Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08551


This item is only available as the following downloads:


Full Text
r
.z
Armo de 1847.
Terca-feira 28
O DIARIO pulilica-se lodos oj dias, truc n^o
4rem -le inri. : o preo .U U|nttBra e ..... rs.poi qii.rlel. P-t">f ad,at*dn<. Os ati-
nunr.ios rio, sientes ^** "f
p re. por Haba, ion e..i lypo diirrrnic, e as
r*peli=oes p .. mel.de. Os que n.o frem Uft
n.nlrs'pauar.o sor por linlia,-e ISi) ein lypo
dillerento, portad. pulilicc.o.
PUASES DA LA NO MEZ DE SETEHBRO.
Mni'oanle, a I, a 0 horas e 4J mio' da larde.
|,ii. uov, a 9, mcis 28 imn.da Urde.
Crescente, a 17. s & horas d.i larde.
Le clseia a 14, aos C mu. d* tarde.
PARTIDA DOS CORREIOS.
(oi.iin.i < Paraliyha, as segundas esestas feir,.,
I\io-(rande-do- Norte quintas feiras ao meto-da,
Cabn, Serinliein, I'io-Kormpso, Porto-Calvo e
Uaccio no I.*, a 11 e 2i He cada mez.
(araiiliuns e Roorto, ate 23.
Boa-Vi-ta e Flotes a 13 e 28.
Victoria, as quintas leiras.
(Jliuda, todos os das.
PltEAViAr! DE HOJE.
Priraeira, as 7 horas e 42 minutos da manirn.
Segunda, s 8 horas e 8 minutos da Urde.
de Setombro. Anno XXIV.
N. ai 8.
das da semana.
!7 Secunda, 'i. Eliziario. And do J dos nr-
CI/^ uli. do J. doc j'a 2 e doJ. M. di I vara.
& Mr *' Terra. S. VencM'o. Aud do .1 rio civ da
I. v. e do I. de paz. do 2 tlhl de I. '
2! Qu.rta. < Miguel Ardanlo. Aud. do I.
do civ da !y. e do I. de p.i do 2. ili.t de t
JO y.nnia. !>. Jeronymo Aud do J. uc orph,
e do 1. nmmcipnl d. I. vara.
1 \ii.. S. Vertssimo. \ u.l ilo I do civ. da i.
v. e do J de pai do I. dist de (.
2 Sahlwdo. S Leodegario. Aud do J do civ.
da I. V. e do J de paz to I ifisl de I.
8 Domingo. O BS. Bozsriode Noss* Senliora
CAMBIOS NO DA 27 DE SETEMBRO.
Camino sobre Londres a 27 .1 p. 14 rs. a 6n dias.
Pns 360 rs. por Tranco.
o, n Lisboa 10b Ilf. de |.rc'"lo.
Dse, de leltr. de lioas linn-s de '', %, ao mez.
OuroOncis hespaiiDole* i M10 a 20j*IIO
.Mocdas do ri < nu velli IUA3MI a IUl&0
a de efino uov I6f >0 . de iJouO..... 9#IO0 a 9>0(i
Prola Patace ....... I#il0. a !#''>
a Pesos columnares... I/Mil 1#0
Ditos meiicarios ... ifAIA !#840
Miuda------........ U*A
A croes da comp.do lleberibe de SOJfOOO rs.ao per*
PE1IVAMBUCO.
PRTEOFFICfAL.
AUTO DE BAPTISMO.
Anno do nasoimento de Nosso Senhor Jesus-Chris-
tode miloilocentosequarenla e sele, aos seto das
do mez deselembro, nesta cathedral o imperial es-
polia da muito leal e heroica cidade do San-Scbas-
ti.lo do Rio-de-Janeiro, oeeupando o Ihrono o muito
alio e mtiilo poderoso Senhor I) Pedro II, Imperador
constitucional e defensor perpetuo do Brasil, e o so-
lioo F.xm. c Revm. hispo capelllo-mre diocesano,D.
Manoel do Monto Rodrigues do Aratijo, contJo de Ira-
ja ; e adiando-so na mesma cathedral o imperial r.i-
pella reunidos os ministros e secretarios tle estado,
^oncclhoiros de estado, grandes do imperio, ofliciaes
inais pessoas da cflrle o casa imperial j miiitos se-
nadores e deputados, corpo diplomtico estrangei-
ro, memhros dos tribunaes da corte e militas mitras
pessoas de dislinccfto expressamente convidadas, o
diloExm. e Revm. hispo capellilo-mr baplisnu, e
pozos sanlos-oleos a screnissima princeza Senliora
1). I.copoldina-Thereza-Francisca-Carolina-Michaela-
Cabriela-Raphaela-Gonzaga, nascida no da 13 do
mez tle juIIiq do concille auno pelas seis horas c tres
quarlos da manlia ; lilha legitima do dito muito al-
to o muito poderoso Sr. I). Pedro II, Imperador cons-
titucional e defensor perpetuo do Brasil, oda muito
alia o multo poderosa Senliora D ThcresaChiistina
Mara. Imperalriz do Brasil, nela pela parte paterna
do fallecido Sr. I). Pedro do Alcntara de Braganca e
Bourbou, primeiro imperador constitucional e de-
fensor perpetuo do Brasil, e de sua augusta esposa
tamhem fallecida, a Senliora I). Minia Leopoldina Jo-
sepha Carolina; o neta pela parte materna do falle-
cido Sr. I). Francisco I, rei do reino das DuasSicilias
e do Sua Mogcstade a Rainha sua augusta esposa a
Senliora I) .Mara Isabel. Foi padrinho S. A. R.oSr.
D. Francisco de Orlcans, principe de Joinville, repre-
sentado por M. C. Ilis de Butcnval, coinmendador da
ordem real da lcgiilo de Honra, o.da de N. S. da Con-
ceicilo de Portugal, condecorado com a ordem ollo-
mnna de Nichan Iflchar. e enviado extraordinario o
ministro plenipotenciario de Sua Magostado o rei
dos Fra11ce7.es.nesta coito ; o madriiiha Sua Alteza
Real a Senliora I). Francisca Carolina, princeza do
Joinville, representarla pela Illm. o Exm. cotidessa
tle Uelmonte, camareira-inr de S. M. a Imperalriz.
E para a todo lempo constar, se lavraram doi/saulos
em ludo idnticos, subscriptos pelo Illm. cF.xin.
Manool Al ves Branco, do concelbo de estado, presi-
dente 1I0 concelbo de ministros, secretario tle estado
dos negocios da fazenda o interinamente onesrrega-
do dos do imperio,.e assignados tanto iiorelles como
pelo Exm. elievm. capolio-inr conde de Iraj, e
pelos representantes dos augustos padrinho c madri-
nba; devendo um dos ditos autos licar 110 archivo
da imperial capella o ser o oulro recolhido ao archi-
vo publico do imperio. En Manool Alvos Branco o
suhscrevi e assignei. Manat A Ivs Branco. -Co-
rno representante do augusto padrinho, C. Hit de
Bule a tal. Dito da madiiiiha, ( ondttta de llelmonle.
Munnel, bispo conde capellilo-mr.
SS. MM. e AA. II. cstavam no gozo de perfeita Mude.
A 7 verificra-sc o babtiz,ado da princeza recem-
nascida. Do auto de baptismo, quo transcrevmos
na parte olcial, verflo os leitoresqual o nomo que
se deuaS. A.
A ceremonia fra exocutada de conformidade com
oprogrammaque'publicmosem outronumero. Mui-
tas personagens assistiram a esse acto, centre ellas
se achava o Sr. Mousenhor Bedini, internuncio deSua
Sant dado na corte, que, como orgilo do corpo di-
plomtico, recitara a seguinte allocuc,to :
Senhor.' A lihcrdade poltica o a lihcnladc
rhristfla silo boje solemnemente festejadas por urna
feliz coincidencia. Urna reconla com enthusiasrno
um nconlecimenlo memoravel, que fez entrar o
Brasil na grande familia das nagOes; e pela outra a
Igreja, em nomo doRedemptorqueresgaloucom seu
sangue c sua djvindadc o muiiilo inleiro, conta
com mais urna lilha.' Che fe tiesta feliz nagiloe tiesta
ramilia arlorada, vos tendes, Senhor, um duplicado
I) lili I (I IIE l'lll.\.l!l!!l'i;l.
BECIFE, 27 DE SETEMBXIO DE 1847.
Pelo vapor San-Salvador, chegndo boje tos por-
tos do Bul, recebemos gazetas do Rio-dc-Juneiro
que alcangam a 14 diste mez.
e:
MKMRIAS DE UM MEDICO. (*)
pon aicjranDre J^umaj.
SECUNDA PARTE.
tfda aA2.3A'oc
CAPJTLO XXXI.
O rOOO DE ATIFICIO.
Apenas se haviam accommodatlo Andreza e seu ir-
nifio, romperain os ares os primeiros fugeles, o um
grande grito se levantou da niullidilo, agora toda
embevecida na vista quo IheoiTeiecia o centro da
praca,
Foi o cmeco do fogo magnifico e em ludo digne
da subida rcpulacilo de lluggieri. A dccoraQlo to
templo llnminou-se progressivamente, eapresentou
em breve urna facliada de variados fogos. Retiniram
os applausos, quo se mudara 111 em frenticos bravos,
logo que da bocea dos delphins, e das urnas dos 1 ios
jorraran! repuchos de cha m mas que cruzaran) as cas-
calas re fogos tle diiTerenles cores.
Andrea, transportada de admiracfio vista desse
espcctaciilp que nio Icin equivalente no mundo, o
") Vide Diario n. 213.
litulo .i alegra dcste da, e vosso coracilo paternal
leve experimcnlar a mais doce de todas as emoces.
O corpo diplomtico, interprete dos scnlimentos tic
todas as nacoes christflas, 86 apressura ao redor de
vosso Ihrono imperial em vos felicitar, Senhor, por
estes beneficios quo a Providencia nilo cessa de pro-
tligalisar a vosso povo c vossa augusta familia. 1-Ji
me ufano de poder ser boje, mais do que nunca, o
seu orgao, e com urna satisfaciloassaz tinco a meu
coracilo, pois que ideia de um regosijo nacional
accresco a de una solemnidade eminentomente san-
ta, eminentemente chara ao estado e igreja.
Recebci, Senhor, nossos mais arrenles votos ea
homenagem de nosso profundo resp'eito.
A impressilo, que sentir S. M. o Imperador ao a-
eahar de ouvir esta allocuQilo, consta tas | com quesedignou de rctribui-la, o que aqu con-
signamos :
o Eu me acho vivamente penetrarlo das expressOes
que me dirigs em nomo do corpo diplomtico, por
occasiiio do anniversario da independencia do Bra-
sil o do baplisino tle minha mui chara lilha: dous
successos to felizes, tlosquacs um tem eslabeleci-
do as relaces do amizade quo eu me esforco por
manler com todas as nnefles, e o outro as conservar,
perpetuando minha dynastia. n
Depois de haverinos tratado da familia imperial,"
releva que nos oceupemos com a asscmbla geral le-
gislativa, que, digamo-lp agora mesino, ftlra prolo-
garla al o dia 18 do correiitri ; prrogacfto que, se-
gunrlo a Jornal do Commercio, nilo lera elTeilo para
a cmara tos Srs. deputados, cujos trahallms esse
periotlico ra por lindos com asessilo de 13, di/.endo
que Ihe pareca impossivel conseguir-so, tlcsso tlia
em (liante, a reunan dos mcinbros da mesma cma-
ra em numero sufliciento para que so ella podesse
considerar constituida.
O senatlo appravra : em segunda discussilo, a
proposla relativa ao cunho das modas de ouro e
prata, com suppresslo do artigo 2., e a que concede
carta de naluralisaglo de cidadito brasileiro a Jos
Joaquim de Souza e outros: --em lercoira, para seren
enviados outra cmara, o projecto que autorisa o
levantamenlo ta planta de um novo palacio para re-
sidencia de S. M. o Imperador, e outro paco para o
sonatlo, consignando duzentos e quarenta cotilos pa-
ra a conclusilo das obras da imperial quinta da Boa-
Vista ; a resoliiQilo que uloiisa o governo a auxi-
liar com 2:000/000 de ris mensacs o Iheatro do San-
dc urna populadlo desetecentas mil almas rugndo
de alegra em frente de um palacio de chammas, nem'
proeuiava occullaras suas impressOcs.
A tres passos da donzella, encoherto pelos hom-
bros hercleos de um murila que levantava o lilho
nos ares, i) I lia va Gilberto para Atidrcza, por amor
rlella so, o para o fogo, porque esta olhava para
elle.
Via Gilberto a Andreza do profil; cada fogueto al-
lumiava esse helio rosto, ecausava um eslremeci-
mcnlo ao mancebo ; parceii.-lhe t|uc a adiniragilo g-
inl nascia dessa cnnlemplaco arloravel, dessa crea-
tura divina que elle idolatrava.
Andreza nunca liana visto nem Paris, nem a mul-
tidilo, nem os esplendores de tuna fesla ; essa mul-
liplicidadedc revelagoes que llio assediavam o espi-
rito a allurdia.
De repente surgi tnn clariio vivo, cncaminhando-
sc tliagonalmcnte para o rio. Era una bomba que
arrebentava estrepitosa, o cujos diversificados fogos
Andreza admirava.
Vfide, Fiiippe, como he bonito! disse ella-.
Meu leos.' exelamou o mancebo assuslado,
sein respoiidcr-lhe, .i'jnellc ultimo foguote foi heni
mal dirigido : desviou-se por cello do caminho que
rlevia seguir, iiorquo em vez do dcscrover una para-
bola, escapou-soquasi horizontalmcntc.
Acabava apenas Fiiippe do manifestar nina inquic-
ta estremecinicntos, quaudo um liirbilhiio de chammas
parti do Bastillo em quo eslava collocado o rama-
hcle, e a reserva dos fogos. Um eslrondo semefhan-
le ao de cem troves quo. se cruzasscni om todos os
sentidos roncou na prac,a, c como se esse fogo conli-
vesso uniamclralha devoradora, poz em denota os
curiosos mais prximos, que sentirn) vir-llie Ca-
a'essa chumma inesperada.
Ja oramalhete? j o ramalhete? gritavam os
Francisco do Sr. Jofo Caetano dos Santos; eaquo
manda pagar ao vlcc-almirante Francisco Mara Tel-
les, e aos herdeiros do almirante Miguel Jos do 011-
veira Pinto, as gratificacOes quo esses ofilciacs dei-
xaram de receber : -em terceirn tamben), mas para
serem submeltidos sanecilo, o projecto que marca
o subsidio dos deputados ; a resolucflo que faculta
o emprestimo de 100:000/000 tle ris ao Sr. Joaquim
Diogo llaelley para animar a sua fabrica de tecidos
tlcalgoililo; a que permiti soja arlinitfitlo a servir
no excrcito o Sr. Pedro Nicolao Faguerstoin, o final-
mente as que conceden) pensos : 1., a D. Constan-
cia Carneiro da Fontoura ; >.-, D. Ilypolita Joscpha
rio l.ivravento ; 3., a Francisco Bernardino da Costa ;
? .", ii I. Thoreza Joaquina de Mattos Cardlo ; 5.,
a D. Camila Josepha da Silva; 6.*, a D. Eufrosina
Guilbermina Lopes Motta; 7., a D. Mria lo tal;
8., a Jos Francisco Alvcs; !l. cmfim, a D. Joaqui-
na Bernardos.
Essa cmara ainda apreciava o orcanienlo da des-
peza c receila geral do imperio para o anuo linancei-
rodc 1848 a 189.
Foi no correr da discussfio do referido orcamento
que la se travaram mui serios debates acerca tos ne-
gocios dcste Pcrnambuco.
O Sr. Hollantla Cavalcanli coinprometlra-sc a
provar que o governo nilo s promove a desonleni
nesta provincia, como desoja revoluciona-la; e li/.e-
ra acompaaliar sua promessa da seguinte aincaca ;
tt E nilo hei tic ficar s em provea ; se Heos me der
vida o sailrle, hei tle ir mais adente ; nao me con-
tentare! com palavras aqui proferidas, fnrei ippare-
ceruin facto mais positivo aulorisado pela le.-
Na sessio imineiliala a essa em queodislinctose-
nador lio solemnemente se pronunciara, tratoudc
encelar o repto para que emprazra o ministerio,
em um longo discurso quo vein inserido no ultimo
dos exemplarcs do mesmo jornal que mais cima ci-
tamos, istohe, nodo 1*deselembro.
O Sr, ministro ta fazenda e interino do imperio a-
prcsenlou-se como conipeilo do ge bisele, tralou de
rehater os golpes que Ihe Hitara O sen contendor, e
roncluio assirn: Nilo sei como o nobre senador po-
lis aeciisar-me. Nos recebemos a administraban tic
Pernambuco como esta, o a conservamos : entre-
tanto o.nobre senador, que a conserven tal qual,
diz : -- pcrnambuco est opprlmido, os ministros
actuaos sao causa disso, os ministros acluaes silo
cjnspiradores !Sooestarlo tle odio e implacalii-
lidaile dos partirlos em Pernambuco denuncia nina
conspiraco, perde o nobre senador.....tire a con-
clusilo, e veja qneiii he o conspirador.
OSr, ViscoinletleOlimla, que, como ninguem ig-
nora, he Peinamhucano, nao se contenlou com ser
mero espectador dcste certamen quo versava todo so-
bre sua chara patria: quz compartilhartlos azares do
combate, fez-se annunciar, queremos dizer, pedio a
palavra, elogiou os senlimentos to partido ordeiro,
o nilo terminou sem soltar csla exclamarlo !: Nilo
ser possivel suflbear o amor ra libprdado nos cora-
cOes generosos dos nicus comprovincianos. Os des-
cendentes daquelles quo souhcrem resistir ao rei
para servirem irtelhor rio rei, saberilo lamlicm re-
sistir oppressilo dos ministros para nielhor servi-
rem ao Imperador.
E no ntrela uto que assim so exprima um dos che-
fes da maioria do sonado; o no entretanto que
elle, declarando-so, por essa forma, em opposico ao
sssaiieevMiBjaJaiasMi' > ini enusji i mu iryg-tt-striswBSMu
espectadores mais distantes. Ainda uo! he muito
cedo.'
J repeli Andreza. Oh! sim, liojnuitocedo.
Nilo, disse Fiiippe, nio, nilo he o ramalhete,
lio un) accidento, que n'um momento vai por em
confusiojcomo as ondas do mar essa mullidao an-
da tranquilla. Viudo, Andreza; vamos para a car-
ruagem, vamos.
Oh 1 deixai-mc anda ver, Fiiippe, he 18o bo-
nito !
Andreza, nilo percamos um instante; pelo con-
trario segui-me. lio a desgraca que eu tema.
Um foguele perdido poz fogo ao DcstlAO. Ja la se
esmagam uns aos outros. Niio ouvis gritos?
At|uellcs niio silo mais tle alegra, silo tle allliccao
liepressa. vamos para a carruagiMii. Mcus senhores,
ineus scnhoies, ueixem-uos passar.
E Fiiippe, tleitantlo o braco pela cintura da irmiia,
arrastou-a para onde eslava o pai, que de sua parte
inquieto o prescntiiulo, pelos-clamores que se ou-
viam, (ini perigoquu uo poda distinguir, mascuja
presonca nio Ihe era duvidosa, deitava a cabeca fia
da porlinhola, e procura va os fillips com os ollios.
Era ja muito tarde, e a prediccio de Fiiippe so rca-
isava. O ramalhete composto de quinze mil fogue-
tcs arrebentava, dcrramamlo-so em todas as direc-
Qcs c porsoguindo os curiosos como esses llardos
de fogo t|ue liniNim na arma aos touros que querom
excitar ao combale.
Os espectadores, ao principio admirados, depois
espavoridos, haviam recuado com a fdrr,a da irrefle-
sAo ante essa invencivcl retrogratlai;ilo decem mil
pessoas; muras com mil, abaladas, haviam dado o
mesmo niuvitiiento a sua retaguarda, o cinmadeira-
niento prgava fogo, os meninos gritavam, as mulhe-
res, siiil'ncarl.is, erguium os bragus ; os archeiros es-
pancavam a torio o a dircilo, pensando fazer calar
os gritadores e reslabelccor a ordem pela violencia.
Todas essas causas combinadas fizerarn que as on-
ministerio, tloixavaapcrcebcrquc ama, que acatas
que respeita ao monarcha brasileiro ; c no entretan-
to que. assim se exprima o nosso respeitavol patri-
cio, ropctimo-ln, nada ir.enosera que o orgo Jo se-
nado. Sim, esso corpo tic cidadilos provectos e a-
mestrados pela experiencia volam o mais profun-
do ac (amento ao primeiro magistrado da naclio,
como exuberantemente provam os discursos que
aqui copiamos :
n Senhor. -- O senado, convencido de que o con-
sorcio do V. M. I. com a augusta Imperalriz do Bra-
sil trouxc torra de Sanja-Cruz com a beiiQlo do
co incalculaveis beneficios, j pela conservaran da
imperial dynasliae seguranca do tintino, j pela es-
treita allimica enlrc este, imperio e a casa reinante
das Duas-Sicilias, niio piule considerar, sem encher-
se de jubilo e da mador satisfacilo, o dia anniversario
do tilo fausto acontec ment. Me por este motivo,
Senhor, que o mesmo senado nos enva em deputa-
cilo a augusta prosenca de V. II. I., nao so para ma-
nifestar estes sentimientos de que so acha intima-
mente possuido, mas lambim para ter a honra do
felicitar a V. .M. I. por contar mais este anno de
una felicitlade, que tupposto domestica, tilo cstroi-
lamente se acha ligada com a segranos e prosperi-
tlade publica.
Oscilado, Senhor, faz. votos ao Enlc-Supremo,
para que dilate por largos annos esto tilo feliz con-
sorcio, abencoando-o com urna serie de principes,
que, assegurando a V. M. I. nilo intorrompida suc-
cesso em suas virtudes paternaes, assegure ao mes-
mo lempo ao Brasil a permanencia da COfda nos
Ilustres descendentes detSO virtuosos pais.
Sao estes, Senhor, os senlimentos, que,..como
igaos rio sonado brasileiro, podemos aliancarque
oanimam, o que rogamos a Y. M. I. se digno acolner
benignamente.
Senhor: Completam-se boje vinte e cinco
annos depois que um principe magnnimo, soltando
n sua voz poderosa nas margens de Ypiranga, creou
urna naqfio ndependente c livre.
o O senado, pois, nilo pode dcixnr de saudar com o
mais patritico enthusiasrno o anniversario de um
dia em que se commemora um dos Tactos mais Em-
pollantes da historia do paiz, nem tle encher-se de
nobre orgulho recordando lodos esses actos de he-
roismo prnlicados pelo soberano, todos os Tactos de
valor o tle tletliracao de quo deram exeinplo os Bra-
sileiros. O principe o sobor.auo a qucni tanto deve o
Brasil he o Augusto Pai rio V. M. I.
Mas se elle fundn um imperio independente o
livre, nilo he menos nohrc, nem monos glorioso o
empenho com quo V. M. I., por moio de urna poltica
usa o enrgica, tcm sbulo consolidar e fazer res-
poitar a independencia da nacOo, lorn mantillo sem
hesitacUo as liberdades publicase a seguranca dos
subditos de V. M. I
Kntic multas outras provas do queja abunda o
reinado de V. M. I., o senado se compraz com grati-
dlo a que acaba re dar V. M. I., designando o dia
tle boje para celebrar-so o baptismo da scrcussiiiiu.
princeza a Sr.* 0. Leopoldina.
ir Os principes, Senhor, devem ser os mais extra-
os defensores da independencia nacional e das
liberdades publicas, assim como silo a sua mais soli-
da garanta. Assim he que V. M. I. resolveu dar tilo
til licao lilha que amia esta no bcrco, o um tes-
tcmunho niio equivoco de amor e'de interesse ao
paizque o vio nascor, e que arlmira o respeita em
V. M. Lo esplendor de tantas virtudes que adornam
o seu espirito c o sen coraQilo.
n O senado, pois, Senhor, nos enva em deputacao
ante o Ihrono de V. M. L, para felicitar a V. M. I., niio
s por sor o anniversario de um dia de tantas recor-
darles gloriosas, mas tamben) porque parece que
ISII MSjeMSSSMMSMSSSSMWSWD
de
ras, de que Fiiippe fallava, cabissem como urna
tromba sobro o ngulo da praca que elle oceupava ;
em vez do alcancar a carruagem do barilo, como
centava,foi, pois, o mancebo arrastado pela torrente;
torrente irresistivel, o da qual ncrihuma descripcilo
poderia dar una ideia, porque as lm i as individuaos,
decupladas j pelo medo e aUlicclo, se centuplica-
vam pelo augmento das frircas geraes.
No momento em que Fiiippe arrastrara Andreza,
deixara-se fiilbcrto levar pela crrenle quo os car-
regava; ao cabo, porm, de uns vinte passos, um
magote de fugitivos, que voltava a esquerda na ra
da Matleleine, suspenden Gilberto, o arraslrou-o ru-
f;iiulo por ver-se separado de Andreza.
F.sta, agarrarla ao brago rio irmilo, foi enrolla por
um grupo quo procurava evitar o encontr do uuia
carruagem puxada por dous cava I los furiosos. Fi-
iippe vio-a vir para elle rpida e amcacadora ; os ca-
vallos como que laucavam fogo pelos olhos e escuma
pelas ventas. Fez esforcos sohrenatiiraes para des-
viar-seda sua direccao, mas do balde. Vio abrir-
se a multid30 atrs tic si; distingui as cabecas fu-
meganles dos dous animaos insensatos; vo-osem-
piiarem-se como esses cavados do marmore que
giiarilam a cntiada tas Tulhcrias, c como o cscravo
que procura subjuga-los, largando o braco de An-
dreza, c repcllindo-a quanto pode para fra da via
perigosa.sallou ao froio do cavado que ficava do
seu lati. Este ergueu-se, Andreza vio o irmSoda
sua parle, cahir. dobrar, e desappareccr, soltou um
grito, eslendeu os bragos, foi repellda, deu urna
volla em redor de si. o n'um instante achou-se s,
vacillante, arrebatada comb urna penna pelo vento,
sem poder fazer a forca quo a empuxava mais re-
sistencia do quo ella.
Gritos surdos, muito mais terriveis que os de
guerra, relinchos do cavados, una bulla horrivel
do rodas que ora calcavam as calcadas, ora os cha-
daveres, o fogo lvido dos ommadeiramentos quo
i
i
I
V
fi
MUTILADO



o.
neslodia, entre as ga'as da igreja e as acdamagfiPS
do pnvo, a rpligiflo p a poltica se reuncm para arom-
ptnliarfiii mu baptsmal a indita princeza augusta
IiIIm de v. |f. |.
Digne-sp V. M. I. aeolhercom benevolencia a ex-
pn's.siio dosspiiiuicntos do amado, e os votos que
elle faz pela falicidade de V. M. I., e da familia im-
perial.
O primeiro dpsles discursos fra proferido pe
Sr. Monleiro de Barros, o o segundo pelo Sr. Bar8o
do Pontal,
A cmara dos depulados quasi que somonte se oc-
oupara com a discussflo do crdito para exercicios
lindos, que, allim, approvra nessa sessflo que a ga-
zela da casa suppOe ser a ultima. Mas, nessa mes-
mu sessflo, por igual approvou ella as resolugocs do
senado relativas ao tlicatro do San-Francisco, aos
novos palaoos para a residen era imperial e para o
predilo senado, conclusflo das obras da quinta d
Boa,-Vista; assim como tiyera de considerar urna
denuncia que se Ihe apresentra contra o ministro
do imperio, que nflo Irazia firma rcconheci.la, ncm
documentos comprobatorios; que baseava-se no
fado do n.lo ter sido deferida a peticffo qnu o denun-
ciante tem submeltido por vezes a despacho, soli-
endo a baxa a que se reconhece com direito por
liavcr acabado o seu lempo de servido; c que, de-
pois de una breve quesillo de ordem, foi remeltida
s commissoes de marinha o guerra, e do consti-
luigflo.
Agora que os subscriptores dcslc Diario ja se a-
cham a pardas oecurronri'as da corte, que, ao elas-
sificarmos as noticias, coslunianios collocar em pri-
meiro lugar, cum[ire que os intcireiuos das nutras de
monos iiupurlaiicia.
Tinham sido condecorados com o oliciliato da or-
dem da liosa oSr. Barflo do l.agalinerio e o Sr. |)r.
Antonio Flix Itlarlina.
Ao deposilar nss mflos do S. M. o Imperadora
carta de gabinete em que S. M. el-rei da Dinamarca
ofTerlava no nossn monaroha as insignias da real or-
deiii do Elephante, assimse expressou o Sr. Carlos
l'rilz, eiirarregado do.negocios do S. II, Dinamar-
quesa :
SnsHcn! Foi servido ao meu augusto soberano
honrar-mecoin urna misso particular junto a V. M
I., confiando-me a entrega de tima carta edas in-
signias desua milito antiga c milito nobre ordem
real do Elephante a V. M. I.
Comoorgflo Jo mou augusto soberano, be do
meu dever renovar verbalmenlo por esta oecasiflo as
segurancas dos sentimentos de urna perfeita amiza-
de e da mals subida estima da parte do meu augus-
to amo para rom V M. I. esua augusta familia ; as-
severando seren estes os sentimentos que iiiduzem
meu soberano a offerecer a V. .M I. as insignias da
sua ordem real do Elrphanle, como un pcnlior de
suaamizadeealta eslima.
i Meu soberano, que toma em todas as occasiOes
a parle mais viva em ludo que di/, respeito a felici-
dade de V. M. I. nteressa-se igualmeiilo muito pe-
la prosperidade do Brasil, que, sob o reinado de V.
M. 1 faz tio grandes progressos, sendo o seu mais
ardentc desejo que a Providencia conserve por lon-
gos anuos os dias preciosos de Y. M. I. para ventura
e bem-estar da naeiio hrasileira.
Assumindo de novo inhibas funrgors na qual-
Uade de encarroado de negocios de S. M. o re de
Dinamarca junto da curte de Y. M Imperial, miso
solicitar a graca de dignar-se V. M Imperial conce-
der-mo d'ora em diante a mesma benevolencia e a
mesma confianga rom que foi servido lionrar-me
anteriormente; pelo que me toca, olim principal da
miiilia misso o nicus esforcos os maisardenlos se-
rflo sempre para men cer esta graga tilo desoja ia,
conlribuimlo por todos os meios ao meu alcance pa-
ra augmentar e estrellar cada vez mais os lagos de
amizade, que felizmente subsisten) entre minha pa-
tria e o imperio brasileirn, c para conciliar seus in-
teresses com reciproca vantagem.
S. M. bouve por bem responder :
Aprecio muito esta nova prova deamizadeque
me da meu bom irmflo o rei de Dinamarca ; agrade-
ge os senlmicntos que me manifestis da sua parle,
e podis estar seguro. Sr l'rytz, da oontinuagflo des-
sa benevolencia o confianga que leudes sabido me-
recer durante vossa mssflo
Como fim do testemiinbar ao Sr. I'rilz a eslima
cmque otem, confeira-lbe S. M. a nomeaco de
ollicial da imperial ordem da Rosa.
OSr. Jos de Vascmicellos e Squ/a fra elevado
do carcter de encanegado de negocios ao de envia-
do extraordinario de Portugal junto a S. M. o Impe-
rador.
Haviam sido nomeados: membros do suprenn
tribunal de juslica, os Sis. Antonio de Cerquoiw
Lima e Cassinnn Espiridiflo de Mello Maltos.'o.uesei-
viam como desembarpadores, esle na corte o aquel
le na Babia ; --rommissario vaccinador nesta pro-
vincia tle Pornamhuco, o Sr. doutor Joaquim de \
qnlno Fuuscca ; director das obras provincial-
das Alagoas, o St. capitflo de pngpnheirns Ernesto
Antonio l.assance Gunha ; escrivflo do crimeeci-
"I da comarca do Pencdo, o Sr. Jos Correa Leal;
escrivflo dos nrpbflnse ausentes da refalla comar-
ca, o Sr. Luiz Fcrnnndes dos Santos; comman-
danle do brigiie-escuna l'iraj, oSr. capilflo-teneii-
te Fernando Lzaro de Lima ;--commandante du
hiato Nrpiuno, o Sr. 1.tenente Manoel Pedro dos
Reis;--mostr do msica dos apremlizi's menores
do arsenal de guerra da corlo Sr. Luiz Jos da Cu-
nta.
Crera-so, no referido arsenal, urna ofllcina de
instrumentos mathemalicos, compostn de um mos-
tr, um contra-mestre eos apparelhadorcs necessa-
rios.
O governo approvra o plano da organisaeflo dos
corposdoexcrcito em circumstancias extraordina-
rios. De conformidade com o computo fcilo po-
la redaogflo do fh'ario do llio-de-Janeiro-, ois a reca-
pitulacflo geral das prngas de pret:
8 Batalhftrs de fuzileiros a 745......5,960
8 Ditos de caradores a 526....... 4,208
i Brgimpntos de cavallijria a 574 .... 2,296
4 Batalhesde ariilhariaa p a 697. 2,788
1 Corpo de arlilbaria a cavallo...... 37-2
1 Dito th> artfices............. tfH
2 Companhias ditas a 84.......... 168
1 Corpo fixo de Piauhy.......... 301
1 Hito do Cear.............. 317
1 Dito de Coyaz.............. 264
1 Dito de S.-Paulo............. 264
1 Dito do caladores de Matto-Grosso. 670
1 Dito do artilharia dito......... 453
1 Esquadrflo de cavallaria ligeira dito! 188
3 Companhias fixas de cavallaria. ... 219
4 Didas .litas ditos de caeadores..... 404
Deposito de recrutas da corte....... 549
Dito da Babia............... m
Total.
20,000
ardiam, f> brilbo ainistro de algumas espadas que
alguns soldados furiosos haviam desembainbado, e
alm de todo es daos sanguinolento, a slalua.de
hronze allumiada de paludos reflexos e prcsbliudo
a carnificina, era mais que siifllcienlo para pertur-
bara rasflo a Andreza, o lirar-lhe todas as frcas
Alm de que as frcas de um Tiiflo seriam imnolen-
tes em scmelbanto lula, lula de um s contra todos,
c mais a morte.
Andreza soltou um grito de agona ; um sol.lado
abri caminho na mullidflo, culilando-a. com a es-
pada.
A espada havia-llie hrilhado por cima da cabega.
Ello crgueu as mflos, como faz o naufrago qundo
Ihe passa pela fronte a ultima onda, c gritou : meu
Dos! e cabio.
Onan.lo alguem rabia eslava mol lo.
Mas esse grilo lerrivel, supremo, alguem o ouvira,
reeoiihccoia, rooolhra; Gilberto, arrastrado para
longo de Andreza, a poder de lular, se approximara
mitra vez della; curvado sob a mesma onda que
havia engolillo Andreza, ergueu-se, saltou a essa
espada que macbuialmente amear;ara a donzella ,
apeituu a garganta do soldado que la ferir, deni-
bou-o; ao p do soldado eslava estendida urna mu-
a vestida detiranro; pegou della, e levanlou-a co-
mo o teria feito um gigante.
Quaudo elle seutio sobre o coracjlo essa forma,
essa belleza, esse cadver lalve/, um raio de orgu-
lbo Ibc illuminou o rosto: tocava elle o sublime da
situacflo osuhlime da frca e da coragem.' lan-
COu-se com u seu urdo em tuna lorenle de bomens
cuj. un peto teria derribado urna murallia que en-
coutrasse. Ksse magote o susteve, o susp'ondeu, o
carregou, a elle o donzella ; andn, ou para me-
hordizer, rolou assim por |guns minutos. De s-
bito parou a lorente, como se encontrar algn. I loim "d"
obstculo. Os pes de. Gilberto tocava
O Sr. major de engenheiros Julio Fredenco
Kooler, um dos instituidores da colonia de Petropo-
lis, pedir n obtivera demissflo dos cargos de direc-
tor da mencionada colonia, de subdelegado da fre-
guezia do mesmo nome, c de ebefo da 2.* seceflo da
estrada normal da Estrella. O Sr. coronel de en-
genheiros Galdino Jiistiniano da Silva Pimentel fra
onomeado para substituir o Sr. Kooler,
O Sr. doutor Antonio Jos Poixoto offerecra-se
para tralar gratuitamente, e por ineio do guano, os
leprosos do hospital dos Lazaros. Consultara-so a
academia imperial acerca desla preteinjiTo.
Declarara-se capitana do porto da corto, que os
propietarios dos navios mercantes podemtripola-Ios
com maior 011 menor numero de individuos, em ac-
cre-ciinoao mnimo lixado pela prodta capitana.
Q Sr. Domingos Ge de Acayaba Moiilezuma acha-
va-so gravemente enfermo.
Desrubrira-se mineral n'um 0II10 d'agoa da fregue-
zia de San-Si inflo do municipio da Casa-Branca, em
San-Paulo.
Acompanba.lo de alguns membrosda cojiimissflo
dos melhoramenlos navaes, vi>ilara o Sr niinjstro
da maiinba as fragatas francozas Eaglec Castor, cu-
jos commandantes mandnram que, na presenga de
S. Exc., se lizesse cxcrcicio de artilharia em todos
os sentidos.
Ja so sabia no Itio o resultado da volaeflo para
dous senadores por Minas, nocollego de Barbaccna
que consla de 29 eleitoros. Foram cleitos com 29
votos, os Sis. Gabriel Francisco Junqueira, Antonic
Paulino l.impo de Abren, Jos Feliciano Pinto Coe-
llio da Ciinha e Joaquim Pedro Das de Carvalbo ;
rom 28, o Sr. Antonio da Costa Pinto; com 10, o
Sr. Fianoisco de Paula Cerquera Leite; com 5, o
Sr. Theolllo Renedito Ottonij com 4,o Sr. Jos An-
tonio Mariano; com 3, os Srs. Barflo do Itambi, Fran-
cisco Ce do Acayaba Montezuma e Jos Joaquim Fer-
nandes Torres; com 2, emfim, o Sr. Quintiliaiio
Jos da Silva.
O Jornal do Commercio, referndo-se a folbas de
Montevideo al 23 de agosto pretrito, diz o que
segu:
M^BoafHia* 11 1-5 azs .'awwrassaw
rabeca para reconhecer o obstculo, e achou-so a
tres pastes do Guarda-Aovis. Essa massa do podras
havia amolgado a massa de carne.
Durante esse momento de anciosa parada, leve el-
lo lempo de contemplar Andreza, que dorma um
tonino Uto posado como a morte: ocora'cfio nflo ba-
ta mais, os olhos cslavam fechados, o rostu arr.V
xea.lo como a rosa ja 11: urda.
Gilberto julgoii-a mora. Por sua vez soltou lain-
bem um grilo, colln os labios, primeiro ao vestido,
a inflo, depois aToulando-sc pela insensibilidadc de-
vorou com beijos esse rosto fri, esses olhos lidia-
dos sol as pal pe liras cerradas Crou, brando, cho-
1011, lentou fazer-lbe passara alma ao peito, admi-
rando-se que os seus beijos, que teriam aquecdo
um murmure, nflo tivessem lrca para esse ca-
dver.
De repente seutio Gilberto batcr-lbe o cotaeflo do-
baixo .la inflo.
Esta salva exc%Ni0thdle. vendo fugir essa
turba negra e sniigreuta, ouvindo as imprecaflrs,
os gritos, os suspiros, a agona das victimas. Kst
salva, e fui eu que a s.dvci .'
O malaventurado, encostado a parede, o com os 0-
Ihos filos na ponte, nao havia odiado para a direta ;
" Reinnva a maior tranqiiillidade na cidade, eo
'npraco nrore lmenlo do novo ministoro tinha res-
ibeb'cidoa cnnliinr,a. .
n O Sr D. Andr Lamas foi nomeado ministro ple-
dpolenciaiionpsla curte. OSr. D. Francisco Maga-
iuos "''isa Europa no mesmo carcler.
a l It enos-Ayres alcan<;am as dalas a 20 de a-
toato. In/ia-se que a sala dos representantes se reu-
nira no din 22 ou 23 para resolver sobre a conducta
lo dictador na negociaeflo com os plenipotencia-
rios de Inglaterra e Franca.
Iteinava na pra?a de Buenos-Ayres.grande agi-
lacflo, devida aos boatos que corriamde que o gene-
ral Rosas tencinnava fechar inteiramcnle os seus
portos, o ao que se dizia sobre o estado de Corrien-
tes e.Enlre-Rios. Destas dtias provincias nflo havia
noticias positivas; a nica cousa que se saba com
rerteza era que em presenoa do armamento geral de
Corrientes se conservava immovel o general Cr-
quiza,
Em Montevideo havia noticias de Valparaizo ate
T de jtilho O Chili eslava perfeitamente tranquillo
Em Pei e Bolivia continuavam a manfeslar-se
dsposicOes reciprocamente hostis. Bolivia pareca
querer tomar a offensva, diz o Comercio dil Plata, e
no sul do Per preparavam-se para oppor-so a inva-
sflo. Tacua eTarija erain os pontos mais especial-
mente ameagados.
Com as gazelas fluminenses de que emoutro lu-
gar acensamos recepQflo, foram-nos tambem entre-
gues folbas da Baha, cujos ltimos exemplares
voom datados de 22 do mez que corre.
0 Sr. Moura Magalhflos chegra a cidade de San-
Salvador no dia 20, o a 21 tomara posse da presi-
dencia, com as formalidades do eslylo.
O Mercantil pede ao Sr. Magalhfles corre os lvi-
dos as intrigas da gente que quer dominar a pro-
vincia; lamenta a demissflo do Sr. Antonio Ignacio
de Azevcdo, o lece milites elogios a este Sr. pelos
beneficios reaes que proporcionara sua patria no
corlo prazo de um anno.
Eslava aberto o jury da capital : devia compa-
recer a elle o assassino de D. Julia Fetal; mas os
seus amigos empregavam todos os meios para que
esse comparecinicnlu se nflo verificasse.
Corra que fra preso o facinoroso Lucas em
quemja fallamos urna vez.
A polica captura ra na ladeira do Caminho-No-
vo, tormo do Pilar, em cavalleiro da grande familia,
( sflo termos do Gvaycur, cujo alcance desconhe-
cemos ) que, havia alguns dias, oceupava-se de a-
palpar as algibeiras das pessoas quo a deshoras pas-
sa vam por essa ladeira.
Tornavam-se mu frequentes os furtos: ladros,
dlsfarcadoscm tragos do mulher, percorriam nolle
as diversas ras da cidade, e animavam-se a inva-
dir as casas.
O precitado Gvaycur publica um annuncio em
que declara que no respectivo escriptorio est aber-
ta urna siibscripgflo, cujo producto deve de, ser ap-
plicad o as despezas que se liouverem do fuzer com
o retrato do Su. Paula Souza, quo se pretende collo-
car na bibliolheca publica da capital, em teslcmunliu
da gratidflo o sympalhia que Iho vota a Babia por se
ter elle retirado do ministerio.
Comniiniccido.
COWWERCO.
o sr. Minino.
Finalmente rstanio%inbnna te insigne professor de rebeca nos rjer 11 m
agradavel concert na mo te de sabliad >,
rt de oulubro. Muito desojamos ouvir
esle ai lista, que tanlo se tem distinguid')
na Europa, assim como as provincias do
sul, e sobre ludo na capital do imperio,
onde foi mimoseado por S. M. o Impera-
dor.
Anda nao tivemos o prazerde oimi
o Sr. Robbio ;' .as somos informados
por pessoas que enlendem da'matciia,
que no Brasil anda nao apparcceu um
rabequista de {;ual forra, e por conse-
guinte nao dcixarcmos de assistir ao seu
concert, como amadores da msica.
* *
se::. -iTsmexanmfrmm
doumacavidadc produzida pelas grades, abi se en-
costou'.
O peso dos fugitivos faz "esta lar esse muro,
Gilberto sulocado senlio-se prestes a affrouxar;
rounindo, porm, todas as frcas por um supremo es-
forz, cingio com os ln aros o corpo de Andreza, en
distando a cabera no peito da donzella. Disscreis
que quera a fugar aquella aqiicm protega.
Adeos, adeos, murmurou ello betjando-lhc por
nao dizer mordeud-liie o vestido; adeos.
I. leva 11 ton os olhos ao ero pai a Ihe pedir miseri-
cordia COIII O ultimo olliar. '
Urna visflo extraordinaria se Ihe offereccu entilo
aos olhos.
Em pr sobre 11 m frade do pedra, agarrado com a
inflo direta a un argano llx na parede, emquanto
coma es.1 nenia pareca reunir um exercilo de fugi-
liyos, eslava um bomcm, que, vendo passar a seus
ps esse mar furioso, ora langava urna palavra, ora
razia um gesto. A essa palavra, a alio gesto via-se
entio entre a inultidflo algum individuo i.solado pa-
rar, fazerum estoico, hitar, trepar para chegar ao
lugar em quo essu bomcm se achava. Outros queja
all cslavam, como quo reconbeciam os recem-che-
gados por irmflos, nos quacs ajudvam a tirar-so da
Alfanriegn.'
rtENDIME.NTO DO DIA 27........... 2:724,40i
Deioarregam hoje, 29.
Iliate foa-J'iagem charutos.
Rrigue Atheus taixas, iuacliioismo "o chumbo
Patacho*- Apourade-Packet mercdorias.
Rrieue Yarnthulh- Crvflo.
Brigue Courad mercdorias.
(irigue -- Hebe idem.
IHFORTACAO'.
Courad, briguo hamburguez, vindo de Hamburgo
onlrado no corrente mez, consignado aN.0. Bio-
bert Cnmpanhia, manfestou osegulnte:
6 rnxas vdros, l dita lilas do algodflo, 6 ditas
moias de dito, i dita luvas de dito, 22 ditas miude-
as, 1 barrica ditas, 7 caixas fcrragpns, 1 cesto dUas
1 volme bengalas, 10 caixas agulhas, 4 ditas pol
dras para escrever o orodes de louca, 5 barricas di-
tos de dita, 5 caixas brinqiiedospara meninos, f bar-
rica berimbaos, 1 caixa com caixinhas, 1 dita pen.
as de lapis, 1 dita espedios; a J. D. Wolphopp&
Companhia.
6 fardos, 1 sacco e 2 barricas drogas, 2 caixas oleo
dcamendoa ; a J. Soum.
24 caixas meias de algodflo, 1 dita fazendas de
lila, 3 dilas ditas de soda, 1 dita poliuria e pinreis
2 ditas miudezas, 1 pacoto papel, 136 pegas, de cabo'
2 caixas fitas do algodflo, 1 dita fazendas para col'
letes ; a Bnthe & liidnulac.
3 caixas fazendas do laa o algodflo, 1 fardo ditas
do Ifla, 1 caixa bezerro de lustro, 28 dilas fazendas
de algodflo, 1 dita ditas de soda e Ifla, 1 dita bicos de
algodflo,-1 dita bicos de sedae longos, 2 ditas 2 p-
anos ; a J. Keller.
1 caixa roupa para senhora, 1 dita panno de linho
sapatns o livros impressosj a J. O. Elster.
3 caixas agoa de Colonia; a Admson HowieA Cohi- '
panhia.
1 caixa impressos ; a A. H. Willmer.
25 caixas papel, 10 ditas bezerro de lustro, 5 ditas
sola de dito, 1 dita pedes do cabra envrnizada, 1
dita luvas de pellica, 1 dita miudezas, 2 ditas tesou-
ras o caniv.iles, 4 ditas missangas, 1 dita agulheros,
1 dita pertences para chapeos, 1 dita gomma-laca,
1 dita taboiqhas, 1 dita oleado, 1 dita meias curtas,
1 dita palhinha, 1 pacote papelflo,-1 dito papel, 10
caixas couro de lustro, 1 dita roiirinlios, 3 barricas
drogas, 1 caixa meias de algodflo, 2 ditas com pa-
nos, 1 caixa mesase relogios, 100 presuntos, 1 cai-
xa salames; a ordem.
38 caixas c 2 barricas fcrnigens e miudezas, 20
ditas fazendas de algodflo, 2 ditas fitas, 2 dilas fa-
enes, 40 ditas queijos, 3 ditas cestos e chapeos, 469
barras de farro, 8 caixas fazendas, 1 dita livros em
branco, papel e pennas, 20 pacoles papelflo, 3 cai-
xas carneiras, 21 dilas meias curtas de algodflo, 1
dita merino, 2 ditas bolesde madre-perola, 4 ditas
fazeudas para rlleles, 175 paroles papel docmhru-
Ibo, 2 caixas bonetes do algodflo, 1 dita lenros, 1
dita com um carro, 1 dita pertences pars carro e ca-
vados, 100 barricas botijas de genebrs, 1 caixa sa-
palos, 1 dita livros impressos, 2 pegas Carne de fu*
mo, i caixa com um chapeo, 1 pacote letlras em
branco, 3 caixas fazendas de linho e algodflo, I di-
ta ditas >'> '"a, dita laboinhas, 1 dita pertences pa-
ra chapeos, 4 dilas tinteiros de vidro; a N. 0. Bieber
& Companhia,
-1 caixa fazendas de Ifla e seda, 18 dilas dilas de al-
godflo,.2 ditas ditas de linho, 2 ditas panno de li-
nho; 4 ditas fazendas de linho e algodflo; a Scba-
flieitlin & Tobler.
2 caixas rame de ltiro, 1 dita folha de dito, 4di-
tas drogas, I fardo dilas, 10caixas vidros, 1 dita re-
logios e pertences; a F. II. Lutlkons.
1 caixa livros e mappas; a A. L. Stroun.
2 caixas gaiolas e pertences ; a J. H. llames.
7 caixas diversos objeclos, 3 ditas conlendo 2 ba-
nheiros,.etc. ; a A. L. Schmiat.
6 barricas giz, 11 ditas drogas, 19 caixas ditas, 1
dita vidros, 10 dilas dilos para yidraga, 2qurijos, 4i
caixas e 2 barricas diversos objeclos, 16:000 botijas
vasias ; a ('.. Kruger.
1 caixa agoa mineraje miudezas ; a F. A. Dose.
1 caixa ferramentas c livros; a G. Ileiherjager.
I pacote livros impressos ; a Le Bretn Schramm
& Companhia.
7 caixas drogas, 1 dita e 5 tinas bichas; a J. Te-
jetmeier.
1 pacolelivros impressos; aS 1. Johnslon.
I-Cala fazendas de Ifla o seda, 1 dita ditas de al-
godflo, 1 dita dilas de dito c linho, 2 ditas espedios,
5 caixas agoa de Colonia, 1 dita fazendas de seda ;
a Kalkmanii & Bnsenmund.
24 caixas queijos ; a Brender a Braodis & Com-
panhia. '
ah, anteas carruagens, que as massas hilviam con-( nuillidflo, dando-Ibes a inflo, siistentando-os, pu-
lido por muito lempo, masque menos aperladas em-1 xando-os a si. Destc modo, ja esse ncleo do ho-
lim, comegavan a moverse; direita, ante essas mens lutando do accordo seinclhantes ao pilar do
cairuagens, que em breve se pozeram a galope, co- urna ponto quo divide a agoa-, havia conseguido se-
:no se nina veitigem geral bouvesse atacado boliei- parara multnlfloe conteras massas de fugitivos7
ros e cavados, fugiam vinlo mil desgragados mutl
machucados uns pelos
lados, forillos, cerrados,
ouIros.
Costeavam clles porinstincto as paredes do en-
contr as quaes eram smiigados os mais prximos.
Kssa massa arrastrava ou abafava lodos quantos,
pe junio ao Ciiarda-Moveis, so julgwvam os-
miflolc que sontio o neso' de u,TZ en' lerra Mt'a|,os,lu1"u"aBo. Novo diluvio d empurros, de va a iraquill
Liiiaoiit quo sei.tioo peso de Andreza, ergueu alcorpos, de cadveres innudon Gilberto; quo, chao-Idas chamiiias.
A cada instante novos eombatenlos, que pareciam
sabir do centro da Ierra a essas palavras cslranbas
pronunciadas, a esses singulares gestos repelidos,
Vi 11 ham augmentar a comitiva desse homem.
Gilberto por um ultimo esforgo levantou-so ; co-
nheceu que all eslava a salvagflu, porque all esla-
"ldado e a lrca. O derradeiio clarflo
da obra de madeira que revivan) para
se extingurem allumioii o rosto desso homem. Gil-
berto deu um grilo desorpreza.
Oh / morra cu, murmurou Gdberto-, morra cu
cmhora, mas olla viva Esse homem tem o'poder de
a salvar.
E n'um lance de alinegagflo sublime, levantou as
mflos o donzella, o bradou :
Senhor barflo de Balsamo .' salve mademoisl-
la Andreza doTaverncy/
Ouvio Balsamo essa voz, que, como a da Biblia,
gritayiKdas prnfundezas da nuillidflo : vio levantar-
so cima dessas ondas devoradras urna forma bran-
ca ; saltn do marco' eni trra gritando :
. Acuda ni-mc!
A* sua comitiva arredou ludo quanto Iho fazia
obstculo ; e elle, pegando em Andreza, que os bra-
gos desfallecidos de Gilberto anda suslentavam, lo-
mou-a, o impedido por um movimento dessa multi-
dflo que elle cessava de conter, levou-asem ter lem-
po de voltar a caliega.
Gilberto quiz articular urna ultima palavra; lal-
vez depois do baver implorado a prolecgflo desse I10-
mem extraordinario para Andreza, a quizesse pedir
para si proprio; mas s leve frga para collar os la-
bios no brago.cahido da ddzella, o do rasgar, com
a nulo confragida, 11 m pedago do vestido dessa nova
Euridice, que o inferno Ihe arrancava.
. Depois desse beijo supremo, desso derradeiro a-
dcos, nada mais Ihe reslava senflo morrer; e por is- .
so ncm lentou Intar mais lempo : fecliou os olhos, e
moribundo cabio sobre um montflo do morios.
( Agu diixou o Sr. Alexandre Dumas inltrrompidat
eitat MEMOItlAS. Logo gue elle a prosiga, como he 0-
brigado, tambem nvt continuaremos a publica-las em
portuguez.
MUTILADO


i
9 caixas
Ramos e SOJ^ do a|godao; a Jos Jeronyrao Mon-
tciro.__________
Geral.
Diversas provincias.
lencos de algodao ; a Manoel Joaquiml Segunda: a ccguotra JoTobias, cap. 2.at cap. 12
Terroira o nascimento do Messias Seg. S. Lucas de
cap. 2." at 20.
Para execucflo destes tres dramas, convida a todas
as pessoas quo miizerem dar as meninas a quarcnta
mil ris, os morunos a trinla mi! res, a comparoec-
rem' no theatro do 1. de oulubro at o dia 30 do
mesmo.' Sendo que tanto meninas como meninos
lilodc cantar; on.lo poderao levarem suacomia-
nhia mais do que urna pessoa que s devora condu-
zir ; rienhuma outra lera.entrada na cixa do thea-
tro, spja qual fr o pretexto, debaixo desla cndilo
he que o director da dez mil ris *le mais do quo
o anuo passado. A decencia e recato j observados
nos seus dous presepios anteriores, silo mais que
sulllciento garante que offerece para seguranca dos
jovens de ambos os sexos, que so contratarem no
presente presepio.
Consulado.
RENDIMENTO DO OA 27.
827,449
1,285
828,734
RIO-DE-JANEIRO.
c4m.ios o nu 13 ob 8stembb0 di 1847.
(;an,bios '^Londres. -%^
-^<*gfc:-:-::.:Ssass
: Pesos hespanhes.......1*5\SVS3S
v da patria.......i,8' 'i-1"
Pecas de 6,400, velbasl ... 16,700817,000
|>ri(a ........./. 96 a 98
Apo.cesde 6 "por cento.......f*3/**85
provinciaes..... "?*
* {Jornal do Commercio.)
RAIIIA.
CAMBIOS NODU 51 DFSRTEMWIO DE 1847.
.....27
, 335 o franco
.....640 o marco
.....lOOalOSp.c.depr
..... 30,600
.-,... 29,500
.....16,200 a 16,500
..... 9,300
Londres '.......
Paris............
Hambtirgo .....,.
Lisboa ,......
Oncas hesponhlas. ...
mexicanas......
Pecas de 6,400 ......
Modas de 4,000.....
Aponce's'dogoycr'no pr dent de descont.
Acces do banco 20 por cento de pr. nominal.
v (Do Mercantil.) '
100 a 105
llov ment do Porto.
Etcravos apprehendiddt pela polica.
Manoel e Virginia que se suppoo serem fgido.
- Acham-se, m no callbouQO do corpo policial, e
a outra na cadeia desta cidade. -- Dovem de ser re-
clamados na secretaria Je polica.
Un preto que parece ser da costa da Mina, diz cna-
mar-se Benedicto, o jamis quer declarar de quem
lie escravo. Foi aprehendido no Ferriio, Ierras
de Apipucos ; est na cadeia desta ciclado ; e (leve de
ser reclamado na subdelegacia do Poco-da-Panella.
.avisos martimos.
Navios entrados no dia 27.
Rio-de-Janeiro, Babia cMacei; das o 16 horas,
e do ultimo porto 17, vapor brasileiro kan-baba-
dor de 300 toneladas, commandanto Antonio Car-
los'do Azeredo Coutinho, equipagem 35. I'assa-
geiros : para esta provincia, os doputados Dr. Jo-
s Bento da Cuiiha Figucirodo com um fi hoo um
escravo, Dr. Manoel Mondes da Cunha Azcvedo
Dr nadie Francisco Muniz Tavares, padre Miguel
doSacramento Lopes Cania e.Jose Pedro la Sil-
va com um escravo, Octaviarlo do Sou Franca
Ricardo N. do Carvalho Sique.ra, Joaqu.m Lopes
da Costa Maia, Antonio Jos Pinto MMl
da Roza, sua senhora D. Tl.ereza de Jess c 2 cria-
dos Ulvsses de Barros Mendonca e sua mana I).
Luia J. sephina de Barros Mondonga. Jos Luis de
Oliveira Azovedo. Manoel Jos ISeves Cu,marcs
e JoaqulmTelesph.ro Ferre.ra Lopes V.anna; Ceor-
.,ge Patchett e Joto Donsly, taglezes : W <*
ar < depu'-dns 1)r. Thomaz Pompeo Lisboa Bra-
silj.r. Jos ViciVa B. Carvalho e^ilva, Manoe
So es da Silva Bezcrra o padre Antonio Pinto de
Mendonca; Joaqun, Manoel Bellota eo.soldado
Similo Firreira da Silva : para o >>* .to-
le Thomaz dos Sanios almej e i. C. *'
ua senhora : Para o Para, br.gadeirui Ma eos An-
tonio BrieiOj eo commendador Jos Joaqu.m Le
le Gtiiinares, Portuguez.
New-Carlislc;50dias, bngue inglcz /Wu, de 143
toneladas, ca-utilo John C.lchriost, equ taageo8.
caiga 1,424 barricas com bacalbao; a Fronas Bo-
biliard.
Vende-se nina lancha para navio por preco
enmmodo : no armazem de cabos ,ao lado ilo Cor-
po-Santo, n.25. ......
__Para o Aracaty segu viagem o Inate Puviaoto.
quem no mesmo quizer carregar, ou ir de passagem
ontenda-se com o meslre, Jos Joaquim Alvos, ou ao
lado doCorpo-Santo, n.25.
Para o Ceara, torando no Araraly, seguir im-
pretcrlvelmcnle at o dia 5 do vndouro mez, o
brigue-escuha flenriqu-ta, mestre Jos Joaqulm Al-
ves da Silva ospretendentes que anda nelle qui-
zerem carregar, ou transpoi tarem-se, se entenderao
com o mesmo mestre ou na ra da Cadeia do Bc-
cifo, n. 17, segundo andar.
Para a Babia sabe a sumaca S-Anlomo-ae-ia-
dua pregada e forrada de cobre, c hem conhccula
pela rapidez de suas viagens: para carga e passagei-
ros Irata-sc na ra do Vigario, n. 5.
Para o Aracaty lem de seguir viagem, imprete-
rivelmenlo al o fin do correnle mez, o hiato Novo-
Olinda, tendo ja a maior parte de sua carga a bor-
do e tratada ; quem anda nelle quizer carregar, hi-
le com o mestre do mesmo, Antonio Jos Vianna, no
trapiche novo -
Vende-se o hiato Tr.tt-lrm$, prompto de um
ludo a seguir viagem i a fallar na ra da Cadeia ,
loja de Joo Jos de Carvalho Moraes.
-- Para a Baha segu ateo fim do correnle mez
o velciro hiato Tentador : para carga ou passageiros,
trata-se con. Silva & Grillo, na ra da Moeda, n. 11.
Le i lo i s.
Hoje, 28 do corrento llavera leiliio de canaslras
com alhos na porta do armazem do Bacelar,
-- Bussell Mellors & Companhia, farlo loilHo, por
inlervencflo docorrelor Oliveira de variado sorti-
mcnlo de fazendas inglczas : qunta-feira 30 do
correnle ,. as 10 horas da manlia no aeu armazem
da ra do Vigario,
FURTO.
Na tardedodia25docorrcnte,da porta da ven-
da da ra da Cruz, n. 64. um pardo baixo. secco do
corpotcom inquetn de algodlozinho azul nscado, o
chapeo de pama do Cbil furtou um ravallo ruco ,
sellarlo n enfreadn ; o sellim lem os suadores novos,
as redeas e cabecdas tanibem novas. Ocavallo Ma
BOffi um lado da barriga cortada de chicntadas.
Kste homcm foi morador no engcnlio Pintohinha .
e fugio para Porto-Calvo para o engonbo LHinga ,
quando o dito engeuho Pindobinha foi varejado;
chama-so Antonio de tal Quem souber do dito ca-
vallo, ou apprehende-lo leve-o na povoac.flo do Mon-
tero venda do Sr. Francisco Gemido Moreira Tem-
poral ou na ra da Cruz, n. 64, "que ser recom-
pensado. -Hi
Prccisa-se alugar um sitio para urna familia es-
Irangeira quo n;1o seja milito grande e que te-
nha boa casa de vivenda boas arvores de fructo ,
o militas de sombra que seja perto da praca : pre-
fere-se a beira do rio al Magdalena ou Ponte-de-
Ucha : quem o liver, querendo alugar, dinja-sea
praca dn Independencia livraria ns. 6 e 8 quo se
dir aonde sedero tratar.
Quem precisar de um homem para ensinar a
meninos as primeiras lettras e mesmo truduzra
lingoa franceza alm disto se encarrega de algunia
oulra occiipacno fra da praqa, dirija-so as Cinco-
Pontas, n 65.
Joaquim de Mello Cardozo retira-so para a cor-
te do Ro-de-Janeiro.
-Precisa-se de um caixeiro para loja de razen-
das.o'que d fiador a sua conducta: na ra dn
Passeio-Publico loja n. 7.
-- Mara J. Coelho subdita portugueza, retira-se
para fra da provincia. ,
Appareceu no engenho Tomalaupe-de-Flores
um quarto alazo : quem for seu dono podo pro-
cura-lo que, dando os signaos Ibe sera entregue.
OlT.-iere-se urna mulher par la do boa coudiic-
ta para ama de leite : na ra do Rozado da Boa-Vis-
ta n. 4. "
-- Francisco Xavier das Chagas Sicupira precisa de
3:000,000 de rs. a juros por dous ou tres anuos, com
hypolhecas cm casas livres e desembarazadas;
quem quizer fazer este negocio annunrie, ou dirija-
so a ra Direila n. 14.
OsSrs. Antonio Joaquim Concalves Guimariles
e Joaquim de Oliveira Ramos leem cartas na ra do
Trapicho n. 34.
-- Fui taram do ostaloiro de JoUo de Brito Correa
6 pedacos de chaprOes de amarello com seis a
seto palmos do comprmanlo. Boga-sc a quem for
offerocidos de 08 apprrbcndcr.
-- Urna mulher que lem bom leite, se oflerece
para ama : quem do sen prcslimose quizer utilisar
dirija-so aos Afogados lugar da Piranga indo pe-
la estrada publica, antes do ebegar a barrena do
Giqu no corredor do mesmo Giquia casa de
Manoel Severo. .
-- Anua Rita Comes, embarca para o Bio-Crande-
do-Sul o sou escravo Antonio, c. ionio.
-D-sodnliciroajuros da quanla de 2,000 rs.
para cima com ponhores de ouro, ou pral.a : na
ra do Veras n II.
Deposito de bous charutos .
no lleiifc, ao sahir da ra
da Cruz, it. ffl, ladodireilo.
-luga-seum grnnde sotao
muito fresco, e em mmto boa
limem solter
iu', propnopara
ro : na esquina do LivrartieiHO ,
foi i de 0 norias.
- Na ra do Trapiche-Novo n. 8, precisa-so ae
urna cozinheira que seja escrava.
U-se azeite de car rapa lo de ven-
dagem ,
Direila
a i
.120 rs. a caada : na ra
venda n
Declaiaces.
OExm. eKvm. Sr. bispo diocesano lem determi-
nado administrar o Sacramento da Confirmacilo no
mez de'ontuhro prximo futuro pelas 4 toras, as
tardes dos dias seguintes : 3 na malr.z da Boa-VisU,
10-na de Santo-Antonio, 17 na igroja do Santa-Hiu,
24 na matriz de San-Pcdro-Goncalves. S. EM.IRvm.
exhorta os adultos que houverem dorccebcresle Sa-
cramento a prepararom-socom o di Penitencia ; ro-
g9 e espera que os chrismados concorram comas
8uasesmolas;quoscrnoapplicadas, as da freguezla
da Boa-Vista para as obras da respectiva matriz, 0
as das oulras freguezas para as obras da malriz de
San-Jos.
Palaciega Solcdade, 26 doctembrp de 1K*7.
O paire Francisco Jos Tavares da Cama,
Secretario de S. Exc. Bvm.
O vapor San-Salvador recebo as ma-
las para os portos do norie, hoje (28) as
2 horas da tarde.
'L. Hoie, a8 do correnle. ha sessao-na
cmara municipal desla cidada, e nesse
dia anda conlinuarao 9 andar em praca
os ohieclos anteriormente nnnunciados.
Oarsonal do guerra compra cncoenta resmas
le papel carlucliinho: quem dito ^or qmiey
fornecer mandar sua proposta em carta '.enana, e
mnstra/a directora do. mesmo arsenal, ale o Uia
\. deoutul.ro prximo futuro.
Arsenal de guerra, 27 de setembro do 1847.
' Joto Ricardo da Silva.
Amanuense.
THEATKOPULICO.
Ouinta-feira, 30 do correnle a benoficio de A-
delo Alvos da Silva se representar a peca --Jos
U imperador da Allcmanha em Murinof; no hm
la' mesma o actor Sanla-Koa cantara a mu.to
JpUu" da aria que ten, por titulo dizem que, eu
sou horholela -cam novas qi'.adras jocosas, finda,
do todoodivertimenlo com a jocosa Tarca -Tenon-
te casamentero.
PRESEPIO NO THEATRO PUBLICO.
O director do theatro tenciona .presentar este
annoem scena o mais brillianle presepio, que ale
Samase l.nha .isto : dividido em tres parles sendo :
"8P imeira^''o tiiumpho deMardochco,-Escnplura
Sagrada- Eslher, de cap. l.'atccap. 14S2*.
lili IIA K NOPASSEiO.
Alvicaras, freguezes.
Cbegu o glo o com elle se vai fabricar boje
das 6 horas em liante o todos os mais das o dse
ladea sorvetes, bom foilos o boa medida a 200 rs.
cada copo, dinheiro, j se sabe, a vista.
- Caeno Jos Babello, subdito portuguez, reti-
ra-senara a provincia da Babia.
- Aluaam-se as duas moradas de casas, sitas em
Santa-Anua de dentro, juntas a oxt.ncta engenhoca
da mesma, com muto sufllcientes commodos para
psiara festa : quem as pretender d.r.ja-so a botica
do io1o Moreira Marques, n. 11.
... 0Sr Joan Baplista llerbster retira-se para os
nortos da Kuropa, para tratar da sua saude.
P _. No dia 22 do correnle pogou-se um cavallo
com c.ingalba: a quem pertenec- dinja-se asC.nco-
Pontas, n. 89, qim, pagando a despezar damlooa
signaos cortos, Ibe sera entregue.
.. m ciergue Freres, j bem conhecidos em Per-
nambiico, resolvern! cst.belecerum hotel na ra
da Cfideia n 30, onde scencarregarilo de apromp-
tar almocos e jantares para fra a moda do I anai,
e por un proco rasoavcl. Igualmente so offereccm
paraorganisare promplificar qualquer lianquele
com lodo o esmero asseio o as verdaderas; reg as
da arte culinaria. Os annunciantes precisam
alugar dous pretos que que.ram aprender a coz.-
"'-"inda esUto para alugar as casas no sitio do
Caiueiro para quemas quizer por anuo, ou poi
fesla con banho perlo das casas a Iralar no mes-
"'oabaixoassigna.lo mandou por um seu escravo,
no dia 12.1o corrente, urna irouM de roupa suja a
entregara Kirmino do tal.morador nos arrombados,
o ara de a se/ entregue a sualavadoira; mas. havendo
ota pessoas entregado o dito Hrni.no nutras
ruxasdoroupapara ao depois as ir buscar para
s lavar, eis quando nessa occaaiflo ^g^
mencionada trouxa do roupa acuna dita 1*1-
V07 no? engao do alguma lavadeira. na persuasao
de slr su c at boje por mais diligencia que so
lenham feito nao lem sido possivel achar-se: roga,
porlanto, a toda o qualquer possoa quo souber aon-
de exisla esla trouxa de roupa, do ir, ou mandar
dizer na ra doQueimado, no segundo andar do so-
brado n. t4, quo sera generosamente recompensado.
O abaixo assignado avalia a importancia de todai a
sua roupa, inclusive o felio, na quanla de 218,460
ris c declara mais que a roupa lem as diversas
marcas seguimos: ISB SR LB SSR I9B1
""' Joaquim da Silva Reg.
Ouem precisar de um homcm para ensinar a
meninos primeiras lettras, o mesmo traduz.r a
joaquim Bernardo abri uai depositu de charutos da Babia, e de todas
asqualidades, com lodo o assoio onde servo aos
froguezes com todo agrado e promptdilo (.ara me-
recer do lodas as pessoas accilaeflo. Contondo ues-
te deposito lodas i.s qualida.Ies de charutos como
sejam:so verdadeiros de S.-Folix, regala marca
de ogo Havana siga, ros de la llavana ditos de
la faina mimos de mocas, regalas do todas as qu-
lidados que apparem no morcado. O anniinciaiitc
prometi lompre conservar boas qualidades do cha-
rutos para merecer aceitado publico.
--Na casa do sorvetes da ra do Itangel, havera
sorctos de fructas boje, das 6 horas da tarde em
dianlo, cem todos os mais dias, cm quanlo bouver
celo : c para algumas familias ha urna sala prepa-
rada cuja entrada he-milito franca pela venda.
SOCIEDADE
H a i,o i [ JU'SlIllOlt!
Hoje ( 28), ha sesso do concelho administrativo
para approvar propostas do convidados paitidade
9 dooutubro.
9/M
Ha quem tire passaportes para qualquer
parto do imperio, lauto para pessoa livre
como para escravos por muito commodo
preco o com a maor hrevidade possivel
na ra estrella do Boza rio, loja de encader-
naclo,ii.2
Precisa-sede um amassador, que saiha bem,
ede um moco para caixeiro: na padari. da praca
da S.-Ci uz junto ao sobrado da esquina da ra Ve-
Iba.
-Precisa-sadouma ama que tenha bom leite,
preferindo-se a que nao livor menino : na ra do
Jar im, n.43.
Alugam-so dous andares o sotao da casa da rae
da Guia, n. 36 com bastantes commodos para qual-
quer familia a tratar no armazem da mesma casa.
Aluga-se urna casa tarrea na ra dos Pescadores,
ii. 18, com duas salas, dous quarlos cozmlia Tora ,
quintal murado, cacimba propria : a tratar como
seu proprietario, na ra da Cruz no llecife n. 12.
Aluga-se una casa no Poeo-da-Panella na ra
do Quiabo com 4 quarlos e cozinha fora : a tratar
na ruada Senzalla-Vellia ,i\. 140.
ATTENCAO.
No dia 22 do correnle pelas 9 horas da mauliila ,
um menino, do nomo Gabriel dos Santos Monioiro,
de 14 a 15 annos moreno da cor cabellos casta-
nhosecrespos as ponas, com jaquelado riscado,
calcas brancas bonete pardo alugou um cavallo
ruco, gordo bonito ja volho furado no queixo ,
com marca de ferro, que parece urna orquilha e
be muto rucho. Boga-se a lodas as pessoas que
souberem do dito menino e cavallo hajam de par-
ticipar na cocheara atrs do theaUo ou no Monioi-
ro a JoSo da Cunta Iteis, que gratificar.
Precisa-se alugar urna prela ladina que tenha |
ru" 'i
Os Sis. socios hajam do mandar suas propos-
tas para convidados a partida de 9 de oulubro, na
casadasociedade, no dia 28 do .corrente, pelas o
horas d tarde. ...Isiu
Precisa-so do um Portuguez. capaz que saina
trabalhar do enxad. e tirar loite para estar era
um sitio muito perlo da praca: na ruado Augus-
ta, n. 60. .
Na ra do Trapiche-Novo n. 8, pnmeiro an-
dar precisa-se de urna ama para dar leite a urna
enanca mas que soja escrava.
Quem precisar de urna ama para o servico ae
urna casa de pouca familia, dirija-sc a padaria do
Manguinho. .
--Precisa-se alugar una casa de dous anu.res,
com commodos sullicentes para urna grando fami-
lia em algumas das ras principara da Boa-Vista ,
ou S -Antonio : quem n livor aimuncm ou dinja-
so a livraria la praca da Independencia ns. 6 e 8.
No dia 23 do corrente, das 6 as mras da noite,
mi Olinda, desappareccu um relogio de ouro, pa-
tento suisso do preco do 140,000 rs. ; entre ou-
tros lem os seguintes sgnaos : aparlo superior da
lampa lem gravada a figura de Venus., o na inte-
rior a do Mercurio ; do ambos os lados abre-se cora
a mesma mola : desappareccu igualmente com ello
urna corrente do ouro, bastante grossa do cusi
de 60,000 rs. Boga-so a quom o liiou que, se o le
por orara queira roslitu-lo, e a quem o encontrar ,
leve-o emOImda ra da Bibeira ou annuncie,
quesera muilo bem gralilicado. -
Aluga-se urna casa no Montciro a beira do rio
Caniharihe com duas salas, corredor ao meio eou-
iro ao lado 6 quarlos, un. deltas lem pratelheiras o
serve do dispensa, cozinha fra, estribara para dous
cav.llos, um quarto com tarimba para pretos, epu-
iroqu.rto no fundo do quintal, que serve para des-
pojo, quintal murado a tratar no Aterro-da-Boa-
Visla n. 37, terceho andar.
luga-se o segundo andar do sobrado da ra
Direila. n. 29, tendo duas oxcollcnles salas, qu.tro
uuai los; e junlamonto urna trapeira com Urna sala,
tros uuartos e cozinha muito grando ; o tambem um
mirante muito grande com um silSo c ;nuU> ha
vista : adverte-se quo o sobrado bola a rentc para
ama Direta, e retaguar.la para o pateo da Pcnha :
nuem o prelender dirija-se ao mesmo sobrado no .
andar, das oito horas da manhSa s cinco da tarda,
ono adiar com nnom tratar.
Uiii nioco lirasileiro bom Conhecido nesta pra-
ca so olTerece para caixeiro do ra ou mesmo
para cobrar dividas polo mallo do que lem bastan-
te pralica e da fiador a sua conducta: quem do
seu prestimo se quizer utilisar annuncie.
Nicolao Machado Kruirc pede instanlomente a
todos os Sis. que lliedevem dinheiro de importa do
sorvetes, que tomaram em seu boliquim hajam do
ir saslifazor seus dbitos dentro do prazo do oito
dias contados dosladata, na ra das Cinco-Pontas,
n. 27; pois, se assiin o nao lizerom verilo seus nomes
publicados por esla folln.
-- Aluga-se urna grande casa terrea com sotao ,
cozinha lora cacimba, eslribaria, cocheira casa
para pidos e outros commodos, sita na Capunga,
com frente para o rio ; a Iratar na ra da Madre-
de-Deos, n. 36, prloielro andar. ...
Aluga-se una casa terrea sita na estrada da
\ia"dalena com quintal murado poco d'agoa ca-
sa "para pelos, cozinha fra: a casa he nova, o
anda se esta pintando: a Iratar na ra da Madre-
(Ic-Deos, n. 3fi, primeiro andar.
Na renda do largo do Livramonto., n. 20, pre-
cisa-se de um caixeiro quo tenha bastante prali-
ca escrova bem, c d fiador a sua conducta: dar-se-
lhe'-lia bom ordenado. _
___pe-mula-se um | equeno sitio, m.ii-
to prximo matriz da Varzea, e ao rio
Capibaribe com casa de vivenda que
conlcn fluas salas, qnatro quarlos e es-
tribara, com minias arvores fructferas,
e nina baixa, por urna casa terrea nesta
cidade ; voltando-se de urna ou de oulra
parte o que se convencionar: quem Ibe
convier este negocio, dirija-se ra es-
trella do hozario, n. 19, onde se dir
quem o faz.
,n.a pessoa, que .be perrelUmente musira,
_ lima pessoa, quo sabe perfeitamentc msica
se olTerece para ensinar particularmente esta bella
arte indo as casas do seus discpulos paisar-lhes e
tomr-lhcs lic3o. Igualmente se olTerece para ensi-
nan.rimeiras lettras, lalim, etc. As pessoas que, se
auizerem utilisar do seu prealimo, lenham a bonda-
dede dirigir-sea ra dollangel, que no primeiro
ndar l stbrado ... 3 da mesma ra acharSo com
mem Iratar; ou entilo tenham a bondade de annun-
ciarsuas moradas para serem procuradas.
_ O Sr. J. R. S. queira ir, ou man-
dar pagar, na cidade de Olinda rna de
M-uhias-Ferreira o que deve, e isto
ate o dia 28 do corrente ese o nlo fi-
zer, passar pelo desgosto de ver o seu
nome porextcns.o ; pois que desde j se
protesta nao se ter maisattenco.
Compras.
- Quem precisar de um homem >-* ; "T^Ki".lugirm. prela ladina que tenha -------------------'----------------------~^
meninos priii.eiras leUras.c mesmo irau e|iJer ||a rua >Mle Jc carrapato eou-l Compia-sc urna escrava moca, boa costure.r^,
lingoa franceza, e alem d.so "ica.,5-. --j J P quaesquer cousas: na rua de Agoas-Verdes, engommadeira e cozinheira: na rua larga do Ro-
guma oulra oceupacao fora da praqa, procure 01 ir ju. 4 1 zafio, n. 48, primeiro andar.
luasCinco-1'ontas, n.65. >
!
/i,
I
i

mtamsm


JHW."

- "
i :-
^
'

I
--lompra-se uma agulha de marear, para andar
na alg.be.ra : na rua da Senzalla-Velha. n. 132
Z ompr-s' urna venda que faga negocio, tanto
fr/^.n ^^" n' ?" m"t,n'' (lue !e"ha rtto-ma.
ireguezia : quero liver annirnci.
~ Compra-seuma osciava moca de boa Rauca
Z,ln JEN laV1,r' e "fl & vicio: a'gr-'
ffia,%"ruirdr"p,,"re"rd"8,itor8da -
7^A0m,,.r"m"sc4 vccasboas, filhas do pasto
?,ovo n, n,SJTt0 Pt"* t0"ham hS-
iiovo. na rua Augusta, n. 60.
lidmlesm!":!" I""'. Prel" hoccte'ra tendo s qua-
ttivZ^S? paga"se ,,em: ,,a rua da
S&iS ?m bom ,ocal e ,,oa "' (iu,! ic,i"
va venan 7 ^ : "a tUH da Seni!alla-No-
.in"ll,-l"*a'n"se ,,uas esWavas de 12 a 20 annos ,
Sa. ngUl6.S 6 Sem afllfl1ues: 'u. da ulll
- \endem-se sellins ingieres e franeezes, par
montana de homem c senl.ora ; cabegadas religas ,
niRle/as ; ditas do couro de lustro preto e hrauro '
estribos do metal branco. e de tatilo; perneiras e
narda lamas d. Indos os feilios ; elucotes para
montara de bomem o senhora ; hezerros de lustro
m superior qualidado par calcado; miirrnquins
ilolo.lasasoA.es; coqro de lustro para canhes de
criados: tambero se cubrem scilins de couro in-
gle/ e Tiancez licando como novos c concerlam-se
muros; todo por mdico proco. Na inesma loja tam-
nem-so vendem barretinas para olliciaes e soldados
leudas.
rom i* escr8vs. sendo um moleque pega,
rau ,1 an"S' 1" COZinha ,)e"' 2,'. lma nePra com 22 a 24 anuos; e um negro de
omn p C: to,,osso,n tlcf' ""- em achaques : sssim
ei ?^?, pra'-1u"1 ncgr" nera ti"" "' Po-
lutamente coz.nhar. ,\o pateo da S.-Cruz, n 10
Me um tear pa. a razar bordados; urna du-
7ia de cadeiras
jogo de bancas, obras rnuilo bom feitas:
. ioaoV^r^T.^t.^^1''-^ com Mendos & T.rroxoTqm
de cavallana e infaularin de guarda nacional ; ta-
nns o cananas do couro branco e prelo ; espadas de
metal branco, de roca e sem ella ; bandas ricas e in-
teriores ; deis ditos; correiames de lustro para sol-
dados ; estrellas; globos; apparelhos para barre-
tinas ricas; molas para espadas douradas c do la-
lao; eoutros muitosobjectos por proco commo-
do Na rua Nova, n. 5 loja de Joflo da Silva raga ,
defronto do oitilo da matriz.
-~ Vende-se junco a rotalho, por prego conimo
oo: na rua da Cadeia do bairro do Santo-Antonio,
n. 18.
--Vende-se um cscravo muito moco e forte, que
lie bom carreiro e trabalhador do enxada ma-
chado e fouco
que ni vende.
Vendem-se 5 propiedades de casas, sendo
urna de sobrado em Oliuda na rua do Coxo ; urna
dita de sobrado o sotan na rua da Sen/alla-Nova ,
ii. 37; urna dita torrea, no boceo dos Marlyrios, n.
? ; nina dita na rua dos Pescadores do bairro de S.-
Antonio n. 7; urna dita dita meia agoa nos fun-
i cima n. 8: a tratar na rua da Cruz .
aeliam
na rua do Passcio n. 19, se dir
se
uma carteira de atnarello, de urna 80 faro, e diversos
ru ,u r'T- rC< commnil : "" loja de trastes da
rua da Cadeia de S.-Antonio, n. 18.
- Vende-so um armazom de snl.com poucos
lunuos, com lodosos sous portencos e que tarn-
nem tem comrno.los para morar familia : vende-se
' "j .....U""'"l'"i minar lamina: vende-se
P.nrsou dono q1ierorrelirar-.se para fra da provin-
cia : a tratar na rua Imperial, n. 5t.
coni-
r"7!.vp",,f_so ',,ma Pa"oa ""Vf Pw oondueco d
faro ha ; otras dos Marlyrios, no CStaleiro de
noel da Silva Nariz.
-- Vendem-se os seguintes esclavos todos
muietegaiitesilgo.as, sem vicios nem aclm
um moleque de 18 anuos; um dito de 19
nina prela de 18a 20 anuos coni algu.nas
dudes, que se di rflo ao comprador
do urna de H annos e duas de 18
luibode7para8 anuos, proprio
enancas : na rua ,]0 Crespo loja
quein vende.
*~ Vendem-se 7 eacravos. sendo: 8 mocos ii
bon.Us (.guras, e proprios para o servic? 52 m!
po .oumesmo para a praca; 3lindos.no
II,, >3 o 16 annos pi
crioula de ss annos, com habilidades
Cruzes, n 28, sogundo aadar.
\ende-se urna ptima preta de 20 annos une
engomo, cozii....., cose lava desabfloo varre?l"
,'"'."!ln;.l.|,".l'a (.'.servi.c" '"leo de um
Ha-
do
qilOS :
anuos ;
habili
; 3 pardos sen-
a 20; um nula-
para andar com
n. 2 A so dir
eques de
ci ; i
na rua das
i'elenlementeautori.sadospara esta venda, por cun-
ta de quera perleneer.
fynde-se um tronco muito forte e seguro, de
sicupira com foeliadura de segredo : na rua da
Senzalla-Nova vendan. 7.
Vende-se, por prego commodo, para fra da
provincia, ou para engcnlio, uma preta : na rua da
(.ruz do Recite, n. 57.
casa : na rua estreila do
Vendem-se limas, marcas de todo os tamaitos,
.ara ourives : na rua da Cadeia-Velba do Recite
Oja de lerragens, n. 33.
SSSP.
Vendom-se barricas o meias barricas de farinba
sss|. de rainiilio: noarmazemdo Joaquim Lopes de
AlmoMla, caixeiro do Sr. Joflo Malheus, atrs,do
tlli'irtro. '
- Vendem-se 3 escravos sendo : um pardo de
.10 anuos, bom vnqneiro, oque be proprio de lo-
do oservico decampo oda pracaj um dito de 22
unos do mesmo servico e con. principio de oi-
eio de sapaleiro e ferroiro uma nogrinha de 13 an-
nos que coserhffoecozinlia o diario de urna casa-
lodos
conla
- bonitas figuras, o vemlom-se muito em
or querer o dono retirar-so para fra da
provincia na rua Ja Concordia passando a poli-
lla, a Incita., segunda casa terrea, se dir quein
tro de 30 sendo um bom vaqueiro e o outro com
principios de oHpal de sapatoiro : estes escravos
vendem-se por uma grande preeisBo, e dilo-se mui-
o em cqnta isto be por 390,000 rs. cada im mo
leem vicios nem achaques e silo do bonitas figu-
ras : na rua.da Concordia, passando a pontezinba ,
a dlreitn segunda casa terrea.
- Vende-se, pele mesmo proco, a arrcmalacflodo
dizimo dos cocos do municipio de SerinbBcm por
3 annos contados do prinioiro dejulho do 1846 ate
o ultimode junho.de 1849: a tratar no pateo da S.-
i.ruz n. 8,ao p da botica.
AGENCIA IA PIJNDICAO' OE LOW-MOOR.
Na rua da Senzalla-Nova n. 42, contina a haver
um completo sortimontode moendas e machinas de
vapor .para engenhos de assucar : bem como tai-
xas de Torro batido e coado de todos os tamaitos :
tudo por prego commodo.
SSSF.
Vende-se a verdadeira farinha SSSF
de raminho cliegada no dia 5 do cor-
rente : a trolar com J. J. Tasso Jnior.
PQTASSA
Vende-se a verdadeira
tasan da l\
no mercado : na rua da Cadeia"do Rea-
fe, armazem n. 12, de Balihar & (jli-
veira.
--Vendem-se saccas com 3 arrobas-de farelo,
1mu!"i!V0,U,lim"in|,nlechp"d": no rniazem
>,! o' ,,ocapsda Alfandega, ou na rua da
.i nz n. o2, ou na rua Nova no porto das canoas.
msw.
Vendem-se roelas barricas de farinha doSSSFde
raminho : no caes da Alfandega armazem n. 1, do
' ii i ni ji ,ies.
Aos20:000^ders
Vendem-se meios HiHietes da primeira lotera do
conservatorio de msica do io-de-Janciro
cava a correr no dia 15 do corrente sole
rua doCollogio, loja n. |.
e superior po-
li a mais nova que existe
filenos, e ltimamente chegada mn
>.o superior e por preco rasoavel.
\a nova ?oji do AtiTio-da.
Boa-Vista, n. 78,
vendem-se bonetes para homem, a 500 rs dn. A
panno e velludo para meninos ; sapatOes'de bZr
ro para hornero a 1,440 rs.; bahus de pinbo eL"
foehaduras e bon.tas pinturas, que servem'?,
guardar ouro, roupa de-crianca, etc., a 640 i nnL
1.280, J.440, 1.660, 2,240 e 2,500 r's. ; sapitlf0?'
couro de lustro para meninos, de 2 a 12 annos-
patos para senhora, a 1,000, 1,120 e 1,200 rs-'i?n
t.ns de bezerro para homem a 3,520 rs.; mirr^"
qutm a 1,600 rs. mir-
- Vendem-se pegas de raadapolflo limpo em
20 varas a 2,400 rs., e a sote vintens a retlhn
na rua estrella do no/ario, n. lo, terceiro andar
- Vende-.se superior sarga-parrilha, yifida ol-
timamontodo Para : no armazem do Braguez
VcTtdc-se uma venda muito afreguezada n
n.clbor lugaPdosQuatro-Canto.s du cida.de do Oii
da com os fundos qupagradarem ao comprador"
vende-so por sou dono n.lo lograr ah sade a ir,'
tar na inesma venda com Antonio Ferrira da' SiW,
-Vendc-sc um cscravo bom cozioheiro dmu
moloques; 3 escravos do servigo d campo-
cravasdcl2a20annos; 3'inulatinhas muito Ib!"
das; duas escravas de meia idade: na ru Dir U
I). ,i. I
~ No fim da rua da Aurora n. 4, venilem-i
moendas do engenho, antigs, e rodetes por proco
rommodo ; e um criotilo de 24 annos bom carrei
roe vaqueiro. 'rei-
Vende-se farolo em saccas muito grandor
no armazom do caos da Al-
rs
que ti-
mbro : na
andar.
Vende-se
m
raficos; um Biblia
independencia, I
Itozario n. 31, primeiro
iiiitomm^ ,mjg0,l.e nrcv'ars romanos, em
1 le no '' enpa,l^!'?iio bem folla c,li-
lr 8 C.?"\os caill'.r""s ""sSanios novos se-
cin bom estado: a praca da
. ojade encaderuaijRo n ifl
- \ende-so um prelo da Costa cozlnheiro, o que
na rua da Cadeia do S.-Alltomo,
tem boa conduela
n. 19.
Taciir,M,,,Ulf.nenlf,"'a,,l,'0l'',ria l,osla POrtO da
dan. 2 n0P,teo,aS-CZ,na Boa-Vista, ven-
Vendem-se muito boas bichas chesadas ulli-
com ,', 'n "5W"! vno-senpplioarpara mais
S fr2 ?P<,U'",,,'."U;s : "a ru" psl,eita ''" Ro-
zarlo, derronte da ruada Larangeiras, loia n 19 \.,
;;;;;s;;-,,sa vode-se ama boniu, S.ffldo
rn"" ^c.,"lem"s- dous escravos cabras, um pedrei-
diihm i!", "lu,ll,,1m<'p". ffWale : os prelondontes
r'Xc:doL&i^n0d,;,,,,faWesda^
- Vendem-se 26 travos de camassari e louro, do
m catxas
doTra
i,iift ,.......... ......'" "v n'iiiassari e 1
JOc 40 palmos : na rua da Madre-Doos. n. o
.n-Vc 1V e clin prL"10 ",uil" superior, en
piVlie,'n.T^rrpri0pa,ara,nilia: na ruil
AVISO IMPORTANTE.
ANciica !
tomfsnJ.M~S.!;Sn.a'10 aB!,,c 'l0 ,,0,llor l'randrolh,
tem a satisfacSo de annunciar aos sous rrcmiezos
SOS habitantes om geral dcsla provincia ,qUo pelo
aTUtT'^T ""da vi,,,l ,lp Bstnq, en r -
dadonodla22dcsotembroJ Ihechegou um caK -
Bran l^elh o", i8 de R1 taS VPP,CS d SKr
mam retli. O mesmo abaixo assgnsdo alianoi m
rospeitavel publico que -- '-
pilulas vegetaes .le sou
vende.
- Na rua do Trapiche-Novo n, 18, casa
elenco lohilliard vende-se rarinlia da iri
rlcana rcccnlemcnlc chegada.
de Fue-
ro, amo-
Altencao!
---Undem-soo escravos, sendo: um moleque
o 1 annos; um prelo de 24 annos de elegante
\,t\\Lq>C ',c,,on,earreiroj uma parda con. ha-
b.l.ddes;duasprotasdenagno; uma dita criou-
perfeita cozinhoira doceira ,
no palco da Malriz do S.-Antonio ,
engom-
sobrado
das do dito
lumrTiso Wiores chitas rraneczas, do vara de- dur ; marquezas de angic. e c
rgUMO decores flxas, 1.280 rs. o covadoj ditas de oleo: ludo por proe, o mais I
finas, escuras o do cOros (xas, lendo algumas que na na da Caniloa-do-Carmo n a
servem para luto a 5,000 rs. a pega ; meios chales noiro. Wm0 "' 8'
de cassa de qusdros a 440 rs.; cortes de lanzinha,
para sel.l.ora com 15 covados a 3,600 rs. ; panno
prelo liim\pnra pannos do pretas a 3.000 rs. o Oli-
vado ; chales de laa 0 sed
7,000 rs.; /uarto de vara
covado ; corles de oambraia lisa "muitoflnTIecm
6 varase meia a 5,000 rs. ; superior brim tranca-
do pardo, de puro linho a eto e 900 rs a vara di-
to amarello, mOitii lino, a 900 o 1,000 rs. dito
trancado de linho branco, multo superior al 000
1,280 o 1,600 rs. a vara; cbadrezes do linho '
jaqueta a 400 rs
1 muito linos, a 5,500 o
de largura a 240 rs. o
para
i,.:__" "" i->-s" "o ouu rs. caua oam
nha, com o competente receituano.
Fcenle Jos de frilo.
Lotera do Rante-Janeiro, abe-
jaquea .atOOrs o covado; riscadinlios trancados
a 240 rs. o covado ; hamburgo de linho, a 260 rs
va.a ; meias para senhora a 240 rs. o par ; o outras
mullas tazendas por barato preco: na rua do Col-
legio, loja n. 1.
Vendem-se caixas de cha hvsson, de 13 luirs
em porgues ou a rotalho ; caixas do velas de es-
[Zh\ae0^:ie6'em !ibra: narna a Allandoga-
\elha,n. 36, em casa de Malheus Austin & C.
Casa da F
na rua estreita do Uozario, n. G.
Nestc cstaboleciment acham-so a venda as bem
acreditadas cautelas da lotera do theatro publico
desta cidade, cujas rodas andaro no dia i.'de 01,
tubro O caulel.sla espera que os sous reguezes
concorram a comprar o rosto das ditas cautelas
lias quaes se espera,11 boassortes, pela excellente es-
colba que se fez dos nmeros para serem divididos
em cautelas. A ellas que sao poucas e boas. I> ecos
os do cosime. "egos
-- Vendem-se duas canoas do carroira e abnins
e cravosoxcellemes. de ambos os sexos, p'rte"
TJn V ,'!'"" ppssoa 1ue retira : na na
/alla-\elha 11. lio.
bi
la.
ina :
n. 4.
-- Vende-se madeira de Jacaranda, tanto a
mT/m ''?'."* eJme Ias.'e "S'co ; ditas de amarello; meids-coromo-
mesas de roci de sala de oleo e con-
condur ; cadeiras
larato possivel:
casa do marce-
- Vendom-se3 lindos moloques de 18 a 20 an-
nos sendo um delles oflicial de alfa.ale Co-
u^V "'"P^'-^a annos, oflicial de sapa-
eiro, dous pardos, um bom carreiro, e o outro de
Ib annos proprio para pngenvj duas pardas, uma
de 20 annos, com. habilidades-* c a oulra de 12 an-
uos, propria para se educar ; 3 pretas do 20 a 30 an-
uos rom algumas habilidades ; 2negrinhas de II
R 12 annos, com principios de habilidades na rua
do COIlcgio n. 3, segundo andar, so dir quein
-- Vende-se um relogio de ouro, por prego com-
modo : no boce do Sarapatel sobrado n. 16, casa
do procurador S.-Anna Aruujo.
Vende sea
por prego commodo
andega ; ns. 3 e 5.
Vendem-sechitas de assento coberto.a so
o covado; bnm escuro liso de linho, muito fino
200 rs. o covado ; fuslSo pintado a 320 rs. o co-
vado ; cassa lisa a 280 rs. a vara, o a 2,700 rs a
pega ; chapeos de massa de aba estreita a 960 rs
chapeos do sol, de soda, a 5,500 rs. : na rua do Quei-
mado, loja 11. 8, de Caetano Jos da Silva
- Vendem-se os seguintes livros : os Animaos
fallantes poema de Joflo Bapiiata Cortes,- 3 v.; os
Marty.es poema por tilinto Elisio, 2 v.; Naufragio
do Scpulvoda poema por Corte Real, 3 v,; Mala-
ca consquistada, ptfbma pbrS de Mcneza, 1 v. ;
No,te do Castello poema por Antonio F. de Cast
Mo, ly.; Vida da Veneravel Madre Thcreza da
Annunc.ada, l v um melhodo para violo; um
violilo de muito boas vozes ; um rico pandeiro com
parafusos para abnagito coberto de pergaminlio,
proprio para presepio : tudo por prego miito com-
modo : na rua larga do Itozario, n. 46.
-- Vende-se uma escrava de bonita figura criou-
la, ouesabeUvsrocozinhar : em Fra-do-Portas,
rua do Pilar, n.80.
- Vendme-se porlas, janellas e grados para as
mesmas, tanto de louro como de amarello : lambcm
se vende cantara prompta : na rua da Praia 'tan-
que d agoa, n. 9e II.
-- Vende-se superior arroz branco: na rua do
Quetmado loja de fazendas n. 44.
Escravos Fgidos.
leirciro
venda.
n.
)
"J
venda da rua do Cal-
: a tratar na inesma
da Sen-
de7islm7'1?Vr ^'s Prelaa, muito boas, vindas
ue MsbOa a 16,000 rs. o rento 1 na rua da Cruz ,
Na rua da Senzalla-Nova, n. 3o ,
(padana) vendem-se juncos de
j ------,,. w .'..11, 11111
qualtdade, em porcao e a relall.o, e por
menos do que em outra qualquer parte.
superior
'"'
pa'
Ojfioio da matriz da
de Aicdieroy
cidt
iue
Vendem-se bilhetes desta lotera : em casa do J.
ti Elster na rua da Cadeia-Velba n. 29
- Na rua da Cruz., no Bocife, n 26 vendem-se.
em porcllo, couros de cabra; sola; sapalos, e botins
eitos 110 Aracatv, o melhor
ha;
tros
idade
noei
bom
vicios
do Quei
trad
I hatea
quei
commodo: narua do Qucimado,,
andar, com a entrada pela rua do Rzario |,r""uro
Cortes de pello do diabo. a
1,400 rs.
Vendem-se superiores cortos da fazonda chama-
a pello .lo diabo, comS covados c meia pelo |"i-
ato prego de 1,400 rs o corto sondo da roaUsu o-
r.oa que tem ojiparecido
n. 1.
na rua do Collegio, loja
Casimiras clsticas, a f^OG rs.
o covado.
Vendem-se superiores casimiras elsticas
\enijem-se2 prelosde 22 annos, mili-
to humildes, sem vicios; douspajpoa
de 20 annos, um con. oflicio de alfaia-
te, e ambos ptimos para pageos, por
serem do elegantes figu.as ; um mole-
que de 8 annos, muito esperto ; uma
negra de nacffo pc.feita vendodeira de
rua; duas ditas que cozinham, cncom-
niam, lavam e vendem na ma : lodos
es es escravos nilo too.n vicios nem
achaques: na rua do Vigario n 24
se dir quein vende. -,
Vende-se um sobrado de um andar,
novo, con. 37 palmos- de frente e ,00 di-
tos de fundo sito na rua do Hospicio,
antes de chegar ao quartel tendo por-
11,11 ;i nm (a
-- lug.o na no.Ie do dia 21 do corrente do en-
genho Que luz om Ipojuca, um preto, de nome
Antonio, de estatura alta, de bom corpo olhos
grandes e avermelhado*, com o olhar um tanto es-
pantado alguna cabellos j brancos ; ievou cami-
sa de chtla azul do quadrinhos, ccrulas de algo-
diloznho branco, ou do hamburco, chapeo de palha
novo, nmaisalguma roupa c uma enxada nova en-
cavada : quero o pegar leve ao dito engenho ou a
casa de Francisco Antonio de Olivoira na Boa-Vis-
ta rua da Aurora n. 26 que ser grrtificado.
-Higio, no da 20 de sotembro, do engenho
Gongacary, um cscravo, do nome Antonio de na-
S?, iC re',res{,nt;3,> ""nos, um pouco baiXo,
cara tallada, corpo rororcado; Ievou camisa e cal-
gas de algodlo da torra : quen. o pegar leveao-dito
engenho, ou a rua Imperial, n. 39, quesera recom-
pensado. ^ ^
-Ausentou-sedacasa do ahaixo assignado 110
da 24 do corrento, i.m oscravo pardo, de nroe
Joao Orando, do ISarnos pouco mais ou menos
oceupa-seom conduzir canoa d'agoa ; tom propor-
gOes para ser bastante alto ; he muito esperto; tem
no nariz uma grande cicatriz: quem pegar leve ao
batxo assignado que gratificar generosamente.
JoJ Joaquim de Mitqiula.
-- Fugio, na noile do dia 25 do corrente da ca-
sa do ahaixo assignado, o sen escravo, de npme
Joflo, cabra : representa 35 annos, alto corpo re-
gularla vai ficaiplo careca ; tem os denles da parte
inferior grandes o dos da tuporior nlguns 1 odresjfal
la algitma oousafanhoso c descansado. Fste esera-
vo o aiinunciante touxe-o do Araciily.aonde o arro-
nialou em hasta publica e j esleve preso na ca-
deia dosta culado em conseqnencia de un. embar-
go a requer monto do Joaquim Mauoel Carnciro
da Cunta da Parahiba, que diz le-lo comprado e
de cuja prisa., foi liadoa requerimento do annun-
cianle, que provou peranteo juiz da segunda vara
do civel dcsla cida.lc o seu dominio e posse, pres-
tando banga alm disto, como ludo consta dos
trespectivos autos no cartorio do escriviH) Reoo
IVoga-sea todas as autoridades policiaos, capi-
tes de campo, ou oulra quaiquor pessoa, que o
approhondam olevem a rua do Trapiche n 6 auo
Serno generosamente gratificados.
Atfloniu t'ranicsco da Si/ta Carrico
V ugio, no da 23 do corrente, o escravo Manoel.
que representa 25 a 30 anuos baixo roforgado d
corpo cor i,3o preta ; lomos dedos do um dos ps
ruidos, olhaatravessado; costu.na andar, quando
loge, pelos Ap.pucos, Luca Oliuda ele. Uut'ih o
pegar levo a casa do Sr. Pedro Tcixeira
morador na rua do Cuide
Verdes
,.^u, icve a casa 110 sr. redro Tcixeira Cuimaraos,
1 v'.0?! "a nil 'lu (;ul(leiroi"J O" na rua de Agoas-
com lislrasdo sella
2,000 rs.
- Vondem-se 2 pardos, um de 22 annos,'.
DLHOSfTUDECALVIllGl-W.
Ka rua do Tiapcl.e n. 17, ha sem-
e ooji-|pre cal V1rgem de Lisboa, cin barris ne-
n. 46.
-I ugio no dia 25 do corrente, o prelo Paulo,
le nagHo Angola, de 50 a:.nos, estatura baixa, cara
engilhada ,londo om uma das laces um buraco,
procedido do um tumor ; Ievou calcas do estopa ,
camisa dealgodiiozinlio, do mangas curtas cabel-
los corlado rente do pouco tompo ; ho conhocido
peloappcllniode pap-joyo. Itoga-se as auto, ida-
des policiaos ecapitaos de campo, quo o approhon-
dara e levem a rua da Cadeia do Kocifo, i. 25, quo
sonto lecompcnsadoa.
Be-|pn>: >a t*p. dkm. f. ub arja.1847.
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJG2YXZ5N_N7X88R INGEST_TIME 2013-04-26T21:01:38Z PACKAGE AA00011611_08551
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES