Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08766

Full Text
nro-de" 1847.
Quinta feira 15
n MAP1Q puMica-se todos oj diaa, que no
" ,le gu-rd o preco d., u-patura, he de
*Tm n poi qu.rl. W*. "dutniadj. Os an
" )a jienanleJ > inserido a rasao de
""*' -mihi. <" em,T,, *B>W*. M
=- f.irem:g-
60 em lypo
joii.Pr
Wr-o 0 r. porhnha, .160
prfASES DA LO* NO BS DE ABRIL.
.. ..ni. 8 eos mi"- d ,,re-
tS*; .-i,ora* 5 m,ou-d*,arde-
PARTIDA DOS CORREIOS.
Gotannae Paraliyl, i segundas e sextas feirks.
Rie-Grande-rdn. Norte quintas feiras aomeio-dia.
Cabo, SerioliSem, Rio-Formoso, Po.to-Calvp e
Macei. no l., a 11 c II de cada mea.
(laranluins e Rotiito. a 10 e 21.
Boa-Vista e Flores, a U e ?8.
Victoria, as quintas feias.
Ulinda, todos Os das.
PREAMA3 DE HOJE.
1 Primen-a, as 4 doras < 10 minutos da tarde.
Segunda, as 4 horas < 51 minutos da manhia.
de Abril.
Anno XXIII.
n.m.
DUS DA SEMANA.
15 Sfconde. S. Vctor Aud. do J. dos or-
ph-os, do J.doc. da *. do J. M.4. 11.
II Tere. S. Uueo. And.doJ. do c.v. da I
. e do i. di pae do i dial, i*<\-
14 Quaria. S, Lanberlo. Aud. do .'. o T.
da i e do J. de paz do 1 15 Jeinla. S. Anastacia. Aud doJ.deorpn.,
edo J. municipal da t tira.
16 pa. S Fructuoso Aud do J. docir.da I.
||f edo J. de pudo I. ditt.de t
17 Sabhado. S. Aniceto. Aid do J. do civ. *
I. r. doJ depat da I dial, de t. '
II Dominio. S. Gildiuo.
'------
CAMBIOS NO DA MDEADfllL.
Cambio sobra Londres a >'/ dlp. U r
P.riJllfcr*.p<"-'t"eo-
, Lisboa 6ifoprwi1t.
Desc. de lattras da hoas firmas I
OairoOncas lespeoholas.
Modasdefl80 vell..
, de 61401" nov.
* > de 4 000.....
Prala Pataco..........
Peaoi columoire...
Ditos mexieaoos ...
Miud
.
Sed
tefioo
9$ 100
Jfnjo
Jta
t#to
Acfte da oemp. do Rcbriba de &8f808 W. (**.
,?sj00 a
ICitlOO
181000 a
1000 a
lJ jfnflO a
if ato a
l800 a
ion".
J|0W
DOLROlJrPERAMBUCO
LIT.!. IN-
ADVERTENCIA.
No discurso do Sr. Joaquim Villela, publicado hon-
tem pagina i.*,columna 2.', linha 64 -mu verdade
l. |eia-so muaverdade he.
paina 2.', columna l.\ linha 41 principio ptla
seauinlt lca-se principio pela segunda ; Itnha
81 o* tiito o jue m ?ur faur com os empregados,
.'- diga.'se os*e '" 1Htte1uer fa" com "'em'
pregadoi.
SAME OFFiGIAL.'
G<>v<*mio d provHci.
EXPEDIE.ME DO.DIA 22 DO PASS\D0.
Ofllcio-AoExm. presidenta da Bnhia, accusando
recibida a guia soldado desortor Francisco Soa-
tcs -TranstiiUio-se ao commqnilants das armas.
liito-Ao desembargador juiz relator da jimia de
itislica, remetiendo, para ser deOnitiVamcnto.julga-
dn, o processo do soldado de .1.' linha do Ceara, Ma-
no'elda Rocha. .
Dito A0 commandanto das armas, participando
aue os primeiros cadetes do 2 batalhflo do artillia-
ria a p, Apollonlo Peres Campello Jacomo da Gama
e Manoel Peres Campello Jac?me da Gama, Obttve-
rim licenca do governo imperial para irem estudan
na escola militar o curso da arma respectiva.
Dito-Ao mesmo, remetiendo copia do aviso que
inouiredo motivo por que continuas apparecer nos
mappm do 2. batalhflo do art.thar.a a pe o.' l-
ente Antonio Pedro Licor que, segundo se Iho par-
ticipad cm oOlcio de 29 de julho do 1845, tivOra pas-
sagem para o estado-maior por aviso de 11 do prcdi-
Dito-Ao mesnio, transmillindo a guia e niais as-
sents do soldado desertor do corpo^le art.lhar.a a
pedosta provincia, Antonio Jos da Silva, que a 5
de Janeiro deste auno se apresontara ao Exrn. presi-
dente de Sergipe, e por este fra remetl.do ao da
provincia da Baha, com recommcudagflo de faze-lo
rccollier ah mencionado corpo.
Dito-Ao mesmo, scientilicandq-ode haverb. M. o
Imperador ordenado a baixa do cadete da companlua
fixadc cavallara da 1.'linha desta provincia, Ma-
nuel Luciano de Maraes da Mesquila l'imonlel, o (ios
soldados do t." batalhno de cacadores, Antonio Mon-
teiro de Mallos Jo.lo da Costa Hia.
itos-Ao mesmo e ao commissano-pagador, pro-
venindo-os de ter de vir incorporar-so ao 2. Imt-
lhflo dearlilharia ap o 1 lente JoOo Larlos de
Wlllogronc Cabrita. ^_u
Dilos-Aosmesmos.-aceusando romessa de copia
do aviso de 5 deste me?, (marco', que regulas lor-
mula dos ttulos do divhla que so houvorem e P-
sars pracasde 1." linha que, o serem dcmiltidas,
llcarcm com direito a alguna vencimenlos.
Dilos-Aos mesmos, intelligenciando-os de havci
sido encarregado da medieflo dos terrenos diaman-
linos, na provincia de Mincs-Geraes o 1_. l"',lV-
do segundobatalnao dearlilharia a p,Luir Affonsa tro.
de Escaracnollc.
DUcs-Aos uissmos, declarando-lhes que ocirur-
giio-mrJosFernandesUmbuzeiro obteve, dogo-
verno imperial, seis mezes de licenca sem vcncimen-
todesold,para ir corte.
Ditos-Aos mesmos, part.cipatiilo-IHeg que o 2.
tooenle do corpo de ngenheiros Jos Basilio ^eveb
Gonieagfl cm a esta provincia, para servir em com-
miaaflo activa. .
Ditos-Ao inspector da thesourana da azenda e
ao ebefe de policio, declarando que, de conrormnla-
de com o disposto no imperial aviso de 8 deste mez
(marco), as notas falsas que aqui appareceram em
una cesta, devem ser remettidas para a cauca d a-
mortsacilo, com exccpgflo de urna de cada valor, que
deve (icar na predita thesouraria para servir do liase
ao processo criminal que porvcnlura se tiouver de
Ol)?tos'-Ao inspector do arsenal de marinha o ao
respectivo contador, inteirando-os de hayer o capi-
Oio de fragata Caetano Alvos do Soura Tilgnelraa
oblido do governo imperial mais seis mezes de li-
cenca com vencimenlo desold de Ierra.
Dito -Ao inspector da thesouraria das rendaspro-
vinciaes, ordenando que, para habilitar o juiz da
irnia.ida.Je de S-Jos da villa d'Agoi-HiTla a prin-
cipiar a obra da respectiva matriz, mande entregar
ao seu procurador, Francisco Antonio PeTeira .le Un-
to; a qua.itia de rs. l:0OO,000.--Con.municou-sc ao
mencionado juiz. ,
Irito-Ao commissario-pagador, enviando copia do
ue prescreve aconducla que deve ler a paga-
dariaquando Ihe constar que est percebendo veu-
cimentosemoutra parte donicial ou empregado ci-
vil do excrcito, que houver perdido o posto ou em-
DitoAo agente da companhia das barcas de ya-
por, recommendando ra?a dar passagem.no vapor
imperador ao desertor Joflo Manoel do ^asclmento
DEM DO DA 22. .
OfllciO-AoExm. presidente da Babia, agradecen-
do a remessa de urna memoria sobre o s)'ma'Pe-
nitenciario, traduzida em vulgar pelo padre Jo.lo
Babosa de Olivcra.- Transmtlio-seJ comm.ssno
cncarregada da organisaCo do pUno para a funda-
cao de urna casa de correcco uesla provincia.
^Dilo-radministraflodopatriraotiiodwo
va lindo o contrato porque Jos Lu.z Innocencio
Pogge encm gou-sc' de orneccr medicamentos ao
collegio respectivo. ..:.
Prlaria-Nomc.ndo para PP'e"1" ft.u.,ze"
nicipaLe de orphos do termo do Pao-d Albo em t
k. lugar a Thomaz Joflo de Carvalho, e em 4. a Joao
Corris de Araujo o Vasconcfellos.-Participou-se ao
presidente da relacfio, ao inspoctor da thesouraria
d fazenda, ao juiz do dircito e ao municipal do Pao-
d'Alho, e respectiva cmara.
DitaOrdenando quo a hachare! Jos Perctra da
Silva se passe provisflo para o l'tgar de judante do
procurador-fiscal das rondas provinciaes na comar-
ca de Flores.Partic'ipou-se ao inspector da thesou-
raria das rendas provinciaes, ao respectivo procura-
dor-fiscal o ao nomoado.
DEM DO DA 26.
Offlcio Ao presidente da relacao, solicitando o
sen parecer acerca do requer ment, em que Flix
Antonio Xavier pedo a serventa do lugar de deposi-
tario geral do termo do Santo-Anido
Dito Ao commissario-pagador, 8cienli!icando-o
de liavcr 0 lente do segundo balalhBo de artilbaria
a p, Manoel Lopes Maciel. obtido do governo impe-
rial tres mezes de licenca com vencimenlo de meio
sold, afim de ir acorte.
Dito -- Ao mesmo, declarando que as pracas de
prete.ntratanientono hospital militar nflo podem
cmtinuar a ser abonadas dos cinco res diarios.
Parliripou-se ao commandanle das armas.
Porua. Dividindoemidous distiictos a freguc-
zia do Scrinhem .
OITlcio i- Do secretario interino da provincia ao
inspectordaalfandega, participando queoExm. Sr.
presidente tica scente do fallocimonlo do foitor con-
ferenteJooda Cruz Fernandos, e da nomeacno do
escriplurario Antonio Francisco de Moura para subs-
tituido interinamente.
DEM DO DA 29.
Offlcio A Francisco Barboza Nogueira Paz, en-
carregando-o da conslruccflo do agudo que, na ror-
tiiadalci provincial n. 164, do 16 do novembro de
1846. tem de ser aberlo no lugar denominado Riacho-
em 18 de marco de 1847. Joto Pmlodoi Sanios
nrrelo. Sr. presidente da provincia dePernam-
buco.
c Cumpra-so. Palacio de Pernambuco, 9 d'abril de
1847. Pinto ChicKorro.
a Conorme. Francisco Xavier e Silt*, offlcia!-
maior interino.
Em consecuencia da declarado deque no sobre-
dito aviso o governo imperial faz expressa mWh
osSrs capiaes da companhia de artfices Antonio
DonreHasPCamara, 0 do 2. b.Ulhflo d'arUlh.n., Jojo
do Reg Barros FalcSo, o lenoiilo Antonio Mana da
astro Delgado, exijm doSr. coronel reformado e
coinmissargio-Pgador as V*****^^.
o de commando das respectivas companhias, rean
vamente ao lempo deeorrido do 15 de mwj
14 de dezembro ultimo, que rrml e unto'Jme,ae
Ihes foram retidas pelo referido ebefe .hi pagadona
a despcllo ,lorcconhecidodne.to.iue l.nham de por-
ceber laesvencimentos, inherentes as f.inccOes exer-
cidas com co.il.ecimento e autonsacao dos seus res-
pectivos chefs. _*, _
^ A%lon\o Corra Seara.
do-Ramalho, e para cujas obras se acha cous guada
quantia de 3:000,000 de ria^ quei ser;lhe-! on-
EXTERIOR.
____ '-
ESTADOS-UNIDOS.
WASHINGTON, 25 OBJaBEtaO d 1847.
A escuna AWoro de Brazos chogou a Nova-Orleans
a 17 do seleinbro, e a Brazos a 12.
Enlioospassagoirosachavam-soO.llammond, por-
tador de ollicos do general Senil; o coronel Crogan,
e o Dr. Finley, do oxerclto; o 75 soldados invlidos o
com baixa. ... j -
.\3o se tioha iccebido noticia alguraa do exer-
vtm\
has de Roxbury. Cambridge, Charlestown, Chelsea,
e outras ciiades vizinhns, e segundo o cosime, ira-
balharam mu porfiadamente.
L-se no Keekly-Berald de New-York de 231 deja-
neiro o seguinle, sob a epigraphe- /JtinUij8fc
entre Mr. Wise o governo bruileiro. -
a Demos conla a semana passafla d urna desiniei-
ligencta que se refere haver oecflrrido entre o tem.
Henry A. Wise, ministro americano, e o governo ftri-
sileiro, cm raso da prisao d'um martnheiro ameri-
cano e detencao d'um dos ofllctaes da nossa armMa ,
oquc.na deficiencia de informaertesauthenlicas or-
ficiaes, aprsenla um mo agouro para a continuaCp
das amigavois relacOes que, ha tanto tempo, teem
subsistido enlre os dous paizes.
Todava, somos inclinados a pensar, que as no-
licas desto negocio dcsagrodavet e profanamente
lamcntavcl sao muito exageradas nos jornaes.peio
fado que elles referem, dse propftr orna resoTUCSO
na cmara alta do parlamento hraslle ro, par
expulsar o commodoro Rosseau da cosa do Brasil
dentro em seis horas, ondepassou; mas ro rej,W-
da na outra cmara: entretanto que o nrlaintato
brasileiro nao eslava em sessao ao tempo em que se
conla haver sido proposta esta resoluto. He rato
mais quo sunicienle para privar esse boato das sow
cores mais carregadas; e quando tomamos .m con-
sideradlo outrascrcumstanclaschegamos aconcla-
sao de que o negocio desagradavel monta a mm-
topouco. o podo ser arranjado porWa toMj&jjr
jfles d'uma manra satisfactoria e honrosa para am-
0AqueaasZecircumstancias 8o : I. a ^ympiUili
que existo entre o Brasil e os Es tados-n m*,,e.o
respcltoc conflanca com quo aquelle paz tetnMm-
pre olhado para este; o 9." o Tacto dei hajrtf o
actual ministro de negocios estrange""JJSJf'J;
rio de estado occiipado a sua poscBona P*W
a qtje preside, por dm espaco do 0 annos, m o
ull!moHhomem do mundo capaz de suscitar ao tu
paz dilculdades comalguma potencia jb^JW;
' ._ i_____...;.,u C' Oneneral Scoll eslava a 12 em Brazos, ondesup- p,
a quantia ue o:uuu,uv o ..., ^--------- -y------_ -
trege em presficOes a propor qUnhnar"*n nroenrador da cora, fazendae sobcra- p
HSB^M ^ZZZZl^^^^ Itf^ttiZ&B*'
Z^Zv^ ainda voludo qua p
^J2*%^ dislric" -^erdeu-so o vapor Gira/fe de um furacScna, embo-
D.'io.} d,e1r>g-aJ,"S..,l...,,non,in hraanreaonlar ca.lurado Ro-Grande; q cora elle sepqrderam tam-
. .__:.!.. .. n > l'.- a ii\
IJIIO au ueicfta"" ii"'";------r--------- .i.
lo .lo termo do Recife, dteiminando faca aprsenla
aocrfmmandante das armas o desertor 'aqu">*-
dio, a buc se refere o seu dfficio co). Participou-se ao coramandanio das arman.
v DEM DO DA 30.
Officio A' cmara municipal desla cidade, exi-
gindo copia de lodos os papis relativos a casinhii da
roa do Hospicio, pertencente aos propr.os nacionaes,
e .le qu a mesma cmara precisa para o m indica-
do en sen oITlcio do 12 deste mez (marco ; afir, de
une, do posse delles, possa a presidencia solidar da
ssemblePa geral ed governo imperial a conceaafltj
*Wl?"dAo majorAntonio da Silva Gusmao decla-
raSo que. dependente de novo titululo. deve
Smc'continuar na thesouraria da lotera do Ibea-
Coiiiiiaiilo dasar-kias.
Quartel-general na cidade do liecife, 12 de abril de 1847.
ORDEM DO DA N.' 163.
O brigadeiro Antonio Correa Sera, commandanto
das armas, faz publico, para que saja strictamejilc
cxeculado, o aviso abaixn transcrn>to, que pela re-
particaoMa guerra fo enderecado presidencia des-
la provincia.
Hlm eExm. Sr.' Solicitando o chee da paga-
doria tniiltardeesa pVoviucia diversos esclarecimen-
los, acerca dos vencimentos do commandanle do
presidio da Iha de remando e de diversos offlciaee
eoracasdepret, quando em semconojury, ou com
ncenca paraestuJ.r. e de outros objectos, constan-
es da relacao junta ao ofilcio do mesmo, que acom-
nan ou o de V. Ex. de 23 de Janeiro ultimo; tenho a
declarar a V. Ex. para ofazer constar ao referido pa-
gad rQ segu nte q"C ao commandanle do dito pre-
f' o compelera as gratlficacOes le exerc.c.o, de
30 000 rcis; a adeional de 30.000 ris, cinco racOes
le'etape, o duas cavalga.luras; que os ofl-ji.1o
obstante estar... servlndo no jury leudo ejerciera
no corpo, tem direito as gralificacrtos que Ihes ro
n m devidas; quena despeza de l.ues para as forta-
,'zas n se 'deqve comprehender ne elto .v.men-
tc se conserva denoite as respectivas,cspeltas, son
le nao exista o SS. Sacramento; queaosamanuen-
es lo Irasptai regimental dessa provoca nll com-
pete o ordenadode SOO.OOttre.s annuae., que o^con-
cedido nicamente para os do Hospital;jjr
corte; que as pracas .le prct que lee n licenga para
Ser nos estabelecimenlos litterarras qus, do^iflo
tonham expressas as licences es dispensas das moar
tras geraes, t.ao devem comparecer a clisa.esqus
estno subjeitas as que estudarem prepe^oe coin
pioressores particulares), cdurante o lempo lect vo
devem vencer aciano, como as que ellec vame le
fazem oservico, cempet.ndo aoco.nman ante laa
armas o exigir que ellas facam o serv.co durante as
fcrTas; quoos olciae. dos corpos destacados, doon-
es no seu quarlel, teem vencimenlo deetape;que
luando o commandanle das armas da provincia nao
Sr se Prestar as reformas das folhas, emqueso
econhecerqualquer irregularidade de W-"^.
devera o commissario-pagador glosar oque de mais
se exicir; e que os cadetes e inferiores dos corpos,
eni fco as respectivas secretar.as, nflo sflo d.s-
TLS dgu.rdervSEx. Pal.cio do Rio-de-Janeiro,
bom quatro vidas no naufragio.
Noticias de Tampico ale 5 d.z.am que fra eleito
vice-presidente do Mxico o general Salas, e nSoGo.
'" O general Shicld tnha privado do poder civil as
anligas autoridades municipaos de Tampico, o con-
(iou-oa commissarios.
O nenocio eslava paralisado.
Tiiiha chegado um navio de New-York com 100
"TorreaqCeTanoleque o general Quitman en-
conrouperlo do Victoria urna parte dosMex.canos
eommaniados por Canales. As folhas do Nova-Or-
feans nflo dSo tal noticia.
Taoras'paaa o mexico.
Sexta-feira (29) deu vela a barca Carolina, capi-
uSrwood levando a seu bordo 164 on.c.aes de.
commissao e soldados com destino ao assen o a
aucrra OcapilSoC. S. Merchant, do segundo de
frli."ra?v.^o commando daquella tropa ovando
coinsigo apenas outro oflic.al, oienenta J. Tolteii O
caiiitSo.M. ia ion. tido tres rezos or.lem de marchar
nara o Mxico; mas so desta lira fo permillido, mo-
vor-se, leudo das outras recbdo sempre contra-or-
dCTodavia, o bravo capitao, posto que fosse o ultrac
H pr-se em campo, nem por isso aera o que m. iras
bons servicos faca, quando all se achar; nom Wo
pouco hesle o seu uUimo osforco contra os n m
gosda sua patria. Elle tomou parte na no.sa 11 na
guerra com a inalalerra, o tambora co.n os iiossos
inimigos selvagensde Florida; e agorajai pela tar-
ceira vez alegremente fazer outro. Unto no Mxico,
se a guerra fr para bom dS sen pas. O cspiUc^ht o
torceVi da sua familia que tera partei na mpsnl a
do Mxico; posja la tora um f.lhoe um gonro. lossa
elle ser bem succodido.
xaaaivrL tKcaaoiO e bosto. 'assA raan de rao-
PRtEoaiiE. ci* eo.F.c.qs destruidos. -
Parece que Boston fo prea de um terrivel incen-
dio q.mdestruio cem edificios e abandonou a. frra
ciriilsde do mralo cincoenl familias que l.caram
sem abrigo.
Scguom-so os pormenores:
Do Bostn Herald de 22 de Janeiro
Perto das 10 horas e meia appareceu i noite
nassadaum incendio no saiao de Bowling, junto a
Ncptune-louse, guardado por Mr. Leonard Alien, na
fu: de ll.verl.llirdo lado do norte; e era consequen-
cia de uin impetuoso venlo occidental quo -soprivv
ortemento na occasillo, *>*- *d ff^
conflanracOesquea historia tem registrado niraui
tos annos Esto cstabelccmento fo. tnte.ramente
^fShoras e meia da manh. euwotog
a ra Thatcher, onde queimou seta ou o.to edificios,
"q?venerara os oossos bravos bombeiros que lu-
Ursm com o furioso elemento por perto di'*'"'*
A noite psssad. foi a mais fra que temos lulo
n uuitv P ____ netor de
reKKa^S do.^es^ompVlriotas como
daS irosgSnadosa crer por -tes faclos que a
noticia ollicial do negocio aprcsenta-lo-h n um ss-
P\ClpoTdo rPS'a questao ^gg%
sinceramente lamentaramos qualquer.nterre^o
de boa intelligencia entro o Brasil o os f*J*3:
dos por conla da poltica, -lia annos que existi en-
tr nos um vinculo do uniSo, to forlo quhto podo
ser entre u,n reino cuma repblica, o qo.l.so tem
ornado maisestreto eaperlado, pelos gT.lu.toj.i -
forcos do povo e governo britannico pe jntwWir
as suas instituicOesdomesticas c compcll.ros Bra-
i ei os a abolirem a escfvldao olens. wieosfquer
aue iam quer nSo) sua ordem. Esa 'nterrereOCia
allienou toda a boa intelligencia que t.nha anterbJr-
raenle existido entre o novo dos dous paizes, artje-
sentouos Estados-Unidos como .ui.n'cr0^'z.lle"
fluencia o poder, parao qual po. leriamolhir. Co
liemos a evidencia deste lisongciro estado de eou-
as do tora de suas notabilidades que 'nveriaVeimen-
eaPonlam para os Estados-Unidos como um mode-
E KodeW copiado, todos.os respeilos edo
Ichaios as suas scssOcs legislativas, onde-os scos
o os se. congresso sHo citados o respeitados tomo
utordade,---como salvaguarda da sua propn. laju-
tacS!-como um pharol pelo qual pode navegar cOm
seguranca a sua nao do estado. .,iP,- nm.
Aguardamos o apparec.mento das noticias om
caes do negocio com algura mteresse.
INTERIOR.
BA.H1A.
COLONISACA.
ARTIGO VIH.
Em o nosso ultimo artigo sobre colonscflo iGr-
reio Mercantil n.U) julgamos terlostrado o que
haviado pernicioso no systema de promover -
migracao europea por meio de contratos cora pari-
culares ou sociedades a fanio por oobeps, je qiue de
semelhantepl.no vinh. que umsmedJ. jw
davel em si e importantissima para a '"'""dsdeiuo
imnr.ri ficavB rebaixada a urna espec.e de nogoeio
d?e preiS, em queso trata oo^-^yj.
i>Jnxi vidas e denuem por menor preco as.rarae>}a ,
wmam
Z"S?Kw incentivo de melhorar a tU'eorto.
q Ah tambera (hemos ver que reprovavamos^*
prego que se razia deste premio que Par4 nsdoiMis
ieTvIs ,lo que para provocar urna desregrada c*.ee,
--reconhecendo nos alias a suprema necessidido.ae
o estado concorrer com meios pecuniarios pi
realisaco de urna empreza que lodos cbncoraenTow
olhar como o nico meio de elevar este belloWjpe-
rio, na escala das nacOes, ao grao de imnorttocia,
a que a suaposicaogeographica, sua nquew jmlu-
ral e -'""="" "i"
D sun pv>sivB'^e'-l""' -: iaJlX-T ^
I


&
,1
norte,--basta, dizemos, attcntarmos nisso, para se
conhecer que urna compensaglo liberal he devida
aociodadeemprezaria que sobre si loma essa tajefa;
norrn essa recompensa, premo.ou como qur que
quizerem chama-lo, j o mostramos, em lugar de
fa/e lo servir de engodo a este nu a aquelle gente,
pode e devo ser applicado, muito mais acertada e
eflicazmento, como subsidio erepcilo e fundago
de templos o escolas, ordenados d pastores espri-
tuaes, de mdicos, mestres de escola, factura de es-
tradas, creadlo de hospilaes, ele.
E n!To se diga que tora isso sobiecarregar o estado
de utuonus que Ihe nfo pertence, --nflo--; essa des-
peza que a nacffn fizesse, be altamente productiva :
com cada um colono ella adquire um consumidor
3uc dando, termo medio, gasto a fazendas importa-
as no valor de 60 mil ris, paga, por conseguinto,
ao-nerario delSa 20mil ris de dreitos annualmente.
Anda ha muito quo fazer entrar cm linha de con-
V* "" na I'08*0'1 (' c"lono o estado adquire um ci-
dado grato aopaz adoptivo que Ihe liberalisa os
meioa de prosperidade para si o sua famjla ; um
individuo intelligente c activo, productor, qur de
gneros de exportado, qur de outros artigos do
permuta que constituem o fundamento desse inmen-
so commercio interno, o qual, nos paizes de popu-
lages densas, he considerado como de tanta impor-
tancia que exelue toda a comparadlo com o com-
mercio estrangeiro, por grande que estoseja,em
Jim um precioso accrescimo agrande familia brasi-
lera, qur por si, qur em seus filhos.
Yantagons taca nio seriam compradas caras, ainda
maiores que fosserfl os sacrificios, sendo que os que
se pedem so limitam a sorcorros parciaes, a semear
apenas para aniplamcnte colhor.
Insistimos muilo neste ponto : logo que ao gover-
no imperial se aprsenle um individuo, ou urna 80-
ciedade que offerega as t-.ecessarias garantas, quan-
to aos mi-ios do execugio, respeitabilidade da junta
directora, o agentes bem conceitnados, urna so-
cicdade que nio principie por estipular premios pe-
cuniarios em seu proveilo,que, a par de urna os-
peculacflo grandiosa e licita, dr viso* manifestos do
pronor-seao melhoramento material e moral de nina
porgio de seus compatriotas menos bem aquinhoa-
dosom bens de fortuna, o por issoseobrigue a a-
rnmpanha-los de seus cuidados at alm mar: quan-
do urna sociedad destas, dizemos, se offerecer ao go-
verno, parece-nos que devera do prompto accollier-
Ihe as propostas,-- com mflo larga fazer-lhe conecs-
sesde torras, e outros possiveis favores, ainda ines-
nio que fosse por via de excepgio da le que exeluc
a concessfio de trras, outra do que por moio de
venda. Na nossa humilde opinio deveria o governo
considerar que nao he tilo fcil promover urna e-
migraglo semelhanle quo se d para os Estados-
linidos, a qual data de dous seculos, o leve sua o-
rigcm na perseguido religiosa. Geragflo aps gera-
cjlo, os novos emigrantes vinham achar, na Ame-
rica, homens da mosma lingoa, da mesma crenga,
amigos, prenles: outros tantos motivos quo
fallam para animar a emigrado espontanea para o
Brasil, contra o qual alias existein provenges mals
ou menos fundadas, que muito importa sejam remo-
vidas pelacroagio de urna le de colonisagflo, garan-
tidora dosdin-itosdos novos colonos, edesuaspos-
ses legalmente adquiridasCumpre nfo ser mes-
quinho na dispensacao ilc favores, quando, com o
andar do lempo, ha quo esperar urna relrhuigflo
talvez decupla e, sobro tu.lo, quando se desoja
attrahir urna populagio sfla, physca o moralmente
fallando, una populagio, a quem move, para emi-
grar do paiz de seus maiores, um espirito do indus-
tria-oque n.lo oamarguroso senliinenlo de mise-
ria. Certificado da respeitabilidade da sociedado em-
prezaria, parece-nos que deveria o governo, salva
a fiscalisaglo que absolutamente Ihe compete, quan-
to aosdetalhes da empreza, looagiio ilos colonos,
aoseu regiment interno, etc., inteiramoiile descan-
sar nos agentes da sociedade quo, alm do sabedo-
res do sua lingoa, siio por cerlo melhor inteirados
da ndole do seus patricios, e por isso mais aptos
para eslrea-los no que Ibes fr de misler na Ierra a-
doptiva.-He cssencialissimo esse ponto;- e quem,
de veras, quizer disputa-lo, ou ignora as dilliculda-
desquenascem da diflcrenQa de nacionalidado,ou
fa-lo-ha de industria para Iludir, ou lovado de al-
gum interesse proprio.
Fazcmos, por boje, ponta aqu, declarando com a
franqueza que he nosso principio, que noiihuma das
tluas propostas, das quaes ha noticia publica, nos
parece no caso de merecer a approvagflo das cma-
ras do governo imperial; ambas fallamos da de um
certoSr. Racine explicada n'um folhelo com o titu-
lo de AJfonsiada, ede nutra que tem por autores aos
Srs. Kalkmann & Kocler ambas, iamos dizer, labo-
ran) mi vicio da rsiiiula(~>o de premios tanto par ca-
beca, se bem que a segunda, quanlo ao mais, conlo-
nha muila cousa boa.
X.
{Correio Mercantil.J
quanto procurava meus recursos, oa querequeres-
se ao tal doutor Mendes. Respondi-lhe :nio me
subjoito, nada requeiro a esse homem, pois para o
caso tem tanta autoridade como eu ; hilo de levar-
me a enxovia depois de morto.
Entilo o earcorairo mandou ao Sr. Amansio com-
municar isto, o este velho honrado e consequente
em sous principios, fez ver que nfo linha lugar
urna tal ordeni, que eu eslava seguro, e que por
mim era responsavol o c%cereiro, ao que respondeu
o doutor Mendes, bem, logo resolverei isto.
Pouco depois chega o Sr. carceroiro da casa do
Illm. Sr. Dr. chefe de polica muito afflicto, ediz-
me ante militas pessoas que mo visitavam:-quero
quo Vine, faca urna declarsgio desmentindo o boato
quo se espalha de haver-lhe eu rasgado a casaca pa-
ra metl-lo na enxovia.
Respondi-lhe que noera preciso, pois quonin-
guem de sonso acreditara que eu sofTresso de al-
guem um semelhanle insulto. Es a verdade do
facto; e icou a onlem suspensa por despacho do
Chefe de polica.
Rogo-lhea publicarlo desta para sustentar a ver-
dado da doclaiagfloqucfez o mou amigoo prente,
Sr. Antonio Jos Bandeira de Mello no seu dito Dia-
rio de 12. Seu muilo att.-nto venerador e criado.
Antonio Horges da Fonseca.
Cadeia, 14 de abril de 18*7.
Consulado.
RENDIMENTO DO DA U.
Cesa)..................-....... 2-187,638
Provincial...................... 1:214,347
Diversas provincias................ 79,923
3:481,908
i_ ij ._Pix_j. rmmmmtmtmma
lloviniento do Porto.
Senhores Redactores. Presse, perseguidos ha mais
de tres mezes, pela injustssima suspeta de tormos
parte na rnorte do infeliz Joflo Alves Vianna, cora
qucmentretiidamo.srolago>sdcamizade,somosobri-
gados a expor ao publico por urna narragio fiel,
quo somos innocentes, e quo soffremos urna violen-
cia de quem fez sobre nos posar tilo infundado jui-
zo. Nio podemos ser breves cm defender-nos pe-
ranto o publico por serem infinitas as rasos quo jus-
tifica m nossa innocencia, eabonam nossa conducta,
e ser mister referir aos que nio se acham ao alcance
daquellc desgracado suceesso, quaos as causas delle,
em cuja narragflo emmaranhada se revelar os auto-
res provaveis do delicio. Nio aecusaremos nem mos-
mo ao nosso pnrseguidor que, posto nio rospeitasse
nossa conducta apreciada por todos os que nos co-
nhecem, nao se compadece dos soffrimentos de nos-
sas mulheres e filhos : tomos dianledosollios e no
pensamento mximas que nos dcsarmam contra os
que nos opprimem. Nosso fim nesta he preparar o
respeilavel publico para attendcr-nosem um folhcto
que publicaremos, rogando smente desdo j que
se informe ile quem qur que nos conhega nesta ci-
dade, ou na Paradina, e especialmente no Fagun-
des, termo de Campia, se J< fio Manuel do Souza
Vianna e Placido Pinto da'Conccicflo teom algum ac-
to em sua vida publica ou particular que possa au-
torisara imputagitoda morto de que se Ibes faz car-
ga ; assimeomo so o Sr. Rento Jos Alves Vianna,
perseguindo-os como leudo parle nessa mortede seu
infeliz rmAn, obra com algum dado ao menos pro-
vavcl, ou so o fa precipitadamente e s cegas, ac-
cusandoa quom Ihe occorro, sequioso de vingur-se.
Hreve voltaremos para cumprir nossa palavra, e
grande ser nossa ventura, se podormos ao menos
salvar nossa roptitacio, atrozmente compromettida
do envolta com todo o genero desoffrimento nosso,
e de nossas familias
Com a publicagilo dostas linhas muito obrigarlo
os Senhores Redactores aos seus respeitadores -
Jo/lo Manuel de Soma Vianna. Placido finio da Con-
ceico.
Navios tahidoino dia 14.
Grenock, escuna ingleza (launllett, capitlo Daniel
Me. Gregor, carga assucar.
Genova, briguo sardo Daino, capitlo Domingos Baz-
zano, carga assucar.
Una, hiato brasileiro Santo-Antomo-Flor-do-Rio, ca-
pitlo Thomaz Gomes de Almeida, carga varios
gneros.
Observacdo.
Anda sobre a vela, no Lameir;1o, um brigue sardo,
por no me Ernestina, que dizem vir de Trieste com
farinha de trigo.
Kfilil.
HUKIO E PEHyjJlDC.
HICIFE, 14 E ABRIL DE 1847.
Na sesso de hoje a nssemhla approvou em 1er-
ceira discusslo o projecto n. 12 que converte em me-
sa do consulado a de diversas rondas; e emsegunda o
don. 18 quo orea a receila e lixa a despeza das c-
maras municipacs da provincia.
E como dos projectos que por ella deviam ser con-
siderados na predita sessio, smente destes se oc-
cupou ; a orden) do da para amanhla constar de
lodosos outros que ja estavam designados, e nio
lora ni apreciados, e da terceira discostflo do segun-
do daquelles, cuja approvacilo cima noticiamos.
^
(Jorrt'jspontlt'iicias.
Senhor Redactor do Diario de Pernambuco.
Li no Diario Noro de boje urna declarado impu-
tada ao actual carcerciro da cadeia desta cidadi-, na
qual se diz que a declaradlo do seu Diario de 12 nflo
he exacta,-porque o caree eiro nio cumprio a or-
dem por haver outra em contrario do Sr. Manocl
Mendes.
He triste viver-ge n'uma poca do terror, o s ella
levara ao actual carcereiro a soffrer calado um in-
sulto tSo extraordinario como o que Ihe fez o Diario
Novo.
Falsa he a declaradlo em nomo do carcereiro : eis
o facto.
Depois do meio-dia de, 10 do correte recolhi-mc
a cadeia pelo acto prepotente do Ur. Mendes, e logo
depois o carcereiro disse-me que tinha ordem ^lo
doutor Mandes para melter-me na enxovia, ao quo
respondi-lhe que a fosse buscar por escripto.
Sabio o carcereiro, evnltoucom a ordem, e inti-
mou-me, aconselhando-mo de subjeitar-me em
MISCEI>L4\EA.
DE QVF. SERVE EN.VMDRAR-SE.
A joven Adelaide Del.ergno, costureira, vivia ha-
va dous anuos com um mancebo, sapateiro, chama-
do Niclot, o qual Ihe tinha dado a palavra do casa-
mento. Esta projectada uiiiflo linda o consent ment
de ambas as familias, e eslava a efferluar-so quando
Niclot dcscobrio que a sua futura tinha sido condem-
nada porcrime deroubo a 18 mozos de prisflo em
1841. A revelado deste infausto antecedente trans-
tnrnou os planos de Niclot, o qual resolvou coi tai-
pela raz urnas relacAcs que ja so apresenlavam com-
promettidas.
Quando a joven Dcbergne soube a determinacio
do seu promettdo quiz-se matar. Duas vezes acon-
leve Niclot m> acto de se ir precipitar da janclla
Porm ella persisti na sua idea, concebemlo ao
mesmo lempo um pensamenlo egosta e cruel : de
Niclot Ihe nilosobreviver.' Achando-sc esto um dia
orcupado emseu trabalhn, a joven Ihe deu repenti-
namente duas punhaladas no peito e oulras duas no
braQo e no pesclo. Niclot podo desarma-la, e sa-
ino pedndosoccorro. Quando a guarda chegou, es-
lava a joven oslcndida no chito, o hanhada em seu
proprio sanguej tinha leilo no pescoco varias feridas
profundas.
(is dous infelizes foram levados ao hospital, as fe-
ridas da joven, ainda que perigosas, nilo eram mor-
taes; pelo contrario, Niclot suecumbio m poucos
UI8S,
A joven Debergne comparecen hoje no tribunal
aecusada deassassinato premeditado, Toda a deles
se limita a dizer que a aecusada est muito arrepen-
dida, que nflo soube o qiie fez, o que commetieu o
crime arrastrada pela violencia da sua paixlo.
Ojury reconheceu a culpabilidade, desprezando a
premedilaglo, e leudo em conta as circuinstancias
atlenuantes.
O tribunal condemnou a joven Debergne a 5 anuos
de red uslo.
fo Mercantil).
O Dr. Vicente Ferreira Gomes, juta de direito interino
a 1." vara do crime na comarca do fecife, por S. M.
I. e C que Dos guirde &c.
Faco saber que na 1." sesso ordinaria do jury.con-
vocada para o dia primoiro do marco deste corrente
auno, a que presid, comparecern! para servirem na
dita sessio o foram assiduos os juizes de facto sor-
teados Manoel Lobo do Miranda Henriques, Simpli-
cio Rodrigues Campello, Jos Joaquim Rozerra Ga-
valcanti, Manool Ignacio de Olivera, Manoel Joa-
qun) Rodrigues do Souza, Francisco Rodrigues P-
nheiro, Jos Francisco de Souza Lima, Dr. Aloxan
dre de Souza Pcreira do Carmo, Fauslino Jos dos
Santos, Miguel Jos de Almeida Pernambuco, Ma-
noel Fernandos da Cruz, Joaquim Ignacio do Barros
l.ima, OnofroJos da Costa, Manoel Filippe do Car-
mo Nunes, Antonio llenrique Mafra Jnior, Joio da
Malta do Miranda Castro, Jos Maria Giraldes, Jos
Joaquim da Costa Lcite, Jos Joronymo Monteiro,
Jos Vioira Brasil, Antonio Joaquim do Souza Ribei-
ro, Flix da Cunda Navarro Lins, Manocl Correia
Gomes, Manoel da Silva Ferreira, Manoel Florencio
Alves de Moraes; e igualmente compareceram o fo-
ram assiduos os juizes defacto chamados para ser-
virem na dita sesso, Antonio Joao da Resurreicilo
e Silva, Miguel SeraIIm de Castro Nn'nes, Jos llen-
rique Machado, Antonio Jos Vicente Mouta, Anto-
nio Ferreira da Costa Braga, Simplicio Jos de Mel-
lo, Antonio da Cunda Snares Guimaries, Domingos
Anlunes Villaca, Rartholomeu Francisco do Souza,
Evaristo Mondes da Cunha Azevedo, Jos Marinho
Pereira dos Santos, Remo Jos Fernandes Barros,
major Manoel do Nascimento da Costa Monteiro, Ma-
noel Thomaz de Barros Campello e Francisco Anto-
nio de Souza: lendo sido multados na quanta de
cont e cncoenta mil ris, a raslo de dez mil ris
por dia, cada um dos juizes de fado sorteados que
nilo comparecern) nem mandaran) escusa, Manool
Antonio Alves de Brto, Manoel Carneiro Jnior e
Francisco Antonio Xavier.
E para que chegue a noticia' quelles a quem
convier, mandei passar o presente que ser publi-
cado pela nnpreiisa. Dado e passado nesta cidado
do Rearo, ao* 13,do abril de 1847. Eu, Josi A/fumo
Ouedes Alcanforado, cscrvio ocscrevi.
Vicente Ferreira Gomes.
drim para calcas. A pessoa quo tiver taes objectos
para vender dirija-so com as competentes amos-
tras, secretaria do respectivo batalto na forta-
leza das Cinco-Pontas, no dia 21 do corrente s lo
doras da manhla.
0 mesmo precisa comprar 200 pares de sapatos.-
quem tal genero tiver dirija-so no dia 15 do cor.
rente das 10 s 2 horas da larde, secretariado
mesmo batalhSo. Bellarmino Correia da Silva, a|.
fe res agente.
TlieatYo publico.
Domingo 18, a beneficio da primeira
dama Joanna Maria de Freilas Gamboa
se pepresentara grande peca a restad-
HAC*5 DE PERNAMBUCO lotal eXpilIsSo dos
flollandezrs. Os i ulerea I los serao prcen-
chidos por dancasensaiadas pelo Sr. Exe-
quiel. A beneficiada supplica a inrlul-
Igencia publica para urna nova dama que
far o papel de lacaia.
PublicAco Littorara.
Acha-se sobre o prelo o resumo de aritnmetica de
Lacroix.e a segunda edieflo do epitome de geome-
tra pralica, compostos pelo professor publico S. H.
de Albuquerqiie. Ilecebem-se assignaturas para estas
obras na loja de livros da praca da Independencia,
ns. 6 e 8, o na da esquina defronte do Collegio; cada
assignatura 1,000 rs.
Avisos mariiuiojt.
Ilcclaracdcs.
COWMEHtJO
Alfandega.
RENDIMENTO DO DIA 14.............9:622 618
Descarregam hoje 15.
Barca inglezaW'f/am-/ ferro e pegas de maednismo.
Brigue Joseph-Gotcpertutaite mercaduras.
Brigue Centurin-- carvflo.
Brigue -- lurmouth idem.
IMl'OtTACAO'.
Jottph-Conpcrthewaite, brigue amcricai.o, vindo
de Pliiladelpdia, enlrado no corrente mee, consig-
nado a Matdeus Austin & C- manifestou o seguin-
te : ,
1,252 barricas farinha de trigo, 12 caixas cadeiras,
34 duzas do ditaa, 30 barrquinhas bolachinha, 2
narncas cera amarella, 229 ditas abatidas e seus per-
tenecs; ao consignatario.
ARREMATAQA QUE NO CBRENTE MEZ SE HA
DE EFFF.CTtIAR ANTE A THESOURARIA DAS REN-
DAS PROVINCIAES.
DIA 16.
As obras da ponte dacidade da Victoria, avaliadas
em 7:576/000 res, sol) a condgo de principiaren)
dous mezes depois do assignado o tormo do contra-
to, e serem fetas dentro do prago de 12 ine2es, con-
tado de conformidade com o artigo 10 do regulamen-
todasarrematagOcs; com a clausula do serem feitos
os pagamentos na forma do disposto no artigo 15
do mesmo regulamento; e flcando o arrematante
responsavel pelas mesmas obras por lempo do um
anuo.
OIllm, Sr. inspector interino do arsenal de ma-
rinha manda fazer publico que admitte no mesmo
arsenal, para os seus trabalhaos, alguns srven-
les livresou escravos, com o jornal estipulado de
560 rs. -- Secretaria da inspecgilo do arsenal de ma-
rinda de Pernamduco 14 de abril do 1847. O se-
cretario, Alexandre Rodrigues dos Afijos."
O arsenal de guerra compra 10 toneladas de
carvio de pedra e duas duzas de limas, sendo: da-
las moia duzia de 8 pollegadas, e meia dita de
7 ditas ; meias cannas, meia duzia de 8 ditas e
meia dita de 7 ditas: quem laes gneros quizer
foruecer mandar sua proposta, em carta fcedada, e
as amostras, directora do mesmo arsenal al o da
16 ilo corrente mez. Arsenal do guerra 13 de
adril do 1847. -Joo Hirardo da Silva.
; v*m- *- ^v j%r
^BBBBBDIDBo
Al o fim do corrente mez, pretende sahirpara i,
Havre o brigue francez Nelie-Mathilde, capito Cuil-y
bert : quem quizer ir de passagem, para o que tem
excellentes" commodos, dirija-se a tratar com o
consignatarios, J. P. Adour & C, na ra da Cruz
n. 21. '
Para a Babia com escala por Macei segu, por
estes das o muito veleiro hiate S.-Joo, por ter
quasi o seu carregamonto prompto ; ainda recebo
alguma carga miuda ou passagoiros : quem quizer
carregar ou ir de passagem, dirjase a bord do
mesmo hiato.
Para a Baha segu, por estes 3 dias, o hiatoS.-
fenedicto; ainda podo receber alguma carga : a tra-
tar com Silva & Grillo, na ra da Moeda, n. 11.
Para o Bio-de-Janciro o hiato Nereide segu
viagem, sexta-feira, 16 do corrente: os Srs. que em-
barcan) escravos queiram manda-Ios para bordo, no
referido dia, at as 10 horas.
Para Lisboa, com escala pela ilha de S.-Misucl
dove sabir, no dia 18 do corrente, o patacho portu-
guez Tartaruga; recebo alguma carga para este ulti-
mo porto: quem nelle quizer carregar dirija-se a
Francisco liento de Medeiros, ou a Joio Tavares Cor-
dero, na ra do Vigario, n. 8. .
Para o Bio-de-Janero segu, sexta-feira, 16 do
corrente, a sumaca Terpsichore ; quem na me.snia
quizer embarcar escravos a fete, trate com Ma-
chado & Pinhoro, na ra da Cruz, n. 23.
Para o Itio-de-Janeiro pretende sabir com bre-
vidade o brigue Norma, e tflo breve quanlo possa re-
ceber o seu carrega ment : o mesmo tem superio-
res commodos para passageiros e escravos: quem
pretender pode cnlender-se com os consignatarios ,
Amorim Irmios, na ruada Cadeia n. 45.
Para o Rio-Crande-do-Sl sabe,na seguinte se-
mana, o brigue S.-Manoei-Augvslo capitlo Manoel
SimOes; recebe escravos a frele e passageiros para
o que tem os lucidores commodos: quem preten-
der falle com Manoel Ignacio do Olivera ou com o
capitio na praga.
Para o Porto sahir com a maor brevidade ,
a veleira barca N.-S.-da-lioa-Fiagem, forrada de
cobre ; anda recebe alguma carga e passageiros ,
para o que tem excellentes commodos: ospreten-
denles dnijam-se ao capitlo Joao Jos Rodrigues a
bordo, ou na praga do Commercio, ou ao consig-
natario Francisco Alves daCunha, na ra do Vina-
rio n. 11.
Le i loes.
Leo de inobilia
Kalkmann ARosenmund fariio leilo, porinter-
vcnglodocorrelorOliveira.da.mobilapertenccnleao
Sr. H D. Kalkmann prximamente retirado dosla
provincia, consistindo em mesas de juntar, de jogo
e de meio de sala, sofas, cadeiras, coinmodas, lava-
torios, toucadores, quadros, etc., apjiarelhos para
mesa e paraed, ditos de cristal, urna sorafiua, um
piano, trem de cozinda, urna carro de 4 rodas, algu-
mas obras de prata, dous oscravos, e muitos outros
objectos uteis e de gosto : sexta-feira, 16 do corren-
te, as 10 horas da manhla, no segundo andar da sua
casa com ni cirial, ra da Cruz.
Adamson llowicft Companhia farlo leillo, por
inlervcngio do corretor Olivera de grande sorti-
mentoile fazendas inglezas, as mais propras do
mercado : hoje, 15 do corrente as 10 horas da ma-
nhaa no seu armazcm d ra da Alfandega-Velha.
Avisos diversos.
-
O caixa da confunda do Beber!he, leudo de pres-
tar contas administragio no dia 24 do corrento,
roga aos Srs. accionistas que se acham em atraso,
hajaui de completar as entradas de 80 por cento al
odiii24,afim de haver tempo para so organisaro
halango que devo ser apresentadoem assemMa ge-
ral dos accionistas no prximo vindouro mez de
maio. Recifc, 9 do abril de 1847. 0 caixa, Al
G. da Silva.
Contrata-se, por um anno, a arrecadagio da
taxa de 20 rs. por baldo d'agoa nos chafarzcs da
praga da Roa-Vista da caixa da ra do Pires, e da
Soledade : os pretendentes poiiom dirigir as suas
prospostas, em carta fechada, ao escriptorio da
companhia at o dia 24 do corrente declarando os
seus dadores. As propostas seilo abertas em pre-
sengada adminislragflo no dia 26, e se elfectuar o
contrato com quem mais der e melhores garantas
offerecer. Escriptorio da companhia de Boberibe
9 de abril de 1847. O secretario, O. J. Fernandes
Rorros
O sexto batalhflo de cegadores precisa do 700
covados de panno azul para fardaa.e do 1200 varas de
Aluga-senm sitio na ra da Casa-Forte, com
gradara de forro e copiar na frente, estribara c
muito boas acommodages ; varias'casas, tanto na
Campia c ra da Casa-Forte, como na estrada do
Pogo, por prego com modo; o segundo andar do so-
brado amarello da ra Auf u-i, com muitos commo-
dos; osterceiro e quarto andares o o rmazcm do
sobrado da ra do Amorim, n. 15: trata-so no pri-
meiro andar do momo.
O abaixo assignado, nflo se tondo combinado
com o arrematante do imposto de agoa'ardcntc, doi-
xa desdo hoje em diante de consumir o dito genero
na venda da ra do Collegio, n. 11.
Josi Joqquim da Coila Macitl.
Antonio Joaqun, Gomes da Silva, Portuguez,
rctira-se para o Porto.
Antonio Jos Ferreira Jnior e seu irmflo Jos
Antonio Ferreira relram-se para Portugal.
M. A. Caj avisa ao respeilavel corpo de com-
mercio desta praga e as pessoas que teem transac-
gOesem sua casa que esta aulorisado, desde o dia
13do corrente, como seu caixeiio, paia receber
qualquerquanta perlenccnto a sua casa, Antonio
da Silva Basto Pimentel.
. jos Joaquim da Silva Maya embarca para o
Rio-Grande-do-Sul o seu escravo Domingos, crioulo.

'i
ILEGIVEL


i
.- nescja-se saber a morada do Sr. vigario Deme-
trio Jaeonie le Araujo
Precisa-so de urna ama para casa de um homem
gnlteiro, que sniha cozinhar : na na Nova n. 53.
.- \ mesa regcdOra da irmandpdo do Divino Ks-
piritoSanto, tendo de fazer a fcstn do scu divino
Mrueiro com a maior pompa quo for possivel,
por isso convida a lodos os professorcs de orchestra
r armacflo para no da 18,,as 10 horas, compareccroni
com as suas propostas rio respectivo consistorio.
OnVece-so um rapaz brasileiro para caixeiro,
o administrador de engonho ou mesmo para cai-
xeiro nenia praca : quem do sen prestimo se qyizer
uiilisar.dirija-se atrs da matriz, n. 16, segundo
andar.
precisa-sede um preto captivo para o sorvico
' interno e externo de urna casa de um homem sol-
leiro : no Aterro-da-lloa-Visla, D. 3.
-- Themoteo Machado Moreira. Portuguoz retira-
se desta provincia para o Itio-Grande-do-Sul.
Unjo, 15 do corrento, depois da audiencia do
juiz de o ph1os e ausentes lem de ser arremata-
do a botica ouc foi do Tinado Antonio de Caldas
llrandio, existente na ra Direita desta cidade : os
prelendenles pdenlo comparecer na sala das au-
diencias para a referida arrematadlo.
O abaixo assignado faz sciente a esta praca que
decommum accordo com o Sr. Antonio Pereira da
Costa e Gama, que foi sen socio na loja do Aterro-
tla-Boa-Vista, n 72 c com annuencia de todos os
seus credores, desfez a sociedade; (cando o di-
toSr. Antonio Poreira da Costa e Gama obrigado a
satisfazbr todas as letlras, contas.e vales que;devia a
dita loja. dehaixoda lirnia de Antonio Ayres de Cas-
tro & Companhia: e hem assim declara que fica sem
gerencia algnma na dita loja e desonerado do quai-
quer brigac^lo a ella inherente. sntonio Ayrcsde
Castro.
--4)-se dinheiro a premio com penhores deouro,
mesmo om pequeas quantias : na ra do Han-
gol, n II.
Preeisa-s niufiar, mcnsalmente um prcto que
soja fiel, para servido levo do Trapicho, n. 34-
Josi-dos Santos Nevos embarca a sua escrava
hi7A signada previne ao respeitavel pu
bheo, quo n.nguem compre a sen marido Jos Haria
Bo ges, ostabeleei.h, com eocheira na ra das Flores,
objeclo a gum do scu caral, nem com elle foca quai-
quer contrato quo tenha porflm aallienacflo de al-
n i,"I? i mrSmn casal; pois (l"9 vai PrP'or-
UM libilio de divorcio o desde j protesta contra to-
Josepba para o Rio-Grande-do-Sul.
Parante o Sr. donlc.r Nabueo, juiz supplcnte dos
feitosda fazenda geral arrnmatam-se 2escravos
penborados a Francisco de Carvalbo Pacsdo Andra-
de, para pagamento da dizima da chancellara o
cusas do juizo ; o que tora lugar no dia 16 do cor-
rente, pelas horas da larde a porta do roferido
juiz.
Jolo Cardozo deMesquita retira-se para o Rio-
Cranile-do-Sul.
--Jos Ramos da Conccicflo embarca o seu escra-
voJoftoparao Rio-de-Janeiro.
--Sahbado, 17 do corrente, na audiencia pbli-
ca qued o Sr. juiz da segunda vara do civel, se
ha de arrematar, pela ultima vez, ao meio dia, a
mobilia penhorada a Jo6 Firmino Alvesde Quintal,
porexecueflo de J. Baplista Fragozo Jnior.
Jolo de Souza e Silva subdito portuguez rc-
lira-se para fra da provincia.
--Jos Jnaquim de Caslro, leudo de retirar-se
para o campo por molestia roga aos Srs. que lite
devem hajam de Ihc salisfazer no prazo do oito
dias. Ji^uem sejulgarseu credor queira ilo mes-
mo prjin a presentar sda conla.
Deseja-se alugar um pequeo sitio na Passa-
geni-da-Magdaleiia, que tenha boa casa : quem 0 li-
vor annuncie, ou dirija-se a ra das Trinchciras, na
37, casa prxima a do escri vilo Reg.
--- Boga-se, pela segunda vez, aoSr. Joflo de Al-
mcida Cumai'.1cso f^or de se dirigir a ra Nova,
loja n. u ou declarar a sua morada para ser pro-
curado a (i m de liquidar a sua let tra de 270,000 rs.
de principal e vencida em 8 de abril de 1845.
"I.embra-seao Sr. que tem empenhado, na ra
daSenzalla-Velha, n. 90, um tranceln) de ouro,
que o venha buscar no prazo de oito dias ; do Con-
trario ser vendido para pagamento do principal
c juros : islo se avisa por j se achar vencido o pra-
zo ha im menso lempo.
Na noiledo dia 10 para 11 do corrente, furla-
ram, do sitio em quo mora Manuel Jos de Azcvedo
Aiiuirim, na estrada de Belm dous quarlos um
castanlio ,.com ferro ; com estrella branca na lesla ,
|>e e mflo esquerdos calcados de branco ; o outro
melado-bajo canis prelos, dinas e cauda da mes-
ma cor ; o primeiro be capado. Rogarse as autori-
dades competentes que.se forem encontrados.os ap-
preliendaiii e rcmetlam a esta praca na ra do Ro-
zario., botica do Biirlholomeu Francisco do Souza ,
que satisfar todas as despezas.
Lima alfaiate,
na ra do Livramento sobrado n. 1 precisa de bons
officiac* de seu oOielo e recebe apiendlzes.
Precisa-se de um ollicial segeiro ou corrieiro :
no Aterro da-Roa-Visla,n. 52.
. Na rua do Sebo n. 3 d-se dinheiro a premio
com penhores de tudas as qualiriades, c em pequeas
quantias. ,
Aolliein i de eneadernacao que o padre F. C. de
I.cinos e Silva dirije na rua de S.-Fraueisco, an-
ligautrnle Mundo-Novo, n G6, acha-se provida
de lodo o necessnrio para o bom deseinpenbo de
quaiquer obra de encaderu(n,por mais rica que seja :
assln como lem e aprompU quaesquer emblemas ap-
propri.tdos ai mismas obras.
F. Fremont, afinador e concerlador de pia-
no, avisa a seus freguezes que, como est para reti-
rar-ge, se acha prompto para concerla-los eafi-
na-los: quem quizer se utilisar de seu precinto pro-
cu re-o na loja (lo Sr. Garciier rclojoeiro, na rua Nova,
a quaiquer hora do dia.
Perdeu-sc um relogio de ourosuisso peque-
no, com vidro no,mostrador, do Poco para o
J|_llecife, as 4 horas da mantilla de 1 i do cor-
rente. Adverte-se pessoa, que oachou, que, queren-
do restitui-lo, ser generosamcnlo recompensada :_c
tambem pedese a quem seja o dito offerecido para
vender-ge de o apprehender o dar parte noAterro-da-
Roa-Visia, n 26, segundo andar, quemuito se lite a-
gradeccr.
---Precisa-sede urna ama para casa de pessoas
solleiras, que saiha bem cozinhar, coser e engom-
uiar com asseio: no paleo do Coliegiu, primeiro an-
dar, junio a casa ama re la.
-- Precisa-se d um pequeo, de idade de 10 a 12
anuos, para caixeiro: na rua largado Hozarin, n. 29.
O abaixo assignado, cslabelecido com,loja de
fazendas no Varadouro da cidade da Parahiba, faz
publico que lem co>itiahido sociedade na mesma
luja comoSr. Jos Ribeiro Guimares, sob a firma
de Rarboza & Cumiarnos: brando a cargo do mesmo
abaixo assignado a liquidaeflo de todos os negocios
feilos anteriormente & sociedade.
<*ecire, 14 de abril de 1847.
\i Joaquim zaquiel Barbosa.
a e quaiquer venda, que elle ftca. A rogo de minha
lilbaFlorinda Maria Maior,
_ Joto Martins d Silva
*T Ia',ai,X8 assignado, respondendo ao annuncio
TOSr. Joflo Baptisla Paulada Silveira, inserlo neste
wiorn de 13 do corrente, tem a dizer o seguinto: que
nflorontestou o jjleresse que (emnohiate Flor-do-
neeift, mas que por vetes Ihe tinha mandado dizer
o anaixo assignado, que aindanlo tem a conta, co-
mo Smc. exigo, de viagem por viagem, islo porque
a pessoa que se encarregou deste negocio por muilos
alazeresquetem, nlotinha arranjado, elogo quo a
tivessoeu IITa remetteria: e nflo satisfeito com isto,
fez aquellas perguntas neste OiorioaoSr. Carlos Au-
gusto do Moraes, oque a dito Sr. respondeu como
dovia; pois, nao conhecendo o ditoSr. Baplista como
socio, assim devia ser sua reposta: e cu, para nflo cau-
sar suspeita ao meu amigo encirregado desso nego-
cio, publiquei aquclle annuncio que so leu. Quan-
to aquella conta publicada pelo dito Sr Raptista ,es-
l exacla ; mas, j quo publicou esta, baja de publi-
car a outra nossa conta que Smc. l lem, oem que ha
engao contra mim de periodo 300,000 rs., afora 196y
rs. que nos nega;.cuja conta he aquella quo Smc.
me disse que nflo queria que apparecesse, por conter
inuitos dinheiros que ou paguei por Smc., como
por fazendas compradas para o Sr. feitio de obras
ao alfaiate, dinheiro de emprestimo, lettias que nn-
docoi e paguei por Smc, tanto aqui como no Rio*
de-Janeiro, gneros quo de l mandei vir o outros
que Ihe vendi aqui,emuito mais dinheiro que pa-
guei por Smc, bem como o quo paguei ao Sr. copi-
tflo Monoel Francisco da Silva Araujo, quando o
mandei citar, e a ou I ras muitas pessoas, as quacs dei-
xo para quando Smc. me chamar a um o outro
juizo, pois quero lavar-lhc bem essa cara; pois, ainda
quo nflo tenha documentos seus, todos os nossos
conhecidos bem sahem o quantoeu era para Smc :
elles me fanlo a devida juslica, e conheceriio onde
estar a esporteza; o desde j doclaro quo nflo recor-
ro mais a pulilicacOes algumas, para nflo cansar os
nossos leitores, guardando 0 mais para quando for-
mos, comoSnic. diz, a um e outro juizo, etc ..
Jodo Albino da Silva Souza
Roga-se aos Sis. HanoelJoaqiiiui dos Sanios, An
Ionio Guilheriiie de Araujo e Uinnizio Elario Lopes,
queirain por esle Ui'arioanuunciar as suas moradas, para
se tratar de negocios que Ibes dizcm respeito.
Fabrica do machinas e fund*
cao de ferro na rua do
laMini. no l.ecife.
Me Callum& Companhia, engenheiros machinis-
tas e fundidores de ferro, mui respeitosamenle an-
nunciam aos Srs. proprietarios de engenhos fazen-
deinis, negociantes, fabricantes e ao respeitavel
publico, que o seu estalielecinienlo de ferro, mo-
vido por machina de vapor, se acha em elTectivo
exereicio, e completamente montado com appare-
inos de primeira qualidade para a perfeita confec-
(,'ao das ii'aiores peras de niaeliinisiiio.
Habilitados para emprchender quaesquer obras da
sua arte Me Callum & Coiupaiihia desejam mais
particularmente chamar a allc.ncOo publica para as
seguintes por seren ellas da maior extraceflo nesla
provincia as quacs construidas na sua fabrica po-
dem competir com as fabricadas cm paiz estrangei-
ro tanto em prego como na qualidade das materias
primas e mflo d'obra, a saber
Machinas de vapor.
Moendas de raimas para engenhos movidas a va-
lor, poragoa, ou animaos.
Rodas d'agoa e serraras.
Manejos imlepcndcnlcs para cavallos.
Rodas dentadas.
Aguilhes, bronzese ebumareiras.
CavilbOes o parafusos d todos os tamanhos.
Taixas, crivos c boceas de fornalha.
Moinhos de mandioca movidos a mflo ou por ani-
maos e prensas para a dita.
FogOes c foi nos para cozinha.
Canos de ferro, torneiras de ferro o bronze.
Bombas para cacimbas ede repuxo.
Guindastes guinchse bataneas romanas.
Prensas hydraulicas o de para luso.
Frrragcns para .navios, carros, obras publicas, ele
Columnas, varandas e grades.
Prensas de copiar cartas c de sellar.
Camas de ferro, ele.
Alem da pcrfeicflo das suas obras, Me Callum &
Companhia garantcm a mais exacta conformidade
com os moldes e desenhos rcniettidos, pelos Srs. que
se dignaren! de fazer-lbes encommendas; aprovej-
landoa occasiflp para agradecer aos seus benvolos
amigse freguezes a preferencia, com que teem si-
do por elles honrados, e assegurar-lhes que nflo
pouparflo esforcos nem diligencias para continua-
ren! a merecer a sua confianca.
A pessoa que annunciuu querer comprar tinas
casas terreas no bairro da Boa-Vista querendo una
na rua da Coneeicflo dirija-se a rua larga do Ro-
zurio, loja n. 20.
- Peranle o Sr. doulor juiz de orphflos irflo a
praca boje, 15 do corrente as 4 horas da lardo,
de arrendamento annual, por lempo de dous annos,
as casas das Cinco-Ponas n. 60, na travessa do
Dique, n. 11 e melado da casa da rua de S.-Rita ,
n.67; ctijoescripto se acha em mflo do porleiro,
sendo esta a ultima praca. .
Precisa-se alugar um silio, com boa casa de
viveuda no lugar do Rcbcribe: na rua Vclha, so-
brado n. 18.
Urna crioula quo lem bom leitc, se offerece
para criar : na rua Nqva, n. 32, loja do ourives.
Joflo Antonio da Costa Palmeira, subdito por-
tuguez retira-se para Portugal no brigue S.-M-
noel-J'rimeiro.
Collegio iSanto-ylntonio.
Acham-sc em exereicio todas as aulas deste colle-
gio, cujos professorcs silo os Srs. Manoel Mamedodl
Silva Costa, de primeiras Id tros; 1). abbade da Glo-
ria, de latim c doulrina christfla; Eduardo Lepelly,
de inglez e francez; Joflo Vicente da Silva Costa, de
philosophia e geometra; Dr. Luiz Paulino Velez de
Guivara, de relhorica e geographia. Os cursos das
qualro ullimas disciplinas estilo em comeco; e en-
sina-sea fallar, escrever e traduzir gramaticalmen-
te inglez e francez. Cada alumno externo pagar rs.
5,000 mensaes e adiantados por una aula; por duas
8,000 rs., c por Ires 10,000 rs.
Bento Jos de Andradc.subdito portuguez,reti-
ra-se para fra do imperio.
A O PUBLICO.
F,m mu crestudo numero contavam os mdicos
ate agora molestias incuraveis, contra as quacs s
era permittido ao paciente resigna<;!o para softrer
um mal do queja nflo havia esperancas de poder l-
nerta-lo, e ao medico philantiopico a dor de vor
muilos de seus semelhanles, vctimas do enfermida-
acs, contra a9 quaes se declarava inipntcnle, po-
dendo apenas lamentar a fraquoza da intelligencin
numana. Mas, grac,as aos progrossos da medicina,
gracas ao zelo de homens incansaves que, nflo des-
esperando da perfectibildade da sciencia.se teem de-
dicado investjjacflo de remedios que possam al-
liviar humanidade de alguns males que a aflligem, o
numero das molestias reputadas incuraveis vai de
da em dia dimnuindo. ,Assim, achar depois de
longos trabalbos, de profunda meditaeflo e reitera-
das experiencias, medicamentos que nos reslituam o
uso dos dous mais importantantes sentidos, de que
he dotado o homem, quando estes ja se.Vhavam no-
supposlo estado de incurahilidade e inteiramenle
perdidos, he por corto um dos maioros servicos, que
sopodia prestar humanidade ; eis o que eslava re-
servado um homem philantropo da cidade de Bra-
ga, em Portugal, cuja sciencia, cujo amor de seus
sementantes se tem feitogeralmenloconhecer. Os
remedios que ora offerecenios ao publico, nflo en-
tram na classe d'aquelles que o vido e ousado char-
latanismo inculca com mucos e descompassados
lirados, e que o crdulo vulgo por ignorancia rece-
be na boa fe e sem discernimenlo, achando-se depois
"ludido; tem porm de oceupar mui distinrto lugar
enlre os medicamentos que maiores beneficios pres-
tam ao homem: constam elles da dissolucfloaquosa
de extractos de plantas medicinaes, de virtudes mui
reconhecidas o verificadas. 0 longo uso, as conti-
nuadas e severas experiencias, a que por toda a par-
le teem elles sido submetlidos, sem que urna s vez
hajam falhado em seus bons effeitos, e desmentido
as esperancas que sobre elles havia fundado o sou
inventor, Ihe teem grangeado constantes e repetidos
elogios dos mais sabios e respeitaveis mdicos, as-
sim da Europa, como da America, que unsonos
abonam o prorlamam sua acefln sempre certa e be-
nigna. Ulll desles licores he destinado a combater
as molestias de olhos, e tem por principal virtude
restituir aos orgflos da visflo suas funcertes; reani-
mar e fazer reapparecer cm sua natural pcrfeicflo
visla, quando esla esliver fraca ou quasi exlincta,
com tanto, porm, que nflo baja cegueira absoluta
com dcsorganisac/io das partes; nflo menos til e
enrgico he para desfazer as cataratas, destruirs
nevoas e de prompto debelar quaiquer inflammaijflo
ou vermelhidflo dos olhos. Nflo causa dor, nem es-
timulo na parle
Oulro liquido restituc a faculdadc de ouvir os sons
ao ouvido locado de surdez, ainda que inveterada,
unta vez que o mal nflo seja de nascenga, sem causar
em lempo algum o menor incommodo aodoente, e
sem priva-lo de cuidar em seus negocios.
INSTIIUCCOES PAPA O USO DOS REMEDIOS.
O dos olhos emprega-se do modo segu ule:
Odoente pela manhfla, omjejuin, urna hora pou-
co mais ou menos depois que erguer-se do leilo, lo-
mar sobre a palma da inflo pequea por^lo daquel-
la agoa ;"e com ella mullala bem os olhos, fazendo
que algumas gottas caiam sobre o globo ocular :
somos [impar, os conservar moldados al que na-
turalmente enx\iguem : ao deitar-sc a noite pratica-
ra o mesmo: durante o tempo que usar do remedio
evitar o calor, acefio de ruinara e o vento; far abs-
tinencia de comidas salgadas, azedas e adubadas
com especiaras.
O rtmedio dos ouvidos ser applicttdo do modo que segu :
Odoente pela manhfla, urna hora pouco masouj
menos depois de erguer-se, anda em jejum, far
derramar dentro dos ouvidos quatro ou cinco gottas
do lquido, lapando-os depois com algodflo em ra-
ma ; a noite ao deilar-se repetir a mesma operaeflo.
Durante o uso do remedio evitara expor, os ouvidos
principalmente, a aceflo do calor e do vento, afim de
evitar grande transpiraeflo. havendo cuidado em uo
molliar os ps em agoa Tria; finalmente deveabs-
ter-se de comidas salgadas, azedas e adubadas.
Estes remedios estilo a venda na bolica de Bartho-
lomeo Francisco de Souza, na rua larga do lio/ario
n. 36, nico deposito em Pcrnambuco, pelo preco
de 2,000 rs. cada vidro.
Antonio Marques de Oliveira, subdito portu-
guez, retira-se para fra da provincia.
Precisa-se de um bom ofiicial de latoeiro: a
fallar na praga da Independencia, loja de encaderna-
eflo, n. 12.
Jos l.opesFerrcira Ramos retira-se para Por-
tugal, a Iralarde sua sade.
Aluga-se urna casa terrea na rua da Tremne,
n. 13, com os precisos commodos para una familia:
quem pretender dirija-sea rua do Hospicio, n 56.
Contina a ensinar primeiras letlras urna se-
nhora que j disto lem bastante pralica, e compro-
metle-se a instruir com proveito aquellas meninas
que Ihe forem confiadas, em leilura escripia, princi-
pios de arithnietica, bordar de loda forma, lavarinloe
doutrina christfla; na rua do Hospicio, casa n. 17.
Furlaram ao abaixo declarado, de sua casa, um
relogio horizontal de ouro, com o mostrador do pra-
ta lavrado, com ponleiros pequeos de segundo, com
22 lindas de dimetro, c juntamente urna caixa de
piala (Inorada, de feitio quadrado comprido, ilc6a
8 oilavas de rap : roga-se s pessoas a quem forem
estes objectos ofTerecidos, de os apprehenderem e
levarcm a seu dono Joflo Manoel Rodrigues ValenQa
na rua larga do Rozario, padaria, n. 48, quo serflo
bem gratificadas.
Aluga-se urna negra muilo boa cozinheira, lava
deira de varrella e sabflo; cozinha o he apta para to-
do o domestico do unta casado punca ou muita fa-
milia, menos para a rua : a tratar com Joaquim Jos
Lody, na rua larga do Rozario.
Srs. Redactare.--Apparecendo no seu Diario,
de 12 do corrente, um annuncio era meu nome, no
qual eu declaro haver dissolvido a sociedade que ti-
vera com Antonio Jos Antones Guimarfles na loja
de fazenda.da rua do Livramento n. 34, declaro que
este annuncio uflo be meu, e nem eu tive sociedade
alguma com o.Sr. Antuucs na dita loja, a qual he
toda do Sr. Antunes. Portanto, fique o respeitavel
publico saliendo que aquello annuncio he obrada
fraude de alguem quo tem inintizadea mim eaoSr.
Antunes.
Jodo Antonio do Htgo.
OITorece-se um rapaz brasileiro para caixeiro
de engenho ou oulro quaiquer eslabelecimcnlo
no matlo-, ou nesta pra^a : quem o precisar an-
nuncie.
Precisa-se do um bom traballtador de massei-
ra ; paga-se bem : na rua Direita, n. 24.
Precisa-sede um caixeiro para urna padaria :
na rua Direita n. 82.
Precisa-se mais de um ollicial de charuteiro :
na rua nova de S.-Amaro, casa terrea n. 20.
Offerecc-seum Portuguez para feitor de um
sitio ou para outro quaiquer trabalbo : quem de
seu prestimo se quizer utilisar .dirija-se a rua do
Rangol, venda com a frento para a rua do Quei-
mado.
-- Antonio Teixeirn dos Sanios, com loja de mar-
ceneirona rua da Cadeia, n. 18, declara as pessoas
que teem penhores vencidos em sua mflo, hajam de
ostirar, no prazo de :! dias j do contrario os ven-
der para sen pagamento do principale juros.
Manoel Joaquim Lamas avisa a todas as pessoas
quo teem penhores em seu poder os vflo remir at
0 dia 30 do corrente moz de abril; do conlario serflo
impreterivelmcnto vendidos para pagamento do
principal e juros vencidos. 0 annuncianto acha-se
residindo na Boa-Vista, rua do Pires, n. 23.
Precisa-sede una ama secca branca ou de
cor, que seja do bonscostumes esailia fazeroscr-
vicn interno do una casa de pouca familia. Pagarse
bem. Dirigir-se a rua do Rangel, n. 59, segundo
andar.
Aluga-se urna loja em Fra-de-Portas junto a
intendencia, n. 120, aonde o fallecido Mareellino
leve um talho de carne bastante afreguezado ; assim
como tamhem se vendem os portences do mesmo ta-
lho :a tratar com o seu proprietario na rua da Ca-
deia do Recife, n. 6.
Deseja-se saber, se existe nesla pro-
vincia le Pernamliuco, ou em quaiquer
outra deste imperio, Domingos da Silva
Main, natural da IVeuezia de Santa-Ma-
ria-de-Alvarellios, concelho da Maia, ter-
mo da cidade do IWlo : cujo dizem ler
ido para o Hio-Salgado, cm 1819, remet
1 ido pelo fallecido Joo da Silva Maia, que
morou no Pot lo das Canoas desta cidade.
loga-se, portanto, ao mesmo Sr., o a
outra quaiquer pessoa que do mesmo d
unta informacao exacla, se lie vivo ou mor-
lo, ou se lem alguns herdeiros, o favor .
de se dirigir rua do Crespo, a Tillar com *
Jos Joaquim da Silva Maia, pois milito
desejn ter noticia a respeito ; do que se fi-
car siimmamenteobligado.
~ No primeiro andar da casa 11. 7 da rua Nova ,
11 ala-so radicalmente .las mrrioslias venreas tan*
lo.amigas como modernas, por meio do um reme-
dio nflo mercurial, cujo curativo se faz em pouco
dias e com pouco dispendio.
~ O doutor Casanova, medico francez, morador
na rua Nova n. 7, primeiro andar ofTerece o scu
prestimo a lodosos habitantes desta cidade e pro-
vincia : c sempre o acharflo prompto a receitar, cu-
rar e fazer todas as operaces do cirurgia gratuita-
mente a pobreza.
Ulercce-se urna pessoa hbil para
por em da quaiquer ecsripturacSo que
se alte atiasada ou escrever annualmen-
te em quaiquer eslabelccimenlo : as pes-
soas que pretenderen),dirijam se. ao x\ter-
ro-da-fioa-Vista, n. 38, queacbaro com
quem tratar.
Compras*
Compram-se cdulas de vin-
te mil reis, da eslampa encarna
da, com al^um abate, na luja de
miudzas.-na rua da Cadeia-Ve-
llia, n. 37.
Compram-se dous cavallos novos, quo te-
nha m carrego e sirva ni para sela: na rua das Cruzes,
n. 30.
Compra-so ouro, mesmo em obras quebradas:
na rua do Rangel, n. 11.
Comprani-semolequosde12a 20 annos, e pre-
tas da mesma idade; sendo de bonitas figuras pa-
gam-sebem: lambem se compram alguns officiaes
dosapateiro: na rua da Concordia, passando a pon-
lezinba a direita segunda casa terrea.
Compra-se urna liteira em bom uso: na rua do
Crespo loja n. 4, de Joaquim da Silva Castro.
Compram-se cscravos de ambos os sexos, com
habilidades e officios, de 14 a 20 annos, para fra da
provincia ; pagflo-se bem : na prancinha do Corpo-
Santo 11. 66'.
Compra-sc um'ravallo grande gordo novo,
bem possanie bom carregador, passeiro, ou carre-
gador baixo : na rua Vellta, sobrado n. 18.
Compra-se"osbre a 4ou mais por cento, para
troco : na rua larga do Rozario, loja de miudezas,
11. 35.
Compram-se cdulas encarnadas de 20,000 rs.
com descont ; assim como tambem a Sagrada Es-
cii| lina com notas: na esquina do Livramento,
loja de 6 portas
-- Compram-se cscravos de ambos os sexos, de
12a 20 annos, sendo entre elles um escravo carpin-
leiro de ribeira e outro calafate; pagam-so bem,
sendo de bonitas figuras : na rua das Cruzes, n. 32,
segundoandar.
~ Compra-se, para fra da provincia, urna es-
crava de 16a 18 annos, quo saina cozinhar, lavar,
engommar, o seja do bonita figura : na roa da Ca-
deia do Recife, loja de ferragens, n. 56.
ll'lllli'lS.
Vende-se, no primeiro andar do sobrado n. 3
da rua do Alcrro-da-Boa-Vista, urna arroba de prua-
siato de potassa 'cyanoferruro de pulaisium).
Vendo-so um methodo do piano de Vegueri,
em bom usoo por preco commodo: na praca da In-
dependencia, loja de miudezas, n. 4.
Vcndent-se novas cartas para aprender a ler,
as quaes se mostra que nflo he preciso o estudo das
syliabas soladas dos nomes, compostas pelo profes-
sor publico S. II. do Albuquerque: na loja da esqui-
na defronle do Collegio, prego 80 rs.
~ Vende-so um lindo moleque de 18 anuos: na
praia de Santa-Rita, n. 17 Na mesma casa se compra
urna prensa de copiar cartas.
Vende-se urna cadeira de arruar, forrada de se-
da e nova; macacos para arrumar carga, e encera-
dos para cobrir gneros ; na rua do Amorim, n. 15.
'I
1.
MUTILADO


A
ASTRELLA DA NOITE.
Lndissma valsa para piano : vende-se na ra da
Gadeia do Recifo, loja de viuva CarJozo Ayres & Fi-
los : prego, 500 ris.
pjj Vrnilc-sp, na rn;i (la (lu/., n. '..'{, jjj
ni cera em ve'as de urna dasmelho- i
[Hj res fabricas do Rio-iie-Janeiro '
|W sortimento vontade do compra- ~|
|TM dor, em caixas pequeas e por |
ji preco mais barato do que cm on- jl
[i,, tra qualquer paite. Jjr
AVISO
aos Srs.deengenho
Na ra do Crespo, loja n. 12,
de Jos Joaquim da Silva
Haya, vendem-sc
cobertores de algodflo, multo encorpados, proprios
para cscravos ; bem como urna fazenda de linho a
mitagilode estopa, Tortee propria para roupa de
escravos e saceos para assucar; tudo por prego mui-
to har (o.
Vcndem-se 8 escravos sendo: 2 pretas cozi-
t nheiras ; duas ditas quilandeiras ; urna mulalinha
de 11 annos; um casal de prclos, por preco comino-
do ; 2 pardos de bonitas figuras do 18 a 20 annos
no pateo da Matriz de S.-Antonio sobrado n. 4.
Excellenle rap.
Ai'ha-sc ahrrto um novo deposito na ra da Crut,
n. 44, de superior rap "lauto lino como grosso e incio-
grnsso de tiasse da llahia e por uiuito commodo preco-
Acha-se a venda no dito deposito, c bem assim no
bairro de Santo-Amonio as lojns dos Srs. i Filippe
de Sauli.igo Joaquim de Abren Hcnriques i Coin-
panhia ; Alnirida e Campos, Antonio Doiningucs Fer-
reira Joaqulni Mnnteiro da Cruz & l.onipanliia,
Manoel Jos da Costa Oliveira < odeceira & Guiniaracs;
bairro da Roa-Vista os Srs Antonio Ajre de <-'a;(ro &
Companhia, Caetano Luiz Ferreira ; bairro de S.-Jos ,
os Srs. Joao Jos Pinto de Oliveira, Vicente Jos Ta-
?ares.
- Vendem-se bolins para me-
nino e liomem, de toaos os lama-
nhos ; capachos redondos e com-
prados de crese luancos, para
ornar safas ; est' iras de Angola :
na ra larga dottozario, n. 21.
Gaz.
Loja de Joao Chardon ,
Wfrro-da-loa- Visla, n.5.
Nesta loja acha-se un rico aorlimento de LAMPEOES
PARA GAZ com seus competentes vidros acccndcdo-
res e abafadoret.
Esles ca odie i ros "> os memores e
inais modernos queexistem hoje : recommendam-se ao
publico, tanto pela seguranza c bom gusto de sua boa
confeccao como pela boa qualidade da luz, economa c
asseio de scu servico.
\a OICSIlia loja os consumidores acin-
pre acharao um deposito deGA2i, de cujo se afianza a
qualidade, e em jioryao bastante para consumo.
Vende-se potassn nova por preco mais com-
. modo do que cm oulra qualquer parle ; cal vlrgcm
de Lisboa cm barris : na ra de Apollo armazem
n..|#.
Vemle-se urna excellenle casa terrea com
commodos para urna grande familia sita nesla pia-
ga : no principio da ra Imperial, n. 9.
Chain panlia.
Vendem-se gigos com 12 garrafas de vinho de cliam-
panhn. de qualidade muito supefior, cin casa de J. J.
Tasso Jnior, ra do Amorlin, n. 35.
Casa da F
na ra estreita do Hozario. n. C.
Nesta casa acha-se a venda o resto das cautelas
da lotera a favor das obras da matriz da cidade da
Victoria, cujas rodas ter o seu infallivel andamen-
' to hoje, 15 do corrento mcz.ifiqucm ou nflo bilhc-
tes por vender
e= Vendem-se moendas de ferro para engenhos de as-
sucar, para vapor, agoa c bestas, de diversos tamanhos
por preco cuinmodo ; c igualmente taixas de ferro coado
e balido, de todos oa tamanhos: na praca do Corpo-San-
to, n. II, em casa de Me. Calmont & Companhia, ou na
ra de Apello, armazem, n. 6.
Potassa da Bussia,
pelo preco de 180 rs. a libra, em barris pequeos:
na ra da Cruz n. 10 armazem de Kalkmann &
Rosenmund.
Vendem se "VLLAS de cera do
Rio-de-Janeiro e de Lisboa grande c
completo sortimento : na ra da Sciual-
la-Yelba armazem n. no, de Alves
Vianna
Vende-se cal virgem em meias barrica* chegada
ltimamente; cainas vasias para "assucar ; nina porfflo
de pesos d ferro, de duas arrobas ; ser'ras grandrs para
serrar madeira ; tudo por preco commodo: na ra da
Mocd, armazem n. (7.
Vende-se urna rica cadejrinha de arruar; um

sellim demor.taia desenhora; urna espingarda de
dous canos com seus portenecs para caca ; urna ne-
grinha de 11 annos ; urna dita de 20 annos moga e
vistosa; duas canoas de carreira por prego com-
modo por perlencerem a urna pessoa que se retira :
na ra daSenzalla-Velha armazem n. 110, se dir
quem vende.
- Vende-se a obra completa de Silva as ordena-
cees : na ra dasCruzes, n. 41, primeiro andar.
Annuncio impoilante.
Na loja n. 4 da ra do Crespo, ao p do arco de S.-
Antonio de Ricardo J. de F. Ribeiro, acharflo os
concurrentestim bello sortimento de casimiras do
cores, com muita elaslicidade e de gostos os mais
modernos, recebidas da afamada Pars; assim como
igualmente ha um sortimento completo da reconhc-
cida boa fazenda pela sua consistencia denomina-
da pclle do diabo, sendo o prego de cada corte
1,440 rs.; ^dvertindo quoscus padres nada ficam
restando a qualquer oulra fazenda do alto custo : ha
tambein um completo sortimento de fazendasde to-
das as qualidades, que merecern a devida conside-
raglo em seus apurados gostos como em seus mdi-
cos precos c entre estas merecetn particular atten-
Qilodas senhoras mis riscadoscliiladose chinezes,
de elegantsimos padresc realzadas cores de rosa,
azul, e cor de caf, adamascados n cscoccza, a 280 rs.
o covado proprios para vestidos, e sendo suas
amostras francas aosprctendenlcs.
Vendem-se meios bilhetis da lotera da cidade
da Victoria, a 4,500 rs. na ra do Cabug, loja de
miudezas, n. 9.
:> .^^RoKI EAIEGRIA!^
':> y^^tT^li^r \m B Temos a <:
jfiaU%A|riJI m^x. satisfagao -4:
*" ^wQp^jSlH w (>c H"nun~ "*
* ^V^ja^K ^^5P^P^ ciaraoma- ^
? ^^^* >> pernanihucano de gosto, que se acaba do re- 2
fr- ceber de Paria a fazenda denominada prazer <
# e alegra. Pars he o herco das modas e ^
* onde o bom gosto esta mais apurado: all *
m, a fazenda denominada prazer e alegra tem *
. titlo e tcm o maiorapreco; todas as senhoras *
*v de apurado gosto ciicontram-se, qur nos
* bailes, qur nos passcios, vestidas depra-
* zere alegra.
O mailamismo pernambucano, pois, sempro ^
apreciador do bello e agradavel, eporconse- ^
guinte das modas de Paris nilo pdedeixar de receber com muto prazer esta noticia,e he
na ra do Crespo em casa de Antonio l.uiz'*
dos Santos & Companhia, que so espera o *
'* seu rcconhecimenlo. *-j
J* Muito pode no mundo %
A belleza a sympathia ^
? Que sempreseconsegue h
^. Com prazer e alegra *;
Q &:M&ll>h&th& kfb&i$t,ti>
Vendem-se 3 redes .grandes do muto bom
gosto, sendo urna feila no Para, com verandas de
cores e duas no Ro-Crande ; 50 ps de coqueiros,
em bom estado de se plantarcm : na ra doQuei-
mado, n. 57.
___Vende-se urna parda de bonita figura, do 26 an-
nos, que cozinba, lava de sabiloe cose alguma coli-
sa, sem vicios ncm achaques : na ra dasCruzes,
n. 22, segundo andar
Vendem-se duas pretas para o servigo de cam-
po : na ra larga do Rozario, a fallar com Barlho-
meu Francisco de Souza.
Vcndem-se coifas de malha para padre : na
praga da Independencia n. 37.
Vendem-se duas moradas de casas terreas na
cidade da Victoria urna na Vua do Meo grande,
junto ao Joio Tcixeira com frente de pedia e cal,
3 camarinhas quintal e pnrlflwj o a oulra peque-
a, no beccodo Capim de taipa com duas cama-
rinhas urna sala e quintal: nu ra do Crespo loja
de miudezas, n. ti
_ Vende-se um terreno cm Fora-de-Poitas : na
ra da Guia, n. 58.
N loja de trastes da ra Nova, n. 67, vendom-
se, por baratissimo prego, 12 cudeiras.'duas bancas ,
Uin soph urna banca de meo de sala ; ludo do Ja-
caranda e muito bem l'eiio; assim com una mesa
para escrever, de amarello envernizado.
Vende-se um bonito molecflo pega de 22 an-
nos ,Sem achaques e de boa conducta ; um Guarda-
l.ivros moderno ; urna venezianna : na ra estreita
do Rozario, n. 10, tercero andar.
Vendem-se 4esclavos, sendo 3 negras eum
preto ; todos de m.uilo boas figuras o mogos, pro-
prios de todo o servigo : na ra da Cadeia de S.-An-
tonio n. 25.
hortc Grande!
Vendem-se meios-bilhetesda lotera da matriz da
cidade da Victoria que corre i m preter vel mente no
da 15do correle : na ra do Collegio loja, u. 1.
Medicina universal.
I'iliilas vegetaes de James Morison.
A medicina vegetal universal he o resultado de 20 an-
nos de investigad-oes do celebre James Morison. Por
meto destas pillas conseguio seu autor innmeras c
admiraveis curas desde as aU'ecc,Oes que alacam ai
crianzas de peito at as molestias chronicas do anciao,
A Europa saudou este remedio como remedio univer-
sal para todas as docncas cal hoje anda nao foi des-
mentido tal titulo.
Esta medicina vein acompanhad.t de urna rcceJtaque
ensina e facilita a sna applicaco. Consiste em tres pre-
paraces a 9abrr : duas qualidades do punas distinc-
tas por nmeros, e um p : cada qual gota de lirados f
ac(es diversas.
Aspilulasn. 1 sao aperitivas; purgam sein abalo os
humores biliosos c vicosos, e os expulsan! com eflicacia.
As do n. 2 expulsam com esses humores igualmen-
te com grande lrca, os humores serosos, acres e putrii
dos, de que o taoguese acha a miudo infectado ; per-'
correin todas as partes do corpo e so cessam de obrar
miando teem expulsado todas as impurezas.
A terceira prepara(o consiste em urna limonada ve-
getal sedativa: licapi rativa, temperante e adocaule : ten-
na scciii coinmuiii coui as pilulas c facilila-llics os ine-
Ihnrcs rlTeitos.
A poslcac social do So-. Morison, a sua foituna incle-
pendrnte repellem toda a-ideia de charlatanismo ; e ns
adiniraveit curas operadas com o seu systema no col-
legio de ude de Londres, sao mais que garantes da
clin-acia do seu remedio.
Rrcominrnda-se cata medicina, que nao pede nein
resguardo de lempo ncm do posicao da parle do docn-
te a lodos os que atacados de molestias julgadas in-
curavels, se quizerem desengaar da sna virtude.
Oxalque a hiiinanlilade feche os ouvidos aos inte-
ressados em desacreditar estes remedios t3o simples ,
to commodos e Uto verdadeiros.
Vendem-se smente cm casa do nico c verdadciro
agente J. O. Elstcr na ra da Cadeia-Velha n.29.
Veride-se ptimo papel do peso para cartas ;
castigaesdo casquinba lina a 1,760 rs. o par ; ditos
de vidro de lindos modelos; aderegos pretos de
lilagraa, de ricos padroes'; facas o garfos de cabo de
osso linissimo.que nenhuma differenga fazem das de
cabo de marim senSo no prego que he menor ; na
antiga ra dosQuarteis terceira loja de miudezas ,
de Vicente Jos Gom%s. .
Vendem-se caixinhas de madeira envernizada,
de diversos tamonhos, proprias para guardar facas,
papis, ouquaesqueroutros objectos : na ra larga
do Rozario, terceira loja de. miudezas, ao pe da
padaria.
Vendem-se muito boos longos de arga para
senhora, chogados ltimamente de Franga : na es-
quina da ra do Cabug n. 11.
Vende-se um fordamento para olllcial de guar-
da nacional de cavallaria.e alguns arreios tudo
novo, sem ser urna s vez servido ; o qual he : urna
farda, palatinas, talim, canana, banda espada, lid",
barretina, pluma, etc.; cabegadas, goldres peito-
ral, rabicho, almofada, por prego commodo: na
i na dasCruzes, n..40.
Museu Pittorsco, 8000rs. ,
encadernado
Na livraria da esquina do Collegio existem de
venda alguns xemplares deste interessanto jornal ,
enriquecido de bellas estampas; cusa urna terca
parte menos que o prego da assignatura com mais
a vantagem de estar encadernado.
Vende-se um bom sitio, com urna excedente
casa de sobrado, com bastantes commodos para
grande familia, com 4 salas, 13 quartos inclusives
maiores com jancllas, i cozinhas. urna em baixo e
mitra cm cima, bastantes arejadas.com fornos mo-
dernos, poutros diversos arranjos, quarto para fei-
tor, senzalla para pretos, estribara para 3 cavados
a tulpa, alm de urna pequea casa vclha que pode
servir para cocheira: o sitio he do urna extenslo
immensa econtm diversos arvoredos, um pomar de
larangeiras enxertadas com laranjas selectas e de
embigo, limos doces e limas de embigo que j pro-
duzem luido, alm de outros ps j antigos que
produzem laranjas muito doces, coqueiros, alguns
dedenzeiros, cajuciros, mangtieiras, jambreiros, pi-
tombeiras, pitangueiras, ubaieiras, assafroeiras, ja-
queiras, pinheinfs, figueiras, goiabeiras brancas, im-
mensos aragaseiros, ananazeiros, oili-cors, com
lia \a de capim plantado que sustenta 2 cavados,
com um grande viveiro subdividido em 3, com bas-
tante terreno para diversas plantagOes, como os bons
meles, medobins, macacheiras, lugar para jardim e
com algumas flores, outro lugar para horta, todo
cercado de limHo, com um grande pogo d'agoa de be-
ber c mais outros dous pequeos, em chos propri-
os, muito perto da capital, por ser no principio da
estrada de Joo-de-Rarros: a tratar no mesmo sitio,
a qualquer hora do da.
Vendem-se dous excellenles e no-
vos pianos fortes, por preco commodo : na
na da Cadeia do llecife, n. 3q, primeiro
.indar.
- Vendcni'se cadeiras de
pioln, a polka para assento
de portas de lojas ; um novo
sortimento de taboas de pinho, de costado e costa-
dinho assoalho e forro para casas e tambein para
fundos de barricas ; taboas americanas de todos os
comprimentos, e at de 3 palmos de largura: alrsdo
theatro, armazem do Joaquim Lopes de Almeida ,
caixeiro do Sr. JoAo Matheus.
Alleluia, Alleluia! Cheguem com
presteza a vercm as novas pe-
chinchas que tem o antigo
harateiro, para as scnho
ras do bom tom.
O antigo harateiro tem pechinchas tie pouco di-
nheiro, na sua nova loja de miudezas da ra do Col-
legio n 9 : oh que riquissimas e mimosas filas, vin-
dasdo Rio-de-Janeiro as mais modernas que teem
apparecido nos ullimos diverlimentos e bailes ; fitas
de velludo de cores e gom franjados dous lados,
para cinteiro desenhora ; ditas asselinadas de dif-
ferentcscores e com franja de um lado, da largura
de um dedo c meio a dous dedos, para guarnigOes;
cinteiros para meninas de difTerentcs gostos os
mais bonitos possiveis ; filas de velludo pretas e es-
trellas ; oh que lindos pentes de tartaruga para
marrafa pelo antigo prego de 960 rs. a parelha ;
ditos de tartaruga, para segurar cabello, a 2,000 rs.;
brincos pretos atartarugados, do ultimo gosto, para
senhora ; luvas pretas com dedos e sem ellos e com
flores de cores para senhora, chegadas ltima-
mente; garganlilhas pretas, para senhora ; riquissi-
mas (esouras finas para costura e unha. Venham ver,
freguezes o novo sortimento de chapeos de sol que
tcm o antigo harateiro pelo antigo prego de 2,880
rs. cada um.
Vinho de Champanha
de superior qualidade : vrnde-sc na ra da Crui, n. 10,
arinaiem de kalkmann le Rosenmund.
Vinho de Bordeaux
de superior qualidade, em caixas de dn/ia, por preco
commodo: vende-se na ra da Crui, n. 10 armazem
de Kalkmann & Koseiiiniiiid.
Vendem-se as Momorias das campanhas de,D.
Pedro em Portugal em 1832 a 33 com os mappas
das linhas e fortalezas dos dous exercitos, em 2 v.
em quarto; o Judcu Errante em 10 v.; o Triumpho
da Religio : na praga da Independencia loja de
cucdderiiagfio ii 12.
Vendem-se 200 ponas de boi: na ra daPraia,
armazem n. 20.
= Vende-se urna parda de 30 annos, de bonita fi-
gura que cozinha bem o diarlo d urna casa lava
de sabilo e varrclla cose chilo o he muito boa pa-
ra casa de familia : na ra do Collegio, n. 16, ter-
cero andar.
bordo do brigue ndependenle-, Tundeado de-
fronte do Collegio vende-se sebo em rama e carne
secca por pregos commodos, boa fazenda.
Vendem-se'dpus moleques de 12a 16 annos,
tondo iim delles.principios de carpina; 10 escra-
vos mogas, com varias habilidades ; urna parda boa
ama de casa : na ra Direita, n. 3.
Vendem-se urnas berengas na lha do S.-Migucl,
freguezia da S.-Cruz, villa deAlagoa: ha ruadas
Cruzes n. 30.
Vendem-se varas obras de ouro para homem
e senhora ; urna colcha da India; suporiores sardi^
nhas: na ruadoRangel, n. II.
Vende-se urna casa terrea na ruado Caldei-
reiro, n. 90: a tratar na ra do Cabug, loja de An-
tonio Rodrigues da Cruz.
Charutos bons e baratos.
Na ra larga do Rozario, n. 32 deposito de cha-
rutos,vendem-se charutos marca de fogo.queno f-
zem diflerenga dos do S -Flix, a 3,200 rs. a caixinha ,
decem,ode250 por 9,000 rs.; superfino S.-Felix;
regala de varas qualidades; os afamados cigarros
de la lia vana, a 2.000 rs. a caixa ; ditos de la tama-
a 1,000 rs. ; meia regala a 1,200 rs.; fama-va, a
1,800 o 1,600 rs.: afiancando-se- ao comprador a
qualidade de qualquer dolles,
Naprimeira casa passando o quartel do Hos-
picio vendem-so quartinhas da Babia por prego
con i n i o I o.
Vende-se cha hysson, vindo re Lis-
boa no ultimo navio, o melhor que exis-
le no mercado, a 3,53ors. a libra : na na
Nova,- n. 3, venda de Antonio Ferreira
Lima.
Vendc-se urna preta, de dade de
ifi annos, sem molestia nem vicio algnm
.) que se aanca ; sabe cozer bem cliao,
bordar de seda e- lacada, faz lavarinlo, e
sabe marcar ; cozinba o diario de urna ca-
sa, emgomma solTrivel e lava do salio.
Vende-se nicamente paraq matto on para /
fra da provincia: a fallar na ra do Cres-
po, com Jos Joaquim da Silva Maya.
Vende-se superior sarga-parrilha, por prego
rasoavel, para fechar conta> : na ra da Moeda ,
n. 11
Vende-Se urna preta moca, tendo
muito bom leite, que cozinha, lava, e he
muito diligente para todo o ser vico: na
ra licita, n. '|0.
Marmelad i
superior cm qualidade em latas de 4 libras, pelo m-
dico prego de 1,600 rs. Cada, urna, vende-se no ar-
mazem do Hias Ferreira, no caes da Alfandega.
Escravos Fgidos.
-- Fugio, do poder do abaixo
assignado, um escravo, de noriie
Domingos, de 20 a 22annos., cor parda baixo, mus-
culoso, barbado edesussa fechada, cabellos peque-
os nariz grossoe um pouco chalo, denles alvos,
com urna cicatriz semicircular no ante-brago direi-
to de urna conivetada que levou; he muito esperto
e loquaz, trabadla de diffcrenlcs olliciqS e l algum
cousa. Comoestivesse no Ri#, Rabia e Alagoas don-
de be natural, conta historias (lestes lugares ; e
sendo possivcl que tenha sabido da cidade pode I-
ludira qualquer deque he forro. Desappareceu na
noite do dia 10 do crrente ; levou camisa de chita
azul, caigas de brim pardo trangado chapeo de pel-
lo velho e spalos, pois anda calgado ; alm de una
trouxn com roupa. Quem o pegar levo a ra larga do
Rozario, n. 30,segundo andar, que serlbem re-
compensado. Doulor IU, A. da SilvU I'tmtei.
Fugio, no dia iodo cor rente, urna escrova
crioula, de nomo alara a qual lem urna filha mu-
a tinha ha poucos nic/.cs lil>,cila, que actualmente
reside no eugenho Compeli do Sr. Manoel Gnngal-
ves I'ereira Limo ; por isso presume-se que ella Ic-
nha tornado essa direcgilo : recommendo-sc as au-
loridades policioese aos eaplfu-s do mBtlo que a
apprchendam elevem a ra da Cadeia do Recifc, lo-
ja de louga, n. 6, de Joilo Bnptista Fragoso Jnior,
que generosamente gratificara. Os signacs por onde
a reconheerflo, sio os segulnles : alia, grossura pio-
porcional, cor pouco fula feicOes regulares, den-
les alvos c iguaes, physoiiomia.j quebrada ; repre-
senta 40 annos e visivelmenle altiva; tem marcas
de vergalho anda frescas nasespaduas, anda muito
asseiada comsaia pela de seda calgada panno
fino novo, -ou talvez de temilo por ter muilos co-
nhecimentosque lh'opossam fornecer.
-- Na noite do dia 13 para 14 do torrente mez,
desappareceu da casa de lama Jnior & Companhia
um preto crioulo, de nomo Klias natural da pro-
vincia do CearJ, pertcnccnlo a Joaquim Jos Ma-
chado Pmentel, da mesma provincia; estatura baixo,
reforgado do corpo, de 25 annos pouco mais ou
menos com principio.de barba; levou camisa do
riscadinho e ceroulasde algodilozinho chapeo de
palha usado, e um sacco com calcase camisa de ris-
cado. Recommenda-se as autoridades policioese
capiles de campo sua captura, e a pessoa que o le-
var a casa dos nnnunc'iantes na ra d Cruz, no,
Recifo n. 28, ser bem recompensada.
Fugio, nodia 11 do corrente, do sitio do Ar-I
raial, um pardo, de nomc Ivo baixo e grosso dol
corpo, cara larga e com urna marca de um lodo,r
denles limados ; tem ocoroo lodo chejo de pannos I
cabellos meio annelados as ponas*; levou canit-l
sa de algodiio, caigas do riscadinho rxo e outrtj
azul por baixo jaqueta de brim pardo, meia usauM
nina rede com um lengol de algodilozinho. Iloga-s'l
as autoridades policiaes, capitiles do campo ou ou-
lra qualquer pessoa de o apprehenderelevar a casf
de Jos Mara da Costa Carvalho na ra Nova, qu 1
recompensar.
Fugio, cm outubro de 1845, da casa do Sr-
Kalkmann, na ra da Cruz um escravo de lio"1
Luiz pertenecnte a Luiz Rodrigues Samico, do < 1
r o qual lem os signaes seguidles : cabra "a
o grosso, fechado na c6r, caberlos crespos ; supi1
se ter urna cicatriz no rosto, junto a um olhu: qu
o pegar levo aoSr. Kalkmann, ou a llcrculan" '
Araujo Sajes em linda junto ao theatro i0,
ser generosamente recompensado.
PERN.
KA TTP. DEM. F. PE fARlA
E^tW