Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08769

Full Text
mmi
Unno de .817.
r,,eni '" F ...-rtel ptci" ndinnladnx. onn-
tjn0n "CTiln-me, rt. ft.eriH.Hi < ...
n,,n rllnl.a. 40" era Upo ddlViwiie, e ai
'"'.'.'.C pe >e",,,e- I"" nI I'r"" '"'8*
"P *m.ir3o 80 r* porliuh, o 160 em ijpo
PHASES DA LOA NO MEZ. DE ABRIL.
- R o 41 min. da tarde.
Mingoente.^ ^ ^ howi man|,5,.
''"* ""i. 3 i l>ore e48 anin. da manlia.
Segqnda-feir 19
PARTIDA DOS CORREIOS.
jOinMe paraliyba, s segundas eseiUsfeiras.
Rio-Grande-dn!Norte quintas feitas aomeio-dia.
Cabo, Sevioliiiem, Hio-Formoso, Poiio-Calvo e
Maceiri no I .*, a 11 e 21 de caita mc.
Gm. iluins a Rouito. a 10 51.
Boa-Vista e Plore a U SI.
Victoria, as quintal ferei.
Olinda, todos o* das.
PBEAMAR DE BOJE.
Primeire, 1 7 liorai I! minutos de larde.
Segunda, I hora, e o minutos de manida.
de Abril.
Anno XXIII.
N. 87.
DI.'.S DA SEMANA.
19 Segunda. S. rocrate. Aud. do J. do. or-
nbSoa, doJ.doc d.'v.edoJ.M.da Jv
50 Terca. S. Acerad no. Aud. do J. doo.v.da 1
t. e do J de pai do i 'list. de t.
21 Quarta. S. Ancelino. Aud do >. no ctv.
rta J r e do 1 .le par. do J di.l. de t.
M Quinta. 8 Soler. Aud do J. de orph.,
do J. municipal da I rere.
II Sena. S. Jor.e. Aud doJ. docitr. da I.
y. edoJ. de pea do l.di*t. de l
14 Sabbado. S. Honorio. Aud do J do Cir. da
l.v. edoJ de nai do I dt. de t.
JS Domingo. S. Mreos.
CAMBIOS NO DA 17 DE ABRIL.
Cambio sobre Londres de JO'/, a % d. p. t# r*.
a Par. ri. por franco.
L"bna 0 de premio.
c.c. iteleltrai de boas lirm.s I '/, p.*/
Oiiro O..CiS iMpenlioJa. ... taiSflO

. > de t jiOOO.....
Pro-la Pataco*. .......
a Pesos columnares...
u Dito, mexicanos ...
Miuda......
Moedn.de ai 100 el1.. lf*oo a
* de 6lt0i> nov.. l8#lW a
MOM "
ignto *
i/000 a
.mn
. ,slM.
A cedes da comp. do lleberibe de SOf 000 r.
ao mei.
Jfnn
.SO*
tefoo
as i oo
Jioto
J|10
l}7n0
l0
i.*pr.
DIARIO DE PERKfAMBUCa
___INTERIOR.
HIO-OE-JA-NEIRO.
NOTICIAS DIVERSAS.
Foi liontem (7 de abril) o dcimo sexto annt-
versario ta exaltarlo do Sr. D. Pedro II ao throno
do Brasil. Por I fio fausto motivo dignoti-se SM.a
Impcratriz receher no paco da Roa-VisU as muitas
nessoas de distincclo que all concurreram para
ler'em a honra de beijer-lhe a m8o; e estiveram
embandeirada e salvaram as fortalezas e os vasos de
eucrra naciones eestrangeiros surtos no porto, to-
tmando parle tiestas domonslracoes do publico rego-
Vi0(l fragata americana Columbio, a borde) da qual
trmula o pavilhfio do com.nodore Rousseau, e o
brigue de guerra fambridge.
-_ Asdatas que temos de Campos alrancam s-
mente a 24 do passado fmarco), caponas nos do a
noticia.de ter ebegado all S. M. o Imperador naquel-
1c mesmo dia no gozo de perfeita saude.
O Cvmmtrciul Campista do dia 2+ transcreve ose-
gninteedital:
Acamara municipal desla cidade fat saber que
teve o grata noticia de que S. M. o Imperador faia
sua entrada nesta dita cidade hoje depois do meio-
dia; mas, no lendo a mesma cmara certeza da ho-
ra, tem eslabelecidoo signal de repiques de sinos na
icjeja deS. Francisco prn annunciar aapproxima-
cfindeS.M. i portant adverte a lodos os cidados
em geral, e com particulaiidade aos por ella convi-
dados, que naotvorem ido antea esperar a S. II.,
que, logo que se pratique o dito signal, devem con-
concrao lugar em que a cmara tem de receber o
mesmo Augusto Senhor, que he no prtico do ra
Diteita, fniman.lo-seos meamos convidados em ajas
desde esse ponto at a diia igreja, ondeS. M. so dig-
nara ronder gracas ao-Totlo-l'oderoso. E para que
cheguc ao conhecimenfodc todos, mandou publicar
esto. Campos dos Goitacazes, 24 de gtarco de 18*7.
- O presidonle, J. U. l'inMro. O secretario, M.
R. dos Simios.
S. M. o Imperador cencedeu o seu txtqualur a
patente que o goveno do Chile expidi ao Sr. ca-
valleiro <:arloa von liochkoflor, nonieand>o cnsul
ellectivo do dito estado nesta corle.
Os Srs. Theophilo Benedicto Otloni e Honorio
Benedicto Ottoni pedirm privilegio por oitenla an-
nos para a navegagao o commercio do rio Mucury.
Rahecen ante-hontem (1. de abril;, e scpul-
ton-c bonlem na igreja da ordem terecira de Silo
Francisco da Penitencia, o Sr. marquez do l.ages,
concelheiro de estado e senador do imperio pela pro-
vincia do Cear. ,
S. M.oreidosPaiies-Baixosdignou-se conde-
corar o Sr. Ignacio Correia do Vaseoncellos, pre-
sidente da provincia do Cear com a commenda
da ordem da Corda de Carvalho, o o Sr. 1." l-
ente Jos Maris Rodrigues com o habito da or-
dem jlo Leflo Jveorlandez, em remuneraeflo dos va-
liosos servidos que preslaram por occasiAo do nau-
fragio da galera hollandeza Jan-Hendrick que se
pcideo em 1845 nos rochados de S.-Pcdro >
Airmou-se lia dias que urna frca oribista com-
posta de 800 homens se apoderara de urna porfo
de territorio brasileo, junto ao arroyo ouilhas de
Slo-Liiiz, comolguns Ihc cliamam, prximo a Ba-
g o sobre a linha divisoria que separa a provincia
po Ro-Grande-do-Siil do Estado-Oriental.
Accrescenta-se que ocommandanle da ossa fron-
leira cotnmuiiicara imiuediatamento ao presidente
da provincia este acontccinienlo imprevisto, inox-
[ilicavel o ofTensivo da dignidade c soberana do im-
peiio, equeoSnr. Calvfio osubmeltera ao conheci-
mento do governo.
A verilicar-se esta noticia, nenhuma duvida pode
baver de que o governo imperial salvar o decoro c
os direilos do Brasil, repcllindo com energa a usur-
paefio do territorio do imperio.
A Gazela Oficial de 5 do corrente diz o seguinto :
a O presidente da provincia de S. Pedro do Itio-
oGinitde-com'niunicou, em olheio de 11 demarco
u prximo passado, ter recebido noticias, por ol)|-
t ciaes Chegados da campanha, do liaverem os Ori-
entaes, ao mando do coronel Valdez, evacuado o
u territorio denominadoilha de S.-Luiz.
Em urna caria de Boston que bonlem 28 de
marco i nos foi oommunicada, temoso seguinte :
OSr. Wise lie retirado do Rio-de-Janeiro, uir
assim o ter pedido. Sub.stitue-o, como ministro
plenipotenciario nessa corte, o Sr. i. V. Ilodges...
Pelo vapor de guerra inglcz tirebianrf livemos
bonlem 28 de marcoj folhas de Montevideo de 15 a
20 do correle.
Neste ultimo dia tinham-se recebido oliciosdo ge-
neral Rivera, tuinuuciaiidoquo a sua divisito eslava
reorganisada, o que ia entrar om opcracOcs. Os
barcos que de Montevideo se Iho cxpediram para
tiansporiar os seus soldados ja tiiihum ebegado a
Mailiii-Gatcia. O coronel Pozlo, que finita ido
conferenciar com Rivera, era esperado a cada mo-
tlenlo om Montevideo, e logo que ebegasse tomara
contada pasta da guerra. ,' ,, j
A'cerca do prnjeotado alaquo contra Maluonado,
nada oizem as folbas de Montevideo que temos a
vista O Comercio del l'laia do dia 19 aiinuncia pe-
nos que as noticias que tinha daquella praca alcan-
cavam a 17, que nenbuma novidado havia, o que o
inimigo so tinha jetuado para S.-Carlos.
Os otlicios que depois dos successos do Paisandu e
Salto enviou o governo de Montevideo ao general
l'iquiza, foiam remettido por este, sem os abrir,
ao general Oribe, para que, lambem fechados, os
recambiasse ao governo .le Montevideo IXodia 12
Papresentou-se nos postos avangadosda praqa um c
aa
fcial oribista com bandeira de parlamentario, e fez
entrega dosses ofllcios, retirando-se immediata-
mente.
0 Sr. D. Santiago Vasques, nomeado ministro ple-
nipotenciario do governo oriental junto ao governo
imperial, tenejonava sabir para esta corte nos pri-
memos dias de abril. ^
De Bnenos-Ayre ha datas at 16 do corrcnl* D.
Manoel Rodrigues, ministro de Bolivia jtintaao go-
verno argentino, tinha sitio oncontrado morlona
ra. Eis como o Comercio del Pial do dia 20 refere
esse lamcntavel aconlecimento : .
Um novo e espantoso crimo acaba de ter lugar
na opprimida cidade de Buenos-Ayres. Na mandila
de um dos ltimos dias, recolheua polica na mar-
gem do rio ao p da casa em que habilnu o ministro
inglez Mandeville, o cadver de 0. Manuel Rodr-
guez, ministro que foi do governo boliviano junto
ao governo de Rosas.
Quem foi o autor deste oltenUdo '
O cadver enconlrou-se com unta fonda de sa-
br na eabeca, a qual occasiouou a morle : esto re-
lo, e odeachar-so o cadver em um lugar solitario
dos arralraldos da cidade, provatn que Rodrguez
uno se suicidou, como parece quo alguna nculcatn.
Tilo pouco se podo cter que o crime fosso com-
mettidocom o fm do.roubaro morlo; potsqua se
lite encontrou o seu relogio e caflea de pudras pre-
ciosas, e o seu vestuario completo.
a Carecemos anda de dados suHloicnlcs para lor-
mar um juizo sobre este crimo horrivel; porm lo-
mos quantos baslam para suspetar que a arma que
ferio Rodrguez foi dirigida pela mesma miio que
armou o braco dos assassinos do general Quiroga,
que preparou o veneno do governador Lopes, quo
enterrou o punhal no pcito do presidente Mat... O
es-ministro Bodriguez tinha tomado parle intima
pos concelhos de um tyranno; possuta sem duvida
segredos importantes que poda revelar no exteri-
or; e cssessAo, nos annaes do despotismo, moti-
vos .sulllcientes para alcancar a sorlo desla nova vic-
Como nHo ha agora nenhum agente da Bolivia,
he provavel que llosas se apodere dos seus papis,
com o innocente fi.n de inventaria-los, e conserva-
los ntocio. para os enviar ao governo boliviano, in
este um novo indicio para suspetar quem pode ser
0?a"rle. alm disso, um sanguinolento desafio lan-
cadoao rosto da repblica da Bolivia. lie um aviso
loqiiente ao povo de Buenos-Ayres, se se ti ver^es-
quecido e que he Rosas quem o goyorna : llosas o
governador com facuidades extraordinarias I
o Entretanto he mui provavel que os cartas quo
dalli se escrevem continuem a repetir : Br conina a gozar tranquillidade.
Carlas de Corrientes, de 7 de fevereiro, confir-
mam a noticia que publicamos, de ter ordenado o
oovernador Iladariaga que a divisa azul o branca
F.sse substituida pela divisa encarnada do general
llosas. Parece, po!s, evidente que &"*"
melle., i.iteira.nenlo ao dictador toJfiWgrW*-
Da Uruguajana communicam em 17 de te\eretto
que o general Paz sahira da Assumpcilo em 20 de Ja-
neiro, e quo no dia 5 de fevereiro entrara no terri-
torio brasileo pelo paso de S.-Nicolao.
O paquete inglez ri/fon linha cl.egado a Buenos-
Avres, e era esperado de volta em Montevideo no da
22 brii-.ue de guerra americano Bainbridgt sabio
de Montevideo para o Bio-tlc-Jaiieiro no da 1, ea
fragata Columbio no dia 21 do correle.
-_ Pelo briguc do guerra americano lambndge,
entrado de Montevideo, recebemos urna sene do: fo-
lhas que prcenche a lacuna que oxistia as noticias
datiuttlla'ciilailf. .
Os oribistas atacaran. Maldonado no da 7 do mar-
Co e foram repellidos. O Commercio del I lata publi-
ca o seguinte extracto da parto oflicial dada pelo
conrmaiidaiile daquelle ponto ao governo de iloute-
a A's 4 horas da madrugada do dia 7 appareceu
o inimigo lias imniediscOes da cidade com urna fr-
ca de 1,000 homens. A companliia de infinitara do
n 2 commandadaporseucapitflo Vallejo que oc-
cpava a quiula.de Aguilar, recebcu or.lem de sa-
bir para se Ihc oppr; e com o mesmo l.m sabio a
coiupanhia do n. 3, commandada pelo cap tilo I ivas,
coiii um piquete dccavallaria, por entro a cnlade e a
praia, e una companhia desla arma polo lado do oes-
te. A cavallaria inimiga foi repellla pela compa-
tible queapecupava a quinta do Aguilar; porm, tor-
nando a reunir-se en. certa distancia, e confiada em
seu numero, airemecuu-se decididamente sobre os
nossos infantes at o ponto de empregar as langas. A
valenta dos nossos soldados o o acert da nossa or-
lilbaria contiveratn o inimigo, que em tilo arriscada
poscHo levo de fazer app..recer a sua inhnUna e ar-
tilliaia, que linha conservado occulla detrs do um
ooleiro.eenlfiotoda a nossa frca recebeu ordem
nararelirar-so. Vendo sso o inimigo quojase acba-
va entre a praia e a cidade, ntentou ataca-la por esta
Irenle, atchegar a utna pecado artilliana volante
.no rstava collocada nesse ponto; porCm urna ror#-
ca de llespanlies c Vascos quo o cobriam, o a quo
vinha em retirada, fizeram abandonar ao tnimigoo
utaque. A nfaiitai ia que tinha ocupado a quintil de
Aguilar. pz-se etn marcha para a cidade; porm a
nossa arltlharia f-la retroceder vergonhosamonte,
assim como a sua artilharia, cujo fogo Izamos calar
(inmediatamente, desmontando-se-lhe una peca.
a O inimigo, ja desanimado pelo mo resultado
das suas emprezas, fez cessar o fogo as 10 f horas,
permanecendo nesta posicfioate ao meio-d.a, hora
em que se relirou para o seo acampamento. Do Hol-
l lornou a vir sobro a cidade, fazendo um fogo m-
cerlo, quo foi desprezado por nossas avancadas.
a A perda do Inimigo nao he menor de 60 homens
fra de combate, contando-so entro os mortos o to-
nente-coronel Caballero eoutro odicial cujo nomo
se ignora. Da nossa parle, tivomos fornicio sargen-
to-mrcheroda artilharia I) Mariano Ved.a, contuso
o tenento do n. 3 D. Jos Maria Pagla, equatto
soldados mortos o cinco forillos.
i Sflo especialmente recommendados na parle oiu-
cial o sargento-mr San Vicente, os caolines Vall.-jo
ellivas, os voluntarlos hespanhes, franeczes, vas-
cos e italianos, e o piquete do cavallaria, assim co-
mo a nossa tropa de linha. Tmbente aflOO tenen-
te-coronel D. Vicente Carrion, o lente Roldan o o
cgundo-tenenle Burgos, dislinguindo-se o lenetiie
Roblan por seos acortados tiros. Km geral a tropa e
lodos os chefescumpriram como seu dever. us rs
coinmanilantesdos navios ta estacHo conlrihuiram,
como sempre, mui erflcazmeiilo para a defensa ua
praca. ...
(Jornal do Commercio.)
Por decreto do 17 do corrente (margo; foi no-
meado 1.* medico do hospital militar o medico da
imperial cmara Dr. Joacruim Vicente lorres Ho-
m --Est demiltido do cargo de contador .la thesou
raria das Alagdas Miguel Alves Teiv-tra do Mm.don-
Qa, sendo ..ornead., para subslilui-lo Manoel Carnoi-
ro de Sniiza l.acerda.
___Pelo ministerio du imperio mandou-so ao-
nar, por tres ann.is, a gratificarlo de um cont tle
r'is aiinualmente ao esludante de archilectura na
academia de bellas arles Francisco Elidi Pamphiio,
que vai aperteicoar os seus estados em Ruina e Pars,
leudo tle viajar a llalla, e fazer urna digressao por
aples, Pompeia, Herculanum, etc.
Onossoencarregado do negocios interino em
Copenhague participou ao governo que ia partir
para esta cArte O subdito dinamarqttez Carlos Oal-
IbielClausercomo fim .le solicitar autorisaQilo pa-
ra formar no Brasil um estabelecimenlo de colonos
dinamarquezes. ,. ,
- O governo ordenou aos presidentes das provin-
cias de Saiila-Catharina e S -Pedro que lecommen-
dem s autoridades das ditas provincias que pres-
ten ao Dr. Blomenan luda a coadjuvaQaoao seu al
aforamentos s vigorarflo depois de approvados pe-
lo presidente da provincia. _
Foi lida e remellida commissao de instruccBO
publica a seguinlo indicaQilo :
Indico que a commissilo do instrucgno publica,
examinando escrupulosamente os documentos quo
serviram de pretexto jbilacao de Vasco Mantillo
Falcilo, proressor deprimen as lettras da freguezia
de Silo-I.ourenco dn Tijucupapo, concedida pela le
de 8 do niaio do 1843, inlerpoitlia o seu parecer acer-
ca da legalida.le ejustica com que foi decretada dita
lubilaeflo, tendo para isso em vista o disposto no ar-
tigo 10 da lei do 10 de junhode 1837 ; e que, no caso
de illegalli.ladc, proponlia a revogagao desse acto.
S. R. Cunan Machada.
OSr: 'residente nomeia para membro da commis-
sil do redaccilo aoSr. Sainpalo e para a de contas
e despezas municipaes o mesmo Sr. depulao e o
Sr. lloclla. ,
U Sr. Hego Monteiro requer que soja nomeado um
membro para acommissSo dofazenda eorgamento,
a que pertence, e quo soacha incompleta com a au-
senciadoSr. Peixolo deBrito.
OSr. Hresidtnledeclara que tomara na devala con-
sideracilooroquerimenlodoSr. depulado.
Le-se eapprova-se sein discussSo a redaejao do
projeclo n. C deste auno, que cria urna caisa de eco-
USr. Nunes Machado, depois dealgumas observa-
ces, manda a mesa o seguinte requeriineuto :
.. Reqiteiro que se de para ordem do da o projec-
lo quo trata da restituido do territorio chamado
Caranguejo, da freguezia do Bezerros. S. R.
Atina Muthado. ,
ApoiaJo entra emdiscusso, e heapprovado, de-
pois de haver reflexionado sobre elle o Sr. rerreira
Brrelo.
ORDEM DO DIA.
Conti'nuacdo da ierceira discutido doprofecto H. 12.
Vai a mesa a aeguinte emenda :
a Reinstaure-seo artigo4.* Pettoa.
Apoiada, entra em discussSo.
O Sr. Reg Monteiro: --Senhor presidente, lenho-
letll ao Dr. Illomenail lona u toaijuoV.y- -. u or. nCju ,.i..ic..o. --oo....w. ,..Y.....-, -------
canco para o botn desemponho do objecto que o me 0pposto a este projeclo em sua generalidade, a
trouxoiio Brasil, isto be, o estabelecimenlo de col- Clisa lem ouvido as tninhas fracas rcflexoes contra
i i............. ..i....... ...tr.i.iitn oiiB/ar de. ennsorvaras mesmas
lias agrcolas de Allemfles.
0 :Sentinella da Monarchia.)
RECTIFICACAO.
Nos apartes dados pelo Sr. Joaquim Villela ao dis
curso doSr. Joaquim Nunca Machado, publicado no
numero antecedente, pagina segunda, columna ter-
ocira, linha 27, em lugar tle- hila pode aboltr tem
inconveniente? leia-so hiles pudem abolir sem tn-
MNa mesma pagina e columna, linha 130, em lugar
do Posto desejar os bent dot outros ? Icta-se -
/Joiso dirigir os bens dos outros ?
SF-SSAO EM DE ABRIL DE 18*7.
rtlESIDBNClA DO SR. .ODZ TSIXEIRA.
SUMMARIO. Chamada. Approvacdo da acta datet-
sdo anterior. Expediente. Apresenlardo de um
projeclo da cnmmissuO depeticSes. Jnd/cacdo do .Sr.
, Cunha Machado. Nomeicu de um membro para a
cnmmitsdo deredaccao, ededous jmra a de contte
detpezat municipaes. Requerimentos dos Srs Hegn
Monteiro e Punes Machado. Apnroraco da ultima
reduce/lo do projeclo n 6. Adopcdo do projeclo n. 12
em t-rceira discutsdo; e do de n. 18, em segunda.
Dispensa de instersticio para entrar na oritem do da
da setsdo seguinte o segundo destes duut projectos.
As Jl 1/2 notas da manha, o Sr. 1.Secretario faz
a chamada, o verifica estarom prsenles 20 Srs. dc-
putados.
O Sr. Presidente declara aborta a sess.lo.
O -Sr. 2.' Secretario l a acta da sesso antecedente
que heapprovado.
O Sr. i.' Secretario menciona o seguinte
EXPEDIENTE.
Um oITlcio do secretario da provincia, remetiendo
a informacao da administrac^o do patrimonio dos
orphaos, acerca da prelonco de Joanna Mana dos
Santos. A' que fe* o requitiedo.
Um rcqiierimcnlo, em que a viuva Mana da Peni a
de Franca poda se Mo mande pagar a quanlia de
00,000 ris que, como exposla quo era solhedevia
dar etn doto piando eHeiluot. n seu casamento. -
A' commitsdo de contal e despez* provinciaes.
Outro, em que Uornar.liiio Nunes d Oliveire, arre-
matante do dizimo dos cocos do municipio .Je Sen -
[II j 1T lilil UIII |ri'l"vu -. -------------- j
torisando n administrailo do patrimonio dos or
pbaos a aforar a Joanna Francisca dosSantos o sillo
do lugar deParnamoiriiii, deque a mesma estado
t ,1 3.1 lUHI OU'IUW "& III'" a.-w -"---------------
elle; no entretanto, apezar de conservaras mesmas
conviccOes, hesito om proseguir nessas rertexoes,
porque consta-tne quo existe urna portara do tne-
souro publico, que prohibe expressamenle aos em-
pregados geraes encarregarem-se de arrecadacoes o
diligencias provinciaes, obligando a lodosa nflode-
sempenharem a missSo, ainda mesmo que Ibes seia
incumbida por lei provincial ou pelo presidente da
provincia. Se esta ordem existe, oque me sorpren-
de, entilo desapparece urna das causas da minha,
opposifilo e com rasllo hesito em insistir nella. Co-
nbeco os embarazos que vai causar ao commercio a
creacodcuuia reparticflo separada do consulado;
mas, se mo podemos obrigar os empregados genes
a se encarregarem dearrceadardirettos provinciaes,
se ellos se devem negara isso, cnlilo he toleravel a
creacAo dessa reparticilo, porque he de nossa obri-
gaclo liscalisaros d'rcitos provinciaes, esoesUmoa
privados do protvrovcr a fiscalisacao por meio da-
uuelles empregados; nHo podemos deixar de crear
outros, para que a arrccadacilo se faca com toda
exactidflo e presteza, oafimdeque as partes sejam
aviadas com promplidlo. ... .
No projeclo creava-se o lugar de administrador; a
casa, porm. volou contra esse lugar; e comquanto
eu, que votei contra lodos os artlgos, a acompannasse
nessa votacao, o por conseguinte no juizo que a seme-
Ihaitlerespeito ella formara, agora quo reconheco a
necessi lado da reparticilo, sou forcado a pensar por
modo divorso, o a proniinciar-me pela conveniencia
de senielhanto emprego, pois que enlendo que, a
crear-s urna reparticilo que, como a de que se trata,
ha de ter inultos afazeres, e por consoguirtle um
grande o complicado expediente, deve-se dota-la do
lodos os runecionarios quo precisos se tornaren! para
que esse expediente seja frito como cumpre.
O consulado provincial, estabelecido segundo
prescreve o projeclo depois de emendado, nao pode
proencheros seus ns, por isso que flea sem os em-
pregados do que neeessita, sendo que, como emou-
tra occasiflo observoi, os 4 escripturar.os que tem,
devem de ser dislrahidos do expedienle, para irem
curar la collecla, nos mezes do Janeiro o fevcre.ro
que silo aquellos em que esso expediente mais pesa-
do se torna por serom os mesmos em que maior he a
safra, e mais volumos ha a despachar. Ilrverdad utie
esta i'epart.cflo tem tle *"* nuenses da ihesoorar.a provincial que della te vflo
eslmar mas, mesmo assim, creio que o, numero
mlobesulrcienlea v.sta das rasOes que fien ex-
''"'n'm se diga, Senhor presidente, que contn es-
sas r sOes prevalece a de serom tres empregados suf-
(cienlespara liscalisare.n, na mesa do consulado ge-
r,l osdlreitosa quo ostao subjettus os gneros de
ewoVtaoM porque abi estes empregados apenas
deste servico se oceupam, o os da nova repart.cSo
ido ao vio sor incumbidos dessa parto do expedien-
i.___. I. .. .ti.,! .l.i- t.ri'ilta^ iirhinnG a
nbiem, pedo un. abate no prcen daid.la "e'"*l como tambem da collecla dos predios urbanos e
fu-mando o seu pedido **?**^Jfilm ,|e diversas arrecadaSOes. NOo me animo a mandar
mmente marcfVZrLr 3 emenda alguma a ul respeito; mas quizara quo os
o, ^^^*"* 3;" ^S a nobres autores do projeclo aulor.sassem oprosiden-
,.i jo gado objecto de del b u. c. o mamhulo a no crear para ossa reparlitjao mais t ou
imprimir um precio itacommi*ao ascr'nturarios. uondoessa creacao dopendente da
escripturarios, pondo essa creacSo dopendente da
pprovacao dosu assembla, ou que determinassem
me os 2 amanuenses tivessem essa calogoria pan
feodatentos foretn reconhecidos dcsvanlajosos pe- escripturar.os; acerca, porm,do chefe da reparli
"referida^ administrado; e declarando que esses I c,*o, inspector, administrador, ou como lho qiuzNM
I
1'
'.
11
m.
m
MUTILADO



2
chumar, acho do necessidade a creaco de semelhan-
te lugar, por que roconheco que o escrivflo, a cujo
careo est o langa Tonto da roceita, etc., etc., nfio
pode, sem que nndoc.i o servico, accumular n estas
fnnrcOosqncIhn silo privativas, as de dirigir a ro-
partieflo, despachar os reqiierinientos las partes, c
desempenliar Indo o mais que compete ao chefe de
una estac.lo de arreradacio que qner cumprir com
os pesados d.everes do seu importante emprego.
O Sr. Jo$ Pt'lro: Quer mais empregados i"
O Sr. lego Monleiro: Assento que he indispensa-
vel mais esse emprogndo. E, Sonhores, se ha ordem
do ministro da fazenda, que prohihe a arrtcadagao
dedireitosprovinciaos pelo consulado geral, o quo
fazer.'
OSr. Jott Pedro: --Alei de 3 de outuhro de 1831
contraria ato; e um ministro nfio pode derogar
un lei: o presidente da provincia est autorisado
por lei para enenrrepar a alzuns empregados geraes
a arri'Cadaefio de direitos provinciaes
OSr. Reg Monleiro: Sim, Senlinr, he verdado:
mas com essa teimn vamos suscitar um conllicto en-1
Ir os emprepados geraes e o presidente; vamos for-
ga-losa escusarem-sc, ou desobedecerem....
O Sr. .o Pedro: A quem t Ao poverno pro-
vincial nilo pndem desobedecer, em virtude da lei.
O Sr. Vega Monleiro. Mas existe urna circular,
que cu nao li, porm que me dizem viera prxima-
mente, prohihindo aos emprepados geraes o encar-
regarem-sc de arrecadaces e diligencias provin-
ciaes ..
OSr. Kunrs Machado: Se o nobre deputado quer
ler......
OSr. Pego Monleiro: Com muitogosto.
OSr. Josi Pedro: Lea, leia, por via das duvi-
das.
O Sr. llego Monleiro: Nao me encarreguei de
sustentar o projecto; mas, se existe ordem, para que
os emprepados geraes nfo se encarreguem de com-
misses provinciaes, entilo o que fazer i1 Vuu ler o a-
visn. (IJ.)
Notem os nohres deputados que cu nfio tinha vonta-
de de votar por este projeclo; a casa vio que Ihe fiz
constanto opposjgfo: mas o que quero agora he li-
vrar-me deste embarace, he fazer com que as rendas
provinciaes nfio deixem de ser arreradadas o lisrali-
sadas. Vejo qno a lei de 3 de outuhro de 1831, a que
so refere o nobre deputado, da, no 7 do arligo 5.-,
l'aruldade aos presidentes de provincia para com-
metlerem a emprepados geraes negocios provinciaes
ou vice-versa: dou toda a importancia a lei, e era
esta a rasflo por que me oppunha rreagffo da nova
reparlicflo, pois entenda que, porlemlo continuara
ser frita pelos emprepados geraes a arreradagao que
a ella se incumba, desnecessario era gravar o com-
mereio ea agricultura com osembaragosqueuma tal
rreacfio deve de causar a estas importadlos fontes
da rique/a do paiz: maso que hei de fazer agora
que tenbn seieneia desla disposjglo do ministro, e
nilo desejo suhjoitar as rendas provinciaes ao aban-
dono, por nfio terem quem as l.scajise, pois os ein-
pregados geraes podem dizer: a nos nfio queremos
arrecadaros impostos provinciaes; e o presidente
que lem a faculdade do mandar ou nfio, pode optar
pelo segundo arbitrio? Neste apuro tenho de volar
pela idea rardeal do projecto: e nem creia a cmara
que fui fcil cm mudar de opiniiio, pois ella ve o ein-
baraco em que estamos. Resta-los? cuidar dos meios
do mellinrar o projecto, e disso vou tratar.
Contino a ler duvidas sobre ns dispusieres dos
artigos 7., o 8', e como desejo ampliar as de um,
o esclarecer-me sobre as do outro, permilta a
casa, que diga maisalguuia cousa.
O artigo 8 manda quo serie urna rapatazia pura
os saceos de algodo; eu, porm. continuo a ter so-
bre esle artigo as mesmas duvidas que ja expendi a
casa, e que consislem cm saber se com esta dispo-
sieflo, ou rom esse onu$ de 320 ris que se lem de pa-
par nacapalazia, lica o agricultor ilespenso de papar
500 ris ao prensario..... Isto apora hecom o Sr. No-
nes Machado; desejo quo me do una explicaco so-
bre isto,
0 Sr. Nunu Machado: -- Eu satisfarci ao nobre de-
putado.
OSr. Reg Monleiro: ....'Contino a ter as mes-
mas duvidas que ja expendi casa sobre a doutrina
do ai ligo 8."
Cada sacco de algodfio paga ao prensiirio que o be-
neficia, c recolhe, 500 ris, e o negociante paga ou-
tro tanto ou 480 ris polo beneficio do tratanienlo;
creada a capalazia, nao sei se ella se encairega do
todo esse honeficiu ou se s da bragagem, isto lio, de
levar o algodfio inspecgfio e a balanca. Se ella
SO encarrega de todo o beneficio, rerolhimento o
bragagem, he vantajosa ao agricultor; se nfio se en-
carrega de ludo, como nfio pode cnca rogar-so, lem
o agricultor de.supportar mais esse onus; digo que
nao pode encarregar-se, porque, chegando, asvo-
zes, o numero das saccas a 10, 15 e 20 mil como
tcm acontecido, e n.to havendo um edifico para as
recolhcr, succeder que, alm desses 320 ris a capa-
lazia, pagar o agricultor os 500 ris a prensa quo
as recolhe, o as beneficia, seccando-as, eiriprensan-
do-as, etc., ote..... Espero resposta.
Ainda farei a casa oulra pequea rcflexilo; e acer-
ca do objecto sobre que ella versa, tenho do mandar
urna emenda a mesa.
Os empregadus da mesa do rendas internas, de
conformidadecdm o projecto, vilo ter urna nova dc-
nominaeflo, porque passam para a mesa do consula-
do; paasandn para esta mesa silo ohrigados a tirar
novos ttulos, e por consequencia a fazer novas des-
peza: mas ni julgo que, como os mandarnos pa-
ra essa reparlicao, niio por vontado ou a requeri-
niento delles, mas por conveniencia do servico, de-
vemos isenta-los "le pagar este imposto...
O Sr. Ferrtira Nrrelo: He muito rasoavcl.
OSr. Reg Monleiro: Mas, quando passou a le
da creacSo da mesa das rendas internas que a ella
mandava ligar os empregados das extinctas col-
lectas, estes empregados foram obrigados a tirar no-
vos litulos, ea pa O Sr. I'erreira brrelo: Isto podo acontecer;
mas he gravoso ao empregado, e injusto.
O Sr. Reg Monleiro: Tenho finalmente de fallar
sobre o artigo7, cujas disposigw tenciono ampliar,
o que aulorisa um ou dous pontos de embarque alm
dos existentes.
Julgo que se deve admittir tres 6u mais pontos de
rtHT??e{ U anle8,de 'Peccflo; porque, se o pre-
sidente julgar que dous pontos so bstanles, elle os
n^os,oT,?mlB'B,.eS.e Pel.co,'l""->. entender que
n.lo sao sufficienles lera aulor.sagao para oslabelc-
ce-ios; por isso proponho que se Ihe de faculdade
para crear dous ou tres pontos de embarque ou ins-
pecgfio, de maneira que o commercio ntto encontr
entra ves em sua marcha.
Neste sentido mandarei mesa urna oulra emen-
da.
Sflo lidas, e appoiadas as seguintcs emendas do Sr
Rogo Monleiro.
Ao art. 3.* Os empregados da mesa do rendas
internas nada pagarflo por se-us ttulos .
Aoart. 7." Em lugar de umou dous pontos
de embarquo dica-se de dous a 3.
O Sr. Nunrs Machad demonstra as vantagens que
devem resultar da crcagffo de uma capalazia em a
nova mesa do consulado; faz ver a necessidado e
conveniencia desla reparlicAo; o conclue declaran-
do que, assim como ha de prestar o seu voto aquel-
la das emendas do precedente orador, que isenla do
pagamento de emulumentos os novos ttulos dos em-
pregados quo da mesa de diversas rendas passarem
para a quo so vai crear, nega-lo-ha i outra quo diz
respeito aos pontos de embarque.
OSr. Reg Monleiro diz que as rasOes apresenla-
das polo precedente orador rf!io o satisfizeram, e in-
siste as suas Ideias a respeito da rapatazia.
Encerrada a discussflo, ho o projecto approvado
cm 3." discussflo, com as emendas do Sr. I'essoa, e
a doSr Itego Monleiro ao arligo 3.; sendo rejeila-
i discuti do priijecln n. 18 que orea a receila e fi-
xa a d'>pe;a municipal.
Art. 1. A despeza das cmaras municipaes da
provincia, para o anuo municipal do 1. do outuhro
de 1817 a 30 de setembro de 1818, he lixada na quan-
tia do............46:523,257
A requerimento do Sr. llego Monteiro, he adiado
para o lim ila discussflo.
Art. 2.o ,\ cmara municipal da cidade do Recfo
he aulorisada para despender com os objectos desig-
nados nos seguidlos a quantia do 25:378,397
A saber :
1. Com o siftretario. 700,000
2. Com o contador. 600,000
3. Com o porteiro. 500,000
4. Com os 4 ajudantes do porteiro, ten-
do o que fui por ultimo creado 400,000 rs.,
dous a 500.000 rs., eo que serve do portei-
ro dos jurados 550,000 res. 1:950,000
5 Com o procurador os 5 por cento na
forma da lei. 1:208,397
6 Com os fiscaes das freguezas de
S.-Antonio, S.-Jos, Recite, e Boa-Vista a
550,000 ris cada um; l'oco 400,000 ris,
Afogados 300,000 ris, S.-I.ourenco c Ja
buatffoa 150,000 ris. 3:200,000
7. Coinoengenbero cordoador. 800,000
8. Comoadvogado. 400,000
9. Com o cirurgilo do partido. 500,000
10. Com o aluguel da casa do suas ses-
sdes. 400,000
11. Com o expediente, inclusive, a im-
prcssPto das actas o mais papis da cma-
ra. 400,000
12. Coma decima dos predios urbanos. 850,000
13. Com o tribunal do jury, o eleces. 1:000,000
* 14. Com as cusas dos processos crimi-
naos, a que he suhjrito o cofre da munici-
paldade, e contravenci-s do posturas. 2:000,000
t 15. Com o forneeimenlo de luzes para
a cadeia. 200.000
16. Com o concert dos predios do pa-
trimonio. 1:000.000
17. Com os negocios forensos da ca-
tn*n. 170,000
18. Coma limpeza das ras desde j. 500,000
19. Com as despezasevenluaes. 1:00,000
Extraordinario.
$ 20. Com o calamento das ras, dan-
lo-se preferencia ao calcamcnlo dos pateos
doCarmo e S.-l'edro, eseguimenlo da ra
do Queimado, ou principio da ra do Itan-
gel, (cando os proprietarios das casas obri-
gados ao concert das calcadas. 8:000,000
He approvado.
Entram seguidamente"em discussSo e silo appro-
vados os seguintcs artigos :
Art. 3 A cmara municipal da cidade de Olinda
be aulorisada para despender com os objectos de-
signados nos seguintes paragraphos a quantia
e...................3:256,000
A saber
1. Com o secretario.
*i 2. Com o porteiro.
$ 3. (jomo ajudanle do porteiro.
4. Com o procurador os 6 por cento na
forma da lei.
tj 5. Com o advogado.
*i 6. Com os fiscaes das freguezas a por-
cenlagem de20 por centona forma da lei
anterior, pcrcobrndo a quantia do 100,000
ris cada um dos lscaos das duas fregue-
zas da cidade.
600,000
200,000
120,000
120,000
150,000
7. Com o expediente o despezas miu-
das.
S 8. Com o tribunal do jury e eleicOes.
j 9. Com o forneeimenlo de luzes cagoa
para a cadeia.
10. Com as cusas dos processos crimi-
naos o oiiiilravoiiroi's das posturas.
II Com a dcima dos predios urbanos.
12. Coni o concert dos predios do pa-
trimonio, calcamcnlo das ras e melhora-
mento das finito-, publicas.
13. Com as despezas eventuaes.
350,000
40,000
220,000
50,000
300,000
56,000
1:000,000
50,000
Art 4. Acamara municipal da villa de Iguaras-
su he aulorisada para despender com os objectos
designados nos seguintes paragraphos a quantia
. 923,960
do
A saber :
I. Com os empregados, sendo o orde-
nado do secretario 250,000 ris, do portei-
ro 120,000 ris, do ajudanlc do porteiro
50,000 reis, do procurador os 6 por cento
calculados ora 60,000 ris, dos fiscaes das
rreguezias a porcentageni do 20 por cento
na forma da lei anterior, ealrulada em
25,000 ris.
2. Com o expediente o despezas miu-
das.
3. Com o tribunal do jury.
}) 4. Com as cusas dos processos crimi-
naos e conlravencOes de posturas.
^ 5. Com a decima dos predios urbanos.
6. Com o concert dos predios do pa-
trimonio, calcamcnlo 6 limpeza das ras. 200,000
. 7. Com as despezas eventuaes e eloi-
es. 60(000
Art. 5* A cmara municipal da cidado de Goianna
he aulorisada para despender com os objectos desig-
nados nos seguintes a quantia de. .1:346,070
A saber:
S 1. Com os empregados, sendo o orde-
nado do secretario 400,000 ris, do portei-
[% aaA00^ "i* d0 l">rteiro do auditorio'
15,000 res, do procurador os 6 por cento,
calculados em 150,000 ris, e Sos fiscaes
505,000
30,000
10,000
100,000
18,960
las freguezias a porcentagem de 20 por
cnto na forma da lei anterior, calculada
cm 20,000 ris, tendo o fiscal da cidade o
ordenado de 100,000 ris. 735,000
2. Com o aluguel da casa do suas ses-
sOes e jury. 84,000
3. Com o expediente e despezas miu-"
.las. 25,000
S 5. Com o tribunal do jury. 20,000
} ?. Com eleicOes. 60,000
$ 7. Com as custas dos processos crimi-
naos e contravengOes de posturas. 100,000
S 8. Com o fornecimento do luzes para a
cadeia. 50,000
$ 9. Com reparos dos predios, fontes,
pon tes e limpeza de ras. 100,000
S 10. Com despezas eventuaes. 150,000
Entra em discussfio o seguinte :
Art. 6.* A cmara municipal da villa do Cabo lio
aulorisada para despender com os objectos designa-
dos nos seguintes $ a quantia de.....340,000
A saber:
1. Com os empregados, sendo o orde-
nado do secretario 120,001) ris, do portei-
ro 25,000 ris, do proeuiadoros 6 por con-
t, calculados om 25,000 ris, e dos fiscaes
das freguezias a porcentagem de 20 por
cento na forma da lei anterior, calculada
em 20,000 ris. 190,000
2. Com o expediente e despezas miu-
das. 10,000
S 3. Com o tribunal do jury e eleicoos. 40,000
4. Comas cusas dos processos crimi-
naos e contravengOes de posturas. 50,000
5. (om as despezas eventuaes. 50,000
O Sr. llego Monleiro, depois de algumas refiexOes,
manda mesa a seguinte emenda :
a Em lugar de cmara municipal da villa do Cabo,
--l>iga-secmara municipal de N.-Senhora-do-O'.
Apoiada, entra em discussSo, eho approvada.
Art.* 7. A cmara municipal da villa do
Po-d'Alho lie aulorisada para despender
com os objectos designados nosseguintos
paragraphos a quanlia de.....1:016,310
A saber: ,
1. Com os empregados, sendo o ordenado do
secretario 200,000 rs., do porteiro 50,000 rs do a-
judanle do porteiro 40,000 rs., do procurador os 6
por cento, calculados em 60,000 rs., e dos fiscaes das
freguezias a porcenlagcm de 20 por cenlo na forma
da lei anterior calculada em 20,000 rs. 370,000
2. Com o encarregado das balangas
de agouguo 30,000
3. Com o expediente e despezas miu-
das 20,000
*. Com o foro dos terrenos oceupa-
dos pela cmara 6,310
5. Com o tribunal do jury e eleicOes 70,000
S 6. Com as custas dos processos crimi-
naos o contravngaos de posturas 80,000
!-. 7. Com o forneeimenlo de luzes para
a cadeia 40,000
8. Com obras, concortos e limpeza
das mas 300,000
S 9. Com as despezas eventuaes 100,000
He approvado.
Art. 8.9 A cmara municipal da villa de Naza-
reth he aulorisada para despender com os objec-
tos designados nos seguintes paragraphos a quantia
do.............1:254,000
A saber:
1. Com os empregados, sendo o orde-
nado do secretario 250,000 rs., do porteiro
60,000 rs do continuo ajudante do por-
teiro 50,000 rs, do procurador os 6 por
cenlo, calculados cm 60,000 rs. e dos fis-
caes das freguezias a porcentagem de 20
por cenlo na forma da lei anterior, calcu-
lada em 20,000 rs.
^ 2. Com o expediente o despezas miu-
das
3. Com o aluguel da cusa de suas ses-
sOos
4. Com o tribunal do jury e eleigOos
S 5. Com as custas dos processos cri-
minaes e contravengOes da posturas
6. Com obras, concertse limpeza de
ras, inclusive a compra de um agouguo
particular, o construcgiVo de um quarto
annexo a este para a balanga do repeso
7. Com as despezas eventuaes
He approvado com asegunde emenda :
Com o pagamento aoescrivlo do jury, Joaquim
Theodorode Albuquerquo Maranlifio, 218,113 rs.
Pmlo de Almeida.
Art. 9. A cmara municipal da villa doLimoeiro he
aulorisada para despender com os objectos designa-
dos nos seguintes paragraphos a quantia de 1:088,480
A saber:
1. Com os empregadoss, sendo o or-
denado do secretario 250,000 rs., do por-
teiro 50,000 rs., do ajudante do porteiro
40,000 rs., do procurador os 6 por cenlo
calculados em 70,0000 rs., e dos fiscaes
das fieguezias a porcentagem de 20 por
centona forma da lei anterior, calculada
om 20/000 rs.
2. Com o advogado da cmara
S 3. Com o expediento e despozas miu-
das
4. Coma decima dos prodios urbanos
5. Com o tribunal do jury eelcigOes .
6. Com as custas dos processos crimi-
naos e conlravengs de posturas
S 7. Com o forneeimenlo para a ca-
deia
8. Com obras, reparos e limpeza de
rnas
9. Com assignalura do Diario
10. Com as despezas evonluaes
He approvado.
190,000
10,000
30,000
50,000
50,000
440,000
20,000
84,000
60,000
150,000
450,000
50,00o
430,000
80,000
20,000
6,480
60,000
80,000
50,000
300.000
12,000
50,000
$ 4. &BLalhuf\a\ do jury eelcigOes 100,000
S 5. Com Si "existas dos processos cri-
minaos e contravengOes de posturas 150,000
6. Com o forneeimenlo do luzes para
a cadeia 50,00
$ 7. Com obras, reparos, calgamonto e
limpeza das ras, inclusive a quantia de
.000,000 rs. para uma casa demarcado
ao lado da feira actual, desdo j 1:600,000
8. 'Com assignatura do Diario 16,00o
9. Com a conslrucgflo de um agudo
onde melhor convier, desdo j 2:000,000
10. Com as despezas eventuaes, in-
clusive a quantia de 34,000 rs. para aferi-
gSo e revista dos pesos do agouguo 84,000
He approvado com a seguinte emenda :
1 Depois das palavrascalculada em 20,000 rs.,
diga-setendo o fiscal da cidade 100,000 rs.--Roma.
Seguidamente entram cm discussflo, e sSo appro-
vados os seguintes artigos:
Art. 11. A cmara municipal da villa de Seri-
nhOem he aulorisada para despender com os objec-
tos designados nos seguintes paragraphos a quan-
tia de.........".... 830,000
A saber:
1. Com os empregados, sendo o orde-
nado do secretario 120,000 rs., do portei-
ro 25,4)00 rs., do procurador os 6 por cento
calculados em 25,000 rs., e dos fiscaes das
freguezias a porcentagem de 20 por cento
na forma da lei anterior, calculada em rs.
20,000
2. Com o expediente e despezas miu-
das
S 3. Com o tribunal do jury e eleigOes
S 4. Com as custas dos processos crimi-
naos o contravengOes do posturas
S 5. Com as despezas eventuaes
Art. 12. A cmara municipal da villa do Rio-For-I
moso he aulorisada para despender com os objec-/
tos designados nos seguintes paragraphos a quan-'
lia de.............846,000
A saber :
I. Com os empregados, sendo o orde-
nado do secretario 120,000 rs., do porteiro
50,000 rs., do procurador os 6 por cento,
calculados em 40,000 rs., e dos fiscaes las
freguezias a porcenlagem do 20 por cento
na forma da lei anterior, calculada em rs.
20,000 230,000
2. Com o expediente e despezas miu-
das 20,000
3. Com a decima dos predios urbanos 12,000
S 4. Com o tribunal do jury e eleigOes 60,000
5. Com as custas dos processos crimi-
naos e contravengOes de posturas 80,000
6. Com obras, reparos o limpeza daa
S 200,000
7. Com o aluguel da casa da cmara 144.000
8. Com as despezas eventuaes 100,000
Art. 13. A cmara municipal da villa do Bonito ho
aulorisada para despender com os objectos designa-
dos nos seguintes a quantia de. 1:876,000
A saber :
1. Com os finpregados, sendo o ordo-
nado do secretario200,000 rs., do porteo
50,000 rs do procurador, alm da porcen-
tagem, 50,000 rs., do fiscal da villa, alm
da porcentagem, 30,000 rs. 330,000
2. Com o expediente e despezas miu-
das 20,000
3. Como tribunal do jury 20,000
4. Com eleigOes 60,000
5. Com as cusas dos processos crimi-
naos c contravengOes do posturas 100,000
6. Com o advogado da cmara 50,000
7. Com o aluguel da casa para os tra-
ba I luis da cmara e jurados 96,000
8. Com obras necessarias, reparos,
melhnramento o limpeza das ras, e fontes
publicas da villa 100,000
$ 9. Corn forneeimenlo do luzes para a
cadeia 50,000
10. Com a compra da casa para as au-
diencias, sessOes da cmara e do jury 1:000,000
11. Com as despezas eventuaes 50,000
Art. 14. Acamara municipal da villa do I) rejo lie
aulorisada para despender com os objectos designa-
dos nos segilinles a quantia de. 398,000
A saber :
1. Com os empregados, sendo o orde-
nado do secretario 150,000 rs., do porteiro
50,000 rs., do procurador os 6 ppr cento,
calculados em 25,000 rs., e dos fiscaes das
freguezias a porcentagem de 20 por cenlo -
na forma da lei anterior, calculada em rs.
20,000.
2. Com o expediente e despezas miu-
das
3. Com o foro dos terrenos oceupados
pela cmara
4. Com o tribunal do jury c eleigOes -
5. Com as custas dos processos crimi-
naos e contravengOes de posturas 50,000
6. Com as despezas eventuaes 50,000
Art. 15. A cmara municipal da villa do Cim-
bres he aulorisada para despender com os objec-
tos designados nos seguintcs paragraphos a quan-
lia de ............425,000
A saber :
1. Com os empregados, sendo o orde-
nado do secretario 150,000 rs., do portei-
ro 25,000 rs., do procurador os 6 por cento
calculados em 30,000 rs., bdos fiscaes das
freguezias a porcentagem do 20 por cenlo
na forma da lei anlerior, calculada em rs.
20.000
245,000
10,000
3,000
40,000
Ari. 10. A cmara municipal da cidade da victo-
ria em Santo-Antilo he aulorisada para despender
com os objectos designados nos seguintes paragra-
phos a quantia de........4:820 00o
A saber;
' 1. Com os empregados, sendo o or-
denado do secretario 300,000 rs., do por-
teiro 80,000 rs., do ajudai.te do porteiro
60,000 rs., do advogado 200,000 rs., do
procurador os 6 por cento calculados em
00,000 rs., o dos fiscaes das freguezias a
porcentagom.de 20 por cento na forma da
lei anterior, calculada cm 20,000 rs. 760 000
2. Com o guarda dos pesos e balangas
doagougue 30000
3. Com o expediente e despezas miu-
dM 30,000
2. Com o expediente e despezas-miu-
das
3. Com o tribunal ilo jury o oleiges
i) 4. Com as custas dos processos crimi-
naes e contravengOes de posturas
5. Com as despezas eventuaes.
825,000
10,000
40,000
50,000
100,000
Art. 16. A cmara municipal da villa de Gara-
nhns ho aulorisada para despender com os objec-
tos designados nos seguintes pargrafos a quan-
tia de..................480,000
A sabor
1. Com os empregados, sendo o ordena-
do do secretario 200,000 ris, do portoiro
40,000 ris, do procurador os 6 por cento cal-
culados em 30,000 ris, e dos fiscaes das fre-
Siuezias a porcentagem de 20 por cenlo na
rma da lei anlerior, calculada em 20g rs. 290,000
2. Com o expediente o despezas miudas 10,000
3. Com o tribunal do jury e eleigOes 50,000
4. Com as custas dos processos crimi-
naes e contravengOes de posturas 80,000
S 5. Com as despezas eventuaes 50,000


,5.

., 47 A enmura municipal de Flora he autori-
. J'despender coni os objoctos designados nos
"'CespaVagraphoJaquantia de. 1:158,160
v sab6r;
c i Coni os empregados, sendo o ordena-
, n secretario 300,(100 r.s, do portei-
d0 .non ris. do procurador os 6 porwsn-
roM,SSd.d* em 50.000 ris, o dos (lacees
'"Se.* a porccnlagem de SO por cen-
da ttrma da le anterior, calculada em
tona forma u mm
i0' rom o expediente edespezas miudas 10,000
- -- 8,160
60,000
80,000
500,000
?0,000
50,000
, rom a decima dos prodios urbanos
i-1 Com o tribunal do jury e eleicoes
2 5 Com as cusas dos processos crimi-
ne contravenios de posturas
si6 Com obras, concortos elimpezade
rUsS7. Com o forneclmento de luzes para
8 5f'com as despeas eventuaes
Art 18 A cmara municipal da villa de Flores he
Miorisada para despender conl Os objeclos designa-
dlos Mguinlos paragraphos a quantia de 518,000
A saber:-
si Com os empregados, sendo ooroe-
niIo do secretario 180,000 ris, do porleiro
3,000ris, do procurador os 6 por canto
ca rulados em 40,000 ris, o do fiscal da fre-
cucaia a porrei.lagem de 20 por cento calcu-
lad! em 20,000 ris
t2 Comooxpedionto edespezas miudas
s 3] Com o tribunal do jury e eleicoes
s 4. Com as rustas dos processos crimi-
nare contravoncoes de posturas
t 5. Com urna casa de acougue
$ 6. Com as desperas eventuaes
Art. 19. Acamara municipal da villa da Boa-V is-
as he aulorisada para despender cem os objec-
Vps designados nos seguintes paragraphos a quan-
Plade........ ',..... *:o7*,000
A saber:
1. Com os empregados, sondo o ordena-
do do secretario 300,000 ris, do porleiro
40,000 ris, doajudante do porleiro 20,000
ris, da procurador os aprcenlo calcula-
dos em 42,000 ris, e dos liscues das fregue-
zias a porcentagem de 20 por cenlo, na forma
da lei anterior, calculada cin 20,000 ris
2. Com o expediento e despezas miudas
5 3. Com aluguel da casa que serve do
archivo
4. Com o tribunal do jury e oleices
S 5. Com as cusas dos processos crlmi-
naes t contravences de posturas
;, 6. Com a obra da casa da cmara
7. Com o advogado da cmara
';. 8. Com as despezas eventuaes
272,000
10,000
40,000
60,000
100,000
30,000
422,000
10,000
2,000
50,000
80,000
300,00
150,000
50,000
Helido eapprovado, depois.de algumas rcflexOes
dnsSrs. Tiburlino eCabral, o seguinle artigo ad-
dilivo :
Acamara municipal do Agoa-Preta, he aulori-
sada a despender com os objeclos designados nos se-
guintes paragraphos a quantia de.....400,000
A saber:
Com os empregados, sendo o ordenado
do secretario 100,000 ris, do porleiro 50,000
ris, do procurador os 6 por cento calcula-
dos em 25,000 ris, do liscal a porcentagem
de 2 por como na forma da lei, calculada em
25,000 ris 200,000
Com o expediente e despezas miudas 20,000
Com o tribunal do jury e cleicfles 30,000
a (.mu cusas dos processos criminaos e
conliaveuces de posturas 50,000
Com o aluguel da casa de suas sessOes 50,000
Com o forneciineuto de luzes para as
prises 30,000
Com despezas eventuaes 20,000
8. R. Hacha.
Requciro dispensa do intersticio, para entrar
aminhila om terceira discussSo o projecto n. 18.
O Sr. Presidente levanta a sessito as 2 1/4 horas da
tarde, depois le haver dado para ordem do dia da
seguinle: conlinuaclo da de hoje; leitura de projee-
tos c pareces; discussilo de pareceres adiados, e
terceira do projecto n. 18.
TRIBUNAL DA RELAGA.
JULGAMENTO NO DIA 17 DE ABIL DE 1847.
Desembargador de semana o Sr. Ponct de LeaO.
Na appellacSo civel entre D. Anna Joaquina da
ConceicSo, a menor Thomazia e outros, 0 Jos Bor-
nardes, mandaran) dar vista ao curador-geral.
Na dita dita entro Jos Jaronymo Mouteiro e Nuno
Mara deScixas, desprezaram os embargos.
Na dita dita entre Francisco Leocadio Vieira e Joa-
quim Jos Dias, mandaran) dar vista as partes.
Na dita dila entro Francisco Goncalvcs da Rocha e
Francisco Antonio de Oliveira e outros, mandaram
dar vista s partes.
Na dita dita enlre Manoel Alfonso Ferreira e a fa-
zenda provincial, mandaram dar vista asparles.
Na dita dita entre Manoel Carneiro Verdinner e
Candido Romualdo da Silva, mandaram dar vista s
partos.
Na ditacrimo em que silo partes a justica eJos
Cavalcanli d'Albuquerque, julgaram procedentes as
rasOes dedireito.
8:755,089
Alfandega.
RENDIMENTO UO DIA 17...........
fescarregam hoje 19.
Briguc Ernestina farinha de trigo.
Brigue urmouih carvlo.
Consulado.
RENDIMENTO DO DIA 17.
Coral........................
Provincial.....................
Diversas provincias............... 99,756
1*82,927
DIARIO l)E IIXVUIIIIC.
COMMEKCIO
1-171,854
611,317
PRACA DO RECIFE, 17 HE ABRIL DE 1847,
AS 3 HORAS DA .TARDE.
irHWrecO(
Silo approvados os seguintes artigos:
Art. 20. As cmaras municipaes da provincia para
o anuo municipal,desta h-i arrecadarfio dentro dos
seus municipios as rendas sob os ttulos abaixo
designados;
$ 1. Alugueis dos predios municipaes.
S 2. Foros elaudemios dos terrenos municipaes.
3. AfertcOes de pesos e medidas.
;, 4. Licencas e cordeac.Ocs.
S 5. Repeso do acougues.
;-, 6. Di/iino de miuncas.
7. Taxa de 2,000 ris sobre os mscales eboco-
leiras que venderem dentro dos seus municipios.
8- laxa de 2,000 ris sobre asengenhocas.
*j 9. Taxa sobre as passagensdos nos.
* 10. Taxa sobre as estradas e pontea municipaes.
^ 11. Mullas segundo o cdigo criminal e do pro-
cesso.
12. Mullas por contraveneno de postura.
13. Mullas por elcicOos.
j 14. Multas das cmaras, conforme o artigo 19
5 da lei municipal n. 135, de 2 de maio de 1844.
15. Ouaesquer oulras rendas, imposicOes, ou la-
xas, que esliverem na posse do cobrar, e nao lenham
sido abolidas.
16. Divida activa dos annos anlerioros.
17, Saldo do anno anterior.
Art. 21, Ficam em vigor as disposicOes dos artigos
80,21 e23 da lei municipal n. 141 de 19 do maio de
1845, como lambein as dos artigos 21, 22, 23 e 24 da
lein. 1,74 de 30 de novembro de 1846, e todas asmis
que nao tiverem sido expressamento revogadas.
Entra em discussilo o seguinle :
Art. 22. Acamara municipal desta cidade he au-
lorisada ademolir, no prazo improrogavel do seis
mezes, o quarteirflo das casinhas da Ribeira, que lica
em frente da ra da praia, modiante a indemnisacao
de un cont e quinhentos mil ris, que Ihe deverilo
pagar no prazo de um anno o's proprielarius da mes-
ma rua, que reqiiereram a esta assembla.
He approvado al as palavras um cont e quinhen^
tot mil riit
Art. 23. As cmaras municipaes scro obrigadas
remoller anniialmente com as suas contas urna re-
lacfio nominal dos seus devedores, declarando os
objeclos que deram lugar a essas dividas.
He approvado.
He lldo e approvado o seguinle artigo additivo:
Fica aulorisada a cmara municipal desta cida-
de para contratar com seu dcvcdor.Caelano Theodo-
ro Antuues Villaca, a realisacflo da cobranca de
1:699,750 ris por prestacOes rasoaveis e corapaliveis
com as (oreas do mesmo devedor. .
V"**" O Sr. 1 Secretario 16 o seguinle requerimento que
he approvado: '
RICIFI, 1* DI ABRIL DE 1M7.
A assembla nilo trabalhou honlem, por n.lo terem
comparecido os Srs. depulados em numero sufllcien-
te para haver casa.
O vapor5a-S*9o tos doSul, trouxe-nos gazetasdo Rio-de-Janoiro at
8 o da Babia at 15 do corren te.
Deixamos transcripto em outro lugar o que de
mais curioso lemos as primoiras das precitadas ga-
zclas.
Na corle nada havia occorrido de extraordinario.
A familia imperial continuava no gozo da mais
perfeita sado.
A 25 de marco prximo passado chegra S. M. o
Imperador a Campos, onde fra recebido com mu
vivas demonstraeOes de jubilo.
A ultima carta do cerrespondente dalli que publi-
ca o Jornal do Cummeicio, he de 3 deslo mez, e diz
que S. M. nenhum iucommodo havia soffrido.
O mesmo Jornal, referindo-se a folhasde Lisboa e
Porte de datas mais modernas Jo que as ultimas que
dahi tinhamos, diz o seguinle:
Pela barca austraca Amelia, entrada honlem (28
de marcoj de Lisboa, recebemos o Diario do Gover-
nu de II de fevereiro.
A nica noticia que contm de interesse ho a
seguinle:
Por noticias recelidas do quartel-general do
marcchal duque de Saldanha, da madrugada do
a di 8, consta que a guerrilha miguelista comman-
dada pelo Povoac, que desde a cidade da Guarda
era acossada pela brigada do barflo 1I0 Francos,
se achava as proximidades de Cea, onde ia ser a-
1. tacad pelas forcas combinadas que para a sua a-
0 nquilacflo tinham destacado do oxercito de ope-
racOes. Accrescentam as inesinas noticias que, sc-
gundo a disposeflo das nossas tropas, he ex'.re-
. mmenle dilllcil.se uo impossivel que o caudi-
Ibo miguelista ileixe de ser agarrado.
Urna sorte igual de Macdonnell espera o decre-
pito guerrilheiro, se elle mo tivero accordo de
se entregar generosidade do commandante das
Torcas leaes que o perseguem.
o primeiroconeio que nos vier do quartel-gc-
neral do nobre duque podo realisaras nossas es-
b peraucas. ."
As folhas que hontem (28 de marcoj recebemos
do Porto alcancam smente a 5 de fevereiro, e por-
tanto nada adianlam, quantosoperacoes do ma-
a rcchal Saldanha, as noticias que ja Uiihamos.
A junta do Porto agraciou a viuva de Mousinho
do Albuquerquo com o titulo do viscondessa de
Albuqucrque, concedendo-lhe urna pensilo de
300*'rs. .eexonerou de lodos os empregos, honras
e condocoracOes os ministros da ramlia e todos os
a empregados civis e militares que nflo seaprosen-
tasscmnoPortoalo dia 7 do evereiro .
A llaliia tinha de lamentar a morlo de minios de
seus lilhos, produzida por urna terrivel epidemia
que appa recera na povoaQHo de Sfio-Felix da cidade
da Cachoeira, e com tal frca sedesenvolvia, que cci-
fava dez vidas por da!
Esta triste oceurroncia he a nica daquella provin-
cia que nos pareceu digna de especial menino.
Arroz .
Bacalho
Revista
Cambio........- As IrwKces do principio da
semana forain effectuadas a 29 5
d. por 1,000 rs., e nos ltimos
dias tomaram-so pequonas som-
masa29e{.
Algodlo....... Entraram 526saccas,e vendou-
se a 5rS00 a arroba.
Assucar........ Kntraram505caxas, evendeu-
sc de 900 a 1,000 rs. por arroba
sobre o ferro do branco ; do 1,000
a 1,100 rs. a dila do dito masca-
vado ; doensaccadoe embarri-
cado branco de 1,900 a 2,200 rs.
a arroba, e do mascavado de rs.
1,600 a 1,650 a dita.
Couros ........ Pouco procurados, tendo-se
feito pequeas vendas a 107 i rs.
a libra.
Amondoas......Venderam-se do 5,200 a 5,400
rs. a arroba das de casca mole.
dem a 10,000 rs. o quintal do
pilado a vapor.
-0 deposito he de 1,400 barr
cas, temi seguido para o Sul
um carregamento que locou nes-
te porto; o as vendas a retalho
con ti n na m do 9,000 a 12,000 rs.
a barrica.
Bolachinha.....Vendeu-se do 3,800 a 4,000 rs.
a barrica.
Carne secca.....Com dous carregamenlos en-
trados nesta semana o deposito
he de 50,000 arrobas, tendo-sc
vendido de 1,700 a 2,240 rs. a ar-
roba.
Enxofrc........Vndeu-sc de 1,600 a 1,700 rs.
a arroba do de canudo.
Farinha do trigo O deposito foi augmentado
com 2,500 barricas ebegadas nes-
ta semana, Picando hoje em ser
cerca do 3,000 barricas; e tendo-
se vendido arelalbo a 23,000 rs.
a da americana, e a 24,000 rs. a
de Trieste.
Vendeu-so de 3,000 a 3,800 rs.
a sacca. /
Farcllo........- Nflo ha
Louca......... Vcnileu-se a 240 por cento do
premio sobre a factura.
Massas........Nilo ha.
Presuntos do Porto N.lo ha.
Toucinho......Vendeu-so a 6,000 rs. a arroba
do de Santos, e nflo ha do do
Lisboa.
Vinhos........dem do 120 a 130,000 rs. a pi-
pa do branco l'iili.
Espermacele .... dem de 680 a 700 rs. a libra.
Entraram depois da nossa ultima revista 9 era-
barcacOes, esabiram II, existndo boje no porto 52,
sendo : 1 austraca, 2 americanas, 28 brasileiras, 1
dinamarqueza, 1 franceza, 9 inglezas, 1 hcspanhola,
3 porluguezas, 5 sardas o 1 sueca.
RIO-DE-JANEIRO
CAMBIOS NO DI 6 UK BRII. DB 1847.
I'recot da ultima hora da praca.
Cambios sobre Londres........28$
Paria.........332a 335
, llamburgo......610a 615
Metaes. Oncasbespanhlas......29,500a30,000
, da palra.......28,800a29,000
Pesos hespanhes......1,950
da palra.......1,800a 1,820
Pecas de 6,400, velbas .... 16,500 a 17,000
Prala *.........99a 100
Apolicesde 6 nortelo.....t 8 4a8
Manoel Coelhoda Fon.ieca, JooGoncalyes Per '
ra Guimarfies, Domingos Ribeiro de hara, I'ori
guezes, Antonio Valentn da Silva Barroca, Br
sflfeiro.
Trieste ;'brigue sueco Argot, capitSoP. Pathosson,
carga assucar.
Naci entrado, no dia 18.
Rio-de-Janero Bahia o Macei em 9 dias o 3 hora, e
do i.llimo porto 17 horas ; vapor brasileiro S.-St-
battiaO, do 300 toneladas, commandante o primei-
rotenente Antonio Xavier de Noronha Torres, e-
pagem3l. Passageros : para esta provincia, Gas-
parnoMoreira Castro com um cscravo, Joo da
Cosa Lima e Castro com um escravo, Salvador Pe-
reira de Sa o Bonevidoscom um esersvo, l'roconio
Marques de Araujo Goes com um escravo, Francia-
co Jos Marlins, Joaquim Ayres de Almeida Jro-
las, Joaqum Pereira da Silva Guimanlca, O. Mana
Carlota PereiraGimarfles, Satyro da Silva Cam-
pos. Manoel Antonio Supardo. Jollo Antonio Gomes
Cuiniarfies, Anlooio Jos de Arauj Borges, rran-
cseo Saunders. lnglez com dous escravos a en-
tregar : para o Ceara, I)r. TriaWo de Alencar Ar-
pc : para o Para, Froi Esmael do Coracdo de Mara
Nery.
^ Navios tbidos no metmo dia.
Canal; ffi^fue inglez Rninboni, capitilo Peter Scott,
carga assucar. .
P.io-Grande-ilo-Sul; brigue brasiloiro r*, capitao
Jezuino Jos de Souza, carga varios gneros. Pas-
sageiros, Antonio Luiz Monleiro, Theotonio Ma-
chado Moreira, Daniel Ozorio de Souza, sua sonho-
ra, 3 escravos e 10 ditos a ontregar.
Ohtervacdo.
Arribou com agoa aberta o brigue S.-Manml-Pri-
mero, que, no dia 17, tinha sabido para o Porto.
lh>claraces.
O vapor S.-SebaiMo recebe as mala
para os porlos do Norte hoje (19) as 9
, horas da darle.
*=A alfandega das fazendas compra duas balas do
papel almaco.qualro milheirosde ponnas, duas gro-
- zas de lapes, meia resma do papel de llollanda pau
1 lado para mappas, meia dila de papel mata-borr8o.
Quem taes gneros quizer fornecor mandar sua
propostaem carta fechada o as amostras ao respec-
tivo inspector da mesma alfandega, al o dia 84 do
correte,
l'iiblicaco a piulido.
A' mortc dn presada illlu do
men collega c amigo o Sr.
.lutonio -fos Gomen do Crrelo.
De lgubres vestidos adornad
A paluda doenca discorria,
Qual a joven donzella om quem devia
Tocar com a mSo fria, descarnada.
Ex que Irmlna depara descansada
Nos bracospaternaes!... Oh tyrannia.
Logo a fora ah mesmo Iheualia
A face, de mil grecas matizada!...
A languidez, a robre despiedosa
A deliro seu todo couiecava,
E por fitii, hoje jaz cadaverosa!...
Inda que delta a vida s'illuatrava
Nos pasaos da viKude radiosa
A Parca, do rugir, jamis cessava!...
.11.
Dita de mandioca
provncia
. i\ 80a 80-L
[Jornal do Commcrcio.)
BAHA.
CAMIiOS NO Di 14 UE ABRIL DE 1847.
Londres.............29* 30 effect.
P,,.s...............320 o franco.
llamburgo............640 o marco.
Lisboa ..............lOOalOSp.c.depr
Oncas hesponhlas ......30,000 a 30,500
mexicanas ......... 29,500 a 30,000
Pecas de 6,400......" 16,000a 16,200
Moedas de 4,000.........9,000
Prala...............98 a 105
Apolices do seguro Lealdado 80 p. c. de pr. nominal,
a do govemo 55 por cento de descont.
Aceces do banco 20 por cento de pr. nominal.
* {Do Mercantil.j

llovillM'lllO
do Por lo.
Navio* entradot no dia 17
Aracaty : 13 dias, hiate brasileiro Olinda, de86.to-
neladas, capitflo Antonio Jos Vianna, njuipagem
9, carga varios gneros; a Jofio da Silva Porto.
Passageros, Joflo Joaquim Pagere, Hamburguez, ie(.oag do um Portuguez do 40 a
Jos Antonio Rodrigues, Luiz de L., Brasileiros, e Jjailo e 17 escravos a entregar.
Babia 6 dias
ladas, cap
7, carga varios
Grillo.
Navios sahidos no mesmo da.
Montevideo, com escala pelos portos do Brasil, bri-
Avisos martimos.
Para o Rio-de-Janeiro sahe, no dia 81 do cor-
rente o patacho nacional aureitfina : quem no
mesmo quizer ir do passagein ou embarcar escra-
vos a freto, dirija-se ao sou proprietario Lourenco
Jos das Neves na ra da Cruz n. 64.
Para o Rio-de-Janoiro pretende sahir, na quarta-
feira i8ti nflohavcndo inconvennientos, o voleiro
brguo Norma, o qual tem superiores commodos
para passageiros e mesmo para escravos, para o auo
trata-se com Amorim Irmios, na ra da Cadoia,
n. 45.
I.cilao.
Unjo 19docorrente, depois da audiencia do
doutorjuizde orphflos se hito de arrematar em
leifflo na ra da Penha na loja do sobrado n. 11 ,
asfHzendaspertencenlesao estabelecimento de fu-
nileiro miudezase drogas, qjuo foram do finado
Jos Jorge do Rozario.
Avisos diversos.
LOTERA DA MATRIZ DA CIDADE DA VICTORIA.
0 thesourejro principia a pagar os premios da
primeira parlo da primeira lotera, do dia 80 do cor-
rete em dianle, das9borasda manhfla ao meio-
dia o das 3 as 5 da larde.
- Aluga-so um sobrado de um andar e soWo no
Aterro-da-Boa-Vista : a Iratar na loja de cutileria
de Pommalenu.
Perdeu-se, do Poco-da-Panella para o Heci-
fe, no da 14 do correte, as 4 horas e meia da
niaiiba, um relogiodo ouro suisso, peque-
no com ponteiros do relogio patento o ponteiro
de ac nos segundos; trabalha sobre 8 robins, tem
mosirator de louca. Roga-se a pessoa a quem for ofTe-
recido por venda queo apprehenda, que sera recom-
pensada generosamente : e se for adiado por pessoa
que o quera entregar pode 1-var no Aterro-da-Boa-
Visla n. 26, quetambem sera rocompensada.
Antonio da Silva Ferreira e Santos faz sciente
ao publico quo substiluio os poderes o sociedado
que tinha na padaria do Antonio Marques Silva de
Alincida, eslabclocida na rua da Senzalla-Nelha, n.
98, ao Sr. Jos jFernandes Ferreira; por isso podo a
seus credores hajam da comparecer no pracode8
'--Precisa-se de um rapaz portuguez que ten ha
pratica de venda, o que d fiador a sua conducta,
ao qual se dar interesso na dita venda : na rua do
"-'joo" Antonio Rodrigues, subdito portuguez,
retira-se para Portugal. ,_.-__
- Antonio Aives da Silva Portuguez, retira-so
para o Rio-de-Janero. .
V Santos Barros & Companb.a mudaran mu ei-
crptorio da praca do Commercio n. 4, para a rua
d0JAdpes,s,a5ue annun'ciou querer comprar duu
moradas de casas na Boa-Vista, querendo urna na
r a 3a Clora, dirija-se. rua do Sebo nl3h Na, mes-
ma casa cima compra-se urna mulatinhade 4a5
8n-Precisa-se de um caixoiro portuguez, de 10 a i
nnos que d fiador sua conducU: em Fra-de-
Portas, no largo do Pilar, n. 17.
ivecita-sc, para um engenho distante desia pra-
" rluguez de 40 a 50 annos da
dade ," e que cscreva bein para ser oceupado em
>s a entregar. ,, cixeiro do mesmo engenho; da-se-lhe o sustento ,
s, hiate bras.le.ro Tentador, de 40 tone- <- |n eiM(m r8- annualmenle com Un-
itno Antonio Jos Barre.ro equpagem l0 e nBolenha r.m,, : quem esti ver nostas cir-
anos gneros; a Joo Antonio da Silva *< anuunce, ou dirija-se a rua do CoUegio,
cumstancias annuncie, ou dirija-se a rua o Loliegio,
venda n. 5. ...
- Na rua do Collegio, n. 15, pnmeiro andar,T>re-
* __.i.__*. t...!U!.R n**n InnKa farranianlfl ItlP
orto ; brigue portuguez Sao-:Vanoel-Pnmeiro, cap- 'tonto Guilherme de Araujo e Dionizio Eiano Lopes,
tilo J Francisco Carneiro, carga assucar e mais queiram por ene Diario anuunclar as sua. moraaa, para
genoros. Passageiros, Jos Joaquim Maya Ramos, | e iraur de negocios que Ihe diein reipeito.
ilLEGIVEL (MUTILADO
\


A
i
l
l
Pordeii-sc urna carteira de marroquim verde ,
j usada contando duas leltras sacudas por Joio de
Alhuquerqiiee Helio sendo urna aceita por Sebas-
tian Aiilonio de Mello Reg, desla praca, d quin-
til de 181,984 rs. e a outra aceita por Andr Tavares
do Souza da quanlia de 41,900 rs. e urna omita do
mesmo, e outra sacada por Joaquim Francisco da
Silvio aceita por C.oncalo Jos da Silva do Ass ,
da quanlia de 13(,000 e Untos rs panada no mes-
mo Alliuqiicrqiic todas ellas ja vencidas e diver-
sos papis que se ignora m as qnalidades e valores ,
mas quo s servem ao dito Albuquerque. Iloga-sea
pessoa que a tiver achadp o favor de a entregar na
ruadoCollegio.fi. 7, segundo andar, ouannun-
ciar ; pois, alm de se recompensar, se ficar muito
agradecido.
Qucmannunciou precisar de uin homem casa-
do para um engenho perto desla praca e que atiba
latim efrancez e sua mulher coser e bordar, diri-
ja-seaOlinda ra do Aljuho, n. 6.
Da-sednheiro a premio a dous por cento ao
mez sobro penhores do ouro ou prata : no Alorro-
da-Boa-Visla, n. 58.
Mudou-se o consulado britannico, da na da
Cruz para a do Trapiche-Novo n. 15, segundo an-
dar.
Aluga-seum bom armazem para assucar ou
deposito de qtialqner outro genero, sito imbecco da
Mooila bairroduRocife :a tratar na ruraas Irin-
cheiras, n. 50
Na ra de Horlas, n. 5, ba urna ama com muito
bom leitc, que se offerece para criar em sua pro-
pria casa algum menino com o maior zulo pos-
sivol.
Kngomma-secom toda a perfeicSo, por preco
commodo : na ra da Mocda, n. 39.
A pessoa que fo a casa n.9, no principio da
ra Imperial para compra-la cujo negocio se nio
cffectuou em rasflo da decisilo do outra pessoa com
quemsohavia contratadg, appa/eca quanlo antea.
Agencia do passaportcs
Na ra do Collegio, n. 10, o no Aierro-da-Roa-
Vista, loja n. 48, continuam-se a tirar passaportcs
tanto para dentro, como para fra do imperio; assim
como despacha m -so escravos : ludo com brevidado.
Jos Rarboza de Souza pela quarta vez, faz
publico que ningncm contrate negocio com Joaqui-
na Rodrigues dos Santos, sobros bens quo possue;
pois todos estilo hypothecados ao anniinciante. in-
clusive urna casa qucella possue no areial das Cin-
co-Ponas, n. 41, e dous sitios as Curcuranas cu-
rato do I.nielo
--A Senhora D. Victoria Mara do Sacramento,
mSi do fallecido Joilq.Nopoinuceno de Karia ou as
aobrinbas desle, D. Claudiiiac outra filbas do fal-
lecido Manoel llias de Faria ede Francisco Tulles
de Menczes ,, para negocio que lhes interessa, di-
rijam-se a ra da Cruz, no Hecife n. 66.
Joio AI ves Pereira vai a l'orlugal
Va ra Nova, n. 58, so dir quem da a premio
1:200,000 rs. com hypotheca em casas torreas.
Aluga-se um armazem de madeira proprio
para oflicina de ferr ico ou deposito de carvilo e
mesmo para outro qnalqucr estabelccimento silo
em lenle da ra do Brum na praca projeclada : a
tratar t-m lora-de-Portas, ra do Pilar n. 108.
--Um homem casado com pouca familia, o com
as habililacOes necessarias para ensiuar com per-
fcicflo as pnmeiras leltras se olTeiece para este
magisterios qualquersenhor de engenbo que te-
nha hlhos para educar ; no engenbo llom-Fim da
comarca de S.-AntSo, so dir quem be o preten
don te.
Sociedade MiHo-Tcrpsichorc
O primeiro secretario interino avisa aos Srs. socios
em gcral quo boje 19 do correnle, ha sessiio da so-
ciedade.
-Na lerca-feira 13 do corrente desappareceu
do sobrado n. 13 da travessa do Veras, na Boa-Vista,
um guloamarello, capado ,o muito manso; tem a
cauda cortada, e no meio da restante urna torcidela :
roga-sc a pessoa em rujo podor estiver, o obsequio
de manda-lo entregar nadita casa, que sergrat-
licada.
Cofn pras.
Compratn-se cdulas de vu
te mil ris, da eslampa encarna
da. com al^um bale; na loja de
miudezas da ra da Cadeia-Ve
Iha, n. 37.
-- Compram-se duas bandejas de prata, sem
feilio : na ra das Cruzes, n. 30.
Compram-se os OrdenacOes do Reino, ainda
mesmo usadas : quem tiver annuncic.
Comprarse um cavallo ruco-sujo de diase
cauda prctas que soja novo e possante: na ra da
Cruz, n 63, primeiro andar.
Compra-sc um relogiodcouro patente inplez
de sabonetec pequeo, dos modernos, e que reculo
bem : na ra do Collegio, n. 16.
~ Compram-se diccionarios deMoraes, da quarta e
quinta edic.lo : jia ra do Crespo loja de livros
n. II. '
-- Compram-se, para urna encommenda, escravos
loja de ferragens, n. 16.
Compram-se duas rotulas em bom
quem tiverannuncie, para ser procurado.
Compra-se una tipoia em bom uso : na rua do
Crespo n. 4 loja de Joaoiiini da Silva Castro
-- Compram-se moleqUcs de 12 s 2*0 annos e prc-
tas da mesma idade ; sendo de bonitas figuras na.
gam-sebem: tambem se eompram alguns ofliciacs
dosapateiro: na rua da Concordia, passando a pon-
tezinha a direita segunda casa terrea.
k f-oml,ram-se pscravos de ambos os sexos.com
habilidades c ollicios, do 14 a 20 anuos, para fra da
SanIonCn ;6,aea"se bem : na Pra"cinha do Corpo-
#S v -'"- aasL
Vendas.
rua Nova,
estado:
A bordo do brigue Independer Tundeado de-
fronte do Collegio vende-.esebo em rama e carne
secca por precos commodos, boa fazenda.
Medicina universal.
I'iliilns vegelaes de James Morison.
A medicina vegetal universal he o resultado de 20 an-
iios de inve-tlgacoes do celebre Jame Morison. Por|
meio denlas pillas cooseguio sen amor innmeras c
admiraveis curas desde as aflececs que alacain as
ci .meas de pello at as molestias chronlcas do anclan,
A Europa saudou este remedio como remedio univer-
sal para todas ns doenfas eat bojn ainda nao foi des-
mentido lal titulo.
F.sta medicina vein acoinpanhad.i de urna rcceltaque
usina e facilita a sua npplicacao. Consute em tres pre-
paraedes a saber : duas qualidadrs do pillas dislinc-
tas por nmeros, euiup: cadaqualgota de modos e
aeces diversa. .
As pillas n. I sao aperitivas; purgam sem abalo os
humores biliosos e vicosos, e os expulsan com ellicacla.
As do n. 2 expnlsaui com fsses humores igualmen-
te com grande rrfa, os humores serosos, acres e ptri-
dos, de que o sangeso acha a inluilu infectado ; per-
eoriem todas as parteaaa coi po e s cessam de obrar
miando teem cxpolsadfl Aba as impurezas.
\ t'-ici'ira pi i i.ii;irJMBiti getal sedativa: he aperalivft, temperante e adocaote: tor-
na-se em comiuum com as pillas e facilita-llies os me-
mores eiToltos.
A posiciii social dnSr. Morison, a sua foi tuna inde-
pendenle repllelo toda a Ideia de charlatanismo ; e as
admiraveis curas operadas rom o seu systema no col-
legio de sm'ide de Londres siio inais que garante da
ellicacia do seu remedio.
Reeoiniiienda-se esta medicina que nao pede ncni
resguardo de lempo iirin de posi(.~n da parle do doen-
tc a iodos nsqne atacados de molestias julgadas in-
curaveis se quizerrm desengaar da sua virlilde.
xal que a huinanilade feche os ouvldos ao intc-
ressados em desacreditar cele roueuios lao simples ,
to coioinodos e tan verdadeiros.
Vendeni-se siimeiiie em casa do nico e vrrdadeiro
agente J. O. Usier na rua da Cadeia-Vrlha n.29._
Vemlem-soduas prelas mocas, de boas figu-
ras urna das quaes cngnmtna, e cozinba ; urna mu-
latinha do 16 annos recolbida o com principios de
habilidades; 2 prelos bons para o trabalho de cam-
po o da praca ; um dito bom cozinheiro c boliciro :
na rua do Crespo, n. 10, primeiro andar.
Vondem-se 3 lindos moloques de 16 a 20 annos,
sendo alguns de nacilo ; tres prelos de 24 a 30 an-
uos sendo um dclles ptimo canoeiro ; 2 prelas de
20 a 2t anuos com habilidades leudo urna dolas
bom leite. ecom urna criado um auno; una preta
de idade, por 180,000 rs. : na rua do Collegio n. 3,
segundo andar, se ilia quem vende.
Vendem-se 2 tneias pipas de azeiln decarrapalo:
na rua do Rozario, reCuiacHo n. 43.
Vcnde-se, para fra da provincia um molo-
quede 13 annos, com principios de alfaiatc; na
rila do Nogueira n. 19, segundo andar.
Vende-se um bonito muleqoe de 18 annos ; um
escravode nacSode 22 anuos ; um bonito molequi-
nbo de 12 anuos ; una negriulia ptima para so edu-
car, de 12 anuos; um iirolo com bons principios
de pedroiro para fra da provincia ou para en-
genbo de 2* anuos; um moleco, por 430,000 rs. ,
mtil robusto, c com um pequeo defeilo em um
ollni; um mok'Colc de 18 anuos do reconhecida
conducta e que be ofllcial de sapateiro; una es-
clava moga que coziuha, engomma cose muilo
bem por 430,000 rs.; 2 ditas, por 440,000 rs. am-
bas ; una di la por 190,000 rs. boa quilaiulcini I
na rua de Agoas-Vcrdcs, u. 46.
pridos de crese brancos, para
ornar salas ; esleirs de Angola :
na rua larga do Rozario, n. 21.
Chamnanha.
Ve'ndein-ie gigo com 12 garrafa de vinho de cham-
panha, de qualidade inulto superior, em casa de J. J.
Tas-a Jnior, rua do Ainorim, n. 35. ,
nnuncio importante.
Na loja n. 4 da rua do Crespo, ao p do arco de S.-
Antonio, do Ricardo J. de F. Ribeiro, acharUo os
concurrentes um bello sm tmenlo de casimiras do
cores com muita elaslicidadee de goslosos mais
modernos, recebidas da afamada Pars; assim como
igualmente ha um sortimento completo da reconhe-
cida boa fazenda pela sua consistencia denomina-
da pelle do diabo, sendo o preco de cada corte
1,440 rs.; advertindo quesouspadrOes nada ficam
restando a qualqucr outra fazenda de alto custo : ba
tambem um completo sortimento de fazendasde to-
das as qualidades, que merecem a devida conside-
rafilo em seus apurados gostos como em seus mdi-
cos precos e entro estas merecem particular atten-
Gflodas senhoras uns riscadoschiladose cbinezes,
deelegantissimospadrosorcalcadascres de rosa
azul, e cor de caf, adamascados a escoceza, a 280 rs
o covado proprios para vestidos, e sendo suas
amostras francas aospretendentcs.
Vende-se urna cscrava de nacilo, de 16 annos ,
de bonita figura, oque tem algumas habilidades :
na rua Augusta, n. 48.
Vendem-se escravos baralos, na rua das
Larangeiras, n. 14, segundo andar, sen-
do : um molecote de 22 anuos ptimo
canoeiro o bom pescador do alto e tarra-
iador, sem vicios e nem o menor acha-
que; um dito de 14 annos, de bonita figura com
alguns principios de cozinba ; um dito de 20 anuos,
hom para qualquer servico ; um preto por 400,000
rs.; um dito bom para sitio, por 220,000 rs. ; urna
preta, por 340,000 rs.; urna dila de elegante fi-
gura; urna dita que engomma, cozinba bom ecoso,
por preco commodo, ou troca-se por outra an-
da mesmo que teuba vicios ; e mais alguns escravos
que a vista dos protendentes se mostraran.
PANNOS -KET0S1')^ OS
na loja ; velludo prelo ; chama-
6o
ole dsseda
las : se
^-IT ye,nd,em-sc esclavos, sendo 3 n
preto lodos do mu.lo boas figuras e m
nnos de lodo o servico : na rua da Ca4eia
tomo, n.85,
legras c
mfts, |
iades.-
eum
pro-
An-
N rua Aova n. 0, loja de
Maya Hamos & ). ,
vendem-se excellentcs chapeos de sol com armatjfo
de ferro muito proprios para o invern por pro-
qo commodo.
Vende-se urna serafina de muito boas vozes
propra para meninas aprenderem a piano, ou para
igreja ; varias obras de ouro ; c as superiores sar-
dinhas : na rua do Riingel, n. 11.
?> a vn I has a con I en I o.
Na praca da Independencia n. 36, loja do bar-
bi'iro vendem-se navalhas de barba do superior
qualidade, fabricadas em Gumarilcs pelo meliior
fabricaulc desle genero por piAfO rasoavel.
Vende-so, ou troca-se por casas terreas ncsla
eidade um sitio na estrada do Monleiro defronte
do Aiiioi un couliguo u propriedade de S.-Aiina
conlendo urna snll'i ivel casa de vivenda boa agoa
de beber, circulado de cxcellenles baixas para ca-
pini, mesmo em lempo de verilo, arvores do truel.i,
como: larangeiras, coqueiros niangueiras, bana-
neiras cajiieiros Cufezeiros, piloinheiras, etc.
tem a frente cercada de limoeiros : a tralur na rua
dasTrincheiras, sobrado n. 50.
Sonicntes de horlalicc.
Rbanos, rabanelcs, salea, sensulas, cebolla,
chicoria, cbicorella sclgas, nabos, coenlro de to-
ceira, repolho, couve-trunchuda, almciro espina*
fie, aipo,pimpinela, couve, alface-repolhuda, dita
allemOa ludo chegado do Lisboa, no briguo Hobim,
c muito novas : vendem-se na rua d.i Cruz, n. 62.
Veniie-seuma parda de muito bonita figura,
que coziuha bem o diario do una casa lava
de sabflo c varrella cose cbilo o be muito boa pa-
ra casa de familia : na rpa do Collegio, t. 16, ter-
ceiro andar.
Vende-se um lerrcno no lugar dos Coclbos,
com II bragas e 3 palmos de frente e 67 ditas e 8
palmos de fundo : na rua do Collegio venda n 25.
Xa rua .^ ova loja de Maya
Hamos & <>ut|>aulria? u. ,
ba urna porefo de sapillos de couro'dc lustro para
senhora de p pequeo a 1,000 rs o parje tambem
sapalos de duraque le lodos oa la man los a 1,000
rs. o par, e um resto de pellos do couro de lustro,
a2,500rs.
Vende-so nm bonito moleque de 14 arinos, com
principios de carpina; um dito de 12 annos; um
mulalinho de 12 anuos ; um dito de 18 annos; 10
es'cravas de bonitas figuras com varias habilidades:
na rua Drrcila, n. 3.
Vende-seum bonito mulatitiho claro de 20 an-
nos, de boa conducta, proprio para pagem por
ser bom cavalleiro : na rua estreila do Rozario n.
10, terceiro andar.
V- Vendem-se bolmspara me-
nino e homem, de tt-dos os tama-
"los; capacho* redondos e com-
, para colleles e
t i i.-1 111 <-)<-, 111 ; o verdadeiro briin Irancado
de lislras de cores : na rua do Queimado,
loja nova, n. (i, de i'avnutiulo Carlos
Leite.
- Em cisa de Manoel da Sil-
va Sanios, no rua da Cadeia, n.
i, vendem-se caixas coitendo ca-
da urna do/i! garrafas de supe-
rior azeite de oliveira.
NA RUA DO QU LIMA DO, N ti,
Vendem-se lindas mantas de seda ,
muilo finas as mais modernas que ha,
proprias para senhora e meninas, a 3,?oo
rs. ; cites decassade rres fixas, ede
lindos |>;uli oes-, a 4-,00 W< i sarja hes-
panhota ; lila fronceza 5 los pretos ; lu-
do por menos de seu valor, por ler aca-
bado a Quaresma : na loja nova de li.
G. Leite
m Vendem-se mocadas de ferro para engrnhos de as.
mear, para vapor, agua c beatas, de diversos tamaubos,
por pi i'jii commodo c igiialniente taixas de ferro coado
e batido, ^c lodos os tamanhoi: na praja do Corpo-San-
lo, n. II, em casa de Me. Calmont & Companhia, ou na
rua de Apollo, arinazcm, n. 6.
RAPE' NACIONAL ANDARAHY.
Este excellento rap, ja bstanle conhecido por
milites dos lomantes desla praca pelo seu agrada-
vel aroma e cor semelbanteao de Lisboa, e faeili-
dade com que deslila sem seccar 110 nariz e nem fe-
rir, sempre se achara fresco e em linas tornadas no
deposito da rua do Trapiche, n. 34, terceiro an-
dar, ea relalbo, na rua da Cadeia do Recife, lu-
jas de miudezas dos Srs 1. i. do Carvalho Moracs,
A.F. Pinto & Irmfio,, A. l. Yaz do Carvalho; de
ferragens, l'onlcs & Sampao; de fazondas Cu-
nta & Amorim Antonio Duarte de'Oliveira llego,
na rua da Madre-de-Deos ; rua do Queimado lo-
ja de ferragens da Campos & Almeida ; praca loja
de miudezas de C: G. Brcckcmfeld; Cabug,' T.
do A. Eonseca.e Cmbelino Maximanno do Carvalho ;
Aterro-da-Boa-Vista loja de ferragens, de Caeta-
no L. Kerreira e de miudezas, de T. P. do II. Esli-
ma, c Antonio 1'ereira da Costa Cama.
Na rua da Scnzalla-IVova, n. 3o,
(padaria) vendem-s.<. juncos de superior
qualidade, em porcao c a retall.o, e por
menos do que em oulra qualqucr parle.
RAPE' PRINCE2A NOVO LISBOA.
Acaba di'chegar pelo ultimo vapor una nova re-
messa deste escolente rap, muito fresco ecom de-
licioso aroma, e contina a vender-se no deposito da
rua da Scnzalla-Velha, n. 110, e em lodos os lugares
do costme, at boje annunciados.
Vende-se na loja de miudezas da rua do Cres-
po, n. 11, urna rica caixa de msica nova que leva
1 toca 40 minutos; vidroscom graxa para calcado
le lustro c correiajiies, de nova invenclo, a 500 rs.
cada frasco.
*- Vendem-se 12 accocs da companhia do enca-
namciito dasagoas do Pinta com Indas as presta-
cOes pagas em da : em Fra-dc-Portas rua do Pi-
Jar, n. 108, das 6 as 10 horas da manhila, o das 2 as
6 da tarde.
Vinho de Bordeaux
de superior qualidade, em caixas de duiia,. por preco
commodo : vende-se na rua da Crus n. 10 armazem
de Kalkiuann & Roscnmund.
Vende-se
Vende-se urna cadeira de arruar, forrada de
seda e nova-; macacos para arrumar carga ; encera-
dos para cobrir gneros : na rua do Amorim, n. 15.
Vcnde-se urna mulatinhad 15 annos, muito
bonita e com habilidades : na rua estreila do Roza-
rio n. 31. primeiro andar.
Vende-se um mesa do pinho, propra para
fazenda, com 15 palmos do oomprimento o 7 ditos
de largura : na rua do Queimado loja n. 8.
vende-so farinha de trigo, do Trieste da ver-
dadera marca SSSF : em casa N. O. Breer &
Companhia na rua da Cruz, n. 4.
Vinho de Champanha
de superior qualidade : vende-se na rua da Crui, n. 10,
armazem de Kalkiuanii & Roscnmund.
Vende-se um bom sitio, com urna cxcellente
casa de sobrado, "com bastantes commodos para
grande familia, com 4 salas, 13 quartos inclusivos
maiores com janellas, 2 cozinhas, urna om baixoe
outra em cima, bastantes arejadas, com forqos mo-
dernos, o outros diversos arranjos, quarto para fei-
tor, senzalla para pretos, estribara para 3 cavallos
a folga, alm de urna pequea casa velha que pode
servir para coCheira: o sitio he do urna extensSo
immensa e contm diversos arvoredos, um pomar do
larangeiras cnxertadas com laranjas selectas e do
embigo, limoesdoces e limas de enihigo que j pro-
duzem fructo, alm de outros ps j antigos que
produzem laranjas muito doces, coqueiros, alguns
dedenzeiros; cajuciros, mangueiraa, jambreirosf pi-
loinheiras, pitangueras, ubaieiras, assafroeiras,ja-
queiras, pinheiras, (iguoiras, goiabeiras brancas, i in-
mensos araeaseiros, anana/eiros, oli-cors, com
haixa de capim plantado que sustenta 2 cavallos,
com um grande viveiro gubdividido em 3, com bas-
tante terreno para diversas plantaeOes, como os bons
melOes, medobins, macacbeiras, lugar para jardime
com algumas llores, outro lugar para borla, todo
cercado de limito, com um grande poco d'agoa do bey
her e mais outros dous pequeos, em chfios propi;/
os, muito perio da capital, por ser no principio da
estrada de Joilo-de-Barros: a tratar no mesmo sitio,
a qualquer hora do dia.
Vendem.se VLLAS de cera do
llio-de-Janeiro de Lisboa grande c
completo sortimento : na rua da Senzal-
la-Velha armazem 11. no, de Aives
Vianna
Vcnde-se cal rirgem em nielas barricas chrgada
ltimamente ; caixas vasias para assucar ; una porcao
de pesos de ferro, de duas arrobas ; srrras grandes para
serrar inadcira ; todo por preco commodo: na rua da
Mocda, armazem o. 17.
Vende-se, por preco commodo, urna cama do 0-
Ico com colxOes o enxerges. ludo quasi novo; e u-
nia commoda em bom estado, de condur : na rua
da l'nin, junto a typographia.
Vendem-se lisias da 1.' parlada 1. lotera da
matriz da eidade da Victoria: na livraria da praca da
Independencia, ns. 6 e 8
Vendem-se aderecos deperolascnm hrilhanles,
brincos de brilhaiites.dilosdc diamantes rozas, bor-
holtas de hrilhanles, alfnetos de ditos grairde.- com
u nhas, emeios ditos de ditos. No Aterro-da-Boa-
Vista', loja de Joaquim de Oliveira e Souza.
Escravos Fgidos
urna prcla muito boa coslureira e
engotnmadeira e que ensaboa bem ; no moca e de
boa ligura : na rua da Cadeia n. 40.
~ Ffiftio, do poder do abaixo
assignado, um escravo, de nome
Domingos, de 20a 22anuos, cor parda baixo, mus-
culoso, barbado edosuissa fechad, cabellos peque-
os nariz grosso e um pouco chato, denles alvos ,
com urna cicatriz semicircular no anle-braco dirci-
lo de urna canivelada que levou; ho muito esperto
e loquaz, trabalbade dilTerentesofflciose lalguma
eousa. Como estivsse no Rio, Rabia e Alagas don-
de he natural, conta historias destes lugares ; e
sendo possivel que lenha sabido da eidade pode il-
ludira qualqucr deque he forro.. Desappareceu na
noite do da 10 do corrente; levou camisa de chita
azul, caifas de brim pardo Irancado chapeo de pil-
lo \ cilio e sapatos, pois anda calcado ; alm de urna
trouxa com roupa. Quem o pegar levo ama larga do
Rozario, n. 30,segundo andar, que ser bem re-
compensado. Douior M. A. da Silva Puntes.
Na noite do dia 13 para 14 do correnle mez,
desappareceu da casa de Lima Jnior & Companhia
um pretocrioulo, de nom Elias, natural da pro-
vincia do Ccar pertencente a Joaquim Jos Ma-
chado Pimentcl, da mesma provincia; estatura baixa,
reforeado do corpo, de 25 anuos pouco mais 011
menos com principio do barba; levou* camisa do
riscadinho o cerouias de algodfiozinho, chapeo do
palba usado, c um sacco coin calcas c camisa de cis-
cado Recunimenda-se as autoridades' policiaca e
capites de campo sua captura e a pessoa que o le-
var a casa dos annuncanles na rua da Cruz no
Itccifc n. 28, ser bem recompensada.
Fugio, 110 dja 13 do corrente, 1 elas oilo hora
da tardo um preto Cassange de nomo Manoel, do
34'unos pouco mais ou menos baixo, corpo secen,
ps largos o seceos ; levou calcas do riscado azul,
sem camisa ; podo ser bem reconhido por ser que-
brado, o tambem pelas milos por ser amassador de
padaria : quemo pegar leve ao. Alerro-da-Boa-Vs-
ta n. 50, padaria franceza, que ser recompensado.
Fugio, no dia 7 do corrente a -esclava Mara,
de inicao de meia idade, cor fula; tem nm dedo
da mfio esquerda torio por causa de ler lido calor
do ligado ; levou, panno da Costa *ovo sem estar
emhainhado vesiido de riscado amarello j des-
botado fugio no lim de oito das depois de com-
prada. Roga-so a todasas autoridades pojiciaes, ca-
pites de campo o possos particulares, que a appre-
hendam e leycm a l'ra-de-l'ortas, defronte do hos-
pital de marnha que serflo bem recompensados.
Fugio, no.dia 18 do prximo paseado, do enge-
nbo Goiigacari, o cscravo Antonio Pereira ; repre-
senta 30 annos de altura regular, corpo reforeado ,
bem fallante; levou calcase camisa de algodflo/.i-
uho; foi comprado, tendo chegado ha pouco do
serlSo, ao Sr. deutor Alexandre Beruardno dos
Res e Silva: quem o pegar leve ao dito engenbo,
ou na rua Imperial, sobrado n. 39, que sera pago
d todas as despezas.
PERN. : NA TVP. DEM. F. DE FAHIA .-1 4 "i)
-W-
r=
ILEGIVEL


uno de 184*.
Segunda fcira I O de Abril. N. 16.
----- ..... .....

PERNAMBCO.
(SOB OS AUSPICIOS DA SOCIEDAD* C.OMMERCTaI,.^
Subscrcve-se na Praca da Independencia, loja de livros n. 6 e 8, por iasooo rcis por anno. pagos adiaatados.
PBBfOS CORRENTES DA PRAA (Corregido Sabbado as 3 horas da tarde.)
s

5
.o ro o
s
o
a a S*-a o o 3
o v fi ix
11
13

5>
i 4-"
_ 3 C 0 oo t_ ,= O S
2<>>'ii.i'-a< baliza
1
> .
fj
2 e4
M*"
(ja.
"ti' Sil
^ ir*3
'i
2
| 1=?.!-I* ..l.iil
B.H. = 5 3 d S B jrj

a*J
S JT8 <
4-8
R k a a
axassteit
v 5 o
o O r
o ri ** o o
o e-Qoooo
floM---o-n o./xff*rtwo-on -*.' i-
OTrr---o*0"9cc- ** -* i-c^-*r-o>c7>. c* w
n
3 s c =- = : rcc^r-c
o***** = .= O O; oo
T* M P N J( ,"' f( W fI o o oo

^


1-J 2 i
3 C C o,
ana*tes

C o o O
o o o o
O 00 O O
m *> -r
rt so
c o
O O O O O O !
i o o o o
_ _' o o o
i o o r* r* >o -rt
i > "O ** >
* o r*
o o
c rt
-* ** o
c
I C 3 C
i C -O c i- o o
*>** -1 *n **, ****
90 eo O -O CC-1
- *- -
H
o o o o o o o
o o o to 0"*
o o o **
oopoopoo^op
00000040090^
" o O o o
-^ O *-*
o r< r- w
00 o
c i o c o o
c =: = oo o
c c o o a
0^0
S c S 2f%*
S a-g c W F o (I,
'3 si -=3
g.S 3 = 5 I
8 a o *
CB 5 s
< s
l'li
2 H.9
2=3=. gr- -
I-i
! i
1
s
" s
o.
V "
* U
5 a u -s
S g--a
i. n w u
OSt
i i i i i
UM I
.2
rfii.
lili.
*|-a ;
5>s =
O
O"
es
o
o.
I
Wlaj
e -^ "TV M
es
S 4 C i. h.
s: &I
SS5 = 2 2
lili
I I I
I I I
i. .a
on,6
--O
(A
-1
s
lilil
1,11
I > I
bI'i
.]l
I I I I
' S .
_ i
-v v
r"JS
I I I = 1
,mL
?, = 11
3 a.<
i s i i i So.
" S la
- fi
A jfl
> = E I
zana
flS
= S I
3s a
SIS-
?Sa "SI
o .= > 5
O U. ^. 5 J
I I
* I I
1 '
-a.
7T
: i i
. i-, a
. 8 :1
u s
14 *:
= = = = -*: =
;i
111 i i
iiii
?ni 11
5
u
2 "
S|
L. O
-s.
I I
I 1 I
I s '
I I I I I
I I I I I
'gil
I
i i c |
* X w
8 TS-O 2

SIS
o
-j .rw
p

I I I
' i 8
l 'C
. '
0 5 B B
1 |]J
;-5*-5-s.0-
S.S s
i!-a ,:=
1.2
2f ~
isti
O ^ O V
V T3 "O
' | a." '
i S i i i
S 3 i -o i i
~ wi
i -^ n =
.essf. i.
I i i F
i r-
? .
i i
j i


o i
S 13
533
8 '
.}"
J I I -.i I 1
S o
] -' *
3o 8 u = 5
2 5 I I o a
5-2 ~
!.5 3
= = S= =
i
3 i 5-i
o,-a ai u u
s ;
3*""
.s
2
>u.
II
J.Ji

2
"Si"
* a 'c-o"" -
oo-5;ebo2
i* iS IX b *.
c o
ast.ae.2G .aga
3 J3
soco oooooooo ooooo
>0003 ooocootft^r* (Ooa
rtoe os r* *" f5 wrt^>o-
is.-gl.-illgeJ-l-slo'iSB'l
3- C,-3 B3-9 3 =5 =
"3 C *
O sa a.
3 J
* a
5 <
.i
jlj
Qf-J
. ..-3
l|i1lilii^>iilliifil
= a: < -. =a
-.33
4
ce
ooooo>oocoooooo = o o 00
OOOJ-I OCNOO o o c c o o o -SOCO 00
?rt CTW P*
e o
o o
o o
o o
o o
o o
a, p -
c o o o
c c *" *
^> r* P* --
e
o o
c o
P* c>
o
0 0 0 0 = 00
o 3 o c ; o
r- t- c c3 r- o
cpo**c ?S22S
Si'?
ir O C COCO
OOOWOCO*.
-Z.0O-3OOO-C
r- r* oj
r. -
O O O O =. O O
O O O O O
o B> rt ^ A ^
*> aoc-aa ** *
o tr o o t-
r* "
lili II
I I
' I
I I
?<-
.3 **
all
t/ii.
00
s
= I

1 i '
441 '
ni a
- > "^ 1) *
...... 111
.......'1
l/l'i'
'JilM
'iiImi
x x ./-. r-" a. /.
ta -
> eo
Ti i i T i ri
1 1 1 1 1 1 1
i 1 1 g 1 l 3
l 1 ., fi 1
! .=
-s-s's-s:.r-3
13.3 =
1 O :-
. -1. X-s-, b
j
/



EXPHTACAO.
Agoardenle Cataca -
Algodio I. sorte -
J. ------
[ Auucar branco em caitas -
. mascavado -
ni barricas 011 sac-
coj, blanco -
malcarado -
Couroi jeecoi salgados. -
leios do tola
Lhiirc da Ierra- -
do llio Grande -
EXPORTS.
Hum ------
Colton I. qualily -
i 2. -
Sugar n casas whi'e -
i brown -
i lor Brrela or Baga
while -
i brotvn -
Dry aalted hides -
Taime bidet -
Ui-liorns -
PRKVO KA PR*V
4J#000 -6J000
5*600
5J000
IJ009
ijioo
24200
000
1*000
11900
ijgoo
lOT/i
IfUOO
?|ooo
I CO
1J200
4J500
POR
Pipa.
Arroba.

11, ferro
Libra.
Hura.
Ceiuo.
CAMBIOS.
.................29'/, a J9 ................. 9a por cenlo premio, por metal cecluado
Londres
Lisboa .
-----------
Janeiro...............!
PH ATA miuda...................
> Pataces Bratilairot........
Pesos Columnario........ Hilos Mexicanos..........I. -
ODRO. Moedas de 88400 velhai... 18/lnG
Ditas diut novat... 16(200 a
Dilat de 4,000............ 9#000 a
uncu hespanbolas........ ajalio
316 rli por franco,
ao par
I 900
2J020
2000
14C60
1/920.
2040.
2|O20.
TOO.
IOJ300
IJ300,
9JI0O.
V'UUU.
Ditt" Patrio ticat.......... 27J500 a 28,1000.
Letras....................; V Pr IU0* ""*
FRTES.
^n 8 saceos! Com5%
ASSUCAR.
iLirerpiol............... Saccot 40 0 g
Canal, porlos Inglezes......Caiztl 500
l Dito, ditoeutrellamb. e Havre. Dito 4 0 0
tjCenova.................Ssccot 4 0 0
lllamhurgn caitas............... 4 00
\ Bltico......................
(Trieste.................Saccot 4 00
I Estados-Unidos................
Portugal........................ *> ,
I Fratucji........'................ fu 60 e 10 V, de pnmi;em
Com 10 /a
Com 5 V,
ALGODAO.
Portugal................... 00 por @ sem primegemnominal
Franca..................... 400 por (ge iOp.J0 aocamb. de I0 p'fr nominal.
Inglaterra.................. 718 p. d.eip. / <-e priroagem,
Barcelon................... 4C0 res
COUROS.
Inglaterra Seccot f
500
por tonelada e 5 por cenlo.
Franc(.............................. 70 iiancos por toneladas, comIOp. cenlo
Estados Unidoi...................... Nao ha.
mstmm
~*Di da II de Novemhro de 1814 s.n diante pagar 80 p. c.o rapou tabaco
ttt ,,./, 01 cbarutos ou cigarros, o fumo eio rolo ou em folba.
Pagar 50 p. eos saceos de canhamasso, grossaria ou gimes da India, os cai-
vetes em forma de punhal, asalmofadas paracarruageus, as pedras lavrsdas para la-
gdo, as pedrat decanta-ia para porles, portas e janellas, as pedras lavradas para
encannmentos, cepas, cunhaes e cornijas, o assucar refinado, crvstalisado ou de qual-
quer maneira confeilado, o cha, a agoardenle, a cerveja, a cidra, a ginebra, o mar-
rasquino, ou outms licores, e os viobos de qualquer qualidade e precedencia.
Pagaran 40 p. c. as alcatifas ou tapetes, o canhamaco ordinario ou grossaria, al
balancas de qualquer qualidade, e roupa feita, nao especificada na tarifa, as cartas pa-
ra jogar, as escovas de cabo de marlim, o fogo da China em cartas, ou qualquer ou-
ro fogo de artificio, o papel pintado, prateado, ou domado, sendo de qualidades
Tinas, o papel piulado para forrar salas em collecces ou paizagens, o papel de Hol-
anda, imperial, ou outro nao especificado na tarifa a plvora, os saboneta, o sabao,
o sebo em velas, as velas de Slearina ou composico, as amellas, ou oulras duelas
em frascos 011 latas, leceas, em calda, ou ein espirito, o chocolate de cacao ordinario,
o vinagre, os carrinhos, carruagens ou caitas, jogos, rodas, arreios para urna e ou-
4-a cousa as esleirs para forrar casas, os carros para conduzir gente, os sociaveis,
' silhes, os areieiros e tinteiros de porcelana, e qualquer ohjecto delouca nao com-
prebendido na tarifa os lustres, os clices para licor ou vinho de vidrolito ordina-
rio, os de vidro moldado ordinario lavrado ou moldado, e lavradn ordinario da Alle-
miiilia o semelhantes os de vidro liso moldado ou lavrado, de fundo cortado ou liso,
com molde ou lavor ordinario ; os clices para Cbampanhe ou cervrja, as canecas,
conos direilos de IU a I em quartilho, aa garrafas de vidro al I quartilhc ou mais,
sendo todos estes ohjeclos de ns. I e 2 as garrafas de vidro pretaa ou escuras da
mesma capacidade, coinprehendidas as que servem para licores ou Le-Hoy os copos
pira laliernas al urna caada, os frascos de vidro ordinario com rolhas do mesmo
al 3 libras ou mais ; ou sem rolda al 2 libras ou mais, os de linca larca com rolhas
do mcsino, al 4 libras ou mais, ou sem rolda para opodeldoc os vidros para a-
lampadas ou candeiros, as taboas ou folhas de mogno ou outra madeira fina, e trai-
tes ile qualquer madeira.
Pagarlo 25 p. c. o ac, alcalro, zinco em barra 011 em folha, chumbo em barra
ou lencol, estanto em barra ou em verguiuha, fefro em baira verguinha, chapa o
linguados para fundico, falla de Flandres, gallia de Alepo, lata em folhas, latoem
chapa, marlim, salitre, vime, bacalho, pene pao, e qualqner outro, secco ou sal-
fado ; bolacha, carue secca ou de talmoura, herva-doce. farinha de trigo, pellicas
ranea ou pintadas, cordoves ou corles de hez-erro para calcado, bezerros e couros
envernizados, couros de porco ou boi, salgados ou seceos; sola clara para sapateiro
011 correeiro, cobre e caparrosa.
Pagaren 20 p. c. o trigo em grao, liarrillie, canolilho, espiguilha, fieiras, fios,
franjas, lantijoulas, palhctas, passamanes, sendo de ouroou prala entrefina, ordina-
ria ouj, falsa : gales da mesma nalureza, ou tecidos com relio/., linho. algodio ou
leda, rendas 011 entreincios de algodio nao bordados ; rendas de lil, as de algodio,
retrot 011 trocal lencos de camhraia de linho ou algodo, e bandas d retrot de
naalha.
Pagar 10 p c. os livros, mappas e globos geograpbicos, instrumentos mathe-
maticos, de physica ou chimica, coites de vestidos de velludos 011 damascos, borda-
dos de prata ououro lino relroz ou trocal, e cabello para cabelleireiro.
faga ri 8 p c. o canutillio, cordo de fio, espiguilha, Reir, fios, franjas, ga-
lio de fio ou pallieta, lantijoulas, palhela. rendas, cadarcos e todos o mais objec-
os desta nalureza, sendo de ouro e prata fina,
Paga'o 5 p. e. o earvo de pedra, ouro para dourar, ou quaesquerobrai e
ulensis de prala,
Pagar 4 f. c. as joias de ouro ou prata, ou quaesquer obras de'ouro.
PagaraS 2 p. c. os diamantes e outrai pedras preciosas soltai, sementes,fplan-
1 e racas novas de animaes uteii.
Pagar 30 p. c. lodos os mais objeclos. I
Os gneros reetporUdos ou baldeados pago I p. c. de direitot alm da trmaie-
es^rn; e o despachante presta flanea at a approvaco desta medida pela Assem-
bla GeraU'
Coucedem-se livru de armazenagens, porISdias, as merctdorias de Estiva, e
dous mezes as outras e findos estes pratos, pagara6'A P. c. ao mez do respec
vo valor. r
O rdireitos das fatendas, que pago por vara, dere entenderle vara quadrada.
Os-oireitos nao podem ser augmentados dentro do anno financeiro ; masoGo-
jerno podara mandar pagar em moeda de ouro ou prata urna vigsima parte das que
forem maiores de 8 e menares de 60 p. c. dos precos das mercadorias, ou meiino
^liminiul-os, segundo lh parecer.
O Gorerno eil autorisado. eitahelecer um dirtilo dierencial sobrtot genero
de qualquer naci, que lobrecarregar 01 gneros brasileos de maior direito, que
iguaes de outra naci.
Sioisentai de diieitos as machinas, ainda nao usadas no lugar, em que forem
importadas.
EXPOBTACAO Os direitosptgo-se sobre a avaliacio de urna paula sema-
nal na razo seguinte : Assucar 10 p. c. Algodio, caf, e fumo 12 p c. Agoar-
denle, couros, e todoi 01 mais gneros 7 p. c. Alem desle direitos pago-se as
tatas de 180 rs. em cada caita, de 40 rs, em cada fecho, de 30 rs. eui cada barrica,
ou saceos de assucar, e de 40 rs em cada lacea de algodo.
Couros e todos os mais genero! siolivres de direitos para os porlos do imperio,
excepeo do algodio, assucar. caf, e fumo, que pago 3 p. c. e as latas por volunte*
Os metaes preciosos em barra pago de direitos 2 p c. sobre o valor do mer-
cado, e a prata e o ouro amoedado nacional ou eslrangeiro paga nicamente '/jp. e.
Os escravos caponados pago 5'000 por cada um.
DESPEZA DO PORTO Al embarcaedes nscionaes, on eslrangeiras, que
navegio para fora do Imperio, pago 00 rs de ancoragem por tonelada : e ai
nacionaes, que navegio entre os diversos porlos do Brasil 9C rs. As que entraren
em lastro e sahirem com carga e vice-versa, pagar me'iade do imposto supra e um
terco ai que entraren-, e sahirem em laitro; e mesmo as que entraren- por franqua,
ou escala, quer enlrem em lastro, quer com carga. Data imposico porm serio
isentas ai que importare mais de 100 Colonos brancos, e aiqueenlradrem poi arribada
forcada, com tanto que eslas nao carreguem, ou descarreguem s menle os genero
neoessarios para pagamento dos reparos, que fizerem.
VENDAS DE NAVIOS As embircacei estrangeirai, que pasiarem a ser
nacionaes, pago 16 p. c e as nacionaes, mudando de proprielano, ou de baudeira
pagio 6 p, c. sobre o valor da venda.
REVISTA SEMANAL.
CAMBIO No principio da semina a maior parte das Iranstcces foro-
feitas a 29 '/j d. ; dos ltimos das porm pequeas sommas se trocarlo a 29 '/,
d. por mil ris.
ALGODAO Entradas e vendas regulares, ao preeo quotado.
AS.STJCAH O embarricado e o ensacado mais oilerccido.
COUHOS SALGADOS Pouco procurados.
BtCAT.HAO <== Chegou hum carregameulo, que seguio para o Bul ; e o di-
posito he de cerca de 14 no barricas.
FARINHA DE TRIGO Chegou hum carregamento com 1:300 barricas, de
Trieste, e outro de Pbiladelphia com 1:200; augmentando o deposito a perto de
3:090 bal ricas em priraeira mao.
CARNE DE CHARQUE Enlrrao dous carregamento, com os quael o
deposito fica elevado a 60:000 arrobas.
Raimo das EmbanafSes existentes nesle porto no da 17 di Abril di 1847.
Austraca..........................,....................i.i. i.........." I
Americanas........................................................... 2
Brasileirai........................................................., 28
Dinamarqueza........................................................ I
Branceza................................a........................... 1
Hespanhola......................................................... I
Inglezas...................,,,..........,.,............................. 9
Porluguezas..........,........................ ............. 3
Sardas..........,..................................................... 5
Sueca..........,..-.,.......................,...........t.....,........ 1
Total M
A Provincia goza tranquudad*-.
O


LISTA das Embarcayes existentes neste porto at o da 17 de Abril de 1847.
KTBADA-
1147 Abnl
,147 Abr!
Setembro 2
J.utiro :n
Fevereiro *
i'
'<*
,147 M'
|47 Abril
1847 Marco
1847 Abril
-
1847 Marco
1847 Abril

|I87 Abril
.
50
!6
4
14
JO
II
14
4
56
4
17
I
I
9

*
10
11
ti
16
1847 Marco >"
1847 Abiil s
1847 Abril 1!<
DONDE VBM.
Bostn,
Pbiladelphia.
Woterford
Babia
Rabia.
Ass
*.s
racati.
Rio Grande do 3.
Rio-Grande do S.
Amo-
ro Giande doS
Rio Grande doS
llalli.
MaranMn.
Rio Grande do 9.
Ass.

Arncali
Rio de Janeiro.
Baiiia
Acarnc
Rio ('ramle do S.
Camsragilie
Porto-Calvo
Rio Grande do S
Rio Grande do S
r.lo de Janeiro.
Parahvba.
Rio de' Janeiro.
A ...
New-Port
Havre de Graca
Barcelona Malaga
CASCO.
RACAO.
Liverpool .
Liverpool.
Londres
llull
Rio de Janeiro
Liverpool
libas Faulltland.
L:sl>oa.
Babia
Mad." por C V.
Genova
Rio de Janeiro
Babia
Genova.
Rio de Janeiro
Trieste p. Malaga
K tacho
igue.
patacho
sumaca
sumaca
patacho
brigue
sumaca.
brigue.
brigue
hiato
brigue.
Cltacbo.
rigue
br.-esc.
barca,
patacho,
br.-esc.
sumaca,
brigue.
secuna.
biale
brigue.

a
brigue
pata cbo
hiate.
patacho
brigue
brigue.
barca.
E alera,
rigue.
brigue

laica,
barca.
brigue.
balea.
patacho.
brigue
Eolaca.
arca
polaca
brigue
brigue.
Amer.
Auslr.
llrazil.
noMEs.
Din.
Franc
Hesp.
Inl.
Port.
Tamochantre.
Cowpertawite.
Minegham
Santa Anna
8. Benedicto.
I.aurentina
Sociedade.
Terpsicbore.
Norma.
Lio
S. Joo
D. Pedio It.
Anglica-
S. Manoel Augusto.
Veloz.
Generoxa.
S. Jos Americano.'
Henriqueta.
8' Antonio de Padua.
Argos
8-Cni.
Agu* Braiileira
Jpiter
S Jos glorioso
S. Antonio flor do Reeifr
tndependente
Dilio.
Amazonas,
Santa Crui.
Saudade.
Esperance.
Alberg.
Nelie Mathilde
Emprehendedor.
Esther Ann.
Wm. Russell.
Jobn Campbell
Rowley.
Conturion
Yarmouth
Hainbow
Cumberland
StrathisU
Robim.
N. 8. da Boa Viagem .
Tartaruga n. 19.
Sardo. Remac
Giove
Sueco
fardo.
Maria Eugenia
Mara Amelia
Argos
Ernestina.
TONS
112
170
91
43
180
198
54
}09
170
4
117
IR*
186
163
198
167
164
76
I8T
74
68
147
80
II
191
104
Ib!
6!
131
108
116
197
J44
164
198
416
161
176
161
160
386
387
180
61)6
US
177
178
847
10!
131
176
MBSTRS.
CONSIGNATARIOS.
i. R. Franks.
l.wis Cassen.
John Marencigh
Joo de Dos Pereira
Joaquim Jote Silvelra.
Joto Martin* dos Santos C.
Jernimo Jos Talles.
Jos Joaquim Olan.
Antonio Francisco Pereira.
Antonio Rodrigues Garcia.'
Jos Antonio da Silva.
M. i. Monteiro Vianna.
Manoel Antuoii de Oliveira
Manoel Simaos.
Franc Bernardo de Mallos.
Jos de Oliveira Silva.
Jos Antonio Mattozinhos.
Jos Joaqnim Alvcs da SU*.
Manoel Jos Ribeiru,
Jos da Costa Pimeota.
Jos Joaqnim Alves.
Manoel Jos dos Sanios
Antonio Jos dos Reis
Manoel Fernandes de Souta
Thoinai Gomes d'Almeida
Pructuozo J. Pereira Outra
Joaqnim Jorge Goncalves.
Manoel Marcianno Ferrara
Antonio Manoel.
Rento Jos Govim.
loaquim A. G dos S.
II. P. Madsen.
Joo Raptista Guilbert.
Joo Molas.
J. Hunler.
Goldiag.
Paterson.
Wm. Campbell.
John Gellei.
W. Forslythe
Peter Soolt
James Cobel
F. Heole.
Ant. Jos dos Santos Lapa.
Joo Jos Rodrigues.
Antonio Jos d'Oliveira.
Jos Antonio Demoso
Joo BaptisU Chiozza
C. Lazzolo
Nicolao Raggio
P. Peter son
Miguel Chichizola.
DESTINO.
Henry Forater St C.
Matbeus Austin G.
Jos Joaquim de Oliveira
Novaes Si C.
O Mestre.
J^ou renco Jos das Naves
Jos Francisco Collares.
HJ.de Magalgea Bastos,
Amorim Irrnos.
Amorim Irmos
Jos Maria Barbota.
Joo Franc:*co da Cruz.
Luiz Jos de Si Arauio.
Bernardo Antonio de Miranda
Manoel finarte Rodrigues.
Amorim Irmos.
Gaudino Ago'tinho de Barros
Franc. Joaq. Pedro da Costa
Luir Borges de tiqueira.
Amorim Irmos.
C S. C. Moieira.
Manoel Goncalves da Silva
Antonio Goncanves Ferreira
Jos Silvestre' de Mendooca
O Mestre
Manoel Alves Guerra
Guadino Agostinho de B.
Amorim Irmos.
O Mestre. #
Guadino Ag'ostinho de B.
Manoel Joaquim Ramos S.
Oa agentes dacomp. de vapor.
J. P. Adour k C.
Manoel Joaquim Ramos e S.
James Crahtree S C.
Russell Mellors t C,
Me. Calmont St C.
James Crabtree Si G.
Deaoe Youle 8 C
Me Calmont Si C.
Le Bretn Schramm St O.
Me Calmont 8t C.
Cnsul Inglez.
Thomaz de Aquino Fonceca.
Francisco Alves da Cuaba.
O Sobre Carga.
Joo Pinto de Lemos & Filho
Guidino Agostinho de Barros
Le Bretn Scbram St C.
Lenoir Puget 8t C.
N. O.'Bieber St C.
Jos Joaquim de OUreira.
Rio da Janeiro;
Rio de Janeiro
Dito.
Habla por Mecei .
Rio Grande do S.
Aractti.
Maranho.
Rio de] Janeiro.
Ceara.
Rio de Janeiro.
Acarac pelo Ceara".



Liverpool.
Dito.
Dito por Macelo.
Canal porParah y be
Canal no da 19.
Lisboa
Porto
Liib.p.TerceS.Mig.
Pernambuco na Typographta de Mi l*. de Feria.1147,