Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08782

Full Text
Anno de 1847.
Sexta-fera 5
O I)llltlO puMioa-ic todo os diaf ij'ie nn
rern de guarid i o prer.o ta atijnalura lie del
PARTID \ DOS CORREIOS.
4*01)0 rs.poi qinrtel, fa-'n\ adianli (u. Os an-["oianrii cPariliibas sepjundm esextas felr...
nuncios dos assifinutcS1 s JO M. por liidia, Ifi'r*. a-n typo dilftrenle, e as
repeUjci gsla metida. O tus nio fireti S:-
iiniites pagarRo SO rs. por Multa, e I6i) em tvpo
diH'eraate, por :ada pulilicar-'io.
PHASES DA UUNUMG'ADR pE/.ENWtO.
I.ua ora, a 7, <.' doras e I!, minutos da jnanli.
Crescente a IS, i I liora6 min. d manh.i.
La chcia a21. i; i horas e 19 min da larde.
M.ngoauU a 59, s 11 hars e 19 min. da tarde. Segudda, aos !>i minutos da tarde.
(abo, sVritihetn, llio-Kormiso, Porto-Calvo o
M.mei.V no l.*, a 11 el I de cada mez.
(Irra.iltuiis e Bonito, a S o 23.
H>a-Vi-a e Flores, a U e 28.
Victoria, s quinlus-feiraa.
Oliuda, todos os dial.
PREAMAR DE MOJE
Primeira, aos 30 minutos da manhaa
'i ~~ 1
N. im:
das da sf.m\na.
29 Seg. S. Saturnino, And. do J. dos orpli. e
do J. do r. ila '.' v. edp'J. SI. da ? v.
30 Terca. > S, Andr.And. do I. do cv.
iln I. e do J. i!c paz do 2. iliM. ilc t.-
I Ounrta, S. l'.loy. A ud. do I. do civ. da?.
v. a do J. de Ht do 2. dist. de t.
5 Quinta. S. Uil'iana. And. do J. ele orpli.
a doJ. municipal da I. vara.
C Sesta. S. Francisco Xavier, Aml do I-do
civ. da l.v.e do J. ile pal do I. dist de t.
4 Sabhado. S. Rirbtra. Aud. do .1. dociv.
da' I. v. a do i. de paz.lo I dist. de t._
5 Domingo, (icraldo.
CAMBIOS NO DA 2 DF DEZEMflRO.
Sobre lAiidi-raa 21 d por II rs. a 60 da,
a P.iris 310 rs, por Iranco.
ii LisliAi O a |i. de premio.
Meso, de ledras Ha lioaJ frra.t I a 11* '/o an
Oui-oOlios Lespiiiliolas------VSiiiin a IS/Opo
Mned.iadi- 6| 100 vclli ni'ion a lOJOO
* deCjflni' uiiv lOfflOfl a 16/100
de 4*000..... 9/000 a Kjlftl
Prula Patacies.......... I#9X0 a 2|i0O
Pesdi columnares... 14040 a lj9Sn
Ditos mexicanos... 1/7C.0 a IJSC0
Miii.h............. 1*320 a 1/980
Acces da coui>. do Hcberilie de SOJ000 rs.aopar.
DIARIO DE PERNAMBUC
4%

r
PARTE OFFICIAL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE 1)0 DIA 8 DO PASSADO.
Offlcio A' cmara municipal desta cidade, trans,
mittindo, com -o nroprio subscripto cm tjue viera-
um oAlciodo coHegio eleiloral de Caranhuns, quo
nesse subscripto trazia endereco para presidencia,
e que, pelo seu corrtclo, so reconheccu virencami
nhado a mesma cmara.
Dito A'cmara municipal doGaranhuns, decla-
rando que deve mandar copias autbenticas das actos
daeleicBo dos eleilores do Ruique o Agoas-ReHas,
enffosmcnlo da apuraeflo tos votos, como prati-
cra.
Dito Ao bacharcl Benlo Jos doSouza, dndo-
le por inteirado de terS. Me. entrado no exercioo
.,o promotor.publico do termo do Brejo-, no dia 2
deste mez.
Hilo Ao administrador das obras publicas, or-
denando empreste ao da mesa do consulado um ma-
caco com o respectivo apparelho, obrigado ello, a
reslilui-lo no mesmo estado eni que o receber.
Participou-se ao administrador da mesa do consu-
lado.
DEM DO DIA 9.
OITleio Ao Exm. presidente das Alagas, aecu-
sando recebida a guiado ciruigiSo-ojudante, dou-
tor Manoel Adriano da Silva Ponles, que tivera pas-
segem do 1. batalhflo de cacadores para o a.' dear-
tilbaria a pe. Transmittio-se a guia a comman-
dante das armas.
Dito Ao inspector da tbesouraria da fazenda,
ordenando, nos lermos do decreto do 7 de maio de
1812, que vsupprindoa pagadoria militar com as
quanlias. que forom absolutamenta indispensaveis a
rubrica /Jnpesas extraordinarias al que o go-
veni') imperial se digne do providenciar a respeilo.
Commnicou-se ao commissurib-pagador.
Dito Ao comoiandaute tas armas, scientitlcon-
do-p de haver S. M. o Imperador mandado dar bai-
xa ao cabo d'esquadra do 6." batalbSo de cacadores.
Germano Antonio, por ter finalisado o tempo de ser-
vico, segundo allegou no requerimento que o Exm.
presidente das Aiagus iurumiara em 17 de maio do
correnle anno. *
Dito Ao commandante da corveta Dona-fran-
risca, ordenando receba a seu bordo c transporte pa-
ra as Alagoas a Caolano Itlauricio, desertor do I."
batalbilo de cacadores. Participou-sq ao comman-
dante das armas. '
DEM DO DIA 10.
OITlcJo Ao inspector da tbesouraria das rendas
provinciac's, ordenando faca indemnisar o carcerciro
da cadeia desta cidade da qtiantia do 597/751 "rs.
t|uo despende!!, no mez de oulubro ultimo, com os
presos da mesma cadeia. Doterminou-se ao com-
missario-pagador entrogsso ao precitado carcerei-
ro a somma de 133/720 ris para pagamento do que
se gastou, no referido mez, com os presos do Rio-
de-Janeiro, MaranliHo e Alagas, que se doslinum
ilha de Fernando; o participou-sc ao cbfe do po-
lica;
Dito Ao commissario-vaccinador, acensando j
remessa de copia do aviso de 20 de oulubro prxi-
mo lindo, oqual permiti que, nesla provincia, a
vaccinaco tenba lugar aossahliadns.
Dito Ao commandante da corveta l)on<\-b'rancii-
cr, ordenando que receba a seu bordo e transporte
para a corle, a entregar no respectivo arsenal de
guerra, os menores Francisco Caclano Madeira,
Francisco Muniz da Guerra e Manoel Jos do Bar-
ros. I'articipou-se ao commandanto das armas.
Portara. Itecoinmendando s autoridades lo-
raes perniitlam que Joaquim Antonio Rodrigues
corte vinto duzias do pranrlics do amarcllo as
maltas desta provincia. Olliciou-so a respeilo ao
inspector do arsenal de marinha.
EXTERIOR.
CRAN-imETANHA.
LONDRES, 13DEOUT11BRO
A djminuiciTo da recoita, nestn anno, monta a
1,6*2:268 librasesterlinas, c a do trimestre a 1,507:23
da mesma uioeda, comparativamente receita da
anno passado. O dficit ilo perto de um milbo pro-
vm de nSo haver j receber dinheiro da Gliina de
figurar tima somma enorme no reembolso dos adi'an-
tamentos, e da dimnuieflo que tove o imposto sobro
osjiquidos e oulros gneros.
Os rendimentos das alfandegas baixaram milito
no ultimo trimestre, em consequencia da importa-
clo dos graos, e por causa do subido preco dos l-
quidos eda covada, o quo obrigou umitas pessoas
que commerciavain na fezes de corvoja, a esperar
dias mais commodos. O consumo dos assucares nos
fabrcos deste licor, contribuio lambem para a di-
minuic:1o dos direilos das rozos.
(Moming Chronich.)
FRANCA.
PARS, 9 DE OUTUBRO.
Referindo-se a imfirensa de Pars aos aconteci-
mientos da Italia, cahe de erro om erro. Os iornacs
dcpois de terom sustentado por espaco de dous me-
zesque a Austria orcupou Ferrar, sem lencio de
intervir nos estados da igreja, pretenden! agora nor-
suadir que os austracos aevacuaram.
Averdade lio que, em conformdadodo convenio
concluido entro a Santa S o o governo da Austria,
as tropas austracas no devem evacuar Ferrara, o,"
por consequencia, entregar is tropas pontificas os
pontos militares que oceuparm em agosto prximo
passado. Emquanto ao mais, os Austracos conser-
varflo cm Ferrara a posicao <|uo conservam ha 32 ali-
os ; porque he assim quo se onlende o restabeleci-
menlo do ilalu quo.
Pelo que respeita entrega dos pontos militaros
que osjornaesconfundiam com a evacuado, posso
assegurar que, no 1. do oulubro, anda se nilo li-
nda verificado; nenia Santa S tiufia recebido ros-1
posta do imperador, relativamenlo ao convenio fol-1
nnncinm que o principe Rospigosi, commandan-
te desta milicia, j expulsara das fileiras dous mil
individuos, cujas ideas o procedimento nio nspi-
ravam conlianca ao governo.
Na terca-foira passada o enilnixador da Persia
foi fazer urna visita do cumprimento a M. Gusot,
o qual Ihe apresentou sua mili osuas lillias. Ape-
nas estas senhoras entraram na sala, o embaixa-
dor, lomando das nulos de seu secrolario varios
etiibrulbos cohollos com capas de seda, Ihea pe-
tlio, cm lingoa francqza, que nceitassem aquella
pequea lembranga. Os embrulhos cnutinliam cha-
Jes orientaes do grande preco, c perfumes da Per-
sia em frascos de ouro cravados de pedras precio-
sas. Oombaixador da Persia lencioua demorar-se
pouco tempo em Paiis : anda vai Inglaterra, e
para o principio da primavera tenciona yoltar para
Tehern, onde desempenhou as funecoes de pri-
meiro ministro.
O duque o duqueza do Montpensier tcnciona-
vam ir esta semana ao castello de Aero na Norman-
da, porm urna lsve ndisposicodo duque Irans-
tornnii esta jornada.
Verilica-sea nolica de ter sido nomeado M. Mu-
re t de llort para substituir M. Gnnin Gridane no mi-
nisterio do coinmercio e agricultura. M. Murel
anda nilo chegou a Paris ; porm espera-sc na se-
mana prxima, e ser entilo que so publique a sua
nomeacilo no jornal ollicial, M. Murct be o fun-
dador do jornal denominado O Conserrador, que
veio substituir /'rfs*e quando osla passou para a
opposicito. Na rcdacqo desta folha vilo tomar
parle antes da abertura das cmaras varios publi-
cistas distinclos, os quaes, tondo, como teoni,
sua disposigilo o capital de 600 mil franges, possu-
eni lodos os elementos necessarios para dar ao
jornal um porvir hrilhanto.
Chegou honteni a Paris o ex-rei do Wcslfalia, Je-
ron ymo Bonapatto; o governo permttio quo reco-
Ihesso sua patria dupuis do um desterro de 33
anuos Poucos dias antes linlia chegado o princi-
po do Morifarlo, seu fijho mais volito. Tamheni
chcgurain Iionlem'os Sis. Mono Pacheco.
( Corresp. par, do Heraldo.
( Diario do Governo de Lisboa.)
lo cutre o cardeal Ferredi e o conde de l.utzow, a po-
zar de nngucm duvidar da sanecilo imperial. A exe-
cuclo deste convenio .ser precedida da marcha de
300 Suissos para Ferrara, gom o lim de lomarein con-
tados pontos militares quo frcm evacuados elos
Austracos, Esta ordoin anda so u.ln deu.
He tambeui .inexacta a noticia de estar o gabinete
das Tulherias descontente pelo proceder de M. Ros-
t em liorna ; assim como lambem lie falso lerM.
Gusot aconselhado.a esto diplomata que solicite a
sua deniissio Pelo contrario, o rci eM. Guiaot es-
tilo muito salisfeitos por vereni quo ao procidemen-
ITALfA.
