Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08626

Full Text

Anno
XXIV.
.....-. 1
Sabbado *fl
n ni III!0 publlca-se todos o das que nao
" ne guarda: o preca da as.ig natura he
l|guaiilespagaraol
ti" j-po dlfferenie, por cada publica;no.
PBASES DA LA NO MEZ E AGOSTO..
r,..rmle. a7, 'a 37 mln. da irtanh.
nSriW,4.*"orM e 56 mln.datard.
""' I horae 48 mln. da tard.
boraa e 42 inin. da tard.
Jfh.eooi.lc.a21,a
uanow. a 2, as i
PARTIDA DOS CORREIOS.
Golanna e Parabiba, s sogj. e sextas-felras.
Hio-G.-do-Nortc, qulntis-felras ao mcio-dia.
Cabo, Serlnhacm, Rio-Formo.o, Porto-Calvo
c Macelo, no I., a 11 e 21 d cada uicz.
Garanhuns e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vista e Flores, a 13 e 28.
Victoria, s quinta.-feiras. '
linda, todos bsdias.
PREAMAR DE 1IUJK.
Priineira, a2 horas e54 minutos da tarde.
Segunda, a 3horas e 18 minutos da manh.
de Agosto de 18*8.
IV. IJH).
DAS DA SEMANA.
21 Segunda. S. Joanua Francisca. Aud. do
J. dosorph.do J docir.edoj. II. da2.v.
22 Terca. S. Tlirinuico. Aud. do J. do C. da
1. v. c do J. de paz do 2. dist de t.
23 QuarU. S. Felippe llcnicio. Aud. do J.
do c. da 2. v. e do J. de paz do '2 dist. del.
24 Quinta. >x.. S. liartiinlomeo.
25 Sel"a-S. Lu/, re de Franca. Aud. do J.
do civ. e do J. de paz do I dist. de t.
20 Sabbado. S. Zeferlno. Aud. do J. do c.
v. e do J. de paz do 1 dist. de t.
27 Domingo. O Sagrado Cora o 3 o de Mara.
CAMBIOS NO DA 25 DE AGOSTO.
Sobre Londres a 23 d. por IfOOO rs. a 60 d
Paris a 345 e 350 rs. por franco. Nom.
Lisboa 112 por eento de premio.
Rlo-de-.liii.'ini SO ai'.
Oesc. de lett de bou Urinas a I'/, X ao mes
Acedesda cotnp. de l'eberlbe, a511/rs .ion.
Oaro.-Oncas hespanholas 32*000 a 32/2ix>
MuVdas de 6^400 v. 17^400 a 17/flOO
de 6/400 n. 16/1)00 a 16/200
. de 4/000... 9/200 a 9/400
PealoPatacoes brasilelros 2/020 a 2/040
. Pesos columnarios 2/020 a 2/040
Ditos mexicanos..... 1/870 a l/WO
PERNAMBUCO,
lill
i
Cmara municipal do Recite.
SESSftO KXTRAOHDI.NARIA EM 28 I)K JDl.rlO
BE 1848.
NlSStDKKCIA DO SENH0R RECO ALBQUEItQUE.
Presentes os Srs. Barros, Dr. Aquiuo, Ferreira e Ma-
incde, abrio-se a scss.o, sendo lina e approvada a acta
ja antecedente.
O secretario fez a leitura dos seguimos rnelos :
Um do Exm. presidente da provincia, remetiendo, por
copla, o aviso le 15 de juiho ultimo, solrendo duvdas
acerca da lei regulameutar das clcices. Que scaocH-
asse a recepefio, e se reinettessem iguaes copias aos jul*
tes de paz dos primeiros districtos das freguezias do
UUUlilp'O-
Outro do mesmo presidente,ordenando que esta cama-
proporeionasse aos deputados Luiz Ignacio Ribeiro
.na, Filippe Carnelro deOlnda Catnpelloc Tiburlino
uto de Aluieida s esclarecimentos deque prcisas-
sem para poderem conhecer do estado dos cofres da
municipalidad?, visto como ihes liavia a a'ssemblea pro-
vincial encarregado ctse exanic.Inteirada, e qu se
aecusasse o receblinento ese parlicipasse contadura
municipal.
Outro do mesmo presidente, participando haver a as.
scniblt'a provincial approvado o parecer, que por co-
pia reiuettia, da respectiva commlssao de contas c or-
camento. de cmaras, acerca das contas de receila e des-
peza desla, pertencentes ao auno finaneciro de 1846
a 1847. Inteirada, eqoe e aecusasse a recepcao, e se
paiticipaise referida contadoria.
Outro da cmara municipal do Bonto.accusando a rc-
cepeo do desta ein que Ih parlicipava haver lomado
posse da admiuislraco desta provincia o 1." vice-presi-
licuie Domingos Malaqafa de Aguter Pire: Ferreira. -
Inteirada.
OutTO do fiscal desta freguezia, pediudo esclareeimen
tos obre a obra que pretende fazer ein o arsenal de
guerra o respectivo inspector. Que consentase fazer-
se a nova cdiHcaco, semelhante a que ja existe.
Outro do mesmo fiscal, participando ter adiado Ma-
noel Rodrigues Pinto vendendo na sua intitulada casa
de drogas, na ruado Colfegio n.23, os remedios constan
tes da relacao que remettia, c que, sendo alguns ilelle*
de substancias venenosas, como llie informaran) os
ptiaruraceuticos a qucni consultou, pedia Idsse coin lu-
do ouvido o concelho de salubridade, aflm de que dsse
sua opinio acercada naiiiro/a dos remedios.Que Cos-
se ouvido o concelho de salubridade.
Outro do cordeador Rodrigues Selle; presentando,
para ser approvada, a planta da Capunga coin um pro-
jecto de arruaiiieutn aperfeicoando as ras e travessas
existentes naquelle lugar. Que se remeltesse i coin-
inisso de edificaran para examina-la.
Oulro do procurador Mello Pacheco, participando que
o recurso de revista que iiilerpozcra na causa de exap-
propriacao enlre o Dr. Joo Ferreira da Silva e esta c-
mara, fura prvido p lo supremo tribunal deju.llca,
sendo o fcllo remettido relacao do Maranhio, para ter
o devido julgainento. Inteirada.
Outro do mesmo procurador, reqderendo se Me man-
daste abonar a quautia de 3:100/000 re. que no decur-
so de seis aiinos despender cotu um solicitador das cau-
sas desta cmara, e cun um agente para o ajudar as
cobraucas e trabalhos da ra, provando coui rasos a
uecessi lado- que a islo o obrignu, e juntando recibos
dos inesmos. .Que fsse ouvlda a comuils>So de pe-
lices.
O/ilrodo mesmo procurador, pedindo se lheniandas-
- v 'abollar a quantla de 1:280/675 ris que levara ein con-
ta a Joao Hilario de Barros, como eucorregado da afer-
co por adminlstracito, no auno de 1844 a 1845, quan-
do se mandn por ein ctccucao u novo regiment, lem-
po ein cjue eslava eslabclccido por esta cmara o paga-
mento de 15 por cenia aos aferidores, ein virludc du que
dera ao dito llanos, segundo a&fulhas que Ihe ia apir
sentando, as|Uantlas de que precisava para as despezas
do expediente, at aquella somin cimas masque, leq-
do rile aferidor'requerido a porcentagem que Ihe era
ilevida, luandou-se-lhc s pagar a gratincacSo de600/000
ris, coni-o que n3o se conformando, replicou cmara,
< .no agora nao leve deciso, estando elle procurador
debitado na quautia paga. O mesmo destino.
Outro do fiscal do Reclfe, pediudo se Ihe mandaste
pagar a quanlia de 12/ltOO ris que despender coin o des-
eniiipiiieiitu c limprza de urna valla no porto velho das
canoas, e ao eirurgiao Jos Antonio Marques a de 3/200
ris de um exame de sade.que nzera em o dia 4 de eor-
renle. Que tepassassein mandados.
Outro do fiscal d Boa-Vista, pedindo se mandasse pa
gar ao thesoui eiro da irmandade du Souliur-lloui-Jess,
ua igrejadaSanla-Ciuz, a quautia de 14/ ris,importan-
cia de entrramentu de 5 cadveres eiicoiurados em di-
versas parageiis daquella freguezia. conforme a conla
quejuntou do uiesmo Ihesourelro. Que se passaSst
mandado.
O Sr. vereador AqUino fes o seguinte rcquerimeulo
que foi approvado: \
Haveud irregularidade uo registro dos [diplomas
dos facultativos, boticarios e partriras, residentes ueste
munleiplu, requeiro que baja um livro especial para o
sen i.inc.imeniu, c que coin a utaior urgencia se satisfa-
ce a disposicao do artigo I).* do titulo 2.u das posturas
ntinicipaes. Ai/uho. m
Deliberou a cantara que, por inteimedio do Exm- pre-
sidente da provnola, se pedisse assembla a elevaco
da quota destinada na le du orcamento municipal vi-
gente para n calcaniento do pateo do Carino por a quau-
tia de 11:200/000 ris, visto nao bailar a ja designada
em vista do ornamento arpie se iiiainlou proceder da-
quella obra.
Conipai oceu o cidadao Francisco Cavalcantr de Souza
Leo, suppleute do juizo de paz do 2." dstricto da fre-
guezia de Jaboalao, e presloa o juramentu do etlylo.
Despachaiam-se as petcOes de Anlouio de Azevedo,
de Claudio Dubeux, de GustavoJos do Reg, de Joa-
Itliul FRanoTcs llio, d Jos Fonseca da Silva, se Joaqulut da Silva l'e-
I reir, de Joo Francisco de Ollveira. do Dr. Sabino Ole-
gario I.udg-To l'lnho, de Thom Jos de Souza, e levan-
i tou-se a sesso. Ku, Joo Jote Perrina ttt A$uia*, te-
* cretario, a subscrevl. /?ao Albuqturqiu, presidente. --
Dr. try da Fornica. Aquino. Barros. Karata.
COMPANHIA DE BEBEltlfiE.
RTICO 5 DA LEI PROVINCIAL N. 46, DE 14 DE JU
NHO DE 1837.
i O governo da provincia garante ein toda a sua ple-
nitude o privilegio exclusivo e a propriedade da coinpa-
iiliia durante o lempa do mesmo privilegio e contrato,
na forma determinada uesta lei.
ARTIGO 3. DO CONTRATO DE 11 DE DE/.EUBRO
DE 1838.
Que depois de principiado o privilegio, ningucm po-
der vender goa ao povo, sol) pena de pagar couipa-
nliia urna multa igual ao dobro do valor d'agoa .pie trou-
xer a canoa ou lancha, pudendo, porm, as embarca-
v5cs manda-!: bttscK i propria for.tc Cota UMOhM W-
poladas por marinheiros.
ARTIGO 7. DO MESMO CONTRATO.
Qne o governo dar todo auxilio necessorio para a
boa execucn dos regulainentos que a companhia llzcr,
teudenles boa arrecada(ao dos scus inleresscs, e que
scro approvados pelo governo.
Hrqulamrnto para ixeturao to artiqo ttrctiro do contrato de
II de (Irzembro de 1838, que eilabilece a multa contra o
infract ir do prioilegio exclusivo concedido eompanftiu
de lleberilie, e para obstar a damni/lcaea das obras e das
maltas pertencentes d empresa do eneanamcnlo das agoas
do /'lidi.
Art. I. O administrador, agente, viga ou qualquer
outro empregado da companhia, que se" mostrar com-
petentemente titulado, poder fazer apprehensao as
canoas, lanchas, carrocas, toneis, pipas, ou outrosquaes-
quer vasos em que se cuuduzir ou se distribuir agoa
potavel para o consiim o desta cidade, qitando nao te-
nhaaidu comprada nos chafarzes e depsitos da mesilla
companhia.
Art. 2. Feita a apprehcnsiio,chamar lies pessoas pa-
ra servrem de leslcmunhas, e avaliareui o valor d'a-
goa apprehendida na rasao de vinle ris o balde ordi-
nario, a qual ser (inmediatamente lancada lora, lican-
dp a canoa, lancha, carroca, ou asilha em deposito e
tubjeta ao pagamento da multa do duplo do valor da
inesma agoa.
Art. 3. O deposito das ciiibarcacAes apprcliendidas
serfeito no arsenal d* marinha. e tinri a cuidado Un
pessoa que for designada pelo respectivo inspector ; e
dos mais objectos em mo de qualquer particular que
dellespossa dar conta : o levantanienlo du deposito,
porm, s se far vista de deelaracao por escripto do
director da companhia, ou por ordem do juiz de paz do
dstricto, guando tiver lugar a arrematadlo.
Art. 4 O administrador da companhia, c na sua fal-
ta o agente ou viga, lavrar termo da achada, npprc-
heoso e deposito, ein que assignara coiu as testemu-
nhas e depositario, declarando o nome da jiessoa
nupm ertecer o objecto apprehendtdo. n valor d'tgua.
e as mais circUinstancias relativas apprehensao c de-
posito.
Art. 5. he o dono da canoa, lancha, ou objeclo ap-
prchendidu o nao reclamar, neui pagar a inulta en que
tiver incurrido, dentro do praso de tres dias, sera o
mesmo objecto arrematado, e do scu producto, dedu-
tidas as despezas da arremaiacao, se extrahir o valor
da inulta. '
Art. 6. Aaricmatavao ser feita requisicuo do di-
rector da companhia perantc o juiz de paz do dstric-
to ein que se houver depositado o ubjecto apprchcu-
dido.
Art. 7. Realisada a inulta, ser dividida ein duas par-
tes guaes, motado, para o apprchensor, e melade para
o grande hospital de caridade desta provincia, a eujo
Ihesourelro ser entregue como doacao da companhia.
Art. 8. Nao ser admttida as -contraventores que
Indevidamentc couduzirem ou dstrbnrem agoa, ou-
tra dolosa que nao seja a exhibido de documentos em
que se m.....em expressaineiilc autorisados pela admi-
niiiiisii.ie.io da companhia.
Art. 9. S licaro isenlas de apprehcnsiio as lanchas
tripoladas por marinheiros, perteucentet s einbarca-
{Oes que mandarein buscar agoa para o aeu particular
consumo.
Art. 10. As candas, lanchas e carrocas que condu-
zirom agoa para os lugares que nao sao fornecidos pelos
chalarizes c depusito da compauhia, deveiu ter escrip-
to na popa ein letlra grandes, que se possain ler em
distancia, o nome do lugar para onde se dcstinaiu, e du-
rante o transito nao poderao aportar, iiem parar uas
praias ou ras desta cidade, s'b pena de serrn appre-
hendidas.
Art. II. Tambern lera lugar a apprehensao. e se pro-
ceder nos termos du presente rrgulaincnto acerca dos
individuos que tiraren) lenha ou madeirus das mallas
pertencentes a companhia e destinadas a cobrirem as
nasceutes do Prata, deveude fazer-sc a detensao e ap-
prehensao, c em vez de arreuiataco cuiregar-se a
companhia a madeira ou lenha que for indevida ou
claudcstinaiiienlc cortada ein ditas mallas, por seren
de sua propriedade.
Ait. 12. Os ageutes de polica, assim como os guardas
polciaes, prohbiro que sejaiu aberlos os depsitos,
respiradores e turneir.is do aqueduclo e dos chalarizes,
quando nao e adiar prsenle o administrador, ou ou
tro empregado da compauhia ; nao consentirn
para a reparaciio do dainno causado c Imposcao da pe-
na em que tiver incorrido o Infractor.
Art. 15. Serao dispensados do servico da guarda na-
cional e do municipio os empregado* da coiiipauhia,
que tivcieni oceupacao diaria c constante, quando as-
sim o reclamar a adinnslracao da mesina.
Art. 16. O presente regiilamento, de conrornudade
com o artigo 7 do contrato de I! de dezrmbro de 1838
e quinto da lei n. 46, de H de junho de 1837, ter for-
ra obrigatoria, c as autoridades a quein o conhecimen-
lu delle peitcncer Ihe daio plena e ntcira.cxecuco.
Pernainbuco, 8 de juiho de 1848. francisco Antonio de
Oliveira, presidente. liento ose Fernandes Barros, se-
cretarlo. Approvo. Palacio de Pe nambuco, 17 de a-
gosto de 1848. *la Pinto. Conforme. Jos Ignacio
Soaresde Mncedo, ollicial da secretarla.
lK01A<;.VXI>A HO.MIEOPTICA.
XIII
Em BMJlSlM m tu** <*< '"J". PSlMISI v*w
fes n/tn ,.-W..i.
J romplelou-se uinuiezde miiiha estada em Pernam-
buco. No dia 14 de juiho aqui eheguei no mesmo vapor
em que vieram o Exm. Sr. presidente da provincia e o
llliu. Sr. doulor chefe de polica. Quero, porlanto, dar
conta au publico dos trabalhos du mou consultorio du-
rante este curto periodo de lempo. O publico tein di-
relto de saber da eslatistica medica, qur houxeopalica,
quir allopathlca. para bein poder conhecer da preferen-
cia que deve dar a um ou outro systema. Eu da mi-
cha parte cumprircl este dever cmii tuda a franqueza
que me caraclerisa, e com aquella boa f que deve am-
mar ao homein verdaderamente mame da liumanida-
de. Nenhuma oonsideracSo, nenhuin nterrsse pessoal
me faiii esconder a verdade, simia que ella seja toda con-
balhos durante este inez com toda a franqueza possivel
Elt-Mili como coslumo procede). Yeiam lodos se, <|uetu
assiu) falla, merece os labros que os iiiiiulgos' Ihe que-
reni dar. Acolham Os liomens de bein os ineus traba-
lhos, eeu me duu por bein pago pelo pra/.er de ser til
esta provincia.
Pcrnainbucu, lude agosto de 1848.
Dr. Sabino Olegario Ludqcro Piado.
$ '*
* No primeiro consiillorio liotiiipopalicn ilo *
S PernaiiibiicosedacoiistilUs, oso lal ilisliilmir ;
gratuitamento romodios uos pobres que so a-
I
laiuiiniiivii.v v..- ."^ r*--------------|-----
preenlarein munidos le atteslado de poluo/a-
passada pelo llv. vigario de sua froguezia, ou S
por outro qualquer sacerdote, desde 13 duas ,y
horas da Urde al as oinCO.
Dr. Sabino Olegario l.udgro Vinho. ^
ii**1**'* ?#***t********a.
de-
pois do toque de recolber at o da alvorada, ajunta-
menlos, iiem a pernaoeucia de urna ou mais pessoas ein
roda dos chafarizes, depsitos, respiradores e lurnei-
ras de esgolu ; e obstaran qualquer damnilicacau das
obras da companlii dispersando ou picndendo os
que tentaron ou eilectuarciu a denruicao de qualquer
peca, ou parle das mesinas obras.
rl. 13. Os conservadores e mais eiiipregados
companhia poderao prender em llagrante qualquer in-
dividuo ouc encontrareiii damnificando ou deslruiuUo
as mallas e obras do encanamenlo. e o. couduzrao a
presenca da auloridade compclcnle, para proceder na
forma da lei. tendo ou vista o artigo quinto dp cumra-
lo de 11 de dezeuibro de 1838. .
Art 14 Uo caso de resistencia, ou probabilidade de
resislencia, oen.pregadu pedir ao agente de polica du lo |
b!g. O.U.UO ne'ccslariu'para se ornar eUeetlva a p- de
prrhenso c conseguintemente a arrecadacuo da |M.jJ*
tra inin). c contra a honiu-opatlna ; porque eu so desein
o bein de ineus scmelhanles so anhelo a felicidade do
tMO humano. Se estou em erro, peco que me mos-
Irein a verdade, que a abracare! de tutlu o meu coracau,
ou venha ella dos amigos ou venha dos inimigos. Vie-
ram durante este mes o pimsiro consultorio homoMpnlhico
ie Pernambuto 175 doentes, como consta do meu livro de
registros, 'estes smeme cinco nao haviain tomado
remedios allpathlcos para as molestias de que se me
queixaram Todos os outros cstavatu mais ou menos
estraga Jus pela allopathia. Uo numero total, 10 se a-
cliam curados, 62 mclhorarnni. 10 abandonaram o tra-
lamento, iros inorrerain < ooh. "'""'*;,''"''"
dios sein ter lempo de aprcsentarcni elloitos 81. Smen-
te dons casos live de molestia recente aguda, que em
poneos dias se curara.n. Todos os outros forain, ou sao
ae molestias chronicas, que exigen) lempo para desap
parecercni, como os meus adversarios mesmos poderao
Illzer. se quizeieu. fallar a verdade. Mullos leen, sido
abandonados pela allopathia em pessimo estado; alguna
dcstes pretendo salvar com o favor de Dos, se suas la-
millas ou sous enfermeiros se nao allastarem da senda
que Ibes prescrevo ; a oulros nao ; poique so Jesus-
Christo poda fazo magre., e a homePathta esta mul-
to lunge-de ser comparada con) o poder do Hllio do tier-
no. A lioinn-opalhia nao proinctte a i.nniortalidadc a
ninguein mas prometle curar sem derramar o sangue
lo necessario vida, son cinporcalhar o enfermo con),
cataplasmas, son faz-lo tragar esses remedios asquero-
sos rae a allopathia Ibes d, son auiorlalha-lo on cus-
ticos, fazendo-o assim sollrer conjuncUino.ilc as dores
da molestia c as que esses remedios Ihe causan). 111, el-
la spro.uelte curar mais suave e proiiiplauente todas
as molestias que a ruliueira medicina parece extinguir,
c mais alguinas que esta julgue Inconcussas. Uos tres
UIU morreram, o primeiro foi o crioulo Nicolau, escravo
do lllm. Sr. Joao I.eilc de Azevedo, morador ana do (lo-
sarlo larga, o qual padeca de tlanos traumtico, e de-
pois de ser tratado alopticamente, mandou-me pedi
sen senliur para que u fuste ver. Prescievidlie un me-
dicamento para tomar umacolbcr de tres em tres hura:
DlAlll) 1)E PERNAMBUCO.
HEOIFK, 2S DE ACOST DE 1848.
Ilonlcm, quasi s 10 horas da noile, o Sr. los Alves
Guerra recollia-se para casa, na ra dal'nio, quando,
aoapproxiniar-sr da pontesinha da ra da Aurora, ob-
servo) que cerlo individuo, que ah eslava postado, co-
mo que vigilante o espreilava.
Reeoioso, o Sr. Alves Guerra alaigou os passos, edeu-
se pressa em ganhai a travesa que da segunda das iiieu-
ciunad.is ru.is eondu/. priineira. Kiitrelanto, eslcalvi-
ir,- nada e spruveiteu ; pnisque o sujeilo que o esnr-
ravaacompaiiliii-o na quasi-carreira que leyava, c au
cniparelhar-se coin elle, j perlo da porta da escada du
sobrado onde reside, com pesada ecoleira mau cravou
Ihe o piinhal entre a tercelra c aquarta costellas falsas
QSr. Alves Guerra, depois de ferido, pode feli/uiente
encer n lUunn* da escada, e rhee-ar i"'1 <...... *--""
ios bracos de sua desvelada esposa; mas, dahi a alguus
minutos, perdeu os sentidos, e reconhcccu-se <|ue a sua
situaciio era milito perigosa.
Alguns medieos que eoncorreraui nimcdiaiamenle
residencia do enfermo consegniram restituir-lhe os
sentidos c comquanto elle houvesse tido urna noile
atribulada, todava, pela manliaa, vio-se qc a ferida.
se bein que perigosa, ii5o era incuravcl.
Pelo corpo de delicio a que se procedeu boje, vio-so
que o Instrumento mortfero ofl'endOra ao Sr. Alves
Guerra alguiuas das entranhas comidas as dus cavi-
dades do ihoras c abdomen.
O Sr. Guerra conbccoi o malvado que tentou contra
osseusdias: o Sr. juiz municipal da priineira vara |;
procedeu alguinas diligencias con) o funde capturar o
criminoso ;
mas ellas nao sorliram cft'eilo.
Km u Times de 10 de juiho deparamos com o seguidle
lacio"que bem n.osl.a a perfidia c bypocr.sia de seu
l"5 ddeites toniaia..
rain tres; respondan), quanios perdeu a hoinuopalliia
em cada con? Agora peco-IHM anda oulia codea. Co-
mo Vv. Ss. nao len o irabalho que eu tenlio de iiis
rrever lodos os doentes em um livro de registros pan
bein sabereni das molestias que ..
mentes que contra ella, oppozer.m; cou*. bulo .na^lu-
menle animados contra
mete um terrivel romp.menio.^
edendo volitado
ara una rom.
palhia anda, sabe eos como, ejv. hs
salion smente quanto ganharana, e nao 1un1l"11."*ot|u-.
tes recorrern)'ao seu ministerio, e de que moles ia, U
nhaiu a boudade de publicar, por modo que l^ali, a es
nhaui a liouuaue oe pummi, i -i-- y ...-_
lalistiea dos ho.ptae. desta c dade, declarando o nu...i
ro do. entrados, dos que l.carau, curado eidos que
murrcrtu,
l|U( uva-' ... -- -
o.publico possa flear sabendo da
lame. Elle ton o dn ello de exigir de no. este irabalho,
To?,Uan.,odrneme.s7de^ceder ao meu pedid.
Quafido a houueopathia perde MnidM porcen
; nos hospitaesdo RUj|Wfc^a.l^TO
..22 a 25 doentes por cada ce... no, sto be horroroso!!! Devo concluir este artigo que j
para obsta, ^^r~^uV^ se pretenda causar | val u.ai, longo do que eu o quera
Ahi deixo a cunsi-
s obras e.iuais objectos pertenceutes a cotupanliia,
Z^^^uumeu'Tciualoi* expsito dos meus ,ra-
,U0,princ7peBibescn,nWa...chia,rede,
do povo, aceitara a conatiluieao e forma
,,isUco,nposta de ouo meninos
"A'nerd^di'TuSu^^ern'comequencia da invasiio das
A perda da un rxercllo rnssiano, he ava-
prov.ncia. fannM p, ,aneira.seguinte :
IS,'VCinc ado da Se'r'.a comprebende 600 milbas
n.r.drX c conlm I.OttO.000 de habitanles. A sua ca-
.ilnla : este principado he um dos mais bel-
r,ttslB mimdot^ga Porta Ot.omana u... iri-
buslom.ua?de 760,000 fr.*A renda do principado mon-
ta a 4,000,000 de fr. por auno.
A Wallachia ton 1,300 milbas quaHradas de: superl, -
M ocoEun populaco de 1,100.000 habitantes
,a endalie de 12.000 000 de ir. I'ucharet he a sua ea-
nUi E la naga PorU Otloma.ia um tributo anuual
ScfflbouoFr.A Moldavia con.prehendc 600 milhas qua-
lradas e conlm 5t 0,000 habitante ; sua capital he
, s ey e sua rcnd.i inonla o 6.000.000 de fr. Quando ,
Russia.coiilin.ia o mesmo jornal, tiver lomado posse
destarres ricas provincias, nao lera mais que um naa-
r

LADO


,
i.
o a dar para (amar pone do Rotphora obre n qual el-
lacsla cornos olhos longos, lamo quanlo tulirr i:.im
Hnfiiinpla. v
Concluio-se uiu armisticio entre a confedrraco ger-
uiamcae o govemo dinamarqus A condicao primarla
dota cessacao de hostilidades he a evacinco de Schles-
ig netas rarca* germnicas. O exordio uxiliar auecci
'''" ',av" desembarcado em Fiihnen dever voltar pa-
ra 01 dominios do re Orear, eo territorio coute.tado de
.Vhleswig permanecer ueulro por todo o lempo do ai-
lulucio, ou al que una pai definitiva teja concluida
Unquanto ao governo doi ducado durante cate iu-
tervallo de lempo, e rinquanlo a auloi idade de jeu legi-
timo soberano nao for i n lei ramn te rcslabelecida, a ad
Mi hao consentido ein resumiros navio capturados ne-
tos o, cruzeiros. '
OmMEftlO.
ALFANDEGA.
RES DI MENT DO DIA25.........
Uescarrtgnm hoje, 2U di agosto.
Brigue Su/lana carvao.
ngue Haimbow dem.
1:421/758
CONSULADO GERAI..
RENDIMENTO DO DIA'25.
O.-ni.............
Diversa* provincias '. '. ".'.".'.".'!!!!
. 1:M . .#74
1:5831*$)
- Pela delegada do |. districto do termo do Reclfr
se las publico que ae aeha rrcolhido na cadela detta el-
dade o prrlo Joaquim, de afio Rebollo, que diz aer es-
cravo de Gaspar Cavalcante Ucha, lenhor do engr-
nhoguitinduba, comarca de Serinhacm : queio for seu
legitimo tenhor apresente-te unta delegada coin .01
competentes ttulos, que, provando pcrtencer-llie, ser-
Ihr-ha entregue.
Delegada do |. diltricto do termo do Recite, 24 de
agosto de 1848.
O delegado depolida,
Feiciaano Jo.iuuim dos Santos:
Pela delegada do 1." distrlcto do termo do liedle,
seaz publico que se acha recollildo na cadela desta ci-
dade o prcto Francisco que diz ser eicravo do padre
Vicente Ferrcira Machado, morador na Alalaia, comar-
ca das Alagoas : quem for seu legitimo enlior apre-
sente-se ncsla delegada coin os competentes ttulos
que, provaudo pertenec-Ihe, ser-lhe-ha entregue.
Delegada do 1." districto do termo do llecifc, 23 de,
agosto de 1848.
O delegado de polica,
Filicianno Joaquim dos Sanios.
A pessoa que botou na caixa da administracao do
crrelo duas cartas, sendo para o Srs. Jos Rodrigues
Gomes, na Baha, e Jos Ribeiro Ha roo/.a, ausente, Ber-
nardo Jos Pinto, no Rio-de-Janciro, quera compare-
cer a mesnia, alim de satisfazer os MU portes, do con-
trario nao seguiro scus deslinoi.
CONSULADO PROVINCIAL.
RENDWF.XTO DO DA 25..........1:120/773
Movimenlo do Porto
JVaro entrado no da 20.
Philadelpliia ; 50 dias, brigue americano llramlu-Winc,
de 207 toneladas, capitao Williain P. Cassen. equipa-
geni 10, carga farinhade trigo, fazendas, resina e niais
gneros ; a Matheus Austin ai Companliia.
Navios sahidos no mesmo dio.
Canal; brigue inglcz Minerva, capitao Williain II. J. Mar-
dem, carga assucar.
dem ; patacho ioglez Klbion, capitao James Rymcr, car-
ga assucar.
Liverpool ; brigue inglez Thomat-Mtl/ors, capitao Wll-
liain Alexander, carga assucar e algodo.
1' ii iluli i ; Mate brasileiro Sanla-Crm, capitao Autonio
Mannel Aiibnso, carga varios gneros.
EDITA L.
0 Dr Uervasio (oncalves da Silva, juit municipal da pri-
meva vara, e com exircicio na primara do civel dula cida-
de do Recife de Pernambuco por S. i. I. que Dcoi quar-
di, ele.
i .i, .,..!,,. ., su rr..0, phii.i rhim, c j. ii.. no.
ca nverem, que, havendoatdo o Dr. Joo Ferreira da
Silva desappropiado de um terreno no areiai das Cnco-
Pontas com 200 palmos de frente no seguiniento da dita
na,, entre a Ultima casa c a praca docaplin, pela quan-
lia de 4:000/ rs. em lettras a vencer com o prazo de um,
i llSt' a"llu, ,c acliain as mesmas lettras passadas
c assignaas pela cmara municipal para esta indeinni-
sacao, e recolhidas como em deposito no Ihesouro pu-
E para qn* chegre ao conhccimei.to das pessoas
RelacaS dos devedorf.s da decima dos predios urbano*
que leem de ser execulados se naO comparecerem a
solver seus dbitos at odia ii do prximo vindouro
incide setembio,
A s Mil.li :
Antonio Jos ile Castro
Francisco Baplista de Almcidu
(amara municipal riesta ciilade
Hardeiroa du Joaquim Jos de Miranda
D. CaetanaEugenia l'ereira de Bastos
Manoel Gonc,alvos l'ereira Lima
Sebastiilo Lopes GuimarAes
JoSo Ribeiro da Cunta
Joo Mendibour
ioanna Maria da Conceifilo
Irmandade da ConceicSo da Congregac.lo
Manoel Joaquim Soarcs
DelllnoGonralvcs l'ereira Lima
Joaquim EliasdeMnura
Manoel F.liasde Moura
llerileiros de Antonio <;. da Silva
Joilo liernanlino de Vasconcellos
llerdeirosdc Francisco (ongalves da Rocha 187/717
Herdeiros de Francisco Antonio Duriio 10703I
Francisco llibeiro Pavflo ll^Orj
Herdeiros de JosHiguel doSouza UagalhKes 7/5
3:075/459
(f'imliiuaT--Aa.,l
"nir, e com um espirito quasl prophetlco descreve o
nales que se Ihe devem seguir, tleinonslrando que o in-
culcado progresso vai para o regresso.
Vende-te na praca da Independencia, llvraria, n. 6 e 8.
a 2/000 rs. cada cxemplar encadernado, e a 1/800 rs.
em brochura.
OGENTIL ENAMORADO.
Obra interessante e divertida.
Recebem-se asignaturas para esta obra at o Um dei-
te mrz, em rasao deja ter bastantes assignaturas. O au-
tor desta obra dlgnou-se fazer este annunclo para ver
te completa o numero dos Srs. assignantet o mais bre-
ve possivel : o prreo da assignatura de cada exemplar,
he de 400 rs., pagos ao receber da obra e assigna-se
na praca da Independencia livraria na. 6 e 8, c no pa-
teo do Collegio, o. 6.
Avisos martimos.
42/912
104/287
799/398
322/596
318/424
9470
51/912
41/150
40/350
60/255
23/174
26/699
108*541
*2642
U#496
268/830
85>.ji
prazo se opponham aqiicllcs interessados que diicito
tiverein.
Dado c passado nesta cdade do Rccifc de Pernambuco,
sob o meu signal e sello deslc incu juizo que ante miiii
serve nu vaina sem sello es-caua. 17 de agosto de 1848.
--1 edro Ignacio da Cunha, rscrivao o screvi.
Uervatio oncalve da Silva.
Deca races.
ficc-roniulado da UpuMica e Confodemcao Argentina
em Pernambuco.
Por ordein do Exui. Sr. enviado extraordinario e mi-
nistro plenipotenciario da Repblica Argentina, se faz
publico que toda a embarcado que se deslinar aos
poilos da repblica dever levar seu manifest c carta
de saudc legalisados pelos cnsules da referida rrpu-
ICa'i e 1>aia '""^evein ser acompauhados dos despa-
chos dos gneros mencionados. E einquanto nao fr
determinado o contrario pelogoverno da mesina rep-
blica nenhuma embarcavao ser admittida entrada,
que tenha tocado ou tido communiracSo coma cda-
de de Montevideo, ao menos que nao prove que fi ni-
camente para receber pratico. por nielo dos seus con-
signatarios ; no einquanto, para faeilidade das embar-
cacoes que procuram os portos da repblica, indepen-
dcntedospraticosque te acham a bordo das embarca-
{Oes de guerra estrangeiras em frente a Montevideo, a-
dia-sc nina escuna coin praticos a bordo, na aluna da
ponlc do Indio fcujo preco he todava mais cominodo do
que os outros): nutro siiu, nao serao admitlidas uu por-
to da Ensenada enibarcacdes raliangeiras de menor lote
que de 120 toneladas.
Oque o infrascripto fas publico ao coininercin desta
praca por orden superior.
Pernambuco, II de agosto de 1848.
Nuno Maria de Seixai,
Vice-consul argentino.
-- A administraciio feral dos rslabelecimeutos de ca-
ndade> manda lazerpublico que no da 28 do correle
polas 4 horas da tarde, na sala de suas sessdes, ir
praca, pelo teinp,,, que decorrer do dia da arreinataco
aSOdejunliode 1851.a renda das seguintes casas : ra
do Azeite-de-Peue, sobrado de dous andares, n. 1 ; tra-
tocti ^ w,.11....... j:.- u .....-' lru
AVISO IMPRTAME.
O administrador da mesa da recebedoria das rendas
geraes internas avisa, pela ultima vez, aos devedores do
banco, dcima de inao murta, seges c carrinho dkima
de chancellara, barcos do interior c escravos, de 4U a 47
c47a 48, qnevenham pagar oque esto a deven pena
dse proceder executivo, se porventura n;lo comparc-
cerem at o liui do corrente.
Recebedoria, 21 de agosto de 1848.
Franciico Xavier Cavalcante di Albuquerque.
THKATRO \ACIO\\l
DB
SAN-I R 4NC1SCO*
BOJE, 2 DO CORRENTE.
I Itimn beneficio do director empreiario.
Itcpresentar-se-ha a mu brilhante e insipne peca ma-
gica chegada do llio-de-Ianeiro
NINGUEM VENCE O PODER DE AMOR.
* ou
O valor di um Porluouti na Heipanha.
Rematando com a linda larca denominada
A CASA CONSTITUCIONAL,
ou
Ck parlidoi domestico:
PEhSONAOENS.
Mr. Bertrand, pai de familia .. Realista.
Mr. Sourtol, Dr. hoiiKeopathico.. Phillpista
Mr. Girand, bacharel........Oposicionista.
Pasqun criado ......Republicano.
Dnpin, des ribuidor de Wsrioi. .. Communista.
Madama Gire ..........Legi.imisia.
tSSStfSSl?**.........R'publicanaexaltada.
Ilearn. criada...........Honaparlista.
Para nao ir de encontr com o theatro da ra da l'raia
pana para sabbadv, 2(i. O beneficiado, desojando entre!
gar theatro a sru propietario, lauca mao deste ulti-
mo recurso para recarcii os grandes piejuizos que ulti-
manieiitc tcm sollrido, e apella para a proteccao de um
publico que por mais de urna vez se tcm dignado pro-
tege-lo, e de quem espera amparo e protocolo.
Priucipiara o espectculo chogada do Exm. Sr. pre-
sidenle. '
Para o Aracal; pretende seguir viagem, coin bre-
vdade o hiatc nacional Tentador, n.o>lie Jos Joaquim
Duarte: para carga e passagelros trata-se na ra da
Cruz n. 26, com Luiz Jos de S Araujo ou com o mes-
tre, no trapiche Novo.
Para o Rio-de-Janeiro segu, com brevidade, as-
sim que lindar a sua descarga, por ter parte da carga
ni -limpia o brigue brasileiro .Winerru forrado e pre-
gado de cobre : quem ns ursino quizer csrrcgar, ou ir
de passagem dirija-se ao seu consignatario Manoel
Ignacio de Oliveira na ra da Cadeia, n. 40, ou ao ca-
pitao Luiz Martins da Costa a bordo.
- Para o Rio-de-Janeiro segu, em poucos dis, o
brigue-escuna nacional Ulinda, por terquasi engajado
e completo o se carregamento : para o restante, es-
cravos a frote c passagelros, a quem oflerece os inelhn-
res coinmodos, Irata-se coin Machado k Pinheiro, na
ra da Cadeia, n. 37, ou com o capitao, Manoel Marciau-
no Ferreira.
Para o Rio-Grande-do-Sul sahir breve o brigue
Sorma, por ter prompta n maior parte da carga : inda,
porm, pode receber alguma miuda, c tcm bons coin-
modos para passageiros e escravo : quem pretender po-
de contratar com os consignatarios, Amorim [raos: ra
da Cadeia, n. 45
Para Lisboa partir, no corrente niez de agosto, o
bem conhecldn brigue porluguez Tarujn-Primriro, de
que he capitao Manoel de Oliveira Faneco. Teui gran-
de parle de seu carregamento engajado : para o res-
tante i carrogaentG, .,..,... C0IQO puiu pu>>-
geirus, a quem oflerece asseiados coiiunodos e bom
tratainenlo, trata-se com o dito capitao na praca, ou
aom o consignatario, Firiniuo Jos Flix da Rota, na ra
do Trapiche, n. 44.
= Para a cdade do Porto partir, com a maior bre-
vidade possivel, o patacho portuguez Iteslauraedo; tem
a maior parte de seu carreganieuto prompto: para o ros-
to da carga e passageiros para oque offerece excellcn-
tes coinmodos trata se com o consignatario, Firinino
Jos Flix da Rosa na ra do Trapiche, n. 44, ou coin
o capitao Jos de Oliveira Faneco na praca do Cor-
po-Santo.
Para o Acarac c Cear segue.no dia 28 do corrente,
o patacho Santa-Cruz, pregado e forrado de cobre : pa-
ra o resto da carga trata-se ao lado do Corpo-Santo, loja
de cabos, n. 25, ou coin o capitao Joaquim Antonio
Goncilvcsdos Santos.
Para a ll.iliii sali, no ilia 30 do corrente, o novo
hiatc ExUalucao i para o resto da carga' e passageiros,
trata-se na loja de ferragem junto.ao arco da 'Concei-
tio,
venda em lojas e escriptnrlna, e em qualquer parte ln
disllnclameiile, ou em botica ? Se o xaropc que aiuiiin'
ciam pelos Dierioi vonderem no rscriptorio de sua cau
commrrcial de Novaos le C. e loja de miudezas, f6ra re
mettido pelos nicos agentes all encarregados eupw^
autor ou sr por agencia de sua casa filial no Rio-de.Ja?
neirn, da firma dos Srs. negociantes Novaos ti Pastos "
Finalmente se sao a.nii unioamente os privilegiados nt'.
ra de publico disrrem que he o nico verdadeiro de
seu proprio autor? E com a rrsposla dos ditos Srs. titao.
dantos Novaos StC.com escriptorio, j se sabe, com-
mercial, mais ter a diier
O Etmreila
O TRII'UNO N. 1)3
est a venda em mao dos destrlbuldoret, e na lol do
Sr. Carnriro, naruaNova, n. 47. w
- Aluga sea loja n. 37, da ra da Cadela do Recife
com fundos para a ra do Encantamento coin arinac
propria para loja de fazendas : a tratar na inenna ra
loja n. 45. '
Aluga-se urna cala terrea na ra de Santa-Rita, jno_
to ao sobrado de tres andares coin dous quarlos, dua,
salas, cacimba sobre si e com portao para a ra da l'raia-
a tratar na ra de San-Francisco, outr'or Mundo-No'
vo, n. 30.
- Luiz Antonio de Barros, tendo feito um annuncio
convidando os seus credores para casa dos Srs. Macha.
do Si Pinheiro, alim de Ihes apresentar o estado de sua
casa, aconleceu que esses Srs. fizessein um outro ae.
clarando o contrario do que tinham concordado'com
o aununcianle ; mas esse annuncio he falto de fe dos
ni. sinos Srs., pois nesse mesmo dia Ihe fizeram um >.
resto em tudn que possuia o annunciante tomando
conta de ludo e fechando-lhe a porta; assiin, os Srs
credores devem receber os dbitos, sem abate, da mo
dos ditos Srs. Machado Si Pinheiro, em mao de quem
se acha ludo que perlcnce ao annunciante, para paga-
mento de seus credores, ficando o annunciante sem rtt'.
ponsabilidade alguma.
A pessoa que quz arrendar o sitio do Salgad:
nho na estrada da cidade de 01 inda, prometiendo fazer
cerca para privar o gado d ir no arvoredo, pode diri-
gir-so ao Aterro-da-Uoa-Visla. n. 47, segundo andar, pa*
ra tratar do mesmo negocia.
Quem precisar de um feltor para tratar de"algum
sillo ou mesmo para caixriro de en gen lio, tanto neita
praca como fra della, dlrlja-se a ra do Encantamento
armeieffii n.
JS'ovo pao de Provenga.

1 ~ &--
Leila.
O corretor Oliveira far leilao de grande variedade
de fazendas que vender por todo o preco : segunda-fei-
ra, 28 do corrente as 10 horas da manhaa no seu ar-
inazcni, ra da Cadela.
Avisos diversos.
iiiatuo nacioSal
DA
RA l)A l'RAIA.
O espectculo annundado para inanha, 27 do cor-
rento, fica transferido para domingo, 3 de setembro em
consequencia do lempo oslar chuvoso. e de alguna In-
convenientes que appaioccraiii.
2>
oblicacos IJlhfiaria.
tas, dita u. 70 ,
e73. .
a de Fra-de-Porlas ," mS^Q
,uK*J,m,:,Uu*S|f "' dos e.tabeleclnientos
do, 23 de agosto de 1848. ; .
de carida-
0 osc i|lur. ir io,
rranciteo Antonio Cavalcante Couiiiir
Acalia de sahir doprelo
0 IIITUTO ISKRTO.
DIAXAOO
HISTRICO, A.NALVTIGO, CRITICO, MORAL,
BKTRIl
- M MaTUTO E M LIBERAL
A Iriiura de suas conferencias he Interessante a toda
H.eJa5,e ^e,l"lM.oa:"J"aJ po CUrto actual dA.so.ie.
darte, podelidose mesmo diier indisprnsavel.
.rinaU^r-deila obr.c-eveudo-a nos flnsdo anno pas-
sado, parece que adiviuhou os aconteciiuentos do pre-
I,olera do theatro publico.
Tenrlo-se apresentado no consistorio da
igteja da Conceicao dos militares o resto
dos bilhetes desta ioteiii que se nSo ven
deram, e sendo este resto em numero
de fjgi meios e 16 inteiros, que montan)
a ris 3:i3o,ooo; por esta citeumstancia,
alias muito ponderosa, deixou desalisar-
se o andamento das rodas no dia i5 do
corrente, como se havia annuncisdo, ti-
rando por consegninte transferido o mes-
mo andamento que ser impreterivelmen-
te realisado no dia 5 de setembro pr-
ximo ftilutro.
Pi'ccisa-sc alugar urna preta de meia idade qu nao
tenha vicios, c que saiba bem cozinhar, com prar e
determinar bem urna casa, dando-se o sustento e 10/rs.
mensaes : na ra larga do Rozarlo, n. 32. ou annuneic.
Quem quizer roupa rngoinmada com prouipti-
dao e prefo commodo, dirija-se ao pateo do Carino,
defronte do portao de Santa-Thereza, n. 23.
Na na larga do Rozario, padaria n. 48, prreisa-se
de una pessoa que possa trabalhar de inasscira, e sub-
jeitar-sc ao inesmo lempo a entregar pao na ra, para
o que dar-se-ha bom ordenado, preferindo-se pessoa
que j tenha disso experiencia.
I'crguiita-sc ao Sr. Dr. Jos Angelo, chegado ha
pouco lempo de Macei, a rasao por que nao tem sido
anda publicada a correspondencia que para este liin
Ihe fui dada pelo Sr. Dr. Rocha d'aquell cdade, relati-
va a asserso falsa do Sr. Dr. Sabino Olegario Lndgero
Chillo, que disso ter aquelle Dr. abracado a hoiureopa-
lliia, e estar fazrndo all inultos progressos essa dou-
li ina T Peigiinta-se mais porque, j estando na lypo-
graphia csaa correspondencia, deixuu de apparecer lo-
go que r'ira pruna teve della noticia? v
O/....
Alugam-se duas casas no sitio do Cordeiro i mar-
gem do rio Capibaribe, coin excellcnles coinmodos para
grande familia, coiinha fra, estribara, coxeira, casa
para criados, etc.: os pi tendemos dhjam-sc ao pateo
do Carino n. 17, a tratar com Gabriel Antonio.
O Sr. P. M. C de Oliveira', queira quanlo antes de-
cidir o uegocio cin que se envolveu, alias apparecer
cera toda a evidencia e circumstauclas neate Diario, e
se procurar o recurso que a Id permute.
EM RESPOSTA.
Um amigo e prente do Sr. P. M. C. de Oliveira lem-
bra o Sr. auiiunciante supra que, como cidadao ho-
nesto, iespeitailoi da moral publica, e da santa religiao
hrisla, eiii quefoi educado, s compete ao mesmo Sr.
annunciante usar da ultima parte do seu annuncio, pro-
curar o recurso que a lei Ihe periiiitte, e nSo recorrer a
libellos infamatorios, dos quaes J bem mal tem sahido
_ Pergunla-se casa commcrcial dos Sra. Novaos 8t
C, se o fei escriptorio, ou a loja de miudezas por os di-
tos Srs. negociantes nomeada, sao lugares competen-
tes para nodrcui vender o xarope do bosque; qual a
aisstur.-i da cmara inuuicipaMosm cidade qiie Ibes aix-*
torison para tanto, e qual a lei ou uuiversldnde medica
O nrnnrlelarin iln ">2d2r!3 drt SCC u
*' Cruz, n. 6, e do deposito da ra estrella do Roza- $
* rio, n. 39, contina no fabricanieulo do afamado
2 pao-proveiifa que tanta sympathia lem adqui- J
i rido do povo desta cidade, j por sua alvura e bom ?
ifi gosto, como pela forma edelicacezacomquc he fa- S
0 brlcado, e por outros minios motivos de sua cons- a
9 truccao se torna um tanto mais superior ao que M
*' at agora nos supria. Justifica esta verdade a gran- S
* de concurrencia que tem apparreido nessas pou- {
cas padarias que presentemente o fabricam.
O mesmo proprictario entre os outros que j ali- ?
S iiiiinmu pao-provenra he mu de entre olios ha- !
$ bilitados para este fin tanto por entender perfei-
** tamente de seu fabrico como por ter em aeu po- n
dr as melhores farinhas que oxistem presente' *
*' mente una das primeiras partes que se tornain *
S neeessarias. Nos mesmos estabeleeimentos acha-
y. rao os freguezes a boa bolachinha de regala tan- S
( to doce como agoada c biscouto.
*
Frecisa-se de urna ema, rom liom
e bastante leite : no Aterro da-Ba Visto,
loja n. 78.
Arrenda-se um sitio-na Varsea
margem do rio Capibaribe, com excellcnles cominodos
para se passar a festa, casa grande e inobllada, com
coxeira, estribarla, etc. : tem baixa para capin e inul-
tas arvores de fruCto j no fundo do sitio corre o Capiba-
ribe : quem o pretender, dirlja-se ao pateo do Carino,
n. 9, segundo andar. >
Precisa-se de urna pessoa que queira trabalhar em
refinacao: na ra da Sansalla-Nova n- 4 : na inestna casa
vende-sc urna balanca grande, um peso de arroba, ou-
tro de meia e una bomba de despejar pipas.
Na ruado Agoas-Verdes., n. 26 cozinha-se para
fra toda a qualidadc de comida engomma-se rdupa de
hoinrin a tres viulous a peca e Uao-se bolos de ven-
dagem.a 80 rs. a pataca.
~ l'ei den-si-, no dia 20. um cruzeiro de ouro todo
lavrado desde a ruada Unio at a pra^a da Indepen-
dencia : quem o achou, querendo restituir dirija-se a
esta typographia, quesera recompeusado.
OBRAS DE CARELLOS.
Fazem-se na ra Nova, n. 3u, toda a qualidade de
obras de cabello, como sejam : trancelins para relogios
e lonetas de dittereutes modelos aderefos, pulseiras,
brincos, alfinctes e cresecutes, etc.: indo por preco
commodo.
0 abaixo assignado faz saber a todos os Srs. coin
quem lem transaeces que o Sr. Antonio JonqutV'*
rreitas Guimaraes deixou de ser seu caixeiro desde O
da 19 do correle. Francisco Martins de Lema.
O abaixo assignado faz publico que val a Portugal
tratar de seus negocios deixando sua casa entregue a
seu mano, Francisco Jos da Silva Amorim gyrando
como at hoje ; e por seus bastantes procuradores o di-
loseu mano, os Illms. Sis. Dr. Nuno Ayquo de Alvel-
los Aunes de Brito Inglez e Francisco das Cbagas Sal-
gueiro. Manoil da Silva Amorim.
Antonio liento de Araujo fax scien'tc ao respeila-
vel publico que comprou a padaria sita na ra da Glo-
ria. 11 55, a Manoel Jos da Cunba.
Aluga-sc a loja do sobrado da esquina dos Quatro-
Cantos, da cdade de Olnda, local excellente para qual-
quer estaboleciiiienlo: dentro da mesnia existe ulna ar-
macao de venda que se vende por preyo multo com-
modo, c taiubem se tira a dita, se assiin convier ao
pretndeme : a fallar 110 Varadouro com o Sr. Joaquim
Ribeiro, defronte do embarque, ou 110 Recife, ra do
Livrainrnto, sobrado n. 8.
Precisa-se de um caixeiro para repartir pao na ra,
preferindo-sc um que j.tenha (lisio pratlca : aquelle
que se adiar as circiimslandas, dando fiador a sua
conducta, pode diriglr-se a ra larga do Rozario, n.
48, junto ao quartel de polica que achai com quem
tratar.
Precisa-se de um caixeiro para venda: a tratar no
Aterro-da Boa-Vista, n. 24, i
Agencia riepassaportes.
No piteo do Collegio, na loja de livros do Sr. Doura-
do, enconlrar-sc-ha urna pessoa habilitada para tirar
passaportos para dentro e fra do imperio, assiin como
despachar escravos ludo isto faz se por menos de
que em outra qualquer pessoa.
Aluga-se um sobrado c um andar c sotao, com
coinmodos para uina familia, com quintal, cacimba e
sabida para a ra de Santa-Therea, sito na tua de Hor-
tas : quem o pretender, dirija-se a 1 na da Cadela do
Recife, n; 59. .
-Quem livor para alugar una preta com bom lelte
para criar nina menina, diri a-sc a ra da Cadeia do
Recife, n. 20, 2. andar. "
Precisa-se de prestas para vonderem azeite : na ra
de eaiilo-Aiiiaro, n. 3.
Precisa-se de um cajcjroj no, HoteJ-iJoanmerclo, ._
ttia d.Tl'atlei de Santo-Antunio, l>. 13-
Na ra da Senzalla-Nova, n. 40, prlinclro andar.
desle imperio que os habllllou para este lini? Se no Rio- existe urna carta para o Sr! llcrnardno Antonio di
de-Janeiro o dito xarope do bosque he annunciado a I Silva.
u
MUTIL


Ir
_ O tt>al*o assignado chama a todos 01 seus credore
pira aprcsentarem os seus documentos legaliados
pira o iiin de acrem pagos, logo que le liquide a que-
i. que pretende oppr a la mullier, Francisca Oulu*
a do Espirilo-Saulo.
A rogo' de Lula Francisco da Costa,
Uanotl fgMtrn dm Ctndeiat.
( asa de modas francesas.
A. Milloch No Aterro-da-Boa-VIsia n. I, primelro andar derron-
le do chafariz.
Pelo navio Itenujeu, recebeu uin lindo eicolhluienlo de
chapos dr moda nova, para senhora ; chapeos de pa-
Iha aberta ; dito de palha Ingleza, multo alva e lina;
ditos de palha da Italia I dito* de palha aberta ,
mullo ricoi para meninas; trancas de corea diver-
sas para enfeiles de vestidos ; luvas de pelliea para
senhora ; cambala de linho, sem mistura dealgndo ;
rendas lisas de llnho ; Atas de ricas rotes para grava-
tinlias.de senhora ; ricos filos bordados para vestidos e
veos de noivaa ; flores palmas ; verdadelros bicos de
linho brancos ; tiras bordadas ; filas de todas as largu-
ras ; toucadoa para eri.uir.is, ele. Na inesina. casa ha
senipre para o escolhlincnto das senhoras, um sor-
timenlo de chapeos de seda de todas as cores, toucados
e toncas para meninas : lainbem se fazem vestidos de
novas e outros con promplido e preco commodo.
ff NOVO PAO DE l'ROVKNCA. <$
$ Venilc-it lodos os rfiot. @
9 0 proprietario da padaria e pastellaria franceza Q,
do Aterro-da-lloa-Vista. n. 50, desejando agradar 05
S\ cada vez inais aos seus fregue/.ps, resol veu oflere- GS
*J cer-lhes um pan <|ue se fabrica ein Provenca por J
,Vi U>n processo iiiuilu difireme do ordinario, c que, \
**" -..I-I-.I- r-..:..i.~ --- --n--------------it.i-.i~.__i__ "
S.-P.-31.
Hoje, pelas 6 horas da tarde, ha sessao do concelho
deliberativo.
Frecisa-se de um boui cozinheiro :
ni ra do Trapiche, n. 19.
-- Segunda fnra, 28 do crreme, se ha de arrematar,
a porta do Dr. julz d'orphaos, una barcaca e urna Jan-
gada, pertenrentes a testamentaria do finado Francis-
co Jos Duarte ; cujos bens vio a prica a requerimento
de Alcxandre Joaquim Stiro, testanienleiro e Inventa-
rame daquelle finado.
Compras.
i
0
-y czigiiido r.irinha das melhnres qualidades, incrc-
W ce a preferencia do publico, pela sua alvura,
pureza e delicadeza de sua fabricarn. \
S se.farao paes de 40, 80 e 160 rs., e ser fcil 00
conhccc-los pela sua forma oblonga c elegante. 4J
Na mestna.casa coniiniia-sc tainbem a veuder *~
/0 bolinnos'para cha de todas as qualidades, e um- M
"? bein a enfeitar bandejas ricas para bailes e. sa-
ros.
^5>v3---.-s&
- Juo Ab..iG Tsrre: m:btidc de S. U. Fldilissima.
i nira-se para fra-da provincia.
V-- Jos aleude de Frcltas relira-se para fura da pro-
vincia, levando em sua coinpanhia os scus cscravos
Ju.io e Jos.
DENTEMRTMC1AES.
J. A. S. Jane, artista, tem a honra de avisar ao res-
pcitavel publico que tem vallado do norte e se acha
residindo na ra cstreita do Rozario, n. 10 primelro
andar, aoude continua a por denles artiliciaes, de por-
cellana coinposieo esta inteiramente isenta de cor-
rupcao como bem tira as caries dos naturacs, calca
de ouroe prata. O annitnciantc declara a todas as pes-
soas que sequlzerem ulilisar de sen prestimo que nao
exige receber paga alguma, se por acaso nao ficarem os
ditos denles arllficlaes tao bem postos, que nao se possa
dilFerenjT dos proprios naturaes sendo os mesmos
postos sobre chapa de ouro e sobre tarracha os quaes
lie.un tao seguros, que se pode musligar toda a comida
coin elles sem causar a menor dr.
- Compram-se sapos curur que sejam grandes:
nesla typographia ou na ra de lionas, n.62.
Compra-se um moleque de 12 a 14 aunos de bo
nila figura c que teiiha boa conducta : no Hotel-Coin-
mcrcio
Compra-se ouro e prata, mesmo em obras quebra-
das : ii.i ra do Queimado, n. 14.
"in|ii .un-se boa conducta urna de II a 12 anuos, e a iiulra al 14 !
na ra da Cadeia n. 40.
Compra-se toda a t|iidldade de
pennas de aves : na na Nova, defronte
da Conceicao, loj i n. 38.
= Compra-sc um preto velho, que emenda de plan-
taedes de sitio : na ra da Cadeia do Recife, loja de l.i-
zendas, n. 54.
Compra-te um moiiiho de pedr coin armacao,
em liiiiu estado e por preco commodo: quem o tiver an-
nuncie.
..... ........ I n l I -l__UHaMBBBBa
Vendas.
Vende-se a armacao com todos os seus pertenece,
da venda da ra do Codorniz n. 9, no Forte-do-Maltos,
por barato preco: cen separado e rpialhi na inflama,
louca ingle/a sorlida a 90Q rs. a duzia ; casaes de chi-
caras a 1/400 rs. ; vinlio do Pono a 400 rs. a garrafa,
muilo superior
= Vcndc-se, por 500/rs. urna escrava crioula pe-
rita cngnnimadeiraccoziuheira he multo fiel, nao be-
be nein foge o que se afianca e nao se duvlda dei-
xar o dinheiro em mao do comprador, vencendo o
i "niplenle juro por dous mezes com firmas a con-
tento : o motivo por que se vende se dir ao comprador:
i ni i M i mi i, junto a padaria de Varadouro.
= Vcndem-se luvas de pellica, muilo novas ; pastas
pe iiiin id i- para guardar as mesillas ; barretes de algo
do; tiuteiros em calxas de jaspe ; agulhas fancezas em
caixinha.s; caivetes finos de urna, duas e tres folhas,
por preco cuiiiiuoJo : no Aterro-da-lloa-Visla, n. 84.
= Vendem-se 20 travs de sapuc.ila e massaranduba
de 10 a 12 pollegadas de grossura, e de 40 a 50 palmos
de i "inpi iiiieniii ; a tratar na ra da Ladeia do Recife,
loja de fazendas, n. 54.
- Noticias elementares da hoincepathia nu manual
do fatendeirn, do capitao de navio cdopai de familia,
contendo a accao de 24 principaes medicamentos bo*
mceopathicos, 1 vol. Organon de Halinemaiin, ou ex-
posicao dasdoutrinas hoinffiopathicas.
Vende-se na casa n. 1 da ra da Cruz, 2 o andar,
por commodo preco.
= Vende-se ou troca-sepor urna morada de casa ues-
i.i pi'aea, iiii boa ra, um sitio em chaos proprios, no
lugar da Passagcm-da-Magdalciia, ao pe da estrada No-
va, todo murado, com boa casa redilicadi de novo, e
inui bem repartida, com dous porldes de Ierro na fien-
te, cnxeira para dous cavallos, caeimba com boa agoa
de beber, diversos ps de larangeiras, uina grande la-
tada de parreira e diversas arvores de fruotoi quem
pretender dirija-se a tua da Cadeia do Uecife, loja de
fazendas, u. 54, que visla de urna e onlra cousa se I' ira
o ajuste. ,
Ven dem-se esleirs de palha da
<;
CHAPEOS DE SOL
Ra do Pmseio-Publico
M.
5.
0 fabricante deslc estabelecimento adverlc ao respel-
tavel publico dest cidade que elle possue presente-
mente uin rico sortimento de chapeos de sol, assiin
como chapeos de sold seda furta-corcs, dos mais ricos
que tem apparecido nesle mercado c de cores conhe-
cidas ; ditos para senhoras de boni lom adamascados ,
lavradoa com suas competenlas franjas de retroz, lu-
do que tem do mais. moderno e do melhor gosto ; um
completo sortiinento de chapeos de sol de panninho de
todas as cores e de todos os lmannos para homens ,
'iilinr.n e meninos ; ha tambeni igual sortimenlo de
1 i ,-i.las para cubrir aniiaeoes tanto de seda de cores
como de panninhos trancados e lisos imitando seda. Ad-
verte-se que os freguezes scro servidos coin brevidade,
ese iili.irao satisfeitns da boa qualidade, do bom goslo e
do preco.
O abaixo assignado faz sciente ao pu-
blico que deixott de ser caixeiro do Sr.
francisco Martins de Lemos,dcsde 19 do
correnle mez. U mesmo abaixo asaigna-
d", nao podendo deixar de agradecer ao
dito Sr. Lomos as boas maneiras com que
se dignou trata-lo, o faz pelo presente.
Antonio Joaquim de Freilas Guiniar&es.
Joio Mauricio de Barros Waliderley, Sr. do eiigenho
''iiidhy, em Serinliem, tem tratado comprar a Joo
Jos Marques Araujo, morador na villa le Rio-Forino-
'i>i duas casas de sobrado sitas na mesura villa em ter-
reno foreiroaSra. D. Francisca, e sendo que alguem se
Julguc com dirrito s mesuias propiiedade deve decla-
rar no mesmo comprador ou a M.inoel Goncalves da
^ilva nesta praca, isio no prazo de 8 (lias, contados do
presente annunclo, Mudos osquaes se passar a cscrip-
l|ira sem attender-sc a reclamarn alguma Recife, 17
"e agosto de 1848.
DENTISTA.
M. S. Mawson, cirurgiio dentista acba-se residindo
"'i Recife ra do Trapiche-Novo, n. 8 segundo andar,
onde contina a por denles mlueraes, brando incor-
fiiptiveis e parecendo inteiramente como denles natu-
raes ; tambein tira a pedra, a qual, nao sendo exlrahida,
"inpoiico tempo tanto arruina os denles; chumba coin
ouro, prata ou dentico para privar de augmentar a
corrupcao i tambem tira, limae far todas as operafes
denticaes com a maior delicadeza possivel. Elle espera
'|ne os elogios e o muito patrocinio que tem recebido
Pelos beneficios que lein produzido na sua pratica du-
ranic 8 anuos de residencia nesla cidade sern garau-
iias siilMcicntcs para as pessoas que, precisando de seu
prestimo. nao o deixcm de procurar.
* Quem precisar de nina ama para* serrico de uuia
casa de hoinem solteiro ou de pouca familia dirija-ac a
na do Cotovlla. n. 123.
- Quem precisar de uina ama de casa, dirija-se a ra
de Agoa-Verdcs, n. 3.
O Sr. Dr. Jos Theodoro Cordeiro tem urna carta ,
l.yioda do Bonito, na ra do Queimado, loja n. 2.
palha
Italia, para forrar salas e camas: no \ter-
ro-da-lia- Visti, loja u. 70.
Vendem-se sete casaes de pombos, cem os filhos e
ovos, por 10/rs.: na refinacao da ruaeslreita do Rosa-
rio se dir quem os vende.
Vende-se, na ra do Queimado, n. 35, uina famo-
sa loja de ferragens com pouens fundos de capital,
situada no melhor lugar, com propnredes dse fazer um
bello estabelecimento commcrcial;a tratar na mesina,on-
de se diroas condicoes.
= Vendem-se dous mninhns de moer caf um novo
c oulro com pouco usa por preco commodo ; e uin lor-
rador : no pateo da S.-Cruz, padaria n. .
--Na ra doCollegio, n. 9 loja de miudezas, do ami-
go barateiro, continuam-se a vender bichas de Ilain-
burgo muilo grandes a800 rs. i tambem se alugain ,
por preco commodo.
Vende-se a venda do largo do Pilar n. 15, em F-
ra-ilc-Porlas com commodos para familia e com pou
eos fundos propria para qualquer principiante por
ser muilo afreguezada ; outra dita com poucos fundos,
com commodos para familia sita na iiiesma ra n. 9:
todo o negocio se far : a tratar com Jos Vicente de Li-
ma ou com Onofre Jos da Costa nos armazens da
escadinha da alfandega.
Vendem-se 3 moleques de 18 annos pouco mais ou
menos proprios para todo o servico e a acostuma-
dos ao sei viro de engenho sendo um delles casreiro :
na rualarga do llnrarij no quarto andar do sobrado,
por cima da. botica do Sr. Barlholomeu Francisco de
Souza.
Vende-se una escrava do gento de Angola, de
acia idade, sem achaque, hbil para todo o servico, e
por preco commodo: na ra Imperial, u 45, defronte
do viveiro.
Vende-se urna cama e urna mesa de inein de sala,
na ra da
Na ruada Cadeia do Recife loja deourivei. n. 24,
esquina do Uceen-Largo ha duas bandas c um fiador
de ufilcial subalterno parase vender ni, viudas lti-
mamente do Rio-de-Janeiro.
Chrijurman banlitrn que nln dando ludo imfo burato.
I.uvas de pellica para homem e senhora ; calas de
tartaruga ,a2/rs. muito linis ; Abotuaduras de casa-
ca, inulto ricas ; jarros de banha franceza luulto ricos;
boas facas com cabo de marflin ; luvas para homem <
senhora ; a 100 rs. o par ; linhas finas de 200 jardas ;
agulhas francezas, mullo finas ; tesouras multo finas
para costura ; escovas finas para cabello e Tacto ; papel
de todas as cores ; sabonetes para barba ein caixinhas
finas ; linhas de meada para bordar, multo finas ; ben-
galas de baleia fina ; ditas de junco : unas de seda ,
brancas epretas para senhora ; ditas pretas para pa-
dre ; luvas brancas de dous fios proprias para andar a
cavallo a 280 r(. o par lunetas de tarta/uga multo ba-
ralas ; agulhelros de vidro multo finos; tiuteiros d
porcellana muito ricos ; Atas de seda largas e ricas pa-
ra chapeos de palha : tudo por barato preco: na ra
larga do Rozarto, n. 26.
Vendem-se chapos de pallia, da
Italia, para senhoras e meninas, a i,aoo
rs. ; barretes de padre e gollas de diver-
sas fazendas ; bonetes pelos, de velludo,
a Qors. e de panno rtacado a G^o rs. ,
lencos de ge rea a i ,ooo rs. ; ditos de gr-
vala a 1,000 rs. ; luvas de al^odao, dec-
cs,aaoo rs. o par; ditas de pellica, de sc-
nluir;1, a l.ooors. c para homem a i,Goo
rs. ; flores para enfeites de chapeos; bicos
do Porto, de loo at joo rs. vara; ditos li-
nos, francezes e inglezes ; galoes brancos
e amarellos, finos ; ditos ordinarios ; en-
piguilhas e rendas ; volantes largos e es-
treitos ; espelhos de paredea 1,000 rs. :
ditos de augmento a 800 rs. : na loja de
quatro porl-s da rita do Cabug, 11. 1 C ,
do Duarte.
Veniie-sc na pra;a da independencia, na loja de
encadernacao u. 12, o (estamento que fez uin infeliz
cao sentenciado a pena ultima ; a peleja da alma com
o diabo c Yi'i- Minuel, c a revolufo de Periiambuco ein
1817.
B1X.AS.
Vendem-se e alugam-se cxcellentes bixas de llani-
burgo por preco muito commodo : na ra do Rozario
da Hoa-Vista loja debarbeiro.
Vende-se um prelo de boa figura que emenda de
plantaces e he inulto diligente para qualquer servico,
na ra Dijcita, n. 93 segundo andar.
Vcndc-se um quarto gordo carregadnr : na ra ad
Concordia, iiUinio armazcm de madeiras.
Vendem-se lelhas de vidro,
e eadinlios para ourives : na ra
do Brum, (undigo de Mesquita
& Dutra.
Vendem-se pecas de madapolo com 20 varas ,
muito largo e forte a 2^800 rs. e a 140 rs. a vara ; chi-
tas de ramagem para coberta a 100 rs. o covado ; ditas
cor de rosa, a 160 rs. ; c outras fazendas o mais barato
possivel : na ra do Passeio-Publico loja n. 17.
Veude-seuma escrava de 18 annos, de bonita figu-
ra, que 'cozinha.engomnia, coze, c nao tem vicio al-
gum : no pateo de San-Pedro, n. 7.
Na ra Nova loj i de feriMgens n no,
de Joo Fcrnandes Prenle Vi........ ha um completo
sortiinento de apparelhos de metal, muito superiores,
para cha, cujos se tornain recominendaveis, nao s pela
sua delicadeza c pcrfclcao, por screm feilos de uin novo
modelo ainda aqu nao apparecido, como pela Ump
sa e asseio em que sempre se conservan); assim como
ricas bandejas, e superiores facas de cabo de marfin :
a ellas fregueses antes que se acabem, pois que tudo lito
se vende limito barato.
Vende-se, por muito diminuto pre-
Vendem-se 2 Un los molecotes de 20 annos de
muilo boa conducta,e que sao perlinossa|Mleiros de to-
da obra ; uin moleque de l.'i anuos que t-oiiuli.i o dia-
rio de una casa e he mullo riel humilde: atrs do
Corpo-Santo loja desapatriro.
(al virgem.
Vende-se barris com cal vlrgem vind a d^ IJahoa ,
por preco mais barato do que em outra qnilquer p H le:
na ra da Cadeia-Velha, armazem n. 12.
A 1/000 rs. CADA UM CHALK.
Na loja que faz esquina para a ra do Coilegio, n. 5 ,
vendem chales de tarlatana. grandes c de padroea es-
curo* pelo barato preco de mil rs. cada uin.
&$8&8998
*E(/ Na ra Nova, n. 7, primeiro andar, vendem- ^Bgl
Sy se varios trastes por commodo preco por o ./Qjjj
V dono retirar-se desla provincia w*P
\. ndeoi-sr 300 palmos do sitio llhado-lleliro, com
frente para a Paisagem-da-Magdalcua a iiiargem do
rio C'apibaribe com mais de mil palmos de fundo c
tendo quatro moradas de casas sendo tuna das quaes
ptima para moradia a as nutras para se alugarem a
quem qui/.er passnr a fesla e com varios ps de fruc-
tas : a tratar no mesmo sitio.
Vendem-se a lindos moie<|iics, sen
vicios, nein achaques, e proprios de lodo o
serVtCO de casa e campo; uina muidla de
i'i a 18 aunos, de muito boa lgura,coslu-
reira e eiigmmadeia; c um ca-ol com
uina cria de ii anuos, pouco ni.ii. ou me-
nos: na ra do Crespo, loja n. i \,sediri
quem vende.
-- Vende-se um preto sadlo bstanle trabajador ;
urna ncgrinlia com principios de tudo : na roa da Pe-
nda, n.21.
Vendeitt-M resmas de papel uimaco branca e azul,
de primeira e segunda i|ualidade : dito de peso azul e
branco de superior qualidade ; peonas de escrever : na ,
praca da Independencia, loja de mludezas u. 4.
Vendem-se queijos londrinos e presuntos para
fiambre chegados pelo ultimo navio de lvernool :
hervilhas proprias para sripa ; vassoras'para varrer sa-
las : no armazem de lia vi. t Coiupanhla na ra da
Cruz, n. 7.
A 4/000r*. CADAXIM.
Ne lojadeGuimarcs &Companhia na ra do Crea-
po, n. 5, vendem-se chapeos de sol, de seda verdee azul
com armacao de ferro multo bons, pelo' barat preco
de 41 rs.
\'o Aterro da-Boa-Vista, loja n.
78, vende-se martoquimaniarello a 1,760
ts. a pelle.
Vendem-se chapeos de castor branco a 5/ rs. : na
praca da Independencia loja ns. 21 e 22.
Vende-se una cabrinha de 12anuos propria pa-
ra dar a Ulna menina ; na ra de S.-Rila, n. 88.
=Vende-se a venda da esquina dos Acouginhos n. 20,
confronte a do Sr. Victorino.com poucos fundos : a
tratar na mesina venda.
Vende-se uina escrava parda, de idade de 15 a l
annos : na ra do Cahug, loja de Antonio Rodrigues da
Cruz.
Vende-se uina linda prcta de 20 annos ptima en-
goniinadeira com urna cria de 2 annos, muito linda;
uina dita de 15annos que cose milito bem ; uina inu-
I ilud i de Mi .unios, um molecote de na(o, de 20 an-
uos bom cozinheiro e copeiro ; um moleque de 14 an-
nos ; 2 pretas para tollo o servico ; um pardo escuro
com "linio de alfaiate c que he bom copeiro ; un dito
de em clara de muito boa conducta e que he inui(o>
bom pageni ; c luais nlguns escravps : na ra das l.a-
rangeiras n. 14, segundo andar.
Vcndc-se um moleque de 18 anuos de bonita figu-
ra : na ra Nova n. 16.
Vende-se uina mulatinha de I'.' annos, de bonita
figura e com principios de costura i na ra da Praia ,
n. 32.
Vendem-se duas vaccas muito boas leiteiras uina
com urna cria de 15 dias c a outra com o bexerrn rr
3 irzcs : esli bem gordas : vendem-M poi o douo re-
tirar-se para lora da provincia : na Passagem passan-
do a pontezinha no primeiro sobrado do lado direilo.
de ferro, em bom uso e por preqo commodo
Cadeia de Santo-Antonio, n. 19. 2 2 andar.
Vendc-se um relogio horizontal de ouro, por preco
commodo '. na ra Nova, n. 21
Vendem-se fazendas^ por menos de seu
vtdor na loja dos Quatro-Cantos' da
ra do Queimado, n. 2o,
bem como: luvas de seda pretas e de cores para se-
nhora, a 320 rs. o par ; sarja larga de la de cores a
800 rs. o covado ; curtes de calcas de casimir.' de cures ,
a 6/rs. ; chales de cambala bordados a 640 rs. ; ris-
uados trancados americanos a 160 rs. o covado; len-
cos brancos com cercadura de cor, a 200 rs ; cortes de
cambraia de cores lilas a2/rs, ; dita de quadros mul-
lo lina a 320 rs. ; dita de flores a 240 rs. a vara ; cas-
tores para calcas a 200 rs. ; brins brancos de lislras a
300 rs.; chitas brancas de flores, a 120 rs. o corado ;
meias para menino a 160 rs. ; ditas para senhora de
240 a 500 rs. ; (lilas para meninas, a 320 rs. o par ; leu-
cos de seda prela de l/a 4/rs. ; suspensorios de fita ,
a 120 rs. o par; vestidos de cambraia com babado, de
superior qualidade, a 3/ rs. ; guardanapos para cha, a
800 rs. a duzia ; dilos para mesa a 2/000 is.
Veiide-se urna negrluha crioula ", de bonita ngura,
de 13 allos mullo ladia tem principios de costura
e de cttzinha ,e he ptima mucama por ser recolhida :
a fallar ua sacrista di ordem terceire de S. Francisco ,
em Olinda.
CO, lima casa de doilS and .rCS e SOtSo, na V'eilde.so um pre.pcca,de naci Angola, de I
ra di Guia, n. 36, com um armazem uo
fundo, com frente pata a ra do Apollo,
n. 7 ; nina dita de dous andares e soto,
na ra de Apollo, n. ai ; outra dita de
tres andares e solao, na roa do Amorim,
n. 44 '- e aforam-se alguns terrenos de 3o
I linios de largo, na travessa do Mon-
iego, com fundos al a camlnta : a tratar
uo Aterro-da-Boa-Vista, n. 63, primeiro
andar.
Vende-se um alambique novo de cobre com todos
os seus pi i linees ; um relogio sabone(e de our com
crtenle suissa
armazem, n. 21.
na ra da Cadeia de Santo-Antoniu,
Casimiras elsticas.
Vendem-se superiore cortes de meia casimiras els-
ticas de pura laa, pelo barato preco de 2^)00 e 3/000 rs.
o corte de calca : na nova loja da estrella, da ra do
Coilegio, n. I.
Vcndem-se no armazem que fui do fallecido Braguez,
ao pe do arco da Conceico, ceblas s.ias c solas, pro-
prias para gaslo de casas particulares, a 500 rs. o
cento.
Veudem-see alugam-sc bichas de llaniburgo : tam-
bem se vo applicar por preco mais commodo possi-
vel: na'rua do Rozario da Hoa-Vista loja di barbelro.
Vende -se, ou iroca-se por lijlos de alvenaria gros-
sa urna canoa aberta de 800 lijlos muito boa e qua-
si nova : no fim do Hecco-Largo, junto as taivas de fer-
ro onde foi tanque d'agoa.
CHA"HVSSON,
de ptima qualidade a 2/240 rs. a libra : na ra da
f.rui no Recife armazem n. 13.
Veudc-sc urna propriedade na freguesia da Muri-
beca no lugar do Mungonga : a tratar com Antonio Be-
ierra de Inujnsa na freguezia de Iguarassii", no enge-
nlio Desterro.
Vendc-se um lindo escravo de naco Angola,'de
19 annos cozinheiro e que he de elcellente conducta:
na ra das Trlncheiras sobrado de um andar n 16.
Vende-se unta madre de massaranduba, lavrada de
ench com palmo c torno de grossura por cado la-
do em quina viva e coin 63 palmos de comprimen! :
na serrara de Joo Serrador.
fj u ii|.iv7on op eii'i eiu cu : opino
'moa oJjid aod 'sni.i.ifipi s diiiiii sojino a saaon a sei\n|
' SL'lij ,ip s.ipup!|uub se Mipoi ouio.> uuq : jupjoq a jas
-03 jbiI oiii.iiiu).ios o opoi moa sj|jih.i loa uiaqioc
! sBZjaucji bbiiu ssqinSt siJ|apepaA i* as-uiapujA -
Vende-se uina e.na terrea multo grande, sila na
rna daManguelra, na Roa-Vista, o. 11, com graedes com-
modos, quintal muito grande e minios arvoredos defrnc-
tos, por preco o mais rasoavel possivel: t'raia-se na ra
do Aragao, n. 27.
20 anuos ,' milito forte esadio e que he proprio para
emba cali. pur ter di.to milita pratica, ou para ou-
lro i|uali|iier servieo: na ra Oireita n. 36, lerceiro
andar.
--Vende-se para liquidaco, ua ra da Cadeia de
S.-Antonio n. 18, um moleque de 13 a 14 anuos, ebut
principios de marceneiro ;6 bancos de irabalbar: um
canuape uina cama em segunda mao ; o os segulmes
trastes novos : cadeiras sophs marquezas, jogos do
bancas mesas de mel de sala toucadoures : tudo ,
tamo de oleo como de Jacaranda por pceo mais eum-
mndo do que outra em qualquer parte.
Vende-se, por pi ce coiiimodo urna escrava que
sabe lavar e co/.inliar o diario de uina casa, e he pti-
ma quitandeira : o motivo da vendase dir ao compra-
dor : na ra de S.-Rita u. 29, segundo andar
Vendem-se pecas de chitas de boni-
tos padres, a 4>6o rs. apeca, e o covado
j seis e sete vintens; e pecas de madapolo
a ?,5oo rs: na ra do Crespo, n. 4, loja
da esquina que volta para a da Cadeia.
Vendem se barris com cal virgem de Lisboa, de
4 arrobas, a mais nova que ha no mercado por menos
preco do que Clll outra qualquer parte : na rua de Apol-
lo, armazem n 18.
Vende-se una rica cadrira, viuda da Baha, imva
e sem uso : na rua da Cadeia n, 40.
--Vendc-se una mulatinha de J4 anuos, que cose e
engomma rom perfeico : una preta de 18 annos com
as meninas habilidades um mulatinho de 12 anuos ,
proprio para pagem ; um pardo e um preto de 20 25
annos ; um molecote bom sapateiro ; um prctu ganha-
dor, que tem dislo bastante pratica : no paleo da inalriz
de S.-Antonfo sobrado n. 4.
l'OTASSA.
\(i depnsit da i ua daV'ail, ia do l'.ecife, n. 12 ven
de-se multo uovaesuperioj potassa em barris peque-
nos, por preco mais barato do que ltimamente te. es-
lava vendendo.
___Vende-se cera de carnauba cm porcao e a reta-
dlo de superior qualidade; queijos londrinos ; lata
com bolachinhas de aramia muito novas a 2/ r. ;
latas com sardinhas ; ditas coin 4 libra de marinelada ;
ditas com figos: tudo por preco commodo : na rua, da
Cruz.no Recife, n. 46.
Vende-se arroz de casca ; meias ne algodo feitaa
no Porto ; cera do Rio : ludo por preco commodo : na
rua da Praia armazem n. 37.
Vendem-se barris pequeos com cal virgem de Lis-
ba a mais nova que ha no mercado por preco com-
modo : na rua da Moda armazem n. 17.
Vendem-se galoes de ouro "verda-
deiro, de todas as larguras, e mais barato
do que em outra qualquer parte : na rua
larga do Rosario, n. 24-


'i
i


-ADO



-- Vcudc-se urna radeira de roblizo, ponfo uti-
da ; nina mesa do iiieio do sala ; um joro um sopha ; urna du/ia de radon as : tudo de jacarau-
da : na ra An.usl n. 94, se dir qucm vende.
-- Wiide-sc iini lioi grande do carrosa ; um novi-
Ihotee Igumu vaecas solteiras : no sitio que fui da
Madi e-de-Deoa, cm cruz-de-Aliims. So mosino sitio
tarabea M vendom pos do plantas u bustos rvo-
rcs de Horca floro* para liouquotes jarros e Cusas
de igreja.
Vondom-se duarprotss que engommam e cozi-
nliam o diario de urna casa, sendo urna dellas boa
tloceia ; diias pretns do nacao urna de H anuos, e
a outra de 20 duas protas de meia idade de na-
$Io, boas quitandeiras, e urna dellas cozinha nuii-
to bern e lavado sah.loo varrella; um prolo de 30
anuos, bom ganhador; um pardo all'aiato de 2*
minos, na ra llelln travessa da Florentina, n 36.
INe pateo do Collegio, loja nova de livros,
n. (i, de Joaoda Costa Honrado, aca-
ba de receberos seguintes livros:
tiompondio clomontar do graintimlica portugue/a ,
por Carlos A. dc'F. Vieira lorcoira ediciio do 1848,
para uso das escolas por precio niuitu commodo;
Entelo subi a iiriliograplna porlugueza por ('irlos
A. do F. Vieira inuito propno pai os meninos de
psimeiras Icltras pelo diminuto prego do t rs.
IN.t rna do Trapiche-Novo, n. 12, arma-
zem de Hebrard & Gompanliia ,
vende se vinbo de Bordeaui cm quarlolas o garra-
fas do divertai qualitladoa; dito fhateau-la-Raae;
ililn liO'iville; dito S.-Julien ; dito gravea ; dito fall-
iente ; dito liarsac ; ago'ardenlo de Franca n cognac
superior; clicrry-curdinl; inarrascliiuo ; licores fi-
nos ; ptima cliampanlia de diversas qualidndos :
Umbem se receben da Babia nina porcffo de charu-
tos regala os melhoroe que leem viudo a este mer-
cado ; azeite doce lino, da marca l'lagnol; herv-
Ibas r. sardinhas cm latas ; mostarda ingleza e fran-
cesa ; fruclas em vidios com calda de assucar o de
icor;agoade flor de laranja ; queijos londrinos; e
Inutros muitos ecneros : tudo recenlemeule cliegado
> PORQUE QUIiKElS PADECER'
PORQUE
despiezis aquellessvinptomasprecursivos que vos
estilo annunciaiido que he necessario alguma coli-
sa fazer para salvar-vos do tmulo do plitvsico t
PORQUE
animis essa perseguidora losse a dor no costado,
transgiracOea nocturnas cffervcsconcia do sangue ,
ou difliculJade na rcspi-Bcilo ?
PORQUE
acariuhais e animaes a molestia que esta consumin-
do vossas parles vilaes redu/indo diariamenle vos-
sas lonjas e pressurando vossos passos para aquel-
la mangflo donde o viajante nucca volt? Appres-
sai-vos a buscar a nica cura para a phthysica,quc lie
o bem conhecido XAItOI'K DO UOSQUK que pelo
pouco lempo que lem de imporlago nosle imperio ,
teitl feito curas extraordinarias e milagrozas, poden-
do ser applicadou mais delicada crianza. O deposi-
to he na ra do Trapiche, n 34 e tamben) vende-se
na ra da Cadeia do Itecifc, loja do raiudezns, n. 9,
a S#500 rs. cada garrafa.
Alpaca alcochoadd, a 800 rs. o covadn,
veudc-.se, na loja que faz esquina para a ra do Colle-
gio 11. 5, de Guimares k ompanhia, a nova alpaca
alcochoada viuda de Lisboa fazenda iiiteiramenlc
jiova ne*ta cidade .Tireta e cor deeaf, de 4 palmos de
largura, pelo barato proco de 800 rs. o covado.
Vende-sc a boa farinha gallega, da marca Riche-
jnond por 19/ rs. a barrica para se acabar com ella ;
na ra larga do Rozario n. 48.
Vendr-sc um relogio de ouro do ultimo goslo, com
sua crreme, por preco commodo por scu dono rc-
tirar-se para lora da provincia muito breve : na ra lar-
; i u l'< './ .1 :,.. 11. -.
Veiidem-se os retratos dos F.xins Snrs. conde das
Aulas im nuil- de Sda Uandeira do coronel Galam-
]>a general Povoas, Cezar de Vasconcellos Eduardo
Juan Saltcr : todos un seus respectivos quadros : na rua
.11 Cadeia do Rccilc, venda n. 1.
Vende-se uin palanquim eni bom uso : na ra do
Ondulado, n. 3.
Vende-te a casa terrea sita na ra do Padrc-Flo-
i i.imm n. 23, com colinda fura buin quintal c qoiu
Jimii roiiiiiindiis para liiiiuli i :_a tratar na mesuia casa.
Na ra larga do. Itoiaiio padaria n. -18, venilc-se
exeellrnte pao, feito da Superfina farinha fontana a Ule-
lhor que lem viudo a este mercado ; tainlicm se d de
vendagem a pretas com responsabilidad!- de scus senho-
res.
Vendein-se dous moleques de lindas figuras;'!
prcios de 20 a 25 annos bastante robusto; um pardo
de 18 anuos propno para pagrm ; urna negrlnha de l2
annos perfeita tostureira de lavarinto e marca: um
irctode meia idade por 220/rs. ; 4 pretas Com habi-
idadrs-, no pateo da matriz de S.-Antonio, sobrado n. 4.
Na ra dn Crespo, n. II, vendem-se os livros se-
guimos: Traite de physiolngic pathologiqiie,2 v. ; Ma-
nuel mi < 111.111.- ; Archive general de innlic.....; Jour-
nal complementare des scieners medicales 12 v. ; An-
anaes da mrdecine pernambucana ; Resumes de l'his-
toire de touts les peuples ; u'uvrcs completes de M.""' de
Stael; llislnire general de la Hrlgique, 7 v. ; Mngnum
Lexicn novo por 64 rs. ; um diin usado, por 5 rs. ;
novo diccionario porluguCz-fraucez por 3/ rs. ; Dic-
cionario M.ignum Lexicn pnr>)/rs. ; Tratado de rhe-
torica geral, por Augusto H11ss.u1., por 1/ rs. ; liiblia
porlugueza de padre Amonio l'creira por 4) rs. ; Jor-
nal das familias 2 v por4/rs. -, a Myiholngia da mo-
cidade, pnr3/rs. j 3 breviarios, por 3// rs. ; Licoes de
droit de la nature et desgens 4 v. por 4/ rs. ; liisloria
da philosopliia pori ousin, nova e cncadcinada por
79 rs. ; Traiado da rellut), por 4/ rs. Diccionario da
academia 2 v. por 5/rs. ; e ouiras umitas obras de
direito por preco commodo c conlinuam-se a trocar
obras por outras.
Nao lia qtiem venda mais barato.
Vendem-sc cortes de cassa de cores seguras e bons
pannos pelo diminuto preco de sele patacas o corle
ruin ii c meia a sele varas ; cortes de cambraia de cores
para vestido a nove patacas padres do bom lom ;
iaienda de linho lino, ptima para vestidos e roupdes de
m-nhura a 480 rs. o covado ; cassa de quadros c ostras ,
a 2/360 rs. a pera de 8 varas e meia ; otlas boas, a 140,
160, :80, 200, 220 e 240 rs. o covado e a 5/200, 5/400 e
6/200 rs. a peca e de ramagein para coberta a 140 o
cavado, e 5?200 rs. a pera; sarja preta de boa qualidade e
larga a 2/ rs. o covado ; ruinla preta ptima para
pautse calcas a 1/200 rs. o covado ; panno de cores
inesclado a 3500 rs o covado ; cortes de fusl.io 'bran-
ca e de cores de bons padics, a 800 rs. o corte de col-
lele ; castores para caifas a 240 e 280 rs. o covado ;
hainburgo,a260 rs. a vara; cortes de colirio ; casi-
miras pinas e de cores ; grvalas ; pannos lino entre
elles preto, azul e verde de boa qualidade ,a 3/200 rs. o
covado ; alpaca ; merino ; in'adapoles ; algndoes ; ham-
burgas bramantes -, bretanhas de linho c de algodao; e
miras iiniiias fazendas por menos prero do qne em
ouira ipialqucr loja ; na ra da Cadeia do Recifc n. 50.
Vende-se una bomba de Ierro com 21 palmos

de iniiipi um uin em multo bom estado e com seus
pertenec a 50 rs. a libra : na ra da Senzalla Nova ,
n.7.
Vende-se uina escrava de nacao de 25 annos sem
o menor vicio, que lava, coiinha c compra na ra por
200/ rs. : na ra de Agoas-Verdes, n. 46.priineiro andar.
--- Vende-se um prelo crioulo de 30 a 32 annos. com
omcio de canoeiro e que be de bonita figura : na Cam-
boa-dp-Canio, n. 33.
Vende-se um piano, o melbor que he possivel or
menos de seu valor por seu dono retirar-se para fra
do imperio : na ra do encimado, n. 32.
Vende-sc una escrava de uaco Costa boa quilan-
deira ou Iroca-se por una que engomme soH'rivclinen-
tee sirva para o servio Interno de uina casa voltan-
do-sc o quanto for rasoavel : na prara da Independen-
cia n. 33.
Vende-se tima rica espada, urna
banda e nm par de dragonas, com pouco
uso, e muito em conta; tudo pertencente
a um oilicial superior : na m da Cadeia
de Santo-Antonio, casa n. a5.
= Vende-se urna escrava parda coinhabilidades, por
prefo commodo : na prara da Independencia loja n. 1.
Vendem-se estribos de ziuco muito luios tanto
em qualidailc como em grossura ; cahefadas chatas e
roliras ; rabichns e chicotes de martelo!: liidojnglet t na
ra da cadeia do Recite, loja de soileiro, u. 27.
Vende-se urna casa terrea sita no principio da
ra de S.-Miguel na povoarao dos Afogados n. 6,: a
tratar na ra do Caldrirciro n. 44.
Vcndc-sea venda nova da ra do Codorniz, na es-
quina da travessa da ra da Sladre-de-Dcos com mui-
to bons gneros sem alcaides ; bem afreguezada e que
be a molhor desia ra, pela sua vista e posifao sendo
a dinheiro far-se-ba alguin abatllenlo! a tratar na
inesuia venda.
Vende-sc um prclo bom pescador taulo do alto
como do raso, lambem gauba na ra 480 rs. diarios ,
por proco couiuiodo : na ra do Codorniz, venda nova
da esquina da travessa da Madre-de Dos.
Vende-se um oratorio de Jacaranda grande, com
alu'uinas iinagcns entre ellas una de N. S. da Soleda-
dade obra muito perfeila com 2 palmos e nielo de
vulto propria para alguma capella ; 400 a 500 oitavas
de boa prala a 200 rs. a oitava ; e algumas obras de
ouro de lei a 3>500 rs. a oitava ; urna couiuioda de ja-
arand, velha, por I0 rs. : na ra do Codorniz venda
9.
--i
viudos ltimamente pelo navio Beaujeu ,
na ra Nova, n. \l^, fabrica de chapeos.
#WW???f?Wff??Vff?f
Vcndc-se panno de algodSo
da trra, a 200 e 230 rs. va 11:
na ra do Queimado, quatro cantos,
loja da casa amarella, n. 29-
M>iitpf-.neai
'2$
MI
A vista faz f.
Veude-se bolachitiha, biscoito c
latas doces de araruta pernambu-
cana, superior s regalas, a 3?o
rs. a lilira : na ra da Sanzalla-Ve-
n. 100.
Vendem-se, na loja de J. L. Char-
don, Alerro-da-Hoa-Vista, n. 3, os livros
seguintes : llistoirc de dix ans, por L.
Blauc -, llistoire des Girondins, por La-
martine'; Piquillo Alliaga, por E. Scribe ;
Annuaiio do Brasil (1846) ; O Progres-
so ; (184G e 1847) ; As Sete Gordas da
Lyra; (primeira, segunda, terceira, quar-
e sexta iivracoes, : 31elhora<
/ 5
ta, quinta
mritos do porto, por L. L. Vaulhier ;
Mecanique industrielle, por Poncelet :
Trail dephysique, por l'oiullet ; Manuel
de mineralogie, por Iluel; llistoire m-
jeme, de Michelet, e exemplares avulsos
dos nmeros do Progresso publicados em
1846e 1847.
Vende-se una preta de 18 anuos rcciilhida com
bons priucipios detabilidadcs, c que he de boa con-
ducta : n ra do Kogo, n. 23.
Vendem-se, no armazem iiuefni do finado llragucz ,
superior linio de Lisboa a 4/ rs. a barrica.
Vende-sc, no armazn de Dias Ferrclra, canastras
com batatas e ceblas em molhos e despencadas, por
preco commodo.
\ indi ni -si- duas grandes burras de ferro balido ,
muito lniii feitas : na ra da Crnz, n. 1, primeiro andar.
~ Vende-se phosphoro a 18/ rs. a libra em peso de
4 libras para cima tainbem em latas de 10 libras; na
ra da Praia, n. 17.
Vendem-se dous carros nglezes, de
ilu .s rodas, feilos por um dos melliores
fabricaDtes de Londres, com os comee-
lentes arreios e lampees : na cocheira do
Sr. Wolichnrd, em Fn-de-Portas.
No caes da Alfandega, armazem de
Antonio Anus, vendem-se misas com
superiores passas.
Firmlo .1. F. da Roza vende excedente viudo ve-
Iho da Figueira, qur em barris, quer em pipas; cera
lavrada de Lisboa, de diversos laniaalios, c lindos vasos
para jauln
Vende-sc nina uogriixba de 10 a 12 anuos, boa cos-
luroira marca e faz lavannlo ; 2 pelas de elegantes
figuras que engominaui e cozinham aem vicios iirm
achaques ; 3 prolos bem robustos para lodo o servir ;
2 moloques de bonitas figuras de 16 a 17 anuos: um
pelo de meia idndc : todos por prer.n rasoavel : no pi-
lco da matriz de S.-Antonio, sobrado n. 4
Vende-se cal virgem de Lisboa, em barris de 4
arrobas chegada pelo ultimo navio, por prefo commo-
do : a tratar com Alinela Si Fonseca, na ra do Apollo.
A is'ooo rs. ,
ancorctas com a/eitonas superiores : ven-
dra seno caes da Alfandega armazem
n. 7, de Francisco Dias Ferreira.
Vendem-sc caixas para guardar
joias, pelo diminuto preco de 900 rs. : na
loj de qu itro portas da ra do Gabug, n.
1 G doDuartt*.
Vende-se a loja de miadezas da
ra da (V.deii do Recife, n i3, com os
fundos que convier ao comprador : a tra-
tar na mesilla.
Vendern se chapeos de mola, pre-
(us, do gosto mais moderno de Pars.-
Vende-se um sobrado novo, de um
andar, com 37 palmos de frente e 100 de
fundo, quintal de i3o palmos, cacimb
de boa agoa de beber : est livre e desem-
baracado: na ra do llospicio,junto ve"n-
da do leo de ouro, a tratar com o propie-
tario, Manoel Joaquim Venancio de Souza.
muito li mis tanto I __Vende-se vinho do Porto, muito superior, em
pipas e barris dequarto e oitavo, proprlo para engarra-
far; dito mais inferior, tambein em pipas e barris de
quarto e oitavo ; cevada ; painro ; penetras de rame ;
relroz do Pono, sortido ; fechaduras para portas de ar-
mazem ; cneiros de algodao ; pilulas|da familia; anco-
re las com azeitonas ; inoiasde linhoe de algodao para
hollino ; panno de linho: ludo por preco commodo : na
un do Vigario n. 11. casa de Francisco Alves
Cunta.
Vende-se um relogio sabonete de ouro, patente
sutsso com segundos todo lavrado e bom regulador,
com una crreme de ouro cchave parao mesmo por
preco coininodo : na ra Nova, n. 5.
Vendem-se meias de linho e de algodao para ho-
iii, ni ; peneiras de rame; bixas de Hambitrgo (que tam-
bein se alugam) ; pilulas da familia : na ra do Roza-
rio padaria junto a igreja defronte da botica do Sr.
Paranhot.
Vende-se urna preta de 16 annos, bem parecida c
muito hbil para se aperfeicoar nos principios que ja
lem de costura, engommado e ensaboado : na ra da
Cadeia do Recifc a fallar com Jos Gomes Leal.
Cal virgen?.
Gunha iv A morim teem para vender an-
coras com 4 arrobas de cal de Lisboa, da
mais nova e melbor qualidade que ha no
mercado, e por preco mais barato que em
ontra qualquer parte : na ra da Cadeia
do Recife, n. 'Jo.
Vende-se a rctalho fumo para charutos, de primei-
ra qualidade : na ruada Lapa, n. 6.
Vende- se urna bonita parda de 25 anuos, que sabe
coser, cngoinmar, ensaboar, cozinhar o diario dr urna
casa e he muito esperta e sadia : na ra Imperial, so-
brado u. 30.
Hao cliegado peloulliino navio fraucei os mais deli-
cados lencinhos de seda para meninas, pelo diminuto
11 re. n de 60 rs. cada um: no Aterro-da-Uoa-Vista ,
n.24.
Vendem-se5 moleques de 17 a 18 annos; 5 pretns
de 25 a 30 anuos, sendo um dellcs bom carreiro ; 2
pardos de 18 annos ; duas mulalliihas de 7 a 14 annos ;
urna neg inli i de 12 annos todas com principios de
habilidades: 4 pretas de 20 a 25 annos, algumas del-
las com habilidades ." na ra do Collegto u. 3, se dir
11iii-ni vende.
Vende-se urna escrava de meia idade que cozinha
o diario de nina casa lava c hequitandeira por pre-
ro commodo por ser por precisao : na Soledadc, indo
para o Mangulnho n. 10.
-- Vendem-se 6 acefics do thealro de Apollo por
nielado de scu valor : na ra do Cabug, loja de ourt-
ves, a. 5.
Vende-se o verdadeiro xarope do
bosque, vindo do t\io-de-Janeiro no va-
por Paraense: na ra da Gadeia do Reci-
fe, botica de V. J de Brito.
Vendem-se duas cscravas, sendo urna preta crin-
la, de 20 anuos e a outra acabralhada que representa
trlnta e lanos annos propria para o servir o de casa:
na ra da Cadeia do Recife casa de Joo Jos de Car-
vatbo .Muraos.
Vendem-se tres mil telhas muito boas por bara-
to proi o ; tijolos de alvenaria batida ladrilho compri-
do o qundrado tapamonto e de fugan ; tudo barato :
no llecco-I.argo, no Recite junto as taisas de ferro on-
de foi lauque d'agoa
Vende-se urna canoa aborta propria para carga
ou lastro de navios por ser grande : em Frurdc-Por-
tas n. 90.
Lotera do Uio-de-Janero aos ao:ooos'
de ris;
Vcndem-so bilhetes c mojos ditos da terceira Interia
a beneficio do hospital de ( aldas da provincia de S.-Ca-
lliarina : na ra da Cadeia do liante loja de ferra-
gens n. 56.
= Veude-se uina linda cabrlnha de 25 annos de bo-
nita figurr que engomma muito bem cozinha, cose ,
lava de salan e varrella c nao tem vicios iiem acha-
ques : o motivo por que se vende se dir ao comprador :
no paleo do Carino, u 9, segundo andar, das 6 s 9 ho-
ras da maiihaa c das duas s 6 da tarde.
He impossivel
haver cortes de cassas para vestidos mais bonitos e com
6 1)2 varas cada um, pelo diminuto preco de 2/500 rs.:
no Aterro da l'a-Visla, loja n 24.
Vende-sc una linda gargantilha,'dous a nucios, um
em ilan, um resplandor de ouro bom, dozc colheres pa-
ra sopa, urna dita para tirar sopa, urna salva de prala
sem fcltio, tres pares de brincos com diamantes e uin
par do pulsoiras : no pateo do Paraizo, n. 20.
Vende-se urna casa terrea na ruados Marlyros, n.
15 : qucm qui/.cr comprar dirija-sc a ra das I.aran-
geiras, n. 24.
Vende-se a venda de Fra-de-Horlas do largo do Pi-
lar, n. 17 : a tratar na mesnia.
Vende-se uin cavallo gordo e manso, ensotado para
carro c sella, sem achaque algum : na piara da Hoa-
\ isla, botica do Sr. Ignacio Jos do ('nulo, sedir qucm
o veude.
Vende-se uin cscravo prelo, de nacao Angola, .por
preco commodo : na ra da Cadeia do Recife, loja de
fazendas, n. 28.
Na ruada Aurora, n. 62, terceiro
andar, contina-se a vender o verdadeiro
xarope do bosque, ,x :"),3oo rs. a garrafa
Vende-se louafa da llahia': na primeira casa passan-
do o quarlel do Hospicio.
Vende-se por preco muito barito na
loja de Victorino & Gnimar3es ,
na ra larga do Rozario n. 22, amigamente dos Quar-
leis um rico sorlimenlo de franjas brancas c de cores,
prop ias para cortinados e toalhas ; toallias c guarda-
apos de varias qualiilades c laiuanhos ; livros de novos
moldes para marcar ; chapos pretos de castor fino ; ba-
bados de linho largos eestreltus proprios para barra
de lences e toalhas; traucelira de reros preto pro-1
priopar* cirgaelro ; ditos de coros para obras de alltli.
te ; tranca preta pro, ria para o mesmo Hu bocean
de vidro proprios para charutos ; carapucas de lia #
cores; hcelas de plnhode varioslauunhoi; estajos eofrh
arranjos proprios de costura de srnhora ; escovas lia,
de llmpar denles ; din 01 'tmenlo de aljofares de toda(
as cores, em micos, e brincos do intimo ; tinta em p.
liuhos e garrafas, de superior qualidade ; cartelrai
peonas deaco Unas com cannetas de metal fino ; creiig'
e outros arranjos de inarflin que veem junto ; canld
tes ; papel de cores para enfeitei o capa de livros; mi,.
sangas de multas cores para volias de pescoco; tesou,.
ras proprias para esplvitar candielro ; luvas propriai pa.
ra escovar cavados ; livros efolhetos proprios para me-
nios de escola ; e outras multas mludezas.
Osantigos piscados monstro.
Na loja de Oulinares U C, ra do Crespo, vendem-ie
os bem conheoidos riscados monitros de padres inulto
modernos, e que teem quasl Urna vara de largo,pelo ba-
rato proco de 320 rs. cada um covado.
Vendem-se laceas com inllho, a 3/200 ; jogos de
bancas de amarello ; lavatorios e toucadores : tudo no-
vo e bem feito, e por barato proco : na roa da Cadeia
de Santo-Antonio, arinasem n. II.
Sapa loes de tres solas,
a i i'ooo rs.
No A trro-tbi-Hoa-Vista, loja n. 78,
contina-se a' vender sapatocs de tres so.
las, a 1,000 rs.
Cera de Lisboa
Na rua da Grnz, n. 6o, vende-se a me-
Ihor cera que ha no mercado, em caixas
de todos os tamaitos, vontade dos com-
pradores, e mais barato que em outra
parte.
Vendem-se caivetes finos; te-
souras de unhas e de costura ; ditas de
ilfaiates, feitas em Guimares ; sacarro-
llias de patente ; campainhas de rArex-
quisitas ; machinas para ilhozes a t.ioqjl
rs. ; c&sticaesde vidro a 2,^00 rs. o parv
na loja de quatro portas da rua do Galiu-
8, n. 1 C' do Duarte. /__
Vendem-se acg5es da ex-
tincta companluade Pernambuco
e Paraliiba: no escriptorio de O-
liveira IrmoA & C, rua da Cruz,
n. 9.
Vendem-se botesamarellos, finos,
de I' II. ; ditos ordinarios; ditos para
casacas ; ditos para cavalluria ; ditos pa-
ra infant.ria ; ditos para libr de pageos,
brancos e amarellos ; ditos pretos de bo-
nitos padrSes ; ditos de vidro, para enfei-
tes de roupas de menino : na loja de qua-
tro portas da rua do Gabug, n. 1 G.., do
Duarte.
FARINHA DE TRIESTE.,
marca verdadeira -S.SF, chegada ltimamente: vende-se
em case de N. O. Dieber Sl Companhia, ua rua da Cruz ,
n. 4.
-Vende-se, por necessidade urna cabrinha de 12 an-
nos que cose e faz todo o arranjo de uina casa : na
rua do Padre-Floriano n. 34.
ff
Kscravos Fgidos
B uglo, no dia 21 do corrente uin preto crioulo ,
de nouic Francisco, de 20 annos pouco mais ou incnoi;
he alio o sreco, rosto pequeo o redondo sen) barba;
lem minia falta de denles que se suppde nenhum dos
queixars e na frente so no queiso inferior pernas linas,
pos apalhetados ; tem as juntas de, ambos os pos al-
guma cousa grossas que por isso inrtle-os para den-
tro ; vnii camisa c comillas de algodao grosso da ier-
ra ; chapeo de couro ; he muito farcoln ; suppoe-se so-
dar ganhando por esta praca ou ter-se cncamiuhao
paia os arrabaldes da frrguezia de Goit. RogaS^-ai
autoridades policiaes capies de campo e pessoas jf'
ticulares que o apprehcndam e levem-no ao seu so-
nhor Manoel de Souza Cordeiro Sondes na rua estrella
do Rozario, n. 23J, que serao generosamente recom-
pensados.
-- Fugio, no dia 21 do crreme um preta de nome
Thoinazia de bonita ligura de rstatura regular; an-
dava vrndendo taboleiro de doces ; levou vestido de
chita desbotada um pardo argolas de pedias as ore-
Ihas ; lem sido encontrada as Cinco-Poutas: quema
pegar levea-a a seu sen luir no rua de S.-Francisco, n.
18, que ser recompensado.
Fugio, de bordo do briguc Serlorio na manlifia do
da de jiilhii prximo pass'ado un escravo inarinlif'-
ro de nome Francisco de na(ao Jang ; representa ter
30 a 35 annos ; lem na face esquerda uin slgnal ; faifa
muito dse.inc.na ; levou caifas e camisa a/uos cha-
peo de palha pintado de brauco e o balde que tinha de
trazer a racao ,t7frs. cm cdulas: qucm o pegar lr-
ve-o a .na da Mot'da u. 7, quesera bem recompensado.
--Fugio, nodla 24 do corrente, de bordo do brigu
l'aiurlc-J$-Pernambuco, un escravo pardo, denome I.ui.
de 24 anuos pouco mais ou menos ; he alto e grosso,
cara redonda dontcs limados ; he marinheiro do nfi-
mo briguc : quem o pegar leve-o a rua da Muda n. "
a seu senhor Leopoldo Jos da Costa Araujn que gra-
tificar.
- Fugiram, no dia 15 do corrente do engenho '"
pessuneuia, freguezia de Tracuuhem tomarca de N*'
zarelh dous esclavos um de nome Joaquim, crioulo ,
vermellm de20 a 22 anuos ; he sapateiro e alfaiatc ,
sem barba denles desligados uin dos outros, rol'0
alguma cousa quebrad~e urrlhas pequeas, pernas al-
guma cousa arqueadas ; levou camisa de algodao e cal-
cas de riscados ; foi escravo de Feliz Ferreira de Aguiar,
morador em Guarabira e depois de Autodio Ricardo. D
rua do Qneimailo no Recife por quem foi vendido:
o outro de nome Joo Angola principiando a barbafi
falta-lhe algn* denles na frente ort-lhas pequeas,
cachssudo ps felos porm sem bixos ; tem uina le-
rida na perna esquerda ; fugio do hospital do cugenliOi
em uto de remedios levou camisa c eeroula* do algojj
daozlnho ; foi escravo de Jos Francisco, do Salgado f
l'.n ahiha, e vendido por Francisco de Soma Cavalcantc.
Qucm os pegar lc,vc-os ao dito engenho, que ser tp-
compensado generosamente ou uo engenho Boa -Vis-
ta de Goianua ao major Francisco de Araujo ou noJ'J
cife, a .Menii, i Oua'rte de Olivelra que esto imiii"l0>
de ordens para os receber.
...!./;--- Trl
I'eBN. : NA TYP. E M. F. UE FARIA. l^*6
MUTIL
i
i