Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08692

Full Text
NNO DE 1839. QlMRTA 1F eir.
Tudo af>ora depende de nos mesmos; da nos prudencia, modere*
So, e energa : continuemos como principiamos e seremos apontadof
coro admirado entre as ^a^es mascullas.
Proclamacio da Assemblea Geral do L'razil.
-------I-----------------MI IQOl ----------
Suhsrrere-ee para esta folha a 3jjooo por qartel papes adiantados
pesia 'ijpo^rafia, ra das Cruzes U. 3, en Iraca da Independencia
D. 37 e 38, onde se recebem coi respondrncias legal sadns, eannuucios;
insirmdo-se estes gratis, sendo di s proprios assigna riles, e vindosassig-
oados.
Partidas dos Correios Terrestres.
Cidade da Parahiha e Villas de sua pretenco...................\
Dita do Rio Grande do Norte, e Villa dem................... [se-undas e Sextas Fcira.
Dita da Fortahta e Villas dem.........................- \
V.lla ce Goianna...............................,
Cidade Olinda.................................rodos os das.
Villa del*. Anto..................................Quintas feras.
Dita deGarauhuns e i'ovoacno do Bonito.................. Das io, e ai de cada met.
Diasdo Cali, berinliaem, Rio Fot mozo, e Porto Caivo........... Idetn i it, e ai dito dito.
Cidade das Alagcas, e Villa de Maceid.........................dem dem
Villa de Paja de Flores.................................dem 13, dito dito.
Todos os Correios partera ao meto dio.
13 de Novembro. Numero 248.
CAMBIOS.
NoVEalBRO. 11.
Londres......3^ por tfooo ced.
Lishoa ....... So por o/o premio, por mciaior Franca....... aij'j reis por I raneo.
hio de Janeiro ao par.
OUHO Moedas de 6g^ rs Velfias iMioo a tig6a6
Dita ,, ,, Novas iftfaoo a i<0je-o
,, Dilas de jjfooo rs., 8# PRaTA Patacoes Braziieiros -----------i#.oa ijgjoo
, Pesos Columnarios----------------i#4Bo a i#5oo
iios Mexicanos---------------------l-t* *&.
Premios das Letras, por mes 1 i/H a 1 i|l por loo
Moeda de cobro 4 a 5 por ioo.de disc.
Dias da Semana.
11 Segunda S. Marlinho B. .--------- Ses. da Thei. e aud. do J. de D. da 4t V.
la Terca--------- S. Martinl.o P.----------- Relaco e Aud. doJ.de I), da i. vara de manto.'
l3 Qua'rta--------S. Kugeilio B.-----------------------k'esso da Ther. Audiencia do J. de O. da a. v. d
i i 'Quinta--------S. Cien-entino M.-------------------'Re., eauddoJ. de D da a. v.
i5 Sexta --------S. (jerirude* V. ------ Ses. da Tlie'.. e aud. do J. de l). da 1. y.
16 Sabbado -- S. Consalo de Lagos.------------- Bel. e aud. do J. de U. da 3. r.
17 Domingo-----S. Gregorio Taumaturgo B. -
Hilare chela para o lidia de Novembrb.
As 10 horas e 5i minutos da tarde As II horas e 18 minutos da manh.
"i I
.f
ti
RIO DE JANEIRO.
ASSEMBLEA GERAL LEGISLATIVA.
CAV1ARA DOS DEPTADOS.
sessao em i a de setembro.
Presidencia do Snr Araujo Vianna.
As io horas da manh faz-se a chamada ,
e lo*o que se rene numero le;al de Snrs. de-
putados, abre-se a sesso, le-se e approva-
se a acta da antecedente.
O Snr. primeiro secretario d; cotila do ex-
pediente leudo os seguinles officios t
Do ministro da fazenda-, remetiendo os a-
vizosdo ministro do imperio e da guerra de 9
do correle a que se relere a proposta' que
no mesmo dia elle ministro levou. ao conheci-
menlo desla cmara Expoe o Snr. ministro
que na pequea demonstraco do dficit que
acompanha a referida proposla, vem incluido
dehaixo da rubrica Dficit aproximado
no auno correte j demonstrado no parecer
da commisso da cmara dos Snrs deputados a
quantia de 97577 1U9 o reis pertencente a ru-
brica seguinte que diz : Dficit nao con-
templado pela commisso da cmara dos Srs
deputados. Aquella quantia pertence as re-
clamacesda Babia mandadas indemnisar pe-
la assemblea geral. As commissoes lerceira de
iazenda, e do orcamento
Do secretario do senado, remeltendo as co-
pias das actas das sessoes da assemblea geral
nos dias 5, r-, 9, e o do correnle mez devol-
vendo com ellas a proposta do govemo sobre
a fixago deior as de trra com as respectivas
emendas entre as quaes se acha que diz
respeilo ao engajaniento de estrangeiros, e
que l'oi adoptada pela assemblea geral. A'
commisso de redacio.
de licenca ; cmara para retirar a sua emenda e officios geraes ede chancellara,
vislo volar pela emendado Snr. Moura Ma- a5. I izima da chancellara.
gal l).es.
Consult-i-6e a cmara e esta concede a li-
cenca pfdjda. "%
O Snr. Andrada Machado depois de fun-
damenlar a seguinte emenda manda-a me-
za -
Na modificacao segunda do governo em
vez de quatorze cotilos, diga-sa dez contos
Otilio sim, em vez das palavras con-
tar d'esde a terceira que tem feito os paquetes
da companhia em dianlc diga-se contar
de ora em diante etc.
E apoiada.
O Snr. Carneiro Leo vola contra o pare-
cer e contra as emendas, e de opini.c que
o governo passe a contratar com oulra com-
panhia, com as condkes que melhores forem.
O Snr. Moura Mngalhes remelle a meza
o seguinte requerimenlo de additamenlo :
que volle o negocio commisso para ollerecer
un novo parecer etc.
E' apoiado, e fica a discusso adiada
Achando-se ha sala inmediata o Sr. mi-
nistrada fazenda, -recebdo com as formali-
dades do estilo, e ore upa o competlcule lu-
gar.
Segunda parte da ordem do dia.
Entra em discusso o seguinte t
Parte da proposla sobre a fixarab da recei-
ta e despeza do imperio para o anuo fiianeei-
ro de 10.40 a 184 relativa ; receila.
PROPOSTA.
Capitulo II Ieceita geral.
Artigo E' fixada a receila (eral do im-
perio para o anno fnancpiro d'esta lei, na
quantia de 1? 7005000I 000 rs.
Artigo 9 Esta receila sera effecluada com
o produelo da receila eral arrecadada dentro
Vae terceira commisso de fazenda ore- do anuo financeiro da prsenle lei, sobosti-
querimento de. Jos Antonio Fonceca Lcssa
Primeira parte da ordem do dia.
Continua a discusso sobre o parecer da
commisso docommercio acerca da compa-
nhia dos .paquetes de vapor, e emendas apoi-
ados
E' apoiada a seguinte emenda :
Que a companhia seja ol.rigada a expedir
um vapor de vinte em \inle dias e percebe-
tulos abaixo designados.
1. ireilos de i5 por cenlo de importacSo.
9. Ditos de 5o por cento sobre as bebidas
espirituosas.
'i. 1 ilos de 3o por cenlo do cha.
4. Ditos de 5o por cenlo da plvora.
5. Dilos de > por cenlo de baldeaco
6. Dilos de t por rento de reexportaco.
7. I ilos de i3 porcenloaddiconaesde bai-
la por viagem redonda a quanlia de t contos deaco, e reexpoi tacao de gneros despacliados
de reis voura \'a',alhes.
O Snr. Gonsalves Marlins depois desella-
da commisso ollerece
Ver oposlo ao parecer
a sec'urrrte emenda.
1. Que a saida dos vapores teoha lugar de
viole em vinte dias\
a. Que para cada una viagem redonda de
o governo oilo contos de reis.
i. Queocar*ode pedra para o consumo
da nossa navegaco de cabotagem por vapor se-
ja izen lo dos direilos de entradas.
j. Que o governo providencie tendo efn
vistas as necessidades do commercio das pro-
vincias, que os i aqueles se demorem nos di-
versos pontos o menor espado de lempo pos-
SMfU
5. Que a companhia possa fazer tocar os;
para a Costa d frica.
8. Tilos de 1 ip por cento de expediente.
9. Dilos de 1 por cenlo dito de gneros
nacionaes. <
. 10. Ditos de l i por cento de premio dos
assiguados.
1.1 Dilos de i4 por cento de armaze-
j nagem.
i. Multa por infraccao dos regulamentos,
e faltas de ma infestos.
i. Ancoragem.
i4. Direilos de 1 5 por cento na compra de
embarcacocs eslranf.eiras.
15. I'ilos de 7 por cento de consulado.
ib Ditos de i por cenlo dosobjeclosexce-j
pluados.
y. ditos de i5 por cento nos coitos (S.
26. Decima de una legoa alem da demar-
cacao.
i"). Dita addtcional das corppraces de mo
morlo.
' 3.8 Direitode chancellara das mesmas.
99. Emolumentos de certides.
3o. Foros de terrenos de marinha, excepto
no municipio da corle.
3i. Laudemios.
3a. Impostos sobre a mineracao.
33. Dito sobre as casas de negocio com mais
de um caixeiro estranKeiro
lo de Um ministerio para oulro, qtiando assim
o exigir o servioo publico ; e mesmo ampliar
o crdito de algum d'elles no iritervallo das
sesses legislativas, por motivos extraordina-
rios ; mas em ambos estes casos ser au'tprisa-*
do o ministro da fazenda, por decreto referenr-
dado pelo da repartico vm favor da qual se
realisar o augmento do crdito para dar ex
ecuco s ordens que delerminarem as des-
pezas correspondentes.
Artigo 1 a. Fico em vigor todas as disposi-
cs da lei de 'odeoulubro de 1838, nume-
ro 60 que nao versarem particularmente so-
bre a fixarao da receila e despeza que nao
34- Juro das apolices dos em prestimos es- tiverem sido expressamente revogada.
trangeiros Artigo ij. Ficao revogadas as leis e dispo-
oo Matricula dos cursos jurdicos, escolla si oes em contrario.
de medirina, e mullas das academias.
6. Premios de depsitos pblicos.
37. Sello de letras.
3. Siza de bensde raiz.
39. Renda diamantina de proprios nacio-
Rio 8 de maiode 1839.
Emendas da commisso.
Artigo 9. 9. Accrescenle-se no firn d'al-
fandega e consulado.
1 4 Subslitua-se pelo seguinte Direito
naes dusarse 11 aes, e estabelecimenlos da ad- de 15 por cento das embarcacoes estrangeiraa
ministraco geral. quepassoa ser nacionaes.
0/ 1 rodticto- da venda de proprios naci- 1 5 Diga-se ditos de 7 por cento de ex
1 rod neto- da venda
naes do pao brazil plvora e oulros {;e- portaco.
eros de propriedade nacional sugeilos ad-i iH. Sflpprima-se
ao Supprima-se.
^ a4- Awrescente-se-'e das ordens mili
ministraco geral.
i 1. Agio de moedas.
4 a. Alcances de ihezonreiros e recebedores tares.
43 l'ensde defunlose atuenles 3a. Accrescente-se- do ouro e oulro
4 1. Reposues e resliluicoes melaes .
45. Cobrancas de divida activa inclusive 3f. Supprima-se-a pa larra dos em-^
metade da de rendas provinciaes anterior ao prestimos estrangeiros.
1. de Julhode 18. 6. "ti. Accrescente-se -de saques, di letras >'
4 l 'm quarto por cenlo da reforma de a- e tfe loteras.
plices.
47. Pons gratuitos.
4". Joiasdo 49- Vieslrados das ordens militares, t 3j noslivres
.(1 Accrescente-se --e de barras.
4i. Accrescente-se geraes.
43 Accrescente-se de indios e africa-
das tencas.
5o llcndimenlo do evento.
No municipio da corle.
01. Dcima dos predios urbanos.
5. Tercas parles de officios.
53. Dizimos de exporlaco.
5 |. Emolumentos de polica
55. Imposto de >o por cento no consumo da '
agoardente
5(i. Dilos as casas de leilo e modas
5j. Dito sobre o gado do consumo.
>8 Meia siza dos e;cravos
5j. Sello de herancas e legados.
Rendas rom applica o especial.
. 1 j de aimazenagem addicional.
8 por cento das loteras
Imposto sobre as lojaselc,
Dito sobre seges.
I ilo sobre barros do interior.
Dito de 5 por cento na venda de embarca- cusso do orcamento.
j\ Acciccenre-se-de rendas, e despe-
zas geraes
45.'Depois da palavra activa accres-
cente-se de rendas geraes.
Depois do 5o aecrrescentem-se os dous
seguales que sero na numerario s-5c'
e5a.
-5i. Pemenescentes de depsitos, e deca*
xas publicas.
5a. Alienarn de cpelas vagas,
fto Municipio da corle.
O 51 passar a ser 5J, e assim at
59, que passar a ser 61.
No 5' accrescenle-se Donativos.
Supprima-se o artigo 11 da proposta.
Supprii-se O urifj tuda meaiua.
O Snr Marinho pela ordem remelle ;5 m*zA
um requerimenlo propondo oaddiamento das
dsposicoes geraes para depois da terceira dis-
5
seos vapores nos portos intermedios nao n-i Pedro).
dicados no contracto '8. Titos de ip por cento de premios de
t> Que todas estas .innovares do contracto assignados (dem),
durem smenle cinco annos, (indos os quaes
o governo proceder a novos exames, que sub-
meUcr.i ao torpo legislativo. Oonsalves
Martins.
L' apoiada e entra em discusso*
lepois de fallar o Sr. Custodio Correia so-
bre a materia, o Snr. Carneiro da Cimba pe-
19 P2xpedenledascapalazis.
uo. Imposlo sobre os trapiches alfandegadns
ai. I axa do correio ;;eral.
aa. Bracagem do fabrico das moedas de ou-
ro e prata,
ai. Contribuicao para o monte pi.
a5. Direitos novos e vclhos dos empregos
coes nacionaes.
Dito do sello do papel.
Taxa dos esrravos.
Producios dos contratos com as novas com-
panhas de mineraca'o.
I ilo da moeda de cobre inutilisada.
Sobras disreceitas.
Artigo 10 No caso de deficiencia da ren-*-
da geral sera'o dficit prehenchido. (cabe
cmara dos Snrs. deputados a iniciativa sobre
esla materia).
Captulo III.
Disposi oes geraes.
Artigo 11. O cretilo especial de cada minis-
terio poder ser destribu ido como mais van-
&' apoiado, e entra em discusso ; e de-
pois de breves reflexes feita por alguns Srs.
deputados o Se Marinho com concenlimen-
to da cmara, retira o seo requerimenlo- ,
Continua a discusso sobre as disposicoea
geraes
O Sr. Alvares Machado dsrorrendo larga-
mente sobre a materia observa que no or-
camento da receila alguns novos impostos ap-
parecem contra os quaes pretende votar ; pois
que volara j a favor de todas as reduc.dft.qne
se fizero do orcamento da depeza. Declara
que os seos principios sao que de ve ha ver eco-
noma, e queso a maior economa quera
nos pode salvar na crize linanceira em que se
lajoso lor, sem pre|uiso porem do servico acha opaiz.
cm cada um dos objectos designados poder Tomo parle na discusso os Snrs. Pacheco,
tambena o governo transferir parle do credi-o Andrada Machado. #


. -J? ;'
DIARIO DE
P E RTS A M B U C O
ntr
*
O Snr. ministro da fazenda respondendo s
Vibservaces do Ilustre deputado o Snr. Alva-
vares Machado, mostra que no momento ac-
tual no possivel com essas economas sal-
var o estado Entende que bem que se a-
Co economas, porem julga que devem ser
feitas com tempo ; elle ministro nao deixar de
fazer aquellas que se poderem fa/er.
X) Snr. Moctezuma (pela ordem) de/eja que
S. Ex o Snr ministro da fazenda emita a
sua opi nio respeito das emendas da com-
msso para assim se abreviar mais a discus-
sao.
O Snr. ministro dec'ara que approva alj'ii
mas das emendas e outras nao.
E' apoiada a seguinle emenda do Snr. Hen-
rique de IVezeride : *
Os direitos de mporlaco, e exportaco se-
rio nagos urna terca parte em prala e as ou-
tras tercas paites em papel
E interrompida a discussao por se vencer
a urgencia para se ler um re hci metilo das
commissoes reunidas terceira de fazenda e
primeira do orcamento e encarregadas do
exame da proposta do governo sobre o crdito
pedindo varias informaces ao governo.
Dejiois de curtas reflexoes o requerimen-
to posto a votos enpprovado
Como tenhadado a bora, a discussao fca
addiada.
O Sr. ministro da fazenda retira-se com
a mesma formalidad.' com que entrou.
O Snr. presidente da para ordem do dia a
rontinuaco da mesma materia e mais o
projecto numero loo de 1.837, numero u,
e iji de i8<* c numero 71 dent anno ,
parecer addiado e levanta a sesso depois das
.duas horas da tarde. -
PERNAMBUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.
expedkhte do da 8.
Officio-Ao Commandante das Armas com-
municando-lbe que o Brigue Jpiter deve sa-
hir para Fernando no dia a do correle. e
que osobjectos que tem de ser remedidos para
ali devem ser embarcados na vespera.
Dito-Ao mesmo, para mandar por um
I offieial babil orear as despe/as que devem
fazer com os reparos dos dous quarlos do Forte
do Buraco, cujas cuberas se aba tcro pelo es-
lado de ruina em que estavo, e remella dito
orcamento a Presidencia afim de se ex-pedi-
rem as ulteriores ordens sobre laes reparos ,
romo reclama em seo ollicio de i do mez. p. p.
I ito-Ao Inspector da Tliezouraiia da Fa-
zenda signincando-lhe que tendode sair lia-
ra Fernando no dia 11 lo crranle o Brign
Juplt ?r cu 1 pro que faca embarcar em tempo
a Familia c o mais que bouver de para ali
remetter-se nesta o casino.
Dito-Ao Coronel Cliefe da Legio da O. N.
de Garanbuns aecuzando a recepeo do seo
officio de a3 do p. p. me/, a que acompanha-
ro os mappas do 1 BalalbaO da mesma Le-
gio relativos aos mezes do Agosto e Selem-
bro desle anno. .
Diol-rAo Inspector do A cenalde Marinba,
ordenando-lhe que la a sair no dia <> do cr-
lenle para femando o Brigue Jpiter, o
qual dever trazer na sua volta a por. ao de
pedra que poder transportar.
Dilo-Ao Director Interino do Arcenalde
Guerra, para fornecer para o expediente da
Tunta de Saude urna resma de papel almaco.
duas garrafas de tinta cem peonas de escre-
ver edous caivetes.
Dito-Ao Commaudante das Armas com-
municando-lbe a expedieco da ordem supra
Dito-A ('amara .Municipal de Garanbuns ,
ordenando-lhe cm atlenco ao que represen-
to u em ollicio de i a do p. p. me/., que po
ha novaraenle em arraiialaco o Disimo das
Miuncas de seo Municipio rehaixando o pre-
v" porque lu. aiifiialado o anno passado ,
visto que leudo andado em praca ltimamente
por 764 f000 rs nao apparecero licitantes ,
e jufgar a mesma Cmara ser mais conveni-
ente tzel- o arrematar por muios alguma cou-
za do que arrecadar os seos rendimentos por
administraco para o que tinha sido aueto-
rjsada.
Portara-lomeando o Cidado Jacinto Fer-
reira Padilha para o Cargo de Sub-Prefeilo
4a Pregue/, i a de 1 abrob.
Officio-Ao Prefeto da Comarca da Boa-
vista communieando-lbe a nomeaco supra ,
eenviando-llie o Titulo do Nomeado afim de
o. fazer en liar em ejercicio.
da o*.
Officio-Ao Inspector da Thezouraria da Fa-
zenda significando-llie que tendo o Com-
mandante Gtral do Corpo de Polica concluido
a, compra dos >o Cavallos para o Esquadra
ie CvIlaria.dc 1. Linha, que se vai orga-
nisar, importando todos em i-46*>'ooo rs.
como constadas contas quesell-e remettem ;
cumpr que as faca examinar e receber do
mesmo Commandante 'eral a quanlia de
1 .H5.|'ooo rs. restante da de :6oos'ooors que
Ihe fo entregue para a mencionada compra.
Dito-Ao Commandante (".eral do ( orpo de
Polica communieando-lbe o contendo no
precedente officio.
Dito-Ao Inspector da Thezonraria das Ren-
as Provinciaes. para mandar pagara Fran-
cisco Antonio Xavier, on ao seo roenrador
a quanlia de i^us'io por elle despendida por
ordem do Prefeilo da ComaTca da Roa-vista .
com a sustenlaco dos presos pobres de usli-
ca da mesma Comarca, e com o fornecimen-
t de luz para a respetiva Cada desde 8 de
Fevereiro at igual dia de Oatuhro deste an-
no conforme requisita o mencionado Pre-
feto.
Dito-Ao Prefcito da Comarca da Boa-vista ,
communieando-lbe o coirteudo no precedente
officio.
Dito-Ao Tenenle Coronel Commandante da
Ilha de Fernando communicando-llie que
foi permittido ao Cidado Manoel Joaquim
Proprietar o da Lancha Brasileira Superna H-
cenea paia em pregar mesma Lancha no
exercicio da pescara n'aquella liba.
Dito-Ao InspctorGeral Interiaodas obras
'ublcas enviando-lhe nm officio do Prefci-
to da Comarca de Garanhuns, em qne infor-
ma ter descoberto pedra um qurtode legoa
distante d'aquella Villa a fim de que esta
informaeo seja tomada em eoncideraeo no
orcamento mandado organizar para a obra da
nova Cada da mencionada Comarca.
Dito-Ao mesmo para enviar a informa-
5:10 a cerca do arcrescimo que se pretende fazer
na Caza da Cada que se est construndo na
Villa dcGoianna
D'to-Ao Administrador Fiscal das Obras
Publicas para informar se existem na
Provincia das Alagas algumas maderas pr-r-
teneentes as mesmas obras, q'se devo mandar
conduzir.
COMMANDO DAS ARMAS.
EXPEDIEIYTE DO DA 8.
OfTic.ic Ao Exm. Presidente remellendo-
lhc urna requisi.o da Junta de Snude con-
tendo pnpel pennas tinta e caivetes para
seo-expediente a-iim de que a mandasse satis-
la/er.
Dito-Ao Commandante do o. Batalbo Pro-
vizorio.de Catadores Expedicionario a Provin-
cia do Maranbo, instando pela remessa das
guias das Pracas que por nao poderem mar-
char rassaro a pertencer ao .-I. Balalhode
Artilheria eao Deposito; assim como pela
relacaodasqne marcharao deixarao pres-
I a cues. em socorro de suas familias nesla
Capital.
Dito-Ao Director interino do Arsenal de
Guerra para que fizesse entregar a pessoa que
se lhe apresentasse competentemente aulhori-
sada osobjectos perteneentes a Cape!la da
Fortaleza de Itamarac que sendo muilo re-
quizi lados, consta va exist rem promptos.
Dito-Ao Commandante interino da Forta-
leza de Itamarac direndo-lhe em resposla a !
seos officios de u d'Outnbro ultimo e de
Novembro correte que convinha ler a pl-
vora embarrilada e smente encartuxada a
quella que fosse necessaria ao consummo das
salvas durante o anno ; que conlinuasse no
servicodas faxins da Fortaleza sempre que
para isso livesse gente disponivel ; que f/esse
urna nova requisico da Cruz dourada doze
caslicaes e doze palmas pratiudas perten-
eentes a Capel la e eiasse para ser salis-
feitaj declarando sem efleito a requisico de
SSj queconlinha taes objectos e finalmen-
te que no mappa n 6. fizpsse as alteracoCs
convenientes quanto as lanterntas que es-
tavocm bom e mo estado.
THEZORAIA PROVJNTAL.
Expediente do dia 3o de Outubro.
Offico-Ao Exm. Presidente infonnartdo oom
o incluso Parecer do Ir. I'rocurador fiscal
sobre a representaras dealguns Proprietario*
do Municipio de Olinda para que sejo os
si os predios izemptos de pagar o imposto da
decima..
Portaria-A Francisco Antonio Xavier par-.
tei'ipando te-lo em conformidade di Le no-
mejido pra o em prego de Colleclor da Colle-
cloria de Diversas I endas Provinciaes do
Municipio da Boa-vista e remetlendo-lhe o
Titulo de sua nomeaco devendo quanto an-
tes apresenlar-se para prestar a fianca e ju-
ramento do estillo e receber os Livros, e ntais
Instruc 5es respectivas, a fim de entrar lo;o
no exercicio do mesmo Emprego
Dita-A Ignacio Francisco de Maltos Varejo
partecipando te-lo em conformidade da Lei
nomeado paraoemgrego de Fscrivoda Col-
leCtoria das Diversas Heudas Provinciaes do
Municipio da Roa-vista e remettendo-lhe o
I'i l u lo de sua nomeaco a fim de quanto an-
tes a'preserftar-se para prestar o juramento e
lomar posse do estillo e entrar no exercicio
do meimo emprego.
da 5i.
Officio-\o Administrador Fiscal da Repar-
tieo das Obras Publicas respondendo ao seo
officio de >5 do corrente com a incluza infor-
maeo do Tbezonreiro a quena ouvio a res-
peilo.
Porlaria-AoThezoureirodas Rendas Pro-
vinciaes mandando q' entregne ao Almoxar-
fe da Repart o das Obras Publicas a quan-
tia de b'7s**:o rs. valor da letra upe havia re-
eebido e recolheo de novoao'ofre por falta
do devdo pagamento no dia de seu veneimento
Dita-Mandando carregar em Receita ao
Tbez.oureiro das Rendas Provinciaes a quanlia
de i ooos'de rs em olas que nesta data re-
cebeo do Cofre da Thez.ouraria da Provincia
por emita dos ifioooos' de rs., que par.i o
supprimento do Dficit Provi- cial no correnle
anno financeiro fixou a Le doOrgamento Ge-
ral de -o de Outubro de 1HJ8.
Dita-Mandando carregar em Receita ao
Tbesoureiro das Rendas Provinciaes a quan-
lia de i:4j6*6il rs dos 6 por cento dos
discontos nos encimentos dos mpregados pa-
gos em moeda de prata pela Thezonraria no
sobredito mez de Oulubro.
Dita-Mandando abonar ao mesmo Thezou-
rero as dpspezas por elle feitas com os Em-
preados e mais despezas provinciaes no pre-
dito mez.
Dia < de Novembro.
Offico-Ao IIIm Inspector da Thezonraria
da Provincia requisilando ;oooos'de rs por
conta dos i 'orooo' de rs consignados pela Lei
do Orcamento Geral para o supprimento do
Dficit Provincial no correnle anno financniro
Dilo-Ao Doutor Juiz de Direilointerino da
i. VaradoCrime desta Comarca remetiendo
o ollicio e Aulo que o accompanhou pelo pial
o Contador desla Thezouraria suspendeo ao
Escripturario Joaquim Elias de Moura
por ter fallado 15 das uteis sem motivo jus-
tificado a fim de formar-lhe o' respectivo
processo de responsabilidade
da 4*
Officio-Ao Contador da Thezouraria re-
meltendo-lhe por copia para sua indiligen-
cia o ollicio do Kxm fTezidenle de 3i de Ou-
tubro p findo, em o qual participa ter orde-
nado ao Administrador Fiscal das Obras Pu-
blicas que fizesse abonar ao Cidado Joao Pe-
dro d'Arauo e Aguiar Commandante da
Companbia de trabalhadores a gratifica o de
Go' rs. mensaes em quanto eslivesse em-
pregado nesla Comisso.
Diversos Reparticoens.
ALFANDICGA DAS FAZENDAS.
A Fscuna Ingleza Black Eyed'Siisan vin-
da de Terra Nova entrada em on?e do cor-
rente, Capito Jorge VValkins Jnior consig-
nada a Crabtree Heworthy & omp.
iVanifeslou o seguinle.
188o Barricas com Racaltio.
- A Pauta he a mesma do n. 47
MEZA DO CONSULADO.
A Pauta h a mesma do n. ifa.
O Arsenal de Guerra compra papel cartu-
xinbo fio de vela, ea o de correa as pes-
soas que taes objectos liverem compare o no
mesmo Arsenal as io horas a fim de se fazer os
ajustes, e preferir-se a quem por menos ven-
der.
Arsenal de Guerra 12 de Novembro de
i839.
Joo Arcenio Barbosa.
Vice I i rector.
PREFEITRA.
PAUTE DO DIA IO.
I
Illm. e Exm. Snr.Foro prezos hontem
a minba ordem e tivero hoje deslino : L-
.borio preto escravo de Joze Pontes pela
l palrull.a dodistriclo da Madre de Feos .
por estarallereando com oulro.- Manuel da
Ora tambem prelo Antonio \ idal dos San-
tos branco e Manuel Joaquim de .Vello,
.pardo pelo Sub-Preei lo de Santo A u ionio
o t. por ter furtado um relogio de um Portu-
'gue/.., o j. porbrij'.a, e o ultimo por estar
bstante ebrio ; Francisco Antonio de Jezus
Campello branco pelo Commandante Ge-
ral do Corpo de Polica por ser encontrado em
jogos prohibidos ; e M;guel Afctti > de Santi-
ago prelo pelo Sub-Prefeilo da Boa-vista
por ser encontrado em a escuda, de urna caza ,
e fazer-se sus pe i lo.
E'o que consta das partes hoje recebidas
n esta Secretaria.
da i i.
Illm e Exm. SnrForo presos hontem
minha crdem e tivero hoje destino: oo
Pereira Dias branco Joo Policarpo par-
do e Je Francisco, preto, pelo Sub-
Piefeito de Santo Antonio ,0 1. para huma
averiguaco e os outros por estarem em de-
so.rdem em urna caza ; Gmalo Lopes Vla-
ria das Virgens e Luiza VIaria da Concoico
liardos e l'hom ,. preto escravo de Joze
Luiz Pereira. pelo Sub-Prefeilo da Boa-vista ,
o 1, por se ter opposto priso das duas 11111-
Iheres cima declaradas, q se estavo espan-
cando mutuamente, e o Ultimo por es'.ar bas-'
lantp ebrio
E' o que consta das parles hoje recebidas
n'esta Secretaria.
No da quinta feira 14 do Corrente, pelas
horas da tarde na ra do Atierro da Roa-
vista n. 3 ^ se hade fazer Leilo impreterivel-
mente d'armco de a venda e dos gneros
que 11'ell.i exstem perteneentes ao fallecido
subdito Portuguez Francisco Antonio de Mel-
lo. O Inventario do que existe e as mais
condices d'arremataco se acbaro patentes no
acto do Leilo e os Licitantes poder com-
parecer hora indicada.
Consulado de Portugal em Pernambuco, ai
os ti de NovembFode cHJg.
Joaquim Baplista Morena.
Cnsul.
NOTICIAS PROVINCIAES.
PARAHIBA.
a carta da Parahiba em data de 8.
nos do ideias mais claras dos movimentos da
quella Provincia. No dia i do corrente ao
ineiodia. houve chamada de campo, manda-
da tocar pelos lenles Coronis de Guardas
Nacionaes Alexandre de Seixas Machado,
Joaquim da Silva Guimares, e oaquim Me-
deiros Furtado com o intuito de deporem o
Vice-Presidente ; mas que nao acoiido a
(ropa viro-se na preciso de fugirem os trez
Tenenles Coronis e alguns Officiaes rieando
somente prezos um Tenente Ramos e dous
Alferes Oliveira e Marques ; porem diz a
caria que aqui nao podem parar estes movj-
menlos porque estavo compromettidas as
melhores pessoasda Proyincia.
Tinha precedido diz a carta y este mo-
vimenlo a seguinle prevenco. No dia 4 u*
Commisso com posta dos Snrs. Joze Luiz
Pereira Lima, Avondano J Manuel Francis-
co d'Oliveira Antonio AI ves rancisc o An-
tonio Fernandes Joze Narcizo de Ca v .llio ,
Padre Amaro, o Capito-mor Franca, o
Vlajor Amaro V. da Gama dirigio-seao Snr.
Manuel \laria Carneiro da Cimba a pedi --"
lhe, que viesse lomar conta da V ice- resi-
dencia que lhe perlencia por direilo ao que
inteiramente negou-se recaza esta que deo
cauza aos movimentos do dia 5 que se terio
evitado, se o Sr. Carneiro da Cunha livesse
assentido no que se lhe representara., pois de
rerlo a sua presenta no Governo teria quieta-
do os nimos, exaltados contra o actual Vice-
presidente.
Carapuceiro
Dialogo entre a Ponte da Boa Vista e o novo'
Caes do Colegio.
Ponte. Viva Sr D. Caes Caspile Co-
mo est guapo e de carniza lavada Qne bel-
lo, que est V. S Quem dira, queim-
nuinda praia se tornara bum formoso caes ?
E anda du\idar alguem que estamos nose-
cuio das luzes ?
Caes. Obrigado minha boa velha. Nao-
se admire da miha melamorfoze. Estamos
com elleito em outra idade estamos felfzmen-"
te no tempo das praias lornarem-se caes e v
caes passarem a nraias dos-monturos conver-
terem-se em jardins o lixo irocar-se em flo-J'
res, de canlarem os orubs e callarm-s* 8#
canarios, de descerem os grandes e sobirem*
os pequeos, de papel ser dioheiro e der'
mais raso ter quem melhor sabe levar a^oaV
seu moLnuo.


DIARIO
D T5
P K B N A M B V C O
h
}
Pohte. Triste de mim que j sou velha,
'e lo anliga que por mim passoiro Zumba e
al assisl guerra do Hollandez Eslou bem
ceita que se nao careressem tanto do meu
firestimo, deixar-me-hia a podrecer, ou
ancar-me-hia ao logo mas Como nao po -
dem passar sem esta pobre velha vendo-me
j muio rasgada c miseravel, primeiramen-
'te reduzira-me Piriquila (que era huma
muda de capote roto ps descalsos ; mas sem-
me empoada) quero dizer ; enfeitara-me com
tuina marrafinha de banda e ltimamente
esto-me preparando como s'eu fra buma
-noiva ; e com effeito h quem diga, que vou
remncandc. Mas que importa se cnho de
perder buma grande parle dos tneus melhores
amigos ?
Caes. E por que ? A senbora Ponte da
Boa vista sempre ser procurada e estimada ;
caqui eslou eu que nao obstante ser bum
joven (que.so boje os que do as cartas) lo-
'davia sei aprecUr o vosso mereeimento
Porjle. 1 isse V. S. a-verdade, 'quando
diese que hoje do as cartas os ovnis : com
etieilo temos o imperio dos jovens ; e nao sei,
se lie por isso que vo to bellamente as nos-
sas cousas : porm j v meu Sur., que
com a elevacode V. S. devem escacear muilo
os meus breguetea.
Caes. Sempre foi manha de velbos repr-
varem ludo, que he moco: mas tende' pacien-
cia : talheasorle do mundo. Eu agora co-
inei'o a brilbar cesta < idade ; e pelo muito
que "devo ser frequentado metlerei n'lium
chinello o Labyrinto do Egypto o Prilaneo
d'Alhenas -o Capitolio de Roma e o Ippo-
dromo de Constanlinopla,
Ponte. Bravo To menino e j cheio
de erudiccSo e de noticias Em que tempo
estamos nos?
Caes. Ainda nao vistes nada minba boa
velha. Tudo est iiiteiramenle mudado : as
lu7.es vo em bum progresso que atordoa a
gente. Na vossa mocidade bum rapaz para
aprender Lalim g-vstav seis e oilo anuos :
hoje (admirai a subenca moderna) bum joven
d perfeilamente o Lalim esluda o Francez ,
e Inglez ao mesmo tempo, ainda Ibe sobra va-
gar para a Geometra ludo em tres mezes de
ferias : mais tres, ou quatro mezes gasta com
os mais preparatorios ; malricula-e e im-
mediatameiite lie bum abysmo ile jurispruden-
cia ; d quinaus no velho Paseoa, e tem mais
erudi<,o, que Bayle que liacon que San-
to Ajjoslinlio -, ou que Vossio, Varro, eo
mesmo Tostado.
Ponte. Boa~he a minha trra / Menino ,
quem j Ibe ensiuou tanta cousa ? Mr. Boyer
flo caladinho ; entretanto V. S. j Calla que
parece bum Dr. Ouviria tudo isto da gente ,
que o frequenta ? Bem lastimo eu a minba
sorte. Quem mais querer saber da velha
Ponte da Boavisla tendo o Sr. Caes do'Cole-
gio que he hum joven to instruido e no-
ticioso i* Que ainda hontem nasceo e j pa-
rece hum sabio de primeira drdem ?
aes. Nao vos desconsolis, minha velha.
Nao fallar quem frequente os vossos bancos ,
e v gozar em vossos bracos da doce viraco da
noile. Vos sois, como Ninon de Lencls ,
que ainda cabida em anuos ainda tinha ado-
radores
Ponte O Sr. Caes diz estas colisas para
consolar-me Ah! bom tempo .Tudo mu-
da, Eu j iui o verdadeiro thetro de Per-
nambuco. Que de gente hole apinha>aos
meus bancos NeStes se tractava de ludo : da
paz, e da guerra do preco dos gneros das
novas do dia da Poltica e muilo'principal-
menle da vida atllia Ah levantava-se
3uestoes de omni scibili ah se ultimava
isputas que lihha a iniciativa na cmara
electiva dos bolequins : ah se punha e de-
punha VJagistrados Principes Monarcas :
ah se davao bataibas e ceieprava-se Trafi-
lados : ah despachava-se e inditleria-se
os perlendenles : ah melbor se sabia das cazas
llieias do que cada hum da sua propria :
ah finalmente dava-se serftengas e lermi-
nava-s demandas ; tudo ern-sceo e qdando
Jam hmida nox
Precipita! cadentia sydera somnos
Cada hum hia tractando de retirar-se,'e e-
ra s quando se callava de todo as rabecas.
Tudo vai a mudar. Agora todos correm para
o novo caes.
Caes. Nao vos admire isto ; basta a novi-
dade para atrabir concurrentes. Sim em meus
bancos j s ventilla altssimas questes de
Ptrlifica', j se vai roendo ptimamente na
pfcfle (lo prximo, j sedao, e tira empre-
"f os | grupos, e grupos de loucSs Madamas
me passea por todos os lados mrmente em
Wtesde luar ; e os gamenhos que tem faro
*de aves de rapia desabelha de todas as par-
ces e anda rondando as bellas Meninas ,
1 que airosamente pua e vo andando seu
caminho, como quem nao d f do bando de'samagoa com hum seu cirlezo-, em elija nifesto, que estabelecida como est no r def*-
i. _________ ___ .._ ...i mjj. l_____!.____n___ __._.. -i i i i- *_ J- T>__C.__J_
adgradftres que Ibes esvoaca em torno.
Ponle BelUmenle ; est V. S na ordem
do dia Nao se falla, se nao no Caes do Cole-
gio ; para ahi sao os passeios para .ahi as pa-
lestras &c &c. Ora diga-me o que tem ou-
vido discorrer a espeito da crize do Bnzil,
da guerra do Sul, e da desavenca entre a Ca-
probidde, e /.elo muilo confia va este tomn
a peit/i por consenso do Rei o corregir o
Principe; e aproveitou aoccasio, em que a
Princeza acahava de dar-lhe hum lillio para
reprezentar a seguinle farca Na noile im-
mediata leve traca de inlroduzir outre menino
recemnascido ao p do Prihcepezinho toman-
mata dos I epu lados eoSenado? Quem he do antecipadamente a cautela de os marcar dr
que qur o Regresso e quem pretende a Dio' mafteir que se nao podessem confundir. O
ladina ? Principe apenas se levantou pela manhl,
Caes. Chiton minha velha chiton. Eu correo pressuroso ao ber o de seo filho : mas
sigo a regra de ve nuvr, e callar e nao a qual nao foi o seu enleio, qudo vio > me.rnos
da mulher que di/.ia a neta-Ver ouvir iriteiramentesimilhantes l Do espanto passeu a
e fallar- quero vi ver em pazem caza, de pouco tpdos os ex Iremos da ra va e do furor ; e taes
pao, onde todos ral bao eninguem tem ra- vozesdeo. que o Rei aecodio; e aprevenido
sao : e de mais para que hei de eu ser palma- pelo Cortezo disse-lhe Que he isto meu
tona do Brazil ? Que lucro lirrei eu disso ? filho? Pois custa-te a discernir aqui qual seja
Fazerem-me todos a guerra e reduzirem-me o menino que le perictuja ? Pode acaso o teu
oulra vez a praia quando de caes que j sangue que Ibe forre as veias, ter nada de
sou posso agradando a huns e a oulros commum coiti o dos oulros mortaes ? A natu-
ir sohindo e che^ar a ser al D. Palacio. Sou reza nno lhe imprimira caracteres d superic
seclario de Leibnil'z ; edigo, que este nosso ridade e grandeza que seja impossivel con-
mundo be o melhor dos mundos possivers. fundirem-se? Ser possivel em fim que o
Desfructa quem pode, e sabe ; e quem he lol- berdeiro presumptivo da minha croa asseme-
lo pede a Dos que o male, ou o demo que lhe-se em cousa alguma ao ultimo de sei\s vas-
o leve salios? O Principe tfn tendeo perfectamente o
Ponte.-Tibi, Sr. Caes tibi. Lofivo-lbe remoque; e"d'ahi por diante mudo inteira-
a prudencia : mas eu como ] sou velha, e mente de genio mostrando-se to conversa-
re ha entendo, que nos estamos no peior dos vel e humano como era seu pai.
mundos possiveis, dijja l o que quizer esse
Sr I.eibi/.in'-'o ou Luhishomem quetalvez; Epitaphio
les a perpetuidade daaboli3o do Trafico d
Escravatma lodas as mais eslipulacoes do
Trafico tendentes a levar a elfeito essa aboli-
co, podiam ser revistas e alteradas no fim de
dez annos ; mas nunca por forma que fosse a
tacar a perpetuidade daquella abolico estabe-
lecida no Artigo i.*
E' pois indubilavel que nem directa nem
indirectamente se pode deduzir do Tractado
convencionadocom S. S., que Portugal per-
tendease por meiode urna tal reviso reservar-
se o direilo de no fim de um periodo determi-
nado reservar aquellp. Trafico P*r o Governo
Hortjguez nao poder admittir a perpetuidade
do Tractado quanlo aos meios de'levar a ef-
feito a abolico reconhecida nelle como per-
petua e ina taca vel, bastara ficar sendo per-
petuo o oppressivo direilo de visita ; porque
ainda que S. S reprsenla que elle recipro-
co, similhan(i>. reciprocidade neile caso,
milla ou quase nula ; pela enorme difieren-
ca que ha entre as forcas Navaes Britannicas ,
e as Portuguezas. Alm disso Portugal deve a
si proprio e s mais Naces civilisudas o
nao dar o exemplo de estatuir por um Tracta-
do o perpetuo abandono do principio da liber
dude dos mares ; abandono queso pode ser u
til s potencias martimas da primeira ordem.
Respondendo S. S Nota do Sr. Visconde
de S da Bandeira de 6 de Outubro ultimo ,
na parle em que S. Exc. arErmou queoTra-
seja hum pedacod'hum herege, Dos me per-: De bum fal Joo sujeito de espantosa m- ciado, que eslava convencionado com S S.
.!.'. 1)..:.. _... ...^____!J- .1!. "^^- ~.*...'.n .. .1..___! ........n ;....n n^n nnrlra pr :i4Cirrnu de. Pois nem tem ouvido discorrer fiftrea
de tanto tributo ?
Caes. Ella a dar-lhe ... Tenbo sim
senhora e muito mas fiz voto de nao dizer
palavra. Os nossos Reprezentantes sao todos
mu capazes e bons patriotas : se derem com
tudo em polvorosa (o que nao se deve presu-
mir) acabaremos lodos sim mas de haixo de
regra o que nao he pequeo consol.
Ponte -Pois, Sr. D. aes, n"oulros lem-
pos chamados do despotismo fallnva-se com
mais liberdade nos meus bancos : riel les se des-
eo/, a o fiado a Generaes Ouvidores &c c
Hoje que se nao falla se nao em liberdade ,
he perigosodizer cada hum o que sent ? Por
isso chorare sempre pelas cousas do meu lem-
po. Eu creio que isso de liberdade esl na
raso inversa da usura quero di/er ; esta a
todos agrada ; mas ninguem a quer em sua ca-
za : aquella a lodos tamhem agrada ; mas ca-
da hum s a quer para a sua caza.
Caes. Estaes hoje nos vossos jeraes. Ci-
dai em ir vivendo minha velha ; e deixai,
que nos governem os que sabem arranjar a
\ onlarle nacional.
Ponte. V. S est-me muito cortezo ; mas
nao pense que com isso escapa s arcadas das
rabecas ; e tanto assim he que nao obstante a
sua carniza lavada e tantos adornos que se
mona e de mu pouco Jttiio
' or monumento d Historia
Repouza neste jazigo
Joo d insigue memoria ,
Mas qu'inda espera o Juizo.
Correspondencia
nao podra ser assignado por nao ter cabido
np tempo lirar-sea limpo anles da partida de
S. S. para Londres, chama S. S ao dito Tro-
ciado na sua Nota de 5 de Maio ultimo um
incompleto Projeclo de -Tractado aecrescer.*-
la que o levara para Londres para ser tomado
em consideraco pelo seu G-overno ; porm que
S S. nao con viera nelle, nem jamis pode-
1 ria convir porque nao eslava aulborisado para
'""" o fazer nem o poderia ter feilo na conformi-
Snrs. Redactores.Ora, he bem calami- dade dotheor das suas Inslrucces.
toso na vt-rdade o actual estado do Urasil por 1'aYa provar as difficuldades que-ajnda bavia
isso que ja contamos desgra admente iilgumas no ia 11 de Maio na concluso doTrcctado,
Provincias emoseilac; agora mesmo ac- cita S. S. urna-Carta particular-, a que
liamos de ter noticia de estar nao s as Ala- chama ola particular que naquclli data
goas como at a Pa rali i ha igualmente neste recebra do Sr. Visconde de Su da Bandeira ,
miserando estado e em perfeita desobedien- em que Ibe pedia que esperiisse mais duas se-
cias primeiras Autburidades Provinciaej ; manas, nao para por o Traclado a limpo,
pqrem Snrs. Redactores, eu que nao sou di/. S. S mas para conviremem cinco .diver-
tios mais corajosos ou para melbor nos en- sos pontos em que estavam cnto em diver-
tendermos tenbo alguma parle de puzilami- ^enci a saber:
ne confesso-lbes mesmo assim, que de pre- I* O declarar Prataria o Trafico da Escra-
zente ainda nao receiodo nosso bello Pernam- va'tura.
buco, nao obstante serem aquellas Provincias Quaes seriam os logares em que lesidi-
suas limtrofes nao porque desconheca que riam as Commsses Mixtas,
hajo nimos esturrados, e ja mui seqiosos ?> Os limites geographicos do direilo de vi-
de verem laborar a funesta anarqua no nosso sila.
solo, mas por que temos testa feismenle o 4o A duraco do Traclado.
mui hbil e activissimo Presidente que se 5 Se a Gram-Brtanha daria urna Garan-
Ihe tem posto, j se diz (valha a verdade) qne tem feilo alem de afavel e benigno ao mes- lia dos Dominios Porluguezes.
V. S. tem de viver pouco; porque acha-se mo tempo circunspecto e respeitado de todos:
com huma fenda na muralba a qual devra | por isso concluo fazehdo persuadir aos meus
nad;i
(rontiaa.)
ser feita maiieira de rampa e nao perpendi -
cular s agoas, fra outras cousas; que lenho
'onvido.
Caes. Nao perdis a manha de ser m. lin-
goa. Deixai fallar os invejosos, e mald^izen-l dem alguns homens quesem revohico nada
tes. Eu sou joven e boje sou as delicias do se obtem oh
Recife. Sou procurado e vizitado de lindas
e esbeltas senhorilas, do grande esquadro dos
gamenhos, em summa de toda a gente do bom
tom '
Ponte. E o qlie resta para a pobre Ponte
da Boa-vista? Ficarei inicuamente abandona-
da e desertos os meus bancos '
'Caes -Nao, minba boa velha, nao vos
desconsolis : nao seris de todo desprezada.
A mim como joven cabem-me as pessois
tafulonas, agente do grande tom : para vos
ficar os aposentados, jubilados, e reforma-
dos : desle modo viviremos em paz: e para
que vs'convencaes da estima em que vos te^
olio, quero, baja entre nos a mesma ternu-
ra, qtie h entre as sen horas que se tracla
pdrdenominaces carinhosas. Vos sois Ponte ;
-eu sou Caes, e chamar-nos-hemos hum ao
outro Nome meu com o mesmo fundamen-
to com que assim se tracla duas grandes a-
migas D. Caetaninha, e D. Felicinha*
Concidados que nada receiem em nossa THEATRO PUBLICO.
Provincia vista do ameacador aspecto polili- Grande Espectculo de Mgica.
co que se nos antolha cuja crise be na ver- I'r. Ryan dar o segundo Expectaculo Sex-
dade pouco favoravel, huma vez que enten- ta feira ib do correnle composlo de repetico
das melhores e outras novas mgicas- Co-
media Duas Rivaes Inglezas.
Avisos Diversos.
como seenganao.
Confiemos em fim no nosso Govrno Pro-
vincial quenodorme. Sou >nrs. Reda-
'llores seu Patricio, e constante leilor.
O Amigo da Ordem.
Noticias Estranseiras
VARIEDADE.
Boa licffo a hum Principe.
Hum Rei muito humano para cora o seu po-
vo tinha hum filho de carcter fntelramenle
opposto ; porque jlgandcSe de differenie na-
tureza que o commum dos homens tractava
o povo e at aos Grandes do Reino com huma
arrogancia e crimeza que a todos dissabo-
rea va O pai, que lemia os resultados de
tanto desabrimiento, quando o filho houvesse
de succeder-lhe no throno e at huma suble-
va,o geral para esse tempo em vo traha-
Ihava por dobrar-lbe a condico orgulhosa e
inmota vel, Hum dia, como desabafasse a
Continuado do Ne precedente.
E'expresso no Artigo ido dito Tractado
que as rluas Altas Partes Coiftractantes mu-
l nameiile declaram que o Trafico da Escra-
vatura est e para sempre continuar a
estar lotal e completamente abolido em todas
as parles dos seus respectivos Dominios pa-
ra lodosos Subditos das suas respectivas to-
roas. No Arligo 14. do mesmo Tractado
se diz Convencionou-se por este Artigo que
cada ma das duas Altas Partes Contraclan-
c les ter o direilo no fim de dez annos con-
lados da troca das ratificaces de* te Tracla-
do de requerer urna reviso de quacsquei
das suas eslipulacoes ou das dos seus Anne-
xos, que nao ataque os principios estabele-
cidos no Artigo i ,' e de enlo propor, dis-
culir, e fazer aquellas emendas ; ou addita-
mentes que os verdadeiros interejses de seus
respectivos Subditos parecam exigir &c
Da combinaco destes dous Artigo ilia-
ca Arrenda-se pelo tempO da festa urna
grande caza com bastantes commodos no logar
do Monteiro a qual tem sabida para o rio ;
quem a pertender dirija-se ra da Penha ca-
Nola dirigida pelo Sr. Baro da Ribeira de a de sobrado, por cima da venda de garapa.
Sabrosa, actual Presidente do Conselho j tSf- Na ruada Crirz n. Bo escr.ptorio no
aoLord H*ard Ministro de S. M. B. nes- segundo andar conlinua-se a descontar la-
ta Corte. lhetes da Alfandega com o cambio seguinle-
tendo menos de trinta das a vencer se far o
descont a 3/4 ( e sendo d mais de triifta dj-
as a 6o a 7/8 ; de mais de sessenta dias a 96,
a um por cento &c. ; de 90 dias para cima, a
um e um oilavo pdr cento.
tS7~ Troca-se urna caza terrea sita na ra
do Tambi por outra mais pequea vollan-
do-seo resto em dinheiro ; quem quizer an-
nuncie para ser procurado.
t&~ Na praca do Hospital Ciza do marci-
neiro esquina da ra da Roda concerla-
se, e afina-se pianos com perfeico, em
qalquer estado de ruina que seadiem, e i-
gualmente h um grande sortimeuto de corda*
e todos os mais necessarios para os mesmas ins-
iromentos.
tSW Arrenda-se o sitio dos herdeiros do fi-
nado IVtanoel Izidro de Miranda no lugar
denominado Luca, com grande caza devi-
venda olaria algumas arvores de frucle
grande terreno : a fallar com a viuva do dito '
na rea da Praia caza de Jos Igino de Mi-
randa,


DIARIO DR PEBNAMBCCO
>
XST "%5 Liquidatarios da casa do fallecido
[ r. Antonio Marques da Costa Sores ven-
temos engenho Trapiche e Ago? tiia situ-
ados na freguesia de Seriirhaem junios ou
deparados com scus utencilios e escrava-
lura respectiva a propriedade denominada
Gamela e partes nos engenhos campia
Roa vista c Ilha do Lamcnha na niesma re-
f guesia ; hem conio nesta praca urna casa terrea
na na das Trincheiras n. 4 > unja dita na
de Hortas D. 53. urna dita de andares na do
Rangel n. > 3, e outra na Boa vista com frente
para o remiterioda Tgreja Matriz; as pessoas
que pretendem comprar quae quer dos Lens a
cima mencionados sirvao-se appresentar suas
proposlas no esenptorio da Liquidaco da dita
casa na ra di allandega v&lha n 7 at :
do correntc me/. dia em que principia a ar-
remata 5o em hasta publica.
C3" O Corretor Oliveira tem a venda um
magnifico, e completo apa re lio para cha, e
jtrez laboleiros ludo de prala fina mullo bem
rlavrada ao gosto moderno seu precohe mui-
lo menor do porque actualmente se poderio
mandar vir do Porto iguaes objectos 5 os Srs.
pretenden tes dirjao-se ao mesmo corretor.
C7 Roga-se ao Sr. que reeebeo em Lisboa
de Antonio Joaquim de Oliveira Jornaes das
familias para Kmygdio Jos Pereira Guerra,
haja de o* entregar na ra da cadeia do Reci-
ie n. 46. 1
tsy O abaixoassignado procurador do pa-
trimonio da Irmandade de N. S. do Livra-
mento desta Cidade do Recie, avisa a lodos os
Inquilinos dos predios do mesuio patrimonio ,
neeslao devendo a I ugueis e pnncipalmen-
ao Sr. Francisco Jos Paula Carneiio que
l debitado em do/e mezes, que se dirijan
ao ahaixo assignado a fira de pa^arem e se
norem em di 1 e isto dentro do praso de oilo
dias ; cellos de que na'o o fazendo se procede-
r nos termos da lei, conforme a Mesa lem
resolvido para livrar a Irmandade dos pre
iui os, e desairamos em que a lansaro os
seos inculcados hein le lores e z*ladores em
cujo n. entra o Sr. aula arnciro -Alanocl
j,Raimundo dos l'razcres, Procurador.
Sy A Mesa da \ eneravcl Ordem Tcrceira
de S. Francisco avisa a todos os limaos da |
mesma Ordem que tem marcado o dia ai do
correnle pelas o. horas da manh para a pri- i
meira reuniode mesa geral para a discus-
sao dos estatutos ; assim como aquelles irmos
que nao liverem recebido esempiares diri-
io-sc ao hospital da referida Ordem para os
receberem do andador.
13" Arrcnda-se para passar a festa urna
casa na estrada do poco da panela, com t
quartos duas salas, e outra de jantar co-
zinha fora casa para prelos estribarla e co-
cheira cacimba com agoa milito boa tan-!
que, quintal bastante grande com arvores de
Iruclo ; a tratar na ruado colleio U oilo i.l
andar do lado de Ierra
jf Arrenda-se um silio na estrada do gi-
qui com sofrivel casa de viveuda cape la
sen/ala e lodo murado pela frente com |
pomar de espinho eioqueiros: a fallar com
o seu proprielario o I r. Clemente Jos Per
reir da Costa na ra da Florentina casa
D. i3.
V/- Na estrada de Joo de Barros confron-
te a capella se la/, negocio com um sitio para
quem qniser passar a festa estando os arvo-
fedos lodos eom fruclo
t/- Qualquer Sacerdote regular ou se-
cular quequiser dizer missa em urna ca|ie-
l,i particular no nionleiro, desde o dia em
que contratar al dois de Fevereiro do annoi
vindouro procure na ra do Terco casa
de Antonio Jos Teixeira Bastos.
tSf Perdco-se um brinco de diamantes -,
quem o acbar, e quiser restituir pode o le-
var a ruado Livramento sobrado de dois an-
dares junto a um que se est fazendo que se-
r recompensado. .
/" Aluga-se para passar a festa urna casa
\u em S. Anna de dentro na proximidade
do riocapibaribe ; a tratar na ra do Quei-
inado D *.
tSf Aluga-se um sobrado em Olinda para
passar a fesla com bons commodos paja fami-
lia com lojas muilo frescos e com muilo
boa vista del'nonte da ladeira do varadouro
eslo caiadose pintados ; a tratar na ra de
a^oas verdes D no segundo andar
%zr Piecisa-scde 400,000 a premio sobre
firmas; quem quiser dar aiuiuncie.
\ZT Aluga-se uina casa terrea sita r.a ra
nova que vai para a Irempe coin bastante
commodos para urna numerosa familia a tra-
tar 110 pateo da S. Cruzem casa de Joo Se-
. astio Perelli. .
%_j- Quem tiver um preto padeiro que o
queira atugar, dirija-se a botica do Paula ua
a da Cruz. .
ir-'Precisa-se de um menino porluguez
de idade de a '* annos para caixeiro de j W Oseados de conciencia de Bento M ;
urna loia de fa/endas na provincia do Ccar; i quem tiverannuncie.
na ra do Queimado loja D. 3. f ftma <*>. na rua do Hda som-
^ RogVs encarecidamente aoSr. Hen- rua de S. Gonsa o que ?e;a do lado da som
rique Jos Braner Rangel qulca annunciar >ra ; na raa do fogoqu-ln. do beco do Padre
sua morada 011 diria-se a rua do Queimado | toja acallarte.
loja I). 3 para negocio que Ihe diz respeito
%ST Quem quiser alugar para passar a fes-
ta na passagem perto da ponte banho mes-
mo na porta a rasa pintada de novo com
bastantes commodos dirija-se ao sobrado de
andares e soto na rua da praia a tratar no
terceiro aluga-se por anno ou por mez.
C7" Aluga-se um sobradinho de um andar
na rua das Flores vindo da Boa vista a esquer-
da o primeiro a tratar na rua nova I). '1 ca-
sa de Miguel Bernardo Quinleiro ; assim co-
mo vende itcaixilhos com vidros para ja-
nellas ou armacode loja
ST Na paila 1 ia da rua do Peixolo das 5
ponas precisa-se de um caixeiro para tomar
cont da dita por bnlanro dando fiador
SS7" Precisa-se de dois feilores sendo um
para um sitio e o'tro para engenho ; na rua
da < ruz n .18
SSF" Deseja-se fallar a os Sis Jacinto Ve-
das Peixolo Manocl Correia de Figueiredo ,
An'onio Francisco Martins e Francisco An-
tonio Marlins os dois primeiros sao esludan-
tes de Olinda a negocio de inleresse 11.1 rua
do Queimado loja de portas defronte do beco
da Congregaco I*, ib.
XSS" Luil AnTonio Gonsalves faz publico,
que os seusdeminulos bens se achao presenle-
mente livres e desembarassados de qualquer
hypolbeca pinbora 011 embargo, e que
lambem se achao extinclas todas as suas ques-
toens judiciaes mas nao o libelo que despu-
la contra I.enoir Bessuebel & Pugel e ncm a
aeco que Braz Antonio daCunha encamiuhou
contra o annuncianle cujas accoens eslo em
andamenlo.
C7" O Advogado Joo Baplisla Soares,
c"^- Meios bilhetes da Lotera do
Livramento a 3s'ooo; nesta Tipo-
grafa.
tsj- Meios Bilhetes da Lotera do Livra-
mento 3 na rua Nova loja de ferragens I) 10
tsr'Umsi pietacom algumas habelidades ,
em casa de Baltasar Jos dos Reis em fora de
portas
S2T- Um par de castanholas de marfim ;
na pra a da Independencia loja n. '0.
cy I a para enebimento de colxoens cal
branca muito fina para caiar a %tfo o alquei-
re dois toueisarquiados de ferrro de 1 'o ca-
adas que serve para agoa ardenle ; no fim
da ruada roda sobrado que tem lampio ao p
da mar.
E3'* Meios bilhetes da Loleria do Livra-
mento a nove patacas ; na praca da Indepen-
dencia lo a de cncadernador n. 6.
tpy Bilhetes e meios ditos da loterin do
Livramento ; na rua do Cabug loja de relo-
joeiro junto do Sr. Bandeira.
tey Mios bilhetes da 1 oteria do Livra-
menlo a tres mil reis ; na rua larga do Roza-
rio loja de miudezas I), sele.
t?' Mais rua de Heras I), ii de um andar e solao .
quintal e porto para a rua de S. Thcreza ;
1 fe la Typo;rafia se dir.
tS?\NJeios bilhetes da Loteria do Livramen-
to a 000; 1:a pracinha do I iviamenlo I). t^.
^ Urna cscrava de nacao, com muito
bonita figura lava de varela e entende de
tjdooservi o de campo; na camboa do Car-
avisa ao respeilavel publico que tem de todo m0 na ,!,,ia Padaria-
mudado o seu escrip.orio para a ea/inha que L *^ ^" escrava parda mucamba de
est fazendo nos (nudos da rua da Concordia bomla fi?ui ,.em '6 annos de idade sabe
por,delra7 do convento de N S. do Canno no com asse, v<'s1"r um9t'"hm bairro de S Antonio desta Cidade | ma e "*. to,l muis ^|? t,e uma c,,f
trr Alugau-se car.inbos ; na coebeira da com perle.cao ; urna creoula de aa annos de
oval) 3i j idade engomma'teira ; estas duas escravas nao
tST Aluga-se para passar festa uma mora- lem icioadequalidade algum ; c um mole-
da de casa en Olinda na rua do ,:ao casti- T'^reou o de idade de 10 annos; na rua
lhano com bom quintal r c muito frescas ; a lar'a "Otario l. j;
Vendas
ros e bastantes arvoredos de difTerentes qna-
lidades com pogo e tanque para lavagem ,
de pedra e cal,, com perto de meia legoa de
fundo; na rua da senzala velha n. 3i ; na
mesma casa uma negra da costa boa lavadeira.
S3S- Meios Bilhetes da Loteria do Livra-
menlo a dezas D. 5.
S3?" Meios bi I leles da loteria do I ivramen-
to a tres mil rs. ;' no pateo deS. Pedro loja
de livros
S?i- Bilhetes e meios ditos _da loteria do
I menlo ; na loja de miudezas ao p do
arco de S. Antonio
VSV Por mnito menos do seu valor uma
camap umaduzia de cadciras' com ascalo
de palhinha uma mesa de jantar que a com-
moda 14 pessoas duaseamas de vento, um
bahu e os mais utencilios de uma casa tu-
do em muito bom estado ; na rua nova L). 11
no terceiro andar. i
ssy Tres passarinhos de angola de norae
vi uva ; no forte do matos beco do Burgos de-
fronle de uma padaria.
SSf" Um escravo de bonita figura com Jo
annos de idade bom canoeiro, e ptimo olei-
ro e 1 arrobas de bom cal ; na pracinha
do 1 ivramento I) -.4.
d" Meios bilhetes da loteria do Livra-
mento a Jooo; 110 atierro da Boavista venda
do Lagou. ,
VSf" Os verdadeiros charutos da llavana em
caixas de duzelos e cincuenta por nove mil rs,
c superiores ditos da Cachoeira, ltimamen-
te ebegados em caixas de 2>o por 4000 ; na
rua do Cabg loja do Sr. bandeira. -
Escravos Fgidos
tu- No atierro da Boa vista casa D. 10 do
lado direito ao sabir da ponte, no primeiro
andar, holoens de metal fino ama re los e
blancos uniarellos de todas as qualidades ,
ditos de ferro envernisado esparlilhos para
coleles clcheles muilo superiores c ricos pa-
'tsr Faz horror o lado oposlo do arco de S. ra cal,c,,es di!os P!,ra 6WP0 de mesa
Antonio junio do passuio publico a fedentiua l
lie tanta que lem leito alngentar dos bancos
tratar na mesma Cidade. indo de S. 1 cilio no-
vo para a ladeira da S casa que faz quina com
a casa do Sr. I r Loureiro.
SZT Aluga-se o segundo andar da casa da
rua do Livramento lado do nascente ; annun-
cie
ao p* do arco os apaixonados do caes, c as
aulhoridades a quem esta encombido de vedar
tamanbo mal doiiuem a somno sollo
tSf Roga-se a certo Religioso Franciscano,
que se olslenba do public* escndalo em cul-
livar u qualquer ora do dia urea rasa na rua
F......... I), oito pois deve saber que essa
rua be habitada por familias casadas e ho-
nestas, e quando queira cohlnuar na sua ni
moral e repiehensivel conducta baja de
procurar ou Ira* rua mais projnia para scus dis-
manxos ; e se por ventura este aviso Ihe nao
aproveilar o publico tora de ver a sua vida
analsima e seguida do seu nome.
VZf O Secretario da Sociedade Eutcrpina
avisa a os Socios da mesma para a sesso ex-
traordinariaboje i5 do corrente das para
t horas da tarde; ha vendo que lratar-se obje-
ctos inleres;antes
Avisos Martimos.
PARA O RIO DE JANFIRO o Patacho
Oliveira Capito Antonio Jos de Lemos .
deve sabir iinpreterivelinente no dia it do
presente pode receber alguma carga miuda ,
em pequea quantidade ; quem quiser carre-
gar ou hir de passagem dirija-se a (iaudi-
uo Agostinho de Barros ou ao dito Capito.
Te i I a o
SEr Que faz o Corretor Oliveira de um
bom sortimento de fazendas inglezas ,^ c frun-
ce/as todas pe lei.cenles a azas Commer-
eiaes de grosso trafico quarla feira segumle
13 do corrente as o horas da manh 110 sen
,11 ma/. 111 da rua do Comtnercio n. 34 Pn"
mairo andar.
______
C o m p r a s
13- Urna escrava prcta ou parda que
lenha leile para criar ; na rua de agoas ver-
des l). 7.
linbo umita larga, e boloens para jaqu de
militares tudo por pre o commodo.
CS*" Uma barretina para G. ; nseta
Tvpogralia.
S> Meios bilhetes da lotera do Livra-
mento a nove patacas ; na rua Direita venda
que (o de Jos da Penba.
$^> Sal de Lisboa; a tratar com A. F. dos
Sanios Braga na rua da oeda n 1 "i.
(3> Toalbasde mesa de Guimares de 2
e meia a tres varas ; na loja da (juina da rua
da colegio junto ao passo.
tsr PotMM Bussiana, ni barris de 4 ar-
robas ; no armazem do Sr Eiras, rua da Cruz
D. 41.
C5" Na rua nova ). a' um grande sor-
timento de pedras para ourives e colar de
vcrdaddrus cornalinas da ultima moda em
Frama
6ks?* Meias'de linbo abertas para senhnra ,
de muito boa qualidade luvas de linbo bor-
dadas e lisas para homem e mulher e pa-
lio de linbo muilo fino, tudo por preco com-
modo ; na rua da cadeia loja I). /ti
Si/- thampagnbe Ay vinbo de medoc ,
chateau larhite, chatcau morgeaux F. Julien,
sauteme chamberlin vinbo de xerres do
Porto vinbo de I!heno chamado hock. ge-
nebra de Holanda cognac agoa ardenle de
lian a Inicias da europa em conservas j
vinbo muscalel alicante ervilhas em con-
servas ; em cata de A. liosch na rua da ca-
deia IJ. 17.
42?" Meios bilhetes e cautelas da Lotera
do Livramento estes a -.000 e aquellas a too
ris ; na praca da Boa vista vendado Sr. Jos
da Silva Saraiva
S35" Meios bilhetes da loteria do Livramento
a i 1000 na rua nova loja Franceza D. 10
SS7* Meios bilhetes da lotera do Livramen-
to a 000 ; na rua do Cabug loja de miude-
zas I). j.
i'/' Meios Bilhetes da lotera do Livra-
mento a iooo ; as ponas D. Q,
XXf Um sitio no lugar do Jangj com boa
caa de vivcnda mais de mil ps de coque-
C7* Fugo no da 4 do corrente um negro
de nome Bernardj cor cabra'fulla, levou
vestido calsa e camisa de brim ; quem o pe-
gar leve a rua do cabug loja de ourives de
"ianoel Anlonio Consalves que ser gene-
rosamente recompensado.
%Sf Fugio na noiledodia g de Selemhro,
da passagem da v aglalena do silio de Joaquim
Jos de Oliveira, um preto de naijo ben-
guella de idade de o annos estatua regu-
lar ceg do olho esquerdo e com marca de
um t ilho no lado direito do rosto levou ves-
tido calsa de e-lopa camisa de baeta verde ,
e chapeo de castor brunco ja u/.ado ; quum o
pegar leve a rua do Queimado loja de por-
tas defronte do beco da congregaco D. ib ,
que ser recompensado
sjy 1 esapareceoa lempos um escravo par-
do de nome Gregorio olhcial de marcineiro ,
estatura um tanto baixa cor escura de da-
de o e laiitos annos anda as ve/es calsado ,
he bem conhecid nesta praca e seus arrebal-
des e consta elle andar dizendo que he forro;
quem o pegar leve a seu Snr Antonio Jos.
Pires na pracinha do Enrmenlo i'i ou
na ponte do Uchoa no sitio da viuva do Coro-
nel Bento Jos da Costa que ser recompen-
sado
CF* No dia t do corrente fugio um mo-
leque da botica que tica a porta travessa de N.
S. do Terco indo a ribeira comprar peixe ,
levou vestido chapeo de palha calsa de brim
branco transado camisa de algodo/.inho no-
va em um sabura-nho fullo de cor bem
vcrmelha que parece creoulo hem feito de
perjiase ps bonilote e pequeo he mui-
to a legre e serv al ; quem o pegar l ve a
dita botica que ser recon peesado
ty Em mole ,ue de lioa estatura, secco
do corpo sem barba denles limados de
nome Jos naco Eoanda levou camisa de
madapoln ja suja e calsa de brim ; quemo
pegar leve a fora de portas a seu Sr. Joaquim
Baplista dos Santos que ser recompensado
Movimenfo d f'ort'n
NAVIO ENTRADO NO DIA 11.
LISBOA; 19dias, PatachoPortuguez Pa-
quete da Terceira de 117 tonel. M. Joa-
quim Mara da Nlveira equip. 11 car-
ga sal, e sebolus ; a Antonio Fraucisco
Brag
SAHIDOS NO MESMO Di A
LIVERPOOL; liarca Ingleza Izabella M.
Thomaz Rimer carga assucar e algodo.
SAHIUOS NO I IA i.
SANTOS; Sumaca Nac. Bom Sucesso M.
Francisco Gomes de Figueire ILHA LE FERNANDO; Brigue Nac. J-
piter M. Jos Xavier Vianna carga fa-
1 inha e varios gener por conla da Na o;
passageirosdois brasileiros, c por ordem do
Governo i3 soldados e 19 degradados.
REClF WATYP. DE M. F. DEF. i0J9