Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08700

Full Text

>nno-d&1839. Sexta Feiha <^
a i
' #
nTudo agora depende de nos mesrnos; da nofsa prudencia, modera.
*"> e'frjji.i; continuemos como principiamos e seremos aponuuioa'
om admiraco entre as rVares mas cultas. *
rroclamaco da Asstmbha Geral do Brazil.
'Hii i.-----------------_
Sunsrreve-se para esta folha a 3Jor.o por quartel papos adiantados
nrsta 1 ypograha, ra das Lrurn D. 5, e na Pracn da ludependencia'
U. 7 e 38, onde ee recaben coirespondenciaslegalisadas, eannnucios}
. nsiruulo-elc ",iatis, Kiido disproprios assignantes, e viudosassiif-
lados. '
Parlidas dos Correios Terrestres.
Cfrhffletla Parahilia e Villas de sna prctenco...................\
Dita do Itio brande rio Norte, e Villas dem. ................ c *, c L-
Dita* fortaleza e Villas dem..............;.........../Segundas e Seias_l?ciras.
Villa <:e Goianna.....................'.'.'.'..'.'.'...'.'..)
C'dade d,- OU...U .... ^..........................., Todos os dias.
Villa de. Anlo flP. ....... J.................. Quintas feiras.
Dita de Garanliuns e l'ffvoaro do Bonito.......... ..........[Jas lo, e ai decnd mrr.
Ditas do Cafto, Serinliaeim Kio Formozo, e I'ortoJJalvo............dem 1 11, e ai ditj d.to.
Cidade das Alagoas, e Villa de Macci........................ dem Mem
Vdld de Paja de Flores.................................lUein iS, dito dito.
Ti dn os Correios partem no meio da.
22 de f ovEMfiRo. Numero 25(v*j
- CAMBIOS.
^OTEMnlo. 20. ^
Londres......3> por ifooo ced. _
Lisboa....... So por 0/0 premio, por mciaiouereeido
Franca....... qf> re i j por franco. j
hio de Janeiro ao par.
OUJtO Mocdas de GfVoe rs
Cs DOa
Ditas de <|i'oo rs.
PK ATA Patacrs firazileirM,,
*",, Peros C.i>luninaiios-------- ilitoa
> Duos Mexicanos--------------------- Iflo a
Premios das Letras, iior n.ci 1 i/H a 1 111 por loo
Hlocila de cobre 4 a 5 por 100. dedisc.
*<
Vellias lfi.o a l'Sno
Novas
l iSlioi
tffmo
i,'56.>
>#4i
le inanh.'
Das ila Semana.
i? Segunda------S. Romo M. --------------- Sos. da Tltez. e nud. do J. 19 Terca---------8. Isibel llainlia F.-------------- llclacSo e Aud. dn J. de l>. da 1, Tra de man
ao Quarta--------S. Paliada Valoi*.------------------tewo da Thez. Audiencia do J. de l). da 1. v.
al (Quinta Apiescniario de N. S. --- liel. eaud doJ. dcD..da;. v.
ij Sexta----------S. Cecilia V. ------------jiLSve.Va Tiic. e and. do j. de o, da I. y.
a3 Sabnarif------S. Clemente l\------------------F Re. e aud. do i. deft. da 3. v. "
a4 Domingo-----S. Joo da Crux C. -------- "fc.* '
Alare chela para o da 22 de Novembro, ^ .
As C horas e C minutos da manh As C lloras e 30 minutos da larde
PERNAMBUCO.
Dilo-Ao Commandanle inlerino rio 1. B.a-
talhao d'Arlilheria disendo-lfe cm respos-
la ao seo offido desta data que rilo abrase
assento no Livro festre s o3 prac'is do Cor-
po Expedicionario que falecerad'.'oferta-
rlo e forao demillas confervando tc.davia
os assenlos no archivo para os averltar quan-
do por ventura recolliessem aljrumas da d-
zerco conforme setinha pralicadb com -as
yVla^oas em ideuticas circuivshncias
Porlaiia-Ao Commandanle interino do T.
Hatalhod'Arlillieria mandando de ortlem
------------ -------- 1 I -1 M i .- n l k 1 I II I ti '. i |IV^
la Junta de Satidc incapaz do servico Militar,
em conscqucncia desuas informidades.
roviMAivro PA- ARMAS.
Expediente do dia 16 docorrenle.
Ofli'io-Ao Exm. Presidente propondo-
llie para demi o o soldado do 3. Batalliaode
Arlillicria Manoel Joze Correia que tendo
sido inspeccionado pela Junta de S;uide. em
Sessododia 5 do crtente foi jul;adoin-
teiramente incapaz do servico por suas ero-
nicas enfermidad'S
Uilo-Ao Inspector do Arsenal de Vafinia
pira que houvesse pela sua Reparlicao de
mandar dismontar e conduzir para o Arse-
nal de Guerra as l'ocas de fo;o que se a-
chao no abandonado Porte do Mar poden-
do paraesse fim requisitar a gente precisa;
ccrlode que pelo mesmo Arsenal sena a Ile-
particao itrlemnisada das rapazas que bou-
vesse de lazer com o desmontamenlo das Pe-
cas
Dito-Ao Inspector da Thezouraria, rc-
meltendo-llie o ajuste de cotilas do que se es-
lava a dever as Pracasdo Oposito e 3 Bala-
lilao d Arlillieria que out ora pertenecrao a
{uarnico de outras Provincias a fin de que
em vbtado mesmo ajuste de cotilas houves-
se de mandar ajar a sua importancia.
I'ifo-Ao Commandanle interino do 3. P-a-
talliSo d'Arlillioria disendo-lhe em resposla
ao seo o'Ticio desta dala que passava a re- convenientes ordens ao Thezourciro .' afim de
qu'i^ilar o Conselho de Disciplina do soldado
I lpriano Jo/.c Pavier que lionletn lhe {ofa
Officio-Ao F.sr-rivab e Administrador da Me-
za de Rendas Inlerna! ordenando-lhe que
onde
a mesnia Reparlicao passe para a caza a
1 sliverao os Cofres da Thezouraria da Pr
rovm-
eia logo que se conclua a mudan a da. Re-
ao meio dia, dez. duzias de sapatos de conro
de lustro para Snra no valor de dezoito mil
rs a duzia, impugnados pelo (iuarda TI10-'
maz Jos da" Cosa e S no I espacho de Bon-
nefond I aux (iliedoiia das Rendas Internas, d^vendo lanle sugeilo ao pagamento dos Direitos.
remedido com o nomo de Firmiano e fue
considerasse como praca nova o soldado Lni/.
(on/.aga visto q' nenhuma parleciparo existia
de a ver elle absentado praia no Corpo Expcdi -
t ionario ao Rio Grande do Sul e ncm tao
potteo de ter* desertado.
Porlaria-Ao Commandanle inlerino do 3
Balalho d'Artillieria mandando d ortlem
do Exm. Sur Presidente commuuicada cm of-
ficio desta dala dar liaixa ao soldado Joao
Ba'ptisla Ferro da Silva Cmara (inania
Nacional do Fsquadrao de Cavallaria desta
Cidade.
Di A 18-
OiTicio-Ao F.xtn. Presidente, remmellen-
do-lhe os ornamentos dos conceilos a fazer
na casa de residencia do Commandanle do
lorie do Buraco, quartos, e.Capella do mes-
8'5 retal iva predila arrecadaro noMu-
qn- seja ponlual o pagamento das quanlias Ilicipio da Corle '
pedidas por essa ''eparlico para as despezas
Provinciaes, e cessem OS obstculos e demora
que tcm apparecido.
Diatr.
Officio-Ao Conlad.ip da Thezouraria At-
lendendo ao que V S. me representou em o
seo officio de j docorrenle ponderando a ne-
cessidade uif;enle que seda de lium Carto-
Divcrsis Itcpnrti^oens.
_ ,,
CRIBUNAL DA RIXMCaO.
SESSAO IH) Di.v 21.
o que se enrj^aregue c responsabilizo por
dedespeza dos anuos fi-
fi nvde os ter emassa-
oraia e com as decara-
Na Cauza de Appellacao Civel da Jozo de
Direito desla Cidade Appellanle l.uiz. An-
tonio tioncalves Appellados Penoir Ressu-
cliet & Puget Es?riva Ferreira; foi jul-
da ei de \ de Oulu- gado uullo o ProcessrWe fl 15 emdianle.
^i&o aT.ei Provincial, Wa ^ppellacao f rime do Juizo dos lutados
Thezouraria criado o da Villa de >. Joarr, Comarca do l'rejo da
predito "emprego entretanto que as Sitas fun- Atea da Pro.ineia da^Barahiba Appellanle
eoes sao essenciaes a boa ordem do servico c Amaro da ( osla Romeo, e Afusilados ''ano-
no podem deixar de ser encarregadas a lutm t'l Ferreira Matado, e out ros '
lodos os docuficnlos
iianceiras
dos e numerad
cues exgdas*tio'
hio de i8h e
que or,anizou esla
7 macacos 1 Gamela de sera 1 furao
a ditas com roas
dos Empregados acluaes determino V. *i.
1110 a fim de que houvesse de mandar proce-I Ifcie as encarregue ao Continuo servindo de
iler a tacs ciicciIus com exnecialitlade os Porleiro desla Thezouraria mi ai funecfes
Porteiro desta Thezouraria cujas funecoes
nao sao incomp'tives com est'oulra sendo
certo que retine em si a necessaria capacidade
para o dezempenho dessa Commisso.
I'l.l (IU/.C.
cial no correnle nno financeiro.
Po
Retid
I) a Ire/.c.
der a tacs ccnccrtps com expecialidade
da casado Comrriajljairle e da Capella.
Dilo-Ao Jnsjiei torda Tliezourari;i devolven-
do-llie as guias dos Guardas \aeionaes de (Jn-
- \ ... I ~ T 1 T"1 ^ T
lia anoii lium .iii.ii) uu L luiitu c .nn.\
Hcnrique Wanderlet que por irregularida-
des conipiovidas pela Contabelidade Militar
no podio ser cobrados.
I)ito-Ao 1. I cuente Anatleto Lopes de S
Auna communicando-lhe a sua noneaco
para dirigir as obras que se lem ti fazer no
i 01 le do Buraco vencendo por este Irabalho
as vanlagens de ommisso de residencia mar-
cadas *0i ('fliciats Engenheiros pelo I ecrelo
de ta de lunbo de 1806 ; e dando-lhe varias
dispOMces acerca do modo por que se devina
haver nesse servico.
I)jU?-Ao Diredor inlerino do Arsenal de
Guewa, comnitiicando-lhe a nomea So do 1
Tenelfte Anacido Lopes de SanU Auna e di-
sendo-lhe que o Arsenal lhe deviria forne-
cer para as obras do Forte do Buraco o mate-
rial e Operarios precizos prestando o refe- < st'belecidas porquanlo sao passados cinco
ro Tencntc cotilas legalizadas de dispezas,! dias e a inda nao sal irlo no Diario os predi-
tun de serun mr.m [losainuncios.
Chaves; nao loniaiuo conheeimenlo da Ap-
pellacao improcedente o Recluso.
ALFANDEGA DAS FAZFNDAS.
Gaiolas com passaros ,
cmlftulhos com balaios 1 dito com fasenda ,
1 barril com azeire g ntolhos do palba.
O BriguePditnguez. Josefa viudo do Lo-
anda entrado em 19 df correnle Capilam
Marianno Joaquim-JNuncs consignado au
mesmo Capilam.
AJanifeslou o segninle.
1 Paris com ginguba ,
El VITAL.
Vicente Thomaz I'ir"^ de I i;rueiedo
Ca-
Por4ariaVt)dando carreear em Receita ao-mar(r(>, Iiiyiedor d'Alfandega faz saber,
Tliezottrsiro das Rends Provinciaes a quanlia que no diaw do correnle se hade arrematar
de c:ooos*de res em Notas que nesla dada re- em hasta publica e na poita da niesma ao
cebeo do Cofre da Tliezourarr* da Provincia meio dia sei^cnlos c dez (ovados das fazen-
por cotila do supprimenlo do Dficit Provin- das Fcguintes propriamenle para colete ;
-.i_______ n ___...j._____i j :.<.. i_......r.i ;
saber ti^ covados de seliili*, c trezelos e oi-
, tenia e seis ditos de seda ealgodw; no valor
rtaria^O Inspcctor-da Thezouraria das de :00os res impugnados pelo rtitor Confe-
as Provinciaes ordena ao Sur. 7 bezou-1 rente loze Machado Freir 1 ereita da Silva ,
reiro Joo Vanocl Mcndes (Ia,Cunha e Azeve- no espacho de Bonnelond l-'aux & Mauvcr-
do que informe com urgencia porque mo-jnay, sendo o Arrematante sugeito ao paga-
tiro anda nao deo cumprimt-nlo Portara metilo dos I ireilos
de 8 docorrenle, pela qtfal se lhe determi-
nou t|ue pag.isse aos Empregados Pblicos
Provinciaes os ordenados do maz de Agosto em
moeda de prata smenle lazedo os nnnun-
cios necessarios c guardadas *s prefer ocias
paga,
Alfandega de I emambuco ai de Novembro-
de i3().
\ i. ente 1 boma/. Pires de Figueiredo Camai
Vicente Thomaz Pires de Figi-eiredo Ca-
margp Inspector d'Alfandega fas saber que
no dia sabhadn *irdocorrenle se hade arre-
1 dito com cola ,
z gamelas de cera, 2077 esleirs, 4 harris
com niindobi ^ 3 molbos de canudas a gaio-
las com passarns
O Rrgue Sueco Cnledoma viudo de Slo-
fklimiii en irado cm 1 do eorr^nln Oinitn.m
l.und consignado a M. C 'a I motil & Comp.
Manifcslou o seguinle.
llAj Ranas de ferio JS] du'sias de laboa-
cto, 100 barris com alcatro 35 ditos com
pise 5o ditos com polaca 1 maslros.
1 ora do MMfesto.
6 Barris c ni alcalrao.
O Brgtte Ilainbirgucz Fortuna vindo da
Iamburgo entrado em i;)do correnle Capi-
lam I*. I eteisen consigiiadoa N. O. Biebcr
& Comp.
Manifcslou o seguinle
?oo Barricas com ginebra, s5o sacrascpm
( 1 ivllos 000 gartafiles vastos 3o barris cora
(.une salgada -j caixa com goma Jaca 4
gigos com garrafas vasias. ar>4 barris com
polaca, 6 caix;s (oai lonas, lie dilas com
queijos, 100 barias dazem, 5 caixa com al-
linciles 3 dilas rom linleiros deeslanho i
ILEGIVEL
..v, v.. .^-.-------------- _~.....v,. .---------^- w ...,. ,,^ eiv.i.tr f ------------------------------------------------- -
malar cm hasla publica e na PWU ti* n^ma^cca com oleados 4 dita com ius, i ur-
Alfandega de Peruambuco ai de Novem-
brode |KJ..
Vicente Thomaz Pires de Figueiredo Camargu
O Brigue Tnglez Thomaz Lecck viudo da
Manifcslou o seguinle.
97 Fardos eom Cascudas, i*>. caixas com
9
iieiroescriplurario Manoel Francisco Duarte i catva com sclins, o gigos com louca 5
'emoqual pede dous mezes de licenca com barricas com dita, t caixas com muslarda ,
i barricas com conservas .\ caixas com ditas.
d ir as convenientes ordens para que nao sofra
o servico publico por esta can/a.'
Dilo-Ao Illm Inspector da Thezouraria da
Provincia significando em resposla ao seo
officio de onze do correnle que eslo expedi-
das ordens para q'seeTelue a predila mudan< a Liverpool, entrado em i.fdo correte Cap-
F.xm 6or. Presidente commuuicada cm ni- como con vem ao serv'o publico e ccotiomia lam David Jolly consignado a Al. CalmonC
ficio de i'i do correnle d ir baixa ao soldado da Fazenda frovincial. Comp.
Manoel Jozc Torreja por ter sido julgado pe- Dia i 5,
Officio Ao Exm. Presidente da Provincia
infornanilo com a iuJbrmai:ao (lo Contador si-( dilas 171 barricas com serveja \ o barr
bre o requei imenlo (ne dcvolveo do pri- com manteiga (j ditos com carvo moido ,
TirzoUBARlA PBOVIVrjAr,.
Expediente do dia r> docorrente. emoqual p
Porlaria O Inspector da Thezouraria das vencimenlo de ordenado.
Rendas Proyinciaes ordena ao Sur Tliezou-I Circular Ao Contador, Poutor Prort- 3o presuntos, (1 gigos com queijos o harria
reiro loao Manoel Mendos da Cimba Azeve- rador fiscal da Thesotiraria. Escrvao e Ad- coin chumbo, 5 caixas com chapeos, i45o
do, que o pagamento do-pedido-da Meza do minislrador di Me/a de Rendas Internas, e caixas com sabio -90 feixes d'arcos de ferro ,
Consulado, para nsdespezis que por ella se aft diversos (.ollcclores da Provincia parte- 50 ditos de verguinlia, 1 barril com esmeril ,
lazem com a Inspeccao do assucar e algodao cipandu-lhes para sua intelligencia e evecus- ; 5 l'eixes d'a o vq taneladas de ferro em bar-
prefira quaesquer oulhis por quauto por sao que S. Ex o F.xm Presidente por seo ra so harris coir. potasa, 2J barricas cora
sua natureza nao admilte demora. oiHcio de t3 do correnle ,'tornou extensiva a vidros 1 carrossa, 1 barrica com arreios ,
Officio-Ao Administrador "da Meza do Con- orrecadacao da decima ds Predios Ui lanos caixa com papel, a ditas com ferragem ,
sitiado partecipando em resposla ao seo officio oesta I rovincia a ordem do Thesouro Naci- : 31 barricas con dita 55 toneladas de carvo
de 8 do correnle que nesla dala expedio as" nal por copia incluza de o.r, de Dezembro de de pedra.
O Brigue Brazileiro Pernambucano vindo
de Loanda entrado em 18 do crtenle Ca-
pilam .Tose Ignacio Pmenla Propietario
Manoel Goncaves Pereira Lima.
Manifcslou o seguinte.
pq Gamelas de sera 10 saccas com caffc ,*
1 caixa com ca vinotes 3144 esleirs g
barris com az.eite barricas com mindobi ,
4 colxoes, 4 cascos para lipoias.
Fura do manifest.
17a Eslcira., 231 logias, 3 sacens com
mindobi, 1 colxao 2 papagaies -cj balaios,
i
1
J
I


*-v
DIARIO
DE PE
UCO
|ji irn fascndas 4 en xas com ditas, i dti iz de^reilo e Chefc de Polica ncsta Co-
cn a-iillias dil.i <'<>m couros do lustro marca da \ iU de Santo Antonio da Jacobina
com AlcadttTta forma da Le &c. Fago saber ,
W-__' *. l_________^ 1"? -.,,*..,.,, wti r *A
dita com p^gl lardos rom ptlneia., i
caixa com chapeos castor 5 ditas com per-
Benccs para < Rpeos i lardo cora livrtloa-
iir-Mis, i raivas com|calimbas > ditas com
tiiaiin'is i l>arril com -terebenlina i caixa
|,nm na ."toditas com sahaG a Jardos com
i.apelao i dito ''m papel de cmlrhlho I
r.iivi < ::> le rajem furris'com-conservas ,
cscravo fgido jior nomc Francisco nacao
Angolla dejdade de trinla a unos pouco mais
ou menos tcm selle palmos de altura re-
forjado do corpo, cabeca redonda, esta lar-
ga com grandes cantos boca''pe<|iu,na labios
grossos com falla de tres denles na frente do
j barril rom niiinteiga i barrica com ba- quexo inferior barbado, orelhas perpaenas ,
i i.is'de lalo, H alas com bolaxinba a caixas maos pequeas e ealejadas pes pruienos,
MJni lonscrvas-, 3 ditas Toin rap, 5 litas u-m no pulso do bra^o direito da parle das cos-
rVom drogas a4 ditas com vinbo iiditas com
prunas d escrever., U barris com tinta.
Fora do Manifest,
i < ,ii\a com licor i barril com conservas ,
'l cnibrulho com Hvros f i caxinharoni livros
impn ssfis barr* cora bi\ a embrulhos
i I ni Altm
lata
dita
H#
ignora-se i
lem biauco,
O Brguc Sardo Cuilhcime
de
L.
Ccile
Piaggio
las das mos um grande signal dequeimadura
na parle superior do braco esquerdo tem o se~
guinle signal de fogo mancha das peinas
de urna te/.oura as costase nadegas tem mul-
los signaes, cciealrizcs de assofles. Diz ter
M.'.rtiMTavo de nm porluguez chamado Joao
l cnibrulhp com letras disostonm j; fallecido; o qual mrava no
Tlijf Kairro da PoavMa da Cidade doRecfle, Pro-
THi viudo
entrado coi -o do correte Capilam
COlisi ;nudo a A. Scbraimn.
*;
Vi.-rnrfrstoo seguinlo.
-1 nocas ditas com
dito i'o barris com dito -8 ditos com chra-
lo 5 caixas com faseddas de 15a e seda, i
(iti n,in c iapeos .M ditas com caluhgas ,
c: tapen
ao (lilas (om
a/eil
- A Pauta be a misma do'n. af?.
vieza no consulado.
A Pauta be a moma do n. u5{.
CORRIIO.
O Bar o de Vapor X. Varanhrnsr recebe
smalas para os Porlos do Norte, boje
j i pelo uieio da.
O Bi igno Escuna Amizade recele a mala
pira o Rio de Janeiro ho'ca do conculcas
.i lioras da tarde.
*
PREFEITURA
TIRTE DO DIV 11.
Illm Exm.. Snr. Forao presos lionlcm
mina nider olvenlo boje destino: Podwi
tose dos Santos prado pela i. I alrullia de
Fora il-Portas por ferir a sua propria mi.lhcr
Faustino lanibcm pardo cscravo de Joa-
qun) Marquen da Costa Soarcs e I omingas
Mara da Conreirao prela peio Suh-Pre-
l'o'.lo de Santo Antonio por sorcm enrontra-
(!ds ilenois de nioia noite cnudusiudo sele loros
decondurii eizerera-se suspitos defini ;
Miguel Rodrigues da Silva, e Mara da Con-
, rcieam lanibem pretos pelo Sub-1'iiTeilo
da' Boa-vista esta por irr injuriado ; una
Snra. boiusla e ter de costme insultar
fajrias e aquclle por ser faquisla desor-
deno e ter abandonado sna mulber e Pe-
dro Joaqun Vacbado pardo pela i. I a-
trulba da lbeira por ser encontrado larde da
note dentro de una canoa, e fuzor-se suspei-
t.>.
A p; a recen esta nianb en forrada em um
quaiio da ca/a em que mora Joao Xavier
Rinero d Andrade sita na ra do osario
eslreila iu a pela, escrava de seo genro
Jos basar e ?e pioctdeo a com|)ftente
i-tiiia em seo eada\er.
K' que consta das Parles boje recebidas n'esla
Secretaria.
ANMIKCIO.
Constandofao Prefeilo d'esla Comarca que
os (.oiiliabandista d'Affriea*nos novos tem elie-
gadp :'i iulioiliizir uj'csla Cidade al apielles
dos mcsinos A (Trcanos quescacbao alfeda-
do's satule Pul lira e convindo nao deixar im[iu-
ne lao iiiii iiioM > proced ment ;o mesnio Pre-
liilo tei.I. ja dudo as mais terminantes pro-
\i.!e| las para oue sejao cspirilados, e prc-
i- | ; ipeliadons de scinilanle erime ,
convida agora .'i todas as prssoas que d'elles
(i--'.o [i r'noticia ;* qie Ibe vilo dar rt'seo
(ie.(,in.( ;;io nos i i n.us da J.ci para que se
pOs' i teceder
vincia de Pernamburo da parle da Igrcja do
Sacramento nj quina que vai ler a ra velba ,
aonde mora Fulano de tal Clao que vende
agoa de beber na mesma Cidade Que o dito
sen Senbor era solleiro e liiiba venda de ga-
ra pa na mesma casa 'eqne elle servia de ca-
xe'no, al que foi morto em um: noite na.
mesma venda por pessoas que o roubarao
One depois de sua morjfcellc viveu de cauoei-
ro no Porto das Canoas nora o lempo de sua fgida_; mas que antes de
ser preso esleve na Igre;a nova, (.aniy.
Pamba, XiqueXique, e outros lugares E
para (|r.ee"iegue a noticia dos berdeiros do dito
fallecido, este se mandn publicar. Bafixar
testa Villa, exlrabindo-se copias para aC
molinos sem exrminnr as quesles sembr-
curar descobrir quas as vistas polticas da
Franca sobre os Estados da America E be
la! a apalbia que nem mesmo acorda quando
o fogo lbe arde por casa Tomaremos pois a
larefa defazer ver aos nossos conterrneos o
perigo que correm e a liga que csse perigo
tem formado entre os estados nossos visinlms ,
quecumpre que nos unamos em cordeal
fraternidade A Conslituicao pela qual fe-
lizmente se rege o Imperio Brasileiro em
(|ii;into no-Io permiti o Coverno da Franja
nos garante o direito de communicarmos livre-
mente os nossos nensamentos e de gritarmos
com lempo Alerta! JVenlmm direito po-
demos exercer com mais prazer doqueaquel-
le pelo qual salisfazemos o sagrado dever de
concorrer para que a nossa Patria nao seja sub-
iHfliida ao jugo eslrangeiro, nao seja avilta-
da e ella o ser se todos os Estados Ame-
ricanos nao se derem as maos para o sacudir
p3r lodos os meios ao seo alcance ainda cam
risco de Se sepiillarcm debaixo de suas ruinas.
Elpreilaremos a conduca do nosso Govrno a
cena deslas quesles e desde ja lbe declara-
mos que se ella nao for fiancamenle Nacio-
nal eminentemente Americana lbe farcinos
a mais forje opposico: estamos niuito seguro ,
deque o Brasil cin peso nos acompanliara .
para elvalo ;s nuvens ou volal-o a execra-
cao, conformesouler ou nao tirar partido
das occorrencias para salvar a dignidade do
Imperio e evitar a escravidao e avillimeii-
lo dos Estados Amei canos .^,[ior consequeii-
cia lainl^m o do Brasil
I.cmbre se o mesmo governo que ncorre
na mais tremenda responsabilidade moral se
nade da Babia e do Becife devendo apre- | quando bouver de depos.lai o leme do Estado
.enliern-se os mesn.os I cnleiros ou a queai as mos do Joven .Uonarcba Americano _, lhe
pcrKMiccr no praso de qiialro n.e/es a este Jui- entregar o Innerio reba.xado pela sua incu-
7.0 com seuslitulos, ccompelenles justifica- na e mliabilidadu. Benidilicl be a po/.i-
cfiBpara lbe ser en I regu, aftas ser rcmel- cao de Rozas mas I em l.ab.l tem ellesulo
lido e entregue ao Jiljz de OrKos para pro- j para accendero nacionalismo lorie potencia ,
ceder na forma da Lei. Jacobina vinle nove j e para formar lumia liga beroica e salvadora
de Selcmbro de mil oitorenlos e trinta e nove, com os 1
Sinfronio Olimpio Cambuy 'l'abellio que
o eserevi Angelo Moniz da Silva Forra/..
Valba sem sello ex causa. Silva Ferraz.
Esl.i conforme >-- Sinfronio Olympio Ca-j
imbuy.
( a Liga Americana, N. i*)
C JMMUNICVD.
RIO DE JANEIRO.
pelo
Nacao livre e independente se nao a -
doplarmos as mais eflica/es medidas para
sustentara lodo.o risco a nossa autborida-
de nos nossos porlos
No momento, em que nos vemos bracos
com a lerrivcl guerra civil que em diver-
sos pontos do imperio ceifa nossos cwncidad os.
destroe nossa industria dimiiiue os publi-
cos rendimeiilos e corla toda a (boje da ri-
Nao seremos respeitados pela Fram a queza nacional um expeclaculo mais dcsas-
Mundo e por nos niesmos como Iroso ainda v. m enlrislccer-nos e nodoar-
nos l^o baslava que brasileiros Iludidos
seerguessem contra as iiistiluiefjcs do sen
paiz, lan assem mao das armas contra a patria
que os vio nascer 5 era de misler anda que
Carla e Tiomaz JeITcrson Ja- eslrangeiros q' bem aeolbemos, que bypocrilas
mes Madisson, em i5 d'Agostode i8of. se disiao nossos alliados, c amigos, aproveilas-
sem a otvasiao opporluna que se Ibes offe-
A conducta do governo Francez para com recia para injusta, e arbitrariamente se em-
nacoes fracas do continente Sul-Americano possarem de parle de nosso territorio, si que
ra acordando o espirito da cordeal fraternida- a esperanca de se oappropriar lodo Ibes nac
de, que ha muito devera existir enl re ellas bale no peilo uisano.
e lomando necessario o syslema de polilica lo-! Brasileiros! E' ebegado o momento, cni
da Americana, que aconsclbava o sabio Patrio- H10 os nossos resenlimenlos particulares do-
ta de rula interessanle correspondencia lira- vem calar-se em que nossas paixoes deem
mos a nossa epigrafe. Oxal que os Estadistas morrer no fundo de nossos peit.s para ser-
da America a buvtssem seguido em suas re- virem de holocausto no ajapificio, que nos
lacoes com a Europa >ao teriamos dever cunipre fa/er em prol dominico' spjitimentp
nai-ccs fortes zombai em dos mais sagrados di- que ora dominar-nos d#Rt j. J8#tioji.tb'da
re los e cem futeis p^elexlos prelendereiTi co- nacioralida le ollendid J*i%Mda aos ps por
lonis.-tr-nos por huma riln'eira indi recia m- um governo prfido vdj/^gfro, ^ue ao passo
aos ps das na-
suas vergo-
as
por-nrsleis, lnunilhar-nos e t'uar srdido que vcrgonbosinvnl'sl^Wao
interessede nossa eseravidfio eaviliamenlo !.coes poderosas pnocur vingr
Que! os nossos irma^k) Norle e do Sul da, i'bas sobre os nascei.les povos d'America !
America podro sacudir o jugo das maes pa- E' chegado agora mais que nunca o momen-
Irias podro xpellir do lerrilorio America- t<> de nos unir A Franca ille.talmcnt
no seos paes C| renles, quando estes con- se apodera do nosso lerrilorio do Oyapock ,
Ira ranlo seos inleiesscs, alacaro seos direi- desiruamos o rommercio francez no Brasil!
los; pederao obrigal-os a lornarem-se-ll.esa- na America ofendida! Eis o- no-so dc-
migos, a respeilarem e*ses direilos esses iu- verEis o que nos cumpie., e nos resta
leresses, e boje as geraees Americanas, os fazer
d I,as da I.ilirdade, e Jiidependeni ia nao po-
Emquanjo a Rnssia a poderosa, eao me-
nos a(;el Rnssia, faz estremecer unicamenlc
segundo
a mesma contra
ijuem de direito for.
I'ic.'eiiuia da Comarca de 'cei'e 1G de Nc
trm'bro (fe 18 <<).
rn harrt (o.
(is Credoresdo fallerid sul.dilo Portuguez
Francisco Antonio de !t)!o sao convidados
para ai.resenlarcm na Cliaii'ellaria do Consu-
do dentro do praso de qninze dias as suas
con las uslifcadaj para strem pagos pelo pro-
ducid do espolio do mesmo fallecido,
Recife -ii de Novembro de 18
O Cnsul.
Joaquim Baplisla Moreia.
[EDITA L.
O Dr Angelo Muniz da Silva Ferraz, Ju~
der conseguir or.iro a.,o cixaio de se: com ameflcas essa Frttnc.aj Jap wd, e ingrata
colonos de seos paes para o scre^le jiadras- : favores ; em quanto o valeroso Jatkson a
los Nao o espirito publico A
comeca a levanlar-c elle
lodos os coi aces loi mados no bemispberio eis- suas tropas das froulciras devLuxemliurgo a
O S( reHaWO lianras .1 uiunta i i < u.mu u liutu^ .j^n.ivru a
pul.lico^imei rano obrigou a pagar-lbe o que ella lbe nao devia
'aziaamorlecido em lalvez (|iianloTrussia s< com o a vanear
Alluulico: a rcenle conduela da branca para
rom as Reftb(as llispano-Amei iiauas, e
para com o fcperio Rrasilciro be o signal de
unino. O Jomalismo no Prasil por causas,
(pie por agora omillimos nao manifesla i que
se passa ii este respei lo nos Estados do nosso
' onihente : as quesles mais ilaes para a A-
iiieria os j listos agr vos des-es Estados sao
tratados pela imprensa Brasileira superficial-
n.ei.le ou com a mais escandalosa ndiReien-
ca ; qui regosija-se mesmo com alomada
de S. Joao de (jlhoa com o b.'oqueio de Bue-
nos-Avrcs cora a ntervencao a favor de
Faiita Cruz c de Rivera, sem a profundar os (pie nao. Os biasilciros naosc o os
fez entiegar a Blgica, sua. alliada natural,
em quanlo a Alslria a loica retirar aos sol-
dados de Ancolia ella, e seu governo pus-
silanime e covarde, vem representar no
Mxico no brasil, e em Buenos Ayres a
parle de I). Quixole seu famoso escudeiro.
\ crgonba eterna sobre essa nacao (|iie cn-
Iregou a Bolonia a lUlj'ica e a lalia e
que agora prelenteentiegar a llespaplia .' !
I ensaro acaso os Iran (ves, que osii.i-i-
leirc.s lem o me.-io caraclcr, que elles, que
baixanienle secirvem e idorem o tirano es-
lrangeiro. (|iie os icnce, e ieliai>.a ?-^^b !
francezes del85, que quando Alexandre da/
Kussm cnlrou como conquisdar ero Pars, e'
udoralcou aos ps elles lhe bejaro at os
taces das bolas correrao adante delle ba-
lendo palmas, e aplaudndo-o As mulheres
iao ao encontr dos ofliciaes eslrangeiros o(fe-
recerem-se.... Oh! Vos entrasteis em Ven-
na em Moscow em Berln com esse hroe
(|iie francez nao era e sim italannode raca
desangue, e solo natal, ealgum da visteis os
allcmaes os prussos e os russos beijarem
os ps deNapoleao? Oh que nao! Seus
semblantes eslavao banhados de iranio, elles^
obdecio forca, que os venca mais nao se
rebaixavo .."Que isso so proprio o$
vos ... Francezes !
Americanos lodos Unanio-nos paraacathr.
em nossa patria commum com o commercio
francez. Esla a gufgja que nos cumpre
lazer a esses papelcs (|Ui.vSei. Cllt-^^yy m-
sukao euconiro-nos divididos ,^e*pda-
mente se a podro do nosso lerrilorio !. I-
gnemo-nos pois E que ganhainos os com
o commerro francez? Nos deo elles reciproci-
dade de direilos ?
Ellus nos maq/iap seos vinbo9 falseados co-
Sscos Ojoracrt mando-nos suas sedas fi
i c fricas seos falsos eaheleiros e |>er-
fumadores suas modistas, enanos de reta-
lho, e buggangas e em troco levo nosso di-
i.beiro., nosso ouro puro entendis vs ? -
ouropuro, (pie nao quercm as suas allan-
degas nossos gneros Ocaf paga direilosc-
normes nao u/yj faz. con la remetlel-o. O as- .
socar quasi (pie prohibido nao poden io
sotlrer a concurrencia do das colonias de
Bourbon S l.uiz, e Guadelupc. As madei-
ras nao tem ali ^xlracao nem os coi ros os
eliifres, e ludo quanlo objeelo de exporlacao
da America Quero nca compra estes generes
sao o norte da Europa, Portugal e Estados
Unidos ;. com estas naces que nos cumpre
ler tratados porque com ellas que temos
recij rocWade de direitos, por isso que nos
cxpqrlo nossos gneros
Vnhos, mis temos os porluguc/cs, no
precisamos francezes sedas lemos inglezas,
trastes de lu\o Ilamburgo uosenvia, ferro, e
ac Slockolmo nos manda, vestidos podemos
entre nos la/cr,4ajp reeoriermos a bracos es-
tiangeiros, quem damos de comer que a-
iuda em cima nos injuria') agn da colonia;
sino queremos a verdeira que Colonha por
Ilamburgo, Lubcck c Amslerdam recebemos,
nao a necessitamos fabricada as roas de S.
Dinize .Mariin, que lo boa no Ro de Janei-
se fabrica. Emim -para nos soitr de lodos
osobjectos que pos;a requerer os luxos, as
casas relacionadas com Ilamburgo nol-os po-
dro deb fazervir que esta cidade em aras-
tes de moguo e Jacaranda, em relogio desala,
em lustres ele. ele., nos fornecer quanlo qui-
zermos.
J'emais com esta medida muito tambAn
gandamos, porque sepromove nossa industriad,
seaugmenlao nossas fabricas de tecido c se
eslreilo nossas rellacoes commerciaes com a-
quellas naces, que exporlo nossos gneros
enosdao reciprocidade de direilos.
Brasileiros Una'o contra o^s francezes ,
que nos tornaran o Oyapock mennos u
nio contra os francezes que nos insulta rao
nas agoas do Piala e em Vera Cruz Nem
um de nos compre mais couza alguma a fran-
cezes : ludo quanto precisamos temos fabri-
cado poroulra navio, ou por neis mesmos.
Guerra aos francezes pelo commercio Arrui-
ncmol-o quanlo em nos coiihr Abaixo
o commercio francez na America !
EU nossa vinganea Brasileiros e America-
nos Lnivs !
(Diario do Rio de Janciio^
Snr. Redaclor.
Como Vm. oeseiipl ir ipiC mais inlercsse
lem mostrado peo Irasil, na qucslo do
Oyapdck pelos francezes. aniniei-me a re-
meller-lhe eslas linhas a fim de despenar
o patriotismo que parece adormecido, dos
brasileiros; e lembrui ao mesmo lempo s nos -
sas autoridades (pie devenios quanlo antes
principiar a fazer a guerra islo, a rea-
gir coaira os Irance/.es contra esssq gente a
quem com lana bosbilalidade lemos receido
uo nosso paiz porquein lauta sympalia te-
mos mostrado e que nos km pago com insul-
tos e Ira cues de mais de ii.n genero, aca-
bando por se assciiborearem no seio da mais
prol linda paz de parle do paiz que de U|rer-
lo c de laclo nos.parfence Enlremospois
na malcriad esta lotiespondeucia. E'sa&ido.
Snr. Redaclor que a hartado de que^pzar
no Brasil os i de lerem ca^as ,1
vender iclall.o is, h-iloes casas du
ele. etc. lenca de trata-
los.le comomnrci ; regalas ll.es
roncedem ; mais qite'a penas espirado o pra^j

ILEGIVEL


D I

\t
Ir

:


F. w
NA
M nuco

dceses tratados com ellcs acahou femelhante
rlircito. Ora leudo j finalisado o Iraftdo
de commercio com os franceses como se per-
milte queelles continen! com as soas tojas de
modas de quiniptilherias, de agoas de chei-
ro ; com os seus leiloes casas de cabelleiros,
botequins assougues etc enrequoeendtf'-se ;
assim cusa da nacSo a quem eilelivamenle
faiem a guerra nao ser isto urna completa
niangaco e escarneo ? nao ser isto tratar-nos !
tomo a colonos seos ? R consentir o nosso
jo/erno que assim sejamos Itldibriados por ti-
tila naco, orgn'.hosa s com as Iracas, eque
parece querer fazer da America um outro
Jfrjfel nao mandar immediatemento fechar
todos esses casehres oulros tantas redes lau-
cadas ao dinheiro dos sinceros e incautos bra-
sileiros, e isto cm quanio nao toma mais e-
nergicas providencia* l Snr Reductor havc-
i" aink-brasileiro digno (leste nome que de-
pois (foflllimalum do govemo francez, ponda
sobre si ou u/c objecto algum francez que
entre mesmo por um-momento n'uma loja
franceza, que uze urna sde suas modas ou
que compre para si ou parsita laimlii; obc
cloqualquer de-indiisiria ou origem france-
za i1 Se o liouver Sur. Hedaclor., (pie sejaa-
pelldado de afrancezado como partidario
da usurpaco francezas e votado indignaco
e ao despreso do Brasil intciro.
Sur, Redactor ,' se se dignar inserir esta
correspenencia no seo presente Diario muilo
agradecido lite ser. l_m rssilciro.
(Mem).
----------------------
BOATO.
Tem corrido estes ltimos dias que em con-
selho de ministro tralula-se de medidas ten-
denles a fazer evacuar a margem direila do
Oyapock \ioleqtamnte oceupada por tropas
franceza e algumas pessoas cheglo a dizer que
ha votos he m pronunciados para que, avis-
ta do ultimtum francez se mandemos pa-
saportes ao ministro da Franca residente
nesla corle. No sabemos que grao dt>vera-
cidade tem este boato, mas o certo que a
populacao do Brasil nao vera com desagrado
esseacto deenergia e de nacii.nalidado.
(dem de 3o de oulubro).
francere* pelo gabinete das Tuillierias de en-
to ; plano que nao teve-jefleito pela inespera-
da vinda da corte de Portugal yira o Rio de
Janeiro, .
lie Outubro do frrenle anuo, papa'
a edificacSo do Theatro dftJVpolTo ,
que na forma do \rt. 7.'da pro-
Rm 1817 fora nossas barbasenxovalhadas posta appt'OVada dveto realisar da ^ario da !'oa vista, ft
urna rJaz nao Jala d este a 3o dis effl Cas, do vel Publico que no dia
pelo almirante Roussin que sol)
interrompida sempre protestada abu/ando
de nossa fraqueza fazendo-^e leao entre cor-
tic i ros
, enlrou por nosso porto com morroes
accezos para cobrar oiro !
Rm
Thezoureiro Manoel Jo5o de Amo-
rim na ra da Cadeia velha N.
al 1 "rimera preslarao de 20 por
imtRofoiporfraiKeze, daguarnipaode fc as tiuanlas COm toe
um vaso tte guerra praticaua a negra e per- 1
fidaaccodomorrodoCavallao, na pessoa de {JtWWfOW, e voluntariamente con-
um tenente coronel brasileiro, surprchendido correrao para a mencionada COns-
e acoitado em sua propria casa, com violacao |.nCrgr,
dos mais sagrados direitos. '< i t i i ~n
Rm h tU o pretexto d garantir a Gola-1- Kecife 20 de Novembro de 18.39
na Franceza do contagio da rebcllio do Para
(sabe Dous excitada por quem) oren parad os
l rancez.es o nosso territorio na* margens do Rio
Oyapock ; e cessando esse motivo nao o que-
rein desoecupar em 18 'p buscando outro pre-
texto qual o de nao se haver anda definiti-
vamente marcado os limites entre o territorio
Avisos Diversos.
O BRASIL R A FRANCA.
Fados histricos para serem comparados com a
oceupaco do nosso territorio no Para !
Rm o annode i5"(>, cxislindo a melhor in-
telligencia entre o rei de Fran a e os nossos
monarcas veio falsali estahelecer-se no
Dio de Janeiro o francez V illegaignon o qual
erigi no nosso porto a fortaleza que ainda
conserva este nome para mostrar aos f ranee
zes que d'ali foi expulsado esse seu compatrio-
ta com toda a sua guarnico pelo inmortal
fferoe Mendo de S de saudosa memoria para
todo o brasileiro cujo coraco palpita por es-
ta pali ia que o vio nascer ; e para ensinar aos
injustos oceupadores que urna naco mais
Iraca pode solfrer no momento o insulto, que
1 lu irtojya a forca, e a prepotencia ; mas que
allim o espirito de nacionalismo produz cxplo-
soes como a plvora e leva pelos ares os mais
lories baluailes
Rm i5t*< qualorze embarca enes francezas a
portal a hostilmente em Cabo-Fro e depois
de haverem carregado loica po-brasil, pas-
sou sua guarnico a excitar por meio da inlri-
jja.r aos indios goilacazesa virem com ella a-
tacar a povoii^o de S. Lourenco na citlade
d Nicteroy.
(iracas ao hroe Salvador Correia de S e
ao valeroso brasileiro Ararigboya forai os
invasores expellidos, morrcndo estes
S2F" Precisa-se de urna pessoa pfrda ou
prela que saiba cozinbar o diario de nina ca-
lwasilciro e francez n'aquelln parte do inipe- ta <|c homem soltro com preferencia a at-
rio, gum i-scravo que tambem saiba eriearregar-
Brasileiros! vede esta conducta de urna na- se do mesmo arrarrjo : n i ra Direita caza I).
oque lia mnito lempo se diz nossa amiga e trinla e cinfo aotide tem padaria.
qHi.desde muilo tempo falsa f nos ataca, j^, Rcsposta ao annuncio fcito no Diario
nos insulta e rehaixa nao tendo de nossa Je segunda (eir i-t_o correnle.
parle o mais pequeo motivo para isso! Pelo Disse o Sr. 4^ueiroz e com talhn na
contrario nos ha vemos *em pie recebido seos a- ru do Rangel perante os Sis. Jos Pedro ,
gentes, e seos subditos com as mais cordiae Agostinho 'os AI ves de Oliveira Jacinto
(cmonstraces,'dc amisade c benevolencia. Galvo de Menezes eo mesmo confirmnu o
Klios commercja) entre mis, que imbereis HkS Sr. Manoquim perante o Sr. meslre de Ser-
compramos pomadas papeloes lid ros de ralbeiro sobrinho do Sr. I'ristolf, dois olli-
chciio, cabellos de definidos cncaracolados u ciaes do mesmoofficio Zebedeo Cczar e Lu-
moda ; dentaduras de defunclosy ancas bar- z Jos da Silva CuiOCd que dera a Antonio
ligas de peinas falsas como saits autores c da Conceicao Pessoa Ponto do Tbea-
miloulras ninbarias fofas sem valor, e s tro, a quanlia de dois mil rcis em cobre,
para lbe comprar a Torrinba N. \") para o
primeiro Expectacub do Mgico Ryan. O dilo
Pessoa veio ao Thealro pedik-a fiada ao [im-
proprias para alimentar o vicio e a vaidade,
Nossas esposase Ribas se vestan com elegan-
cia enos agradava antes de haver modis-
laa e cabelleireiros na ra p Ouvidor ; nossos | prezario, e depois negou insultou-o eme-
se a ma d Orlas D. 6 perto Igreja d
^nr. dos Vlartyrios Mo da niesma que se
dir qurm o annuncianle.
i^*A irmandade de'Nossa Senborado Ho-
faz* sciente ao respeila-
ia 10 feslejou a sua |a-
ilroeira com a descencia como secostumafa-
zer no acto da fesMvidade, eque leudo justo
e contratado os dous sermaos, la lisia %.a
noile no Tbedeo, nao, bavendo o da f< .slajfii
razio de nao poder pregar o Reverendo Sur.'1
nnoelTl.omaz da Silva por ym ttaqgye
moleslia na occasiao deo princ pnr, com f<;
publico, e a noite tambem nao lime sermo
por nao ter comparecido o Raverendo *nr. Vi-
ce Reilor e nao ter mandado partecipar a
mesma irmandade, e paca que o publico nao
pense o deixar dater bavido os sermaos por
dcsleixo, fazo presente annuncio, para q' todos
conbe_ao do "flessabor que esta irmandade
leve.
l^lrFieciza-sc de hum escravo ou creado
forro q' sAiba cozinhar o diario de urna caza
que tem de servir somenle a um homem sol-
icito : ni i ta Direila caza ). 3">, aibaf*
com qium traclar ; e na mesma caza aluga-!
um escravo que cntenda de Padaria.
t?" Deze'a-se falar aoStrr. Francisco Jo-^
se N unes, (juca lemiios morou na ra do
Livramenlo, quciralcMbondade de aanunciara
sua moradia. ^W-
Viy Vende-se urna venda com poucos fua-
dos no lugar ta Trempe ; quem a prcleudei
diria-se a mesma.
yj- Quem precizar de huma ama para u
sei vi:o diario de huma caza, dirija-se a Ra
do Livramenlo caza D. 11 em 3 andar aqittl
d fiador a sua conilula.
tJ-I recisa-se de urna cosinheira que so-
ja perita no sen ouieio : dirijao-se ao A ler-
da Boa vista casa do coronel Francisco Jos
da Costa.
UTTOs Professores de Mu/.ica dista Cidadfl
do liccil'e nue forio a irmandade da Sir-
que
raa<
Ccc
all'aialcsnosservia antes de ai assislirem al- j acou-o. Veio repetir o inuillo e alirar com a gem e Mrtir S. Cecilia, crerta na Jgrewi
faiales francezes. R qual a vanlagem que ti- ridicula quanlia do emporle que nao fazia oh- de S. Pedrg lem a honra, e salislacao do
ramos do commercio francez? os dircilos de jeclo de questo ; mas sim a negativa redo- convidar a lodos os Snrs Amadores ta Arto
entrada tos nossos productos na Franca eqni- brando sua malvadeza em :r snpplicar ao di-, de Muziea, para asssisliiem a Pesia tic sua
valcm a urna verdadeira prohibieo .- jiercor- -to Sr Oueiroz que o encobrisse .dessa falla Padroeira no da sexta feira aa do correntr j
re as paulas da alfandega e vede quaes os e Ibc tlesse um biihele diz.eiulo que linba mez.
gneros que ali importamos em troco ele seme- mandado,comprar oceultando por quem S^f Da-se duzenlos mil res a juros tte tlo-
Ibantes ninhai ias ; entretanto que nos Ihe ad- Corre para o pelo e no Diario N. tb* poem W por cenlo ao me/. por lempo seis me/.es ,
millimos tudo a quince por cenlo de entrada duvida a minha probidade Mas que se pode quem os quizer procure no largo do I creo I).
nos lhe compramos a nossa ruina 'no laxo esperar de quem roul ando sen proprio Pai 8 que se dir quem os d, isto sobre penho-
peste arruinadora das foi tunas e dos cbstumes Ibe cavott com desgoslos a sepultura i' llum u* deoiiDOii prala
Os commerciantes francezes ncm ao menos se Pai que d a seu Ribo urna educaeo superior t3" Quem precisar de hum Porluguez sol-
eslabelecem fixameule no nosso ;.az j qual s suas (oreas e classe que accresccnta estes teiro para criado, ou felor de algum cilio,'
lellesoqueaqui lem casado ? Vem fazer di- disvellos ao bem da existencia torna-se pa- do quem lem bastante conhecimenlo, queim
pe
kMies
nna a
cm dele'.a da patria as ondas que han
il ia de ucangu.
Rm i-io nao apagadas soas vistas ambi-
cio >a.s debaixo de especiosos pretextos alej-
rao lias praius (it-ii jiCiu.i iOjiuS CStOlfiSRitS
dasqior J-rancois du Clerc as|uaes acabao
no trapiche da cidade ao ferro brasileiro com
a pcnbido nosso hroe (iregorio de Caslro Mo-
caos cujo saugue ainda tinge as casas frontei-
ris alfndega : masdu Clerc jaz na igreja da
candelaria.
Rm ty i i a pretexto de revindicar a honra
perdida por du Clerc mandn o roi de Frail-
ea o almirante Reinato du Guay Trouin tes-
ta de una lorio armada ataciro Riode Janei-
ro : a pusilanimidade do seo governador de
eo.lao loz comque esta cidade fo-se lomada, e
nndonada'ao saque,, mia dos ex fonos des-
es conquistadores que todava nao podendo
: ra presa, e loineinlo ^lo ou Urde :i
sorlo de seos piedrressnros a vender") por
io mil cruzados, e -,' rtlirra cobciloi da
jnald'.cao do nossos a\s.
J Rm i8o'j o Brasil foi dividido em cantes
no Tribuna da Preleilni a be mao espozo e cores, cha son c oulros muilos objectos M
geral! Acor- per conseguinle mao pai. Rrgo, quem be mao mindezas.
abri osolkos Ribo, mao espozo*, e mo pai torna-sepes- *&" Alluga-se o qi
quixolatlas qi
nascenles naces americanas,
Brasileiros americanos em ,........ ,,... WIM.ta... .^->., -7-i---------
daij Legisladores da America abri os olhos .' Ribo, mao espozo', e mo pai torna-se pes-1 tZT Alluga-se o quarlo andar da casa na
Demo-..(lS lodos as ma'os para annullar o com- simo cidado. R um lal Rnle escreve para o ra da Mocda ull.mamente reediheado ; a
mercio francez no novo mundo al que essa Publico, pondo em duvida a probidade degradar na i ua do \ gano D. I, com o seu|
naco nos trete como amiga estabeleca ver- oulrem Quem Wil platica merece trazer { proprietai io^
dadeira reciproeidade de interesses respeile eternamente sobre o descarado rosto, ou a
>mf
lia
S?- Quem tiver algum escravo Se patarra
emfim nossos direitos lo menoscabados por mascara do Bravo de Vneta ou os pos bran- [ e quiscr tomar obraste sola e vira^,^^jmra.la-,
ella. Honra e gloria a lodo o brasileiro a ros do I'albaco de Mr Ryan, taobem applica-
lotlo o americano que nao comprar um s ob- dos. O Rmprczario
iei lo tle commercio francez khonra e gloria aos Francisco de Freitas Gamboa
ilhislres genraes Rosas Oribe Santa Anua ts^- Quem tiver carneiros gordos para ven-
Morramos aWh debaixo das cinzas de nossa der dirija-se aolal^o francez defronte da Ca-
palria do ^SoTramos o jugo eslrangeiVo e deia para tratar\ ou annuncie : na mesma
que com doapreso *e ignominia nos vcnba casa precisa-se de um negro para lodo o ser-
dar a lei A honra ^ireferivel ludo Mal- vico.
dilo e vil-seja aqnelle tpie nao ama a sua pa-; tss" Tbeare gd^ieireiro francet morador
tria sobre todas as cousas eque indill'erenle na ra Nova defronle ta Igreja da Concei-
a v menoscobada insultada e lalvez. cao dos Militares anmmcia ao rcspailavel
nao A America nao o sofrea Seos fiflios publico e particularmente aos seus lrouezos,
lem muila paciencia ," porem tambem niuila que elle lem para veqder um lindo sorlimenlo
coragem / O Occcano as oncas os cascavois tle cabellos para fazer marrafas e crescenles ,
o enilim ali; os bixos dos ps os ajudar no' marrafas de moda pova (odas promptas pen-
momenlo opnorluno.
(Diario do Rio de J.)
TURA TRO PUBLICO.
Por impedimento que hnuve fioa Iransfcrido
.Beneficio de Nossa Sen Lora da Conceicao ,
erecta na Matriz da Boavisli [tara odia sexta
feira vinte tt nove do concille sendo a mesma
Peca Duelo e Knlremcz que se annun-
cfara.
tes de todas as qualidades, de ferro de lar-
tartaruga de niarfime de balea ; flores finas
nara a cabera e para cnleitar os calidos; bico},
de blon pelo e branco filas de seda muilo bo-
n ai 11..dos chapeos de senhora muilo ri-
cos cflc muilo bom goslo ; um grande sorli-
menlo de parfumai i s de lodas as qualidades ,
dous grandes ospelh s por preco commodo .
tudocliegado prximamente t!e Fian a pelo
ulliino navio. ..
lij Quem precisar d'um-iiomem, que sabe
ler, escrever, e contar correctamente tod;:s
as especies de contas elanibem parle de Gra-
mtica Porlugueza pois sabe dusenvolver->o
SOCIKDADI'IIARMO-MCO-THKAJ RAL. emqualquer negocio, por ser mu hbil: to-
da a pessoa que do seu presumo se quizer uti-
lizar para escrever cm algum caitorij, ou
mesmo algumas escritas particulares em sua
caza : o ereco-sc l.inbtm a algum Sur. d'en-
genbo ou qualquer pessoa fra d'csla I raca .
pura ensinar prnncias letras com totlasassuas
explicacoes: a pessoa que optelcudvr dirija-
A Coinmisso Administrativa da
Sociexiaile Harmnico- I bealral avi-
7.a aos Seoli res Socios e Accionis-
tas do lnpiestimo approvado no
Scsso da mesma Sociedade em 7
zcr-los em sua casa, ficando sen scnbor res-
ponsavel annuncie |>or esta folha para ser
procurado1
tS?- i^uem precbar de um menino de ida-
de i4 a anuos para l'agc ou Caixeiro
de alguma venda : dirija-se a ra das (Jru-
/es caza terrea D. i lado do nascente.
C^A pessoa que per leude una caza terrea
no Atierro dos A (logados querendo urna com
seis quailos feila a moderna com duas janclj
lasenvidracadas e huma porta noquarlc-
ro das casas que fez Antonio Lua Ribeiro dt;
Brilo enlenda-se com o mesiuo rilo no lar-J
go da Ribeira I). 4
lyQWn; quizer contratar comprar diario
duas ou quatro arrobas de capim : dirija&
ao largo da I be'ira sobrada I). 4
i..'- Prt('isa-so de um feitor para um sitio!
distante tiesta praca ineia IcgCfi iuu cniontia
de plant-roes e trabalhe de enxada : dirija "*
se a ra do Rozario quina do peixe frito na
venda.
%-jr Quem quizer alugar urna meia agua
por detrazde Santa Rila Nova : dirija-se a
nma piulada tle novo no mesmo sitio.
tSF Aluga-se urna caza para se passai ,t
fesla na Caza Forte: quem perlendcr diri-
ja-se a ra tas Cruzcs D. 7 leuda de Tano-
eico.
IZT Arrenda-se o sitio dos herdeirosdo i-A
nado onoel Izidro de Miranda, no lugai
denominado Luca com grande caza dcvi-
venda olaria algumas arvores de fruclo ,
grande terreno a fallar com a viuva do dito
ni mada Praia caza de Jos gmo de .mi-
randa.


=
-------WF
DIARIO DE
PERNUIBUCO
2F" Ao amanhercr do di >o do trrenle ,
desapareci um moc ;""quem o pegou le\ea
ruado ltun^el i4 > quesera bem rtom-
pemado.
SST Quem annunco"ii querer comprar um
jogo de (jamao c ladillas, querenilo s as
ditas (iic sao de marfim eom os competentes
Ifconos, dirija-sea ra do Collegio botica D .3
.JET* No dia 17 do correnle t'frou-se do
lli'Qio urna caita para Jpao Francisco Mar-
mes viuda de Lisboa 110 paquete da terceira .
pomo nao peatence a pessoa que por engao
rou por ler igual uome Toga-se a quem
ir seu dono da nova U. a que llie ser entregue.
S_3- Aluga-se um armazem na ra do en-
cantamento confronte ao beco que vai para a
^rua do V igario proprio para venda 011 pa-
ra recolher ; a tratar na ra da o&dela velba
loja de fazendas D. So.
IST Torna-se a rogar ao Sr. Meuron & C,
que preste niais atlenco na prepurae^qdo seu
rape dando-llie mais gualdade porque se se
cnconlra um bote bom encontra-se outros
mu tos inleii menle mus com o que se
Swde atribuir ao pouco'cuidailo. que os Snrs.
'leuron & ComjSjanlm presto ao seu fabrico,
nueiraocontentar mclbor a os seus Ireguezes ,
me lo benignamente os ajudao a vi ver ; pe-
"e-se igualmente que nAp se a clere con? este
aviso a sua lu luna csro na razo de contentar
ao grande numero dos que do extrac.o ao
dm bello Jardim com canteiroa e vasos moder-j de 1000 lijlos outra4n>$5o e a outf% de
nos para plantario de llores, tudo coberto. 5oo; una casa na ra de S. Tbereza D. ),
com una befy construida lutada de par reir e oulra na rua^p Cotovelo !>. K ; a tratar no e lo/.inba o diario de urna casa e com os 4
que produz 0ptmas uvas-, as condicoens da atierro dos adbgadWcom Francisco Xavier das filhos sendo 3 molalas e um molato a
mullier
oplinm ren
limitan) parda de idade de Soannes,
rendeira cose cha ngomma liso ,
C? "Una casa de familia recebe lima mu-
er para ama a anal basta que saiba eng-
; quem estiver tiestas 1 ir-
mar aloumacoisa
nda sao todas favoraveis ao comprador porU hagas
que nao seexigeModo o seu preco a vista. SSif (Jma molalade idade de 10 anuos, en-
1 omina o cose liso ; na pracinba do Livra-
inento D. 21. .' .
Cy* Lenba de boa qualidade ebons car-
os de bois pira o servico de olaria a pre o
le ntil rs. cada cano ; a tratar na olaria da
ruada Florentina.
tsjr Urna asentas de meia idade, 011 tro-
ca-sc por outra voltando-se o resto ; quem
quiser a nn uncie.
C^* Vinho do Porlo, Xeres e Tenerife
deexcellente qualidade, em barris e en-
garrafado ; na ra d*s barheiros n X.
3" Os Iivrossegintes na ra da cadeia
cunstancias dirija-se a praca da lioa vista so-
brailo da quina do beco do Veras
S23" O Sr. que aununciou querer um sapa-
teiro para fazer uns pares de sapatos de solac
vira dirija-se a ra velba D. aj.
Avisos Martimos.
PARA A II HA DES. MIGUEL, segu
mpreterivliuenteal.'ode Dezembro prxi-
mo o bem conbecido Patacho Porlugutv Pi-
quete da Terceira de primeira marcha for-
rado e pregado de cobre em canchado pa-
ra este 1*11 tu, e do-annunciado. tem excedentes
cmodos pata passageiro c anda pode rece-
ber o completo de seu carregamento ; trata-
se com Antonio Francisco Sanios Braga ra
da moeda n. 1/12.
PiRA O M.ARAMlAO'o velleiro Brigue
D. ; evanglico m triumpbo-Virgilio em
portuguez Vctor 011 o minino da selva ami-
gas rivaes- Adusto e Gabriella arrependi-
menlo de Vollaire Belisario Joo de Cala-
eselvelinn-Feliuto Elysio Farofia ou a
mucura do casamento- arte de amar-moles
e decimas de Pocage- secretario portuguez-
sino das duas horas salteador de Veneza -
vida do Bairo de Trencbe- dita re Lercno -
TnglezAnn; quem quiser carregar ouirde asflozenovellasdeM.de Monlolieu Lis
passagem dirija-se a Me. Luliuonl & Com- loria de meninos para quem nao for crian ~a ,
panliia. ^k e oulros muilos livros.
PARA FRETAR para Liverpool 011 qual- tS7' 5 oscravos a sabe* 3 prelas moras com
seu rtfp sejo mais benignos com clles e ; aver oulro porto da Europa, o superior Bi i- boas habelidades urna deltas be perita en-
11:10 vocifere dando-se por Hendidos do que uc In;;lez JN'orlh I'ole de primeira classe ,- gommadeira e co/.inbeira ; ulha molala de
resulta somenteem seu beneficio, o que se forrado e encavilliado de cobre, os preten- idadede oannos comas mesaos balx-lida-
pede he remedio ao mal, e nao desejos de os denles dirijo-se a Me. Culmonl & Compa- des; umpretoqiie rozinha bem o' diario de
oirender como a cntleudero; porlanto o au- nJna.
nuncianle espera quede ora endiante apare a
a providencia que reclama assim seja e as-
sim se veja e nao lornarci queixa a lazer.
CS" Ao respeitavel publico faz ver Antonio
Feij de Mello morador na Freguesia da osea-
da uue comnrou meia lecoa de trra
L e 1 o
una casa e un dito cauoeiro; na rua de
agoas veriles I>. 07.
l^j- bacas de marfim ditos de osso fi-
ns e ende finas, c prelas caivetes fino
tsy* Que fazem Jones Edwards, por inler- de aparar peonas, tesouras finas para costura,
vengo do < orrelor Oliveira de um inleiro ditas para unba cstojos de navalhas finas
sortimenlo de lazendas Inglczas todas de Ici pennasde pato tintarle escrever carteiras,
e mui vendareis terca Icia 'b'do corre
no se
primeira de 7 anuos a segunda de 5 e a
terceira de i o ialato de a anuos na rua do
crespo-. 9 do lado do sul.
8^ Um violo pequeo com muilo boas
vozes ; no quariel dos rtiicesdc meiodia em
diante.
i3y Urna rica mobilia desala sem uzo e
do melborgosto possivel toda de Jacaranda,
c bem envernisada constando de um grande
I rem duas bancas dois consolos urna me-
sa redonda de meio de sala com cobertura det
pedra igual a da mesa do trem um sof ,
en cacleiras de um esteirado tal vez aerar*
segundo no paiz e um enserado tambem de
Bala) uesla Typogiaitt se dir.
ST5" Pet,as de ganga amarcla da comujiila
da ludia a 800 rs. a peca eolitos de ffpolho
para plantar; na quina da pracinba do Li-
\ ramelo loja do l'urgos,
ssj" Una porco de Matarina por preco
com modo ; na rua do Rosario da' lio;
D. 19.
------------- ---------------------------------------.
***Escravos Fugitos
>oa vista
, que comprou meia lecoa de ierra que
sao > 00 bracas para cadai^lo, segundo cons-
ta de se us ttulos e mais aoo brabas com os as :o horas da maubem ponto ,
I. niesmos fundos, as quacs canipieliende os mazem da rua do Trapiche novo
sitios viola e ajudanle a Jos Gomes da cy- Por enconveniente nao teve cfeilo o de |ialenle c oulras muilas miudezas por pre-' '
t3" No dia 28 do p. p. fugio da casa de
Jos Vlexandre Eerreira um prelo creoulo,
de nomc Mai linbo alto, reforcado do corpo,
bem pi co pouca larba e quando anda tem
un geilo em um p por causa de urna tri-
Ibadura ; quem o pegar lee a rua do Fa-
gundes I*. 7 que ser recompensado.
C5" Augusto de nato mucambique ca-
nociro com um-S- no peito esquerdo ps
largos som barba gordo andava em urna
canoa conduzindo matenaes e trasia urna
torrente ;vo p. Matbeus angola "vindo do
Maranhao para se vender nesla praca alio,
rendido das verilbas e sem marca alguma.
...------ ,.V...,_. uv juiu IIIIKI IICI OllCU'l lili lt-11 IIS, T ... { I
rente filas de gnrea candieiros de lati agoa de f" ,hJb e i8 1?aW dls ecra^8 Piulo
ju ar- colonia, bandeijas grandes e pequeas eni-16* Mt%mt^auam cauoeiro comprado
xas do retratos finas e entrefinas sacarrolbas a Jose Maques V.anua deules limados,
baixo e gordo cor retin-
i&ftra : o qual compro-as ao finado l)r. Mayer leilo annunci do paia o dia ai do concille, cocommodo: na pracinba do Livramento lo- aul,n0 Vl,,t, tl0 ",0 Grande do JN'orle pa-
m sua alccid mullier D. Calbarina; e porque no armazem da rua nova D. 3 i o que ficai ja D 3. j ra se vender calabar baixo.'lullo, olboscs-
eslao a proceder-se parlilbasa os berdeiros por transferido para quaila feira .7, onde tam- 3L"3" Um pardo official de alfaiale de ida- I)U"l;,clos > denles lunados comprado a Tbo-
isso faz vtr quequalquer que ficar com o bem entra 4 figuras para Jardim.
engenbo lamburral fica responsalvesa fazer---------------------------------------------------
a quella venda firmo conforme determinaro. (J, () ||^ n j j| .;
os vendedores fallecidos a viventando-se e------------------
ineilido-se as referidas 500 bracas para ca-| \ry Urna grammatica inglesa porlugueza
no
da lado como assiin fica dilo.
SET Segunda vez roga-se ao Sur. Joaquim
de Albur|uerque Fernandes Gama queira
dirigir-se a rua do Rangel D. 4 no primeiro
andar.
S^- Faz-se publico pelo presente annuncio
por Conslancio y na rua nova botica do Pinto.
t3" Um laxo de cobre em bom uzo ; quem
tiver annHncie.
de de 90 a *5 Hunos be muilo claro e porle',naz A,,,0"'o L^o do Rio Grande do Norte,
servir para pagem nao tem vicios nem acha- 'Iuem PfB.ar Ti"110 Mana de Seixas .
ques ; no aiterro da Roa vista sobrado D 1 ,
no primeiro andar das 6 as 9 da man lia e
das i as 6da larde
5 Polassa ra Russia em barris pequeos
cliegada agora, e Carelios em sacos de quali-
dade superior ; em casa de N. O Uicber &
Vendas
Companbia ruada Cruz I). 6L
S_f Urna escrayade nac.o mo-a ,"e pti-
ma para tdo o 11 viro; em Oliuda rua da
na rua do \ igario I) 11, ou no seu sitio
caminbo do Cordeiro que ser recompensado
8^> Fugio no miado do mez de Agosto do
correnle anuo um negro de nome Hallazar ,
de nacao cabindu de idade de 55 anuos es-
taluia regular ps malfuilos com algumas
sicaliha as costas com o ollio esquerdo va-
sado, levou camisa de baela encarnada -, e
seroulade algodo com orlicio de cauoeiro o
e tambem luz lijlos desconfia-se que eslej
que Bernardo Ferreira Acluolc se acha jus- isy Folliinbas de algibeira ; contenrlo biquiuha doS Pedro I). >i.
toe contralado vender osen sitio na foa via- alem do Kak-ndario &c a confissao do na- l"j- l'orn doce de goiaba, urna cmoda com rcCH|Uk> em alguma parle ; quem o pegar le-
gem, quem scachar com algum direitoa elle, rujo e um I ialo.o entre um Algaravio e 14 gavetas propria para guardar papis ->/\ ve a llw de S. Gon alo n. u, que ser re-|
annuneie no praso de oilo dias da dala desle sua Maria ; a 2^0 ris cada urna; Ditas de asaes de pires e chicaras finas, bicos de boa con,pensado
lindos os quaes o comprador repelle de si toda dila, dila, dila com anerloclas, historias bons largura para en cites de vestidos, sapatos
e qualquer duvida que aparwa respeitoao di- dictos &c a a^o ; ditas de porta divididas era braucos a o, ditos pretos a >oo: na rua
lo sitio. semestres, a seis vintn* o anuo; dilas Ec- nova loa que se vende quartinhas.
tZ3- homem quese offerecc 110 diario n. clesiasticas a pataca; na praca da Indepen- S-TJ5-Urna pono de garrafas vazins; na ven-
a55 para ensinar primeiras letras dirija-se dencia loja de"li\ ros n. 3: e 38 na rua do da djiquina do fundo da Igreja da S. Cruz
ao atierro da lioa vista D. 7 da parle do norle. cabug loja do Sr Handeira no bairro do 23" Tris passai inbos chamados viuvas de
C5" A Senbora Rosa do Souza Chaves, au- Recile defronte da Igreja da Madre de Dos, angola, um dflks he muilo -cantador e ja
sent Rosa Mariana Lopes Teixeira ou a venda da quina do beco do azeiledo pcixe ; na tem .1 mudas i*e dKo se duvida dar a contento
sua familia pertencer queira procurar n rua da cadeia loja que foi rio Sr. Quaresma ; a pessoa corth'rcida dcixaurloo^mlor ; na rua
lerceiro andar do sobrado D.-7 rua do Ro- defronte da X'alriz da Boa vista botica >'o T. do Burdos defronte da narbn-tn. '
zario eslreita urna carta de importancia do Joaquim Jos Moreira ; e em Olinda Botica
Sr. Antonio Lopes Chaves, cuja carta veio da r\io do Amparo.
Urna porco de chumbo muilo proprio
da serra talhada povoaio de N. S da Penba.
mr Aluga-se dois setveules pelos; quem
#s tiver dirija-sea rua do Collegio D. 3.
V3T Antonio Jos Alfonso tendode reti-
tirar-se desta pra'ja para tratar de seus nego-
'cios dcixa por seus procuradores bastantes a
os Sis Jos Francisco de Azevedo Lisboa e
Jo aquiui Jos de Amorim, revogando por isso
ledos os poderes que bavia conferido sua pro-
curaco interior ao Sr. Antonio Jos Gomes.
Pedc-se ao Sr. A. J. C. de ir pagar a
quantia que lomou emprestado para pagai
em obras de seu ollicio do que be meslre do
contrario ver o seu nomc por cxlenco.
Kgs O Correlor Oliveira aluga pelo tempo
Je festa ou por auno a sua excellentc e
bem situada casa na povoacaodo poco da pa-
nela ; este predio acaba de ser pcrfeilamcnlc
pintado, concertado, e acha-se com todo o
asseio possivel para servir de residencia agra-
davel a qualquer familia decente por muilo
numerosa que seja por ter muilos commo-
pos; quema pretenderdirija-se ao mesmo
Corrector na rua da Coneico D. Hj o Reci
elle tambem offerece a venda o inesmo
[predio, o qual alem das boas qualidades re-
feridas tem bom quintal plantado de laran-
geiras cacimba de excediente agoa casa pa-
ra pretos e despejo estribara e coehei-
ra, de um lado do predio e do oiKro tem
tre-
para qualquer fabrico paaai'azer latas para
encaixotar rap ; na rua da penba sobrado de-
f ron le do Sr Ca m boi m
S" Sal de Lisboa a bordo do Piquete da
Terceira; a tratar com Antonio Francesco
dos Santos Braga rua da moeda n. i4'
C5" Um cavallo caslanho, de carga e no-
vo ; urna moleca de la anuos ; no atierro da
Boa vista loja de chapeleiro I). 47-
t^~ Capim de planta, e palba de coqudro;
na estrada dos aflictos no sitio da Matarina a
tratar com D. Marcelina Anglica de.^aslro
Aguiar.
tsy~ No beco da ordem terceira de S. Fran-
cisco em um sobradinbo defronle do porlao ,
I), a, um anelo um par de brincos de 61a-
gr dois pares de botoes corlados um volta re
cordo uns corases de brafo um limao de
sarja, tudo enconta por sua dona retirar-se
para fora.
> Urna escrava creoula de mais do i!\
annos engomma liso lava, cii/inba c la/,
lodo o mais serv.o de urna casa e o fiiho que
tem mais de anuo ou sem elle ; na rua de
!lorias I). fti,
sy jo palmos de terreno em chao proprio
.om alirerceeoilao meeiro com a Senhora D.
Dconizia junto da D. 44 em Olinda na rua
ile Malinos erwira; canoas abertas uuia
do Burgos defronle da padarlaT
12T Urna negra de angol^^le idade de
ao anuos, muito sadia e proprm pira lodo o
fzy Mcdubitn de angola de superior qua-
lidade em barris ea retalho por preco com-
BDodo ; na rua da Cruz n i-,
tT Umapoacaode travs de mangue de
94 a 3o palmos por preco muilo commodo ;
na rua da Florentina sobrado novo ao p da
mar.
L,/* Farellos em sacos de qualidade su-
perior echegados prximamente 5 na rua di
cadeia U. 17, e no armazem defronte da es-
cadinha.
S_v" Camas cadeiras e marque/as ; na
rua das Flores D. y.
tZf Urna canoa aberta de carreira por
preco commodo; no estaleiro do Sr. Joaquim
Jus de I- igueiredo.
C5" Um sola de angico 3.bancas de meio
desalia 1 mezas de jaratar duas camas <
bancas de jogo dv l\ ps e una cmoda, tudo
por preco commodo ; na rua das larangeiras
D. 13.
t3T Sapatos de marroquim franeezes tanto
pira meninos com para senhora ludocbega-
do prximo ; no afierro da lioa visla D. 9.
iUr' Papel pautado para msica de su-
perior qualidade; na praca da Independen-
cia loja u, a.
&^T Um molato claro, grande official de
carpida, com 5o anuos de idade, e com a
l^r- toga-sea os Sis. Jub-Prefeito desta
e mais comarcas, pesseaj particulares aprc-
beiiLao de umaesir.tva de nome Theresa. cre-
oula de idade de a8 anuos co/.inbeira e
doceira cabala olho v testa a propgrco,
oivlhas pequeas nariz chalo t boca peque-
a, beiios linos lem urna sicalriz no ombro
direilo peitos escurridos e grandei mos e
ps proporcionaes, ebeia do corpo tem o an-
dar vagaroso, -jjosja de andar cjiu o cbelo ar-
rica-do levoii vestido branco com bahado de
sucena e panno da costa ; quem a pegar le-
ve a rua de S Gonsalo a casa de Antonio Eli-
as de Moma quesera gratificado
s bordo do Patacho iNacional Oliveira 3 escla-
vos em urna lancha do mesmo Patacho le-
vand^J remos % baldes, e una pequea
vella mude nome Miguel angola, baixo,
baria serrada bastantes cabellos nos peilos t
oilro Joao rebolo lem um dedo do p es-
querdo corlado eo oulio Marciano, estatura
regular, signal de lerradura 111 testa, duas
bolas pequeas no caxaco ; quem os pegar Je-
ve a bordo do dito Patucho defronle da praia
do collegio a entregar ao Capit. Antonio Jo-
s femos, ou na pracinba do Corpo -auto a
seu Consignatario Gaudino Agostinho de Bar-
ros que lera de gralilicaco 200,000. j
Moviiuento do Porto i-
JN'o dia aoas 6 oras e meia da tarde lun-
diou no lameirao o Brigue Escuna Amisa-
de viudo do Rio de Janeiro com 3i dias, e
segu para o Ass veio a esle porlo buscar
um pratico.
--------------------------------------,-------------------

RECFE NA TYHrT* M. P, DE F. 83d>