Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08762

Full Text
> rr o
de 184?.

Sabbado 10
O DIARIO publice-ae todo os dias, que nlo
roen le Riiarda *"*&> da-auiaratura he de
i.nO" r. poi quarlel, pagos adiantadnt. Os en-
nuncios ilos assi jp ii. por lio''". Or em lepo differente, e as
repeti?1" I'*1* ,n mnlr' pi em 'JP
different*. porcad* publicado.
PIIASES DA LDA JIO MEZ DE ABRIL.
ajK-oanle, a 8, aos 41 min. da tarde.
|.uaooi a l, i%\ lioraia I rain, da anlia.
Crcente, a IS. i* 8 lioras esi) min. da manbia.
Liiaclieia. a 80, a* 11 horas e 5 iniuu. da larde.
PARTIDA DOS CORREIOS.
R,-Grnde-,io.or.e quima, feras aomeio-di,
U?Z"L"?? ,lio-For''-". Pono-Calvo ."
Macelo no I ...l e Ji de cada ra.
<>ara..ihuns e Ronilo. a lOe'l.
[ka-Vista e Flores, a ll e J8.
vitiuii., quintas feiai.
Oliuda, lodos os das.
PREAMArt DE HOJE.
Primara, as 0 hoias a 30 minutos da tarde
Segunda, s 0 horas e 44 minutos da mauba.
de Abril.
Anno XXIIT.
N.80.
das da semana.
4 Segunda, jfujf1 S. Vkenle Feirr.
8 Terra. >( S. Marcellino.
7 Quarla. S. Epifanio.
8 Quinta, S. Amancio. Aud do J.deorph.,
do J. municipal da I vari*.
9 Mili 8. Demetrio.- Aud doJ. dociv.da 1.
v. e do i. de paz do l. diM.de> t
I Sabbado. 5 Ete-iuid. Aud. do J. do civ. da
i. v. c do J de pai II Domingo. S. LeSo Magno.
CAMBIOS NO DA DE ABRIL.
Cambio sobre Londres ai*'/jd p. IJrs
l'-rulirs por franco.
u Lisboa 94 de premio.
Dse, delettres de boas lirm-s I '/, p.'/a
OuroOncislespaiiholas.... J8400 a
Mr.i. i de 0/100 uov.
desjoo.....
Pralj I'alacoes .......
a l'caos columuart...
Ditos me \ .imu ...
Mui.l.i ......
i cien a
#000 a
2|-||)0 a
OJO a
i/801 a
USO a
Accoesdaeomp.do Keberibede40|000n.
iSOd-
ao mea.
JfOliO
l#J00
I6fl00
9,1100
I/0J0
1|<||0
1/840
l|M0
aopar.
DIARIO DE PERKFAMBUCO
.<-*
PARTE OFFICIAL.
.-------------.-------------------------------------------------
MINISTERIO DO IMPERIO.
lttm. e Kxm. Sr, Foi ouvida a sereflo to conce-
lho de estado dos negocios do imperio sobre asse-
guinlcsduvfdasprpostasporV. Exc. em seu ofllcio
de 21 de Janeiro ultimo a respeito da execueflo da le
rgulameiilar das eleicOes:
.. Se ha perreita iticnmpatibilidado entre o cargo
de juiz de paz e odesupplctite clejuiz municipal por
maneira que, pela simples aceitadlo deste, se emen-
da perdido aqtielle.
2." Se a doulrina do aviso n. 207, de 6 de marco de
1840 sobre as escusas de juiz de paz, cujos motivos
cessaram, ho procedente, qualquer que tenha sido o
fundamento flerlSs; e se he tambem applicavel s
escusas do cargo do veroador.
Ehavendo-soS. M. o Imperador, por sua immedia-
ta resol ueflo de 27 do mez Dndo, conformado como
parecer emiltido pela referida seccilo em consulta de
25 do mesmo moz, ha por bom declarar ;
1. Que, podendoos supplentes de juiz municipal
ser chamados o excrcicio deste emprego, e nflo sen-
do elle compativel com o de juiz de paz, o ii.dividuo
ja nomcado para um destes cargos que tacita ou ex-
pressamente aceitar a nomeaclo do otitro, desde que
o exerca, renuncia ao priinciro, ou deve prestitnir-se
qu o renunciou ; e sendo considerado assim legti-
mamente eacuso, nflo pode em qualquer oceurren-
cia desempenhar as funcgOes do cargo que expresas
ou tcitamente renunciou, sem que possa servir de
argumento para que o juiz de paz mais votado, que
est em exercicio de juiz municipal, presida s jun-
tas qualilicadores, a disposico do artigo 2. da lei
regulamentar das eleices, que i'hama a esta presi-
dencia o juiz do pa^ mais volado, estefa ou nao em
exerdem, porque nesta hypolhese n lei suppe que o
mais votado para juiz do paz contina i sc-lo, embo-
ra nfiocsteja na actualidade servindoeste emprego,
,e nao que tenha cessailo seu exercicio pela aceilaefio
do caigo com elle incompalivel.
2." Que nflo pode ser admiltido a oxercer empre-
go de juiz de paz ou do vereador oejueobteve escu-
sa absiduta por algtiin dos motivos declarados na lei,
embola se aprsente posteriormente dispnsto e em
termos de cumprir os deveres do cargo deque fui
cscuso, quando por scmelhaiito acto deixou de ser do
mesmo cargo investido, e s por nova eleicfto ser
como tal reconhecido, porque nrto convm ao servi-
do publico que o cidadflo honrado com um cargo e^
lectivo ou de nonieacHo o aceite c exerca quando
seus interesses Ihe nao aconselhem o contrario, e
, muito menos que, havendo-o recusado, tenha direi-
lode rehav-lo se o seu exercicio Ihcproiueliu qual-
quer vantagem, pois que laes empregados n3o teom
ttulos conliait(;a dequeni osr.omeia eclege.
O que ludo communico a V. Exc. para sua intelli-
geucia o governo. .
Dos guarde a V. Exc. Palacio do Rio-do-Janeiro,
em 8 do marco de 847. Joaqun Marccllino de Un-
to. Sr. presidente da provincia do Mararihflo.
de os deveres de meu cargo, ainda com sacrificio de
minha pessoa, quando ncessarioseia.
O meu empenho na descoberta do plano terrivol
quedeviaarrehentar nodia 29 de Janeiro ultimo, o
quesecnas de horror teria de produzir, apenas con-
sidero como inspiradlo divina que nos levoii a co-
nhoccr em lempo os riscos o desgracas do que nos
quera fazer victima a mais requintada perversidade,
ede que felizineule Tomos salvos com as acertadas
medidas, empregadas pelo muito digno presidente
da provincia, que soubocomj.oda a prudencia e mo-
derado quo Iho siTU conhecidas, aniquilar esse
trama dos inimigos da ordem edo governo.
Assim pois, cungratulando-me com a asscmbla
provincial das Alagoas,' por se haver rostabelecido
a ordem e a paz do que presentemente goza a provin-
cia, aproveito o ensejo vara agradecer a Vv Ss. as
oxpressoes ofilciosas e policas de que se serviram
em dito seu ofllcio, tributando-lhesos meus respoi-
lose particular estima.
Dos "guarde a Vv. Ss. Secretaria de polica de
Macei, 27 de marco de 18t7. Illms. Srs. presiden-
te e secretarios da assembla provincial das Alagoas.
- Joo Paulo de Miranda.

ukuukxi aa.'ay^j.-.nLaaaBigsan^jE.
PERNAMBUCO.
SESSAO EM 8 DE ABRIL DE 18V7.
PIESIDENCIA DO .si;, sin /. II IM.Ili \.
(Coalinuarfo do n. aaeefifcn).
ORDEM DO DA.
14
INTEHI R.
ALAGOAS.
lllm. Sr. A assembla legislativa provincial das
Alagoas, sciente do incansavel zelo cactividade com
que V. S coadjuvou presidencia as enrgicas e
acertadas medidas que lomou, para, mediante os au-
xilios da Divina Providencia, fazer abortar o terrivel
plano do urna ronjuraeflo sanguinaria, precedida de
saque e horriveisossassinatos, quo algunsorgulhosos
turbulento, inimigos da ortlem e tranquillidade pu-
blira, procuravam por em pralica ltimamente, nflo
s"nesta capital, mas ainda ramifieando-a pordiffe-
rwtles pontos desta provincia que se vio em perigo
do um conflagrac/io execravol ; e rceonbecendo a
imporlancia de trio relevantes servicos por V. S. pres-
tados na qualitlade de ehefe de polica, coadjuvando
a arc.lo em-rpira, prudente e imparcial do governo da
mesma provincia : liouve por bom deliberar em ses-
sSo de liooi em, que em seu no.me o da provincia que
reprsenla, so felicite a V. S. manifestando-lhe a sin-
cera cousideraeo de que, por taes servicos, se faz
digna a pessoa de V.S. Cumprindo, pois, com a niaior
sartisfaeflo este voto ingenuo da assembla legislati-
va provincial, jimluinos-lhe os protestos da nossa
particular deferencia c do devido apirgo" que dedi-
camos pessoa de V. S,
Dos guarde a V. S. Paco d'assemblca provincial
legislativa das Alagoas, em 24 de marco de 1847.
lllm. Si. Dr. Joilo Paulo de Miranda, ebefede polica
desta provincia. Afronto o"Albuquerque Mello pre-
sidente. Antonio Miz de Aruujo, 1.o secretario.
Jote tiernardo de Arroxella Galvdo, servindo de 2.*
secretario.
- Il/mt. Srt. Tive a dislincta honra do receber
o oflicio de felicitaefio que Vv. Ss. em nonie d'assi'm-
[b\u legislativa testa provincia me cndciecaiam,
pom o ferho de 9* do correte. Em respostn cumpre-
lie significar a Vv. Ss. para que se dignem de fazer
Fchegar ao conhecimenlo da mesma assembla, que,
I jisaz lisongeando-me o bom conecito que lenho uic-
frecido para com osdjgnos representantes da pro-
[ vincia das Alagoas, pelo desempenho das importan-
tes funrc;0es do honroso careo de chefe de polica,
3ue S. M. o Imperador meconfiou, eu farei por nao
esmerecer desse conceilo, seja adquirido [icios
meus setvicos a provincia, seja antes liberalisado
pela bondade dos i Ilustres uiembros quecompoem
a assembla provincial, desempenlianilo com leelda-1200 ris por sacco que lem de montar a mais de" ol-
I.e-se o seguinte requerimentoque, sendo apoia-
do, ho approvado sem discussio:
Itequeiro urgencia para entrar em discussio o
projcclo n. 9. llego Danta.
Entra em segunda discusso oprojecto n. 9, e he
npprovado sem discusso.
Entra tamben) em segunda discussio o projeeto
n. 12 deslc anno, que converle em mesa do consula-
do provincial a de rendas provinciues, creada em 30
de abril de 1839.
Artigo 1.'
l.-so a seguinte emenda auditiva queheapoiada
e entra em discussio:
A thesourara das rendas provinciaes constar
dos segninlesempregados: inspector,contador, pro-
curador-fiscal, secretario, Ibesoureirn,-fiel do the-
snureiro, duus ofllciaes, dous priineiros escriptu-
rarios, dous segundos, servindo un de cartulario,
e um continuo que servir de porleiro. Mues .Va-
cilado.
O Sr. llego IHonleiro : Senbor presidente, impug-
nei este projeeto quando cnlrou em primeira diseus-
siTn, e apezar de ja ler dado as rasOes que me pare-
cer a ni ponderosas, para que elle se nilo pozesse em
execucilo, ainda farei algumas consideraces, visto
quo nflo foram combatidas as que entilo apiesenlei.
Reconhego que os autores do projcclo tivcra'in em
vista uniformisar a fiscalisacflo dos dircitos provin-
ciaes, mas julgo que se pode conseguir tilo nobie
Um por outro mcio que nlo o proposto pelo projeeto,
que devodc causar immensos gravames ao conimer-
cio c agricultura.
A creaclo, Senbor presidente, de um consulado
provincial para por esta repartico seren despacha-
dos todos os gneros que esta provincia exporta, tem
de trazer um grvame aocommercio c agricultura,
porque lem de fazer urna duplirata nos despachos,
pois he neeessario que o despachante que lem de
exportar os gneros faca outro despacho, eo sub-
/netla ay conheeiiiiento da repartico ; o cbofe tem
do despachar, tem-se de fazer urna nova conferen-
cia, e urna nova conla de direitos &c. ,o quo entilo se
faziacom um s despacho, e por consecuencia con-
sumirem-sc mais duasou tres horas, oque n'um dia
nao poder fazer o despachan!", e por essa rasfio de-
mora r-se o navio mais um din, e entilo pode mui
bem acontecer que nflo baja maro, e serrfprcciso que
o navio v carregar fra ou empatar sua viagem, o
que augmentar a despoza do transporte e embar-
que, que lem de recahir directamente sobre o agri-
cultor, porque o negociante quando tem de comprar
qualquer genero calcula as despezas de fretes, des-
pachos, &c por isso que quando recebe as facturas
da Europa ou de qualquer parto diz a seu corres-
pondente quo faga a compra at tanto, e por isso
quaulo mais tiver de avultar a despeza com a re
niessa dos gneros, tanto mais barato tem do ser
o mesmo genero comprado, e por consequencia
vem a perder o agricultor; e a prova he que os
agricultores leem sofTrido bastante. Nos vemos por
um calculo quasi bem baixo, quo actualmente teem-
se exportado para mais de 200,000 saccas de assu-
car: ora, a nova inspeccilo de assucar tem trazido o
onusdeque osassucareirosou negociantes paguem
porcada saoco 100 ris do condiiceflo para o trapi-
che, que Uinbem exige Ouiros 100 ris, o eis-aqni
200 ris que em 200,000 saccas l.izcm 40:000,000 de
ris, sabidos dos agricultores. He sabido que esta
provincia nlo exporta s 200,000 saceos, e im mais
de um milhlo, porquo o assucar que vem em cai-
cas lem diminuido por causas sabidas, deso te que
tal ve/, nilo veuba um terco da safra em ca xas, ac-
crescendo quo os saceos sao mais admitlidos e pro-
curados, porque na Europa leem mais consumo : he
mais fcil o seu transporte eaccommodacflono.navio,
e mais fcil a sua cotr.pra e venda, e por issu sao
preferidos.
Kis, pois, pesando na agricultura essa despeza de
lenta contos de ris, os quaes leem de ser distri-
buidos em beneficio, nflo daquelles que trabalbam,
quo la/nii sacrificios, o quo contrahem dividas,
mas em beneficio deoutros, quo nfloplantam : o he
justo quo aquello que trabalha perca, para dar-se
a aquellos quo nflocompram, e s servom do vohi-
cuiopara ainstiecQilo? A liscalisagilo, Senhores, po-
do melhorar com tal projeeto, mas crescom os en-
trayes, e sem ellos ella pode fazer-se, creando-se
mais liis quo vilo examinar, nos trapiches o nos ar-
mazeus, o assucar quo se embarca,e assim nflo vira
a soflYer o agricultor ja tflosobrocarrogado de impos-
trts; porquo o negociante nflo solTre, ou pouco sof-
fre, pois quando compra, calcula as despezas que
lem de fazer: quem soffre he o agricultor, e com
esta ereacSo vamos grava-lo mais.
Din-i tambem alguma cousa sobro os mais artigos
do projeeto.
No artigo 7 so permitte um al dbus pontos do
embarque, alem dos trapiches: esta providencia ho
salutar, mas por ella nflo sacrilicarci os interesses
dos agricultores, volando polo projeeto. Segundo
eu pens, este favor pode ser foilo em um projeeto
separado, ou em um parecer de commissflo se pode
providenciar islo, o nflo em urna lei que cria urna ro-
parlicflo, a que tem de ser submettido o despacho.
Tambem encontr outro ombaracn na oreaoflo dessa
repartico, ou consulado, o he que, sendo poneos os
empregados da mesadas rendas internas, ellos julo
pdenlo vencer tantos afazeress com o augmento
de dous empregados da thesourara provincial, visto
que se accumula o expediente n'uma repartidlo,
aliando al agora so tazcal em duas, c de necessida-
c se terflo de crear mnis empregados, o que se evita
continuando os mesmos empregados das rendas ge-
raes, como se tem feito at boje, dando-se-lhes urna
gratificarlo, porque acho justo que se pague a quem
trabalha.
De quanto lenho oxposto, Senbores, infiro que nflo
llevemos crear una repartico que v causar enlra-
ves e perdis ao commercioea agricultura, que he
quem mais ir solTrer, devendo ella receber de nos
bmleecflo e favor, pois esta liein desanimada. Falla
se na laxa de um viiilem por saceo, que a lei creou;
mas pina fiscalisar-se esse impo.slo precisaremos de
providencias laes, que fagam que o pobre agricultor
pague, em lugar de um vinlem,200rs. por sacco?1 E
nein para isso era precisa a iiispecco, porque a inesma
laxa de20rf. que paga o assucar branco, |iaga o mas-
eavado: para isso no era necessaiia a inspccgo,
porquo a fiscal isa^o se poda fazer sem essa creaeflo
de inspeccffo.
O 4r. Aunes Machado : Est isto em discus-
sio ?
O Sr. llego Monteiro: ~-. Silo ideos anlogas:
quando se combate o prmeiro artigo, combaleiri-
se tambem aquelles que com elle leem roliclIO; per-
ianto eslou multo regimontista.
O Sr. Cunta Machado: No no caso de que se
traa.
O Sr. Hego Monteiro : Veja o nobre secretario o
regiment, e ento ver se lenho rasfio: fallo mis
materia*dos artigse e7, porlanto estou na ordem;
ecom ludo nilo conlinuarci cansar os meus no-
bres rollegas.
J v a casa as duvidas quo lenho de votar pelo ar-
tigo primeiro, poruue nflo faz o bem que se deseja;
pelo contrario tem de ser pesado ao commercin, e
com especialidade agricultura: voto contra elle
0 provavclmenlc votarei contra os outros artigos:
nao obstante, la I vez se apresentem taes ra>0cs que
me conveneam, e ento ser oulra a minha vola-
eflo.
O Sr. Aunes Hachado sustenta o projcclo.
OSr. Reg Monteiro : Senhor presidente, a honra
que me fez o illuslre deputado que acaba de sentar-
se, de responders minbas fracas redexes, fez com
quo pedisse a palavra ebuscassedizer alguma cousa
em reforco do pouco ou nada que j disso.
Entendo, Senbor presidente, que as rases que eu
apresentei de inconveniencia para a agricultura nflo
form contestadas pelo nobre deputado. Eu nflo fui
possuido de phantasias, e simde puras realidades:
romquanto nflo seja exportador, comtudo nilo dcixo
de ler presenciado e visto o que so passa nos des-
pachos dos gneros que se exportam; porlanto nflo
phantasici. Nflo he um so despacho que faz um na-
vio, eu sei que faz diversos; mas cu trato do que elle
Taz pelo consulado, o por isso su encaro a questo
por esse lado. Este despacho, pois, que era feito at
agora por urna repartico, tem de ser feilo por duas;
e note o nebro deputado que, quando se embrcate
100 200 ou mais saceos, cada um delles tem quali-
dades e surtes diversas, o que se declara to despa-
cho para a deduceflo dos direitos, depoisdoque, e
do feitas as conferencias e lancamenlos respectivos,
se faz logo a dislinccflo dos direitos geraes e provin-
ciaes o ilepois se eflectuain os pagamentos dos
competentes direilos : ora, creando-se urna reparti-
co separada, teem-se de reproduzir lodas estas dili-
gencias parante a oulra mesa, c por consequencia
lomo despachante de consumir mais duas ou tres
horas, oque de certo se nflo pode fazer n'um mes-
modia; resultando disto o inconveniente da demo-
ra, cojo ptejuizo tem de recahir em resultado sobre
o agricultor. No cuide o nobre deputado quo he
plmntastico eu dizer que esse novo despacho pode
influir na sabida do navio o faz-lo perder muilos
dias: o nobre deputado conbece o nosso porto e sabe
os niales que elle padece com as mares que nflo sflo
eflccltvas, e quo tem grandes variaces, conforme
es influencias- da la, ele.,
Mas disse o uobie deputado,que quera a inspeceflo,
porque a inspccc,o evilava a fraude. Eu, Senhurcs,
taiubem quero a liscalisaco, c por inso teconheci
a vantagem que pode resultar de dar-se ceulralisa-
gflo a liscalisaco; mas esla medida, se he propria
para a fiscalsaeflo, ho gravosa para a agricultura o
para o commercio, o pde-se remediar isto, cre-
ando-se 4, 5 ou 0 liis quo examinom os generas e
despachos, do maneira que acatitole-so o contraban-
do, o assim com mais 2 ou 3 contos do ris evita-so
a perda que suflYe a agricultura: por tanto roconhe-
co a vantagem, mas he preciso que esta liscalisaco
nflo soja posla em beneficio dos empregados, sondo
damnificados os povos, porque os povos s5o os que
contribuem para o rendimento da provincia, lie u-
ma grande coulribuicn, .Senbores, a que se tira do
assucar, sendo 7 por cenlo para a receita gcral, e 5
para a receita provincial; o soseannexarein nutras
despezas, a quanto nflo vem a ficar o nosso assucar
na Europa, o as pracas commerciaes para onde se
remelle ?.
Diz o nobre deputado : traz vanlagens a inspec-
eflo : pois eu iligo ao nobre deputado quo a inspec-
eflo dos saceos nflo traz vantagem, porque, como sa-
bom os nobres dcputados.o assucarciro compra o as-
sacar por um arbitrio entre elle o o vemhdor, ajus-
ta o compra, sem ser neeessarin a inspecQflo; os
negociadles tambom quando vilo comprar o assucar
aos assucareiros nflo coinpram pela inspeceflo, por-
' a inspeceflo nflo sorve para o agricultor o nem para
o negociante, quanto aos saceos : que olla seja til,
necessariao indispensavel nascaixas o fechos, con-
cedo eroconheco, mas nos saceos nflo: nilo serve
tambem para o imposto provincial deviuiem por sac-
co, porque sabe o nobre deputado, que tanto paga o
a.N.siiear mascavado como o branco. iscalise-se, Se-
nbores, o direito provincial, evite-so o contrabando
o a fraude, mas nflo se dilliculto a exportaQflo do ge-
nero, que trara a baixa dello o a perda para a nossa
agricultura.
Eslahclccu-sc, pojs, umafiscalisAcflo, criem-se os
empregados que se quizeretn, mas evite-se esta re-
messa do genero de urna para outro parl, porque
pode ser molliado, damnificado, ex posto ao lempo,
e isto prodiiz descouceilo e perda ao agricultor
que solTre mais essa despera, que acabei de ponde-
rar, do assucar quando sabe do armazcm para o tra-
piche, o o iraballio da bracagem que exige o trapi-
cho veja ni em quem reealie esta despeza, sen.io em
niissos agricultores ? Quizera, como lenho dito
in u i las ve/es, que se buscasso um mcio para se evi-
tar a fraude e os contrabandos; busque-so esse mcio,
e creio que com a creaeflo de mais liscaes, esse meio
se alcalizar, porque quando o presidente da pro-
vincia soiiI.it que o fiel no eiiinpre com seus deve-
res, o demitlira : porlanto nflo se exponham'detgene-
ros de urna para oulra parte.
Agora, permitta-me V. Exc fazor algumas refle-
xos sobre a emenda do nobre deputado
Nflo sei, Senbor presidente, se, tratando-sedo con-
sulado, no obstante ser urna admiui-.lrac.lo espe-
cial, sera bem recehida ueste projeeto urna disposi-
coquc trata de_urna materia diversa, c tanto mais,
leudo esta casa, creio que pela lei do ornamento pro-
vincial, que ha poneos dias approvmos, autorisado
o presidente para reformara thesourara provincial :
ora, esta determnacn no artigo da lei parece-rae
bem deslacada c inoppnrtuna |/e| -. porlanto, julgo
que vamos corlar a autorisaeflo que j demos, por-
que o presidente da provincia no leve autorisaeflo
limitada, e sim Ilimitada para reformar a thesou-
rara provincial, se julgasse conveniente; e nos j
chamamos pelo projeeto dous amanuenses para a
mesa do consulado, c agora quer-sc fazer um artigo
addilivo ao primeiro queenlrou em discussflo, para a
reforma da thesourara, quando o fim deslo projeeto
he organisar a arrocadaeflo provincial quo se faz pe-
la mesa do consulado : marcando nos o numero dos
empregados daquella repartico, se acaba o poder
q no el le i in lia de organisar a thesourara, c assim re-
inamos a faculdade concedida ha to poucos dias.
Nflo sei finalmente sesera opportuno collocar-se
no artigo primeiro que trata da mesa do consulado,
urna dispasiefio que marque tambem o numero dos
empregados da thesourara provincial ; assim o nflo
julgo, mas esta assembla ojulgar.
So estas as nimbas consideracOes; a casa decidi-
r como ontender.
A ii ma hora da tarde, nilo ha vendo casa, fica a dis-
cussio adiada.
O Sr. 'rendente lovanta a sessflo, depois de haver
dado para ordem do dia da seguinte: leilura de pro-
jectos e pareceres; discusso de pareceres adiados;
eoiiliiiiiaco da ordem do dia de hojo; primeira dis-
cussio do projeeto n 5, c terceira dos de nmeros
Cot; o levanta a sessflo.
SKSSAO EM 9 DE ABR1IADE 18*7.
PKESIDENCU DO IB. IOUZ1 TIUSJB4.
SUMMARId. Chamada. Approvaco da acia da
sesiio anterior. Kipedienle. llequerimenlo.
Adopcdo.em segunda discusso, do projeeto n. 12, com
algumas emendas. Adiamento do den. 6.
Ao meio dia, o Sr. 1." Secretario faz a chamada, e
verifica estarem presentes 20 Srs. deputados,
OSf. Presidente declara iberia a sessflo.
OSr. 2.* .>ecrelaro l a acta da sessflo antecedente
que he appiovada.
O Sr. I. Secretario menciona o seguinte"
EXPEDIENTE.
Um ofllcio da cmara municipal da villa do Boni-
to, cobiindo urna representaeflo dealguns habitan-
les do mesmo municipio contra a que dirigir as-
sembla a cmara municipal do Brejo. v ammit-
>ao de negocios dat cmaras.
Vm requerimeuto, em quejse l'olicarpo de Fri
tas, professordeprimeiraslettrasdocollegiodosor-
f.i]



2.
I

\
phos, pede seja o respectivo ordenado elevado a 7008
ris. A'comnt'staO de ordenados.
lleudo ojulgado ohjecto de dclberac.ao o projec-
tode le deorcamonto municipal.
(ConUnuar-se-ha).
| DUBIfl DE PEin.UHiUCO.
RKCITE, 9 DE ABRIL DE 1S47.
A assembla occupar-se-ha amanhfa com a conli-
nuacflo da ordem dodia do boje, ecom a priineira
discusslodo ornamento municipal Dar o anuo de
1847--1848.
Publicando a pedido.
lints Sn. presidente e mate vereadores. Dizem os
socios do contrato do imposto do dous mil o qui-
nhentos ris por caneca de gado vaccum, consumido
no municipio do Recife, que precisam que a Ilustro
cmara Ihes mande passar poi ccrlidflo, por quem
compelir, o numero das rezes que se leem n\orto no
matadourodas Cinco-Pontas, do 1. de outubro do
anuo prximo passado at o ultimo de mar^o do
coirenle anno, a vista dos mappas da respectivo, por tanto Pedein aos Illins. Sis* Ihes
mandem passaradila certidito. E R. Me.Hecife, 5
ile abril de 1847. Pelo ditos Srs, Antonio Moreira
de Mendonca Jnior, primeiro agente ilo contrato.
Passe pela secretaria. Paco da cmara municipal
do Recife, 8 de abril de 1847. Carneiro onei'ro,
pro presidente, llrala. Aquino. Ferreira.
A. de Barro.
Jodo Jiisi Ferreira de Aguiar, bacharel em le, e secre-
tario da cmara municipal do Recipe, em virtude, da
lei, ele.
Certifico que, revendo os mappas mensaes do gado
mortono nietadouro dos Cinco-Pontas, para consu-
mo do povo desta cidade, apresentados pido fiscal da
freguezia de S -Jos, desdo o i." de outubro do anuo
passado ateo ultimo de marco do presente auno,
delles consta terem-se morto nove mil e dezoilo re-
zes para o fim declarado. E para que o referido
conste, mandei passara presente que vai por mim
subscripta eassignada nesta cidade do Recife aos 9
idas do mez de abril de 1847. I'jz escrever, subscre-
vi e assiguei. Km lestemunho ele verdade, o secre-
tario, Jodo Jos Ferreira de Aguiar.
etc., 1 dita calcado, etc., 3 ditas porcellana 1 dit
perfumara, 1 dita flores, bonetes e livraria, 1 dita
quinquilarias, bengalas, etc., 1 dita brinquedos pa-
ra meninos, etc., 1 dita tafetaes, 13 ditas drogas, 1
dita fazendas; n Didier Colombiezc C
70 barris manleiga, 20 meios ditos dita, 10 caixas
de absyntho, potes saleiras, 1 caixa conservas, 1
dita crvstaes, 4 ditas papel, 2 ditas cbapeos para ho-
mem, "l dita perfumaras, 2 ditas marroquins 1
dita casquinha, pentes,etc.; a Rigord & Cauca-
nas.
1 sacco diversos objectos ; a R. F. de Souza.
1 caixa bijuterias ; a M Alves da Silva.
1 caixa chapese calcado; a G. Jos do Reg.
1 caixa objectos do modas; a Madama Bucssard.
2 bahus casacas usadase livros ; aJosJoaquim
de Oliveira
2 barris oebre amarello, 2 caixas agoa de seydlits,
4ditasdroi;as, 1 barril raizes de malvas, 1 caixaa-
cido sulphurico; a Jos Mara Goncalvcs Ramos.
2 caixas drogas; a J. Soum.
1 caixa ditas de rap e papel, 1 dita perfumaras,
1 dita creps, flores, mercenarias e tinta, 1 dita chi-
cotes, espelhos, etc ; a Denckcr & C.
1 caixa pellucias c massas para chapeos, 3 ditas
chapeos para senhoras ; a Straus.
Consulado.
REND1MENTODODIA9.
Geral..........
Provincial >.....
Diversas provincias
3500,392
1:510,439
95,822
5:106,653
Hoiintento do Porto.
CCMME.1CIO.
Rabia
Navios entrados no dia 9.
8 dias, barca sarda Mara Eugenia, de 247 to-
responsavel pelas mesmas obras por tempo de um
anno.
O arsenal de guerra compra cinco pares de sapa-
tos, cinco mantas de algodflo e cinco esleirs de por-
peri. Quem ditos gneros quizer fornecer mandar
sua proposta em carta fechada o a amostra directo-
ra do mesmo arsenal, at o dia 12 do correte mez,.
Directora do arsenal de guerra, 8 de abril de 1847.
f Jodo Ricardo da Silva,
Amanuense.
arsenal de guerra compra quaronta e cinco
vraselo brim, dezoito mantas de algodflo e dezoito
esleirs de perpir; quem ditos gneros quizer forne-
cer mandar sua proposta em carta fechada e aa-
mostra a directora do mesmo arsenal, at o da 12 do
corrente mez.
Arsenal de guerra, 8 de abril de 1847.
Jodo Ricardo da Silva,
Amanuense.
O arsenal de marinha compra, para a respectiva
enfermara, hinla colxoes cheiosde palha, feilosem
razendadelinhocom os seus competentes travesti-
ros; e bem assim brm de linho, proprio para lencoes,
algodJIo americano enlrancado, dito liso, cober-
tores de lila o manas brancas de algodflo As pesso-
asque se propozerem a vender estes objectos, sflocon-
vidadas pelo lllm. Sr. inspector do mesmo arsenal a
coinparecercm nesta secretaria com as suas propos-
tas em carias fechadas, no dia 10 do corrente mez,
pelas 11 horas da manhfla. .
Secretaria da inspeceflo do arsenal de marinha de
Pcrnambuco, 8 de ahril de 1847.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos \njos.
Lotera
AI randera.
HENDIMENTO DO DIA 9..............2:362,07
Descarregam Ao/elO.
Briguc Rimac albo.
Escuna Alborg carvflo.
Sumaca Santa-Cruz fumo e barricas vasias.
Harca ~ Eslher-Anne gigos de louca.
Rrgue yelie-Malhilde manleiga.
Barca Wliam-Russell mercadorias.
IMl'OUTACAO*.
Nelie-Mathilde; briguc francez. viudo do Havre,
entrado no corrente mez, consignado a J. P. Adour
&C., manifestoii oseguinte:
1 caixa ferramentas para relojoeiro; a Sicard.
2 caixas sedas, 5 ditas lecidossuissos, 1 dita seda-
ra, 1 dita tecidos de seda, 1 dita de ditos de dita e
lgodfio, 1 Tardo de ditos de dito, 1 caixa ditos de
dilo, 9 ditas conservas; aJ Keller&C.
3 barris pregos; a Dubarry.
1 caixa bijuterias, 3 ditas tecidos allemfles, 1 di-
ta Hilos su i ssos, lidia estofos d'algodilo, 4 ditas sus-
pensorios, 1 dila chales d'algodilo, 7 dilas tecidos de
dilo, 1 dila estofos de seda, 3 dilas suspensorios c li-
tas, 2 fardos tecidos d'algodilo, 10 caixas camas de
ferro, livraria, verniz, &c. ,2 ditas lencos d'algodo,
1 pacote amostras; a Scbafheitlin & Tobler.
80barrismanteiga,40meiosdilos dila. 3 caixas per-
fumarias, 1 dita drogas, 1 barrica alfinetes de laido,
i caixa botOesde osso, 1 dita suspensorios, tak-taes
ecarteirasde algiheira, fardos tecidos d'algodilo,
13 caixas quinquelherias, I dila papel para caitas,
1 dita vidros, 1 dita tecidos d'algodilo, SOqueijos,
6 caixas macles seccas, 1 dila lencos deseda, 2 gi-
gos champanha; a ordem. ,
70 barris manleiga, 20 meios ditos dita; a Jos
JeronymoMonleiro. .
110 barris manleiga, 20 meios ditos ditr.; a N. O
Bieber&C. ,. ... .
310 barris manleiga,180 meios ditos dita, 3 caixas
tecidos, 2 ditas chapeos para liomem, 3 ditas eslofos,
3 ditas porcellana branca, 1 dila perfumaras, 1 dita
chapeos para senhora, 1 dita calcado e tecidos diver-
sos, 2 dilas quinquelherias, 1 dila obras de folha de
Flandres, 1 dila pelles, 5 dilas calcado, 1 dita bijute-
rias e tecidos, 1 dita fazi-ndas; a J. P. Adour & C.
1 caixa livraria,2carros; a L G. Ferreira.
caixa sedBS, 3 ditas litas de dita, 2 dilas tecidos
de seda, 2 pacotes amostras, 2 caixas estolos de se-
da, 1 dila velludo de seda e algodflo, 3 fardos lecidos
de Jila caixas ditos do dita; a Kalkmaiiii & Uoscn-
1 caixa chapeos, luvas e sedas, 1 dila fazendas;
a H. S. Martin.
1 caixa cutelaria: a Pommateau.
6 caixas pannos, 21 ditas papel, 3 ditas perfuma-
ras, 2 barris tinta, 1 caixa chapeos de seda, editas
crvstaes, 1 diU tecidos para chapeos, 1 dita panni-
nho, 4 ditas porcellana, 2 dilas pelles envernizadas,
1 ditacolheres de eslanho, 2 ditas allinetes, 1 dita
quinquelherias, 2ditas pelles do carneiro, I dita sus-
pensorios, 1 dita livros em.branco, I dila botOesde
osso e bengalas, 1 dita obras de folha de I-landres.
1 dita pelles de porco, 1 dita merinos, 1 dila bijo-
terias, 3 ditas sedas. 1 dila tecidos de linho, 4 ditas
sapatos, 1 dita panninbo oleado, 1 dila penuas de
ganco, 2 ditas aguado Colonia, 1 dita plegaria, 1 di-
ta tinta, 1 dita climas, 1 dita brins, 2 dilas tecidos
d'algodSo, 2 Tardos ditos de dito, 1 caixa chapeos de
sol, 5 dilas ditos de seda, 50 queijos, 5 caixas fazen-
das; a Avrial Freres.
1 fardo estofos de lila, 2 caixas suspensorios de al -
godilo, 1 pacote amostras ; a E. Bolli.
2 caixas papel, 4 ditas envidracadas c vasias; a C.
deGaut.
i caixa merinos, 1 dita brins d'algodSo, 1 dita cha-
peos para homcm, 1 dita meias, 1 dita carneiras, 1
dita porcellana branca, 1 dita lencos d'algibeira; a
Didier Colombiez&C.
neladas, capitflo Carlos l.azzollo, equipagem 14,
carga lastro; aocapitilo.
Rio-do-Janeiro ; 25 das, polaca sarda Annetta, de 253
toneladas, capitflo Paulo Villa, equipagom 17, car-
ga caf, madeira para o arsenal e mais gneros do
paiz; ao capitflo.
Ro-Grande-do-Sul; 55 dias, brigue brasileiro Jupt-
ler, de 247 toneladas, capitflo Antonio Jos dos
Reis, equipagom 14, carga carne; a Antonio Gon-
ijalves Ferreira.
Parahibl; 2 dias, hiate brasileiro Conceic/to-Hor-
das-Firludcs, de 21 toneladas, capitflo. Elias dos
Reis, equipagem 4, carga loros de lenha ; aoca-
pilflo.
Mar-Pacifico, tendo sabido de New-London ha 31 mc-
zcs, galera americana Henry-Thompson, de 315 to-
neladas, capitflo Joseph llolm, cquipagm28, car-
ga azeilc de peixe; ao capitflo.
Porto-Calvo; 2dias, hiate brasileiro Santo-Antonto-
Flor-do-Rio, de 23 toneladas, capitflo Ihomaz Go-
mes de Almelda, equipagem 3, carga assucar o ar-
roz; ao capitflo. ..
Camaragibe J 3 dias, hiate brasileiro Sdo-Jose-Olo-
rxoso', de 30 toneladas, capilao Manoel Fernandes
de Souza, equipagem 5, carga assucar ; a Jos Sil-
vestre de MenUonca.
A'wu sahidos no mesmo dia.
Philadelphia ; brigue americano Futran, capilflo
Joseph Farred, caiga assucar.
dem; barca americana l.lobe, capitflo Nicols Es-
ling, carga assucar.
Mar-Pacifico; barca americana (hase, capitflo Allon
Rrawiiell, carga polrechos para pescara.
Publicares LiKeraras
Asuenes de--cBMMATic* iNGLEZ--recopiladas e
coordenadas pelo bacharel formado Vcento Percjra
do Reg, professorda lngoa ingloza no lyceo dcsia
cida le, as quacs foram ltimamente adoptadas para
compendio da respectiva aula do collegio das artes
preparatorias para ocurso jurdico do Olitida, a-
cham-se venda as livrarias da praca da Indepen-
dencia, ns. 6 e 8, e do palco do Collegio, n. 2, a pre-
go de 4,000 rs., om meia encadernago.
Na liviana da pra?a da Indoprndencia ns. 6 c 8, a-
rba-^e a venda o compendio de geograpliia rlemiMUar
que ltimamente fol adoptado pela congregacao dos.SrJ.
Ipitos daarademia da cidade de Olinda para o eimino
do collecio dai artes da menina cidade. red'gido pelo ba-
charel formado t.uiz Paulino Cavalca.iteVele/.deG.ieva-
ra.substiiuto de ibetorica e geog.ai.hia do dito co legio.
Preco 2^000 rs., cu biuxuia; e 2^500, meia cncaderna-
(o domada.
Avisos marilimos.
iCdital.
O l)r. Germiio Goncalves da Silva, jui municipal da
priineira vara dn termo do Itecife, e presidente do con-
celho municipal de recurso por S. I. I. e V., a quem
Dos guarde, etc. /
Fatjo saliera todos os habitantes deste municipio
que o concedi municipal de recurso dar principio
aos seus trabadlos no da 18 do corrente, pelas nove
horas do dia, na casada cmara municipal desta ci-
dade, onde funccioiiara por espaco de 15 dias. L pa-
ra que cheguc a noticia a todos, mandei passar o
presenteedital, puhlica-lo pela imprensa, c afiixa-lu
nos lugares mais pblicos deste municipio.
Recife,7 de abril de 1847. Eu, mi; Irancitco Cor-
ra de tirito, escrivflo o escrevi.
fJeruaio Gonculves da Silva.
itvciarmcs
ARREMATACES QUE NO CO'-RENTE MEZSEHAO
DE EFFECTUAB ATE A IHESUURARIA DAS REN-
DAS PRO VI.NCIAES.
das 10 E 12.
Por tres annos, a contar do 1. dejulho de 1847 a 30 de
junho de 1850.
Dous mil e quinhetos ris porcabe.ca de gado vac-
cum que for consumido nos municipios do Recife,
Olinda, Iguarass, Goianna, Pao-d'Alho, Nazareth,
Limoeiro, Cabo, Santo-Antflo, Serinhilem, Rio-For-
moso, Agoa-I'ieta, Bonito, Bre.,o, Cimbres, Gara-
nhuns, Flores e Floresta, Boa-Visia e Exu ; cobra-
veis nicamente nos sele ltimos dos citados muni-
cipios daquelles individuos que lalhaiem carne para
negocio, pois que os criadores ficam subjeitos ao
di/.imo. ......
Dizimo do gado cavallar nos municipios do Li-
moeiro, Bonito, Brejo, Cimbres, Garanhuns, Flo-
res e Flojwsta, Boa-Vista c Ex.
Por dous annos, a contar do 1. dejulho de 18*7 a 30
de junho de 1849.
Dizimo dos cocos nos municipios da Boa-Vista e
Ex.
Porum anno e tres meses, a contar doi. dejulho de
1847 a 30 de selembro de 1848.
Vinte porcento d'ago'ardente de consumo nos mu-
nicipios de Cimbres, Flores e Floresta, Boa-Vista e
Diversos impostos provinciacs.a cargo das collec-
torias dos municipios do Bonito, Flores e Floresta,
Boa-Vista o Ex.
da 16.
As obras da ponte da cidade da Victoria, avadadas
em 7:576/000 ris, sob a condigilo de principiarem
dous mezes depois de assignado o termo do contra-
to, e serem foilas dentro do praco de 12 mezes, con-
tado de onformidade com o artigo 10 d regulamen-
com a clausula de serem feilos
Para o Rio-de-Janeiro pretendo sahir com bre-
ida.ie o brigue Norma, e tilo breve quanto possa re-
ceber o seu carregamento : o mesmo tem superio-
res commodos para passageiros e escravos : quem
pretender p.le cnlender-se com os consignatarios ,
Amorim Irmflos, na ra da Cadeia n. 45.
Segu por estes dias o muito veleiro hiate >.-
Jodo para a Babia com escala por Macoio, por ter
quasi o seu carregamento prompto; inda recebe al-
guma carga miuda ou passageiros : quem prelen-
ler carregar ou ir de passagein, dinja-se a bordo
do mesmo hiate.
Para o Bio-de-Janciro o hiate Nereide segu
viagem no dia 13 do corrente: para passageiros, ou
escravos a rele, para que tem bons commodos,
trata-sena ra do Vigario, n. 5.
Para o Rio-Grande-do-Sul partir, impretenvel-
mente at o dia 15 do corrente, o brigue Feliz, bem
condecido nesta praija. tanto em suas viagens co-
mo em soguranca ; recebe nicamente passageiros,
para o que tem asseiados commodos; assim como
escravos a frete, para o qne lamhein tem commodos.
Trata-sc com o proprietario Firmino Jos Flix da
Rosa. ,.
Para o Porto sahe, imprelerivelmente nodia
l5do coirenle, a barca Bella-Pernambucana capi-
tflo Manoel Francisco Noguoira : ainda lein commo-
dos para dous passageiros ; para o que trata-se com
o capilflo, na praga, ou com o consignatario, na ra
da Cadeia do Recife, n. 51.
~ Os Srs. ca-regadores da barca 7?e//a-Pern ranaqueiram mandar levar os conhecimentnsa ra
da Senzalla-Velha, n. 142. segundo andar at o da
|S do correle, para se fazerem os manifestos
Para o Aracaty segu viagem com hrevidade o
patacho Anglica, com a carga que houver : quem no
inesnio quizer carregar ou ir de passagem, para o
que tem bous com modos, dirija-se a ra da Cruz, n.
26, a tratar com l,uiz Jos de S Araujo.
Para o Cear sahir, impreterivelmento no dia
15 do coirenle, o brigue-escuna llenriquela, por ter
halada a maior parle do sua carga : quem ainda
pretender carregar falle com o mestro do (jtesmo ,
Jos Joaquim Alves da Silva, no trapiche novo, ou
na ruada Cadeia-Velba, n. 17, segundo andar.
Para o Rio-Crande-do-Sul sahe.na seguinte se-
mana, o brigue S.-Manoel-Augusto capitflo Manoel
iimOes; recebe escravos a frete e passageiros para
o que tem os melhores commodos: quem preten-
der falle com Manoel Ignacio do Oliveira ou com o
capitflo na praga.
Para o Rio-de-Janeiro segu o brigue nacional
Sociedade, forrado e de prximo encavilhado de co-
bre o de boa marcha: para carga miuda, passageiros
ou escravos a frele, a tratar com Amorim Irmos,
ra da Cadeia, ou com Jos Francisco Collares, na es--
quina, loja de fe ragens, boje de Jos Dias da Silva,
ou com o capitflo Jeronymo Jos Telles.
lo das arreinataqes;
caixa chapeos de sol de algodflo, 1 dita alampa-los pagamentos na forma do disposto no artigo 15
das 1 dita filo de algodflo, etc., 1 dita plumas, llores, I do mesmo regutamento; e ficando o arrematante
Itcilao.
Leilo ele mobilia
que fazem Kalkmann &Roscnmund, por interveneflo
do corretor Oliveira.de urna grande porgflo de mobi-
lia pertenecnto ao Sr. II D. Kakmann., consislindo
em apparelhos para mesa e para cha,ditos de cristal,
quadros muito ricos, urna serafina, um piano, om
carro de 4 rodas, e mudos objectos para arranjo de
urna casa e de cozinha : quinla-feira, 15 do corren-
te mez, na ra da Cruz, n. 10.
Avisos diverso.
Joaquim Moreira de Souza relira-se para Portu-
gal.
Precisa-se de um feitor para um engenho, que
seja soiteiro eentenda de servico : na ruu da Alegra,
n. 3.
DA
Malviz da Cidade da Victoria.
0 restante dos bilhetes acia-se a ven-
da, como j seanntincion, na loja decam-
bio do Sr. Manoel Comes, no bairro do
Kecife ; na botica do Sr. Jo5o Moreira,
no de Srtnto Antonio : os qtiaes sero ven-
didos smnte ateo dia \!\, (se ainda os
bouver ) pelos precosjannunciados.
O secretario da irmandode do pa-
triarcbaS. Josd' Agoni, erecta no bo-
piciode N S. da l'enba, convida oa ir-
m5os da mesnia para mesa geral, domin-
go, i i do corrente, as oito lioras da ma-
nh5a, e espera dos seus raos nBo baver
falta.
A pessoa que quizer comprar urna casa terrea
em Olinda, collocada em terrenos propros, com
quintal e commodos suficientes, cterreno para a aug-
mentar ou edificar, como bem aprouver, dirija-se a
ra do Jogo-da-Bola, casa da esquina, a qual por
signal tom um bilhete na porta, onde achara com
quem tratar.
Ausentnu-se urna negra de naciio Angola, de
nome Andreza, falla muflo ladina, que parece crou-
la, estatura regular, beicos grossos, carrancuda
qtiando falla com respeito, mas naturalmente dis-
farcada, cabello senipre rigado, pernas finas, um
peilo maior que outro por costumara criarse') elle,
algunssignaes de chicote; levou camisa de madapo-
ln nova com babados, vestido de chita com assonta
cor de caf, e listras de flores azues e brancas, panno
da Osla usado; urna bandeija encarnada com chi-
caras e pires hrancos, c tima toalha de panno de li-
nho com franja; julga-se andar mesmo pelo P.ecife,
ou ter ido para o mato, onde ja perlcnceu a outro se-
nhoro roga-se a sua apprehensiio a todas as autorida-
des policiaca, assim como aos capilfles de campo a
qHcm se recompensar, levando-a a Olinda, ruado
S.-liento, sobrado n. 3: lamhein se protesta contra
qualquer deleueflo de m f.
Os paisquo quzerem dar gratis a seus filhos
( de 10a 12 annos) algumas nocOesde lalim, inglez
c philosophia, os mande em Olinda, ra de S.-Bento,
n. 3.
Quem annunciou querer comprar um diccio-
nario portuguez por Constancio, dirija-se na ra da
Cruz do llei-fe, n. 40, nrlmeiro andar.
Alugam-se os 2.*e 3." andares da casa da ra da
Cruz do Recife, n 40, { adverle-se quo nflo tem co-
zinha ) por preco commodo: a-tratar na mesma casa,
no primeiro andar.
Pelo novo destino que deu ao edificio da sua
residencia na ra do Hospicio, poder o Dr. Sa/men-
to recebr em sua casa doentcs que desejem vir
tralar-se nesta cidade. Serflo recebidos nflo so os
doentcs de qualquer sexo e condicilpque sejam,
mas tnmbem as pessoas, ou familias, que os quze-
rem acompanhar.
Precisa-se de um caixeiro para venda, quou
fiador a sua conducta: em Fra-de-PorUs, no largo
do Pilar, n. 17.
-Porgunla-se ao Sr. Carlos Augusto de Moraes a
quem foi que entregou o valor do hiate Flor-do-Rt-
cife, que o mesmo Sr. vendeu, e juntamente os lu-
cros que houveram,visto que um socio que tinhanclle
parle, al boje ignora, e nem recebeu cousa alguma;
o quedeseja saber por esta folha antes quo se re-
tire. ,
^O abaixo assignado avisa ao respeitavel corpo ,
de commercio o as pessoas que leen IransaccOcs em
sua casa, quo Antonio Claiidiuo Alves Gomes deixou
de ser seu caixeiro desde o dia 7 do correte.
M. A. Caj.
Dflo-se 25.000 rs. mensaes a um preto forneiro e
bem entendedor de massas, preferindo-sjaestrangei-
ro, mesmo para esta praca : annuneic por este jor-
nal.
Alexandrina Maria do Esplrilo-Santo relira-se
pata fra da provincia.
Jos Soares do Avilar, subdito portuguo, reli-
ra-se para forado imperio, a tratar do sua sado.
AVISO AO PUBLICO.
Pnciano l.ourenco da Silva foi constituido pro-
curador bastante pelo Sr. Manoel Domingues Barho-
za para concorrer com os mais herdeiros a parti-
Ibas-dosbensdescu pai, o fallecido Domingos Bar-
boza Reilrigucs, c lendo-se dado em partilhas a seu
constituinte una casa terrea no Alerr.o-dos-Afogi-
dos, no valor de 1:800,000 rs. repondo aos mais
herdeiros o excesso de sua legitima^ annuncianto
fez a sua cusa a reposieflo que, cotn maisdespezas
1 ri lencentes ao inventario, chegou quantia de rs.
686,224, aqueestobrigado o seu eonsliluinle, ea
casa considerada por direilo com hypotheca jegal
pela divida do annunciante:e como seu eonsliluinle,
estando nesta cidade, fez nova procurado aos'Srs.
Joaquim Manoel de Barrse Manoel Antonio Coellio
le Oliveira, revogando a feita ao annunciante pelo a-
viso no Mario de Pernambuco, de 31 de marco do
correnlc anno, O. 37, sem que com ludo pagasse ao
annunciaiito; declara o annunciante pelo prsenlo
que ningum compre ou por qualquer outro tilujo
negocie a allienacflo da sohredita casa sem que satis-
faca ao annunciante o seu debito; e ao contrario
desde j protesta encaminharaaecfloqueo direilollio
permiltir contra o possuidor da casa : outrosim, de-
clara que desde o tempo que salisfez por seu eons-
liluinle a quantia cima indicada, pretende llavero
juro da le, ou maisdeum lerco doaluguel, porque
a casa tem sido alugada, e continuado aser alugada
segundo a contado propor^flo.
O abaixo assignado pede encarecidamente as
pessoas que Ihe eslflo devendo, tanto dinheiropor
emprestimo, como de gneros de sua venda e pada-
ria e alugueis de cavado, quequanlo antes hale"1
desalisfazerseus dbitos por todo o crranle mez;
do contrario nflo lomem a mal o usar dos meios
que a lei me concede. JoaO da Cuaba Res.
D-se diubeiro a juros sobre priiborrs de uno e
prata : na ra largado Koiario, ao p do Quarfi* '
ns. 0e II, se dir i|U> m d. Na mesina casa vciidein-"
as seguintrs obras dr prata do Porto : urna Iriteira um
assucarriro um bule urna rafeteira, urna figrlla an-
da nova c muito rica, com 1 ,-ll 0 oitavus.
ollicina de encaderua^ao que o padre F. C. de
Linios e Silva dlrije na ra de S. -Francisco, aii-
4iganientr Mundo-Novo, 1i 06, ada se prvida
'de. todo o necessario para o bom dcsnnpenho de
qnalqurr obra de eiicaderuacao,[iui' mais rica que seja :
assim como tem e apioiupia quaesquer ciubleinas sp-
proprlados ai mesmas obras.
uu nova i
A1


__D-sedinheiroajuroscom a devida seguran-
ca 011 com penhores do ouro, prala ou hypothera
em'alcuma casa livree desembarazada: na ruadas
Trineheiras, sobrado p.50.
__Furtaram, no da 2 uo correnlo, da estribara
da travessa de S.-Mro para a ra Direita um sel-
lim com uma silha, lrose estnvos grandes de lalilo:
a quem forofferecido fura o favor de o lomar e le-
var a casa de sen dono no largo de S.-I'edro sobra-
do n. l.qu gratificar.
Algum Portuguez que quoira ser felor de um
engenlm, dirija-se a ra de Agoas-Vordes, a ca-
sa do Bofgea Mendes, quo achara com quem tratar.
__Ausentou-se de casa de sua mili, moradora no
Itongi, lugar do I.uca um menino criouln de no-
me francisco de 12 annos com os signaos segtiin-
les: soceo do corpo c meio espadndo, rosto rodn-
os olhosmeio vermelhos, nariz chato e no meio
do mesmo urna marra de bechiga grande e pelo rosto
niais pequeas, massiles de rosto algum tanto-altas'.
Mocea regular, o beico inferior meio rxo e hem re-
tinto na cdr. I'roleata-se contra quem o liveroecul-
lo, visto serile menoridade. Quem o pegar ou delle
oom"prl.ro'.aeSdde t'Sas' a", Li&2 di"h<"iro a I1*"1'0 N Nova, n. 33, precisa-se de um caixeiro.
quanlias. *" M Tendo-so justo e contratado com o Sr. Ignacio 5,0r'le~Janeir a SUa eSCrava criou,a' do "ome
Jornandes a compra de uma casa sita na ra dos r"'
Martyr.os n. 26. por isso se faz publico, para que, se
dita casa, faca sciente por esta folha
JosDomnguesCu.leceira faz srienlcao publi-
co e principalmente ao commercio, que desde o dia
Lima alaiate,
na ra do I.lvramento sobrado n. t precisa de bons
otnciars de sen officio o rerrbr aprendiz.
"7 ""R"-*'" aos Srs. Manocl Joaquim dos Santos. An
,, '......""......>"= y Koiniiercio, que desde o da ionio Glilim
?V.rZ ch* li--olvi a.nigavelmentcaso- E^iE
eiedadequo leve, com o Sr. Francisco Jos, Alves *liw6teVto#lSeT3i^S!SK
Guimaraes sob a firma do-Codeceira & Guimaraes--
na hija de miudezas da ra doQueimado n. 53: 11-
eandooannunciantoencarrogado da liquidacilo de
iodo o activo e passivo: c d'ora em diante ficar gy-
rando a mesma casa smente com a firma do annun-
ciante.
Precisa-so de um ofilcia! segeiro ou corriciro
no Aterro da-Hoa-Vista.n. 52.
-- No dia quinta-feira santa dosappareceu uma
canoa pequea de carreira, aberta, com ossignaes
Jintes: branca com um S de ferro na proa, um
lie de Aranjo c Dlonizlo F.larlo Lopes,
por este Dir(paniiiinrl.ir assnas moradas, para
tiver noticia dinja-se a ra Direita n. 62, que sci|ll'uve*,aoalrave-'isdo, do ferro; tem dous bancos
__ i i m t m ICi IID1 nmlnnn .ln .......... i k. .___. '
recompensado.
Ao abaixo assignado s cabo responder ao
annuncio do Sr. Luiz Jos Ferreira inserido no
Diario de hontom applicando adagio a palavras
loncas ouvidos moucos. D. Ribeirode I-aria.
Joaquini Goncalresda Silva declara quooSr.
Jlanocl Jos Vieira Braga n3o he mais seu procura-
dor, equeoSr. Flix Bezerra do Mello Leitio est
autorisado por uma procuradlo a tratar de todos os
seus negocios.
Precisa-so do um cozinheiro para o mallo da
aqu a 6 legoas-, para cozinhar o diario do uma casa :
na ra Direita n. 6.
-Quom annunciou, no Diario do 9 do corrente
querer vender dous livros em branco dirija-se
ra da Gadcia-Velha n. 15, loja do Bourgard.
Quem annunciou querer comprar a Historia
Sagrada, de Hayamont, dirija-se a ra do Quei-
mado, loja do miudezas, n 53
A pessoa que annunciou precisar do um preto
fornejro, sendo queira um rapaz portuguez que
entende bem do trabalhado paJaria dirija-so a ra
do Rozario n. 2.
-- pergunta-se so na lei que mandou augmentara
frca do corpo de polica est coniprehcndido um ca-
marada para cada um dosSrs. olllciacs, auginentan-
do-seassim oservico dos mais.
Roga-se ao Sr Luiz Francisco Vieira de Luna
queira appareccr na ra do Aterro-da-Boa-Visla, n.
3, primeiro andar
-- Urna pessoa muto fiel e de boa conducta vai na
segunda-reir, 12 do frrente, an Sul por trra al
Maceio, para fazer cobrancas : quem quizer se apro-
veilar de sua viagom para cobrar de devedores do
Sul, desd,e aqu at Macoi dirija-se a ra Direita,
sobrado n. 29 que se dir quom he essa pessoa.
, Perdou-se una cartera preta coritendo uma
lettra de 340,000 rs., sacada por F. H. Luttkens e
aceita por Caelano Luiz Ferreira, o alguna papis
sem valor : quem a achou, querendqjrostituir, dir-
ja-se a prac"a da ludependennia livraria ns. 6 c8,
ficando entendido queja est prevenido, o aceitante
par so a pagar ao sacador, por isso quo este a mo
traspassou a nmguem.
umpedaco de corrente: o oaneiro tem a ttrboa do
mmo sohreposta : quem della der noticia, dirija se a
loia-de-Porlas, venda n. 92, que sera recompen-
sado. r
- Aluga-se o sobrado da ra
do Carmo, n.4, canto da ra da
dadeia, no llio-de-Janeiro com
commodos sufficientes para 7 ou
I 8 'Sis. dcpulados tjue queiram
morar juntse pe lo da cmara
Os Srs. doulores lentes da academia e estu-
(lantes da mesma, moradores tiesta cidade do Reri-
fe que quizerem ir lodos os das lerlivos, de Ciirro,
para Olinda medanle urna mensalidade de 16,000
rs., em um curro pnfmplodc novo, euvidracailo e
armado para se poder andar de invern e verfio, com
uouscavallos e ptimo bolieiro cntendam-se com
Jos Mauricio de Oliveira Maciel na ra da Aurora ,
das 6 as 9 horas da manlida e das i al as 4 horas
da tarde.
Aluga-se um sitio na estrada de Joflo-du-Bar-
ros, comcasa de vivenda para una pequena l'.-inij-
lia com bastantes arvoiedosde fiuclo : a tratar na
ra da Cadeia do Itecifo, ll. 21.
* O abaixo assignado prrdeu, no dia 18 de mar-
90 prximo passailo urna carteira verde nova, com
30 ( lautos mil rs em cdulas miudas, e difierentcs
papis de pouca importanria, viudo dcearrodo Mon-
I leiro e apeando-se dci'ronle da matriz da Boa-Vista,
[depois do que entrou na dita oreja, e andou por ella
[ale as catacumbas, e dnlii sabio pelo Alerro, ponte da
Boa-Visla ra Vova, Gabuga pra^a da Indepen-
dencia ra do Crespo e do Gollegio at a casa do
( Sr. doulor Mendes e voltou pelas mesmas ras ,
lendo parado no principio ila ra larga do Rozario,
o seguindo pelas mesmas ras da sua digressflo pri-
meira anles de entrar na ponte da Boa-Vista deu
pela falta da carteira Roga-se a pessoa que a tiver
echado, I be faca o favor de reslilui-la iSo somonte
com os papis que ella continlia c licando com as
cdulas em paga do sou adiado; pelo quo Ihe
(cara muito nbrigado ~ Jote Mauricio de Oliveira
Maciel.
I'recisa-se de um horoem que seja capaz de
vender agoa em uma canoa : na ra de S.-Francis-
co, palacete prximo a inar.
Joaquim Jos dos San los, rclojoeiro, avisa ao
respeilavcl publico que iiiudou a sua residencia da
ra das Trineheiras para u da Gadcia do Rccife, n.
9, amule recebe relogios de toda a qualidade para
concertar. Na mesma casa recehem-sc costuras de
bomem e senhora ; ludo, por preco commodo.
Precisa-se de um pequeo portuguez que sai-
ba 1er, escrever e contar, para ir de caixeiro distan-
te de.Na [naca 20a 30 legoas : na na larga do Ro-
zario n. 29.
Arrenda-se Om sitio em S.-Amaro, no princi-
pio da estrada que vai para Belm com casa de pe*
dra e cal com bastantes commodos para familia,
porllo na (lila estrada boa cacimba d'agna de be-
ber milito* ps de arvoredos de fruclo*, c lugar
[para baixa de capim : a tratar 110 Aterro-da-Boa- Vis-
1, n. 21.
Aluga-se um sitio no lugar de Sanl'Anna, onde
tem a casa da plvora, com boa casa de sobrado, boa
baixa de capim e muitas fruncirs: a fallar na ra
de A olio, armazem de'assucaf, 11. 22.
Desapparcceti, no dia 6 do corrento, um boi de
carro com una ferida no lunibo, e mais algumas ma-
taduras pelo corpo : he de cor preta, e desappareccu
da ra de Santo-Amaro, n. 10 : quem o pegar ou
, delle der noticias na mesma casa, ser generosa-
mente recompensado.
- Acha-so justo o sobrado de dous andares da ra
do Apollo, n. 29: ese alguem se considerar com di-
roitoaclle, queira declarar por esta folha no prazo
deoitodias.
Precisa-se alugar um escravo para carregar um
panacum de pao e fazer o servico da casa: na padaria
da ra dos Pires, n. 4.
=Arrrnda-e um sitio com iirnciente casa DO Barba-
lha, estribarla para dous cavados, algumas arvores que
dao fructo, ptimas ierras (Je murta produeco, e mui-
to pe 10 do rio : trata-se na ra do Queimado, loja u.
Garlos Augusto de Moraos responde a pergupla
que so Me fez pelo Diario de Pernambuco 11. 70, com
o scgtiinte.'-Duvida muito que dita perguntaseja feita
por pessoa inleressada om dito negocio, por esluja
so adiar liquidado, o os socios embolsados do com-
petente rateio, ha mais de um anno, e porisso jul;a
Ser falta por um tratante do rabo; o nao seibo diz
mais alguma cousa por so igturar quem be essa pes-
soa; por isso tem a responder quo nao tem satisfa-
zlo a dura tal respeito, e so quizer melbor sor in-
formado, a casa de Garlos Augusto de Moraes be
na esquina da ra do Kncanlamento, n. 3, com lam-
ie.lo na esquina, segundo andar.
Roga-so ao Sr. fiscal de Olinda baja do tomar
cautela na inalaiiQa dos gados do consumo pois
UM deitam fra as rezos que morremo otilros vendem
ao publico, como aconleceu ltimamente com R A.
B. Sr. fiscal, a lei llevo ser igual para todos como ..
No dia 7 do corrento, embarcou para o Rio-
Grandc-do-Sul, no hrigue Fclis-Viajanle, sem passa-
porte do governo, Daniel de Sanl'Anna Barros o Sil-
va, deixando a sua mulhor no poder de stiu av, 110
Rio-Formoso.
A pessoa que annunciou ter 2 livros para ven-
der, dinja-soao Aterro-da-Vista, loja n. 14.
COLLEGIO SANTO-ANTONIO.
O director deslecoMegio faz publico que as aulas
respectivas se achanlo aberlas de seguuda-foira om
(liante.
Henrique Amante Chaves Ain. lendo comprado
o cstabeleciinenlo com todas as dividas activas, oti-
tr'ora pertenceute ao Sr. Fernando de Lucca, ra
do Trapiche, n. 34, nos Srs. administradores da ma-
ca do supradito, tem a honra de lombiar aos Srs.
llovedores ao mesmo eslabolecimenlo hajam de mo
pagar os seus dbitos sumi ao anuunciaulo. O mes-
mo eslabelecimento continuar, como pelo passado,
a ser prvido do todos gneros do costume, sempre
dos melhores, e esfurcar se-ba o aniiunciaiito pa-
ra merecer a conflanc* dos Srs que se dignaran! hon-
ra-lo com sua freguozia.
O abaixo assignado declara ao Sr. Garlos Au-
gusto de Moraes que mo fui elle que fez aquella por-
gunla no Diario do hoiilcm, 9 do corrente; massim
algum sujeilinlio que, nao pudendo oldei roda de
ouiro socio em quanto mllhe |>agaro que Me deve o
tem negado; e por nao havercm documentos, pela
grande amizade qucoabaixo assignado tinba com o
negativo,como muilas pesaoas sabem.alm do dinhei-
ro que llie nega.recusa mandar urna conta feita ami-
gavclmente como negativo para tirar um engao nfio
pequeo que ha contra o abaixo assignado : quando
islo tiver lugar o aulor da pergunga sera satisfoilo.
Joo Albino da Siha Souza.
~ Perdeu-sc desde a esquina da venda da ra do
Rozario, n. 32, airas da matriz do Sanlo-Anlo-
nio, pelas rusa segundes Imga do Rozario, Ca-
balga e paleo da Matriz., tima folha de 14,000
e lano rs., duas cdulas do 2,000 rs sendo una
vclha com desconlos, o a oulra das encarnadas ja
muito rola; cuja folha vejo do Pao-do-Alho j com
lecibo para ser paga pelo Mlm. Sr. Luiz Rodrigues
Selle pertencento ao cmela ou clariin destacado
naquella villa: portanto, roga-se pessoa que achar
dita Iblhaetfinneiro qtiasl inutiliaado, restitua ao
abaixo assignado na mesma ra larga do Rozario,
n. 39, porque dita folha de nada vale, por so ter ja
prevenido o Sr. Selle | ar nao pagar.
Manuel Diat Fe.nandei.
-- Troc .mse cdulas de '20$
rs., de estamp t encarnada, com
t'ilgum abale : na ra da Cruz, uo
IUcilV,n.26.
O abaixo assignado, lendo passado um vale de
56,000 rs. no dia 6 do corrente a Domingos Ribei-
rodeFaria, por se adiar anda o cotilas com o
dito Sr. roga ao respeilavcl publico que niiigucm
fa^a negocio com o dito vale que nao se obliga a pa-
ga-lo.-- /.mis Jos t'ei reir.
Na noilo do priineiro de abril corrente, per-
deu-se uma corrente de braco ou pulseira de ouro,
denominada de S -Rento desde a matriz da Roa-
Vista a visilai as igrejas do bairro de S.-Antonio :
[quem a achou,querendo restitu-la,dirija-se ao Mou-
dego casa de JottO Raplista Accioli Lilis quo grati-
fcala com' geuoi usidade
Da-se diuhelro a juros 'sobre pendn s de ouro e
prata rin pequrnas quantias : na ra da Cadeia de
S.-Antonio loja de man eneiiu 11.I8, a tratar coi
Mauoel da osla.
Precisa-sede um caixeiro de 14 a 18 annos
para uma venda, o que do mesmo negocio lenha pra-
lica : sendo dus chegados ha pouco lempo, e dando
fiador a sua conducta mo se duyida dar-sc bom
ordenado: na ruada Senzalla-Velha, n. 48.
-- Jos deMedeirosTavaies, pela hrcwdade desua
sabida para a ilha de S.-Miguel, mo teve lempo de
despedir-se dos seus amigos; o que o faz por meio
desle, e offeroce ao mesmo lempo o seu preslimo na-
quello lugar.
NA ULTIMA MODA.
l-'a/.em-se chapeos, touras, vestidos c qualquer outra
i oupa prop la para senhora ; bem como camisas para
boincni, no ultimo gosto abenas atrs e de peitilho .
em abertura que as fin mullo bem assentir e ludo
sem haver demoras por preco muito coiimiodo : na
ua larga do Rozario n. 35, a fallar com Joaquim JosC
Lody.
- Furtaram da rna Nova cocheira n. 54 don* re-
logios de caixa de prata sendo um patente ingle/. e
outro horizontal : quem delira dor noticias em dita co-
cheira ser generosamente recompensado.
Una senhora de prohidade se propoe a tomar
para criar um menino recom-nascido, para o que
lem uma escrava parida de novo, sem liiho, o com
muito hnm lele; pro:ncltendo-so haver todo desve-
lo e cuidado: quem se quizer ulilisar dirija-se a ra
da Santa-Cruz. n. 36.
Xovo esl.-thclccimento, na ra
Uo a,n. 33, de Caumonl,
'iibric.-inic de saz e de can-
dil iros de gaz.
F.llr fabrica todos os candiriros em bronze, de mane-
ra <|ur tildse acha de urna solidez mais superior aos
.pie veeui da Europa e de todos os prrfos de lOf a
70/ rs. dourados, prateados e de todas as cores ; pde
os candleiros, lampadas e lustros vrlhoscmrsiado de no-
vos ,r lambem para servir ein para gai.
Tem um lindo sortimento de relogios de cima de mesa.
(! brome delirado e de varios feitios c de (joslo mullo
moderno por preco muito cummodo.
Ach.i-se fabricando um completo sortimrntn de uten-
silios de Igreja tildo om bronze domado e plateado ,
por prero to rio conta como se fussem de madrira ; o
quaet alo os seguales casileari. oruetAioa narctaa,
turibules lampadas e cableiiinlias para agoa lienta ,
ludo de brome domado pralrado c da maneira e co-
res que quirrem
Faz toda a qualidade de dourado c prateado cin nic-
Ul.
Compra lodaa qualidade de metal quebrado, por bons
prr^ns.
Dourae pr.itria todas as qualidadrs de ornamentos
militares em metal.
Concerta todo equalquer objecto de metal quebrado ;
r de hojr rm diaiitr acharao semjirr gas prompto c de
priiueira qualidade a 320 rs agarrafa
O fabricante aflanfa tudu quanto elle fabricar, e ar
resbons.ibilisa por todas as su.is oliras, aulill como
prouielte d'ora em viole apromptar todas as rucoiumen-
das com brevidade por se adiar j rrstabelccido de
mu laudr.
No dia 3 do correnlo mez de abril, sahbado de
Alleluia, furtaram do lardo, no Poco-da-l'anella, da
casa da residencia da viuva I), llerculana Ruarle do
Miranda lleniiqucs, um castical de prala que eslava
na sala sobro urna banquinna; tem do peso tres
(|iiarlas e ineia, e um palmo de altura; lie de feilio
moderno, lema baso quadrada, a qual descansa so
hro quatro pequeas bolas de prala, que Me servem
de ps, um dosquaes tem de menos. Roga-se, pois,
a pessoa que souher em que mito oxiste. ou quem o
forln, o favor de particularmente cominunira-lo a
dona; assim como a pessoa a quem for offerocido,
o favor de anprehende-lo a manda-lo entregar a mes-
oti uo Alerro da-Roa-Vis'a, em casa do Sr.
Compra-so, por commodo proco, o livro inti-
tulado Vanguervo, que diz rospeitn o direito civil e
ccclesiastico: na ra do Queimado, loja do fazen
das, u. 18.
Compram-se cdulas encarnadas do 20,000 rs.,
com descont ; assim como a Sagrada Escriptura,
rom as competentes notas e que osleja om bom es-
tado : na pracinha do l.ivramcnto, loja do 6 portas-
- Compram-se esrravas rom habilidades ou
mesmo sem ellas,quelenham boas figuras; assim
como moleqiiesalio anuos : na ra Nova, loja de
ferragens, n 16, se dir quem compra.
Compram-se 3 ou 4 prelos bous officiaes de ca-
lafate, c oulros tantos bons carpinteiros do ribeira,
sem vicios esadios : na ra da Cruz do Rccife, n.
54, primeiro andar.
Compram-so cscravos de ambos os sexos, com
hahilidadese oflleios, de 14 a 20 annos, para fra da
provincia, o pagam-se bem: na pracinha do Corpo-
Saulo, casa u 66.
\ cixlas.
Vende-so a colleccao da legislaco portiigueza
pelo desonibargador Delgado, desdo 1750 at 1820,
com supplomentocm seto vr.luincs lano em bro-
ebura como em rica oncadcrnaciln ; sttpplementos
avulsos mesma. Colleccao de 1750 a 176i ; liiges-
to portuguez, por Corroa Tollos om 4 volumes;
Tratado do testamento o manual do appellacAes, por
Gouveia Pinto; cranimalira franceza, por Constan-
cio; diccionario porttil da lingoa porlugueza, por
Fonseca : ludo por mdicos procos, na livraria da
rara da Independencia, ns. 6c8.
- Vende-se um hom sitio com urna excrllrnle ca-
sa de sobrado com bastantes coniuiodos para grande
familia, com 4 salas 13 quartiis inclusive 3 maiores
com j inril is 2 cozuihas una em baixu c outra em
lina bastantes alejadas com romos modernos-, e
litros diversos arraujns (pinto para fritar, senzalln
para prelos estnb.iiia para 3 cavados a lolga alem
de nina pequea casa vellia ipie pode servir para co-
cheira : o silio lie de una Pxtcnsao immeiiHa e coutiil
diversos arvoredos un pomar de larangrlrU rnxer-
tad.is com laranjas selectas e de embigo limdes docra
e Minas de emliigo que j produieill frilo, alin de
Milrus p^s j anligos que produzein laranjas milito do-
ces coipieiros, nlguus deilenzeiros cajdi iro, iiinii-
gurlras janibreiros, piloiubeiras. pltangueias, ubairi-
ii, assal'roeiras, jaipieiras, piulieiras, li-nenas goia-
beiras brancas liuilirnioi arafatrlros anauairiros ,
(liti-eors com baiva de capim plantado que sustentad
cavallos com un grande viveirn tubdtvidldo rm 3 ,
com bastante .terreno para diversas planlates como
os len inelcjes nirdobiiis macacheias lugar para
janllni e com algumas llores outro lugar para horta .
lodo cercado de limao com mu grande poco d'agoa de
beber a mais OUIroidaut pequeos, em chaos proprlos,
niiiito certo da capital por ser no principio da estrada
de Joo-de-itarros : a tratar no Mcsuio sillo a qual-
quer hora do da.
Medicina universa!.
I'ilulas vegetaes de James Motison.
A medicina vegetal universal he o resultado de 20 an-
nos de luvrtllgacoei do celebre James Morison. Por
meio destas pitillas coiiseguio sru aulor innmeras e
ad niraveis curas desde as all'ccces que atacaui as
eriaucat de prllo ati1 as molestias (lo onicas do ancio.
A Kuropa laudou asta remedio como remedio univer-
sal para ludas as duendas c ate hoj<; aluda nao foi des-
mentido tal titulo.
Eita medicina vem acompaiihada de urna receitaque
eusina c facilita a sua applicaciui Consiste rm tres pre-
paracdel a saber : duas qualidades de pilulas dislinc-
tas por Humeros, e um jxi: cada qual goza de modos c
acedes diversas.
As pillas ii. I sao apellinas; purgam sem alalo os
humores biliosos e vicusos, e os expulsan! com rllicacla.
na viuva, ou .... ion u .,-..-, ,s a. si. uo .-.r. As (|u ,.x ,Halll culll eSei |lulllre, igualinen-
Dr. Jos Eustaquio Gomes, ou linalmenle duanuuii- ,., ,,,a,ie irCa,o*luinioresaereaos, acres e punl-
car por qualquer dos Diarias, quo ser recompen-jdos. de queo anguese acha a miudo infectado ; pri-
sada.
I'erdeu-se uma carteira, no dia 3 do corrente,
contendo 60,000 rs. em cdulas, o varios papis de
importancia: quem achou, ou souher .leve no arma-
zem do Dowaley Raymond, ra do Trapiche, n. 44,
que generosamenle se gralilicur.
O arrematante das afericOes dos pesos o medi-
das desle municipio faz coito a quem iuteressar
qujio lempo da revisilo principou no primeiro do
corrente mez.
A pessoa quo ha mais de um mez cleixoii uns
penhores na cocheira do boceo da ra da Cadeia,
pertoiicenlcs a J. da C. It. lenha a bondade de os
vir tirar no prazo 'le 8 das ; do contrario soiilo ven-
didos para sen pagamento.
Joo da Confia Reis avisa aquellas pessoasque
tcem penhores em seu poder, hajam de vir rcsgala-
los no pi a/o de 8 dios: lindo oslo prazo, senlo ven-
didos para pagamento do principal e juros.
6 abaixo assignado avisa ao respeilavcl publi-
co que folio Antonio do llego deixou do ser seu cai-
xeiro do ra, desde o dia 6 do corren le.
In'Oim Jos Anlunes GuimarHes.
. l'ropde-se para caxeiio do qualquer eslabele-
cimento om horoem portuguez: quem delle precisar
dirija-se a ribeira da lloa-Vista, venda ns. 6 o 7 .
F. Fremont, aliador e concortador de pia-
no, avisa a seus freguezes quo, como esta para reti-
ra r-se, se acha prompto para conccrta-los cali-
na-Ios: quem quizer se ulilisar de seu preslimo pro-
cure-o na loia do Sr. Garnier rclojoeiro, na ra Nova,
a qualquer ora do dia.
O abaixo assignado, procurador de Jos de Mc-
deiros Tavares, por caria de ordena do mesmo, vende
um molcque, na ra eslreila do lio/ario, venda, n. I.
Antonio omingursde Almeida l'osta.
I'recisa-se de un moco portuguez quo cntenda
do loja do miudezas : na ra larga do Itozano, ll. 20,
se dir quem precisa.
. Itoga-sc ao Sr. Domingnsniheiro de Faria que
baja do concluir as contiis que tem com Luiz Jos
Ferreira, anles de se retirar para a cidade de Porto
Ihlo-se 80,000 rs. a prcmisobro penhores do ou-
ro ou prata: na ra do Caldcireiro, u.60.
Quom precisar de nina pela para cozinhar o to-
mar conta de uma casa de pouca familia procure na
ra da Moda, no lenle, n. 35.
coirem tudas as partes do corpo r s ccssaui de obrar
quando teeni cxpuNado todas as impurezas.
A lerceira preparaco consiste em nina limonada ve-
grtal sedativa: be apelativa, temperante caducante: wr-
na-sc ciu ciiiiiiiiiiiii com as pilulas c la. ilita-llies os me-
lliores i fl'citos.
A posisac social do Sr. Mnrison, a sua foiluna inde-
pendile iepi llein lodH a ideia de cb.u lalaiiisiuo ; e aa
admiraveis curas operadas com oseusystrma no col-
legiode saiidede Londres, sao mais que garantes da
cllicacia do seu remedio.
Hfcoiuiiicuda-sc esta medicina que nao pede nem
resguardo de lempo nem de pusicu da parle do durn-
le a lodos os que atacados de molestias julgadas lu-
curaveis se quizeiciiidcseugaiiar da sua vnlude.
Oxal que a liuinaiiiilade leclir os ouvidos aos intc-
ressados rin deaacreililar estes remeoios to simple! ,
(.ni com modos e Lio veidadeiios.
Vejolein-se siuenle i ni casa do nico c verdadeiro
agente J. O. Llsler na na da (.adeia-Velha n.29.
-- Vende-se maruielada o doce de geleia de varias
fi uclas : na ra estreita do llozario, venda, n. 1.
"unte Grund !
Vcndem-se melos-hilhotcsda lotera da matriz da
cidade da Victoria que corre inipreterivclmonlo no
dia 15 do corrente : na la do Gollegio loja, n. 1.
Vei
ofii|)ra.s.
Compra-se uma morada de casa terrea, em
Olinda : a tratar na mesma cidade, nos Quatro-Can-
tos.n. 18
Coinpram-sc efTcctivamente botijas o garra-
fas vasias : ua reslilar,an da ra de S.-Bita.
- Compra-se uma rola mestica deliamhurgo, sen-
do macho: na ra da Senzalla-Velha, n. 70, primei-
ro andar, ou annuncic.
- Compratn-sc duas casas terreas no bairro da
Boa-Vista, c em boas ras, que eslejam livros o des-
embarazadas: quem as tiver annuucie.
dem-se pcllcs de guaras, proxi-
maincrite cliegadas doMaranlio : na ra
da Cruz, n. 5q, primeiro andar.
Vendc-sc superior vinho do l'orto
tinto, em barra de oitavo, proprios para
casaaparticulares! na ra de apollo, ar-
mazem de Mcmlcs & Tnrrozo, n. 34>
Vendc-sc bom papel almaco francez, a 3,200 rs.
a resma; ricas fitas de setim lavradas; tesourasfi-
uissimas para costura; os muito procurados caive-
tes com cabo de pona de viado; as melhores nava-
Ihas que aqu ha presentemente venda; huidos
para abertura de carniza, cobertos do urna casqui-
nlia de ouro, pelos diminutos precos, do l.iOO, 800
e 640 rs.,os quaesnenhuina differenca fazem.na vis-
ta e duracilo, dos que os ourves vendem por 3,000 e
4,000 rs ; bonitas cartoiras para guardar charutos,
de difforentes precos; assim como u.uilas outras
miudezas de goslo e por procos rasoa veis : na anti-
ga ra dos (juai teis, lerceira loja de miudezas, do
Vicente Jos Gomes.
Vrndr-se, no primeiro andar do sobrado n. 3 da ra
do Atrrro-da-Koa-Vista, uma arroba de pruitiato de po-
lass i (.ynnnferruro Jt ioUu$ium).
Vrnde-se cal virgrm rm molas barrica* chrgada
iiltiiiiamrnlr ; calzas vasias para assucar ; urna porca
dr pesos de ferro, de duas arrobas ; seiras grandes para
srrrar inadcia ; ludo por preco commodo: na ra da
Moeda, aruiazein n. 17.
Vende-se, por precisSo,um molequinhocriou-
ln com idade de 7 annos: na ra de Apollo, na venda
n. 19.
Vonde-se, para o l." e 2.* anno postillas, Kant,
etc., em Olinda, loja do Si. Domingos.
i
l
A
i
i


M
A ESTRELLA DA NOITE,
Lindissinm valsa para piano : vende-se na ra da
Cadeia do Recite, loja de viuva Gardo/o Ayres & Fi-
liaos : preco, 500 ris.
Vrnde-se.na ra da Cruz, n. a3,
cera fin velan, de urna dnsmellio-
res lubricas do Rio-de-Janeiro
sortirnenio vontede do compra- U
e por
em oi- n
I
IB
M
P
dor. em en i xas pequeas ,
pre^o mais Imrato do que
ira quaiquer p.ute.
I
AVISO
aos Srs.deeii^enho
Na ra do Crespo, loja n.12,
de Jos Joaqun, da Silva
Haya, vendcin-sc
cobertores de algodflo, muito cncorpados, proprios
para cscravos ; bem como urna fazenda de linho a
jmitacflode estopa, forte e propria para roupa de
escravos e saceos para assucar; tudo por preco mui-
to barato.
-** -Vende-se urna canoa aberlaque pe
ga em mil tijolos de alvenaria ; urna dila
meiaaberln, pequea, ratificada de no-
vo ; nnta dila de conduzir agoa : tudo
por preco commodo : na ra da Senzal-
la-Mova n. 7.
modo do queom oulra quaiquer parle.; cal virgem
de Lisboa cm barris : na ra de Apollo armazeni
n. 18.
Vende-se urna morada de rasa de sobrado; urna
dita terrea no bairro de s.-Antonio : a tratar na
ra da Concordia, n. 3.
Loleria co Rio-de-Janero.
Vendem-se bilhotes e meios ditos da decima lote-
ra a beneficio do Monte-Pio: na ra da Cadeia ,
loja de cambio, n. 38 de Manoel Gomes.
Vende-se arroz banco superior: na ra do
Queimado, n. 4.
Vende-so urna porcSo de. feijflo-mulatinho,
tanto a rclalho como por atacado, poT preco com-
modo : na ra da Praia venda 11. 39. Na mesma
venda ha una carta viuda do Porto-Calvo, para o
Sr. J0.I0 liins Cabial.
Vcndem-se lindos moleques da 16 a 20 annos,
sendo alguns de nacflo ; 3 prelos do 2* a 30 ajinos ,
sendo iVi uesptimocanoeiro! 3 pretas de 20a
24 annos rom habilidades, tendo urna dellas bom
leite e una cria maar; urna pretil, por 200,000 rs.: na ra do
Collegio d. 3, segnndo andar, se dir quem vende.
>
(?'
>
*
->
>
>
a>
:>
->
.>
WJBR*
Excellenle rap.
Arha-sc aberto um novo deposito na ra la Crai,
n. 44, de superior np lano lino como grosso e melo-
grosso de Gasse da Baha e por inuilo couimudo prepo.
Acha-se a venda no dito deposito e brm assiin 110
bairro de Sanlo-Aiilonio as lojns dos ^rs. 1 Filippe
de Santiago .l(i,ii|iiini de Abren, Henrlques & Coni-
panhla ; Alenla e Campos Antonio Domingurs Fcr-
reira Joaquim Mnntriro da Crui & l.ompanliia ,
Manoi I .los da Costa Oliven n ( mleccira & Gllilnai fies;
bairro da Boa-Vista os Srs Antonio Ayres de Catiro i
Companhia Cartano Liijl Frrrcira ; bairro de S.-Jos ,
os Sr. Joo Jo*c Pinto de Oliven.(, Vicente Jos Ta-
varet.
Vende-se um pardo de 20 anns, com boa fi-
gura ; tambem se troca por urna escrava que lenl.a
principios de habilidades : no paleo da matriz ue
S.-A ultimo n. 4.
Vende-se um preto de bonita figura proprio
para todo o servico por preco muito commodo i lia
ra do Crespo, n. 12, a fallar com Jos Joaquim da
Silva Maya.
(asa da l'
nn ra estrelle do l'oznrio n. 6.
Nesta casa acha-sc a venda o resto das cautelas
da lotera a favor das obras da matriz da cidade da
Victoria, cujas rodas teram o seu infallivel andamen-
to no dia 15 do corrente mez, (quem ou nflo bilhe-
tes por vender.
--- Vendem-se bolina para me-
nino e homem, de todos os (ama-
nlios ; capacho* redondos e com-
pidos de crese blancos, para
ornar salas ; esleirs de Angola :
na na larga doKozario, n. 21.
Gaz.
Loja de Joao < hardon ,
* U'rru-da-ltoa-Visla, n.5.
Netta loja acha-teum rico sorliinento de I.AMPEOES
PARA GAZ com seut competen tes vldros accendedo-
ret e abafadores.
lisies candil-iros &> os ,,,,11,- e
inais modernos queexistem hoje : recoinmeiidam-se ao
publico, tanto pela segur inca e bom gusto de tua boa
confeceo como pela boa qualldadc da lu, economia e
aueio de seu servico.
i\a llieSIlia loja os consumidores sem-
pre acharan um deposito de GAZ de cujo se afanca a
qualldadc, e ein porcao batante para cunsumo.
Cintas de cobera, a 160 rs. o
covado.
Na primeira loja do Alcrro-da-Boa-Vistn, n. 10,
vendem-se chitas de caberla a meia pataca o co-
vado
Veodem-se escravos baratos na ra das
Larangeiras n. 14, segundo andar, sen-
do : um bonito proto de nacflo muito
forte e novo sm vicios nem achaques ;
um lindo pardo de 22 annos bom para
Pgem ; um preto canoeiro por 400,000 rs.; um
dito anda moco proprio para trabalhar em um si-
tio por 250.000 rs.; um dito muito forte e moco ,
por 350,000 r.; urna prela que ciitende muito do
ma!5 eun,BCa88 e 1ue 1,e m"il0 diligente, por
oo.ooors.; urna dita por 340,000 rs : duas ditas
m.!Cvu,'.i,or90O'000.r8 ; emai8 aluns escravos
que a vina dos compradores se mosltarflo.
Champanha.
.Jk^al'"** ?!S0'. com 12 garrafa, de vinho de cham-
panha, de qualldade multo auperior, em casa de J j
Tasso Jnior, ra rio Ainorini, n. 35.
WmJe-se petssa nova por preco mais com-
E ALEGRA!*
Temos a ^
satisfago *$
de annun- <
ciaraoma- -4g
damismo *
pernamhucano de gosto, que se acaba de re- *.
ceber de Paris a fazgnda denominada prazer <.
e alegra Paris he o heren das modas e 4;
onde o hom gosto est mais apurado : all -t;
a fazenda denominada prazere alegria tem <"
tidoe tem o maorapreco; todas as senhoras *
de apurado gosto encontram-se, qur nos
bailes qur nos passeios, vestidas de-- pra-
* zere alegria.
O madamismo pernambucano, pois, sempre
apreciador do helio cagradavel, epor conse-
gunle das modas do Paris, nflo pode deixar ^
de receher com muito prazer esta noticia,e he
na ra do Crespo, em casa de Antonio l.uiz
dos Santos & Companhia que so espera o
seu reconhecimento.
Muito pode no mu'ndo
A belleza a sympathia ,
Que sempre se conseguo
Com prazer e alegria
Vende-se urna excellento casa terrea com
commodos para urna grande familia sita nesta pia-
ca : no principio da ra Imperial, 11. 9.
C'ontinuam-se a veiuia, por precosassaz ra-
soaveis casaes de pombos muito grandes, hatedo-
res e bonitos, de urna laca expeliente. A elles, fre-
guezes, antes queso acabem. i\'a ra da Florentina,
n.16
Vende-se una preta de' nacflo sem vieioal-
gum de 23 annos que lava, engomma sofTVivel e
eozinha o diario do una casa : na pra^a da Indepen-
dencia n. 36
Vendem-se uvas moscaleis brancas emergu-
Ihos das mesinas, promptos para plantar : na 111a
do Itozario da lloa-Visla, n. 2.
Vendem-se tinas mulatinhas de 12 a 15 annos,
urna das quaes cose, faz rendas e bicos, ea oulra tem
principios de costura ; um escravo preto, do 25
annos, proprio para lodo servido; e urna negrinha
crioulade 15 anuos, para fra da trra. Na ra dos
Taiioeiros, n. 1.
Vende-se um cavallo rodado de muito bons an-
dares ebonila figura : na ra das Cruzes n. 11.
Na ra das Cruzes casa de pasto junto a pa-
llara do Sr. Farias, vendem-se sorveles de fruclas ,
a 160 rs. o calix, lodos os das depois das 6 horas da
tarde.
Vende-se a casa de pasto do becco do Abrcu ,
n. 20, no Itecife : a tralar na mesma rasa.
Vendem-se, na ra da Senzalla-Nova n. 40 ,
primeiro andar, capsulisde gelatina com balsamo
de cupahiha simples ; dilaseom dito e cubebas; di-
las com oleo de ligado de bacacalho; ditas comdi-
to dearraia.
Vende-se urna preta sadia que eozinha, cose e
lava, tanto de sabffo como de varrelln na ra da
Cadeia do Itecife loja n. 57, de Jos Mara Seve.
Vendem-se duas esclavas do 23 a 26 annos,
sendo urna parda e a mili a cabra muito' robustas o
sadias; um ptimo escravo croulo de 25 annos,
ptimo para embarcar porlpr passaporto tirado : na
ra tos Tanoeiros armazem de couros, n. I.
Vende-se um esciavo bom cozinhoiro ; 3 ditos
de 12 annos ; una negrinha de 12 anuos ; sola ; se-
bo cm barricas ; caixas de tartaruga : na ra da
Cruz, n. 26.
Vende-se urna escrava moca, da Costa que faz
todo o diario de urna casa de bonita figura sem
vicio nem achaques que lava desabito o he ptima
para quitandeira ; todas estas qualidades se podem
provar : o motivo da venda se dir ao comprador:
na ra de S.-Francisco 11. 66, segundo andar.
Vendem-se, poi preco commodo dous escra-
vos, sendo: um preto e urna preta, ambos sadios
e sem vicios : na ra da Alegria, n. 3.
Vende-se urna escrava ptima para o servi-
co de ra, por pieco commodo: as Cinco-Pontas,
11. 51.
Vendem-se oculos do arma^flo de grao, a 480,
640e 800 rs.: na ra do Crespo, loja de miudezas,
n. 11.
Vcndem-so 7 escravas, a saber: ume preta
que lava, eozinha, cose e engomma. casada com um
cabra hom serrador ; 2 prelos o tres pelas, ptimos
para o campo: todos estes escravos sao mogos e de
boas figuras : na ra do Queimado, n. 33, com fren-
te para o largo do Collegio
Vende-se um jogo do gamSo de marfim no-
vo", por preco commodo : na ra de Horlas, defron-
te do neceo de S.-Pedro, n. 20.
Venlem-se 8 escravos, sendo: 2 pretas cozi-
nbeiras ; duas dilas quilandeiras ; urna mulalinha
de 11 anuos; um casal de pelos, por preco commo-
do ; 2 pardos de bonitas figuras, de 18 a 20 anuos:,
n pateo da Matriz de S.-Anlonio, sobrado n. 4.
Vendem-se, no armazem de Fernando Jos
Uraguez, ao pedo arco da Conceicflo. harris com
toucinho de Santos, de suporlorqualiiade droga-
do prximamente.
--- Vendem-se dous canarios de imperio mui-
to bons cantadores ; do-sc a contento : tambem se
vende,ou iroca-se por oulro mais pequcuo, um ora-
torio ou sancturio grande, obra muito bem feiUo
de bom gosto feita de mogno polido, tro Porto : em
Fra-de-Portas, ra do Pilar, n. 145.
Vende-se, na livrjria da ra do Crespo, n. 11:
diccionario de Moraes da quarta edigflo por 16,000
rs,; dito de Constancio, por 12,000 rs. ;. Atlas do
geographia por Simencourt, novo, com 45 cartas,
por 10,000 rs.; dito com 9ditas, por 3,000 rs. ; me-
thodo do piano por 6,000 rs.; Philosophia p^or Ce-
ruzj por4,000rs.; Selecta latina, por 1,000 rs.;
ditas usadas, a 800 rs.; Eutropiu, per 1,000 rs.; F-
bulas de Fedro 800 rs. ; Gornelio, 1,000 rs. ; Sa-
lustio, 1,000 rs ; Horacio, 4,000 rs. ; ditos usados,
3,000 rs. ; grammatica franceza por Constancio,
1,280 rs. ; Ouvidio 1,000 rs.
Vendem-se gementes de liortalice
de Lisboa muito novas: na botica de
Jo3o Alo reir Marques.
Tendera se VELAS de cera1 do
Rio-de-Janeiro de Lisboa, grande e
completo sortimento : na ra da Senzal-
la-Nova armazem n. 110, de Alves
V atina
Vende-se urna poreflo desoa em pequeos
lotes .pnrprcQo commodo, por o dono se retirar
para fra da provincia : na ra dos Tanoeiros, ar-
mazem do Sr. Ilemcterio, o a tralar defronte do
mesmo armazem com Joo Manoel de Jess da
Molla.
Vende-se urna catraia muito veleira e segu-a
de borda propria para bordejar ou mesmo para
i pescara fra da barra : no tolheiro por detrs da
igreja de S.-Hita.
Vende-so, por preco commodo para liquida-
cio de cotilas o biltnir da.Camboa-do-Carmo que
ha pouco seacahou deapromptar, com botiquimde
bebidas e todos os pertences para sorvete cuja casa
lem muitoscommodos para casa de pasto, echa-
se toda rectificada e pintada do novo e paga o alu-
guel he do 8,000 rs. mensaes.
^Polassa da Russia,
pelo precyde 180rs. a libra, em barris pequeos:
na ra da Cruz n. 10, armazem de Kalkmann &
Rosenmund.
Vendem-se dous lindos moleques de naQffo,
de 16 a 17 anuos; 2 ditos mu elegantes, do 11 a 12
anuos; una negrinha de 12 annos ; 3 escr.avos para
lodo o servico; um bonito mulatinhode II annos ;
duas escravas com habilidades; duas dilas para lo-
do o servico, por 440,000 rs. ambas: na ra de
Agoas-Verdes, n. 46.
Vende-so um escravo de Angola de 24 annos ,
robusto sem defeito algum ptimo para todo o
sci vico : na ra dosQuarteis, n. 18, primeiro an-
dar, se dir quem vende.
Annuncio importante.
Na loja n. 4 da ra do Crespo, ao p do arco de S.-
preco : c para que os concorren tes tenhain disso urna
alfil (nativa e nao ConLradictoriasprovas, abaixo se deca.
rain os precos de algumas dellas, por n3o se poder fa'
aer de todas pelo limitado espaco de um annuncio"
sarja pretas largas de boa seda hespanhola a 2/ r,
o covado; dita estrella de multo superior qualldadc '
a 1^500 rs. ; dita eslreita lavrada de inulto superior
seda, a 1/800 rs. ; vestidos de seda do melhor gosto
blancos e de cores lavrados e achamalotadoi, a si
fs.o covado ; alpaca de lustro, da mais superior quai
dade a 1/440 rs. ; corles de collete de velludo da qUl.
dros e de llstras superior faienda a 5/000 rs. ; ditoi
de gorgtirao de seda lavrada a5/rs. ; dilos de gorgu.
rodelaae seda, a 1/000 rs. ; riquissimos cortes de
vestidos genovezel, com llstras de seda e que seos avi.
vado lavrores excedem no goslo, apparencia e brllhan-
tismo a propria seda ; ditos de cautbraia de corea de
lindos estampados, a 4/e5/000r. ditos de lansinha
do melhor gosto eiisteute no. mercado, e com primo'
roso lavrado.a 6/400 rs.; cortes de vi Iludo nrancp lana-
do, proprios para casamento (collete},a 10,0000 rs crtej
de collete de setlm de cAre's lavrada a 5^0e0 rs. (uvas
de pellica enfeiladai [ ditas sem dedos de lin '.h, .
nieias de seda para homem e srnhora pannos Unos de
cores preto cor de azeitonas axul, verde-escuro e
ec de rap : ha tambem um sortimento completo de
casimiras pretas, cor de azeitona, roxa amarella, aiu|-
rscurb e claro, e encarnado, que se tornan) recommen-
davels aos Srs. alfaiates para olas, libres assiin como
a encarnadas para as capas de 1natri7.es. Tambem arlia.
rao osSrs. armadores um sortimento completo de oblec."
los que llies competem, como sejwn : volantes, espgu.
lnas galet, rendas etc. Dio-ie amostras, soB 0
competente penhor.
, Vcndciu-se7 cscravos, sendo.: 5 pretas mocase
de bonitas llgurau, proprias para lodo o servico de caw
e entre ella nina com urna cria de 9 mrzes ; una par'
d de 18 anuos de muito linda figura e que cose e
rngomma soll'riveliiieiite ; um pardo da inesma idade
proprio para pdgein': lodos sem vicios nem achaques'
na ra da Cadeia de S.-Antonio n. 25.
=r Vepdeuirse inoenJas de ferro para engeuhoi de ai-
mear, para vapor, agoa c beslas, de diversos tainanhoi,
por preyo commodo, e igualmente laicas de ferro coads
e batido, de todos os tamaitos : na jirafa do Corpo-San-
to, o. II, em casa de Me. Cahnoiil Si Companhia, ou na
ra de Apollo, armazem, n. 6.
lisera vos Fgidos
Antonio de Ricardo J. de F. Ribeiro achfcrno os
concurrentes um bello sortimento do casimiras de
cores com muita elaslicidade e de gostos os mais
modernos, recebidas da afamada Paris ; assiin como
igualmente ha um sortimento completo da reconhe-
eida hoa fazenda pela sus consistencia denomina-
da pelle do dialitij'sendo o preco de cada corte
1,440 rs. ; adve lindo que seus padrOes nada fieam
restando a quaiquer outra fazenda de alto custo : ha
tambem um completo sortimento de fazondasdo to-
das as qualidades, que merecern a devida conside-
raeflo em scus apurados gostos como em seus moJi-
cos precos e entre estas merecom particular atten-
cAodas senhoras uns riscados chitados e chinezes,
de elegantissimospadrOeserealcadas cores de rosa,
azul, e cor de caf, adamascados a escoceza, a 280 rs.
o covado, proprios para veslidoe, e sendo suas
amostras francas aos pretendentcs.
Me desengaar que oantigo bara-
teiro nao conserva fazenda, lo-
go que Ihc eheiraa dnlieiro.
O antigo barateiro e?t torrando a troco de pouco
dmheiro, na sua nova loja de miudezas da ra do
Collegio, 11. 9, papel de peso inglez, de primeira
soi te, a 1,760 rs. a resma e meia dita a 880 rs. (ve-
nham, freguezes, antes que so acabe ); papel alma-
eo a 2,600 rs a resma ; dito de emhrulho proprio'
para fogueteiros, a 1,600 rs. ; cheguem ao novo
sortimento deagulhas irancezas pelo mesmo pre-
co do 280 rs. a caixinha ; luvas de pellica preta para
homem a 480 rs. o par ; dilas brancas a 800 rs. o
par; ditas de algodflo de cOres a 320 rs. o par; oh
que novo sortimento de carapmasdealgodAo de co-
les, pelo antigo preco de 160 rs. cada urna; che-
guem ao resto dos balainhos para meninos, a 120 rs.
cada um.que se estflo acabando ; lequesdo seda
para seuhora com enfeites dourados, a 2,000 rs.
ea a um ; finissimos caniveles do calvo de chifre
de viado de 1, 2, 3 o. 4 folhas ; charuteiras finas de
chanto a 500 rs. cada urna ; linha de carretel, a
320 rs. a duzia, branca c de c6rcs e scido par
cima de 50 duzias se tiara mais em cunta ; luvas de
seda decores, para meninas, a 200 rs. o par ; tor-
cidas para candieiro de todas as larguras a 100 rs.
aduza; navalhas para barha com loque de rerru-
gem a 320 rs cada estojo de 2 navalhas: cariei-
ras para algiheira, a 160 rs cada urna ; bico branco,
a 20 rs. a vara de dhTcrcntes padres ; trinchantes
de cuba branco sendo faca grande e gario com mo-
la a 800 rs. o trinchante ; as bem conhecidas peo-
nas de bico de jaiidaia a 200rs. acaixinha; taman-
cos para homem, p pequeo, e para meninos, a
160 e 280 rs. o par ; chegue a rapaziada as tesouras
e caivetes com loque de ferrugem a 160 e 240 rs.
cada una antes que deem fim : depois nflo bri-
guem com o barateiro.
Vendem-se meios hllhetes da loleria da cidade
ua Viciara, a 4,500 rs. : na ra do Cabug, loja de
miudezas, n 9.
Fugio, no dia 6 do corrente, um preto de no-
mo Manoel, de nacflo Massangana estatura regular,
rosto redondo com alguma suissa ; levou calcas de
linho cru e camisa de madapoln mas sempre traz
a camisa enrolada na cintura o chapeo do pal ha do
abas muito largas; he muito cachaceiro o depois
de lidiado costilma fazer desordens e rouhar o que
pode ; he muito ladino ; costuma a intitular-se for-
ro ; eslava alugado no Aterro-dos-Afogados quando
fugio e o fez na occasiflo de ir entregar una caria
que levou comsigo : quem o pegar, leve a ra da
Soledade n 32, que ser recompensado.
Desappareceu, no dia 7 do corrente "pulas
horas da tarde indo buscar um balde d'agoa o
preto Joo -, de nacflo Costa, j velho ; pouco falla,
nflo p,or ser novo mas por ser inulto bruto; levo
calcas e camisa brancas : quem o pegar leve a Can-
,*. 33, que ser recompensado.
Icirdock
Ao publico.
Coi
jinpaniiia com
fazendasao p do arco de
n.
loja de fa-
S. -An-
tonio n. 4
Os proprietarios desle novo raubriccimento leem a
suiiina satisfaiao de aununciar com preferencia as
senhoras eseuhores amaines da decencia e do sublime
goslo que leem successivainente sonido o seu estabe-
'eeiinento com hienda* linas Unto apropiadas ao
sanio lempo quaresmal como qnelles que, sendo de
gala reqiif-rcni mnis lirlllio, gallinrdezae louyalnlia, que
levando subida vanlagem no sublime gosto c superTo-
rid.iile 11a quahdade eui qiinesquer nutras que enenn-
trai se possuui cstao alm disso em prefercucia a
quaesquer oulra* por mais baixo e mdico que eja. seo
boa-da-Carmo
Fugio, no dia primeiro do corrente tima pre-
ta, do nome Josepba do 18 annos pouco mais ou
menas,com um signal no beicoinferior eoutrorio
superior, que foi de um cachorro que I he mordeu,
eflr bem pre'.a falla que parece de crioula, por ter
vindo pequea, baixao grossa docorpo: quem a pe-
gar leve ao largo do l.i vr.imenlo padaria n. 32, que
ser gratificado.
Fugio, n dia 21 do prximo passado, um
preto do nomo Domingos l'anza com os signaes
seguintes : alto, muito 'pachol, traz sempre o ca-
bello ponteado bonitos denles ; tem urna cicatriz
no beico as costas picadas de chicote ; j foi sur-
rado : quem o pegar leve a ra de Apollo armazem
de assucar, n. 22, quesera recompensado
Ainda est fgida a escrava Florencia de esta-
tura alta, corpo regular edr acabralhada cabel-
los mesmo da cor quehequasi negra, atesta e oj
cantos della grandes olhos grandes empapuja-
dos, nariz grosso bocea grande, beicos grossos;
tem um denlo tiradodo lado superior; leve bechiga
ha pouco lempo, eanda ha de ter marcas fres-
cas, principalmente pelas costas; falla um tanto
descansada; levou varios vestidos: um de ganga azul,
outrn do riscado amarello achamalotado, j desbo-
t,do oylro de cassa pintada de verde e de qadroi
brancos com um habadinbo om pafo outro de ris-
cado rxo, com urna -lislra amarella larga e outrt
eslreita verde por cima da rxa, fazenda do quadrns,
panno da Costa com franja do mesmo um lencol
do algodflozinho, grande de cmbaiuhado largo, urna
toalha do mesmo trancado, com franja do mesmo,
quolevou feitotrouxa; levou mais duas tesouras,
urna grande o outra pequea ama faca pequenada
mesa de cabo de marfim e as orclbas urnas cor-
nalindas branens, encastoadas c que j ha de
ter vendido sapatos de panno de quadros ; tem os
ul grandes, Ella j he fujona antiga ; foi escrava do
Sr. Francisco de Barios, senbor doengenhode Saa-
h .emSeiiiihflem ; j veio fgida de l para c,
passando por forra, e ha mais de 2 me/es esleve na
cadeia, presa pelas autoridades do Itecife, e foi
entregue aoSr.Manoel Goncnlvesda Silva, por ser
correspondente do dito ST. de engenho. (juom a
vendeu foi oSr. Manoel Joaquim l-ascoal Hamos. Ro-
ga-so a todas as autoridades, capilfles de campo,
ou outra quaiquer pessoa de apprcbeiule.-la e leva-la
a ra estrella do Itozario sobrado da esquina da ra
das Larangeiras segundo andar, que so recompen-
sado.
Desappareceu, 110 dia 16 do prxima passado ,
da casa da ra da Praiade-S.-Riln, 11. 3, a negrinha
Maria Jacintha orioula, com os signaes seguintes:
de 12 a 13 anuos magra cor bem preta denles
mui alvose bons, baixinha, muito viva nenhuma
cicatriz tero, ou lesOes o somonte sobre o pcilo cs-
querdo descobre-se-lheuma pequea mancha negra
que sobresali a pelle; levou eamisadenlgodtozilm
e vestido usado de chila ordinaria com lislrase ra-
magensazuese brancas. I'resume-se que nflo tenlia
sabido desta cidade e mesmo he provavel que le-
nha sido seduzlda por.alguem que a retenha om ca-
sa. Roga-se as autoridades policiaes, ou outra quai-
quer pessoa de se preslarem a sua apprelinnsf! di-
gindo-sea referida casa, a entrega-la a seu senhor,
Joflo Francisco Duarte, que gratificar.
Fugio, no dia 8 do corrente a preta Joaquina,
de nacflo Mozambique de 24 anuos alta, socca, fu-
la, rosto redondo, olhos pequeos beicos grossos,
ps pequeos ecinzetitos; tem pelas costas signaes
de reinadas ; levou vestido Branco camisa de al-
godfloziuhoc panno da Costa azul: quem a pegar
leve a ra da Madre-de-Dcus, n. 34.
MR. : KA TTP. DEM, F. DB FAIUA. I&47