Cartas de Roma de 2du oulubro annunciavam que
o papa publicara naquello dia um decreto mola pro-
firi sobre a organisacffo do concelho municipal de
liorna, (|iin devia assumir o noine de senado. Esse
concellio fiavia do constar do 100 mombros, i'saber .
64 propriclarios, 32 letrados, savans, artistas, lian-
queiros, negociantos, etc.; e qualro representantes
do corpo ecelesiaslico. A municipalidade seria com-
posta de un senador ou mayor e de oito depulados
mayores, que deviaui ser pritneiramcnlc eseolliidos
pelo .'oveino, e depois cleilos pelo concelho. Os
inomhros desle doviam ser renovados annualuicnte
F(L
^ i
o duque: de guise. (*)
por 'f rcDenco )0ulie'.
PRIMEIRA PARTE.
V.
Tres homens sahiram da sala .- um dellfes pareca
ser rico burguez, o segundo traja va o vestuario de
barqueiro napolitano, o ultimo era sem tirar nem
prCarnioleScoppa.
Part, disse Guiso aos dous prmeiroi, edizei
ao puvo de aule que nesloa olodias serei Com
.elle.
Obrigado, serenissimo senhor, disso o bur-
guez.
Viva o duque do Guise, protector de aples!
gritn o barqueiro.
Censante fez signal ao barqueiro de gritar mais
baixo.
Senhor meu, disso Guise ailaneiro, quizera que
esse grito podesse alravessar as paredes deste pala-
cio echegaral Madrid, para fazer constaros nossos
J") Vide Diario n. 268.
para all de S.-Cloud alioi de entrar novainonl
no r-ominando que dexou pela sua doenca. A es-
quadra passar a (recia, cuja siluacflo depois da
morle de M." Colcli inspira graves receios ao gover-
no francez.
Quando o governo do papa creou a guarda cvica,
encom mendou aos fabricantes de Pars quinze mil
barretinas, das quaes deviso) enliegar-se cinco
mil ueste mez. J cstavaoi prompias dos mil,
quando por oidcns rccebilas do Roma suspendeu
aquella ordem. Parece que so reduzira a guarda.
E com effeilo as caitas ltimamente recebidas an-
dcsignios a cl-rei do llcspanha. Mas emfim, accres-
centou volvendo-sc para osseus oflciaes, se nilo
podemos dar aviso a S. M. FilippeJV, advertiremos
de nossa partida ao seu emhaixador ne.sta cidade.
NJocoslumo occullar-uio quando vou combator.
O barqueiro e o burguez reliraram-sc. O duque Ic-
vou Carniole para o ngulo de urna janella, e dando-
llio um anucl que tirara do dedo, disse-lhe devaga-
inlio :
Sabes que somos conbecidos velhos, Scoppa,
equese pode contar com oque prometi, qur so-
ja urna ii'uea, qur um sacco de dinheiro.
Scoppa ficou immovcl.
Toma este annel, continunu o duque ; esta imi-
te, porta do l'ovo, acharas una mulher coberta do
veo, porquem le fars reconhecer mostrando-lhe
cale annel. Conduzi-la-has para aples, sobalgutn
disfarce ; lembra-tc que be preciso que ella cheguc
nestos dous diasao mais lardar.
Scoppa recuou.
" Aqui tens dinheiro.....
Obligado, bt'icnissimo auiihof, disse Scoppa
com voz (irme; n^o lomo o annel e nem aceito o di-
nheiro, porque nflo quero acompaniar a aples
Olympia Genuino.
Como sabes tu que he ella ?
A Gizela l'iemontcza de Ccontinlia a sogiiinle pro-
ela macfio, assignada peloSr. I.azavi, director da po-
lica, datada em Ttinn a6:
ii Como as recoiiiinendaces verbacs feilas pelas
competentes autoridades nilo tecm bastado, em cvr-
tus localidades do reino, para prevenir numerosas
reumocs que so leem formado em inanifesta conlra-
venrfio dos regulamcntos en) vigor; o como he 08-
seiicialmente necessario quo cossem essas reunios,
6 nio pcrlurbcm a Iranquillidade publica, nem prc-
judiquem o coinmercio, annuucia-so ao publico pc-
"a presento proclamacilo que taos reunios silo ex-
Quando V. Alleza passou do gabinelconde ta- que ajireudesle a governar a vela c o lemo
va audiencia aos enviados de aples, para entrar no
em que o esperava essa bella dama, nflo Ihe vi mais
que a pona do p e as extremidades dos dedos;
mas ati-aves do veo prelo vi Itizir-lhc a chatnuia azul
dos ollios, o conbeci a soberana amiga do cardeal
l'ilouiariiil.
E porque n.lo queres tu conduzi-la a aples i1
Porque a apunhalaria, te mo achasse a sos com
ella por espaco de urna hora, replicou Scoppa com
a sua coadunada frieza.
Suspeitas que ella me a Ira i coa? disse Guise.
Carniole poz-so a rir desdenhoso.
Nilo sabia que a meretriz Olympia podesse tra-
liir ao serenissimo senhor Henrique de l.orena ; ter-
Ihc-ha dado j S. Alteza penhores do seu amor, ou
ler-llic-ha confiado os scus projectos ?
Ests Meando inslenle, Scoppa !
O salteador fez umacortezia irnica.
Ora dizc-me, coulinuou Cuise, porquo apunha-
larias tu a scnliora Olympia .'
, Por certa cousa que nao diz respeilo a V. Al-
teza.
Devoras I mas o caso lio que promet i dar-lhe
algucm para a condiizir a aples.
Assim como ella podo de l sabir, poder mui-
to bem tornara entrar.....Dcixe-a obrar, que he el-
la mulher para conduzir a sua barca melhordo que
mullos habis navegantes, no enlanto que V. Alteza
nao loiu um piloto capaz de guiara que o deve trans-
portar a capoles por entre a frota hcspanhola.
Dos providenciara, rcspoudeu Guiso.
J providencia, poisqueestou eu aqui.
Tu, Scopa ? replicou o duque mediudo o sal-
teador <(is iis a e.iliee.i; fol no ollicio das armas
pressamente prohibidas, anda quo nflo sejam cri-
minosas as inteneops das pessoas assim reunidas.
O archiduque Fredericn Fernando d'Austria,
vice-almianle e commandanto om chelo da armada
'imperial, morrraem Vene/a a de oulubro, com
26 anuos de idado.
Carlas de Ferrara de V diziam quo as tropas do
Austria ainda estavam de posso da cidade.
Occorreram disturbios em llorne na tardo do dia
b. 0 povo rotinra-se om grande numero na praQ
principal, gritando vina Cortini, anligo governador
quo se tornara por extremo popular, des.le que re-
cusara aceitar o ministerio dos negocios cstrangei-
ros, menos quo O gran-duque outorgasse urna cons-
ttuicSo a sous subditos. Fdra chamada a guarda
Cvica, o com dillieuldado conseguir dispersar a
niultidao.
O Sirleiie Paris conlinha a seguinte noticia inte-
lessante de Florones:
m As promessas conlidas no programma do novo
gabinete loscano erain : 1., a organisago do urna
guarda cvica, dividida em dous corpos um movel,
formado sobre o plano do liuidwehr allcmao, o sub-
jclo a por-se cm campo ; e o nutro fixo, c destina-
do a guarnecer as ridades; 2., o augmento do exor-
dio, com um correspondente material do guerra;
3., o cstabelecimenlo do municipalidades, fundado
sobre o principio de eleic,fo popular ; 4., o oslabe-
lecmeno de concelhos provinciacs, tambem elec-
tivos; 5., urna reprcsentacHo central, organisada
segando a forma que as circunstancias suggeris-
sem. O gran-duque ardenlemente concordara na
ideia de urna unino de alfandegas italianas. O novo
gabinete dora a esSo respeilo as nstruccoes as mais
posilivas ao Sis Marini, enviado da Toscana na corto
do Turin.
Carlas do aples de 3 de oulubro sustenlvam,
tifio olistanlo a'asserijSo do Journal dei Debis cm
contrario, que o re do aples eslava determinado
a resistir a vonlade to seu povo, e a nilo fazer con-
cessoes, menos que a sso fosso compellido pela fr-
ca das circunislancas. Parece quo S. M., no con-
fiando implieitamente na fidelidade das suas tropas,
recorrer a um artificio monos digno de desconcer-
tar a insuireic.ao. Por suggestflo sua, se intimara
aos chotea della que, sedepozessem as armas, con-
ceden a a seus subditos as insliluicOes quo pediam.
Confiando Horneo e oulros n'tima promessa quo
emanava de una origem ollicial, dcsistiram imme-
ilialaiiieiito do seu intento, e as tropas rcacs oceu-
paraui tranqtiillamenle os districtos quo linham si-
do o foco da iusurreicilo. Sendo el-rei posteriormen-
te advertido da sua promessa pelos seus ministros,
recusara cunipri-la. Vendo, porm, o marquez Pie-
Iraeastella, presidente do concelho, por cujo inter-
medio fora ella levada aos insurgentes, que fra 1-
Itidido pelo re,dura immediatamentoa sua dems-
sflo. O principe de Campofraiico, presidente da con-
sulta geral, o duque de l.aurenzana, ministro e so-
cietario de estado, e o Sr. Parisio, ministro da justi-
C, seguiran o exemplo do presidente do concelho ;
c apenas um mcnibro do gabinete, o marquez Del-
carrello, ministro da polica, cumplico de el-rei,
tentara justificar a conducta de S. M. Oulro levanta
mais lemivcl era consequenlemento previsto, o a
dilliculdadc que o rci encontrara na rccomposiqo
da administroslo, com toda a probahilidado precipi-
tara a nise. A esqadra inglcza era brevemente es-
perada na Rabia.
O Toulonnaii do 10 do oulubro conlinha urna
carta do aplos, com dala de 3,. confirmando os
ormenores.-supramencionados. No momculo ( d-
zia ella ) em'que se souberam as sinistras inlen-
coes do el-rei, prodir/iram una consternaQSo geral
entre todas asclasses da popula^o. Todava, ludo
he calma em aples ; mas lio a calma do terror.
A fasela d'Auyuburyo de 9 publicara urna carta
da Sicilia, de 25 de setembro, a qual dizia que urna
proclamacilo fra publicada cm Messina, prometien-
do 1,000 ducados por cada iusurgenteque fosso en-
Serenissimo senher, respoudeu Scoppa sem al-
terar-se, eu sei fazer ludoquanto lio preciso para o
cumprimento dos meus projectos.
Pois bem i disse Cuise depois de um momento
de silencio, aceito.
V. Alteza faz bem, senhor, respondeu Scoppa.
Editoislo, saudou, c retirou-se, emquanto os ol-
liciacs muruiuraYam cuite si de ver que o duque
tiaKl JH-.iBI(r^SMmaHapMHMHaaMHB
conversava tanto com um mscravel dessa especie.
O duque ficou por algum tempo mudo, depois diri-
gio-so pora os ollciaes, c dissc-lhes :
Os senbores ouviram que promelti oslar em
aples em oilodias..... Aquellesquo mequizerem
acompaniar estejanMuomptos!
Promptos estamos, disscModena, tanto qtisnto
o podem estar genlis-homens que nflo tcom dinhei-
ro nem comitiva.
Nflo teem os senderes as suas pistolas c espa-
das? replicou o duque.
E basta isso para marchar a conquista de um
reino?
O duque poz-sea rir, e proseguio comar alegre o
livre.
Nflp bastara para o rci de llespanha, basta po-
rm para um Guise.
Coitad o I o magnifico uventurciro nio sabia em
quecmpriza se ia nieller. A scena seguinte talvez
d aos nossos Icilorcs una ideia disso.
Alguns dias depois do que acabamos de contar,
em nina casiuliolado Mercado-Novo, vclavam junto
a en funiacado candiciro um homem e urna rapa-
riga.
O lio mciii era um velho de mais de oitenta annos,
pequen ino, mugi, (eso. A vasta o luzidia fronte era
completamente calva, tiras dos lados por detrs da
cabeca caliiam-lhe cabellos do tilo puro branco, quo
quasi se coiiiuiidiiiiii com o collarinho de lina breta-
nha quo se estendia sobre o gibflo de velludo rxo ;
tinha o rusio da pallidez do marlim, o que augmen-
lava pelo contraste olnilhardosgraiidesolhospre-
tos. A bocea, circulada de espesso e alvo bigode
ucompaiibado de louga barba, conserva va lodosos
i


m
i_______ ..._,!_.
trege vivo ao governo,c motado dessa somma, se
o fosso depois de morto Um dos rnuitos insurgen-
tes, que tinha o nome de Romeo, fra cafado como
urna i'it.'i, morto, e espetada a sua cabera na pona
do urna Janea, (cara exposta, por rnuitos (lias, na
praca do mercado do Reggio. Em Palermo, executa-
r.im-se medidas extraordinarias de seguranza, e
fortes destacamentos patrulhavam as ras de dia e
de noile. (Time.)
DIARIO DE PBRNAMBUCO.
aa-uaiM, a s jiaaa'jH3.ai) a>a asas,
llojo, anniversario natalicio de S. M. o Imperador,
6alvaram as fortalezas ; embandeiraram as^embar-
caces surtas no porto; houvo cortejo e grande
parada jcorreram, emflm, as agoas do novo chafa-
rizque a companbia de Bebcribo fez construir na
praca da Boa-Vista, em substituidlo ao que fra col-
lacado alii, pouco depois da inauguraeflo da caixa
d'agoa, e que ora se acba no largo do Passeo-Pu-
blico.
sastrosas asembarcaefies, mxime no caso de resis-
tencia; e tornaram-se etfectivos no dia 19 do corrente
.mez, para obsta r-se que um hiato nflo sahisso al
hora da manhfla, como pretenda.
Capitana do porto de I'ernambuco, 29 de novein-
bro de 1847.
Rodrigo Theodoro de Freitas,
Capitflo do porto.
COMERCIO.
IMPOKTACAO'.
t -
Ventura-Felit, brigue portuguez, vindo do Porto,
entra.lo no corrente mez, consignado a Mundos &
Tarroxo, munifeslou o seguinto :
48 caixotos vinlio ; a Joflo Antonio Basto.
1 pacota panno de linho, 1 caixa mcias do dito ;
a Joaqiiim Jos do Aniorim.
80 canastras batatas, 800 resteas ceblas; a ordem.
700 Macas de vimes ; ao capitflo.
1000 resteas ceblas, 348 cadeiras e poltronas, 100
canaslras batatas, 100 liagas de vimos, fibarris pre-
gos, lOcaixasnozes, 30 ditas albos, 100 feixes ar-
cos de pao, 9 barris vinho. 1 canastra maefles, 1 di-
ta ceblas; a Jos Antonio do Carvalho.
3 pacotes panno de linho, 780 cadeiras sortidas,
5jo;os de mesas, 6 canaps, 6 poltronas, 1 caixa do-
ce, 4 barris vnho, 1 canastra macnes, 3 ditas cebo-
las, 2 meias pipas vinho, 1 bah obras de prala, 5
barris presuntos e paios, 3caixas pedras de por so-
bre mesa, 2 lavatorios, 246 cadeiras, 20 volumes dif-
ferentes trastes, 1 jumento; a Jos Joaqun) Pereira.
8 caixns figos; a Justino Antonio Pinto.
100 canastras batatas. 100 liagas de vmes, 6 bar-
ris pregos, 30 canaslras alhos, 100 feixes arcos de
uo, 100 barris cal, 600 quntaes pedra em bruto, 1
arril vinho, 1 canastra macaos, 1 Jta ceblas, 1
caixa panno do linho, 2 ditas (echaduras ; a Mondes
& Tarrozo.
25ancorlas figos; a Joilo Pereira Martins.
6 mcias pipas vnho ; a Deane Yoiile&C*
1 barril vinho, 1 dito sardinhas, 1 canastra ma-
cees, i dila ceblas ; a Jofo Raptista Rbeiro de
Furia.
4 pipas o 24 barris vinho, 2caixas chapos e ar-
reios ; a Manoel Joaquim Ramos e Silva.
3 potes maefles, 7 ditos uvas, 6 cunheles ditas, 10
canastras alhos ; a Jos Alfonso Moroira.
2 caixas panno de linho; a l.ourenco Jos das
Nevcs.
1 caixotinhoniarmelada, 2 ditos doces; a Joaquim
Ferrera Mondes Guimnriles.
2 barris peixesalgado;a Joaquim da Silva Castro.
1 cmbrulho panno envernizado; a Jos Alvcs de
lveira.
KIMTA L.
'>.Hovinicnlo do Porto.
Vatio entrado no dia 3.
Mostaganem 'Costa d'Afriea'i; 31 dias, polaca aus-
traca Perait, do 304 toneladas, capitflo Marco S-
rvich, eq lipsgem 11, em lastro ; a N. "O. Rieber
& Companbia.
Terra-Nova ; 49 dias, brigue francez Dourai. de 138
toneladas, capitflo Ronct, equipagem 9, carga 1985
barricas de bacalho ; a Avrial Frros & Compa-
nhia.
Havre ; 34 dias, brigue francez Reaujeu, de 133 tone-
ladas, captlo Evers, equipagem 11, carga razen-
das; all. Lasscrre & Companhia. Passageirn,
AugustoCavrs, Francez
Caspce ; 42 dias, escuna ingleza John-ltamolly, de
J62 toneladas, capitflo Richard Kcndall, equipa-
gem 9, carga 2100 barricas de bacalho; a Frede-
rico.llobiliard.
Avisos martimos.
Declarares.
Rodrigo Thtodorode Freitas, oficial da imperial orde>n
da Rosa, cavalleiro da de San.-fento-"Avi%, condece-
rado com a medalha da restauracBo da Bahia, por oc-
casiilo da independencia, capito de mar e guerra gra-
duado d'armada nacional e imperial, inspector do ar-
senal de marinha desta provincia de I'ernambuco, e
nella capito do porto, pbr S. M. o Imperador, que
Dtos guarde, etc.
Faz saber aos capilfles ou mestres das embarca-
c/ies morcanlis que, pela terminante disposijflo do
artigo 20 do regulainento das capitanas, nao podem
as nicsmas cmbareaees sabir deste porlo depois de
pr-se o sol, ou anles de nascer, sol) pena defica-
remsubjcilos a multa, ordenada pelo dito regul-
ndolo, c do por em pratca a fortaleza do registro,
como se depreca nesla data ao F.xin. Sr. presidente
da provincia, os mesmos nieios, anteriormente au-
tonsados, de que lanzar mSo para obstar a sabida
ibis referidas enibarcajjOcs, durante a noile, sem
consentimento ou previa scienca da referida forta-
leza; meios, que podem occasionar oceurrencias dc-
HB.-"BlTr'
denles. A expressflo della era irnica e cruel ao mes-
mo lempo. Do cinto de couro que cerrava o talhe
ao velho, penda por una cadeia d'ouro a adaga do
mediocre grandeza.
A rapariga quo Ihe ficava no pe tinha milito da sua
oompleicflo (Vanzina c delicada. F.ra urna menina
loura que se nflo poderia comparar melhor do que a
csses suaves bosquejos que o creflo oscorregando
lauca n'um papel colorido de rosa, cuja flor foi ape-
nas robada, conde o trago em parlo nenhuma esta
acabado, a liuha caprichosa escapa vista, e falla a
correccjio do desenlio,e a forma,por assim dizer, nfio
existe em parte alguma, o todava esta por toda a
parte. A fluidez aeria dos cabellos, a incerta langui-
dez dos olhos, a grai;a ingenua .da bocea, a maruvi-
lliosa temefulade das feicOos, a transparencia lumi-
nosa dos contornos, apparccem nesga vaporosa rcu-
T+M-M^J*. [%j
l REBBBDBBo
O caixa da companhia do Reberbe, tendo de pres-
tar as suas contas, lemhra aos Srs. accionistas a rea-
lisagflo los i por cento, ltimamente podidos.-
Para oPorlosahir, as prximas agoas, o bri-
gue Mara-Feliz, capitflo I.ourenoo Fernandos do
Carmo, por se achar promplo de sen carregamen-
to; eso recebe passageiros, "para o quo tem bons
commodos : os quequzcrem ir de passagem, tra-
ten) com o dito captlo, na iraca, ou com o seu
consignatario, Antonio Joaquim de Souza Rbeiro.
Para o Porto sahir breve o muito veleiro bri-
gue Primavera, capitflo Rodrigo Joaquim Corroa :
quem no mesmo quzer carregar, trate com o dito
capitilona praca, ou com o consignatario, Antonio
Joaquim de Souza Rbeiro.
-- Para o Rio-Grande-do-Sul sahir breve o pata-
cho Dous-de- Agosto, por ter parte de seu carrega-
mcntS prompto : quem no mesmo quizer carregar,
ou embarcar escravos, pdeontender-se com Amo-
rim Irmlos na ra da Cadeia n. 45.
A escuna portugeza Andorinha pretende sahir
para Lisboa ale 3 do prximo dezombro : quem
ella quizer carregar ou ir de pssssgem, dirija se a
rua da'Cruz, n. 45, casa do Nascimcnto & Amo-
rm.
Vende-se urna baleira nova do calafeto, com
lados os seus pertences, por preco- commodo : om
Fra-de-Porlas, rua do Pilar, n. 145.
Vende-se a linda c muito veleira escuna ame-
ricana John de lote 111 toneladas, forrada e enca-
vilhadade cobre, o prompta para qualquerviagem:
------- .-------WHS---------------------.-------------LJi
beiro do Amaral.
Aluga-se um segundo andar na rua Nova, n"
12, pelo preco equantia de 250,000 rs. annuaes, pa-
gos om quartes.
AFFONSO SAINT-MARTN, rs.lonte no princi-
pio da rua dos Quarteis, por cima da loja do miu-
d?zas de Victorino de Castro Moura, n. 24, conti-
na a ter sorlimento.. de ricas mantas de seda, de
novos padrOes e lindosgostos ; outras imitaces da
cachemiras, muito ricas e elegantes ; ditas de gra-
nadina, e nutras de fonlard, sendo todas da ultima
moda adoptada em Pars ; chales de seda, e meios
ditos de coros muito lindas; manteletas de grosde-
naple ondeadoe liso, guarnecidas do franja de re-
troz, c oulras com buhados enfeitados de trancas
dedto, asquaes eslflono grande tom, nflo s por
serem de geral moda, como pela gra*idadedo cos-
lume ; cortes de seda branca e de cores, para ves-
tidos, sendo do boa qualidaire e bonitas dispusieres
no gosto do lavrado; chapeos d seda para senhora,
armados na ultima moda, como o inculcan) osfigu-
rinos que c-m ai tmilo coslumam vir estampad-
dos; ditos de palhinlia aberla e lisa, enfeitados
semellranca dos programmasde modas dos mesmos
cartOes; cortes de barego para vestidos. As senho-
ra s que destes objectos precisarom, eos quizerem
ver em suas casas, terflo a bondade, a qualquer ho-
ra, de mandarem avisar ao annunciante, que imme-
diatamenle ihesserflo levados. ,
Precisa-sedo urna ama parda ou prela de
a tratar com Ilenfy Forstr & Companhia, na rua I moia dude de boa conducta para o servico de
do Trapiche, n. 28. uma casa: na pra^a da Independencia loja n. 3
S. di
H
Lcila.
Pul)!icacoes Literarias.
as lvrarias da esquina da rua do Collegio c
da praca da Independencia, ns. 6 e 8, vendem-sc o
compendio de geographia elementar, adoptado no
collegio das artes da cjdade lo Olinda ; o de chrono-
logia e o de poclica, pelos quaes se fazem os exa-
mes na academia da mesma cidado ; redigidos pelo
hacharel l.uiz Paulino Cavalcantc Vollez de Guevara^
prol'essorsubsllulo n'aquello collegio.
SUBSCRIPC.A I.ITTF.RARIA.
Oabaixo assignado muito se compraz emannun-
ciarodosejo que tem de dar ao prelo, em lngua
verncula, uma pequea obra intitulada Arte de
fallar e de escrever, ou TRATADO l)E RHKTORiCA GE-
RAL, por Augusto Huno, cuja traducglo est con-
cluindo; mas nflo pudendo levar a efleilo este deso-
jo sem o auxilio dos amigos da illustracflo do seu
paiz, invoca a sua protecQflo, convidando-os por es-
te meio a subscrever a favor da impressflo da dita
obra, que tanto tem de compendiosa, como de in-
tercssanle. r Kst.ibelcccr os principios e duiiniros
termos com procisflo o clareza ; desembarazar este
tratado de una multidflo de regras vagas esutis, c
de todas essas pomposas inutilidades de origem g'rc-
ga e romana ; nada omittir de essencial; substituir
a certos preceitos mu inflexiveis simples observa-
cOes; preferir na escolha doscxemplos os moder-
nos aos anligos.... taes foram as inten^oes que'
guiaram o autor, como elle mesmo o dcclara'em seu
prefacio.
Nflo obstante, porm, semelhante inculca, o a-
baixo assignado nflo desennhece, que ousadia e fal-
ta de conhocimenlo na materia parecer la I vez esta
sua prelengflo, quando varios compendios de rheto-
rca em uso enlre nos se acham, e alguns dos quaes
em grande vega ; mas como al anda nenhum ho-
meui baja tocado a meta da pcrfectiliilidade em suas
obras, he muito de suppor, que os Ilustrados auto-
res desses modernos compendios terflo a precisa to-
lerancia de permittr que mais um appareea agors,
cujo tnethodo c systema comparados, c devldamen-
to avahados, Ihe darflo preferencia, ou desprezo en-
tre os que exislem.
<)s Sis. que se dignaren) subscrever para a refe-
rida obra, o pdenlo fazer na loja do livros da rua
da Cruz n.56, o na da praca da Independencia ns.
6 e 8, pelo mdico preco de 2h000 ns. por cada exem-
plar, pagos na opcasiilo da entrega, para cjo effe-
10 terflo a bondade de declarar suas moradias nesla
cidade, ou a dos seus procuradores na mesma.
O padre JoSo Barbota Cofdeiro.
n So deixare repouso aos Napolitanos, quando
k em todo o reino nflo houver mais quatro familias
b tilo ricas que possam jantar em mesa. Conheco o
vosso povo ; he como os efles, morde quem o nflo
bale. Rotirai-vos, e pagai,
E como Genuino llierepresentas.se que nada mais
tinham que vender-para pagaren) a nova laxa, res-
pondcu-lhe Medina com o mais insultante escarnco
k F. nflo leudes anda a vender a honra de vossas
mulherese lilhasi*
Esta proposieflo foi em breve repelida por toda a
cidado; mas dobaldn procurou Genuino rovollar
csso povo, que, ao abrigo deum bello co, divertido
pelos seus improvisadores, embalado pelo mar de
azul, perfumado pelas flores dosjardins, riecanla
sob os seus andrajos, cmquanto lho deixamjim pou-
-- Richard Royle fa leilflo, por intervenzflo do
corretor Oliveira, de grande sorlimento de fazendas
nglezas, todas proprias do mercado ; e como pro-
vavelmentc ser o ultimo leilflo desto anno, muito
espera a concurrencia de seus freguozes : lerca-fei-
ra, 7 do corrente, s 10 horas da manhfla em ponto,
no seu armazem da rua da Alfandega-Vclba.
Avaos diversos.
ATTKNCAO'.
A mesa regedora de N. S. da Conoci,fo dos mi-
litares, nflo podendo fazer a eleiQo do presidente
no dia marcado no compromisso, em risflodnse
nflo ter reunido o numero de irmflos sufllcientes pa-
ra a eleicflo; convida a torios para o dia 5 do vn-
douro mez, s 9 horas da manhfla, se acharem no
consistorio para a referida eleicflo.
Affonio Honorato Bastos,
Secretario.
O bacharcl Fernando Alfonso de Mello, tendo
do fixar sua residencia na cidado de Macei da pro-
vincia das Alagas, em qualidado de procurador-fis-
cal da Ihesourara da fazenda nacional, pelo pre-
sente participa a quem convier, que se prope a
advogar uaquella cidade todas as causas lano cri-
mes, como civeis, a menos que estas nflo dignni res-
ello a mesma fazenda nacional.
Julo Gozar Augusto, retira-se para Portugal.
Furlaram, ha 8dias, do pateo da Kenlia, uma ca-
bra, bixo, grande, bastante amarella o muito man-
ca, com dousfilhos, um todo preto c a outra prela
com uma mulla branca pela barriga, especie de um
scllim : quem della dr noticia ou a levar ao pateo
da Penha, sobrado de um andar, n. 40, ser bem
recompensado.
Precisa-se de um bom caxeiro que d fiador a sua
conduela, nacional ou cslrangeiro, para tomar con-
ta de urna venda por bataneo, e da-se Ihe bom or-
dnnado, agradando: quem estiver nestas circuns-
tancias, dirija-so rua Impela!, n. 25.
Andr Alvesda Fonseca, director de msicas,
participa aos seus freguezes ea quem cunvier, que
mudou a sua residencia para a rua Nova, 1. andar
do sobrado n. 26, amulo so achara sempro promplo a
servir aos mesmos seus freguezes.
Precisa-de uma ama seoca, branca, de boa
conducta, para tratar de iImis meninos em compa-
nhia de son pai : na rua da Concordia,n. 26
--Precisa-se de um bom forneiro e de um amassa-
dor para uma padnria na villa do Rio-Formoso : os
pessoas que esliverem nesse caso e quizerem con-
tratar, mediante bom selario,dirijam-sea rua da Ca-
deia do Recifc, loja n 55, ou na rua do Codorniz
no Forte-do-Mattos, n. 9 que all acbarflo com
quem contraten).
Defronte do quartel da polica, n. II, huyera,
todos os domingos e dias santos, carne decarneiro
muito gorda e em conta: adverte-so que quem qui-
or carneiro na semana, dever avisar um da an-
tes. Tambem vende-se diariamente carne de boi
muito gorda, e um peso do duas arrobas.
flojo, 3 do corrente, na portado Sr. Dr. juiz
do civel, so ha de arrematar, s 4 horas da tarde,
o sobrado da rua da Penha, penhorado por execu-
Concei-
da Con-
Irmandade de N-
qq, erecta na i "/reja
gregaco.
Malhias do Azevcdo Villrouca escrivflo da ir-
mandade de N.S. da Conceicflo, erecta na igreja da
CongrcgacSo, roga^i todos os irmflos o seu compa-
recimento no dia 5 do corrente, pelas 9 horas da
manhfla no consistorio da mesma irmandade, para
reuniflo de mesa geral enfrme determina o ar-
tigo 48 do'nosso compromisso para o flm de se ele-
ger a nova mesa, que tem de funecionar om o au-
no-de 1848.
& tirio jg
UJ No botquim junto ao thealro, vende-se ge- \
i loa qualquer hora, do dia e da noile al s jj
vi 9 horas ; charutos de S.-Felix, verdadeira ^
fi marca de fogo; e muito b>ns dados de mar- fi
^ (ni, para gamTo. jfj
Na rua do Trapiche, casa n. 8, precisa-se alugar
um moleque para servido de casa.
Agencia de passaportcs. .
Na rua do Collegio, n. 10, o no Aierro-da-Boa-
Visfa, n,48, continuamso a tirar passaportcs tan-
to para dentro, corno para fra do imperio; assim
como despachan) su escravos: tudo com brevdade.
Atteneao
?
niflo de sombrase luz; a belleza ah radia impalpa-, codo macarrflo para a fome, eum fruto sboroso
vel eprsenle ao mesmo lempo; e a graca, cauhinr
virgindade, attractivos como que a cnvolvem n'um
vodaphano, prestos a desapparecer ao balito da-
quelle que admira a encantadora e fugitiva obra-
prima.
Essa menina era Casia, aquella dequem Scoppa
fallara a Amla ; o velho era Julio Cenuiuo, que
Pppone indicara com um dos directores de ap-
les. Anida bem moco casara com a lilha de um jar-
dineiro de Pozzolcs. O seu talento, intrigas, loquel-
la, e fortuna considcravel que adquirir como advo-
gado, fizeram que apenas de trinla anuos fosse no-
uifeado eleilo do povo. Foi elle quem, indo apresen-
lar a Medina, entilo viso-rci de aples, roclamacOos
coico de um novo imposto, recebeu por nica res-
posta estas palavras, que selornaram para sempre
celebres
para a sede.
Quz enlflo Genuino dirigir-se nobreza, mas
achou a sua vaidade anda maissurda, do que a in-
dolencia do povo. Ora, nessa mesma poca, Filoma-
rini, homem de baixa oxlraccao, acabava de ser pr-
vido no arcebispado de aples, e de receber o bar-
rete de cardeal. Esta nomeaeflo tanto havia exas-
perado a nobreza, que os fiJalgos a quem Genuino
se dirig i a nflo quizeram assoclar-so aos quoixumcs
ae um povo, dentro oqual, diziam clles, cscolhiam
os Hespanhoos arcebispos e cardeaes ; e a tal excos-
so cliegou essa colera da nobreza napolitana contra
a elevacflode um homem obscuro, qu Jos CaralTa,
irmflo mais mojo do duque de Mantalone, encon-
trando Filoniaiini, Ihcdeu publicamente um jionla-
p, e fez-lhe a mais aviltanto injuria qua um ho-
mem podo receber.
0 que, porm, he mais eslranho nessa colera, he
que ella nflo se dirigi aos llespanhes, que tinham
feilo nobreza napolitana a injuria de Iheimpor
um arcehispo tirado das menos elevadas classes de
bnrguezes; mas sim voltou-se contra o povo que aco-
Ihra com transporte de alegra essa nomeaeflo. Nflo
Toi menos extraordinaria a consequencia disto :
Genuino da sua parte esqueceu as injurias dos lles-
panhes e sua odiosa tyrannia, para s vera indifTe-
renca da nobreza napolitana ; irrilou conlra ella
os resenlimentosdo conde d'Ognate, entflo vso-rei,
e com elle conspirou para tomar aos fidalgos napo-
litanos osseus castellosc thosoiiros.
Foram seus projectos descoberlos e elle desterra-
do para a llcspanha, donde foi remeltido para Oran,
e ah csteve dezanove anuos as gales.
Na occosiflo de ser preso, linha Genuino com si-1
go urna menina de dozc annqs, ultima lilha de urna
familia que fizera sentar sua mesa doze Olhos va-
ros e seto mulhcres. O amor que Genuino consa-
grava a essa 'menina, era por assim dizer a concen-
tra^flo de todo o que elle derramara por loda a sua
a hndanle posteridade. morto de casia um dos
seus numerosos descendentes, a perda de cada urna
desuasesperancas, o sou alTecto se contrahia na-
quelles que Ihe ficavam, at que afinal todo o seu
orgulho, ternura e vida se reunirain nicamente
nessa fillia do fraca compleicfloeduvdosa sade.
Na loja da rua ero Queimado, n. 30, do Jos Joa-
3iiim de Novaos, conlma a haver um sorlimento
e obras felas ; chapeos de todas as qualidacles ;
ditos para meninos e meninas ; ricos chales de seda;
mantas de seda; lencos de todas as qnalidades; e
outros rnuitos objectos que ha para vender.
LOTERA
1)0
Hospital Pedro If,
Em consequencia da extraceflo que tem havido
na venda dos hilhtes da primeira quinta parte da
loteiia a beneficio do hospital do Pedro II, tem o
Ihesoureiro mareado o dia 20 de dezembro, para o
andamento das respectivas rodas e espora que as
pessoas a quem osentimontode conimiseracflo pa-
ra com a humanidade desvalida forma o-objecto que
mais oceupa o seu generoso coraclo hajam de con-
correr para que se realise iaqucllc dia o seu impro-
tcrivcl andamento.
Anda est para se alugar, pnr todo este verRo ,
O sitio da Pnnte-de-Ucha chamado deMeia-Dobla,
com boa cas de sobrado grande extensflo de ter-
reno com mullas e dilTerentes arvores de fructo ,
boa agoa de beber, urna grande o fresca baixa do
capim de planta por preco commodo : a tratar na
rua Nova ,1oja de ferragensde Texcira & Andrade,
ou com Manoel Pereira
sitio no Manguinho.
Teixeira, morador no seu
Nesse lempo foi Genuino preso. Nflo poda' levar
com sigo a filha, e nflo sabia a quem deixa-la. Nflo
queria confia-la a um llespanhol, porque se Icmbra-
va das palavras infames de Medina. Tflo pouco se
animava a p-la sob proteccSo de um (dalgo na-
politano, porque conhecia o desprezo finque a no-
breza tinha os llllios do povo. Poda occulta-la em
alguma familia otiscura,mas sabia que a belleza de
Olympia nessa mseravcl siluaefloa expona aos in-
sultos de uns o outros. Enlemieu fazer um acto de
prudencia, entregando-a s mflosdeum homem, cu-
ja origem o carcter deviam ser dupla garanta da
sania prolccrflo quec'oncedessc mouina abandona-
da. E, pois, conliou-a u Filomarini, homem do po-
vo o padre.
