Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08552


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*>
Anno de IS47-
Qurta-feira 29
I"'"'"" "h.,i" e... tvr H,irrr-n.c, as
PIIA8ES DA LA.HO MR UK SE.TEUBRO.
... -ni. I. a 6 horme *t niin. da Urde.
^"C';. .o.l'mi.d.t.rd...
PART3\ OOS CORRElOS.
f'ioii'in 1 Parnlivli, i uiindts eelas fer~
It 11-1 i ande-dn. Ni/rte quimas feins ao ineio- '!hn, Serin'itin, Itin-Korwaio, Poilo-Ca.vo e
I 1 1 1 no I .*, a II e 31 I<- cada II1C2,
r iim riU'H e Boiiito. a fi e 23.
Umi-Wt Plores a 13 e J8.
Victorii) s'qimiM feraf,
Oliuda, todos os das.
PftEAMAt DE I10JE.
Prlineira, s 8 hora] e 30 minutos da niaahia,
Secunda, l 8 huras e M miuutos da tarde.
DIARIO DE
*e Setemfiro. Anno XXIV.
y. 210.
DI A* D\ SEMANA.
57 Seijnmla. i. Eliziario. And doJ. di>r-
i,h. doJ. d.c da 5 ilnJ M. d* I rara,
38 Terca. >. Vence n. Aud do I 110 eiv d:
I. T e do I. ne |iz do 3 dit de t
39 Ollar >fl N. 'l^ucl \rclianjn And. do I.
dociv.davv e-I I. Jiepai do i. dl de t
30 (imita. >. Jrrnnyii Agd lo J. ue orjih.
c do J. municipal da I. vara.
1 *e<. 8. Verissimo. And do I dociv. da I.
.do 1. de unido I. dit 2 Sahlwdo. S. Leodegario. Aud. do J. do civ.
da I. v. c do J. de pi do I lis!, de t.
3 ominco. O SS. RozarioJe Nosa Senlio
CAMMOS NO DI A Jl DE SETKMBRU.
|t:..l.io ol.re Landre a 37 d p. I* rf. a > dia*-
t a P-r.s 3sfl rs .por franco.
Lbhm """ 110 de prendo.
Hese, de leitr. de l-oa l'.nn. de '',"/. <> 7'
O.ro-O, |.ep..l.ol. "" "**J
Moe.li! de , de 6lln> uov .
. de 4,jf000------.
Praa Patacoe.........
Pesos columnares...
\ Hitos mexicanos ...
Miuda.
|iifi0 )*"""
9#I00 a i*4"
3*000 a Jf">
1/860 l|M
1/830 a 1/8
11 OVO
* imti:i..........." "------ _.-
Accoe dacomp.do llcberibe de SO/000 rt.io pr
Tff^ fe
EXTERIOR.
HESl'AMiA.
0 INFANTE D. FRANCISCO DE PAULA E AS
SOCIEDADES SECRETAS.
MADRID, 38 DE IUNU0 BE 18*7.
A rainha, que, alm doseu genio todo faceto, lie
milito curiosa e perguntdora, est, segundo corre,
summamenle pezarosa prnflo ter podido obler in-
formacOes mais minuciosos relativamente socieda-
de secreta a que seu lio pertenco, ou antes perten-
ceu poisquehede presumir quo fosse expulso dc-
pnis que involuplariamcnte trahio seus companhe-
ros. Tcm-so parolado grnndeiiento sobre o assump-
j e militas soas historias que se contam qua;ito
miieira por quo a rainlia veio a dcscohrir o segredo.
Entre as que correm roferirei a seguinte ; A carrua-
gememque iam n rainha e o infante parou por urrt
instante debaixu do arco da Armera. S. A. It. litou
osollios na abobada, o fallando por certo comsigo,
disseem voz alta: '-.v
Debaixodo arcodebaixo do arco'um
campo. Caspile.' Isabel, ests arcada. Eeutambem
ecu tambem. >
He natural que os irinfios- da l.oja Encarnada en-
tcndamaallusflo.
.< -r- Arcado, arcada.' exclamou S. M. Catbolica.
Quoquer dizorcom islo meu tio ?
,. Que es dos nossos; dos nossos.
S. M. tem um genio de do^ura anglica, como di-
zia o actual redactlo Faro quando ierramava a
luz do seu grando talento as columnas do Heraldo;
masosproprios anjosse mostrariam algumas vezes
impacientos so tivessem do conversar coin o infante
D. Francisco omassumplos serios. O caso lie que S.
M. dissecom algutia vehemencia :
Vamos, explique-so. Como he quo cu cstou
arcada? Alluilea.. .
Nflo, nSo, nao! Eslava me lembrando que
passaste por baixo do arco ; todos nos temos de
passar, isto he, todos os quo pertcncemos a socic-
dade.
A que srfciedadc ?
Nao me lembra bem o que he; mas he urna
sociedade, urna sociedad de liberaos. N3o somos,
porm, pedreiros livrcs.de chapa, nunca invocamos
Satanaz. Olha, Isabel, pertenc.o a urna sociedade se-
creta, n
S. A. fechoii os olhos como quo fallando comsi-
go, e iliz-sc que accresrentra :
Temos obrigaciio de sacriOcar a vida na cau-
sa da liherdade contra os oppressorcs do povo, con-
tra os tyrannos da Ierra ligados contra o genero bu-
mano, imperadores, res, principes ...
E infantes, e suas sobrinhas tambem, nao he
assim!"
Oh! isso nunca cu pcrgunlei : parece im-
possivel, nao ? Mas deixa estar, que hei de fazer a
pcrgunla contra rcis, principes, el celera. Olha.
Tiram-se sorte cortos nmeros. N. 1 contra os
rcis"; eso me locar ess numero, que liei do eu li
zer l .
Ecravou os olhos na sobrinba com muita ter-
nura. *
A rainha olbau para o tio, o mu i lo, a fez nr a idea
do que a pessoa que so sontava ao seu lado, c em cu-
jo rosto se divisava tanta affcicSo, fizesse parte de
urna liga horrenda onde s se tratava do punhaes. O
tiniido a adocicado Augusto Moddle, ameacando tra-
gar o Sr. Jenliins, nHo fez por certo urna (gura loo
triste. S. A: It. adespeitoda barba o bigodes iui-
vos quo de longe Ihe dSo corlo aspecto lemivel, be o
ente ma9 innoxio que Dos deilou a este mundo.
Scicntomcnte todos o tecm por incapaz de azer o
menor nial a homcm ou bicho ,
A curiosidade regia tinha sido, porem, excitada
no mais subido grao. S. M.'pcrgtHitou c repergun-
tou; pareca ter desejos do pcrlencer a sociedade
mala-tyrantios de quo seu tio era mombroj oas-
segura-se mesmo com o- maior ar de senedade, que
oinfantolliepronioltOiaprop-la. Ha, porem, aqu
exageracao. A rainha'eslava gracejando
Oque heverdade, comtudo, he quo a graemba
por ura tria que ia sendo graga pesada para o infan-
te. A rainha, por brinco, contou a historia n Iguns
deseuscriados. Chcgando aos ouv.dos dos ni lus-
tros, rcuniraiii-go estes logo cin concclho, t, como
dsse,.chamaran, o infinito sua presenca. uir-
reu depois quo os papis quo tinha cm su poder re-
lativamente a sociedatlo os entregara nos ministros,
e une mpenhra a sua serenisMina palavra de nun-
ca mais fazer parto descmcIhauU's associogOos, una
vez quo o nao mandassem sabir do Madrid.
AlRunsjornaesprogrcssislas hegam a existencia
de sociodadessecretas liberaos depois da morte de
Fernando Vil, e asseguram que o partido aliance/.a-
doh'uu'-csuscilou os Clubs dos Annillero, para o
|m de cstabolccor o despotismo.
ruiz'comu'andados pelo terr.vel guerre.ro duque
dCA'sodedade socrela a que se diz pertencer o in-
Ciiminipros cslabelecidos em 180. As lojas mac/iin
1 "*% I imen dillerontes pontos do reino
antes da msueicao da ilbadeLoon, augmcntaraui
r Same oe penco autos uesse acontec.mento ti-
^aSq^^mlo^oi.d^^^
i\u
des
na Poninsula, cm muitos dos quaes havia lojas ma-
snicas regulares, introduzio os mysterios masni-
cos entro os militares. Desdo 181* oxistiram socie-
dades secretas na Hcspanha, a despeito da hostil-
dade do govemo o das perseguicOes de Fernando
Vil, sob a denominacTio geral de masonera. Os tra-
balhosdns mas'Oeshespanbcs n3o se dirgiam, po-
rm, aos objectos philanthropicos do iguaes insti-
tuisOcs em outros paires. Adoptaram alguns dos
costil mes o imilaram os sgnaos e palavras de passe
da masonera; mas as suas vistas eiam cssencial-
mente differonles. Mo grado os perigos que os cer-
cavain em consequencia daboslilidado do roi, per-
soveraram cm seus intentos, e nenhuma duvida ha
de que aos chamados, pedreiros livres da llospanha
dos seis anuos anteriores ao de 1820 foi doyido o tri-
umpho da causa constitucional naquella poca.
A antiga instilusao masnico, composta prnci-
palincnto de homens de carcter placido o de vistas
moderadas, quo queriam conseguir as reformas po-
lticas por meio-de frga-moral, foi invadida por urna
mocidade ardente, cujas ideias cram muto mais ex-
agoradas. Os novos membros impacentram-se
com o vagaroso progresso dos veteranos, o, passado
pouco lempo, separaram-se, estabelecendo os dis-
sdeutes uin nova sociedade que denominaram Co-
muneros.
Aos iniciados nos segredos masnicos coevos dos
mvstcrios eleusinos ser desnecessario dizer que a
masonera nao he na rcalidade una nstituiso po-
ltica. As sociedades estabelccidas na Despalilla, e
que tomaram aquella denominacfio, niio eram senSo
urna imiUcfiO, no que diz respeilo s formas, da ver-
lavras, certas ceremonias naadmissao do membros,
mas o objocto real da sociedade era poltico c ten-
da a conservar a afleicao s ilstituisoes livros om
um paiz opprimido pelo despotismo do Fernando \l
e exposlo aos terrores da inquhJicSo.
O nomo da nova sociedade do Comuneros foi tira-
do da uniSo, quo, sob a direcs1o de l'aiidilha, forma-
ra m as communidades das culades o villas de Castel-
la, no reinado de Carlos V, para se opporem as ye-
XasOes e arbitrariedades do lyranno austraco e dos
seus validos eslrangeiros. Asdoutrinas dos novos
Comuneros eram exalladissmas. Prestavam oju-
lamcnto seguinte: Juro dar a morte aquello que
pela sociedade me for apontado como traidor; se
eu nflo cumprir A niinha promossa, caa a minha ca-
beca sob o culcllo, e seja entregue u moa corpo ao
fogo e as minhascinzasao vento. .
Pouco depois da sua fundasiio contava a sociedade
mais de 40,000 niombrdB. Os masOes anda recusain
receber certas elasses ou pessoas ifo cortos ollicios ,
mas os Comuneros sao menos escrupulosos; au-
nriltom todos os que se aprosentam.
Comaunicaesccpcaodaum laclo milito conhe-
cido'(*), nunca a masonera admittio mulhcrcs. bao
recebidas, porem, na sociedade dos Comuneros o
bello sexo, apaixonadoe exagerado em ludo, bom e
mo, fundn sociedades parte.;-tinha Mta^
tes, vice-presidontes, secretarios, ele.,- ag.tado.es
fogosos, Alcal Calanos fe.mninos. (-orna em
massa as suas tertulias; saraos) patriticas, tinha
rouno'es secrotas, admltia con. iguaes ceremonias
os temos candidatos a gloria, prestava um juramen-
to anda mais lerrivel do que o dos seus collegas pa-
triotas do sexo masculino, o dos labios da formosa
Andaluz, quo .; aalureza formara para respirar ac-
centos d ternura o de amor, pronunciava.n as mais
hor.iveis.uvoc-.sOes, oproioriam palavras de san-
cue o de morte. .,,
Os membros desta sociedade organisaram clubs
como os dos sordcleirose jacobinos, aos quaes era
admittido o publico. Iteuniam-se geralmento nos
cales Em Madrid haviam dous multo notaveis, o
do Malta ou Lorencini, e a lonlana-de-Vro. L.a es-
pecialmente ueste que comparecan! os membros
mais violentos o exagerados das sociedades secre-
tas- c de todos os oradores que dessa tribuna lem-
uor'oriaoudocima das mesas, como Camille Dos-
moulius no Palas-Royal, oxciUva.n as pa.xOos do
povo, nao era por certo Alcal Callianoo menos en-
Osystcma dasassociasOes secretas n3o so limita-
va porem, aos republicanos ou aosconstitucionaes.
Os'absolutistas e roalistas tnban tambem as suas
lojas e clubs. Ao mesmo lempo quo o papa I'io Vil
aiiatliomalisava os carbonarios da ItJa cin setem-
bro de 1821, c ordenava, sob pena de excommunbao,
do fossoin denunciados, urganisavam-so na Despa-
lilla- sociedades absolutistas com a denominadlo de
Anjot Kxterminadortt, A Inmaculada Conceicdo, etc.,
as iiiiaesciitraraui muitos bispose Irados.
Fxislia tambem urna agsociacao intermedia,
una especie do comprouiisso entre os Comuneros e
o AniosBJCterminaduies -,.que so dcnoiniiiava A.m-
goniaconstiluiva-o. I'oram seus fundadores Martnez
do ia Hosa, o condo Torco e o duque de Iras. O
seu (im ostensivo era sustentar o systcma represen-
tativo, livro do republicanismo tunoso dos comu-
neros ou das tendencias .despticas dos Exterm.na-
doros. Os seus adversarios doram-llie o nomo do
Annitleros, nomo por quo sempro I'oram conbccidos,
por usarem do um aniiel {annitlo) do certo foitio, que
era o signal de roconheciment. U inarquez de Mi-
radores descreve pela seguinte maneira no seu Apon-
lament Histrico o lim que tinha em vista osa no-
Va0Al-'iusedaquellcs que conceberam o projeoto
abandonaran! as lojas dos Comuneros logo que as
viram convertidas em tl.eatros de .ntr.ga o de m-
teresses privados, o assentaram em principio quo as
assoclasoes secretas podiam ser annulladas ou neu-
tral isadas por outras mais bem organ.sadas. Per-
severaram, pois, na ideia de exigir algumas formali-
dades para admissfo na sociedade quo lam formar,
toes como o uso do annel o corta apparencia do se-
gredo. NSo foi avante, porm, o projocto. Poz-sc
de parlo o carcter secreto, rosolveu-se que nao hou-
vesse signaos, palavras do passe, etc., oque, depois
do communienr-se autoridade civil a existencia da
sociedade, tomasse esta a denommasao dcAssocia-
S"o I.Iterara, sem comtudo abandonar o objecto pri-
mario para que fora organisada. ,
Urna sociedade tito pacifica nHo poda resistir a
opposisao violenta que do lodos os lados se les-
pregou contra ella. Foi atacada pelo imprensa o
meltida a ridiculo, o abandonada por (im polos pro-
prios fundadores corridos de vergonha.
n Dorante a existencia d sociedade foi seu pre-
sidente o principe de Anglona.
(Corresp. do Times.)
n
-i Lady Aldworlh, cujo retrato se acha erei qiia-
, adquir dogreinte trSa o a.llueuc.a A .evou U l ) fei aumiUlda por necess.da
IVunccza famfliarisou na W.pJ- c ^3 Ue Nunca passou, porm, do grao do aprend.z.
polticas, e a presenta dos iegimeuios ingiec!
FUAiNCA.
PAHIS, 24 DE JUI.DO DE 1847.
Da alguns diasque correm boatos decrise minis-
terial. Falla-se da demissno do ma reclu I Soult ede
ter sido chamado capital o marechal Itugeaud. O
fado be o seguinte : O marceal Soult o o Sr. Testo
s3o amigos ntimos, tanto que o primero puncas
vezes foi encarregado de organisar um ministerio
sem conservar urna pasta para o segundo. A desgra-
sa do Teste nspirou, segundo parece, ao marechal
Soult tal avorslo vida publica, que manifestou a
el-rei a sua firme resolusao de retirar-so vida pri-
vada. O concclho de ministros, vendo que seriam
inuleis lodos os esforsos que se fizessom para des-
viar o marechal da sua resolusao, acoiiselhoi. 1 el-
rei que acoitasse a demissao. Para subslitui-liwem-
braram o marechal Bugcaud ; masel-re, conicccn-
do os desejos que tem o Sr. C.uizot de ser presidente
do concclho, oITcreceu-lhe este cargo.
O nico obstculo que so apresentava para a elo-
vasHo doSr. Guizoteraro as prctenc/Jes do Sr. Du-
clialel, que allegava os nieosque tinha para trazer
cmara deputados que sustenten, a todo transe o
gabinete. As encontradas prMensOes dos dous mi-
nistros cstiveram a ponto de produzr bWTompl-
inciilo estrepitoso ; mas por (im conseguiram os a-
migos faz-los concordar, resultando daln a nomc-
acno definitiva do Sr. Guizot pora o cobrado posto
da presidencia do concelho.
Para celebrar este desenlace deu cl-re. antc-hon-
ton. um banquete aos ministros no palacio do Neuil-
Iv, no qual faltn s o Sr. Salvandy, por causa la
sua gota. Comtudo o Sr.Guizot.nBo lomara publi-
camenle o titulo do seu novo cargo senao depois do
voltar dos banhos. Parece que se ada a sua iiomca-
cao ollioial para aguardar o resultado das cleisoes
em Inglaterra : so estas derem a ma.oria ao gabi-
nete whig, tratar o ministerio francez de consoli-
dar-so para resistir aos ataques da opposisao cas
complicases quo venham do alm do estrello, pois
he sabido que a prescita de lord Palinerstoii no ga-
binete inglez setnpre foi un: obstculo para a polti-
ca conservadora do governo fronecz. Conjeclina-se
que para essa poca sahirao do ministerio os Sis
Cunin Grldalne, Jair, Trezol o Salvandy ; mas estas
conjecturas nao tcom por ora soiulo os fundamentos
que aununcio.
Para o cncerraniento da scsso das cmaras nao
se espera senao que a cmara dos pares vote o or-
Sainonto, 0 que se presumo lea lugar antes de 7 de
agosto. ..
He de recoiar que baja desordens as fcstasji e Ju-
ll.o O governo levo denuncia deqifo o partido re-
publicano intenta fazer algumas demnstraseos tu-
multuosas Por esto motivo lomaram-so todas as
providencias que se julganrm neccssarias para evi-
tar quo seja perturbada a trauqu.llidadepubh.ca. A
tropa permanecer nos quartois nos d.as 2<, 28 e
29, e nos lugares do grande concurrencia kmrtn-
trlhas forte, para u.antercni a orden.. Kniret, o
fazeni-se preparativos para que as pstas sojan bn-
hiiles, 0 as aleas dos Ca.npos-Elys.os estao cboias
de operarios que trabalbam as decorasoos para a
llun.inas.lo gcral quo se er ser., mais Inzua do que
a dos anuos anteriores.
O "ovcriio recebeu despachos da sua embalsada
na sSissa, participando que a dicta por maiotla de
dote votosemeo resolveu intimar aos cantOosc..-
tholicos a dissolusao da liga. Como estes cantos
"ta resolvidos a oppor^se a nUoi8o OonltrmM
na .nao 'he. immincnle a guerra c.v.l. O gover-
o, porta.lo, decidi mandar ..... exercito &**?
vano para fronteira, cujo co.nniando parece aera
confiado no marechal Hugeaud.
(Corresp. do Heraldo.,
GRAO-BUETAM1A.
LONDUES, 23 DE JUI.HO DE 1847.
EKCERIUMMTO E DISSOLUSAO DO rALAMENTO.
DISCVItSO DA COHA.
Mu-ohds a Senkores. Tenbo a maior satisfasao
cm poder dispensar-vos dos deveres deu.nasessao
laboriosa e ebeia de anxicdade. No posso, porem,
desnodir-mo de vos sen. vos manifestar o tneu reco-
nhccimnto pela ass.duidade e zelo com que vos de-
d.caslesao examedos inleressos pblicos.
A vossa attensao lixou-se principalmente as me-
didas de auxilio im medalo quo urna grande o nunca
I vista calamidade lomara necessarias.
Com o maior prazer dei o meu assculimcnto as
lcis, que, permittindo.a livro admissao doscecaes e
facilitando o emprego do assucar as fabricas do dis-
tillasao, tciidem a augmentar a quantidado dos ali-
mentos o a fomentar as retasos commerciaes.
Folgo de ver que cm ncnlium caso propo.zestes no-
vas restricsOes nem'coarctastes a liberdado do com-
mcrcio externo 011 interno, como moio de diminuir
a miseria. Tenho a convirgao deque taes medidas
silo geralmento inellicazes, oque em alguns casos
aggravam os males quo con. ellas so prolcndiam mi-
tigar.
Approvei cnrdialmante os actos le beneficencia ge-
nerosa o liberal, com quo suavisastes os padeci-
mentos dosmeus subditos irlandezes, ecom igual sa-
tisfasao sanrcionei a lei destinada a prever com mais
sfigqranga ao soccorro permanente dos pobres da Ir-
landa. Dei tambem o meu assenliinento a di lloren tes
lcis tendentes a promover a agricultura e a desen-
volver a industria dessa parte do Iteino-L'nido. A mi-
nha attensao so finar as domis medidas que pos-
san, sor adequadas a esses fins salutares.
As minhas rclaccs com as potencias eslrangelrss
contiiiuaiii a inspirar-nio conanga na manutensao
da paz.
Vi com grande satisfago que as medidas que to-
mei, do accordo com el-rei dosFrancezes, com a rai-
nha da llospanha ecom S. M. I'idelissima para a pa-
clicas>1o de Portugal, liveram o mais feliz resulta-
do, o quo a guerra civil que ha tantos mezes assola-
va aquello paiz, terminou finalmente sem effus3o de
saugue.
Nutro a esperenca de que d'ora em diante se ajus-
tarilo as dilTercnsas entre os partidos polticos que
dividen. Portugal sem nocessidado do appollo s
armas.
Senborcs da cmara dos communs. Agradego-vos
a solicitude com que me concedostes os subsidios ne-
cessarios: serao applicados com devido cuidado o
economa s necessidades do servigo publico.
Estimo sobremaneira poder infonnar-vos.que, n3o
obstante os pregos altos dos arligos de primoira ne-
cessidade, tem sido a renda al boje mais producti-
va do que eu devia esperar. O augmento no uso dos
artigos de consumo geral contribuio principalmente
para esto resultado. A renda produz.da especial-
mente polo assucar BUguienloU grandemente com a
remogao dos direitos prohibitivos quo pesavam so-
bro o assucar cstrangeiro. _________
Ai dill'urtiii.aii u>iuU>* p*n f""1"""'
aeducagilo no Iteno-IInido, contribuirao para o
melhoramento religioso c moral do meu povo.
MylordseSenlio.es. Julgo dever informar-vosquo
he .1111.ha iolencno dissolver inmediatamente o ac-
tual parlamento. .
Descanso na lealdade o llirono e no amor as nsti-
tuigoos livres deslo paiz, queanimam a grande mas-
sa do meu povo, e uno nicus votos aos seus para pe-
dir ao Todo-Poderoso que pela sua divina graca con-
voi la a foilic que nos teem assolado om barateza e
abundancia. .,..', ,
Jornal do Comnureo.J
iUO-DK-JANKlRO.
NOTICIAS DIVERSAS.
Fomos obsequiados com fblhas de Londres at 2
do julho lioite. ,. a
O parlamento inglez foi encerrado 110 da 23, e
nesse mesmo dia foi dissolvido, sendo convocado o
novo parlamento para o dia 21 dcsolembro. No da
28 principiavam as cloigocs geraes.
OSr. Labouchcre foi nomoado ministro do com-
"' Acquadra do ovoluefics, sob o co.nmandcf do con-
tra-almirante Napicr, eslava de verga d alto em Spi-
' DO 'aris tlOMICMI as dalas a 23 do julho. As no-
ticias da eolheta do coreaos, tanto cm rana corno
na Italia e llospanha, eram summameiite sa issc o-
1 as. Em Portugal assegura-se ser abundantlwime-
0 Times, referindo-se a cartas de F.vora, diz qtle mo
haym memoria do urna .Incita tao grande, 1a que
sa do Alcmtclo auppriri todo o remo por espaso
d AteS. francezes unnscrevem a sonlenCT pro-
ferida pelo tribunal dos pares no Pro^j^'*?:
He em reanmo, o quo publicamos no Commemo do
Commercio de 8 'lo Uto. tt^lWewJgJ-
do a resiituir os 05,000 francos que rece era dogene-
; Mm' es, quo serao confiscados c.n be.iel.cio dos
s es a 3 anuos do priflb, degradaeflo dosdl-
ml s civ s,e multa de 94000 francos ;o general Cu-
bi-s-ii''aldegra,lasao e 10 mil francos de mil-
KarmeXl*ono^opfW* por* uos "
vitos civs 10.000 francos le multa e custa.
O era Cubieres pagou a inulta que Ihc fOra im-
nosta e ms 2,000 francos de cusUs, e tb. poste1 im-
ned ata ment em liberdado. O ex-ni.nistro leste
"i transferido do Luxembourg para a Co.ie.erger.e,
ondo lhe prepararan) m aposento, justamente por
baixo da sala em ouo so reno o tribunal de cessa-
cao.'dequo era presidente. Dizia-se que paseana
brevemente para a fortaleza de Han, ondo cumpn-
ra a pena quo lhe foi imposta. Pellaprat entregou-se
110 da 30, o no da 23 comecou o seu processo. O
reo confessou que tinlia servido de intermediario
para corromper o ex-ministro Teste ; mas protes-
tou que ob(ara assin smente por sontimentos do
amizade para com as partes mteressadas. o quo pes-
sualmente nflo ganhra um real na transacgflo. Ac-
() Tambem nos noticiamos essa sentenga emo
Cario n. 184, de 30 de agosto ultimo.
H

-


*
i
4
crescentou que nfio fugra porque receiassea decisfio
do tribuna! no que Iho dizia respeilo, massim para
nfio ser obligado a depr contra urna pessoa que por
muitosannos Cora sen amigo. Os debates termina-
rain as 5 horas da tarde ; mas no momento de par-
tir ocorreio nfio tinha o tribunal proferido a sua
sentones.
Afflrmava-se novamete cm Paris que o ministe-
rio la soflrer urna quinta modificaefio. 0 marcrhal
Soulttornoua pedir a sua demissfio, e corra como
corlo que Tora aceita, que o Sr. Guizot seria nomca-
oo presidente do concelho, quo o marecbal Bngeaud
entrara para a pasta da neira, eque o.Sr. Cunin
(.rulaine largaria a repartiefio do comniercio.
O National, diz o Times, zomba desle quinto es-
peca ment do gabinete ; mas nfo vou nfloquer ver
a suniicacfio da nomeaefio do marecnal Bugeeud.
O primeiro acto da sua administradlo ser prova-
velmcnteo de armar os fortes destacados da capi-
tal. ., sea ragrssgo a Franca e entrada para o minis-
terio silo cousas de ha muito resolvidas, e indicam
recejos de urna crise, receios infundados, porquanto
o partido do movimcnlo nfio tem a menor nlencfio
de precipitaros acontecimentos.
ELEITORES DA FREGUEZIA DO CABO.
N.
NOMKS.
I.m Argel promovia-se a assiguatura de urna
resentaefio a el-rei, pedindo que oduque d'Au
e tosse nomeado governador geral da Argelia.
\ Oazcta deAugsburgo confirma a noticia iiu
re-
mu-
lla cm Paris
d
qucfCor
o Londres, nosdias 20 e 21 de judio,
(JO que o cardeal Ctzzi tinha dado a sua demissfio, e
de que Sua Santidado Ih'a aceitara. Altribue-se a
demissfio do secretario de oslado poutilicio a nlo po-
der concordar cun asideias do papa a respeilo da
organisaeflo da guarda cvica.
Os jomaos do leme do dia 18 dejulho referen]
que lili ha havido una conversarlo animada entre o
cmbalxauor francez na Suissa e o presidente do di-
rectorio. Parece que o presidente dissera aocmbai-
xador que o directorio mo permitliria que nenhu-
ma potencia eslrangeira interpretasso o pacto fede-
ral, e que, respondendoocmhaixador que as poten-
cias alliadas procurariam chumar adieta a rasfio,
replicara o presidente : Se as potencias alliadas
querem arriscar o bolo, apuntaremos tamben, no ju-
go ; terminando assim a conferencia. A firmeza
que mostrava o presidente era atliibuida na Suissa
aoonvcefio que tem deque a Inglaterra mo con-
sentir que a independencia da repblica seja ataca-
da pola Franca ou pela Austria.
Os Russos abrir 01 a sua cainpanhado Caucasopor
un revez. Assaltando a villa de Crcgcbil no Daghis-
tan, commandados pelo general ein chefe, forain ro-
pellidoscom grande perda.
Da China ha noticias ale 23 de maio. A populacho
de Cantfio ameacou reduzir a cinza.i o palacio do
governador da provincia, se este levas a effeito a
cessfio de torras promeltidas aos Inglezes para eous-
truireui um cemilerio. O ollicial nglez que tinha
dado principio medievo do terreno teve de aban-
donar esse trabalho, e receiava-se nova expedieo
britannica para compellir os China a cumprircm a
promessa que liles lora extorquida.
691
691
690
690
690
690
VOTOS.
1 Francisco Paes Brrelo (Mulnote) ----- 1133
2 Coronel Francisco Jos da Costa----------- 1133
3 Major Joaquim Theodoro da Silva Sisneiro 1130
4 CapiUjO Jos da Silva Sisneiro Guimarfies 1113
5 Vigario Jos<'-l.uiz Pcreira do Queiroz 975
6 Dr. Manoel Carneiro Lina de Albuquerque 879
7 Pedro de Albuquerque Lins- e Mello--------835
8 Estcvfio Jos Velho Brrelo---------------------694
9 Jofio Paes Brrelo do l.acerda --......693
10 Jos Mara de Albuquerque Maranhito 693
11 Antonio de Siqueira Cavalcanti ------------
12 Jos Salgado de Albuquerque Maranhfio -
13 lia rilo da Boa-Vista......----------------
14 Ignacio Francisco Vieira de Lcenla--------
15 Jos Joaquim do Bego Barros------------------
16 Jos Paulo-do Reg Barrete.........
17 Manoel do Carmo'Caima de Assucar-----------690
18 Commcndador Joaquim Aurelio Pereira le
Carvalho.................. 689
19 Tenenlo-coronel Joaquim .Manoel do Bego
Brrelo-----------------------------------------. C89
20 Jos Antonio da Bocha----------------------------689
21 Antonio Januario Paes Brrelo.......689
22 Antonio de Siqueira Cavalcanti Jnior 689
23 Antonio de Paula Souza Lefio Jnior--------689
24 Dr. Fernando de S Albuquerque......689
25 Captfio Francisco Antonio de S Brrelo
'untar...................c,89
26 Antonio de Paula Souza Lefio.....------688
27 M:i noel Jos de Siqueira------------------------- 688
28 Manoel lose de Siqueira Cavalcanti-----------688
29 Antonio dos Santos de Siqueira Cavalcanti (88
I Francisco Manoel do Siqueira-------------------
'naci Jos Velho Brrelo---------------------
ss e medidas desle municipio, tendo igualmente
por base a importancia de 12:301,000 rs., por quo fo
''""rematada noannofindo.
Paco da cmara municipal do Reeife, 29 de setcm-
bro de 1847. Manoel Joaquim do Reg Albuquerque,
presidente. Joo Jos Ferreira de Aguiar, secre-
tario.
I1UUBOVI
Declarares.
31 le
32 Jcroymo Salgado de Albuquerque Mara-
nho.......------------------------------
33 Filippe Santiago de Sena.....-----------
34 Dr. Firniino Pereira Monteiro------------------
35 Jofio Eloy Cavalcanti-------------...
36 Jofio do llego Barros (Boto)---------------------
37 Jofio Baptista de Moraes...........
38 Ca|>il,lo Jos Francisco da Bocha Guedes -
39 l.uiz Ionios de Motira..........-.
i" Manoel da Bocha Guedes.....-----------
41 Thomaz Jos da Silva Gusmfio.....- -
18 Joo Evangelistafde Vasconcellos-------------
13 Joaquim Albino de Gusimlo -------------------
H Antonio Je Lima Maciel........____
45 Manoel Vaz de Souza Lefio.....-----------
46 Jofio .Nicolao de lira Cavalcanti----------------
47 Ignacio Ferreira Coimbra----------------------
48 Antonio Francisco de Paula Brrelo--------
M Antonio Amancio da Costa......____
50 Jos Cavalcanti de l.acerda Campello--------
688
688
688
687
687
687
687
687
687
687
687
687
686
686
686
685
685
684
681
668
668
As pessoas que arremataram qualquer renda
da cmara municipal desta cidade, podem compare-
cer em o dia 30 docorrente, para assignarem os res-
pectivos termos: e no caso de nSo-comparecimento
irfio novamonle em praen.
Becife, 28 do setembro de 4847.
_ Osecretario,
J. J. F. d'Aquiar.
O arsenal de guerra compra 889 covados de
baetilha : quem dito genero quizor fornecer man-
dar sua proposta em carta fechada e a amostra a
directora do mesmo arsenal at o dia 2 do prximo
futuro mez de outubro.
Arsenal de guerra, 28 do setembro de 1847.
Jodo {cardo da Silva,
Amanuense.
O arsenal de guerra compra um livro em bran-
co, pautado, de 200 folhas : quem o mesmo tiverc
quizer fornecer mandar sua proposta em carta fe-
chada a directora do mesmo arsenal at o dia 2 do
prximo futuro mez de outubro.
Arsenal de guerra, 28 de setembro de 1847.
Jodo Ricardo da Silva,
Amanuense.
O arsenal de guerra compra cincoenta resmas
de papel carlucliiiiho : quem dito genero quizer
fornecer mandar sua proposta cm carta .'echada, e
a amostra, directora do mesmo arsenal, at o dia
1." de outubro prximo futuro.
Arsenal de guerra, 27 de setembro de 1847.
Joo Ricardo da Silva.
Amanuense.
dade, clareza e concisSo desta obra a pflem ao a|-
canse de qualquer intelligencia, por mediocre que
seja, o a torna de summa utilidade anda aquellas
pessQas, quo nfio podem frequentar aulas publicas
nem pagar a mes tres particulares para Ihcs dares>
plicages: o seu titulo mostra oque ella be, edis-
pensa qualquer oulra recommendacfio, Aeha-se*
venda na loja de livros do bairro do Reeife, rua da
Cruz, n. 56; em 8.-Antonio, na praca da Indepen-
dencia, loja de livros doSr. Figueira, 11. 6 egi ci
Olinda, rua dos Quatro-Cantos, loja do Sr. Domin-
gos, pelo mdico preco de 1,280 rs., cada excmplar
s visos martimos.
Para o Cear, tocando no Aracaly, seguir, m.
preterivelmente at o dia 5 do vindonro m, .
brigue-cscuna Henriquela, mestre Jos Joaquim Al"
ves da Silva : os prelendenles que anda nelle qU~
zerem carregar, qu transporlarem-se, se entenderiio
com o mesmo mestre ou na rua da Cadeia do Re-
eife, n. 17, segundo andar.
Vende-se o hiato Tres-lrmos, promptode
ludo a seguir viagem : a fallar na rua da Cadcij
loja de Jofio Jos de Carvalho Moraes. '
Fomos obsequiados com folhas de Madrid al 31
dejulho.
O districto de Burgos, onde apparecra ocaudilho
carlista Estudiante, eslava inleiraincnte livre de
grrimas, e j tinha sido levantado a estado de si-
tio em quoseachavaa provincia. NoAragfio tinham
desapparecido igualmente os facciosos, c na cala-
lunha eram perseguidos tenazmente os poucos ban-
dos carlistas que ainda diseorram pelas monta-
n/ias.
Na note de 26 dejulho um horroroso incendio re-
duzoa cmzas a vilia de Jas Navas na provincia de
Avila. Arderam mais de 200 casas.
A corte eslava em San-Ildefonso.
De Pars alcancam as dalas a 24 dejulho. Oren
Pcilaprat foi condemnado pelo tribunal dos pares a
pena de degradadlo civil e multa de 10,000 francos
alem das cusas.
O correspondente do Heraldo refere que el-rei ti-
nha resoivido aceitar a demissfio que pedir o mare-
cbal Soult de presidente do concedi, em cujo carao
sera substituido pelo Sr. Guizot. Accrescenta o cor-
responden toe, 110 a sabida do marcchal trari eutras
inodiflcacoes, masque se tinha adiado a reorgani-
saefio do ministerio para quando se tivesse cotillee.-
inenlo do resultado das elcicocs em Inglaterra.
Cartas de Bruxelfas do dia 20 dejulho annuncian
que odepulado Rogier, chefe do partido liberal, ti-
nha sido encarregado por el-rei de organisar o mi-
nisterio.
lie Roma ha noticias at 20 do julho. No dia 17 de-
vla celebrar-se com regozijos pblicos oannyersa-
rio da amnista ; mas suspeddeu-se a fnnccilo por
se tcrdescoberlo una ennspiracao contra 1 Ol'dem
de cousas existentes. Dizia-se que estavam compro-
mcllidos nessa conspiracfio alguna chefes de cara-
bmeiros c agentes de polica que linliam sido de-
iniltidos por desairelos ao novo rgimen. O que he
eerlo hoque moiisenhor Grasselini, governador de
Boma e chefe do polica, fol exonerado dos seus ein-
pregos, e que era aecusado de ler noticia da cons-
pirado e de nfio ter lomado medidas
ta-la.



(ora
para evi-
AJfandega.
RENDIMF.NTO 1)0 DIA 28........
Descarrcgam kojt, 29.
Brigue -- Htbc carvfio.
Brgue -- liobim mercadoiias.
Patacho-- Apourade-Packel idem.
Brigue iourad .dem. /
Contratos a celebrar-se com a thesouraria das rendas
provinciaes no correnle me: de setembro.
DIA 30.
Odoestabelccimento de urna linha de mnibus,
quo, na forma da lei provincial n. 191, facilite o
transporte desta cidade a qualquer dos seus arrabal-
des e de Olinda.
fl-j'ilo: s.
Schafheitlin& Tobbler farfio leiliTo por inter-
vengfio do corretorOliveira, do um explendido sor-
timento de fazendas, todas proprias do mercado"
sexta-feira, 1. de outubro, as 10 horas da mantilla
no seu armazcm, rua da Cruz.
-- Russell Mcllors&'Companliia, farfio leilfio por
intervenefio do corretor Oliveira de variado sorti-
mento de fazendas inglezas : quinta-feira, 30 do
corrente as 10 horas da manhfia no seu armazem
da rua do Vigario.
Avisos diversos*
tscraros apprehendidos pela polica.
Manoel e Virginia qucsesuppo serem fgidos.
e
Acliam-se, um nocallabouco do corpo polica
a oulra na cadeia desta cidade. Devem de ser re- ""'u,iU '^ "" "'1" 1,,,u.arca I" ."'0-d
Humados na secretaria de polica. Janeir?, a ?crava cnoula de nomo Jacntha.
9:291,651
Consulado.
IIENDI.ME.NTO 1)0 DIA 28.
------- .................. 1:425,159
Diversas provincias............... 162 217
1:587,376
l^oviiDcnlo do IVuin
Navio entrado no dia 28.
Havre ; 40di, barca franceza Zih'a, de 237 tonela-
das .capiifio Dclannav, equpagem 12, carga fa-
zendas; a Didiez Colomhierix conipanhia. pa.s-
sageiros, BonotLins PhilipGoudim, Augusto A-
niond Vendecaste, Joan Chrcstion Kleinpaul, Joan
Mohulol, M. Cauville os.ilie Coumont.
. Kavios sahidos no mesmo dia.
Porlos do norte; vapor brasilciro San-Salvador,
commaiidaute Antonio Cailos de Azeredo Couti-
nho Alm dos passageiros que Irouxe dos por-
los do sul para os do norte leva a seu bordo : para
0 Hio-Grande-do-Norte, l.uiz Jos do Sampaio;
paia o Cear, Haximiano Ferreira Borges ; para o
Part, 0 primeiro sargento Manoel Jos da Silva
Lisboa,
Baha ; brigue iuglez Jateen, capitfio John Gilchnint,
carga b mesma que trouxe.
i>rrA~s7
L'm proto que parece ser da cosa da Mina, diz cha-
mar-se Benedicto, cJamis quer declarar de quem
he escravo. Foi aprehendido no Ferrfio, trras
de Apipucos; est na cadeia desta cidade; o deve de
ser reclamado na subdelegada do Poco-da-Panclla.
THEATRO PUBLICO.
Quinta-feira, 30 do correnle a beneficio de A-
delo Alvos da Silva so representar a pega Jos
II imperador da Allenianha cm Murinof; no lim
da mesma o actor Santa-Rosa cantar a muito
applaudida aria que tem por ttulo -- dizem que eu
sou borboleta com novas quadras jocosas, lindan-
do todo o diverlimento com a jocosa farca Tencn-
le casamenleirn
Sorvetes.
Das 5 c* horas da larde em diante, haver sorve-
le todos os dias no botiquim ao p do thoatro bem
feito c com muito asseo.
Buhar no Passcio.
Hoje das 6 horas em (liante, ha sorvete de pilanca
a 200 rs., cada copo.
Prccisa-se alugar um preto que so subjete a
todo o servico : na rua de S. Rila, n.85.
Narcizo Jos da Costa embarca para o Rio-dc-
THE.ATItO !>? \IOI,IO.
GRANDE CONCERT VOCAL E INSTRUMENTAL ,
DADO PELO l'HOFESSOn DE RABECA
Sollado, 2 de outubro as y e meta huras
da larde.
Os bilhetes vendem-se em casa do concertista, na
rua do Torres no Becife, n. 8, segundo andar, das
10 horas da manhila as 2 da tarde, e das 4 as 6.
O cardeal Forrcti, que fui nomeado secretario de
estado en. lugar do cardeal Cizzi, chegou a Boma no
?lia 15, e foi recebido pelo povo com as maiores dc-
montracOes de enthusiasmo.
Da Suissa ha dalas ale 22 de judio. A sessfio da die-
ta no da 20 foi summa mente animada.*e durou dezi
horas consecutivas, resolvendo-se alinal a dissolu-
c.io ilaalliauca dos seto cantos, Meando responsa-
veis os mesmos pelas conscqucncias que trouxesse o
nfio cumplimento desta decisfio.
{Jornal do Commercio.).
inin i 111 11H
PERA8AMB CO.
TIUBNAL DA lh].\CAO'.
i
JURAMENTO NO DIA 28 DE SETEMBBO DE 1847.
Desembargador de semana o Sr. Krmelindo de ledo.
Na appellacfio civcl cutre Francisco Jos Lucio
aionteiro e Antonio Francisco Vieira e sua inulher
niandaram dar vista as parles. '
so,?.,'1!-" d? e'llre J"'"> e outros, conrmaram a
segunda parte do accordam.
joie.u'?i?LJ>rovi,.ne"10 .no *r'so enlre ,>aulino
jse na hitva e Antonio da Silva Ncves.
iwnBUo,,,T -Processo ""aggravo entre Silva, Las-
^o^re e ouiros.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade o/pcial da im-
perial ordem da Rosa, cavalleiro da de Christo, e ins-
pector da alfandega de i'ernambuco, por S. SI. o
Imperador, que Dos guarde, ele.
Facosaber que, no .lia 29 docorrente (boje) ao
'.meio-dia, na porta da alfandega, cm hasta publica,
se lulo de arrematar 42 relogios deparedo cornos
competentes pesos, ludo delatilo, no valor de
300.000 rs., impugnados pelo amanuense Domingos
da Silva Cuiniarfics, no despacho por factura de II
Forster&Compaiihia, 11. 1:183: sendo dita arrema-
ta^fio subjeita a direilos.
Alfandega, 28 de setembro de 1847.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
A cmara municipal da cidade do Reeife faz saber
que o collegio eleiloral da mesma cidade se compoe
do oledores das freguez.ias de San-Frei-Pedro-Con-
calves, S.-Antonio, San-Jos, Boa-Vista, Afogados
Poco-da-Panella, Jaboatfio, San-I.ourenco e Muri-
beca, devendo ter lugar asiffl reunifio para a eloi-
efio de senadores em odia 19 de outubro prximo
futuro, conformo a ordem do Exm. presidente da
provincia, le 8 de judio prximo paseado.
Becile, 28 de setembro de 1847. Manoel Joaquim
do Reg Albuquerque, presidente.-- Jodo Jos Ferreira
de Aguiar, secretario.
Pcrante a cmara municipal desta cidade, se ha de
arrematar amanbaa, 30 do corrente, a quem mais
d lado do poenle, tendo por base a quantia de 800/ >-s
assim como tambem se arrematar a aferic3o dos p'-
PRESEFI NTHEATRO PUBLICO.
O director do theatro tenciona apresentar este
annoem scena o mais brilbantc presepio, que at
agora se lenha visto : dividido em tres partos sendo :
Primeira :o triuinpho deMardocheo, Escriptura
Sagrada Eslher, decap. 1."at cap. 14 $$?.
Segunda: a cegueira de Tobas, cap. 2."iii cap. 12
SS 2|-
Terccira o-nasciniento do MessiasSeg. S. Lucas de
:ap. 2." at 20.
Para exocuefio dcsles tres dramas, convida a todas
aspessoas quo quizercm dars meninas a quarenta
mil reis, os meninos a trinla mil ris, a comparece-
.._,-------parece
rein no theatro do l.-.dc outubro al o dia 30 do
mesmo.
bao de ca
libia mais do que urna pessoa que as de vera cond-
rj nenhuma oulra.ter entrada na caxa do thea-
tro, seja qua1 '
lio que o dito,
uno passado. A decencia e recato j observados
Bemardino Comes do Carvalho comprou, por
ordem dos Srs. Augusto Jos da Costa e Antonio Mo-
reira Venha, do Ico, um bilheto da 7." lotoria conce-
dida a beneficio da edificado da matriz da imperial
cidado de Nictheroy, n. 3203.
GuimarfiesSeraim & Companhi teem autori-
sado ao Sr. Jofio Augusto llenriques da Silva para
cobrar as suas dividas nesta praca, amigavcl e ju-
dicialmente.
PARA AS PESSOAS QUE TENC10NAM SECL'IR
VIAGEM.
Na rua do Rangol, sobrado n. 9, continua-se a ti-
rar passaportes para dentro efra do imperio, despa-
cha m-se osera vos c correm-se folhas, ludo com bre-
vidade, e por preco muito e muito commodo, do
que j se tem dado exuberante prova no decurso de
setc a unos.
A' RAPASIADA.
A cocheira da rua da Bod,a recebe cavados para
tratamenlo, e prometi o administrador todo o zelo
c cuidado em bem pensa-los. Tambem tem bous ca-
vados dealuguer, arreios novos, etc.: ossenhores
freguozes do fra da prac,a encontrarfio em dita co-
cheira bomagasalhopara os seus cavados e para pa-
gens se necessario for.
--- Aluga-sc o sitio que foi do fallecido Jos Car-
los Tcixeira, na estrada da Cruz-de-Almas, proprio
para grande familia, por ter excellenlescommodos:
quem o pretender dirija-so ao mesmo.
Precisa-se de urna ama quo saiba engommar
o eozmhar, para casa de homem solteiro : quem es-
liver ncstis circumstancias, dirija-se a nv da Praia.
armazem n. 66.
Precisa-se fallar com a senhora lilha ogitimada
do fallecido padre, liento l.eitcs Cavalcanle, que fui
vigario na freguezia d'Agoas-Bcllas, a negocio'"do
seu interesse, at sabbado, 2 de outubro; c passan-
do doste dia. nfio encontrara mais a pessoa que lho
desoja Tallar: na Iravessa do Carino, n. II, ou no
largo, venda n. 1.
Pordeu-se, na noile de 26 do corrente, urna car-
teira com diversos papis, 8,000 rs. em cdulas e um
Indicie da lotera do theatro, que est unnunciada
para correr nol.' de outubrp, n. 1386, estandoas-
signado no verso pOr Antonio dos Santos, Jos la-
vares, Antonio Joaquim Bernardo e Jofio l.cite: quem
a 'ii'linn miiiu ointf k_ -i rodil i> nM_ ^_______
I foro pretexto, debaixo desla condiefio
rector da dez mil ris de mais do quo
adc. A decencia e recato j observados
nos seus dous presepios anteriores, sfio mais que
suluciento garante que oiTcreCc para seguranca dos
jovens de ambos os sexos, que se contralarem no
presente presepio.
PiiblifjicoLsLitteiarias.
PORTUGAL.
a1 acbou, querendo-a restituir com os papis co bi-
, Hiele, dirija-se a rua dos Guararapes, n. 17. Boca-so
Sendo que tanto meninas como meninos ao Sr. tl.esoureiro, que, no caso de sabir premiado o
niar, e nao poderno levar em sua comra- bilhete, nfio pague senfio ao assignado Antonio dos
Santos.
O Sr. Romfio l.ourcnco de Mcdeiros, ou seus
herdeuos, queiram dirigirse a rua da Cruz, n. 11,
para negocio de seus interesaos.
O abaisoassignado mandouporum scucscravo,
no dia 12 do correnle, una trouxa de roupa suja a
entregara Firmino de tal,morador nos arrombados,
para de l ser entregue a sua lavadeira; mas, havendo
oulras pessoas entregado ao dilo Firniino outras
trouxas de roupa para ao depois as ir buscar para
as layar, eis quando nessa occasifio desappareco a
mencionada trouxa do roupa cima dita tai-
vez por engao de alguma lavadeira, na persuasfio
Stt!S*5fci^I.^V^
traducido do allemao segunda edicao correcta
notada.
O consumo rpido da primeira ediefio e a sua
procura por mullos pessoas quo ficaram sem ella ,
induzo o traductor a rdmpressfio d'esta obra cu-
riosa, que conten n apreciado dos caracteres mai
notaveis do paz, dos seus acontecimentos polti-
cos monumentos e '
esse principe
ugares pnncipaes foita por
prussiano, que all viajou no anuo
Citado. Esta inleressante obra, que contm 220 oa-
ginas, vende-so por 1,000 rs., na rua da Cruz n
7, segundo andar.
e an-|portanto, a toda e qualquer pessoa qu souheraon-
de exista esta trouxa de roupa, de ir," ou mandar
lzer na rua do Queimado, no segundo andar do so-
brado n. 14, que sera generosamente recompensado.
O abaixo assignado avalia a importancia de toda a
sua roupa, inclusive o feilio, na quanlia de 218,460
ris, e declara mais que a roupa tem as diversas
ma reas seguintes: ISB SR LR SSR --- ISIU
o .
A LGICA POPULAR de Mr. Ad. Lecomto acha-sc
traduzida em pprtuguez pelo padre Jofio Barbosa
Cordeiro, que a deu ao prclo no Cear. A simplici-
Joaquim da Silva Reg.
Caetano Jos Rubedo, subdito poituguez, reti-
ra-se para a provincia da Babia.
- Alugam-sc as duas moradas de casas, sitas em
Santa-Anua de dentro, juntas a exmela engenhoca
da meema, com .muito sullicieiitei commodos para
passar a festa quem as pretender dirija-so a botica
de Joao Btoroira Marques, 11. 11.
I

MUTILADO


3*
__OSr. Joffo Baptista Herbster retira-se para os
portos da Kuropa, para tratar da sua sade.
__ l'rcci.sa-sc de olciaes de alfaiate,
de obra miuda e grauda: na ra Nova ,
D. i9.
OfTerecc-se urna mulher parda que sabe co-
zinhar e engommar, com muita perfeiglq, para ama
do unia casa : na na do Caldeiroiro n. i.
Jacob Santiago faz sciente ao rcspeitavel publi-,
co que acba-se novamente estabelecido com loja
do alfaiate. Quom do seu prestimo* so quizer utilisar
dirija-se n ra Nova junto a igreja da Conceiglo
dos militares, n. 51.
Antonio Monleiro C.orreia de 01 i ve i ni retira-se
para fra da provincia a negocio, o deixa por seu
procurador o Sr. Francisco Joaquim Duarte.
Perdeu-se, no di 91 do oorrpnt t dpadn n rija
da Cruz atea Boa-Vista urna carteira de marro-
quim encarnado com duas erdens urna sobre Jo-
s Antonio de Magalhiies Basto, ea outra sobre Joilo
Jos de 50,000 rs., duas de 20,000 rs., urna do 10,000
rs. ,'euma porclo de 5, 2 o 1,000 rs. Hoga-sc a
quem a achou ou della souber haja do a entregar
a Jos Antonio de Magalhiies Basto que recompen-
sara com 50,000 rs.
A pessoa que annunciou, no Diario de 27 do
corrente querer comprar urna venda bem afregue-
zada tanto para o matto como para a praga, diri-
ja-se a ra da Trompe sobrado n. 1.
--Jofode Dos Franco, subdito porluguez re-
tira-se para a provincia do Cear.
Na ra da Lapa, n. 11, lava-se c engomma-se
roupa.
Carlos D. Fredricks, profes-
sor do daguerreotypo,
contina a tirar, retratos coloridos das 9 horas da
mantilla at as duas da tarde, na sua residencia,
ra da Cadeia-Nova, n. 26.
Estando prximo o tempo das duas feslevida-
dcs na matriz do Corpo-Santo a primeira da Se-
nhor do Rozario em o dia 10 do oulubro e a se-
gunda do Sr. dos Passos, cm 17 do mesmo inez ; as
mesas de ambas irmandades, desejosas de. salisfa-
zcr aos bons sentimentos dos diversos correspon-
donlcs, que manifestaran! em os Diario pblicos
desta capital, ao mesmo lempo que tem de Ibes agra-
decer as sinceras expresses com que brindaram ao
sen thesoureiro declaran! que vilo sempre por em
execugiloa nova missa em msica a dous coros,
com solos de todos os principaes instrumentos ,
compostn cxprcssamcntc pelo compositor italiano
Josepti Fictiinclti como titulo do Sr. I). Pedro II,
Imperador do Brasil. O coro ser de 56 dos mais ha-
bis edistinctos professores desta cidade dooito
senbores amadores que se dignaram fazer parte da
mesma orebestra e do quatro meninos que silo dis-
tinados para canlarem o Sanetus depois do Credo.
O mesmo compositor, por pedido dos mesmos se-
nbores o do seu muito digno o hbil meslro, o re-
verendo Sr. padre Primo, reger a orchestra as
duas festevidades.
No dia 22 do corrente pegou-se um cavado
com cangalha: a quem pcrlencer dirija-se as Cinco*
l'ontas, n. 89, que, pagando a dcspfcza e dando os
sign.aes serlos, Ihe sera entregue.
Airda estilo para alug8r as casas no sitio do
Cajuciro, para quemas quizer por anuo, ou por
fusta com banho perto das casas: a tratar no mes-
mo sitio.
FURTO.
Na tarde do dia 25 do corrente da porta da ven-
da da ra da Cruz, n. 64, um pardo baxo, secco do
corno, rom jaqueta ile algodiozinbo azul riscudo, e
chapeo de pallado Chili furtou um cavado rugo ,
sellado o enTrcado ; o solIIm tem os suadores novas.
as redeas c calichadas lambem novas. O cavallo esta
com- uiiv lado da barriga cortada de cinceladas.
Esto liomem foi morador no engenho l'intobinba ,
c fugio para Porto-Calvo para o engenho Minga ,
quando o dito engenho Pindobiiiha foi varejado,'
cluima-se Antonio de tal Quem suuber do dito ca-
vallo, ou apprehende-lo leve-o na povoagilodo Mou-
leiro venda do Sr. Francisco Gerahlo Moreira Tem-
poral, ou na ra da Cruz, n. 6i, que sera recom-
pensado.
--Apparcceu no engenho Tomataipe-de-Floros
um quartoalazilo: quem farseo dono pode pro-
cura-lo que, dando os signaos Ihe sera entregue.
Francisco Xavier das ChagasSicupira precisa do
3:000,000 dc'rs. a juros por dous ou tres anuos, com
nypolhecas em casas livres e desembarcadas:
quem quizer fazer este negocio annuncie, ou dirja-
se a ruaOireila n.14.
D-sodinheiroajuros da quaulia de ,000 rs.
para cima, compenho'res de ouro, ou prala : na
ruado Veras, n. 11.
Deposito de bous charutos .
no Recife, ao sahir da rua .
da Cruz, u. 51, lado di re lo.
Joaquim Bernardo dos Reis avisa ao publico, que
abri um deposito de charutos da Babia, e do todas
as qualidades com todo o asscio ondo serve aos
freguozes com todo agrado e promptidio para me-
recer do todas as pessoas aceitadlo. Contcndo nes-
te depositotodas asqualidrtdes do charutos como
sejam: so verdadeirosde S.-Flix, regada marca
de fogo Ilavana sigarros de la llavana ditos de
la fama mimos de mocas, regadas do todas as qua-
lidados que apparem no mercado. O annuncianle
prometi sempre conservar boas qualidades de cha-
rulos, para merecer aceitagito publico.
Na casa desorvetes da rua do Rangel, haver
sorvetes de fructas, boje, das 6 horas da tarde em
dianto, eem todos os mais dias, om quanlo houvcr
gelo : e para algumas familias lia urna sala prepa-
rada cuja entrada he inulto franca pela venda.
AO BOM TOS PAlUSIENsE.
RUA NOVA, N 56.
Tcmprtte & C., alfaiate,
POMMATEAU, CUTELEIRO NO ATERRO-DA-
BOA-VISTA,
tem a honra de avisar ao publico, que mudou o
seu cstabelecimento da rua do Aterro-da-Boa-Visla,
n. 5, para o sobrado novo, n 16, da mesma rua.
Na sua loja sempre o publico achara como de eos-
tumo um grande sortimento de cutelerias Pinas e de
todas as qualidades ; bem como pistolas de viagem,
e armas para caca. Contina a concertar todas as
qualidades de armas o ferragens e amla lias quar-
tas-feiras e sabbados.
I'rccisa-se de um Porluguez capaz que saiba
trabalhar do cnxada e tirar leito, para estar em
um sitio muito perto da praga : na rua de Augus.-
ta, n. 60.
Na rua do Trapiche-Novo n. 8, primeiro rn-
dar precisa-sede urna ama para dar Icite a urna
crianga mas queseja escrava.
Aluga-seuuia casa no Montciro, a beira do rio
Capibaribe, com duas salas, corredor ao meio e ou-
tro ao lado 6 quartos, um delles tem pratclhciras e
serve de dispensa, cozinba fra, estribara para dous
cavados, um quarlo com tarimba para pretos, eou-
troquarto o fundo do quintal, que servo para des-
pejo quintal murado : a tratar no Atcrro-da-Boa-
Vista n. 37 terceiro andar.
lia quem tire passaportcs para qualquer
purto do imperio, lauto para'pessoa livre
como para esclavos por muito commodo S
prego o com a ipaior brevidude possivel :
lia na estrella do Rozario, loja do oncador-
naco, n. 2.
Precisa-se de um amassador, que saiba bem,
e de um moco para caixeiro: na padaria da praca
da S.-Ci uz junto ao sobrado da esquina da rua Ve-
Iha.
--Quem precisar de um homcm para ensinar. a
meninos as primeiras lellras, e mesmo truduzira
llngoa franceza alm disto se encarrega do alguma
outra oceupagilo fra da praca, dirija-se as Cinco-
l'ontas, n 65.
Joaquim de Mello Cardozo retira-so para a cor-
le do Rio-de-JiincirO.
Maria J.Coeihp subdita portugueza, retira-se
<-a fra da provincia.
team a honra de avisar ao rcspeilavel publico e
com especialidadeaos seus freguezes que muda-
ra m o seu estabelecimento, sito na rua Nova, n. 7,
par,i .i mesma i na il. 56, onde continuanlo assi-
duos a servirem os seus anligos freguezes p aquel-
los que 08quizerein honrar. Aproveitam esta oe-
casio para participaren! que se acham prvidos
um bello sortimento de fazendas rccentenieritoche-
gadas de franca pelo ultimo navio como sejam
pannos pretos e de cores para calcas ; casimiras-se-
tin ; dita elstica : ludo do ultimo gosto : bem co-
mo sedas, setins, velludos, fustes impressos e bor-
lados, proprios para Golletes ; una completa colloe-
eflo de figurinos das modas as mais recentes de
Paris. No mesmo. estabelecimento so encontrar
sempre um grande sortimento de roupa feita para
todos ostamanhos, bonetes de velludo para senho-
ra proprios para montara e varios objectos de
phantasia : ludo moderno e da mclhor qualidade.
Aluga-se o segundo andar e sodio da casa da
rua do Amorini n. 13 : a tratar na rua da Madrc-de-
Deos n. 36, primeiro andar.
Precisa-sc alugar um sitio para urna familia es-
trangeira que nao seja limito grande, o que le-
uda boa casa de vivenda boas arvores de fructo ,
e militas de sombra que seja perto da praca : pre-
fere-se a beira do rio at Magdalena ou Ponte-de-
L'cha : quemo tiver ,, querendo alugar, dirija-se a
praga da Independencia, livraria ns. 6 e8, queso
dir aonde se (levo tratar.
Um mogo brasileiro liom conhecido nesta pra-
ga se ofierece' para caixeiro do rua ou mesmo
para cobrar dividas pelo mallo do que tem bastan-
te pratica c da fiador a sua conducta : quem de
seu prestimo se quizer utilisar annuncie.
Nicolao Machado Freir pede instantemente a
todos os Sis. que Ihedevem dinlieiro de importe de
sorvetes, que toinarain eniseii botiquim hajain do
ir saslifazer seus dbitos ileulro do prazo de 010
idas contados desta data, na rua das Cinco-Ponas,
n. 27; pois, se assim o nao lizerem verti seus noines
publicados por esta folln.
__Aluga-se una grande casa terrea com solo ,
cozinba fra cacimba, estribarla, coeheira casa
para pretos c outros cominodos sita na Capunga,
com frente para o rio ; a tratar na rua da Madrc-
de-Dcos, n. 36, primeiro andar.
~ Aluga-se una casa terrea sita na estrada da
Magdalena com quintal murado poco d'agoa ca-
sa-para pretos, cozinba fra : a casa he nova, e
ainda se est piulando : a tratar na rua da Madre-
dc-Deos, n. 36, primeiro andar.
Na venda do largo do l.ivramenlo. n. 20, pre-
cisa-se de um caixeiro, que tenha bastante plati-
ca escreva bem; e d dador a sua conducta: dar-sc-
Ihe-ha bom ordenado.
Permutarse um | equeno sitio, m.li-
to prximo nialriz la Vanea, e ao rio
Capiliarihe com casa de vivenda que
coiilm (las salas, quatro quarlos e cs-
trihdria, com muilas arvores fructfera,
e tima baixa, por urna casa tenca tiesta
cidade ; voltmuJo-se de urna ou de oulra
parle o que se. convencional-: quem Ihe
eonvier este negocio, dirija-se rua es-
tilita do liozario, n. 19, onde se dir
quem o faz.
-Na nova loja da rua do Qucimado, n. 30, de Jos
Joaquim de Novacs, continan haver um completo
sortimento de obras feitas com a mesma pcrfcicHo
como as de incommonda. Tambem ha um completo
sortimento, vindos pelos ltimos navios do Franca,
de chapos pretos Di U i tos superiores, o da ultima
moda de Paris, bons chapeos do Chile, ricos corles
do veludo para coletos, pelo barato preco de 5,000
rs., e muito bons lencos para .peseoco de hamein c
senhora.
Pelo novo destino que den' ao edificio da sua
residencia na rua do Hospicio, poder o doutor
Sarment receber em sua casa doentcs que desejem
virtratar-se nesta cidado. Serilo recebidos nflo s
os doentes do qualquer sexo c condicSo que sejam ,
mas tambem as pessoas, ou familias, que Qflqjti-
zerem acompanhar.
O distribuidor tiesto Diario na cidade de Olin-
da faz publico que elle se encarrega da entrega do
cartas, papisc nequenas encommendas para a mes-
ma cidade, mediante urna pequea gratificaclo, a-
lem das cartas serem franqueadas; incumbe-sede
tirar prvises para oratorio, conlissAo e qualquer
nutras; de obter despachos das autoridades da mesma
cidade c tirar cerlides de qualquer repartido ; as-
sim como de conduzir papis do importancia : elle
partir todos os dias das 6 as 7 huras da muuli5a,euo
'lia seguinte as mesmas horas dar solucSo do que
Ihe for encarregado.As pessoas, que se quizerem uti-
lisar de seu prestimo, dirijam-se, no Recife praca
da Independencia, livraria ns. 6 e 8, a qualquer hora
do dia, e em Olinda, na sua residencia, rua do Am-
paro.
.OTKRIA DO TIRATRO.
O dia 1. de outubro prximo futuro he o designado
para o andamento das rodas desta lotera, cujos bi-
Iheles se acham a venda nos lugares do coslumo.
Dcvem os apaixonados deste joj-o concorror para
quese realisecsto acto naquelle dia, comprndoos
bheles que de resto oxistem, sem esperar que haja,
como as anteriores, umasociedadequo os tome a
sua conla ; porque, ainda no caso de que osta se or-
ganiso, e fique com os bilhetes que restarem, nun-
ca os vender por sua conta, porque para este fnn o
thesoureiro da lotera nao Ihe permitlir prazo al-
gum, e far andar logoas rodas.
olicina de cncaderna^ao que o padre F. C. de
I.rinos c Silva dirije na rua de S.-Francisco, an-
llgameote Mundo-Novo," n C, acha-sc provida
de lodo o nceessnrio para o bom desempcnlio'de
qualquer obra de cncadcrnaco.pormais rica que seja :
assim como lem e aprompta fluaesquer cjnbleiiias ap-
propriados as mesmas obras.

Fabrica l( machinas e fund-
tjao le ferro na rua co
Reun, 110 Recife.
Me Callum & Companhia, engenheiros machinis-
tas e fundidores de ierro, mui respcitosamcnle an-
nnnciain aos Srs. proprietariosde engenhos fazen-
deiros, negociantes, fabricantes e ao respeiftvel
publico, que osen estabelecimento de ferro, mo-
vido por machina do vapor se acha em effectivo
oxenieio, c completamente montado com appare-
Ihos de primeira qualidade para a perfeita confec-
?odas maiores pe^asde machinismo.
Habilitados para empreheiidcr qnaesquer obras da
sua arte Me Callum <>: .Companliia desejam mais
particularmente chamara attenefo publica para as
seguintes por serem ellas da malor extraccSo nesta
provincia, as quaes construidas na sua fabrica po-
dem competircom as fabricadas0111 paiz estrahgei-
o tanto em preco como na qualidade das materias
drimas e nio d'obra, a saber :
Machinas de vapor.
Moendas de caimas para engenhos movidas a va-
por, poragoa,ou ahimaes.
Rodas d'agoa e serraras.
Manejos independen les para cavados.
Itoda* dentadas.
Aguilhoes, lironzes e chuniaceiras.
CavilhOes o para/usos ds todos os tamanhos.
Taixas, crivose boceas de l'ornalha.
Moinhosdo mandioca, movidos a nio ou por ani-
maos e prensas para a dita.
Foguea c ionios para co/inha.
Canos de ferro, lorneiras de ferro o bronze.
Bombas para cacimbas e de repuxo.
Guindastes guinchse macacos.
Prensas hydraulicas e de parafuso.
Ferragens para navios, carros, obras publicas, ele
Columnas, varandas e grades.
Prensas de copiar cartas ede sellar.
Camas de ferro, etc.
Alom da perfeicno das suas obras, Me Callum &
Companhia garantem a mais exacta conformidade
com os moldes c desenlies remedidos pelos Srs. que
se dignaren! de fazr-ihes encommendas; aprove-
tando a oceasio para agradecer aos seus benvolos
amigse freguezes a preferencia, com que teem si-
do por ellos honrados, e assegurar-lhes que uo
pouparfio esfon;os neni diligencias para continua-
reni a merecer sua conlianca.
- Na rua do Agoas-Verdes, n. *fi vende-so um bo-
nito moleque de 16 annos ; um pardo, bom pagom ,
c quo nao tem vicios; um cscravo bom carroiro ,
umescravode nacilo, do 20 annos, e de bonita 11-
gura ; um dito do 30 annos do nacilo Angico quo
faz todo o.sor vico ; duas bonitas molccas de.12 a is
anuos; una escrava boa cozinheira c que coso
cho, por 120,000 rs. ; urna dita boa quit'indmra ,
por 330,000 rs. ; urna dita boa lavadeira dosanaoo
vainilla por 150,000 rs. ; urna dita da Costa, poi
250,000 rs. ; um pardo de boa conducta ; um boni-
to mulalinho de 13 annos; um dilo de 22 annos,
perito pagem.
Gaz.
Lo ja e nao CJiarnnii,
Uerro-da-Boa-Vista, "S.
Nesta loja acba-se um ricosortiineuio de LAMPfcOr.S
l'AKA GAZ com seus competentes vidros, accendedo-
res e abafadores.
lStCS Ca 11(1 OrOS &> <> mclhorea e
mais iiiodernbs <|iiec>istein boje : recommendaiii-se ai
publico, tanto pelalegurauca e bom gosto de sua boa
confccco, como pela boa qualidade da lu, economa c
asscio do seu servico.
Nl lliesma loja o coosomlioMaaem-
pre acbjirao mu deposito dellAZ, de cujo se aliaiica a
qualidade c emporcao bastante para consuinmo.
Vende-se conforme a qualidade a 320 e 400 rs.
a garrafa.
IIPERI.U I
HE HAl'F. FINO
j*ma
Wfik
NACIONAL
Rompas.
Compra-se una escrava moca, boa costurcira ,
engommadelra e coiinheira : na rua larga do lto-
zario, n. 48, primeiro andar.
Compra- se uma Ogulha de marear, para andar
na algjbeira i na rua da Senzalla-Velha. n. 188.
Compra-se urna venda que Faca negocio, tanto
para Ierra, con.o para o mallo, e que tenha alguina
freguezia : quem tiver annuncie.
Compra-se urna escrava moca de boa figura,
que saiba eozinhar e lavar, e nao tenha vicio: agra-
dando paga-se bem: na l!oa-Vista, rua Velha, n. 18.
Quem a tiver, deve apparecer daa II horas da ma-
nlia s 3 da larde.
Compram-se i vaccas boas lidias do pasto ,
quedoem bastante Icit, e que ten ha m bezerros
noves: na rua Augusta, n. (!0.
Compra-se urna prela boceteira : tendo as qua-
lidades que se desejam, paga-se bem: na rua da
Senzalla-Velha, n. I n.
-- Compra-se urna casa terrea no bairro da Boa-
Vista sendo em bom local o boa rua e que tenha
quintal munido e cacimba : na rua da Scnzalla-No-
va venda n. 7.
Vructiis.
Lotera do Rio-tle-Janciro.
Aos 20:000^000 de ris.
Na ruada Cadoia (Jo Recife, loja de cambio do Vi-
elr, estilo a yenda bilhetes e meios ditos, da lotera
a beneficio da matriz da cidado de Niclhcroy : ad-
es antes que chegue o vapor.
Vende-so cera de carnauba muito boa, tanto a
retadlo, como em porcOes : na rua das I.arangeuas,
n. l, segundo andar.
FARfLOS.
Vendcm-scnosarmazens do Caes-da-Alfandega,
ns. f o 3, suecas muito grandes com farelos de tri-
go por preco muito commodo.
. Vendo-se cal virgem em barris chegados pr-
ximamente de LiSbOa, por prego mais barato .loque
cm oulra qualquer fiarte : na rua da Moeda, arma-
zem ll. 17- ,
Na rua de Agoas-Vordes, n. 46, vendem-se, por
precisan o por prego commodo 3 moradas de casas
na melhor rua dos Afosados, com os seus compe-
tentes quintaos; una dita no Varadouro, em Olinda.
Os agentes do rap Andaraby nesta praca, vendo a
aceitaco c bom aeolnimento que tem merecido es-
te rap, desde quo foi exposto a venda, promet-
toin ter sempre rap fresco em librase meiaslibras .
n deposito da rua do Trapiche, n. 34, onde se ven-
de de 5 libras para cima o a retalho as lojas dos
Srs. Antonio Francisco de Moraes A.l". Pinto & Ir-
in;lo, A. II. Vazdc Carvallio, l'ontes ce Mello Cu-
nta o- Amurirn l'ontest Sampaio na rua da Ca-
doia do Itecife; A. I). de O. Rogo, na ruada Madre-
dc-l)cos ; Campos rfles na rua do Queimado ; T. A. Fouseca e Umbe-
Ino Maximino do Curvadlo na rua do Cabug ;
C. <;. ltreskemfeld. na praca da Independencia ; Cae-
tano L. Kerreira e Antonio l'ereira da Costa e Cama,
no Aterro-da-Boa-Visla.
Violto de Champanha
oa superior c niuitoacrcditada marca
Cometa,
vende-se no arbiazem deKalkmann & Rosenmund,
na ruudaCruz, n. 10.
Vende-se, na rua da
Cadeia, n. 37,cera em ve-
las fabricadas no Kio-
de-Janeiro, em urna das
inelliores fabricas em
caixas pequeas, sorli-
menlos ao gosto do com-
prador, e por preco mais
barato (\o que em oulra
qualquer parte.
Na rua da Cadea-
Vclha, n. 29, loja
de J. O. Elster,
vende-sevinhodo Porto, do diversas qualidades;
dilo da Madeira ; dilo de Slierry ; dito de Bordeaux ;
dito chatcau-la-rose; dilo de S.-Julien ; dilo.de le-
ncrifo ; ditodollheino; dito de llucellas e Carca-
vellos; dito de Lisboa; dito de Malaga; dito San-
terne ; dito de graves ; dito ehampanha sellery ;
aeo'ardcnto de Franca ; Kirschwasscr extracto do
ahsinthc ; Cherry-cordial ; agoa de I or dolaranja ;
frascos com conservas de verduras ; ditos com Iruc-
lasda Europa, em calda de assucar ; ditos de ditas
em cognac ; dito de mostarda ; sard.nhascm atas
e vidros ; potiU-pois ; salame de superior quahdado,
n agoa de seltz.
finissimo
viudo no ultimo navio de llamburgo ;
embotijas-; azeito doce de Marsellia ..
velas do composicno; cha prelo. hysson e peroa ;
charutos de llavana e regaba. Advcrte-se que ludo
he excedente c por prego commodo.
j\a rua da Ouz do
Kw-ift, 11. 38*
vende-se o muito superior e estimado rap meio-
grosso e grosso da fabrica de Estevo Gasse, chega-
do do'Rio-de-Janeiro no brigue-escuna Galante-
Maria, entrado o mez prximo passado: seu prego
lio de 1,280 rs. de cinco libras para cima.
Vende-so fio da India, proprio para coser cas-
' Ven.lem-.se superiores chapeos de|-,l^1^s0u^^0i^anpftade 0 annos #
_^4_......'"" pretos e brancos, por precoleugomma, cozinba, cose lava de sabSo o varrella,
i ,.., ........, j i' i_- ,. le be inuilo propria para o servico interno do urna
muito barato : ta rua do Lre^po, loja '> casa lia iui eslliela do Rozario ... 3i,:Primeir i a, de Josc Joacjuiui da Silva Mataj ^\ andar.

i'


t^S
?
I

I
=- ------------------ ^ ... ..J-----------------------------J
- V< iidon-se ( rrrvog. sendo um moleque pee, ]SW do ramii'ho: no armazem dp Jonquim Lopes !<
cm 15* tfiatinos. (inprii7iiih Iiphi p .linrji) ilo umit | Mnipiln, caixeiro ilo Sr. Joo Mnlheus, tras lo
Ca : un ih-it rmn 22 21 hiiimis; o utn iipio do th'-at'o.

nn-ia ni'ile: liiilns si'in ilcfi iln, iipiii i-chaques : assiin
nimo cmprate ifm negro mi m-gr* uno wIm per-
fi'itiiMipnli' rottllbar No |<;>ti'n.ln K.-Crnz, n 10.
Veii'le-se nin |pr |ia fizer bordados; un.a ll'tt-
t\ no radi'ira* ilc juraran.la, nina im-sn de meio ilr
sdae um jgo ilc bancas, obras muilo bem follas;
urna cartoira de amarcllo, de una s face, o diversos
trastes, por preco commodo: na loja de trastes da
ra da Cadeia de S.-Antonio, n. 18.
-- Vendem-se os seguintcs cscravos, todos de
mu elegantes figuras, sem vicios nem acliaqucs :
ummoloquede 18 annos; um dito de 12 anuos;
urna pretade!8a20 anuos, com algumas habili-
dades, que se dirSo ao comprador ; 3 pardos, sen-
do urna de i annos c duas de 18 a 20; um mula-
tinho de 7 para 8 annos proprio para andar com
enancas : na ra do Crespo, loja n. 2 A se dir
quem vende.
- Vendem-se 7 escravos, sendo : 3 mocos, de
bonitas figuras e proprios para o servico de cam-
Vendom-so 3 osTavos Sendo : um pardo de
30 amiii'S lui'Ti vaque; ro e uno lie prnprin de to-
le o snico do canino i> ionios do mosmn mrvico e en n principio-do offi-
ein ilo saiiali-irii p fi'rreirn ; urna noe.riidia de 13 iiii-
ii'is, que cn.su chito e cuzinha o diario de urna casa:
todos do bonitas (guras, e vendem-se muito eni
conta por querer o dono relirar-se para fra da
provincia na ra Ja Concordia passando a pon-
tezinha, adireita, segunda casa terrea, se dir quem
vende.
Vendem-se caixas de cha hysson, de 13 libras,
em porcGes ou a retalho ; caixas do velas de es-
permacete dc5e C em libra : na ra da Alfandcga-
Velha, n. 36, ero casa de mmIipiis Austin &c,
Attencao!
po ou mesmo para a praca ; 3 lindos moleques de B cscuras c ,|c Cues (xas tendo
' ;', ? II "nos > Propnos para onicio ; urna servcm para |ulo a 5,000 rs. a peca ;
"'" tle ~,ng com habilidades : na ra das jc cassa' fle |Uadros, a 440 rs.; cortes
Cruzes, n. 22, segundo andar.
Vcnde-se Icnha deolaria posta no porto da
lacaruna : no pateo da S.-Cruz, na Uoa-Vista, ven-
da n. 2.
V*ndem-.sc muitn boas bichas chegadas lti-
mamente de Hamhurgo, tanto aos centoscamo a re-
talho, e tambera senlugam; rtanse appicar para mais
commodo dos prelemlentcs : na ra estrellado Ho-
zarlo, dcronlc da rua.da Larangeiras, loja n. 19. Na
mesma casa veiidc-sc una bonita mulalinha de cin-
co anuos.
Vendem-se dous escravos cabras, um pedrei-
ro, e outro muito moco, alfaiale : os pretendentes
dirijam-se a loja de Manoel Concalves da Silva, na
ra da Cadeia do Recife.
Vendem-se 26 travs de camassari o louro, de
30 e 40 palmos : na ra da Madre-Dcos, 11. 9.
Vende-se umjogo de Breviarios romanos, em
muito bom estado, cncadernaclo bem feita cili-
cio do 1800 Cbm os cademoa dos Santos novos se-
rficos ; um Biblia em bom estado: na praca da
Independencia, loja de encadernaeflo n. 12.
AVISO IMPORTANTE*
A II iif.i !
O abaixo assignado agente do doutor Hrandrctli,
tem a salislac.lode anntinciaraos seus fregu/es e
aos habitantes em geral desta provincia, que pelo
brigue americano (linda viudo de Boston entra-
dado no da 22 de setembro Ihe chegou um caixo-
te com caixinhas de Diluas vegetaes do doutor
Brandreth. O mesmo abaixo assignado aflanca ao
rcspeilavel publico, que sao as nicas c verdeiras
pillas vegetaes de seu proprio autor. He desne-
cessanorepetir a boa aceiucuo e aeolhimentoquc
teora oblido as verdadeiras Diluas do doutor Bran-
dreth Beata provincia pelo que o abaixo assigna-
do drizada o fazer. Vende-se na ra da Cadeia-Ve-
Iha, botica, n. 61 a preco de 800 rs. cada caixi-
iiha com o competente reccituario.
Fcenle Josr de rilo.
Lotera to Hio-de-Jaieiro, a be-
neficio ta matriz (Ja cidade
de rsietheroy
Vendem-ic bilhclcs tiesta lotera : em casa do J.
O. F.lster, na ra da Cadeia-Vellin n. 29.
~ Na ra da Cruz no Itecifo, n. 2G vendem-se,
em poreao, couros de cabra; sola;sapatos, e botina,
feitosno Aracaty, o mclhor possivel;ccra de carnau-
ba; esleirs ; chapeos de palhajsebo ;queijos: eou-
tros objectos por preco commodo.
Vende-se, por ncccssidadc um preto de molo
iiladc, pelo diminuto preco de 280,000 rs ; he ca-
nociro do profissflo, entendo.de plantacHo de sitio,
bom comprador do arranjo de una casa nito tem
vicios nem achaques e he de boa figura : na ra
do Qucimado, h. 18, primeiro andar, com a en-
trada pela ra do Rosario,
-- Vende-se mna cadeii inha de arruar, das ine-
Ibores desta cidade quasi nova, propria para qual-
quer senhora sabir cm das de funestos por preco
commodo: na na do Queiinado, n. 18, primeiro
andar, com a entrada pula ra do Hozarlo.
('asa d F
na ra eslreite do Rozarlo, n. 6,
Neste eslabcleciment aeham-se a venda as bem
acreditadas cautelas da lotera do theatro publico
desta cidade cujas rodas andam no dia 1. de ou-
lubro. O caulelista espera que os seus freguezes
,concorram a comprar o resto das ditas cautelas,
ns.s quacs se esperam boas sortes, pela cxcellente es-
colliavque se fez dos nmeros para serem divididos
cm cautelas. A ellas que sito poucase boas. Precos
os docpstume.
~ Vndem-se sellins inglezcs e francezes, para
montara de homem c senhora ; cabezadas rolicas,
inglezas; ditas de couro de lustro preto e branco
estribos de metal branro c de la tilo; peruciras e
guardallamas, de todos os feilios ; chicotes para
montaftia de homem e senhora ; bezrros de lustro
de superior qualidade para calcado; marrnquins
de toims as cores ; couro de lustr para calillos de
criados : tamlicn so cobrem sellins do couro 11-
glcz e francez ficando como novos e concertam-se
oulros; ludo por mdico preco. Na mesma loja tam-
Bein se vendem barretinas para olliciacs e soldados
de cavallaiia infantaria de guarda nacional ; ta-
lins e cananas de couro branco c preto } espadas de
metal branco, de roca e sem ella ; bandas ricas e in-
feriores ; deis ditos; correiames de lustro para sol-
dados ; estrellas; globos; apparelhos para barre-
tinas ricas; molas para espadas douradas c de la-
uto ; c oulros inuitos objectos por pre^o commo-
do. Na ra Nova, n. 5 loja de JofiO da Silva Braga ,
defronte do oitflo da matriz.
Vende-se junco a retalho, por preco comino-
00: 1 "ia da Cadeia do bairro de Santo-Antonio,
Vende-so um escravo muito moco e forte que
he bom carreiro o tiabalhador do cnxada ma-
5eSv.ndT: "a fUa |,a8Se ,9' Sdi,1
- Vende-se um tronco muilo forte e seguro do
sicupira com rechadura de segredo : na ru da
Senzalla-iNova venda n. 7.
SSSF.
Vendem-se barricas e meias barricas de farinha
Vcndem-sc superiores chitas francezas, de vara de
largura e de cores fixas, a 280 rs. o covado ; ditas
algumas que
meios chales
de lanzinha,
para senhora,com iScovados a 3,600 rs. ; panno
preto fino para pannos do pretas a 3.000 rs. o co-
vado ; chales do I ja e seda milito (nos a 5,500 e
7,000 rs.; ZUarto de vara de largura a 240 rs. o
covado ; cortes de cambraia lisa muitn lina c com
6 varase mcia a 5,000 rs. ; superior brim tranca-
do pardo, do puro linho a 640 e 900 rs. a vara ; di-
to amarello muito lino, a 900 e 1,000 rs. ; dito
trancado de linho branco, limito superior a 1,000,
1,280 e 1,600 rs. a vara; chadrezes de linho para
jaqueta a 400 rs o covado; riscadiuhos trancados,
a.240 rs. o covado ; hamburgo de linho, a 260 rs. a
vara ; meias para senhora a 240 rs. o par ; e outras
inuitas fazendas por barato preco : na ra do Col-
legio, loja n. I.
Vende-se, por proco commodo, para fra da
provincia, o 11 para engenho, una preta : na ra da
Cruz doltecife, n. 57. -I
Vendem-se duas canoas de carreira e algnns
escravos excellenlcs. de ambos os sexos perten-
centes a urna pessoaque se retira : na ra da Sen-
zalla-Velha 11. 110.
Cortes de relie do ('abo, a
1,400 rs.
Vendem-se superiores corles da fazenda chama-
da pelle dodiabo com 3 covadose mcia pelo ba-
rato pre^o de 1,400 rs o corte, sendo da maissupe-
rioa que tem apparecido: na ra do Collegio, loja
n. I.
Casimiras elsticas, a I #00 rs.
o eovado.
Vendem-se superiores casimiras elsticas pelo
barato preco de 1,000 rs. o covado; ditas muito li-
nas francezas a 1,280 rs. 0 covado ; dita de su-
perior qualidade elstica muilo tina, c preta, a
3,500 rs o covado : na ra do Collegio loja n. 1.
Na loja nova n. 17, do l'asseio-l'ubILco, vendem-
se corles de casimira de laa do imperio, fa/.e.nda
muilo forte e de muilo Minios padres pina caifas,
a 2,000 rs o corte ; chales de cassa, muito linos e
com lislrasdc seda a 4,000 rs. ; dilos de lila, a
2,000 rs.
Vende-se, pele mesmo proco, n arromalacflodo
dizimo dos cocos do municipio de Sennlifiem por
3 annos contados do primeiro dejulhodo 1846 al
0 ultimo (le junho de 1849 : a tratar no pateo da S.-
Cruz o. 8, ao p da botica.
AGENCIA HA FUNMQAO' DE I.OW-MOOlt.
Na ra ila Senzalla-.Nova n. 42, contina a haver
um completo sorlinicnlo de moendas e machinas de
vapor para engenhos de assucar : bem como tai-
xas de ferro batido e coa do de todos os tamanhos :
ludo por preco commodo.
Vende-se a v'ercJadeira farinha SSSF
de raminho chegada no dia 5 do cor-
rente : a tratar rom J. J. Tasso Jnior.
POTASSA
Vemle-se a verdadei
ra e suponor |>o-
lassa da Bussia a mais nova que existo
no increado : na ra da Cadeia do Hcci-
e, armazeni h. t, deBalthar & Oli-
veira.
-r Vendem-se saccas com 3 arrobas de trelo,
muito novo ltimamente chegadas: no armazem
do Bacellar, no caes da Alfandega ou na ra da
Cruz ii. 52, ou na ra Nova no porto das canoas.
Vendem-se meias barricas de farinha de SSSF de
rammhn : no caes da Alfandega armazem n. 1, do
Gu i maraes.
aosSM
lers
Vendem-se meios bilhclcs d'a primeira lotera do
conservatorio de msica do Hio-de-Janero, que li-
cava a correr no dia 15 do corrente setembro : na
ra do Collegio loja n. 1.
--Vcnde-se madeira de Jacaranda, tanto a reta-
lho como cm duzias e meias diizias : bem como ca-
mas de angico ; ditas de amarello; meias-com mo-
das do dito ; mesas de meio de sala de oleo e con-
dur ; marquezas.de angico c conduru ; cadeiras
de oleo : ludo por preco o mais barato possivcl:
na ra da Oanilioa-do-Carmo n. 8, casa de rnarce-
neiro.
Veiidcin-se 3 lindos moleques de 18 a 20 an-
nos, sendo um dclles ollicial de alfaiale, e co-
zmheiro: um preto de 25 anuos oflcial de sapa-
teiro ; dous pardos, um bom carreiro, o o outro de
16 annos proprio para pageni; duas pardas, urna
de 0 anuos, com habilidades e a outro de 12 un-
nos, propria para se educar ; 3 pretas de 20 a 30 an-
uos com algumas habilidades ; 2 iiugrinhas de II
a 12 anuos, com principios de habilidades, na ra
do Collegio n. 3, segundo andar, so dir quem
rende.
Vciideni-.-p 2 pelos de 22 annos. mui-
lo humilde, sem vicios; dous oaipos
de 20 anuos, um com iflici de alfaia-
le e ambos ptimos para pageos, por
serem de elegantes figuras ; um molo-
que de 8 annos, muito esperto; urna
negra de nacjlo perfeita vendedeira de
ra; duas ditas que cozinham, ongom-
mam, lavam e vendem na ra: todos
estes escravos nito tcem vicios nem
achaques: na ra do Vigario, n. 24,
se dir quem vende.
Vende-se um sobrado de um andar,
novo, com 37 palmos de frente e too di-
los de fundo sito na na do Hospicio,
antes de chegar ao quartel tendo por-
ta latga para cairo, elegante entrada,
mna rica sala forrada-de lindo papel,
guarnecida de dotirados, com bastantes
comtnodos bom quintal com cacimba
de muito Loa agoa de beber, esti baria ,
c que est livree desembaraeado : a tra-
tar com o dono na mesma casa ou no
Aterro-da-Boa-Visla, loja n. l\o.
DEPOSITO DE GALVIRGEM.
Na roa do Trapiche n. 17, ha sem-
pre cal vrgem de Lisboa, cm barris pe-
queos, e ltimamente chegada mui-
to superior e por preco rasoavel.
Na 11 na loj* do Ateno-da-
Boa-Visla; 7,
vendem-se bonetes para homem, a 500 rs. ; ditos de
panno e velludo para meninos; sapales de bezer-
10 para homem a 1,440 rs.; bahus de pinho, com
fechaduras c bonitas pinturas, que servem para
guardar ouro, roupa de enanca, etc., a 640, 1,000,
1,280, 1,440, 1,660, 2,240 e 2,500 rs. ; sapatos de
couro de lustro para meninos, de 2 a 12 annos ; sa-
patos para senhora a 1,000, 1,120 e 1,200 rs.; bo-
tins de bezerro para homem, a 3,520 rs.; marro-
qu" m. a 1,600 rs.
-- Vendem-se pecas de madapollo limpo, com
20 varas, a 2,400 rs. e sete vintens a retalho :
na ra r-streita do Rozarlo, n. 10, terceiro andar.
Vende-se superior sarca-parrilha vinda ul-
Immenlo do l'ar : no armazem do Rragucz.
Vcnde-se urna venda muilo afreguezada no
mclhor lugar dos Qualro-Cantos da cidade de alin-
da com os Iudos que agradarem ao comprador :
vende-se por seu dono nito lograr ah sadc : a tra-
tar na mesma venda couiAiitonio l-'erreira da Silva.
Vende-se um escravo bom cozinheiro ; dous
moleques ; 3 escravos do servico de campo; 3 os-
era vas de 12 a 20 annos ; 3 inulatinhas, muito lin-
das ; duas escravas de mcia idade: na ra Dircita,
n.3.
No fim da ra da Aurora n. 4, vendem-se
moendas de engenho, antigs, c rodetes por preco
commodo ; c um crioulo de 24 annos bom carrei-
ro c vaqueiro.
Vcnde-se farelo cm saccas muilo grandes,
por preco commodo : no armazem do caes da Al-
fandega ; ns. 3 c 5.
Vendcm-so chitas de osscnlo cobcrlo, a 80
rs. o covado ; brim escuro liso de linho, muito lino,
a 200 rs. o covado ; fuslfo pintado, a 320 rs. co-
vado ; cassa lisa a 280 rs. a vara, o a 2,700 rs. a
peca ; chapeos de massa de aba cstreila a 960 rs.;
chapeos de sol, de seda, a 5,500 rs.: na ra do Quei-
inado loja n. 8, de Caetano Jos da Silva.
Vendem-se os seguintcs livros : os Animaos
fallantes poema de Jo3o Raplista Cortes, 3 v. j" os
Martyros poema por Filiuto Elisio, 2 v.; Naufragio
do Scpulveda poema por Corle Real, 3 v,; Mala-
ca consquislada poema porS de Mcnezes 1 v. ;
Noilo do Castcllo poema por Antonio l". de Casti-
llio, 1 y.; Vida da Vcneravel Madre Thercza da
Anniincida, 1 v.; um methodo para vioIBojum
violflode muito boas vozes ; um rico pandeiro com
parafusos para alinaco coberto de pergaminho ,
proprio para presepio : ludo por preco muito com-
modo : na ra larga do Rozarlo, n. 46-
' Vcnde-se una escrava de bonita figura criou-
la que sabe lavar ccozinhar cm FOra-do-1'ortas,
ra do Pilar, n. 80.
Vcnde-se superior arroz branco : na ra do
Qucimado loja de fazendas n. 44.
Vcndc-se uro sobrado de dous andares o s-
lito, silo na ra de 1 Agoas-Verdes que rendo
70,000rs. ineusaes : a tratar na ra las Larangei-
ras, n. 14, segundo andar.
-i- Vende-se umscllim nglez, em bom estado :
no Atterro-da-oa-Vista n. 24.
Vendem-se escravos baratos, na ra das
Larangeiras, n. 14, segundo andar: t
lindo pardo de 22 anuos, sem vicios
nem achaques de boa conducta c que
he ptimo para pagem ; um dito com
pfliciode sapaleiro, este troca-so por urna pela
moca; um molccoto de 18 annos, com ollicio de al-
faiale; dous molecotcs de 18 anuos, bous para o
trabaUu de campo; um preto de 25 anuos por
430,000 rs. ; um dito de 36 annos muito forte o
que he cauoeiro, por 400,000 rs.; um dito, por
d Londres: em casa de Geo: Kunworthy & C., na
r i dn Cruz i.
Vende-fe um escravo pardo, ptimo offieial de
Sipah iroeco/inheirn, e que lie muilo bom pageui:
na tua do Jardiui, 11. 43.
Na ra yoV, n.f> loja de
Muya II a oos & C.,
vendem-se riquissimas guarnicOes de Clores, para
vestidos de noivado chegadas pelo ultimo navio
de Franca : lindifs capcllas brancas, do melhor gos-
to e qualidade que ha ; ramos de Clores todas de
velludo, proprios para chapeos de senhora ; luvas
de pellica, com guarnicOes, o melhor que tem ap-
parecido neste genero, sendo enda par em sua cai-
xinha ; ditas curtas, muito elsticas c bemalvas-
cortes de seda furta-cores, brenca e prcta, d
lindos gestse de ptimas qualidades; sedas para
chapeos de todas as cures ; sapatos de setim bem
alvos ; ditos de couro de lustro marroq-uim cor-
dovio c duraquede Lisboa; chapeos de massa, fran-
cezes,-da ultima moda a 7,000 rs ; mantas de se-
da para senhora s mais modernas que ha presen-
temente ; ditas matizadas, de muilo lindos padrees;
vestimentas para meninas de 3, 4 e 5 annos, pelo
diminuto preco de 4,000 rs ; luvas de seda de todas
as qualidades, para senhora; ditas de pellica, de
seda de cores c de lio da Escocia, para homem
bandejas de todos os tamanhos com lindas pintu-
ras e do excellente qualidade ; cspolhos do parede,
muito proprios para ornar salas; chicotes deba-
leia bastante grossos para carro ; ditos do caima ,
junco e de pao; um completo sortimento de per-
fumarias do melhor fabricante que ha em Paris,
Mr. I'vcr.
Vondem-se 12 travs de mangu, com 40 pal-
mos : na ra da l'raia, a fallar com Jos llig'mo de
Miranda,
Vndem-se, na livraria da ra do Crespo, n.
11, os melhores folhetos que tcem apparecido, bem
como : Historia da imperatriz Porcnia; Roberto do
Diabo ; Magalona ; oracOes ; um rico sortimento
de entremezes ; Primeiros elementos praticos do
foro civil, pelo diminuto proco de 2,000 rs.; obras
completas de Vollairo, por 3,000 rs.; Tratado da
religiSo, por 3,000; Horacio, por 3,000 rs. ; Tclc-
maco, por 1,280 rs. ; Arithmetica por Besouti por
1,280rs. .Virgilio, por 3,00Q rs.
Bolachiiiha de araruta, em
latas ,
muito superior e nova : no armazem do Bacear, no
caes da Alfandega confronte a cscadinha.
QU ADIS.
Na ra do Cabug, loja de miudezas,
de Francisco Joaquim Duar-tc, ba um
completo sortimento de quadrosde San-
tos, em moldura dourada, de (Jiiferentes
lamanbos de 80 at 4oo rs.
Vende-so um escravo de nac1o proprio para
o servico do campo, ou engenho por ter disto
pratica: na ra da Lingocta, n. 3, se dir quem
vende.
-- Vcndc-se, ou aluga-se urna canoa de carreira,
que pega cm 10 a 12 pessoas Tambero aluga-se o
armazem da casa da ra do Collegio, n. 18. A tratar
cen o Sr. Domingos Caldas Pires Eerreira na al-
fandega.
Escravos Fgidos.
250,000 rs. ; una parda de cor escura bastante
coi-polenta, do vi annos, com algumas habilida-
des esta escrava vende-so muilo em conta', por ter
um pequeodefeito; urna mulalinha de 12 annos;
urna ngi inha de 13 annos que cose, engomma ,
cozinlia e serve Lema una mesa; urna negrota de
de 20 anuos que cose c cozinha o diario de urna
casa j urna dita de naco do ptima conducta, por
t2,000rs. ; e mais alguna escravos
Vcnde-se um moleque crioulo do 9 a 10 anuos :
na l'assageni-da-Magdalena no becco que vira para
o Remedi, venda n. 29.
Vendeui-se piaoos ingleses ,
de patente de
CollardA Collard, os muito celebres fabricantes
Fgi, na noile do dia 21 do corrento do en-
genho Queluz cm Ipojuca, um preto, de nomo
Antonio de estatura alta de bom corpo olhos
grandes c avermclhados com o olhar um tanto es-
pantado alguns cabellos j brancos ; levou cami-
sa de chila azul do qnadrnhos ceroulas do algo-
diozinho branco, ou de hamburco, chapeo de palha
novo e mais alguma roupa o uina cnxada nova en-
cavada : quem o pegar leve ao dito engenho, ou a
casa de Francisco Antonio deOliveira na Boa-Vis-
ta ra da Aurora n. 26 que ser grrtilicado.
Auscntou-sc da casa do abaixo assignado, no
dia.24 do concille um escravo pardo do nome
ioflo Grande, do18annos pouco mais ou menos;
oceupa-scem coiduzir canoa d'agoa ; tem propor-
COcs para ser bastante alto ; he muito esperio; tem
no nariz uina grande cicatriz : quem o pegar iove ao
baixo assignado que gratificara generosamente.
Jos Joaqunn de Mitqiula.
Fugio, no dia 23 do corrente, o escravo Manoel,
que representa 25 a 30anuos baixo reCorcado do
corpo cor nflo pela ; temos dedos de um dos ps
ruidos, olha atravessado; costuma andar, quando
foge, pelos Apipucos, Luca Olinda etc. Quemo
pegar leve a casa do Sr. Pedro Teixcira Guiniarcs,
morador na iua do Caldeiroir ou na ra de Agoas-
Vcrdes, n. 46.
--1 ugio no dia 25 do corrente, o preto Paulo,
de naco Angola, de 50 anuos, estatura baixa, cara
cngilhada leudo cm uina das faces um buraco,
procedido de. um tumor; levod calcas de estopa ,
camisa de algodilozinho, de mangas curtas, cabel-
los cortado rente do pouco lampo ; he conhecido
pelo appellidode pap-yoyo. Itoga-se as autorida-
des policiaes ccapitiics de campo, que-o apprehen-
dam c levem a ra da Cadeia do Recife, 11. 25, que
scrlo recompensados.
Fugio, no dia primeiro de setembro um es-
cravo, pertonecnte a testamentaria do fallecido An-
tonio Machado da Cunda denoine Manoel de na-
Co (alabar_, com uina chaga grande ao p do tor-
nozrlo do pedircito, c urna belida 110 olho; demal
encarado; representa 40 annos pouco mais ou me-
nos : quem o pegar leve ao pateo da S.-Cruz 11. 8 ,
ao p da botica.
Da casa do abaixo assignado onde cst.iva para
ser vendido fugio, 110 dia 23 do corrente o escra-
vo Manoel, de nacfio, perlencente ao Sr. Pedro Tei-
xcira Guimaraes com os signaos seguintcs ; re-
presenta 25 a 30 annos, baixo, reforcadodo corpo
cor nio muito prcta olhos atravessados ; lem os
dedos de um dos ps ruidos ; quando foge, costuma
ir para as parles de Apipucos, Luca Olinda Boa-
Vista e estrada de Joilo-.de-Barroa. Pede-sc encare-
cidamente as autoridades policiaca, capilacs de
campo o pessoas particulares, qucappreliciidamo
levem a ra de Agoas-Verdes, n. 46, que re'ccberlo
20,000 rs. do gralilica'so.
Jodo Frederico de Abreu Higo.
ERA: WA XtPt DE M. F. VE fAMA.----1'
i
-" -.' '
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EVFHV9XCH_O5P3YU INGEST_TIME 2013-04-26T21:35:22Z PACKAGE AA00011611_08552
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES