Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08780

Full Text
..
Anno de 1847.
Quarta-feira 1
r
O DURIO n"'i!i:i-'C to Im os dial q& i" i
6rem 'le jtmrdi i o precn dt nssiqwitura he de
4JOO(> rs.pot quarlel, fagts 11 i r. Os n-
nuncins do assis'imites s"< > inri.lo< j rnso de
50 ti. por linlia, iB-t%. ara tfp dntrrnte, e as
rpeldos pula matada.. Os orna it.'i firem asslfl-
nnntes pagano SO rs. por linha, e I6U c a lypo
dillerente, por cad publicarlo.
P11ASES DA LIJADO ME'A DE NOVEMBRO.
La ora, a 7, 6 horas c I!, minuto da manh.
Ciescenle 4b, I hora c C min. da manha.
Luachtia"a II. as M libante a 19, s 11 hora e J min. da larde.
PARTIDA DOS CORREIOS.
Golawa cP.n-.ili iba ssegundasesextas feir..
Rio-(rande-dft-Norte (juiolas fciasao meio-dia
Cabo, SeriuhScm, Rio-Formoso.Poilo-Calvo if
11 ii'cld.'no I.*, a 11 e 21 de cada m.
(tara lulns e Bonito, a fte 13.
Bofc-VkWi e (flores, lie 58.
Victoria, s quiutas-feiras.
Oliuda, todos os das.
PIlBAMAd DE HOJE.
I'rimeira, is 5 horas e 18 minutos da manha
Segunda, s horas c nulos da larde
DIARIO ]>E
de Dezftnibro. Anno XXIV. ** **9\
DAS DA SEMANA*.
59 Seh'. S. Saturnino. Aud. do J. 'los orph. e
"dnJ. doc. da I v. doJ. M. la *.
30 Terra. >X< S. Andr.Aud. Jo J. do c*.
la l.v.edoJ. de paz lo 5. d&t. de t
I Quarta. S. Kloy. Aud. do J. ilociv. da.
v.e do J. le v ir lo 3. dist. de I
> Quinta. S. Bibiana. Aud do J. de orph.
e do J. municipal da I. vara.
6 Seata. S. Francisco Xavier. Aud lo J-do
civ. da l.v.edo J. de paz lo I. dist de t.
4 Sabbade. Bi Hirbira. Aud do J.lo civ.
da l.v.edoJ. de paulo I dist. de t.
& DtyniugO. (craldo.
CA.MHIOSNODIA 30 DE NOVEMBRO.
Sobre ladres 58 d. pof l# ri. a o C
Patls J30 rs. por franco,
a LisboiOia 100 de premio.
Desc. le lettras de boas firnus I a l| /
OiirsOueas hespanholas------'afoon a
. Mod(nde(V00velh. I6JI00 a
I det9"iiov.. lOfOrt a
. de |00o ..'... #00 a
Praa Palaces. /........ >#
a Pesos columuares... If*< a
Ditos mexicanos.... I|"C0
. Miuda............. #20
Aeces da comp. do eberibe de 50/000 r
00 lia.
ao ni.
29100o
l6f*M
ieioo
t 100
JfOOO
i jaso
l| 60
1/980
.aopaY.

PARTE OFFICfAl.
COMMANDO DAS ARMAS.
Quarlel do commanio das arma* na cidade do Reci-
fe, 30 de novembro de 1847.
ORDEM DO DA. N. 26.
Em aplauso ao sompro memorando da 2 do dc-
zem^iro prximo vindouro, nnnversaro natalicio
de,S M. o Imperador, os corpos da guarda nacional
e polica, designados pelo ExnuSr. consolheiro pre-
sidente, bem crinjo os do exercito, pertencontes a
esta provincia, formar-se-hto, paraoaclo da grande
parada, as 9 horas da manha impreterivelmcnre.
r*"P'dem que absixo so descreve, se produzir a 1-
nha sobre o Aterro-da-Boa-Vista e ra do Aragto,
tendn a, direita apoiada junto ao chnfariz da ponto
As io horas em ponto, o commandante das armas
passar aos mesmos corpos a revista do costume, e
assumir o commando da columna, qire se organjsa-
r era quatro brigadas, e estas em dua9 divisos.
A primeira brigada se cr>mpor do esquadrto de ca-
vallaria da guarda nacional, deum parque do arli-
Iharia de 4 boceas de fago le calibre 3, c dos bata-
lliOes 1.*, 2. o 3.* (a guarda nacional, commandada
pelo Sr. coronel do legito Joaquim Canuto de F-
gueiredo ; a segunda, do 4. e 5." batalliOes da guar-
da nacional, sob o commando do Sr. tenente-coro-
nel Manuel Florencio Alves do Moraes, comporto a
primeira divisto, cujo commando he commottido ao
Sr. coronel do estado-maior do exercito Joaquim Jo-
s l.uiz de Souza ; a terceiro, se compor do bata-
Ibio 6. deste municipio c primeiro do deOlinda,
sob o commando do Sr. tcnentc-coronel Francisco
Carneiro Machado Ris; e a quartn, dos batalliOes
de linha, 5.0 de Fuzilciros, 6." do cacadores, corpo
de polica, deum parque de quatro boceas tle fogo
do calibre 3, e da companhia fixa do cavallaria de ji-
nda, sobo commando'do Sr. coronel chafe de legito
Jos Peres Campello, comporto a segunda divisto
o mdndo do Sr. coronel choto de legino Francisco
Joaquim l'creira Lobo. O Sr. tenente-coronel Anto-
nio Gomes Leal, servir do ajudante-general, c o Se.
mnjor Joaquim de Pantos Marinho, dequartel-mos-
tre-general, e imbos deverto escolher os seus as-
sistontes. Os Srs. comiiiuudanles de divises o bri-
gadas, nomearto para servirem as suas ordons, os
officiaes que, dos seus respectivos commandos, con-
sideraren mais aptos para este emprego. Se compa-
recer na parada o Sr. commandirnte-superior Fran-
cisco Jacintbo Pereira, tomar o commando da co-
lumna, cmquauto se tifio aprusentar o commandante
das armas, o pela negativa, o Sr. commuiid(flle de
divisto mais antigo. Os Srs. commandanlcs de cor-
pos deverto com antecedencia enderezar os necessa-
ros pedidos para o fornucimento do crlucbame
desembalado, para as tres salvas do estylo, advertin-
do que o parque lera de executar tros salvas de 21
tiros cada urna. O commandante das armas convida
aos Srs. ofllciaesdus quatro classes do exercito e da
extincta segunda linha quo uto tiverem lugar no
ai ni mmenlo, comparecerem no palacio do gover-
iiii, no indicado dia 2, pelas II horas da inanhila, allin
do as.sislirem a parada o ao cortejo, que se tein de
fazer a eligie de S. M. o Imperador. Assignado
Manotl Ignacio de Canalhu Mendonga.
Conforme. = itfonoe Porfirio de Catiro Araujo, aju-
danle de ordens.
EXTERI R.
HESPANHA.
O correspondente do Timet, em Raionna, escrevia-
Ihe a 7 de oulubro que o chefe carlista Boquica fV
ra sorprehendido a 29 do setombro em Castellar del
Much, por urna columna das tropas da rainha; mas,
que conseguir ovadir-se, doixando o seu cavallo na
ostribaria. Dous dos seus foram morios, o mijitos
oulros capturados Ocapitto-genoral da Catalunha
marchara de Barcelona, na tarde do dia 2 de outu-
bro, pa>a entrar em operaOes coiJra *s carlistas.
Antes da sinyiartida "publicara elle urna proclama-
j.lo, racommendando aps seus soldados qu manti-
vessem a mais rigorosa disciplina, o considerassem
os Catal.tes como irmtos, o uto como inimigos
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE t'I.RNAMill'CO.
LISBOA, 18 DE OITUBRO E 18i".
O facto mais imporl&nto que ltimamente tem oc-
corridohea dissoluQto do centro clciloral carlista,
presidido pelos duques de Saldanha e da Terceira, e
que tinha as suas sessOes n'oil edificio aoArco-do-
Randeira. A dissolucjio verilicou-so no dia seguinte
ao da reunito que teve lugar na ra los Mouros,
convocada pelo conde deThomar. A associac&o i'ie-
sidida pelos marechacsdeclarou, pois.no dia 1-J, no
ornal a Carla, scu orgto, a sua dissoliu;iio da ina-
leira soguinte:
< A 'associac.to elcitoral presidida pelos marc-
chaes, sendo informada de que gcralmontc so con-
sitiera como um grande mal a existencia do dous
n cenroi nos trabalhos eleitoraes carlistas ; tendo-
se convencido de que, smente cessand, por sua
parte, nestes trabalhos, pode have a unidado que
se desoja ; c tomando em considerado urna serio
de factos recontomenlo occorridos, tem resolvido
nto proseguir nos mencionados trabalhos elei-
toraes.
Fica, pois, o governo sem centro clciloral quead-
voguc a sua causa as eleictos, e por conseguinto s
em campo pelo partido carlista o condo de Thomar
e a sua gente. De duas urna, ou o governo conheceu
a sua insulllciencia, a inulilidade de trahalhar as
eloicOes, e formar um partido, e est decidido a re-
signar o poder antes de se verificarem as cleigOcs, --
ou passou decididamente ao partido cabralista.
A imprensa progressista, analysando o facto da
dissolu?ilo do centro carlista dos niarechaes, pare-
ce querer achar nisto urna defecedlo destes dous che-
fes, o empenha-se cm demonstrar asna nullidado,
e incapacidade de formar um partido, servindo s-
mente para prestaros seus servicos a quem Ih'os
queira pagar.
A Revoluto de Setembro, oceupando-se do supple-
mento do Btlandarle em quo deu parto da ordom do
governo para que os empr.cgados pblicos nto fos-
som a reunito lo conde do Thomar, cuja ordem o
dilo Estandarte stygmatisou, demonstra quo o par-
tido cobralisla ho o menos proprio para censurar
taes fados, porque no seu lempo praticou a esse res-
peitoas maiores atrocidades. Em prova disso, pu-
blica duas circulares confidenciaes do Jos Bernar-
do da Silva Cabial, onlenunilo aosguveniadoros ci-
vil quo proceda m contra todos os em pregados, que
maiiifestem que a sua poltica he contraria do go-
verno.
A commissto eleitoral progressista dirigi nova-
mcuto ao governo urna representacto acerca da il-
legalidade dos recenseamenlos, e envin urna co-
pia aos ministros plenipotenciarios das nacOes sig-
natarias do protocolo. Sir II. Seymour, aecusando o
recopclo da rcpresentacilo, respomlo commissto
eleitoral progressista o seguinte: A mudenca oc-
corrida, lano as circumstajicias, como as in-
tenr0es, queeujulgavaeesperava existircm qnan-
do vos dirig a min ha ultima carta, nto rre dcixa
i exprimir sem reserva, como liz naquclla occa-
sito. *
Por esta resposla, parece que Sir II. Seymour re-
conheco que o governo nao est animado dos dete-
jns de que os Portugueses gozem de todos os beneficios
da Hberdade que sua oonililuico Ihes assufura, como
annuncioii na sua primeira carta mosma com-
missto.
No Porto, acaba de acontecer um facto que do so-
bejo da a conhecer o que se |)do esperar das elei-
cOos. Tatando-se de confeccionar a lista para a c-
mara municipal daquelia cilado, convoctJu-M urna
rounito presidida pelo viscondo de OlivciiM, irmflo
do actualministro do reino, o qual parece que que-
ra excluir da lisia municipal um tal Carneiro Ci-
raldcs, indigitado como chefe de cacaleiros, e que so
tem tornatlo tristemente celebro pelos cus snale-
ficio. Ocertohe que, no diada reno i 3o, appare-
ceu a casa da cmara esuas inmediagoes cheias de
caceteires e sargentos do corpos, gritando : Que-
remos o Carneiro Giraldes ; queremos ni cmara
o Carneiro Giraldes. Heoscusado dizer que se Ihe
fez a vontade. O nome do tal Carneiro Giraldes
appaicceu incluido na llsfa da cmara municipal.
A seguranza pessoal contina a ser pouca, tanto
em Lisboa, como as provincias. Alm do muitos
espancamenios o ferirnantos feitqsem diversas tr-
ras das provincias, que seria fastidioso se quizesse
referir ludo, s fare mencto de dous factos mais
salientes e recentes. Na uuio de 9 do correnle, foi
do 2 de oulubro, roforindo que, no di 1., occorrl
unta collisto entro lguus soldados dos regimentos
de infantera e artilliana, posteriormenle a grande
revista fei : n aquello dia pelo re, Houvo mulos
morios de ambas as partes, e, leudo sido fondajna
lucia a muljier quo causara a contenda, expirara
quasi inmediatamente.*, Asituactogeral da Italia >,
acrescontavn o correspondente do Courrier, lie mais
satisfactoria. Adissidenciaentre Roma o Vicua vai
cm progresso do conciliacSc, e a opinito i(ji polti-
cos graves e de claras vistas, he que ao menos, por
esta vez, nto sera perturbada a paz da Europa.
KECIA.
O Moriiteur Grec do 30 de setembro, continha a
niensagein da cmara dos deputados, em resposla a
, falla do rei Olho, rra abertura da sessto.. A assem-
blca conliava em S. M., que comporia honrosa mente
a desinlelligenei* entre m Grecia o a Turqua, e pro-
nifllia examinar ciiidadosaiiiente as leis do l'azenda
submcllidas sua deliberacto, e Jtescohrir meios de
salisfazer as reelamaces do urna das potencias pro-
lectoras. O general divas tiuha partido do Prevesa
para Janina. {Times.)
0 marquoz do Fayal deu, no dia 12, um jantar a
que assistram Sir II. Seymour, o almirante Napicr,
o marquez de Loul, o viscondo de Sa, o general l'o-
voas, o conde da Taipa, o concelheiro Res e Vascon-
celos, o outras muilus possoas distinctas.
A lisia presentada para a cmara municipal pelo
partido progressista ho a seguinte: Anicoto Ven-
tura Rodrigues, fabricante.
.RASGA.
O CoHrriir de Lyon continha urna carta do Toulon; acutlado, em Coimbra, pelo corpo de guias e pa-
- .. a ___.... _..ii___.i.. -......n...;.. n niin.lunio .l:\ miiversi'lnili'.
Irulhas de cavallaria, o csludanle da universidade,
Antonio don Santos Jardn, quando se recolhia
trauquillamcntu para sua ca. Este aclo indignou
a cidade ; e os seus collegas e outras mullas pessoas
dirigiram ao visconde do Vallongo, governador civil
daquelS cidado, urna reprosentagao, pediudo-llio
providencias.
No dia 12, foi acutiladu no largo do Paco das Ne-
cessdades, e achaudo-se damas e criados da rai-
iiha a jaublla, o lenoiito reformado da guarda mu-
nipal, e que tomou parte na ultima revolU, por
appollido Coelfeo. O aggressor foi uta sargento do
hatalhto da carta, que se achava do guarda ao,paco,
chamado Ptiel, ja bastante conheoido por oulros
allentados de tal nalureja. Entretanto, este acto
polo escndalo de ter ido praticado na frente do
pago real, tem enchuto de iudignar;flo os homens
tlecentes dtj totlos os paitidos. Assegura-se que o
dito l'uet se acha preso, a que vai responder a con-
celho de guerra : he provavel que seja castigado ; c
mesmo isto se loma uecessario 'ra cxomplu.
O partido progressista estove por algum lempo
indeciso so devia ou nao ir urna volar, e anal re-
solveu ir, ulim de ter direito de proleslar contra as
fraudes.
- Conde de Villa-Real,
1). Fernando, proprctaro. Domingos Ferroira
Pinto Bustos, negociante. JoSa Antonio Uite,
proprietario. Joto de Mallos Pinto, negociante.
Jos Antonio Pereira Serzedello, dito. Jos Igna-
cio de Aniirade, proprietario. Jos Mana Fraz.to,
cirurgiao. Manuel Joaquim de Freitas, negocian-
te. Manoel Jos Machado, dito. Manoel Marcel:
lino Lourenco, artista a proprietario..- Procoro Jos
de Couvea, medico. Visconde de Azurara, proprie-
tario Realista).
A lista carlista ho a seguinte: Antonio do t.ar-
valho, pharmaceutico. Antonio Jos dos Res, ner
gocanto. Barilo da Vargcm-dit-Ordem, par.do
reino. Bernardo Miguel de Olivcira Borgos, nego-
ciante. Condo de Porto-Coro-de-ltandeira, par
do reino.-David Alvos Renda, proprietario. Fran-
cisco Anlonio Concalvo da Silva, dito. Frodenco
Augusto Ferroira, negociante Goncalo Jos \az de
Carvalho, proprietario. Joto Uibeiro Franco, ne-
gociante. l.uiz Antonio Martins, proprietario.
Rdno Jos Pereira Bastos, negociante. -^Thonia/.
Jos Machado, dito.
A lista do governo difere desta so n um nome. Ho-
jo deve procedor-se, as assomblas primarias,
eleicao da cmara muuicipal.
Contina a lula para a dissoluco dos halalhoes
nacionaes. Grande numero do pra?as dos batalliOes
do commcrcio fizeram um requer ment, pedmdo a
suadissolucao; porin parece oppr-so isso, nto
s a vontade do marquez dcFronleira, mas o dc/.o-
io de figurarom, dos commandanlcs dos ditos bata-
lliOes, e de varios odlciaes.
0 agio das olas tem subido ltimamente de pro-
co. I'crdo-se, cm cada moeda de 4,800, 1,820 res,
c muitos cambistas nto as querem trocar. Isto mos-
tra bem o triste estado da nossa fazenda.
O governo tem procurado fazer algumas econo-
mas, supprtmindo alguns lugares do fazenda mais
supcrllos; porin isso avulla moito pouco.
A direceto do banco de Poi lugal pedio ao governo
a exonerarlo do encargo, que Ihe tra comnieltido,
da cobranca das decimas c imposto annoxos das ci-
dades de Lisboa e Porto. O governo annuio a esto
pedido, o revugou o decreto de 12 do maio, quecom-
mettra >#b banco aquello encargo. Como a dita co-
branza presenta muitas dilliculdades, e nto olTerc-
ce grandes lucros, por isso a direceto do banco pro-
curou eximir-sc della.
Ultimameiito langou agoa, no Porto, o navio
Norma, construido no eslaleiro do Otiro.
Parece quo vai outra vez haver msica no Passew
Publico todos os domingos e lias santos ; diversto
deque, ha muito, eslava m privados os passea lites,
o que algum prejuizo tem causado ao asylo de mon-
dicdade, a favor do qual reverte o producto das ca-
Jeiraa que oceupam e pagam as pessoas que mais
coiiimodamentequerem gozar da msica. Esta mu-
sica he composta das bandas militares dos corpos da
guarnicto de Lisboa, segundo um dolalhc.
Diz-40 que chega boje a esta capital a rainha viuva
de Inglaterra, que vai passar o invorno na Iba da
Madeira. Parece que vem emsua companhia o du-
que de Palmella c a sua familia.
Mero, 20.
Yerificou-se efectivamente, no dia 17, a eleicto
da cmara municipal nas asaemblas primarias. He
escusado dizer que friumphou em todas ellas o par-
tido cabralista, pelo dobro dos votos na maior parle
das freguezias. A uica freguozia, onde os progres-
aislas tiveram pouca differenca d votos dos seus ad-
IwrfaTlos, foi na Encarnacto. Istora de esporar em
Vista do vicio dos recenseamenlos, da pouca ou ne-
rrhuma justia quo se fez s reciamae/WS, o do te-
mor.que linha o partido progressista, de se approxi-
mar urna, co receio deaer bayonetado ou caca-
lado ; porm he preciso dizer, em abono da verdade,
que em lodas as assoasblas reinou a maior ordem o
tolerancia, oque mesmo naquellas, onde votaram
os batalliOes nacionaes, todos os seus mouibros fo-
ram vestidos apaisana.
A commissto eleiloral progressista publicou hon-
tcm nos seus jornaes um protesto contra o resulta-
do da eleicto, dirigido ao governo o aos plenipoten-
ciarios das potencias signatarias do protocolo, fun-
daodo-se na illegalidado dos reccnseaineiilo, om
que oscomrnissOes revisores eram composlss dos
mesmos individuos que commelloram todas as illc-
galidades om 1835; em que nao se attendeu as
reclaraacOos, recursos, e em ou'.ros vicios, deque
forma uus poucos decvrutdcra'ndus. Julgo que pouca
vanlagem liraram os progressistas le tal protesto.
Gomo a lista do governo continha os mesmos no-
mes que a cabralista, menos um, o como a lista ca-
bralista foi approvada, o govorno ha de talvez que-
rer apparontar quo venceu a elofc.to, porm a exclu-
saou dito ...divduo proposio pelo ovcrno prova a
sua denota. :
O mesmo governo dirigi aos governadores civis
urna circular, em udo Ihe diz que todoo empregado
que nto tenha conhaiiQa no governo so devedemit-
lir. Mstou convencido quo iienbum sedomittir, e
que continuar a guenea-lo como o lem feito ale
agora, sobretudo os inesaius govomadores civis. Se
algum so demlttir sera depois de ter disposto tudo
para o iriumpho dos Cabraes. lie inqucstionavel
quo em lodas as icpailices publicas pululam os ca-
bralistas, e os empregados tanto superiores como
subalternos nada fazem som que recebam ordem,
segundo se assegura, do conde de Thomar. Com taes
elementos, ho impossivcl por muito lempo a perma-
nencia no poder do actual ministerio ; assm como
indubitavel o triumpho dos Cabraes.
dem, 24.
J sopublicou o resultado da eloiQto municipal
em Lisboa eseu termo. Os progrossistas s vence-
rain nas froguezias dOvSau-\c*lto por 141 votos con-
tra 107, no Soccorro por 118 contra 107, o nos Anjos
licou empatada. Em lodas as mais ficou vencedor o
partido castista. Em algumas froguezias houveram
pequeos disturbios, insultos, ameacas ; mas tudo
sem resultado.
O duque do Palmella e a sua familia chegaram a
esta capital no dia 19, n'uiri barco de vapor de guer-
ra inglez, quo o conduzio de Plymouth. SS. Excs.
deseinbarcaram no caes do Sodr, polas cinco horas
da tarde, onde se achavam muitos dos seus amigos,
c inmenso povo, que, formando alas, os felicilou
pela sua chegada eos acompanhou ale a bocea la
ra do Alecrm, onde SS. Excs. se me Itera m nas car-
ragons. O duuuo, a duqueza, suas lilha genros,
no pequeo transito que li/.eram a pe, cumplimen-
tara m o povo que os relicitava com a sua costumada
aOabilidado. Dizem que S. Ex. vem passar algum
lempo na Madeinl, para reslabelecer a sade da du-
queza! A rainha viuya de Inglaterra nto veio cora
o duque como se dizia. a .-^....
Tendo o Estandarte aecusado a junta- do crdito
publico da falta de pagamento dos juros o empre-
gado oontra ella exprcssOes descomedidas, a juuta
publicou no Diario urna rospost. ao jorna I cabra ha-
la, mostrando que quem tem a culpa da faltadi^pa-
gamentos nao he a mosma junta, mas a le fe la no
lempo da administracto dos Cabraes, e pe lai qual -
cou destruido o systema das cortes tenAlUjgMjn
1838. Mostra tamben a junta que os seu, rond.men-
tos, correntcs at oulubro do 1846, so cnlflo come-
caram a ser dislrahidos. ,
Alm do navio Despique que cl.egou ha diM dea-
ge porto, cl.egou ltimamente o br.gue Conoifo-
de-Maria, com 36 das de vmgem.
eoMMEacio.
Afandega.
RENDIMENTODO DIA 30........... 7=3*6.240
Dcscarregam Ao/e, 1. de desembro.
Brigue Ventura-feliz mactos, uvas, e batatas.
Brguo Louise farinha do trigo.
Barca Serafina bacalho.
Brigue bliza-IJowen maqumismo.
Brigue Pelo*-- mercaduras.
Brguo Daino vinho.-
Galera Sword-Fish mercaduras.
RENDIMENTO NO MEZ DE NOVEMBRO DE 1847.
Ileiiilimenlo total................208:631.501
ItestituiOes................... 102,183
208:529,318
------------------------- i
Direitos de consumo............ 204:886,550)
Rcexportacto................. 33,878
Expediente dos gneros do paiz, i por c 12,115
Expodiente dos gneros com carta de guia,
5porcenlo................. 177,681
Armazenagem de mercadorias....... 808.857
Dita da plvora................. 18,000)
Premio dos assignados........... 2:586,218
Multas...................... 2,821
Emolumentos de ccrtidOcs......... 3,200)
R____208:529,318
O escrivOo da alfandega,
Jacorn Gerardo Marta Lumachi de Mello.
IM1H)I\TAGA0'.
Louise, brigue dinamarquez, viudo do Trieste, en-
trado no'correnle mez, consignado a N. O. Beber &
Companhia, manfeslouo segunte :
1350 barricas farinha de trigo, 40 caixas pajiel al-
majo, 120 caixas ac, 2 cabras ibichoi; aos consig-
natarios.
l'oriuna, brigue sardo, vindude Morselha, entra-
do no correnle mez por franqua, consignado a Joto
Pinlo le Lomos t Filho, nianifestou o soguinte :
75 quinlaesde sal; aos consignatarios.
Consulado.
RENDIMENTO DO DIA 30.
Oral......
Diversas provincias.
2:463,858
21,314
2:435,170
RENDIMENTO NO MEZ DE NOVEMBRO DE 1847.
C onsumo de 7 por cenlo .
Dito de 2............
Dito do I i........, .
19:942,022
23,743
30,382 19:996,147

] MUTILADO
*?


M
^-^
*^
1 ''.J 'V'
^

,1
Tramporte .
Aneoragem par fra do
feri.............
Itcslituifo..........
9:996,147
m-
2*34,959
270,450
. 1:864,509
Aneoragem para dentro do im-
Peri0- *"......... 299,366 2:163,1
?"" fixo...............""TM80
!W"................ 8,200
Certdlo............... "
Sza de 5 p. c........
Dita de 15 ........,',
Depsitos existentes.......
Diversas provincias.
Rizimo do nssucar das Alag.las 497.182
u,~ J|i" uo Rio-urande-do-
Norte. ... (rr
Digimo do algodao'dV 'u'ra: '
h,b*............... 226,383
507,880
29,960
212,500
1:285,714
24:196,076
2:680,724
Deposito restituidos......
I'ernambuco, 30 de novembro de 1847.
739,135
27:615,935
485,604
ga e romana ; nada omiltir de essencial; substituir
a certos prccoitos mui inllexiveis simples observa-
QOes; preferir rtacscolha dosexemplos os moder-
nos aosantigos.... taes foram as intenges ouo
guiaram o autor, como elle mesmo o declara em seu
prciflcio.
Nao obstante, porm, semclliante inculca, o a-
oaixo assignado mo desconhece, que ousadia e fal-
ta o conhecimento na materia parecer talvezesta
sua prctencSo, quando varios compendios de rheto-
nca em uso entre nos se acham, c alguns dos quaes
em grande voga ; mas como al ainda nenhurn ho-
rnera haja tocado a meta da perfectiblidadeem suas
raras, he muito do suppor, que os Ilustrados auto-
res desses modernos compendios torSo a precisa to-
lerancia de permittir que mais um appareca agora,
cujo methodo e systema comoarados, e devldamen-
lo avallados, Ihedarao preferencia, ou desprezo n-
treos queexistem.
OsSrs. que se dignarem subscrever para a refe-
rida obra, o poder.to fazer na loja de livros da ra
na Cruz n. 56, o na da praga da Independencia ns.
o e 8, pelo mdico prego de 2,000 rs. por cada exam-
piar, pagos na occasiiTo da entrega, para cujo efl'ei-
lo tcrio a bondudedo declarar suas moradias nesta
cidade, ou a dos seus procuradores na mesma.
===*
= O substituto de philosophia e geometra do col-
legio das-artes, ensina, durante as ferias, estas dis-
ciplinas, no collegio S.-Antonio, pateo do Carmo,
ondo pode ser procurado qualquor hora do dia,
ou no pateo da S.-Cruz, sobrado grande de4us'an-
dares.
Na ra do Trapiche, casa n. 8, precisa-se alugar
um molequo para servico lo casa..
a rmazera para se alugar.
Existe pura se alugar um armazein na
proprio para
AO PUBLICO.
O administrador,
Joo Xupicr Carntiro da Cunha.
Movinicitl >
fe
observaca.
Anda sobre a vela a barca franceza Zilia, canitilo
15Z VStI -'onjo-Je-Janeirocom 30 ,,Ts de
fe I, L, T'a.' "IMeem 13, carga e,
ma' anl- I V,,om," &Gompanhia. -Mandn
da r-r. Crra '''l' co"s,"t''no para Ihe man-
car refrescos, para poder seguir para o Havre boje.
EDfPAL.
Em mu crescido numero contavam os mdicos
ate agora molestias incuraveis, contra as quaes s
erapermittido ao paciente resignado para solTrcr
um mal de queja nio liavaesperangas di- poder li-
bcrta-lo. e ao.medico philantropico a dr de ver
muito de soussemelbantcs victimas deonrermida-
des, contra as quaes se declara va impotente, pu-
liendo apenas lamentar a fraqueza- da intijligencia
humana. Mas, grags aos progressos da ^Wdicina
gracas ao zelo de homens incansaveis, que, nflo desl
esperando da perrectibllidade da sciencia, se teem
dedicado investigacBo do remedios que Dossam
alliviar humanidado de alguns males qnea alli-
gem, o numero das molestias reputadas incurUveig
vai dedia em dia-dminuindo. Assim, achar deDois
Mongos trabadlos, de profunda meditacSe reite-
radas experiencias, medicamentos que noreslituam
ouso'dosdous mais importantes sentid d q..-
deum caixeirodesala : ua padaria das Cinco-Pon-j be dotado o homom, quando estes jase achavarnnn
l ra rio Vigario n ai, proprio para so-
car assucar : no segundo andar (Ja mes-
illa propriedade.
Precisa-so de um caixeiro : na ru Nova, n. 33,
preferindo-se o que tiver pratica de loja de fer-J
ragens.
Precisa-se de dous trabilhadores de padaria e
BodngoThtodorode Freitas, offleial da imperial ordem
da llosa, cava/Mro da de San.-Bento-dAvi*, condece-
radocom a medaiha da reslauracdo da llahia, por ae-
rando da independencia, capito de mar e guerra gra-
dado d armada nacional e imperial, inspector do ar-
senal de mannha desla provincia de I'ernambuco e
nella capdo do porto, por S. M. o Imperador, que
Otos guarde, etc. *
Faz saber aos capitaes ou mestres das embarca-
(Ow mercante que, pela terminante disposigilo do
artigo 20 do rcgulamcnto das captM mo pode n
as mermas embarcagoes sabir deste porto lopois
pdr-se o sol, ou antes .le nascer. sob
de
de fica-
remsubjeitoa a multa, ordenada polo dito reaula-
inenlo, e de por em pratica a fortaleza do re^sl o
como se depreca nesta data ao Exm. Sr. presidente
darpr0v,nc1a, os meamos meios, anterior nc e m-
?^lICqUe '"" nlo para obstar a sabida
das referidas embarcacOes, durante a noite, sem
COnsenUmentO ou previa sciencia da referida forta-
leza; mcios, que podem occasionar oceurrencias d-
sas trosas as embarcacOes, mximo no caso de resis-
nina; e lornaram-se cIToclivos no dia 19 do corrente
in,: ip,a'a 0,l'ta,'-se'iU umhtate naosbisse al
luna da mantilla, como pretenda.
br dPc'l1847.d0 Prt0 dG Pen,ambuco 29 novem-
llodrigo Theodoro de Freitas,
CapitSo do porto.
Pecfara^oes.
O padre Joo Barbosa Cordeiro.
as livrarias da esquina da ra do Collegio e
da praca da Independencia, ns. 6 e 8, vendem-sc o
compendio de geographia elementar, adoptado no
collegio das artes da cidade de Olinda i o de chrono-
logia e o de poelca, pelos quaes se fazem os exa-
mes na academia da mesma cidade; redigidos pelo
baenarel Luiz Paulino Cavalcantc Vullez de Guevara,
professor substituto n'quello collegio. .
Na ra Nova n. 6, loja do Maya llamos & C. ,
anda existem para vender alguna exemplarcs das
seguntes obras chegadas ltimamente do Lisboa :
Viagcns na minha trra pelo concelbero Almei-
da Garret, 2 v.
Meditarles e discursos religiosos pelo conec-
Iheiro Bastos 2 v.
Pensamentos e mximas moraes. pelo mes-
autor, 2v. .
Opsculo sobre a origem da lingoa portugueza
por dous membros do conservatorio real dedica-
do ao concelbeiro A. Garret, 1 v.
Autopsia dos partidos polticos em Portugal,
1O/j 1 V.
Igualmente se acham a venda e se recebem assig-
naluras para as seguintes publicacs :
Gazeta dos tribiinacs publicada sob a direccao da
assembleadosadvogados deLIsbi : contcm legis-
lacBo indita, consultas jurdicas, arestos, etc. r! Precisa-se de um foitor par
P orn1.1!0!!.0. U.iqU'n VOlUm.C' <1SU,Uft "esla ',raa U le8as SJ PorUiguez!
or o,J. afteS C.0nlcm poes,a ronia".- "a Wroita em casa da Senhora D. Joanna Uap.
ees chcaras nacionaes etc. com ricas lytogra-j lista Pereira Prente,
pinas onde se reproJuzem os paincis dos nossosl
las, n. 40'.
Aluga-se urna grande casa terroa na ra Impe-
rial, com duas salas, 7 quartos, cozinha fra, quin-t
tal e cacimba: a tratar na ra de San-Concalo, so-
brado, n. 29.
A pessoa que annuncou querer comprar urna
casa no bairroda Boa-Vista .querendo urna na ra
dos Prazeres, no mesmo bairo, dinja-se a praca da
S-Cruz n.6, que se dirquem vende.
Aluga-so, pelotompodefesta, ou annualmen-
Ic, una casa napovoac3o do Monteiro, fronteira a
igreja, com commodos para duas familias : a tratar
ua ra Direita, n. 89, segundo andar.
OfTerece-se um pharmaceulico com carta para
representar om alguma botica, que o dono n3o te-
lilla carta por preco commodo: os pretendentes
dirijam-se a ruadas Larangeiras, casa terrea pin-
tada de verde, defronte do n. 6.
Aluga-se urna preta para vender fazenda com
oulra pessaa : quema tiverannuncic, ou diriia-se
ao AterrOJila-BoaTVista, n. 39.
Antonio da Cunha Soares Guimarfles faz publi-
co que tcm constituido seu bstanlo procurador,
aoSr. Itufino Jos Correia de Almeida para judi-
cialmente receber suas dividas
Precisa-se alugar urna escrava para o pequeo
servico dc'uma casa : na ra de Hortas n. 16, pri-
meiro andar.
Precisa-se de um caixeiro que lenha habilida-
des para armazem de molhados, e quo tenha 14 a
15 anuos : quem cstiver-nestas circunstancias di-
rija-se a ra do Trapiche-Novo n. 20.
Precisa-se de um caixeiro portuguez para urna
casa de pasto no becco do Virginio quo sabe pa-
-Jra o trem.
0 arsonal de guerra compra para o sustento
.os presos que seguem para a i I lia de Fernando, e
as pracas que os teem de acompaiibar, os gneros
Begiitntfla: ago'ardente, 59 caadas e 3 garr,as :
Cf moido, 1 arroba e 27 1/2 libras ; assucar, 3 ar-
robas 23 libras e 3/4 ; bolachas, 22 arrobas e 14 li-
w-ai; carne secca, 22ai robas e 14 libras feijao, 10
nlqueires e i.quarta ; rarinha, 14 alqueires e meio
lourinho, 2 arrobas e 26 libras emea ; vinagro 23
taadas e 3 garrafas ; lenha, 2872 adas : quem 'taes
eneros tiver de boa qualidade, eosquizer lorne-
rcr, mandar as amostras a directora do mesmo
arsenal, e a sua proposta em carta rochada, al o dia
> do corrente.
Arsonal de guerra, 1. do dezembro de 1847. -
Joo llioardo da Silva,
Amanuense.
O arsenal de guerra compra azete de carrapa-
io c de coco, lio de algodito e pavios : quem taes lle-
neros quizer fornecer, mandar sua proposta em
arla lechada a directora do mesmo arsenal, aleo
lia 4 do prximo futuro mez de dezembro.
Arsenal de guerra, 29 de novembro de 1847.
JoaO Ricardo da Si Ira.
Amanuense.
mais celebres pintores acompanhando o lexlo bo-
nitas gravuras em madeira. ( Vignetle.) Dan. 1 ao
6. e 7.". Deve chegar breva.
Revista Universal Lisbonense. Hebdomadario re-
iiigido por urna sociedade do sabios o litteralos do
1. o 5. Y. e do 6. v. osns. 1 a 35. F;sta ob.a uli-
issima a todo o mundo he particularmente escrip-
ia para os artistas o lavradoros, que achar.lo nella
noces inui provetosas.
Historia doconsuladoo do imperio (de Na'poleSOJ
por T/iiers com estampas que gerffo cotieguos no
ini da obra : verso do Lisboa com notas portu-
guesas, castellianase belgas, do 1.ao 3. v. 0 4."
v. Iicava a sabir do prelo
.Avisos nat'iiihl's.
BBOJBBDBB
.Ocaixadacompaubia do Beberrbe, lendi.de pres-
tar assuasconlas. lembra aos Sis. aecionislSs a rca-
lisae;10dos4 por cento, ltimamente pedidos.
Piiblicafdes Liberaras.
sbscimpcaO MTTBRARIA.
,i.a,baXOassit'na'l ''i^secompraz emannun-
'ernaCUIaeJll,,UOt0,,,de "f tOA*>0> "m ""*
fni^t. Pequea obra intitulada Arte de
ua. '?'""' ou ATAI)<> DE RHETORIGA GE-
l .'Jo 9"T "u"0"' c"Ja 'eeno esta con-
' m Zu" .P",ICnd lVar a effeil "*" desc"
oaiiu!?"^ dusam,Ks dalllustragao do seu
:"' ca? SU" l""01^^, convidndoos por es-
Jeu*crer 'vor da nnpressHo da dita
e essin?. r \T ,e co,npendios, como
eressante. Lstabclccer os principios
leinioscomprflcisao e clare/a
Para Marsclha sahir,' no dia 4 do corronte,i
brigue francez leiiopolis : quem quizer ir de passa-
gem, entenda-se com os consignatarios, na ruada
Cruz, n. 1
Para o Porto sabe imprcterivelmente no dia 20
do corrente a barca portugueza Espirito-Santo ; an-
da recebe alguma carga o passageiros, para oque
lem asseiados commodos : trata-se com o capilito da
mesma, na praca do Commercio, ou com o consig-
natario Francisco A Ivs da Cunha, na ruado Viga-
rio, n. II, priineiro andar.
--Para o llio-Grande-do-Sul sabr brevo o pata-
cho l)ous-de-Agesto, por (er paito de seu carrega-
menta promplo : quem no mesmo quizer carregar,
ou embarcar esclavos pode enlender-se com Amo-
nni limaos na ra da Cadeia n. 45.
Para o Itio-Grande-do-Sol sabe uestes 6 das ,
o brigue/'.cAo, de que becapi 15o Manoel Pereira de
Sa : lembons commodos para passageiros e escla-
vos : os pretendentes dirijam-se ao capitBo, ou a
ra da Cadeia-V'elha armazem do Bailar & Oli-J
veira.
- A escuna porlugeza Andorinhu pretendo sabir
para Lisboa at 3 do prximo dezembro : quem
nella quizer carregar ou ir de passagem, dirija-se a
ra da Cruz, n. 45, casa do Nuscimento i-Amo-
riin.
Vende-so urna balieira nova de calafeto, com
lodos os seus peitences, por preco commodo : om
lora-do-l'ortas, ra do Pilar, n. 145.
Vonde-.se a linda e nuiiio veleira escuna ame-
ricana John de lote 111 toneladas, forrada e euca-
vilhadadc cobre, o prompta para qualquer viagom:
ai tratar com llenry Forster & Companhia, ua ra
do Irapicbe, n. 28.
Leiits'.
de iii-
denir os
Kalkmann & Kosenmund continuaram, por in-
tervengao do corretorliveira ,* o seu Icilao defa-
zendas todas novas : hoje, 1." de dezembro, as 10
horas da inanhna no seu armazein da ra da Cruz.
Itichard Roy le fura IciISo, por intervencao do
cndor (Hivcira, do grande sortimenlo de fazenda.
inglezas, todas proprias do mercado ; o como pro-
vavclmcnto ser o ultimo leilSo deste- auno, mujto
espera a concurrencia de seus freguezes : sexta-fei-
ra, 3 do corrento, as 10 horas da inauhaa em ponto,
no seu armazem.da la da Allandoga-Velha.
ATTENgAO'.
Ja s sabe e se poder provar onde existe a carlei-
lado viagem, quefoi furlada da casa do Manoel
Francisco da Silva Novaes na ra do Trapiche,
n. 34. Boga-so portanto ao Sr. novo possidor ,
que se nao quizer vero seu norae por extenso nesta
rol na. cu alguma visita da polica em sua casa ,
pois ha ttjsteinunbas de vista tenha a bondado de
mandarentrogar na casa cima, pois se guardar
segredo. A dita carleira tcm msica, o levou den-
tro algumns cartas particulares, urna chapa de
metale alguns bilhetes de visita com o nome do
suppramcncionado.
Antonio Pires Ferreira offerece
ioo^ooo rs. de gratificacao a quem Ihe
descobrir, dando as provas o individuo,
ou individuos, que tem roubado portas e
outros oljectos da casa eni que morn o
seu fallecido pai Gervasio Pires Fer-
reira na ra do Pires.
Furiaram, na nota do dia .28 prximo p
to, pelo portao do quintal da casa n. 22, da ra das
Cruzes de dentro de um quarto, um sellim novo
ooni urna manta de panno azul, debrunliada arro-
da de brunco cabocadas de couro de lustro e redeas
falsas, silbas rxase a correia que as ataca muito
lina. Itoga-se a quem tor offerecdo que o lomee
levo ao segundo andar da-dita casa, que ser grati-
ficado.
Precisa-se de um farnciro que onlenda bem e
inassas : as Cinco-Pon tas, n. 38.
Quem precisar de urna ama forra, para o ser-
vico interno de urna casa dehomem soltci.ro, ou de
pca.familra casado, dirija-se ao. boco de Sarapatcl,
casa n. 7, que ah achara com quem tratar; dorla-
ra-so que bu para consinhar, o mais servigos de urna
casa, a excopcHo de engomados.
Olferece-sn urna mulber Brazileira para ser-
vir alguma Senhora, a qual tem bastante luca-
,ao o pratica para tomar conta de urna casa ; quom
preczar, dirija-se a ruada Guia, n. 14.
Prccsa-se alugar urna preta quo seja boa qui-
tandera o mesmo para o servico ordtnajrio : na ra
hlas Flores n 28. Ma mesma casa se cscm costu-
ras para hornera e senhora por menos preco pos-
sivul.
~ Furtnram, da casan. 32, na ra dos Guarara-
pes em Fra-de-Porlas, um cavallo lazSo, peque-
no e bem carnudo : quom o pegar leve a mesma car
sa ou na ra do Trapiche, II. 34, que sei genero*
smente gratificado guardaudo-se Segredo.
Precisa-se do um moco portuguez inteligente
supposto estado de incurabilidadrT e integramente
perdidos, he por corto um dos maiores servidos, quo
se podia prestar humanidade; eis o que eslava re-
servado um homem philantropo da cidade de Bra-
ga, em Portugal, cuja sciencia. cujo amor de seus
semelhantes se tem feito gcralincnteconhccer. Os
remedios que ora fjfferecemos ao publico, nSo en-
trara na classo daquellcs que o vido o ousado char-
latanismo inculca com roucos -o dcscompassados
prados, o que o crdulo vulgo, por ignorancia, rece-
be na boa f esem discerniraenlo, achando-se de-
pois Iludido; tem, porm, deoci-upar mui distincto
lugar ontre os medicamentos, que maiores benefi-
cios prestam ao homem : constara cites da dissolu-
cSo aguosa de extractos de plantas medicinaos, do
virtudes mui reconhecidas e verificadas. O longo u-
so, as continuadas e severas experiencias, a quo por
toda a parle teem ellos sido submettidos,' sem quo
urna so vez hajam falhado em seus bons effeitos, fe
desmentido as osperancas que sobre ellos havia fun-
dado o seu inventor, Ihe teem grangeado constan-
tes o repetidos elogios dos mais sabios e respeita-
veis mdicos, assim da Europa, como da America
que unsonos abonara o. proclamara sua a cello som-
pre corta e benigna. Um destes licores he destinado
a combater as molestias do olhos, e tem porjiriaci-
pal virtudo restituir aos orgflos da visBo suas func-
cOes ; reanimar e fazer reapparecer em sua natural
perfeicSo vista, quando esta cstiver fraca ou quasi
extracta, com tanto, porm, que nflo haja cegueira
absoluta com desorganisacao das partes ; nao me-
nos til e enrgico he para desfazer as cataratas,
destruirs nevoas e de prompto debelar qualquer
innanimacilo ou vermelhidilo dos olhos. N3o causa
dr, nem estimulo na parle.
Ooutro liquido restitue a faculdado de ouvir os
sons ao ouvido tocado de surdez, anda que invete-
rada, urna vez que o mal nilo seja do nasconga, sem
causar em lempo algum o menor incommodo ao do-
ente, e sera priva-lo de cuidar em seus negocios.
lNSTIlUCCflES par* o uso DOS BKIEDIOS.
O dos olhos emprega-se do modo seguinte :
O doente, pela manhna, 'omjejum, urna hora pou-
comaisou menos depois quo erguer-se do leito,
lomar sobre a palma da mo pequea porcilo da-
quellaagoa; o com ella moldara bem os olhos, fa-
zendo que algumas gottas caiam sobre o globo oc-
cular* sem os limpar, os conservar mltados at
que naturalmente enxuguem : ao deitar-so noilo
pralicara o mesmo : durante o lempo quo usar do
remedio evitaro'calor, accao de Tumacja eo vento :
ara abstinencia de comidas salgadas, azedas o adu-
nadas com especiaras.
Oremediq dos ouvidos ser applicado do modo que segu:
O doente, pela manhila, urna hora pouco mais ou
menos depois de erguer-se, ainda em jejum, far
derramar dentro dos ouvidos quatro ou cinco got-
tas do liquido, tapndoos depois com algodflo em
rama ; a noite ao deitar-so repetir a mesma opc-
racao. Duranlo o uso do remedio evitar expr, os
ouvidos principalmente, a acc.lo do palor e do ven-
to, ahm de evitar grande tianspiracflo, havendo cui-
dado em nao molbar os ps em agoa fri finalmente
deve abster-se de comidas salgadas, azedas e adu-
nadas.
Estes remedios estao a venda na botica de Bar-
tholaraeo Francisco de Souz, na ra larga du llo-
nro !' ,6,a"ico d?l'0*[l0 Pcrnarabuto, pelo
prego de 2,240 rs. cada vidro. v
e oapaz de tomar conta por balaugo do urna pada-
ria: quem esliver neslik circmstancias, dando
Avisos diversos*
desembaragar eske'theal
-- Ka ra Direita, n. 30, primeiro andar, fazem-
so llores de todas as qualidades por preco com-
modo.
Nacoclioira do Joao da Cunha liis, atrs do
iraladode una mltidao de rearas vaca i'i n.l'.Z%L~ '"."'""-'"'.n'uiio oons cvalos, e bem gor- Ip
de todas cssas pomposa. inul'S
uv ungem feri. Mioeum-sfi, vendem-so o rccobeiu-so para se tratar, alo
conhccinionlo de sua conduela, dirija-se as (ineo-
Pon las padaria n. 63.
Prccisa-se de um caixeiro de 12 a 16 anuos ,
Sendo dos chegados agora do Porto : na praga da'
Boa-Vista, n. 7.
-- D-sa dinhoiro a juros sobre uenboros de ou-
ro ou prata : no Alcrro-da-Boa-Vista, n. 58'.
Offerece-se um sacerdotopara dizer as mi;
do Natal, em algum engenho. Dirigipse a ra Ve-
Iba, n.105.
Os rs. major Francisco Jos de Mello e Teopbi-
la Jos Lomos hajam no prazo de tres dias anpa-
recernarua do Rangcl, n. 36, primeiro andar a
negocio quo Ibes diz respeito
Vende-se um cabrinhade 13 airaos, Sem vi-
rios iicm achaques : navua doltangel, n. 36, pri-
meiro andar.
Na ra da doria, n. 24, engomma-so com per-
fegiiO o por prego commodo.
Jo3o da Costa Lima c Castro ji3o podendo dcs-
Companhia gera! da agrieul-
lura das v'nlias do Allo-
Douro
O abaixo assignado, agente desta companhia nos-
la praga de Peina mbuco, acaba de receber pelo bri-
gue-escuna feto: urna remessa de vinhos daquella
companhia depois }ue ella foi rcabilitada pola
lagislatura de Portugal c dotada com os fundos
pblicos, pelas Ici de 21 de abril de 1843 para le-
vara lodos os ni ercados os padeces e bausas do vi-
nho genuino o puro do Allq,-I)ouro geralmente
conhecido pelo nome de vinbo do Porto, afluido
seryrem tle guia ao cuinniercio. Esla lemessa, to-
da de vinhos da iiinis rsrolhida qualidade, deve
oOereceraoa Sis. consumidores, nSo s a certeza
de sua nueza mea tan.hcni o lypo verdadeiro dos
excollenlos v iiibosdo l'orlo. Espera pois o abaixo
assignado, que i s.Srs. consuniidures se dirigirao a
>Ba re s iilenci naiuada Cadeia do Becife loja
n. o! |aia IratuM ni <]o ajuste de qualquer porcao
que de sejsrrm Anunio Irancisco de Moraes.
Dentista.
^.f;""*.n!:se-n,uil imzade.ofazpbresta folha oflerOcondo na corto
para se tratar. Blo seu limitado presumo.
*-
M. S. Mawson, denti.sla bem conbecido nesta pro-
vincia, lendo agora chegado da Europa, e tendo vi-
sitado(as captaes"de Londres o Pars, don.le trouxe
os medrares objeclos da sua profissao que al boje,
se conhecem, como novos instrumentos, denles e
mais necessarios para qualquer operagiio da sua ar-
te yuerece seus servigos aus Ilustres habitantes
desla cidade, conforme a sua tabella fixa, e promet-
a fazer lodos osesforgos para agradars senboras,
ou senhores, que o quizerem procurar, das 9 horas
da maulia al 3 da tard na ra do Trapiche-.No-
vodo Recife, n. 8, s.-gundo andar.
Quem liver nina preta para alugar, quo saiba
cozinbar, ongominare lazer todo o ::i:iH servico do
una casa, eque de-fiador a sua conducta dirija-
se a ra da Aurora n. 20.
Tres.se fabricante de orgSos o.'realejos', lem
para vender 3 igaos : tambera concerla os ditos ins-
trumentos po marchas novas, e compra realo-
jos j servidos.

._

x-----
Mal


^=
-W*
s
ie
Alugam-see vendom-so, tanto a rctalhocomo
aos centos muito grandes o boas bichas, chcga-
das do llamburgo : tambem so vito applicar para
mais commodiilade dos pretendcntos: na ra cs-
treita do Rozario toja de barboiro,, n. 19 dcfronto
da ra das Lrangeiras.
Na ra Nova loja n. 58 lia que m" se enca re-
gu ilo mandar lavar e engommar toda, o qualquer
uuafidade do roupa dohomom, senhora o meninos
do ambos sexos por piejo rasoavel.
--O aliaixo assi^nado, encarregado do
deposito do rap -" Princeza-de-iLisba.,-
faz scente ao respeitavel publico, que-
tendo vindo ordens positivas do contrato
paro n3o se vender o rap fiado, por isso
de hoje ein diante e sem excepcao de
pessoaaw vender u uiio rap a quem
lhe pagar vista ; b que faz publico para
conhecimento de todos. Pernambuco, i."
de novembro de. 1847.
Antonio Francisco fie Moraes.
Est justa e contratada a casa terrea n. 13, da
ra da Praia do Caldeiroiro.pertencenteao Sr. Frn-
ciscode Amorim Lima; se houver alguma hypothe-
ca, penhora, ou outro qualquer cmharago, bajam de
annunciar uestes oitodas, para nao havercm duvi-
das para o futuro.
R Vendo-so urna mulatlhha do 12 a 13 annos.
i$ recolhida quo e.ngomma muito bem cose,
Si Taz lavarin.to, marca, lava de sabio e varrella,
fg arruma bem urna sala e faz lodo o mais ar-
J raujo de urna casa, o que se afianza ; uma
^j dita de 13 a 14 anuos que cose tem princi-
j$ plosdoengonimadoe faz todoo maiasorvico
do urna cusa'; 3 pretas muito mocas, cm al-
m guias habilidades o que sabem vender
|| na rua muilo bem, por estarem a isso acos-
* turnadas ; urna dita com todis as habilidades
;,(.; necessarras a urna cosa de familia : na ra do
* Vlgario, n. 24, se dff queTn vende.
--O doutorCasanova medico francez, continua
a receitar cm sua casa na ra Nova 7, primeiro
andar, defronle do oilo da matriz de S.-Antonio ,
das 7 as 9 horas da rnanhila e depois disto, est
prompto a qualquer hora [Sara fazer visitas a qual-
quer doeutequedesou prestimo so quizer utilisar.
Jos l'radinis culileiro
decampo : tambom tem cjiapeo'de sol do paninho
para meninos o meninas, por seren limito finos: po-
dom-se chamar chapos do economa. Na mesma loja
ha sorlimenlo de bengalas, bengalnbas e rliicntes
muito modernos; cobre-se qualquer armadlo de cha-
pos de sol,-com sedas de. todas as cores equida-
des. Namesmaoasa ha m grande sortimento de
paniiinhos trangados c lisos, imitando seda, para
cobrir os mesmos: desta fazenda se vende aretaio.
Concerta-se todo qualquer chapeo do sol, por liaver
um completo sortimento" do todos os perlencos para
os mesmos, com toda a perfoigilo o brevidade.
LOTERA
no
Hospital Pairo l.
Km conseoquencia da extracto que tom liaviiltr
na venda dos bilhetesda primeira quinta parto da
loteiia a beneficio do hMpital de Pedro II, tem o
thcsoureir marcado o dia 90 de dezembro, para o
andamento das respectivas-rodas, e espera que as
pessoas a quom o sentiment do commiscracio pa-
ra com a humanidado desvalida forma o object o que
inais oceupa o seu goncroso coragfio hajam de con-
correr para que se rcalise naquclle ilia o seu i mpre-
tcrivel andamento. '

previne
aos seus freguezes que mudou-se da rua
do C'abuga, n. 12, para a rua larga do
Kozurio anligamentc dos Quaiteis, 11.
14 junto a botica do Sr. Jos Maria Ha-
mos, e que scinpre o acharao prompto
para fazer quaesquer obras con.cernentes
ao sen officio e contina a amolar as
tercas, quintas e sabbadosde cada sema-
na : tinto com pe feico e brevidade.
Os Srs. Jos Manoel Martina c l.uiz Jos Perei-
ra Simoes leem cartas na casa do Antonio Francisco
Martina de Miranda na rua Direita n. 53.
Aluga-Sc uma casa terrea na Soledado n. 17,
ao p do Sr. Yieira cambista :" a tratar no pale
do Carino, n. 17, com Gabriel Antonio.
Anda est para se a'lugar, por todo este verfo ,
o sitio da Ponte-de-Ucha chamado deMeia-Dobla,
com boa casa de sobrado grande extensio de ter-
reno com mullas o differentes arvores do fruclo ,
boa agoa de beber uma graude e fresca baixa do
capim do planta por prego commodo : a tratar na
rua Nova loja de ferragensde Teixeira & Andraile,
a\ com Manoel l'ereira Teixeira morador no seu
sitio no Manguinho.
Altencao !
N loja da rua do Queimado, n. 30, de Jos Joa-
qun! do Novaos, contina a 'liaver un sortimento
de obras follas ; chapos do. todas, as qualidades;
ditos para meninos e meninas; ricos chales de seda;
mantas de seda ; lencos do todas as qualidades ;'e
outros muilos objectos que ha para vender.
Offerece-so uma ama para casa.de pouca fami-
lia que faz todo oservicodo. portas a dentro : na
rua da Gui, n. 55, primeiro andar.
&908S 9 flWi
' Odoutor Alexandredo So'uza l'ereira Jo
Carino,/medico ,-mudou sua residencia jS
para a rua larga do Rozario ,.n._19, segn- K-
do e terceiro andares do sobrado onde tem OT
botica o Sr. Jos Maria Oongalves Ramos
Dao-se So'ooo is.de grntificacao,
c se pagaro todas as mais despe-
zasque se tenham feito, a quem
dt'r noticia do caboclitibo cscra-
vo por noine Vicente de seis
annos, pouco mais ou menos, sec-
co do corpo; tem no anus dua.s le-
udas de bobas, c lie um lauto le-
so, por ser novato tiesta praca; le-
vou vestido camisa de algodao da
trra um tanto soja ; deseneami-
nhou-se da rua do Vlgario, t. a$,
aondse poder dirigir a pessoa
que souber, ou rua da Cadeia -
do Recife, n. 21
m
Na noite do dia 25 do correntc furtaram da
pallara da rua Senzalla-Yelha, n. 96, um pagaio
muito manso e Tallador : a quem for offerecido, ou
delleliver iioJicia dirija-so a dita padaria queso-,
r reco ni pausado.
Allciigao!
Fugo, da casa doahaixo declarlo, no dia 25 do
-corrente, das 5para C horas dn larde, urna escrava
preta de nacilo, da nomo imstacia, de.,20 annos,
de estatura regular, cor fula, rosto redondo, com
algumas cicatriz as costas ; lovou vestido de cinta
escura j usado. ItecommoiJii-so as autoridades
policiaes a captura da dita esearva, e quem a levar ,
ou der nolipia verdica na rua do Crespo, loja n. 10,
do Jos Joaquim deFreitasCui.naracs, sera hem rd-
compepsade-.
j| CIIAPEKS DE SOL Jg
Rim (lo PasMio*Publico, n. S.
Joilo l.ouliet participa ao respeitayel publico, que
recelieu, por estes ullimosnavios p-ancezes, um com-
pleto sorlimento de chapos de sol, do seda, a mais
rica e superior qualidatle; furla-cres e outras mili-
tas cnlecidas, lano para homens, como para Sras
ejnQiiinos. No mesinoeslahi.-lccimento ha um sorti-
mento de chapeos de sol de paninho, dos mais mo-
dernos; ditos muito grandes, proprios para horneas
~ Aluga-se o segundo andar da casa n 3, da rua
da.Cadeia-Velha com commodos para familia. Na
mesma casa so vende o verdadeiro especifico para
fazer nascer e conservar o cabello o outro para
curar a surdez limbos viudos da cidado de Itraga.
AVISO GERAL.
O dentista e sangrador Jos Anetelo,
muito condecido, e morador na ruacstreita do Ro-
zarlo, junio greja, casa terrea n. 7, na frogiftzia
:le Saiito-Aiitonio desta cidade do Recife, faz scien-
le a todos os habitantes, o* com especialidado aos
moradores das comarcas villas o povoac,0cs e
igualmente a lodos os propietarios de ongenhos,
agricultores, seuhores de fabricas c a todos OS mais
chefes de familia e de casas de educacao, que elle
receben de Franga, ha pouco, uma grande porreo de
paraguaroux, calmante odontalgico, com posto por
M. Roux & ()., pharmiiccuticos, como um dos reme-
dios mais ellicazes, que nos conhecemos parar a-
placar ou destruidas mais violentas dores de (lentes,
produzidas por carie ou por qualquer outra hflecQfiO
da bofica, o qual cu cnsino por um impresso um no-
vo methodo de se applicar por qualro ou seis ma-
neiras, em qualquer uma das odontalgias, ou
mal dos denles. F.slo remedio goza de gran-
de crdito em Pars, e he o melhor especifico
que ha nesta provincia para aplacar, ou destruir as
mais violentas dores de denles, principalmente pelo
novo methodo do sua applicacflo, Vende-se cada
frasco por 10,000 rs.,por nao havercm por ora outros
mais pequeos ; emlm, para esteremodio chegar
para todos, vende-se tamhem quantidade sufflci-
enlc por 2,000 rs., trazendo cada um se.i vidri-
lio com rolha ; c applica tambem radicalmen-
te este remedio a lodas as pessoas que forem a sua
casa com dores de denles; porcada applicacio, ou
tirar delicadamente o dente ou raz, sendo preciso,
1,000 rs.; chumbar um denle com metal Imanen,
I a 2,000 rs., o chumbar com ouro, sendo preciso,
4,000 rs.; apartar perfeilamoutc os quatro ou seis
denles incisivos e caninos do qucixo superior, 6,000
rs.; esta operacao lio muito precisa a qualquer pes-
soa, lano aos infantes como aos adultos porque
previne os denles de seren cariados para o fuluro, e
ahumoza muito a arcada dentaria. Vendem-so tam-
bem limas prorrias para estas opcrac/ies, u 1,01111 rs.
cada uma. Vende-so tambem metal branco, lauto
cm folha, como fusivol, quantidade surlicienlo pira
cada um chumbar seus denles turados ou cariados,
e um instrumento propriopara estas operacoes, por
3,000 rs.; o ouro, ou platina, quantidade sulticienlo
para cada um chumbar seus denles Curados ou ca-
riados, por 6,000rs. Esla operacao lio tambem muilo
precisa a qualquer pessoa, porque previno|iara o fu-,
turo as dores de deuU'S, escusaudo cada um cha-
mar um dentista para" estas operacoes tio simples.
Vciulem-sc, no nrmazem de Das Ferreira ,
junto iisescadinhasdaalfandega, es seguintes g-
neros por commodo prego e do superior qualida-
de ; eaixasconi posas ditas com ameixas, ditas
com figos, potos de uvas, ancorlas corr qzeito-
uas de l'.lvas barricas com sardinhas; ditas peque-
as com ditas e batatas a 1,000 rs. a arroba.
Vende-se uma barretina, uma canana, um ta-
lim urna farda, um barretfio : ludo proprio para
guarda nacional, cm bom uso c por pra^o commo-
do : na rua Nova, n. 35, so dir quem vendo. .
Vendem-so 16 oscravos sendo : 7 prelos ,
alguns dcllcs com oilicio de 18 a 25 annos ; 2 imi-
lalinhos de 16 a 18 annos, proprios para pagem ;
'las pardas de 12 a 20 annos com habilidades ; 5
pretas de 11 a 30 anuos, com habilidades: todos de
boa conducta o proprios para lodo o ser.vigo do
campo o da praca : na rua (Jo Collego, n. 3, segun-
do andar, 90 dir quem vendo.
Vondem-se bolachinhas superiores,
em latas, chegidas ltimamente de Ilam-
butgo : na rua da Cruz, armazem n. 4^-
Vende-se a venda da esquina de S.-Thercza ,
n. 60, com fundos do trosentos c tantos mil ris : a
tratar na praia do Cahleirolro, venda da esquina,
n. 2.
'- Vende-se um preto do nacilo, muito robuslo ,
bom ganhador de rua e do sorvico de easa o.cam-
po do qual enlende muilo uiio tem vicios nem
achaques : vonde-sc para so comprar um molcque,
ou uma negrinha tambem so troca no tendo vi-
cios iicm achaques : na rua da Concordia passan-
doa pontezinha ,a direita, segunda casa terrea,
se dir quem vende.
Oh que gran.de poehnicha !
Na rua Nova, loja n. 8, vendem-se
chapeos de palba, para senliora, a 2,000
rs. A ellcs, que sao poucos e nao che-
gam para todos.
Vende-se uma preta de idade, por 200,000 rs. ,
muito forto serve bem urna casa e vendo na rua ;
urna preta moca do muito boa figura que cozi-
nha eengomma; um moloquodolO annos, muito
lindo ; um muralfhho de 10 annos ; um preto do 35
anuos, por 300,000 rs., ptimo para um sitio : na
rua do Passcio, loja n. 19.
. Vendeiu-se 3 baluncas decinues ,
viudos t'liim incnlc de Franca sendo
de diversas frcas, por preco muito
commodo : na rua da Cruz armazem
n. 48.
MOBILIA.
Compras.
Compra-sc, ou aluga-se uma negrinha para o
servigo de uma casa cslrangeira de pouca familia,
c que cnteiidadc engommar : na rua do Vigario,
n.
Compram-se50 mciosdesola de boa marca :
na rua do Collego, armazem n. 19.
Vendas.
Loicria do Ilio-de-Janeiro,
Aos 20:000,7000 de ris.
No'vapor San-Salvador acaba de chegar um lin-
do, sortimento de bilhetes da 12.', a favor do monte
po gcral: a ellcs antes que chegue o vapor. Estilo a
venda com a rubrica na loja de cambio de Vieira,
na rua da Cadeia do Recife, n. 24.
Vendem-se portas, janellas e grades de ama-
relio : lambeinse vendem portadase sacadas de per
da ; na rua da fraa tanqued'agou; us. 9e 11.
Vende-so uma porgto de trastes novos e quasi 110-
vos ; lougasc crystacs ; uma mulalinha de latinos;
um molcque de 7 annos ; caixas com vinho do Bor-
dcaux Colares Lisboa, Porto e Madeira : tambem
algumascaixas do cera do Itio-de-Janciro : ludo
milito barato em virludo do retirada: para ver c
tratar na rua da Senzalla-Velha n. 110.
Vendem-se xaropes de frutas do lodas as qua-
lidades e de flor de laranja e orchata : ludo por pre-
go commodo e muito bem preparado : na rua es-
treita do Itozario deposito de pao 11. 39.
SSSF.
Manuel da Silva Sanios vende barricas
de liiiinba de higo da marca SSSl'i clie-
ada 110 ullimo navio a esle mercado.
Vende-se uma venda com pocos fundos o cm
milita boa rua, sita na Itoa-Visla, a tratar no Man-
guinho venda do Misquita.
SAI.SA-I'ARRII.IIA DESANUS.
Ksle excellente remedio cura todas as aj fertili-
dades, as quaes sito originadas pela impureza do
sangue, 011 do syslema ; a sber :
Escrfulas, rheumatismo erupges cutneas,
brcbulhas na cara, hemorrhoides, doimgas chroni-
Cal, brebullias, bertoeija,. tiulia, inchages, dores
nos ossos ojnnlas, olear, doongas venreas, citica,
enfermidades que atacam polo grande uso do mer-
curio, hidropesa expostos a urna vida extrava-
gante Assim como cliroiiicasdosordens da cons-
tiluigio se rilo curadas por esta tilo til appro-
vada medicina.
O extracto seguidle lio do uma caria recebida do
Sr. Mace pois sua mulher foi atacada do escrfu-
las 110 nariz, dasquaos os melhores doutores cm
f/anca a nflo podcrtlo tratar.
( Rennes, departamento de lile e Vilain.*
j Franca, jullio 17 de 1844.
5;. Sanas. A salsa-parrilha mandada por Vm.
foi recebida-com a maior satisl'ago possivel, minha
mulher a tomou, e em pouco tempo se acliou me-
lhor,* pelos grandes beneficios quo receben desta
medicina, a considera como urna das''melhores me-
dicinas ilo mundo para laes doengas pois dou-
tores do alta sabedoria nunca a poderam tratar. Mi-
nha mulher a contina a tomar, at se adiar in-
teiramento boa. Por favor nos queira obsequiar com
algumas garrafas o mais depressa possivel. Sr. ,
nos toreinos o gosto de fazer conhecer a sua medi-
cina ntreos nossos amigos, 11 ssi 111 como entre o
povo : sem duvida ser usada aqu, hem como em
todo o mundo como ellicaz medicina para alliviar
tratar o corpo humano. Tcnbo a honra de ser o
mais atiento venerador.
J. Mace.
N. 1, ru LouisPhilippo.
jLegagilo dos Estados-Unidos,
i Berln, Prussia, abril 8 de 1816.
Srs. A. i. & I). Sands. Srs., lendo-se a sua sal-
sa-parrilha usado nesta ci lado, com grande efTeito,
em casos mui severos de escrfulas me podem tros
duzias de garrafas da sua medicina as quaes as es-
pero sem falta que para isso remello o pagamen-
to. Espero que Vais, fiquom de toda a certeza que
a composig.to do salsa-parrilha ho uma das melho-
res medicinas do mundo, assim como se vai in-
troduzindo muito entre o povo Sou o mais aliento.
ThcodoreS. Fay.
Preparada o vendida por junto c a retalho as-
sim como se exporta por A. B. YD. Sands, chimi-
cos e droguistas, 11.100, Fulton-Street, esquina de
William, New-Vork.
Vende-se na hqlica do agente, Viconto Jos de
Brito na rua da Cadeia-Velha, n. 6t.
Vende-so um negro perito oflicial de sapateiro,
de idade do ,20 annos, c urna negra cozinheira, cos-
tureira, lavadeira 6 cngommadeiru, de idade de 22
anuos pouco mais ou menos : na rua estrella do Ito-
zario, u. 43, sexuado andar.
ELIXIR TNICO
AUTI-.FL-iCMATICO,
pelo senhor doutor Guillii, medico daftsculdade de Pa-
rs, membro de varias socie;.'d medicas, assim na-
cianaes como ettrangeiras, oavalki'o da realordem da
Ifijiio de honra, etc.
(Dupont, pharmaceulico, em Pars, rua T-
quelonne, n. 14.)
O nico deposito verdadei-o dcste elixir be csta-
helecido pelo mesmo autor ns botica do Sr. Jos da
Rocha Prannos, rua estreita do Rozario, 11. 10, em
Pcrnambuco.
0 elixir anli-fteumatico lio eseneialmcnte tnico,
reanima o principio vital .e (fiforga as (tiras, des-
taca os humoros viscosos, os precipita ein baixo, a-
viva o appelilo e Coi linea o eilninago.
Pde-se administrar na mais loara infancia como
na volhice; nada he mais docoquo o seo effeito: fun-
de, dissolye os humores o Ibes da sabida sem algu-
ma agitagilo, som suspender ns occupagos, nem
mudar os hahitos: so pode tomar deslo efiieazmonto
umacolhor do rnanhila em jejum, particulannento
110 inveriui e nos tempos hmidos.
Os asmticos, gotosos, hydropicos, aquolles cuja
fibra lio molle, licam salisi'eitos do sou uso ; bem
como os que soffrein, defluxilo catarral dopeito, a-
zedumes do estomago, syncopes o palpitagoes do
coraeio, clica, empigens, catarro da bexiga, apo-
plexia cerosa, reumatismo, lluxos alvos, doengas
de loite as senhoras, indigestAo, vermes iutestiiiaes
as criangas, o outras muitas enfermidades quo se-
ria longo enumerar.
Esto medicamentosalutar tem produzido os mais
fivoraveis effeitos, nos casos, para assim dizer, dos-
esperados. Desta sorto, desde seis anuos foi pros-'
cripto por lodos os mdicos Ilustres, o os successos
quotidianos quo obtm, tanto cm Franca como nos
paizes estrangeiros, formam o melhor elogio quo
ueste possa fazer-se, o a prova desto he a grande sa-
bida que este uiaravilhoso remedio tem tido as
provincias do Brasil, principalmente na Rabia o
Rlo-de-Janeiro onde lia tmas illustragOes me-
dicas.
AVISO ESSENCIAI..
Ileve-sc sineule inleira contianga s garrafas quo
teem urna marca que leva 1 linna do autor, seme-
Ihanle aquella queso v em baixo. Einlim, para e-
vitar oporigo.das falsificagOes, os accidentes quo
poderiam acontecer, o arrestar a cobiga dos falsa-
rios, o publico he prevenido que cada garrafa deve
ser acompahhada ilo uma instruegao impressa quo
indica a maneira de. empregar oslo medicamento,
compilado pelo Sr. Cuilli, com a sua firma, e im-
presso em Pars por o Sr. Goetsehy; caradores es-
senciaes para evitar a fraudo.
Na nova loja da rua da Cadeia
do Heeie n. 52, de Claudi-
no Saivador Pereira Braga,
vendem-so bellose riqussimos corles do princesi-
ua a 7,000 rs. ; asseiadose galantes corles do cam-
braia de seda bordada a H.oou rs. ; cambraias de
cores, de delicados padies a 560 o 640 rs a vara ;
preciosas mantas do seda para senhora, a 13,000 rs ;
llndissimas luvas de pellica enfulladas com tranga
> lio lulas de seda, a 3,200 rs. o par ; delicadsi-
mos chapos de sol, de seda do lodas as ceros., pa-
ra senhora, a 4,500 rs.
Ao lioiu tom l'ernambticano.
Vointcm-se ricos cortes de sedas brancas para
vestidos do noiva'; lindos bicos do hlomI Imneos ;
guarnigocs de flOies brancas, para vestidos ; lindos
lequcs, dos mais modernos iue lia ; fil do linho li-
so, dos mais linos que tom viudo; bonitos corles do
eambraia de seda; ricas filas de sclim, lavradas,
proprias para ornamentos de vestidos o chapos ;
damascos do todas as cores ; a melhor sarja.preta,
quo tom viudo ao mercado; breos de blondprotos;
veos prelos do linho; ricas luvas do pellica do
meio braco com enfeiles ; ditas curias com burra-
cha e enfeiles; ditas para homens, chapos prelos
francezes, para liomcus ; ditos do sol,, do seda fur-
la-cores, para liumciis; cropo do todas as cores;
sodas do lodas as cores, para chapos do sonhoras;
liras mantas de sedas, para senhoras j ricos chales
de seda, do melhor gosto; merino preto muilo fi-
no; sapillos francezes, de lodas as quatidados ; lan-
tCrnas de ps de vidro, lavradas o lisas, do muilo
llora gosto ; o outras militas fazendas de goslo, ludo
por prego mais commodo do que em outra qualquer
parte : na rua Nova, n. 8.
o BOM
mil \TE1RO.
Na I ja i. SO, de Cimlia Se
Amorim, na rua da Cadeia
do Eiecilc confront a rua
da U adre-de Dos ,
ha um bom sortimento do fazendas linas bem co-
mo : pannos tinos de escolhiilas qualidades, e en-
tre elles preto, ptimo para pannos do pretas o cal-
gas, a 2,600 o 5,500 rs. o covado; dilo azul para
lardamento a 3,000 e 3,500 rs.; dito verde-escu-
ro, Cazcndii ptima para capotes sobre-casacas a
jaquetas a 4,500 ris o covado; casimiras' pre-
tas a 2,200, 2,400, 3,000 3,500, 4,000 e 4,600 rs. O
covado ; pannos inesclados para palitos e sobre-ca-
sacas a 4,000 o covado ; casineta preta para o
mesmo lim a 1,200 rs. o covado ; cortos do supe-
riores casimiras de cores, do muilo bom gosto; cor-
tos do velludo o selim bordados para cilicios, pro-
iuos para casamentse fiailes ; ditos de gorgurSo r
1,1a o seda e fustes para rolletes; chales o manta
do soda c garra ; luvas de pellica para boinem o se-
nhora ; longos e mantas para grvalas ; ditos da
eambraia e soda para milo c para pesco'co; ptimas
sarjas pretas c selins ; um restante das boas sodas
escore/as a 800 rs. o covado ; selim preto a 720
rs. o covado.
Sal.
Vende se sal muito alvo a bordo do brigue So-
dedada, fondeado ein frente do trapicho do Sr.
Angelo': a tratar com o oapitOo a bordo, ou com
Jos Francisco Collares, as escadinhas ou nos tra-
piches da estiva.
Vende-sosal do Lisboa, fino c alvo, u 1,600
rs. o alqueirc da medida vellia na rua da Praia ,
armazem u. 18.


4
Veiulem-se bichas de Hamburgo, muito boas:
tambem se alugam, por mais commodo prego do
ra mus eoramodidade dos freguezes. Sangra-se ti-
ram-sedontes, botam-se ventosas toda hora. Che-
guem fregue/esa pichincha, antes que se acabe a
ftbro, No eceo-Largo, loja i|e barbeiro, de Joilo
Antonio de Arantes & C.
Vende-se uma prota de meia idade de nagSo ,
que he quitandeire : na ra do Itozario da Boa-Vis-
ta, n. 2.
Vende-se um cavallo rugo, bom andador, de
bonita ligura bastante raanteudoo sem achaques:
na na de S.-Congalo, sobrado n. 29.
-- Vonde-se um sitio com arvores do fructo, a
beiradorio Capibaribe, situado no corredor de
S.-Joflo na matriz da Varzea por mdico prego :
na na Velha, n. 18.
-Vendem-se ptimos casaes do pombos corujas e
jacars, lodos milito bons batedores grandes e de
boa raga, por prego commodo : na ra da floren-
tina, u. 16.
~ Vendo-se um lindo moleque de 18 annos de
bonita ligura : na ra das Flores, n. 17.
---Vende-se um moleque de 18 a 20 annos, de
bonita ligura sem vicios nem achaques proprio
para todo o servido : na ra do Codorniz, n. 10.
s:
finos.
'muios
Venden* se superiores pannos finos a prova de
limito prcto, a 3,000, *,500, 5,#00 e 6.500 rs. ; di-
to azul, a 3,000 rs. e muito lino, a 4,500 rs. Estes
pannos sao novos e pela sua barateza, atlendendo
asuaboa qualidade, tornam-se recommendaveis.
Na ra do Collegio, n. 1.
A 2000 rs.,
saccas com bom milho: no
caes da Alandega, armazcm
de Antonio Annes.
Na nova loja do Passeio-Pu-
blico, o. 19, de Manoel Joa-
quim Pascol Ramos ,
vende-se cortes de cambraia alegra, fazenda muito
moderna a 2,000rs. ; cortes de ISa para calcas, a
3,000 rs. ; cortes de casimira de quadros, multo
moderna a 6,500 rs. ; alpaca preta, r900 rs. ; me-
rino prelo a 3,200 rs.; panno prcto muito fino,
a 4,500 e 5,000 rs. ; dito azul, a 4,000 rs. sarja
preta hespanhola a 2,000 rs. ; setim preto, a 1,000
rs. ; lencos para gravata de seda de cores, a 400
rs. ; ditos de cassa a 160 rs. ; lengos de seda pa-
ra lioniem a 1,440o 1600 rs. ; lencos brancos de
todos os tamanhos, de 240 at 400 rs. ; mantas de
seda muito ricas a 9,000 rs. ; chales de lila, a 2,000
rs. ; ditos de 19a e seda a 8,000 rs. ; ditos de mc-
lim echita a 1,00o rs.-; e outras umitas fazendas
muito emoonta.
Vende-se urna negrinha costuroira e rendei-
ra; um mulatinlio com principios de sapaleirn: na
na larga do Itozario, loja de iniudezas, n. 35,
so dir quem vende por querer rotirar-se para fu-
ra. .\a mesma loja tambem se vende um piano n-
glez que precisa de um pequeo concert pro-
prio para se aprender.
He. s na loja do nicho que
apparccem eslas pechinchus.
Na esquina do l.ivramento loja do nicho, ven-
dem-se inanias para senhora a 1,000 e 2,000 rs. ;
setim branco de flores, com-duas larguras, a
1,280 rs. ocovado ; riscadinhos chinezes, com lis-
lias de seda ,a360 rs. ocovado ; chales muito gran-
des do garga e seda a 2,000 rs.; longos grandes da
mesma fazenda a 1,000 rs.; ditos escocezes de
bonitos gostos a 200 e 320 rs. ; e outras militas
P ihinchas novas chegadas de proposito para a
testa,
-Vendem-se ancoretas de di-
versos Unannos com
Madeira. (into c
leira, (into e branco, de
vinho da
su-
perior qu
rio dcOliv
nliia
ua I idade : no escripto-
eira Irmos & Compa-
, na ra da Cruz, n. 9.
Altcncao!
Acaba le chegar a loja doPassoio-Publico n. 17,
una porgRo do cortes de cambraia transparente de
lila, para vestidos de senhora, padrOes inteiramente
novos, e que se espera meregam geral applauso das
seuhoras de bom goslo, e muito principalmente das
que toncionam passar a fesla ein seus sitios. A por-
gaohe diminuta e mo ha mais ein Pernambuco ,
por isso sem demora devem mandar por ellos, antes
queseacahem mesmo porque o prego convida ,
pois he o de 5,000 rs. por cada um corte.
Na loja nova da ra do Quei-
na do, n. 11 A, de Hay mun-
do Carlos JLcite ,
a 800 rs.
a vara do ptimo panno de lindo do Porto as pegas
.silo de 18 varas e meia ; dito do 25 varas, a 600 rs. ;
uardanapos de puro linho a 800 rs. ; fazenda do
norte, propria para colletes .jaquelas e etc., lecido
de seda e linho ; meias ue linho as mais finas que
teeni viudo ae mercado.
Anda so vendem tres prelos para o servigo de
campo : na ra da Cadeia do Recita,, n. 59, a tratar
com Jos Das da Silva.
Vende-se um bote em bom estado, que bota
4 remos : na ra Dircila, n. 69.
DEPOSITO DE CAL VIKGEM..
Na roa do Trapiche n. 17, ha sem-
pre cal virgem de Lisboa, ein harris pe-
queos, e ltimamente chegada mui-
to superior e por pveco rasoayel.
____AGENCIA 1A FUNDICA0' DE LOW-MOOR.
.\a ra da Scnzalla-Nova, n. 42, contina a haver
ji completo sortimento de mocadas e machinas de
/por para ongenhos de assucar : bem como tai-
xas de ferro batido e coado de todos os tamaitos :
ludo por prego commodo.
Vende-se um moleque do muito bonita figu-
ra bolieiro e barbeiro ; 2 ditos de 12 a 14 annos;
1 preto do 20 annos, de elegante figura ; 2 mulati-
nlios ; 2 pardas; 2 pretas ; 1 negrinha: todas com
habilidades : 1 preto coziuheiro e engommadeiro ;
2 pretos para todo o servigo do ra: no pateo da
matriz de S.-Antonio sobrado n. 4.
Casimiras clsticas c finas, a
7#000 rs.
' Vendem-se superiores casimiras elsticas, finas e
de cores, pelo baratissimo prego de 7,000 rs. o cor-
te de caiga. Esta fazenda he recommendavol pola
sua qualidade, tanto cm fazenda como era gostos ,
porserem os mais modernos; casimiras pretas ,
superior fazenda por serem muito finas a 2, 3 e
3,500 rs. o covado : na ra do Collegio, loja n. 1.
sopouiiuoo so5aud jod
opnj : sapepuenb se supoi op sapuozaj ap ojuaiu
-1JOS o].>['liih>.> 111 n 'sapuozej sejsop 111.qu o i opBA
-oo o 'sj OSG ap o5a.nl oiejoq o|ad sajoj.iadns sou
-und ap o sojnosa sexu ojoo op 'saojpid sopui| ap
' bjba Biun luai onb uin8iB[ aueujpjoejixa eris b|
-od 'soj]suiu siipi!|ii||in; siipi:. 1-1.1 koaou so as-iuad
-U8A Biquediuoj j? mujassHJBUimn ap Bfo[ bnj
soJlstooi sopeosi^f
~Vcmdc-so uma casa terrea na ra Velha, n. 105:
a tratar no Atcrro-da-Boa-Vista n. 12. Se alguem
houvor que se julgue com direilo a oppr-so a ven-
da, annuncio.
Vendem-se duas molecolas crioulas, do 12 an-
nos pouco mais ou menos : na ra da Cadeia-Velha,
11. 33 se dir quem vendo.-
rechinchas para a Cesta.
Vendem-se bonetes para rao banho a 360 rs.,
n,1o pode haver mais barato : no Aterro-da-Boa-Vis-
ta loja n.78.
Silo de patente, e smente se
vendem no Aterro-da-Boa-
Viela, loja n. 78,
excellcntes bonetes do verdadeiro marroquim pre-
lo e cor de ganga, de modelo muito ngragado ,
obra franceza cujo gosto pode ser bem avaliado ,
vendo-se a fazenda e sao 13o decentes que podem
seren usados por|ualquer personagem ; ditos de
merm de cores bordados e de excellentes gostos.
Vende-se uma casa terroa nova, na ra da Flo-
rentina livrc o desembargada: tambem so vende
uma balanga grande c uma porgo de pesos : na
ra do Collegio, armazem n. 19.
DE 6 PORTAS N3
Resta loja das pechinchas, vendem-se pan-
| nos finos, a 2,500, 3,000 3,500 o 4,000 rs. ,
e muilo lino, prova do limo ; a 5, 6 e 7,000
rs. ; casimiraa de duas larguras a 1,500 o
jog 2,000 rs o covado, c muito superior, a 3,000
c 4,000 rs. ; cortes de setim e -lo velludo
para collele, a 2,000, 2.500 e 3,000 rs.; mau-
las deselim para homem, a 2,000 rs.; um
grande soilmenlo de madapolfles chitas
c outras militas fazendas para a festa por
baralissimo prego, para acabar antes do ba-
ango.
Vende-se, a bordo de berganlim Independen-
tc fundeado defronte do trapiche da alfandega,
sebo em rama, e;carue superior.
Na loja nova da ra d > Quei-
mado, n. 11 a, de Haymuu-
doCarloa Lete,
acha-se um novo sortimenlo de lindas mantas de
seda a 4,000 rs., tendo tambem de 2,000 10,000,
16,000 e 20,000 rs. ; luvas para senhora do trogal,
ultima moda ein Lisboa ; meias cias n. 10 a 5/
rsPaduzia.
Vendem-se pegas do madapolilo limpo com
20 varas a 2,500 rs. ; pegas de chitas escuras mui-
to encorpadas ..fortes e de cores lixas, a 5,500 rs. ,
ea 160 rs. a rctalho: na ra estreita do Itozario,
n. 10, terceiro andar.
Vendem-se vinhos verdadeiros, de
diversas qdslidades, muito uperiores, e
bem conhecidos ; tambem ago'ardente
cognac e cerveja em barricas e engarra-
fada sendo propria para armazem e
para gasto particular da festa : ni ra do
Trapiche, u. 4o.
Vende-se. ou troca-se por casas nesta praga, um
terreno com 412pa|mosde frontoe 150 do fundo,
sito por detrs do coventodo Carmn : a tratar com
o scu proprietario no Manguinho segundo sitio
depoisda capefia de S.-Jos.
Na laja nova da ra do Quei-
mado, n. II A, dcRaymun-
do Carlos Leite ,
acha-se um novo sortimenlo de pannos linos do todas
as cores e qualidades ; chapeos francezes da ultima
moda ; um completo sortimenlo de fazendas linas
egrossas, por prego mais barato do que om outra
qualquer parta.
Vendem-se as obras seguintes, em bom uso:
Joven Ccciliano 4 v.; o Espino do campo neutral,
4 v. ; Evaristo e Theodora 4 v.; os Esfoladores 2
v. ; Philosopho por amor, 2 v.; Ciar* da Elba, 1 v.;
Belizario, 1 v.; e outras umitas obras por prego
commodo : na ruadeS.-Rita n. 44.
Vendem-se borzeguins de crese bolins a
2,000 rs. ; sapa los de setim e tapete, a 800 rs.: no
Aterro-da-Boa-Vista, n. 84.
Vende-se uma porgSo de arroz branco ; dito
vcrmclho; dito com casca; feijo mulatinho, tanto a
retallio como por atacado por prego muito com-
modo : ludo novo : na ru da Praia, n. 39.
PALMA DE CARNAUBA.
Vende-se o mlho de palha do carnauba, a 560
rs. : na ra da Cruz, n. 64.
Vende-se uma carroga de carregar pipas : na ra
da Crui, n. 64.
Vendem-seduas casas terreas, urna no bairro
da Boa-Vista e a outra na Capunga sendo osta ,
ha pouco acabada perto do banho e com um pe-
queo sitio,, por 750,000 rs.: ambas livres e des-
embargadas : tambem vendem-se a prazo de 6
mezos, pagapdo os juros de um e meio por cento ,
e dando para isto penhores. quem pretender an-
nuncie.
Vende-se urna preta moga de bonita figura :
na na do Queimado esquina oo becco do l'eixe-
Frito, loja n. 2.
Vendem-se caixas dechhysson, de 13 libras,
em porgoes ou a retaltio : na ra da Arrandega-
Vclha.n. 36, em casa de Malheus Austin & C.
Ue lm i ras.
Vendem-se superiores cortes da fazenda nova
denominada belmira para vestidos de senhora ,
pelo Barato prego de 4,500^ e 5,000 rs. o corte. Esta
fazenda he nova e de muito sublimes gostos, sen-
do as suas cores mui apreciaveis por serem crdo
lirio, jpsa e perola. A clles, antes que se acabem.
Na ra do Collegio, loja n. 1.
MEZ MARIANO A 1,000 RS.
Vende-se na livraria Ja praga da Independencia ,
ns, 6 e 8, o Novo Moz Mariano, accrescenlado com o
l.ausperciine do Santissimo Itozario.
Clieguem que esto se acabando
os sajtatocs do bezerro para homem, a 1,280-rs., e as
bengalinlias para passeio a 320 rs.: no Aterro-da-
Boa-Vista, toja n. 7.8.
Vendet!Fse4 bois de carro: na praga da Boa-
Vista, n 13/venda de Antopio Jos de Magalhfles.
Sellins para a festa.
Vendem-se excellentes sellins inglezes com to-
dos os seus pertences : na rna do Trapiche-Novo,
u. 19, cm casa deFredirico Robilliard.
Admiraveis navalhas de ac
da China,
NA RA LARCA 1)0 ROZARIO, N. 35, LOJA DO LODY.
Fslas navalhas teem a vanlagem de cortar o
cabello sem offendera pelie, deixando a cara pare-
ciendo estar na sua brilhaulomocidade. Este ago he
da China e seu autor he Shan. I'or todas as socie-
dades das sciencias mcdico-cirurgicas tanto da
Europa como da America Asia e frica, he reco-
nhecido o uso dostas navalhas maravilhosas, no s
para prevenir as molestias cutneas a que a huinani-
dade est subjeita; mas lambem como uin meio de as
curar.
Vendem-se as verdadeirass na loja cima indi-
cada .
Vendem-se.3 relogios de prata e de ouro 2
correles para os mesmos, uma caixa de prata dou-
rada tranceliiis, cordes, anncldes brincos, nie-
dalhas uma corrente de prata, colhcres de dita pa-
ra soupa uma dita grando para tirar sdpa ; e uu-
tros mais objeclos dos mesmos metaes : na ra do
Itangcl, u. II.
Vendcni-se 4 mulalinhas muito lindas, de 14
annos: rccolhidas, quecosem chilo e engommam
liso; 2 ptimos meleques ; 4 escrayas : na ra Di-
reita n. 3.
Vende-se a retallio, gaz da fabrica de Perret
Gentil do Itio-de-Janeiro por prego commodo : na
ra Nova, n. 52, do Caumont.
Yo Aterro-da-Boa-Vista, n.78,
vende-se bauszinhos de pao com lindas pinturas c
que servem para guardar roupa de mangas e costu-
ra, do 640 a 2,560 rs.; bonetes de velludo para me-
ninos ; sapalos para senhora a 1,000 rs.
Xa ra da Cadeia-velha, n.
9, loja de J. O. Elster ,
vende-se vinho do Porto, de diversas qualidades ;
dito da Madeira ; dito de Malaga ; dito de Shirry ;
dito de Carca vellos ; dito de Tenerife; dilo do Lis-
boa ; dito do liheiiio ; dilo de gravis ; ditoSauter-
nc ; dito de Bordeaux ; dito Chateaux-la-rosa ; dito
S.-Julim ; ditoS.-George ; ago'ardente de Franga ,
de varias qualidades ; cherry-cordial; marraschi-
no ; licores linos ; PTIMA CHAMPAA,em garrafas
inteiras c meias ditas; velas de composiSlo ; cha
preto e verde de superior qualidade; presuntos e
salames de Hamburgo ; sardinhas em latas e vidros;
pctils-pois em latas; mostarda ingleza e france-
za ;%idros com frutas em calda de assucar o espi-
rito ; agoa de flor de laranja; CIIIIRUTOS DE HA-
VANA E DA BAHA ; e oulros muilos objeclos : ludo
rcceiitemcnte chegado.
Vende-se farinha de mandioca muito boa
por prego commodo : no Furte*do-aattos, pie.isa de
Joaquim Jos Fcrreira : bem como 6 saccas de gom-
ma e 3 harris de azeite de carrapato.
dito de 11 a 12 annos; um preto de 80 annos, pro-
prio para qualquer servigo : no paleo da S.-Cruz,
n. 14, se dir quem vendo.
Na ra do Crespo, loja n. 12,
de Jos Joaquim da Silva
Maya,
vendem-se muito lindos chapeos para meninas,
tanto de seda como depalhinha chegados uJti m-
mente de Pars ; chapeos de seda para senhora ;
cortes de crambraia do seda do ricos gostos,.por
prego muito commodo; cortes de vestidos de cam-
braia ecass'a-chitasde diOTerentes qualidades, por
pregosbaratos; ditos qom uma pinta de mqfo o
sem elle a 2,000 e 2,500 rs. cada corto ; mantas de
seda e 13a para senhora, das mais modernas que
teem vindo a est praga a 5,000 rs. cada uma ;
mantas chales de seda de varias qualidades e ba-
ratos; alpaca prota, a 80O e 1,600 rs. OOOVaio;
panno de linho, a 400 rs. a vara ; casimiras fran-
cezas, o elsticas, para caigas a 5,000 rs. o corte;
fusts; setinse velludos para collete, por prego
mullo em conla ; bem como um sortimenlo de ou-
tras muitas fazendas, que se vendem pelo barato.
Potassa,
mais
: na
Bal-
Vendese potassa da Bussia a
nova que hoje existe.no mercado
ra da Cadeia-Vellia arjnazem de
ter e Olivira.
Vende-se uma escrava moga, som defeitos
nem vicios e que he quitandeira: na ra da Praia,
n.25, pjimoiro andar.
Q10Q!0*0 10 %0 *10 fc!0 PWQ103
0 Vendem-se cortes de cassa e cambraia de se- ^
tda, a 9,000 e 10,000 rs.; ditos de novos e ri-
cos padrfJes, a 14,000 o 16,000 rs.,chapos
5 do massa, francezes, da ultima moda; risca-
0 dos francezes para vestidos de senhora ; no-
Q voscrtcs'dacassa-chita ; eoutras umitas fa-
9 zendas de gosto propriaa para o lempo de
6 fesla: ludo por menos prego, do que em ou-
O Ira qualquer loja : na ra do Queimado, nos
^ quatro-cantos loja da casa amarella, n. 29.
O0ift0i0fe>i* 0i 0 *.* tf 0i em
Vende-se um tanque de nadeira tendo o di-
lo duas fallas de uma canoa que podem servir
paraje fazer uma barcaga o tem mais uma canoa
que era da conduegao d'agoa : a tratar no Fortc-do-
Matlos, no mesmo tanque.
Vendem-se carros de m.lo, proprios para
carregarenlulho,'Ou para servigo do pedreir ; uma
carroga para dous carnciros propria para padaria:
na praga do Commorcio, casa de Jo.lo Carroll &
Companhia.
Vende-se um moleque do bonita figura, sem
vicios.nem achaques : na ra do Queimado n. 55 ,
a tratar como Jos Maria Fcrreira da Cunha.
Vendem-se 4 cscravos sendo: um moleque de
16 annos, que cozinlia o diario de urna casa ; uma
parda de elegante figura do 16 a 18 annos, que
engomma, cose o faz todo o mais servigo de urna
casa; uma crioula de 26 annos, que engomma,
coso, cozinlia e lava de sah.lo ; uma dita de nagSo,
de 40 annos, que cozinlia, lava bem e vende na ra:
na ra das Cruzes, n. 22, segundo andar.
Vende-se a venda da ra da Cadeia do Rccife,
n.8, com poucos/undos, e mesmo para outroqual-
quer negocio por ter grande quintal e sabida pe-
lo mesmo para outra ra : a tratar na mesma.
Vende-se um cavallo de linda cor, bem gordo,
livro de achaques muito novo bom carregador do
baixo a meio com bons e novos arreios, ou sem
elles : na ruadaCloria, n. 26, das 6 as 9 horas da
manlia ou at as 4 horas da tarde.
--No armazem do Braguez, na ra da Cadeia ,
vendem-se superiores saccas de fardo de Lisboa ,
e ditas com nozes por commodo prego.
O BA11ATEIUO.
I\a nova loja da ra do Cres-
po ao p do arco de 8-An-
louio u.4, de lUcardo Jos
de Freitaa Kibeuo,
vendem-se casimiras a turca de uma s cor, fa-
zenda inteiramente nova empadros e qualidades,
e quetem uma elasticidade que se mo enconlra
I nessai outras casimiras vulgares.sendoestasapplau-
siveis tanto para caigas como para excellentes pa-
litos por terem duas larguras eo seu prego ser
4,000 tfi. o covado e o corle de caigas 7,000 rs. Igual-
menla lia lencos de 3 ponas de cambraia com cer-
cadura de cor e palmas bordadas, proprios para
pescogo de senhora a 120 rs. cada um ; cortes de
cambraia adamascada, de bonitos padrOes e com 7
varas, a 4,000 rs.; ditos de cambraia com listras as-
sclinadas brancas e com 7 varas, a 3,500 rs.
' Vende-se um moleque de 8 a 9 anuos, crioulo,
sem defeito por mdico prego : na ra Velha, so-
brado n. 18.
Vendem-se 4 pretas eom.algumas habilidades;
um pardo do 18 naos, proprio para pagemi "m
Escravos Fgidos.
DAO' -se 50,000 RS. DE GRATIFICACAO'
a quem levar ra dos Latoeiros, n. 66 um mole-
que que ugio no dia 26 de abril, de nome Malheus,
eque tambem responde por Monteiro, de 14 a 15
annos, denagflo Angola,furo; tem orelha turada; he
lustrador e empalhado% Tambem se proceder com
todo o rigor das leis contra quem o tiver acoitado ,
para se haverem 1 /rs. diarios. A pessoa que o levar
a casa cima rereber a dita gratificago.
Fugio, no dia 28 do correte, o preto Rufino,
de nagilo Congo", de 40 annos pouco mais ou menos,
de estatura alia, corpo medio, cor fula, olhos gran-
des, nariz e bocea regulares barbado ; tem uma
perna cambada c um braco desdo o colovello al
a mito quasi branco. Rdga-se as autoridades po-
liciaes e capilfles de campo, que o apprehendam o
leveni-no a ra da Scnzalla-Vellia n. 98, que serflo
gratificados.
Fugio, no dia 26 do corrente, a escrava There-
za crioula de boa estatura, seccodo corpo, olhos
grandes e vivos, heigos grossos denles alvos o
bons, de 24 a 26 annos pouco mais oo. .nonos. Quem
a pegar,ou souber a casa onde ella est- acuitada
baja de participar a rua-da Aurora', n. 12, quesera
generosamente gratificado.
I).\0"-SE 100.000.RS. DE CRATIFICACAO.
Fugio, ou foifurl^do, em 27 de selembro de 1844,
um moleque, de nome Carlos devendo ter hoje
15 para 16 anuos, robusto e cheio do corpo, com
uma belida no canto do olho direito e com urna
marca do ferro pert do peito dircito.que pareco ser
AF, e contra-marca por baixo dcslasletlras,que nilo
se pode bem distinguir : falla anda muito pouco ,
por isso com esles signaes bem fcil he de ser co-
nhecidade. lloga-se a todas as autoridades o capi-
tes de campo que o apprehendam e tragam a osla
tvpographia, que recbenlo 100,000 rs. de gralii-
cagfio e se pagario todas as desunzas.
Fugio, no da 16 do prximo passado a preta
Marcellina ; lovou vestido do chita rdxa e panno
da Costa ; he bom ronhecida por leras peinas tor-
tas ; consta ter ido para lN'azareth com urnas pretas
boceleiras : quem a pegar leve-a ao pateo do Parai-
zo, n. 20, que ser recompensado.
PlUt.: NA TXP, DE M. F. DK FAHU. 1847.
)