitn, os Cabrees proseguem avante no seu
intuito do se a possa re m do podr, c de se aprovei-
tarcm, para isso, do lodos os mcios sejam olios
qtiacs forem, ombora se ataquo o throno, do qual
so dizcm Iflo respeil'atlores, o se poslerguom toda!
as formulas. Unr tacto demasiado significativo aca-
ba de demonstrar qual o espirito do animosidado
que alimenta o partido cabralisla para tudo o que
nilo v de aecrdo com os seus planos.
Km urna das minhas anteriores Iho- communiquoi
que. l-rei I". 1'ernndo se manifestava opposto a
exallagilo dos Cobraos, o que o Estandarte, seu or-
gflo na tmprensa peridica, censurava o procedi-
uiciilo de el-rei, dizmitlo quo elle nada linha coni o
governo to reino, em vista do artigo 90 da carta
constitucional. Nflo se limitaran! s a isto os cabra-
listas, c pactiiram-se para desfeitoar publicamente
el-rei. ,
No dia 29 do crlenlo, a universa no do S. M., ap-
pareceram nos lugares pblicos de Lisboa pasquina
em quo el-recra incivil o atrozmente insultado, o
no mesmo sentido se espalharam centenares do pro-
clamares. A' noile S. S. M. M e A. A. concorreram
represonlacflo no tbeatro de San-Carlos. Como era
a primeira noile de recita ueste invern, e aloin dis-
SO como a compendia era nova, a concurrencia fot
numorosissinia. Logo quo iippareceram S. S. M. M.
na tribuna real, houveram apenas urnas palmas
muilo frias o apoucad.is :--scguio-so a orchestra
tocando hymno da carta, o os artistas cantaran
urnas cinco cantigas, algumas das qmies allusivas
a el-rol; porm isso nilo excitoit onlhusiastno al-
gnni, nem palmas nem vivas houveram, como he do
costume :-- ludo so passou no maior silencio. No-
lou-soalom disso que, tiratlo da comitiva do S. S.
M. M ninguem eslava defardr,ou vestido do eti-
queta, o que mesmo os cninmaiulantes de corpos,
robre tudo u clebre Joflo Antonio de Almoida por
aleunha o Joilozinho' coniinandaute to Segundo ba-
talhflo nacional, ostenta va-SC na plateia superior,
vestido ridiculamente.
O condado Tiiomar eslava u'uma frisa com sua
iiiullier, tle casaca piola o calca branca, a sorrir-so
com o sorriso traicoeiro que lodos Ihe conhecem,
durante a scotia fri! 0 significativa da cantoria to
h y timo.
Anda ha mais outro facto quo prova quanto ludo
que aconteceu foi premeditado Pelo governo civil,
he costume comprarem-se, nos das de gala, 200,
100 ou 80 billicliis, que silo distribuidos pelos cor-
pos da guarnicjlo, repartieses publicas, &c. No dia
dosannes de el-rei, nilo so comprtl nem um s bi-
Ibelo por aquella repartieflo, o que prova que uo
so quiz tlar esplendor ao espectculo.
Ksla necurroncia tflo saliente o significativa, ma-
nifest qual a dsposlcflo do portillo cabralista, que,
vido to poder, arrastra com ludo, c nata para ello
he sagrado o respeitavol, quando se traa dos seus
intoresses. O En andarle A\t liontetn que ao beija-
mflo concorrou intii pouen gente, c prometi oceu-
par-tro com o que se passou no thcalro. lio provavol
quo so nilo pojo do dar a conhocor o pacto indecente
to seu partido, para insultar a augusta persona
gem, que, segundo se assogtira, se mostra opposta
a exaltaeflo desse partido.
Contina a uesintelligencia entro o governo o a
junta do crdito publico No Diario do (lorerno ap-
pareccu urna poliuria, coi que, trotando so tle inso-
"ila a mancha por que a junta responder no seu
.iniuiucio, se diz que a mesma junta iloye ter rece-
hido 79 coutos para pagamento dos juros da divida
interna, porlencciilcs ao 2." Soniese de 1846;
(luo os caixas do contrato do tabaco lcm entrega-
do a dia junta, desde agosto de is<, a quanlia do
330, 183,50#ooo rs., poi conta tas mesadas do seu
contrato, iucluindo a soturna de 79:779,904 rs. des-
tinada para os juros da divida exlerna ; o ordena-
se-lho quo de imiiiedial.iiiiontecoiila da applica^iln
que it-ni tlatlo o laesquantias.
Ao mesmo lempo apparece no Diario oulra porta-
tia, determinando que uo se insiran nccautitin-
Cios, declaracOes ou tlociinentos, sem seren rubri-
cailos polos olliciaos maiores das competentes repar-
tios. Isto lio para que nflo lome o apparecer ou-
Iro annuiicio como o da junta.
A junta anda nao responden, mas parece que
tnandou para o jornal Itevoluro de-Setembro os
seguidles apnnlamciilos.
Pelas conlas da junta publicadas no Diario do Go-
terno n. 234 tic i to presente mez, respectivas ao
mez do agosto ultimo, se condece existir em saldo
a quanlia de--------...........18:636,820
A portara diz ler-so colmillo al ou-
lubro ..................79:779,93*
98:416,75*
Oofflcio da junta, que se menciona na
portara, diz quo para so comecar o
pagamento dos juros silo necessarios 400:000,000
Dificrcnca quo falta-----------......301:583,246
Nflo se alteado a que nflo se declara a despoza que
ncccssariamentc se fez al aquella data, e tpio por
consequencia a recep'cflo daquell! quanlia reduzir-
se-ba a muilo menor recoito.
Quanto aps tresentos o tontos contos que tliz ter
recebido a junla do contrato do tabaco, desde agos-
to de 1846, lemhrii a junta tpie uaquclla poca so
pagavam os juros do primeira semestre do mesmo
anno.
Posteriormente, a junla publicou a sua con(a re-
lativa ao mez de selenibro ultimo, com referencia
aos encargos da divida interna, que mostra impor-
tara a loccila na quanlia de ris--------427:752,993
K a dcspeZ! --..........------172:650,146
Saldo cm diversas especies------------- 255:102;847
Abatido o saldo de popis de crdito 215:264,679
Saldo cm dinlioiro effeclivo.......39:838,168
He fra de toda a duvida que os 379:000,000, de
quo falla a portara do ministro da fazenda.se acham
despendidos, oque as enormes so ni mas quo se dis-
so deveram exisln nos cofres da junta se reduzem
a 39:838,168, para fazer face aos 400:000,000 quo sflo
necessarios para o pagamento dos juros das iuscrip-
ces com coupons e inscripces de4 por 100.
Kstas discussoos entre a junla e o governo teom
aggruvado a siluocflo dcsle, mostrando a incapaci-
dade do actual ministro da fazenda, e a maneira
pouco circumspccta porquo so procede. Ha do es-


CT
&
-Jt-'-U
perarquo sto termine em breve, se j nflo liver ter-
minado, o que a junta, habilitada com os compe-
tentes meios, passea pagar os juros do segundo se-
mestre de 1846, salvando assirn milhares de familias
da miseria, eacreditando as inscripcoes que teom
diminuido muito de proco.
No dia 28 ro recebido por S. II. a rainlia em audi-
encia solemne.o conde de Lsterhazy, ministro ple-
nipotenciario de Austria, que, ao entrogar a sua
credencial, dirigi S. M. o seguinte discurso em
francs.
(le xa
mui-
Srmioa. Tenho a honra de assegurar a V. M.
a viva amizade eafleicflo, que o imperador, meu
augusto amo, incessantemente maniTesta pela pes-
soa da sua augusta sobrinha, o o interesse que to-
ma pela prosperidade do seu bello reino.
' especialmente cncarregado de ser o interprete
dcstes augustos sentimentos, eu me Telicito de
poder hoje offerecer V. M. a sua nova o bem sin-
ceraconlirniac.no.
S. M. a rainha respondeu o seguinte, na mesma
lingoagem :
Recebo com o niaior prazer a seguranca, que
acabis de dar-mo em nomo de S. M. o imperador,
meu presado lio, e vosso amo, da sincera amizade,
quo elle me professa, e do vivo nteresso que toma
pela Telicidade dos povos que me cabo governar.
" Animada dos mesmos sentimentos para com S.
M. Imperial e Ueal Apostlica, folgo de poder as-
sogurar-vos quo a escolhajjue S. M. Tez da vossa
possoa para seu representante junto de mim, nflo
podedcixardomeseragradavel. i>
A simplicidade do discurso do ministro austraco
depois do quo teni occorrido neste reino, nflo i
de ser bastante significativa, e tem da'do lugar a
tas roiijeeturas.
Segundo as noticias recebidas do Alentejo, a op-
posicflo progressista triumphou tras cleicOes mutil-
(ipaes em Kvora. iz-sc que o governador civil, Lo-
pes de \asconecllos, fe lodos os esTorcos para que
nflo triumphasse a dita lista, e desengaado da irtu-
tilidade dellcs, pedio que ao menos nflo se elegessem
individuos que tivessem sido membros da junta re-
volucionaria, porm tambem nfio conseguio isto,' e
tresdesses membros foram eleitos camaristas.
Os jornaes referein un Tacto que manifesta assaz
qual he a influencia cabralina em todas as reparti-
eres publicas. Parece que o conde de Thomar anda
a lazer obras no seu palacio da Calcada-da-Eslrella,
c o cntullto lio dalli tirado para urnas trras inme-
diatas pelas carrosas da limpeza da cidado, que la-
zem este servico do noile para nflo ser visto.
Assegura-so tambem que uu sociedado Pliarma-
ceulica selezja urna proposta para se representar
a lavor da rchahilititcflo da le de sadc que den cau-
sa aos primeiros disturbios no Minbo em 1846. Pa-
rece mcrivel que, quando ainda o paiz gotteja em
sangue, em consequencia dessa e de. outras leis ex-
temporneas, luja quem, por espirito departido,
-jueira renovaros males que todos lamentamos.
' llon
ido se
ruceaos que reeebeu
do seu governo, relativamente a Portugal.
Parece tambem que se retira o viscondo do Varen-
nes, ministro de "ranea, por idnticos motivos.
Aseguranga pessoal nflo be ainda completa. O
jornaes, mesmo os cartistas.rcierem varias tropelas
cojnmetlidas as provincias, e especialmente no Por-
to. Em Lisboa, ainda os caceleiros fazem das suas.
Gniifirma-se a retirada de Portugal, do Sr. Ayll
ministro de llespanlia, por nflo querer, segundo
diz, conformar-se com as inslruccos aue recel
As noticias de Hcspanba nada conlom de impor-
tante, senflo que as guerrilhas carlistas que inTesta-
vam a Catalunlia, tcem diminuido pela activa perse-
giiicHo das tropas da rainha. Muitos dos facciosos
leein-se apresentado para gozarent do indulto con-
cedido.
BUBi.ODIPlIRAIIIjtO.
3yj?jtj jj j ^jjsiji-'jjs a)j! ^aov.
llonlein noile a cidado estevo em soreg'o : nflo
se verificou nenlium dos boatos aterradores que rir-
cularam durante a tar.le. OSr. chofo do polica
tlosenvolveu mu la actividade, j visitando por di-
versas vezes os bairros cm quo se divide esta capital,
ja/azendo postar Torcas respeitavois no's pontos que
pareciam mais ameacados do Turor dos espancado-
res, bcni como a ra da Praia o a freguezia de San-
l'rci-Pedro-Gon<;aIves.
A estas medidas preventivas he que (levemos, por
sem duvida, a tranquillidade do quo gozamos nessa
noite, para que se annuncavam secnas bem tristes.
Os leitores acharflo em oulra parle a carta que o
nosso correspondente de Lisboa nos escrevra a 31
de oulubro prximo pastado, o que recebemos han-
tema tarde quando j soacbavam mui adianlados
os traballios deste Diario, o nflo nos ora possivcl fa-
zo-la compor.
Com a predita carta, nos Toram Igualmente entre-
gues varios ejemplares da llevoluco de Setembro que
alcancam a 3 de novetnbro ultimo ; e que. ao passo
quo confirmnin as asserces do correspondente, nflo
soquanto potiefleephernera do actual ministerio
porluguez, cmo tambem quanto aos esforgos quo
cnipregam os Cabraes para readq'uiriieui o poder,
adiantam alguma cousa ao que nos elle diz j a res-
peilo des negocios do remo, j acerca das noticias
de Despatilla, donde aecusam dattts at 27 do citado
oulubro.
Kxlraclaiemos cm primeiro lugar o que so reTere
a Portugal.
com asperseguic/lesquc as influencias de seis deou-
lubro desenvolverm contra o marido quando o de-
gradaran). Segundo a gazeta queja citamos, S. Exc.
deixra a patria por nflo poder gozar nclla do socc-
go e liberdade, que lhe prometiera o protocollo.
A mesma gazela cita ocaso de haver sido reco-
Ihido pristi e conduzido antea polica correc-
cional, depois do insultado e maltratado pelos po-
voadores doeallabotico dos loyos, ccrlo sujeitoque
tivera a ousadia do declarar na presenta do um guar-
da municipal, que era selembrista o jamis seria ca-
bralistal... O peridico accresccnta que a policia
absolver o pobre bomem.
Alm doquo (ica escripto, nada mais vimos na
Tolha selembrista cuja noticia possa aprovoitar aos
subscriptores deste Diario; por isso, pois, passare-
moss novas de Hespanha.
Tinba bavido modificagao no gabinete hespanhol.
OSr. duque de Sotomayor Tora nomeado ministro
do reino ; o Sr. duque de Valencia licra presidindo
o concclho de mmistros, mas sem pasta ; eoSr. I)
Manoel Bertrn do F.uz recebra a rtomeacflo de mi-
nistro ila marinha.
Rizia-scqtie o general Narvaez, que depois da in-
dicada modificacflo deixra de llgurar no gabinete,
tomara a rosoluc.to do voltar para a sua cmbaixada
em Paris.
Allinnava-se quoseriam excluidos do ministerio
osSrs. Crdoba ellos deOlano; masque iam ser
nomeados : o primeiro, tcnente-general, o o segun-
d, oapitflo-gencral das Philipinas.
Entretanto que assirn annuncavam a retirada des-
sos Sis. designavain os seus substitutos ; porquan-
to iudicavam o Sr. Olivan para apasta da inslruc-
Qilo publica, e diversos para a da guerra.
O general I ibina havia sido nomeado segundo ca-
bo de Pamplona.
Suppunha-se (|ne o general Serrano brevemente
tomara posse da rapitania-gcral da Granada, visto
como o governo nflo aceitara ademissflo quo ello
dera deste cargo.
Cra-soque tinba de ser restituido liberdade o
tenente-genoral Itipoll, correligionario poltico do
general Zurbano, de ha muito preso em Brcelona,
Um dos eolios da imprensa progressista declarara
que o Sr. Barcourt acbava-se nomeado cmbaixador
da Franca junto a corto do Hespanha ; c que esta
nomeaeflo era devida a mesma influencia quo em
1842 cooperara para a do Sr. Ilulwer.
Assevorava-sc que oSr. I). Andrs Borrego, direc-
tor do Espaol, partira para urna das cortes da Eu-
ropa, no carcter do cmbaixador.
Os gucrrlberos continuavam a dar provas de
grande desanimo, depois da expedieflo do capitflo-
geueraj da Catalunba s cordilheiras de-Mouseny,
Guilleria o mais algumas que assentam cm parle da |
provincia do Gerona o que se estendem de Barcelo-
na al Vicb. O Taccioso Marsal ainda nao tinba con-
seguido reunir a gucrrillia. Alguns desses bandidos
se haviam apresentado aos con mandantes das co-
lumnas de llerga e Levante. Eutrotauto, cartas de
AragflO conlirniavam a noticia de ter apparecido as
immediaces de Alcanices urna giienilba do 25 a 30
bomens capitaneados por Grin ; e diziam quo no
Ebro apresentara-so outra de 250 a 300 bandoleiros,
procedentes da Catalunba.
CONSULADO GERAL.
ItEVDIMENTO 00 DIA 10.
eral...............'...'.......2:939,733
Diversas provincias..........., 473,9"85
3:413,718
CONSULADO RBOVINCML.
Rendimenlo do da 10..............1:847,341
Declarares.
ftdO.-
A cmara municipal desta cidado Taz scssSo ex-
traordinaria, hoje, 11 do corrento.
-Dsordem do lllm. Sr. director do curso jur-
dico desta cidado de Olinda, lago saber a quem con-
vier quo os quo se propozorem a exames prepara-
torios em fevoroiro e marco do anno prximo vin-
douro deverilo Instruiros seus requerimentos com
documentos'quo mostremos nxamesj feitos, para
com preferencia serem examinados nos que lhe Tal-
tarem devondo os requermeutos cima despacha-
dos serem recolhidos a esta secretaria do 20 de Ja-
neiro em diante. O lllm. Sr. dircitor nflo admiltir
a examesenflo as pessoas que Torem apresentadas
pela secretaria,na forma por elle determinada.'
Secretaria da academia jurdica de Olinda, 9 do
dezembrodel847.O bacharcl Eduardo Soares de
Albergara, secretarlo interino.
0 escrivao chefe da segunda seceflo do consulado
provincial, de ordem do lllm. Sr. administrador do
mesmo consulado, Taz constar a todos os propricta-
rios de predios urbanos dos bairros desla cidado,
que, do dia 1." do correrle mez de dezembro, se
principiaran! a contar os tnnta uteis para o pagamen-
to, bocea do coTre, da respectiva decima do 1.se-
mestre de anno financeiro correle do 1847 a 1848 :
c todos os que deixarem do pagar, dentro do referi-
do prazo, incorrem na multa de 3 por cenlo sobre o
valor de seus dbitos, e serffo do prompto executa-
dos. Recife, 6 de dezembro de 1847.
No impedimento do escrivo,
Jos Guedes Salguciro
0 abaixo assignado, secretario interino do
curso jurdico de Olinda, avisa aos Srs. estudantes
do preparatorios, que elle se acha prompto a dar
corlificados pelas ferias para mais commodidade
dos mesmos senhoros; devendo advertirque em con-
fnrmidadn dasrdensdo lllm. Sr. director nflo lhe
lio possivcl com presteza passar todas as certidoes
exigidas para as matrculas,.no tompo deltas.
Eduardo Soares de Albergara.

A2denovembro diversos ministros comparece-1 tophers& Donaldson.
Aliamlega.
RENDI.MENTO DO DIA 10............22 207,051
Detcarrega hoje, 11 de detembro.
Briguc Carlota-e-Amelia morcadorias.
IMPORTA CAO'.
Carlota ix Amelia, brigue portuguoz, viudo de
Lisboa, entrado no corrento mez, consignado a
1-ranciscoScveriano tabello Filho, manifeslouo
seguinte :
I barril chorico; aTeixeira & Andrado.
1 barril alvaiade ; a Manoel Elias do Moma
lOharrischoricos, 2 ditos paios, 80 ancorlas a-
zeitonas ; a Manuel Ignacio de Oliveira.
1 barril alvaiade. 1 dito flor de sabugiiero, 1 dito-
macella ; a Antonio Pedro das Noves.
5caixolesmarmelada, 4 caixas cha: a Antonio
Forroira Lima.
2 caixas diversas drogas
cisco de Souza.
3 caixotes inarmelada, 1 fardo
nardo Jos da Costa.
40 canastras e 2 saceos caslanhas, 312 molhos de
ceblas, 13 barns peixe, 4 gamellas cera branca,
16 barra panas da amcixa branca se'cca ; a Manoel
Joai|uim dos Santos.
8 caixas rap ; a Joflo Jos de Carvalho Moraes.
31 pipas o 105 barris vnho, 14 pipas vinagro, 114
barns vmlio liranco, 90 barricas cevada, 20 canas-
tras batatas, 10 saceos ligo ; a Francisco Severiano
Itabello k Filho.
1 barril drogas, 2 caixas charopo de espa'rgo o sal,
8 pipas vinagre, 5 ditas vinbo tinto, 2 ditas dilo
blanco ; a Thomaz do Aquino-Fonsoca.
2 barris graniina ; a V. Bravo & G.
130 pipas vinbo linio, 100 barris dito ; a Oliveira
Irmflos & G.
9 barricas gramma o grinaldas, 1 barril malvas;
a Joflo Soum. '
4 pipas vinagro., 1 dita vinho tinto, 5 barris dito
dito ; a Machado Pinheiro.
15 barris vinho tinto, 5 di,tos dito branco, 4 fardos
capachos ; a Augusto Gozar de Abreu.
6 pipas vinbo tinto, 15 barris dilo branco ; a Chris-
O caixa da companhia de Beberibe, tendo do pres-
taras suas eontas, lembra aos Srs. accionistas a roa-
lisacflodos 4 por cento, ltimamente pedidos.
a Bartholomeu Fran-
peneiras ; a Her-
anlas .secretarias do estado, nflo obstante serdia-
santo. Esta circumstancia concorrra para que to-
inusseof incremento os boatos que corriam sobre
una projectada modilica^go de gabinete, o para quo
se aciedilasse que ia ser mudada a mor parto das
"autoridades administrativas dos districto.
A 1, os ilesordeiros do caes do Sodr esfaquearam
minios individuos; mas foram inmediatamente
presos.
Joito Francisco Dubraz, propietario residente na
villa do Gampo-Maior, dirigir, da cadeia civil des-
sa villa, urna represenlacflo S. Al. a rainha, quei-
xando-secontra oadminislrador doconcclbo, por
U-lo mandado prender em consequencia de so ha-
ver liei negado aocumprimonto daordern pela qual
o (ai administrador lhe determinara que cortasse o
Ingode no preiixo prazo de 24 horas /.'.' i
A 3, satura da barra de Lisboa no vapor Montrosti
o conde de \ illa-Real, acompanhado da esposa, ain-i
da nflo restabelecida dos incommodos que soffrra |
1 caixotc lio devela; a Caetano do llego Tosca-
no.
ISsaccas tremogo; a ordoin.
3 caixas uvas, 4 caixotes inarmelada; a Manoel
Caetano l'ereira de Mondonga.
1 caixotc garrafas com calda de lmate; a Joflo
Pinto de/.emos& Filho.
10 barris vinho branco, 10 ditos dito tinto, 5 far-
dinhos lonas, 1 fardo brins; a Manoel Joanuim Ra-
mos ci Silva.
10 barris presuntos, paios cchouricos; a Manoel
Gongalvcs da Silva.
1 caixa livros ; a Joaquim Baptisla Moreira.
55 pecas em ouro ; ao barflo de Itamaraca.
Avisos muriinios.
-- Para Gotinguiba segu fiagem nestes dias, a
sumaca Flor-do-Angelim : para carga e passageiros
trata-se com o mestro Bernardo de Souza, ou com
Luiz Jos.deS Araujo na ra da Cruz, n. 26.
-- Para o Porto sahe com a maior brevidade o
brigue portugnez Ventura- Feli: portera maior
parle do carregamento, prompta recebe carga a
fretc e passageiros, para o que tem cxcellentcs com-
rnodos trata-so com os consignatarios, Alendes &
Tarrozo, na ra da Cruz, n. -54 ou com o capilflo
Zeferino Ventura dos Santos, na praca doCommcr-
cio.
Para o Rio-dc-Janeiro sahe o brigue nacional
Sociedad?, para carga, passageiros e cscravos,- tra-
ta-se com,Jos Francisco Collares, ou com o capitflo
nos trapichas das escadinhas, ou na loja do ferra-
gens da esquina da ra da Cadeia.
--Para oPar, com escala pelo Maranhflo, partir
fiom muila brevidade o lindo brigue-escuna Arct-
l,ina, de constmiceflo brasileira, de primeira via-
gem, forrado c encavilhado de cobre: acha-so com
a maior parte do seu carregamento prompta: para
o rstanlo trala-se com o consignatario, Firmino
Jos Flix da Roza, ra do Trapiche, n. 44, ou com
o capitflo, Antonio Silveira Alacil Jnior. Advcrte-
so que o assucar que segu em direilura para o pri-
meiro porto tem a seu favor 166 rs. por arroba de
dircito provincial, que paga no Maranhflo/
Venfle-se a linda e muito velelra escuna ame-
ricana John de lote 111 toneladas, forrada e enca-r
vilhada de cobre c prompta para qualquer viagem-
a tratar com llenry Forster. & Companhia, na ra
do Trapiche n. 28.
Telve, :i* igroja do Collegio, domingo, L2 do cor-
rente, al o dia 14, das9 horas damanhflaas2, o
das 3 as 6 da tarde. O-prfessor convida as possoas
gradas desta. j>rovinca a virem visitar esta expo-
siQflo para avaliarem o adiantamentb das bellas-
artes nesta provincia.
Ocoronel Alanoel Cavalcanti de Albuquerquo
Afollo va i ao serlo tratar de sua sade, o fica a sua
casa entregue a sou filho Manoel Joaquim do Rogo
e Albuquerquo : quem sejulgar seu crodor por lat-
irs, ou por cnlasdelivro, deve-as apresentar at
o da 18 do crrente, no sou engenho Giqui, para
serem pagas, visto que nflo julga dever A pessoa
alguma. O mesmo son lillio fica incumbido de to-
das as suas causas, tanto civois como crimos ,
munido de procUFacflo bastante para este lim.
Ocoronel Alanoel Cavalcanti de Albuquerquo Mello,
tendo de se retirar para osertflo nestes 15 dias, faz
sciente aos seus foreiros de Giqui a Peres, que a
r-31 do corrente se venrem seus foros, quo at o dia
6 de Janeiro de 1848 os irflo pagar a seu filho Ma-
noel Joaquim do Reg e Albuquerque, que fica cn-
carregado da gerencia de sua casa, o o que al o di-
to din nflo fdr pagar, ser chamado ao foro para pa-
gar, para o que fica o mesmo munido de poderes
para este lim.
Desappareceu.no dia 7 do corrente mez, um pe-
queo de dado do 7 antios, por nome Jos, molati-
nho, com cafiellos corridos, p no chao, camisa de
madapolflo com collarinbo cahido com peito de
pregas, e 1 len<;o branco : por isso s rogu a pes-
soa que o achar, dirija-sea praca da Independencia,
loja do livros, us. 6 e 8.
Precua-se de um monino para caixeiro de ven-
da : naruaDircita, n. 114.
Precisa-sede um caixeiro portuguoz para en-
caixamcnlo de um engenho distanto desta praca 10
legoas .no largo doLivramonto, n. 20.
Perdcu-so um lenQO branco, lovando dentro 1
caiga do panno j usada. duas ditas novas ,'uma di-
ta de chita preta urna dilado princeza, duas jaque-
tas um bonete duas cilhas novas, uns sapatos de
brim ,19cqvadosdocilita preta, o uns papis do
pouca importancia : quem ditos objectos achar
queira levar na ra do Crespo, Ipja n. 4. de Joa-
quim da Silva .Castro, que receber 10,000 rs. do
gratificaeflo.
Segunda-fcira, 13 do corrente, se hflo do arre-
matar 3 escravos do casal do finado Jos Alanoel
riusa a reqerimento do inventarame e a bene-
ficio dosorphflos ,na porla do Sr. doutor juiz do
orphflos ,.as,horas do costumo.
Joflo da Gunha Res promette usar dos meos
que a lei lhe Taculta caso o Sr. Jos Gomes da'Si Iva
Portla flo resgalo ft' casa que lhe esta hypolheca-
da enja hypotheca findou no primeiro do corren-
te. O mosmo so ver obrigadoa obrar com aquel-
lesque ha muito lhe devem.
O aoulor cm medicina Manoel Adriano da h
Silva Pontos, contina a rosidir iia ra larga |
% do Rozado, u. 30, sgundo andar onde po- *
3j de sor procurado qualquer hora : tambem 3*
:; trata homoepathicamenle aquellos que qui- |
f zerem experimentar este methodo de curali-
f vo e rcccilar gratuitamente das 6 as 8 ho-
| ras da manhfla e das 3 as 5 da tarde, aos
pobres, que tambem terflo os remedios gratis
Avisos diversos
ATTENCAO' !
O Uiosouroiro da festa de Vossa Senhora do Roza-
no, erecta no nicho da ra das Cruzcs, participa s
pessoas a quem se dirigi pedindo sua coadjuvaeflo
para a mesma Testa, que por motivos imprevistos
deixa ella, de Tazer-se esto anuo ; polo quo Ibes ro-
ga quoiram considerar de uonlium efloito as cartas
( e esmoia que em seu nome Ihos Toram enderega-
ATTE.NCAO !
O abaixo assignado. morador as Cinco-Pontas n
4, nflo obstante Tazero seu ajuste a' retro Techado
------- as pes
so.is que tiverem objectos em seu poder, scia qual
Tr o Irato e qualidade do objeclo, liajain do o res-
gatar no prazo de 8 .lias, cunlados da dala deste
Diario, c na falta o abaixo assignado passa a ven-
do-Ios para seu pagamento, o isto muito constrar-
gido, porque so os pdd vender por menos do seu
valor o sem fcilio. e desta forma mais servem para
seus dorios do que para o abaixo assignado; mas
pelo presente faz publico para sua rcaalv.
ManoelJoaquim Pinto Machado Guimuris
l.xposicflo publica dos irabalhos de desunhos e
pintura dos discpulos do Joaquim Lopes Gabral e
M fornecidos pelo boticario.
Noyaes & Companhia rcmettem para o .Rio-de -
Janeiro o seu escravo do nomo Fernando.
Alugam-se boas bichas, tanto em tatuando
como em qualidade, viudas prximamente de Ifam-
burgo : tambem so vendern cm poreflo o a retalho :
ludo por preco commodo : na ra larga do Rozario,
n. 52, venda da esquina confronte a igreja.
Ainda ha para so alugar urna das melhores ca-
sas no sitio do Cajucro por ser grande, e.quc ser-
vo para duas familias passarem a Testa, e at so po-
do dividir unta da outra por ter duas cozinhas : a
tralar no-mesflio sitio.
Aladama Potla participa as pessoas que a tem
honradoromsua protcccAo noseu negocio de mo-
d 8S francezas que rila se mudou da ra do Aragflo
para oAlorto-da-Boa-Vista b. i, primeiro andar.
Liiigi iMassa
nflo pode dar o seu beneficio no dia annunciado ,
16 do corrente, por ler adoecido a Senhora D. M.
Depcrini e por isso roga as pessoas quo se digna-
ram receber bilhetes de camarotes de relevar esta
Talla involuntaria : dentro em breveannunciar o
dia em que lera lugar o dilo seu beneficio.
Parase responder satisfactoriamenteporgun-
ta inserta no Diario de Pernambuco do 9 do corrente
se faz mister que o seu autor, desombucando-so!
mostre-sc habilitado, como irmflo da irmandado do
Sanlissimo Sacramento do S. Antonio, para receber
a resposta sobre o lancamcnlo da corita das velas
que se recebem nos enlerros, com prohibieflo dos es-
tatutos, pois que. s aos rmSos da casa o seus bom-
fetores cumpre responder sobre exigencias seme-
ntantes, e nflo a qualquer que nflo estoja nesta caso.
Portento, d-se o annunciante a conhecor, quo so
Iho responder em forma.
Pelo juizo do civcl desta cidade, se ha de arre-
matar urna morada de casa de sobrado do quatro an-
daros n. sita na ra do Crespo ; e outra de.um an-
dar csolflo, na ra do Collegio, n. por oxocueflo
de Jos Baplista Riboiro do Faria e lenlo Jos da
Silva Alaga I hiles, contra os hcnlciros do fallecido
Antonio Baptisla Rtbeiro de Faria.
O actual esciivflo da mesa regedora da irman-
dado de Nossa Senhora da Soledado do bairro da Boa-
Vista, por ordem da mesma mesa, convida a todo
os irmflos liajam de comparecer no consistorio da
igreja da Mesma Senhora, no domingo, 12 do cor-
rente, pelas 9 horas da manhfla, afim de, em mesa
gc/al, se proceder eleicflo da nova mesa quo tem
de servir no anno prximo de 1848; o espera quo
nflo liajam do Tallar a essa reuniflo, a que sao lodos
obrigados. -
que anniincioii querer alugar um
-do-l'cha, sendo queira um ou so
comnioda grande Tamilia, a qual fica
largetri do rio, dirija-se a ra Nova ,
n. 67.
Precisa-sede urna mulherj do assenlo quo
saiba mui bem guisare pie|iarsr todas as sortes do
massaso bolinhos. para daqui e 10 legoas em um
engenho pastara festa ou o periodo de um mez ,
para o lim do nflo s excrcer a aria haliilidade, co-
mo tambem f.izer que una ou duas mulatas j prin-
cipiadas consigan a perfeicflo do taes guisados e
oconbecimenlo de taes sortes de massas : quem
esliver nestas circumslancias dirija-sc al odia
9 do correle, a ra da Conceicflo da, Boa-Vista ,
casa defronto da igreja do Rozario.


-^ -,
LOTERA
1)0
Hospital Pedro
Em consequoncia da extracto que tom havdo
Vamos as pechinchas do novo
harateiro antes que se aca-
bpm.
0 novo barateiro est torrando por todo o dinhei-
ro na sua nova loja de miudezas da rua do Queinia-
na venda ilos hilhetos da prhneira (uinla parlo da I'', n. 16, Jinlin.s brancas muito fortes, oni carro-
lotcria a beneficio do hospital ,de l'odro II, tero o I teis dopobranco a 40 rs. cada carrelel de 100'va-
thesourcro marcado o dia 30 de dezembro, para.o ras de linha ;-agulhas francezas muito finas, a 280
andamento das respectivas rodas s espera que as
pessoas a qqem o senlimentn iln conimiserafflo pa-
ra com a humanidade desvalida forma o ohjecto quo
miisoccupaoseu goneroso coracilo hajam de con-L'oquo de ferrugem a 160 rs. cada urna ; filas lisas
correr para que se realise nquelle dia o seu impre-
terivel andamento.
Anda est para so alugar a casa terrea de n".
29, sita no lugar dqMangulnho, milito propria pa-
ra se passar a fusta, .por ser b.nianle fresca, ter
mutos cninmnilos, quintal o cacimba, c. porto de
embarque: a tratar com Manool Pereira Tcixeira,
mora lor prximo aquelle niesmo lugar, ou na ra
Nova, loja de ferragens de Teixcira & Andrade.
Aluga-seo terceiro andar da casa da ra do
Queimado, n. 8 : a tratar na loja do dito sobrado.
Aliiga-ise urna casa com muitos commodos e
muito frosc no melhor local do Poco-da-Panella :
a tratar na ra do Queimado |oj n. 8.
Jos HyginodeSouza Pcixc faz saber os her-
deirosdo rallecido A. J. M. quo Iho mandem pa-
gar, no prazo de 6 dias a quantia de 72,480 rs.,
importancia das receilas aviadas nn botica do an-
nunciante para a casa laqucllo fallecido ; pois j
nio pdeomesmo nnnbnciaute com tanta manga-
c8odeumdos herderosde nome J. M. de J. M. o
no caso 3o nio sersatsfoito no prazo acuna, se-
r por este Diario publicado o nome por extenso do
fallecido e do tal herdeiro.
Precisa-se alugar unta cscrava para o servico
de urna casa : na ra do Hurtas, n. 16, primeiro
andar.
Precisa-se de um caixoiro para urna padaria ,
o qual entenda de oscripluraco d fiador a sua
conducta: na ra Direita venda n. 4, so dir quem
precisa.
Arrenda-se urna casa terrea na ra Bolla, n. 25,
por preco muito rasoavel o com commodos snifl-
cientos para grande familia ; a caca acha-so em
perfeito estado o asseio : a tratar no caes do Macha-
do armazem da illuminaclo publica ou na ra do
Hospicio, Sobrado II. 21.
Procisa-so de urna ama para cozinhar em urna
casa de homem solteiro: ni ra estreita do. Roza-
rio n. 45.
Deseja-se fallar com o Sr. Antonio Joaquim Pa-
ebecbo basto, a negocio de sen interesse : na ra do
Crespo loja de Joaquim da Silva Castro.
Aluga-se, pelo*lempo de fosta urna casa- no
lugar da Torre a margem do Capibaribe, pelo pro-
co de 30,000 rs. : a tratar no l'asscio-Publico, loja
n. 13.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da rua
Queimado, n. 2* : a tratar na loja do mesmo so-
brado.
. Prccisa-sedo um trabalbador de ninssoira, que
entenda do servico ; na rua da Senzalla-Vclha, n.
98.
Fugio, na noite do dia 28 do novembro do cr-
ranle anno, um scravo do nomo Rufino, nacSo.Con-
go, do idade 40 annos: lvou caiga do estopa, camisa
de algodilo azul; tem estatura alta, corpo medio, cor
fula, olhos grandes, nariz e bocea regulares; be bar-
bado; tem urna perna cambada, e um braco malhado
de branco.docotovello at a milo ; quem o pegar
leve-o a rua da Srnzalla-Vellia, n. 98, que ser ge-
nerosamente gratificado.
Precisa-se do urna' ama para tratar de un mo-
go solteiro que est (lenle: na rua do Vigario, n.
33, segundo andar. Na mesma casa vende-se um pre-
to, de bonita figura, com idade de viutoe um a vinte
e dous anuos,sem vicio algum, o que se afianca ao
comprador.
*- O Sr. que osla devendo tres mezes e meio d a-
luguel de umn casa da rua do AragOo, queira decla-
rar sua morada para se ieceber o dito aluguel; vis-
to que nlo he possivel encontra-lo.
Precisa-se de um rapaz de 10 a 12 annos, dcstes
chegados iiltitnameiilo, e quede fijador a sua con-
ducta : na rua do Amorim, venda n. 17.
Perdeu-se, na praea da lloa-Vista una gar-
gantilla d urnas pedras verdes mescladasdo pardo,
denominadas viclornas na tarde to dia 2 do cor-
rente. Qiiem a achou o liver consciencia para se
no Picar com o alheio ou n quem llie for offere-
rida por venda tenba a hondada de dirigir-so a
mesma prc,a da Roa-Vista a casa do Juflo Xavier
Carnciroda Cuhha aondeser bem recompensado.
Aluga-se urna grande casa tenca na rua Im-
perial com 2 salas 7qnarlos,* cozinlia foro, quin-
tal murado o cacimba : a tratar na rua de S. Con-
calo, sobrado n. 29.
rs. cadacaixinha ; rctroz do todas as coros, a 120
rs. a oitava ; bengalas modernos para passeio, a
320 rs. cada urna ; ricas tesouras muito finas, com
Vende-se um lindo mulatinho do 12 annos, com
bons principios de sapateiro : vende-se por so ter
recebido em pagamento : na rua larga do Itozario,
loja do miudozas n. 35.
avradas do todas as larguras o cores ; caixas de
vidro.para guardar joias;leques de seda com plu-
mas ditos do pennaslamhoin com plumas; bicos
de lindo do todas as larguras, do que as amostras
so aciam sempre prumptas para qualquer pessoa ;
fitas de velludo de todas as larguras o cores ; e ou-'
tras muitas miudezas de luxo proprias para as se-
nhorasdobom' tom pernainbucano. A ellas, antes
que se acaben).
Novo trem de co/inha.
He chegado a loja de fe 1-ragens de
Jos Luiz Pereira, na rua Nova, n. 16,
um novo sorlimenlo de panoli s, chilei-
ras, cassarolas e frigidenas de. ferro.
loriadas de porcelhna. Os Srs. que tecm
feito encommendus queiinni apparecer
com tempo.
Vcnde-se urna cscrava crioula, quo cozinhn, co-
so engomma e faz lavarinto: na Capunga, venda de
Manocl Alves da Silva Costa C.uimarlos.
Vende-so um cavallo novo o gordo bom mar-
chador, muito esquipador proprio para so ter po-
la festa por nio ter achaques e ser de.linda cor ;
bem como 6 formidavois quarts : tudo por pre<
50 rasoavel: na rua da S.-Cruz n. 70, confronte a
riboirada Boa-Vista..'
Vendem-se dous escravos sendo um bom mo-
leque cozinheiroc copciro o o oulro sapateiro e
bolioiro : esto vendo-se para fra da provincia: a
tratar no sitio do Cajuciro ou na loja do Sr. Guer-
ra na rua Nova.
SAL.
Vende-se sal muito alvo e grosso, a bordo : a tra-
ta r no armazem de Jos Antonio de Araujo, no bec-
co de.Manocl-Luiz-Goncalvos.
Vende-se urna porco do caixilhos envidracados,
proprios pira armacto do loja, eem muito bom es-
tado : na rua do Livramento, loja do tazn las, n. 34.
Vende-se ou troca-so o sobrado de 2 andares
da.rua do Amorim, n. 14, por casas terreas no bair-
ro da Roa-Vista : quom pretender dirija-seao pateo
da Santa-Cruz, n. 14, que achara com quem tra-
tar.
Vendem-se, por precisilo, duas negras, sendo
urna do 20 annos; que cozinba. lava e engomma li-
so, eoutra de 30 aitnos, quo sabe'cozinhar o dia-
rlo e vende miudezas ou outra qualquer venda,
ambas de muito boa figura; um molci]ue de II a
12 auno, que entende bem do urna casa, u cozinba
o diario: todos estos sem o menor defeilo e muito
sodios, dosquaesse olanla a conducta : no palco
da Santa-Cruz, n. 14, se dir quem vendo.
Lotera do Rio-de-Janeiro.
8.
so
vel
Sorvele.
Na rua da Aurora, junto loja dfe louca, baver
rvetocom todo o asseio e perfeicoo que for possi-
-f Aluga-se para senssar pa festo a casa do sitio
Cajuciro-, sen.lo o piinieira na entrada' do portflo :
a tratar na rua da Cadeia de S.-Antonio n. -19.
Compras.
"liL':,.|.|j-. .;
COMPRAM-SF. CAVALLOS
para remonta la cnmpanbia dd cavallaria de pri-
meira linba : (|ueni os livor conduza-os a rua Bel-
la, sobrado 11. 14 quartel do residencia do capito
commandanle Ja mesma conipanbia alim de serum
comprados a dinheiro a vita estando as cir-
cunstancias de servir.
Comp.ra-se um cachorro que seja.bom para
guardar casa: no Atcrro-da-Boa-Visla loja de fa-
zendas, n. 24.
Compra-so urna venda quo lonha algum coiri-
modo para so morar e que o seu aluguel no ex-
ceda de 9/a lo/rs. mensoes.
Compra-se un yenda com poucos fundos liem
afieguezada, e quo soja em bom lugar de S.-Anto-
nio, ou Recife : quem tiver annuncic.

Vendas.
Hoje as 9 horas do dia, estar a venda na pra-
ea da Independencia unbom cavallo de sella, c
um qunrto.
Vcudem-so volantes pretos e volas de cera do
Kio-dc-Janeiro : na rua estrella do Itozario n. 3
lOj^Jecerieiro e armador de Antonio Valeutim.
Na rua de Agoas-Vcrdcs,
n46,
vende-se um cscravo do bonita figura muito pro-
prio para feitor de cngonbo, por ter excel lente
conducta o qual he ptimo carreiro, bom sangra-
dor e inestre do assucar; 3 moloques de 16 a 20
annos; 2 escravos para todo o servico por 800^
rs.; umdito muito fiel sem vicios, por 380,000
rs.; um dito por 160,000 rs ; umdito bom carli-
na; 3 cscravas o urna linda molcquinha.
SAI.SA-PARRILIIA DE SANOS.
Este exccllorile remedio cura todas as eufermi-
dades, as quaes silo originadas pela impureza do
sanguc, ou do systcma ; & saber :
Escrfulas, rheumalismo erupefles cutneas,
brebuthas ncara, hcmorrhoides, doengas chroni-
cas, brehulbas, bertoeija, tinha, inchacOes, dores
nos ossos.e jnntas, olear, doeucas vonereas, citica,
onfennidaifes que atacam pelo grande uso do mer-
curio, hidropesa expostos a urna vida extrava-
gante Assim como chronicas desordena da cons-
tiluicilo serflo curadas por esta tilo til appro-
vada medicina.
O extracto seguinte he do urna carta recebida do
Sr. Maco pois sua mulher foi atacada do escrfu-
las no nariz, das quaes os.mclhores doutores em
Franca a nilo pdenlo tratar.
I Heniles, departamento de lile e Vilain.
i Franca, julho 17 de 1844.
Si. Saitdi. A salsa-parrilba mandada por Vm.
foi recebida coma maior sotisfar,no possivel, ininlia
miillier a loniou, e i.'in pouco lempo so achou me-
lhor; pelos grandes beneficios quo receben desla
medicina, a considera como urna das melbores me-
dicinas do mundo para laes doengas pois doii-
tores de alta sabedoria nunca o poderam tratar. Mi-
nha inulhor a contina a lomar, al se adiar i ri-
te i ra morito boa. Por favor nos queira obsequiar com
algumas garrofas o mais depressa possivel. Sr. ,
nos [eremos o gosto de fazer conhocera sua medi-
cina ntreos nossos amigos,. assiin como entre o
povo : sem duvida ser usada aqu, bem como em
todo o mundo como eflicaz medicina para alliviar
e tratar o corpo humano.Tenho a honra de ser o
mais atiento venerador.
J. Mace.
N. 1, ru Louis Philippe.
(l.cgaQflo dos Estados-Unidos,
Berln, Prussia, abril 8 do 1846.
Sr$. A. B.& D. Sandf. Srs., tendo-se a sua sal-
sa-parrilha usado ncsla cidado. com grandeeffoito,
em casos mu severos de escrfulas me pedem tres
duzias do garrafas da sua medicina as quaes as es-
pero sem falta que para isso remotto o pagamen-
to. Espero que Vms liquem do toda a ccrtqza que
a cumposic.ilo de salsa-parrlba he urna das inelini-
res medicinas do inundo, assiin como.se vai in-
troduzindo inuito entre opovo Sou o mais altonto.
ThcodoreS. l'ay.
Preparada e vendida por junto c a retalh as-
sim corno se exporta por A. B. Y I). Sands, chimi-
cos e droguistas, n. 100, l'ullon-Street, esquina do
William, New-York.
Vende-se na botica do agento, Vicente Jos de
Brito na rua da Cadeia-Velba, n. 61..
Vendcm-se 4 vaccasde lete por preco mui-
to inferior pelo dono querer retirar-se o tambem
nilo ler pasto para ellas : 110 sitio confronte a igreja
dos A(liicios de inaiihoa al as 8 horas e das 4 da
tardo em diantc.
Vendem-se, ou trocam-se. por escravos duas
casas terreas, urna no lugar da Capunga e a outra
no bairro da lloa-Vista : quem as pretender annun-
cic.
Vende-se urna inorada de caso no. bairro do
S'-Ailtonio livree desembarazado : a tratar no pa-
teo de ti. S. do Terco sobrado de um andar, n. II.
ti mesma casa precisa-se alugar um primeiro an-
dar, no bairro de S.-Antonio, que tenba quintal e
cacimba,cujo aluguel nilo exceda de 12,000 rs. men-
sa es.
Vende-se urna preta moca com urna cria niu-
lalinlin do 3 annos ou sem ella : a preta cozinba ,
lava de varrella osablo e que vendo na rua : na
rua da Madre-dc-lieos, n. 36, primeiro andar.
Vende-se, por precisilo, um moleque ei ionio,
de 7 para 8 anuos : na rua da Guia, casa que tem
padaria.
HOBILIA.
Vonde-so urna porcHo de trastos novos e quasi no-
vos ; loucaso crystaos ; uina mulatiuha le 4 annos;
um moleqe de 7 annos ; caixas com vinho de Bor-
deaux Colares Lisboa, Porto e Madoira : tambem
algiimascaixas do cora do Rio-de-JDneiro : todo
muito barato em virtude do'retirada: para ver o
tratar na rua da Senzalla-Velha, n. 11,0.
Vendem-se enfeiles de Croco de d-
versis cores para canecas de scnlioras :
na loj 1 de Maya liamos S C, rua Nova,
11. G.
Vende-so um negro perito ofilcial de sapateiro,
de idado do 20 amos, e urna negra cozinheira, cos-
turera, lavadeira e engommadeira, de idade de 22
annos pouco mais ou menos : na rua eslroita do Ro-
zarlo, n. 43, se nn lo andar.
Na nova loja da rua da Cadeia
do iecife n. 52, de Claudi-
110 Salvador Pereira Braga,
venden)-so bellos e riquissimos cortes do princesi-
na a 7,000 rs. ; assciadoso galantes corles de cam-
hraia dn seda bordada a 14,000 rs. ; camhraias de
cores, de delicados padres a 560 o 640 rs a vara ;
preciosas mantas de seda para seuhora, a 13,000 rs ;
lindissiinas luvas de pellica enfeiladas com tranca
e boletas de seda, n 3,200 rs. o par ; dolicodissi-
mos chapeos de sol, le soda do todas as cores pa-
ra senhora, a 4,500 rs.
Vende-se sal do Ass a bordo do brigue fe/is :
a tratar com oproprietario, Firmino J. F. do Roza,
rua do Trapiche, n. 44,
Ycndu-ae, paraengenboou oulro qualquer ser-
vico, um negro de nacHo, de 20 a 24 anuos, sodio e
forte : na rua da Sonza I la-Nova, n. 4.
Loja de 6 portas.
lio s na loja do 6 portas da esquina do l.ivra-
mento que ha vestidos do eamhraia com bico e
ronda, a 4,000 rs.
\a rua dos Tanoeiros, n. 5,
vendem-sc dous escravos de 20 a 28 annos, proprios
para todo o servido, e duas oscravas le 22 a 28 an-
nos, quecosom cbilo eenlondem solTri vel mente de
cozinba, lavam e fazom toda a qualidode do bi-
cos orondas. Vondcin-so por commodo preco, por
ser para um pagamento.
-- Vendem-se diversos escra-
vos mogo ede boas figuras, clie-
gados prximamente do Cear ,
sendo negras, mulatas coslurei-
ras, bvadeiraS e cozinheiras; mu-
alos, negros e moieques, proprios
de tudo o servigo : na rua do
Crespo, loja, u. 2 A, se dir quem
vende.
Vcnde-se a melhor venda da rua Imperial, n.
145, por seu dono ter de ir a Portugal: o compra-
prador tom a armacio da dita venda o seu favor,
por ser do proprielario.
No armazem do Braguez, na rua do Cadeia, ven-
dom-se barricas com superior farelodc l.isba, e di-
las com noz.es por commodo preco.
Vende-se a bom conhecida e superior cham-
paubo da marca cometa*; vinho da Madeira engar-
Vendem-se l-ilhetes e meios ditos da
lotera a beneficio da constru-cao e
reparo das mati*izes : na rua di Cadeia,
loja de cambto,n. 38, d Manocl Gomes.
Vende-se nina parda muito moca sadia e do
boa figura que engomma lava, cose, faz renda e
doces por preco commodo : na rua do Rangel, so-
brado n. 26, primeiro andar.
--Vende-se urna casa terrea feita a moderna, oque
tem mais 7 moias-agoas indepondontcs da mesma,
que para rendimento, no lu melhor cousa, sita
na rua da Florentino : quem a pretender dirija-so a
rua do Collcgio armazem, n. 19.
Vende-so a bordo do horgantim Indeptndtnte,
Tundeado defronte da alfandega.sebo cin i ama e car-
ne superior, por preco commodo: a fallar com Ma-
nocl Alvos Guerra.
Vende-se o magnifico predio sito ira rua do
Amorim prximo a alfandoga grando o qual he
quasi novo, construido com-forti tifo o esmero a
moderna com varandas de ferro de qualro anda-
res formando o quinto un) mirante muito elegan-
te cuja maravilhosa o arrebatadora vista abran-
ge o mar alto esla cidado, e os campos adjacen-
tes recortados pelos t;*o justamente decantados rios
Capibaribe e Beheribo ; foi o em queirorou James
Croblree e he mu proprio para qualquer cstabe-
Iceimento do commercio; a dinheiro de contado
pelo queso ajuslar no lodo, ou em parte, e em
parto a prazo : os prctendenles dirijam-se ao cor-
rctorliveira.
Vende-se urna bonita banca de meio de sala ,
anda nova toda deangico o de gosto moderno;
urna cadora d balanco. tambem nova ; urna mar-
queza ; um lavatorio ; 6 cadeiras do palhinha or-
dinaria : tudo so vendo por muito commodo preco,
por seu dono se retirar : na rua Nova, n. 28.
Vende-se um relogio, patente l.ondon hori-
zontal de hu o muito bom regulador ; bem como
um trancelim francez de ouro de le para o dito :
ludo'por horatissimo pre^o : na Magdalena, sitio do
tallecido i-uiz Francisco, ou annuncie.
Vendem-se dez escravos, a saber : qualro pro-
tos milito mocos, bons para todo o servico, dous dos
quaes sao milito habis c espertos ; um mulatinho de
9 annos, muito lindo e esperto ; duas mulalinhas re-
colhidas, quo engommam o fazem o mais arraivjo de
casa, urna das quaes cose muito bom, marca, faz la-
varinto e he muito esperta; Ires prctas, que cozi-
nliain, engommam, lavanironpa do sabio o varrella
e vendcn na rua todos estes escravos sem defei-
tose por prego rasoavel : na rua do Vigario, n. 24,
so dir quom vendo.
PARA A FESTA.
No escriptorio de Frederico Robilliard, rua do
Trapiche-Novo, n. 18, vcnde-se a relalho, em barri-
cas de 3 duzias, o muilo afamada cerveja preta, em
botijas, o mais superior que aqu lem viudo. No mes-
ma casa cima, vende-se moda de cobre por preco
commodo.
Vendem-so 6 escravos, sendo: 2 molecoles do
15 a 20 annos de bonitas figuras ; urna linda par-
ta do 18 anuos que engomma, e cose cbilo ; urna
crioula de 26 annos quo engomma cose, cozinha
c la va de sabo ; duas ditas de naeio de 40 anuos,
que coziiibam lavam de sabloe silo ptimas qui-
tainleiras : na rua das Cruzes u. 22, segundo an-
dar.
libras cada urna ; bom papel de copiar em machina:
tudo chegado rccenteuienle a esta pra;a : na rua
do Vigario, n. 4, armazem de Ituthe & Ridoulac.
Vende-se urna preta do 24 anuos, a qual be p-
tima engommadeira,cozinheira, costureira ede ex-
cellenlc conducta : na rua estreita do Itozario, n.
31, primeiro andar.
Vendem-se duas molocotas, do bonitas figuras,
de i Jado-de 12 annos cada urna, pouco mos ou me-
nos, por prego commodo : na rua da Cadeia-Velba,
casa n. 33, se dir quem vende.
Loja de 6 portas.
He s na loja de 6 portas da esquino do I ivra-
meiilo.queba vestidos de cambraia com.bico e
renda, a 4,000 rs.
Pcchincha para niesepc.
Na esquina do Livramento, loja de 6 portas, ven-
dem-se boas pechinchas para presepes, como se-
jam : ricos vestidos bordados a ouro a 2,000 rs. ;
fa/enda da mesma qualidade com 5 palmos de lar-
gura a 240 rs. o covado ; velludo encarnado, a
400 rs. o covado ; madapolflo de" nova invencilo a
100 rs. a vara ; e oulras militas cousas exquisitas ,
proprias para as bellas paslorinbas.
Vendem-sc, no armazem de Dias Ferreira ,
junto as escadinhas da aLfaudega es seguintes g-
neros por commodo preco e de superior qualida-
de ; caixas com passas, ditas com ameixas, ditas
com.figos, potes de uvas, ancoretas com azeito-
uas de Elvas barricas com sardinhas ; ditas peque-
as com ditas c batatas a 1,000 rs. a arroba.
.Va casa de. ntidas francozas
de II. Uilloehau,
no Aterro-da-lloa-Visla, n. 1, primeiro andar, do la-
do do chafariz, vondem-so chapos do palha da Ita-
lia, muilo fina e alva, ditos de dita iberia, ditos do
dito de arroz e outras, para scnlioras; chapeos re-
dondos, proprios paro garantir do sol; ditos de pa-
lha lino da Italia, paro meninas ; ditos de dita o bo-
lles, para meninos i chapeos de sedo o crep, para
senhoras ; litas c llores muito ricas, decores e qua-
lidades, para onfciles de vestidos e chapeos; fitas
estreitas, para toncas de meninos ; cinturas e gra-
va ti nlias de filas superiores, para senhoras; colla-
rinhos e cauizinhos bordadas ; camhraias lisas e
bordados l'rancozas, muito alvas o finas, para vest-.
dos ;-ci les bordados ; bicos largos e eslreitos de li-
nhu verdadeirn ; ditos do iroiUQdoj rendas do bi-
cos ; ntremelos bordados; ricos filos do bico, pro-
prios pora mantas e visitas ; toncas para senhoras;
bonetes de montara ; visitas de bico ; creps de co-
res ; bicos pretos verdadeiros; bicos o rendas do
blonde ; filos de seda q de linho, brincos o pretos ;
cassas broncas ; luvas para senhoras e meninas ; len-
cos de m.'io ; trancos prelas ; tarlatanas brancas e de
cores ; chales c mantas de lila de ricas coros ; veos
de motilara ; sodas de todas as cores, para chapeos
de senhoras ; cordes de seda ; trancas cslrcilnhas,
para bnfeilar vestidus de meninas; retroz e linhas
do todas as coros ; botos de passementeria, e mui-
tos ootrosohjeclos de moda, e por muilo barato pre-
50. .Na mesma casa l'azcm-se sempre vestidos do ca-
samento o chapeos de senhora, da ultima moda, o
por preco commodo.
Vende-se, por precisilo una preta de naeio,
sem vicios nein achaques que cozinha'o diario do
una casa e he muito boa quitandeira o lavadoira :
na rua do Arago, n. 9.
Vendem-se toninas e guardunapos
de linlio de lodos os 1..111 uilms, por mui-
lo diminuto preco : na rua do Cabug,
loja de miudezas, n 4.
Vcnde-se bolacha de familia de primeira qua-
lidade o 14 patacas ; dita de segunda qualidade a
8 patacas ; farinha de trigo, propria para chapelei-
ros, a 2,500 rs. a arroba e a 80 rs. a libra : na en-
liga rua dosQuarteis, n. 18.
sss/<\
Manoel da Silva Santos vende barricas
de farinha de trigo da marca SSS, che-
gada no ultimo navio a esle mercado.
Vende-se um preto de naeio, muito robusto,
bom ganhador de rua e do servico do casa o cam-
po do qual entende muilo nilo tem vicios nem
achaques : vende-se para se comprar um moleque,
ou urna negriiiha lamhem se troca no tondo vi-
cios nem achaques : no rua da Concordia passan-
do a ponleziiha a direita segunda casa terrea ,
se dir quem vendo.
Vende-se um escravocanoeiro e oleiro. do 23
annos pouco mais ou monos por preco mdico :
na rua da Cadeia-Velha, u. 17.
MUTILADO


TE

4=
Restam alguns escravos por se ven-
terem, muifo baratos, e lodos de bonita
figura, pois he' para se fecharem as cori-
tas dcslo auno : um lindo negro pega de dade de 20
annos, donadlo, bom canoeiroe cozinheiro ; um
dito de 16 anuos, crioulo, oplimo para um pagcm,
por ser bstanle ligeiro; um dito de idde do 35
anuos, perfeito oflicial de sapateira, esto vende-so
muito emeonta, por ter um pequeo defeito ; um
mulato de idade de 35 anuos, de muito boa condue-
la, bom para tomar conta do um sitio, por 360,000
rs.; dous negros mdito fortes e de bonita figura,
de idade de 22 annos; um dito de nacilo, bom ga-
iihador de ra, o que sabe fazer lodo o servico do
urna casa, por 3*0,000 rs.; um dito por 400,000 rs.,
anda moco; um dito por 200,000 rs.; urna negri-
iihadcidade de 20 anuos, que cose ptimamente,
faz lavarinto, engomma c cozinha ; urna dita de 26
annos, perfeita cozinheira o engommadeira
mulata de ptima conducta, por 45O,O0Ors.
negra por OO.OOO : na ra das l.arangeiras,
segundo andar.
; una
; nina
11. U,
gou noy sorlimento do de 800 rs. a vara e as po-
cas com 18 varas e meia -.anda contina ha ha ver
do de 600 ,rs., o hamburgos finos]: estilo se aca-
bando os guardanapos de linho a 800 rs.
Casimiras elsticas e finas, a
7#000rs.
Vendcm-so superiores casimiras elsticas, finas e
do cores, pelo baratissimo prego da 7,0!)0 rs. o cor-
te de calca. Esta fazenda lio rccommendavcl pela
sua qualidade tanto cm fa/.ona como cm goslos ,
porserem os mais modernos; casimiras prctas ,
superior fazenda por seren muito finas a 2, 3 e
3,500 rs. o covado : na ra do Collegio, loja 11. 1.
-gopounuoo so5ad jod
opni : S3pepi|nnb se sepoi ep sepuozaj op oiueui
-ijjos oiu|dui03 mn'sepuazBj sejsap uiaieofopsA
-od o 'f.i (jjg ap n.V>id oimnq opd' atoi.iadns son
-ue'd epasojnose sbxij swooap 'soorped sopu| ap
' bjba Biun uioi onb e'infljB| nuemp.ioe.nx3 eiis e\
- Vendcm-se 18 escravos, sendo: 8 prelos, al- ~ 'SOJ1suotu *op|niui aop.osu .oaou o w-uiad
..... .1..11.....------__ .. -II.'A
gnus dallos com oflicio de 1* a 25 annos ; 2 par-
dos de 18 annos propriospara pagens ; duas par-
das de 12 a 20 anuos ; com habilidades ; 6 prelasde
12 r 30 anuos, com habilidades: todos protuios
para p|servico de campo c da praca por screm de
Doaconpucta: na ra do Collegio, n.^3, segundo
andar, se dir qiiem vendo
- Vende-so urna duzia de cadeiras de Jacaranda ,
e mel uso o outra duzia e 11 m canap de oleo ,
por preco rom modo na ra da l'cnha, n. 21.
\ 2 ?00u rs.
Vendem-se sacras com bom milho : no caes da
Allandega armazem do Antonio Annes Jacome
A 4^200 Rs.
Na loja de Guimares Serafim &
Cnmpanhia, ra do Cres-
po, n. 5,
vendemse chapeos de sol de se-
da para liomem, pelo barato pre
code 4#200rs cada um.
---Vende-se champanha dn muito superior quali-
rt'ccntementc chegada
dade
II. 38.
na ra da Cruz
saj
i
s
-tupiad ajqos soasme se os-onp
:m?t robo -s.i 009^''^ 3P odajd ojc.i
-t:c| ojatl 'apppp njsau opiaa.icdde
uiaai onh soausiem sojsoS a soojp
-i?d sop cjsa npuazcj 'sam.iadtii!
sessea ap ?3jjoa soou as-uiapnaA
45 *u 'od
-saj^ op en.i 'uiipiiiduio^)
7guiijvj9<^ saR.ictumr) ap efo| c\t
saeuaduii sessea bbaou sy
O**10lM10 lis? %>[0 %\& 10 tl0%{f% a
(.- Vendem-se corles decassa ecambraiade se- &
^ da, a 9,000 c 10,000 rs. ; ditos do novse ri-
$ eos padrOes a 14,000 e 16,000 rs.; chapeos
5t demassa, francezes, da ultima moda; risca-
t& dos francezes para vestidos de senhora ; 110-
JS, vos cortes do cassa-chita ; ooutras militas fa-
$ zondas de goslo, propriaspara o lempo de
*s| festa : ludo por menos preco, do que cm ou-
p Ira qualquei loja : na ra do Qucimado, nos
"sj quatro-canlos loja da casa amarclla, n. 29
(f
<:&ft&teei\0\% && r* &% &% # &]%'.$
Pannos finos.
Vendem-se superiores pannos finos a prova de
linio prelo, 11 3,000, 4,500, 5,500 e 6,500 rs. ; di-
to azul, a 3,000 rs. c muito fino, a 4,500 rs. Ests
pannos silo novos e pela sua baratezn, atlendendo
n sua boa qualidade, loriiam-se recommendaveis.
Ma ra do Collegio, n. 1.
He so na loja. do nicho que
apparccem estas jicchinchas.
Na esquina do l.ivramenlo loja do nicho, ven-
dem-se mantas para senhora a 1,000 e 2,000 rs. ;
setim branco de flores, com duas larguras, a
1,280 rs. o covado ; riscadinhos chinezes, com lis-
tras de seda a 360 rs. o covado ; chales muito gran-
des do parca e seda a 2,000 rs. ; loncos grandes da
nicsnia fazenda a 1,000 rs. ; dilos cscoeczcs de
bonitos goslos a 200 e 320 rs. ; e oulras militas
Pichinchas novas chegadas de proposito para a
festa.
echinchas para a festa.
Vendcm-so bonetes para rao banho a 360 rs. ,
iiHo pode haver mais barato : no Aterro-da-Koa-Vis-
la loja n. 78.
f ao de patente, e smente se
vendem no Aterro-da-Boa-
VLsta, loja 11. 78,
excellentes bonetes do verdadeiro marroquim pre-
lo e cor de ganga de modelo muito engranado ,
obra franceza cu jo gosto pode ser bem avaliado,
vendo-se a fazenda e sSo 13o decentes que poden)
serein usados por qualquer ponagem iiilos de
merm do cores bordados c de cxcel'leiiles goslos.
Na loja nova da ra do Quei-
mado,n. HA, de -: a\mun-
do Carlos Leite vende-se a
1,000 c 1/iOOrs
a vara de um oxcellente panno de linho que che-
gou ltimamente de l'orttugal, cujas necassQ de 21
varas : lambem se vende o retalho; assim com chc-
B|qUBdlUO:) !9 UlIlCJOSSOlJJBlUmQOp Bf0| b.si
soJisiioiu sopeosijj
S*
DEG PORTAS HJ2
. Nesta loja das pechinchas, vondom-so pan-
nos linos, a 2,500, 3,000 3,500 e 4,000 rs. .
e muito (no, prova de limito a 5, 6 o 7,000
rs. ; casimiraade duas larguras a 1,500 o
2,000 rs o covado, c muito superior, a 3,000
c 4,000 rs. ; cortes de setim e do velludo
paracollcte, a 2,000, 2,500e3.000 rs.; man-
tas de setim para honiem, a 2,000 rs.; um
grande sorlimento de madapolfles chitas
e oulras muitas fazendas para a festa por
baratissimo preco, para acabar antes do ba-
lance.
v/aWa'o/aY'av '/Av /av vv 'ntumotaSi'asi'fst'
Na loja nova da ra d Quci-
mado, n. II A, dcKaymuu-
do Carlos Leilc, a <1 400rs. o
covado.
Vendem-se pecas do madapoliTo limpo, com
20 varas a2,500 rs. ;.pecas de chitas escuras mui-
to eiicoppadas fortes e de cores linas a 5,500 rs. ,
ea IfiOrs. a retalho: na ra estrella do llozario,
n. 10, terceiro andar.
Vendcm-se vinlios verdadeiros, de
diversas ipididades, muito mpcrioies, e
bem onliecidos ; lambem ago'ardenle
COgoac c cerveja cmbiriicas e engarra-
faila sendo propria para armazem e
para asn
particular da l'csl-i
tt. 4o.
ni rH c/o
Trapiche,
Vendem-se muito finos bor-
ze^uins para senhora ; sap&tosde
setim branco de como de lus
tro, marroquim c duraque, para
senhora ; ditos de lustro, dura-
que e marroquim, para meninas;
sapales de lustro, para homem;
sapa los de i\ antes, de urna e duas
palas; ditos de 3 solas taxeados:
borzeiiulns, a 3,600 rs.; chinelas
rasas do Porto ; couro de lustro,
a 2,000, 2,500 e 3,000 rs: a pe-
le: na ra da Cadeia do ilecife ,
n. 35, loj i do Moreira.
No Aterr-da-Boa-Vista, lo-
ja n- 78,
vendem-se sapatos de lustro para meninas de 3 a 15
annos; assim como para senhora.
Vendem-se calungas proprios para presepes,
por diminuto preco na ra do Qucimado, n. 16.
AGENCIA DA l'iJNI)ICA0W)i: I.OYV-MOOR.
.\a ra da Senzalla-Nova n. 42, contina a haver
um completo sorlimento de moendas e machinas de
vapor, para engenhos de assucar : bem como tai-
xas de ferro batido e coado de lodos os lmannos:
ludo por preco commodo.
lie Im i ras.
Vendem-se superiores cortes da fazenda nova
Denominada bel mira para vestidos de senhora ,
pelo barato prego de 4,500 e 5,000 rs. o corte. Ksta
fazenda he nova e de muito sublimes goslos, sen-
do as suas cores mu apreciaveis por serem cor de'
lirio, rosa operla. A elles, antes que se acabem.
Na na do Collegio, loja n. 1.
Vendem-se caixas de cha hysson de 13 libras,'
em porcOes, ou a rctallro : na ra da Alfandoga-
Velha n. 36, em casa de Matheus Austin C.
Clieguem que esto se acabando
os sapatdcsde bezerro para homem, a 1,280 rs., o as
bengalinhas para passeio a 320 rs. : no Aterro-da-
Itoa-Vista, loja n. 78.
da China e scu autor he Shan. Por todas as socie-
dades das sciencias medico-cirurgicas tanto da
Europa como da America Asia e Arrica he reco-
nhecido o usodestasnavalhas maravilhosas, niIo_s
para prevenir as molestias cutneas a que a humani-
dad* est subjeita; mas lambem como um'meio de as
curar.
Vendem-se as verdadeirass na loja cima indi-
cada.
Vende-se urna armacid para loja de couro, o
juntamente todos os apparclhos para lenda de sa-,
pateiro ,com muitos poucos fundos, no largo do
l.ivramento n. 41: a tratar na mesma loja.
\o .-* terro-da-Boa- Vista, n.78,
vende-se hauszinhos de pao com lindas pinturas e
que servem para guardar roupa de crianQas e costu-
ra, do 640 a 2,560 rs.; bonetes de velludo para me-
ninos ; sapatos para senhora a 1,000 rs.
Xa ra da Cadeia-i/etha, n.
H9, loja de J. O. Elstqr ,
vende-se vinho do Porto, de diversas qualidades ;
ilito da Madeira ;'dilodo Malaga ; dito de Sherry ;
dito de Carcavellos; dito de Tenerife; dilo do Lis-
boa ; dito do Minino ; dito de graves ; ditoSauter-
ne ; ditodo Bordeaos ; dito Chateaux-la-rosa ; dito
S.-Juliim; dito S.-Ceorge ; ago'ardenle do Franca,
de varias qualidades ; cherry-cordial; marraschi-
no ; licores linos; PTIMA CHAMPANIIA.em garrafas
inleiras emoias ditas; velas de composiSiio ; cha
protoe verdo de superior qualidade ; presuntos e
salames do Hamburgo; sardinhasem latas e vidros;
petits-pnis em latas; mostarda iligleza o france-
za ; vidros com frutas em calda do assucar a espi-
rito ; agoa de flor de laranja ; ClllirtUTOS DE IIA-
VANA EDA BAHA ; ooulros muitos objectos : tudo
reccntcmentc chegado.
PARA A FESTA.
Xa loja nova da ra do Quei-
mado, n. II A, deRaymiin-
do Carlos Leite ,
vondem-so os melliercs chapos do Chili, que tecm
apparecido neste mercado a 16,000 rs. cada um I
tamhem hade 7,000, 8,000 e 9,000 rs.; mantas de
seda a 2,000 4,000, 10,000 e 16,000 rs. cada urna ;
um novo sorlimento de chapeos francezes; meias
pretas e grandes, para padre, a 600 rs. o par ; e um
completo sortimenUr do pannos linos, do todas as
cores por precos commodos.
Va ra do Crespo, loja n. 12,
de Jos Joaqutn da Silva
Mava,
vendem-sc muito lindos chapeos para meninas ,
tanto de sc.la como de paminha chegados ltima-
mente do Paris ; chapeos de seda para senhora ;
cortes de crambraia de seda do ricos gostos por
prego muito commodo; cortes de vostidos de Cam-
braia ecassa-chitasde difTercnlcs qualidades, por
precos baratos; ditos com urna pinta de mofo e
sem elle a 2,000 e 2,500 rs. cada corte; mantas de
seda lila para senhora, das mais modernas que
teem vindo a esta praca a 5,000 rs. cada urna ;
mantas e chales do seda de varias qualidades e ba-
ratos; alpaca preta, a 800 c 1,600 rs, o covado;
panno do linho a 400 rs. a vara; casimiras fra n-
cezas e elsticas, para calcas a 5,000 rs. o corte;
fustOes; setinse velludos para collete, por preco
muito em conta ; bem como um sortimento de ou-
lras muitas fazendas, que se vendem pelo barato.
-> Vendem-se dados de marBm
de olho grande e claros, mnito
bem quartados; ligas de seda pa-
ra senhora : agulheiros de mar
fim, para senhora : na rna da Ca-
deia do Recife, n. 35 loja do
llorcira.
Bichas de Hamburgo.
Vendem-se bichas de Hamburgo,
a 64o rs: a retalho e em porcao ; em
casa de Maooel Jos de S Araujo-, na
ra da Cru*, n. a4.
Escravos Fgidos.
Fugio, da casa doabixo assignado, na Capun-
ga em a madrugada do dia 7 docorrente, o e9cra-
vo Pedro, crioulo ,de20 annos ponco mais ou mo-
nos, de boa estatura e som barba. Foi comprado ao
Snr. Augusto Theodoro von Mein ; he haslanto
conhecido no matto, por ter ser*i pagcm as suas viagous para Sorinliflem. Roga-so
a todas as autoridadese capititcs de campo,que o ap-
prchendam c lovem-no a ra do Vigario n. 4, que
serflo gratificados.' Em. Mdnulao.
Fugio o escravo Ceraldo crioulo, de vinto e
tantos annos, de altura regular, robusto, 1111 pon-
en barba esuissas; falta-lho dousdontos ; levou um
brinco na orclha ; d lisadasno fallar; lovou urna
caixa de folha pintada'com roupa do riscado azul
americano e outra do badta. o cobertura de 19a ,
alguma do outro criado o um chapeo do palha pin-
tado de preto. Desapparecou tamhem um cachorro
grande, de Cor preta, cabellos compridos, dostes de
Terra-Nova ,d'agoa, quesejulga ter o dito proto
furtado. Ecomo nilo so sabe o motivo desta fu-
ga julga-sc ter sido sed ir/ido por alguem e quo
esteja oceulto, ou se suppOe que tenha ido para al-
gum engonho do sul por ser dahi natural. Quemo
pegar leve-o a estrada do Joo-do-Barros sitio Lo-
bato ou na ra do Trapiche, n. 40, que sor re-
compensado.'
Fugio, no noite do5 do corrento, de bordo do
brigueS.-/ara-floa-.Sorfc, o escravo marinheiro ,
de nome Joaquim do naco que parece crioulo,
de bonita figura, bom fallante, estatura alta bar-
bado conisuissas por baixo doquoixo ; representa
30 annos pouco mais ou menos; consta andar pe-
los arrebaldasdesta ciliado. Roga-se a acaptura do
mesmo cerlificando-se quequem o levara bordo
do'dito briguo ou a Amorim Irmlos recebera boa
gratiOcacflo.
Fugio de bordo do brigue Con/tarifa, no noito
de 30 de novembro passado, o escravo marinheiro
de nomo Jos, de nacilo GabRo; representa 30 c tan-
tos annos; de estatura baixo; sem barba: levou
calen de brim, camisa de algodn e barrete, assim
mais urna calca do Casimira amarellada, camisa do
chita e uns sapatos. O dito escravo sabe todos os lu-
gares da provincia, e assim como os de fra della,
ej foge por habito, vislo que no anno prxi-
mo passado lambem fugio do bordo do brigue Afea-
ror, e foi capturado para asparles do Porto-Calvo,
sondo se inculcava por forro: elle pertence ao
Sr. Jos Hara de S, negociante no Itio-de-Janeiro.
Roga-se, e pode-sc a todas as pessoas e autorida-
des policiaes a sua captura, certos de que quem o
trousera esta pragaaos abaixoassignados, receber
boa gratificfto.
Amorim Irmos.
Fugio, no dia 5 do crrante a preta Maria Joa-
quina escrava que foi de JosManoel, morador no
Tot, e Filippa do tal, com os signaes seguintes :
alta, magra, cornos olhosna fiordo rosto egrandes,
ja com cabellos blancos ; lem o p esquerdo incita-
do : levou vestido de chita j desbotada e com ba-
ilado por baixo, deoulra qualidade, panno da Cos-
ta ; indava vendendo leite, bananas e melGes Es-
ta preta j osteve fgida em Ierras do engenho Ha-
cug, para onde so suppOo que tornarla. Roga-se as
autoridades policiaes capi tiles do campo .e pessoas
particulares, quo apprehendam-na e. levem-na a
esquinada ra do Rozario, becco do l'eixe-Frito ,
ou na Passagem-do-Arrombado sitio de Francisco
Antonio de CarvalhoSiqueira onde serilo pagos.
Assim como protesta-se llaveros dias de servico ,
e perdas edarjinos de quem a tiver oceulta malicio-
samente.
Fugio, no dia 6 do corrente, um moleque, do
nome Virialo, crioulo, do 12 annos pouco-mais ou
menos; levou camisa do chila e caigas de riscadi-
nho, j velhas ; otem um fstula no queixo : quem
o pegar leve a Capunga casa de Joio Goncalvcs de
Olivcira.
Fugio do Tiriri, junio ao engenho Algodoaes.ha
um mez, o escravo pardo de nome Faustino, dado
32 a 33 annos, levou um ferro ao poscoco, mas he do
suppr queja o tenha tirado ; lem estatura regular,
rosto comprido, faces encovadas, e signal de j ter
sido acolitado ; foi comprado aoSr. Caldillo Jos de
Aguiar, lavrador do engenho Hurnos-Ayres, do cu-
ralo do Rom-Jardim, lermr doJ.imoeiro. Roga-se
a todas as autoridades c Capi liles de campo a appre-
hens3odj dito escravo, edflo-se boas alvicaras a
qgemo levar ao lugar cima dito, a entregara Mi-
guel Carccz Alvos l.iina, ou ncsla praca ao scu se-
nhor, Casparda Silva Froes, na'rua Itella, n. 40.
Dcsappareceu, nodia 10 do corrente. pelas 8
horas da manhila um moleque crioulo, de nomo
Manoel de 10 annos pouco mais ou menos, bem
n feto de corpo, cor alguma cousa fula ; he bstanlo
matriz da Boa-VisU, n. 88, convida a todos- os seus!ilm.|),es Por ser n,,lurl 'o s'ertilo ; oi comprado
fregnezns a comprarein os superiores o novos gene-1 ^ }'r-Jos Antonio mostr regio, morador na ra
ros, por preco o mais commodo possivel, asaber: Pateo d1 Ri,)e'ru ,,esU praca ; evou calcas do
vinho do Porto engarrafado, a 400 rs. ; dtodeLis- Sunga azul camisa de riscado j usada ; conduzia
Potassa,
Vende-sc potassa da Bnssia a
nova que boje existe r\o mercado
ra da Cadeia-Vellia armazem de
tar e Oliveira.
mais
: na
Bul-
Va rm do Trapiche, armazem n,
34, de M. Bei nel, vende-se o
se^uinle :
salame fresco; presuntos de Westphalia ; licores
superfinos e superiores a todos que teem chegado
amigamente; coraco verdadeiro de Hollanda; an-
choyis muito fresco ; absinlho da verdadeira marca
c kirsrhwasser da Suissa ; wermouth; fructas em
ago'ardenle; conservas de petits-poisc sardinhas;
dilas inglezas em vinagre; conservas de lia jes
'schnittbohnen) cm poles muito frescos, chegado
no ultimo navio de Hamburgo ; licor de kirsch cm
meias garrafas brancas de superior qualidade; as-
sim pomo todas as qualidades do vinhos, ago'ar-
ilcntes.-conservas de carne, etc. charutos regalos
do Uavaia; e muitos oulros objectos do superior
qualidade e por prego mais commodo que cm qual-
quer outra parte.
amada CadeiaVelha, n. 29,
loja de J. O. Elster,
vendem-se bilhelese "meios ditos da lotera a bene-
ficio da construcciSo e reparo das matrizesda provin-
cia do Rio-de-Janeiro. Adverle-sc aos amantes da for-
tuna que at o dia 20 do corrente ja pdenlo gozar
do premio que por orle Ibes sahir : o como j res-
tam poucos bilhetes por sso se annunca.
A venda reformada toda do novo defronle da
ac
Admiraveis navalhas de
da China,
IVA RA UARCA DO ROZARIO, N. 35, LOJA 1)0 I.ODY.
Kslas navalhas teem a vantagem de corlar o
cabello sem offender a pelle, dexando a cara paro-
cendo estarna sua brilhante mocidado. Este ac he
boa PRR a 240 rs ; dito ue oulros autores a 200
rs. ; dito branco a 240 rs. ; vinagre, a 100 rs.; cer-
' veja a 480 rs. ; azete doce, a 500 rs.; dilo de co-
co a 400 rs. ; dilo de carrapato a 40 rs.; macar-
ro. alctiiaetalharim, a 300 rs. a libra ; passas a
240 rs ; lgos a 240 rs. ; a incisas a 240 rs.; cha
hysson muito superior a 1,600, 2,150 e 2,300 ry. a
libra ; chouricos, a 480 rs. a libra ; paios ,n 240
rs cada un; maniciga ingleza, a 800 rs.; dita fran-
ceza a 600 rs. ; quejos flamengos a 1,400 rs. ;
sabiio hespanhol, a 240 rs. ; dito inglez, a 140 rs. ;
mizos,-a 160 rs.' ; amendoas, a 240 rs.; espermace-
le ameriacno a 800 rs.; dito francez, a 700 rs. ; bo-
lachinha ingloza, a 210 rs. : em todos estes precos se
rarao abates oompramlo-se porfo mais avultada, o
que tudo sofr com muila prohiptidSoe assciada-
ineule.
um lalioleiro com compras para casa de seu sonhor;
descorilia-so que fosse furtado por nilo ter isto do
costume. Roga-se a todas as autoridades policiaes
e pessoas do povo qucoappratienUara o Iqvein-iiu
a rabrica do charutos, na ra estroita do Rozario,
quo serilo generosamente recompensadas.
Fugio, na noite de 8 do correhlo, um cabra
natural do Pai o qual lem os signaes seguintes :
representa tor30 annos, alto, rosto comprido ca-
bellos pretos e corridos, olhos prelos, nariz gros-
ao.pouca barba ; cosluma andar devagar ; tem a
llla alguma cuusa descansada, liste cicravo chama-
se Manoel, e porlence ao Sr. .Nicolao Antonio Ro-
drigues Chavos do Para, (juein o pegar levo-o a
ra do Trapicho n. 34, quesera recompensado.

i
fcllN.: NA TYP..D1S M. F. UK ARU.----I^fT'
MiHI
ss