Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08564


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno de 1847.
Sabbario

O DIARIO puMiivi-so todof os da* qje nao
tm 'le guarda > n preco da nssigiiatora lia de
IjOOh rs.poqinrtcl, nitfor aJiarttadnt. Os ni
nuncios do* nssiiinleS vil inseridos a' rnio de
Jo rs. p.irlinlia, 40 rs. em trpo itiHerante, e as
repelices pata rtela !. Os que nao foreni ass'ft-
n riten pagarlo 80 r portiiih*, e Ifli) eio lypo
dilU-rente, porcada publicac'io.
PI1ASES DA LA NO MF.Z DE NOVEUBRO.
I.ua ora, a 8, aos 41 minutos da manliSa.
Ciescente a I i. is 8 llorase &S min, d.. laida.
I.ua chaia a 2. ai 7 botas e 4b min. da larde.
1 iiKoanU a i, as ? iwrai e 1 roiu. da Urda.
____. !
PAKTIOV DOS CORREIOS.
JoiennaeParaliitit as secundas eseitas feiri.
Rio-llr.-iude-dn. Norte quintal feirasao meio-dia
('al)n, Serinliem, Itio-Formoso, Porto-Calvo a
Macelo1 no l.', :i i e 21 de cada mei.
(jaranliuiis e Bonito, a R e 23.
Itoa-Vi-ta e Flores, a 18 e 18.
Victoria, as qtnutas-feirai.
Oliuda, lodos os das.
PREAMAil DE HUJE.
Primeira, i 8 hora* a 80 minutos da manha.
Segunda, s 8 horas e 64 minutos da Urde
DIARIO DE
rie Novembro. Anno XXIV.____ ** *f*
DAS DA 8F.MANA.
8 Sea. S. Scvcnano. And. do J. dos orph.
r do J do c a 2 t. e do J. M. da ? .
9 Terca.S. Tlieoiloro. Aud doJ.docir da I.
v. e do J. de paz do 2. dist. de t.
10 Quarta. S. A mir AveHioo. Aud. do I. do
eiv. da 2. v. e-do J. de paz do 2. dist. de t.
11 Quinta. S. Martinho. Aud Jo i. de orpli.
a doJ. municipal da l.vara.
12 Sen. S. Uartinlin Aud do 1' do civ. da I.
r.e do J. de pe do I. dist. da t.
18 Sabbado. S Eugenio. Aud. do J do civ.
da I. r. a do J de paz do I diat. de t.
4 Domingo, Patrocinio de NossaSsnhora.
CAMBIOS NO DA 12 DENOVEMBRO.
Sobre Londres a 28 d por 1*809 rt. a 60 dial.
Pars 3b0 rs. por Tranco,
a Lisboa 105 110 de premio.
esc. de leUj-as de boas firmas I 1 a 14 / m-
OuroOncas lespanliolas-----8JS0" a J8f80O
MoedasdBl.OOtrelli. ISJIOO a
a a de SftOOnov.. lefOO)
a .de 4JU00..... #"00 a
Prao l'auces.......... l|980 a
a Pesos coluinuares... ]s4(i a
Ditos mexicanos.... I#l80 a
Miuda............. 1|280:
llfJOO
16/10
94100
ano
1#60
l#800
l|0
.Vccfes dacomp. do Beberibe de SOf000 rs.ao par.
~
AM6UC0.
iix-iiiii:
=a
PARTE OFFICfAl.
MINISTERIO DO IMPERIO.
llm. e fxm. Sr. -- Foi presente a Sua Magestade
o ImperaJor o oITlcio de 10 de inaio ultimo, no qual
V. Exc submelte decisSo do governo a soturno
que dra s seguirte* liutidas occorridas na lei re-
gulamentar das eleicOcs.
1.a Do presidente Jo concedi municipal de re-
curso do termo de Serinhilem, sobre o que deve pra-
ticar, em consequencia de n!o ter podido funecio-
naro dito conceibo porni;i bavercm comparecido,
dentro dos quinze dias da lei, oa membros que fo-
ram avisados, e ncm osseus immediatos.
2.* Do presidente doconcelbo municipal de re-
curso do termo do Cabo, acerca de quein deve ser
o oscrivao do concelho. E o mesmo augusto Senhor,]
inleirado de tudo, manda significar que betn deci-
di V. Exc. a primeira duvida quando declarou que
se devia tornara convocar o presidente da cmara o
i) elcitor in.-iis votado da parochia, cabece do muni-
cipio, e na Falta ou impedimento delles os immcdia-
los em votos, allm de formarem o concelho de re-
curso para ftinccioniir porquinze dias uteis. Que
igualmente foi bein resolvida a segunda duvida por
.V. Kxc., respondendo quoos escriv3es a que se re-
fere oartigo 13 do decreto n. 511, de 18 demarco
deste a vi no, qunnilo manda nomear pessoas que os
auxiliem, nflo podem ser outros senSo os dos juizes
municipaes; com declaracio, porm, qtio as juntas
de qualirtcagRo dovem ser os dos respectivos juizes
da paz,presidentes deltas. Oque tudo commutiico
a V. Exc., para seu conliecimento e governo.
Dos guarde a V. Exc. Palacio do Rio-de-Janeiro,
em 26 de agosto de 1847. Munoel Alves Bronco.
Sr. presidente da provincia de Peruaiubuco.
Illm. Exm. Sr. Tendo merecido a approvac3o
de S. H. o Imperador a dcliberac&o que V. Exc. to-
mou em declarar uo juiz de paz presidente da junta
dequalificacao da parochia de Nossa-Senhora-dos-
Anjns-da-Aldeia, que a dita parochia devo dar as
prximas futuras eiei^e seis oleilores, o uu sete,
por ser o numero quo corresponde ao que dra na
ultima elcicfiu que leve lugar nessa provincia, com
oaccrescimo de urna quinta parte mais, na conror-
midadeda regra estabelccida no artigo 52 da lei n.
387, de 19 de agosto do anno passado, eesclareci-
menlos dados no aviso de 2 de noveinbro do dito
anno; assim ocommunico a V. Exc., em resposta
ao seu oflicio do H do correte.
Dos guarde a V. Exc. Palacio do Rio-do-Janeiro,
cni 31 do ogo.slo do 1847. ~ Munoel Alies Vranco.
--Sr. presidente da provincia do ltio-('.rande-do-
Sul.
Illm. Exm. Sr. Foi presento a S. M. o Impera-
dor o offlco de 14 do junho ultimo, em quo V. Exc.
submelte approvntjao do governo imperial a deci-
sflo que dra duvida apresentada pelo juiz de paz
presidente da junla de qualificacao da freguezia de
JaboalSo a respeito da segunda parte do artigo 37 da-
lei regulamenl.'ir dascleicOes; o o mcsiao augusto
Senhor manda declarar quo bom.resolveu V. Exc.
quando responden ao dito juiz de paz que Ihecum-
pre oxecular os despachos do concelho municipal de
recurso, por ser elle, no caso e,m questao, simples
executor, sem competencia para conhecer da lega-
lidade dos julgados do mesmo concelho, e tanto
n..lis por nSo terem os individuos quo mo foram eli-
minados recorrido para a relcelo do districlo, como
permitle o artigo 38da citada lei. Oque comtnuni-
co a V. Exc, para seu cdnbecimentoe governo.
Dos guarde a V. Exc. Palacio do Rio-e-Janeiro,
em 5 do outuhro de 1847. Manoel Alve Illanco.
Sr. presidente da provincia de Pernambuco.
Illm. e Exm. Sr. Foi presento a S. M o Impe-
rador a represcntaco do juiz de paz da freguezia da
ConcpiQo-da-Keira nessa provincia, perguntaudo so
as eleicfles primarias devetn ser feitas na dita fre-
guezia, que foi creada depois do concluida a auali-
(cacHo geral da da Cachoeira a que antes pertencia,
servindo aquella qualificacao para na nova fregue-
zia votaretn oscidadftos qualifcados dosdousdis-
trictos da Concec3o e Belem, visto achar-so ella ca-
nnicamente prvida de paracho. E o meamo au
gusto Senhor manda declarar-lhe V. Exc. a duvida proposta respondendo, segundo
consta do seu oflicio de 24 do passado e copia junta,
que, estando a referida freguezia da Conceigao-da-
Feira cannicamente provida de parodio, deve alti
realisar-se a eleicao de que se trata, sob a presiden-
cia do juiz de paz mais votado, servindo a qualifica-
cao fe i ta dos votantes que pola loi do sua creaban
Me ficaram pertencendo. O que coinmiiuico a V.
Exc para seu conliecimento e governo.
Dos guardo a V. Exc. Palacio do Itio-dc-Janeiro,
! ni 6 de outubro de 1847. -- Manoel Alvet llranco. --
Si. presidente da provincia da Baha.
PERNAMBUCO.
decoiiformidadecomaplanta respectiva, existen-
te no archivo topographico desla cmara, approva-
da polo governo da provincia, pedia se Ihe esclaro-
cesse se devia prosistir na sustcntag5o da cordeacilo
dada, ou guiar-se por urna segunda planta, tam-
boin existente no mesmo archivo, mas sem appro-
vac3o compelonte.--Que se guiassn pella planta li-
tiga.
O cidadao Francisco Duarte Coelho aprosentou
un requerimento pedindo acamara para ser jura-
mentado como terceiro supploulo do juiz de paz do
1. districlo da freguezia do Pocoda-l'anolla, o em
consequencia se lbe deferio o juramonto do es-
tylo.
Sentindo-se incommodado, o veroador Egidio
Ferreira obteve licencu para relirai-se, e por nao
haver numero legal de voreadoros, levantou-sea ses-
sao, tendo-se a osso lempo despachado os requer-
montos de Antonio Joaquim da Trindado, de Aillo -
ii i o Carlos Francisco, da Silva o outro, de Jos Gon-
Qalvcs Ferreira Costa, de Jos Antonio Bastos, de
Jo3o Pinte de Queiroz. do Joaquim Manoel Cameiro
da Cimba, do Jos Antonio Marques, de Jo3o Evan-
gelista da Cosa e Silva, do Jos Rodrigues de Arau-
jo Porto, del.uiz da Costa l.eite, do Manoel Aillo -
nio da Silva Rodrigues e de Matheos Jos (temo s.
Eu, Joo Jos Ferreiro.de Aguiar, secretario, a subs-
crevi. liego Albuquerqne, presidente. Dr. Nevj t'omeca.--Cameiro Montetro. lxala. I'erreira.
Aauino A. de Barroi.
ELEICA PARA DOUSSENADORES.
C01.1.EGI0 DE PAJAI '-DE-FI.ORES.
os sus.
Antonio Pinto Chichorro da Cama------------
Ernesto Ferreira Franca-----------------------------
Manoel de Souza Teixeira-----------------------
Manoel Barbosa da Silva--------- ----------------
Manoel Paulino deGouva Muniz Feijo
Francisco Honorio Bezerra deMenezes -
Venancio llenrique de Resende---------------
Bardo do Itamarac----------------------------------------
Francisco Muniz Tavares---------......- -
Manoel Ignacio Cavalcanti deLacerda.....- 16
Antonio Joaquim de Mello--------------------------------16
Bar3o da lloa-Visla.....---------------.---- 16
musa*
VIKCfiNZA. (*)
pon SCAlBSil lB,SS'B!Pii(3iais
XI.
DMA MlSCintlA.
Quinze dias depois, cssa Vcneza a quem todos cha-
mam bella podia bem chamar-so Vcneza louca.
Estava-se no lins de fevereiro. O carnaval corra
as ras, muis descnvolto, mais atrevido que nunca.
A polica, quo sem duvida liuha as suas rasOes para
olin.r moda do imperador romano, quera que o
povo se divertisse. Assim afTeclava ella fechar os
ollioa com indulgencia inaudita, persuadida talvez
de que nio ha re ni odio scnflo deixar pussar o carna-
val ; talvez mesmo que o conlaio do praxer Ihe li-
vesse adormecido a vigilancia. Fosse porque fosse,
0 pol6.se aproveitava dessa lirenca, sem procurar-
1 lie u causa, e ria, segundo o coslu me, cusa daquel-
les que Ih'a linham concedido. Estavam entilo em
muda aliusOes polticas. Todossabem que od Italia-
trfosse vingam com caricaturas, como osFrancezes
com cantigas. A nobreza nessa occasAo liuha feito
causa commm como povo : durante todo o dis, ns
jancllas abortas, as varaudas ornadas, como para
una festa, estavam guarnecidas do omitieres riso-
nhus c soberbamente vestidas, queapplaudiam as
mais burlescas farras, as gracolas mais atrevidas,
que excitavain a embriaguez, e quo algumas.vezes
conospondiam aos sorrisos com umsorriso, eaos
beijos com um beijo.
