Diario de Pernambuco

ila, no leu ukaiede 26 de maio de 1842, promulgado
em virtude deise compromiso, mandt punir nica-
mente o traego de etcrtvot negros I Ordentmot
(ditpoi elle), que destt datt em ditnle teja punido com
as penas preicnpttt por notsat lei* contra a piratera to-
do e qualquer individuo, que se der directa, ou indi-
rectamente to trafego de negros, ou para ifio de qual-
quer modo cooperar (13).
Etttt provn btittriio para firmar nossa opiniio, ou-
tras, porem, anda temot para reforct-l*. Ao pliso que
(io tmiga da bumanidade le nos deienhi 1 Inglaterra,
ao patso que parece tuda volar-te contra a eteravidio,
seui proprioi barcos de guerra ctrregio etcrtvot de udi
ptrt outroi portoi! I ... 0 ntvio de guerra ingle Pro-
metheut, commandante Sparki, trantportou, em 1843,
de Alejandra a Gibralttr, de 12 a2letcrtvos. O pa-
uele inglex Corrio-lnglet, de que era commanlante
Mtlbeus Alltlya, conduzo no meimo anno eitei etera-
vot de Gibralttr Ttnger (14).
Seumeteravo do subdito brtiileiro, ou deilinido k
cultura e amtnho dtt torras da America aportttse 1 Gi-
brtlltr, o que teria feito do navio, que o traniporttise *
(15). Annutlmenle, porm, centena de eacrtvoi por
ahi traotitio, vio caminho do Mediterrneo. "> ""
pmbit dos Mouros e Ar.l~. "> iho,ei, qu^.odio
... .uu puiegnnacdes pera Macea, ebecoilume 101-
frerem quarentena nos portos britanniooi. Uundreds
of slavts aitcarritd tkrough lhe fedittrranean in thii
way annuay (16).
Dentro meimo de Gibrtltar, 01 Mouroi vivem com
leui oscravoi, e. quando Ibetaprai, os miodlo ven-
der em Tnger Em 1843, um desle escnvoi foi lio
maltratado e cattigado por leu lenhor, que, para em-
barcarte pera Tnger, foi t brtcoi (17).
(12) Martens Guia Diplomtica.
(13) Citadoipapeitparlamenlareidel842CI111.C.
(14) Veja-ie a repretentacio de Mr. John Scoble ,
tecretario da Brilitb tndforeign inti-tlivery tociety, de
15 de Janeiro de 1844, e ot documento! i ellt iDoexos,
queveem intertoi noAnli ilavery Reprter de 24 de
laneiro do meimo anno. .
(15) Como tuccodeo com o ntvio ioglex Winctck,
que, te dirigindo pira a Babia, tocou em Gibraltar.Ten-
do de pa itgem nelle vindo 2 negrot e uma parda, que
pin Vienna tinbt comiigo lovado John Ntlter, foi le-
quettra.lo e apprehendido, nio obitante os doui pri-
meiro* etUrem livre, conforme ti lei* de Auitria, e a
ullimt perlencer 1 um subdito do Pir, que poreoa-
prettimo linbe ido com o meimo Natter, como ama de
leite de um filho deite Papeii parlamenlire* de 1842
Clan C.
(16) Vejie-te oidoeumentot referidoi oa nota 14.
(17) dem. _______________
dMM o soiihores da corte que ilo ao encontr do cor-
Em brove apparecoo na altura daabbadia deSanto-
AntJo, um grupo de cavnlleiroa veatidoa de enoarnado a
nmnrellu, com gorroa c capotea forrado! de pellea, que
iranio na mi eapadas largas e curvas como a cimi-
tarra turen.
Os ..fliciaca marchavio us flaacm daalinhat.
Ano cite grupo aeguia-ae nutro venido oom um lino
tcirnmenle oriental. Preceda ello uaembniedure,
que om numero de quatro reureieuUivio magnificaiumi-
M o mata mythologion doi reino* oavalleiroio* du ae-
Vm deatei embaitadorea era o biapo de Craoovia.
Trajava elle roupns meio pontifteita roeio guerrc.rM,
maa dealumbradoraa d'uoru e pedraria. O aeu cav.no
branco de ionga. fiuclu.i.le. oliuaa o |13,so a.agtoi
pareca deitar fugo peto, venta*I uioguem dina uuo o
mbre animal tinha c.n.inb.do em men. '"
mai. do qua.rocent.. lego., por caminho. que o maa
tempn havia turnado quaai inlran.ilavon. .
Vinhaiui.10 aubi.po p.tol.no L*.oo poderoao B-
dalgo, tto appn.xi.nadu d or*a. q- ""' "1u.-
ta e o oraulbu de um re.
Segu. .... d.." e.ub.is-d..re. pr.nc.p.e. aoumpanha-
do. le outr... d..u. p.l.tii.u. de .lio n.ac.mento, um.
qoantid.de de Sra. polaco., oujo. c.v.Uu. arreado* de
teda oun. e pedraria., exoiUvio a eatrondoaa appruva-
., io poto. Com effrito, ua oavaileiro frnoetea, ape-
lar da riqoasa que oatei.Uvlo, erio completamente of-
fuieado* palo, reoeis-chegade* qun daadenbo.o. ch*-
niavt brbaro*.
At 1. ultimo momento, havia Calherin* eaper.do que
n recepeto fieaa.e ainda demorada, e que a decitlo do
rei cedera k ua fraque que continuava. Ma quando
I




fc

Aim, poii, debaiio da protecclo da propria bandei-
ra brilaonict, e em naviot de guerra inglezes, escravot
e trintporllo .' Noa proprioi dominios britannicos da
r-urop escrsros existem !
A Inglaterra, pois, parece e mosln, que a encara e
repula contrario aoa principio! da bumtnidade e da
moral unieraal o trafago dos escravoi da coala da Mina,
que ao elle be aviltanle, que a elle alTlige a bumtnida-
de .' r, anda asiim nrni K ,i,t ,i.. .. ..:.._._
tu
' aioda asiim proras ha dado de que unicauen-
moleata e apoquenta eise trafago de escravos da
frica, quando bo feito para algutn paii, ou colonia
Ja America Mais de urna prova clara e eihuberante
(lino noa oflerece o aeu procedimento. Enes escravos
iraiidoida Alejandra para Tnger,embarcos de guer-
ra briBaieoi. erio Africanos t (18). Aos mercados do
'gypt". aoa da Persia, aos de Mscate, aoa da Tur-
qu.a Arbica (19), aoa de Cooslaotinopla, Oran, liooa,
Argel, Loanda e a muitosoutros portos da Alrlca a da
Azia, sio conducidos e cxpostos I venda os naturaes da
Arica, e com isto pouco ae Ibe d o goveroo brilanni-
co, nloyonhio para o Brasil, ou to para Cuba, ou
Porto-Rico, no que empenba-ae com todas as suas
'oreas, o mais ludo Ibe be iodiffeieote os seua pro-
pnos navios de guerra os carregarid ; a soa bumanida-
de msto assenta!!
Segundo eitelim. no tratado celebrado por ella com
o Sultio, ou Imamo de Mscate, tmente piobibicio foi
ioita, tmente (oi declarado illicito o acto de vende-
rom ve etcravoi para otpaizea chriitioi, aoa navios ara-
bas ficou hvre transporta-loa para ondo Ibes aprouvei-
se, menos para aa nac,e, christaa potitiviby prohi-
biling i he sale lo any christian nalion.E a'e'iprei-
lio do tratado.
0de Portugal foi no mesmo sentido feito ; por el-
le, hvre fica o commercio de escravos da costa da Mi-
i por Ierra em todos os dominios portugueses
foi nicamente julgado punivel o feito poi
da frica
marI !.,
He, por tanto, no entender da Inglaterra, tmente
nlame, inhumano e punivel o trafego deeicravos oilo
a bem da cultura daa Ierras dos pairea da America.'!.....
E como crer na philanlbropia da Inglaterra?......
Em ludo no deicobre-se um grande intereue mercan-
_^_^_ (Do Brtil.)
DIARIO !)E PIRMIBUCU.
Tres commissSes, urna noste bairro de Santo-An-
tonio, composta doiSn.Joi dos Santos Neve, Fran-
cisco Joaquim Cardozo.edoulor Francisco Carlut Dran-
dio, oulra no de S.^Frei-Pedro-Goncilvet, dos Srs.
Gaudmo Agostinbo de Barros, Jos Antonio Basto, e
Ziilz, e oulra no da Boa-Vala, dos Srs. Jlo Fran-
cisco do Chaby, Manoel do Naacimento da Coala Mon-1 estes soccorros to iusuflicientes,' tanto porque alo. "di-
leiro. e doulor Jeronymo Martiniano Figueira de Mel- '--------
em de cnacCea de gados, unieo ramo de industria, que
em grande eseala he all explorado. No aoooe regula-
ba a provincia nada em abundancia ; numerosaa mana-
das de gsdos cobrem suas campias, e o terreno lertil
relnbueaod.ligenlelavradorpingueeoIbeiU; mas, quan-
do na etttclo compleme oa co recutlo Ierra as ebu-
Mioreadraa.aesterilidadefere de morte seus abraza-
dos campos, a agricultura definha, e deaapparece : o pai-
to olo cretce, ai fontei seccSo, eatnoriioba de gados
lorna-ae geni; e logo a lome, consequencia necessaria
da secca, se fai sentir com todos oa seus horrores.
O (Jeera tero sido aubjeilo a esta triste alternativa, o
por vete* lem visto retrogradar sua riquesa e populacio
Osannosdel792el828 sao fimoso na historia dai
calamidadea daquella provincia ; porm oa horrores,
que a aecca actual lem feito loflrer, eslo cima de todo
quinto at hoje tem Qagellado o Ceari.
O invern do anoo atrasado foi lio meaquinho, que
apenas segurou pasto para oa gadoa, e o do aooo patu-
do nem isso fes. Nomeiado do anno ji muitas ribeiras
ettavSo arrasadas, proprielarios, que cbiqueiravio du-
senlos a mil beierrof, virio-te redusidos os apuros da
miseria. Os lugares centraos tornrio-se incommonict-
veu, de sorle que impossivel ficou o traotporto de la-
ncha da capital, e d'outroa pontos, que a recebiio de
fra, para o centro da provincia. Alguma, portento,
quo apparecia no centro, aubio i um prego eicessiva
mente extraordinario : at por oiieota palaeaa a quarta
tem aido vendida no Ico. Neste estado deaesperado aa
familias, que anda tinbio alguna escravos, o allaias de
ooro.nerifieavSo caaes obeeta -. .-r.__-..-:
mentoa; outraa, que nem isso tinbio, laocavio-ie os
mallos par arrancarem raixes de paos silvestres, cojos
sucos nutrientes mal preparados envenenio os misera-
veis, que, esperando nellea malar a fome, encootro urna
morte certa, maia ou manos lenta.
Carnaubaa, macaubaa, mucuniaa, gravataes, maeam
birai, e oulras plaotis, i que o povo recorreo, ji se
nio enconlrio noa mallos da provincia. Na falta deale
desgrasado alimento, tnuitaa veies mortfero, os mise
raveisou leem emigrado para os pontos de beira-mar,
ou succumludo i fome. O delegado da eidade do Ico
participa, que oa presos da cadeia leem morrido a fome;
cartas daquella eidade sflirmio, que diariamente se en-
lerrio tres o quatro victimas da fome. No caminbo do
Ico para o Aracaty, ttem-ie encontradocasaa com toda
familia inorta.
dadeiro delinquentes passeito de eolo erguido e trajSo
"Vestes de autoridade : se, por detgrica de Pernambuco,
sou condemnado a ver todas as lasas infringidas, coman-
lo que d'etta infracejo resulte a perseguido, que os
meus despreziveis inimigos me jurro ;' ao menoa se-
ja-me licito nio commetter a cobarda de lr em silen-
cio i mentiras publicadas por esses vis sern dar-lhea
resposlas, qcta merecem, porquedetta maneira nio po-
dero juntar o escarneo i oppreaslo.
O pasquim-mr deata provincia, quero diier, o Dia-
rio-novo do 7 do correte, publicou um officio do de-
legado supplenle Jos Januario Soares Ferreira, dirigi-
do ao chefe da polica, em que, dando conta da decan-
tada diligencia feila em meo engenbo, dit que foi
cumprida com exactidio a prudencia a ordem do mes-
mo chefe da polica, e que foro recolhidas cadeia a-
Suellss escravas, que eu deelarei nio wrem miabas!
areee, Srs. Redactores, levar a impudencia ao mais
elevado grio para mentir-se olicialmente com tanta pre
senca de espirito Ji fiz ver ao publico em urna oulra
corretpondencia a prudencia, com que foi executada es
sa /acanha policial, e al cilei os nomes das pessoaa,
que a presencirio, e anda meociooarei oaSrs. Lou-
renco Filgueiras Ribas, Manoel Gomes de Araujo, Jo-
s de Hollsnda Cavalcanli, eJoo de Carvalho Siquei-
ra, que se acbavio neasa occasiio em minha caaa. To-
dos estes senbores (estamunhirio o deioomodimento,
com que o instrumento policial so porlou para con-
migo eminba familia : todos presencirio, que, apezar
de reiteradaa reclamacdea, nio pode obler, que ao me-
diier agora o roeodacioso delegado supplenle, que l-
mente lorio recolhidas i eadeia aquellas escravas, que
eu nio declirei aerem minhaa ? Se ellas me nio perten-
cilo, como depoi de dore di me Torio restituid pe-
la polica, que muito lolgaria em contestar-me a pro-
priedade, para d'abi tirar argumento contrae minha re
putacio ? Ainda mesmo j dentro da villa nio reclamei
por tantas vetes T Na porta do juix dedireito interino
(Molla) nao reiterei meus pedidos ao delegado ecabo
dapalrulba (lieltrio), concedendo eate ficar urna mu-
camba com meus filbot na casa do mesmo juiz dedi-
reito, como em deposito, por baver aquelle ceoaurado
lio atroz procedimento ? E como agora se diz oIBcial-
menle, que forio altendidas as minhn leclamacdet ?
ridade e philanthrophia do Sr. Nunei Machado, .
lio chefe de polica o inspector do theatro, pode mi~
producir quanlia de 1:800,000, que forio remKj'
dos a provincia do Par), dirigio-ae no da 17 do cor~
rente fevereiroa urna lllm aociedade dramtica etlrj."
geira, solicilando-a para dar alguma represenlaeaoem
beneficio daquelles inlelizea, que eitlomorrendn i f0.
me, diodo o abaixo mignado gratuitamente o theatro'
aeenario e veatuario, e quanto esteja a sen alcance'
Esla illustre sociedade ji fe a sua primeira convoca.
(lo para deliberarem. O abaixo asiignado fax o m,~
mo convite e oderecimeoto Ilustre aociedade draot
tica doSrs. acadmicos de Olind, e a quaesquer ou-
traa aociedadea dramticas, que nio tenbio casa proprii
para aa auasrepretenlacCei, ou que, lando-, leqmj.
rio uliliiar desle thestro pira ler mais lucrativo o pro'
ducto das recitas ; nem ae julgue este insignificante l
vista do ollielo abaixo transcripto. Julgar-se-h mu'itn
feliz em poder por eate modo er til aoa notaos ir-
mi brasileiro O empresario do tbeatro
Francisco de Fretlai Gamo,
as medida leu alcance para salvar o povo, leem mor
rido muitas victimas; e no dia 2 do correte-ae enter-
rarlo onze pessoaa. O preaidente da provincia, na im-
pottibilidade de enviar outroa soccorros para o centro,
lem mandado distribuir algum dinbeiro, e nos pontos
de beira-mar alguma farinha pelos miseraveis
mas
lo, acbio-se encarregadas de abrir, em favor dos per-
scRuidos pela secca, que, ba maia de um anno nosop-
pnme-, urna subteripcio, cujo producto deve-se ir de-
positando em poder docaixa da asiociaciocommerciil.
Chegado esse produelo a urna sommi, se oio contide-
ravcl, ao menoa avultada, e capaz do ser applicada com
proveito ao nobre fim, a que se destina, resolver a mei-
" associacao aobre o melbor meio de empregi-lo.
LWjjreso.uvuo, H......oci,Su ton)ou ng |(ja reuoj.o
de 19 do correte, parece-nos aceu.j., .); A tef
secundada peloa habitantes deata eidade, a quem, por
la occasiio, nio podemos deixarde observar, que, el-
los quo j por (antas vezes leem dado provea de urna
piedado verdaderamente christia, nio devem perder es-
te entejo de desenvolver ainda irais esla virlude. urna
da mais bellas e mais capazes de elernitar o nomedos
que a praticio.
Nao era certa mente a polica de Po-d'Alho, que dea-
perdicaria urna lio bella occaaiio para exercer iuii vin-
lal, o governo lem alias tomado todas gancas e denegrir miaba honra aoi olboi de todos I O
que parece mais provavel he, que a polica quiz fazer
d'etta diligeoeia um meio de ganbar dinneiro, porque
me nio quiz entregar logo as minhaa escravas, setn que
eu diste outraa tantas justificacdes; entretanto que, se-
ment depois de doze das, e quando adquiri o desen-
gao, de que eu nio cumpria os seus desejos, m'ss man-
dou entregar independenle d'essas mesmas juslifiesedes;
e nem etlt supposicio be destituida de fundamento,
quando ai custu do processo, que contra mim forgicou,
e as da fianca importirio em 109 ra. Portento,
opprimlo-rne como quiterem, conculquen] as leis em
meu prejuio calumniem-me embora, inventem Cri-
mea, ludo aupporlarei; porm nioqueirio tudo itto
unir revoltanle mentiras e manchar aa corresponden-
cia oflieiaea de flagrantes inexaclea (cando cerloa
do que nio cessarei de protestar contra temelhanles in-
Coumiunicudu.
O ESTADO FAMINTO Do CKAIl \'.
Sabendo, quo a i Ilustre atsociacao commercial desta
pr{a ouvira benignamente o patritico convite, que o
Sr. Dr. Figueira fez em nome da humanidade i prol dos
detgrcdo Ccarenses. e que se prope allivisr a sorte
daquellea inclises, julgo do meu dever dr, como tci-
temunba presencial, urna informaco mais minuciosa
do estado miserando actual da provincia; para que o pu-
blico deata eidade fique melbor inteirado, e os Ilustres
promotores da subscripcio certos dos soccorros, que tal-
vez mni aproveitem.
A provincia do Cear, naturalmente terca, como be
abido, aobre um immenso terreno alimenta urna popu-
Jacio de 250,000 habitantes, que pela maior parte vi-
(18; dem.
(19) O mesnos papis parlamentares de 1841 e
1842 Clase. D.
minutos, como pelo extraordinario numero de misera-
veis, que lodosos dias ebegio a eidade. No dia 6 de
fevereiro contro-te seis mil e tantas pessoas, que rc-
cebrlo racio de farinha. As ras e pracae do Cear es-
lio apinboadas de esqueletos ambulante cobertoa de
andrajo, mendigando pelas portas.
Muitas familias abastadas do centro, quo alenlao
haviio resistido a secc na esperanca de ebuvas, loeru-
se retirado ltimamente pe para oCear e Aracaty.
O juiz dedireito do Ico, o duulor Graca.reliravase. netle
estado.de sua comarca para o Aracaty comsua numerosa
lamina. O Sr Vascoocelloa, presidente do Cear, lem
envidado lodos os seus esforcos para salvar o povo do
Cear; mas, sem meios, e nem aulorisacao especial pa-
ra isso, (em apenas lancado mo, sob sua retponiabili-
dade, de algum dinbeiro pouco do thetouro. e tacado
para esla provincia, onde, segundo me consta, suas let-
Iras nio leem sido recebidaa.
Portanto.aea caridade dos particulares nio cbegai
boje em auxilio dos desgracadoa Cearenses.ao menos das
miseraveia lamilias, que leem corrido para a capital,
Aracaty.Mendanha.GranjaeAcarac.portoe omitimos,
leremos de ver realitada a terrrivel propbecia de um
estadista do Bratil, que ditte, que, um dia, o eslrsngeiro
passando pelo Ceari diraall foi a provincia do Coa-
ri .ODeotde misericordia nio permittir, que te
rcahse lio Iremcndo juio. Na (alia doi loeoorroi p-
blicos, que debalje a lei fundamental garante, tuppra
a gencrosidado doi Pernambucanot; aalvem elles essa
portiodeieus irmios; adquiri novoi ttulos i grsli-
dio e estima, e desde j o sgraderimento de um
Cearenie.
SOCIEDADE BBNENCENTB.
lllm. Sr. Como Ibeaoureiro nomeado pe|0
lllm. e Exm. pretidente di provinoia, da tociedide
Benificenle', para receber o producto dot. tres beog.
tiriot, lio generosamente oflerecidoi pelo actual ei-
pivmi u tueairo, Francisco de Finito, Gtuiboa |\j,
que fez su cut todat as despet) beneficio ai
infelite Paraenset, tenho agora muito praier em en-
viar a V S. a nnantia de um cnntn irentn .;._
coenti mil noveceotoi e noventa rs. como notado k>
t deite, cuja quaotia reeebi do lllm. Sr. Joaquia
Nunes Machado, encarregado de promover o bom re-
tul lado daquellea beneficios sendo' informado palo
mesmo Sr., que aioda ba algumaa quantia i recabar
aa quaet, logo que forem recebida, me torio entre-
gue! e por mim i V. S. ,- quem Deo guarde por mui-
to tono.Recife, 7 de Janeiro de 1836. lllm. Sr.
Domingo Aflooso Nery Ferreira, ibeaoureiro d ao-
ciedade Beneficile./.ii Gome Ferreira.
ola.
Prata960r. ....... Ri 911.926
50 por /, de premio.....a 451,964
p,pel......... 283,000
Cobre......... loo
1:650,990
Correspondencias.
Dignem te ainda,, Srs. Redactores, de dar lugar em
aua folha esta correspondencia deseu elo. Jerony-
mo de Albuquerque Mello.
Po-d'Alho, 17 de fevereiro de 1846.
Sre. Redactarte. Parece qne a partida do Sr. No-
ronha para os Ettadoi-Unidoi nio le verifican, sem
que tenhamos o gosto de ouvlr ainda ama ou mais ve-
les a sua encantadora rebeca. Temoi quaii a certeza,
que antes de dexar Pernambuco este insigne artil-
la noa dar maii um, ou doui concert ; mu, oeste
caso, acirisellisremos io Sr. Noroobi, de fizer-ie ou-
vir no theatro publico, que, com quanto soja pequeo,
e oflerece menos commodidade do que o hotel Fran-
cisco fica mais central; e umi grande parte da nos-
ta popularlo nio deixa de preterir, para um diver-
limento detta ordem o tbeatro a um tillo. Tomamos
iberdadedelazeresta observaeao ao Sr. Noronba ,
por nos persuadirmos, que elle pode all tirar maia vin-
tagem; e pedimot-lbe, nio detpreze ot conielhot de
Um que labe admirar o eu mrito.
Publicacao a pedido.
COMMERCIO.
Alfandega.
Rehdiiibhto do da 20................3:646jl29
Deiearrega hoje 21.
Polaca urda Concordia mercadorias.
Consulado.
RENDIMENTO DO DIA 20.
1............................. 4:597|224
.............. 1:960*021
Provincial...,,
Divert provincias

200*718
6:757*963
lio*inenlo do Porto.
ebegou o dia, ijuando ella vio Citrina, paludo como um
capectro, revenir o esplendido maulo real, emenden
iinp era forense ceder era apparennia eaaa vonlade de
ferro, e oomecou a acreditar que o maia seguro partido
para Heorique d'Anjuu era o magnifico exilio a que era
uondeiunfldu.
Carina, afora aa poueaa palavraa que pronunciara,
qiiandn tornara a abrir oaolhoe no momento ero que aua
ini aahia du gabinete, niu fallara maia a Colherina do
de a serna que produiira a criae, a que eativera a poni
de auccuiubir. Todos no Louvre aabiio quo linlia havi-
do tima aliercacdu lerrivel entre elles, mas ignuravSo a
canaa dola, e oa niaiaarTutitna Ireimau ciu presenca dei-
sa ir i ca e dease silencio, como ireiuem oapaasaro ao
entirem n calma araeacadora que preceda a tempea-
tade.
Kiiireiaiii ludo ao itaviu preparatlu no Louvre, nio
para uam teiti, he verdade, maa como para algom.i l-
gubre ceremonia. A obediencia geni era triste ou paa-
iva. Sabia-ae qne Calheriua liovia tremido, e trcn.iio
todoa.
A grande sala de recepelo do paco havia aido prepa-
rada, ecoruoeaaaaaeasoea erlo ordinariamente publicas,
haviao as guardaa e aentinellaa revebido ordem de deixar
entrar com os embaixadorca, todo qutioto doa populares
pode.kcni oonter, aalaa e aposentos.
Pars nfferecia o aspecto que a grande eidade aempre
aprsenla em idnticas oireumatanciaa ; iato he, de an-
ua e eurioaidade. Coiiiludn quera Imuvease bem oonsi-
derade neaae dia a populaoio da capital, leria recunlie-
culo, entre oa grupos tle.scs bonradoa e sinceros bur-
gueses boqui nbertos.boa porcao de humena envolloseni
Sri. Itedaclorts. Se, pelo desgoveroo, que actual
mente nos opprime, sou (oreado a ofTrer a orte dos cri-
minlo, jtxendo em urna pnsio, ao pasto que ot ver-
eiio esaea homent muito uceupadoa do cortejo, ae-
guiio-o primeiroa, o como que recebiio aa auaa ordena
de um vencrave! anciSo, cujea olhoa r.egroa e vivoa,
apexar da barba e aobr'olboa ja gritalhoa, revela vi a
actividade do verdor doa enoos, Cuuieffeiio, esse vellio,
ou fuste |ior acua proprioa meros, ou ajudado peloa ea-
hirfoa de acua cmupaulicirue, conseguio introdutir-se
no Louvre .lu, primeiroa, cgicns a condeaocndeooia du
cummandantn doa Suitaoa, digno huguenute, muito
pouco oalhtilico nko balante a aua convelan, acliou
uieiu de cullocar-se por tra duaenibaixadorea, era fren-
te juslamente de Mnrgarida, ede Heurique de Navarra,
que prevenidu por La Mole de que de Muuy devia, sob
qiialqiirr diifarce, aiaiatir a audiencia, laen va oa olhua
para todua oa ladoa.
Em liiii encotitrrio-ae as auaa vistas com aa d.i ve-
Mi e o nio ieiinrau uiais: um aignal de de M.,uy aca-
bara com aa dnvidaa do rei de Navarra por quanto (lo
bem ditf.irciidn eslava elle que o propriu Honrique du vi-
dera ao era caae linuiem da barba branca aqpelle mesmo
intrpido chefe doa huguenotea, quo a cinco ou aeia diaa
to Talento defesa havia feito.
Una pnlavra de llenriquo, dita ao ouvido de&largari-
da, ti ni ti aa viataa da rumba aobre de Uouy. Depois seus
bellos olhoa percorrrio luda a aala : proeuravSo a La
Mole; intil diligencia nio catava l o iiaroorado gen-
lilhomoui.
Cumecrio oa diseuraoa. O primoiro foi ao rei. La-
oo Ibe pedia, em nome da dieta, o ieu eoiiaenliracntu pa-
ra que a onra do Polonia fono offerecida um principe
da caaa de Franca.
Carloa respoiiJeo por urna adueaio curta e precisa
Oabaiio asiignado, nio lendo urna companbia de
actorea para poder prestar ao Exm. governo da pro-
vincia os mesmo ser vico, que, em iguae circums-
lanciaaiadot nottot irmlot Ceirencei, fez em 1835
(em que pelo vehculo deste theatro, gramil a popula-
wmmBSmmmmmmL^
M Rm de cada periodo. E em quinto o interprete falla-
va, cliegava o rei o lenco boca, donde vilo todoa reti-
ra-lo tinto em aangue.
Qtiando Carloa terminuu a sua reapoata. Laico voltou-
e para o duque d'Anjuu, inolinou-ie e oomecou um
discurso latino, no qual 1 lie offereeia u tbrono em nome
da nacSo polaca.
O duque reapundeo na lucsma lingoa, e com voa cuja
oanetn do balde procurava conter, que reconlieeid
aceitara a honra que Ibe eslava destinada. Em quanlu
e falln, ooniervu-ae Carloa de p, cora os libios
eerradoa, oa olhoa Atoa tWlle, iinmoveia e uieacadorea
comn na da aguia.
Logo que aeabou o duque d'Anjuu O aeu disour.o,
Laico lomou a cor doa J.gelloei, poala obre um e<>-
xim de relindo encarnado, e eui quanto dout hdalgus
|,oiiieos revestan o duque d'Anjuu du real maulo, depul
elle a cora naa mina do Carloa.
Fes esto um (igual a aeu irralo, que veio ajuelbar-n-
ante elle, e cora auas pruprias mina poi-lhe Carina a on-
ra na cnbeoa ; ento oa doua ruii truerio o man ran-
L-oroao heijo, que nunca duui irmui se ha vilo dadn.
Enlln gritn un arautu:
Navioi entradoi no dia 20.
Rio-de-Janeiro; 28dias, brigue meco Columbus, de
230 tonelada!, capillo L. P.Stalletrom, equipagem
10, em lastro ; a M. Calmonl& Companbia.
Acararij ; 20 dias, brique-eicuoa bratileiro Aguia,
de 165 tonelada!, capillo Joaquim Antonio do San-
tot, equipigem 14, cirga tola ; a Novan & Com-
panbia.
Mem ; 19 dial, patacho bratileiro Emulaco, de 122
tonelada!, capillo Antonio Gomes Pereira, equi-
pagem 8, carga tola ; a Manoel Goncalves da Silva.
Pattageirot, Miguel Francisco do Montee3 escra-
vos, Francisco Ferreira da Rocb, Jos Goncalvw
da Silva, Bernardo Januario e 1 escravo a entregar.
Montevideo; 28 dias, brigue dinamarquei Belly, da
200 toneladas, capillo C. Tugbtong, equipagem 11,
em lastro ; a F. Robiliard.
A'at'io lahidos no meimo dia.
S.-Catharina, pelo Rin-de-S.-Franciaco do Sol ; bri-
gue braaileiroLedo, capillo Antonio Rodrigues Cor-
, rea, em ltiro.
Aracaty; brigue-escuna bratileiro Henriqueta, capillo
Joaquim Pereira, carga varioi gneros. Passageiro,
Fnncitco di Silva Muir.
Aleaiidre-Eiiuardo-llenrique de Franca, duqui
d'Anjuu, acaba de ser uuroadu rei de Polonia. Viva*
rei de Polunia I
grande capotea, cambiando tigiiaea e geatoa enlre ai, elapreaentamlu o duque d'Anjuu, aeu irmi, de cuja c.i-
elgumas vexea, quando ae apprniimavlo, palavraa ditas! ragem fes um grande elogio aua enviadoa polacoi. Fal-
em voxbaixa, rapidaaa aignificaliva. No demaia pare-jlava era francci, um iaterpreif triduiia a ana respoata
Toda a aisembla repeli oniaona : Viva u rei de Po-
lonia !
Laico voltou-ie eolio para Margarida. O diaourao da
bella rainha havia aido guardado para o ultimo. Ora co-
mo late se Ibe havia concedido por galanleajo, a fim de
fater brilhar o aeu bello talento, como naqurllo lempo
se dixia, derio todo* maior alienlo reaposU que
devia aer em latim. Na viraoa que a propria Margarida
a havia compoalu.
F"i antea um elogio que um diaonrao n He Lasco.
Apesar de Sarraal, nao havia elle eacapado admira-
clo que a todoa inspirara a bella rainlin de Navarra ; a
coin a lingna de Ovidio, e < cilylu de R oniard, disse que
parlidoa de Varaovia no raeia da mais profunda iioile,
elle e os seus corapanheiros. nio leriio acertado rom o
caiuinho, ae curou os rea Magu, o uiesmu maia fehtea
que elles, nlu li vesiem dnaa rslrellas para (ruia-lus. Es-
trella! que ae tornaviu ceda vea maia briihaulea a pru-
porfiu que ae appmiimavao da Franoa, e que t lies agn-
ranonhreilu nao seren oulra cuuia maia que os doui
bi'lloi ollios da rainha do Navarra. Em fim paliando d*
Evaiigelho ao Alcorn, da Syria a Arabia-Petroa, dcNa-
*arelh Merca, lerminou duendo, que elle eslava prri-
Ira b faierjn que naiaona ardento aectario doPfupela ,
que, quando haviau lidn ventura de contemplar o *eu
lumiilo, cavaviu na olhua ; julgando que depoii delta*
ver guiado de lio bella ri.la, uaa)a ueste mundo rali a
pena de ser admirado.
Este diaourao foi ruberto de applauana, pelos que fal-
lavao lasara, porque partilliavdu a O|niuao do orador, e
peloi que nio o euleudiau, porque queriio dar ooalrai
de ube-lo.
Margarida fea primeiro uiua engraoada reverencia ao
Sariuala galanteador, depois, rcipmideiido ao embaiXa-
dur, maa cura oa olboa filoa em do Muuy, oomefon nci-
lei ierran:
Quod une hde tn oi7 imperati tdeetit, etultart
mu ego el re* eonjus, niti idro 'imminerel calamita*,
tcilicel le/urn fratri* **d eliam amiti orla*. (1)
fl) A' voaia inesperada presenca nata crtt eauliaramoa
de praier, eu e ti-ri meu esposo,'ae noa nio cauaora ella urna


Edita!.
misal Arch'nio Montiiro di Andrade. official da
tnspectord'al/andera de fernambuco por Sua Ma-
a,ade Imperial, que Dos guarde, etc.
[u ssber. que no di 21 (boje)do correte 10 meio
di,,, porta da mesma.se ho de arrematar em baila pu-
blica 11 duiias de eadeiraa com asseolosde palha, no va-
lor de i09s ra. ; 38 eadeiraa de balaocoa com iguaes
mentoi, 0Q.valurde 176f rs ; 2 ditas com asseotos.e
encost* de palba, nolor de 26i ra.. e 12 ditaa di-
to, para meninos, com aiaentoa de palba, no vslor de
20j ra.; impugnado pelo feitor coomente Gustavo Jo-
>e do Reg, no despacho por factura de Henry Forater
i Cunipenhia: sendo dita arrematarlo aubjeita e di-
reilos. Alandega, 18 de evereiro de 1846.
Miguel Archanj? Monttiro i Andradi.
Declaracoes..
=S. Ce. Reverendsima manda declarar que
dispensa ja concedida pela sua pastoral, para ae po-
der usar di comida de carne na <|uresma contina
tiiin eiitlirem oa meamos moti os, por qu^ eolio a coo-
cedeo.
Nos domingos da prenote quaresma alinda &. Ese.
Revm. celebrar com a sua asistencia missa solem-
ne ( que principiar a i horas ) eos: :cr=::Q ns
igre|a matria do S^. Sacramento do bairro da Boa
Vista. Recife, 20 de fevereiro de 1846, O padre
Frantitco Jos Tavaree da Gama secretario de S.
Eic. Kevercndisiima.
ASSOCIACAO COMMERCIAL
Na mesa da associacio commercial pre$a do Cor-
po Santo ejisteuma lista para as peaaoaa que qui-
erem voluntariamente aubscrever para o (decorro das
familias perseguidas pela aecet.
- De ordem do lllm. Sr. coronel director do arse-
nal de guerra se (ai publico, que a caia do tabaco,
adiada oa igreja de S. Amaro pelo apreodi menor ,
foi boje entregue ao major Patricio Jos de Souia, por
a t'T leclamado como sua, dando oa signaos da mesma.
Directora do arsenal de guerra, 20 de fevereirod
1846.;= O escripturario Franciico Serfico di Aisis
Qircalko.
A cmara municipal desta cidade fai sesso boje,
21 do corrate e convida pessoas que queirao com-
prar os materiaes da caa n. 2 da Camboa-do-Carmo
eiappropriada a Jos da Coala Dourado ; incuwbndo-
leda demolicio della, em uui praso certo, os que com-
prarem ditos materiaes.
O arsenal de guerra compra nm bom oculo de
ver ao longo : quem o tiver para vender dirija-se a
directora do mesmo arsenal com sua proposta em
carta fechada, at o da 21 (boje) do correle mez.
Directora do arsenal de guerra 19 de fevereiro de
1846 O escripturario, francisco Serfico di lese
Carvalko. ,
theatro publico.
COMPANHIA ITALIANA.
//os, 21 de fevereiro.
Ultima represenlacio lyrica.
Em beneficio do bartono
JocLo loselli
ser ciecutado o grande drama lyrico em 4 actos
EIINANI.
he cbefe-d'obra do moderno compon-
acto o Sr. Noronha execular as varia
edes intituladas Ai Jess.
Os bilbeles ve ndnm-se em caa do beneficiado, un
to eo theatro, n. !t, e no da 21 no botiquim do thea-
tro.
Principiar as 8 A o ros e meta.
Avisos martimos.
= Para o Ass com escala pela Parabba segu via-
gem, at o dia 26 do correte o patacho nacional
Correio-de-Peinambuco : quem quier carregar oa
ir de pamgem entenda-ae com o capillo Antonio
Jos de A breo.
Para Falmoulb sabe, com toda brevidade o bri
gue Sir-Robert-Ctmpbell, eapitio James Baird ; lem
eioellentes commodos para dous psssageircs: trata-se
no escrplorio de C- Roope & Companhia na ra do
Trapiche-Noo, n. 6.
Para o Par com escala pelo Ass sabe, at o
da 24 do correte, o brigue nacional N.-S.-ia-Boa-
Viagem: qaem no meamo quier carregar, ou ir de
paisagem dirija-se a casa do consignatario Francisco
Alves da Cunba na ra do Vgario, n. 11.
Para o Rio-Grande-do-Sol aahiri, nd dia 25 do
corrente, o brigue Deos-U-Guatde repiti Manoel
Lu* dua Sanios ; recebe eacravds a frette passageiroa :
oa preteodentes dirijlo-se a roa da Cadea-Veiba ar-
maren, o. 12.
= Par* o Rio-Greode-do-Sul sshirio com brevida-
de o brigue Fc'.iz-Uniio, c o patsobo Lopes: quero us
mesmos quier carregar oa ir de passageai, dirija-sei
ra da Crus, n. 45, em casa de Nascimeoto Scbaeffer
&C.
Leiles.
Esta
tor
opera
Giuseppe Verdi,
o beneficiado todo espera Ha geaeroiidada deste Ilus-
trado publico e da sympalhia, que sempre por elle lem
mostrado.
I'crtonageni. Actores.
Ernani, o bandido O Sr. G. Marioangelli.
1). Carlos, re de Heipanha O Sr. JoioToselli.
D. Ruy Gomes da Silva O Snr. Paulo Fran-
grandedellespsnha chi.
Elvira, iua sobiinba A Sr' MerietU Mari-
nangelli.
Jago, eicudeiro de D. Ruy OSr.Gacomo Bonanni
Coros de montanhezes e bandidoa. cavalleiros, &o. &..
A scena passa-se : 1.* acto, nna monUnbat de Ara-
gona, e no caatello de D. Ruy Gomes ; 2.*, no mesmo
castello 3.#. em Aquigraoa ; 4.", em Saragoza.
iNo intervallo do primeiro ao segundo
=Nio se tendo effecfuado o leilao da taberna da ra
da Msdre-de-Deos, apprebendida pelo jui'O de ausen-
tes por fallecimento de Jua Joaquim da Silva Bairio,
no da 19 do corrente, como fra aunociado, foi trans-
ferido n mesmo lello para hoje, as 11 horas, no lu-
gar cima declarado.
= George Kenworihy & Compaohia lari leilio
publico, por inlervenvio do corretor Oliveira e por
conta e risco de quem perlencer de avultada porfi
de fazeodaa americanas averiadas a bordo do navio
Concordia Legado de Boaton e do rnuitai outras
inglezss as mais propriaa do mercado : quinta- feira,
26 do corrente as 10 horas da inanhaa em ponto no
seu armazem ruada Cru<
.:>'
>iso.s diverso.
_ Tintn eatoa palavraa dnua senlidoa, c dirigindu-ae
ii.Mi.iiy (xidiao dirigir-aa a Henri<|ue d'Anjuu, tasto
que cslu fri a ana reverencia cin sigual do agradeci-
11 tillo.
Carlos uto ae recordou de liavrr liilo esta plir.ise ni
diiouraa que lite havia sido cuinmnniimln alguna da.
''iili'a; mas nao den grande importancia < palavraa dr
Uargiirida, i|iic elle sabia serem do un discurau da aiin-
l'le civilidade. Aleiu dalo cuUndia lie multo nial o
latini.
Margariila cnntuiiioii:
.ide doiemur i ti divid til cctia proficiici maluit-
a'miia ted dem fatum quo nunc sine nlui mord Lutrlia,
ceder jubrrit kdc tu urbe detinet. Proficitcer "(j, fra-
t"r proficiluere, atnict; proficitcere line umbit ; profi-
cucentem 'equnturfpee eit deixdiria nora. (2)
BeiM re v t|ue de M,>uy uuviu cun profunda iiilencao
cas palavraa que, dirigido aoscrobaiadurra, erlo di-
tas ao para elle. licnriq'Ne dn ra parlo ha vio lanibeinj
meneado duaa mi irrs vetea a rabeca nrgativaiiienle para
dar_ a entender as joven liuguenule que d'Aleaafun se
'da c.cmadi. j niaa caae geato, quo pudiu ser rffrilu do
parecera inruflieicnle a de Muuy, ae aa palavraa
rBrid nao u liuutcsieni oouurniadu. Ura, em
liiaiilo e||e lliava para ilurgarida, e a eaeutava com lo-
a a aua alma, oa seua doua ulhoa negroa, tiu brilhanlea
prande dagraja ato he, no*oaneDte a perda de um irmo,
""* CJ Muito noa cuata'separrmenos de ti, qaando preraiira^
*s partir com ii^o: mas o mesmo destino f|ue quer que dei-
." aeui demeta, nos delem nula cidade. Parte poia,
irnio pai la, annKo; parle aem nos; seguir-U-to noasa ea-
ptreoca, nossoa esejoj.
araau,
de Maru
0 CLAMOR PUBLICO.
O n.77 achar-se-ba a venda a 1 bora da (arde, na
praca da Independencia, lvraria ns. 6 e 8.
scThomai da Silva Caneca deiiou de ser eaixeiro do
Sr. Antonio Pereira, dosde o dia 20 do corrente.
= Roga-ae ao Sr mestre de msica, A. A. P. que
queira virpagar, dentro dt>3 daa, o resto de urna letlra,
que deve% P. A. Guimaries, na ruu do Queimado ,
o. 15, e ae nio o fizer ver o seu oosne por extenso,
assim como declarado para ajaje foi o diribeiro.
Preciaa-ae de orna mulber para faer calcado de
senbora ; na ra da Florentina venda n. 30, se- dir
quem precisa.
Aluga-se um sobrado de um andar com commo-
dos sufficieotes para una familia, e com urna bonita
loja perteocente ao mesmo na ra do Livramenlo, n.
39: os prelendeutes podero dirigir-se a ra do Cres-
po, o. 2.
Arrenda-se um sitio na estrada do Remedio, com
boa casa de vivenda arvoredos e a margem do rio ;
na ra de Apollo n. 10.
Precisa-se alugar um escravo que aeja moco e
robusto para a fabrica de papelao das Cinco-Pontss ,
n. 33. Na mesma lebnca ba grande porfi de pape-
leo prompto de lodos os nmeros at para livreiro
tambem se comprio aparas de papel e retalbos de pspe-
llo, pagandn-se bem.
Antonio Jos Antuoes Guimaries avisa ao res-
peilavel publico, quejse Antonio da Costa e -s dei-
aou de ser sea eaixeiro, desde o dia 17 do corrente.
= D. Clara Cleoieolioa Carlota de Brito di-cla-
ra pelo presente que a procuracio bastante que em
30 de setembrode 1844pssou a Jos Joaquim Fer-
reira Habeilo foi lio smente para elle ir lancar na
parte de urna casa Ierres sita na ra do Allerro-da-
Boa-VisU, que a requer ment de Agoslinbo 'lavares
Rodovalbo como tulor de urna sua prima leve de
ser arrematada : e como isso le coocluio em outubro
daquelle mesmo anno de 184^4 cessem desde eolio lo-
do o eOeito da dita procurarlo.
lub nagriaalliaa aobrancclhaa derlo que cuidar Call'e-
rmo, que ettrtrneceu como por urna nomoiMcAu eleclri-
ea, e quenlo deaviou mais as vislaa daquelle lido da
sala.
Eia-aJIi orna cara beni eilranha, miirimirnu ella,
ciiniiniiniido a compi.r a sua pliyiionnniia argundu ',
kii do ceremonial. Quem aer ette horueni que lio at-
leutu fita a Murgarida, e para quem da sua parte Mar*a-
nd.i e II,uno no ullito com tanta alleucauP
tnlreuuiii cunlinuava a rainlfa de Navarra o seu dis-
curso, que cutio se rerrrin ao* comprimeiilni do envia-
> polaco, cin quantn Calherina dava mil tolla* ao juno
a procurar o imnic do .c bcllu vellio, quaiidu u roealre
le ceieinoniaa, nppri.xiiinindi.-ae por Ira* delli, llie en-
trrguu um aaquinho de SHvm perfumado, cuilriido um
papel dobrado eiu qualru, que ella liruu, e leo aa ae-
uiiiii. palavraa:
Nirevel, rom um cordial que arabo de dar-lhe,
rerobrnu *m fin algomaa forros e cunirguMs Wcrever o
nonie do liuiiirm que se arhava na*rnmsra do rei di; Na-
varra. Este hoineiu he Al. de M.>uy. m
Aiuga-se um preto padeiro bom amassador : na
ruaDireila o. 2-2. Na mesma casa precisa se fallar ao
Sr. Joio Fernandes da Silva, para se Ihe entregar urna
carta vinde de Portugal.
= Urna mulher de bons costumes "se encarrega da
criacio de meninos de peilos impelidos e desimpe-
dtdos c tambem recebo meninos para se desmamarem,
no que promelte csmorar-ie ; quem de seu prestimo ae
quizvr ufiliiar. dirija-ie a ra da Palma n. 17
=. O becharel Jos Antonio de Figueircdo avisa ao
publico que advoga peranletodos os autltlorioa des-
ta cilade : as pesaras que quierem honra-lo f> o fa-
vorece-lo com a sua conlianca dirijio-se a ra da
l'enha n 5, primeiro andar.
= Um rapax portugus, que tem bastante prstica de|
negocio de molbados e d sufficientes Gadores a sua
eonducta oflerece-se para tomar conta de alguma
venda ; quem de seu prestimo se quier utilisar diri-
ja-se a ra do Rangel venda n. 79.
= Precisa-se de um cozmheiro escravopara coiinhar
em urna casa de bomem solteiro mas que seu senbor
afiance sua conducta para ser encarregado das com-
pras ; quem o tiver nestas circunstancias, annuncie ,
ou dirija-se a ra Nova loja n. 11, de Guerra Silva te
Companhia.
= Um rapaz portugus, com bastante pratica de
csiieiraria e que di fiadores idneos que, abonrm j
sua conducta se oRerece para eaixeiro de qualque
casa ou estabelecirucnto dentro da praca, ou fra del-
la : quem de seu prestimo se qui/er utilisar, dirija-ae
a ra da Praia armazem o. 68 ou annuncie sua
morada.
= Joio Antonio do Oliveira vai faxer urna viagem
fra do imperio ; roga por tanto aquellas pessoss, que
se julgsrem suss credoras que apresentem suas cun-
tas no praso de 8 dias contados da dala deste.
Fugio, ente-honlem de manbia, urna csrauna, da
qual anda se anJou atril, mas nao se pede pegar ,
porque perdeo-se de visla ; quem da mesma der noti-
cias na ra Nova n. 38 primeiro andar, ser recom-
pensado.
Na loja de Joaquim da Silva Castro oa ra do
Crespo, n. 4, ha muito superior sarja de seda preta
portuguesa chegada ltimamente do Porto.
Carlos de la Haulire deixou de ser procurador
deSr. Pedro Rigueira nesta praca.
Aluga-se o segundo sndar e solio do sobrado ds
ra do Rangel n. 11, com bons commodos e pio-
lado de novo: a tratar na ra Nova loja de ferragens
de Sebaitiio Jos.da Silva & Barroa
OlTerece se para eaixeiro de escriptorio ra, ou
armarem um rrjor-o de idade de 22 annos natural
do Maranbio de reconhecida probidade e bastante
inlelligente para qualquer emprego de escripia e da
fiador a sus conducta : quem de seu prestimo se qui-
er utilisar dirija-se a rus dosQuarteis ora larga do
Rozario n 18.
Aluga-se o segundo andar da casa
n. ao da ra Direita, com boa vista, e
bons commodos ; assim como o primeiro
andar do sobrado da ra da Senzalla-Ve-
Iha, junto ao Sr. Lasserre, muito fresco,
e com bons commodos: a tratar na ra
do Collegio, segundo andar, n. lq% ou no
Recife, armazem de Uacellar, a fallar
com J. Marcellino da Rosa.
Una peasoa de saber e capacidade e que ja
tem pratica de ensino propoe-se a dar licSes de pri-
meiras leltras, grsmmatics nacional e msica pelo
melbor melbodo possivel, em cssa de sus residencia ,
ou em ditas particulares alaocando o bom aproveila-
menlo. A pessoa que se quizer utilisar de seu pres-
timo dinja-sea ra Bella ,o.ll, que acbar com
quem tratar.
Aluga-se o terceiro sudar do sobrado da ra do
Queimado o. 15 ; quem o pretender dirija-se a bo
tica por bauo do mesmo sobrsdo.
Aluga-sc o terceiro sndsr do sobrado n. 9 di
ra do Queimado : a tratar na loja do mesmo sobrado.
a**j Da casa n. 18, de Claudio Dubeux oa ra das
Laraogeiras deaappareeeo, oo dia 18 do corrente,
urna Cabra t} bicho), bastante gorda tendo psrido ha
10 dias com os signaes seguiotcs : cor de rapoza ,
malhadado braoco tendo o ubre bstanle grande e
deiaodoos filbos em casa: quem della der noticia ,
ou a pegar dirija-sea mesma casa, que aet gene-
rossmenle recompensado.
Precisase de putas que sejfto boas veodedei-
rasdeszeite de canapalo ; paga-se om cruiado por
cada caada : no beceo do Sarapalel o. 1, primeiro
aodar
= O Sr. Domingoa Alves Barbosa tem urna carta
oa ra da Crus, n. 37, seguodo aodar.
una,
lie M. iiy......... piiiiuu a railiha, niuilo bcni! en
tioha' calo prcarnliiiiciiio. Ma aquclle velho....... Ol!
coapello!..... aquclle velho..... lie.....
Calherina ficou rom u* olho* pregado* nelle, e a boca
abena.
Llrpois, chrgando ao outido do capillo da* guardas
que se rufiiervava a seu lado :
Ulliai, llie dlc ella, mas afm dar moatrat ditao
olliai para u Sr. Lamo, e*se que agora falla. Por tria
delle, lie i**o, nko tdea um velho de barba bran-
ca, com vestido de veludo preto f
Sim, endura, dase o capitn.
__ Bom, NSu o percaia de vala.
__ Aquella o quem o rei de Navarra fas um aignal.
Justamente, tollocai-foa na porta do Loovre cora
dei humen*, e quando elle aaliir ronvdai-o a jantar da
parte de el-rei. Se elle vo* argir, condoii-o para um
quarto, onde o delere preao; sa resistir, togurai-o vi-
so on morto. Idc, ido.
Feliimente Hcnrique, muito pouco necupado do dia-
flursmle Margando, tinha oa ollmS Sobro Catlieriiin, e
nio Ihe havia perdido mu eipreaafto do rutto. Ao
ver oa ulho* da r*inh-nili hxoe eom lio grande leima
em de Mouy, **>uluu-o ; e quandu obaervou que ella
dava orden* no capitn daa guorda*, aiitendcu ludo.
Foi neisc momento quo elle fes n geato, que M. de
Nancey havia percibido, e que nnlinguageru do* aig-
noca quena diier: vo* et*i* deacoherlo, retira-vo* no
incainii ilutante,
Coniprehendeo de Mouy cssa gesto, que lio Lem ar-
rmatava i parte do discurso de M*rgarid, que Ihe era
dirigid. Nio espern por tanto segundo aviso, per-
len-ie na mullida, e deaappareeeo,
Ma* Hcnrique ficou aocegario quando vio vultar
M. de Nam cy o filiar a Catlieriua, o eonliecen pela cun-
tr.ii i;,io do roBto da rainha-utai, que ello lbe aiiuiiiioiava
ter clirgado muitu tarde.. ,
A audiencia ealava acabada. Margarida anda cuuver-
sava. O rei crguco-ae vactllante, aauduu a rclirou-ae
encuatado ao hombro de Ambrollo Par, que o nio dei-
sava deade u accidente que Ihe acontecer.
Segiiirau-o Calherina paluda de colera, e Ilenrique,
d'Anjou mudo de dr. .
O duque cTAlenCon havli-se quasi completamente ea-
quivado dorante a ceremonia; a ero una so vea o olbar
Tranceliui de qualquer modelo, anneis, fitas, flores,
aderecos, puleairas, brincos, &c. ; ludo o mais bam
feito possivel o por preco mdico.
Trsspsssa-se a padaria da roa da Gloria com
cseos pertenec, o (em termo de bem enllocada se-
gundo as poslurss: a trstar atrs da malrii da Boa-
Vista, n. 22, oade se fari todo o negocio, com o con-
sentimenlo de seu proprietario.
Precisa-se de urna parda ou preta quo saiba
cozinhar e engemmar para o servico interno de urna
casa de pouca familia prelerindo se em todo caso una
molequo : na ra larga do Rozario sobrado, que volla
ara ra do Calinga.
Precisa-so irscar urna agera do Meaioo Daos;
oa ruado Raogel o. 11.
Joaquim Lopes de Barros Cabral,
professor de desenlio, e pintura, partici-
pa ao publico e aos seus discpulos, que
tem aberto a sua aula desde as 9 horas
at as 1 da tarde para os que se quizerem
dedicar a esta arte.
PHECOS DAS MEKSAI.IDADES
Desenlio....... (i.sooo.
Architectura .... C.sooo.
Pintura a oleo .... 8'ooo.
= Jos Fraocisco Mamede de Almeida, teodo da ra-
zer uma viagem para fura da provincia, veodeo a sua
parle, que tinha na loja do fazeodas da m< Nova, o.
(i, ficando, porm, com as dividaa dadila loja; e para
cobranza dellas deia encarregado oieu procurador o
Sr. Manoel Alves Guerra Jnior: e por isso avisa a seus
devedores, para que com elle ae eolendio a respailo, no
praio de 15 diaa, lindos os quaes serio executados. O
mesmo procurador fice aulorissdo a pagar algumaa con
las, que anda deve o anouociaote. Recife, 18 de fe-
virerode!846.
Joi Francisco Mamede dt Almeida.
= Guerra Silva & Compaohia faiem publico, que
comprarlo ao Sr. Jos Francisco Mamede de Almeida a
parle, que o mesmo liaba na loja de fssendaa da ra
Nova, n. 6, e s licra obligados ao pagamento dos
credores da mesms, a quem j anteriormente tinbio
dsdosua garsotis; ficando perteoceodo ao dito Sr. Ma-
mede smentu parte das dividas da mesma loja, aquellas
que por sua ordem tinbio sido contrabidas ; assim co-
mo tambem Ihe tica perleocendo o pagamento do que
mais dever, nio garaotidopelosannunciantes. Recle, 19
de fevereiro de 1846.
Guerra Silva Lotera de S. Pedro Martyr
de Olinda.
Nio lendo sido possivel effeclusr-se no dia 30 do
prximo lindo mei o andamento das rodas desta lotera,
como so havia annunctado, por existir anda por veuder
um cresiido numero de bilbeles, cujo valor sobe a post-
eo mais de metida da lotera, o que se deve allrihuir i
continua! ao do passsmento da festa ; declara o respecti-
vo tbesoureiro, legtimamente autorisado, que tem
transferido para o dia 26 do corrente mez o sobredilo
andamilo, bem convencido que, 00 cipaco de lempo a
decorrer at esse dia, os sitiadores deste jogo coocorre-
rad a prover-se de bilbeles oos lugares ji publicados.
ss Aluga se uma casa na ra Imperial, n. 137, com
duas salas e 5 alcovas: a tratar oa ra Direita, loja de
cera, o. 135.
Precisa-se de um pequeo de-12 a Manos,
pouco flus ou menos para caiseiro de venda ; pre-
fire-se dos ltimos cbegsdos do Porto : na ra da Cal-
lada n. 2.
Luix Jos Marques, como lenha de ir a Portugal
tratar de sua ssude, deseja deixar sua casa desembara-
cada, e por isso roga a lodos o seus devedores que no
prsiode30 diaa venbio salisfaier seus dbitos a fim
de evilar mais cusas; porque, psssado o praio marca-
do usara dos muios judiciaei cootra aquelles que
forem remissos.
de Carlos, que ae nio tinha desviado um iustante do
duque d'Anjuu, ae rim nelle.
Via-se perdido o novo rei de Polonia. Longe de ana
mai, arrebatad pnreaae* brbaro* do norte, era qual
otitroAnle, e*e filho da Terra, que perdi* aa forcas,
apen* noa brac* d'Hercule*. Fra da fronteira, jul-
g*va-se o duque d'Anjou exoluido para aempre do Mi ro-
o dn Franca.
Pelo qiie.em voideaeguir o rei, foi par o apoaeoto de
ua mai que ao elle relirnu.
Achou-a nio incoo, iriale, nio osenoa madiutiv* qno
elle, porque |ieu*a* neaaaa feice. de penelraclo -
oarneo, que ella nio perder de v*ta, ne*ie Bearncs, a
quem o dctino" pareca d.r lugar varrendo em turno
delle, rei*, principe*, eiaaasino, *eu* inniiigo*. e .cu*
ubstaculot. .
Ao ver u filho amado, de.corado e proslr.do epetar
da.uacoraeman.o de rei, juntando sern d.ier nada,
em .igual do ...pplioa, a. bellas mo. que della bardara,
Calherina lovanlou-se (ffoi ter com elle
Oh I niinha mi, exclamou o ra de Polonia, eia-me
condcuinad a morrer n atiU*.
_ Meu filho, di.se-lhe Catherin*. lio depreaaa e*-
queceatea a JSt1aB|l de Ro? Socegai, nio ficarea la
por muito lempo.
_ Mmh* m*i, eu voa conjuro, diaae o duque 1 An-
jou. ao primeiro boato, i primeira uajieita de que a 00-
m'i.i de Franja poda vagar, prevuni-iue......
Vai tranquillo, meu filho, disse Calherina, at o
din que mboa opcraiim, leici con.Uiileineute UlU oa-
allo adiad, e um correio prcalca a partir para a Po-
lonia.
f
(Cen nuar-ie-ka).
r
aaaaaaal


A loeiedide, queitigora gyrava uta praca
debaixo da firma de Dcwiley Raymond Pryt, fie
moIvi, e eontint tmente eotn a firma de Dowsley
* Rivmood; visto que o Sr. PryU est della dialiga-
do. A nota loeiedide fica eacarregada da lequidicio
de aotiga firma a quem todti ai pettoar que tive-
rom cootii, at podero apreaentar. Hocife, 19 de fe-
vcreiro de 1816.
Preoiaa-ie de ama ama para o ierifo interno de
urna caa de poaca familia e que saiba perfeilimeote
engommar; a quem coovier, dirija-fe roa da Con-
cordia entrando da rui Nota lado eiquerdo cata
que faz esquina para a traressi da meima roa.
=i Cma lenhora tolleira propOe-ie a entinar meni-
nat a ler escrever, cantar, grammatica portuguea
bordar de ouro, de matiz e froco, de teda, da lacada, de
susto, a marcar de 4 qualidades, fitercieuode, livi-
rinto paitado e cbeio costara cb&i vestidos da mo-
da ; astim como tomar algumat meninas, que mo-
ra rpm longe, para atiistirem em cata,) por preco raioa-
vel ; tambcm te cose para fra toda a qualidade de oot-
turat, por preco sommodo : quem de sea prwtimo fe
quier utilitar dirija-tea ra Velha, o. 91.
Giatit,
Mecbas superiores. de tirar logo isto amnala de-
poit dat 9 borat: na ra dot Quarteit, icougue n. II.
= I,embra-ie cmara muoicipal de Oiioda que
atienda a penuria de agos, em que se acba o pantano
e mande fechar os banbeiroa c-Oe conitantemente se
teem conservado abertos etgotando a pouca agoa, que
anda alli se encerr ; isto, te nao quer que os povoi
daquclU cidade morr&o de sede.
O nazareno n. 6 esl a venda na lo ja de livros,
nt. 6 e 8 na proca da Independencia ; na ra ettrei-
ta do Roza rio cata da Fe ; na ra da Florentina ,
ii. 8. Trai interetsantea artigos sobre ai ooutat do Sul,
e outrot mait de interesse do Norje.
Subtcreve-te a 2000 rt. por cada 25 nmeros.
- O abaixo assignado faz publico que no dia 19
do crrante pelas 6 boras da tarda Ibe appareceo
em tuacata um pretoda nomeLuit, crioulo, que diz
ser etcravo de Joaquim Pereira da Cunbt, morador na
Malbada-da-Pedra distante da villa de Sonsa 3 le-
gn, provincia da Parahiba, de onde veio fugindo ao
terrivel flagello da lomo, que devatta aqueilet terldet:
aeu dono, ou pessoa por elle autorinda, o poder pro-
curar certo de que o abaixo assignado se nio retpon
nbelisi pela fuga. Franciico Fernanda Tkomax.
Lava-se e engomma-se por preco commodo ; not
Bairros-liaiios, n. 22.
Aluga-te a cita terrea n. 42, na ra da Alegra,
com eommodot para familia concertada e pintada : a
tratar na ra da Aurora n. 44.
= Avisa-io ao Sr. Joio das Nevet, alfaiate de ir
pagar a quaotia que deve na ra de S. Francitco a
urnas mecas, que coiem de alfaiate ; do contrario te
vender un collete que l o Sr. tem, para pagamen-
to da inesina divida'; itto no piato de 8 diaa.
Aluga-te urna canoa de conduiir agoa por pre-
co commodo ; na ra larga do Bozario, toja n. 22.
principios do renda o fat todo o mais trrico de urna
cata, o aquella lavadeira e lmbeos coiinheira; ao com-
prador ae dir o motivo da venda : na ra do Sebo ,
o. 1, primeiro indar.
= Vende-te urna negrinha crioula de 14 annos,
propria para todo o lervico ; urna escrava de naci, de
26 annos, ptima quitandeira ; um pardo, de 17 an-
nos ptimo ptia pag'em ; um dito de 22 annos pa-
ra o servico de campo ; um etcravo de naci de 30
anoot, muito pottante ganbador de ra : na roa
dat Cruiet, n. 22, seguqdo andar.
Anda reslao tluas exquizilas
mascaras finas para baile : na ra Nova,
Compras.
Compra-se urna negrinha d 10 a
14 annos, que seja de bonita figura, pro-
pria para mucama ; igualmente um mua-
tinhu da mesma idade, que possa servir
para pagem : na ra da Cruz, n. 6o,
primeiro andar.
~ Comprfio-te escravoi de ambos o sexos; sendo
de 13 a 20 annos, e de bonitat figuras, pagio-te bem:
na ra Nova luja de ferragene n. 16.
Compra-so umaellim ingles em meio uto; na
ra ettreita do Hozario n. 30, tegundo andar.
Comprio-se peonas de rabo-de-|unco : no cor-
redor-do -Biipo, n. 8.
Compra-ie um tellim em meio uto ; na Calcada
do Peiioto, naaCinco-Pontas. n. 154.
=r Compra-te ptpel tujo tendo diariot velhot me-
Ibor ; na ra larga do Boiario, o. 19.
Cornpiao-se garrafas valias, na fabrica de lico-
res e bebidas espirituosa! na ra da Senzalla-Velba
n. 114.
Vendas.
=Vendem-te os seguintet romancea novos tridu-
ridos e impressos na cidade do Porto ; cada um por
400 rs. : a Joven Siberianoa ; o Pacha de Buda, con-
t tuitto ; Connemara, ou urna eleicio na Irlanda ;'
A voz de sangue ; a Noute de S. Silvestre cont tuit-
to ; Colat, cont tuitto; o Filho de Tiliano; at Duat
Amadat; IgRez de Lat Sieras ; Adonit ou o bom ne-
gro ; Trilby, cont de Garlos Nodier: na praca da
Independencia, livraria, ni. 6 e 8.
= Vende-ie urna parda de 22 a 24 annoi de ida
de engomoia liso lava, cozinba o diario de urna ca-
ta trata bem de meninoi, e do interior de urna can
na Trompe sobrado de um andar n. 5, ou no For-
le-do-Matlo ra da Moeda venda da esquina, da
Alexandre Jos Lopes te dir o motivo da venda.
= Vendem-ie at 50 milheiros do palha de carnau-
ba por alteado ou a ritalho : na ra da Praia o. 32.
= Vendem-ie8 eteravot mocos com bonitas fi-
guras entra el lea doui bons aarreiroa; um dito de 16
annos com oflicio da padreiro ; oulrodeidade de 18
anoos cimaroeiro: n roa Direita, o. 3
= Vendem-so docet de todei n qualidadea boli-
nboa para cha; tambem te faxem bolot francalete de
outrat matsit, mui bem fui toa; enebem-te bandejas
enfeitadat de boliohoa com figuraa e rsmoi tanto
do mesmoa boloi como de allinim, fruleiroide docei pa-
ra meio de meta docet d'ovas de muitat qualidadea
pastis de nata tremedeirw tortaa de doce e de leste,
podint urroi de leite filboaei de seringa e redon-
do!, a toditas qualidadea de sobre-meta ; na ra Di-
reita, lobrado de um andar top de doui da ran-
das douradas, o. 33.
= Vende-se um preto perfeito padeiro dV boni-
ta figura, de idade de 25 annos, por preco commodo;
as Cinco-Pontts, n. 154.
=Vcndem-se batatas a 1000 ri. cada gigo ; ao pe
do arco da Conceipo, no Recife. cavada torrada muito nova e em grio, a 100 rt. a
= Vendemwduai pretal, tendo mii e filhi MtB I libra : na S. Cruz padana de una porta junto a
de 18 auno* cozinba engorme cote bao tea|tobrado e na Uaveuada Madre-de-Deot, 0. 11,
\endem-se borzeguinsgaspeados
para homem, ns 35, e 3"], a 4#5oo
rs. ; ditos demeia gaspea, ns. 37, S
38, e 43, a 4,f5oo rs. ,' ditos de 8
ponta de lustro a 3saoo rs. bo- o
tins de Lisboa a s'56o rs. sapa- !
tos. de marroquim para senhoras W
a 1 ^aoo, ditos de Lisboa de tordo- aa
vao a 900 rs. o par, ditos de tape- a$
te a i|ooo rs. ditos de lustro >
para meninas, n. 27, a isooo rs., Qb
chiquitos para meninos a 12.0 rs 4
Ssapatos abotinados francezes a '
3^200, e outras muitas qualida- Je
des, por precos muito commodos :
na ra da Gadeia do Kecife, n. 35. W
Vende-se urna negra boa lavadei-
ra, e solrivel cozinheira: na ra da
Cruz, n. 60, primeiro andar.
= Vende-te urna bonita eicrava de Angola, de 18
annoi tem virioi nem acbaquei ; na ra ettreita do
Rosario botica n. 10.
= Vende-ie tuperior frinba de S. Gatbarioa ; a
bordo do brigue Vero fuodeado defroote dn eica-
dinhat.
Vende-se muito superior .polnssa
da linssis, em barris pequeos, pelo m-
dico preco de 2/) r(-is libra : na ra do
Trapiche, armazem de Jos Teixeira
Basto.
= Vendem-te moenda de ferro para engenbntde
aisucar, para vapor agoa e bestai de diversos tama-
ohos por prego Commodo; e igualmente taixai de
ferro coado e batido de todoi 01 tamanboi : na pra-
Ca doCorpo Santo n. 11, em cata de ale. Calmool &
Companhia ou na ra de Apollo armazem, o. 6.
Vendem-se as melhores sarjas lar-
gas e bespanbolas, por preco commodo ;
na pracinha do Livramento, boje ra do
Queimado, n. 4'-
Vendem-se os ulentiliot de um completo deposi-
to de padaria como teji : caixOei grandes e peque-
nos pintados eonrernisados canal do Porto batan-
en grandes e pequeas petoi urna meta grande o
maii miudeat ; ludo quasi novo por preco commo-
do: na ra dosCoelboi, n. 11.
Vendem-se garrafas gandes, com
agoa de Cologne, chegada ltimamente
de Franca, e pelo moderado preco de
a'4oo rs. cada garrafa : na ra do Cies-
po, loja nova n. 12, de Jos Joaquim
da Silva Main.
Na ra d Crespo, loja nova n. 12,
de Jos Joaquim da Silva 31aia, vendem-
se as admiraveis e bem acreditadas nava-
Ibas de ac da China: estas navalhas teem
a vantagem de cortar o cabello sem often-
sa da pello, deixando a cara parecendo
estar na sua mocidade. Este 890 vern ex-
clusivamente da China, c s nelle trarba-
Iho dous dos melhores, e mais abalisados
cutileiros da nunca excedida, e rica ci-
dade de Pekim, capital do' imperio Chim,
ATJTOB SHORE.
N. B. He recommendado o uso deslas
navalhas tnara vil liosas por todas as socie
dades das sciencias medico-cirurgicas,
tanto da Europa como d'America, Asia, e
frica, nao s para prevenir as molestias
da cutis, mas tambem como um meio cos-
mtico.
Vendem-se pilulas da familia muito novas, e por
preco muito commodo ; na ra do Vigaiio, n. 11.
= Vendem-te i varas de bieo largo de muito bom
gosto do ramageoa e pontea de recorte fundos pro-
prio para roqueta de ptdre ou camitt de senhora ; na
ra da Palma n. 17.
= Vende te um cavillo alario cachito carrogador
a bom pssseiro ; na ra estreita do Rozario n. 30,
segundo andar.
sm Vende-te urna preta de benilt figura, muito sa-
dia de idadede 30anoot, boa engoormadeira coe-
tureira e cozinheira ; na ra da Cadeia do Recife, lo-
jo de Joio da Caoba Magalhies.
Vende-te um molequecrioulo de idade de9 a
10annoi ; na ra da Gloria o. 59:
=Vendem-t 01 diccionarioi grandes de inglez per
V reir ; na ra da C loria o. 59
Vende-se caf moido, muito Jaom esem a anaaor
mistara ; qualquer porco al niesmo tos vintent;
Casa da F,
Na ra estreita do Bozario, ni.. {3.
Na cata cima continuio-ie a vender eautelae da lo-
tera de S. Pedro Martyr de Olindi cujai rodal de-
vem ter leu infallivel andamento no dii 26 do correte
mex. A ellas, que lio poucai.
= Veodem-ee cortea de caita de corea aegurai, pe-
lo mdico prego de 3600 n. o corte ; na pracinha do
Livramento, n. 42.
= Vendem-ie meiaa curtaa pretal, muito auperiore
e imitando teda a3t0rs. cada par; calcinhai para
meninai de escola e mesano pira maninoa pequenot ,
pelo barato preco de 600 rs. cada calca ; mantaa mui-
to bonilla para senaorai, a 3000 rt.; vettidioboi de
meia, multo 6001, e de bonitos goilos pira maoinot ,
a 800 n. cada um ; ganga azul pira veitidoi da pre-
til com 4 palmo* a meio da largara a 240 re. o
corado ; panno de limbo com liitrai izuet, de muito
superior qualidade e proprio para todo o homem de
offioio tanto pelo barato preco como pola muita du-
racto a 280 n. o cosido ; e outrai muitat fazenda
por preco barato : aa ra do Creipo loja nota o.
12, dejte Joaquim da Silva Maia.
Vendem-se duas moradas de casi 1 com muita
largura e Indi por aeabtr, urna della* et toda tra-
vejada e tem porta para um csrrinho, a com muito
material pira ai acabar ; quem ai pretender poda ir
ve-lai na ra Auguita eajuitar com Luii Jos Mar-
quei oa ra do Rangel.
= Vende-te urna vend defronle da ribeira da Boa-
Villa o. 58 (az-ae todo o negocio com a misma: a
tratar com Jos Soares Pinto Correia.
Ao barato frtgutau !
= Vendem-te sapalos decouro de lustro pira ho-
mem a 1000 rs.; tapatdaa do dual palai, a 2000 re.;
ditos de urna pala para homem e meninos, a 1# ; bo-
tint pira homem a 640 n.;. 11 patos de marroquim
para ripaiei, a 500 rt ; chiquitoi pira meninos, 1
80 e 240 n.; tapatoi de lelim a 320 rs. ; botins de
marroquim pira meoinoi, a 320 e 480 n.; timancos
pequenoi a 120 rt. : na praca da Independencia ,
01. 13 e 15.
= Vende-se um bom preto canoeiro de necio An-
gola por preco muito commodo ; na ra Bella so-
brado n. 37, al al 9 horas.
= Vendem-te pellas miuda de muito boa qualida-
de aot centoi, e meimo em menore porcSe, 1
vontade do comprador: oa ra daa Cruzei vend de
Joio Jacintho Moreira.
Livroi baratoi.
= Vcnde-ie a Solidio 3000 re. ; Jeius Chriito
peranle o leculo, 3000 n.; Tenue del livre, 2000 n. ;
Tratado de opencdeide cimbio 2000 n. ; Arilhme-
lique e analye logique 2000 rs.; Defense de la in-
rale catbolique, 1000 rt. ; Telenuque, 2000 <*. i Mir-
queza de Pontaogei, 1000 ri.; la Vitioo de D. Ro-
drigues por Scot, 1000 rt. ; Pirtida dobradas, 1000
rs.; historia de Napoleio com retrato 1000 11.; Pai-
cal Bruno, do Alex. Uumas lOOO n. ; Duchme de
Montmorency, 1000 ri.; Colonia Chretienne", 100011.;
tudo novo e encadernado : na roa do Collegio, botica,
n. 10.
Vend-se, oux>ermuta-se por casas
terreas 001 3 bairroi do Rnife, um armaxem grande de
pedn e cal, com SO palmea de fente, na ra de Apol-
lo no Recife n. 30, da parte da mar, com mui-
tat propoicoei para te levantar' um elegante predio, e
com detembarque 00 fundo, proprio para ilgun eitabe-
lecimento, que le quizer por, por ler timbem de esqui-
na, e por ie Ibe poderem abrir portal o jenellai no oilio
da parte do Norte ; e juntamente com o meimo predio
veodem-ie 2 caooas de agoa, loova e a outra em bom
uto, 2 ditat abertal e grsndei, e 5 etcravoi cinoeiroi: 1
tratar oa ra da Seoaalla Nova, venda de Jos Pereira.
MUITO BARATO.
Vende-ie um pequeo litio a margem do Cipi-
baribe com caa de viienda coqueiroi e tem para
plantar ilgumacousa agoa de beber muito Iresco e
comeilnda pela Paitigem a peloi Afogadoi;
11 mais proporedet ib dira ao comprador : na ra de
Agon-Verdet, n. 21.
Vende-te milho velho a 2500 rt. o alqeire ;
dito novo a 4| n.; uceas com lirioba de Mig a
5/rt: na ra da Cadeia de S. Antonio depoiito da
farinha n. 19.
= Vende-se am prelo crioulo de bonita figura ,
muito moco e sem achaques; urna cabra, tambem mo-
ca cozinba bem o diario de urna casa lava bem de
varrella e tibio be de boa conducti e lem vicioi
nem achaquet: ni ra do Queimado, o. 39 cata de
Antonio di Silva Gusmao
loja di eiquina, que volti para palacio, n. 27, da Mt-
noel JosGoncalvei.
= Venda-te um etcravo de 20 a 25 annoi de i<|,_
de, bem parecido, a muito proprio para qualqu,,
servico ; um cavado bom carregador baixo tem echa-
qoea novo egordo ; ni rui do Amorim n. 36.
=Veode-ie cari de cor pira limai de chairo, a 1000
rs. a libra ; ni ro do Rangel, n 52.
Vende-so palba de carniuba nov o muito gran-
de, chegada boolem do Ast ; a bordo de urna barci-
na no Forte-do-Matto por preco commodo.
- Vende-se urna preta de naci boa quitindei-
ri, eoiioba o diario de ama caa ejenlatoa ; vea-
de te'por precalo, e por isso d-so por preco cotniao-
do ; ni raa ettreita d Rozario, n. 21.
Vende-ieumrelogiohorisontil.de ouro, po(
preco muito commodo ; ni rui do Queimido, n. 39.
a^Vende-ie o diccionario de Moraei em bom ota -
oa raa Nova ,0. 16.
= Vendem-se espadar pnteadis ; na rui Nov
loja de errigeni, n. 16.
Vende-se urna eicrava crioula de idade de 19
annoi, cozinba o diario da ama caa ; na roa di S
Rita-Nova n. 89.
Vende-se, na fabrica de licores de Fe-
derico Chaves, no Aterro-da-Boa- Vista,
n. 26.: *
Ago'irdente de Franca caada tyQ
Dita do Reino 800
Dita d ail a 640
Dita de canella 640
Dita de cravo 640
Dita de lima fttO
Dita de mil flores a 640
Kspirito de vinho 1000
Genebn a 7%
Dita embotijidi 900
Licores de todas nqulidadei a todoi 01 precos, con
ricas tarjas.
Cbaropee fino! pin refreicoi, a da verdadeira mi-
na de angico muito bom para at molestias de paito.
Mechas pbospboricss em micdi de 100 e 150, 1
20 r. cada mico.
Chocolate de primeira qualidade de taode, bm-
nilha e canella a 400 n. a libra ; dito ferroginoio ,
1000 rs. a libra a a quem quizer comprar em arro-
bas te dar por preco muito commodo. Para maior li-
cilidade dot compradores, acba-ie um deposito di
chocolate na ra da Cadeia loja de chapeot, n. 46,
de Candido Joi de Sales.
Escravos Fgidos.

Vende-se, na ra da Cruz, n.
60, primeiro andar, cera em velas,
recebida directamente de urna das
melhores fabricas do Rio-de-Ja-
ueiro ; he de ptimo sorlimenlo,
e por preco mais barato do que
em outra- qualquer parte.

Vende-se urna canoa de muito bou maduras ,
e que pega em 800 lijlo* ; be muito pouco ufada : na
ra da Concordia irmazem de capim n. 25.
Vende-te potaisa americana, ltimamente che-
gada em barril grandes e pequenoi; lencoi pretoi,
de seda da India ; setim prelo do Macto ; velas de es-
perncete de 4, 5 e6 em libra ; cera imarelU ; al-
godio grosto pin saceos ; tudo por preco commodo :
em casa de Matbeus Auttins A Companhia na ra di
Alfandega-Velba n. 36.
= Vendem a cassas de cores e rouxas, 1 220 ri. o
corado e cortei das mesmai a 000 rs. ; chitas a
140 ri. o covido ; riicidot largos propriot para cami-
n a 160 rt. o corido* cortei de lia e tedi a 12#
rs. : da raa do Cabug loja de Antonio Bodriguos
da Crui.
= Vende-ie tuperior prioceza preta com 7 pilmot
de largara propri para tobre-caiacaa ; merino prelo
muito fino, com e meaaaa largura; fraokltm de duat
largura* ; tudo pelo preco mais barato postivel: aa
= Fogio, na ooole de 18 do correte um prelo di
nomo Blum baixo gordo, de naci, de 5o annoi,
pouco maii ou menos foi visto no dia immediato lo
da sua fgida no Aterro-da-Boi-Viiti, dizendo que
andava procurando enhor; levou jiquera de panno
atol cilcisde brioi e chapeo da pello preto: quem
o pegar, leva ao escriplorio de Leooir Puget te Com-
panhia ra da Cruz que sera recompensado.
Fogio, na madrugada do dia 7 do correle di
cidade da Olinda, urna parda de oome Cotmi part-
eando branca por ser bastante clara cabello! curti-
dos e corridot estituri mediana, nio mal parecida,
olho pretoi e grandei tobrancelba grossas con
falta de dental na frente peitoi grandes ps e mioi
regulares ; em um doi ps tem una pequea ferida en-
tre o dedoi, que nio 1 deixava andar bem ; o dedo
do meio da mSodireiti, na ultima junta, he defeituoio
de um panaricio;"representa 20 a22 annosde idade;le-
vou alem da roupa do corpo, urna trouxa com um vel-
lido de chita novo e algumat camisas sendo 3 de ma-
dipolio fino linda em folba e 4St rs em cdulas:
quema pegar, leve a tobrediti cidade de Olindi, ai
rui do Piiso-Cistelbano can contigua ao theitro ,
ou no Recife ni "ra da Aurora n. 12, que aera ge-
nerosamente recompensado.
= Fogio, no dia 16 do crrante mez do evereiro,
um moleque de 14 a 15 annoi^de idide, crioulo, retin-
to de boa apparepeii; tem um pequeo deleito em
urna dn orelba ebama-ie Luii ; tem andado apren-
Ldeodo o oflicio de calafate ; levou calcas de riscado a
camisa branca ; julga-se que elle tenha teguido pin
Oliodi por ser alli nucido e ler sido eicnvo de D.
Liberata ou alias se ter escondido em algum esta-
leiro deisii pniu do Recife, do que tem prslics: j
quem o pegar, leve a ra Imperial a. 39 que ser
generosimente gratificado.
AaMppireced na tarde do dia 16 do crrante ,
o preto Martinho natural do Rio-do Peiie escrito
de Vicenta Ferreira Looguinho vindo do Ancilj,
pelo brigue-escun Benriquela na iui ultima viagem,
entregar ao abano assignado ; tem 01 signiei sigui-
te! : lito rosto secco. cabello piebaim olbot preto*,
nariz chato bocea grande falto de denles da parta su-
perior cor fula sem barba andar vagaroso ; levou
cbapeo brinco de ibas curtn ,calcat de algodioimbo:
quem o regar, leve a ruada Cadeia do Recife luj,fle
ferngeo, o. 56, que teri bem gratificado.
Joaquim Jote da Cotia LeitSo.
Qualquer capillo de campo ou enearregsdode
polica poder apprebender o preto Francisco de
naci Mocambique com os tigmei seguintei: bsiso.
grosso do corpo ceg de um olbo ; levou csmia di
ilgodlo di tem com mangas curial, e calca do mei-
mo noval, chapeo de palha carapinb alta: quemo
levar a seu enhor Joio Leito Pita Orligucira, l0 P
da ponte di Magdalena, teri recompeotado generosa-
mente.
Fugio. no dii 15 do correte urna preti ata-
da moca, de nome Calharine/de oacao Benguelt; ")'
veu venido de chita detbotada aoai litlree areareU** <
panno da Coila novo, com Irtnja a algodio a u"1'
volta de mitaaoga aiule branca no pescoco ; lem0"
coilas don grandes miren de don ventosai ; al8um
Unto peilud 01 denles di frente furedos; tem ou
braco direito urnas marcas feitas como as que coslu''J
Inzer as da terr delfa ; tem ldo vate pefa Boa-VuH :
quem a pegar, leve a rtH do Cabug, loja deiwu-
deni, n. 1 D que ser .gratificado genironmeate.
PlhH. } ISA TVP DB M. F. DE rAKIA 1
H(|6
NUMER/


MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08749

Full Text
- V

"^
w-
Aimu uc *--
Sabbado 21
r MARIO publica-'' todo* os aias que
- nfl^^^T^
** ,0SBa""|o de 20 rif por llaha, 40 rs.
""?!> reptiVocs pela me-
P'Vyt0 q"e 5o foremas.ignante pagao
I Srt. poXh*e 160 em ypo diferente-
PHASESDALUANO MEZ DE FEVEREIRO.
.-i 3 as 2 hor. e 51 ma. da man.
^che. a IU 6 hor. e 51 mia. da man.
I,ua ebcii M .a da inan
PARTIDAS DOS CORREIOS.
Goianna, e Parahyba, Segd." e Sexta* foras.
Ro Grande do Norte, i negaras quartaa
[Cirasao toeio da, eparte as Bicsm&a ho-
ras as quintas reirs.
Cabo, Serinbaem, Rio Formoso, Porto Cal-
vo, e Macey, no 1., 11 c 21 de cada inez.
Oaranliuns c Bonito a 10 e 24.
Boa-Vista-e Flores a 13 e 28.
Victoria as quintas feirat.
Olinda todos os das.
PREAMAR DE HOJE.
Prlmelra a lh.c 18 minutos da tarde._
Segunda a 1 b. e 42 minutos da manhaa.
de Fevereiro.
AnnoXXII N. 4*.
DAS DA SEMANA.
16 Segunda S. Porfirio, aud. do J. dos or".
c do J do C. da 2. v., do J. M. da 2. v.
17 Terca S. Silviiio, aud. do J. do civ. da
I.T., edoJ. depar do 2. dist; de i.
18 Quarta S. Tbeotonio, aud. do J. do civ.
da 2 v.. c do J. de paz do 2. dist. de t.
1!) Quinta S. Conrado, aud. do J. de orf., e
do J. M. dal. v.
20 Sexta S. Eleuterio. aud. do J. da civ. da
1. v.. e do J. de paz do 1. dilt. de t.
21 Sabbado S. Fortunato, aud. do 1. do civ.
da 1. v., e do J. de paz do 1. dist. de t.
22 Domingo S. Margarida.
CAMBIOS flO DIA'20 DE FEVEREIRO.
Camb. .obre Londres. 27 d. p. 1/a 60 d.
a Pars 350 ris por franco.
a. Lisboa 105 p. c. pr. p. m.
Dse, de Ict. de boas Urinas !'/, p: "/,, me.z
Oaro-Oncas hespanhol.-t* 30*500 a 31*000
. Mocda dc()W).)vel. I6#800 a 1700
. derW400nov. l/300 a 16/600
. de4*000 8/800 a 9/100
Pradi-Patacfles 1/20 a 1/940
Pesos Columuarr-s 1#{40 a IfjSSt
Ditos Mexicanos. 1/860 a IrjOO
. Prala Miuda 1/600 a 1/700
Acedes da C do Beberibe de 30/000ao par.
DIARIO DE PERKfAMBUCO
PABT OFfJGlL.
Uovcruo da provincia.
CTKDriNT* no di 47 do coaaasTB.
OITicio Ao inspector da thesouraria da fttendi,
,centificando-o de ler detpreado a queia, que mira
oeollector do Limoeiro fiera Antonio Barrnerdo de
Moura, por carecer de pro o acto, em que dita quei-
is ieba*aa, de hafer aquella oqlleolor eligido do peti-
cionario v*loro de eisai a pagas.
PortariaNomeaodo subdelegado da tregen* do
Brej'o a Smelo Ferreira Leste Cardeal. Partieipou-ae
to chele de polioi*, sobre eu|a proposta se le esta bo-
metcio.
>
Gommando das Armas.
EXFEBIEKTI DO BU 43 DO CORREKTE.
OllicioAo presidente da proiincia, enviando-lbe,
para 1er a final sentenciado pela junta de Justina, o pro-
cesio verbal do rt'o Manoel de Sanl'Anna, soldado de-
sertor do 2.# batalbio deartilbaria a p.
DitoAo meimo faiendo-lhe igual remessa do
procetso verbil do reo Amaro Jos Matbias, do mesmo
batalbio.
DitoAo coronel commissario pagador, transmittin-
do-lhe, paraterem o uto conteniente, as guias, que por
a pagadura da provincia da Babia forio passadas ao 1.*
batalbio de artilbaria a p, e pela pagadoria do Ceart
locapilao jjudante Ignacio Joequim Guodes Alcanfo-
rado.
O auditores da gente de guerra ero, pelas leis de
tus creacio e outras. e lobretudo pela resolucao de
18 de levereiro de 1764, obrjgdos a funecionsr nos
corpos ou regimeotoa onde tervissem. e t nos casos de
legitimo impedimento substituidos por um capillo in-
telligente; e posto que hoja nio bajo auditoros priva-
titos para cada um dos corpos ou regiment! do eierei -
to, e exercio estas funcces os juies de direito em aaas
respectivas comarcas, na forma do decreto de 12 de
agosto de 1833, he claro, que estaa mesmas penides
eitio subordinadas a ditpoiic,5oi de leii anteriores, que
as regularan: e sendo, como be pela citada resolucao, e
oulraileis om vigor no exercito, da competencia dos
commandantes do corpos fazerem julgar em ooncelbo
de guerra sem dilacio, logo que forem apprehendidos,
os roi deteriores, e organissrem os coocelbos de ave-
riguarlo don pretndante* a cadetes de 2.* e 3.a classe,
na conlormidade do decreto de 4 de fevereiro de 18-20,
e provisto de 26-de outubro do mesmo anno, compe-
tencia, que nio foi anda destruida, antes se acha
auloriada pelo artigo 2. 13 do regulamento de 8 de
maio de 1843, curial foi a detignaco, que o coronel
commandante do 2." batalbio de artilbaria a p fes, de
Vmc, na qgalidtdede auditor pela lei, na oomeacodo
concelho de averiguiclo, que lem de conhecer das
qualidades do toldado Carloi Jos Vanez, para ser
reconhecido toldado particular. Os commandantes de
corpos. noste caso, bem como 01 commandautes das ar-
mas, nos de coneelhos de guerra, nio fazen. nomeaclo
propriamente dita do auditor porque este ae acba no
meado em virftide da lei, nio faaem mais do que inserir
as nomeaedes, que a lei manda ajuntar aos procettoi,
o rime do auditor, que nelles deve funccionar.e o audi-
tor, por eiaa deiignacio emanada do quartel general, ou
dos corpos, esta obrigado, urna vez avisado, a compare
cer do conceibo, e a exercitar as auas funcedes; eum-
prindo-lhe, em cates de legitimo impedimento, partici-
par a autoridade militar, que nomeou o concelho, para
etta, por ti, ou por intermedio das superiores, promo-
aig
r a tubstiticio peloi meioi eatabelMido, e ultima-
mente pelo aviso da reparticio Ja guerra de 27 de junho
do anoo prximo paitado. ,
Aula tsnho respondido o nffleio. que Vmo. me din
gio em 11 d torrente, mostrando a incompetencia,
que julgava encontrar na nomea?lo feita pelo dito co-
ronel. .,",
Deo guarde a Vmo. Quartel general na cidae do
Recife, 13delevereiro de 18W Antonio Corma
SUra. Sr. auditor de guerra pela lei, Vicente Fer-
reira Gomes.
Portaria Mandando fazer efeetivas as ordene do
[governo imperial de 24 e 26 de Janeiro prximo pasta-
do, pelas quaesso determinou, ossem esculos do servi-
co, por ineapacidade phyiea, o eabo-de-esquadra Ray-
mundo'oaquim doi Santo*, e o soldado Cosme Rodri-
gues da Costa, do tegundo batalbio de artilbaria a p.
Dita Mandando, em comequeneia das mesmas or-
dent, e pelo mesmo motivo, eseutar do tervico os tol-
dados Manoel Jos do Etpirito Santo, e Zeferino Jote
doiRoit, doprimeiro batalho de oteadores.
Dita Mandando, em virtude do aviio de 26 de Ja-
neiro ultimo, etcuttr, pelo indictdo motivo, o soldado
Jos Pedrozo de Almeida, do quarto batalbio de arti-
lbaria a p.
Dita Mandando reconhecer cadetes da 1 clasie,
na forma do alvar de 16 de marco de 1737 cujss dit-
poncoet preenebrio, ot toldtdos volunariot da com-
panbia fila de cavallaria Manoel Pera Ctmpello Jaco-
me da Gama, Apolonio Peres Ctmpello Jtcome de Ge-
m, e Jote Peret Ctmpello Jtcome dt Game.
dem do di* 14.
OIRcio Ao presidente, informtndo o requerimento
de Gtldino de Oliveirt Jacome, pediodo permiisfio pa-
ra que teut filboi ctdetet da companhia de cavallaria,
J. P. C. J. da G., A. P. C J. da G e M P. C. J.
da Gama, oontinuatiem a frequentar neste anno os
esludo* preparatorio!
DitoAo presidente da provineit dn Alagoii, re-
quiittndo a guia de vencimentoa do capito Pedro
Ivo Vel!"iodt Silveira.
DitoAo lenente-coronel commandante do 4.* ba-
talbio deartilbaria a p, dizendo-lhe, que o toldado,
que te mandou eacuaar do *ervico*em portara de 13
do correte, chama-iejoi Pedro de Aluiwidt, e nio
Jote Pedro.. -**J**fc ---
INTERIOR.
RIO-DE-JANEIRO.
POLTICA GBBAL.
O bul d lord Abtrdun.
[ContinuacSo do numtro antecedente.)
DeTripole. em*9deebril de 1841, ttereveo o eo-
roncl Warrington ao viteonde Palmenton, o leguiote
Cabe-me a honra de iolormtr, que em Bangui a-
caba de chegar urna grande caravana com grande nume-
ro de ucravoi brancoe viodoi de Wadey: 800 que la-
tido parte della perecirdo no desertodt fomtW
Em 22 de junho do mesmo anno, o vice-contul in-
gle* T. Wood, de Bengaxi, communicou ao coronel
Warriogtoo, o teguinte : Paraeima dt iout mil
escrarot brancoe, at ata data, ttem tido tratidos do
interior no bmi trittt t mittravtl tttado, e a mor par-
te dellet quaii em tetado de completa nudez. Dt 900,
que ka poueo lempo um commtrciante traxia, ptrtc-
r&o 300 na eta Qtm de fomt t edt (7). Astim por toda
1 ptrte...
(7) Ptpeii pirlimentare de 1841 e 1842-Clan. D.
FOLIIETITO.
THE.4TK0 IIALI.MII.
A F1LHA DO REG1MINTO.
Ainda uma vez, e a companhia itpliana desappare-
rcra d'entre nos. Verificou-seinfelizmente oque nSo
podamos acreditar : o pequeo numero de espec-
tadores, que povoavao a pjateia lias 1 eurebeiiUves
ordinarias, era intulliciente para cubrir os gastos de
cada noule e os diarios da companhia, e a compa-
nhia rctira-se para onde melhor a saberO avahar,
para onde o gosto pela arte ja se acha formado d'uina
maneira severa, e par onde nos consta achar-so j
contratada : o io de Janeiro.
Todava, antes departir da nossa cidade^ anda
consignaremos algumas palavras ncstejorniT acerca
do espectculo, que a companhia nos deo no da 7,
em beneficio da Sra. Marietta Marinangeli, em cuja
noule nos parece, que a linda actriz se exceder a si
niesma em graca d'eiecuQ3o. Foi como um reproche
vivo, melanclico, esplendido, lancado a Pernambu-
co n'iima quasi despedida.
A plateia achava-su nesta noute apiuhoada de es-
pectadores, e os camarotes todos oceupados- 0 bene-
licio da Sra. Marinangeli, e a uoviiiadu da t'iihu do
K'i/imento, que pela primeira vez ia i scena, attrahio
ao ttteatro nesta noute quanto ainda sent vibrar na
alma alguna corda de harmona. Tamben), foi esta
Na Arabia e na Syrii custa ctda escrava brtnct de
500 a 600 pesos. Em Constintinoplt o preco de uma
bella Georgiana vti at 20,000,000 peiot heipanhei
[piastra). Al familias georgiana edaclo sempre sutt
liihas'poi. 6'e vrgii'uuiu ouicnarcio As Ahysiiniat
se vendem por grandei preco, valem timben por tut
formosura... (8).
. Em Buibire e em outros porto) da Penis, uma A-
byuinit cuitt de 60 1 300coraa allemiei. Um ho-
mem cusa de 60 t 120. OiEunucoide i00 a 3001
Em Matate qutii 01 mcimos precot so tlctncio(9).
Em um peridico de Agrem (Crotcii Hngara) 10b
I rubrica de Bucharett(Vtlacbii), ainda ha bem pou-
eo lempo lia-te o teguinte : (10).
A' venda : em can doi filhoi e berdeiroi do fal-
lecido terdar Nicolio Neka, residente em Bucbtrest,
no tuburbio Sio-Veoiro, duienttt familias de Bohe-
mios, cujoi vtrSe fio pela mor ptrte Itvradore, 1er-
rilheiroi, allaiatei, ourives e muscot O dono dellet
nio vende teno em lotet de cinco familias, e por i 110
faz em cada individuo o abatimento de um ducado 10
bre o preco eommum. Concedem le pnzoi pira o pa-
gamento.
Deeutro trnmos o teguinte ficto (Uj.
Reduzidot maior miseria pelai innaedicSet do
ultimo invern, os ctmponezet de alia Hungra allluem
pira Perlh, onde etttbelecrio uma verdadera feirt
de ctrne humana. Vendem 11 mennti de oto 1 det
annoi por cinco florini; 01 rapttei valem menoi: dei
a vinte kreutten (cerca de 560 n. da rooeda brtiilei-
n). Conta 1 gnetta de Oflner, que um rapeito, ven-
dido por 60 kreutters, atirou-se aoi pi doi teut ptit,
iuppliciodo-oi, que o nio vendetiem, promellendo-
Ihes, que, te ficittem com elle, nunct mais Ihei pe-
dira de comer. O miii horroroso em ludo itio he
a indiflerenca dos vendedoret, que oem querem itber
como te cbamio, e onde residem ct comprtdorei.
Auim, poii, te na Europa e na America, nt Aiit e
ni Alriot a escravdio existia, o infame iraftgo da laf-
ne humana Hz\a, e linda i-fii. qur enlre chrii-
lio, qur entre Musulmanot, tisim por mtr, como
por terrt, o que cabia faier aquella governo, que lo-
maste a paito urna tio itntt ctuia Por certo procu-
rar o concuo da todoi os povos par* omoguir
linctio deaso hafogo em todoi os lugtres. I-e-lo asurn
a Iogltlerra ? Certo nSo. Deo de mi a todas os suat
alleicae! provenientes da homogeneidade de rehgiio ou
de rrce, volveo-te lmenle em favor dot Alricanoi, so
em seu beneficio dedicou suacaridtde, epplicou todoi
01 teui pennmeotot, deivelos, cuidtdo, solcitude e
etlorcot... Nem o muero Bohemio ou o Hngaro,
nem o captveiro do Runo, nem o dis mocas da Geor-
gia e da Crcaitia ou dt Abyssinis, nem o Indio... nem
t sorle do brinco e do obriitio, ou oulro elgum eicra-
vo mcreceo um olbar benfico da Grio Brettnbt.... l
Africano....
O que referimos nio he destituido de prove, cabe-
not por tinto ora da-las.
O artigo 10 do tratado celebrtdo neitt corte em fe-
vereiro de 810, entre Portugtl e a Inglaterra, he ei-
pecial aoi eicnvoi da Mina.
O artigo sepirado do tratado de Pars de 30 de maio
de 1814, enlre a Franca e Portugal, ohelambem.
A convenci de 22 de Janeiro de 1815, celobrtdt
em Vienna. entre Portugal e t Ingltlerra. he edstnctt
ao commercio de eicravot da frica.
a primeira vez que a Sra. Marinangeli colheo entre
nos um verdadeiro triumpho. A sua apparico no
palco n.lo si'i foi saudada com vivas e prolongados
applausos, como de costume, mas, logo que acabou
decantar o duelo 0/1, ci non preme,- vio ella coroado
todo o seu talontocoui duascapellasdeibrmosissimas
ores naturaes, que Ihe arrojrao aos ps, de um dos
camarotes da direila.
N3o pretendemos enumerar as partes em que ca-
da um dos actores se tornou notavel na cxecucSo da
t'ilha do Regiment : neuhum houvc, que desmentisse
nesta noute, verdadeiramente interessanle,oque por
vezes temos dito do mrito de cada um : pareceo-nos
at, que o Sr. Bonanni, no papel de Ortensio, que
desempenhou, ostentara grande progreso d'acccnto
e de mmica, comparado com o seu Irabalho as an-
tecedentes representarles. Todo o movimento, que
o primeiro acto demanda, esteve de um effeito admi-
ravel; c o terceto do segundo, La romanta m quis-
lione, e mais o pomposo quarteto Che vedo! un uffi-
ziale, no qual a beneficiada se elevou realmente a
quanloa arte tem de ideal, suscitrOo na plateia e
nos camarotes tal efluaflo d'enthusiasmo, que nunca
acclama^es nos parecrflo to altas etflo signilica-
tivas, como nesta noute. Assim, ficrflo em parte
compensados os derradeiros gorgeios da artista a
l'ernambuco com a profunda adroiracSo, que mani-
l'estarao todos os espectadores na noute do seu bene-
ficio ;e seresseum raiodcgldria,-- pouco conhe-
cido, he verdade, mesquinho talvez, mas que para
sempre lhe reQectir no coracio. Hossa a joven e bel-
la artista continuar como at aqu a correr desassom-
brada e cheia de enthusiasmo pelo caminho diflicil,
que ella percorre com tanta fortuna, mas que o faca
no nieiode uma popula^o, que a aprecie, e lhe tor-
(8) LamtrlineViegeni do Oriente.
(9j Papis ptrlimenlare de 1842Clati. D.
(10) Andiencejtneiro do anno de 1844.
(11) Mute des familles do anno de 1845.
ne delicias tanto esforco e tanto sacrificio, como a
maior recomDensa, que o artista de corceo deseja
na trraa gloria perdravel.
Ainda hoje teremos de ouvir a Sra. Marietta Mari-
nangeli, e toda a companhia italiana no Ernn de
Vcrdi, em beneficio do Sr. Toselli, mas amanha......
amanhaa, sentar-se-ha a saudade nos bancos da pla-
teia a ouvir as artieulaefles dcscompassadas e mon-
tonas de algum drama de Antonio Xavier, e d'ah, o
tedio e o somnofarfio que o espectador saia do thea-
ro a tomar ar pela praca, e por ahi se deixe icar ate
limdape^a.
A RAINHA MARGOT. (*)
. por aifiaiiurr Dumae.
QUINTO VOLUME.
CAPITULO III.
O XMBAIXADOail.
No aoguinte da, lod a popiiUcin du Purii htvia af-
ftV.do pnra o btirro Sainl-Anloine, polo qual i liar/a
decidido que flaeaaem ua cntrmli os embaUadorrt po-
laAoa. lima linln dcStiitans cunlinlia a inulliHilo, <
ilealKcauentea de eavnllaria protegiio 1 ciroulacao de
() Vid*) Dtrit n.* Al.
A declnelo doi plenipotenciario do coogresso de
Vienne, de 8 de fevereiro de 1815, he muito particu-
lar a eite objecto nelle te tchio escripias estat pala-
vras.. o commercio, conhecido 10b o nome de tra-
fago de negros da frica, lem tido sempre encirtdo
pelos homons justot e esclarecido como opposto aot
principios de bumanidtde e de motil universal.......
um flagello, que lem asiolad'i a frica, tvillado a Eu-
ropa e tflligido a humtnidtde. .. (12).
Os tratados celebradoi pela Grao-Bre tan ha com a
Hespanht, com 01 Paiiet-Btiioi, com a SueciaeNo-
roega, Brasil, &e., slo do mesmo teor.
Nos lempos mti prximos, no-mesmo sentido, lorio
celebrado 01 da [''raoc,a, Totcana, Uua >iciliti e ou-
trot paizes. O de Tem he 1 ette reipeito muito poti-
tivo.Alricain Sltve Trtde-asiim se exprime.
Astim tambem loi etcriplo o ultimo feito com Portu-
gtl e igualmente o dat cinco potencial, e o c