Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08698

Full Text
Annode1839. Qarta Feira
Judo aRor, depende ie ihSs mesmos; da nos prudencia, modera-
."'.'/"T1 cominttemoi coreo principiamos eseremos aportados
com admirarlo entre as Racoas mas cultas. ^ "
Proclamacao da Assemblea Geral do Braul.

__

i A-
SubscreToaa para cata folha a 3ooo por nuartel n,M .a >. j
I). ^ e5o, onde se receben, ccrespcHlenciasle^lisadas, eannuS
Udos "' endod"P"'P"~.nte., 'eviudosas^:
-
Partidas dos Correios Terrestres.

20 de NovfiMnno. Numero 251.1
u_i_i__l. xi .1 .. ._ ammi
CAMBIOS
NoTEKrtRO. IJ).
J-"Hrcs......Si por 11 orto ewT.
E**....... ^ \* /o premia, por c.i uiereJ.
.ni. .. .....a^ reis or |,auco>
r>io - Moed* de 64oo rs Velhas ,f^0
'
Nova
Ditas
bo",^. '' 4#ooor.',
H A TA Pataces (raiileiros.......
Pe ios Culuranarios---------------
Dfioa Mexicanos >--._________
i
ifioo
8#>oo a
if'io a
i'o a
iffeo*
Premio, das Letras, por met ,,8 a 1 iiipor'io
Noeda de cobre 4 a a por too. de iW.
i r#*HM
t/lbo
YMiade*. AnlSo...........
Ulft de Garagl.uns e PovoarHo do Bonito .................,(f,,,n,.M ,e,r?\ .
DirtS o Cabo, Seriah.em. "Rio Formo, e Po lo &............u" l0' '4 'k^ "**
Cd.de das Abfcoas, e Villaje Macelo ...........' t'" | dilj d,to.
Yilla de Paja* ne Floras.......... ......................W ldPy. ,
Todos os Correios parten, aomeiodia..................^^ ^ dlto dil0'
Dias da Semana.
2 gu. S. Feli, d. V.lois..........",f Tht Al X Quii-----------Apresao-acSo da N. S.......2? ^do ^^^ *.<
U Domingo S. Joiu da CfuS C........, J' U ** *
A/re chen para o dia 20 de Novembr*.
As 4 horas e JO-minutos da maiil.S A, 4 horas e 54 mnalo, da tarde.
PERNAMBUCO. vistaoorcamento apresentado com o seo oflicio
GOVERNO DA PROVINCIA.
e\j'ei>h:hte do da i 5.
OfHcio-Ao Inspector da Tbezouraria das
Rendas Provinciaes signifioando-lbeein pre-
senta do seu oflicio de Jo do p p. me/., e do
parecer do Procurador Fiscal, que o aconi-
panliou sobre o requerimcnlo d'al;uns J'ro-
prietarios do Municipio de 01ikI;i ponde-
rando que seos predios nao se aclto roinp;e-
bendidos na lei que creou a Tuxa da Dcima
dos Predios Urbanos que para que nosojo
prejudicados nem a Fazenda Publica ; era
os referidos propietarios, eqtiaevpier oulrus
pessaa na desigltaco dos seos predios para o
pagamento da Decima ,. deve o mesmo Inspe-
ctor per em execuco o dis|xisto na orde.Ti do
Tribunal do 1 bezouro Publico. Nacional de
99 'de Jezembro de iS35 expedindo as con-
venientes ordens para que quando os predios
Urbanos se acbeni encravados em terrenos a
que pela sua extenco tuso, sao, ou podem
ser applicados planta oes agricolas de qual
quer genero ou algum outro uso proprio dos
predios rsticos se laca destine "o do rendi-
nienlo do predio e do terreno polo preco do
aluguer ou pelo arbitramento na forma de-
clarada pela sobredita ordem.
Dtto-Ao Inspector (icral Interino das Obras
Publicas, |vara mandar proceder a (atura da
obra da ponte da cambo* qlie alravessa m
estrada de Santo Amaro.
Dilo-Ao l;oulor Antonio Tose Coelbo ac-
cusando a recepeo do seo ollicio em que par-
tecipa que por impedimento do actual Dirertor
intirino do Curso Jurdico o i adre Miguel do
Sacramento Lopes Gama se acba no exercicio
desle empreo e significando-lbe que poden-
do accontecer, que odito impedimento dure
por (riis de dias, desdeja a Presidencia
o nomeia para interinamente exercer o refe-
rido Lugar louvando-lbe o zelocomquese
emprega no Publico Serv.o, nao se pon-
pando a preslar-se elle ainda com pouca sau-
dc como actualmente accontece.
Dito-Ao Administrador Fiscal das Obras
Publicas respondendo ao seu oflicio em que
participa o nenbum presumo da madeira ve-
Iba que se tirou do forro da Capella Mor do
Collegio e nao ter apparecido quem a quizesse
comprar ; que a mande entregar adisposi o
da Admiuislracao dos Estabillccimenlrs de
Caridade, afim de ser impregada no uso d*
cozinbado Grande Hospital.
9.l0~.A? A(ln''Hstrador do rande Hospital
de Caridade scientilicando-o do conteudo no
precedente oficio.
di* 14
de o do corrente mez
Df-Ao Commandante Geral do Corpo de
lohcia, communicando-lhe o conteudo no
precedente ollicio.
tu 16.
0(Tico-Ao Commandante das Armas para
mandar dar baixa ao Soldado do .1 Kntalliam
(FAllilhaiia ManocI Jos Correia, visto ter
sido julgado pela 'untado Saude incapaz de
servir como informa em seo oHici,, destadata.
Dito-Ao mesmo respondendo-lbe que a
Ul llu Mi. /.ir.n!,. .L 1 / I
por nlo eslar as circunstancias de servir na
Pnmeira Linha.
Diversas Heparicoeiis.
TRIBUNAL HA RI^LLACAO.
SESSAO DO DIA ly.
Na Appcllacao Civei do Juizo ds Direilo
,, tiesta (.idaele appellante Joze Louren o da
Provincial.
nmipanbou o orcamento das despezas qties
lem de fazer com os reparos dos : quartos do
loitedo Maraco cuos lelos se aeb;o abolidos ,
deve incumbir a direcao da obra dos mencio-
nados reparos a algum ofbcial liabil cum-
prido apresenlar as suas conlas legalis.idas ao
Di redor do Arsenal de Guerra aqujm foi ex-
peilida a conveniente ordem para satisfacer as
sobredi tas dospezas.
Uito-Ao Director Interino do Arsenal de
Guerra communicando-lhe o conteudo no
precedente oflicio e ordenando-lhe que sa-
lisfaca asdespezas dos reparos de que traa o
dito officio.
Dito-Ao Inspector ta Tbezouraria da Fa-
zenda transmitindo-lbe u ordem do Tribunal
do Tbezonro Public Nacional do i do cr-
lenle me/ sob n. 107 acompanbando vinte
cxcmp'.ares da 1. pmte da nova Pauta das
Alfandigas afimde ser inmediatamente posta
em pr.itica.
Dilo-Ao Ins|)eelor da Tbezouraria da Fa-
zenda para mandar entregar ao Commnn-
danle Geral do Corpo de Policia a impor-
tancia do Pret do Destacamento da (ornarea
de Floresrelaliyoao mez de Otilubro p. fin-
do e bem assim a do sold do respectivo
Commandante e a de ngoa parios, e luz
lambem relativos ao sobredilo mez como re-
quisita o mencionado Commandante Geral.
Dilo-Ao Commandante (eral do Coi-pode
Policia, communicando-lbe o conteudo no
jirecedenle oflicio.
Dilo-Ao Administrador Fiscal das Obras
Publicas para mandar pagar a importancia
de 5o pares de sapatos comprados pelo Com-
mandante da Companbia de Operarios En-
gajados para as pracas da mesma Companhia.
ro.MMANDO DAS ARMAS.
Expediente do dia i3 do corrente.
I opes Vianna Escrivo Rebello 5 se lulgu
pela confirniacao da sentenca recorrida. '
Naappelb.raoCrimedo Juiz.. dos Jurados
tiesta Cidade appellanU' Manoel da Purifica-
do Paes de Carvalho e appellado o Juizo ,
HsenvaoFerreir ; julgaro nao tomar conhe-
cimento do recurso por se terem guardado as
lormulasessencijcsdo Processo.
Na apellaco (time do Juizo de Direito da
Comarca de Sonto Anio appellante Manoel
Antonio Dias e appellada a Cmara Munici-
pal da mesma Villa Escrivo ReLello ; foi
confirmada a sentenca recorrida.
r. .
Ibczouraria Pr_
dem recebida jh?1o Almo-
jarife em dilTeienles datas
por conla do consiguado
p1 la Lei de ao de Outu-
brode i838 e mandado
abonar por Avizo de 8 do
lVyereiro de ib1^ paiM
aplica <,ao das despezasafa-
zerem-secom as Embar-
cacoensd'Amiada, e Pa-
quetes por tonta da Inten-
dencia da Corle----------
dem idem para as despezas
de C/p------------------------
< Despeza.
Pela importancia do que foi
pafio pelo Almoxarii aos
diTerentes artigos na for-
ma seguinte em o prezen-
le anuo financciro.
- Corpo da Armada-------------
Ariilheria de Marinia-------
Forca Naval
7i5ooW
5:ooo*'ooo
INaappella ao Civel do Juizo de Direito des- Reformados e avulsos_______
la Cidade appellante Antonio Jernimo Lo- Arrecadapo e contabilidade
pes Uanua ;e Appellado I rancisco Xaver| incluzve a<5^a66rs. des-
(.avalcanl de Albuquerque Escrivo Pos-
tbumo; se julgou pela conlirmacao da sentenca
appellada
Na appcllacao Crime do Juizo de Direito
desta Cidado appellanle o Padre Manoel
Morrira da Costa e appellado Teronimo Dan-
tas Timb Escrivo l'oslbumo ; se julgou
em reforma da senlen acondemnadoo Reo em
lmm mez de priso ,-e mulla correspondente a1
melade do lempo.
3o 1 '335
j8s'{o
S.G; a'jjfi>%
10JOOO
Oflicio-Ao Exm. Prezidenle deprecando^
lhe alguns pequeos concerlos que precisavao
as Enfermarlas do Hospital Regimental, e caza
, d'arrecadac.'k) do mesmo, os quaes pndio
Ufcio-Ao Lommandanle das Armas, si-; ,er feitos pelos Operarios que actualmente
g.n..caiido-lhc que lendo S.do removidas estavoconslruindo o tecto da referida caza
para a i.aza ta 1 nezourana onde se fez a d arrecadaco.
opperacao do troco da moeda de cobre, s,! Dilo-Ao Major Commandante do depozito
v..,as das Rendas Internas Geraes e Rendas' disendo-llic que pela Repartico das Obras
lnlernas l'rov.nciaes ; cumpre que faca retirar 1 Publicas lbe seria apresentado tim Iedrero
B (.iiardaque exesl.a no paleo da ribeira e- para examinar a quanlidade de lijlos, cal
1, torear a do_ Palacio para seren collocadas e areia pr.ciza para a conslnicca do muro
mus S s;:iUinelas em dille rentes porlas da j onde deve ficar circunscripto o Cimilerio em
mencionada Tbezouraria. qUe dcvt-in ser sepidladosos cadveres dos sol
Dilo-Ao Inspector da Thezonraiia da Fa- dados bexiguenlos e que feito o exame or-
zeoda, communicando-lbe expidieco da ganisasse um pedido de taes materiaes afim
.
.
ALFANDEG\ DAS F VZENDAS.
A Pauta be a mesma do n. a47
MF.ZA DO CONSULADO.
Paula do preco corrente do assucar, e algado
que se'dcsp.icbaro na Meza do Cousulado
de Pernambuco na semana de 18 2^ de
Novembro de 'A^Cj.
Assucar branco novo 1. Sorle
a.
3.
is'ooo............ /J.
5.
6.
1.
9. a
I.
a.
i.
4.
5.
6
1.
a.
1. Sortc
a3oo
aaoo
a 100
iq5o
pendidos com os Fmpre-
gados um dos quaes crea-
do por Avizo d ij de tc-
zembrode 1836, e outro
|ior ordem da Prczidencia
d'esla Provino* de a5 Maio d esta anuo e os
mais da exincta Intenden-
cia em servico nesta Re-
partico por diAeren (es or-
dena da Prezidcncia
Arsenal, e compra de mate-
riaes premas --------------
Farol e Barcas de seccorro -
Transportes------------- _
Engajamentos de Marinhei-
ros -- -.
Anno financeiro (indo
Forca Naval --------------- -
Dito mascavado novo
fino..............
Di lo branco velbo
"OOa **
c jj a:7P).f'61
Saldo--------------------------------- r75f09S
Inspecsodo Arsenal de Marinba de Ter-
1P00 nambuco a de Novembro de 183o,. Manoel
i65o Francisco de IVIoura Almojarife. Luiz de
Joo Franca e Mello Escrivo. Alcxandre Ro-
loon <|rionp doj Ahch> 7 Secretario.
3000
PREFEITURA.
PAKTB DO DIA i"J.
il
4oos'ooo
aoj'ooo
ia:abo^45a
5i8sto9
1|
l.coo
1800
jo*5o
i5oo
Dilo mascavado velbo
'00..............
Algodo em pluma
ordem supra.
Dito-Ao Inspector Ger*l Interino das Obras
1'ublicas para mandar I'a/.er as precisas obran
nos dous quartos que lem de servir de En-
lermaria dos Presos docntes no Chiarel de
Policia c para ni is aodos Inferiores (eudo cin
de ter corivenientedestino.
Portaria-.\o ( api.io Commandanle interi-
no do i. Balalbo d'Artilberia mandando,
dcoixlemdo Exm. Snr. Presidente, commu-
nicada em oHicio de bontein datado dar de-
micao ao soldado cmimic Dias dos Santos,
a.
3.
Joze Maria Cezar do Amaral.
.loo Francisco Duarte.
Feiiores e Confercnles.
lalancetcda Receila e Despeza feila por este
Arsenal de Marinlia de Pcrnanhuco em q
mez de Otilubro de 18 q n. A. F.
Receifa.
A importancia a soWo que
passoudo mez aulecedcul* UtjMj$r
Illm. e Exm. Snr.Partecipo i V. Ex. que
i3ao foro prezos boutem minba ordem e tive-
Soo rao hoje destino : Mara Joze tbi ( onceico,'
;oo india, pelo Sub-Pref. da Freguezia de S. An-
7 loo Ionio por estar em desordem em um bolequim ;
Mo Pedro Joze l'erreira pardo, e Francisco Jo-
S 00 ze, branco, pelo Official da 2. ronda de Policia,

. _,-----------,, j,. BW \^U|\.IU1 este por estar forcando urna mullier aquel-
le por estar bastante ebrio, e ser encontrado
larde da noi(e \ assim como que o Sub-Pre
feito da Fregutaia dos A (logados me parteci-
pou igualmente que na noile do dia 7 Aa
trrenle mez fora assiissignado puubaladas
pelo creoulo Pedro Alves d< s Santos no lugar
do Bebedor da niesuia Freguezia o pardo ,
Francisco Joze da Rocha, c ferido .1 ai menle
outro pardo de nome Ignacio Garen o de La-


DIARIO DE PfiNAMBlCO
cerda de que se proeedeo nos termos da Le,
lendoal agora deixado de' ser prezo o dito
treoulo por se nao (ex anda podido descobrir o
destino que (ornara apezardas diligeucias,
tiue i esse rcsiieiio se tem empregado.
DJ4 18.
lllm. e F.xm Fnr,Foro prezos hontem
minba ordein e livero hoje destino : Ber-
nardo Corncl o Joze Joaqun) Velozo, An-
tonio ,'oze Ferrcirf Pedro Joze pardos ,
Paulo Gomes da Coucei o e Simio Frago-
70 de Alouquerque pretos I elis Joze de
Cantalice, pardo e Antonio da Ora, preto o ,
> e ultimo por reincidencia em faltas do serv <>
policial, eos mais por eslarem reunidos em
una sucia de jogos prohibidos e insultaren)
o respectivo Cammissario de Polica pelo mo-
tivo dos ler advertido de seo criroe ; Lou-
renco Antonio Alves e Manoel dos Anjos
Loudim indios pelo Sub-Prereito da Fre-
guezia dos Affogados este por ebrio, e pro-
ferir obscenidades em publico e aquellc por
ser vadio, e encontrado com urna faca de posta
E' o que consta das partes boje recebidas
n'esla ecxeUOfe
ANNUNCIO.
Constando ao t'refcito d'esta Comarca que
os Contrabandista gado iutrodu/.r nesla Cklade at aquel les
dosmesmos Airricanos que se acbo alFecta-
dosdo mal de bexigas com grave prejuizo da
nuda Publica e convindo nio deixar impu-
ne to criminoso procedimento ; o mesmo Pre-
feilo lendo ja dado as mais terminantes pro-
videncias para que seib espreilados, e pre-
zos os perjuradores de semilhante crime ,
convida agora todas as pessoas que d'elles
posso |cr noticia ; que Ihe vo dar o seo
depoimenlo nos termos da Lei para que se
MU proceder segundo a mesma contra
quem dedireito for.
Prefeitura da Comarca da Pecife 16 de No-
vombrode i8io.
S Brrelo.
O Sor EscrivaS e Administrador da Meza
de 1'endas. Provinciaes pela ultima vez man-
da annuncijir que devem impreterivelmeule as
pessoas constantes da iclaco abaixo transcri-
pta ; item pagar, e reeeber os competentes
conbecimentosde meias si/as de escravos dos
papis de compras que deixarao ficar na dita
Meta no mez prximo, lindo ao contrario que
possar aexigilla pelos meioslegaes ; outro sim
r se ouvcrquem em seo puder lenlia o conheci-
mento da meh si/a pago no pretrito mez de
Oulubrosem a assignatura do Thezoureiro
que o devera anre/enlar para ser competente-
mente assignndo
Meza de Rendas Provinciaes 19 de Novem-
brode 1839
O 1
Escripturio.
Joze Cuedes Salgueiro
Relaro a que se refere o aonuucio cima.
Auna Varia do l'ego Antonio de Carva-
Ibo Angela ustodia Francisca Ba/.ilia dos
Anjos Delom Joze Caelano Martins dos
Santos, loao l'cixeira Bastos, Jore Antonio
Lopes Joo Pulquerio dos Santos Joze dos
Santos Porto ; Joze (lome* Vaitis, Jo; quii a
Jozefa I opes, Thcreza % aria de Jeius Joze
Francisco Ilibeirode ouza*
Recife 9 de Norembro de 1R *g.
O 1. EscripUirario.
Joze Guedes algueiro.
O Collecloc da Decima e mais Impostes da
Municipio de ()lnda manda fazer publico o
lodosos seus CoHectados que do 1. al o
ultimo do prximo futuro mez de Dezetnbro,
se arrecadan na caza da Cmara respectiva ,
as. horas do coslume o 1. semestre do cor-
rele anno fnanceiro de 8Jg a 1840, da
Decima Heliana toda divirla activa ; e as
mais Imposicoens a seu cargo: Meando os
mrsnios CoHectados na inteligencia de que
fini! este prim an |H-ucedci. execuindiiienie
v conlra os ommissos.
Outro sim la* constar por, lerceira vez aos
proprictarjos ou procuradores dos Predios
liovamenle CoHectados que devem instruir
aos seos rndenos familias ou feitotes ,
Cira ijue nao so a presen tem na oecazio do
ncamentp a papel d arrendamenlo (eslanr-
ilo arrendado ) ou os nomes de seos possui-
doirs (quando nao estejo arrendados) como
tamben os ttulos d'aforamentos, ou declara-
cao de ser. o sollo |>roprio (quando nao for fo-
reiro) ; a fian de se proceder o Lan amento
onorme a letra da Le, e Regu lamento em
\ieor ; devendo os mesmos proprietarios man-
daren apresentar na caza da Cmara da mes-
isa Cidade at o da a5 do correnteos ttulos de
aibramantos daquellas propriedades que ja
lorio CoUcctadaa para em lempo fazer-sa as
eooveuienaea declaracdes : e para nio alega-
ren ignorancia faz-se publico pelo prezente-
t ol lectora do Municipio d Olinda 10 de
Novembrode 18 Jo.
O F.scrivlo da Dcima e mais Impostas
Joo Goncalves Rodrigues Franca.
NOTICIAS DE MONTEVT EO
As folhas ecarlasque lioutem recebemos
de Montevideo alcanco ate iMdocorrente
As forcas de Rivera eccupavo opassode
Cuello e as de Echague as alturas em fren-
te aquelle ponto: segundo referen) as nossas
cartas e outras que vimos era opinio geral
que Rivera nao arriscara por ora humaac-
o conlentando-se por em quauto em can-
car as forcas nimigas priva-las das ea ralba-
das e cortar as partidas que Echague destaca
do grosso do seu exercito.
Do general Lavalle bavia noticias ofBciaes
t (i do correte. A provincia de Corrientes
tinba-se declarado em favor da sua cauza e
o general ia por-se testa de 1,5oo Corren-
linos que dizia estarem j na fronteira da
provincia. Confirma-se a noticia recebida
ha das da victoria que ganhara Lavalle nos
campos de Yeiu. |
lp Buenos-A y res nade e sabia em Monte-
video.
O Paquete inglez Spider, sabido deste por-,
to em 5 do corren le chegou a Montevideo
na manh do dia 5, e seguio neste mesmodia
paraBuenos-Ayre*
Exercito da Repblica.
Quarlel general no passo de Cuello, 13 de
Oulubro de i8Jq. (
Com a nota do Snr ministro, do dia n ,
recebi a circular que o governo dirigi aos
corpos da guarnco com vistas de reunir
valuntarios infantes para mandar ao e>er-
cito e l>em penetrado do conteudo de am-
bas as notas suspendo as miuhas operacoes,
e esperarei nesle ponto as forcas que me vo
ser expedidas.
Os inimigos logo que esta manh me puz
em marcha para occuparesla posico move-
ro-se tambem e colocarao as suas tropas as
Alturas queseachio em frente do nosso cam-
po semseapproximarem das margens do ro.
Fructuoso Rivera. Sr. ministro da guer-
ra D Jos Rondeau,
(Constitucional).
Montevideo 16 de Outubro.
O ministro da guerra recebeu hoje a se-
gninte importante partecipaco do general do
exercito libertador argentino:
A S. Ex o brigadeiro D. Jos Rondeau mi-
nistro da guerra, ele
Quarlel general no Yuqueri Grande 5 de
outubro de iX'9.
Snr. Ministro, supponho a V. Ex. instrui-
do da nossa victoria do Yeru/i, que dispersou
completamente os nossos inimigos desta pro-
vincia. As minhas muilas oceupaces e as
dimeuldadesdas communcacocs impediro-
me entode escrever ao Snr ministro A-
gora Ihe avizo com satisfaco que o levanla-
menlo em massa dosConentinos nos promet-
le o prompto triumpho da nossa boa causa
Marcho hoje a organisar naquella provincia
11111 exercito com.o qual mar liarei sobre a ca-
pital de Buenos-Ayres.
Internado o exercito d'Echague do outro la-
do do Y he absolutamente impossivel que
os seus restos, no caso de ser derrotado, pos-
sao passar o Uruguay tomaro-se (odas as
medidas para que nenhum dos invasores re-
gresse a Enlre-Rios
Espero que es^ prximo odia em que de-
va felicitar o governo Oriental pelo trium-
pho dos defensores da independencia desse
estado.
Saudo ao Snr. ministro com toda a conside-
radlo. Ogeneral em chefeda Legio liberta-
dora Joo i.nvai e.
As noticias do quarlel general de Laval-
le chego al o dia 6 dia em que marchou
a por-se a frente das numerosas forcas Cor-.
rentnias que esj ontaneamenle se levantaran
em favor da causa da lberdade. O coronel
Chilabert tinha reunido 700 Correntinos ,
para os quaes mandn o general no dia 4 o
necessario armamento. No dia 5 soube om-
cialmente da sublevarlo em massa da provin-
cia, por. cujo motivo desembarcou nesse mes-
modia e fez seguir para Corrientes lodo o ar-
mamento de reserva que tinha na escuna Ca-
talina, incluiudo a arjilheria. As carias par-
ticulares eos ofBciaes que chegaro conoer-
do em assegurar que por lodo este me/, de
outubro o exercito do general! subir a 3,ooo
domens. (J numero de cavados de que dis-
pe o geueral be muito consideiavel,
(Nacional).
Concorda 5 de outubro. radeiro. Vos nos comparis aos judeos e
Meo charo, sempre Ihe escrevo 3 pressa. -prat-voa dizer-nos que ha qualro annos so-
Hoie marchamos para a fronteira de;Corrien- mos o jego do povo inglez Marctiai somen-
tes, e en para o interior, para onde est te a boma hora de distancia de vossa Tortale-
Ferr : dali Ihe escreverei mais largamente, za, e sabris o que pensamos.
A provincia de orrienleslevanta-seem mas-j Assim general Rajewski, sabemos que a
sa em nosso favor, e Entre Rios comeca Russia foi i principio hum pov
decidir-se A batalha de Yeru em rainha
opinio decidi do xito da campanha
1,5oo Correntinos nos espero ja na fron-
teira .
Maseanilla governador de Santa F, pas-
sou com aoo Sanla-Fesinos mas nao avanca
Vanoel Puyrredon.
(Correspondencia do Nacional).
('ornal ao Commercio de Jo de outubro).
OS RCSSOS E OSaRCASSIANOS
principio num povo
pescadores e se fallis com tamanha arrogan-
cia he porque tendes a vosso servigo plvora
e artilharia. Mas Deus he mais poderoso que
todos os potentados da Ierra e elle nos auxi-
liar em nossa resistencia Osullo Shaban-
Ehui entregou-vos a rimea Qual foi sua re-
compeasa ? Todas as nacSfs conhecem su
sorle ; nao ha huma que estime a Russia ; e
se alguma potencia contrahe com ella amizade .
em breve se arrepende ; grita que a soccorrad
para livrar se de semelbante atliada
Se queris sinceramente ser nosso amigo ,
cscrevei a vosso imperador para qle retire seus
exercitos e desmantele suas fortalezas desde
Soukoum Aapa e de Aapa a Karatcbas.
Enlo poderemos arranjar nossos negocios:
sem isto nao esl nada feito. A familia do sul-
to Ackmet-Ghar esti em vosso poder. 'Me
Publieo os diarios inglezes os dous docu-
mentos seguintes que do por anlhenticos.
A energa e simpliscidade que nelles se nota
nos induzem a partilhar esta opinio : estes
dous documentos provo que a Russii ter a-
inda muito que fazer antes de levar a effeito
seus proieclos. Eis os dous documentos de tinha ido para entre vos a fim de reeeber a ne-
e trata. ranea de seu nno, vos o encorporastes a vos-
so exercito e o obrigais a comprar seu pao por
que se trata,
Carla do general Russiano Rajewski aos prin- improbo e rude Irabalho. Dizei o que quizer-
cipes nobres e habitantes de Notguhatch des nunca nos ligaremos comvosco e Dos
(Circassia) Omnipotente nos ajude! i54 > a>* da
Nosso sublime imperador eujos exercitos de Radjab
sao inini mera veis, ordenou-me que lomasse
posse deToaps, Shapligna e Semez ; cum- Supnlica da Circassia a suprema, p
pri a ordem. Ordenou-me que conslruisse: iliustre Magcslade Coroada da Ingl
hum forte em Seme e hum arsenal para sua
armada. Devo tambem construir huma es-
poderosa e
aterra.
Ha doze annos que estamos em guerra com
Irada para Aapa, de Aapa a Abson pelo a Russia : todos os annos temos de defender-
Bachan e de Abson a Kyadogg. Retirem- nos contra a ineurso de hum novo exercito;
se os habitantes da estrada, e fiquem tranquil- nossa resistencia he pertinaz bem que no seio
los aquellcs que moro para a esquerda do do invern sejamos toreados a mandar para o
lado do mar se quiserem viverem paz com interior das florestas nossas mulberes e nossos
nosco como a tribu de Kaburda. < utro tan- filhos que nao podem ser protegidos contra a
to disemos aos habitantes de Abson e yadogg. intemperie seno por fogueiras immensas. Mas
Nosso sublime, misericordioso e poderoso m- nos nos resignamos ; assim o quer aquelle que
perador nos ordenou apesar de sua for.a reina sobre todos os poderosos da Ierra. Elle
que primeiro reeorressemos s vas da conci- quer que sobramos em defeza do paiz. Cum-
liajo eda blandura. Se por lano queris pre que a Inglaterra o saiba Estamos em
ficar em paz mandai-me homens de saber e guerra incessante com a Russia. -No mez de
de talento, a quem eu possa communicar as sqabunlshuif fomos atacados por trra e por
ordensde meu amo ; se nao, preparai-vos pa- mar. U general Rajewski querendo estabe-
ra a guerra e para reeeber huma lico. Em lecer hum forte em Scmez Soudjouk-Kale) ,
vo desertores e emigrados ha qualro annos a ereceo deste forte foi tudo quanto o inimigo
Isongeao o povo de Notguhatch com a es, e- pdealcancar. Elle foi Coreado depois a atra-
ranca'de socorros prometidos em nome da ra- vessar o Kouban. Os revezes dos Hussos nao
inba de Inglaterra do rei de Franca e do os impedem de exaltar suas victorias ; elles
Sullao com quem o nosso impe ador est em pretendem haver-nos vencido a mentira he
paz ; se elles eslivessem em guerra com nosco clara como o dia. He certo pelo contrario ,
nada poderla fazer em vosso favor. que elles fora sempre obrigados a evacuar o
Quando o nosso sublime imperador tomou paiz depois de ter soffrdo grandes perdas.
posse de. Anaj>a Erzeroum e Akhalzic, por Nosso Embaixador he Sefir-Ber ; ratifica-
que razo nao ssocorreu o sullo ? Se os In- remos tudo quanto elle fizer quer naTur-
glezes e os I rance/es nao assistiro ao sullo, quia, quer na Inglaterra,
julgoacasoqueoforao para com o povo de Vos podereis conhecer, pelos relatnos do
Notguhatch ? Os Judeos fracos e crdulos, bey o verdadeiro estado das cousas Nos vo
acredito na apparico de hum gigante na conjuramos a que nos prestis soccorro. ^
trra. Esse collosso deve destruir eliristos O digno bey Jakoub reuni o povo edisse-
e mulsumanos Ha 1 000 annos que a sua es- Ihe Ha dous annos estou comvosco pude
pe anea se nao realisa, e anda acredito no apreciar o estado do paz ; m'inha presenca em
gigante Falsos Profetas mentiro credulida- Constnntnopla nao vos seria muito til ; se
de dos Judeos : embaixadores ou antes trans- enlrelanto o desejais dai-me cartas e irei
fugas illaquearo da mesma forma a boa expr em Conslantinopla n3 s a barbardade
do povo deNotgualch. Pessoas suspeitas se dos Russos como vossos sodrimenlos. Os
dero por meos interpretes junto a vos ; nao Russos depois de (er atravessado o Kouban ,
acreditei as palavras desses falsos irmos, proclamaras que havia conquistado o paiz, e
assim como nao acredito as nsinuaces da que linha vindo para bem de lodos os \lu-
quelles que sem titulo vem ter comigo di- sulmanos
zendo-se enviados vossos. Mandai-me ho- I Eu reslabelecerai a venlade e a certficarei
raens de intelligencia e talento, e tratar-vos- diante de meu governo. Pedimos ao bey Ja-
hei como amigos Nao quero a guerra ; mas koub que ficasse comnosco ; sua presenca nos
se a ella me forcardes fala-hei vigorosamen- anima e d forca d saude aos enfermos ,
te e se algum vos arrependerdes, sri de vos derrama balsamo as chagas dos feridos os
vos deveis queixar A paz entre nsr-se-ha meninos o ama e venera. As cartas expedi-
firmando de dia em dia a guerra ir do-
hrandode vigor. O lugar lente general,
Rajewski.
Resposta dos Circassianos.
Ha doze anuos que vos gabais tiste he diri-
gido ao imperador Nicolao de ser senhor e
conquistando!- deste paiz e mentis Sempre
estaes repetndo: v inba dominaco se esten-
de por esle territorio ; elle me respeita em
consequencia dos fortes que ten lio construido
Sentido Essas falsidades podero, ser des-
coberlas mais (arde e vossa honra sofrer
com isso. Quando efse padisha quizesse en-
tregar-nos a vos elle nao poderia dar-vos
nosso territorio. Quando percebeo el'e al-
gn tributos ?
General. Raje wski bem o sabis, lodosos
votos fortes nao sao para nos. da mesma (or-
be que nunca, dizei oufazeioque quiserdes.
seremos vossos subditos. Com o auxilio do
rei dos reis podemos resitir-vos. Todos nos,
nesla guerra de morle, mor eremos al o der-
das por Hasish explitra perfeilamente nossa
siluaco -, adherimos a ludo quanto foi dito.
(Seguemas firmas do juiz e de sessenta ma-
gistrados dos mais idosos.) 4* ^'a ^e ^"-
lladaz i-JD j.
(Jornal do Commercio )
PORTUGAL.
Manda Sua Magestade a Rainha, pela
Secretaria de Estado dos Negocios da Marinha
e
Ion
Ultramar partecipar ao Vice-Almirante An-
-jnio Manoel de Noronha, Governador Geral
da Provincia d'Angolla que Allendendo s
ponderosas rases por elle expendidas no seu
Officio n. 5 de 3o de Maio nWmo e Que-
rendo dar mais- nn leslemunbo irrefragaveh
que os tmulos anligos-em nossos bosques, dos srnUments de jnsti.a e humanuiad que-
que nioiaxem nembemnem mal'. Dos sa- animaro sempre a Wsma Augusta >enhor3i
no filantrpico empenho de por termo- em toa-
dos os seus Dominios ao trafico da Escravalu-
ra ; lia por bem approvar provisoriamente,
que o dilo Governador Geral acce tasse a coo^


DIARIO
D R
---------
PRUNA M BUCO
peratjo, que para lo desejado fin Ihe foi
ofTerecida pelo Tenente Guilherme Tukor,
Commandante das forcas navaes de Sua \Ja-
gestade a Rainha da Gr-B"eUnha nos ma-
res da Cosa Occidental d'Africa-, devendo
por estas rases exe-cutar-se a Convenci para
aquello fim estipulado e assgnada pelos
mencionados Governador Geral d Angolla e
Guilherme Tuker em data de g de V'aiode
i83<>. Palacio das Neccssidades em 3o de
.*elembro de 1^9 Francisco de Paula de
Aguiar Oltolini.
'Copia.
Para de huma vez com mais efRcacia e fa-
cilidade acabar o Trafico da Escravatura u-
nindo os exforcos que o Governo de Sua Ma-
gestade Fidel issima tem ordenado ao Gover-
nador Geral de Angola e suas Dependencias
(os quaes s por si basta riao a conseguir o de-
sejado fim) coadjuvaco que offerece o lllm
Guilherme Tuker Commandante do Brigue
de Guerra Inglez Welverine c de todos
os mais Navios de Guerra empreados na Cos-
ta Occidental da frica -, a qual coadjuvaco
sendo acceita pelo mismo Governador Geral o
Exm. Antonio Vanoel de Noronha concor-
daras na seguinte Convenci provisoria e
dependente da approvaco de seus respectivos
Go vernos.
i A Costa desde Molembo at ao dcimo
oitavo grao deLatitude Sul, ser respeitada
como pertencendo ao I ominio de Sua v ages-
tade Fidelissima.
i' Os Navios de Guerra Inglezes e Por-
tuguezes, secoadjuvar mutuamente (quan-
do em vista) para o fim de capturaran qual-
quer Navio ou Navios com carga de escra-
vos a bordo os quaes sero remetlidos a Lo-
anda para serem ulgados e punidos os Cpi-
tes e nleressados com lodo o rigor das Leis
Portuguezas conforme o Decreto de 10 de
Dezembro de i3*j.
S* Se qualquer Navio do Governo Inglez
debaixo das Ordens do Oficial Commandante
das For.as de Sua Magestade B ritan nica na
Costa Occidental da frica encontrar em qual-
quer parle do Occeano ao Sul do Equador, al-
gum Navio com Passaporte Portuguez com
carga de escravos o apprehender e remet-
ti'i- para I oanda para ser julgado como no
Artigo cima.
4* O Official Commandante dos Navios de
Guerra Inglezes embregados na Costa Occi-
dental da frica ou aquellos queeslo s-su-
as ordens nao sero responsaveis por perdas e
dainos para com os Navios assim tomados com
sera vos a bordo e por el les mandados a jul-
gar em Loanda
5.* Sendo omisso no recrcto de ro de De-
zembro de i-36 se o valor dos Navios apre-
sados por contraveneno do mesmo Decreto se-
ra ou nao repartido entre os apresadores se-
gundo a Lei que regula a condemnaco, e re-
partico das presas feitas em lempo de Guer-
ra ; convencionou-se que o valor dos Navios
apresados pelos Navios Inglezes por serem a-
chados com carga de escravos a bordo e pelos
apresadores remetlidos para Loanda no caso
decjndemnaco seria posto em deposito a-
qui, nos cofres da Junta da Fazenda da Pro-
vincia de Angolla para terem o destino que for
con vencionado entre os dous Governos.
Em firmeza deque o Exm. Governador de
Angola e suas I ependencias mandou esrre-
ver esta Conven o, que eu Vicente res da
Gama, Secretario Interino do Governo, es-
crevi aos inlee nove dias do mez de Maiode
mil oi tocen tos e trinta e nove annos ; a qual
ser da mesma forma escripia em Inglez por
Guilherme llenrique Bateman Amanuense
do KriguedeSua Vlagestade Britannica Wol-
verina Antonio Manoel de Noronha Go-
vernador Geral de Angola c suas dependen-
cias William Herir y Bateman Cierk of Her
Brilannic Majes!y's Sloop Wolverine.
Lugar do Selo do Commandante Tucker.
Signed and sealed at ihe Calare of the Go-
Terimr leneral of Angola and i!s Dependenres
at St. Paul de Loanda this twenly ninlh- day
of May one thousand eight hundred and ihirly
nine- William Henrv 15a lemn Clerk of Her
Britannic Mjesty's Soop Wolverine.
Est conforme. Loanda ;\ de Maio de
i*? '9. Vicente res da Gama Capito de
Engenheiros, e Secretario interino.
1 Folha Commercial da Praca de Lisboa.)
'Carta a Vylord Brougbam.
Quando ousasteis profei ir em Parlamento
Britannico Que o Tejo nao correria se lri-
plalerra o nao conse lisse confiasteis demasi-
ado cm vossas forcas lisongeiasle-vos com
um impossivel, e sunpozesleis existircm em
Inglaterra tantos inglezes quatos d'cstes
tju de seus cadveres baslassem para enlulbar
. barra de Lisboa Vede pois M ylord se vos
s
nao devo dizer com verdade e juslica que sois
um charlatn !
O vosso cont de Jamaica cabe bem vossa
pobre Ilha que em um seculo nao produz o
que Portugal col hera annnalmente se livesse
um hora Governo
Se a Europa refleclir na vossa grosseira fra-
se por cerlo que nao tereis tempo de a appli-
car tambera ao Scnna, Newa l'anubio ec.
As vossas for.as e riquezas consislindo na
vossa industria lo contingente e precaria co-
mo Iragil a mesma baze em que se funda sao
forcas deslocadas, que se asscmelham es-
tatua de Nabucodenosor cujos ps eram de
barro.
Nao vos lembrou a gratido quando vos es-
quecesteis que a origem da grandeza e pros-
peridade da Gr-Brclanha a deveis a Portu-
gal que leve sempre bons marinheiros para
descobrirem e bons soldados pai a conquista-
ran o que os vossos homens de Estado nos
queriam roubar da nossa gloria riqueza, e
antigo explendor.
Por ventura a Inglaterra existira anda ou
o estril Tamisa correria to replecto se na
guerra de Napoleo conhece-semos os nossos
inleresses e reconhecendo os vossos brados
como os do crocodilho nao vos dessemos a pro-
teceo que lora a nica causa da vossa actual
existencia, e fortuna .
Nao responder! ingrato Mylord ao vosso
insulto como o Mrquez de Pomhal as amea-
cas de um vosso Embaixador pondo a lune-
ta e respondendo com aquella graca e anima-
co que Ihe era to natural Nao cabe ai
tanta gente.
Quem se atreve a ultrajar vossa antiga al-
liada quem offende a Naco Portuguez! nao
deve ficar impune escolhei terreno neutro a
nos ambos, onde como Cavalheiro vos quero
punir do vosso arrojo e vil accomeltimenlo ,
ou vnde a Lisboa j que primeiro me pro-
vocasteis visto que eu nao posso ir seno co-
mo inimigo ver as ruinas de inglaterra ou
porque nao estou em circumstancias de ir hon-
rar o ultimo horangotango nescio e ebrio
como vos.
Se eu tiver o praser de vos avistar, screi
&c.
Joo Pedro Sania Clara da Silva Lemos
Lisboa a de k etembro de iS 9.
'(Da Eslrella )
ra MGICA FXPER]MENTAL em toda a
sua plenilude. MB. RYAN FARA' O PA-
LHACO.
Preco da entrada mil res.
As oito horas e meia.
SOCIEDADE HARMONICO-THEATRAL.
A Commisso Administrativa da
Sociedade Harmnico- I heatral avi-
za aos Senh'ires Socios e Accionis-
tas do lmp estimo approvado na
Sessao da mesma Sociedade em 7
de Ontubro do corrente anno, para
a ediicacao do Theatro de Apollo .
que na forma do Art. 7. da pro-
posta approvada devero realisar da
data d este a 20 dias em Casa do
Thezotireiro Manoel JoSo de Amo-
rim na ra da Cadeia veiha N.
al, a primeira prestacao de 20 por
cento, sobre as quantias com que
generosa, e voluntariamente con-
correrad para a mencionada cons-
truccSo.
Recife 20 de Novembro de i83g
Descoberta admiravel.
Surdez Esta terrivel molestia he agora
obviada sem torturas e nem risco serio de
tractamento medico Os Srs S. e B. Solomons
construira5 hum conductor de voz do ta-
manho de huma moeda de selle sbillins, a
qual sendo posta na cavidade da orelha he
to commoda to branda e to perceplivel
como si se livesse hum bocadinho de algedo.
O que mais Ihe tem grangeado attenco e ap-
prova o publica beque hum individuo po-
de liral-o e pol-o na orelha sem ser observa-
do. Esla maquina introduz noouvidoa con-
versaejo a hum ponto que em certos casos ,
os suidos fcao habilitados ouvirem os mais
pequeos cuchixos que tenha lugar em hu-
ma assemhlea As suas Speclacle Lenses no-
vamente descolarlas inmediatamente que sao
enllocadas ante huma viso imperfeila tra-
sem-na ao seu natural e original estado e se
v a mais diminuta partcula ou de da ou
de noutc luz com a mais exacta dstineco
Estes importantes aperfeicoamentos nos ma-
teriaes sao occullos aos mesmos Solomons e
sao restrictos aos seus estabellecimentos as
ras Albemarle casa n. ig e Cheap side
caa n. 96 em Londres.
(To Morning Chronicle.)
SONETO.
Qual ser do Brasil Supremos Numes,
O destino se a furia da anarqua ,
Accendndo com dextra, anda impa .
Por toda a parte for trtanos lumes ?
Se o nosso Ceo com plidos negrumes
Esconde a face do brilhante da ;
Se a vinganca traico aleivosia
No Povo imprime barbaros costumes?
Se tu doce Pai nos abandonas ;
0 monslro voar filho do inferno ,
1 o claro Prala ao trbido Amazonas ;
Meos votos ouve enlo Dos Superno,
Se da rbida furia o col entonas ,
Antes vo!ve o Brasil ao Chaos eterno*
Por J. M. Carnrro da Cimba na occasio ,
cm quccliegaraao Rio de Janeiro as noticias
da lomada da Cidade de Cavias c da Villa da
La-jna.
THEATRO DE OLINDA.
nico Expcclaculo.
Domingo a \ MB. W. WALTER execula-
A visos Diverso*.
cy Um brasileiro agricultor que tem bas-
tante pratica de servigo e aclividade pro-
pem-sca administrar algum engcnbo em que
nao more o Proprietario o mesmo nao duvi-
da entrar com tres escravos seos para o ser vico
da Fazenda convencionando negocio interes-
sante a ambas as partes : a quem convicr an-
nuncie.
cy Precisa-se de um rapaz portuguez de
idade pouco mais ou menos doze annos para
caixeiro de urna venda quem pertender diri-
jase a ra do Hospicio na primeira venda.
tSF" Quem precisar de um caixeiro porlu-
guez para loja de ferragem de que tem algu-
ma pralica ou para venda ou finalmente
para qualquer oulra oecupaco ; poisd fiador
a sua conducta ; dirija-se a ra da Cruz do
1 Recife venda nova n dezoito defronlc da
fundicodo Sr. Mesquita ou annuncie*
CF" Roza & frmo fazem publico que Jos
Baptista Comes deixou de ser caixeiro de sua
caza no dia dezoito do correirte.
tsj" Os Srs. assignantes do Universo Pi-
loresco queiraS procurar os ^s R e ^ do mes-
mo Jornal em caza de Manoel Bibeiro da Sil-
va ra da Cruz N. vinlee dous.
Kzj~ Precisa-se alugar urna ne^ra que saiba
vender na ra e que se a fiel, pagando-se-
lhe'00 rs por dia e comida: quem a tiver e
quizer alujar dirija-se ao atierro da Boavista
loia de Funileiro de GeraJdo d'Amarante dos
Santos
jjy Profiri da Cunba Moreira Professor
particular de Grammatiea latina, propoem-
sc a leccionar |ielo lempo das Ferias a mesma
arte. Assim como aviza aos Paes de familia
quequizerem metter seos filhos para o anno
vindouro em sua Aula que he duas ao dia ,
pelo mdico preco de qualro mil reis por mez
e promelte todo o zelo possivel. Quem se qui-
ser ulilisar do seo prestimo procure na ra
Velha da l'oavista sobrado D. ii defronte do
ir. .loaquim do Espirito Santo
S3S~ Arrenda-se o srtio dos herdelros do fi-
nado Vanoel Indio de Miranda, no lugar
denominado Luca com grande caza de vi
venda olaria olgumas arvores d fructo e
grande terreno a fallar com a viuva do dito
na ra da Praia caza de Jos Igino de \.'i-
randa
Farinha de trigo Pernambucana.
XST A Fabrica de vapor vende farinha de
tripo nova de mui superior qualidade de
primeira, segunda e terceira sorle, e por
I pre: commodo ; igualmente vende saetas com
! farellos mui frescos propnos paia cavallos por
1 serem mui nutritivos cujos gneros se acbao
venda na dita Fabrica na l'oavista e no
Recife nos armazens de Joaquim de Souza
Pinto e na ra da Senzalla nova D nina.
^ No seg ni ment da ra da Praia junio
casadoSr Vianna, ha terrenos para ven-
derfaposse) com os nalmos de frente, que
cada umquizer ; vendem-sc baratos, fasen-
;do muita conta a quem quiser comprar o res-
tante ; pois se pertende estaejr c alienar para
edificar os pertendentes dirija-se ra da
Senzalla nova D. urna que ahi achar com
quem tratar.
C7* Joo Antonio de Souza Bellro, substi-.
luto de Rhetorca e Geografa do Liceo, a'
cha-se cora aula aberta de Rlwetorica, Geo-
grafa e Geometra para enainar as mes-
illas scicoeias, duraute as ferias da Acade-
mia. Quem do eu prestimo se quiser utili-
zar drija-so ao Forte do Mallos, ji'bum so-
brado de \ andares junto a casa d'Assemblea.
0 mesmo declara que breve pasear a sua
aula pa a Santo Autorio.
cy* ^o da 15 do corrente das 5 as 6 horas
ila tarde perdeo-se hum trancelim deouro com
seis palmus de coiuprimenlo, desde a ra do
Kiicantamento at ao Arco do Bom Je/.us quem
a achare quizer restituir dirja-sc a ra da
Cruz N 6< primeiro andar.
tsy Preci*a-se alugar urna rasa que lenba
salla indepcndenle da mesma .ou um pri -
meiro andar nao excedendo o seu.alujnel de
a a 1 iooo reis, dando-se fiador a contento
ou pagando-se adiantado, annunc'e para se.
procuras!-.
XSF Quem quizer roupa lavada engomada,
eust uras tanto cbans como bordadas alcoxoadas
la varilos como tambem marcar ipialquer rou-
pa de retros com nimio asseio e por preco
cmodo: dirija-se na rua atraz de ;S. Jos
caza D. 11 110 entrar pelo beco da referida
Igreja lado cxqucido,
XT Quem tiver c quizer alugar urna ca-
za lerrea, e mesmo um andar de sobrado, para
pouca familia nao excedendo o seu aluguel
mensal de oito mil reis, ( avista do ajuste se
far mais algiima conveniencia)-, annuncio pa-
ra ser procurado.
V3" Vende-se ou troca-se um sobrado em
Olinda 1 na do Amparo, por urna casa ter-
rea em Santo Antonio ; traclar na rua das
Cr.uzesD. 19.
cy Quem precizar de huma ama para o
ser-vi."o diario de huma caza, dirija-se a Rua
do Livrameuto caza D. 11 em 3 andar aqual
d, fiador a sua condula.
CT Aluga-se urna caza para se passar a
festa na Caza I orle : quem perlendcr diri-
ja-se a rua das Ouzes 7 leuda de Tano-
eiro.
Cf" Quem preciar de um menino de ida-
de la .5 anuos, para Page ou Caixeiro
de alguma venda: dirija-se a rua das Cru-
/.es ca/.a terrea D. |H., lado do naseeule.
%ZF PrecWa-se de hum escravo ou creado
forro q' saiba cozinhar o diario de urna caza e
que tem de servir soraenle a um homem sol-
teiro ; na rua Direita caza D. 3 achara
com quem traclar ; e na mesma.caza aluga- se
1 um escravo, queenlcndade Padaria
C^- No dia 1 i do corrente tirou-se urna
carta do Corrcio para Francisco Gon al ves
Bastos vinda na Barca de Vapor S Salvador
do Rio de 'aneiro ; c como nao per tem a a pes-
soa que por engao a ttrou por ler igual no-
me roga-sea quem foi seu dono dirija-se
I a rua do Queimado lo(a de fazendas Deci-
ma seis.
tsy-Compra-se Hum ("nmo com labolas, o
que eslea em bom estado: na rua nova loja
Franceza l>. 10.
X3" Compra-se o folbelaei^ttillado Rama-
I Ihrtte de flor na camlioa do l armo D. 9 ou
annuncie.
VST Quemprecisar.de hum Portuguez sol-
leiropara criado, ou feilor de alftiim cilio,
do quem tem bstanle conhccimeiito, queira
aniiunciar.
C?" Da-se duzenlosimil reis a juros de do-
us por cento ao.mez por lempo seis mezes ,
quem os quizer procure no largo do I erco D.
8 que se dir quem os d, isto sobre penho-
res dcouriou prata
tyOs Irofessores de N'uzica desla Cidade
do l'ecifc que formo a irmandade da Vir-
gem e Mrtir S. Cecilia, erecta na Igreja
de S. Pedro tem a honra e satisfaco do
convidar a lodos os Snrs Amadores da Arte
de Muzica. para asssistirem a Festa de sua
Padroeira 110 dia sexta feira aa do corrale
mez.
cr Treeisa-se de qualro rentos a qui-
nlient-.s n.il reis, a premio de dous por cnilo
ao mez dando-se firmas : quem os tiver an-
nuncie.
ft^ Na rua do Mundo novo pejiullimo so-
brado I). 4 1, precisa-se alugar hum negro que
sea bom canociro para andar em urna canoa
aberja
tST O Snr. Joaquim d'Albuquerque Fer-
nandesiiama queira dirijir-se a rua do
Rangel I) 4< "O primeiro andar, a negocio
deseu inleresse c nao apareando pena de
perda do seu inleresse
\rr Quem quizer alugar urna meia agua
por delraz de Santa Rita Nova : dirija se a
nma piulada de novo no mesmo sitio.
XSF" Alii"a-se rara passar a f sla urna casa
lerrea no Poco da Panella defronte dorio,
junto a casa doSacrislo : a fallai na botica da
rua do Queimado D. 8.


DIARIO DE PERNAMBL'CO
Sft
\^r A porta ra residencia do Sr Dr Aires,
Juiz de I'reito interino da terceira vara do
Civel rua doFngundcs se ha de arrema-
tar no da 27 do con ente ultima praca, uina
casa lenca nova de pedra e cal rom seu
quintal e cacimba lambn de pedra e
ral sita cm < (linda rua da ponte velha ,
avahada eni 600,000 ; quem a quiser arrema-
tar comprela no referido dia.
SS la parte dada pela prefeitnra ao Exm.
Governo publicada no Diario de i3 de No-
vemhro do correteanno, consta ter sido pre-
so Miguel Arcanjode Santiago que sou eu ,
por ter sido encontrado na escuda de urna casa
e fazer-se suspeilo. Para desvanecer pois es-
ta suspeita no ronceilos das pessoas que me
conheceni cumpre declarar que (ni encon-
trado no corredor do sobrado do Capito Jos
Rodrigue do Passo morador e propi'telM'0
to sobrado no atierro da Boa vista onde vou
imillas veces de noite lomar a bencao a
minlta mi por ser ama da casa do dito Ca-
pito Jos Rodrigues do Passo e Senhor de
todo sobrado e sendo encontrado por pessoas
moradoras 110 primeiro andar que me nao
conhociao principiarlo a eslranbar-me ,
quando me viao no corredor de noite, tive-
ro-me por suspeilo e lizerao-me prender ;
mas depressa desipnreoeo essa suspeita, co-
jtbeceo-sc a verdade, lu sollo e soube a
causa porque eu era encontrado no corredor
daqucllc sobrado e continuo a bir ali por
se saber ja dos meos fms c da minba condu-
ct
res
Santiago.
3" Orcrece-se um rapaz brasileiro para
caixeiro de rua 011 armazn tambem se
sugeita a escrever cm algum cartorio ; quem
precisar -aununcic.
SJ7" Quinta feira a 1 do corrente a porta
cada urna porexecueso do Francisco Anto- unto burra de ferro pequea, para sedlas
nio de Sou/a contra seu devedor Jos Ro-
drigues Lima Eserivao Achioly.
iS" O Sr. FredericoGuilhermc procuran-
do ncsia Tipografa saliera quem precisa de
seu preslimo.
l. > AI uga-se urna canoa aberla que car-
rega 900 lijlos ; alraz dos Martirios casa de
3 portas verdes,
cr Hoje perante o Sr. Dr. Juiz de Direi-,
todoCivel da 3. vara pelas j horas da tar-
da, cm casa de sua residencia na rua do Fa-
cundos se ha de arrematar a quem mais der
una parle da casa de dois andares na rua'do
azeite do peixe I). 17 a va liada a dita parle em
1:1 ab.'p 6 por ter sido avallada toda proprie-
dade em 6 7 35 5oo a qoal vai em praca a
requerimenlo de seu proprielario Luiz R-
beiroPeixolo corn a condico do arrematante
pagara sisa.
S37- A Commisso de Direcco da Sociedade
Eulcrpina avisa a os Socios da mesma que
hoje 9o do concille sesso extraordinaria
para a discussao dos estatutos as 6 horas da
i5oa libra ou ia8ocada um ; na rua nova
venda D. -.0.
Urna negrinba de nnco, de i Jado
duas ricas olccoensde quadros para sala un
jogode cspclhos grandes, e dois pequeos
um hamburguez eoutro inglez um aparelho j de 1 1 annos com principios de costura, e
de mesa de loca azul eoutro dito douradoj cozinha; defronfe da .Matriz da Boa vista ven-
para cha, obra de bom gosto e mais algunV da n. 41.
motis, me estarlo patentes: assimeomose ET Um sitio grande na estrada da Ponte
recebem todo e qualquer objecto lano novo ,
como uzado para serem vendidos por meio
deste eslabeleeimento.
_________!______-___
C o m p r :i s

C3~ Quatro crasas com alburnos liabeli-
dades ; na rua Dircita loja de couros I). 18.
tiy Prala e 011ro velho e um cu dois
brilhantes que valha cada um 3o 000 ; no
largo do Ter o no segundo andar do sobrado
contiguo ao do Sr. Andrc.
V e 11 (I a s

__
C?" Folbinbas de algibeira ; contendo
alem do Kalendario &c a confisso do ma-
arde e se proceder a discussao d ellos, com rujo c um I ialo^o entre um Algaravio e
OS socios que se rcunirem. siia Mara ; a 4o ris cada urna ; Ditas de
52?* Joo (jomes Martins faz publico que dita, dita, dita com nnodoclas, historial bous
des de o dia 'i do corrente mez nao he mais dictes &c a a \o ; ditas de porta divididas em
procurador da Senhor^a D, Rila Maria do semestres, a seis vinlens o nnno ; dilas Ec-
Carmo Mcndonca, 1 elesiaslicas a pataca 5 na praca da Indepen-
C5" O abaixo assignado faz sciente ao res- derrcia loja de livros n. 3- e 38. na rua 80
peilavel publico que elle tem de propor Li- cahug loja do Sr Randeira no bairro do
bello ( ivel de nullidade do testamento com Recife defronteda Igrcjn da Madre de Dos ,
:ta e para o publico mudar de opiniao a meo que falleceo o irmao do anniinciante. Bemar- venda da quina do beco do azeite do peixe ; na
espeilo faco o presente. Miguel Arcanjo de dio Antonio Domingues no qual inslituio rua da cadeia loja que foi do Sr. Quarosma ;
por sua universal herdeira a Claudina Maria de I ron te da V'airiz da Boa vista botica do >'r.
do Livra ment e por seu Teslamenteiro a Joaquim Jos Moreira ; c cm Olinda Botica
'Vanocl Joaquim Ramos e Silva e como po- da ru> do Amparo.
de suceder haveralguma venda, 011 qualquer CF" Um forte pianno e superiores meias
transa ao dos bens do fallecido seo Irmao por para Padres ; na loja franceza de A. S'ainle
, isso previne pelo presente ao resneitavel p- Marlin.
do Dr. Juiz do Civel da segunda vara na rua l,lico para a sua inleili{joncia po'is que o an- S=r Urna barrelina de pello para G. N.
nova, as casas onde mora o Advogado aula nunciante nassa nao s a propor o dito libello com aparelho do Rio de Janeiro ; na rua do
Gomes, pelas 4 horas da tarde se ha de ar- de nullidaile do dito testamento como a em- Qucimadona quina do beo do peixe frito,
rematar de renda animal o sobrado de um an- hargar todos os bens da dita testamentara t D. 1.
dar com um grande sitio na ruada Gloria da decsao final do dito Libello. Manoel Anto- tt Superiores charutos caixas de a5o a
Boa vista pinhorado ao seu proprielario n0 Domnues
Ignacio de Jess Bandcira cuja praca be
ultima ; quem pretender compareca cm dita
praca.
C7" O abaixo assignado faz sciente ao res-
pcitavcl publico que Jos Maria Texeira
WW Fligio no dia 3 do corrrnte um ncro
de rime Joo de dadode 3o anuos altura
regular, de nacao angico, h?vou bastante-
ron pa urna rede e um chapeo de palha di-
ado elle tem urna enmarada de nome i. a-
tharina, crcoula forra moradora em S. A-
maro ; quem o pegar leve ao sitio dos afilelos
quesera bem recompensado.
8=3^ No sahbado 16 do corrente fugo do
sitio do \'ondego urna negra de nome Maria,
de naci cacange com um ferro no pescoco ,
representa 1^ anuos de idade baixa cara
redonda, denles de. cima limados; quem a
pegar leve ao sitio do \lajor Gosla, 011 a rua
daAlegvia casa da viuva ) Mariana,
ser recom|>eiisado.
SST* Fugio nodia de Kovembro de 18'a
um molalo de nome Joaquim natural da Vil-
la do Grato comprado no Reverendo Vfg-
11
Avisos Martimos.
C7- Um sobrado de dos andares e" soto na 'Sle ,,efioco. Hara as ban.das de S .Anta"o 5 &~
ruadaRoda, com urna casa terrea nn f,|n le lem3 sacs seguinles alto, pernas
louro, oupnhocada milheiro e sendo de o mesmo vende a pequea por ao de lastro
amarclo 1 ?oo lijlos por dez taboas, anda que de pedra que eondnz o dito Brigii.1
sejo azadas e lendo de j5 palmos i aia cima PARA LISBOA segu com a niaior bre-
de qualquer qualdade, posto os lijlos no vidade o Brigue Poilugiuz S. Domingos por
porto; assim como troca-se 5 milheiros de li- ter a inaior parle da carga prompta quem
|olos por luzenda a rctalho ; quem quiser an- ntser earregar 011 ir de passageni para o
nuueie que tem excellentcs commodos dirija-SC ao para qualquer fabrico
S^T A Commisso Administrativa da So- Gapitio na praca doCommrcio ou a 11er- encaixolar ran
ciedade Te: psichore convida a os Srs. Socios culauo Mana Bessonc.
icunirem-se l.ojc pelas 5 hoias c meia da __:_.____________________
tarde. Jj O 1 i O
ft^ Aluga-se um sobrado na Cidade de----------------------------
Olinda silo na ladeira da ribeira D. ab ; a1 cy Que faz o forretor Olveira de bom
mi
nbo.
X~T Aluga-se por o tempo de festa urna
casa as immeda(,nensdo ro capibaribe sita
cm S. Auna de Olveira; quem a pretender
drija-sca ruado Queimado D. 3.
m~ Oderccc-se para ama de urna casa de
familia urna parda de meia idade ; sabe en-
gomiKar lavar, coser, c coz.inbar, c su-
geita-se a todo o mais serv o; quem a {'relen-
derdirija-se ao principio das 5 pon tas en-
trando pejo beco da Icilha na terceira casa do
lado direito da rua do Jardim.
HF* Garlos Van Nez professor da lingoa in-
gle/a do liceo dcsla Cidade avisa a os Snrs.
amantes das artes e scicncias, que pode admi-
tir durante estas ferias quatro Srs. as suas
proprias casas, que nueiro aprender as lin-
goas franceza e ingleza e hespanbola das
cinco horas da nianh al as oiizc e de tarde
na sua residencia rua de S. Francisco 1
Snrs que quiserem i prender as lingoas a ci-
na mencionadas das 1 horas da tarde as 7 ; o
a cima mencionado dedica-se nao s a leitura
clradu(;o, porem igualmente a escripia c
fallar os Srs. que se quisercm utilisar do
seu prestimo dirija"o-se a casa de sua inorada
junio as casas novas do Dr. Teixeira.
t^* Hoje peante o Sr. Dr. Juiz de Direi-
to do Ciel di 3. vara pelas 4 horas da lar-
de cm tasa de sua residencia na rua do I'a-
gundes se bao de arrematar a quem man
der tres inoradas de casas ternas duas as
pontiis D. 7, e H, c oulra na ruado Culvelo
a (diada por ?oo ooj e aquellos j>or l;t:oo
agoas verdes sobrado f). 3.
trr Urna casa terrea sita na Boa vista rua
do Coloridlo I). 3, bem construida, sala
loriada e chaos proprios ; a tratar alraz da
Igreja dos Martirios D. Lima poreaodc chumbo mullo proprio
>ara fa/er latas para
- na rua da penba sobrado dc-
I ron le do Sr. Cambolrt
C5^' Um negro de nacao. de idade de 18
annos ptimo pira lodo o servico ; na rua
da cadeia \elha n. |S.
- Sal de Lisboa a bordo do ^fiiietc da
Antonio Frailesco
Iralar na Solidado sobrado de um andar com sortimento de fazendas inglezas c I raneczas Terceira; a tratar com
miranlo na estrada que vai para o mangui- no da miarla tetra o do corrente as 10 horas dos Sanios Braga rua da n
'da manha, no seu aimazcm na rua da Con- zzr Urna canoa aberla que carrega 200 li-
ccico n 34 no primeiro andar. jlos nova e bem construida urna banca de
C7* Que faz Adolfo Scbramm por inter-
vencao do Correlor Olveira, de grande va-
riedade de fazendas inglezas, c francezas,
principalmente quinta leira 11 do corrente as
10 horas da manha-, no seu armazem da rua
da Cruz.
JN'e dia immediato, sexta feira 1% do
corren le as mesmas horas continuar o leilao
e consistir de espingardas para caca ditas
lasarinas parnahibas facas de diferentes
qualidades pennas para escrever, de mu i las
miudesas de prompta venda e igualmente de
tres magnficos piannos inglezes demuilo acre-
ditado author.
\ir Que se hade fazer quinta feira al do
correnle as 1 1 horas da man,i na rua do
Trapiche novo dos seguinles objeclos salva-
dos da encendiada Galera Americana Ilarold.
os quaes ho de serem vendidos por ordom do
onsul ; c por coma e risco de quem prcten-
cor ; urna lancha, leinc, quatro remos a
colelos de gavia 3 paos do colelos urna pi-
pa 5 baldes e um espeque.
V^r Quinta feira 11 do corrente ai dez oras
do dia continua o leilo na rua nova D. 4 do
resto das joias de ouro calguns brilhantes,
entrando um rico adereco de lilagra, urna por-
co de colbercs de piala para soupa urna di-
ia de (idros de cristal consislindo em garra-
as ecanipoleiras um lustro de oitoluzes ,
t 1 elogios sendo dois de uuio moderno, que
regullo mu Lcm, e dois para cima do mesa ,
; prometendo-se a quem descobrir ou a quem
levar o referido escravo a sua Senhora na rua
da Cadeia de S. Antonio, 011 110 sitio do Pisa
de ser generosamente recompensado.
*T Fugio no dia a4 do p. p. um prcto de
nome Antonio de nacao mucambique de
idade de .'.li anuos alto cheio do corpo ,
barba serrada levou vestido calsa de ganga
azul camisa de estop 1 grossa de mangas
curtas, lem nma coroa na cabrea de carrear
|ic6o lem unas mareas pelos bracos e barri-
ga nos dedos grandes dos ps falta-lhe me-
lado das unas olhos pequeos, denles mi-
udos e bstanles abortos cor fulla e nariz
chalo ; quem o pegar leve a rua do Rangel D.
11 quesera recompensado.
meio de sala, dois locadores duas mezinhas.
e una cmoda ludo de Jacaranda ; alraz dos
Martirios casa de tres portas verdes.
%Z3~ Urna sobrecasaca e um colele ludo no-
vo ; alraz dos Martirios I). 10.
\^T Urna negra de nacao de idade de a4
annos engoniina milito bem lava de var-
rellaesaho, ecozinha o diario de urna casa;
na rua da cadeia velha loja de ferragem n. 46
%ZT Um pardo caslanholasde marfiui por
prerocommodo ; na praca da Independencia
loja L). io
- A/rii.-doce de mullo boa qualidadc ,
em latas de um almude proprio para casa^
pai-(ciliares a preco de 7 .00 cada uina no
armazemde Franctco Uias Ferreir dul'ron-
le da escadinba da all'andega.
XZT Urna oscrava de boa figura que sabe
fazer lodo o serv o de urna casa um prelo
de meia idade traballiador de cuchada e
ganhadorde rua pipas vasias que lorao de
i'inn', urna quarlolaeum barril para azeite
do earrapato barricas que forap de genchra e
de lannlia de trigo una balanca com pesos,
medidas de lolba ede pao um funil de pao,
o diiasarmacoens para qualquer estabelec-
menlo Una na rua Uireila c outra na rua
estrella [do Rozario ; una rica picadeira de
piala, urna pequea porcao de ouro c prala,
e 3 irollaH de cordo ; as 5 ponas D. 2 3 on-
de lcm lampio.
v" Lina por.ao [de presuntos inglezes a
Muviuieiito NAVIOS FUTRADOS NODIA 19.
RIO DE JANEIRO; a7 das Mislco Hcs-
penholNunmnliludc 5i lonel. M- Pablo
Alomo, equip. n.eni lastro; a Scbramm
MOxNTKUKO ao das, Brigue Escuna
llespanhol Nimpbade tonel., \\. Pa-
blo C. cqnip. i a carga carne secca e
sebo ; a Joo Piulo de Lomos
RO DE JAMURO; odias, BngucPoilu-
guez Valeroso de 186 tonel. M Joaquim
Jos de Olveira equip. i2 em lastro ; a
oi'lem : p.ssa;;eiros i jinrd.giRv.es.
CLTLNGUI'-A ; y das Hiate Nacional f:s-
peculador de 3 i iji tonel M. Bernardo
de Souza equip ,j carga couros e as-
sucar ; a Souza Bastes passageiro um por-
tugue/.
SAIJIDOSNO DIA i2.
RIO DE JANEIRO e poilos intermedios,
Vapor S. Salvador, Commandante o 1.
Tonenle da Armada Manoel Luiz Perera
da Gunha conduz 34 bracas dos engaja-
dos 4 ft* soldados e 4 passageiros.
MACEiO' Patacho Vngador M. Jernimo
Aniones Simoens carga varios generas :
passageijos dois brasileiros.
11ECIFE NA TYP. DE M. Ff DE F. i3
de Ucha com casa milito grande toda en-
vidrnssada com tres salas grandes, 'rlzfi |
rpiartos cozinba fora copiar casa de fari- f
nha estrilara para 6 cavallos casa para '|
feilor, e negros, com muito arvoredos des' f
fruto de lodas as qualidades o muito caf y V
duas baixaspara capini e muito terreno pa-
ra plantaeoens cujo sitio se vende melada a.
visla e melado a praso i a tratar na rua Di-
rcita D. a ou no mesmo sitio.
tar 5 estrave* a saber 3 prefij mocas com'
boas habedades urna deiias he perita en-
gommadeira e cozinbcira ; urna molata de
idade de / o annos comas mesmas Jiabelida-
des ; iim prcto que rcrzinba bom o diario de
urna casa e um dito canociro ; na rua de
agoas verdes D. 5j.
Ese ivos Futidos j
-------------------..... ..,____________LU ~ I .
t