Pela tarde, urna brilhante mascarada assomou ju-
bilosa na pio(a de San-Marcos, por entro acclaiua-
ee.s da uuiltidao que a acompanliava. llm enorme
navio, sustentado por seis rodas, caminhava mages-
losamenlc, tirado por dczaseis cavallos sobeiba-
(*; Vide Diario u. 256.
Cmara municipal do Kecife.
SESSAO EXTRAORDINARIA DE 25 DE OUTUBRO
DE 1847.
rllESIDENCIA 1)0 SENHOR REO0 E J-BUQOBQOE.
Presentes os Srs. Ferreira, Dr. Aquino, Barata e
Gaudino, abrio-so a sess3o, e foi lida o approvada a
acia da antecedente.
0 secretario fez a Icitura dos seguintes oflicios :
Um do Exm. presidente da provincia, ordenando
Sr ^,SSSte,t^ %L%r- VOTACAO **^+*m** '^iro
cumstanciada do eslado dos negocios a seu cargo, a
fim do que podesse instruir a assembla legislativa
provincial, na prxima futura sessao, do estado dos
negocios publicos.-lnteirada, e que so cumprisse.
Oulro do mesmo presidente, ordenando quo, no
caso de ter acamara ja oxpedido copias das actas
daseleiccs de elcitores, a que so procedeu no din
19 de setembro ultimo, sem todas as formalidades
exigidas no imperial aviso de 19 de agosto do cor-
rento anno, Ihe remottesso outras copias authenti-
cacas pelo secretario respectivo, o concertadas por
um tabelliSo. Inleirada.
Outro docordeador Rodrigues Solt, communican-
do que, se leudo suscitado algumas tlifh'culdndos en-
tre os ni oradores da Passagcm-da-Miigdalena a res-
peito de urna cordeacao que dra no mesmo lugar
VOTOS.
52
59
59
52
16
li
it
Ernesto Ferreira Franca -......._------------ 25
Manoel Paulino de Couva Muniz Feij- ----- 25
Francisco Honorio Bezerra de Menezes ----------- 95
Manoel Barbosa da Silva---------------------------------- 25
RESUMO da volae&o dot collegios do Recife, Olinda,
Po-d'Alho, llio-Formoso, Santo-Aulio, Ka-
zarelh, Serinhem, Iguarasi, Bonito, Goi-
anna, Garanhuns, l.imoeiro, Cabo, Brejo,
l'ajuu' de Flores e Boa-Fitla.
OS SRS. VOTO.
Antonio Pinto Chichorro da Cama.....- 971
Manoel Paulino de Gouvfta Muniz Feij ----- 945
Manoel do Souza Teixeira.......------------914
Francisco Honorio Bezerra de Menezes ----------943
Ernesto Ferreira Franca--------------------..... g|2
Manoel Barbosa da Silva -- --------------- 915
-^.ia.:*a
CoiTesjMMH.enca.
Srs. Redactores.--Tendo do responder correspon-
dencia do Sr. Manoel Elias do Moura, inserida uo
Wi'firio-.Voro do 11 do corrento, e n3o podendo faz-lo
com aquella presteza que cu desejava, rogo ao res--
peitavel publico que baja do suspender os seus jui-
/. trevida c insolente correspondencia desse.meu se-
nhor.
Rogo a Vmcs. que por obsequio hajam de publi-
car no Diario estas linlias.
Recife, 12 de novcnhro de 1847.
Josr Joaquim do Espirito Sanio.
rr.MHCflAin
Mfaadega.
RENDIMIENTO DO DA 12............6:812,937
Dnnarrtgam hojt, 13 de noventbro,
Brguc Cynlhia bacalho.
Barca Marta-Thereta farinha.
-
mente arreiados echeios de plumas. Um grupo de
mascarados vestidos com logas de juizes se ostenta-
vam no convez. Vivos applausos saudaram o corle-
jo, quando elle se dirigi lontamcntc para urna va-
randa, na qual se notava, no meio de elegante com-
panhia, urna don/ella de peregrina belleza. Junto
ilella eslava seu pai, o marquez de Castao. Chcgan-
dodofronte, o pouca distancia da varanda privile-
giada, o navio parou e icou a haudeira da repblica
Inimediatamenlcapparcceram sobre o convez Arle-
quim e Polichincllo, csses dous eternos representan-
tes da alegra italiana, que caminbavaiu um para o
oulro, dando muitos pujos c fazendo innmeras
momices Arlequirq trajava as cores nacionaes, c
sobre o bonn tinha pintada a figura de um leo
Polichinellosustentava tima aguia motilada em ci-
ma das duas corcundas que tinha, c arrastrava um
grande espadagilo, como quom quera f'azer-se pus-
sar por um mala-moiros. Arlequim, pelo contrario,
nao tinha oulra arma sen3o a sua espada de laboi-
nho, e caminhava com' esse pnsso desembarazado e
sal i la ule que lodos Ihe conhecemos.
Depois de um jogo de armas, no qual a espada de
Arlequim levou sompro a palma, os dous campcOes
convencionaram em sesubmctlereni ao juizo do tri-
bunal que se achava no convez Arlequim, tendo pe-
dido liccnca para inlroduzir as suas tcslemunhas
peante o tribunal, apresentou ahi Iresinulheres,
aflija apparieao produzio mu profundo abalo nos es-
pectadores. Todas tres estavam vestidas de prcto, o
algemadas. A primeira tintn alguna juncos enlrela-
gados nos cabellos, e niuilas coiichnbiis ao jiescoco
era forma de colar.
Eu sou a ranilla do Adritico, disso ella ; (rajo
lulo pelo dogo meu esposo. Vencza por milito lem-
po me deveu a sua gloria o a sua prosperidade.
Urna injusta violencia me soparou do doge. Kis-
aqui o ultimo annel quo delle recebi em teslemunho
de urna allianca que devia ser eterna.
Y. dizendo estas palavras, a bella c graciosa mu-
Iher arrancou chorando o annel de ouro que Ihe bri-
Ihava no dedo.
Venezo te conqulslar oulra vez, exelamou o
povo.
A segunda m ulher trazia um barrete phrygio, e
una lanc.a quebrada.
Eu sou a libui'dade, dssella. 0 povo nao he
. lo-
mada en separado.
OS SRS. VOtOS.
Francisco Muniz Tavares---------------------------------- 8
Manoel Ignacio Cavalcanti del.acerda------------- 8
Dardo da Boa-Vista........-....... 8
Antonio Joaquim de Mello------------------------------- 8
Venancio llenriques de Rczendc-------------------- 8
BarJo de lUmarac----------------------------------------- 8
COIJ.ECIO DE SANTA-MABIA DA BOA-VISTA.
OS SRS.
Antonio Pinte Chichorro da Cama-----------
Manuel de Souza Teixeira--------------------------
VOTOS.
25
93
asgcnaaawtot i nwrw km/bu
feliz c grande senao commigo. Fiz respeitar Vencza
e a lornei igual s mais altivas repblicas. Mas cu
fui vencida c expulsa pelos tyrannos..... espero em
Dos quo Vencza mo torne a chamar.
ImprecacOes terriveis rebentaran do meio da
multidao. ,
A lorceira mulber tinha as nios urna espada, c
urna balanza.
Bu son a justica, disseella". )"u ultrajada c cal-
cada aos ps pela fnja das armas, mas eis que soou
a minba hora; e veuho pesar os rrimes dos mcus
oppi'essdes.
E pronunciando estas palavras, apresentou ella
aos jui/es a balanza que trazia.
Arlequim depoz n'uma das bacias o annel da cai-
nita do Adrialico ea lauca da liberdade.
Que poras tu do outro lado para batanear os
leus crinies? pergunlou Arlequim a Polichincllo.
Polichinello abaixou a cabera sem responder
nada.
Eniao travou-se entro os dous adversarios urna
lula do facocias e de ditos picantes ou graciosos, nos
quaes Arlequim, fallando cni favor do povo verie-
ziano, icaln iinhava sem piedado o infeliz c ridiculo
representante da Austria.
A multidao ra ; cada fazsi do malicioso Arlequim
voava do bocea em bocea, explicado, commentado,
coberto de frenticos applausos.
De momento em momelo, novos espectadores,
enchian a pi ac donde se elcvavam, como do um va-
so que transborda, ondas de curiosos suspensos as
cimalhas dos alpcndrcs o nos varesde forro das ja-
nellas. Ja companhias de soldados occupavain as
embocaduras de cada ra, quer issn fosse pieraue.'.u
de ordeni, qur fosse em consequencia do avisos ul-
teriores.
Emfim, o desastrado Polichinello, injuriado, ridi-
cularisado de mil formas, leudo recusado confessar
us seus crijpes, o tribunal declarou que se ia dar tra-
tos ao reo. Feita esta declaracao, dous homens mas-
carados, vestidos de preto evcrinelho, se apodera-
ram do condemnado. O tribunal formou-se em oir-
culo, ecome^aram as provas terriveis, ao abrigo
das vistas da multdSo. Um dos juizes, vollando-so
depois para os espectadores, declarou que Polichi-
ncllo, tendo-so coul'essado e abjurado os seus Cri-
mea, o tribunal, compungido pelo seu arrependi-
Consulado.
BENDIMENTO DO DA 12.
Geral...........
(versas provincias.
244.051
30,999
277,050
- rri^ryr >.7yy<--y ~
Alovimeiito do Porto.
Navios entrados no da 12.
liba da Madeira ; 32 dias, briguc sardo Tergesteo, de
141 toneladas, capitao Leonardo Demanrizis, equi-
pagem 10, carga barricas vasias, ceblas e frutas;
a Oliveira Irmaos.
aainaiiii iui i a i iimn m
ment, o ia mandar enforcar cm efligie, para servir
de exeniplo aos tyrannos teluros.
Arrastraram cutan a Polichinello para junto do
gurups; c una corda suspensa verga por um
moilfio 80 abaixou ate o convez; lermiiiava-a um
lat;o de correr. Os dous executores se apoderaram
dosuppliciado. Arlequim seapproxima..... A hon-
ra de lbe tancar ao pescoco o fatal n Ihe eslava re-
servada.
De repente, um tumulto violento se observa entre
os representantes da original mascarada. Ja n3o he
mais urna scona imaginada para divertir os especta-
dores; a desordem c a violencia sao mais que reaes.
(.rilani, e tudo se agita..... Um homem s parece
hitar contra os que o cercam, c proco rain sulilrahi-
lo as vistas dos curiosos. Os espectadores que se
achavam pelas jancllas c s varandas esforcam-se
em van por distinguir as fcicoes desse homem, e ex-
plicar o que se passava. ... A inquielacao o o terror
comceam a apoderar-se da mullidSo.
Emfim, a corda que devia servir de instrumento
ao supplicio de Polichincllo, torna a subir rangendo
pelo maslro..... Levantani-se mil clamores no meio
das turbas.....
Arlequim tinha substituido o manequin dePOli-
chincllu! A mascara queentao Ihe calora deixava-
Ihc o rosto descuberlo. Era Maleo!.....
Por cima delle, e a cavado nos hombros, eslava
um dos dous homens negros.....Era Rocco!.....
Um grito de rasgar o corac.lo parti da varanda do
palacio do marquez de Casiano. Vincenza acabava
do callir mora aos ps de seu pai, recouhocendo as
feices desfiguradas do harSo do Coelzen, cujo ca-
dver se baloicava no ar.....
.N'cslc momento, os soldados, que oceupavam as
boceas das ras, iii.ucharam em circulo para o cen-
tro da prac,a. O povo aloinorisado fugio...... todos
os mascarados foram presos..... Reconheceram-te
os cmplices de Mateo.
S6 dous homens sobreviveram doslruicSo do*
Invisiveis: foram Itecce e Jacopo.
FIM.


M'V

A
\
Terra-Nova ; 40 das, barca ingleza James-Slwrt, de
214 toneladas, capillo I>. M. Farland, cquipagem
14, carga 2:500 barricas com hacalho ; a James
Crahtrec& Companhia,
Philadelphia ; 50 lias, briguo americano Luit, de
183 toneladas, capilfio W. Nortb, cquipagem 10,
carga familia, fazendas e mais gneros do paiz ;
a Matheus Austain& Companbia.
Navio tahido no mesmo dia.
Maeei, llahia e Itio-de-Janeiro ; vapor brasileiro Em-
peratriz, commandante o capitfio-tenento Jezuino
I.amego Costa. Alm dos passageiros que trou-
xe dos portos do norte para os do sul leva a seu
bordo: para a Babia, Fr Fructuoso da Solidado
com um escravo. Fr. Joflo da Maternidade, JoSo
Ladislao Japiass de Fgueiredo o Mello com nm
escravo, Agostinto Robio e sua senbora, Italia-
nos; Policarpo Rodrigues l.ada e Lima com um
escravo, Manoel Serra, Jos Manoel Francisco lla-
mos com um escravo, Antonio Luiz Alfonso do
Carvalho, Benlo Jos Fernandes doAlmcida com
um escravo, Pi Xavier Garca do Moronda com
nm escravo, Manoel l'odro Alves Moreira com um
escravo, Caetsno Vicente dcAlmeida Gal vilo J-
nior com um escravo, Colgalo Muniz Brrelo,
com um ercravo, J080 llicardo da C
niond, Antonio Agnello Hibeiro, Alexa
Ido Messeder: para o Rio-de-Janeiro, Jos Joa
quim de Miranda llorta, Jos Sergio Ferreira, An-
tonio l'mto ila Silva Valle, seguiulo-tonenle Fran-
cisco Maria Galhardo, engenheiro machinisla Bca-
tlo e sua niiildcr, Antonio Jos Ferreira Muniz
dos mais grossos, 60enxadas, 25 machados, 1 b-
gnrna de funijeiro, 1 mlho de taboa, 2 garrafas de
verniz branco, 1 embutideira dechumbo parafuni-
lelro, 2 sellas rasas xaes, 1 leneol de ferro fino, 18 capgalhas, 6 tluzias
detahoas do louro, 6 taiman grossas de amarello,
25 enrbameisde30palmos,14 frecliaes de 20 palmos
e50caibros: quem la es gneros quizer fornecer,
sendo da melbor qualidade, mandar sua proposla
(ni carta fechada, e as amostras daquelies gneros
que forem possiveis mandar-se a directora do
mesmo arsenal, ateo dia 15 do correte mez.
Arsenal de gue.rra, 11 do novembro de 1847.
Oescriplurario,
francisco Serfico de Assiz Carvalho.
0 arsenal de guerra compra, para o presidio da
i Iba de Fernando de Noronha, 24 garrafas de agoa in-
gleza, 6 garrafas de agoa do louro-cereja, 6 garrafas
de agoa de alface, 8 libras de amendoas, 8 libras
de amoixas, 6 borrachas de gomma elstica para
injegilo, t> borrachas da mesma gomma para clistel,
32 libras de cevada nova, 24 garrafas de espirito de
vinho rectificado. 1 onga de extracto do salga-parri-
Iha, 1 onga do extracto de helado 111, 1 onga 1I0 ex-
tracto de estremonio, 1 onc de extracto de quina, 4
osla Dru-I !'nras '' flores do rosas, 4 libras de flores do malva,
ndre Coo-i*''Dras de llores de tilia, 16 libras de gomma de ha-
Jos Joa- t,lta' ,6 hras de linimento anodino, 12garrafasde
&.
Publicagio a pedido.
MAI'P.V dos doentes curados, melliorados c fallecidos van
enfermaras de ciruri/ia de ambo* os sexos, no Grande
Hospital de Caridadc, desde, o prlmeiro de abril de
1846 atofinjunho de 1847, por J. F. I'inio Quima-
riel, cirurgiao efectivo do hospital, em eicercicio as
dilas enfermaras.
NOMES DAS MOLESTIAS. 2 I I
11 I 1
H O S
Abcesso fri........... 1 B
Aperto do recto.......... t
Amanrose............ 1 j
Anus accidental......... i
Ascites.............. 2 j
BubOes.............. 2 2
Blennorhagia anal......... 3 i 2
! cutneo......... 1 j
da manima....... \ t
do anus......... 2 1
do penis......... 2 2
do tero......... 2 t>
Cancros venreos......... \ tl
Com bustilo do 4' grao...... \
Corysa intensa..........
Irvsipelas flegmonosas...... 2* 8
Exostoses............. 5 o
Escrfulas............ 4 i 3
Feridas diversas.......... 9 9
Ido fmur........ 2
Fracturas jilo humero....... 1 ~\
I do tibia e peroneo. j \
FlcgmOes............. : 3 B
Fstulas urinarias......... 3 .
Gangrenas............ B t
Conorrheas............ 5 5
llydroceles............ 2 2 1
Necrosc............. < \
Oftalmas crnicas......... r, -, 8
Ozcnas.............. 3 21
Prolapso do otero......... 1
Panancios............ 2 2
Scirrbo do testculo........ \ t
Sylilis consecutiva......... ^3 ,1 2
Tumor fungoso da gengiva..... j
1 atnicas......... 1; 14
venreas...... 16 16
escrofulosas....... 5 5 ,
escorbticas....... 3 (2
Zona............ 1 1
Somina total
135 101 23 11
labarraque, 32 libras de mana, 32 libras de malva
do reino, 1 onca de nitrado do prata, 44 vidros de
opodeldoquo, 8 libras de oleo de amendoas, 8j$ar-
rafasdeoleo de recio, 8 libras de pasta de jusba,
2 libras de pomada de pipinos, 2 libras do pomada
oxigenada, 2 libras de pomada do setrina, 6 garra-
fas de robe antisiphltico, 32 libras do raisdoal-
tha, 8 libras de rail de alcags, 8 libras de raspa
de viado, 39 libras de sal epson, 32 libras de semen-
te de lindo, 32 libras de salca-parrilda, 16 libras do
sement do mostarda, 8 libras de sipo de chumbo,
8 libras de ungento dealtha, 12 garrafas de xa-
ropo de espargo, 12 garrafas de xaropc le grosellas,
12 garrafas de xarope peitoral, 12 garrafas de xaro-
pe de horxata, 12 garrafas de xarope de tamarin-
dos e 12 garrafas de xarope de sitracto de ferro :
quem taos gneros quizer fornecer, sendo da me-
lbor qualidade, mandar sua proposta em carta fe-
chado, e as amostras daquellcs gneros que forem
possivi'is mandar-se, directora do mesmo arsenal,
al o dia 15 do corren te mes.
Arsenal de guerra, II de novembro de 1847.
O escriplurari,
Francisco Serfico de Assiz Carvalho.
A administroslo geral dos estabelecimentos
de caridade manda fazer publico, que, nflo se leu-
do elTectuado, no dia 8 do corenle, a arrematado
ilas rendas da casa 11. 17 da ra do .\ogueira (ica
transferida para o dia 15, pelas 4 horas da tarle, na
sala das suassessOes.
Adminstralo geral dos estabelecimentos de ca-
ridade, 11 denovombro de 1847.
Oescriplurario,
F. A. Catalcante Cousseiro.
Temi esta repartigilo, em cumprimenlo das or-
dena do Exm. Sr. presidente do frelar urna embar-
cado que prximamente v a ilha de Fernando
levar farinha coulros objectos o niaior numero
de presos que poder receber, e algumas pracas de
primeira linha trazendo na volta para esta cidade
oque d'alli se houver de remetler alm da podra
ile calgarque for possivel comportar ; manda o llim.
Sr. inspector pela presente declaraclo fazer cons-
tar isso a quem eonvicr. para a apres'entagio de pro-
postas dos navios que se queieam offereccr para es-
sa commissflo as quaes scrio recebidas nesta se-
cretaria no dia 16 do corrente, pelas 11 horas da ma-
nhfJa. Ascondigcs do fretamenlo serilo communi-
cadas nesta mesma secretaria d'amanha em dian-
te quelles que antes de apresentarem as propos-
las quizerem tersciencia deilas para mclhormente
formula-las.
Secretaria da nspegfio do arsenal de marinha do
Peruambuco, 12 de novembro de 1847.
Alexandre Kodrigues dos Anjos ,
Secretario.
O mappa cima aprsenla o movimento da clinica
cirurgiea do Grande llos(ilal de Caridade, represen-
Indo em 135 casos de molestias denominadas cirur-
gicas.
Dos doentes em que se davam, sahiram 101 cura-
dos, melliorados 23, e falleecram 11.
Os melliorados sahiram quasi lodos neste estado
por no se quercrem demorar mais lempo no hos-
pital, logo que se viram alliviados de seus uiaiorcs
padecimcnlos : os fallecidos foram todos victimas
dns molestias com quo entraran), pela maior parte
incuraveis.
I'ralicaram-se 4 opera^Ocs mais consideraveis : 2
Varaccnteses do escroto, seguidas de injec?0es da
tintura d'iodio na tnica vaginal nos ilmis casos de
hydrocoles que no mappa se mencionan), e duas am-
putacOes do penis, todas com feliz resultado.
Apresentando em globo o resultado do tratamen-
lo de todos os casos quo concorreram a esta clnica*,
nao facoa sua miuda c particular historia porque
nada oflereciam, a met ver, de interesse scientico,
nem na sua cssencia, nem no methodo de tratamen-
to empregado, quo foi o geralmentc nconselhado
pela tnaior parte dos praticos ; limilando-me tilo s-
nientc a fazer notar que as doen^as reputadas sy-
phililicas silo as que mais abundam ueste servido.
Recife, 16 de agosto de 1847.
Jos francisco Pinto Guimardes.
Declarares.
O arsenal de gurra compra duas mil telbas pa-
ra o presidio de Fernando-de-Noronha : quemas
quizer fornecer mandar directora 1I0 mesmo ar-
senal, at o din 16 do corren le, urna tclha parase
conhecera qualidade, e juntamente a proposta em
caria fechada
Arsenal de guerra, 12 de novembro de 1847.
Oescriplurario,
Francisco Serfico de Assiz Carvalho I
O arsenal de guerra compra, para o presidio da
ilba de Fernanrio-de-Noronha, 800 saccas de fari-
nha de medida velba da melbor qualidade, 20 ca-
adas de azeite-doce, 12 arrobas de assucar bran-
co, 1 sacca de arroz, 10 arrobas de bolacha, 1 cai-
xa rom cha, 1 arroba de tapioca, 4 meios de sola,
12coiros de viado preparados, 1 libra d
_ Je fio do *a-
paloiro, 2quintuesde arco de ferro surtido, 4 gro- -
zassorlidas, 1 barril de breu, 16paos de jangada* vedo, Joaquim Pinto de Campos, Joaqui
Lista geral das carias existentes na adminislraco do
correio, entradas no mez de Miembro de 1847.
AnnadeFreitas, Anna Joaquina do Valle, Anna
Susana, Alejandre Ferrier, Antonio Alves, Antonio
Carreiro, Antonio Concia de lirito, Antonio Fran-
cisco de Paria, Antonio Francisco de Oliveira, Anto-
nio Francisco Pereira, Antonio Gomes Hibeiro, An-
tonio Comes da Silva, Antonio Gongalves da Silva ,
Antonio Jaeinlbo do Couto S., Antonio Joaquim
Rodrigues, Antonio Jos Alves de Vasconcelos, An-
tonio Jos de Abreu, Antonio Jos Bandeira de Mel-
lo, Antonio Jos Marques Mello, Antonio Jos do
Nasciniento, Antonio Jos Pinto, Antonio Jos Vian-
na Antonio Luiz da Silva, Antonio Muniz Goncal-
ves, Antonio de Mello Magalhies, Antonio Pedrozo
Gomes (la Silva, Antonio Pedro de S Barreto, An-
tonio do llescnde, Antonio Hibeiro Fcrnandes An-
tonio Silveira Luiz Antonio da Silva Torres, An-
tonio de Souza Tavarcs.
Bernardo Lopes dcM., liras Manoel Machado.
Carlos Constantino Cxs. Degand Faino Char-
les Itoop, Cassiano Alberto Pimenla, Caclano Fran-
cisco ila Silva C. Caetano Maria de Paiva L. C.
Candido Ferreira de Aiaujo B. Candido da Silveira
Rodrigues, Candido Thomas Pereira Dutra.
Duarle Coelhode Albuquerque M. Diogo Mogues
Domingos Joaquim Vinlias, DomingosJos Tavares'
Domingos Lopes Fernandes Domingos Rodrigues
de Andradc.
Francisca Joaquina de Lima Filippe Carlos Si-
moes dos S. Femando Luiz Ferreira Fernando
Francisco, Francisco do A. Aquino, Francisco An-
tonio Marques, Francisco Antonio Pereira de Lomos,
Francisco de Borges, Francisco da Costa Serrador ',
Francisco Jos de Alnieida, Francisco Jos da Cu-
nta Sampaio, Francisco Jos de Mallos, Francisco
Jos de Mello, Francisco Luis Pereira Francisco
Moreira Pinto B. Francisco Pereira Freir, Fran-
cisco Pereira da Silva, Francisco Regs de Leilo C. ,
Francisco dos Sanios Nev.
Genoveva losa da Silva Cousscncourt.
Henrique Jos da Cimba.
J. F/Vogeler & C. J. Mendibair, J. V. Emery ,
IJaciutho Ignacio de Oliveira, Jacinlho Paviio do lle-
go Jacintho Soares de M. JoronymoJos Ferrei-
ra, Jeroilymo de Souza Cocido, Joaquina F.milia
do Figueiredo; Joaquim Antonio Pinto S. Joaquim
lloiuardino Ferreira Joaquim FerreiraTHartins,
Joaquim Jos Dias Pereira, Joaquim Jos Fejreira,
Joaquim Jos Pereira de B. Joaquim Jos Pereira
da Multa, Joaquim Jos do Simas, Joaquim Jos
dos Simios Rosa, Joaquim Luiz de Abreu Joaquim
Manuel de Oliveira e Silva Joaquim Pililo de AZe-
111 Pereira
Molla Joaquim Pereira Ramos, Joaquim Rodrigues
Pinto, Joaquim Silva Barboza, Joaquim Toixeira da
Silva, John Cals John Jonkheym, Juan Rosen-
brook, J080 Affonso. Joilo Alves Machado, Joflo
Baptistn de Campos J0J0 Fernandos Prente, Joilo
Goncalves de Miranda, Joilo Jacintho Simfla.s, Joilo
Joaquim Alves, Joilo Jos Leal, Joilo Jos Pacheco,
Joilo de Moraes Pinto Joilo de Oliveira Avelar, Joilo
Pedro de Souza Joflo Vioira B Joilo Vicento Fer-
reira P., Joilo Xavier da F., Jos Alvos da Silva Jo-
s Antonio de Azcvedo M Jos Antonio de Farla C;
Jos da Costa Pinto, Jos da G. Rosario Jo* Fe-
liciano da Silva, Jos Francisco de S.-Boaventuea ,
Jos Francisco do Freitas G Jos Jacintho Botelbo,
Jos Jacinlho da Silva. Jos Joaquim Goelho Jos
Joaquim de Souza e Castro, Jos de Mello Govea ,
Jos Maria Milito, Jos do Modeiros Saudades, Jos
Maria Lobo, Jos Manoel Francisco Ramos, Jos Pe-
reira da Silva Jos Rodrigues do Porto, Jos da Sil-
va Mendonca V.. Jos Tavares da Silva C., Jos Vi-
cente Ferreira Barros.
Luiz Augusto Loureiro, Luiz Benlo Rodrigues do
Castro, Luiz Gonzaga da Rocha Luiz Pereira Rapo-
zo, Luiz Vicente Rato.
Maria Joaquina Tavares D. Maria da Penha L. M.,
MartinianoJos Pinheiro B. Martinus Petro Haiva,
Manoel Goncalves Catdozo, Manoel Antonio C. J-
nior, Manoel Antonio Pereira Ramos, Manoel Anto-
nio Rodrigues Manoel Antonio da Silva, Manoel
Bornardesde A-, Manoel Bolelho Manoel Botoldo
Honrado Manoel B. Cordeieo, Manoel Cocido Tho-
maz, Manoel Domingos de B., Manool Feliciano
Comes F. Manoel FurtadoG. Manoel Ferreira do
Souza R. Manoel Francisco Lopes, Manoel Francis-
co Martina, Manoel Feancisco dos Res, Manoel Fran-
cisco da Silva Araujo, Manoel Goncalves de Almei-
da, Manoel G. da Silva, Manoel Justino F. do Araujo ,
Manuel Joaquim de G. Manoel [Joaquim de Miran-
da Souza, Manool Joaquim le Oliveira, Manoel Jos
de Araujo M. Manoel Jos Mendes B. P., Manoel
Marques Camacho Manoel de Mello Pires Jnior ,
Manoel Pereira do Couto Manoel Pereira Lopes Hi-
beiro, Manoel Pacheco de M. Manoel de Souza Car-
reiro Manoel do Souza Tavares.
Nicomedes Maria Freir.
Pedro Heserra de M. Porfirio JosCaiado.
Itoop Brooking.
Saturnino Facundo M. SebastiSo Jos Silva Bar-
ros.
Thomas Gardnor ct C., Theodoro de Albuquer-
que Mello Thomas de Aquino, Thomas Soares de
A. Thomas Teixera Basto.
Vicc-consul do S- M. Catholica, Victorino Jos Fer-
dandes.
Contratos a celebrarem-se com a tkttouraria das rendas
provinciaes.
O do ostabelecimento de urna linha de mnibus,
que, na forma da le provincial n. 191, de 30 do
mar^o ultimo, facilite o transito desta cidade para
qualquer dos seus arrabales e para Olind.Rece-
ber-se-ho propostas lodos os dias, at que se ve-
rifique o contrato.
O da conslrucQffo de tima barreira na estada do
norte, cujas desposas se acham orgadas em 1:732,200
rs.Os concurrentes a esse contrato devem de com-
parecer na secretaria da prodila thesouraria a 19 des-
te mez, ao meio-dia.
THEATRO PUBLICO.
Margarida Deperini, summamente penhorada pe-
lo bom acolhimento que tem recebido do indulgen-
te publico pcrnambuCano, tem honra de offerecer-
llie na uoilede tcrca-fcira, 16 do novembro, (e
uilo na quinla'-foira, como se l nos blheles tanto
de camarole como de platea) em seu beneficio, o di-
verlimculo scguinle :
PRI.MF.IRA PARTC.
1. Symphonia grande orchestra.
2." O milito applaudido duelo bufo do ELIXIR DE
AMOR, cantado pela beneficiada c o Sr. Toselli.
3." Grande aria Viv tu tenescungiuro, da opera AN-
NA l'.ni i:\.\, do mostr Donizetti, execulada no cla-
rn) de chaves pelo Sr. Plassa.
4." Srena romntica o cavatina, da opera IGNEZ
DE CVSTRO, do mostr Jos Fachinelli, cantada pela
beneficiada.
SEGUNDA PARTE.
i. Overtura e nova valsa, pela orchestra.
2." Nova ecscolhida aria, pelo Sr. Joilo Toselli.
3. Grande polaca original, com variaces, execu-
lada no clarim do chaves pelo Sr. Plassa.
4 Duelo da opera BELISARIO Ha se pelessi pian-
gere, pela beneficiada o o Sr. Toselli.
TKRCF.IRA PARTE.
1." Symphonia.
2." Duelo da opera NORMA, De Adalgisa e Norma :
a parle de Adalgisa ser executada no clarim.de cha-
ves peloSr. Plassa, e a da Norma pela beneficiada.
3.*- Nova quadrilba de valsas, pela orchestra.
4. Muito engracado terceto da opera SCARAMA-
CIA do meslre Ricci, pela beneficiada, Guiseppe De-
perini o o Sr. Toselli.
O resto dos bilhetes acha-se em casa da beneficia-
da, ra do Queimado, n 16, enalojadoSr. Lody,
ra larga do Rosario, n. 35.
A beneficiada agradece cordialmente ao Ilustra-
do publico desta cidade a honrosa aceitaQfio que ha'
merecido, c espera anda una ves indulgencia e
prolecQlo.
BENEFICIO DO PONTO.
MOJE, 13 DO COMENTE,
rcprescnlar-sc-ha a muito linda e desejada poca
Mara da Ponte,
a qual lindar com excedentes canlorias o Janeas, c
com o bullanlo pantomima
O HKCIItTAMKXTO NA ALDKIA.
l*tihlicacao Luterana.
Lices de dirrito criminal, redigidas tegundo as prelec-
cOes oraes do r. Basilio Alberto de Sousa Pinto, len-
te da faculdade de direito na vniversidade de Cam-
bra e membro do concelho superior de instruceu pu-
blica,
eilas 110 anno lectivo de 1844 a 1845 : edicto brasi-
lea mais correcta que a doCoimbra, mprossaem
bom papel, e augmentada de notas e remissocs ao
cdigo e legislado criminal do Brasil t i volume
em oitavo francs, contando a materia de 400 pagi-
nas da ediQo portuguesa.
Esta obra torna-sn digna de ser lida oconsullada
na generalidade de suas doutrnas especialmente
as materias mais importantes e complicadas do
direito penal, que ella trata niolliodicamente e com
urna clareza e preeisilo notaveis; sendo a primeira
obra escripia em lingoagem nacional, que neste ra-
mo de direito apparece com um eararter scieuljfico,
reunindo as vantagensdo commentario. Aslheorias
sobre a origen) do direito de punir, sobre aeompli-
cidade e a tentativa ; a questflo sohre a legilimida-
de da pena do morto e sua utilidade ; um exme
comparativo dos diversos systomas penitenciarios,
suasvantagonso inconvenientes relativos, ctc.jsflo
materias desenvolvidas com mais exlensflo esulTI-
ciencia do que talvez requnr o plano e naturesa e-
lementar da obra. Occupando-se dos crimes edas
penas en particular, percorre a escala daquelles o
dcstas, moslrando a natureza especial dcada cri-
mc. sua gravidade, as differentcs circunstancias
aggravantos e alteniiantes que revelam maior ou
menor perversidade no agente, e que devem influir
na quota das penas, com relacen ao grao de perigo
quo cada crimo fas correr nrdem social : musir
a natureza das penas, seu fim, as qualidadesque
devem ter para se consoguir esse fim, a classificaQflo
das diversas penas, e urna apreciagilo critica sobro
o valor material e moral de cada urna ; vantagens o
inconvenientes do direito de agraciar, etc. Muitas
doutrnas da obra silo autorsadas com os nomes
dos mais distinctos criminalistas com textos e fre-
quentcs romissoes ao direito romano^ fonto com-
mum das legislagOes modernas, aquelamom se
refere a obra, censurando acuellas das disposiefles
penaes existentes que repugnan) com a humanidado
e com as opinias e luses do sccylo.
Dons ndices systematicos, e um alphabetico das
materias contedas na obra facilitan! a consulta de
qualquer.ponloem um momento.
Vende-se nicamente na livraTiado bacliarol Cou-
tinho, esquina do Collegio.
avisos martimos.
Para o Porto sahir breve o brigue portugus.
Maria-Felit, capilfio Lourenco Fernandes do Carmo,
por ter a seu bordo parte do seu carrogamento :
quem no mesmo quizer carregar.ou ir de passagem,
dirija-se ao lito capilfio, ou ao seu consignatario,
Antonio Joaquim de Souza Riheiro
Para o Portosaho o briguo portuguez Primt-
vera, capitSo Rodrigo Joaquim Correia : quem no
mesmo quizer carregar ou ir do passagem, para o
que tem bons commodos, trate com dito capitSo
na praca, ou com seu consignatario, Antonio Joa-
quim do Souza Ribeiro.
Segu para o Aracaty com brevidade, por terj
parte da carga, a barca San-Joao-Baplista : quem
nella quizer carregar, dirija-se a ra da Cruz do
Recite, n. 36.
--Para oMaranho, tocando no Cear, preten-
der sabir o hrgue-escuna Jiura : recebe anda al-
guma carga e p*ssageiros : a tratar na ra do Tra-
piche, n. 34, com os consignatarios, ou com o capi-
lfio, na praga.
Para o Rio-Grande-do-Sul partir impreteri-
velmente no dia 15 do corrente o brigue brasilei-
ro Espirito-Santo, outr'ora Fiel, de que he capilfio
Alejandre Jos Alves : quem quizer remelter es-
cravos a fete ou ir do passageiro para o que tem
bom tratamento e commodos,dirija-se ao caixa.Fir-
uiinoJ. F. da Rosa na ra do Trapiche, n. 44, ou
com o capilfio.
Para a Babia seguir, Impreterivelmcnte na se-
gunda-feira de',tarde, 15 do corrente, o hiate Novo-
Olinda, pin ter a sua carga engajada : recebe, po-
rm, alguma carga miuda c propria de convoz. Os
pretendentes so enlcnderfio com o meslre, Antonio
Jos Vianna, no Trapiche-Novo.
O brigue Paquele-de-Pernambuco sahe para o
Rio-Crande-do-Sul segunda-feira, 15 lo corrente ;
tem asseiados commodos para passageiros, 0. rece-
bo escravos a fretc : quem pretender qualquer das
cousas entenda-sc com Leopoldo Jos da Costa
Araujo na ra da Moda, n. 7.
-- Para o Hie-Crande-do-Sul sahir brevo o pala-
clin Emiliana, o quai pode receber alguma carga
miuda e escravos a frete : quem pretender enlen-
da-secom Amorim I raos, na ra da Cadeia, n. 45.
Para a Babia sube, em poneos dias, o dale Flor-
do-llecife, pregado e forrado de cobre : para carga e
passageiros trata-se na "ra do Vigario, 11. 5.
-f*wrm;*..
Leiiots.
-- Joflo Keller & Companhia farfio leilfio por in-
tervengfo do corretor Oliveira, de grande sorli-
menlo de'fazendas lodas proprias do mercado:
segunda-feira, 15 do corrente as 10 horas da ma-
ndila no armazem da ra da Cruz.
O corretor Oliveira far icililo cm presenga do
Sr. cnsul de S. M. B e por conla e risco de quem
pertenec- de cerca de 10 caixas de assucar, em
bom estado para pagamento das despezas do cos-
teio da escuna ingleza VeslanJcs, capilfio P. Blam-
pied arribado a este porto rom agoa abeila na sua
Rsente viagem que faziade Maeei com destino a
Trieste Iioje, 13 do roirente, ao meio-dia em
ponto no armazem do Barboza defronle do Cor-
po-Sanlo. .

Avisos diversos.
O TRIBUNO N. 44
est venda no lugar do costume, e muito inters-
sanie. Procuren), e nilo desgoslarfio.
Precisa-se de um pequeo para caixeiro de
loja do fazendas na cidade de Maeei: a tralar na ra
da Cadeia do Recife, loja de fazendas, 11. 54, de Joa-
quim Riheiro Pontos. Na mesma se vende urna por-
gio de taimas de louro de assoalho.
Na ra da Praia, 11. 49, acha-se um .rapaz por-
tuguez, que, tendo alguma pratica do negocio do
venda, se propoe a ser caixeiro em alguma casa
desle ou de oulro qualquer negocio.
A pessoaque annuncioii querer comprar urna
cabelleira do senhora dirija-se a ra do Collegio,
n. 10, segundo andar onde achara una cabclleira
cm muito bom uso e por prego commodo.
Pr'eisa-so lugar urna casa terrea no bairro de
Santo-Antonio, que lenha commodos para pequea
familia, quintal o cacimba : agradando o prego o
a casa, so far todo o asseio, o alguin concert, co-
so a mesma precise, sem so descontar mida no alu-
guel. Quem a tiver, dirija-se a ra dy llorlas, so-
brada de um andar, n. 14
XMMil^ft.


&-.-&
O primeiro secretario avisa aos Srs. socios em go-
ralparaasua reunio, hojo, 13 do correnle, as 6 e
m.eia horas da tarde.
--Precisa-se de dous canoeiros com canoas pa-
ra deitarom diariamente areia : na ra da Praia-
de-S -Rita, n. 25.
Precisa-so de urna ama forra ou captiva : na
ra de Hortas n. 16, primeiro andar.
--Manool AntonioGongalves embarca para o Rio-
de-Janeiro o sen escrnvo Flix.
Fr. Joan Capistrano de Mendonga tem aberto
um curso de pbilosophia rhetorioa o geographia :
as pessoag que se propozerem a cstudar estas ma-
terias o pdenlo procurar no convento de S.-Fran-
cisco, a qualquer hora.
Como se ignora a moradia por isso so roga ao
Sr. doutor Soahra apparega no segundo andar do
.sobrado por detrs da matriz de S.-Antonio.
Aluga-se a casa terrea nova na ra do Pilar, n.
7, onvidragada, com quintal c cacimba e bons com-
modos, assiin como o primeiro andar da casa da ra
da Guia, n. 17: a tratar com o proprietario, Anto-
nio Joaqun) deSouza Ribeiro.
O autor do annuncio sabido hojo neste binrio,
relativo ao Sr. eapitSo de guarda nacional do Poco-
du-l'anella, pelo presente declara ao respcitavel pu-
blico que aquello annuncio n5o se entende com
nenbum dos Srs. ofTiciaes daqucllo hatalhilo, e nem
deoutro qualquer Iralalh.lo, posque s por enga-
o do annunciantc he que sabio semelliante annun-
cio, e por isso apressa-se o annu)icante a dar a pre-
sente .satisfazlo.
Os Srs. que cncommendaram mcrgulhos de
parreiras na ra do Rozario da Boa-Vista, n. 2, ve-
nham-os buscar, que seacham protnptos.
No dia 9 paraoamanhecer dodia 10, foi rou-
bado o urmazem de Diogo Cocksholt & C, pela
porta do Trapiche-Novo, londo os roubadores levado
porgo de varias fazendas, constando de madapo -
loes, chitas, hamburgos alirodSoznho liso, algo-
d.lozinho riscado, brim do linho de quadrns : parte
das ditas fazendas foi apprenhendida cm uina canoa
aberta, por detrs ila ra da Praia, ao pedo hecco do
Carioca : qualquer pessoa que descobrir o resto dos-
te' roubo, piie denunciar ao Sr, subdelegado do lu-
gar onde se achar, ou no Trapiche-Novo, n. 1*.
mu
Diio-.se 50,^000 rs.de gralificacao,
e se pagarao todas as imis despe-
zas que se tenliam leito, a quem
dr noticia do caboclinbo cscra-
vo por rime Vicente 4 de seis
intios, puuco milis ou menos, sec-
co do corpo; tem no anns duas f-
tidas de bobas, e I12 Uin tanto le-
so, por ser novato nesta. praca; le-
voh vestido camisa de algodao da
trra um lano soja ; deseneaini-
nhou-se da na do Vigario, n. i(\,
aonde se poder dirigir a pessoa
que souber, ou ra da Cadeia
do Recile, n. 21

3gCH ^FKOSDESdi
fun do i'asseio-Publico, n.
5.
JoHo I.oubet participa ao respcitavel publico, que
recebeu, por estes ltimos navios francezes, um com-
pleto sorti ment de chapeos de sol, de seda, amis
rica e superior qualidade; furta-cres e outras mu-.
tas conhecidas, tanto jiara horaens, como para Srus
e meninos. No mesmoestabclecimenlo lia um sorti-
menlo de chapeos de sol de paninho, dos mais mo-
dernos ; ditos niuito grandes, proprios para homens
decampo: tamhem tem chapeos de sol de paninho
para meninos c meninas, por seren omito linos: po-
dem-'se chamar chapeos de economa. Na mesma loja
ha sorlimenlo de bengalas, bengaliiihas e chicotes
milito modernos; cobre-se qualquer armagao de cha-
peos de sol, com sedas de todas as cores equalida-
iles. Na mesma casa ha um grande sortimenlo de
pauiiuhos trancados e lisos, imitando seda, para
cobrir os mesmos: desta fazenda se vendo arelalho.
Cpncerta-se todo qualquer chapeo de sol, por liaver
um completo sortimenlo de todos os pertcnecs para
os mesmos, com toda a perfeig.lo e brevdado.
Aluga-se um.i casa terrea no bairro do Santo-
Antonio, quelenba bons commodos, assim como
tambeni um escravo : quem liver para alugar an-
nuncic, ou enlenda-se na ra dos Tanociros, n. 5,
que se i tic dir ijijein precisa.
Aabaixo assignado avisa ao respcitavel pu-
blico, que ninguemfaga contrato algum sobre bens
pertenec) les ao casal de seu fallecido mando, Fran-
cisco da Rocha Paz Brrelo, principalmente como
testamentoiro Antonio l.ins Caldas, e a legalaria Ma-
rra Candida Magalhlos, visto como ditos bens se
acham presos por urna questao que pende no tri-
bunal da retaceo.
D. Barbara Francisca Xavier de Vatios Mortira.
Precisa-se do ofliciaes desuirador, forros ou
captivos : na ra da Penha, 11. 4, loja de surrador.
" Umc pessoa hbil so offerecc a tirar passapor-
tcs para dentro c fra do imperio com lodo a bre-
vidado : quem do seu prest mo se quizer utilisar ,
dirija-senocscriptoriodo tabclliflo Coclho, defron-
te do llieatro velho.
Aluga-sc, por prego multo commodo, tanto
por fusta como animalmente, 1 sitio confronte aPon-
le-de-Ucha, a margen) do Capibarbe,cujn duas ca-
sas, sendo urna pequea e a outra bastante gran-
de com qualrb quarlos 3 salas, cozinha estri-
baria para :t eavallos e com planta de capim na
ra Nova, n. 67.
Aluga-se urna escrava para o servigo de urna
casa : quem a precisar dirija-se a ra Nova loja
n. 58, que se dir quem aluga.
Quem precisar de una ama para casa de pou-
ca familia por proco commodo dirija-so a Fora-
do-Portas ra do Pilar, n. 44.
O doutor Casanova medico trance/, contina
fi receitar cm sua casa na ra Nova 7, primeiro
\ndar, dcfronledo oitilo da matriz de S.-Antonio ,
*-as7 as 9 horas da maiinaa, e depois disto, est
promptoa qualquer hora para fazer visitas a qual-
quer doonte que de sou preslimo so quizer utilisa''.
LOTERA I)OTHK/*TRO.
.Bilhetes a 4,5oo e a 8,5oo rs
O pequeo resto debilhete que exis-
te porconta da sociedede, acha-se a ven-
da nicamente na botica do Sr. Joo
Moreira Marques, no pateo da matriz de
S -Antonio e s se vender ateo dia se-
gundo-feira, 15 docorrente vesperado
andamento das rodas.
Urna pessoa casada, com familia, do muito boa
conducta e com bastante pratica de administrado
de engenho, e em que tem sido emprogada se
offerece para este (i m a qualquer senhor de enge-
inho, dando pessoa muito capaz em abono de sua
conducta e hahilitagOos; quem ilolla preciar annun-
cio.
D-so 1:600,000 rs. a premio sobro hypoteca em
alguina propriedaile, ou mesmo sobre penhores de
ouroeprata: na ra cstreita do Rozario, n. 30, se-
gundo andar, se dir quem d.
-- Precisa-so de um rapaz do 12 a 14 annos para
caixeiro que tenha pratica do negocio e de fiador
a sua conducta : na ra da Cadeia-Velha loja de
miudezas, n. 37.
Quem tiver urna preta para alugar, que saiba
cozinhar, engommare fazer todo o mais servigo do
urna casa, eque ilfiador a sua conducta dirja-
se a ra da Aurora n. 20.
~ Paga-so a passagem a urna mulher que queira
ircm companhia do urna senhora e lilhos para Por-
tugal : a tratar na na do Queimado, 11. 30.
--Anda ha para alugar duas casas com muito
bons commodos no sitio do Cajueiro, e tambem
urna cocheira na Boa-Vista : a tratar no mesmo
sitio do Cajueiro.
Quem precisar de um caixeiro para qualquer
cstahoecimento, preferindo-se venda, do que o au-
nuanciante tem pratica procure na ra Nova, loja
n. 58, das 8 as 11 horas da manh3a.
OSr. Laurentino Antonio Moreira do Carvalho
queira dirigir-se a praga da Independencia, livra-
ria lis. 6 e 8, a negocio de seu inercsso.
Aluga-sc, ate 17 de setembro do seguinlo anno
de 1848, a boa casa junto ponte do ('.achanga, por-
tenccnle a senhora Viuva Mara Joaquina dos San-
tos; e trata-se na ra da Cruz do Recita, n. 45, com
Nascimento & Amorim.
Sociedade Recrciovluvenil-
*
cantara. F.stes bilhetes vo rubricados por Vici-
ra da Silva.
-----Vcndem-se enfeiles de froco de di-
versas cores paractbecas de
na luj 1 de Maya liamos & C
sennoras
ra Nova,
n
6.
Lotera do
5^io-de-Janeiro.
0 primeiro secretario avisa aos .Srs. socios, que
domingo 14 docorrente ha sossilo da sociedade,
as 4 horas da tardo, na casa da mesma.
Attencao
?
Na loja da ra do Queimado, n. 30, de Jos Joa-
qun) de Novaos, contina a haver um sortimenlo
de obras foitas; chapos do lodas as qualidadus ;
ditos para meninose meninas ; ricos chales de seda;
mantas de seda; lencos do todas as qualidades ; e
outros muitos objectos que hs para vender.
Aluga-se urna casa terrea com trapeira, no
lugar do S.-Auna de dentro, com 4 salas, 5 quartos,
cozinha, cocheira, estribara e quarlo para pre-
tos um algrete, cacimba com bomba, portflo de
ferro algumas arvores do fructo e carim para um
cavallo : a tratar na ra Vclha, h. 87.
Dentista.
M. S. Mawson, dentista bem conliecido nesta pro-
vincia, lendo agora chegado da Europa, e leudo vi-
sitado ascapitaes do Londres e Pars, donde Irouxc
os melhores objectos da sua prossilo que al boje
se conhecein, como novos instrumentos, denles e
mais necessarios para qualquer operag3o da sua ar-
te ofTerece 8eus servaos aos Ilustres habitantes
desla cidade, conforme a sua tabella fixa, e promet-
i fazer todos osesforcos para agradar s senhoras,
ou senhorts, queoquizerem procurar, das 9 horas
da inaribila al 3 da tardo na ra do Trapiche-No-
vo do Recife, n. 8, segundo andar.
O abaixo assiguado, encarrej>ado do!
deposito do rap Princeza-de-Lisba,-
faz sciente ao respcitavel publico, que
tendo vindo ordens positivas do contrato
para nao se vender o rap fiado, por isso
de boje em diante e sem excepeo de
pessoa, s vender o dito rape a quem
he pagar vista \ o que faz publico para
conhecimcnlo de todos. Pernambuco, t.
de novembro de 1N47.
Antonio Francisco de Moraes.
Vendem-se bilhetes c meios ditos da 23.* lotera
[a beneficio do theatro de S.-Podro : na ra da Ca-
deia, loja de cambio, n. [38, do Manool (lomes da
Cunta e Silva.
MEZ MARIANO A 1,000 RS.
Vndese na livraria Ja praca da Independencia ,
ns, 6 e 8 o Novo Mez Mariano, accroscenlado com o
Lauspercnne do Santissimo Rozario.
PECHINCHA.
JosSaporiti tem caixinhascom 12 frascosde azoi-
ledoce refinado, que, para acabar com elle vende
pelo commodo prego de 2,000 rs. cada caixnha ;
na ra da Cruz, no Recife, n. 18, segundo andar.
FRESOLINHO.

Chegou pelo hrigue Bom-Jesus, vindo do Rio-de-
Janeiro, urna remessa do superior rap grosso e
meio-grosso, da fabrica deEstevo Cas.se. Os dig-
nos freguezes oncontrarUo no iloposito da ra da
Cruz do Recife, n. 38, a quaiilidado o sortimento
quequizerem. Ose prego he j sabido 1,280 rs. ,
sondo de 5 libras para cima.
Vendem-se pegas do madapoblo limpo com
20 varas a 2,500 rs. ; pegas de chitas escuras o de
coros lxas muito cuc.irpadas e fortes a 5,500 rs. ,
o a mua pataca a relalho ; na ra eslreita do Roza-
rio, n. 10, lerceiro andar.
Na ra da S.-Cruz, venda n, 5,
vende-so muito boa manteiga para bolos o tempei-
ros, pelo barato prego do 240 rs. a libra.
CANTIGAS DE PRESEPE.
Vendem-se versos para prosepes a 320 rs. : na li-
vraria da praga da Independencia, ns. 6 e 8.
- Vendem-se 4 lindos molequesde 18 a 20 an-
nos ; 5 pelos, sendo um ofcial do sapaiero, oulro
pedreiro e os outros proprios para todooservigo ;
dous pardos um hom carreiro e o outro proprio
para pagem de 16 a 18 annos ; duas pardas, urna
de 20 annos, com habilidades, e a outra de 12,
propria para ser educada ; 5 prelas do 20 a 30 an-
nos com habilidades ; duas nogrinhas de 11 a 12
annos com principios de habilidades: na ruado
Collegio n. 3, segundo andar, se dir quem vende.
A <2?000 rs.,
saccas com bom milito : no
caes da Alfaudcga, armazetn
de Antonio lunes.
Vendem-se dous lindos molequos do 12 a 14 an-'
nos ; 1 preto de 20 anuos, de elegante figura ; dous
ditos bem robustos, de naglo e que silo ga-.ihado-
res de ra ; 1 mulalinbo do 12 annos; urna negri-
nlia de 12 annos ; 3 pretas de bonitas figuras com
habilidades; 3 pardas bem mogas, com habilida-
des: no paleo da matriz de S.-Antonio sobrado
n. 4.
Vcndem-se enfeites de aljofares de
diversas cores, para cabeea de senhora
na ra dos Qnartcis, boje larga do Roza-
rio, loja n 22.
Vcndc-se panno de linho muito fino ; vinho do
Porto em pipas c barra de 4, 5, 6, 7 o 8, muito su-
perior ; cooiros de algodilo ; potassa e cal virgen) ,
em barricas grandes e pequeas; (echaduras para
portas de armazem ; pilulas da familia; cadeiras
de Jacaranda ; urna secretaria do bom gusto-. ludo
por prego commodo : na ra do Vigario n. 11, pri-
meiro andar.
;- tipcrior oleado.
Vendem-se meias pegas do mais superior oleado
3ue (em viudo a este mercado a 3,000 rs. : na ra
o Queimado, loja de chapos, n. 38.
Cheguem, que estose aca-
bando
na christfa a arthmetica e a geometra pralic
obra inlercssanlc aos que estudam para fazer oF
posigili) as cadeiras de primeirw ledras por cna-
rom em un mi volnme ludo quanlo he preciso,
pelo dimin.il:> preni le 3.000 rs, : na livraria ns.
6e8da prags .la Independencia ; na doSr. doutor
Coutinho esquina defronU do Collegio; e em Olin-
da ra de Maltuas-Fei reir solirado n. 6.
Admiraveis nava-
Ihas ele acoda China
que teem a vantagem do cortar o cabello sem ofTen-
sa da pollo, dcixando a cara parecendo estar na
sua brilhaiile mocidade.
Este ac vem exclusivamente da China eso nel-
lo trabaliamdous dos melhores c mais abalisados
cutileiros da nunca excedida e rica cidade de Pe-
kim, capital do imperio China.lu'or.SAon.
N. II. lio reconlieciilo o uso deslas navalhas
maravlhosas por todas as sociedades das scien-
cias niodico-cirurgicas, tanto da Europa como da
America Azia o frica, iio s para prevenir as mo-
leslias das cutis mas tambem como um moio cos-
mtico.
Vendem-so as vordadeiras s na ra larga do Ro-
zario, n. 24.
' a ra do Crespo, loja n. 12,
de Jos Joaquim da .Silva
Maya,
vendem-se muito lindos chapos para meninas,
tanto de seda como de palhinha chegados ltima-
mente de Paria ; Chapos de seda para senhora;
cortes de crambraia do snda.de ricos gostos por
prego muito commodo ; cortes de vestidos de cam-
bra ia c cassa-cbtas de dilVercntcs qualidades, por
progos baratos; ditos com unta pinta de mofo c
sem elle a 2,000 o2,500 rs. cada corte ; mantas de
seda e lila para senhora das mais modernas que
leem vindo a osla praga a 5,000 rs. cada urna ;
manas o chales ilo seda de varias qualidades c ba-
ratos; alpaca preta, a 800 o 1,600 rs. o corado;
panno de linho a 400 rs a vara; casimiras fran-
cezas eelsticas para caigas a 5,000 rs. o corte;
Instiles; setinse velludos para collete, por prego
muito em conta ; bem romo um sortimenlo de ou-
I ras militas fazendas que se vendem polo barato.
Vemdcm-se, no districto da villa de Bananei-
ras, na provincia da Parahiba do Norte, as segua-
les trras proprias para piantaces de algod0o e
cannas de assucar, a saber: um sitio com mcia egoa
de Ierra, denominado Alagoinha ; um sitio com
una engenboca e casa de vivenda, denominado Ba-
copari propria para dar cannas de assucar, que
foi do finado Joaquim do Reg Toscano e Brito, e
era parte do sitio Pao-d'Arco ; urna parte de trras
DO sitio Caniialirava, muito propria para producgSo
do cannas de assucar, leudo prnporgfies para se le-
vantar um engenho ; urnas trras'denominadas
--Sitio-Novo, em Callabougo,com urna casa gran-
de de vivenda, scnzalla para escravos, preusa para
encncaralgodo o uutros perteuces para descaro-
gamenlo do mesmo genero, que foram de Francis-
co da Cunta Ribeiro: silo proprias para plantagSo
de algodilo, ou para criagflo do gados. Quem as
quizer comprar dirija-se naquclla villa ao capitflo
l.stevilo Jos da Rocha, ou na cidade da Parahiba, a
Jos l.uiz Pereira l.ima.
Casimiras elsticas e finas, a
7^000 rs.
Vcndem-se superiores casimiras elsticas finas o
decores, pelo baratissimo prego de 7,000 rs. o cor-
te de caiga. Esta fazenda he recommeudavel pela
sua qualidade tanto em fazenda como cm gostos ,
porserem os mais modernos; casimiras pretas,
superior fazenda por sern muito finas a 2, 3 e
3,500 rs. o covado : na ra do Collegio, loja n. 1.
Na loja numero 17 da ra do
os si>palors de be/erro para boniem a
bcngali nhas para passcio, a 320 rs. : no
Boa-Vista loja n. 78.
Para presepes.
Compras.
Compra-se nina lileira om bom estado : na ra
eslreita do Rozario, n. 10, segundo andar.
Urna emcotnmsiida para fura da praca.
Compram-seduas negras sadias, sendo urna de
15 a 20 annos, e outra de 25 a 30 c nilo se procuram
habilidades : xjue.n liver dirija-se ao Fortc-do-Mat-
los, na ra do Amorim, n. 33, segundo andar.
Compram-so 2 moleques de 12 a 18 annos;
duas cretas ou pardas que tenham habilidades :
na rus Nova n. 16, se dir quem compra.
Compra-se urna pedra d'ara e um calix doura-
do em bom uso : quem liver annuncio ou dirija-se
a ra dos Tanociros, n. 5, que se Iho dir quem pre-
cisa.
-- Compra-so uina cabelleira do senhora : quem
livor annuncic.
Vendas.
Lotera do Itio de-Ja, eiro
Aos 20:000^000 de ris.
Na ra da Cadeia do Recife, loja do cambio de
Vieira, est3o a venda bilhetes e meios ditos da lo-
tera a beuefcio du llieatro de San-l'edro-de-Al-
No Aterro-da-Boa-Vista loja n. 78 vendem-so
caixinhas com calungas para presepes, contendo
I varios utensilios.
Vendem-se ma itas
mili lindas a 2,000 rs. ; dando-sc noticia desla fa-
zende por so desojar prompta extraego c na cer-
teza de que convidam-so aos compradores pelo seu
prego e qualidade : bem como acharan outras nim-
ias fazendas de bom gosto: na ra do Cabug, n. 16.
Vemle-se urna canoa de carreira por prego
commodo: na ra do Queimado, loja n. 13.
Vende-so un molecole perfeito cozinheiroe
comprador e que he de boa figura o conducta : na
ra Imperial largo da Torca, n. 3.
Kemedio prodigioso para os
embriagados.
Esle remedio lorna-se mui apreciavel por ser sua
composigo nmi simples, e nflo arruinar a saude do
individuo, fazendo-o aborrecer para sempre a t-
bida. Vende-se na ra da Gloria, n. 87.
Vende-se una linda negra com habilidades, um
negro pega de 20 annos; uin moleque de 12, urna
mulalinh-i de 4 annos, e um muleque de 7 annos,
por seu senhor su retirar para fra : na ra da
Sen /al la- Vel ha, n. 110, se dir quem vende.
ABARATEIRO, FRECUEZES.
Na ra Nova, n. 26, loja de Tinoco & Rocha vcn-
dem-se cortes de colletes de velludo muito supe-
rior a 3,500 e 4,500 rs.
AS OPPOSITOItES E ESTIMANTES DE PRIJIEI-
I1AS I.ETTRAS.
ColIccgSo de compendios ricamente encaderna-
da couleudo a grammalica portugueza, a doulri-
Passeio-PtibHeo,
vcndem-se cortos do cambraia, de cures finas, com
6 e mcia a 7 varas, a 2,240 o 2,560 rs.; ditas muito
tinas, a 560 rs. a vara ; corles das muito lindas pr'in-
cozinas, a 12,000 rs.; maulas de seda, muito ricas,
a 10,000 rs.; chales de seda, muito ricos, a 14,000 rs.;
dulas linas a 120, 140, 160, 180, 200 e 240 rs., e muito
finas a 280 rs.; brins de linho do quadros olistras,
1 280 rs e mu,l lindos padrOes, a 640 rs. a vara ; lengos gran-
Aterro-ia- daarteaeda para grvala, e bous em qualidade, a
1,280 rs. ; mantas de seda para grvala de liomein, a
2,000 rs. ; cortes de collete de 13a e seda, a 320 rs. ;
ditos de Instilo, a 500 rs.; dilus de velludo deco-
res, a 3,000 rs. ; ditos de gorgurio de seda de co-
res, a 3,000 rs. ; ditos de gorgurio de 13a eseda, a>
1,000 rs.; lengos brancos arrendados, para mSo da
senhora, a 240 rs. ; chales de 13a da Escocia, a 2 560
rs,; ditos de 13a com lislras de seda, a 3,000 rfs ;
alpaca cor de cafe, a 640 rs. o covado ; dita muito fi-
na preta, a 1,440rs. o covado; pegas do madapolSo
muito finas, com quatro palmos, a 4,000 e 4,500 rs ;
cassa lisa a 240, 400, 480 c 560 rs. ; pegas de ilgo-
daozinho com 18 jardas, a 2,000 rs.; chales de cas-
sa escura, aOiOrs.; merinos muilo superiores, a
1,600, 2,800, 3,200, 3,500 e 4,000 rs. o covado ; cor-
tes de chita com dez covados, a 1,000 rs.; ditos finos
com toditos, a 1,800 rs.; ditos ditos com 14 ditos,
a 3,500 rs.; ditos de vestido de cassa com barra,'a
5,000 rs o outras militas fazendas por progos com-
modos.
JVa loja nova da ra d Quei-
mado, n. II v, de Haymun-
do Cario. Leile,
acha-se um novo sortimenlo de lindas mantas de
seda a 4,000 rs. tendo tambem de 2,000 10,000,
16,000 c 20,000 rs. ; luvas para senhora de trogal,
ultima moda em Lisboa ; meias cras n. 10 a 5/
rs. a duzia.
Tintas d'oleo
em latas pequeas, vendem-se no armazem de Kal-
kmann & Rosenmund, na ruada Cruz, n. 10.
Vinho de Champanha da
marca cometa,
vende-se no armazem de Kalkmann &. Rosenmund,
na ra da Cruz, n. 10.
Vcnde-se Tratado de navegagSo: na ra das
I Cvuzes n. 35.'

MUTILADO


i
Jt-
Vende-se urna preta da Costa': boa quitandei-
ra : ora Fra-do-I'ortas, ra do i'ilar, n. 40.
Casa da F
na rua estrella Nesle eslnbeleciment acham-se a venda as bem
acreditadas cautelas da lotera do theatro publico
desta cidade cujas rodas aiiilam no ilia t6 ile no-
vemdro. O cautelista ospera que os seus freguezcs
concorram a comprar o resto das ditas cautelas ,
nas quaes so esperam boas sortes, pola oxcollente es-
colha que so fez dos nmeros para seiem divididos
incatelas. A ellasquosilo poucase boas. Pregos
os do costuino.
= Vendera-se casaes do pombos milito bonitas ,
grandes, bonsbalcdorcs e de ptima raga por prc-
50 commodo : na ra da Florentina n. lti.
Cartas para volta-
rte
as inelliores e mais baratas
Ra do Rozario n. 2*.
vendem-se na ra lar-
ACE.NCIA DA FU.NOICAO'DEI.OW-MOOR.
.\'a ra da Senzalla-\ova n. 42, contina a haver
.( n completo sortimenlo de moendas e machinas de
vapor para engenhos de assucar : bem como tai-
xas de ferro batido e coado de todos os tamaitos
todo por prego commodo.
Vende-so, 011 troca-se por casas nosta pragn, un
terreno com 412 palmos de frente e 130 do fundo,
sito por detrs do covento do Carino : a tratar com
o scu propietario no Manguind segundo sitio
depoisdacapella de S.-Jos.
>a lo ja de .los II a noel llon-
leiro Braga na rui do Crcs
po, 11. 16, esquina que vira
para a na das Crnzes,
vendem-se cooiros de casimira bordados, o mais
rico que se pode fa/er ueste genero em rasilo de
serum novo bordado qucsesuiipu nao havorou-
Iro igual; chapeos da ullinia moda, para senhoras
chales e inanias de seda ; c oulras muitas fazenda;
linas : tuilo do ultimo gosto.
Vende-se um sitio do Ierras proprias com va-
rios arvoredos do fructo casa, boa cacimba, no
lugar d'Agoa-Fria de Beben be; cujo sitio foi do fal-
lecido Jeronymo Jos Martina : no pateo da igreja do
I'ilar, do lado esquerdo casa 11. 181 ou no car-
lorio dos,orplios se far lodo o negocio.
Ya l:>ja nova da rua do Qnei-
mado, 11. II A, dcKaymun-
do Carlos Leite ,
acha-se um novo sorli monto de pannos linos de todas
us cores o qualidades chapeos francezes da ultima
moda ; um completo sortimenlo de fazeudas linas
egro9sas,por prego mais barato 1I0 que cm oulra
L11 vas de pellica.
Afianga-seas boas qualidades destas luvas. Ha ilc
todas as cores tanlo para homcm como para se-
nhora. Vendem-se mais em conta do que em 011-
traqualquar parte. Na rua larga do Rozario, n. 2t.
- Vendem-se charutos da \\a-
vana : em casa de J. O. Elster :
na rua da Cadeia-Velha, n. '9.
Pannos finos.
Vendem se stiperioies pannos linos a prova e
limlo preto, a 3,000, 4,500, 5,500 e 6,500 rs. ; di-
to azul, a 3,000 rs. ,e muilo lino, a 4,500 rs. listes
pannossiio novos e pela sua baratez, ollcndendo
a sua boa qualidade, tornam-se recommendaveis.
Na rua do Collegio, n.'l. v
Vende-se urna armacio de urna venda.com
os seus perlences 4caixf>esenvidragados 3 quar-
tola's para deposito : tainbem se vendem 6 cadoiras,
dnas bancas urna cama de casal, um canap, urna
rom moda: tu-do do Jacaranda e com pouco uso : na
esquina da rua das Flores venda ti. 1.
Vendem-se gementes de bortalica do todas as
qualidades milito novas eedegadas prximamente
dol'orto na barca hspirito-Santo, por preco commo-
do : na rua eslreita do Rozario, venda n. 8.
Vende-se urna canoa de um so pao, nova, e
muito bem construida por preco commodo : na
i ua da l'raia, armazom n. 62.
Vendo-sc a casa n. 46 da rua de Agoas-Vcr-
des, por diversas vezes annunciada a venda : quem
n pretender dirija-se a rua do Caldeireiro casado
r. doutor Jos Antonio l'ereira Ibiapina, que se
acha competentemente aulorisado, nilo s pelos
propietarios como pelo hypolhccario para contra-
tar qualqtier negocio o mesmo o arrendamento.
Vende-se urna casa terrea na rua da Gloria
n. 114 : na rua da Alegra, n. 5.
Vonde-se urna preta do 40 anuos que cozi-
nha faz todo o servido de urna casa c vendo na ru
urna preta de 20 anuos, de muilo boa figura, quo
cozinba c engomma ; urna parda de 20 anuos que
cose muito bem ; urna negrinha do 10annos, muilo
linda ; 3 moloques de 10 anuos : na rua do l'asseio,
loja n. 19, so dir quem vendo.
Veude-se um relogio dcouro sabonete, pa-
tente ingloz muilo bom regulador, o que se afan-
ca por [ii i'i;d commodo : na rua Nova, loja n. 21.
vende-se um molequo de 15 anuos que cozi-
nba solTrivelmeule, e be ptimo para todo o servico;
urna preta de 19 a 20 anuos que cozinba engom-
ina e lava perfei lamente : na rua da Cruz, n. 43.
Vendem-se chinelas rasas lecentomento che-
Hadas do Porto : na rua da Cadeia-Velha n. 33, loja
doMorcira.
Na rua de Agoas-Verdos, n. 46 vende-se urna
i'xcellento parda, mucama, com ptimas habilida-
des,que se fariio ver aos comprudores.c que lem boa
conducta; urna ptima escrava lavadeira e quilau-
deira ; duas ditas ditas ; urna dita de bonita lisura ,
que faz lodo o arranjo de una casa ; una encllenle
escravo pardo ptimo criado; um dito que Ira-
balha mu bem do wafcenoiro ; um bonito moloqge
de naclo.de 14 anuos; ymdito de 18 anuos; um
escravo do meia idade; um dito de nacio Angico
que faz lodo o servico de casa e rua. '
Na loja de Joaquim Pereira Arantes, na Braca
da Independencia, n's. 13 e 15 recebeu-se pelo ul-
timo navio vindo do Havre, um grando sortimenlo
decalcado de tpdas as qualidades, sendo: borze-
guins gaspoados e do ponta ; ditos de pona para
meninos ; sapatos de lustro para bomem ; sapatOes
de dito para nomom e meninos; ditos de bezerro
para ditos; sapatos do tapeto, panno e de marro-
i| ni ni, para homem esenhora ; ditos de lustro du
raque e selim, para senhora; ditos do marroquim e
de lustro, para meninas ; chiquitos de lustro mar-
roquim, 1,'ia u 1,1,1 e seda ; e oulras muitas qualida-
des do calcados ; bem como perfumaras que serSo
vendidas por commodo preco.
Bel mi ras.
Vendem-se superiores cortes da fazenda nova
denominada belmira para vestidos de senhora ,
pelo barato preco do 4,500 e 5,000 rs. o corto. Esta
fazenda lio nova e de muito sublimes gostos, sen-
do as suas cores mui apraoiaveis por serem cor de
lirio, rosa e perola. A clles, antes que se acabem.
Na rua do Collegio, loja n. 1.
Vendem-se pedras de monhos, por monos
preco do que em outra qualquer parte : na rua das
Cinco-I'onlas, n. 82.
A 160 rs. ocovado.
Riscados francezus, a 160 e 200 rs. o co-
vado ; damasco dealgodiio, a 640 rs. o cO-
vado; cobortas de dito milito largo, a
3,500 rs cada urna ; meias casimiras a
2,240 rs. o corte ; ditas elsticas, a 2,500 e
3,000 rs. ; panno lino de todas as cores, a
4,000 rs,; cortes do cassa-chita do hons
gostos a 2,500 e 3,000 ; novas casimiras
elsticas do bonitos padrOes ; cortes de
chita o mais lino possivel; corles do cassa
Q) de padres muito modernos ; alpaca mui- \
3T lo lina ; dita de corrillo o do varias cores ; ^^
@) corles de panno bordados para sapatos ;
^ novo sortimenlo de corles de cassa-seda
\3) de novos gostos; chapos francezes da ul-
nfc tima moda eoulras muitas fazeudas li-
v?' nas: ludo por monos prego do que em ou-
H) tra qualquer loja : na rua do Queimado ,
m
m
m
I
Vende-se um preto crioulo de 20 annos com
olicio de pedreiro o qual veio do mallo para pa-
gamento e por isso vende-se por proco commodo ,
para ajuste de contas : no Recife, rua de Apollo ,
n. 23.
Vende-se um preto de 22 anuos, sem vicios
ncmdcfeitos; um monillo de podra, prompto de
seus perlences: na rua do Queimado, n. 40, se-
gundo andar.
Vende-se urna negrinha de 12 annos de boni-
ta usura: na rua doCabug, loja da esquina, jun-
io a botica do Sr. Joo Moreira.
Vende-se urna farda de guarda nacional, urna
barretina de pello com penacho um btrretao ,
urna banda de 13a : ludo em ptimo estado : na rua
de Hurlas, ti. 68.
Vende-se um jogo de bancas de Jacaranda, no-
vas, por proco commodo : na rua da Penda, n. 3.
Vende-se um trancelim de ouro para relogio:
:m elin, no sitio que fui do fallecido Adrianno
le S ou annuncie.
Vende-so um lindo molcque de 13 annos sem
vicios ncm achaques; tima escrava de nagSo Angola,
de 20 annos; propria para qualquer servico por ser
de boa conducta : na rua estrella do Rozario n. 31,
pi inicuo andar.
Chegucm, fre.iuezes. aoantigo
barateiro do l*asseio-Publi-
co lojas ns. 9 e II, de Fir
miao Jos Rodrigues Fer-
reira,
aonde acharflo ricos sortimontos de mantas de se-
da do melhor gosto ; rrtes de gorgurilo de seda ,
bordados o de quadros, fazenda moderna; loncos
de selim de coros para grvala; mantas de garca,
mui lindas ; superiores casimiras prelas cinicas ;
meia-casiiniras do cores ; lindos cortes de lila e se-
da de quadros c lislras, a 6,000 rs. cada corte;
cassa-ebitas de todos os goslos e padroes que mui-
to agradam, por serem de cores seguras c a pregos
ricSSOn 320 rs. o covado ; manas do fil de lindo,
pelo darato preco de 3,000 rs. ; brim trancado de
linho blanco e de cores; castores de bonitos pa-
drees; fustes finos de goslos ; editas muito finas
c de gosto moderno ; e oulras muilas fazeudas de
goslo que todis se venderflo por precos quo muito
agradarlo aos compradores Adverle-se que as
amostras de cdila-cassas sorflo francas.
r* ; moias muito finas para senhora a 320 rs. o
par; ditas imltanto seda a 400 rs. ; luvas de difi-
ranles quididades a 320 e 500 ra. ; chitas france-
sas com duas larguras, a 320 rs. o covado dando-
so amostras das editas para ver-se a qualidade e se-
guranca das tintas.
Vende-se um preto carreiro ainda moco e
muito robusto ; urna preta propria para trabaldar
deenxada ,por ser muito robusta ou para vender
na rua por j ter pratica disso : vendem-se por ne-
cessidade : na rna de S.-Rita, n. 44.
-- Vendem-se dous moloques de 15 annos; um
ditode 12annos; mulatinhas muito lindas que
silo recolhidas,; 3 escravas mocas, de lodo o servi-
co ; 2 mnlatindos de 14 annos, sendo um delles
cozinhiiiro : na rua Direita n. 3.
Va loja nova da rua do Quei-
mado, n. II A, de Hay mun-
do Garlos Lcite ,
a 800 rs
a vara do ptimo panno de linho do Porio as pecas
s5o de 18 varas e meia ; dito do 25 varas, a 600 rs.;
guardanapos de puro linho a 800 rs. ; fazenda do
norte, propria para colletes, jaqueles e etc., tecido
de seda e lindo ; meias de lindo as mais linas que
teem viudo ao mercado.
AO BOM GOSTO PARA A FES-
TA DO NATAL.
Na nova loja do Passein-Pi
nlico, n. 10, de Maiioel Joa-
quim Pascoal Ramos ,
vendem-se cortes de casimira franceza, a 3,000 rs.;
drins de quadros e de listras a 1,200 rs. a vara ; di-
to dranco de puro linho a 1,600 rs.; mantas de se-
da de donitos padroes a 9,000 rs. ; chales de seda ,
a 2,500 o 8,000 rs.; panno fino preto, a 5,000 rs. ;
dito azul, a 4,500 rs. ; chapeos de sol, de seda preta
c de coros, a 7,500 rs.; lenros de seda para grvala,
a 840 e 420 rs. ditos, a 1,440 e 1,600 rs.; ditos de
relio/, da ultima moda para senhora, a 3,200 rs. ;
cortes decamdraia a 3,000 rs ; dila a 800 rs. o
covado ; editas muilo linas a 280 320 e 400 rs.;
riscados francezes do bonitos padrOes a 200 rs. o
covado; esguifio muito fino, a 2,000 rs. a vara ; bre-
tanha fina, a 800 e 1,000 rs.; sarja preta despandola,
a 2,000 rs.; selim preto, a 1,000 rs. o covado.
Vende-se, por o dono se retirar
para lora da provincia ama cama da
.irmacao com assenlo de lona e corti-
nados ; urna mesa de Jacaranda, de meio
de sala : um par de mangas de vidro
ludo cm muito bom uso, por preco mui-
do Collegio n
to commodo : na rua
io, segundo andar. .
Na ruado Cabug, loja n. 5,
de lanoel Antonio tion-
calves, vendem-se
apparelhos para cd faqueirosdo urna e duas du-
zias jarro e hacia colderes de tirar sopa, dilas
para sopa o para cha salvas palileiros, salva o
tesoura, turibulo, naveta, vaso para santo-oleo,
clices : tudo chegado ltimamente do Porto : bem
como diversas obras de prala ouro diamantes c
qnlhantes: ludo de bom goslo e em conla.
Vendem se estravos muito baratos, pa-
ra se liquidarem contas deste anno, na
rua das Larangeiras, n. i/j, segundo
aodar:
tres lindos moloques do 14 a 16 annos ; um dito
com principios do sapateiro c que entende do pa-
itara ; um lindo mulatiuho do 11 annos muito es-
perto sem vicios proprio para aprender qualquer
oflicio ; um preto de 23 annos ptimo para tra ba-
ldar cm armazom de assucar por ser bastante for-
te ; um dito de nacito, bom gantador de rua, e que
est costumado ao trabadlo de relinacflo ; um par-
do de 36 anuos bom para lomar conta de um sitio,
por sor de boa conla ; um preto de 40 annos bom
canociro e ptimo official de canteo ; um dito de 40
anuos, por 200,000 rs. ; urna preta muito forte,
por 220,000 is.; duas pardas com algumas habili-
dades ; duas prelas muito mocas que sito pti-
mas quitandeiras ; duas ditas boas ongoinmadoir.it.
c cozindeiras ; e Otiliosescrvos.
Veude-se moda de cobro : em casa de Frede-
rico Robilliard, na rua do Trapiclie-Novo, n. 18.
Vende-se superior bolnchinha de
llamlnirgo, cm latas, cbeg>da recente-
Tolassa.
mente
48
Vende-se a ve
tassii da rtussia ,
no mercado : na rua da (\ulcia do
aiinazcm n
dadeira e superior po-
a mais nova que existe
K
fe
iCI-
n, de Hallar & Oliveira.
se 111-
DEPOSIT dk calvlrgem.
Na rua do Trapiche n. i-, ha
pre cal virgem de Lisboa, cm Larris pe-
queos, c ltimamente chegada mui-
to superior e por preco rasoavel
^- Vendom-so caixas de cha dysson, de 13 libras,
oirf |iori;6es OU a rotalho ; caixas do velas de CS-
permacetede5e6 em libra : na rua da Alfandcga-
Velda n. 36, em casa de Matdeus Auslin & C.
Peehinchas destas
recem na loja do
s a pa-
nicho !
Na esquina do l.ivramento loja do nidio, vea -
doni-se mantas de cambraia do bonitos goslos, pa-
ra senhora a 1,000 rs. ; sodas brancas e de cores,
de ricos padroes, para vestidos do senhora a 1,^80
rs oeova,lo; chales de lila o seda de bonitos pa-
rfle a 3,000 rs ; ditos de garca c seda, a 2,000

uarua da Cruz, armazem n
Lotera do llio-de-Janeiro
I) nefcio do theatro de
Pedro de A lea niara da corte
Vendem-se bilhctes dosta lotera em casa de J.
O. Rlatcr, na rua da Cadoa-Velba, n. 29.
Ksl a rhogar um rasal de jumentos de raca
casleldana o qual seguir para o sul se uo adiar
de prompto comprador : quemo pretender quena
fallar com antecedencia na ruada Cruz, n. 45,
em casa de Nnscimeuto & Amorm.
jNa loja da rua da Cadcia do
Itecilc, n. 5 Salvador Pereira llraga ,
vendem-se os mais modernos edapos oe ma-.su
fraiicezo.i, para domem, a 5,800 rs. ; ricos cortos
de velludo bordados para collete, a 5,500 rs. ; ri-
cos e elegantes corles de cambraia de seda, do lin-
dissimos padroes, a 7,500 is. ; lindas o delicadas
maulas bordadas.de selim e de gorgurilo,para grava-
tas a 2,00u rs. ; casimiras linas e clsticas a
1,900 rs. o covado; dilas de quadros, muilo en-
corpadus a 1,600 i s ; ditas ordinarias, a 1000 rs. ;
dilas meidores, a 1,280 rs. ; sarja de seda preta fina,
a 1,500 rs. o covado; chapeos do Chili.a 1,800, 3,500
o 6,000 rs.; edapos do sol, ile seda, para domem
a 6,000 rs.; corles de cambraia de cores c do todas
as diversidades a 3,50 e 3,800 rs. ; loncos de se-
2,240 rs. ; ditos de sedado cilios para .grvalas, a
1,700 rs. ; ditos ilosotim mar.au de cores o de gor-
gurilo, de 3 pimas, a 1,900 rs e de qtiatro, a
3,800 rs.; ditos de sodaxom franjas, parasonhora,
a 2,700 e 3,200 rs. ; dflos de seda prela, do tres
ponas, para homcm (a 600 rs.; e oulras muitas
fazendas por preco commodo.
Na loja de IIanoel Joaquim
Paseoal Ramos, no Passeio-
Publieo, n. 19,
vendem-se cortes de cambraia alegra a 9,000 rs.,
e o covado a 240 rs. de padroes e cores as mais
lindas que teem apparecdo.
Vende-se um sobrado de dous andares e SotSo,
silo no principio da rua Direita, n. 2 : a tratar na
rua Nova n. 48.
Vende-se, por prego commodo', estando em
muito bom uso por ter sido usada poucas vezes,
urna cabeileira de senhora : na rua do Collegio, n.
10, segundo andar.
Vende-se um relogio sabonete de ouro, novo
e da melhor fabrica da Suissa trabalhandoem de/,
robins, com sua correte .- na rua Nova, loja n. 11.
~ Vende-se a bem condecida e superior cham-
panba da marca cometa ; viudo da Hadeira engar-
rafado ; cd dysson o perola em caixintiasde7a lo
libras cada urna ; bom papel do copiar em machina:
ludo chegado rcoentemonle a esta praca : na rua
do Vigarin, n. 4.
Vende-se sal do Lisboa, fino e alvo.Ja 1,600
rs. o alqueire da medida velha : na rua da l'raia],
armazem n. 18.
O BARATEIllO.
Ra nova loja da rua do Cres-
po ao p do arco de 8-An-
tonio n.4, de Ricardo Jos \|
de FVeitis Ribeiro,
vendem-se chapeos de creps para senhora a 4/
rs.; ditos do seda, os mais modernos que teem vin-
do, a 12,000 rs. ; os mais modernos chapeos de
massa francezes para homcm a 7,000 rs.; um no-
vo sortimenlo de cambraias escocezas e cassas suis-
sas de varios goslos, tendo urna vara de largura ,
o de cores muito fixas a 320 rs. o covado ; craos
de fustilo do gosto moderno, o de coros fixas a 800
rs. ; muito ricos chales deseda muito superiores e
grandes, a 12,000 rs.; chales e garca tecidos com
lislras do seda, muito lindos a 3,200 rs. cada um ;
um novo o rico sortimenlo de lencos de seda e de se-
lim lavrado de cores muito lindas, a 2,000 e 2,500
rs., inteiros; ricas mantas para grvalas do ho-
mem, com ricos lavres a 2,000 rs., isto lie pe-
chincha ; cortes do gorgurilo doseda para collete,
muito ricos,a 3,500 rs. Igualmente da um sortimenlo
de editas finas e de cores fizas, a 120 e 240 rs. ;
covado; cortos de cassa de cores lisas a 2,560 o
3,000 rs, ; ditos de cambraia branca e de cores ,
para bailes, de 4,800 al 7,000 rs.
CERA DO RIO-DE-JANKIRO E DE l-ISBOA.
Vende-so completo sortimenlo mais barato do que
em parte alguma, por liquidoslo : na rua da Sen-
zalla-Velh, armazem, n. 110.
Vende-se cora de carnauba, de muito boa qua-
lidade, tanto a retallto como em poreflo : na rua
das Larangeiras u. 14, segundo andar.
Escravos Fgidos.
Fugio, no dia 12 do corrente um pardo, do
nomo Leandro, ainda moco bastante osperto ;
lem sdenles limados eos ps apaldatatos; levou
caigas de riscado azul, camisa de algodflozinho
de mangas curtas bonete de panno preto : quem o
pegar leve-o ao Aterro-da-Boa-Vista, padaria n. 66,
quesera recompensado.
~ Atisentou-se, da dias, da casa deseu sendor, o
escravo Jo.lo pardo trigueiro de 15 a 17 annos ,
cara grande, odos regulares, bons dentes; bem
conhecido por andar frequentcmente fardado: quera
o pegar leve no Mondego a sen sendor Luiz Go-
mes Ferr ira que recompensar generosamente.
Fugio, no dia 8 do corrente o pardo Malhias ,
natural do Ico olllcial de pedreiro daixo c seceo
do corpo eahelios crespos ponen barba ; levou
chapen ilc palha novo, camisa branca calcas do
riscado o duas I rouxas do roupa oni dous lencos;
lem um dedo de menos na nio direita ; seguio pa-
ra Olinda, onde foi perseguido al o Varadouro e
pelo cavallo de quem o segua ser ruim, he que nflo
foi agarrado : quem o pegar leve-o a rua Imperial,
n. 9, quesera bem recompensado.
Fugio, no ilia 3 do corrente, um preto Cagan-
ge', de Irinla e tantos annos; de bastante preto ;
lem rosto comprido ; do lado esquerdo sigual de
urna lisila ; tem os ps bastante grossos o alguma
cousa torios para dentro ; sabio para vender pilo
na freguezia deS.-Antonio do Recite; levou caigas
du algodilo trancado azul e camisa de algodlozinlio
branco : quem efiogar leve-o a rua Direita, n. 69,
quesera recompensado.
~ Fugio, no (lia is do iiiitubi'o prximo passado,
do engoniio Antas, om SerinhSem um preto de
nacilo Cacango de nomo Joaquim estatura baixa ,
de bom corpo ; tem os beicos grossos o pomas ar-
queadas ; (piando anda he com pressa ; lem os ps
argos ; iguora-so algum outro signal; levou cami-
sa e ceroulas de algodilozinhu ; foi encontrado no
engcnhoSoccorrodo Jaboaluo, quandu so eneanii-
nhaVa para o Hocife: quem o pegar levo-o ao dito eu-
genho Antas, ou a rua da Cadoia do Itecife, ao
escriptorio de Manool Conexivos da. Silva que ser
recompensado.
Fugio, nodia Sdeoutubro prximo passado,
do engeulio Bombn da freguezia de Ipojuca o es-
cravu Narciso ; de nacilo Cabilo de 32 annos olli-
cial de sapateiro, e de fazer assucar, de estatura
alta, seccodo corpo, rosto comprido o descarnado,
falla gago; levou cagase camisa de panno do al-
gudilo da turra com a marca n 33 ; consta quo foi
encontrado na estrada do Pao-SecCo indo para o lie-
tifa. Itogu-se as autoridades policiaca o capilar
decampo, quo o apprehendam e levom-nq ao refe-
rido engenbo, a sou sendor, Bernardo Tolenlino
Manso da Costa Res ou na rua da Cadeia do Re-
cife n. 40, casa do Sr. Manoel Ignacio do Oliveira,
ou no sitio-do .Manguiudo da viuva do fallecido Jo-
s Carlos Mairiuk da Silva Forrio que serta bem
gratificados.
uiuus a ,vuv rs ; unos uo garca e suua a z.oiwiaa uitersiuaues a o,oiw e a,ou rs. ; longos de se---------------------------------------------- f
rs.; lencos graudos da uiosma qualidade, a 1,0001 da para algibcira, a 1,200,1,520, 1,760, 2,000 e'i'tftN.INA Til'. DE M. F.R fARU. j84jv*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EUSG4UDUD_HTRG2A INGEST_TIME 2013-04-26T23:07:09Z PACKAGE AA00011611_08564
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES