Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08573


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^
Anno de 1847.
Quarta-feira 24
O D.I4RI0 pn'iliea-se lodos os dias o:iie n.'o
rem de cuarta o iircro da asiijnatura he ile
JflO. r$. poi nuartat, pasnt ndinnlndit* Os an-
nuncins' dos asignantes s'm inseridos a raslo de
10 ri. por liiihn, I" rs em tvpo dillerentc, cas
repeti-es rr-l* mclvle. Os que 0*10 f'.rcm sssi-
nantes'pagarlo 80 rs por tin'ix,. e Ido cm lypo
diflerenle, jjor cari* publicac'ri.
PIIASES DA LA NO MEZ. DE NOVEV1J1R.
I.11.1 nova, a 8, os SI minutos da manliSa.
Creseenle a l>, as 8 horase S6 inin. d* tai de.
La cheia a JJ. s 7 hoias e si rnin. da Urde.
Mutuante l, is J lioras 2 ma. da Urde.
PART3V DOS CORREIOS.
(oianna ePapalillias secundas esextas feira*
Rio-drande-dn. Morlequintas l'eirasao meio-dia
(.'abo, Seriuhem, l\io-Formoso;.Poito-Calvo e
ti aceto. 110 I .*, a 11 e 21 de cada me/..
Gara iliuos e Bonito, a 8 e 13.
Boa-Vi'U e Flores, a 13 e 28.
Victoria, as quinias-feiras.
Olinda, todos os das.
PRF.AV1AS DE HOJE.
Primeira, a S horas e 18 minutos da maphs.
Segunda, is 5 horas c ''! minutos da Urde,
de Xovembro. Anno 2
n. a<>5.
DAS d\ semina.
22 Seg. S. Cicilia. Aud. do J. dos orpli. I
lio J. doc. da 2 v. edo.l. M. di v.
23 Tcn.. S. Clemc'nte. Aud. do J. do civ.
il 1. v.edo i. de.uaz do 2. dist. de t. .
2* Ouarta. S. Joo da Cruz. Aud. do I. do
civ.da 2. T.edo J. de pal do 2. dist de l.
25 Ouinla. S. Catharina. Aud d J. de orpli.
e do J. rr.nnicipnl da I. vara,
21! Sexta. S. Pedro Alejandrino. Aud do J- do
civ. da l.v.edn.l de paz do I. dist del.
27 Sabhado. S MargaridaileSaboia Aud do .1
do civ. da 1. >. tilol de pudo I dist.de t.
28 Domingo. l. do Avent, i. Gregorio.
CAMBIOS DIO DI A *J DE NOVBM-RRO.
Sobre Lole*, a 28 d por | r.'. a 6" c 00 di.-
a P-ris 33n rs. por Iranco.
LiahAa I OS.1 11(1 de premio.
,,e,c.de,1,ra.d.bo.,linn..s,}.aJ,4y.Oftm.
USI100 a 1|200
niflOO a IflflO"
I00 a M0
l|80 a l|0
IJS40 a IJI90
||7G0 a l|80O
f920 a t|
Oaro0.irs hespanholos.... 28JV.
Motete! de I i0 vel
a de Cjftii'1 nov .
de 4000.....
Prala Pataco*.........>
Pesos columoares...
Ditos mexicanos....
a Miuda......
Acedes da comp. do Keheribede SQJOOO rs.ao par
1/1AA1U llb
PERHAMBCO.
-.^,L-
EXTERIOR.
CORRESPONDENCIA DO ESPAGNOL.
PARS, 9 liE OUTUBBO DE 1847
Discusto occasinnan pelos banquetes dos reformado.
res. Crise commercial inglesa. Noticias lia, aples, e Turin Tratado le commereio com
a Prvssia. O cholera. Tribunal de Assises.
Chcgada do Sr. Slon. Noticia importante da Su-
issa.
por todas as partes, est travada a I uta entre os
peridicos ministeralistas e os da opposicilo, acer-
ca dos banquetes dos reformadores ;a seria tnui dif-
'fkil descobriralguna cousa de novo'nesta questflo
que nflo tem adiantado um passo seqticr. Os parti-
darios do statu guo acctisam os reformadores de pro-
moverem directamente a destruicflo do governo,
mis mui de proposito, e outros semine o saibam e
sem queo quoiram ; e para prdvarem-no, allogam
sempre a mosma rasflb, isto he, a omissflo dos brin-
des ao rei, nestes banquetes. Explica-so esta omis-
so pela presenca do convidados quo silo legitimis-
tase republicanos, e que se negariam a assistir aos
banquetes, se Ihcs fosse preciso fazer votos pelo rei :
semprc seria bom examinarse he possivdl que pro-
voque a ruina da monarchia dejulho urna reforma
cleitoral qualquer, por mais desejada que leja pe-
los legiti mistas e pelos radicaos. Isto he evidente-
mente opposto ao senso commum, urna vez que
prudencia e a modcracilo presida ni reforma : e nlo
he senilo assim que a esquerda dynastica a quer.
Mas, como historiador fiel, devo dizer-ll.es que,
peste momento, nilo he a reforma eleitoriil o que
mais ocrupa a atteneflo publica. Os negocios do ex-
terior caplivam-na anda mais ; e ha alguns das s-
mente se tem fallado na crise financeira ingleza.
Sflo aterradoras as noticias recebidas boje mesmo
por via extraordinaria. Honlem (8), os fundos na
bolsa de Londres tiveram a baixa de 3/4 por ceulo.
At agora, esta crise no tem influido sobre Paris.
Mas, quando se senlirem seus efl'eitos nos portos dos
Kslailos-Unidos, be provavei que as casas francezas
queconielles cnlrctccm relaQOes, e bem assitn as
fabricas de Lyon, sofram graves perdas em conso-
quencia dos desastres do seus correspondentes da
America Todava, o governo anda nto decidi nada
a respeito da adjudicaeflo lo emprestimo do 350 mi-
IhOes, que tem motivado militas reuniOes successi-
vas do concellio : hojo mesmo'congrcga-so o gabine-
te para deliberar sobre este stijeilo.
A altencflo publica^quccnm tanta sofregud"o se
apiidcraaqiii dos objeclos novos, lanihotn os dcs-
preza faeilmoiile. Hojo, a Italia oceupa os nimos
minio menos do que. dias antes. A tninquillidade
que apparentemeuto reina nos Miados roinanos,
lia loniriliuldo para esta variacilo Isto, porm, nflo
obstante, reflecte-so com seriedade sobre v estado
incerlo dos negocios em aples. A diflculdade de
oliter noticias exacras desse paiz aiigmontou a an-
xiedade ero que toijos eslavain acerca tlelle. As que
se receberam por Marsclha silo muilo exagerailas
quautoaoque ctmtem de hostil ao governo napo-
litano; uns nflo sflo absolutamente falsas, pois'que
as correspondencias publicadas -pela Gw.cta de Aut-
burgo reconliecein que a isurreicflo est muilo lon-
co de ser supprimda. t) governo fiaiicezdevc de sa-
ber o que exactamente "se ha passado ; porm, como
nflo publica nada, lie de crer quo. a venia de nflo seja
favoravcl ao governo napolitano- Ksta sUpposicao
be corroborada pela circumstancia do ter sido en-
contrada na baha de aples, no l. de outubro.a
O DUQUE DE GUISE. (*)
por frcDertco ^oulie'.
PRIMEIRA PARTE.
. .. III.
Ora, dize-mc agora, Dominico, disse Scoppa_
depois de breve silencio, i>reatando a converSagflo,
parece-te que fz um crniei' nflo pensas, comoeu,
que aquellos que traiiiam traicries contra asua tor-
ra, mereccm ser tratados c&tno foi o principo de
Massa ? '
l'appoue nado respondou; laucn om torno de si
rpido c inquieto olhar; e, recuando de repente, ti-
lotl da cintuia duas pistolas que comsrgo de conti-
nuo tiazia; e, iipontaudo-us para Scoppa, dissc-llie
em tom ameacador.
__E prfivavelnionle viestcaqui para desempenbar
umdesses actos de juslica, que lecm feilo de ti um
dos mais infatlgavcis matadores da 'christandade?
Mas loma cuidado.-Scoppa, alvo/, soja chcgada a ho-
la em que se faca juslica aquello- que entendo l-ia
feilo a lanos principes Ilustre.
__Imprudente o lonco, disse Scoppa, olhando
tranquillo para o irmflo ; imprudente em amcagar-
' me, louco por me nflo ouvir al o que tonlm a di-
zer-lh.
(*; Vide Diario n". 265.
esquadrafranceza que se annuncira haver sahdo
d'ahi a 29 de selembro.
Cartas de Lyon, recebidas hoje, fallam, supposto
que vagamente, de um conflicto havido em Turin
entre os soldados de nfantaria eos de artillara no
ila seguinteao das demonstracOes dos jovens da ca-
pital, em um dos passeos pblicos.
Ogovemopublicou no Monileur urna nota expli-
cativa das convenqOcs coramerciaes concluidas com
a Prrusia. Os Krancc/s gozarifo de todos privilegios
concedidos as naces mais favorecidas, que sflo a
Russia.e a Inglaterra. Mas estas ventageus sflo, do reir
to.nominaes, porquanto a Franca so tem com a l'rus-
sia tiansaccOes do, pouca importancia. O ponto mais
importante, quanto apoltica, he a faculdado que
so concede Franca para estabelecor consulados em
Tehern, em Thuris e n'um dos pollos do golpho
Persa.
No Oriente, comeca a produzir alguma inquiea-
Cilo a approximacilo do cholera que se avizinha de
nos pelo norte da Europa, como emlSII. Nos lti-
mos dias de selembro, elle ja tinha chogado a lou-
la, qoc apenas dista quaienl millas do Muscow. He
para notar-se que, desta vez, o cholera nflo ataca
qtiasi exclusivamente as classes pobres, pois que as
ricas laii.liem sflo salteadas poressa peste.
O tribunal de assises do Sena deu hontom come-
CO ao julgamento do Sr. Itosemond de Beauvaljon,
aecusado de haver deposta falsamente na causa de
Eiqucvillc, que as pistolas que servram no seti du-
ello com eyarrier, no qual estesuecumbio, nflo ti-
nham sido experimentadas antes do mesmo duollo.
Como o Sr. de Ileauvallon permaneceu muito tom-
po em Madrid, cilaram-so nos debates os nomos de
minias pessoas dislnclos dessa capital. Ate esta
tarde, nflo apparecer a stlntanca do tribunal.
lista manhfla chegou o Sr. Mon Pars. Coirlquan-
loolle bouvesso sabido de Madrid antes da subida
do ministerio Narvaez, todava all ibuia-se sua chc-
gada Paris a certa missflo do que se osuppOe ei-
carregado pela rainha Cbrislina.
P. S. Pessoa, que est as eircumstancias de
saber dos segredos do partido catbolico suisso, aca-
ba de eommuuicar-me urna noticia, cuja importan-
cia he tflo saliente, que me nflo be preciso fazla
valer.
Segundo parece, os jesutas estabelccidos nos can-
,es quo constiluem o Sondcrbuni, nflo quereni a-
brr seusestabclecimenlos que se acJiam fechados
por causa das vacancias. Isto oquivaleria a urna re-
tirada de sua parle; e, Dor conseguinle, seria mais
fcil o poder-se iccommodar os dous partidos. Ln-
Irelanto, quem conhece a Suissa, enlende que serflo
imitis todos os osforcus que se lizeiem nosto seu-
lido.
DEM (0.
Decisdo do concclho de ministros sobre o emprestimo de
tresentos e cincoenla milhOes. -- Influencia da adju-
dicqco deste eniprcsfimo. Juisodos peridicos in-
glezes acerca dn novo ministerio. Hecebimenti feilo
em Argel ao duque d'Aumale. Noticias de aples.
Sen tenca de feuutallan.
Tomou-se, emfim, urna rcsolucfo sobre o enipres-
limo, no concedi de ministro de que Ibes fallei
hontcm. Um decreto firmado por el-rei aiilorisou o
ministro da fazonda a verilica-lo al a quantia de
260 milhes de francos sobre as rendas de 3 por
cento. A adjudicaeflo do emprestimo efleitura-se-ha
em um s lote e por nicio de propostas fechadas e
entregues ao ministro da fazenda, quarta-feira, 10
do novembro. O pagamento dos 250 milhoes reali-
sar-se-ba a prazos cem diversas porces.
Le
A le de 18 de agosto do 1S37 autorisava o governo s
contrahir um emprestimo de 360 midios de francoa
para as despozas dos servicos pblicos extraordina-
rios; mas nflo iho permttia anroveitar-se deste re-
curso, .de urna vez, antes limitava a 250 milhoes i
maior quantia que ojie houvessc de tornar empres-
tada. Quando se oflerecor occasiflo, eemvirtudede
medidas que devem de propr-sc as cmaras, ten-
cioiia o governo applicar os cem milhoes, que res
lii.IT., aamoilisacflo da parte da divida fluctan'
que pi'oviiii dosavancosila caixa do qconomia.
Como a adjudicaeflo do emprestimo, nflo s cstava
prevista, mas era esperada com impaciencia, nflo
influjo dcsfovoravlmente sobre os fundos pblicos.
A receila franceza va em augmento.
A subida do novo ministerio narvaez, sabida em
Londres na sexta-feira, he oommentada pelos peri-
dicos dehontem. Em gral, agouram mal o novo
gabinete. ,
llontem a tarde, soul>c-se da ebegada do duque de
Aumalc a Argel i) principe, quo sahira de Toulon a
2, dcsenibarcou a 5 naqolle porto. Foi rocebido pe-
la populacflo civil dum^neira a provar-a rasflo com
que eti Ibes alirmava em urna das cartas ante-
riores, que laboravam em erro grosseiro os peridi-
cos que tacbavamde impopular a nomeacao do prin-
cipe para esse posto.
As noticias de aples sflo incertas c confusas co-
mo sem pro : figuram mui apurada a stuaeflo do go-
verno napoliiano, que, a cada instante, receia ver
rebentar a isurreicflo em novos pontos, e que, alim
de adquirir noticias e pr-se em guarda, ha recor-
rido ao execravel alvitre da tortura, a que tem sub-
mctldo os presos polticos, para extorquir-llies o
segredo de snns rclaces com os conjurados que es
tflo em liberdado.
I)i/ia-se boje, com referencia a cartas do Italia,
quo o rei de aples sahira para a Calabria, alim de
BValiar, por s mesmo, 0 oslado da instineii;flo.
Tcrminou a causa de Ileauvallon com a sentones
do acousado n oito anuos le piisflo: julga-se quo
melbor systcma lo dolosa tivera prevenido em par-
te esta rigorosa scnlwica.
til
Vii ai
co.
Oevras, replicou Dominico oid desentoada
gargalhada de chacota, be falla de prudencia pr-se
em guarda contra os'projectos de um homem qual
tu s.'
Sim, sim, respondeu desdenhoso Scoppa, he
falta de prudencia fazer como o urso, que, sorprez
no covil pelo loflo, quer levantar a pesada garra ron-
Ira o rei dos anmaos. Nflp vs, Dominico, quo nao
tenbo medodessas pistolas que tetremera as nifls,
o que est no meu querer an-anear-fas das mflos an-
tes que Ihcs aportes o galilho?
Eimmediatumcnle Scoppa, por um rpido movi-
monto, segurou as pistolas pelos canos, c tirou-as
das mflos do irmSo. Todava nflo era esto, apezar de
sercolhido tle improviso por esse repentino ataque,
homcm i deixar-se intimidar;, e sem duvida lerrivel
Iota se ia travar entro os dous ir mflos, quando a por-
ta interior batoram precipitadas pancadas, e logo
aps estas outras-niais fortes de cnvolta com garga-
Ihadas. Scoppa abriefa porta, e un boniein de vesti-
dos sumptuosos, porm do cores as mais extrava-
gantes eJispartladas, se precpitou na sala. Trazia
grande cabelleira de crina prcla, formada de loigas
torcidas imitando serpeles; e chapeo ornado de li-
tas ; as mflos carregadas do onnes preciosos, mis-
turados com oulros de prala, rorro e cobre; a com-
prida espada tinha por punho um osso anda fedo-
lonto da gordura do assado a que pe lencera, e<|ue
elle diza ser libia de San Paulo; a barba negra o
bom povoada eslava entrabada de litinhas cor de
rosa e brancas; eaopescoco tinha a personagein um
retalo d'el-rei Henrique IV de Tranca, suspenso por
um rquissimo rosario de duas voltas. .
Apenas esse homem poz os pos na sala em que se
achavain os dous irmflos, assim bradou :
-Chamaras com nosco o cleilo do Srmior, 0 in-
trpido descendente de Hercules,- fllho do Jpiter e
Alcinina ; juntars a tua espada a deHej triuinpha-
reis ambos dos'ferozes Hespanbes, e restituiris a
I antiga Parthenope a sua cora de rosas e louros, a
TIUBUNAL DA MKLACAO'.
II ir.AMENTO NO DA 23 DE "NOVEMBRO DE 1847.
Desembargador de semana o Sr. Ponce.
Na appellacffo cvel entre o Julio, Jos Comes
Coimbra o Manoel Pereira.Cuimarflcs, na qualidade
de curador a lioranca jronle do lnado Diogo Jos
ti os Sanios, receberam os embargos para conlirma-
efio da senteiiQa appellada.
\n dita dita entre D- Anua Joaquina la Conceicflo,
vi uva de Ignacio Francisco l'ereira Dulra, c Bonto
Jos llornardos, mandaran) averbar a iliziuin.
Coniirmarain a sentenca as seguintcs appellaces
civois : .
Na de Jos Velloso Soares, Manoel Antonio Pinto
da Silva e Joaqun) Teixcira l.ele;
Na de Luiz Pires Fe reir, e Manoel Pires Ferreia
o outros;
Na do Domingos Caldas Pires Ferreira o Joflo Pires
Ferreia ;
Na de Jos Felicianno Cavalcante do Albuquer.-
que c o padre Paulo Rento Zidames.
Mandaram dar vista s partes as seguiutes ap-
pellaces cives:
Na de Jos Joaquim de Mosquita e Manoel de Sou-
za Cuimarfles;
cujo abrigo florescerao em breve a cora real de um,
o a ducal do outro.-
Quem Ir este doudo ? disse l'appoue colrico.
-- He o embaixador de S. M. Chrslianissi'na jun-
to a repblica de aples, disse Scoppa, he.o senhor
Lug del Ferro.
Ah replicou Dominico pondo na cabera o fel-
tro pardo, como signal de sua autoridade, prelendem
zombar deninn?. ... Poisadvirio que iienhiim de
vos ser bem arolhdoi
Nflo sou smenlo o honradssimo embaixador
deS. M. Chrstianissima.jilalhou Luigi, sou lambem
o primeiro concelheiio do povo de aples..... ou-
ves, Dominico? .... Encala qualidade, venho pro-
pr-te que assignesacarla seguinte.
Primeiro concellieiro do povo de aples, este
msoravol doudo?
Sim, respondeu Scoppa,ele a carta que lo pro-
pe que assignes, salieras oque a lu'a loucura me
nflo deu lempo dedizer-le.
l'appoue tomou las mflos de Luigi um papel com
o sollo pendente das armas de aples, impresso oin
lacre, e leu o que se segu, emquanlo o embaixa-
dor, pondo-se de joclhos no meio da sala, resava no
seu rosario, dizendo entre cada padre-nosso oavo-
maria :
Por inteneflo do povo!-pela alma d'el-rei
por cenia do duque de Cuise!.. ..
a. Se 'tu i su i uto Si'iihoi'.
a O fidelissimo povo de aples e do reino, com
lagrimas de sangue nos odios, supplca a V. A. se
digno ser seu defensor como o he hoje em da na
Hollanda o serenissimo principe de Orange, e pro-
curar-lbe os soccorros que V. A. tflo generosa-
mente llie olTereceu em sua obsequiosa carta que
o referido lidelissimo povo iccebou boje de bracos
abortos, com a sinceridade o fidelidado de seu
costume, e que nos obriga a dirigir incessantes
Na de Merino do Olivera Souza e Jos da Fonse-
ca e Suva; ,
Na de D. Manoola Francisca Montciro Regada o
Jos Soares de Avillar. _____^^^^^
Publicado a pedido. _
\ KCRO LO. I A.
< Na delira i palma tons, lia fronte aero*,
- Tens (tUWgura a fe, porque a virlude
. De jus nos almos ecos se galarda.
*
Com estranha ingratidflo estraga o homem oth-
souro de seus dias ; o homem, digo, esse ente pas-
sageiro cuja existencia tflo lubrica, qual o no,
quo, deslisando-se de sua nascemja, vai nerder-se
as voragens do ocano, he ao mesmo lempo urna
perfeita anagrama da estabilidade da vida' E o que
be a vida ? --.uin arremedo do espaco .'
Embriagado o homem em frivolos divortimenlos,
segu, desapercebido, o mariilho das ondas que o
lovam com sigo ; deseo, sem 0 sentir, o com os o I los
cerrados, pela arrebatada oocosta quo o encaminha
os reinos da morte .' De repente entumecem-se as
agoas apiK o medonhn escarceo, em que devo sos-
sobrar o liaixel da vida.'. Estremece entilo, e o
pavor o precipita em torno os olhos espavoridos ;
despena a alma, eem seus sentidos abalados dei-
cha veros temores em que est.. Oh dosespera-
Clo .' D o frgil batel no escolho, estala, quebra-se
e tlesapparece.'...
E queris a prova ? Ei-la, tflo lucida, como a ver-
dade que encerra '
Assalteado de improviso pelo spro da morte,
sem le sido antes ameacado em sua preciosa exis-
tencia, o meu inlimo amigo, 0 lllm. Sr. Francisco
Alvos ila Silva, sent romper-se a delgada lea que
o prendera por alguns lempos as frageis condices
da vida. Sua vital dursefio, posto que houvessc to-
cado ja a um ponto, algum tanto adiantado, anda
assim augurava ao meu inolvt- amigo mais espaco-
sos momentos do perenndade.....masera forco vol-
lar no que foi, o homem j nflo existe .'... existe a-
penas nos coraces do seus amigos o as lagrimas
de cordial saudade, que Ihe verle sobre o campa sua
incansavel ramilia .'...
Para exibir urna idoia, perfetaniente acabada, do
que fra sobre a tena o meu chorado amigo, he mis-
ter smenle encara-lo debaixo do aspecto social,
conlempla-lo e segui-lo em todos os pices de sua
vida, cm todos os pontos de contacto em que se el-
le aeliou com os seus seinelhantcs, com os quaes, he
luasflo conl'essa-lo, ontreleve sempre a mais perfei-
ta o inviolavel concordia, sem que jamis se er-
guesse alguma voz quoixosa, tiuo rovelasse olTensas
recebidas desse homem de virtudes, cuja direitura
de conduela o poz sempre ao abrigo dessas rxas o
rivalidades Riesqunhas, quo parecem constituir o
carcter especial no soculo quo vai marchando Es-
la so circumstancia, que se guarnece da rerdade em
toda a sua pureza, deve muilo rcalcar os predica-"
dosdaquelle, sobre cujos despojos espalho boje as
flores da saudade E quando suas grandes virtudes
nflo liouvcsscm transfundo em urna pratica nun-
ca inteiiouipida ellas nflo teriaca desapparecido
sem vestigios, ellas lerian assomado cm todo o seu
fulgor, qual acontecer, nesso momento em que o
meu finado amigo, despido j das illuses d vida
terrestre, reconbeceu que era dada a honr, que o de-
va levara presenca do Creador dos seres! No tor-
bilhao da agonas moraos, no meio dos nuleises-
forcos da na'.ureza expirante, (]uo raios de alegra se
nao niisluravan com as sombras e pallidez da morte.
preces bemavonturada Virgem Senhora nossa do
Carino, para que em breve possamos ver a pessoa
k o sentir os effeitos do valor de V. A., a quem bei-
jamos asnifloscom o mais profundo acatamento
ii e subinissflo.
n De V. A. Serenissima.
Humilissima, devotissima
a oobrigadissima serva

< A repblica de aples.
ii Casiano Aasisi, capilflo-general.
Lutoi del Ferro, primeiro concelheiro.
A" leiltua desla carta, Dominico Colesi ficou estu-
pefacto.
yuo! exclamen elle Miando Scoppa, um louco
por concelheiro, c um covarde por capitflo-gene-
ral..... beverdade? .
Sim, respondeu Scoppa, o se os deixarmos,
em brevo terenios um Francez por senhor e re.
Oh I nfio ha de ser assim..... nto ha de ser... .
disse l'appone com rosnar suido e lerrivel; France-
zes.....nunca.....nunca.....
__ Nflo te assustes, descendente do dos Hercules,
disse Luigi erguendo-se ; nos tratados assignades
por meu ciinbado Lorenzo Foiili, so convencinou-
muito expressamenle, que os Francezes nao beija-
riain nossas niulberes c lilhas, e que Ihes era pro-
libido agradar-Ibes.
Isto he um enlremez? exclamou l'appone ; al-
guma larca de Pasquim, que este miseravel nostrou-
xe de Roma ?..... Pois o povo escolheu este idiota
para primeiro concelheiro, e Ceiiuaro Anuese, quo
sempre tremeu auto as espingardas que fabricava,
para capilflu-gencral:'..... Isto nflo be possivel.
Pois he tal qual, disse Scoppa.
E Pionne nada disse ?
.Nada.....porque Pionne bate-se e nflo falta,
bem o sabes.
*


9
.
!h SPJ ue paz '"slteravol E seria ain-
ada? &W. P*"*' 'os encantos do
oi-ni. .: "nm'M,'J,'<">. inasobremontava
os mus ,1a humanidade! Seus olhos, ao passo qnn
sir h1-m '""'^'-''fo.ab.iam para orna no a
5SS2JS2.,n-*?- de dias sem noitn... sus.tinha-0 o
lTr^T'J-',,,n^ expirarle KS.
_j.
.8.
-,.-.
arnua,r.trUSlOSO *"* nohre moribundo, co.no ^'l"""* 8nle" ?
que llliidindo a xpcucilo a sentenca fatal vm.r I""1'11, "odia 24
tava seus ilbos virtudo, e Ihes deixava morremlo" f*rdamonto do xti
o seu templo, como ..m legado precioso morrendo' destacada, e da res,
siium.wnl.TflCao-d"M,,,,,,de ****** he
teTlo meo inL '")r,,n,m colni',a no le"o < or-
'> .nest.mavel amigo, o lllm. Sr. Francisco
Alvos ilc;i nodaSerni!?.'!^"" re,,(>uia" ,,ormem ""jo o som-
frcKuem do a, "n SfT do 0"Ke,,ho ^'uipo,
e seu viituoso pai
ottereco a saudosa memoria .1
f.ngeuhoLages, 14de nove.nbrodel8t7.
J. P. de Campot.
Alfandega.
RENDIIIENTODODfAa,............ ^^
Deecarregam Kojt, 24 de novembro.
Barca AVwwi/-bacah<.
Hr.giie ~ Chicknnw gfo
>.,tacho Freerion- carvito.
are. ... /,/,/, .. n)erca,l0rjas
Jir.gue /'o/aao idem
""." Mza-fowem-'dem.
Brigue Armorique idem.
PAGAD0R1A MILITAR.
Em consequencia do novas ordena qne o Sr coro
nel commissarfo-pagador, chefo dosta nagadoria
Jos de Hnr.0 Inglaz, acaba de recoher pelo desna-
chodoLxm.Sr. concell.eiro prosident da prdvifi-
ca, manda o mesmo Sr. ooronel fazer publico ai h
noJcontinuara antea pagadoria a arrematacifoem hasta
Mhojejdoco-rcnte, das pecas do
meto batalhSo de guarda nacional
- espectiva msica, os quaes j teem
sido nomina mente designados j com a dcclarac.lo
l'orcm, que dita arrematacilo aera somonte das.no-
cas e.n bom estado, o por lotes, ou porcoes, como
co.iv.erspessoasquoasprotenderem, podando ir
ao arsenal de guerra examinar as que Ibes convic-
rem; porque, segundo as citadas ordens do S Exc
devorto estar separadas todas as pecas ou arfi'gos <
dito fardamento arruinado, e smenlo prompfos ao
exame dos pretndanles as que cstiveron: em bom es-
tado, porque destas se aununcia de novo a venda
br'XlM? mIHar d0 |,er"ambuco, 20 de novem-
No impedimento (|0 escrivflo,
Jo/lo Arcenio Barbosa.
- A administrado geral dosestahelecimeufos de
candade, manda fazer publico, que no dia 29 do
correnle, pelas horas da tarde, i,a sala das sua"
sesses irJtoa praca as rendas da casa n. 7 darua
de Sanla-Thereza, pelo lempo que decorrerdo da
da arrematacao a 30 de junho de 1850
Administracao geral dos estabelocimentos de ca-
rldade, 22 de novembro de 18*7 -
Pi de familia docapitSo do navio e do fazendei-
o i ou noticias elementares da homoepathia con-
iendo aaccIodos2*principaes medicamentos ho-
moepathicos, i v.: vende-so por preco commodo .
na ra da Cruz.'n. 1, segundo andar.
- O Museu Pittoresco, jornal* recreactivo e ins-
tructivo, com exccllentes estampas, al o n 2t por
precomenordoquea da assignalura: veiuie-so na
ra da Cruz, n. 1, segundo andar.
Sahirame|luz as
HARMONAS romnticas
POH
Antonio Rangel de Torree Bandeira.
na praca da Independencia ,
Vende-se
ns. 6 e 8.
livrarla
'escripturario,
francieco A nlonio Cn-alcanle outte
-O arsenal de guerra precisa contratar
um
tro.
prelo
Cer
Consulado.
RENOIMENTO 1)0 da 23.
que soja bom ozinheiro, para o quartel .los apren-
d.zcs menores; dai.do-se-lhe almogo, jantar o ceia
e a su- diaria : a fallar na directora do mesmo arl
sei.al, das 8 horas da manhila, s 2 da tarde.
Flix Cavatoanle de Albuquerque Mello
Pedagogo.
Ilovinimfo do Poilo
Contrato a celebrarse com a thetouraria da, rendat
provinciaes.
r uo d eslf.'!,'eleci1fnenlo de urna linda de mnibus
5.448 que, na forma da lei provincial n. 191, do 30 de
526,442
A'aro entrado no di a 23.
quaiquer dos seus arrabaldesTparTori,rdr.-R^ce:
ber-sc-hno propostas lodos os das, at que se ve
nfique o contrato. q se ve
-Sahe, por estes 4 ou 5 das, para o Rio-de-Janei-
ro o mu o veleiro bngue americano ChickemwAo.n-
do excellentes commodos para passageiros : a tra-
tar cornos consignatarios, L. G. Ferreira&C, na
ra da Cadea do Recife, n 52.
- Para Maranhilosahir o patacho nacional Doui-
/rrnaoe, por ter a maior parte do seu carregamenlo
prompta; anda recebe alguma carga a frete, elem
bous commodos para passageiros : trata-se com Jos
Itaptista da Fonseca Jnior, na ra do Vigario n
85, ou com Antonio Francisco da Silva Carneo.' na'
rua do Trapicho, n. 6.
- Vende-sa nma canoa de um s pao, de muito
boa maacha, prompta a seguir viagem, de seis a se-
to caixas : na ra da Praia, n. 46. -
Tn**? A.ra?atv Sfl,e o 27 a barca San-
Joo-Bapttsta: lumia recebe alguma carga : trata-so
n a ra da Cruz do Recife, n. 36.
- Para Porto-Alegre e. Rio-Crande seguir, em
poucosdias, o vele.ro brigue Argot, oqual pode re-
cebar escravos a frete por ter para isso boas'accom-
modacoes e assi.n tamben passageiros: quem qui-
zor pide tratar com Amorim Irm.-Ios, ra da Cadcia
n. 4j.
trd-Fish, de
m
5 toneladas, capit,!., Ilichard C^en equipaiem
p:ssX:Z(,,:n,;8rMC- <:i,lmonl &CompaPnnia
S;JUllUS F,Sm,L're- Mn Ackaman,
imburguezes.
DITA ES.
penal nrdem da liosa, cava/leiro da de Christo
pector da alfandega '
por
etne-
S. M. o
- de l'ernambuco
Imperador, que Deo guarde, etc.
dii1'anaSan,!rr|,qU.e dia 25 d0 correnle, ao melo-
da na porta da mesma, so hilo do arrematar em
40 00OrJ,,"na ,6 <*r03e ',a,ha. valor de
Alfandega, 22 de novembro de 187.
Miguel Archanjo Uonieiro de Andrade.
Miguel Archanjo, etc.
laz saber que no dia 26 do correnle, ao meio-dia
L",'.,I^d,aIo,.f,!":lpa. hodoarremataieinhas,
. no
lengos e gra-
valor .le 1:300.000
a
publica
lia,
iiomr em hasta
vatasde seda p^ra homcm,
^^ieTrU,'!'.ol<,|lPel0. ""'""""nsc -hriel AITonso
i'j.ucra, no despacho por factura de Schafheillm
Alfandega, 23 de novembro de 1847.
Miguel Archanjo Monleiro de Andrade.

ApprehensSet feilai pela policio.
Vm quarloalaslo, que se suppoz furlado eos
escravos Agost.Mho, Germano e S lloria, que deca!
raram .star fgidos ha mais dodous anos e n,r
loncercma D. Gertr.ides da Silva.,- Devem deP,er
reclamados na subdelegada do Recife.
THEATRO PUBLICO.
SAUBADO, 27 DO CBRENTE,
USttffum parlicu,ar*se reprWMU
* MORTE nO GRANDE PATRIOTA PORTUOCEZ
O GENERAL GOMES FREIR DE ANDRADE
ou
. victima (To elrspotismo ingtez.
la hennnZfnrf Wndl em scena conforme el-
dos intervallos m? ^ S""1", R'a cantara. em >
"a a
-Para o Ceara sahe impreterivelmonte, no dia
27 do correnle o patacho nacional hurentina
que seacha com a maior parle de seu carregament
prompto para o resto .la carga e passageiros, \T
ta-sonaruadaCruz,n.64,ouabordo do mesmo
confronte ao trapiche do algodo. 'esmo ,
chZ*!-0 Ri-Gran,de-!o-S"l sahir breve o pata-
cho Emiltana, o qual pode receber alguma carca
miuda.e escravos arroto: quem pretender enten-
da-se com Amorim Irmflos, na ra da Cadeia, n. 45
dolos !7e. br,ue1br,,,,lero Confianca, do lote
do 208 toneladas, com lancha e todos os seus per-
i..Wd.0 me,.|"-oslado, sendo forrado e pre-
gado de cobre, prompto para emprchender qualouer
do SZ L^e" r ''reU,"der. P0J examina-lo a bor-
do, fondeado defronte do caes doCollegio : o para
&"' """ Cm Amrm Irm"0' na rua da
Os Srs. que se acham devendo
empreza deste Diario a imporloncia das
respectivas subscriproes, hajamde satis-
faze-las con a promptidao para quede,
viam de estar preparulos quando se ins-
creveram tu lista dos assigriantes.?* mes-
mo Diario, pois que saliiam obrigdos hj pagmetilo d.s preditss
snbscripc5es a quarteis adiantados.
Dilo-sc 200.000 rs. a juros, sob penhores de ou-
roou prata : na na Vciha.n. 86.
- Precisa-sede un, caixetro portuguaz, para to.
marconta de urna venda,- que tonha pratica deci/
negocio, e que d fiador a sua conducta : na asmii
na da Camba-do-Carmo, n. 46. H
Fiirt^ram, da sala do primeir _
dar da casa que fica defronte da ordem
terceira de San-Francisco, onde mora a
senliora Viuva Ctinlia, un espevitador
com a competente salva, pertencente ao
mesmo, e tudode prata : a quem estas
pecas frem olTerecidas se roga o favor
do as tomar, edar parte na mencionada
casa, ou na rua do Crespo, loja de Jos
Joaquim da Silva Maia, Quesera recom-
pensado. .
.i VoxdoBratil n. 5 est a venda nos lugares do
costume, nesta cidade, e na de Goianna, em casa do
Sr. Joo Francisco Fernandos, rua do Meio. Est
digna de serlida, porque, como sempre, s conten
verdades puras.
-- Ainda se acha por alugar urna morada de casa
sita em Sant'Anna. com suflicientes commodos pa-
ra passar a Testa i quem a pretender dirija-se bo- '
tica do Joito Moreira Marques, na ruadoCabug
-- Precls8-se de 300,000 rs. a juros, dando-se por
seguranca urna casa terrea nesta praca : quem qni-
zer dinja-se atrs da ribeira, n. 15, que se Ihedira
quem precisa.
r-Quem tiverum bilhar que queira vender, an-
nuncie por esta folha, para ser procurado.
Preeisa-se de una ama forra ou captiva : na rua
de Hortas, n. 16.
Attencao
?
Lefio
i s.
do Sr. Joaquim Monteiro da Cru
z, n. 25.
loja
'III)
!Va$pes Litteiari.is.
PORTUGAL.
se'ufc6ilfiaL" & C- nflo tend0. >odido excluir o
sen ultimo leililo, e.n consequencia de nilo ser nos-
sivel em um so dia expr venda as multas e diver-
sas fazendas que lhes restam para fechar certas cun-
tas ombora asmosmas sejam de lei e mui venda-
veis convidan, os seus f.eguezes para que compa- ,
ffll a fn,",'a"> "0 dito MISO, que lera lugar J
q mla-fea, 25 .lo correnle, as 10 horas da ma- n?0l
nh.la.noseu armazem, ruado Vigario. '
PARA OS PORTO S DO SUL.
.la?.1*?."elfi,,,sileiro vaPr Paramue, comman-
arosno'rr ,rnCS,<"da CSla ?er- ""cne-
gar .ios portos do norte no da 25 do crrente n
seguir nolia inmediato. cora ule e
VKSKBW77V:
E Poppe Palomho mo Ihe parti a cabeca ?
sua~c HTT lCm l,asu,,te e,n q"e cuidar coma
sua, o i.ao se oceupa com as d..s outros
N~ir,r-, "(.'Gen"uinu "se importa com isso?
Rccordacilodo anuo do 1842, pelo princine i i
cor^,^
mduz.o o traductor reimpreasno de"l"ob cu fo*
sa.queconlema anreciacno dos caracterA m'
--J. J. rasso Jnior faz leilflo, por conta de o
pcitenccr, de 39 barricas de eerveja em lotes a von-
t.i V c^PraJores, no caes da Alfandega:
boje, 24do correnle, s 11 horas
--Schaflieiilim & Toblcrfar3o leililo por inter-
men,fto0dn0Tre,0.rOIVCr"' de um Pleito sorti-
Iw.p u?n raT-e,,J".centmenle despachadas:
boje, 24 do correnle, as 10 horas da manliaa, no seu
armazem da rua da Cruz. v seu
Avisos diyerso'.
posicilo aas uou
pequeos ; Manual do
vhs&ks;
tendo-te por elle, repellindoi
e prostrando os llespa-
Wo-geV.e'r.Tna^rtK1 Hue 'tufo de capi-
lllllli'.
res
be
nf h' d!!,se,copppa, dirigin.lo-se aossalteado-
s, que hav.am acudido a voz do seu ebefe d "i dV
"o c do comer ao Ilustre embalsado a0 ha
mS/'T V'nh0 qUe SeJam 'lemasiados'para tSo
maguilica personagem..... p
i,nn..MeU.'rmi1 ten'-rasl0' disse PPIone nao se
fouPe'ida para saciar a sede que o camin'.o deve
ter causado ao nobre concelheiro. t"m,l,no ,,eve
--Mas u minha carta. .. minha carta.... ,|sse
la"~ 'TK '>ar le"'p0 a meu irmi1 l,e ssigna-
meu'senhor T' '*Tn.do ne,ta- Va ^^scar-se,
pa^r^suU^^Sa=de,,re,'aWtUdC;
ual'PappZo^&un^^ *'" fecha-
Que ledisse Julio Gennuino?
Na7olesUa tes^fos^r el,,a:ieSta mes,na >f -
.neltre do can"^'^ Zl"" a0 PVU PSt de
- ^Xaooeoot.n'!ISSe|,a,'|,0e Cm ma h'or.
me A^^ZSfi"^ pelo povo, mas
EXSSl9"*11* aquel,e *p.i.
bo7ss!m? Ve'h <'e"nin quem le J '<.
II."l o
doTodIs'VeZ m>dissess'!. Parque ho
E disse-(c .
fosso capiiSo-gnerai r
Presidente do concelho de
O LIDADOR N. 229~
acha-se a venda no lugar do costume.
a TRIBUNO N. 51
?um!S!" 1" pra da '"'Pendencia, ns, 6 e 8.
esta muito interessanle.
minM.8'-"86 un,a,.c"a cni muitos commodos c
muito fresca no melhor focal do Poco-da-Panolla
na la do Qucimado, loja, n. 8. '
hmmi
o pensamento
b o que quera ser, quando eu
sontos.
consultas o as-
seu talante
hlu/!f^L!ennor de fer votar a
gatiell as e nnpostos.
Sim, disse Scoppa balxando a voz ,
ment em que estoja provado que Ce.inulo nlio
xoude.nanierix.lacOescom o duque d'Arcos
lespanhoes ; porque, en, tal caso, a justica nu
boate o principe deMassa, des er a ?o ^o
al o mo-
de-
o os
que sii-
o conce-
Sak0n.?LeqUanl a0l,avi. -neta do duque de
^alsa n1o sera por U castigada, por havor se,, .mi
ciadtK^^'^V^i^^'
a de II o eres roubado' a sua baixell de ora la ...
sus: 1 l; ,'.;r,,ippo'por - tS!. lU" ddi,,iliva rcsoluco, Dominico'?
se rec2?rbIi".,i.eXCi,,nbu. Scoppa' odu1ue d0 eH-
in-i v i |UI a dlls '''"esls carta que ocha-
"om UdPOn?'lfen,il U,88racdos daqucllo. que
nfo"es| ",tell'fc'e"c.as secretas com os Hespa-
(o- Kquem Ihe levar essa carta?..... dissol'ap-
-- Ku.
Tu nosahirsdaqui,
Scoppa langou ao ir mito um lhar sinislro
,7.>;a len c?,que,ccstc tilo depressa da licilo i
ha pouco? Ihe disso olio.
IjCilo de ainda
poique estimara ter
nobres. Provenientes do saque das casas
theTo:rorpr.r.qe.U|Ce.^erOSSe^Pa-mim, eos U&n
'' ~ >ao sei de3Sa '"storia, replicou socca'mente
cu"t;,"rdellaS?'m..',UV,,a ^*" ai""a da vez o exe-
rec^am a morte^''' Cm j ^ aqUcllt:s que m-
ho7vBrrZi.7,rC"!^?0-genera,'e;en"noSe|d'
- Urna cabeca eu.na mflo. J V lelle 'a,,av fflr.r^rSo6.,,',,do um sa,i *&
Pappone poz-se a gritar :
Alalem-no! matem-no!
mAleS'pur,"'(|"oa|8uem.tornasse asi do pas-
mo que occasionara osla queda inesperada, se ha-
e as r:.aa,;dena'10 ^ A,,,l,l8' e '"cando'-sec i.
..Kv.be o cava lo, o.lei satr a recuar do pateo,
J neniando ass.m a rapariga aos tiros dossaltea-
dures, que nao ousavam fater-lhe fogo
J^.poue lu loso desca regou sobre elle as pisto-
ls com risco de matar a lilha. Os proprios sa ka-
dores soltaran, um grito dehorror/eferam pas-
He^sm." U Cardeal relomarini "flo ho isto?
Ka mSodoOttavia do Buonalberao ?
Sim. 6
Nilo leras nem uma nem outra, Scoooo nm
quanto eu Uve, esta cabeca em seu lugarTes.'a mfl
poder con, o peso de urna espada, oeardea me T,
t.sou eossesanto padre f., m.-u ben.fe t" '. P"
Na foja da .rua do Queimado, n. 30, de Jos Joa-
qun de Novaes, contina a haver um sjrtimento
do obras fe.tas ; chapeos-de todas as qualidades ;
ditos para meninos e meninas ; ricos chales do seda-
mantas de seda; lencos de todas as qualidades; e
outros muilos objectos que ha para vender.
Offerece-se uma niulher de meia idade para
ama de casa de pouca familia, a qual sabe fazer tu-
do o servico de portas dentro : na rua da Guia, n
54, primeiro andar.
Oabaixoassignado lendo, o annuncio do Snr.
Manoel Coelho Pinheiro sobre a venda que Ihe fez de
um moloque de 15 annos que di? ter sido fin lado
no Ico, declara que quando assim soja, OjSr. Coelho
esta com o seu dinheiro seguro, pois o annuncianle
so recebe escravos para vender de pessoas capa-
zes, ou quedeni hador idneo a dita venda. O
meleque de que trata o annuncio de 23 do corren-
le foi do Sr. Manoel JosCuedes MagnlbSes, que o
beu em pagamento, de cujo Sr. ja estou bem
fot diado com pessoa bastante capaz.
Jote'da Fonseca Silva.
Joo Jos Duarte Guimar3es, Bra-
sil eiro, relira-se para Portugal.
--Na loja deba rbeiro, dofronte da Lingota de
Jos Goncalves Braga precisa-so de un. aprendiz
para o mesmo olicio : quem estiver' nestas circums-
tiinciasdirija-Se a dila loja.
-- Quem u unciou ha das querer comprar
una lileira, querendo uma com pouco uso e cora
todos os seus pertences, dirija-se a rua .iosTanoei-
ros, armazem n. 5, que se fara todo o negocio.
Aluga-se, duramen lempo da fesla, uma casa
no Poco-da-1'a nella a margen, do rio junio a casa
onde morou o sacristlo da-matriz : a tratar na rua
do Queimado, botica n. 15.
Precisa-s.e de dous serradores : na praca da
Boa-Vista, n. 1. ,r.
A praca do si lio do Prreira da alfandega que
seannu.iciou para odia 22 do correnle foi annum-
ciada poi engao do porleiro, devend ser no dia
qu.nta-feii u, 25 do correnle.
mados. Scoppa aproveitou-se do assmbro de to-
dos, o voltando redeas, logo que se acbou na rua,
deitou o cavallo a todo galope.
, Alirem-lbe..... alirem-lhe!..... bradava Pap-
pone.
Os s alleadoros corrern, entilo aos arcabuzes ;
quando rhegaram, porm, a rua, j Scoppa ia fonge,
eAnnita posta na gurupa do vigoroso ginete, ainda
Ihe servia de broquel contra as balas dos seus i-
re igos. Pa p| one, furioso, praguejava, ameacava,
pedia do b alde un. cayallo... Nessa orcaaio avi.-to.i
elle na out ra cxlreniidade da rua um cnvallciro que
vinha a toda u brida. A sru aspecto, o furor de i'ap-
pone voltuu-se contra elle, que se ppz no meio da
rua, com a espada levantada.
- Suspende, Melcl.ior llorgia, Ihe bradou elle,
que nito iras mais ionge.
. =- Ora adeos.' disse o cavalleiro saltando em tr-
ra, vonlade iionhuma lenho d.sso, porque aqui
est quem procuro, accrescenlou mostrando l.uigi
Ferr. Anda, vilblo, disse dirigindo-se ao em-
- 'urja meio'bolillo, ci.lrega-me a caita que
levar ao (juque de Guiso...
i cavalleiro que acaba de eahir do eco se a-
possou dola, respondeu Luigi halbuciando. e ella
sem duvida galopa com olio em compauhia da bella
Aiiuita...
N3o l.cCarniole ? Dlsso Borgia colrico.
Sim, disse Pappoi.e, he u.eu irmiio...
E levoua caria ?..
E rouhou a rapariga.... disse Luigi rindo-se.
Por meu avo Alexand.ie exclamou Borgia tor-
uando a montar a cavallo, cu recobraroi a carta.
K mlriha lilha, "disso Pappone, restituir-m'a-
ha, similor Borgia ?
O lldalgo olhou para Dominico, e depois de breve
silencio respundeu :
Consulta Luigi acerca do resgato que me pde
uflerecer, so eu della ino apoderar.
(Continuar-se-ha.)
i



5
O bacharol Angelo llenriques da Silva mudou o
seu escriptorio para o primeiro andar dosobrado da
casa. 20 da esquina da ra do Collogio, etn quo tem
Iivrana o Sr. I)r. Couinho.
~* Quem annunciou a venda de urna casa terrea,
sita n< bairrp de Santo-Antonio, em chitos proprios,
nvro e desembaragada, dirija-se a ra do Vicario,
numero ..
Precisa-se de um foitor para um sitio
desta praca : na praca da lndepemlenci
ns. 6 n 8.
Quem annunciou querer vender um casa ter-
<< IIP... ft" A rtn.1 __' 1 ^ .
perto
ivraria
00,000 reis, durija-se a ra do Cabug, n |gio de casa e sendo preso nos Afosados decla-
9, para se ver o lugar o o estado da mcsma.
Aluga-se urna preta ou preto para "andar com
fazends com outra pessoa : na ra do Vigario, nu-
mero 19.
--Aluga-se nm sitio na ra da Casa-Forle, com
commodos parase passar a Testa: tambem su alu-
gain varias casas tanto na campia como na ra
da Casa-Forte e na estrada do Pogo : a tratar na ra
do Amorim, n. i :>.
Manuel CoelhoPinheiro, morador em Frn-de-
Portas faz publico que comprou, ha poucos mezs,
aoSr. Jos da Fonseca e Silva um cscravo criou-
lo, de 15 annos pouco mais ou menos,oqual fli-
Compras.
Compra-s urna commoda de amanillo em se-
gunda mito : quem tiverannuncio.
Compram-se 500 meios de sola de boa marca
na ra do Collegio, armazem n. 19.
Alugam-seduas pretas para todo oservico : na
ra do Collegio, n. 13, loja de bahs.
-Furtaram, da povoagilo de Tabalinga, junto a
villa de iguarassu um cavallo com os signaos se-
guidles : castaiho escuro com o.ierro S dobrado ,
o* p6S arfagnyaiiua fronle abena man muito una
a listra cascos brancos, e nos cascos de p e mito
esquonla teem pola parle do dentro urna listra pre-
ta: quem o pegar, ou delle der noticia no pateo Ua
Ribeira n. 21, ou no mesmo lugar d Taba tinga
ser recompensado de seu Irabalho.
--Aluga-so o sitio do finado Machado na ra Im-
perial propria para moradia ou para passar a fes-
ta, com-boa casa com commodos suficientes para
grando familia casinha paraprolos, estribara,
urna pnrgito de parreiras o diversos urvoredos de
Tructo ; a tratar na ra Diroita n. 82
andar.
rou na presenta do respectivo Sr. subdelegado de
polica qu pertencia a Jos de Moura, morador em
na ra larga do
r Vcnde-se cobre a por cento
Rozario, n. 48.
, Vende-se um berco do angico, um dogro do cama,
Pianco e que fra furlado o vendido nesta praca. O jUas banquinhas para cabeceira de cama e tres ca-
pequeas para meninas de escola, *
primeiro
j Dao-se 5oi'ooo rs.de gratificacao,
| e se pagara todas as mais despe-
| zas que se tenham feito, a quem
I dr noticia do cabocliubo cscra-
vo por nome Vicente de seis
annos, pouco mais ou menos, scc-
co do corpo; tem no antis dtias f-
tidas, de bobas, e he um tanto le-
so, por ser novato.nesta praca; le-
vou vestido camisa de algodo da
Ierra um tanto suja ; deseneaini-
nhou-se da ra do Vigario, n. a$,
aonde se poder dirigir a pessoa
que souber, ou ra da Cadeia
Perdeu-se urna luneta encasloada em ouro
no dia 18 do correte noile desde o theatro vc-
lho at o paleo do Carmo : quem a achou e a qui-
zer restituir, dirija-se. ao predito pateo, sobrado
ii. 1-1, segundo andar, ondo sera gratificado com
5,000 rs.
--O doutorCasanova medico .francez, continua
a receitar em sua casa na ra Nova 7, primeiro
andar, defronlodo oitiioda matriz de S.-Anlonio ,
das 7 as 9 horas da manha o depois disto, est
promptoa qualqucr hora para fazer visitas a quaj-
querdoeulequedeseu prestiino so quizer ulilisar.
I ima, i lala te,
de
na ra do l.ivramento sobrado n. 1 precisa
bous offlciaes de seu oflicio o de cojlurciras.
Quem tiver nina preta para alugar, que saiba
cozmhar, engommar c fnzor todo o mais servico de
urna casa, c que d fiador a sua conducta, dirija-
so a ra da Aurora n. 20.
H di *. PBOS )E SOL Jg
lina do l*asseio*Publico, n. 5.
Joito l.oubct participa ao rcspeitavel publico, que
recebeu, por estes ltimos navios francezes, um com-
plolosortinii'nto de chapos de 'sol, de seda; amis
rica e superior qualidade; furta-cres e outras mili-
tas coiihecidas, tanto parrhomens, como para Sras
e meninos. No mesmo estabolecimenlo ha um sorli-
meuto do chapeos do sol de paninho, dos mais mo-
dernos; ditos muito grandes, proprios para homens
decampo : tambem tem chapeos de sol do paninho
para meninos c meninas, por sercm muito linos: po-
dem-se chamar chapeos de economa. Na mcsma loja
lia sorlmcnto do bengalas, bengalinhas o chicotes
muito modernos; robre-so qualqucr armadlo de cha
pos deso, com sedas de todas as cOres equaNda-
des. Na mesma casa ha um grande sortimento
paniiiuhos trangados e lisos, imitando seda, para
cobrir os mesmos: desta fazenda se verid aretalho
Concerta-se todo qualqucr chapeo de sol, por ha ver
um completo sorlimento do todos os pertencos para
os mesmos, chin toda a perfeigito e brevidade.
, Aluga-se uma casa terrea na ra de Agoas-Ver-
les n. 30 coen bous roinmnrtos para uma fanlia :
a tratar na ra do Apollo n. 22 segundo andar
Os moradores da ra de S -Francisco ( Mundo
Novo | rogam a os lllms. Srs. da junta de salubrida-
de queiram por suas bondades olharein para a dita
na, que contase a casa que no hajai doentes coin
febre talvez procedido da muita lama que tem ,
que com este veriio no tem sido possvel seccar
enconsequencia da grando abundancia d'agoa que
corro duchafiiriz do largo do Paraizo., e se por a
caso este negocio nAo pcrienga a suppradita junta ,
o mesmo so pede ao lllm. Sr. Fiscal do bairro de Sr.
Antonio.
Aluga-se pelo lempo do testa urna casa tor-
rea delroute da igrcjn S.-Pcdro-Aposiolo, cm
lindn com bons commodos e pe ip do banho do
mar: a tratar na mesma cida.lo, ra de Mathias-
Ferrcira sobrado gnuiile do veranda de forro.
Arronda-sc, para so passar a resta, um sitio a
margem do rio Capibaribe no lugar da Torre, com
uma ptima casa de vivenda earvoredos de fruclo :
a tratar na ra do l.ivramento, n. 18.
Precisa-se de 1:200,000 rs. a juros com hypo-
theca em lies escravos e em urna casa lenes, sita na
lloa-Visla: quem os quizer dar aiinuncio para ser
procurado.
Tcndo-se perdido un bilhele da alfandega ,
com -data de 18 do novembro da quanlia de
373,53* rs. a vencer cmlSdo marco prximo fu-
turo aceito pelos abaixo assignados porin anda
uno sendo assignado pelo Sr. cscrivito da alfandega,
eapora.seivdo novamente aceito pelos mesmos ou-
tro bilhete te igual theor o quanlia cm lugar do
perdido, ficando este sem valor, ou effoito al-
gum:por isso fazem oslo annuncio para evitar
qualquor duvida.- Brander a llrandit & C.
posse do Jilo escravo por
ter jirestado uma flanea e roga a qualquer pessoa,
que tenha conliecimento do dito Moura que avise
a oslo aiim de cuidar quanlo antes de haver pe-
los meios legaes o predito escravo.
Joaquim Flix Machado convida aos pobres ce-
gos e aleijados desta cidade para que no dia 28 do
corrente, polas 9 horas da manha, seachem na ra
da Prai, n 39, para roceberem una esmola que
manda dar lllm. Snliora D. Maria Jos do Itemo-
di.o, proprietaria doengeuho Paraizo, comarca do
Rio-Formoso.
Precisa-sede um bomem quo ontenda de pa-
deiro para administrar uma padaria : na ra das
Cruzes, n. 30.
O Sr. Joo Alberto Macharlo tonha a bondade
de procurar uma carta no armazem de Francisco
Das Forreira no caes da Alfandega ou pessoa
coinpctenlopor elle aulorisado.
--Precisa-sede uma ama secca de bons costu-
mes que no soja muito moca o so saiba dar com
todo o cuidado ao interior do uma casa de pouca
familia". Dirigir-se ra do Itangol, n. 59, segundo
andar.
Pedro.de Albuquerque l.ins e Mello declara que
no deve nada a algueiu nesta praca ; e constando-
Iho que existe uma ordom queja foi falsamente
ipresentada em seu nome o que no foi paga, por
sedesconllardesua voracidade : pede-so, porta ri-
to, a qualquer pessoa a quem dita ordem ou mes-
mo outra qualquer quo for apresenlada que a n3o
pague sem menucosoe seguro examo, que possa
garantir contra falsidade.
Os Srs. Jos Gonslon, Domingos Affonso Ferrei-
ra, Antonio Ignacio de Torres Bandeira Joito Ca-
valcanti de Mello Albuquerque, Theodoro Jos dos
Santos, Antonio Rodrigues de Albuquerque, Anto-
nio Joaquim de Figueiredo Seabra, Luiz de Pinho
liorges, Josepha Joaquina do Livramento Francis-
co Concalves Gurjilo Verissimo Antonio de Mallos,
Manoel Peregrino da Silva, Ignacio Joaquim For-
reira Manoel Gomes dos Passos Manoel do Nas-
cimento bastos e Fiederico Augusto do Lomos di-
rija m-se a ra do Itangel, n. 11, a negocio do seus
inlcresses.
Quem quizer comprar, ou alugar para passar
a festa urna casa terrea no lugar de S.-Thoreza ,
por proco commodo, com quatro quartos cosiuha
fra uma casinha no fundo da mesma para escra-
vos, quintal com 10 ps de coqueirose 2 ditos de
oitizeiros, dirija-se a ra do S.-Cecilia n. 23.
Aluga-se uma grande propriedade e sitio quo
vai al o rio Capibaribe, no Monleiro quo loi do
fallecido Francisco da Silva : a tratar na ra da Ca-
deia do Recife sobrado 11. 65.
Precisa-se do um ou dous meninos forros ou
escravos, para aprenderom o officio de latueiro ou
I funilelro : na ra das Cruzes loja de Antonio Joa-
quim da Silva braga.
Precisa-se de um caixeiro de 13 a 15 annos ,
quo tenha pratica de venda : na ra da Guia n. 36.
8 #$ &
W* Odoutor Alexandrode Souza Pereira do
(P% Carmo, medico mudou sua residencia
's^ para a ra larga do llozi io n. 12, segun-
flSi do e terce'iro andares do sobrado ondo tem
botica oSr. Jos Maria Goncalves llamos.
Q
leiras pequeas para meninas de escola, ludo en*,
boni estado e quasi novo : na ra do Queimado, lo-
ja n. 8.
Vende-se uma e.irrora do lious bois, nova, de
carregar pipas por baixo : na ra do Pires, n. 3.
Pechinelia, pechncha !
i\a loja do Passeio-Publico n.
19, de Manoel Joaquim Pas-
coal Hamos,
vendem-se pecas de madapolito muito fino com um
pequeo toque de.avaria, a 2,000 rs.. e em vara, a
120 rs.
Vendem-se fijlos de mar.
more: emc.isa deOiveira Irmos
& C, na ra d i Cruz, n. 9. .
Vende-se urna porcito do grades para janellas ;
caixilhos do amarello, novosquo anda imo leva-
ra m vidros ; janellas e portas do louro em bom uso ;
uma varanda de ferro ; um bahu do folha : ludo por
proco commodo : na praca da lloa-Visla, n. 7.
Vendem-se i escravos sendo um pardo do 20
annos robusto ; um preto du Angola do 28 anuos;
uma crloula do20 anuos; urna parda do 28 anuos.:
ambas cosom, lavam, ongommam fazem rendase
bicos, o entondein sofl'iivelmente de coziuha :
todos so vendom para um pagamento: na ruados
Tanoeiros armazem n. 5.
= Vende-so por precisio uma escrav que en-
gomma, lava do varrcla he boa quitandeira, mui-
to liel o do boa conducta, o que se afianca : na ra
do Collegio, n.3, segundo andar, se dir quem
vende.
Sal.
Vende-se sal milito alvo a bordo do briguo So-
ciedade, Tundeado em frente do trapiche do Sr.
Angelo : a ira lar com o capitlo a bordo, ou com
Jos Francisco Collares, as escadinhas ou nos tra-
piches da estiva
Lempos de cassa, a I JO rs.
cada um.
No Aterro-da-Boa-Vista n 10, primeira loja" de
fazends indo da ponto vendem-se lencos do cas-
sa le quatro ponas, com listras brancas o do cores,
a sois vinleps ; casimiras lina o do bonitos padroes
para calcas a 4,000 rs. o corte de 3 covados e moio,
ou a 1,120 rs. o covado ; riquissimos cortes de col-
lete de fuslilo, a 1,000 rs., n do se'tins de edres mili-
to lindos a 2,000 rs. ; selins brancos lavrados ,
proprios para vestidos de bailes e casamento a
1,000 re. o covado. Todas estas fazends silo de
ptima qualidade a vista dolas vento os compra-
dores que nitu ha exageraeflo neste annuncio.
Vida de .8- Jesus-Christ
-Precsa-so lugar um molequo que soja fiel, e
de um aprendiz do charuteiro om Fra-de-Porlas,
fabrica n. 127.
Amda so precisa do uma ama, preta, forra ou
cscrava : na ru du llangel, n. 59.
O.
Chegou livraria da esquina do Collegio o pre-
cioso livro Vida de N. S.- Jesus-Christo con-
forme os quatro evangelistas, produccto do insig-
ne escriptor Filinto Elysio : vende-so cada exem-
plar per 2,000 rs. e d'ahi para cima segundo a
cncadernaQito.
V'emdem-se, no districto da villa do'Bananei-
ras, na provincia da Parahiba do Norte, as seguin-
tes Ierras proprias para planlaces de algodito e
caimas do assucar, a saber: um silio com meia egoa
de Ierra, denominado Alagoinha- ; um sitio com
urna engenhoca e casa de vivenda, denominado Ba-
crava
da res
- Aluga-se urna casa terrea com bons commodos,
por 8,000 rs. monsaes sita na travessa do Peixolo ,
n. 19: a tratar no boceo do Sarapatcl, sobrado n. 6.
No dia 26 do corrente so ha de arrematar de
renda aiinual, a quem mais der, um sobrado do um
andar sttr
--Sitio-Novo, em CallabouQo, com uma casa gran-
de de vivenda, scnzalla para escravos, prensa para
encacaralgodilo o oulros perlences para descaro-
canicntodo mesmo genero, quo foram de Francis-
co da Clinha Ribeiro: silo proprias para plantacito
de algoilAo, ou para enaguo do gados. Quem as
quizer comprar dirija-se naquclla villa aocapto
andar sito na i ua du Gloria, avahado om 450,000 re ^slevito Jos da lloclla, mi na cidade da Parahiba, a
-tpertencedlea Luiz Pires Ferroira em a praca da Jos l.uiz Pereira l.ima.
....... .i..-:....!
Na loja 11 utiero 17 da ra do
vara do'civol.
?$!fc0*10 j0 sd0 fci# ]0 W^10&10O
5 Vende-se uma preta que rose perfeitamen-
^ le, faz lavarinlo, marca, engomma lio per-
l('l!;l l'llllllMI:! II ll^l 1(11,1 Vwn.i. ..-'...

^.
feita cozinheira e nao tem vicio; uma mu-
latinba recolbidn de 13 annos, quo cose,
tem principios de eiigommado, e lio ptima
para todo o arranjo do urna casa ; duas pre-
tas mocas ,que coznliam muilobem o dia-
rio de uma casa engonimam liso, lavam de
sa bao e \ ai i el la e sabem vender na ra azei-
te de carrapato : na ra do Vigario, n. 24,
se dir quem vende.
'0i>i00i<* tx am &* 0>% ^ft ito
ATTFXCAO'!
O levanlamcnto da brindeira
de N. S. da Coticeieo da
po i i le do Recife,
ter lugar na madrugada desatibado para o domin-
go, 28 do corrento. Os festoiros esperam quo os mo-
radores das ras ConceicHo e Cadeia illuminem
suas casas, afim detornarom mais biilbaute um acto
do tanta veneracio.
-Precisa-sealugar uma escrava para o servigo
diario de uma casa e que ontenda do cozmha f na
na do Vigai io, n. 22.
S'asseio-'tihlieo,
vendem-se corles de cambraia, de cores finas, com
6 c meia a 7 varas, a 2,210 c 2,560 rs.; ditas muito
linas, a 560 rs. a vara ; cortea das muito>liiulas prin-
Cezinas, a 12,000 rs ; maulas de seda, muilo ricas,
a 10,000 rs.; chales de seda, muito ricos, a 14,000 rs.;
chitas finas a 120, f40,160, 180, 200 e 240 rs., e muilo
finas a 280 rs.; brins de linbo de quadros olislras,
muito lindos padres, a 640 rs. a vara ; lengos gran-
des de seda para grvala, e bons em qualidade, a
1,280 rs. ; mantas de seda para grvala de honiem, a
2,000 rs. ; cortos de collele de lita e seda, a 320 rs.
ditos de fusto, a 500 rs. ; ditos de velludo do cia-
res, a 3,000 rs. ; ditos de gorgunlo de seda de co-
res, a 3,000 rs. ; ditos do gurgurito de la o seda,
1,000 rs.; lencos brancos arrendados, para infin .lo
senhora, a 210 rs.; chales do lita da Escocia, a 2 560
rs.; ditos de lita com listras de seda, a 3,000 ris ;
alpaca cor de caf, a 640 rs o covado ; dita muito fi-
na prcla, a 1,440rs. o covado; pecas do madapolito
muilo finas, com quatro palmos, a 4,000 e 4,500 rs ;
cassa lisa a 240, 400, 480 c 560 rs. ; pegas de algo-
diiozinh com 18 jardas, a 2,000 rs.; chales de cas-
sa escura, a6t0rs. ; merinos muilo superiores, a
1,600, 2,800, 3,200, 3,500 e 4,000 rs. o covado ; cor-
les de chita com dez covados, a 1,000 rs. ; ditos linos
com 10 ditos, a 1,800 rs.; ditos ditos com 14 ditos,
a 3,501) rs. ; ditos de vestido de cassa com barra, a
5,000 rs o outras muilas fazends por precos com-
modos.
Vendem-se 8 escravos, sendo : duas
pretas e duas pardas, de 10 a 4 annos,
boas lavadeiras, custurciras, e que cozi-
nliam o diario de urna casa ; tres pardos,
sendo nm de 16 annos e dous de ao a
3o; nm moleque, de 1 a annos: na roa
do Crespo, n 1 \, se dir quem vende.
Vendo-se um moloque lo 7 annos, pouco mais
ou menos, por prego commodo : na ra Velha, n. 18.
Admira veis nava-
lhas de acoda China
que teern a vajttagem de cortar o cabello sem orTen-
sa da pello, dexandp a cara parocendo estar na
sua brilhanle mocidade.
F.stc ago vem exclusivamentcda China oso nel-
Ic Irabalham dous dos melhorc- e mais abalisados
eutileiros da nunca excedida o rica cidado dePe-
kim .capital do imperio China.^14/or.SAon.
N. H. He reconhecitlo o uso destas navalhas
maravilhosus por tojas as sociedades das scien-
cias medico-cirurgicas, tanto da Furopa como da
America Azia e frica, nito so para provenir as mo-
eslias das cutis, mas tainboin elimo um moio cos-
mtico.
Vendoin-so as vordadoiras s na ra larga do Ro-
zario, n. 24.
-----Vendem-se enfeites de froco de di-
versas cores para cabecas de senboras :
na luja de Maya liamos & C, ra Nova,
n. 6.
Vende-so um negro perito official de sapateiro,
doidadodo 20 annos, o umi negra cozinheira, eos-,
tureira, lavadeirae engommadetra. deidadede 22
anuos pouco inaisou manos : na rifa eslroita do Ro-
zario, 11. 43, secundo andar.
Xa rua do Crespo, loja n. 12,
de Jos Joaquim i\a JSlva
II aya,
vendem-se muito lindos chapos para meninas,
tanto de se.la como do palliinha chegados ltima-
mente de Pars ; chapeos de seda para senhora;
cortes do crambraia de soda do ricos gostos, por
prego muito commodo ; cortes de vestidos de cam-
braia ecassa-chitas de- di libren tes qualidades por
pregoS baratos; ditos com uma pinta de mofo e
sem elle a 2,000 e 2,500 rs. cada corte ; mantas de
seda e lita para senhora, das mais modernas que
teem viudo a osla praga, a 5,000 rs. cada uma;
mantas e chales do seda de varias qualidades e ba-
ratos; alpaca preta a 800 e 1,600 rs. o covado;
l'.-inuo de linbo a 400 rs. ir vara; casimiras fran-
cezas e elsticas para caigas a 5,000 rs o corte ;
Instos; setinse velludos para collete, por prego
muito em conta ; bein como um surt ment de ou-
tras multas fa/.oudas quo se vendem pelo barato.
Charutos de Hat ana
em caix inbas de 100 c de 250 ltimamente chega-
dos ven de m-se uo armazem de Kalkmann & Ro-
seamuntl, na rua da Cruz, u. 10.
ELIXIR TNICO
ANTI-Fl. KUMATICO,
pelo eu/tor doutor Cuill, medico ta faculdade de Pa-
rs, membro de varias sociedades medicas, assim na-
cionaes como cstrangeiras, cavalleiro da real ordem da
legio de honra, ele.
Duponl, pharmiiceutico, cm Pars, rua Ti-
quetonne, n. 14.;
O nico deposito verdadeiro deste elixir he esta-
belocido pelo mesmo autor na botica do Sr. Jos da
Itocha Paranhos, rua estrella do Rozario, n. 10, em
Pcrnambuco.
O elixir anli-fleuiiiatico he essencralmonte tnico,
reanima o principio.vital e da frga s fibras, des-
laca os humores viscosos, os precipita em baixo, a-
vivao appetle e fortifica o estomago.
Pdo-se administrar na mais tenr infancia como
na velhice; nada he mais docoquo o seu elleito: fun-
do, dissolvo os humores o Ibes d sabida sem algu-
ma agitagito, sem sus|ionder as occupactfes, nem
mudar os habilos: se pode lomar deste ellieazmenta
urna colher demantUta em jejum, particularmente
no invern o nos lempos hmidos.
Os asmticos, gotosos, hydropicos, aquolles cuja
libra he molle, licam satisfeitos do seu uso ; bem
como os quo soffrcni deflux.to catarral do peilo, a-
zedunies do estomago, syncopes e palpitagoes do
coragito, clica, empigensj catarro da bexiga, apo-
plexia cerosa, reumatismo, lluxos alvos, doengas
de leitenassenhoras, indgeslito, vermes intestinaes
as criangas, e outras multas enfermidades que se-
na longo enumerar.
Este medicamento salular tem produzido os mais
favoraveis elleitos, nos casos, nara assim dizer, dos-
esperados. Desta sorte, desde seis annos foi pros-
cripto por lodos os mdicos Ilustres, e os successos
quolidianos quoobtm, tanto em Franca como nos
paizes estrangeiros, formam o melhor elogio quo
desto possa fazer-se, o a prova deste he a grande sa-
bida que este maravilhoso remedio tem lido as
provincias do Brasil, principalmente na haba a
lio-de-Janeiro ondo ha taas illustragfles me-
dicas.
AVISO ESSENCIAL.
Deve-sesmento inteira confianga s garrafas que
teem uma marca quo leva a firma do autor, seme-
ntante aquella que se ve embalso. F.mliin, para e-
vitar o pengo das falsificagOes, os accidentes que
poderiaiii acontecer, o arrestar a cobiga dos falsa-
rios, o publico he prevenido que cadi garrafa deve
soracumpanhada de urna nstruegilo impressa que
inuicaa maneira de entregar este medicamento,
compilado pelo Sr. uilli, com a sua firma, eim-
prosso em Pars por o Sr. Goelseliy ; caracteres es-
senciaes para evitar a fraude.
Tintas d'oleo
em latas pequeas, vendem-se no armazem de Kal-
kmann & Rosenmund, na rua da Cruz, n. 10.
Vidros para espelho,
de varios tamanhos, vendem-se no armazem de
Kalkmann &. Rosenmuud, a rua da Cruz, o. 10.


T




1 -
A
Na rua Nova, loja n. 58, vende-se calgado da
*erra, a saber : sapales esapatos para homem e
meninos; ditos de eouroe de marroquin, para se-
nhnra e menh-is j aviam-ntos para .sapateiro; sa-
patdesde lustro, o uando nflo houver algum qlio
chejjue ao freguez, tambem so recebem encom-
mendas ; uma p.irgito de madeira ; linhas ; bicos;
ramos de flores; parrrira brava, ou ahutua para re-
medio ; um b aoo do halanga do autor Romflo com
um terno de pesos de duas arrobas para baixo pa-
ra ar'iiaznm lo carne ; un terreno em bom lugar,
com 200 palmos de frente 800 e tantos de fundo.
Na loja nova da ra do Quei-
mado,n. 11 A, de Kaymun-
do Carlos Lcite ,
a 800 rs
a vara do ptimo panno de linho do porio as pecas
sito de is varas e meia ; dito de 25 varas, a 600 rs. ;
guardanapns de puro linho, a 800 rs. ; fazenda do
norte, propria para collcles, jaqueles o etc., tecido
tie seda o linho ; meias de linho as mais linas que
toem vindo ao mercado.
Vende-se cera de carnauba, do muito boa qua-
Iidade, tanto a relalho como em porgflo : na ra
das l.arangeiras ,- n. 14. segundo anJar.
DEPOSITO DE CAL yiBGEM.
Na ra do Trapiche n. 17, ha sem-
pre cal vigem de Lisboa, em Larris pc-
Hionos, e ltimamente cliegadn mu-
i superior e por preco rasoave!.
AGENCIA lA PUNMpAO'O LOW-MOOn.
Na rua da Senzalla-.Nova n. 42, contina a haver
j n completo sortimento de moendas e. machinas de
vapor para engenhos de assucar : bem como tai-
xas de ferro batido e coado de todos os lamanlios :
tudo por prec.0 commodo.
Vende-se, ou troca-sc por casas nesta praga, um
tnrrnno.com 412 palmos de frente e 150 de fundo*
sito por detrs .lo covento do Carino : a tratar com
osenproprietario, no Manguinho, segundo sitio
lepois da capella de S.-Jo.s.
Xa 1 >ja nova da rua do Quei-
rnado, n. II vi, de Raimun-
do Carlos Leile ,
acha-sc um novo sortimentodo pannos linos de todas
as cores e qualidades; chapeos francezes da ultima
moda ;um completo sortiiuenlo de 'asentas linas
e grossas por prego mais barato do que em outra
qualquer parta.
--Vende-se uma linda negra com habilidades um
negro pe?a de 20annos; um moleque de 12 ,
niulalinlia de 4 annos, e um mulequo de 7 anuos,
por seu sentar se retirar para fra : na rua da
Senzalia-Velha, 11. no, se dir quem vende.
pichinchas novas, chegadas de proposito para a
festa.
Vend-se urna norc.lo de pecas do pellucia de
seda, de differentes qualidades, por proco commo-
do : na rua da Cadeia do Itecife, n. 36.
Aftcncao!
Acaba de chegar loja doPassoio-Publico n. 17,
uma porgflo da corles de camhraia transparente de
I Ha, para vestidos de senhora,padroes inteiramonlc
novos, e que se espera merogam geral' applanso das
senhoras de bom gusto, e muito principalmente das
quo tencionam passara festa om seus sitios. A por-
gflo he diminuta enlo ha mais em Pernambuco ,
por isso sem demora devem mandar por elles, antes
queseacabem mesmo porque o preco convida ,
pois he o de*5,000 rs. por cada um cort.
LOTERA
1)0 V
Hospital Pedro 11.
Continuam-se a venderos hilhetes desta lotera,
no bairrodn ftecife, rua da Cadeia n. 24, loja de
cambio flo Sr. Vicira ; no bairro de S.-Antonio, rua
do Cabug, n. 1t, botica do Sr. Joflo Moreira Mar-
ques; na pracinha do l.ivrainenlo n. 51, loja do
Sr. thesoureiro Moraes ; na rua do l.ivramento n.
22, botica do Sr. Chasis' Brevemente ser anuun-
ciado o dia impreterivel da sua extraerlo.
mm m w. m m mmwmm
.DOLJVIU^
LOJA.
DE 6 PORTAS H2
g .\esta loja das pechinchas, vendem-se pan-
f nos finos, a 2,500, 3,000 3,500 e 4,000 rs. ,
e muito lino, prova do limflo a 5, 6 o 7,000
rs. ; casimiraa de duas larguras, a 1,500 o
jj 2,000 rs o covado, e muito superior, a 3,000
3 e 4,000 rs. ; cortes de selim e do velludo
H paracollele, a 2,000, 2.500 e 3,000 rs.; man-
9 las do selim para homem, a 2,000 rs ; um
f grande sortimento de madapoloes chitas
e outras muilas fazendas para a festa por
baraljssimo preco, para acabar antes do ba-
je* i....... >
1

Vende-se urna preta de ,nacSo boa cozinhei-
ra o quitandeira, e que tambem he ptima lavadei-
ra por p/ego commodo visto se vender por ne-
cessidade : na_rua do Cotovello n. S">,
Remedio prodigioso para os
embriagados.
Este remedio lorna-se mui apreciavel por ser sua
composieflo mui simples, e nSo arruinar a sado do
individuo, fazendo-o aborrecer para sempre a be-
bida. Vende-se na rua da Gloria, n. 87.
. Vende-se um moleque de 8 annos, eummu-
latinfto de4 : na rua da Senzalla-Volha n. lio,
primeiro andar, se dir que vende
Vende-se uma balanga grande, propria para
pesar couros, ou carne secca com uma porgflo de
pesos : na rua do Collegio, n. 19.
Vende-se muito bom arroz branco em sac-
cas : na rua do Queimado, n. 44.
Vende-se uma cama de antarello, anda nava
0 muito om conta, por ser do uma pessoa que se
relira para o matto : na ra da Praia-de-S.-Iiita
serrara n. 21.
Vende-se um moleque de muito bonita figu-
ra bolieiro e barbero ; 2 ditos de 12 a 14 annos ;
1 preto do 20 annos, de elegante figura ; 2 mulati-
nhos ; 2 pa rdas; 2 pretas ; 1 negrjnha: todas com
habilidades: 1 preto cozinheiro e engommadeiro;
2 pretos'parrf todo o servico do rua : no paleo da
matriz de S.-Antonio sobrado n. 4.
-- Vende-se Hagas de vimes
vindas do Porto
nhasdo 14 annos, recolhidas ; 7 escravos de 22 a
28 annos ; uma negrinha de 12 anuos: na rua Di-
reita, n. 3.
Vende-se urna negrinha costureira o rende-
ra; um mulatmho com principios de sapateiro na
rua larga do Roznrio, loja de miudezas, n. 35
se dir quem vendo por querer mtirar-se para f-
ra. Na mesma loja tambem so vendo um piano in-
glez que precisa de um pequono concert pro-
pno para se aprendor. .
Vende-se um cavallo de linda cor, nem gor-
do bom carregador de baixo a meio], com bons e
novos arrotos, ou sem elles : na rua da Cloria ,
Vendem-se travs de camacary e
massBranduba de 4o a 45 palmos de com-
primento : na rua do Queimado, n 4.
Vende uma barcaca de lote de
23
caixas
no caes da Al-
arma zem de Antonio
Annes Jocome Pires.
faniJe^a
m
Luvasde p llici.
Afianca-se as boas qualidades destas luvas. lia de
todas as cores tanto para homem
-....... como para
nnora. Vendem-se mais em conta do
Ira qualquer parle.
se-
que em 011-
Na rua larga do Itozario, n. 2*.
Pannos finos.
Vendem se superiores pannos finos, a prova de
limito, preto, a 3,000, 4,500,5,500 e 6.500 rs. ; di-
to azul, a 3,000 rs. ,e muito fino, a 4,500 rs. -Estes
pannosso novos o pela sua barateza, attendendo
a sua boa quahdade, tornam-se recommendaveis.
j\a ruado Collegio, n.l.
A <2000 rs.,
saccas com bom niilho: no
cus da Allandega, armazcm
de Antonio Annes.
Vendem-se caixas de cha hysson, do 13 libras,
em porces ou a relalho : na rua da Alfandega-
Vclba,n. 36, em casa de Matheus Ausn & C.
Rclmiras.
Vendem-se superiores cortes da fazenda nova
denominada belmira para vestidos de senhora
pelo barato prego de 4,500 e 5,000 rs. o corte. Esta
fnzenda he nova e de muito sublimes gustos, sen-
do as suas cores mui apreciaves por serem cor de
lirio, rosa c perola. A elles antes que se acabem.
!Na rua do Collegio, lojan. 1.
Vendem se esrravo3 muilo baratos, pj-
ra.se liquidarcm contns dcste anno, na
rua das Larangeiras, n. 14, segundo
andar:
tres lindos moleques do 14 a 16 annos; um dito
com principios de sapateiro e que entende de pa-
daria ; um lindo miilatinho de 11 anuos, muito es-
perto, sem vicios, proprio para aprender qualquer
ollicio ; um preto de 23 annos ptimo para tr.iba-
Ihar em armazcm de assucar por ser bastante for-
te; um ditodenaco, bom ganbador de rua, e que
esta acoslumado ao trabalho de renacfio ; um par-
do de 36 annos, bom para tomar conta de um sitio,
por ser de boa conta ; um prelo de 40 annos bom \ .,
canoeiro e ptimo olllcial de canteo ; um dito de 40 '
anuos, por 200,000 rs. ; uma preta muito foite
por 220,000 1 s.; duas pardas com algumas habili-
dades ; duas pretas muito mogas que silo opti-
nias'quitandeiras; duas ditas boas engommadeiras
o cozinbeiras ; e oulros escravos.
Vende-se um silio na estrada de S.-Amaro pa-
ra Ui'lem passanilo a |ionlp o primeiro, do lado
direito,com boa casa grande que pode morar 3 fa-
milias paste |iara 8 vaeciis de leite terreno para
uma plantar bastantes arvoredos do fructo e alguna
vveiros : tambem se aluga outio mais pequeo na
mesma estrada : a tratar no mesmo silio ou na rua
Direita n. 4.
\enile-se, a bordo de berganlim Independen-
te Tundeado den-onte do trapiche da alfandega ,
sebo em rama, encarne superior.
Na loja nova da rua d) (Jim i
uiado, 11. 11 a, de Uayinun-
do Cario, Li te,
acha-so um novo sortimento de lindas mantas de
a 4,000 rs. tendo tambem de 2,000 10,000,
de trocal,
11.10 a 5/
seda
|6,000 e 20,000 rs. ; luvas para senhora
ultima moda em Lisboa; meias cras
rs. a du/.ia.
Na rua do Crespo, loja n. 8 ,
de Campos & Haya,
vendem-se ricos corles de c.imbraia de
sed-i, dos mais modernos gost<>s que teem
opparecido por prtco muito commodo
o bom e barat .
J Vendem-se superiores rhapos-francozes o do
i=>it,ultimo gosto de Pars a 6,600 rs. ; chapeos de
castor braneos e pretos da ultima moda, a 6,000 rs. ;
bem como de todas as'mais qualidades, a precos
muito rasoaveis na rua do Queimado loja de cha-
peos, n. 88.
Vendem-se pecus de madapoino lmpo, com
20 varas a 2,500 rs. ; pegas de chitas escuras mui-
to encorpadas fortes ede cores lixas a 5,500 rs. ,
ea 160 rs. a relalho: na rua estreila do Itozario,
n. 10. terceiro andar.
Vende-se um quarto aue serve para ambas as
sallas : na rua do S.-Gongalo n. 34.
- Vende-se um sitio em Ueboribo, muito gran-
de proprio para vaccasde leito e com muita Ierra
para capini e oulras plantacoes : tambem se vende a
prazo com firmas a contento: a tratar com Manoel
Antonio ca Silva Molla.
Vendem-se por prego rasoavel, as obras de
Bergior ; Diccionario de tlicologia ; deKritot, scir
enca do-publicita ; de Constante, tratado da legis-
Qfie ; de boisle, diccionario universal; de Guizot,
pena de moile : na rua do Cabug, loja de Jos
BrantfQo da Rocha dcfronlo da matriz.
Na rua da Cruz, n. 26,
vendem-se os seguintes escravos : duas molecas de
12 annos ; duas mulatinhas uma de 12 annos, e a
outra de 9 ; um paido de 30 annos ; um preto de 18
annos ; sola; couros mindos; cera de carnauba ; es-
leirs do Aracaly ; sapatos e bolins obra boa e fei-
la no Aracaly.
Casimiras elsticas e finas, a
7^000 rs.
Vendem-se superiores casimiras elsticas, finase
decores, pelo baratissimo preco de 7,000 rs. o cor-
te de caiga. Esta fazenda he recemmendavel pela
sua qualidado tanto em fazenda como em goslos ,
por serem os ma"is modernos; casimiras pretas ,
superior fazenda por serem muito linas a 2, 3 e^
3,500 rs. o covado : na ra do Collegio, loja n. 1.
Vende-se uma parda de 14 a 15 annos ,
recolhida sem vicios nem achaques,
quo engnmma cose, faz lavariuto ,
marca, lava e laz o mais arranjo- de
uma casa monos cozinbar : vende-se
por precsilo : no largo do Collegio no
segundo andar do sobrado enlrc a
oass imarella liga da cmara-municipal.
Loja de O portas.
Na esquina do l.ivramento, loja de 6 portas, ven-
dem-se corles de cambraia lisa, com 7 varas e meia
e 5 palmos de largura com bonita renda o bicos de
lindos gostos a 5,000 rs.
Vende-so um carre- de 4 rodas para um ou
douscavallos, com urna parelha dd cavallos, o
sem ella : na rua Nova, cocheira n. 54.
Vende-se um lindo carrnbo de
duas rodas novo e muito
arreios tambem novos
piche,, n. 4a, ca.a de
na rua do ueiuauo, n. 4-
Chapeos de palha para se-
nhora,
do melhor gosto e finura quo pode haver nesto ge-
nero ; sedas lavradas e de cord.lozinho', para cha-
peos do senhora ; crep do cores muito fino e lar-
go ; copas de fil para chapeos de crep, com as co-
res do mesmo crep; mantas de seda para senhora
ditas de garga ,queagora estao muito em moda'-
chapeos francezes da mais superior qualidade o d
formas elegantes ; um Ifndosortimento de luvas,
tanto para senhora como para Jiomem ;e outras
muitas fazendas da moda e gosto por prego com-
modo : na rua do Cabug, loja franceza de Manoel
Pinheiro de Mondonga, junto a botica do Sr. Joflo
Moreira.
Vende-se um lindo relogio de ouro.por pre-
go muito commodo: no beccodo Sarapatel, sobra-
do n. 16.
O NOVO BARATEIKO
Oh l, cnto anda nao viram?
lois aqu estou na rua do
Queimado, n 10,
queiraando boas e excellentesquenquilharias por
pregos mais rasoaveis possiveis,o se duvidam ve-
nham examinar ricas bengalas e modernas, a 320
rs. cada uma ; tesouras muilo linas com loque de
ferrugem a 160 rs. cada urna ; riquissimas caixas
de vidro para guardar ouro proprias para dar de
mimo a qualquer moga ; brincos de ouro franeez ,
os mais modernos o ohegados ltimamente de Fran-
ga. Oh que riquissinios loques de pnnas com plu-
mas e de outras mais qualidades, proprios para bai-
les e oulros divui timonlos de maior luxo possivel ;
bem como aljofares do todas as qualidades e de to-
das as cores um completo sortimento de bolOcs
braneos e amarellos, para pagem ; riquissimos, bo-
lOes amarellos, muilo linos de Podro II; ricos ca-
ivetes finos do cabo'decilitro de viado, del, te 3
fallas ; o oulras militas quenquilharias de lxo ,
proprias para as senhoras de bom gosto : o que ludo
se vende mais barato do que em outra qualquer
parle.
Escravos
Fgidos.
com
MEZ MARIANO A 1,000 US.
Vende-se na livrana Ja praga da Independencia
ns, 6 e 8 o Novo Mez Mariano, accrescentado com o
l-auspercnnedo Santissimo Itozario.
ftc so na lUJa do nicho que
appart'ccm slas pechinebus
Na esquina do l.ivramento, loja do nicho, ven-
dem-se manas para seuhora a 1,000 e 2,000 rs.;
setm, branco de. llores, com duas larguras, a
,,'T.I ,CUV"'2 ; ""!"'" chineaos, com is-
t as de .seda a 360 rs covado ; chales muito Kran-
des do garga e seda -2,000 rs. ; lengos.grandes da
mesma fazenda-, a 1,000 rs. ; ditos escocezes de
botillos goslos a 200 e 320 rs.; e outras militas
O KAKATKIKO.
iova loja da rua do Cres-
po ao pe do arco de S-An-
lonio n.4, de Ilieartlo Jos
de Freitis liibciro,
vendem-se casimiras a turca de uma so cor fa-
zpnda inteiramento nova empadrOes o qualidades,
c queleui una elasliciiladc quo se nflo cnconlra
nessas outras casimiras vuigares.seudoestas applau-
lanto para caigas como para excedentes pa-
porterein duas larguras, eo sen preo ser
maneiro
: na roa do Tra-
Adafnson llowie
& Companhia ou no Aterro-da-I3oa-
Vista cocheira doSr. Miguel.
Na nova loja do Pas^ei >-|>u
blico, n. 19, d Manoel Joa-
quim PascoaJ Hamos ,
vende-se corles de cambraia alegra, fazenda muito
moderna a 2,000 rs ; cortes de Ifla para caigas a
3,000 rs. ; cortes de casimira do quadros muito
moderna a 6,500 rs. ; alpaca preta, a 900 rs. ; me-
rino preto, a 3,200 rs.; panno preto muilo fino,
a 4,500 e 5,000 rs. ; dito azul, a 4,000 rs. sarja
pela hespanhola ,a 2,000 rs.; selim preto, a 1,000
rs. ; lengos para grvala do seda de cores, a 400
rs. ; ditos de cassa a 160 rs. ; lengos de seda pa-
ra homem a 1,440 e 1600 rs.; lengos braneos de
todos ostamanhos, de 240 at 400 rs. ; mantas de
seda muito ricas a 9,000 rs.; chales de lila, a 2,000
rs ; ditos de Ifla e seda a 8,000 rs. ; ditos de nie-
tmi e chita a 1,00o rs. ; e outras muilas fazendas
muilo emeonta.
jj Na rua dasCruzes, n. 41, vende-se marmela- $
SS da nova em caixas de 2 e4 libras, checa- 9?
'* da no patacho Andorinha. ik
n
K
u mmm-Mim'&iem s69es a
cadeirinha de doua bragos,
por prego comaiodo : .ia rua
siveis
lltOS i'*-. **..> '......' 11111,11111.', mi, .i> < 111 ii 11 aci
4,000 rs. o covado e o corle de-calcas 7,000 rs. Igual-
menta lia lengos de 3 puntas de cambraia com cer-
cadura de cor e palmus bordadas proprios para
pescogo de senhora a 120 rs. cada um; corles de
cambraia adamascada, do bonitos padres e com'7
varas, a 4,000js. ; ditos de Cmbrala coln listrasas-
selinadas brancas e com 7 varas, a 3,500 rs.
:-Veodem-se200 hiaudOes de cera do-liio-de-Ja-
neiro.de 2 libras ede I e3 quartas, por menos
de seu cusi para liquidar; na rua da SenzalU-Ve-
Iha, n. lio.
Vende-se uma
forrada de damasco,
do Ainorim, n. 15.
Vemde-se caf da trra, a 4,500 rs. a arroba :
na ruado Crespo,.n. 15, loja de Antonio da Cunta
soares Guimariles.
-Vendem-se ires negros doservigo decampo,
e de boas figuras : na rua da Cadeia, n. 9, loja de
ferragens de Jos Das da Silva.
- Ven dem-sc semen les de liorta liga de todas as
quaiiiladcs, muito novas e chegadas prximamen-
te do Porto na barca.Esptrito-.Sanlu, por prego mui-
lo commodo : na rua estreila do Itozario, venda
n. 8.
Vendem-se22 escravos, sendo: 2 mlalinhos
m!il?.._". '!f?t0a ,5."nnus. moleques de 12
-* Ausenlou-sc, ha dias, da ca'sa de seu senhor o
escravo Joflo f*rdo trigueiro de 15 a 17 annos ,
cara grande, olhos regulares bous denles;. bcni
conhecido por andar freqnentemento fardado: -quem
o pegar leve ao Mondego a seu senhor Luiz Co-
mes Verreira que recompensar generosamente.
-- Em 2 de fevereiro desto anno desnppareceu da
cidadeda Babia um escravo crioulo, de nomeThe-
inotheo de 16 a 17 annos com ollicio de sapateiro,
secco docorpo, com uma orelha furada para brin-
co; gagueija ao fallar; lem rosto comprido.olhos vi-
vos ps leios do hichos que leve, e anda calgado ;
ha toda a dcsconfianga de estar nesla provincia com
o nonio mudado; pelence a D. Joaquina Maria dos
liis', residente naquellac dado, Tambem desappa-
receu da mesma senhora urna e"scra.va de nomo
Joanna Viegas, de meia dado com uma marca na
testa, de Angola, fgida, na cidade de Olinda do
Permmbuco, em 1837 para 1838. ulra escrava, do
nonie Maria da mesma nacSo fgida ha lempos,
antes desta e de mais idado. Boga-se ags captfles
de campo ou outra qualquer pessoa que os pren-
dam o levem-nos a rua do Brum .fabricado catdei-
rciro de Mesquita & utra que serflo generosa-
mente recompensados
Fugio, no dia 16 do corrente, uma preta do
Angola, deiomo Marcellina; levou um taboleiro
com roleles ; be bem condecida por ter as peruas.
muito lorias ; j he acoslumada a fazer estas relira-
das ; porm nunca para fra da cidade : quem a
pegar leve-a ao paleo do Para izo, n. 20, que ser
recompensado. ,
Fugio, de casa do seu senhor, no dia 21 do
corrente, urna preta do nagao Bengueja d esta-
tura baixa cheia do corpo, de nomo Domingas;
representa ter 40 annos ; sabio de casa as 4 horas da
tardo; levou vestido de chita roxa desbotada, e por
cima, cm lugardesaia um vestido do chita do as-
sen to branco ja velbo ; nflo levou panno : quem
apegarleye-aa-rua da Lingota n. 5, primeiro an-
dar que so pagarflo todas as despezas e se recom-
pensar.
DAO' -se 50,000 RS, DE GRATIFICAgAO'
a quem levar a rua dos l.aloeiro n. 66 um mole-
quo que fugio 110 dia 26 do abril, do rime Matheus,
eque tambem responde por Monteiro de 14 a 15
annos, de iiacflo Angola.fulo; tem orellia furada; he
lustrador e empalhadOr. Tambem se proceder com
todo o rigor das leis contra quem o liver acollado ,
para so liaverem l/rs. diarios. A pessoa quo o levar
a casa cima recebera a dita gralilicagflo.
I)AO'-SE 100,000 US. I)K (illATMTCACAO.
Fugio, ou foi Curiado, em 27 do scteiiib.ro de 1844,
um moleque, de nomo Carlos devendo ter boje
15 para 16 anuos, robusto e cheio do corpo, com
urna bel iiia no can todo 0IJ10 direito e com um*
marca de Cerro pe to do poito direito,quo parece ser
AF, e contra-marca por baixo destas*lellrfls,que "flo
se pode bem distinguir : falla ahida inuitn pouco ,
por isso com estes signaos bem fcil he de sor co-
njieculado. Boga-se a todas as autoridades e capi-
tfles do campo .que 6 typographia que recuberiTo 100,000 rs. de gratifi-
cagflo e se pagarflo todas as despezas.
i.? 1.
a 16 anuos ; 3 escravos de meia idade; 4 mulali-U'ERN.: na tti\ de *. f. us karia. 1I347.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EIYFV5YS0_1WNWKS INGEST_TIME 2013-04-26T22:15:17Z PACKAGE AA00011611_08573
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES