Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08578


This item is only available as the following downloads:


Full Text

nnO de T 847.
mm
Terya-feira 50
O DIAH10 puMc-je todos oj das cjtie nao
rem "l guurda i b proco da asignatura he de
4jn00 rs.porquartel, pagnt adiantadou Os m-
nuncios dos asslgnantes sao inseridos 1 ras."io do
jp rs. porliona, 40 rs. em tvpo diTereate, e as
.(.peti-es pala meUde. Os que nSo f irem asig-
nantes psgario 80 rs. por linha, c 160 em lypo
nillerenle, por cad. publicarlo.
pHASES DA LA NO MEZ, DE NOVEMBRO.
|,u nova, '. "o minutos cU inaulia.
esceuUa Ib. s llorare 5k mo.da taide.
| uachei ail. s7 bolas e *S inin. da tarde.
Mutoaiite'a 18. s l tioras e 1 mi. da Urde.
PARTIDA DOS GORRE10S.
loianns *P.iralillia es segundas esextas felr*.
Rio-Grande-dn Norte quintas feirasao meio-dia
Cabo, Sermlem, llio-Forraoso.Poito-Calvo e
Macelo, no l .*,' II il de cada mex.
(lara.ilnnis e llonito. a 8 e 2J.
Roa-Vi'ta e Flotea, a 13 e 18.
Victoria, s quinlas-feiras.
Uliuda, lodos os dia.

PREMAfl DE HOJE.
Primeira, is 10 horas e 6 minutos da manha.
Segunda, 10 horas e 20 minutos da tarde.
OAS DA SEMAMA.
20 Se*. S. Saturnino. Aud. do J. dos orph. e
itoY doc. dalv.-doJ. M.delv.
30 Terca.* s- Andr.Aud do J. rto cr*.
da l.v.edo I. de paz do 5. dist. del.
I Quarta. S. Eloy. Aud. do J.-.dociv. da 2.
v.edoJ. depat do.dist del.
lOuinla. S. Bibiana. Aud do J. de orph.
e do J. municipal da l.vara.
6 Sella. S. Francisco Xavier. Aud do r do
ci. da l.v.e do J. de pas do t. dist de 1.
s Sablxdo. S. Barbara. Aud do J. dociv.
da I. v. e do J. de patdo I dist. de t.
& Domingo. Geraldo.
CAMBIOSODIA2DENOVEMBRO.
Sobre Londres. 28 d por IJ r,. c 90 diaa.
Pars 130 rs. por franco.
. Uslia 9i a 100 de.prem o
Dse, de latir** de bou firm.s I a 11 A.
OuroOicu bespanholas-----,8*0*" *
, Moldas d/elWOwlh.iMltM.
nitos mexicanos... If^
Ac^d. m.'do cber.be de WfOB rs
aon.
J**O0<>
I KM
I6I00
i 101
2#0P0
,,980
IJ860
l|880
.aopar.
EXTERIOR.
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE TERNAMMICO.
LISBOA, 10 DE 0UTDBR0 DE 1847.
O estado deste paiz he desgracadamenle-pouco li-
songeiro. Presentemente reina peral miseria, e o
futuro nflo se aprsenla mais consolador para aquel-
los que se nflo qurrem Iludir com ephemeras pros-
peridades, salvo se apparecer algum ente sobrena-
tural que nos arranque da ruina. Nao ha recursos ;
c poneos s5o os meios de os haver, pela estagnae,io
dts.rendas, pelo lastimoso estado de pobreza que
os povos estilo rcduzidos. As convnlsOes polticas,
que entre tta se leem succedido urnas As outras, e
sobre ludo as duas ultimas, a de maio de 1846, e a
de oulubro"do mesmo anuo que se prolongou a ju-
nho do correte, exhaurram todos os nicios, car-
ra iicaram aos poyos, j vexados d innmeros tri-
buios, o potico que anda le restara. Adherio-so a
isso a falla de collieitas do auno passado e do pre-
sento, pois que a abundancia nao foigcral, ese
n'urna provincia houvo- trigo de sobejo, n'outra fal-
lou o milho, o azefto, o vinlio, etc.
Nflo recebendo de parte alguma, porque as mes-
mas ajtondegas estilo remiendo muito menos do que
rcndiam, o govrno nflo pode pagar aos sous servi-
dores ; deve a uns oito, a outros nove, e a varios tre-
se e mais mezes. Os empreghdos nflo recebendo nflo
despendem, o daqui a falla de commeroio, de indus-
tria, o at o prejuizo para a agricultura, porque
militas familias leem rodzido muilissinio o sou
passadis.
Assegura-so que duzias de empreados dlrigem
todos os das cartas nos seuschefes, declarando-
Ihesque nflo podem comparecer as repartieres por
falta de calcado ou de vestuario; e outros que an-
da nflo toma rain- esta resotuejo definitiva, difajr-
Cam-se de nolte, e vflo pedir esmtda, para sitios onde
nflo silo -condecidos. Os espectculos, os passeios,
vem-se quasi desertos; em quasi lodos os semblan-
tes se manifestara ossignaes do desgosto e do pe-
zar ; porm no meio do tudo isto parece que a Pro-
videncia nflo nos desampara, pois que nein se sabe
de roubos quesecommctiam, nein de viclimaa>que
tenham suecumbido mUscrja.
Entrptanto, lutam os partidos pe Uticos para em-
pollaron) o poder; e o cabralista, que mais proba-
bilidades lera de seapossar delle, acredita ou quer
fazer acreditar quo, apenas subirem ao poder o con-
de d Thornar e os seus amigos polticos, a situado
do paiz muda repentinamente, e que vamos nadar
n'um mar de deliciase riqueza. Isto be apregoado
pelos corifeus do cabialismo as reunies e socie-
dades particulares, c em publico, pelos jornaes que
silo seus orgflns.
Todava, sem fazertnos cargos Joqiic teerr dito
os papis opposicionistas, mesmo aquellos que se
altrbuem a Carlos Norato Roma, e a outros indivi-
duos que estiveram n'outro tempo intimamente li-
gados com os Cabracs, ou foram membros da sua
maioria parlamentar, desmentindo essas decanta-
das promessas, e demonstrando que ogoverno, a
que presidio o ronde do Thornar, foi o que causnu a
ruina com que luamos, pelas suas prodigalidades
e nflo sabemos quemis, beopiuiflo de lodos os
bomens sensatos, que Portugal nflo pode resarcir-
se das suas perdas, e que nflo ha governo nenhiim
estavl, senfio o qtte se decidir a favor grandes cor-
les na desposa publica, igualando-a receila, ou
resumindo-a anda mais ;--oque nflo livor con-
hiplaees algumas; o quo for governo da na-"
Qflo e nflo de partido ; -- o que mostrar, finalmente,
tersem mirao hein-eslar dos povos, afirn de ins-
pirar confianza a estes, eoblerdelles os sacrilicios
neressarios para a salvac,flo geral. D'outro modo,
qualquer governo que subslilua o actual lutara com
os mesmo obstculos com que este lula : --a falla
de recursos o de crdito, a dcsconlianca publica.
I'oder, sim, susleniw-se por algum tempo, se f-
rem hoinoiis de partido, com pequeos recursos quo
a cusi obtenham dessu ; ou. sefrem os cabralis-
ta, pela fOr?a, pois he innegavel que os Cabraes
teem um grande partido no exercito, pela nica ra-
sflo de, durante o tempo que governaram, nflo s os
prets o os sidos andarm sempre hem pagos, mas
tambeinoscommandantes de coi pos e oulrs per-
sonagens tcreirf pingues gratificaijes.
Knlrelanto,sse podr nflo podo ser duradouro;
porque romo he possivel sustentar um exercito
n'um paiz onde os povos se recusa m a pagaros im-
posto*, nflo s porque nflo leem, mas tambe ai por-
que nflo querern Concedemos que podem por al-
gum lempo oceupar as povoaces militarmente, e
arrancar aos povos as subsistencias pela fdr^a ; mas
esse mesnio estado violento nflo poder durar mui-
to tanto pela reacijilo quo naturalmente, acharflo nos
povos, como pelas diserges uue logo se nianifesla-
i i.iiii nas tropas, pela falla de piigumenlo o subsis-
tencia, do quef agora mesmo temos um exemplo pal-
pitante; pois que, tifio faltando anda em Lisboa a
subsistencia aos soldados, com ludo a deser^flo do
algum lempo a esta parte loin sido cOnsideravel, pe-
la falla do prets." Sabe-se alm dsso que em Caa-
caes e em Mu.IV, onde so acbaut dcposilos de tropas
o de reerutas, e aonde teem faltado, algumas ve/es,
'os lucios iiecessarios para se dar com lempo o ran-
cho, a desenjflo tem sido uitiilo inaior, e tem sido
preciso, ou a inlluencia dos cliefes, ou a da chbala,
para conler os .soldados nos I i miles da suburdina-
eflo; d'outro modo, teriam talvez feilo ja alguma
edieflo, se livesseni quein os excit'asso a ruvolla ;
porm, felizmente, essa parte o partido turbulento
anda se ucha sob o peso da denota que solIYeu, e
( nio iraia, por einquaiilo, a menos oslensivanieote,"
de revollos.
Doquodeixo dito, parece polr deduzr-so que,
nflo bavendo mejos extraordinarios de sustentar
um exercito, o oceupar o paiz militarmente para
ohrigar os povos salisfac,flodos impostos, aqueiie
em breve so aniquilara, o o governo, que baseasse
uollo o seu podero, cahiria cheio de execragao. He
esse o motivo, por quo nasactuaes circunstancias
do paiz so torna impossivel todo o governo violen-
to, e que nfio mere?a a confianza dos povos.
Tem-se fallado muito, estes das, do urna tentati-
va cabralista para elevar ao poder o conde de Tho-
rnar, porm nSo su irmflo JosCabral (ao menos
porfmquanto), porque esto ullimo goza de muito
poucas sympathias, mesmo entre os bomens do seu
partido, que pflo besitam em o aecusarem de concus-
sionario, tanto pe ser verdade, como para salvar
seu irino o conde de Thornar, quo ho lhano acari-
ciador, civil, emim, hom chefe do partido ; ao passo
que Jos Cabra I ho orgulhoso, inlralavel e despola.
Consta, porem, que o conde do Thornar se tem op-
posto decididamente a quo se faga a referida tenta-
tiva revolucionaria ; e todos lhe acliam rasio, por-
que he mais que provavel a sua subida aopodCr,
pelos meios legae, isto he, por obter o seu partido,
nas prximas futuras eleices, una niaioja parla-
mentar. Quem he que llt'a pde^lisputar ? O gover-
no actual? Esse ninguem tem por s, porque nflo
tem pensamento algum polilico. e oro parece estar
com os Cabracs, ora com os setcmbrisias. Quiz lor-
mar um centro eleiloral, apoiando-se nos duques
de Terceira eSaldanha, e nos agiotas Roma & (.om-
panhia, e chegou a reunir alguem do partido callis-
ta ; mas, apenas o conde de Thornar fbrmou o seu
centro, e bouve dsconcordan'ca com o do governo,
ou do Arco-do-Bandcira, por ser ah onde se estalie-
leeeu, ludo fugo para o centro do conde de 1 homar,
eaquclle flcou deserto O pa?o apenas o suslen a,
para i mptlr as nacoes protocolisadoras ; porem, lo-
go que opossa suhsttuirvcomvaiilagcm, vollar-Ihe-
ha as cosas: por conacgulnte, o governo nflo tem
probabilidad alguma de vencer elefr0es, no caso
de que dureat essa poca, e se vencer alguma, se-
ra de genio disposla a votar a favor de quem mais
der.
Os setembristas, cercados nos reccnseamenlos,
desgostosos, e alguna atemorisados com os perscgui-
Cfles que teem soffrdo, receiosos de serem fuzila-
dos, apurihalados ou caceladsjunto a urna, bem
poucos irflo volar, se nrosmo so decidircm a isso ;
os niiguelstas eslo no mesmo caso : portento, es-
la o partido cabralista que tem o exercito e o func-
eionalsmo por si, e que votar a carga cerrada nos
Cabracs, nflo s para desmentir oque teem dito os
outros | a rldos oppostos, desses bomens e do seu
partido ; mas para mostrar s nacOes eslrangeiras,
sobretudo Inglaterra, que sflo falsas tacs argui-
cOcs, derrotando assim o siygma do protocolo; pois
que, vencendo os cabralistas os eleicOes, como be
provavel que vencam, a despeilo do protocolo, do
governo, e dos osforcos poucos ou mu toa dos.sous
adversarios polticos, obtem o mais-compelo tri-
umiilio.
Todava, ha quem diga que ser de pouca duractlo,
e talvez lenha funestos resultados. Ja se disseem
un dos escriplos que por all so espalham. Intitula-
do a Verdade, que nascompanhas Confianza, Obras
Publica/, &c., baviam livrosescripturados onde se
achavam lanzadas as verbas recebidas pelo conde
de Thornar e seu irmflo, em recompensa das suas
cencussOes, e que esses livros podiam apparecer. Ifa
quem altribua isto a Carlos Norato Roma, o ajunla-
seque o tal agiota seobrigara, em corla reuniste-, a
apresentar em publico essas coneusses, e a formar
a occusagflo ao conde de Thornar eseu irmflo, como
se fez em Franca a Mr. Teste e Culires. O prece-
dente he terrivel. lia quem tambem duvido dotrue
isto venha a ter lugar,- 1.", porque Roma he um
completo israelita, prompto a vender-se ; e o conde
de Thornar sabe bem como se compram os bomens,
e com espicialdado os da natureza do Sr. Roma ;
2.", porque, no caso mesmo que este se nfloda, ven
he preciso que pro ve nflo ter parte na coacusado,
pois doconlraiiosoflreria pena igual bu poueo iKV
feVentc, como cmplices adocondo de Thomareseu
iunflo. Delodosgs modos ninguem duvida que os
Cabraes leem aborto ampio o plano catuitiho para o
poder.
A questlo da inexactidflo dos reccnseamenlos tem
sido objecto de largas discusses nos jornaes. Nflo
obstanlo o decreto de "22 do passado pelo qual o go-
verno mandou crear commissOes para reverem os
receiiseamentos, coniodeixou o encargo da nmea-
Cflo aos gove nadores civis, \muca ou iienhuma van-
tagem se tirou dsso; porque as commissOes Hornea-
das foram todas ou quasi todas compostas de indi-
viduos adversos aos progressislas: porconsoguinle,
os jornaes orgilos deste partido coniiuuin a quei-
xaj-se de (Ilegalidades e omisses pralcadas nos
recunseainenlos, e daqui deduzem que nflo pode lia-
vor urna ejeicflo lgale livre. Pela sua parle, os jor-
naes do partido cabralista aecusam lambein o parti-
do progressiata de lercoinmeltido as mesillas Ile-
galidades e omsses nos recunseainenlos que pru-
eedeu autos da reaCflo de 6 do oulubro, e apoutam
diversos factos. Disto se collige quo todo o partido,
quando esta de cima, faz juslica as cegas.
Entrelanlo, Sir H. Suyniuur, ministro britanuico,
felicilou por una c.ula a coiuini&iio eleiloral pro-
gressista, pela de liberar,! o que lomou rtirigindo a
S. M. a ruinha una repreai ntC'lu sobre o assuiupto
em questao, e na mesma caita odilo diplmala se
congratula por ver quo o governo de S, M. deseju
que Portugal possa, gozar de paz e ordeui, o do que
o l'oi tguezes leuhaiu lodo os beuilieios da lilier-
dade que a sua coiistiluicflo Ibes assegura, e que,
resUbciecida GompleUrneuto a acc&o do goyeruo
constitucional, se substituam aos conflictos de na-
tureza violenta as discussoes parlamentares.
Fallou-so de so terom reconciliado o duque de Sal-
danha e o conde de Thornar, leudo concorrido para
isso muito o marquezdeKrontcira, para oquedera
um esplendido jantar em sua casa, bntretanto, lia
anda muita gente que duvida desla reconciliac-.o,
o quecomtudo nada apresentara de oxlrtordinario.
Publicou-se um novo jornal intitulado o Lusitano.
Parece que tom nelleparto Rodrigo da honseca Na-
calhfles, o que concorrem com as despezas Roma,
Isidoro Cuedes, e outros individuos, socios .em com-
panhias de crdito. Pela sua doutrina eminenle-
meiite ordeira e moderada, nunca a impronsa leve
um campeflo mais imparcil, non conciliacflo um
partidista mais devoto. Veremos Como procede para
o futuro. .
Roerem-se cousas atrozos das provincias. Diz-se
que os soldados vfloscasas roubar e espancar os
cidadflos. Cilam-se muitos desles factos praticados
HoAlgarvo, Alemlejo, Bcira, Ninbo, Estremadura, e
mesmo nas immediacoes de Lisboa, como em Cin-
tra, Nafra, Cascaes, &c. Nflo duvido que baja algu-
ma cousa dests; entretanto, parece tambem que
ha nellas"bstanlo exageraclo.
Kalla-se tambem de estado-anarchlco na ilha Ter-
ceira. Diz-se que o regiment n. 5 esta com man-
dado pnr um capilflo, que os sargentos fazom de
ollicaes, porque esles foram passados para a 3 sec-
Cflo. Os soldados dflo caccladas, e o jornal An-
grense foi supprimdo.
Diz-se que da concordata feta en^re o duque le
Saldanha co conde de Thornar resultou o tratar-se
de una inudanca ministerial, e que se indigitaram
bara o futuro ministerio os Sis. Simas, llguciras,
Mauoel Antonio de Carvalho, e Manoel Denlo Porrei-
ra (Arcebispo de Nyiilene. ) Com esto motivo teem
corrido rumores do mudanca ministerial ; mas, por
emquanto, nflo lia fundamento algum para os a-
0 Estandarte publicou, lia dias, tima extensa apo-
loga do conde de Thornar. A Hevolu{ao de Selem-
bro analysa esta apologa, diz.que desacredita ora
lugar de acreditar o seu dolo, o qual s tratou, na
sua mssflo diplomtica em Madrid, do promover
a inlecvencflo. ..
Teem occorrido algumas discencOcs entre o part
censeamenlos, declarando, sobretudo, quei c. seu
exerccocomeca desde a sua mstallacSo, o termina
com aconclusflo dos]recenseamritos. .,.,,,__
Dz-se que Jos Feliciano de Caslilho e Andrlano
Ernesto de Caslilho vflo para o Brasil; e quo, a ti-
tulo de irem coinmissonados nflo se sabe com que
mssflo, poderam conseguir do governo o V*
dos seus. ordenados, um como bibliolhecano-mor,
o oulro como ojudanto do procurador regio, ate nm
de dezembro prximo fucturo Que isto se pratique
quando tudo morro de Tome, parece incrivel Os
Caslilhos parecen desgostosos, e tratan. ?""*-
nar a patria quo lhe deu o ser, e que tanto lhe* aere
Antonio Feliciano dttCastilho Co ceg ) ja omigrou
para as ilhas, ha algum tempo.
Os escndalos que ti vera m lugar no Porto a res-
iieilo da i mprensa do Nacional quizeram-se repro-
duzir em .slia na .imprema da Rtrolur&p de beiem-
bro. Na noile do da 3 do corronte, foi cercada a
na impiensa por soldados dos balalhoes nacionaes,
provocaran! os compositores, quebrnram com podras
alguna vidros, c ntentaram invadir o edificio, mas
nflo poderam Torear a porta. O ia.s galante lio que
o diarista do governo, para desculpar os soldados dos
balalhoes, allribue estes altentados aos soldados
patuleas, que diz terom do aquella imprensa pam,
receber alguns soccorros, o que nflo os poderam
oblcr'l!. ; .
O Sr. Julio (ornes da Silva Sancbes, que ja ten
sido ministro do estado por diversas veles, o que o
fui ltimamente da fazenda durante o gabinole Uo
duque de Palmella, acaba de publicar um opsculo
com o ttulo de= Algumas inexaclidOes aoadd.ta-
mento curtissimu exposicaC de alguns factos. v r.
Silva Sanches, nflo t demonstra o grande dficit que
apiesentavam os o reamen los eilos pelos Cabraes,
c as economas que lizera o ministerio Palmella ,
mas que esle ministerio, nos qualro mezes e meto
da sua gerencia, pagara aos servidores do estado
qualro mozas dos seus sidos e ordenados. .
Assegura-so que o> governo quizara noyamonto
dissolveros balalhoes naciojiaes.e que a isto se op-
pozora o marquez de Fronteira, commandaiite geial
dos dilos balalhOes, ameacando com sabir com elles
para a ra, o fazer una owwda. lie Lstandarte
quem d a nulcia da tentativa do govorno, e da op-
posicuo do marquez, e o felicita por ostaenergia.
i- > A____- .i......... i.,.!..lliA.> umai -
Teem occorrido algumas dscencOes entre o part- PJWg ft desles balalhOes, urnas que-
don.iguelista, desde que ley*i lugar^a reuniOo que ve- ;m a diss,UQao; 0Vas nflo a querem o estes sflo
rificou esle partido para tratar de- eleices c que luI.Uie,ltoS Jaro andarem armados fazendo de-
foi presidida pelo conde de Barbacena._ I,'rece que JJWro"^X'itaauMMha o insultando quem bem
presidida pelo coime ob iunntcm, i-iwqC-
se nomcou una com mustio, e que esta he de pa-
recer quo o partido iniguelista v u urna, mas sobre
si e nflo col ligado com partido setombrista. So-
bre lato leem apparecido algumas corresponden-
cias nos jornaes do anligo redalor do l'ortugal-Velho,
de I) Rodrigo Jos de Nenczes c de outros cavalhei-
ros, quo sflo de lipniflo quo o partido miguelisla
deve ir n urna colligado com o setombrista. Diz-se
mais quo Povoas, Guedes e Bemardiuo, generaes
que cal vera m ao servico da junta do Porto, sflo da
mesma opniflo. A Naci, orgflo dos princ.paes
membros da leuiiiflo miguelisla, lem_ combatido a
favor ci isolanienlo do partido miguelisla. Fallan-
do com imparcialidade, e pondo de lado aceguei-
rade partido, ea m causa que advoga a Sueo,
nflo se podo doixar de rccorfbocer que ella diz ver-
dades, e que os seus arligos, lauto relativos a polti-
ca interna, como a exlorma, sflo magnficamente es-
criplos. Por. emquanto a Imprensa progressisla
anda nflo enlrou em polmica com ella ; porm a
Carla o o Estandarte ja a leem combatido.
Publicou-se om opsculo, em que o conde do
Barbaceiia lie bstanle maltratado, e em que o tra-
tan! de estupido ou do infiel, allribuindo-llio a per-
da da causa del). Miguel. Este impresso suspeita-
se.scr do Albino Abrancbes de Fgueiredo, ex- redac-
tor do l'urtugal-Vtlho. Longo de iiiiin 0 querer de-
fender o conde de Barbacena ; mas iiinguerrr' lhe
poder negar talentos e honradez. Por oulro lado,
ha niuilo quem suspeite quo o tai Sr. Albino Abran-
ches de ha muito que deserlou do partido migue-
lisla, c que esta fazendo servaos ao partido liberal.
Diz-se que os ministros das potencias sgnala-
ras do protocolo foram convocados a urna confe-
rencia na secretaria dos negocios cstrangciros, e
quo o governo Ibes declarara que nao era possivel,
uem adiar a convocaeflo das corles, nein a
os recenseameiitos.
,0 Estandarte publicou una carta dirigida pelo
conde de Thornar a lord Paliueislon, em que lo-
ma a defensa da nossa nacionalidade. lie para ad-
mirar que o conde do Thornar assim platique,
quando foi elle que com mais aiTiuco solieilou a
uterveneflo estrangeira, e a entrada das tropas do
Castalia em Portugal. O que mais vislumbra na
dila caita, be o despeilo do dito conde pela exclu-
sflo que .delle faz, o mais do seu partido, do poder,
o ai ligo 4. do protocolo de 21 do maio do 1847.
As noticias recobidas de S.-Miguel referein quo
liento Carduzo Gouvea, presidente da reiacflo ; l-uiz
d'Almeida Menezes c Vasconcelos, procurador re-
gio; Dmaso Perelra da Cmara, thesoureiro paga-
dor ; Sebasliilo F, Crim Cabreira, coniuiandanlo
de 5 decacadores e da subdivisflo multar ; Fran-
cisco SoareS Franco e Jos Bernardo da Suva, coni-
maudanlesdo embarcaces de guerra. duiiUliraiii
desles etiiprcgados, e reclainam o seu castigo pela
usurpacao de poderes que s'e arrogaran). Acredta-
se que "nao soffiero o me'nor neommodo.
0 goveino, por nina circular datada di
corieule, fez algumas declarados ao decreto de 22
sordons, daiido'pancadas o insultando quem bem
Ibes parece, sobretudo os que conhecem como pa-
tuleas. ,. ,__
O Diario negou que o governo quizesse dissolvor
os batalhOes, e o Estandarte sahio com urna portara
do ministerio-da guerra, em que se determina/a o
licenceamento desses batalhOis.de maneira quo Tot
o- Diario que licou por mentiroso.
Iloie bouve reuniSo eleiloral cabralista, convoca-
da pelo conde de Thornar, n'um palacio na ra dos
Nouros, ao Bairro-Allo. Foram innmeras as car-
tas de convite, e o Estandarte tambem publicou ost
convite, para conbecimento dos que nflo recebes-
sem carta. Parece que o governo insinuara ou or-
denara ollicialmenle a todos os empregados pbli-
cos, que nflo losseni dita rounflo, poique era um
acinleao governo. O s noile tim supplemonto, dando parto desta ordem
do Kovcrno. O corlo lie que a reuniflo esleve nu-
nierosissima, c que a sua maioria se compunha do
militares o empregados pblicos D:z-sc quo ora-
ra ni Agostinho Albano, ovrscondedc Labomn, oo
cumie de Thornar, o qual disse que, visto os desejos
dos seus amigos, nao duvdava oucarregar-se do po-
der se osso a elle chamado.
Correu o rumor do quo hoje lena lugar urna reac-
eflo cabralista depois da roimiflo; porm soubo-so
logo lanlbom que esta nflo tarja lugar, vislo que
para a subida dos Cabraes ao poder nflo he preciso
revolueflo. As eleicOes la os levarflo.
O governo, dando ordem aos seus empregados
para nflo irem a reuiiiflo do conde de Thornar, obrou
pouco prudenlenienle, posto nU> ter frca para cas-
tigar a desobediencia-, porque ro verdaderamente,
escarnecido pelos seus subalternos. Em vista da
demonslracflodehojo, deveiia dcuiitlir-se immedia-
lameute ; masjulgo que nflo o fara. Todava, asse-
gura m qye lera curta durado.
Aiite-hontem, chegaiiim, vindos de Angola no va-
oor nglez Terrivel, os degradados que daqui levou o
brigue Auom; e que perleiiciam aos prisioneros de
Torros-Vedras. Vioram lodos, a excepco do major
Seiou.onho quo inorreq de lebres, o do tenonte-co-
ronel liona, que la licou, dizeut que para fa/er um
casamento vautajoso. Parece que foram tratados pe-
los habitantes do Angula com todo o cantillo e at-
tencos que mereca a sua pos^o : flzeram-ao
avultadissimas subscripefles a seu favor, -deram-
Ihe ianlares, bailes, 6c. Estes individuos dg>embar-
caram, unsem Belem, outros orfi dilTerentes caes da
cidade, sem soffrorem o menor naiUlo.
A esquadra ingleza do almranlo Napier levanlou
forro e dividio-se cm duas porces: urna foi para
lora da barra cruzar a visla da costa; a uutra fun-
deou junto a barra, onde lera elo excrciclo de lo-
go, com bala e sem ella,, executado evoluces, de-
guerra, uemiuuaui sembarques, &c. Fazcm-se mil conjecturas a osla
o anea amo rgsUado administrativo daquella respeilo; "ina'disslvrnca^ municipaes, e anifulla- eslado da Europa 0 as complicadas queslOes que sa
ra. recenseamenlos. Todos os jornaes progres- debalem, urna guerra geral n3osera cousa que cau-
fs as levanta ,7. los clamores pelo procedimento se grande admiracao, e por isso d.z-se que a Ingla-
.*.*.;............. .. ,i.m .... casiioo ..la fnrra nuar usUr ineveiiida o le excrciUdas as suas
torra quer oslar prevenida o ler exercitadas as suas
esquadras pata qualquer oventualidade.
Publicou-se iillimameule aqui a Uaducco de urna
circular datad do l.u do carta, dirigida a Jos Hume, meiubro do parlamento
' inglez, e quo se attrbuo a um tal Hughes, correspon-
i ...i ba 'i';.n. .i ni i *,r. i *t i n > nxi'illiKiro ilt' 111^
corieule, fez algumas declaracoes ao uecreto ue az iiiim, c quu iumu -b, "*r-
do pasando sobio as cumussOes revisora do te- denle Uo J'imes, e um verdadero cavallieiro de iip.
_____


duslria. Os cabralistss toem dado grande importan-
cia A dila carta, porquo defcndo os scus chafes e o
sen partido, e chaniam-lhe o I.ivro azul e bronco. Po-
r.'in, ao mesmo lempo que Hughes escrevia o seu Li-
vroazul e bronco, diriga urna correspondencia para
o Times, em que, dando parto da pubticacilo do jor-
nal nnguelista A Sacio, fazia os malores elogios
sua redacg3o edoutrina.e dizia que ai contlituicdes
eram urna praga para Portugal! A imprensa pioares-
sisla toni l
sobre tudo
.a
lirado grande partido desta versatilidade,
oo Patrila. Este niesnio jornal disse ull-
mamento que Costa Cabral (o con.Ie de Thomar* dei-
Mwog cavallosocarruapem em cusa, e andav por
Lisboa (mu sege de alugucr, para figurar do pobre; e
quo ia rcnoLidas vmm .->,, ,,n-,,-i.,i j r-..______i
xav
1
queja repetidas ve*es"ao qartel do Carin"confe-
renciar com o marquoz de Frunteira
sonagons.
e outras per-
valheiros.
J;0, r1um,?r le que no I'orlo rebentra uma
rcvolucio cabrahsta, e deu lugar a esto boato a sa-
ja repentina do vapor Mindelb com alguma tro-
nuo que cabe ao magistrado justo, como hoo Sr.
desembargador Siqueira, por tanto trabalho. Itece-
ha, portanto, o Sr. desembargador esto fraco tosto-
muuho que llie d un seu sincero apreciador o ros-
peitadoi.
Recite, 27 do novembro de 18*7.
J.
Correspondencia.
.Sr*. Redactores. Como todo o lioinem que pre-
sa a sua rnputacSo deve empregar todas as suas
torgas para a conservar intacta ; e o Sr. Jo,1o da
Silva Loureiro na correspondencia que fez impri-
mir em sou jornal de sabbado, 27 do crranle con-
tinu a por erfiduvida a minha boa f a respailo
do pleito civel, que lenho com a constituinte do di-
to Sr. a prota forra Antonia Mara da' Sacramento,
asseverando que eu depois de ter justificado set
ciouur uoaoiecenios e tantos mii n. o te&o-ae
feto as partilbas, que foram julgadas por sentenca,
alinalappareci justificando mais dusentos mil rs.,
que n3o foram a Hendidos; eu o desafio, para que
cento marcado no 1. do j citado artigo; assim
como faz publico que no mesmo prazo cobrar as
mais imposicOcs a seu cargo relativas ao crrante
ann (nanceiro o atrasados: sendo tarobem.execu-
tados os omissos.
Cidado do Olinda, 20 de novembro de 1847. '
Oeacrivo,
Joo Concalces Rodrigues Franca.
Leilao.
Kalkmann & Rosenmund continuaran), por in-
terven c-o do corretor*Oliveir o sou leilito defa-
zendas todas novas : quarta-mira, l. de dezembro"
as 10 horas da manhla no seu armazem da ra da*
Cruz.
Avisos diversos.
pa. Porm, o. vapor tornou a entrar no mesmo dia la?a Publicar Por este seu mesmo jornal ossa jusli-
qnosshlra, porterum desarranjo na caldeira o gJncaCaode dusentos mil rs., que nao foi attendida,
posteriormente do Porto le Pa" "aior brevidada me satisfago
zendooue allisecozav Puhlicagao da sentenca ou despacli
------anjo na caldeira; o as
noticias que se receberam posteriormente do Porto
desmentiram o boato, dizendoque all segozavi
Iranquillidade.
O vapor Mindello, depois de concertado, tornou a
samr para o Porto, lovando a seu bordo o major-
gcnoral d armada que vai assislir all construccao
de uma corveta. *
Os navios da companhia portugueza das pescaras
tcm regressado quasi todos, trazendo de trinta a
quarenta c cinco mil peixes cada navio
Parece achar-se em Lisboa o tristemente clobre
.Margal, que tantas atrocidades tem commeltido no
dislnclo-de Villa-Nova-de-Foscoa. Os jornaes pro-
gressislas, annunciando a sua estada em Lisboa,
teemreproduzdo os seus maleficios e pedido o seu
castigo.
Segundo uma estatistica, ltimamente publicada,
da exportagao do vinlio para os portos estrangeiros
no I.* semestre deste anno, resulta quo foram para
os portos do Brasil 13.270 ipas o para os portos da
Europa 2.028 pipas, sendo o total da exportagao
15:298 pipas; e havendo um augmento de 1:823 pi-
pas na exportagao para o Brasil sobre a do 1." se-
mestre de 1846.
O banco de Portugal annunciou que descontara
lellras de cambio e da Ierra, procedentes de trasac-
gOcs mercantis, sendo pagas por metades em metal
o em notas do banco de Lisboa.
O governo creou uma commissao no ministerio
do reino para organisare propros projectos de Iei,
que convierem, sobre objectose materias adminis-
trativas, de que s3o membros Rodrigo da Fonsoca
Magalhaes, Jo3o Baptista Filgueiras, Jos Joaquim
Rodrigues de Basto, Jo3o Baptista de Almeida Gar-
et, Jos Mximo de Castro Netto Leile e Vasconce-
los e Abel Mara Jordao de Paira Manco.
Oulra idntica commissao foi nomeada na secre-
taria dos estrangeiros, composta dosseguintes mem-
pros; duque do Saldanha, conde de Lavradio, Ro-
drigo da Fonscca MagalliOcs, Jos Joaquim Gomes
de (astro, Jos de Souza Pinto de Magalhaes, Jo3o
Baptista de Alme.ida Garrete Antonio Percira dos
neis.
<> governo poza concurso a arrematagao dosren-
i.imcntos da alfandega das Sete-Casas. Contra isto
li-cm clamado os jornaes progressistas, sustentando
que semolhantes arrcmalagOes sao prejudiciaes
fazenda publica
litimamente queimaram-se publicamente alguna
centenares de conlos de ris, de papis do divida pu-
blica, que teem sido resgatados.
A quadra da estagao tem sido muito mortfera
J.ntreosfallecidos cmitam-sea condessadeOyenhau-
son, um irmSo do marquezde Castello-Melhor e ou-
tras militas pessoas dislnctas.
Dizrse que a grande lotera das inscripgOes vai
ser dividida em quatro loteras, para facilitar a sua
cxtracgSo.
Parece quo em brevo se abrir o nosso theatro de
.saii-(.arlos com uma nova companhia de canto e
laile.aquc os jornaes de Italia fazem muitos elo-
gios. Veremos.
mesmo com a
l>o do Sr. juiz,
que a mandou desattender porque, se foi assim
como o Sr. Loureiro diz ( o que eu neg, c nom o
Sr. Loureiro poder provar com uma nica teste-
munha ) tudo deve constar dos autos .jcerto de que
se o n.lo fizer ent3o o publico nos fara a devida jus-
tiga.Recite 29 do novembro de 1847.
Jos dos Santos Seves.
com HERCIO,
Alfandega.
RENDIME.MTO DO DIA 29......'.....'. 4:980,338
Descarregam hoje, 30 de novembro.
Brigue -OUise --rarnha.
&" "" Vulrl" celola, alhoa, fructas e batatas,
liaica fal.lla a hos, batatas, passas e lijlos.
Brigue Ventura-Feliz ceblas. '
Brigue hliza-Uowen mercadorias
Brigue Daino idem.
0 caixa da companhia do Beberibe, tendo do pres-
tar as suas emitas, lembra aos Srs. accionistas a rea-
isaeflo dos 4 or cento. ltimamente pedidos.
Consulado.
RENRIMENTO 00 DIA 29.
Cera I.
,788
Diversas provincias.............. 77 ^
3:013,692
l.nvimenfo
do Porto.
Savios entrados no dia 29.

PERNAffiBLtfCO.
TRIBUNAL DA RELACAO'.
JILGAMENTO NO DIA 29 DE NOVEMBRO DE 1847.
Desembargador 'de semana o Sr. Peixolo.
Mandaram dar vista s partes nasseguntcs appel-
lagOes civeis :
Na de Ponciano Lourengo da Silva c Jo3o Percira
de Olivelra ;
Na de Jo3o Rodrigues Coras o sua miilher e a vu-
va Custodia dos Anjos Pimenta o outros;
Na de Jos Rodrigues de Medeiros c sua mulher o
Manoel do Reg Meirelles e outros ;
Na do curador geral e Jos Joaquim de Mesquita ;
Na de Joaquim Coelho Cintra c Antonio Jos Pi-
mentada Conceiglo ;
Na de Luiz Pires Ferreira e Manoel Pires Ferreira
e outros;
Na doManool Jos Salgado e D. rsula Maria das
Virgens:
Na de Vicente Joaquim Nuncs Pimentcl e Manoel
de l'onles Franco Junior o sua mulher.
Na appellagitocrime em que sao parfes o reo Pe-
dro Joaquim da Silva e a justiga, julgaram-a proce-
dente por falta de formalidades esseuciats.
Noaggravo entre Manoel Jos Carneiro e Joanna
Francisca de Menezes, negara ni provi ment ao pri-
ineiro, e nao toinaram conhecinienlo do segundo.
No dito entre Joaquim Jos Pinto Guimaraes e sua
mulher e Francisco de Paula Correa do Arauio, uSo
lomaram conhecimeulo.
Trieste ; 70 das, brguo dinamarquez Louise, de 133
toneladas, capitao Nicols L. Elberg, equipagem
8, carga farmha de trigo, papel e ago ; a N. O.
Biebcr& Companhia.
Rio-de-Janeiro; 17 dias, barca americana Sl.-James,
de 335 toneladas, capitUo Benjamn F. Johnson,
equipagem 13, carga caf ; a L, C. Feneira & C
Arribou /iara comprar bolacha.
Savios sahidoi no mesmo dia.
Portos do sul ; vapor brasilelro Paraense, comman-
dante o capitao de fragata Manoel Francisco da
Costa Pereira. Alm dos passageiros que trou-
xo dos portos do norte para os do sul leva a sen
bordo: para a Babia, Antonio Augusto Abreu Hon-
ra, Joselgdiode Oliveira Mondo com umescra-
vo, ballhasar Araujode AragfloBuIhfies com dous
escravos, os Drs. Joaquim Jcronymo Fernandos da
Cunha e Augusto Antonio da Costa, Leonel Esa-
leta Fernandes Neto com um escravo, Procopio
Marques de Araujo Goes, Aurelio Ferreira Espi-
nheiro, Fr. Antonio de Santa Rita, Antonio Cacta-
no de Almeida Baha, Antonio Joaquim Rodrigues,
Pedro Leal de Menezes, Augusto Leal de Menezes
com dous escravos, Jos Marianno Lustosa do A-
maral, Fermino Conzaga do Souza com um escra-
vo: para o Rio-de-Janeiro, Jo3o da Costa Luna e
Castro com um escravo, alferes Bclarmino Cor-
reia da Silva, e uma escrava a entregar.
Poto-Alegre ; brigue brasileiro Argos, capitao Ma-
noel Antonio Marques, carga assucar.
lista geral das carias existentes na administrac&o do
correio, entradas em lodoomes de outubro indo.
(Continuado do numero 265. )
Manoel Costa Ramos, Manoel Domingucs Benevi-
desr Manoel Fernandes da Costa, Manoel Feliciano
Comes, Manoel Francisco Guimaraes, Manoel Fran-
cisco da Silva Araujo, Manoel Gomes Moreira, Ma-
noel Gomes Soares, Manoel Ignacio de Azovedo C.
Manoel Jernimo Silva, Manoel Joaquim Arruda B '
Manoel Joaquim Cunha Carmo Manoel Joaquim
Dias Castro, Manoel Joaquim Ferreira Andrade, Ma-
noel Joaquim da Cunha Carmo Manoel Joaquim
Dias de Castro, Manoel Joaquim Forreira Andrade
Manoel Joaquim do Mondonga C. B., Manoel Joa-
quim Vieira, Manoel Jos da Costa e F. /Manoel Jos
Caravana Manoel Jos de Carvalho, Manoel Jos
F. Guimaraes, Manoel Jos Gomes B., Manoel Jos
Lopes Santos, Manool Jos de Medeiros, Manoel Jos
Molla RomSo,Manoel Jos Nunes Guimaraes, Ma-
noel Jos Nunes, Manoel Jos Pe re ira Carvalho
Manoel jos P. Pinto l.emos Manoel Jos Serra '
Manool Jos de S.-Anna- Araujo, Manoel Jos Silva'
Amorim, Manoel Jos da Silva B. Manoel Jos dos
Santos Junior, Manoel Lucas, Manoel Lourengo
Correia S Manoel Luiz Alves Viawna, Manoel Lo-
pes Ferreira, Manoel Luiz Costa, Manoel Luiz Viei-
ra Manoel de Medeiros Junior, Manoel-Martina
Manoel Martins Lopes, Manoel Mello Montenegro'
Manoel da Ponte Araujo Manoel Pacheeho Teixei-
ra Manoel Rodrigues da Silva Manoel da Silva,
Manoel da Sophia, Manoel Sm. Jumil, Manoel Sou-
za Paz Manoel Tavares B., Manool Vianna. Manoel
Vieira Rocha.,
Nicomedes Maria Freir, Narciso Antonio, Cam-
pos, Narciso Jos Francisco Narciso Jos de S.-
Anna.
Purdencio Gongalvs Castro, Patricio Jos Cor-
reia Pedro Clemente Santos Junior Pedro Fran-
colino Guimaraes, PedrodaSilva Junior, Rosa Ma-
na da Conceigao. Rosa Thereza da Cunha Ramond
& Companhia.
Salusliano Gaetano Santos Salvador Maria Trn-
dade Souza Themotheo Machado Moreira.
Vicente Alves Paula P., Vicente Justiano Costa B.,
Victorino AntonioPeroira, Vctor Gongalvs Torres,
Venancio Jos Costa Verssimo Jos da Silveira.
Antonio Manoel Pereira V.
C. Germin.
ChrisiinianoJos Cliaro.
Ilenriquc Jo3o.
Ignacio Lourengo Dias.
Joaquim Souza Jacaranda.
Precisa-sealugar um preto : na praga da inde-
pendencia, ns. (es.
O LIDADOR' N. 230
ach-se a venda no lugar docostume.
O TRIBUNO N. 55
est venda na praga da Independencia, ns, 6 o 8
e muito interessante : dedica alguma lihas ao'
Subdelegado de sn-Jos, eleigOes. facto honroso
dos miguelistas em Portugal, etc.: a elle.
Precisa-se de uma ama do leite forra ou capti-
va, de boa sade : na ra Nova, n. 5, segundo andar
Precisa-sc de um forneiro que entada bem de
massas: as Cinco-Pontas, n. 38.
Precisa-se de cinco ou seis contos do rls a pre-
mio, dando-se para osse fim hypothecas emboas
casas sitas tiesta rdade : quem convier, dirija-sen
bolica d na do Rozario, n. 36, que se dir o nome
do prtendente.
-- Na ra ireta, n. 30, primeiro andar, Tazem-
se flores de todas as qualidades, por prego com-
modo.
O abaixo assignado avisa a quem convier, que
pessoa al guma faga negocio com o sitio plantado na
estrada do Arraial, na encruzilhada que vai para o
Monteiro, Casa-Forte e Catuc, por eslar oannun-
cianteem demanda com Christov3Q Deistel, mostran-
do a falsidadc e nullidado da oxecug3o que moveu
dito Deistel ao abaixo asssignado nesta cidade; e pa-
ra queso n3o chame a engao qualquer pessoaxiue
o negociar, se faz o presente aviso.
Uatheus Xavier da Fonieca.
Nacocheira de Jo3oda Cunha Reis, atrs do
theatro, alugam-se muito bons cvalos, e bem gor-
dos, proprio para a marcha, tambem se compram,
tiocam-sc, vendem-se e recebem-se Rara se tratar.
_ Quem precisar de urna ama forra, para o ser-
vigo irilerno de uma casa de lioinem solteiro, ou de
poea familia casado, dirija-seao beco de Sarapatel,
casa n. 7, que ah achara com quem tratar ; decla-
ra-so que he para consinhar, o maisseryigos de uma
casa, a excepgao de engomados '
Offerece-se urna mulher Brazileira para ser-
alguma Senhora, a qual tem bastante iduca-
vir
EDITA L.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade offlcial da im-
perial orderh da Rosa, cavalleiro da de Christo e ins-
pector da alfandega de Pernatnbuco, por S. U. o
Imperador, que Dos guarde, etc.
Faz saber que no dia 3 de dezembro so ha de ar-
reniar em basta publica, na porta da mesma, ao
meio-dia, 24 chapeos de palha para hoinem, no va-
lor de 60,000 rs., impugnados pelo guarda JoSo Can-
elo Gomes da Silva, no despacho por factura de Ri-
chard Deppermam, sendo ditaarrcmatagBo suhjcita
adireitos.
Alfandega, 29 do novembro de 1847.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
Declarares.
< oinii ni nica.io.
DESPEDIDA.
0 arsenal de guerra compra azeito de carrapa-
to ede coco, fio de algodfloe pavios : quem taes g-
neros quizer fornecer, mandar sua proposta em'
carta fechada a direcloria do mesmo arsenal, ateo
dia 4 do prximo futuro mez de dezembro.-
Arsenal do guerra, 29 de novembro do 1847.
JoaS Ricardo da Silva,
Amanuense.
Pnblicacots Lilterarias.
PORTUGAL.
Rrcordagao do anno de 1842, pelo principe Li-
chnowsky traduzdo do allcmilo segunda edicil
correcta e annotada.
O consumo rpido da prime!ra edigflo, o a sua
procura por minias pessoas que ficaram sem ella ,
induzo o traductora rcmpress3q desta obra curio-
sa que conten a apreciagao dos caracteres mais
nolavcis do par/., dos scus acontecmentos polti-
cos monumentos e lugares principaos feta por
esse principo prussano que all viajou em o an-
no citado. Um foi helo de 220 paginas. Vende-se
por 1,000 rs. na ra da Cruz, n. 1, segundo andar.
- organon de Kahnomann ou cxpnsicflo das dou-
Irmas homcepathicas, 2 v. pequeos; Manual do
nai do ramiha do capitao do navio e do fazendei-
("o ou noticias elementares da homcepathia con-
lendo aacgflodos24prncipaes medicamentos ho-
mcepathicos, 1 v. : vende-so por prego commodo,
na ra da Cruz, n. 1, segundo andar.
-OMuseu Pittorcsco, jornal rocreactivo e ins-
tructivo, com excellenteseslampas, at o n. 21, por
prego menor do quo a da assignatura : vende-so na
ra da Cruz, n. I, segundo andar.
~ as livraras da esquina da ra do Collegio e
da praga da Independencia, gs. 6 e 8, vendem-se o
compendio do gcographia elementar, adoptado no
collegio das artVs da cidade do Olinda ; o de chrono-
logia e o de potica, pelos quaes se fazem os exi-
mes na academia da mesma cidado ; redigidos pelo
bacharel Luiz Paulino Cavalcantc Vellez de Guevara,
professor substituto n'aquello collegio.
-1 VISOS HlMi'ltlIMUS.
maciado por adiantada cvilsag3o, devo tributar
ao>r desembargador Siqueira, no momento que
se Tetira desta relac.lo e cidade para a do Rio-de-
Jaueiro, meus reapeitoa, e ti-stemunliar-llie a apre-
ciagao a que tcm di re to inconlestavel, tributo que
lanto mais Ihe devemos quanto he pequeo o pre-
COLLECTORIA DA CIDADE DE OLINDA.
Ocolectorda decima urbana e mais imposlosda
cidado do Olinda faz publico pelo prsenle a todos!
--Para oRio-Grandc-do-Sulsahir brevo o pata-
cho Dous-de-Agosto por ter parlo do seu carrega-
menta prompto : quem no mesmo quizercarregar
ou embarcar escravos, pode nlender-se com Amo-
rim limaos na ra d Cadeia n. 45.
Para o Bio-Crande-do-Sul sabe uestes 6 dia
o brigue/i'cAo, de que hecapilBo Manoel Pereira d
Sa : tem bons com modos para passageiros e escra-
vos : os prctendentes dirijam-so ao capitao, ou a
ra da Cadeia-V'elha armazem do Bailar & Oli-
veira.
A escuna portugeza Andorinka pretende sahir
para Lisboa ate 3 do prximo dezembro: quem
nella quizer carregar ou ir de passagem, dirija-sc a
ra da Cruz, n. 45, casa de Nascimeuto & Amo-
rim.
-- Kreta-se para qoiaUjuer porto do Mediterrneo a
Unio :
passa-
Gaudino
Recite,
g3o e pratica para tomar conta de uma casa ; quem
precizar, dirija-se a ra da Guia, n. 14.
Precisa-sealugar urna prelaque seja boaqui-
tandeira e mesmo para oservigo ordinario : a ra
das Flores n. 28. Na mesma casa se cosem costu-
ras para homem esenliora por menos prego nos-
sivel. '
-^ Furtaram, da casa n. 32, na ra dos Guarara-
pes, emfra-de-Portas, um cavallo alazSo, peque-
no e bem carnudo quem o pegar le,ve a mesma ca-
sa ou na ra do Trapiche, n. 34, que ser genero-
samente gratificado, guardando-se segrodo.
Precisa-se de um mogo portuguez inteligente
e capaz de tomar conta por bataneo do urna pa da-
ra : quem eslver nestas circumstancias, dando
coiiheclnicnto do sua conducta, dirija-so as Cinco-
Pontas padaria n. 63.
-- Precisa-se de um caixeiro de 12 a-16 annos
sendo dos chegados agora do Porto : na praca da
Boa-Vista, n.7 -
- D-se dinheiroa juros-sobre penhnres de ou-
ro ou prata : no Atcrro-da-Boa-Vista, n. 58.
-Offerece-se um sacerdote para dizer as missas
do Natal, em algum cngenlio. Dirgir-se a ruaVe-
Iha, n. 105.
-Aluga-so o segundo fhdar do sobrado da ra
do Queimado ri. 24 : a tratar n loja do mesmo so-
biado.
- Os Srs major Francisco Jos de Mello e Teophi-
lo Jos Lemos hajam no prazo de tres dias, appa-
recernarua do Rangcl, n. 36, primeiro andar a
negocio que Ibes diz respeito
Vende-se um cabrinha de 13 annos sem vi-
cios nem achaques : na ra do Rangcl, n. 36, pri-
meiro andar.
Perdeu-s, no dia 23 do crrante, da Boa-Vis-
ta at dentro do Recite, um par de botos de pu-
nho que no centro he liso e pela beira lavrado :
quem o achou qucrcnJo entregar, leve a ra do
Cotovello n. 49, que ser gratificado.
. Na ra da Gloria, n. 24, engomma-se com per-
teicAn-e por prego commodo.
Jo3o da Costa Lima e Castro mo podendo des-
pedirse peshoaliucnte do todas as pessoas do sua
amizade, o Taz por esta folha ofi'eiecendo na corte
o seu limitado preslimo.
Companhia geral da agricul-
tura das viudas do Alto-
Douro
O abaixo assignado, agente desta companhia nes-
ta praga deJ'ernambuco acaba de recobor pelo bri-
gne-escuna fsloz uma remessa d vinhos daquella
companhia, depois que ella foi reabilitada pela
lagislatura do Portugal,'e dolada com os fundos
pblicos, pelas Iei de 21 de abril de 1843 para le-
vara todos os morcados os padres e balisas do vi-
nho genuino e puro da -Alto-Douro geralmente
conhecido pelo nome do vinho do Porto, afim de
survirem de guia ao commercio. Esta remessa, to-
da do vinhos da mais escolhida qualdade, deve
oflerecer aos Srs. consumidores n3o s a certeza
de sua pureza mas tambom o typo verdadeiro dos
excellentes vifrhos do Porto. Espera pois o abaixo
assignado, quo os Srs. consumidores se dirigirao a
sua residencia na ra da Cadeia do Recite loja
n. 51 para tralarem do ajuste de qualquer porg3o
que dosejaram. Antonio Francisco de Moraes:
-Aluga-se, pelo lempo de (esta, ou animalmen-
te, urna casa na povoagflodo Monteiro lionleira a
igreja, com commodos para dua familias : a tratar
ua ra DireU, n. 9, segundo andar.
.i Yoi do Urasit u. 6 est a venda nos lugares
seguintes : ra do Queimado, loja do Sr. Joaquim
Claudio Monteiro ; praga da Independencia, loja o
Sr. Souza Main,lio n. 14; ra do Collegio, loja. de
alfaiatc, ao pedo Sr. Ignacio Manool Viegas; ra
Nova loja do Sr. Carneiro; Recite, na trave,ssa da
ra do.Vigario,, n. 1, loja de sapaloiro; Attrro-
dos-Afogados, em casa do Sr. Filippe, inspector do
quartuirao ; na povoagao do Monteiro, na vendada
senhora Sevoiiua no-becco do Quiabo ; em Goian-
na, na ruado Meio, casa doSr.Jo3o Francisco F'er- -
nandes.
MV
rifa




"^
AVISO GERL.
O dentista e sangrador Jos Anecleto,
muito conhecido, o morador na ra estreita do Ro-
zario, junto groja, casa terrea n. 7, na freguezia
de Santo-Antonio desla cidade do Recife, faz scien-
te a todos os habitantes, o com especialidado aos
moradores das comarcas villas q povoacOes e
igualmente a todos os proprielariqs de engenhos,
agricultores, senhores de fabricas e a todos os mais
chefes do familia e de casas de educaclo, quo elle
receben de r'ranca, ha pouco, urna grande porco de
paraguaroux, calmante odnntalgico, composlo .por
M. Roux & C, pharmaceuticos, como uin dos reme-
dios mais cflcazes, que nos conhecemos para a-
placar ou destruir as mais violentas dores de denles,
produzldas por carie ou por qualquer outra afleccSo
da bocea, o qual eu cnsino por um impresso un no-
vo methodo de se applicar por quatro ou seis ma-
neiras em qualquer urna das-odontalgia, ou
vasV dos d"i>'i. Este remedio roza de gran-
de crdito em Pars e he o mflior especifico
que lia nesta provincia para aplacar, ou destruir as
mais violentas dores de dentes, principalmente pelo
novo methodo (le sua applicacHo, Vende-se cada
frasco por 10,000 rs.,i>or nao haverem por ora outros
mais pequeos ; enilim, para este remedio chegar
para todos, veiido-se lambem quantidade suflici-
ente por 2,000 rs., trazendo cada um sou vidri-
nlio com rolha ; e applica tambem radicalmen-
te este remedin todas as pessoas que forcm a sua
casa com dores de denles ; porcada applicaco, ou
tirar delicadamente o denlo ou raiz, sendo preciso,
1,000 rs.; chumbar um" dente com metal branco,
1 a 2,000 rs-, o chumbar com ouro, sendo preciso,
1,000 rs.; apartar pcrfeilamente os quatro ou seis
dentes incisivos e caninos do quoixo superior, 6,000
rs.; esta oporaco he muito precisa a qualquer pes-
soa, tanto aos infantes como aos.adullos, porque
previne os dentes de serem cariados para o futuro, e
'jformoza nitrito a arcada dentaria. Vendem-sc tam-
bem limas prorrias para estas operacOes, a 1,000 rs.
cada urna. Vende-se tambem metal branco, tanto
em folha, como fusivcl, quantidade sufllcjcnle para
cada um chumbar seusdenles turados ou cariados,
e uin instrumento prprio para estas operacOes, por
3,000 rs.; e ouro, ou platina, quantidade sufllciente
para cada um chumbar seus denles furados ou ca-
riados, por 6,000 rs. Esta operacilo lie tambem muito
precisa a qualquer pessoa, porque previno para o fu-
turo as dores de dentes, escusundo cada um cha-
mar um dentista para estas operacOes tilo simples.
Quem tiver urna preta para alugar, que saiba
cozinhar, engommar e fazer todo o mais servico de
urna casa, e que de fiador a sua conducta dirja-
se a ra da Aurora .ti. 20.
Theado de Apollo.
A direccloscionlitica aos rs. socios, que lem
marcado o dia primeiro de dezombro prximo para
a recita do mesmo theatro, e que a distribuiQo dos
bilhetes ser feita, desde hoje aleo dia 30 do cor-
rente pelo respectivo Ihcsoiirciro na ra do Tra-
piche u. 17, em cuja occasiito recober o que esti-
vercm a deVer, e a quem lambem entregaro as
suas proposlas para convidados procurando-as no
referido dia 30.. no sabio do mosmn theatro, das
10 horas da mandila as 6 da tarde, depois das quaes
nao lera mais lugar qualquer proposta ou trans-
ferencia que porventura apparecer possa. A direc-
c.lo seientifica mais que se acha vedado o ingres-
so no sabio aos convidados que nio liverem suas
familias as galeras.
Alugam-so e vendem-se tanto a retalho como
aosceutus, mujlo grandes e boas bichas, chega-
das de llamburgo : lambem so vilo applicar para
mais commodidade dos pretendentes: na ra es-
treita do Rozario, loja de barbeiro, n. 19, defronte
da ra das l.arangeiras.
Na ra Nova luja n. 58, ba quem se encarre-
gue de mandar lavar o engommar loda e-qualquer
qualidade de roupa do honiem, setihora e meninos
de ambos sexos por preco rasoavel.
*-Trpsse, fabricante de orgios e realejos, lem
para vender 3 orgios : lambem concerta os ditos ins-
trumentos, poe marchas novas, e compra reale-
jos j servidos.
i;
i| Vende-se urna mulatinha de 12 a 13 annos,
{j recolhida quoengomma muito bem cose,
tfaz lavarinto, marca, lava de sablo e varrella,
arruma bem urna sala e faz todo o mais ar-
ranjo de una casa, o que'se afianca ; urna
j dita de 13 a 14 anuos que cose lem princi-
3> piosdeeigomniinloe faz todo o mais servico
-. ji ile uina casa ; 3 pretas muito mogas, com al-
|g guias habilidades e que sabein vender
y na ra muito bom, por esta re ni a isso acos-
' turnadas ; urna dita com luds as habilidades
LOTERA
DO
Hospital Pedro //.
Em consenquencia da extraccSo q^ie lem havido
na venda dos bilhetes da primeira quinta parto da
loteta a beneficio do hospital de Pedro II, tem o
thesoureiro marcado o dia 20 do dezembro, para o
andamento das respectivas rodas, e espera que as
pessoas a qoem o sentimentodo commiseraco pa-
ra com a humanidade desvalida forma o objecto que
mais oceupa o seu generoso coracilo haja'tn de cot*
correr para queso realisb naquolle da o seu impre-
terlvel andamento.
- Offerece-se urna ama para casa de pouca fami-
lia que faz lodo o servico de portas a dentro : na
ra da Guia, n. 55, primeiro andar.
OdoutorAlexandredeSouza Poreira do
Crmo, medico mudou sua residencia
para a ra larga do Rozario n. 12, segun-
do e lerceiro andares do sobrado onde lem'
botica o Sr. Jos Mara Goncalves llamos.
m
a
>m
I
m
Na noite do dia 25 do correte furtaram ,' da
padaria da ra Senzalla-Velha, n. 96, um pagaio
muito manso e follador : a quem for offerecfdo, ou
de!te tiver noticia dirija-so a dita padaria que se-
r recompensado.
Permuta-se urna casa decampo na cidade de
Olinda/dcfronte docollegio dos orphos em Santa-
Therexa, por um sobrado na Roa-Vista ou em San-
to-Antonio, tninbom aluga-se por 3 a 6 annos ; a ca-
sa lem 6 jauellas de fronte onvidracadas a moderna,
pnillo largo para seg e mitos rommodos para
gramil! familia; tem salas, 4 quartos, 1 bom so-
tlo com janella no oitlo, 1 gabinete com porta o ja-
nella envidracadas, 2 dispensas, 1 em ponto maior
com 6 caixilhos, 2senzallas, 1 para prctos o outra
le pretas, um gallinheiro com 70 palmos, e 1 quarto
para dormida de gallinhas, obra de bom gost, boa
cozinha, cocheira, estribara para 3 cavados, t vi-
veiro de peixe con 400 palmos, e passeio pelos la-
dos; no fundo do viveiro tem um sobradinho com
porta e janella que deita para camba do Pisa, e
com 4 janellas.que bolBm para dentro do mesmo vi-
veiro, que servo de recreio, bom porto de desem-
barque e bom banlio; a propriedado he toda fecha -
da de muros. A pessoa a quem convior-o negocio,
procure nos diasutois na Ponte-Volha da Roa-Vis-
ta, deposito de agoa.n qualquer hora, e nos domin-
gos na mesma pronriedade, em Olinda.
Manuel Alvos Cardozo embarca para o Abiou a
sna escrava de nome Josepha.
$|CH.tl>K()SDE:SOIj3&
Ru do Passeio- Publico, n. #.
AO PUBLICO.
Altengo!
necessarias a urna casa de familia : na ra do
Vigario, n. 24, se dir quem vende.
g
-A
'$ i.
Est justa e contratada a casa terrea n.13, da
i na da Praia do Caldeirciro/pertencente ao Sr. Fran-
cisco de Amorim Mina ; se bouver alguma hypolhe-
ca, penhnra, ou outro qualquer embaraco, hajam de
iinn'uneiar uestes oitodias, para nio haverem duvi-
das para o futuro.
O doutor Cassnova medico francez, continua
a receitar cm sua casa na ra Nova, 7, primeiro
andar do-fronte do oitlo da matriz de S.-Antonio ,
das 7 as 9 horas da mimlifla e depois disto, est
prompto-a qualquer-hora para fazer visitase qual-
quer lente que de seu preslimo so quizer utihsar.
-T- Jos l'iadinis culileito, previne
aos seus liegiiezes que mmJou-se da ra
do Cubuga, n. 12, para a ra larga do
l'iozoi'io antigamente dos Qnatleis. n.
14 junio a bolica do Sr. Jos M a i a lla-
mos e que seuipr o. acliaro prompto
para fazer qtidesqucr obras concernentes
ao seu oflicio e contina n amolar as
tercas, quintas e sabbadosde cada sema-
na : tutlo.com peifrico c brevidade.
-- Pncisa-sede um caixeiro nacional ou cstran-
Seiro, que lenha osqtiisilos necessarios para bem
r-sempenhar as obrigafAes do um caixeiro, que lem
de lomar cunta de urna padaria por halanoo com
8.a 10 eseravos debaixo de condicOos que Ihe se-'
rSo presentes : quein se achar tiestas circumstan-
ciasfde dirigir-se a ra doC.ahug, loja do Sr. Jo-
Fugio, da casa doabaixo declarado, no dia 25 do
crrente, das 5 para 6 horas da tarde, una escrava
preta denaclo, do nome Anastacia, de 20 anuos,
de estatura regular, cor fula, rosto redondo, com
algumas cicatriz as costas ; levou vestido de chita
escura j usado. Recommenda-so as autoridades
policiaes a captura da dita cscarva, o quem a levar ,
ou der noticia verdica na ra do Crespo, loja n. 10,
de Jos Joaquim deFreitasGuimarlos, sera bem re-
compensado.
Os Srs. Jos Manocl Martins o l.uiz Jos Perei-
ra simoes leem cartas na casa do Antonio Francisco
Martins de .Miranda na ra ireita n. 53.
Precisa-se do um rapaz pardo ou branco que
queira ir entregar 20 a 25 patacas de pfles todos os
dias at a estrada nova em um cavnllo -. quem cs-
tiver neslas circunstancias dirija-so a ra dos Quar-
teis, n. 18.
-- lJrecisa-se de ditas coslureiras de
aliaiate, para trabalharem por dia, pa-
gando-se-llies urna palaca por dia,e dan-
do-se-lbes almoco e janlar: na ra ftova,
n. 6o.
Aluga-sc urna casa terrea na Soledado n. 17,
ao p do Sr. Vieira cambista: a tratar no pateo
do Carino, n. 17, com Gabriel Antonio.
Anda est para se alugar, por todo este vero ,
o sitio da Pnnte-de-UchOa chamado deMeia-Oobla,
com boa casa do sobrado grande extensio do ter-
reno com muitas e differentes arvores do fruclo ,
boaagoa de beber, urna grande e fresca baixa de
capim de planta por preco commodo : a tratar na
ra Nova loja de ferragensde Teixoira & Andrade,
ou com Manuel i'eiena Teixeira, morador no seu
sitio no Manguinho.
Precisa-se fallar com osSrs. abaixo menciona-
dos, ou saber-sc de suas moradias,a negocio de seus
inleresses : Antonio Flix l'ereira, Jos Gomes Fcr-
reira Joaquim Rarboza do Souza Mauoel Percira
da Costa l.arangcira Joan de I.una Raslos : na ra
larga do Rozario, padaria n.48.
Dcsapparecereni, da serrarla da ra da Praia, de
Manoel l.ui/. de Mello, 5 pranchoes de louro : quem
delles souber ou der noticia na mesma serrara,
ser gratificado.
-- Jnao da Silva Moreira embarca para o Rio-Cran-
dc-do-Sul o seu escravo Joaquim Angola.
Precisa-se do urna ama forra ou captiva : na ra
de Moras n. 16, primeiro andar.
O abaixo assignado previne aos seus credores
de que o seu armazem da ra da Praia fra fecha-
do e recolhidas as chaves ao deposito gral, a re-
querimentodo Sr. Joaquim Jos do Furias, pro-
pietario da casa ; bem assim avisa aos mesmos
Srs. que se acha resdndo por emquanto na casa
n. 38 da mesma ra, onde podei ser procurado a
qualquer hora. Luis Jot t'errcira.
Aluga-se o segundo andar da casa n 3, da ra
da Cadeia-Velha com com modos para familia. Na
mesma casa se vendo o verdadeiro especifico para
fazer nascer e conservar o cabello e outro pura
curar a surdez ambos vindos da cidade de Rraga.
Jolo l.oubot participa aorcspeitavel publico, que
recebeu, por estes ltimos navios francezes, um com-
pleto sortimento do chapeos de sol, de seda, amis
rica o superior qualidade; furta-cres e outras umi-
tas conhecidas, tanto para homens, como para Sras
e meninos. No mesmo estabelecmento ha um sorti-
mento de chapeos de sol de paninho, dus mais mo-
dernos; ditos muito grandes, proprios para homens
decampo: tambem lem chapeos de sol do paninho
para meninos o meninas, por serem muito finos: po-
d'em-se chamar chapeos de economa. Na mosmn loja
ha sortimento de bengalas, bengalinhas e chicotes
muito modernos; cobre-se qualquer armadlo do cha-
peos de sol, com sedas de todas as cores equalida-
des. Na mesma casa ha um grande sortimento de
panninlios naneados e lisos, imitando seda, para
cobrir os mesmos: dcsta fazenda se vendo aretalho.
Concerla-se todo qualquer chapeo de sol, por haver
uin completo sorliinenlo de todos os pertences para
os mesmos, com toda a pcrfeic3o e brevidade.
Compra.
Compra-sc, ou aluga-se urna negrinha'para o
servico de urna casa estrangeira de pouca familia,
e que entenda de engommar : na ra do Vigario,
n. 4.
Compra-se urna casa terrea que lenha com-
modossullicienles para urna nlo pequea familia ;
prefere-se na Roa-Vista e que, leudo quintal, ca-
cimba, soja em chaos proprios e desembarazada :
na ra da Cruz, no Recife, n. 18, segundo andar.
Compra-se uma venda com poucos fundos at
400,000 rs. : quem liverannuncie.
~ Compiam-se50 mcios de sola do boa marea:
ua rita do Collegio, armazem n. 19.
-- Compra-se um scllim inglcz, cm meio uso : na
ra do Culdeireiro, casa do lampeo-
'IOOS.
Dao-se 5o'ooo rs.de grilificacSo,
e se pagnro todas as mais despe-
zasque se tenham feito, a quem
dr noticia do caboclinlio escra-
vo por nome Vicente de seis
anuos, pouco .mais ou menos, sec-
co do corpo; tem no antis dussf-
tidas de liobns, e he um tanto le-
so, por ser novato nesta praca; le-
vou vestido camisa do algodu da
trra um tanto soja : desencami-
nbou-se da ra do Vigario, n. 4i
aonde se poder dirigir a pessoa
que souber, ou ra da (Jadeia
(o Recite, n. 2t
Loicria do Rio-de-Ja1 ciro.
Aos 20:000^000 de.ris. '
No vapor San-Salvador acaba de chegar umlin
do sortimento de bilhetes da 12.", a favor do monte
pi gral: a ellos antes quo chegue o vapor. Estilo
venda com n rubrica na loja de cambio de Vieira,
na ra dajfjadeja do Recife, n. 24.
Venilcm-se sementes de hervilhas, rabanetes ,
trinxuda cebla e alface : tambem vende-se po-
tassa, cal virgem de Lisboa vinho lo Porto em
pipase barris, do diversas qualidades; fechaduras
para portas de aimazem ; pilulas da familia ; coei-
rosde algodo ; panno de linho; meias para lio-
mem tambem de linho: ludo por preco commo-
do: na ra do Vigario, n 11, primeiro andar.
Vendem-sc portas, jauellas e grades de ama-
relio : tambem se vendem portadas o sacadas de po-
dra : na ra da Praia tanque d'agoa, us. 9 e II.
Em casa de Frederico Itobilliard,
na nra do Trapiclie^Novo, n. 18,
vonde-se superior cerveja branca o preta, em bo-
tijas da fabrica do Rarclay j conhecida como a
melhor que at ao presento "tem vindo.
Vendo-se uma parda de bonita figura, do 20
anuos pouco mais ou u.enos, a qual tem boas habi-
lidades e be propria para lodo o servico do casa : na
ra do l.ivratr.ento n. 34.
Km mu crescido numero contavam os mdicos
at agora molestias incuraveis, contra as quaes so
era permittido ao pacienta resignacSo para sofircr
um mal de queja nfio havia esperanens de poder Ir-
berta-lo, e ao medicp philatitropico a dr de ver
mu ton de sous.smelhanlcs victimas doonfermtda-
des, contra as qaes se declarava impotente, po-
dando apenss.lt mentar Traqueza da intellgencia
humana. Mas, graijas acs progressos da medicina,
gracas ao zelo de homens incansaveis, que, nlo des-
esperando da perfectibilidado da sciencia, se teem
dedicado investigaco de reitredios que possam-
alliviar humanidade dealguns males que a allli-
gem, o numero das molestias reputadas ncurveis
vai de dia em dia diminuindo. Assim, achar depois
do longos traballios, de profunda medilacSo o reite-
rabas experiencias, medicamentos qoo nos restituam
uso dos dous mais importantes sentidos de que
he dolado o liomem, quandu estes j se achavam no
supposto estado de incurabilidade o inleiramente
perdidos, he por certo um dos maiores servidos, que
se poda prestar buiar.idsJs ; eisvo que eslava re-
servado um liomem plilaniropo da cidade de Rra-
ga, em Portugal, cuja sciencia, cujo amor de seus
seinelhanles se lem feito geralmenleconhecor. Os
remedios que ora offereceinus ao publico, nao en-
tran) na classo daquelles que o vidoeousado char-
latanismo inculca com roucos o descompassadoe
irados, e que o crdulo vulgo, por ignorancia, rece-
be na boa f e sem disccrnitnenlo, achando-so de-
pois Iludido; tem, porm,deoc upar mui distincto
lugar entro os medicamentos, que maiores benefi-
cios prestam ao liomem :coustam elles da dissolu-
cloaquosa de extractos de plantas medicinaos, do
virtudes mui reconhecidas o verificadas. 0 longo li-
so, as continuadas e severas experiencias, a quo por
toda a parle teem elles sido submettidos, sem que
una s vez hajam falhado em seus Bous efTeitos, o
desmonlido as osperancas quo sobre ellos havia fun-
dado o seu invento^ Ihe teem grangeado constan-
tes c repetidos elogios dos mais sabios e respeita-
veis mdicos, assim da Europa, como da America,
que unsonos abonan) o proclaman) sua accSosem-
pre certa e benigna. Um destes licores he destinado
a combater as molestias de olhos, e tem'porprinci-
pal virtudc restituir aos orglos da visilo suas func-
ces ; reanimar e fazer rcapparucer em sua natural
pcrfeiclo a visla, quando esla cstiver fracaouquasi
extincla, com tanto, porm, quo nlo baja cegueira
absoluta com desorganisacSo das partes ; nu me-
nos til e enrgico lio para desfazer as cataratas,
destruir as nevoas e do prompto dobelar qualquer
inllanimacflo ou vermelhidao dos olhos. Nio causa
dr, nem estimulo na parto.
O outro lquido restlue a faculdado do ouvr os
sons ao ouvldo tocado de surdez, anda que invete-
rada, urna vez que o mal nao seja de nascenca, sem
causarem tompoalgum o menor incommodo ao do-
ente, e sem priva-lo de cuidaren) seus negocios.
instiiucCOes paiu o uso dos remedios.
O dos olhos emprega-se do modo teguinte
Odoenle, pela uianhiia, em jejum, uma hora pou-
co mais ou menos depois que erguer-se do loilo,
tomar sobre a palma da mo pequea ponjlo da-
quella agoa ; o com olla mol liara bem os olhos, fa-
zendo que algumas gottas caiam sobro o globo oc-
cular: sernos I impar, os conservar moldados at
que naturalmente enxugueui : ao deitar-se a no i lo
pralicar o mesmo: durante o lempo quo usar do
remedio evitar o calor, acco do fu maca o o vento ;
fara abstinencia de comidas salgadas, azedas e adu-
badas com especiaras.
Oremedio dos ouvidos ser applicado do modo que segu:
Odoente, pela matihaa, uma hora pouco mais ou
menos depois do erguer-se, ainda em jejum, far
derramar dentro dos ouvidos quatro ou cinco got-
tas do liquido, tapndoos depois com algodo em
rama ; a noite ao deitar-so repetir a mesma ope-
racao. Durante o uso do remedio evitar expr, os
ouvidos principalmente, a acgio do calor edo ven-
to, aflu de evitar rande tiatispiacOo, havendo cui-
dado em nao molbar os ps em agoa fria ; finalmente
devo abster-se de comidas salgadas, azodas o ad-
lalas.
Bstes remedios eslo a venda na bolica do Bar-
tholameo Francisco de Souza, na ra larga do Ro-
zario, n. 36, nico deposito em Pernanibuco, pelo
preco de 2,2-40 rs. cada vidro.
ATTEiNCAO.
Certo Senhor que foi com uma ordem do arse-
nal de guerra na igreja de S. Rita Nova para que
o sacristflo entregasse 80 lamncOcs dos quo tinham
servido na festa de S. Hita para illumlnacfto os
quaes foram servir em uma rpsla que houvo no
domingo prximo da d S. Rilaj: o como nSo se sa-
lte o nomo do dito Sr. cima nem anude foi a dita
festa por isso se toga a essa pessoa ou a quem
(>*los Santos, na esquina defronle da matriz que deste negocio der itiformacOcs que se dirija a ra
sodir com quem se deve ajustar. I Direita n. 80, que se gratificaren seu ira balito.
-----Vendem-se enfeites de l'roco de di-
versas cores para cabecas de senboras ;
na Injrde Maya Hamos & C, ra Nova,
i). 6.
Vende-se um negro perito oflicial de sapalciro,
deidadedo 20 annos, e urna negra cozinlieira,cos-
lureira, lavadeira o engommadeira. de idade de 32
annos pouco mais oo menos : na ra estreita do Ro-
zario, n. 43, secundo andar.
- Vendem-se lijlos de mar*
more: em casa deOliveira Irmos
& C, na ra da Cruz, n. 9.
Lencos de cassa, a f 20 rs.
cada um.
No Aterro-da-Roa-Vista n 10, primeira loja de
fszendas indo da ponte vendem-se lencos de cas-
sa de quatro ponas, com listras brancas o do cores,
a seis vintens ; casimiras finase de bonitos padrOes
para calcas, a 4,000 rs. o cuite de3 covados e meio,
oO a 1,120 rs. ocovado ; riquissimos cuites do col-
Icte de fustilo, a 1,000rs., do selins de cores mui-
to lindos a 2,000 rs, ; setins brancos lavrados ,
proprios para vestido de bares e casamqjitos a
1,000 rs. o envado. Todas estas fazendas sao de
ptima qualidade a visla dellas verao os compra-
dores que no ba exageraqo neste aunuacio.
Sal.
Vende-se sal muito alvo, a bordo do brigue So-
ciednde fundeado em frente do trapicho do Sr.
Angelo : a tralar com o capitlo a bordo, ou com
Jos Francisco Collares, tas escadinhas ou nos tra-
piches da estiva.
A (I ib ira veis nava-
Ibas de acoda China
que teem a vntagem de cortar o cabello sem oTen-
sadapclle, dcixainlo a cara pareceudo estar na
sua brilhanle mocidade.
Esta ac vein exclusivamente da China c s nel-
le Irabalham dous dos molltorcs e mais abalisadoa
cutileiros da nunca excodida e rica cidade de Pe-
kim .capital do imperio China.Autor Shan.
N. R.- He reconhecido o uso destas navalhas
maravilhosas por todas as sociodades das scien-
cias medico-cirurgicas, lanto da Kuropa como da
America Azia e frica, mo s para prevenir as mo-
lestias das cutis mas tambem como um meio cos-
mtico.
Vendem-so as vordadeiras s na ra larga do Ito-
zarioi n. 24.
Vendo-so urna venda com pocos fundos o em
milita boa i ua, sita na boa-Vista, a tratar no Man-
guinho venda do Misquita.
Vende-se um sitio ua estrada dos
Al'liclos, com lio, casa de vi venda, de
pedra ecal, com soto, cozinba fra, es-
tribara para um cavallo, muito bom po-
ro, o qual ailmil le uora, todo ebeio de ar-
voredos nevos : a tratar na mesma estra-
da com Joaquim de Oliveira e Souza.
.Vi ra larga do Rozario, n. 52, venda da esqui-
na confronte a igreja, vendem-se boas bichas de
llamburgo lanto em tamaito como em qualida-
de : tambem se alugam e mandam-se applicar : lu-
do por preco commodo,


Vendem-se ptimos casaes de pombos corujas e
{cares, todos muilo bons batodores, grandes e de
oa ra^a, por prego commodo : na rua da Floren-
I11..1, n. 16.
MOBILIA.
Vonde-so urna porgito de trastes novos e quasi no-
vos, sendo : camas do Jacaranda consolos com es-
pedios mesas redondas sophs ricos mesas eies-
U*;.a.t;a^mfr'0S Para ',oua Parador para sala do
jaiiar cadeir.nhas elsticas de tapete, escadas do
camj.commodasdeamarello, mesa do costura ,
Xurnim ? ?a,K' !U.Ca ccrystaes: tambemse
hmulatmha'04 nnos.-ummoleque de
SS"' rua ^SenzahS-Ve!nqa?n?So,,ri!
ITy.en<1r,n"se as obras seguintes, em bom uso :
Joven Cochano 4 v.; o Espfao do campo neutral,
4 v. Evaristo e Theodora 4 o.; os Es.oiadores
v. ,1 linosopno por amor, 2 v.; Uara de Elba, 1 v.:
in m?* ; e 0>lTaa muitas obr8s' Pr Pw
commodo : na rua deS.-Rita n. 4*.
Ji
nhos; 2 pardas; 2 pretas ; 1 negrinha: todas om
habilidades : 1 prelo cozinhoiro e engommadeiro ;
2 pretos para todo o servido do rua : 110 pateo da
matriz de S.-Antonio sobrado n. 4.
Pannos finos.
Vendem- se superiores pannos linos, a prova do
limo preto, a 3,000, 4,500,5,500 e 6,500 rs. :-d-
to azul, a 3,000 rs. e muito fino, a 4,500 rs. Estes
pannos sao novos e pela sua barateza, attcndendo
i;r:xa. lram-se ^*-
X <2000 rs.,
saccas com bom millio: no
caes da Alfandega, armazem
de Antonio lunes.
Na nova loja do Pas*c<>-l>u.
blico, o. 19, de Manoel Joa-
quim Pascoal Hamos ,
nfn wS0 Cn?f.C calnbraia "legria, fazenda muito
? no a a'f" i Corles de lila para calcas a
3,1)00 rs. ; cortes de casimira de quadros, muito
moderna a 6,500 rs.; alpaca preta, a 900 rs. ; mc-
a 4 500 e 5,000 rs. ; dito azul, a 4,000 rs. sarja
preta hespanhola a 2,000 rs.; setim preto, a 1,000
rs. ; lencos para grvala de seda de cores a 400
rs.; ditos de cassa a 160 rs. ; lencos de seda pa-
ra hornera, a 11,440 e 1600 rs.; longos brancos de
todos os tamanhos, de 240 at 400 rs. ; mantas de
seda muito ricas a 9,000 rs.; chales do ISa, a 2,000
rs. ; ditos de ISa e seda, a 8,000 rs.; ditos de me-
tan e chita a 1,00o rs. ; e outras muitas fazendas
muitoemconta.
Vende-se urna negrinha costureira e rendei-
ia;ummulatinho com principios de sapateiro : na
rua larga do Rozario, loja de miudezas, n 35
se dir quem vendo por querer retrrar-se para to-
ra. !\a mesma loja tambera se vende um piano in-
gle* que precisa de um. pequeo concert nro-
pno para se aprender. K
Casimiras clsticas e finas, a
7^000 rs.
Vendem-se superiores casimiras elsticas, finas o
de cores, pelo baratissimo prego de 7,000 rs. o cor-
te de calca. Esta Fazenda he recommendvel pela
sua qualidade tanto em fazenda-como em goslos ,
por seren os mais modernos; casimiras pretas'
superior fazenda porserem muito finas a2, 3
3,500 rs. o covado : na rua do Collegio, loja n. 1.
Ventte-se. ou troca-se por casas nesta praga, um
terreno Com 412 palmos de frente'e 150 do fundo,
sito por detrs do coventodo Carmo : a tratar com
o seu-proprietario, no Manguiuho, segundo sitio
depoisdacapellade S.-Jos. .
>i\a loja nova da rua do enci-
mado, 11. II A, dcRaymiio-
do Carlos Le te ,
acha-se um novo sortimentode pannos finos do todas
as cores e qualidades ; chapos francozes da ltima
moda ; um completo sortimento de fazendas finas
o grossas, por prego mais barato do que em outru
qualquer parta.
DE 6 PORTAS HJ2
Nesla loja das pichinchas, vendom-so pan-
| nos linos, a 2,500, 3,000 3,500 e 4,000 rs. .
e muito lino, prova do limito a 5, 6 o 7,000
rs. ; casiiniraa de duas larguras a 1,500 o
2,000 rs o covado, e muito superior, a 3,000
e 4,000 rs. ; cortes de setim e do velludo
para collote, a 2,000, 2,500 e 3,000 rs.; man-
tas de setim para honicni, a 2,000 rs.; um
grande sortimento de madapoles chitas
e outras muitas fazendas para a festa por
baratissimo prego, para acabar antes do ba-
lango.
MAVVa\5/aV7aY 7V 'Al! '/V 7V,
He s na loja do nicho que
apparccem estas pechinchas
Na esquina do Livramento, loja df> nicho, ven-
dem-se mantas para senhora a 1,000 e > 000 rs
setim branco de llores com duas larguras,'
1,280 rs. o covado; riscadinhos chinezes, com is-
iras de seda a 360 rs. o covado; chales muito gran-
des do garga e seda a 2.000 rs.; leugos grandes da
nesma fazenda a 1,000 rs.; ditos escocezes. de
bonitos gostos, a 200 e 320 rs.; e outras .mitas
i|cch,nchas novas chegadas de proposito para a
-Vendem-se ancorelas de di-
versos tamanhos com vinho da
Madeira, tinto e branco,. de su-
perior qualidade: no escripto-
ro dcOliveira limaos & Cmpa-
nliia na rua da Cruz, n. 9.
Altcncao!
Acaba de chegar loja do Passcio-Publico n. 17,
una porgflo de cortes de camhraia transparente de
da, para vestidos de senhora, padrOes inteiramente
novos, e que se espera meregam geral ap|ilauso das
senhoras do bom goslo, e muito principalmente das
que tencionam passara festa em seus sitios. A por-
gito he diminuta c n!to ha mais em Pernambuco
por isso sem demora devem mandar pur elles, antes
quescacabem, mesmo porque o prego convida ,
pois he o de 5,000 rs. por cada um corte.
Na loja nova da rua do Quei-
mado,n. II A, de Haymun-
do Carlos Lcitc ,
a 800 rs.
a vara do ptimo panno de Mnho do Porio as pocas
silo ile 18 varas e meia dito do 25 varas, a 600 rs i
guardatiapos de puro lindo ,. a 800 rs. ; fazenda d
norte, propria para colletes, jaquetas e etc., tecido
de seda e linho ; cneias uo lindo as mais-finas que
leein vindo ao mercado.
Vende-se sal do Lisboa, fino e alvo, a 1 600
rs. o alqueire da medida velha : na rua da I'raia
armazem n. 18. '
EPQS1TO HE CAL VIRGEM. .
Na rua do Trapiche n. 17, ha sem-
pre cal virgem de Lisboa, tu barris pe-
queos, e ullinianiente ebegada mui-
to superior e por preco rasoavel.
AGENCIA DA FUNDCAO' DE LOW-MOOR.
Na rua da Senzalla-Nova n. 42, contina a haver
j n completo sortimento do moendas e machinas de
/-por .para eugenhos do assucar : bem como tai-
xas de ferro batido ecoado de lodos os taXnhos
ludo por prego commodo. nwnuos.
rM~Iinl?i.lir/?UK?,0,equede muil ,,onila nu-
preto do 20auu0s, de elegante figura 2 mulati-
Vende-se, a bordo de berganlim Independen-
to Tundeado defronte do trapiche da alfandega ,
sebo em rama, e.'cariie superior.
Na loja nova da rua d > Quci-
mado,n. M a, dcRaymun-
do Cario. Leitc,
acha-se um novo sortimento de- lindas mantas de
seda a 4,000 rs. lendo lambem de 2,000 10,000
10.000 e 20,000 rs. ; luvas para senhora do trogal
ultima moda em Lisboa ; meias cias n. 10 a 5/
rs. a duzia. ;
--Vendem-se pegas de madspolfio limpo, com
20 varas a 2,500 rs. ; pegas de chitas escuras mui-
to encorpadas, fortes e de cores lixas a 5,500 rs. ,
o a Ihors. aretalhfj: na rua estrella do Itozario,
n. 10, terceiro andar.
Vende-se um preto de nagilo, do 22 annos
sem vicios nem achaques, o que so afianga ; um
dito de 9 anuos; um moflido do moer mildo, promp-
todoseus pertbnces: na rua do Queimado, n. 40
segundo andar.
Anda so vendem tres pretos para o servigo de
campo : na rua da Cadeia do llecife,, n. 59, a tratar
cora Jos Das da Silva.
O BAKATEIRO.
fta nova loja da rua do Cres-
po ao p do arco de 8-An-
louio u.4, de Uieardo Jos
de Freitas Kibcito,
vendem-se casimiras a turca, do urna s cor, fa-
zenda luteiramentonova empadres e qualidades ,
e queten. urna elasticidade quo se nlo enconlrai
nessas outras casimiras vulgaies.sendoestasapplau-
Siveis lano para caigas como para exccllenles pa-
i!i* Prlerom duas larguras, eo seu prego ser
4,000 rs. o covado e o corle de caigas 7,000 rs. Igual-
menta da lengos de i puntas d cau.draia com cer-
cadura decore palmas bordadas, proprios oara
pescogo de sendora a 120 rs. cada um ; corles de
cambiaia adamascada, de bonitos padrese com 7
varas, a 4,000 rs. ; ditos de cambraia cou, listras as-
setinadas brancas e com 7 varas, a 3,500 rs.
bengaliphas para passeio a 320 rs.: no Aterro-da-
Boa-Vista, loja n. 78.
Vondenj-se4 bois de carro: na praga da Boa-
Vista, n 13, vendado Antonio Jos de Magalhfles.
Sellins para a festa.
Vendem-se excellentes sellins nglezes com to-
dos os seus pe toncos : na rna do Trapiche-Novo,
n. 19, em casa deFredirico Itobilliard.
Admirareis uavallias de ac
da China,
NA.nUA LARCA DO ROZARIO, N. 35 LOJA DO LODY.
Estas navalhas teem a vsntagem de cortar o
cabello sem offendora pelle, deixando a cara pare-
peiido estar na sua brilhante mocidade. Este ago. he
da China e seu autor he Shan. Por todas as socie-
dades das sciencias medico-cirurgicas tanto da
Europa como da America, Asia e frica he reco-
nhecido o uso destas navalhas maravilhosas, no s
para prevenir as molestias cutneas a que a humani-
dade est subjeita; mas tamben como um meio de as
curar.
Vendem-se as verdadeiras s na loja cima indi-
cada. ,
Vendem-se 3 relogios de prata e do ouro, 2
correles para os mesjiiosv urna caixa de prata dgfe-
nida trancelins, cordOes, anneles brincos, me-
dalhas urna correte de prata, eolheres de dita pa-
ra soupa urna dita grande para tira/ sopa ; e ou-
tros mais objectos dos mesmos metaes : na rua do
Rangel, n. 11.
Vendem-se 4 mulatinhas muito lindas, de.14
annos :rccolhidas, quecosom chito e eugommam
liso; 2 ptimos meleques; 4 scravas : na rua Di-
reita n. 3.
Vende-se, a'retalho, gaz da fabrica de I'erret
Ceiltil do Rio-de-Janeiro por prego commodo : na
rua Nova, n. 52, de Caumont.
Xo Aterro-da-Boa-Vista, n.78,
vende-se bauszinhos de pao com lindas pinturas o
que servem para guardar roupa de enancas o costu-
ra, do 610 a 2.560 rs.; bonetes de velludo para me-
ninos ; sapa.tos para senhora a 1,000 rs.
Xa rua da Cadeia-velha, n.
O, loja de J. O. Jlster,
vende-se vinho do Porto, de diversas qualidades :
dilode Carcavellos; dito do Tenerife; dito de Lis-
boa ;.dito do llhcino; dito degravis; ditoSauter-
ne; ditodo Bordeaux ; dito Chateaux-la-rosa ; dito
S.-Julim ; ditoS.-George ; ago'ardente de Franga
devanas qualidades; cherry-cordia; tnarraschi-
no ; licores linos ; PTIMA CHAMPANA.em garraas
intoiras e meias ditas ; velas de composiSao ; cha
preto e verdode superior qualidade ; "jiresuntos e
salames de llamhurgo; sardinhas em latas e vidros;
: -'7.....v0v, u,i,ua viii lamo Tiuim:
pelils-pois, em latas; mostarda ingleza e france-
sa ; vidros com frutas em calda de assucar o espi-
Remedio prodigioso para os
embriagados.
Este remedio lorna-se mu apreciavel por ser sua
com posado mu simples, o nao arruinar a sado do
individuo, fazondo-o aborrecer para sempre a be-
llida. Nende-se narua daCloria, n.87.
_ Vende-se cal virgem em barris llegados pr-
ximamente de Lisboa.por prego mais barato do que
em oulra qualquer parto : na rua da Moda, arma-
zem (l. 17. '
Vendem-se caixa de cha hysson, de 13 libras,
emi porgOes, ou a retalho : na rua da Alfandega-
Velha, n. 36, era casa de Matheus Austin & C.
Belmiras.
Vendem-se superiores cortos da fazenda nova
denominada belmira para vestidos de senhora
pelo barato prego de 4,500 e 5,000 rs. o corte Esta'
lazenda he nova e de muilo sublimes gestos, sen-
do asuas cores mui apreciaveis por seren cor de
lirio, rosa operla. A elles, antes que se acabcni
Na rua do Collegio, loja n.l.
MEZ MARIANO A-1,000 RS.
Vende-se na livraria Ja praga da Independencia
ns, 6 e 8 o Novo Mez Mariano, accrescentado com
i-ausperonue do Santissimo Rozario.
__ ,---------- .,.,. ,i uveo vi,, Ldiuo uo aaaucdi v espi-
\! J a.SOil de ordelaranja; CHIIRUTOS .DE HA-
> ANA E DA BAHA ; e oulros muitos objectos : ludo
recentemente chegndo.
Vende-se farinha de mandioca muito boa ,
por prego commodo : no Forle-do-Mattos, prensa de
Joaquim Jos Ferreira : bem como 6 saccas de gom-
ina o 3 barris do azeite de carrapato.
Vende-se um molequedeSa 9annos, crioulo,
sem defeito por mdico prego : na rua Velha, so-
brado n. 18.
- Vende-se a casa terrea n. 37 ha poucos annos
ediflicada na rua da Poeira antigamonte denomi-
nada ru do Sebo no bairroda Boa-Visla com 2
portas e urna janella do frente em chitos proprios,
com duas salas, cinco quartos cozinha fra,quar-
to para pretos quintal murado o cacimba inde-
pendente;,equo presentemente pelos alugueis te-
ron. diminuindo, rende 14,000 rs. mensaes : na rua
do Rozano da Boa-Vista n. 11, esquina da rua do
Tumbia.
Vende-se urna escrava moga, sem defeilos
nem vicios e quo lio quitandoira: na rua da Praia,
n. 25, primeiro andar.
Vende-so urna escrava crioula de 24 annos
pouco mais ou menos sem vicios, e que sabeco-
zinhar engomniar liso c lavar do sabitoe varrella:
na rua do Rangel n. 75.
Vendem-se 4 pretas com algumas habilidades;
um pardo do48 annos, proprio para pagem ; um
dito de 11 a 12 annos; um preto de 30 annos, -pro-
prio para qualquer servigo : no pateo da S.-Cruz
n. 14, se dir quem vende.
Vende-se urna casa lerrea, sita na rua larga do
Rozario, emcliios proprios, com cozinha fra, quin-
tal cacimba e commodos : no Alorro-da-Boa-Vis-
tim o marroquim para senhora : bem como um
completo sortimento de calgado de todas ds nuali
dades que sorSo vendido o mv.s uta >r> powivel
sopoiuuioo soSa^d jorf
opnj : sapspiinb sb sapoi op sepuazar op oiua
-pjos oi|dmoa mn'sapuazaj ssjsep iuoib a or,p7
-oj o -es ose op oftajd ojojeq o|d 'sajo'ijadsson
-und ep e sojnosa sbu sojoo op 'soffJpBj ,. "
bia Buin iuoi anb bUivi ijuipjouuxa J
-od 'sojisao(u-sop8|ninu! soptsu soaou so as-m Ji
-liOA ejiUBduioo 19 uiUMassoiMeiumo op Bfo| bm
'SOJiisuoai si)i)t?a>i}j
--Vemdo-se urna casa terrea na rua Velha 11 ios-
a tratar no Aterro-da-Boa-Vista n. 12. S alguem
houver que so julgue com direito a oppr-se a ven
da, annuncio.
Vendem-se-duas molecotas crioulss, de 12 n
nos pouco mais ou menos : na rua da Cadeia-Vellm"
n. 33 ; se dir quem vende. '
Pechinchas para a festa.
Vendem-se bonetes para ir ao banho a 360 rs
nao pode haver mais barato : no Aterro-da-Boa-v'
ta loja n. 78. ,s"
Sao de patente, c smente se
vendem no A terro-da Bia-
Vieta, loji 11. 78,
excellentes bonetes do verdadeiro marroquim nr
toe cor de ganga, de modelo muilo ongracadn
obra franceza cujo gosto pode ser bem avallado '
vendo-searazenda, e sito tilo docentes quo podem
serem usados j.or qualquer persotiagem1; ditos ,
merm do cores bordados, o de excellentes gustos
- Vendo-sc urna ca$a terrea nova, na rua da Flo-
rentina livro o desembaragada : lambem se vende,
urna ualanca grande e urna porcto do uesos : l<
rua do Collegio, armazem n. 19. '
Vendem-se vinlios verdaderos, de
diversas qualidades, muito fuperiores, e
bem conhecidos } tambem ago'ardente
cognac e cerveja em barricas e engarra-
fada sendo propria para armazem c
para gasto particular da festa : n-i rua do
Frapicbe, u. 4o.
Vende-se um lindo molequede 18 annos de
bonita igtira : na rua das Flores, 11. 17.
Vende-se um molequede 18 a 20 annos de
bonita figura', sem vicios nem achaques, promio
para todo o servigo : naTua do Codorniz, n. 10
*- Vndem-so bichas de Hamburgo, muito boas
tambem sealugam, por mais commodo proco do
que em outra qualquer parlo e v3o-e tfpplicar pa-
ra mais commodidade dos freguezes. Sangra-se ti-
ram-se denles, botam-se ventosas a toda hora Cde-
guem freguezes a pechincha anles que se acabe a
febre. No Becco-Largo loja debarbeiro, de Jo3o
Antonio do Arantes &C.
Vondc-se una preta de meia idade de nacflo
que he quitandeire : na rua do Rozario da Boa-Vis-
ta, n. 2.
- Vende-se uro cavallo rugo, bom andador, de
bonita figura bastante manleudoo sem achaques-
na rua do S.-Gongalo, sobrado n. 29.
Vende-se um bote em bom estado, que bota
4 remos : na rua Direita, n. 69,
-- Vende-se um silio com afvores de fructo, a
beiradono Capilianbe, situado no corredor de
S.-Joilo na matriz da Varzea por mdico preco :
na rua Velha, n. 18. ; Y
~- Vende-se urna porgHo de arroz branco ; dito
vermelho; dito com casca; feijSo mulatinho, tanto a
relalho como por alacado, por prego murto com-
modo : ludo novo : na rua da I'raia, 11. 39
PALMA DE CARNALA.
\ende-seomolho de palha de carnauba, a 560
rs.: na rua da Cruz, n. 64.
da"cu?dn"S6e4Uma """^ de carregar P'f"8 : na rua
. --Ve",,r'"-se duas casas terreas, urna no bairro
da Boa-Vista e a oulra na Capunga sendo esta .
la, 11. 21.
a rua do Crcs|M), loja n. ll,
de Jos Joaquim da feilva
Mava,
ha pouco acabada, perlo do bando o com mn i,e-
queno sitio, por 750,000 rs. : ambas livres e ds-
embaragadas: tambem vendem-se a prazo de 6
mezes pagando os juros de um e meio por cento ,
e dando para loto penliores, quem pretender an-
nuncte.
- Vende-so urna preta moga de bonita figura :
na rua do Queimado esqjjina 00 beceo do Peixe-
Piito, loja 11. 2.
Vendem-se horzeguins do cores e liolins a
2,000 rs. ; sapalos de setim e tapete a 800 rs. : no
Aterro-da-Boa-Vista, n. 84.
Cheguem que estao se acabando
os sapatoes do beaerro para tiomem, a i,asars., e a
vendem-se muito lindos chapeos para meninas
lano de se.la como de palhinha chegados ultima-
niento de Paris ; chapeos de seda para sendora 1
cortes de crambraia de seda.de ricos gostos por
prego muilo commodo; cortes de vostidos de cam-
braia e cassa-chitas de dilerentes qualidades por
pregos baratos; ditos com urna pin(.a de mofo e
sem elle a 2,000 e 2,500 rs. cada corte ; mantas de
soda e Illa para sendora, das mais modernas oue
leemvmdo a esta praga a 5,000 rs. cada urna;
inanias chales do seda de varias qualidades e ba-
ratos; alpaca preta a 800 e 1,600 rs. o covado
panuque linho, a 400 .rs. a vara j casimiras ran-
cezas e elsticas para caigas a 5,000 rs o corte
lusWes; setinse velludos para collete, por prec
muilo em conla ; bem como um sortimento de ou-
iras muitas fazendas, que se vendem pelo barato
Escravos Fgidos.
Potassa,
Vende-se potassa da Hiissia a mais
nova que boje existe no mercado : na
ruadaCadeia-Velbu, armazem de Bal-
ter e Oliveira.
-- ^a loja ;do Arantes na pracj da
Independencia, ns. i3e i5, se receb'eram
i-^oru, pelo Armoriqtte, sapatos de his-
tao de duas solas o de salo alto, muito proprios
para caigas sem eMroprs ; sapalOe de dito e de be-
.zerro, muilo bem feilos ; borzeguius de cores, ,
Ipaiasunliora; ditos prelo j sapatos do lustro, m.<1jkuk.: na txp. d a. g. us. *abia.ici;.
DAO -se 50,000 RS. DE CRATIFICACAO"
a quem levar a rua dos Latoeiros, n. 66 um molc-
quoquefugio no dia 26 de abril, de nome Malheus,
e quo tambem responde por Monteiro, Je 14 a 15
annos, de nagilo Aiigola.fulo; lem oielha furada; he
jstrador e empalhador. Tambem se proceder com
lodo o rigor das leis contra quem o liver aceitado ,
para so liaverem i /rs. diarios. A pessoa que o levar
a casa cima recibir a dila graticagiio.
r- Fugio, no dia 15 do correlo ,\o engenho Mal-
tas a escrava Vernica de 30 unios, coi una bo-
lida em um odo ; lem un si^nul em una pa ; to de
cor parda, com cabellos pelos e mullo almelados :
lovou vestido do algodlo trangado o mais roupa :
quom a pegar leve ao dito engenho, quo sera ca-
lificado.
Fugio, no dia 28 do correnle, o prelo Rufino
de nag.lo Congo, de 40 anuos pouco mais ou menos,
de estatura alia, corpo.medio, cor fula, olhos gran-
des,, nariz o bocea regulures, barbado; tein urna
perna camba.la u un drago desde o cotovello at
a nillo quasi branco. Ryga-se as autoridades po-
liciaes e capitaes de campo, que o apprehendaifi o
lovem-no a rua da Senzalla-Velha n. 98, que serio
gratificados.
Fugio, no dja 26 do corrente, a escrava Thero-
za crioula de boa eslatuia, sceo du corpo, olhos
randes e vivos beigos grossos denles alvos a
bous, de 24 a 26 annos pouco iniis ou monos. Quem
a pegar, ou souber a casa onde ella est acoilada
baja de participar a rua da Auroia n. 12,quesera
generosamente gratificado.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EOYD3PNWT_P7NR48 INGEST_TIME 2013-04-26T22:54:31Z PACKAGE AA00011611_08578
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES