Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08776

Full Text
! A uno de 1847.
Tersa-feira 27
I n til ARIO- nuhlica-sr'lr.dos <" Ia' "s
. mi.H, : o |.reco d. BiSntiirn he de
m'1" e R -,,-rlel lu:.'"* nrlantadns. Os n
"""" I' r,M"nW. omsen.lns r.,to ,1c
nuncios "". ".,., rn upo dillirentc, e as
'" ". C, D nct "'e quo .,:.o f ren ss -
.pebtoe* P rJ (101. ,,,,., e rea ei.i Ijpo
Til ASES DA LOA NO MEZ. DE ABRIL.
,. .8 os ">'' J rd*-
Mineante, 4j 4 |iBrM e mjn ,, min|;,,
l.ua no. g ||0ri)1 ei, ,;. d, Mbhb.
Crscene."12'"
Lllchci,,n>**
PART.-) \ DOS CRREIOS.
r.o!nnjt Parliyha, as settiindssesMlas feiras
Hio-tlmirle-ln. Norte quimas feoas aomeio-Hia.
'abo, Serinliitem, Hio-Knrmosn, Potlo-Lal.'o e
Macelo mil,', II eii dcada mez.
liar iliuns e ttonito. a 10 p 21.
Boa-Vista e Flores 13 e J8.
Victoria, as quintas feo as.
un ma, lodos os das.
Crescente, a ^ --# (( jloraf e 5 mB. di tarde.
PREAMAd DE HOJE.
Pritncii-a, 2 dora ( minutos da larde.
Segunda, i i dora e 10 minutos da manha.
de Abril-
Ann XXIII.
N. 94.
DAS DA SEMANA.
26 Sezunda. S. Clarencio Aud o J dos or.
pl,3os, do I do c da 5 v. e do J. M. da v
27 Terra. S. Turibio. Aud. do J. do cir. da I
v. e'ilo I Je t>ax do 2 28 Quarla. >. Aaap'to. ..ud do ) do civ.
ia I r e do J. de paz do 2 dist de t.
29 Quima. S. Mugo Aud do J. de orph.,
edo i. municipal da I vara.
JO Sesta. S S pina Aud .lo.J. r'ociv. da I.
v.edoJ de pat do I. <1it. de t
1 Sabbado. S (Jrencio. Aud do J do civ. da
I. v. a do J de paz do I dist. de 1.
2 LlomioRO. S. Atbanazio
CAMBIOS ISO DA 2S DE AOKIX.
Cambio sobre Londres de 2 a 29'/, d P- U n
t P-rullbrs por franco.
T,iIkib 95 dr prendo.
Desc. delettra de boas f.rm-s I '/, p.%
Ouro-O,.cs l-espanliolas.... S-vio
Mcedas de Bf.nn vell.. ItlM0 a
so mes.
MMNI
IsJiOS
IC|0"0 a Ili|;OH
Pinna a tu"
j-)iu a .">'
2"I0 a 2|20
ifttflO a 1|T"0
11900 a 14920
Ac'cmdaoonip.do He'ue'ribede 50f000 rs.ao par.
MOV .
* .de 4/000.....
Prala Ptc6es ...
Pesos coluinuares. ..
i) Ditos mexicanos...
Miuda
DIARIO DE PERKfAMBUCa
_ EXTERIOR.
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PERNAMBUCO.
Lisboa, 12 demarco de 1847.
Va reunan que leve lugar no da. 9, tos accionis-
tas do banco de Lisboa para alteraren) os nrtigos 20
0 21 do decreto de 19 de dezembro de 1816, que trata
do curso Coreado das notas, decidio-se quo, desde o
j o ,io abi I proxhi o futuro m diante, todos os pa-
gnrr.entnssc fizossem metade em papel c tnetade em
metal sendo as notas recebidas em todas as trans-
nrefles s em melado da totalidnde dos pagnmentos,
como era o antigo papel-moedn. Esta dcliberacllo,
devida s instancias e influencia do actual ministro
,|i fnzcndn, o CondcdoTojal, he um verdadeiro bem
para o nosso precario estado financeiro e monetario,
porque realmente o agio das notas ia subindo de urna
maneiro espantosa, eos clamores eram geraes. Fe-
lizmente do I de abril em dianto so se perder me-
tade do quo hoje se perde, o que he una grande van-
tacem.
Entretanto o agio das notas acha-se acltialmente a
1,600 ris, o queunsquerem altiibtiir medida a-
cima mencionada, visto que, segundo elles, desde o
1 o do abril em dianle as notas serflo menos procura-
das; porm esta bypothese nlotem grande funda-
mento, porque coeorrendo niais metal no mercado,
niais crdito ter o papel, ealm d'sso o amigo pa-
pel-moetla nunca esleve a mais de 20 por cento, as
grandes clises.
Oulros, que parecem melhor informados, dizem
que o augmento do agio das notas provm de no se
terrealisiidoo einprestimo de 1,000 contos, em In-
glaterra, como se esperava; efundam-se para as-
segurar isle, n'uma correspondencia escripia em
Lisboa, por um tal Hughes, partidista do actunl go-
verno, e transcripta em um dos nmeros do Times,
em que diz que emquonto o meio circulante em Por-
tugal forem as notas em que se perde 30 por cento e
mais, c que a junta do crdito publico se veja na im-
possibilidado de fazer frente n esse desfalque para
salisfazer os dividendos estrongeiros, pouca proba-
bilidailehaver de que os capitalistas inglezes con-
sntain em fazer um emprestimo 13o avullado.
Todava espera-se que eom a nova medida o nosso
estado financeiro e monetario tome um aspecto mais
prazenteiro, e se destruam militas difneuldades que
boje se apiesentain para restnbelccer o crdito.
Tecm continuado a correros boatus de terem en-
trado os.revoltosos do Alcmtejo, sob as ordens do
conde de Mello.^m Estremoz, aprisionando o gene-
ral Salazar, e totras os dcmnis que alli se achavam ;
porein lacs boatos ainda niio seconflrmaram ofllci-
almenle.
Tambemse tem dito, que as freas'da rainha esta-
vam atacando Evora ; porm igualmente esto rumor
he infundado, porque o IWap'o annuncia quo as fr-
cas liis doAlemteio, sob as ordens do barilo da Foz,
fCilCiiedcsCprreia)iam cm perseguicHo do conde
de Mello, c da sua forrea que se achava etn Porlo-Ale-
gre, lsto d o entender que os revoltosos do Alcmte-
jo fa/.ein um niovimenlo para a Bcira-llaixa, como
ja Ihcannunciei, para (lanqucarem o marechal Sal-
tlanha, ou para vir Sobre Lisboa, se os dcixareni.
Tambemse verifica a exonernefio do.visconde de
Setubal (Schwiilbach;docrmmando das forcas liis
do Alemlejo. Diz-se que dla parte, de dcnle ; e rol
substituido pelo barilu d Fon, que alinal setnpre se
resolveu a aceitar aquelle commando. A-inudanca,
segundo as pessnas ententlidas, nflo he vantajosa ;
porque Sehwalhnch nflo ser un hbil general, po-
rm lie tim militar va lente c decidido, e o barao da
Koznilo possuc nem urna ncm oulra cousa. Enlre-
lanlo lalvczseja feliz as suas opeiaQes, o quahe
bastante.
O Diario d-nos como quasi pacificadas todas as pro-
vincias, e submellidas ao governo da rainha. Diz
que lo.lo o alio Moho esl6 socegodo, que Casal mar-
i'liou de Vianna, e oceupou Braga c Guimarfles,--que
a columna do coronel Lapa se reuni a .lo conde ue
Vinhaes etn Amaraiite,-quc os povoa eslflo tleci. idos
a repcllir a rcvolla, etc. Oxala qu isto seja ver.la.le,
e que a paz se reslabelec.it cm breve Porm o Dia-
rio temase ronlradito tanta vez que da dircito a du-
vidor-se do que diz, quando nflo he offlcial. No mes-
ma f.ilha em que d lilp auslas noticias aprsenla a
scRtiintecntradiccno. Diz-se que porcnrtas.lt 01,-
veiru de Azetneis do dia 5 se sabe que Cezar do \. s-
concelloscllernardino se rclirartm para "'orlo,
e mais abaixo annn.icia cartas do Porto do MfjU
quaes nao confirman, esta rclirndn. Alm (InBO cons-
U, por ouko lado, que Povns salan, do Porto .rom
1,200 homcns,parafl Alto-Minbo, c parece que nflo
haviam sahir uns e retirarem oulros. ..,.
Segundo o Vacona/ do Porlo, a junta cnviou ao
marechal Saldanbaum parlamentario para ll.e de-
clarar que ia usar de represalias e.nCon,^cnw
do que leen pralicado as tropas ta r'nl.a,enlAfen -
la, com aguerrilha alli aprtbendi.la, na Malhada,
cun a guirtilha de Campos, cemoutras parles, Ti-
zilandoos prisionciros. Dos que.ra que lal res.olu-
cilo se nflo levo a elTcito, porque o tal sj stema de i c-
nresalias s he digno dos cain.ibacs.
A mosma junta decreta recoiihccer os postosaos
ofliciaes do exercito miguelisla, que se apresentarem
no Porlo, al 15 do correntc, os quaes serflo enlloca-
dos na quarta seceflo do exercito, eom o so do da
taiira de 1790 : podendo paasar efTecliviuado se 0
n.ereccrem pelos servicos prestados causa nacio-
""jiz-sc que o visconde de Azcnlia'ja est feito con-
de pela junta, e que partir para Guimaiucs, a levan-
tar ...ais genle en. favor da junta, lo ollanlo ja
ler org.uisado dous bal.lbOes. O U.I iMoiide. ou
conde, Ue o mais rico propnetano deGuimrfle,e
das victorias de Torres-Vedras, de Val-PassOs o de
Braga ?
He porquo conhecou qno nflo tem recursos para
acabar eom a revolta, e quo som elles nflo podo con-
tinuar a "guerra, lio porquo receta que com a ap-
proximaQflo do hom lempo as massas tas provincias
se subleven novamento, e porque, segundo consta,
a 'nglalcrra nflo emprestar um real, sem quo a
guerra civil se acabe de prompto.
Occrto he que so tem ouvido.dizcra cerlos ngii-
res do funccionalismo, que le preciso acabar de
prompto coma presento lula, senflo ficamos loaos
ilesgracatlos; -que as pecas olllciaes ja o mov men-
te o Porto nflo he tratado de rebclliflo, mas sur. de
suhteranio ; -que el-rci I). Femando e seus filhos ha
tliasrruesapparecemcm publico paisana,.ieixanm)
o trajo militar, o que be indicio de inlent;0es pacin-
cas;-o que o mesmo Diario nos seus artigosde lun-
do tem empregado ltimamente urna lingoagem me-
nos irritante, e mais conciliadora.
Assegtira-sc tambem que o convonio tom siuo
aconselhado pelos ministros inglez, francez o hes-
panhol, nesta corte, sobro todo pelo ministro m-
clez. Parece quo lord Seymour trouxera instruc-
ZZZ&^ZSX ?oes terminantes, a es.e rcs\,ilo do sen governo e
mdoereto concedcndo aos sol- que tem empregado todos os esforcos applanatlo
todas as diiiculdadcs para o levar a elieiio.
Ullimamcnlo enviou um briguo de guerra inglez
ao Algarve, para saber o estado em que se achava
aquella provincia, ese a junta provisoria obedece-
ra junta do Porto. O brigue voltott o trouxe a
noticia tle quo a revolta vigorava em raro, i.agos,
Tavira eOlhflo, e que a junta governativa soguera
o exemplo da junta do Porlo.
Pcrguntan.lo-so a um dos principacs conteos aa
agiolagem o que havia de novo sobro convcn?flo,
este responder, que, estando ltimamente com o
ministro da fazontla, nada Ihe dissera a este respci-
goza de grande influencia naquella villa o seus con-
tornos.
Parccoquono exercito do marechal Saldanha rei-
na urna febro typhoide, que j tem feito rnuilas vic-
timas. Em consequencia listo partiram do Lisboa
para o dito exercito uns 10 ou 12cirurgi0es milita-
res, para prestaren, auxilios aos atacados.
Assegura-seque no conce'ho do ministros so susci-
taram algumas difllcnldades sobro a publicaeflo do
decreto, para sabirem os peridicos coiq censura
previa. Entretanto parece que o tal decreto scinpro
se promulgar por lodo este moz. Falla-seda sahida
do visconde dc-OHveira do gabinete, o da entrada de
Rodrigo da Fonseca Magalhaes. He certo que este
estadista frequonta, ba dias.as secratanas de estado.
tava de urna convcncflocom os revoltosos do Porto;
mas ajuntava-so que elles nflo queriam annuir s
eonil ie'oes proposlas. Entretanto, islo nada mais sflo
to que boatos.
Segundo se diz, tom-se querido mobilisar o bata-
Ihflo'do Arzenal das obras publicas, denominado
tapadores nacionaes; mas parece que so tem opposto
a isso, nflo querendo sabir tle Lisboa. Talvozcoino
fim de tentar o sou iuteresse, se publicou no Diarir
do antes de bontem um decreto concedcndo aos sol
dados de segunda linha o mesmo sold e vanta-
gensquo tem os da priinetra andando etn can panba.
Aos ofliciaes sflo concedidas as mesmas vantagens, e
todas as maia que j gozam.
