Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08785

Full Text
Anuo de 1847.
Ter9a-fera 7
*BM-SHHH!i
m nova, a 7, a 6 liaras e i* minutos dajnanh.
CreScente a IV I liora G min. da maiilia.
Uiacheiaall. is Chotas 4* mfn. da larde. ...
M uitoaue a J9, s 11 l'or" 28 m,n- d" wrd*' ieand*> 'M)ra e 8 ""o da larda
f)0/#fOTpuMe^.Piod q,,ll..r.en-o P*T 3\ DOSCORREIOS.
oren le ii|ar'< : o :>rec;n di aMi-;italura lie do
4JU0" ts.poi qiwrUl, pa.'oi n l.i-iti! >f. O* an-
n.inrins Hoi asignante* ty inseri.l.M i rnso d(
jors. pirlin'i.i, "" etn lvi> diTi-rertW, cas
r enltales p)'a matado. < >' 1U* "ao ^-re
nantes pasarlo 0 rs por linria, o 10 leo lapo
difirante, porcada publicas" >.
PUVSES DA LA SO MEA UE DKZBMWU).
Goianna Paralii s segundas e rilas fein..
ttio-ifaiida-ln- Norte quintas feirasao meio-dia
'..'abo, Suriii'iiivn, llio-Kqcmnsn, Porto-Calvo e
lcelo no I.*, a 11 e li de cada mei.
Sara ilinna s itonito, a 8 o 23.
Boa.Vi'la e Flores, a I a e 18.
Victoria, as (Jiliiit-as-leiraJ.
linda, lodos os d&U,
PIlEAMAn DE HUJE.
I'rinieira, 3 hora 41 minuto! da manl.'a.
de Dezembro Anno XXIV.
P.W
das da semana.
0 Seg. S. Sicolo. Aud. do J. dos orpli. e do
j. doc. da v. do 1. M. .la y.
7 Terca. S. Atnurozio. A"'1- o c'-
da l. a. a do I. de paz do i 8 Quarta. > >ff CouCaieSa de Nos a Senhf-
ra.Padioeira do Imperio.
9 Quinta. S. Liocadia. Aud. do i. daorph. e
do J. municipal da I. vara.
10 Sesla. S. Mclquiadea, Aud do l.dociv. da
l.t.a do i. de paz do I. dist de I.
11 Sahliado. S l)ain.z>. Aud do J. do civ.
da I. a. e do J de paz do I dist. del.
J Damingo. S. Justino.
CAMBIOS NO OA & DEDRZRMBRO.
Sol.re Londres a 28 d. por 14 rs. a o Mu,
Paria 3*1) rs. por franco.
. I.ishA. 05 a loo de premio. .
Drs.\ de lencas de lioaa firmas I a I|8 />
Owro-OncashesPnliolas....J8non a 2
, Moedasdc'MoOvelh. 16(000
, de0#40i< nov.. lfnuii a
, dasjtaen..... # Pra la PalacOea.......... l|90 a
Pesos columnara... I|H
Ditos mexicanos... l|760 a
a Muida............. '*9f,0-
filmo
|6#I00
I I Od
I #980
IfffM
l|8U0
I/9IO
Acces daMtnp.doliberibede 00 rs^opar.

TAMBUCO.
ai-
P*RTE OFFICE...
MINISTERIO DOS NEGOCIOS ESTRANGEIROS.
3.' Seccao n. 12. 1* via. Consulado gcral do
imperio do Brasil New-York, 8 de setembro de
18*7. lllni. e Eim. Sr. Tondo observado cm
um dos jornaesdessa corlo a mengo feita deque o
caf importado neste paiz, em navios brasilciros, se-
ria subjeilo ao direito de'20 por cento, npresso-mo a
communicar a V. Ex. que os navios brasileiros e
suas cargas gozam na Uniilo dos mesmos privilegios
que os navios americanos, sendo o caf admillido
livre (Je dircitos, como se pralicoif com os carrega-
niontos do meslo artigo aqui cliegados as barcas
nacionaes Itmbranca e Albina.
Dos guarden V. Ex. Illm. c Exm* Sr. Saturnino
de SouzaeOliveira, minislroe secretario de oslado
( dos negocios eutrangoiros. Luiz Benriques Ferrei-
v d'Aguiaf.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 11 DO PASSADO.
Oflicio Ao Exm. presidente das Alagas, rogan-
do a expediciiu de suas ordens para que Antonio Das
da Silva Cadeal possa corlar nas maltas de Camara-
gibe seis duzias de taboas de sicupira, em prancbOes
de 3 o qualro costados, com 30 a 32 palmos de com-
E rmenlo e 14 a 18 pollcgadas de largura, que se o-
rigou a vender ao arsenal do marinba desta pro-
vincia pelo precode 64,000 rs. a duzia, sob condit}9o
de entrega-las dentro do prazo de qualro mezes, e
de nSo gastara fazenda cousa alguma com frutes c
outras despegas. Parlicipou-so ao inspector do ar-
Stmal do marinba.
Dito Ao desembargado!* juiz relator da junta de
jUsti?a, Irnnsmitlindo o rucesaO do justiniaiio Al-
vares do Quintal.
Dito Ao juiz do direito interino da comarca da
Boa-Vista, deelarando-sesciente da noineariio pro-
visoria de Constantino Jos Correia Capancma para
o lugar de promotor publico dessa comarca.
Dito -- Ao chi'fe de polica, exigindo nformaclo
acerca da primeira parlo do ollicio, quo Ilie remci-
tia, do juiz de paz supplente do pri meiro districto da
freguezia de Serinhfleni, e lecomincndanJo de as
providencias que julgar precisas maiiutencJio da
ordem o observagilo da Ici nesse lugar. Remet-
teu-so copia deste ollicio ao juiz de paz supplente do
primeiro districto de Serinliem, ao aecusar-se a
recepe.no de un outio, em quo participava ler trans-
ferido as eloiQes primarias para o dia 14.
DitoAo commandante superior da guarda na-
cional do municipio de Floros, devolvendo a propos-
ta que acompanbou o scu oflicio de 28 de otitubro
prximo Indo, alini de ser organisada ile conformi-
dade com o modelo que anda annexo as instruc^Oes
expedidas pera presidencia em 14 de setembro de
1838.
Dilo -- Ao bacbarel Augusto Jos Peixolo, dndo-
se por rnteirado do haverS. me. entrado no excrci-
cio de promotor publico do Icrmo de Flores c do anu-
dante do procurador-fiscal da thesouraria das ren-
das provinciacs no raesmo termo, cm o dia 23 de ou-
tubro prximo passndo.
Dito Ao major Antonio da Silva Ctismao, sig-
nificando que a presidencia nflo pode [icrmitlir ago-
ra o andamento das rodas ta lotera do Cuadelupe
de quo S. me. be thcsoiirelro, por lli'o nlo consen-
lira disposleflo do artigo l.da lei provincial n. 165,
de 17 de novembro do anno passado.
an "i i uiiiaH i mi1 '...... aciJw.iaawaam.BhMft;
O DUQUE DE GUISE. (*)
por frcDcrtco ^oulte'.
PRIMEIRA PARTE.
Vil.
Quando o VelhtGenuino vio os dous aulagonistas
tim pouco mais iranquillos, conliniiot a fallar nes-
les termos :
Nao se trata le aber se a nnbrcza ser por nos
ou contra nos, e sim se queremos arrancar-nos ao
jugo da lespanha para nos stibjeitarmos ao de Flan-
ea, ou se queremos ser un povolivre; se quoreis
trocar o viso-rei chamado duque d'Arcos pelo viso-
re quc>e chuma duque de Guise; so queris man-
dar o vosso dinheiro para Pars em vez de o man-
dardes para Mailrid. ,
Nada de vso-rei, nada de nohrrza.....nem Hcs-
piiiboes, nem Kranceves o poyo..... csopo-
vo.....disse Sanlis, semprc u'povo, e morra ludo o
maisl.....
; Esl bein, disse Genuino sorrindo ; mas tu.....
Palombo, o que dizesp
Digo que iud estado, qualquer que seja, no
pode subsistir sem'chcfe, e o povo de aples pre-
cisa do un.
Se lie esse o leu nico desejo, deves estar satis-
feto, porque ja lomos um..... Gennaro Annesc nffo
be capililu-yeueiid i'......
{*> Vida Osario n. 275.
DEM DO DIA 12.
Oflicio Ao desembargador juiz relator da junta
do jtistica, transmittindo o processo de Raymndo
Antonio de Caire.
Dito A Gaudino Agostnho de Barros, declaran-
do-so scento do ter S. M. o Imperador confirmado
a nomeagflo de S. S. para o emprego de cnsul da n-
celo chilena nesta provincia ; o ilevnlvondo-lhe a car-
ta-patente que acompanhou o seu oflicio que trata-
va lesto objecto. Participoii-so essa confirmagfio
ao inspector da thesouraria da fazenda, ao da alfan-
doga, ao do arsenal do marinha o ao administrador
da mesa do consulado.
Dito Ao inspector da thosouraria das rendas
proviucines, ordenando faga entregar ao procurador
do delegado do l.imoeiro, bacbarel Antonio de As-
BumpcSo Cabral, a quanlia do 33^480 rs. que, no
mez de outubro u'timo, se despenileu com os presos
pobres da cadeia desse termo. Communicou-se ao
chefe do polica.
cas, das quaes 36silo do bater em brecha. Os can-
tesneutraesdeNoufchntcl, Basila-cidado o Appen-
zell interior, tem 105,000 habitantes, dos quaes sao
protestantes 89,700 e catholicos 15,300. Os homens
do 17 a 60 anuos montan) a 15,600 ; o contingente
federal he de 2,528 homens e o landwehr de 2,190,
pqueda urna Torga de4,718homens com 39ipecas.
A populagfo dos seto cantos catholicos (Sonder-
band ) he de 391,620 almas, das quaos 6.C20 protes-
tantes o 385,000 catholicos. Os homens de 17 a 60
annos montam a 56,350, o contingento federal a
11,387 e a milicia a 20,34:6 ; total 31,823 homens com
87 pegas, s quaes se devom accrescentar \- pegas,
lovadasdo Basila-campanha o Argau na expedigflo
dos corpos francos, e 20 pegas compradas reconlo-
menle. o budget destes canloas monta a 2,509,000
francos e o contingente federal om dinheiro a 119,788
francos. Tem, portanto, o Sonderbundsomonte 31,823
homens com 119 pegas pora se oppr a 96,993 ho-
mens com 278 pegas.
( Galignani'i Mcsunger. )
COMMANDO DAS ARMAS.
Quartcl do commando das armas na ciilade do Rect-
fe, 4 de deumembro de 1847.
ORDEM DO DA N.* 29.
O commandante das armas norneiapora servir no
emprogo deaiudanle do presidio da ilha de Fer-
nando-de-Noronha ao Sr. alferes da quarta classe do
exercito Lourengo Jos Romlo, ftcando exonerado
de exercc-lo o Sr. alferes da mesma classe Raymn-
do Jos do Sonaa Lobo, que tomar o commando da
fortaleza dos Remedios, visto ter de regressar es-
ta cidade, e seguir ao scu destino, o Sr. Manoel
Claudino de Oliveiro Cruz, promovido no posto de
tenenle para o segundo batalliio de cagadores. Tam-
ben* resressar o Sr. Pedro Lino de Barros, que,
tendo sido cadete do segundo batalho de arlilha-
ria, foi despachado alferes para o segundo du fuz-
leros.
O Exm. Sr. concelhciro presidente da provincia,
por seu oflicio do 1 "do crrente, concedeu permis-
s8o para residir na mencionada ilha ao Sr. alferes
lia quarta elassa Alexandrino f'actano de Olinda,
que deve estar prompto a seguir no dia que Ihc for
indicado.
OSr. brigadeiro commandante da ilha poder em-
pregar, segundo as necessidades do servigo, os Sis.
ofliciaes quo nella se acharen*, residindo com per-
mssaodo governo da provincia, dando parte das
nmeagOes que neste sentido houver do fazor.
(Assignado) Manoel Ignacio de Carvalho Mendonca.
Conformo.= Manoel Porfirio de Castro Araujo, al-
danlo de ordens.
EXTERIOR.
ESTATIST1CA DA SUISSA.
PARS, 23 DE SETEMBRO DE 1847.
A eslaiistca seguintc lem bastante interesse na
actualidade.
OscantOes hoslis ao Sonderbund contcm ao todo
tima populagflo de 1,867,910 habita rites, dos quaes
1,358,510 silo protestantes e 509,400 catholicos. Os
bomens de 17 a 60 anuos de idade sHo em numero
de 273,850. O contingente federal he de 50,104 ho-
mens, e o landwehr milicia ) tem 46,889 pragas o
que d urna frga de 96,993 homens, com 278 pe-
Um miseravel e um cobarde.... iio he, por cor-
to, um chefe.
E be por sso, replicou Genuino, que tu levan-
taste no leu quarloirflo intrincheiramenlos contra
elle, ao mesmo lempo que por nutro lado tu os le-
vantas contra os Hespanhes..... Segundo parece.
Gennaro nio he o chefe que le cenvem. Qucrerias tu
antes um Napolitanonobre?
Nada de nobres! exelamou Santis, cmquanto
Palombo guardava silencio.
Kntfios do partido do duque de Guise? lor-
nou Genuino ilirigindo-se ainda a Palombo.
" Nada de Francezes 1 replicou ainda o cami-
ceiro.
O burguez nao respondou.
Devoremos nos l'azcra paz com os Hespanhes ?
perguntou o velho cheio de impaciencia.
Morra quem liver semclhaulc pensamcnlo !
respondeu Santis.
Quo queres tu entilo, Palombo? perguntou Ge-
nuino encolerisado.
Sera s na nobreza, disse Palombo em tom
obsequioso, ser s entro os principes eslrangeiros,
que llavera homens dignos do empunhar una espa-
da e de governar um estado ? Para que irmos bus-
car tilo longe e lo alto o quo est aqui entre
nos?.... Enlre agente de aples mo haver al-
guno cidadSos valenles c instruidos a quem av pussa
confiar o poder supremo?.....
Ora com elTeito, com effeito!..... exclaniou
Santis, rindo-se leriivelmeiite. Homens valenles
como o illuslrissimo Giuseppe Palombo, instruidos
como Sua Alteza Palombo..... Vivael-re Peppe Pa-
lombo I O reino do aples licara bem honrado......
Poderiain antes guiar: a Viva el-rei Miguel
Santis! so Palonibb recusasse, disse Genuino com
ar severo. --
O caruiceiro lornou-se gravo e guardou silencio ;
depois respondeu um pouco embaragado :
Nao.....nadaderi..... ja o disse, e lenho s
{Jornaldo Commereio. )
DIARIO DI PaRrlBUCU.
X.JJJ'J'JS, a J)J3 BaUKssaM'JiJ)1' J>Jl 2)JV.
Pelo vapor Imperador, chegado boje dos portos do
norte, recebemos gazetas do Cear at ol.'do cor-
rente, doMaranho at 27 do novembro prximo
findo e do Para at 20 desse mosmo mez.
No Coar conlinuavam os partidos a doestar-so,
j pelos acontecimentos eleitoraes deque inleir-
mos os leitores cm o n. 270 deste Diario; j por ou-
Irossuccessos, igualmente occorridos na eleigflo,
e mo menta lamentnveis do que esses : ja, emtim,
por isso a que clles denominam sua poltica,
qual.em abono da verdado, lio muitissimo mesqsii-
nha, pois que lmita-se a questes puramonte pes-
soaes.
Dsscmos que os successos que nos referimos om
segundo lugar eram tSo lamcnlaveis como os ile-
mats em que fallramos d'oulra ven; cumprc, pois,
que os mencionemos aqui, para que so nao suppo-
nha que queremos so jure em nossas palavras.
Em Russas, termo da villa .lo San-Bernardo, lio-
caram- se tiros entre um frga de opposicionistas o
ouiia de gn.einistas, capitaneada esta pelo alferes
Beto Ferrcira Marques Brasil, a quem a presiden-
cia ordenara,.dep.>is dessa scena desagradavel, que
nfio fosse referida villa sob pretexto algum ; c
cominandada aquella por um tal Bessa*, quo se acha-
va preso : em Ip, o commandante do destaca-
mento invadi a urna, arrancou as cdulas que nel-
la se continham, langou-as, como em triumpho, aos
ps do delegado, que, despeitoso, machucou-as com
a bengala ; e, como nenhunia dessas provocages
produzisso effeilo, pois que o vigario tratou de re-
colher as cdulas urna por urna, tomou, allim, a rc-
sulue.'io decarregara ihencionada urna, c ir deposi-
ta-la em casa do preditn delegado no Grato, o
em algumas parochias mais, lambern se derain ex-
cessos mu i censuraveis.
No Mai-anlio nada mais occorrra alm do que
noliciamos no n. do Diario que acabamos de ci-
tar. Kslava reslabelccido o spcego nos pontos cm
quo fra alterado. Os liguciros ufana va ni-so com o tri-
umpho : os'exc/HSiDisifls esbravcjavain contra some-
lhante triumpho, e cobriam de improperios os scus
adversarios.
No Para, conservavam-se as cousas no statu quo.
aiaan um ii i i mmi wiita n "im i" ni n mi -
A tranquillidade deque essa provincia goza ha
tantos annos, em nada tinha sido alterada.
A12iienovoinbro, fallecer o conogo JoSo San-
ches Monteiro Baena, na idade de 25 annos.
COMMERCIO.
IIF.NDIMENTO f)0 DA ...........7^6*,354
Detcarregam boje, 7 de deoembro.
Barca f-eoerota barricas vasias.
Fscuna John-liomitly bacalho.
Brigue Dorad dem.
Galera Sword-Fish taixas, machinismo, barri-
cas vasias c pigarras.
Briguo Areelut -' barricas vasias.
Escuna ftntura-IWs cal c arcos.
Briguo llraujeu mercadorias.
IMPORTACAO'.
/ieu;ew, briguefrancez, vindo do Havre, entrado
no corrente mez, consignado a Bornardo I.asserra
& Companhia, manilesloii o seguinte :
2 barricas queijos; a F. Belenot.
i caixas tecidos de algodo, 2 ditas sedas, 15 di-
tas conservas, inditas sardinhas; a J. Keller & Com-
panhia.
60 barra manleiga ; a N. O. Biober & Compa-
nhia. .
23 barras redondas de cobre; a J. Saponti.
3 banis baunllha, i caixa drogas, l dita cevada e
gomma arabida, 2 barra soda ; a I. Souza.
I cftixa candiciros, 1 dita longos de algodSo, 4 di-
las chapeos de seda. 1 dila papel bronco, 200 barris
o SO meios ditos inaiUeiga, (2 rolos chumbo omlen-
gol, 60 caixas velas, 166 gigos batatas, 180 caixas
(|iieijos ; a B. Lasseric c Companhia.
6 caixas chapeos para horaen, 2 ditas chapeos de
sol de algodiio, 1 dita pentes de chifre. 4 ditas pa-
pel, 1 dita mascaras, 1 dita calgado, i dita peonas o
flores, 1 "lila chapeos de pallla, 1 dila bonetes de me-
ninos, 1 dita pape! lavrado, 1 dita carneiras, 3 ditas
lecidos de algodUo, 1 dita forros de chapos, 60bar-
ris e40 meios ditos manleiga, 5 caixas. fazendas o
modas ; a Cals Frres.
75 bai ris e 50 meios ditos manleiga ; a L. Gomes
F'crreira.
1 caixa clipoj para homcm, 1 dita calgado ; al.
Poudora.
1 caixa modas; a ordem.
CONSULADO (ERAla.
REMIIMENTO DO DIA 6.
.eral........................3:479.621
urna palavra ; a palavra rei nao deve mais ser pro-
nunciada pelos Napolitanos; mas Roma, nossa avo,
que nao quera res, leve imperadores; eeudign
que esse titulo seria sulliciente para aquellos que,
leudo combatido em favor da liberdade do povo,
fossem chamados para o governar.
l-'oi eiiiao que Palombo se pz a rir, cque ex-
claman :
Por Dos! desejo isso milito, e prometto unir a
pin ha voz a primeira que so atrever a gritar na p ra-
ga publica : Viva o imperador Miguel Santis
Ora vamos la 1 vamos l! disse Genuino, isso
sao asuenas em que neiilium de vosss er..... Mas
j que procuramos excmplos na anliguidade, por que
raso nao a seguiremos nos noque ella leve de
boin ? N3o foi Roma por muito tempo governada por
dOUS 001180108!*
He verdade, disse Palombo.
E porque nao taremos nos o mesmo? porque
nao teremos dous cliefes: um sabio c moderado,
que se encarrugueda admiuislragao publica, das rc-
lagoes do reino com as nagOes estrangeiras, da jus-
liga e dos impostos; e o outro, mogo, enrgico, ge-
neral dos exurcilos, que lenha missilo do defende-
los o vinga-los ; um que leulia, como convem aos
ancies, todos os cuidados, todo o encargo dos ne-
gocios; e o outro todos os perigos, e toda a gloria
das armas, como deve ser a partilha dos homens
mogos e robustos ?
V-se que Genuino reproduzia sob urna forma no.-
va a proposig3o que linlia mandado l'a/.cr a l'appone
o que este recusara.
Santis e Palombo olharam um para o outro.
Por cedo, disse Santis, esla proposigSo n3o he
desarrasoada.
Com elleito, accrescentou Palombo, isso pode
ser prudente.....mas.....
He verdade..... disse Santis. Comludo, seria
bom saber..... *
Nem mais urna palavra..... disso Genuino. N3o
Diversas provincias.
71,260
3:550,881
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimeplo do dia 6.....,........3:408,534
*m*-~mm_______.____.....ssmemm
MoviDi.f'ii.o lo Porto.
Navios entrados no dia 6.
Para, Maranhno, Cear, Rio-Grande-do-Norte e Pa-
iia iiiiculiiMljaBBjMiiiiiiMnrr---^-^^^^-^^~^.
nos pertonce discutir as cscolhas que se podero fa-
zer. Eslbelegamos smente que a repblica sera,
governada por dous cnsules escolhidos entre todos
os cidadaos, um cncarregado dos negocios, e 0)
outro commandante dosexcrcitos.
V que seja, disso Santis.
Tambem estou por isso, replicou Palombo.
Pois bem! disse Cenuino, rcllecti no qoe aca-
bis de decidir...-, he muito tarde; e o dia j vetn a
nascer. Dentro de una hora, estejamos todos na
praca do Mercado ; chamai para la o povo,
Nao sabes que Gennaro est de posse da torro
do Carnio, e que s elle pode locar a rebate? disso
Palombo.
Gennaro he um traidor, exelamou Genuino,
que chamou a aples um eslrangeiro, um Francez,
um descendente da familia d'Anjou, a quem a nossa
Ierra deve todas as suas desgragas... lie necessario
'que Gennaro seja denunciado, esoffra a pena que
merece antes que elle saiba que o povo heconvoca-
do para mudar e regular a forma do governo. Volta
para o leu quartelrao, Palombo..... corre todos os
que nao eslao lechados ; Santis, dize a todos que,
ao romper d'alva, o povo he chamado ao Mercado-
Novo.
Santis e Peppe olharam outra vez. unpara o ou-
tro; depois, por um movimento simultaneo, esten-
deram as mos a Cenuino c disseram-lho :
Al logo, ao romper d'alva.
Ainda hoiivc um momento duhesilagao, mas am-
bos se decidirn! a sabir juntos, repelindo :
No Mercado-Novo, ao romper d'alva.
Casta olliou paraoav e a fallar-lhe. Genuino
fez-lhc sigual para que se calasse, e se pozaescu-
tar a janclliiiha, situada defronte da porta pela qu.it
acabavain de sabir o chefe dos capas negras e o dos
ps descalsos. Quasi ao mesmo lempo seouvio al-
guemarranhar discretamente na vidraga dajanella.
Genuino escondeu a luz, e abri essa janella.
Es tu, Palombo ? disse olle.
u
MUTILADO


m.

rbida ; 13 das, o ilo ultimo porto 12 horas, va-
por brasileiro Imperador, do 167 toneladas, eom-
titandante o primeiro lenlo Joaquim Salom
Itamoa de Azevedo, cquipagem 32. Passageiros,
Filippe Concalves da Silva Belfort com 1 preta,
Sebastifio Concalves Martins Vianna de Souza com
1 csciavo, Antonio Nogueira Pinto, Jos Francisco
Lopes Rodrigues, capitilo Antonio Jos Lina de 0-
liveira, Mauocl Martins Ribeiro, Domingos Then-
Olo Alves Ribeiro, Dr. Pedro Pereira da Silva Gui-
mariles, Dr Antonio Jos llenriques rom 1 escra-
vo, Victorino Pereira Maia com 1 eseravo, P.onifa-
eio Francisco l'inheiro da Cunha, Tbomaz Flumi-
nense Kandeira llenriques, Manoel Filippe
Carmo Nunes.
Rio-de-Janeiro; 28 dias, brigue-escuna brasileiro
Felit-V entura, de 133 toneladas, capilfloJoflo Con-
galvea J.eitc, equipagem 10, carga varios gneros :
a Gaudinn Agostinho de Barros. Passageiros, Jos
Antonio Ribeiro e Silva, Portuguez ; Jos Aloxan-
drino Gomes, Flix Jos Ferro, Rrasileiros; Do-
mingos Miguel Peralade, Francez, e um eseravo
a entregar,
Camaragibe; 2* horas, hiate brasileiro San-Josi-
(lorioio, de 30 toneladas, capilflo Jos Francisco
Haptista, equipagem*, carga assucar e madeira
de conslruccflo ; ao capitSo. Passageiro, Guilhor-
me Marques Nepomuccno, llrasileiro.
manda fazer publico, que, no da 8 do corrente, an-
iversario da padroeira do hospital dos Lazaros, se
franquear entrada as pessoas que quizerem visi-
tar aquello estabelecimento.
,\.1 ministracao geral dos estabelccimentos de ca-
ndado, Cdo dezembro do 1847.
Oescripturario,
F. A. Cavalcante Coutseiro.
Para o Para, com escala pelo Maranhilo, partir
com muita brevidade o lindo brigue-escuna Arce-
lina, de construccllo brasileira, de primeira via-
gem, forrado e encavilhado do cobre: acha-se com
a maior parte do seu carregamente prompta: para
o restante trata-se com o consignatario, Firmino
Jos Flix da Roza, na do Trapiche, n. 4, ou com
o capilflo, Antonio Silveira Maciel Junibr. Adverle-
se que o assucar quo segu em direitura para o pri-
meiro porto tom a seu favor 160 rs. por arroba de
direito provincial, quo paga no Maranhilo.
Vende-so a linda e miiilo veleira escuna ame-
ricana John de lote 111 toneladas, forrada e enca-
viIhada de cobre, o prompta para qualquer viagem:
a tratar com llenry Forster & Companhia na ra
do Trapiche, n. 28.
O caixa da companhia do Beberibe, tendo de pres-
tar as suas contas, lembra aos Srs. accionistas a rea-
lisacilodos 4 por cont, ltimamente pedidos.
Camaragibe; i dias, hiate brasileiro Novo-Deslino,
dc2t toneladas, capilflo Estev.to Ribeiro, equipa-
geni 4, carga assucar, couros o mais gneros ; ao
capilflo. Passageiros, Dr. i.ourenco Aciole Wan-
derley, Antonio Jorge Rodrigues, Francisco Anto-
nio, Jos Alves Pereira.
Navios sonidos no mesmo dia.
l'ortos do norte, vapor brasileiro San-Sebastido, com-
mandante o 1.* tenle A. Torrezao.Alm dos
passageiros quo trouxe dos porlos do sul para os
do norte, leva a seu bordo para Maranhilo, Ma-
noel Alves da Costa Ferreira, Raymundo Antonio
da Costa Ferreira com 1 eseravo ; para o Para,
inajor Francisco Joaquim Ferreira e Carvalho.
liallimore, hiato americano Mary-Eleonor, capitilo
C. F. Rust, carga assucar. Passageiros, o capitilo
A. W. Caullield e o piloto Paul Dolby da escuna
americana John, que se venden, e Joseph S. Ilerns,
Ingles
Parahiba, hiate brasileiro hspadarte, capitSo Flias
do Rozario, carga fazendase mais gneros.
cantado pela senho-
KOI T.AL.
Miguel Archanjo Monteiro de ndrade o/ficial da im-
perial ordem da Rosa, cavalleiro da de Chrislo e ins-
pector da alfandega de Pernmbuco, por S. M. o
Imperador, que Dos guarde, etc.
Faco saber que no dia 9 do corrento, ao melo-
da, e na porta da alfandega.se hflo de arrematar
em hasta publica 10 barricas com cevada, no valor
uo 80,000 rs., no despacho por factura de Jos Pe-
reira da Cunha, n. 2393 e 15 saccas com dita, no
valor de 128,000 rs., no despacho por factura de
Paulo Jos Alves da Silva, n. 2374, impugnadas pelo
guarda Manoel da Fonseca de Araujo Luna : sendo
a arrematado subjeita a direitos.
Alfandega, 6 de dezembro de 1847.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrads.
JJec I fraudes.
O vapor Imperador, chegado hontem
dos portos do norte, recebe as malas
' para os do sul hoje'7) a urna hora.
As correspondencias que vierem de-
pois deesa hora pagarflo o porte duplo al 2 horas.
Existo na administradlo do corrcio urna carta
segura para oSr. Jos Antonio de Magalhfles.
A pessoa que botou na caixa da administra-
Clo do correio as cartas seguinlcs, queira compare-
cor a mesma, afim do satisfazor um engao, a sa-
ber: os Srs. Alvaro de Menes Moreira na Para-
hiba ; Antonio de Cequeira Carvalho & C., Rio-
Crande-do-Norte ; Leonardo Marcolino Lemos, Ma-
ranhto.
O patacho Oliveira segu para a ilha de Fernan-
do e tira a mala do correio hoje as 5 horas da
tarde.
A administrarlo geral dos estabelecimontos
decaridade, deconformidade com o artigo 160 do
regulamento de 25 de fevereiro do corrente anno,
Sou, respondeu o recem-chegado.
Eu esperava-te.
E eu, comprehendi-te..... A ti pertence-te o
governo e a administrado dos negocios.
Eati, ocommando dosexcrcitos..... Palom-
bo, assegura-nie a uiinha nomeaeflo que eu te asse-
guro a tua.
E ni5o prometteste tunada aSantis?.....
Ests louco, Palombo ? julgasqueeu me que-
rerla associar a um bandido que s he capaz do go-
vernar por ahi alguma gal velha ?.....N80 de que
aples precisa he do um homem consideravel, que
tenlia mostrado o que podem o valor, a vigilancia,
e o amor pela liberdade !...... Sers tu, Palombo,
que has desereleito..... Mas, silencio alguem se
approxima dooutro lado desta casa...... retira-te!
Genuino fechou os postigos da janella, e quasi ao
mesmo lempo se tornaran) elles a abrir.
s tu, Santis? disse Genuino, tardaste bem;
parece-meque nJo me comprehendeste.
Oh secomprehendi! Genuino; tu queres o
primeiro lugar para ti e dars o segundo a Peppe Pa-
lombo.
A Peppe Palombo disse Genuino; nflo :eu sou
ambicioso, e quero que a autoridade que me fr con-
fiada nflo me seja continuamente contestada por um
1 ival intrigante. Tu s um valente soldado, Sanlis :
a guerra, as batalhas, o saque o a pilhagem, he o que
tu queres, c o que leras ; quanto a Palombo, elle se
julga um grande poltico, e maior poltico ainda
que bom capilflo.....Nfio ; eu mo goslo de Palom-
1,0.....e antes quizera renunciar ao consulado do que
ser cnsul com elle.....Assegura-me a ininha nomea-
eflo, Santis, e tu seras Horneado meu collega, ou eu
inorrerei.
Anda bem, Genuino ; acceito; governa, or-
gauisa leis, levanta impostos.....mas dize-me : se-
rei-eu senhordo exercito Y
Serta.....
THEATRO PUBLICO.
Ultimo beneficio do Sr. Luiz Plassa, na noite
do dia 16 do corrente.
outr'ora mestre-
balalhfio de cac-
elo bom acolhi-
que tove dos bons Pernambucanos, tem a
honra de Ibes oflerecer, pela derradeira vez, no
theatro publico dcsta cidade, o divertimento seguin-
te, em seu beneficio, a saber :
PMMEIRA PARTE.
i. Ouvertura grande orchestra.
2.* Duelo da opera Campanello, ca
ra Deperini e o Sr. Toselli.
3." Grande concert, com variacOese polaca, para o
ciar;ni de chaves, pelo beneficiado.
4. Aria da opera Altila, do Sr. Verdi, cantada pelo
Sr. Toselli.
SRGUNDA PARTE.
1." Grande valsa pela orchestra.
2. Aria o fesejo de Vinganca da opera Belitari; pe-
la senhora Deperini.
I. Tiloma com variar/es para oclarim de chaves,
imitando a voz humana, pelo beneficiado.
4." Polpourrisa grande orchestra.
5." Aria da opera o Juramento do Sr. Mercadante,
pela senhora Duperini.
TERCP.IRA PARTR.
1." Ouvertura grande orchestra.
9..o Aria da opera Generenlola de Rossin, cantada
pelo Sr. Toselli.
3. Harmona variada, com valsa final, para clarim
de chaves, e acompanhamento do orchestra, com-
posta pelo beneficiado, e por ello executada em
agradecmento aos bons Pernambucanos.
4." Valsa para grande orchestra.
5." Duelo bufo da Filha do Regiment, cantado
pela senhora Deperini e o Sr Toselli.
O beneficiado, contando com a mesma indulgen-
cia que Ihe teem prodigalsado at boje os bonda-
dosos Senhores Pernambucanos, promette de cor-
dialmente fazer ludo quanto esliver ao seu alcance
para agradecer a um povo tflo generoso e indul-
gente.
Os bilhotes de camarote vendem-se na ra do
Queimado, n. 16, primeiro andar, em casa da senho-
ra Margarida Deperini.
Le loes.
O corretor Oliveira far leilflo de grande va-
riedade de fazendas que vender por todo o preco:
sexta-feira, 10 do correte, as 10 horas da manha,
no seu escriptorio da ra da Cadeia.
O corretor Oli voira recebeu urna carta do | Para
para o Sr. Jos Estevas que ter a bondade de
procura-la.
--Richard Royle far leilfio, por intervoneflo do
corretor Oliveira, do grande sortimento de fazendas
inglezas, todas proprias do mercado ; e como pro-
vavelrante ser o ultimo leililo deste anno, muito
espera a concurrencia de seus freguezes : hoje ,
7 do corrente, s 10 horas da mandila em ponto,
no seu armazem da ra da Alfandega-Velha.
Avisos diversos.
Avisos maritiiiis.
-- Para o Porto sahe com a maior brevidade o
brigue portuguez Ventura- Feliz por ter a maior
parte do carregamento prompta: recebo carga a
fretce passageiros, para oque tem excellentescom-
modos : trata-so com os consignatarios, Mendes &
Tarrozo, na ra da Cruz, n. 54 ou com o capilflo,
/efermo \enlura dos Santos, na praca do Commcr-
10
---Para o Itio-de-Janeiro sahir, em poucos dias, o
muito voleiro e superior brigue-escuna Velo: tem
a maior parle de seu carregamento engajada : para o
resto e passageiros, para o que tem excellentes com-
modos e o mclhor tratamenlo,dirijam-se ao capilflo,
ou a Manoel Duarle Rodrigues, na ra do Trapiche ,
Para o llio-dc-Janeiro sahe o brlgue nacional
boctedade: para carga, passageiros e escravos, tra-
ta-se com Jos Francisco Collares, ou com o capilflo
nos trapiches das escadinhas, ou na loja de ferra-
gensda esquinada ruada Cadeia.
E dar-mo-has tu o teu voto para o segundo lu-
gar ?
Juro-te que t'o darei....., respondeu o velho ;
mas vai-te ombora e toma sentido : Palombo be ca-
paz de te espreitar.
-- Al logo! disse Santis.
E foi-se embora.
Apenas o postigo se fechou. Genuino foi buscar de
novo a alampada, e, collocando-a diante de Pionne
que linda ficado immovel em seu lugar, oxclamo
vivamente:
Por certo quo nflo ser nem um nem oulro des-
tes dous miseraveis que parlilhar commigo o go-
verno supremo ; sers t, Scipiflo Gannatasio.
0 Pionne se pz a rir como doudo.
Eu?! disse elle, eu?!.....Pois eu bei de por
seoslas urna toga d'ouro e nesta cabeca um edapo
do plumas?
Isso far sobresahir a tua belleza, meu l-
bo....., disse Genuino, t deslumhrars assiiu os
mais nodres fidalgos.
Nfio, disse o Pionne com um estremecimento
convulsivo ; o manto d'ouro devora aquello que o
traz, o chapeo do plumas aperta e quebra o crneo
d'aquelle que se cobre com elle. Pois eu nao vi meu
irmflo Masaniello, o mais sabio, o mais valente, o
melbor dos Napolitanos, lornar-se louco, cobarde e
mo, por se ter coberto com um manto, e posto na
cadera un chapeo de plumas ?
Pois bem replicou Genuino, tu sabes que os
vestidos nflo dflo nem coragem, uem autoridade ; e
por isso faras o que quizeres.
0 Pionne pzo-se anda a rr, baloicou a cabeca
com ar desastrado, depois lirou o barrete, o, cami-
nhando para Casta, assim Ihe fallou com voz tr-
mula :
Dize-me, Casta, queres tu ser a mulher do ge-
neral dos exercitos de aples ?
Casta estreiueceu, e recuou ao ouvir semelbante
proposieflo do Pionne.
DSo-se 200,000rs. a premio sobre penhores de
ouro, prata ou hypotheca em alguma escrava :
na ra Augusta, n. 16.
A Voz da Brasil 1. 7 est a venda nos lugares
do costume.
-Jos Martins Comes faz sciente ao respeitavel
publico, quodeixou de ser caixeiro do Sr. Thomaz
Fernandes da Cunha, desde o dia 5 do corrente.
Severino Moreira Portuguez, retira-se para
frada provincia. .
Pede-seaoSr. Manoel Joaquim de tal, mora-
dor segundo julga-se, na cidade do Recife, e que
costuma fazer viagens paraSergipe, baja de appa-
recerj ej emOlinda, no pateo de S.-Pedro, que
se Ihe quer fallar a negocio de importancia.
Precisa-sede um caixeiro brasileiro, de 12 a
1 anuos para urna venda : na praca da Indepen-
dencia, livraria ns. 6 e 8, se dir quem precisa.
CONCEICAO' DOS MILITARES.
A mesa regedora da irmandade da Conccicfio dos
Militares, tendodolcstejara Mfli de Dos no dia 8
do corrento pede encarecidamente aos moradores
da ra Nova, que mandem varreras testadas de suas
casas, o Iluminar a noilc a frente deltas., aflm de
se tornar o acto com aquello brilhantismo deque
he digna a padroeira do imperio.
--Precisa-se alugar um moleque, ou negro fei-
to, que seja diligentoe sem vicios, para o servico
externo de urna casa de pouca familia. Dirigir-se
ra do Rangel. n. 59, segundo andar.
Precisa-se de um menino portuguez', de 12 a
14 annos para criado grave de urna casa de pouca
familia. Dirigir-se ra do Rangel, n. 59, segundo
andar.
Precisa-sede um caixeiro capaz para tomar con-
tado urna venda ou mesmo de um menino portu-
guez, ou brasileiro, de 12 a 14 annos ; agradando,
pagar-se-ha bom ordenado: em Olinda nosQua-
tro-Cantos, venda da esquina que sobe para a la-
dera da ribeira.
OITerece-se urna mulher para ama de urna casa
de todo o servico e que d fiador a sua conducta :
quem de seu prestimose quzer ulilisar, dirja-seao
oitflo da matriz de S. Antonio, n. 14.
Antonio Pereira do Miranda faz sciente a todas
as pessoas que teem penhores de ouro e prata em
seu poder, os vflo tirar no prazo de 8 dias, contados
da data deste; do contrario, serflo vendidos para
seu pagamento.
Aluga-se, por preco com modo urna casa ter-
rea no Poco-da-Paoella a margem do rio, com 2
quintaes, cozinha fra concertada e pintada do
iovo.com commodos para grande familia: a tra-
tar com Thomaz Pereira de Mattos Estima, no Ater-
ro-da-lloa-Vista venda n. 54.
Precisa-se de um caixeiro que queira subjeilar-
se a trabalhar na destilaeflo da Iravessa da Concor-
dia.
Precisa-se de um homem para administrar o
servico de urna padaria : na ra das Cruzes n. 30.
Eu ?.'......disse ella, eu ? /....
Genuino cravou sobre a moca olhos ameacadores,
e pareca querer dictar-lhe a resposla que ella de-
via dar.
~ Sim, tu....., tornou o Pionne ; se o quizeres,
assim ser. Se o nflo quizeres..... eu vrei entflo.
Tu nflo pensas no que dizes, Scipiflo, conli-
nuou brandamenle Casta; nflo te lembras que sou
urna pobre rapariga, cujo nascimento he tilo vergo-
nhoso f
s virtuosa, disse o Pionne.
Nao smenle vergonhoso, mas tambem sacri-
lego.
Esahencoada, tornou o Pionne.
Nunca os Napolitanos consentiran!, replicou
Casia eom gelado tremor, que um dos seus cliofos
esposasse a (ilha de um padre e de urna cortezfla ;
bastantes vezes se me ha laucado em roslo o meu
nascimento.
Tu s urna santa, accrescentou o Pionne com a
mesma voz uniforme; equando fres 11 mulhordu
Scipiflo Gannatasio, ninguom te dir mais i.ada.
Casta, que trema sob o ciliar de Genuino, volton
a cabeca; e, reunifdo todo o seu animo, disse em voz
suiFocada:
Nunca!.....nunca.'.....
Miseravel crianca exclamou Genuino, cami-
nhando para Casta.
D Pionne eslendeu o bastflo branco entre o velho
e a neta.
A cabeca de Casta he sagrada, disse elle em tom
melanclico; Sau-Januario, queme vom visitar to-
das as noitos, foi quem m'o disse : No. dia em que
qualquer mSo profanara pureza da sua corta, nos-
se dia so perder aples.....eu t'oadvirto. a Ella
nflo quer; pois bem.....nflo se falle mais nisso.
Mas, tornou Genuino com voz afagadra, tu
irs amanhfla ao Mercado-Novo, l levars os leus
latsaroni, e lhes mandars eleger um cnsul?
Theatro de Apollo.
A (lircrrfio avisa aos Srs. socios que
mandem receber os seus bilhetes para
a recita do di^ti-do corrente, em casa
do respectivo ibesoureiro, na riM piebe, n. 17 ; e que ns propostas para
convidados serSo entregues ao secreta-
rio, na ra de Apollo, n. a3, e procu-
radas no -sala"o do tbeatro no ilii 10, das
10 horas da rmnlifia s G lia larde, de-
pois das quaes uo ter mais lugar pro-
posta, 011 transferencia alguma ; decla-
rado esta que a direcco mu positiva-
mente faz para evilar os frequrntes abu-
sos que s acesrretam mcontUTdtio e a*ra-
sam grandemente o expediente da socie-
dad*.
Precisa-se alugar urna canoa que sirva para a
carreira de Goianna quem tiver annuncie por es-
ta folha.
Antonio Ferreira Rraga embarca para o Rio-
de-Janeiro o sen eseravo, de nome Faustino.
--A pessoa que annunciou querer alugar um
sitio na Ponte-do-Uchoa sendo queira um ou s
a casa que accommoda grando familia, a qual fica
confronte a margem do ro, dirija-se a ra Nora
n. 67. '
Aluga-se urna casinha na ra da Aurora por
preco commodo : a tratar na ra Nova, n. 58.
Precisa-sede um sacerdote para celebrar as
missas do Natal at o da de Reis em um engenho
distante desta praca 5 legoas : na ra Imperial
n. 63, 0.0 annuncie.
Hoje, pelas 4 horas da tarde, se ha de arrema-
tar, na praca do juizo do civel na ra Nova urna
inorada de casa terrea na ra da ViracSo, por oxe-
cuefio de Jo3oKeller& Companhia contra J0S0 d^
Silva Santos e sua mulher.
Ainda est para se alugar a casa terrea de n.
29, sita no lugar do Manguinho, muito propria pa-
ra se passar a festa, por sor bastante fresca, ter
inuitos commodos, quintal e cacimba, e porto de
embarque : a tratar com Manoel Pereira Teixeira,
morador prximo aquella mesmo lugar, ou na ra
Nova, loja de ferragens de Teixeira & Andrade.
-Alugam-se os segundo e terceiro andares da ca-
sa n. 13 na ra da Lapa, no bairro do Recife, com
commodos suflicientes para familia; o terceiro andar
tem um sotflo que avista o mar pela parte do sul; o
preco he commodo : para ver, cntendam-se no pri-
meiro andar: a tratar na praca da Roa-Vista, n. 7.
Aluga-se, para se passar a fcsla, urna casa em
Olinda, na ra do Cabial, envidraeada c com bons
commodos, banheiro, quintal grande com frucleiras
o bastante cap im para sustento de cavados: tam-
bem se aluga sem o quintal: a tratar na mesma ra,
na casa nova com sotflo.
O Sr. Manoel Francisco Ronna queira procurar
urna carta vinda do Para na ra do Trapiche, n.
16, segundoandar.
Antonio Sebastifio dos Santos retira-se para a
Europa, a tratar de sua sade.
Sorvete.
Na ra da Aurora, junto loja de louca, baver
sorvete com todo o asseio e perfeicflo quo or possi-
vel.
Aluga-se um moleque para urna casa estran-
S;eira de liom em solleiro, preferndo-se o que d
anca de sua conducta, qur seja forro ou captivo :
na ra do Qu eimado, n. 12, 1 andar.
Jos Pradies, cutiletro,
previno aos seus freguezes que o acliarflo sempre
prompto para fazer quaesquer obras de seu oflicio,
co.-no freios paracavallo, esporas de todas as quali-
dades, concert de espingardas, pistolas e ludo que
seja armas de fogo, por preco lasoavel: mola as
lergas, quartas e sabbados : na ra larga do Roza-
rio, amigamente dos Quarles, ll. 14, junto a botica
do Sr. Jos Mara Ramos.
No segundo andar do sobrado n. 12 da ra
larga do Rozario, antigamente dos Quarteis, preci-
sa-se de urna ana sem filho, qne leuda bom e bas-
tante leite.
PrecUa-se de alugar urna prela escrava, que
sai da fazer todo o servigo de urna casa, principal-
mente engommar o cozinhar: na loja da praca da
Independencia, 11. 4, se dir quem precisa.
O Pionne interrompeu o velho com urna grando
gargalhada.
Sim, disse elle, eu l estarc, mas ser para te
expulsar de l ; e nflo s a ti, mas tambem a Palom-
bo e a Santis.
Mas, desgranado, v que nos vfio impr um
Francez.
Isso para mim he o mesmo.
Um nobre.
Melhor para elle.
Um descendente da casa d'Anjou, que ha de
querer ser re
Pois ser re.
Mas sabes lu quem he esse homem ?.....Sabes
por que vicios, por que extravagancias elle se fez co-
ndecido 1
Nflo podo ser tflo louco como l.uigi, nem to
cobarde como Gennaro, que reina ni ambos agora ;
nfio pode ser tflo feroz como Sanlis, nem tfio av-
rento como Palombo, nem tfio inentnosoe tflo trai-
dor como tu, que queros reinar com elles.....I elle deve serum seiidor muito melhor do quo \
sos todos. ... Tomara que elle venha, tomara que
le venda ; elle ou oulro, para mim lio o mesmo, 1
tanto que nflo seja uenlium de vosss.
E immedialamente o Pionne su foi embora, can-
tando, emquanto Genuino murmurava, olhando pa-
ra Gasta.
Pois bem.' talvez que Guise niecomprchcnda.
Eis-ahi quemeran os homens que, ncsla poca,
manejavam os negocios da cidade de aples, lano
no interior como fra de'la. Ja dissemos quem era
aquelle quojulgava ter o poder de reunir o dirigir
todas essas ambiges, todos esses inleresses, lodos
esses egosmos.
Vejamos agora como os aconlecimenlos juslilica-
rflo semelbante preloncflo.
Conlinuur-M-ha.)


0.
Companha gcra! da agricul-
lura das vinhas do Alto-
Duro
0 abaixo asaignado, agente dosta companha ncs-
ta praca de Pernambuco acaba de reccher pelo o'r-
gne-cscuna Veloz urna romessa do violtos daquella
companha, dopnis i|iie olla foi roabilitada pela
legislatura de Portugal e dolada rom os fundos
pblicos, pelas le do 21 d abril de 1843 para le-
vara todos os mercados os padrfles e bausas' do vi-
nho genuino o puro da Alto-Douro, geralmente
conhecido pelo nomo de vinho do Porto, alm de
servirem de guia ao eommercio. F.sla remessa, to-
da de vinhas da inais escolhida qualidade, deve
oflbroccr aosSrs. consumidores nSo s a certeza
de aua pureza, mas tambem o typo verdadeiro dos
excejlenloa vnhos do Porto. Espera pois o abaixo
assgnado, que os Srs. consumidores se dirigiro a
sna rosiilencia na rua da Cadeia do P.ecife loja
n. 51 para trataren) do ajusidu qqaiquer porco
que desejarem. Antonio Franciico de Noraes.
Tendo-se eatabelecido soeicdade entre a vinva
de Jos Antonio Alves da Silva e seu genro e I i I ha
solteira, I). Altina Popo da Silva, afim do Jicara ho-
ranca em commum e liquidar-so a casa do dito Al-
ves da Silva, continuando as mesmas transacefles
sob a lirma de Vluva Alvos da Silva & Filhos, os abai-
xo asignados declaram o fazein pablco que com
o casamento <|e dita I). Altina cossou asocodado a
seu respeito, e Mear continuando somonte cutre a
viuva e genio de dito Alves da Silva e sob a lirma de
de Viuva Alves da Silva & Gcnro, em eujo iioiiib coil-
tinirarSo as transaceoes, sem que baja nellasoulra
algiima alleracflo ; eficando garantidas as transac-
q0rs que l'oram foi tas sob a primeira lirma. Reci-
fe, 1. de dezembro de 1817. I). Mara Magdalena
Pope da Silva. Francisco Jodo Carneiro da Cu-
nha..
Andr Alves da Fonscca, director do msicas,
participa aos seus rcguozcs o a quem convier, (que
mudou a sua residencia para a rua Nova, 1. andar
'O sobrado n. 6, aonde so achara sempro prompto a
servir aos mesmos seus freguezes.
Precisa-se de un bom forneiro o do um ainassa-
dor para una padara na villa do Ro-Formoso : as
pessoas queestivorcm nesse caso e quizerem eon-
Iralar, mediante bom solano,dirijam-sc. a rua da Ca-
deia do Itocife, loja n. 55, bu na rua do Codorniz
no Forte-do-Mallos, n. 9 que all acharao com
quem contratem.
Para as pessoas que tenco~
iiam seguir viagem.
Na rua do Rangel, n. 9, conlinuam-se a tirar pas-
saportcs para dentro o Tora do imperio, despachain-
se escravos c correm-sc (billas ludo com brevida-
de c por preco muito e muito commodo, do que
j se lem dado exuberante prova no decurso de sete
annos.
Avisa-so ao dono de una, carrosa que est ha 13
mezes-na cocheira n. 56 da rua do Hospicio, con-
certada e prompta, que, se no prazo de 10 dias da
dala desle, nflo for buscara dita crnica, pagando o
importe do concert o o aluguel de 12 mezes, ser
vendida a sobredita carrosa para embolco do con-
cert e aluguel. Faz-se este aviso para nao so cha-
mar ignorancia.Pernambuco, 3 de dezembro
de 1747.
-Precisarse do urna mulherdcbons coslumes,
branca ou do cor,, para servir de ama particular a
una sonhora. Dirigir-se rua do Itangcl, n. 59, se-
gundo andar.
Aluga-sc urna casa terrea na Soledado n. 17,
ao p do Sr. Vieira cambista : a tratar no pateo
do Carino, n. 17, com Gabriel Antonio.
Aluga-se segundo andar do sobrado sto'na
ruada Guia, n. 64: quem o prelender dirija-se a
vendan. 7 na mesma rua, a fallar com o Sr. Jos
Peroira, ou na falla, na rua dos Quarlcis da polica,
n. 22, loja de miudezas.
Precisa-so alugar um sitio margem do rio, nos
lugares da Passagem at a Ponte-de-l'cba : quem
liver annuncie por esta folha.
Quem tiver para alugar um prclo bom corla-
dor do carne, ceilo deque paga-sc bem, o d-se o
sustento c roupa lavada, falle com J. Dubois, na rua
larga do Rozario, ns. 6 e 8.
Na rua do Trapiche, casa n. 8, precisa-se alugar
um moleque para ser vico de casa.
Acba-se tratada a venda ou permuta do sitio
no corredor deSan-JoTo-da-Varzea, que limita pelo
fundo com o rio Capibarihn, pelo sul com o sitio de
I). Theodora, viuva do Severino Alves de Araujo,
pelo nasconlo com a estrada que vai para o enge-
litio San-Jo.lo, o pelo norlecom o sitio de I). Thercza
tambem viuva, bavido em transaoeflode pagamen-
to do fipado Joaquim Concia (lomes de Almeida o
sua mulher D. Mara de Sant'Anna Crrela,'e bavi-
do por estes dos herdeiros de Francisco Jos da
Costa Guimarfles, tambem em transaceflo de paga-
mento. Qualquerpessoaquo se adiar com direito
ao dito sitio, devo-o declarar por este Diario no
pra/.o de 4 dias, sob pena do n.lo ser attendida qual-
quer reclamoslo que depois desle periodo baja do
apparecer a respeito. Recife, 2do dezembro do 1847.
Jo$i Joaquim Uezerra Cavalvanle.
Tendo-se annunciado no Diario de Pernam-
buco ns. 239, 240o241, de22, 23 e 25 dooutubro
do crnente anno, que a escrava Theodozia, crioli-
ta, da Sra. I). Iguaria Guilhcrmina doOliveira.se
achava obrigada por quanla tomada por empresti-
mo : agorase declara estar j paga o satisfeita so-
nielh.into quanliu, c por isso livre o desembaraca-
da, para a inesiiia senliora fazer qualquer transac-
eflo com dila escrava, para o que se faz o presente
annuncio.
Fr. Antonio do Espirito-Santo Titara presi-
dente n capile do convento de Santo-Antonio
do Recife, avisa ao respeilavel publico que no dia 8
do present', pelas :i horas o ineia da larde, lem de
sabir em solemne procissflo a sacrosanta inugem da
Mili de l>eos; e que, leudo de percorrer a ras das
Gruzes, prmjn da Independencia, rua do Calinga,
Nova,daa Flores, pateo do Curmo, rua de llortas a
entrar na Iravessa dos Martyrios para o Terco, rua'
liireia, pateo do l.ivrameuto, rua do Queimado, d
Crespo o da Cadcia ao rccolher, roga a todos os
moradores do ditas ras quoiram tratar do asseio
dallas aliiii do que possa com decencia passar o
AllissimoeSenhor Dos sacramentado: e prometi
deixardila procissflo de transitar pelas ras indi-
cadas, i)So estando ellas como pede tflo piedoso
acto.
Quem liver una preta para alugar, que saiba
roziabar, engominare lazei todo o :nais servico de
urna casa, e que d fiador a sua conducta dirija-
se a rua da Aurora, n. 20.
LOTERA
no
HospUul Pedro //.
Em consequenca da extraceflo que lem bavido
na venda dos burieles da primeira quinta parte da
loteiia a beneficio do hospital de Pedro II, tem o
thosoureiro marcado o dia 20 de dezembro, para o
andamento das respectivas rodas e espira que as
pessoas a qnem o sentmento do conimiseracllo pa-
ra com a humanidadedesvalida forma o objeelo que
inais oceupa o seu generoso coraco hajam de con-
correr para que se realise naquejle di* o seu impre-
terivel andamento.
-- Na rua Direita, n. 30, primeiro andar, fazem-
se flores de todas as qualidades, por prego com-
modo.
Alugam-se e vendem-se tanto a rctalho como
I aos centos muito grandes e boas bichas, chega-
dss de Hamburgo : tambem so vilo applicar para
mais commodidade dos pretendentes: na rua es-
trella do Rozario loja de barbeiro, n. 19, defronte
da rua das Larangeiras.
OITerece-s una preta forra para ama de casa
do homcm soltero : quem precisar dirija-se a rua
do Fogo, n. 49.
AO PUBLICO.
m
49*
O doutor Alexaudrede Souza Peroira do
Carmo, medico mudou sua residencia
para a rua larga do Rozarlo n. 12, segun-
do e terceico andares do sobrado onde lem
botica o Sr. Jos Mara Goncalves Ramos.
@a@
Precisa-se de um amassador que entenda da
sua obrigaeflo : na padaria de urna s porta, junto
no sobrado, na pi aea da Santa-Cruz.
-Aluga-se a casa terrea n. 3 da rua do Jasmm,
por detrs do San-Gonzalo, na Roa-Vista, com quin-
tal e cacimba, propria para familia : a tratar na rua
do Apollo, n. 22, segundo andar.
Precisa-se de um bom amassador : n nadara
das Cinco-Puntas, u. 30.
Acaba de ser impressn na typographia UniSo e
achar-se-ha a venda na [iraca da Independencia; lo-
ja de 11 \ ros c na da esquina da rua do Collegio, no
dia to do correte, um folhelo de ''i, paginas, era
formato grande, intitulado Justa precitado do
predominio do partido praieiro ou historia da dominn-
fdo da praia.
Este impresso.be a resposta de um extenso artigo
ilo Diario-Novo, quoapraa, reduzindo iqui a folhe-
to, fez este anno distribuir lana corlo pelas cama-
ras legislativas, repartieres publicas, o at pelas
hospedaras, botiquins, tic, em o qua) foi atroz-
meiile calumniado o partido da opposicjlo : conten
a refutado cbmpleta dessas calumnias, cujo traba-
Ibo tinlia sido comisado no 1.1dador ; e traz a his-
toria resumida c documentada do dominio feroz do
partido da praia contra seus adversarios. A persc-
guieflo dos cidadilos o invasflo do direito do pro-
priedade exercidas pela polica da praia ; a delapi-
dacflodas rendas publica da "provincia ; o abando-
no dos melhoramentos materiaes da mesma ; a ole-
vacilo da despeza provincial a mais de 250 contos
de rs., com creaces deempregose favor aotamigos;
a oppressflo o desfavor ao eommercio c lavoura ; a
perseguieflo da imprensa ; a recordagflo das inju-
rias e ataques que outr'ora o partido da praia nos
seus escriptos dirigi a monarchia e a possoa do mo-
narcha ; o assassinato exercido por conta d'auto-
ridade publica pelos actuaes agentes da polica ; os
atienta los contra as pessoas o as cousas sagradas,
&c, ac.; eis quanlo refere o mencionado folhelo.
'Vqndc-sc pelo mdico preco do mil ris, para que
assim se facilite a sua leitura aos nossos compro-
vincianos, e possa compensaren! parte a grande des-
peza feila com a impressflo, atiento o avultado nu-
mero dos exemplares tirados para a distribuicito
gratis que do mosmo folhelo se vai fazer pelas pro-
vincias do imperio.
Vende-so urna prela de nacflo por 370,000 rs.:
na ruado Hnrtas, n. 110.
_Vende-se, para engenho ou nutro qualquer ser-
vico, um negro de nacflo, de 20 a 24 annos, sadio e
forte : na rua da Senzalla-Nova, n. 4.
,-----------r-
Comj)ras.
Compra-se urna carroca para cavallo, com os
competentes arrotos, sondo usada, leve, e em bom
estado: quem livor annuncie, para ser procurado.
Compra-se urna mosa para mco de loja de 9
a lo palmos de eiimprinieiito e 6 do largura pouco
maisou menos : no Aterro-da-lloa-Vista, n. 24.
Compra-se, ou permuta-sc por um sitio peque-
no e pertodo bando, outro distante desta praga urna
legoa : na rua do Pires, n. 19.
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Vendern-se bilhetes e meios ditos da
8. lotera a beneficio da construccao e
reparo das matrize* : na rua da Cadeia,
loja de cambio, n. 38, de Manool Gomes.
Vendo-sea venda da rua da Cadcia do Recife,
n. 8, com poucos fundos : a tratar na mesma venda.
Vende-se urna escrava de nacAo que cozinda
o ordinario de urna casa de boa lavadeira e onten-
de de todo o servico de campo : na rua da S.-Cruz,
n. C6.
Vende-se bolacha de farinha de primeira qua-
idade a 14 patacas; dita de segunda qualidade a
8 patacas ; farinha do trigo, propria para cbapelei-
ros a 2,500 rs. a arroba e a 80 rs. a libra : na a li-
tiga rua dos Quarteis, n. 18.
- Vende-se una venda com poucos fundos e
em muito boa rua, sita na Boa-Vista i quem pre-
tender dirija-se ao Mauguinho, na venda do Mis-
quita.
A ROSEIRA-
Acaba de chepar do Lisboa rua Nova, n. 11, lo-
ja de Guerra Silva & C, rom este titulo, um bonito
romaneo, traduzido do francez por urna senhora
pnrtugueza.
He esta pequea obra urna especie de compendio
de religiflo e boa moral, porquo nella, dcbaixoda
forma de romance, se inculca o amor e obediencia
aos pa9; mostra-sc a recompensa que Dos da seni-
pre aos bons filhos ; o ao mesmo tempo se inculca
tambem a virludcda gratidflo. ese mostra com um
bem expressivo exemplo o castigo que recebem os
ingratos.
He igualmente este romance mu
servir de um bom livro de leitura as
marias de ambos os sexos; e por isso o recommen- anuos', por 300,000 rs. ptimo para" um s
damos nflo so aos pas de familia para instruccito rua do Passeio loja n. 19.
do seus filhos, porm aos mostrea e mestras da ins-
truceflo primaria. Vende-se por640 rs.
Vende-se a bem condecida e superior cham-
panha da marca cometa ; vinho da Madeira engar-
rafado ; cha hysson e perola em carnudas de 7 a 10
libras cada urna ; bom papel de copiar em machina:
ludo chegado rccenlemcnte a esta praga : na rua
do Vigario, n. 4, armazem.de Rothe & ISidoulac.
Vende-se urna porclo de caixilhos envidracados
Loja de 6 portas.
He s na loja de 6 portas da esquina do Livra-
mento quo ha vestidos do cainbraia com bico e
ronda, a 4,000 rs...
> a rua dos Tanoeiros. n. 5,
vendem-sodous escravos do 20 a 28 annos, proprios
para todo o servico, e duas oscravas do SU a 28 an-
uos, quecosem chflo e entendem soffrivelmente de
cozinda, lavm e fazom toda a qualidade du lu-
cos e rendas. Vendem-so por commodo preco, por
ser para um pagamento.
- Vendem-se diversos escra-
vos mocos e de boas liuras, che-
gados prximamente do Cear ,
sendo negras, mulatas costurei-
ras, lavadeiras e cozinheiras; mu-
latos, negros e molequeS, proprios
de todo p servico : na rua do
Crespo, loja, n. 2 A, se dir quem
vende.
Vende-se a melhor venda da rua Imperial, n.
45, por sen dono ter de ir a Portugal: o compra-
prador tem a armacio da dita venda a seu favor,
por ser do proprielario.
Vende-se urna morada de casa de 3 andares, si-
ta na rua do Queimado, n. 9 : quem a prelender
cntenda-se na loja do mesmo.
No arma/.em do Bragucz^ na rua da Cadeia, von-
dein-so barricas com superior farelode Lisboa, e di-
tas com uozes por commodo prec,o.
MOIIILIA.
Vonde-*o urna poreflo de trastes novos c quasi no-
vos ; lougas c crystacs ; uina mulatinha de 4 an nos;
um moleque de 7 annos ; caixas com vinho de Bor-
deaux Colares Lisboa, Porlo e Madeira : tambem
algumascaixas do cera do Rio-de-Janeiro : tudo
muito barato em virlude do retirada: para ver c
tratar na rua da Senzalla-Velda n. 110.
Ol que grande pechncha !
Na rua Nova loja n. 8 vendem-se
cb;ipos de palba, para senhora, a a.ooo
rs. A elles, que sao poucos e nao che-
gam para todos.
Vende-se urna preta de idade, por 200,000 rs.,
lestreitas, para toncas de meninas ; cinturas e gra-
valinhas de lilas superiores, para senhoras; colla-
rindos o camizinlias bordadas ; cambraias lisas o
bordadas n-ancezas, muito alvas c finas, para vesti-
dos ; corles bordados ; bicos largos c estreitos de li-
nlio verdadeiro ; ditos de imitaefio; rendas debi-
os ; entromeios bordados ; ricos lls do bico, pro-
prios para mantas o visitas ; toncas para senhoras
bonetes de montara ; visitas de bico ; creps de cS-
ros; bicos pretos verdadeiros; bicos e rendas de
blonde; filos de seda e de liaho, braiicos e pretos;
cassas brancas ; luvas para senboras'e meninas ; leff-
cos de mito ? trancas pretas; larlatanas brancas e de
eres ; chales c mantas de lita de ricas cores ; veos
de montara ; sedas de todas as cores, para chapeos
do senhoras ; conloes de seda ; trancas estreitinhas,
para enfeitar vestidos de meninas ; retroz o lindas
de todas as cores ; bolOes de passeinenteria, e mu-
tos oulros objectos de moda, e por muito barato pre-
co. Ma mesma rasa fazem-sesempre vestidos de ca-
samento e chapeos de senhora, da ultima moda, e
por prego cuiiimodo.
muito forte serve bem urna casa e vendo na rua
urna preta moca do muito boa figura que coz-
propno para nha eengomma ; um moleque de 10 annos, muito
escolas pri- ],ni0 ; um mulatinho de 10 annos : um preto de 35
to : na
[iroprios para armac3o do loja, cem muito bom os-
ado : na rua do Livramento, loja de fazendas, n. 34.
Na nova loja da rua da Cadeia
i< Recife u. 52, de Claudi-
no Salvador Pereira Braga,
vendem-se bellos e riquissimos cortes de princesi-
na, a 7,000 rs. : asseiados e galantes cortes do cath-
bmi de seda bordada a 11,000 rs. ; cambraias de
cures, do delicados padroes a 560 o 640 rs a vara ;
Sreciosas mantas de seda para senhora, a 13,000 rs.;
ndissimas luvas de pellica enfeitadas com tranca
e bolotas de seda a 3,200 rs. o par ; delicadissi-
mos chapeos de sol, de seda de lodas as cores, pa-
ra senhora, a 4,500 rs.
Vendem-se apolices da extincta companha de
Pernambuco o Parabiba, por preco commodo, no
escriptorio de Manoel Joaquim Ramos c Silva-
Vende-se sal do Ass a bordo do biiyue feliz :
a tratar com o proprietario, Firmino J. F. da Roza,
rua do Trapiche, n. 44.
------Vendem-se eneiles de froco de di-
versas cores para calieras na loja de Maya llamos & C, rua Nova,
n. G
Vendem-se espadas ticas, para olli-
ciaes e oflicises superiores: na rua No-
va, loja de fcriagens, n it.
Vende-se um preto do naco, multo robusto ,
bom ganhador de rua e do servico de casa e cam-
po do qual entende muilo nflo lem vicios nem
achaques: vende-so para se comprar um moloque,
ou urna negrinha tambem se troca nao temi vi-
cios nem achaques : na rua da Concordia passan-
doa pontezinha ,a direita, segunda casa terrea,
se dir quem vende.
Na casa de modas IVancczas
do M. Miirpchau,
no Aterro-da-Boa-Visla, n. 1, primoiroandar, do la-
do dochafariz, vendem-so chapeos de palha da Ita-
lia, muito fina o alva, ditos de dita aberla, ditos de
dita de arroz e outras, para sonhoras; chapeos re-
dondos, proprios para garantir do sol; ditos de pa-
lha fina da Italia, para menin'as ; ditos de dita e-ho-
ll, para meninos ; chapeos de seda e crep, para
senhoras; fitas e flores muito ricas, decores e qua-
lidades, para enfcites de vestidos e chapeos; fitas
.v o vji .ir o n jr a*jt
com acompanbamenlo do piano: vende-se na rua da
Cadeia-Velha, loja n. 31.
Vende-se um negro perito offical do sapateiro,
de idade de 20 annos, e urna negra cozinbeira, cos-
tureira, lavadeira e engommadeira, de i.lado de 23
annos pouco mais ou menos : na rua estreila do Ro-
zario, n. 43, secundo andar.
Ao hom tom Pernamhucano.
Vendem-se ricos corles de sedas brancas. para
vestidos de noivas; lindos bicos de blond blancos;
guarnieres do f|6r69 brancas, pitra vestidos ; lindos
leq ues, dos mais modernos que ha ;. fil de lindo li-
so, dos mais linos quo tem viudo; bonitos corteado
cambraia de seda; ricas fitas de setim, lavradas,
proprias para ornamentos de veslidos e chapeos;
damascos de todas as COTOS! a melhor sarja preta,
que tem viudo an mercado ; bicos de blond pretos ;
veos pretos do linho; ricas luvas de pellica do
meio braco com oiilcilos ; ditas curtas com burra-
cha e enfeitcs ; ditas para homens chapeos pretos
france/.es, para homens; ditos de sol, de soda fur-
ia-cores, para homens; crep de todas as cores;
sedas de lodas as cores, para chapos de senhoras;
ricas maulas desuda*, para senhoras ; ricos chales
de seda, do melhor gosto; merino preto muito li-
no ; sapatos france/.es, de lodas as qualidades ; Lin-
ternas de ps de vidro, lavradas o lisas, de muito
bom gosto, e outras militas fazendas do gosto, tudo
por proco mais commodo do quo em oulra qualquer
parte : na rua Nova, ti. 8.
Vende-se, na ni da
Cadeia, u. 37,ceraem ve-
las fabricadas no Rio-
de'Janeiro, em urna das
melhores fabricas em
caixas pequeuas, sorli-
IsS mentos.no gosto do com-
prador, e por preco mais
barato do que em oulra
qualquer parte.
Vendem-se, por precisflo, duas negras, sendo
urna de 20 anuos, que cozinha, lava e engomma li-
so, e oulra de 30 anuos, que sabe cozinhar o dia-
rio o vende miudezas ou outra qualquer venda,
ambas de muilo boa figura; um moleque de 11 a
12 annos, que entende bem de urna casa, e cozinha
o diario: todos estes sem o menor defello e muito
sadios, dosquaesse ahanca a conducta : no pateo
da Santa-Cruz, n. 14, se dir quem vende.
Vende-so ou Iroca-sc o sobrado de 2 andares
da rua do Amorini, n. 14, por casas torreas no bair-
ro da Boa-Vista : quem pretender dirija-se ao pateo
da Santa-Cruz, n. 14, que achara com quem tra-
tar.
SSSF.
Manoel da Silva Santos vende barricas
de farinha de trigo da marca SSSf, ch-
gada no ultimo navio a esle mercado.
Vendem-se, noarmazcm do Dias Ferreir ,
junto as escadinhas da alfandega os seguintes g-
neros por commodo preco e de superior qualida-
de ; caixas com passas ditas com ameixas, ditas
com figos, potes de uvas ancoretas com azeito-
nas de Elvas barricas com sardinhas ; ditas peque-
as com ditas o batatas a 1,000 rs. a arroba.
Aos Srs pharniaccuticos de
bom gsto.
Chegaram a livraria da rua da Cadeia-Velha, n.
31, lindas colleccOes completas de letreiros para vi-
drose potes do botica, contendo 695 rtulos, m-
pressos em bom pupel do cor, lustrosos e superio-
res em qualidade aos quo veem de Londres. Impres-
sos no Itio-de-Janero na lythohraphia do eommer-
cio.
Vendem-se toalhas e guardanapos
de linho de lodos os tamaitos, por mui-
lo diminulo preco : na rua do Gabug,
loja de miudcas, n 4.
Vendem-se 300 e tantas esleirs do Aracatv, a
240 rs., muilo limpas, js una porc.io de courinhos
lustrados, a 27,000 rs. o cenlo ; na rua dos Tanoei-
ros, o. 5.
I
MUTILADO


m

A
.

V
Restam slguns escravos por se ven-
cieren, milito baratos, e todos de bonita
figura, pois he para se fecharem as con-
tas dcsle anno : um lindo negro pega de idade de 20
anuos, do nagflo, hpm canoeiroe cozinheiro ; um
dilode 16 annos, crioulo, ptimo para um pagem,
|)or ser bastante ligeiro; um dito de idade de 25
annos, pcrfeito oflicial de sapatoiro, este vende-se
muito emconta. por tcr um pequeo defeito ; um
mulato de idade de 35annos, de milito boa conduc-
ta, bom para tomar conta de um sitio, por 360,000
rs.;.dou8 negros muito fortes e de bonita figura,
de idade de 22 annos; um dito de nagito, bom ga-
nliadorderua, e quo sahefazer todo o servico do
urna casa, por 3*0,000 rs.; um dito por 400,000 rs.,
anda moco; um dito por 200.000 rs.; urna negri-
nha de idado de 20 annos, quo cose ptimamente,
faz lavarinto. engommn oeozinha ; urna dita de 26
annos, perfeita coznheira o engoinmadeira; urna
mulata de ptima conducta, por 450,000rs. ; urna
negra por 200,000: na ra das Larangeiras, n. 1*.
segundo andar.
KVende-se um lindo escravo de nagito Angola,
com 30 annos de idade e de excellente conducta :
lia ra estrella do Kozario, primeiroandar, n. 3t.
A 4^200 Rs.
Na loja de Guimaraes Serafim &
Companhia, rua do Cres-
po, n. 5,
vendem-se chapeos de sol de se-
da para homem, pelo barato pre
code 1^200 rs cada um.
Vende-se cbampanha de muito superior quali-
dade recentcmente rhcguda na rua da Cruz,
Vende-se una venda na rua Velba, na esquina
da travessa de Joio-Francisco, n. 70 : a tratar na
nicsma.
Vende-se urna porgflode gomma muito Iva,
por junto ou a retalho, o por commodo prego : na
ruado Moras, venda n. 1.
Vende-se ou troca-se um cavallo alasto, mui-
to manso e bom carregador baxo e nasseiro na
rua Velha, sobrado, n. 18.
gou novo sortimento do de 800 rs. a vara o as po-
cas com 18 varase meia : anda contina ha nave1-
do de 600 rs., e hamburgos finos': estilo se aca-
bando ns guardanapos de linho a 800 rs.
Casimiras clsticas e finas a
7^000 rs.
Vendcm-se superiores casimiras elsticas, Gnas o
do coros, pelo baratissimo prego de 7,000 rs. o cor-
te decalca. Esta fazonda he recommendavel pela
sua qualidade tanto em fazonda como em gostos ,
porserem os mais modernos; casimiras prctas
superiorfazenda porserem muito finas a2, S
3,500 rs. o covado : na rua do Gpllegio, luja n. 1.
sopouiuioo RoSajd jod
opm : 8ap8pn.nb se sepoi ap sepuazej ap ojuaui
-lijos ojaidujoD uin *sepii9ZBj sejsap uia|n o opiiA
-03 o #s.i oC ap o.\a.nl oieieq o|od ajouadns sou
-und ap o sojnasa sexg sajo? ap 'saoiped gopuii ap
' CICA i.'iun ui.ii anii ir.inn 11: | im.m:im[< nxi.iixa ens e|
-od 'sojjsuoui sopBimiiiit sopeSsu soaou so as-uiod
-U8A Biquediuoj 19 uiUBjassauBuima ap foi b.sj
s().i|siio(u sopeas;}i
S3J
-oi|U9(| ajqos sbjisouic se as-oBp
:uin pea 'sjqq^ op oteidojej
eq ojad 'apepp x)sau opiaajedde
uiaai anb soDu sieui sojsoS a saojp
-ed sop cjs.> epuazej 'saeiJadun
sbssbo ap sajjoD soou as-uiapua
'5 ti 'od
-s&K) op enj 'cupiuduio^
2giuijBja< saBJcwin) ap efoj bjj
eaBtjadiui sbssbo sbaou sy
Vende-so um rico presepe novo, por barato
preco : quem quizer dirija-se rua do Matriz da
Boa-Vista, n. 10, que adiar com quem tratar.
Q%I*!*|* Q!0 10 fe ? Ql? W**mi<9Q
'61 Vendem-se cortes decassa ecambraia de se- S
% da, a 9,000 e 10,000 rs. ; ditos do novse ri-
0 eos padrOes, a 14,000 o 16,000 rs. chapeos
5, de niassa, francezes, da ultima moda ; risca-
O dos francezes para vestidos de senhora ; no-
vos cortos do cassa-chita; eoutras muitas fa-
t> zendas de goslo, proprias para o lempo de
* Testa : ludo por menos preco, do que em ou-
t ir qualquerloja : na rua do Queimado, nos S
fe quatro-cantos loja da casa amarella, n 29 a
a* S
o#l%*fe^lfe*!* da em 0^ 0 fe em em
Pannos finos.
Vendom- se superiores pannos finos, a prova de
limSo preto, a 3,000, 4,500, 5,500 e 6,500 rs. ; di-
to azul, a 3,000 rs. ,e muito fino, a 4,500 rs. Estes
pannos s!io novos o pela sua barateza, attondendo
asuaboa qualidade, tornam-se recommendaveis
.Vi rua do Collogio, n. 1.
He s na loja do nicho que
apparecem estas pechinchas.
Na esquina do Livramento loja do nicho, ven-
dem-se mantas para senhora a 1,000 c 2.000 rs
setim branco de llores, com duas larguras, a"
1,280 rs. o covado ; riscadinhos chinezes, rom lis-
tras de seda, a 360 rs. o covado ; chales muito aran-
dos de garca e seda a 2.000 rs.; loncos grandes da
mesma fazenda .a 1,000 rs.; ditos escocezes de
bonitos gostos a 200 e 320 rs.; e outras militas
pechinchas novas chegadas de proposito para a
JCStfli
Pechinchas para a festa.
Vendem-se bonetes para rao banho a 360 rs
n3o pode haver mais barato : no Aterro-da-ltoa-Vis-
ta loja n. 78.
'ao de patente, e smente se
vendem no Aterro-da-Baa-
Vita, loja n. 78,
excellentes bonetes do verdadeiro marroquim pre-
to e cor de ganga de modelo muito engracado ,
obra franceza cujo gosto pode ser bem avallado
vendo-se a fazenda, e sao tSo docentes que poden!
merm de cores bordados o de excellentes gostos
LOJA v
DEG PORTAS HJ2
Nesla loja das pechinchas, vendcm-se pan-
nos finos, a 2,500, 3,000 3,500 0 4,000 rs.,
e muito lino, prova de limito a 5, 6 o 7,000
rs. ; casimiraa de duas larguras, a 1,500 e
2,000 rs o covado, e muito superior, a 3,000
i c 4,000 rs. ; cortos de selim e de velludo
paracollete, a 2,000, 2,500 e3.000,rs.; man-
I tas de selim para homem, a 2,000 rs.; um
graudesortimenlo de madapolOes, chitas
c outras muilas fazendas para a fosta por
baratissimo preco, para acabar antes do ba-
taneo.
Na loja nova da rua d > Quei-
mado, n. II A, de Rayimin-
do Cario* Lcite, a 2 400 rs. o
covado.
Alm de terum completo sortimento de fazendas
linas e grossas, pelos precos mais rasoaveis possi-
veis, ha casimiras Usase elsticas da melhor qua-
lidade que tem vindo a este mercado, a 2,400 rs. o
covado; bom comode listras, a 4/, 8/el0/000 rs
o corte.
Vendem-se pecas de madapolilo limpo, com
20 varas, a 2,500 rs. ; pecas de chitas escuras mui-
to encorpadas, fortes e de cores II xas, a 5,500 rs.
ea 160rs. a retalho: na rua estreita do Kozario,
n. 10, terceiro andar.
Vendem-se vinhos verdadeiros, de
diversas qualidade, muito fuperiores, e
bem conhecidos ; tambem ago'ardente
cognac e cerveja em barricas e engarra-
fada sendo propria para armazem e
para gasto particular da festa: na rua do
Trapicbe, u. 4o.
Vende-se, ou troca-se por casas nesta praca, um
terreno com 412 palmos de frente e 150 do fundo,
sito por detrs docovontodo Carmn a tratar com
o seu proprietario no Manguinho segundo sitio
depoisda capella de S.-Jos.
U BARATEIRO.
Ra nova loja da rua do Cres-
po ao p do arco de S-An-
tonio. n.4, de Ricardo Jos
d Freitas Hibeiro,
vendem-se casimiras a turca, de urna s cor, fa-
zenda inteiramente nova empadrOes e qualidades
e quetem urna elasticidade que se nao encontra
nessas outras casimiras vulgares.sendoestasapplau-
siveis tanto para calcas como para excellentes pa-
litos por terem duas larguras eo seu preco ser
4,000 rs. o covado e o corte de caigas 7,000 rs. Igual-
menta ha lencos de 3 ponas de cambraia com cer-
cadura de cor e palmas bordadas, proprios para
pesclo de senhora a 120 rs. cada um; cortes de
cambraia adamascada, do bonitos padrOes e com 7
varas, a 4,000 rs.; ditos de cambraia com listras as-
sctinadas brancas c com 7 varas, a 3,500 rs.
DEPOSITO DE CALY1RGEM.
Na rua do Trapicbe n. 17, ha sem-
pre cal virgem de Lisboa, em barris pe-
Admiravcis navalhas de ac
da China,
NA RUA LARGA DO ROZARIO, N. 35 LOJA DO LODY.
Estas navalhas teem a vantagom de cortar o
cabello sem offendora pelle, deixandO a cara pare-
cendo oslar na sua brilhantemocidade. Este ac he
da China e seu autor ho Shan. Por todas as socie-
dades das scinncias medico-cirurgicas tanto da
Europa cmoda America, Asia e frica he reco-
nhecido o usodests navalhas maravilhosas, nSo s
para prevenir as molestias cutneas a que a huinani-
dade eSl subjeita; mas tambem como um meio de as
curar.
Vendem-se as verdadeiras s na loja cima ndi-
cada.
\'o Aterro-da-Boa-Vista, n.78,
vende-se bauszinhos de pao com lindas pinturas e
que servem para guardar roupa de crianzas e costu-
ra, do ;O a 2,580 rs.; Bonetes de velludo para me-
ninos ; sapatos para senhora, a 1,000 rs.
Na rua da Cadeia-velha, n.
29, loja de J. O. Elster ,
vonde-se vinho do Porto, de diversas qualidades ;
dito da Madeira ; dilode Malaga ; dito de Sherry ;
dito de Carcavellos; dito de Tenerife; dito do Lis-
boa ; dito do Rheino ; dito de graves ; ditoSauter-
nc ; ditodo Bordeaux ; dito Chateaux-a-rosa ; dito
S.-Juliim; ilitoS.-Gcorge ; ago'ardente de Franca,
de varias qoalidadcs ; cherry-cordial; marraschi-
no ; licores linos; PTIMA CIIAMPANHA.em garrafas
inteiras omeias ditas; volas de composiSflo ; cha
preto c verdo de superior qualidade ; presuntos e
salames de liamhurgo; sardinhasem ltase vidros;
petils-pois em latas; mostarda ingleza e france-
za ; vidros com frutas em calda de assucar a espi-
rito ; agoa de flor delaranja; CHHRUTOS UE HA-
VANA E DA BAHA ; e outros muitos objectos : tudo
recentcmente chegado.
PARA A FESTA.
Xa loja nova da rua do Quei-
mado, 11. II A, dcltaymnn-
do Carlos Leite,
vendem-se os melheres chapos do Chili, que teem
spparecido neste mercado, a 16,000 rs. cada um :
tambem ha de 7,000, 8,000 o 9,000 rs.; mantas de
seda a 2,000, 4,000,10,000 e 16,000 rs. cada urna ;
11mnovosorlimeQto.de chapeos francozes; meias
pretas e grandes, para padre, a 600 rs. o par ; e um
completo sortimento do pannos finos, do todas as
cores, por preejos commodos.
Na rua do Crespo, loja n. 12,
de Jos Joaquim da Silva
Maya,
vendem-se muito lindos chapeos para meninas,
tanto de seda como depalhinha chegados ultima-
mente de Paris ; chapeos de seda para senhora ;
cortes de era mbraia do seda.de ricos gostos, por
prego muito commodo; cortes de vestidos de cam-
braia e cassa-chitas de differontes qualidades, por
precos baratos; ditos com urna pinta de mofo e
sem elle a 2,000 e 2,500 rs. cada corte ; mantas de
seda e lila para senhora das mais modernas que
teemvinde a esta praca, a 5,000 rs. cada urna;
mantas chales de eda de varias qualidades e ba-
ratos; alpaca prcta, a 800 e 1,600 rs. o covado;
panno de linho, a 400 rs. a vara; casimiras fran-
cezas o elsticas para caigas a 5,000 rs. o corte ;
lustoes; setinse velludos para collete, por prego
muiloem conta ;.beni como um sortimento de ou-
tras muitas fazendas, que so vendem pelo barato.
Vende-se um escravo do 20 annos, com odie'
de pedreiro; um moleque do 12 annos ; urna ni"
grinha da mesma idade que cose chito; 4 muan
nhas de 14 annos, que cosoin e engommam liso
cscravas de bonitas figuras : na rua Direita, n. $
A venda reformada toda do novo, defronte (|
matriz da Boa-Vista, n. 88, convida a todos os son!
freguezos a coniprareih os superiores o novos gene
ros, por prego o mais commodo pssivel, a saber^
vinho do Porto engarrafado a 400 rs. ; dito de Lis
boa I'RIl, a 240 rs ; dito do outros autores a 200
rs. ; dito branco a 240 rs. ; vinagre, a 100 rs cer
veja a 480 rs. ; azeite doce, a 500 rs.; dito do co-
co a 400 rs. ; dito de carrapato a 40 rs.; macar;
ru alotjia e talharim. a 300 rs. a libra ; passas
240 rs.; figos, a 240 rs. ^ ameixas a 240 rs. ch
liysson muito superior, a 1,600,2,150 e 2,300 rs
libra; chourlgos, a 480 rs. a libra; paios a 24o
rs. cada um; manteiga ingleza, a 800 rs.; dita fran-
ceza a 600 rs.; queijos flamengos, a 1,400 rs
sabSo hespanhol, a 240 rs. ; dito inglez, a no r.'.'
u/es u 60 rs. ; amendoas, a 240 rs.; espermac-
te ameriacno a 800 rs.; dito francez, a 700 rs.; bo-
Iachinhaingloza,a2l0rs.: em todos estes pregas I se
faro abates comprando-se porgSo mais avultada o
que tudo se far com muita promptidaoe asseiad'a-
mente.
Vende-se a venda do pateo da S.-Cruz, n. 4
com boas freguezias e com os fundos a vontade'
do comprador, a qualjhe muito propria para um
principiante, por ser muito barato o seu aluguel:
a tratar na mesma. venda.
Vende-se um tanque de madeira tendo o di-
to duas follias de urna canoa que servem para se fa-
zer urna barcaca ; tem mais urna canoa grande de
conduego d'agoa : noFortc-do-Matto?, rua da La-
pa sobrado n. 13.
Vendem-se 3 escravas recolhidas, de urna fa-
milia que se retira para a ICuropa, a saber : uma bo-
nita parda de 20 annos; duas raparigas de nagito
de 18 annos : todas cosem o fazem vestidos e cami-
sas de homem engommam lavam e cozinham ;
porm a parda, alm disto, he perfeita em fazer la-
varinto e retida : todas teem sido recolhidas e bem
educadas : na ruada Cruz, no Recife, n. 49, se dir 1
quem vende.
Vende-sc um barcaga de loto de 600 arrobas,
j usada, por prego commodo : na rua das Cruzes,
n. 90.
Escravos Fgidos.
Potassa,
Vende-se potassa da Hussia a
nova que hoje existe no mercado
rua da Cadeia-Velba armazem de
tar e Oliveira.
mais
: na
Bal-
rpienos, e ltimamente chegada mui-
to superior e por preco rasoavel.
AGENCIA HA FUISD1CAO' DE LOW-MOOft.
Na rua da Senzalla-Nova n. 42, continua a haver
um completo sortimento de mondas e machinas de
vapor para engenhos de assucar : bem como tai-
xas de ferro balido e coado de todos os tanianhos:
ludo por prego commodo.
Itelmiras.
Na lqja nova da rua do Quei-
nado,n. ti A de Kayinun-
do Carlos Leite vende-se a
1,000 e l,<200rs.
a vara de um excellente panno de linho que che-
varas : tambem se vende a reUlho; assim com che-
Vendem-se superiores cortes da fazenda nova
denominada belmira para vestidos de senhora
pelo barato prego de 4,500 e 5,000 rs. o corte. Esta
fazenda he nova e de muito sublimes gostos, sen-
do as suas cores mu apreciaveis por serem cor de
lino, rosa eperola. A elles, antes que se a cabe ni
Na rua do Collegio, loja n. 1.
- Vendem-se caixas de cha hysson, de 13 libras,
em porgOes ou a retalho : na rua da Alfandega-
vclha, n. 36, em casa de Matheus Austin & C.
Clieguem que eslo se acabando
os sapates de bezerro para homem, a 1,280 rs., e as
bengalmhas para passeio a 320 rs. :no Aterro-da-
Boa-Vista, lojan. 78.
Na nova loja da rua da Ca-
deia Velha, n. 32, deClaudi-
no Salvador Pereira Braga,
vendem-se lengos de cambraia de linho, bordados,
para m5o de senhora a 4,000 rs.; luvas de seda de
cores, sem dedos, o pretas enfeitadas, para se-
nhora, a 1,000 rs.; ditas compridas sem dedos,
pretas e de cores, enfeitadas, a 1,500 e 1,700 rs.;
lengos de seda para aiibeira a 640 rs. ; suspenso-
rio de seda a 880 rs.; bengalas francezas, de jun-
co envernizado, a 880 rs.; e outras muitas fazen-
das por prego commodo.
Na rua do Trapiche, armazem n.
34, de M. Mernel, vende-se o
se^uinle :
salame fresco; presuntos de Weslphalia; licores
superfinos o superiores a todos que teem chegado
amigamente ; coraeflo verdadeiro de llollanda; an-
chovis muito fresco ; absintho da venladeira marca
e kirscnwasser da Suissa ; wermouth; fruclas em
ago ardente ; conservas de petils-pois e sardinhas ;
ditas inglezas em vinagre ; consorvas de bajes
schnttbohnen)em poles muito frescos, chegado
no ultimo navio de Hamburgo; licor de kirsch em
meias garrafas brancas de superior qualidade; as-
sim como todas as qualidades do vinhos, ago'ar-
dentos, conservas de carne, etc.; charutos regalos
de Havana; e muitos outros objectos de superior
qualidade o por prego maiscomiuodcaue em aual-
queroutra parte. M 4
Na rua da CadeiaVelha n. 29,
loja de J. O. Elster,
vcndem-se bilhelos o meios ditos da lotera a bene-
ficio da ConslrucgSo e reparo das matrizes da provin-
cia do Rm-de-Janeiro. Adverte-se aos amantes da for-
tuna, que at odia 20 do Correte ja pdenlo gozar
do premio que por sorte Ihes sahir : o como j res-
la ni poucos bilhetes, por isso so annuncia
- Vende-se uma cabra, ( bicho) com leite, e que
he muito mansa para criar meninos : na travessa de
S.-iose, na loja do nico sobradb que ahi ha.
Fugio de bordo do brigue Con/tanca, na noito
de 30 de novembro passade, o escravo marinheiro
denome Jos, de nsgo Cabrio; representa 30 o tan-
tos annos; de estatura, baixa; sem barba; levou
caiga de brim, camisa de algodo e barrete, e assim
mais uma caiga de casimira amarellada, camisa de
chita e uhs sapatos. O dito escravo sabe todos os lu-
gares da provincia, e assim como os do fura della,
ej foge por habito, visto que no anno prxi-
mo passado tambem fugio de bordo do brigue Men-
tor, e foi capturado para as partes de Porto-Calvo,
aonde se iuculcava por forro: ello pertence ao
Sr. Jos Mara de S, negociante no Rio-de-Janeiro.
Roga -se, e pede-sc a todas as pessoas e autorida-
des policiaes" a sua captura, certos de que quem o
trouxer a esta praga aos abaixo assignados, receber
boa gratifigilo.
Amorim Irmot.
-- Fugio, no dia 26 do passsdo a escrava There-
za crioula de boa estatura, seccodo corpo, olhos
grandes e vivos, beigos grossos denles alvos e
bous, de 24 a 26 annos pouco maisou menos. Quem
a pegar, ou soube r a casa onde ella qsta acoitada
naja de participar a rua da Aurora ,.n. 12, quesera
generosamente gratificado.
No dia 10 de agosto de 1846, fugio urna mula-
ta, escrava, de nonie Mara, quetem os seguintes
signaos : estatura regular, bastante alva, olhos a-
gatados, cabello corrido, nariz afilado, denles al-
vos o limados; tem uma marca de verruga entre os
dous olhos, outra marca parda ao lado de uma das
ventas e outra marca de ferida as pernas ; o cor-
po descarnado. Inculca-se forra e o parece, pois
traja, ora de manta e chale,oora de limSo. easvezes
anda a par do mulato do Sr. Prannos. Esta mulata
he bem conhecida, por ter sido escrava da senhora
viuva do Sr. Baptista, cm cuja casa tem uma filha
captiva, e da senhora viuva do Sr. Uastos ; j este
na cadeia, no lempo daquella primeira senhora.
Tambem he bem conhecida do corpo de polica por
tcr andado com o sargento Padilha, o tem o apel-
lido deErna Macuca. Tem sido encontrada as
ras Direita e AssumpgSo, depoisdc8 horas da noi-
te, e na porta da igreja da Penha. Sabe-se que est
oceulta n"uma casa, onde lava o jengomnta. A
pessoa quo a tem ser em tempo competente res-
ponsavel por lodos os das de servigo desde que el-
la se ausentou. Tambem so tem visto entrar tarde
da noite na loja do sobrado da senhoia D. Josefa,
viuva ilo Lcitto, por causa deum seu escravo. Ilo-
ga-se, pois, as autoridades policiaes e a qualquer
pessoa quo a pegar, o favor de leva-la a madama
Knolh, no largo da Penha, sobrado n. 4, quo dar
100,000 rs. de gratilicagao.
Fugio do Tirri, junto ao engenho Algodoaes.ha
um mez, o escravo pardo de nonie Faustino, idado
32a 33 annos, levou um ferroso pescogo, mas ho de
supprque j o tenha tirado ; tem estatura regular,
rosto eomprido, faces encovadas, e signa) de j ter
sido acontado; foi comprado aoSr. Caldino Jos de
Aguiar, lavrador do engenho Buenos-Ayres, do cu-
rato do Bom-Jardim, termo dol.imoeiro. Roga-se
a todas as autoridades e ('apilaos do campo a appre-
hensilo do dito escravo, edilo-se boas ulvigaras a
quemo levar ao lugar cima dito, a entregara Mi-
guel Carocz Alvos Lima, ou nesla pinga ao seu se-
nhor, Gaspar da Silva Froes, na rua Bella, n. 40.
- Fugio, no dia 29 do mez prximo lindo, uma
escrava por nom Filippa, du idade de 22 annos,
fula, com mSos e ps grandes ; he bem conhecida,
por ter 0 brago direilo lodo manchado por haver
lujo um grande cobreiro, e na inflo uma cicatriz dq
um lalho; levou vestido branco, panno da Costa ja
vclho, e gancho ao pescogo, talvez o Ikasse : quem
a pegar lovc-a ao paleo de San-Pedro, n. 20, quese-
ra recompensado.
Desapparecen, do sitio dos Afogados denominado
Cortumo, um moleque do nonie Caetano, crioulo,
de 12a14annos do idade, quo tem os signaes se-
guintes: um pouco fula, o com falla de denles na
frente superior : quem o pegar leve ao mesmo sitio,
quo ser recompensado, ou na rua Nova, n. 18.
PfiRM.: NA TYP. DE at. f. 1)1 rABU. lo'*7*