Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08571


This item is only available as the following downloads:


Full Text
oro
Anno de 1847.
Sennda-feira 22
O DIARIO pulilici-sf tojos os das rem 'le gnanh o preco da awii;nHira lie-ile
4J00O rs.por qnarlal, pagos adiaaladot. Os an-
nuncics dos assiijnantas sli.i Inseridos i rnso de
10 n. par liaba), 40 rs. em ty|>o djllerenlc, e as
rpetises pela melada. Os que ne f.irom assig-
nanles pagano 80 rs por litiha, e 100 eia tjpo
diflerente, portad publicarlo.
P11ASES DA LA NO MK' OE NOVEMBRO.
I.ua nova, a *os 5J minutos da maulia.
Ciescenta a l&, s 8 lioras e 5!. min. da taide.
La cheia a II. s 7 hoios e 4S min. datante.
M.uioante a 29, s i lioras e 2 min. da tarde.
PARTID\ DOS CORREIOS.
GoiannaePai'aliilias secundas sextas fein
Uio-tirnnde-dn- Norte quimas feiras ao meio-dia
Cabo, Scriiili.'iem, Itio-Kornioso, Poito-Calvo e
tlawi" no l.*, a i : e II de cada mei.
liara.ilnini e Itouito. a 8 e 23.
Roa-Vi.'ta c Flores, a 13 e 18.
Victoria, s quiulas-feiraf.
Oliuda, todos os dias.
PltEAMArt DE HOJE.
I'i'imeira, s 3 horas e 42 minutos da manilas.
Segunda, s 4 horas e 0 minutos da tarde.
de Novembro. Anno XXIV.
jV. 94.
am
DAS DA SEMANA.
22 Seg. S. Cicilia. Aud. do J. dos orph. e
do I. Aoc da S v. edo J. M. da I y.
23 Terca. S. Clemente. Aud. do J. lo ci.
da l.v.e do i. de paz do 2. disl. de t.
24 Quarta. S. Joo da Cruz. Aud. do J. do
civ.da2. v. edo J. de paz do 2. dist de t.
26 Oiiinta. S. Catharina. Aud. do J. de orph.
e do J. municipal da I. vara.
10 Sesla. S. Pedro Alexaiidrinu. Aud do J' do
civ. da I.T.e do J. de paxdo I. dist de t.
27 Sabbado. S. Margarida deSaboia Aud. do J.
ilo civ. da I. v. e do i. de paxdo I dlsl.dc t.
22 Domingo, i." do Avent. S. Gregorio.
CAMBIOS NO DA 19 DF.NOVRMBRO
Sobre Londres a 28 d por 14 rs. a 60 < (10 di.
i> Pars lO rs. por h-ancn.
ii Llsl A 105 a 110 de pi-enio.
Desc. de lemas de boas lirtm I I a l|i % ao '"
()Hro-Oncashespaii!ioh.s....aiOil a MOOO
.i Moedasdcli.OO vrlb 16(4100 a 16^200
, de #ioo uor.. istmio a io#ioo
. da4?00n..... 9*100 a Sjjoo
PralJ Halaces.;........ 1*060 a l#90
Pesos columnares... llliO a IJ9G0
Ditos mexicanos.... I700 a 1*800
Miada............. 1*920 a *#*<>
Acedes da comp. do Helierilie de 500000 is.ao par.
DIARIO DE PERMAMBUCO.

i
PIRTEOFFICIAL.
COMM
) DAS ARMAS.
QvarUl do commando das armat na ciilade do Red-
fe, 20 de novembro de 1847.
ORDEM 1)0 DA N." 21.
O commandantc das armas espera que amanh.la
(21)comparegam osSrs. commandantes dos corpos,
ofllciaes e cadetes, era grande uniforme, na secreta-
ria militar, pelas 3 horas da rarde, ofim de que com
elle se dirijam igreja matriz de S. Antonio, desta
cidade, pura acompanliarom a procisslo do Corpui-
Christi, como he costume, e nos cumpro como ver-
danYi ros calhol icos.
O cpmmandante das armas determina, cm vista
da falta de ofllciaes para o servido da guarnigiio, que
como tacs fagam o servigo os Srs. cadetes Alexandri-
no E'luardo Farrcira Nobre, Francisco Rodrigues Ra-
mos eHerculano Alexandrinode Mello, esta da com-
panliia llxa de cavallaria de linha, e aquellos do ba-
talhilo de cacadores 6.
Manoel Ignacio de Carvallio Vendoncn.
Conforme. Manoel Porfirio de Catiro Araujo, aju-
dantedeordens. '
EXTERI R.
FRANCA.
O DUQUE DE NEMOURS.

Carta recehida pelo correspondenle do Timet, e
publicada no numero do mesmo jornal de 13 de se-
tembro, mas que fra declarada puro invento por
boas autoridades, em Pars ;
Campo de Compiegne, 8 de setembro i 8 liorts da
noile.
Acaba de espalhar-se, com a rapidez do relm-
pago, o boato de que o duque de .Nemours fra mor-
ton'umacassada que tivera lugar boje na Floresta
de Compiegne. O principe era acompanhado pelos
scus dous ajudantes do campo, pelo coronel Dumas,
ajudante do campo d'el-rei e sub-chefe do estado-
niaior, e coica de 30 ofllciaes superiores. A ideia de
umii tal desgraca produzra a maior consternagn
entre os criados da casa de S. A. R., quo foram os
primeiros informados do boato.
InformacSo oblida da melhor fontc habilila-mc a
aflirmar que. una.tal catasiropho estove com eileito
a ponto deoccorrer O tiuque de Nemours recebeu
na cubcga mu i los gritos de niuniglo, com osquaes
leon a principio alordoado, mas o accidento nlo foi
felizmente seguido de consequencia alguma fatal.
O principe tem al agora recusado deixa-los extra-
bir, aflu de nilo affligr a pessoa que se suppOe la-
verlo feudo ; e deu ordem para que nada se dissesse
a respeito duqueza. O Dr. Pasquier, 2.*crurgi3o
da casa real, tem prestado todos os cuidados possi-
voisaS. A. It.
* 9 de selembio. O principe s experimenta urna
leve dor de cabera, e pode montar a cavallo e assis-
tir hoje a um exercicio de fogo que se fez enlre o
ouleiro deMangy eMongis, duas aldeias contiguas
ao campo, a oitu milbas de Compiegne.
a He impossivcl descrever-vos a affliccio causada
por aquello incidente.
Oduqued'Aumale e o principo do Joinville gas-
taram dous dias no castello, e linliam partido para
Sl.-Claud, antes que o accideulo succedesse.
A duqueza de Nemours, acumpanhada pelas
suas duas damas de honor, madaine de Oraison e
niadame Murat, o pelo temente-generalColbcrt, par-
ti Iij n'uraa calera aherta.
a Rala tarde deve haver um jantar, para o qual
sito convidadas 40 pessoas, e ha recepgiio no cas-
tello.
No domingo prximo seguinle dar o duque e a
duqueza um grande oirie, e na terca-feira repre-
sentarlo os actores doGymnasio urna pega drama-
tica no thealro.
As grandes manobras do campo hilo de comecar
para a semana. F.l-rei, a rainha, o duque e a duque-
za de Montpensier sloesporados a 15 ou 16 do cor-
rente.
[Public Ledger.)
PERNAMBUCO.
:?
O UQUE DE GUISE.
por jfrcDcrico oculte'.
PBIME1BA 1'A.RTE.
I.
A pequea cidado dcSessa, urna das mais impor-
tantes da Terra-de-Labr, est situada no fundo do
golfo de Gado, a pouca distancia do mar. He urna
auliga cidade maravilhosamento ornada de verdes
panpaitos pelas frentes das casas cniadas, toda so-
nieada de myrtoso limoeirosque offerecem por toda
a parte odorferos lainallicles, e ornada decapell-
nhas que 9oiicitam a devoeflo dos habitantes.
Em urna das mais lindas casas dessa formnsa cida-
de ucbavam-se, em fins de outubro de 1646, duas
pessoas que pirreciam absortas na mais profunda nie-
dilarilo.
Lina dolas era um homom de quarenta anuos, de
enorme corpulencia. Bastos, negros e linos cabellos
lhe cobriam a fronte da quadrada cara, cujas fcices,
vigorosamente acceutuadas, ainda mais saliente
lornavam a ampia gordura em Indias brutaes. Os
olhospretosescmlillantes, os denles luzidios c agu-
do no meio da cor queimada da tez, davam-lhe
urna expressflo do crueldade e violencia, capaz de
TRIBUNAL DA RELACAO'.

JULGAMENTO NO DA 20 DE NOVEMBRO DE 1847.
Detenbargador de semana o Sr. Nunes Machado.
Na appellacuo civel enlre Manoel Jos de Souza
Carneiro, Jolo Alves de Carvalho e ojuizo, refor-
maram a sentcnca, sendo approvados os embargos.
Nadita dita enlre Antonio Joaquini do Mello Pa-
checo, como tutor dos menores lilhos da finada D.
Mara da Silva e Mello, liento Jos Fernandos Bar-
rus, tcstamenteiro da mesma, o Francisco Cordci-
ro Dias dos Sanios, mandaran) dar vista ao Dr. cura-
dor dos orphflos.
Vi dita dita entro a viuva e lilhos de Jo.lo Carlos
Pereira de Burgos Ponccde Leilo e Jorge Knoworthy
Coinpanhia, receberam e julgaram provados os
embargos.-
Nadladita entre Barlholotticu Francisco de Sou-
za e Manoel Paulo Quintclla, confirmaran! a sen-
tenca,
Na dita dila enlre Jos dos Sanios Neves e An-
tonia Mario do Sacramento, conlirniarain a sen-
tenga.
Na dita dita enlre o juizo c Bernardo Henriqucs,
confirmaran) a senlcnga.
Na dita dita entre a fazenda e Antonio da Sil-
va & Companhia, mandaram os autos para o car-
lorio.
Nadita dita entre Francisco Antonio Fernandos c
Jos Antonio de Magalhes Dasto, confirmaram a
ten lenca.
Na lila dita entro a fazenda o Jos Ribeiro da Cos-
ta, cunfimaram a sentenca.
Mandaram dar vista s partes as seguintes appcl-
lacOes civeis:
Na de Manoel Ignacio de Olivera e Manoel Elias de
Moura ;
Na de (aspar Jos dos Reis o Jos Francisco de
Barros;
a de Jos Carlos Teixeira c Joaquim JosPe-
reira;
Na dos administradores e he.'deiros da casa de
JoHo Mara Seveu Elias Coellio Cintra.
Nao tomaram coiihecimento do aggravo entre An-
tonio de Oliveira e Mell e Antonio Francisco do Al-
buquerque Santiago.
MABnLUP-t TWi-.
Cire8pon ciencia.
Srs. Redactares. I.cndo o seu Diario n. 259, de
terca foira, nclle doparei com um artigo, referindo
os aconlecimcnlos que tiveram lugar nesla fregue-
zin doPoqo-da-Panella, nodia!3 docorrenle, pelas
7 horas da tarde, pouco mais ou menos, por occa-
siilo donecorrido, pnucas horas antes, na povoaQfio
do Monteiro, entre o Sr. general Jos Ignacio de Abreu
e Lima, e o Sr, Manuel Joaquim do Reg Barros; c
intimidar ao mais resoluto ; os bragos monstruosos,
desenliados pelas cerradas mangas do gibio de buf-
falo.annunciavam frga extraordinaria, e via-se que,
apezar do peso apparenle, esse homcm dovia tor ain-
da certa presteza nos movimentos.
A oulra pessoa era urna rapariga de quinze annos
apenas, que se pareca muito com aquello cujas fe-
coes acabamos de esbogar, tanlo todava como se
pode parecer urna graciosa e delicada pintura de um
pincel enamorado, com o grosseiro esbogo escapo
aos rudos arromessos da cscova.
Apezar da sua extrema mocdade, a bella rapariga
j eslava ameagada de bordar a temivel gordura do
pai. Todas as formas femnitias eram nella sump-
l liosamente reveladas, eos labios grossos everme-
llios, assim como os olhos articules, eslavam dizen-
do que aquella natureza tinha dsposigOes para to-
das as paixes vivas. Duas cousas eram particular-
mente iiotavcis na belleza d'Annita : (assim se cha-
mava ella) eram a delicadeza dos ps e mSos, c a
abundancia incrvel dos cabellos, torcidos em corOa
em redor da cabega.
Eslava ella, bem como o pai, sentada ao lado de
una mesa colierla de laianJHS e outros fructos; e,
com os olhos lixos no af, pareca sorrr-se a alguns
desses sonbos encantadores, quo embalan) e des-
perlam as almas do quinzo annos. O pai, pelo con-
trario, eslava impaciente edesassocogado.
- Nflo havia indicio do que fosse inlerrompido o si-
lencio entro o pai e a (illia, quando de sbito ouvio-
se grande rumor a porta exterior da casa, e quasi ao
mesmo lempo enlrou no sala, cm que se achavam
os nossos dous pensativos, um homcm d'alla esta-
tura.
A' sua vista, levantarani-so os outros com o mes-
mo moYimento.
como cu, oo Sr. JusPcrcira da Silva figuramos no
mencionado artigo-como os nicos pacificadores
deslo povo, que tao imprudentemente se houvera
nessa oecasiSo ; dovo declarar, em obsequio ver-
dade, pelo quo mo respeila, que, comquauto me
apresenlas.se cheio dos mclliores desejos, na Casa-
Forle, em consequencia das noticias aterradoras
que mochegnram, estando cu em minha casa, da-
qucllcsdcploravcissuccessos; moempreguei esses
esforgos quo me attrbuc o artigo a que mu refiro,
para rcduzir o povo a seus deveres ; e nem isso era
preciso, pois que all, alm do outras muitas pes-
soas, interessadas, comoeu, na manulencSo da or-
dem, estava o respectivo subdelegado, que natural-
mente teria foito, como de faci meconstou que fi-
zera, os maiores esforgos, fim de conseguir a tran-
quillidade dos habitantes desta freguezia, que, sob
a immediala inspecgUo de sua autoridade, doveram
estar garantidos.
E pois que nfo aceitarei louvores, quando os me-
rega, senflo por minhas proprias aeges, nilo quero,
com o mcu silencio, ficar-me com a gloria, que a
outros, que nfio mim, compete por tflotssigna-
lado servigo.
Qciram, porlanto, Srs. Bedaclorcs, fazer-m*- o ob-
sequio de darem publicidado a estas mal tragadas li-
nhas, com o quo muito obrlganlo a
Paulino Augusto da Silva Freir.
Alfandega.
RENDIMENTO 1)0 DI.V 20............ 6:478,617
Descarregam hoje, 22 le novembro.
Barca Norval bacalho.
Briguc Armoriquc mcrcadoras.
Patacho Freedon dem.
Briguo -Paradints dem.
Escuna -- Elisa-Eleonor farnha do trigo.
Brigue Chickatuiw taboado.
Consulado.
ItENDIMENTO DO DA 20.
Coral...........
Diversas provincias.
550,497
28,761
579,258
PIUCA 1)0 BUCHE, 20 DE NOVEMBRO DE 1847,
AS 3 HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios.....As diminutas transacgOcs da se-
mana tiveram por base o cambio
de 28d. p. 1,000 rs.
Algodiio......Entraran) 670 saccas. Os pregos
baixaram, pois quo vendeu-sea
5,800 e 6,000 rs. a (i1 do de pri-
meira sorte, e a 5,300 c 5,500 rs.
do de segunda.
------O deposito do velho vaiem de-
crescimento. O novo aflluo
mais ao mercado, do que na se-
mana prxima passada. -- As no-
ticias pouco favoraveis ao com-
merco, chegadas ltimamente
da Europa, cooperaran) para que
o prego tiesto genero soflresse
baixa, e regulasse assim;
Assurar
Meu lio I.....cxclamou a rapariga.
Meu irniflol.....disse o pai desta.
Mas, postoque taes exclamagoesattestassem que
o recemchegado era de familia, ao primeiro aspecto
pareca diflicil acredita-lo.
Esse irmilo era comefleito um rapagilo de oilo
palmos e meio, cabellos compridos e lisos, rosto ma-
gro c cavado, faces salientes e luzidias, por cima das
quaeschammejavam dous olhos pequeninos e par-
dos ; nariz curvo, que fulininava um bgodc espes-
so c vermclho, atrevidamente retorcido dos lados,
e queixo pontagudo, ainda mais alongado por um
punhado de barba hirsuta e tesa como as sedas do
javali. Todo esse individuo pareca um ajuntamen-
to de ngulos d'ossos ligados uns aos outros por
msculos de ferro
Trajava vesta de buffalo, e jaleco. Em vez das
bragas decanhes, como entilo ordinariamente se
usava, trazia cuecas que lile deixavam descoberta a
coxa musculosa. Perdiam-se-lhe as tongas pernas
em mmonsas botas armadas de formidaves espo-
ras. Umcinluiiio do courosustinha-lhe dous pares
do pistolas o urna adaga, que a um hoinem de peque-
a estatura podra servir de sabr. A espada era do
comprimonlo c peso quo muito faziam presumir de
vigor de quem a poda manejar. Na cabega Irazia
um chapeo bicudo, hcspanhola, com urna breve
penna encarnada, presa a baso por urna esmeralda
de grande valor, e ainda enea-toada n'um annel.
Entilo! exclamou o recemchegado, pondo com
ares de insolento anulo nailharga; entilo! mano
Dominico Colesi, maisconhecido pelo nome de Pap-
pone, ja vai isso por ca proclamado duque d'lschia,
que para entrar cm toa casa soja preciso passar por
cima de mei duzia de marmanjos, que velam la
porta de escopeta na mSo ?
Assticar volito encaixado, 700 a
N00 rs. por a sobre 0 ferro.
Assucar bronco novo, 2,100 a
2,300 rs. por subjeito sdes-
pezas do embarricaiiiciilo, ou
ensaccamenlo.
Assucar mascavado novo eusac-
cado, 1,500 rs.#por a sulijeilo s
mesmas deapezas.
Couros......As vendas foram I nucas, o regu-
laran! de 105 a 107 1 2 rs. por
libra.
Bacalho ----- Chcgaram Ircscarrcganieiitoses-
ta semana : o menor dolles so-
guio para ostil ; os outros veu-
(leram-se a()u a 10,500rs. por
barrica. Ha sufllcienlo provi-
menlo desla mcrcadoria.
Batatas-------------Venderm-se a 1,300 rs. a i.
Caf........dem a 3,000 rs. a a.
Carne secca- -"Como nao houve entradas, o de-
posito esta redil/ido a 48:000 ar-
robas. A do Rio-Grande 'ven-
deu-se de 2:200 a 3:20o rs. a a ;
o a de Ruenos-Ayres de 2:080 a
2:240 rs.
Farnha de trigo Inclusive um carregamento do
91S barricas, entrado esta sema-
na, o deposito he de 4.000 barri-
cas, As vendas regularan) do
17,500 a 20,000rs. por barrica.
Paios de Lisboa Venderam-se a 2,200 rs. a duzia.
Queijos ------ dem de 1,000 a 1,050 res os fla-
mengos.
Sablo amarello- dem de 90 a 105 rs. a libra.
Espermacete------dem a 720 rs. a libra de velas.
Enlraram depois da ultima revista 13 embarca
ges e sahiram 11. Exislcm no porto 42, sendo
2 americanas,20brasileas, 1 hamburguesa, 2 fran-
cezas, 5 inglezas, 6 portuguezas, 5 sardas o 1 sueca.
Estilo a fretar: o briguc sardo Tcrgateo, de 141
toneladas; a barca inglcza Eliv-Botctn, de 172 ; c o
brigue sardo lleno, de 180.
Mnvinicnl do Porto.
Navios entrados no dia 20,
Genova e Malaga ; 50 dias, trazendo do ultimo porto
26, barca sarda faiit/a, do 195 toneladas, caDitQo
Domingo Bozano, cquipiigeni 13, carga vinbo o
mais gneros ; a Oliveira limaos $ Companhia.
Passageiros, Andr Chaiole, Andr Norella, Sar-
dos.
Angola; 26 das, patacho brasileo Unido, de 104
toneladas, capituo Domingos Comes Soares, equi-
pagem 14, carga lastro de podra ; a (andino Agos-
tinbode Barros." Passageiros, JoOo Francisco do,
Menczcs, llrasileiro ; Napoleao Gabriel Bcv, I'ran-
cez.
Ass ; 10 dias, brigue brasilciro Soeitdade, d0195 to-
neladas, capitiTo Jeronymo Jos Tclles, equipagem
13, carga sal a couros ; a Jos francisco Collares,
dem ; 10 dias, briguo brasileiro Echo, de 250 tone-
ladas, eapitilo Manoel Pereira de S, equipagem
14, carga sal; a Jos Pereira da Ctinha.
Havrc-do-Cracc; 50 das, barca franceza Ocean,\\a
263 toneladas, eapitilo Berro, equipagem 13, car-
j. ga varias mercadorias ; a ordcni.
Navios sahidos no mesmo dia.
Ccar ; sumaca brasilera Carlota, capilo Jofio An-
tonio da Silva, carga varios genero. Passageiros,
Joaquim Jos Barboza, Manoel do Mello Monle-Ne-
gro, Maximiano Ferreira Borges, Jeronymo Maga;
rio Fgueira de Mello, Antonio Jos Mara Jorge,
Bento Antonio Estevcs com leando, Brasleiros.
Esta maneira de aprcscntagSo como quo nilo agra-
douaodono da casa, porque em ton melanclico e
carregado responden :
Nilo sou duque d'lschia, comquauto o possa-
vir a ser um da ; mas sou senbor desta cidade, o por
San Hercules, scu fudador, acho-meemlornios.de
mo fazer nella respeitar por quemqur que venha
ahi fallar-mc em tom que me nfo convonlia.....oli-
ves...... mestro Antonio Colesi, por antonomasia
Scoppa, quando eras ladran; c depois que le lizesto
assassino, Carniole.1
Oh! oh! rolrucou este, lllm. Snr. Dominico
Colesi, chamado Pappone, foi o senbor Jeronymo
Amalli queja tefabricou urna genealoga que prova
mais claro do quo a luz do dia que s descendente
do grande Hercules, osubjtigador dos monslros?
Jeronymo Amulfi he um homom cheio de sa-
ber, roplicou com azedume Pappone, c raciocina s
mil maravilhas. NJio haduvida que a cidade de Ses-
sa foi fundada pelo grande Hercules; ora, visto que
esso terrivel santo fundoii a cidade, nelln havia do
deixar descendentes..... E scosdexoi,, accrescen-
tou Pappone, mostrando o vigoroso brago, pens
que ningucm mais quo cu temdireitode crer cal-
firmar que he dello descendente.
He justo, disso Scoppa, c urna vez isto provado,
nao llavera mais obstculo quo possa impedir o ca-
samento de minha linda sohrinha com o bello Mei
chior Borgia A descendente do um santo como o
grando Hercules, como dira Jeronymo Amalli, devo
andar a par do descendente do um papa, qual Ale-
xandro VI.
Eaumherego! exclamou com violencia Pap-
pone ; herego o libertino, pois di/.es as tuas impie-
dades em presenga de urna donzella innocente; he-
rege, libertino e calumniador, pois etitendcs que no-
MUTILADO


i



.
Rio-Granrte-do-SuI; brigue brasileiro Paqutte-de-
Pernambucff, capitlo Joo Consalves Res, carga
assucar e mais gneros. I'assageiros, 3 escravos
a Piitregar.
Jdem ; brigue brasileiro Espirito-Santo, capitBo Ale-
xandre Jos Al ves, carga asaltear e violto. Passa-
geiros, 3 escravos a entregar.
Rio-de-Janeto ; brigue americano Leicis, capitflo W.
F. Nort, carga parte da que trouxe de Philadel-
phia.
Portos do norte paquete de vapor brasileiro San-
Salradtr, rommandante o primeiro tencnte Anto-
nio Carlos de Azeredo Coilinho. -- Alm dos pas-
sageirosquelrnuxo dos portos dosulpara os do
norto leva a seu bordo: para Parahiba.Manoel Mar-
ques Camacho, Agostinho Moreira Guerra, Manoel
Moreira Guerra ; para o Cear, Manoel Jos Perei-
ra Pacheco; para oMaranlilo, Pilinpe de Barros
Vasconcellos.
Navios tahidot no dia 21.
Bahia ; corveta de guerra brasileira Vona-Francitca,
commandante o capitlo-tenento Manoel Maria
BulnoesRibefro.
Macei; patacho sueco Albert, capitao J. A. I.unbere
em lastro. b'
Trieste ; patacho austraco Abd-el-Kadtr, capiUlo Lu-
cas Dabele, carga assucar e ago'ardenle.
Rio-Crande-do-Sul; patacho brasileiro Emilia, ca-
pillo Valcnlim Itibeiro gneros. Passageiro, Sebastifio Antonio Codito da
Silva, Brasileiro.
Lisboa barca portugueza Tejo, capitao Silverio Ma-
noel dos Res, carga assucar. Passageiros, Jos Go-
mes Marques, Jpflo Peroira lnptisla, Francisca
I liereza da l.uz, Franci>ca Kinnina deMoura No-
vaos, tilhos menores e una criada.
ss
Paso da cmara municipal do Recife, em sessSo
de VJ de novembro de 1847.
Manoel Joaquim do llego e Albuquerque,
Presidente.
Joo Jos Ferreira de Aguiar,
Secretario.
Ilecl
Miagues.
EDITA ES.
Rodrigo Theodoro de Freitas, official da imperial ordem
da Hota, cavalleiro da de San.-Rento-d'Avi*, condece-
rado eom a medalha da restauraedo da Ruina, per oc-
rasiilu da independencia, capilito de mar e guerra gra-
duado d'armada nacional e imperial, inspector do ar-
senal de marinha desta provincia de Pernambuco, e
nella capito do porto, por S. M. o Imperador, que
Dos guarde, etc.
Constando que continuam empregadas no trauco
do porto e dos rios navegaveis desta cidado muitas
emharcacOes miudas, como lanchas, boles, canoas,
etc. sen eslarem arroladas nesta capitana; ou te-
nham licen$a para esse im, por nilo s ter procura-
do obl-la, ou exigido urna outra nova, por ter ex-
pirado o prazo da primeira; e que, em taes casos,
estilo muitas emharcacOes empregadas na pesca in-
terior e exterior ; assim como, que estilo ainda por
matricularem-se muitas pessoas que nestas e na-
quellas se oceupam, entn tanto que fazem uso ex-
clusivo desses ramos da vida do mar : faz publico,
quedo i. de dezembro prximo em diante (carao
.subjeitas s mullas eslabelecidas no regulamcnto
das capitanas, todas as pessoas o embarcacOes de
que cima so traa, que forem encontradas sem os
documentos que comprovem nilo estarern inclinas
na contraveneno do que a seuielhantes respeitos
dispOe o mencionado regulamento.
Capitana do porto de Pernambuco, 20 de novem-
bro de 1847.
Rodrigo Theodoro de Freitas,
Capitao do porlo.
Tendo o arsenal de marinha do comprar oleo
de linhaca de boa qualidade, convida o lllm. Sr. ins-
pector a quem o queira vender a apresontar una a-
mostra acompanhada da respectiva proposta, nesta
secretaria, no dia 22 do corrento mez, pelas II ho-
ras da manlia.
Secretaria da inspecco do arsenal do marinha de
Pernambuco, 20 de novembro de 18*7.
Osecretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Carias seguras existentes na administrasodo
correio para os Srs. Antonio Montoro, Domingos
Martins Pon tes, Francisco Jos Silveira, Jos Mar-
cellinoda Boza, Jos Pereira Cunha, Jos thomaz
Nabuco do Araujo Jnior.
PAGADOBIA MILITAR.
Km consequencia do novas ordens que o Sr. coro-
nel commissaio-pagador, chefe desta pagadoria,
Jos de Brito Inglez, acaba de receber pelo despa-
cho do Exm. Sr. concelheiro presidente da provin-
cia, manda o mesmo Sr. coronel fazer publico, que
continuar ante a pagadoria a arrematadlo em has-
la publica, no dia 24 do corrento, das peca, do far-
daiiicnto do exlincto batalhao de guarda nacional
destacada, e da respectiva msica, os quaos j leom
sido nominalmcnto designados; com a declaradlo,
porm, que dita arremalaQo ser somonte das pe-
sas em bom estado, e por lotes, ou porcOes, como
couvier s pessoas que as pretenderen), podendo ir
ao arsenal do guerra examinar'as que Ihes convie-
rem ; porque, segundo as citadas ordens de S. Exc. ,
dcverilo estar separadas todas as pecas ou artigos do
dito fardainento arruinado, e gmenlo promptos ao
exame dos prctendentes as que estiverem em bom es-
tallo, porque dcslas se aununcia do novo a venda.
Pagadoria militar de Pernambuco, 20 de novem-
bro do 1847.
No impedimento do cscrivflo,
Joo Arcenio furboza.
Publicacoes Luteranas.
PORTUGAL.
Recordarlo do anno de 1842, pelo principe l,i-
chnowsky traduzdodo allomito, segunda cdico
correcta eannotada.
0 consumo rpido da primeira edQ5o, o a sua
procura por militas pessoas que ficaram sem ella ,
induzio o traductora roimpressflo desta obra curio-
sa que conlm a apreciacilo dos caracteres mais
nolaveis do paiz dos sous acontccimenlos polti-
cos monumentos o lugares principaos feta por
esse principo prussano que all visjou em o an-
no citado. Urn folhoto de 220 paginas. Vende-se
por 1,000 rs. na ra da Cruz, n. 1, segundo andar.
Organon do Kahnemann ou exposiqo das doc-
trinas homoepalhicas, 2 v. pequeos ; Manual do
pai de familia do capitlo do navio e do fazendei-
ro ou noticias elementares da homcepathia con-
(endo aaccilodos24principaes medicamentos ho-
mcepaHiicos, 1 v.: vende-so por preco commodo ,
na ra da Cruz, n. 1, segundo andar.
-- O Museu Pittoresco jornal recroactivo e ins-
tructivo, com oxccllentes eslampas, at o n.2l, por
preco menor do que a da assignalura : vende-so na
ra da Cruz, n. 1, segundo andar.
Avisos martimos.
em
Rodrigo Theodoro de Freitas, ele.
Faz saber que, na conformidade do disposlo
o aviso da secretaria de estado dos negocios da ma-
rinha, com data de 8 de oulubro lindo, acompa-
nhando oulro pela de estrangeiros expedido, man-
dado cumprir pelo Exm Sr. presidente da provin-
cia, niloserflo admiltidas na capitana deste porto
matricula as equipagens dos naviftlntcionaes, que
se deslinarem a portos estrangeiros, sem screm con-
tratadas com a obrigaglo de regressarem ao impe-
li, ainda mesmo que as soldadas sejam a niezes.
Capitana do porto do Pernambuco, 20 de novem-
bro do 1847.
Rodrigo Theodoro de Freitas,
CapitSo do porlo.
Acamara municipal desta cidade faz scienteaos
eleitores das freguezias deste municipio, e aos da
dcMuribeca, que o Exm. presidente da provincia
designou a igreja malriz da fieguezia de Santo-An-
tonio desta cidade para a reuniflo do collegio eleito-
ral, quedever ser no dia 7 de dezembro futuro, pa-
ra proceder eleicilo dos deputados a assembla ge-
ral. E para que a todos consle se mandou publicar
o preseute.
Contrato a celebrarse com a thesouraria das rendas
provinciaes.
O do estabelccimenlo de urna linha de-omnibus,
que, na forma da lei provincial n. 191, de 30 do
marco ultimo, facilite o transito desta cidade para
qualquerdosseus arrabaldes e para Olinda. Bece-
ber-se-hilo pruposlas todos os dias, at que se ve-
rifique o contrato.
<= Para Porto-Alegre e Bio-Crande seguir, em
poucosdiasj o veleiro brigue Argos, oqual pode re-
ceber escravos a frete por ter para isso boas accom-
modacOes, e assim tamhem passageiros : quem qui-
zer pode tratar com Amorim Irmos, ra da Cadeia,
n. 45.
Para o Cear salte impreterivelmcnte, no dia
27 do corrente o patacho nacional Laurentina ,
que se acha com a ntaior parle de seu carregamento
prompto : para o resto da carga o passageiros, tra-
ta-se na ra da Cruz n. 64, ou a bordo do mesmo ,
confronte ao trapiche do algodio.
Para o Itio-Grande-do-Sul sahr breve o pata-
cho Emiliana, o qual pode receber alguma carga
miuda e escravos a frete : quem pretender enteu-
da-secom Amorim Irmflos, na ra da Cadeia, n. 45.
Vende-seo briguo brasileiro Confianca, do lote
do 208 toneladas, com lancha e todos os seus per-
tences, lado no melhor estado, sendo forrado e pre-
gado de cobre, prompto para ernprehender qualquer
viagent : quem o pretender, pode examina-loa bor-
do, Tundeado defronte do caes do Collegio ; e para
ajustar, entenda-se com AmorimIrmSos, na ruada
Cadeia, n. 45.
goco o casamento dola com Cesar Borgia, islo he,
que me quero ligar com os nobres.
Quem descende de Hercules tem direito a isso,
replicn flegmalico Scoppa.
Ou por outra, continuou colrico Papponu, que
me quero vender aos Hespanhes?
O ducado d'lscliia vale a pena.....
Foi para modizer isso, perguntou Dominico,
que deixaste aples, e vieste a 9essa com perigo
de teus dias ?
O perigo cessou logo quo cheguei casa de
meu bom irinflo Dominico Colesi, descendente de
Hercules.
Ainda! bradouPapponc laucando a mioa urna
miaga, que Ihe ticava ao p.
Meu tio.....meu querido lio, disse Annita, que
ate eniaose conservara lestemunha muassivcl desta
scena, no atormente meu pai..... Viit. despreza o
nascimento, elle nao ponsa como Vm.....
Quedizes tu, minha linda sobrinha, respondeu
Carnole ou Scoppa, abracando Aunita ; eu, despie-
zar o nasrimeiilo? tal n8o creias, por todos os san-
tos do eco! pelo contrario, ensoberbeco-me do meu,
e me lembro com orgulho de quo nosso pai Juslinia-
no Colesi era carOiceiro defroiilo de Sau-Jacques, e
nossa mai peixeira no mercado novo.....
Esemduvida lambem tobas de lembrar com
orgulho, atalhou Pappdue exasperado, que ha vinte
anuos fugiste de casa levando vinte mil escudos tra-
balhosamente juntos por meu pai Y
Oh! oh! responden Carmu!'. isso foi urna gen-
tileza notavel..... No sabes, inhiba linda sobrinha,
com a tulla de urna faca vaina demol a paredo he provavel que me retire apressado logo quetenba
queseparava a adega, onde meu pai me prendera,' conversado com vosso pai, pcrmilli-me que vosabra-
da emquemeupaienterravaodiiiheiro.....do sorlelce cmsignal de despedida, o vosdga as saudades
1ue..... que vos mandain duas pessoas que vos amam, e que
THEAXUO'PUBLICO.
SABBADO, 27 DO CORBENTE,
a beneficio de uin particular, se representar a
verdadeira peca
A MORTE DO GRANDE PATRIOTA PORTUOUEZ
O GENERAL GOMES FBEIBE DE ANDRADE
ou
# r ir lima do despotismo ingle?.
Esta pega ser apresentada em scena conformo el-
la heno seu todo. OSr. Sania Boza cantar, em um
dos intervallos, urna engranada aria, e arrematar
o espectculo com ornadas mais jocosas farsas O
resto dos Dilheles existe na ra do Quoimado, loja
do Sr. Joaquim Monteiroda Cruz, n. 25.
TEBCA-FEIRA, 23 DE NOVEMBRO.
A ntuilo applaudida e rica peca
0 CASTIGO DA PREPOTENCIA
ou
TAaitor em JFIoreslao.
Amuito desojada farsa, pela primeira vez neste
thealro,
O INGLEZ E O EGREIRO,
em que o Sr. Santa Roza ter de dosempenhara par-
te do Inglez, e juntamente cantar urna aria com
novas quadras.
Um particular ter de apresentar urnas variasOes
de msica, novamenlo cltegadas de fra, o lenciona
satisfazer ao respeilavel publico com o seu desem-
penho, nesla itoile de espectculo.
M^Mq"^n?'w?^w 'iwiHii'WfTlar"Wvnq ii ra utna
Nilo te calars, malvado? exclamou Pappone,
interronipendo-o. Pretender obrigar os castos ouvi-
dos desta menina aouvir a narraso de tuas infa-
mes aventuras?
Bem IhecxpOes tu os olhos a verem todos os
dias as tuas rapias e traigucs.....
Vai-te, vai-le embora I disso Pappono; sai-
te daqui, so no arrepender-to-has da tua impu-
dencia.
Econio Scoppa se nao mova, o irmilo continuou
dizendo-lhe :
Que vieste tu aqui fazer?
Son aqui como embaixador da real repblica
de aples, e lenho adizer-te cousas*, que devem
passar da minha bocea para o leu ouvido, sem loca-
rcui 111- ii tas paredes desta casa.
Esta declarasao de Scoppa serenou de repente
Pappone; um sorriso dedesdenhosa vaidade so Ihe
deslisou dos labios; ea physionomia se Ihe desa-
brocbou com ares de suprema importancia. Tomou
de novo o seu lugar, poz a adaga sobre a mesa, e
csleitdendo-se faustosa mente na cadeira, disse :
_ Equo me quer a real repubica de aplos?
Zntaudeu, omfim, que nada pode sem o auxilio da-
quelleaquem insolente chauou chefe do saltea-
dores ?
Foi um bollo titulo quo ella to deu, disse Scop-
pa, e que le assentaria melhor que o de duque d'Is-
eliia, se delle soubessos usar dignamente. Mas nos
lentos a fallar decousa mais importante do quo al-
tercar sobre semclnanle materia. Retirai-vos, mi-
nha linda sobrinha, accrcsceulou Scoppa ; e como
Le i lo s.
Joio Kelleri Companhia farlo leilSo, por in-
tervensHo do corretor Oliveira, do grande sortimen-
to de fazendas, todas proprias do morcado : hoje,
22 do corrente, as 10 horas da manhila, no seu arma-
zem da ra da Cruz.
Fox Brothers farSo leilo. por intervencflo do
corretor Oliveira de um sorlimento do fazendas in-
glezas todas proprias do mercado : tersa-feira, 23
do corrente as 10 horas da manhila no sen ar-
mazem da ra da Cadeia do Recife.
Schafbeillim & Tobler fardo leilo por inter-
venQo do corretor Oliveira de um perfeito sorli-
mento de fazendas, recentemente despachadas :
quarta-feira, 24 do corrente, as 10 horas da manhSa,
no seu armazem da ra da Cruz.
Avisos diversos.
JOS SOARES D'AZEVEDO, professor de lingoa
franceza no lyco, tem aberto em sua casa, ra do
Rangel ti. 59, segundo andar, um curso de Rhkto-
rica e oulro de Geographia o Historia. As jiessoas
que desejarem seguir unta ou outra destas discipli-
nas, podem dirigir-so indicada residencia, a qual-
quer hora.
Perdeu-se, na noite de sabbado para domingo,
21 do corrente, urna carteira com varios papis, e as
carias seguinles, com o sobrescripto em francez:
madame J. B. Desmement, madame La Baronno de
Wander Masseue, madame Hr. Lacaussad, madame
Basbicr, madame E. Bonte; isto desde a ra do Tra-
piche at o Aten-o-da-Boa-Vista. Boga-se aquella
pessoa quoaliver adiado, que, quorendo-a resti-
tuir, visto n"o Ihe poder servir de nada, dirija-sc
a ra da Cruz do Bccife, n. 20, que ser generosa-
mente gratificada.
Prccisa-se alugar um preto : na prasa da Inde-
pendencia, livraria, ns. 6 e 8.
Quem precisar de unta ama para casa de pou-
ca familia, a qual sabe lavar, engommar e cozinhar,
ludo com perfeiso, dirija-so ra do Caldiireiro,
numero 1.
p-yya
receio lenhais esquecido no meio de vossas novas
grandezas. -
Se sio as lamenlasOcs amorosas do Pionnc, ou
s reprehensOes de Palombo, o que tens a dzer-lhe,
dispenso-te da aommissilo.
Pionne, replicou Scoppa com emphase, era ca-
pitao de lazronos no dia am que Masaniello quei-
mou o escnplorio das gandas, oderribou a tyran-
nia liespanhola. grasas coragem dos rapazes que
comraandava. Pionne arrancou mais de cincuenta
cabellos ao bigode do duque d'Arcos, vosso viso-rei,
e isto sito proezas que recommendam um mancebo
ao amor de urna doncella, quando os ducados o con-
dados nao Ihe teem posto a cabeca nos ares. Mas
loniie nao se lembra mais de Annita. Quanlo a |a-
loiiibo, esse he senhor do seu quarteirao, o o seria
de aples inleira, so o quizesSe..... o nilo he lam-
bem um gala a despiezar. Mas Scoppa Carniole nilo
so incumbe de utensagens amorosas. Tenho sido ro-
cebidona^rte dos mais Ilustres principes da nos-
sa poca, accresceutou elle torcendo os bk-odes
mas iienhum dellcs ousou dar-ino somolhantes com-
inissoos; porque sabiam que eu s aceitara aauei-
^que convem a um homem que traz espada e
nZ"/Ul0,bem' mu.it0,bcm J'sse Pappone, acabe-
mos com isto c repeto logo a Annita o que loste en-
carregado de dizcr-lhe.
rn.7 '?*'b?m r,)li:0" Sco'*',a' a(luo"a c"nt quem
foslo educada, e que la n.fu nutri com seu leile
quo reparta entro vosss ambas, Casli, a neta d
vell.o Oennu.no, o conselheiro do povo, te enva
mu.lo saudar, e te manda dizer quaesta tristo e en-
IlM Mll. ]
Ah... tornou Annita admirada, trislee en-
ferma... foi assim que ella lite disse ?
Procis^-se do urna ama forra ou captiva ; na ra
de Hortas, n. 16, primeiro andar.
Precisa-so do 1:200,000 rs. a juros com hypo.
theca em tres escravos e em urna casa terrea, sita n
Bon-Vista: quem osqu/.cr dar annuncio para ser
procurado.
I)-se azeite de carrapato de ven-
dagem ai,i2ors. a caada: na ra
Direita venda n 72.
Faz-so publico que Bernarda de Senna nRo p-
d vender o sitio da estrada d'Agoa-Fria, que foi do
fallecido Jeronymo Jos Martins, por ser perten-
cente ao abaixo assignado por doas-lo quo fez o
fallecido ao annuncianle como consta do papel
que existe em poder do aniuinciante com todas as
fnrmalid ndes. Essa mulher que lem pelo Diario di
Pernambuco annunciado a venda do dito sitio sem
Ihe pertencor bem vio e sabe por ella se achar
no sitio na occasiiloom que falleceuodoador, que o
fillMUIICIun.V .i\j .|l| U ...MU MU oniw .OmOu COlltl
do mesmo e deu sepultura ao cadver, o quo nessa
mesma occasiSo o annuncianle j achou a casa do
ditoroubada achando-se ella dentro da casa e
constando o roubo da velha escriptura do mesmo si-
tio, de ouro, prata.lousa c roupa e que pelo an-
nunciante foi despejada da casa tomando oaniiun-
ciante conta do pouco que ainda os roubadores
deixaram. Precisando o annuncianle vr a Boa-Vis-
ta deixou em casa Jono Martins, lambem j falle-
cido ,e nao podendo voltar ao-aitio por causa da
molesliadequc entilo foi atacado,da qual ainda pade-
ce, aproveitando-se essa mulher dos incommodos
e da falta de meios do annuncianle apresentou
a escriptura do sitio quo linha sido ruubada o
com um falso papel de doagao, e sem que o annun-
cianle fosse ouvido, tomou conta do sitio e se aclm
na posse do mesmo sitio nflo obstante o papel de
doaso ser falso, comocm'tempo competente pro-
testa o annunciante provar com testemunhas, e ou-
tras provas. Naoccsifloquo essa mulher sea" pos-
sou do sitio em quesillo, ja linha o annuncianto
dentro da casa do dito sitio 5 cadeiras unta me*,i,
3eaixasde amarello, estando urna fechada, m
conter dentro varios utensilios e outros objectos ,
ludo pertencente ao annunciante, que protesta
lambem haver dessa mulher o roubo feito na casa
do sitio quo foi de 6 varas de cordlo, um tranec-
lim com 5 palmos de comprimenlo dous pares do
boto es de punho 3 botOcs de abertura tudo de
ouro, unta chave de relogio do cornalinda eneas-
toada em ouro, urna meia dobla de ouro com um
diamante no meio, 11 colheresde sopa 6 ditas de
cha tudo de prata, e outros objectos que constam
acharem-se em poder dessa mulher.
Francisco Jos da Fonseca.
Casu da F
na rna estreita do Rozario, n. 6.
Nestecstabelecimento pagam-se as cautelas da
segunda parte da 17.' lotera do theatro "dcsla cida-
de no dia 22 do corrente em diante, o contina-se
a pagar lodosos das, das 9 horas da manhila as 6
da tarde.
Aluga-senm sitio na ra da Casa-Forte, com
cpmmodos para se passar a festa : tambem se alu-
galh varias casas tanto na campia como na ra
da Casa-Forte e na estrada do Poso : a tratar na ra
do Amorim, n. 15.
Precisa-sede urna ama para casa de familia,
quo cozinhe.engomme eentenda do mais servico
deportas, a dentro : tambem precisa-so alugar um
preto para todo o servio : na ra da Cadeia de S -
Antonio, n. 19.
Precsa-se de 260,000 rs., a premio dando-se
para seguransa urna escrava com urna (Ilia de 6
anuos: na ra da Cadeia de S.-Antonio, n. 19, se
dir quem precisa.
Os encarrcgiidos da festa o procissilo da Senhora
da Piedade, que tem de se fazer na igreja de S.-Gon-
calo declaram que ella dcixa de ser eta no dia 21
do presento em virtude do Exm, bispo diocesano fa-
zer a de Corpo de Dos no mencionado dia, lcando
transferida a de N. Senhora para o dia 5 de dezembro
prximo. Joaquim Leocadio de Freitas, juiz Jos
Salvador Pereira Braga secretario. Joaquim Jos
da Silea Gaio thesoureiro.
~ Precsa-se de urna ama de leile Torra ou escra-
va : 110 boceo do Sarapatel, sobrado do dous an-
daros, n. 16.
-- Francisco Xavier Carneiro da Cunha Campos
avisa pelo presente a todas as pessoas com quem se
corresponde nesta prasa que a sua residencia he
no Alcrro-da-Boa-Vsta n. 49, primeiro andar.
Aluga-sc, pelo lempo de festa urna cafa ter-
rea deronte da igreja S.-Pcdro-Apostolo, em
Olinda com bous commodose perlo do batilio do
mar : a tratar na mesnia cidade, ra de Mathias-
Ferreira sobrado grande dovaranda de ferro.
|Arrenila-se, para se passar a festa, um sitio a
margem do rio Capibarbe no lugar da Torre, com
urna ptima casa de vivenda earvorodos de fructo ;
a tratar na ra do Livramcnto, n. 18.
- Trislee enferma do coraeo, disse ella.
Pobre Casta } murmurou Annita, como se es-
sas palavias Ihe dissessent um segrodo quo s ella
devia comprehendor.
E na verdailo, accrescentou Carmelo, devia
terilito triste e enferma do corpo ; porque tanto
estas lu corada e floreconle, quanlo ella paluda o
mincha ; lauto ests tu esperta e disposla a rir,
quanlo ella lnguida o prestes a verter lagrimas.
Pois bem I diga-lhc que vcuha para Soasa, quo
os ares aqui silo nielhores do que em aples...
E as Irincheiras nao silo tilo bem guardadas,
accrescentou Scoppa om voz ba i xa, que mo possa
algumas vezes D. Flix do Medina acompanhar o
bello Melchior Borgia, de maneir.t que leu honrado
pai1 poderiaaproveitar-^o, por va de ti, da nobroza
italiana, e da hespanliola por via de Casta.. Nao,
essa linda sobrinha nao dexar sou av, tu sim, tai-
vez vas ler com ella.
E quem foi a outra pessoa que o encarregou do
recado para mim? disse Annita, que eslava vrme-
la! como una romiia madura.
Foi tua madrinha, a senhora Ronda.
Devoras ?.....
-Como diabo se digna ainda lombrar-se do nos,
acudi Pappone, a esposa de Gennaro Anese, arca-
bu zeiro o capitao de ottines ? (*)
E como est ella disse Annita.
Sempre bella e loureira, o tenho tido mil ve-
zes a lenlaciiode furta-la, visto quo depois da sua
clevasao a primeira dama fie aples, anda sem pro
carregada do mais de com libras do ouropel, to ves-
tidos de brocado, de collares, bracelete* e joias,
com quo searreia logo pela manhila.
(*) Quarteires de aples.
MUTILADO


Furtyram, da povoagflo de Tabatinga junto a
villa de Iguar.iss um cavallo com os signaos se-
guintes : castanho escuro, com o forroS dobrado ,
os 4 ps arregazados frente aberta mas muito fina
a lislra cascos brancos, o nos cascos de p e inflo
esqucrda teem pela parle de dentro urna listra pre-
ta : quem o pegar, ou delle der noticia no paleo da
Ribeira.n. 21, ou no mesmo lugar de Tabalinga ,
ser recompensado doseu Irabalho.
~ Aluga-so o sitio do finado Machado na ra Im-
perial propria para moradia ou para passar a Tes-
ta com boa-casa com commodos suficientes para
grande familia casinlia paraprelos, estribara ,-
una poreflo do parreiras e diversos arvoredos de
fiurlo ; a tratar na na Direita n. 82, primeiro
andar..
Pordeu-so urna luneta encastoada om ou/o ,
no da 18 do corrento noile desde o theatro vo-
ltio at o paleo do Cumio quem a achou e a qui-
zer restituir dirija-se ao predito pateo, sobrado
n. ti, segundo andar, onde sera gratificado com
5,000 rs.
Aluga-so urna casa para se passar a festa na
Passagem-da-Magdalena, alm da ponte, ao p da
padaria, com muito bom banho ao p : a tratar de-
fronte, casa n. 7.
Arrenda-se annualmento um sitio que tenha
pasto para seis ou oito vaccas de leite, que tenba
baixa, e que nflo diste mais de urna a urna e mcia le-
goas losta praca ; tendo arvoros de fruto, melbor
ser : quem tiver annuncie por este, Diario para ser
procurado.
Oabaixo assignado, vendo em o Diario de Per-
nambuco'n. 262, do 19 do correnle, um annuncio pa-
ra que ninguem comprasse a luja do calcados do
Atcrro-da-Boa-Vsla n. 38, por ser essa venda de in
f, tem a scientificar ao publico, que, tifio tendo
contas senflo com os Srs. Avrial & Irmflos, Policar-
po Jos taino e Lenoir Puget, por consenso dos
quaes fez os annuncios pura vend-la ; nflo esperava
que urna prssoa que linha una- letlra em scu poder
(nica) de cetn mil res, quo o abaixo assignado
havia ndogado, se dispozesse a fazer sementante
''annuncio, nflo s porque nflo he negocio do abaixo
assignado, e por consiguite do estabelccimento,
como porque nflo era a quanlia 13o grande, quo li-
zesse mudar de face o negocio.
Joaquim Candido Crus Stqutira.
O doutor Casanova medico francez, continua
a receitar emsua casa na ra Nova,.7, primeiro
andar, defronlc do oitflo da matriz de S.-Antonio ,
das 7 as 9 horas da manlifla o depois disto, est
proinpto a qualquer hora para fazer visitas a qual-
q uer doenle que de seu preslimo se quizer utilisar.
Jos' l'radines, entilen o, previne
aos seus fregueses, que mudou-seda ra
do Cabug, n. n, para a ra ln-ga do
Hozarte, antigamente dos Quartcis, junto
a botica do Sr. Jos Alaria Hamos, n. i4,
e que semprc o acharao prompto para fa-
zer quae.squcr obras concernentes ao seu
ollcio; assim como tainbein que contina a
amolar as terens, quintas e sabbados de
cada semana : ludo com peifeicao e bre-
vidade.
Lima, ai'aate,
na ra do l.ivramcnto sobrado n. 1 precisa de
bons ofliciacs de seu ofllcio e de costureiras.
Diio-sc Sos'ooo rs.de gratificarlo,
c se pagnrSo tod.is as inaifl despe-
zasque se tenliain feito, a quem
dr noticia do caboclinbo escla-
vo por nome Vicente de seis
-unos, pouco mata ou menos, sec-
co do corpo; tem lio anus duasfe-
lidas de bobas, e lio um tanto le-
so, por ser novato nesta praca; le-
vou vestido camisa de algodao da
Ierra um tanto soja ; deseneami-
nbou-sc da ra do Vigario, n. 2^>
anude se poder dirigir a pessoa
qoesonber, ou ra da Cadtia
ilo Hecile, n. ai
m
Precisa se de urna ama de boa conducta para
casa de honiem solleiro : na ra da Cadeil do l'.o-
cife, n. 29, terceiro andar se dir quem precisa.
Primeira dama do aples .'.... repeli Annila ;
ella, Honda, a irmfla do catraiciro Angelo, quo nflo
teve d^ dote niais que a sua belleza como foi isso P
Tou pai l-'o dir, qtiando eu Ih'o houvcr con-
tado.
Depoisaccioccntoii devagarinho :
Vai, c (ica no pateo, que lalvez tenha eu ne-
cessidade do fallar-te.
Pappooe, que distrahido mal ouvira oTnn da con-
versado de Carniolo e Annitn, fez signal esta de
retirar-ge, e os dous irmlos ficarara a sos.
Ora, dem .' disse Dominico, o principe de Mas-
sa esta entilo bem persuadido de que nada conse-
guir sem o meu auxilio, o me envia sem duvida
por ti as sas propusigfles P
Scoppa bnloigou a cabera, c replicou em tom fleg-
matico :
Nflo ha mais principe de Massa.
Foi morto? exclamou Dominico.
Foi morlo, respondeu o irmflo.
Mullo cm combate contra os Despatillos, nflo
lie isto? disse Pappone examinando atiento a pliy-
sionomia de Scoppa.
Nflo posso negar, djssc este, quo os llespanhes
tenbam tido alguma parto na morlo do principe de
Masa, pOrra nflo foi com as suas espadas ou pis-
tolas que ellos omataram; foi com as suas fan-
farricos e indiscriges.
Fanfari ices o indiscriges podem matar um bo-
l.em ?.. disse Pappone com ar de estupefacto.
Nflo fagas caa de nfloentonder-me, conlinuou
Scoppa sabes milito bem, que o principo de Massa
aceilou ile m volitado o titulo do capitflo-general
dos exercitos do povo do aples ; sabes muito bem,
que elle, como oulros muitos, manlintia rolagOesse-
O TRIBUNO N. 50
est venda na praga da Independencia, ns, 6 o 8.
Hccommenda-sea leitura deste numero.
Quem tiver urna preta para alugar, que saiha
cozinhar, engommre fazer todo o :nais servido de
tuna casa, equodiador a sua conducta dirja-
se a ra da Aurora, n. 20.
CHAPEOS DE SOL H
Riin do Passeio"Publico, n. 5.
Joflo I.oubct participa aorcspeitavel publico, que
receben, por estes ultimosnavios francezes, um com-
pleto sorlimenlo de chapeos desol.de seda, amis
rica e superior qualidade; furta-cres e outras umi-
tas conhec idas, tanto para homens, como para Sras
i meninos. No mosmoestabolecimento ha um sorti-
menlo de chapeos de sol de patiijiho, dos mais mo-
dernos; dilns muito grandes, proprios para homens
decampo : tambem tem chapeos do sol do paninho
para meninos e meninas, por serem muito finos: po-
dem-se chamar chapeos de economa. Na mesma loja
ha sortitnento do bengalas, bengalinhas e chicotes
multo modernos; cobre-se qualquer armagflo de cha-
peos deso, com sedas de todas as cores o qualida-
des. Na mesma casa ha um grande sortimento de
panniubos trancados c lisos, imitando soda, para
cobrirosmesmos: desta fazenda se vendo arelalho.
Concerta-se todo qualquer chapeo do sol, por haver
um completo sortitnento de todos os pertences para
os mesmos, com toda a perfeicflo e brevidade.
--Anda estflo para se alugar as casas terreas ns.
25 e 29 sitas prximas a oonle do Manguind as
quaes teem bons commodos, com quintal murado ,
porto de embarque, e urna dolas tem viveiro de
peixe ,o se alugatn por prego muito commodo : a
tratar com Manoel Pereira Teixeira morador pr-
ximo quelle lugar.
-- Aluga-se una casa na ra do Jardim, ti. 45,
com sotflo muito propria para duas familias por
ter mullos commodos, cozmlia fra, o em baixo ,
quintal, cacimba : tambem se permuta por outra
dentro do Recito a tratar na ra da Scnzalla-Nbva,
n.7.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra
do Itangel ti. 73 : as achavs achatn-se na botica
defronto : a tratar na Trompe, n. 33.
Precisa-se de um caixeiro para venda, que te-
nha pratica seja diligente, e que d fiador a sua
conducta : na ra do l.ivramcnto ti. 38.
Precisa-se de um caixeiro porluguez de 14 a
16 annos para um loja no llio-Formoso : quem es-
tivernestas circumslancias dirija-so a ra do Cres-
po loja n, 23.
D-sc 1:200,000 rs. a premio sobre hypothcca
cm alguma sasa terrea, ou sobre algum sitio perlo
da praca, ou mesmo sobre penhores de ouro ou pra-
ta : na ra eslreita do Rozaro, n. 30, segundo an-
dar, so dir quem ,la.
Fuz-sc publico, que ninguem podo fazer nego-
cio algum com Maria do Reis da Conceicflo, nem com
seu ildo, Silvestre Joaquim da Silva, sobre urna mo-
rada de casa terrea na esquina da ra da Gloria do
bairro da Boa-Vista: c para que se nflo allegue igno-
rancia, so faz o presente.
Em a noite de 17 para 18 do correnle furlaram
do sitio do Manguind aondo mora o padre Miguel
do Sacramento LopesGama um cavallo ruco-sujo,
capado, com 10 para 12 annos de idade bom cat-
regador do ninio at baixo, assim de dous Irup?
como de passo e furia passo ; tem a' frcnlo a derla ,
e signal encoberlo nflo he muito grando nem pe-
aueno, osla magreirflo, da atguns lopcszinhos ,
eita a dina toda para a parto direita ; tem o rasco
do p esquerdo gasto adianle de arrasta-lo quando
cariega he ardigo e muito desobligado nos anda-
res ; tem una pequena malha mais escura que o
coi jio sobre a anca do lado direita. As pessoas a
quem forofforecido, ou que delle souberem hajam
de toma-lo e leva-lo ao ililo sitio, que serflo gra-
tilicadas.
No dia 23 do correnle, porta do Sr. doutor
jui/ do civel, na ra Nova, se lia do arrematar urna
porgflo de livros cm bom estado, em grande parte
em francez" ; as aventuras de I). Quixole, em hespa-
nhol;e em porluguez, as OrdcnagOcs do reino;
lleporlorio das ord.; Primeims lindas do processo
civel ; Apendis das Icis cslravagaiilrs ; Diccionario
inglczc poitugucz; urna grammalica ingleza ; His-
toria do baixo imperio ; Historia dos imperado-
res romanos ; a Conquista dos francezes em 27 vo-
luntes ; eoulras obras intercssanles : assim como
algutts trastes velhos; urna cama grando cm tno
estado: ludo por cxecugflo de Francisco Xavier Mar-
tins Bastos contra os herdeiros de Manoel I.uiz da
Voiga.
Deseja-sc fallamo Sr. Dr. Jos Joaquim Firmi-
no Jnior, ha pouco chegado da cidade de Goianna :
na ra da Cadcia do Itecife, loja, n. G.
Ajnda resta ni | arase alugar, para so passar a
festa, 2 casas em 8.-Auna, lugar muito fresco o tran-
quillo; a tratar no mesmo lugar com Joflo Venan-
cio.
KBcarr'^rak'rT.aimai-^'.isiBSRS
cretas com os Hespanhcs, o quo, se a ciliado nflo
foi entregue ao duque d'Arcos, nflo foi por culpa
sua. Mas, emlim, achou o premio da sua Iraicao, co-
mo provavolmontc ha do aconlecer a qtiantos segui-
rem o son exemplo, o que se aproveitam do po,d"
que o povo llies coutiou para so accommodarem com
o ininigo, e deixaiem os seus cantaradas nos a-
pertos.
Ora vamos l, disse Pappone, nflo enrouque-
cas a me dar consellios do que nflo preciso, c dize-
me somonte como morreu o vellto Massa.
O povo fez justiga, respondeu framente Car-
inle.
O quo quer dizer, replicou Pappone, que foi
assassinado, nflo he assim i
Foi morlo, rctrucouseccamento Scoppa, o jus-
ta'ment morlo, porque trahia a causa do povo.
Equo mfloo ferio ? disso Pappono.
Mil iiiflos.
Mas, replicou Dominico em tom cheio de sar-
casmo, assim oomo houve urna, e foi a la, que pri-
meiroousou apertaro gatilhodo mosqueto para fe-
rlr nocoraefloo honrado Masaniello, assim tambem
ha de ter davido alguom que agora; como entilo,
dsse o exemplo. Tambem fosle tu desla voz que
primeiro feriste?
Fui eu, respondeu Carniole.
Nesse caso, dize-tite por conla de quem om-
mellusle tu este novo crime.
Ouvc, irmflo, respondeu Scoppa tomando urna
postara ameagadora ante Dominico, nafolha da mi-
uda espada da muito sangue derramado ; ha sanguc
regio, satiguo dos mais nohres, sangue dos mais
bravos, sangue dos mais Ilustres, mas todo esto san-
gue s tem sido derramado por causa justa, e para
Aluga-so um sitio na estrada de Belm com
rasa, arvoredos de frtelo boa agoa do beber, Ier-
ras para plantarnos pasto para vacens por prego
commodo: no Aterro-da-Boa-Vista, fabrica do li-
cores n. 17.
~ Na ra do Agoas-Verdcs, n. 26, dflo-se bolos
do vetulagem a 80 rs. a pataca : tambem se d azei-
te de carrapato a 320 rs. a canda, c aluga-se urna
preta quo seja fiel para vender a zoilo do carrapato.
-Precisa-sede una ama para o seiyigo interno
de una casa de pequena familia, que saiha bem en-
gommar o cozinda o diario de urna casa : na ra
Imperial, u. 25, ou annuncie.
Precisa-so de um hoincm que queira assentar
praga em primeira linha por outro, pagando-so bem
pago : quem estiver tiestas circumslancias, dirija-se
ao Allerro-da-Boa-Visla, no primeiro andar do so-
brado n. 49.
Segunda-feira, 22 do corrento portado Sr.
doutorjuiz de orphflos, no Aterro-da-Boa-Visla o
as horas do cosime so ha do arrematar, por ser a
ultima praga o palo lempo de um anuo, um sitio
no lugar do Caldeireiro que foi do finado Pereira ,
da alfandega o boje ho do menor Alvaro, |com boa
casa do vivenda conleiido na frente urna sala c dous
gabinetes, sala atrs c dons quartos, dispensa,
grande casa para jantar, grande cozinba um boni-
to copiar adianto o outro pela parte de detrs co-
berlo um sotflo com utn grande salflo dous quar-
tos separados da casa cochoira estribara, galli-
ndeiro, dous quartos, cacimba com bomba e tan-
que : o sitio icn cento o tantas larangeiras sendo
urna grande parte de embigo,o mais arvoros do
fructo
-- Precisa-se de una ama do casa de bons cos-
litmes para urna pequea familia : na ra da Cruz,
no Itecil'e n. 18.
Deseja-se fallar ao Sr. Jos Pinto, que ha lem-
pos veio do Porto na barca Espirito-Santo a nego-
cio do interesse e como se nflo sabe a sua residen-
cia, ou se suppe que esta lora desla provincia,roga-
so a quem souber nolicia dosloSr. de dirigir-se a
ra do Vigario, n. 8, que por esto obsequio ser-Hie-
da grato o pretendeute.
Compras.
Compra-se urna venda afreguezada e que le-
nha poucos fundos : quem tiver annuncio.
Compra-se urna commoda do amarello ,, om se-
gunda inflo : quem tiver annuncio.
-- Compra-se um casal do gneos alvos: no Ater-
ro-da-lloa-Vista, n. 34.
Vendas.
Vendem-so tres negros do servigo do campo,
e de boas figuras : na ra da Cadeia, u. 59, loja le
ferragens de Jos Dial da Silva.
Vendc-se um uioleque do7aiinos, pouco mais
ou menos, por prego commodo : na ra Velda, n. 18.
Vende-M um lindo molequo do 13 annos, na-
tural desta cidade : ao comprador so dir o motivo
por que se vendo : na ra eslreita do Hozarlo, pri-
meiro andar, n. 31.
Vendem-sc 8 escravos, sendo : duas
prelas e duas pardas, de ao ar 24 annos,
boas lavadeiras, custureiras, e que cozi-
nham o diario de urna casa ; tres pardos,
sendo um de 16 annos e dous de 20 a
de
3o
11111 n
oleque,
12 annos : na ra
do Crespo, 11 2 A, se dir quem vende.
Na loja numero 17 da ra do
Passeio-J'ublieo,
vendem-sc cortes do cambraia, de cores finas, com
6 o meia a 7 varas, a 2,210 o 2,560 rs. ; ditas muito
linas, a 560 rs. a vara ; cortes das muito lindas prin-
eczinas, a 12,000 rs. ; mantas do se la, muito ricas,
a 10,000 rs.;..cdales de seda, multo ricos, a 14,000 rs.;
editas finas a 120, 140,160, 180,200 c 240 rs., o muito
finas a 280 rs.; brins de lindo ilo quadros elistras,
muito lindos padres, a 640 rs. a vara ; lencos gran-
des de seda para grvala, e bons em qualidade, a
1,280 rs. ; mantas de seda para grvala de dntnein, a
2,000 rs. ; cortes de collete de fla e seda, a 320 rs. ;
ditos to fustflo, a 500 rs. ; ditos de velludo de co-
res, a 3,000 rs. ; ditos de gorgurlo do seda de co-
res, a 3,000 rs. ; ditos ilo gorgurflo de Ifla o seda,
1,000 rs.; longos brancos ai -rendados, para mflo le
senltora, a 210 rs.; diales de Ifla da Escocia, a 2,560
rs.; ditos do Ifla com llsttas de seda, a 3,000 ris ;
alpaca cor do caf, a 640 rs. o covado ; dita muito ti-
na pela, a 1,440rs. o covado; pegas de madapolao
muito linas, com quatrn palmos, a 4,000 e 4,500 rs ;
cassa lisa a 240, 400, 480 e 560 rs. ; pegas de algo-
dflozinbo com 18 jardas, a 2,000 rs.; diales do cas-
punir aquclles que so davium feito lyrannos ou re-
dadles : servia eu ao imperador Fernando II, quan-
do VVallenstcin, embriagado pelas suas victorias
pelo amor de seus soldados, quiz roubar-ldo as suas
lucidores provincias. Era em 1634 ; o imperador deu-
inc una ordom.... dous dias tlepois eslava eu junto
a Wallenstein, perseguia-o no seu quarto, o o es-
teiulia morlo com urna estocatla da minlia espada,
emquanlo os meus camarades lite matavam os geno-
raes na sala do fostim.
Pappone baten impaciente com o pe; Carniole
continuo**-
Servia eu ao rardeal de llicdclieu, quando em
1640 fui enviado a Lisboa, para all apressar o re-
sultado da conspirarlo ilo duque de Braganga. Os
conjurados baviam invadido o pago, mas nenlitim
dellos havia ousadn ferir a Vasconcollos, secretario
d'ostado da vico-rainlia Margarida deSaboia, o mais
infame e insolente tyranito imposto urna nagflo-
pola colera de Dos, se nflo oxistisso o duque d'Ar-
cos. licsilavam os conjurados; eu arranquei-o do
armario, ondo olise havia escondido, e com a es-
pada, ao fcri-lo, alravcssei o crucifixo que elle cer-
rava ao peito.
Basta.'mjirmurou Pappone.
Ainda eslava eu ao servigo de lliclieiieu, con-
linuou framente Scoppa, no dia da balalda do Mar-
lee, e fui eu que suspend os funestos resultados des-
sa victoria o da asneira do Clialillon, fazcmlo sallar o
crneo ao condo de Soissons, onu|uaiito ello se diver-
ta a oldar para o duque do Guise, que persegua os
fugitivos. Entretanto, eram homens esses capazos de
fazer parar um animo menos resoluto. Uro. general
que davia esmagado a Alloman! coii victorias, um
lijiiislro representante da vontade soberana de S.
sa escura, A6l0rs.; merinos muito s,lPe.r'on**
1,600, 2,800, 3.290, 3,500 o 4,000 rs. o covadoi cor-
tes de chita com de/, covados, a 1.000 rs. ; <'|f.,|ns
com 10 ditos, a 1,800 rs.; ditos d.tos com 14Ji os,
a 3,500 rs.; -utos .le vestido de cassa com barra,
5,000 rs e outras muitas fazondas por pregoa com-
modos.
Admirareis nava-
lhasdeacodaChina
que teem a vantagom do cortar o cabello sem olTen-
sa da pello, deixando a cara parocendo estar na
sua brilhante mocidade. .
Bate ago vem exclusivamente da China e so nei-
le trabalham dous dos inelhorc* e mais adalisidos
cutilcros da nunca excedida e rica cidado e i e-
kim capital do imperio China.Autor Shan^^^
N. b. u reconhecijo o uso doslas r,svs..!ss
niaravilhosas por todas as sociodades das setn-
elas ntedco-cirurgicas, tanto da Europa como aa
America Azia e frica, nflo s para prevenir as mo-
lestias das cutis mas tambem como um moto cos-
mtico. ,
Vendem-sc as verdadeiras s na ra larga do Ho-
zado, n. 24.
------Vendcm-se enleites de froco de di-
versas cores para cabecas de scnboras :
na loja de Maya Hamos & C, ra Nova,
n. 6.
Vendc-se um negro perito offical de sapateiro,
.lo tlado do 20 annos, e urna negra cozinlicira, cos-
turcira, lavadeira e eiigommadera, de idade de 22
annos pouco mais ormenos : na ra eslreita do Ro-
zario, n. 43, sefctitulo andar.
Ghcguem, que eslose aca-
bando
os sapates de bezerro para homom a 1,280 rs., e
bengalinhas para passeio, a 320 rs. : no Aterro-da-
Boa-Vsla loja n. 78.
Va ra do Crespo, loja n. 19,
do Jos Joaquim da Silva
Maya,
vendem-sc muito lindos chapeos para meninas ,
tanto de se.la como de palh inha chegados ltima-
mente de Paris ; chapeos do seda para senhora ;
caries do crambraia do seda.de ricos goslos,por
prego muito commodo ; cortes do vostidos de cam-
bra ecassa-chitas de dfferentos qualidades por
pregos baratos; ditos com urna pinta do mofo e
sem elle a 2,000 e2,500 rs. cada corte ; mantas de
seda e Ifla para senhora, das mais modernas quo
leem viudo a esta praga a 5,000 rs. cada urna;
mantas o chales do seda de varias qualidades e ba-
ratos; alpaca preta a 800 e 1,600 rs. o covado;
panno de lindo a 400 rs. a vara; casimiras fran-
cezas e clsticas para caigas a 5,000 rs. o corte ;
fustOes; setinse velludos para collete, por prego
muito em conla ; bem como um sortimenlo de ou-
Iras muilas fazondas, que so vendem pelo barato.
Vcmdem-se, no districto da villa de Bananei-
ras, na provincia da Parahiba do Norte, as seguin-
tes torras proprias para plantagOcs de algodflo e
caimas do assucar, a saber: um sitio com meia egoa
do Ierra, denominado-- Alagninha ; um sitio com
una engenhoca e casa de vivenda, der.ominadoBa-
copari propria para dar caimas do assucar, que
foi do finado Joaquim do llego Toscano e Brto, o
era parte do sitio Pao-d'Arco ; urna parle de torras
no sitio Cannabrava, muito propria para producgflo
de canoas de assucar, leudo proporges para se le-
v.mlar um engenlio ; urnas Ierras denominadas
--Sitio-Novo, em Callabougo, com una casa gran-
de de vivenda, scnzalla para escravos, prensa para
encacar algodflo c outros pertences para descaro-
gamento do mesmo genero, que fu rain de Francis-
co da Cimba Ribeiro: sflo proprias para plaiitagfo
do algodflo, ou para criagflo do gados. Quem as
quizer comprar dirija-se naquclla villa ao capitflo
F.sleviio Jos da tocha, ou na cidade da Parahiba, a
Jos I.uiz Pereira Lima.
Vida de N.jj Jesus-Cliristo.
Cdegou liviana da esquina do Collegio o pre-
cioso livro Vida de N. S. Jesus-Christo con-
formo os quatro evangelistas producgflo do insig-
ne escriptor Fililo lilysio : vendc-se cada exem-
plar per 2,000 rs. o d'ahi para cima segundo a
cncadcrnagflo.
Vende-se, ou troca-so un pela por um prelo
que entend do servigo decampo: a preta cozinha
bem lava desabfloe varrella, vende na ra ludo
quanlo se lite manda vender i na ra das Trinchoi-
ras, sobrado 16. Na mesma casa,aluga-se um pre-
toou preta.
M. Catdolica, e a ultima victima um principe de san-
gue regio, um Conde, um Bourbon, e todava ma-
tei-ossem lemor nem romorsos. Com effoito obede-
c a um imperador, a unrrei, c a um cinlcal, o se
com laes segu -angas, nflo tlevc a iiiinlia consciencia
estar tranquilla,cnlflo nflo ha mais rcligiflo nom dis-
ciplina neste mundo.
Mas, que segnrangas lons lu, replicou do
prompto Papppnc, para o assassinalo de Masaniello,
nosso irmflo?
Para esse, disse Scoppa, tenho todo o povo e
tu proprio. Havia-se do deixar esse lonco coi rer pe-
las mas do aples, com a cspada'cm urna mflo, e a
pistola na outra, matando a quem encontrava, in-
cendiar os palacios, o abandonar a dolosa da cidado?
\o entinto foi ello, replicn Pappone, quem
poz os Despatillos fra do aplos.
Sim, disse Scoppa com a mesma frieza, houve
tres dias do genio e coragem. O resto da semana,
que Dos lito davia dado, foi um transporto de crime
e loucura ; elle havia acabado a sua tarefa, eu feri-o,
foi justiga o prudencia.
Montes, atalhou Pappone, foi o duque d'Arcos
quem le paguu para esse attentado, como pagou a
outros para darem a Masauiollo a bebida envenena-
da, que. 1110 perlurbou a rasflo, no banquete a que
conseguio allrahi-lo.
U duque d'Arcos, respondeu Carniole que om-
pallidecera ao ouvir fallar do veneno, o duque d'Ar-
cos ordenava, urna cousa justa ; o por tul a llz.
Esem duvida cumpriste ainda, no teu pensar,
um acto do justiga assassinando o principe de Massa?
Tu o julgaras, replicou Scoppa.
{Continuar-it-ha.)


a
A
Na ra Nova loja n. 58, vende-se calcado da
ierra a saber : sapa loes esapatos, para homem e
meninos; ditos decouroe de marroquim, para se-
nhora o meninas ; aviamentos para sapaleiro; sa-
patesdo lustro, o quando nlo houver algum que
chegue ao freguez, lambem so recebem enconi-
mendas ; urna porgfo de madeira ; lianas ; bicos;
ramos de llores; parreira brava, ouabulua para re-
medio ; um braco do balanga do autor Kom.lo com
un lomo de pesos de duus arrobas para baixo pa-
ra armazem de caruo ; um terreno em bom lugar,
com 200 palmos de frente c 800 e tantos de fundo.
Na loja novada ruado Quei-
mado,n. 11 A, de Raymun-
do Carlos Lcite ,
a
UUU is.
n vara do ptimo panno de Hnho do Porio as pegas
sito de 18 varas e meia ; dito de 25 varas, a 600 rs.;
guardanapos de puro linbo a 800 rs. ; fazenda do
norte, propria para colletes, jaquetas o etc., teeido
de seda c linho ; meias de linbo as mais finas que
lee ni vindo ao mercada.
\endcni-se chapos francezes da ultima moda ;
escories de calcas de casimiras elsticas, de qua-
dros o lislras milito bonitos padrocs ; corles de
cassa de cores dos mais modernos que ha no merca-
do : tudo por menos prego do que em oulra qual-
querloja : na ra do Queimado, loja da casa ama-
rclla, n. 29.
Vendem-se superiores re-
des, proprias para tipoia: na roa
do Queimado, loja da casa ama-
relia, q. 29.
Vende-86 cora de carnauba, de muito boa qua-
lidade, tanto a retalho como em porg3o : na ra
das Larangeiras n. H, segundo andar.
DEPOSITO DE CALVIRGEM.
ftu ra do Trapiche n. 17, ha sem-
|re cal virgena de Lisboa, em barris pe-
queos, e ltimamente chegada mili-
to superior e por preco rasoavel.
--. Vcndem-se3 escravas sendo : urna prela pe-
rila enzinbeira e boa engommadeira ; urna dita
que cozinlia o diario de urna casa lio boa quitan-
landeirao vende miudezas; urna parda propria pa-
ra todo o servico do urna casa de familia e quo tej
algumashabilidades: todas sem vicios nem achaques
e que se alianga a conducta : no pateo da S.-Cruz
sobrado n. H, se dir quem vende.
des de calcado por prego com-
modo: na ra da Cadeia-Velha,
n. 3b, loja do Moreira.
--- Vendem-se, a 800 rs. a vara, lindas cassa-
chilas, dogosto ebinez, com lavres que parecem
chal a gosto mis superior que at aqui tem ap-
parecido, o da ultima moda : na ra do Crespo, loja
da esquina que vira para a ra do Queimado. As
amostras estarSo francas aos compradores.
\ 2^000 rs.,
saccas com bom milho: no
caes da Alfandega, armazem
de Antonio A mies.
Vendem-se dous lindos molequcs de 12 a 14 an-
uos ; l prcto de 20 anuos, de elegante figura ; dous
ditos bem robustos, de nac.lo e que sao ganhado-
resderua ; 1 mulalinho de 12 annos ; urna negri-
nha de 12 annos ;3 pretasde bonitas figuras, com
habilidades; 3 pardas bem mogas, com habilida-
des: no paleo da matriz de S.-Antonio, sobrado
11. 4.
Vendem-se caixas de cha hysson, de 13 libras,
em porgoes ou a retalho : na ra da Alfandoga-
Vclha.n. 36, cincasade Matlieus Austin & C.
Kc Imiras.
Vendem-se superiores cortos da fazenda nova
denominada belmira para vestidos de senhora ,
pelo barato preco de 4,500 e 5,000 rs. o corte. F.sta
fazenda he nova e de muitosublimes gostos, sen-
do assuas cores mui apreciaveis por serem cor de
lirio, rosa e perola. A clles, antes que se acabeni.
Na ra do Collegio, loja n. t.
nobairrodoRecife, ra da Cadeia n. 24, loja de
cambio do Sr. Vicira ; no bairro de S.-Anlonio, ra
doCahug, n. 11, botica do Sr. Joffo Moreira Mar-
ques; na pracifih.i do Livramento n. 51, loja do
Sr. lliesoiireiro Moraes ; na ra do livramento 11.
22, botica do Sr. Chagas. Brevemente ser annun-
ciado o da impreterivel da sua exlracgilo.
Vendo-se urna escrava do gento de Angola: n*
ra de llortas, n. 122.
Vende-se urna porgito de travs de 35 at 50 pal-
mos, de boa qualidade : na ra do Livramento,
n. 6.
Vende-se, por 850,000 rs., urna casa terroa no
bairro do S.-Antonio, em chBos proprios, livro e
desembarazada, e quo est alugada por nove mil
rs. mensa! que vem a ser 108.000 rs. annualmen-
te, nSo precisa de concert e nella mora boa in-
quiliua que nada deve, por ser prompata no seu pa-
gamento : quem a pretender annuncle.
AGENCIA DA FUNMCAO' DE LOW-MOOR.
Na ra da Senzalla-Nova n. 42, contina a haver
j n completo sortiment de moendas e machinas de
vapor para engenhos de assucar : bem como tai-
xas de ferro batido e coado de todos os tamaitos :
tudo por preco commodo.
Vende-se, ou troca-se por casas nesta praca, um
terreno com 412 palmos de frente e 150 de fundo,
sito por detrs do covenlo do Carmo : a tratar com
o seu propietario no Manguinho segundo silio
Uepoisda capclla de S.-Jos.
Vendc-sc um silio do trras proprias com va-
rios arvoredos de fructo casa, boa cacimba, no
lugar d'Agoa-Fria de Beberibe; cujo sitio foi do fal-
lecido Jeronymo Jos Martins : no pateo da igreja do
Pilar, do ladoesquerdo, casa 11. 181 ou no car-
torio dos orphitos, se far todo o negocio.
Xa loja nova da rua do Quei-
mado, 11. II A, de Kaymmi-
do Carlos Leite,
nrlia-seum novo sorti mentado pannos linos do todas
:is cores e qualidades ; chapeos francezes da ultima
moda ; nm completo sortmento de fazendas linas
e grossas, por prego mais barato do quo em oulra
qualquer parta.
Vendo-se um relogio sabonete de prata, bom
regulador por ,10,0001 s.; um piano forte ingloz ,
, do melhor autor e que precisa de um pequeo con-
cert de marceneiro, por 60,000 rs; meias de algo-
Uo grossas, proprias para doentes, por aquecerem
os pos a 4800 rs a duzia ; velas de carnauba a
280 rs. a libra ; na rua larga do Rozario, n. 46, pri-
meiro andar.
Vende-se excedente farinba do trigo para cha-
peleiro, a 80 rs. a libra ; e muito boa bolacha para
almogo de escravos, a 2,500 rs. a arroba o a libra a
100 rs. : na antiga rua dos Quarteis 11. 18.
Luvasde pellica,
Afianca-se as boas qualidades destas luvas. lia-de
tocias as cores tanlo para homem como para se-
nhora. Vcndem-so mais em contado que em 011-
tra qualquer parte. Na rua larga do llozario, n. 24.
Vendem-se charutos da Ha-
vana : em casa de J. O. Elster :
ua rua da Cadeia-Velha, n. -9.
Pannos finos.
Vendem-se superiores pannos finos, a prova de
limito prcto, a 3,000, 4,500, 5,500 o 6,500 rs. ; di-
to azul, a 3,000 rs., e muito fino, a 4,500 rs. Estes
pannossio novos e pela sua barateza, attendendo
a sua boa qualidado, tornam-se recommendaveis.
Na ruado Collegio, n. 1.
Vendem-se os muito supe-
riores sapa'os de NnJes, de urna
e duas palas; di los de tres solas,
taixeados; borzeguins para se-
nhora ; sapalos de lustro mar -
roquim e dur.ujue, para senhora;
ditos de marroquim duraque e
de lustro, para meninas; sapaloes
de lustro, para homem ; chinelas
rasas ltimamente chegadas do
Porto ; e outras muitas qualida*
Vendem se escravos muito baratos, pa-
ra se liquidarem contas deste anuo, na
rua das Larangeiras, n. 14, segundo
andar:
tres lindosmoleques do 14 a 16 annos; um dito
com principios de sapateiro e quo entende de pa-
llara ; um lindo mulatinho de 11 annos, muito es-
perto sem vicios proprio para aprender qualquer
ollicio ; um preto de 23 annos ptimo para traba-
Ihar em armazem de assucar por ser bstanle for-
te; um dito de nacflo, bom ganhador de rua, e quo
est acostumado ao trabalho do refinaco; um par-
do de 36 annos, bom para tomar conla de um silio,
por ser de boa conta ; um preto de 40 annos bom
canoeiro e ptimo ollicial de canteo ; um dilo do 40
annos, por 200,000 rs. ; urna prela muito forte,
por 220,000 rs.; duas pardas com algumas habili-
dades ; duas prelas muito mocas que silo pti-
mas qtiitandciras; duas ditas boas engommadeiras
e cozinheiras ; e outros escravos.
Vende-se urna linda negra com habilidades um
negro peca de 20 annos; um molequo de 12 una
mulaliulia de 4 anuos, e um muleque de 7 annos,
por seu senhor se retirar para fra : na rua da
Senzalia-Velha, n. 110, se dir quem vende.
MEZ MARIANO A 1,000 RS.
Vendc-so na livraria Ja praca da Independencia
ns, 6 o 8 o Novo Mez Mariano, accrescenlado com o
l.auspercnne do Santissimo Rozario.
Vende-se a taberna da rua Imperial do Aterro-
dos-Afogados n. 35, bem afreguezada o que vende
bem para a Ierra : a dnheiro, ou a prazo com boas
firmas a tratar na mesma venda.
He s na loja do nicho que
apparccem estas pechinchas.
Na esquina do Livramento loja do nicho, ven-
dem-se inanias para senhora a 1,000 e 2,000 rs. ;
setim branco de fipres, com duas larguras, a
1,280 rs. ocovado ; rscadinhos chinezes, com lis-
iras de seda a 360 rs o covado ; chales muito gran-
des de garca e seda a 2,000 rs.; lencos grandes da
mesma fazenda ,a 1,000 rs.; ditos escocezes de
bonitos gostos a 200 e 320 rs.; e outras militas
pechinchas novas chegadas do proposito para a
festa.
Vende-so urna casa terrea sita na rua dos
Quarteis, com commodos, quintal, cacimba co-
zinha fra, e em chitos proprios: no Aterro-da-
Boa-Vista, n. 21.
ESTAO'-SE ACABANDO
as cassas de cores fixas, para vestido,a 240 rs.
o covado ; riscados francezes, do bous pa-
drOes, a 160 rs. o covado : na rua do Quei-
mado, loja da casa amarella, n. 29.

Vendem-se 20 escravos sendo : 8 prelas de
18a 25 annos; dous mulatinhos de 16 a 18 annos;
duas pardas de 12 a 20 annos com habilidades ; 8
pretasdell a 30 annos, com habilidades: todos
proprios para o servico da praca e campo : na rua
do Collegio, n. 3, segundo andar, se dir quem
vende.
Vende-se urna porgfio de pegas de pellucia de
seda, dedifferentes qualidades, por prego commo-
do : na rua da Cadeia do Recife, n. 36.
Vende-se urna uiolalinha recolhida de pti-
ma conducta de 14 annos, quo engomma, cozi-
nha, cose e faz lavarinto ; urna negrinba de 8 anuos,
propria para andar com enancas : ,vcadem-se por
precisiio : na rua do Agoas-Vcrdes no ultimo so-
brado defronle do oitlo da igreja de N. S. do Torco.
DE6 PORTAS H152
j Nesta loja das pechinchas, vendom-se pan-
gg nos finos, a 2,500, 3,000 3,500 o 4,000 rs. ,
o muito lino, prova do limito a 5, 6 e 7,000
rs. ; casimiraa do duas larguras', a 1,500 o
2,000 rs. o covado, e muito superior, a 3,000
c 4,000 rs. ; cortes de setim e do veliudo
* paracollele, a 2,000, 2,500 e3,000;rs.; man-
| tas do setim para homem, a 2,000 rs ; um
| grande sortimento de madapoles chitas
fe outrasmuitas fazendas para a festa por
baratissimo preco, para acabar antes do ba-
lance
castor brancos epretos da ultima moda, a 6,000rs.
bem como de todas as mais qualidades, a preces
muito rasoaveis : na rua do Quoimado loja de chai
pos, n.88.*
Vendem-se pe?* do madapolito limpo, com
20 varas, a2,500 rs. ; pecas de chitas escuras mui-
to cncorpadas, fortes e do cores litas, a 5,500 rs.,
o a 160 rs. a retalho : na rua estreita do Rozario '
n. 10, terceiro andar.
Vende-se um quarto aue serve para ambas as
sallas : na rua de S.-Goncalo, n. 34.
jjj Na rua dasCruzes, n. 41, vende-se marnela- 2
s* da nova em caixas de a e 4 libras chega- 82
Jl da no patacho Andorinha. SK
Vende-se um sitio na estrada de s.-Amaro pa-
ra Belm passando a ponte o primeiro, do lado
direito,com boa casa grande que pode morar 3 fa-
milias pasto para 8 vaccas de leite, terreno para
p|antar, bastantes arvoredos de fructo e algun's
viveiros : tambemsoaluga outro mais pequeo na
mesma estrada : a tratar no mesmo sitio, ou na rua
Huella n. 4.
Calhorde.
Vendem-se cabellos de calhorde, proprios para
trancelim : na rua da Cadeia-Velha, n. 32.
Vende-se um apparelho de cairo, por proco
commodo na rua das Larangeiras, n. 18.
Na rua do Trapiche, n. 34, ar-
mazem de M. Bernel, vende-
se o se>uinte:
SaLamo fresco ; presuntos do Westphalia ; licores
superfinose superiores a todos que teem ebegadoan-
tigamente ; curavito verdadeiro de llollanda ; an-
chovis muito frescos ; absintho da verdadeira mar-
ca o kirschwasser da Suissa ; wermoulh ; Tructas
em ago'anlente ; conservas petilspoi esardinhas
ditas inglezas em vinagre : ludo isto chegado no ul-
timo navio da Europa : assiin como todas as quali-
dades de vinhos, argo'iirdcntes, conservas de carne,
ele ; charutos e muitos outros objectus do superior
qualidade e por prego commodo.
Na loja nova da rua do Quei-
mado, n. 11 A, de Raymun-
do Cario, Lcite,
acha-so um novo sortimento de lindas mantas de
seda a 4,000 rs. tendo lambem de 2,000 10,000,
|6,000 e 20,000 rs. ; luvas para senhora de trocal,
ultima moda em Lisboa ; meias cras n. 10 a 5/
rs. a duzia.
. Vende-se urna cadeii inha de dous bracos,
forrada de damasco por progo commodo : na rua
do Amorim n. 15.
Vendem-se por prego rasoavel, as obras de
Bergicr; Diccionario de Ihoologia ; de Fritot, sci-
encia do publicita ; de Constante, tratado da legis-
clto ; de boiste, diccionario universal; de Guizot,
penada morte : na rua do'Cabug, loja de Jos
Brandflo da Rocha defronte da matriz.
j O BARATEIRO.
i%a nova loja da rua do Cres-
po ao p do arco de 8-An-
tonio li. 4, de Ricardo Jos
de Freitas Ribeiro,
vendem-se casimiras a turca de urna s cOr, fa-
zenda inteiramentc nova empadros o qualidades ,
o quetem urna elasticidade quo se no enconlra
nessas outras casimiras vulgares,scndoestas applau 4
si veis, tanto para calcas como para escellentes pa-
litos porterem duas larguras, eo seu preco ser
4,000 rs. o covado e o corte de calcas 7,000 rs. Igual-
menta ha lencos do 3 puntas de cambraia com cer-
cadura de cor e palmas bordadas, proprios para
pescoco de senhora, a. 120 rs. cada um ; cortes de
cambraia adamascada, de bonitos padrOes e com 7
varas, a 4,000 rs.; ditos de cambraia com lislras as-
setinadas brancas e com 7 varas, a 3,500 rs.
Vende-se urna parda de 14 a 15 annos ,
recolhida sem vicios nem achaques,
que engomma, cose, faz lavarinto,
marca, lava e faz o mais arranjo de
una casa menos cozinhar : vende-so
por precisiio : no largo do Collegio no
segundo andar do sobrado entre a
casa amarella do Sr. Raslos e casa an-
liga da cmara municipal.
Na loja de Jos Manoel^
Uonteiro Braga, na rua
i
i
I
'71
do Crespo, n.l0,esqui-
na que vira para a rua
das Cn

IZQS,
i vende-se tafet rxo o amarello com tres
jrj| palmos de largo muito encorpados, pro-^
iji pi ios para capas. in
Ir'
OS
Remedio prodigioso para
embriagados.
Esle remedio torna-se mui apreciavel por ser sua
composico mui simples, e nSo arruinar a sade do
individuo, fazemto-n aborrecer para sempro a be-
bida."Vende-se na rua da Cloria, n. 87.
Para presepes.
No Aterro-da-ltoa-Vista loja
caixinhas com calungas para
varios utensilios.
Vendem-se
n. 78, vondem-se
presepes, contendo
A t tenca o!
Acaba de chegar loja do Passeio-Publico n. 17,
urna porgflo do corles de cambraia transparente de
I a, para vestidos de senhora, padrOes inteiramentc
novos, e que se espera meregarrgeral applaso das
seniioras.de bom gosto, e muito principalmente das
que tencionam passara festa em seus sitios. A por-
gaoho diminuta e nao ha mais em Pernambuco ,
por isso sem demora devem mandar por elles, antes
queseacabem, mesmo porque o prego convida,
pois be o de 5,000 rs. por cada um corte.
LOTERA
ti.
Vende-se una prcta de 18 a 19 annos, quoco-
zihha bem o vende na rua : na rua da Scnzalla-V'c-
Hia, n. 14.
Vendem-se 300 varas de panno do algodio da
malla a melhor qualidade que apparece no mer-
cado, a 220rs. avara : na rua do Queimado, loja
n. 57.
Na rua do Crespo, loja u.
de Campos & Haya,
41 pipas abatidas, c
saccas cein arroz pilado, por preco era
conla : na roa da Cadeia do bairro de
Santo-Antonio, n. a5.
Casimiras clsticas e finas a
7^000 rs.
Vendem-se supe riores easimiras elsticas, linas o
de cores, pelo baratissimo prego de 7,000 rs. o cor-
te de caiga. Esta fazenda he recommendavel pela
sua qualidade tanto em fazenda como em goslos ,
porerem os mais modernos ; casimiras prelas ,
superior fazenda por serem muito linas a 2, 3- e
3,500 rs. o covad o : na rua do Collegio, loja n. 1.
Escravos Fgidos.
~ Ausentou-se, ha das, da casa de seu senhor, o
escravo Jolo pardo trigueiro de 15 a 17 annos ,
cara grande, olhos regulares bons dentes; bem
conhecido por andar frequentemete fardado: quem
j o pegar leve ao Mondego a seu senhor Luiz Co-
> mes Ferreira que recompensar generosamente.
-- Em 2 de evereiro deste annodesappareceu da
- .i* cidadeda .BaDia um escravo crioulo, de nomeThe-
venclein-se ricos cortes de cambraia de motheo, de 16a 17annos, com ollicio de sapateiro,
seda, dos mais modernos eostos que teem ^""J" c?rpo ',7,,m ","" 9'^-Turada para brio-
nl.nllP,.in ": & .. cojgagueija ao fallar; tem rosto coniprido.olbos vi-
ppaiecnio por preco multo commodo vos, pes feos de bichos que leve, e anda calcado ;
MOBILIA. ha toda a dcsconfianga de estar nesta provincia com
Vende-se urna porgto do trastes novse quasi no- nomo mudado; peitencc a I). Joaquina Mara dos
vos, compondo-se de consolos, espedios, mesa, l,eis residente naquella cidado. Tambem desanpa-
redondasde sala, ricos sophs commodas, ar-jreceu da mesma senhora urna escrava de nomo
manos para louga, aparador de sala do jantar, me- ^".""a Vicgas, de meia idade com urna
sas clsticas, camas de Jacaranda oseadas de ca-
nias marquezas de palllinha cadeiras e minios
outros objectos pertencentes a urna pessoa que se
retira c por isso mais baratos : para ver e tratar na
rua daSenzalla-Vcllia n. 110.
Vende-se, a bordo do bergantn ndependen-
to Tundeado defronte do trapiche da alfandega
sebo om rama, ejearne superior.
Vende-so un sitio em Bobcrbe, muito gran-
de proprio para vaccas do le te e;coin muila trra
para capim o outras plantagOes : tambem se vende a
prazo com hrinasa conteni: a tratar com Msnoel
Antonio da Silva Molla.
\o borne barato.
1)0
Hospital Pedro I /. vondem-so superiores chapeos f ancozes, o d
Continuam-se a vender os bilhetes desta lotera, Ultimo gosto de Pars, a 6,600 rs.; chapeos de
.-,-----------marca na
lesla, de Angola fgida na cidade de Olinda do
rernimiiuco.cm 1837 para 1838. Outraescrava.de
nome Mana da mesma nagito fugida ha lempos,
antes desta e do mais idado. Boga-so aos capitaes
de campo, ououtra qualquer pessoa quo os pren-
dam o levem-nos a rua do llrum fabrica de caldei-
reiro, de Mesquita & Dutra, que sero genorosa-
incnle recompensados.
Fugio, noda 16 do corrontc urna prela de
Angola, de nomo Marcellina; levou um tabolwro
eom roletes ; he bem conhecida por ter as pernai
muilo tortas ;j he acoslumada a Tazor estas retira-
das; porm nunca para fra da cidade: quem a
'egar leve-a ao paleo do Panizo,' n. -'0, que sei
recompensado.
1'ehn.: ka. typ. de m. f. de fajaia. JB47.


A nno de 1847.
Segunda feira 22 de Novembro
N. 47.
DE
PERNAMBUCO.
(SOB OS AUSPICIOS DA SOCIBDADE COMMERCIaL.)
Sobscreve-ae na
Praca da Independencia, loja de livros n. 6 e 8, por jasooo res por anno. pagos adiantados.
-
PRESOS COR RENTES !> A l*RA?A (Carreado Kabbado as R horas da.tarde.)
>
m
2>*_
i o
o =
y
m
-c
3
<
T3
I .* .
8
Ss'4
u<
- 4il a
o 3eli -
iT. S -! > P ib
Sil
.8 -I" I
' o
IX
Z
M

.- -
M
o
=
o
c

"2 2 2 6'
s s J ?
= = u .-
.is

o
9 'S -;
s .= o &
*.\3
o c-o
5 4-5
= ax
JT-Zr, u o .
^_____.______________________ .
i-i .m 2 o i o s ? 5 -3 -2 = ;
tltjy-a^Jll--i'iiiSiH"l"i!wri
~r-" **______._______-^ -"----------------" '.r-r:------------_ ~^a ce ce c
-
o a t s i .
<0

o =
,o-cceooccoocccr
- pao = c ao-*


O O < T fl 'O "* 5
oe e
a; "*
r* r*
ce
^ -9 O W
r- ^: :0 -^ o
SO O O O w -
spoo s o eece. o-=cc:oc cu -^
C^.C*-CCC-n -r
(-"C e= ar -r c- c w
-S .C-. *.'* = '== ;sS-c = -
;? ^,?^ sa ^^ S5f?sas
so = = c
ti Si
o
_ o N
o
cco =S
^^-i c = "
c c
c c
ar i C
O
c O
O
= c
re
c c t
j; C fl ^ ^-~-
- c c: C r ->
SO C
a
oo *
r* O

= ^> c o
S 3 S
O <0 w C = -
aiV'ofi a ;
O i
E 3 p -
a c*

-=-=-------!--------_________-^_______-. ~ >-------=- O = "i = = ^ "= -
e- =oc cco
S5e -t-cco
n *a ** "," *^ **
_ ^. -. c* o e e>
*-*
c o o e o =
:
o c
*!--
eoe-
occ<:oo
CJ-fOO^-Oo
> a *& *>
-4 C f
l .
*>.


\
()
EVTOUTACAO.
KXPOItTS.
\i'lek'illr lHl -
>'.;>. lo I sorle -
.2. -
Assucar jiranco em caitas -
Inascavado t -
par* cuji.irn'i: 011 en-
VIIT11'. IM -Mil ,1 -
Illa&CaVatlo -
hranco novo, par." ein-
liarrica (iii e isaccar
Cutiros soceos salgados.
ileos do Sola -
llliilu* 'I tena -
ilo Un Ci-ande '-
liuiii _----_
I lilil.II I ijH.llll V -
2. > -
Silgar in cases while -
ii brown .
lor harrels 01 Hags
wbite 5
i InoVMi. -
Dry salted bids -
Taime ludes "
Ot-liorns *-
l'IIM,:i) DA PRAf
POR
4 1*000 4Bglt>0U
.j'H'l" 6*000
6*J00 ,/.OU
Sil"
700 nominal
2*100 2*100
2*720
10!.
JiJuOO
2 #000
I ) Mili
2*8M>
I 07 1*200
4*600
Pi|>a.
Arrulla
j i. ferro
Arroba,
Libra.
Ilum.
Ceuto.
CAMBIOS.
Londres.........................a 28 d. por \f rs. a 80 e 80 din.
Lisboa.................... 106a 106 por ceuto premio, pot metal ellectuaito
Franca......................... 33(1 rt-is por franco.
Hio de Janeiro...................."o *r
I'KAl'A miuda.................. IJS20 a I/M0
Pal.ces Urazileiros .'....... 1*860 a 1*880
Pesos ColumnarioJ......... l>lo a 1*860
> Oilos Menanos........... 1*760 a I#8n0
UHO. Moedas de 8*400 vellias ... i6/jnn a 16*200
Ditas ditas noval... iGfOOO a 160100
Oilas de 4*000............ 8|io0 a 9*2u0
(Juras hespanholas.......38*aU0 a 2f000
a Ditas Patriticas ........27*600 a 27*600
Letrai....................... a I F RETES.
ASMicwt.
biverp ol ....*...........Caitas 1" I, III
Canil, portos Inal*XJ...... )u i .'. I.i
Cito, dtlo..*nlrellaiuli. e Havre. )ito
ll.vliivi ..............Saceos
II i nliui\jO caitas............... 2. 10
li.dlicu.......................
Trie,le................ Caitas { 2. 10
astados-Unidos................
PostiloI..............-...........I a 160
i 'rauca........................ .o lis.
.Voniuaes.
Com 5%
Coin 4 >/,
Com 10/,
Al.CODAO.
Portueal................... r" rauca...............:...... 400 por (ge 10 po/0 aocamb. de 100 p'lr nominal.
Inglaterra.................. ll 16 il e 4 p. "/o ''e r,l'""'n"ni
ilmceloua.................. 46 oris
COUROS.
I nglaterra Seceos...................... por tonelada e4 pur criiln, nominal.
franca ...............;......... .. 70 bancos i>or toneladas. coinlOp. eruto
Kstados-Unidos....."; .......... ... Nao ha-
lo da II de Novetnbro de 1814 ir liante pagarn 80 p. c. n rap on tabaco
en p, os charutos on cigarros, o fumo trn rolo ou ein lollia.
fagar660 p. c. os saceos de caufiaiuaiso grossana ou gimes da India, oscani-
veles eni lilrnia de pulial, asalmofadas uaracari uagciis, as pedia* lavr.idas para la-
gedo, as pedras decantara para portuai, portas e janellas, as pedras lavradas para
enea,lenlos cepas, ciiuhacs e cornijas, o assucar reliuado, crvtalisado ou de qual-
quer inuetra coni'eit.ido, o cha, a agoardtfnle, a cerveja, a cidra, a ueiienra, o mar*-
rasquiuD, ou outros licores, e os viudos de qualquer qualidade e precedencia
r"agaro 40 p. c. as aleudas ou tapetes, o cauuamaco ordinario ou grossrria, as
Calmeas de q islquer qualidade, e roupa feita. nao especificada ua tarifa, as cartas pa-
ra logar, as escoy.is de cabo de ni ojim, o fo^n da China em carias, ou qualquer ou-
tro i.i v de artilicio, o papel pintado, prateado, tiu dourado, sendo de qualidades
finas, o papel piulido pa ti loriar salas ein collecces ou paizagens, o papel de Hol-
n 11, imperial ou nutro nao especificado na tarifa a plvora, os saboneles, o saho,
ocelio en velas, as velas de Stearina 'ou composico, as ameixas, ou oulras fructas
ein frascos ou latas, seecas, ein calda, ou em espirito, o chorolate de cacao ordinario,
o vinagre, ns carrinhos, carruagens ou caias. jogos, rodas, arreios para urna e ou-
t-a cousa ,as esleirs para forrar casas, os carros para condiizir gente, os sociaveis,
sillines, os areieiros e liuteiros de porcelana, e qualquer ohjecto de louca nao coin-
preiieodido ua tarifa ; os lustres, os clices para licor ou viiilm de vidro liso ordina-
rio, 01 de viilro moldado Ordinario lavrado ou moldado, e lavradn ordinario da Alle-
o o nol le ou lavor ordinario os clices para Champanlie ou cervrja, as canecas,
acopo*, direitos .le 10 a I en quartilho, as garrafas de vidro al I qtia.rtilhc on mais.
minio lodos estes olijectos de ns. I e! as garrafas de vidro prela ou escuras da
es ni capaeidade, co npreheudiilas as que seivein para licores ou T^-Hoy ; os copos
dir tabernas at u-iia caada, os fraseos de vidro ordinario com roldas do mesmo
l 3 bliras ou oais ; ou sem rolha at 2 libra* ou mais, os de linca lar^a com roldas
do meslo, id- 4 libras ou mais, OU sem ro'ha para opndeldoc os vidros para a-
e npi las ou cudenos, as talioas ou folbas'de moguo ou outra madeira lina, e fras-
ees de qualquer madeira.
Pagara 24 p. c. o ac, aleatriio, lineo em barra on em folha, eliumbo em barra
ou leucol, estanto em barra ou em ver^iiiuda, ferro ein baira verguinba, chapa o
lin^uaiins para fundirn, folha de Klandres, 'galha de Alepo, iala em folhas, lal&n em
cnapa, niardin, salitre, vime, dacaldo, pcise pao, e qualquer oulro, secco ou sal-
gado ; bolaco., carne secca ou de saiinnura, derva-doce, farinha de trigo, pellicas
branca ou piuladas, cordovoes ou cortes 'de becerro para calcado, bezerros e ni.....s
enveruizados, cornos de poico ou boi, salados ou seceos i sola clara para sapa le iro
ou correeiro, coore e caparrosa,
Pagara 20 p. c. o trigo em grao, barrilh. canotilho, espiguilha. lieiras, fios,
iranjas, lanlijoulas, palhelas, passanianes, sendo de ouroou piala eiitieliua, ordina-
ria ou falsa : galues ila inesmi natureza, ou tecidos com rclroz, linho. algoilo ou
seda, rendas ou eutreineios de algodo nao bordados ; rendas* de tilo, as de algodo,
relu ou trocal leucos de cainbraia de linho ou algodo, e bandas de retrot de
inalda.
de qualquer naco, qjie snhrecarregar os gneros hrasileiios de maior direilo, que
iguaes de oulra nacao. ,
Os artigos no especificados na pauta pago o dn-eito nii vnlorfm sobre a facHira
apresentada pelo despachante i pddendo poim ser iinpuguados'por qualquer oficial
da Alfand,ega, que em tal caso paga o impone da faciuri. ou valor, e os direilos.
No caso de duvida sobre a classificaco da mercadona, pode a parte reonerer
arbitramento para designar a qualidade e valor da paula, que I he compele.
Sao iseulas de diieitos as machinas, ainda no usadas no lugar, em que fortn
importadas.
KXI'OIITACO *>s dirritos pago-sc sobre a avaliaco de una pauta serna,
nal na razo seguinte \ .sucar 10 p. c. Algodo, cal, e fumo 12 p c- Agoai^
denle, couros, e todos os mais gneros 7 p. c. Alem destes direilos pagino seas
lasas de 160 rs. em cada caita, de 40 is, em cada lecho, de 30 rs. e... cada barrica,
ou sarcos de assucar, e de 40 rs em cada sacca de algodo.
Couros e todos'os mais gneros sao livres de direilos para os portos do Imperio, a
excepeo do algodo, assucar. cal, e fuuio, que pago 3 p. c. e'as lasas por volme'
Os metaes preciosos em barra pago- de direilos 2 p c. sobre o valor do mer-
cado, ea prata e o ouro amoedado nacional ou eslrangeiro paga nicamente '/, p. c.
Os escravos portados pago 6^000 por cada um.
DKSPEZA DO POBTO As emharcacdes nacionaes, ou estrangeiras, que
navego para lora do Imperio, pago 00 rs re ancoragem por tonelada : e as
nacionaes, que navego entre os diversos portos do Brasil 9C rs As que entraren
em lastro e sahirem com carga e vice-versa, pagard muade do imposlosupra e um
terco as queenirarem, e sahirem em lastro; e mesmo as que eutrarem por franqua,
ou escala quer nlrem em lastro, quer com caiga llesla iinposiro porni sero
isentas as que i nipona rrm mais de 100 Culones braiieos, e as queenlrdrem poi arribada
forrada, com tanto que estas nao carregueni, ou descarreguem s mente os geueros
ueccssai ios para pagamento dos reparos, que fizeirui.
l'-i^aro in p c ns livrus, mai>|Kis e globos i;eographicos,
COI'l
instrumentos malhe-
maticos, de phy'sica ou cliimica, cortes de vestidos de velludos ou damascos, borda-
dos ue prata ou ouro fino ; retroz ou trocal, c cabello para cabelleireiro.
Pagar o p c. o eanutildo, cnrdiio de do, esiHguilh*, fieira, fios, franjas, c-
lao de fio ou palbela lanlijoulas, palbela, renilas, cadareos e todos o mais objec-
tos desta ualureza, sendo de ouro e piala fina.
KKVISTA SEMANAL.
CAVMIIS. Diminutas transaeces; a 26 d. por 1f00 ris.
ALdODAO F.ntiro 670saccas. os pirres leu haixado s quolacei.
ASSUCAK \ELHO E "".OVO. O deposito l.e | epieno sem tiansarjoe. e
do novo lem hav.do maior entrada e lem baisaeo ni consequ ncia das ms noticias
do paquete.
LOUROS S^LG A DOS. Pouras vendas, as quolbf oes.
FAK1NHA DE TRIGO. Chegou hnm ci-rregamenio de 312 barricas, com
o qual lo i elevado o deposito a 4,000 barricas, tcm havido vendas diminutas aos piceos
quetados.
IsACALIIAO. Chegrio ires carregamenlos estt semana, dos quaes dousven-
dein-se a l(l,6i.O, e o nutro seet o pata o Sul.
CARNE DE CHARQUE Nao houvero entradas, eo deposito miU-se a
48,000 aironas.
Resumo das t'mbarcaces existentes nesle po-iono Ha 10 di Novembro de 1847.
Paga- 6 p. c
utensis de prala.
o carvo de pedia, ouro para dourar, ou quaesquerobras e
Paitaran 4 p. c. as Joias deouro ou prata, ou quaesquer obras de ouro.
Paiiaro 2 i) c os diamantes e outras pedras preciosas solas semenles, plan-
tas e racas novas de aninaes uteis.
Paa-ar 0 p. e. Iodos os mais objectos
Os gneros reexportados ou baldeados pago I p. c. de dir tos alm da'armase
uagsm; e o despachante presta llanca al a approvacio desla medid* pela Assem-
blea Geral.
Concedem-se livres de armazenages, por I 6 das, as mercadorias de sliva, e
dous inezes as outras ; e lindos estes prazas, pagarn '/., p. c. ao mes do respecj
to valor.
Os direilos das fazendas, que pago por vara, dere enlender-se vira quadrada.
Os d.reitos nao podem ser augmentados dentro do anno fiianceiro ; mas o Go-
verno iioder mandar pagar em moeda de ouro ou prata urna vigsima parte das que
forero, maores de 1, e m eneres de 60 p. c. dos p re ros das mercadorias, ou mcaano
diminuilos, segando IKe parecer.
O Governo est autorisailo a estabelecer um direito diflerenciaI sbreos Renejr
A mericanas ......
Hi asileiras ..........
Han burgueza.......
francesas.... ...*
IK'"...........
Portuguesas.........
Saldas ......
Sueca..............
Total
2
2
2
6

6
I
42
A Provincia gota tranquilidad*




"I"
LISTA das Emba-cales existentes nes(e porto at o da 20 de Novembro de 1847.
ENTRAD*9'
piorembro IS

U4T Julho &
Setembro 'l
. I
H
74
10
14
I i

Oiitiibro
DOND VKM.
[lo(on.
Ilaltimore,
(lio de Janeiro.
Rio Grande do S
Rio de Janeiro
Hahia.
&rabal;.
Hita de Janeiro.
Rahlf,
Oulubro 18'Rabia.
50 r.oG.i.do.!oS.
. 33
33 Rio lie Janeiro.
3 1 Kahi
?o Hueons-Avre.
V Baha
Noveinbrn l ;io<>ian'le Hn S.
Ceani
1 \iigla.
OuUib o 37
sovembro 17
Novcmbro 17
Noveiubru 13
> III
> |4
a
I
Julho 34
Oulubro -.4
Ol tu ht o 18
13
7..S
INovemliro lo
Setenmro 39
U
Noverabio 12
14
2ll
Novembro 19
casco
Otte. nolac.
Havre de C'.ricr. tvigne
brigue
la te
pataclio
brigue
patacho
brigue.
Iiiate
suejaoa
patacho
n
brigue.
sumaca
patacho
nrigue
barca,
brigue
ii
|i l.iclin
patacho
NACA.
Amer.
Rrar.il
NOMRS.
II.hiiImii 411.
Terra-^ ova
Antuerpia
l.oudrMs.
Terra-Nova.
Liverpool.
Porto.
Lisboa.
/.Isli.ia
PoHO.
Hgueira.
Lisboa.
Mainel' a
Uardtff
II. 1 le II..
Antuerpia,
Genova |1. Maliig.
Oran.
I li.lli-
escuoa
barca
EMacho
i rea
'ngite
brigue.
Iiarca.
brigue
bmcl
brigue
escuna
plaC I
barca,
bi igue
brigue
barca
patacho
Franc
II. mli
Ingl.
Pon.
Clrckausaw.
Mary Kleooor.
Viajante
Argos
Kmiliaaa*
U Pedro II
Boa-Vagem.
Carlota.
Dous d'Agosto
Oliveira
Minerv.i.'
Maiciil.
S. Mara Po Sorte
Rom Jess.
Flor do Angeliin
Oiiurn.
Cnnfauca.
Fineza.
Independen::
Dos le l.uarde
I, inwi'tin.i
UlIlHO.
Sardo.
Sueco.
Helio polis
rinuiii|tie.
Paradles.
Ma.t
Hons-Kon.-.
Freedom'
No val.
Klisa I!,. "111.
Ma,i Felii.
Tejo
Novo Vencedo r.
K.|iiiito-Saiuo
Prim-vera.
AniliM'inba.
(instante.
W slii 11-1 un,
Tergesteo
Revoco.
Balli.a.
Alen.
TONK.
I7t
I3&
I4S
187
130
40
311
(4
1*4
183
41
109
m
723
931
IM
3"B
114
.!?
134
lid
103
180
333
1*0
83
5W
104
345
173
188
3i3
163
308
187
113
318
330
411
180
196
l>0

Grg* W. Adams.
T. Rust.
Antonio Jos de Araujn.
Manoel Alves Marques
Valentn Ribeiio
M J. Monteiro Viauna
Jos Antonio de Soura.
Antonio Luiz ornes I.un b
Joo Antonio d Sim*sa.
,lo- Das Crrela da Silva-
Antonio Kibeiro dos Santos.
J'.slinu Amo. io Jos Joaquim Oas dos P.
Pe-lro Jos de Salto.
Rernardino de Souta.
los Caelano Vieira da Silva
AnlnnioUxptista de Ulivcira
Na iC /.o Iom' ili' S mi. Amia.
I' J. IVmra I luir.
Manoel los d'A/eedo.
Ani Germano das lleves
Dumingns O mus .-nares.
Lacroi*.
V.ilal.
P, '/.vlir.n'.z
S. Me l)n::ald.
Thomas Hnvil.
John Gavry
I) Mc.,L.i",d.
William Meibuish.
I.urenco Feruandes da C.
Silverio Manoel d s Keis.
Manoel Jos Pinto
Antonio Per reir l.eit-J.
Rodrigo Joaquiut Corroa.
Jos Joaquim da Cholla.
B. Romaguetra
A. (.npnl..
L. Demouresis
Antonio Maguileuo.
Domingos Bosano.
J A l.unhu
I-
L.fG. Ferreira te C.
Henry Forater & C

Ainnrim Irmos.
Amorim Irmos
a
Joo Francisco da Cruz
Jos Luiz de Souza.
Amori -i Irmos.
Ainorim Irmos
Joo Vaz d'Olireir.
Francisco Uves da Cunta.
GuadinoAgostinho de Harros.
Ainonin Irmos.
Gmiilino Anostinho de Barres
Luiz Jos de Si Ara'jo.
Ii. Agustn! o di- Bai ros.
Amorim irmos
'i andino Agnslinl.o de Barros.
Manoel Alves Guerra.
Jos Pereira d. Cunha.
l-ourenro Jos das TVeves
Gaudino Agostmho de Barros
Recor & (.'auC'iios.
I.enoir Pugel St C.
N. O. Bieher tC
Me Caln-ont & C.
A ilamson Howe. 4t C.
Deane Youle & C
liinustoii Pater & C.
A. J. de Soma Kibeiro.
Oliveira Irmos St C.
Tilomas de Aquiuo Fonceca
Francisco Alves da Cunha.
A. loaquim de Souz Riheiro.
^asciniento 81 Amorim.
I.enoir Puget t C.
Joaquim Raptisia Moreira
Oliveira Irmos 4 C.
Oliveira Irmos & C.
>lc. Calmout St C.
DKSTINO.
Rio Grande do Sul.
Babia.
Cea i.i.
Marielle.
~^
Liverpool.
Alietai.
Porto.
Lisboa.
Porto.
Genova.
A (retar.
A fretar.
A rielar.
Peruambuco na Typo^raphia de St. F. de Faria.187,

r.*-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGAUMN3IS_KJN0ZW INGEST_TIME 2013-04-27T00:10:53Z PACKAGE AA00011611_08571
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES