Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08561


This item is only available as the following downloads:


Full Text
sil .Anno de 1847.
Quarta-feira 10

O D14HJ0 puMica-se todos os (lia* pie nao
.-em le jruarM o preco d assign'atura he de
4jooa rs. poi quarte!, pngot ait/nMot. Os n-
noncios dos assignantes so inseridos ras-o de
20 rs. pnrnlia, 40 rs. em typo dilfenfote, e as
repetijej pela inetade. O qu filo forera assg-
nantes pa^nro 80 rs por liona, e 160 ein'typo
dillerente,.por cad pulilimr'n.
PHASJ58 DA LA NO MBZ. DE NOVEHBRO.
1,11.1 nim, 8, nos 61 mininos da manha.
Crescente a Ib, s 8 horas a 56 min. da taide.
l.ii.i clieia a 22, a! 7 Iioips e 45 min. da (arde.
H nuoaute a 29, s tioras e 2 mi. da larde.
PARTIDA DOS CORKKIOS.
(loianna e Paraliiba lis seguodas esextas fcir,
Rio-0cande-do- Norte quialat feirasao meio-dia
C:\\m, Serinliem, Rio-I'"ormoso, Porto-Calvo e
Macelo, no I.*, a It e 21 de cada me*,
(iaraahuns e Bonito, a S e 23.
Boa-Vi"'.a e Flores, a 11 e 28.
Victoria; as quintas-feirai.
Olinda, lodos os dias.
H'"LLjTr-T'
nTAnm
Xovembro. Anno XXIV.
y. as*
das o\ semana.
PRKAMAR
HOJE.
l'rimeira, s (l horas e 6 minutos da maahaa
Segunda, s 6 horas e 30 minutos da tarde.
8 See. S. Severiano. And. rio.', dos orpli.
edoJ. ti'e da I v. edoJ. M. d v.
0 Terra. S, Tbepd0.ro. Aud i.'oJ lo civ da I.
v.e'do J. de paz do 2. 10 Ouarta S. Andrc Aveliino. And. do I. do
civ. da 2. v. e do J. de paz do 2. dist de I.
11 Quinta. 3. Marliulio. Aud. do J. i'c orpli.
e do4. municipal da I. vara.
Sella. S. Martinlin Aud do J- do civ. da I,
v.e do J. de paz do I. dist. de t.
13 Satinado. ti Eugenio Aud. do I do civ.
da l. v. e do J. de paz do I dist. ds t.
14 Domingo. O Patrocinio de Nosta S;nbora.
CAMBIOS NO DA 8 DE NOVSMBHO.
Obra Londresa 28 d por 1*000 rs. a 60 dial.
a Paris SbO rs. por franco.
LisliAi IOS a 110 de premio.
Dcsc.deleltradel>oasiirin-s I I n Ipf Va o "
Ouro-CW.seespinJlae..*80l. {
,, MoedasdeelToOTlh. i"" 'f*09
* deSiOO nov..'JM00 a I|l0
. de*>00O...... "00 a WK'O
Prae-l'.t.coes.......... l|BJ0 IfM
,, Pesos columnarea... IJ0 a 1J960
Ditos mexicano*.... I#l8i> a l**M
Muida............. 11*80 !#*'
Acces da comp. do lieherine de 50JIOB0 rt.eo por.
-'."-^
AMBUCO.
tXTERIOR.
REPBLICA ORIENTAL.
DES TE URO DO GENERAL RIVERA.
MONTEVIoO, 7 DR OUTUBRO.
Exm. Sr. presididle. Em cuhipriment da com-
missao com quo V. Ex. qqiz honrar-me, embarque!
na noite de do seti corpo, fazcndo-nos vela immediatamenle
para Maldonado. Na manhfia do da seguinte, pelas
11 horas Tundeamos no dito porto, onde tratei logo
ir lomar informacOes que pude oblor sobre o Tarda-
deiro estado das cousas.
Sotibe entilo que a guarnieflo eslava na maior ef-
fervescencia, e que naquelle mesmodia devia reben-
tar una revolueflo que apeasse do mando ao Sr. ge-
neral Rivera, tirando a vida a alguns dos setis chores
mais dedicados, tfquica a elle tambem, pois os es-
forcos do Sr. commandante Carrion, quo estava em-
penhadoem impedi-lo, lalvez nflo fossem sufficien-
tes para prtege-la. Comprehendi quanto mais gra-
ve seria esto attentado praticado na niinba presen-
ta ; e fazendo conhecer a minlia chegada, dei asor-
dens mais positivas para que se suspendesse lodo e
qualqucr procedimento tendcnlo a este fin), asscgu-
rando queem breve arranjaria as cousas sotisfacto-
riamcnle.
Antes de anoitecer recebi do Sr. general Rivera um
convite para desembarcar, dizendo-mo o portador
deste recado que as nimbas admoestagOcs para ovi-
tardesgracas nflo eram atlendidas, que O niovimen-
lo loria lugar inevilavclmento ao por do sol, que es-
ta era a hora fixada.
Quilo imperiosa deveu parecer-mc, na minha si-
tuagflo, a necessidade de impedir semelhante atten-
tado, V. Ex., quo me jtilgou digno do desempenhar
essa commisslo, de.ve avalia-lo.
Resolv logo ir aterra, como disse na minha res-
posla ao Sr. general; e nflo tendo podido eflectuar
o desembarque com toda a fftrga, desembarquei s
com urna companbia.
Na praia recebeu-me o Sr. com mandante Carrion,
a quent dcslaquei immediatamenle para que percor-
rrsse os.dlslriclos, fazendo* sal>er que cu chegava,
e que quera e mondava que se.nflo fizesse dc-
nionslracio algum som se recebererii ordens ini-
nhas.
('.llegado cidade, dei aconhocer ao Sr. general
a parte das uiinhas inslruc(0es que dizia rospeito
sua demissflo An commando, -nonieando interina-
mente para succcder-Jho o Sr. coronel Baez; e en-
treguei-lhc o decreto de V. Ex. o lite li as niinltas
instrucefles. Inlcirado de tudo, respondeu que esla-
va promplo a obedecer ao governo, sempre que no
se atacassem os seus dircitos, caso em que reconhe^
cia eslal* a medida que se Ihecommunicavsf. Fiado
nostas palavras, levantei-me parasahir; porm o
general pz-se logo tamhom em p e disse-mo :
Nflo, senhor, V. nflo pode retirar-se ; a sua viuda
com apparato de frca assustou os meus cheles c
dcsgoslou-mc. Elles acaham de sabir daqu, e sem
consiillii-losnovamente nilo possoconsentir noque
se exige de nim.
Sr. general, respond-llie, vejo 9om pezar
que quer aggravar a sua posieflo. O desejo do gover-
no beque tiesta conjunctiira dcsagradavel se obser-
ve para como Sr. general lodo o decoro e respUto
compalivcl com o que elle entende que exige o bem
publico;, mas est firmemente resolvido a levar ao
cabo ossuas dcIcrmina'cOes ; e eu, que me tenho en-
car rogado de faze-las executar, por honra e por de-
ver nflodesslrei do mcu empenho.
Tambem cbmmunicarei ao Sr. general que nflo
dnve conservar illusOes; que, so ambos levantasse-
mos a voz invocando, a nossa autoridad", nflo devia
duvidar de que a do governo quo eu representava,
seria respoilada, anda que fosse para volenla-lo ;
que a minha presenta all era tuna prova iircrraga-
vel do que avancava, pois que, lencionando nflo
desembarcar senflo na manhiia seguinte, tinha-nie
anticipado precisa mente para proleg-lo contra o
rencor dos seus soldados, que devam naquella mes-
me noite pdr em execeflo os mais ci ueis desig-
nios.
Conheci que as minhas palavros o convonciam,
porque linhan o acccnlo da verdade^ o mudando
de toin, disse-me queeu tinha enlendido mal, que
o que quera dizer era que, sendo o coronel llacz
Horneado para suhslilui-lo, cria opportuno dar-lhe
disto conliccimenlo antes do eu me retirar. Mandn
chamar este cliefe, e depois do Iho haver lido os do-
cumenlos, que eu Ibc coininuriicara, o dedizcr-lhc
que Ihc cntregava o commando, despedi-me para
dars providencias de seguranca que julgava op-
portunas.
Na manhiia seguinte dispuz ludo, conforme ns or-
dens de V. Ex. para faze-lo ombarcar no A/uy/iu'
com destino a Suula-Calbariita e urna hora da
tarde etiCiiriegueiao Sr. coronel Tajes de enlregar-
Ih aordein de V. Ex. quo o inandava embarcar para
o llrasil, mandando-lhe na iiieina occasiflo a nota
cuja c oclodoseu desembarque cniSanla-Lalharina, o ca-
pilflo Jo Maijpu' que devia cunduzi-lo, llio cnlrcga-
ria i,500pauc6es, importancia do'primeiio tiimes-
Iroda bensSo raen sal de 600 pesos quo o governo
llie arbitiava para sua subsistencia. 0 dito coronel
enconlrou-se all cot) o Sr. commandanle do vapor
frftcez < himrc, por cujo motivo o^cneral preten-
den acbar-se ja sol a proleccflo deste chefe e do pa-
Mlliflo franecz. Duvidoso obr. coronel Tajes do que
em tal caso devia fazer", mandou-nie participar o que
occorria; e acudindo eu, tive do rebater esta pre-
tenqflo e manifestar terminantemente ao goneral
que nflo embarcara senflo a bordo do Matjpu', a
menos que oSr. commandante francez me empe-
nhasse sua palavra de honra deque, deixando-o ir
para seu bordo, o faria immediatamenle sahir para
Sanla-Catharina. Emprcgnu o general mtiilos sub-
terfugios para esquivar-se minha exigencia ; mas,
vendo quo eram imitis, o nflo sendo apoiados pelo
chefe francez, que llie disse que nflo poda conside-
ra-lo dobaixo da sua protecgflo senflo depois do es-
^ar no seu escaler, cedeu por flu, fazendo por es-
cripto, aoSr. commandanle-que estava proselo e
assimo exigia, o pedido do ser conduzido a Santa-
Catharina para quo eu o deixasse litro ; pedinuo-lhe
ao mesmo lempo que einpenhassc a sua palavra,
porque nflo o doixaria (car mal. Cbegado a este
lernio, disse o Sr. commandanto que ello me licava
garanto de que o general emprehemleria a viagem
cotn a maior brevidaiie, e despedindo-mo para que
ficasse livre e podesse dispr a sua viagem, disse-
Iheque no dia seguinte lhe mandara entregar a
bordo do vapor o trimestro de sua pensflo.
Esta he, Exm. Sr., a narraeflo fiel do occorrido,
nflo me tendo cu apartado um momento das atten-
Cfles e respeitos de quo sflo credoras a desgraca e
tima carreira publica Iflo longa como a do general.
Juntamente com elle quizeram ir o Sr. coronel Raez
e o Sr. commandante I). Gamillo de la Vega.
Itesla-me somonte manifestar quo este passo do
governocncheu desalsfacflo a guarnieflo e os habi-
tantes de Maldonado, que, por urna parle aftictos
pela fome motivada pelos desregramentos mais es-
candalosos o criminosos que podorn imaginar-se,
veio a ser ferida na sua lealdade acrisolada, presen-
ciando um trafico de communicagoes duvidosas en-
tre o general c o nimigo.
Descontente com o seu principal chefe pelopii-
meiro motivo, o segundo veio encher a medida, a
ponto do ebegarcu muito oppo'rtii na mente para evi-
tar um conflicto o poupar repblica mais urna pa -
gina de sangue.
Deixe all interinamente o Sr. coronel Tajes, para
regula risar o servido e mclliorar a ordom adminis-
trativa.
Dos guarde, &c.
i.onENZO Batu-k.
Exm. Snr. presidente da repblica, l>. Joaqtim
Suarcz.
[Do Jornal do Co mmercio.)
INTERIOR

RIO D E-JAIS EM).
NOTICIAS DIVERSAS.
Pelo paquete inglez Criffon recebemos folbas do
Montevideo at 13 do correte (ontubro). Na praca
nada tinha occorrido de novo, e as hostilidades li-
mitavam-sea pequeos liroloiossom o menor resul-
tado .
A nolicia importante he a do exilio do general Ri-
vera. Na parte exterior Iranscrevemos oque ha de
ofTicial a respeilo. (*) Algumas carias que honlein
(23 do outubro; nos foram communcadas dflo os se-
guinles pormenores :
u 'No dia 28 oh 29 de setembro cliegaram aqui tres
ofl)ciaes de Maldonado, os quaes participaran) ao go-
verno que o goneral Rivera, chefe taquclle ponto,
estava em eommuiiieacflo com o nimigo ; que isso
trazia a guarnieflo inquieta, c quo ns chefes princi-
paes se tinham combinado para opprcni-se qual-
qucr tentava. Nesse mesmo dia, ou noseguidle,
recebeu o governo una caria do general Rivera, an-
nunciando que Oribe,thc tinha feito proposicies re-
lativas sua pessoa, s quaes tinha respondido em
oito arligos de qucopportunamcule mandara copia.
O goverrio convocou os presidentes do concclbo
de estado o da assembla de notaveis, c em presenta
dellege do presidente da repblica confirmaran) os
olliciaes vinilosdc Maldonado as stnis anteriores de-
claracOes, e insisliram sobre a necessidade do medi-
das promptas para salvar Maldonado.
o Na noilc de enibnrcou o ministro da guerra
para aquelle ponto, levando comsigo 160 hornees do
hatalbflo extra-muroi, o chegou, segundo diz, no
momento em que a guarnieflo ia malar o general
Rivera e 5olliciaes. Ornis que occorreu consta da
parte ofllcial.
De Buenos-Ayres aleaiieam as dalas a 8 do corren-
te (outubro^. Nenbuuia decisflo linha lomado iiiuda
o general Rosas sobre a grave quesillo commcrcial
dos portos. ^l
Eslarflo lembrados ot leitores do (|iie a imprensa
de Montevideo estranliou quo o general Rosas, tui
inensagem que dirigi a sala dos representantes sil-
ln; a missfln llowden-VV'alevt'ski, nflo dissesse urna
palavra sobre o procedimento de lord llowdcm etn
Montevideo. A Gacela lUrcanlil responde essa ar-
guioflo da mancira segiiinle :
Nem o executivo nem a reprcsenlacflo da pro-
vincia deviam oceupar-so desle accessorio, porque
au tinia sido communicailu |ielo pobre lord. Aloni
disso, csse incidente he demasiado ambiguo c niolilo
no seu modo para que del le se faca nieiiQiio laudato-
ria. Aindn que de laclo se levanlasse e suspendesse
o bloqueio e a inlervcneflo por porte das forcas in-
gle/as no Rio-d:i-l'iata, nio $e deu a divida latnfacdo
a ellas duat repblicas. Fui um acto informe sobre cu-
ja sinceridad! e futuro nflo se p le formar anda um
Juizo exacto. Em assumpto de tanta gravidade nflo
deve avcnlurar-se um prognostico, rnenos anda
fazer-se tima demonstraQflo olTicial, porque seria
prematura o incircumspecta.
De Entre-Rios ha noticias ate o da 3. Tomavam
corpo os boatos da prxima invasflo de Corrientes ;
mas ai rala nflo havia rouniflo de tropa nem movi-
menlo quo indicassem a execuQflo desse pensa-
mento.
De Corrientes constava, pela Uruguayana, que o go-
verno linha reunido 4.000 boincns, oslando o nca m-
pamento doexercito no oratorio daSra. Rolon. O
general em chefe he D. Joaqtiim Madanaga, e chefe
iloestado-mniorseti irmio D.Joflo. As divisOessflo
commandadas pelos coronis I.opoz, Bailar e Saa-
vedra.
A corveta ingleza Comus, que tinha encalbado na
noile de 11 a 12 de setembro no Faralln, foi a piq uo
no dia 35, perto de urna das Ibas em frente Co-
lonia.
Recebemos folhas do Philadclphia at 16 de a-
goslo
No dia 9 communicou o telegrapho de Washing-
ton que, por urna embarcilo chegada de Vera-Cruz
a Nova-Orleans, se sabia que o general Scott tinha
entrado na cidade do Mxico no dia 17 de julho. Es-
la noticia foi entilo geralmcnle acreditada; mas os
jomaos recibidos posteriormente de Nova-Orleans
estavam em tal contradicQflo sobro a marcha do ge-
neral Scott o tomada da capital, que Mcomecoua
duvidar da veracidade da noticia. No dia 16 dissipa-
ram-sc todas as duvidas. Ocorroio de Nova-Orleans,
chegado nesse dia.lrouxo a nolicia de sor inteiramen-
le falso o boato une correr. Q vapor h'ashion, sabido
d.0 Vera-Cruz no dia 2 de agosto, trazia participa-
Crtes olliciaes de oslar aindn o general Scolt em la
Puebla no din 30 ile julho, e de nflo se ter movido o
oxercito americano.
J nflo se fallava em paz nem em cotnmissarios Ho-
rneados pelo governo mexicano para entrar em ne-
gociacoes. Assegurava-so pelo contrario em Vera-
Ci uz, no dia 2 de agosto, que o general Scott avttii-
caria sobre a capital dentro do poucos dias, e que
os Mexicanos tinham completado as suas fortifica
cOese estavam decididos oppiir-se fortemenle aos
invasores.
Por via de Philadelpbia temos datas de Ncw-Vork
al X3 de agosto. O Journal of Commerce do dia 9 d
a seguinte extraordinaria noticia sobre os .ous es-
cravos da barca brasileira l.embranca :
Disseinos no (lia 7 que boje devia decidir o juiz
Oakley a queslflo dos cscravos brasileiros, levada pe"
ranleclle por nova ordein de habeas-corpus. (Juasi
todos os leltiados que tinham sido consultados eram
le opinflo quo o juiz Oakley devia fazer o que lez o
juizEdwarus, lato he, mandar entregar osescravos
ao c.ipilflo da barca. Os protectores dos escravos,
que eslavam, poim, decididos a libcrta-los a dcs-
peilo da Ici, conseguirn) fatVlos desapparecer da
prisflo de Eldridqe-slrecl sem ninguein saber como.
O carcereiro diz que os dcixra fechados rom os
mais presos na noite de domingo, e que levara as
chaves para o seu quarto do cama, onde as achina
esta manhiia ; mas que, ao abrir a cadeia, vio que os
dous cscravos tinham fgido de noile. Ocomolu-
giram li colisa que diz ignorar completamente.
[Jornal do Commtrcio.)
Naditacrime em que sflo partes o juizo o Joso
Francisco de Carvalho, reo preso, julgaram proce-
dente a appeacflo e mandaram suhmctter a causa
novo jury.
Na dita dita em que sflo partes o reo preso Joa-
quimllibciro de Rritoeo juizo, foi confirmada em
partee reformada em parlo a sentenca.
Mandaram dar vista as partes as seguinles appcl-
lacoes civeis : ,
Na de Antonio Concalves Ferreira e Jos Francisco
Piulo (iiimarfles ; .
Na do Jos Joaquim da Silva Maia e Antonio Igna-
cio da Roza, como administrador de sua mulher ;
Na de Joflo Cavalcanti d'Albuquorquo e Francisco
Teixcira da Costa;
Na de Jos Candido do Barros o Francisco de Car-
\a de Jos Antonio Lourenco o Antonio Comea
Villar e outro;
Na de Francisco Anlodio Correa de S o Innocen-
cio Jos da Costa.
IABI0 DS'PBRNAIBUGO.
RMM0''fCO.
(*> Os documentos olliciaes, i que se refere.o col-
lega do Jornal do Commercio, silo os meamos que co-
piamos na parle exterior.
O HR.
TRIBUNAL DA nKLACAO'.
JIIECAMENTO NO DIA 9 DE NOVEMIHO DR187
Desembargador de semana o Sr. llennelindo de Ledo.
Na appollacflo civel entre Joflo Francisco o Vctor
Antonio do Sacramento Peson, como tutor dos fi-
Ihoa do Rila Mara da Conceicflo, confirmaran) a sen-
tenca.
Na dilndila cnlre I.uiz Pires Ferreira c oulrosc
Manoel Pires Ferreira eoutros, despiezaran) os em-
bargos. t.
Nadita dila entre Francisco Antonio de Olvelra
4 Filhos n,C.abriel Antonio e outros, desprezaram os
embargos.
Na (lila dita enlre Joflo Francisco dos Santos e D.
Francisca Antonia lins, nflo tomuram conliccimenlo
do aggravo o reformaran) a scnlonca.
Na ilila dita entre Antonio Conqalvcs Ferreira c
Jos Francisco Pinto Cuimarfles c outros, confirma-
rain a sentenija.'
Na dita dita cnlifi a extincta firma de Jos Antonio
Maga Infles Bastos e um dos socios da mesma, con-
Qruiaram a sentenca.
Na-dita ilila enlre Joaquim Jos Carneiro Montei-
ro e ii fnzcinla publica, reformaran! a scnte'nga.
Na dila dita entre Anacido Jos tic Mondonga, c
Joaquim Rber Campos, desprezaram os embar-
gos.
Na dila dila enlre Miguel Affonso Fcrreir e a
fizenda nacional, reformaiain a sentenca appel-
ladtr.
Na dila dita entro Affonso Saint-Marlin eoutros e
os mesmos e Nicolao Cadault, confimuram asen-
tanga.
Na dita dita entre Flix Jos de Salles e Francisco
Jos Ferreira Bastos, desprezaram es embargos.
Na dita dita entre a fazend.t provincial, o o Exm.
Sr. Ha rao do Suassuna, negou-se provimento ao ag-
gravo-
UFX'IFK, ) DE SOVEJIBKO DE l IT.
OS ACONTECIMENTOS DO DIA 8 DO TORRENTE.
As occiirrcncias desse dia sflo muito maislamen-
taveis do quo as do antecedente; c rovelam, anda
mais do que ellas, quo c'sses homens queso arroga-
ran) o titulo do directores do povo, como que so
empenham por leva-lo de abysmo a abysmo, ate
precpita-lo em insondavcl polago de desgracas.
Certo, se nflo pode pensar de modo diverso cer-
a de degenerados PeVnambucanos, quoabandonam
os seus concidadflos a si mesmos, quatido, fascina-
dos pelo mesquinho espirito de partido, se esforcam
ellos por alrocidar-se reciprocamente, o que sus-
pendem-lhes os passos sempre que, guiados por
verdadeiro scnlimenlo patritico, buscam lanzar-
se nos bracos mis dos outros, e, em fraternal ample-
xo, saborear o prazor que experimentamos todas as
*ezes que sentimos sobre o nosso o palpitar do co-
raeflo de um amigo a quom nos liga branda e indis-
soluvel cadeia de uniflo.
Do felo, em masxle urna occasiflo temos nos ob-
servado que os fementidos amigos do povo afanam-
se por cxcilar-lbe os odios, por indispo-lo entre si,
logo que tima crcumstancia qualqucr parece con-
correr para quo se elle colligue, e, conduzido por
um s pensamenlo, o da propra conservacffo, bus-
que derribar as barreiras que o separam desse alvo
a que todos desojamos tocar, isto be, aobem-eslar;
mas, quandoassiin excitado, quando assim dividi-
lo, esse pobre, esso misero povo, trata do aniqui-
lar-se, entflo recuam os que os reduziram a senie-
lliantc estado de desesperaeflo, e, rccolhidos em seus
gabinetes, com riso satnico sobro os labios, sa-
borean! os fructos de sua requintada maldade.
Qucrcui os leitores urna prova de ludo isso ? At-
ienten) bem no que aconlcccu a 8 deste mez na fre-
guezia ile San-Jos : urna simples altercacflo entro
alguns dos individuos, que ah assisliam aos traba-
llios eleitoraos, foi mais que sulllcienle para quo
aos olbos do estupefacto observador scintillas-
sem dezeuas de punhaes, que, movidos por bracos
pernaiiihiicauos, foram embeber-se em sanguo per-
nainlnicaiio ; para que pessoas, que poucas horas
anles amavam-se como irmflas, tentassem ferir-se
c alrocidar-se ;para que o susto, o tenor e o es-
panto so derramasse por toda a parocliia; para
qtie, cmfim, a mesajdirectorii desses trabalhos to-
masse a resolinjflo JVsuspcndc-los, e deprecar da
presidencia da provrocia a dcsignaqflo de4im outro
dia para renova-los, segundo nos acaba do commu-
nicarum amigo.' E,emquanto iflo luctuosa scena
se passava, o que faziam os amolinadores que, cm
vagas declamacOes, tinham arrastrado os nossos
irmflos para este thcatro de horror? Tratavain de
acalma-los, de reconcilia-los ? Nflo, do certo ou
corram espavoridos para bem longo do scenario
em que (igtiravam os incautos que se tinham dcixa-
do Iludir pelas suas alicantinas; ou fechavam-se
no mais seguro dos quai tos das respectivas resi-
dencias!...
Mas nflo he csse o nico acontecimento assusta-
dordodia8. A' noite toda a cidade estevo como em
completo alarma : era geraI o boato de que se pre-
tenda arrebentar as urnas de San-Jose, San-An-
tonio c San-Fie-Pedro-Gonc.alves ; diversas auto-
ridades polcaes e militares, bem montadas e a-
companhadas dcordenancas, atravessavam apres-
sadameiite as ras : os moradores da Cabanga, com
armas em punho, allluiam com solTreguidSo ao A-
terrjo-dos-All'ogados, Cinco-Pontas e paleo do Ter-
co : urna frca de paisanos, postado na extremida-
de da ponte da Roa-Vista que desemboca no respec-
tivo-Alerro, c'oulra de tropa de linha firmo na quo
comntunica com a ra Nova, revistavam todos
quantos liriham de transitar pela referida ponte ; -o
corpo de" polica, a companbia de artfices e a de
cavallara conservavam-se nosquarleis : ludo indi-
cava, emfim, que eminente perigo nosameacava.
Felizmente, porm, ao despontar da aurora de
boje eslavam as cousas no siaiu (uo ; e o tal plano
de quebrar as urnas, ou nunca existir, ou licra
adiado para Ser posto em execuqflo quando seofTe-
reccr occasiflo opporluna.
ILEGIVEL






C Srs. Reductores. (*.) Anula por osla vez rogo-lhes
de inserir om seu Diario esta ninha respoala a cor-
respondencia doSr. N. Cadault, publicada no Diario
de 8 do corrente.
Srs Redadles cafTa um d o que tem, e por isso
nao hede eslranliarqueGadaull responda com in-
sultos, om vez le contestar os factos por mim dc-
iiunciados ao puhlico ; factos que silo verdadoiros,
estilo provados com documentos, e que o Sr. Ga-
danllnflo podo destruir. T.mho emplazado o Sr.
(.adault para o juizo dos nrpliSos pela sua omiss.lo e
deloixona curadora ; eso me resta fazer ver ao Sr.
Gndaultque a advertencia que faz em dita sua cor-
respondencia desle s o trabalho lie que d as
loilunas legitimas ; que se deve deixar licar tran-
quillos aquellos que teem honra c legalmenle ad-
quirido bous 0110 com Unto ardor san cubicados
assim como o "verso que citou de Voltaire: *
Qui croil toujourslc crime en parait tropcapabte
me iiito silo applicaveis Bu tenho at hoje vivido
honradamente do meu trabalho sobro o que appel-
lopara o publico; e so pugno pidos inleresses de
meu irmfio, be porque polos lagos do sangue a isso
sou obligado, evejo o procedimento pouco leal da
parle do curador. Se o Sr. (iadault foi c he amigo
de meu irmilo o qoeduvido), se elle he este cura-
dor zeloso, como di/., se por amor da amizade, e
smente da amizade, foi que se encarregou da cura-
doria, desse mo pequeo trabalho, para promover
o curar os inleresses de meo irmilo, como entilo n.lo
euidou logo.em fazer legal mente o inventario dos
lieos iio seu amigo e curado, e foi preciso ser a isso
obligado pelo juizo, a requei monto meu ? Quereria
i Sr. (iadault nao fazer o inventario dos bens para
nao ler ao depois de que dar cuntas ? Porque, tendo
roihecadoo inventario, obrigado como lica dito, o
deixou parado por lempo de oito mezes, sondo 110-
vaoicjito preciso para a sua continuadlo rcqueri-
inonlo rffou ao juizo? Porque, sabendo do abuso
pralicado pela senbora l'oirson a rcspcito do arren-
damento da casa do eslahelecimertto do seu curado,
eem que be ella socia, nimia contina a deixa-la
na administracflo da loja de fazendas da sociedade,
o na plena gerencia das compras e vendas ? Lea al-
tonlamciile o Sr. (iadault a carta doSr. Manuel An-
tonio de Azevedo, que por inepcia mandn inserir
. com a sua correspondencia no Diario de 6 do cor-
ante, e vera que com ella provou .todas as minbas
asserces sobre a sua omssao o abandono noque
diz respeiloaos inleresses domen mulo seu cura-
do, o que esta carta be o seu principal corpo do de-
licio. Se as minbas accusagOes sao loucas e ihe no
merecen a honra de seren refutadas, pelo menos,
por amor da sua reuulacSo, conclua o Sr. Gadault,
como he do seu dever, o inventario dos bens do seu
curado, preste cuntas, e assim provo a sua boa ad-
minialracao, certo de que, se o nilo lizer, sera obri-
gado.
Tenho a honra de ser, Sis. Redactores, etc.
Affouso Saint-martin.
que se ncham rocolhidas no arsenal de guerra, bem
como as do fardamento da respectiva msica, cons-
tamos da relacilo abaixo transcripta. As pessoas, a
quetn tal arramatacSo convier," pdenlo dirlgir-sc
ao referido arsenal de guerra, para examinar as
mencionadas pecas de Tardamente, conformo outra
ordem.de S. Es., de 6 deste mesmo mez. Pagadora-
militar de Pernambuco, 8 de novembro de 18*7.
No impedimento do escrivSo,
Jodo Arcenio Barbota.
RELACA das pecas dt fardamento pertencente aoex-
tinvto batulho de infantera da guarda na-
cional destacada do commando do teen te-
coronel Antonia .ins Calda, que te acham
recolhidat no arsenal de guerra, bem como
das do fardamento da respectiva msica.
Fardas compridas------.......------109]
Barretinas---------------------------------- J*- 256
Dragonas promplas----------------------------------- 254
Jaqus de panno fino--------------------------.-.143
Caigas de panno lino --.....------------------87
bonetes do panno-------------------------------------124
Grbalas com atacas---------------------------------115
Pares de polainas de hrim----------------------------126
Capoles de panno azul------------------------------137
llandas de lita------------------------------------------- 7
Pares de dragonas para segundos sargentos e
furriois------------------------------------------------10
Dito do dita para brigada evago-mestro-------- 1
Barretinas de pollo para inferiores----------------- 11
FARDANESTO DA MSICA.
Escuna ingleza Detlondet, capitjlo Philippe
Blampieds.Quem livor con tas com oiito navio deve
aprescnla-las desde j aos consignatarios, Christo-
phers & Ponaldson, ra do Trapiche, n. 40, visto
que ellos no se responsabilisam depois da sabida
do mesmo navio por conta ajguma.
Para Lisboa sabe, imprctcrivelmento no dia 21
do corrente, a barca portugueza Tejo : anda recebe
carga e passagoiros : a tratar com o ca pililo 011 com
consignatarios, Oliveira Irmaos & Companhia, na
praca do Commercio.
-- Para Lisboa sahe, com brevidade, o brigue por-
tuguez Novo-Veneedor: para carga e passagoiros
trata-secomo capililo,Manoel Jos Pinto, na pre-
gado Gommercio, ou com o consignatario, Tho-
maz de Aquno Fnnseca na ra do Vigario, n. 19.J.
Para o Cear sahe, no dia 15 do corrente, a su-
maca Carlota, por se adiar com a maior parte da sua
carga a bordo : para o restante e passageiros trata-
se com o meslre; Jnilo Afiinnin da Cruz, n. 26, com Luiz Jos de S Araujo.
Loiifx 8.
Barretina lo pello prompta para o inestre 1
Ditas de dito promplas--------------------------------- 16
Turbantes promptos--------.------------------------- 2
Ditos dosetim-----------...........-- 2
Pares de dragonas------------------------"..-.. 19
Dito de dilas para o mostr------------------------- 1
Ditos do brozeguins de marroquim---------------- 2
Fardas compridas de panno fino bordadas------ 20
lioupes de panno lino encarnado---------------- 2
Faixas de retro/, de dito ---.......... 19
Ditas de setim com franjas--------------------------- 2

N, II. Todas as pegas de fardamento foram rc-
colhidns em mo estado. Arsenal de guerra, 27 de
selemhro de 1844. Mano! Peregrino da Silva, al-
mocharife.
Schafheitlin & Tobler farlo leilflo, por inter-
veneo do corretor Oliveira de lindo sortimento
de fazendas de seda, lila, linho e algodo, todas re-
centemente despachadas na alfandega, o a mor parte
anda no vistas pelos seus freguezes : quinta-feira,
11 do correlo, as 10 horas da manhaa no seu ar-
mazcm da ra da Cruz.
urna leltra sacad* por Jos Fernandos Ferreira a-
ceita por Antonio Coclho do Mello, o cedida pelo
sacante a Joaquim Jos da Costa LeitiTo. Por j se
ter prevenido ao aceitante, se faz opreteannun-
co. Tamhem se perdeu um bataneo de um arniazem
e por isso quem o achar levo-o a roa da Seiizalla-
Velha, n. 98, qub sera gratificado
Um franco/., chegado do Itio-de-Janeiro, deseja
adiar um socio com alguns fundos para um csta-
bclecimento de aspbalto-podingo etc. qum
pretender dirija-so a ruada Ponte-Vellia, ns. 9eii
Quem tver urna preta para alugar, que saiba'
cozinhar, engommare fazer todo o mais servico do
urna casa, oque do fiador a sua conducta, diriju-
se a ra da Aurora n. 20.
.--- Alugam-se: na Trompe urna casa terrea com
quintal, cacimba c mais commodos para grande
familia, na ra da Soledade, p. 35, por 12,000 rs
mensaos; duas ditas mais pequeas na ra do Sebo
ns. 52 e 54. por 7.000 rs. mohsaes nuem preten'
derdirija-so aoescriptorio de F. A. d Oliveira, na
ra da Aurora, n. 26.
Precisa-se de um administrador para um en-
golillo distante desta praga lOIegoas: a Tallar na So-
ledade, no sitio que foi do Manoel Bcrnardino.
Aluga-se uma cazinha entre as. roas da Aurora
e Hospicio, junto mar : a tratar nf ra das Cru-
zcs, n. 30.
__ O Sr. doiitor Lourenco fiezerra
Garneiro Ha Cunha queira ler a borHa-
dede dirigir-se na do Cabug loja
Kalkmann&Rosonmundfaraoleililo, porinten- n- 6, a negocio que lite diz respeito
'"?f.0..- Crrelor .oli.vci.rj\ Je grande sortimonto Aluga-se o segundo andar e solSo com mui
commodos da casa da ra do Queimado, n. 4 : a tra-
de fazendas novas : hoje, 10 do corrente, s 10 horas
da manlia, no seu armazem, rua'da Cruz.
Conforme. No impedimento do escriviio,
Arcenio farbota.
Jodo
CONSULADO DE PORTUGAL.
A chancellarla do consulado mi transferida da ca-
sa h. 7 da ra da Cruz para o segundo andar da casa
11. 1 da iiicsina ra.
Avisos diversos.
COMMEjRCSO.
Alfandega.
IIENDIMBNTODODIA 9.....
10:877,251
Descarregam hoje, 10 de novembro.
Brigue -- Cynthia bacalho.
Escuna Uarriet dem.
Barca ~ Alien-Mc-Fietder farinha.
Consulado.
ItENDIMENTO DO DIA 9.
r'crl......................... 377.436
JaaBXBiMimrimnnz-iitmrrmm.rr.uwanDamBmrimirisar-m
lloviiueiila do Porto.
Kaviot entrado! no dia 9.
Aracaly; 16 das, biate brasileiro NovoOlinda, de
86 toneladas, capililo Antonio Jos Vianna.cqupa-
gem 8, carga varios gneros ; a Joifoda Silva Sao-
Ios. Passagoiros, Jos do Sa Leilflo, padre Jos
Gregorio, Brasilgiros ; Podro Neel com sua fami-
lia, Ingloz ; Joflo Baplista, Porluguez, e12cscra-
voa a entregar.
Tcrra-Mova ; 36 das, brigue ingloz Eurydice, de 10
toneladas, capitfio Ardiibald Brbwn, equipagem
11, carea 2:400 barricas com bacalho ; ao caplio.
yaviot tahidot no mesmo dia.
Londres pelo l!io-(,rande-do-Noite ; barca ingleza
Mury-Queen-of-Sctits, capil4/. Wilcox, carga as-
sucar. ^
l'iio-do-Jaiioiro ; escuna-americana Jane-Harrey, ca-
pilRo II. Smitb, carga a mosma que trouxo.
Lisboa ; brigue porluguez Itobim, caplfl. Aulouio
Jos dos Santos Lapa, carga assucar. Passageiros,
Antonio Rodrigues Selle, Itrasilero ; Antonio dos
Sanios Cordeiro, Porluguez
iiecla raines.
As malas do vapor Imperador, com des-
tino aos portos do norte, fecbam-se bo-
je (10) a 1 hora da larde.
Agencia da companhia brasileira de paquetes a vapor.
Oescriplorio dosla agencia foi mudado para a ca-
sa 11. 1 da ra da Cruz.
THEATKO PUBLICO.
Cartat seguras existentes na adminstratelo do correio
para os Srs. :
Jos Francisco Colares.
Mathlas de Azevedo Villarouca c Manoel Ferreira
llamos.
Rufino JosCorreia de Almcida.
Margarida Deperini, summamente penhorada pe-
lo, bomacolhimenln que lom rorohiilo do indulgen-
te publico pernambuano, tem a honra de oferecer-
llie na noilo de segunda-foira, 15 do novembro, ( e
mo na quinta-foira, como se l nos bilbetes tanto
de camarote como do platea) em seu benelicio, o. di-
verlimento segu 11 te
PRIMEIRA PARTE.
1. Symphonia grande orchestra.
2.' O muito applaudido duelo bufo do ELIXIR DE
AMOR, cantado pola beneficiada o o Sr. Toselli.
3." Grande aria Viv tu tenescungiuro, da opera AN-
NA H(H.Ei\A,domestre Donizetti, executada 110 cla-
rim de chavos polo Sr. Plassa.
4." Scena romntica e cavatina, da opera IGNEZ
DE CASTRO, do mostr Jos Facbinetli, cantada pela
beneficiada.
SEGUNDA PARTE.
1." Overtura c nova valsa, pela orchestra.
2." Nova uescolhida aria, pelo Sr. Joilo Toselli.
3. Grande polaca original, com varjages, execu-
tada 110 clarim de chaves pelo Sr. Plassa.
4 Duelo da opera BELISARI Ha se petessi pian-
gere, pela beneficiada o o Sr. Toselli. .
TERCEIRA PARTE.
i" Symphonia.
2." Duelo da opera NORMA, De Adalgisa e Norma :
a parlo do Adalgisa ser executada no clarim de cha-
ves pelo Sr. Plassa, c a da Norma pola beneficiada.
3.* Nova quailiilba de valsas, pola orchestra.
4." Muito oiigragudo terceto da opera SCARAMA-
CIA do inoslre llicei, pola beneficiada, Guiseppe De-
perini e o Sr. Toselli.
O importe dos camarotes, o marido da beneficiada
ir, depois da primeia parto, recobe-lo, cujos procos
silo os seguimos : Primoira oniem 6,000 rs. fren-
te 10,1100 rs., segunde orttem 8,000 rs., frente 12,000
rs. tercena oidom 3,000 rs. frente4,000 rs.-, pla-
tea superior 2,000 rs., geral 1,000 rs. e varanda 500
ris.
O resto dos bilbetes acha-so em casa da beneficia-
da, ra do Queimado, n 16, e rta loja do Sr. I.odv,
roa larga do Rozario, n. 35.
A beneficiada agradece cordialmenle ao Ilustra-
do "puhlico desla cidade a honrosa accitagio que ha
merecido, o espera anida urna vez indulgencia e
prolecc&o.
PAGAD0RIA MILITAR.
Por rieterminaeflo do Exm. Sr. presidente, de 4 do
presente moz, manda em consequciicia o Sr. coro-
nel ciiminissai io-pagador aununciar quo se arrema-
tara em basta-publica peranle esta pagadura mili-
lar, 110 da 13 do correle pelas 10 horas do dia, as
"gaaderardamento pertencenlo ao exlinclo bala-
inflO de minutara da guanta nacional destacada do
commando uo tcneute-coronel Antonio Lina Caldas,
(*) Comnosta c corroela desde ante-honlom, osla
correspondencia nilo foi publicada com o numero I
de hontom por no-lo nao pei'miltir a alUuencia
nialerias.
BENEFICIO 110 PONTO.
SAIOIAIlO, 13 DO CU(1RBNT,
representar-se-ha a muito linda e desejada pega
Marn da fon te,
a qual lindar com excellonles cantonas e dancas, e
com o brilbanle pantomima
O RECHOTAMENTO MA ALDEIA.
Por motivos justos.ao respeitavel publico fazemos
sciente que a pega Catlioo da Prepotencia ica
transferida para 23 de dovembro do corrente mez
v visos 111a i-i timos.
I ara a Rabia sahe, em poneos dias, o hiale Phr-
uencia iieldo-Kecfe, pregado clonado de cobre : para carga
Os Rf. 1 passageiros trala-se na ra do Vigario, n. 5.
O TRIBUNO N. 62
est a venda na praga da Independencia, ns.6e8:
pede-se a leitura deste numero.
Precisa-se de um feitor para um engenho dis-
tante desla praga 12 legoas, de naglo portugueza 1
qu em quizer pode procurar na ra Direita, em casa
da senbora D. Joanna Raptisla Pereira Prente, que
achara com quem tratar.
--Perdcu-se, no dia 8 do correlo, o papel do trato,
sendo o original, que constada copia abaixo trans-
cripta, e oulros papis tendentes ao mesmo trato,
lodos em um mago : quem os adiar leve-os na ra
larga do Rozario, loja de miudezas, n. 35, ou na ra
estrella do Rozario, casa n. 14, do relojoeiro, que
gratificara. < -1
Digo cu abaixo assignado, que, estando justo e
conlralado com o meu inquilino, o Sr. Joaquim da
Silva Lopes, em arrendar-lbo toda casa de 3 andares
esolao, n. 14. da ra da Cadoia-Velha do Recie, pe-
lo prego aimual de 1:300,000 rs., pagos todos os me-
zes, leudo principio este arronda ment em 23 de 011-
twDro do conentcanno, e findando cm outubrode
18*7; sendo o Sr. rendeiro obrigado a conservar a
casa semprc em bom estado, e fazer lodos os repa-
ros de concertos que a casa precisar, som em lempo
aigum exigir de, mim pagamento, vislo que estes
conser os serao feitos a custa do Sr. rendeiro; e eu
sere obligado a conserva-lc durante o arrendamen-
lo, e nao poderei alcvanlaro aluguel dentro do tem-
po do arrendamenlo ; o por assim ostarmos justos e
contratados, passei dous papis do mesmo teor,
nos quaes eu o o Sr. rondeiro assignamos com as
lestemunhas abaixo declaradas. Recife, 23 de outu-
oro e 1842.--Te.stemunhas : Josa Rodrigues do Pat-
so e Joaquim da Silva lapes.
Precisa-se alugar urna escrava para o servico
de urna casa do pouca familia, que saiba comprar
cozinhar eensaboar, dando-se-lho o sustento 10/
rs. mensaes : a tratar na matriz da Boa-Vista, casa
ii- 19, onde se dir quema quer.
-Aluga-se, at 17 de setembro doseguinte anno
ue 1848, a boa casa junto ponte do CacTiang, per-
leucente a senbora Viuva Mara Joaquina dos San-
ios; e trala-se na ra da Cruz do Recife, n. 45, com
Nascimeuto & Amorirn.
O Sr. capitao da guarda nacional do Poco, que
esleye preso no estado-maior de polica, no mez de
abril, queira vir ou mandar pagar, no pateo do Pa-
raizo, n. 4, as comedorias do lempo da Sua prsilo,
uestes tres das; e liflo o fazendo ter o desgosto d
vor o seu iiome por extenso, pois nao se podo mais
le paciencia com lautas desculpas.
O abaixo assignado faz sciente ao respeitavel
publico, quo deixou desercaixeiro do Sr. Barlbolo-
ineo francisco do Souza, desde o dia 27 do mez
pioxinio passado, n3o por desavenga, nem desgostos
que tivesse em sua casa, antes tom o prazer do ma-
nileslar ao respeitavel publico, quo no decurso de
7 para 8 anuos que foi caixoiro do mesmo Sr., deste
iccebeu bom tralamento, leudo nellc muita conli-
Bfl,i; ,, lilippe .Varia fessone Jnior.
Aquellas pessoas, que se julgarem credoras do-
l nado Aulouio DiasSouto, queiram apresontar suas
conlas 110 prazo de 3 dias ao solicitador Joaquim
c Albuquorquee Mello, na ra do Cullegio, n. 7,
segundo andar, lindos os quaes so tomara delibe-
ra.cffo a rospeito Uu casa do mesmo finado: e nem a
viuva, nem os oradores se responsabilisam porrn-'
taalguma mais que apparoga. Recife, 9 de 'novem-
bro ilo 1847.
Jos Mai tins da Costa embarca para o Rio'.
Grande-do-Sul a sua escrava do nome Alaria.'
Precisa-se de umeaixeiro para venda e que tonlia
pratica da mosma, de 12 a 15 anuos de idade : na
ra estrella do Rozario, delronle da ra das Laran-
geiras, 11 23.
--'Arrenda-se pelo lempo da festa um sitio na
malta da Torre, dolime do Sr. A. Carneiro, com
casa que conten 6 quartos, com desfructo de porclo
doananazesabacaxis, planta de capim para dous
cavallos e mais fruclas u collnjr: os pretendentes dii i-
jam-se a praga da Uoa-VisUT, casa 11. 6, ou a ra da
5>anta-Cruz, n. 74.
--Quem aiinuiiciou q.uerer um taboleiro de ga-
mao, procuro na ra da Cadeia-Volha, n. 15, foja
de liourgard. .
Na ra da Cadeia-Velha, n. 1, recebera-se car-
las para Antonio Jos Viliasboas, viudas de qual-
quer parte, e se paga o porte.
-Aluga-se, uor festa ou por anno, urna casa com
sullnveis commodos, no Montoiro, travesea do yuia-
bo; lainbem sealuga nina sala independenteda ca-
sa, muito ti osea, distante do rio dez passos, que be
o niclhor lugar que o Capibaribe tem ptra bandos,
o nada mais propno para homem sollciro : a tratar
com Joilo da Cunha Res.
preci
na rua
Quem precisar de afinar panos forlos.e mesmo
ecisandoollesdo algunsconcertos, certodequeso Direita vendo b v>
lor- lara urna e outra cousa cun toda a oorloicao e 11/ir a c. i '. ,
ga eldimiuuta paga, dirija-sc a rua do \%Z\o, n. 14.' Uuc"ia .-h" i' ei'"" A,,,,,"?-i 0reir? ,le Crv'ho
I u da 4 do corrente mez, desetcaminhou-se j ria "s {^*!!J%*^A'$&nU!t > 1vra"
tarna loja da mesma.
Aluga-se um oscravo proprio para todo o ser-
vgoporser muito robusto; um mulatinho muito
proprio para servir urna casa, por ser muito dili-
gente e bom comprador: quem os pretender, d-
rija-se defronto do oitao do theatro novo, casa n
11, ouacochoira de Joo da Cunha Reis, por de-
trs do theatra velho.
Precisa-se de umeaixeiro para Venda, de 10 a
14annos : no Aterro-da-Boa-Vista, na prmeira ven-
da ao peda ponte.
Na venda do pateo da Santa-Cruz, n. 6, preci-
sa-se do um eaiieiro que tenha bastante prtica e
quo de fiadora sua conducta. '
Na noite de 3 do corrente, perdeu-se um'em-
brulho de cdulas ctfntendo 180,000 rs., indo a pes-
soaqueo conduzia pelos seguntes lugares: pra-
cinha do Livramento, rua estreita do Rozan'o pa-
teo do Carmo, rua de Horlas, Martyrios, e Augusta
voltando pela travessa do Dique, pateo do Terco'
rua Direita c Livramento : se alguem achou esse'
dinheiro, o quizer possgr alguma parle delle com
socego da conscicncia, entenda-se com o abaixo
assignado na rua do Rangel, n. 3, 'primeiro andar,
que Ihe dir do que valor eram as cdulas, e grati-
ficar o inventor com 80^000 rs.
vmbelino Quedes de Mello.
Precisa-se de urna ama deleite: na rua de Hor-
tas, n. 24, primeiro andar.
~ Anda restam pa.ra se alugar, polo tempo de
festa 3 casas em S.-Atina muito frescas ; a fallar
no mesmo lugar, com Joo Venancio Machado da
Paz.
~ Paga-so a passagem a urna mulher que queira
rem companhia de urna senhora e filhn para Por-
tugal : a tratar na rua do Queimado, n. 30.
-Precisa-so alugar um prcto trabalhador de mas-
seira : na rua Direila padaria n. 40.
Na rua da Cruz, n. 21, precisa-so de um feitor
para um sitio muito prximo da cidade.
Precisa-se de um oflicial de charulciro : na rua
Nova dcS.-Atnaro, casa terrea, n. 20.
~ Ainda ha para alugar duas casas com muito
bonscommodos, nosilio do Cajueiro, e tambem
urna cocheira na Boa-Vista: a tratar 110 mesmo
sitio do Cajueiro.
--A'porta doSr. doulor juiz da 1." vara do ci-
vel ,.se ha de arremalar urna canoa grande de eon-
duccilo. 4>ar principio hoje, 9 do corrente.
Aluga-se una casa terrea novanierile pintada e
caiada, na travessa do l'eixolo : a tratar no becco
do Sarapatcl, sobrado n. 16.
Quem precisar de um caixeropara qualquer
eslabolccimenlo, preferndo-se venda, doqueoan-
uuanciante tem pratica, procure na rua Nova, loja
11. 58, das 8 as 11 horas da inanhfla.
Precisa-se alugar urna escrava para engom-
mar, ensalmare fazer alguma costura: na rua da
-Concordia, sobrado de Manoel Firmino Ferreira.
r$ Precisa-so de. umeaixeiro porluguez para to-
mar conla de una venda que tenha piatica o d
(ador a sua conducta : nao se olba a proco : no lar-
go da Boa-Vista, venda de Antonio Jos de Maga-
ntes.
Prccisa-se alugar um preto, ou prela para to-
do o servico : na rua larga do Rozario n. 48, se-
gundo andar. Paga-sebem.
los dos Sanios Neves lio credor do casal de
Joaquim Rufino do Rogo, com hypotheca especial
em urna casa terrea no lugar do Cachanga e nos cs-
cravos, Escolstica, Romana ilba desta Florn-
da, da Cosa, Jacintha, filha desta, Isabel e Francis-
co pela quanlia de 2:900,000 rs. e seus juros; e
como o seu devedor esla procedendo a inventario
evai-se proceder a partilha para que os herdei-
ros fiqueni certos dos dbitos, de que os referi-
das bens nao podem ser vendidos., fazo presente
annuncio.
O abaixo assignado, ehearregado do
deposilodo rap Princeza-de-Li.sh,-
faz sciente ao respeitavel publico, que-
tendo vindo ordena positivas do contrato
para nao se vender o rape- fiado, por isso
de hoje ei diente c sem e,xcepro de
pessoa, s vender o dito rap a quem
llie pagar vista ; o que luz publico para
conhecimeiilo de lodos. Fernambuco, i."
de novembro de 1847.
Antonio Francisco de Moraes.
O prolessor de ingloz o francez do collegio S -
Antonio da ligues as ditas lingoasom casas parti-
culares : quojn doseu presumo se quizer ulilisar
uinja-se afloja delivros do paleo do Collegio, n. 2.
Da-se azeite de canapato de ven-
dagem a 1,120. a caada
Direita'
71
1 negocio de seu inieresse.
ims^M
attital


6=
*i
-.- AFFONSO SAINT-MARTIN|, residente no princi-
pio da ra dos Quarleis por cima da loja de mu-
dezas de Victorino de Castro Moura, n. 2*, recebeu
agora pelo ultimo navio viuda de Franga ricas
mantas de seda-, d novs padres e lindos gostos;
outras imi tagnes da cachemiras muilo ricas -o ele-
gantes; ditas de granadina, o outras de foulnrd ,
sendoHodas da ultima moda adoptada em Paris ;
chales de si-da o meios ditos de cores muito lindas;
manteletas do grosdenaple ondeado e liso, guarne-
cidas de franja de retroz e outras com babados en-
lejiados de trancas de dito, as qunes estSo no gran-
de tora., nao sopor screm de geral moda, como
pela gravidade do costme ; cortes de seda branca
edecores, para vestidos, sendo de boa qualidade e
bonitas disposigOes no gosto do lavrado ; ciapos
de seda para senhora armados na ultima moda,
como o ioculearil osfigurinos que era cada carillo
Vendem-se pegas de madapolflo limpo com Venda-so una preta do nagSo Costa, som vicios
20 varas, a 2,500 rs. ; pegas de chitas escuras e delnem achaques, muito llcl e sadia com muilo bom
cores lixas muito enc'orpadas e fortes a 5,500 rs.
e a meia pataca a relalho -ha ra eslreita do Roza-
rio, n 10, torceiro andar.
Vende-se urna cscrava do gentio do Angola, de
nagflo Congo, boa quitandeira e lavadeira de salino ,
que cozinha o diario de ama casa e he muito sa-
dia : o motivo da venda se dir ao comprador: na
ra da Cadeia deS.-Antonio, sobrado de um andar,
n. 18, por cima de una loja de trastes.
Vende-se"una morada de casa terrea livre e
desembaragada sita no bairro de S.-Antonio em
chaos proprios, que rende mensalmente 9,000
rs. o'ondc mora bom inquiliuo : quera a preten-
der annuncie.
AO BARATEIRO, FRGUEZES.
coslomam vir estampados ; ditos de palhinha aber- Na ra Nova, n. 26, loja de Tinoco & Rocha
la e iisa enfeilados a hiiicihuv dos prcgrain-|de!R-sc cortes de colletes de velludo muito
IB o non, oniciMuu ii sciiii-iimu^a uua |>iugiam-i
mas de modas dos mesmos cartOes ; cortes de bare-l ror a 3,500 e 4,500 rs.
ge para vestidos; o u.-n completo sortimento de
luvas para senhora. Asscnhoras que destes objec-
tos precisarom, c os quizerom ver em suas casas ,
tero a houilade, a qualquer hora,de mandaren) avi-
sar ao annuncinte, que immediatamente Ibes seriio
levados.
O abaixoassignado convida os seus credores
para, nprazo de 5 dias contados da data deste ,
cornparecerem na ra do Kangel, n. 3, onde assisle,
alim de tratar-sedo#eus pagamentos. Recifc, 9 de
novonibro d 18*7.'
Lonrenco hierra Carneiro da Cunha.
Apessoa que annunciou querer comprar um
flandres para fazendns, dirija-se a ra do Rangel,
n. 10,-^Mimeiro andar.
, ven-
supe-
Alten^ao
?
Na loja da ra do Queimado, n. 30, de Jos Joa-
3mu de Novaos, contina a haver um sortimento
cobras lettas ; chapeos de todas as qualidades;
ditos para meninos e meninas ; ricos chales de seda;
mantas de seda; lencos do todas as qualidades ; e
uniros inultos objectos que ha para vender.
I)ao-se 5o'ooo rs. de gratificacao,
e se pagaro todjs as mais despe-
zasque se teuliain eito, a quem
dr notich do cahoclirho escra-
vo por nome Vicente de seis
unios, ponco mais ou menos, sec-
co do corpo; lem no antis duasfe-
lidas de bobas, e he um tanto le-
so, por ser novato nesta praca.; le-
Tintas d'oleo
em latas pequeas, vendem-se no armazem de Kal-
kmann & Rosenraund, na ra da Cruz, n. 10
- Vendem-se enfeiles de roco de di-
versas cores para canecas de senlioras :
na loja de Maya Hamos & C, ra Nova,
n. 6.
MEZ MARIANO A 1,000 RS.
Vende-se na livraria Ja pregada Independencia ,
ns, 6 e-8 o NovoMez Mariano, accrescenla do cora o
l.ausperenne do Santissimo Rozario.
vou vestido camisa de algodo da
Ierra um tanto snja ; deseneami-
nhou-se da ra do Vigario, u. aq\
aonde se poder dirigir a pessoa
que sorber, o ra da Cadeia
-- Aluga-se um sitio para passar a festa com boa
casa, cozinha fra, cacimba com boa agoa de beber,
senzalla, estribara ila estrada da Torre: tam-
bera so aluga umormazem na ra larga do Roza-
rio: a tratar no Atcrro-da-Boa-Vista, n. 38.
H CH \ PISOS DE S< >JL H
Rita (lo Passeio^Publwo, n. 5.
Jolo Loubct participa aorespeitavel publico, que
recebeu, por estes ltimos navios francozes, iwi com-
pleio sortimento de chapeos de sol, de seda, amis
rica e superior qualidade; furta-cres e outras mui-
tasconbecidas, tanto para homens, como para Sras
e meninos. No inesino estabolecimento lia um sorli-
menlo do chapeos do sol dernos ; ditos muito grandes, proprios para homens
decampo: tambera lem chapeos de sol do paninho
para meninos e meninus, por scrcm muilo linos: po-
dem-se chamar chapos de econoraia. Nn mesma loja
ha srlmenlo do bengalas, bengaliuhas e chicotes
muito modernos; cobre-se qualquer armagao de orW-
pos deso, com sedas de todas as cores e qualida-
des. Na mesma casa ha um grande sortimento de
paniiinhs Irangados e lisos, imilarido seda, para
cubrir os mesmos: desta fazenda se vende aretalho.
Concorla-so todo qualquer chapeo do sol, por haver
um completo sortimento de Unios os pertences para
os mesmos, com-toda.a perfeigflo c brevidade.
PECIIINCHA.
Jos Saporiti tem caixinhas com 12 frascos de azoi-
lo doce retinado, que, para acabar cora elle vende
pelo commodo prego de2,000 rs. cada caixnha :
na ra da Cruz, no Recifc, n. 18, segundo andar.
Vende-se urna venda cora o fundo de 600,000
rs. pouco mais ou menos em muito bom lugar pa-
ra relalho e com cora modos para morar familia ,
sendo oseu aluguel muito mdico: tambera ven-
de-so nielado a prazo com boas Armas : na ra lar-
ga do Rozario, venda n. 33, se dir com quem se
deve tratar.
-- Vendem-se presuntos inglezes para
fiambre ; queijos londrinos; loucinbo
de fumo; (bacon) conservas ; musanla ;
sal refinado ; molbos para carne e pe
xe ; curril da India 5 mostarda ingleza ;
flandres de salmSo ; ditos de carnes em
conserva ; hervilhas em (landres ; ditas
seccas para' sopa ; flandres de sardinhas;
ostras frescas em flandres ; ditas salpre-
sas em boides ; azeitr doce refinado ; vi-
nhos engarrafados, Porto e Sherry;*goa-
ardente de Franca ; uliisKcv, milito su-
perior ; cerveja preta em botijas ; dita
branca ; lijlos para limpar facas ; cha
leile ,' que cozinha o diario do urna casa e ensalma
bem na ra Dreita n. 10*.
Vende-se cera de carnauba, de muito boa qua-
lidade, tanto a relalho como em porgilo : na ra
das Larangeirs 11. 14, segundo andar.
Salsa-patrulla
de superior qualidade, chegada ha poucos dias
pelo brigue-escuna Laura vende-so no armazem
de Kalkamann & Rosenmund, na ra da Cruz, n. 10.
Casimiras elsticas e finas, a
7#000 rs.
Vendem-se superiores casimiras elsticas finas o
de cores, pilo baratissimo prego de 7,000 rs. o cr-
tedecalga. Esta fazenda he recommendavel pela
sua qualidade tanto em fazenda como era gostos ,
porserem os mais modernos; casimiras pretas ,
superior fazenda por serora muito finas a 2, 3 e
3,500 rs. o covado : narua do Collegio, loja n. 1.
Vende-so csseucia do aniz estrellado, superior,
em garrafas do 22 ougas por prego commodo : na
ra da Cruz no Recito, 11.18, segundo andar.
O BARATEIRO.
fta nova loja da ra do Cres-
po ao pe do arco de S-An-
lonio 11.4, de Ricardo Jos
de Frats Ribeiro ,
Compras.
B! !!.
son e preto ; oleo de lindara ; carne
de porco salgada ; dita de vacca : tudo
cliegado no ultimo navio de Inglaterra :
na ra d;i Cruz, n. 7, armazem de Duvis
& Gompanhia.
FRESQUINUO.
Chegou pelo brigue Bom-Jtnu, VIUO do Rio-de-
Janeiro, urna remessa do superior rap grosso e
meio-grosso, da fabrica doEstevflo Gasso. Os dig-
nos freguezes cnconlrarflo no deposito da ra da
Crnz do Recite, n. 38, a quantidado o sortimento
qucquizeiem. Oseu prego he^sabido 1,280 rs.,
sendo de. 5 libras para cima.
Na ra do Crespo, loja n. VI,
de Jos Joaquim da Silva
Maya,
vendem-so muito lindos chapeos para meninas,
tanto de seda como de palhinha chegados ltima-
mente de Part ; chapeos de seda para senhora
cortes do crambraia de seda do ricos gostos, por
Iirego muilo commodo ; cortes de vestidos de cam-
iraia ecassa-chitasde dilTcrcnlcs qualidades, por
pregos buratos; ditos com urna pinta de mofo e
sem elle a 2,000 e 2,500 rs. cada corte ; mantas de
seda e lila para senhora das mais modernas que
tem vindo a esta praga a 5,000 rs. cada urna ;
mantas e chales de seda de varias qualidades c ba-
ratos; alpaca preta a 800 e 1,600 rs. o covado;
'panno de liuho a 400 rs. a vara; casimiras fran-
cezas elsticas para caigas a 5,000 rs o c:>rle
vendem-se chaiios de creps para senhora a 4/
rs. ; ditos de seda, os mais modernos que teem vin-
do, a 12,000 rs. ; os mais modernos chapos de
massa francezes para homem a 7,000 rs.; um no-
vo sortimento de cambraiasescocezase cassas suis-
sas de varios gostos-, teudo una vara de largura ,
e de cores muito lixas a 320 rs. o covado ,' cortes
de l'usi.m de gosto moderno, e do cres'fixas a 800
rs. ; muito ricoschalcs de seda muito superiores e
grandes, a 12,000 rs. ; chales do garga tecidos com
listras de seda muito lindos a 3,200 rs.- cada um;
um novo e rico sortimento de longos de seda c de se-
tim lavrado decores muito lindas, a 2,000 e 2,500
rs. iuleiros; ricas mantas para grvalas de ho-
mem com ricos lavles a 2,000 rs. isto he pe-
chincha ; cortes de gorgorito de seda para colleto ,
muito ricos.a 3,500 rs. Igualmente ha un sortimento
de chitas linas e de cores lixas a 120 e 240 rs. ;
covado; cortes de cassa de cores lixas, a 2,560 o
3,0:10 rs. ; ditos do cambraia branca e de cores ,
para bailes, de 4,800 al 7,000 rs,.
Na loja numero 17 da i na do
Passeio-Puj'Hoo,
vendem-se cortes de cambraia, de cores finas, com
6 e meia a 7 varas, a 2,210 o 2,560 rs. ; ditas muito
linas, a 360 rs. a vara ; corles das muito lindas priu-
eczinas, a 12,000 rs. ; mantas do seda, qiuito ricas,
a 10,000 rs.; chales do seda, muito ricos, a 14,000 rs.;
chitas linas a 120,140,160, 180,200 e 240 rs., e muito
finas a 280 rs.; brins de linho de quadros o listras,
muilo lindos nadres, a 640 rs. a vara ; lengos gran-
des de seda para grvala, o bous em qualidade, a
1,280 rs. ; mantas do seda para grvala de homem, a
2,000 rs. ; cortes de colleto de lila o seda, a 320 rs. ;
ditos de fusto, a 500 rs.; ditos de velludo deco-
res, a 3,000 rs. ; ditos de gorgur.lo de seda de co-
res, a 3,000 rs. ; dilos de gorguro de 13a e seda, a
1,000 rs.; longos brancos arrendados, para milo de
senhora, a 240 rs. ; chales de 13a da Escocia, a 2.560
rs.; dilos de laa com listras de seda, a 3,000 ris ;
alpaca cor de caf, a 640 rs. o covado ; dita muito li-
na preta, a 1,440 rs. o covado; pegas de madapol3o
muilo linas, com quatro palmos, a 4,000 e 4,500 rs ;
cassa lisa a 240,400, 480 c 560 rs. ; pegas de algo-
duoziu'uo com 18 jardas, a 2,000 is. ; chales de cas-
sa escura, u640rs.; merinos muito superiores, a
t,600, 2,800, 3,200, 3,500 e 4,000 rs. o covado ; cor-
tes de chita com dez covados, a 1,000 rs. ; ditos linos
com lOditos, a 1,800 rs.; dilos ditos com 14 ditos,
a 3,500 rs. ; dilos de vestido de cassa com barra, a
5,000 rs o outras militas fazendas por pregos com-
raodos.
!-.* v'ki.hkiilt i Y'fi o i uiyn (i ii,iiuii ia i ( r i ,
-Compram-scSOpesde coqueiros, proprios pa-lfustOes; setins e velludos para cohete, por prego
i muilo em cunta ; bem como um sortimento de ou-
tras militas fazendas, que se v.endem pelo barato.
Admira veis nava-
lhas de acoda China
que teem a vantagem de coi lar o cabello sem offen-
sa da pillo, deixando a cara pareceudo estar na
sua brilhante mocidade.
Esle ago vem exclusivamente da China e s nel-
le Irabalhatii dous dos inethores o mais abalisados
cuiileirus da nunca excedida e rica cidado de l'e-
kim, capital do imperio China.Autor Shqn.
H. U, He reconhecido o uso destas naviilhas
maravilhosas por todas as sociedades das scicu-
cias incdico-cirurgicas, tanto da Europa como da
America Alia o frica, uo s para prevenir as .mo-
lestias das cutis mas tambera como um'oicio cos-
mtico.
Vendem-se as verdadeiras s na ra larga do Ro-
zario, n. 24.
CERA DO RIO-DE-JANEIRO E DE LISBOA,
Vende-se completo sortimento mais barato do que
em parte alguma, por liquidaco : na ra da Sen-
zalla- Velha, armazem, n. 110.
Charutos de Havana
em caixinliasde 100 o de 2S0 ltimamente chega-
dos vendem-se rio armazem de Kalkmann & Ro-
seumuud, uu. ra a Cruz, a. io.
i.i so transplanlarcm e cora preferencia os que es-
tiveieraem lugar mais prximo: quem liver an-
nuncie.
Compra-se um flandres paro vender fazendas,
e que esteja novo, ou em bom estado: na ra da Scn-
zalla-Mova, n. 7, ou annuncie.
--C*ra piara -se, cffectivaraente, garrafas e boti-
jas: na rectilogao da ra de.S.-Rila n. 85.
Coinpram-s 100 meios do sola de boa marca :
na ra do Collegio, n. 19.
Compram-se, para urna cncommonda do mallo,
i escravos : na rua da Cadeia de S.-Antonio n 19,
l'i'iineiro andar.
Coniprara-scofllciaes de carpina pedreiros ,
ferroiroso carpinteiros, para fra da provincia ;
pagam-au bem, agradando : na rua da Cruz, no Re-
cite n. 49.
Vendas.
O restante dos billietes da lolein
do thcat.ro, (pie se compro por conta de
urna sociedade, et.l.unieamente a venda
na holica do Sr. Joan Moreira Mar (pies.
Veride-sc una meia-agoa sita na campia da
rua da Alegra, 11. 5, livre c desembaragada, a qual
lera quintal e cacimba : na rua das Cruzes, n. 36,
s*imeiio andar, se dir quem vende.
Vendem-se hcrviitits muito boas e prdprias
para som car, porserem muito novas: na rua da Frua,
u.20.
ELIXIR TNICO
ANTI-K LEU M TICO
Ihanle aquella que se v em baixo. Emfim, para e-
vitar operigo das falsificagOes, os accidentes quo
poderiam acontecer, o arrestar a cobiga dos laisa
rios, o publico'he prevenido quo coda garris aov
seracompanhada de urna instrucgilo impressa que
indica a maneira do empregar este inedicamenio,
compilado pelo Sr. Guilli, com a sua firma, eim-
presso era l'aris por o Sr. Goetschy ; caracteres cs-
senciacsf ara evitar a fraude.
Praxe forense,
Livraria da esquina, do Collegio.
Elemento) do processo cicel, ou resumo das primei-
ras linhns civis de Pereira e Souza 1 v.: ho um
extracto conciso e substancial das doutrinas do
processo Civil, expeudidas na obra de P. e Souza,
por mdico preg. '
Tratado da abrigares o acgOes. ,por Moli Freir ,
traduceSc partugueza fie' n correcta. pelo doutor
Regueira Costa. A traducg.lo dcste volume, que en-
silla a marcha e incidentes do processo civil, ro
ura importante servigo feilo as pessoas do foro
que nio podem consultar o original latino.
l'rimeirm elementos praticos do foro civil, com
um supplemeiilo : esta obra contera o.formulario
das allegages jurdicas de toda a especie no pro-
cesso civil ordinario summario e executivo ; e no
ura seguro guia para as possoas do foro.
Manual do proceno civil: esla obra, j em segunda
edig.lo augmentada ho producgSo do insigne lie.
Concia Telles, 1 v.
Peculio de netos e termos civis e crimes 1 v. Este
livro pde-se dizer o vade-meeum dos escrivfles do
civelecrime: acham-seuello todas as instrueges
uecessarias para orgaiiisagSo do actos civeis e cn-
nies, com modelos de todos os termos e .demais pe-
gas dos proccssps.
Corramos a aproveitar as pe-
chi cliasdoantigo barateiro,
pois elle vende or pouco di-
nheiro.
O antigo barateiro est vendondo na sua nova lo-
ja de iniudezas da rua do Collegio n. 9 papel al-
mago milito fino a 2,600, 3,000 o 3,200 rs. a res-
ma ; fitas de retro/, de todas as cores 560 rs. a
pega ; ditas do lago desapato, a 440 rs. a pega; pea-
tes de tartaruga para marrafa a 960 rs. a parelh;
boloes do osso fu rodos a 200 rs. a groza ; ditos de
niadie-peola a 480rs. a groza ; ditos grandes, a
400 rs. medidas para alfaiato, a 60 rs cada urna;
tamancos para homem, a 320 rs. o par ; magos do
cordilo de todas as grossuras para vestidos a 320
rs. o mago ; escovas para denles a 80 rs. ; ditas fi-
nas, a 240 e 320 rs. cada urna; ditas de escovar rou-
pa a 320 e 400 rs. cada una ; ditas de limpar pen-
tes a 80 rs. cada una ; coixos de Indias de marcar,
a 120 rs. cada urna caixa; magos de fitas do linho
de 12 pegas a 200 rs. o mago ; torcidas de todas
as larguras, para candiciros, a 100 rs. a duzia ; cai-
xinhas de agulhas francezas, a 280 rs. cada urna;
caixas de tartaruga para rap, a 1,200 e 1,600 rs.
cada urna ; ( estilo se acabando) caixinhas de pos
do aliar navalhas, a 200 ris cada urna ; pen-
tcs de prender cabello a 80 rs. cada um ; carias
com urna groza do pares de colchetes a 320 rs. a
carta ; caivetes de urna folha muilo finos, de ca-
bo de viado a 200 rs. cada um ; lesouras muito
finas cora toque do ferrugem, a 120 e 160 rs. cada
uma'; Ovels de ago para colletes e caigas a 100 rs.
cada uma; riquissimos brincos pretos e garganti-
llas do lilagrana ; brincos pretos com eufeiles dou-
rados ila moda a 960 rs. o par ; o outras muitas
diversidades de galanteras do todas as qualidades:
tudo so. vender por pregos que agradaro aos fre-
guezes anligos o modernos : por isso cheguem do
pressa antes quesc acabem as pechinchas.
AOSJOI'I'OSITORES V. ESTUCANTES DE l'RIMEI-
HAS LLTTRAS.
Collccgilo de compendia? ricamente ericaderna-
da contrado a grammaljaia portugueza, a doutri-
na chrsta a ai ithmtlica c a geometra pratica ;
obra iiilercssantc aos que esludam para fazer op-
posigilo ascaderasdo primeiras leltras por acha-
rem cm ums volume tudo quanto he preciso, o
pelo diminuto prego do 3,000 rs, : na livraria ns.
6e8 da praga da Independencia ; na do Sr. doutor
Coulinho esquina defronte do Collegio; e em dia-
da rua de Mathias-Ferreira sobrado n. 6.
pelo senlwr doutor (iuilli, medico da faculdade de
rit, membro de varias sociedades medicas, assim na-
cionaes como estrangeiras, cavulleiro da real ordem da
legiho de honra, etc.
(Duponl, pliarniaceulico, cm Paris, rua Ti-
quetonne, n. 14.)
O nico deposito verdadeiro dcste elixir he esta-
blecido pelo mesmo autor na botica do Sr. Jos da
Mocha Prannos, rua eslreita do Rozario, n. 10, em
Pernambuc'o.
0 elixir anti-fleumatico he essencialmentc tnico,
roa ni ma o principio vital e dii frga s fibras, des-
taca os humores viscosos, os precipita em baixo, a-
viva o appetite e fortifica o estomago..
Pde-se administrar na mais tenra infancia como
na velhice; nada he mais doce que oseu cfTcilo: fun-
de, dissolve os humores e Ibes d sabida som algu-
ma agitaco, sem suspender as oceupages, era
mudar os hbitos: se pode tomar deste eflicazmeute
uma colher demanha em jejura, particularmente
no invern c nos lempos hmidos.
Os asmticos, golosos, hydropicos, aquelles cuja
fibra he moli, licam satisfeitos rio seu uso ; bcra
como os que stlTrcm defluxilo catarral dopeilo, a-
zedumes do estomago, syncopes e palpitages do
corago, clica, empigens, catarro da hexiga, apo-
Dlexia cerosa, reumatismo, fluxos alvos, doengas
de leitonassenhoras, indigestao, vermes intestinaes
as criangas, e outras mullas tinfermidados (|uo se-
ria longo-enumerar.
Este medicamento salular tem produzido os mais
fivoraveis elfeitos, nos casos, para assim dizer, des-
esperados. Desta sorte, desde seis anuos foi pres-
criplo por tollosos mdicos illustrcs, e os successos
quolidianos queohtm, tanto em Franga como nos
paizes cstrangeiros, forraam o inelhor elogio que
doste poss'a fazer-se, e a prova deste lie a grande sa-
hida que este niaravilhoso remedio lera tido as
provincias do Brasil, principalmente na Bahia e
Rio-de-Jaueiro, onde ha tantas illustracocs me-
dicas.
AVISO ES.SENCIAL.
Deve-se sraente inteira coulianga as garrafas que
leeiu urna marca quo leva a liruia do autor, sernc-
p Na loja nova da rua d Quei-
mado, n. 11 x, de Hay mun-
do Carlos Le i te,
acha-sc ura novo sortimento de lindas maulas de
seda a 4,000 rs. leudo lambem de 2,000 10,000,
16,000 c 20,000 rs. ; luvas para senhora de trogal,
ultima modo em Lisboa ; meias croas n. 10 a 5/
rs. a duzia.
Vende-se cal bronca muilo fina, por mais ha-
roto prego do que em outra qualquer parte: tam-
bera vemlc-se uma lazarina boa cagadeira : na rua
do Aragilo n. 8. #
Vende-sel lalim, uma canana, uma banda,
unr liarretiu para oflicial de guarda nacional; tu-
do coni pouco uso na rua da Aurora n. 50.
Vendo-se, sem, (cilio, uma gargantilha de ou-
ro de li ,coin 19oitavase uraquarto;um par de
brincos de coraes ; um dito de lilagrana; uma re-
doma ; alguinas oitavas de ouro velho ; um cordilo
de ouro de lei com 7 oitavas ; um dedal do prala de
galau : na rua bella, u. 40.
Loleria do Kio-de-Jaiieiro.
Vendem-se bilhetes e meios ditos da 23.a lotera
a beneficio do thealro de S.-Pedro : na rua da Ca-
deia, loja de cambio, u. (38, de Manuel Comes da
Cunha e Silva.
Vendem-se, no Atcrro-da-Roa-Vista loja de
funileiro, ii. 78, obras de lalio, o saber; candieros
de todas as qualidades; escrvaninhas; perfumadores
de todos os tamaiihos; campas poro secretaria;
almofarizes; candeas ; castigaos; candieros de
btaco.la ; garfos e colheres : tudo se vende mais ba-
rato do que em outra qualquer parte. Na mesma
loja compra-sc toda a qualidade de metal velho.
Vendem-se ancoras do differeutes tamaitos ,
e uma correte que so podonr ver no armazem do .
Sr. Araujo, no becco do Congalves : a tratar cm,
casa de Adamson llowie & Companuia, a rua do
Trapiche, n. 42.
Vendem-se pedras de amolar, brancas, Je ma-
Ihor qualidade que teem vindo do rio de S.-Fran-
cisco a relalho e em porgan por prego commodo;
ua rua da l'raia, armazem n. 18.
i
MUTILADO


lwi
"'
5H
,1.UAX_JUU_"*
i(V




A
Vende-ses.ihilo branco hespanhol, e cera de
carnauba : na na da Cruz, n. 21.
--Vende-so uma canoa de amarello, de um s pao,
0111 :n pilnos de com;) cimento, o 3 e meio delar-
gii.a, quasi nova, emuit propria para abrir : na
ra da Cruz no Recifo armazein de assuar, n. 23,
se dir quem vende.
Vondem-se duas carrosas o dous bois gordos ,
lillios do pasto e muito mansos por precio commo-
do : na ra Nova, n. 33, se dir quem vendo.
Belmiras.
Vendeirr-se superiores nortes da fazenda nova
denominada belmira para vestidos de senhora ,
pelo barato proco de 4,500 e 5,000 rs. o corte. Esta
fazenda he nova e de milito sublimes gostos, sen-
do as suas cores ni ni apreciaseis por seren cor de
lirio, rosa e perol a. A ellos, antes que se acabem.
.Na na do Collegio, loja n. I.
Vende-so um preto dn nacflo, de 40 annos, de
bonita figura por ser muito corpolento : no lem
vicios nem achaques: vende-se para comprar urna
pida ou tainbem se troca : na ra da Concordia,
pausando a potezihha a direita, segunda casa ter-
rea.
Vendem-se pennas do ema muito boas: n
ra da Concejero da Boa-Vista n. 4.

(O
m
(O
m
0)
A ICO rs ocovado.
lscados franco/os, a 160 e 200 rs. o co-
vado ; damasco de algodOo, a 640 rs. eo-
vado ; coborlas de dito muito largo a
3,500 rs cada urna; meias Casimiras, a
:i,2t0 rs. o corte ; ditas elsticas, a 2,500 o
3,000rs. ; panno (no de todas as crtres, a
4,000 rs,; cortes di' cassa-ehila de bous
gostos a 2,500 e 3.00J ; novas casimiras
elsticas, de bonitos padrn; cortes de
chita o oais lino possivel; cortes do cassa
do padroes muito modernos ; alpaca mu
lo lina ; dita de cortijo o de varias cores ;
cortes de panno bordados para sapatos ;
novo sorliment de cortes de cassa-seda
de novos gostos; chapos francezes da ul-
tima moda ;e nutras militas fazendas li-
nas: ludo por monos preco do que em ou-
tra qualquer loja : na rila do Queimado ,
loja nova da casa amarella n. 20.
m
m

o
I
9
4&
GO0
1@@@-
Vende-se ex'cellente viuho tinto e
iranco de Bordeaos enTcaixas de dti-
?ia: ni ra >la Senzalla-Nova, n. i38.
Uvas, a me xas e passas ,
ludo novo, chegado ultiniamentc e de qualidade
superior : no armazem de Dias l'erreira no caes da
Alfandega.
Vciidem-sedousmolecotesde bonilas (guras;
dous ptimos mulalinhos, muito lindos, sendo um
rozinheiro de 15 anuos, c o oulro de 14 annos ,
proprios para pageos; um innleque de 12 annos;
4 mulalinhas uiujl'o Imitas, que sflo recolhidas; 3
escravos de lodo o servico : na ra Direita n. '(.
Vende-se um relogio sa bonete de piala fio ni
regulador; um piano inglez que precisa de um
pequeo concorlo; um uiulatinlio com principio
desapateiro ; urna negrinha de 12 annos, que coso,
faz renda, on/.inha o lava: ludo por seu dono se
retirar para fra da cidade: no pateo do Carino,
loja do sobrado n. 7, se dir quem vendo.
Chcgiicm, f're: uezes/ao aniigo
haralciro co l>.isseiolubli-
co lujas ns. O o 11, miao Jos Rodrigues Fer-
reir,
.nonio acharfio ricos sorlinientos de mantas de se-
da 'lo inolhnr posto ; corles de gorguean de seda ,
bordados e de quadrns fazenda moderna; lencos
de setim de c6rcs para grvala; luantas degarca,
.'iiii lindas; superiores casimiras prctas elsticas;
mcia-casimiras de cenes ; lindos corles de lila e se-
da de quadrns e lislrns a 6,000 rs. cada corte;
cassa-ohilas de lodos os gostos o padroes que iliui-
lo ngraaam, por seren de cores seguras e a presos
pelo barato preco de 3,000 rs ; brim trancado de
linho branco e de cores; castoies de bonitos pa-
dioes; fusles linos do gostos ; chitas muito finas
e de goslo moderno ; e oulras muitas fazendas de
gosio que todis scvendcrflo por preQos que muilo
agradarao aos compradores Adverle-se que as
amostras de ehita-cassas serao francas.
.'Vendem-se pedras de amolar, em porclo e
a retalho ; sal de Lisboa a 1,600 rs. ; um braco de
balanza com conchas ; um lerno de pesos de 4 ar-
robas: na ra da Praia armazein n. 37.
Vendem-se 2 escravas, sendo uma de 13 an-
nos e a nutra de 9; um pardinho do 9 annos: na
ra I irga do Rozado, loja n. 27.
Casa da F
na rua estreita do Rozario, n. 6.
Ncste estabelecmentoacham-sea venda as bem
acreditadas cautelas da lotera do thcatro publico
desta cidade cujas rodas andam rio dia 16 de no-
vembro. O cautelista ospora que os seus freguezes
concorram a comprar o resto das ditas cautelas ,
oas quaos se esperam boassortes, pela encllente es-
culla que se foz dos nmeros para serem divididos
em cautelas. A ellas que sflo poucase boas. Prccos
os do cos u m o
Vendem-se 5 prctos de boas figuras sendo
dous carreiros o vaqueiros o um carpina ; um mo-
leque e um molccflo para todo o servico ; tambores;
rodetes; caldeiras c agulhos antigos : no fim da
rua da Aurora, n. 4.
Cartas para volta-
rete
Potassa.
Vende-se a vVdadeira e superior po-
Inssu da Itiissia a mais nova que existe
no mercado : na rua d.i Cadeia do Itci-
l, armazem n. ta, de Bailar V liveira.
DEPOSITO IYE CALVIIUIEM.
Na'rua do Trapiche n. 17, lia sem-
pre cal vlrgem de Lisboa, em liareis pe-
queos, e nlliniaineiite cliegada mui-
lo superior c por preco r.isoavcl.
Vendem-se caixas de cha hysson, de 13 libras,
em porcOcs., ou a retalho ; caixas do velas'de es-
permacetede.Se 6 em libra : na rua da Alfandcga-
Volha 11. 36, em casa de Matheus Austiii t G.
Vendem-se fl escravos, sendo: 4 do 13,'16,
18 o 22 annos de bolilla* figuras proprios para to-
do o servido; urna uiulaliulia de ''legante ligura,
que engonuna, cose chao e faz lodo o mais mm vico
d urna casa; uma crioula de 26 anuos, cnni bal-
Hilados que se dirflo ao comprador: na rua das
Cruzes 11. 22, segundo andar.
--Vende-se urna escra va de bonita figura, de 18
anuos pouco inaisou menos, propria para o ser-
vido de casa e rua : na rua dJtaflgel n. 60.
Vende-so um moleque Je 2 anuos, sem vi-
cios iim achaques; um moinho de pedra muilo
liOin para moer iniliio prompto de um ludo : na
rua do Queimado n. 40, segundo andar. -
as mclhores c mais baratas
ga do Rozario n. 24.
vendem-se na rua lar-
ACE.NCIA HA HJNnrCAO' DF. l.OW-MOOR.
,\a rua da Sonzalla-Nova n. 42, contina a haver
, n completo sorli ment de moendas e machinas de
/apor, para engenhos de assucar : bem como tai-
xas de ferro batido ecoado de todos os tamaitos :
ludo por preco rommodo.
Vende-so, ou (roca-se por casas nesta praca, um
terreno com 412 palmos de frente e 150 de fundo,
sito por detrs do covento do Carino : a tratar com
o sen proprictario no Manguind, segundo sitio
depoisda capella de S.-Jos.
Cadenas a p lka, a 1^600 rs.,
vendem-se no armazem de Guimarfles no caes da
Alfandega e em casa de J. J. Tasso Jnior na rua
do Amoiiin, n. :!.">.
Vendo-sea bem conhecida venda da rua Im-
perial n. 145, por seu dono ter de ir a Portugal:
adverte-so que lem a armac/io a sen favor, por ser
excusado compra-la : a tratar na mesma venda.
Vende-se um sitio de Ierras proprias com va-
rios arvoredos de fruclo casa, boa cacimba, no
usar d'Agoa-Fria de Hcbenbe ; cujo sitio foi do fal-
lecido Jeronymo Jos Mariins : no palco da igreja do
Pilar, do lado esquerdo casa n. 181 ou no car-
lorio dos orphffos se far todo o negocio.
Fardos de arroz Fardos de
arroz, CID barricas, a 3,000 rs ,
com 4 a 5 arrobas.
Acaba de chegar tilo til substancia alimentaria
para cavallos ja bem conhecida pelos possuidores:
vende-se no armazem do Bacelar na escadinha da
alfandega ou a fallar com J. R. da Fonscca Jnior ,
na rua do'Vigario n. 25.
\a I ja nova da rua do Que-
utado, ii. II A, dfllayiiii'.n-
do Carlos Leifc ,
acha-sc um novo sortimentode pannos linos de todas
as cores e i|ualidades ; chapos francezes da ultima
moda ; um Completo sortiuiculo de fazendas linas
e grossas, por proco mais barato do quo em outra
qualquer parla.
Luvasde pellica,
Afianca-seas boas qualidades deslas luvas. Ha de
todas as cores, tanto para homem como para se-
nhora, Vendem-se roais em conta lo que em ou-
tra qualquer parte. Na rua larga do Rozario, n. 21.
vana : em casa de J. O. Elster:
na rua da Cadeia-Vellia, n. '9.
Vende-se urna preta de nacSo moca, de boa
figura : na na Direita esquina do boceo do Seri-
gado, n.93, primeiro andar, das 6 as 9 da ma-
nliSa e das 2 as 4 da tarde.
.\a loja nova da rua do Quei-
mado, n. II A, de Kaymun-
do Carlos Lcite ,
a 800 rs.
a vara do ptimo panno de linho do Porio as pecas
sflo de 18 Taras e meia ; dito do 35 varas, a 600 rs.;
guardanapos de puro linho a 800 rs.; fazenda do
norte, propria para rlleles, jaqueles e etc., lecido
de seda linho ; meias de linho as mais finas que
teem "vindo ao mercado.
Christophcrs & Donaldson aida teem para ven-
der, de seus bem conhecidos e superiores vinhos :
ago'ardente cognac em cascos o garrafas ; cerve-
ja: lambem vendem 2 pianos nglezes j afamados:
na rua do,Trapicho, n. 40.
AO BOM GOSTO PARA A FES-
TA DO NATAL.
Na nova loja do Passeio-Pu*
buco, n. 19, de Manoel loa-
quim l-i coa! Ramos ,
vendem-se crtesele casimira franceza, a 3,000rs. ;
lirins de quadros e de lislras, a 1,200 rs. a vara ; di-
to branco de puro linho a 1,600 rs.; mantas de se-
da de bonitos padrdes a 9,000 rs. ; chales de seda ,
a 2,500 c 8,000 rs.; panno fino preto a 5,000 rs. ;
dito azul, a 4,5QOrs.; chapeos de sol, de seda prota
o de cores a 7,500 rs.; lencos de seda para grvala,
a 840 c 420 rs ; ditos, a 1,440 o 1,600 rs.; ditos de
relroz da ultima moda para senhora, a 3,200 rs. ;
cortes de cambraia a 3,000 rs ; dita, a 800 rs. 0
covado; chitas muito linas a 280 320 e 400 rs. ;
riscados francezes de bonitos padroes, a 200 rs. o
covado sguiflo muito fino, a 2,000 rs. a vara ; bre-
lanha fina, a 800 e 1,000 rs.; sarja preta hespanhola,
a 2,000 rs.; setim preto, a 1,000 rs. o covado.
Salsa-parrilha ,
a melhorquc ha no mercado, vende-se por com-
modo proco no armazem do Braguez ou a fallar
com J. B. da Fonseca JuniOr, na rua do Vigario ,
n. 25.
Vende-se, por o dono se retirar
para fra da provincia orna cama da
armacao com assenlo de lona e corti-
nados ; uma mesa de Jacaranda, de meio
de sala ; um par de mangas de vidro :
ludo em muito hom uso, por preco mui-
lo com modo: na rua do Collegio, n.
segundo andar.
Na ruado Cabug loja n. 5,
de lanocl Antonio tion-
calves, vendem-se
apparelhos para cha i faqueirosde urna o duesdu-
zias jarro c hacia collieres de tirar sopa, ditas
para srtpa e paradla, salvas, paliteiros salva e
tesoura, turibulo, naveta vaso para santo-oleo,
clices : ludo chegado ltimamente do Porto : bem
como diversas obras de piala, ouro diamantes c
brilhanles : ludo de bom goslo e, em conta.
Vendem-se escravos muito baratos, pa-
ra se liqnidnrem coritos desle annu, na
rus das Larangeiras, n i4, segundo
andar:
tres lindos moleqtics do 14 a 16 annos ; nm dito
com principios do sapateiro e quo. entende do pa-
daria ; um lindo mulatiuho de 11 annos, multo es-
porto sem vicios proprio para aprender qualquer
oflicio ; um preto do 23innus ptimo para traba-
Ihar em armazem de assucar por ser bastante for-
Vendcm-Se dlirulOS da H-ile.; umdlilodeln"Cnl >o>nganliadorderua, e que
,'** esta acoslumado ao trabalhodorefiiaQiio; um par-
" do de 36 annos bom para tomar conta de um sitio,
por ser de boa conla ; um preto de 40 annos bom
canociro e ptimo ofiicial de canteo ; um dito de 40
annos por 200,000 rs. ; uma prela muito forte ,
por 220,000 rs.; d.uas pardas com algumas habili-
ladea; duas pelas muito mogas que sflo opti-
pannos linos, a prova de mas quitandeiras ; duasdit.ns boas engommadeiras
e cozinheiras ; e oulros escravos.
Vciidem-so 4 pipas vasias e uma poreflo de
cascos por prego commodo por seu dono querer
desoecupar o lugar : em Fra-de-Portas n. 92.
Vende-se inuda de cobre : em casa de Fredc-
rico Itobilliard, na rua do Trapiche-Novo, n. 18.
Vende-se um innleque de 15 a 16 annos, ou per-
muta-se por uma prota com a mesma idade, pouco
mais ou menos : na rua Formosa no cartorio do
escrivflo Cardozo se dir que vendem.
i
:. 'nios Iros.
Vendem-se superiores pannos finos
liiiiiii), preto, a 3,000, 4,500, 5,500 e 6.500 rs. ; di-
to azul, a 3,000 rs. ,e muilo lino, a 4,500 rs. Estes
pannos sao novos ,c pida sua baruloza, atlendendo
a su a boa qualidade, tornam-sc reconimcndaveis.
Na rua do Collegio, n. I.
Velas de cera,
da melhor qualidade que ha no Rio-de-Janelro, em
caixas de ptimo soi tmenlo, vendem-se por barato
proco, na rua do Vigario, n. 25.
Vendem-se os segointes escravos ,
de muito boas figuras sem vicios nem
achaques : duas prelns e uma parda de
20 anuos pouco mais ou menos rpie sao
lavadeiras e coslnreiras; 3 pardos da
mesma idade, entre os quses um he bom
sipnlcii'o e oulro alfaiate e todos pro-
prios pafs* pagens ; um moleque de \t
anuos ; um pardo de i .'j a i'i annos ; um
mu linho de para 8 annos proprio
para andar com cr iancas: na rua do Cres-
po, loja n. 2 A, se dir quem vende
do nicho lem muitas
pichinchas._,
Na esquina do l.ivrainenlo, loja do nicho, ven-
doin-se mantas du bonitos gostos para senhora, a
1,000 e 2,000 rs. ; dilas doseliiu de cores para lio-
ineni, a 1,500 o 2,000 rs. ; ricas sedas de coros de
duas larguras e de bonitos padrOes, para vestidos
desenborn, a 1,000 e 1,500 rs. o covado ; setim cor
de rosa a 640 rs. O covado ; dito branco, de duas
A loja
Lotera do Rio-de-Janeiro a
hi infici do thcatro de.. Sf
Pedro-de-Alcntara da corte
Vendem-se bilbtles desta lotera em casa de J.
O. Elster, na rua da Cadcia-Velba, n. 29.
Est aclicgar um casnlde ju.nientos, de raga
castelbana o qual seguir para o sul so nflo.achar
de prompto comprador : quemo pretender queira
fallar com antecedencia na rua da Cruz, n. 45,
em casa de Nascimentoc Amorim.
j\a foja da rua da Cadeia do
Recite, n. 5*2, do Claudino
Salvador l*ereira Hraga ,
vendem-se os mais modernos chapos oe massa
francize, para homem, a 5,800 rs. ;. ricos corles
de velludo bordados
a 6,000 rs.; cortos do cambraia de crese de todas
as diversidades a 3,500 o 3,800 rs. ; lengos de se-
da para algibeira a 1,200 1,520 1,760 2,000 c
2,240 rs. ; ditos de sedado cores para gravatas, a
1,700 rs. ; ditos de setim macau de crns c de gor-
gurilo de 3-'ponas, a 1,900 rs e de qualro, a
3,800 rs. ; ditos do seda com franjas, para sonhora,
a 2,700 o 3,200 rs. ; djlo's do seda preta, de Ires
ponas, para homem Ja 600 rs.; e oulras muitas
fazendas por prego commodo.
Vende-se uma morada do casa de dous anda-
res e sotflo, com varandas de ferro, em chflos pro-
prio, sito na travessa da Madre-de-Deos n. 7 : a
tratar na rua da Cruz, n. 50.
Na loja de Manoel Joaquim
Pascoal Ramos, no Passeo-
Publico, n. 19,
vondem-se cortes de cambraia alegra a 2,000 rs.,
e o covado a 240 rs. de padroes e cores as mais
lindas que teem apparecido.
POTASSA DA P.USS1\,
Vende-se potassa da Hnssia por pre-
50 commodo : no armazem de Jos
Antonio de Araujo no becco do Gon-
calves. -r.
Vende-se um sobrado de dous andares e sotSo,
Sto no principio da rua Direita, n. 2 : a tratar na
rua Nova n. 48.
Vende-so umeXcellente jogo de diccionarios
nglezes por Vieira grandos volumes, novos- e de
ultima edicio por 27,000 rs. ; oGuarda-livrws mo.
derno, por7,000 rs.; Saluslio traduzido ao p da
lettra por 600 rs:; Taboas"de logarylhmos, por 2/
rs. : no Alerro-da-Hoa-Visla, loja n. 78
Vendem-so dous pretos mocos do bonitas fi-
guras ; urna mulalinha de 3 anuos ; um mulatinlio
de 12 annos : na rua d o Crespo, n. 15, primeiro an-
dar.
i
Escravos Fgidos.
Ausentou-se, ha dias, da casa de seu senhor o
escravo Joflo pardo triguiro de 15 a 17 annos ,
cara grande, olhos regulares, hons dentes; bem
Conhccido por andar freqnentemenle fardado: quem
o pegar leve ao Mondegjo a seu senhor l.uiz Co-
mes l'erreira que recompensar generosanienle.
Fugio, no dia 8 do correte o pardo Maltiias ,
natural do Ico ofiicial do pedreiro baixo e seceo
lo corpo cabellos crespos pouca barba ; levou
chapeo de pal ha novo, camisa branca calcas de
ris*cado e duas trouxas de rnupa em dous lencos ;
lem um dedo de menos na mlo direita ; seguio pa-
ra Olinda onde foi perseguido at o Varadouro e
pelo cavallo de quem o segua ser rulm, he'que nao
foi agarrado : quem o pegar leve-o a rua Imperial,
n. 9, quesera bem recompensado.
-- fugio no da 5 do corrente o pardo Flix ;
lem um talho no rosto do lado direito, que pega da
sohrancelha at a bochecha; lem a cara redonda c
com marcas de bexigas, cabellos corridos como os
do calinelo ; lem no de.lo indicador signal de um
pana riti o no dedo grande do p esquordo tem a
unia partida ao meio; levou camisa do algodlo-
zinhocorh botOes na abertura do mesmo panno,
ccroulas de algodioda trra j velhas e chapeo
de palha pintado do prclo : quem o pegar leve-o ao
pateo do Corpo-Santo a Antonio Rodrigues Lima,
que gratificar.
Attencao !
-- Fugio, no dia 25dooutubro prximo passado,
da casa de Manoel Antonio de Azevedo a sua es-
clava, de nomo Benedicta, crioula, de estatura bai-
xa, grossa do corpo, dentes limados; tem os"petos
desproporcionados a sua idade; representa ter 16 a
18 ; unces; levou dous vestidos, um de dula branca
com ramos miudos e oulro de riscado azul imitan-
do clnla ; lambem levou panno da Costa ja usado ;
consta ler andado na estrada do Manguiuho atea
Pnute-de-IJcha o lem sido vista de'noitc em al-
gumas vendas da bairro da Boa-Vista. Itoga-se as
autoridades policiaes e capilfics de campo, queja ap-
prciinndam o levein-na 110 Aterro-da-lloa-Vsta,
loja de fazendas n. 10, ou no sobrado grande da
Soledade que se grat'licar com generosdade.
. DAO'-S 100,000 RS. DK CRATinCACA.
Fugio, ou foi furtado, cm 27 de selembro de 1844,
um moleque, de nonie Carlos devendo ter boje
15 | uma belida no canto do olho direito, e com uma
marca de ferro prto do pelo diroito.que parece ser
AF, c contra-marca por baixo dcstas ledras, que nflo
se pode bem distinguir : falla.aind muito pouco ,
por isso com estes signaos bern fcil he de ser.co-
nhecidade. Itoga-se a todas as autoridades e capi-
tiies de campo que o apprehondain e tragam a osla
typographa,quorcccberiO 100,000 rs. de gratifi-
carlo e se payaran todas as despezas.
~ Fugio, no dia 6 do crreme as 9 horas da noi-
te do lugar do.Monlciio a cimbra Cordolina ; le-
vou cm sua companbia uma flllia do poneos mezes,
muito alvinha e com os olhos azucs : quem a pegar
le-a a rua da Aurora, casa do Maciel ou atrado
theatro cocheira do Sr. liis, que se gratificar ge-
nerosamente.
Fugio, no dia 3 do correte, um preto Caca 11-
gef. de trinla e tantos annos; he bastante pelo ,
tem rosto Coinprido ; do lado esquerdo signal do
uma fstula ; tem os pos bastante giossos o alguma
cousa Untos para dentio ; sabio para vender pilo
na freguozia de S.-Antonio do liecil'e; levou calcas
de algodio trancado azul e camisa de algodflozinlio
branco: quem o pegar leve-o a rua Direita, n. 69,
que ser recompensado.
Fugio, na noite de 4 para 5 do corrente, do si-
lio do l'oco-da-l'enella o muilo couhecido pelo
Thomaz com os signaos seguinles: estatura bai-
xa reforcado do corpo rosto rodondo sem bar-
ba ; falla muito bem anda sempre fumando cha-
ruto. Este escravo estove trabalhfindo 110 armazem
de farinlia no Becco-I.argn uo Sr. Joo a quem o
mesmo portence c depoiso passou para Irabalbar
110 sitio ;*levou calcas luancas de ajgodao grosso o
camisa 10 niosmo u.mais uma de .riscado. Boga-so
niBnlas bordadas.de setim cdegorgurSo.para grava-
las a 2,00c rs.; casimiras finas o elsticas a
1,900 rs. o covado; ditas do quadros, muito en-
corpadas a 1,600 rs ; ditas ordinarias, a 1,000 rs ;
dilas molhores, a 1,280 rs! ; sarja de soda preta lina,
larguras com flores, a 1,000 rs. o covado ; e oulras a 1,500 rs. o covado; chapos do Cbili,a 1,800, 3,500
mais pechinchas, chegadas agora de fresco. Io6,000rs.; chapeos de sol, tic seda, para homem,
para col lele, a 5,500 rs. ; li-
eos e elegantes cortes de cambraia de seda, de lin- jas autoridades uoliciaes o capilics de campo, que o
dissimos padroes a 7,500 rs. ; lindas e delicadas apprehcndan o levem-no ao mesmo silio, ou airas

da "matriz da Boa-Vista sobrado 11. 18, ou na rua
do Trapiche ji. 36, quo se pagaran todas as des-
pezas e se gratificara.
!=
'tl^.
\A TVl'. DE M. r. DE FABIA. l847


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EN1YSU05N_4D5GUQ INGEST_TIME 2013-04-26T23:56:27Z PACKAGE AA00011611_08561
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES