Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08575


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1847.


Sexta-fera
O DIARIO puliliei-se todo oj dim que n3o
orem de uardi i o preco 4J00fr rs.poi quartel, pi" adiantaiios. 0 an-
nuucins doi afili1''mtrs j!i> injerido i rasode
SO rJ. par liha, IO rs. em lypo djfferente, e aj
repetirlos* pela molido. Os que n.'o forem asjig-
i.nile |iH| diiTerenle, por cada puhlicaco.
PI1ASES DA LA NO AlliZ, UE NOVEMBR.
I.ii.i nova, a 8, nos SJ minutos damanh'a.
Creicenle a ti, s 8 lloras e 5! min. d,i taide.
La cheia a 32, s 1 hoV e \b min. da larde.
Miuuoaiite a 29, s 2 horas e 2 iniu. di Urde.
PARTID* DOS COMIMOS.
(JoinuacParaliil>as segundas escxta fatraa
l'io-l'ranJe-dn-Norte quintas fciras ao meio-dia
Cabo, Serioliaem, Kio-Kormoso,Porto-Calvo e
Macei, no I.*, a II c 21 de cada-mrz.
(iara.iliuiu e Bonito, a 8 c 21,
Boa-Vita e Flores, n 13 e 28.
Victoria, s quiulas-felras.
Olinda, todos os das.
PHEAHAR RE HOJE.
Primeira, s 6 .horas* e St minutos da manh'a
Segunda, s 7 horas a
18 minutos da tarde.
DIARIO D
de Novembro.
Anno XXIV. V. **
DAS \ SEMANA.
Sea. S. Cicilia. Aiul. do J. dos orph. e
rio J. ik> r da 2 v. e.lo I. M. da 2 v.
Terra. S. Clemente. And. do J. rio ciT.
.i.- I.T.edo I. da pal do 2. dlst. de t.
Ouarla. S. Joao da Cruz. Aud. do.J. do
Cir.da V. v. ido J. de paz lo 2. disl. drt.
UninM, 6, Caiarina. Aud.doJ.de orph.
c do J. municipal d.i I. vara.
Sexta. S. Pedro Alexandrino, And do ido
civ. da I .v.e do I. de paz do I. dist de t.
Sahlndo. S MargaridadeSabola Aud. do J
ilo civ. da 1. v. e ilo J de pizdo I dist lie t.
Uominco. I." do Avent, i. Gregorio.
CAMDIOSNODIA J& DE NOVEMBRO.
Sohre Londres. 28 d por l rs. a Cn O 90 da.
Pars 330 rs por (rauco.
List i\. 105 a I K, de premio.
Desc. de Ultras de boas lirnw i 1 a I|4 V -
&S^-One.fl.pMliol.i.... *#* MPM
Moedasdeli.OOvelb. IG>I00 a I6JU0O
de OflOi nov HijMO.l.a
, deij06..... M00
r-rafa-P-iaces.......... #
u Pesos coluniiiares... li*0 a
Ditos mexicanos.... iflUO h
Miuda............. '*9!0a
|i;|IO
9J20O
ifsno
U980
IJ860
1/930
* >iiuaa............. *------ *
Ateta da comp. do llcberibc de 50*000 rs.ao par.
PARTE OFFICIAL
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 2 DO COMIENTE.
Ollicio Ao inspector da Ihesouraria da fazenda,
rccoitiincndandp a abertura do assentamcnlo de
piara docorncla Simplicio Gomes Pcroira, cngajndo
para o 1. batallifo da guarda nacional do munici-
pio do Brcjo.Participou-so ao respectivo com-
niandanlc superior interino.
Dito Ao inspector da Ihesouraria das rendas
provinciaes ordenando faca entregar a Joaquim
Claudio Monteiro a quantia do rs. 3:000,000 para a
continuativo das obras do Ihentro publico de que
lie administrador; cdcclarando-lhe que o referido
Joaquim Claudio devo do prestar contas dos dinhei-
ios que ha recebido.--Cominunicou-se ao precitado
administrador.
Dito A' cmara municipal do Rio-Formoso, ac-
rusando rcmessa do copia de urna rcpreseutaQo do
juiz de paz do respectivo 1." districto; determi-
nando que convoque immediatamente o repre-
sentante, c admitta-o a ratificar o juramento, ca-
so se elle pche cninprclicndido em o numero das
autoridades referidas no ollicio quo a presidencia
da provincia expedir da mencionada cmara em
6 do selembro ultimo; e exigiudo mfarmaQu'o a-
cercadomaisquc.su conten na predila inlbruia-
tjo.Itecommcndou-so ao presidente da cmara do
lto-Formcso llzesso convocar a niesma cmara pa-
ra llieser presente esto ollicio, e romelteu-60 copia
delle ao juiz do paz supramencionado.
Dito Ao commaudaule geral do corpo do poli-
ca, scientificaudO'O de haver concedido a Marceli-
no Jos deMoraes a deuissflo -que pedir do posto
de terceiro-commandanto do urna das cumpanhias
do referido corpo.N'omcou-se para esto posto a
Antonio Jos Pestaa, cljzcram-sc as cominunica-
cesdo eslylo.
Portara Demillndo a Joflo Pojicarpo dos San-
tos Campos do lugar de amanuense da secretaria da
prcsidcncia.--Nomeou-sc para esto lugar a Marcoli-
no Jos do Moracs ; e particpou-se ao inspector da
Ihesouraria das rondas provinciaes c ao nOmeado
Dita Declarando sem elTeito a portara qu.i nian-
dava expedir ttulo de major com mandan te does-
quadrflode i-avallaria da guarda" nacional do San-
Caelanoo Altiuho a Antonio Teixeira de Carvalho
Vrgcns, por nao ter elle solicitado a patente dentro
do prazo legal.Communicou-se ao coinmandante
superior interino da guarda nacional do Bonito.
INTERiO-;.
SAN-PAULO
lllm. e Exm. ir.Accuso recebido o aviso da se-
cretaria do estado dos negocios do imperio com da-
la de 8 do correte, pelo qual me ordena o gover-
no de S. M o Imperador, que i ti formo sem demora
por quoin foi dada a aulorisaglo a que so refero a
l'olha O Goremista, para declarar, a 28 de selembro
ultimo, que o governo aceita a candidatura do pre-
sidente da provincia para senador pela mesma pro-
vincia, assim como que no teni Inton^So de pro-
pr a S. M. I. a demissito do dito presidente : ao que
tciiho a honra do responder, para que seja presente
a S. M. o Imperador.
Quando se pretende abusar do nomo do governo
para fins particulares, e inriiiento quando se aprc-
senta o governo obrando em antagonismo com a
COQ&UluiQfio, com o son proprio pensamento, pro-
clamado peante a nafSo no programma aprosen-
tadoao parlamento, nSo cumpriria oseu dever, se-
ria indigno do lugar queoecupa, o delegado do
governo que deixasso prevalecer a intriga da im-
postura sem dar-I he un solemne desmentido.
foi por isso que, lendo-se procurado persuadir
por todos os modos quo o governo imperial lio lia
- i aaq
FOLH
O DUQUE DL OUISE. (*)
pob rficDcnco ^olie'.
1'MMEIItA PAUTE.
IV.
Na vasta sala de marmore de uns ricos pacos, si-
tuados na ladeira do monte Avenlino, achavam-se
reunidos tima mcia du/ia de lidalgos a roda de una
mesa, cni (]iie liaviain dados e ca tas. S um delles
esta,va de pe ; trotix<,Wi sora duvida importante noti-
cia, porque o jugo eslava suspenso, e lodos os ollios
filos uclle. Ecouio-quem enliava discurso cmoado,
asiim dizia com ar mysterioso:
Sim, nieus senhores, o duque aceilou, e breve
deixamos Roma por aples.
Bom! exclamou un dos jogadores com vio-
lencia quas grosseira, liom !..... lentos anida das
suasloucuras.
__gnu tens, Tilly ? disse o que Irouxera a noti-
cia ; desagrada-le a empieza t.
{.*) Vide diario u. 2C6'.
designado certos e determinados candidatos para o
lugar de senador, a cuja eleicflo ia procedor-se, e
para confirma-lo se assegurava que fra dada a
minha demissflo, sendo substituido por um dos pre-
tendidos candidatos do governo, entend que, por
honra do mesmo governo, a quom lealmonte sir-
vo, devia fazer declarar pela folha ofilcial quo o go-
verno imperial nflo intervinha, nem directa nem
indirectamente, na nleic-no de senador por esta pro-
vincia, e por isso accilava a minha candidatura co-
mo de qualquer outro llrasileiro que por sou mri-
to possa ser votado pelos cleitores paulistas. Que
nio haviaintoiiQioalguma no ministerio depropr
a 8. M. I. a minha demssso, a qual nao havia pedi-
do nem prctendia pedir.
Os fundamentos que demais Uve para mandar fa-
zer esta declaradlo, que nada lem que nao soja
constitucional, V. Exc. os nflo ignora, o convenien-
temente os extforei, se frtr preciso.
I'crmitta-m'e, porm, V. Exc. que chame a sua I-
luslrada considora^lo sobre o alcance do semolhan-
to intriga, a influencia que poda ter sobre as elei-
r0es, limitando a esphera de candidatura e forcan-
doacoroaa exercor a sua acco sobre urna vol-
til o que em balde so chamara livre.
Se provas fossem precisas, podaram ellas ser for-
necdas ; e quaifdo nflo as houvesse, bastara notar-
se que,, antes de ter chegado ollicialmente o aviso
de 8 do correte, sendo publicado no Jornal do Com-
mercio.da 9, o vapor sabido nes'se dia para Sanios
trouxe muilos exemplares do referido Jornal, que
aqui foram espalhados, fazondo-se conimciitarios
que podossem dar vcrosimilhanta a intriga, que a
declarado do Governisla procurou deslruir.
Accresco a ludo isto o modo inslito com que" no
dia 16 do correnle, depoisdas 5 lloras da tarde, me
cliegou as niflos o aviso de 8 do referido niez, *en-
do-mo.mandado entregar pelo brigadeiro Baphaol
Tobas do Aguiar, que para isto mandn ir sua
casa o porteiro da secretaria do goveruo como
consta da declaratilo junta.
AsconsideracAcs 1" "scem do scmelbanlo pas-
sonflopodem escapar a V. Exc, que seguramente
nflo poda consentir quo fosse convertido em mes-
quinbo negocio do inleresse particular o quo s pa-
reco exigido por interesse da causa publica.
lieos guarde a V. Exc. Palacio do governo de San-
Paulo 18 do outubro do 1847.lllm. o Exm. Sr.
Manoel Al ves liranco, ministro e secretario do esta-
do dos negoeios do imperio.Vanoel da Fonscca
Lima' Silva.
Copia.Certifico que, eslando em minha casa,
boje pelas cinco horas da larde cliegou Domingos
Machado, de mandado do lllm. Si. brigadeiro Ita-
phael Tobas de Aguiar, que me mandava pedir que
eu ebegasse asna casa, que me quera fallar : in-
mediatamente fui ; respondeu-me quo me linha
mainlado chamar para cu entregar um aviso do Exm.
ministro e secretario de ostado dos negocios do im-
perio, que linha viudo da corle, para elle entregar
de mflo propra, e como nflo poda fa/.er, me pedia
para cu entrega-lo ao Exm. Sr presidente da pro-
vincia, Manoel da Fonscca Lima e Silva, o que in-
mediatamente liz de mflo propra ; o abrindo o mes-
mu Elm. Sr. o leu, e me ordenou que eu lesse o que
continha o mencionado aviso, o lendo-o lido, do-
claro que o aviso he do Exm. Sr. ministro o secre-
tario de estado dos negocios do imperio, datado do
8 do outubro, no qual ordena ao Exm. Sr. presi-
dente desla provincia quo informo sobro duas dc-
claratoes que sahiiam na folba Covernita, na qual
afllrma que o governo imperial aceita a candidatura
do Exm. Sr. presidente para senador por esta pro-
vincia, assim como quo nflo tein inteneflo dopro-
pr a S. M. o Imperador a demissflo do mesmo Exm:
Sr. presidonte tiesta provincia. I? por me ser orde-
nado pel mesmo Exm. Sr., passo o presente por
ni mi feilo e assignado.
San-Paulo, 16 de outubro de I8t7.Bernardo Jut-
tini da Siloa, portoiro da secretaria do governo.
{bratil.)
{Jornal do Commtrcio.)
IIIASinDEPoBAiBOCO.
Falleccuo Exm. Sr. Barflo de llaniarac, ministro
aposentado do supremo tribunal de juslicjt.
Magistrado esclarecido o ncorruptivel, como o
conli'ssam todos aquellos quo teom conhecimenlo da
maneira por que desomponhou elle o cargo de pre-
sidente da reJac.!To desta provincia, que por muitos
anuos oceupra ; cidadflo que amava deveras ao
seu paiz; um dos nossos mais ricos propietarios ;
- hoinem nimiamente caridoso, e quo, durante a
sua vida, por mais de urna vez estondeu DlflO pro-
lectora a viuva desvalida, ao orphflo desampara-
do, o ao pal de familia, que, assaltado pela mise-
ria, Ihe communicou suas criticas circutnstancias ;
o Exm. Sr. llardo de llamar.ica era um desses l'er-
nainbucanos que jamis deveram morrer, se assim
o permitlissem as lea da nalureza ; so a nossa esta-
da ueste mundo nflo fosse verdadeira perigrinaQo ;
os
nflo houvesse, alflm, urna eteroidade onde
justos vflo recebor o premio dos seos actos.
Os restos moraos do S. Exc. achani-se deposita-
dos na igiej matriz da Boa-Vista, onde se llio farfio
ainanhja os ltimos ollicios religiosos.
.A Ierra lito seja leve !......
l ....
Correspondencias.
Sim, desagrada-me, Censante, porque he una
asneira, responden este em tom arrebatado, porque
nflo he una mbito legitima que a isso o iuduz,
mas o dosejo de otTerecor urna cora mulhcr que
ama, a essa.....
Cblton! disse Censante, especio do diplmala
ambulante, que se inculcava lioinoin recatado.
Ora esta 1...... dissu Telly. Sabes bespanhol,
Censante?.....
lio o mou oflicio.
Leste um lvro do um tal Miguel Cervantes i1....
Cujo hroe hedom Ouiehole'
Pois bem! o louco do lvro nao o be mais do
que o louco que all esla naquella sala, roplicou Tel-
ly, apuntando urna porta vizinha. Esabes quo papel
mo reserva elle nessa hufToucria ?
Manda-te como correio a Paris levar cartas ao
scnlior cardeal Mazarin, a madama do Chevreuse,
sua lia, ao cavalleiro de Guiso, seu irmflo, o for-
mosa donzella del'ons.
'Com. licenta acudi outro fidalgo do aressn-
tenefbsos, ho essa urna iiissfloein que ha menos ris-
cos a correr e mais grabas a ganliar, do que na em-
preza quo vamos tentar. O menos quo Mazarin podo
fazer lio dar um regiment a quom Ihe levar a noti-
cia de que Mr. deCuise oblevo emlini o brrelo de
cardeal para o scuhor d'Aix, irmflo do nosso grande
ministro. Quanto a duqueza de Chevreuse, dizem
que so lem tornado tflo avarenla, qiienenhum pr-
senle le fara, afora o da sua pessoa, e comquaulo te-
lilla envelhecido un pouco depois dos seus amores
com Chalis, nflo lie fortuna a desdenhar ; pega-te,
puiein, com o cavalleiro do Uuiso..... 0 dmuado hu
Sis. RedactoresProsentando-mo aos eleilores,
como candidado a representacSo nacional, expuz
meus ponsamontOl; e como vejo ser este uso geral-
mento admiltido na Inglaterra e em outros paites
Civilsados, devo declarar que me dirig a todos os
cleitores, quo coinpOein os diversos partidos polti-
cos da provincia. Dirijo-me ao partido praieiro,
porque o supponho arrastrado para um progresso
generoso, e composto dos amigos da illUBlrscfio scl-
eutlica e das irles, e da digidade nacional : diri-
tome ao partido saquarema, porque tambem o jul-
go composlo de diversas pessons illuslradas o brio-
sas, c que s dosejam se distinguir e fazer todo o
bem possivel ao nosso paiz tflo virgen! em stins ri-
quezas desprezadas : dirijo-nie aopdrlido demcra-
ta, porque cslot corlo quo nflo exigua de mim
precipitar o magestoso carro lo progresso do espi-
rito humano. E por sem duvida convem lelleclir-se
ueste pensaucnlo: continuemos he i palavra do lio-
mem que possuc c goza ; examinemos he 0grito do
espoliado, e que sofl're. Um circulo eslreilo de iu-
leressos privados limita a primeira palavra; o uni-
verso lio apenas assaz extenso para a segunda. Con-
vem, porta lito, nflo offender as leis humanas, esses
raios reexos da justicia eterna e mmudavel ; con-
vem mais que ludo proteger a humanidade desvali-
da, e mesmo derramar lagrimas sobro seu tmulo
rido o devastado .' O dcpulado para fa/.er o bem
possivel ileve ser patriota e prudente ; ter nina lin-
goagem creador, e enlflo esta voz inspirada pela
grata o pela rasilo lorna-se, deliaixo mesmo das
sellas dos ininigos do bem publico, o bramido do
lefio perseguido pelo ferrflo do um insecto.
A'vista do exposlo, qual ser o cleitor pernam-
burano, que nflo me data seu voto i'
Espero, Sis. Redactores, uicrecei-llies o obsequio
de publicaron) na sua estima rol folha esta corres-
pondencia, por mim ussignada.
Jviio de llanos l'alco de .lbuquerque Maraado.
Descarreoam koj$, 2l de novembro.
Escuna foto bacalho.
Barca Non-al dem.
Barca Serafina idem.
Barca Bolilla inercadors.
Brigue Paraso idem.
Patacho Frecdon canos de Ierro c carvflo.
Consulado.
KBNDIMENTO 00.DIA 23.
i'.era I......
Diversas pro\
607,813
71,812
679,625
"'^To
vimento do Porlo.
Kavios entrados no dia 23.
: II das, patacho ingle/ Conquest, do l*t to-
neladas, capitflo John f. Wilaon, equipum .
carga 1726 barricas de bacalho; a Le Bretn
Scharamm. do 28, l0.
I.v
lastro :
snova: 41 dias, brigue sardo Argentino, do .
nela.las, capilflo Luis Camage, equipagem 1, em
a N. O. Bieber.
rt'ain'os taliidos no mesmo da.
Itio-ilo-Janeiro; patacho inglez Coaquett, capilflo
John I'. Wllson,carga a mesma que 1UM-
Macelo ; barca ingle/a llongkong, capito Thomas
lioyd, em lastro.
Idem; brigue-escuna de guerra Leopoldina, com-
niandanle o primeiro tcncnio Candido Jos MT-
rcira. l-assageiros, o ongonliciro Pedro Joso
Schramback, suasenliora, urna filha e duas os-
era vas.
Declara^ocs.

i
AI randera.
RENDIMENTODO OA 25.............11:349,491

capaz de lomar de flssallo o castello da senhora sua
mfli, |iara Ihe vender os movis e quadros. Forcar,
em caso do neceasidade, aburra do bonacheirffo do
Chevreuse, quebr.ir-llie-ha a (echadura, plhar es-
tofos e diamantes para com isso l'a/er ilinheiro, u mi
assim auxiliar o irmflo na conquista do um reino.
Nflo fallar ah com quo reparar as las pedas no
jogo, Tilly, e depois do tantas contingencias l'avora-
veis, tens anda a deber o primeira que boijes as lin-
das inflos da bella Auna de Pons) para as quaes vas
anniinciar um sceplro, da parte do duque do Guise.
Ali! por Dos, mou Charo Modena, roplicou
Tilly em loimde niao humor, crcio que entro os ol-
(icaesdoSr. duquo ha um que ser-mais entendido
doquoeu no desempeuho desso ulliino oflicio, ose
llenrique do Lorona quer agradar a donzella de Pons
envinndo-lhe inensagero di) seu goslo, nflo lem
mais que dar osse encargo aMalicorne.
A esto noine, pronunciado em alta vo/, os sem-
blantes de lo.lo's i|uo ouviaiu Tilly loiiiarain ares dd
discrelps ; cada qual levou o dedo a Jiocca, e de com-
nium Record lodos em vo/. balM disseram :
Silencio! nflo fallemos nisso.
Olharam os Qdalgos uns para os outros, e nos la-
bios de lodos so doslisou leve sorrso, depois alguus
signis, alguus meneios de cabeca so trocaram em
silencio, oalinal .ousaram lir com mais franqueza.
Mas isso' he com euVilo verdade? pergunlou
Modena.
Ah!... .oh! oh!..... disse Cerisante, sempre
na sua pretendo de diplmala.
Os seuliores sflo eugra^adoo com us suas duvi-
- A adminislratflo geral dos cstabelocimentos do
caridade, manda fa/.er publico,, que no di a 29 do
correte, pelas I horas da larde, na sala das suas
sossfles, irflo a praca as rendas da casa n. 7 da ra
de Sauta-Tliereza, pelo lempo que decorrordo da
da arrema tata o a 30 de junho de 1830.
Adminislratflo geral dos estahelccimenlos do ca-
ridade, 22 de nbvembro de 1847
U escriplurario,
francisco Antonio Ca -0 arsenal de guerra precita contratar um piolo
que seja bom co/.inheiro, para o quartel dos apren-
di/es menores ; dando-se-lhealinofo, janlar e coia,
0 a sua diaria : n fallar na directora do mesmo ar-
senal, das s lioras da man hila, s 2 da tarde.
Flix Cavalcante de .lbuquerque Mello,
Pedagogo.
Existe na adminislracSo do correio urna caria
segura para o Sr. Francisco Jos da Silva.
COLLECTOIUA l).\ CIDADE DE DUNDA.
Ocolk'ctorda decima urbana c mais imposlosda
cdado de Olinda la/, publico pelo presente a lodos
OS seuscolleclados, quo do primeiro de dozembro
prximo vindouio pnncipiam acorrer
os 30 dias
uteis marcados para a cobram;a da-dcima urbana,
lo (.".semestre do correnle auno lnaucero do 18*7
a 1848, conformo o artigo 21 do rcgulamcnlo n.
152, de 16 de abril do 1842; e que, lindo esle prazo,
pagarflo os quo nflo concorrerem a multa do 3 por
ceulo marcado nos t- do ja Citado artigo; assim,
como faz publico que no mesmo prazo cobrara as
mais mposicOesa seu cargo relativas ao correlo
anno linauceiro o atrasados : sendo tambem ejecu-
tados os omissos.
Cidade de Olinda, 20 de novembro do 1847.
Oescrivflo,
Joto Goncalces Rodrigues Franfa.
_ ,. mi gmrriim
das, roplicou Tilly com mo modo; nflo ha quem
llfldsaiba disto, sean o duque.
Admira que a cegueira seja tflo completa em
um hoinoin que est rnente na promessa de ca-
samento, disse Cerisante com ares de finura.
E para o qual as prouiessas do casamento tecm
tflo pouco valor, disse .Modena em tom do gravdade.
Foi o que, julgo eu, replicn Tilly confidenci-
almente, levou a donzella de Pons a se prover de um,
amante de sobrcsalonte, para o caso era que Mr. de
Guise pelo sou genio voluvel Ihe desse urna rival,
como acontecen a bolla Conzaga, quando elle se ca-
sou com a cundossa de liossut.
A esse proposito, disse Cerisante abaixando a
voz, dizem quo Mr. de Guise cabio n'uma logracflo
ab'oiuiuavel!
Bem sabes que me nflo oceupo do colligir no-
tas acerca dos acoiiloeiinenlos da nossa poca, disse
0 barflo do Modena com ares de capacidade; faze-me,
pois, o favor d:! dizer o que se passou.
Sabes iiiuilo bem, disse Tilly, que Mr. de Guise
eslava tilo unieitieajo pela bolla Anua deGonzaga,
quo llie assiguou una promessa decasamento, quan-
to parti para a I'landi es a reunir-so ao exercito do
raousieur e do duque de Boaulort. A Gonzaga nflo
havia contribuido pouco para o fazer chegar a esse
extremo, visto que lio a mais hbil operara de intri-
gas e maobuatjOes, que eu conheto. Ella viaja os
principes triuuiphanles, o cardeal de Hicholiou en-
ibreado, Mr. do Guiso usurpando a Lorenu, e ella
uiesuia com una cora na cabera, e urna corto aos
pos. Mu confiada na constancia do duquo, a bella
do Manliiu (Ano* do Gouzagti) suppoz prender O
I
m


M
^
f
X
M


r*/**^%. i^r
LRB3EBDBS.
tar w InL o ,m| a.nh'' (l "ebenl'e, te
lisar^nZoC,0ntaS le",l"-''.osSrs- < iisacaodoslfor cento, ltimamente pedidos
do, Tundeado defronte do caes do Collegio : o para
ajustar, entenda-so com Amorim Irmaos, na ra da
Cadea, n. 45.
Lcilao.
Publcacoes Luteranas.
PORTUGAL.
Rccordagflo do auno de 18*2, pelo nrincine I i.
sa n 1Pniai,UCl0'a re."P^9ao lesta obra crio!
not-.vefsTn,nla af,rcc,ac* (l(>s caracteres mais
o n '' 's.sous ntecmentos
eos, monumentos
osso principe pru
-o'rTnr,,; \TvT daCnw' MMndo andar.
tri.iii C ,,0^1,I"IC",:""' o" poafeBo das don-
a rio 2SB5P,,,5lfr. 2 V- PWi ; Manual do
pa. de fam.ha do capullo do navio c do fazendel-
tendo 22*m! eic1mentaf da "omo-patlna oon-
ceno dos 2* principal medicamentos bo-
ma patneos, i v. : vende-so por proco cotnmodo
a ra da Cruz, n. i, segundo andar. cammoao'
inTriLluscu|,'urfco, jornal recrea ct i vo e
ruct.vo, com cxeellciites estampas, at o n 21
ra.,c;r.q,,ea ,"la"i?n-l= vclde-s
ua ua cruz, n. i, segundo andar.
---JoSoKcller&C. Tamo Icililo, por intervengan
riocorretor Ol.vc.ra, do variado sortimento de la-
nudas, proprias da estaco e do mercado : hoie
SirSTcrn hrM em Pnt' Seu armal
Avisos diversos.
__ Permuta-se,ima casa do canipo na cidade de
0 inda, defronte do collegio dos ^orphSos em Sant-
1 horeza, por um sobrado na Doa-Vista ou cm San-
to-Antonio, tambom aluga-se por 3 a 6 annos a ca-
sa tem fi janeas de frente envidradas nwL.
porlao largo para seg e muitos commodos~para
grande ramilla; tem 4 salas, quartos, 1 bom s
tlocom janella no oito, 1 gabinete com porta e ja-
nella cnv.dragadas, 2 dispensas, 1 cm ponto maior
os seus acontecimentos politi-l 7S
i e lugares pr.ncipaes feta por',?,'"ri,'
--K.aue^.iviajouemoL.^^
cozinha, cocheira, estribaria para 3 cavaMoT
veno do peixe com 400 palmos, e passeio pe'
IllS-
por
na
Sthiram
a luz as
Ihps, 2senzallas, I para pretos e outra
im gall.nhe.ro com 70 palmos, e 1 nuarto
para dormida de gallinbas, obra de bom gosto, boa
'i vi-
dos; notando do viveiro tora um sobradinho com
porta e janella que deita para a camba do Pisa e
con. 4 janellas que botam para dentro do mesmo vi-
vero, que serve de recrelo, bom porto de desem-
barqueebom banlio; a.propriedado he toda feria
da de muros A pessoa a quem convier o negocio
procure nos diasuteis na 1'ontc-Velha da Iioa-V^
ta, depos.lo de agoa, a qualquer hora, o nos domin-
gos na roesma propriodade, em Olinda
r..~?ntZr^lcr.}'lar uma *> *' -o Reci-
IIARMONIAS ROMNTICAS
POR
Antonio fangel de Torres Bandeira.
nsV6 cT" "a PraCa d" ,ndcPendencia ,
livraria
fe, cm muito bom lugar, com poneos fundos pro-
cure no pateo do Hospital doParaizo, n 27 X
la se ensinara aonde se devo dirigir. q
Arrenda-se tfm sobrado em Olinda, na ra de
San-liento, n. 58, para se passar a festa, muito fres-
co, com vista para os qualro lados, bastante gran-
de, contendo 2 salas! 6 quartos e fogjo moderno :
os prelendentes dirijam-se ao seu proprietario no
bairro da Roa-Vista, ra da Conceiclo, n. 52, que
acharfo com quem tratar, ou, na mesma Olinda, ao
sobrado do reverendo chantre, no Varadouro.
Aluga-se a cusa terrea n. 3, da ra do Jasmirn,
por detras de San-Gonzalo; na Roa-Vista, a qual
tem quintal e cacimba : a fallar na ra do Apollo,
n. 22, segundo andar.
Alugam-se e vendem-se, tanto a rotalho como
Iaoscentos, muito grandes e boas bichas, chega-
das de llamburpo : tnmbem so vilo applicar para
mais commodidade dos prelendentes: na ra es-
treita do Rozario, loja de barbeiro, n. 19, do fronte
da ra das I a rango i ras.
Precisa-se de uma ama de leite, forra ou cap-
tiva : na ra do Rangel, n. 36, primeiro andar.
Precisa-sede uma mulhor idosa para ama de
casa que soja capaz e que saiba fazer alguma ser-
vico de portas a dentro .sendo prcta ou parda e
mesmo queseja captiva : na ra do Rangel, n. 36 ,
segundo andar.
Offerece-se uma mulhor soltclra para ama de
qualquer casa de familia ou de homem solteiro ,
mesmo cstrangeiro para cozinhar, engommare fa-
zer todo o maisservico, menos o de sahir a-ra :
quem de seu prestimose quizer utilisar dirija-saa
casa do oitio do becco do Calabougq n. 2.
Ka ra Nova loja n. 58, ha quem se encarre-
guede mandar lavare engommar toda e qualquer
qualidadcdo'roupa de homem, sen hora e meninos
de ambos sexos por prego rasoavel.
-Oabaixo assignado, proprietario da casa ter-
rea com sotilo, sita na ra dos Copiares, n. 45, quo
eslava alugada a senhora Anna Joaquina de Albu-
querque vendo que a dita casa eslava fechada des-
le o mez do novembro do anno passado o por esta
forma cahindo em ruina,alm do prejuizode nltotcr
sido pago dos alqgueis de 8 de Janeiro do corren-
te anno, annuncia ao publico e a quem mais con-
vier, que, por autoridade policial, e com lestemu-
Aviss martimos.
A escuna portugeza Andorinha pretende sabir
para Liab. alo 3 do prximo dezomnrn : q"em
m l?('r, nrrtC-garU 'r,,'e P"8n, dirijan
ruada cruz, n.45, a casa do Nascimento .rig
'ZJ0 ar.ma^cni *5, na ra da Praia, se diz
quem precisa de um menino portuguez, ae aalha "base formalidades do estvlo, fez abrir dita casa no
icreescrever para caixeiro. Hue MID" (lia 11 de novembro e fezdcposilar os trastes que
-Quemannunciou a venda de uma casa terrea
sita no bairro do S. -Antonio 'cm ehffna L '
desembarazada dirija-so arua da Cruz ET '
gundo andar. '">
tirar delicadamente o dente o"u raiz, sendo precisn
I.OOOts.; chumbar um dente com metal branco
1 a 2,000 rs., c chumbar com ouro, sendo preciso'
4,000 rs.; apartar perfc.tamento os quatfc-ou sci<
denles incisivos o caninos do quoixo superior, c QOo
rs.; esta operario he muito precisa a qualquer pes
soa, tanto aos infantes como aos adultos, pornu"
previne os denles de safom cariados para o futuro o
aformoza muito a arcada dentaria. Vendem-se tam
bem limas pl-orrias para estas operacoos, a 1,000 rs
cada uma. Vende-se tan.bemmetal branco tanto
cm foll.a, como fusivol, quantidade sufllcicne nan
cad um chumbar seus dentes furados ou cariados
e um instrumento proprio para estas operacOes or
3,000 rs; .e ouro, ou platina, quantidade sudicento
para cada um ch;:.nbar seus dentes furdos ou ca
nados, por 6,000 rs. Esta opcragfio he tambera muito
precisa a qualquer pessoa, porquo previne para o fu
turo as dores de denlos, cscusandQ cada um cha-
mar um dentista para estas operacOes tito simples?
Joao Jos Duare Guimaracs, Bra-
sileiro, retira-se para Portugal.
Vende-so uma prcta que cose pe'rfeitafmen- M.
te, failayarinto, marca, engomma, he per-
feita enzinheira e nio tem vicios; uma mu- S.
latinharecolhida, de 13 anuos, quo cose
tem principios de engommado, o be ptima'
para todo o arranjode uma casa ; duas pre-
tas mogas que cozinham muito bem o dia-
rio de uma casa engoramam liso, lavam de
^ sab.lo e varrella e sabem vender na ra azei-
te de carra pato : _na ra do Vigario, n. 24
g se dir quem vende.
O?0fo0fe0i em en* &^ j^ a>\* ern
-- orferece-se um rapaz de 20 annos para boliei-
ro do qualquer casa ou para todo o servico que for
preciso para o quo dallador a sua conducta: na
ra das Trinchciras, loja n. 3.
ri m.
- Para o Rio-de>Janeiro segu o patacho Uni
quera no mesmo quizer carregar ir do
gen. oo embarcar cscravos dirija-so
Agostmho de Rarros na ra da Cruz ,
n. 6b. '
se-
- Quera annunciou querer vender uma casa lor
rea por 850 000 rs., dirija-se a ra- da Cruz
segundo andar. uz ,8>
--Tendo sido, por varias noites, furtadas as <.,
polas dos lampeos da illumina?i1o' publica do caes'
docollog.o, eattribuindo-seisto a algu,n esner
(alio que se quer aproveirar daquillo que iheV
pertence; o abaixo assignado nede as ne,. i
fes objectos sejan. ofTeVecIdo^ q" o*^ anraXT
dam e entreguen, que serao mpenaaZ '
ii.-. 7 Theo'on, da cmara S.-Tiaqo
- Prec.sa-sedeum amassador para uma nada
na na villa do Rio-Formoso na ra d
passa-
a Gaudino
no Recife,
-- 1 ara Lisboa sabe impreterivelmente, no da s
dedezembro, o br.guc portuguez NoJ.vZedl
recebe carga a frote e passageiros ; trata-se rm^
uffThnKlf0a ComTrC0' 0U KRrtS.!
-Sahe. por estes 4 ou 5 dias, pa
loja n. o.
Atlenco.
Precisa-se de 1:600,000 rs* a
Ja Cadeia,
promio, com segu-
rancaemuma ou duas moradas de casas no bairro
de S.-Antonio, pelo te.npo ano se JSJS^SSr
ara llarantlflo saldr o patacho nacional /).,.
Irmaos por tor a maior parto do wSS^SSk
prorapU ; anda recebe alguma carga Ir o e te n
te.sUmdadFon^" fT**0" : Q*2UEi
iiapi.su da Fonaeca Jnior, na ra do Vinario n
rui^:o:'noFra,,pisodasiiva^^-
^srjz^^g^'^siSisTS
te caixas na ra da Praia, n. 46 .
nZ *i? ,,rl0-,Aleere e Rio-Grande seguir, cm
poucosd.as, ovelciro brigue Argot, oquaTuode^
Sdearc^sraoValamrfP,0rlCr P,? ^ol-os'accora-
niouacoes, c ass.m tambera passageiros : nuera nui.
repode tratar com Amorim Irmaos, ra da Ca7ci,
7 ,\. Zm Sa,'f "nprefrivelmenle, no dia
27 do crreme o patacho nacional Uurentina
ue se acba com a maior parle de sen carrogament
E?Si*r.tt! ? rest *" carea P"geiros" t?a-
deaJlStei! brtue1br|'elroCo/fli,f0> do lote
.e208tonoladas.com lancha c todos os seus ner-
tonces ludo no melhor estado, sendo forado e pre-
cedo de cobre, pro.npto para omprebender oual
Mgem : quemo pretender, pd'e examinaba ?,
pagando-se o premio mensaje Xtw'k
a contento da pessoa que der o dinheiro :s casas
sao terreas o em boas ras \ lambem so d ouro ou
prata : na ra do Agoas-Verdes n 46
-ManoelJose de Carvalho Guimarfloa subdito
portuguez, rel.ra-se para o Rio-Grande-Su
--Na ra do l.ivraracnto, sobrado
noeiro, haver domingo, todo o dia
rogo bom sorvete de diversas frutas
cores c varanda franca para
junio ao la-
al (indar o
cerveja, li-
as senlroras verem o
rogo a sua vontade com tanto que facam gaato
- Aluga-se a casa terrea por detrs da ra da Au-
roia ao pe da casa do Sr. desembargado" I asios
por 10,000 rs. mensaes, cora duas las qualro
quartos dous gabinetes, cozinha fra ?", \,
cacimba : a tratar na ra do Crespo loja n II
- I'rec.sa-se de um rapaz para caixeiro min lo
nha5pr.tic. do miudezas': na ra Sgt gfo
ocieclacl Hecrcio-Juvenil.
dentro se acbaram os quaes estilo obrigados ao
pagamento'dosalugueis vencidos. Quem direito li-
ver aos mesmos apparega na .ua da Sonzalla-No-
va no bairro do Recife, n. 7, venda de Jos Pereira,
para que, pagando os alugueis, os possa receber ,
parque o*abaiXo assignado nao sabe aondo, com
verdado, existe esta senhora.
Joio F.sleves da Silva.
Aluga-se, por prego commodo, at agosto do
anno prximo futuro, uma boa casa terrea com
bons commodos sita na povoagflo do Montciro :
a tratar com Jos Antonio Gorreia Jnior na ra da
Conc.ordia de 1 as 4 horas da tarde.
Tresse, fabricante de orgSos e realejos, tem
para vender 3 orgilos : tamben, concerta os ditos ins-
trumentos pOo marchas novas, e compra realo-
jos j servidos.
--Aluga-se, na ra do Coxo, em Olinda, um
grande sobrado para se passar a festa ou mesmo
animalmente com commodos para familia, cochei-
ra para carro, por mdico prego : a tratar no boti-
quim ao p do theatro.
Quem precisar de um Portuguez para feitor de
engenho, dirija-so a ra da Cruz, no Recife, n. 14.
Gelo.
Vende-sc, de boje em diante gelo, no boliquim
junto ao theatro.'
ciedade.
- Manoel Alvos Crdozo embarca para o Abreu a
sna escrava de nome Joscpha.
uer
ior-
omante, fazendo pnbl.ca a promessa que Ibe ello
w-ia, de raancira que, indo lor cora elle era Brexe-
Jas, anitomou o titulo deduqueza de Guise man
Z'cTn aS8rmaS "" SUa 2 eas'siKu
ird^gbieneaSCarlaS ,'ucescrevia ao 8eiiho?du.
TdS SoTna50 "a f7' CaSamen, "SSa ''u:
annosn^r*''-. dC Gu8V anuos tora prvido no arcebispudo de Reiins. o nue
depoi,bardara deseos dous ios uma me.-du/iaMo
hl rd',!nrqr P'"oduzcin P?' ":t!,">s quinhentas rail
iioraa por anno, nao quena por modo algum vCr-sc
esutu.do de todas essas vantagens por un
rano precipitado : assin. foram indo as cou
pessoa que encontrar dito cavallo, de o leva'r refe-
nda estribara, que ser recompensada. VararC,e
por
7Jl i',ossoanir1mar. respondeu Tilly, que fosso
r causa de sua pobreza que o duque do Guise vol
too os oll.os pa a condessaide Rossut, quo sem
la ramilla de Rergl.es. ve.,. ,, .,,"' TLSS!0
ra de toda a alandros
AVISO GERAL.
O dentista e sangrador Jos Anccleto,
muito conhecido, e morador na ra estreita do Ro-
zario, junto igreja, casa terrea n. 7, na freguezia
de Santo-Antonio desta cidade do Recife, faz seicn-
te a todos os habitantes, o com especialidade aos'
moradpres das comarcas, villas c povoacfles e
igualmente a todos os propietarios de engenhos,
agricultores, senhores de fabricas c a todos os mais
dieres de familia o de casas de edncagSo, que elle
recebeu ile franga, ha pouco, uma grande porg3o de
.laraguaroux, calmante odontalgico, composto por
M. Roux&C., ph8rmaccuticos, como um dos reme-
dios mais elcazcs, que nos conhecemos para a-
placar ou destruir as mais violentas dores de denles,
produznlas por carie ou por qualquer outra affecg3o
ua bocea, o qual eu cnsino por um impresso um no-
vo mell.odo de se applicar por qualro ou seis ma-
neiras, ejn qualquer uma das odontalgias ou
mal dos denles. Este remedio goza do gran-
de crdito em Paris, o he- o melhor especilico
que ha nesta provincia para aplacar, ou destruir as
mais violentas dores do denles, principalmente pelo
novo mclbodo rio sua applicagao, Vende-se cada
Irasco por 10,000 rs.,por nao haverem por ora outros
mais pequeos ; emlim, para este remedio chegar
para torios, vende-so lambem quantidade suflici-
enle por 2,000 rs., trazendo caria um seu vidri-
nho com rol ha ; c applica tambera radicalmen-
te este remedio todas as pessoas que forera a sua
casa com dores de dentes; por cada applicagflo, ou
. ATTFNgAO'!
O Icvanah cuto da bandeira
de N. S. da ConeeicSo da
ponte do Recife,
ter lugar na madrugada de sabbado para o domin-
go, 28 do corrente. Os festeiros esperam quo os mo-
radores das ras Conceigffo o Cadeia illuminem
suas casas, afim de tornarem mais brilhante um acto
de tanta venerago.
Precisa-se alugar uma escrava para o servigo
diario de uma casa e quo cnlen la de cozinha : na
na do Vigario, n. 22.
Odoutor Alexandrodo Souza Pereira do
Carmo, medico muriou sua residencia
para a ra larga do Rozario n. 12, segun-
do c lerceiro andares do sobrado onde tem
botica o Sr. Jos Mara Gongalves Ramos.
t.
5WI
Dentista.
iuc quizerem; replicou
ra casa-
sas at
caurnri df-:,,cloria e. "m"em be como, Mr. de
nomo J"J"toacontecimenlo del.andou completa-
.olPreXrrC"0dOSpr",c,l,es' "ocardcal de Ri-
' I e oz lavrar contra elles urna dcclaracffo coin
'^morlc- NHoseiVcontmuou TilijV, se Ri-
rebeldcs PctmVaqU.CS? ,hel"lreM cbega dos
Ja nlT" SC",nha wm asdeWaril-
,,1! vanlageni que procurava, isto he a de
der d.spr dos beneficios de Mr. de Gu se le sor
Jiiiuo or.1. aS ,"S creaturas docardeal, eo
sicUo do dumfo1^ d'SS.e Ccilsanle 1e cssa nova po-
yosmoriT0 CVU a'8Uma "",uc"cia osseus '">-
, mas o que posso certificar
p:t=!^^;SJ^'a'<"-torno^
- viajar
bellT, ., ?r',0!S?u Pbieza quem torno., a
de CU se N of', "n "1,d"Tcrenl ao "'ndorto de Mr.
forana? "amias jsik?i^&'?
gostava de
boraj e como nlo 6
sosmlia d.zcrr. que adraittio na carroagom u
teMeitornicli, Capilo austraco, entilo ao.
ut, i), joao, que commandava liruxellas
.i~ 7lle.mos' Porcjuem s, disseModena, ao nego-
naladaraba dos amores da bella de Mantua
que contar ale pela mandila.
m cer-
servgo
continuarnios
temos
Pensem os senhores o q
THIyeoni indifferenga, mas aqu est oqepresen-
ciei. Lma no.te achava-mecu n'uma partida de mas-
caras que nos .lava I). Joio d'Auslria no castello de
i-aeken, acompaubei abi a condessa de Rossut com
ou tras senboras d sua comitiva. O restira eslava
m iiiiant.ssimo, c madama do Rossut acabava do dan-
sar con. s Alteza, quamlo de repente poz'a mflo no
pino, mudou de cor, e poz-se a iromer dizendo :
,lo\'n7Jf bemf,orU de I" Mr. de Guiso acaba
de entrar no castello.
Quando ella dizia estas palavras, soava meia-
noile, e annunciou-se a ceia. Devo dizer quo Mr. de
tuilln ii-i,.ti I.. >: .._____
M. S. Mawson, dentista bem conhecido nesta pro-
vincia, tendo agora chegado da Europa, e tendo vi-
sitado as capitaes de Londres e Paris, donde Irouxo
os melbores objectos da sua profissio que ule hoje
se conhecem, como novos instrumentos, dentes e
mais necssarios para qualquer operagito da sua ar-
te ofTerece seus servigos aos Ilustres habitantes
desta cidade, conforme a sua tabella ('.xa, c promet-
te fazer bulos osesforgos para agradar s senboras,
on senhores, que o quizerem procurar, das 9 horas
da manha al 3 da tardo na ra do Trapiche-No-
vo do Recife, n. 8, segundo andar.
--0 abaixo assignado, encarregado do
deposito o rap Princeza-de-Lisba,-
faz sciente ao respeitavel publico, que-
tendo vindo ordens' positivas do contrato
para nao se vender o rap fiado, por isso
de hoje em diante e sem excepcao de
pessoa, s vender o dito rap a quem
lite pagar visti ; o que faz publico para
conhecinicnlo de lodos. Pernambuco, i.
de novembro de 1847.
Antonio Francisco de Moretes.
Precisa-so de dous serradores: na praga da
Boa-Vista, 11. 7.
Guise havia partido lia vespera para Sedan, onde ti-
nha de tratar com Mr. de Rouillon de negocios que
ardil, olhes fez affectuoso acolhimento. Mas jul-
guem os senhores como (cariamos nos quando ao
desmascarar-se o ultimo desses inliusos,_reconhc-
cmosnelle o duque de Guise era pessoa : o meu
prin.eiro iicnsamcnlo foi perguntr- Ihe a que horas
precisas chegre elle. Ao que me respondeu, qao
dava mcia-noito no momento omquo cllepunha .0
pe no lindar do castello.
Isso me non admira, disse Censante ; lenho
visto sympnihias muito mais maravilljosas do que
essa, e de tal mulhersci quo taria cousa muito me-
lhor do queadivinhar, como a condessa de Rossut,
a presenga do duque em um baile. Conhcgo-as quo
teriara previsto a larolicidadc do duque, c que nrto
cahirium era se Ihe entres
Oh! ei-ahi uma das cousas de quo oduuuese
recegn,|ic;,lSSeM.0,J,,tt' <"J obreraodo^epa!
.aSoitod,,i,mdrUopm lSo^a""<-i"ci,pe,
Os senhores entilo, acudi Censante oue tinha
seus cred.tos do astrlogo e multo dado a 'fe^igav a
:i::to!"c 8yrapaU.i.s queabalam'shuu :
o. si p "ouscoraflcs, embora separados por
(o.ib.deiaveis distancias .' p
so"T-.nar0n,flnr.,ref!dSSC Motona; e acho que is-
so^aao eolitos re.los para as boasmulheresHe me-
voIia~"E"ee8,a 8q"'' procura",nc' v*mci retirare,
Judo isto como se o vira luz do dia. Ras ho-
mi mC?5rei'!am .i'SS"n, cacon'eceu que, havondo
urna quadr.lha do mascaras mouriscos ecutad
raa danss, do que lodos licaram encantados, pedo-
.esopr,,,c.pel..Jono que se desmascarassran ali.n
do poder fazer ver aos.seus convidados as encanta-
aoras pessoas que lano os haviam divertido. Os
mascramos que eram mancebos (idalgos de Rruxel-
ias, que, nao lendo sido convidados ao festim, aeda-
ain este engenhoso meio de ahi so introduzirein,'
que os senhores tee.n disso hoje a prova o ve-
rem a resistencia que faz S. Santidade em romper
essa unido, bem quo fosse leda por sorproza.
Mas como so fez entilo essa casamento? per-
guntou curioso o barilo de Hodena.
Oh.' meu Dos! ora urna noit depoisdeceia;
passeavamosnsaos paros nos jardins da condessa,
e nao eramos poucos ; Mr. de Guise a tint.a branda-
mente levado para lugar mais retirado, e a bella nHo
pozera grande duvida ora sogui-lo, porque nlo es-
lava em estado de recusar-lbo cousa alguma, quo
oaraava de todo o comco :'felizn onte alguem quo
bem "
obedecera nrir pi-ia S 'n,roduf're,n' \bea a li,,lla advertido do erigb, poz-so a andar
oneueceram ao principe Joo, que Ihes perdoou o I passo a passo aps dos dous enamorados, esconden-
Uta
ttSBAJ
BSten*
mMH


_
'
=^
Precisa-se do dous discpulos para marconeiro :
na ra da Cadeia de Santo-Antonio, n. 14.
A pessoa que annunciou precisar do outra pir-
ra assen lar praga em primeira -linha, pagando-se-
llie, declara queainda no elToctiiou este ngociou ;
por isso as pessoas quo comparecoram a este fim,
poderfo dingir-se de novo, para se ajustarem, ao A-
terro-da-Boa-Vista, n 49, primeiro andar.
fcsl justa c contratada a casa terrea n. 13, da
ra da Praia do Caldcirciro.portencenteeo Sr.Fran-
cisco de Atnorim Lima ; se houver alguma hypolhe-
ca, ponhora, ou outro qualquer embarago.liajam de
annunciarnestesoitodias, para na"o haverem duvi-
uas para o futuro.
lima pessoa assaz habilitada, por ter bastante
praticadeensinar, seolTerece a dar ligos de pri-
mearas ettras e francez, tantoem sga casa como as
particulares, isso tanto 4 meninos como a meninas :
quem de seu prestimo se quizar utilisar, diriia-se
ao boceo do Lobato, sobrado n. 34.
Pesemcaminhou-se da pracinha do I.ivramon-
to um |caval!o passoiro, de cor melado-clara, di-
na da raesma cor e cortada, pequeo o gordo, com
urna carga de tres arqueiresdo cal preta, dentro do
saceos do assucar : roga-so a quem .0 achar o entre-
gue na ra do Qucimado, n. 11 A, que ser grali-
,. Narue, da Roda, casa terrea n. 16, ha urna mu-
liiorde bons costumes, quo se prope a ser ama do
casa de homem solleiro, ou casado com pouca f-
mula. A annunciante sabe lavar, cozer, cozinhar e
engommar.
Dao-se So'ooo rs.ie gratificacao,
c se pagarSo todas as nnis des'pe-
zasque se tenliam feito, a quem
dr notic3 do caboclinho escra-
vo por Dome Vicente de seis
annos, pouco mais ou menos, sec-
-~ Aluga-se urna casa com muitos commodos o
muito fresca no melhor local do Poco-da-Panclla :
na ra do Qneimadu, luja, 11. 8.
Kurtaram, da sala do primeiro an-
dar da casa que fica defronte da ordem
terceira de San-Francisco, onde moran
senliora Viuva Cunha, um espevitador
com a competente salva, pertencente ao
mesmo, e tudqde prata : a quem estas
pecas frem offerecidas se roga o favor
de as tomar, edar parte na mencionada
casa, ou na ra do Crespo, loja de Jos
Joaquim da Silva Maia, que ser recom-
pensado. .
Offerece-se urna mulher de meia dado para
ama de casa de pouca familia, a qual sabe fazer to-
do o servico de portas dentro : na ra da Guia, n
54, primeiro andar.
Na lojadebarbciro, defronte da Lingota de
Jos Goncalves Braga precisa-se de um aprendiz
para o mesmo officio : quem estiver nestas circums-
tanciasdirija-sea dita loja.
Aluga-se, durante o lempo da festa, urna casa
no Poco-da-Panella a margen) do rio junto a casa
ondo morou osacristio da matriz : a tratar na ra
doQueimado, botica n. 15.
-* O doutor Casanova medico francez, continua
a reccitar cmsuacasa na ra Nova, 7, primeiro
andar, defrouto do oit.lo da matriz do S.-Antonio ,
das7as 9 horas da manhla e depois disto, est
promptoa qualquer hora para fazer visitas a qual-
quer doenleqdedeseu prestimo soquizer utilisar.
OBO M
BARATEHiOe
Na I ja i!. i50, de Cunha &
Amorim, na ra da Cadeia
do Rccif c uifronlc a rua
da Madre-de Dos,"
j| co do corpo; tem no anus dnasfe-
j lidas de bobas, e be um.tanto le-
|| so, por ser novato nesta praca; le-
M vou vestido camisa de algodo da
^ Ierra um tanto snja ; desencami-
na nhou-se da rua do Vigario, n. a$,
p aonde se poder dirigir a pessoa
B quesouber, ou rua da Cadeia
|3 do Recile, n. 21
Aluga-se um primeiro andar na rua do llortas
n. 9 ; um armazem na rua larga do Itozario n. 231
um sitio na Magdalena na estrada dH Torre : a tra-
tar no Aterro-da-Boa-Vista n. 43, casa da viuva de
doutor Itrito.
-- Precisa-so de um capellflo para dizer missa
todoanno, parte do anuo na Magdalena, e parte
nesta cidado: a tratar na praga da Independencia.
Iivrana ns. Ce 8.
--Aluga-se o segundo andar do sobrado da rua
da Guia, n. 64, defronte da venda do Sr. Jos Perei-
ra ; a tratar na venda do mesmo, ou na rua Urca
do Rozario loja do miudezas, n. 22.
--Precisa-se de 3:000,000 de is., dando-sc um
sobrado livre e desemharagado sito na na do I.i-
vramento n. 12, a fallar na inesma rua, n. 5, de-
Ironto do mesmo sobrado, o qual tambem se vendo.
--Aluga-se o terceiro andar do sobrado da rua
lo Queimado n. 8 : a tratar na loja do mesmo so-
brado.
Lima, alfaiate,
na rua do l.ivramento sobrado n. 1 precisa
bons olliciaes do seu ofllcio e de costurciras.
~ Quem tiver urna preta para alugar, que saiba
cozinhar, engommar e fazer todo o mais servico de
urna casa, eque de fiador a sua conducta dirija-
so a rua da Aurora, n. 20.
$ CHA PISOS DE SOL Jjg
Rua do PasseioPublico, n. 5.
Atienda o
JoiloLoubet participa aorespeitavel publico, que
recebou, por estes ltimos navios francezes, um com-
pleto sortimentode chapeos deso, de seda, amis
rica e superior qualidade; furta-cres e outras nim-
ias conhecidas, tanto para homens, como para Sras
e meninos. No mesmoeslabelecimento ha um sorti-
mentode chapeos de sol do paninho, dos mais mo-
dernos; ditos muito grandes, proprios para homens
decampo: tambem tem chapos de sol do paninho
para meninos o meninas, por serctn muito finos: po-
dem-se chamar chapeos de economa. Na mesma loja
ha sortimento de bengalas, bengalinhas e chicotes
muito modernos; cohre-se qualquer armagiTo do cha-
peos de soi, com seilas de todas as cores e qualida-
des. Na mesma casa-ha um g'rande sortimento de
panninhos trancados o lisos, imitando seda, para
cobrir os mesmos: desta fazenda se vende aretalho.
C.oncerta-se todo qualquer chapeo do sol, por haver
um completo sortimento do todos os pertences para
os mesmos, Com toda a perfeigilo e brevidade.
na um bom sortimento de fazendas linas hom co-
mo .- pannos finos do escolhdas qualidades, cen-
tro elleS preto, ptimo para pannos do pretas o cai-
gas, a 2,600 e 3,500 rs. o covado; dito azul para
i'ardamento a 3,000 e 3,500 rs.; dito verdo-osciir
ro, fazenda ptima para capotes, sobre-casacas e
jaquetas a 4,500 ris o, covado; casimiras pro-
tas a 2,200, 2,400, 3,000 3,500, 4,000 e 4,600 rs. o
covado; pannos mesclados para palitos e sobro-ca-
sacas, a 4,000 o covado; casineta preta para o
mesmo lim a 1,200 rs. o covado ; cortes do supe-
riores casimiras de cores, do muito bom gosto; cor-
tes de velludo e setim bordados para colletes, pro-
nnos para casamentse bailes ; ditos do gorgurlo ,
I-la o seda efustoes para colletes ; chales e maula*
de soda e garga ; luvas de pellica para homem e sft-
nhora ; lencos e mantas para grvalas; ditos de
cambraia e seda para mlo o para pescago ; ptimas
sarjas pretas o setins ; um restante das boas sedas
escocezas a 80O rs. o covado ; setim preto a 720
rs. o covado.
Na rua larga do Rozario n. 52, venda da esqui-
na confronte a igreja, vendem-se boas bichas de
llamhurgo, tanto em lamanho como em qualida-
de : tambem so aliigam e mandam-so applicar : lu-
do por prego commodo.
I Vendo-so urna casa terroa, sita na rua larga do
JRozario, em|chiTos proprios, com coznhafra, quin-
de tal, cacimba e commodos: no Aterro-da-Boa-Vis-
ta, n. 21.
Vendem-se barris contendo cadaum dous prc-
zuntos, duasduzias de paios c urna arroba decbou-
rigas : no armazem de Francisco Dias Ferreira, no
caes da Alfandega.
Vende-seum bcrgo deangico, umdogro do cama,
duas banquinhas para cabeeeira de cama e tres ca-
deiras pequeas para meninas do escola, ludo em
bom estado c quasi novo : na rua do Queimado, lo-
ja n. 8.
Vcnilc-se urna carroga dedous bois, nova, de
carregar pipas por baixo : na rua do Pires, n. 3.
II.
Compras.
-*~
Na loja da rua do Queimado, n. 30, de Jos Joa-
quim de Novacs, contina a haver um sortimonto
de obras follas; chapeos do todas as qualidades;
ditos para meninos c meninas ; ricos chales deseda;
mantas do seda; longos de todas as qualidades; c
outros muitos objectos que ha para vender.
O bacharel Angelo llenriques da Silva niudou o
seu escriploi io para o primeiro andar do sobrado da
casa. 20 da esquina da rua do Collcgjo, em que lem
livrariaoSr. Ur. Coutinho.
Hoje, vtnle seis do correnle, porta do
Sr. doutor juiz do civcl, da primeira vara, na rua
Nova, se ha do arremalaro sobrado de um so andar,
sito na rua da Penha penboradoa Francisco San-
cho Ribeiro do Amaral, por execugflo do Jos Mo-
reira da Silva.
Aluga-se urna casa terrea com bons commodos,
por8,000 rs. monsaes sita na travessa do Poixoto ,
n. 19 :-a tratar no becco do Sarapatel, sobrado n. 16.
Hoje, 26 do corrente so hade arrematar de
renda annual, a quem mais der, um sobrado de um
andar sito na rua da Gloria, avaliado em 450,000 rs ,
pertencedle a Luiz Pires Ferreira, em a praga da
varadocivel.
Compram-se 500 meios de sola de boa marca :
na rua do Collegio, armazem u. 19.
Compra-sc, ou aluga-se urna negrinha para o
s/>rvQo de urna casa estrangeira do pouca familia,
c que entonda de engommar : na rua do Vigario ,
n. 7.
-- Compra-se urna casa terrea que tenha com-
modos sullicientcs para urna nio pequea familia :
prefere-se na Itoa-V'isla e que, tendo quintal, ca-
cimba, seja em chaos proprios e desenibaragada ;
na rua da Cruz, no Recife, n. 18, ncgundo 'andar.
Vendas.
do-sc as moitas de flores raras de que essesjardins
cstil.0 cobertos. Ouvic o individuo a conversagSo dos
dous amantes, e todas asvezes que o duque se tor-
nava mais affoulo, e a voz desfallecida da condessa
Hie ihzia que a virtudc Ihe enfraquecia como a voz,
deitava ouvir umeomo ligeiro gorgeio de passari-
iihoj e inmediatamente a vliludo em talas deitava
ue novo a rugir, 6 era preciso que Mr. de Guizo re-
comegassoa caga
^ fW '!ise Censante, que devia ser essa urna
iliverMdissima comedia para qum fosse della les-
lomuhha.
Juro-te, tliMfl Tilly, sem procurar oceultar por
mais lempo o papel que all havia representado, que
nunca vi rromcm mais inflammado at rritacSo
do que case .pobre duque, a quem a raca da ven-
tura pareca cbegar-lhe a cada instante flor do
labios, e que da mesma sorto a via desviar-so de
repente ao canto de um maldito passarinho. All-
nal chegou um lmenlo em que o duque, exaspe-
rado em seus desejos, poz ludo em obra para satis-j
faze-los; posto que se houvcsse arrependido de ter
usado desso meio com Gonzaga, o ardor foi superior
aopezar, c fallou em casamento. F.ra tempo; que
eslava exhaurida a resistencia da condessa, ecreia
que afinal teria rochado os ouvidos ao passaro que
fallava em prudencia, para s ouvir osgorgeios do
namorado; niasemllm cobrou animo, e dase ao
duqiie:.
Pois bem! Se quer ser ineu esposo com o
mesmo ardor o sinceridado com que desojo perten-
ccr-lhe, venha minha capclla, o unamo-nos.
Seria, porm, preciso um padre, disse o du-
qAe^assaz admirado da poposigao.
Loeria do Rio-dc-Ja; ciro.
Aos 20:000^000 dp ris.
No vapor San-Salvador acaba de chegar um lin-
do sortimento de bilhetes da 12.', a favor do monto
po gcral: a elles antes que chegue o vapor. Estilo
venda com a rubrica na loja do cambio de Vieira,
na rua da Cadeia do llecife, n.24.
Vendem-se saccas com ftijlo por 2,000 res
no armazem de Francisco Dias Ferreira, no caes da
Alfandega.
Pechinclia, pechincha !
Na loja do Passeio-Pblico
19, de Manoel Joaquim Pas-
cual liamos*,
vendem-se pegas do madapollo muito lino com um1
pequeo toque do avaria, a 2,000 rs., o em vara, a
120 rs.
Vendem-se fijlos de mar
more: em casa de Qliveira Irmos
& C, na rua da Cruz, n. 9.
~ Vende-se urna porgo degrades parr janellas ;
caixilhos do amarello, novosque anda nilo leva-
ran) vidros ; janellas e portas de louro em bom uso ;
urna varanda de ferro ; um hah de folha i tildo por
prego commodo : na praga da Roa-Vista, n. 7.
Vendem-se 4 escravos sondo um pardo de 20
annos ..robusto ; um preto de Angola de 28 anuos;
urna crioula do 20 annos ; urna parda de 28 annos
ambas coscm, lavam, ongnmmam fazem rendase
lucos, e ontendem solTrirelmente de cozinha :
lodos so vendem para um pagamento: na ruados
lanoeiros armazem n. 5.
Lencos de eassa, a 120 rs.
cada 11 m.
No Aterro-da-Roa-Vsta n. 10, primeira loja de
lazondas indo da ponte vendem-se longos de eas-
sa de quatro ponas, com lislras brancas e do cines,
asis vinlens; casimiras finase de bonitos padroes
para caigas a 4,000 rs. o corte de 3 covados e meio,
ou a 1,120 rs. o covado ; riqussimos cilcs do col-
lete de fuslilo a 1,000 rs., n do setins de cores mui-
to lindos a 2,000 rs. ; setins brangos .lavrados
proprios para vestidos de bailes o casamentes a
1,000 rs. o covado. Todas estas Tazcndas silu de
ptima qualidade a vista dellas torito os compra-
dores que uo ha cxagcrag.lo ueste annuncio.
Vemdcm-se, no districto da villa do Bananei-
ras, na provincia da Parahiba do Norlo, as scginn-
tos trras proprias para plantagOes de algodao o
caimas do assucar, a saber: um sitio com meia ogoa
de Ierra, denominado -- Algoinha- ; um sitio com
urna engenhoca e casa do vi venda, der.omiro.do-- Ba-
copari, propria para dar cannas de assucar, quo
foi do finado Joaquim do llego Toscano o Rnto, o
ora parto do sitio Po-d'Arco ; urna parte do trras
no sitio Cannabrava, muito propria para produccSo
de cannas do assucar, tendo proporgoes para so le-
vantar um cngonlio ; urnas tenas donominadas
Sitio-Novo,em Ca"abouco,com urna casa gran-
de do vivenda, sonzalla para escravos, prensa para
encarar algodilo e outros porteuces para descaro-
gamonto do mesmo genero, que foram de Francis-
co da Cunha Ribeiro: silo proprias para planta^ilo
do algodilo, ou para criagfo de gados, Quem as
Quizer comprar dirija-se naquolla villa aocapitlo
ESlevab Jos da Rocha, ou na cidado da Parahiba, a
Jos l.uiz Pereira l.ima.
Vendem-se 8 escravos, sendo : duas
pretas c duas pardas, de io a i\ annos.,
boas lavndeiras, custiirriras, e que cozi-
tibam o di iro de urna casa ; tres pardos,
si'inli) um de G anuos c dous de ao a
3o ; um moleque, de \i annos : na rua
do Crespo, n i se dir quem vende..
Ad mi ra veis na va*
Ilias de acoda China
que teem a vautagem do cortar o cabello sem offon-
sa di pello, defzando a cara parocendo estar na
sua hrilhaiite nmeidado.
F.sto ago vem exclusivamente da China e s nel-
le trabalham dous dos melhorcs e mais abalisados
culileiros da nunca excedida c rica cidade de Pe-
kn), capital do imperio China.'Autor Shan.
N. I. Me reconhecido o uso deslas navalhas
maravilhosas por todas as sociedades das scion-
cias medco-cirurgicas, tanto da F.uropa como da
Amorica Azia e ATrica, nilo s para prevenir as mo-
lestias da/S cutis mas tambem como um meio cos-
mtico.
Vendom-so as verdadeiras s na rua larga do Ro-
zario, n. 24.
O BO M
BARATEIRO.
va loja n. 50 da rua da Cadeia
do Itecife, de Cunha & Amo-
rim, confronte a rua da Ma-
dre-de-Dos ,
ha um completo sortimento de fazendas do boa
qualidade, queecvendem poralacadoea relalho ,
pelo mais commodo prego pnssivel, alm de militas
chitas finas o de bom gosto ha chitas de ramagens
para coborlas, a 5,600 rs. a pega, e a)160 rs. o cova-
do e outris, a 200 rs.; chitas do tintas fixas e de
boas qualidades a 5,600, 5,800, 6,400 e 6,600 a pe-
ga, e a 150,160 o 180 rs. o covado ; um complete sor-
tmenlo de madapoles a 2,700 e 6,000 rs. a pega;
variedades de aigodOeazInhns bons do 120 a 210 rs.
a jarda ; pegas de di lo do boa qualidade o largura,
a 1,900 o 2,000 rs. a pega; algodilo trangado bran-
co azul o riscado ; bons bamburgos ; boas plali-
Ihas; bons bramantes; boas cassase cambraias
brancas o de cores; longos; chales e outras mais
lazendas..
Na rua do Crespo, loja n, 12,
de Jos Joaquim da Silva
rn
Achar-se-ha um.
i Ese fe nilo achar? disso Mr. dcGuize.
Ser porque o Sr. me nilo ama, disso a con-
dessa. .
0 duque, posto em lalas, mandn alguem de sua
casa procurar o padre Simpln, quo costuma regu-
larmente avislar-se com una das criadas da condes-
sa. Para logo o acharan) com a bella, com quem pa-
reca estar em via de cear alegremente. Kizeram-no
vira capolla, ondo ludo eslava preparado.....O du-
que rhainou-o de parlce recommcndou-lhe que fa-
lhasse em algum'ponto capital da cerimona ; mas o
maroto havia receido dous mil escudos da condes-
sa para haver-se com o maor escrpulo. Dou, por-
ta uto, a dispensa de hanhos, confessou, fez a prali-
ca c procedeu depois cerimona. Concluido assim
o casamento, foi pernittido ao duque ser feliz.
Mas, disso Censante, oarcebispo de Malinas
era quem nicamente tinha o drcito de dispensar
banhos na sua diocese.
.Sabamos muito bom disso ; ho boa dissn Til-
y ; c ro por essa causa quo a condessa- do Bossut
tomara todas as prccaucOes. Havia ella com efTeito
obtido, apodcrdodiiriieiro, que o prncipe I) Joilo
nomeasse Simpln capellAo-mr doexcrcito Ora
como o exercito, pelo facto de sua existencia vaga-
bunda, esta sob a dependencia directa do capellio
queogoverna, he esto investido do lodos os poJe-
res eclesisticos a respeito daquolles que fazem
partodesseexercito Ecoinp Mr. do f.uiseservia en-
tilo nesso exercito, eslava por conseguinte sob a ju-
nsdicglo do capello, que podia dar a dispensa ne-
cessaria.
Sal.
Vende-so Jal milito alvo, a bordo do hriguo So-
ciedad* fundoado om frente do trapicho do Sr
Angelo: n tratar com o capitf a bordo, ou com
Jos Francisco Collares, as escadmlias ou nos tra-
piches da estiva.
'JTT?"'^" 'wiwiiit
yiwnt'itnaMa
como
sobre
as prerogativas
Mas isso ho o que contesta o arcebispo de Ma-
linas.
Mas tambem, acudi o barito do Modena
a corto de Roma uo est anda hem instruida
este poni, do saber so deve manlcr as prerotw
dos bispos e arcebispos as suas doceses, ou se mais
vale lazer; da capellania-mr dos exercilos urna es-
pecie de dioeesH ambulante, heprovavel que o du-
que niio ohlenha decisn alguma; nflo porquo Sua
Santidadc se mteresse do modo alguin pela condes- I
mi ile Bossut, mas para niTo julgar urna questito des-
ta importancia.
~- Nesse caso, o Sr. duque de Cuise far bem de-
cidir por si mesmo a questilu, casando com a don-
zella de l'ous. Feta a cousa, a corte de Roma nao
lera remedio senito approva-la.
N:1o Ihe va lembraressa ideia, disso Tilly, bas-
tantes oucuras faz. elle j por si mesmo, sem que se
Ihe indiquem mciosde fazer outras. Foi a indiscri-
gflodeum lacaio queo delerminoii a bater-se com
Cohgny pela honra do madama do Chevreu.se. oue
ho por ceno de lodas as muflieres a que no vici mo-
nos respeito tem virtudc.
Dizcm que ella d'antemo havi
nho pelo perigo que i.i correr,
II a va,
vendem-se muito lindos chapeos para meninas-
tanto de se la como de palhinha chegados ltima-
mente de Pars ; chapeos de seda para senliora;
cortes de crambraia do seda do ricos costos, por
prego muito commodo ; cortes de vostidos do cam-
bala ecassa-chitas de dilTercntes qualidades, por
pregos baratos; ditos com urna pinta de mofo o
sem elle a 2,000 c 2,500 rs. cada corte ; mantas da
soda cha para senliora, das mais modernas qua
teemvurdo a esta praga, a 5,000 rs. cada urna;
mantas e chafes de seda de varias qualidades e ba-
ratos ; alpaca preta, a 800 e 1,600 rs. o covado i
panno de linho, a 400 rs. a vara; casimiras fran-
eezaa o elsticas para caigas a 5,000 rs o corto r
Instos; setinse velludos para collcte, por preco
minio em conta ; bem como um sortimonto de ou-
tras muitas fazendas, que so vondem polo barato.
.aiflWH.^.----------mhbm-------
pago o sobri-
os, bolla Montbazon
o recompensou depois pela victoria que alcncela.
Base duello renden duas amantes ao duque.
K a visla do quo aqui acontece, accrescentou
Modena, parece que.esse bollo amor do duque por
madama de Montbazon foi-se para onde se tom ido o
da condessa de Bossut, o da bella Gonzaga e o do ma-
dama dcCIievreuso.....
~ F. para onde se ir o amor da formosa donzel-
Ia de Pons, o todos os seus futuros amores..... disse
Tilly cncolbendo os hombros, -depois do o haverem
todava arrastrado a fazer asmis horriveis asnei-
ras..., Eno entanto, acicscentou Tilly meio rso-
nho, o meio serio, o duque tom bravura, agudez.
ambigiio e recursos. Mas, para ser perfeito, era pre-
ciso que fosse digno decantar na capolla srxtina.
Quando Tilly dizia estas palavras, abrio-so una
porta, e todos os gentis homens so descobriram ros-
peitosos, e claram-sc.
Quem acabava de entrar era um homem de bella
estatura, com longos cabellos annellados; tinha a
fronte alta e aperlada, o oval do rosto perfeito, os
041)08 bolb*s, o olbar (cintilante, a bocea ntidamen-
te desenliada, o hom como todos os de sua raca, o
nariz linos coinprido.. .. Kra llonri.iuo do Lore'na
duqueido Guise; .lava elle a mflo a urna mulher cc
berta de veo, com quem atravessou a sala por entra
os seus olliciaes. Parou porta exterior, onde sa
despodio della heijando-lhe a mSo, quo pareceu a
quantos a poderam ver dcalvura e belleza deslum-
bradoras. .
Os (idalgos presentes trocaran) urna vista d'olho.
bls-ahl, queriam elles dizor com esse olhar
eis-ah em que
esse olhar,
so ello oceupava, omquanto nos o
julgava-moscm grande conferencia com os deuuta-
dos de aples. hm
Ninguein, porm, ousou pronunciar palavra
JZftt\S!?sz ent-rcelle-' ?m-j
por ondo havia
desconhecida
outra porta ao lado daquolla
entrado para a sala com a mulher
. o chamando em altavoz:
Vindo, senhores, disse elle ; vinde
{Conlinuar-se-ha.)


~^H~^M
A

:


Vende-so una ncgrlnha costuroira o rendei-
ra ; um mulalinho com principios de sapaleiro : na
ra larga do Itozario, loja de miudezas, n. 35,
so dir quom vendo por querer retirar-se para fu-
ra. Na mesma loja la mbem so vende um piano in-
glez que precisa de um pequeo concert pro-
prio para se aprender.
He so na loja do nicho que
apparccem estas pechinchas.
Na esquina do Livramento loja do nicho, ven-
dem-so mantas para senliora a 1,0*00 e 2,000 rs. ;
setim branco Je llores, com duas larguras, a
1,280 rs. o covado ; nscadinhos chinezes, com lis-
tras de seda a :t60 rs. o covado; chales inuito gran-
des de garga e seda a 2,000 rs.; loncos grandes da
niesina fazenda a 1,000 rs.; ditos escocezes de
bonitos gostos a 200 e 320 rs. ; e outras militas
pechinchas novas chegadas de proposito pura a
esla.
--Vendem-se ancoretas de di-
versos timanhos com vinho da
Madeira, tinto e branco, de su-
perior qualidade: no escripto-
rio deOliveira Irmos & ompa-
nhia na ra da Cruz, n. 9.
Altencao!
Acaba de chegar loja do l'asscio-I'ublico n. 17,
urna porgSo de cortes de cambraia transparonto de
18a, para vestidos de senliora, padrOes inleiramento
novos, e que so espera meregam geral applauso das
Bcnhoraa de bom gosto, e muito principalmente das
que toncionam passara Testa em seus sitios. A.por-
folio diminuta c n3o lia mais cm Pernambuco ,
por isso seni demora devem mandar por elles, antes
queseacabem mesmo porque o pirro convida ,
pois be o do 5,000 rs. por cada um corte.
LOTERA
no
Hospital Pedro li.
Continuam-so a vender os bilbetes tiesta lotera,
nobairrodo Itecife, ra da Cadeia n. 2*, loja de
cambio do Sr. Vieira ; no bairro de S.-Antonio, ra
doCabuga, n. 11, botica do Si. Jo3o Moreira Mar-
ques ; na pracinba do l.ivramenlo n. 51, loja do
Sr. tbesoureiro Moraes ; na ra do Livramento, n.
i2, botica do Sr. Chagas. lrevemente ser annun-
ciado o dia imprcterivel da sua cxlracco.
I.OJA
DE6 PORTAS N
Nesla loja das pechinchas, vendom-so pan- g|
nos linos, a 2,500, 3,000 3,500 e 4,000 rs. ?9L
o muito (ino, prova de limito a 5, 6 e 7,000 e
rs. ; casimiraa do duas larguras a 1,500 o gj
9| -.000 rs o covado, c muito superior, a 3,000 $&
"^ c 4,000 rs. ; ciles de setim e do velludo ^
^ para collete, n 2,000, 2,500 e 3.000 rs.; man- K*
3 lasdesctini para hoiiieni, a 2,000 rs ; un t
jS grande sorlimcnto de madapolOes chitas g,
^ o outras muilas fazendas para a festa por g-
B baralissimo prego, para acabar antes do ha- p
3^ lango.
'7S7*V'/aV/aVAV'/V l/M iY> 7.V '/.\"/V'/\V/i\"/aV'/aYV
varas, a 4,000 rs.; ditos de cambraia com listras as-
setinadas brancas e com 7 varas, a 3,500 rs.
Na ra Nova, loja n. 58, vende-se calcado da
ierra a saber : sapates e sapatos, para homom e
meninos; ditos de couro e de marroquim, para se-
nliora e meninas; aviamentos para sapateiro ; sa-
patesde lustro, o quando n5o houver algum que
cheguo ao freguez, tambem se recebem encom-
mendas ; urna porg3o de madeira; lmbas ; bicos;
ramos de flores; parreira brava, ouabutua para re-
medio ; um brago do balanga do autor lio mil o com
um torn de pgsos de duas arrobas para baixo pa-
ra anitazem de carne ; um terreno em bom lugar
com 200 palmos de frente o SOOe tantos de fundo.
Na loja nova da ra do Quei-
mad'o.n. ti A, de Raymun-
do Carlos Lcite ,
a 800 rs
a vara do ptimo panno de linho do Porio as pegas
silo do 18 varas e meia ; dito do 25 varas, a 600 rs.
guardanapos de puro linho a 800 rs. ; fazenda do
norte, propriaparacolletes, jaquetas o etc., tecido
de seda o linho ; mcias de linho as mais finas que
teem vi ndo ao mercado.
Vendem-se200 brandOos decora do Rio-do-Ja-
neiro do 2 librase do 1 c3 quartas, por menos
deseu cusi para liquidar: na ra da SenzalU-V-
lha, n. 110.
Vende-so urna balanga grande, propria para
pesar couros ou carne secca com una porgSo de
pesos : na ra do Collegio, n. 19.
Remedio prodigioso para os
embriagados.
Este remedio torna-sc mu apreciavol por ser sua
composiglo miii simples, c n3o arruinar a sado do
individuo, fazondo-o aborrecer para sempre a be-
bida. Vende-se na ra da (.loria, n.87.
Vende-se um molequodeS annos, c um mu-
lalinho de 4 : na ra da Sonzalla-Volha n.ltO
primeiro andar, se dir que vende
Vende-se cora do carnauba,' de muito boa qua-
lidade, tanto a relalho como cm porg3o : na ra
das l.araiigeiras n. 14, segundo andar.
DEPOSITO DE CALV1KGEM.
Na ra do Trapich n. 17, ha sem-
pre cal virgem de Lisboa, cm barris pe-
buenos, c nltimamenle cliegada limi-
to superior e por preco rasoavel.
AGENCIA I)A KONOFCAO" DE I.OW-MOOR.
Na ra da Senzalla-Nova n. 42, contina a haver
i n completo sortimento de moendas e machinas de
/apor para engenhos de assucar : bem como tai-
xas de ferro batido e coado de todos os tamaitos
ludo por prego commodo.
Vende-so um moleque do muito bonita (gu-
ra bolieiro e barbeiro ; 2 ditos de 12 a 14 anuos
1 preto do 20 anuos, do elegante figura ; 2 mulati-
nhos ; 2 pardas; 2 piolas ; 1 negrinha: todas com
habilidades: 1 preto cozinheiro e engommadeiro ;
2 prclos para todo o servigo do ra : 110 palco da
matriz de S.-Antonio sobrado 4.
Vende-se um lindo carrinho de
duas rodas novo e muito maneiro com
arreios tambem novos : na ra do Tra-
piche, n. 4a, casa de Adamson fiowie
6 Companhia ou no Aterro-da-Boa-
Vista cocheira do Sr. Miguel.
Na nova loja do Passeo-Pu*
blico, n. 19, de Hanoel Joa-
quina Pascoal Ramos ,
vende-se cortes de cambraia alegra, fazenda muito
moderna a 2,000 rs. ; cortes de 13a para caigas a
3,000 rs. ; cortes de casimira de quadros muito
moderna, a 6,500 rs. ; alpaca preta, a 900 rs. ; me-
rino proto a 3,200 rs. panno preto muito fino,
a 4,500 c 5,000 rs. ; dito azul, a 4,000 rs. sarja
preta hespanhoja a 2,000 rs.; setim preto, a 1,000
rs.; lengos para grvala de seda de coros a 400
rs.; ditos de cassa a 160 rs. ; lengos de seda pa-
ra homem, a l,440o 1600 rs.; lengos brancos de
lodos os tamaitos, de 240 at 400 rs. ; mantas de
seda muito ricas a 9,000 rs.; chales de 13a, a 2,000
rs. ; ditos de 13a e seda a 8,000 rs.; ditos de me-
tim e chita a 1,00o rs. ; e outras muitas fazendas
niuitoemconta.
Vendem-se caixas dechhysson, de 13 libras,
pin porgos, ou a relalho : na ra da Alfandoga-
Velha, 11. 36, em casa de Matheus Austin & C.
Vendem-se ptimos casaes de pombos corujas e
jacars, todos muito bous batedores grandes e de
boa raga, por prego commodo : na ra da Floren-
tina, 11. 16.
MOBILIA.
Vcnde-se urna porg3o.de trastes novos e quasi no-
vos, sendo : camas do Jacaranda, consolos com es-
pclhos, mesas redondas sophs ricos mesas oles-
ticas armarios para louga aparador para sala de
jamar, cadeirinhas clsticas de tpele, escadas do
cama, commodasde amarello mesa de costura ,
banquinhas de sala louga ecrystaes: tambem se
vcudeuma mulalinha de4 annos; unrmoleque de
7 annos : bem como algumas caixas do cera do Rio,
superior: ludo muito barato, para liquidadlo : para
ver tratar, na ra daSenzalla-Velha n. 110, pri-
meiro andar.
Vendem-se 5 escravos sendo : 2 moloques de
13 a 16 annos ; urna linda parda de 18 annos que
engomma cose clifloc faz todo o servigo do urna
casa ; umacrioula de 26 annos, que engomma, co-
se, coinha e lava de sabio; tima dita do nagflo ,
de 40 annos, que cozinha, lava e faz todo o mais
servigo de urna casa : na ra das Cruzes, n. 22 se-
gundo andar.
Vcnde-se urna preta de 20 annos, quo cozi-
nha o diario do urna casa e engomma com perfeigSo;
unta parda de 20 annos, de figura muito bonita, quo
cose muito bom ; urna preta propria para vender
na ra, por ter pratica disso : na ra de S.-Rita ,
n. 44.
Na ra de Agoas-Vcrdes,
11. 40 ,
vcnde-se urna excellento cscrava com um lindo ft-
Ilimbo cnii as csseiiciac.s lialiihiladas e Capaz do
tomar conta do urna casa ; 2 moloques do nag0o e
oulros escravos: lodos proprios para todo o servigo.
Vende-se um armazem muito .grande, na ra
de Apollo, n. 32, aondo os Srs. Rogo & Companhia
teem o seu estabelocimento : 'a infrmar-se com o
Sr. los Gongalves Torres e para o ajuste, com Ma-
noel Antonio da Silva Mol la.
Admirareis uavalhas de ac
da China,
NA RA LARGA DO ROZARIO, N. 35 LOJA DO LODY.
Estas navalhas. teem n vantagom de cortar o
cabello sem offender a pelle, deixando a cara pare-
cendo estar na sua brilhante mocidade. Este ago he
da China e seu autor hn Shan. Por todas as socie-
dades das sciencias medico-cirurgicas, tanto da
Europa como da America Asia o frica he reco-
nhecido o uso destas navalhas maravilhosas, n3o s
para prevenir as molestias cutneas a que a liumani-
dade est subjeita; mas tambom como um meio de as
curar.
Vendem-se as verdadeirass na loja cima indi-
cada.
No armazem de Francisco Dias Ferreira, no
caes da Alfandega vendem-se caixas com 200 cha-
rutos, por 320 rs.: estilo um tanto-seceos, e s3o
muito proprios para receberem novas capaz.
sopounuoj so5a..d jod
opn| : sapnpi|i:nl) se sepoi op sepuzej op o]uaui
-lijos oaiduioa ujn'sepuazBj seisap ui3|oopeA
-oj o -gj 0E6 op-o5a.nl oiBjgq opd sejouadns sou
-ued ap a sojnosa sbxij sojoa bp 'so-iped sopu| ap
bjba Biun 111.11 onb 8jn3ju| BiJipjoBJixa sns \;\
-.ni 'so.iisuoiti sopt!|ni!iu| sopiusij soaoii so as-uiop
-uoa inqueduioo tg luijejassoijaBuimo op Bfo| Bfj
80J1SUOOI S!;)[))s|H
Vendem-se duas carteiras de amarello de
duas faces, para escriptorio; urna cama nova do
angico, para solteiro : na ra das Cruzes, n. 39.
Vende-se a venda do pateo da S.-Cruz,n. 4,
com boas freguezias, tanto para a trra como para
o mallo : vende-se com os fundos a vontade do com-
prador : a tratar na mesma venda.
Vende-se um sitio na estrada de S.-Amaro pa-
ra llelm possando a ponto o primeiro, do lado
lireito,com boa casa grande que pode morar 3 fa-
milias pasto para 8 vareas de lcile terreno para
plantar, basta11tcsarvoredos.de fruclo e tilguns
V i ve i ros : tambem so aluga outio mais pequeo na
mesma estrada : a tratar no mesmo sitio ou na ra
Direita, 11, 4.
Vcnde-se, a bordo do berganlim Iniependcn-
te futtdeado defronte do trapiche da alfandega,
sebo em rama, ejearne superior. '
Na loja nova da ra d > Quei-
mado,n. 11 A, dcliaymun-
doCarloj Lt;ite,.
aclta-so um novo sortimcnlo de lindas mantas de
seda a 4,000 rs., tendo tambem do 2,000 10,000,
16,000 c 20,000 rs. ; luvas para senliora de trogal,
ultima moda em Lisboa ; mcias cras n. lo a ,"i
rs. a duzia.
Vendem-se pegas de madapullo limpo, com
20 varas a 2,500 rs. ; pecas de chitas escuras mui-
to cncorpadas, fortes c de cores (ixas, a 5,500 rs. ,
(. a 160 rs. a relalho : na ra estrella do Itozario,
n. 10, tereciro andar.
a fabrica de bebidas espirituosas, na ra da
Senzalla-Velba, n. 114., alm das bebidas espirituo-
sas que so vendem na dita fabrica ha refrescos
de grozelas, do flor de laranja, de capil, lama-
rindos,ede maracuj :lambem ha algumas garra-
fas de summo do grozelas muito bem feito na mes-
illa fabrica; csuperior vinagre : ludo so vende por
prego commodo. Na mesma fabrica compram-sc
garrafas c botijas vasias.
O HAKATEIitO:
".a nova loja da ra do Cres-
po ao pe do arco de S-An-
tonio. n.4, de Ricardo Jos
de Freitus Kibeuo ,
.vendem-se casimiras turca de una s c.6r ta-
y.cnda inteiramenlc nova cm padres e qualidades ,
o quelem urna elaslicidade quo se n3o enconlra
nesgas outras casimiras vulgares,scudoestasapplau-
siveis tanto para caigas cuino para cxcellenles pa-
litos por terom duas larguras eo seu prego ser
4,000 rs. o covado e o corte de caigas 7,000 rs. Igual-
menla ha lengos de 3 ponas de cambraia com cer-
cadura do cor e palmas bordadas proprios para
pescogo de senliora a 10 rs. cada un; cortes de
cambraia adamascada, de bonitos padrOes o com 7
Casimiras clsticas c finas ,
7#000 rs.
Vendem-se superiores casimiras elsticas, finas e
decores, pelo haratissimo prego de 7,000 rs. o cor-
le de caiga. Esla fazenda he recommendavel pela
sua qualidade tanto em fazenda como cm gostos
por seren os mais modernos; casimiras prctas
superior fazenda por scrcm muito linas a 2, 3
3,500 rs. o covado : na ra do Collegio, loja n. 1.
Na ra da Cruz, n. 26,
vendem-se os scguinles escravos : duas molecas de
12 anuos ; duas iiiiilatiubas una de 12 anuos, e a
mitra de 9 ; un paido de 30 anuos; um preto do 18
annos ; sola; couros iniudos ; cera do carnauba ; es-
leirs do Araealy ; sapatos c botins obra boa c fe-
la no Arncaty.
Vcnde-se. ou troca-so por casas nesta praga, um
terreno com 412 palmos de frmito.o 150 do fundo,
sito por detrs docoventodo Carino : a tratar com
o seu prop otario no Maiiguiuho segundo sitio
depoisda capella de S.-Jos.
Xa I ja nova da ra do Quei-
mado, n. II A, de Itaymnn-
do Carlos Lcile ,
acha-sc um novo sortimento do pannos finos de lodas
as cores o qualidades ; chapeos francezes da ultima
moda ; um completo sortiiiiento do fazendas linas
c grossas por prego mais barato do quo em outra-
qualqucr parta.
Vende-so urna linda negra com habilidades, um
negro pega de 20 annos; um molequo de 12 urna
mulalinha de 4 anuos, e um mulequo de 7 annos,
por seu senhor so retirar para fra : na ra da
Scnzalia-Velha, n. 110, se dir quem vende.
Vende-se um cavallo de linda cor bem gor-
do bom carregador do baixo a meio, com bous
novos arreios, ou sem elles: na ra Ida Gloria c
n. 26.
Vende urna barcaca de Jote de 2a
caixas : na ra do Queimado, n. 4*
Vendem-se travs de camacary e
massoranduba de lo a !\'"> palmos de com-
primen! o na ra do Queimado, n. 4
Bclmiras.
Vendem-se superiores cortes da fazenda nota
denominada bclmira para vestidos de senliora ,
pelo barato prego de 4,500 o 5,000 rs. o corte. Esta
fazenda lio nova e de muito sublimes gostos, sen-
do assuas cores mu apreciaveis por screm cor de
lirio, rosa o perola. A elles antes que se acabem.
Na ra do Collegio, loja 0.1.
Chapeos de palha para se-
nliora,
do mclbor goslo e finura quo pode haver nesto ge-
nero ; sedas lavradas e de corditozinho para cha-
peos de senliora ; crepc de cores muito fino e lar-
go ; copas de fil para chapos de crep com as c-
*ies do mesmo crep; maulas de seda para senliora ;
ditas de garga que agora esto muito em moda;
chapos francezes da mais superior qualidade e de
formas elegantes ; um lindo sortimento de luvas,
lauto para senliora como para homem;o outras
muitas fazendas da moda o goslo por prego com-
modo : na ra do Cabug, loja franceza de Manoel
l'inhciro de Mondonga junto a botica do Sr. Joilo
Moreira.
Vende-so um lindo relogio de ouro.por pre-
go muito commodo : no becco do Sarapatel, sobra-
Pannos finos.
Vendem-se superiores pannos finos, a prova de
Mm3o preto, a 3,000, 4,500, 5,500 e 6.500 rs. ; di-
to azul, a 3,000 rs. ,e muito fino, a 4,5*0 rs. Estes
pannos sao novos e pela sua barateza, atlendendo
a sua boa qualidade, tornam-se recomftiendavois.
Na ra do Collegio, 11.1.
A 1#000 rs.,
saccas com bom millio: no
caes da Alfandega, armazem
de Antonio Aunes.
Na ra das Cruzes, n. 41, vcnde-se marmcla-
a
da nova cm caixas de 2 e 4
da no patacho Andurinha.
libras chega-
n
m ie:e:e::@:g:g:g :@:s.!s:@:g:s"s:e s
Vendem-se gementes de hortaliga do todas as
qualidades, muito novas e chegadas prximamen-
te do Porto na barca Espirilo-Sanlo, por prego mili-
to commodo: na ra eslreita do Rozara, venda
11.8.
MEZ MARIANO A 1,000 RS.
Vende-se na livraria da pregada Independencia
ns, 6 e 8 o Novo Mez Mariano, accresccnlado com o
l.ausperenne do Santissimo Itozario.
Vendem se escravos muito baratos, pa-
ra se liquidarcm cootas deste anno, na
ra das Larangeiras, n. 14, segundo
andar:
tres lindos molequos do 14 a 16 annos ; um dito
com principios de sapateiro oque enlcndc do pa-
duria ; um lindo mulalinho de 11 annos muito es-
perto sem vicios proprio para aprender qualquer
ollicio ; um preto de 23 annos ptimo para traba-
Ibarem armazem de assucar por ser bastante for-
te; um ditodenag3o, bom ganhador de ra, e quo
est acostuniado ao trabalho do refinago,; um par-
do de 36 annos, bom para tomar conla de um sitio,
por ser de boa conta ; um preto de 40 annos bom
canoeiro e ptimo oflicial de canteo ; um dito de 40
annos por 200,000 rs.; urna preta muito forte ,
por 220,000 rs.; iluas pardas com algumas habili-
dades ; duas prctas muito mogas que sflo pti-
mas quitandeiras; duas ditas boas engommadeirus
e cozinheiras; e oulros escravos.
Vende-se, na ra. da
Cadeia, n. 37,cera em ve-
las fabricadas no Uio-
de'Janeiro, em urna das
melliores fabricas em
caixas pequeas, sorti-
mentos ao goslo do com*
piador, e por prego mais
barato do que em outra
qualquer parle.
O NOVO BARATE1RO
Oh la. cnlao anda nao viram?
Pois aqu estou na ra do
Queimado, n 46,
quei mando boas c cxcellenles quenquilharias por
pregos mais rasoaveis possiveis o so duvidam ve-
nham examinar ricas bengalas e modernas, a 320
rs. cada urna ; tesouras muito finas, com loque do
ferrugem a 160 rs. cada urna ; riquissimas caixas
de vidro para guardar ouro proprias para dar do
mimo a qualquer moga ; brincos de oiiro francez ,
os mai$ modernos o chegadosullimamento do Fran-
ge. Oh que riquissinios Jeques de peonas com plu-
mas e de outras mais qualidades proprios para bai-
les o oulros diverluncnlos do maior luxo possivel;
bem como aljofares do lodas as qualidades o de to-
das as cores ; um completo sortimento de botOes
brancos c amarellos, para pagem ; riquissimos bo-
les amarellos, muilo linos., de Podro II; ricos ca-
nivotos linos do cabo de cintre de viado de 1, 2 o 3
fulhas ; o outras muitas quenquilharias do luxo ,
proprias para assonhorasdo bom goslo : o que ludo
se vende mais barato do que cm outra qualquer
parle.
Vendem-se, na lloa-V'isla loja de funileiro ,
n. 70, obras de la 15o, a saber; candieiros do todas
as qualidades almofari/.es candieiio do bitacola ,
palmatorias para veas, perfuma dores de todos os
loles, carretilhas para corlar massas cscrivani-
n has de todos os lmannos, campas para secreta-
rias garlos o colhers : ludo mais barato do quo
em oulra qualquer parte. Na.mesma loja compra-so
metal de lofla a qualidade.
Os Martyres,
ouo triumpho da rcligiSo clirist3a poema pelo
visconde doChataubriand traduzido em verso por-
tuguez porKilinto Elysio: alm dosta ensigno obra
acham-soa venda outras muitas; bem como urna
porg5o dos melliores romances do Waltcr Scott : na
ra do Queimado botica u. 15.
Escravos Fgidos.
DAO' -se 50,000 RS. DE CRATIFICACAO'
a quem levar a ra dos l.aloeiros, n. 66 um mole-
que que fugio no dia 26 deabril, de nome Malbeus,
oque lambe responde por Munlciro, de 14 a 15
annos, de nag3o Angola,fulo; ten) orclha furada; ha
lustrador eempalliador. Tambem se proceder com
lodo o rigor das leis contra quem o liver acuitado ,
para so baverem 1 /rs. diarios. A pessoa quo o levar
a casa cima i cechera a dita gratificago.
* Fogir,,m do engciiho Cuiambuca, froguezia do
Agoa-I'rela 3 escravos do servigo do dito engenbo:
Jos Caij.ora de Angola, com alguus cabellos bran-
cos de eslatura baixu ; Icm dous dedos da m3o di-
reila aleijados : Agoslinho de estatura baixa cor
bem preta ps bem feitos de 20 a 25 anuos pou-
comaisou menos: Cyprianno, crioulo, bstanlo
magro cor fula ps e lornozellos-caoibados, (|a
cusa a andar. Quem os pegar leve-os ao dito engo-
lillo ou na ra da Cruz, no Recife, n. 66.
i'tiUN.: NA Xxl' PE M. F. DS FARlA. lb$p,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ELXNNZVKD_CYNCPP INGEST_TIME 2013-04-27T00:02:06Z PACKAGE AA00011611_08575
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES