Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08597

Full Text
f

\
/

UIO UIVUL I01ERO IU
Ptr tres aeies ailaataits *5|00o
Ptr tre utzw veiei'Jti 6|000
I
TP
I
iJI
OMITA FEII1 22 J> MilO DE 1862.
"' s > a
Ptr aut a4iuUd 9|0(IO
ParU fraiet lan snbseriator
DIARIO DE PERIVAMBICO.
*CARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antooio Alexandrino de Li-
na ; Natal, o Sr. Antonio Marques da Silra;
Aracatr, o Sr. A. da Lemoi Braga; Geiri o Sr.
J. Jos da Olireira; Maraobio, o Sr. Joaquim
Marques Rodrigues; Para, MaooelPinhiiro &
L.; Xmaionis.o Sr. Jsronymo da Goata.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SDL
Alagoas.oSr. Claedino Falca Diaa; Babia.
o Sr. Jos Hartiaa AItm ; Rio da Janeiro, o Sr-
Joio Partir Martina.
PARTIDAS DOS CRRELOS.
Olinda todoa oa dlaa aa tf horas do dia.
Iguarass, Goianna, a Parahyba oaa segundas
a seitas-feiras.
S. Aniso, Bezerros, Bonito, Caraar, Altinho
o Garanhuna naa targas-feiraa.
Pao d'Alho, Nazaratb. Limoafro, Brejo, Pea-
queira, Iogazeira, Florea, Villa-Bella, Boa-Vista,
Ouricurye Ex naaquaitea-feiraa.
Cabo, Sernbem, Rio Formoao, una, Barreiros
Agua Preta, Pmentelras e Natal quintaa feiras.
|(Todos os eorraioa partem aa 10 horaada machas
EPHEMERIDES DO HEZ DB MAIO.
7 Quarto creaeente aoa 43 mioatoa da tajde.
|3 La chela aa 8 horas e 18 mioatoa da man.
SO Quarto minbante al hora da manhaa.
28 Lea nova aoa 44 minutos da manhaa:
PREAMAR DE HOJE.
Primeiro as 10 horas e 54 minutos da manhaa.
Segando as 11 horas a 18 mnalos da Urde.
PARTIDA DOS VAPOSES COSTBIROS. *
Para o sul ate Alegoee i 5 e SO; para o norte
at a Graoja 14 a 29 da teda mex.
PARTIDA DOS 0M5IBU8.
Para o Recite: do Apipueot s 6 lr2, 7. 7 \\t, 8
e.6 112 da es.; de Olinda is 8 da m. e 6 da t.; de
da as. 8 t da t.; para Jaboatao a 4 da t.; para
o Caxanam Pansa i 4 1|2 da I.; para Btmfica
aa 4 da t.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES ya CAPITAL.
Trbinal do eommereio : segundas e quietas.
Relami: tergas e eabbadoaislO horaa.
Paienda : quintas la 10 horas.
Juixo do eommereio : segundas ao mete dia.
Dito de orphios: tergii e eextaa ia 10 horas.
Primeira vara do eivel: tergae e extaa ae meio
dia.
Seganda rara do eivel: qaartaa o aabbadoa 1
horada tarde.
i DAS DA SEMANA.
19 Segonda. S. Pedro Celestino p. ; S. Iro.
20 Terga. S. Beroardino de Sena a. Psatille-
21 Quarta. s. Marcos b. m.; S. Theopempo m.
22 Quinta. S. Rita de Casis v. m.; S. Qaiteria
23 Sexta. S. Baxilio ere; S. Desiderio a. m.
24 Sabbado. S. Afra m.; S. Paladia m.
25 Domirgo. S. Gregorio VI p. ; S. Mart Mago*.
ASSIGNA-SE
no Recite en. a lirraria da praca da Inten-
dencia os. 6 e 8, dos propriatarioa Manoel Ftaira-
roa dataria & Piiho.
_PMTE 0FFICIL_
60VBRN0 DA PROVINCIA
Expediente do da 1 de ra to d
186*
Officio io Exn. presidenta da provincia da Pe-
rahiba.Enri V. Etc. para o Gm convenieo*
te, o auto de ristoria e ideatil ale de pessitf tai-
ta no cadver do asa tendido de jejtiea desss
provincia Robarla Justo dos Aojos, que appeta.
cera morto afogado na praia da Hurta no presi-
dio de Fernando, segando communlcou-me o
respectivo commandante etn officio d < '30 da
abril ultimo, sob n. 69.
Dito ao Etaa..presidente da provincia do Rio
G-aode do NortA Pssso a rolos de V. Etc.
para o m conveniente, o auto de viatoria o den-
tidade de pesaos a que se proceden no cadver
do sentencia Jo de justica dessa provincia Joio
Jos Damaaceno, que falleceu na eoferraaria do
presidio de Fernando de Noronha.
Dito ao Exm. presidente da provincia lo Cea-
r. Passo s mos de V. Etc. no incluso re-
querimento do sentenciado de Justina deisa. pro-
yocia Jos Joaquim de Atmeils.-afim de que
V. Exc aa airva de dar-lhe o conveniente deslio ,
depoisde instru lo devi lamente pelo j & quem
competir.
Dito ao commandanta das arma?. Sirva-ae
V. Exc de informar acerca do que peta no in-
incluso reqaerimeato Basiliano Correa Pessoa de
Mello.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. Etc. de in-
formar aobre o que pede no ioeltso requerimen-
to Anoa Martioha dos Saotos
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Etc. de at no-
va ordem deata preaideocia, mandar p-Jr dis-
posigio do Dr. chefe de pulida todos os das ao
anoitecer, & principiar de boje, seis pracas do ca-
Tallarla.
Ditoao mesmo.Sirva-se V. Exc. de informar
sobre o qae pede no incluso requerimen o Isabel
Mara de Moura.
Dito ao conselheiro psesidente da r Sirva-te V. S. de ioterpor o seu parecer sobre a
materia dos inclusos offlcios do ajudaote do pro-
curador flaca! ioterino da comarca do Cabo de 27
de marco, e jaaiz municipal supplente do termo
de Serinhaea, de 17 de abril prximo Ando.
Dito so chefe de polica.Nao teodo adu pree-
tsdssss iorormacoes pedidas por esta presiden-
cia em officio de 9 de abril do anoo paseado com
referencia ao adao da repartigio dos negocios
estrangeiros.de 20 de marco do meamo relativa-
mente ao numero dos subditos bniannioi' resi-
dentes nests proviocia, sirva-se V. S. rar as suas ordeos a autoridadea polica,.a que
Ihe sao subordinadas no sentido de ser m ti-feita
essa exigencia, conforme solicita not smente
aquella reparticao em aviso'de3 do cor-ente.
Dito ao commandante do corpode polica.
Haja V. S. -de expedir anas ordene pai a que o
destacamento de seia pragas existente en lgua-
raat, aiga quanto antea para o termo de logazei-
re, Aflea de reforgar o de 20 que all se acha.
Coromunicou-se ao chefe de policie.
Dito ao chefe de policis. Sirva-se V. S. de
expedir as suas ordeos para que na primeira
opportuoidade aiga para a Parahiba disposigao
do Exm. presidente dsquella proviocia. que as-
sim o solicitou em seu officio de 18de marco ui-
timo, o sentenciado de justica Viceote Ferreira
Dias dos Santos, viudo do presidio de Fernando
no hiate Sania Hila. Commuoicou-se so pre-
sidente da Parahiba, remelteodo-se a guia do
sentenciado.
Dito ao mesmo.Pelo offirio de V. i>. o. 789
de 16 do cerrente, fiquei inteirado d< ter sido
preso e remettido para esta capital porerdem do
delegado do termo de Ipojuca, o criuioosod
morte Flix Jos Rodrigues, como auter do as-
aaiaimto all perpetrado na pessoa de Joaquim
Luis no aono de 18(8.
Dito ao inspector da thesouraria de atenda.-
Autoriao V, S., nos termos de saa informacao
de naje sob o. 435, dada com referencia 'di
coutadoria deasa thesouraria, a manda pagar a
quantia de 960444- re., em que importam os me-
dicamentos fornecidos pelo pharmaceulico Leo-
cadio Jos de Figaeirdo, para o testamento do
cholera na comarca de Goianna, e para esse m
devolvo os papis que vieram aooexos sua ci-
tada ioformaco, os quaea vo cobertos com offi-
cio do Dr. Jos Joaquim Firmioo, dtalo de 29
de abril ultimo.
Dito ao mesmo,Transmiti V. S. is SO in-
clusas guisa doacadaveres de cholencos desvali-
dos que foram conduzidos para o cemitro pu-
blico desde o l.at 14 do correte, aflm de que
mande pagar Qoioteiro e Agfa e Joi Pinto
da Magilhes a quantia de 2009. aendo aos pri-
meiros 120$ e ao ultimo 80, conforme solicitou
o administrador daquelle cemiterioem officio de
14 deste mez.
Dito ao mesmo. Para dar cumprimenio ao
avise da reparticao do imperio do 29 de abril ul-
timo, remetta-me V. S. com urgencia urna ue-
monslragio pela qaal ae possa conheeer clara-
mente a despera verificada com soccorros pbli-
cos desde o comego do actual exercicio, at o dia
em que for orgaoisada essa demonstracac.
Dito ao mesmo.Estando em termos as quatro
contaa juotaa em duplcala, que me foram re-
meltidaa --pelo inspector do araenal de mancha
com officio de hoje aob n. 200 e havendo crdi-
to, manda V. S. pagar a quantia de 397620 rs.
proveniente de gaz coasumido com a illumlna-
$ao daquelle araenal nos mezes de dezembro do
aono prximo psssado a marco ultimo
Dito ao inapector do arsenal de marioha.Com
este officio ser apresentado V. S.,aflm de ser
alistado oa companhia de aprendixea niarinbei-
ros desse arsenal o menor Joio, que para ter
aBse deslioo me foi romettido pelo Dr. chefe de
polica com officio deasa data sob o. 811
Dito ao director do arsenal de guerra.Recom-
meodo V. S. que faca devolver ao romman-
dante do preaidio de Fernando os saceos era que
vieram acondicionados os sapatos que d'alli sao
remettdoa para ease araenal.
Dito eo inspector da thesouraria provincial.
Cerlo do contedo de aua informacao de 17 do
correte, sob n. 291, dada acerca do req lerimen-
to em qae Joio Franciaco Tavarea p de nova-
monte o pagamento da quantia de 20>& prove-
niente dos movis que forneceu para aula de
instruccao elementar do primeiro grao i a povoa-
caode Itapissuma,.teoho a dizer que mande V.
S. euectuar esse pagamento logo que aja ere-
dito.
Dito ao director das obrss militare.Em vis-
ta da informacao da thesouraria de fa emia da-
tada de 15 do correte, aob n. 425, o auluriso
mandar fazer o concert deque necessit.i o quar-
tel do 4. batalbo de artilharia a p pila quan-
tia de 148|495 rs. em que foi oreada a 'gando o
officio de V. S. de 12 deste mez, sob n.!}.!, cutn-
priodo porm, que antes de fechar o contrato de
empreitada daquelia obra, exija V. S. que o em-
prelteiro pague o respectivo sello proi orcional,
dando-lhe para essefim urna gola, na qual de-
clare o f alor da empreitada. e com a qual virl
elle reeebeoria de rendas internas pajaro sel-
lo de que se trata.
. Dito ao director geral da ioslrucgio publica.
Atteodeodo ao que requere* Maria Carolioa de
rrto Caroeiro e a aua informacao ministrada em
16 do correte, sob n. 118, autoriso a V. S.
a mandar admitlir oo respectivo collegio nae
Pfjmeirea vagas que houverem as orphias Maria
e Hermiuda que se achsm em poder da anppli-
ante.
Dito ao juiz de direito do Cabo.Pelo aeu offi-
cio de 14 do correte fiquei inteirado do que
Vmc. me cotnmuoicou com referencia ao estado
da epidemia reinante nesaa comarca.
Dito ao juiz municipal da primeira vara.
Em officio de 21 deate mez declarou-me o com-
mandante do presidia de Fernando nao existir all
sentenciado algum de justica com o nonia de
Antooio Joa de Olireira, cuja vinda para esta
capital requisitou Vmc. em aeu officio de 22 de
margo prximo flodo, aeodo qae nao obataote,
na primeira opporiuorSede faria seguir para aqu
a ser epresentado ao brigadeiro commandante das
armas o ex-soldado do 9o batalhao de iofantaria
do mesmo nome, por ter concluido o tempo da
senlenca a que foi condemoado pelo tribunal mi-
litar : o quecommuoico a Vmc. para aeu conhe-
cimeoto e em reapusta ao citado officio.
Dito ao mesmo.Ccmmuoico a Vmc. que re-
gressou do presidio de Femando no hiate Sania
lia, como Vmc. requisitou em seu officio de 16
de marco ultimo, o sentenciado de Justina Manoel
Antooio Franciaco Romio, cuja guia aqui ajuoto
para ler o conveniente deatino.
Dito ao mesmo Transmiti a Vmc. para o
Qm conveniente o auto de viatoria e identidade
de pessoa a que ae preceden no cadver do aen-
teociadoda juslica deata provincia Manoel Seve-
rio Marquea da Silva, que falleceu na enferma-
ra militar do presidio de Femando, segundo
comrnuoicou-me o respectivo commandante em
officio de 9 do correte, aob o. 75.
Dito ao meamo.Hija Vmc. de remetter com
urgencia aa guias dos sentencalos que tiverem
de seguir para o presidio da Fernando do histe
que est prestes a partir para alli.
Dito ao juiz municipal do Rio Formoio.Ao
aeu officio de 16 do mez paasado, em que Vmc.
commuoica que Antonio Pergentino Moreira de
Azevedo abandonou os offlcios de partidor econ-
tador desse |uizo, para os quaes havia sido no-
meado interinamente, e pede que eu designe
quem os exerga, respondo dlzeodolhe que a vis-
la da doulrioa do aviso de 18 de Janeiro deste
anoo, i esse juizo compete prover ioteriosmenle
aquellas officios, at que aejam definitivamente
prvidos pelo governo imperial.
Dito to meamo.Inteirado do que Vmc. me
commuoicou em data de 13 do correle com re-
ferencia a epidemia reosme, e do offerecimeolo
do Dr. Frederico Rolan para preatar gratuita-1
mente aos deavallidos desse lermo, os seus ser-
vicos mdicos, teoho a dizer-lhe em resposta que'
ja em data de 10 deate mez enviei|remedioa,ins- J
trumes e baeta para o iratamenlo daquelia en I
fermilade so iuiz de diratlo deasa comarca, com I
quem Vmc. se dever entender para o prompto
soccorro dos eff.ciados.
Dito ao delegado do Limoeiro.Pelo seu offi-1
co de 8 do correr.le fiquei inteirado do haver
Vmc. oesta data se retirado para a villa do Li-
moeiro por coosiJerar extincla a epidemia oa
freguezia do Bom Jardim.
Ditoao delegado de Santo Antio.-Hja Vmr.
de ministrar meios de condumio deasa cidade ao
termo de Gsranbuns, de dous caixas com reme-
dios e duas pegas de baeta qua ora seguem com
aquello destino, remetiendo a conta da deapeza
que deve aer feita com a maior economa para
ser opportaoamenle paga.
Dito ao cirurgiao Francisco Jos da Silva.
loleiredo pelo aen officio de 10 do correte de
achar-se extiocta a epidemia reinante oa fregue-
zia doPogodaPaoella. aguardo o mappa das pes
soss all atacadas e fallecidas ; e valeodo-me da
opportuoidade agradego a Vmc os valiosos ser-
vigos que prestou em bem dos dssvallidos ds-
quella freguexia. Pode Vmc. mandar entregar
ao reapectivo eubielegaJo.a quem oesta data offi
co para fazer recolher ao arsenal de guerra, a
pega de aeis covados de baeta que anda reslou
dos soccorros euviaios por este .goveroo para o
tratamemo daquelia epidemia.
Dito ao ministro da ordem lerceira de S. Frao-
cisco deaia cidade.Inteirado do que Vmc. me
commuoicou em aeu officio de 15 do correte,
relativamente a ter essa veoeravel ordem lercei-
ra resolyido encerrar o seu hospital, visto achar-
se existiocla a epidemia do cholera morbos ;
aproveiio a opportuoidade para agradecer maia
urna vez o caridosn auxilio que ella prestou a
administragSo da presideocia.recebeodo etratao-
do no mesmo hospital mnitoadesvallidoasflecta-
doa daquelia epidemia.
Dito ao conaeiho de compras navaes.Promo-
va o conaeiho de compras oavaea, nos termos
dos artigoa 9 e II do regulamento de 20 de fe-
vereiro de 1858, para provimeoto do almoxarira-
do do arsenal de mancha, a sequisigio dos arti-
gos constantes do seu officio de 13 do correte.
Dito camars municipal do Rio Formoso.
Hespondendo o officio que esta presidencia di-
rigi a cmara municipal da cidade do Rio For-
moso, em 6 do correle, acerca do apparecimeo.
to da epidemia do cholera-morbus neasa cidade
tenho dizer-ae que j foram enviados os soc-
corros oeeessarioa ao juiz de direito dessa comar-
ca, com quem eaaa cmara ae entender aobre as
medidas que for conveniente tomar a semelhan-
le respailo, e que opporiuoamente aer conside-
rada a aua indicacio de commissariar-ae o cirur-
giao Joa Antonio Leio.
Portarla. o Sr. gereote da compaohia Per-
oambucaoa mande dar urna paaaagam de estado
no vapor ouorasau at o Rio Grande do Norte
*o ehete de secgio da thesouraria de rendas da-
quelia provincia Franciaco Jos Pereira Casal -
canti de Albuquerque.
---------------------------%
Despachos do da 16 de malo.
a .. fi*?uertmenlo*v
mi^l10^"1^ de SoniaUbrine o Sr. Dr.
juix de orphaoa da capital.
n?D l!,1 V $*l*o.-Pode seguir.
Dr. Candido Jos Casado Ltma.-Passe portara
concedendo a licenga pedida com veocimenloa.
Feliciano Marquea Vianna. Opporiuoamente
ser tomada em consderacao.
Felicia Maria da Cooceigio.p Flix Francisco da Paz Junior.-Ioforme'o Sr.
Dr. director geral da iostruegio publica
Frederico Miguel de Souza. Iufo'rme o Sr
inspector da thesouraria de faxenda.
Tenente-corooel Ignacio Jos Barbosa. In-
forme o Sr. vigarie da freguezia de Una.
Alteres Jorge Rodrigues Sidreirs.Requeira ao
espitio do corpo.
Giusenpe Marloaogeli.loforme o Sr, inspec-
tor da thesouraria provincial.
Joio Fraocisco Tavares. A thesouraria pro-
viocial tem ordem para pagar ao supplicaale lo-
go que honver crdito.
J. A. Santos Coelho.Informe o Sr. Inspector
da thesouraria de faxenda.
Joaquim Jos Rodrigues Maia de Oiivelra___
informe o Sr. commandante do presidio de Fer-
nando,
Msnoel Joa4Dantas.Informe o Sr. inspector
da thesouraria de fazeoda.
D. Maria Veoancia de Abreu e Lima Bastos.
Exhiba os supplicaotes o titulo do terreno s que
liudem, em original o psgiaem osdireitos nacio-
naes, como reqaer.
Commando das armas.
Quartel-general do commando das
armas Je Pernambuco aa cida-
de do Reelle em si de malo de
186*
ORDEM DO DIA N. 80.
Nao podeodo continuar oo exerdeio de secre-
ta no da iospecgo do arsenal da guerra deata pro-
viocia o Sr. capitao do tO* batalhao de iofantaria
Candido Leal Ferreira, por dever ser esteempre-
go exercido pelo Sr. official de fazeoda, nomeado
para coadjuvar os trabalhos da mesma inapeegao
em coosequeocia do que reaolveu o Exm. Sr. mi-
nistro ds guerra, como foi communicado em of-
Qcio do Exm. Sr. ajudaote general do exercito de
22 de abril prximo lindo, determina o general
commandante das armas, que esse Sr. capillo ae
aprsente ao Sr. coronel commandante do 2* ba-
talhao da mesma arma em o qual se achs addido,
aflm de fazer nelte o aervigo qae Ihe competir!
E aioda urna vez o mesmo general louva o refe-
rido Sr. capttio Leal Ferreira, pelo aeu exemplar
comporlamento, intelligencia e inteira dedicagio
pelo servigo.
Assigoedo.Sotdonto Jos Antonio Pereira do
Lago.
Conforme. -Jotl Francisco Coelho, capillo
ajudaote de ordeos encarregado do detalhe.
Q1IRI0 OE PERFUMBUCO-
A companhia Pcrnamuncana.
No artigo editorial de 17 do correle dissamos
que os lucros produzidos pelos va poros da com-
panhia paroambucaoa nao rao eufficient.es, nem
para cobrir aa despezas do respectivo cosleio : e
depols de haverraos demonstrsdo a conveniencia
publica de serem as liohss dos vapores de todos
os paites auxiliadas polos seus go vernos, acres-
cantamos que s Frsoga e Inglaterra subvenciona-
vam largamente as liohaa de seus vapores.
Hoje pretendemos lavar esaa ponto evidencia,
qne nos possivel. feito o que adduziremoa al-
gumaa reflexes, que nos parecem dignas de al-
lengao da parte daquelles, a quem est entregue
a direccao da aociedad.
Deixando de parte outras liohaa, que a j gran-
demente auxiliadas pela Fringa, diremoa que es-
se paiz subvenciona a lioha do Braail e Rio da
Prata com 4 700,000 francos, ou 1,800:(OOJOOO.
Alem deasa subvenco a empresa da mesma ll-
ana recebe sin la daquelle estado traa mtlhea da
francos pela navegagio qae faz no Mediterraooo.
Segundo os dados estilsticos que temos pre-
sentes, dados correspondentes ao anno floanceiro
de 18611862. a Ioglalerra subvenciona as diffe-
reotej liohaa de vapores, que possue, com aa
quantias conataotes do quadro que abaixo se se-
gu :
ANNO DE 1861 A 1862.
Subtengijet dadas pelo* servigos dat malas
dos vaporee, nae seguinte* linhas :
Libras esterlinas.
Entre Holyhead e Kiogstown
Aberdeeo e Lerwick
Tnurso e Stromoeas
Soutbamploo e asilhas do Gaoal
Liverpool e Ilha do Homem
Liverpool e Ramsey
Penzance e Sdlly
S'iuthampton e Cowea
ItyJe e Gosport
Dumegan e Locbmaddy
Greeoock, Portree e Stomowiy
Slorooway e Anlthea
Ardrossao e Arrao
Greeoock. Rolhesay e Ardrishsig
Dover e Calais, e Dover e Osteod
Southampton, Vigo, Porto e Liaboa
llalla e Corf'
Liverpool, Halifax, Bostoo, New York o
Nassan
Galway o America (tO mezes someote)
Halifax, Bermuda e S. Thomaz; Halifax
e S. Joio Terranova
Southampton e as Weat Iodias
Pela extensio ao Brasil e Buenos-A y res
Entre a ilha do Turco e S. Thomat
Na contra-cosla do Brasil, entre Pana-
m. Callao e Valparaso
Entre Inglaterra e a costa occidental d'A-
frica
Entre Ioglalerra e Cabo da Boa Espe-
ranga
Entre a ponta de Galle e Sydney
Entre Suez e Mauriciaa
Australia e Nova Zelandia
Ioglatera e Alexandria, Oylio. Cslcut
e Hong Koog, eum ramo de Marseil-
le a Malta
Aden e Bombsim
Malas addicionaes para a India de 15
em 15 diaa para Bombaim e Calent
Dito eolre Souihampioo e Alexandria
Dito para a China por 3 mezes
Dover, Holyhead, Liverpool Southamp-
ton w
Gasta alem disso com os agentes do
correio, que traz 6 bordo dos navios
que os tem
depois de importadas, teodo previemeote pago
gravea e pesados direltos.
Sem embargo disso, eorem, nao deixaremos de
estebelecer um paralello no pfeet) correte do
*?* *?&? ,mb0, "dos.
Vados cabera que esse geoero constitue a prin-
cipal, verba da despeas de um vapor, e por isso
mesao quelle, oujo prego deve attrahlr maia a
ooaaa attncao.
Na Ioglalerra, urna tonelada de. carvio cusa
10 schelltng ; lato qustro mil e tantos reis de
oossa meeda ; a mesma <}uotidade do dito ge-
nero custa neata cidsde 139500 e mais ; em al-
guna portoa vae rnuito alam, de modo que ae po-
de dlzer sem recete de errar qa* o cueto do car-
vio regola entre na, termo medio 25^000.
A esaas consideragea ajunte-ae a de que ues-
tes ltimos annoa o sea prego lem subido gra-
dualmente, elevando-se de 179500. qae era em
1853 ou 1854 poato ou carvoeiraa a 259000, que
hoje Mem ; ajuote-ae mais s isso a eircuma-
tancis de que esse prego teode a crease* visivel-
mente, atiento o movimento e progresso, que vae
tendo a navegsgio oacional n eslrangeira, que
corta ae nossss aguas, e ter-ae-ha urna idea cla-
ra da inmensa deaviDtagem que ha entre os dous
pases s debaixo desaa relagao.
A mao d'obra os Ioglalerra feita por machi-
nas ; pelo que executa-se com maior prstete,
melhoc perfeigao, e por um prego ioteirameote
mdico.
Nao poasuiodo docss, que dos proporeiooem
meios tacis de concertar oa oossos oavios, e de-
veo'io a respectiva mi da obra ser feita pelo
braga do homam com prebende-se fcilmente
que devemoa esperar pelas marea vivea para
aprovettar um ou outro porto, que se preste aquel-
lo aervigo ; que os cooeerlos, que tivermos de s-
rer hlo de aer mais tardos, maia imperfeitoa, e
por em cusi ettraordiosrio, como realmente
acontece entre os.
A demors nos mesmos coocertos fazem cestar
lucros certos, e occasionam outros moitos pre-
juixos, qae nio escapario perspicacia de pes-
aos alguma.
A nftriohsgem, os foguistas e os engeoheiros
dos navios Ingieres receoem pelos seus servigos
um sajano comparativamente muito menor, do
que a oossa marinhagem, oa oossos foguistas, e
os oossos eogenheiros.
Deixando de parle o (alario dos primeiros pa-
ra redviiraos o presente artigo, diremos someo-
te que ao passo que os eogenheiros ioglezes per-
cebem i secco de 10 a 12 libras eslerliosa por
mez, equivalente de 100 a 1109000 da ooaaa moa-
da, os eifteobairos empragados em oossos vapo-
rar obta.a pelo mesmo aervigo 20 librea esterli-
nas, salario cerreaudeutB si 2301)00 de uosa
Eocerra-ae a discussio, e posio rotoso pare-
cer regeitsdo.
E' tambem regeitado, visto nao ter sido jlga-
do objecto de deliberagao o seguinte parecer :
A commissio de legisla eso, prestando a man
escrupulosa silencio ao reoaierimeoto do pa-
dre Joio Jos de Araujo, professor jubilado de
iosjruecio primaria da vi da Boa-Vista, e/>e
pede se lbe maode pagar a gratificarlo a que se
juiga com direito, em virtud do anigo 10 da tei
geral de 15 de outubro de 1847, gratificado cjue,
deve-udo ter percebido desde que completou ee
dote annoa do magisterio, na conformidade da lei
provincial o. 369 de 14 de maio de 1855. e da
esma lei j citada, elle effectivaroeote nao re-
cebeu, em razio de achar-se nsquelle tempo mu-
to diatante desta cidade, e nao ter aqui pessoa (tee
reclamaase por esse direilo ; considerando que o
peticionario fora jubilado com o ordenado propor-
cional ao exercicio do magisterio, por espago de
16 annoa, 1 mex e 19 dias, e que por coosequeo-
cia havendo oo referido exereicio excedido os 13
aonos de magisterio, deque falla a lei em vigor,
esta oo caso de aer attendido, e de ae ihe mandar
pagar a mencionada gratiflcaeo desde a data em
que compUiou os referidos 12anoos. continuando
a percebe-la como os de mais protesaores de ins-
Irucgio primaria, queem idnticas circunstancias
tem sido alleodidoa : de parecer que seja defe-
rida favoravelmeote a pretengio do peticionario.
e oeste sentido ollerece a seguinte resolegao :
A assembls legislativa proviocial de Pernam-
buco, reaolve :
Art. Uoico. Fica o presideote ds provincia au-
toriaado a mandar pagar de cooforraidade com o
art. 10 da lei geral de 15 de outubro de 1827, e
com o art. 28 da lei provincial de 14 de maio de
18)5, ao padre Joto Jos de Araujo, pruhssor ju-
bilsdo de ioslrucgio primsria da villa da Boa-
Viata, a gratilicago correspondente ao exercicio
de aeu magisterio per msts de 12 anuos, a que
tem direito em face daa mesmaa leis.
Pago da sssembla legislativa proviocial 19 de
malo de 1862.Torres Baodaira.Pedro Alfonso.
Witruvio.
O Sr. Arsujo Barros : (Nio devolveu o seu
discurso.)
ORDEM 00 DIA.
Primeira parte.
Terceira discussao do prujecio o. 7 deste anno,
que eslabelece a condigao em que devem de ora
avante ser admittidot os empregados dos esta-
belecimeotos de beneficencia.
Indo proseder-se a votagao.veriflca-aenao ha-
ver caaa.
O Sr. presideote, designa a ordem do dia e le-
vanta a aeasio.
moeda.
Desaei
testsda,
cesiidadq
gacao 4
respecli]
resultan
avultad
85.000
1,200
1.300
4,000
850
100
300
750
50
233
200
156
80
1.260
18.600
20.500
3,885
176,3(0
78,000
14.700
238 500
30,000
800
25.000
30,000
32,400
135.000
24.000
14,000
162.125
22,000
II. 000
5000
6,000
5,175
6,000
edos, cuja exaclidio oao pede aer coo-
* que urna vez reconhscida.a na-
jerem as n.tasas emprexas de nave
r euxiiiadas pelo goveroo, devem es
subvengdts guardadas aa proporgdes
is de suaa forjas e fias, ser maito mai*
_ do que o sio as das empresas ds mesma
especie oa ioglaterra.
Occnpaodooos sgo;s eapecialmeote com s com-
panhia Pernambucana, diremos que achando-ae
demonstrado como o (hemos em oosso prece-
dente artigo, que ella de todas as compaohiaa
encorporsdas no Brssil a menos subvencionada
em relego ao servigo prestado por cada ama del-
tas, ficto que alem disso esl ao alcaoca de to-
dos qusotos se spplicam ao astudo de oossas
cousas fra de toda a duvida, que a sua
subveogio deve ser augmentada.
Um estudo comparativo entre as dffereotes
emprezas da oavegagio a vapor existeotes entre
os de feito faz-oos chegar so seguinte resulta-
do, que quaodo cada lioha de vapor das outras
provincias obtern do estado pelo menos 3 OOOJOOO
por cada viagem redonda em um mez, a lioha
dos vapores da companhia Pernambucana obtora
apeoas 1:7509000 por cada viagem, desempe-
nhaodo alias, s veres msiores servigos do que
muitss das liohas referidas, e pslo menos servi-
gos eguaes a rauitaa outras.
A companhia do Maranhio, por exemplo, qae
nao desempeoha mor aervigo, que a Peroamba-
caoa, tem por viagem radooda de seus oavios em
oda mez, oa llnba do aul, iso do porto de S.
Luiz ao da Fortaleza no Cear 6:0009000 e na do
norte, isto do primeiro daquelles portos ao de
Belem oo Pari 4:O0OJO0O.
Ora seodo certo que as emprezas do paiz, que
prestan iguaes servigos devem ser egualmeote
auxiliadas, nao se poderi dizer que a compaohia
Pernambucan lem jua iodisputavel urna subven-
gao maior do que aquella que actualmente per-
cebe ?
Parece-nos que istu se nao poderi por em du-
vida razoavelmente.
E* verdade, qae a compaohia Pernambucana
I tem urgente necessidade de que ae Ihe conceda,
quanto antea, ofperdio doa Juros correspondentes
quantis de 3W:0OOfOOO, que recebeu do gover-
no imperial em vrtude da lei n. 1014 de 20 de
setembro de 1859, asaim como precisa que se Ihe
restiluam quaeaquer jaros que j teoba pago por
forca daquelle emprestimo.
Essa grsga, porem, que nao Ihe poder ser re-
tardada, logo que o corpo legislativo, como de
esperar de suas luzes e patriotismo, estude e se
compenetre bem do estado da compaohia, nio
A importancia da todaa easst cifras, equva-
In^i" "gy*!!** P repartigio do
crrelo aomenle pelo aervigo da conducao das
Di AI99*
Bem sabemos que o Brasil nio se achs as
cond.goesda Inglaterra, nem eaempeoh. o ,e"
ricos que ella obrtgala m.nler por suaa la-
mosla nlacoei; mas tambem certo que aim-
poruocia das aubveogea paga, pel0 imperio is
n^o'.lv" T,,pore, cru"n "" aguis, oem
pode aoffrer cc-mparagio com a quantia despen-
dida, por aquelle pal,, nem lio poseo lem por b
Alem de que sendo .. emprez.a de que ae trata
mont.daa e maotidaa na Ioglaterra%om m"ito"
menor dispendio, do que o sio no imperio pare-
ce evidente que as ubveng5eaq.el,s,r2[o.
bem pelo respectivo governo. nio4 .rec i.m de
nlitr"i^? Cm ierta "re os.'
Deb.Uo desse ponto de viata as conligoes dos
paizes sao de feito ioteirameote desigoaes.
Na Inglaterra o dioheiro mais barslo. O mes-
mo acontece coa o ferro, as looas, o oleo as lio-
tas, o carvio de pedra. em ama pslS& dVe
LTLCES ""I lu ,^uao,0 iodisjios.vel
para o aervigo regular de um vapor.
.M.. qia<,0 COB,P"t'o do cuato deasaa
a..*ere,dortM no8,,on Pi. mae para o
2fr22f l0r" e,ideD,e *" cooald.
>c.ao de que essaa aercadorias nos aa compramos
SESSAO' EM 20 DE MAIO DE 1862.
Preexencia do Sr. Bardo de Vera-Cru*.
Ao meio dia feita a chamada variflea-ae haver
numero legal de Sra. depatadoe.
O Sr. Preaideota abre a sess&o.
O Sr. Seguodo Secretario l a acta da ante-
cedente que approvada.
Achsodo-ae oa aote-aala o Sr. Dr. Lourengo
Franciaco de Almeida Cataoho, deputado eleilo
pelo 4* circulo eleitoral da provincia, que vem
tomar assento, tem entrada oa asa com as forma-
lidades do coitume, prests juramento e loma as-
sento.
O Sr. Primeiro Secretario menciona o se-
guinte
EXPEDIENTE.
Um officio do secretario da provincia remolien-
do um outro do juiz municipal supplente e dele-
gado do termo de Cimbres, tranamittioio urna
represeolagio de alguna habitantes ds serra de
Cimbres, pedindoque se sdopteuma poslora aflm
de marcar oa terrenos em que se devem fazer ss
soilaa doa gados naquellas paragens, vialo como
as suss plantsgea sao todas destruidas pelos ga-
dos que alli se soltam.V commissio de negocios
de cmaras.
Os membros da meas regedori da irmsndade do
senhor Bom Jess das Dores, erecta oa igreja df
'S. Googallo desta cidade, pe lem a extraegio com
preferencia das loteras que lbe foram concedi-
das em 1855.A'jcomraissio de petiges.
Urna potigio de F. M. Duprat, reouociaodo o
previlegio que pedin para a eocorporagio de urna
companhia de edicages de predios urbanos, e
pedlndo a iseogio do imposto da decima por 40
annos paraaa prooriedades qu a compaohia edi-
flear.A' commissio de pelig&es.
E" lido e julgade objecto de deliberigao, e vsi
a imprimir o projecto de orgamento muni-
cipal.
Sao lidos e spprovados os seguales pare-
ceres :
A commissio de obras publicss, eommereio e
odustria, a quem foi prosete s petigio de Ma
ooel Peres Campello de Almeida, arrematante ds
estrada de Pao o'Alho, em que solicita desta ss-
sembla o pagamento dasjprestegoes dedez mezas
que se Ihe deve de sea cootrato, oa importancia
de 10:0009 ra., assim como a qusotia de 2:333*333
rs., que se acha em deposito oa thesouraria de
fazeoda provincial, em virtudo da condigao 12*
do mencionado contrato, prefazendo o total de rs.
12.3339333 i
Cooaiderando que a falla de pagamento das pres-
tages relativas a |dec mezea do ultimo aono do
contrato do peticionario, allegado em favor de sus
preteogio, oio procedeote, por isso que, dos
Luujyeuciro uem ao estado oa compaohia, nao preieogao, nao e procedente, por isso que, dos
deveri por modo algum prejudicar o direito, que. doeumentoa qae foram proseles commissao, se
ella tem a aer melhor subvencionada. Tf que ease pagameoto deitou de realtsar-se por
eramos ana n nASa... ..rui ma rnmntt. oio haver o aupplicante dado devido cumprimen-
io aobrigagdea quecootrahio ;
Considerando que a coocessio aconselhadi pela
Esperamos que os poderes geraea se compe-
oetrem egualmeote desta verdade eque ae aprea-
sem em|auxiliar urna empresa, qae em bem pr-
ximo futaro oio pode deixar de recompensar ge-
nerosamente qualquer sacrificio, que por ora fa-
ga com o aeu adiantamento.
A verdadeira erooomia nio cooaiate em oio
gastar, e aim em gastar til e productiva mente, e
desss ordem serio todss ss despezaa que se flze-
rem sctuslmeote com a companhia Pernambucana.
PEmMBUCO.
ASSRIBLEA IEGISL4WA PROVINCIAL-
CONCLSO DA SESSAO DE 19 DE MAIO
rt n i DE 18M
O sr. Bario de Muribeca manifeata-ae contra o
parecer, por isso que, entende que a casa nada
teodo que deliberar respeito, para oada aervirio
as toformsgoes que viersm ; portsoto julga que o
parecer deve rollar commissio para recoosiderar
a materia.
O Sr. Buarque diz, que o parecer da commissio
est no caso de merecer s approvacio da cmara,
por isso que, trataodo-ae de obter ioformages
das repartiges respectivas sobre s proposta offe-
recida por Abilio Feroandea Trigo de Loureiro,
para a cooservagio da estrada da Victoria, esses
ioformagis podem esclarecer caaa em ordem
seoio a aer difirida tal pretengio, por isso que
Ihe parece oio ser a casa competente, para
faze-lo, ao meaos para que ella promulgue urna
medida capar de remediar oa defeilos, que calen-
de ae dio no actual sya4eaa de eoosesvagiq ; e
por iaao oio v razio pera que oa eaeierecimeotos
exigidos pela eommisaee sejam denegado.
directora das obraa publicas ers o uoico que rs-
zoavelmeote poderla ser feita ao peticiooario para
que reparaste asfallaa em que havia acorrido oa
cooservagio daa obraa a aeu cargo ;
Coosideraodo que a iofraccao do contrato por
parte do goveroo, a que se refere o supplicaote,
apenas allegada e oio provada ; e que a esta aa-
sambla oio compete tomar coohedmeoto delta
eem que leoha o peticionario recorrido aos meios
facultados oaa lela do paiz, ou eagotadaa aa garan-
tiaa que lhea devem ser cooferidas pelo dito coo-
trato ;
Coosideraodo que os cssos de rescisio do con-
trato celebrado pelo aupplicaote, cootrato que oio
se acha aonexo i petigio, devem estar previstas,
e que esta asssembls nio dere altera-las sem
causa justificada ;
Considerando finalmente que todaa as informa-
goea qua acompaoharam a petigio do supplicao-
te, longe de farorecerem seu preteodido direito,
revelam apenas as faltas de que sereveslem aa
obraa por elle conserva daa,
E' de parecer que seja iodeferida a mencionada
petigio.
Sala daa commiaaoea 20 de malo de 1862. B.
de Macado.Barros Brrelo.Coelho Cintra.
Adamsoo Hawe & C e Tisset freres, agentes
das compsohias Meassgere Imperiales, e da Real
Compaohia de Paquetes Vapor, preteodem des-
ta sssembla um acto que os declare iseotos do
imposto eatabelocido pelo 21 do art. 40 da lei
do orgameolo vigente, sob o fundamento de que
Ins parece claro da mesma lei, que tal imposto
deve recahir somonte sobre as eompaohias so-
cledsdes aoooymas que aio da oatoreza des eata-
belecimealoa asacarlos, produziado mai ilgumas
razooa que apeoaa podem porfim captar a bene-
volencia deata aaeembls. v
A commissio de fazeoda e orgamento. conside-
rando qUa claro e bem elaro da mesma lei de-
orgameoto. que o imposto, eoja isengio preteo-
dem os sapplicaotes, aada lem com osestabele-
cimemos baocarios, seoio para equiparar aacom-
panhias e agencias em garaf, embora oio seiarc
de operagoes bancadas,aos estabelecimentos hen-
earlos sem emiisao -r
Coosideraodo que a* razos teodentes a captar
benevolencia, nio podem aaloriaar isengio de-
imposlos ;
E' de parecer que se iodeilra a petigio de qu
Sala dascomroiss5e20 de maio de 1862.Sou-
za Rea.Barros Brrelo.Bario de Muribeca.
ORMXMOU.
Primeira parle.
Eolra era discussio o parecer da|commiasao de>
orgamenlo provincial que ticou adiado por ter
pedido a palavra o Sr. Araujo Barros, e iodefe-
rindo a preleogio de Antonio Francisco de Paula
Brrelo.
0 Sr. Araujo Barros diz qae nio pode deixsr de
manifeatar-ae contra o parecer da commissio por
que Ihe parece que ella sempre justa, desta vee
foi lio severa qae as sisas coosideragea oio so-
casara muito com os principios que tem adoptado-
na casa. Que teodo o peticionario ex-collector
de Saoto Aotio entregue thesouraria provin-
}' 'l 6. ao flel do thesoureiro a quantia d
oOOJ), em 1845, cujo recibo aprsenla, recibo que-
se bem que nao seja passado em forma, todava
se scha passsdo por um fuocdooario publico,at-
teodendo-se a pouca reguiaridale que entio
exislis naquella repartigio, e que teodo tambem
em seu favor a informacao da junta da thesoura-
ria provincial que recoobece ludo quanto allega.
o peticionario, recoobecendo que de rigorosa
equidade e que a equidsde aeodo irmia da justi-
' julga, que elle lem todo o direito ao que alle-
ga, tanto mais quinto a quaolia em qaestio
ma migalha que oio far grande [alta no cofre
da provincia.
Sendo esta a sua opiniio offerece considera-
do da casa a seguinte emeoda :
A assemblia legislativa proviocial de Pernam-
buco, resolte : __
Art. nico. Serio levados em conta do qu
vencou a thesouraria provincial devar Antonio
Franciaco de Paula Brrelo pela arrecadagio qu
fez como rollector do termo de Saoto Aotio no
aono de 1841 a 1815. 5009 que elle deu ao fiel de
Ibeaoureiro dsquella thesouraria nos mezes d
abril e outubro de 1815; revogadas as disposicoea
em contrario.
< Pago da assembli, 19 de mato de 1862.
< Araujo Barros.Manoel Nelto. >
I ** Sr. Bario de Muribeca diz que s>ndo parela
i oo peticionario, por isso mesmo quer osar da pa-
lavra para que ae oio diga que por easa coosile-
ragio elle seodo membroda commissio se calla,
nao; os sentimeotos de justiga em si, fallara
mais alto do que isso. Quer suppor que seja tai-
vez exacto o que allega esse peticiooario, quer
mesmo suppor que por causa das irregularidades
que se divsm oa thesouraria proviocial de entlo,
iato ludo acooteceasa, mas por isso mesmo que
exislism estas irregularidades o thesoursria.
nao po lis tambem sueceder, diz o orador, que um
recibo fosse passado por pessos extraoha, para
se sprovellar desss irregularidade em que vivia
a repartigio? Nao applica isto ao peticiooario,
mas falla em geral. Suppe que elle ter direit
a exigir essa quantia que pagou ; quer que s v,
porm exigir pelos poderes judiciarios, de quem
a recebeu, e do aappe a assembla do caso de
maodar pagar pelos cofres da provincia semelhan-
la quantia.
O Sr. Cataoho: (Nio devolveu o seu dis-
curso.)
Encerrada a discussio o parecer posto a ro-
loa, rejeitado, e a enenda aendo considrala
como projecto aira logo em primeira diacussio.
e approvada.
O S'. Araujo Barros rsquer s dispensa do in-
tersticio, ao que a casa oio accede.
Segunda parte da ordem do dia.
Ssguadi discussio do projecto que tixi a des-
peza e orga a receita da proviocia para o aooo fi-
oaoceiro de 1862 sl863.
A commissio de f tanda e orgaaaoto, teodo
a hoora de apresentar o projecto de orgamento
da receita e despeza provinciales* deve vigorar
no exercicio de 18G2 e 1363. dir em breves ter-
mos o que fez com o firn de melhorar ae floangas
da provincia, tendo entretanto alteo d ni o. quanto
despeza, s mais palpitantes, e quanto receita
nao somonte as reclamagdes que Ihe parecern.
justas, como aa coosiderages muito pooderosas,
que Ihe deram a conviegio da necessidade dere-
dnzir um imposto por demasiadamente gravoso,
.outro por ter tomado, com o augmento decreta-
tado, o carcter de prohibitivo ; e de augmentar
outro sobre que nenhuma razio havii para jue-
tiQcar o favor de que gozara a industria sobre
que elle recahia.
Aasim, pois, a commissio, ao passo que vo-
tou fundo para complemento dos vencimentos
dos empregados proriociaes. de cooformidada
com o art 34 da lei o. 483 e art. 44 d de n. 510.
augmeotou com 50 lampees a illuminacao da ci-
dade do Recife e elevou a verba pin obras pu-
blicas a 400:0009; reduzio aa despezaa de expe-
diente darreparligdes e estabelecimentos pro-
riociaes, estaluiodo meio proficuo de nao ser
excedida a verba, que. de auno aooo, tornava
crescimeoto ; reduzio a dolagio de soccorros d
beneficencia e extingui a deipeza quajipesav so-
[ provincia com o coadjutores, visto dever
ella decorrer por coola dos cofres gerses, quem
iocumbe aa despexas com o caito publico, como
os poderes gerses teem recoohecido. E por esta
forma ficou alterado o titulo de despeza.
c Quanto receita a commissao substituio
imposto ad valoren sobre os lei'.oes pelo flxo do
1009 por cada agente ; reduzio o imposto sobr
o fumo, tabaco e charutoa, e o de aello de heran-
gas, legados e doagoes, ao que eram aotea da lei
o. 510, elevaodo apeoaa a 3 O/o ad valoremmy
imposto aobre o algodio, que foi reduzido a 2 0/rt
pela legislatura passada.
Nao eontemploa, porm, a commissio o
projecto que aprejeoia verba alguma para paga-
mento da divida doa exercictos liados, por que a
thesouraria proviocial nio apreseotou base por
onde podesse ser ella calculada. E aeodo reco-
nhecida pela coramisio falta Uo sensivel, re-
queren em tempo conveniente que Ihe fosse spre-
seotado o quadro desaa divida, o quenio Ihe tendo
atdo aalisfeilo pela estseio competeote com me-
oosprezo de aeos deveres e das deliberagoes des-
ta caaa, que, por ama fatalidade que ella na
sabe justitlcar, lio poucoa e bem demorados ea-
clareeimeotoe leve com re agio ao orea meato, fl-
cou privado de semelhaote base.
. .SJ'1'10 i,,0> despeza eleva-se a ris....
1,279:2809430. seodo interior orgada pela the-
aourana na importaocia da 12:5219100, nio res-
tando entretanto a commissao receioa da super-
veniencia de deflei, por que sem divida, is de-
libengdes desta assembls, presidir! a maior
circumeeripgio. Bario de Muribeca.Barros
Brrelo.Soaxa Res.
f

\


1

. -,
-
teta : g.^- Mas ji dadas, bcm como da tercelra dlscestao do
TITULO 1,' pfoje.clo n. 40 do anoo pamdo.
l>e*peif.MW\*wL..kt ,_ JJje peridico que e publica, esta cidade,
Ait. T. Adeapeze pr^rocii.lr'n e 1883 a 1863 ser +4 (W^WISw Grato- toaflltfcpeodencia, o Sr. brigadeiro Aleixo Jos
-da pelo presidente da provincia de conformidade 1 de Oliveira, d :
O Sr. Buarque :(Nio devoleu seu djscurso.) se um acto, ene a.l?tTttiolco. como afirraam
DIAalO DI PHMMBUGO. QUIETA IKIR DR MAM) DE 1M1.

O Sr. Feoeloo :(Nao dewtiee. t*u
O Sr. bati de Muribeca 91* ore
i discurso.)
atenl**
sao de fateoda e ornamento. a\) p*Jecl oceap
Tesentemente'a atieoco taunr, respondo
algumas das iolerpellagoes friias petas honride
deputados que o precedern ea Insaoi, coata>
gando por ssegurar que acoawia*,e niai tesa, re-
celo do dficit, assim a tosa oo qetjlra crearaais
despezas ; fax diferas oulras considerages so-
bre algumas verbas do orc.amii.to, sem querer
tes, prometiendo perm fase-lo quando for asada
a "Casi lo pava isto.
Teriflcaado-se nao baver cata, Oca a drscesaao
40 trtifo adiada.
O Sr. Preside o\e designas ordea do (Ha e \e-
vaote a fSSo.
SESSOOHINARIA EM 21 D MAIO.
Presidencia do Sr. Bardo rfe Vera Om.
Ao vete da abie-se s sessi >, e epprova-te a
arta da anterior.
O Sr. 1. Secretario di eoiit do guale
EXPEP1KN1 6,
Urna paliza 4o ffeatietatio e moradores do
eogeohono.vo da Gonceiijo, dnreguetia de Sac-
io Amaro, pediodo a desmenibre-gao deate terve-
oo paraUcar perteocndo itreguezia do Cabo.
A* conrmissao de ettatitlica.
Un cilicio do secretario da provincia., trans-
mitUodo por copia as pegas principias do procea-
o ioitanrado pela delegada do primeiro diitric
to deste termo, ae machltvrsla Maw-rjon, que
aiompanhou o cLkio do Or. chele de poluia,
tambem junto por copia. A1 quem fez a requi-
sigao.
Outro do ment, remellar do a itrormacio mi-
nistrada pela ihesouraiia de Cateada acerca do
nun ero das lojas a rmateos de aasucar existen-
tes n remarca de Goianna e aiareth.A'quem
fez a requisan.
E* ildo e approvado o seguiote parecer:
A commissao de cuntan 13 despezaa protio-
tiees qoereodo formular o sea parecer soire di-
versos rrediios upplemenlt es alenos pelos ex-
preeidentes desta protincia, precisa de doiumeo-
toa para lunjiaeutar a aua npinrio a reapeiio doa
actos dos referidos adioioislradores ; porqaanto
para o exaoie e decitoes das corras protiuciaes
cao baalam os escrjptos offlciaea da presidencia,
porm que estes esciiptoa sejam bateadoa em pe
maodarem abrir os reeridus crditos; do contra-
rio appareceria toda a impurtiocia doa actos le-
gislativos dos crditos e apreciacao daa despezaa
publicas: assim de parecer commissao queae
seca o presidente da provincia que mande apre-
seotar a esta casa ceiia dos documentos que fo-
1*1 justificativos das despeas realisadas.
Sala dascommisso'S, 20 de maio de 1862.
Maooel Ne'lo. Joio francisco de Arruda Fl-
cao.A. de Souta Leo.
[Continuar-te ha.)
ilHR&fB
extrema deste termo con Setiohiem, d'oda Jha de psrmittir sejam coroados dos melhores
consta que marcha com lores, lateado algumaa jrmttas'oe.
'A^'"' P,l**Ml*i "os escravos os t Antonio Manoeldu Silva Marroeoi.
Sri. rsrttctores-No periodieo Liberal de 7 deste
J**"* com unu 1e'* asalgoada por Joio
aVtrdesVieira, e dirigida ao Illm. Sr. Dr. ebefe
da polica, na qaal, oarrandi

genhos.
Etjtia offlcio de 14 do correle, dirigido de
Caruar ao Dr. chefe de polica, e por este Ktps-
mittido i presidencia da provincia, commtiofeoa
o delegado Uaooal Germaoo de Miranda, que a
REVISTA DIARIA.
Na prirr.eira paite do expediento da atsemblea
provincial, entrou em discus hontem o partcer n. S4. reloti'o losturas mu-
nicipaes da cmara deata cicade, que se referem
a execocio do contrato Catnbronne; esabroo
meimo lomaoJo a palavra o Sr. Buarque de
M* ridas posturas pela commissao respectiva, anten-
eaio que fura os mesrues betn e devidamente
confeccionadas, e concluio por mandar ama
#menda ao arl. 11, ji encadado pela com-
missao.
Seguindo-se o Sr. bario de Uuribeca na tribu-
na, discorreu de nodo a mostrar a ioconvenieo-
das posturas, a por conaeguinte a sua nacei-
tabiliJade; no que foi acomuanhado pelo Sr.
Theodoro da Silva.
O Sr Lu zFelippe ao depols tomn a palavra,
o enlendendo que e% rao devoro regeitar as pos-
turas sem maior estado, porgue se iocoaveoiea-
leaetisti'm as mesmas. iurjam tambem van*
tagena. i ffereceu um requerimento de adiamento
por 48 horaa ; o que deitou .le ser votado.
Pastando a segunda parle do expediente, en ro'u
em disrussao oorcamento cro>incial; e obleado
a palavra o Sr. barao de Uuribeca sobre o arl. 2*
disse que apetar de meaibro c commissao, di
vergia dos seus coll'gas a respeilo da cootigoicao
do quanlo para publicares dos debales, sendo
visa sua divergencia opiuiao do antiga dala. Que
muitos motivos o levavam a isle, e se Iba trou-
xessem a existencia do coolr.iclo, aem duvida ah
havenam tambem condi?es pera reaciso, quan-
do nao foste elle observado; o que se dava pela
falla da publicsjao de discursos seus e de ouiros
collegas.
Que era aioda levado o Uto, porque sa nao
publica o que se ha pronunciado nesia casa, man
aim o que ae quer que corra como dito oella. Que
um collega, cuja illuslracSo recoohecids, lem
abusado do direilo de re tschygraphicas, come j 01 reclamado pelo Sr.
Cunta eFigueiredo, vendoque se oqueria fazer
tambem comparte de appUusos em discursos,
quando em oenhum dos seus existe semehtole
cousa ; e se isto ra visto em olas tschygra-
phicas, como o dizia o Sr. Araojo Barros, nao
^pparecendo a luz da public.ac.io, nio poda ser
lrasido para a casa.
A itto addleiooon anda o orslor, que varios
oepulados veom larde para corrigir os discursos,
apreseotando se nesta casa com roassos delles;
e que pode aiar a pedra visto que nio di-se a
esse trabalho, teodo a prirreira rstao por falta
de lempo; oque Ihe parece ser bastante.
Ese lemora.que 00 principio da tetrao um doa
tacnygfpnos Ihe perguotara como queria, que
fossem publicaios os seus discursos, e que Ihe dis
aera o uzease como Ihe parecesse, teodo algurnas
toxea por coodeaceodencia para com e>se tschy-
grapho ouvido a leilura do resumo, que o mea-
mo litera do seu discurso, iem qoe porm oelle
e envolvesie, de ino lo qu>j o que era publicado
era o qoe fra enunciado pelo orador na ce-
as. Toiaia, acreacentou que na generalidade a
maneira porque di se a publicagao, inconve-
niente e prejudicial, porque sendo natural que
que todos queiram oslolar-se para fra
deixaro de applicar-se e devidamente aos tra-
balhoa da casa para melborar os discursos,
apparecendo por lano nelle o que se nao enun-
ciara na diteussio, desejaado que se lome isio
como um protesto contra as publicacoes palo
modo porque aio feitss, visto que sajsklterar o
discurso uio crime, nio quer porern que se
autorite com a pnblicajio ase costume.
Que pode a casa rescindir o contrato, poim
por falla tta cumprimenio das obriga(des, quer
pels etonemia, que lano invocada; quer fi-
nalmente porque muilaa vezas se serve daa pu-
blicacoes para eevar foflcs; e que assim man-
do
dava a mesa urna emenda supprimindo o 5'
art. *.
O Sr. Araujo Barros aul.olo a tribuna, dis-
correa em sentido contraro ao precedente ora-
dor, discordando da sua emenda, e fazeudo anda
algomas conaideraces sobre negocios de Goianna
e mesmo sobre questes dt lerceo circulu. bem
que mui de leve ; porque diz que como o querem
arftsirar para abi, elle totlavia se nao presta a
itto, concluindo por dar o seu voto contra a
emenda.
Em seguida ora o Sr. Cunha a Fgueiredo.
oceupando-ae doa negocio) do terceiro circulo
com relscio ao Sr. coma-indador Jos Beato,
conclue por votar contra n emenda ; no que
companbado peyl^r. Witruvio, o q'ual lornou
a palavra. e pela !elra do (om.raio demonalran-
do naver tido este .Oamprii. Haiisfactoriameote a
por forma que cao p4de ser argido a reapectivo
contratante, acabost, por negar o seo voto a
emenda, valo qne^aao a.'ntando ella neaae
motivo, juiiflcadij^ra suppreftia incoave-
oienie por ferir a^mtblicd.,),, que a vida do
rgimen) ccntlilucipntl.
Empenhando-se fioalmenta Sr. Buarque
le Hacedo na ditcusso, depois da discorrer so-
*' neralidades do proje:to, afinal desoca ao
rogo em discataio, declsrsodo votar por elle
ifJe-.' "Wr.,i0 "vi ile no p:lociio
rigoroso da economa.
. J^iaV* HMl eIa h*V' flcodo "'
a oseassio.
pessasj|iosv*iitsl oemm ojHprio, p
dite e HttaU, S flll lor
esse{|WmA| aVtHtso a, oe fOfaodado
o q0 P)WetlTljWlltse^tBi aotrlar o
amtfot-
iro faUlaa a S
qojsitaatjdo-
dtooo-Tfl-e que
o Qtesseiiomear para tlgswa comoiusio que at
aqoePia oaia o goveroo aoo roe navra conHado,
epezar dos teas servido e reconhecida probida-'
'de. S. M. retpoodeu we Ino aaderecasae uro
requerimenio, e o brgadeuo lirando da patia o
requerimento que jiTevava fe to acnmpanhado
de airosos documentos, errtregoo a S M. diteo-
de-lba que aleas da-qelles dorumeoVoa posala
Sais dous que sauito presava ; e, perganlando-
o Imperador qas eram elles, o huevado ve-
terano lirou do peit da farda os retratos de D.
Pedro 1 e sua toles consorte a depostieu naa
mios do filho. Dieem qae S. M. ficira lio sor-
prendida que sssadou detlar os deus retratos
u'uma cadeira o deu por Onda a autentia.
H< mais de dous annos que isso se passou ;
S. M. 0 Imperador destribuio as tuas tracas em
14 de marco de aono seguiote (1880) a o uado
tulgadeiro morreu na miaeria e puvsdo doa dous
retratos que As palavna que ah ficaa, ovoltem irlual-
mente urna accuaaciu ao Exm. Sr, bario do.Li-
vramenio cotno ncerregado da remesaa doa ob-
jeclos. que nciram 01 gabinetes parhcularaa de
SS. MM. II., apetar Oe. cuat'a osa altnbuicio
protestar a aaa soliciiude ti saUsfasor a coramis
sao com que en-lao fura honrado por aquellas au-
gustas peosoaa.
Ora, aeaimeoteBdendo easaca val tetro, offerece
os aeguloles documentos, que alustrando a ma-
teria, deepe-a Oaalrneuie do maravilhoao com
que a tuacaram ; pois que mostra que o fallecido
biigadeiro Aleixo regreasando da sua aasiia i S.
Al. o Imperador levara comsigo os doas retratos,
cuja p: vacio toppoita ae trecho cima ci-
tado.
Ulna. Sra. D. Wargaiida alaria ds Concei-
cao.Teodo um dos jurases dssn cidsde tito
por occatiau de noticiar a moile do marido de V.
S. o illustre brgadeuo Aleixo Jos de Oliveira,
que fallando alie a Sua Magestade a Imperador,
quavido aqu esleve, pediodo a graca de a no-
mear para alguma coamissao, atiento o seu es-
lado de ti na ocas, e que em seguida a a presen la-
(o des seus documeoiot tirara do peile da farda
us retratos do Senbor O. Podro I a de sua au-
Rusla coosorle, e deposilira aas mios de Sai
Magestade o Imperado', a que Sua Magestade fi
cira lio torpiehetidido qae mandando eilar os
does retratos n'uma cadeira, dra por Onda a au-
diencia ; e qoe o illuttre brigadeiro morrera pri-
vado dos dous retratos; e hateado sido ea a pes-
soa determinada por Sua Magestade a Imperatnz
fhonra que eu nao mereca], segundo me cem-
mouicoe em ame ds mesma augusta satthora o
Sr, cooselhsira e veedor Luiz Pedreira do Couto
ierra, para Ucar antarregaJo da guarda e re-
meta para a (Orto de lodos os objeelos que.fi-
caram nos gabinetea privados de Sua Magestade
o Imperador o de Sua llegeatade a Imperalriz, e
dedicando me ioteirtmente a commissao por de-
ntis honrosa de que me achata eocarregado, e
nio teodo encontrado sos gabinetes o nem em
sala alguma do paco imperial retrato algum do
Seiihor D. Pedro I, nem de sua augusta consor-
te ; peco i V. S. qae, em honra da memoria do
Ilustre (loado o brigadeiro Aleixo Jos o'Olivei-
ra, te digne rsspooder-me ao p desta asaegoin
les perguuits:
1.' Se qaaodo o marido de V. S. foi fallar 4
Sua Magestade o Imperador leou comsigo 01
dous retratos de que fllo ;
2.a Sequaodo olio a casa os trsxia, ou se
disse have-los deixado em alguma mi ou lu-
gar;
3.a Emflm, se V. S. os tiver. te me tode ce"
de-tos. seja qa%i f6r a mpotigo que V. S. eo-
tenda dever tater-me.
Pego licenga para atar de sua resposu como
me contjer.
Meua cumprimenlns a viuta do itlastre brigi-
deiro Aleixo Jos o'Oliseira.
Birio do Llvraaento.
R- ci-*. 9 de maio da 1662.
UIt. e Exm. Sr. baiao do Livrameoto Em
resposta a etrta supra, qae V. Exe. se dignou
dirigir-me, lei.ho a ditvr :
l. Que verdade ter o meu finado marido o
brigadeiro Alaixo Jut da Oliveira, quando foi
fallar Sua Magestade o Imperador, levado, e
por meu conselho, os doas retratos, de que falla
V. Exr. a que elle os poetaia a mutloa annos. ;
2- Que quando voltou casa me eatregoa os
dous retratos, dzeode me que os guardasse ;
3. Qua com omito gosto faca praaeate V.
Exc. dos doua retratos, pediodo i V. Exc, sa di-
gne servir a mea genro, Aotooio Jos .de Miran-
da portador deata, e aliender ao mea pedida.
Pode V. Exc. fazer de mi ha respotia o uzo
que entender.
Deus prolongue a existencia de V. Exc para
amparo dos desvalidos.
De V. Exc. humilde e criada.
Por mioha mi, Margarlda Maris da Conceifiio
e Oliveira Maria Olympia de Oliveira.
Ilion, e Exm. Sr. bardo do Livramento.Vi a
carta que V. Exc. se dignou escrever a mioha
mii em que Ihe perguntava :
1 Se quando o meu finado pai o brigadeiro
Aleixo Jos de Oliveira foi fallar a S. M. o Im-
perador levou com sigo os retratos do Sr. D. Pe-
dro I e de sua augusta consoilo.
Io Se quaado voltou a casa trazia os ditos re-
tratos, oj se disse htvS-los deixado em alguma
man ou lugar.
3 Emflm se minha, mii os possuinlo sinda
pode ced-losa V. Exc. ; e desbando concorrer
para o restabelecimeotoda verdade sou a dizer a
V. Exc.; que verdada ter o meu finado pai
quando foi fallar a S. M. o Imperador levado, e
por conselho de minha mii, ns dous retratos de
que trata V. Exc. em sua carta, e que quando
vollou a tasa os trouxera comtigo, e que emfim
concordo com que minha mai faz dando de pre-
sento a V. Exc. os dous retratos.
Admirme como teodo o caso se passado co-
mo acabo de respooder a V. Exc. bouvesse quem
os invertetse da maneira que te l no jornal: e
qae somente agora foi por mlm sabido, por que,
como V. Exc. sabe, a mioha vida de aihtar oi
me di lempo, e neo: permute 1er jornaes.
Se a V. Exc. fdr necessario fazer desta mioha
caria qualquer uto que seja eu o permiti.
Reitero os protestos da mais alia cqosideracao
e particular ettima.
De V. Exc. afleeluoso e criado__Manoel Jote
de Ohvexra.
Recie 9 de maio de 1662.
Illm. eExm. Sr. bario do Livramento. -Tendo
a viova do fallecido brigadeiro Aleixo Jos de
Oliveira, minht sog-a, dado-me para lx a caria
que V. Exc. Ihe eacretra, pergantandose os re-
iraloa que meu sogro levou a pretanga de S. M.
o Imperador os trouxera para a casa, ou te 01
deixou em alguma parle ; e querendo lambem
coucorrer para o restabelecimenlo da verdade,
dirijo me a V. Etc., sustentsno que os retratos
meu tinado sogro irouxe-os para casa, e eatre-
gou-os a minha sogra ; sendo que elle nio po-
sois outrosseoio os de que trato ; e que minha
sogra nesta occasiio faz prsenle delles a V. Exc.
Pode V. Exc. fazer desta mioba caris o 040 que
entender.
Tributo a V. Exc. eslima e respeilo.
De V. Exc. atiento e criado.Antonio Jote de
Miranda.
Recite 10 da malo de 166?.
Com o praio de trila dias, acha-se aberta
a iotcripgao, bem como o processo de hebilitacao
para.o provimento da cadeira vaga de ottruccao
elementar da villa do Buoito.
Domiogo proximohsver uns f xcursio Ga-
"sf*' em T,",a 8rnde cachoeira da Seri-
nbaem. A companhia brasa dia perceber apenas
por vlagem redonda o prego de viagem singla.
Els 01 centesimo quadragesimo
Bolelim oflcxal.
Em om offlcio de 17 do correle, dirigido
de Ipojuca i S. Exc, commuatcou o delegado
Theotooio da Silva Vleira. que o cholera conti-
nuiva benigno, parecendo declinir, menos nsa
vargens do rio Ipojuca, e com especlslidade os
.na
um
illa d
isa o
Is doa
este leva
prowiockj
Anloniqi
lia 14, em-ifie-
lo o acontecimento
da 16 da ffie^tf ua Tagipi6 a paulo Jaxony
me da Barras, morador em trras do eogeuho
Arariba do Gima, aqaal lnd viodo com cargas
ae Recie, ra sacommetlido com taola intensi-
dade, que nio balante os renados, que Ihe lar
ram administrados, deixira de existir no fim ds
duaa horas; qae a epidemia continoava nquelle
districlo atacando alguna individuos, mas que
tedot se iatr, retlabelecendo.
< A's 6 horaa da larde de 20 de aeia ds
1862.
Dr. Ferratro.
BlPAKfigie da polica. (Sitiado da parta
do do dia SI de maio.)
Foram reeolhidos 4 casa de deteogo aa dia
20 do correla:
A' ordem do Illm. Sr. Or. chefd da polica,
Raymund Joa de Lima, pardo, de 27 annos da
idade, aerveote, a o crioulo Antonio Jos da Coa-
la, da 14 tonos, tocheiro, para recruta.
A' ordem do Dr. delegada da pnmeiro ditlrk-
lo. Ioaoceocio Joa da Silva, parda, da 40 aanoa
qae tito de agricultura, por embriaguez e dis-
tar bies.. ,
A' ordem do subdelegado do Recite, Joio An-
tonio da Costa, pardo, de 21 aanoa, calafate, por
espancamenio.
A' esdet do de Saalo Aotonio, Aveliae ou
Landeliua Joa Carie* da Silva, braaco, de 83
aanoa, marcineiro. o Anlonio Joaqaian Martina
Ferreira, lambem branto, de 41 annos, chapalet-
eo, ambos por dasordem, a bem assim as Afri-
coas de neme Josepha, seado urna eacrava de
t usa t o PrerKisce do Reg, por suspeita da an-
dar fgida, a oulra escrata de Beroardino Jos
Leila, reiusi;io deate.
. A' ordem da de 8. Jos, Maria Gomes da
Silva, parda, de 23 anoos, costureira,- por em-
briaguez.
O chefe da V aercio,
J. G. de Mezquita.
Patsageiroa do hiate bramleiro Invencioel
albino para Amaly : Joio da Cuita Gadelba e
Jote C. Rodrigues Guimaraea
Paasageiro da barca portuguesa Lima sshi-
ds para Lisboa : Maooel Joa de Sani'Anna.
Movimenio da enfermara da caaa de deten-
gao do dia 21 de maio de 1862.
Ttveram baixa para a enfermarla:
Inooceacio Jos da Silva, clica.
Luis Teixeira de Senna, iniigestao.
Joa Corris de Mello, parodile.
Tiveram alta da enfermara :
Amonio Ignacio Graciano de Freitaa.
Jusiino Piabeiro Dantas.
Obituario do du 21 de maio, no cEm-
rio publico :
Manoel Euiebiode Bos-Morte, Pemamboco, 30
annos, viato, S. Jos, phtisica pulmonar.
Alexanirina, Pernambuoo, 11 dias, S. Jos, es-
pasmo.
Manoel, Peroambuco, 6 dias, S. Jos, espasmo.
Josquim, Pernambueo, 7 mezes, S. Jos, va-
rila.
Pedro. frica, 30 annos, solteiro, eicravo, Boa-
Vist, cholera.
Jos. Peroambuco, 1 aono. Recite, vermes.
Carolina Ignpz de Jess Peroambuco, 2* anoos,
soiteira, Boa-Vista, syubtlis primitiva.
Maooel Amonio Ferreira de Moraea, Ceari, 42
anoos. Boa-Vista, cholera.
Miooel Francisco das Chagas, Baha, 23 annos,
aolleiro, militar. Boa.Vista, cholera.
Leonardo Jos de Almeida, Peroambuco, 4sr an-
nos, casado, Santo Antonio, aacile. \
Eugenio, Peroambuco, 8 annos, escratro, Boa-
Viala, anemia. J
A-ioa, Peroambuco, 65 anoos, soltei escra-
va, Hecifa, cholera.
Gaspar da Silva Loio, Portugal, 48 altaos, viu-
'o. Bm-Viala, febre perniciosa. A
Maria Joaquina da Silta Travasse, Pernlmbuco,
63 auno, casida, Pogo da Paoeila, iojgtmma-
gao uos intestinos.
"sW iUflllr** dAnda? jjs om atsattinsio nsTiQirsIri nq dia 27 de abril
t^MrsosaJIlInq. m trras do aogefjno Caasjaira, sprefaetava-me
r I lomo teodo iotervajogio s)asjs artoe.
do cofreajla. dirlfjsio ds> Nio ludo :
10 Dr. ckeB de policat ; Este bomem dettalraao de rsacor aoatra mim,
hesio^rjjj aja presideoj* constituindo-so meu graaMo aiaiiga, mpunhou
u o reSjjajlito subde a) trombeta da maladiceacia e SjstsegoOM por toda
" Moiaoa, que depop s) parte ter sido ea o ioAm da aorta do misero
ado. falleceu ao Joao Juteocio, que cahio vlciima do punhal do
facinaroso Aatoeia Aleteo.
Directora geral da instrueco
publica.
Movlmenlo de todo o expediente da secretaria da
inttrucglo publica de Peroambuco, relativo ao
aono prximo patssdo de 1861 :
Officios expedidos sobre s instruc.o pu-
blica .................................... 539
Ditoi ditos sobre negocios de orpliaos___ 337
Vistos da dir.loria para cobranga de or-
dnalos ................................. 835
Despachos idem sobre diversos assamplos 208
Matriculas de alumnos do curso commtr-
cial..................................... 31
Ttulos de licenga para o ensino parti-
cular.................................... 30
Termos de ioscripgdes para habilit-cea e
coocu rao................................ 20
dem de sclos do primeiro anoo do curso
commercial............................. JO
Edilae* publicados peto Diario de Per-
nam buco................................ 15
Deciarages dem dem.................... 12
Atlas das sesses do couselho director.... 12
Termos de concursos e de exame de capa-
cidad?................................... 10
Notas de oomeages de delegados Ilitera-
rio.................................. 9
Termos de juramentos de professoses p-
blicos................................... 8
Ttulos de capseidade para o magisterio.. 4
Acta da junta de professores do curso com-
mercial.................................. 3
2,693
Officios recebidot.
Da presidencia......................
De delegados Iliterarios............
De diversos........................
262
------813
Obtervsgio.
Dos 876 officios expedidos desta repartico 393
foram enviados a presidencia.
Secretaria da instrurgio pblica de Pernambu-
eo, 20 de malo de 1862.
O secretario,
Salvador Benrique delbuquerque.
i
Correspondencias.
S. Tcenlas, O de mato de 1868.
Srt. redactores.N80 tou, nem pretendo ser
missivista desta localidado; por isto do me
comprometi com o publico, nem lo pouco cosa
Vv. Ss. relatar as oceurrencias o'aqui, mas,
conlando com a acquiescencia da nobre redaeg
deste coaceiluado jornal, sempre que apparecer
alguma cousa digoa de ruengo, e qae seja con-
ducente ao augmento desta ierra, nio duvidarei
lomar a peoa, para rera-ro ao conhectmenlo de
lodos.
To aeoslumados estamos so iodiffarentismo,
que quaai todos votara hoja aes aegocioa doculio,'
que nio me pude furlar maia profunda admi-
ragao pelo procediaeoto do digno juiz muuicipal
detle te:mo, Dr. Joaquim Joa de Olivara An-
drade, acerca da nosaa igreja.
Esle exeellente mpregsdo, andando por aqui,
ha pouco dias, a negocios inherentes ao sea
cargo, leve de oceupsr lodos os momelo, de
que pode dispor, em persuadir, e acoroaoar aoa
habitanies deate lugar a cuidaren) de adras oes
reparos, aperfeigoaroonio da nosta igreja.
As esetUges do Sr. Dr. Oliveira Aodrade,
produziim, come eta de esperar, es melberet
resultados: boje aoham-ae lo Jos animados, e
cheios dos melhores detejos de se prestaren aoa
reparos, e aformojeameoto da nossa Igreja;
desejos, que espero re auito breva tradusidos
em realidad.
E' poia em Qonje de todas as habitantes desta Sr. Dr. Moreno Brsodio sobre
serra, que veoho s empreoaa, aio s render ato
tributo ao mrito daqutlle Sr.., corxo agtade-
cer-lhe os seus eiforgot, que o noiso padreeiio
Mol tou ut stoha, em Joio Fe rn andes, o rfe-
sejo de desacreditarme ante a opioiio publica,
a sede de ama vingaoga abomlnavel, s digna
dette despresivel calumniador.
Mas, mal avisado sndou esse louco ; fruslados
foram seut intentos: felizmente, para mim, o
bom seaso dos habitantes desls comarca, onde
ha 56 annoa teoho vivido, a on le me dtavaoeco
de ser geralmente estimado e considerado, re-
pelllo tio atroz aleivosia.
Cumpre, porm, nao cootentsr-me com o favor
com que a opiaiio publica de Nnaretb maoi-
estou te i meu respeilo :
Se j o calumniador foi esmagado sob o des-
prezo da gente henele, espero qae s-lo-he
lambtm ante os tribunaes, para onde vou arras-
ta-to.
Nio ha que aorprebeader: o hornera que tem
sido o effgo da repulagio de seas irmios ; que
fet defamsdor da honra de sua propria mii, ah
se apreseais.
Entre mim e elle ponbe de permeio a opioiio
dos homeos imparcber, a iateireta doa juites e
a traoquillidade de minha conciencia. ,
Que o ansaairto da seaotagie alheia seja tio
merecedor da represaio legal quanto o o da
existencii hamana.
Pedvegutbo, 9 de maio de 1861.
Mei Jfeaclo Pereira Torree.
Victoria, 8 de malo de 1868.
Sre. redaclorci.Con alando, qua alga mas pet-
toat deate lugar, proeeram deprimir o carcter do
Illm. Sr. Dr. Flix Moreoo Braodao faaeada crer
a di tersas pesaoaa detsa cidade, qoe o mesmo Sr.
Dr. uso tea desespeahalo a commissao de que
esti eucerregedo, e que nao s aos desvalidos,
como aos ouiros habitantes desta terme, ella nio
tem querido prestar-te, os abaixo ssaignados in-
dignados eom semelhante procedisteoto, veo pelo
preseate protestar contra tal ialamia, e asseverar
ae gevarao, e ao publico, que o Illm. Sr, Dr. Fe-
lis Moreno Braodao tem sida incanaavel, e qae
tanto se ; rasta sos desvalidos, como aos oulros
habitantes deste termo, j paseando noites em
claro a cabeceira de aUunt enfermos, ji acudin-
do a qualquer chamado sem olbar hora, lugar, e
pesaoas, nio querendo retribuigio alguma o'a-
quellas, que o podem fazer, e j, finalmente, so-
carreado alguna desvelidoa coa diobeiro de sua
algibera ; e que por tantos, e tio valiosos titu-
lo* o Illm. Sr. Dr. Flix Moreoo Braodao tem sa-
bido captas a Batios*, a gratidio das pessoas sen-
satas deste lugar, que amai se ssquecerao dos
servees, que em quadre lia lerrivel elle tem
prestado, e conilnua a prestar.
Uelegtdo, e iuiziauQianftl suppleute em exerci-
cio do termo, Alexandre Jas de Hollanda Ci-
valcaoli.
Promotor publico da comsret, Manoel lo nocen-
sio P. de P. Camargo.
Coronel chefe de estado maior e presidente da
cmara municipal Jos Csvalcioti Ferraz de
A teredo.
Vereador, Joio Florenlinode GeaCivalcaoli.
Vareador, Jos Antonio ds Silvs Lyra
Vereador, Felippe Antonio Rodrigues da Costa.
Vereador, Jos Marcelino de Mello
Vereador. Geral do de Barros Coelho
Subdelegado do primeiro disincto, Julio Gon-
galvea Lima
Subdelegado do segundo districto Manoel Ga-
valcauli de lbuquerque Si
Coronel, Tiburtmo Pinto .de Almeida
Major, Joaquim Coelho de Lima
Adtogado, Jos Severino Givslcante d'Albu-
qurque.
Cirurgiao, Simplicio Lioa de Souza Fontea
Collecior iuterioo, Evarlato Velozo da Silteira
Major, Joio Francisco de Araujo
Padre, Joaquim dos Prazeres Brayner Lins
Capillo, eroegenes Googslves Lima
Tenento, Ignacio Teixeira de Farias
Tenenle, Uullhermino Pies Brrelo
Juiz de paz do segundo destricto, Francisco An-
tonio de Sobral.
Alteres commaodaote do destacamento, Jerni-
mo Ignacio dos Santos.
Capilio, Manuel de Amorira Lima.
Tabelliio Bellarmioo dos Santos Bolclo.
Escritio de orphios, Antonio Ludg-rio da Silva
Cosls.
Fiscal, Sidrooio Jotquim do Reg Brrelo.
Escrivio interino da collectoria geral, Joaquim
Jote Pereira Borges.
Escrivio da subdelegada, Aotonio Jos Ti-
burcio.
Felippe Cavalcaoli de lbuquerque.
Paulino Dias Ferreira.
Manoel de Hollanda Catalcaoti.
Paulino Teitera de Carvalho.
Antonio Munit da Cunha Gaimsries.
Joio Jos Ferreira.
Joaquim Jos da Rocha.
Joaquim Francisco Morelra.
Alexaadre Bernardiqo de lbuquerque.
Angela Alves Ferreira de Meodonca.
Joio Eugenio da Triodade.
Manoel Leandro da Vera-Cruz.
Caadide Jos de Mello.
Agripiao Leandro dos Santos.
Juaquim Jos Pereira.
Francisco das Gbagas Pereira Bastos.
Jos Francisco da Cuaba Pedroza.
Maooel Rodolpho Borges Uchoa.
Alexandre Jos de Pontea.
Jos Pedro de Alcntara.
Theolanio Aureliaoo Alvares dos Prazeres.
Izidro Dias da Silva.
Landeiino Lopes de Seos.
Pedro Bezerra Pereira de Araojo Bell rao J-
nior.
Prtncisto da Cunha Machado Beliro.
Jos Igoatio de Souza lbuquerque.
Joaquim Rodrigues Duro,
Amonio de Si Csvalcaali.
Joaquim Csvatoaatij de lbuquerque Maraohio.
Trajano Jos Ferreira.
Flix Cavalcaoli de lbuquerque Mello.
Jos Marques de Almeida Jnior.
Francisco de Amorim Lima.
Jos Soares da Crus.
David Alves Falclo Taque.
Maooel Gome* Silverio.
Francisco Jos Martins.
Manoel do Nascimenlo Taveire.
Manoel Gomes H. Jnior.
Manoel Rodrigues dos Passos.
Leandro Gomes Santiago.
Ignacio Teixeira de Mello.
Manoel Antonio dos Santos.
Maooel Teixeira de Mallo.
Manoel Aalooio Bapliats Corris Nuoes.
Antonio de Almeida Braga.
Jos Telles Mximo
Antonio Carlos de Maadongs.
Libaaio Aotooio da Silta.
Francisco Jos de Hours.
Joio Candido Diaa da Silva.
Amancio de Souza Silva.
Joio Das Ferreira.
Joaquim Severino de Leo Souza.
Joaquim Jos de SanTAnna Silva.
Jos Cesario Claadlano.
Aotero Gomes de Saoi'AnDe.
Uosmidio Gomes de Souza Ferrar.
Balbinoda Silva Lina.
[.Jos Vicente M>rquesde Carvalho.
Bellarmino Alvea Baptisia de Carvalho.
Jos Sllvino de Souza Moura.
Jos Francisco do Reg.
Manoel Theodozlo da Cunha.
Manoel Joaquim daa Trovas Maano.
Teaeole, Miguel Jos Trveira.
Supersbnodando na exppsigo supra devo em
obsequio e verdade, declarar que em dala de 6
de abril prximo paseado pedi um conselho ao
um dos doentes
que tratei do cholera o elle satisftzendo-me ser-
vio-se da occasiio para dizer-me o seguinle :
Es ou prompto qualquer hora da aoiU e do dia
para ir ver qualquer doenle, eem qualquer par-
te do termo etc. e isto elle pralicou gratla viudo
aqu iostantannesmente por convite ot, 00 di
19 visitar ama ebolerica, cujo estado ate a con-
selhava sojeitassa ao bomem a'arle. Beato-velba
9 de maio de 1862,
Peorn Beierro Pereira de Araujo BelUee.
Rearo-ma ao que diz o Sr. Dr. BslUo.Joao
Vicente de Britp G.lvio.
ReQro-aae ao que it 6 Sr, Dr. laslrio.Isr-
culaoo aje stariM LloM. aVSJsvao.^O
ReOro-ae. te qua da o Sr. Dr. B*ltro,-Ge-
nuiuo de Olt*lr, CekaniU ^^
Em aaoao da verdad* afflrae o einaslo que diz
respeilo ao Illas. Sr, fi*. FaHx Maotiio Bssjpdlo
acrescend* 4ua muilaa aaa teoho sido lestamu-
oba ocular eocontrando-me com o Sr. Dr. em
casa dos doelas da qualqaur r-Muligio aveem-
melidos da epidemia, e isto ji a qualquer hora
do dia e alta coila piiocipalmente ao hospital doa
desvalidos em cujas ocaaioea sou chamado pra
administrar os soccorros espiriluaes, a qua o Sr.
Dr. nio lem poupado-se a in.-ommodo algum,
para cumnrir aua boorosa missio. 10 de maio
de 1862.
O vigario, Francisco Xavier dos Santos,
Afirmo o exposto e acreacento que tenho viato
sempre o Sr. Dr, Flix Moreno Brsodio. coa o
Sr. delegado, titilando o hospital, e oulras ve-
zs a carlo titilando os doentes aos suburbios,
e algumas vezea o lenho chamado para ver os
accomeltidos do districto que eslou eocarregaJo:
AuIodIo Franciaco (Chavea, membro da com-
missio do 2 disuicto.
Srt. redactores.Visitando no domiogo 18 da
presente a eslacao da Gtmeleira, aa via-lerrea
que oesse dia aonuociua abrir o seu transito aa
reapeitavel publico, a movidos pela voutade de
apreciar as bellas colinas qae se en centra m dr
um a outro lado dessa mesma estrada, aolaaos
oque j por vetes se lem notado, a mi ergaofsa-
gio das passagens.
Tendo nos comprado pastagem de 1* filaste,
acontece que na volts, na aaiagao da Escade, o
vragon que nos coodutia livetse de ficar oesse
W1LMWK
9mp d Ruife 21 de
Brttio-de 1862.
V i\ma%ro Vioras da Urde.
CoUfet 4a junta de corretores.
Cambio.
Sobrq L*ndfa-90 d|v. 25 5,8 d. por 1J01XX.
J. da Cruz Macedo presdeme.
Jobo Gatissecretario.
AIItuestas.
laadimeBtoe dia 1 a 20. 298.843aria3
Waa da dli 21...... J4 43SHH*:
' 323~275|285
"ovlmento da alfandeajra.
Talamea eatrados om f atendas..
em ganaros..
ir
294
Valanias sabidos tosa latandat..
om gneros..
4
154
441
197
Destarragam no dia 22 da maio.
Escuna dinsmsqaezsDoroiheacanao.
Btigua inglesSil vasaeacaderiee.
Barca franr. fora.
Barca inglaztBonita artao.
Barca ioglazaIrisidem.
Barca raoem Maria gentrot de estiva par
fora.
Patacho italianoEtelinamercadorlaa.
Barca ioglezaQueeoof the Soulidem.
Barca inginaNethetloobacelho.
Brigue hambaigaezRosclhaecarvla,
Brgae sueco Baillaboado.
Barca fraoeezaJean Parmeatieralabo
Hiate americano Greelandmercadorias.
Importar o.
Li^oKn'signrd? a 5 lSXS?i &
manifestou o aeguinle :
SI3 tardos e"2i caixas fazendas e tecidos do
liobo, de algodao e flus. 15 buril oleo de iiaba-
ga, 4 barricas canos de chumbo, 36 molhoa (er-
ro em leogol, 600 fogareiroa, 100 chapas Oo fo-
gio, 8 barricas lampos ejgrelhas, 27 ditas o 2
caixas dobradigaa. parafuaoa para camas, cades-
dos, facas e gufus, feehadoras, tixaa, Insiraman-
tos pmulos, panelias e vasos decoziabe ; a Pa-
tn Nask & C
8 travs deierro, 30 formas de dilo, urna eaixa
ferrolhos ; a D. W. Bowmaoa.
a pestoa que a iransmittia, qae sahisaemos do
tarro que nos conduzia, e aem maia prembulos,
algiins foram logo aahindo e anual lodo.
L)i'gimo-nos para um wagn de classe para que
nos linbamos habiltalo, e ao entramaos se apr-
senla na porta do mesmo um Sr. em. regado da
oome Carvalho e com um imperio de Ceaar aos
diz :aqui nao eniram 1 Ficemos estupefactos em
vista de semelhante procedmanto e do que ji se
linha dado, sam qua aoa iodicaasem o lugar para
onde haviamos de ir ; expeatot como ooa acha-
tamos i chuva, que neasa oceaaiio bastante ca-
nia, e veodo ucarmos ahi mesmo ou sermos con-
duzidos por alguna desses carros de bsgagem, se
nio fosse alguem reptllir o trato poaco delicado
deste eoapregade.
E' quando nesse interim chega id dos empre-
gados da mesma estrada oom maaeiras mais de-
licadas e ooa proporciona lugar para ooiso trans-
porte : do contrario teriamoa de Bear abi mesmo.
Seja, poia, registrado o procedimeato de um
empregade que deveodoser o proprio a zelar os
Intereaaes da tompaohia, o primeiro a querer
om dos vagos para si oo seus affeigoadoe, pre-
ticando aeges que revelism a lodo aquelle aioda
que seja dotado da maior prudencia.
Gommuaicados.
Honrado pela conOanga do ex-administrador
dests provincia, que se dignou oomear-me dele-
gado de polica da importante comtrc de Goiao-
ni, dando-ma assim um leatumuoho de immere-
cido aprego, eu fallaria a um proceilo do coragao
agradecido, ae nio viesse hoje agradecer do alio
da unprensa aoa habitantes daquella comarca a
maneira generosa por qae me acolheram entre
si, e as constantes provaa de sympathia e estima
com qae tanto me peoborsram.
Approveilo a occasiio paca offerecer-lhes meua SS.'o.'"'
insignlQcaotes servigos oesta cidade. ea ende ift "fi
quer que a aorta me conduza : se o offerecimeo- i .;*!,
4 macacos. 1; caixa velas, 5 ditas a 4 tardo
baelas e tecidoa de linho e de algodio ; a Saau-
ders Brothers & C.
1 caixa 1 piano forte, t dita caetes, 29 ditas
e 10 fardos fazendas de algodio e de bebo; a A
C. de Abreu.
29 barricas ferro, 49 fardos e 40 caixas tecidoa
de linho, de algodao, de lis, pannos, chales o
cobertores de algodio, coilas de isa, liaba al-
godio, e saceos de linho; a Rotlroa Rovker
L
6 fardos fazeoda de linho ; a J. C. Scott.
100 barris maateia, 6 calzas fazendas do li-
nho ; a Southal Mellon 4 C.
10 fardos tecidos de algodao ; a N. O. Bieber
&C.
50 saceos pimeola, 40 caixas lijollos, 88 fardo
e 29 caixas lecidos e lateadas de algodao a de
laa ; a Mills Latham & C.
\0 caixaa e 67 pegas ferrolhos, gauchos spi-
gdes e obras de ferro para a ponte de ferro ; a
Waring Brothers & C.
8 caixas 2 barricas bitcoatos, presuntos, sal
ecooservaa ; a J. F. Llaa.
45 fardos e 3 eaixas fazendas de algodao a do
lia ; a C. J. Astley & C.
6 fardos tecidoa de algodao ; a S. P. Wil
& C.
1 barrica drogas ; a Caora & Barbn.
100 barricas plvora ; a Jos Aotonio Moreira
to p-queno, ao contrario immensa a gratidio
que elle iradas. Recite 10 de maio de 166*.
Alexandre da Barros e lbuquerque.
Publicacoes a pedidoT
Illm. e Exms. Srs. represeotsntes da pro-
vincia.P. M. Duprat vendo que o projeclo de
lei, em data de 12 de juoho de 1861, Ihe conce-
da um previlegio, para a encorporagio de ama
sociedade de ediflcagao de predios rsticos e ur-
banos, nao linha aido saocciooado, e que depoie
devollat' revista desta Ilustrada sssembla, o
dito proferto encentra embaracoa para sua adop-
gio;'vem pelo presente declsrar que renuncia
to mesmo previlegio, por nao contar o objecto
principal e indispensavel relatado explcitamente
no seu requerimento de 18 de abril d* 1861; que
ere, a coocessio por qusreota aunos, do direilo
exclusivo de Importar e empregar devidamente
macninas'e apparelhos, aioda nio iotrodusidos
nesta proincia, destinados ecooomisar a forga
muscular dos artistas e operarios, facultando-1 lies
um meto seguro de aperfeigoar o lubalho e 4
proporciooar-lhes maiores lucros; pois qoe para
nicamente eocorporar qualquer sociedade nio
fora mistar previlegio slgum ; e nao obstante es-
sa sus renuncis, o peticionario se compromelte
encorporar a referida socieiade, coocedendo-lhs
esta illustrada eseembla o seguiote :
\" A isencio da decima urbana ou de qual-
quer ostro imposto provioclal ou municipal, por
40 tonos, cmalos da dala do contrato constitu-
tivo da sociadade, sobre es predios conteodo os
armazena, offi inas, depsitos e dependencias do
servigo da aociedade.
2o Os predioa construidos pela sociedade, por
sua coota, para alugar ou vender, s pagarlo me
tade da decima, uos primeiros dez annos, depois
de promplos, em quanlo pertencerem a mesma
sociedade, ou se antes dos dez anuos nio forem
vendidos.
Pelo seu lado, o requerente obriga-se a rea-
isar a aociedade e aa segointes condigdes.
~~l* Qaa a encorporagio da sociedade lera lu-
gar e dar esse comeco as edificares deolro de
cio0 aiaos, coolados da dala da saocgau ds lai
respectiva, sob peoa de perder o direito as isen-
ges cima.
i" Que a aociedade admilliri como apreodi-
Zes, er" suas oQkinas e obras20 ou maisorphaos
pobre* maiores de 12 aonea, desigaadoa pelo pre-
sidente da provincia, maoleodo-os ella e veatio-
do-os algum ele completar a idade de St anoos.
Avista e em consideragio do grande augmen-
to daa receitaa provinciaes e geraet eccationadea
pela grande quautijlade de asas que a aocieda-
de far edicar, e do alivio da deapeaa que faz
a provincia com os orpbiet pobres, o sepplleante^
espera deata digalsslma astembla as inteugoea
cima requeridas.
Logo que a respectiva lei for sanecionada o
requerente procorari onde Ihe for mais vaotajoso
a parte do capital elrculiote precisa, para dar vi-
da a ceatenas de eolios de reis morios, repre-
sentados por terroobs edicar tanto to interior
como fra da cidade do Recife, com cujo valor,
numerosos proprietarios estio promplos a entrar
ns formagie do cspital soeisl de 1000 coolos de
reis, que podeii ser elevado a mais seo desea-
volvimento futuro da sociedade assim o exigir.
Espera pois, o peticionario que esla illustra-
da e patritica assembla compenetrada da ur-
gente oeeessidade de melhorar o estado actual, e
de proporcionar quaoto aotea trabalho regular e
continuo 4 classe laboriosa dos artista, obrelros
e sortales, que boje vive aa peouria pela falla
sempre creacente do mesmo, ea razio da sus-
penso das obras publieaa e das mui poqcaa par-
ticulares, qua sa esli a fazer deade principio de
1860, por causa do premio elevado do cspital de
1 i/1. 1 e 3 por ceato ao mei, se spressari em.
decretar, na actual seaso, a requerida lei, dan-
do assim obi prevs iocooeossa da aaa soHtcitu-
de em prol deamelhoramentea de qae lano pre-
cies esta bella capital e provincia. Nestes ter-
mo! pede a VV. Exes. favoravel defferimento.
E. R. M,
Recife 20 de maio de 1861
F. M. Duprat.
xa e 1 farde tecido da algodao ;
Ad i mson Howie & C.
25 harria rerveja, 26 feixes e 2 caixaa ferro
galvanisado, 5 saceos pregos dito, e caita a $
volumea cabrio le, redas e laoea, a relos o per-
tences ; a Scolt Wilsan & C.
1 babu calgado ; a VV Rawtiusoo.
83 caix-s chi, 150 barris asnteiga, 4 calas o
13 fardot lecidos de algodio, meiaa e chales de
dito pannos, etc., etc. ; a Juhaston Pete & C.
8 caixas lecidos de linho, de algodio, chapeo
coleriohos e luvas de dito, saceos de tapete
de palhs, ditos de sol, eadeaiot, botes e calca-
dos : a G. Kalkmaoa & C
4 barril e caixa capa-rosa e drogas ; a 1. F.
de Souza.
6 caixas pbospboros ; a Heerique & Ato-
vedo.
28 ditas e 20 fardos lecidos de algodio ; a Ja-
mes Crabtree & C,
1 caixa miudezas ; a Alves & C.
1 dite titas; a Vai & LeeJ.
50 gigoa louga. 14 caixas e 15 fardos de algo-
dio ; a Heniy Gibson.
30 laxas de forro, 3 caixas machinas da coser
1 dite bolea, 6 barricas pi campeche, 55 bar-
ris salitre, 1 tambor leo de sparmacete.
9 caixaa lecidos de alsiodio, de lia, de seda o
mixto ; a Joio Keller & C
1 caixa lecido de Igodae ; a Seve Pilhos A C
2 ditas coplas. 2 ditas eoQados para espartilbo:
a Mello Lobo & C.
58 fardos 19 caixas panno e lecidos de algo-
dao, de lioho, e liabas de dilo, 1 dita e 1 barri-
ca ferragem ; a Rabe Schamettau & C.
3 barricaa fundos de cobre, 1 caixa eslanho
era barra ; o J. V. Ghiitliani.
43 c 49 fardos lecidos de algodio e de lia ;
Wild & Just.
11 ciiaa lio, Lateadas da liaba e de algodao--
17 barricaa farrageot; a Isidoro Hslliday .
4 caitas e 2 lardos lecidos de algodio : a E-
A. Burle &C. .
200 barris plvora. 60 gigos looga, 1 barrica ci-
mento, 70 caitas e 37 fardos tacidos de algodio,
de liobo, pannos de saceos e diloe de algodao
40 toneladas ctrvio de pedra ; a ordea.
I tardo e tres taceos amostras; a diversos.
Ex porta,-ao
Do dia 11 do mal*.
Brigue ingles Mercurio, para Liverpool, carre-
garam :
Saanders Brothers & C 250 coares verde con
13.500 libras.
Barca inglesa Afta, pira e Canal, carregaraa :
Sauoders iirothers & G. 1,003 saceos eom 5.000
arrobta de aasucar.
Barca iogleza Bonita, para Liverpool, carre-
goa : '
Walter Couth 21,000 cocos se eco.
Brigue porlugaez Otto, para Hamburgo, car-
regaram :
Kalkmaoo Irmao StC, 340 aaecoe com 1,700
arrobas de asiucar.
Brigue portuguez Luzilam, para o Rio da Pra-
t, carregaraa :
Marques Barios & |C, 400 barricas com 2,6(0
arrobas de assoctr.
Hecebedoria de rendas lotei-oas
ageraeai da Pernambueo.
Randiaeato do da 1 a 20. 20:174783
Idtm do dia 21 ...... 610*307
20~815092-
Cunaalado provlaelal.
Rendlmeato de dia 1 a 10. 27:627fl8T
(dam da lia 21. ..... i 3:0314048
3T>:659#35.
Movimento do pono.
Navio takido no art 21.
Aracaly Hiate hrasileir Ivm**t, oapita
Antonio Joaquim Alves, carga aifieraalea g-
neros.
Lisboa Barca porlugaeza taao, oapUso Maeeel
Jeaqaia de SaoAa Aona, carga asaucar.
Rio de JaneiroBarca iaglexa tramaUm, caplao
Rundel, carga parte da qu iroux* da Nea-
York."
Sio ThomazPataeaoaaeiicsBO Jtein#, tapita>>
R. H. Clark, em lattro.
Nio houreram entradas.

v
I


"*"
1
*- fHWITA ff
MUBDf MMf.
*
BpA6S.
wm Araripe. oHfrial 4. tu-
"<>< ** e ara 4* di tnit MHO'I
' Modesta cidade do Recite capital
o !? d* Peroaatraeo e sea terao,
per 8. M. imperial e cooslitucioosl a Sr. D. Pe-
dro II i qaaiu Dos gurdemete.
Fa?o saber eo* que o prosete eclital rlrem,
ene por aata frito pandea na auto ilo execucao
- ,"&!& 4* *" S*4* aat'u J*** Jo*-
qeim da Olitelra, e paca pagamento da neama
Wr atjete pedhoTedoa diversoa betti, oe qaaea
ande evalisdee feram arremttados, a cajo pro-
daclo se> oppoxeram diverao credo ros. entra oa
latea Jos Joaquina Oiaa Fernandez & Filhoi,
o eeecucko appeflam, reqtiereado a ate juizo
para proeederem peohora nos alugueia da parte
da cata perieoceote o eteeaiado, o que etlec-
tuou-se conforme csast ao requerimeato trans-
cripto oa execu(.ao principal, cuo theor o se-
Aes doce da maio de 1862, em publica audien-
cia qae dita o Dr. juiz especial do comsnercio
W de Aloeear Araripe, nelta pelo solicitador
"Ueman tais da Yeiga por parte do* exequentes
Jas Joaqun Diss Kerosodes & Filbos, tora se-
cunda s peohora feita en alugueia da parte da
caa perteoceote ao executado Jos Joeqelej da
Olireir, e requeren que fleaaaeoa aasignadoa oa
aeia das da lei o dezaoa ere loras iocertos, o que
ouvido pelo referido jaiz asaioa o defiri, do que
iavrei o presente, exirahido do protoeollo das au-
dtanciea, fue juotei o mandado u temo de
peohora que segu.
En Adotpbo Liberato Pereira da 0;i?eira, es-
ere'aota jvaamaaUde a escreri.
Ka Usaoel Maris Rodrigues de NaMiaanto, aa-
crvo o tebscrevi. Trlalao de Alancar Ara-
ripe.
E aaaii a nio contlnha ena dito termo aqu
transcripto, e em camprimeulo de meu deepa-
cho, o serirao (os pasear o presenta com o dito
prato, pelo qual eit*o e red oree inserto*, para
que ceapsrec,aa oeste juito dentro de retando
razo, am de allegaren! cerca do expendido.
Partilo qaatqier peasoa os poder sdeotincar
aeeree da expendido.
O preseote aera publicado pali imprensa e af-
iliado nos legarse do costume.
Re si fe, 17 da maio de 1862. Ea Ifaeoel Utria
Rodrigues do Nascioieoto, eacrivio o subacre'i.
Tristao de Alees r Araripe.
Parante a theaonraria provincial se ha da
arrematar a quera aaaia der aa madeiraa velhas
das tarimbas do corpa de polica que aa iouti-
eararn: aa preteodentes podero dirgir-ee ao
quartel do raferi lo corpa, aftm da examinerem
as mencionadas madeiraa, sendo a arrem alacio
feita nasla thesouraria no dia 28 do correte pelo
eiodia.
Secretaria da theaonraria provincial de Per-
namboco 20 de malo de 1862.0 secretario.
__________Antonio Perreira d'Annuncitclo.
CdWBMdo das armas.
O coa mando dae araaa eeaaplatamnte aulo-
rlsado pala presidencia, contrata nm capetilo
pare colete militar da Pimeo tetras. O aeehor
escardte que ae quixer prestar a este serviconsa
ceadcoee do respectivo rrgulamento, comprela
no qeartel general em qealquer dos dias otis pe-
las ti horaa de manhaa.Joaquina. Jos Pereira
Vianns, leoenta ajudaole de ordena do peasoa.
Directora eral dainstruccao
publica.
IMTAL.
Fsco saber a qaem ioWaressar poras que a ca-
daira de inttruccao elementar do 1 g>> da vil-
la do Bonito, acaba de ragar per jubilacae do
raipectivo profeasor que a regia, e que oa forma
do art. lo des Inslruccoes da II de unho de
1859. manta o Illm. Sr. Dr. director,geral inte-
rino morcar o prazo de30 dias a contar da dala
ueste para a insetipcao e proceiso da habilita-
cao des otpoailerea a aaneionada cadeira.
Secretaria da inslrucceo publica de Pernsm-
buco, SO da maio de 1862.0 secretario,
Satvartor Henrlque de Arnaaesrqne.
Pele >. Nathamel Rogeos, introdxtdo ao
mesao lempo o celebra
Cao Cmico
Para
THEATRO
DE
Santa Isabel.
COMPANHIA LYRICA
O precioso |e habilidoso Joven Equeatre
Cantos Fih (menino)
Sallar pela primaba ves airara:de nm Anco de
papel
De cwtas para trat stbre eavall
Sr\. Kate Ormond.
Sra. Woiiaki.
Sr Ferdibahd Tourniaire
Sr. Guilhrme Duver^a'.
O CAVALLO HlRAM.
Exhibirlo da |sua parte os seus melhores es-
forcoa.
Damiagt fa Tarde.
Harer um granito a sobarbo enlrelenfmento a
4- horas em ponto, para a Jureniude e diversas
Familias paderem apreciar, este leo desejsdo,
Passa tbkpoe isto, de cooformidae, e a pedi-
do, de muitas pessoas em particular, que de ha
muito lempo teem expresando deaejos de presen-
ciaremeste ditertlmenio duraataa tarda.
CREANCAS |MEN03 DE OEZ ANNOS
Terio ingresan nos caaarotes e cadeiras coa
os respectivos certificados, mediante e puco da
1500 cada um a.
Avisos maritito.
Seguacombreaidadeo patbabotecSsnta Crur,
psra o reto da carga traa-se coa Caetsno C. ds
C. Moreira 4 Irmoa, na lado do Corpo santo nu-
mero 28.
Para o Aracaty
0 5,tt.^00*1 *'gribes pretende aegulr at
o da 8 de junho por ler parte da carga piompta :
para o rento e passegairpa, trata-aa na ra do
Crespo d. 14, oo coa o mestre a bordo, defronte
do caes do Raaos. '
jl^
COMPANHU BRASILEIRA
DE
IPMIS1T1IS A f JUPDi.
E' esperado dos portea do aul at o dia 30 do
correte um dos vaporea da compaohis, o qusl
depois da demora do cosame seguir pera os
portos do norte.
Desde j recebem"-se paseageiroa, e engaja-se
s carga que o vapor peder eondar, a qual da-
rer ser embarcada no dia de sus chegad>,dinhel-
ro a frete e encommeedae al o dia da sabids s
DE
Declara sas.
Consulado de Portugal
Paz-se publico para oa'fins convenientes que
tendo-ae preenebido aa formalidades das leia ae
fazer-ae entrega do producto do eapolio do fina-
do subido porluguez Manoel Jus de Barros
Teireir Bastos, se hoaverpois algums reclama-
cao a faier deve ser apresentada neste conaulado
at ao dia 24 do correte. Peraambuco aos 19
de maio de 1862.
Consulado provincial.
Be ordem do Sr. administrador ioterino do con-
sulado provincial ae faz publico que oa 30 diaa
nteia marcadoe pare a cobrsoga & bocea do cofre
do imposto de tO 0^ sobre a renda dos terrenos
do municipio do ReSffe oceupadoa coai o planto
do capim do aono vigente de 1861 a 1362, fin-
dam-se oo dia 31 do corrate, e que Qctm com-
preheodidos na multa determinada no art. 50 da
lei provincial n. 316 os que psgarem depois desso
praao. Mesa do consulado 19 de maio de 1862.
O ch-fa da 2.a secan i.
F. Ferreira M. Ribeiro.
Arsenal de guerra.
De ordem do Illm. Sr. coronal director do ar-
senal de guerra se fax publico que nos termos do
nr\%i do ministerio da guerra de 7 de margo de
1880 ae precisa mandar manufacturar as pegas de
fardamento seiuintes :
17 sobrecasacos de paaGO mesclado psra m-
sico?.
40 ditoa de panno azul.
40 calcas de dito dito.
40 frdela da brim braaco.
. 40 caifas de dito dito.
40 camisas de algedaozinha.
Qaem quizar arrematar dito costurameoto no
prasc de lidias, apreseote-se na sala da direc-
tora, no dia 23 do cocrente com suas propostas,
declarando o menor prego e seas dadores.
Arsenal da guerra de Pernambuco f9 de maio
de 1862.
Francisco Jos Galio,
Escrivao.
Companhia do Be-
ben be.
Sao convidado* os Srs. accionistas da
Companhia do Beberibe a ge reunirem
em assemb'a geral da metala, no dia
23 do corrente ao meio dia, alim de se
19 1, 3, i e 5 dos respectivos estatu-
tos que regern esta associacao-
Bscriptorio da Companhia 19 de maio
de 1862.O secretario interino, Justi-
no Pereira de Faria.
Correio.
Pela administrado do correio aa fs.: publico,
qae heje (24) as 3 horas da tarde em ponto fe-
ehjr-ae-ho as maias qae d*ve cooduzir o vapor
Jiteiro clguaras com de^liao is provincias
da Parahiba. Rio Grande do Norte, Oai e por-
Cos ietermedios.
Cunseilio de compras navaes.
Tendo de ser promovida a compre, non as con-
dicoea do eatile,dos objectos abaizo declarados,!
xterienceiites so material da armada, convida o !
cunselho aos que preteederem vende -loa a apre-
sentarem susa propostas em earlas fechadas, no
dia 26 do correte mez st aa 11 horas da ma-
chia, eoaa aa amostras dos meemos objectos.
Para es navios da armada e arsenal de
aaarioha.
10 barra de alcatrao, 90 garrafas de Unta de
screver,82 Utos em braoc, paulados, -a sa-
ber. 20 de 25 bribas, 25de 50, 25 i- 100, e 12
de 200.
Sala de conselho de compras nevaei em 1 de
aaie de 1812.O secretario,
A.lexaodre Rodrigues jos Aojos
Iaspeccao do arsenal de ma-
rinha.
Fas-ae pnblico qae a commissao de peritos des-
te sraenal examinando na forma determinada no
reglamento acompsohanda o decreto n. 132i de
5 de ferereiro de 1851, o vapor elguareate da
companhia Pernsmbucaaa da navaga^:o costet-
ca, achou-o ea estado de poder navegar.
Inspecciodo aisenal de marinha do Pernam-
tMieo 21 de maio de 1862.
M. A. Barbosa de Almmc
Inspector.
*?* 'reeoria das obras ti litares de
mandar farer os rncenos neceaserio no rete
(harnelo do quartel do qasrto bstallio de ar-
ilnana, concert *n aoaecto de ladnlboe de bemba. lt,>ctrto do
sadrs, aa pessoas que a este serviee aueiram
cepoT eempaaecsmv eea aa proposn aa a,t,
directons nos dias 24, 26 e 27 das 10 barn
ti e i da aee>.
Directora das obra* Militares de Ptrnambueo
21 de maio de fee? O oacriptursrio.
ala lloe)Vlrre, de Asrdradr Mslrlnas.
M. f. IrHio,
Directori
G.lK:VKlNzVNGL.I.
Sabbado 24 de maio.
6.a Recita da assignatura.
Repetir-se-ha pela ULTIMA VEZ a grande e
applaudida e grande opera em tres setos, de
Donizetti.
BELIZARIO.
Achando-s perfeitame ito reatabelecida a Sra.
Stella, e estando prompta s toaaar os seus papis,
a Sra. Giulietts Beltramini If arinangeli, relira-se
da scena, na qual gmente por impedimento da-
qnells senhora tinha reapparecido, embora nao
toase islo obrigada ; tendo-se prestado a can-
tar para que o theatro nio estivesse fechado du-
rante as molestias que accommetleram os artis-
tas da companhia, ep faz dando os seus msfs vi-
ros e sinceros agradecineotoa aos Ilustres fre-
quentadores da opera lyrica italiana, que aioda
este aono honraram seus frscos talentos com sus
approvac&o, e a dislinguirem com lisongeiros ap
plausos e chamando-a scena, pelo qae confes-
ss-se extremamente agradecida. >
Para abrilhaotar mais o espectculo desta noi-
te, ser |exeeutada no principio do segundo acto
nms nova e grande
Symphonia,
composta pelo celebre e afamado maestro
Saverio
e por elle mesmo intitulada
GtRIBMM
dedicada ao here da Italia,- sobre o motivo do
bymno, composto ltimamente, por ocessio da
retirada do mesmo here da
llha de Caprera.
Esta syaphooia foi eoroada de eolhusiasticos
applausos em toJaa as partes onde ha sido ejecu-
tada, e de suprior que aqu ser iguslmenle
bem aceita, tanto pelo seu merecimeoto, como
pela boa execugo da nessa orcheslrs, para cajo
desempenho se tem esmerado, com o gosto que
geralmeote se Ihe reconhece, o Sr. maestro
Smolti, director da mesma orchestra.
O empresario, desejoso de dar aqu ai melho-
res novidadea musicaes, nao duvidou fazer acqui-
si^o da sobredila symphonia, para agradar aos
senhores assigoanles, e a manda execular junta-
mente com outra nova composi;o, de muita ac-
ceitscao. dedicada a Sua Uagestade o rei VCTOR
LMM'ANUEL, pelo maestro Mattiozzi, intitu-
lada.
Polka caca.
j
G0IPANBU PKWU1IIG4IU
en
Navegaco costeira a vapor.
Macei pelas escalas.
O vapor fPeraiounga, eommandante Houra,
sahir para oe pertoe do sul tocando as escalas
no dia 24 do torrente ae 4 horas da tarde.
Recebe carga at o da 23 ao meio dia. En-
ceaaendaa. paseegeitos o dtnbeiro a frete at o
diada sabida as 2 horas: ascriptorio no forte
do Mattoa n. 1.
Lisboa e Porto
Segu brevemente a barca portugneza Sym-
pathia, porque tem quasi toja a carga engaja-
da ; recebe para qealquer dos porloa indicados a
que lhe falta e passageiros, obrigande-se os con-
signatarios a dar pass-gem a aquelleaque trata-1
rem para o ultimo porto, logo que o navio che-!
gue ao prlmeiro : trata-ae na ra da Cadeia do
Recite n. 12.
19 II
Janeiro.
A barca uscieoal Atrevida aegue para all
em poneos diaa por ter parte do seu carregamen
lo prompto: para o resto- de sarga e passageiros,
trata-se com os cousignaUrios Msrqees, Barros
O C., Isrgo do Corpo Santo n. 6.
Para o Aracaty
segne impreterivelmente no da 19 do correte o
pathabole nacional Ioveocivel, para o qual
ainda se recebe algums carga : a tratar com Jos
S Leilao Jnior, ou cam o capito a bordo.
Para a labia.
Aysos direrstn.
Grande laboratorio de lava-
gem de roupa a vapor de
Ramos A Pimentel.
Os donos dos nmeros abaixo mencionado
podem mandar bucear as roapes ion est&o prosa i*
tas : 44. 3. 21. 48, 24). 23,19.14 31. tfi.38. 43,
61, 56, 52. 53, 40, 47, 35, 50. 37, 31, 33. 45, 49.
LOTERA
Querta-feira 28 do conrete era es-
trahida impreterivelmente a segunda
parte da segunda lotera (3a concessao) a
beneficio do Gymnasio Pernambucano,
no consistorio da igreja de Nossa Se-
nhora do Rosario de Santo Antonio. Os
bilbetes acbam se a venda na respectiva
thesouraria ra do Crespo n. 15, e as
casascommtssionadas ra da Imperatiiz
loja de ferragens n. 44 do Sr. Pimen-
f^rin'ai"ad6,: f^* ?m Crul *' ^ I **'' Pra9* <** Independencia n. 22 loja
eripiono de Antonio Lnrz de Oaveira Axevedo ,*_ ...t. v;:-? r\- *.
C. oo r. jantos Vieira, ra Diretta n. 3
botica do Sr. Chagas, e na ra da Ca-
dera do Recife loja do Sr. Porto.
Os premios de 10$ at o de 5:000$
serSo pagos nesse mesmo dia da extrae-
rlo de 1 hora da tarde em diante, e os
outros logo qoe se tenlia eito a distri-
buicao das listas.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
CORSO DE LIU FBA\CEZ\
a' noite
classe d commercio.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
Ate o da 3! do crrante, esperado dos
portee de norte o vapor Oyapock, coanaandan-
te o primeiro lente Antonio Marcelino Pootes
Ribeiro, o qual depois ds demora de cosime
seguir para oa porloa de sul.
Desde j recebem-ae passageiros e engaja-se
s carga que o vapor poder cooditxir a qual deve-
ri ser embarcada no dia de aua chegada, en-
commeodas e dtaheiro a frea al o dia da sabi-
da as2 horas: agencia ra da C-ui o. t. ea-
criptorio de Antonio Luiz de Oaveira Axevedo
& C.
GMNLTNM ESPBCIAL BOIEPATDIC(ii
' DO DOITOB
Ruade Santo Amaro (Mundo
? Novo) n. 6.
.ffTJ'S? t0d" di" lel de< 10 hora
SS4 ^"'V^" "olesM.'"
anofasttaa m muihtrt, molutxai dat <
u iyp*%ht%eai,todai as uptei$$ /A,...
ftbrtt xnttrmilttnttt t uai eonttqutneiat
PHARBIACU BSPBIAL HOBEorATHICA *
Verdadeiros medicsmeiitos homeopalhieo. ore.
lirados eom todas as es.te!s nece.a.riaV *Sl
llivea em seus effeitos, tanto em tintura a.
sm globnlos. pelos preCo. mai. commedoe Je!
W. B. Os medicamentos do Dr. Sitian a
anuamente rendidos es aua pharraacia : todo
qeeoforemfradellasa .l,ia. *
imn.'-/' eartei" *<> compaDhadee de nm.
2K?^ COm m mbleB1 em relavo, tendo ao
SCF. "K"1?1" PUvraa : Dr. Sabino O. L.
Klnlon* m'^'*"0* ^^ Wea. noetoT
Igaalmente na lists dosmedMmeotos que sVpe-
le"tei"< 1 do leverem essaimiKewo
e do Dr. Sabino sao faltoa
s
9
m
m
L lOrf.
velei-
Ama-
Pretenda seguir com muita brevidade o
.o e bem conbecidu biste xacionat Santo
ro.a lam parta d asa cirr.imnlo prompto,
rara o resto que lhe falta trata-se >m oa aeus
conaignatarios Antonio Luix de Otiveira Agredo
&'C, no seu escriptorio na ra da Crui n. 1.
LEILAO
DE
Urna casa com S janellas e 2 portos na frente,
com 4 salas, 7 quartos, um grande lerraco eo
capia, portas e janellas nos oild's, grande
quintal, cacimba, cocheira a estribara.
Terca-fera 22 do corrente a urna ho-
ra da tarde.
O agente Piolo autorisado pelo Sr. Harmonio
B. Lasserre. que relira-se para F.urepa, far lei-
lao da casa de campo sita na Ctpanga porto do
Lasserre, a qual acha-ae muito Uaapa e bem
comerva la, no dia e hora cima mencinala os
mesma casa.
O referido agente dari qealquer ioformacio
acerca da mesma cus, em seo escriptorio ra da
Cadeia q. 9.
na qual onvem-ae os passariohos a cantar e os
tiros dos caladores que os malam.
Esta origioalilade prolux grande effeito oo
meio do motivo principal da polka, execnlado
peloa outros instrumentos.
Principiar s 8 horas em ponto.
O* bilhetes vendem-se no dia do espectculo.
Rio de Janeiro '
pretende seguir com muita brevidade o patscho
nacional cCapuan, capitn Theotonio Jos ds
Silva Rodrigues, tem dous tercos de seu carrega-
meato prompto : psra o resto que lhe falts, tra-
ta-se com os seus consignatarios Antonio Luz ds
Olivaira Aievedo A C-, ra da Cruz n. 1.
SPALDING i ROGERS.
O CIRCO
GRANDE OCANO
HQJE
Qointa-feira de noite ti de maio de
1862
Pela primeira vez aera produxido nesta cidade
o segu o te.
BRILHAJITES VARIEDADES.
A SABER :
Formidaveis fellos na arte de
Montar a cavallo
Sobre o celebre e iodoroarel caralo WILFIRE
froco bravo) pelo Sr. Theodoro Toeriuaire.
Grandes Fa&nheS
Gymflaslicas
Sobre o Traperio dobrado pelos famosos Acrba-
tas oa Srs. Antosio i Neal
Urna muio jocosa Comedia Franceza Equeatre
intitulada ______
Wonsienr & Madama DENflIBIt.
Mi i. EinnBe. Sr. Theoboro Toursaire.
Moas. Dennibr Sr. Nathasiel Rocera.
Joe (Garcopi) Sr. Georoe Shaap.
Batrioeiro Sr. Joio Nobles.
Primeiro Debut ds Bella Ecuestre Sra. Locua
Nobles
Ea oa acto de eogracadoa Quadros, e atittudee
' sobre o cavslle
Urna horripilante Rspresenlajio Equeitre des
i Aboricnks d'Aberica
COIPAitHU PEMAMBl'CM
DB
JNavegacocosteiraa vapor
Parahiba, Rio Grande do Norte, Macau
do Assu', Aracaty, e Cear.
O vapor lguariss. eommandante Vianna
sahir para oa portos do norte al o Geera no
dia 22 do corrente s 5 horas da tarde.
Recebe carga al o dia 21 ao meio dia ; en-
comiendas, passageiroa a dinheiro a (rete al o
dia da aabida as2 boraa : escriptorio no Forte
do Mattoa n. 1.
Para Naranhao e Para.
0 hiate Garibaldi. espitas Custodio Jos Vian-
na, tratar com Tasso A Irmoe.
Para Lisboa segu com mulla brevidade o
brigue a Fort Activo, tem prompto a meior
parte do carregameoto, e para o resto que recebe
a frete oo para passageiroa, aos quaes offerece ex-
celleotes commodos : trata-se no escriptorio de
Amorim & Irmos, roa ds Crux n. 3, oa com o
capitio Jos Antonio de Olivaira, na preca do
Commercio.
Ao Pa?
Val seguir com brevidede o bam conbecido hiate
Lindo Paquete, qoe pode ainda receber algu-
ms carga miuda : a tratar na roa da Crux n. 27.
Farinha de trigo.
Sexta-teira 23 do corrente.
s& Lentos faro lei la > por ioterveneo
le Pinto, de cerca de 50 barricas com fa-
trino maro BLA. otlimsmente viodaa
, isft horas do dia scima menciona-
azemdeAzevede & Irmio, defronte
UQaaV
de
500 saceos de
milho
Que fazem Southall Meilors & C. por
intervengo do agente Camargo de 500
qualidade ede muita durac.ao : naquin-
ta-fetra 22 do corrente ao meio dia em
ponto no largo da aliandega, junto ao
armazem do Sr. Annes.
LEILAO
DE
Queijosflamengos
Quinta-feira 22 do corrente.
N. O. Bieber 4 c. successores, farao leilo por
intervencao do agente Pinlo, de 50 caixas com
queijos ffimeogos chegados no ultimo vapor s
U horas do dii cima moosionsdo ao armazem
do Aunes defronte da alfandegs.
LEILO
DE
Alhos e licores
franceze:
PARA A
Jos Soares d'Azeve Jo tem de abrir
um curso pratico-theorico de Lingua
Franceza pelo novo systema de Ollen-
dorli, para a classe do commercio que
nao p Je frequentar este estudo de dia.
As pessoas que desejarem fallar e escre-
ver esta lingua, podem dirigir se a' re-
sidencia do a un undante, ra de Santa
Rito Nova n 47, at o dia 31 de maio.
igmmmmmmmmmmst
gNao duvi-tem que na ruaj
| do Crespo d. 17, laja de |
Gu i maraes A Villar.
Vestese urna senhora dos
at a cabeca.
Principiando peloa chapeoa de palhs a
Garibaldi e chapelioaa de pslha de Italia
oa mais superroces qoe tem rindo de
Franga. i
. Manteletes de gros bordados, capas e
casaces a Luis XVI, sedas de cores e!
moireanti'ines prelos e da cores e ac-/
bando pelos respeitaveis baloes de croxj
e de musselioas e que Tendem baratis-
simo. S 'ahoras fregeexas a vista faz f.
pesj
O Dr. CerolloFren- I
aj) cisco de Lima Santos. Sj>
aj madou-se da rus das
l Cruxea psra a do Im-
9 perador, sobrsdo n.
17. em Crete ds igre-
*Jj> ja de S. Francisco, on-
9 de continua no exerci-
SJ> ci de sus proilssao de
medico.
!
9
m
m
O solicitador Bernardino de Sena Dias mu-
dou a sua residencia para a ra da Conceico.
casa n. o, bairro da Boa-vista, pode ser all pro-
curado de maoha at as 9 horas, e de larde de-
pois das 4 horas.
:
a
r
O bs/charel Witrctio pe-
de ser procurado na ra
Nova o. 23,aobrado da ea
quina que volta para a
camboad Carmo.
maodem ver.
Saaraan
SOCIEDADE jC
Unio Baficenfe
Matim. (
Pela sesaSo da aaaembla geral do dia 4 do cor-
rente deliberou-ae marcar o praso de 3 dias, a
lindar em 4 de jaoho vindonro, aos socios atra-
sados se por quites, do contrario sero punidos
conforme marca o art. 12 3 dos estatutos.
Secretaria da sociedade Uniao Beneflcenle Ma-
rtima 19 de maio de 186S.
Balthassr Jos dos Res.
1.* secretario
Deseja-se taller com a Sra. D.Victoria Ida-
saceos com milho" da India de superior 2 ^'ZTfV^'t}1 S* Jo NePmuio
I de rana que foi alferes das ordenanzas desta ci-
dade ou da de Oim la, retirou-se para Sauta Ca-
iharina ou Rio Granle do Sul em 1835, e lti-
mamente fallecido no Rio de Janeiro, ou com
as sobribbas do mesmo, D. Claudios e ouira, -
Ihes de Manoel Dias de Faria e D. Francisca Te-
les de Meoezes, a negocio de seu inleresse na
ra larga do Rosario padaria o. 46.
Deseja-se fallar com Joo Cuuce.lho na-
tural de Audr Couce, da cidade de Vigo em
Hejpaoha : na roa larga do Rosario padaria
o. 46.
D. Thereza de Jess Coelho de
Souza LeSo, previne a quem possa inte-
ressar, de que ninguem pode entrar em
transaccao de qualquer genero que seja
com seu genro o Sr. Manoel do Reg
JaCarros, relativamente aos seus escravos,
visto como ha alguns annos eslSo todo
hypot^ecados ao casal da mesma an-
nunciantt, o que comta da escriptura
publica calebrada em cotas do Sr. ta-
belliSo Salles. Recife 19 Je maio de
t86i.
ESTRADAJE FERRO
Rio de Janeiro
segu com muita brevidade o brigue nacional
Escontadcr por ter patrio da carga engajada :
paca o que lhe falta, trata-se coa oe consignata-
rios Viuva, A morm & Filhe, oa re da Crux no-
mero 45.
Lisboa
o patacho portugus Mara da Glorias capitao
Antonio de Barros Vlente, a sabir com brevida-
de por ter e meior parte de seu csrregamento
prompto, para carga e paeaagairoa para os qnaes
t-m excelleotea ceneeodoe trata-se com os con-
signatarios F. S. Haberlo | Filbo, ra da Cadeia
n. 55.
Para
Rio de Janeiro,
segu com toda a bteviateate o patatbo neniaos,
OUvesral
tem parte o catregaaente preaset: pare o res-
tante, trata-ae com d constgoslano do meamo
Manoel Airas Guerra, oe com e capillo.
S.
O agente Pestsna vender sera reserva de pre-
? ?^0T C^ata e risco de qem pertsocer cerca
de 500 restess de eMioe muito novoe chegsdos
ltimamente a este meresdo e II eaixaa de du-
rla de garrafas de licor francez : hoje 22 de msio
s 10 horas da maohSa oa porta do armazem do
Anne?.
LEILAO
DE
Farinha de trigo
Sexta feira 23 do corrente.
O agente Pestaa vender em leilo per conta
de quem pettencer 30 barricas eom farinha de
trigo para tachar cootsa: aexla-feira 23 do cor-
rente petas 10 horas da manbaa no armazem do
barao do Ltvrameoto no Forte do Mallos.
LEILAO
raasWNJs.
A 23 00 CORREWTE.
Viera Amorim 4 Filhosfario-ailaa por ioter-
rengao do gente liteira, de SSS 170 e SS 30
prefaxenD barricas de snperfer farinha de
trigo de ir test re. recen le mee te isnoortede :
SEXTA FElEsV 23
do carrente. *ti terso dw asie panto,
oo matea do Sr. Aonet Pire, defrorrle de ee-
caiinha da aliandega.
Julio Cexar
oeiro.
Galio, vai para o Rio de Ja-
Preciaa-se elugar urna escrava para lo-
do o eervi?o de pequoa familia, aa fu do Amo-
rim o. 33 2o andar, ou na Cauunga ra das Criou-
las o. 45.
Agencia de pasaporte.
Claudioo do Reg Lima tira passsporle para
dentro e para fra do imperio com presteza, e
commodo preso : na ra da Praia n 47, 1
andar.
Jos Gomes de Albergara, com refinado,
padaria emoihadosna Passsgm ds Magdalena,
trata as seus empregados a ponto de marrar de
fome.
Alaga-se o terceiro andar do sobrado o 37
na ra do Amorim: a tratar na rea da Cadeia
n. 62 segundo andar.
Arrenda-se na ra do Hospicio o. 17 o en-
gtnho S. Gaspar, sito na freguezia deSeriohem
com excelieales partidos de vargem mol lavra-
dios, i rede da moen-ia, pingue cercado, em-
barque na porta, maltas e mangues per o ser-
vico jo mesmo sngenho.
Preeisa-se de urna ama para coainhar: na
rita do Caldeireiro n. 60.
Precisa se de um caixeire para balcao de
urna padaria, velho ou maco, mas que ealejaiseo-
te do familia e psreoles que o encommodem, e
que lenha vontade de gaobar a sua ida hones-
tamente : nio se duria dar um bom ordenado
correspon lente s suss boas qualiladea e bom
desempenho de seus deveres : o que se echar
as circumstsncias de desempenhar este lugar
pode dirigir-ae a rus larga do Rieario n. 16 se-
gundo andar das 7 aa 9 boraa do da e de I a S
da (arde que achara com quem tratar.
Aluga-se acasa da rae do Tambi n* 30 coa
commojos para familia : na roa do Cesan da
Boa-Vistan. 12.
Ausentou-te da casa do abaixo aeaignado
ao escurecer do'dn 16 do crranle a aeoer Rj
mana, parda, idade de 11 a-12 anuo, estatura
regular, rosto redondo, n srix chato, albos sjeen-
des,tabello aparado, tendo ama loaga eattaz
de queimadura sobre a p dimita, e como e dita
manar eslava sob s guardo do abaixo aeatgaado
.desda 1856, por isso protesta proceder judtcM-
mente contra a peasoa qus a deeeaeaminnea e
No domingo 25 de
AO
Sao Francisco.
Grande exeurco a Gamcleira.
Visita a grande cachoeira do
rio Serinhdem,
maio as
passagens de i qualquer estaco para a de
Gameleira sero pelo prego
das singeias
De Cinco Pontas a Game-
leira :
Primeira classe 7#500
Segunda dita 5#000
Terceira dita 3#500
N. B. Os bilbetes s da di-
reito a volta no racpmo dia
Assigaado:
James Kirkham,
Superintendente dotrafego.
C0MPAMI4 D VIA FRREA
co
Recife ao Sao Francisco.
De conformidade com as instrucsSes recebilas
da respectiva directora, faz te publico que des-
ta d>ta em dianle ato con v lados os accionista*
dasta companhia a cumprirem com os termos do
aviso que por ordem da mesma abaixo ficam eo-
blicados.
Escriptorio da companhi.i 20 de maio de 1852.
Por procuragao de E. II. Bramah, thesoureiro.
Asaigoalo-R. Auso.
seduzio Eduardo Frederico Baak*.
Ama
Precisase de urna ana que asaba engoi
cozinbar para cass de pouca familia : na ra do
Crespo, loja da esquina n. 8, ou 19 na rea do Sel.
s
COIPANHIA DA ESTf.AD.1 DE FERRO
DO
Recife ao Sao Francisco.
(limitada.)
Pelo preseote faz-se publico que por orna re-
seleoio da directori* eesta companhia tomaO
oasis data tea-se feito a ullima chamada do
urna libra esterlina por cada arqao a qual devei
ser paca al o Ota 30 de junho protimo vadoo-
ro, no Rio de Jn*roem eeo da Sra. Mw Mir
Gregor &C, oa Babia aos Srs. 3. S. Oavenport
& C, e em Pernambuco no escriptorio do the-
soureiro ds mesma campanas.
Pelo presente tica tsmbea entendilo qoe oo
caso de nao ser a dita chamada ou prealecao *>-
lufeita t o di* mareado per a)x pspareoeto o
accionista q,ue incorrer nesta lata pagar i atrs A
rateo de S por cento ao auuo sobra Ul chfeds
acenser dosee dia at que sejs reattaado o paga-
No caso de nio effeetuar o aoftaotenre dosis
chamada dentro de 3 mete ceoueee do dia ci-
ma Btalo para o etnbolao de meena, tacara a
accj5es que incorrerem ea tal (alta sajetiea* ae>-
rera confiscada a segundo ss isposi;es dos
tatos a eale respailo.
Pee ordea dos rkectws*.
AssignadoE. H. Bellamy, secretario.
199 Gresham Boess, Od Brosd Street.
E. C.
_______-__.^.11
__^^.




MAMO DE PIRK4MBUC0 ~ QOHTA FUE A It M MilO H iMi.
IMPERIAL INSTITUTO
DE
Nossa Senhora do Bom Conselho.
Nite eilabelecimeoto, I ra da Aurora o. 50, recebem-se peneionistss meio-pencionistss
t a idade de 16 annos, estud antes exterooa da toda a idade.
Ascoadicoes it admisro variam siguodoa claase do recibiendo e a naturesa do celado a
que ee declina. .
O emino, qae alli ce recete, o seguate :
Primeirag lettras, compreheodendo leirura, calgraphia, pelo ayatema de Adler, arilnmeliea
(isloperscoa), doutriaa cbriilan e elemeotoc declvilidade, grammaca portuguesa e Docoea de
geographia ; lioguaalatina. francesa eiogleza, geographia e historia, rhetonca e potica, pniloso-
phia racional e moral, srithmt tica (al logaritbmos) e geometria.
Estao creadoa, alm disto, douc curios, um de agricultura e outro de commircio, que serio
ebertoa logo que hija alumnos.
O edificio cm que funectona oImpetul IoilUnlotem ai icommodicoei neceasarlss para
recebar grande numero de pendonistas, e pelo cea estado de aceio e pela situaco preenene e to-
das as eondiccoes de hygiene a de commodidade para os alumnos cuernos e meio-penciomelss.
O direcior do eitibeleci ment, que ha cerca deoito anuos se tem otado so cocino da mo-
cidide com toda a dedicaco de que capat, tendo recebldo ullimamente de S. H. o Imperador
honroea diatinecao do uio das armas imperlaea. e do titulo de Imperial- pare o sea dito eitc-
belecimeoto. que \i entrn no quarlo aono de existencia, eomprehende que deve envdsr lodoa 01
as exforcos pira manter ao Initiiuto o crdito qae tem adquirido.
Rli41N0V4N.il 4NT.G4L0J4FR4MEZ4
DE
1MULT


Este graode e be a montado eslsbelecimento acaba de receber de Parif, um grsn-
de e variado sorliment > de (azendas e artigos (raocezea, os quaea offerece a concur-
rencia dos respetareis habitantes desti bella cidade, onde encontrtro sempre um
grande sorlimento a eacolha em que possam ealisCizer seus caprichos, por menos 10
por cento do que em ou n quslquer parte, a saber :
Msica.
Instrumentos com pi; tos de chaves e
apislon para msicas n..li .ares, do primei-
ro fabricante de Paris, Gaulrdt Ain. e com
muitoi melhoramentoi tanto em afioicjo
e belleza como pela fsi-.Midade com que te
prestam ao arliala, tan lien exiitem oes
les estabelecimentos outro muitos instru-
mentos avulscs do me: roo fabricante e um
Rrande sorlimento de i L loes de diversas
formaa e precos.
Para carros.
Guaroicdes completas para arreios de um
e dous cavados, brancas e amarillas, fer-
rageos para carros de lodaa as qualidades,
molas, gil6slargo3 e ostreitos, vaquetas
francezas com lustra e tero ella, sedas pa-
ra forro, lanteroaa de todos os precos etc.
Espelhos.
Grandes e pequeos de diversos tama**
nhoa com molduras p muito proprios para croamento de sala,
sendo os vidros muito grossos e de pri-
meira qualidade.
Crystfies.
Candelabros de 4 e > luzes, aerpenlinas,
lanteroas core piogeot-s e sem tile, ro-
domas de todos ostsmmhos para imagen,
mangaa para lamern e candelabroa de
todoi os tamanhos, vidras para espelhos,
clices para tinhos e licores etc etc.
Prtela Gas.
Apparelhos e meios tilo* para jantar de
muito fina porcelaoa branca, vasos para
flores etc., etc.
Luvas de pellica
do verdadeiro fabricante Jouvin & Filhos,
ponto certo daqui em diante aonde se en-
contririaempre variado sortimeolo, bran-
cas, de cores e pretas, para homem e se-
nhora, receidas por todos os vapores trn-
celes.
Para noivas.
As rnsis elegantes e maia ricas cspellas
com ramos para o peilo, que com orgulho
ssseveramos ser o melhor que sqai tem
vindo oeste genero.
Poma i a a re taino.
Em latas igual ou melbor do que a que
vem em jarros, amarella e cor de rosa,
vende se as libras, quartas e at urna on-
ca. Esta pomada tornase de muita van-
tagem porque dispenaa de compnrem va-
sos em que se d nao pequeas quantias
quasi que s pelo vaso que a contem.
Encerados para cobrir
mesas.
Largos e esireitos com muitos lindos de-
senhos a 18200, 19500 e 5g o covado, di-
tos pretos e de cores muito grosso para
forro de carros.
Photographia.
Machinas francezaa e americanas dos
melhores fabricantes deste genero, vidros,
e Ipmioaa de coore para retratos t> un
grande sorlimento de psssepartous e cai-
xinhas, drogas psrs trabalhar affl todos os
procseos de pbotographia, ambrolypo e
daguerreotvpo, tambim se collocam retra-
tos em calxinhas, passepartoua e molduras
de madeira, mudam-se os qae esliverem
mofados, ficando perfeitamei>te bons.
gfc Oa Srs. devedores da loja do finado
Antonio Fraocisco Perei-n, queiram vir
W pagar seas dbiles na mima loja ra
&1 do Crespo n. 8 A.
Toda attenco.

Custodio Jos Alves Geimarea avia ao res-
peitavel publico, principalmente a todos os seas
reguezea e amigos, que se mudou da loja da
aguia de ouro da ra da Cabug para a ra do
Crespo o. 7, psra a bem conheoida o sntiga loja
de mtudexss que foi do fallecido Joo Ceg, hoje
ser coohecida pelogallo vigilante,e pede so
respeilavel publico e aos seus fregueses e amigos,
que o queiram procurar no lito eatabelecimeoto,
onde acbaro um grande sor ira ?nio de miudezas,
queaffisoca servir bem e vender por menos dei
ou viole por cento, do cj.ua em outra qualquer*
parte V
*<:*
Lices
3--Ra estreita i Rosario-3
Francisco Pinto Uzoric continua a col-
9 locar denles artificiaos ti uto por meio de aH
ey molas como pela pressac do ar, nao re- *JJ
% ceba paga alguma sem que ss obras nao %
# fiquem a vontade de seus donos, lem pos fj
outraa preparares as ruin acreditadas
# para conservado da bou a.
*'
Precisa-sede urna peisos que qoeiracobrar I
divida no mato, dando fiador ', sna conducta : a
tratir na ra do Queimado n. 45.
Aos Srs sacerdotes
A irmandade das almas do Recife
precisa contratar cap; l es para as mis-
sas das 8 e das 10 nos domingos e dias
santificados na mesma matriz e das 8
horas na igreja de Nosui Senhora do Pi-
lar, por tanto rogase aos Srs. sacerdo-
tes que se quizerem contratar dirigt-
rem-se ra da Cruz n. Gi.
0 escrivo,
Jos Monteiro de Siqueira.
Criado.
Aluga-se para criado um mulato de
18 annos de idade, mu td fiel e que sa-
be fazer todo ser vico Je jma casa : na
ra da Aurora n. 46. primeiro ardar.
Thomix Teixeira Bis tus vai a laropa
deixi perseas bstanles pro : imdore os Srs. An-
tonio Jos Leil Res Jumo Jos de Miranda
eom qusm sa deverlo ajaleo: r pare quilqur ne-
gocio.
Ifademoiielle Clara Lnpirt, retira-se para
a.Earopa.
de portugus, latim, ioglez e fraocez em casis
particulares, sendo ingles e francez pelo metho-
do de Ollendotff, nico capaz de ensinar a fallar
e Ikaduzir em pouco lempo com perfei da matriz de Boa-vista d. 94.
/ Attenco.
No domingo 20 do correle, feriaran) de casa
de lanoel Teixeira Basto, na Passagem da Mag-
dalena, am relogio de ouro do systema moderno
de dar corda por cima sem aaxilio de chave, foi
irtado juntamente com urna cadeia de oaro,
conteodo urna chave j quebrada. O prejudica-
do nao se records do nome do autor, e o numero
do relogio e* 7851, e por issoapenaa com sig-
naes, pode indicar ser de bella apparencia, des-
cocerlo, e com um vidro bem saliente em gros-
aura. A qcem quer que o descobrir se agratifi-
cari generosamente.
Aos Srs. consumidores de gaz.
Nos arnTazens do cees do Ramos os. 18 e 36 e
na ra do Trapiche Novo no Recife n. 8, se ven-
de gaz liquido americano primeira qualidade e
receotemente ebegado a 149 a lata de 5 giles,
aasim como latas da 10 e de 5 garrafas o em
garrafas.
-
tj Deseja-se fallar a negocio com o Dr. #
Americo Feroando Trigo de Loareiro, na t
a) ra do Crespo n. 17. f)

Moraes Filho avisa aos seus deve-
dores nesta praca que haautorisado por
procuracao ao Sr. Joaquim Uugolino
da Silva Fragozo para cobrar amigavel
e judicialmente de todos os seus ditos
devedores at segundo aviso por este
jornal. Recife 14 de maio de 1862.
Hotel ioglez
3Ra do Trapiche3
Acha-se de novo completamente montado es-
te antigo estibelecimento e prompto a receber
passageiros i quilqaerhors do dis ou da noite.
Todo o ierviQo leilo com promplidio, iceio e
barateza, havendo no vatabrlecimento interprete
para paaaageiros inglezes, frsncezes. bespsnboas
e allemaes.
Recobem-se pensionistas e slugam-ae qaartoa
por semaoas ou por meses, garantindo-se o me-
lbor servico possivel.
Tsmbem no estabelecimento apromptam-se
janlares e aimocos, assim como di-se comida pa-
ra fora, envidando o dono do hotel todos os ex-
forcos para bem agradar as pessoas, que o hoo-
rarem com aa suss freguezias.
No intuito da preencher urna lacena tao seo-
aival a assa capital Uo commercial como a do
eie, nio se poaparam daspezas a exforcos.
ansa de ser collocsdo o hotel Ingles no boa p,
am que se ache. Agora s a aoimacio do pa
hoco poderi fazer medrar am eatabelecimento j
ti reclamado pelas necessidsdes commerciaea
ds nossa pra;a.
Antonio Barbosa de Barros, Portugaez, vai
a Portagal tratar da aoa seude, deixando por
aeus procuradoras, esa primeiro lugar oaeu socio
Manoel de ttouza Cordeiro Simoea Jnior, en
segundo Palmeira A Beltrao, e em lerceiro Jos
Fortanato dos Santos Porto
retrstisia smerlesno
O ralraliala americano
O retrstisia americano
O retratista americano.
Ba do Imperador
Ra do Imperador
Ruado Imperador
Ra do Imperador.
Novos estylos de ambrolypo
Novos estylos de smbrotypo
Novos estylos da ambrolypo
Novos estylos de smbrotypo.
Uuito baratos
Muito baratos
Muilo bsrstos
Muito baratos.
Lindos cartoes de visita
Lindoa cartoes de visita
Lindos cartoes de visita
Lindos cartoes de visite.
lhem a bandeira americana.
Cavallo fgido.
No dia 16 do corren te pelas 6 1|2 ho-
ras da tarde na ra da Praia, sumi se
um cavallo pertencente ao Sr. Francis-
co Gomes de Souza. morador na Figuei-
r freguezia do Limoeiro, com os sig-
n&es seguintes: ruco, grande, magrei-
rao, encahgalhado, ja alguma cousa ve
lho, com o ferro seguinte V: gratifica-
se generosamente a qualquer pessoaque
del le der noticia ou leva lo ao seu pro-
prio dono no lugar cima indicado ou
nesta praca em casa do Sr. Manoel Ig-
nacio de Uliveira Lobo, na sua prenca
do Forte do Matf0.
B Posto que o Sr. Joi Mria de Oliveira e
Silva que foi guarda do Gabinete Porluguez de
Leitara, estejs pertinaz em nio stteoder ao pe-
dido que se lhe ha feito por este Diario em di-
versos annuncios. para comparecer a ra do
Crespo, loja o. 20 A, em um doa quaes se lhe
disse que por este Diario seris deciarado o mo-
tivo, pelo qual o Sr. Oliveira chamado, com
ludo ainda ae espera que o Sr. Oliveira e Silva
reflectindo no deaar que lhe pode trazer a pu-
blicidade do motivo porque tem sido chamado,
se apressar a comparecer referida loja.
f $** m **$#
^gj Hontem a noite 19 do correte maio. am
a entrada do circo americano, perdeu-se 1
um relogio de patete ioglez descober- V
9 to, e com a caixa do fundo liso tend j
no centro um pequeo circulo com o h
desenho de am cinto segaro com ama '
"JP fivels, do fabricante Leuis Woolf, sup-
^ pde-se que a enlrsda qaebrara a fila 0
que o segurava ao peicoco e que sabin- 1
do do bolso peto impulso cahisie oo O
bjp chao : quem schou e qoizer entrega-lo ft
m a sea dono podeleva-lo a raa do Tra- ^
picho o. 4, primeiro andar, que ser
gratificado generoaamenta. Kj
O |NM
Ama de leit
Precisa-se de ama ama de leite rju. So tenba
filho : no Forte do Hattoa, becco da BiA n. 14.
Julien Gabriel Imalz se relira para fora do
imperio pira tratar de sua saade. L
Mez de Mara a \$.
Vende se na livraria n. 6 e 8 da pra-
ca da Independencia o livro Hez Ma-
riano, conforme o uso dos missionarios
capuchinhos a Ijjs
O bichareis Manoel Firmino de Mello e
Pedro Affooso de Mello tem o seu escriptorio de
sdvocacia, na ra do Rosario estreita o. 87, pri-
meiro indar, onde eero encontrados todos o
diaa uleis dai 9 horas da manbaa i 3 da larde.
Encarregam-ae tsmbem para qaalquer ponto da
provincia de defezas oo jury, e de quiesquer
outras pendencias judiciaes, afianzando aquelles
que o honraren) com sua confiaoga o maior zelo
e actividade no deaempenho do seus deveres.
Fora da horas cima indicado, poderlo aer pro-
curados naa casas de suas residencia ra da
Imperatriz n. 80, e da Aurora n. 46.
Criado
Precisa-se de um crisdo para um aitio, e que
techa algum coohecimtnto deaie lervico: na
raa Nova n. 23, primeiro andar, das 9 li2 horas
da manha em diante.
Caes -'Apollo n. 7.
Alaga-se por prego muito commodo csla ar-
mazam com 3 portas da frente e bastantes fun-
dos, muilo proprio psra recolher qoaesquer ob-
jectos em grande quinlidade : na ra do Impe-
rador o. 46.
Billar & Oliveira, na ra da Cadeia do Re-
cita n. 19, vandem librea slerlinaa.
Silvino Guilherme de Barros compra esera-
vos da ambos os sesss : oa ra do Imperador n.
79, primeiro andar.
Ruado Amonin n. 43.
Precisa-ae de urna ama para coaiobar o diario
de urna casa de pouca familia preferindo-se es-
crava.
Sociedade bancaria.
Arxorim, Fragoso, Ssntos & C. sacam e tomsm
aques psrs a prcas da Liaboa.
O Sr. Antonio Tristo de
Serpa Brando tenha a Loa-
da de de apparecer na loja do
Germano, na ra Nova n. 21.
mmmm mtmm mmmu
Saques sobre Portugal. 8
O abaixo assignido agente do Banco a
Mercantil Frmeme neala cidade, aaca 8
efectivamente por lodos os psqueles so- I
bre o mesmo Banco pira o Porto a Lis- 8
bos, por qaalquer aomma vista a a pra-
zo, podeodo logo os saquea a prazo aerem ct
descontados no mesmo Banco, na razo tt
de 4 por canto ao aono aos portadores I
que assim Iheconvier : nsa ras do Cres- M
po n. 8 oa do Imperador n. 51.
Joaquim da Silva Castro.
^^ Jv^btw WWW a^aaTW ts*^B^sf IWbtW ssbVbdW eT^^w^BFTr^al tav^rV "O*
Claudio Dubeax faz scieote que todas as ve-
zas qae houver circo de eavalliohos, haver om -
nibua dos Apipacos pirs i'a e volta a pre?o
de 15 por peuoa, e por cada viagem ainda mes-
mo para a Boa-viita, o que nao recebe bilhelea e
sim em diuheiro de bos qmlidade.
ftteVtttMirCit'Cft <*IJ(llMWl26al
Achando-se aberta as es-
taces da Gameleira e Frexei-
ras, da estrada de ferro, pre -
venimos aos senhores que
residem as proximidades
del las que cou viudo lhes re-
ceberem este Diario as re-
feridas estacos podem man -
dar a transferencia no escrip-
torio desta empreza.
Qurm quizer singar doas moleqaes para o
servico de cesa e de ra procure na ra da So-
ledade cass terrea n. 46 que dir quem o tem,
podando iflm;ir a sus conducta.
Magisterio particular!
Psgs-se nm bom ordenado a quem sa J
9 achsr competentemente habilitado para
I ensinar primeiras lettras, latim e mais fflfc
> algum preparatorio, e quizer ejercer ]J
esse magisterio em um eogenho diatan- w
I ta tres leguas da via frrea : a tratar na A
i ra da SeozalaNova n. 88. r*
- Precisase alugar? urna escrava de
boa conducta ecostumespara o servico
nicamente interno de casa de lamilla
que saiba engommar e especialmente
cosinhar : a tratar na ra da Aurora so-
brado n, 38.
A luga se
o sobrado de um andar na ra Direita
n. 45, com duas boas salas, quatro
quartos grandes, cosinha fora, indo de
ra a ra, botando o fundo
torre da Penha: a tratar na
mesmo.
Comida.
No caes 22 de Novembro n.
me'iro andar, casa de Francisco Antonio
Coelho, prepara-se comida para fora
assim como se eocarrega de grandes
jantares e cha para qualquer divert-
ment.
sobre a
loj do
32, pri-
81 bRua da Cruzl ft
?
1
1
i
O Dr. Rocha Bastos
di conaultaa lodos os dias.
Cura radical a em pouco da moles-
tiis syphililicas a dos orgaos genito uri-
narios.
Coosultss de grasa das 8 as 9 horas da
manha.
Attenco.

No segundo cilio da estrsda dos Afflictos ap-
pareceu ha 8 diaa um cavallo magro : quem (dr
seu dono procure-o qusnto antes do contrario
nao le reipomabiliiara o annunciaote por eile.
Precisa-se de um homem afeito ao aervico
para um sitio de espira : no Paiseio loja de a-
zendas n. 7.
Aviso.
Pede-se encarecidamenie a peisoa que deu
um penbor oa ra Nova n. 12 a dous annos psra
garanta da importancia de 309 om dioheiro,
que queira vir tira-lo no prazo de 3 dias a con-
tar deale, do contrario vender-se-ha dito penhor
para pagamento de dita quantia.
Ceia.
mik
Aloga-se a grande cesa terrea na raa da
Soledade n. 32, de novo reedificada e piolada,
com grande quintal todo murado, cacimba pro-
pria, com 6 arvoredoa : quem a pretender, en-
tenda-se com Jos Antones Guimaries no mesmo
lugar, casa n. 60, ra de Joo Fernandes Vieiri,
onda se dar ss chaves psra ver.
Bastos & lego
Acabara da receber urna grande quantidade
de camisas inglesas, com pello de linho pregas
largar e por aer grande a quantidide lomo a
deliberado de vender pelo diminuto preco de
30SO0O, 36(000, 44&0O0. a duzia : na ra nova n.
47, junto a Cooceicao dos Militares.
Est psra alugar-ae o segundo andar do so-
brado n. 7 ds ra Nova : a tratar na mesma ra
n. 16.
Deseja-se muito saber quem nesta praca
O correspondente do Sr. Antonio GomeaMarinho,
de Porto Calvo, e pede-so encirecidamente que
innuncie a sus morada.
Cyprlano Diaa Honteiro, morador na cida-
de da Parabiba, faz publico que admitlio como
socio de sua casa commercial a seu caixeiro Ale-
xandre Jos Marque*, cando la casa ayraodo
sohro firma cnrqmprcial de Uooteiro & Marques,
desde o 1.* do correte miio.
Ao Sr. Joaquim Hileto tfariz se deseja (al-
iar na Capunga, porto do Lasierre.
Troca-ae urna excelleote cisa terrea no Po-
co da Panetla com 3 salas da (rente, 2 quinlaes
onde podem estar duas (amilias independent,
por outra terrea nesta cidade : a (aliar na ra do
Imperador n. 83.
O Sr. estudile Jos Joo Heodes da Rocha
queira annuncia.r a sua morada para ser-lhe en-
tregue urna encoramenda que lhe pertence.
Precisa-se de am menino de idade de 10 a
12 annos para calzeiro de loja de miudezas, po-
rm que seja portugus, ainda mesmo nao tendo
pralica : na ra da Imperatriz n. 78.
f roenradoria no Cear.
Gaudino Menilippo da Costa contina a encar-
regar-se de tratar :ie cauaaa civea. crimes, e com-
merciaea, no foro da capital do Cear, bem como
a promover cobrancea amigavais, ludo por mni
razoaveii hooorarioa. As peisoaa que o honra-
ren) com aua confianza, iodicaio quem responda
pelas despesas. Em ludo prometi zelo o activi-
dade.
Ama.
Precisa-se de urna ama para todo o servico de
urna casa de pouca (amilia : na praca do Corpo
Sinto n. 17.
O Sr. em pregad o publi
co que recebeu differeutes
quantias para pagamentos de
objectos de sua repartico e
noospagou, queira mandar
entregar essas quantias que
existem em seu poder como
deposito, alias se publicar
seu nome e mais cartas pelas
quaes se prova a existencia
deste negocio.
Nesta typograpbia precisa se fal-
lar ao Sr. Joo Goncalves Rodrigues
Franca que motn em Olinda e dizem
morar nesta cidade do Recife.
Attenco.
Antonio Cesarlo Moreira
Dias, faz sciente ao respeita-
vel publico com especialidade
aos seus freguezes, que mu-
dou o seu armazem da ra da
Moeda para a ra da Madre
de Dos n 32, e est venden
do por menos do que em ou-
tra qualquer parte, plvora,
chumbo e salitre e afflanca a
boa qualidade destas merca-
dorias por serem de primeira
qualidade.
Gasas para alugar.
Segaado andar da casi o. 11 da raa do Encan-
timeoto. loja n. 33 da toa do Vinario, com ar-
micio para taberna : a tratir na raa da Cadeia
I do Recife n. 33.
Precisa-se de urna ama para todo servico de
urna casa de pouca (amilia, preferindo se de meia
idade: na ra dos Pires n. 27.
- As chis n. 7 e 9, sitia na ra da Csdeia do
bairro do Recife, e o. 8 na ra do Eocautamento
do mesmo bairro periencealea a Jos Baplisla
Ribeiro de Faria, acbam-se penhoradas pelo juizo
do commercio escrives Manoel Mara e Paos de
Andrade por execuco de Francisco Joo de Bar-
ros e Uanoel Francisco Marques: ninguem por
tanto pode a respeilo das mesmss (azer negocio
algum o qu se (az publico e consta do deposito
geral.
Recite. 21 de maio de 1662.
R. J. Barata de Almeida.
Ao publico.
Tendo madame Lecomt recebido de Paris um
gvande, bello e variado sorlimento de perfuma-
ri < e objectos apropriados a se (azer presentes,
(ax disso sciente ao publico, assim como que em
sua loja, na ra da Imperatriz n. 7, ae recebem
encommendas de trancelins e lodaa as obras (ei-
as de cabellos, para o qae tem am empregado
francez, perito n'arle de cortar cabillos, o qual ae
acb asrdeos do publico a qualquer hora, cus-
t ndo esds corte 500 rs. A mesma madama de-
clara que recebe lavas da pellica de Jouvin por
todos os vapores.
Attenco.
*
Trocam-se imagens do Se-j
nhor Crucificado, da Senhora
da Gonceico, das Dores, do
Rosario, de Santa Anna, de S
Jos, de S. Sebastio, de San -
to Antonio e outras mais por
um terco de seu valor : na ra
da Imperatriz n. 21 serrara.
Preciss-se fallar ao Sr. Antonio Venceslao
Borget: oa ra Direita, loja n. 30.
Deseja-se fallar com o Sr. Antonio Jaasen
de Matios Pereira: oa ra Velha o. 33, a negocio
que o mesmo nio ignora.
Na travesa da ra das Cruzes n
2, paimeiro andar, tinge se para todas
as cores com presteza e commodo preco.
Alugam-sa daaa pequeas mei-sguas de
porta a janelli cada urna, silss na ra do Gas-
metro, por preco de 6$ mensaes, proprias para
homem aolteiro: a tratar noaobrado ao norlo da
fabrica do gaz beira do rio.
D-ae en tu lho de urea casa qae se coocerta
no paleo do Paraso o. 7, neitce dias: quem
quizer pode procurs-lo oa mesma casa cima.
Aluga se o 2o andar na ra do Livramento
n. 19 tratar no mesmo.
Asphalto.
M. L. Coelho drAlmeids, primeiro e nico as-
phaltista nesta provincia, transferio aeu escrip-
torio para a travessa do Cirmo n. 10, onde ou-
tr'ora eetava : ahi recabo encommendas para oa
productos de sua fabrica, como sejem : eal(idis,
terne/,soslbos de srntazeos o caaaa de morad',
encanameatoa d'agui, rodapi, degroa de caca-
da, e oatros misterea a que applicaval o n
phalto.
Precisa-se slugsr ara sitio qae nio seja lon-
go da prses, o quil tenbs cass para familia, bii-
za do capto qae sustente annailmenle de 3 a 4
cavalloe, e algaoa arvoredo, preferindo-ie que
tenhibmhos: qaem o tlver annancie, ou dirija
sa a raa daCraz
tende.
S4mor e dever paternal.!
O abaixo assignado pac do ba- j
' charel Guilhermino Clemente ]
\ Marques Bacalhao, faz publico
que o seu filho exerceu 8 annos '
' o emprego'de juiz municipal do \
9 termo de S. Leopoldo na pro- '
' vincia do Rio Grande do Sul e o '
W segundo quatriennio findou no '
w mez de fevereiro do anno pas> '
9 sado de 18til e no mez de maio '
do dito anno recebi urna carta ^
endoressada por elle, ja fazendo I
^18 mezes que nao escrevia-me, e I
P at esta publicacio abaixo da-
P tada, nao sei se existir' vivo ou I
p morto, residindo ou nao no re- '
I ferido termo. <
S A vista do meu grande pesar I
P e de sua me, rmaos, parentes <
P e amigos, recorro a este concei- 4
P tuado Diario rogando o favor i
P impagavel a qualquer digno se-
| nhor que tiver relacdes com raer-
P ciaes para a referida provincia I
p indagarem se existe esse meufi- i
) lho no lugar mencionado e do
I seu estado e profisao devida e
| todo o resultado poderao com- @
I mullicar nessa cidade do Recife
p ao Sr. Laurino de Moraes Pi- $
nheiro e a dous mcus filhos ac-
demicos Magno Bruno Marques Q
^ Bacalhao, Joao Silverio Marques (|
I Bacalhao, todos residentes nesse f
Iugar. S
P Muito ficarei obrigadissimo ao M
p senhor que se extorcar a fazer-
^ me certo dessa noticia tao dese-
P jada. Engenho Carauba 15 de
maio de 1862.JoSo Marques
h Bacalhao.
*
m-
Irmandade do Divino Es-
pirito Santo.
De ordem da mesa regedora convido a todoa oa
"otos irmoi a reunirem-ae em nono consisto-
rio domingo 25 do correle, ea 9 horas da ma-
nha, adra deque em asesa geral, e de conformi-
dide com as disposiedes dos arts. 102 a 107 do
compromisso, eleeerem a mesa regedora para o
anno de 1862 a 1863. Outro sim scieotiBeo a to-
dos os noaaos irmoa que a copia da consulta a
que proceden o conselho fiscal para oa diversos
cargos da mesma mesa, acha-se afiliado na por-
ta da sachristla da nossa igreja. Consistorio da
irmandade do Divino Espirito Santo 21 de maio
de 1862.
Antonio Augusto dos Santos Porta,
Escrivo.
Manoel Jos de Carvalho, csizeiro neala
pri(i dos Srs Heorique & Azevedo, participa ao
respeilavel publico, com especialidade 10 com-
mercio. que por hiverem muitos de igual nome,
Q'cn era diaota asiignir-se-ha
Manoel Roberto de Carvalho Guimires.
Precisa-sa de um cozioheiro que seja de
bons costreos: a raa Formosa, sobrado de um
andar n. 17.
Aluga-ie o lerceiro andar da casa da ra
do Pilar n. 143, a qual tem vi-ta para o mar, e
muito freses : a Iralir ns meima, taberna por
baizo.
o Sr. Joo Correia Carneiro tem urna carta
oa ra da Cadeia n 62. aegundo andar.
Vende-ae aas faqueiro de pnla, (obra da
cidade do Porto) muilo bem acabado : ni raa da
Cadeia n. 62, segundo sndar.
De fiambre, rosbif e salame no cafe'
dos arcos (vulgo da Paiva) as noites em
que houver circo e theatro lyrico, as-
sim cjrao tem a melhor cerveja que
existe no mercado.
Jos Francisco de Souza Maga-
Ihaes taz sciente ao pblico que dexou
de ser caixeiro do Sr. Joaquim Francis-
co de Mello Santos por assim lhe con vir.
Empreza de illu-
minaco a gaz,
A vista de muitas queixas a empreza
de gaz participa ao publico, proprieta-
nos e moradores as diversas casas que
se queixam da insuficiencia e mesmo da
falta total de i Ilumina cao publica, que
ella esta' sempre prompta a eolio car os
lampedes cuja falta se faz sentii, logo
que receba do governo provincial as
competentes ordem, da mesma forma
mandara' encaar gaz em todas as casas
particulares, gozando os proprietanos
destes da grande diminuicao de precos
estabclecido em marco prximo passado.
Chama tambem a attenco dos mora*
dores das muitas ras aonde nao che-
gara m ainda os lampeoes pblicos, ao
tacto que com certo numero de casas
particulares, a empreza esta' prompta
\ collocar o encanamento geral a sua
custa pelo servico destas, anda que
nao esteja autorisada a collocar a Ilu-
mina cao publica.
Outro sim faz publico que para as ca-
sas particulares ss quaes deve o gaz ser
conduzido de distancias consideraveis
(cima de 100 ps por exemplo) col lo-
ca se o devido encanamento pelo minj-
mo custo e t rabal lio dos materia es, e
em certoscasos por menos ainda.
Lustres, candeiros etc vendem-sa
pelo mnimo preco que permita o
grande prejuizo em quebras e despezas
estando a empreza determinada a fazer
quaesquer sacrificios para satisfazerao
publico.
Novidade
Amendoas confeiladas, cortes das mesmss, pa-
pis com estalo, ludo muilo novo, vende-se por
menos do qae em outra qaalquer parte : na ra
da Seozala Nova n. 30.
Aluga-se o sitio o. 1 di Cruz de Almas, em
o qual reside actualmente o Sr. Samuel Pavrer
Johnston : a tratar na ra da Aurora n. 36.
Irmandade do Divino Espirito Santo,
erecta no convento de Santo Antonio
desta cidade.
Ere virtude do irl. 55 do nosso compromisso
convido a todos os nossos charissimoi irmos pa-
ra compareceris no coniiatorio de nossa irman-
dade domingo 25 do correle, as 9 horas da ma-
nha, ifim de eleger a nova mesa qae tem de
reger de 1862 a 1863. Consistorio da rmindide-
do Divino Espirito Saoto 19 de maio de 1862.
Manoel da C. Honorato.
Secretario.
Precisa-se de um menino de 12 a 14 aooaa
para caixeiro de tabaroa, prefere-se dos ltimos
chegados de Portugal : para tratar, na esquina
da ra da Senzala Nova o. 39, taberna.
Aluga-se o segundo andar do casa da ra
Direita a, 24 : s tratar na padaria.
Aluga se a excellente casa da ra
dos Martyrios n. 2, onde morouo Exm.
brigadeiro Muniz Tavares commandan-
te das armas da Bahia, composta de 2
andares e soto, contendo boas salas e
quartos, com janellas no oitSo do lado
do sul e muito fresca : a tratar com
Antonio Jos Rodrigues de Souza na ra
do Crespo n. 15, thesouraria das lote-
ras.
Urna peaoa habilitada noensino deprime!-
raa letras, lallm e francos, so propde a exercer
essaa disciplinas em slgom engenho pouco dis-
tante desta praca : quem carecar dirija-se a esta
typographia, ou naa Cinco Pontea a. 110.
Thomas Teixeira Baatoa vai a Europa, tara-
do de ae demorar alguoa dias em Pariae em Lon-
dres, ae offerece aoa seus amigos legistas e a
qualquer particular que precissrem de quslquer
eocummenda de fazendas, miudezas, objectos de
moda e de luxo, perfumaras, cryatars, bij'.ute
ras, pianos, e qualquer outro artigo que se en-
cumbe fazar com toda exactido possivel, e cora
condices mui sizoavels.
Attenco
56, loja, que dir quem pre-1 segundo andar engor mi
'fora.
O sbiiso ssiigmdo identifica aos ainhorea do-
nos dos eslabelecimeotoi da freguezia da Varzea,
que nio pagues as aferiedes das meimes io Sr.
capillo Minoel Joaquim Correia Aotunes, visto o
aoaiso auado nao ter autorisado ao mesmo
aenbor para tal recebireento, e qaUes que li-
verem pago so mesmo capilo lem de pagar se-
gunda ves.
Antonio da Silva Gusmo Jnior.
Urna portuguesa, no pateo do Paraizo o. 4,
perfeitameats para
Irmandade
do Senhor Bom Jess das
Portas.
O abaixo assignsdo. escrivo desta corporaco
erecta na igreja da Madre de Deoa, convida a to-
dos os seui irmos a reuoirem-ie no consistorio
da referida igreja quiota-feira 12 do presente miz,.
pelia 6 horss di tarde, psrs o fim de se spprovsr
o oovo compromiiso que se ach (ello e qae toa
de servir de le a esti asiodsco.
Jo- Antonio Pinto Serodio.
Arma do Reg Barroa participa ao respeila-
vel publico que ella nio deve cousa alguma a al-
guem. e qao oo so respooubilisa por qaalquer
divida qae se contraa em sea nome.
Ama.
Precisa-se de urna malber forra oa eacrava
para urna can de pouca familia a que sirva pata
todo o servigo oa raa do Queimado o. 39 loja
defazeodss.

i
Compras.
Compini-semoedasde ouro: aa raa Nova
n. 22, relojoelro.
~rrr.
_i_



WP
-r

nOLOai fMKMWGO. GUlflTA IllaU 91 ft* MAJO aa


glez
renda sendo
Queimado o.
dsscobsrlo
18.
|i-#.U lo- g|
i*n prefe- 1
na ra do m
m
isa terrea b<>a que tenha
nkiju 4a donceicio, no
: quera tiver per vender, di-
-Jefa o. 46, primiif andar, a
tratar com o agentelEuzebio, que dmej.1 eatisa-
Compra-
bon quintal,
baixro da Boa
rija-se a ra
xir ama encommende.
1-
vSid


as.
Vende-se cera em gruta 3: na ra
da Cruz n. 60.
Attenco ao vigilante
Na rua do Crespo n. 7, loja que
foi do fallecido Joo Ceg,
est torrando por todo o
preco.
Coraet.
Os verdadeiros floa de coraea redondos asaim
como rail, pota o mais superior que im vindo
ao mercado : i do vigilante ra do Crespo o. 7.
Micanga ou continhas.
Jlcana ou continhas de muito Ut.daa corea a
240 rs. o macioho : do vigilante raa do Cres-
po a. 7.
Continhas do Rio.
Continhas doaradiohai miuda e groase proprio
para pulceiras daa quaea ae estao atando muito
por ser ultimo gosto, a 240 rs. o maciuho, asaim
como aljofir b.anco ede cor a 300 ra,: no
vigilante ra do Crespa d. 7.
Lencos brancos para algibe ra.
Ainda ae reodem lencos braocoa finos para al-
gibeira pelo bsrslissimo preco de 29-100 a dazia :
na loja da boa f, na ra do Queimado n. 22.
Meiat para senkora.
Veodem-se meias Anas para aenhoca pelo ba-
ratiseimo preco de 3&600 a duzia : na ra do
Ueeimado n. 22, na bem coobecida loja da
boa fe.
Pennas d'aco.
^*Al!rT6^d"del^ Penas nglezas caligrephicas a
i#4Wl rs. a caitioba : i oo vigilante i u.i do Crea-
do n. 7.
Banlias ou leos e cheiios.
A superior banha transpareole a SOO rs. o
fraseo.
Dita em latas de folbade meia libra a 500 rs.
Dita em latn lias de quarta a30n.
O verdadairo oleo da sociedade hygienica a
900 ra. o frasco.
Dito macassar e muito Cao em frasco oeaae-
no a l|600 a duna. "
A verdadelra agaa de coloola frasco grande a
Ditos peqaeoos mesmo em garraflniea > 400 rs.
DUoa com auperior agua de flor de araoja fras-
co grande a 400 ra.
Dito com excellenle agua celeste frasco gran*-
de a lf.
Dito fraaqoiohoa pequeos com vinagre rugi a
400 ra. : so oo vigilante roa do Cresp > a. 7.
Para conservar dentes.
Oa verdadeiroa pos da sociedade bvgienica pa-
ra deotea em fraaquinhoa de vidro o'mais supe-
rior que tem apparecido pelo baratissimo preco
de 19 o (rasquinho, assim como eni caiiiohas
qeadradinhas a 200 rs.: i oo vigille ra do
Crespo o. 7.
Gollinhas e pulceiras.
Lindas gollinhas e pulceiras de m caoga pelo
baratissimo prego de pulceiraa gclliohas 32,
pulceiras s" 2 e gMIiohne lfl e 1#5CK>: s oo vi-
gilante rus do Crespo o. 7.
Sestinhas
Sestinhas muito linda com leus perlances pa-
ra menino 39 e 46. aasim como in liipensaveis
de cootiohas ou micaoga proprios para menina
trazer do braco com lenciobo pelo baratissimo
preco d 16 : s no vigilante rus do Crespo nu-
mero 7.
Tntenos.
Tintairos proprios para menino de escola ou
mesmo para quem os quizer comprar por bara-
tissimo preco a 500 rs.: s do vigilante ra do
Crespa o. 7.
Allencao! atiene n!
Aos pais de familia, bom e ba-
rato.
Na loja n. 20 da ra da Imperatriz scha-ae a
venda um completo e variado sorlimeoto de boas
fazeadas, e qae >ista de suas qualid idea sao ba-
ratissimamente vendidas, e para mait veracidade
do qae fica dito, abaixo vo mencionadas algumas
das ditaa fazeodas, a saber :
Chitas largas cor flis a 840 rs.
Madapolao uno com 84 jardas a 5j}.
Cambraias da cores a 880. 3-20 e 4C0 rs. o co-
vado.
Velludo preto e de cores a 26.
Ltodeza de cores a 160 rs. o covado.
Lencos pequeos s 80, 120 e 160 rs.
Chapeos de caaior fino a 86.
Chitas pretas mullo largas e fioas a 340 rs.
Algodao trancado preto muito bom para vesti-
dos da cscravos a 200 rs.
Cimbris lisa com 10 jardas a 86.
Cassa da salpicos com 10 ditaa a 36.
Cambraia bordada para cortinados com 8 Ta-
ras a 2/.
Rival
sein igual.
Miudezas e rap.
Ra larga do Rosario numero 36.
Lia da cores sortidaa. libra a 66400.
Sintos doarados a 16600.
Ditos ditos com pootss a 3>500.
Agulbas franeszas curtas e compndas a 60 rs.
Ditaa cantlas a 180.
Feotes da djmsb para alar cabello a 500 ra.
Oitos da dita idem (doaradoa) a 16200.
Carrateia de ratroz de cores s 380.
Eseovas psra cabello mullo boaa a 800 e 16.
Cartas da alfioetes a 80, 100, 120 e 140 rs.'
Estovas para unbas muito boaa a i23e 500 ra.
Franjas pretas com vidrilbo a 320 100 rs.
Trancas pratas com dito s 840.
Bicos pretos muito bons a 180, Sil1, 320 a 400
rasa.
Carreteis de lioba a 30. bO e 80 ra.
Eofeiles de retroz com franja a 5J>3(.0.
Meias para aeohor (duzia) a 26500.
Ditas eraas psra homem a 26400 e 3ff.
Teaouras ordinarias a 30 rs.
Frsojas da lia eatreitas (peta) a 900 ra.
Sabonetas da bola fios a 640.
Frascos da diversos chelros a 380.
Linha de fedroVa 30 rs.
f016*" Para eaaaveqoa a 10, 30 a 40 ra.
Rap Patio Cordeiro (verdadeiro) a 1|600.
SU0 8oso e raeio grosio a 1WW.
Dito dito fino a 11280,
Eoutras muiWs maia miudezas que com a pr-
sense dos boos freguetes ae venderio biratss
Veode-se um bahu qoiai aovo. a tsmbem
um bote proprio para paaaeto, com ledos os sins
5rS?' ?.: ,r,tor eom Sr. Santos, ras
aoGordooizo.l.
8SMV.eM,.,!:,,"''P,,$*a8J,eC0"0a9 >'
^AiS ^^."'dir Wfc
- /*? .* a* 7 hora i, a a 240 a
garrafa, da qainla-fslri em diaote : is pracTdo
Corpo Santa. r ^
Srat-sOBfelir-
a 16.169091 W4Ta*l|V*19Pctoril 12
ra. a papel, lampara** aasaarasiaa a 100 ra. a
cana, carteiras para escrever s 141 e 16, caixaa
para costura a 8f a 16J, grixa ftaacea econ-
mica a 640 o pota, facas americanas para mesa a
09 e 76 a duzia, meias para aeohora, homem, me-
ninas (te. por todo o preco, braceletes de cabello
cas pedra roa a amarefla a 56 cada um : s
ha aa ru do Queimado loja Esperaoca n. 33 A,
Colmarles & Rocha.
meias moendai.
ferro batido e
Moendas r>
Taixas de
coado.
Machinas de vapor.
Rodas d'agua.
Rodas, dentadas etc., etc.
Ru do Brum n. 38, fundicSo
de D. W. Bouman.

sem segundo
Na ra do Queimado o. 55 loja da miadezaa
de los de Azevedo Maia a Silva, sti vendando
todaa as miudezaa bariliaaimaa, a aaber :
Papis de agulbas s balio muito supe-
dores a ( 80
Caixaa com mullo fioas obreias a 40
Carios com clcheles, tem algum de-
futo a 10
Frascos da macass perols muito fino a. 100
Caizinbaa com papel pequeo da diver-
sos gotloa a 720
Pacoles dito dito dito amizade a 720
Novellos de lioha de Crux a melbor
que ha a 40
Caixis com sgulhas curtss de superior
qualidade 800
Eotremeios, a peca com 3 varas 1|2 a 1S000
Sabonetes muito fios a 120
Papis de agulbas francezas com toque a 10
Pares de botos para puoboa de muilos
modelos a 240
Pares de meias cruss para meninos a 160
Ditos de ditaa cruas para pequeo a 16o
Ditos da ditas psra meoioas a 200
Frascos com agua de Lavaode embreada a 800
Ditoa com cheiros muito linos a 140 e 500
Ditos cora banha muita fin a 240e 380
Ditos com superior banha de urso a 600
Ditos com oleo babosa mullo fios240 e 380
Ditoa com oleo do Rio muito auperior a 500
Ditoa com superior philocoma a 900
Ditos com baoha philocome finissima a 16000
Ditos com banha transparente a 800
Ditoa rom superior agua de colonia a 500
Ditos com macasaS (oleo) a 100
Dites com auperior opiata a 500 e 800
Carines de linba Pedro V, com 100 jsrdas a 60
Ditos da dito dito, branca de coraa a 20
Carrileis de lioha com 100 jardas a 30
Masaos de linba frouxa para bordar a 240
Pentea de matQm de auperior qualidade a 16000
Rival
sem segundo.
Na rus do Queimado n. 55, defronte do sobrado
novo, loja de miudezas de Jos de AzevedoMaia
e Silva, esti qoeimando tudaa as suas miudezaa
pelos precoa que abaixo se declara, pois a quadra
boa para apreciar:
Duzia do metas cruas maito enaorpadasa 86400
Dita de ditaa brancas muito boas a 16600
Dita de dilas cruas muito fioas a 4$000
Dita de ditas brancas para sanhora, mul-
to finas a BfOOO
Carrileis de retroz de todas as corea a 80
Crozas dapeooas da aea de todas as quall-
dades a 500
Dita de ditas calllgrsphicas 1$600
Nvelos de lioha muito grandes a 60 e 120
Caixas de agulhas perfeitss a 160
Baralhoa porluguezes a 180 e 160
Groza de botoes de osso pequeos para
caiga a 120
Teaouraa para unhas muito superior qua-
lidade a 400
Ditas para costura muito finas a 400
Ditas pequeas porm linas a 800
Baralhoa frincezes muilo tinos a 140
Agiilheiroa com agulhas superiores 80
Caivetes de apara? pennas de 1 tolha a 80
Pares de sapatos de tranca de lia a 11880
Cartea de alfinetes franceses a 100
Parea de luvas brancas de algodao a 100
Eseovas para limpar dentes muito fi-
oas a 800 e 310
Massos de grampos de todas as qusli-
dadea a 40
Dedaes com fondo de seo a 100
Caixas com colxeles fraocezes s 40
Tinteiros de vidro com tintas 160
Dilos da barro eom lila superior a 120
Areia prela muito fio a libra a 120
Labyriolho por lodo prego.
Vara de franjas largas brancas a 200
Pioea de nova inven;ao para meninos a 200
Liaba branca do gas pelo preco ji sabido que
10, 20 e tres por dous, e outraa muilas miudezas
que vista fari ( pelas anas boas qualldades e
presos entao nao fallemos.
- Vende-se urna cass pequea do Camioho
Novo n. 5: a tratar na Capungs n. 35, noa quatro
cantos, labersa de Jos de Almeida Ferreira.
Ultimo gosto.
Gollinhas bordadas e puohos
com botos para senhoras.
A loja d'aguia branca, onde bem se encontrara
objectos modernos e de gostos, acaba da receber
um lindo sorlimenlo de gollinhas bordadas a pu-
nhos com bonitos boldes, o que hoja ultima
moda, e por isso neohuma seohora se deve ne-
gar a comprar urna dessas guaroiedes por 26000,
tanto maia quaoto ellas sao necesaarias para
completo oroameolo daquellae que torio de apre-
ciar as bellas representaces do Martnaogeh, e
mesmo as que oio forem teera igual direito de
comprar esses bonitos srraoios ; ns loja d'aguia
bracea, ra do Queimado o. 16.
Queijos
os mais frescos que tem rindo ao nosso
mercado chegados no ultimo vapor a
20400 e no passado a 10800.
Amendoas
confeitadas a mais bonitas que lia no
mercado a 800 e 1# a libra : vndese
nos armazens Progresista e Progressi-
vo no largo do Carmo n. 9 e ra das
Cruzesn. 36.
Charutos de Havana.
Os melhores charutos da Havans, sio encon-
trados por preco raioavel, em casa da Leandro &
Miranda, na ra do Crespo n. 8 A.
Carlos IV e III.
Venda-se com esta afBgie pa taces hespa-
nhoea: na ra larga do Rosario n. 24.
Muita attenco.
Na loja de Silva Cardozo, ra do Im-
perador n, 40, vndese roupas feitas
de todas as qualidades pelea precios
mais baratos possiveis que se pode ima-
ginar, pois poda Tir os freguezes cor-
prar porque pechincha.
Aljfar uro imitando parola.
Vende-se a 500 rs. o 'fio do aljfar fino, imi-
tando parola : na roa do Queimado, loja d'aguit
branca n. 16. 'T
Cabriolet, carrooa e cavallo.
Vende- se um cabriolet deseo bario, qaasi novo,
com os arrelos para nm cavallo, a qaal eali sen-
do pintado de novo, um excellenle cavallo do
mesmo, de car roca, a mallo manso, sendo am
dos melhores animaos de cabriolet que existe
nesta cidaue, a urna carraca am bom catado para
cavallo : patayes, na cocheara de Thomas Jos
dos Reia, perlada praga do espira, e para tratar,
na ra do Trsnkhe n. 14, prieneiro aadar.
Ra da Seiizalla Nova n. 42.
Neste estabeleciment vende se: ta-
chas de ferro coado libra lien. dem
de Low Moor libra a 120 rs.
Si utos com borlotas e sintos
de camafeo.
Veodem-se sintoa de camafeo oa mais moder-
os que ha no mercado, agulhas imperiaes, agu-
lbas Victoris, agulhas curtss, enfeiles psra sa-
nhora. linhaa do Pedro V de 200 jardas a 60 rs.
o cartao e muitaa outras miudezas em conta s
i vista se dir o prego de lado : na ra larga do
Rosario loja de miudezaa o. 38.
Joo Jos de Figueiredo tem a honra de parti
cipara seus numerosos freguezes que em seu es-
labelecimeoto de fazendss Iota, na rna do Cres-
po D. 9, se encontra am completo aortimento de
fazsndas do ultimo gosto e mais baratas que em
outra qualqucr parte por se querer liquidar, co-
mo sejam :
Capas de groadenaple de 30, 40 e 45$, muito
ricas.
Chapeos de palha de Italia para seohora a 181
e 381000.
Ditos de seda psra aanhora a 12 a 86|.
Ricos enfeiles de flores para theatro ou bailes
a 15|000.
Ricoa corles de seda de muito boos goitos a 80
e 12OJ000.
Chales de casemirs muito ricos s 159000.
Manteletes brancos de seds de rede para se-
nhora a 28*.
Vestidos pretos bordados a velludo.
Ditos de cores de diversos gostos e precos, e
mnitos outroa arlfgoa psra senhoras a homens,
muito modernos, e mais barato que em paite al-
guma.
De Havana.
Sio chegados os msis siborosos charutos do
Uavaoa que tem vindo a este mercado, e achara-
se i OsposiQao dos apreciadores, em casa de Le-
andro & Miranda, os ra do Crespo o. 8 A.
Arados americanos e machinas
para lavar roupa: em casa de S. P.
Johnston & C ra da Senzalla Nova
u. 42.
Luvas de pelica e camurca.
Vende-se luvas de pelica de Jouvio a 2#000 o
par, ditaa de camurca proprias para montara a
2}000, ditas de escocia a 800 rs. o par oa ra
do Queimado loia de miudezaa da Boa fama,
n 35.
I
Novo sorlimeuto de la-
zenilas bralissimas,
NA
Loja do Pavorua da Impera-
triz numero 60.
DE
G\HI\& S1L.VA.
Veodem-se es seguales fazeodas por precos
baratissimos afim de apurar dinheiro : capas
snissas a imilscio de sedas de quadrinhos sen-
do de lodss aa cores e cores muilo fizas a 800
ra. o covado, brilhaoUnaa de quairinhos muito
eocorpadas para vestidos de senhora e roupas
para meninos sendo muilo maia larga que chita
a 800 rs. o covado, gorgario de lioho lazenda
muito nova para vestidos a 880 rs. o covado,
musselina branca com 4 1(1 palmos de largura a
800 ra. o covado, grande e variido aortimento
de cassas para vestidos aeodo os padrdes moder-
nissiroos e ss cores fizas s 280, 300 e 320 rs. o
covsdo, chitas francezas de cores fixas escuras e
alegres a 240, 260, 280, 300 e 30 rs. o covado,
chitas inglezas a 140,160 a -200 rs. o covado,
cortes de cassa tendo 7 lr2 varas esds um a
2*400 rs., corteado orgaodys com barras lando
2 varas cada corte a |, corles de bareges com
88covados aSj. ditos com as saiss feitas a 59,
liazinhas de cores a 280 rs. o covado, de todaa
estaa fazeodas dio-se as amostras deixsodo o
penhor na loja a armazem do Pavio, de Gama &
Silva, oa ra da Imperatriz n. 60.
M&dapolodo Pavo.
Vendem-se finiaaimas pecas de madapolao com
84 jardas a 48500, 4800. 5. 5S500 e 6}, ditas
francezas eofeatadas com 14 jardas a 38 Da ra
da Imperatriz n. O, loja do Pavio de Gama &
Silva. w
Lasa320 rs.
Vendem-se modernissimas liazinhas com pal-
mas a 320 ra. o covado: na ra da Imperalriz o.
60, loja do Pvo.
O Pavo vende a A$.
Pegaa de cambraiaa de corinhos brancos e de
todaa as cores tendo 8 1|8 varas a 4 : na ra da
imperatriz o. 60. loja do Pavio.
O Pavo vende
cortea de cambraia rumio fina com dona babados
adates saias sendo delicadamente bordados a
4?, ditos sendo todos adamascados a 4J, cortes
de phaotasia lazenda finissima a 6$. dilos a 4500
a 5* : oa ra da Imperatriz n. 60, loja o arma-
zem do Pavio de Gama & Silva.
Panno preto.
.-yde*!S paDno pret0 muitu eocorpado a
1S60O, l800 e 8. e dito cor de caf: oa rea de
Imperatriz o. 60, loja do Pavio.
Chales do Pavo.
Vendem-se chales de merino estampados mui-
to grandes a 39. ditos de cassa adamascada a 800
rs.: na raa da Imperatriz n. 60, laja a armazem
do Pavao da Gama A Silva.
Sapatos de borracha para
senhora a 1$50G o par.
Estamos no mez Mariaono.e por isso de oe-
cessidade que as seoborss qaa bem se applicam
a esss boa devocio se previosm de am par de
espatos de borracha para aasim tereco os pee res-
guardados ds humidada e em atteacao a lio
justo e louvavel fleo estao se veodendo a 1*500 o
par: na ra do Queimado, loja d'aguia branca
oamero 16.
losas artificiaes para ca-
bello.
A loja do beija-flor tendo recebido bonitas r-
ese que se estao usando para os cabellos, veode
oa ra do Queimado na loja cima n. 63.
Oh
que pechincha.
Grande pechmna na loja do
Paletots e calcas.
Vendem-ae paiateHe da panao preto fino e 6.
leas de easemara a*U a 4500. paleta da ferjey
de cores a 6|, ealcaa:d%dlea 3500 : ns rus da
ImperalrJz p. |0, Uj, d# p,t|.
ASmiM o Pavo.
Vendem-se seroulss de lioho fraaeezas a 8* o
SsVaJBi1^w *"**
tHCES.
PaVo.
Vendem-se os mais ricoa chales com ponta re-
donda a borllas teodo ss barras a imitacio de
pelucia e assetiDsdss imitando ss espinas mais
modernas pe baratissimo prego da 4S500, ditos
de 4 ponas a 4J500. dilos a Garibaldina sendo
maiio graodea a H: na ra da Issperatris n.
60, loja do Patio da Gama & Silva.
Saias bordadas a 2^500.
Vendem-ae saiss bordadas maito bonitas a
J#50 cada urna: na ra da Imperatriz o. 60,
loja do Psvao.de Gama & Silva.
Bales do Pavo,
Vendem-se bales de bramante (ranees com
arcos, sendo sa melhorea ermacoea, palo diminu-
to prego de 3 a 31500: na ra da Imperatriz o.
60, loja do Pavio, de Gama & Silva.
Saias com arcos de lioho.
Vendem-se ss scrediladas saias com arcos de
linho que fazem as vezes de balio a 3J200 e a 4$
esda un*estBS saias s ha oa loja do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60, loja e armazem de Gama &
Silva.
Para meninos a 4#5t}0 -
Vendem-se vestidinhos de seda para meninas,
mdilo bem enfeilsdos, pelo diminuto prego de
4(500 esds um : na ra da Imperatriz n. 60, loja
do Pavio, de (jama & Silva.
Olhem para o Pavo e leiam.
Camiziohss com gollinhas e manguitos de cam-
braia bordados, lazenda muito mudemissims s
59000.
Ditas de fusilo com salpicos de cor s 38000.
GoIrsms bordadaa com botioziohoa a 18000.
Ditaa ditas de gostos a 640 e 800 rs.
Dites com manguitos de cambraia
1*600.
S na grande exposico de
fazendas baratissimas
na loja e armazem da
Arara, ra da Impera-
triz n. 56, de Maga-
no bra^o.
Muito lindas caixinhasHcHfczes para meninas
de 100 ris al 28500: na loja da Victoria: oa ra
do Queimado o. 75.
Enfeites para senhora.
Oa melhores enfeiles pretoa e de corea que sp-
psrece s 51500. 6 e 6J500 : na loja da Victoria,
na ra da Queimado o. 75.
Franjas pretas com vi-
dritlio e sem elle.
Ricoa sortimenlos de franjas pretas e de cores
com vidrilho e sem elle : na loja da Victoria, na
ra do Queimsde o. 75.
iohsde peso verda-
deras..
Linhas finas de
grandes a 840 ria :
do Queimado o. 75.
peso verdadeiras, meadas
oa toja da Victoria, na roa
Phosphoros de seguranza
Pbospboros de segursnes, por que litrs de in-
eeodio, a 160 ris a caixa : na loja ds Victoris,
na ra do Queimado o. 75.
Baleias para vestidos.
Balelaa muilo grandes e boas a 160 ris urna :
na loja da Victoria, na ra do Queimado d. 75.
Linha de croxel para a-^
byrintho
As melhores linhas de croxel para labyriolho,
novellos moostros s 320ris um : na loja da Vic-
toria, oa ra do Queimado n. 75.
Ricos espclhos de
moldura dourada para
salas
Chegou para
a loja da Victoria urna pequea
porgio de ricos espelhos de vsrios tsmaohos para
ornamentos de salas, affiaogando-se serem os
Romeirss de cambraia enteiladas para lulo
3S000.
Camiziohas para senhoras bem enteiladas a 3f.
Leaciohos de lioho com labyrintbo para mao
a 21500.
Dilos s imitagio do labyriolho a 1> e a I9S8O.
Luvas de torcal eneitadas de vidiilho a 500 e
e 640 rs.
Eofeiles pretos com vidrilhos a 8000.
Ricos enfeites s tores e Garbaldi a 5(500.
Ditos muito benitos a 2&500 e a 35500.
De ludo die-se as amostras ficando penhor: na
loja do Pavio, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silve.
Papel de todas as qualidades.
Vende-se a 4)400 de quadrinhos, ditos pauta-
dos s 3j>600, dito almago pautado a 4# e 49200, oas do gaz a 900 ria a caixa, ditas com
dito greve a 4g600, em caixinhas de diversas co-
res a 640 e 1$, dilo branco pautado a 800 rs,, ao-
ve lopes de cor a 640, dito branco a 900 rs. : oa
loja do beija-flor, ruado Queimado n. 63.
Ricos cintos dourados:
Vende-se a 9f e 2*500, ditos de fila a 118600,
fitas psr debraohos de collete a 280 a pega, tiras
bordadas s ly e 19200 ; na loja do beija-flor, ra
do Queimado o. 63.
Vemdem sa teaouraa fioas para costura a
1. dilatara anha a 640 e 800 rs., dilas finas a
900 rs. a dazia, pentea de travesea para menioa a
lhesMendes.
Veode-se o mus barato peuiveU aahar 1 lae-
zinhaa para vestidos de senhora., e roupoe me-
ninos a 320 rs. o covado. la chVaeis
cor propria para capas da moda
palmos de largara a 610
de ama s
com 4 e mel
- rs. o covado, (ualio de
cores para vestidos de seoboras t 280 e 320 rs.a
covado, casas* a Turca muito floa a240e280rs.
C?*d0 : D4 rua d" InjP*ratrix loja da
n. 56.
Arara
Arara vende as cambraias.
o-,Vndem"g8 De" d# cambraias lisas a 11600 e
2800O, ditas finas a *2500. 3#000, e 3|5O0, golli-
ooas para senhoras a 500 rs. golla e msngaitos
de linho a 2500. hocos branco a iaiUcia da
labyriolho a f60: na rua da Imperalriz loiae ai-
mazem da Arara d. 56.
As saias da Arara.
Vendem-se saias brancas bordadaa a 21500.
ditas de 4 pannos s 3| e3J500.cambraias deca-
ZTV CKm 8 e meJi rar" 4 PeS. re
de chitas finas com 13 corados a {$500 : na tus
ds Imperatriz loja a armazem da Arara n. 56.
Arara est vendendo..^
Vendem-se pegas de madapolao elepbaote
mano lioo com 40 jardas a 14. dilo de 24 ardas
- 4*400, 460O, 5*000, 5500 a 6$000, dito in-
festado
35500:
.56.
a 38, cortes
na rua da
de cambraia
Imperatriz
com barras a
oja da Arara
6*0 : oa loj,
mero 63.,
VenOem
hids ao lab
de Paria, po
ras que deix
guante, rua
do beija-flor, rua do Queimado nu-
iintos para senhora.
1 os riquisimos atlos eom borla es- i
multo chique, sendo o ultimo gosto
parece-me que Dio haveri seoho-
de comprsr : Uto s no gallo vi-
Crespo o. 7.
nfeites de cabeca.
os riqnissimos enfeiles, tanto com
em ella, por baratissimo prego de
s no vigilante, rua do Crespo
Chegaem freauezes antes que ae acabem os
verdadeiroa queijos do Serid como ha muilo
lema* oio tem vindo sa mercado pelo diminalo
prego de 960 rs. s libra a 590 uteiros. a supe-
rior doce a 800 ra. a caixa o : no estabelsciasn-
U da ras eatreita do Rossria esquina da rua das
Larangeiras o. 18.
Veodem-s
franja com
295OO, 3 e 58 :
oamero 7.
Linha de peso.
Veodem-se as verdsdeirss linhas de peso, o
msis fino que se pode encontrar a 2J500 o mas-
aioho de 30 miadiohss, assim como de outraa
qualidades : s oo vigilante, rua do Crespo nu-
mero 7.
Veodem-se msDliohss de coral a 2, 28100,
e floa de coral s 720, massiohos de comas miu-
diohaa de diversas cores a 140, caixtnhaa de alfi-
netes a 200 rs. e 240 : na loja do beija-flor, rua
do Queimado o. 63.
Vendem-se luvaa de pellica de Jouvio bran-
cas para aeohora e homem, ebegadae no ultimo
vapor : na loja do beija-flor, rua do Queimado
numero 63. 1
Vende-se essearrilba de seds de todas ss
cores a 2| e 2J400 a pega, lioha de Pedro V a 20
re. o cartio, grvalas de seda eslreilinhas a lf :
oa loja do beija-flor, rua do Queimado o. 63.
,'f Veodem-se ricos eofeiles s 09 e 58500, di-
los de vidrilbo a 11600, aderegoa pretos a 29500,
rosetas pretas a 160 rs. o par, gollinhas pretas a
800 rs. e lf : loja do beija-flor, raa do Queima-
do d. 63.
Vendem-ae carleiraa propiiaa para guardar
dinheiro de.ouro e prata a 19 e 18200, esporas
finas de ago s 1J, bandeijas de liados deseohos a
18500, sinlurio de borracha a 200 ra. e 240, ben-
galas de canoa a 29 a 29500, chicotes fiaos a 29
e 419500, de estalo, ditos sem ser de estalo a
640, toueas de lia para meninos a 19, sapatiobos
de lia a 800 rs., ditos de merino a 12500 : na
loja do beija-flor, rua do Queimado n. 63.
Vendem-se peotes de tartaruga virados a 8
e a 99, carretel de linha- de 200 jardas a 940 a i
duzia, colchetes de diversas qualidades a 40, 60
a 80 rs., ditos bordados s 100 rs., massos de I
grampasa 40 80 rs., ditos em caixinhas a 120
rs. : aa loja do beija-flor, rus do Queimado nu-
mero 63.
Veodem-se toucadoresde jscsrsnd s 2fl200,
ditos braocos a 29, caixinhas com espetaos para
oavalhas a 29 e 21400, colheres de metal princi-
pe para sops a 496OO, ditas para chi a 29(00, coa-
cha para aaaucar a 640, orulos finos a 400 rs.;
oa loja do beija-flor, rua do Queimado o. 63.
Vendem-se caivetes finoa a 800 re., caba-
zes para meninas de eacola s 3, 4 e 59, carteiras
com agulhas trancaras a 240, canas ae pennas
de ago a 500 rs., meias para senhora cruas a 240
o par ; na loja do beija-flor da ruado Qaaimado
numero 63.
Vende-ae urna estrave de idade 23 annos,
s qual cose, faz labyriolho perfeilamente, cum
principio de eogommsdo e cozioha : quem pre-
tender, dirija-ae a rua do Rosario da Boa-Vista
o. 50, que achari com quem tratar, das 6 4s 9 da
maohia, e daa 2 ia 4 da tarde.
Atteco
Vendem se duaa casas na povoagio da Game-
leira, sendo urna na raa de Papecsge e a oetra
do lado da eatacao, maito boas para negocio : a
tratar em Gameleira com o Sr. Joo Venancio
ou na rua da Queimado n. 47.
Machinas americanas.
;La para bordar.
Lia muilo boa de todas as cores para bordar, a
79 a libra : na loja da Victoria, oa rua do Quei-
mado d. 75.
Sintos dourados para se-
nhoras.
Liados sintos doursdos para seoboras a 5j?200,
ditoa de pona cahida a 49, ditos de fila a 18600:
na loja da Victoria, na rua do Queimado o. 75.
Liohas do gaz,
Caixinhaa com 50 novellos de linhas muilo -
s do gaz a 900 ris a caixa, ditas com 30 no-
vellos a 700 ris, dilas com 10 novellos grandea
a 700 ris, brancas epretas: na loja da Victoria,
na rua do Queimado n. 75.
Candieiros de gaz
Chegou para a loja da Victoria os melhores
candisros de gaz que tem vindo ao mercado, por
pregoa commodos : na loja da Victoria, oa roa
do Queimado o. 75.
Ricas fitas para chapeos,
cinteiros, etc, etc.
A loja d'aguia branca acaba de receber um ez-
traordioario sorlimeoto de ricas Otas, lio boas
em qualidade quio bonitas nos desenbos, tendo
entre ellas o mais largo que possivel; assim
como algumas pegas brancas com o centro liso
proprio para inscripgoes, e muitas outraa de de-
ferentes cores como de caf, rxa, escara, etc.,
etc., e como de sen louvsvel costume : s loja
d sguia branca, na rua do Queimado o. 16, veo-
de por prego commodo essas boas e bonitas filas.
Gravatas de setim cora
ponta larga a \ %
Vendem-se grvalas pretas de bom setim e
com ponas largas a 19 cada urna, lo baratas
assim s se acha na rua do Queimado. loja d'a-
guia branca n. 16.
Grande
liquidadlo por todo
o pre?o, na bem co-
nhecidalojadoSer-
tanejo.
|Rua doOueimadon. 4S.|
Apparecam com di-
nheiro que nao deixaro
de comprar.
Chitas escoras fioas a 160, 180 e 200
rs., cortes da vestido pretos bordadoa a
velludo de custo de 1509 e se vendem
por 309,409. 509 e 709. sabidas de bsile
velludo e setim a 129 e 139, camisas
si
de
para senhora a 2{000 e 38500, gollinhas
SLHSP1*! borddas a 500, 600, 700, -
800, 900 a 19. ditas de fil bordadas a 120 S
rs., casaveques de fualio a 59, 69,7f, 89,
meias de seda brancas e pretas para se-
ohora a 19200 o par, raa de babados s
500 e 700 rs., lias de qaadro eofeatadae a
300 e 360 rs. o covado, cambraia preta a
400 a 440 rs. a vara, orgaodys de cores a
600 rs. a vara, fil branco adamascado
para cortinados a vestidos a 400 e 500
rs. a vara, cortes de collete de casemira
bordadoa pretos a 29 e 3000. ditos de
velludo de cor e pretos s 39, 49, 59 e 69,
paletots de brim branco franceses a
39500 e 49500. ditos de casemira de co-
rea o pretoa a 14 e 169. ditos de alpaca
preta e de cores a 39,3f500, 49 e 49500,
camisas de peito de lioho a 29500, cortes
de collete de gerguric s 19500, 18700,
292OO, 35 e 3f500. col!etea feitos de brim
branco a 2S500, ditoa feitos de gorgurio
a 29500 e 39500. ditos feitos de casemirs
a 3|500, 4g e 41500, dilos de velludo a
59, 69 e 79, ditos de fustio de cores a
1f500, um variado sorlimeoto da meias
para homem e senhora, grioaldas com
flores, chales de (roco, espartilhos, e to-
da a qualidade de roapas (eilaa par ho-
mem que ludo se vende por metade do
seu valor.
Arara j vende as roupas.
aaSi"^ "'! PI"t0lS d8 J"a pre, ^^
8&O0U, ditos de casemira de cores a OSOOO, cal-
llf casemira preta a 49500. ditas de cores a
5S500, pahtola de alpaca a 3J5O0 8 49000, ca-
mizaa francezas a 18600 e 29000, seroulas de li-
oho a 19600 e 25, coilsriobos de lioho a 500 rs.
na rua da Imperalriz loja da Arara o. 56.
Arara vende as capas.
Vfndem ae capae peritamente modernas a
09000 e 108000. manteletes de groadenaple pretas
muito modernos a 25J000 e 3OS00O, chales de
laa a 1JO0O. dilos de la e seda a 29000, dilos de
merino a 29500 e 48500 ditos de crep de ponta
redonda a 7S500 e 8j: oa rua dalmperatriz loia
da Arara n. 56.
Arara \ai liquidar sua casa,
porque quer ir passeiar.
Vendem o mais barato possivel para acabar,
chitas com pequeo toque de mofo a 160 rs. e
limpas a 200 rs. o covado ditas largas a 240. 260
e 280 rs. o covado, sio preta para lulo a00
640 rs. o covado, casaa preta a 280 rs. o covado
zuarle para roupa da escravoa a 160 ra. o covado
corles de casemira preta para caiga a 39 e 3|500,
eoutras muilas fazendas que se dio as amos-
tras : na rua da Imperatriz loja da Arara nume-
ro 56.
Palitos da Arara.
Vendem-se massos de palitos finos para den-
les com 20 maeainhos a 200 rs. para acabar: oa
rua da Imperalriz loja e armazem da Arara n. 56
de Magal'-aes & alendes.
Chepeii a pechincha.
5J000 o covado.
Panno fino muilo bom, cor de rap fazeoda que
val 79: na rua do Queimado n. 47*
A 15^000.
Palitols de panno oo forrado de seda: na ruc
do Queimado o. 47.
A 1J20O o covado.
GrosJenaple preto muito Uno bom : na rua de
Queimado n. 47.
SEDAS
Cinco tustes.
S na loja do pavo
vendem-se sedss de quadros, ditas de Ijslrcs so
comprido, e dilas de listras alravessada, ditas
de quadrinhos, sendo dos melhores padrea e de-
lleadisaimos gostos, com largura de chita ingiera
a oOO rs. o covado, pechincha, e dao se as
amostras com penhor : na rua da Imperalriz d
60, loja e ermazem do pavao de Gama & Silva.
Vendem-se dous terrenos, sendo nm em
esquina, com 200 palmos de frente e 150 de fun-
do, no lugar do Campo Verde, fregnezia da Boa-
viata, a Trente para a roa da Traegao, e a outra
para a rua do Desengioo, com a metade dos fun-
dos murada, lem 4 quarlos que rende 2tf por
mez, nio precisa de aterro, proprio, tambera
vendem-se os 50 palmos, o outro lerreoo na rua
Imperial, com 219 palmos de frente, a fundos ae
rio Cepibaribe, nos fundos se scham as paredes
de urna porta o'agua para viveiro. foreiro ma-
nnha : quem o pretender dirija-se a rua do Se-
bo o. 8.
CALCADO
45 -Rua Direita45
A epidemia declina sonsivelmeote, a o seu
completo desappaiecimento esti prximo I O
proprietario desle bem sortido estabeleciraeoto
convida os seus numerosos freguezes s substituir
o gelgado velho, que lodo esti cholerico, por no-
vo, e que possa resistir 4s mil sebotis e mazzur-
cas que vio ser dansadas em louvor do realabe-
Iecimento da saude publica. Os precos coo-
vidam :
HOMENS.
Bolinas afamadas Milis. :
C, successorss,
Em casa de N. O. Bieber A
roa da Crus n. 4. vandam-ae ;
Machinas psra regar horlas e espim.
Ditas para descarocar milhe.
Ditas psra cortar caaim.
SttlM cesa pertenece a 109 e gOf.
Obras da asatal principa prstoadas.
Alcatrao da Saecia.
gala#M^df*rawkaq.,siddedo Par.
Vinho lares da 1836 esa eaius de 1 duzia.
Opinare* caixaa de \ duzia.
Arados e grades.
Brilhantee.
' Carrogas pequeas.
19
Attenco.
3,800 rs.
rAUfcjLLvem grandes saceos, ctegsdo ltima-
mente, muilo novo e tem a 39800 : em frente
da alfaodege, no armazem do Aooes.
Vende-se um cabrioles de usa csvallo com por dinheiro'i voolade d.
ponen uso, piolado de novo, com eoberla, proprio No armazem de E. A. Burle & C, rua da
para o invern; os priS* da Bm-Vista, potiea Cruz n. .^jnde-ae escolente tstelto em saceos
do sr. Ignacio.
o non-plus-ullra Nantes.........
Naotes 2 baleras..............
lustre....................
batedorer.......................
a couro do porco.......
bezerro e lustre...............
> ingieres ps selvageoa.........
taxiados brasileiros............
Sapaloe8 uon-plua-ultra................

a


>
lifOOO
189000
UtiOO
109000
99500-
99000
9911OO
7950O
51500
79OOO
69600
59500
6900
5950
59000
29000
59000
200r>
1926
3 bateriea o meta..............
esmaga cobra..................
Nantes 2 bateras vaqueta.....
a 2 bateras bezerro......
trabalbadores..........
brasileiros de 3S500 s..........
Sspaloa 2 solas e sallo..................
> tranca porluguezes..........
b > fraocezes......
SENHORAS.
Bolinas dengozas.......,
aalto de bater. "
pechincha de 49500 ..'.'.
> americaoaa 31500 a .
sapatos de sallo (Joly) J .
sem elle (idm)......
tapete.........
econmicos. ......
lustre 32 a 33.......
MENINOS E
Ha de ludo em relaeie e nie
dinheiro.
Um completo sortimento de cauro de porco.
cordavio, bezerro (ranees, couro da lustra, mar-
roquim, sola, courinboa ate., que tuilo sa troca
do comprador
59500
5900
41000
MENINAS..,
se deixa
50
809
sabir
grandes a 39800.
/'i. y. '

--------------
~ZTT

SRE5SU


, I.UL_______
-

>

?wrriPE.M.
i**, __ l
^^^Tv E ni i*? o^F^" L
9*

AR1WMEM PROGRESSO
Eraneisco Fernandes Duarte
Larga da Penlia
Vende-se neste armazem de molhados os mefliores gj-
arot sao vem ette mercado e por minos 51 por canto ^/"^^^^dK.,;
aranttado-ae a boa mialidade, por liso roga-se a toe* oaSra. lapraca, de encobo \""er
Svfdemandad .?.. antamoiaad.. .5 arma... Progr.uo ato de verem .dler.n.de
preco aalMade qae faz. foasem compr.do em outr. qualquer parle.
1i*artt>lg* mgVeX. de oriineiri qarild.de 800 e 19080 Ubr.. 11 ao .r
batimento.
I&tmtolg* ttametza, maU n0T., 7201... a in. m brru, eoo r..
tt\k laJaM* o mais anperior que ha ao mercado 2J800 29500, libra.
M kUXiUI imu.a,,o perol., pela M. auperloridade 89000, e 2*600 a libra.
&\&. yYtXO unUo pars 0, doentea que ae tiatam eoo s homeepatMa 2950a .Hbra.
t H}OS do TfcifcO bagado, oeste Ulmo Tapor 21500. d" ^s401 n0 uWlB>0
navio a 19200
Qtttj*S lOlldTimO 0 qu9 h, d,bom .su genero t|000. Ubr. .m porco ae
faz abatimealo.
QUQl JO pTatO 0 mt[a prior qu t.m vindo a esle mercado a 19* a libra.
PremisAo \ng\ei para fkambt mmu0 n0vo eio r... ubr... em por-
gjo se far abalimento.
*Bto\t*s igUrzas ptopri p flimbr.. so.. Pots"a0 700 "
PrXaHt do TOaO d, Iap,ri(jr q,,lidde a 480 r. a liara eint.tr. 440 r*.
Salame 0 m,|hor oetieco ju. pode h.ver por eot.r prompto tod. hora a 1| a libra.
em porcio a 900 rs.
X OatVaa do TeiaO maUo n9T0 a28Q rs. a Ubre, e em barril d. 3 asrobae 7#000.
G\ioaTHa8 a palos, de tambes, Mo tl., u*, .m porco e tai .b.u-
meoto.
LataV COm CUOtlTljaS j promptls p.ra se eomer vtnda a primeira vez a ule
mercado a 2$O0Ocada urna.
ftaQua de porco retinada ,m lai, com 10 uan por 9500 cada um..
BailUa de pOTCO mul0 flna ilf, 480 rs. Ubr. em b.rrll a WO rs.
MLarmelada imperial d0 a{amt0 bre d.ootro. um f.bri.ni.sd.Li.bo.
a 800 rs. a libra, e em porco se a abalimento.
Latas eom frutas de doee em calda como aeji0 pera, damascos pe-
cego, alpexa, e gingn, a 800 rs. cada lala.
Mar melada de alprxe M Mss d* 2 m>r. por 19200 cad. mi.
Latas com ameadoas eoateitadas comando mii conteitos *mm
candi, moito proprio para mimo, a 2f000 cada urna.
Oofte da eaCa da gOlalia muit0 qqo 8OO ra.e em por;ao se lai abalimento.
Hoce SteeO e em Calda d9 din9rentes quiUd.de., em latas de 49 e 5 por
295OO cada orna.
Gart&a* COM bailo CraHCZ proprios para mimo a 5S0 ra.
PaiSaa em eaxiaha de 8 libras muit0 aovas por 2S500 e a retalho a
480 rs. a libra.
FiSOSta CmmadTe multaaoros. em fet*i8 libras por lfSOO. ditas com 4
por 1J500, ditas cora 2 muito bem enfeitadaa por 900 rs. cada um.e .ret.lho a *t r.
libra.
fervilbas trncelas e porta.guoi.as ,m uu. d. i ubr., pr 40 r..!
ditas em meias latas a 500 rs.
BAacade tomate em ialss de i bra porsoo rs.
ILmeudoas de easca molo muuo novas a 320 rs.. inr.
KOXCB 120 rs. a libra, e 3#000 a arroba.
A.mCXaS fraUCCXaS em ialatcom 3 lbraspor 2800. ditas com 1 li2 por 1500.
iV.iaVX0aS portUglVtXaS 320 fl. a libra e em caita se tari .batimento.
GbOCOlatC UeSpub0la t500, dito francei a 1S200 dito porl.g.ex a 800 rs. a libra,
anaoQi-se a boa quadade.
BolaXiUlia de ,oda en iaias com diSerentes qulidades, a 1J440 rs.
Ma^ S para SOpa leltUt maCarro e Ulhttim. 400 rs. a libra e em caixa por 8J00O rs.
PalitOS de deUtCS usados, molnos wm 20 macinhos por 200 e 280 rs. mello Anos.
SerCjaS em [ra8COs com l e li2 Ubn por 800 rs.
TjolO (csnceipara lirnbarfacass 200 rs. c.d. um, em por?io se fas .batimento
HotaXtnn* iUglCXa a mais 007a d0 mercado a 320 ra. a Hbr. emoarrie. a4>500
Gomiil-ft para engommat, muito alva a 100 r.. libra e em sacca se (as abatimento.
^PslXC de posta em latas das melhore. qualid.de. de pelxe qe ha em Portugal a 1600rs^
l&SpermaSetC aaperior de cinco e seis velas por libra .760 rs. em caii., a 740 ra.
SardiUUaS de Nantes em latas multo nove, a 400 rs.
PCC StUm d0 suparior qualidade a 120 rs. a libra e em barricom arrobu por 7f,
\xeite dSCC reOnad y de diierentea marcas e o mais seperior que ha 800 rs. garrafa
e em caixa i 9fi.
V ittboS engarrafados d dai)ua 4o Parto o de outn. muilas marcas acreditada!
neste mercado a 1*200 rs. a ganaU em caixa al2000 ra.
ViUUOeim pipa p(,rto.FigeeiraLiabo*560 agarrafaeemcaad.3*500, 4#45O0.
SerVCJa das n,ais acredtalas marca, a 5 r. a duxia, em garrafa a 500 rs.
ftnampagaC das marcaa mala soperiore.J. h no mercado a 15 22000 r. o glgo
CegUae iUgleX a Ds000 rl. a caiia e 12OO rs. a ganis.
I atenebra de H.0llanda V9rjalait..m trasquelra a 6000 rs. o fraseo a 560 r.
[ 1 amara* dO .g\ ftO a 6i0 tt> a libra 6m caixinhas com 9 a 10 libras por 5J.
atenebra InglCXa a ioS000 rs. a dk a rlalho a l00O a garrafa.
PalitOS dO gaX a ^500 rs. a groxe.
Sal reaQad0 em potes graodee a 500 rs. cada ua, em por^So se fari abatimento.
Caf taTado 0 qoe te pode desejar nesie genero a 320 rs. a libra e em arroba .500, 9S dito mais
baixo a 280 rs. a libra e BflOO arroba.
Sevadlana de Franca a maiaoova do mero*doa280 rs. a libra, em pore,io fax aball-
mento.
SagU maito novo alvo a 320 rs.a libra.
SariAna do-reino d.s oiarca. SSS e galega a 140 rs.a lite*.
Hita d0 Mtanbao .U. b.iroza a 160 rs. a libra e em arroba a 4|800, | |
HLerVVbaSaecaamBil(>noTa a. 160 n. a libra.
^C\aO da caraauDa reQaades a 400 rs. a libra e em arroba a 12J00D.
rm.Xel*edQ(ia da naij0a a 720 ts., garrafa, aftan^e se a boa qualdad*.
Vinagre aa Ulboa a.i|0rs. garrafa. em c.aada a 1)800.
lTlalmchem a llsWOa garrafa e em caUx e fax .batimento.
HltO tamo.a. mais superior que ha no mertttt-firujo par. missa a 640 rs. a garr.fa .m -
^ftffnftii o ae- -ataria.1*Uisl.d. do primeTtfl v.pef tindo da tro,t,. pete
Amcofroa.
o br rteo* paJaMlosi
aa ra SHa4 Mota s.
Algodo da Babia.
Proprio para reupa de sacravoa saceos d
.ucar : v.nd-. o. rui da Crux n 1. aacriptorio
de Antonio Ltz de Olivalra Asvado A C.
Veodem-se tious pa\es:
oesta typographt-
Libras slerlinas
Venda- na eacrU/ torio a lia noel Ignacio 4
Olivaira d\. Filbo, Urge do Cerpo Santo a. 19.
Arenruto verdadeira.
Na na da Crus a. 5, tai d Ure, esa eaixi-
nhaa de 2 1|2 libras para cima a- 61400 a libra.
Superior caleta Liseo.
Tasa par- asdr aaa aassfaa a-a ratalh Asa-
nla Laix da Olivatra Aieva C-, ao aeu aa-
criptorio ru. d. Orto n. 1.
Brincos pretos a balo, e
outros objectos para
luto
Calcado frcmtez
Caaeffratdo Un novo.
Grande sortlaento d bolinas para homem, a
aa mala bella para aenhoras a meninas : na loja
da vapor, ra Hbva n. T.
Vaade-s ptaot da eaaiat ua poda aer
cariado tedea o da tm as parto : trata* no
aillo Isas da f1sio o. roa Nova n. 16.
Veaule-aa a dinheiro i v>aia 10 bala min-
aos a notos, eolio amados a ato bonitos ; no
aogenhoGorJa do batso.
% Mobilia.
Na ru. da Gamboa do Carmo loja n.
12, vende se toda a quadade de mobi-
lia tanto ao goito moderno como mi-
ga, phantnasa etc. por preco mais
commodo do que em outra qualquer
parte, taz-se toda a qualidade de obra
de eacommenda cota a maior brerida-
de e o maior apuro da arte.
i Tende-sa um moleque aom 10 annos, bo-
arta Agora : na ra da Imperatrix n. 40, segun-
do sndar.
Para omez Marat.no.
MENOS DEI POR CEHT0
NOS ARMAZENS
I
P1NIS
DE
36.
Desoes objactoade que boje infelitmente tanta,
famillas preciaam, aa loi d'agada branca aeba-ao
um bom sortiment delfe, sen* brrbco rose-
tas a balio, palseiras modernas da groaaaa (or-
tos eontaa, alflnetea para pello, dito tambera pre-
tos, em caixinhaa, bonitos e modernos aderocos,
e meioa ditot, cinteiros de fita ef ffvUs" pretaa,
enfaitea para cabera, grampos de novos moldes
para segaxar cabello, luvaa de torzal de seda e
pertica, iataao-sad o algodiopara homeos
Sapa toa da borracha o awlhor quo so poda en-
contrar neela marcado tfOO anPJ o par, lato ,
por ser para o mex da Marta, por isto veoda-se
por asta preco : na lou do viado. a ra Novan.
8, coafronte a camboa do Carao.
Reogvo
Vande-sa a esa do Johnston Palor 4 C ,
do Tiprio n. 3, um hallo sor limen lo da
..nhor. : o oscoVprT^f dT?.. SU ifft P" nfM ** IJfia
ae ter a maior cootempl*ao, atlaato o um para afamados fabricanlas da Liverpool; tambem
Bimn dV c.
3*3> nra das Cruzas de Santo Antonio
9 Largo do Carato 9
Os propriatarios destoe acreditados rmaseos da molhados partteipam os seui ame-
sos freguezes qne por todos os vapores e navios da Europa, receben de su propria ancoronsoada
os melhore gneros, pots que para isso tem passoas encarregadas em diversos pomos da Europa,
para os eaolbarem, eos veeidom por menas 10 por canto do que em outra qualquer parte, por taso
roga-se a todos os Sis. da prarja, de engenho e lavadores o favor de mandarem suas eneommendas
aos aoeeo armaaoos, a8m de verem a superior qualidade de gneros e diferanca de pucos.
Mailtei^a ngleza d9 primeira qU8|4l(le 00 a 1 r. a Rb e em banfl se
far batimento.
Ma teg'a fra 1 ICeZ \ ^i, n0Va 700 rs. a liara e em barril a 600 rs.
t>Ila nySSOIl 0 mi3 superior que ha no mercado a SUM00 a 2$&00 a liara.
CIlA nilXIQl oquohad melhor nasta genero a 2|500 a 39000 libio.
L/b pretO maito superior vindo a primeira vez ao nosso mercado a 29200 a Hbra.
C-ll ll y SSO11 o nelhor que vera do Rio, em Islas de urna libra por 19800 e em aorejk)
as far abasnente.
O lieij OS UO reino ehegados neste ultimo vapor a 29200 e dos chegados se ultimo
avio a l9t00 cada um.
queo: por iaodhigiram-a. roa do (jot- una varieiada da bonitos trancallins par os dUtio^ DTatt) M. M m..,j nnnn i;k. a m; ann m
mado, loja d'aguia branca n. 16. mesmos V^'J"8 1 eon, nunea mo a0 n0M0 cercado a 1*000 a hbra e inteiro a 900 rs
Arroelas ou argolas de borra-
cha para segurar papis e
inultos outros misteres.
SYSTE1A MEDICO H0DELL0WAY
PILDLAS HOL.WOTA.
Este inesiimavel espeeifieo, composio inteira-
mente de bervas medieinaes, nao eontm mercu-
A loja d'agnla braoo raceaoo ama perca* de alffama outra substancia delectena. Bei
rroelaa ou rgola d borncha. qaa^acertada- SZaaaaa. infancia a a romoleicao mol-
iente ae applieam a fferente flna, como t- "i00 aVmsuleats infancia, o a osropwicao raas-
a par. emmaaaar papei di diversa, re- delicada, igualmente prompto e seguro par;
> publica, no cartorio, escriptortes, jesaneigar o mal na compieifo mais robusta
"; 3t *SmiTZ&2S ^sh,noceo,8 em "" 2S?ft!
na comprar- polo dim.o-.te aneo de soe; poi busca a removo as doeeess do qual-
arroeta
mele s__
bem eja par. emmaaaar papi na diversa re- delicada, igualmente prompto e segar par
partico.s publica, no cartorio, escriptortes, dasarieuir o mal na corapieico mais robustas
rmaten '
roeamo
vale apaa comprar-so polo dimioata preco
240 e 320 a daxia, para poupar-ae o trabalko do quer especie e grao por mais amigas e tenazes
alar a das lar om masco da papis toan at vocea que sea m.
qoe aa preciM, aasim como a mar larga aervem ^ milhares de peMOSS curadas com esta
para aegarar carteiraa, e manguito, de aerrhora, mi" uo y~
a mesmo para porseira de missinga., .dverlln- remedie, mullas que ja eetavam as portas da
do, porm, que cada argel tem ua flvela ; ven- rnorte, preservando em sea uso consegniram
dam-ae em dita loja d'aguia branca, ra doQuei- r9C0brar a sauda eforijas, depois de haver lenla-
nado n. W. j0 inatiimente todos os outros remedios.
| As mais a filelas aso deseen enlregar-ae a dos-
esperagao; facara um competente easaio das
effieazes effeilos desta assombrosa medicina, o
prestes recoperarao o beneficio da sande.
Guimarea & Lux, donos da loja da miudexas Nao se perca lempo em tomar esta remedio
da rea do Qeeimado n. 95, boa fama, portUiptm Aara qualquer das seguintes enfermidades:
Attencao
ao pablico qae o sa eatabelecimento so acha evidentes
completamente prvido da melhore m.rcadoria .. ____
tendentes ao maarao eslabelecimento, e muito awporca*.
oalro objecto it goito, sendo quaal todo* rae- Ampol.s.
bido. d auaa propriai eneommendas ; a estando Areias ( mal de)
elle inleiramenU resolvidoa a sao vaoderem ^slj,mi-
Oado, afiaocam vendar mais barato do que oulro ..
qaalquer ; a juntamente pedem aos aeus devedo- voucas.
res que loo mandom ou vaahaa pagar os seus Conv
dbitos, sob pena deserem iuslacados.
Soahall Mellors di C, tanda recebido or-
dena para vaooor o eoaraoctda dapoaia dacala-
gios v(ato o fabricant ter-ae retirado do nego-
cio ; convida, porlaoto, aa eoaao. qoe quieram
poaauir um bom relogio de oaro ou brata do c-
lebre fabricaale Karaby, aproveitai-ae da op-
portunidda lem parda da lempo, pjff vir eom-
pri-loa por commodo preso ao aa^aicrlptorio
roa do Trapicha n.18.
ticos.
Loja das 6
tas em frente
Livramento.
Caa* francesa* de bonitoa gaatoa a
320 r. o covado, lava, de trocal pretaa
a da seda a 500 ll. 0 par, chita* fraoce-
xai larga escuras a 140 rs. o covado,;
ditaa fina* a 260 e 280 rs., dio de linho
liao a 640 ri. a vara, larletaa. loa de
toda, a cores a 800 rs. a vara, lencoe
brancos com barra d cor a 1 i00 a da-
xia a 120 r.cada um, aeiaa para bo-
mem a IglOO a daxia a 110 ra. o par,
chita para coberta d bonitos dese-
hos a 220 rs. o covado, pecas de bre-
laoha da roto a 29, com 6 112 varas a 39, muaselioa encar-
nada a 240 rs. o covado, calciahas para
meninas de escola i 1} o par, peilos
para camisa brancos a a core* a 900
rs., pee* de cambreia branca de salpi-
co a 3)000, algodo entestado o melhor
TOO ra.. vara, dito branca para toa -
Iba alfa vara, enteite do mal mo-
derno garibaldi a 69, loja est aber-
ta al as 9 hora da noile.
Debilidade ou extenua-
{ao.
Debilidade ou falta de
toreas para qualquer
coosa.
Desinteria.
Dor de garganta.
de barriga.
P nos rins.
Dureza no ventre.
Enfarmidade no ventre
Ditas no figado.
Ditas venreas.
Enchsqueca.
Herysipela.
Febre biliosa.
Febreto da especie.
Golta.
Hemorrhoidas.
Hydropesia.
Ictericia.
Indigestoes.
Infla mmaeSes.
Irregularidades de
menstruacao.
Lombrigas de toda es-
pecie.
Mal de pedra.
Maachas na culis,
Abstruccio do ventre.
Phtyaica ou eoosump-
5o pulmonar.
Retengo de ourina.
BheumalUmo.
Sy mptomas secundarios
Tumores.
Tico doloroso,
Ulceras.
Venreo ( mal)
Farinha de mandioca
superior; nos rmaseos da Tasso Irmtot.
Ra da Senzalla Nova n. 42.
Vend-seem casa de S. P. Jonhston di C,
sellins e silbos inglesos, candteiros e caslieoes
broazeados, lonas inglesas, fio de tela, chicotes
para carros e montara, arrotos para carros de
om a dous cavados, e relogtos do onro palale
ingles.
Yende-se um mulalinho de 15 annol de
idade, mailo sadio a de bonita figura, do *erl
qo de caca e tam principio de boleeiro, muito
boa conducta e proprio par quem quixer ter om
bom criado : no caes do Ramos sobrado n. 2.
0 livro d Pevo.
Febre intermitente.
Vendara se estas uilulas no esUbelecimento
geral do Londres a. 224, Straod*, e na loja
de todos os boticarios droguista e outras pessoas
encarregadas de sua venda em toda a America
do Sul, Ha van a e'Hespanha.
Yendem-se as boceUnbas a 800 rs., cada
urna dallas contem urna ins(rucc,o em portu-
guez para explicar o modo de se usar destas pi-
lulas. m
O deposito gtaal em casa do Sr. Soum
pharmaceutico. na ra da Crui n. 22 em Per-
nambuco.
Manguitos a balao com
gollinbas bordadas.
A loja da aguia branca em attengao a sua boa
freguaxia quer que todos psrtilhem do proveito
que Iherasullarr das boa compra* a pechin-
ehs, oomoagor meama acontece com ama por-
?ode manguitos a bailo, puchos virados e bo-
nitas goUiohaa, ludo de elegantea Isrpo bor-
dados em fins cambraiaa, cujas guaroices eat
vendeOdo pelo admlravel e barato prego de 29
cada urna, a mesma obra que anda ba pouco
tempo ae vendia por 59- A laperioridtde da fa-
zeada e bordado incealeatavel, aaaim pois nao
maito qu* urna seokora compre 3 ou mai. pa-
re, daases bonitoa manguitos quando o importe
quasi equivalente ai de um s dos antigos, po-
deodo-edesa forma a com pouco gaalo moatrar
variedade no sea acetado trajar. Sao as gollinbas
sola* que servem igualmeota para aenhoras e
meninas, aendo oa bordado* faxenda em nad in-
ferior as outras, e custam estas 19 a vista do que
coovem que todas aa eohoras aproveitem esaa
fiVoravol oceastio e nao so demoren em man-
dar comprar tudo Isso na loja dTaguta branca rea
doQueimado n. 18.
oat estro novo sortimento n
ii taoialoxia l*Latigad do primetto vapor vindo da Europ
uJosere prtiotelss m o psblicar ao resaoiUTel ptuBUf.
Sabio i loa publica O LIVRO DO POVO, publi-
cado ob a direcgo do Sr. Dr. A. Msrqaes Ro-
drigue, a eontm a vida da N. S. Joan Chrialo,
srgaodo a aarracao do* quatro vaogeliataa,
mai* os seguintes a r ligo: o t i gario,. o proeeaor
primario, a bom homem Ricardo, amoral prali-
ca, Simao de Nantoa, mxima e pensamentos,
a byglene, os deverea doa meninos, e o Brasil.
A publcaeo do LIVRO DO PO*0 nao afltem
por Om unlformisar a leitara as escola prima-
rias, onde cada menioo aprende por um livro
diferente, e portento raettltar o trabalho do moo-
tre e dodi.cipulo.oomo tambem vulgariaar, por
am.preco barstiitieao, a kasSoria do nlvador do
mando, e oa melhores preceitoa de moral.
Veod-ae o Livro do toro, m laoiso, n
li*raria da pvoco da Inda peo dea 4 a na. < e 8,
500 r a exemplar em brocroira. a 880 w. car-
tooado.
Moedasdeurod 16$.e 205
Veoda-so no eaertatario do Maaael Ignacio de
Olivetra 8 Fllbo-, largo do Carpo Santo o. W.
Attenco
Vende-aa chita franerxa etror a fins a 220 o
covado, dita clara mraOa a-220 o ovado : ao raa
da Oaotmado a. 41, eeoova w asta pita a
Coogcaaofia : ao -o meatra coco peoaar,
Vendem-iepi de fructa-po de
um a 6 pe* de altura : na Capunga n.
35 ou n. 8.
Calcado
loo Jo6 f reir com loja e fabrica da cat?
do ca raa larga do Rosarlo H. 12 junto a botica
do Sr. Pinte, participa o publico que tem x-
poato en a dita loja' diversa qeoUdOdfO de eal-
cades failoa no ma.m., oa juaaa o sem diffe-
rafjp>aigomignaeaoofrocexea ma como a
aovciaaavi nao pod aer juis es casta propria
por iaao pedo aos aoos nomeroios fregaezea e ao
pablico en geral, que a i oda mesmo que nao
qeoira comprar, cemtudo venh>m aampre var aa
amealraa a admirar o trbalo doa artUU per-
oambacanoa que trabalham am ana fabrica, poia
ae aaaim o fizerem. indubilaaolmente apreciario
o omerodo lasbalbo do meiaio; e ib alsm dia-
soaUeoderama et%aaeUal jdmaii datxtrio
da comprar porque aiem de obr er de mutto
mala duracio acreice ttaii a elrcumstanci de
costar am diminuto areeo sao rslsclo aos fran-
ceses.
ttaasfeinfts pra lavar roupa
ITontiro, Lope 4 C. receberam macbina pi-
ra lavar roupa avatfma inteirameoie novo e
adoptadoia aaU paia.poil quoaipaj peasao pode
trabalhar com ellas por aar o eujrao o man aim
ale qu ao podar** oO0ir, endo Umbo mol
.coeemtoo obravo: qoom qoir comprar dlri-
jamaaaraodoOsdoWda^RsmfofcaXM^ se
Iba dar* Wsdao- a oslleasaas ^r^crsplo so-
dsodo sosar dosseas boas,"^fjl 1*
uoar aoaaa. praeo ao SOflOglb dS orpbo. dirigida
pelaairnia.de citidade.
PalOS e ChOUrHJ^Smuitonovosa560rs. alibra eem porfo se far abstimoato.
Latas CODa llMl^UI^ *Sj pro aptas para se comer a toda hora, vindas a plimeira
ver o nosso mercado a 19800.
PeXe eiB latas dediversos tamanhos, savel, sardo, pargo. pescada, cavalta, Hngus-
dos fritos, atm maraado, rabillos e lulas de tigelada, de 19300 a 2*000 a lata.
ToilCinhCP dO r*?ilO muil0 novo a 820 rs. a libra, e 9#500 a arroba timba
temos para 240 rs. a libra e 69500 a arroba.
Ba lili a de p arCO m \MS com 10 mtm por 49400 480 libra.
Marmelada imperial de todos os conserveiros de Lisboa, em latas do libras
meta e 2 libras a 750 rs. a libra
Latas COm frutas ni Calda eomosejampera, pecego, damasco, alper-
xo, ameixas e gtoja, a 700 rs. a lata.
Mar maulada de Alperce em Utas de 2 libras por I9O8O cada urna.
Doce da CaSCa da 'Ola bu a700rs. a em poSro se fir abatimento.
D JCeS SeCCOS de diHerentes qualidades em bcetas muito bem arranjadas a 3S00O.
Ta ma Tas S mais superiores que tem vindo ao mercado em caisinhas elegantemente en-
feitadas a 29500 e 600 rs. a libra
Passas era caxinhas de 8 libris a29500 86oOrs. a m*
FigOS da COmadre moito novos em cixinha de 8 bns e muito bem enfeitdas e
a 29200 e 320 ra. a libra.
Krvilhas francezas e portuguesas a 64o 720 rs. a uta.
MaSS 1 de tOm tte em latas de 1 librra a 800 rs.
AlieildoaS da CaSCa mole BUiio novas a 400 rs. a liara,
N OZeS muito novas a 200 rs. a libra.
AllieixaS franCeZ S em Utas cora 5 libras por 49000 e a 19000 a libra.
Ch COlate hespallhol a 192OO, francez a 19000eportoguex a 800 rs. alibra.
Bol xilllia d SOda emlauscom diBerenies qualidades a 19400 a lala.
Mansas pa ra SOpa m8carrao e Ulharim a 240 rs, a Vibra e a caixa por 59000.
CaixIllliaSniuitobemenfeiladaicompevide, rodinha, esireUinha, ele. a 700 e 800
PaltOS XadoS para denles em molhos coro 20 macinhos a 206 rs.
Se re a S em frascos de libra e meia a 700 ra.
fijOia FraBCeZ para limpar facis a 130 rs. e ero ponjio sa-f.r abatimento.
Esper mcete Superior sem avaiia a 740 eem caixa a 760 rs. a libra.
Sardilhasde NanteS muito novas a 400 e600rs.
Al pista muito nova a 200 rs. a libra e 59500 arroba.
AZeite doce refinado de divercas mares a 800 rs. a garrafa a 99000 a duna.
BolaCll Ola iDglezaa mais nova do mercado a 300 rs. alibra a 49200 a barriea.
Gotlia muito alva a 100 rs. a libra e 29500 arroba.
VnhoS aflJaaadaaedo ?^&^;?^^m*S^$Tm** ***"
lar. eitoria, velho eco, Muscatel a 19200 a garrafa e 129000 a dna.
Dlt a8 am pipa PorW, Ogaein e Lisboa de 500 a 600 rs. a garrafa ede 49000 a 49500 a ea-
nada.
SerVr jaS das mais acreditadas marcas a 500 rs. a garrafa e 59000 a duzia.
Gil i mpailil* das mareas mais acreditadas que h no mercado a 149 e 209 o gigo.
COguaC ioglez a 109000 a caixa e 19000 a garrafa.
Ginebra ds HolKallda verdadeira a 79500 a frasqueira e 800 rs. o fraseo.
Azeita IMS em aneoretas as raelhores que ka no mercado a 29 e a 400 rs. a garrata.
Traques superiores em caixinhis a 109 e a 3 .'0 rs- a carta.
Pfc llt S do gaZ a 29500 a groza e 240 rs. a duxia do caaos.
S 1 refinado em pacoies de mais da urna libra a 240 rs. em porcao lera abatimento.
Cafe dO Rio o melhor que ha no mercado a 820 rs. a libra e 9.000 a arroba.
Sevailnlia de Franja a mais nova do mercado a 810 rs.a fibra.
SagU' muito novo a 320 a libra.
Farinha do ftfaranhO mnito ira a nova a 160 rs. a libra e 49800 a ar-
VelbS de carnauba e de composi$fio aioors. a libra e a 9
a arroba.
VinaffTC pUrO de LlSOOa a240 rs. agarrafa e a 19800 a caada.
Grao de biCO muito novo a 200 rs. a libra.
^eras seccas em.eaixinh Mar rasauino verdadeira do zara, de limone, caf, manta, genepro, mandoramara.
CTra^^*J^^> I*'" **********
Bat tas em gigos de urna arroba por 19000 e 40 rs. a libra.
Com nll S os mais novos do mercado a 800 rs. a hbra
ErVft dOCe nraito nova a 400 rs. a libra.
Arroz com toque da ava ria em saceos de 5 arrobas a &o ascese 19500
a arroba.
CbarUtOS verdadeiros superiores a 29 a eaixinha dV50.
Salmo* el lata com duas librai o mais-bem arranjafo qw tem vindo a mar
eado a 19400.
fanteJga eiM latas com 4 libras a melbordo mercado lacrada ermeticamonta
99200 cada urna.
Vinagre era garrf6es,com 5 garrafas de luparior qualidade a 19200.
Aramia vardadairs maito nova a 320 alibra.
Ajmaoslas generas encontrar a reaoeitavsl puWks esa m>soaarazaiH m> nttpiat
lormaata de rudo tendente i molhados.
AleRs41SiS COaafeitadaS H mais baratas qne ha no rawtafc a 800 e f
a libra, T>"oq v*
a '
aaa.



t
duwo di mmumm owf* bib di mo m im

a
Vfcsft uto lio bom para cabriole!:
Queimado, loj* o. 65.
'.i atar 81 ra do
Obras de vidro,
escarriaras, a palmatoria*
lapidadas com mangas.
nde-ae aa Mi a'eaaia braeaa aaui ha
f-t
Veada-aa os* sebeado a 3 imltru, ehios
proprle,.ia ruada Asearas a.l : eepreteodea-
tesqeeirim ir examinar e pata traler-ae a respeito
a malar oa eacltreeimaatoa precisos na raa da
Cdei do Recife n. 45, primeiro andar, com o
agente Eexebio.
Vaode-ie por milita precisio dual moradaa
de eaaaa aa aitfaaa aa Ollode, aaodfr ama aa ra
do Amparo contigua a eeoeOe q*e aobe para o
largo do Amparo, com quartoa, ocaioba foro,
quintil mirado a plantado eco eilribaii*; a a
oatra na raa da S. Franciico propria para resi-
dencia de quem preciaar de binhos tilgadoi, para
o que encllente por flcar muito perto: eaaaa
venda* aa (ario para remir debiti s com hypothe
ca, para eujo Om aasigoer aaeai:riplaraa de ven-
da o odor qoe nem occeiio dir deaooeraso
d hypotheca : procure-ie para tratar do Recite
raa do Cabag n. 3, 1* andar, e ?m Olinda pada-
ri do Sr. So* rea no Varado uro.
Veade-ae a casa terrea o Ponte-Velha,
canto qaa Tolta para a raa da Gloria, em qoe
ten venda o Sr. Antonio Airea \ Hiela : oa pre-
tendeatet dirijam-ae ao ldo Coi po Santo n. 33.
Injece&o Brow
Remedio infallivel contra as agnor-
rbeas antigs e recentes, mico deposito
na botica franceza, ra da Cruz n. 22,
preco 3f.
Borzeguin
Ra da Imperatriz n. 10 loja
do Pinto.
Yenda-te pelo baratiatimo orujo :
Borzegoina de lustre para homem a 8|.
Ditos de botera para borne a f $.
Dito do cardatao para dito a 8$.
Par acta preco a dinbeiro i vista para li-
qaidar.
Predio venia
Venda-aeam aobradode trea atdarea, em bom
eitado, na raa do Amorim n. 13 qae tambem
ten (rento para a raa da Ifoeda : oa pretenden-
tea queiram examina-lo com antecedencia, e para
tratar, dirijam-ae a raa da Cadeiu n. 45.
Cal e Potassa.
' Vndemete este* doaa artigoi, ltimamente
cbegadoa, no bem conhecido e acreditado deposi-
to da raa da Csdeia do Recite n. 12, mais barato
do que em outra qualquer parte.
Visporas e dminos para
divertimentos.
B.
A loja d'aguia branca acaba de recebar aa bo-
nitas caixinhaa da madeira envere isada com vi
poras, lendo algumaa qoe os cirloei trazem urna
chapinha de metal roovdica, a jual serve para
cobrir o numero que se falla, cija iovenci
novissima e proveitosa ; aaaim como caixinhaa
de dminos com os teutos mu claros e bem se-
guros, e vendem-se por presos raa oa veis, na ra
do Queimado, loja d'agaia branca o. 16.
Boa semeate de ei rrapttto
Vende-se mni boa cemente de orrapato em
saceos: na raa do Queimado, loja de miudeza*
numero 16.
Fazendas pretas
superiores.
Groadtnaple prelo multo sopenor palo dimi-
nuto preco de 2 o corado, panno ireto muito 0-
do a 3, 4, 5, 6, 7 e M o covado, i asf mira preti
muito fina a 2, 2J500, 3, 3J500 n 49 o covsdo,
mantas pretas de blonde muito superiores a 12$,
manteletes de superiores grosdena >les pretos ri-
camente bordados a 359, sobrecesacas de panno
preto muito floo t 309, casacas tambem de panno
prelo muito fino a 303, paletols de panno preto
fino a 18 e 20$, ditos de casemira de cor mes-
dada a 189, superiores gravatinlias eatreitaa i
19, ditas de setim maco ede gorgaro muito su-
periores para duas voltea a 29, ditas estreitinhai
com lindos alflnetes a S), superior gorgurao pre-
to para colletes a 49 o corte, ricos nfeitei pretor
a 69, e assim outras muitas izendi s que sendo i
dinbeiro i vista, vendem-se por precos maito ba-
ratos : na ra do Queimado n. 28, na bem conbe-
cida toja da boa t.
Panno de algodo dn Bahia.
Vende-ae ao escriptorio de Ar ionio Loiz de
Olireira Azevedo & C, na ra da Cruz n.l.
NovaexpD&i-
cao de candieiros
a gaz,
proprietario da nova exposica i avisa a todos
os consumidores de gaz hydroger i j que tem re-
cebido novamente orna qualidade de gaz super-
fina, assim como tambem de todas as qualidade*
communs que se vendem neste marcado, garan-
tido o mesmo proprietario a qualidade que
vende nista de falsificares. TamDem avisa que
tem receido grandes remessss de candieiros que
vende em porco e a retalho pelo pre$o da fac-
tura, caja vantsgem pode ser c< nhecida pelos
preteodentes. teodo sempre nes e estabeleci-
mento todos os utencilios pertenceoles ao con-
sumo de candieijos a g*z : na ra Nova n. 20 a
14, loja do Garneiro Vianna.
Veoee-ee aa lajaafata braaaa smsJ bealse*
eaearradeiree a vidsoa da caas a 4*)fe6Q, 5 a ti*
assim e*oo paluMteriee o vid so lapidado cosa
asngss bordada* a 4*500 cada asa : aa raa do
Queimado, loja d'agaia branca n. 16.
Meias em quantidade
Na laja d'agaia branca acha-se n omplslo
sortimenlo de melaa da todaa as qualidades e
procos, sendo para horneas, senhoraa. meninos
o meninas da 6 smui a 11 aaoos. Ennomerar
os dtffereates prseaaP confundir o pretndante ;
aasim quem aa quier convencer do quao barates
se esto ellas vendando, dirigir-so com dinbei-
ro dita loja d'agaia branca na raa do Queimado
numero 10.
Superior sebo em \elaseem
pes, ca'xas de urna
arroba
Vendem Antonio Luis deOlueiri Azevedo 4
C, no aeu escriptorio ra da Cruz n. 1.
Jacaranda superior.
Tem para vender Antonio Luis de Ottreira A-
zevedo & C, no sea escriptorio raa da Cruz n. 1.
Coraes lapidados.
Sao grossos que admira.
A loja d'aguia bronca acaba da recebar urna
pequea quantidade do caraca groaaoa lapidada,
oa quaea srveos para aa vallas qae ltimamente
usam as senhoraa, a eal vendando cada fio por
29, 29500, 3 a 49: na ra do Qaaimarto, loja
a'a guia branca a. 16 : aaaim como recebe u mala
aa bonitaa puiaeiraa da musiuga.
Chumbo,
Vende-se chambo de manicio a. diaheiro por
S19 o quintal e a arroba por 5*500: no arma-
a*m da Antonio Ceaario Moreira Diae, ra do
Madre da Daos a. 32.
Milho novo!!!
A 4#000 o sacco.
No caes do Apollo n. 51.
OHiem para o pava e
59000
39000
19000
800
19600
19000
S40
39000
39OOO
29500
11280
500
800
6J000
99OOO
Camisinhss com golliohas e manguitos
da cambraia bordados, faiende mo-
dornissima a
Dilaa de faatio com lalpico da cor
Gollinhas bordadas com botlozinho
Ditas de todos oa gostos a 640 a
Ditas com manguitos da cambraia bor-
dadaa a
Manguitos de cambraia bordados muito
finos a
Golliohai bordadas a
Romeiras de cambraia enfeitadas para
luto a
Camiaihaa para senhora a
Leocinbos de linho com labyriotho para
moa
Ditos a imitadlo de labyriotho a lf e
Luvas da torcal enfeitadaacom vidrilho
Enfeites pretos com vidrilho a
Ricoi aofeftes pretos e de cores, a Turca
e Garibaldi
Grosdenaple preto a I96OO, 19800 a
Todas estas fazendas vendem-se oa ra da Im-
peratriz n. 60, loja e armazem do pavio, de Ga-
ma & Silva.
Sementes de hor-
talices
Na ra da Cruz n. 32, depoalto de pi e bola-
chi, vendem-se sementes de horlaUces rindas de
Lisboa.
8ahio luz o
Gallo Vigilante.
Na ra do Creapo o. 7, aoodo o reapeitavel pu
blico achata um grande a variado sortimenlo de
miudezas que aa vende por procos mais barates,
10 por ceoto do que em outra qualquer parlo,
aifim comoseja, franjas pretas com vidrilho e de
cores, fitas de todaa aa qualidades, franja e gario
de Itnbo, caacarrilhas pretas e de cores, froeosde
todas as cores, os riquissimos-enfeites de cabeca,
galozinhos de linho e de seda para enleitea,
chspeoziohos para mangas, chapelinhaa para se-
nhora, booeta de panno a velludo muito finoa
para meninos, fitas muito chiques para aintos,
manguitos e gollinhaa muito finas, lencos de
cambraia de linho muito finos, e mnitos mala
objeelos que se continuar annaoeiar, pois ven-
de-se tuda por presos baratisaimos por so achar
em liquidado. Na mesma loja se achara um
rico sortimento de amendoaa e confeitoa proptios
para qualquer mimo, qae ae vende pelo baralis-
simo prego de 1(600 a caixinha.
cortes de vestidos brancas
bordados.
Vtudtm-*a rico* cortes de'veetidoa trancos
bordados com 3 babados Rea baiettesmo preso
da 59 corta.: na roa da Queimado n. 22, na
bem condecida loja. da boa V
Camisas inglezas.
Veadem-so u parieres ossasass tagsasaa aam
pregas laegea paso bsaatissisao preco 00 359 a da-
lia : oa ka U baa fe, a raa da Quaimada au-
saaso 29.
Ricas gollinhas e punhos
com bo toes
Vendsm-se rices gollinhaa e punhos da cam-
braia e fustao ricamente bordadas com Hados bo-
tdes, pelo bar*iii*hBo pre(0 de29 cada guarni-
cio : na ra do Queimado n. 22, na loja da
Vende-ss o engenho Cete, situado em Ma-
neota, termo de Iguarass: a tratar com, Jos
Azevedo de Andrade, raa do Crespo, ou com o
Sr. Francisco Ignacio da Cruz, a Mello, no Giqui.
Fazendas baratis-
simas
Superior bramanta de liis com dva* >kh da
largara a H00 a vara. atoaUMda do liaba ada-
maasado com duas largucao a 29MO a tara, brim
brinco de linho muito superior a 11440 a van,
dito de toras, azanda mullo suporior a 19, dito
parda dalioho paro a 808, 19e taSO a vara, di-
to do qaadfiaooa muito proprio paaa cal?aa, jar
qoaUee paletolapara maoiooa a 266 re o cova-
do, gangas francezas amito superiores a 400.re. o
aovado, cambraia (raacozao muito fiis o do
maito bonito* padrees a 2dG a 266i o covado,
cambraia lisa muito fina a 41, 5 e 69 a peca com
8 l|2r varas, cambraia com aelpieotambes* com
8 1|2 vareo cada pec.a* a 4950O, (Uta maito ib pe-
rior o m*lhor-qaa ha neste geoaroailfSOOa pe-
ga com 17 varas, oa a 890 rs* a vara, chile* fren-
ceaea de maito- boa* qualidades o de liados pa-
droa a 246. 286, 300 e 320 o covado, fil de li-
nho liao muito fino a-726 a vara, tarlatona bran-
ca e de corea a 760 a vara, to*las de linho pasa
mos a 79 a dazia, dilaa pelluda* maito saperio-
raa a 119 a dusia, gollinhae de cambraia borda-
di* a 866 r.. minguilo e ROllao.da cembraia ri-
camente bordadaa a 29 o par da mangattoa coca
urna golla, lancoa braoees muito finoa com bico,
randa e labyrintbo a 1f280 cada um, ditos de
cambraia de lioho para algibeira pelo baratisatme
prego de 4, 5 e 69 a doa, e aaaim um completo
sortimento de fazendas de todas as qualidades,
qua sendo a diaheiro & vista ao vender o por pro-
cos mal baixoa: oa bem coohecide loja da boa
f, na ra de Queimado n. 22.
Camisas e ceroulas
Vendem-se luperiorea caroula* de lioho muito
finas pelo barato prego de 269 a duiii, diiaa tran-
gadi* de algodo, mas da maito boa qualidade, a.
179 a dazia, amias* brancaa irancezaa a I9, 24J,
26 a 309 a dazia, dilaa para aneuinoa a 22| a da-
zia, dilaa para homem com abortaras de cores a
229 a duzia : na bem eonhoeida loja da boa f
na ra do Queimado o. 22.
Manguitos com gollinhas.
Vende-ae manguitos com gollinhas, fazends
muito bOa, pelo barato prego de 2J00O, gollinhas
e puoboa ultimo gosto a 29000, gollinhas muito
fioas e bem bordadas a 1*600 cada ama na roa
do Queimado loja de miudezas da Boa fama,
n. 35.
Tiras e ntremelos bordados.
Vende-te pegas de tiras bordadaa da 2,500,
3,000, 3,500 a 4.000 ntremelo* a I96OO a 29000
cada peca na ra do Queimado loja de miadezas
da Boa fama.n. 35.
Bonecas francezas.
Veode-se tonecaa tfancezis ricamente veatldaa
49OOO e 55OOO, e 2|000 bonecas de cera com os
olhos rr ovedgos a 2|000 e 39000, oa ra do Quei-
mado loja de miudezas ds Boa fama, o. 35.
F i velas de ac para si utos..
Vende-se fivelas de ago para sinto a 19500 rs. e
29OOO na ra do Queimado loja do miudezas
da Roa fama. d. 35.
Baleias.
Vende-se baleias 120 rs. cada urna aspa de ago
para balo a 166 rs. a vara, bandes a 19500 rs. e
2])00 o par, oa ra do Queimsdo loja de miudezas
da Boa (ama, n. 35.
Gascarilhas de seda.
Vende-se caacarrilhas de seda para enfeitar
vestidos a 29000 a pega na ra do Queimado
loja de miudezas, n. 35.
Meias de borracha.
Vende-se melaa de borracha para quem padece
de erysipela a 159000 o par, meias de aeda preta
para senhora a I5OOO o par na ra do Queimado
loja de miudezas da Boa fama, n. 35.
A boa fama
venda gollinhaa e punhea com botes para aenbo-
ra, (azoada muito boa, pelo bsralissimo preco de
29 : aa ra do Queimado n. 35, loja de miude-
za* da boa fama.
nsvaa para senhoraa a
1 palian o* da
Sapatos de borracha para
senhoras,
t saaaioe do hssssaas
manaos a IgKH) u. ,, aeneiiahes Se la* para
truncas 1119000 is, a psr, ditas moiin at9506 ra.
toacas da lia para crt&ogia a 2|000.19000,800 r.
sapalifihoa da asdja ri*meo4o boidadoa proorio*
pira baptissdos a 39000 o par. aa ra do Quei-
mado leja da miudezas da Boa Urna. a. 36.
Palmatorias de vidro lapi
;o.
Vende-ae pslmatorfas do vidro a 19006rs., ditas
com mangas proprias para rapaaea a 49900 re.,
sada urna, escarradeiras da vidro a 49500 ra.
o 99666 a per, na raa do Queimado loja de
miudeza da BOa (ama, n. 35.
Perfumaras muito finas e
baratas;.
OaUta ingleza a 19^00 rs. dita franceza a 506
n., 640, I90CO. oteo da sociedado hygieaiqvue
verdadeiro 1 l|e00 o frasco, oleo babosa de Pier
vardadeiro a 80Q rs. o frasco, *gua balsmica
para 01 deele* a taOOO, dita de Botot tambem
para os dente* a 1J000 o (rasco, pomada trnce-
la em. paos a. 500 rs. e 19UO0, 320 rs. aabonelea
quU) fino a 640 rs., 800 rs. e I96OO cada um na
COA do Queimado loja da miudezas da Boa fama,
a..3p*
k ^0*3 rs ,so pavo,
Vende-se chita franceza escura de cor fixs a
doua taslots o corado : ns rus da Imperatriz n.
66, loja e armazem de pavio.
A. 2$ 500, s o.pavo.
Veodem-ao costas da cambraia brinca com 3 o
3 babados a 29500, ditas do terleiana braocoa e
de. corea, com berrae e babados a 39: na raa
da Impeniriz o. 60, loja o armazem do pavao de
Gama & Silva,.
A 500 rs s o pavao.
tendom-se ss mais modernas a finiuimas laa-
zinbaa do quadriahoa o da florea solas e palmi-
ches, desembarcad do ultimo navio viudo do
Hsvre.peh) beratissimo prego de quiahentos ris
o covado, e dlo-sO aa amoatraa com penhor : oa
raa da Imperatriz. 0. 66, loja e armazem de Ga-
ma & Silva.
Cabaias hespanholas, na
loja do pavao, a 400 rs.
Vende-e est* nova (aseada de padroeadelica-
diaaimoa com 4 1|2 palmos da. largura, propria
para vellidos de senhora.a 400 rs. o covado: na
roa da Impeniris n. 60, loja e armazem do pa-
vao do llama & Silva.
Queijos do vapor a 2,300
re os maia (rescaes que tem vindo ao mercado,
vinho da Figueira e Lisboa a 3$. 39800 e 49500 a
caada, e 400, 500 e 600 rs. a garrafa, espirito
de vinho a 19 a caada, e 240 a garris, canna
engarrafada a 240 rs. : na rus das Crazas n. 24,
esquina da travessa do Ouvidor.
Potassa da lssia.
Vendse em casa de N. O Bieber
C.,|succaaorea, ra da Cruz n. *
A verdadeira essencia de ail
para engommado.
Acaba de chegar para a loja d'aguia branca,
raa do Queimado n. 16.
As afamadas agulhas impe-
riaes com fundos dourados,
ededaes demarfim.
Acabam de ebegir para a loja d'aguia branca,
ra do Queimado n. 16.
Borzeguins inglezes.
Na ra da Imperatriz n. 10 defronte d* bonica S*Uoj|*' "J? c,mbr' bordadas
Oh! qu pechincha.
Vende-se palito* lidos (elisdea fiaos pir*
dentes, 2 masioi com 40 masiinhos por 400 r.
na ra da Ioperalriz loja da Arara n. 56.
Grande liquidacao
DE
muitas fazendas baratas,
na loja da ra do Cres-
po n. 8 A, de Leandro
Miranda.
Lencos de seda grandes e de bonitos ps-
droea a '
loja do Pinto, recebea-ae pelo ultimo vapor um
grande aoimento doa j basa acreditado* bor-
sogalna inglezes qaa vende-ae por 10$e 119, di-
nbeiro logo coatado.
Para brinquedo de S.
Joo.
Voode-se amendoaa pelo barato prego de. 640
ra. a libra : na raa do Crespo n. 7, ra lsrga do
Rosario n. 35, ra Velha na Boa-vista o. 33, ra
do Bsngeln.9, ra das Cinco Ponas darontffa
eata^io n. 140, ra Augusl, eiquina do becco do
Mariico n. 1..
DA
Fundicao Law-Hoor,
Boa da Senzalla Nova a. 42).
Mesa eslabelesimento continua a hsverum
completo sortimenlo de moendis a meias moen-
das para engenho, machinas de vapor e taixas
de ferro batido e coado ale todos oj lmannos
para dito,
A banha fina,
bm copos grandea, chegou para a loaj d.aguia
eranc, raa do Queimado n 16.
Atteii Farello em saceos grandes muito novo, che-
gado no dia 13 do crranlo a 39800 cada sacea :
no armazem do Aonesem (rente da aKandega.
Vende-se a preitacoes annuaes o engenho
Santa Croz, aito na (reguezia da Luz, a margem
do rio Tapacur, distante deata capital seis e meia
a 7 legoas, lendo Ierres da maior produego para
3,000 paea aonaaea, boaa malaa e todas as obras
precisas para lucrar-ae, bons lavradorea, doua
cercadea ; e tambem vende-se, no caso de convir
ao comprador, urna boaaafra criada : a tratar no
meamo engenho, ou na raa do Llvramento n. 36,
segundo andar.
e fustao com botes de
19006
506
de camisas para bo-
Dlta* de dita
800 rs. a
Bireges da la com palmas matizadas
covado '
Grande dirersidade de collarinhoa, um
nicas sias de cambraia bordadas
Pecas com 17 varas de cambraia de sil-
picos a
Grande aortimento
mem a
Dito dito de ditaa para menino de 19 a
Chapeos de feltro, forma moderna a
Eofeitea de grade de cores e pretos a
Manguitos de cambraia bordadoa, a ba-
ilo, o par
Rieoa organdya de bonitoe padroee, vara
Uialee de merino liso de todas aa cores
Ditos de dito malizadoa, ponta rodeada'
a / jOUv e
Grande variedade de pecas de tiras e ba-
badinhos, pecas de lf a
Grordenaple preto muito largo e bo,
covado
Mil e tantos paletols de casemira de co-
res saceos e sobres de todos os tima-
nhos a
PaletoU de brim da cor de 39 a
Chapeoa de sol de alpaca de 39500, 49 o
Hiveodo mniloa outroa artigos, e todoa ser
vendidos aem reserva de prego, a diaheiro.
Mu lo barato.
Para liquidar, por se ter de psrtir psra Europa
no fim do correle mez aflm de ae comprar no-
vas mercadorias : no armazem de Tbomaz Tei-
xeira Bastos, na ra da Cadeia do Recife o. 60
vendem-se todaa as mercadoriaa existente* oeile
irmazem por muito menos de seu valor, como-
sejam : miudezas, perfumaras, crystae, objee-
los de farro, cimas, bertos, etc.. cauaa de od.
aicia, realejo de differentes qualidades, objecio*
de modas, differentes pecas de gosto, grande*
burraa de ferro prova de lego, exeellentea ma-
chinas de costura do afamado fabricante Barroso.
e urna infintdade de artigoa pa nao deizaro de
agradar, visto a reeolucSo de ae querer vender
multo barato para liquidar._______
Escravos fugiaosT*
DE
FAZENDAS E ROUPAS FEITAS
DE
Bernardino Jos da Silva Maia.
43 Ra do Queimado 43
Esquina que volta para a Congregacao.
moderno ealtbelecimento se en-
um completo o variado sorri-
4* raiaadas a roapa* feitaa por
taoert raroave*. O detengan o da
W:
|de casemira saceos e sobrecasa-
109.
1 meia caiemira dito dito a 59.
-Ditos de brim pardo de linho muito fi-
nos a 59.
Diios.de lpica preta fina de 49 a 69.
Ditoa aobrecasacos de paono multo fi-
no 299.
Ditos de (ustio de cor miudinho a 3g .
Calcas de cssemira de cor a 59, 69, 7|
6 89600.
Ditaa de dita preta a 79, 89 e 109.
Ditas de meia casemira a 39, 39500 e 49.
Ditas de fustao e ganga de eor a 29,29*00
e 29606.
Dita de brim pardo de linho a 29. 3$,
49e59.
Ditas de dito branco a 29, 39 e 4|.
Colletes de casemira preta e de cor a 41
059000.'
Cambraiaa organdya padrees muito bo-
nitos a 600 rs. a vara.
Ditaa moderna duqueza de Orleans a
560 ra.
Cbitss largas escura* fina o corado a
246 e 260 ra.
Ditas muito finas verdadeira francezas a
300 e 320 rs.
Cambraiaa branca finas a pega 39, 49 e 5g.
Ditaa de salpicoscom 9 varas pega a 49
Chales de lia escocezes para as senhorss
andarem em casa a 39.
Laaziohaa para veatidoa o covado a 520.
Cambraia preta muito fina a vara a 500
ris.
Chitas fustao para vestidos o covado a
340 rs.
Saias balo arrendada a 59-
Lences de bramante de linho fino a 39.
Ditos de dito de algodo a 18280 rs.
E outraa muitas .qualidade que a a
vista do (reguez. Tambem manda fazer
roupaa por medidas.
De tudo se do amostras com penhor.
n
O proprietario da nova expolian avisa ao pu-
blico que seu* eslabelecimentos se acham todos
os dia abertoa at aa 9 horas da noite ilumina-
dos com o meamo gaz hydrogeoio coateodo noa
mesmo eslabelecimentos urna riqissima galera
do quadros que mullo intreteri a coriosidadedas
(imillas qoe quizerem visitar es?es eslabeleci-
mentos, assim como um numero :o sortimento
de objectarias que por gosto se podem comprar,
garaoiindo aos concurrentes a franqueza doin-
gresso em aeus estabelecimeotoa : na ra Nova
n. 20e 24, loja deCarnelro Vianna.
Farilia de mandioca.
Vende-se a bordo da barca nacional Atrevi-
da, chegada do Rio de Janeiro : a Iratsr com
Marques, Barros & C,largo do Capo Santn. 6.
Attenco
a
Chegou para aloja da victoria, candieiro* a
gaz de novoa gosto* e modelos, tiuki para aala,
como para eicada o quarto* e para outras muitas
coma : na loja da victoria na ru 1 do Queimado
a. 75..
Veode-ae ou arrenda-ae ana grande pro-
pnedade maito perto da praca, cem grande ota-
ria de doaa (ornos, capel la, ama M*. casa da v-
venla, diversas caas habitadas, dous grandes
vjreiros, muitas arvores de (rucio, iacluiive di-
versos coquelros : a tratar com o Dr. Souza Rea
ou com o majar Belarmioo do Re 10
la eidade, oa ai Magdalena.
KRA DO QUEIMADO W.kQ
P/\t>hlGBANDE20ETIMEHTo
ARMAZEM
ROUPAFEITA
mmwbu
Joaquim F. dos Santos.
40Ra do Queimado40
Defronte do becco da Congregacao letreiro verde.
Neste eatabelecimento ha sempre om sortimento competo de roapa (alta da
todas as qualidades a tambem se manda ezecutar por medid/ rontada doa fregue-
zea para o que tem um dos melhores profoasoraa. ^___-'
Sortimento completo de sobreessacos de psnno a 259, 289, '09 e 359, cssacos maito bem
(aitas a 251, 38f, 301 e 35f, paletols acaaacados de panno prelo de 10 at 559, ditos de caaemra
de cor a 159,181 e JOf, palalots saccoa de panno e casemira de 89 at 149, ditos saceos do alpaca
m crin o la de 49 at 69, aobre de alpaca o merino de 79 at 109, caigas pretas de casemira ds
89 al 141, ditos de cor da 79 al lOf, roapss para menino de todos os tamanhos, grande sorti-
mento da roupaa de brins como seiam calcas, paletols e colletes, sortimento de colletes pretos de
setim, cssemira e velludo de 49 a 91, ditos para casamento a 59 a 09, naletota brancos de bra-
mante a 49 e 5f, calcas brancas maito lina a 6|, e um grande aortimento de fazendaSfinas e mo-
dernas, completo sortimento de casemiras inglezas para homem, menino e senhora, seroalas de
linho a algodo, chapeos do sol de seda, luvas de seda de Jouvin para homem e senhora. Te-
mos urna grande fabrica de alfaiate onde recebemos eneommendss de grandes obras, qae para
ese esti sendo administrada por um hbil mestrs do semelhante arte o um peeeoal de matado
clneoenla obreiros escolhidos, portante eietulamos qualquar obra com promptidio e a ais barato
pe que sm eutra qualquer casi,
Casacas ue panno' pelo a 0$,
S5g e
Sobrecaaacoada dito dito a 359 e
Paletola do panno preto e de co-
res a 369, 309. 259. '09.19 a
Ditoa de casemira da corea a 229,
151,129.79 a
Ditoa de alpaca preta golla de
velludo franceza* a
Ditos de marin aetim pretos a
da corea a 9J o
Ditoa de alpaca de cores a 59 e
Ditos do alpaca preta a99,79,59
Ditos da brim de cores a 5|,
49500,49 e r
Ditoa da bramante de linho b an-
co a 69. 5f a
Ditos de merino da cordo preto
a 159 a
I Calcas de casemira preta e de co-
res a 9. 109, 9|, 79 a
Ditas da princesa e merino de
cordio preto a 59. 61600 a
Ditaa de brim branco ede corea a
59, 49500 e
Calcas de ganga de cores s
Gollete do velludo preto o de co-
ros litse bordadoa a 129,99 e
Ditos da casemira preta e d co-
' sea liaos a bordados a 69,
5*500,59
309000
309000
209000
99009
109000
89000
99500
81500
21500
1000
89000
31500
Ditos de setim preto
Diloa de seda e setim branco a 6 a
Ditos de gorgurao de seda pretos
a do cores a 79, 69, 49 a
Ditos de brim o fustao branco a
31500, 29500 a
Seroulas da brim de linho a 29 s
Ditas de algodo a 1*600 a
Camisas da peito de fustao branca
a de corea a 29400 a 29200
Ditas de paito de linho a 59. 49 e 8#000
Ditaa de madapolao brancaa a da
cores a 89, 29500, 29 e
Chapaos pretos de maasa franesza
forma da ultima moda a 101,
81500 a
Ditoa da feltro a 69. &9. 9 e
Ditos de sol de aeda inglezes o
(raneases a 141,129, llf o
Colarinhos de linho muito fines
novos (eiUos da ultima moda a
Ditoa da algodo
Relogioa de oaro palate e hori-
zontal a 1001, 909. 801 e 70J000
Ditos de prsta galvaniaados pa-
tente e horizontaee a 409 a SOfOOo
Obraa de oaro, aderecoa e moioa
aderecos, puleoiras, rosetas e
aneis a 9
Toalhas de liaba dusia 101, 69 9Q00
Ditas grandes para meaa nma 39 a 4900ai
59OOO
59OOO
59OOO
3900O
292OO
19280
11600
79000
29000
79000
9800
9500
25OO6
12f06
19840
150*
SffJOO
1100
29000
560
4900*
89006
19*86
' 29006.
16900
51600
49506
Gratificase com300$.
Contina a eatar fugiJo o escravo mulato da
noma Rogerio, de idade 24 annos, pouco mais oa
menos, desde o anno de 1853, com oa aigoaee
aeguintes : altura regular ou menos, rosto redon-
do esquexelado, coralaraojada, com falta de den-
tes, quando falla carrega no R, que ouvindo-aa
elle fallar d apparenciaa de lato, olhos amarel-
lados, nariz chato, cabello* amacacadoa e ralos,
quando fugio lioba principio de barba, tem t't
coilas bem cicatrizadas, em om dos vatios tem
urna cicatriz de urna postema qae teve, um tan-
to espadtdo e estomsgudo, os pt um pouco
a pal helad oa com oa lornozeloa para dentro, elle
maitis cicalrizes que tem as costil: rogo, por-
tinio, as Illmas. autoridades, tanto civis como
policiaes, que se dignem auxiliar aos senhore*
cipilesde campo ou particulares ns apprehensio
do dito escravo, e ser remeltido ao seu legitimo
aenhor, no engenho Pindobioba, aito na fregu-
lia de S. Lourenco da Malta, comarca do Recite.
Jos Laiz de Aodrade Lima.
Fugio no dia 12 de abril desle correte an-
no do poder do abaizo asaigoado, o pardo de co-
me traneisco de 17 anooade idade, que tem bo-
nita figura, lodos os denles, cabellos carapinhoe
e ruiros, tendo sido eate pardo eacravo do Sr
Dr. Antonio Borges da Fonieca, de presumir
que ande poralgum doa lugares por onde o mes-
mo sennor tem viajado, como sejam Iguartss
Goianna, loga S. Joo, Campia. Serra do Tei-
xeira, Peo o'Albo, Limoeiro, aa trea villas da co-
marca de Paje de Florea, sendo que segundo se
suppoe etteja tambem no engenho Iohamaa por
hiver sido visto ha poucoadias em Iguarass por
ter amizade com una mulalinhos desse engeBho,
aioda de presumir que o dito escravo por ah
se inculque como a servico do dito Sr. Dr. Bor-
ges da Fonseca, afim de nao ser apprehendido :
quem pois o aprehender onde quer que for encon-
trada esse escravo e o vir entregar ao aeu leg-
timo dono na ra do Hospicio n. 6, que ser mu
generosamente por elle gratificado.
Ignacio Luiz deBrito Taborda.
100,000 rs.
de gratificaco,
a quem apprehendere levar casa de seu senhoc
na eidade do Recife. na ra do Collegio n. 75,
terceiro andar, o eacravo Amonio, de nacao Cas- x
sange, com os signaea seguiotes, a saber: idade
40 annos, pouco mais ou menos, estatura regu-
lar, falta de dentes na frente da bocea, em urna
orelha tem um taco tirado, debaixo do queixo es-
querdo tem tres baracoa, signiea de dentes lira-
dos, tem um defeito no tornozelo de um dos pea,
pelo qual pucha um pouco no andar, costuma
embreagar-se, e anda fgido 5 mezes, pouco
mais ou menos, foi escravo'do fallecido Marceli-
no Antonio Pereira.
Fugio do eogenho Soledade, em Porto Cal-
vo, no da 3 de maio do correte mez, o escravo
Joaquim, de nagao Coala, com idade e signaos te-
guintes : idade, pouco mais ou menos, de 30 a
35 annos, cor alaiocada, que parece cabra, bem
barbado, a barba grande que s rapa a pera, es-
tatura baixa, pernaa finas e cabelludas, bastantes
cabellos nos pellos, ps e maos pequeos e bem
feitos, secco do corpo, porm regular para altu-
ra, nariz um pouco chato, de n&cao Coala, po-
rm nao marcado no rosto, falla um pouce
atrapalhada e apreasadi, anda muilo ligeiro,
olhos muito vivo, rosto comprido e descamado.
coatas muilo timpaa por aioda Do ter soffrido
castigo algum, levou camiaa de chita edita bran-
ca e aberta, sendo de algodo, lavoa duas caigas
de algodo azul, urna nova e outra maia usada,
chapeo de bata pardo : quem o pegar, dirija-ae
a sua senhora neate engenho, ou em Peroambuco
na ra do Queimado, a entregar ao negociante
Joaquim Rodrigues Tavares de Mello, que ser
generosamente recompeoaado de aeu irabalho.
rogando ae aoi capiles de campo osa autoridi-
des policiaes a apprehensao do meamo espliro.
2001.
uesappareceram ao abaixo aisignade)
no dia 1* de junho de 1861 do engenho
S. Domingos na provincia de Sergipe,
comarca da Estancia, os escravos Lean-
dro, pardo, moco, cabello annellado,
baixo, grosso e tem na testa sobre um
clho urna cicatriz proveniente de um
ouce de urna vitella ; e Ra y mundo,
crioulo, moqo, alto, olhos pequeos e
pes grandes : gratifica-se com lDO/j por
cada um dos ditos escravo a quem os
apresentar no dito engenho ou. na cida-
oe da Bahia uo escriptorio do negocian-
te JoSo Jos Leite, e em Perobuco ao
acadmico do S.v anno Elias Jos P*v
droza ra do Hospicio n. 44.


m
'_ ~ ~ V


'!" i|lH
DWUO f* ryXMUUjCQ .- QUITA riUA ti DI MA10 DE lili

LiUeratira.

A cruz e 0 christo la Biblia.
11
(Cootinajgid.]
< Quem nao sabe o cuimento encandello do-
bradsoiente sacrilego dessa bareiiirchi com urna
religiosa por ella seduiida, a i celebre dispensa
por elle concedida ao Landgravs d'ilesse para ter
duaa mulherea ao roeimo termo, caao ioletra-
meole virgem oo cbrisliamsmc ? Singular refor-
mador, que depois dos propoiitot de mesa o
mais licenciosos, pregava e ei-nnia em lace do
mundo que as boas obras sao ii,atis para a sal-
*ago ; que o bomem nao tem li?re arbitro e
toda o que faz, han ou mal, frito necesssri'i-
metle ; que depoTs de adquii renos a grsgs de
Deus oio apodemos maisperler, por maiores
enmes que commettamos, e outros funestos prin-
cipios, que a seram admittidos, proeipiUriam in-
jofallivelmente d urna espaotosi ruina (oda a re-
ligiio e toda a moral. E na Inglaterra quem produ-
Vil?frrffi" ? Henrique VIH. iue o proprio pro-
jeslante Cobbel chama :o mais vil e sanguina-
rio dos tyrannoa qu~imais dtsol,ram a Gria-
Jlretauha.Heonque VIII, o assiasioo do gran-
Ha cbanceller Thoroez Morus c do virtuoso Fis-
cher, bispo de Rochester, dupla mancha de san-
gue, que, segundo outro proteitinte, Burnet, pi-
cegyrtata do tyrsnno, deve-se niuito deplorar em
: Henrique VIII. que cirao chefa da re-
reuoem-M em silencio n'uma capaila, leem a
Biblia, e d ah a pouco comegam lodos a tremer,
lulieade-se chalo do Espirito Santo : Sao os Q .a-
Un, depos da varen muitaa vaxaa repetido
no Evaogeiho que Jess Chrlsto 4 o Filhido Ho-
em, contluiram que ella nao ara Deas, mas um
(imples philosopho. Sao os soeinianos, seita na
aerosissiams.
Vieram porfim ontroa que aisentaram que
oem philosopho, oem hornera fol Jesua Cbriito,
porm um simples mytho, urna imagioaco dos
poros; e sao os partidarios do celebre Slrauss.
o E assim por diante, diseorrendo por tolas as
sellas, cada urna das quaea remoa apadriohada
com a Biblia e dando como inspiracoes do Espi-
rito Santo os tristes deraneioa da aeua cerebros
enfermos. Atada ama re. d-sa principio mas
perigoso ?
Ajuntemos, irmios cbsrlasimos, principio
contradictorio. Os apostlos do protestantismo
clamam com todas sssuaa forjas e em todos os
tons : A Bxblia e s a Biblia Basta a pura pals-
?ra da Deus! Nio se deve pregar ao poro aeoao
a para patarra coolida osa escripluras I Mas oto
veem elles qoeae esto cootradlzendo, eque es-
te mesmo principio que tanto assoalham nflo se
acha na Biblia ? Onde que na Biblia ae l que
s deremos crema Biblia? Onde que sa acha
l escripto que oeohumi patarra de Deus nos foi
transmittida por trtdiccio? Evidentemente desde
o Gnesis at ao Apocalypae nio se deparar um
texlo rezsodo-se semelhaote doutrina. (3) Loco
os protestantes pregam cousas que nao esto na
Biblia. Logo esto em contradicho com o prto-
cieio fundamental de sua reforma Demos outro
anarchia e o radicalismo. Diz judiciosiraente um
eecriptor:
. O". >",<> .filhoa, par. as regi es devas-
tadas palo fhgello do protestantismo, o veda ae
podis daaaobrir alguna retelhos da chrislianismo
sobreoadando linda ao meio da chaoi confuso de
tantas settai diversas que se vio cada dia malti-
plieanda a lubdividiado de til modo, que (ora ji
impossivel tacar urna historia completa de sais
oamaroiissimis variaces.
c Um jornil ingles ha meis de trala aonos Ji
diza:
a Nio ae poda enumerar sem corsr de vergo-
.... --- -------i *. H""1 "w cuow ui re
liglao, declarou a nullidade de j primeiro ma- os pro
irimoolo legtimamente contrah Jo. para easar-se Biblia.
maa^ nf.'i?18 COm^ S,B!S mu,lb,,re5- daf 1e [ ci#io fundamental de sua reform
S!d^ill^.C.8ial,<, S PK terem Ud0 "*> P aUelsroia. O. ministros n!o ce
iaeniosgradarem n:au. samdedizer:
ao. Calvioo, c< lolfloio e perrer- A egreja caholica erra em suas interpreta-
no testen unlio osuspeito oet, nos, tnintiiro* proeslantes. i que sabemos
o verdadeiro sentido da Biblia. Muio beai I Mis
elles que dizem que nao pregim senio a Biblia,
onde mosiram i estas proposiges? Oode que
! se l ua Biblia que os catholieos erram, que os
proieitsnles que acertara ? E assim todas as
I mais doutrinas do protestantismo. Logo, anda
urna vez, os protestante* ensioam multas cousis
, que nao esli na Biblia, e s para engaar os
simples que dizem : A Biblia e t a Biblia \
Tanto elles nio se contentara com a Biblia, que
a acompanbam de folhetos, de explicacdes im-
a que convidara os
do protestante Folmir, aeu in migo : a grande
flagelle asagraj contra a ogreja > seguodo
Brumo; co mais imperioso, o mais decisivo, o
rniis divinamente tnfallrvel aos>-u modo de ver,
segundo i. J Roasseaa ; sedei to de vioganca e
de siogua, segando Baudoio, t m dos seus ad-
miradoras.
t Bis o novoEvaogelho, eis o i actos dos novos
apostlos, exclama Bousset I Em religiao des-
ees horneas que se vem pregar s nossas popu-
taciS eatholicas ? Nem ae diga que deltas lio
estes excaaaos, e nao da religiao que profes- pressas, de predicas oraes
"rafx* : fiis, etc.
s m .1*1 T "u-ra" de Uma ref0'at Pra 1ue ? PO' "es nio sustentara que bas-
lao praconiada o. bomens dtvu ament lusciti- ti a Biblia? que cada Qel tem a graca do Esoiri-
dos para lev.ot.rem das ruinas a egreja catholica. to Santo para\onhecer o verdadeiro aealido da
cabida aa idolatra a em mil uperstic.Sea. como Biblia? Se par. aeguirem 0X1, as inierore-
l^^nraZTvf tfe,PMlcu, de *-, 'e. dasla ou daquelle ministro aese caso Jor
mes lio poaco evanglico!; mav o que man tris- que nio aeguirem antes as da egreja catholica ?
trS*.'?-]! -"" der*m 'i"3 e8/c,Dd8l' E e aqu explicar o que fe l era alguma
a" h i?6,IB0 0S Pr,"c,P,0> d' reforma, usan- parle o.i mesmis escripluras : Mentila e "i!
do das larguezas que Ibes coocedia a reforma, a quitas sibi, -" *ni-
^rt.R?hHP.r,tlC'".inK,,0,ld'nTreDlerpreU" ? P"cipio contradictorio: digamos aioda
5S0 da Biblia que eslabelece a re orma. principio evidentemente absurdo. Se um pria-
a Samduvida gravea crlmea ai tem deplorado cipe redigisse um cdigo e o eutregaiie aoscida-
no seio da egreja catholica ; oode que entra o dios, duendo : ounegasse aos cida-
lemento humano que nio apparecam iraqueses! Ahi tendee a regra do vosso proceder- sois
e miserias? Mis estas sao seropre coademaadas bastante ratoaveis pan coDDrahenda U Nin
pela egrela. qae ca sempre santa em sua dou- haver nem magistrados nem tribunaeai.nV.rr-
trina, piameota encarnizada cont a os abusos que gados de interpretar este codiuo e da anniic. i
e la procura desirraigar, inflexivol noi principios aos diversos casos praticos; cada um lome o"
eternos do Eviogelho, o quaes illa nunca ama-
ciou para contemporiser com ruins paixoes. To-
das as desordena edescsminhoi da reforma se
seguem. pelo contrario, naluralniente do princi-
pio funesto qae ella estabeleceu.
Qa&l com effeilo, o principio fun lamen-
til di religiao protestante? Qoa a Biblia a
nica regra de oossa f; que ntio ha no mundo
eutoridade alguma religiosa i que deramos obe-
decer; que cada ebristio, por meas ignorante que
eja, lendo a Biblia, lem a iuspii ica i sufclente
para tirar daquelle livro as dout inas religiosa!
que mais convenientes lhe pareeerem. Tal o
lystema do exime privado que foima a base mes-
mo da reforma. Ora, que desastrosas consequen-
cas nio esli dimanando de ao imprudente
principio?
a O"nto nio perigosa, diz o sabio Hurter,
protestante convertido, quanlo ciic perigosa a
idea de collocar entre as mios du todos, sem at-
tender i cipicidade e i reelidie de vontade do
ca(la um, um livro que pode condazir o homem
tao facilmeote ao erro quanlo ao camioho da sil-
vajio?
Oue de desvarios, que de exlavagancias, que
de paixoes abomintiveis nio teen: senado sua jus-
tificajio na Biblia, assim enlregi. e d livre inter-
pretacio de cada um? Uos leram nc Evaogeiho :
Ai dos jicos! e estabeleceram iae as grandes
propiedades sio uma asurpacin impa, que as
riquezaa devem ser commuos, e que se deve ex-
tirpar os ricos a os cobres a ferro e a fogo.Fo-
ram os Aosbalistas de Muncer.
< Outros leram na Biblia que c.s somos justi-
ficados pel f. e d'ahi concluirn a inefiicicia,
a ioutilidade das bois obras, e que basta crer em
Jesus-Christo para sdquirir a falvacao. Estes
formam a grande seita lutheraoa.
Aquelles virara com prazer as sagradas pa-
ginas que os aotigos patriarchas tinhim muitas
mulheres, is quaes podiam dar 1 bello de repu-
dio.
Determinaram pois sbracar t polygamia a a
uisiolubilidade do matrimonio, como dogmas fao-
dsmenlaea de sua creaba. Sio os Mormoes mui
numerosos oos Estados-Unidos. Outros veem no
Eviogelho que o Eipirito Santo iopra onde quer.
FOLHEHM
O PAIZ DO NEDO O
POR
A. LE GONDRECOURT.
ioterprete-o livremenle ;-dizei-me, o paiz ea
que legislasse um tal priacipe nio nos offerece-
ru dentro era pouco o espectculo da mais per-
leitii confuiao eanarebia, e este principe nao le-
na dado prova de uma Insigne loucura?E ousam
o proteitmtessupprque Deas poderla ter obra-
do deita maneirs.entregandosua palavraa merc
de todas as faisssioterpreiatdes provenientes da
raqueza do espirito e da eorrupcij do coracio
humano, sem deixar tribunal algum no mundo
encarregadode interprets-Ia autnticamente ?
t elles auppoem anda que o homem mais icoo-
ranle da religiao pJe depois de uma leitura da
Biblia proferir razuavelmente o seu juizo privado
ao juizo de toda a egreja universal, de todos os
concilios, de lodos os doutore delta? Mas sao
monstruosidades que vos sois obligados a devo-
rar, vos quesustentaes que o exame privado a
regra nica e infalllvet de nossa f.
Infallivel sim.para conduzir os fiis aoscep-
ticismo e i incredulidade ; e com a malor cer-
teza, porque se oossa religiio deve ser o resulta-
do do exame que cada um tem de fazer a Bi-
blia, que religiio teremos em qaacto darar o
exame ?
Nio evidente que estaremos durante esta
oame suspensos, na duvida, e por coosequeo-
cia sem a f que eovolve um asseotimento pleno
de nossa inteligencia s verdades reveladas oor
Deus ?
a E quem oos alflrma que para muitos esse
exame nao se proloogari indefinidamente, ou nio
dar um resultado conforme is suas paixoes e
preconceitos ?
< Emfim, o principio protestante uma fonte
de schisms, de divues do fanatismo, e nao
proprio senio a iotroduzir no seto da egreja a
(2) A doutrina opposta que li vem exprassa
em S. Paulo aos Thess. Estae Drmes, e obser-
vae ai tradieget que apreodestea... Em S. Joao,
que cooclue o seu Evangelio que muitas cousas
restavam ainda da vida de Jess, as quaes se se
escrevessem nio bastara o meimo mundo para
con ter os livros; e em muitos outros lugares se
marta a existencia ds tradiego.
o ha s a melada das sellas fR oa Inglaterra dis-
putara i egreja epicoparo goverso du al-
ai ai. (3)
c E observa qae todos oa geoeros de creocs a
de incredulidade achsm am Londres partidario!
e defensores, de sorte qua tal hoja a disposicio
dos espritos, que todo o homem am estado de
comprar um vertido prito e veilir-se com elle
pode formar em rola da ai urna selle.
< Outro jornil de New-York oos deu em julho
de 1857 a lista das sellas que encerr esta cidade,
eque orcam i seteota o quatro (4). Em propor-
?o, qae numero enorme nio date ter Loodres?
O protestantismo tem chegado a palrerlssr-se em
tsotasfraesdee diversas, qnen'uma s rua.n'uma
s casa, a na mesma familia muitas vezes peuoas
da religies diversas, todas essas Isoldas da mes-
ma fonte. oHvfeeismedsBiblis. c Lemtrrae-ros
das tristes dtssences do seculo pastado, diza
c o eloqueote Maisilo no grande seculo da Loix
XIV ; desde a separseio de oosios irmios, qua
munitruosa viriedade em auaadoutrims? Qae
a de seitas lm nsseido de urna seits 1 Que da
i sssemblaa particulares |o'um mesmo sciima I
Esse reino ilustre, que por sus visiohanci.
seus infortunios e penhores sagrados e augui-
tos nos tio charo, a quantoi differeotes par-
c tilos sobre a religiio est troje lujeito ? Etsa
egrejs tio venerare!, tio faenada outr'ora
em santos, por quintas opinies a settii eit
c hnje dilacerada? Cada um ah para si mei-
mo sos lei eseu juiz, e a religiio domioante ,
< por assim due-, nio ter tren huma. (5).
Em ama patarra, a Biblia, interpretada pela
razio individual, toroou-se ea pouco lempo, co-
mo muito bem se diste, um tmulo, em aireo
christianimo sa decompot a ponto de oso apre-
tentar senio uma especie de patrefaccio de todas
as verdades dogmticas e moraet, depois usas va
poeira, depois nada.... (a nio aar um epitaphio
meio apagado. Eis o- terrivel diiiolvente qwe te
quereria iotroduzir em noiso piiz I E eit orno
se desej romper o mais poderoso vinculo- da
oosta uoidade nacional, qae o amor da religiio
catholica, para a tirar-nos pelos mil camibhos das
seitas nos abysmos do scepticismo e da- indiffe
renga religiosa, ultimo escolho emqaevaene-
cessariamente parar o oapirilo humano fatigado
pelas oscilUQ&es e variac.c>e iem numero da ra-
zio privada l
a Irmios e filhos muito amados, eis o funesto
principio protestante, que se procura propalar no
imperio de Santa Cruz, e por ve meios, grande
Deas 1 pelos meios que sempre empregou a he-
resia em todos os lempos, em todos os paizea-.
III
c O primeiro s flsificsQio das sagradas ea-
cripturas, cujos tsxtos corrompen! para melbor
faz-los servir s doctrinal errneas- e condemtu-
das pele egreja universal, levaode--se a temer
dade al supprimir livros ioterroa, ioseridoa pela
mesma egreja oo catalogo dos livros iaipiradoi,
s porque os miaistros protestantes tSm asseota-
do que esses livros sio apocryphot Assim, am
uma edicio dessss Biblias, que 9e lm distribuido
nesta dioeese, procurareis em to o dous lti-
mos livros dos reis, o de Tobas, Baruch, Judiih,
Sapiencia, Eeclesiaitico, e os dous dos Macha-
beus, qae todava pelo orculo da egreja catho-
lica, oo ecumnica concilio de Trente, foram de-
clarados pertencer ao catn des divina escrin-
turas. r
(3) Monlhly Reeiew, Juoho t830, pag, 804.
I*) The church Journal. Eis aqu eise curiosa
lista : Anabaptistas, bapliatas, seros biptiatai
baptiatas livres. biptistis tapridos, bapliitat ri-
gorosos, baplistas libarse, baplitta pacficos
bapstas gloriaos, balleiaiah, baptistas-christios'
baptiatat de braco de ferro, baptiiin geries. bio-
tiitas parlicularet. bspliaUa do setirao-die. bip-
tistas escossezes, txpiiitis di nava .mmunho
geral, t pintas oagros, independaotc *, hrils-
nos, catueroni.Dos. criapilas (onU|). dlti-
las, cambellilat ou reformados. inghlaDiUs, sal-
tadores, chrittios bblicos, glipitasoaj landmo-
nianos, aotigos presbyterisoos, dovc pwibyte-
riinos, eicostezet coogregaoiata, qakeva ou tra-
medores, amigos, unitarios, socinianha, morares
oa irmios di uoidsde, methodiitst, wesleyaoos
raethortiatas primitivo*, waileyanos rtformadoi'
calvinistas methodicos, francezaa primevos, con-
pexistis, novos connexistss, iwedaortprg'ianos
irmios de Plymooth, christios rebaptiaadbs, mor-
moes, kellistas, ouggletooisoos, roraaniAos per-
fectiooslistas, rogessisoos. sekeiers, univerailit-
tas, caminhadores, wiiti-diUis, dkcipuloi, aai
gos livres ou sgapmoooiUs, protesta ntss franco-
zea, reformados allemiet ou discpulos de Ron-
ge, novos illa minados, angltcanos-iaglezes, lo-
guemos illem&es, anglicanos fraocezes, etc., etc.
E isto n'uma cidade I s fallando as seitas pro-
testante!. B o jornal aflirm qua talve paisasse
alguma por alto.
(5) Sermo* pour lejeudi aprt lu cendres.
(Costumes dos nmades.)
i?.l0!JSKS,jqM ***&*> m,lito, H>s sa
sansa iradas dos ao sentido areteataate a com-
ti ^5?**"* ."" iS ': "'ron i em
ludo malrtmorjw ; lrsduc?io s letrs ao origl-
VLV2Z& ,il1"DrBe o mesmo que rionora-
matrimonio bom esaoto em ludo o qua elle
Oa mioislros que sio inmigos d. lei d. contioen*.
Mi tradntem : Fenaraaci entre todo o matrimo-
nio, 9 em ootrit veriei: pora todos
a S. Paulo aos Corinthios: castigo o meu corpo
eo reduzo d servidoo para que, lendo pregado o
Evangelho aos outros, nao venha eu proprio a
LPZV*d.- ?' "inil" qae tem horrorat
peoiteociit tuprimem o casttoo, que no texto gre-
g!gg*** "a ""> 1e significa fazef
contusao no corpo com pancadi.e adopeio a idea
ae reprobado, fzendo-lhe preceder di pilavre
im alguma e austro, diz.ndo simpleimente :
subjugo o meu corpo e o reduzo servido para
que aos outro>pregando eu mesmo em alguma ma-
27JS i7"8. nr"lo. A.tim este texto se
acha duplamente viciado.
S. Paulo aos Ephesios cap. 5 r. 32 fillmdo
do mslrinooio.du -.-Grande este Sacramen-
to. O ministros que nio querem que o mitri-
mooio seja Sacramento, traduzem : Grande i este
myslerto.
z?u digo no Christo e na egreja, continua o
apostlo ( porque s se refera ao matrimonio
cbnitae que se faz na egreja ) Os ministros tra-
duzem : x7ifo em rtspcilo dt Christo e da egreja
erga Chrtsium et Ecclesiam, a oa in Chrltto et
eccsixa, como eati no original. Assim aioda
oetle texlo notamos duas falsiflcacdsa.
a S. Tiago cap. 5 v. 14 : Est entrev algum
enfermol Chamem o presbyteros da egreja. e
enes facam oraco sobre elle, ungindao com o
oieo-em nome do Senhor, etc.
Iodos oa iolerprataa catholieos em to-tes os
lempos virsm oeste texto uma meocio clarissi-
ms do Sacramento d'Ettrema-Uncao. mar os
protestantes, que rejeitaram asta Sacrameotc;
traduzem; Est entre vos ouiroi alguem doenW
( primeira faleificacio ; o lerio grego reta : gra-
vemente enfermo t) chame a si os andaos da
egreja ( aegttodi filiificacao ; o texto diz pres-
by Uros ) e oremsobre elle un-jmio-o com azeite
| expretiao baua, para remover a idi da Sacra-
mento, etc.)
a Not actos dea apostolot dasts falsa Biblia la-
te, cap. 14 23; R havendo por eommum con-
tenttmento eleito anexaos. Esta pertavra com-
iimkvcontentimentc ajuntada ao texto para in-
culcar o arro protestante que oa sacirdotas rece-
ben) a misso do po ; a acia o i tnta ta ttem
sqai em lagar de presbyterea, e mi triduecao.
c E etttroa muitos eaempios qae fra fastidioao
citar, iatinusodo st algum dessss tetloa sdutle-
ridot borriveis blispbemiaa contra o dogma d>e
virgindade perpetua de tfarii Santissima Meo de
Beaa I Bvste, amadoi albor r esta a considera-
Q8o bastara para nos fazer detestar semelhante
Brollas, oode- o protestaatitao vseoa todo o-seu
veneno (6).
O segundo meio empregsdo- peloi pregado*
rea dai hereaia protestante, e qws pode chimar
a perfidia eommum do todo os hnges, consis-
te em usarem das metmas phraws e- iocucesde-
escriptura aagrada, mas ligindo-ibe a aorralei-
ra um sentido inteinmeote diverso, Mlaqueande
assim a-boa f' dos eslholices-inexpertos. Ette
artificio tao mugo qae S. fteou not* seculo
ja o exprobrava aos hereges de seu lempo :
a Swmiiev tahas eloquuntur,.diitimilia vero
sentxunt cTodas as bereaiaa. du preclaramen-
te o grande S. Atbaoaaio, (7) lem por principio e
autor o doaaooio, pae da mentira, o qu! foi per-
vareo e homicida'desde o principio ; aae eover-
gonhando-ae ellas do oomea-lo; ousam aoornar-
se falsamentocom o nome adoraaei e-Santissimo
do Salvador, e enfeitam-sa com as patovraa ds
jscriptura. proferiodo as pbraaesdekls, SMa oc-
cultando-lbes o verdadeiro teotido ; e atarea ca-
da-uma capeando inaidicimento-ot propvios-pen-
sameotos, loraa-se homicida daqaelles qae-iaduz
em erro E depois de compren esta doutrina
oom'os exemplotde varias seitas : certo eon-
Utrs ello, que lies seltss em Mtimpiedarde era-
da tem de eommum com a escriptara, que- con-
demna inteiramenle auas- falsae-daulriais, El-
las, oio obstante, para eogaoarem ot maia sim-
ple, Qogem empregar e medita* as palavraa sa-
gradas, maa ao modo de seu pae, o demonio/ aMO
. pareeendo ter boot seolimeatos no son> das
palavraa pira assim indunrem 00 horneas e-abra-
crem doulrioaa alheias a esariftlura saararf* .
h cooclue o aaolo doutor ex,ho(t os bispos s nio.se Harem nos-Arianoi, dzeodo:
Ainds que elles tomem eaipreslsda ae-pala-
vraa da escripturs, repelli todava os seuescup-
ios ; e posto que as palavraa ae mosirem or-
thortoxos, nem. assim fallando Ibes dais aUaocAo.
Ltcel orthodoxos fidei verla.protuleriiU-nec sic
oowentM vefuit adendere ^ Taires perguate
alguem ae asam ot hereges dos tettemwnhoi da
sagrada eteriptura, obserrava o famoso Vlceacio
bennease, no seculo ; usira, sim, e com loda
- forge. Plae utuntur as. eeftemenltr. Piada
TERCEIRA PAR1E.
[CoDtiouacio.]
XI
Ghrellab passou o dia a discorrer com os mem-
bros do cooselho que o acabrunluram de pergen-
ias sobre os negocios pblicos, ospecialmente so-
bre is ditposicoes e os projec.os dos christios.
Afiotl de contss colligiu que aquelles se schsvam
mais bem instruidos do que elle proprio; porm
tratou de nio dar-lhes a entender isso. Volita-
do i teoda de Thereza mal pode dissimular o em-
barazo, que dosou espirito se soosslra ao saber
certas noticias, cuja gravidade 3ao poda oscu-
recer.
Mudou acaso de parecer? perguntoa-lhe s
baronezs. Resolveu por ventura adiar a nossa
vligem ?
Deas me livre de semelhante resolucio.
Partira ji se podesse: honte n contava eu os
das, e boje cont as horis.
Eotio quem o impede ? N! o o seDhor aqui
o ebefe ?
Stnhora, estt pergunta desperta-me no es-
pirito reflexoes, qae seriara bem perigosss so meu
plano de conversio, se eu oio tivesse compro-
meltido para com V. Exc. a mioha palavra de
honra. Julgue por si mesma. Ba mais de viole
anoos qae eu applieava ao mal a micha coragem
e imagioagio, e ha mais de vine annoa que me
sabia bem em todas as minhss emprezas, vendo
sempre sstisfeitos os meas de? jos abominareis.
Ao contrario oestes ltimos quinze das, depois
que resolvi-me a pralicsr o be i., a reparar as mi-
abas faltas e crimes, a rehabilitar por mel do
errepeodimento aa desordeos em summa depois que emprego nesta ids todas
aa forjas do meu coracio e do n eu cerebro, nada
vejo sorrir-me 1
Cusl Que diz, teohor? ixclamoa Tbereza
estremecendo.
Uma verdade bem amarga senhors I Ptrece
que o bem muito mais difflcll de praticar-se do
qua o mal; e j vou perdeodo a esperaoga da
emenda....
Obi mioha filht....
Tranqoillise-se : too di: er-lhe o que ht.
Os Fraocezes esto em caminh >, e marchtm so-
bre Ouirgla; seu marido vem :om elles.
Tanto melbor I Msls fcil tor-nos-ha arre-
batar Magdalena do poder do impo.
Meu Deus, senhors I Qu otas veas quer
3ue ibe digs que me seria mal lo fcil arrebatar
lamia do Ksar-Djerid, e que pira isso oio tenho
{?) Vlde Diario a, 117.
oecestidtde de seu marido nem dos Franceses?
Porm eu oso lhe quero restituir aos brsgos s jo-
veo rabe, que toma-la-hia era odio e rancor; e
sim mademoisella de Seelorf feliz e ditosa por
tornar ao seio de sua mi. Pira iito precito
lempo, pelo menos ilgunt diss, entretanto que o
Sr. bario de Seelorf, os Fraocezes, e seu adiado
Si-Hamza ahi correm era meu alcance. Pega a
Deui, seohora, pega Deut que cheguemos a casa
de Willer antes que os Fraocezes appiregam
neitet lugares I
Ji nao sai pedir, murmurou Thereza com
s lagrimas not olhot. Ji oio leoho mili cora-
gem 1 Simo que me animam forcassobrehumana!
para correr ao encontr de mioha flha; mis se
for obrigsda a recar sote algum obstculo, sioto
tambem que cahirei anniquillada.
Ougt-ma com toda a atteogio, replicn
Francisco compadecido, e nao eamoreg no mo-
mento maia critico da noisa aventura eommum.
Si-Hamza um hbil e intrpido guerreiro deste
paiz : descendente de familia Ilustre, goza alm
disto de immeosi autoridade moral. Este chefe
dispde de am cooliogente numeroso, o se acha
ligado aos chrittiot; o que uma prova am fa-
vor de sua iotelligeocia, porque o deserto seri
prximamente cooqutstado como o Tell, e depois
ds conquisls o ambicioso e prudente Hamza con-
servar la iamenit fortuna assim como a aato-
ridade de que goza. Uma vez nesta carreirs tem
elle presta em acabar com o cherif, que elle ser-
ve de obstculo, e se como effirmsm, sihiu i cam-
po, pode-se ter toda a certeza de que far vinte a
trila leguas por dia at que encontr a nosta
gente.
Em seguimeoto de Si-Hamza, talve para v-
gia-lo, e mesmo pera soccorre-lo em cato de ne-
cetsidide, marcha uma columoa fiaocezt, com-
mandada por um homem bastante instruido not
uegocios rabes (1). Assim, pois, o cherif nao
est bem, o duvido que aceite o cmbete oestat
condiget. Se aceitar. fJcar perdido : se porm
o evitar fugindo depois de dispersar as suas tor-
gas, ainda uma vez poderi escapar. Mit, nesle
ultimo ctso Wsller o seguir.... e eolio adeua
oossis espersogas, porque Slimit ir em compa-
nhia de aeu auppoalo pae I.... Ora, neatts cir-
cumttaociis quem poderi decidir o cherif a com-
baler?
O senhor l exdsmou Thereza.
Ainda bem que V. Exc. comprehendeu-me
perfeitamenle. Waller e oa outroa ebefes ho de
aconteIhar a fuga. S eu posso desmentir o boa-
to da marcha dos Fraocezes, s eu tenho no psr-
tido o poder desrraslir os espiritos A mioha opi-
niio.
Neate caao o que espera ?
Oh 1 E' mais fcil aconsalhar do que prs-
ticir ama aegao. Eu nio bou doua para ir em
busca do cherif, e ao mesmo lempo conduzir V.
Exc. ao Ksar-Djerid.
Mas posso eu ditpeosa-lo: basta que me d
um gula ; saberei recoohecer minha filha.
Seri urna grande imprudencu I Admiro a
aua reaolucio, aenhora, mas permita-me que faca
aa cousas pela mioha cabeca e nio guiado pelo
(6) O fado da corrupto das Biblias pelos he-
reges incontestavel.
Tertuliano ascrevia oo seculo 3 : Istahceresis
quasdam ssripturas non reclpit, et si recipit, noo
recipit integras ; et st aliquaienut integral proes-
tat, nihi lomiaus diversas expositiones> commen-
tata psrvertit. De Prescripl, botre.
(7) Contra Boereses.
quasi dxsm da aaa cibog que oio ae etforcem
[por distimalar debaixode palavras da eteriptura.
Mea tsnto maia nos devemoa dellea acaulalar,
teme-loi, qaioto mais profunstoteote ae oceul-
lam a tombn di Isi divina a.
Recebei, eharos filhos, estss sslottrss adver-
tencias da venerare! aaUgaidade ebriatia. Sio
lolos oa padrea, o todos os eseriplores dos pri-
meirot sculo* da egreja que assim fallara, o
nanea es filhos da luz eaqueceram em tempo al-
gum dictamea de tio consumid! prudencia. Estae
poit vigilantes, e nio vos deixeis corromper pelot
artificios da meotin.
a O tercaire meio de que ae servem o apost-
los do protestantismo, meio ji sedigo e gasto,
mas empregado sempre com a mesma perpicacia,
assacar mil calumoits contra a religiio catho-
lica, attribuiodo-lhe gratuitamente doulrinas que
ella nunca eoaina nem eosinari jamis. Attim
elles nos accasam de adorar os santos e asais-
gaos ; de entinar que basta o ficto de pertencer
ao corpo da egreja catholica para ser predeatioa-
do : clmame reclamam que nt nao queremos
que se lea a escriptura, que somos inimigos da
palma de Deus, e oulrst que taes imputagdes
deiutuidis de lodo fuodimento. A egreja ci-
tholics. vos o sabis, charos Albos, nao alora se-
nio a Deut : venera, sim, os santos como imi-
gos de Deus, e Ibes rende aquellas hooras que
elles mercem como modelos qua foram de todas
is virtudes, me oio os adora.
Eotioiodo-noa que til orir aos santos, diz
o grande blspo de Meaas>(8), a egreja not sa-
tina a orar-lhea oo memo espirito de caridade
e aegundo etsa ordem de ctridide fraterna, que
nos leva a pedir aos nossos irmios vivos toDre
trra qae se ioteressem por nos diante do
Senhor, donde cooclue o catnecismo do conci-
lio de Trono que, te a qualidade de mediador,
que a escriptura d a Jess Cntisto, soffresse
alguma quabrs com a iotercttiao dos sanios que
que reinara com Deus, tambera soffreris eom
s ioiercesaio Oos fleis que vivem eomoosc.
Quaato & aevuoegoo de eosintrrsoeque basta
o fado da iocorpoTogao i egreja pars e salvaos,
oenhum caiholico a acrediitr, pois, pelo-contra-
rio, todos os diat Ibes inculcada a necestidade
das boat obras e de anea vida regulada pelas nor-
mas do evangelho para attiogirem o fiw sobre-
tajural pira pae Deus e (festina. Emfim, irmios
e nMhos dileclissimos, vs- sabis perfeitamenle
quu a egreja catholica nao vos prohibs a reitara
dos- Hvros sagrados ; o onse fez somente foi pres-
crevor regras sattdaveis paraqu-a essa leitura vos
roste sempre proficua. Em lugar de termos os
laimigos da Biblia, como elles preteodem, pelo
contrario, aeguado- nosso ensioo citholico e-a
pratict de todo o nosso culto-, nao venaremos a-
d tanto, depois dr Jeeus-tturisto, do que sua
siota pitarra, do que saagrada-Bibl. Talaca-
tameoto e obedieocia tem os catholicot palavra
de Deus, escriptara- aanta, que crm que Je-
ss Christs*, afirn de determioar ao-certo onde se
acha esta paiivn, cooserva-la intacta, propa-
ga-la e easroa-li puramente, fundn ama auto-
ridade vitivei, infallivel,sem s quai'seri esta un-
ta palavra, como o de feiio, dilacerada em re -
tainos, odiosamente desfigurada, contradictoria-
mente interpretada, e att: negada pelo que ae
ditera seus defensores. Tal respeitose-m oscatho
lieos aagrada Biblia, que considerara cosao um
crise madar-lb aequer un ni, adulterar e> sen-
tido de um t de aeut venicitioa. C-iliocatn-a nos
concilios em im throao de hostra, beijam-a cada
vea-qaa s lm ero santos oficio, por toda apar-
te loas pulpitee-pera ensioa-la, representara os
maiasablimis o locantes enrios della pelaei-
curptars, pintura-,' buril, e a tod a alma que e-
saja l-la com limpliridade elle a ofleretem eo -
m uoa alimento divino. S depois da apoarrgao
d ntatoata doutrictardolivre esame,raata ds-
tree-a f. deifica o- orgulho da- razio, abala
aoa-foatdamentos a- autoridade d santa Biblia,
maHipiresas m ediccoes, ss tradueges falsea-
da e a oterprei$Qee coatradictariis poz a egre-
ja alsurBBs tracas raalriecoes leitura da KOli,
prohibindo, nao tolas as versoes-ea lingu vul-
gar, toa as que nao eo acompanHadas de algu-
ma aetae explicativa, que etelaracam as dirEeul-
dadea-do lexto, e isto no proprio ioteresse da Br-
olla e das sima orgulhosas e levianat. wh
Ao terminar esta nossa instruya a pastoral
irmaos-e filhos diletlmiraos. os waeexhortamo
e vos .tpplicsmo iolanlemeater pelas aaSBa-
nhas do-Salvador Jasas e pelo amor que teade
s vossa almas, que-oao aceitis qttalquer volu-
me ou impresso sa-bido das impreosat do pro-
teitaotiDoto. oem o*- levis para vossas casas
oem os-facais ter sat-veosaa familias. Nao duvi-
da mos al declarar-ve com nossa autoridade
pastoral que ettaes estrictamtote oorigadot, em
consr.iencia a peranta Deus. a oio- tolerar em
vossat casas esses Irnos perniciosos^ antes da-
veis desirui-tos ou guaria-lo em- logares lalal
ramela reservado, pan que oio envenenen) Or-
les as pessoss que vos-ao caris. Btcutie a vot
de vosso verdaleiro amigo e pastor, qae vela so-
bra votsas almas como quem tem.de. dar deltas
estrellas coalas, e que vos repelo o orculo do
divioo apostlo Paulo : Evitae o homem here-
ge; flbtretcunv ftrtam... deoitn (10) S*e
brandoa e cheios do-bendadn para com quaquer
da voesos irmios desviados; mis si le rigorosos
e infteuvets cootra-os erros qae elles propagam.
(8) Eipottion do la doctrine do l'glise aetho-
liqae.
(*) Aoatei Gatbolicos.
119) Hebr. XIIU 17.
(1) O coronel Durriee, boje general de d-
riaio.
sea congio. Se V. Exc. chegasse aozlnha ao
Ksard-Djerld marchariamos de cttastrophoem
catastrophe. Nao, senhors ; tome o meu coose-
lho, ore a Deua que t lhe pode valer: quanlo a
mim tentirei ludo am nono beneficio. Partire-
mos boje mesmo. Aehs-so V. Exc. com forgn
para andar como Si-Hamza vinte a trinta legaaa
por dia ?
Sim, mil vezes sim I
Eolio prepare-se em quanto vou dar ordena
mioha gente.
D'ahi a ama hora, meos anda, Tbereza, Ghrel-
lab, e quatro civalleirostodos montados em me-
harasshiam do campo eotrincheirsdo de Ouir-
gls, a dirigism-sa pan bandas do sudoeste. Ot
cavalleirot ism a don a dous, Grkellib e There-
za cimiohavam na frente.
Passsdos algn* mona mantos de ailencio depois
da partida Ghrellab voltou-aa para madama de
Seelorf, a quem disse:
Se Deus a proteger, aeohors baronezs, e
luiienlar-lbe as torgas chegaremosao Ksar-Djerid
em menos de dncoenta horas.
E recis, senhor, que me faltem as forcas
em ciocoenta horas, quando ha quinze anoos que
espero I Quinto mus me aproximo, mais dase-
jo chegar. S quoria qae Qzesse am favor.
Com todo o prazer....
Amanhia ao despontar do dia mostre-me
com o dedo a direegio de Ksar-Djerid, e ver se
a mioha vitta ae canga em fixar-ee com o meu
penes ment oessa direegio.
Olhe para aquella liado diamante.respooiu
Uhrellab designando uma estrella que sciotiUave
oo palor do cu : encare bem pira elle, poit
qaem nos dirige,
Oh I meu Deot I Eu a recoahego I excla-
mou de repente a pobre mi. Era ella qua aa
contemplara no parque de Seelisberg ns veipara
do naicimento de mmhi filha : era ella a quem
invocavs pars a miaba pequea Magdalena.... e
depoisnio ousei mais procura-la li ss cima I
Meu Deus I Ser um presagio divino, que me
vem annunciar a restitaigio da filha, como outr'o-
ra me annunciou o seu nascimeoto I
Oh I peosoa Francisco Klein curvando i
fronte peraole esta tocante invocagio. Ha na
Ierra alguma cooss de verdadeiro, de poro e ido-
ravel, que ot homeos nunes conseguirn na-
diro coragio de uma mi 1 Por qoa nao ce1
nheci eu a mioha I....
At o riiar da aurora os viandantes flzersm
apenas tlgumas pequeas paradas ; o quando os
primeiros claros do oriente forsm extiogutodo
as sombras da ooute, Thereza, ergueado a alo
para a estrella qae baria seguido com amor, -
climou :
O nosso guia vse fugir-nosl.... Ainda a
sempre este deserto silencioso I....
Li adiaote, respoodau Ghrellab, oio f
aquella monlaoba de arela em forma de pir-
mide ? r'
Vejo.... bem em nosss frente.
Pois o gigante Djeribey. Ali pernoiUrs-
mos hoje junto s um pego excellente.
E porque nio continusremos antea ?
Por que nio podamos chegar 10 Ksar-Djerid
durante a nouto, e Djeribey dista apenas, do Km-
Djerid cinco leguas paquean.
Ciridadeeom ps proteetmtef, aoitos dellea estio
!?!.#! i *-.** Dm" e*rle*e jalga-loe I Maa
.... ??",0PfotetaBtlsmo, horror profundo
ah.J0 **- ,r"lno* lndepoo4encla, qae
S .-n?"2 Mtt0 >*idoaI -cima diauloria-
i. !.I e,fei' ea,h<>". de nossn al-
tre com o puro leiu du doutrioss do evaogeiho,
e em cu o miterne telo echiremot seapr >, f,
o conforto e s felietdsde. v '
* \ \gratf" d SeDhor imu Ohriata, a a eari-
dide de Deus, e s commanieacio do Esoirito
Ssnto, seje com todos vos. saados filhos a
qaem dsmos do fundo do corsgio a beogio epis-
copal. "^ *^
(Jornal do Com mercio, do Rio.)
Da liberdade frauceza e suas condees
de existencia.
M. Bonald disse: c Um povo subiendo eom
opinies, mass governado por seu csrscter.s
Isto verdide, e nio podia ser dito, com mais
suloridsdes e profundis.
Por multo tempo fol o erro e escolho de to-
dos os poderes o goverosr s Franca nio per sea
carcter, mas exclusivamente com opinima, qua
Ibes servam para aublevarem-na e se proclama-
rem: todos perecersm peto abuso do sea proatie
principio.
A Franga em 1789 foi sublevada coa as opf-
nies dos philoiopbos e prolilicos do 18 scalo ;
mis qulzeram goverar excesivamente com es-
tas opioie]; exsgeram-oas : resultou uma or*
revolugao.
Reitabeleeeram em 1815 ama stftrga e gloriosa
monarchia coa Jas opinies dos emigrsdos e do
antigo rgimen mai quizeram goteroa-la ex-
clusivamente comf essas opinies ; exageraram-
nai: toccedeu o qae vimos em 1831*.
Sublevaran a Franga em 1830 coa aa opi-
nies dos liberaei e da ciaste meds, e fizaraa
aubir ao trono*o ramo mait mogo dos boortrens ;
mis quizeram govertra-la exclusivioMnls cen
essss opinies; exageraram-nas : auaeedev o
que vimoi em 18*8.
Sublevirim a Fnnge eom as opinies de so-'
eialismo e liberdade em 18(8 ; mas quizeram
go-verotr exclusivamente com essas opioiSer -r
exageraram-nas r succedev o qae vimer oa
185.
Pocdaram o segundo imperio com as opiniea
de ordem e autoridade ; maa a historia dir- que
o segundo imperio nio govemou a Frang com
essas opioiei somente, e sim* por sea csrscler *
que deu-lbe aotts m-ssmo que todos o desejas
sem, o decreto de 2 de novimoro.
Do que se cooclue que se deve goverosr ua
povo; nio eom opinies- por qae- estas mudara,
e sao accidentase, mas por seu carcter, qae oi
muda.
Se um soberano protlamado a-constituido ao
grito de trerdade, nao acredite que- possa vivar
a goverosr exclusivameot por ella-, viato dever-
Ihe soa existencia; ira directamente s revola-
res : preciso que elle governe tambera coa
em poder exeeiriivo fortenrevn orgaoisado.
A Franga quer a liberdade; eir aabe lutar
para con juista-la ; mas oo- dia aeguiate ao da
lula e depoia da victoria, quando quer discao-
gar a voltar aos seus uegaciot. se- derem-lho
tmenle a liberdade, esta lhe nio bes-tari ; nio
corresponderao ae-eeu desejo earaeter.
Ella eateode ser hvre, mas de asa- liberdsde
que nao degec-ere em discussesesteris, qae a
nao empega de tratar dos seas negotio, e que,
ao contrario,- a ajado a trata loi melbor. Qaer
seoiip-se goveroada ; quer tw poder forte que
valle soore alta, capw de protege-la contra aeua
proprio exeesso e-at contra-a liberdade-.
Assim aioda, se- se trata de rar poder audo
do uro* profaal fro-axidao da- anarotr e de
uma necestidade irreaistivel do or-iea. e auto-
ridade, oio eris etie-qae, por ter asido dos prin-
cipios do- ordem e -sertoridade,. pode viver e go-
veraar por esses oreamos principios ezcfusi va -
mente, iri tambem directamente s revoruges:
preciso'qtie elle gaveras ao mosmo tempo com
a liberdade.-
A Franco quer um-- peder forte-, par rests-
belecera rdeme autoridade, ella-sabe destruir
es governoe qae a donara sem dpreegao-a- segu-
ranza ; ma no dia sagnate so da veod da novo
regiman.quando ella est-aocegada.-.e- ten raad-
qutrido coodaoga, ae-!he derem se mete ordem
e autoridade, nao satiaf*rio ii auas-necessdades,
ttio correspoadero ae- seu carcter ; ella quer
m poder iKt. ma tanabem <\a*t a Uberdade
aa proporgio de um sabia e r-r^e ootMvca.
Neste ponto de viaiarodecrelc.da-29: de-novea-
bro um Moatecimoetoaem preeedena>Bi nos-
ss hiitori.
Antas ds-Nipolei Lli.s eteraa e-fala* tendeo- -
mi de todo- os govevoo era exagera seu pro-
prio principie.; .aa esta era a liaerdad*, exige- ,
ravam-na. e caiam peto, exceoaed'e4Ia ; se ers*
a autoridade, exagera**m-na, e- caiara pelo ex-
eesso delta-:.ciiam loaes,.como-ditsemos, para
o lado para onde se ioeliaavam,
Napoleao,.aoontsafie,.8e bo q.4 dan seu.
Poder ao principio do autoridade, e visse ea
185t a Franga, com odie.da gserra. civil e dea*
goslota da. iiberdad,.a.mostrar desejo pela os-
dom e autoridade, eomprebasdeu que o prin-
cipio de autoridade, por mais tutelar qae fosee
e por mata pupular que tivestosido. nao podia
bastir paragoveror a.iociedado fraocezi; quer
utroduzr am outro elomeato-osseneial de go-
verno : a liberdade.. tfosUinuar-se-ha).
Meu Deus I Tende piedsde de mim I mur-
murou Thereza.
E com oa olbos cr&vados ns pyramida nella fi-
xou um olhar ao mesmo lempo ioibrianta e aisus
tador.
A jornada foi terrivel para oa viandantes, que
ounvim affronlar em pleno di oa,eslagio mait
calida do anno, os ardores do sol, a fornslba das
arene, e os queates bafejos do. veolo da planicie
Ot raehtra camiohivam com a cabaga baixa os
servidores de Ghrellab o elle proprio resseoliam-
se dos tormentos e fidigis qus 0 deserto inflige i
aquellea que ouaam affronli-lo. S a baronet!
de Saeelor mottriva-se incangarel: de ves em
quando levsntava a aba o seu cbapu de patita
para encarar a montinha de Djeribey, e ai suas
torgas psrecism crescer i medids que tambara
crescia aos aaas olbos o gigante que era a ai al-
inhido por todos os sbelos de sua alma.
Ao cabir da noute cbegiram oa viaadaales ao
pogo de Djeribey.
Em quanlo o's mebara espsravam coa vida
impsciencia que os esersvos puebassem agua com
o suspensos so srgio da selle, Ghrellab aproximou-
se da bironexi, a lhe disse :
Ghegamos ao lormo da viagem, porque qus-
si que nio vale a pena fallar do curto espigo que
ainda falta ; eque pode ser o tempo indispema-
vel aflm de preparir-se V. Exc. s omoges que
s sio astillar.
E' verdade, respondeu Tbereza ; parece qae
o Sr.estudou o meu coragio I Tremo quaodo me
vejo prestes s encootrar mioha filha; sintospres-
ssrem-se de ma estraohos sobresaltos ; e oem
mesmo sei, nem potso oxplicsr ests neoesiidide
que tenho de concentrar-me depois de uma tio
tonga o cruel separago.
E' por qae amanhia, seohora, V. Exc. lera
necesstdade de mais aoimo a valor do que lem
ttdo de resignsgao at aqui.
Aoimo e valor I E pira que ?
Ouga bem o que vou dizer : oo V. Exc. ha-
de ver aua filha primeiro que a Waller, ou ha de
encontrar Walter primeiro que s sus filha. Duas
faypotheses cada, uma daa quaes cheia de pe-
ngos. So fr Slamia a primeira que vir o que
far V. Exc. ? H
Posso eu acato itber o que firei, meu Deas!
Eotretiolo conrm que vi do antemio pre-
parada, e por liso permitta-me qae a acootelhe.
Falle, que eu o escato. Serio aovas tor-
turas que me reserva?
Ghrellab sscudiu a cabega como pan protestar
contra ests suspetts ; e replicou :
Se porm fr Wsller quem primeiro se Iba
spresentar?
Oh I Quinto a elle, exclamou Thereza com
a magosta 1e das tantas indignaget, oio o temo :
Deus ser lestemuoha entre mim e esse homem I
Goslo sotes desta nobre resposts, porque
ella me garante em religio aoa meaa projectos o
bom xito da entrevista. Todava como toda a
explicagio vantsjosa pego-lhe de novo permis-
sio psrt dir-lhe aa cooselho respeitoso e dedi-
cado. Nio afirente Waller; regule as sass pa-
() Especie de balde de couro da capacidad? (Je
aeres, da doto litros,
livris e conduele, pela maneira- por que se elle
porta* para com V. Exc.: sobretodo nao-detraa-
la s fbula que a elle conlarei para explicar-lhe
a sua ida ao Ktar-Djerld em-mioha compinhit,
afim de que Waller nio desconfi dos rasas cal-
culos : indispeosavel qae se illuda sabr alies
ao menos alguna das -. porqtie se tlver certeaa de I
alguma coosa. v-lo-bemoe-atirir-so o um psrli- !
do exiremo que destruir todia as naeeaa espe-
raogaa. lio caso de que a trate com dureza,
crueldade. colera, e mesmo atrocidtde, nao se
qtteixe, nao se laiiime, que tranquilla, e intea-
sV*h enada faca para aproximar-so-de sua filha.
i/eixe-mo o cuidado de inalruir, ou mandar ins-
truir mademoisella Magdalena do segredo do seu
nascimeoto: um piadoso dever que tomei sobre
mim, o que sinto-m com (arcas de detempe-
nhar. r
Admitamos, poraL, coniiuaou Fraocisco de-
pon de curt pausa, qae V. Exc. encontr em
primeiro lagar a mademoisella Magdaleoa soii-
ohi, oa em companhn de Waller: oeite caso
nao a V. Exc. que me dirijo, aenbora, mas sim
so creador dtt msxavilhas da nstereza, e talve
me elle atienda por itio que o invoco pela pri-
meira vez depois ds edede em que minha mi
me eosinou a orar anda menino. Quera elle por
lu graga divioa permillir que V. Exc. nesse mo-
mento critico, solemne, terrivel e so mesmo
lempo suave, possa dominar-se s ponto de oio
escapar.lhe um a grito, um gesto que a compro-
meta ; emm que a alegra materna nao fga ex-
plosio fra do aeu coragio, e daa suas entrinhis:
porque, senhors, comprehends bem que para ssl-
vagio de sua filha deve V. Exc. revestir s sus si-
ma de um involucro de marmore, o asssemelhar-
se es estatus dos modos extaais.
Oh I Nio, nunca o poderei....
PJe, sou eu quem lh'o diz.
O Sr. qutr entio ver-rae cshir morts co-
mo fulminada por am raio ?
Os raios do cu, aeohora, nio se fizersm
para V. Exc.; a fique certa de que nio ha
da morrer ssm abrsgsr aua filha. Tem esta
ooute psrs pensar bem ns gravidade des ainbas
recommsndagoes. V. Exc. nio falla o araba, e
mademoisella de Seelorf oio entende o francs:
Waller, pois, julgar esespar a lodo o perigo se-
paraodo-a destt; e oo caso de qoa V. Exc. oio
commetta alguma imprudencia por meio de de-
monitrages que despertem i bella Slamia o de-
sajo de explicagea, gioharemos com isto alguna
das, e este tempo me bastsri.
E julgs que esse homem me conservar
captiva longedos olhos de Magdalena?
Ju'go, sim; mas que importa, se grigss aos
meus cuididos mademoisella Magdaleoa ha de
liberta-la dando-lhe o doce nomo de mi....
esse titulo qae....
Oh I nio acabe, Sr. Inao acabe por favor l
Sinto que a alma ma voa, todo o meu aaague
ae aome, a vista se me perturbe l Basts, basta....
se o senhor curaprir aa prometas que me fez
Deus o encha de beneficios 1 Deixe-ae orar,
penstr, conceolrsr-me em mim mesms, enlre-
gar-me nss aios da Providencia, aa summs
bem-dizer das terriveis inguiliii qoa (grlurta
o meu pobre coragio.
J Ghrellib siudou r.spiitoiimeaU a b.roen,
e relirou-se sem secreteen tac mais ams palavra:
foi deitar-se lobre-o tapete que os aeus esorivos
iinham estendido viole pasaos distante-do de
Therezsv.
Ali contemplando.o escravos adormecidos, os
mehara pascendo a herv* margem da, fronte
1 haris orando de joelbo, e a abobada, colalo
Uluminada por esses militares de estrella i que
tinto brilho dio noeles no sihsrioio pode
deixar de exclamar-:
Qusota poesa Beslequidro! Qua- expres-
sao aeste silencio Qu*l ser o piular espaz do
reproduzr lodo iat!
No dia aeguiote a barooexa de Saalait, que li-.
nha afloal cedido i fsdiga. foi pmeira quo.
deapertou. Flcou admirada de Us'dormido, o,
djsigindo-se a Ghrellab. disse-lba-:
Eolio, oio partimos ?
Descangou bem, senbora baronezs ?
~m Sim,
E reftectiu nai minhat rocommeodagoae.?'
Estou prompts, seoboi: Deus me iospi^
Nesle caso partimos.
A pequea caravaoa dispoa a sua biaaoea n
parti logo com um puso, moderado. Gfirellab
i ao lado de Thereza. pan quem olbova fre-
quentemente aUm deaeguircom vizivel iularessa
is emogoes que se desenbavam no rosl* della
-% Sempre arsiail exolamou a baionatt de-
pois da uma hora da marcha: seraora dunas I
Entretanto que nos avangimos.... ^ ^'l
. T I"*,"!08 eotw Pt* do Modo, ond
ludo aridez e deaolagio....
Minha pobre lha I F0i oesia Thsbaide sepultaram oa teas verdes auoos I ^^
Tnnquillise-ae; o Ksar-Darid* uaa ex-
cepgao; am verdadeiro oatia em toda a otilo-.
n".?.. ""W80 I6" P'Utra inventada >eloa
poetas um oioho de verdura collocado na
frooteira do Paix do Medo; em summi 4 Jal
residencia digna do aojo da luz, e o panizo 4a
portal do Inferno.... Seohora, eeoboreV...
O que ?
Prepsre-se para deixar cshir o vu sobra o
seu rosto.
Porque ?
Porque, respondeu Ghrellab coa um lgei-
ro estremeclmeoto, porque vejo..,. Olba. aiga a
mesma direegio da miaba mi, Nio v li di-
aote tres pontos brsncos soles dessa duna qua
e eiteode nona dtreita?
Estou vendo....
Pois, se ma nioeogsao, V.Exc. tea di.
ante de ti vindo ao seu encontr....
Qoea? Minha filha?
Acom pan hada de dous cavallaiioa Um
duvida Wiiter e ilgum escravo. tl,e,,M
Meu Deus I murmarou a pobre mulher: i
cougem..^5" P"' ,u,,enUr-. ulIaiVI
Lembre-se de que s a sua energa ada
miif:.1^0' ?m ""'"ciento aaii. oi5a?2
muitas desutres.... Vamos, seohora, moiVr ,1
digna da vlente empresa que teatou. eo\o,.a!!
M naufragar i ao portel.... Eu UabVa aa-
teu commovido.... Sio .*?.... 01lll5f5;
miml ______, IContiwr ta.aaa.1 P *
mN.nr'.bki V.iiF*\iAi'iLs]^vK
L
> i
f""-r~rrr~T