Nada se sabe do brigue Audaz que transporrou a
seu bordo os 40 prisione ros de Torres-Vedras. Pa-
ra a Madeira, parece nflo terem ido, vislo baver-sc
recebidoj noticias dalli que nada dizem alalres-
peilo, apezar de terem lempo de l ehegarem. Pa-
ra Angola ou Cabo-Verde tamben, parece que nflo
foram, visto aaexplicacOcs quo houve no parlamen-
to inglez, sobre este assumpto, explcateles que o
Diario transcreveu, dizendo que la fura se fazia jus-
ticia humanidad"do governo. A nflo se tor revollado
a guamieflo do brigue, e dirigido o sen rumo para
a ilha de San-Miguel, ou para oulra parle, supne-
se que furam para as Ibas das.Flores, ou para a Ter-
ceira, donde ainda nflo houve noticias.
O pilo contina a encarecer en. Lisboa, e o seu
pi eco he boje de 50 rs -cada arratcl. Recea-se urna
fomo, em consequancia .le que na Grecia donde
coslumova a vir muilo trigo, tambem esto auno hou-
ve falta delle. Felizmente as futuras colbeitas apre-
sentam um aspecto mui lisongeiro.
dem, 14 de marco.
Publicou-se o decreto que di?, respeito nova for-
ma tle pagamento, que .leve combar a veriflcar-se
tlesdeo 1.? de abril en. diante. As notas do banco
s serflo recebidas pelo seu valor nominal en. meta-
dle dos pagamentos e IrnnsaccOcs, c a sua amorlisa-
rflo scr-dc 50 conlos de ris por mez. Para corn:
pensroste sacrificio do banco o goyerno einittira
2,400conlos'de inscrpertesda juntado crdito pu-
blico, com o juro de 5 por cenlo.
prejiidi, ...
ces pois que cstas,aehando-se hojea 40 ou 4', bai-
xarfl'o a 30, logo que se lance no mercado una
quanti.lade tilo grande de papelada, quando este se
arha abundante desle genero de merendona, e ha
poucos mcrcadores. Todnvia a medida nflo pode
ser vantajosa.para todos-, mas nflo deixa de o ser
reconhecidamenle para a maioria, o os mesinos pos-
suidoresde inscripcOes se perdem por um ledo uo
valor que estas Icen, no mercado, ganhain pelo ou-
Iro vendendo-as (so as quizercm vender) por urna
forma de pagamento menos lesiva, ou repeliendo,
nessa nicsn.a ri ma do pagamento, os seus juros, os
quaes at agora s rccebiatii ou receberiam em no-
las, com urna perda considerabllissima.
Publicnu-se lambem outra carta do lei, mandan-
do admitlir os cerones esltangeiros pelos portos
seceos, assim como j foram mandados admiltir pe-
los molhados; o um decreto sentando do paga-
mento do direilos de mcrc. a todos os agraciados
inililares que o tenham sido desde a ultima subleva-
(3o do Porto.
O governo, para chamar s fileiras soldados ins-
Iruidos, perdoou a lodosos que sejam reos del.'e
2 desereflo, sendo-lhc trancadas as iioIbs tle lal
crimo, se pela sua conducta, servicos c fidelidad*
assim o merecerem.
As noticias do Alemlejo annunciam que as frcas
populares do commando do eondo de Mello, anula
se conservan, em Portalegrc, ci.lade do muitos re-
cursos, e guarnecida de muralhas. O barflodal-oz,
coma sua columna, eslava vista da cidado, mas
ainda nflo havia tentado nenhum ataque.
Do norte apenas se sabe, que o coronel Lapa re-
tirara de Villa-Real, fgido ou batido pelo generar
Cuedcs, commandauto das frcas revoltosas que.
so achavam na sua frente. O exercito do tnarcchul
Saldanha conse vava as mesmas postos.
Parece que o rumor de urna conveneflo entre as
duas frcas beligerantes tem algum fundamento.
Diz-se, que este desenlace tem apologistas no paco,
no ministerio c no exercito, sendo um dos pnmei-
ros o marechal Saldanha. M:.s, como he que um
governo,que desde oulubroat hoje leni feito dizer
na sua folha ofncial,quc com os revollosos.ou rebel-
des nflo haveria tran.sacgflo,-que os tem tratado com
lodo o rigor descompondo-os, exautorando-os, .le-
lo ; porm que o governo eslora agora mais que nunca
disp,'slo para esse arranjo. Disto tem alguem dedu-
TidoqueelTcclivanienleso tratado convencao, mas
quo os agiotas nflo querem dar frca a ossa noticia,
com o fim de comprarem papis to cretino, o vc-
rem se lucram alguma cousa.
F.ntrctanln nin;uem detxa de considerar a conciu-
sflo do convenio como cousa, se nflo impossivel.peio
menos diflicillima, so nflo bouver de una o oulra
narle a melhor boa f. Conciliar tantas opmiocs,
tantos inleresses oll'endidos, harmonisar os nimos
tflo assulados de urna e oulra parte, Prec.e-nons11u'n
trabnlb.i insano o intil, so a ello nflo presidir a mo-
leracflo e a p.udencia. He natural quo de unja e
nutra nartesc apresenlem condit0es inadmissivcis.
nrte do governo de Lisboa hilo de querer conce-
do lado dos revoltosos, as massas
,1a junta do Porto, apoiados pelos grandes proprle
Itriosdoi-aiz, que eslflo ao seu servico, c l'0JP*
tit le linba? so o governo de Lisboa re.nleerar
,le novo nos seus postes O""""^.-"^"
rn una elcirflo de depuladoslivre.-si
exista an-
t o.los
garantas pa
Seriara legislacflo para n imprensa quo exisna ..-
es da reacfflo tle 7 de outubro, se proscrever os Cn-
raes,-e tornar de novo elTectivas as economa, de
.uasl 2,000 culos que se linbam feito depi da t-
v'oKflo do Minho, a juila por certo aniuira a esta
C0iz-'seaque, no caso lo convenio presentar algu-
mas dimeiildades invenciveis, enlrarflo pela ra.a al-
^"Sares de Hespan.raes. e virflo tan, em L.-
dividendos, emponhando sommas superiores ao ca-
pital daquelle estabeleeiment.
A creaeflo do caixas filiaos do banco, no Porto, em
Coimbra, Visen. Evora e em futras eidades, sera um
grande auxilio :bnvendo a conveniente prudencia)
para a lavotira, industria ecommercio. .*
A junta do Porto contina a lanc.ar mflo de totlos
ns recursos pra so sustentar. Segundo se afllrma,
acaba de re.lnzFc a dozo mil ris mensaos, em prala,
todos os sidos o ordenados dos que eslflo ao seu
ler vico, c mandnucunhar moe.la deouro, prata, co-
bre o bronze. A casa da moe.la do Porto ja tem cu-
nhado alguma moeda, na qual se v de um lado as
armas rcacs, e em volla Junta suprema do Porto-,
edo otilro entre duas palmas-heos salvo a nacBo.
Teem-sc apeado alguns sinos para fazer dinheiro.
Corro a noticia de que o marechal Saldanha olll-
cira do seu quartcl-general de Olivoira do Azemeis,
tlizendo que ia emprehender m movimcnlo; porm
ignora-se para onde. Ajunla-equo.annunciavs,quo
talvez nflpoderia olllciar ao governo por estes Ires
ou quatro dias, em consequencia da sua marcha.
dem, 17.
Chegouante-hontom o paquete, do norte com noti-
cias do Porlo at 19. l'.spalhou-so logo noilo no
ibcatro de San-Carlos, que o conde do Casal linha si-
tio balido pelo barflodo Almargem, cobngado a re-
fugiar-se no territorio hespanhol O Diorio de bon-
leui alludio a osla noticia; porem contradi-la di-
zendo que Casal (izera a sua junesflo com Vinhaes e
com Lapa em Mondini-.le-Ilasto e eomceara as suas
operaees por Arcos-dc-Val-dc-Vez. .
lima caria do Porto de 10 do emento diz que o
barflodo Almargem (hoje conde por mcrc da junta
do Porto), com a sua divisflo composta decacadores
2e7, infantera 2 o 12, cavallaria, laneeiros oarli-
Ihara, eslava esperando o conde do Casal, que pre-
tendi passar a Tcas-os-Montes. Que os populares
Buarneciam a linha do Lima. Que a columna tle
Cuedesostava alm dolamega; cquo a frca do
conde de Vinhaes fra batida na Regoa.
nutra caria do .lia 11 di/, que entrara all o major
Joaqun. Narciso (irmSo doconde das Antas) oaju-
danle de ordens do barflodo Almargem, e que an-
niinciara a entrada do Casal em Hespanha; oque o
Almai-geni reclamara logo das aulorulades hespa-
nliolas o tiesa.-niaiuonlo daquclla frca. Ajunta quo
a guarnieflo do Vianna se rendra, e entrara pristo-
neira no Porlo. Em consequencia destas duasoecur-
rencias lisongeiras para a causa da revolta, bouvo
n'.uiio vivorio no Porlo, foguetes o luminarias.
O marechal Saldanha linha feito avancar ate ao
Carvoeiro una brigada compossa de caladores n. 1,
inlaiiiaiia 1 e cavallaria, a qual engajou um liroleio
com a artilbaria da inargom direila do Douro, ecom
a calumna do bario de Freamuuda (o general migue-
lista Bernardino.. A'nolc foram reforcadas as tro-
pas de Safdanha ; porm, leudo sabido to Porto o
conde das Antas, frente do duas columnas, as tro-
pas de Saldanha retiraran! novi.menle para Oliveira
de Azemes, e o Aulas regressou ao Porto.
Diz-se que o general Povoas sahira tambem com
3:500 homens; mas ignora-so para onde.
Parece que a junta do Porto mienta embarcar tro-
pas para alguma expedido. Para islo eslava arman-
do cm guerra varios navios mercantes que all so
achavam. Em Lisboa receia-se quea expcdiQflo so
dirija aos Algarves; e por isso no arsenal da mari-
nha se rocebeu ordni para armar vanos, naijjps do
guerra, e envia-los para a costa do Algarve.
A mesilla junla continua a laucar inflo de lodos
glezes, para
re
obrigarpela frca os partidos a cede-
mos, oulros expairiudos, oulros expostos ao
Chambo o ao ferro desUuidor.rar esquecor os odios
e as dssencoes polticas, e todos os j^^ezes
amigos da sua patria, c do llirono constituciona
rainha, se congralularflo mutuamente.
Diz-se que a junta do Porto tirou a companlna
Alto-Douro mil pipas de vinho.-lle mais utnt
arbitrario quo ihe tirar mullos partidarios.
da
do
acto
os
dem, 15.
Parece que he falsa a noticia da entrada de tropas
.lspanbolas, o da viuda do frcas inglozas. para o
arranjo do convenio, quo continua a ser o thoma de
que todos sooccupani. Diz-se que aquel e rumor
Tora cspalbado pelos exaltados do partido domi-
nante. .
O agio das notas tem diminuido alguma cousa,Hal-
lando de 1,600 ris a 1,500 ris. Assegura-so que se
tcem feito grandes IransaccOes cm papis de crdito,
com a esperauqa de ganhar, logo que se reslabeleca
Segundo se allirma.o ministro da azenda declarou
xiuc o decreto do 10 do marco, qtiecslabclecou os pa-
gamentos metade om papol o mtodo em melal, lie
precursor de outras medidas para acabar com as no-
tns do banco, logo quo baja paz, e o governo possa
dispr do recursos, e adoptar as providencias que
lhccumi.ro. Os Inglezes, com que o ministro vino
muilo. sflo unnimes cm declarar que lio preciso, a
cusa do t'odos os sacrificios, acabar com o curso for
gado da notas, pelas perdas quo causa ao pa.z tanto
tlentro como fra delle. Espera-se quo se procurara
azer com quo a an.ortisacflo seja a maior ptftiwl
Loqueas notas do banco de Lisboa desappacQam
lo mercado, ter enlflo lugar a em.ssflo das notas d.
"receram, eso
a coiiliantja da
meiospaii se sustentar. Clliinamcnle ordenou ao
director da caixa filial do banco, que Ihe enlrcgasse
todas as letlras que possuisse assiguadas, sob pena
de priado e do una mulla de 3 cont do res. Diz-so
quo ajunta quoria negociar essas letlras com o des-
cont do 50 por 100. Em consequencia disto, o go-
verno de Lisboa publicou un decreto julgando nui-
los todos os pagamentos fetos ajunta destas letlras,
c responsaveis aosnovos pagameutos todas as pes-
soas envolvidas neslas transaeges, logo que se res-
tabolea o legitimo governo. ,i,,om
Estes e oulros procedimentos da junU Ibo tcem
allienado os nimos de u.uilos propnetarios o com-
mercianles ; o no Porto j tcem aparecido proclatna-
ces contra ajunta. Parece tambem quo oxislem al-
gumas desintelligencias entre os imembros dii junla,
nflo se acordando muito bem Sebasl.flo do Almeida
eBritoe Antonio Luz de Seabra com o conde das
Antas c Jos Passos; nem os Pintos Bastos com.os
Almeidas de Coimbra. ......'
O governo de Lisboa nomeou os tres vogaes nasa a
commissflo que devo fiscalisar a em.ssflo de, notas,
hpBra o rundo de an.o.lsacflo, cobrnnca d .prcala-
%&c. Os ..orneados sflo Jos Joaqu.mXoi.cs do
(tro mesideiilo; Jos Cupertino Aguiar Ollinni,
XSSBSSl A conimissflo deve comp6r-se
de seis membros: os oulros tros ha donomea losa
asscmbla dos accionistas do banco
Nada se sabe positivamente do Alemlejo..O iano
di -nos que os Revoltosos daquclla provine, foram
asZfe!?.sqdoeFlor-de-Kosa o AUor..o-Chflo. onderou-
harain cavalgaduras, calcado,
oiHndo^s o^le=o^ csU agora dispon a do merclo, terynl^ lugar a jgjj^-j--.
.....c .......ni __reslabeleca "nniiann i
SiS3HSslBs^s^
., coreaes o oulros ob-
, m.rm nao diz uuia palavra acerca dos, pon-
tos Ju oceupan. as tropas da rainha, commandadas
P(,Ho!temi'iurchou de Lisboa um contingente do 700
pracas de hulla ; c boje parece que mar.c'a.l"a':j>1r^
ca. Ksla Hopa comp6o-se de alguns soldados ve nos
apresentados, e do recrutas. As prisos para soldado
conlinuam com a mai or aclividade.
Tanibom nflo deixam de apparecer com abunaan-
cia proclaraaces conlra asconcussOescommelliuas
oci.i ex-min islro da fazenda Souza A2evedo, e sobre
I ludo contra Carlos Morato Roma, e seus consocios
N'uma que ltimamente aparecou, su
----.... o~...... i.aimilnu.
dizia i


fe


tinha retirado do governo bem fartinho com os 40
coritos prlo derroto da uniflo (lo banco a rompanhia
confianc ; com os 20 rnntns pelo aucmcnto (io pro-
co do tabaco, o pelas 5:000 libras esterlinas pela eho-
li>o das dcimas na divida externa ; que oiloixns-
sem ir al Ihc ohegar a sua liora ; porom que fic re
liorna e seus eonsoeins,que tinliam jurado chuparme
ultima pola desangun do povo, e que punham
quantos obstculos podiam no novo ministro da fa-
zcuda : que para liorna eram precitas obras enopa-
lavras, &c.
Diz-se que lord II. Seymour, ministro inglez nos-
la COrte, logo que soube da entrada do Casal em Hcs-
panha, enviara urna nota para Madrid, exigindn do
governo hespanhol a internacAo daquella frtrca,
Ces do Alemlejo nada se sabe, est so ignora onde
exislem as Mrcas leaes.
Poblraram-se varias remuneraQlesa diversos odi-
ciaes o sargentos o nutros i mi i vid nos pelos disti ne-
tos servieos qup pralicar.im as acc'es'de Torres-Ve-
dras, Val-rle-Passos, e tomada de. Almeida. Estas
remnneracOeseonsislein eir pnstos mlilarnseconde-
eoracOos das ordens de Torre-Espada, Christo e Nos-
sa-Sonhora-de-Concecflo.
O governo publieou um decreto prohibindo o cur-
so legal das moodas ciinhadas no Porto, e commi-
nando as penas da leaos que as apresentarem, co-
mo passadoresde moeda falsa.
O Diario de hoje diz-nns, posto que nfo official-
. mente, que o conde do Casal se acha em Tourem, no
para nao vir continuar a guerra civil em Portugal. Iconrelh de Monle-Alegre, mas n!o diz se regressou
mreiizmente vilo per.lendo consistencia os rumo-lde Hespanha.ou como chegou alli. Ajunte que no
|rpri.rC^"Vo"a^ntre08dou^,^rli,losbell^r81*" ,,i}itriplo 'e Villa-Real se goza.de socego, oSo obs-
tante terem apparecido algumas guerrilhas, que se
teem tiroteiado com as trapas fiis.
Tambem diz que os revoltosos do Alemtojo come-
cama desertar, por falta de viveros e que o horno
da Foz ia oceupar Alter-do-ChTo, com a sua (rqn,
em oonsequoneia de ter sabido de branles o coro-
nel Caldi-ira Pedrozo, na dirocclo de Certa.
O agio das notas tem subido ha dous das, o echa-
se a 1,850 rs.
EXTRACTO DOS JORNAESINCLEZES.
A rainha Victoria e o principo Alberto, com a real
familia, tinham partido, a 20 de fevereiro.do
tes. Parece que, se houve essn ideia, se a presentaran)
obstculos insuperaveis. Entretanto no Porto corre-
rn) os meamos boatos ; e o Timei de 28 de fevereiro
allude a esso negocio, dizendo que o coronel Wile
esperava no Porto novas instruccOos do seu gover-
no; masque ja seiir.bam cntabolado negociares
sobre nassumpto em quslilo.
O governo aiigmentou com maisquatro o nume-
ro dosmembros do supremo tribunal de justica,
para melhor expediente dos negocios.
Os carlistas cm llespanha continuam a dar algum
cuidado ao governo. Parece que Tristany, Zorrilla,
Muchacho e oulros cabecillas, apoiados por uns cen-
to e tantos ofliciaes, fgidos dos depsitos de Franca,
invadirn! a Catalunha, e teem sublevado alguns po-
vos, roudando os cofres, &c.
A nomeacao do general Jos de la Concha para
capitflo-general do Araxflo, parece indicar que se re-
ceta alguma consa no Moutrazo.
0 pretendenle hespanhol contina em Londres
sustentando urna activa correspondencia com os car-
listas do Hespanha. Tem a seu lado Cabrera, Villa-
real e oulros generaos, promptos a marcharem para
llespanha, logo que se I lie aprsente occasiflo oppor-
tuna.
Com magoa sabemos, acrescenta o Globe, de
ndubitavel autoridade, que Mr. O'Connoll nlo soso
tem tornado dbil do corpo, sonflo que o seu espirito
se tem abatido em sumnto grao; e que a conviceflo
da approximacflo da sua morte, de que se diz estar o
iloutocavalheiro fortomentc impressionado, pouca
esperance deixa do seu restabelocimento. Os amigos
ntimos e paronles do honrado e sabio cavallieiro
oxperimentam as mais anciosas apprehenses quan-
toaoseu resta baleci ment, cteem ponlido todas as
esperances lo quo elle torne a tomar parte nos ne-
gocios pblicos.
Lc-se no Times de 10 o segunte:
S.-l.eonardo, 8 de marco Mr. O'Connoll che-
gou a Hastings, sbado i tarde (6), e mandou im-
mediatamente procurar o Dr. Duke. Este nao o jul-
ga no perigoso estado que as gazetas annunciam,
mas oxtenuado pela influenza, mullo nervoso e aba-
tido.
IIIMI HE PER.VA1BBC0.
I>e I). Miguel nada se diz. Parcccque este pretep-
dento, logo quo chegou a Londres, se desenganou do
mao estado dos seus negocios em Portugal. Acredi-
tarse que a Inglaterra nflo Ihe dar auxilio algum di-
recto ou imlirecto.
O governo hespanhol apresenlou s corles dous
projeclos de le: um para conlrahir um emprestimu
de 200 nilhOes de reales; outro para augmentar o
exercito com 50,000 homens.
A conclusilo da guerra civil em Portugal dar ao
governo hespanhol a vantageni de poder dispr das
tropas que formam o cordlo militar na raa de Por-
tugal; o cmprega-las em desbaratar as guerrilhas
facciosas da Catalunha, c dos oulros pontos onde
quer queaparecain.
Coniecha fallar-se da impossibilidade da rainha
de Hespanha tersucccssflo, mas nflo se diz se a causa
provemdella, oudcseu marido D. Francisco de As-
sis. A diplomacia agita-se em llespanha. especial-
mente Mr. Bulwer, ministro inglez, por causa do
temor que Ihe inspira a subida do duque de Mont-
pensieraollirono de San-Fernando. Por em quanto
os rumores sflo vagos; mas lalvez tomem incremen-
to em breve. Diz se que i rainha ClirstinasahedeMa-
dnd. O governo hespanhol publieou urna le org-
nica de ni ye tul,i.
dem, 18 de ranreo.
Hontem pela manhila chegou a esta capital o ma-
jor I) Miguel Himenes, ajudante de ordens do duque
de Saldanha. O governo ja sabia, haviam quatro das,
da ehegada desto eiuissario, pos Ihc tinha sido a-
il u nejada telegrapliicanienle pelo niarechal; e parti
daqui uina escollado cava liarla a espera-lo a algu-
mas legoas de distancia.
Logo depois da ehegada de Himenes, espalhou-se
o rumor de que vinha eucarrogadu da conclusilo do
convenio; porem este boato nflo tomou consistencia,
c suhsequentemente leem-se dado differenles verses
ao objecto da viuda (leste oflicial superior. Segundo
uns, veio em cnirsequencia delereni chegedo um co-
ronel e dous offieiaes hespanhes ao quarlel-general
le Saldanha,.com proposlas acerca da entrada de Ca-
sal em Hespanha, o dcsarmamento da sua forc; ou-
lros pretendom que venha cncarregado por Salda-
nha de participar ao governo, que lie preciso pedir a
ntervencflo cslrangeira, pata acabar quanto antes
enm a revolla; outro-, queeslaconcluida a compra
lo varias persoitagens revoltosas para a entrega do
Porloflp quellimcnes vem buscar o dinheiro; ou-
lros, que veio annunciar a morlo de Saldanha, que
suecumbtra do typho; e finalmente que, acha mi-
se gravemente enferma a mulher do mesmo Hime-
nes, aleancra I i cenca para a vir visitar.
Tudo isto sflo conjecturas, porque uinguem, a nao
ser o governo, e os a elle mais chegados, sabe com
certeza o objecto da vinda de Himenes. O que se sa-
be he, que elle foj portador de cartas do duque de
Saldanba para SS. MM. a rainha o el-rei, e suppe-
se que o objecto da sua missilo he importante, e nflo
satisfactorio para o partido dominante, do Dual os
partidarios exaltados nao so mostram prazenteiros.
Veremos o que o lempo manifest a este respeito.
O Diario transcreve do Nacional lo Porto os od-
elos em que O conde lo Almargem participa ao con-
de das" Antasos movimenlos que fez em perseguieflo
do comiedo Casal, c que, tendo-so eslabolccido em
Moimenta, obngara o dito Casal a entrar etn Hespa-
nha, a cujas autoridades olliciara para a entrega dos
armamentos, muuicOcs e outros pertrechos do guer-
o Buckmgham pare Clermont, donde voltaram no
da 23 para o mesmo palacio; edahi passaram, a 3
de marco, com os principes reaes para a residencia
deOshorne, na ilha deWigbt, onde se dizia qie a
corle se demorara por espacn de tres semanas at
antc-vespera rio dia 25 de marco, no qual reunira S.
M. It a sua prmeire assembla ueste anno no pala-
cio de S.-James; depos do que se transportarie a
corle para Windsor, ondepassaria os lias santos de
Pescoa, (cando naquellecastello urna semana ou dez
dias.
Na casa dos lords, em sossflo de 22 de fevereiro,
leretn-se pele lerceira vez o passaram os bilis para o
usodoassucar as fabricas de cerveja edistillaces
Na sessao le 23, fez-se a lerceira leitura e passou o
bil sobre as pessoas indigentes da Irlanda, depois
de terem sido approvadas certas emendas, a elle of-
ferecides por lord Brougham.
Na sessao de 9 de marco, impugnou o conde re
Lucen e veracnlade de algumas das asserces (citas
no da anterior por lord lirougham, odesefiou-o a
declarar o nome da pessoa que o tinha informado.
Lord lirougham respondeu que tinha feilo assuas
assereflesdeuma maneira conveniente, equejicma
casa nem o nobre conde tinham direito de po-las cm
duvida;e que conseguinlcnicnto nada mais respon-
dera. r
Na case dos communs, em sessao de 22 de feverei-
ro, resolveu-seclla em commissao de meios pare dar
ao chanceller do exchequer occasiflo de abrir o bud-
get, o qual foi entilo volado.
Na sessflodo 24, ten.lo-se ldo pela lerceira vez o
l)iII acerca dos Irabalhadores pobres da Irlanda, e
depois de urna diseussao muilo breve e algum tanto
varia, propoz Mr. Wa(son a segunda leiiura do bil
para all vio dos cal holleos romanos, e fazeudo-o.ex-
poz minuciosamente o seu coutedo, e os principios
segundo os quees pedia casa que o convertesse om
le. L depois do bsver o conde d'Arundol dito algu-
ma cousa, egredecendo a Mr. Watson pela proposla
leste medida, e de urna breve resposta le Mr. Wat-
son, divdio-se a casa, achandn-se a favor de segun-
da leitura 102 votos, e contra ella 99.
Na sessao do I. do marco, len.lo-se resolvido a ca-
sa etn commissao de meios, levantou-se o chancel-
ler do exchequer, e depois de agradecer-llio a ben-
vola indulgencie, com quo o tinha ouvido n'outras
oceesiOes, declarou que.para satisfezers extraordi-
narias exigencias que Ihe cram feilas para soccono
da Irlanda no seu actual estado de penuria, tinha re-
ihir um emproslimo do 8,000,000 de
accn, 26 dz. Anmi, di 1M7,
Pelo brigue portuguez Tarujo-Primeiro, recebe-
mos carias do nosso correspondente de Lisboa, de 10
de fevereiro a 18 de marco deste anno
Como as de ultima data contem noticias mais mo-
dernas, preferimos a sua publicecflo, e reservamos a
das oulras para os nmeros seguintcs.
propor, para que hajamde comparecer por si, ou
por seus procu radores no dia 29 do correte, pe-
las 10 horas da mantilla no cscriptorio da compa-
nhia afim de se fechar o contrato em presenca de
todos. O secretario, B. J. Fernandes Barros.
COMMEftCIO.
Alfandega.
RENDIMENTO DO DIA 26...........10:485,003
Descarregam hoje 27.
Brigue Brichant carvSo.
Hiato Jtiliel farinha o bolachinha.
Hiato Boa-fiagem mercado'ias.
Ketch Adriano dem.
Barca Zilia-- menteiga.
IM POR TAC A O'.
Brilliam, briguo inglez viudo de New-Castle, en-
trado noeorrente mez, consignado a Me. Calmont
& V., manifestou o soguinto :
2l2loneladasdocarvaode podra;ao consignatario.
Adriano, ketch hespanhol, vindo de Malaga e Te-
nerife, entrado no corrente mez, consignado a JuSo
Pintode Lemos & Filho, manifestou o seguinte:
40 barris vinho blanco, 10 meies pipas dito, 40
Pipas vinho tirito, 1Q mcias pipas dito, 4 barris idem,
40 ditos azcite-doce, 10 saccas herva-doce, 23 fardos
alfezema, 70 caitas ameixas, 2 fardos cominhos, 800
pedrs de lagedo, 900 pesos, e lOOoncas; a Joao Pin-
to de Lemos & Filho.
192 barris chumbo do munieflo; a Nascimenlo&
Amorim.
Piihca^ao LiUerarta.
HISTORIA DEPORTUCVL, POR ALEXANDRE
HERCULANO.
OsSrs. que mais quizorem assignar para esta ox-
cellente obra cujo primero volumo j aqui foi
distribuido eos Srs. assignanles, pn|em dingir-.se
a ra da Cruz, casa n. 7, segundo andar. O segundo
volume deve estar nesta cidade at ao meiado do
mez seguinte.
Piiblfiifflo Geoo-raphica.
Aos estudantcs de geographja.
Acaba de sahira lu; nitUamenit impressa, a seguinte
brochura :
PROBLEMAS DE CEOCIIAPIIIA I'IITMCA K AS
TRONOMICA, por E. S. A., um volunte in 12.
He a soluc-lo pratica dos principaes problemas
de geographia terrestre e celeste, para facilitar o
esludo desta disciplina e preparar os esludaules ao
respectivo exame. Vendc-se por 1,000 rs., na li-
vraria de Santos & Companhia na ra da Cruz,
Na sessao de 4, propoz Mr. Hume quatro resolucOcs
espeito da Cracovia para a cessacao dos pagainen-
i bras.
Na
a re
tos (la divide conlraliida pera com a Russia' pela con-
vencao de 1831, em considrelo de acquiesceu-
cia daquella potencia asdisposicfiea geraes do Ira-
Sob proposla do Mr. Brollierton (icou o debate
8(11()(] O
Na sessao de 9, apresenlou Mr. Ewart a sua propos-
la pare total abolicilo da pena de morte : mas foi r-
jcilada por 81 votos contra 41.
Na sessao de 10, propoz Sir H. W. Barron a segun-
i leitura do bil da prisflo por dividas na Irlanda,
cujo objecto era assimilar a lei da Irlanda da In-
glaterra, e prohibir a prisflo de qalquer homeni por
divida inferior a 20 Ibs.
poisque o desejo
o negocio fosso deixado ao
em
um
O diarista, no seu artigo de. fundo, negn a veracida-
do desta noticia, sustentando que 0 conde doCasal se
reunir ao conde le Vinbaes, e que so acliava
Arcos-de-Val-de-Vez. Porem manifest isto de
modo que pode compronietter o governo, poig q
diz: que Casal em quanto conservasse as armas
poda entrar cm Hespanha por um lado e sabir por
outro! -- isto he pouco laclo poltico para um es-
criptor oflicial.
Poreinquanlooquese sabe com certeza, he que
casal cnlrou em Hespanha, porm sem quo houvesse
coinbalo algum; mas agora se cntrou de novo em
.^r8? ?u f0.' dtsarroado cm llespaulia he ainda
um relo duvidoso.
t"!?.mMmo iaT0 se faz meneflo do reconhecimen-
um0rSsSodOeAmi?etnldZfm ler Che8ado a ^
ora20 Ibs.
Depos de alguma convcrsaQilo.foi o honrado mom-
bro induztdo a retirar osen bil;
da casa pareca ser quo
arbitrio lo governo.
Na sessao le 11, depos de se tratar de urna ou duas
proposlas de menor imponencia, passou-se ordem
do ,1.a, continuando o debate a.liao sobre a oceupa-
go da Cracovia; o qual licou ainda adiado pera o dia
io uc m.iiiM r
O celebra Daniel O'Connel, o denominado libera-
dor .libertador; da Hiende, echefe de associacao dos
rjealers :revogado.es., achav-se gravemente enfer-
mo, e ha va senos rece.os sobre a conservaeflo de Iflo
pieciosa existencia I
fr'','0S C,'m silenci0 goiireiro.la muitosdia, re-
e do !ir T".' 27,"e fcvereiro <'!'",0 da *"-
,\l i.... <'""cll> so1' autoridade de urna carta
de Londres, em que confia o oigflo repeal, lamen a
prolu,,, ament ler recebido .%eno7a onl!5 o
do Z11'1" BC,ri" ,|Ue P'm", de quee sade
do lbe.talorachava-se tilo eriuinada.que se tornava
2S2ei'tfU r",-"elec.nonlo. total ec n
222S Uo?, "8''c.os pblicos. Dizia-se que o
ornado cavalhe.ro nflo tinha tido ataque algum ds-
tmclo; que a sua indispositflo era daquolta riaswi
que se pode capitular de prostraeflo geral, T,,ue s
seus mdicos recorran, antes a,, repouso e rea ric?a
uS'i0regm^n d0^ue m"lcina para e,
taurecno la energa phyica o mental que fonnava
iVaSHZu la pr0mine,"e a naturcM'da
Cera I..
Provincial ......
Diversas provincias
Consulado ^
RENDIMENTO DO DIA 26.
3914,208
1:826,760
79,955
5:820,923
Movimcio do lorlo.
Navios entrados no dia 26.
Baha, 10 dias, hiato brasilero ttoa-Fiagem, de 28
toneladas, capitflu Menoel Francisco dos liis, e-
quipgem 5, carga varios gneros; a Jos da Silva
Mondonca Vianne
Lisboa 28 das, brigue portuguez Tarujo I, de 233
toneladas, eapitflo Manoel deOliveira Feneco, e-
quipagem 15, carga vinho, azeilo-docco mais g-
neros; a Frmino Jos Flix da Roza. Passageiro
Jos Vicente Cala, Inglez.
Navios sabidos no mesmo dia.
Porto, galera porlugueza Tentadora, eapitflo Emigdo
Jos de Oliveire, carga a mesma que trouxe.
Rio-de-Janeiro, brigue brasleiroSociedade, capilflo
Jeron ymo Jos Tclles, carga gneros do paiz. Pas-
sageiros, Joflo Paulo Ferreira Dias, com sua fami-
lia, 1 sobrinhoc 2 escrevos.
Beba, Mala brasilero Tentador, eapitflo Antonio
Jos Barretros, carga varios gonoros. Passageiros
Jos Romualdo da Silva, Carlos Francisco Grangei-
ro Luna. 8
Observando.
Fundeou no Lameirflo urna polaca austraca que ain-
da nflo leve cominunicacflo co:n a ierra.
Publicaba:) jurdica.
Ligos de direito criminal
redigidas pelos Senhores Couto e Carvalho segun-
do as preteccfjes orees do doutor Basilio Alberto de
Souza Pinto lente da faculdado de direito na un-
veraidade de Coimbra, e membro do conceltio su-
perior de nstruceflo publica ; Teitas no anno lecti-
vo de 1844a 1845, edieflo brasileira mais correcta
quo a de Coimbra e augmentada de notas, e remis-
ses ao cdigo criminal, 1 v., oitavo francez con-
tendo a materia de 400 paginas da edieflo porlugue-
za. A falla e nocessidado que geralmente se sent
de obras orignaos sobre este importantsimo ra-
mo do direito; oo mrito destas liefies do disti neto
professor^ elogiadas nos jornaes porluguezes, de-
terminaram a publicacflo la presente edijflo qun
por ccrlo ser favoravelmente acolhida no Brasil
pelos homens Ilustrados e particularmente pela ma-
gistratura promotores, advogdos estudantes ju-
ristas ele Recebem-se assignaturas para esla
obra naslivrnrasda (iraca da Independencia e da
esquina dcfronle do Collegio ; e em (Minda ..casa do
Sr. Meira de Vasconcellos substituto de lalim ; cus-
iera cada exemplar brochado 4,000 rs., pagos na
occasiflo la entrega quo tora lugar no principio de
maio, fechando-so a assignatura no fim do dito
mez
Avisos martimos.
Para a Baha sali, impretervclmente at o dia
30, a sumaca Santo-Antomo-de-Paiua; ainda reeebe
alguma carga miuda e passageiros : quem quzer
carrogardirija-searuadoYigario, n. 5.
Para a Baha pretende sahir, at o fim Jo crran-
te mez, o hiato Boa-Yiagem: quem no mesmo quzer
carregarou ir depassagem, dirija-se a loja de fer-
ragem, n. 63, junto ao arcoda'Conceicflo.
-Para Lisboa sabe, imprelorivelmenle no !. de
maio, o brigue portuguez fobim; ainda recebe carga
o passageiros : I rala-se com o eapitflo, na praca do
Lommercio, ou com o consignatario, na ra do Vi-
gario, n. 19.
. Para Rio-Grande-do-Sul sahaf, om poucoa
djas, o brigue nacional D.-Pedro-Segundo : quem no
mesmo quizer embarcar carga e escrevos, ou ir de
passagein para o que tem excellentesoommodos,
dinja-sc a Joflo Francisco da Cruz, na ra da Cruz
n. 46, ou ao eapitflo a bordo.
Para o Rio-Grande-do-Sul e Porto-A legre sahi-
ra, cm poucos das, o brigue Ledo; o qual pode rece-
-bor escravos a frote : qum pretender pode tratar
com Amorim Irmflos, ra da Cadeia, n. 45.
Para o Rio-de-Janeiro sabe o patacho S.-Jos-
Americano, capilflo Jos Antonio do Matozinhs, fqr-
redo de cobre e de prmeira marcha: quem no mes-
mo quizer carregar escravos ou ir de passagem. di-
rije-soeoililo eapitflo a bordo, ou a Gaudno Ai
DccIaracL's.
linho de Barros, ra da Cruz, n. 66.
Agos-
L
t'iioes.
O Globe ai.nuncia que o honrado e louto membro
sad^nav'!'.6"10 ',01r',C0,k'.cuJ Ideario catado dS
fnX, 1, C'",S,",.0 Ul,l mene,partira do hotel
c\M n Jermy^trect, no di. 6 demarco, para o
Sotinh?SS,Kten,C8 P,ofe"M o *fis\oeS
dos noo"!'T"lhl're1COm,,'en,,ai10um totelabsleneflo
neeelg r^tJd''"Cadear' con, "lulamente
uor^ri i Con8Uva 1ue o honrado membro se de-
Pasarla P.rr. .* ^\ ^'^ ^ br"ndaS J0ruad8
- O arsenal de guerra compra cincoenta o tres
inanias do algodflo; 210 esleirs de perpery. 236
faresdTsapatos; 213 pares le mcias curtes"; 122
pares de luvas le eamurca: quem taes gneros qui-
tertornecer mandar sua proposla em carta fecha-
da, as amostras, directora do mesmo arsenal,
ate o lie 28 do corrente mez. Arsenal le guerra
24 de abril de 1847, Joto Micardo da Silva.
-O lllm. Sr. inspector interino do arsenal de ma-
riniia.lendo do cncommendar para a Parahiba a ma-
doira de sicupira que precisa para ser empregade
na construceflo de nova barce de escavaeflo pelas
lormas que cxistem no mesmo arsenal, por estar
rl",'!fr,Slhrul0rSad'1!f'nl0 I imperial, manda
fezer publico quo rara o contrato de compra com
equclle Srs que d all queiram remetto-la. ou man-
da-le v.r; devendo apresenlar suas prospostas no
prrrzode 15 das, contados de boje para ser erfec-
luado com 6 queso comprometa a vendo-la do boa
qualidudec mais cm cont. -. Secretara da inspec-
flo do arsenel do marinha de Pernambuco 15 de
abril dos A'ijds. *
s+M- mj+_
-Adamson Howie & Companhia rarflo leilflo, por
nlervencflo do corretoi Olivera do variado sorti-
mento do faze'ndas inglezas, todas propras do
mercado: hoje, 27 do corrente, as 10 horas da
manhila ,no seu armazem da ra da Alfandega-Ve-
lllfl.
Ocorrelor Olveira far leilflo da mais esplen-
dida mobi la, consislindo cm guarda-roupas, sores,
meses dejogo, edemeio dsele, aparador, estan-
tes, commodas,. meiquezas, lavatorios, cadeiras
de mullas qualdades, manges de vdro, lantcrnes,
espclhos, candieiros de globo, apparelhos de mesar
o para cha, garrafas, almario, baleflo b carleira
para cscriptorio, burra de ierro, canta do dilo,
obras de'prala, sellm com seus perlences, e valio-
sas e inteiessantes collec^Oes de livros compostos
por abalisados autores nos idiomas ingloz, francez
o alleihflo; c muiloa oulros objectos de gnstoe uti-
lidade: quarla-foira, 28 do corrente, s 10 horas da
manhfla, no 1.' andar da case nova do Sr Cunha,
ra do Brum, immediata rundieflo los Sis. Mos-
quita & lilil a.
Avisos diversos.
%rj
DBEEBODB
Tendo apparecido algumas proposlas iguaes para
o contrato da arrecadacAo da tacha nos chfame*
annuneados ,o bem assim oulras que devem ser
explicadas pqjos nroponentes ; a adminislracflo da
companhia convida a todos os Sis. que se
O VOVO MESQUITA DE CAPOTE N. 1,
est a venda na livraria da praga da Independencia,
ns-6e8; c lembra-so ao publico quo s se vendo
aln, e nflo pelas rusa: andem emquanto so nflo
acaba, que por ser barato, a vntem, so est venden-
lodepiessa.
=Toem de sor arrcmatados.em hasta publica do ju'iz
de direito da prmeira vara do civel, dous esclavos
por execueflo de Scbastiflo Jo* da Silva Braga con-
tra Paulino da Silva Mendello, pelas 3 horas da tur-
de de hoje, 27.
""Arronw-M ou vcnde/-se, na comarca do P*o-do-
Alho, iimengenho moenlc e corrente, distante des-
ta praca 10 legoas; tem boas-Ierras de cenua, roca o
loda lavoura \, quem pretender dirija-se ao Aterro-
da-Boa-Vista, n.55.
Russcil Mcllors & C. mudaram seu escriplorio
sKSfffls.'flsr^sjss^as. -^ia*.=*rsYcx


I

__pelo novo destino queden so edificio da sua
ieiica na ra do Hospicio, poder* o I)r. Sarmen-
, rnreber em sua casa doenles que desejem vir
lo receL _:.i_.i.. c-it. ..i,:.i _* .
dado.
Serito recebidos nt so os
condicfloquc sejam,
queosquze-
re^*CIiiiei>ciH Mara Felicidadc avisa ao rospeta-
- contrate _
tmiar-se nosta ci
dorntps de qualquer sexo e condir.il
mas Umbem as pessoas, ou familias.
negocio Igum
. ml|i|ico, que ningnem ....,., ..cfiu<,iu aigum
mseu marido Martinho Jos da Silveira sobre a
vn la d" escravos Elias e Luiz; porquanlo ditos
pravos se acharo em quesillo : e para quo ao depois
.nuem possa allegar ignorancia faz o presento
innuncio, para que chegue ao conhecimenlo de
'".."aSenhora Rita Maria daPaixio queira dirigir-
se a ra de S.-Francsco, outr'oM Mundo-Novo,
n, 46, a negocio de milito aeu interesse, ou mandar
essoa sua. .
K__pcrdeu-se, sexla-fetra da Paixffo 4 noite, na
noria do 8nnunciante, urna caixa de tabaco, com
forma de pistla, do Jacaranda, guarnecida de latilo:
queni a achou.qiiereiido restitui-la, leve-a na ra de
tortas, n. 23, que ser recompensado.
Precisa-sede um.bom horlelflo, e de boa con-
ducta para un engenho pouco^Jistante desta pra-
ca : na ra do Queimado, n. 46.
Na ra Nova, toja n. 58. so dir quem d a pre-
mio 1:000,000 de rs. com hypotheca em casas ter-
reas ou pequeo sobrado.
~ Fructuso Jos Peroira Dutra en pililo do bri-
guelndependenle chegado prximamente do Rio-
I Grande-do-Sul, faz publico que se acham a seu
bordo 20 rolos de fumo, vindos a entregar a ordem.
Roga-se a qtim forero pertencentes queira vir to-
mar conta delles c pagar o freto"; do contrario se
vndenlo por conta e rscode quem pertenrer, se
nilo apparecer dono dentro do prazo de 8 das.
Precisa-se de um caixeiro portuguez, para lo-
mar conta de urna venda por bataneo i na ra do
Rangel, venda n. 50.
I J. C. Mauvernay vai fazer urna viagem a Eu-
| ropa, edoixa porsua procuradora, sua senhora,l.urza
Angelina.
precisa-sede um caixeiro para urna padaria,
qued fiador a sua conducta: quem estiver nestas
circumslancias anniincie por esta folha.
Na ra do Sebo, n. 3, empresta-se dinliciro a
juros com penhores do todas as qualidades, em pe-
quenas porcoes.
--Precisa-se de um forneiro edeum amassador,
que sejam bons trabajadores: pagam-se bous orde-
nados: na padaria do paleo da Santa-Cruz, n. 8. Na
niesma precisa-se alugar umpreto para o todo servido
da mesina padaria, pagando-se doze mil ris men-
saes e sustento. -
Jos Antonio de Souza capitio do patacho
Noto-T'merario, tendo encontrado nesta cidade ou-
tras pessoas de igual nonie ( c al mesmo nos da sua.
occupaQilo ), faz scienle ao publico que d'ora em
dimtese nssignara Jos Antonio Candido de Souza.
Mauoel da Silva Sanios, ven-
de farmlia (Je trigo da verdadera
I marea SSSF, chegada ull i mmen-
le a esle mercado.
Fabrica de chapeos de sol, no
Psseio-Pnblico, n. 5.
Neste estabeleciment se recebeu urna porco de
chapeos de sol lurta-cres, da ultima moda de Pars.
O mesmo sta bclccimcnlo tem a niesma fazenda
para cobrir armacca com toda as galantnrias pre-
cisas para as mesmas; lam em tem chapeos de sol
de panninho, niuitwproprios para feilores de enge-
nho, por serem de muilo boa fazenda e muito gran-
des pois tecni a serventa para as duas estacOes de
vciilo e invern : tambero se faz todo c qualquer
concert nos mesmori, pois para isso tero lodos os
necessarios e prometi toda a. promptidfo.
No da 16 d marco prximo passa-
(lo, desappareceu do poder do abaixo assig-
nado asna esciavaAlariaJaciiilba, crioo-
li, de i -i para i3 anuos, cor preta, de es-
tatura baixa, [lonco musculosa e desen-
volvida, denles niui alvos. sSos e bonitos,
bocea rasgada, que, ao fallar ou rir, diixa
ver todos os denles, falla pausada e des-
cansada ; be muilo viva c ardilosa ; ne-
nbiimas cicalrizes tem, ou lesoes visiveis,
e smente sobic o peito esquerdo desco-
bre-se Ibc una pequea nodoa negra que
solircsalie pelle ; levou camisa de algo-
daozinbo e vestido usado de lis!ras e ra-
magens azul-brancas. I'resume-sc que nao
tenlia sabido da cidado, c mesmo lie pro-
vavel que tenlia sido seduzida, e esleja
"((iilia alii para a estrada nova de Oliu-
da, Cidade-Nova, e eonloinos ; onde
consla liaver uan olarias, um pequeo
quilombo, que deve niererer a allenco
da polica. Quem quer-que capturar a re-
ferida escrava, dirija-se casa n. 5(3, ra
do Hospicio, (|iic ser gratificado.
Joo francisca Juarle.
Aluga-se o primeiro anda do sobrado da ra
da Crue, n. 18, ptimo |>ara escriplorio, ou monulia
de homem solteilio : a tratar no segundo andar do
inrsmo sobrado, de manhila al as 10 horas, e de
larde das 3 em diante.
Aqu nao lia usura.
D-se dinheiro a premio com prnhores de ouro ,
mesmo em-pequeas quantias : na Iravcssa dosMar-
tyrios.n. 2.
--- Drsappareceu, no dia 95 de abril, s 10 horas da
mandila,urna crioulinda de nome.Rila, de idade pou-
co mnis de 7 annos, com os lignaes seguintcs: esta-
tura regular, cahceagrande, ullios muilo esperlos,
cor pela, cabello corlado, na cabeca algumas sar-
nas, uns dous denles tirado na frente, sendo os mes-
mos da parle inferior, por estar mudando, nariz
muito chato; levou vestido de seda rxa, vclho. Pe-
de-se a quero souber notiria da mesnia, queira de-
nunciar a sua dona em Fra-de-Portas, casa n, 15,
I ue gratificar, guardar todo o segredo.
li 1 enlr,r(,m postas, affirmando que o sen
armazem sera preferido para ser alfandegado. Sea
presidencia mandar examinar, de certo o seu arma-
zr-m com just.ca nlo ser preferido ao que em toda
a hora, em toda a mar, desde ao amanhecer do sol,
uciiua o embarque de duas ou mais alvarengas, o
entilo n) podera elle deixar de perder a suaa-
1 posta. r
,. 7"^ Sr' naymun,,,> Jos Pereira Bello tem urna
cariado serillo, na praca da Independencia, livra-
na.n. 6e8. F
-D-se at 1:000,000 rs. a premio sobre penhores
ou liypQineca em propriedade: na ruadas Cruzas, n.
Jo, primen o andar. Na mesma casa vende-se urna
roei agoa sita na campia da ra da Alegra, n. 5, I-
vre e desemDaracada.
Precisa-se alugar um preto para servico de ca-
sa: a pessoa que o tiverc qiiizei aiugar dirija-se ao
largo da alfandega, armazem de Francisco l)ias Fer-
reira, que se dir quero precisa.
Precisa-se alugar um molequo ou negro feilo,
que seja intrtligenlo e sem vicios, para o servico ex-
terno de urna casa de pouca familia. Dirigir-se ra
do Rangel, n. 59 segundo andar.
-- Antonio.da Silva Kerreira e Santos retira-so pa-
ra Portugal, a tratar de sua sade.
Franciso Jo5o de Barros declara
a quem convier, que smente pagar
qualquer divida que elle baja contraliido
pessoalmente, como tem de costume, ou
por escrip.to seu; mas nunca satisfar
aquellas que o forcm de pessoas que se
tentiam ulilisado do seu nome, como Ibe
consta lem ltimamente acontecido em
algumas partes ; e islo lambem se ficar
entendendo de boje pafa sempre, afim
de evilarem-se duvidas futuras.
Pcrdeu-se o meio bilhetc da lotera do thea-
tro de S.-Pedrcde-Alcantara do Rio-de-Janciro ,
n. 2288, penencenteaos abaixo assignadns, cujas
firmas se achamescrptas no verso do mesmo : quem
qurqueo tiver adiado podo entrega-lono Altcrro-
ila-lioa Visla u. 6, ao doulor Moscoso. )r. Lobo
Motcoso. J. /'. Duarie Jnior.
-- Bernardina Mara do Espirito Santo partera
examinada faz publico que mudou-se da Soleda-
de para o pateo da S.-Cruz na Boa-Vista n. 10 :
quem de seu prestimo se quizer utlsar alli a deve
procurar.
Precisa-se de alugar um sobrado de dous an-
dares, no bairro de Santo-Antonio: quem o tiver an-
n inicie.
Moje, s 4 horas da tarde, porta do Sr. doutor
juiz da primen a vara do cvel, leein de ser arrema-
tadas as bemfeitoras de um sitio, pertencente aos
herdeiros do tinado Jos Francisco Xavier de'Lima,
em torras reudeiras ao engenho Apipucos, por exe-
cucao.
-se a juros al a quanlia de 1:200,000 rs com
hypotheca, ou penhores: na ra dasTiiucheiras, so-
brado n. 50.
Na ra das Trincheiras, n. 17, .correm-so fo-
Ihase tiram-se passaportes, levando-se pelo traba-
Ilio do cada cousa 2,000 rs.
Arrematado publica.
Quarla-feira, 5 de maio prximo, tem do serarro-
malada, por ser a ultima praga, pela segundrvara
do civel, I)r. Nabuco, logo que se (lude a audiencia,
c na sala das mesmas, do renda annual, e por tem-
podeuroanno, a requerimento dos consnhores, a
casa da esquina da na do Crespo, que volta para a
ra doCollcgio, de 3 andaros osotflo, duas lejas, e
urna deltas ptima, por serna ra do Crespo eter5
portas, sendo 4-de frente, e urna para a ra doCol-
legio ; a qual propriedade fui avahada por 700,000 rs.
Osprelendenlescomparecam no indicadodiu,sedose-
jam obter um dos mclnpresestabcleciinentos, ecom
todos os mais commodos para a moradia, sero o me-
nor sacrificio de luvas ou empenho, porque tem de"
ser entregue ao mais animoso dos concurrentes, que
esle he smente o desojo dos interessados.
A mesa regedora da irmandade da gloriosa S.
Rita deCassia, pelo prsenle convida a todos os
sous irmaos para comnareccrem em mesa gcral
no consistorio da irmandade no dia 2 de maio fu-
turo pelas 8 hora da manhila, para elegerem a
nova mesa que lem do reger a irinandado no an-
no de 1847 a 1848.
--A pessoa que annunciou querer fallar a Rita
\faria da Paixilo, dirija-se a ra do Mondego, n. 56.
Precisa-se de una ama de leilo captiva para
criar um anuo atrs da matriz no segundo andar
do sobrado, parede-mci* a venda do Sr. Celestino.
~ Precisa-se de um hornero portuguez, emborn
seja casado, quo saiba tirar leite o trabalhar : no
sitio da Passagein, do Joflo Antonio de Carvalho Si-
queira.
Deseja-sesaber quem pagaos premios que sa-
turan! na primeira parte da terceira lotera a favor
das obras da igreja de N. S. do Rozario da Boa-Vis-
ta ; porque, apezardas diligencias c do lempo que
ha passado, anda se nlo recebeu um bem pequenn.
"Arrcnda-se uro boin sitio, com bastantes arvo-
redos do fructo, confronte a igreja do N. S. da Paz ,
nosAfogados: a tratar na ra Urcla, sobrado do
dous andares, n. 137.
Thom Francisco Costa alfaiate precisa de
ofllciaes do mesmo oftlcio.
F. C. Hulmn, natural dos Estados-Unidos, re-
tra-se para fra do imperio.
Precisa-se de dous cuixeiros de 12 a 14 anuos,
que lenhain alguma pratica do venda e dem fiador
a sua conduela : na ra da Cruz, n. 32.
Na cocheira do becco da ra da Cadeia de S-
Anlonio,. achario os freguezes, alem dos cavados
costumaddsdealugucl, oulros modernos o muilo
bous, mas nada de montar sem ... Na mesma
vendem-se e eompram-so cavallos.
No dia 28 do corren te mez, pelas 4 horas da tarde,
e pagando todas as despezas, Iho ser entregue.
Precisa-so de urna ama para cozinhar: na ra
doFogo, n. 40.
Quemtiverurna tV S da Concei-
c5o com um palmo de altura que seja
muito bem feila e a queira trocar, di-
rija-se a ra Bella n. 4o.
ADVKIlTIiSClA.
- 0 encarregado da venda, nesta
provincia, do rap fino, grosso e meio-
grosso da fabrica de Estev3o Gasse ,
do Rio-de-Janeiro, declara ao publico
consumidor deste rap", que n5o confun-
da o mesmo com um outro fabricado
na Babia com a imitaco do formato ,
papel, rotulo c nome de seu commitente,
e que se acln espalbad por algumas lo
jase vendas desta cidade; o qual fcil-
mente pode ser differencado, por nao
trazereni um dos lados do boleo sello de
que usa esle deposito, e por vir nos r-
tulos do mesmo -Babia-, e nlo Rio-de-
Janeiro--; differenca nica que existe ,
alem da qualid&de que difiere do ver-
padeiro Gasse do fio de-Janeiro e que
laz com que vendammais barato.
0 nico deposito desle rap be na ra
da Cadeia do Recife n. 37 onde se
vende pelos precos j anmuiciados.
Compras.
A Compram-se urnas Horas Manantas, novas ou
usadas, traduzdas do latim para portuguez pelo
reverendo Fr. Francisco do Jess Mara Sarment ,
rempressas em Portugal em 1818: quem tiver
annunce. ,
Compra-se um relogio patente inglez sabo-
netodeprata, em segunda mito, e que esteja em
bom estado na livrana da prac,a da Independencia,
ns. 6 e 8, se dir quem compra.
Compra-so um banhcro grande usado: na ra
do Calinga, n. 11.
Comprani-se osns. 2,10, 11 e 16 do l'rogrcsso
do Maranhflo por seu justo valor, e at por valor do-
brado : na livrara da praga da Independencia, ns.
6 o 8.
Compram-se, nos acougues de Joflo Dubois, ao
p dos quarteis, moodas de piala do 160 rs. a 102
por cenlo de premio sobre papel, o a mais a cento
porcentoem pagamento.
------Compra-se laa de fre cha ou su-
mauma: na ra Nova loja de sellciro,
defronle da Conceicao, n. 28.
Compram-se escravos de ambos os sexos: na
ra Nova, loja de ferragens, n. 16, se dir quem
compra.
Compra-se o diccionario inglez por Vieira, de
formato grande e que esleja. em bom uso : na ra
da Aurelia, n. 42, segundo andar.
Compra-so umMagiium Lexicn usado, e Se-
lecta: na ra do Cabuga, n. 16.
Vcndem-se alguna paos de sicup'-'
, pro'prios para obras de embarcac5es,
ou car.oas : na rua de A pollo, a fallar cota
Joao Estcves da Silva.
Vende-se nina canda aberta grande,
j usada, que pega em um millieiro de ti-
jolos de alvenaria., por prcro comniodo :
a tratar na rua de Apollo com Joao Este-
ves da Iva.
Vende-so a venda da rua da Praia, n. 46, com
muito poucos fundos a dinheiro ou a prazo por
seu dono ter de retirar-se para curar de.sua sade :
a tratar na mesma venda.
RAPE' NACIONAL ANDARAIIY.
Lstc, expeliente rape, ja bastante mohecido por
muitos dos tomantes desta praca pelo sou grada-
vi aroma c cor semelliante ao de Lisboa e facil|-
dade com que destila sem seccar 110 nariz e nem fe-
rr, sempre so achara fresco e em boas formulas no
deposito da rua do Trapiche, n, 34, terceiro an-
dar, ea relalbo, na rua da Cadeia do Recife, lo-
jin de mludezas dos Srs J. J. do Carvalho Moracs,
A. F. Pinto & Irmilo A. R. Vaz do Carvalho ; do
ferragens Ponles & Sampain; de fazondas Cu-
nha&Amnrim, AntonioDuarle de Oliveira llego,
na rua da Madre-de-Deos ; rua do Queimado lo-
ja de ferragens da Campos & Almeida ; oraca loja
de mudezas de C. G. Rreckemfeld; Cabug T.
de A. Fonseca.e Umbelino Maximianno do Carvalho ;
Atcrio-da-ltoa-Vista loja do ferragens, de Caeta-
no L. Ferreira, e de miudezas, de T. P. de M. Esti-
ma, c Antonio Pereira da Cosa Gama.
- Vendem-se necoes da ex-
mela companliia de Pernamhuco
e Parahyba : no escTiptorio de Oli-
veira Irinos & C, rua da Cruz,
n.9.
Vendem-se dous pretos do mca idado, proprios
para una casa, ou sitio por seren baratos: a fallar
na loja de Joo Jos do Carvalho Moraes, na rua da
Cadeia do Recife.
\ rida.s.
Casa (la F
G.
na rua eslrcita do Roza rio; n.
Neste cslabelecimentoacliam-so venda as cau-
telas da bem acreditada lotera do theatro publico
desta cidade, para cujas rodas esta annunciado o an-
damento para o da 12 de maio prximo futuro.
Neste esUiheleciinento lambem se acham venda tres
trancelins deourodo lei sero fetio: a elles que silo
de muito bom gosto.
A' 2^000 rs. o corle.
Na loja de Guimarfes Seratim & C, confronte ao
arco de Santo Antonio,11. 5, vendem-so corles de cas-
sa de padiocs agradayeis o cores (xas, pelo diminuto
preco de 2,000 rs. o corte ; lencos francezes grandes
o linos (ingindo seda, a 480 rs. cada um; lencos de
carobraia coro bico, a 640 rs. cada uro; ditos do dita
muilo linos com renda e bico, a 900 rs. cada um.
IT Vendem-se superiores chapeos de
Ji^,castor, pretos e brancos, por preco
muilo barato : na rua do Crespo, loja 11.
13, de Jos Joaquim da Silva laya.
- Vendem-se ricas Fitas de selini lavradas, para en-
fcitiir chapese vestidos, de padrOes muilo moder-
nos; bicose rendas de todas as larguras; caixinhas
com agulhas francezas, a 280 rs.; tesouras muito fi-
nas para costura; caixinhas do madera, enverniza-
das, proprias para guardar Costura, ou qualquer ob-
jecto, ludo por preco cotnmodo : na anliga ruados
Quarleis, terceira loj de miudezas.
Vendem-se pentes de marfim para alisar cabel-
lo; caivetes de 2 tullas com cabo de pona de via-
do; lapes muilo tinos para desenlio c para escrever;
navalhaa (inissimas com cali de marfim; cliaruleiras
com retratos muito finos; facas o garlos com cabo de
osso pulido, o melhir que ha e muito barato : na
anliga rua dos Quarteis, terceira loja de miudezas,
do Viccnto Jos Gomes.
No vos gambreoes.
Na loja de Guimarflcs Scrafim& C., confronte ao
arco do Santo Antonio, n. 5, vendem-se novos gam-
0 modernismo no sen auge
Entre os ltimos espectculos, saraos,'
balese diverlimentos, em que abunda
variadamente a capital da Franca ( Pars1,
que ero modas bmeas enfetos do lu- 1
xo o hrilhantes atavos leva a primazia,
na varedado esublimdadedc gostoa to-j
das as cidades europeas, uns riquissmos
vestidos d'uma fazenda com posta efahri-'
cada de seda c Ifla denominada Cha- ,
marim serviam de eleganlissimo ador-
no aos bellos detalhes do madamismo
parisiense que so tornava digno de ge-
ral attene.'io. F.sla preciosa fazenda com-|
posta dasiluas mais preciosas leas,-seda
,. e laa, tem uns listeados de seda, alraves-
*I* sados uns, outros assentes sobre imite-
cido parecendo merino, que Ihe da umj
realce que a torna mais digna do alten-
I cito do que se fra seda s ; pois he urna j
i maravilha o seu bem desenliado e real-,
cailo gosto. O madamismo pernambuca- :
no com justa rasilo apreciador de ISo |
boas qualidades, em una fazenda intei-,
ramete nova para seos vestidos d bai-
les, nlo dcixar de rcccjiercom partcu- .
lar allcnclo a noticia de quo oacharoa-
rim se vende tilo smente na loja nova
n. *, de Ricardo ao p do arco de S.-Art-
Ionio a troco de 1,200 rs. cada covado.
Aprcgoa, leva lonjea faina,
Levanta osoro meu claritn;
Esbeltoscorpos das bellas cinge
C'os lindos vestidos de chamarim.
na porta doSr. doulor juiz da segunda vara do ci- breOes a 1,400 rs. o corte de tres covadose meio;;cs-
vcl, se hade arrematar por venda por ser a ultima la fazenda lorna-so recommondavel para a estac.no
praca una morada do casa de 3 andares e slito ,' presento, jpor ser fazenda encorpada c escura; e lingo
na rua do Livramcnto n. 20, com 31 palmos o a casimira franceza por ter padrOes imitantes;) cln-
meio de frente, o 112 ditosde fundo cozinha fra, tas a 120 e 140 rs. o covado, eafin disto um coro-
no primeiro e segundo andares, quintal murado, pelo soTlimento de toda a qualidadedo fazendas.
cacimba e chitos proprios.a valiada em 20:000,000 de Vende-se um relogio de caix do ouro, moder-
rs. sendo por execueflo de Bernardo Antonio do no, muilo bom regulador: na ruado l.ivramento,
Miranda, por si e como procurador do seu pai. sobrado 11. 1.
-- Trocam-se duas imagens, una da Conceico! Vende-so urna casa terrea, sita na rua Imperial
eoutradeS Francisco : na rua das Cruzes, n 59. ,dosU cidade, 11. 15: quero a pretender dirija-se a
-- Joaquim Jos daSilva Regadas vai a Portugal, rua das Trincheiras, sobrado n. 50,
ATTENCAO-.
Vende-se o bilhar da Camboa-do-Carmo em cu-
ja casa ha botiquiro de bebidas, todos pertences
para srvele commodos para familia eo seu alu-
gucl he de 8,000 rs. mensaes : a tratar no sobrado de
11111 andar n. 21, por cima do mesmo bilhar.
Na botica da rua do Rangel, vendem-se os re-
medios seguintes, dos quaes a experiencia tem con-
firmado os melhoreselleilos : denlilico que lema
propriedade de limpar os denles cariados o resti-
tuir-lhes a cor esmaltada em muito poucos dias ;
o uso do dito remedio fortifica as gengivas e tira o
mo cheiro da bocea proveniente nilo s da carie,
como do trtaro que se une ao pescoco destes <>r-
giios,; o remedio he designado pelos nmeros pri-
meiro e segundo : orchata purgativa miii til as
criangas eas pessoas de toda e qualquer idade; he
couiposla le substancias vegetaes, nilo conten
mercurio, nem droga alguma que possa prejudicar :
remedio para curar calos, em poucos dias ; dito pa-
ra curar dores veneras antigs, e quo teem resistido
ao tratamento geralmcnle applicado ; dilo para pro-
vocara tnenstruacao o acoderar a aceito do ulero
nos partos nalnraes em quo nilo se precisa das ma-
nobras scientiicas da arle ; dito para resolver tu-
mores lymphalicos vulgo glndulas; ditos para
curarhoubasc cravos seceos,o maisefficaz que so'
condece al aqu; dito oximel de ferro, muito til
nasj;dlorozes vulgarmente chamadas frialdades;
pos anli-biliososdeManoel Lopes, capsulas de ge-
latina conteiido balsamo de cupahiba ; ditas do
oleo derecinospurificado; ditas fino; ditas de assafelida ; ditas rom pos purgantes ;
ditas de millardo da China; ditas de sulphato de
q n 1 n i un de 1 e 2 graos cada capsula; algaleas; veli-
nhas elsticas : pillas do sal de cabacinho ; agoa
das Caldas chegada prximamente ; remedios que
curam a frialdado dentro do 40 dias mesmo estan-
do incitado ; oleo muito bom para conservar o ca-
bello, quo, alem de nito deixar cahir o cabello, lim-
pa a caspa e cojo uso continuado faz i eapparecer o
cabello perdido ; pillas especificas para curar as
gonorrheas chronicas quando a I es lo nao passa da
ureta ; igualmento um xaropo attti-heniorragico ,
applicado nos casos ero que sedeilasangue pela boc-
ea. (> preco de todos os remedios he mui rasoavel,
e os bons resultados da sua applicacno he que deveui
| fazer sua apologa.


:____=


Mr



.
V

'
I

).
v-<
- Vende-se verdadeira e su-
perior potii>sa la Hus-ia, briici
e eiu bams pequeos: uaiuada
aieia do llecie, armazem n. i 2,
de Bailar & Oliveira.
A PARISIENSE,
NOV E IT.II.1UN ll
-v>
para piano: vende-se na ra da Ca-
deia, loja da viuva Cardoso Ayres &
Filhos; prego 50o rs.
Poassa da Russia,
pelo prego de 180 rs. a libra, em harria pequeos:
na ra da Cruz n. 10 armazem de Kulkmann &
fiosenmuiid.
Vende-se urna excediente casa terrea, com com-
mndns para urna grande familia sita nesta praga :
a tratar no principio da ra Imperial, n. 9.
CHF.CURM AO BARATO !
Vendem-se casaes do pombos grandes, bons ba-
tedores bonitos e de urna raga excellente por um
proco muito raaoavel. A'ellcs, antes que se acabem.
Na ra da Florentina, casa de porta ejanella, defron-
te da enrheira do Sr. Sebasljao.
- Vcndc-sc oal virgem em meias barricas chrgada
nlliniaiiM'iitr ; caixas vasias para assucar ; Ulna porcao
do pesos serrar madeira tudo por preco coinniodo: na ra da
iloeda, armazem n. 17.
POTASSA DA RUSSIA, A 180 E 200 RS.
Cunta & Amorim vendem potassa russiana nova e
de boa qualidade pele diminuto prego de nove vin-
tense dous tustOcsa libra : na rus da Cadeia-Velha,
ir. 50.
Vendem-se lijlos de ladrilho, a 20 rs.: na ra
atrs da ribeira .serraran. 13.
Vcndem-ao saccas com a mais superior farinha
que existe no mercado a 3,200 rs.: na ra Direi-
ta n. 9.
Vendem se VELAS de cera do
Hio-de-Janciro e de Lisboa grande c
completo sorlimento : na rua da Senzal-
Ja-Velha armazem n. iio, de Alves
Vianna
= Vendem-se moendas de rorro para engenlios de as
siicar, para vapor, agoa c bostas, de diversos tamanhos
por preco couimodo e igualmente taixas de ferro coado
e batido, de todos os tamanhos: na praca do Corpo-San-
ici, ?. 11, em casa de Me. Calmont & Coinpanbia, ou na
rua de Apollo, ariuazem, n. 6.
NA RUA DQUJMADO, N. ii,
Vendem-se lindas mantas e seda ,
muilo finas as man modernas que ha ,
proprias para senhora e meninas, a 3, too
rs. ; cortes decassade cores fixas, ede
lindos padr5cs, a 4i000 W< i sarja hes-
paidiola ; dita franceza ; los p re los ; lu-
do por menos de sen valor, por ler aca-
bado a Quaresma : na luja nova de I!
G. Leite
= Vende-se tima parda de muilo bonita figura,
3ue cozinha bem o diario de urna casa lava
c saboc varrella cose chito, o he muilo boa pa-
ra casa de familia : na rua do Collegio, n. 16, ter-
ceiro andar.
rpi fPi
Ll^l Vende-se.na rua da Cruz, n. 23, ffl
!?! cera em velas, de urna dnsmellio- t
frn res fabricas do Rio-rlc-Janeiro J
pj sertimento vonlade do compra- 7I
W ifor, em caixas pequeas, e por \\
rnj preco mais barato do que em ou- T
p] Ira qualquer parte.
n
-|| IIO IllIdlIlUCI 1FBIIC. 11.
Gaz.
Loja de Joo Chai-don ,
Atcrro-da-ltoa-Vista, .5,
Nena leja aclia-seum 1 ico urliiiii'iiio de I.AMPKOF.S
TARA GAZ com seus competentes vidrns accendedo-
res e abafadores.
EstCS Caildiel'OS ao os luelhore c
inail modernos queosistem hoje : recommendam-se ao
publico, tanto pola seguranca e bom gosto de sua boa
confeceo como pela boa qualidade da luz, economa e
asselo de seu servico.
l\a llieSIlia loja os consumidores aem-
pre achanto um deposito de GAZ de cujo se otianca a
qualidade, e em porcao bastante para consumo.
PANNOS? NETOS FINOS
e novos na loja ; velludo pelo ; chama
lote deseda, para colletes e ollas ; se
titn macau ; o verdadeiro brim trancado
de listras de cores : na rua do Queimado,
loja nova, n. u,de Raymundo Carlos
Leite.
Yonde-ge urrt escravo de Angola do servico de
campo por 260,000 rs.; dous relogios de ouro : na
rua Direita, sobrado n. 29.
Excellente rap.
Acli-e aborto um novo ileponto na rua da Cru
b. M. de superior rap Unto tino como a rosto e me
rr.icen ,1.. I*...... .1. ii_l,_ .
iu-
gro.se ti. Ousse da llahia e por muilo t-oiiuuouo pirco
Acha-se a venda no dito deposito c bem assim o
bairiode*anlo-Anionio. na lojas dos Srs. i Filippo
le Santiago Joaijulm de Abreu, Henrlnues S Cnm-
panhia ; Alineida e Campos, Antonio DoiningacsFer-
rlw, Joaquim Montoiro da Crui tk Coinpanbia,
Manool Jos1 da Costa Olivelra fodocolra St Guimaraes;
bairro da Boa-Vista o Sis Antonio Ajr'3 de Caslio &
Cnmpanliia, Carlnno Lulx Forrrira j bairro do S-Jos ,
osSrs. Jofio Jos Piulo do Olivelra, Vicente Jos la-
vares.
-- A hi.rdo do brigue Indepcndente Tundeado rie-
frontn do Collegio vende-.-e sebo em rama e carne
aecca por presos coinmodos boa fazeuda.
Aununcio impoilanle.
Na loja n. 4 da rua do Crespo, ao p. do arco de S.-
Antonio, deRicardoJ.de K. Ribeiro, acharflo os
concurrentes um bello sortimenlo de casimiras de
cores com muita elasticidade e de gostosos mais
modernos, recebidas da a fainada l'aris; assim como
igualmente ha um sortimenlo completo da reconhe-
cida boa fazenda pela sua consistencia denomina-
da pelle do diabo, sendo o preco de cada corte
1,4*0 rs.; advertindo que seus padrOes nada ficam
restando a qualquer outra fazenda do alto custo : ha
i:i inbom um completo sortimenlo de fazendasde to-
das as cualidades, que merecem a devida conside-
raqo em seus apurados gostos como em .seus moJi-
cos precos c entre estas merecem particular atlen-
53o das senhoras tms riscadoschiladose chinezes,
eelegantissimospadrOeserealgailas cores de rosa,
azul, e cor de cafo, adamascados a escocesa, a 280 rs.
o covado proprios para vestidos, c sendo suas
amostras francas aosprctendentes.
Medicina universal.
I'ilulas vegctaes.de James Morison.
A medicina vegetal universal he o resultado de 20 an-
nos de nvcstigacfics do celebre Jamos Morison. Por
inoio destas pilulas consegiiio seu autor innmeras o
admiiaveis curas desde as affeceos que atacam as
criancas de peilo at as molestias chrouicas do anciao.
A F.uropa saudou este remedio como remedio univer-
sal para todas as doencas e al hoje ainda nao foi des-
mentido ral titulo.
F.sla medicina vem acoinpanhada de urna rcceltaquc
ensiua o facilita a sua applicacu. Consiste em tres pre-
paraces a saber : duas qualidade* de pilulas distinc-
tas por nmeros, e um p : cadaqual goia de modos e
acedos diversas.
As pilulas n. I sao aperitivas purgam tembalo os
humores biliosos o vicosos, o os opulsam com ofl'tcacla.
As do n. 2 cxpulsam com esses humores igualmen-
te com grande orea, os humores serosos, acres.e (ajici-
llos, do que o sangue se acha a miudo Infectado ; por-
lorrem todas as parles de corpo e s cossam de obrar
(Uiand'i teem expulsado todas as linpuroias.
" A lerceira preparacao consiste em una limonada ve-
getal sedativa: hcaperativa, temperante eadocantc: tor-
na-sc em enmmum com as pilulas c facilita-lhesos me-
Ihores effritos.
A posicac social doSr. Morison, a sua fortuna inde-
pendenle repellem tod a ideia de charlatanismo ; e ai
adiuiraveis curas operadas com o sousjrslcma no col-
legio de ssde do Londres, sito mais que garantes da
eflicacia do seu remedio.
Recommcnda-sc esta medicina, que nao pede nein
resguardo de lempo nein do policio da parlo do doen-
to a todos os que atacados do molestias julgadas in-
curaveis se quizerem doionganar da sua vil ludo.
Oxal que a hnmanhlade feche os ouvidoi aos inlc-
rossados em desacreditar osles rcmcuios lo simples ,
to coinmodos o Uto verdadeiros.
Vendem-se somonte em casa do nico e verdadeiro
agente J. O. Elstcr na rua da Cadeia-Velha n. 29.
Barate.ro do loja nova.
, O novo baratriroRicardo--, da loja nova n. 4 ao
p do arco de S.-Antonio, est vendendo pegas do
chitas muito finas, citres muito (xas e novos pa-
drfles a 5,S00 ris.e o covado a 160 res ; casimiras de
algodito, padrOes inteiramente modernos, o corlea
1,600 ris; lencos de seda muito modernos para ho-
mem, a 1,440 reis ; dilos de cmbrala muito fina, a
400 ris; corles de chaly muito moderno, a 5,000
ris; mantas de seda, padrOes chinezes, no mais
moderno gosto, a 10e 12 mil ris; algodo azul c
riscado para escravcrs,dc 4 palmos de largura, muito
encorpado, a 200 ris o covado. Tem um lindo sor-
timenlo de sedas modernas no gosto chinez, rCce-
bidas o desembarcadas honlem, da ultima moda de
Pars, para vestido de bailes, &c., e que vende tnuio
barato, assim romo todas as fazendas de luxo,
assciado goslo, notando-se uns lencos com franja
para senhora, da melhorseda degros de Naplcs, pa-
dres nunca nesta praca vistos,a 6,000 ris.
Vendcm-se dous preos e 3 pretas morcas, se ni
vicios: no largo do Collegio, n. 1, segundo andar,
so tlira quem vende.
Vinlio de Dordeaux
de superior qualidade, em caixas de duzia, por proco
commodo : vende-se na rua da Cruz n. lO armazem
de Kalkmann S Roseninund.
Vidros de espelho
de diversos tamanhos, vendem-se por proco muito com-
modo : na rua da Crut, n. 10 ariuazem de Kalkmann
Si \|osi'iiiuuuil.
i>a luja de Jos M.-iiioel Mon
leiro Braga na rila do Cres-
po, 10, esquina que vira
para a rua das O u/es,
vendem-so ricos cortos de vestidos de seda tle cores e
brancos, para casamenlos; dilos de cambraia de
seda com ores adamascadas; dilos de cambraia,
com barra; chales o mantas de seda, o mais rico pos-
sivel; lencos de liuhn para mito ; aloalha lo adamas-
cado para toalhas gtiardanapos do mesmo adamas-
cado tudo do puro linho; casimiras francezas de
listraselisas, as mais modernas c de melhor gos-
lo ; brim trancado de listras, de linho; chapeos
pretos francezCs, os mais modernos ; ooulras mui-
tas fazendas, lauto finas como grossas.
Vende-se urna poiclo do madeira,sendo :
65cnchameisde 23 palmos, o 5 travs : na venda
doSr. Nicolao Rodrigues da Cunha n. 16.
Vende-se, ou troca-se por casas terreas nesta
cidado um sitio na estrada do Monleiro defron-
le do Amorim contiguo a propriedade de S.-Anna,
com urna soffnvcl casa de vi venda, boa agoa do be-
ber circulado do excedentes baixas para capiro,
mesmo em lempo de veriio, arvoros de (Vuelo,
como larangeiras coqueiros manguciras bana-
neiras cajueiros, cafezeiros, pilombeiras, etc. ,
com a frente cercada de litnoeiros : a tratar na rua
dos Tanoeiros sobrado n. 50.
Vende-so um escravo de bonita figura de 18
annos com ofllcio do sapaleiro, e oplimo para
pagem ; urna parda da 25 annos quo cozinha. la-
va de aabfio e cose chfio ; um escravo crioulo do 25
anuos, de elegante figura para todo o servico ; urna
linda mulaiiniia de 10 anuos propria para seredn-
cada: na rua das Cruzes, n.22, sogundo andar.
-- Vende-se. ou troca-seporesrravos, m ter-
reno de propriedado sito no Aterro-do,s-Afogados,
ilolmlodoNascenle, com 220 palmos de ffnto'o
maisile3,000de fundo, lendo proporcoes para um
grande viveiro : na rua iliroita sobrado n 121.
Vende-se urna preta de nac.lo moca perfei-
lissima engninmxdeira, muito boa cuzinheira alm
de nutras linas quididades ; a vista do comprador
se dir o motivo por que ao vme : na rua das Trin-
cheiras sobrado n. 18.
Vende-se por prego commodo sal do Assu :
a tratar a bordo do patacho Etpiratifa, fu tuteado de-
frontedo trapiche novo ou no escriptorio de Ma-
noel Joaquim Ramose Silva.
Farelo de arroz.
Esta to prove tosa substancia nutritiva para ali-
mento de cavallos acha-se a venda, em barris'de 4
arrobas no armazem do Bacelar, defronte da cs-
cadinha da alfandega.
Vende-se um bom cavallo alazfo, novo, e com
bons andares : na rua Bella, n. 40.
Vendem se duas pretas mo?as do boas (gu-
ras urna parda do 18 annos pouco mais ou menos ;
todas com principios de costuras, boas cozinheiras,
lavadeiras, e proprias para toda o servico de
casa ; duas negrinhas de7 annos, proprias para an-
darcm com criancas em casa: na rua da Cadoia de
S.-Antonio n. 25.
Vende-so, na livraria da rua do llistore of Englan.il, 3,000 rs.; Iloralii 3,000 rs.,
novos ; novo diccionario porttil das lingoas por-
tugueza o ingleza c ingleza e poriugueza, por 3.000
rs ; Horas Mariannas, rica encadernaQilodourada,
por3,500 rs.; Visitas ao SS. Sacramento, ricaon-
cadernactodourada, por 3,000 rs. Na mesma lojn
precisa-se do urna moca que saiba coser bom para
urna casa de pouca familia, o quo d fiador a sua
conducta.
-- Vendem-se bandejas muito finas: na rua No-
va loja de ferragens, n. 20.
Vende-se umaescrava a quem se pode entre-
garos afazeres de urna casa, sendo ptima cozi-
nheira c doccira, he fiel, nilo tem vicios, c he de 25
annos; duas ditas de excedentes qualidades, de 20 a
22annos; urna dita boa quitandeira por 200,000
rs.; urna dita por 240,000 rs.; urna bonita mole-
ca de 12annos; 3 bonitos moloques; um rjiulali-
nho ; um bom escravo para qualquer servigo ; urna
parda mucama rocolhida de 18 annos com boas
habilidades : na rua de Agoas-Verdcs, n. 46.
Vende-ae, por precisito, um moleque de 13.an-
nos ; urna preta do 18 anuos; urna cscrava para o
mallo, por 300,000 rs. : na rua do Nogueira, n. 1U ,
segundo andar.
Vende-se umsupplcmento collecc.ito das lea
portuguezas polo desembargado!' Delgado; o tra-
ladode appellacdes, porCouvcia Pinto; umagram-
matira franceza por Constancio; nm diccionario
porttil da lingna portugueza por Fonseca ; urna
imitaefio de Chrislo, cm francez : na livraria da
praca da Independencia, ns. 6 e 8.
Vende-se urna linda parda rocolhida, propria
para mucama, por ler boa.conducta, e quo sabe
engommar e coser; ao comprador se dir o motivo
por que se vendo : na rua estreita' do Ro/.ario, n.
31, primeiro andar.
Vendem-se escravos baratos na rua das
Larangeiras, n. 14, segundo andar, a sa-
ber: um molocotedc idade 15 annos pouco
mais ou menos, do elegante figura, com
' algum principio do cozinha; un) dito de
idade dc20 annos, muito forte; um dito do 18 annos,
de linda figura; um muleque do idade 10 annos, bom
parase Iheensinar qualquer ofllcio; um negro muito
forte, por 400,000 rs ; um dito bastante forte, por
300,000 rs.; unta negra do elegante figura o maisal-
guns escravos, que aos pretendeules so moslrar.lo.
Vende-so um muito bem construido lauque de
ferro com duas ptimas torneiras tambem de ferro,
o com a competente grade de madeira para assento
do mesmo ; he excellente para deposito de azeito e
vende-so por prego commodo : na rua da Cadeia de
S.-Antonio, n. 13.
Na loja de Francisco Jos Perei-
ra Braga, na rua do Crespo, n.
3, ao pedo arco de Santo An-
tonio,
conlinuam-so a vender chitas de padrOes oscuros pe-
lo diminuto prego de 100 rs. o covado; pecinhas de
cambraia lisa, a 3,600 rs.; corles de cambraias ada-
mascadas, a 5.000 rs.
Vende-se um boi muilo gordo bom carrocei-
ro, c urna carroga em bom uso : na praga da Boa-
Vista, n. 12.
A' 800 rs. o corte.
Na loja de Guimaraes Serafim & C confronto ao
arco do Santo Antonio, vendein-sc lindos cortes de
fustn, cores fixas, pelo barato prego de 800 rs. o
corte; cassa-chitas com flores, linas o largas, suecas
o inglezas, a 240 rs. o covado.
Vendo-se urna bella escrava, que he excel-
lente engommadeira sabe lavar, cozinhar e tem
principios de costura : no Mondego, n. 78.
Vendom-so dous molcques (|o idade do 12 a 15
annos, tres escravos sem vicio, dezescravas do idade
de'16 a 28 annos: na rua Diroita, n. 3.
~ Vendem-se sapa toes do pala muito bem fei-
tos.e proprios para invern, pelo barato prego de
1,440 rs.: na praga'da Independencia n. 3. A el les,
freguezes.
No armazem do Rraguez, ao p do arco da Con-
ccicSo vendem-so, por prego commodo latas con*,
biscouto de araruta ; charutos cm caixas e borra-
chas do Para ; tudo chegado ltimamente.
Vendcm-se superiores charutos de regala, por
prego commodo, e chegados ltimamente no va-
por S.-Sebasiido, da Babia : na rua do Trapiche,
A' 12,?000 rs.
Na loja n. 5, confronte ao arco de Santo Antonio,
vendem-se ricos corles do chaly do hl.i esoda,- pa-
drOes modernos, pelo barato prego de 12,000 rs. ca-
da corte; riscados francezes finos o modernos, a 240
rs. o covado; zuarte azul encorpado, da fabrica por -
tuguoza, a 200 rs. o covado: esta fazenda he propria
para escravos.
Veride-se um carro do 4 rodas, quo serve par
umou dous cavallos, com seus competentes arrcios
varaos e langa : na rua do Queimado, loja n. 17.
Vendo-so um grande .terreno que tem urna
ptima olaria com bom bairo para todas as obras,
na margom do rio, e pde-se ler 10 ou mais vaccas
de leite.apastar no mesmo terreno animalmente,
na l'assagein-da-Magilalena, defronte da Capunga :
quem o quizer comprar dirija-so ao mesmo terreno
afimdeover.i onde se dir quem vende, ou tro-
ca por escravos. Vende se tambem urna nieia-
agoa que serve de eocheira no becco de Jp3o Fran-
cisco, na Boa-Vista.
A' 7#000 rs. cada urna manta.
NalojadeGiiimar.Tcs Serafim & C, confronto ao
arco de Santo >ntOMJo, n.5.vondem-se manas de soda
modernas para senhora, pelo barato prego de 7,000
rs. cada urna; riscados francezes finos, padrOes mo-
dernos, a 840 rs. o covado.
Vende-se, para engenho ou para fra da pro-
vincia urna preta de 18 annos, que cozinha o or-
dinario de urna casa lava, engomla fazlavarin-
toe todo ornis arranjo de urna casa do familia,
tem leite, por lor parido ha pouco urna cria parda;
bem como outr* que tem 3 annos que por ser fi-
Iha delta se vender tambora : no Forto-do-Maltos,
prensa do Brito, se dir quem ven de.
Trcm de cozinha.
Casserolas, "ianeas, chaleir ? frpgideiraa do
ferro forradas de ouga.' Esto trem do cozinha tem
merecido tanta aprovagno, que sendo a quarta fac-
tura contondo 2,000 pegas, apenas resurti 50. Ven-
dem-se na rua|Nov%, loja de ferragens, n. 16.
Escravos Fgidos.
No dia ii do crtente ( abril ) fugio
um escravo de naci, por nome Pedro,
cornos signaesseguinles : idade pouco
mais ou menos de io annos, estatura re-
gular, cheio do corpo, ps apalhetados, c
\et\ em um dos olhs huma pequea bi-
lide ; tem no rosto uns pequeos arra-
nhdes de andar brigando ; levon calco' e~"
camisa de estonpa j velha. Hoga-sc a
todas as autoridades policiaes, capites de
campo, e mais pessoas,.por quem possa
ser encontrado dito escravo, o appreben-
dam c mandem levar rua da l'raia, n.
68, ou ao. abaixo assignado, na ra D-
reita, n. i, segundo andar, que gratifica-
r o portador com gencrosiJadc.
Jos da Silva Oliveira.
Fugio, no dia 7 de margo, urna escrava par-
da, do nome Valentina, a qual pertence aos bens do
fallecido ios da Silva Botelho e lem os signaos sc-
guinles : bastante alta grossa e bem feita de corpo,
cabello de cabra c corlado como de hornera tendo
na frente marra fas com pentes; tem os paitos gran-
des, bragos grossos, mitos compridas rosto redon-
do com marcas pretas dt bexigas, denles miudose
abertos, e urna cicatriz em um dos bragos: nao so
|nide dar noticia da roupa que levou vjslo ter ella
coiultizidoentrouxada toda a que tinha, inclusive
travesseiro, lengol, meias spalos, &c. A dita
parda foi vista nosAfogados, em urna casa de ran-
cho o consta .nhi dissera quo segua para as Cur-
curanas e de l ira para l'ajah ou para o Corren-
te. Roga-se, portantn a lodas as autoridades capi-
lilos de campo ou pessoas particulares, quo a en-
contraren) a fagam prender e levar a rua largado
Rozario n. 23, primeiro andar ou nu rua das Cru-
zes n. 36, primeiro andar, junto a typographia ilo
Diario, que serito generosamente recompensados.
No dia 6 do correnlo moz^jiigio um escravo do
nome Manocl, de idade 25 annolrle estatura regular,
rosto redondo, nariz achatado; levou vestido caiga
do brim ern, camisa de madapoln, c chapeo de pn-
Iha de abas muilo largas; he multo cacliaceiro, -
3liando est bebado arma ilesonlens, O lie muilo Ino
rilo tem sido vislo n'outra banda, nos Afogados; o
para as bandas do etigenho do Mcio: avisa-so pes-
soaque o tem acoitado, o o Iraz no seu servigo, de
queja lia noticia, eque cm 24 horas p venda restituir
a seu sendor, se nito quizer firar subjeilo s penas di
loi; o roga-se a quem o pegar que olraga a rua da So-
ledade, n. 32, onde ser generosamente recompen-
sado.
-- Fugio, no dia terga-feira, 20 lo correle mez de
abril, um moleque crioulo, com 18 annos, de estatu-
ra media, bem regular em feiges, tendo os beigns
grossos, e a bocea cfleclivainento meia aberta; he
ttaro, o tem o andar um tanto arrastado; levou ves-
tido camisa e caiga do algodflo branco fino, e com
um chapeo de palha grosso;tem a mili forra cm 0-
linila, onde lainliciu mora; qucill 0 apprehcndcr lo-
ve-o a seu dono, Joito Lins Cava lanle do Albuquir-
qun, na rua do Malias-Ferrcira, que ser gratifica-
do.
Fugio, no dia 21 do corrente urna prela de
nome Josepha do gento do Angola ; representa ler i
40 annos, estatura alta bastante gorda cara lar-1
ga andar descansado ; levou vestido de melini
preto ,anda novo, o panno da Costa, azul com lis-
tras brancas ; foi escrava do Sr. Joaquim Antonio
de Parias Bai boza, morador na rua do RangeJ i
quem fui comprada o mez passado : quem a pegar
leve a rua das Larangeiras, n. 18, quo ser recom-
pensado.
Fugio, no dia 21 do crtenle um escravo do |
nome Francisco de 40 annos .altura regular, bs-
tanle barbado ; tem dous denlos arrancados na fren-1
te; lio quebrado de ambas as venidas; levou ca-
misa de algodfiozindo e ccroulas de estopa ; he bas-
tante cachacoiro. Roga-se as autoridades policiaes |
ocapililcsdecampo de o apprchcndercm e levareni
a Fra-de-l'orlas rua do Pilar, n 80, que serito re-1
compensados.
Fugio, no dia primeiro do correnlo urna pre-
la de nagJlo Bcnguclla quo reprsenla ler 30 a 35
annos, cor fula ; levou vestido de riscado aman-llu
j desbolado, e panno da Cosa novo; lem um dedo
da miloesquorda muito torio, por causa de calor do
ligado. Esta preta foi comprada ao Sr. Joflo Frediri-
codc Abreu Rogo c no limdeoito dios fugio. Ilo-
ga-se a todos as pessoas ctapltfles do campo quo a
apprehenderem do levarem a Fra do-l'ortas, con-
fronte ao arsenal de mariiiha n. 143, segundo an-
dar, que scro bem recompensados.
Fugio, no dia 23 do crrenle um moleque ,
do nome Constantino baixo, grosso, de 18 annos;
levou jaqueta o camisa do ganga azul, caigas de
riscado do quadros.j velha. Pede-se as autorida-
des policiaes, qu a outra qualquer pessoa a sua
captura, levando-o as Cinco-I'ontas, padaria. n. 154.
BWB!
i
PEB.W
TYP. DEM. F. DEFAMA. \^\"'