Olympia ja eslava prorrtetlide como esposas Giu-
soppi^'CoIcsi, fillio do um cnriiiceiro de Sessa. Era o
mais intrpido pescador do golfo, de Gaeta, o mais
jovial improvisador das plagas de aples, e o mais
i bravo e deslio dos que aprendan), as reuniesso-
| cretas, a manejar a espada, a adaga e o mosquete.
Filomarini, chamado por Genuino comoconfes-
sor, recebra as instiiiccesdo proscripto : logo que
Olympia chegar idade de quatorze anuos, dizia o
velho, deve casar com Giuseppe Coles i, c logo que
minha filha se achar sob a salva-guarda desse hon-
rado mancebo, julgm-nie-hei tranquillo.
Poderamos aqu referir como foca burlada essa
confianca, como a libeitinagem uo Filomarini, abu-
sando do abandono de urna puhre menina, proruo-
veu o exilio e proscripgflo do futuro esposo, e o lan-
cou na enrreira extravagante o sanguinolenta, que
fez delle o homem que j aprescnlamos aos nossos
loitores sob o nome de Scoppa Carniot Mas he
preciso que primeiro expliquemos o Que fazlam nes-
se casebre Genuino e sua neta.
(Continuar-st-ha.)
Y
-**-
_.
wtmU
M


.
=
=!
5
Para as pessos que tencio-
n a ni seguir viageni.
Na ra do Rangol, n. 9, coptinuam-se a tirar pas-
saportes para dentro o fra do imporio, despacham-
so oscravos, ecorrem-se fallas tudo com Brevida-
do, c por prego muito e muito eommodo, do qtie
ja so tero dado exuberante prova no decurso de sete
annos.
Do-se 5ps'ooo rs.de gratificacao,
e se pagara"? lelas as mais despe-
gas que afe tenbam Icito, a quem
der noticia do caboclinbo escra-
vo por nom Vicente de seis
annos, pouco mais ou menos, sec- m
eo do eoipo; tem no anns ditas fe- !
i idas de bobas e he tnn tanto le- *
so, por ser novato nesta praca; le- p
vou.vestido camisa de algodao da |
Ierra um tanto soja ; desencami- f
nhou-se da ra do Vigario, n. 2^, ]
aonde se poder dirigir a pessoa ||
quesoober, ou ra da Gadeia M
lo Recde, n. ai .
Ahigam-se os dous andares da casa da ra da
Cruz n. 40, no P.ccifo prnprios pava escriplorio ,
consulado, ou pessoa que nao preciso cozinhar:
a tratar no primeiro andar da mesma casa.
Precisa-sede urna mulhcr branca para tratar
c fazer companliia a urna senbora : avista se
far o ajuste : quem nstiver tiestas- circumstancias ,
sendo pessoa capaz dirija-se ao becco de S.-Pedro,
defronto das catacumbas, a tratar com Jos Joa-
quim Duarte, ou com sua senbora que dir para
quera he.
Kurtaram da escada da casa da ra da Penlia ,
n. 3, unrembrulho com um pennacho de oflicial su-
perior, o urnas cabegadas de palba azul e branca: a
quem forem olTerecidos esses objectos baja de os ap-
prchender, o dar noticia na dita casa.
Precisa-so de urna mulhcr para o servico do
urna casa de pouca familia : na ra da Cruz, 11. t8,
primeiro andar,
'Aluga-so o segundo andar do sobrado da tua
do Amorim n. 1* : tambem cede-se o primeiro. O
ihesmo sobrado vende-se ou troca-se por casas
terreas no bairro da Boa-Vista. A tratar no pateo
daS.-Cruz,
Precisa-sede una ama para casado homem
solteiro que saiba cozinhar o engommar : na ra
da Praia, armazem n. 66.
Na ra Bella, n. 31, precisa-so do urna ama
quo lenha bomloite, qur seja livro ou cscrava.
Faz-so scientc que lodos os auimaea de ruda e
de niaiservico do engenho Pindobinha se acliam
marcados com as lellias p. e. c. o por isso qual-
quer um que for encontrado lora do servido do dito
engen-ho ser considerado como furlado cm ra-
silodos mesmos nilo haveram sido e ncm terem de
seren negociados,, o que se declarar pelo presente
annuncio.. -
Na ra Dircila, n. 30, primeiro andar, fazem-
se (lores de todas as quali^des, por preco eom-
modo.
O substituto de philosophia e geometra do col-
legib das arles, ensiu, durante as ferias, estas dis-
ciplinas, no collegio S.-Antonio, pateo do Carmo,
onde pode ser procurado qualquer hora do da,
ou no pateo da S.-Cruz, sobrado grande'de dous an-
dares.
Aluga-se una grande casa terrea na ra Impe-
rial, com duas salas, 7 quarlos, cozinha fofa, quin-
tal e'cacimba : a tratar na ra de San-Gongalo; so-
brad, n. 29.
OITerece-se um pharmaceutico com carta para
representar em algiirna botica, que o dono nTo te-
nba carta por prego eommodo: os pietendeutes
dirijam-se a ra das Larangeiras, casa terrea piu-
. tada de verde, defronle do n. 6.
t- Aluga-se urna pela para vender fuzenda com
outra pessoa : quema livor annuncio, ou ditija-so
ao Alerro-da-Boa-Vista, 11. 39.,
Antonio da Cimba Soares Guimaraes faz publi-
co que tem constituido sen bastante procurador,
aoSr. Rufino Jos Corroa do Almeida para judi-
cialmente recebursuas dividas
Precisa-se lugar urna cscrava para o pequeo
servico de urna casa : na ra de tlort.as 11. 16, pri-
meiro andar.'
Aluga-so o segundo andar do sobrado sito]
ruada Cuia, n. 64: quem o pretender dirija-sc a
vonda n. 7 na mesma ra, a fallar com o Si. Jos
Percira, 011 na falta, na ra dos Quarteis da polica,
n. 2, loja de miudezas.
-- Precisa-se do dous trabilhadorcs Jo pactara c
do um caxeiro desala : ua padaria das Cineo-Pon-
tas, ti. 40.
Precisa-se alngar um sitio 1 margem do rio, nos
lugares da Passagem at a Ponte-de-Ucha f quem
liver annuncio por esta folha.
O bacharel Fernando Alfonso de Mello, estando a
retirar-se para a cidade de Macoi da provincia das
Alagas, onde tem de fixar sua residencia, na quali-
dade de procurador-fiscal da thesouraria da fazeti-
da nacional, e nfo podendo pela brevidade de sua
partida despedir-so pcssoalmente do todos os seus'a-
migos, aproveita-se do prsenle moio para o fazer,
offereeendo-lhes naquella dita provincia o seu di-
minuto prestimo.
Quem tiver para alugar um prcto bom corla-
dor de carne, certo de quo paga-so bem, e d-seu
sustento e roupa lavada, falle com J. Dubois, na ru-
la rga do Itozario, ns. 6 e 8.
Socicdade Fraternina.
Compras.
Compra-se um sellim em bom uso com os seus
pertcnecs : quemo livorannuneie, para ser procu-
rado.
Compra-sc, 011 aluga-se urna negrinha para o
orvigo d urna casa estraugera de pouca familia,
c que entenda do engommar : na ruado Vigario
n. 4.
Compram-se 500 moios de sola do boa marca r
na ra do Collegio, armazem n. 19.
Gompra-seuma mohilia ecn bom uso : na ra
da Cruz, n. 32.
Gompra-se um braco de balanza', com suas
competentes correntes e conchas sendo j usa-
das c em bom estado : na ra da Cadea do Recife ,
n. 14.
Armazem para se alugar.
Existe para se alugar um armazem na
ra do Vigario n. 22; proprio para so-
car assticar : no segundo andar da mes-
ma propriedade.
Precisa-so de um caixeiro na ra Nova, n. 33,
preferindo-sc o quo tiver pratica de loja de fer-
ragens.
Precisa-se de um caixeiro que lenha habilida-
des para Himazcm de mnlbados, e quo lenha 14 a
15 annos : quem estiver nestas circumstancias di-
rija-sc a ra do Trapiche-Novo u. 20.
Precisa-se de um feitor para um engenho,
distante desla praca 14 legoas que seja Porluguez:
, na ra hireita cm casa da Senbora D. Joanna Bap-
tisla Pcreira Prente.
ATTENCAlT.
J se sabe e se poder provar onde existe a Carlei-
tade viagem, quefoi loriada da casa do Manuel
Francisco da Silva INovaes na ra do Trapiche,
n. 34. Boga-so, portanlo aoSr. novo possuidor,
que se nAo quizer ver o sen notne por extenso nesta
tulla cu alguma visita da polica om sua casa ,
posha teslemunhas do visla tenha a bondade de
mandar entregar' na casa cima noi se guardara
segredo. A dita carleira tem msica e levou den-
tro algumas cartas particulares7 una chapa de
metal e alguna bilbetes de visita com o nome do
supprameiicionailo.
Precisa-se de utna senbora branca estrangeira
ou nacional, quo entenda bem de costuras e dos ar-
ranjos de una casa de pouca familia: na ra Nova,
n. 25, se dir quem pretende.
Aluga-se urna casa terrea na Soledado n. 17,
aop do Sr. Vena cambista : a tratar no pateo
do Carmo, n. 17, com Gabriel Antonio.
O presidente ospera que lodos os Srs. socios nflo
deixem de comparecer a sessSo ordinaria de 5 do
correte, visto ser nesta scsslo que terSo lugar as
clcc/ies dos empregados quo lulo de sorvir no futu-
ro anno.
Aluga-so o sobrado de um andar c sotflo na
ra Augusta, aonde morou o Sr. Jos Mara Placi-
do de Magalhes, n. 15, e tambem a loja do mesmo
sobrado para qualquer negocio : ra do Cabug,
'botica 11. 11.
-Acba-se tratada a venda ou permuta do sitio
no corredor de Saii-Jofo-da-Varzca, que liniita pelo
fundo com o rio Capibaribe, pelo sul com o sitio de
I). Theodora, viuva de Severino A Ivs de Araujo,
pelo naseenlecom a estrada quo va i para o enge-
nho San-Jofio, e pelo norte com o sitio de I). Thereza
tambem viuva, havido cm transaccao de pagamen-
to do finado Joaquim Coerca Comes do Almeida o
sua mulhcr I). Mara do Sanl'Anua fiorreia, e havi-
do por estes dos herdoiros de Francisco Jos da
Costa Gtimariles, tambem em transaegto de paga-
mento. Qualquer pessoa quo se adiar com direito
aodito sitio, deveo declarar por osle Diario no
prazo de 4 dias, sob pena de mo sor altendida qual-
quer reclamacflo que depis desto periodo baja do
apparecer a respeito. Rccfe, 2 do dezeinbro do 1847.
Josi Joaquim Btzerra CavalvanW.
Tendo-se aiinunciado no Diario de Pernan-
Ahcoiis. 239, 240 0 241, de 22, 23 e 25 de outubro
docorrente auno, quo a escrava Theodozia, criou-
la, da Sra. I). Ignacia Cuilhcrmina de Ulvclra.se
achava obrigada por quanlia tomada por empresli-
mo : agora se declara estar ja paga o salisfeita se-
melhante quanlia, c por isso hvre o desembaraza-
da, para a mesma senbora fazer qualquer transac-
gflo com dita escrava, para o quo so faz o prsenle
annuncio.
Fr. Antonio do Espirito-Santo Titira presi-
dente n capile do convento de Santo-Antonio
do liecfi\avsa ao respeilavel publico quo no da 8
do presente, pelas 3 horas c meia da larde, tem de
sabir m solemne procissilo a sacrosanta imogem da
MSi de Dos; o que, tendo de percorrer as ras das
Grii7.es, praca da Independencia, ra do Cabug,
Nova, das Flores, puteo do Carmo, ra do Moras a
entrama travessa dos Marlyros para o Terco, ra
Direta, pateo do Livramento, ra do Queimado, do
Crespo o da Gadeia ao recolher, roga a todos os
moradores de ditas ras qtioiram tratar do asseio
dellas alim do que possa com decencia passar o
Allissimo e Scnhor Dos sacramentado: o promette
deixar dita procissilo de transitar pelas ras indi-
cadas, nao estando ellas como podo tilo piedoso
acto.
--0 abaixoassignado, encarregedo do
deposito do rap Princeza-de-Li.sba,-
faz sciente ao respeitavcl publico, que-
lendo vindo ordens positivas do contrato
para nao se vender o rap fiado, por isso
ele boje em diante, e sem excepcao de
pessoa, s vender o dito rap a quem
he pagar vista ; o que faz publico
conbecimenlo de todos. Ternambuco,
de novembro de 1847.
Antonio Francisco de Moraes.
Vendem-se espadas ticas, para ofli-
ciaes e ofliciaes superiores: na ra o-
pa rn
1
va, loja de ferragens, n i.
Vende-se, por diminuto pro Baplista junto aos Afogad^is com duas casas de
pedra e cal, ainda novas com diversas friitoiras ,
viveirodc peixe, mangues para lenha: a tratar
com oSr. doutor Ibiapina.ou na travessa da Concor-
dia, 11. 19.
Vende-se urna canoa meia aborta em bom es-
tado : na travessa da Concordia, n. 19.
Vende-se um pardo de 25 annos pouco mais ou
menos sem molestia alguma que he bolieiro, co-
peiro c com principios do alfaiate: o motivo da
venda so dir ao comprador, com preferencia, e
por menos, sendo para fra da provincia: na ra
ile Jo.to-Kernandes-Vicira ao sabir da Solcdade ,
em um sobrado do lado direito das 3 horas datar-
de em diante ou naalfandega, das 8 horas da ma-
nhaa as duas da tarde.
--Yendem-se bichas superio-
res, chegadas ltimamente, adez
mil ris a cenlo; e de mil para ci-
ma, a oitq mil ris: no armazem
de Jos Alaria Palmeira, no lar-
#o do Gorpo-Saiilo, n. 6.
Vende-se, por 5,000 rs., urna grammatica fran-
ecza por Emilio Sevnc: a grammatica acha-se no
mclhor estado possivcl: quem a pretender annun-
eie.
Vende-se urna boa redo do dormir, obra pri-
ma c muito forte : na ra Nova, n. 26.
Vendem-se bolacbinbas superiores ,
em latas, chegidas ltimamente dellatn-
buigo : na ra d;f Cruz, arnvizem n. !8.
Oh que grand pichincha!
Na ra Nova loja n. 8 vendem-se
chapeos de palba, para senbora, a 2,000
rs. A ellcs, que ai o poneos e nao ebe-
gam para todos.
Vende-se urna prela de idade, por 200,000 rs.,
muito forto serve bem urna casa e vende na roa ;
urna preb moca do muito boa figura que cozi-
nba eengomma; um moleque do 10 anuos, muito
lindo ; um mulatinlio do 10 anuos ; um pelo de 83
annos, por 300,000 rs. ptimo para um sitio : na
ra do Passeio, loja n. 19.
11.
Furtaram, na nota do da 28 prximo passa-
do, pelo porlo do quintal da casa n. 22, da ra das
Gruzes de dentro ilc um quarto um sellim novo ,
oom una manta de patino azul, debrunhada arro-
da de branco cabecedas de couro de lustro o redeas
falsas, silbas rxase a correa que as ataca muito
h'na.lloga-sea quem. for orferecido que o lomee
levo ao segundo andar da dita casa, que ser grati-
ficado.
--Quem tiver urna preta para alugar, quo saiba
cozinhar, engommar e fazer todo o mais servico do
urna casa, e que d fiador a sua conducta dirja-
se a ra da Aurora n. 20.
Alugam-sec vendem-sc tanto a retalho como
aos ceios muilo grandes e boas bichas chega-
das de Ha m burgo : tambem se vilo applicar para
mais coiVimodidade dos preteiidcntos : na ra es-
treita do Rozario loja de barbeiro n. 19, defronte
da ra das Larangeiras. ,
-'- Na ra Nova ,loja n. 58, ha quem se encarre-
gue de mandar lavare engommar toda e qualquer
qualidade de roupa de homem, senbora o meninos
de ambos, sexos, por preco rasoavel.
Antonio Pire Ferreira offerecc
loo^'ooo rs. de gratificacao n quem Ibe
descobrir, dando asprovas. o individuo,
ou individuos, que tem roubado portas e
outros objectos da casa em que morou o
spti fa"Hecdo pai Gervasio Tires Per-
reir na ra do L'ires.
Esta justa e contratada a casa terrea n. 13, da
ra da Praia do Caldeireiro.pertencenteaoSr. Fran-
cisco de Amorim Lima ; se houver alguma hypolhe-
ca, penhora, ou outro qualquer embarace, bajam de
annuticiar uestes oitoias, para nao haverem duvi-
das para o futuro.
O reverendissimo Sr. padre Manoel Corroa,
natural da freguezia de Tendaos, tem urna carta na
ra do Crespo, n 3, ao p do arco de Santo-Anlo-
nio, venda do sobrado do Paiva.
Xa casa de modas raiicczas
de M. Mlocliau,
no Atcrro-da-Boa-Visla, n. i, primeiro andar, do la-
do dochafarz, vendem-se chapeos de palba da Ita-
lia, muilo fina c alva, ditos de dita aberta, dilos de
dita de arroz o nutras, para senboras ; chapeos re-
dondos, propros para garantir do sol; ditos de pa-
lba lina da Italia, para meninas ; dilos de dita e io-
nes, para meninos ; chapos de seda o crep, para
senboras ; lilas e-llores muilo ricas, decores e qua-
idades, para enfeites do vestidos e chapeos; lilas
eslretas, para toncas de meninas; cinturas o gra-
vatinhas de filas superiores, para senboras; colla-
rinhos o camizinhas bordadas; cambrias lisas e
bordadas francezas, muilo alvas e finas, para vesti-
dos ; corles bordados; bicos largos e estreitos de li-
nho.veidadeiro; ditos de imlacio; rendas debi-
os ; entromeios bordados ; ricos (los de bieo, pro-
Erios para mantas o visitas; loucas para senboras
onetes de montara ; visitas de bico ; creps do cS-
res; bicos pretos verdadeiros; bicos o rendas de
(los d seda c de litiho, brancos e pretos'-
?
para calcas, a 1,000 rs. o corte de 3 covados e meio,
ou a 1,120 rs. o covado riquissmos cortes do col-
lele de fuslflo a 1,000 rs., de setins de crtres mul-
lo lindos a 2,000 rs. ; setins brancos lavrados ,
proprios para vestido de bailes e casamento
1,000 rs. o covado. Todas estas fazendas sSO do
ptima qualidado a vista dolas verti os compra-
ores que nilo ha exagrcflo ueste annuncio.
Vende-so um cabrinha de 13 anuos sem vicios
nem achaques : na ra do Bangel, n. 36, primeiro
andar. ,
No armazem do Bragucz. na ra da Gadeia, ven-
dem-se superiores sacras do Trelo ce Lisboa, e ditas
com nozes por eommodo preco.
Vendem-se 3 balancas decimaes ,
yindas nltiunmente de Franca sendo
de diversas frcas, por preco muito
eommodo : na ra da Cruz armazem
.48.
MOBILIA.
Vende-se urna .porclo do trastes navos e quasi no-
vos ; lotizas e cryslacs ; urna tnulatinlia de 4 annos;
um moleque do 7 anuos ; caxas com vinho de Bor-
deaux Colares Lisboa, Porto e Maduira : tambem
algumaseaixas de cera do Rio-de-Janeiro : tudo
muilo barato em virlud! do retirada: para ver o
tratar na ra da Souzalla-Volha n. 110.
Vendem-se xaropes de frutas de todas as qua-
lidades e de flor de laranja e orchala : tudo por pre-
co eommodo, o muilo bem preparado : na ra es-
treila do Rozario deposito de pilo n. 39.
S$SF.
Manoel da Silva Sanios vende barricas
de farinha de trigo da marca SSSI', che-
gada no nllimo navio a este mercido.
Vende-se um negro perito official de sapateiro,
de idade do 20 annos, c nina negra cozinheira, cos-
turora, lav&dcirac engommadeira, do idade de 22
annos pouco mais ou menos : na roa eslreita do Ro-
zario. n. 43, secundo andar.
Na nova loja dama da Cadcia
do Kecife u. S2, de Claudi-
110 Salvador Percira Braga,
vcndeni-so bellos c riquissmos corles de princesi-
na a 7,000 rs ; asseiados c galantes cortes do cam-
beaia de seda bordada n 14,000 rs, ; cambrias de
cores, tic delicados padres a 500 o 640 rs a vara ;
preciosas mantas de seda para senbora, a 13,000 rs.;
lindissimas luvas to pellica enfeitadas com tranca
e holotas de seda a 3,200 rs. o par ; dclicadissi-
mos chapos de sol, de seda de todas as cores pa
ra senbora, a 4,500 rs.
Ao bom tom Pernambucano.
Vcndcm-se ricos corles de sedas brancas, para
vestidos do noi vas; lindos bicos to blond brancos;
guarnicOos.de flotes brancas, para vostidos ; lindos
loques, dos mais modernos que ha ; fil de linho li-
so, dos mais linos que tem vindo; bonitos cortes de
cambraia de seda ; ricas fitas de selim, lavradas,
proprias para ornamentos de vestidos o chapos ;
damascos do todas as cores; a melbor sarja preta,
quo tem vindo ao mercado ; bicos do blond pretos ;
veos pretos do linho; ricas luvas'de pellica, do
meio braco com enlejes ; dilas curtas com burra-
cha a enfeiles; ditas para bomons, chapos pretos
francezes, para homeiis ; dilos de sol, de seda fur-
ia-cores, para bonicos; crep do todas as cores;
sedas de todas aseles, para chapos de senhoras.;
ricas mantas de sodas, para senhoras ; ricos chales
de seda, do melhor gosto; merino preto muilo fi-
no; sapillos franceses, ele lodasas qualidades ; lan-
tcinas de pos de y tiro, lavradas e lisas, de muito
bom gosto; contras multas fazendas de gosto, tudo
por preco mais eommodo do que cm outra qualquer
liarte : na ra Nova, 11. s.
Sal.
Vndese sal muito alvo a bordo jjo briguo Jo-
ii'dnde Tundeado cm frente do trapiche do Sr.
Angelo : a tralar com o capilfo a borTIo ou com
Jos Francisco Collares, as escadinhas ou nos tra-
piches da estiva.
Os llarlyres,
011 o tr 11 m plio da religao, poema pelo viscondede
Gbateaiibriaii d, tiaduzido em verso portugei pelo
insigne l'ilinto Klysio: alm tiesta obra aebari-sc
venda (miras ni tulas, bem como una porclo dos
mclhores romances de W'alter Scolt : na ra do
Quciniaiio, n. 15.
-----Vendcm-se eneiles de froco de di-
versas cores para cabreas de senboras :
cassas brancas; luvas para senhoras e meninas: lei- na l")a de lUiiyn liamos & C, ra Nova,
eos de m;1o ; trancas pretas; larlatanas brancas o de
cores ; chales e mantas de 13a de ricas cores ; veos
de montara ; sedas de todas as cores, para chapos
de senhoras ; cordOes de seda ; trancas cstrelinhas
para cnfeilai vestidos do meninas; retro/ o h'nhas
de todas as cores; botOes de passetnenteriai e mu-
tos outros objectos de moda, e por muito barato pre-
go. IMa mesma casa fazemrse.sempre vestidos de ca-
samento e chapos de senbora, da ultima moda, o
por preco eommodo.
Atum de escabeche.
Vende-se muilo bom atum de escabeche, vindo
prximamente de Lisboa, e prompto a comer-se, a
280 rs. a.libra : na na eslreita do Rozario.vcnda q'uc
faz esquina para o paleo do Carmo, n. --
---Vende-se urna morada de casa de 3 andares, si-
la na na do Queimado, n. 9 : quem a pretender
enlenda-se na loja do mesmo.
-Vendem-se dous molequesde idade de 12a li
annos; 2cscravos de meia idade; 1 negrinha de ida-
de d* 12 a 14 anuos ; 4 mulatinhas muito lindas, re-
colludas.com principios'de costura e engommado ;
3escravas mogas do bonitas figuras : na ra liircita.
n. 3 '
Lencos de cassa, a 120 rs.
cada um.
No Aterro-da-Boa-VisU n. 10, primeira loja de
lazendas indo da ponte vendem-se lencos de cas-
sa de quatro ponas, com listras brancas e de cores,
a seis vintens; casimiras finas e de bonitos padrOes
n. 6.
Vcndcm-se, no armazem de liias Ferreira,
junto as escadinhas da alfandega, es seguintes ge-
neios por eommodo preco e de superior qualida-
de ; caixas com passas ditas com ameixas, ditas
com figos, potes de uvas, ancoretas com azeito-
nas de F. Ivas barricas com sardinhas ; ditas peque-
as com ditas e batatas a 1,000 rs. a arroba.
lim casa de Frederco Kobilliard,
na ra do Trapiche-Novo, n. 18,
vende-se superior cerveja branca e preta, embo-
tijas da fabrica de Barclay j conhecida como a
melhor que al ao presente tem vindo.
Vendem-se 16 escravos sendo : 7 pretos,
alguns dellas com oflicio de 18 a 25 annos ; 2 mu-
latinhos de 16 a 1S annos, proprios para pagem ;
duas pardas.de 12 a 20 annos, com habilidades ; 5
pretas dola 30 anrtos, com habilidades : lodos de
boa conducta c.proprios para todo o servico de
campo o da praca : na ra do Collegio, n. 3, segun-
do andar, se dir quem vende.
Vendem-se apolices da extncta companhia de
Pernambuco e Parahiba, por prego eommodo, no
escriplorio de Manoel Joaquim Ramos e Silva.
Vende-se um preto do nag.lo, muito robusto.
bom ganbador de na e do servigo do casa e cam-
po do qual cntende rutilo nflo tem vicios nem
achaques : vende-se para se comprar, um moleaue.
ou una negrinha .tambem so troca no tendo vi-
cios ncm achaques : na ra da Concordia passan-
doapontezinba ,a dircila, segunda casa terrea,
se dir quem.vende. '


i
\
f.
.
A
Vendo-so urna negrinhn costureira o rendei-
ra; un rnulatinho cotn principios do sapateiro : na
ra larga do Rozarlo, loja Jo miudozas, n. 35,
so dir quom vende por querer retirar-se para Po-
ra. Na mesma loja lamljom se vendo um piano
gloz, que precisa do um pequeo concert
prio para so aprender.
tn-
pro-
sa.i
OBjl
-oi)U3c] ajqossejisouis su as
:iun peo s.i OOS#^ >P o5ajdo|Bj
nq opd 'aprpp cjsouopiDDjcddB
uiaaj onb soau sigu sojso o saojp
-od sop o)sa epua/cj/sacuadun
SI.'SSBO Op 89?JOD sooij os-uJapuaA
-SDjf) op enj 'eiquodcuop)
a i J N Sao de patente, c somonte
S0DIJ3CIUJISBSSB0 S'I.'AOU SU i i n
V vendem no Aterro-da-tt
de cAres, pelo baratissimo prego de 7,000 rs. o cor-
te de caiga. Esta fazenda he recomtncndavel pola
sua qualidado tanto em fazenda como cm goslos',
porsorem os mais modernos; casimiras pretas ,
superior fazenda por serem milito finas a 2, 3 c
3,500 rs. o covado : na ra do Collegio, loja n. 1.
sopouiuio.) so5.i.d .ioi 1
opn] : sopep||nnb se scpoi op.sepuoznj op oiuaui
-jl-tos o)j|dioa um'sepiioznj SB)sap uiO|oopeA
-oa o sj 056 ap ofa-id oiiUBq opd' sajouadns sou
-ud ap o sjnosa sbxij sojoo ap 'saojpW sopun ap
' bjba suin uta) onb BJn3ie| BUBmpjoBjua eris b|
-od 'soj)guouj sopBimpu! sopesij soaou so as-uiad
-U3A BiquBdiuoy i? uiiiajaSsoLUBuiing op afo| en
\endc-sc um rico presepe novo, por barato
prego : quem quizcr ilirija-so ra da Matriz da
Boa-Vista, n. 10, que achara coin quem tratar.
A 4^200 lis.
Na loja de Guimares Serafira &
Companhia ra do Cres-
po, n. 5,
vendem-se chapeos de sol de se-
da para homem, pelo barato pre
yode {#200 rs cada un.
Vende-se um molequcrrioulndc 10 a 11 anuos:
Da mi. de Norias, sobrado de um andar, n. 30.
Vende-sc champanlia de muito superior quali-
dade recenlemeiile cheguda : na ra da Cruz .
n. 38. '
Vcndem-sc G a 7 arrobas do sebo de boi, slo do
melliorquohanapraga, por ser de rim grosso, a
4,.'l20rs no acouguo de Joilo Dubois, ra larga do
Hozario, n. 6.
I'annos finos.
Vendem-so superiores pannos linos a prova do
limBo preto, a 3,000, 4,500,5,500 e 6,500 rs. ; di-
to azul, a 3,000 rs. e muito lino, a 4,500 rs. listes
pannos siio novos c pola sua liarateza, altendendo
n sua boa qualidade, tornam-se recommendaveis.
Na na do Collegio, n. 1.
IVa nova loja do Passeo-Pu.
blico, i). 19, de Manoel Joa-
qum Pascoal Hamos ,
vende-se cortes de cambraia alegra, fazenda muito
moderna a 2,000 rs ; corles ile ISa para caigas a
3,000 rs. ; cortes de casimira de quadros muito
moderna a 0,500 rs. ; alpaca preta, a 900 rs. ; inc-
lino preto a 3,200 rs. ; panno preto muito lino,
a 4,500 c 5,000 rs. ; dito zul, a 4,000 rs. sarja
preta despatillla a 2,000 rs. ; setim preto, a 1,000
rs. ; longos para gravata de seda de cores, a 400
rs. ; ditos de cassa a 100 rs. ; lengos de seda pa-
ra homem, a 1,440 o 1600 rs.; longos brancos de
Iodos os lamanbos, do 210 at 400 rs. ; mantas de
seda muito ricas a 9,000 rs. ; chales de lila, a 2,000
rs. ; ditos de ISa e seda a 8,000 rs.; ditos do me-
t di e chita a 1,00o rs. ; e outras militas fazendas
muito cniconta.
lie s na loja do nicho que
apparecem estas pechi ochas
Na esquina do l.ivramento loja do nicho, ven-
dem-se mantas para senhora, a 1,000 e 2,000 rs.;
Setim hranco.de flores, cotn duas larguras, a
1,280 rs. o covado ; riscadinhos chiiiczcs, coni lis-
lias ile seda a 3C0 rs. o covado ; chales muito gran-
des de garga e seda a 2,000 rs.; lengos grandes da
mesma fazenda a 1,000 rs.; ditos escocezes de
bonitos goslos a 200 e 320 rs. ; e oulras militas
(chinchas novas chegadas de proposito para a
fesla.
SOJ1SUOCU S!)J)B.)sl}j
Pechinchas para a Testa.
Vcndem-so bonetes para ir ao banho a 360 rs.,
nlo pode haver mais barato : no Aterro-da-Boa-Vis-
ja 11. j.t.
se
!>a-
--Vendem-se ancorelas de di-
versos limanhos com vinho da
JMadcira, linio e branco, de su-
perior qualidade: no eseriplo-
rio dcOliveira limaos & Compa-
nbia na ra da Cruz, n. 9.
Attencao!
Acaba de chegar loja do Passcio-Publieo n. 17,
urna porcSo de cortes de cambraia transparente de
lila, para vestidos de senhora, padrees ititeiramcnlc
novos, e queso espera mercgamgeral applauso das
senderas de bom gosto, e muito principalmente das
que tencionam passara fesla cm seus sitios. A por-
gfloho diminuta e nilo ha mais om l'crnambuco ,
por isso sem demora devem mandar por elles, antes
qoeseacabem mesmo porque o prego convida ,
pois he o de 5,000 rs. por cada um corle.
Na loja nova da ra do Quei-
mado,n. 11 A de haymiin-
do Carlos Leite vende-sc a
1,000 e l,lOOrs
a vara de um cxccllenle panno de linho que cho-
gou ultimametile de Porllugal, cujas pegassflo de 21
varas : tanibem se vende a rotalho; assim com che-
gou novo sorlimenlo do do 800 rs a vara e as pe-
gas com 18 varase meia : anda contina lia haver
(' "o 600;rs., o hamburgos linos;: estilo se aca-
llando os guardanapos de linho a 800 rs.
Casimiras clsticas c finas, a
7^000 rs.
Yondem-se superiores casimiras elsticas, finas o
Vieta, loja n. 78,
cxcellenles bonetes do verdadeiro marroquim pre-
lo e cor de ganga, de modelo muito engracado ,
obra franceza cujo gosto podo ser bom avahado ,
vendo-sea fazenda e silo tilo decentes que podem
serem usados por qualqucr personagem ; ditos de
merm de cores bordados c de execlentes goslos.
Vende-se urna casa terrea nova, na ra da Flo-
rentina livreo desembaragada : lambem se vende
urna balauga grande e urna porgo de pesos : na
ra do Collegio, armazem n. 19.
DE6 PORTAS N
I IN'esta loja das pechinchas,'vendcm-se pan-
i nos linos, a 2,500, 3,000 3,500 e 4,000 rs. ,
e muilo lio, prova do limlo a 5, 6 e 7,000
rs. ; casimiraa de duas larguras, a 1,500 e
2,000 rs o covado, c muito superior, a 3,000
e 4,000 rs. ; cortes de setim e do velludo
paracollelo, a 2,000, 2,500e3,000 rs.; man-
tas de setim para homem, a 2,000 n.; um
grande sorlimento de madapoldcs chitas
o cutas muitas fazcudas para a fesla por
baratissimo prego, para acabar antes do ba-
lango.
Vendem-se 4 pretas com algumas habilidades;
um pardo de 18 anuos proprio para pagem ; um
dilodo II a 12annos; um preto de 30 annos pro-
prio para qualquer servico : no pate da S.*Cruz ,
n. 14, se dir quem vende.
Vende-se um bote em bom estado, que bota
4 romos : na ra Direita, r. 69.
Vendem-so caixas de cha hysson, do 13 libras,
em DorgOes, ou a retalho : na ra da Alfandega-
Velli.i, n. 36, em casado Malheus Auslin & C.
Na loja nova da rua d > Quei-
mado, n. 11 a, de Kaymtin-
do Carlo Leite, a 4,400 rs. o
covado.
Alm de ter um completo surtimonlo de fazendas
linas e grossas, pelos pregos mais rasoaveis possi-
veis, ha casimiras lisas c clsticas da melhur qua-
lidade que Icm vindo a esto mercado, a 2,400 rs. o
covado; bom comode listras, a 4/, 8el0#000 rs.
o corte.
Vendem-se pegas de madapolilo limpo com
20 varas, a2,500 rs. ; pegas de chitas escuras mui-
to encorpadas fortes o de cores lisas a 5,500 rs. ,
o a 160 rs. a retallto : na rua estrella do Hozario ,
n. 10, terceiro andar.
Vcndcm-sc vinbos veidadciros, de
diversas (|inlidades, muito mperiores, e
bem conhecidos ; lambem ago'ardenle
COffnac c cerveja em barricas e engarra-
fada sendo propria para armazem e
da esta : na rua do
para gasto particular
Trapiche, u. 4o.
Vende-sc. ou lroca-so por casas tiesta praga, um
terreno com 412 palmos de frente o 150 de fundo ,
sito por detrs docovonto do Carino : a Iralar com
o seu proprietario no Manguinho, segundo silio
depois da capella de S.-Jos.
-- Vendem-se borzeguins de cores c bolins a
2,000 rs. ; sapatos de setim c tapeto a 800 rs.: no
Aterro-da-Boa-Vista, ti. 84.
O BARATEIRO.
I\a nova loja da rua do Cres-
po ao p do arco de S-An-
lonio n.4, de Bcardo Jos
de .Fretas Ribciro ,
vendem-so casimiras a turca de urna so cor fa-
zenda inteiramentenova empadrOes c qualidades
o quclem urna elaslicidade que se nilo enconlra
nessas outras casimiras vulgares.sendoestasapplau-
sivejs tanto para caigas como para execlentes pa-
litos por terem duas larguras, e o sen prego ser
4,000 rs. o covado e o corte de caigas 7,000 rs. Igual-
nienla lia lencos de 3 ponas de cambraia com cor-
cadura de cor c {jalmas bordadas proprios para
pescogo de senhora, a 120 rs. cada um ; cortes do
cambraia adamascada, de bonitos padres e com 7
varas, a 4,000 rs. ; ditos de cambraia com lislras as-
sotinadas brancas e com 7 varas, a 3,500 rs.
He (miras.
Vendem-se superiores cortes da fazenda nova
denominada belmira, para vestidos de senhora ,
pelo barato prego de 4f500 e 5,000 rs. o corte. *Esta
fazenda he nova e de muito sub irnos gostos, sen-
do as suas cores mui apreciaveis por serem cor de
lirio, rosa operla. A elles, antes que se acabem.
Na rua do Collegio, loja n. 1.
MEZ MARIANO A 1,000 RS. .
Vende-se na livraria .la praca da Independencia
ns, 6 e 8, o Novo Mez Mariano, accrescentado com o
Lauspcrennedo Santissimo Hozario.
Cfieguem que estao se acabando
os sapatOes do bezerro para homem, a 1,280 rs., e as
bengalinhas para passeio a 320 rs. : no Atcrro-da-
Uoa-Vista, loja n. 78.
Scllins para a fesla.
Vendem-so excellcntes scllins iuglezes com to-
dos os seus pertenecs : na rna do Trapiche-Novo,
n. 19, cm casa deFredirico Robilliard.
Admiravcs navalhas de ac
da China,
NA RIJA LARCA DO ROZARIO, N. 35 ,1.OJA 0(TLOI>Y.
Kslas navalhas teem a vantagom de cortar o
cabello sem offendora pelle, deixamlo a cara pare-
cepdo estar na sua brilhanto mocidade. Este ago he
da China e seu autor ho Shan. Por todas as socie-
dades das sciehcias medico-cirurgicas, tanto da
Europa cmoda America, Asia e frica he reco-
nhecldo o uso dcstas navalhas maravilhosas, no s
para prevenir as molestias cutneas a que a luimani-
dadecsl subjeita; mas lambem como ummeiodeas
curar.
Vendem-se as verdadeira so na loja cima indi-
cada.
Vende-se um molcquedo bonita figura, sem
vicios n o ni achaques : na rua do Quoimado n. 55 ,
a tratar como Jos Maria Ferreira da Cunha.
Yo Aterro-da-Boa-Vista, n.78,
vende-se bauszinhos de pao com lindas pinturas o
que servom para guardar roupa de criangas e costu-
ra, de 640 a 2,560 rs.; bonetes de velludo para me-
ninos ; sapatos para senhora a 1,000 rs.
DEPOSITO DE CAL V1HGEM.
Na rua do Trapiche n. 17, ha sem-
pre cal virgem de Lisboa, cm barris pe-
queos, e ltimamente ebegada mui-
to superior e por preco rasoavel.
Ya rua da Cadeia-velha, n.
119, loja de J. O Elster,
vendo-s vinho do Porto, de diversas qualidades ;
dilo da Madeira ; dito do Malaga ; dito de Shirry ;
dito de Carcavellos; dito do Tenerife; dito de Lis-
boa ; dilo do Rheino ; dito de gravis ; dito Sauter-
ne ; ditodo Uordeaux ; dito Chateaux-la-rosa ; dito
S.-Julim ; ditoS.-eorge ; ago'ardeiite de Frnnga
de varias qualidades ; cherry-cordial; marraschi-
110 ; licores finos ; PTIMA CIIAMPANA.em garrafas
inteiras omeiasditas ; velas de composi51o ; cha
preto c verde de superior qualidado; presuntos e
salames de llamburgo; sardinhasem ltase vidros;
petits-pojs em latas; mostarda ingleza e france-
za ; vidros com frutas em calda- de assucar o espi-
rito ; ago de flor de laranja ; CIIHRUTOS DE I1A-
VANA E DA HAIIIA ; c outros muitos objectos : ludo
recentemenle chegado.
PARA A FESTA.
Xa loja nova da rua do Quei-
mado, 11. II A, dcHaymun-
do Cario Leile ,
vendem-so os melheres chapeos do Chili, que teem
apiiarccidoneslo mercado, a 16,000 rs. cada um :
lambem ha de 7,000, 8,000 o 9,000 rs.; mantas de
seda a 2,000 4,000, 10,000 e 16,000 rs. cada urna ;
nm novo sorlimento de chapeos franeczes ; meias
pretas e grandes, para padre, a 600 rs. o par ; e um
completo sorlimento de pannos finos, do todas as
cores por pregos commodos.
Na rua do Crespo, loja n. 12,
de Jos Joaquim da Silva
Haya,
vendem-se muito lindos chapeos para meninas,
tanto de seda como depalhinha chegados ultima-
metile de Pars; chapeos de seda para senhora;
corles de crambraia de seda de ricos gostos, por
mego muito commodo; cortes de vestidos de cam-
braia ecassa-chitas de dilTeranles qualidades, por
pregos baratos; ditos com urna pinta de mofo e
em elle a 2,000 e 2,500 rs. cada corte ; mantas de
seda e lila para senhora, das mais modernas que
teem vindo a esta praga, a 5,000 rs. cada urna;
mantas chales de seda de varias qualidades e ba-
ratos; alpaca pteta a 800 e 1,600 rs. o covado;
panno de linho, a 400 rs. vara; casimiras fran-
cezas e elsticas para caigas a 5,000 rs o corte ;
fustOes; selinse velludos para collote, por prego
muito em cotila ; bem como um sortimento'de ou-
lras muitas fazendas que se vendem pelo barato.
casa; nma crioula do 26 annos, que engomma
coso, cozinha e lava de sabSo ; urna dita do nag3o',
de 40 annos, que cozinha, lava bom e vende na rua-
na rua das Cnizes, n. 22, segundo andar.
Vende-se umcavallo de linda cor, bem gordo,
livrd do achaques muito.novo bm carregadordo
bnixoameio, com bonsc novos arroios, ou sem
elles : na rua da Gloria, n. 26 das 6 as 0 horas da
manha ou at as 4 horas da tardo.
{?.*10*1010 si* ^i& a* 10 100Qi!0&
Vendem-e corles de cassa e cambraia de se- S
]tt da, a 9,000 e 10,000 rs. ; ditos de novos e ri- a
O eos padrOes a 14,000 e 16,000 rs.; chapeos W
5, domassa, francezes, da ultima moda ; risca- 0
0 dos francezes para vestidos de senhora ,- no- S
vos cortes da cassa-chita ; o ou Ira* muitas fa- O
zendas de gosto proprias para o tempo de
Q festa : ludo por menos prego, do que em ou- #
0 Ira qualquer loja : na rua do Queiniado, nos
tt quatro-cantos, loja da casa amarella. n. oo g
O %
Geiv%tf%0mtfY% t?io etm o^ tul* ro &*%
Na nova loja da rua da Ca-
dra-Vclha, n: 32, de ( laudi-
no Salvador Pereira Braga,
vendem-se lengos de cambraia do linho, bordados.
pAra ni "10 de senhora a 4,0i>0rs ; luvasde seda do
cores, sem dedos, c pretas enfeitadas, para se-
nhora, a 1,000 rs.; ditas compridas som dedos,
pretas e de ciires, eiifeiladas a 1,500 o 1,700 rs.;
lengos de seda para algibcira a 640 rs. ; suspenso-
rios de seda a 880 rs. ; bengalas francezas, do jun-
co onvernizado a 880 rs.; o outras muitas fazen-
das por prego cp'mmodo.
Vendem-se, na loja de miudezas da rua do
Crespo, n. 11 caixas do charutos os mais finos
possiveis, osquaos deixam muito bom paladar na
bocea, por prego o mais mdico possiyel de 1,000
rs. Os amantes dos bons charutos devem comprar
logo, porque se eslo acabando.
Na nova loja de barbeiro, na rua da Cruz, n.
58, vendem-so ealugam-se bichas de llamburgo,
por mais barato prego do que em" outra qualquer
parle : bem como todo o mais servigo pertencento
ao mesmo olTicio.
Vende-se urna prcla da Costa : na rua da Cruz,
n. 18, primeiro andar.
Vende-se urna morada de casa terrea^ na rua
deS.-Rita ; urna dita na rua das Triucheiras : na
rua do Mondego, n. 137.
Vende-se um moleque de 12 annos muito lin-
do, proprio para pagem, ou aprender officio: vende-
se por precisilo : no pateo da S.-Cruz, n. 14.
Escravos Fgidos.
Potassa,
a
AOENCIA DA FNDICAO'DE LOVV-MOOR.
Na rua da Srnzalla-Nova n. 42, contina a hav6r
> n completo sorlimento de moendas c machinas de
vapor para engenhos de assucar : bem como tai-
xas de ferro batido e coado
ludo por prego commodo.
mais
: na
Bal-
para
Vende-se potassa da Kuss.ii
nova que hje existe no mercado
rua da Cadeia-Yelha armazem de
ter e Oliveira.
-7-Vendem-se carros de mo, proprios
carregaronlulho, ou para servigo do pedreiro ; ma
carroga para dous carnoiros propria para padaria:
na praga do Commercio, casa de Joo Carroll &
Companhia.
Vendem-se 4 escravos, sendo: um moleque de
16 annos, que cozinha o diario de urna casa ; urna
de todos os tamaitos: I parda de elegante figura de 16 a 18 annos, qu
(engomma, cose o faz todo o mais servigo de urna
Fugio de bordo do briguo Con/tarifa, na noito
de 30 de novembro passado, o escravo marinheiro
de nomo Jos, de nagfo Gallito; representa. 30 e tan-
tos annos; de estatura baixa; sem barba ; levou
caiga do brim, camisa de algodo e barrete, e assim
mais tima caiga do casimira amarellada, camisa de
chita e uus sapatos. O dito escravo sabe lodosos lu-
gares da provincia, e assim como os do fura delta,
ej foge por habito, visto que no anno prxi-
mo passado lambem fugio de bordo do brigue Men-
tor, e foi capturado par* as parles de Porto-Calvo,
iiondc se inculcava por forro: elle pertence ao
Sr. Jos Maria de S, negociante no Rio-de-Janeiro.
Roga-se, e pede-se a todas as pessoas e autorida-
des policiaas a sua captura, certos de que quem o
trouxera esta praga aosabaixoassignados, receber
boa graliligilo.
Amorim Irmot.
Fugio, no da 28 do passado, o preto Rufino,
de nago Congo, de 40 annos pouco mais ou menos,
de estatura alta, corpo mediovcdr fula, olhos gran-
des, nariz c bocea regulares barbado ; tem urna
peina cambada e um brago desde o colovello al
a milo quasi branco. Roga-se as autoridades po-
liciaca e capitles decampo, que o apprehendam e
lovem-no a rua da Senzalla-Velba n. 98, que serflo
gratificados.
Fugio, no.dia 26 do. passado a sera va There-
za crioula de boa estatura, seccodo corpo, olhos
grandes o vivos, beigos grossos denles alvos e
bous, de 24 a 26 annos poitco mais ou menos. Quem
a pegar, ou souber a casa onde ella esl acoilada
haja de participar a rua da Aurora n. 12, quesera
generosamente gratificado.
Fugio, o da lo de outubro do
engenho das Matas, regnezia do Cabo,
a cabra Vernica ; reprsenla ter 3o a
35 annos baix'a; bastante reforcada do
corpo beicos grossos ; tei os denles do
lado superior podres ; lem uma beli-
di pequea em um olho ; tem os cabel-
los da frente crescidos } e um signal
branco em uma das ps; foi encontrada
no Barro no da i5 de nnvembro indo
para o llecife com .um conductor di-
zem que chamado Guilhermino e que
mora em S.-Anlao ; dizetn mais que
ella ficon ii'ciilla no Recife Quem a pe-
gar leve-a ao dilo engenho, ou a rua Di-
reita, n 6, que ser recompensado.
Desapparaceu, nodia 21 de novembro, urna
negrinha da Costa de minie Itonodicla de Pan-
nos pouco mais ou menos, de bonita figura, cor
preta beigos grossos; anda com a bocea meia abor-
ta ; he um tanto acangulada ; tem uns (albos pe-
queos na cara siguacs de sua Ierra; levou vesti-
do de chita preta e cabegilo de algodozinho pan-
ne da Costa ja vclho, com ma(ames brancos : quem
apegar, leve a rua l.'ireila, n. 30, terceiro andar.
Fugio, no dia 16 do prximo passado a preta
Marcellina; levou vestido de chita roxa e panno
da Costa ; he bom rotihecida por leras pernas lor-
ias ; consta ter ida para Nazareth com urnas pretas
boceleiras : quem a pegar leve-a ao paleo do l'arai-
zo, n. 20, que sera recompensado.
ItW:
NA TYP. DE DI, F. DB FARIA.----1 847.
M