Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08563


This item is only available as the following downloads:


Full Text

Anno de 1847.
Scxta-fera 12
O liURIO pulilici-se lodos oj ili.w que nSo
.-em ile guarda i n preo da (signatura lie de
4|0G(i rs.poi quartel, paof aHiantadns. Os mi-
nuncios dos nsii^'nutes si i inseridos raso Je
19 li, porlinha, 40 rs. e:n tvpo deferente, a as
rpeli;6es pila metade. O que nlo farein assig-
nanln pa^nr'o 80 rs por tiu'ia, e 100 em typo
difl'erenle, porcad. pulilicn;in,
PI1ASKS BA LU.\ NO MK'A l)R PiOVEVlHO.
I.im nova, a 8, nos o! minutos da inanha.
desente a Ii, ss'fl horas e 6i. inin. da tatde.
Luaeheia a21, s? Iiois c io inin. da Urde.
M moanie 20, s 2 lioras e 2 mili, da larde.
PltEAWAr! DB HOJE.
Il'rimeira, s 7 horas e 4! oiiuulos da maullan.
Segunda, s 8 horas e minulos da tarde
rfe Novembro. Anno XXfV.
iiiiaMMi l
V
V'
PARTID\ DOS CORREIOS.
oianna eParahilia s sejuudas c solas ftirta
ltl Cabo, SertoltSein, l\io-Pormoso,Porlo-Calvo e
Macelo, no I.*, a 11 e 21 de cada mez.
Oara.iiitius c Uonito. a 8 e 23.
Boa-VfeW e Plores, a ilt 28.
Viotoria, s i|uiiitas-i'ciras.
Olinda, todos os das.
DAS I)i SKM\N \.
S Scg. S. Scvcriano. Aud. do I. dos nrpl
e do J. doc da 2 v. do I. M. da 2 v.
Terca. S. Tuco loro. Aud do J.do civ da I,
y. e do J.-de jaz do 2. disi del.
io Quart*. S. An Irf Aveiliuo. Aud. do I. do
civ. da V. v, c ilu J. de paz do i. dist. det.
Quinta. S, Marlmlio. Aud do J. iic orph.
e doJ. municipal da l.vara.
2 Sexta, S. Marlinhn Aud do J- do civ. da 1.
v.e do .1. de pal do I. dist de t.
|3 Sablwdo. S Eugenio Aud. dol. do civ.
da I. v. e do .1 de pac do I dist. de t.
II Domingo. O Patrocinio de NostaSiiiliora.
CAMBIOS NO DA ii l)F. NOVEMBRO.
Solire Londres a 28 d por IJOOO rs. a 00 dial.
ii Pars 3i0 rs. por franco.
Lisboa 105 a 110 de premio.
Desc. de lellr.H de boas lirm.s I I a l|4 / '"
OuroOncas lespanholis-----J8#S0 Moidas fe 6*00 vclli I6IO0 a 161200
a deGflOi' miv llij'IOil a luJIO
de^OOO..... 9*i00 a 9*100
PraM Palaces.......... lf0 a l#980
Pesos coluniuares. .. IJ940 a IJ9G0
Ditos mexicanos... I78 a 1480(1
Miuda............ Ij280a I/90
Accesdacoinp. ilo Heberiliede 50J000 rs.sopar.
awgi'-ujgti ^pw i*"
DIARIO l)EIEN.\!!BCO.
'-'j'j9ji, aluja Bt lajaasu^
Chegou hojo dos portos do norte o vapor Impera-
iria, cotn Ki di.is de viagem. l'or ello recebemos
diversos jornaes.
Os do Cear alcancam a 4do crtenle.
Se os7collegios eleitoracs, cuja votaciTo anda se
nflo condeca, procedrem como os da capital, Casca-
vol, llaluril, Queix.iramobim, Riiicho-do-Sangue,
Impcralriz, Sobral c Ipil, os candidatos do partido
governistaserfloos incluidos na lista soxtupla ile que
S. II o Imperador ha do escolbor os dous sonadores
le cuja eleiclo se tratara nessa provincia ; pois que,
segundo urna nota qtio ora tomos a vista, a maioria'
dos suTragios dos ultimos dos precitados collegios
coubraaos referidos candidato, como o demonstra
a scgtiinle lisia :
OS SENHOllFS.
votos
Padre Carlos l'eixoto do Alencar...........310
Coin. superior Francisco de Paula Pessoa.....310
Capilflo Joiio Cbrisostomo do Oliveira.......310
Commendador Candido Baptisla de Oliveira 299
Crcgorio Francisco do Tararea Vasconccllos 278
Vicente Ferreira de Castro c Silva.........199
Anda cansados dessa lula eleitoral, do cujos tris-
tes pormenores nos haremos oceupado por duas ve-
zes, os Cenreiises preparavam-se para empenharem-
sc na que novia do travar-se no da 7 tiesto mez, que
era o designado para a eleicflo os eleitores que tnem
de nomear os doputados que hilo de represonla-los
na assemblu geral legislativa nos anuos que decor-
rcrem de 18*8 a 1851 ; mas esperamos ein Dcos, que
nessa segunda campanha el les niio luanlo coin dif-
culdades iguaes s que os enredaram na preceden-
te i o esperanto-lo, porque milito conliamos no tino
administrativo doSr. Moraes' Sarniento.
E nflo besmciile desses embarazos que S. Exc.
os lia de por a salvo : ello saber fazer respeitar a
Ici cm todos os sentidos, e jamis deixar decon-
correr para que sejam devidamciile punidos todos
os funecionarios pblicos que da mesma lei se apar-
tai coi, como esse delegado do Cralo, que, suppon-
i\o-SC gro-senhor, ousou ordenar, por tuna porta-
ra tniiisciipta no Pedro II, que o Sr. Manoel Sis-
nando Paplista deixasse de exercer o lugar do tabel-
lifo docrime, civ.el, judicial c notas, para que To-
ra competentemente nomcado em consequencra de
haver dado parte de doente-o respectivo proprieta-
rio, pelo nico c simples facto de lite niio merecer
oSr. lioplistacoiifiunca olguma,'confoinie declara
a mencionada portara, que," rdito de passagem,
nflo frn cumpriila pelo individuo a quem se refono.
O reyrenr do 1. do correte noticia a morle do
Irit: cnlrelanlo, at 29 do mez antecedente eslava
elle tilo cheio decida, frfaevigor, como no da em
t|iie viera alus ; porquanto temosa mflotlousexem-
plares da gazeta difunta, dos quaes o ultimo traz
essa data, e rom reclinado do ailigos 'mu Tiril-
lentos,
O rne.smo Ceareme congratula-so com os habitan-
tes do l'iauhy pea uppariclo de um jornal que alii
so comecra a publicar sob o titulo do Corcmisla, e
que, como mui bem o atiesta semelhante denomina-
crio, be mais um^campeHo da poltica dominante.
O Pedro II diz que, cm Piranbas, termo da refe-
rida provincia do l'iauhy, Jcronyino da Sliveira Ca-
dclha, fronte de um bando de sicarios, lizera as-
s.issinor liarhaiamenie ao proprio irmflo, Ignacio da
Silveira Cadi'llia, e mandara cortar-lhe una das ore-
llias, quando, j ferido, baleado e eslorcendo-se pe-
lo cb.lo, o infeliz soltava agudissimos gemidos .'.....
yuesles judiciaes acerca dos bens deixados pelo
|iai commum da miseravel victima e do desalmado
mandaiilo levaram este reprobo a ostcnlar-se lio
cruento, t3o deshumano, tilo indigno da sociedade a
que pertcnce.'.'..
As tullas do Maranbito ebegam a 29, e as do Para
a 23 de oulubro prximo lindo.
Na segunda dessas provincias nada occorrra de
extraordinario; rcinavain a paz o a tranquillidade.
,\a primeira alguma cousa bouvera dequedevemos
tle inteiraros subscriptores desto Diario.
O Exm. Sr. Franco de S continuava a desenvolver
o louvavcl pciisamctito que manifestou ao estrear
sua carrelra administrativa, isto he, ainda se esfor-
caVa por elevar o Maranh.lo ao grao do prosperida-
dc material c moral, a que tem dircito essa bella
torra, c de que mito ferronha e egosta como que se
afadigava por separa-la : S. Exc. expedir as precisas
prdens para que os engenhoiros Joiio Nunos de Cam-
pos Jnior c Julio lloyer, depois de haverem proce-
djdo aos necessarios exames, trabalhos o estudos
graphicos, organisassein os planos, plantas c orca-
mentos : 1., do canal do Furo ao Arapahy, que
tem de facilitar a communicaclo entre a capital e a
parte do interior que lica ao lado meridional do con-
tinente ; 2, do aperteicoamento da estrada do Ca-
minlio-Crando o da Estival recentemente aborta;
3., do chafariz do Olbo-d'Agoa, o do caes ou rampa
do Porto-Grande na cidade de Caxias ; *., dades-
obstruCQflo ou abertura do Igarap-d'Areia t|uo se-
gu do Campo-do-Periricuin a povoaco do Pinliei-
ro ; 5.", < r 111 i 111, da derrocado das pedras e lagos que
mais prejudicam ainda a navegacao dos i ios Itapi-
cur e Mearim.
Isto, porm, ndo obstante, os exclusivistas persis-
tiam em acintosa opposic.lo, c recorriain a tolos os
alvitres que mais adaptados Ibes pareciam para pil-
los livresdo homcm que aniquilara planos lio mos-
qtiinhos e pcqueninos como csses do Sr. \ngelo Mo-
niz, de quo muilo fallamos em era mais atrasada.
A quesillo eleitoral era, poremqllanto, a que mais
oceupava as altenc,Oes : os dous partidos, isto he, 0
da conciliaco e o do exclusivismo, tinbam apiesen-
tado os scus candidatos ; os dos conciliadores, silo OS
SenhoiesJoaquim Franco deS, labio Alexandrino
de Carvalho Itcis, Francisco Jos Furtado c Joflo bu-
arle I.isba Serra ; os dos exclusivistas, osSonliures
Jos Jalisco do Paco, Candido Comes do Almcjda,
Gregorio deTavares sorio Maciel Costa e Jos Tho-
rr>az dos Santos Alineida.
Estavam rccolbidos prisilo dous iHdiviiluos que
procuraram aluciar pracas do corpo fixo e de poli-
ca liara, no dia da prxima eleicjlo, desobedecerem
atodas asordensdns seus superiores, cuja execu-
Qfio podesso conipronielter. a-sorte da parcialidade
bemtevi.
Tinhain fallecido ocollcctor da cidade da San-
l.uiz, Manoel Lopes da Silva, e o negociante Antonio
Perfil a da Silva CuimariTes.
O cambio sobre Londres fluctuara entre 27 e27
1/2 d. |i. 1,000 rs.;-sacavam-so letlras para esta
provincia, mediante o premio de 1 a 5 por cenlo.
raaemSTRsSio? :<-..

ffOJUHLETiai.
VIl\CEWZA.(*)
pon i s s^-LJISs
C300a-
IX.
O KO' OOBDIO.
Depois do destecho inesperado da j sabida troi-
i'.l", Itocco c Jacopo, que baviam flcado sos no sub-
terrneo, esperaram, com tranquillidade apparenle,
osefleilos da vihganr;a de Mateo. Uaiinel de ferro,
aoqual cada um dellcs eslava preso, tinha a forma
do um circulo chato o aporta va-oa pelo pulso; de
modo que um braco Ihesfieava inleiramente livre.
Esta especie de blandura na violencia, n de bumani-
dade no supplicio, tinha por lim deixar aos presos a
liberdade de movinientos do que elles necessitaram.
A velha Itna smente he que eslava encarrogada de
os provr do que Ibes era. preciso ; e tinha olla nesse
dia, por um exci'sso de zelo, ou lalvez por urna rom-
paixiioquc lbu nao era mui frequenle, accendido al-
guna ramos de carqueja na alta cbamin. Apenas el-
la sahiQ, Uocco, que Ihc seguir com os olbos todos
[*) Vide Diario n. 255.
AOS CONTEMPOIUN HOS 1)0 DIAItlO-KOVO.
Fustes injustos com nosco, dignissimos collegas,
quando, no vosso arligo de boje, suppuzestes que
olidos lins que nao os de iuteirar o paiz das orcin-
rencias dacidadocm que demoramos, nos lo va rom i
escrever as linhas que se lcm em os nmeros 2.r>3 e
25i deste Diario; iiijuiiasles-nos, quando, iiosc
mesnio arligo, asscveaslcs (|iie adulteramos os fur-
tos que se deram nosdias 7 e8 do concillo; dei-
xasles aperceber, emjm, que nos nflo liareis com-
prebendido, quando enrismastes de opposicionisla
a tulla para que collaboramos ; permitli, pois, que
vos respondamos em mui puncas patarras:, ecoma
decencia cdelicadeza, que estamos persuadidos de-
voni de presidir a una discussflo qualquor entre cs-
criploresqu se icspeitam, equo nflo querem rcvol-
ver-se no lamaral imiiiundo dos convicios, das des-
composturas, dos insultos.
os movimentosem grande anxiedadc, deu um pulo
sobre si mesino, com a agilidadede um jaguar. Ites-
"andecia-lbe no rosto a alegra insensata. Jacopo,
seguindo adireceflo que Ihe indicuvam os olbos do
companheiro, vio, junto ao fogflo, um machado de
que Itna se esquecra ;;e suspeitando, sem compre-
hender, a causa da exaltacflo extraordinaria de Itoc-
co, cuja inflo estendida e trmula mostrara o instru-
mento esquecido pela velha :
Ob I meu bravo, disse Jacopo com tranquilli-
dade, respondendo assim ao pensamento exprimido
por tilo eloqnenie pantomima, ponsas tu attrahira ti
com os ollios esso machado? alm disso, quefa-
rias tu com elle? A nflo quereres servir-te do tal ar-
ma para_ mandar mais depressa para o inferno a alma
e o corpb de Rna.
Roccd, sem responder, deilpu-se no chao com a
barriga para baixo. Junto do machado eslava um
comprido ramo d'arvorc, lachado pelo nicio, o urna
das extremidades desse ramo eslava vollada para o
lado do preso. Rocco estendeu o braco, o os mcni-
bros prolongaram-se-lhe por um estorgo violento.....
Os dedos j rogavam no ramo; Rocco onlcrrou Bel-
lo as uiilias, chegou-o devagai inbo para si, e depois,
agarraudo-o com fot (a, puxou coin elle o macha-
do..... Esta operadlo, 180 simples em apparencia,
foi demorada e diflicil. Rocco profera horriveis
blasphemias, Emflm, elle se estendeu por movimen-
to arrebatado Celtio se quizesse abalar a parede ; e
as articulagOes rangeram-lbe...".. 0 machado escor-
regou-lhe, emfim, para oa dedos confrangidos. Lc-
vantou-so entflo Rocco, brandindo-o em torno do si,
em sigua! de tnumph'i: Estamos salvos! exclamou
elle.
Primeiro que ludo roleva que vos observamos,
300, por mais que leiaes o tornis a tr as indici-
as linhas, nunca deparareis ahi com o termo
= praia, nunca veris aafflrmaoSo de torem as
bayonetas imposto avotacto; o quo, pois, nflo esta-
mos obrigados a satisfazer s porguntas que nos di -
rigistosasemolhanto respeito.
Isto prevenido, vamos ao dcmais,Jsto he, vamos
aos fados, que lio o que importa ;*porquanto es-
Ibrcamo-uos o mais possirel para arredar dis ques-
tOes puramente polticas esta gazota, quo he toda
Bommercial o noticiosa.
Quantoao caso do Sr. Alfonso de Albuquorque
Mello, potico ou nada contcstastes, isto he, nflo ne-
gastes que elle filia esbol'oleado, que a pessoa que
assim o desfeitera nflo dra capturada, e nuo es-
carnecer da ordem de prisflo que so Ihe intimara,
pois que nflo a cumprra : allogastos apenas, quo
esse cidadlo provocara o acontecimonto com os seus
ditos picantes,o declmales que essa pessoa nflo
eslava prosa, porquo nflo tinha sido condecida.
Consent, porm, que vos notemos, que vos adiis
em erro, que fostes mal informados. OSr. Alfonso
lio moco muilo sisudo, c por conseguinto incapaz
do servir-so do expressiles iguaos a essas que ros
referir ni, em acto tflo solemne quanlo he o da elei-
cflo para todos que sabem aquilata-lo devidainenlc;
oque olio fez foi reclamar contra certas ilegali-
dades quo reconlicera na recepeflo das listas elei-
toiaes, e smente a oslas recia maco os boquodeve
a injuria que Mo pretendern! irrogar, o que reca-
hio toda sobro o desgranado que so nflo pejoil do
insultar por tal modo a um sou coiicidadflo. Este
Pernambucano degenerado nflo deixoit do ser co-
nhecido, como querois fazercrer, ou como vos as-
segura rain : pois, so assim succedra, una das
foihas que se piiblicain ucst.i capital nao I he loria
declarado o nomo e a inoradla, segundo so v do
limero dessa folba quo ainda hoiitem so dislri-
buio.
(Juanlo temerosa scena de San-Jos, tamben!
niio sao exactas as informales que vos fornocoram,
Os piiubaes scinlillaran, com elreilo ; einlieberain-
se no Sanguo pernambucano : o proprio Sr. padna
mostr Fr. Jono de tiapislrano Mondonc,a, quo, lia"
beni pouco, eraquasi adorado pelo povo, levo de
lutar coin um dosallucinados quo, com a faca em
punho, oacommettOra, como S. Rvm. ha dito em
diversos circuios, em um dos quaes se ochava pre-
sente corto lento da academia jurdica do Olinda, a
quem mullo acatamos, e em cujo testcmuulio limi-
to confiamos : na casa do Sr. padre Joaquim lleli-
saiiu LilistlCliOa anda eslava, hojo pela tarde, 11111
desses piinhaes, que um dos turbulentos, a quem
ello nflo roiihece, como que Iho.deixia caliir nas
mflos, pedindo que Ih'o guardasse : ahi osla na Ca
bango, quasi a expirar, o infeliz que recobeu duas
011 mais l'arailas.
nanlo ao boato do quebrntenlo das unas, he
rcnliule que ellecorreu; e tanto correu que. mes-
nio em nosso escrptorio, no-lo vioram transmittir
quaiulo nos occupavainos em lor os jornaes viudos
do sul, o niotivou as medidas de prtfbaucflo que a po-
lica e o governo asseiitaram de tomar ; osle man-
dando postar una forra de primeira Mulla na entra-
da da ponte da Roa-Vista que comiiiunica com a ra
iN'ova, 1: aquella conservando na extrcmidiide da
mesma ponle, que desemboca 110 Aterro, nflo poneos
paisanos armados sob adireceflo de alguna inspec-
tores de quarloiiflo, que, assim como ocoininan-
danlcda indicada f(lii;a, fa/iam revistar lodos quail-
los se Ibes appi'oxiniavam.
Quanlo ao alarma, liualnicnle ; os lacios que por
Ultimo acontamos; a quasi continua passagem de
autoridades policacs o militares, bem montadas o
acompanln.d.is de ordenanzas, que, alm das espa-
das, levaram clarinotes; a dlllucncia los babitanles
da Cabanga ao Aleiro-dos-Afogados, Cinco-I'onlas
e paleo doTcigo, 0(11 quo vos iiem de leve teosles:
ludo isto, dizemos, foi que nos resolveu 1 da-lo
como existente.
Terminando, dirigimos preces 110 Todo-Poobboso,
para que 110 dia quo est m ircaito para a rouovaQflo
dos trabalhos eloiloracs na freguezia doSan-Jos,
so nflo reproduzca scena om que pola segunda vez
l'allanios.

Ai.ltl REMHMEMO 1)0 l)l\ II............
Descarreja hoje, 12 fie novembro.
Brigue --Cyntltia bacalbao.
C:5.r)3,3fi7
Consulado.
IIBNOIMENTO lio DIA 11.
(.eral..........
Diversas provincias.
*77,79
7.593
485,389
< .
If ni iii.ciito (\o Por I o.
Jacopo julgou-o louco.
.No 11 es 111 o instante, e antes que ello tivesse lem-
po de comprehender a singular scena quo so passava
a seas olbos, o inacbado cabio coin urna tilica ler-
rivel contra o muro aoqual Rocco eslava preso. 0
sanguo espadanoii at ao rosto do Jacopo..... O 111-
nel.de forro anda tinha presa a niflo ciisanguenla-
da, inaa o braco eslava separado dola.
Teus tu animo? perguntou Rocco, approxi*
mainlo-su deseu companbeiio com o machado le-
vantado.
Jacopo recuou com terror.
Entilo at logo, disso Rocco, cu le salvaroi,
ainda mesnio que o nflo queiras.
E desappareceu na obscuridade.
A impressflo do ar exterior roalituio ao intrpido
bandido a energa physica quo quasi Ihe baria arre-
batado a oporagflo lerrivel que ac ha va de praticar
em si. I'ni pensamento ardenlo o prcoecupava......
D'alii aalguns iiiomentos chegou elle a Veneza, on-
de se fez coliduzir perante o Chefo supremo da po-
lica.
Quem s tu perguntou o magistrado cheio de
terror, a vista desse bouiein, cujo rosto eslava
lvido e a roupa salpicada de sanguo.
Cbainam-nie Rocco. Pertenco ao bando
Mateo
Que motivo le traz aquii'
A vinganca.
Quem be o teu nimigo?
Maleo.
Quem me aGanca a vetdade das las palavras ?
Este instrumento que me deu a liberdade.
/Vacos entrados no dia II.
Portos do norte ; Ki dina e do ultimo porto 15 horas,
vapor hrosileiro Imperatrii, de 450 toneladas,
commandanteo capilflo-tenonto Jeauino l.amogo
Costa, equipagem :\1. Passageiro : para esta pro-
vincia, layniunilo Jos Ribeiro, Antonio do lirito
S.ni/.a Gaioso, Manuel I'. I*. Vasconcellos, Joaquim
Pomingos da silva, Francisco l.uiz Garreira, Fran-
cisco Lu/, t'.orreia, los Amaro Fernandos com
um criado, tnajor Joaquim Ferrora Carvalho,
Guilherme A. do Mitanda, Manoel Jos Poreira Pa-
checo, Francisco F. Barroso. Jos Antonio Carva-
lho Paes do Andrade, Antonio Alvesde Souza Car-
valho, Manoel Marques Camactto, J o So Lo oh Ma-
chado c 5 escravos a entregar; para o Rio-dc-Janei-
ro, osegundo-tenento Jos Bernardos Santarem,
conimiss.il o Maieui'iillO de SotJM Mello, oscrivflo
Joflo Car/os Augusto Nabor, o Americano Potro A.
Roiisen, Jos Cordciro da Graca, um cadete e
reclutas para ooxercito.
Ilaltinioro, .itdias, barca americana Marij-Thercui,
do 250 toneladas, capilflo Isaac M. Cooke, equipa-
geni II, carga farinha, bolacbiiiha, cha e mais
gneros; a L. G. Ferreira geiros, o cnsul dos Estados-Luidos e seu filho,
C. <. Salinas.
Navio sabido no mesmo dia.
Liverpool; brigue ingloz Spray, capilflo Arebibald
Steel, carga assucar e algodflo.
^eciaraodes.
i\
de
O vapor Imperador recebe as malas
para os portos do sul boje 12; ao
meio-dia: as cartas que vieren do-
o.v;=ti.-t'3 |m|S (|osla ||ora> pagar-to o porto do-
lirado ale una hora.
O arsenal do guerra compra, para o presidio da
ilba de l'ernaiido-de-.Noroiiha, 800 saccas do fari-
nha de medida velha da molhor qualidade, 20 ca-
adas iie azeilc-doco, l2arrobasdc assucar blan-
co, 1 sacra de arroz, to arrobasdo bolacha, 1 cai-
xa com cha, 1 arroba de tapioca, 4 meios de sola,
12 coiros de viudo preparados, 1 libra do lio do sa-
paloiro, 2 quintaos do arco de forro sortido, 4gro-
zas surtidas, 1 barril de broa, 16 paos do jangada
dos mais grossos, OOcuxadas, 25 machados, I bi-
gorna do funileiro, 1 mlho de taboa, 2 garrafas do
verniz branco, 1 einbulidera de chumbo para funi-
~ ''- Misil iasWaa*isssB
E dizendo isto, alirou Rocco ao meio da sala o ma-
chado eiisanguciitado que elle conservara escondi-
do debaixi da camisola, o descubri o braco muti-
lado.
O magistrado nflo pode reprimir um moviniento
de horror.
V. Fx. o esl vendo, continuou o bandido, o
lefio corlou a si mesmo a pata antes de se apresen-
lar aqui.
Depois dos primeiros cuidados prestados ferida,
Itocco narrou o motivo do seu proceder atrevido e
da sua terrivcl rrsolurao.
Em que lugar sera possivel sorprender os teus
companhciros o mais os souschefes?
Rocco se poz a rir.
So a 111 iin confio o cuidado da minha vingan-
ca, senhor, o meu inimigo, me pertcnce de di-
rcito.
Isto he justo, respondeu o magistrado que pro-
curava por todos os meios obler rovelacOes.
Ainda bem, disso Rocco, vejo que nos entende-
mos. Quantoaos outros, eu lh'osentrego:.... Com-
tudo, niio hilo do ser lodos; ainda exceptu um s
laraoqual imploro pcrdflo; porque lenho necessi-
dBde delle___
Pcrdoa-lo-hei, assim como a ti.
Muilo obligado; benclicio por beneficio. Eu
Ihc enlregarei todo o bando.
Mas que meios empregars tu para isso?
Dependen das circumslancias. He necessario
aguardar occasiao favoravel. Deixe-nie a minha li-
berdade, e confie em tntm.
Eu farei que te sigam de perto.
'


w-
w*m
?




"
-9


,t,
leiro, 2 sellas rasas devaqueiro, 10 mil pregos cai-
xaes, 1 lencol de ferro fino, 18 canga I has, 6 duzias
detaboas do Imito, i tahoas grossas de amarello,
3S encharnela de 30 palmos, 14 frerhaes de 20 palmos
o 50 cpibros: quem taes gneros quizar Tornecer,
-nulo da melbor qualidade, mandar su proposta
ornearla fechada, eas amostras daquelles gneros
i|iie forero possiveis inandah-se directora do
inesmo arsenal, ateo din 15 do correte mez.
Arsenal de guerra, 11 de novenihro de 1847.
Oescriplurnrio,
rancheo Serfico de Assiz Carvalho.
O arsenal de guerra compra, para o presidio di
ilhi de remando de Noronha, 24garrafas de agoa i 11-
gleza, 6 garrafas de agoa do louro-coreja, 6 garrafas
de agoa de alface, 8 libras de aniendoas, 8 libras
de amexas, 6 borrachas do gomma elstica para
njee.lo, t borrachas da mesina gomma para clistel,
.12 libras de cevada nova, 24 garrafas do espirito de
vmiio rectificado, 1 onca de extracto de salga-parri-
llia, 1 onca do extracto de beladoiia, t onca de ex-
ilado de eslrenionio, 1 onca de extracto de quina, 4
libras de llores de rosas, 4 libras de llores de malva,
S libras de llores de tilia, 1 libras de gomma de ba-
tata, l( libras de linimento anodino, 12 garrafas de
labarraque, 32 libras de mana, 32 libras de malva
do reino, 1 onca de nitrado do prata, 44 vidros de
opodeldoque, 8 libras de oleo de ameniloas, 8 gar-
rafas de oleo de recio, 8 libras de pasta de jusba,
2 libras de pomada de pipinos, 2 libras do pomada
oxigenada, 9 libias de pomada de setrina, 6 garra-
las de robe antisiphlilico, 32 libras do raizdcal-
ibea, 8 libras de rail de aleags, 8 libras de raspa
de viado.38 libras de sal epson, 33 libras de semen-
t do liiiho, 32 libras de salca-parrilba, 16 libras de
sement do niostarda, 8 libras de sipo de chumbo,
x libras do ungento dealtha, 12 garrafas do xa-
rope de espargo, 12 garrafas de xarope do grozellas,
12 garrafas de xarope peiloral, 12 garrafas de xaro-
podeborxsta, 12 garrafas de xarope de tamarin-
dos e 12 garrafas de xarope de silracto de ferro :
quem laes gneros quizer fornecer, sendo da me-
lbor qualidade, mandar sua proposla ero carta fe-
chado, e SS amostras daquelles gneros (|iic forem
possiveis mandar-se, 1 directora do niesmo arsenal,
ale o (iia 15 (lo rente mez.
Arsenal de guerra, II de novombro de 1847.
o eseripturario,
rrmeiuo Serfico de Assiz Carvalho,
--A administracilo geral dos cstabelecimcntos
o candado manda fazer publico, qu, uno se ten-
Para a Babia seguir, Impreterivelmonte na se-
gunda-feira do tarde, 15 do corrente, o hiateJVotio-
Olinda, por ter a sua carga engajada : recebe, pn-
rm, alguma carga miuda o propria de convez. Os
prctendentes so entendern como meslre, Antonio
Jos Vianna, no Trapicho-Novo.
O briguo Paquete^lc-P/rnambuco sabe para o
Bio-Grande-do-Sulsegunda-feira, 15 do corrente ;
lem asseiados commodos para passageiros, e rece-
be esera vos a frote :quem pretender qualqucr das
cousas ontenda-sc coro Leopoldo Jos da Costa
Araujo na ra da Moda, n. 7.
Para o llio-Grande-do-Sol saldr breve o pata-
cho Emiliana, o qual pode recoBer alguma carga
miuda, cescravos a freto : quem pretender enten-
da-se com Amorim Irmios na ra da Cadeia, n. 45.
Para a Baha sabe, era poneos dias, o hiate Flor-
do-Uecife, pregado e forrado de cobre : para carga o
passageiros trata-se na ra do Vigario, n. 5.
Escuna ingleza Deslondei, capitdo l'hilippe
lilampieds. Quem tivercontas com o dito navio deve
apresenla-las desde ja aos consignatarios, Christo-
phors & Donablson, ra do Trapiche, n. 40, visto
que ellos nao se responsabilisam dopois da sabida
do mesuio navio por conta alguma.
A barca porlugueza Espirito-Santo snhe para 1
Cidade do Porto com a maior brevidade possivel :
quem na mcs:na quizer carregnr ou ir de passagetn,
dirija-se ao consignatario, Francisco Uves da Cu-
nda, na ra do Vigario, 11. II, ou ao capillo na
praca do Commereo.
Para o Ceara sali, no dia 15 do correte, a su-
maca Carila, por se adiar com a maior parte da sua
carga a bordo : para o restante u passageiros trata-
se coro o inestre, Jodo Antonio da Silva, ou na ra
da Cruz, n. ti, com Luiz Jos de S Araujo.
LOTERA
1)0
Hospital Pedro ]i.
Tcndo mostrado a experiencia que as grandes lo-
teras so actualmente difficcis de correr nesta pro-
vincia, por este motivo assentou a admnistragao
dosestabclecimentosdocaridadeemdividir em cinco
partes a de 100:000,000 de rs.,que pola le provinci-
al n. 165, do 17 de novembro do 1846, lho foi con-
cedida, para ser exclusivamente appllcado o seu
producto edilicacdo de um novo hospital do cari-
dado no lugar dos Coelhos, sob a honorfica 'deno-
minadlo do Hospital de Pedro II, cujo plano
foi competentemente approvado, e adiantc vai trans-
cripto: ej se acharo a vendaros respectivos bilhetes
...... .1 r*~ .

Leiifti
s.
110ellectuado, no dia 8 do crlenle, 1 arromatac-io
das rendas da casan. 17 da ra do Noguoira lica
transferida para o dia 1.1, pelas 4 horas da tarle, na
saladas suassesses.
Adniinislracao geral dos estabelecimcnlos deca-
rnlade, II de novembro de 1847.
O eseripturario,
F. A. Cara/rnnte Cousieiro,
Contratos a celrbrafm-st comalhesouraria das renda,
provinciaes.
o do eslabolecimenlo de nina linba le mnibus,
que, na forma da Ici provincial n. 191, de 30 de
muren ultimo, facilite o transito desta cidade para
qualquer dos seus arrabaldes e para Olinda.Rece-
lier-se-bflo propostas lodos os dias, aloqese ve-
rifique oconliato.
ti da construcedo de umu barreira na estada do
01 ote, cujas despeas se icham oreadas cm 1 733,300
-- Os concurrentes a esse contrato devem de pom-
parecerm secretaria da predi la thesouraria a 19 des-
te mez, ao mei-dia.
-Kalkniann& Itosenmund farilo leudo, por in-
tervengan do corrctorOlivcira, de grande sorlimen-
t de miudezas, inclusive ferragens finas e culila-
ria : boje, 12 do corrente as 10 horas da manilas,
no seu armazem da ra da Cruz.
Leudo i|iie Taz J. J. Tasso Jnior por conta de
quem pertenec-, de 620 saccas de milito chegadas
do Cear no patacho t. 12 do corrente as 10 horas da maiihia no caes da
Alfandega.
Joilo Keller Conipanhia fardo leillo, f
tervengdo do corretor Oliveira, de grande
. 11. a, IOJU mu
cambio lo Sr. Veira; no bairro de Santo-Antonio,
ra do Cabugft, n. II, botica do Sr. J0I0 Moreira
Marques, na pracinha do l.ivramento, n. 51, loja do
Sr. thesoureiro, Manoel Forcncia Alvcs de Maraes, e
na ra do Livramento, n. 22, botica do Sr. Francis-
co Antonio das ('.hagas.
PLANO
para urna quinta parte da primeira lotera concedida a
administrando do* tstabelecimentot de caridade para
a dificaedodo Hospital de Pedro //..
2,0000 Bilhetes a 10,000.....20:000,000
12 f porcenlo do benilico do
hospital.....2:400,000
8 porcenlo de imposto da fa-
THEATKO publico.
BENEFICIO lio POMO.
Saiiiiaui), 13 DO Ci-RRBNTB,
roprosentur-se-ha a muito linda e desojada pega
Mara da Ponte,
:i qual lindar com cxcclleiiles cantonas e danesa, c
rom o hrilhunle pantomima
l.l 1 1.1 -1 '.MKVI o IVA Al.llRIA.
Visos mundillos.
Para o Maranhdo tocando no Cear, preten-
der sabir o brigue-escuna .aura : recebe anda al-
gum! carga c passageiros : a tratar na ra do Tra-
piche, n. 34, com os consignatarios, 011 com o capi-
llo un praca.
Paran Rlo-Ciandc-do-Sol partir, impreteri-
vel mente no dia 15 do corrente o brigue brasilei-
10 Kspirito-SatiH, oulr'orn Fiel, de que he capitdo
Alcxandre Jos Alvcs : quem quizer reniolter es-
clavos a frote ou ir de passagcuo para o que lem
bom tralaucnlo o commodos,dirija-se ao caixa.Fir-
uiino J. F. da Rosa na ra do Tiapiche, n. 44, ou
ou com o capililo.
Emquanto ndome vingar,vigiem sobre mim....
loria boro niedo de morrer antes.
O chefe da polica despedio a llocco, oqualco-
1110(011 a ser com effeito vigiado de porto.
X.
IADRO QOX MATA A LADRO TEM CEM A VINOS
DZ PIRDAO.
Tinha sido fcil n Jacopo pro va r que nao havia lo-
inailo parto na desobediencia de Boceo. Mateo I lie
tinlia perdoado, esperando que elle o ajudaria a
descobjrir o fugitivo, Quanto a noticia da inorte do
conde Buggieri, todos os espirites eslavam choios
le terror; e avista de tilo audaz tentativa, lodos tro-
rniaiil pela sua seguranza individual. S Vinceii/a
bavia attribuidosemelhante accidente a outra causa
A riva'idade dessesdous homens, queso haviam en-
contrado em presenta um dooulro, tinha feilo nas-
rcr noscu corugdo urna duvida terrivel, que ella a
ungueal poda revelar. O marquez de Castao ha-
viu desanimado ; porin asseiilou que devia dar i 111-
niedialaniejite um successor ao conde, nflo no cora-
'"111 de sua lilba, mas no inlercssc de um partido po-
ltico que dessa arte se acbava privado de um dos
seus mais activos chefes, e lancou entilo os olbos so-
bre o bai-80 de Ooe-tzcn. Quanto Lucia, esse fatal
ucoiilecimenlo descubri nella um senlinienlo que
lorirr-
. sorli-
nientodc fazendas, todas proprias do mercado:
segunda-feira, 15 do corrente, as 10 horas da ma-
nhaa no armazem da ra da Cruz.
O corretor Oliveira far leillo, em presenca do
Sr. cnsul de S. M. II. e por conta e risco do quem
pertenec-, de cerca de 10 caixas de assucar, em
bom estado, para pagamento das despezas do cos-
tcio da escuna ingleza Desfondes capililo P. Illam-
pied arribado a este porto com agoa a berta na sua
rsente viaffemquo faziade Macelo com destino a
Trieste : sabbado 13 do corrente ao meio-dia em
ponto no armazem do Barboza defronte do Cor-
po-Santo.
zenda p 2:000 verbas do 1 Premio de 1 Dito de . ubliea sello a 150 Liquido . 1:600,000 rs. 300,000 4:300,000 .... 15.700,000 5:000,000 2:000,000

2 Dilosde. 4 Dilosde. 8 Dilosde. 16 Dilosde. 32 Dilosde. 476 Dilosde. 542 Premiados. 1:458 Brancos. 250,000 125,000 60,000 30,000 15,000 10,000 . 500,000 500,000 480,000 480,000 480,000 4:760,000 Somma 15:700,000
Avisos diversos*
No dia 9 para o anianheccr dodia 10, foi mu-
ltado o armazem de Itiogo Cocksbolt & C, pela
porta do Trapiche-Novo, leudo os rouhadores levado
porcffo de varias fazendas, constando do madapo
loes, chitas, hamburgos algod;loziiiho liso, algo-
daozinho riscado, hrin do lindo do quadros : parte
das ditas fazendas foi apprendcndida em unta canoa
aberta, por delrs da ra da Praia, ao pedo becco do
Carioca : qualqucr pessoa que descubrir o resto (les-
te roubo, pode denunciar ao Sr. subdelegado do lu-
gar onde se adiar, 011 no Trapiche-Novo, n. 14.
Oubaixq assignado, tendo fornecido o sexto
balaIh&o de ccadores, durante o tempo em que
foi gente do dito batalhiio oSr. alferes Bellarminn
Concia da Silva, julgadoseu rigoroso dever fazer
por meio deste annuncio scienle ao publico que es-
t de cuntas justas e salifeito com a mesma agencia
desde que a (leixou o referido Sr. aleles, a quem o
ubnixo assignado agradece o bom Iralanienlo com
que sempre o bbaequioo, e significa-lhe por isso o
mais cordial agradecimento.
Manoel Jos Flix da Rota.
Aluga-se unta casa terrea no bairro de Sanio -
Antonio, que tenha bous commodos, assim como
ta 111 bom un escravo: quem liver para alugar an-
niince, ou enlenda-se na ra dos Tanociros, n. 5
que so Ule dir quem precisa.
Aahaixo assignado avisa ao rcspeilavel pu-
blico, que ninguem faca contrato algum sobre hens
perlenrentes ao casal de seu fallecido marido, Fran-
cisco da Bocha Paz Brrelo, principalmente com o
tosamentoiro Antonio l.ins Caldas, e a legataria Ma-
ra Candida Magalhdcs, visto como ditos bens se
acbam presos por urna questiio que pende no tri-
bunul da relacdo.
I). Ilarbara Francisca Xavier de Mallos Moreira.
SBWWS'-'WWmaSiaiSHKI'J', RS3M
por justificar una parle das phantasticas prcdicQOes
do bardo deCoelzen, rctirando-se difinilivamente
para o convenio de Santa-Maria-dos-Anjos.
Anensacflo produzida por estes aconlecimenlos
nao se havia anda apagado, quand urna noite um
domem so cncaminhou, procurando sempre a som-
bra das casas, para a igieja de San-Paulo, cojos de-
graos agilntenlo subi. Como elle laiicassecm torno
de si olhos inquietos, una sombra se desprendeu
lentamente de um ngulo do prtico. Era um men-
digo que, uov-lo, poz. sem ccrimonia a moleta s
costas como um triste ilesnccessario.
Pelas chineras do papa! roeu lobo velbo com
pelle de crdeiro, disse o que ebegra por ultimo,
indo ao encontr do mendigo, nesse estado, nen
la propria mai le conbecra. se be que ella ao me-
nos blhnu para t aulus do le entregares aos sabujos
da polica. '
Oh peloque diz respeilo polica, por hora
eslou tranquillo : desdo que roe lornei hornero do
be ni, da manuira que tu sabes, nada mais tenho a
temer sendo os ladres..... Isto ndo so entende com-
ligo, ilion valenle Jacopo.
Estamos nos aqui em seguranza '!
Estamos, isto he,cu o eslou, sob a especial pro-
lec(ao do supremo chefe dos esbirros, respundeu
emphaticamente o mendigo Boceo.
Mas cu i'
Tu i' tu ests sob a salvaguarda do protegido
de S. Excedencia..... Agora, que ests reanimado,
2:000
N. B. Os premios de uro cont de ris e dahi para
cima soflrero, no acto do pagamento, o descont
dos 8 por cento do novo imposto a favor da fazenda
publica.Approvo.Palacio de Pernambuco, 9 de
abril de 1847.Pinto Chichorro.Conforme.
Francisco Xavier e Silva,
1 tllicial-maior interino.
OSr. Ihesoureiro desta lotera julga prudente ndo
marcar linda odia para sua exlraclo, alin de ndo
ser preciso repeti-lo, o que do certo faz desalentar
os primeiros concurrentes.
He a olhos vistos quesemelhan'.e eslabolecimenlo
servo de patrimonio e asylo da humauidade desva-
lida, oque o actual hospital de San-Pedro-de-AI-
cantara, pela sua pequenhez, nao lem capacdade
paca admiltir centenares de desgracados enfermos,
que continuadamente iniploram beneficencia o alli-
vio a seus males, e ndo podem ser attendidos pela
maior parte ; o assim ficam expostos a todos osef-
fetos da extrema indigencia, pela nenhuma pro-
leccilo publica que ha ; tanto mais allendendo-so
grande populando desta provincia, Ido rica e Uo
lalta anda do soccorros pblicos /.'! A'visla do expos-
to, qual sera o coraedo beinfazejo o verdadeiramen-
le religioso, que seja indiflerente aos reclamos da
misera humauidade, e que de bom grado se nao
preste a esta Ido pia instituico, desafiando doste
modo o zelo e a protecgiio da assembla nacional
qual a mesma administraedo recorreu para quo bou-
vesse do isontar as loteras dcsto estabelecimento
dos impostos que por leis geraessdo ohrigadas a sa-
iisiazer,alim de ver-se felizmente executada a Ici
creadora do novo hospital ? Itecife, 9 de novembro de
_'"i" 'rancisc0 Ifoslo; cscrivdo.
I'recisa-se de olliriaos desurrador, forros ou
cap .vos : na ra da l'eitha, n. 4, loja de surrador.
-- A pessoa que annuiiciou querer comprar urna
cabellen-a de senhora ,lirija-se a ra do Collegio ,
n.10, segundo andar, onde achara unta cabelleira
0111 muito bom uso e por pceo commodo.
-DDo-so 200,000 rs. a ju-os com penhores de
ouro ou prata : na ra Velba, n. 86.
Ijiiii; pessoa hbil se oll'erece a tirar passapor-
tes para dentro o lia do imperio com todo a bre-
vidade : quem do seu prestigio se quizer ulilisar ,
dirija-se ao escriptonodo labellido Coelho, derron-
te do Iheatro vellio.
tal vez ninguem suspeitasse. Ainm'a ella ocullamen- 'falla, em quo termos vai o caso r1 que faz Mateo?
le o nmvoi do Vincenza, o a d(>r que sentio pela mor- I Fal bonelos amorosos, omquanto ndo se casa....
.......- ff"filTrt(f ri I
Mateo os Iraz choios de esperanzas, atirando-
lhes devez omquando algum ossito.
. Que miseravel!.....Elle mandou assassinar es-
se pobre velbo, duque d'Arezzo. 0 goveruo eslava
indignado; quizeram que eu fallasse, mas recusei :
anda nao era ebegado o momento, e elle loria es-
capado a ininha vinganca. Agora Mateo me perten-
ce, o antes de um mez ....
llocco acom paiihou estas palavras com urna acedo
ameayadora.
l'rlo menos, s e elle persistir no seu proiecto.
accrcsccnlou llocco.
Persiste cada vez mais. Parece que o proprio
diado he quem o empurra.
Est ludo prompto ?
Esla.. .. Tu te misturars entre nos disfarcado
com vestidos seiuelliautcs aos daquello que tu devos
substituir. Habis espias, collocadas por li, separa-
ido fcilmente esse honieni da coinpanhia, e o lardo
desapparecer na mulliduo.... a tua sagacidude far
ornis.
Com o auxilio da ininlia nido
E dos nieus dous bracos.
A ti ndo te falta animo, Jacopo.
He preciso quo se faga alguma cousa pelos
amigos..,.. E alonrdissuosinilsequins do govorno
-inereceui alguma altenco.
Sem duvida Eis-ahi o quo he fallar como um
bomcindojuizo. Quanto a mim, tuosabes, desde
o momento em quo ou vi em perspectiva, alm da
corda da juslics, o punhal de Maleo, achei que duas
cousas era muilo, u lancei.o ultimo dado. At aoui
O TRIBUNO N. 43
est a venda na pra?a da Independencia, livraria ns.
6 e 8, e mu i la interessante.
Aluga-se, por prego muilo commodo, tanto
por fesla com1 annualmcnt?, 1 sil o confronte a Pon-
te-de-Ucha, a margem do Capibaribo.com duas ca-
sas sendo urna pequea o a outra bstanle gran-
de com quatro quarlos 3 salas, cozinha estri-
bara para 3 cavallos e com planta do capim : na
ra Nova, n. 67.
LOTlCiA OOTHRATRO.
O thesoureiro assogura que as rodas desta lote-
ra andam impretervolmente no dia 16 do corrente,
as 8 horas da manhla na ConceiQSo dos militares.
Quem annunciou querer 50 ps de coquoiros o
dinja-seao becco da Ungota venda 11. 8, que ,
dtra quem vende.
"-"".....*.> lu i,*4,*,o ifut^na igr-
art Alerro-da-Boa-Vista n. 58; isto no prazo de 3
dias, para negocio que o mosmo Sr. ndo ignora:
fieando certo que, deixando de comparecer, se do-
clarar por esta folha a qualidade do dito negocio.
-Ojuize mais protectores do N. S. do Patroci-
nio fazem scienle ao respcitavel publico, que.tendo
sido mudadas a festa ea procissdo para o dia 38 do
eorrenlc pelo inconveniente d hover outra fes-
ta no di marcado e no domingo seguinte (21)
1180 podendo ser por impedimento da procissdo do
Corpo de Dos, ejuntamento por ndo se acharcm
recebidas todas as esmolas que so acham prometi-
das, esperam no respcitavel publico, que haiam
de dosculpar esta falta. Antonio Francisco de Li-
ma secretario,
Aluga-se urna cscrava para o servico de urna
casa : quem a precisar dirija-se a ra Nova, loja
n. 58, quo se dir quem aluga.
Aluga-se urna boa casa terrea no Poco-da-Pa-
nella para grando familia : a tralar em Fra-de-
Portas, com Manoel da Silva Noves.
I'erdeu-seum bilheteda lotera das casas do
caridade do Rio-de-Janeiro, numero cinco mil
tantos, tendo no verso o nome Sena: quem o achou, '
querendorestitui-lo, dirija-se ao Itecife, fuudicdo
de Mosquita & Dutra.
- Precisa-se de umeaixeiro para venda e que tenha
pratica da mesma, de 12 a 15 anuos de idade: na
ra estreita do Rozario, dcfronle da ra das I .aran
geiras, n 23.
Quem precisar de urna ama para casa de pou-
ca familia por prego commodo, dirija-se a Fora-
de-l'ortas ra do Pilar, n. 44.
Precisa-se alugar umpreto fiel paraosarvigode
urna casa e urna ama para cozinhar, engommar
e fazer o mais servigo deportas as dentro: na ra
da Cadeia deS.-Antonio, n. 19.
O doutorCasanova medico francez, contina
a receilar em sua casa na ra Nova 7, primeiro
andar dofronte do oitdo da matriz de S.-Antonio ,
das 7 as 9 horas da mandila, o depois disto, est
prompto a qualqucr dora para fazer visitas a qual-
quer doenteque de seu prestimo so quizer utilsar.
Aluga-se umsilio na estrada de Belm coro
casa arvoredos de fructo, pasto para vaccas, c tr-
ras para plantando por prego commodo : no Aler-
ro-da-Boa-Vsla fabrica de licores, n. 17.
Antonio Jos da Cunha lem una carta, viuda
do sul na ra da Madre-de-Deos loja n. 34.
Urna pessoa casada, com familia, do muito boa
conducta e com bstanle pratica d administragiio
de engenho e em quo lem sido empregada so
offorece para este lim a qualqucr senhor de enge-
nho dando pessoa muito capaz em abono de sua
conducta e habililagOcs: quem della preciar annun-
cio.
D-se 1:600,000 rs. a premio sobre hypoteca cm
alguma propriedade, ou inesmo sobre penhores do
ouro o prata : na ra estrella do llozario, n. 30, se-
gundo andar, se dir quem d.
-- l'recisa-sc de um rapaz do 12 a 14 anuos para
caixeiro que tenha pratica de negocio e d fiador
a sua conducta : na ra da Cadeia-Velha loja de
miudezas, n. 37.
O abaixo assignado, outr'ora alferes do sexto
batalhflodecagadores, boje do segundo da mesma
arma, como ontregasse a agencia do batalhiio, con-
vida nflo s aos fornecedores quo foram do bata-
Ihdo, como a toda e qualquer pessoa, o mesmo aos
seuscompanheiros, .iquoin por ventura o mesmo dc-
va alguma quantia, paraqueapreSentemsuasconlas,
na ra Augusta, 11. 8, aim do serem ininiediatanteii-
tc salisfeilas : persuadido, todava, o abaixo assig-
nado de achar-se quite com aquellas pessoas com
quem tratou negocios em todo o lempo quo residi
uesla piaga.
llellurmitio Coireia da Silva.
--Quem annunciou querer umtaboloir de ga-
ido, procure na ra da Cadeia-Velha, n 15, loja
de Bourgard.
Quem liver una prcta para alugar, que saib
cozinhar, engommar e fazer todo o mais servigo do
una casa, e quo d fiador a sua conducta dirija-
se a ra da Aurora n. 20.
Precisa-se de una ama de leilc : na Boa-Vista,
ra dos Pires, n. 14.
gmarnjTinvi'T-iiiawanaai
le do conde foi tanto maior quanto ja lirondo eral -- Com a Torca..... Tenha alguma paciencia por-1 a sorte vai em m'eu favor.V.T,"aoasmrShW^'
necessano dissimular o seu amor. Terunnou ella, I que nao ha de tai dar muito..... Eosoulros? lira duas! A entrada ndo he para desorezur lie veri
aqu
con
i para despiezar. He ver
/
dado que sacrifico cincuenta o novecubegas, das
quacs nada tenho quodizer, pela sexagsima que
desejo. Sinto muilo islo, mas usja sem as outras
nao m'a accoitam. E depois ndo ha remedio sendo
pagar os peceudos velhos, e merecer por algum
grande servigo a permissao quo nos vai sor dada de
nos tornarmos homens debem. F. a ti, met velbo
Jacopo, a virtude ndo lo commove ?
Nao se me dara de a apalpar, anda que nao
fos.se aenSo para desoneargo da minba consciencio.
Na nossa profissfto lio preciso sabormos um bocadi-
11I10 de tudo para pdennos estar so 111 pro seguros do
nos mesmos. Mas j te vou preveniudo do que se he
preciso, para que se oblcnha o Ululo do horneo! de
bem, fazermo-nos por toda a nossa vida, pobres do
sacla, coxos e mendigos, como en le vejo, leve o
diabo a virtude!
Pobre innocente! ndo calumnies oque hado
inelhor no mundo..... depois do viulio deChypree
da ptenla bem quoute e bem foila..... Esta sacla o
estes farrapos quo te causain suslo, comos crian-
gas, servem ueste momento de disfame aorico fi-
dalgo, ao elegante libertino, ao jogador desenfrea-
do, que amanhfia admralas sem os reoonheceres.....
Quequereslu, meuumigoi' Os lempos estao dilli-
ceis; so a virtude pode deixar algum proveito.....
Mas esldo dando tres horas. He necessario q-uo ndo
notouia tua ausencia .... Adoos.
A estas palavras, o falso mendigse lovantou ; o
lomando de novo a moleta, desceu os degraos co-
xeando, omquanlo o conipauheiro so allastava rpi-
do n'uina ducego opposta.
<.Conlnuar-se-ha.) \
o.



*3
v
Paga-sc a passagem a urna mulher que queira
ir em companhia de uma senhora o filhos para Por-
tugal : a tratar na ra do Queimado, n. 30.
Anda ha para alugar duas casas com muito
bonscommodos, nositio do Cajuoiro,, o tatnbem
luna cochoira na Boa-Vista : a tratar no mesmo
sitio do Cujueiro.
Quem precisar de um caxeiro para qualquer
estaholecimento, preferindo-so venda, do que o an-
nuanciante tem pratica procure na ra Nora, loja
> 58, das 8 as 11 horas da manhfla.
-O Sr. Laurentino Antonio More ira de Carvalho
queira dirigir-fe a praga da Independencia -livra-
ria i.s. e8, a negocio descu inieresse.
Pii'cisa-so alugar una escrava para o servido
de uma oasa do pouca familia, que saiba comprar,
cozinhar e ensaboar, d,-indo-se-llie o sustento o 10/
rs. monsaes : tratar na matriz da Boa-Vista, casa
n. 19. mulo so f|ir mjn'n n mier
-Aluga-sc, at 17 de setombro do seguinte anno
de 18(8, a boa casa junto a pOnte do Cachang, per-
toncenle a senhora Vi uva Mari* Joaquina dos San-
tos; e trata-se na ra da Cruz do Itecife, n. 45, com
Nascimento & Amorim.
Aquellas possoas, que se julgarom credoras do
finado Antonio DiasSouto, queira ni apresontar suas
contas no prazo do 3 dias ao solicitador Joaquim
de Albuquurquo e Mello, na ra do Collegio, n. 7,
segundo andar, undosos quaes so tomar dolbe-
ragiloa respoito da casa do mesmo linado: e nem a
viuva, nem os crcilorcs se responsabilisam por con-
ta alguma mais quo appareca. Recife, 9 de novein-
bro do 18*7.
I'erdcu-se, no dia 8 do correlo, o papol do trato,
sondo o original, quo consta da copia abaixo trans-
cripta, o oulros papis tendentes ao mesmo trato,
todos em .un maco : quem 'os adiar leve-os na ra
larga do Itozario, loja de miudezas, n. 35, ou na ra
cstreilado Rozario, casa u. 14, do relojoeiro, quo
gratificar.
Digo eu abaixo assignado, que, estando justo e
contratado com o mou inquilino, o Sr. Joaquim da
' Silva Lopes, em ai rcidar-llic toda casa do 3 andares
esotilo, n. 14, da ra da (jadcia-Vellia do Recife, pe-
lo prego aunual d 1:300,000 rs., pagos todos os me-
zes, leudo principio este arrendamento em 23 do ou-
tnbro do corrento anno, e lindando em outubro de
1847; sendo o Sr. rendeiro obrigado a conservar a
casa sempre em bom estado, e fazer todos os repa-
ros de concertos que a caa precisar, sein em lempo
algum exigir do inim pagamenlo, visto que estes
conse los sero feitos a custa do Sr. rendeiro ; e eu
snrei obrigado a conscrva-lc durante o arrendamen-
to, o nao uoderei alcvantaro aluguel dentro do lem-
po do arrendamento ; c por assim estaruios justos e
contratados, passei dous papis do mesmo tcor,
nos quaes cu o o Sr. rendeiro assignamos com as
lesteniunhas abaixo declaradas. Recife, 23deoutu-
bro de t842.--Testciiiunhas : Jos Rodrigues do Pai-
sa e Joaquim da Silva lapes.*
Lotera do thcaI ro.
O pequeo resto de bilhetes que existem por eon-
ta da sociedade acha-se a venda nicamente na
botica do Sr. Jorto Moreira Marques no paleo da
matriz de S.-Antonio e s se vender aleo dia
segunda-feira, 14 do corrente, vespera do anda-
mento das rodas.
CANTIGAS DE PRESEPE.
Vondem-se versos para prosepes a 320 rs. : na li-
vraria da praga da Independencia, ns. 6 e 8.
Vendem-se 4 lindos moloques de 18 a -20 an-
nos ; 5 pretos, sendo um ollicial de sapaioiro, oulro
pedreiro e os oulros proprios para todo o servigo ;
dous pardos um bom carreiro e o oulro proprio
para pagem de 16 a 18 annos ; duas pardas uma
de 20 annos, com habilidades, e a outra.de 12,
propria para ser educada : 5 relas do 20 a 30 an-
uos, com habilidades ; duas egrinhas de 11 a 12
annos.com principios do habilidades: na ruado
Collegio n. 3, segundo andar, so dir quem vende.
Vcnclem-se enfeite- de aljofares de
diversas cores, para cabera desenhora :
na ra dos Quarleis, boje Luga do l\oza-
ri Vende-se panno de lindo muito fino ; vinho do
Porto em pipas e barris do 4, 5, 6, 7 e 8, muito su-
perior ; coeiros do algodflo; potassa e cal virgem ,
em barricas grandes e pequeas; fechaduras para
portas de armzem; pilulas da familia; cadoiras
de Jacaranda ; uma secretaria do bom gosto : ludo
por preco commodo : na ra do Vigario n. 11, pri-
moiro andar.
Vendom-se dous lindos moleques do 12 a 14 an-
nos ; 1 preto de 20 annos, do elegante figura ; dous
ditos bem robustos, do nacflo o que silo ganhado-
res de ra ; 1 mulatinho de 12 annos; urna negri-
nha de 12 annos ;3 pretasde bonitas figuras com
habilidades; 3 pardas bem mocas, com habilida-
des : no pateo d matriz de S.-Anlonio, sobrado
n. 4.
ftuperior oleado.
Vcndem-so meias pecas do mais superior oleado
3ue lem viudo a este mercado a 3,000 rs.: na ra
o Queimado loja do chapeos, n. 38.
Cheguem, que eslose aca-
bando
os sapatoesde bezerro para bonicni a
bengalinhas para passeio, a 320 rs. : no
Boa-Vista loja n. 78.
1,280 rs., o
Alerro-da-
- AI'FONSO SAINT-MARTN', residente no princi-
pio da ra dos Quarteis por cima da loja de miu-
dezas de Victorino de Castro Moura, n. 24, receben
agora pelo ultimo navio viudo de Franca ricas
maulas de seda de novos padres e lindos gostos ;
nutras imitagfles da cachemiras muito ricas e ele-
gantes ; ditas do granadina, e outras de Toulard ,
sendo (odas da ltima moda adoptada em Pars;
chales do seda e meios ditos de cores muito lindas;
manteletas de grosdenaple ondeado e liso, guarne-
cidas de franja do rotroz o outras com habados en-
fcilados de trancas de dito as quaes estilo no gran-
de tom ii0o s por serem de geraj moda como
pola gravidade do coslumc ; cortes .le seda branca
e de cores, para vestidos, sendo do boa qualidadee
bonitas ilisposiges no gosto do lavrado; chapeos
di-seda para senhora, armados na ultima moda,
romo o inculcam osfigunnos que em cada cario
cosluinam vir estampados ; "ditos de palhinha aber-
ta c lisa, anfeitados a semelhanga dos program-
las de modas dos mesmoscartOes ; cortes de barc-
ino para vestidos ; o um completo sorlimcnlo de
I uvas para senhora. Asscnhoias quo dcstes objec-
tos precisaron!, e os quizerem ver em suas casas,
le lo a bondade, a qualquer hora,ile mandaron avi-
sar ao aimiineuiule, que immcdiatameiile Ibes serilo
levados.
Para presepes.
Coui(
iras.
No Aterro-da-Boa-Vista
caixinhas com calungas
varios utensilios.
i loja n. 78, vendem-se
para presepes, contendo
FAKELO
ullimamcnto chegadode Lisboa, em barricas do 4
arrobas, por preco commodo : no caes da Alfandega,
armazem, n. 1.
8 -ciedade Recreio-Juvenil-
0 primeiro secretario avisa aos Srs. socios, que
domingo, 14 docorrente, ha sessilo da sociedade,
asH horas da tarde, na casa da mesma.
Vendem-se mu tas
mui lindas a 2,000 rs. ; dando-sc noticia desta l'a-
zende por se desejar prompta oxtracgfto e na cer-
teza de que convidam-so aos compradores, pelo seu
preco e qualidade : bem como acharilo outras mul-
las fazendas de bom gosto: na ra do Cabug, n. 16.
Na loja do nicho, na esquina
do I trmenlo, vendem-se
Conipram-su 2 moleques de 12 a 18 annos;
duus nielas ou pardas que lonl.am habilidades :
na ra .Nova n. 16, so dir quem compra.
Comprarse urna pedr-a d'ara c um calix doura-
do em bom uso : quem ti ver aiinuncio ou dirija-se
a ra dos Taimen os, n. 5, que se Iho dir quem pre-
cisa.
Compra-se uma cabellera de senhora: quem
livor annuucie.
-- Compra-so o regulamonto do consulado goral
na prai;a da Independencia, livraria us. 6 o 8.
--Comprain-seollleiaes de carpina pedreiros
ferreiros o carpiuleiros, para fra da provincia
pagam-se bem, agradando : na ra da Cruz, no Re-
cife n. 49-
Vendem-se pecas de madapollo limpo com
20 varas a 2,500 rs. ; pecas do chitas escuras c do
cores.0X41, muito encirpadaso fortes a5,500 rs. ,
o a meia pataca a relalho : na ra estreita do Roza-
rlo, n. 10, tercero andar.
MEZ MARIANO A 1,000 BS.
Vende se na livraria ,1a praca da Independencia ,
ns, 6 o s o Novo Mez Mariano, accrescenta.lo com o
Lauspeicnne do Santissimo Itozario.
PECIIINCIIA.
JosSaporiti tem caixinhas com 12 frascos de azei-
Le doce refinado, que, para acabar com ello vende
pilo commodo preco de2,000 rs, cada caixinha :
na ra da Cruz, no Itecife, n. 18, segundo andar.
Na ra do Crespo, loja n. I 2,
de os Joaqun, da teilva
Maya,
vendem-se muito lindos chapos para moni as,
tanto de se la como de palhinha chegados ulti m-
mente de Paria ; chapeos le seda para senhora;
cortes do crambraia de seda do ricos gostos, por
preco muito commodo; cortos de vestidos de cam-
braia ecassa-chitas de diffurciilos quididades por
precosbaratos; ditos com urna pinta do mofo e
sem elle a 2,000 e 2,500 rs. cada corte ; mantas de
seda e fila para senhora das mais modernas que
leem viudo a esta praca, a 5,000 rs. cada urna;
mantas chales de seda de varias qualidades e ba-
ratos; alpaca prcta a 800 c 1,600 rs. o covado
panno do linho, a 400 rs. a vara; casimiras fran-
cezas e elsticas para caigas, a 5,000 rs. o corto
fustOes; setinse velludos para cohete, por preco
muito em conta ; bem como um sortimento de ou-
Iras militas fazendas, quose vondem polo barato.
Vende-se, na ra da
Cadea, n. 37,cera em ve-
las fabricadas no Rio-
de-Janeiro, em urna das
melhores fabricas em
cacas pequeas, sorii-
mentosao goslodo com-
prador, e por preco mais
barato do que em oulra
qualquer parle.
FRESUULNIIO.
Chegou rfelo brigue Bom-Jtsut, vindo do Rio-de-
Janeiro, uma lemessa do superior rap grosso o
meio-grosso, da fabrica de F.sleviio Gaste. Os dig-
nos freguezes encontrarlo no deposito da ra ia
Crnz do Recife, n. 38, aquantidade e sortimento
quequizeiem. Osen prego he j sabido 1,280 rs.,
sendo de 5 libras pura cima.
Vemdem-se, no districlo da villa de Bananei-
ras, na provincia da Parahiba do Norte, as seguli-
tes tenas proprias para plantagoes de algodiio e
cannasde assucar, a saber: um silio com meia egoa
de lena, denominado Alagninha- ; um sitio com
uma eiigenhoca 8 casa de viven.la, der.oniini.do Ha-
copari ~-, propria para dar caimas de assucar, que
fui do finado Joaquim do Reg Toscano e Brito, o
era parte do sitio Pao-d'Arco ; urna parle de lenas
no sitio Cannabrava, muito propria para producciio
de ni unas de assucar, leudo proporgoes para se le-
vantar um engenho ; unas trras denominadas
Sitio-Novo, em Callabougo, com urna casa gran-
pannos finos a 2,500, 3,000 3,500 e 4,000 rs. o Je de vivenda, senzalla para escravos, prensa para
muito fino, prova do limiio a 5, 6 c 7,000 rs. ; cor- encacar algodiio c oulros pertcnces para doscaro-
tes do selim e velludo de bonitos gostos a 2,000, gainenlo do mesmo genero, que foram de Franois-
2,500, 3/, e 4,000 rs.; maulas de selim de cres.para co da Cunha Ribeiro: silo proprias para plantacfio
honiem, superior fazeuda a 2,000 rs. ; riscadinhosldo algodo, ou para criago do gados. Quem as
francezes de duas larguraspropnos para camisa de Iquizer comprar dirija-se naquella villa ao capitn
hnmem tomar banho, a 240 rs. o covado; meia-|'''Stevio Jos da Bocha, ou na cidade da Parahiba, a
casimiras de bonitos padres a 800 rs o covado ; e '
outras minias fazendas novas para a festa.
de chitas finas e de edres fixas a 120 e 240 rs. ;
covado ; cortes do cassa do oros lisas, a 2,560 e
3,0.10 rs, ; ditos de cambraia branca o de cores ,
para bailes do 4,800 al 7,000 rs.
Na loja amero 17 da na do
IPasseS)- Publico,
vendem-sc corles de cambraia, do cores linas, con
6 e meia a 7 varas, a 2,210 e 2,560 rs.; ditas muito
linas, a 560 rs. a vara ; cortes das muito lindas prin-
ceznas, a 12,000 rs.; mantas de seda, muito ricas-,
a 10,000 rs.; chales de seda, mullo ricos, a 14,000 rs.;
chitas linas a 120, 140,160, 180, 200 c 210 rs., e muito
finas a 280 rs.; brins de linho de quadros elislras-
niuto lindos padroes, a 640 rs. a vara ; lengos gran-
des de seda para grvala, e bous em qualidade, a
1,280 rs. ; mantas de seda para gravata .le homein, a.
2,000 rs. ; corles de collete de La e so la. a 320 rs. ;
O'j do fus'Ho 2 500 T. ditos de velludo "d eA-
res, a 3,000 rs. ditos de gorgorito do seda de co-
res, a 3,000 rs. ; ditos do gorgurilo de La o seda, a
1,000 rs.; longos brancos arrendados, para milo de
senhora, a 210 rs. ; chales de La da Escocia, a 2.560
rs.; ditos de liia com lislras de seda, a 3,000 ris ;
alpaca cor de cafe, a 640 rs. o covado ; dita muito fi-
na preta, a 1,440 rs. o covado; pegas de madapoLlo
muito linas, com quatro palmos, a 4,000 e 4,500 rs ;
cassa lisa a 240, 400, 480 e 560 rs. ; pegas de algo-
dfiozinho com 18 jardas, a 2,000 rs. ; chales de cas-
sa escura, aOtOrs. ; merinos muito superiores, a
1,600, 2,800, 3,200, 3,500 e 4,000 rs. o covado ; cor-
les de chita com dez ovados, a 1,000 rs. ; ditos finos
com toditos, a 1,800 rs. ; dilos ditos com 14 ditos,
a 3,500 rs. ; dilos de vestido de cassa com barra, a
5,000 rs e oulras multas fazendas porpregos com-
inodos.
Vendem-se, no Atorro-da-Boa-Vista loja do
funileiro, n._78, obras de latilo, a saber: eandieiros
de todas a'quali.lados: cscrivaninlias; perfumadores
de lodos os tamaitos; campas para secretaria;
almulrizes; candeias ; castigaos;- eandieiros do
lula.-..I.i ; garfos e collicres : ludo se vende mais ba-
rato do que em mitra qualquer parte. Na incsina
loja compra-sc toda a qualidade de uiclal vclho.
Vende-se cal branca tmiilofiuu por mais ba-
rato prego do que em oulra qualquer parle: tam-
ben! vende-se uma lazarina boa eagadeira : na ra
do Aragiio, n. 8.
Vende-sel lalim, uma canana, uma banda,
um barretilo para oflicial de guarda nacional; lu-
do com pouco uso: na ra da Aurora n. 50.
Vende-se, sem feitio, uma garganlilha de ou-
ro de lei com 19oilavase ninquarlo; um pardo
brincos do coraes ; um dito do lilagrana ; uma re-
doma ; algumas oilavas de ouro volho ; um cordio
de ouro de lei com 7 oilavas ; um dedal de piala do
alilo na ra Bella, n. 40.
Deposito de vinagre da fabrica
da ra Imperial, n. 7.
na fabrica de licores, de Frederico Chaves, no Ater-
ro-da-loa-Visla, n. 17, onde se achara sempre
grande porgflo e por preco commodo.
Na padaria de uma s porta, na praca da S.-
Cruz, junto ao sobrado da esquinada ra Velha ,
vende-se, alm do excellenle pao, biscoulo doce o
d'agoa e sal falias bolachinhas doces e d'agoa o
sal de 24e mais em libra holacha de todos os ta-
nianhos ; tildo da melhor farinha que ha no merca-
do e com o maior asscio possivel. Na mosma pada-
ria se dir quem vende quiltro inergiilhos de para
reir nioscatcl-jasmim, eincaxOes, proprios para
serem plantados em qualquer quintal.
r
11 >
Vendas.
Loicria do Bio-dc-Jai eiro.
Aos 20:000^000 de ris.
Na'rua da Cadea do liecfe, loja de cambio do
Vieira ^ estilo a venda bilheles e meios ditos da lo-
tera a beneficio do tbcalro de San-Pcdro-de-Al-
cantara. Estes bilhetes vflo rubricados por Viei-
ra da Silva.
Eslao a vend nos lugares abaixo
declarados o jirimciro c. segundo nme-
ros do Brasilei'V ; o urimeirc e segundo
11 u meros di Senlim-lla da Liberdade. O
lirasileiro. por [\o rs. e a Sentinel/a, por
20 rs. I'.sla interessaiitissiuios e dig-
nos de seren lidos por tod s aquellcs
que se Jiomom de ser Biasileiros fiis a
sua patria. Hecife, travessa do Vigario,
n. ii; rita Nova, u. 47 ; no Aleno-da-
Boa-Vista, n i. ^
Na ra da S.-Crnz, venda n, 5,
vende-se muito boa manteiga para bolos c tempei-
ros pelo barato pre^o do240rs. a libra.
Vende-se urna canoa de carreira por prego
commodo : na ra do Queimado, loja ti. 13.
Vendem-sc saccas de milito com cinco quartas ,
a 4,000 rs. ; arroz de casca, a 3,200 rs. o alqueire;
um carro de 4 rodas novo; urna parda do bonita
figura, com habilidades: na ra da Cadea de S.-
Antonio, n. 19.
Vcude-scum molecote perfeito cozinheiroe
comprador e que he d6 boa figura e conducta : na
ra Imperial largo da forca, n- 3.
Vendem-se dous pretos mogos, do bonitas fi-
guras; ma mulatinha de 13 anuos ; um mulatinho
do 12 annos : no ra do Crespo, n. 15, primeiro an-
dar.
Bemedo prodigioso para os
embriagados.
Este remedio torn-se mui apreciavel por ser sua
eomposigilo mui simples, e u3o arruinar a sade do
individuo, fazendo-o aborrecer para sempre a be-
bida. Vende-se na ra da Gloria, n. 87.
Vendo-se uma linda negra com habilidades um
negro pega de 20 annos; um moleque de 12, una
mulatinha de 4 annos, e um mulcque de 7 unuos,
por seu senhor se retirar para fra : na ra da
Senzalia-Vclha, n. 110, se dir quem vende.
Vende-sc uma meia-ogoa sita na campia da
ra da Alegra, n. 5, I me o desemharagada, a qual
.tem quintal e cacimba : na ra das Cruzes ,' n. 36,
| primeiro andar, se dir quem vende.
AO BARATF.1BO, FtEGUEZES.
Na ra Nova, n. 26, loja de Tinoco & ocha ven-
dem-se cortes de colletes de velludo Ruilosupe-
rior a 3,500 e 4,500 rs.
----Vendein-se enfeiles de froco de di-
versas cores para cabecas de senlioras :
na loja de Maya liamos & C, ra Nova,
n. 6.
Vendem-se hervlhas muito boas e proprias
para somear, por serem muito novas: na ra da Praa,
u. 20,
[Josl.uiz Pereira Lima.
CEBA 1)0 BIO-l)E-JANi:iBO F. DE LISBOA.
Vende-se completo sorlimcnlo mais barato (io que
em parte alguma, por NqoldacOo : na ra da Sen-
zalla-Vellur, armazem, n. 110.
Vende-se cera de carnauba, de muito boa qua-
lidade, tanto a rclaMio como em porgiio : na ra
das Larangeras n. 14, segundo andar.
Casimiras elsticas e finas, a
7#000 rs.
Vendem-se superiores casimiras elsticas finas o
de cores, pelo baratissiino prego de 7,000 rs. o cor-
te de caiga. Esta fazenda he recemmendavel pola
sua qualidade tanto em fazenda como em gustos ,
por serem os mais modernos; casimiras pelas ,
superior fazenda por serem muilo linas a 2, 3 e
3,500 rs. o covado : na ra do Collegio, loja n. 1.
O BARATEIRO.
i\a nova loja da ra do Cres-
po ao pe do arco de An-
tonio n.4, de Ilieardo Jos
de FreHis Kibcuo ,
vendem-sc chapeos de creps para senhora a 4^
'rs. ; ditos do seda, os mais modernos quo leem viu-
do a 12,000 rs. ; os mais modernos chapeos de
mas-,i francezes para honiem a 7,000 rs.; um no-
vo sortimento do cambraiasescocezas e cassas suis-
sas de varios gostos, leudo uma vara de largura,
e de cores muito fixas a 320 rs. o covado ; corles
de fuslilo de gosto moderno, c de cores fixas a 800
rs. ; muito ricos chales de seda muito superiores e
grandes, a 12,000 rs.; chales do garga tecidos com
lislras de seda muito lindos a 3,200 rs. cada um ;
iim novo e rico sortimento de lengos de seda o de se-
iim lavrado de cores muito lindas, a 2,000 c 2,500
rs. inteiros; ricas maulas para grvalas do lio-
inein com ricos lavres a 2,000 rs. islo he pe-
chincha ;'crtes de gorgurilo do seda para collete
No lerro-da-Boa-Vista,
primeiro andar,
casi do modas francezas, vcndem-so chapos da
palha da Italia milito alva e lina ; chales ( cinco
quartas-) do 18a ; mantas de dita, de muito bonita
cores; marcearas para costuras das senhoras, po
r
prego coiiimudo.
lotoes
da moda.
Na ra do Cabug, loja de miudezas de Francisco
Joaquim Duarle, recebeu-se pelo ultimo navio vin-
do de Franca um completo sorlimcnlo do botos
de casaca pelos, de selim, sarja o velludo, e ama-
rellos dos inelliorcs gostos que leem vindo ltima-
mente de Pars, de libr de pageos, de Pedro II, pro-
prios para os Srs. militares, o os mais bem dourados
que leem aparecido; de madrc-perola, de cures, pro-
prios para roupas de meninos e roupinho de senho-
ras : as amostras se acham patentes aos similores
compradores. .
Vende-se cal virgem em barris chegados pr-
ximamente do Lisboa, por prego mais barato do que
em nutra qualquer parle : na ra da Moeda, arma-
zem n. 17.
Quadros.
Na ra do Cabug, loja de miudezas de Francis-
co Joaquim uuaiiv, lia um completo sorlimcnlo do
quadros de sanios em moldura dourada e de dille-
renles tamaitos, do 80 a 800 rs. : a el(es antes.que
se ac bem.
Lotera do Ilio-de-Janeiro.
Vendem-se bilhetes c meios ditos da 23.* lotera
a beneficio do thealro de S.-Pedro : na ra da Ca-
dea, loja de cambio, n. |38, de M.umel Comes da
Cunha e Silva.
Caixas para joias.
Na rus do Cabug, loja de Francisco Joaquim Du-
arle, ha um sorlimento de caixas para guardar
joias, .ie muito bous gostos; assim como aIGneles
de peito de vidro, de diversos gostos, para senho-
ra; fitas de setim; bcos de diversas larguras, ocu-
los do armacSu de uro do balis e loques finos : lu-
do por progos com modos.
Na loja n va da ra d Quei-
mado, n. 11 \, de llaymun-
doCarloj Leite,
acba-sc um novo sorlimento de lindas mantas do
*.000 rs. leudo tatnbem de 2,000, 10,000,
uvas para senhora de trogal,
seda
16,000 e 20,000 rs.
ultima moda em Lisboa
muito rcos.a 3,500 rs. Igualmente ha umsortimenlo| rs. a duzia.
muas croas n. lo a 5/







i
r
m
-1
wmm
mw*^

J^

Vendem-so pedras ile tnoinhos, por monos
prego do que em outra qualquer parte : na ra das
Cihco-Pontas, n. 82.
Belmiras^
Vondem-se superiores crtesrfla fazenda nova
ilenoininada belmira para vestidos do senliora ,
pelo barato prego de 4,500 e 5,000rs. o corte. Esta
fazenda he nova e de muito sublimes gostos, sen-
do as suas cores mui apreciareis por serem cor de
lirio, rosa operla. A el les antes que se acabom.
Na na do Collogio, loja n. 1.
Vende-so um prelo de nacSo, de 40 annos, de
bonita figura por ser muito corpulento : nto tem
vicios nem achaques: ven de-so para comprar urna
jircta outamhemse troca: na ra da Concordia,
passando a potezinlia a direita, segunda casa ter-
rea.
A 160 rs ocovado.
I'.iscados francez.es, a 160 o 200 rs. o co-
vado ; damasco de airadlo, a 4o rs. o co-
vado ; coberlas de dito milito largo, a
3,500 rs. cada urna; moias c -miras a
2,2*0 rs. o corte; ditas elsticas, a2,500c
:i,000rs. ; panno fino de todas as cores, a
i,000 rs,; curtes de cassa-chita de bous
gostos a 2,500 o 3,00:) ; novas casimiras
<' elsticas, da bouitoi padroes j cortes do
chita o miis lino possival; cortes de oaasa
Vende-se urna preta da Costal: boa quitandoi-
ra : om Fra-do-Portas, ra do Pilar, n. 40.
Vonde-se Tratado de navegacito: na ra das
Cruzos, n. 35.
Salsa-parrilha
de superior qualidade, chogada ha poneos lias
pelo brigue-cscuna Laura vende-so no armazem
de Kalkamann & Itoseumund, na ra da Cruz, n. 10.
Casa da F
na ra estrella do
n. ti.
O
3
do padros inuito moderno* ; alpaca mui- !S
to lina ; dita je OOrdToe de varias coros ; **^
cortos .lo panno bordados para sapatos ; (ES)
novo MMtimento de corles de castaeda ^
do novos gostos; chapos francozos da ul- (Jj)
tuna moda ;eoutras mu i tas l'azeu las li- arfc
as: ludo nrmenos precedo que em oii- lw
traqualqucr laja: ni ruado Queimado mk
loja nova da casa amanilla, n. 29, W
Vi (i ros pan espeho,
do varios taannos, vendem-se no armazom de
Kalkmann de Itoseumund, na ra da Cruz, n. 10.
Uvas, ameixas e pa.ssas ,
ludo novo, chegado ltimamente o de qualidail
no caes da
ene
superior : no armazem de Dias Kerreira
Alfandega.
Vende-se, ou troca-se por um terreno, ou casa
dentro desla cidade, ou nos seus arrabaldes, urna
morada de casa de taipa muito bem feita sita na
principal ra de Pedras-de-Fogo: no Atcrro-da-ltoa-
Vista fabrica de licores, n. 17. *
Vonde-se um Iranceliiii de onro para relogio:
m llolom, no sitio que fui do fallecido Adiianno
le S ou annuncic.
Vonde-se um lindo moleque de 13 annos sem
virios nem achaques; nina escrava de nacflo Angola,
de 20 annos ; propria para qualquer servico por sor
do boa conducta : na ra estrella do Rozario n. :M,
primeiro andar.
Cheguem, freuezes, ao mitigo
barateiro do lasseio-Iubl-
9 el i, de Fi
Rodrigues Fer-
reir,
.-.onde acharToricos soi tmenlos de mantas de se-
da do melbor gosto ; cortea de gorgorito de seda,
bordados e de quudros, lazenda moderna; lencos
do solim de cores para grvala; mantas de garca,
mui lindas; superiores casimiras pretas claslicas;
i loia-casimiras de cores ; lindos corles de lila c se-
da de quadrose lislras, a C.OOO rs. cada corte;
assa-cliitas de lodos os gostos e padroes que mili-
to agradara, por seren de cores seguras, o a precos
de 2S0 e 320 rs. ocovado ; mantas do fil de lindo,
lelo barato prego de 3,000 rs. ; brim trancado de
11 nbo blanco o de cores; castores de bonitos pa-
droes j l'ustoes linos de gostos; chitos muito finas
o de goslo moderno ; o oulras muilas fazendas do
gosto, que lodta se vndenlo por precos que muito
agradanSo aos compradores. Adverle-se que as
amostras do cbila-cassas serio francas.
tozariOj
Neste estaboleci monto acham-se a venda as bem
acreditadas cautelas da lotoria do theatro publico
desta cidado cujas rodas andam no dia 16 ile no-
vembro. O caulolista espera que os seus freguezes
concorram a comprar o rosto das ditas cautelas ,
as quacs so esperam boas sortcs, pela excellente es-
collia que se fez dos nmeros para serom divididos
om cautelas. A ellasqucsSo poucase'boas. Precos
os do costuine.
= Vendem-so casaes de pombos muito bonitos ,
grandes, bous batedorea o de ptima raga por pro-
co commodo : ni ra da Florentina n. 16.
Cartas para volta-
rete,
as nielbores c mais baralas : vendem-se na ra lar-
ga do Rozar jo n 21.
AGENCIA HA FIJNDICAO' DE I.OW-MOOR.
Na ra da Sonzalla-Nova n. 42, contina a haver
j n completo sorlimento de moendas e machinas de
/apor para engenhos de ssucar : bem como tai-
xas de ferro batido ecoado de todos os tanianhos :
ludo por prego commodo.
Vende-so, ou Iroca-se por casas nesta praga, um
terreno com 412 palmos de frente e 150 do fundo,
sito por detrs do covento do Carino : a tratar com
0 son proprielario no Manguind, segundo sitio
depoisda capel I a de S.-Jos.
1 adeiras a p ?lka, a 1^600 rs.,
vendem-se noannazem do Guimaries no caes da
Alfandega e em casa de J. J. Tasso Jnior na ra
do Ainoriin, n. 35.
Vendc-sea bem conbecida venda da ra Im-
perial, n. 145, por sen dono ter de ir a Portugal :
ailvertc-sequelem armacffo asen favor, por ser
excusado compra-la : a tratar na mesma venda.
Vendo-se um sitio de turras proprias com va-
rios arvoredos de fructo, casa, hoa cacimba no
lugar d'Agoa-Fria de flebenbe ; cujo sitio tai do fal-
lecido Jeronymo Jos Martina : no paleo da igreja do
Pilar, do lado osquerdo casa n. 181 ou no car-
lorio dos orpbfios se far lodo o negocio.
Vendem-se portas janollas o grades, tanto de
louro como de amarello : tambem se vendem pedras
decantara promptas: na ra da Praia, atrs da
ribeira tanque d'agoa ns. i) e 11.
Vondem-se dous moloques do 15 annos; um
dito de 12 annos; 4 mulatinhas muito lindas que
silo recolhidas; 3 escravas mogas, do todo o servi-
co ; 2 mnlatinhos de 14 annos sendo um delles
cozinheiro : na ra Direita n. 3.
Na loja nova da ra do Quei-
mado, n. II A, de Raymun-
. do Carlos Lcite ,
a 000 rs.
a vara do ptimo panno do lindo do Porio as pecas
s3o de 18 varas e meia ; dito do 25 varas, a 600 rs.;
mi.n duna|ios do puro iinio a 500 rs. ; faiciia do
norte, propria para colletes, jaquetas e ele, tecido
de seda o lindo ; meias de linho as mais finas que
teem vindo ao mercado.
AOBOM GOSTO PARA AFES-
TA DO NATAL.
Na nova loja do Passeio-Pu-
blico, i. 19, de Manoel Joa-
qun! la*coal Ramos ,
vendem-se cortos de casimira franceza, a 3,000 rs. ;
brins de quadros e de lislras, a 1,200 rs. a vara ; di-
to liranco de puro linho a 1,600 rs.; mantas de se-
da de bonitos padroes a 9,000 rs. ; chales do seda ,
a 2,500 e 8,000 rs.; panno fino preto a 5,000 rs. ;
ilito azul, a 4,500 rs.; chapeos de sol, de seda preta
e de cores a 7,500 rs.; lencos de seda para grvala,
a 8i0 e 420 rs. ; ditos a 1,440 e 1,600 rs.; ditos de
relroz da ultima moda para senhora, a 3,200 rs. ;
cortes de cambraia a 3,000 rs ; dita, a 800 rs. o
covado ; editas muito linas a 280 320 e 400 rs. ;
riscados francezes de bonitos padroes a 200 rs. o
covado ; esguito muito fino, a 2,000 rs. a vara ; bre-
tanha fina, a 800 e 1,000 rs.; sarja preta bespanhola,
a 2,000 rs.; setim prcto, a 1,000 rs. o covado.
de
rs,
ro lo jas ns.
miao los
Potassa.
Vende-se a verdadeira e superior po-
la ss a ila ftussia a mais nova que exisle
no mercado : na ra di Cadeia do Mec-
fe, armazem n. 12, de Bailar i\ Oliveira.
UJEPOSffiJ de calvirgkm.
Na rua do Trapiche n. 17, ha
pie cal virgein de Lisboa, em lm
penos, e tilliniamenle chegada
lo superior e por preco rasoavel.
Vendem-se caixas de cha hysson, de 13 libras,
em porgos, ou a retalho ; caixas de velas do os-
permacete de 5 e 6 em libra : na ra da Alfandega-
Velha, n. 36, em casa de Matheus Auslin & C.
sem-
rris pe-
, nmi-
'ecliinchas dcstas
recem na loja do
so a pa*
nicho :
do nicho, ve.'i-
gostos, pa-
cores,
1.80
do bonitos pa-
- seda a 2,000
1., lencos grandes da mesma qualidade, a 1,000
s- ; incias muito linas para senhora a 320 rs o
; ditas 1111ila11ioseda.il 400 rs.; luvas de'dille-
Na esquina do l.ivramento loja
dem-se maulas de cambraia do bonitos
ra senhora a 1,000 rs.; sedas brancas c" de
'le rios padroes para vestidos de senliora a
rs ocovado; chales delaa o seda
drOes a 3,000 rs.; ditos de garca o seda .
. _.' iaiiiusBim .1 'uurs. ; luvas de uille-
iiDtef u-jalidades a 320 e 500 rs. ; chilas france-
sas com duas larguras, a 320 rs. ocovado, dando-
gurailca das tinlns.
.,,rir,V^nie".Se ""' Prct0 carreiro,
imito robusto ; urna preto propria
-loeiixada.poraer mu to robusta
"'."'. Por ja lerpraticadiaao
t'ussidade : na ra
ainda mogo o
para (rabaldar
Pardos de arroz Prelos
arroz, em barricas, a 3,000
com 4 a 5 arrobas.
Acaba do rhogar iflo til substancia alimentaria
para cavados ja bem condecida pelos possuidures:
vende-se no armazem do Bacelar na escadinha da
alfandega ou a fallar com J. U. da Fonscca Jnior ,
na ra do Viga rio, n. 25.
Xa I ja nova da ra do Q'iici-
niado, n. II A, de Uaymiin-
do Carlos E.eile ,
acha-seum novo sortimentode pannos linos de todas
as coros e qualidados ; chapos francezes da ultima
moda ; um completo sorlimento de fazendas linas
e grossas, por prego mais barato do quo em outra
qualquer parta.
Luvas de pellica,
Alianga-se as boas quididades destas luvas. lia de
todas as cores tanto para homem como para se-
nhora. Vendem-se mais em couta do que em ou-
tra qualquer parte. Na roa larga do Rozario, n. 2V.
-- Vendem-se clmuios da Ha-
vana : em casa de J. O. Elsler :
na ra da Cadeia-Vellia, n. z9.
3'aunos finos.
Vendem-se superiores pannos linos, a'provade
limiio, prolo, a 3,000, 4,500, 5,500 e 0,500 rs. ; di-
to azul, a 3,000 rs. e muito linq, a 4,500 rs. Estos
pannos sito novos o pela sua barateza, atlendendo
a sua boa qualidade, tornam-se recommendaveis.
Na ra do Collcgio, n. 1.
Velas de cera,
da melbor qualidade que lia no Rio-de-Janelro, em
caixas de ptimo sorlimento, vendem-se por barato
prego na ra do Vigario, n. 25.
Vendem-se os seguintes escravos ,
de multo Loas figuras sem vicios nem
aclmipies : dos prelns e urna parda re
20 anuos pouco mais ou menos (pie sfio
lavadeiras e coslureiras; 3 pardos du
mesma idade, enlre os epiaes um lie bou
sipateiro c outro alfeiate e todos pro-
iiios para pagens ; um moleque de i
annos ; um pardo de i4 a iG annos ; um
mulitinlio de 7 para 8 annos, proprio
paro andar com crian cas: na ra do Cres-
po, loja n. 2 A, se dir i|uem vende.
Vinlio de Ciampanlia
marca cometa,
Salsa-parrilba ,
a melbor quo ha no mercado, vende-se por com-
modo prego no armazem do Rraguez ou a fallar
comJ. II. da I'onseca Jnior, na ra do Vigario
n. 25.
Vende-se, por o dono se retirar
para lora da provincia urna cama da
irmacao com assento de lona e corti-
nados ; urna mesa de Jacaranda, de meio
tndo em muito hom uso, por preco mui-
to commodo : na ra do Collegio n.
10, segundo andar.
Xa ra do Cabug loja n. 5,
de AI a noel Antonio Ron-
cal ves. vendem-se
apparclhos para cha faqueirosdo urna e duasdu-
zias Jarro e hacia colheros do tirar sopa ditas
para sopa e para cha salvas, paliteiros salva e
tesoura, turibulo, naveta, vaso para sanlo-oleo,
clices : ludo hegado ltimamente do Porto : bem
como diversas obras de prata ouro diamantes c
brilbantos : ludo de bom gosto e em conla.
a 6,000 rs.; cortos de cambraia de cores e de todas
as diversidades a 3,500 e 3,800 rs.; loncos de se-
da para algibaira a 1,300, 1,520, 1,760, 2,000 c
2,240 rs. ;. ditos de seda de coros para grvalas, a
1,700 rs. ; ditos de solim niacau do cores e degor-
gurlo.des .pontos, a 1,900 rs a de qualro, a
3,800 rs.; dilosdesoda com franjas para senhora,
a 2.700 o 3,200 rs. ; ditos do seda preta, de tres
pontos, para homem |a 600 rs.; o outras muitas
lazendas por prego commodo.
Vende-se urna morada do casa de dus anda-
res e sot3o, com varandas ilo ferro, em chitos pro-
pnos sito na travessa da Madre-de-Deos n. 7 : a
tratar na ra da Cruz, n. 50.
Na loja de Manoel Joaquim
Pascoal Ramos, no Passeio-
Puhlico, n. !9,
vendom-se cortos do cambraia alegra, a'2,000 rs.
e o covado a 240 rs. de padroes e cores as mais
lindas que teem apparecido.
potassa da aussn,
Vend-se potassa da Rnssia por pre-
co commodo : no armazem de Jos
Antonio de Araujo no becco do Gon-
calves.
Vonde-se um sobrado de dous andares o sotPo,
sito rio principio da ra Direita, n. 2 : a tratar na
ra Nova n. 48.
11Vende-so, por prego commodo", estando em
muito bom uso por ter sido usada poucas vezes,
urna cabelleira de senhora; na ru do Collegio, n.
10. segundo andar.
Vende-se um relogio saboneto de oro novo
e da melhor fabrica da Suissa trabalhando om dez
robins, com sua crrenlo: na ra Nova, loja n. ||.
Escravos Fgidos.
da
vende-se no armazem de Kalkmaun & Rosenmund,
na rua da Cruz. n. 10.
Vonde-se a casa n. 46 da rua do Agons-Ver-
des por diversas vezes annunciada a venda : quem
a pretender dirija-se a rua do Caldeiroii o casa do
Sr.doulor Jos Antonio Pereira Ibiapina, que so
ni para ven.lei jacha coinpotonlomento autorisado. uno so pelos
Vendem se esrravos muito baratos, pa-
ta se liquidaren! eontas deste anno, na
rua das Larangeiras, n 14, segundo
andar:
tres lindos moloques do 14 a 16 nnos ; um dito
com principios do sapaleiro e quo entende de pa-
llara ; um luido mulatinho do 11 annos, muito es-
perto sem vicios proprio para aprender q ualquer
ollicio ; um preto de 23 minos ptimo para traba-
Iharem armazem de assucar por ser bastante for-
te; um dito de nagao, bom ganhador de rua, e que
esta acoslumado ao trabalho de relinago ; um par-
do de 36 anuos, bom para tomar conla de um sitio,
por ser de boa conla ; um piolo do 40 annos bom
canoeiro e opjimo olcial do canlo ; um dilo do 40
annos por 200,000 rs.; urna preta muito forle ,
por 220,000 is.; duas pardas com algumas habili-
dades ; duas prclas muito mogas que silo pti-
mas q uitandeiras ; duas ditas boas engommadeiras
e cozinheiras ; c oulros escravos.
Vendem'se 4 pipas vasias c urna porgfo de
cascos por prego commodo por seu dono querer
desoecupar o lugar em fra-de-l'rtas, n. 92.
Vende-se moda de cobre : em casa de Krede-
rico liobilliard, na rua do Trapiche-Novo, n. 18.
Vende-se superior bolacbinha de
Hamburgo, em lalas, chegida recente-
mente : na mi* da Cruz, armazem n 48
Lotera do iiio-dc-Janeiro
bi neficio do theatro de
redro de-Alcntara da corte
Vendem-se bilheles desla lotera em casa de J.
0. Elsler, na rua da Cadeia-Velba, n. 29.
Ksla a ebegar um casal de jumentos de raga
castolhaua o qual seguir para o sul so nflo achar
de promplo comprador : quom o pretender queira
fallar com antecedencia na rua da Cruz, 11. 45,
em casa do Nnscimento & Aniorim. .
\a loja da rua da Cadeia do
ftecife, 11. 5i, de Claudino
Salvador lcrera Brasa
a
*v
vondem-se os mais modernos chapos Ge uiassa
francuzea, para homem, a 5,800 rs. ; ricos corles
de velludo bordados para collele, a 5,500 rs ri-
cos e elegantes cortes de cambraia de seda lie' lin-
dissimospadrOes,a7,500 rs.; lindas e delicadas
mantas bordadas.de setim cdegorguro.para grava-
las a 2,000 rs.; casimiras linas o elsticas a
1,900 rs. o covado; ditas de quadros, muito 011-
corpadiis a 1,600 rs. ; ditas ordinarias, a 1,000 rs
-primea disso: vendem-se or n.li.h.TlfX""""-^B <""",'3au" "i,u so peosi dilas inelhoros, a 1,280 rs. ; sarja de seda rala flia'
a de S.-ltita, n. 44. ? C0l,l0.Pel 'ypUiecano. para contra- a 1,500 rs. o covado; chapeos do Chm a 1 800 ^
' Itaiqualquer nogocio o mesino o arrendamento. IwS-.-i..... ..--'-
Ausenlou-se, ha dias, da casa de seu senhor, o
escravo JoSo pardo trigueiro de 15 a 17 annos ,
cara grande, olhos regulares, bons denles; bom
conhecido por andar frequentcmento fardado: quem
o pegar leve ao Mondego, a seu senhor, Luiz Go-
mes Ferreira que recompensar generosamente.
I'ugio, no dia 8 do corrente o pardo Malhias ,
natural do Ico olcial de pedreiro baixo c seceo
do corpo cabellos crespos pouca barba ; levou
chapeo de palha novo, camisa branca caigas do
ciscado e duas trouxas de roupa em dous lengos ;
tem um dedo de menos na mito'direita ; seguio pa-
ra Olinda onde foi perseguido at o Varddouro o
pelo cavallo de quem o segua ser ruim, beque nlo
foi agarrado : quem o pegar leve-o a rua Imperial,
n. 9, quesera bem recompensado.
-- Fugio 110 dia 5 "lo corrente o pardo Flix ;
tem um talbo no rosto do lado dircilo, que pega da
sohrancelha at a bochecha; lem a cara redonda o
com marcas de bexigas, cabellos corridos como os
de oalinclo ; tem no dedo indicador sgnal do um
panarieio o no dedo grande do p esquerdo tem a
nuda partida ao meio; levou camisa do algodilo-
zinhocom botos na abertura do mesmo panno,
ceroulasdealgod.1oda trra j vclhas e chapeo
de palha pintado do prelo: quem o pegar leve-o ao
pateo do Corpo-Sanlo a Antonio Rodrigues Una,
que gratificar.
Altcncao !
Fugio, no da 25 de oulubro prximo passado,
da casa de Manoel Antonio de Azevedo a sua es-
crava, de nomo Iteuedicle, crioula, de estatura bai-
xa, grossa do corpo, denles limados; tem os pcitos
desproporcionados a sua idade ; representa ter 16 a
18 anuos ; levou dous vestidos, um de chita branca
com ramos miudose outro do riscado azul imitan-
do chila ; tambem levou panno da Costa j usado ;
consta ter andado na estrada do Manguinho atea
l'onte-de-Ucha e lem sido vista de noite em al-
gumas veudas da bairro da Boa-Visla. Roga-se as
autoridades polciaes o capiles de campo, que a ap-
prehendam e levem-na no Alerro-da-BoarVisla ,
loja de fazendas n. 10 ,-ou no sobrado grande da
Soledade, ,que se grat:ficar com generosidade.
Fugio, no dia 3 do correle, um prelo Cagan-
ge), de trilito u lanos annos; lie bastante pelo ;
tem rosto comprido; do lado esquerdo sigua! do
urna fstula ; tem os ps bastante grossos e alguma
cousa torjos para dentro ; sabio para vender pilo
na froguezia de S.-Antonio do Recita; levou caigas
do algodo trancado azul e camisa de algodilozinho
branco : quem o pegar leve-o a rua Direita, n. 69,
que ser recompensado.
Fugio, na noite do 27 do passado de bordo do
patacho Uout-de-Agosto, um escravo marinheiro, de
noinel.uii, crioulo, do 30 annos pouco mais ou
menos altura regular, magro, cor tem pretaj; tem
signaos do bexigas ; lovou qalgas e camisa do zuar-
te azul, chapeo de bata e igualmente urna por-
go de roupa usada: provavelmeulo j lera muda-
do de trages. Roga-so as autoridades policiaes e
capitaes de campo que o prendam o levem-no a
bordo do dito patacho, ou a rua da Cadeia n. 45,
que sero gratificados.
Fugio, no dia 18 do oulubro prximo passado,
dongenho Antas, era Serinheni, um preto de
nagfo Cacango de nomo Joaquim estatura baixa ,
de bom corpo ; tem os beigos ttrossus o peinas ar-
queadas ; quaudoanda be com pressa ; lem os ps
largos ; iguora-se algum outro signal; levou cajni-
sa e ceroulas do algodozinho ; foi encontrado 110
engenho Soccorro de JaboalSo, quando so cncami-
nhava para o Recita: quem o pegar leve-o ao dilo 011-
genlio Antas, ou a rua da Cadeia do Recita, ao
escriptorio de Manoel Congalves da Silva, quesera
recompensado.
Fugio, uo dia 5 de oulubro prximo passado,
do engenho liomim da freguezia do Ipojuca o es-
cravo Narciso de nacito GabSo de 32 anuos oill-
cial de sapaleiro e de fazer assucar de estatura
alta, secco do corpo, roslo comprido e descarnado ,
falla gago; levou cagase camisa de panno de al-
goilao da Ierra coinu marca 11. 33 ; consto quo tai
encontrado na estrada de l'ao-Seeco indo para o Re-
cita. Roga-se as autoridades policiaes o capitaes
do campo, que o appruhendam e levem-iro ao refe-
rido engolillo, a seu senhor, Bernardo Tolenlino
Manso da Costa Rois ou na rua da Cadeia do Re-
cita n. 4o, casa do Sr. Manoel Ignacio do Oliyoira,
011 no sitio do .Manguind da viuva do fallecido Jo-
s Carlos Mairink da Silva Forrao que Serna bem
gralilicados.
e 6,000 rs.; chapeos de sol, de seda, para hometo, IPkujn.: \a xt'. d-; M. f. MC WRIA.~ i4^.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZAOTWF4V_T5028B INGEST_TIME 2013-04-26T22:04:14Z PACKAGE AA00011611_08563
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES