Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08693

Full Text
Anno de 1839. Quinta Fkira
Tudo agora depende de nos meamos; da nossa prudencia, moder,
o, e energa : continuemos como principiamos e seremos aponlados
con adrairacAo entre as INaces mas cultas.
Proclamadlo da Assemblea Geral do Brazil.
>>! i H '
Subscrevc-se para esia folha a 5iooo por qnartel -pjos adiantados
nrsla Tji>ogiafia, ra das (.1 u/es 0. 5, e na I'raca da Independencia
rj_ 3^ e 38, onde se recebem coirespondrnciasle-'a'isadas, eannuucio;
insiriudo-se estes ,iatis, sendo disproprios asignantes, e viodossig-
nados.
Partidas dos Correios Terrestres.
CMade da Parabiba e Villas desua pretenco...................j
Dita do Kio Grande do Norte, e VIIbs dem......, ......... [fundas e Sextas Keiras
Jita d Fortaii ib e V litas idera. ..'.......................J ,
Villa >-e (ioianna...................................'
Ci.la.le d Olind................'..................Todos OS das.
Villa deS Antao.................................Quintas letras.
ll.la dedaraiituins e Povoac;*o do Bcnilo.......... ..........It.as lo, e *j decada me*.
Duas do Ca' o, Sennliaem. Rio Formlo, e Porto Cairo............dem 1 11. e 'l dito dito
Cidi.de das Alaenas, e Vtllade Macei.............V...........I,lem ,d*,n,.
\ iiU de Paje* de r lores.......................(...........dein l\ dUo dito.
Todos os Correios partem ao meio da.
.^
bbTH"-
14 dk Novemoro. Numer 249.
OVEMBRO. 1
3.
C AMPIOS,
1'UltllU! I J.
Londres......33 por Ifooo ced.
Lisboa....... Ho por 0/0 premio,
Franca;......iy> reis por Iranco,
bio d Janeiro uo par.
por mciai oerecido.
UHO
Moedas' de 6#4oo rs Velha* tHoo liffid
Hitas Notas i4laoo i#oo
Ditas de 4 looo rs., $g >oo a
PnIncoes Rraiileiros -----------lj'80 i
Peos Columnarios -------- 1 #480 a
Z)ios .Mexicanos ---------- 1 #,60 a
Premios das Letras, por mez 1 1/8 a 1 111 por loo
Moeda d cobre 4 a 5 por 100. de disc
PRATA
aj
M
8#aoo
fino
i#5ao
Dias da Semana.
11 Segunda -
1 a Terca -
13 Quera------
<4 Quinta
i5 Sexta *- -
ifi ."-alibado -
17 Domingo -
S. itfartinho fe. .------
S. Mrlii>l-o P.---------------
S. Kugenio H. ---- -----
S. Ce i:entino M.-----.- -
S. (ierirudes V.---------------
8. (onsa!o de Lagos.- -
S. Gregorio Taumaturgo B. -
Ses. da Thex. e ad. o j. de D. da V.*
- Kclaco e Aud. doJ.rie D. d. 1. rara de trienal.'
- esso da Tliei. Audiencia do J. de l). da 1. r. d
- Re e aud do J. de D. da a. .
- Sis. da The., e aud. do J. de U. da >. r.
- Rtl. e aud. do J. de 0. da 3. r
Ufare chela para o IA dia de Novembr.
As 11 hpras e 42 minutos da Urde Al 12 horas e 6 minutos da manda.
RIO DE JANEIRO.
ASSEMBLEA GERAL LEGISLATIVA.
SENADO.
1" gundo secretario.
Depois de brevet refexes solire o artigo 3..
em que o Snr. Rodrigues Torres rr.ostra que
a aulorisaco que se d; ao governo para a
FessSoem de setembro de tfl'q.
Presidencia do Sr. conde de V-tlcnra.
Reunido suficiente numero de Snrs sena-
dores abre-se a sesso, e da a acta da ante-
rior, approvada.
Expediente.
O Snr. primeiro secretario 1<* um officio do
primeiro secretario da cmara dos deputados,
u-ompauhaiido a proposico da mesma cma-
ra que approva a mcu feita a Antonio
Caetano da Cruz, exonerando-o de pagar a
fazenda publica a tena parle do rendiniento
annual do oficio de escrivo' de or(os do mu-
nicipio do Rio de Janeiro : commisso de fa-
zenda.
Ordem do di.
Tem lugar a primeira discussao da resnlu-
o da oulru caniaia que retlu/ a tUms an-
uos sem dependencia de previa declara o
leita na respectiva tatuara numici al, o tempo
da residencia no Brasil que a lei da 3 de ott-
tttbro de-iH.Vi determina que' tenbao os que
prelentlQm natnralisar-sc.
Discutida a materia approrada a resolu-
cao, |iara passar asegunda discusso.
A meia hora depois do meio dia vcrificou-
se nao haver casa fa/.-se achamada. c a-
cl)5o-se presentes aS Sj-s. senadores, fallando;
por impedidos os Snrs Aratijo Lima, Lo-
pes Gama e Alves Hratico ; com cauza parti-
cipada, os Srs > arquez de 15arhacena. Vis-
conde do Rio Vermeil.o > isconde da edta
Branca Jardim, Mrquez de Bae/iendy. Fer-
reira de Mello, t e\\ Paula Souza, e Costa
( arvalbo ;. e sem ausa, os Snr. I. Nuno ,
Mello Sooa, Almeida Albuquerque, Paca
de Aiulrade Cosa Ferreira, Hollanda Ca-
vbanle Paula A.uquerque. Cuuba \ as-
concellos e Mrquez de I'aranagu.
O Sur. presidente d; para ordem do dia
a materia dada para boe.
Levanla-se ao sesso aos 4o minutos depois
do meio dia.
CMARA DOSDEPUTADOS.
sitente da provincia das Alagoas para man-
dar proceder planta e orcamento de um
edifficio proprio para all'andega para -seren
remettidos ao tivrsouro irompanbados das ne-
cesssarias informatues acerca do melhor lo-
cal em que deve sen construido A'commis-
so do orcamento da lazenda.
Vae; primeira commisso do orcamento da
fazenda o mappa demonslrativo da assignalu-
ra e sulilituico to papel moeda.
Ju1',a-seob;cclo de delibera o e vae a im-
primir o projerlo de resolu o da commisso
de instrueco publica que delibera que os
exam'es para o grao tledoutor nos cursos ju-
rdicos de 01 inda e S. Paulo se Carao inte-
rinamente com o numero de lentes que na
occasio dos exames se acharenv presentes,
eom tanto que nao se!o menos de seis al
i|Ue pela nomea o de lodos os lentes substitu-
tos ^se poss reunir o numero prescripto pelo
cap t) dos estatutos.
Le-se, eapprova-se um requerimento do
Snr Coellio Bastos para que se pe> o M (JO-
verno eija da presidencia da Para i ha os
niappas eslatisticos dos munieipius de Pianc
e Souza organisados no trrenle anno pelo
prefeitoda comarca de ombal.
Le-se, e approva-se um requerimenlo do
Shr. trunes Macbado para que se pe a ao go-
vernp os ofhcios nmeros aocai.de %i ei
de agosto de 18J4 (' presider.le de Per-
nanibueo, (laudo eselarecimentos solire o en-
capellatlo do engenlio novo de Santo Anto-
nio de (ioianna e papis que por ventura os
acomban I iarcm
Le-se e npprova-sn o requerimenlo da
commisso enca regada do tomar cotilas a re-
iarlites de marinha' e guerra pata que se of-
icie ao overno pe is diferentes ininislenos,
af:m tle dar as ordena neeessai ias para <|tie as
reCeridas reparticoes se franqueem ;'t commis-
so e as pessoas que (da levar em sen auxi-
lio, todos os livros. e papis que ella enten-
der necessario examinar para o desempenho de
sua tarefa.
Primeira parle da ordem do dia.
Continua a discusso do addiam^nln do pa-
recer da commisso do commerrio sobre pa-
mtidan a de unbrmc no corpo de artilheria
necessario por. que o corpo foi oslabelleci-
do por urna le eso por oulra iide ser al-
terado approvada a emenda do senado,
e bem a sim sao approvadas as outras emendas,
e sendo adoptada iemclte-se commisso de
reda o.
cinco annis ficando nullos todos os contra-
tos que d'ora em diante nao forem celebrado3
por escriptura publica. E' concedido o pra-
zo de um anno aos que actualmente deverem
siz.a de venda ou compra de bens de raz pa-
ira que dentro d elle a posso pa;;ar, e redu-
zir taes contractos a escriptuns publicas, sob
pena de nullidade r.o se cumprindo esta
id lima solemnidade
rticos. O imposto sobre o cb importa-
do sera' elevado a 5o por cento.
Artigo r>. As taxas do correio gerl serio
sesso em 3 de setembro.
Presidencia do Snr. Arau;o Vianna.
As totoras da.manbi laz-se a chamada ,
!oo nue se rene numero le^ial de Snrs. de
rutados, abre-se a sesso, le-se, capprova- por snfficienlemenle discutida, o addiaruenlo
resuello
I omo parte na discusso do addiamento os
Snrs Hc-nrique de Rezende, I erreira Pinna,
: Moura \ a',allies, Gomes de Campos, e Gen-
Su.VcS
II lili 3,
waiiuO-i:
lilltti
posto a votos e ap| rovado.
Entra em discusso o seguinle :
se a acta da antecedente.
O Snr. primeiro secretario d; conta do ex-
pediente leudo os seguidles ofHcii* i
[)0 secretario do cenado, participando (jue Emendas f'itas e approvadas pelo senado
Adiando-se na sala immediata o Sr. mi- roo estabelecido no artigo i nico da lei da
por olKcio do ministro e secretario de estado
dos negocios do imperio con>tou ao senado
que o Regente em nome do Imperador, sanc-
cionara as resoluces autoiisando o governo
a couieder caria de naluralisaio de cid do
Brasileiro a Bernardo Xavier Pinto de Sou- r o governo alterar os seus uniformes.
za e Francisco l erreirt Borges. 1 iba a c-
mara inleitada.
Do ministro da fazenda parlecipando que
proposta do governo com emendas da c-
mara dos depulados sobre a (i.xaco das
forras navaes para o anuo inanceiro de
i8'oai84i. '
Artigo Accrescente-se no fim-e pode-
Ai ligo 6' Que passou a ser >. Sttppri-
ma-se a palavra mesmo antes de sold
l'l Do ministro da fazenda parlecipando quej Artigo -. Que passou a ser o. Km lugar
lo-o ue rceber da reparti^io daJustita a de cirurgiSes d'armada -dia-se- cirurgies
nual otfeiou na data de i de setembro, os, e capelles d'armada
stlarecimei.tos requisiiados por esta cmara Artigo 7 addilivo. Em lugar de ciriirgiea
nislida lazenda, recebido com as formali- 1
dades do estilo, e oecupa o competlenle lu-
gar
deOutubrode 18J7 n. 100.
Art. q Fica reduzido a
por cento o
j imposto de 6 jaque actualmente se percebe
Soapoiados, e entro em discusso os ar- na cazada moeda de senhoiiagem da moeda
gosaddilivos da commisso. de oiro assim como o de i5 iid da moeda da
esc
sobre diuheiros dos orlaos dados por empres-
lino a p irticulares, lera a honra de os trans-
iniltir a esla cmara. Fica a
rada.
Do mesmo ministro ,
cmara inlei-
informando, qtia em
de arlilberia di ,a-se cifur^iOes, e cupel-
iies de arlilberia.
ac do senado i de selemliro de 1R 'g
iogo Antonio Fcij, presidente. Joao An-
tonio Rodrigues de Carvilho, /ntmetro sc-
igo
Le-se o seguinte requerimenlo :
A commisso de errameuto rci|iier que se
diseuto smenle paia fazer parle da lei do
onunieiilo os arligos 1, ,6, 7, 8. 9. 10, n,
e ib, que os maisartigos fiquem para seren
discutidos depois que se com luir a discusso
do orcamento com preferencia a oulra qual-
quer malaria.
Paco da cmara 3 de setembro de 18J9.
C. de Campos. J. V. Viatrna.
Artigo 1 O imposto da siza dos bens de
raiz fie 1 reduzido a o (ior cer.lo ; os prazos po-
rem permetlido por lei para o pagamento d es-
ta imposico nao podero exceder o termo de
piala.
Art.
ijj
10. Os a por cento que actualmente se
percebem na exportaro para forado imperio
do oiro em pi) em barra eamoedado de pe-
dras preciosas lapidadas ou em bruto ficio
reduzidos a meio por cento c a 1 por cento
na eKportaco da prata em pinba ou amolda-
da quersejo de produeco nacional, quer
estrangeira.
Art. 1. As disposices do artigo M da lei
de de Outubro de ibJa sao extensivas a
todos os ollicioes reformados de guerra e ma-
rinba.
Art. 16. A tabella annexa ao artigo 11 da
Continua a discusso adddiada sobre o re- reguladas sobre as seguintes bases :
requerimenlo de addiamento proposlo pelo Sr I. Pagaro as cartas conduzidas pelo cor
.Monlesuma proposta que concede urna pen- reio terrestre o por cento sobre os pre-
so aos filhosdo conselbeiru Antonio 'ose de tos fixados no regulamenlo de 5 demarco do
Miranda, cujo requerimento prope o addi- 18*49*
ment d'esla edeoutras qnaesquer penses a a. Pagaro as cartas conduzidas peto cor-
le que se ohtenba pela discusso do orcamen- reto martimo no litoral do imperio dous rei
to os eselarecimentos necessarios sobre a recei de grao em grao de latilude, contados do pon-
a edespeza. 1 to da partida
O Sur Alvares Machado de parecer que 3. O mnimo porte para uroa carta ser
: nao pode ler lugar o requerimento do seu de oitenta reis.
nhre amigo pe*t provincia da Rahiaemvjs- 4. Os autos, e mais papis do foro, pava-
la do conhecimenlo que esta cmara j; tem rao aquarla parte do porte das cartas
do estad'o do thesouro ; porisso jnlg.'t desneces-1 5. Os Jornaes continuaro a pagar 10
sario por semelbante motivo addiar-se a ma reis por numero, e asmis publicacoes pe*i
teria e vola contra o addiamento. Quisera odcas pagaro a mesma quanti*por cada fo
r|ue nesta occasio en I rassem em discusso to- Iba de impresso sem alleneo ;s distancias,
das as pensiles para que esta cmara Ihe des Os livros pagaro 118 do pezo.
seo despacho que as nossas circunstancias re- 6. Pagar-se-ha aos particulares que en
clamo tregarem as estacoes do correio, cariase ou
O Snr. Carneiro da Cunda pede ao Snr. tros papis por ellescondnzidos m da part*
presindente que d para ordem do dia o seu correspondente.
projeelo, que ollerecera ; considera o d'esta 7. Fico abolidas as limi taces nO pezo,
casa para que o governo nao continu a dar estabelecidas no regulamenlo de 5 de maio d
penses em quanlo durara guerra do Rio i83g.
Grande do Sul H. Asearlas provenientes de paizes estran-
! epois de discutido o addiamento posto a geiros, pagaro na mesma propoico estabe-
volos e approvado. ecida na baze segunda se nao bouver ajus-
Segunda parte da ordem do dia. le especial.
Discusso do orcamento. J Art 70 O governo Gca autorizado para
Contina a discusso sobre os rticos da melhorar por meio de regulamentosa arreca-
fixacoda receita disposi.des geracs. daco dos seguinte inpostos : sello de beraucas
lNohavendo quera pc^a a palavra da-se a e legados e de Uso fructo meia ciza de es
maleii por discutida. I cravos ; o por tent no consumo da agoarden-
\dtaco. te ; decima de predios urbanos bens de de-
Todos os artigos de que trata o capitulo i un tos e ausentes, taxa de esefavos trras
sao approvadus com as emendas da commisso,' diamantinas ; e correio geral debaixo das ba
HU< tes (le vapor, para que o negocio volle excepto os ai ts i>-de que tral-i do ipporcen- zes cima estabelecidas ; e a impr nos mes-
commisso afim de propor um novo parecer to de premios dos assignados e /"osobre o mos rcgulamcntos as penas emolas dando
imposto nos trapiches alfandegados, os quaes conta ao corpo legislativo para diffinitiva apro-
sao supprimidos vaco. A disposi o d'esle artigo cessar no
i) arli,;o o nao votado. fim do anno filanceirode 840 a iH^i.
Osar.igosi-, e 1 a das disposices geraes, Art. 8 o Os di re i tos de mportaco sobra
sao sj.riiis. os nuigios de a!g:bci jias vsOs,euiea
As emendas da commisso aos arligos 3a e cis de oiroe prata, fico reduzidos a 5 poc
$4 sao re|'Leitadas. cento, alm do expediente, que sera o mes


1 A RIO O B T~g ft'tt.A KBfC O
le de 9o de OuUibrode i rom as alteraces constantes da que vae anne-
xn esla le i.
Tabella a que se refere o artigo 16 da presen-
te le.
- $' Poralvar deofficios geraesde juslica
vitalicios novos direitos de Jo por rento do
tendimento do oIopo ou valor da sua Iota So.
Pela concessao de qualquer ordenado,
odo, aposentadora tenca penso con-
grua reforma juhilaco, ou gratificarn
annual e por qualquer augmento no caso
de accesso ou melhorameuto 6 por rento
pagos por desrorttos mensaes durante o primci-
ro anno do vencimento uis pagadorias ou
estaces respectivas. Os 5 por cenlo sero
calculados segundo a lotaco do vencimento
/imilla!. quanclo elle nao consista em um or-
denado fito ou soja formado de ordenado e
mol montos ou gratifcacao, ou potcenta
fiem. N5o Ocao sujeitos aos S por cento ; i
os comprehcndidos nos ^ i c i5 a os
que tem de pagar ouli os novos direitos mar-
cados n'esta tabella: 3o. as gratifica oes
|f, Voinorartaiiiente conferidas pelo governo.
3 Por titulo de confirmacode doaeao e
esmaria de admintslraco de capel la dada
por denuncia calculando-se sobre o valor do
rendimenlo d'elles 10 por cento.
5 4 To valor das Raneas prestadas em
juiso, or hahililaco em juizo de ausentes
j>ara c?tier a heranca on divida, e pelas
dispensas das le* de amortisacoa favor das
-rorporaces de m > mora sobre o valor
Tollas por cenlo.
S 5 Por carta de titulo do coiselho 6o)[.
^ 6 Por caria de previlegio concedida a
*\n ilquer fabrica ou empreza voo
7. Por compromisso, e rrecco de con-
frarias e irraandades companbias esociedades
5o s 000.
Por prpvisode drogado dos andi-
zenda, sigoncando-lhe que representando
os Prefeitos das Comarcas de Goianna e Boa-
vista ,sobre a demorado pagamento que sof-
frera os Destacamentos d'aquellas Comarcas
por ficarem mui distantes desta Capital, Ilie
ordena que auctorise aos'Collectores das mes-
mas Comarcas para fornecerem aos ditos. Pre-
feitos asquantias que estes requisilarem para
laes pagamentos recehendo delles a compe-
tente cautella dos dinheiros queert I regaren a
fin de se Ihes levar em conla na Thezoura-
ria.
Dito-Ao mesmo enviandn-^lhe em eum-
frimcnlodo i'egulamento Geral n. I e de
mperial A v 10 de 'i de Julbo de 1818, os
exemplares dos Actos Legislativos de n. 65 a
7? inclusive dos Regulamentns de n. 25 a
36 e das Decises do 'lovemo'den. 1 Jo
15o, a fim de que Ibes d execuca pela parte
ipie I lie toca.
Iguaes remessas se fizera5, ao Presiden-
te da Relacao Director Interino do Curso Ju-
rdico e ao Delegado de S. Ex. Rvm.
Dito-A Cmara VJunicipal do Braja de-
vnlvendo-lhe a copia da acta da l'leico dos
Depulados Provincnes, me acompanbon o seo
oSicio de 16 do mez p. p a fim de que a re-
mella directamente a Assemblea Legislativa
Diversas Reparticoens.
ALFANDEGA das FAZENDAS.
EDITAES.
ro com que posso manter seu enme.
Abaixo copiamos a Proclamado que o
Exm. Snr. Agbstinhb da Silva Neves dirigi
aos Habitantes da Provincia.
Habitantes da ( idade das Alagoas.
Vicente Thomaz Pires de Figueiredb Ce- Vos sois testemunbas dos factos occorridos ,
margo. Inspector da Alfandega faz saber estes ltimos dias na Capital desta ^rovin-
qae nodia 1 i do crrante, 6e hade arrema- cia Nao be precito nem que eu vos pintea
trr em hasta publica e na porta da nfesma na tu reza delles nem que vos falle de sua ira-
ao meio dia trinla barricas com sem'eas no porlancia e gravidade A tranquilidade pu-
valor fi Jrs. cada^biftrta impugnada pelo "blira foi alterada Voes sediciozas partida
Guarda Caetano Aurelianode Carvalho Cou- d'aquelles que mertos-prezo vosso socego e
to no Despacho por Factura de Jore Anto- prosperidade lancaro a pertubaco e a de-
nio Gomes sendo o Arr-emtnnle sug'eito ao sordem nrj-seio de vossas pacificas familias,
pagamento dos Direitos. |iludndo-se a boa f de unse approveitando-
Alfandega 11 de Novembro de iR3q. seda ignorancia de oulros! Habitantes da (.ida-
Vicente .' boma? Pires de Fi,eirado Camargo, dedas Alagoas! Vosso Presidente quer persua-
V cente Thomaz Pires de Fgaeiredo Camar- d"r^-se qtie um memento de irreflexo um
go Inspector d Wfandega faz saber que no'desvario ros lancou na carreira donde lid
dia 15 do crranle, se hade arrematar em has- lempo de sahir ainda porem onde, mait
la publica e na porta da mesma ao meio dia tarde um abismo decrimes e niales incal-
vintedu/ias ele sapalos para menino e vinle culaveis vosespea O sangue nao foi ainda
oitoduzias de sapatos para meninas no va- derramado, he te n n dep-Jioal-n! Deponde
'lor de "trezentos e qualro mil reis e ditas du- as armas ; Vinde abrigar-vos debaixo da som-
zias de luvas de seda para crianea no valor de bra pacifica que vos nfTerace o Estandarte da
oilo mil reis. impugnados pelo Guarda Pedro Legalidade 1 Eu vos dou minha palavra d
Provincial, como dftertnina o art. ^8 da l.ei J Ralbino Joze da Molla 110 Despacho, por honra de esqtiecer todas as offensas e ultra-
Provincial n 74 e Ihe foi reeommendado em Factura de Adour & l omp. sendo o Arre- jes feitos a minha pessoa ; eu nao quero sino
matante sugeito ao pagamento dos "ireitos. [sustentara Dignidade do Govemo Su, remo
Alfandega de Fernamboco 1J de Novembro assim como he do meo dever na qualidade de
r| e K.p I seu Delegado. Habitantes da Cidade das A-
Vcente Thomaz Pires de'Flgueredo Camargo. lagoas nao hesitis ; nao procuris tornar a-
oflicio de 37 de Jim lio do crranle anno.
THrZOURARA PROVINCIAL.
Expediente do dia 5 de Novembro.
nroi
inda mais grave vossa posico Decid um
momento de mais ser tarde ; a espada da Lei
lorios as dudes do Rio de 'nneiro, Baha
Pemambnco e Maranho o'o'.
O Por provs.iode procurador, ou so-
| Ueilador as mesmas rjnatro cidadis, ^o^
Em lodos os mais auditorios assim d'aqnel-
las Iras piovincias como nos de lodos os mais
lugares do imperio mi que os hotiver te
pagar melade das quantias cima mencioana-
das pelos ttulos respectivos.
10. Por matricula de negociante 4U rs.
^ 11. Por carta de emanciparo, ou de
anpprimeolo paterno para casamento, 4<*Urs.
^ 1 a Por carta de legtimaco e aJop o ,
40U T?,
^ li. Por caria de farmacia, lollri.
i4- I'or carta de doutor Licha rol em
ciencias sociaes e jurdicas, ou medicina ,
3o rs.
^i5. Por caria de juizde direito desem-
fargador e de ministro do supumo tribunal
de |usl"ua Jo por cento do rendimenlo de
1 um anno levando-se em conla os novos di-
reitos pagos nos lugares que os empreados
anteri. mente tiverem pago
6. Por diploma de qualquer oulro em-
prego geral, que confira direito de porpetui-
dade ao lugar -jo por teulo do onienado ,
O Pataxo Portuguez Paquete da Terceira ,
Porlaria-0 Inspector da Thezonraria das vindo de Lisboa entrado em lt do crrante cahir com rigor sobre vossas cabecas ; o en-
Rendas Provinriaes vendo em o Diario debo- Capilo Joaquim Mara da Mlvira ronag- tusiasmo com que tantos illuslrcs Cidados se
reunem a esle Governo a lealdade com
qne tantos Municipios se tem ja declarado dis
je hum annunco do Snr. Thezoureiro pelo nada a Antonio Francisco dos Santos Braga.
qual faz publico que no dia 5 at1 7 do cor- Vanifeslou o segninle.
rente pagar os Ordenados do mez de Agosto: 1 rp Moios de sal 7fpedrasde cantara, poslos sustentar a Legalidade beum teste-
i. p. aquellos Empregados que nao tem emo- 1/J00 molhos de sebollas munbo anlhenllco da reprova o de vossa con-
n
Fora do Manifest.
mentos com [irecrenca aos que nao ti ve-
rom ainda recebrdo o vencimento do passado
Julbo ; significa ao mesmo Snr. Thezoureiro d
para sua inlelligencia e execuca. que nao jos.
devia fazer a |uelle annuncio e nem po le pa-1 A Pauta he a mesma do n. %$j
gar os Ordenados do mez d'Agoslo sem sua'
ordem vista do alanco do Cofre do mez
de Outubro prximo (indo o qual ainda lhe
nao foi remetlido como cumpra pelo mes-
mo Snr Thezoureiro e que quando o pre-
dilo pagamento devesse de ter lugar anda
ssirn a opposlo a Portara que lhe elle deri'.ioem 10
duda, e um solido garante do triumpbo e da
1 Caixote com pao de lnho, 1 pacote com reslauracSo da Lei Hahilanles da Cidale das
ito, 1 cesta com bola.xa 1 caixote com que-Alagoas rasgai o veo da illuso : alrave*s da
venda das paixes exaltadas que vos fascinao,
* a paz de vossas familias evita i ao san-
MEZA DO CONSULADO.
A Pauta he a mesma do n. a47>
PREFEITURA.
parte no ni\ 1j.
olbai
gue de vossos Cpncidailos que vos far
responsaveis de lanos males e de tantos cri-
mes I eponde essas armas parricidas e vinde
reunir-vos ao vosso Presidente para entoar com
elle eslas palavras que devem servir de sig-
nal o t!e emblema .-i unan de todos <* Riasei-
ros Viva a Snela Religiao Viva a Consti-
tuido do Imperio! \ iva o Regente em Nom
de S. VI, o Imperador e Viva os Amantes
da Legalidade !
Agostinbo da Silva Neves.
ficio do Exm. Presidente de 4 do crranle exi-
ou lolacao do vencimento ou gratifcacao.
S sao sugeilos ao pagamento dos velbose/
novos direilos em vigor antes da publieuco 1 dudo q -e reme te qiianlo anta O lalancole da
da lei ileso de Outubro de 18&, e conli- Recei a e l'espeza desta Thezonraria durante
uuaro a pagal-os as pesspase objectos que o mez de Outubro prximo findo
Iflm. e Fxm. Snr.Partecip a V. Exc. ,
de Setembro pela qual determinou que que de hontem para boje nao occorreo novi-
llo cazo de se a presen lar o Credi lo alrazado de dade.
alguns individuos de huma classe nos mesmos
dias annunciados p ra o pagamento de outra Hoje quinta feira 14 do crrante, pelas 4
classe devia de ser pago com preferencia n- horas da tarde na ra do Atierro da hoa-
lerrupco dos pagamentos ann-mciados por vista nurr.. 3(j se hade fazer Leillo impreter-
quanto a primeira regra de preferencia esla- velmente d*rmacSo de urna venda e dos ge-
1 elecida na ordem de 1 de Agoslo continua na eros que n'ella exislem perlencentesao falle-
maior anlguidade ealrazamento da datas: cido subdito orluguez Francisco Antonio ola dirigida pelo Sr. Bario da Ribeira d
|.eloque onlro sm ordena ao mesmo Snr. de Mello. O Inventario lio que existe e as
Thezoureiro que suspenda os effeitos do men- mais condices d'arrematacao se far patentes
clonado annuncio. no acto do Leilao e os Licitantes podero
Ofticio-Ao Thezoureiro das Rendas Pro- com parecer hora indicada,
vncaes transmilln io-lhe por copia pa- Consulado de t or'ugal em Pernambuco a
ra sua inlelligencia e devida execuca o of- 0s 1 i de Novembro de i.*q.
O Cnsul.
Joaquim Baptista Moreira.
n5o estao cnmprebendidoc n'esta tabella (i-
cando revogaria a outra annexa ao artigo 11
da lei de ao de Oatubro de 848
E' apoado e entra em dscusso.
Julgado discutido 6 posto a votos e appro-
vado.
Sao apoiados outros mulos artigos addi-
tivos.
Lerse e apoiado um requeriraenlo do
*r. Souza Martins para que os artigos audi-
tivos da commisso sejo discutidos um pop um
e nao promiscuamente.
Este requerimenlo e a provado e fica por
Portaria-Ao Thezoureiro das Rendas Pro-
vinciaes em conformidade das onlens do Exm.
Presidente communiradas por ofticio datado de
hontem determinando-lbe jue pague ao Di-
rector do Liceoaquanlia de 'ooi rs em olas;
NOTICIAS PROVINCIAES.
ALAGOAS.
Noticias Estran-. iras
Sabrosa, actual Presidente do Conselho ,
ao Lord Howard Ministro de S. M. B. ne3-
ta Corle.
Continuado do N precedente.
Accrescenta com tudo S. S. que S. Ex. af-
firmava que n urna semana esperava vencer es-
las dilhculdades ; norm que passajos /|uinzg
dias lora S S. informado (mas nao diz por
3em) de que o Projeclo de Tractado havi
e ser ainda nroposlo no Conselho de Minis-
tros ; que a deca raijao de Pirataria ainda nao
eslava preparada ;' e que se exiga urna sesu-
o da Presidencia, para gosdardem e do Brasil porque ponde- S que se nao poderia justificar de demorar
mros dos alumnos de De- rando o estado em que se achao os sediciosos, mais a sua partida.
Letras na conformidade la I vez nem um s tiro seja necessario desparar Refere-seS. S depois a outra Carla par-
Todas os noticias recehdas da Provincia rama mais positiva quanto aos soccorros re-
imporlancia das cem medalbas que mandou dirs Alagoas, saomui satisfactorias aos ami- clamados poi Portugal ; queenlo julgara S
(azer por autorsaco dr
deslribuico dos premios
zenbo e Prmeiras
dUk co,,sla,,,le d,a COn,a e re'o,u>"o- | a fim de fazer entrar no circulo de seus deVe- ticular do Sr. Visconde de S da Bandeira de
Offi millindo-lhe por copia a ordem do Exm l're-j Com aclicgada da nossa exneiliro mil elo- Nota a e fra por S. S. rerebida em ondres ,
zlenle consegu.nleemdiscussaosoo pr.meiro artigo mina que se adianlem ao destacamento da, g0 pela rapidez com que auxiliou aquella vesse demorado tois urna semana se teriam
ldl,,,|xo Comarca de Garanhuns os sidos relativos aos P
Oflerecem-se vanas emendas a este ailigo mezes de v vembro e Dezembro do corren-
qne sao apoiadas
Depois de algum debate d-se a materia por
discutida.
O Sr# ministro da lazenda retira-se com
a mesma fbrmalidade rom que entrn.
O artigo i Q addiirvo regeilado, eappra
v.lda urna emenda do ^ Andrada Machado.
O Sr. presidente d para ordem do da a
oniinuacao da mesnia materia dada para boje,
e hvaata a sessao pelas a horas e i./a da tarde.
*
PERNAMBUCO^
GOVERNO DAPRO\h\CIA.
EXI'EDIFBTE DO DU 1 I .
Oficio-o Inspector da Thczourari da Fa-
le anno vista dos prels que p lo Comman-
danleforem aprezentados.
Portaria-Ao The/otirairo das Rendas Pro-
vinciaes ; a a pague ao Thezo' reiro da Mesa
do Consulado a quantia de 5J(J 5r>3 res em
moeda de prata que o mesmo despendeo no
mea de Outubro p. p eom o ordenado dos
Empregados da Inspecco do assucar ealgodo.
di* 6.
Offioio-Ae Exm Presidente transmittindo
incluza a demonetraco do saldo existente no
Cofre da Thezourara em Ji de Outubro pio-
ximo findo.
Dito-Ao mesmo Exm. Snr remetiendo o
ponto dos Empreados desta Fepartico e da
Meza de Rendas Internas Provinriaes relativo
no p. p. es de Outubro.
ronnria com tudo, quanto era necessario vencido Indas as dimuldades ; mas que S. Es.
para inutilizar as anatrhicas pretences da ainda insislia na pedida Garanlia e em rocu-
Sueile | artido desorganisador. 'J'ratava-se sar-se'a declarar piralaria o Trafico da Escra
e dar o allaque o que ja se nao havia jm>sIo valura ; que dejiois souliera por subsequenles
em (itlica antes da chegada da nossa tropa partecpaces que ainda que se ti vesse d< mo-
no por falta de genle pois com excepoo rado al ao presente, nao teria podido obter
do Municipio da Cidade das Alap.oas todos que o Tractado se assignasse ; concluin/lo por
os de mais pontos daquella Provincia se con- ultimo que tinha Inslruc oes do seu Governo
servo firn es nas ideias de ordem e de obe- para protestar contra as tentativas lanas ve-
obedicia ao Governo mas por falla de arma- zes repetidas na mencionada ola do Sr Vis-'
ment. [conde de S da Bandeira a fim de I; t' r crer'
Contra os sectarios da desordem sticcedeo que as pioposlas por S. Ex. offerecidas s
um liiclo mui rouro de contenlal-os por quaes o Governo Britannico jamis poderia por
que pede o 'I bezoureiro tirar dos cofiies na un instante admillir se deveriam considerar'
(apilal .K-.'urooo rs. que ali existio pa- como estipulaces oomencionadasentre os don'
ia serem remet idos | ara a caixa da Amorlisa- 'Governos os seus Plenipotenciarios,
cao na Corle, edesle modo os cheles do mo- O abaixo assignado vai mostrar que toda esta1
lim e seus sectarios viro desheladas as sitas transfigurada historia da negociaijo diame-
ti almente op|jc*la aos fcclo piwajido-se ya*
jinclhoresesjcranv!, ni existindo numer-


''
r
D I A K I O
O R
P K R N A M BU C O
%
'realmente existi um Tractado convehcionadb
,porS. S como Sr. Visconde de S da Ban-
deira e que por conseguihle nenhum funda-
mento lem 0 protesto que S. S. era nome do
seu Governo aprsenla contra a realidade de
.toes factos, os quates S. S. por consideradlo
'alguma seria jamis capaz de recuzar se a-
pe/ar de inuito positivos e moileraos Ihe nao
'tivesem infelzmedte futido da memoria.
Sendo o dia lade .Vlaio acuelle, em que
foi escripia a primeira das ditas cartas parti-
culares do Sr Visconde de S du Bandeira ,
liao de adimirar que anda eslivesscm por de-
cidir os cinco indicados pontos d advertencia
entre S Ex. e S. S. e que dalli a alguns di-
as antes da partida de Mylord, em a i do
mesmo mez, se tonusse um ultimo acord as
'repelidas, e diarias conferencias que entre
aml)os houve como efectivamente se'tomou.
Por elidi desse acord em todas as fallas
do Projecto original do Tractado que S. S. li-
nha api-esentado foram escripias pelo proprio
puulio de S. S. as emendas proposlas pelo dito
Sr Visoonde, e que por S. a liaviam sido
approvadas A este Tractado assim emendado
porS. S se j un la rain as stias propostas so! >re
o Artigo Addieional, e para maior anlhenli-
cidade foram rubricadas pelo mesmo Sr. Vis-
conde e por S. S. todas as fallas desle im-
,portante documento o qual irssim existe nes-
ta Secretaria d Estado.
Como S. S para comprovar assuas asser-
cesjulgou dever servir-se de carias particu-
lares, nao eslranhar sem duvids que outras
se appresentem em aliono da verdade e con-
firma no do que fica dito.
O mencionado Projecto origiual de Tracta-
do assim emendado e convencionado por S.
S fai, por ordem do Sr. Visconde de S da
Bandeira conferido nesta Secretaria de Es-
tado no dia 18 de Mato de i83H peloChe-
le, queentoeta, da 3. s Reparlieo delta,
e por Mr. Auguste Graven "ecretario da Le-
gico Britannica nesta Corle visla de urna
copia do dito Projecto de Trac-lado igual-
mente emendado e existente na mesma Le-
gaco; para depois de conferidos e confor-
mes se tractar de os por a linipo para seren
assignados.
Foi nesse mesmo dia 17 que Mr. Craven di-
rigi ao dito Chele da 3. Reparlicao a carta
junta por copia na qual mencionando-llie a
deciso de S. S. sob/e algumas pequeas dis-
crepancias que se tinliam encontrado nos dols
Pro.eclos de Traclado, c a qual anda depois
fai alterada partecipa que nao podiam ler
logar algumas leves alteraees que nao ataca-
ran a etEcadu do Tractado laei como a me-
lbor collocaco de uro. artigo kc por nao
dar occasio a quehouvesse maior demora na
-partida de S 5., eque Vlylord considerava o
Tractado j como concluido com o Sr. Viscon-
de de S da "andeira- devendo-se s cuidar
' em o por a limpo.
Algumas cartas de S. S. ao mesmo Sr. Vis-
conde juntas por copia, comprovam lamn ni
alo mesmo.
Na primeira participa S- S. que havia
tralmlhado todo o dia no Tractado ; que llie
parecia ter conseguido adaptar mullo befn
todas es emendas do Sr. Visconde de S
< aos diffei enlcs artigos : mandando tambem
os Annexos A e B com algumas cor-
"a S. Ex. poda fazer copiar logo os ditos An-
nexos; que sobre o Annexo-C- fallara
com S Ex. a quem peda mea hora de con-
ferencia a qual diz seria sulBcenre &c
Nr. segunda carta remefte S. S. a parte
Portugueza do Traclado; partecipa baver
recommendado a Mr Craven qu fizesse n
alteraco de por Dominios em logar de
- Possesses Pede-se mandem algumas
fainas do original PortugUez que lite fal-
tam. *
Est pos mais que provado at pelas re-
feridas carias de Mylord qeS. S. effeclva-
nii'iili-(ropuz e convencionou um Traclado
com o Sr. Visconde de S da Bandeira tal
qual existe nesta Secretara de Estado emen-
dado por S e rubricado por aml os sen-
do um Iransumplo litteral delle 0 que *ua
Senhoria levou para Londres quando partiu
para aipiella Corle sem esperar que se acahass
de pora limpo para o assignar como j se
disse.
A'vista desta exposico nao sabe oabaxo
ass'unado conceller como S S. negociou seas
snas instrueces Ib o vedavam ou se estas
' Ih'o permitliam como recusa boje a sua pro-
pria negociaco.
Pi ovada a existencia do Tractado conven-
' donado cabem por trra todas as aecusac s
letas contra as estipulace desse mesmo Tra-
' ciado denominadas por S. S perlences do
"ioverno Portuguez ; e v-se que longe de ser
fui
dei
i o proprio Plenipotenciario BrilannicO quem S/Rx.'tnha a dar-lhe sobre esta exigencia do
fixou de assigiia-lo depois de convencionado seu Governo : e foi com effeilo nessa mesma
assim como aida agora se recusa o sed Go- confarmidade que S. Ex. respondeu a S. S.
verno a assigna-lo a pesar de Ihe ter sido pro- nofim da sua Nota de a de Mato de i838 ,
poslo pelo Sr. Vrscon ede S da Bandeira as como fcilmente se conhecer cotejando esta
suas Notas de aa de Maio e 6 de Outubro com a dita carta.
de i83"* Como possivel duvdar agora de tb incon-
As respostas dadas |tor S. S. analvse que testavel acord e de mais a mais procurar S.
o Sr. Visconde de S da Bandeira fez tanto S. glosar a ffcopra resposta que or sua ex-
do Traotado para a abolico do Trafico da pressa insinuaco Ihe fai dada pelo dito Sr.
Escrax alara negociado pelo Sr. Tuque de Pal- Visconde?
mella com S. S. e o de que S S. depois a- Resta por ultimo justificar a Naco Portu-
presenlou a mesmo Sr. VscOnde, como do gueza e o seu Governo de urna increpa 5o
que esle convencionou com S S. do que que sem a menor jusliga se Ihe faz no fim da
ltimamente foi apresentado pe > Sr. G S. S. Nota de S S de a8 de Abril prximo passa-
Jrningham, nadasnlisfazem ; militas sao i 1- do, deque havendo sido Portugal salvado,
consistentes como por exemplo que assim se nestes ltimos annos do desptico imperio>le
fez por ser essa a opinio do Govferno Bri- um lyranno usurpador pelo auxilio dos Sub-
lannico ; e todas destituidas desolido fun- ditos Britnicos e pela prolecao do seu Go-
damerito eorho primeira vista se pode co- verno sem o que nao podera esle Reino es-
nhecer pela himples" compara^o de taes res- tar pacificamente gosando da Liberdade Cons-
IKMiaa com a mesma analvse ; comparaco, cu- lilticional : e quando anda a poucos anuos a
jos elementos nem a escassez dotempo nem Soberana de Portugal deveu especialmente a
os limites de tima Nota permillem agora des- Gram-Bretanba o ser restablecida no Seu
envolver. Throno Paterno, quebrantem deliberadamen-
E' |K>rm innegavel queem cada novo Pro- te os'Seus Ministros s obrgaces oontrahdas
jecto de Tractado mandado apresontar no de- pelo Predecessr de Sua AuguslaAma para com
curso desta nejociacao o Governo PortugUez a Gram-Bretanha e* Naci Portugueza em




pelo Governo Britannico sempre apfiareceram
alteraces cada. vez mais desfavoraveis a tste
Reino no que p>recia baver hum systema
regularmente seguido para prejudrar a nego-
ciaco ; nem outra significaqao pode dar-se
ao modo peremptorio com que o Sr. G. S Sr.
.Terningbam ao apresentar o ultimo Projeclo de
Tractado exgiu segundo as suas Instrueces
que elle fosse logo assignado sem a mnima
alteracjao nem demora.
lia porm duas omsses notadas naquelle
ultimo Projecto de Tractado pelo Sr. Viscon-
de de S da Bandeira na sua Nota deride
Oulmbro ultimo cuia resposta nao convem
dexar desde j scrli refulaco.
Diz S. S. que seomittiu naquelle Tractado
e enumerarSo dos Dominios ^orluguezes ; por
que nao perlencia Inglaterra nem era proprio
de um Traclado para abolir o Trafico da Es-
cravatira, determinar neile qnaes eram os ter-
ritorios da frica que pertenciam ou nao a
Portugal.
No Artigo 10." do Traclado de Allianca de
iq de Fevereiro de i^io e no Arligo 2* da
Convenco Addicional de_*8 de Julhnde 1817
no- qiinessefxa'ratti |m didas para supprimir
o Trafico da Escravalura nenhuma duvifla
leve o Governo Britannico em admtlr a de-
ca raco de quaes eram os Dominios da Cora
Portugueza na frica e mesmo daquelles tr-
quanio gosa da liberdade que to reCeritemente
adquiru presisla em continuar a reduzira
escravidoa innocente pnvoaco da frica.
Tanto a esla final asserco como perlen-
dida infraego das Convencs com a Gram- sidera;o
Bretanha serve de sobeja resposta toda esta
Nota mostrando tnmhem quem as lem mani-
derem ser confiscados pelos seus Tribuuaes.
Esta medida inleiramente opposta a citada
Convenco de i817.amais explcita, e so-
lemne confisso do Governo Uritannico deque
se nao considera aulborsado pelos Tractados a
mandar fazer taes apresamente ; e um espon-
taneo e publico reconhecmrito da illegau-
dadecom que ellcs tem sido at agora feitos
pelos seus Cruzadores.
Unta tal medida amis flagrante violacfio
do l'ircilo das Gentes por quanlo a falta do
coiTsentimentode um SoberannO em qualquer
Tract-ido nao pide aer jamis suppnda pea
deciso do Corpo Legislativo de'ima Nacao
Estrangera.
E' pos com summa justica que Sua Mages
taile a Rainha tem mandado protestar pelo seu
Ministro na Corle de Londres contra esla of-
fensa dos mais Sagrados Direitos da Sqbera
na e independencia da sua ora appet-
lando ao mesmo lempo para Os (ovemos dqs
Potencias da Europa e d'America os quacs
ua Magestade Espera nao pssam ver com o-
Ihos indiferentes este inaudito procedimento
j na mesma Gram-llretanba feprovado por al-
guns dos seus maiores bomens de Estado o
mais ahalisados Jurisconsultos.
O aliaixo assignado tendo por esta forma
respondido s duas Notas de S S. de a8 do
Abril, e f> de aio do prsenle anno apro-
veta mais esta occasio para ler a honra de Ihe
renovar os protestos da sua mais deslinda con-
''un iiiiniiaiiui; i'-ouii m i|iiv.in .! ..... '
festamenle quebrantado; e deve lmenle lem- Ribeira de Sabrosa.
Secretaria d Estado dos Negocios Estrangei-
ros, em 1 1 de >etembro de ib3cj. Baro d*
brar-se que o Decreto de jo de Dezembro de
1816 ha de por si s concorrer mais para a 1
abolico do Tranco da Escravalura do que,
todas as medidas de coaccao para esse fim em-
pregadas fra e contra Portugal
(Po Nacional de Lisboa.)
THEATRO PUBLICO.
Mr. Ryan tendo esperado mais de doit
Agora pelo que resDeita aomuilb que Por- mez.es nesta Cidade pelos seus instrumento,
tugal e Sua Mageslade tem devdo Gram- conduzidos pelo seu Companbeiro nao pode
Bretanha, nesles ltimos lempos, forcoso mais demoaar-se e por isso faz os seus do
dber mais alguma couza em justa defeza. | ullims expectaculos Sexta fera i5 e Domin-
Portugal nao se esnuece, antes recorda com go 17 do corrent, em que alem da repetico
reconhficmenlooapoioque ofaven.o Brita- da? melbores executar novas,
nicoem 1897 e depois desde i3i preslou vagcas,
Cauza de Sua Mageslade a Rainha. Recor- Iuglezas
da tambem com gratido os servcos que na lu-
A Comeda
e e.xcellentes
he As duas Rivae
cta contra a Usurpaco Ihe fizero os auxilia-
res Estrangeiros compreliendidos os Britan-
picos e nao tem S. S. motivo algum para
presumir que elles esteiam esquecidos pos
Portugal satizfez e esl salsfazendo a todos
aquelles que generosamente Ihe prestaram ser-
vicos. Em quanto reclamaco do Governo
a Governo S. S. nao ignora a rectido das tu-
rf OSMORAMA.
De doi <-m dois das ha mudanca de painei.
O prei,o para Os bomens 3o
para as Serillo ras l6t>
para os meninos itio
O Cosmorama esL patente ao publico todos
os das -de dia e de noite.
, sobre os quaes reservava seus direi- tencesr, e desejosdo Governo de Sua Mages-
tade.
Nao porm sm magoa que este observa
Brannicoemadmtlliriguaes,'declara oes no que ao mesmo lempo que S. S.julga dever re-
cordar-1 be os sen icos e comlemplajues que .j "_.?! V,__, .
.....X D ice,- Cidade d Olmda um grande sobrado de hurt
possa ter devdo a Gram-Bretanha S. S. se v-'u v Vj. ._ _..
Tractado deve necessariamente causar estra-
nhesa ao (oVerno Porluguez e nduzi-lo a
ser acauleado
Pelo mesmo motivo nao rlever o Gdverno
Porluguez dispensar que no Tnu'tado se decla-
re a renovaco dos anlgos Traclados de Alli-
anca A'misade e Ga'rdntia enlre as duas Co-
roas, feila no Artigo 3.* do Tractado de ai
de Jan eiro de ih 15 e a que agora o Gover-
no Britannico padece querer esquivar-se com
a inesperada raso dada por5. S na sua se-
gunda cilada Nota de
Avisos Diversos.
Sjy Aluga-sc para se passar a festa na
t andar com mutos com modos, grande quin-
esqueca dos motivos de qdeixa que nestes ul-
, tal murado, e mudo Iresco na ra de SSo
timos annos Por uga tem tido contra alguns,"" ... ..
Hento confronlando com ooilao da Matriz da
irado
procedimen.os do Governo de Sua Mageslade Hen ^
a Rainha de Inglaterra. e w ,^ V(rrei^
Exislem anda hoie em vigqr as Ordens do %-a,a .
Conselho Britnico de .0 de Maio de .837, pe-I, f f'^ a Snr que de.xou na ,ra
ecomnlerco Porluguez. ? .Queimado Lo,a de Perraje hum relojode
las quaes a navegacao.
foram onerados em Inglalerra com eSpecaes
mposlosquealli nao pagam as outras Naces
ni'ando a Brttanica anda nao cessou de ser em
que a renovaco
dos Amigos Tractados enlraqece o \gor del- Portugal das mais favorecidas.
les Tm sido na India por consentimento do
Qieixa-se pos S. S. da qhjeecSo feila pelo Governo Britnico, esbulhados da sua aulho-
Sr. Visconde de S da Bandeira a que no Tra- | rdade os Pastores das Igrejas do PadroadO da
Coia Portugueza situadas nos territorios do
dominio Britnico.
Nao ssenlo deu a salisfaco pedida pelo
lado se declarasse Pralaria o Trafico da Es-
cravalura eanalysa a seu modo a resposta
este respeilo dada pelo mesmo Snr. Visconde
na sua Nota de aa de Maio de i83^ qual
S. Fx. s referiu na oufra Nota de 6 de Ou-
tubro do mesmo anno.
Seria lorigO.mOsIrar a inconsistencia de urna
tal analyse. Todavia deve ao menos recordar-
se qu esla declaracode Piralaria vivamen-
te reclamada pelo (JovernO Britannico como
condico sine qua non da concluso do Trac-
lado foi omillida, de commum acord pelo
Sr. \ isconde de S da Bandeira e pir S S.
no Tractado convencionado entre ambos. Mas
como S, S. impugna aquella mesma omissao
em que chveio e em diversas partes tanto
da sua primeira como da segunda Nota lem
iarecido questionar a inegavel boa f e per-
eito acord com que o dito Sr, Visconde pro-
eedeu cpm S. S. em toda esla negociacao, ci-
tanrto em seu apoio carias delle, justo tam-
bem que se aprsenle a inclusa *ipia de urna
carta que S. S. dirigiu ;ro mesmo Sr Viscon-
de e |ue esle ministrou com as outras' de *
. j mencionadas aoabaixo assignado em
defesn do Goverrio de Sua Mageslade, e sua
propria
Nesta carta Ihe indicou S. S. quaes eram a
IJUtCIIIU I Ullllgu *. ^ **~ 1-------------1,- "
Portugal /psrta se lem recasado a concfai-lo bases era qurconviulta firmar a resposta que*
Governo Porluguez por cauza do altenlado
pralicado no porto de Miissambique pelo Te-
nenle de Marinha Britnica Bosanqnet, mus
al foi promovido, e essa prdmoco mandada
parlicipar oficialmenle ao Governo"Porluguez
Ntihuma salisfaco recebeu ainda a Cora
de Portugal pelas repetidas vio'encias comme-
tidas na lili -de Bolama por um dos Cruzado-
res Britannicos conlra os Subditos pacficos de
Sua Mageslade.
Tem sido apresado pelos Cruzadores Britan-
nicos conlra a expressa disposigo da Conven-
ci Addicional d* a6de Julhode 1817 e seu
Artigo Separado muilos Navios Portuguez.es
encontradas con Escravos ao Sul do Equador :
e havendo-se negado o Governo Britannico a
assignar o 1>artado para a abolico do Trafico
da Escravalura que foi convencionado pelo
Sr. Visconde de S da Bandera com S. S co-
mo e-t provado at evidencia desla Nota.
tem procurado fazer acreditar que Porlugalj
(piem recusa cOncorrer por um Traclado para
aquella abolico, e com esle especioso fund-,
ment tem proposlo ao Parlamento um Bill
para os sobn-ditos Navios continuaren! a ser
apresado pelos seos Cruzado es ,' a para pp-
pinhor de urna Espingarda queira quanto an-
tes vir buscar e pagar o emporle por quanto
a justou.
XSt' Quem tiver huma molatinha que saiba
bem coser e engomar, eque a queira trocar
por um negro da Cosa, anida mosso e bem
sadio dirja-se a osla Typografia que Se di-
r quem fazo negocio,
*& Quem lver para alugar huma preta
boa Vendeira e que se|a fiel : dirja-se a ra do
Rangel D* a4 segundo andar ; na nic-ma
caza engoma-se de toda a qualdade tanto para
homem como para Senbora e faz-se vesti-
dos da ultima moda, tudocom peifei<;iio.
XSr Quem tiver equizer alugar una ca7
za terrea, e mesmo um andar de sobrado, pata
poma familia nao excedendo o seu aluguel
mensal de oilo mil res, (avista do ajuste m
far mais alguma com emenda}-, aununcie pa-
ra ser procurado.
tST O Sr. Porluguez B. que na tardn
da terca feira charaou o Sr Italiano p^ssando
na ra Iaiga do Rozarlo dizendo que poda
mandar receber ; h j muilo lempo que u
mesmo Italiano esqueceo-se de feceber nio
quer nada delle; porlanlo noseja lao atrevi-
do e nao se mostr tambem to desinteressa-
do melhor he que continu a nao olbar para
a caza de qnem deve receber que Nie far muto
favor ; pos nao be bem failo mandar qua
v receber, a quem nao quer.
O Italiano que nao quer nada.
tsy Deseja-se falar com o Snr. Antonia
\laria Marques Ferrfeira na ra da Crua #.
6, ou annuncie o mesmo Sar. ua aMradia
por
esu felbs.


%
*
DIARIO DE
PERNAMBUCO
9
isy O aba i xo assig nado declara ter-sede- Corrector nn na dn Con- ei$8o D. 34 no Reci 1 de fren le para a primeira ruae fundo at o' preco commodo em casa de Me Calmont &
ligado da sociedade que tinba ero urna prensa fe ; pile lamlieui o'/ercec'a renda o mesmo muro do mesmo convento; a Halar na ra Companbia na da Cadeia vel haJi
re algtdo no forte do matos debaixo da firma j predio oqual alem das boas de Bastos Mello & Capibaribe.
Joaquim Percira Bastos.
ssy Precisa-se de um fcilor para um sitio
perto da piuca que eutenda de plantacoens ,
tenlia boa disposicao para trabalbar ; na
ra do Crespo loja 1). /.
XZT Preusa-se de um caixeiro para pada-
. ria e prefere-se sendo portugus } as
peut..s D io.
SZr Os Sis. Manoel Camilo Pires Fran-
cisco Garda L lia ves e a Senbora Roza de
Sonta Chavea Atizante sua fillia Rosa Mari-
ana Lopes Ferreira oua qum sua familia
pertenec- queiro procurar urnas cartas do
Kerto ; uo teicciroandar do sobrado L>. a;
na ra estrella do Rozario.
t^r Quem quiser dar i 600,000 sobre hy-
potheca em um subradinho por lempo de um
anuo drija-sc a ra do Padre Floriano so
lirado de dois andares e trapeira.
jj' ia ra de agoas verdes lado de N. S.
do Terco asa terrea de duas anillas e una
poila, que te lampino precisa-se de urna
ama para una casa de pouca familia.
l^T Deseja-se fallar a os Srs. Manoel An-
tonio natural do arerbispado de Braga Joo
Jos da Silva natural de Lisboa Bernardo
Jos Pedro natural de Lisboa, Jos Luiz Gon-
salves natural do Porto que em algum lem-
po morou na reguesia de Be/erros no Inflar
do Caruaii. Antonio ereira do Agotar Jo-
o Antonio de Siqueira Jos 'Cavares Caj,
Manoel Antonio que em algum lempo mo-
rou na ra do Amurim ; queiro annunciar
a stius moradas.
fZ*" Tendo-vse dissolvido a sociedade, que
exista em una prensa de algodio sol) a fir-
ma de Bastos Mello & Capibaribe emon/.e
do corrente. os abaixo assignados fa/.em publi-
co para couliecimenlo de quem convier que
licSo continuando no mesmo ;iro de negocio,
e na mesma casa, com a firma de Mello & Ca-
pibaribe, sendo obligados |ior tudas as Iransa-
< coens quede boje em dianle lizerem sol) dita
firma e que peas Iransacoes da extincia so-
rV?i idas tem bom quintal plantado de laran-; larungeiras no segundo andar por cima da lo-
geiras cacimba de excedente agoa casa pa- ja de diapdeiro.
1 a pelos e despejo estribara e coejiei-
ra, de um lado do predio e do oulro tom
um bello Jardim com ranteiros e vasos moder-
nos para plantaro de flores tildo coberto
com urna bem construida latada de parreira .
que produz ptimas uvas ; as condieoens da
venda sao todas favnraveis ao comprador poi-
que nao se exige todo o sen preo a vista.
ISf Arrenda-se um s;tio na estrada do gi-
qui com sofivel casa de viveuda cape la ,
enrola e todo murado pela frente com
pomar de espiulio e coqueiros : a fallar com
o sen proprietirioo l'r. Clemente Jos Fer-
reira da Costa na raa da Florentina casa
I). I*.
tST No pateo de S. Pedr,n ao enlrar para o
becoda vira ao casa n o que foi do fallecido
nrafim armador arma-se bestias Igreja .
-cy Urna poreSo de kitoens ; no atierro
dos aflojados a fallar com Mara Ignacia viu-
va de Pedro Umbelino.
XSf Urna rede de pascar camares de i~
bracas ptima pira viveiro urna tartaruga
viva de pente ; noatterro dos aBogados na ul-
tima casa do Si". Pavo,
XJT* Meios bilbeles da Lotera do Livramn-
to a 000; na praeinba do l.ivramenlO t. ><
DT" Urna barretina para G. N ; nesla
Tvpograa.
C? Meios bilbeles da loteria do Livra-
mentoa jooo; no atierro da Boavista venda
do Lagou.
C^- Na pa a da Independencia lo;a n. 1 1
e "S vidrns de purgantes de Manoel Lopes ,
tallos do no
tsr O verdadeiro Le-Roy ebegado pr-
ximamente da Franca os purgantes a ivoo
e os vomitorios a 5oo rs. ; na ra do Rozario
larga loja de miudezas D. 7.
lscravos Futidos
S33" Fugio no dia de Novembro de i8^a
nm molalo de nome Jnaquim natural da \ il-
la do Ciato comprado no Reverendo Viga-
rio Miguel Carlos da Silva Saldanba e hoje
cscravo de D. Catbarina Mara de Moraes
Mayer o qual andava quando fugio venden-
do miudezas e consta que tem continuado
nesle negocio para as bandas de S Anto ; el-
le tem os si;;naes seguintes alto pernas
compridas nariz afilado cabello sollo pes-
tae, a milito a niiudo cor aberla e fingese
estonteado fem-se intitulado lorro ,
e tomo
o iurim barrelinas. e ban- lal tem estado ameziado ; circunstancia* par-
das para offiriaes reros carmesini para ban- \ lindares tem demorado a publica aodeste an-
PABAORIO DK-.TANFIRO o Pa'arho ris : na'nrnca da Boa visla venda d, Sr. Jos S-V" lm negro de nome Ro uc de na o
Oliveira. Cnnito Antonio Jos do I emos da Silva Saraiva benguela de uhde de ,8 anuos, estatura
Meios bilbeles da loteria do Livramenlo
devesahir imprclnrivclmpnle no lia l presente, pode rerp' em pennena qnanlidade 5 o-iem qniser cerr- s*?" Meios bilbeles da loteria do Livramen-
gar 011 bir depassi^em diri;a-se a Gand- toa 000; na ra do Cabug. loja de miude-
no Aflostrhho de Barroa ou an dio Cnpito, zas J) *.
''ARAOASSUo Pr-gue N;:c S Joo Ba- 3" Um selioi em meio tizo, rom todos os
plisla ; quem q 11 iser carrejar on ir de passa- seus nrreios por ',00o na na da Concei-
gem dirija-sen na da adeia do Recifc D. cao da Boa vista arma/em de sal f). ^.
45 a Irntar com .JrwGnr.siIves Casino 1 C3~ tima porcao de frexaes de man uc ,
PARA O ARACATT o Patae'-o Rainba despalmo?, por preco commodo; na rila
dos An'os salle no dia o do rorrenleinipre- do calinga lia de miud.'v.as I) \
terivelmenle recele ainda al^iimn rarfll : a t"/' A obra deecononiia poltica por Joao
tratar com ''nnoel Jnaquim Pedro da Costa Baplisla S em 8 vnlnn.es em 'rancez ; ,nas
na ra da Cadeia numero um.
5 ponas loja de fa/endas I). $.
alia mu i lo regrsta que parece creoulo com
oiHeio de seleiro e colcliociro fugio no pi-
meiro de Abil do corrente auno ; quem delle
-onbereo mandar pegar o pid.r remeter
seu Sr. Antonio Ferreira da Costa Braga na
ra nova I*. \\ que dar de gratifica o
cen mil ris.
tST JN'oda de Janeiro de 18I7 fugio do
Poro da panella um moleque creoulo de li-
me Ramualdo de dude de 5 anuos corpo
espigado cor meta tulla rosto camjirido ,
ollios regulares nariz, dito, denle.de cima
ralos, urna sica I ri/. no rosto bem fallante;
quem o pegar leve a lora de lorias em casa
C o 111 p r a s
tST Uma negra mora boa l'aradeira de var- ^11^ du ^.l?^ ou no Pf?, da
relia cose. en;omma c cozinha sofivel,
c be ptima quitandeira ; na ra do crespo
I) (: ludo do norte
tSf Una venda na ra do fotovelo D ?5 ,
KSr Um ganso ; no forte do mallos prensa
ruciad.* ssero resi onsaveis por letras va-1 (le J0* Percira Bastos.
les, :c. se Coren asignadas pelo punbo do cy Duas grammaiicas poitnguez e in- com poneos fundos, e tem commodos para
prinieiroahaixoassignado, eom a anliga. fir; p\,,z doanthor Jonatbas Abolt sendo em morar familia.
na, eueonlimidade do annuneio publicado |)0m uz.o ; na ra do eabug loja de miudesas
m o n. lq do Diario de >^ de Julbo de t> <8 |), 4,
ratificado pelo que sahio no Diario n. %+5 del tfT" Um sil bao-rom pouro v.zo 5 nesla Ty-
O do corren'e -Pedro Francisco de Mello ; pografia se dir.
Jos Jcnquim da Fonseca Capilaribe-. -wj .--------------------------"
Ky Perdeo-se uma earleira com oilo mil f G U (I l S
ris em sedulas A meios bilbeles ih Loteria ~~~~~. TV1: I :tt.,.., .1.. T *Tm ~
, c 1 {y 1 1 < a v^ lucios IjiIIk'ics da Lotera do
do Seminario de Olinda lodos firmados, que'.. 0 memo a 000 ; 11;
sedii a quem quiser entregar, e mais oulros LivramentO a SOOO; nesla lypo- (lezas D 5
jis desde a ra da cadeia al a do Quci- jrrafia. %j- Meios biP'
innella iue ser gratifica,lo com eem mil rs.
9 Fugio no dia *j do p. p um negro
de nome Sebasto corulla com uma :e-
rida em urna perna enconsequencia da oual
tem uma peina indiada consta que anda por
Apipucos, e Bebribe.; quem o pegar leve
VTT Prelos em barricas, ehegadas ultima- mente, na ra da Cruz n o5. tv" 1-ug.o da engeuboca dQ Mazagao Mu-
CT aplm de punta e palhasde coquei- niipiodo Brejo da rgrcjn urna e&rava de
ros ; no sitio da tama, na nos aflictos nacao angola de nome Joana de idade de
CJ- Meios Bilbeles da loteria do Livra- f0, 4f*BB|"' ^oa latura secca do topo,
menio a JOOO : as i ponas I), o. todos os denles da frente e cmpralos um
t=r Meios Bilbeles da Loteria do Livra- s.gnnl de cbelos brancosna lenle da cabeca ,
men.o a 000 ; na ra do Crespo lo a de miu- e Ia lem f91" esPalh,;"J^ por loda ella bra-
eos e mos compridas dedos graspos uma
papis oesue a ra ua ca.iea ale a do ^uci- cn_ marca de lerida de logo em cima de um dos
mido dabi para a audiencia das "Varas do
Civel ; quem a liver adiado e quiser entre-' eilt0 .. M rna Nova lo;a (](. ferragen D 10 de'liv.os. J <|Q P P Ll*9" a W' leve .dl| "8r
ga-lad.ri|a-searuada cadeia do Recite ,n. jy \a nova fabrica de cbarntos 1.0 atierro S^r Bilbeles e meios ditos da loteria do *cu 5>nr. t ranc.seo Alves de Trindade, que
6y no segundo andar Ida oa vista n. 4 ptimo, eliarutos *- to- Livramento ; na lo a de miudezas ao p do st'l;' re^ml>0llsa KT Aluga-se um arm ./en, proprio para ,h,sas qualidades a retalho eem porcao arco de S. Antonio.' *jT r .rt,a io n P.P' Pe,as ,0nz.e ,,0Pa
- n por pie o commodo. I cr Por pre o commodo os pertences de fur, l,m negro de nOe Malinas do
trr Uma negra bastante Matante, e de urna refinar -deassucar uma canoa peque- 6enl, JHjffi l,.,,,de de 'V a,lu-
ra regular eheio do corpo bem robusto ,
documento de assucar na ra do \ igario
3i; a tratar na ra da (adeia do Recite n.
cor prela falla-lhe denles na Irente, doi
Cjr Precisa-sede :! 000,000 a premio de 'bonita figura propria para o servieo de casa, na, peijas deoliados pelo de boa qualidade a
um e meio por cento dando-se para seguran- c com principios de cozinha e engommado ; tiooo um preto rolmslo proprio para todo
-: -. quem quiser dar annuncie. n0 alieno da Boa isla do lado dreilo pisn- o serv o esles objectos se do a praso ou a en? c'ma,' C Um '''" ,,X U'm uma mUil,a (le
tiver para alugarum sobrado ou do a ponte no primeiro andar do primeiroso- dinbeiro ; na ra da nioeda I). il cabellos Irrancos na ealieca I em ao pda testa .
brado. I tf Explicles col.e.lores do algodao da lexn. camisa eseroula de algodozinbu des-
SST Meios bilbeles da I.oleria do Livra-! Anerica a 7 o, ciscados eseuros e fortes a cor,l,a-se ler "* Pdra f* paites do cabo;
ca bens de miz.
SSS- Quem
raesmo casa terrea no Hierro dos allogados;
assinr. como com>ra-se um rao arlavessado e
uma canoa que carregue ,00 lijlos de al ve-
nara grossa annuncie.
I2y Luz Jos Ferreira Perfeito, faz. sci-
nteaorespeitavel publico que ninguem ta-
ta negocio a Igum com Bernarda Mara da
Conceico com duas crias um de nome Be-
nedicto contra de nome Anna e uma casa
lenca nos arrombados pois ja foi publicado
no Diario n ?4 > c como consta 1er a dita
sua mulber as dilas crias occulias, ter ven-
dido uma, o annunciante protesta contra quem
as tiver oecultas e comprado pois a dila sua
mulber nao est autborisada a fazer negocio
algum
SS* Quem precisar de um caixeiro para
-venda duque tem bastante pratica ou uar.
ngoiilio dirija-se a ra da senzalla velba
padaria n. 4i).
tiy- Lombard onrives francez morador
no atierro da Boa vista annuncia ao respei-
tavel publico e particularmente a os sena
fregueses que elfe tem para vender um lii.do
sormentu de obras de ouro c uma poreo
de pedras preciosas mni bem sortidas
C-3" O Corrclor ()li\eira aluga pelo tempo
ie esla ou por auno a sua excedente e
fcem situada casa napovoacaodo poco da pa-
nela; este predio ucuha de ser peileitamenle
pintado, concertado, eacba-e com todo o
ass-.o possi. el para servir de residencia agra-
davel u qualquer familia decente por muiio
Iresml res; na praca la ludepen- 1 o o covado ou a *>8o a peca, caze.nias <}ui'.m Pc6nr ll've a "'.a da senzala velba pa-
ojadeeneadernadom.-.6. Igrossasa .f O o corado lencos de garoa de daria '.' (lniscri' ^compensado
Bilbeles e meios ditos da loteria do seda a.00, e uma flauta de dolcl de boas vo- S35- "I-.",io no da c, do corrente um preto
ment t
dencia
cr
Livramento ; na ra do Cabug loja de relo-jz.es
joeiro junio do Sr Bandeira.
tST Urna casa terrea sila na ruado rolove-
lo I), t bem construida sala forrada e
chaos proprios : a tratar na ra por delra/ da
Igrejados nrlirios i. ,-!o
S3" Um alcerce feilo de pedraecal com
soleiras sentadas, vi palmos de Irente no
atierro dos allegados defronte da casa do Sur.
Pavo ; a tratar no inesmo lugar na venda
defrorrte do vfvero u iMuniz com Francisca
de Barros Reg.
12?" I ns cbos proprios na 'Cidade de O-
linda rom alicdces um oilo meeirotom a
Senbora I). Deonisa na ra de Malbias ter-
reira 1). 4^ e i canoas abertas ; a tratar no
atterro dos at'ogadosem casa de Francisco Xa-
vier d is Cbagas.
52^ Duas lindas molecas de nacao de
idade de 1 1 a 1 5 anuos proprias para mum-
bandas cosem solrivelmenle uma escraxa
de nacao moca e robusta faz todo o servieo
de um:; casa ; uma dita ptima engommack'ira
e 1 znheira un ir.olcquc meslre canoeiro .
de idade de ao anuos, e um molalinbo de ida
de de 11 proprio para pagem ; na ra di
agoas verdes D. 38.
Vty I ois Ierren s no rarmo velho um d
, com uma
crespo
Guimaiaes.
cba\
do
creoulo de nome Jos grosso do cori
.WovimcMlo Porlo
numero-a que seja por ter muilos comino- j 36 palmos de frente para a segunda ra
pos j-quem-a prclender xlirijn-sc ao mesmoj fundos at a primara oulro com 2 palmo*,
om uma cnave de piala ; na 1 ua uo r o"^"w -po, e
loja o. 5 de Antonio da Cunba Soares l,i1"x0 /oi.sta que anda da ponle do Mangui-
nlro ale a casa lorie; quem o pegar leve ao arr-
t=r Cai.xoe-s com tres du/ias de garrafas ma/em '!e seu S"r- u0 \)([do aica da Coucei o
de vinbo do Torio de superior qualidade : na Jur,to a buUca > quesera recompensado,
ra da Madre de Dos arma/.em de couros nu-
mero So
C" Um moleque de angola de idade de
18 anuos, de bonita figura, e coziuba na
ra da eadeia n. q.
i-*'' Um ereooJinbo Inm officia de sapalei-i
ro ; na ra do Fnguudes sobrado de um andar
j unto a um ferveiio
t^ Uma negrinna de nacao de idade de
o anuos, com principios de costura, e co-
inba ; no alieno da Boa vista loa do Sur.
Abreu.
S^f" Uma molalinba de idade de 11 annos ;
10 paleo do Collegi no lerceiro armazem de
carne por baixo do sobrado de \ andares.
8^ Urna casa teirea na rm pur deiraz da
Igreja de S. Jos ; a tratar na ra do crespo
D 7.
8^ Meios bilbeles da Lotera do Livra-
neuto ; no allearoda 1 oa vista junio io beco
lo Ierro venda '. 10.
\~r Urna negia moca, coziuba, engom-
na cose liso i; cnsaboa ; na ra da sen/.al-
a velba padaria n. tg.
tsy Potassa de superior qualidade por.
NAVIOS ENTRAD )S NO DIA i3.
BAHA ; 8 das Prgue In;;lez Loma le
ao, tonel., IMestre \V. IL Colly, carga
potassa ; a Me. almonl ,& Companbia ,
passa;eiros \ liasileiros um orluguez e
dois es ravos dos meamos
HALIFAX ; 40 dias Brigne Humburguez
Fina e Louisa de 80 tonel. Meslre Ji.
Haesl ave equip. 10, carga bacal bao ; a
Scbramm
PORTO ; a8das Brgne Fscuna Nac. Ca-
rolina de 1 o tonel. M Francisco Bernar-
do de Mallos, carga diversos gneros; a
Francisco Marques Rodrigues Irruios &
Companbia.
OBSERVACOENS
Fez-se de relia do lameii o a Galera France-
za Duvivier ese^uio o seu destino.
U tt.ii L i\ A 1 XPt DE M. F. DE F.-18J9