Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08621

Full Text
Auno XXIV.
Segunda^feira 21
O I) I All O publica-se todos oj diasque nao
forem de guarda: o preco da assignatura he
je i/UO rs. por quartel, pagoi adiantados. Oj
annuncios dos assgnantes sao inseridos i
rasio de 20 rs. por liaba, 40 rs. em typo dif-
ferente, e as repetlciJcs pela metade. Os nao
dignantespagarao80rs. por linhae 100 ri.
ve.t typo ditferente, por cada publicacao.
PIIASES DA LA NO MEZ DE AGOSTO.
Cretc*nU,*7. a 37 ralo, da manh.
/.mir/ieia, al4, s 5 horas c 56 mla.daUril.
Mingoanle, 21, a 1 hora e. 48 mi o. da Urd.
Lm nova, a 28, s 4 horas e 42 min. da Urd.
i
PARTIDA DOS CORREIOS.
Goianna eParablba, s segs. e sextas-reiras.
RIo-G.-do-Norte, qulntas-fciras ao meio-dia.
Cabo, Scrinhaein, RioFormoso, Porto-Calvo
e Macelo, no 1.*, a II e 21 de cada mez.
Garanhuns e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vista e Flores, a 13 e 28.
Victoria, s quiotas-feiras.
Oliada, todos os das.
PBEAMAn OE HOJK.
Prlineira, s 10 horas e;">4 minutos datnanb.
Se tunda, s 11 hora* e 18 minutos da Urde.
de Agosto de 1848.
N. 18*.
DAS da semana. '
2> Segunda. S. Joaona Francisca. And. do
J^losorph.doJ.dociv.'doJ. M.da2.v.
a Terca. S. Tlieinotco. Aud. do I. do c. da
1. v. c do I. de paz do 2. din de t.
2J Cuarta. S. Felippc ilenieio. Aud. do i.
doc.da2.v.e doJ.de paz do 2 dist. dct.
21 Quinta. >. S. Karllioloiuco.
25 Sexta. S. Lttil re de Franca. Aud. do J.
do civ. c do J. de paz do 1 dist. de t.
26 Sabbado. S. /eferino. Aud. do J. do c.
v. e doJ.de paz do I dist. de t.
27 Domingo. O Sagrado Coraco de Mara.

._,--------'V
. CAMBIOS NO DA DE 10 AGOSTO.
Sobre Londres 33 d. por 1*000 rs. a 60 d.
Paris a 345 c. 350 rs. por franco. Noni.
Lisboa 112 por cento de premio.
ii Kio-de-Jaiinro ao par.
Desc. de leu. de boas tirnns a I '/.',', ao me/.
Accoes da comp. de llcbcribc, a.Vljfrs.- ao p.
Ouro.Oncas licspaultolas 32#0OO a 32/20t>
Hut'das de 6/400 v. 17/400 a 17/(110
de 6/400 n. 16/000 a
de. 4/000... 0/200 a
Pataces brasileiros 2/D20 a
Pesos columnarios. 2/020 a
Dilos mexicano...... 1/870 a
Prata-
16/2IHI
9/40U
2/1140
2*140
IM0O
DIARIO DE
ancicrj
PARTE OFFICIAL.
H. 211, DE 1 DE AGOSTO DE 18*8.
Faz mXmAh aos Xhi, fapd*** compradores
de ramo do imposto de 2/500 riit sobre caben de ga-
do do consumo o abate concedido aos arremalantei do
mesmo imposto.
ntonio da Costa Pinto, preeidente da provincia
.lp'i'ernambuco. Faco saber a todos os seus habitan-
te*, que a assembla legislativa provincial decretou,
e eu sanecionei a lei seguinte :
Artigo nico. Os abates concedidos, por causa das
.lpsoiacOes da secca, aos arrematantes do imposto
da dous mil e luinhentos ris sobre cabeca de gado
vaceum consumido, aproveiUm proporcionalmente
aos seus socios e subconductores, ou compradores
i ramos- ,. .
Ficam revogadas todas as aispositjues ern conira-
r'Mando, portanto, a todas as autoridades aquem
o conhecimento e exccuclo da referida le perten-
tui 6 a eumpram facam cumprir tilo inteiramen-
te omo nella 'se conten O secretario interino des-
ta provincia a faca imprimir, publicar e correr. Ci-
dade do Recife do Pernambuco, aos 16 do mez de
agosto de 1848, vigsimo-stimo da independen-
cia e do imperio.
Antonio da Costa Pinto.
Carta de lei, pela qual V. Exc. manda exerutar o- de-
creto da assembla legislativa provincial, que houve por
bem sanecionar, mandando que. os abates concedidos, por
causa das desolacSes da secca, aos arrematantes do im-
posto de dous mil e quinhentos rls sobre cabeca de gado
vaceum, consumido, aproveitem proporcionalmente aos
seus socios e subconductores, ou compradores de ramos,
como cima se declara.
Para V. Exc. ver.
Antonio Leile de Pinito a fez.
Sellada c publicada nesta secretaria da provincia
de Pernambuco, aos 16 de agosto de 1848.
Francisco Xavier e Silva.
Registrada a (I. 5 verso do livro 2. de leis provin-
ciaes. Secretaria da provincia de Pcrnambuco, aos
17 de agosto de 1848.
JoaS Dominguesda Silva.
N. 212, DE 16 DE AGOSTO DE 18*8.
Transiere para Caruar a sede da freguezia de. San-
Caetuno-da- Raposa e a da comarca do Bonito.
Antonio da Costa Pinto, presidente da provincia de
Pernambuco. Eaco saber n todos os seus habitantos,
que a assembla legislativa provincial decretou, o
eu saccionoi a lei seguinte:
Art. 1. Fica trasladada a sede da freguezia de San-
Caetano-da-Raposa para Mossa Senhora das Dores, em
Caruar.
Art. 2 Fica trasladada a sede da comarca do Bo-
nito para Caruar.
Art. 3. A eomarca fica dividida em dous municipi-
os, comprehendendo o primeiro as frogue/.ias de
Caruar, Bezcrros e Allinh.o, e o segundo asile Bo-
nito e PanellH's.
Art. *. O primeiro municipio, o da sede da comar-
ca, ter os seguintes limites: principiando ao oeste
.-iii propriedade denominada--Itacahct,--, aqun
do rio Ipojuca, seguir ale a foz do riacho da mica.
comprehendendo as agoas pendentes ao mesmo : lla-
lli seguir por este cima, cm direceo ao norte, at
a sua nascenca na serra Jaracatiha, inclusive o sitio
do mesmo nome; o desciendo pelo riacho Carapot
abaixo e agoas pendentes ao mesmo 'at a sua foz
no rio Gapibaribe, seguindo por este abaixo, em di-
receflo ao leste, al o riacho da Egoa ; esubiudo por
estecima, em direccio ao sul, dividir com o i.i-
moeiro at os limites da freguezia de Bezerros,
abrangendo esta em sua totalidade, e os districtos
llebeilouro, Altinho e Cachoeira-Grande, a terminar
no ponto de partida, o sobredito sitio Itacahct.
Art. 5. A sede do segundo muuicipio fica sendo na
villa do Bonito.
Art. 6. Fica pertencendo freguezia e comarca do
Brejo a porcSo de terreno aqum e alm do rio Ipo-
juca, cima do sitio Itacahete.
Art. 7. Ficam revogadas todas as leise disposicOes
em contrario-
Mando, portanto, a todas as autoridades quem o
conhecimento e execuco da referida lei pertencer,
que a cumpram e facam cumprir to inteiramente
como nella se conten. O secretario interino desta
provincia a faca imprimir, publicar e correr. Cidade
do Recife do Pernambuco, aos 16 dias do mez de
agosto de 18*8, vigesimo-setimo da independencia c
do imperio. ,
L S.
'Antonio da Costa Pinto.
Carta de tei, pela qual V. Exc. manda executar o de-
creto da assembla legislativa provincial, que houve por
bem sanecionar, trasladando as sedes da freguezia de
San-Caetano-da-Raposa e da comarca do Bonito para
Caruar ; dividindo a mesma comarca em xlous munici-
pios, e mandando pertencer a freguezia e comarca do
Brejo a poredo de terreno aqum e alm do rio Ipojuca
cima do sitio Itacahct, ludo na forma cima decla-
rada.
Sellada e publicada nesta secretaria da provincia
de Pernambuco, ao 16 de agosto de 18*8.
Francisco Xavier e Silva.
Registadaa folbas 55 do livro segundo'das leis
provinciaes/ Secretaria da provincia d Pernambu-
co, 17 de agosto de 18*8.
ojo Domingues da Silva.
N. 213, DE 16 DE AGOSTO DE 1848.
Aulorisa o presidente da provincia a mandar construir
tima casa de dctenso.
Antonio da Costa Pinto, presidente da provincia de
l'ernambuto. Faco saber a todos os seus habitantes,
que a assembla legislativa provincial decretou, c cu
sanecionei a lei seguinte:
Artigo 1. 0 presidente da provincia fica autorisa-
du para mandar construir nesta cidade do Recife urna
casa de detensiio.
Artigo a. Esta casa ter a capacidade nocessaria
para conter duzentos presos, separados uns dosou-
tros, conforme o seu sexo, suas circuinstancias e
aturcZu dos seus crmes, como determina i ftrtiffO"
cento e setenta e nove, paragrapho vinte um da cons
tituico do imperio.
Artigo 3. 0 projecto desta obra, antes de ser exe-
cutado, sersubmettido ao e&ame de urna commissito
composta- de mdicos, jurisconsultos e engenheiros,
Horneados pelo presidente da provincia.
Artigo t. Ficam revogadas todas as leis e disposi-
cOes em contrario.
Mando, portanto, a todas as autoridades a quemo
conhecimento e cxecucSo da referida lei pertencer,
que a cumpram, e facam cumprir 13o inteiramente
como nella se contm O secretario interino desta
provincia a faca imprimir, publicar e correr. Cidade
do Recife de Perftambuco, aos dezascis dias do mez
deagosto de 18*8, vigesimo-setimo da independencia
e do imperio.
I- S.
Antonio da Costa Pinto.
Carta de lei, pela qual V. Exc. manda executar o de-
creto da assembla legislativa provincial, que houve por
bem sancionar, aulorisando o presidente da provintia
para mandar construir na cidade do Recife urna casa de
detensdo, coma capacidade ncressaria para tonUr (m-
zentos presos, separados mis dos outros, ludo como a cima
se declara.
Para V. Esc. ver.
Antonio faite de Pinito a fez
Sellada e publicada nesta secretaria da provincia
de Pernambuco, aos 16 de agosto de 18*8.
1'rancisco Xavier e Silva.
Begistada a ti. 56 do livro segundo de leis provin-
ciaes. Secretaria da provincia do Pernambuco, 17 do
agosto da'188.
Para V. Exc. ver.
Antonio Uite de Pinho a fez.
Jado Domingues da Silva
N. 21*, DE 16 DE AGOSTO DE 1848.
Aulorisa o governo da provincia a mandar tres elep/tan-
tiacos para San-Pau/lo, aflu de urem frutados pelo
/ranees Pedro Etchoim.
Antonio da Costa Pinto, presidente da provincia de
Pernambuco. Fago saber a lodos os seus habitantes,
que a assembla legislativa provincial decretou, e eu
sanecionei a rcsolucgo seguinte.
Artigo 1. 0 presidente da provincia fica autorisado
a mandar para a provincia de San-Paulo tres dos ele-
phantiacos que so acham recolhidos ao lasareto de
Santo-Amaro, alim de seren submettidos ao trata-
menio empregado na cura da clephantiasis pelo fran-
cez Pedro Etchoim, ahi residente ; o que todava s
far no caso de serem satisfactorias as informacAcs
que premeirameute mandar colligir, pelos meios ao
su alcance, a respeito doseffeitos operados cm ou-
tros pelo dito tratamento.
Artigo 2. A cscolha dos tres enfermos cahir indi-
vidualmente em um d'aquelles em quem o mal se
achar no primeiro, segundo, e no lerceiro grao de
affecclo.
Artigo 3. Fie tambem autorisado o presidente da
provincia a despender a somma necessaria para a cu-
ra e alimento dos enfermos, e seu transporte de ida
e volt. Se, porm, succeder que os enfermos, depois
de restabelecidos, recusem voltar, cessarflo desde
esse momento todas as despezas.
Artigo *. O presidente da provincia dar conta
assembla legislativa provincial do resultado da ex-
periencia.
Artigo 5. Ficam revogadas todas as leis c disposi-
ces em contrario.
Mando, portanto, a todas as autoridades quem
0 conhecimento o cxecucSo da referida resoluefo
pertencer, que a cumpram e facam cumprir tilo intei-
ramente como nella se contm. O secretario interino
da provincia a faga imprimir, publicare correr. Ci-
dade do Recife de Pernambuco, aos 16 de agosto de
18*8, vigesimo-setimo da independencia c do impe-
rio.
1. S.
Antonio daVosta Pinto.
Carla de ti. fila qual V. Exc. manda executar a resolucSo
da ainmbla Itgiilaliva provincial, qm houve por bem san-
ecionar, aulorisando o pniidcnte da provincia a mandar para
San-Paulo lrr dos elephantiacos que te acham reeothidoi ao
laiarelo de Santo-Amaro, afim di iirim lubmettidoi ao tra-
1 ment empregado pito Franeis Pidro Blchoim; i o deipendir
I a somma mcaria para a cara i alimento doi enfermos, e
ten troMforte de ida e volta, ludo como cima se declara.
Para V. Exc. ver
Antonio l.eile de Pinho a faz.
Sellada o publicada nesta secretaria da prVincia
de Pernambuco, aos 17 de agosto do 1h*8.
Francisco Xavier a Silva.
Begistada a fl. 57 do livro segundo das leis pro-
vinciaes. Secretaria da provincia de Pernambuco, I
deagoslodc I sis.
Joo Domingues da Silva.
PERNAMBUCO.
ASSEMBLA PROVINCIAL.
*." SESsAo ORDINARIA, EM 16 DE AGOSTO
DE 18(8.
PRES1DF.NCI* DOSn. VluARIO A/EVED0. ,
ontalua. A'i" Eset^lenU. Pnrereru. Avoro-
t'iifo dorequcrimenlo do Sr. Roma, adiado na
uo antecedente. Apprncacao dot arttijoi
3.,4.a, 5., 7." e 9." dn titulo 3. do oreamtnto
' provincial, em segunda ditcanilo, rom algumai
tmendai. Supprenao do artigo l>. Subsli-
tuico do artigo 8." por nutro doSr. Ferriira
(lomet. Adopc'lo dn orcamenlo municipal, c
dosprojeclot numrroj 26 e 35, em terrrira dit-
eiuido; do de n. H, em segunda; e dos de
nmeros 34, 40 o 41, imprimiira.
s 11 horas e tres quartosda manhaa, faz-se a chama-
da c veri6ea-se eslarein presentes20 Srs. dcpulados.
O Sr. Presidente declara abena a sesso.
O Sr. 2. Ser rilarte le a acta da sessao antecedente que
he approvada.
O Sr. 1." Secretario menciona o seguinte
F.XPEDIKNTE.
l'in requer ment, em que Manoel Gomes da Cimba
c outros pedeu> i assembla concessao para dividirem
em cautelas de decimos e vigsimos alguns bilhctes das
loteras que correrem nesta cidade, dando flanea idnea.
A' commissao de petices.
He lido, e approvado depois de ter cedido a patarra o
Sr. Olinda Campello, o parecer adiado da commissao de
legislacao que drvolve commissao de estatistica as pr-
cas a espcilo de urna nova divisao dos districtos de paz
de Ipojuca.
He lido e approvado "o seguinte parecer:
A commissao de contas c orcamento das cmaras
municipios, depois de ter com a devida altcncu entra-
do noexame das contas da cmara municipal da cidade
de Goianna, do auno que ilecorreu do 1." de oulubro de
1846 a 30 de setembro de 1847, achon que, tendo sido a
rceeila oreada naquanlia de ris 7:173/225, e se tendo
smente arrecadado a de ris 1:354/817, lieou por arre-
car ris 5:930/5t 0, e que a dr-sprza fol de res 2:297^508,
licando por pagar ris 903/579.
K A commissao, finalmente, comparando as despe/.as
com os documentos que accompanharam, as acliou le-
galisadas, c por isto be de parecer que as contas devem
ser approvdas.
Sala dat cominisses, 14 de agosto de 1848. 7'i';in-
(m>. L. Roma.
lleudo, e fica adiado por pedir a palavra o Sr. Ma-
v.ignier, u'm parecer da cummissao de legislaran, ap-
prorando aaposeutadoria roncedida ao olTicial da secre-
taria da nresideucia, Jos Xavier Faustino Hamos.
Contina a discussio do requerlmento doSr. Boma,
adiado na sestean anterior, c bem assim a do rcquei en-
lo deadiamento, do Sr. Jos Pedro.
O Sr. Roma: Sr. presidente, o nobre deputado a
auem lenlio a honra de responder, fazendo algumas re-
ndes sobre o meu requerimento, disse que votara
por elle porque o acbava justo, tanto que elle tinhasido
prevenido no mesmo pensamento; mas que desejava
alguus eselareciinentos para poder regular o seu voto ;
e espera va que viessein a casa os documentos queja ha-
vla pedido, e para isto pedia o adiamento at que os
seus desejos fssem satisfeitos. Ento pedi a palavra, c
mostr! ao nobre deputado, que nao uccessitava desses
eselareciinentos visia da justica ou da conveniencia do
incu requerimento, cm cujo apoio fcil me era apresen-
tara* bases em queme fundava. Para esta demoiislra-
co lia que pedi novamentc a palavra, c espero que o
nobre deputado, cousciencioso como he,vote pela mate-
ria do requerimento, vista das infurmacocs que Ihc
vou proporcionar. Eis-rhi os documentos, cm que me
baseei.
A mesa do consulado provincial rendeu o auno pr-
ximo passado, segundo se ve do balanco publicado uo
iario-Sovo, e que aqu est presente, a quantia de
377:321/299 ris. Cumpre advertir que, comquantu seja
nova sta reparlicao, ella em nada alterou a iialurc/.a
dos impostos que jcxisliam, por cousequencia a base
da arrecaflacSo he a mesma, e cm nada pode variar a-
cerca dos rendiinentos dos annos anteriores ; lie, pois,
esta somma urna base segura, da qual nao podemos du-
vidar. Passarei agora a provar ao nobre deputado que
as trescollectorias das cdades de Olinda, Goianna e Vic-
toria, segundo a porcentagein que para ellas marcoii o
ex-inspector da tbesouraria provincial no orcainciilo
para o corrente anno financeiro, rendero 15:750/ reis,
que he o termo medio do rendimeuto dos ltimos tres
annos. Tambem ste*calculo he urna base nao so pro-
vavel como at cerlo ponto segura.
As outras collectorias da provincia, segundo esta no-
ta queme tinha dado o mesmo ex-luspector da tbesou-
raria cxlincta, de sua propria lettra, renderam 11:154/
ris. O imposto sobre tabaco, charutos, sabao e bebi-
das espirituosas produzio a quantia 'de 38:598/000 rs.,
curas soinmas, reunida aos producto do consulado pro-
vincial, montain a 442:823/299 rs. Se a este total reu-
nlrmos a quantia de 50:336/998 rs., qne a coinmrssao es-
pecial desta casa aclinu. no cofres provinci.vs, quamlo
fes o cxainc de que lora encarree;ada, em kttra pertrn-
conles ao exercicio corrente, ver o nobrr deputado que
nao podemos contar durante o mesmo exercicio seno
com a q na o na de 493:l6flf2U7 para as despezas da pro-
rtaeta ; entretanto que a despea ja volada em primen a
e segunda diseussiio do projecto do orrameiilo slic ja a
.Heuutjfvii res, viudo por eonsequencla a existir um
dficit, por esta demonstrado rigorosa, de I56:907,f573
ris.
Crcio.pois, que o nobre deputado u.o se negar a
aceitar esta prova plena do meu Caanlo, nem romo bi-
se segura para o meu requerimenlo, nem como o resul-
tado de nina demonstrarn inalhenialira, porque all l -
to as cifras para eouvence-lo. frote mal o nobre de-
putado que o projecto fui feto com toda a economa
comportavel com a situaco da provincia, que nao po-
demos diminuir ou eliminar neiiliuma ilaa verbas, e que
eu me contentarla com que uSofosse augmentada a des-
pc/.a cm terceira discussao. O nobre deputado sabe e
sent a necessidade que temos de una cadoia ; lie ver-
gonlia que urna provincia de primeira ordem. como he
a de Pernambuco, anda nb'opltua urna casa de dcten-
so, deixaudo de cumprir-se uiupreccilo oonitituclonal,
pois a que temos merece mais o nome de nina cernina
que de cadeia ; alm da falta de scgiiranra, que produr.
constantes alarmas na cidade, eo que mais lie a iinpu-
nidade pelas repetidas fugas dos presos maii erjiniuosos.
e ai le asutenctadot |>ts.. perpctnSa t^'.ic menea
podeiiainos volar para esta obra lo necessaria do que
3 eoutos de ris? ouio deixaremos arrumar as nnssas
estradas, i|iic tan grotsas soinmas leein distado pro-
vincia .'
Kiiilim cu desejava que o nobre deputado lembrasse
oiilro expediente; mas, ciuquanto nao houver oulro re-
curso, emquanto existir o dficit que acabo de demons-
trar, nao vejo oulro remedio seno pedirnios aos pode-
res do estado um subsidio, soccorro, auxilio oncoino
llie qiii/erem chamar, alim de evitarinos de presente e
para o futuro serios embarace! para a adniinistraco da
provincia. Ninguem dir, portanto, que .< quantia he
excessiva, nem be novo esse expediente, porque por
varias vetea temos sido soecorridos pelos cofres geraes
com a mesma somma de 160 contos de rls, como consta
dos balaiifos que aqu eslaopicsentes.
O Sr. Dantas : K se nao nos'frcm dados '
OSr. Roma: Picaremos sem elles....
O Sr. Dantas : Tambem nao se pagar o que se deve.
O Sr. Boma: Nao, senhor; he multo de esperar
que ocorpo legislativo ou o governo nos atienda uem
temos motivos para nao aeredita-lo, visto que nao po-
demos lancar mo de outros recursos,porque mis nao po-
demos mpor mais tributos sobre o povo, nem eu dara
o meu voto parasemelhantc cousa ; e por isso he de es-
perar que o governo geral, compenetrado da nossa si-
tuaco melindrosa, nos conceda o auxilio que pedi-
mos....
O Sr. Dantas: -- Melhor seria collarinos as despe/as
que nao sao de urgencia.
U Sr. Jos fedro Mas qual be o desfalque da receiu
di'ste alinn .'
OSr. Roma : O que consta do parecer da commissao
especial desta casa, deque nao se pode duvidar ; por-
que foi o resultado de nina comblnaco com outra com-
missao do governo, nomcada entre os empregados da
lliesourarla geral. A' vista, portanto, da demonstraran
que acabo de fazer, espero que o nobre deputado se dig-
nara* de honrar enm o seu voto o meu requCriinento,
pelo qual anula votarei.
OSr. Jos Pedro entendeqiie o requerimento nfio ,"';-
duiir ell'eito algilin, porque suppde que a assembla
geral nao volara o supprimento que elle solicita tanto
mais quanio, anda o auno pa..sado, negou-se M pedid
igual, felo por urna das provincias de segunda ordem.
Heais, (piandoanda se nao sabe ao cerlo aquailtn
montar o dficit dos cofres provinciaes, purque'igmu a-
sc a quanlo ebega a falta da caixa do producto das be-
bidas espirituosas, assim como se as despezas de junlio
foram pagas, etc.. etc. quando se uo ha laucado mo
do todos os uicios possiveis para occorrer deficiencia
de fundos, isto he, quando se uo lia recorrido a em-
prestnos, e emisso de bilhctes do thesouro; ere qui-
se lio deve apresentar esse pedido, todillicil de alten
der quanto outras multas provincias estao as cireuius-
lancas de o lazer, che de presumir, que, seguindo o
exemplo desta, o facam rom cuello.
O orador, pois, votarla pelo citado requerimento, se
elle versasse sobre um empresliino, e nao sobre um sup-
primenlo ; mas, como assim nao acontece, negar- Hie-
na o voto.
ICncerra-sc a discussao.
O Sr. Jos Pedro pede perinisso para retirar o seu
requerimento de adiamento.
A casa couvui,
Siibinetlido o requerimento do Sr. Itomaa vol.vo, he
approvado.
ORDKM UO DA.
Continuacao da segunJa discussao do orcamento pro-
vincial.
Entra em discussao o artigo 3. do titulo :!.", a.liado na
sassao antecedente.
lie approvado.
Entra em discusso o seguinte :
.. Ariigo 4." Ficam revogados os artigo i. e 7.a'das
disposicOes geraes da referida lei de 12dcabril de 184/. .
Val mesa c be apoiada a seguinte emenda:
. picam revogados os artigo 4 e:7." das aisposic.es
ueraes da referida lei de IS de abril de 184/, o o governo
ob. gado a indemnisar, pela quola das despezas even-
tuaes, ao actual arrematante do imposto do capim o pre-
iuizo que elle provar ter sollrido, em rasao da disposi-
to do referido artigo 4. Jos Pedro.
OSr. Jos Pidro faz algumas rrflexocs a favor de sua
emenda.
O Sr. Ferreira Gomes pede que a commissao declaro
as rasocs que leve para propor a revogaco do artigo 7."
das disposicoes geraes da lei de 12 de abril de 1847, que
manda contar para as aposentadoras dos empregados
pblicos os servicos prestados no corpo de polica.
Depois de terem rellcxionado os Srs Cabral, Laureu-
tno e Jos Pedro, o primeiro sustentando o artigo c_os
outros dou Sr. combatendo-o, encerra-se a discussao,
c he approvada a emenda do Sr. Jos Pedro, com cxclu-
sao da parte que manda revogar o artigo 7. da lei de 12
4a abril de 1847. ..'.
LADO


*fc
. 1
1 1
i
c :
rt


i
i

2
Entra eni discusiao o artigo 5.*, concebido assim :
ArtigoS.* .Nenhum emprogado provincial poder re-
ceber o seu or leado sem primeiro aprcseiitar titulo de
nomeacao, pelo qual se conheca liaver pago os velhos
t iioros direitos.
Approvado sem discussao.
Entra rin discussao o artigo C.c, redigido desie modo:
Artigo 0," Ifenhnm ordenado, t titulo de aposenta-
dora ou jubilar.., ser pago se nao houvrr para elle
quota expressainentp marcada por cria assembla.
Vai i mesa aseguinte emenda :
Siippriina-sc u artigo (i Trigo de Loureiro.
Apoiada, entra era discussao.
Scgui-in-se algunos reflexocsdos Srs. Roma, Jos Pe-
dro e .aurcntino.
Kncerra-se a discussao, e lie approvada a emenda sup-
pressiva.
Approva-se o seguintc :
Artigo 7. O presidente da provincia fica autorisado
a reformar os estatutos dos collegiol de orphos, snb-
inettcndo-os depois da reforma approvac da assem-
blca provincial na seguintc s.sso.
F.ntra ein discussao o seguintc :
Art. 8. Tudas as arrematacoes a que de ora em dian-
te proceder a thesouraria provincial sobre obi-as publi-
cas, scrao lenas or pregao, cessando desde j o costu-
inc de fazerem-sc jior mcio de cartas fecbadas, que nio
adiiiittem laucos. i
\ ai roe* e he apoiada a seeuinte emenda suhsiiiu-
tiva :
. Todas as arrcma'tacrs e contratos, ou sejam de re-
cnli ou de despea que se proceder.....a tliesotirai la
da latenda provincial, scrao relias em pregao, e nio so-
rao nlgadas ultimadas siin approvac do presidente da
provincia, que poder renovar os leiloes, quando enten-
d'r i|iic as arrematacocs fr.im Hitas contra as lea ou
regularaentos. Ferreira (Joma.*
Encerrada a discussao, lie approvada a emenda, Tiran-
do piejudicado o artigo. ,
Kntra em discussao o seguintc :
Art. 9." Do dia da publicaco desta lei a seis mezes
imprnrogavels, scro pagas as meias cl que se estiverem i dever, e .Indi este prazo, DCn a me-
sa do consulado, nem os colleclores poderao receber ci-
ja que ;i vista do papel de venda se queira pagar, 110
lias posteriores a sua data, em cojo caso licar subjeilo
ao artigo 1? do regulaniento de II de abril de 1842.
Vai mesa a seeuinic emenda substitutiva
Art. 8. (substitutivo do artigo 9.) Ao* que al a pu-
blicaco da presente lei tiverem incorrido na pena do
dobro da importancia da incia ci/.a be concedido o pia-
lo de seis mezes para a Satisfazerera, e, nao o fazendo,
pruceder-se-lia judicialmente contra clles, para que se
Ibes applique a pena declarada na ultima parte do arti-
go 33 do legul.imciito geral, de 11 de abril de 1842.--
Trigo de l.oureiru.
Apoiada, entra em discussao.
0 Sr. /.aurriilno manda .i jnesa a seguintc emenda :
k Depois das palavras que se estivcreni a dever ac-
crescente-se eque Oca reduzlda a 2,4000 rs. por cento.
O mais como no artigo. Carvalho.*
Apoiada, entra em discussao.
Depois de algumas rellcxoes dos Srs. Trigo de I.oureiro
e l.-iurentino, he o artigo approvado e rejeitadas as
emendas.
I'.in seguida vio a mesa os seguate* arligos additivos,
que sucessivamente sao potados para entrarem em dis-
O presidente da provincia fica autorisado a permu-
tur os bens de raz do patrimonio de caridade por apdli-
ees da divida publica, que (carao inallieniveis. Jos
Pedro, i

> A contribuirlo dos empregados provinciaes e mii-
nicipaes para a caixa econmica ser d'ora em diante
voluntaria, e se restituir aaquellcs deitcs contribuin-
tes que nao quucrcm continuar a contribuir a quantia
que a este titulo se Ibes tiver descontado dos seus res-
pectivos ordenados. Sote Pedro.
v Fieam rescindidos os contratos ou arrematacoes dos
impostos, cujos productos estivessem em lettras nos co-
fres provinciaes, c dellcs tcnliam sido roubadas alguma
algumas, licando autorisado o presidente da provin-
cia a mandar por novamente em arrematacao os ditos
impostos, do I." de outubro do correte anuo em dian-
te. Luiz Roma.
Art. additivo para ser collocado no tit. 1. em lugar
conveniente. Cora a escola industrial 2:000/000.
mtaviptier. Alvti Ferreira. Cordeiro. Camello Pestoa.
Pereira de Carvalho. Padre Vicente.
As dcimas dos predios urbanos sero cobradas por
trimestres. Joi Pedro.
' Os baiancos da thesouraria scrao publicados no jor-
nal mais vulgarisado na provincia. Jos Pedro.
Os Srs. Jos Pedro e Loureiro sustentan! os seus arti-
gos additivos.
Encerrada a discussao, sao approvados 2 arts. do Sr.
Jos Pedro, uin para que o pagamento das dcimas seja
por trimestre, c oulro para se publicaren! os baiancos
da thesouraria ; o de diversos Sis. para se marcar o
quaiilitativodc 2:0001000 para a escola industrial, e o
do Sr. liorna, para que liquem rescindidos os contratos
cujos productos estivessem em lettras nos cofres pro-
vinciaes, e teiiham sido roubadns.
A icquchinciito do Sr. llanoso, foi nominal a volocao
-obii
uge
/>u;-,, graej dpoii do artigo 4. \rt. (addi-
d< clarada no artigo 3;') $ 9." d.i lei provincial n. 130, cun
as alterques do decreto n. IU ; licando revogada a ex-
cepeo do citado $ 9." Trigo de I.oureiro.*
Para ter colloeada as disposicoes geraes depois ioartigo
i/iinro. Art. 0.* (additivo). A decima dos predios urba-
nos ser arrecadada na forma declarada no artigo ,'|j, ^
4, da le provincial n. 130, de 2 de maio de 1844, coni as
alteracdes do decreto n. 409, artigo* 3, 4, 5, (i, 8 e 12.
Trigo de Loureiro >
Art. 9. (substitutivo1. A meia < i/a dos escravos ser
arreeadada na furnia declarada no artigo 36, 10, da lei
provincial n. 30, COUi as altcracoes co decreto n.4ll,
nudo lugar a pena declarada na ultima parle do artigo
23 do regulainenlo geral de 11 de abril de 1842, lmente
no caso em que ospossuidores de escravos, tendn incor-
rido na pena do dobro da importancia da niela ciza, na
lumia do artigo 17 do citado regulamento, tiverem del-
xado de a satisfazer antes de se proceder contra elles ju-
dicialmente. -- Trigo de Loureiro.
Additivo. --0 presidente da provincia poder autor-
sar a Irapressfio de bllhetes da thesouraria para supprir
o dficit que porventura se possa oll'erecer em conse-
quencia do extravio das lettras e di.'.heiro pertenecnte a
receita do auno fiuaiieeiro crreme ; sendo brigodo a
resgatar estes bilhetes porporcao que se franccadm-
do a referida quantia extraviada. Jos Pedro.
Additivo. O presidente da provincia conimelter a
liscalisacao do lanamente, cobranca e remeta da ren-
da a cargo das culleclorias do interior da provincia aos
promotores pblicos, que por este traballio vencero, os
das comarcas de Goianna, Victoria c Ilio-I'ornioso seis
por cento, e os das outras 10 por cento do que se arre-
cadar.
1.' Os referidos promotores darlo trimensalmen-
te conta thesouraria das occurrcncias o do resultado
da fiscalisacn a sen cargo, e proporao opportunamente
e de acedrdo com os ajudantes do procurador-fiscal as
medidas que convin adoplar-se para melhor arrecada-
cao das rendas dessas collectorias,
J 2 Os referidos colleclores rcmetterao, de tres
em tres mezes, para a thesouraria a renda que houvr-
rem arrecadado, c no lim do auno linaueeiro os llvroi
de sua escripturacao depois de encerrada, para seren
sj ndicados, c ajustadas suas contas.
3." O inspector da thesouraria instruir os referi-
dos promotores as obrigacoes dos colleclores, para que
estes aprendain daquelles a pralica das funecoes a sen
cargo, e sejam dirigidos convenientemente.los Pedro.
O governo fica autorisado a arrematar por um at
tres anuos alguns ramos da renda publica era que este
systema dearrecadaco possa ser mais vanlajoso aos in-
ti'i esses liscaes. Jos Pedro.
n A despeza com o servco pessoal e com os reparos c
coneertos das obras publicas existentes ser preferida
a outra qualquer. Jos Pedro.
Ficam isentas da cflntribuico para a caixa econmi-
ca as rendas da cmara municipal de Olinda e patrimo-
nial doscstabelcciinentos de caridade. Jos Pedio.
VoJ,aram a favor, os Srs. : padre Vicente, Ciinha ala-
chado, llanoso, Duarte, Xavier Lopes, Teixeira de Hor-
l.i, Huma, Tibui tino, Olinda, (Jabral, Alaranlio e l'essoa.
Votaran! contra, os Sis. : Dantas, Jos Pedio, Joaquim
Villela, Joaquim Jos da Costa, Laiirenlino, Trigo de
Loureiro, Cordeiro, Mamcde, Jos Carlos, Soiua andci-
ra, Ferreira Gomes.
F.in seguida he approvado o seguintc requerimento :
ic Hequeiro a dispensa do intersticio, afim de que se-
ja dada jiara ordem do dia d'amanha a lei do ornamen-
to provincial. Ferreira (lomes.
Tercena discussao do projecto n. .'15 que approva o
comproirMiso da irtuandaae de Alaga-Secca.
lie approvno sem discussao.
Tcrccira discussao do projecto de orcamciilo inuni-
oipal.
\ jo mesa os arligos additivos, e emendas seguintes :
No 1." diga-se com o porleiro, 120/000 ; com o
porteiro do auditorio, 50/000 leudo o fiscal da cidade
129/Utlll. O mais como est DO artigo.
ii Supprima-se 0 i 2."
No 8.11 diga-se o com o reparo dos predios, calca-
ment e limpeza das ras, e reedificaco da fonte de-
iiuminada Taiiquiuho, 600/000
i auditivos Com a assignalur do Diario que de-
vela ser conservado no archivo, 12/000.
Tambera re approva em primelra diicusilo o teguin-
tc projecto.
A assemblca legislativa provincial de PernSmbuco
decreta:
Artigo ).' Todo terreno da parochia de Noisa-9e-
uhora-do-Hosario da'cidade de Goianna, que actual-
mente pertence ao municipio da villa de Iguarass. fica
d'ora avante incorporado comarca daquclla cidade,
e snbjeito respectiva jurisdiccao civil.
Art. 2.' A cadeira de primeiras lettras da povoacao
de Goianninlia. nacomarca dacidade de Goianna, nca
desde j transferida para aquella cidade, a lim de que te-
nha duas cadeiras para eusino do sexo masculino.
Art. 3. Ficam revogadas todas as leis e disposieea
em contrario. S. R.
Paco d'assembla legislativa provincical de Per-
uambuco, 211 Ir jullio de 1S48. Cunha Machado.
Km seguida sao lidos e successivamenteapprovados os
seguintes requerimentos;
> Requeiro dispensa do intersticio do projecto n. 41,
e que seja dado para ordem do da de amanhaa. L.
liorna, i)
Requeiro que se dispense o intersticio do projecto
i. 40, para entrar etn ordem do dia. 'Teixeira.
Requeiro dispensa do intersticio do projecto n. 34.
Cunfia Machado.
Entra cni segunda discussao o projecto n. 21 que man-
da reinstaurar a cadeira da granunatica latina da villa
de l'o-d'Aiho.
Os arligos l. e 2." sao approvados!
Ao artigo 3. vo i mesa c sao apoiadat as seguintes
emendas *
Os professores jubilados que furem prvidos em al-
guma das referidas radeiras, nao' perderao o lempo de
suas juhilaccs anteriores. Teixeira de Horba.
Se a cadeira fr exercida por profeasor jubilado, es-
se deixar deperceber o ordenado de sua jubllacao.
S. R. Alvt Ferreira.
Pallara os Srs. Trigo de Loureiro e Tiburtino.
Verifica-so nao liaver casa.
O Sr. Presidente d a ordem do dia e levanta a sesudo
s 5 horas da larde.
ni mu n PERMiircn.
HECIFC, 20 DE ACOST n* !'.;
Cun um advogadn que se enearregue, por contra-
to com a cmara, de promover e encara I linar diligente-
mente a cobranca das multas impostas aos jurados, por
elclcoei, contraven!.oes de posturas, eqiiaesquer outras
que se achara em dbitos, fa/.endo a inesraa cmara
despcaas das execuefles, 300/OOo.
Art. additivo. Fica o presidente da provincia au-
torisado a unmear urna commlssSo composta de tres ci-
dadaos lolclllgentes e probos para examinareni o esta-
do Hnanceiro do cofre dista cmara ; a qual, trndo i
vislia arrccadaco das rendas dos anuos anteriores,
examinando a legaildade e exaetldSu das despeas, apre-
sen te a esta assembla, na sesso seguintc, por inter-
medio do inesmo governo, um relatorio fiel c minucio-
so de ludo quauto encontrar.
- Reduza-se a 80000 a verba do 9." do artigo 5
Cunha Hachado, a
Cap. 2.", art. 21, 10. Accrescente-se nao ex
cedendo a 4^000 a que se impozer aos proprictarios que
na capital deixareni de concertar as calcadas de seus
predios, as pocas marcadas pela cmara. S. R.
Caliral. Camello Pessoa. a
ii Suhemenda ao 5 (i." Com os liscaes das freuezias
do Kecife e Boa-Vistan l 0/000, $an-Jos e Santu-Anto-
uio .1050^100, Afogados 3OU/U00, P090 150/000, SanLou-
renco, Jaboatao e Vanea 20 por cento do que arrecada
rein. S. R. /,. liorna.
- Instaure-seo22art. I. do cap. 1, S. R. T.
otirlinu. 11
SubeaieRda ao C." Com os liscaes das freguezias do
nnunn 'V\.Slan'r)?000, Sl"-J c Santo-Antonio
,)(IOs(l0l>. S. |. Tilmrlino.
-J0 "t,il'"Ef '"e'11 nxitwuo diga-se
Ijii^ooo. s. K. '0l|-. andein,
Ao art. 2.o S_ Acamara municipal fica autorisada
a contratar com alguns particulares ou eompanhias a
eonstruccao de,.,,, mercado publico cm cada una das
freguezias da cidade, subjeilando esae contrato appro-
vaco desta assemblca. S. R. Alies Ferreira.
Ao ^ 9. do art. 3 Depois da palavra .. eventtiaes
ccrescente.se inclusive a quantia de I46/W5 parapa-
a.nenlo do baeh.irel Joo de Souza Reis, ex-aiei;*.
da cmara. Auguiente-sc
Tiburtino.
ex-advogado
aquota 195/828. S. R.
.. Ao (;._( 0111 os liscaes de Jaboatao, San-I.ou-
1 euro, e \arrea 20 por cento do que arrecadarem : li-
cando suppnniiila a emenda approvada
segunda discussao. S. II. O/ini/a Ca
/lo<
com des-
a quantia
si
>
Fica concedido o abale de 15 por eento s dividas
activas anteriores ao anuo linaueeiro de 44 a 45, cujos
devedores.pagareni espontneamente dentro do piaso
improrogavel de seis Ineses, contados da promulgaco
desta lei. y
nico. Passado este lempo, o presidente da provin-
ia pora era arreuiaUcao todas as referidas dividas e as
que forera julgadas dnvidosas ou iucobraveis, traiismit-
tindo gradualmente aos arrematantes os esclarecimen
tus, ceriidoes. documentos e titulos comprobatorios del-
I". J Pedro. -' W *
essa pai te em
amvcllo.
10 do art. 10. Depois das palavras
pe/as eventuaes 11 accrescente-se Inclusive
de .JOtiUOO para pagamento da divida dos anuos anterio-
Additi, a0 J. 24. Depois de aferida accres-
eeni,-se<, devendo haver na mesma praca amis am-
p.a l.berdade na compra e venda dos gneros... -Camel-
lo l'csion. Carvalho.
Amito. He autorisada a cmara municipal da
Villa de Iguarass a dar ..abale proporcional sobre o
preco da arrc.nal.19ao do repeso e easa do aconeue no
arrematante Vicente Ferreira de Sanipaio llorba, pelo
desfalque que soffreu pela licenea concedida a Francis-
co das (hagas Ferreira Duro, para abrir arouue parti-
cular naqnella villa. S. R. 7'iouriiiw. >!
Additivo. Fica Abolido o imposto de 40 rs. que co-
brava a cmara municipal de Goianna de cada um bol
arrobado. S. R. 7i6uriino.
Encerrada a discussao, sao todas as emendas ei
additivos approvados, exclusive um do Sr Roma mi-
tro do ir. Tiburtino, c oiitro do^Sr. Souza llandcira-
dieda3 pr""C"'a C "l,ilna r<,Jfias c a segunda preju-
Approva-se em terceira discussao o projecto n 26 nue
manda construir una ponte sobre o rio Una.
Sao approvados em primelra discussao os proiectos
nmeros 40 e4r o primeiro acerca da diviso dafre-
guezia de Serrahaera c o segundo dlvidiudo a frcguezia
de Munbeca era tres dlslricios de pas.
Recebemos o jornal lnglrz The Times desde 22deju-
nlio at 14 de julho.
Na Graa-llretanlia nada de extraordinario havia oc-
corrido.
Na Irlanda linham sido presos e processados alguns
dos principan agitadores ; e, comquanto o excitamenlo
popular ainda nao livesse arrefecido, o paiz continuava
tranquillo.
Paris fie-ira em paz, posto que cm estado de sitio.
Os partidarios dos insurgentes diiiam de publico que
breve tirariaui a desforra, e at havia receios que no dia
14 de julho, anniversario da tomada da bastilha, fizes-
sem elles algum ronipimento ; todava era opinio ge-
ral que a ultima rrvolla tinha dado ura golpe mortal no
commuiiismo, socralismo e ultra-republicanismo, e
pois nada conseguiriain.
Havia na cidade 120,000 hoinens de linha, e todas as
pessoas que nao pertenciam guarda nacional, tinliam
sido desarmadas.
O governo continuava a obrar com energa.
O general Cavnignac, sendo informado que se tramava
espingardea-lo c a varios outros ofllciaes generaes, or-
denou que estes nao sahissem era publico cora os seus
uniformes,
O numero dos presos por causa da ultima insurrei-
rau ja montava a 14,000: estes iufelizes achavam-sc dis-
tribuidos pelos fortes de Vannes, Montrouge, Ivry, Mont-
valcrin, Issg e l'iiienie*.
O bravo general Duvivler, que se cobrio de gloria as
guerras de frica, morreu das feridas que recebara no
ataque da barricada do bairro de S.-Antonio : perdeu,
pois, a repblica um de seus mclhores servidores.
A assembla nacional decretou que o coraeao do va-
lente militar fsse collocado nos Invlidos.
No dia 8 de julho fallecer o distincto literato Mr. de
Chateaubriand. Sen funeral foi celebrado na igreja das
misses eslrangeiras em presenra dos meinbros da aca-
demia franceza e de 11111 iiiiineii-n concurso de notabili-
dades polticas c Iliterarias. Mr. Patin, director da aca-
demia, pronunciou a oraco funebre do Musir finado,
e sen corpo foi depois depositado as abobadas da igre-
ja, donde dever ser removido para St.-Malo, Onde deve
ser enterrado sobre uui dos rochedos solitarios, situados
entrada do poito.
O abbade Sibour, hispo de Migue, fri nomrado arce-
bispo de Paris.
O illnslre prelado nasccu cm S.-I'iii/-7'-/.-C/infeai/.r,
no departamento do Uroine, aos 4 de abril de 1792. Foi
elevado ao episcopado a 3" de setembro de 1830, e sa-
grou-sc a24 de fevereiro do anno seguinte. Elle era co-
negodeNisme, c goza a reputarao de ser 11111 distincto
prgador. Entre outras obras, coinpozera ura tratado
sobre aa Instituiees diocesanas,postas de conforinidadc
com as insiiiuiroes civis c polticas dos lempos mo-
dernos.
O papa havia recouhecido a repblica franceza.
lima das coinmisscs em que se acha dividida a as-
sembla nacional, e que he presidida por Mr. Thiers,
resolvcii unnimemente, sobre proposta de Mr. Ilabaud-
Laxiviere, quenenhum ineinbro daa familias que ho
reinado em Franca possa ser eleito presidente da rep-
blica.
Por hoje nao podemos diier mais.
BaHBRSPlldSI
Correspondencia.
Srs. Reductores. Devoraos ser justos e nio vu-
tarao esquecimenlo os servidos, que nos faz o nos-
so patricio Pernatnbucano que allirma ser o nosso
comprovinciano Pedro lia [.lisia de Santa llosa o pri-
meiro Pernambucano que se incumbi de tarefas
dramticas : est completamente engaado ; porque
o emprego ou espoculaQIo deemprezario de thea-
Iro cm Pornambuco snmpro temsido privativo dos
l'ernamliucanos. I,einlirein-sc do Manoel Rodrigues,
av doSr. Jos AlvesMontciro, Joito Paulo tle Lira-
DtKorrejiin hoje, 31 di agosto.
Hrigue Sultana carvao.
liiate San-en/i/ic/o inercidorias.
Brigue JVntarr farnha e bolichinha.
PatachoRestauracio Idera.
CONSULADO GERAL.
RENDIMENTO DO DIA 19.
Geral...................
Diversas provincias.............
73B/B53
23/409
760/422
CONSULADO PROVINCIAL.
RENDIMENTO DO DIA 19..........1:155/401
PRACA DO RECIFE, 19 DE AGOSTO DE 1848,
AS 3 HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios.....No principio da semana aacon-se 24
d. por 1//000 ; depois a 23 /,; e final-
mente a 23, a 60 dias vista.
Aleudan.....Se liem que a entrada fosase de l,4|j5
saccas, este genero foi procurado. _
O de primeira sorte venden-se de
4/400 a 4/500 por arroba ; e o de se-
gunda, de 4/000 a 4/100.
Assuc.ii......Oa piceos declinaran!, e foi menos pro.
curado esta semana. A entrada nao
excedeu a73caxas'.
Couros......Piao ha compradores a 90 rea a libra.
Bacalho- .... O depoaito est reduzido a 150 barri-
cas. Rctalhou-se a 16/000 cada urna.
Carne secca Nao chegou carregamento algum. As
vendas da semana montaran) a 14,000
arrobaa aos ecos de2/400 a 2/900, .
Ficaram era aer 32,000 arrobas.
Farnha de trigo- NSo houve entradas. As vendas or-
caram por mil barricas aos precos de
17/000 a 21/000, a saber : a de R-
lieinond, a 20#000 a de Baltimore
de 17/000 a 19/000 ; a de Phltadelphia,
de 19/000 a 20/000 a de Trieste mar-
ca SSSF. de 20Onn 9iino su .
18/000.
Vinhoa -.....Venderara-se os de Lisboa marca PRR 1
a 105/000 a pipa. *
Kntrarain 7 erabarcaces, e sahirain 7. Estao no por-
to 44, a saber : 4 aincricanaa, 24 brasileiras, I dinaraar-
qucia, 11 inglezas, 3 portuguezas e 1 sarda.
MovJinento do-Porto"
Navio entrado no rfa 19.
Londres 38 dias, brigue inglez teorge-Ann, de 280 (0-
ncladas, capilao David Brown, equipagem 14, era las-
tro ; a ordem.
Navios entrados no dia 20.
Mar-Pacifico, leudo sahido de Nantucket ha 45 mezes
a pesca da baleia, galera americana tfount-Vernont, de
334 toneladas, capilao llemy Coleman ; aa eapito,
Liverpool ; 36 dias, galera ingleza Serafina, de 300 tone-
ladas, eapito Itichard Goble, equipagem 18, carga
fazendaa ; a Johnaton Pater t <'umpauhia. Passagei-
ras, as senhoras Doyle com 3 filhos menores, c Benja-
mn Precknias.
liba do Sal rCabo-Verde) ; 27 dias, brigue ingles Flint,
de 306 toneladas, eapito James Grabara, equipagem
14, carga sal 1 a .Me. Calmonl 4t Companhla.
Navio sahido no mesmo dia.
Para ; barca inglea Letliut, eapito James Marshall,
carga a mesiiia que trouxe.
EDITA L.
'-- -
O Dr. Jos Raymundo da Costa Ueneset.juit mimicipol tup-
plente da segunda rara e dos Africanos, no termo dn Recife,
por S. M. I, e C. que Dcot guarde, ele.
Fa,CO saber que, da data deste a oito das, teem de aer
arrematados os serviros da Africana Mara, de menor
id.ule, por ter fallecido o aeu primeiro arrematante,
Jos Jaclntho dos Santos Todos aquelles que preten-
derera os servicos da inesraa, coraparecain munidos de
seus requerimentos cora as clausulas que a lei exige. E,
para que chegue noticia de todos, uiandci lavrar o
presente, que ser publicado pela iraprensa. Dado i
passado nesta cidade do Recife, aos 14 de agosto de 1848.
Eu, Jo A/fonso (iuedes Alcanforado, escrivo o eacrevi.
os Raymundo da Costa Menetes.
Oeclarayes.
iW.
A adiiiinislraro geral dos estabeleclinentos de ca-
ridade manda fazer publico, que, nao se tendo elleitua-
do, hoje, a arrematacao da renda das caaaa n. 2 da tra-
vessa de San-Pedro, c n. 63 era Fra-de-Ponaa, fra
transferida asmencionada airemata(o para o dia 21 do
csrrente, no lugar e horas ja designados.
Adminislraco geral dos estabelecimentoa de caridade,
14 de agosto de 1848.
O eaeripturario,
f. A. Cavaleante Couistiro.
Preciaa-se comprar, para as obras militares desls
provincia os seguintes gneros : travs de 48 a 50 pal-
mos ; ditas de 30 a 32 ditos, ditas de 25 ditos, enchs-
nicis de 36 ditos taboas de louro ditas de amarello ;
costados de dito ludo de 28 palmos ; costadinhn de di-
to ; cabros de 32 palmos ; ripas ; linhas de 20 palmos ;
travessas para tesouras ; frexaes icforcados: quera tiver
dos ditos gneros e quizer contratar comparec ou
remetiera suas proposias, at o dia 22 d torrente, pelas
II horas do dia, na ra da matriz da Boa-Vista n. 7.
Cidade do Recife 19 de agosio de 1848. Innoeeucio
Eustaquio Ferreira de Araujo, major directur.
Poi apprebeudidn na fregiiezia da Boa-Vista un
llores, Joaquim Bernardo de Uetldonca, Joio Alba-|caya" :,lue"iiejulgar com drcilo a elle diriji-sra
no Silva ; mas todos com lo pouca aplidiio. que es. I suudelceacia daqueila freguezia que o reeeber, dando
lo ultimo, cora toda a proteceflo .lo general Luiz do ViltTU Z "oa-Visla-, finan i ,>>.. i.. 1,,.......,, ,,..............1.. j_:____.1^ __ '""ferreira.
Reg, leve de fugircm nina jangada, deixando en-
calacrado o seu fiador, o negociante Mcndonca. S
(amba foi o primeiro que, desde 18-27, aguenta a
tenipestade theatral ; o primeiro que se lembrou de
dardozeou treze representacOes gratuitas a favor
a quera consagramos nosso aflecto, como patricio,
e merece as nossas synipalhias, como bom cidad.to,
bom esposo e bom filho, c a quem igualmente anu-
daremos, como temos ajudado a Gamboa.
l'm l'ernamlmcano Irnparcial.
vOMivItriCl.
ALFANDEGA.
I RENDIMENTO DO DIA 19. .........4.580/489
Avisos martimos.
Para o Rlo-dcJaneiro segu cora a posslvel brevi-
dade o brigue-escuna nacional Olinda, por ler parle de
sen carregamento engajada : pira o reatante, escravos a
fete e pasaageiros, a queni oft'errcc excellentea cora-
modos, traia-se cora Machado Pinheiro, na rtia da
Cadea, n.37, ou com o capitn Manoel, Marciano Fer-
reira.
. Para o Rio-de-Jaoeiro segu, com brevidade, aa-
sim que lindar a sua descarga, por ter parte da carga
prompta o brigue brasileiro /iiwea forrado e pre-
gado de cobre : quera no inesmo quizer carregar, ou Ir
de pasaagein dlrija-se ao seu consignatario Manoel
Ignacio de Ollvelra na ra da Cadeia, n. 40, ou ao ea-
pito Luiz Martins da Costa a bordo.


...Paira o Araeaty pretende seguir viagem, cnm bre-
i>dide o hiato meln! Timador, iiicstre Jos loaqnin
Huirte: pira carga e paiiageiros trata-te na ra da
,,,.,, n. 2(1, c oni l.ui/. Josde S Araujo ou coi o mei-
,, no trapiche Novo.
jL. Para 'i Oar. sabe, neatei dial, po'rler trea partea
11 i ni (.'inirnto a bordo a sumaca F(or-rfn.-,4nae-
K. mrstr- Bernardo de Sonta : para o retinte a car-
f passagclros, trata-sccom o inetmo mestre ou coYn
I.mi 'os de S Araujo na ra da Crui, n. 2U.
_- Para a Habla aahe coin multa brevldade o noro hla-
K KiktlaeXo : quein nelle quiter carregar ou ir de pai-
,i'imii. dlrlja-ie toja de ferragens da ra da Cadeia
do Recife, Junto ao arco da Concelcao.
Para a Habla aahe. at o dia 23 do corrente, a ve-
Iclra escuna alante-ilaria forrada e pregada de cobre :
para o reato da carga epasisgelros : para o que tem el-
ocuentes coinmodo, a tratar coin Silva t Grillo, na ra
da Moda, n. II. ou coin o capltao, Jos Mendo de Souia.
Para Lisboa partir, no corrente mea de agosto, o
bfin conhecldo brlgue portugus Tarujo-Primeiro, de
uuc he capltao Maooel de Olivelra k'aneco. Tcui gran-
de darte de seu carregamento engajado : para o rel-
iante de leu carregamento, asslm como para passa-
g'riros, a quein oflereee asseiados commodos e bom
iratmnento, trata-se coin o dito capltao na praca, ou
coin o consignatario, Firrnlno Jos Flix da Roa, na ra
do Trapiche, n. 44. _'
Benjamn K. Studley, capitno da galera americana
-.Irania, arribada neste porto de Pcrnambuco, na sua
viairem para New-Hcdford, precisa tomar arisco inari-
,,iio, sobre a qullha da dita galera, a quantia de dci
contos de rls pouco inais ou menos. Os prrtendentcs
pnderao eniein.-e con. os seusi consignatario. Henry
r'osttr & Companhia, na ra ilo Trapiche, n. 8.
Para o Aracaly segu, com brevldade por ter par-
te da carga prompla o hiate Duvidoto meilre Jos
JoaqulAlve* : parao resto da earga, trata-se ao lado
o Corpri-Santo loja de cabos n. 25, ou coin o ineslrc.
P.ra o Acarada e Ccari segu, no dia 28 do corren-
f o patacho S.-Crui, pregado e forrado de cobre : pa-
va o resto da carga trata-se ao lado do Corpo-Santo, lo-
ja de cabos, n. 25, ou coin o capltao Joaquim Antonio
encalves dos Santos.
= Para a cidade do Porto partir, com a maior bre-
ridade possivel, o patacho poriuguez /(rttauraedo ; tein
a maior parte de seu carregameulo prompto: para o res-
lo da carga e passagelros para o que oflereee exccllcu-
ips coin modos tratase coin o consignatario, Firmino
Jos Flix ta llosa na ruado Trapiche, n. 44, ou com
11. 1111 Jos de Olivelra t'aneco na praca do Cor-
po-Santo.
i'ara Lisboa sahe coin a maior brevldade a barca
portuguesa Tejo, capitaoSilvcrio Matioci dos Reis : para
C" .a e passugeiiu, (..n. O que it~ii Ha ..,.,.. ;.-; :::'.:-
.' imodos a tratar coin o oapilfiu ou coin os consig-
\, tu ios, Olivelra irmaos b C.
Avisos diversos.
i
Arrenda-se um sitio na Varsea
inargciii do rio Caplbaribe, com excedentes commodos
para se passar n festa, casa grande e mobilada, com
coicira, estribara, etc. : tein balxa para capim e mui-
lal arvores de fructo no fundo do sitio corre o Capiba-
ribe : quein o pretender, dirija-se ao pateo do Carnio,
n. 9, segundo andar.
Roga-se as autoridades policiaes inspectores de
quarteir.'io (lestes arrabaldes ou qualqucr pessoa do
povo, que vircm o Poriuguez cambista da ra da Cadeia
do liecife Manoel Gomes da Cimba e Silva que o
prcndain aordem do.Illin. Sr. Dr. ebefede polica e re-
colliam a cadeia desta cidade pois acha-se criminoso ,
por ter vendido lettras da thesourarla provincial com
firmal falsas, no dia priiero de julbo j quaudo- o
roubo eslava verificado.
Jos da Poniera e Silva.
Aviso aos capitaes de navios e as familias
de l'eriianibuco.
Pela galera ingiera Sword-Pish recntenteme chega-
ia a este porto vnda de Liverpool viera urna peque-
1aconsignado delatas cometido a eiscncia de leilc em
nata preparado por uindos inais- eminentes cirurgicies
dcS. M. a rainlia Victoria: esta apreciavel preparacao, he
igual ao leite frescamente tirado da vacca o qual con-
serva-sc porqualquer te.mpo e em qualqucr clima retcn-
do toda a sua pureza.
Tcsieinunhasde referencia veem-sc na sala do com-
niercio e no armazem de Dousley 8c Companhia ra do
Trapiche eiu cujos lugares estiio a venda as ditas latas ,
le con"!!! suHciciitc quantidatre para formar gar-
rafes de llle.
Agencia de passaporlcs.
Na rita do Collegio, n. 10, o no Aierro-da-Boa-
Visla, n. 48, continuam-se a tirar passaporlcs tan-
to para dentro, como parafra do imperio; assim
como despachan) se escravos: tudo com brevidade.
-Uns acerdolc tein aberto emsua casa na ra Augusta.
ii. 32 nina auia tlit priiuelra* lettras e gratiimatica ati-
na o qnal promelte esforcar-se pelo adanlamento
laqiielles que estiverein sb sua responsabilidade.
Os abalan assiguados fazcm publico que ningucm
contrjii negocio algum coin Bcruardlno Corrca de Se-
rb\M os escravos e inais bens que ficaram por niortc
opa, Reinaldo Antonio Alvcs, pos este, o dito filho,
Ihes tein hypothecado por escrptur.i publica, 11 escra-
vos c os inais bens pela q lian lia de 4:756jjl359 rs.: consta
que o dito Heriiardino se ausentara do lugar dos Piles-
dc-Santo-Antoni comarca do rejo-da-Areia, e nao
.c sabe'para onde. Previne-sc com o presente anntin-
cio'para em teinpo algum sequcixarein os que com elle
''oniratarem, e'protcstainos lia v-I os.
(i'uiiimrlfl Si Companhia.
Vluga-ie um mcl'agoa no prineuo becco da Cam
ooa-do-Carmo'i pelo pceo de cinco mn rs. ; una logi-
alia na ra das Cruzes sein sabida para o quintal por
,fi mil rs. : na praca da Independencia liviana
lis. 6 e 8.
DENTEMRTFICLCS.
J. A. S. Jane, artista, tem a honra de avisar ao rei-
peitavel publico que tem voltado do norte e se acha
'esiiiindo na ra estrella do- Rozarlo, n. 16 -priitlf iro
indar, aonde continua a pflr denles artlAciaes, de por-
rellana composico esta Inlelramnte isenta de cor-
'"pcSo-como bem tira as caries dos nattiraes, calca
iieouroe prata. O annnnciante declara a todas as pes-
oas que seqasizereni utllisar de sen nresllmo que nao
iige receber pagaalgmna, se por acaso nao Hcarem os
-Jilos denles artlliciaes tao bem pos tos, que nao se possa.
"'Herencar dos proprlos naturaes sendo os meamos
Kutos sobre chapa de ouro e sobre tarracha os quaes
cam Uto seguros, que se pode mas ligar toda a comida
>in ellei sem causar a menor dr.

Jos Francisco da Crai, Poriuguez, retlra-se para
fura do Imperio.
('asa de modas Iranrozas.
' A. Millochau.
No Aterri-da-Boa-Viita n. I, r.rimrlro andar defron-
te do cbafariz.
Pelo navio Beaujeu, recebeu um lindo escollilmenlo de
chapoi de moda nova, para icnliora ; chapeos de pa-
Iha berta ; ditos de palba ingleza, multo alva e tina;
ditos de palha da Italia; ditos d pallia aberta ,
multo ricos, para meninas; trancas |de cores diver-
sas para enfcites de vestidos ; luvas de pellica tiara
scnliora; cambraia de linho, sem mistura dealgidao
rendas lisas de iinbo ; tai de ricas cores para grava-
tlnbas.de senbora ; ricos filos bordados para vestidos c
veos de nolvas ; flores e palmas ; verdadeiros bicos de
linho brancos ; tiras bordadas ; Utas de todas as largu-
ras ; loucados para criancas, etc. Na mesma casa ha
sempre para o escolhlmento das senhoras, um sor-
timento de chapeos de seda de todas as cures, toucados
e toucas para meninas : tambem se fazem vestidos de
nolvas e outros com promptido e preco commodo.
DENTISTA.
M. S. Mawson, cirurgio dentista acha-sc residindo
no Reclfe ra do Trapiche-Novo, n. 8 segundo andar,
onde contina a por deates mineraes. licando incor-
ruptiveis e pnrecendo inteiramente como dentes natu-
raes : tambem lira a pedra, aqual, nao sendo extrahlda,
em pomo lempo tanto arruinaos dentes; chumba coin
ouro, prata oudentico para privar de augmentar a
corrupcao : tambem tira, lima e fas todas as .operaces
denticacs coin a maior delicadeza possivel. Elle espera
que os elogios e o multo patrocinio que tem recebido
pelos beneficios que tein produido na sua pratca du-
rante 8 anuos de residencia uesta cidade sern garan-
ilas sufficicntes para as pessoas que, precisando de seu
presumo, nao o deixein de procurar.
Hoga-se ao fabricador de cartas
anonymas que, em lugar de introduzir urna de tres em
tres noites, haja de o mimosear todas as noites, mes-
iii por ter toalbasquantas Ihc sejam precisas, pois ter
de poupar papis que Ihe pdem servir de embrulbos,
e que suas cartas nao pdem ter outra applicafao se
nao para toalhas. Resolva o intrigante como Ihc api o-
ver e euestarc multo prompto a dar extraecao a seus
i raba llins. = O amigo doi [abrieantci dt papel.
OSr. P. M C. de Olivelra queira quanto antes di;
Cidir o negocio cin que se envolveu alias appareeer
com toda evidencia e circunstancias neste Diario e se
procurar o recurso que a lei permitle.
'lua parda de inuiiu ii
ra ama de urna casa de pouca familia paraeiigomuiar,
coser e fazer o inais arranjo dr urna casa menos cozi-
nli ii a qual d fiador a sua conducta : quein de seu
presumo se quizer utilisar dlrija-sc a ra Uireita, n.
112, cscriplorio do Sr. Uadinn.
A VERDADE N. 1
est a venda na loja do Sr. Carneiro, na ra Nova, n. 47 ;
c em man dos distribuidores : este peridico iutcressa
a todos, e he digno de ser lido. Vende-se tambem na
typograplia Xazarena, rua do Nogueira, n, 19.
O Tribuno n. 12 saliir amanha, como o espera seu
redactor : e se annunclar o lugar em que se vende.
= Rslao a venda os ns. O, 7 e 8 do (rilo da Patria, na
praya da Independencia, n. 12 ; no balito do Recite,
rua da Cadeia, n. Ifj. Contlua a cobranca vista dos
recibos iinpressos.
Aluga-se um sobradinlio de um andar coin slito,
lojas r quintal, na rua do Sebo, n. 50, por 2G4#O0tl au-
nuaes ; o terceiro andar esoto do sobrado do Alrrro-
da-Hoa-Vista, n. 4, por 250/000 annuacs : a tratar no cs-
criplorio de F. A. de liveira, na rua da Aurora, n. 20.
Cala Ain retira-se para Europa.
Aluga-se urna sala com uina grande alcova c um
quarto do priineiro andar do sobrado n. 26 do Alterro-da-
Uoa-Visla: a pessoa que a pertender,dirija-sc na loja do
mesino.
Alugain-se.duas casas na rua Imperial, urna dita
na rua Augusta.tudas com muitos commodos para gran-
de familia e pelo preco de 8/333 rs. por cada inez; una
niela agoa no becco do'Peixoto, por 5/rs.: a tratar na
rua do Crespo, com Antonio da Cunha s. Guinaraes.
Aluga-se a casa n. 64 da rua daSoledade, com bons
commodos para familia, com um pequeo silio murado,
e alguns arvoredos: a tratar na rua da Madrc-de-l)eos,
"n 9.
=Preclsa-se de um caixeiro, preferindo-se um que
tenha pratca de padara : no principio do Atlerro-dos-
Afogados, defrontc do vivelro do.Muniz.
Precisa-se, para servir de criado em una casa de
familia, de um rapaz nacional ou cstrangero : na pra-
ca da DAa-Vista, n. 32, 2. andar.
Offerece-se um rapaz brasilelro de boa conducta,
para caixeiro de qualqucr estabclceimento excepto
venda: quem de seu prestlmo se quizer utilisar dirja-
se a rua do Mondego n.5l, ou annuncie.
As fazendas baratas que le vendlam na rua eslrei-
ta do Rozarlo, n. 10, terceiro andar, foram transferidas
para a loja da rua do I'asseio-Publico n. 17, onde se
ni a i mi un a vender pelos mcsinos prreos.
Osargcnto-mor Francisco Santiago Ramos, pro-
prietai o do cngcuho Tiblry em Una, devendo por nina
lettra ao Sr. Joo Manoel de liarros VVanderley Lns a
ipiaiitia ib- seiscents c .tantos mil rs este a passou ao
Sr. Elias Emiliano Ramos, para receber'dita quantia do
dito devedor, que pagando o importe da lettra ao mesmo
Sr. Joo Manoel .le Barros de quein tem recibo : parti-
cipou este ao Sr. Elias que entregasse a lettrn ao dito Sr.
major Santiago, ou a sua ordem porque eslava dclla
pago mas o Sr. Elias a isso se tem negado nao obs-
tantantc os avisos repelidos do Sr. Joao Manoel para
que entregasse a mencionada lettra ; portanto o mesmo
major Santiago avisa ao publico para que niio aceite a
referida letlra em transaccao alguma porque est pa-
ga e extincta.
--Offerece-se para caixeiro de rua, ou armazem
excepto venda, um rapai poriuguez de 15 annos o
qual sabe ler c escrever soffrlvelmente : quein de sen
prestlmo se quizer utilisar dirija-sc a praca da lloa-Vis
ta ,n. 14.
Manoel Concalves Pereira Lima, nvenlariante do
casal de sen fallecido cunhado, Jos Goncalvcs Cascao, e
sua mulher 1). Maria do Espirito Santo, faz sciente aos
ere dores do mesmo casal, que se acha procedendo a
Inventario de seus bens no cartorio dos orphios, na
comarca da cidade da Victoria, onde devem justificar
suas dividas para seren attendidas
a Os credores do casal do fallecido Jos Goncalvcs
Cascan, que anda no apresenlaraiu suas contas, hajam
de o fazer quanto antes a Antonio Goncalvcs Pereira,
na rua Nova, no terceiro andar, para o preciso cxaine.
Constando ao annunciantc que algiiem tem dito
que a telha e lijlo fino vendidos por elle annunclaute
para os reparos de quarteis militares tcein sido de bar-
ro extrahido cin lugares de agoa salgada, julga de seu
dever contestar seinelhante falsidade.appellandii parao
mesmo material por elle vendido, cque.deve de exis-
tir as inesinas obras para onde I6ra requisitado c onde
pude ser visto. Alcm de que, ahi estao todos os Srs. d
olarias, pessoas todas que pdem ser interrogadas ; el-
las que digam, em obsequio vcrdwle, se o aniiun-
ciante trabalha, ou traballiou coin barro de agoa sal-
gada, como se nflirmou. Em" conclusao, pede o uu-
nunciantea quem qur que nao leva a bem que elle
venda para obras militares, que, querendo continuar
por tal motivo a guerrea lo, guerrele-o, porem, com
verdades nicamente, pois que, como se sabe, a men-
tira sempre apparece com vergonha do mentiroso, co-
mo agora mesmo se est vendo.
enlomo de Souia Ranael.
- Tiram-se passaporlcs para dentro e lora do impe-
rio por multo commodo preco tiu*******-
na rua das Trlncheiras sobrado de um andar
cravos
n. l.
Manoel de Souia Silva Serodlo, residente em Ri.v
cho-de-Panellas, leudo negociado tiesta praca com va-
rios Srj., a quem suppoc nada man dever. pelo pir-
arme convida a queiu ae julgir ser seu credor apr-
sente mas contas no prazo de 3 dia* nai Clavan
l'oniis, ii,7I, que serio pagai: licando atsim dciour-
rado para o futuro.
I iu rapaz brasilelro, .leudo baante pratca Je cai-
xeiro de rua e escripia, por isso que acaba de rrlirar-se
de tuna casa aonde esteve 8 annos, e que a nao ser o
puuco selarloque obtinha, n.io se retirarla, ollerece-ie
para o incsino liui, certificando que, coinquanlo tculia
inteira convicco le sua conducta ser regular, nao se
evitar de dar por ella fiador: quem o pretender an-
nuncie para ser procurado.
Jo;io Mauricio de liarros Wanderley, Sr.'do cngcnlio
i'iudahy, em Serinhem, tein tratado comprar a Joao
Jos Marques Araujo, morador na villa de Rlo-Fonno-
o, duai casas de sobrado sitas na mesma villa em ter-
reno foreiro a Sra. D. Francisca, e sendo que algucm se
Julgue com direlto s mesmas propriedade deve decla-
rar ao mesmo comprador ou a Manoel Goncalvcs da
silva nesta praca, isto no prazo de 8 dias, contados do
presente annuncio, lindos os quaes se passar a cscrip-
tura sem attender-sc a reclamaco alguma. liecife, 17
de agosto de 1848.
Desappareceu
no dia 15 do corrente, do poder do Sr. I.uiz Smiles,
Francs, um moleque que andava junto com elle ven-
dendn obras dr ouro, culo moleque chama-se Joao, he
cimillo, representa ter lia 14 annos lem una marca
de um talho na sobrancelha, he bastante ladino e
pertenceaocasal da fallecida D. Rita Roza de Hacedo :
o tesUmenteiro Manoel Pereira I.aincga pede as pes-
soas que o appreheiidcrcm Icveui na rua doQuelmado,
n. 7, que serao gratificadas.
Na rua Nova, loja de miudezas n. 58, se dir
quem d a premio de 500/ a 000/ r. cotn bypotbeca
em casa terrea.
--Manoel Antonio dos Santos Jnior, por baver ou-
tro de igual lime, se assiguar Manoel Antonio Mon-
teiro dos Santos.
Joaqnim Jos Goncalvcs Draga retira-se para fra
da provincia.
^@@--@
NOVO PAO DE PROVENGA. $
W Vende-se lodos os dio. ^y
O O proprietario da padara epastellaria franceza rt
g do Aterro-da-lloa-Vista, n. )0, desejando agradar v?
^ cada vez mais aos seus freguezes, resolveu ofiere- f
x cer-ihes um pao que se fabrica em Provenca por ^
fff um processo milito diflercnlc do ordinario, c que, ^
^ exigiudo lamilla das inelboi es qualidades, mere- i\
O ce a preferencia do publico, pela sua alvura, w
a pureza e delicadeza de sua fabrlcacao.
S se laiao pes de 40, 80 e 160 rs., e ser fcil
9conbcc-los pela sua forma oblonga c elegante.
Na mesma casa contlna-se tambem a vender
Q boliubos para cha de todas as qualidades, e tin-
bem a ciiicii.ir bandejas ricas para bailes e sa-
&
-
- Um rapaz braslleiro, que lem as tardes desoecupa-
das se ollrece para trabailiar em alguma casa de ne-
gocio ou estabelecimeiito: quem de seu presimo 4c
quizer utilisar anuuncie.
He prohibido a qualqucr pessoa reeollier ou fiar
a tripiilacSo da barca americana lam, sem ser por
ordem dos consignatario.s da dita barca ; assm como nao
pagarao coula alguma sem que nao seja por elle auto-
risada,
llenru Voster t C.
Compras,
Compra-s um moleque de 12 a 14 annos de bo-
nita figura c que tenha boa conducta : no Holel-Coui-
mercio
Compra-se ouro e prata, mesmo em obras quebra-
das : na rua do (Juimado, n. 14.
Compram-sc duas negruhas bonitas, c que tenham
boa conducta umadella 12 annos, c a outra ale 14:
na rua da Cadeia n. 40.
Compram-sc, para urna encommenda, escravos de
ambos os sexos, pretos e pardos de 10 a 40 annos: na
rua das Trlncheiras sobrado de um andar n. 10.
Compra-scuin relogio de algibeira, que seja bom
regulador de prata e patente inglez em segunda nio,
para um nutico : na rua larga do Rozarlo, loja de lniu-
dezas n. 35.
Compra-sc urna flauta de quatro ou 5 chaves que
esteja em bom estado: quein tiver annuncie.
Vendas.
Vendeui-sc dous moleques viudos do itatto para
pagamento um de 14 a 15 annos e o outro de 6 a 8 i
no Alerro-da-lloa-Vista, n. 10.
Vcnde-sc una preta crioula de 30 annos sadia e
sem vicio algum que lava de sabao c varrella cose
chao id/1 o h i o diario de uina casa : na rua da Cadeia
do Red fe n. 53 terceiro andar.
Vende-sc tuna eserava parda, de idade de 15 a 16
annos : na rua do Cahug, loja de Antonio Rodrigues da
Cruz.
Vende-se um moleque de 18 annos de bonita figu-
ra : na rua Nova n. Mi.
Vendem-se dous carros nglezes, de
ilu is rodas, fe i tes por um dos melliores
fabricantes de Londres, coin os compe-
tentes arreios e lampeoes : na coebeira do
Sr. Wolicbard, em Fr.t-de-Portas.
Vende-se uina linda preta de 20 annos ptima en-
goiitmadelra cm uina cria de 2 annos, milito linda;
unta dita de 15 annos que cose inulto bem ; uina mu-
laiinba de 16 anuos; um molecotc de nacn, de 20 an-
uos bom cozinheiro e copeiro ; um moleque de 14 an-
uos ; 2 prelas para lodo o servico ; um pardo escuro
com ofticlo de alfaiatc e que he bom copeiro ; um dito
de cor clara de multo boa conducta e que he milito
bom pagem ; e inais alguns escravos : na rua das La-
raugeiras n. 14, segundo andar.
Vende-se, por muito diminuto pre-
co, urna casa de dous andares e sotSo, na
rua di Guia, n. 3G, com um armazem no
fundo, com frente para a rua do Apollo,
n. 7 ; urna dita tic dous ailares e sotao,
na rua de Apollo, n. ii ; outra dita de
tres and tres e sotao, na rua do Amorim,
n. 44 ; e aforam-se alguns terrenos de 3o
ii.limos de largo, na travesea do Mon-
dego, com fundos al a ramboa : a tratar
no Aterro-da-Boa-Vista, n. 63rprimeiro
andar.
__Vendem-se pecas de madapolo com 20 varas ,
muito largo e forte a2/800 rs. e a 140 rs. a vara ; chi-
tas de rainagem para coberta a 160 rs. o covado ; ditas
coi de rosa, a 160 rs. ;, e outras fazendas o mals barato
possivel : naruado Passeio-Publlco loja n. 17.
Na na Nova loj*. de f#rraft<,nn n. m,
de lo.,,, Fernandei Prente Vianna, h um completo
orlimeiKo de apparelhos de metal, multo siiperioiei.
pira ili.t, cujos M toiiiam reeninmendaveii, nao pela
ma delicadeza c perl'elcio, por seren l'elto de um novo
'mdelo anda aqu nao apparecido, como pela Inope
u e asala em Ma empie sa oaaaarvaaai aisiiu como
ricas bandeja*, c superiores facas de naba de inarliui :
a ella* fregueiei antes que se acabem, poi que tudo ito
se vende muito barato.
Venden*"**: lellias e cadinlios para ourives : na rua
do Brum, .un & Dutra.
Coulinua-se* veuder orriiiedin prodigioso paraos
embriagados : ua tua Velba, n. 51.
Vende-sc por preco muito barato na
loja de Victorino n 11 uimaifies,
na rua larga do Rozario u. 22, anligamenlc dos Quar-
teis um rico soimilenio de franjas brancas c de edres,
proprias para cortinados c toalhas; toalhai c guarda-
napoi de varias qualidades e tamanhos ; litros de novo*
moldes para marcar ; chapeos pretos de castor lino ; ba-
bados de linho largos c cstreilos proprios para barra
de lenccs e toalhas ; tranceliui de relroi preto pro-
prio para cirgueiro ditos de cures para obras de alfaia-
tc ; tranca preta propria para o mesum lim ; boccacs
de vidro .proprios para charutos ; carapulcas de bi.i de-
cores; bocetas de pinhode varios tamaitos; eslojos coin
arranjos proprios de costura de.seuhora ; eseovas linas
de limpr denles ; um soitimento de aljofares de toda*
as Cores, em macos, e brincos do mesmo ; tinta em po-
lnlios e garrafas, de superior qiialidadc ; cartelrai ;
pennas deaco finas com camictas de metal fino oreiu ,
c outros arranjos de marrini que vcem junto; caive-
tes papel de cores para etifeiles c capa de Itvros ; mis
sangas de militas cores para vollas de pescoco ; tesitu-
ras proprias para espivilarcandieiro ; luvas proprias pa-
ra escovar cavallos ; llvrosel'olhetos proprios para me-
ninos de escola ; e outras umitas miudezas.
8
O proprietario da padaria do palco ila Santa- <
W Cruz, u. 0, e do deposito da rua estrella do Roza- *
* rio, n. 39, contina no fabricameulo do afamado J
l'.i''- 'i o1.en. .i ijue tanta syiupatliia tetti adqtti- P
b ndo povodesta eifi.-i.je, j por sua aivnra r boin .^
' gosto, como pela forma edellcaceza couiqne he fa- ,
bricado, e por outros muitos motivos de sua cons- (#
11 mi ao se torna um tanto niats superior ao que at agora nos supria. Juslifica'esta verdade a gran- *
de concurrencia que tem apparecido nessas pon- 9
cas padarias que presentemente o fabrieain.
O mcstiio proprietario entre os outros que j.i an- .^
ntinciam pao-provenca, he um de entre elles ha- *
bilitados para este lim tanto por entender perfel- fr
tatente de seu fabrico como por ter em sen po- 9
dt'r as melliores l'arlnhas que cxisteui prsenle- 9
mente, una das primeiras i.artes que se lornam ?
ueeessarlas. Nos mesmos esttbeleciuienlos acha- J
rao os fregueses a boa bolacbtili.a de regala tan- %,
to doce como agoada c blscouto. $
ISuvo pilo de Proventa
Vende-se arroz com casca, alqucirc de medida ve-
lba, por commodo preco : na rua da l'raia, n. 'XI.
Casimiras elsticas.
Vendem-se superiores cortes de meia casimiras els-
ticas de pura la, pelo barato preco de 2O00 e 3^000 rs.
o corle de caira: na nova loja da estrella, da rua do
Col le:; io, u. 1.
Gl.OZELHA.
Vende-se xarope do verdadeiro sunimo de grozelha ,
vlndode Franea a l/ra. agarrafa : igualmente se ren-
dan) garrafas de sunimo de grozelha a 2^ rs. : no Atrr-
ro-da-lloa-Vista, fabrica de licores, n. 17.
XAROPE DO BOSQUE.
Para a curada phthyslca em lodosos seus differentes
graos, qur motivada por algumas das srguintes mo-
lestias :
Constipacoes I Coqueluche ,
Tosse I Dr de costas c peito ,
Asinina ruucliites ,
Pleuriz I Dor aa garganta ,
cscarros de sangue e todas as molestias dos orgao*
pulmonares.
K.sle exeellenle remedio que tem gozado de tao boa
reputacao nos Kstados-l.'nidos d'Americado Norte pelo*
seus bous effeitos na cura de varias molestias cima,
mencionadas induzio os proprictarios delle a mnda-
lo para o Brasil onde a esperanca de suas virtudes nao
fiiiain sem fundamentos como a experiencia lem mos-
trado desde a sua iutroduccao -, pois os admiraveis ef-
feitos que tem prodiizidoaqui, sao iguacs aos melhnrea
que all tecm felto e que sao bem attcslados pelos va-
rios testcinunhos c certificados das pessoas que leem si-
do curadas por esle medicamento sem Igual particu-
larmente ao sul deste imperio onde fui primeiramente
mi 11 ilu' ido e j nesta mesma provincia reccitados pe-
los mdicos c sempre com bom successo. O receituario
ni ineir.i de usar acha-sc orati no de-
que ensina a
psito.
NovatakCompanhia, os nicos agentes nesta cida-
de e provincia, nomeados pelos agentes geraes no Rio-
de-Janeiro os Srs. R. C. Yates bC, asseguram ao pu-
blico ter sempre o mais novo possivel vlndo daqnelle
deposito. Custa 5/500 rs. cada garrafa, e em duzia mala
em em conta, tanto no deposito como na rua da Cadeia
do Recife loja de miudezas, n. 9
Vendem-se, a loja de .1. E. Cbar-
don, Aterro-da-Boa-Vista, n. 3, os livros
seguintes: Histoire de dix ans, por L.
Blanc ; Histoire des Cirondins, por La-
nnrtine; Piquillo Altiaga, por E, Seribe;
\nnuario do Brasil (1846) 5 O Progres-
so ; (1846 e 1847) ; As Sete Gordas da
Lyra ; (primeira, segunda, terceira, quar-
ta, quinta e sexta livraces) Mclbora-
mentos do porto, por L. L. Vautbier ;
Mecanique industrielle, por Poncelet ;
Traite dcphysique, por Poiullet ; Manuel
de mineralogie, por Huel.
Vende-se urna eserava de 18 anuos, de bonita hgil-
ra, que cozinha. engomma, coic. e nao tem vicio al-
gum : no pateo de San-Pedro, n. 7.
__ Vendcm-e sapatos- de maiTotninn
francez,a ijS'ooo rs. ; e de lustro a 1,760
rs. parasrnbora: na rua larga do Rosario
n. i'\.
Vende-se loU9a da Babia: na pritneira casa paasait-
do o quartel do Hospicio.
Vende-se uina eserava crioula, de 18 annos que
lava engomma coso c vende na rua : na rua Velba ,
n.7R.

-4
I'
fe!
MUTILADO
aaajM npi *W*>


Vendem-se eaixas para guardar
Oi.is, pelo (liminulu preco de QOOIV- : na
oj le quiltro portas da ra do Cabag, n.
I C J.iDn ii !<*.
|f U OUtMg Of *ii I MU i'il opom
iim i oi&ld mil 'coi uTijii tniiiiui tiuiiiu > ijoii .i bUAii|
n'li.l ap lapepifcnh ii sepoi oiiin) niji| jvpjoq j jjc
u.> 1 leil mi) |, o upni IIIO.l si II M II i III. MI IC11II |)
: ratCMHUI mi -i U|llJte sr ii i|ii |ii ii -i I ai-maptl i \ -
\ i'iidc-n? mu i na terrea inuKu frauda, n.i na
lili I i M lligiicii.i, na Ho.l-\ 1.1.1, II. I I, COIII grandes cilll-
modos.quiutal limito grande inuiinsarvoiedosde fruc-
tos, por pceo n ni ii rasuavcl pnssivel : tr.ii.i--.i- na ra
n Ai.i;;.i i. n. 37.
\ nuil -sr, por proco coinniodo, muito superior (al
lo Assu' : a tratar lia na da Moeda n II, coin Silva Si
Orillo.
Vendem-se queijos londriuos de supeiior qualida-
di ni i na do I'i-.'ipirlii'-Nuvii ii. :'.:' casa de llebrard
& Gompaiihia.
Hscados monstros.
Vendem-se superiores riscados inonstros, j licm 10-
iiln'i nl.is tanto pela qualidadc como pela largura fin
demasa, pelo barato pirco de 280 rs. o eovado. Estes
i.-.- idos s.m i heg. 111,. -; ltimamente: as cures So linas,
< M padrocs muito modernos c de bom gosto : na nova
laja da Estrella da ra do Collegio, n. 1.
Vendem-se II esclavos, sendo ti bonitos moloques
ile nafo. de 14 a 20 anuos: I negra perfeil engomnia-
leira. eosturclra c coiinheira ; 1 negrinha de 13 ali-
os, recolliida, muito linda, que cozc muito bein e l'.i/
toiloo arranjo de casa ; 1 dita pcrl'rita lavadeira de Ka-
bao c varri'lla, que vende na rua ; 2 ditas para todo o
ervica : na rua do Vigario, 11.24, so dir quem vende.
Vi'inii'in-se5pretal mofas eeoin habilidades, que
engominam c co/.inliam; duas pardas mocas cun habi-
lidades; tres pretos pecas ; uin moleque de Ib' alios e
mu pardo allaiate, do 24 anuos : na rua Helia, n. 2(i, se
dir quem vende.
Osantigos piscados monstro.
Na loja de Guimaraes S C, rua do Crespo, vendem-se
os bem conhecido9 riscados inonstros de padrdes muito
modernos, e que terin quasi una vara de largo,pelo ba -
rato proco de 320 rs. cada um eovado.
Vende-sc una preta, de 16 anuos, que cngonima
bem, cozinha e he de boa conducta, o que se aflianca ao
comprador ; un dita do 18, que tambein cngoinma liso,
c coze soll'rivel ; una parda de 28, que cozinha muito
bem fi diarlo de :::a casa tuna dita de 35, quo vende
na rua : na rua .\ova, n. 21, primeiro andar.
Vcnilem-se laceas com milbo, a 3/200 ; jogoi do
bancas de amarado ; lavatorios e toucadores : ludo no-
vo o bem frito, o por barato preco : na rua da Cadcia
de Santo-Antonio, armazem n. 21.
A 1/000 rs. CADA UM CHALE.
Na loja que Taz esquina para a rua do Coilcgio n. 5 ,
vendem chales de larlatana grandes e de padries es-
euros pelo barato prefo de mil rs. cada uui.
Contina *M a vender, na rua da
Cadcia do Recife, n. 3^, cera em velas,
fabricadas cin Lisboa e no Ilio de Janeiro,
sortimentos ao ^oslo do comprador, em
eaixas pequeas, e por preco inais com-
inodo do que em oulra qualquer parte.
Y endem-se jazendas, por menos dt seu
valor, na loja dos Quatro-Cantos- da
ruado Queiinado, n. 2o,
bem como : luvas pretas de seda para scnhoi a, a 320
rs. o par ; bico de fil de seda preta, largo 'guarnecida
de cor de ouro proprio para armador a 10 rs, a vara ;
nicias pretas de algodao curtas, coin deleito a 40 rs. o
par ; sarja larga de laa de cores, a 800 rs. o corado ;
cortes de casimira elstica ia/.cuda superior a 6^ rs. ;
chales de cambraia bordada a 640 rs. ; riscados ame-
ricanos a 160 rs. o eovado ; brim branco de lislras a
300 rs. o eovado ; castores para calcas a 200 rs. o eova-
do lencos brancos de cassa com risca em volta a
200 rs. ; cortes de cambraia pintada para vestidos ,
fazcndaiixa,a2/i00rs. ; ditas mofadas, a 2/rs ; chi-
tas brancas de llores a 120 rs. o eovado ; meias para
meninos a 160 rs. ditas para meninas a 320 rs.; ditas
jiara senhora a 240 e 560 rs. ; lencos de seda preta para
grvala a l rs. : ditos de coros em seiim a 1/600 rs. ;
suspensorios do lita, a 120 rs. o par ; pecas de mada-
polo fino, a 3/500 rs. ; guardanapos para cha a 800
r, a duxla ; ditos para mesa, a 2/>s.
Cal virgem.
Veude-se barris com cal virgcni, vind a do Lisboa,
por preco inais barato do que em outra qualquer parlo:
iiaruada Cadcia-Velha armazem n. 12.
-4 3s8oo rs. a peca.
Na loja de Guimaraes & C.
que faz esquina para a rua do Collegio n. 5 vendeiu-
se pecas de chitas de 38 covados a 3j800 rs. a poca de
soll'rivel panno e padroos agradavois. Dio-ie as amos-
tras sobre penhores.
Vende-ie cal virgem de Lisboa, em barra de 4
arrobas chegada pelo ultimo navio, por preco conuno-
do : a tratar coin Ahncida & Fonscca, na rua do Apollo.
A s'ooo rs. ,
ancoretas com azeitonas superiores : ven-
dem seno caes da Alfandega aiinazem
7, de Francisco Dias Ferreira.
n.
.-
Vcndc-se panno de algodao <*
S- da tena, a 200 e 230 rs. a vara: ;
^ na rua do Queiinado, quatro cantos,
W loja da casa amarella, n. 29.
5
VCnde-se urna casa terrea na rua Augusta, pro-
pra para um sobrado por j estar toda travejada e
com muais materiaos e pecas de obras prouiptas com
32 palmos de largura c fundo sulucicnlc : tainbem se
vende coin prazo agradando ao comprador e havendo
que 111 tenha algiim direitoa ella por hypolheca ou ou-
tro qualquer titulo, queira declarar no prazo de 30 das:
a tratar com Luiz Jos Marques, na rua do Rangel.
Vendcm-se pautas das alfandegas do imperio do
Brasil, impressas no Kio-dc-Janeiro : na rua da Cruz .
n. 20.
Na rua do Uaugel ii. 8, venda de Luiz Jos far-
ques vende-se, adinheiro avista para liquidacao do
stibelecimento vinbo de Lisboa superior, a 1/500
rs. a caada c a garrafa a200rs.;dto mullo velho ,
a 1/600 rs. a caada, e a garrafa a 220 rs ; dito bran-
co a 1/920 rs. e a garrafa a 260 rs. ; vinagre puro ,
a 1/000 rs. ea garrafa a 40 rs.; azeite de Lisboa, a
V egan-afa a 560 rs ; a verdadeirafarinba de ara-
mia a 200 rs. ; ancoretas de azeitonas,' a 1/rs., e as i
garrafal a 200 rs. ; chicaras brancas coin a.za a 1#2Q0 I
!:a_?!a i~a.'&* P'.ntadas a l/50o rs.": e outros*inui-
Ii i mnprador le vendrm por todo diniriro fuido
tonta : bom como urna p.-i\.io de cal preta a rrlallio.
Fajeada de aljjodo para ihoa
llias.
Vi luja ii, (,iiini ir.ii Si <:., i ni do Crespo, n 5, ven-
de-e a excellento iw.inl.i par toalhai de tbndlOi
ii jurado hi.iuio, com 8 palmos de laigo, pelo barato
proco de 800 rt, t v.n i.
--- Na padariade una soporta napraca da S.-Cruz,
e un deposito da iiiesma na travesa da Madrc-de-Dros-
n. 13, vrnde-se cafe inoido o uirlhor posiivrl neite ge.
en tanto a rotalho como pelo groiso sendo a 240 rs,
a libra e a 6/400 rs. a arroba: n.io conten mistura al-
guina e a vista faz f do que se assevera.
Vende-se um moleque de mui lin-
da (gura, e proprio de todo o servico de
ca>a e rua : na rua do Crespo, loja n. i
A se dir quein vende.
Com toque de avaria
pecas de madapolo largo o ptimo com um pequeuo
loque de avaria de agoa doce a 2/800 rs, sendo a ava-
ria so em una ou duas dobras ; um grande sortimen-
to de lazeudas finase grossas que se vcudein por ata-
co ca rclalho : uo novo armazcm de fazendas de Ricar-
do Carlos I.cite na rua do Queiinado, n. 27.
He impossivel
haver melhores casimiras como presentemente ebega-
r.iin a loja do Aterro-da-lloa-Visla, n. 24, cujos gustos
modernos de Franca sao inais apreciaveis para os ami-
gos do bom t;oslo lio iinpossiiiel digo, haver melho-
res c para islo eonvida-sc a lodosos Srs. para so aca-
paoltarem da verdade .* pelo baratissimo prc;o de mil
rs, o corado.
\ eudoni-se, por proco muito coininodo para fe-
,\ar tontas, charutos da Baha, rogalia, por preco coin-
modo : na rua do Trapiche, n. 34.
Vende-se tima pretamuilo boa lavadeira c que lie
possaule : na rua do Crespo, n. 16, esquina que vira
para a rua das Cruzes.
FARELO
a 3sooo rs. a sacca
nos ariiiafeiis ns. Ie3 do caes da Mfandoga, c no de n.
35 da rua do Ainoriin, de J. J Xasso Juuior,
Vende-se cal virgem de Lisboa,
no ultima navio, em barris
chegada
pe-
queos, por menos do que em outra qual-
quer parte : na rua do Trapiche, arma-
letn n I7.
Vendc-se a taberna n. 86, na rua do Pilar em F-
ra-de-Portas coin quntale comiiiodos para familia';
com grande armacao com todos os perlenccs por ba-
rato proco e coin os fundos a vontade do comprador ,
ha tambein outra grande vantagem mui conveniente ,
que se dir no comprador : veude-se porque o seu do-
no oceupa-sc em outro negocio e a pessoa que a admi-
nistra nao pode continuar : a tratar na rua do Queiina-
do, loja 11. 3l,ou na inesuia taberna.
Vendem-se urnas balancas de pao, guarnecidas de
lato, com correntes do uiesmo, c braco do autor Ro-
mao, coin um torno de pesos de 8 libras at meiaquar-
ta, tudo proprio para balco de qualquer estabeleci-
inento : na rua Caileia do Kecife-, n. 8.
Vende-sc um alambique novo de cobre coin todos
os seus pertenec um relogio sabonete de ouro com
corrente suissa : na rua da Cadeia de Santo-Antonio,
armazn), 11. 21.
= Vendem-se5lindosinoleques de 16 a 18 anuos; 5
pelos de 25 a 30 anuos propriospara lodo o servido ; 3
ditos de 16 a 25anuos sondo um delles bom carreiro ;
3 pardas, duas de 7 a Manilos, coin principios de ha-
bilidades e urna com lodasas habilidades, do 17 anuos;
3 prelas de 20 a 24anuos com habilidades: na rua do
Collegio, n. 3, srdirquein vendo.
Vendom-so pastas perfumadas para guardar luvas
de senhora ; agulhas francezas em caixinhas ; agulhei-
ros de vidro ; tuiteiros em eaixas de jaspe ; tinta azul e
encarnada ; canivetes linos uo urna, duas e tres folhas,
por preco couiniodo ; no Atcrru-da-lioa-Vista, 11. 84.
Agoa de tingir cabello.
Continiia-se a vender a agoa de tingir cbelos c suis-
sas : na rua do Queiinado n. 31. o melhodo de appil-
car dila agoa acouipaiiha aos vidros.
Vendeiu se barris com cal virgem de Lisboa, de
4 arrobas, a inais uovaque ha 110 mercado por menos
prreo do quo em oulra qualquer parte : na rua de Apol-
lo, arma/.om n 18.
Vende-se nina rica cadeira, viuda da ahia no
o som uso : 11.1 rua da Cadeia 11. 40.
Veude-se urna porc.ao de barris de niel, tambein
se vende um s barril ou a vontade do comprador :
na rua Imperial 11.
Vende-se urna venda bem alreguezada para a Ier-
ra c que vendo diariamente 20/rs. para cima e tani-
bom vende para o mallo a dinheiro ou conforme se
coiiveni ionar : quein a pretender aiinuncie.
Scm lustro.
Vende-sc sapalos de couro do lustro, para meninas,
a 440 rs. o par : na praca da Independencia n. 33.
!'u a casa.
Vondein-se sapalos franeczes de brim pardo para se
nliora com a vista vciao o qiiauln sao bem feitos ,
640 rs. o par : na praca da Independencia n.33.
Vende-sc una mulaliulia de 14 annos que cose c
cngonimacoiii perl'cicao : 'una prelado 18 anuos, com
as mosuias habilidades; um niiilaiinho de 12 annns ,
proprio jiara pagein ; um pardo e um prcto de 20 a 25
annos ; ummolccoto bom sapateiro | um prcto ganha-
dor que lem disto bastante pratica : 110 paleo da matriz
de S.-Antonio sobrado n. 4.
= Vcndem-sc uns peilences de ar111.17.en1 de seceos ,
para qualquer pessoa que queira botar alguin princi-
pio deslc negocio, por pre(o commodo: a tratar na
piafa da S.-Cru/., n. 6, ao pe da botica.
Vendem-se casaos de pouibos muito grandes, bous
batedores, bonitos e de excellenlc rafa, por preco mul-
to louimodo : na rua da Florentina, 11. 6.
Vendenvse chapeos de palha, da
Italia, parasenhoras e meninas, a 1,200
rs. ; barretes de padre e gollas de diver-
sas fazendas ; bonetes pelos, de velludo,
a 960 rs. e de panno rascado a 6^0.rs. 5
lencos de garca a 1,000 rs. ; ditos de gr-
vala a 1,000 rs. ; luvas de algodao, dec-
cs,aaoo rs. o par; ditas de pellica, de se-
nhora, a !,ooors. e para homem a 1,600
rs. ; flores para enfeites de chape'os; bicos
do Porto, de 100 al '\00 rs. a vara; ditos fi-
nos, franeczes e nglezes" ; galoes brancos
e amarellos, finos; ditos ordinarios ; es-
piguilhs e rendas ; volantes largos e es-
Ueitos.^ espeJhos de parade 11,000 rs.
quatro portas da rui do Cibug, n. iC,
d< I)..arte.
w.'n
' oiic/oq op vic| inj ao : -aia 'Aoaia ssqio 'tJ
n.nji orno.1 eqjtq jattj sed oiitiuwu o opual
no 1 ui.iitcjA i'jud stijdoid riioivi stjjBtsaaau *
i ;"! j iMaqciei: '"; ianb|enb no epiirzj janb
11 nli 11 mu i-fo| no ni ii.Miiini,.i iji 1 si 1 j.iiib|unh
i-uil ,i|.iim um moa i*.iiqdiJod() tri;a saijitua
-au 1 um se iiJj.nl oinu|ui!p aisa jod js-iu.ipu.i \
SJ f JOJ
Vendem-se botes amarellos, finos,
de 1'. II. ; ditos ordinarios; ditos para
casacas ; ditos para cavallaria ; ditos pa-
ra infantaria ; ditos para libr de pagens,
brancos e amarellos ; ditos pretos de bo-
nitos padnes ; ditos de vidro, para enfei-
tes de roupas de menino : na loja de qua-
tro portas da rua do Cabug, 11. 1 C. do
Duarte.
FARINHADETRIESTE.,
marca verdadeira SSSF, chegada ulllinatnente: vende-se
em case de N. O. Illeber & Companhia, na rua da Cruz ,
u. 4.
No Passeio-Puldico, n. 19,
vendem-se pannos finos de todas as qualidades a 3/,
3^500, 4/e 5/rs. corles de laa para caifas, a 2/500 rs.;
ditos de casimiras, padroes oscuros a 0/000 rs. ; ditos
de cambraia de todas as qualidades a ?/, 2/500 3/ c
4/500 rs. ; lencos de seda a l/e 1/500 rs. ; ditos para
grvala a 400 rs. ; ditos de cassa a 200 rs. ; chitas
linas a 140, 160,200, 220 240 e 320 rs. ; madapolo
lino a 3/200, 4/, 4/500, 5/c 5/500 rs. ; mantas de seda
a 12/000 rs. ; olalos de laa, a 1/600 e 2/500 rs. ; ditos de
seda padres ricos a 9/ rs. ; pelle do diabo a 200 rs.;
castores a 200 rs. ; brim pardo de puro linho a 1|200
rs.; dito branco a 1/600 rs. ; chapeos deso, de seda ,
a 5/500 e 6/400 rs.; sarja preta muito boa, a 2/e 2/400
rs. ; riscados francezes a 200 rs. o eovado ; primores
modernos a 320 rs.; esguiao muito fino, a 2/ rs. a va-
ra ; brins de llnho de coree a 900,1/ e i/200 rs. ; e ou-
ii as muais fazendas por prec.o inais em cunta do que
em outra qualquer parte.
POTASSA.
\o deposito da rua da l-'adeia do necie n. l"2 ven-
dc-se muito nova esuperioa polassa em barris peque-
nos, por pref o inais barato do que ltimamente se es-
lava vendendo.
Vendem-se estojos com 2 navalhas de barba in-
glezas as quaes se trncam as que nao servirein a 2
rs. cada estojo ; oculos para todas as idades ; toucas
para meninos ; meias de algodao pretas e brancas pa-
ra senhora, a 480 rs. o par pennas para secretaria a
320 rs. o quarteiro ; thesouras linissiinas para ho-
mem e senhora ; collares prelos ; agoa de Colonia de
l'iver ; eseovas para joias ; pinceis c sabonetes para
barba ; colheres para sopa e cha, de metal do priuci-
pe nina nuil itiuha de 12 anuos, com principios de
costura : tudo para liquidafao de contas : na rua larga
do Rozario, loja do Lody, n. 35.
Sapalocs de tres solas,
a s'ooo rs.
No Aterro-da-Boa-Vista, loja n. 78,
contina-se a vender sapalocs de tres so-
las, a 1,000 rs.
Cera de Lisboa
Na rua da Cruz, n. Go, vende-se a me
Huir cera que ha no mercado, cm eaixas
de todos os tamanhos, vontade dos com-
pradores, e mais barato que em outra
parte.
Vendem-se barricas de superior fareio de Lisboa*
a -1. uno rs.: no armazem que foi do tinado llraguez, ao
pe do arco da Conceifao.
Vende-se cera de carnauba em porfito e a rcla-
lho de superior qualidade ; queijos londrinos; latas
00111 iHilachinlias de araruta muito noval a 2/ rs. ;
latas com sardinhas ; ditas com 4 libras de marmelada ;
ditas com figos : tudo por prejo commodo : na rua da
Cruz, no Recife, n. 46.
Vendem-se aeces da ex-
mela eompanhia de Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio de O-
liveira lrmos & C, rua da Cruz,
n. 9.
:.> lul|il.ii| ,ili|iis l .11-01111; o
S01IO3 SO DS-OBfJ *a)Jp3 epea -l- n-inl ji.is .i(i ii.Vi.ul iilllu
-niiip 0|ad sexij sajoa ap a saojptdfoon ap apopia
eisa e j|iuiiiuin|i|n sepcSjtp -.imumihI sestea si-miu
se as-itupujA 'y -u oiuoiuy-'S >P oaae oe aiuojjuoa
' 'O ^ sjyjDtuin^f ap vio/ vu 3jqo o
'sj ofrziic v s9sussi.ivdsvssvDsvausy
Vendem-se canivetes finos ; te-
souras de miliase de costura; ditas de
alfaiates, feilas em Guimaraes ; sacarro-
Ihas, de patente ; campainhas de cores ex-
quisitas ; machinas para ilhozes a i,aoo
rs. ; c&stiraes de vidro a ?.,'100 rs. o par :
na loja de quatro portas da rua do Cabu-
da obra ; um moleque de 15 annos que ootinba dii.
lio de uiuaoasa e lie multo fiel e humilde : atrs do
Corpo-Santo loja de sapateiro.
- Vende-se umaescravade 18 annos coin nina (|14
de :i metes : a escraa he perfelu cuzinheira e engoiQ.
iii.-uioi r.i: na rua Nora, n. 10.
VrDile-scarrol.de casca; meias ne algodao falfaa
no Porto ; cera do Rio : tudo por preco cominodo : ul
rua da Frala armazem u. 37.
Vende-ic uiiialiiida escrava de II annos, propria
para ser applicada a costura ou troca-se por um n.
cravo mofo, coin ofttcio de sapateiro lobre o que tg
(ara negocio a vista de seus valores : na rua Formn ,
quinta casa indo pela rua da Aurora.
Vendc-ie uina preta de 18 annos de multo bonita
figura, que cugomma muito bem cozinha coie |.
va de sabio e varrella. e nao tem vicioi nem achaques:
o motivo por que te vende he querer ir para fura di
provincia : na rua da Concordia paliando a pouteii-
nli.i, a direita, icguuda casa terrea, se dir qucia
vcnde- ... ._ .
= Vende-se urna cadeinnba em bom uso; 1 relogio de
oujo horizontal; una corrente de ouro de lei.com 34ipj
o lavas: ludo vende-se por precisao : na rua Nova n,
21, primeiro andar.
Vendem-se barris pequeos coin cal virgem de Ut.
boa a inais nova que ha no mercado, por preco com-
modo : na rua da Moda armazem n. 17.
tos gneros de venda por prefo commodo que a vista ditos de augmento a 8ob Tfl. : na loja
. n. i C- do Duarte.
A 4/000 rs. CADA UM.
Ne loja de Guiuiaraos Si Companhia na rua do Cres-
po, n. 5, vendem-se chapeos de sol, de seda verdee azul
com .-inii.-ii-.-in de ferro inulto bous, pelo barato precu
de 4# rs.
Vende-se um tanque que leva 600 caadas de azei-
te de carrapato ; 2 pares de mangas de vidro do ultimo
gosto ; 2 livros grandes riscados pira o diario e cor-
rentes ; um sel Ii ni com seus arreios, e coin pouco uso;
um torrador de caf novo ; 4 casaes de rolas sendo
dou brancos ; uina carleira de urna s face pequeiia;
2 jarros do llores de porcellana do ultimo gosto: tuda
se vende barato, por seu dono retlrar-se : na rua da
Trompe venda n. 1, se dir quem vende. Tambein se
vende a mesma venda.
So A trro-da-Boa- Vista, loja n.
78, vende-se marroquimamarello a 1,760
rs. a pelle.
Vendc-se una negra boa cozlnheira e engoimna-
deira, c que cose chao e faz todo o mais servico ; na rua
do Queiinado, r 39. /
Vcndc-se por prefo muito commodo, uina obra
de Vauguerve, pratica judicial: na praca da Indepeu-
lUicia-rvraria ns.6 e 8^.--------- .. .
= Vendem-se 2 lindos molccotes de 20 annoi de
muito boa conducta, e que sao perfeitos sapateiros de to-
Escravos Fgidos

l-'ugio, do engenho Rais, da freguezia da Escada ,
no dia 2 do corrente o preto criouto, de nome I.ou.
renfo natural do Aracaty altura regular de 30 su-
nos pouco mais ou menos. Este preto foi comprado pe-
lo Sr. Dingn Jns da Costa morador na rua Nova del-
ta cidade a Joao Joaquim Pagil, do Aractv e ven,
dldo all este senhor por Luis Carlos de Freitas -, des-
coufia-se ter seguido para o lugar de Cainpreste por
11 r .-illi pal e mal. Roga-se as autoridades potiolaei e
capilaes de campo que o apprehendatn e levem-no u
dito engenho, ou nesta prafa a Rodrigo da_Coila Cr-
valho morador na rua de Apollo que serao gratifica-
dos.
Fugio, na noile de 11 para 12 do corrente um mo-
leque de nome Luiz de 15 annos natural do Araca-
ty ; he baixo, de cara larga nariz chato falla descan-
sada e bastante desentoada : quein o pegar leve-o a
S,-Amaro sitio de Manuel Cardozo da Fonseca ou na
pi .o a. ao mesmo a qualquer hora.
Fugio, no da 21 de dezembro do anuo prux'^ijo
passado o pardo Jacoo de Saimus secco do coy" \
cabellos estirados ; tem falta de um dente na frcuHty/
alguinas marcas de bexigas e uin pequeo lalho no rfs.
to ; o inais visivel signa! he ter as costas a marca de un,
caustico : quem o pegar leve-o a rua Nova a Jos Luli
Pcreira.
Fugiram. uo dia 10 do corrente, do engenho I.i-
mocirinlio 2 escravos, sendo uin pardo de nome
Francisco de 25 a 30 annos baixo, eorpolento cabel-
lo corrido acaboclado pos alguina cousa apalheu-
dos ; levou camisa de algodao azule caifas do mesmo:
o outro de nome Antao, de altura regulan cabra; tem
o emblgo grande e um ollio de menos ; j tem estado
fgido por duas vezes para as partes de Una ; represen-
ta 30 a 35 annos. Ilnga-se as autoridades policlaes ca-
pilaes de campo e pessoas particulares, que o apprehen.
dain c levem-no ao dito engenho, ou nesta cidade, a
rua do Queiinado loja n. 6, que, alm de se pagarem ai
despezas que se fizcrein se gratificar generosamente.
Mandou o senhor do engenho Jaguaribe no do-
mingo 13 do corrente agosto, ao Recife levar umci-
vallo o seu escravo cabra, de noine Jos, de 20 anuo
pouco mais ou menos, sein barba, de bonita figura,
pos grandes falla muito mansa ; foi escravo nesta pra-
f a do Sr. Joao Paula Maciel, e que tem a mili em Olinda,
em casa do Sr. Vicente Ferreira Marinho : quein o pe-
gar leve-o ao dito engenho ou nesta piafa a Fran-
cisco X. M. bastos, na rua do Encantamento, que ser
recompensado.
Fugio, no .lia terfa-feira, 18 de julho do corrente
anno do engenho S.-Joao do Sr. major Flix Jos da
Cmara Pimentel, a escrava crioula de noine Bernar-
da, que representa ter 50 annos para mais ; tem bas-
tantes cabellos braneds na cabefa ; he baixa um tan-
to barriguda uniitu ladina ; lem os ps um tantoopa-
111 .-i.iili.s olhos bastante vccmelhos nariz chato ; le-
vou vestido branco um chale velho de cr_ nos hom-
bros dous saceos pequeos c uns cobres. Esla escrava
lie de um morador do referido engenho o qual naD-
dou-a no referido dia a povoacao de N. S. do O comprar
uns cocos: at hoje nao voltou ; suppoe-se que estar
nceulta por alguns dos engehhos da freguezia da r.sca-
da por ter abi uiuilos cuniccimentos em comenqtieif
cia de vender ha bastante lempo Uin laholeiro com ar-
io/ pelos engenhos Jundi Mamalnco", Frclxeiras, Ho-
la, Campestre lloa-Visla, Cabcfa-dr-Negro e llumlini.
Roga-se s autoridades policiacs e capilaes decampo ,
que a apprehendatn e levem-a ao dito engenho ou
nesta praf a ao Sr. Joaquim Francisco de Mello Santos,
na rua Augusta que serao gratificados.
- Fugio, em feverelro de 1847 do engenho S -Anto-
nio-Piabas, freguezia de Una comarca do Rio-Formo-
so um pardo de noine Francisco de 16 a 18 annos,
bem claro pernas finas ps pequeos, rosto ooin-
boin cabello tem 'una barroca
prido nariz afilado
110 qUCXO e cicatrizes lid vcucyn pinvnnH -*
concede cavado,apelas costas e nadegas, de inuitoTcnT/
cote que tem levado ; levou camisa e ceroulas brancas,
chapeo de palha grossa e una fouciuha de caima que
levou quandn se auseutou do servifo; foi escravo do vi-
gario Joao l'aptista Soares morador em Karreiros, e ao
depois passou aoSr. Jos Francisco Axioii I.ins,senhor
do engenho Linda-Flor ; foi visto o dito escravo este
anno cm Tamandar pescando em uina rede. Roga-se
as autoridades policacs e capilaes de campo que o
apprehendam e levem-no a seu senhor, Joo do Reg
Narros Axioii Ljps em dilo engenho ou nesla prafa ao
Sr. .Iiiai|iiiin Antonio de Santiago Lessot, que pagar to-
das as despejas e recompensara : o mesmo protesta con-
tra qualquer pessoa que o tiver acollado em sua casa ,
e pagarao 640 rs. por dia, desde o dia queelle.se au-
scnlou da casa de sen senhor.
--- Fugio, no dia 15 do corrente as7 horas da tarde,
a preta Eugenia, crioula, de altura regular rosto oval!
levou vestido de chita camisa de nlgodaozin- o. Roga-
se as autoridades polici es c capilaes de campo que
apprehendain e levein-a a rua liiroit.a, n. 63, ouoo rn-
genlin Pencdo, do Sr. rancisco de Paula Marinho Wao-
derley que serao gratificados.
Fugio, domingo, 13 do crtenle o escravo Daniel.
prelo muito fulo de boa altura grusso, cura redon-
da, bem feilode corpo. Este escravo foi de D. Mara
Fcllimlna do Reg Gomes, viuva do fallecido Joaquim
Candido Gomes ; julga-sc andar nesta cidade em rora-
de-Portas onde mora a mi ou pelo sul d'onde olio
foi. Quem o pegar leve-o a seu senhor, Jol Antonio
l'ereirad/Brito no Alcrro-da-lioa-Vista n. I, leguiuio
andar Ju no Manguinho estrada dos Afilelos eiu o
sitio i|ii/., do 'lavaros que ser gratificado.
ry,'iran, na madrugada do dia 3 do corrente ao
engci o Pindoba da freguezia de Ipojuca dous escra-
vos endo uiu cabra, de nome Izidoru e urna preta ,
de n me Rita, o primeiro de cor trigueira, de altura re-
gula/ grosso do corpo queixo bastante saliente; "
ofruflal de carpina : a segunda de cor preta .altu"
maior que a ordinaria secca docor|io, voz estrepitosa,
sabe coser, engommar e cozinhar oflrlvelinente :
catados. Quein o pegar leve-os a sen senhor, Louron-
f o de S e Albuqtierque Jnior ou ao eugenbo Guar^
rapes que ser generosamente recompensado.
Pern. :natyp. pin. f. departa. i84
MUTIL
i