Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08730

Full Text
Auno de 18414.
Sabbado 27
O Diario publica-se Halos os das que n.io forero santificados : o prego da -ssipiatura
be d: tres mil rs. por qunnel pa-os adiantadns Os aniiunriosdos assi;n'fnics s:"io inseridos
palia. 0 que Do forero i raijo de 80 res por linlia. A s reclamacei rieren ser diri-
gidas praca ra Independencia l e 8
PARTIDA DOS CORREIOS TERRESTRES. -
CotiMU. e Fanbjbt segundase nUM feiras.Rio Grande do Norte. c.bea a S e 2-> e par-
M i IUi Cabo, Serinliaem. Ido Fnrmoso, Macey, Torio Calvo, e lagoa. noi
i I e -H de rada mei Garabina e Bonito < 2 ,|e ca.ia mei Boa-nsla e Flor-
es 13 & lio. Cidade da Victoria, quimas feiras. Olinda indas os das.
DAS DA SEMANA.
J2 >eg s. -olere l.aio Aud. do J. de 1). da 8. T,
3 Ter'a s. Jorge Re. aud. do de 1) da 3. v.
24 Quarlas Mileio Aud do J. del), da 3 t
05 (luinla s. Maro* Aud do J. de D da 2. t
;6 ."-eita ClarencioAud. do J. de 1). da 2. r.
57 Sb i. Caslor Re. ud. do J. de D. da 1. r.
25 Dom s Vital
DIARIO DE
de Abril
Anno XX. H. 100.
tfjBaBBBBBBVnaBHCCSCZ!IEDBXCBaEBSE?rj9
Todo agora depende de nos
r. oderaoSo' e energa ron
. nirsmos: ris nos.s HTQdenCe,
linuenoi como principikmoi, r ser-nos >......idos < un admiraqio entre la nagea raais
y ..'. eulUo. ;Proelamagio di Usemhla Geral dv sraiil.)
f,Vf. .', ---------------------------------------------------------------
s#7 '' i1l> '4/ ,. OMi-io, Miin,:i; : ,-oaipra ;""
.'>/' Cambios sobre Lonrfre Oura-Moeda de 6,400 V. 17.20" 1V,iU(l
, N 16.900 1.7300
, de 4,00.1 'J.00 '-' l"'
Prala--Paiae6es 1.960 .^
, Pesos lolummnarea 1.97 >*<>
, |i,:s eiicanoa 1,960 <'*>
Paria 70 res por franco
m < Lisboa 112 por !
Woedadr cobre .1 por rento e nao .i
dem de letras de boas fintas I .i jii
PHASES DA a NO MI./ )!; UHUL.
La creia a Su 4 horas e 36 rom .1, ,,,, Lu Ilfl jj j bcr 11 m,n ,,, ,,.
Minguanlea as 7 Lora, e ai aun d. ,r,!e. |Cre.C.Dt & ., 5 b. e 45 m. d. ...bis.
Preamar de hoje.
"'t^-0,1'::' r 'Um-.- i' 0 hora, o 54 ,. da t.td

ri
s
C1
I ;
L.
Governo da Provincia.
Expediente do din 10 do correnle.
Officio-Ao lixtu. presidente da relacao e ao
inspector da thesouraria da fa/.enda intelli-
gcnciando-os de haver concedido dous inezes
delioenca, natbrtna daiei, ao desembargadot-
da inesina relacao, Joaquim Texcira Pcixoto de
Abreoe Lima.
Di tosa Ao Exm. e Rut.0 director do lyceu para
que hala de informar, se a casa da viuva de
Gervasio sita na na dos Pires, tem a precisa
capacidade, para convenientemente ac tu mo-
dal' o mestno yeco.
Portara Conccdcndo a Francisco de Pan-
la liarretn a demissfio, (|ite pedio, do lugar dcs-
crivao privativo do jurj do termo do Cabo.
Communicou-se ao respectivo juiz de dircito ,
e ao demiltido.
dem do din 17.
OTicio^Ao inspector interino da tliesonraria
das rendas provinciaes, ordenando, queman-
tic por novaniente em praca as obras d.\ i." par-
te do S." lauco da estrada do Po-d'aiho.
Dito\o inspector da Ihesonraria da a/en-
tla, determinando, que, no caso de estar ou_
lonne D pret, que Ihe reinette. mande jatisfa-
zer ao clarini, Lua de Franca, do.'aqutdrffo de
avallarla di guarda nacional -,, (.str ,,,,,,,,.,,1,,
as lorragens, que ae Ihe d;Vein do 1. de julho
de IS2 ao ultimo de l;Vereiro de iMl\.=^ Com-
nmnicou-se ao coii..,n.ltuiant<> superior respec-
tivo. *
. to~Ao r ugenlieiro em chele das obras pu-
blicas, o, (|, n.-iiulo em consequencia de requisi-
V';' '..a cunara municipal (Testa cidade que
'"ande fornecer ao respectivo cordeador, Pedro
Jos de Aievedo Charatnbak as l'olhas das
plantas dos trairrosde Santo Antonio e Boa-vista'
que requisitar para d'eljas copiar as que falta o
ao archivo da inesma cmara. Parlicipott-se i
cantara municipal d'esta cidade.
Ditos : Ao presidente da relacao e ao ins-
pector da thestiuraria da fa/.enda intelligen-
ei tndo-os d'haver S. M. o Imperador concedido
q u a tro mezes de licencia, coin ordenado ao
jiila de direito do criine'da comarca do Brejo ,
luau Paulo de Carvallio.
Commandodas Armas.
Expediente do din li do p, p,
Ollicio -- Ao Exm. presidente inl'ormando o
requerimento de Francisca Xavier de norge's ,
(pie pedia deiuissao para sen lilho Antonio Se-
basti.io soldado da coinpanliia de artillecs al-
legando ser viuva carrejada de familia, c aqitel-
le soldado o sen tnico arrimo.
Dito- Ao Exm. general conunandmte das
ninas da corte reinettendo-lhe a guia do -2."
cadete do 2." hatalhao de arlilharia a p .leroni-
ino-Luiz llibeiro que obtivera licenca, ese-
guia a niatricular-se na escola militar.
Dito Ao commandante interino do hatalhao
de artilharia exigindo copia autbentica das or-
dens nas quaes estavo dispensadas do com-
parecimento das revistas de niostra algumas
piaras que estudavao preparatorios nesta ci-
dade p iia d'Olinda conforme pedia o inspec-
tor da Ihesonraria sobre exigencia do coin-
missario-fiscal.
dem do din !;">.
Dito Ao Exm. presidente, informando o
requerimento dq soldado particular do batalhao
de artilharia joaquim do Carino Fernandes,que
..i. u__. ...
.' sai
ca do soldado permanente invalido Prancisco
Xavier de Fre tas que eslava no Rio-grande
do .Norte, pela inipossihilid.ide em que se .(cha-
va pelo sen m o estado de saude de voll.tr a
esta provincia cin tenipo opportiino.
EXTEP x:,
dem do din 18.
IHcioAo Exm. e Hm.u hispo diocesano, pe-
diudo, para seren Iransinittidos asseinbh i le-
gislativa pnvlncial os primitivos estatutos do
seminarlo de Olinda.
DitoA cmara municipal d'esta cidade, para
que, segundo exige a asseiuMa legislatica pro-
vincial, informe j 1." se existe as proximida-
des da inesma cidade sitio ap'ropriado para lo-
graddro publico do gado vacciim que tem de
ser consumido ; 2." se o lugar era que actu-
almente se fazem as feiras, he o mais proprio
tiara ito, ou e existem cutres, cu! que pussito
ellas ser cstabcle idas de mu modo mais vanta-
joso aos interesses dos fazendeiros ; e 3. quaes
as providencias que a tal respeito teem suas
m. tomado.
Dito=A inesma, para quede o seu parecer
a cena do reqneriinenfo que se Ihe reniette ,
e no qual os proprietarios da ra da Pjaia pe-
d ni asseinblca legislativa provincial una
providencia para a dewolicao do quartera da
i ibeira do peixc, que lita do iado do uasecnte, e
em frente da rita allegando o desformosea-
inento, que dasua conservaco resulta a mesma
ra, e o prejutzo que sotirem em sua sajjde
pela cxalai;a<> das materias ptridas, pro veni-
entes do curie dos peixes.
Dito -Aojiiiz relator da junta de justica re-
ineltendo para ser por ella dclinitivaniente
julgado, o proersso do reo Elias do Carino de
Santa Rosa, soldado do corpo da guarda nacio-
nal destada.
dem do din 19.
Ollicio--Ao hachare!I Vicente Pereira do Re-
no declarando, de coiiforuiidade coin o parecer
do coHselheiro presidente da relacao que ne-
iliunia incoinpatibilidadi' ha em exercer sita
nerctt ao niesino lempo as ftiuccocs inherentes
ao lugar de supplente do juizo trorphos e ao
do municipal d.i I." vara ; por isso que, alm de
luio haver disposicao algitma legislativa que o
prohiba, pois os artigos 473 c Al\ do regula-
memo n.120de 31 de Janeiro de I842sinente ge
referem aosjuizcs preprietartoj s 11 dada i accumulacao, se do exercicio de ambos
os cargos proviesse, o risco de nao poderem ser
'> ni descnipenhadas as obny icoes de un e ou-
tro ; o que se uno deve suppor no caso vertente
por seren essas bstitU9des por lempo mili li-
niii ido, e nao poder por conseguinle haver atra-
so no expediente OffieLou-se i respeito ao 2.
supplente do juiz municipal da I." vara.
I or irii Vomcandn ocidado loao ros de
>; lujo' avalcanti subdelegado da fregue/ia de
Vguas-bellas i rnio de Garanhuns -- ( o
nkou-sc ao ebefe de polica inteii o
pedia '..e,.nra p,Ua inatriciilar-se no lyco desta
'".ule sendo para isso dispenso do serviro.
Dito Ao inspeelor da Ihesonraria requsi-
tando-lhe adiantado os venciinentos do destaca-
iii' nlo do Brejo de II a 31 do correte por se
ottereeer segura occasiao de portador.
Dito Ao comniaiidantc do I." balalh.io da
(i. Y diste municipio sobre cufio ter rendido
(luis guardas, por nao ter viudo parada a
gente precisa.
Dito Ao delegado do Brejo .sobre o augmen-
to do destacamento e do (pie de va d'alli par-
tir para Paja de Flores.
Dito Ao delegado de Paja de Flores com-
niunicaiido-liie que do Urejo partirla mu des-
tacamento paracoadjuvar o serviro da polica,
e dando disposiroes sobre o pagamento do ines-
nio destacamento..
Dilo Ao chele de polica, sobre o julga-
nieiito do soldado de artilharia .losi'- Maria Das ,
que se achava preso desde 3(1 de oiilubro do au-
no p. p. em consequencia de ter espaneado a
un Portugus.
Portara Mandando em cunipriinento do
aviso imperial de 20 de fevereiro utrimb e o
officio da presidenta, de hontein dalado dar
baixa ao 1.' cadete Antonio Carlos Paes nrrelo ,
e soldados Francisco .loao Pacheco Ramos Jos
Goncalves Antonio .los de S. Anua, e .loao \e-
pomuceno da Silva todos do bata linio 2." de ar-
tilharia a pi;, julgados incapar.es do servico em
nspcci ;io de saude ,de 5 do referido mes tic fe-
vereiro.
Dita Mandando por igual motivo dar baixa
io soldado de cavallaria Quintillan0 Jos de
Moma.
'Dita Mandando recoiihecer soldado par-
ticular a Jcsuno Fiel de Athaide soldado
do 2.u batalbSo de artilharia que em conceibo
de ayeriguaefio provou estar as circunistan-
cias do decreto de 4 de fevereiro de 1820, c pro-
visto de 20 de ontubro do nicsino anuo.
dem do din 18.
Ollicio-- Ao commandante interino do 2. batha-
Ihitodeartilharia ap, ordenando-lhe.que (Izesse
recolher a repartlcao das obras publicas os dous
calcetas que estavao a serVico do hospital regi-
niental, visto nao podetem ser abonados i\:\
respectiva diaria pela dita repartirn, acliando-
se em serviro ilheio dclla, c nenipelo ininisle io
ta guerra, por nao haver quota consignada,
picvcniudo ao inesino tempo, que se a estada I
OS DISPUTADOS LEGITIMISTAS F.MFRANCA.
A Pree de ) de Janeiro annuncia, que alguna
deputados legitimistas senao todos apresen-
tariao a sua resignacSa. A commissiio teria obra-
do eom m lis prudencia em eliminar do para-
grapho apilivr.i queprovocou urna resol uco
to deploravel. Como he possivel, que acom-
missao composta como era de honiens ins-
truidos, e moderados, nao percebesse que isso
era colloear certos deputados n'uma posicSo lo
falsa, e delicada entre os seus collegas, que clles
nao continuariao a assentar-se na cmara? Como
he possivel, que a comntissao nao comprchen-
desse que destruirla n'um da e por una s
palavra a obra de doze anuos que alienara do
governo inultos homens influentes, beni dispos-
tosa apoial-o as eleices,nos concelhosgeraese
nis administraedes locaes muitos homens,(pie
goiao de beni merecida considerarlo perten-
centes ao partido legitmista pelo sen nascimen-
to pela sua familia, e tradicao, pelos seus ser-
viros, ttulos, e rel:i< oes os ipiaes tinhao feilo
sincera coalisao coni o partido conservador se-
nao por homogeneidade de sentimentos, ao me-
nos pelo aecrdo de opinies.por mu mutuo de-
sejo de garantir o respeito devida ;i religino .i
sociedade e propVicdade pelo niesino desc-
jo de consolidar a ordein e promover a pros-
per i dade do paiz .'
Como he possivel que a eommissao nao pre-
viste, pie, levando as cousas a tal extremo, dei-
x.tria de attfngir o lim desejado escandilisara
iodos os homens bem intencionados do partido
legltimista, tornarla a sua situacao insupporta-
vel impedira o progreSSO da (lissolurao entre
aquclle partido c somente tendel ia a restituir
aos seus cheles aos seus botas-logo aos seus
intrigantes, e aos sens jnrnaes, urna Influencia,
(pie visivelmente la declinando todos os das, e
que estavao prestes a perder d todo y Como he
possivel, (pie a eommissao lio enxergasse, que,
pioccdcndo tao inconsideradamente, induzindo
a inaioria a adoptar una medida de intoleran-
cia, e exclusao, licava burlada, e oque lazi.i coin
isso era promover na prxima eler.io o triuin-
pho da opposirao.e da revoluco? Lomo be pos-
sivel, que a coininissao nao entendesse, que, ir-
rogando aos deputados legitimistas a degrada-
ran parlamentar, compellindo-os a sujeitar-se
reelcic;io expuiiha acamara dos deputados a
ver ntillilitada a sua sentenca pelo corpo e le to-
ral, e que os elcitores absolveriao aquellcs, que
ella linlia estigmatisado ? Por que rasiio teria
ella hesitado entre nina imprudeitcia tao noto-
ria c a supprcssao u; urna expressau incauta ,
que teria sido proinptanieiftc esquecida ? Como
he possivel naltnejite que a commissiio na*o
coinprehendesse que por isso incsnio que to-
dos os governos anteriores tinhao sido inesqui-
nhos em tolerancia poltica ,era mister que o
nosso tendo bastante frca para ser sobrancei-
ro e basta.ite calma para ser generoso, se dis-
tinguiste da ri'volucao do imperio c da res-
taurarlo pela sua blandura *
labolado coin a corte das Duas Sicilias. < nego-
i io cliegou todava an eonhecimento de urna po-
teiieia aUcinaa, inlluente na Italia e pedio-se
explcacao. Sao obstante isto, nao se pude con-
seguir que o ministro franeez se explicasse e
nao se erguen o veo antes que o actual gover-
no hespauhol fosse reconhecido por aples. As
potencias do Norte contentrao-se ento de de-
clarar a M. Guizot, que sabao do seu plano des-
de o principio eque prestariao ao assumpto
.....s madura eonsideraco, quando a Franca
Ibes asseverasse que a proposta do casamento
li.ui.i recebido a sanecao lis cortes. Veste p se
acha o negocio actualmente, e nos crculos da
nossa irte nao ha conlianca alguma ua possibi-
ldade de realtsar-se o casamento. -- AUgmeiiu
Ziitung,
Morir de S. .(. /.'. o duque de Saxe Coburgo t Golha.
A curte de Inglaterra acha-sc entregue a pro-
funda magoa pelo iuopinadofallecimento deS.A.
i!, o duque reinante de Saxe Coburg e Gotha.ti
e sgro ele S. M. a r.iinh.i, pai do principe Alber-
to c rinao mais vclho da duquesa de keiu e
do re dos Belgas.
S. A. II. tinlia, ha ponen, entrado nos sens 0U
.unios de id.ule e era Umversalmente amado
des seus subditos. Succedeo a seu pa', o duque
Francisco de Saxe Coburg, e Saalfeld no anuo
de 1806, mas fui impedido de lomar pos se pela
sna adheso ao re da Prussia at o anuo de 1S43.
N'aquelle anno commandava elle o o.0 Corp*
d'.lrme c foi-lhe entregue Ment pelos Fran-
cezes.
Tendo voltado do congresso de Vienna ap-
plicou toda asna aetividade, e sol icit me ,a pros-
peridade do seu povo e no auno del8(9deo-
Ihedeseu inotit proprio una constituicao rc-
present itiva. Depois da exinr.lo da casa de Co-
tila, tomn parte na divisO d'clla coin Saxe Mei-
ningen, i Saxe Hlburghausen cedendo Saal-
feld ao duque de Saxe Meiiiingen c recebendo
0 principado de Cotha ; em consequencia do
que foi o ttulo da casa mudado no de Saxe Co-
burg, e Cotha.
Era iiiuilo amante das artes e seieneias ea
su i activa energa prova-se pelaconstruccao do
palacio de Coburg pela rerdilicn .io do antigo
1 aslelln pela fundaran dos caslcilos de Rose-
niaii lugar do nasclmento do principe Alberto)
de Calenberg de Reihoodsbrunn, do celebre
collegio de Gotha, c dos dous esplendidos thca-
tros de .Coburg, e Gotha. Foi casado coin Luiza,
lilh.ninica de augusto duque de Saxe Gotha c
Altcnburg da qual teve Ernesto, principe he-
reditario, (ora duque reinante), e o principe
Alberto, cuja ediicarao elle pessoahiiente diri-
gi coin o mais paternal desvello e cuidado.
rol casado segunda vez eom Antolnetta, lilha de
Alexaiidrc, duque de afecklenburg, da qual nao
deixou |irole.
7
liu-
dos tlous-calcclas fosse absolutamente indispen-
savel no hospital, que os deixasse de recolher,
e Ihcs abouasse por conta da caixa do mestno, a
diaria de 80 rs. para seus alimentos.
Dito Ao iiicsino, reniclleiido-lhes as guias
que foro passadas pela corle ao 2." teen te J.
. N. da Fousfca, que se rccolhera a sua pro-
vincia, sendo a da pagadoria, para dclla extrac-
tar o que fosse necessario para organizar a l'o-
Iha dos veiicin.culos, c devolvl-a ser enviada
a thesouraria, e a do corpo onde esteve addido,
para a vista dclla jiassar aos seus asse ti tos as
oceurrencias militares, e exiuncs de preparato-
rios constantes das certidoes que inclua.
Dito Ao commandante do corpo de guarda
nacional destacado, mandando recolher a re-
partlcao das obras publicas, os dous calcetas,
que no dito corpo se achavao cniprcgados no
servico da limpcza.
Igual ordem se expedio ao commaiidaiite do
fortalesa do Bruno e ofBcialmente se prevenio
ao engenheiro em chele.
Dito Ao eominand.tnte da conipanhia de ca
O casamento da raiiihu de Hespanha.
aples, 14 de Janeiro.
Tanto se tem dito, de certo lempo para t, .i
cerca de un projectado casamento entre o con-
vallara, inandando castigar corporalinentc ao
soldado Hei nailino Jos de Lima, que, estando
de gu irda i coXa, se ausentara sobre a madru-
gada levando mu dos mehores cavados sella-
do o si ii armamento e fardamenlo, e ron-
dando a mu do- s< us cania radas.
de de Trapan, e a rainha de Hespanha, que nSo
vira fra de proposito expdr a realidade dos tac-
tos a tal respeito. Tein-se asseverado que a
ideia (Peste consorcio parti de Lord Aberdeen.
Isto he falso. Seria mais exacto o dizer-se, que a
ideia|eve oiigem asTuilberias eque Lord
Aberdeen receben a prhneira insinuac.io d'clla ,
durante a visita da rainha Victoria ao castcllo
d'Kit, ao tempo em que pendiao negociaedes a
j respeito entre o conde de Syracusa, e M. Guizot
por intermedio do duque de Serra-Capriola ,
embaixador Napolitano em Pariz. Suspcita-
se todava nos circuios mais elevados d'aqui ,
que o governo (ranee* apresehtou o projecto
d'este consorcio nossa corle, s coin o Oto de
induzir o rei das Duas Sicilias a recoiihecer Iza-
bel II. Por mais afn, que se tome em oceultar
n ntctn he sempr evidente, que o nosjut go-
verno nao est muilo satisfeto coin os despa-
chos recebidos do principe Carini em Madrid ,
e ha queixa de intrifr.ts da parte da corte das
Tuillierias. Quando o duque de Serra-Capriola
quiz dar impulso s negociaces,relativas ao ca-
samento foi inforinado, deque o negocio nao
poda ser levado a elleito tao precipuamente ,
como o desejava acorte napolitana, que era
una iuestao europea, que dem indava una coo-
p i i ao diplomtica geral eom tudo esta coo-
peraran parece estar alfid muidistante. Ateo
0RE1 DA SUECIA.
Ilamliurgo 23 dt Fevereiro.
As mais reccuics uuiicias le Stockolmo sao th;
(6do correte, lie para lastimar que os bole-
tns dasaiide do rei s parerao indicar a debili-
dad.' continua do augusto paciente ; e s;io os se-
gn tes ;
13 de fevereiro = S. M. achou-se melhor hon-
tein, depois que tomou em pequeas porcoes o
alimento que pedio. O seu soimio durante a noute
foi mais prolongado e tranquillo do que em
qualquer das limites anteriores desde que adoe-
Ceo. O lugar do p parece indicar un principio
de melhora.
15 de fevereiro. Nao tem occorrido mudau-
ca algum depois do ultimo boletim. A noute
foi tranquilla coin imi bom soumo de perto de
0 horas; mas S. \l. contina cin debilidade.
10 de fevereiro S. M. dormio a noute pas-
sada mu somno tao longo e socegado como na
noute antecedente ; poiiu larceein haver-se-
Ihe antes diminuido as loicas to que augmenta-
do esla tarde.
O Dr. lledrcn Hispo de Linkoping, confes-
sor do rei, chegou aqu na quarta-feira; rece-
beo por expresso, na terca, ordem de vira Sto-
ckolmo, c parti una hora depois em cavallos
da posta.
O principe hereditario tem reunido dous
concelhos depois do ultimo correio de hon-
tein.
Descobfirao-se aqu ltimamente duas can-
fes amatorias escripias pelo grande rei Gus-
tavo Adolpho cm 1010.
...i. o.. a ni -io, s. us L-amaraa is. perayao parece estar anda mu distante. At o
tuto \.. commandante do deposito emu-1 momento, em que o principe Carini foi enviado
iiiunicaiido-lhe, .pie o Exm. Sr. presidente, por I Ma.i.id. encobrio M. Guizot s grandes poten-
ofhcio de lo prorogara por tres mezci i licen-icias do Norte is uegociaeds, que se tinhao en-
1NGLATFRRA.
1 lei dos pobres em Oxford.
N'um meeting de cidadaos de Oxford, convaca-
do por avisos pblicos e que teve lugar na
casa da cmara (Town-hall), presidida pelo ve-
neravcl Magu nu Maire propozerao-se e adop-
tarao-se as seguintes resoluroes:
1.* Que esse meeting sonbe eom dezar que
se apresentou na casa tos coinniuus do parla-
mento mu Lili contendo mua clausula, que am-
plia o poder dos commissarios da lei dos pobres
a unta grande extenco, erevoga .. acto rela-
tivo ao governo das paroi hits unidas .11 i dade
/!' ( vlnrif {)\i,- n
iu.\.; uu.
pCaUre: c .uuutiUH.u-


2
/
-
-------------
I ! ..
[
_ . _ ;
- .



. -
-
. -'
: -
. .
.
-
. -
-
-
.
-; -
*
- .

_
_
-- -
-. _
- .
i]
-
i
:
- -
d -
So caso.
-
- -
.
21 .
.- .
-
- -
-
-
-
[u relia -

'' '


esiav,
-;

J "J.
ASSEMBLA PROVI> .i\L.
11 o i
-
S I
0 Si '
-
-
-

...
.
ruantitatil
.
-
ii-..... i -
d.
-: -- "< l'E 20 W. I 1844.
/' I I

- -
Ini Melle
--
-
- -
i da 1
. -
-
- -'" I
tac
ie provi-

2 iuo.
- mii-
antas

- >; ndi-
- idnoii S. *!
-.._.. essa :--'
lo mi
oto o me
atrs
- I
. pro-
]
"
-
. i ..
'-
-
- -
_.'.:..:. enlo
: ; i I
-
|U ni
. j UD-
!o !- til IS
-
;
- -
-
-
. i .
.. -
' -
|
.;-
-

- I |
> lb
- "
-
-
- OU ludo ; .


-
o. que i
rdaeinen
Sr. i -S :ua-

5
I tinos al-
-
-- -
.
0 i -i Si i ; u
perda .
11. ...:-
- | ,
mam ..--.-
-" I ni -
-.-.
pag ruantia. Nessi
- i. ii'- ocios 1.
I j 11 r i qui -
! .
:.. -.. USS

vou uta i i i
-''.! o.
I! isso coiu a mais
Sr. Si neo.
lest ii para
. .
OS L Temos rentedo'
5 ...
1 vio o que acn-1
j iefa ; r-ui i q*u i -
da.
- : ---Mases
. .-. --L- nao. porbon-
teeu I i i |" -:.....
ro, porque nos
urna i
- Dfia ludo qu-. eia en nosso po-
der, -.na. i dig-
. .-- ras
deo. ::rue a ir iino-
itropello, -
i \. f t !"
-
1)011. 'Jie.da
II.
Ii uipregad^i pobli [Uein
- tl,dereudo-s -... --> d-

- /. -.. E rosos pama
-- .
OS L < JEa fallo em gorai. qaem
->. ou pi i ; ^o"
USr i:.-: K Marmolea geni concedeo
> rasa i i.i-:
x L~pti bma:Ka>io ejusttfa! Siofid-
... ocio a este resp
..lio a que se eousijnt a .juotj
- consignar, o i ivoretido i lia
- basta e poie*-
. fdrs.
S i .: i He o-availo de baiaibado n.
1 liorna:Sun. Sr. d-puudo. u -
dguma \p- r.r er be porque es-
OSr t. rifttSe. pres.. e sou o primdro a
t ni que : lo os
is: parece que nao ha nesta casa
que: i itissima verdad-:
i nao | igw naos a aqu> i-
teqneui a arenda pub-
vn: lias ; u qut
issi mbJi i
. i direito perfeito '. 0 n d. diz. qu
ID! lu I U :.

OS ... ---ii .
- lio. Si i .
;.do a leil
.. -:.iu-
: lera i-,
abrulbada e tra-
balli inultiplicidade de enii odas que ha,
iu -. temos desta maiei
0 ( n-1
: i 01 un- DtO, t. -
-'
: d- v t iu
t.
lili !
inim, 'i> i
>
i
. i- sirios

U' J ISS
res, i > .. bu I
I :j...
! M -- .
O Sr. 1 i:Digo, Su C -' :
...
5 Ma ;. ( Pois esso.
O Sr. -- I--; be que
| DOS OS d- pul
: .-

sup-
trata dos inie-
- A-jui disi ii-
... ,qu--' ar-
-
- -. justi-
|nando ii. -
jt. nao o devemo ii.
OSr. Sal -- '' so.
U .-r. t nao
rinde, u tin s-
ria.
Disi iiainos boje ret
ssa le, I temos
I. o poder justo, nao o t> n. c s. I'-
. Jada por
j qui passou em julg
i 11. i |.,n
idadao. = >la> disse o n. d *=
i commodo dosso, em pn
>e se trresse TOtado pf>r t'i-
!a> en I '>> un. dd. d -
que e||. ) appi i, nao fiz- r. >
-ini juii pntaooarrematant temdi
-- quantia. Masdltte a n. dque, I goqne
i nina quoti. elle receben todoessi
iro. <"omo prora o n. d., que rile i
Se for Sesouraria provincial, es -
! i = nao ha dinheiro = conij ten p
Por ventura os empregados pblicos r.
1 Is irr. matantes d
as letras re -se pag S
.. o ii. i su boan n .
i (jiiota. e se DO I.ouv r dinh'iro
.i i.'jiii r> r p r ar-
para reo
que p.i- :.o-. -ii 'ni
u upo < lenaamos
a Mea, nao use parece ju-- lelazen-
i \- .ini i ona pn :. om
lares, que rasan lemeUa parauso marcas
nao pagar mm teus i redor S
dinheiro. esl
izeada p!;
M : ie elle he muito frai
ute eui el- I -
- '|ii- i i
poderuzo* pav i i issemblca. Eu naosfawro sup-
aindi i fi Toar \
no numero daquellas. que nao d
essai Diss d.. que se se n.inar a
quota toda, como elle bf pod roso, ir a the-
souraria lerpago: poisentio na ie-
soui s poderosos Pai
o n. d. laura rom ito alguina cousa de odios>.
> esta rtpilticaa. Fallando icen
da corainisso relatTaiueJHC aesu cu
ii-1 r jzer censura ana ietn neb
_i que nao convinha. que appare< --
rte, ou urna das rasdt i, qn i duu
den quinJo. tratando doaccordaocuja
< o arrriini.iui'" j'ii: u rrquerunen-
-ine.
i de man
ie liullo ju _
ra nana .
-
- -
Iss
i \

se- d- i la dizer [si
[ue o- in
orim ial qu- *-:, u
.., ie se estabeleeer esl
i '. is tu u i ii id i ii .. (eres do

; o poder judiciario to independ
; : : i gisl rtiro der oi-s
mutuamente; o contrario disto oi
meo:. PW ora ; Sr. pres
.i idizei
(j Sr Me i Rfspond.-r. i pri-
ii tunos tpicos do discur-
i n. d. Disse elle, qui d
U r judiciario. que foi in-
m !- ito i diietnosao pod< i jn_
rio, qw obrouinjustamente, i ssa i i-.ioda
commissaofica pai i n ; be nossa opinijo e
rrancos iu inittil-a.
OSr. Manoel Joaquim : Apolado, este tecto
ouvir ludo.
0 Sr. H infiel Caralranti : Sim ii"-> nao [ -
demos am.tillar a decisao do poder Jud
... que as cnmuiisaoes digo o
itiii
ii Si //: Nao annull.'to jforqu-
Di aquillo qu.- podem.
O Sr. Mairnel Caralranti : Disse o n. d.. qu-;-
linda qn unos OS uo-sos Tavores nao o
I onfi --ir : be verdadt- ; qwean liz
-. que n.io confesse; mas aquelles. que o
. > nao teem direito a di retn uue.....
Ibi un favor, ou mu patronato A historia
mdalo patente : e a le do anoo pas-
que rauecionou este escndalo o que dii?
tu a leio lt t por conseguiute este larereei ,
ievii rnti i | i i o i! -ouro coin toda a quan-
.da auno ii retirando urna onuua atr
ir aquillo, qu< aassembla Ib- deo ;
mas o que fi r < l!t tntrou ion, una peqi
). ira a thesonraria, t- nos a^oia qu< r- mos
dar-lbe o resto antes dos Sannosman idos na
! Este ai r. matan ti ; rjue
Ihe al rs > mies <
-- mbla > !!- tiuba de entras eentrn coni
untos mil res ncando para entrar
tantos mil ris: a asseuibla dfei-
sesse o abate; mas do lempo da
la aa I i. a contracto j estava vencido ,
baria nada mais a marcar; poisa leiquw .
iueoal.it: se fixesse da su a dala iludante.
anta croata anuualinnte: nao loi isso .'
" Sr. Plnripei : -- > -. Si
(i S '' -- Quando se jn-1
: -- OS 0105 ludo, ni .--
(udo.
ii Sr. F! >!** Sao fui eu que tiz o -
. ci.
,, Sr. Mam I .. M .. rdade: I
la casa mas o jue hi que -: qnei I
boje? lu novo livor. isW be, qm mies dos
todo i- nao qui r 3t-
lendera _uu.i bu um dficit de cenia
tantos contos de ris, qui i se n indar |
non tantos mil reis aest lavorecido.
O qil' SegUI ililii. beque ii- COin
direilo aos outros credos -
" 5r. Florip-.s : -tste arguuieuto prova de
mais.
O Sr. Manoel faralcanli : Rao prora tal :
re do ni eondi goal
le outro- -. que nao sao las dos, c
i,o coma dos empreados pblicos. En
ss -ii-i o parecer tacommisso. qui estem
Hscusso; nao segua rasa o| n isein
ra preciso tomar urna medida, > eu isstg-
. isso quero mandar mesa esta esi
. a nossa obrig nao be vir pan aqu
faron s be :.
taco: temos obrigacao de por otbe-
-ouro em dia e por CUIp i d i lsS< n bl< i ha um
_: i.de di iit. porque mana d sp< zas uperio-
.ta.
OS:. Fi rip ti iu, ento indefinido, quandoestadiri-
ida con.o qu ilqiier outra.
' Sr. Ifasmri I -- S -
OSr. / r,j.. Oh! ni quinto nfio se revo-
gar a lei, este individuo tein um direilo tao per-
feito, como qualqurr outro credor.
Jj. i!rni; r. uihbaqul*
.r a Ii i. o ni- u roto > -ti piompto.
OS Bm Jmn/imsb: Nao; eniao nunca
ido.
us v H. i-iVn-Ki: Antes nuncaaca-
.
11. ntra iu discussao, eoin a mais
emenda do Si lianoelta-
II ti.
hnmediataraeate aosupplicar.ee,
- qu estejao sasteitoa os pagamentos que
: in o ibesouro obrigaji i tk faaer.=
o Sr. I: n iT-i: Eu, que ti nbo iqui sempre
idido o augmento do cofra da provincia, e
; -, nao posso deiaar pass
si ousas i.i mittii minba opinio .i res-
P ito.
Enl pres., que nao pede i ib, i .i < '
mri ilguuiapelo parecer, qtieapre-
|ui .i iu. .i rr, 'a consultou u fa-
ll -. e o din it" qui < -s- indi-
proeurpu i oticil asas
mandando pagar em
- Pagar-* logo 9:lU*Hm rs. de una
temos un dficit eatraordinai
roma iato possa ser! Aqui accirsou-se a
ssao por se ter ing
Sr. i liss w jasse
o direito ter o p
judie sentenca a favor : -- '
> que quiz ti di ti iumpbou i
ta j ii ndo.qu ni quii --
que
pagas* juieiii Eu t

- -
-


T
wmmm ,>**,.-?.w*m* i
Utuico mesmo permitte sio, con tajiio que as
censuras sejao decentes.
Ora, eu, Sr. pies., defendo o parecer da coni-
missSo, e digo, que quando pila iriuinpbou es-
le respeito, o fea coin multa justica. Consta-me,
pie a fazenda executou este boniera, c elle com-
penso (apoiadoi),
(t Sr. Floripes: Nao compenso.
P .SY. Haptista : Eu, Sr. pies., nao quero to-
car 'tu entras especies, ligo so que eoiu dez ii
doce anuos de advocada, que teuho, anda nao
encontr! um processo Igual este, em que at
annarecc suspenso de postos.
O Sr. Floripes: A que vem isto ao caso ?
0 Sr. Haptista : Vem inuito para mostrar
que, coni (pianto no possauos nullificar <>s ac-
tos do poder judicia rio, tambein naonosdeve-
inos apresentar aqui como ignorando, ou fittV-
gindo ignorar estas cousas. Boni lie que se diga,
que na asscinblca provincial existen, neinhios,
que sabein discernir estas colisas c attender ;i
justica de certos actos, que sao subiiietiidos ao
conheeimento della, ou directa ou ndirecla-
incnte. Has, deixemos isto, o que be verdade
lie, que o parecer da coininissao niio he em coli-
sa alguma nocivo ao direito do pretendente.
O Sr. Manoel Cavalcanli: lie at limito be-
nigno.
O Sr. Haptista:-- He benigno, porque reco-
nhecc que elle, em virtiidc da le provincial, dc-
ve entrar no gozo dessa concessao ou tirara ; rc-
conliece, que teve j urna sentenca favor ;
mas a coininisso, econmica como he, odiando
para a iinpossibiliilade em que estamos de pagar
toda esta souinia de una vez, quando cxisleni
necessidades niais imperiosas, ealorcos litis ge-
nerosos do que este, o que le/, ella? Mandn
que sepagassein em prestaces, e i'U nao sel co-
rno se possa pagar tildo de nina vez. Voto por-
tento favor do parecer da cominisso, e vota-
re! tambein favor do rcqueriniciilo deadia-
mento, poique vi que na le i do oreainento se
apresentoii una einenda, consignando urna ver
ba para este filll.
O Sr. Lopes Gama: persiste anda na sna opi-
nio respelto este negocio, c combate os ar-
gumentos apresentados pelo Sr. Floripes.
0 Sr. Francisco Joo : Sr. pies., te havido
larga discussao respeilo do parecer dacoui-
inisso; felizmente appareceo um requerimen-
to, que nos teria poupado toda a discussao que
tem havido, se elle fosse discutido, c votado pm
separado; porque, se essa emenda, que conce-
de os !|:01/000 rs. ao arrematante, tem de pas-
sar, entao na .'1.a discussao do orcanieuto, onde
ha una emenda Igual esta, passar: por isso
eu snpponho conveniente collarinos toda a dis-
eUsso, vol'arinos pelo adiamento.
O Sr. Floripes : Eu ti liba pedido a palavra ;
mas cedo della para se votar.
O Sr. Francisco JoCw: Como cntendo, que
isto he convenletilc, deixo de entrar as consl-
deracoes, que naturalmente o parecer que se
acha em discussao ourece. Realmente he um
parecer multo nteressante e justo ; interessan-
te, porque trata-se de distribuir parte da renda
provincial; e justo, porque reconhece a divida.
nao entrando nos motivos que leve a cmara pa-
ra fazer essa concessao, e marca os fundos; ago-
ra seren elles sutlicientcs ou niio para contesta-
reino arrematante, he quesillo parte. Talve/
na 3." discussao do oreainento possa ser olferc-
cida una emenda entcruiediaiia entre os 0:600,.
rs. e a terca parte, que consigna a commlssao,
para no haver tanta reclainaco em attenco s
cirouinstancias financeiras da provincia, que jd
sao milito tristes, e que se continuaren! assim,
Sis., bater-nos-ha porta a banca-rola. Km flu
estes exeuiplos sao bous para escarment da as-
sembla (apoiados); mas a concessao ja est feila,
e a comiuissao mesmo afiriua isto, he justo o
sen parecer ; porm eu supponlio conveniente
votar-se pelo adiamento ; porque pode ser, que
se approve agora una cousa, e que anianhaa na
le do oreainento approve-se o contrario.
D-sea materia por discutida, e posta votos
rejeitao-se as emendas c o requerimciiio de adia-
mento, c approvado o parecer da commlssao
400(1 bilhetes.
25:(K58/DOO
Considera-se que se arrisca 1000 rs. para li-
rar urna sorte e nao arrisca Simio rs. para se
sabir hranco.
V~itt uw "mi i*., rr
fvt.-.r.imrr-
lAiO DE PEBSAIUCO.
Por um descuido devido a alteracao da nume-
ra cao das paginas da decifracao da sessao de 19
doeorrente, que acabamos de publicar no ulti-
mo, n. licou sein ser publicado o discursodoSr,
deputado Brro$Marreto,que boje transefevemos
no principio deste numero. Nos pedimos escusa
ao Ilustre deputado pela nossa ommissao, es-
perando que" elle teeonhecer quanto ella tevi
de involuntaria; tanto irais quanto sabe a par-
ticular estima e afilelo que Ibe consagramos.
S'ublcago a pedido.

PLANO ull'erecido aos thesoureiros das lote-
ras desia provincia no qual se tira a vanlagein
de senipre -auhar ; porque, nao sabido premio
grande ao menos sciiipre a entrada he certa ,
e coui isto muito mais anima aos compradores ,
assim como ao beneficiado que tendo de h-
car coin poreo por sna conta sabe que nao
gamitando metade do principal que arriscou es-
t seguro,
PLANO.
4000 bilhetes.......K000 rs. 32:000/900
Beneficio de 1-2 p. o/o 3:S4 Imposto de 8 p. o/o 2:860^000
6650 verbas......532*000 6:952/000
I
1
1
2
3
,r>
10
! i
60
3857
premio
500/000
2508000
L00*000
j: 01III
25 00
(2^000
1100
,.11,1
25:068#!000
3:000, i iii i
l:500'000
T.'ii i.iiOO
1:000/000
. T.V.! mu
. 50IMIIIII
. 51l
. 500 -mi
i' un,!
-.lilil
m v? tu
s -----------------
de guerra, e mercante, inglesa, c at muito
utels para qualquer cnsul, ou propietarios de
navios: quarlafeira, I .* de malo, aslOdama-
nli.i.t no supradito lugar.
Leilo, que faz Manoel Joaquim Pedro da
Costa de urna porco de fumo,por conta deJoao
Pereirada Fonseca : nuarta feira, l- de malo,
no arnia/eni de Dias terreira.
.
A Han ciega.
Kendimento do dia 2(i..........7:790^1)27
Desearrega hoje 27.
Barca Zilia--- diversos gneros.
Movimenlo do Porlo
Navio entrado no dia 25.
Baha 5 dia, brigue brasileiro Albmo, de 107
toneladas capitao Jos Francisco Pcreira ,
equipagem II carga carne.
Nttvioi iahidot no mesmo dia.
cap
varios gneros.
Ileclaracoes.
Ochefe interino de polica desta provincia faz
constar a todas as autoridades policiacs e ciimi-
naes, e pessnas particulares, que da cadcla da
comarca de Nazarelh se evadlrao, por um ar-
lomliamento que li/erao. oito presos de justica
de dilferentes crimes. incluisive dous senten-
ei.ulos, cojos nomos e signaes caractersticos sao
os Francisco Ferreira da Silva, simi-branco, viu-
vo.naiiir.il da Aiagoa Secca, alto, corpo regu-
lar, cabellos conidios, calvo, pouca barba, per-
n.is finas, e olhos pretos. Manoel arlos L.iiao,
pardo, casado, natural de Tracutihaem. baixo,
grosso, cabellos carapinhos, roato redondo, olhos
pardos, nariz chalo, balitado, coin falta de den-
tal na frente, bocea grande, coin una seati i/ de
um talho no hombro esquerdo. < osme Rodri-
gues dos Santos, preto, casado, natural de Ara-
i ipe, freguezia de Iguawss, cabellos pegados,
olhos pretos. nariz chalo, altura regular (pei-
nas linas. Filippe Comes da Silva, pardo, ca-
sado, natural do fiom Jardim, cabellos crespos,
baixo, olhos pardos, cara bexigosa, nariz chato,
coin una sicatriz. no rosto da parle (Incita Cir-
culada de cabellos. Joaquim los deOliveira,
hranco, casado, natural de Ciirsahy, Iregue/.ia
de Tracunhaem cabellos conidios e pretos, pou-
ca barba, corno secco e curvado, nariz afilado.
Ignacio .los da Rocha, pardo, casado, natural
da Muribeea, comarca do Cabo, cabellos e olhos
pretos, nariz afilado, alio, secco do corpo, pouca
barba, coin lima figura asul no braco esquerdo.
\nlono Jos de Santa Anua, pardo, solteiro,
natural do Pintado, provincia da Paralnba, sec-
co do corpo, cabellos crespos, olhos pretos, lil-
la de denles da frente. E Manoel Martms Dou-
iado, pardo, casado, natural de Tracui.liaem,
cabellos pegados, olhos pretos, nariz afilado,
barbado, secco do corpo, coin una sicatriz no
labio superior da parte direita.
Roga-se portanto s inesinas animidades e
pessoas particulares hajfio, bem da justica e
do servico publico, de capturar, e de denunciar
is autoridades respectivas, o lugar onde pos-
sa o estar refugiados qiiaesquer dos relcridos
Secretaria de Polica, 26 de abril de 18-R O
chele interino de polica, Caelano Jos da Silva
Santiago. _
O vapor degueira nacional bnapiassu re-
cebe as mallas para o Rio de Janeiro c Baha
hoje (27) s 4 horas da tarde.
Avsms ^versos.
l.OTI.lil.V DAS MFMOP.1VS HISTRICAS.
Premio granie8:000 i.....rs;2.<,priiio4:000.*^)0 r*.
\s nulas desta lotera enrrem impreterivel-
mente no dia IS dejunho prximo futuro, corno
S. K\. o Sr, vice presidente determinou em olli-
cio de 26 do correte. ti> bilhetes vendem-se .
no Ilecife, lojas de cambio do Sr. \ eir, e Ma-
noel Comes ; cen Sanio Vutonio, boticas do Sr.
Chagas, ra do Livramento, e do Sr. Moreira
Marques, na do Cabug. O thesoureiro, Jos
Antonio Bailo.
O abaixo assiguado participa ao publico.
que a sua aula de coinmerclo se acha .iberia na
ra bella u. 28; nella se licionao as seguiutes
materias :
l'.scripturacaoincreanlil por par idas do til ailas.
Todo o genero de emitas necessarias ao coin-
inereiante, como sejo, juros, cambios, arbitrios
de cainbi >s. &c.
Especies e subdivises das moedas do mundo
conbecido.
Estas materias leein sido lieonadas desdi- as /
horas at s 9 da noute, porque os que as fre-
quenlSo sao individuos, que uso do cominer-
eio, e entilo hora alguma Ibes be mais propria
do que esta, em q.....i giro das transao oes com-
inereacs est parado.
Porm para que os pas de familias posso
mandar seus lhos aproveitarem-se detaesdou-
trinas, o abaixo assignado d tambein, pelo de-
curso do dia. Thoes aos alUlllllOS (1UC lile appa-
reccrcni : tambein d liedes de arilhmetica, de
elementos de alucina, de algebra transcedente,
de geometra sinloliea e analMica. li igiiomelria
rectilnea e espherica.
Quem pretender procure na na ella n. 28.
Manoel LourenfO de Mallos.
Na pallara franec/.a do atierro d I Hoa Vista
n.50 preeisa-se de um boni aniassailor.ou de um
bom caixeiro, que entenda bastante de padaria
Alhi'
as casas abaixo, a saber : em O
Avisos martimos.
Para Lisboa sai em poucos dias o brigue-
eseuna Urlibcracao, e anda recebe alguma car-
ga para aborrptar; bem como para passagenos.
I, ala-se C01I1 Manoel Joaquim llamos e Silva, ou
na ra da ('adela do Recffe n. 40.
Para Fiilmoulh segu viagem coin brcvi-
dade a barca am. ricana Flhabelh Hell; quem no
mesmo quizer ir de passagem, para o que tem
excellentes commodos, dirijao-sc aos consgna-
la, ios Hcnry Froslcr Sl C.", ra do Trapixc nu-
mero 8.
. rw. v* : i "
Leiloes
O Illm. Sr. cnsul de S. M. B. far leilao ,
por iulei venvao do corretor Olivcra de toda a
mobilia da sua casa de campo na Magdalena ,
consistndo em um magnifico piano cadenas,
mesas de jogo, c lilas de lucio de sala coin lam-
po de pedia marmore cunsolos, solas de jaca-
randa lampioes debronze, mesas para cha ,
dilas de costura mesa de jantar grande, apa-
rador de lindo gosto dilo porttil, estantes pa-
ra livros cadeliys e mesas de dillcrcntes gus-
tos leito de mogno muito elegante um dito
debronze o mais proprio para climas quelites
(din colchoesde cabello, guarda-roupas espe-
Ihos, toucadores. louca e porcellana de vanas
qnalldads, gnalas c copos para vioho e agua,
e outros cristaes lindamente lavrados quadros
do melbor gosto, apparelhos de louca para mesa
c sobremesa lacas c garlos, coiliercs, algiimas
obras e outros objectOS de piala, um excelleule
carro com os airc'ios para um. OU dous cavallos.
cavados para o mesmo e para montarla lauto
para honiein como para senhora, selllns, e to-
dos os mais pertcnecs de estribara,e assim mais
mu expeliente Inastro para pavilbaocom o com-
p >tente polianie.cordoalha, e todas asbandeiras,
que sei vem de signaes. com o competente livro
de instruccOes, as quacs sao usadas na marinna
linda, na do Amparo, loja do sobrado eni qm
habita o Sr. Tavarcs ; no Reeife, liceo do Cam-
pello, armazein n. 1 ; ra do Encantamento, ar-
inaxem n.5; ra do Vigario, armaiein n. 16;
ra da Moeda, primeiro andar da casa n. 0 : 1ra-
ta-se na ra da Cadeia do Reeife, no primeiro
andar da casa 11. .">l. de JoSo Maria Scve. ,
O abaixo assignado faz publico, (pie mu-
dona sua residencia para a ra da Cadcla, no
segundo andar do sobrado bem confronte da
ruada Madre de Dos. Custodio Lilis Re*.
__ Aluga-se porpreco cominodo o sobrado de
dous andares c sotilo ,' concertado c pintado
de novo na ra Nova n. 2 : quem pretender ,
dirija-se ao niesnio sobrado.
])-se dinheiro a juros sobre penhores de
oiiro OU piala : na ra Nova n. 9.
= Thomaz Sale tem a honra de participar ao
publico, que o ouibos, e mais dous carros seus
seguiro no I. de malo seguinte at a casa de
campo do Illm. Sr cnsul de S. M. K, na Mag-
dalena, das !l ., at 10 horas da manliaa, e vol-
tar.i das 3 as" 4 horas da tarde, OU rnente
500 rs. de liida, -...,,
ac Roga-se aos eredores do fallecido Joaquim
Jos da Costa c Olivcra, haj.o de apresentar
suas contasem regra, no lugar lo tanque da-
goa. epadaria que foi do mesmo, ate terca rei-
r 30 do corren te.
, Ollercce-se para caixeiro de esenpta co-
brancas. ou para administrar algiini estabelecl-
inento um hoineni casado Rrasileiro, c i/cntode
guarda nacional; quem de sen presumo se
quizer Utilizar annuncic.
= A excellentc barca franceza Luiza (leve
sabir infallivclmentc.para Falinoiith no da I."
de mala prximo, e admltte passageiros; para
(me tem commodos superiores.
r=Prccza-sealugar2canas,qucpegueiinlc800
1000 (jlos: quem as tiver, dirija-se amado
Rangel n. 34. ,
Preciza-se de 500/rs. a premio, com hjpo-
theca em um sitio.
as Ocirurgiao Francisco Josc da Silva mu-
don a sua residencia para a .iua do Trapiche ca-
sa n. 18 segundo andar.
Francisco .los da Silva, eirurgiao da cma-
ra municipal, e por ella adstricto a curar as pes-
soas pobres deste municipio continua a re cel-
lar como costuma as quintas e nos sabbados
no lugar onde vaccina, das dez horas at onze e
niela, e em sua casa todos os das das (i as !) ho-
ras da inanhaa menos nos dias cima decla-
rados.
es Perdeo-se no dia ll do concille inez una
carteira contendo o seguinte: nieio blhetc da
lotera do Livramento n. 633, una papeleta
portuguesa pertencente a Alexandre Jos Ma-
chado, e9/rs. em sedlas : pieni a achar leve
n ra da Cadeia Velha n.52, qne ser recom-
pensado.
= Nos abaixo assignados participamos a todas
as pessoas que tiverein tontas pertencenlcs ao
fallecido Culherme Stodart hajo de as apre-
sentar no nossoescriptoi io na ra da Senzalla-
nova n. 42 al o fin do corrcntcinezpara.se-
reni pagas e nao as apresenlando at o aprso
cima marcado niio nos responsabilizamos por
conta alguma Fot & Stodart.
Quem anniinciou no Diario de Pcrnamhuco
de (piarla lena 24 do correnee a venda de las
negras, nina de 12 anuos, e outra de 4 : dirja-
se a ra estrella do Rosario n. 4primeiro andar.
A pessoa que annuiiciou querer vender
ditas negrinhas; sendo una de 12 anuos, c on-
trade 4: dirija-se a ra das Flores casa n. 3o
negada a coxerra; das 7 as!) da inanhaa, ou das
2 as 4 da tai te.
\luga-se a casa de um andar na ra da \ i-
racao n. 31, a tratar com sen proprietario Anto-
nio Joaquim de Sonsa llibeiro; o niesnio vende
urna lancha nova viuda do Porto.
Quem chamar Joo Antonio Martins, c
Broto Per. ira Men.l.inl.a. dlllja-Se a roa d'/
Amo i i ni n. 50 primeiro andar para se Ibe entre-
gar duas cartas.
' vcl.....-seurna, trteira de marroquim rou-
ko c......lversos papis dentro: quem loi si u
dono dirija-se a praca da Independencia n. i,
que dando os signaes he ser entregue.
-- Uuga-teum-aitiorom urna casa de sobrado
l,ai a moderna, rom commodos para urna
grande faniilia, e com um ptimo vivelro, na
estrada adame do hospii o anude morou o ne-
gociante o Si. Joo Stwart: a tratar na esquina
da rn i das Crtizi s n. 2.
Vluga-se o I.candar de un sobrado com
bous coinnu.....spara familia, por jirc.-o cmii-
niodo n.i ni i il i Prai i n. 33.
-- Uusa-se o primeiro ou segundo andar da
,.,s.i ir. 38 da ra do Rangel: quemo pretender
drija-se i venda d i inesiiia ra, esquina do De-
eo do Carec iro, que achara com quem tratar.
-- ilugaosr bons pretos para socarem assu-
car, por seren muito possantes, e robustos, ne-
gros para carregarem laboleiro de fasendasi, e
molequesparavenderem paojquem os pretender,
dirija-se ao principio da ra Imperial sobrado
U.31.
Uuga-se una asa terrea com bous com-
inodos, coz.....i fra quintal murado cacim-
ba e varios arvoredos : na Boa-vista ra do
Cebo : a fallar na ra Nova o. 63.
Uuga-se umapreta, para todo o servio
de portas adentro: no pateo da ribeiracasal
n.()2.
Desapparecco no dia 9 do corrente una
calirii.I... lona de noine Mara de idade de l
para 14 anuos, c lem os signaes seguinlcs ma-
ula relcoei grosseiras com um signal no na-
riz bocea grande, mal frita de corno, pes
comprldos ; levou no corpo um vestido w usa-
do de Ultras cr de rosa; julga-se que n s-
duzida e para que nao seja ollerecida aalguem
como captiva, decara-se queiclla he torrade
nacenca, c que desde a idade de aimo c meio .
,,., 8do mantida, c educada em casa de Jos
(ioncalves de Fai ias Pernambuco : a pessoa que
sunber aonde ella existe, ou la mesma tiver
ii, ias, e quizer por l.un.anidade avisar 11-
rija-se a ra Direita. no primeiro andar do so-
brado novo jumo a., da esquina do beco do s. -
1 *t Felippe Neri Colla, o faz publico que em
odia 15 do crreme lorao .iberias, cconli-
nna.. pm exeicieio as aulas de geometra, Ul-
ule/., e frailee, que o annunciante rege i as-
slm como, que breve abrir o curso dephilo-
sophiaj eque en. o .lia pr.me.ro de ......opi-
tende dar piiueipioas suas leo'S de phvsua ,as
nuaesserdgratuitas, e exclusivas para o*
estudarem com elle alguma das materias .u^.i
mencionada, e lerao lugar u.na vez pjTIMi-
na: o aununciantc pode ser pncorado cina
travessa das (ru/.es ... M ou na ra da Sao...
Cruz na Boa-vista n. 38.
K abaixo assignada avisa ao publico. qu
i.ingue.n co.....re bjpotbeque ou focai nego-
cio, ou transad ao de quahdade alguma com, m i
marido Manoel Vaz Carnciro sobre os. iwai.
visto que a annunciante esta cuidando.di -
. a(,!;io de divorcio ao d.to mu "rite pelo
..i,,,,,. .nejos competentes. A a.... > t.
participa si... para evitar contestacSes lumias.
KiieTelia protesta contra qualquer negocio a
respelto dos annuncionados.
Hara Joaquina Fernandei de Soma.
Recebem-se escravos de ambos ossexos.
para vender-sc tanto para fora, como para t. r
,,, .,. 0 anunciante mmlas nc. n em as
pron.e.te-se vender se.npre por ...ais q.u out.o
(iiiahiuer : na ra \ clha H. 111
,1":1..1 "ma senhora de bons coslun.es se enca-
rega da criaran de meninos de peito. impe-
dilos, e desimpedidos; c ttmhm recebe
meinos desmamados, para eoni-da nuleduca-
eSo no que pro.nette es.ncrai-se : no pateo o
Can .J 24 Na mesma casa aluga-se u.na ne-
1 p r;; ...dar com oul.a pessoa vendendo
li cndi: ou outro qualquer negocio tamben
se vende 4 varas de hco de ran.agein. para ves
tido de senhora. ,,.,_:_
... Urna pessoa, que tem pratlca d ^r'I
turacao coinmercial, propem-sea .s.- w m
qualquer -asa de negoefo e h.ze qualqi i
q'ualidadcdccscripto, com arelo,, e por coin
modo preco : na ra das Crute n. .
llerece-sc um rapaz branco solteiro na
ra caSeiro de engenh .... KiS'SS
arrumacao no mato exceptan.lo e.to. '
a^S^!apassapories, tanto para dentro
cmoda do imperio; ^SP'StS
se escravos, ludo COUl hrev.dade o a ti o
da Roa-vista loja ... 4S OU na ra do l.olUg.o
n. 10 primeiro andar. .
Jacinto da Silva Pcreira da cidade uo
Porto tutor c admWstrador da-..^^
dos, ausentes nos estados do BrasiL, "gg;
da Cimba Magalhaes Antonio aCu> Maga
lhf.es filhOS do capitao Manoel ^"gg"
Magalhaes e sua mu.hcr da JJJ^JS:
ha anuos fallecido ; e por cujos bitos se prec
den a inventario lem o aimuuciante reccDiuo
!or couda, legitima, daquelle. ^g
algn, dinheiro: oque "JP^S.UffSE
estes ...ande... ou vao receber dentro de 0OU
zes, a correr da data do presente ai.i.u J-
- Joaquim Antonio Teixe.ra de Canalho av.
ga ao publico, que,chamando um ganliado. para
cmdnzir ...na rede, cuma caneca J
mete una vestidos de meninas JSpSJ
este ..odia 21, da Boavista para o souber dirija-se ao Passcio publico n. i, que-
sera recompensado. imitar
Os Sis. .los Mana uc A""";'f""'" J=,;
Joo Thomaz de Aquino Olivera Mello W*"*0
ir tirar seus penhores na ra Bella no. pias
de 3 dias da data deste ; e para se nao chan.a_
rein a ignorancia faz-se o presente aviso.
Existe un arina/.rin na ra dal'raia P<
debaixo daPhilo-Thalia de inillio e arroz ; =
ludo mais que se procurar sendo este o d.po
sito : fallar no niesnio.
- O Sr. Gregorio Alves da Rocha Cmara
queira mandar recebe, na ra Direita n. II
nina carta e urna neoinincnda que de I li-
na lhcforo remet id IS


'ikU.-.i
S.

BOfiUvi)^lA!;K?nFOSDNU(AS' t-ipac8oalBUmaIc.(ft necesariamente dispe-
evondom s pivparc.H-s spRuinti-s por pre- (!i''> do lar, que occupava como caixeiro na
co mudo commodo, i de superior qualidade sua casa cessando todos os poderes e procu-
l..... ,, raines ,me dios foro concedidos nesta capa-
xiraelo flutdo e concentrado, de salia-parrilha cidade.
\* multas rxpertu?S?'S,r,. estas propa'a- ,/7 lusa-s, osagundo andar do sobrado n.
toes teemfeito eouliccer sabia rorporaro me- if> t,a ru" daslrinchmras ; a tratar no piimei-
que compoe o collegio .1 Lo.idros.Edin- r" a"dardo mesmo sbralo.
. eDublin, ser ella a nica d'ondestip- ~ Antonio Muria Chvese Mello, subdito
Bcn colher os benficos, saiutares efl'eitos Portuguez, retira-se para a Europa a tratar de
que se lequerein nos easos eui que se toma ue- sua saude.
ressan i ., iiidicarno da rali de salsa-parrilha. VV. Quem se adiar habilitado para copiar uns
viu.isVsMMslm i?,' d,'1fa?*',Utta ""'> papis com boa lettra, e brevidade, annuncie.
1 l ssoasqin iicrom uso desta prepaTagab-
>ri o mo abusaren da pequen;
que prosorevein os pial i eos duaa
I lili IS Vi'/
ttie.i
burgo
ougas con ter
s dsa-parrilba.
I1"' v' 111 a
quautidade.
eolheres de ciw mi isveze ao itia ein
i virtudc de cuica libras .1
Na ni. >ma casa lambcni se vendem t
loaos soutvos objectos de pintura vernizes
le superior qualida le, entre elle* uin perfeita-
niente branco, < que se pode applicar sobrea
pintura inais delicada, sein que produsa altcra-
-"> alguma em sua eor primitiva. \
de ffermuda sag jabonetes ; sabSod
dsor; agua deSeidlttz; Limonada gaaoza; lima
superior para escivver
rrow -ilooi
\\ in-
a/iii linissiino proprio
para ailar roupa. lio de Seidlitz, e de soda
perfumarlas inglezas; fundas elsticas de pa-
tente cs< ovas, pos para denles; pastbas de
inuriatico de morphina, e ipecacuanha ; pasti-
Inaa de bi-carbonato de soda. e gingibre; as
verdad.'has pilulas vegetacs universaes do l)r.
Hrandrelh, viadas de sen autor nos Kstados-
( nidns, i;,-, t,.
= (Jni hoiaem solteiro se oft'crece para ensi-
llar, em algum engenho ou fazeuda, primeiras
letras, laiim, iran./., mathematicas, geometra.
8tc.; a quem couvier dirija-se a ra do Sol n.9.
Aluga.-s o primeiro andar do sobrado da
ma estreita do Rosario n. 21 a tratar no segun-
do do mesmo. .
--15 ou ha rao de easa do vicario do bairro do
Recite quatro casticaes de pr.ita, e unsoceulos'
apparelbado -le ouro;roga-se a quem jbr oll'ere-
eida quaiquer das das ditas pecas, Hnjadeas
levar na loja da casa da ra da Madre de Dos
n. 2K que ser generosamente recompensado ,
e se poderem aprehender o vendedor mais se
recompensar.
JosXoaquilll de Castro avisa aos seos IVe-
ffuezes, que se mudou da ra da Cadeia lo Ite-
<< m 49 para a mesma ran.;), determina
irabalhar executando novas formas de figurines
mais modernos viudos de Franca c determina
ter obras feitas ; e precita d lguns oiciaes d
atraate que gejao peritos no orflcio c de boa
conducta.
O agrimensor, ahaixo assignado, oflereco
OS seus snicos as poseas que tiverem propie-
dades demarcar, e aianca a mais escrpulo
sa exactidao e o maior zelo no desempenho da
sua arto ; devendo todos os que do seu presu-
mo se quizorem utilisar.dirigirom-sc (porcarto.)
ao mesmo abaix'o assignado na Rua-diroito ,
sobrado n 121.
Joaquim da Fonseca Soares de. Figueirtdo.
Joao Malhcus, subdito Britnico, letira-se
pura lora do imperio.
Lava-seeengomma-so com peTelc5o to-
da a qualidade deroupa por prego commodo;
na ra da \ iraciio n. 5. .
Precisa-sede um pequeo Portuguez, dos
obelados ultimamento que lenha 12 a IGau-
'!'s para caixeiro de una loja de fasendas f-
ra da praga; na ra da Cadeia do Recife n. .10
I'recisa-se aluga/ urna cusa terrea, ou so-
bradlnhode um andar com quintal e cacim-
ba cojoaluguel nao exced dedeza doze mil
is. sendo as seguiutes ras; Direita, llortas,
Kangei, Auas-verdes pateos de S. Pedro e do
iergo; quem tiver annuncie.
Precisa-se de um feitor para um sitio por-
to da praga ; na ra do Cullegio loja de cha-
peos n. 8.
Precisa-se de um feitor Portuguez, soltei-
' horneo) de idade que entenda do tratar
itlica, para tomar conta de un sitio perto
da prga ; na ra doQueimdo loja n. 41.
Novaes & Companliia embarca para o Rio
Craande do Sul a prcta Albina, crioula, perten-
conte ao Sr. Antonio da Rocha Lima do Ma-
ranhao.
Precisa-se alugar dous mol,ques com of-
licio de camaroteros; no pateo rio Carino n. 13.
Jos6 Francisco de Azevedo Lisboa mudou
o seu escriptorio para a ra do Torres n. 18,
ira rapaz Brosileiro que escreve bem ,
e tein bastante pratica de escre\er sentengas ,
processos o todo papel judicial se oll'erece a
l^'um cartuno para o dito im prometiendo
muita aclividade e prego muilo rommodo
escrever mesmo em sua casa ; quem de
prestimose quizer utilisar annuncie.
iirao-se lolhas corridas e passaportes
para dentro e lora do imperio, tanto para pes-
soas livres como pura oscravos com muita
brevidade. e por prego commodo : na ra do
Rangel n. 3 i.
Precisa-se alugar um sobrado de um an-
Alu^ra-se urna casa na ra da Trempe n.
7, com 4 quartos.duas salas nvidragadas ,
com ptima cosinha quintal cacimba e he
muito fresca propria para grande familia; na
ra de S. Goncalo n. 24.
Na Camboa-do-Carino sobrado de va-
randa de pao n. 21 so recebem crioulinhas e
pardinlias, tanto forras, como captivas para
so ensinar a ler, oscruver bordar, fazer lava-
rinto e marcar, as pessoas que do seu pres-
umo se quizer utilisar, tanto da praga como
do matto, dirijao-se ao tnesmo sobrado.
abaito assignado avisa a todas as pes-
soas, quo teem penhores em seu poder, que
no pras'i do oito das da data deste os va o res-
catar aquellos quo se achao vencidos o na
ofazendo, passa a vendel-os para seu embol-
eo do principal e juros. Herculano Jos de
Fre tas.
Aluga-se o t rceiro andar da casa n. 18 da
ruada Cruz ; a fallar no armasem da mesma
casa.
.Manoel Jos da Silva retira-so para Por-
tugal.
JoJb Xepomuceno Ferreira do Mello em-
barca para o Rio de Janeiro a sua escrava Joa-
quina, crioula.
Na padaria da ra da Senzalla-velha n.
90, precisa-sedo um forneiro.
Perante o snr. doutor juiz de oiphaos, na
ra Nova ,-tern de ir a praga de renda annual
a quem mais der, a casa de sobrado de 3 anda-
res da ra dos Tanoeiros n. 4, pertecendo urna
parle da mesma casa aos menores que learao
por fallecimento de Patricio Jos de Olivr.ia Ma-
ciel e I) Francisca de Salles Souza ; breve se
anooociarao os das da praga.
P-se dinheiroa premio com penhores de
ouro e prata ; na ra da Praia n. 22.
Precisa -so de 200# a .400^ rs a premio,
por lempo do 3 a (i mozes sobre bi as firmas ,
ou hypolheca em escravos ; quem quiser dar
anrinncie.
Quem annunciou querer vender um pol-
dro dirija-so aos Quatro-cantos casa pega-
da ao sobrado do dous andares.
L UBRIA DE N. S. DO LIVRAMENTO.
As rodas desta lotera andao mpreteri-
velmenle nodia I3domaio ; o o resto dos bi-
Ihetes acho-se a venda nos lugares docostume.
ocovado; na ra da Cruz n 26, primeiro an 'para loja, com as competentes c
dar remos docanoa do Rio de Janeiro ;
chapas
- Vende-se um flauta muito boa, e urna pa- pequeos para graixa ,
relha de canarios muito bons cantadores. ludo n. 26
por prego commodo; a Solidado ao p do pa-
lacio do hispo n 10.
Vende-se urna escrava de 22 annos sa-
bendopereitamenle engommare cosinhar; urna
dita de 16 annos com muito bons principios
dos arranjos do uma casa e he propria para
quaiquer servico ; duas negrinhas de 12 annos,
e uma mulatinha muito bonita : urna elegante
dous
e oO boiOes
na ra do Queimado
mulata de 20 annos. perfeita engommadeira e to em barricas, como as libras, o melhor ,
superior ; na ra jjj.
reita n. 22.
Vende-se pedra do Porto com cordao na.
ra soleira de 10 a 12 palmos de comprido l
algumas sem cordao grandes e pequeas ; 'ni
ra Nova do Brum casa nova do Francisco Al-
ves da Cunlia.
Vendo-seo superior siltre refinado tan.
que
Compras
ro
= Compra-se eflectivamente nesta Typogra-
phi.: toda a qualidade de pannos cortados ou
velhos de linho o algodao toda a especie
de libra linheza algodao, de refugo em ra
'"a, papel o papelao vellio.
Compra-se elfecti va mente toda a quali-
dade do ossos; defronte do thealro novo n. 11;
e na cidade Nova,sitio do.Sr. Gomes do Correio,
a rasao de 160 rs. por arroba.
Compra-so o livro intitulado o Mouro de
Ormuz novo, ou usado ; quem tiver annun-
cie.
Compra-se um sitio perto da praga n8o
muito grande com casa do pedra e cal que
acommode uma familia de 6 oessoas arvn-
rodos de iruto, e baixa ; naruaVelhan. 55.
Compra-se uma grammatica franceza por
Sevene; na ra da Cadeia-velha n. 13.
Compra-se tima preta do idade, sendo por
prego commodo ; quem tiver annuncie.
Compra-se uma manga de vidro
gueza que sirva para imagem
annuncie.
portu-
quem tiver
e
seu
Comprao-se escravas pardas, ou pretas
quetonho habilidades, de 16 at H annos e
quo nao tenhao mos vicios ; na rua do Quei-
mado n. 28, segundo andar a fallar com Her-
culano Jos de Freilas.
Compra-se um habito do terceiro francis-
cano em bom uso ; quem tiver annuncie.
dar, com quinta! o cacimba ocommodos para
urna familia, sendo no bairro do S. Antonio,
o as ras principaes ; nao se olha a ureco
Vendas
_ prego
agradando ; quem tiver annuncie.
C-aspar da Silva Froes embarca para o Rio
l/rane do Sui o t'u escroto cabra.de nomo
Vende-so um molequo de nago, de bo-
nita flgura ; na rua doCabug, loja de meude-
zas de Joaquim Jos da Costa.
Vende-so urna negra de nagao de 18 an-
uos bonita liuura cosinha, ensaboa, e ven-
de na rua, e he muito sadia a vista do com-
prador so dir o motivo, por que se vende : na
ruado Aragao n. 5.
Vendcm-e dous
pStSCutfS
an-
venda muito afreguezada
..... brasileiros
. ,. ......----- a 2srs. cada um ; na rua do S Fian.ism
uhl',r,"P'aUU B Sr Pr8nC,iC0 <-'lv;i!ian,i "< tes tua do Mundo-novo ) n. 50
Aiouquerque. __ Vende-se uma
7Jrt'CSa'fude"ma "'Ulh?r ?. *W- com os fundos que convier ao con
tugueza, ouAllemaa, que entenda do servieo Ira.essa do Queimado n. 1; a Irat^na mm
annu e. v'etde-s uma porclo de 2 ou 3 eovada
se ausent
costureira e he muito carinhosa para meni-
nos ; um escravo de todo o servigo ; um lindo
molequede 13a 14 annos; um cavallo com
todos os andares, e he esquipador; na rua do
Fogo ao p Rozario n. 8.
Vendem-se na loja de Guerra Silva & C.
4091 bilhetes do Ares para garrafa do licor e
2000 ditos doundos em branco para quaesquer
outras garrafas, ou frascos, e uma chapa de
imprimir bilhetes para garrafa, por prego com-
modo.
Vendem-se cortes de chitas mu finas, e
de lindos padres a \j( rs. ditas escuras a 3#
rs. gamias azues a 100 rs. ocovado, e ou'ras
fazendas por prego commodo ; na rua do Ca-
bng loja de Antonio Rodrigues da Cruz.
Vende-se charope de lingua de vacca ,
proprio para extinguir os humores bem sa-
bido os bons effeitos, que tem producido esta
herva purgativa de que he composto dito cha-
rope o seu uso he vantajoso por nao ser pre-
ciso dieta alguma pelo commodo prego de
fiiO rs. a garrafa, dito u tamarindos a 560 rs ,
edomaracuja a 640 rs. ; na rua do Livramen-
to. loja n. 11 ; na mesma loja coinprio-se
diarios a 90 rs. a ibra.
Vende-senm macuco muito mango e en-
gragado ; na na da Florentina n. 16.
Vendem-se por prego commodo ps de
ingico medicinal que todo sitio deve ter em
rasao do seu prestimo ; na rua da Florentina
n. 16.
Vende-se um porgo de batatas novas ,
ltimamente chegadas pelo navio france Zoila ;
e 15 meias pipas vasias ; em casa de Fernando
de I.uceas, na rua da Cadeia n. 16.
Vendc-se uma mulata de 16 annos, cosi-
nha engomma e lava ; um escravo bom co-
sinheiro e pescador, de 30 annos ; na rua do
Crespo n. 10.
Vendem-se barricas de farinha de trigo ,
muito nova o de Trieste das marcas SSSFe
SSF ditas e meias ditas da America, do supe-
rior qualidade, ditas de dita de Veneza por pre-
go commodo, covada nova em caixas e saceos .
prjgos ripares do reino, e de batel, chuiTibo em
barras e em lencol enxadas de ferro peque-
as de 3 a 4 libras arcos de pao para barricas
o barris paos de pinho para mastreago de
navios, uma corrente do ferro pequea para
amarragan de b'\ate ou embarcagao pequea ,
3 ditas grandes para embarcagoesde grande lo-
to temos de condegas balaios grandes e pe-
queos, sestas com tampas e sem ellas para
conducgode comestives retroz de primeira e
segundo sorte e de differentes cAres, chapeos
de sol de seda grandes e pequeos, toalhas
eguardanapos de linho adamascados, uma sal-
va de prata a moderna, pilulas de familia, mas-
sos de meias curtas de-linho lengos de seda
preta e azul-ferrete grandes e pequeos, fe-
chaduras grandes de broca para portas de ar-
masem dotistranselins e um par de brincos
de ouro delei, peneiras de rame de latao, bi-
chas grandes o pequeas de Hamburgo; na rua
estreita do Rozario n. 13 casa de Francisco
Alves da Cunha.
Vende-se um sitio em Agua-fra, bastante
grande com arvoredos de fruto boa haixa
I1 :r-: capif casa de pedra e ca ; na rua do
Queimado n. 2.
Vendem-se os seguintes livros ; novelas e
coitos 2 v.^-vaulo e Virginia ; Camilla, ou
subt>rFaneq< na rua estreita do Rozario, loja
de cera n. 3.
Vende-so para liquidar conlaso botequim,
que tem bilhar, e mais arranjos do mesmo tra-
fico atraz da matri/., o botequim pintado de
amarello que est rectificado do novo, d-so
por prego commodo e a casa paga de aluguel
10^ rs. mensaes etem muitos commodos e
no mesmo botequim vende-se um vispora com
todos os seus Dertences.
Vende-se uma varanda de ferro, com 150
palmos de comprimento por prego muito cim-
modo; na rua da Cruz n. 52.
Vendo-se urna cavallo rugo para seta
na rua do Sol sobrado n. f.
Vende-se a maior parte de uma casa de 2
andares, com grande armasem proprio para
quaiquer estabelecimento em chaos proprios
por prego commodo sita na rua estreita di
hozarlo ; a tratar com Jos Antpnio Basto na
rua da Cadeia do Recife.
Vendem-se meias para meninos e meni-
nas ditas para homem e senhora, ditas de se-
da do todas as o>ualidade, e cores ; n2 i0a j..
Guilherme Sette na rua do Queimado n.~35.
Vende-se uma olaria no centro desta ci-
dade e tambem noventa palmos de terreno
com frente a nova rua do Sol com bom porto
para desembarque e com todas as proporges
para se fazer um grande estabelecimento de
quaiquer naturoza ; a tratar na rua da Floren-
tina n 16, do manhaa al as 9 horas, e de
tem apparecido nesta praga por prego com-
' modo ; na rua das Laranjeiras n. 5, sobrado de
Claudio Dubeux.
Vende-se um carrinho novo, americano
de 4 rodas, proprio para um ou dous caval-
los ; no Atterro-da-Boa vista casa do Miguel.
__ Vende-se um excedente terreno na ru
Imperial, com 34 palmos de frente, e fundo
atabaixa-mar do rio Capibaribe o qual ter-
reno estrema com trras de Francisco Ribeiro
Pavao e casa edificada do Simo Crrela Ma-
cambira e com todas as proporges para se
edificar um ptimo predio ; na rua Direita n.
40, segundo andar.
Vende-se um cavallo do estribara pro-
prio para montara do senhora, ou menino, por
ser muito mango novo, e sem defeito algum
nao -sta gordo, mas tem bons andares; no caes
daalfandega, armasem n. 1.
Vendem-se borzeguinsgaspeados e depon-
a de lustro para homem senhora e meninos,
botina e meios ditos de Lisboa e francezes, sa-
pillos de lustro para homem o meninos de (i a
12 annos ditos inglezos para ditos, sapatos de
marroquim o de lustro para scnhoi e meni-
nos chiquitos para meninos, pedes do marro-
quim ludo por prego commodo; no Atlsrro-
da-Boa-vista n. 24.
= Vende-se Jacaranda superior chegado do
Rio de Janeiro pedras de marmore redondos
para mezas de mcio do sala, de muito bom gas-
ditas para commodas cadeiras amerta-
lo
as com assento de palhinha camas de vento
com armagao marque, as, so fas mezas do
jantar camas de vento mui bem feitas a 4500,
ditas de pinho a 3500, assim como outros mui-
tos trastes ; pinho da Succia com 3 pollegadas
de grossura dilo serrado dito americano de
di'flerentes larguras e comprimentos ; assim
como travs de pinho e barrotes ; na rua de
Florentina em casa de J. lieranger.
Vende-se uma casa terrea na travessa do
Marisco e 53 palmos de terreno j com alicer-
ees para duas propriedades, na rua Augusta ;
a tratar na rua da Cadeia n. 14, segundo andar,
defronte do theatro
Escravos fgidos
Fugio um moleque de nome Thmaz de
nagao Rebollo estatura regular rosto redan-
do e cheio odios grandes beigos grossos, ps
e maos seccas nao falla bem levou camisa de
riscadoazul, e caigas brancas, fugio ha 20 dias
pouco mais, ou menos ; quem o pe.-ar. leve a
rua Nova, venda n. 65 ao peda ponte, que
sera gratificado.
Em dias de selembrode 1841 fugio da casa
do abaixo assignado um seu escravo de nome
Joaquim, de nagao Angola, do 20 annos, altu-
ra regular, bem parecido, sem ponta de barba .
rosto redondo ps grandes os quaos sanen
alguma cousa para fra quando anda o tem
um dedo grande do pe com defeito de ferida e
quasi podre em risco de o perder se nao ti-
ver tido uma grande cura tem no paito direito
eia marca do rogo TC com diamente em cima ,
que trouce de Angola em fevoreiro de 1829;
quando fugio levou um ferro no pescogo; ha
toda desconfianga de ter sido conduzido para
fra desta praga ; roga-se portanto a toda e
quaiquer pessoa ou capitacs de campo que
(Jo dito escravo souberem o apprehendo e
lagao conduzil-o a esta praga na rua da Ca-
deia deS. Antonio n. 25. ao p da guarda por
cima da loja de chapeos quo gratificar com
100? rsi. a quem o apresentar, Francisco Joa-
(inm ( ardozo.
Fugio ern setembro do anno passado o
pardo Manoel, olficial de alaiate de 40 annos,
estatura alta e magro, este pardo foi escravo
do Tallecido Antonio Machados Dias, morador
dosertaodeGaranhuns, e ha toda cortesa
que fugio para l ; roga-so as pessoas desse
gar favor de apprendel-o, e remetter
senhor.Manoel Joaquim Venancio de Souza com
loja de alaiate no Atlerro-da-Boa-vista, quo
olm de pagar todas as despozas, gratificar
com S0# rs.
de
u-
a seu
E HAT A S,
Do Diario a. 98 do torrente mes e auno.
A pag. 3. da publicacab ..
ie guaes padecimentos.
pedido, iini.is l,
, e na idade, dgase, de
8 '"7 I''.';......"ios, tia sua idade.
''"'", >-<"' pratica dedescobrira justica
imparcial, dia-s<
justica imparcial,
1 oni a pratica de distribuir
l.u.h;, .>:; a reuniodas persouagens mais dis-
dislincto '"' a ,,u"i'1" dos persouagens mais

IiW W Tvp. 18 a?. F. DE PahuISU