Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08648

Full Text
Ifc
ANNO DE IM8. QUINTA FEIRA
n de mar^o; n: es:

lHrJJ&
FEHHA1IB
pern. typ. di m. P. Df Paria, ibss.
OAS DA SEMANA
19 eennda t ?. Jos Esposo de \. senhora. Q.
ining- as tres horas p'54 min. da nt.
20 Terca S. Martinho r. Bel. de m. e aud. do
J. dos Orf-de tarde. j >
21 (uarta s. Bento Abbadc sessao da Thesou-
raria.
22 Uuin'u 8. Bmigdio V. >i. Rellaeao de manha
etc.
32 sexta S. Feli c seus comp- Sessao da Th e
aud. do J. dos orf. de tarlfc.
24 Saimiln mstituiccs do Sant- sacramento f no
dairro de santo Antonio onde he orago- '
25 Domingo 4. da (uaresma amv. da Const. G O
Mare'cneia para odia 22 de Marco
as 2 hora e 54 m. da Bij S h. 18 m. da tard.
'Tiko agwra -depende de n mesmos da nossa
prudencia, moderacao, e energa > continuemos
.OOino principiamos, e seremos apontados com adini-
ac,ao erntre as Nacoes mais caitas..
Proclamacao d'Assemblea Geral do Brasil.
Bhscreye-se a 1,000 reis mencaes pagos adiantados
nesta Tipojrrafia, ra das Cruses n. .1, r na Praca
da indept-ndunci%D. 37. c 38, onde se receham cor.
respondencias legalisadas, e annuncios ; inserindo-se
estes gratis sendo dos proprios assignantes, e vindo
assignados. ,
CAMBIOS.
Marco 21.
LiOnnret 33 l|4 Di- St. poi 1000 cd
Lisboa 65 por ">|o premio, Por metal, Non.
Franca 305 a 200 lis. por franco
Rio de Jan. 6 p. c- de desc.
Moeda de 6.400 13,800 as telhas, notas 13,400
4.000 T.400 7.500
Petos Colunares :,575 a 1580
ditto'Mexicanos ,570 a 1575
Patacoes Brasileiroa ,575 a 1580 '
Premio das lettras, por mes i \\i por 0|0
Cubra a par das edulas
PARTIDA DOS CORIHIOf.
Olinda Todos os diaa ao meio da.
Qoiana, Alhandra, Parsiba, Pilla do Conde, ftfa-'
maiguape, Pilar, Real de S. Joao, Brejo d'Area
llainha, Pnrbsl, Nova de Souaa, Ci'dad do Nal* I
>''Ia de Ooianninha, e Nova da Prineeta, Cidade
la Portaleaa, Villas do Aquiris, Monte mor aovo
Aracatj Caacarel, Canind, Granja, Imperatri*
- Bernardo, 8. Joao'dtt Principe, Sobral, Notada
RlRey, Ico, 8. Mathens, Reacbodoaensjne. 3
Antonio do Jardim, Quexeramobim. a Parnahib
- Segundas e Sextas feiras ao meio da por via
Paraiha. Santo Antlo-Todas as quintas feirasa4
meio dia. Garanlmne, e Bonito-nos iaa 1".. *
Je rada mes ao meio dia. Plores-no dia '
cada mes ao meio dia- Caho.Serinhaem, Rio uf-
Porto Caito- os das l, II, v*. de cada
moso,
mes.
PARTE P F1C 1 AL.
PERNAMBUGO.
COMMAWDO DAS ARMAS.
Expadienta do dia 16 de Mugo de i838.
Oficio Ao Exm. Presdante da Pro-
vincia devolvendo-lhe o requerimeato
do Teuente de Cansadores Ernesto Eme-
lianno da Medeiros, que pedia ao Gover-
a Imperial o pagamento da gratifica-
cao da Caupanba correspondente a ter-
ca parte de toldo, pelo tempo que ser-
vio na guerra de Panellas, a Jacipe, a
informando, que da correspondencia olli-
cial registrada na Secretaria, constata tar
dito Taneuta marchado para o Acampa-
manto em 28 de Fevereiro de 183 i, e que
d'alise rccolhera em 9 de Janeiro do auno
seguinte, oque hia da acord com o nt-
tentado do Comrnandante da Brigada Ex-
pedicionaria ao Pai. Que a preteoeio
do Supplioante Me paresia justa em vista
do Aviso da Repartalo da Guerra de iO
de Janeiro do anno passado, que mandou
abonar a gratificaclo requerida ao Majer
d'Artilheria Anoelmo Joaquim da Silva
durante o tempo que esteveempregado na
referida guerra, e mesmo porque j o
Governo unha concedido tal gratificaclo
ai pracas da Provincia da Baha, que nel-
Ja tomarlo parte. Que aaiim julgava ter
prebenxidu quanto Ihe oideoara em seu
oilicio de i3 datie mez.
- lo mtsmo Exm. Snr., communi-
cando-lbe existir no paiol do Forte do
Buraco urna porco de plvora pertencen-
te aoCidadio Luis Gomes Ferreira em es-
tado tal de i una, que a ser conservada ali
por roaii lampo, arruinara tambem o pa-
vimento do mesmo paiol, rogando Ihe
liouve-se de dar unas urdens, paia que di-
ta plvora losse removida pira ootra par-
ta, ou que t>eu dorio dt Ha disposesse da
maneira que mais con viesse, e que se fasia
alem disto miiter, que um carpina, los
se examinar o paiol, enellefaier alguus
ligairoi concartoa.
. Ao Director do Arcenal da Guerra,
diaeodo-lhe, que exstiudo em seu poder
a chaves do poitio do Forte do Mar, as
eatregasseaoHsjor Jos Gabriel de Mo-
raes Mayer, que estava incumbido de ios.
peccionar o estado do mesmo Fjrte, e que
sando d'ali tirada a es.ada, qae para elle
dava entrada, bouves^e de a mandar no-
varnfuta colocar, ou proporcionar meio*
paraesse fim; '
Ao Major Commandante interino do
Cor"? destsesfo d?.!3do-!ba 'olr*!.
metilos que pedir em seu cilicio de i3,
Qc^ica dod dijcotoB que tiobi d fuer as
pracas do Corpo do seu Commaodo,
qoem o Arsenal de Guerra abonou farda-
ment, e diiendo-lbe, qu taes descontoa
so se deviso extender essas pracas, e nio
aquellas que uenbum fardamento race-
beiio..
Ao me-irao, remetteudo Ihe .a rela-
co das pracas do Municipio de Santo A-
ilo que voluntariamente fasilo parte do
Corpo do seu interno Commaodo, e orde-
nando -Ihe, que para ellas tirasse a gratifi-
caco de 45 re. diarios, fcando naiotel-
ligeixriia de que os Inferiores liohio igual
gratificar;!o, que os desertores haviio em
oonformidade da Le ella perdido o di-
reito, e tnalmeate que as pracas exclui-
das vanperifo at o dia anterior ao da ex-
clusio, depositando em caixa as quaotias
que Ibe* partencia para Ibes aerem oppor-
tunamente distribuidas pelos respectivos
Chefes.
Portara Ao Capitio Comman-
dante da Fjrtaleta do Brum, mandando
detnittir da guarnicio da mesuia ao Enga-
jado Joze Ciraco Ferreira, por assim cun-
tir ao terviQO.
DIVERSAS REPART1COINS.
THESOURARIA DA PROVINCIA.
EDITAL.
O Ulm; Snr. Inspector da Thesoura-
ria de Fasanda da Provincia manda faser
publico que -e ba5 de arrematar pean-
te a mesma Thesouraria nos das io, n,
e i2 d'Abril prximo futuro as Rendas
seguintes:
1.* Imposto da 2^5 reis por rebeca de
gado vacum que loi consumido.
2. Dito de ao por cento d'agoardente
do consumo.
3. Taxa das passagans dos Rios no
Municipios do Ri.cif- e Olinda.
4. D simo doCspim de planta dos ditos
Municipios do lienl'e e Olinda.
5. Dito do Gado vacum ecavallar.
A arrematabas decada urna das ditas
lleuda ser feita por tempo de anno um
contado do i. da Jaldo de i838 a 3o de
Junbo de l839 e dividida segundo os di-
versos Municipios da Provincia sendo a
ultima da apparicaS do Gado nascido no
corrente anno financeiro de i837 a 1838
E para constar se mandou anisar o
presente e publcalo pelo Prelo. ^
Contadoria Provincial de Pernambuco
ai de Ferereiio de 1838.
O Contador.
Julo Baptiata Pereira Lobo Jnior.
3 i '
MEZA DAS DIVERSAS RENDA&
v
A pauta ha a mesma do n. 6i.
COEREIO.
Continuscfo da lista Geral das cartas,
qua bo de ser consumidas no mee
de Abril prximo vindouro.

Clara Francisca Lima
Claudino Josa de Araujo
Clemente Pereira Santos
Claudio Veiga e Silva
Candido Meodea Almeida
Casiano Marate
Caetano Silva
David Fernandcs Almeida
Domingos Antonio Silva
D. Carcia
D. Jote Rodrigues
D. Loorenco Torres G;
Felippe Silva Porto
F. llotim Moura
Fernandas Torres
Felippe Peixoto M. B.
Felisberto IVunes Siqueira
Frederico Jos
Francisco Almeida Ferreira
F. Alvea Cordeiro
F. Ai tonio Costa
F. Barros Reg
F. Eleves
F. Ferreira Barrete
F, F. Porto
F. Jos Coneia
F. J. Moraes
F. J. Martina
F. J. Silvana
F. J. Silva
F. Lopes Moreire.
F. M. Surine
F. Martina Almeida
K. Medeiros Furtado
F. Paula Gonsalves
F. P. eS
F. Sypriano Cordeiro
Gabriel Antonio Alvea
G. Jlo Antonio S.
Gregorio Francisco Torres V, J.
Gousallo Antonio
G. Joaquim Almeida
Herculano Francisco Carvalho
H.nrique Lopes SHva
H. Veloso Oliveira
Higino Couto Carvalho
Izabel Mara Tiindade
Ignacio AI ves da Silt aua
Justinano Antonio Foncrca
Jernimo Silva
Joaquim Antonio Foncaca
J. Aniceto Santos
J. Antonio Silveire
J. Caneca
J. Caroeiro Leal.
J. Das Martina
J. Domingos Silva
J. Fes Lima
J. Francisco Ramo
J. Sao Jerooino e S
J. Jos Ferreira
J. J. Mandes
J. J. Rodigote
J. J. Santos
J. Pareira Oliveira .
Joaquina Sacramento Mulber
Joaquim Silva Paulo
Joauna Francisca Ttindade
Jlo Alves Atade
J. A. Silva
J. Antonio Vai.
J. Baptista Navarra
J. Ferreira Eradello
J. Frailas Barbosa
J. Fernandas Talaia
J. Francisco Chavas
J. F. Oliveira)
J. Gomes
J. Jwe Lal
J. J. Pereira Borgea
J. Luis Ferreira Silva
J. Mauricio Wsnderley
J. Moreira
J. Ponte.
Coritinunr-Be-bV.
PREEEITURA.
Parta do dia aO de Margo de |838;
Illm. e Exm Sr. Partecipoa V. Ex:
que das partas rioje recebidas someate
consta, queforaSpretOs a mioba erdem
e ttera deslino : Mara Cesar, e rsu-
la Mari pardas escuras pelo Sub-
Prefeito da F-ieguesia do Racife por ts-
tarem em brige e aerem incorragives ;
e Rosa Mara pieta ptlo Commandan-
te da GuTda da Cadeia por introducto-
ra de bebidas espiituotas em contraven-^
cao das urdens a rospeito.
eos Guarde a V. Exc. Prefeituia d*
Comarca do Recife aO de Marfo da i838-
Illm. e Exm, Snr. Francisco do Reg
Barros ,' Presidente da Provincia: Fran-
cisco Antonio de S Barrete Prefeito da
Comarca.
Patte do da ai.
Ie. Exm. Snr. ForaS prtsas hon-
tem a mioba ordem <'Vra6 dilleren.es
destinos: Antonio, prelo, eseravo de
JosaFranaiicoPioK Albino., pardoea-
( ;r- axerav deJeroni* InseCbristo-
vadj'eLusia, preta teravo da Joaoue,


I4KI0 0 8 piiIambtco
5
de Paita pelo Sub-Prefcito d- fregueiia
de S, Aolooio, por te raro enconirados
tide, e balante bros; M ximauno
Correia Mitn d. pelos pelo bub-l'rlito d Fre-
guisia da Bu-vista, por briga e The-
>asa tambero piel. escrava de Joa Vi-
rissimo pala 1. pan alba do S. 6. da oe.
ma freguejia por ebria e ler insultado
a dita pjiruHu.
O Sub-Pieleilo da fr^guesia d nio e oCoromand.'nie (e-al doCoipo
Policial pitcipjia5 esta Pufeituia q'
boje pela vulia deumi bota da maoha lo-
i\.o wuTidos dois tiro da pistola uu ca-
viuole u,ue haviao >i Jo disparados da e-
quina da ca.a lila O' coa do L'olleg o,
peiteucente a Antonio Jo-e de M'g B s05 onde lora logo pn-ij. Comioaadanta da Guar i Principal vari
as santinell'i arem de oolras medida* de
segrense que a tomaran pelo dito Sub
Prefeito nao tcodo sido possivel por rua
is diligencias que te 6erao, Je cobrir
qaem lora o aolbor de simelbame ousa-
dia alo. teodo com tuda ora todo esse
te Ulpo eccori'ido mal uovida.
Dos Guardes V. Exe. Prefeilura da
Comarca do Recita al de Marco de
i838. Ilfrn. Exm. Sor. Francisco do
riego Barroe Presidente da Provincia,
Francisco Antonio da Sa' Brrelo Pre-
feilO da Comarca.
TRIBUNAL DOS JURADOS.
Seisfo do da I7 da Marco de 1838.
Jury de Senteoca.
O preto Autonio de Naea CaUabar,
aecu-aio por Francisca Ferie 1 a d.-Mel-
lo pn- a ver dito preto .wjsn .-lo a seu
Sr. Miguel Feueir da Mello ; foi con-
demaado a anorte.
Jury de Aeeusacfio.
Felii Gomal de Oliven-a Feliz Jos
Alves a Aodre Joad aecus. Jo por par-
te da Justica por furto da cvallo< que
Ihe fora echados em casa o Jury achou
m^teiia para accusaca aormule cunta
Feliz J'se Alves, e A ire Joa.
Sb.isua Josa de Cirvalho acensado
por parte da Ju tica por u o de arm lesa, a estsUncia a moa patruUu ; o
Jury nao achou materia p Luiz Jos da Tnudade acensado por
Joaquina Pe atnsassas; oJuiy nao achou materia pa-
ra accusaca.
Tribunal de Jurados da Villa do B>ejo.
I.! Sessa ordinaiia convocada para o
dia i3 UeFeverehode i838.
A reunid daumTiibunal popular
sempie Scnhoies uui en jI ?o na jubilo
para o cortead p I iota ; e em consequeo-
cia viudo boje em desempenho da ma-
la impoi taute d roioliai at 1 ihucoens ,
presidir aus vos-o* Uab-hos :i me sin-
lo pcsiaide da duplicada alegra q' ins
pino vosso *t-rop a deaejado cumpireci-
roeolo e satisfactoria cooviccad, de
que a -al utr Iuslituiea d too vigoro,o da tnage>t se aivoie da Li
herd-d, resisr*'inb tuoso* luloes que anieaca derrbala.
Si be )u.t> potein Senhorca, asta a*
Jtgia n. ha tinto pela finara petad da
nsita ci, orno pata espetante, de q'
ella prcODcbera'o m da aua cuacad a
boa admiuisiraca da Juanea Criminal.
Ai Iuslituieoens, Seohores sao f abs-
tractamente consideradas por mu iniu-
reaa i ndi fiaren tes ao Pett, Nao foi para
gosarem desta ou daqaella forma de Go-
Terno para po&suirem esta ou aquella
lusumifa que os hamens se reunira
a>m Sociedade, mas para T!?erem tran-
quilloae bienes) eso* doua grandes fios
das Associatoens Polticas e a Insliluica,
que nao laude a preaneber este tim ,
awuge de sai-saser os votos da solidada ,
reclama cedo ou tarde a sua reforma.
Sendo tal pois, Seubores o remitido
infallivel dss Instiluicoeus quaudo nao
aucontraS nos Cidadae encarregados da
5ua execueco as precisos elementos de ua
consoli lacio coiu que esmero nlo deve-
la da vossa parte trabalhar no bl cjm-
primanto das obri^aqaeus f que a Lei vos
impoem na qualidade de Juises de Facto
vos que filhos da LibardaJe tanto deven
amar as livres Iostiioicoeos da vo-sa Pa-
tria ? Nao' vos engais Senhoros sobre
a importancia das funcoan-, que a Lai vos
incumbe, nsm acercada influencia que
sobre a oidem publica he chamada a 10
Cta admmi-lraca da Ju-liga.. De todos
os pjde.et O'tituidos para a proleeQaS
da aocieJade oenhum oulro ioilue roais
directamente na publica prospeiidade.
Na sua relagao'com a Lib'-rdadc nenhum
oatro Ihe pode ser mas'profi^'io qoan-
do bem derigido, neo m-is damno-o qd.8
hostil aos seos principios. Sej qual Ir
a forma de Governo Ue ura Pai* a se-
guranza individual a primaira 1 ondici
de aua estabelidade e por mais livie,q'
alias se podes considerar a Na^a de.
vea com raso pio nao.! cfferecesse as maw solidas garaniiea a
ta5 iuapreciavrl beneficio. E*sa seuu-
raoca porem, Sis. insrparavel da Liber-
bade.esem a qual e;te luostumvel dom
dos Ctos se con v-ile ia no mais temivel
flagello das Sociedades, someniese pude
oblar por meio d< JusttQa. Si aom se-
guianga pois Senbo>ts da nada valea
Liberdade si aquella somente se podar
oblar pela pralica da Justica he lora da
duvida que vem a ati' a Just'ca a verda-
deira base da Liberdade E' el a para a
sociedade o que he o s J para o mundo f-
sico. Amar por cons gunte a Justina ou
renunciar a Liberdade eis a nuica alter-
nativa que a rasa presoreve aos povus.
Felisea aquellcs que tem sabido apreciar
a forc daata verdadde. Si amtis pois Se*
tibores a vos>a Liberdade proouiai es*
labellecer a fi- roar na vossa Patria a ve-
guraoca individu I fasendo respeit>r os
no-sasLeis; puni o crime ccmbiiendo
a impunidade que nos ameaca por mil
formas, e obteieis dasl'arte os dous
bem quena frese de um granda Ju-
liscori-uho pode o hornera desajar sobre a
trra as homensgens da seos concidados
ea apiovacao' da proprii corncivncia.
Joa Josa Ferreira da Cosa.
Se-na do dia i4.
Ju Sumario crime contra os reos Jjse ,
Joaquim, Anri', rscavos ; por tentativa
da m ile o Jai y nao' achou materia
u-ra acnusagi.
Dito ci irn>-contia o reo Mel Cosme
e-crvo d- Valerio Jos de MedeirOs pre-
nunciado por crime de inoite, Jury
achu materia para accusaca.
Dito contra o preto Albino por crime de
mono; o Jury achou matara para accu-
saca'.
Dia 15.
Sumario contra Antonio Je da Silva
Jatoba por uso de armas proh bidae } o
Jury riuo' acbou (oataria para ateusac-
cao'.
Dito crime contra Miguel Barbosa da
B>rros por uso de armas prohibalas; o
Ju y achou materia para accusaca..
l'oun.ia dada por Antonio Aiaiinbo
de Espindola contra Jn.5 Marqaes de Sou-
sa por fernituto ; o Jury uao' aihou ma-
teria para accusaca'.
Su'nai 10 <-x olli 10 contra Joao' d'Al-
bnqinrqiir M.iiaaba por ciimede mor-
a; o J ni y nif) acbou materia para ac-
cusaca.
Dito ex cfficio contra Jos Cambange ,
preto escrave de Jos Francisco da Silva
por crime de moi te j o Jury achou mate-
ria p Dito x ollic o contra os reos Sabastia
eSerafimp>r eriave de mor; o Jjiy
acbou malaria pera aecnsaga.
Dito contra Joa* gaira da Pmv5
preso em flagrante por furto de carallo :
o Juiy achou materia para aecuz.
Dia 16.
Sumaio ex offioio contra o preto [Joa
Cambiniia asuravo de Francisco C'ordeiro
da Fonceca por crime de morte ; o Ju acbou materia para accoz.
Dito ex oflicio contra Jos Goncalves
por aritomaaia Coronba por crime de
morte; o Jury acbou materia para accu-
saca.
Dito dito contra Manoel Ramos por cri-
me de morte ; o Ju>y achou materia para
accusaca.
Dito d lo contra dous pretos da fasenda
do .Ambu eiro por crime de resistencia;
o Jury nao acbou materia para accusaca.
Dito contra Joao' Frene, de Dos por uso
de armas prohibidas ; o Jury nao' acbou
materia para accusaca.
Dito contra Joa de t>l Gibo de Anto-
nio Fran-'isco por faumento ; o Jmy
achou materia para accusaca.
Dito por queixa de Jos Manoel da Sil-
ve contra Alexaodre de Frailas por cri-
m de furto; o Jury ufo acbou materia pira
accusaca
Dito ex oficio contra os reos Manoel
Alves.da Silva e Bilio por crime de
morte ; o Jmy acbou mateiia pera accu
sjca
Jury de aenten?!.
Sessa do dia 17.
Sumario contra o reo Manoel Cosme
por crime de m^rte ; o Jury o achou in-
curso no grao mximo do an. 19a e foi
tm consequeucia coudemoado a morte.
Sessa do dia i9.
Sumario contra o preto A'bino por cri-
me de morte, foi sentenciado a galles
perpetuas.
Dito contra Luiz Cambange preto es-
clavo; foi sentenciado a galles perpetuas.
Dia ao.
Sumario contra o preto Joa C-inhin-
daporcme de mora ; o Jury o c -iasi-
derou incuiso no gio m*xmo do artigo
19. e em consequeucia I01 cuudemuatlo
a morte*
Sumario contra os r09 Josa Velho do
Subral e Aotoni Joaquim Dutra da
Va>concello8 pronu c a dos por offensas
fsicas ; o Ju y os acbou mcursos trez ve-
es o 1. no grao mximo e o 2. no
me lio do artig aoi e ern consequencia
loia condeoiiiados Ja-e Valbo do Sobral
em 3 annosde prisa e rento e ciucoanta
u,il res de multa; e Antonio Joaquim
Du'ra de Vajconcellos em 10 mases e 15
das de piis. e a5$ de multa.
Sessa do dia ai.
Sumario contra Jos Gonoalves por al -
cunti Coronba ; iui sentenciado o reo a
morte.
Dito contra o reo Manoel Ramos que
foi condamnado em 7 annos de p. isi a im-
ples.
Foi julgado o reo Joa F x aecusado por crime de lurto ; o Ju-
iy o conci lerou ocurso no gio mnimo
Coart. a57 do cdigo Pnale em conse-
quencia foi condemu;ado em 70 das da
ptiaal e 5$ res de multa.
EDITAES.
Antonio Armes Jacorne Pires, Suh Pre-
leito da Fnguesis da S. Rr. Pedio Gjo-
falres do B-in o do Recita etc.
Faz saber que esta Freguesia se echa
dividida em 7 Districto e Horneados pa-
ra seus respectivos Cofumissanoa de Po-
lica, os Surs. Maaoel Goucalvts Vianna ,
que responder' pelo 1. Domingos S t-
auo Cordeiro Simes palo ft. Jos Ve-
loso Soares pelo 3. Epifauo I-e An-
lunes pelo 4. Mmoel Francisco de leus
Veras pelo 5. VJanoel de Sousa Coidei
roSimoens pelo 6. e ]oaqoim Jos tia
Costa palo 7. ; quero lodosos Lidado
cus de.ta roesma Freguesia sao ohri)>ado8
a obdecer nosobjeto de sua jurisdio.i,
seja qual for o isnicto a quarn perten
gao pelos quaes saos mesuies -i'a. Com-
mi>saiiuade Policia re.spoucaves ; a lira de
conservar-ie a paz e aeguranca Publiea ,
e procederem o arroiamento de que esta
encarregados-
SubPrsfrtura dt Fregueaiajde S. Fr.
Pedro Goncalves do Recife ao de Marco
de i838.
Antonio Annes Jacome Pires.
Manoel Jos Ferreira do Nasoimeato,
Fiscal da Freguezia da S ate-
Faz saber por meio do prosete qu,
tondo sido nomedo pela (Jamara Miinici.
pal da Cidaue de Olinda Fiscal da Fre*
guesiadaS, avila aos Paronhianos da
roeuciooada Freguozia que da data do
presente em diante principia a fazer snas
corridas revistndoos pezos e medidas, e
todo qoaoto for concernente as Posturas
da referida Cmara para que na baja'
duvida ou ignorancia a respeito, osatl-
verte a fira do se preveoirem. Olinda
Freguezia da S i5 da Marco da i838 ; e
eu Joio Antonio Carmina Villa'a Portai-
ro da Cmara Municipal o escievi.
Manoel Jos Ferreira do Nascimeote.
Fiscal.
RIO DE JANEIRO.
Revista Gommereal.
o auno de 1837.
Rio de Janeiro i." de Jaueiro de 1838.
E XPORTACA O .
(Continuado do N. 61)
Os nossos productos tem sido gralman<
te muilo procurados e vista das noli.
cas pouco animadoras que continuamen-
te i-e reeebera aceica do e-'tado dos mer-
cados da Europa e dos Estados-Unidos,
os nossos lavradores alcaucara prtcoi
muilo ruaiores do que era de espetar.
Antea de traannos de cada bum destas
'ligo-., drsejamos offerecer slgumas re-
flxes a respeito da prodcelo futura do
paiz par ser assumpto sobre que existe
divergencia deoiiioi-5 e nao p neo receio
de que ella va em diminuico por oama
da aboli^a do commeicioda esnravatura;
a lio geralmente se tem manifestado esla
receio que a as^euib' provincial desta,
provincia acaba da deiigir huma represen-
tacio asembl< legislativa, pediudo a
revegaca da lei de 7 de novembre de
l83l.
A nosso ver nao ba rasio para recear
que li 'ja no futuro diminuica nos pro-
ductos do no-so solo; antes acieditamos
que existe toda a piob-bjdade fe que
nio em augmenio proaressivo, por causa*
que nos sei pernutiido eipender.
Dizem as peso' de op 01I0 contraria,
que, acallndose d- toJo cun a impor-
t'Ca de escravos novo diminuir o seu
numero t idos os di s usto que o nume-
ro total dos pelos que nasem uo paiz nao
he igual ao dos que monem e que se-
gundo a exposicio do Sr. Calmon actu-
al ministro da fzenda (no seu muito h-
bil e lucido ensaio soh'* o assucar que
ba anuos pubhcou na Baha), a diminui-
ca be de 5 por cento por auno, etc.,.
donde concluem que a papulaq- dos pre-
tos to ieju/ii rael'de 00 decurso de
I ornos. Ora, segundo as tabellas es-
ta|>sticas apre^enladas afsemtda legisla*
IT.i e->la populacho hacabulada em
2,000,000, eo teimo medio da importa-
cao annnal de negios novos dasdn ipao
at i8'i7 (os 8 anuos que precedern a iui-
poitacio extraordinaria causada pela ap-
preximaca da ablica do comuieroic
legal de escrivos) t>foi de ^1.000, ou so-
mente a por ceulo sobre o total. O nomo-
estado maisadiantado de civilisacio, e oa
prfcgre-s"S que a ai le de curar tem fedo-
entre cs, devem, adoplaudo-se bum
tuelbor syslema de Iralar osei^cravcs tanto
no que respeita ao moral cuo ao pbyst-
co, cootrabilaucer e mrsm exceder esse
niame. o anda que se termibe de todo r>
ommereio de contrabando, coo> qu*
Us vererno* em quanlo os ieavfwt fs-em
iioavuilados que recompensem o "ca
que ae corra. Mas nos echamos argu-
mentos anda roais fortes contra a opima
de que os productos diminuirs u* c"
vic$io em que estamos I.* d"e que a
impoitecQ de coloaos ir tus ingmawto


\
lUIte IPlatNAMBUCO.
(e inda qoe estes nao seja proproe para
trabalhar o ralo tomando aabre si os ser
vicos domestico farlo que os escravoa a-
gora occupados as cidadss fiqaem di ^po-
niveis para ostrabalhos agrioolas); 2.! ,
que brevemente existirs meoj mais fa-
ees de condcelo, ou seje por estrada*
ou por cauaes ou por barcos da vapor ;
3.* quo d'ora arante os nosaoa lavradores
"se valei de todos os melboramentos que
offerece a prog so na sciencia da agri-
cultura para augineutarem a prodcelo e
mellin a. em os saus gneros ; e 4* Pr'0-
cipalmeate qua a ppliccad de foress rae-
obanicas .ubstituir em grande parte a
torva ni mal. Coasta uoa que as faten-
daa da a-socar nena provincia andl6 por
9oo, e que destas aoenas 5o taro erige-
nhos movidos por agoa ou por vapor ;
que, de 65o quo b na Babia, smente
15i tem machinas de vapor ou da goa e
que, de 5oo que ha em Pernamboco s
6*j so movidos por eogenbos de agoa e
lomete 2 por vapor Notamos esle tac-
to, pira mostrar qaanto he vasto o cam-
po que existe para sobstitoir o trabalbo
dos negros pala forsa meehanica; e da
Dais, sendo a m. das vidas dos negros na* fazendns de assn
car sa forem em parta empregados do
trabalbo mai< lave de cultivar o caf o
algodio, o arroz e as varias oatras pro-
duct des proprias do nosso clima o sen
numero, louge de diminuir ha de aug-
mentar.
Cal. Este artigo que he o manan -
cial do rommercio dasta provioeie tem
echado geralmeote prompta sbida no de-
curso du nono pastado e nao passou mer
algum tem qua se ffeitua^sem vendas con-
feidaravsii : o roeio termo dos presos ob-
tidos rsgula a aoo rs. menos do que os
preeos de i836 ; os extremos ds oscilla-
ee do pupo da qualidade de primeira
boa ('8 outras mais ou menos na m-ama
proporcio) torn de 5 8oo em Janeiro
com o cambio sobre Londres a 34 3 8 jo
em abril com o cambio a 3o 3,4 3,8oo em novembro com o cambio de a8.
ltimamente foi a qualidade superior a
mais proenrada e pagou-ae a preeos mui-
tu subidos ha vendo huma pequea par-
tida adamado uestes ltimos diaso peco
de 4ii6o e anda que ist nao deva ser-
vir de regia para a qualidade superior em
geral, visto que nao vale agora mais de
3,4oo at 3,9oo, ou em rigor 4>ooo, com
lulo deva estimular os oostos levredo-
res a la se re m esforcos para melhorarem a
qnilidade do geuero o mais que for poasi-
val; pois, anda que a differeoca oo pre-
go ua pagassa o costo addicional da pre-
pararlo o tempo,ea experiencia Ihas
ensinar a economisar este trabalbo de
manen a qua pooco mais Ibes costea pro-
dcelo do bom doqua a do roso; e astim
tomar o caf do Brasil o primairo lugar
nos mercados sstrangeiros. Qaal he o
motivo porque os productos eoloniaes das
oulraa nacas, geralmeete fallando, al-
canca muito maiore. precoi, o caf a > a
a5 por cauto, eoassucar i5 aoo por
ceuto do que os do Brasil ? Ser por quo
estes tem defeitoi inherentes e iusupera-
veis P Certauuente que nao. A rasio est
em serem aquellos cultivados a preparados
conforme os principios da sciencia. Sa o
Brasil adoptar estes melboramentos e
mostrar que ellas nao sao menos pratioa-
veis do qua proveitoioa em breve se ver
que nennum pas o excedo* uaquaulidade
e qualidade da* auas produeces,
Omappa qoe aja ritamos mottra qoea
expoi tacad do anno p. p. foi menos 74,657
aaccaa do que em 1836; porem abe-se
que por causa das grandes ohuvaa a colhei
la lo caf da aerra foi nimio taidia e
-que, poi consaquaacia tea chegado a-
t agora muito menos do que co>tamava a
vir, eealeula-se que a colheita toda de
i837 a 1838 ot aei menor antes, pro-
vavelroente maior do que a do auno an-
tecedente, poeto qua Uihou nos lugares
de beiramar. .
Os mpps aegaintea moi>tra5 o progres-
lo da cultura deste genero :
Em 18I8, 7$ai6Meeae} I82i, io5387
dita ; 18a4 229i79 ditas ; 1827 35o875
ditas: io3o, 391785 dita,5 i8J3, 563195
d.Ui; :836, ;485dit.a.
Expocttci dos annoi de qolbaita do 1.!
da julbo al 5o de junho segointe :
F?m i333 1834, 645695 saccas; i834
a 1835 537868 ditas; i855 a i836,
75oi28 ditas; 1836a 1837, 654398 di-
tas.
A expertacaS para oa partos dos Esta-
dos-Unidos fi em i856 de 3i7,431 sao-
cas, eeml837 ua passou da la8,5oo
saccas.
Quanto nova colheita, nao se poda
ainda formar hum juizo exacto: consta
que nos lugares bairamar promette ser a-
bundante porem que de aerra aeima tem
j soffrido por causa do muito caf do an-
uo passadoque ainda et as rvores para
colher e eitaremllas j oobertas da flor
do novo. Com tudo, ae at o mes de fe-
?sreiro for o lempo favoravel, a nova co
lheita daveser naS a maior sena tam-
bera melhor em qualidade e ehegar mais
esdo ao mercado do qoe a aetual.
Existem no marcado cerca de 10,000
sacoas.
Asauoar : A exportaca do anne ca-
lendario foi de carca de i7,ooo caixai e
assim manas 5,662 oaixase 10,808 barri-
cas sacias do que em i836. O prafo
deste genero tem oscillado entre 3,4 o pa-
ra oa redondos, e a.35o para oa masoa-
vos em Janeiro ; a,3oo R. e 1 ,a5o M. em
agosto e 2,700 R. e 1,600 M. em detam
bro ha vendo sido o valor medio do aooo
de 2,85o para oa redondos, o de 1,75o pa-
ra os mascavos.
Asafradei836 8*1837 l?0' menor d
que a do aooo antecdame e consta qoe
a actual tem falhado em grande parte;
mas, como as provincias do norte ae es-
pera que as afras sejad abundante, ha
de presumir que sendo os preeos do nosso
mareado mais favoraveis, ellas nos man-
demaa suaa sobras. De Seri^pe eotrara
duaa eml>ai cces csrragadas alaste genero
no me/, da dezembro p. p.
Os preoos do assuoar costumaS regular
naste mercado cima do valor relativo as
praeaa de Europa e p 'c-fa attribuir is-
lo em parte ao grande consumo da pro-
vincia, e s exportaces que deste genero
fxemoa para oa portos do sul do imperio,
do Rio de le Plata, Mar Pacifico ato.
Da Santos ha muito lempo que se roco-
bera soente pequeas por^-'s; a maior
parte da safra daqualla provincia ha ex-
portada em dimtura para differentes por-
tos;
Existem no mercado cerca de 3,000 cai-
xas.
Couros : A exportaeaS deste artigo
do nosso porto vai cada ves mais em de-
cadencia e ainda que boa ordem se
resiabeleca na proviocia do Rio Grande,
ha duvidoso que eto ramo do nosso com-
mercio creson pala probabilidade qua ha
da qoe a maior axpurtacaS se far em di-
reitura de l para os mer ados de consu-
mo : o preco medio do ann f<> do 195 ,
bavendo sido os extremos i6oe2i5, este
em maio e aquelle em seteuibo.
Existe no mercado cerca de 6,000 cou-
ros.
Algodio : Ae traoaaccoes naste arti-
go tem descido a hum pod^miito inig-
iiicaole, e consta que porvisausa das
grandes chuvas a colheita falhar iuteira-
maaleem Vlinas de sorte que m5 pode-
mos esperar dalii aopprimentos de consi-
deraga. He muito para lastimar que a
cultivaca deste importante artigo nao oo-
cupe mais a attcnca dos lavradores. Fi-
lemos huma experiencia na visinhanga
de.it i cidade em pooto pequeuo com si-
guas pi deste producto eom o mais
feliz resollado porque ti'5 noi morreo
huma ao planta, a o algodio que dallas
colhsm.-is depois de cuidadosamente pre-
parado mandamos para Maaehester, a-
onda foi julgado superior ao melhor algo-
dad de Peruambuoo.
Bara despaitar a atteoaaS que merece
esta importante ramo de eommercie da-
ramos us seguintea exeuaplos doaeii rpi-
do progres so :
Nos Estados Unidos, fui smenle de-
pois do estabeleciraento da independencia
em 1783 que na estados de Georgia a
d> Carolina se priooipioo a cultivar o al-
godio: no anno de 1795, exportoo-se 6
miibea da libras, am 1800 18 midios ,
em 1810 g3 milhes era i8a> i28 mi-
Ihai em 33o a98 milbai, t em i837
esperase que patse de 4'o mildss de li-
bras. O valor de foseadas de algodie ex-
portado doaEstados Unidos ca i835 foi
de 2:858,681 dolan.
A iinportaeaS deste genero as Gram-
Bretanha foi no anno de 1786 somante de
ao,000,000 libras, em 183o de a6.4,000,
000, e em i836 passou de 3oo,ooo,ooo
libras.
(Continuar-ie-ua.,) ,
THEATRO.
m W"" Hoje aa do crvente em Benefi-
cio de Garlos Basaini professor de Rebeca,
a companhia nacional executar a peca o
criado exampiar os entrvalos dos actos
sera5 prebenchdos com variacea da re-
beca executadas pelo' I3en> hcisdo, sendo
a ultima as Grandes variacSaa do mortal
Paganini executada am urna corda s.
AVIZOS DIVERSOS.
fla Um rapaz Brasileiroda muito boa
conducta sa ofiersce para csixero de
1 ua, ou da escriptorio, que para isso lem
bastante pratioa ; quem o pretender di-
rija-se ra do Fagundes casa tarrea D.
aa do lado direito a fallar com o mes-
roo.
WbV* No da i9 do corrento pelas 11
horas dodia desaparecen um meninobran
co de 8 a .9 annos de idade por nome
Francisco Jos de S em carona exinelos,
assibtecomseo pai no Convento de N. S.
do Carmo, ja com algumas luzos da pri-
meiras letras e como o dito menioo no
se agradou mais aprender com o sou pro-
prio pai, por isso faz ver ao publico, que
qualquar pessoao tiver recolhido por ca-
ridade, queira annunoiar por esta Oiario
para ae hir buscar que passoa nenhuma
0 podar possnir sera licanqa da seu pai.
f^" Precisa-sa de urna mulker que te-
nha um menioo que sirva a urna casa a
urna pesaos, na pracinha do Livramento
toja D. 25 a fallar com Joaquim Estanis-
lao d.1 Silva Gusmio.
*?W Quem precisar de um rapas por-
tugus para qualquer occopacio excepto
venda, annuocie a sua morada.
^^ O homein solteiro ou casado de
poooa familia que precisar de urna ama
forra paia a servido de casa dirija-se ao
muro da penba D. ai, que la achara com
quem tratar.
ajrja* No da ao rio correte nm negro
furtii U'b relogio de sahonete com um
cordo deouro e dois sinetes pequeos a
um grande e urna chave de sao ; a pet-
aos a quem for offerecido podar tmalo
e leva-lo ao heco da Liogoeita armasum 11.
4, qoe ser recorapen-ad.
t^> O Sr. Jos Vicente Lia5 queira
para aatisfacio de quem Iha coruprou o na
gro que sabe, apreseotar-lbe o papel
de compra que delle faz para combinar
crio negocio paiticolare de existir ou
no o vendedor Antonio Rodrigues jMa-
chado, aa falta de apiesentar o papel quan
to antas ficar enta reconhecido o dolo
que se tem su posto oeste nsgcoio do ne-
gro.
aja Urna pessoa que seacba parto des-
ta Cidade com conhecimeDtos da ea-
crilura Meroaolil dobrada e simples 1 e
alguns conhecimentos que tenfdaa lingoas
Inglea Francesa, sa offerece para lo-
mar conta daescriptoracio de alguma ca-
sa de commeroio, euju d fiadora sua con-
duota; quam o praisar anouncie por esta
folba.
a^aas Urna ama de leite com todas as
perfe.c6ei para crear: *>
da ra da Alegra, por detraz da Rtbeira
ultima casa.
Quero precisar de hura moco Bra-
tileiro de dada de i4 annos para oeixeiro
do loja de faienda a Fraocea ou roiu-
dezaa, e masmo para cobranca do que
tem pratca ; pois sabe ler ascrever e
- Sl fia J~- >- "finducta : en-
cornar, UB ----
uuncie. .
_ FortaraS do Ingar de S. Amaro no
da 1 4 para i5 do crvente mea hum oa-
r ... >a e; l>nm *alo
va lo ruco saja "'i""' ------ ..
sobreoespinbifo, bumamtrea. vermolua
do tamaabo da urna moeda de dois vin
tans sobre as oostellas de hum dos lados 9
huma marsa de ferro am hum quarto f
bam novo bam encascado, tem alguna
arranhee sobre a anca : recompensa-se
com ganerosidade a quem der notioias on-
de alie existe na fraea da Boavista D.
ai.
mm Hum Portngusz axaninadoam La-
tim 1 e Filosofa, e qua tem principies de
Geometra, se propoem a ensioar as pri-
mairas letras fra desta Praca I quem do
seo prest rao se qoiser utihaar, annuJ
ncie.
Precsa-se de cero mil rs. a premio;
dando-se peobores, ou bypotheca t a
fallar no Pateo de S. Pedro casa D. 9.
m, Precisa-se de ham Caixairo para ven-
da e de huma ama para caza de pouca
familia que aaibs cozinhar, engomar a
eoiaboar : na ra da Coaesicab da Boa-
vista O. 2a.
sjcpsB a humilde, e mui respeitoaa Ir J
n andflde do Snr. Bom Jess dos Martirios
da Igroja nova do Bairro de Santo Anto-i
no do Kecife pertende expor ao Respai-
tavel Publico a Sagrada Procissio de Ni
Sr. dos Martirios na forma doantigo coitu-
me, na tarde do dia a3 do crrante tnez, e
anno; para decoracio desse lio respaila-
val soto, e honra ao Sr., convida a todos
os Sanborea Reverendos Sacerdotea Seca-
lares, c Regulares, que eerapre cosluma-
rio a honrar esta lio piedoso acto eom a
sua assistencia, lavando aceto hum bran-
dio, que a pobre e devota Irmandade lhea
offerece. A mesma Irmandade sopplica
aoa Ilims. Snrs. 'iscoes do Bairro de 84
Antonio, e do Recife ae dignen) mandar
1 m par as roas, por onda bade passar o
Senhor, a honra he s d'Elle : e t Elle
saber, e poder retribuir cate obsequio*
com qua o bonrarem : bem cartos os Se-
nhores risoaes qoe Dos paga cam por
hum, e s pobre Irmandade ficar a o-
brigaeio de loovar seu xelo, e agradecer
sua devoclo. Por bem supplica a mesma
Irmandade ao Snr. Administrador doa
LampiSes que os tire das ras, e bscos a-
perlados para nao impedirem os andorosj}
e o palio. A Irmandade supplica em no-
me do Senhor qua o hornero com esle
obsequios, e a humas Autoridades Coris-
ta s, e piedozs3, qoe nfo sabem esperd*
car a menor occasiio de o bonrarem,
glorificareis, visto qua pessoalmente nao
podem lser tantos convites; e para cons-
tar qoe el les slo fsitos por erdeca da mes-
ma Irmandade, vai este asiignado pela
seo Secretario
Jos da Trio da de Gravatar.
Detrs do Corpo Santo no armaseis ds
moldados da casa D. 67 ha superior i*ra
em vellas de libra, de meia, da 3, 4, 5
6, 7, a 10 am libra fabricada aoRioda
Janeiro, isto em eaxas.
sjpa P.ocisa-se de urna casa terrea era
boa rus no Bairro do Santo Antonio
que o seu pttiqo nao exceda de 7 a 8 mil
res mensaes, dasso fiador ou mesas adi-
entado alias quem queira traspasar a
chave daodo-se-lhe alguma luvas : quam
0 pertender dirija-so a rus da Cadaia da
Ssnto Antonio casa da Capeleiio D. I. pa-
ra tratar.
Quera annuncou querer ser feitot
de hum cilio, dirija ae ao sobrado pausan-
do a Igreja dos Martirios primeiro andar.
a/y Precisa-se de urna esorava para t
servido interno de urna casa a que eort)
especialidade saiba engomar : quem a li
ver e a queira allugar aanuncie, ou di-
1 i ja se ao 1. andar dos sobrados D. 4>
na rus Moeda.
___ Negocia-se urna Letra de fr.ooo
de rcis, para se obrar : a qoem convier,'
querendo vista se far todo onegocio;
dirigindo ss rus da Florentina, vindo da
mar terceira casa larrea dir ita.
arja Precisa-se de urna ama de leite q
seja prete forra, ou cativa : annunoiepa^
ra ser procurada.
___ Precisa sede a:ooo,eoo rs. a pre-
mio de ia5o, hypotbecaodo-se predios ,
que valem o dobro; e se pagarlo os ju.
rosa 6 uu la mezes, estsndo desembara-
cado e o tempe sa tractsr com a passoa ,
que fiser o negocio: anonade.
%jm> Prec8a-se alugar um andar de
nm aobrado no Buirro do Recifa ou casa
terrea embora seja am Fera de Portas ;
uwta ?'TPBf*> l! dJ,ii
-i"


4
DIAIIO II MMAMltO.
J
*/y Uia rapaz Portuguez chtgado|a
jteuco a esta provincia se o lie rece para cai
xeiro de algamarmasem toja, ou par
obrascas de ra ed fiador a saa con-
ducta ; quam se quiser servir do siu pres-
umo dirija-sea rus da Madre de Deo
loja da Joa Leitt Fita Ortigaeira ou
aauuncie por esta mtsmo peridico.
f/9* Aluga-se um aegro para padaria
de qual tem bastante pratiea : na ra do
Queimtdo loja D. 7.
ajrfjr Aluga-itj urna escrava que co-
2uha o diario de urna easa e qae tam-
bera sirva de porta fora no sobrado de
Antonio Annes ra do Feguudes, qae tem
a entrad* pala a ra da praia.
=s Qaam quisar mandar faier almo-
co j'iilar a ceia, mensalmente ou
qualquer destas coutas urna ou ou'.ra vet,
pode dirigir-st a ra da bequiuba da S.
l'edro em Olinda esa n. 17.
/gp Aluga-se ama morada da casa itn
Olioda no pateo do Amparo n. 5 quera
a quiser dirija-se a mesma Cidade na ra
de Malinas Ferreira n 4o.
Wkv* A quem .'he convier dar a pra-
mio de um e recio por cauto, 1 4oo$ooo
Lypothecaado-se para esta quantia ama
.propriedade livre e dasembaiassada ao-
noncia ou dirija-seao pateo do Livra-
tnento botica D. i, que abi se Iba dii
quam pretende.
WW Aindaee continua a aforar o rrs-
tinte doa dois terrenos situados na estrada
da Solidade para o manguinho defronte
xnasmo da pontee da parte da estrida
qua segu do manguinho para a Igrc-ja dos
Afilelos principiando logo do tim da ca-
sa nova do seo proprietario o Du-embar-
gador Tbomaz Antonio Maciel Mouteiro,
canteado o fundo da cada ara palmo ato-
rado cem ditos, e na razao de 3ao rs.
cada um palmo aforado: adveitiudo po-
rem, qae um e outro terreno, be todo
enchuto, e beneficiado e prompto para
logseedificireui propiedades, indepen-
dente da outro qualquer trabalbo quan
do pelo contrario nio suceda assira, cun
outros te ranos por aquellas imediacos ,
que em lat.acal se tam aforado e pelo
xnaamo preco : os pretendentes entendi
ae com o Escdvio Almeie'a em seu cario-
rio na roa das Tdncheiras, que est mu-
llido de poderes pira fazer laas afoivmeu-
tos.
MP No sobrado di quina da roa das
Cruzas jauto a praca txiste nra rapaz
que fuio do mato para se arraojar era
gualqueroccupaeoa excepga da vend;
taba ler, escrever, e coui.u be brasileiro
e da fiador a im conducta o qual daseja
platicar kno commeraio tem 14 anuos
de idade.
J^e Os Administradora, da massa do
fallecido Francisco Jo. da Ccst> Guima-
res, ftzempublieo, qua le vei proceder
no da a3 de Margo do corrate is 4 horas
da tarde, perante o Juizo dos O fies De
Martiuiano da Rocha Bastos a arremalago
doouroa prata perteuoente ao dito casal
ascondiceo sicas do cotturue e Lai.
tflkv* Deseja-se fallar ao Sr. Antonio de
tal Boticario chegado a pouco da Ilha
da Madeira : quiira aununcier a sua mo-
rada para ser procurado.
b^ A psssua que annunciou quer. r
4:ooo$ooo rs. a juros, cora bypotheca
em ama boa propdedade annuude a sua
morada. '
WW^ Arrenda-se, ou vende-so o sitio
de Luiz de Mello Albuquerque Pita na
estrada que vai para o montairo para ci-
ma ponto para a ponte de Uoha no la-
do direito estiema cora o aitio que fui de
Antonio Ferreira da Parias, hoja do Sr.
Elias Baptista grande, bastantes frutei-
as e Ma para nao piquera farai ia e
fornode cozinharpio: a filiar com Fran-
cisco Manoel da Silva 'lavar e?.
tfp O Sr. Jos das Neves Moraira
queira procurar na ra do CollegioD. 6 ,
terceiro anddr ume caita e urnas encomen-
d s Vindas de fora para te Ihe entregar,
d< ii.anhaa at es 9 horas, e das 4 da
taiiiu em Junte, ou annuucie a sua mo-
rada para -.er procurada.
tS> l'r-cisa-se de um estrangriro pa-
ra fetor Je um sitio porto da praca, seu-
do peritioaotu seu trabalbo se trie paga
bom ordeo.ao. dirijssc ses Martirios
primeiro sobrado no primeiro andar.
99* Um rapa.aPtzi|,iro que exami.
nedo em Latim e entende de Fraocez
seofferece para caxeiro de qualquer re-
partieo (mauoi van da ) 00 escrever em
algum car torio : a p"ssoa qae quiser pro-
cure as loja de Senhor Meroz qae elle
dir.
LEILAO.
- O Leilad de Crabtre, Heywort &
Companhia annuneiadopara o da arfe 32
do crtente 0E0 tem tido lugar por motivo
da chava, esar nodieaa oa ai do cor-
rete oaso o tempopermita.
NAVIOS ACARGA.
Para Maranhio.
Sabir' impreterivelmeale no dii 23 do
correte o Pataxo Nacional Amelia a
Cspid Joaquira Duarte de Soaza Aguiar:
quam ao mesmo quizer hir de passagami
para o que tem excedentes commodos,
pode dengir-se eo Capitio do mesmo oa
a Manoel Francisco Pootes.
COMPRAS.
t^> Um Euclidas um Pope Iliada ;
quem o tiver annuncie.
0^" Urna negro de 18 a ao ennos de
idade, para todo o servico de urna casa e
sam vicio algum a pe>soa que o tiver e
quiser Vender dirija-seao atierro da Boa-
vista D. 1 f, que la achara cora quem tra-
tar.
jr^ Um cavallo grande novo que
sirva par* pigem e que nao tanha acha-
ques ; por pieco camuiod quem o ti-
ver o queira vender dirija-se as 5 pon-
as D. 3 loja de fazendas de Antonio Jo-
s Teixei; a Bastos, onde se dir quem pre-
tende comprar ouanuuncie sua mota-
da para ser procurado.
VENDA.
W- Urna vinda cora pouoos fondor ,
e de rnuito bom lugar pois be na gema da
Cidade no bairro de S. Antonio nesta Ty-
pografia e dir aonde be.
ffl^" Patacho Brazileiro Intrpido ,
proxiraaraenle chegidoda Baha be p-
timo de valla forrado de cabr, o echa-
se prompto a seguir vagem : quem op-
patlender pode diiijir-sa a oa borda e
para o ajuste a ra da Cruz, n. by segn,
do andar.
arar Urna negra da cosa cozinbeira,
de 25 ou abanos q,i travessa da Glo-
ria na quinada ra da Alegra casas
do Senhor Pessas.
S> A quem queira fazer negocio urna
parle de o ni bom hitio que tocou a um er-
deiro uo valor de i:a47$ooo rs. a vista do
comprador se eaplicara o negocio, e pro-
mele-ae fazer lodo o negocio por se preci-
tar do diuheirOj quera o perteader procu-
re ua ra Augusta asa da vi uva de Mora-
es euameamatem um criado* carnicei-
ro para se alugar para o trabalbo de assou-
gue, ou para a campia quam o pie-
tender ua uiesma casa achara com quem
tratar.
3P" 4oo couros de cabra curtidos duas
caixas de sparelho de cultura de prata ,
por preco commodo : 00 beco do Lobato
. 3i.
WW Urna negra de naeo, idade 25
annos pouco raais ou menos, boa figura ,
era saboa engomma lizo faz renda e
cozmba o diario da urna casa ua ra da
Sanzalla volba, no primeiro andar da ca-
sa n. 8o ao p da loja de marcineiro de
Rezende Alves da Silva.
~ Ou truca-se, por cazas terreas,
hum sitio 00 lugar do Pamhal oom da-
as cazas, com commodos para grande f*-
milia cacimb, e aiJlo ai voredo :
quem psriender dito negocio dirija-se a
ra di Hoda caza N. 29.
ItJP Huma preta da idade de 18 a 20
annos, de banita tigura sabe onziubar ,
lavar roupa e todo o mais arraojo da u-
ma caza cuja e>crava se vende por ceno
ejnivo que .' vista do comprador se di-
r' : quem a pertender dirija-se a rm do
Vigaunno Recife easa N. i7 io3.=a.
dar at as 9 horas da mauhaa e do aeio
da t as 3 4a tarde,
V41* Urna preta de multo bonita figura,
idade de 18 a ao annoa sabe lavar .ao-
zinhar e vende na ra -a qual se vende
por motivos particulares que ao compra-
dor se ibediiio nio sendo estes por de
Jeitos que tanha a dita escrava as pessoaa
que a quizerem ver se pdeos dirijir a ra
do Vigario catea n. I7 no terceiro andar
de mantu th 9 horas, e na falla de meio-
dia th as 5 da tarde.
t> Urna cadeira de bracos com os
seas pertences um espausdor grande ,
urna sella e urna pedra de marmore :
quem os pertender entendi se com o Es*
crivo Almeida eos mesmos movis;
quemosqnii r ver, dirija-sa a loja de
movis, que fica por baixo do Oeuctor
Navarro : ua ra nova.
mT* Urna preta de uiqo que sabe co-
zinharo diario de urna casa, lava do var-
rella e sabio em tende de servico de
campo por ja ter estado em Engenho ,
e he boa quitandeira : no beco da Polso-
brado D. 1 no primeiro andar.
e/p 'Urna escrava de naci da costa ,
com idade de 2a a 24 annos, engomma ,
cozinba lava de varrella e sabio decla-
ra-seque tambera se troca por outra es-
crava assimcomoum muleque de 7 a 8
anuos ptimo para servir uma casa : na
ra Direita O. ao quem vem das cinco
Pontas lado direito
e/ap* Um rnuleqne de idade 9 a 10 an-
uos, sera vicio e muito sadio por pre-
co commodo tambera se vende um ne-
gro de naci cacanga de idade pouco
maii ou menos 25 annos, com oficio de
serrador muito pulsante por prego com-
modo : na 1 ua estreita do Hozado venda
nova D. a8.
e/f^ Um esenvo deangolla canueiro
capinbeiro e tambero ganha na ra e
uma escrava, de todo o servico delicado
de uma caa a qual homulita e muito al-
vi, no sobrado atrs do Rozado D. 25.
9Z9 Bixas do Porto grandes e peque-
as troca se as que nio pagarem Atum a
loo m. a libra : na praca da Boa-vista D-
cima 9.
le^e- Um aparelho novo de prata para
cb, e do ultimo gosto chegado prxi-
mamente: na ra do Raogel D. 2i lado
direito hindo para Ribeira.
ty Arros de casca em sacas na ven-
da da quina do beco da Pol da parte dos
O.iarteis.
*W O pertences de uma retinace en-
teira : na ra Direita U. 3a.
rje* Dois escravos, um muleque boni-
ta figura de lo a 12 annos ptimo pa-
ra a prender qualquer otlicio i e para ser-
vir uma casa uma escrava de rucio pti-
ma para todo o servico da casa e boa
vendedeira de roa : na ra do Fogo De-
cima j i.
Arros em sacca : n> {ra do Cres-
po L). 7 lado do sul.
aK> Umaduzia de cadetras francesas
de asseutode pal ha : na pracinha do Li-
vi amento loja D. ao.
VW Renda finas de fil lencos pe-
los de seda da marca grande p ira pesro-
co lizos e de cordioziobo requirimos
pescociuhosde fil bordado para Sanhora
luvas de todas as cores para homans j sos-
peusoros elsticos e de resto a finicimos
estojos do navalhas famozas : na roa da
Coft.eiciada Boa-vista loja defionte da
Igreja.
^" Uma preta de 18 a ao annos de
dade bonita figura propia de dentro
de casa por sibar bem cozar engommar,
e cozinbar o diario de uma casa -. quam a
quiser comprar dirija-se a Sanzalla nova
por de tras da casa do falecido Bento Jos
da Costa eobradinbo de um andar*
----- Luvas de peca de superior quali-
dade: na pracinba do Livramento loja
D. ao.
W" Moendas horisontaes e verticaes
Unto de agoa como de animal e um oran-
de sortimeoto de taixas de ferro balido e
fundido de todos os tamauhos um jogo
de taixas de cobre mui bem taitas. Igu-
almente se espea por todo este mez ma-
quinas de vapor com saas competentes
moendas de diflvreotes tamanhos e largas:
em casa de Fox & Stodut, roa da San*
zalla nova n. 1.
_ Hurn spIcd osado com todo eo ana-
ralbo : ua ra da Cuuceita da Boavisti
Dt
Bixas de moito boa qoalidade por
preco eommodo grandes e pequeas: Q0
Atierro da Boa-vista na primeira venda a
o p da ponte.
V9> 3a pares de ancoras novas arqaia-
das de ferro proprias para mtalo : quem
a" pertender dirija-se a roa do Queimado
loja de farragem D. 5.
Huma escrava hbil para todo o ser-
vido, com algumas habilidades: na ra
Augusta lado do nasceate, em a caza
nova.
r-rr Uma escra va de ai annos e boni-
ta, muito fiel, sabe cozrabar lavar rou-
pa, aboa compradeira e dir-se-ha ao
compradora rasao por que se vende: neso
ta Typ. se di> quem vende.
WP" Cootiuua-se a vender leite muito
superior a 5o rs. a medida e j vae ten-
do bastante extraccio : ims 5 Pontas em
caza de Francisco Jos dos Prazeres Cam-
boim.
ESCRAVOS FGIDOS.
JV Romana crioula fugio em a3 de
Setumbro do anno p. p. com os signaes
ssguintes: ja velha baixa e muito fil-
ia de dentes, foi captiva de Joaquim da
Fonseca Sones de Figqeiredo que leve
olaria ao mooteirO era cujo lugar se des-
confia andar a dita preta por haver
quam a tivesse visto la ha tampo : qaam
a pegara entregar a seu Sr. no atierro da
Boa- vista D. l7, que" sa Ihe dar a quan-
tia de ao<$ooo iis.
W Fugio na madrugada do da 14 de
correte duas escravas ladinas sendo
Roza e Maltides, a primeira de nacao poo
rem viada enanca muito ladina baix-
gordo paituda cor a fulada com du-
as sicalrtses as costas e ter 2o annos de
idade vestido de chita branca flores sor-
tas comprada ao Ssnhor Affonco Jos da
Oliveira morador no beco do Padre na(l
primeiro andar a segunda raparida cri-
oula do matto alta bem parecida retin-
ta con uai vestido azul escuro riscas
enxadres e tara de idade de i4 annos ,
comprado ao Senhor Gaspar Jos dos Re-
s morador em tora de Portas a. 54 re-
commenda se a todas as aathoridadea Po-
liriaes da Cidade; e fora nos arebaldes,
queseado pegadas as entreguem a seu Ser
nhor na ra da Cadeia bairro do Recife na
casa o. 16 segundo and ir de fronte da lio-
tica do Seohor Vicente Jos de Brito que
ser bem gratificado.
ajr^r* Em Marco de 1834 furtaro ou
fugiro do sitio dos arcos na Cidade de
Olinda a Jos Thomaz da Silva proprie-
tario do engeubo mscate em Uuns, 9
moleqaescam os signaes seguintes : Cae-
tino nacao Conga idade quando tfugio
17 anoos pouco mais oa menos esta-
lara alta rosto eomprido olhos papa-
dos boca grande, e beicudo, dente
muito limados alguraa eoisa sardo, p*
grossos e fmos secco do corpo e meio
fula: Gregrorio benguella estatura regu-
lar rosio redondo nao feio denles
alvos e bonitos cambado das pernas e
um dedo grande de nm p rollado para
baixo cheio do corpo e o terceiro |de
nome Antonio baca appareceu agora
vindo da cadeia da Babia onde se achava
preso e diz que fora da qui com um ca-
pitio de navio que o levou para bordo a
titulo de levar um fele; portento quem
do* mesmos soubar ou tiver noticias o
la vem ao rafeado engenho e nesta pra-
ea a Joaquim Pereirade Mendonca mora-
dor na roa das Cruz-s D. 7 que sarfo ge*
nerosamente recompensados.
_ No dia 19 do crranle fogio do Reci-
ta hum muleque creoulo de nome Tho-
maz, que representa ler i5 a 18 anuos,
estatura baixa grosio do corpo levna
cilsa e carniza de algodio da trra e xa-
peo de baeta de copa alta na cabeea. fio-
ga.se r quem delle tiver noticia o mande
aprehender, e faser conduzir a aza de
Antonio Pareira da Cnnha morador no
largo da ra da Crnz do Recife qae gra-
tificara' generosamente a pestoa que Ib o
aprfspnta'. t
Entilas Oo iN. mctedeula.
No artigo Necrologa em lugar de
17799 lea-se I799 febre ataaica, leer
se ataxica etc. etc.
Pl|a1t SIA TiP, B* 5 BaJ FAWA|Sl838