Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08545


This item is only available as the following downloads:


Full Text
A fino de 1847.
Segunda-feira 20
rcm 'le S""''1 ',.,' oHiantarhi. Os an-
!li ts. pr n" ._ c,3 ,10 .-l0 luram ass.-g-
ropeli;oM p-j^ '0 rs T-0,.inh, e iOO 'm 7po
pASES DA LA NO HEZ D SBTEMBRO.
... i a 6 liorase 4 rain, da tarde.
Mi"M,'lf';,;fliMn.p.d.UPJe
'", "^'l <* l-ora.duW.-de.
PARTIDA DOS CORREIOS.
Caanla o Parahyba, s segundase sextas felr,.,
llio-Grande-Jo-Norto quimas foiras aonteicdia
Cabo, Serinbcm, Rio-Formoso, Pono-Calvo
Macci, 110 l.", a 11 c ti de cada mez.
Giranbuns c BjopKo. a I j l.
Boa-Vitt* c Flores, a 13 e 28.
Victoria, s quintas fciras.
Oliuda, todos os das.
PREAUA.I DE HOJE.
Primeira, ii I liorai e 18 minutos da manh
Segunda, s 1 horas e 42 minutos da Urde.
de Setcmbro. Anno XXIV.
y. 2ii
nrrr'i m i
DAS da SEMANA.
2J Secunda. '). Ktistaquio. Aud. do J. dos or-
ivy^ Pu' do J. do o da ? v. e doJ. M. da ; ar;
B.ny 21 Terra. *S. Matbesu. Aud. do-J. ilociv.da
wJK/ 1.0- e do I. dc pa/. do 2. disl. de t.
23 (.lilaila. S. Mauricio. Aud. do (lo civ.
da V. V. c Jo J> (tepal do 2. ili 2J Qumia, S. Lino. Aud. Jo J. <'c orph. c do
J. municipal da I, vara.
21 Sella. S. eraldo. Aud do > dociv. da I.
v. e do J. de paz do I. ilist. de t.
2i Sabbado. S. l'irmino. Aud.-do Ja do civ.
da I. v. c Jo J. de paz do I dist. dc I.
2C Domingo. S. Cypnano.
CAMBIOS NO DA II DE SETEMBRO.
Cambio sobre Londres a 27 d. p. IJ ri. dfaf.
Paris 3.S0 rs. por franco.
Lisboa ina a 110 de-premio.
DK. dc leitras .le boas firm. de /,; I Yo "''
nro-0:,Cs repulilas-y. *i|laa


'rala


MoWaadoV.oovcIh. 10*300
(le 4 000..... 84000 a
.PatacOei.......... '#0 a
Pesos columnares... 14940 a
Ditos mexicanoj.... lsoo a
Alinda............. 'J9J0
nij.'iim
16(310
9>20l>
I/IOD
r|M<)
IJKSO
Acrcs ila comp.clo Bebcrbe ele 50JO0O rS.ao par*
EXTERIOR.
FRANCA.
y, Sr. (Jirardin p' cmaro dos pares. -- DeteripcSo
da sesso de 17 dejunho de 1847.
Aquello que pela primeira vez entrass na cmara
nflo precisava do mentor. Itastava-llie olhar em der-
redor das galeras, filara vista no sallo. Por lodos
os lados se va urna mullido compacta ; nos bancos
do centro nao havia um lugar vasio, as galeras esla-
va m apinhadas. Na cmara reinava a mais singular
fermentacSo. Em alguns grupos manifcslava-so urna
- irosdade inquieta ; mas a maioria dos espectado-
res mostrava o desejo de gozar de tima emoeflo dra-
mtica, o todas as apparencias aununciavan urna
dossas reprcscnla<;oos parlamentares iguaes oirsu-
periores s roprcsentacOes theatraes mais nteres-
sanies. Os dilettantes nlo licaram desapontados:
a sessflo esleve chola de incidentes, rcvclacOes
inesperadas, tempestades, celeuma, um orador ani-
quilado, ministros comprometlidos, um dcpulado
garrnchailo na sua cadeira abandonado por todos e
incapaz de defender-se, urna maoria tremenda cal-
cando aosps avictinia que ia entregar aosjuizcs
que a cobicavam; tal he aan.alyse da comedia, os.
movimcnlos da sorna e os noines dos actores.
O Sr. llillaut a subir tribuna ; mas a assembla,
ja indevidamonte escitada, nem podia conservar-se
sentada, nem ficar calada. Motive momentos em que
urna especie de impaciencia febril leve os espectado-
res suspensos : era tal a anxiodadc de cuvir que nem
nodiameseular. Comtudo, quando oSr. Entile de
Girardin mostrou desejo de fallar, fez-se o mais pro-
fundo silencio. Todos osolhos so cravaram tiellc.
Em p no sen lugar, com urna Vasta grande ao-Iado,
pallido, porm com voz firme, disse cama ni que
iltiiiseran asqiiesle queoecupavam a sua alten-
pfio:-uma de principios, outra de fado. Declarou
que deixaria discutir a primeira, c que apenas dara
algun.as cxplicaQOes.pessoaes quando se discutisse a
qucslflo de principios. Por eslas poucas palavras,
proferidas comvfaciliiMdec firmeza, principiou a ses-
sjlo, c todas as vistas conlinuaran a litar-se na re-
ciieada pasta que se ii:ostrava tio amcagadra como
a caixa de Pandora.
OSr. Killaut nilo limitou a discussflo aos termos
especilieados pelo Sr. Girardin : como homcm dc
iuzo claro e anatmico hbil, penetrou rapnlamen-
te no amago da quesillo, aslaram-lhe alguns argu-
mentos para redu/ir a p o relatono do Sr. I.ayiel-
Ic, e, ebegando directamente aos factos, mostrou
com evidencia que a amara dos pares nenhtim in-
teresse linlia na conlenda ; quo aquestuo qiuMiC-
cupavaa altetiQno da cmara era a aecudatoo feXa
ao ministerio por um deputado ; queou havia nn-
nislros prevaricadores, ou um deputado calumnia-
dor. InterrupOes intempestivas quebraran, o fio da
sua argumenlacflo; mas o orader foi victoriado por
toda a cmara quando eslaheleceu o sou dilema. Os
centros c a esquadra repetiram a una voz : Sun.
sim.ouuma ou oulra cousa. OSr. de Mony disse
do sen lugar : a Deseio ardentemonte que este nego-
cio seju investigado. Ens tambem, e nos tam-
bera .'.. respondeu a cmara. So os factos sBo ver*
dadeiroa, tornou o orador, o ministerio (leve ser ac-
ensado. Poi1 certo que sim, deve ser echoa-
ram as mesmas vozes. ;
Adiou-soa quoatSo de principios, e era opinj.lo ge-
ral queso investigassen. os/aclos. Heto-se oter-
rcno:ducllo! ducllo bradaram todos ; a cam.u.i
quera ar.lenlemenle que as espadas se eni/asstm.
O Sr. de llaussonville quiz fallar em deiensa d des-
venturado relatorio da commissflo; r. cmara ape-
nas o ouvio, massemprc conseguio declarar que a
commissilo reservava oseudireito de alterar o re-
latorio depois deouvir apSr. Girardin. ltcdol.rou
immedialamenleo inlcr?sscquc apresenlava a quos-
tflo, e todos julgaram que oaecusado ia fallar. Su-
bi de feilo tribuna, mas fo. para declarar que se-
Kuia a marcha adoptada pelo Sr. dc Lormcnin em
1835: declarou solemnemente que nenhuma idcia
livera de offender a cmara dos P^.^n"2?"
pido com signaes dc dcsapp.ovagno c male^ol n-
cia dos centros tornou um carcter hostil. O oa li
moslrava-se indignado por nao dar a ca.na.a assu.is
mosirava-su inuiguiiuu i~.....---- ,,,.
palavras o mesmo crdito que dera as do Sr. Corme-
,n. .Nova desapprovacilo. A cmara quena mais I-
guma cousa. O Sr. Girard.n concluio ffrmandMW
cu, outra occasiao explicara os lacios e persistira
na sua sustenlacilo.....Dcsceu da Inbuna e o uesa-
pontamento geral produzioa mais tumultuosa agi-
lacSocm lodos os bafcos. A" tbz do orador segui-
rani-sepiurinuragOesconfusas, dialagos animados.
Foi enlo que o Sr. Plougoulm deseen dos bancos
superiores do centro quo habita. O presidente nao
(iiieria ouvirlo, mas a cmara em peso bradou :
Fallai! fallai! Avana, recua, nflo sabe a quem
obedecer : a torrento violenta da cmara leya-o a
liibuna, o renuxo do presidente arroja-o dalh : em
nsrillacOos, naufragou.miscravclmente. O sou dis-
curso sem .exo.scm ouvintes, mera reun.o desous
neos e do ruidosas declamares, era inlerromp.do a
eada n-omento. orador quera urna d.scussao sc-
,%7orSn,anJaria o deputado ante a cmara
liS nares ,\ sua eniocao Iranstornod-lho as lacui-
Sr. Cirardin nito fugiria a urna discussflo peranto a
cmara dos pares, levanlou-se ste como una vbo-
ra e bradou em voz aguda : O Sr Emle do Girar-
din nunca fugio I n Esta allusao sarcastca hem co-
nliccida historia do ex-procurador geral de Toulou-
se, nilo contribuo poucopara a sua perturbaco.
A fadiga e*o dcsapontamento cram taesquea c-
mara careca do ropouso, suspcndeu-so.a sesillo por
algum lempo, e quando de novo comecou, subi
tribuna o Sr. Odillon Itairot c foi euvido com o si-
lencio que sempre se I he concede. Tornou a qucslflo
de principios; dscUto-a em poucas palavras, e por
lito inslou com o Sr. Girardin para que desscexplca-
?0cs : toda a cmara o apoiou. O Sr. Girardin reu-
ni os seus papis c a passos lentos se dirigi para a
Ubnna. A atlcucflo da cmara tinha-se turnado at
coto ponto agonisantc, o prolago eslava acabado,
o drama ia comecar. V orador principien por decla-
rar que nem quera diminuir nem aggravar aaecu-
sa^fio que lizera, mas sim provar a sua cxaclido.
Os membros da (amara nem tomavam.a respira-
gflo. Accrescenlou quo era homem do governo e que
pedia' nomeaeflo de una conimissiio secreta antes
de lazer revelar6BS. Esta doclaracSo produzio as
galeras a maiorsorpreza c um terror visivel. Se
cinco membros pediretn nina conuiiissao secreta,
' disse o presidente, leom direito a serem allendi-
dos; e ja mais do dez nienibros se tinham le-
vantado para bradar: tNomo-88 a commissflo se-
crea, se he necessaria defensa. Mas no mesino
instante cabio um furaeflo tcrrvel nos bancos do
centro. O Sr. Duchalel levanlou-se com o regiment
da cmara na nio, e de todos os lados lhc brada-
ram : a A commissflo secreta declarou que nflo ten-
des direito do fallar. Seguio-se uina scena de in-
(lefiivel confusflo..... tima vcr.iadera vista no Pan-
demonio. Porfim conseguio o ministro dizer al-
gtimas palavras para protestar contra o ministe-
rio. O Sr. Girardin, mudando de proposito, an-
nunciou, que, nonio o gabinete o forc.ava a explicar-
se em publico, ludo diria. Anda bem 1 Mas a descon-
Qanca dos centros linha sido despertada c o orador
foi muilas vezes interrompido; foi necessario que
o Sr. Dupin lembrassc a cmara que a posicflo de um
aecusado exiga resuelto. O Sr. Girardin, tranquillo
e scnliordc si, detalhou todas-as allegarles que li-
zera no artigo publicado na Iresse; um privilegio Ue
Iheatro vendido por 100,000 francos, o quo proVOU
com cartas escripias por um socio da companliia quo
pagou ess'a soninra enorme ; ttulos de nobleza, para
o que nflo linha senflo o testemunho do um artigo
publicado no jornal LaiUode; hbitos da legio de
honra, para o que ctou fados, recusando porm
mencionar nomes; finalmente una promesas de pa-
ralo. Tambera nao quiz dizer o nome, mas appellOU
para a memoria dosSrs. Guizot e Dchate. Este ul-
timo linha-lte dilo : Occorreu isso estando cu au-
sent. Censuro tal proced ment j sao cousas do
Sr. Guizot. u
Esta rovelaco excitou alguma commoeflo. Obra-
dor linha moslrndo previamente 0 com singular na-
bilidadc oHiequcno valor que se devia dar as negali-
vas ministeriacs. Foi maislonge: disse que Igual
fado linha acconido em 1846, c apresentou as pro-
vas, leudo una caita-dirigida ael-re, carta que S.
M. leve com seu poder auno c mcio, na qual oSr.
Guizol era directamente aecusado de ler feilo da
completa adbesflo de um jornal a condicflo sine qua
non da nomeaeflo do um par. O candidato recusou a
condieflo cora indgnaeflo : o candidato era o teneu-
te-general Girardin, e o jornal a Presse. Augnicn-
tando o numero dos factos, declarou que em urna
rcuniao dos directores dos Corraos se Ibes prppozc-
ra fazer passar una le a seu favor pela somma de
1,200,000 francos. EstS expOSicOO foi leita com a
mais firme seguranca a com loda a apparenciade
profunda verdad*. O n tornava-se intrincado; o
ministro do reino levanlou-se para responder. a
suarysposla negu, ou antes illudio asaecusacoes
com prudente dexteridade.
OSr Girardin repeli as suas asserc/>es ; se as pro-
vou ou nflo, a cmara decidir. O ministro susten-
to!! que nao tinlia tido parte na venda do privilegio
theatral, c que, quanlo as oulras accus.icnes, ne-
uliuui inembro da cmara poderla unrginar que li-
vesse elle entrado em trafico de lana comipcflo.
Acamara decidir. O ministro nioslrou-se sagaz,
concludente nao. Comtudo, os centros o applaudi-
ram com enthusiasmo. .
Faltava o Sr. Guizot e a promessa do paralo. Aqu
loniaram as cousas nova face. O ministro leu na tri-
buna, notom da rtaior indifferena, urna carta do
Sr. Girardin, na qual confessava que linha hypollie-
cadoasopinOcs do seu jornal porespaco de quatro
mezes, consentindo que se desviasse da sua infta de
poltica, por se lite ler promellido que otn
general Girardin seria nomeado par deJronca. Esta
carta produzio um efleilo elctrico OSr. irardln
linha imposto o acollado noanno del888 condN
eflo que agora censurara ao Sr. Guizo tmha alliC-
nado1 o seu jornal, c linha conscquentemcnlc com-
mettido aquillo de que ora aecusava 0|Sr. t>UlL
O hornera eslava desmaseai-adoj o deputado fe* ido
no coraflo ; mas o ministro estara menos deshon-
rado ? Ncgou elle a caria, ou que o paralo so ven-
desso por um jornal? Nflo; mas a cmara encheu-sc
do iidiRiiacao ao ouvir quo aquello quo previamente
ofrecer o seu jornal aecusava agora o hornera que
subsequentcmonlc exigir o mesmo sao ilicio.
Cria-se, porm, queoSr. Girardin voltaria a carga
e quo opporia conlradiccflo a contrad.cQflo; que pe-
dira un inquerilo; que mostrara cmlun una .som-
bra de indig.acflo o(i um impulso de coragem.......
Esocrai'ws vBasj cou pregado, ira.novcl na sua ca-
deir do luneta no olho c cora o rosto esverdeado,
ecebu o golpe mortal sem resislcnc.a. A' Hpposi-
efionada restava senflo protestar em nome do um
principi o c abandonar o homcm que asi mesmo se
abandonara. A maioria triumphanle entregou-o des-
dcnhosainente a cmara dos pares.
(National).
(J. do Commercio
TftlBURAL.DA-RELA^a'.
JULGAMKNTO NO QIV18 DE SETEMBRO DE 1847.
Desembargad*- de semana o Sr. rutares.
Mandaran) dar vista as partes as segulnte appel-
*Nadojuizo o Flix Monlero de Gorvalho c ou-
Na de Antonio Aunes Jacome pires o Francisco
Xavier Ca neiro da Ciinlia ;
Na dojuzo, Jos Gomes Coiinbra o Manoel Pcrcna
Guiniarfu's; .
NadeflaetanoWnto de Veras, (como admistradoi
de sua mulherl. Mana Fcrreira da Silva, 0 Dr. Joflo
Ferretra'da Silva (como tutor de uns menores! co
hachare! Manuel Ferreira da Silva;
Na appcllacflo cinie do reo allancado Jos Soa-
res Merina, e o autor Manoel Francisco de Olivena 0
Julgaram procedente c mandaran) submetlcr a no-
vo iulgamento as appellafles crimea entre a jusilla,
Clemente Jos l.uiz 0 Anastacio Ferreira de lanas.
Julgaram millo oprocosso o mandaran) volUra
novo iulgamento, supprindo o juiz. de direito a ralla
de una tcslemunha para completar o numeroUc 5 .
aappclla6ocrime entre oreo HarllnboFerrcrra o
Denegaran) provknento ao recurso de eloijOes
de Manoel da Silva l.ins 0 a junta qualihca. ora.
Mandaran) avaliar o in posto da chancellarla na
appcllacflo entr Joaquira Vieua llrandno c lelix
Frsucisco de ltrilo.
Confirniarain a decisao do'juizo dc direito no ic-
curso crinie entro o jui/o o Pedro Caelano da Costa.
Cmara municipal do Rccilc.
SESSAO i:\TltAOIlDI.NAHIA DE 6 DI'-SEIKMIIItO
DE 1847.
PIUSIOKNCIA DO Sil. BEC.O kLWQVF.fQVF..
Presentes os Sis. Dr. Nny, Egidio Ferreira, Dr.
Aqiiino, Barata e Gaudino, abno-se a sossoo e loi li-
dio approvada a acta da antecedente.
O secretario leu um ofBclo do Exin. presidente da
nrovincia, participando que expedir orden) ao ad-
ministrador das obras publicas para mandar por i
disposicno da cmara a pedia decalcar que sobrar
das obras daquella ropartlcSo. hitelrada.
Ouiro, exigindo saber especificada mente as despe-
zasquoseleem de fazer com asoloicOes prximas,
afira de poder resolver sobre B requislcflo desla c-
mara, taita era oflicio dc 30dcagoslo ultimo.-Man-
dou-se ouvir ao procurador.
Onlro. .levolvendo com despacho de approvoc0 a
planta do lugar do Corredor-do-llispo. l.iteirada,
BCCUSOU-SO o rccebimenlo c expcdio-se orden) ao
cordeador para tirar urna copia em ponto menor,
para se encaixilhar e expf na sala da cmara.
Outro, participando haver convocado a ii o va as-
sembla legislativa provincial, para se reunir na-
prxima sessflo de lsl8,edeterininando a cmara ox-
nedisse as convenientes ordens, | ara que se proceda
', eleicao dos membros da oia assembla,na forma do
disposto na M n. 387, dc 1? do agosto de I8.be na
mesmaoccasiflo cmque se h/er as dos depulaflos ge-
raes para a futura legislatura. Inteirada, 0 man-
dou-se expedir as ordens necessanas.
Outro, autorisando a cmara a iandar tapar o bec-
co contiguo igreja do San Jos deriba-mar, o fazo
a alteracflo smenle nessa parte da planta daci.la-
de. Inleirada c aecusou-sc.
Outro do carfilflo do porto, BCCUSando o recclnmen-
(0 do ofiieiodcsla cmara dSOdeagoato 0"eDB-
nanliado das copias das minas da planta do hamo do
ieeiie, que se Ihe rcnielteu. Inleirada
Olro do fiscal da IVegue/.ia de Santo-Auto.i,o,
pa lie pando se,era da quanlia de ',./,vis as mullas
hnpostas era o mez de jullio do crranla auno, e po-
dindo se mandasso pagar 6/400 reis.ao orurg3o
JoflO DOiningUCS da Silva, de duas corridas de saude
que con, elle fez en, dito me/..- Inleirada e mandou-
"o'uuo'do fisft Roa-Vista, pcdimlo opagamei,
to ,l" 500 ris que despender cora a limpeza do
be co do-Ferreiro. Ianou-8 pUMrBMgJo.
O Sr vereador Aquino foz o segrale icquei ncli-
to que foi ppi ovado, 0 em co.iscquencia pxoedio-so
copia do mismo reque.i.nento ao procurador para
sa isfazer as exigencias do referido requerinicnto :
Icq. ciro que na prxima sessflo soja apresen-
tada a es a cmara a relaeflo de todos os conlralos o
ar endamentos que do seus predios se teem ro Q,
d'sdemenrincipiou a funecionar alo boje, deda-
,n-c nessa elacflo as datas en. que o rame
noruueprazos; a quanlia, c seos pagamentos sao
'di.I eio ou era Icllras; se enijeltras, em queda-
1, te n vencido ou so vencorflo ; quacs ex.slem,
escdcssasletlras algumas teem sido dadas em pa-
tSSSK esta cmara, ou rebatidas; c serebati-
das a que cambio o tecra sido, e a rasflo. Sala das
sTM 6 de setembro dc 1847. i. dt Agumo / ou-
St,Foi"autoiisado o procurador para fazer adespeza
necessaria illuralnaqflo da casa da cmara, as imi-
tes do c 7 do corrente, somante com 32 globos o
outras tantas luzeseada noite.
Maltdou-se annuncUr novamentc para o da II do
presento mez a terreira praca para arremalacflo dos
differentcs otijectos que constituem o patrimonio da
camara.visto ler liavido engao no annuncio ultima-
'menle publicado.
Despaoharam-se as pctio'ies de Francisco de Souza
Paria, Jos Ignacio llorges, os irmflos mesarios da
oideiittcrceia de San Francisco, Joflo Miguel rer-
rlra Lima, Manoel Percira deS e Joanna Francis-
ca. V.c, JoalJos I'erreira de Aguiar, secretario a
subscrevi. llego Mbuauerque, piesidente. Car-
neiro Monteiio. -- Barata. Aquino. l'erreira.
Gaudino. Dr. /Ven/ du l'onseca.
11E PKKMHBECO^
B ECIt S, 19 DE SETEMBUO BE 1847.
Segundnos informan), cis como se achara orga-
nisadas as mesas parochiaes dasfieguczias da capi-
tal, exclusive a de San-Frei-Pclro-Concalves.
SAKTO-Alftoaib. Presidente oSrMonoel Antonio
Viegas; membros osSrs. : Bartolomeu Francisco do
Souza, Francisco Simos da silva, Miguel Affonso
Ferreira 0 Thoodoro Machado Freiie l'ereira da Silva.
Sas-Josb' Presidente oSr. Dr, JoaquimVillela
re Castro Ta'vares ; membros osSrs. i Sevcrinollcn-
rique do Castro Pimentel, Ignacio dos liis ('.ampol-
lo, Jos Cunoguhdes da Silva c Francisco Serfico do
Assis Carvalho.
Boa-Vista. -Presidente o Sr. Antonio Carneiro
Machado Ros ; membros, os Srs.: Dr. Pedro Autran
da Malta e Albuquei-ue, Clemente Jos Ferreira da
Costa, Manoel J.iseViei.a da Silva c Cactano Mcndcs
da Cunha A/.evcdo. _____*.
I______l -.--
Cin-esiionilciKa.
.Srs. /crfoclore,~lgnoro a rasflo por que tenham os
nossos historiadores o chronislas deixado de incluir
na lista dos anligos gobernadores desta provincia o
nome d um dallos que nos pe lenco de mais port :
fallo, srs. Redactores, do Filippe Cvalcanti, casa-
do nesta mesina provincia com I). Catliarina de Al-
biKiueriiue, lilha de Jeronymo do Alhiiquerquc, 0
vellio, batida em D. Mara do Cspirito-Santo Arco-
Verde, nina esta do Tabyra, chaf superior da Iri-
b ou naco Tabayiv, possuidora natura dos poo i-
cosoamenissimoscampos do nossa faustosa oimda;
cojo Cavalcanll para aqu velo, nos lempos da con-
quista, na llor do seus ennds, entre nos sempre vi-
ven e moireu deixando nuinerosa postendade. Nao
lie menos para lamentar, que, leudo o Sr. autor das.
recentes Memorias Histricas de Periiain.iuco procu-
rado cora aran indagar eslas anllquallas, nflo cn-
contrarsso um documento que provar nodesse, du
tima maneira ihcontostavel, oduo acabo de dizer
acerca do prodilo Filippe Cavalcanll I. para que
nina sen.elhante lacuna nflo continu na historiu
doPernajnbuco, assuas mllospasso, Srs. Redacto-
res, O incluso docuinenlo, para que. cora esta sirvam-
se laucar as paginas do seu accreditado Diario, co-
mo vehieulo por onde olTereo dilo documento a
conideracflo daquelles de nossos patricios ou es-
tranacirosque soba: laos assumptos escreverom d-o-
ra avante, visto ser elle revestido de lodosos ca-
racteres de legalidado e verdica existencia ; accres-
centando smente, que, por brevidadc, e rao parecer
dosnecessario, nflo cito aqu oulroa docuinentos do
ffual natuieza, que coinprovariam a asserQflo cima.
Oiieiram, Srs. Redactores, disprdo pequeo pres-
timo do seu patricio venerador e obfigado
Tabayri olindense.
DOCUMENTO.
O capitflo Joflo de Olivcira, que para bem do sua
juslica 0 fazenda lhc he necessario o traslado da car-
la o titulo da dita, e demarcaeflo dclla, que oirerece;
pelo que peden Vnic. Ihe mande dar dito traslado
em modo que fac.a fe, por qualquer Ubelliflo publi-
co, lornando-lho os propros. F. recbela nierc..--
D-se-lho como pede. Em 18 do dezembro de16M
annos.-Si/ra.Traslado do que so pede -- Hippe
lavalcanli, capilfloe gtwernador, loco-tpnente nos-
.a capitana do Pornombueo da NovaLustaniauaiU
villa do Olinda as parles do llrasij.pclo mullo ll-
lualroSr. Jorge do Albuquerque Coell.o> ca ito a
ove, nador desla capitana per el-re. Noaaoajnhor.
"-Facosaberaquantos esta in.nha carta de doacao
|V,r mostrada, e o ronhecime.ito della cora d.re.lo
Dertoncer, que a mim me envin a dizer por sua pe-
Ecaspar l>as, morador no Rec.fe, que elle ten.
uns'chflos no dito Recle entre a casa aonde vive o
o l-asso de Fernflo Soarez, nos quacs em fe.to suas
casas o porque nflo acha a carta dos ditos daos rao
Dodla quo, havendo respeilo a ler beneficiado os
toschaos, e ser morador dominio lempo nesta ca-
pitana, e alermulur o filbos, lhc faca merco de
uovainenle lhc daros ditos chaos da maneira cima
ila, no que recebora mcrc ; ao quo puz por meu
espacho Passff carta ao stipplicante, dos chflos
que pede. Iloje, 80 do junlm dc 90 annos.--i/i/>pe
ora/canli'.- O qual cliflo hei pof bem dar ao dilo
Gaspar Das, por sesmaria, para elle o sua mu-
llier, fllhoa e nelos, l.erdeiros ascendentes o des-
ondeoles, e para loilas as pessoas que aps del les
vierem, c dalles o liouvcrem, para que dello, o em
elle faam como do cousa sua propria queja lio des-
r
\

\



2
te dia para todo sempro,som foro nem tributo algum,
porser ara sala que na"o produz fructo nenhum, e
porque assim me approi ve de Ihe mandar passar a
presante doaco nesta villadeOlinde, sob meusignal
e sello dasarniasdoscnhorgovernadorqueantemim
ser ve ai, a os 17 dias do mez de dezembro.(>a6ri>/
Daniel, escrivilo das dalas das te:rase sesmarias, a-
goas e demrcameos de toda esta capitana pelo se-
nhor governador della, a z, anuo de 1590 minos
J'agou desta e tiesta nada Filippe Cavalcanli. Ao
sello 20 rs.Figueiredo. Ilegistc-se. Vieira. Pica
registada no livro dos registros das sesmarias, novo,
por mim Antonio da lloclla, escrivilo da fazonda e
almoxarifado nesta capitana de Pernambuco pelo
dilosenhor, a folhas 31 al folhas 33. Olinda, 28 de
marco de 1591 annos.--Antonio da ffocAo.Cumpra-
sc ueste Recife a 13 dejulho de 1602.-- O governa-
dor.
Publicado a pedido.
Illm. e Exm. Sr.Como presidente da mesa paro-
chial, nflo posso ser indiferente s violencias inau-
ditas que a polica deste lugar tem excrcido contra
os cidados, e influir tas clcicOes quedevem lar lu-
gar amanhila, 19 do corrente : custa crer, que noje,
vespera desseacto, fossom corridos e varejados di-
versos engenhos de pessoas inlluciites a pretoxtos
le aprehender armamentos, cuja existencia alias so
niio verificou; que una for^a policial estoja inipc-
dindo na povoaciiu o livre transito dos cidad&os, a-
mea^ando-os, aterrando-osc at espancandn ; c que
o pronro subdelegado, seus inspectores, olickffcs da
guarda nacional e un capilfio ilo corpo do polica,
andein de porta ein porta a exigir votos para a chapa
do partido dominante, cum ameaijas de persegui-
rles, ou com promessjs de postos c emprego, c
outrasvantagens, entre asquacsiiguran roinunora-
cOes de quanlias com quo se aclian munidas as pes-
soas sobro-ndicadas, e antepoiido a ludo isto, e a-
busando do augusto uome de S. M. Imperador, e de
V. Exc. Como he possivel, Exm. Sr., quo assim* ha -
jain eleicOes livres? Tu Jo nessa freguozia he alar-
ma, ludo he terror: he mou dover, pois, pedir a V.
Exc, que se digne ordenar Iso he que isso pode
produzirefloito: queso abstenha do violencias o a-
busiva e illegal ostentadlo do Torcas com que esta
intimidando os cidadios. Protesto conlra osle nio-
vimentodc frgas que tem havido o possa haver ale
amanhila, 19 do corrente, e rogo instantemente a
V, Exc baja de levar este ineu protesto ao conho-
cimento do governo imperial.
eos guarde a V. Exc. Afogados, 18 desotonibro
de-1817.Illm. o Exm. Sr. coucclheiro Antonio Pin-
to Chichorro da (ama.Manuel Joaqun do llego e
Albuquerque, presidente da mesa parochial dos Afo-
gados.
de 8 marcos, 4 oncas o 6 I oitavas, pelo valor de
150,000 rs.;. impugnadas pelo segundo escritura-
rio Antonio Francisco de Moura, no despacho por
factura de Antonio Valentim da Silva Barroca, sob
numero 1095 : sendo a^arrcmatasosubjeita a paga-
mento de direilos.
Alfandcgn, 18 de selombro de 1847.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
Ignacio Jos Pinto, fiscal da freguzii^da lloa-Vista, em
virlude da lei, etc.
Fago saber* aos habitantes da dita fregueza, a-
quelles que tiverem qimlquer genero de negocio,
ou industria de portas abenas, que d'ora cm djantc
deverflo agoar as testadas do edificio, cm quesecom-
prehederem seus estabelccimcntos, tres vezes ao
dia, sendo as dez lunas da mauhia, a urna e as qua-
tro da tarde; conservando-as limpas at ao meifl
da ra, ou toda largura desta, so do lado opposto
niio houvera mesma ohrigacilo : sob pena de seren
impostas aos contraventores as ponas comminadas
no artigo 12, 1. e 2. das posturas addiconaes.
Hecife, 17 do setembro de 1847.'
Ignacio Jos Pinto.
interessante da nossa historia, va intermediado por
bellas estancias do poema CarAwur composi -
(Uo do nosso patricio Ir. Jos4 do Santa Rita Durito ;
c para darmos urna idei da escolha que o autor
do resumo fez das estancias do poema, citaremos
a seguinlo, enllocada no lugar em que trata da mu-
daoca do nomo de trra da Vera-Cruz dado pelo
seu deseobridor Cabral, para o de Brasil.
Deca racoe&
CE* Jl IR LtMf^^T- m
COMME^.IO.
Almulega.
RFNDI.MFNTO DO DIA 18.........
Descarrega hoje, 20.
llriguc Atheus mercadoras.
629,726
Consulado.
RF.NDIMF.NTO DOMA 18.
CMl.......................... 1:151,857
Diversas provincias............... 46,460
1:198,317
praca dobecife, 18 desetembro de 1847,
as 3 horas da Tarde.
Revista semanal.
Cambios .Effectua'ram-se a 27 d. por 1,000
rs. os saques de que foi portador o
paquete inglez Penguin, sabido esta
.semana para Inglaterra.
AlgodDo .Enlraram 539 saccas.Vendeu-
so a 7,000 rs, a arroba do primeira
sortc, c a 6,500 rs. a de segunda.
As'ucar .Como a safra est linda, apenas en-
lraram 67 caixas. Os precos foram
os mesmos que noticiamos na revista
anterior.
Cauros. .Venderam-so de 105 a 110 ris a
libra.
Racalho. .Retalhou-sc de 13,500 a 14,000 rs.
a barrica. O deposito he 1,500 bar-
ricas.
Carne secca. .Chegaram dous carregamentos.
. Poucas foram as vendas que se reali-
s'aram aos presos de 2,400 a 3,200 rs.
a arroba. Ficaram em ser 32,000
arrobas.
Farinha de trigoO deposito he de 570 barricas, a
saber: 150 americanas, ebegadas
ha pouco da Babia, c 420 da marca
SSSK do Trieste. Deslas ultimas
vendoram-se algumas a retlho aos
presos de 25,000 a 26,000 rs. cada
urna.
Entraram depois da nossa-trllima revista 5 embar-
cacOes, esahiram outras tantas. Existem no por-
to 31, sendo 18 brasileiras, 1 diiiamarqucza, 2 l'ian-
cezas, 6 inglezas, 3 portugue/.as e 1 sarda.
Inda esta a Iretar o brigue ingle/. Yarmoulh.
A barca Crelo deslinou-se para Ccnova, faltando-
lliemenosde mcia carga.
O brigue Fortuna, que segu para llambiirgo, pre-
cisa lomar a frele 400 saccas de algodSo, ou 50 ca-
xas do assucar.
EDITA L.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade official dam-
perial ordem da Rosa, cavallero da de Chrislo, e ins-
pector da alfandega de Pernambuco, por S. M. o
Imperador, que Dos guarde, etc.
Faz saber que no. dia 20 (boje) do corrente, ao
meio-dia, na porta da menina, se bao le arrematar
embasta publica 4 salvas de prata com o peso do
17 marcos 5 oncas e 4 i oitavas, pelo valor de 280y
rs.; 3 palileirosde dila com o peso lo 3 marcos 6
-^j* arsenal do guerra comprn*6 cadeiras com as-
seiiro le palbinha; 1 sineta do bronze, de meia ai-
roba ; 60 mantas le lila, 60 pratos do p de pedra ;
24 ditos pequeos ; 30 liglas de dito; 2i ditas pe-
queas; 12 bulos do pode podra ; 30 casaes de chi-
caras; 8 mantoigueiras. pequeas; 12 copos gran-
des de video para agoa ; 21 uries le p le podra ;
1 alinofaiiz de bronzo, de 8 libras, com mfo ; 4 jar-
ras grandes, do barro, para agoa; 12 quartinhris ; 16
ventosas ; 12 varas do madapolilo : quom taes gene-
ros quizer fomecor man dar sua proposta om carta
fechada, e as amostras, a directora do mesmo arse-
nal at o dia 22 do corrente mez.
Arsenal de guerra, 16 de setembro de 1847.
Joo Ricardo da Silva]
Amanuense
O arsenal de guorra compra 5,000 ps de tboas
depinho; 6duzias detahoas deassoalho delouro,
de 30 palmos de comprimento, o \j 1/2 a 2 de lar-
gura : qnom (al genero quizer fornecer, mandar sua
proposta em carta fechada a directora do mesmo ar-
senal atoo dia 20 boje; do corrente mez. Arsenal de
guerra, 16 de sotombro de 1847. Joao Ricardo da
Silva, amanuense.
O arsenal de guerra compra 415 awobas, 1 li-
bra e 1 quarta de plvora (na, S30 arrobas e 2 li-
bras c mcia de chumbo em barras ; e 212 resmas de
papel cartuchinho : quem ditos gneros quizer for-
necer, mandar sua proposta cm carta fechada', e as
amostras, directora do mesmo arsenal at o dia 20
(boje) do concille mez. Arsenal de guerra, 16 de se-
lembro de iHil.Jodo Ricardo da .Silva, amanuense.
O segundo batalhio de guardas nacionaes do
municipio do Recife precisa engajar dous cornetas
que tonham boa conducta : quem estiver neste caso,
dirija-so a ra da Cadeia, em Santo-Antonio, n. 13.
Contratos a celebrarem-se^om a the'souraria das rendas
provinciaes no corrente me: de setembro.
DIA 25.
Oda conlinuacaiMla obra do caes lo llamos, ava-
hada cm ris 7:182,000. Os trabalhos far-se-ho
de conformidade com os riscos e orcamtntos j ap-
provados; encelar-se-hlo dous mezes depois do va-
lidado o contrato, e findar-se-ho ao cabo de seis
mezes. O pagamento realisar-se-ha na Trma do
disposto no artigo 15 do regulamcnto das arremata-
rles. O prazo de responsabilidade ser do um an-
no. Fixar-se, emfim, o contrato com aquello dos
concurrentes que por menor preco se comprometter
a fazer a obra.
DIA 30.
O docslahelecimento de urna linha de mnibus,
que, na forma da lei provincial n. 191, facilite o
transporte desla cidide a qualquer dos seus arrabal-
des e de Olinda.
Objectos que a rcparticHo das obras publicas pretende
comprar.
Quatro gatos de bronze ; urna arroba de chumbo ;
6 varas de 32 palmos de Comprmanlo e um em qua-
dro; 18 pilhaslras de 7 palmos de comprimonto e
um cm quadro ; 16 maos-travessas de 30 palmos de
comprimento ; 30 estivas de 21 ; 6 dita de 32 ; das
taimas do costadinho de ama relio ; urna dita de as-
soallio de dito ; 2 pares de, dobradicas de chumbar;
urna chapa-testa ; urna techadora grande.
Kscravo apprehendido pela polica.
Filippe que declarou pcrlcncer a um tal Sr. Nojo-
za, resllenle no Hairo. Na occasifio de ser preso
por um dos inspectores de quarteirOo da Varzca,
puxou por urna faca para o mesmo inspector ; c por
isto tem de ser processado.
Publicacoes Luteranas.
PORTUGAL,
RecordacSes do anno de 1842, pelo principe Lichnonsky,
traduzido do altemdo, segunda edieo correcta e an-
notada.
O consumo rpido da primeira edicSo o a sua
procura por muitas pessoas que ficaram sem ella ,
induzio o traductor rchnpressfo d'esta obra cu-
riosa, que contenaapreca$0Odos caracteres mais
notaveis do paiz, dos seus acontecimenfos polti-
cos monumentos e lugares principos feita por
esso principe prussiano, que all viajou no anno
citado. Esta interessante obra, que contin 220 pa-
ginas vende-se por 1,000 rs. na ra d Cruz n.
7, segundo andar.
Prospecto.
Um resumo da historia do Brasil, que pelo seu
preco possa chegar classe menos abastada do nos-
so paiz, e que igualmente sirva para a leitura dos
meninos as escolas de nstrucgfo primaria; eis a
empieza que tomou sobre seus debis hombros o
professor publico Salvador lletirique de Albu-
querque.
Se a importancia da obra excedo a capacidade
do autor, venceu esta difllculdade o desejo que ello
nutre de ser til ao sen paiz; e he indubitavcl que
cabalmente a tanda
seu Irabalho semprc
Terra, porm, depois cbamou agenle,
Do Brasil uo la Crm, porque aitrahida
D'outro lenho as tintas expeliente,
Se lenibra menos do que o foi da vida:
Assim ana o mortal o bein presente,
Assim o noine esquece que o convida ,
Aos interesses da t'iitura gloria,
Aos bens attento s dp transitoria.
Este resumo leva no fin quatro jndices chro-
nologcos; um dos reis de Portugal, desde D. Affonso
Ilenrquesemll28atl). JoSo VI; outro dos gover-
nadores-geraes e vice-reis do Brasil, desde 'I borne
de Souza om 1549 at J). Marcos de Noronha e Brito
em1808; outro dos papas desde Alexandre VI em
1492 at o SS. padre Pi IX, que actual e felizmente
reina ; e outro finalcente dos bispos e arcebispos do
Brasil, com declaraclo dos bispados a que perten-
cem, as datas em quo estes foram creados o aquel-
es noineados, etc.
Almdisto,acham-se tambem dous mappas esta
tisticos dos hachareis formados oas duas academias
jurdicas de San-Paulo o de Olinda, e alinal a lista-
LOTERA, DO THBATRO.
O dia i.o de outubroprximo futuro he o designado
para o andamento difS rodas desta lotera, cujas ni
se acham a venda nos lugares do coslumc"
os apaixonados deste jgo concorrer Dar,'
i'mu80 reolise esl acto naquolle da, comprando ai
bilnetes que de resto existem, sem esperar que hoja
Hieles
Devem
como as anteriores, urna sociedade que os tome
sua con u porque, anda; no caso do quo esta se or-
ganiso, etique com os bilnetes que restaren, nun"
ca os vender por sua conta, porque para este fin,
thosoureiro da loleria niio llio permitlir prazo al-
gum, e fara andar logo as rodas.
O ab'aixo assignado avisa aos sonhores directo-
res de iheatros desta cidade, e mesmo d'outras prn"
vmcias onde chegar a noticia, que niio receban,
nem consfnlam representar em seus theatros a tra-
gedia Branca, em quatro actos a qual se perdeu
Fr. Josi de Sania Mara Cleofas.
Pergunta-se ao Bertoblo, logista da ra da Ca-
deia-Voiha, lofldo inventen o uso deabrifas duas
portas da luja nos domingos o dias santos de guarda
toda ombandeirada de amostras como em dias de se-
mana,ou so isto he uso dos vaquefros no Rio-Grande-
do-Sul. Pois, Sr. Bertoldo, veja que aqu n3o sepra-
tica tal abuso; sempreso guardaran! estes santos dias
com muito respeto ; e depois que S. S. estabeleceu
sua loja e principiou praticando estos abusos t;io
contrarios aO terceiro mandamentoquo manda guar-
dar estes santos dias, j alguns seus collogas, tanto
de fazenda como miudezas, vSo.seguindo o seu mo
de todas as pessoas quo se dignarem contribuir para exomplo: e quem he que lica com este omcargo de
impresslo do dito resumo, a qual promette o
autor que sor a mais limpa possivel, em muito bom
papel eom formato de oitavo francez.
Assgna-se para esta obra as livrarias dos Srs.,
Figueirrta, na praca da lnde|iendciicia, e Dr. Couti-
nliQ, esquina defronte do Collegio, na ra da Cadeia
lo Recife, loja do Sr. Cardozo Ayres ; e em Olinda,
ra de Mathias Ferrea, om casa do mesmo autor;
O preco de cada assguatuva ser tres mil ris
pagos p .eceber a obra.
\ visos maritinos.
Para a Babia segu ateo fin do corrente mez
o veleiro hiato Tentador : para carga ou passageiros,
trata-se com Silva & Grillo, na ra da Moda, n. 11.
Para o Cear segu viagem, tocando no Araca-
ty, o brigue-escuna Henriqueta, mestro Jos Joaqulm
Alvcs da Silva ; os prctendentcs a carregarem, se
entenderlo com o mesmo mestre no Trapiche-Novo,
ou na ra da Cadeia-Vclha, n. 17, segundo andar.
Vende-se um batelio com vela e remo novos ,
equccarrega6 pessoas, por preco commodo : na
ra dos Guararapcs, padaria n. 4.
Sano para l.oanda, no lia 24 do corrente im-
pretcrivelmente, o brigue portuguez Hoza, de q"uo he
captio Jos Francisco da Costa Rxo : para o resto
da carga miuda ou passageiros, trala-se com o mes-
mo capitn, ou com os seus consignatarios, Francis-
co Severiano Itabello iFilho, no largo da Assenibla
Provincial.
-- Para o Ass'a barca nacional Tentativa-Feli* est
a sabir al o dia 25 do corrente: para carga ou passa-
geiros, para o que tem osmclhores commodos, tra-
tH-se com Silva &Gri[lo, na ruada Moeoa, n. 11.
Para o Rio-Grande-do-Sul tencionasahir breve
obrigo/ercani'/; podo receher algnma carga, as-
sim como escravos e passageiros : i|uem no mesmo
quizer carregar pddentendcr-se com Amorim Ir-
imlos, ra da Cadeia, n. 45.
Avisos diversos.
AFFONSO SAINT-MABTIN, residente no principio
da ra dos Quartcis, por cima da loja- Je miudezas
de Victorino de Castro Moura, n. 24, recebeu agora
pelo ultimo navio viudo do Franca ricas mantas do
seira, de novos padrOes c linios gostos ; outras imi-
lacOes de cachemiras, minio ricas e elegantes ; di-
tas de granadina, e outras de foulard, sendo todas
da ultima moda adoptada em Pars ; chales de seda,
e meios ditos de cores muito lindas ; manteletas de
grosdenaple ondeado e liso, guarnecidas de franjas
de reti ii/. e outras com babadas enfeitados de tran-
cas de dito, as quaes eslflo no grande tom, niio s
por seren de geral moda, como pela graydade do
coslume ; cortes de seda branca e de cores, para ves-
tidos, sendo de boa qualidado o bonitas disposicOes
no gosto Jo lavrado ; chapeos de seda pira senhora,
armados na ultima moda, como o inculcam os ligu-
rinos que em cada cartiio costumam a vir estampa-
dos ; ditos de palbinha aberta e lisa, enfeilados se-
melhanca dos programmas do modas dos mosmos
carlOus ; cortes de barege para vestido ; e un com-
pleto soi'tmenlo de luvas para seniora. As senhoras
Jue destes objectos precisarein, o.os quizerem ver
ni suas casas, tcro a boudade de, a qualquer ho-
ra, mandar avisar ao aiinunciaiile, que inmediata-
mente Ihcsscrao levados.
Emresposla ao autor do annimcio inserido no
Diario' de Pernambuco n. 210; respeilo aos gneros
annunciados a venda, pcrtcnccntes ao cstabelcci-
mcnlo do Sr. Hcnriquo Amante Chave, outr'ora do
Sr. Fernando de Lucca, declara-so que os ditos ge-1 ria? ,,Ju".Br "u '.!."
eros nada teem com o litigio que o aulordoannun- l'a(lel1' uo cilc, n. J8,
ci corre com o Sr. Lucca, visto que este Sr. fez en-
trega dos mesmos a seus riedores ; c estes Hornean-
do urna commissflo de entre el les para dspOpdos
ditos gneros, os mesmos pastara ni vender ao di-
to Chave, c se acham de ludo pagos, como se podera
mostrar ; aconselhando-se ao Sr. do annuncio men-
cionado, que, em lugar de tomar o lempo do publi-
co com laes avisos, e querer por mpccilhos no que
Ihe nao perlence, dirija-se antes aos mais credores,
aflmdchavcr dellcsoque om raleio Ibetocou, ou
esperar nielhor lempo para cobrar toda sua divida
do Sr. Lucca.
consciencia e r^sponsavel por estes abusos!' llu
S. S4 A tesitura.
lima pessoa, que sabe perfeitalnonto, msica,
se offerece para onsinar particularmente esta bella
arte, indo as casas do seus discpulos passar-lhes o
tifii.it-llies lig.lo. IgualmentesoolTeroce para en9i-
narprimeras lellras, latim, etc. As pessoas, quo se
quizerem utilisardesouprestimo.tenham a bonda-
de de drigir-se a ra do Itangel, que no primeirot
andar do sobrado n. 3 da mesma ra acharflo com
quem tratar; ou entilo tenham a bondade de annun-
ciar suas moradas para serem procuradas;
Precsa-se de urna ama para urna casa de pouca
familia : na ra da Paz, outr'ora ra do Carino, ca-
sa terrea, n. 30.
Aluga-sc o segundo andar da casa n. 34 da ra
do Trapicho, com excellentes commodos, varandas
de ferro adianto c atrs, c bonita vista para o mar:
a tratar no armazem da mesma casa.
Agencia riepassaporles.
Na ra do Collegio, n. 10, o no Aierro-da-Boa-
Vista, n. 48, onntiniiaiii-se a tirar passaporl.es tan-
to para dentro, como parafra do imperio; assim
como despacham-se escravos*rtudo com brevidado.
O distribuidor deste Diario na cidade de Olin-
da faz publico que ello se encarrega da entrega de
carias, papis c pequeas oncommendas para a mes-
ma cidade, mediante una pequea gratificaclo, a-
lein das cartas serem franqueadas; imcumbe-so de
lirar provisOes para oratorio, conlissilo e qualquer
outras; do obter despachos das autoridades da mesma
cidade e tirar certides do qualquer%eparticlo ; as-
sim como de conduzir papis do importancia : elle
partir lodos os das das 6 as 7 horas da manh.Ta,e no
dia srgu i ule as mesillas horas dar solucSo do que
Ihe for encarregado.As pessoas, que se quizerem uti-
llsar de.seu prestimo, dirijam-so, no'Recife praca
da Independencia, livraria ns. 6 e8, a qualquer hora
do dia, e em Olinda, na sua residencia, ra do Am-
paro.
Declara-se que os gencros annunciados a venda
por o Sr. Ilenrique Amante Chave nao podem ser
vendidos, por estarem litigiosos.
Aluga-so urna preta de 18 annos que cozinlia
o diario de'uma casa engomma solTrivclmente, e
fazo maisservico de urna casa.: quem a prete.nder,
dirija-se a ra estreila do Itozario, n. 30, segundo
andar.
Permuta-se um pequeo sitio, imi-
to prximo matriz da Varzea, e ao rio
Gapiharibe j com casa de vi venda que
contm duas salas, quatro quarlos e es-
tribara, com muitas arvores fructferas,
e urna baixa, por una casa terrea nesta
cidade ; voit<.iuio-se de lima ou de oulra
parte o que se conVencionar: quem llie
convier este negocio, dirija se ra es-
treila do Hozario, n. ig, onde se dir
quem o faz.
Precisa-se de urna ama para cozinhar, com-
prar'e fazer o mais servido de una asa: no Ater-
ro da Boa-Vista, fabrica de charutos.
Precisa-se do um pequeo portuguez ,' do 10 a
14 annos, para caixeiro, prcferindo-9e destes chega-
dos ha pouco : na ra larga do Hozario,n. 32, se dir
quem precisa. "
-- D -se dinheiro a juros sobre penbores de ouro,
ou prata : no Atterro-da-Boa-Visla n. 58.
--Os Srs. Pedro Paulo dos Santos, Francisco Ma-
noel de Freitas o Jofio Mauorl Pinto Chaves teem
cartas, vindas do Rio-Grande-do-Sul na ra da
pr'inieiro andar.
~ Furlaram, na manhfladodia 18 do corrente, da
casa do abaixo assignado urna bandeja com espevi-
tador do prata, e um par de brincos de cornalinas
lia certeza de ter sido este roubo feito por um mole-
que eslrnnlio. Roga-so, portante, as pessoas a quem
estes objectos forem offerecidos que os apfirchcn-
dam.e annunciem a sua inorada para seren procu-.
radas. Jos Rodrigues Pereira.
Deseja-se fallar com oSr. Jolo l.uiz de Olivei-
ra Flores : por isso queira annunciar sua inorada.
Ilenrique Amante Chavo agradece ao Sr. Fer-
nando de l.ucca os bons servicos que prestou ao seu
estabelccimento.
--- Carlos Frcderco S. Pinto protesta contra a
venda do sobradinho da ra da Roda, n. 44, por se
acharelle hypothecado por.escrpturu publica, em
10 dejulho de 1847.
JosPradiiu's, cutcleiro amo-
lador,
avisa ao respcitavcl publico desta cidade, que sa
aelta estabelecido na ra .lo Cahug n. 12, onde
semprc estar prompto para fazer qualquer ferra-
menta ou instrumoiito de cirurgia trinchantes o
outros: tambem concerla espingardas, Taz freios
para cavallos, esporas do todas as modas ,-e ludo o
mais que for cOncei nentc ao seu ofllcio. Amla as
tercas, quintas e sahbados.
s
oIBcina de encaderiiacao que o padre F. C. de
I.cmos eSilvadirije na ra de S.-Francisco, an-
tigainente Mundo-Novo, n 66, aclia-sc prvida
'de todo o necc.ssario para o bom dcseinpcnho de
qualquer obra de encadernacao.por mais rica que s(*ja :
assim como (em e aprompta qUacsqucr enibiemas ap-
propriados as mesillas obras.
Aluga-seuina casa no Monteiro a beira do rio
Gapiharibe com duas salas, corredor no meio c ou-
tro ao lado 6 quartos, um del I es tem prateIKeiras o
serve de dispensa, cozinba l'ra, estribara para dous
cavallos um quarlo com tarimba para pretos, c ou-
tro quarto lio fundo do quintal, que serve para des-
pejo quintal murado : a tialar uo Alcrro-da-Bua-
Visla ti. 37 leiceiio andar.
Tiapassa-se a loja da ra do Queiniado ti. 18,
com as azendas, ou smente com a armaefio : ai
tratar najmesma loja. _- *
w


=3
3
Fabrica do machinas e fuiMji-
de ferro na ra do
Brum, no Recife.
cao
Mr Callum & Companhia, engenlicros macl.itiis-
jictanumai." K respetosamente an-
lf^imosS rSuriM do engenhos fazen-
deiros SSoc%KPf.bricle8 e ao rcspeitavel
Seo, que o se., estabeleeimento de ferro, mo-
^do por machina de vapor, se acha em efTect.vo
exerccio, e completamente montado com appare-
Ihos de primeira qualidade para a perfeita confec-
co das maiores pecas de machinismo.
Habilitados para emprehender quaesquer obras da
sua arte Me Callum & Companhia desejam mais
particularmente chamara aencflo publica para as
seguinlcs por serem ellas da maior extra CQflo nesla
provincia as quaes construidas na sua fabrica po-l
lll CUllipOurCCI*) 35 ..""Cautio o. >uZ wmuiibui-
ro, tanto em proco como na qualidade das materias
drimas e mSo d"obra, a. saber :
Maehinas de vapor.
Moendas de cannas para engenhos movidas a va-
por, por agoa, ou animaes.
Rodas d'agoa e serraras.
Manejos independentes para cavallos.
Rodas dentadas.
AguilhOes, bronzese chumaceiras.
CavilhOes e parafusos de todos os tamanhos.
Taixas, crivos e boceas de fornalha.
Moinhosde mandioca movidos a nulo ou por ani-
maes-, e prensas para a dita.
Fogoes c Ionios para co/.inha.
Canos de ferro, lorneiras de ferro e bronze.
Bombas para cacimbas e de repuxo.
Cuindastes, guinchse macacos.
Prensas hydraulicas e de parafuso.
Ferragens para navios, carros, obras publicas, etc.
Columnas, varandas e grades.
prensas de copiar cartas ede sellar.
Camas de ferro, etc.
Alem da perfeicto das suas obras, Me Callum &
Companhia garanten) a mais exacta conformidado
com os moldes e desenhos rcmettidos pelos Srs. que
se dignaren) de fazer-lhes enco'mmentas; aprovei-
tandoa occasiSo para agradecer aos seus benvolos
amigosefreguezesa preferencia, com queteemsi-
do por elles honrados, e assegurar-lhes que nao
pouparflo esforcos nem diligencias para continua-
ren a merecer a sua confinca.
Quem annunciou no Diario n. 209, precisar
' de um caixeiro brasileiro e sendo do fra da cida-
do dirija-se a ra do Trapiche-Novo n. 6 que
ah achara un, quo he de fra desta provincia o
da fiador a sua conducta.
-- Se alguem se julgar com dircilo de hypollieca,
penhora ou oulro qualquer negocio na casa da
ra do Agoas-Verdes, n. 53, portoncente ao Sr.
Manoel Ignacio estabelecid na praca da Indepen-
dencia ..comJoja de funilciro declare por esta fo-
Iha no prazo de tres dias.
Rebalcm-se ordenados do empregados pbli-
cos sidos, congruas e lettras de boas urinas: tam-
ben) d-se dinheiro a premio sobre hypothecas, por
menos do'que ninguoni e sem usura : na ra Di-
reita, n. 50.
-Na nova lja da ra do Quclmado, n. 30, de Jos.
Joaquim dcNovacs, contina a haver um completo
sorlimento do obras feilas com a mesma perfeicto
como as do incommend. Tamben) ha um completo
sortimento, viudos pelos ltimos navips.do Franca,
de chapeos pretos muitos superiores, e'da lillima
moda de Paris, bons chapeos do Chile, ricos cortes
de veludo para colotes, pelo barat prego de 5,000
rs., e muito bons lencos para pescoco de homem e
senhora.
Aluga-se a prensa, ou grande ar-
mazem, no Forte-do-Matlos, largo ta As-
.sembla, n. 7 : a tratar na ra do Viga-
rio, n 5, primeiro andar.
-- A Senhora D. Francisca Escolstica Josepha da
Costa queira quanlo antes realisar o negocio que
nio ignora com a irmandade do Terco.
I'crdeu-se urna c'arteira de algibeira com nl-
guns instrumentos de cirurgia algumas cdulas
miudas e varios papis : quem t quizer restituir,
dirija-scacsla Uypographia ondo, almda quantia
quecontinhn, receber outra igual de gratificacilo.
' Francisco Xavier Carneiro Rodrigues Campel-
lo torna a annunciar, quo d'ora em diante seassig-
nar por Francisco Xavier Carneiro da Cunha Cain-
pello.
--Pelo novo destino que deu ao edificio da sua
residencia na ra do Hospicio, poder o doutor
Sarment receber em sua casa doentes que desejem
vir tratar-sc nesta cidnde. Sero recebidos nflo s
os duontesdo qualquer sexo e,cond_icno que sejam',
tas tambem as pessoas, ou familias, que os qu-
/.ercm acompanhar.
Aluga-se una boa caso terrea com grande quin-
tal, com muitos arvoredos de fruclo, liguen-as, man-
gueiras, romeiras e latados de parreiras, com boa
agoa de beber, sita no principio da estrada dos Af-
-Aluga-so o segundo andar sollo da r..a do.
Amornn n. 13, por preco muito commodo : a tra-
tar na ra da Madre-dc-Dcos, n. 36, primeiro an-
dar. '
Alugam-se duas casas terreas no sitio do Cor-
deiro urna margem do rio Capibaribo com com-
modos para grande familia, cstribarin cozinha
fora e a outra no Tundo do mesmo sitio, tambom
com commodos para familia : os prelendentcs,
para ver, dirijam-se ao mesmo sitio, e para tratar,
no patoo do Carmo, n. 17.
Aluga-se o grande armazem ru 3* da ra do
Apollo, com o extenso terreno que tem pelo lado de
detrs.-Os pretndanles dirijam-se a Jos Vcllozo
Soares, na mesma ra.
Mara Soverianna relira-se para Lisboa.
Precisare do um caixeiro para a botica 4 pa-
leo do Terco n. 6 ainda mesmo que n1o entenda
de pharmacia.
Pwdeii-enm instrumento do cirurgia a que
cria mam trocato : quem o tiver achado e quizer res-
tituir, o poder entregar na ra NrfVa", loja de ferra-
gens de Jos Pereira Toixeira, onde se dir a quem
pertence, e se lear muito agradecido.
Atrs do theatro publico, da parte da mar, ha
urna cocheiracm que se trata muitabem de cavalos,
de todas as pessoas do matto quo venham a praca :
tambem ha bons cavallos para se alugar.
Ilenrique Amante Chave querentlo
liquidar o sen estabelecimenlo arma-
zem de.inolhados, na na do Trapiclfe ,
n. 34 tem a honra de prevenir aos Srs.
quem o -mesmo estabeleeimento seja
devedor, hajam de apresentar suas coa-
las para serem saldadas. O mesmo ar-
mazem estar aherto todos os dias, das 10
horas da manha as duas da larde non-
de se vendero oselFeilos que nelle ha, o
mais barato possivel,n3o se adiando quem
os queira comprar por junto o que se
far com condicoes favoraveis e por
preco vantajoso ao comprador
O Sr Fernando de L ti cea nao tem
mais ingerencia no estabeleimento.
Pcrhambuco iG de selembro.de 1847.
Chave aine.
Precisa-se do um andar para pequea fami-
lia, em urna boa ra na Boa-Vista, o S.^Antonio :
a tratar na ra da Cadeia-Vclha, n. 52.
-- Aluga-se; ouarrenda-se urna das mclhores ra-
sas do Caldeireiro, com quintal e cacimba de muito
boa agoa de beber, com cinco janellas de frente, sa-
la de fronte e duas alcovas, gabinete com alcova, sa-
la de detrs com dous quarlos c gabinete, junto ao
sitio do Sr. Jos lligino : Iraja-se na ra do Qticima-
do, n. 37.
Quem precisar de um rapaz brasileiro, para cai-
xeiro de ra, o qual tem pralica ed conhccimcnto
dos patroes'quo tem tido dirija-se a ra da Ca-
dcia-Vcllia do Recife, 11. 41.
AO BOM TOM PARISIENSE.
mangueras, romnzeiras, e latadas do parreiras,
I'"" ar a"0a de Deuer' ''to no principio da estrada
dos Ainiclos, ao p do Manguinho : tambem se aluga
una outra casa com sptflo corrido, no boceo do Se-
ngndo : a Iratar na ra da Cadcia do Recife, 11. 2">.
-- Arrenda-se um sitio, que seja bem
prximo a ciclado de Olinda oque te-
nha commodos para conservar
vaccas de
poucas
letiha :
para
ejle e madeira para
quem tiveranntmcie.
Antonio Carlos Pereira do Burgos Ponce de
Len faz publico, que mudou a sua residencia da
ra Dircita, sobrado n. 29, para a Soledade, sitio
da Cscala, do Exm. Sr. bario de Itamaraca; portan-
lo quem com elle se quizer entender, dirigir-so-ha
ao dito sitio, ou nesta praga a casa do seu procura
dor, o Sr. Manoel Jos de Sant'Anna Araujo, na tra-
v*a do Sarape te!, sobrado n. 16.
Compras.
RA NOVA, N. 56.
Tempette & C., alfaiale,
teem a honra de avisar ao rcspeitavel publico o
com especialidadeaos seus freguezes, que muda-
ran) o seu estabelecimenlo sito na ra Nova, n. 7 ,
para a mesma ra n. 56, onde continuarBo assi-
duos a servirom os seus antigos freguezes e quel-
lesquc osquizerem honrar. Aproveitam esta oc-
casiao para participaren) que se acham prvidos de
um be|lo sortimento de fazendas recentemenle chc-
gadas de Franca pelo ultimo navio conifl sejam :
pannos pelos e de coros para Caigas ; casimiras-so-
tim ; dita clstica : tildo do ultimo gosto : bem co-
mo sedas, selins, velludos, fustOes impressos c bor-
dados, proprios para colletes ; urna completa collec-
c3o de figurinos das modas as mais recentes de
Paris. No mesmo estabeleeimento so encontrar
sompre um grande sortimento do rotipa feita para
todos os tamanhos, bonetes do velludo para senho-
ra proprios para montara c varios objeetos de
plianlasia : ludo moderno o da inclhor qualidade.
POMMATF.AU, CUTF.LEIRO NO ATERRO-DA-
BOA-VISTA,
tem a honra de avisar ao publico, quo mudou o
seu estabeleeimento da ra do Aterro-da-Boa-Vista,
n. 5, para o sobrado novo, 11. 16, da mesma ra. -
Na sua loja sempre o public adiar como de cos-
tume un grande soi lmenlo de cutelerias finas e de
todas as qualidadcs ; bem como pistolas de viagem,
c armas para caga. Cohlina a concertar todas as
qualidades de armas o ferragens e amla as quar-
ls-feiras c sabbados.
-- Quem precisar de um bom cozinheiro e que
Compra-se o terceiro tomo do Cunha Mallos, e
a nstruegao deMuiidin Pestaa; bem como duas
toalhas bordadas : no pateo do Terco, venda n. 7.
Compra-se um monho pequeo de moar mi-
Iho : na ra do Queiniado, n 40, primeiro andar, ou
annuncie.
Gompra-sei ou aluga-se nina canda de condu-
zir agoa,que seja grande : na ra Nova, n. 42.
Compra-se urna escrava moga de boa figura,
qqe saiba cozinhar e lavar, e nflo ten ha vicio: agra-
dando paga-so bem: na Boa-Vista, ra Velha, n. 18.
Quem a tiver, deve apparecor das 11 horas da ma-
nha s 3 da tarde.
Compra-se um sitio porto desta cidade, que to-
nhaarvoresde fructo, cujo valor nflo exceda 'de
2:100,000 de rs.; ou pormuta-se por duas casas ter-
reas na freguozia da Boa-Vista : os prelendentcs
dirijam-so a ra do Rozario da Boa-Vista casa 11.
22, ou na Praga.n. 6.
Compram-se.meias garrafas c diversos frasqui-
nhos vasios na,rua Nova, n. 49.
Compra-se um escravo que soja bom canoeiro,
mogo sem vicios nom achaques ; paga-so bem ,
agradando e lendo os mensionados roquisitos : na
lypogiaphia de Santos & Companhia no Becife.
Compra-so ninas lloras Mariannas em qualquer
estado, com tanto quo Ihe nilo falten follias : na ra
deSan-Prancisco, anligamenleMundo-Novo, n. 66.
-- Compram-so 12 cadeiras em meio uso, qu n1o-
sejain do Jacaranda, nemdeangico: quem tiver an-
nuncie.
REFRESCOS.
Xaropo de grosclho foito do vordadeiro somm"
vindo.de l'ranga a 1000 rs. a garrofa ; dito de Do-
res de larangeira, a 1,000 rs. a garrafa ; dito fcito aa
verdadeira resina do angicoi que he muito conheci
do o approvffdo poras pessoas quo padecen) do pel-
lo, porj ter feilo ptimos beneficios, a 1,000 rs. '
garrafa; ditos do maracuja, tamarindos, limfloc la-
ranja, a 500 rs. a garrafa no Alerro-da-Boa-VIsla-
fabrica de licoros, n 17.
Vende-so um lindo molcque, de II annos, o um
preto de 25, ambos bem parecidos, sem vicios, ne
achaques : no pateo da matriz do Sanlo-Antonio,
so-
brado n. 4, se dir quem vemle.
VELAr DE CERA DE LISBOA E DO BIO-DF.-JANEIRO.
coiU-
tam-
Sen-
Vc lirias.
de fra da cidado
tancias annuncie.
Offcrecc-s urna crioula para ama com muito
bom Icile ; viuda do mallo : no ra das Cruzes ,
n. 41, segundo andar.
O capitao Pedro Ivo Redivivo remelle para a Ba-
ha o cnbrinha de nonie Thcodoro a entregara
seu fillw ,0 major Pedro Antonio Velloso da Silveira.
--Dao-Se 500,000 rsa juros sobro hypothca em
urna morada de casa para se morar ficando os ju-
ros pelo o aluguel, sendo a dita casa nos paleos do
Carmo, S.-Pedro Paraizo l.ivramcnto ras das
Cruzes, Rangel, Trineheiras e l.arangeirs : quem
quizerannunce.-
l'recisa-se de um caixeiro para Maceio que en-
de miudezas e ferragens : na ra do Cabugi,
do Frarffiisco Joaquim Dusrle.
Joaquim Pereira dos Santos Quciroz retira-.e
para a provincia do Maranh.lo, levando em sua
companhia dous esclavos cripu'os de nome Ivo e
Filippo e declara que nada (ica a de ver a alguem
nesla praga.
' Aluga-se urna grande casa no lugar da capun-
ga com fenle para o rio Capibanbe, com uus
salas, cinco guarios, inclusive a dispensa cozrrhu
fra com dous fogOes", sotSo com unala, 4 quar-
los o perlo da mesma casa urna estribara para 4
cavallos seuzall.i para pretos c quarlo para ter aves
de penna, cacimba com tanque : a tratar na ra da
Madre-de-Deos, n. 36, primeiro andar.
_.rija-__
zia (fa Moribcca. No mesmo engenho existe Andr
Hezerra.solleiro que tambem se offerece para ad-
ministrador ou caixeiro de engenho.
Alugam-se 3 Casas terreas, por prego commo-
do4 sendo urna atrs da matriz da Boa-Vista, e duas
na ra da Soledade : quem as pretender, dirija-so a
ra da Aurora, n 58.
Precisa-sede una ama para dar leite a urna
crianca : na ra Velha, n. 94.
Precisarse arrendar um silio que tenba matto
para se tirar Icnha o tenas para plantagOesde roga
ocapim, sendo em Apipucos e seus arrabaldes :
quem tiver annuncie, ou dirija-se a ra do l.ivra-
mento, venda n. 8.
Aluga-so na povoagao do Beberibe no cami-
nho qne va para o Porto-da-Madeira um sitio com
bastante terreno c casa de vivenda para grande fa-
milia, com rio 110 fundo: a tratar na ra do
Qucimado, n. 20, que se far todo o negocio.
" AVISO AO PUBLICO.
Pela lerceira vez se declara ao publico, que nin-
guem compre a-casa do Aterro dos-A.'ogados, per-
lencente a Manoel Domingucs Barboza porque es-
te anda nao pagou o que est obrigado a repr aos
herdeiros, e a mesma casa esl o dito Barboza pos-
sulndocom este onus, cmodo formal do parti-
Ihasse ver.
-- Aluga-sn urna boa casa terrea com grande quin-
tal "com muitos arvoredos de fructo, figueiras ,
Lotera do Rio-de-Janeiro.
. Aos 20:000^000 de ris.
.Chegaram, pelo vapor San-Seba$lio bilhelese
meios ditos da primeira lotera a beneficio do con-
servatorio de musrea da corle que deveria ser ex-
trahida de 12 a 15 do correnle : na ra da Cadcia do
Recife loja de cambio do Vieira n. 24. A elles,
antes que eheguo o vapor com a lista.
Vende-se urna farda de panno muito fino c no-
va por 8,000 ris, para guarda nacional; 2 relogios
para cima do mesa, por 6,000 ris cada um ; e um
eundiuiro desala, quebrado, muito lia ralo : na ra
Augusta, sobrade;de um andar, 11. 94.
--Vende-se muito em eonta para liquidar, 18ca-
deeiras, 1 mesa redonda com pedra, tudo de jaca-
randa, eum espclho do paiede : na ra do Qucima-
do, loja de fewagens n. 10.
A padaria de. urna s porta junto ao sobrado
da esquina da ra Velha, novamentc ratifica os
annuiicios passados e conlin.'iaa lor bolachinha de
agoa e sal, de 24 em libra a 160 rs. a libra.
Vende-se estopa propria para saceos : na rua
do Trapiche, n. 8
Vende-so, por motivo de molestia urna loja
de miudezas com poucos fundos bem sortida ,
e bem afreguezada sita em bom local a dinheiro,
ou a prazo com boas firmas c promeltese van-
tagem ao comprador : a tratar no Aterro-da-lioa-
Visla 11. 58.
Vcndem-se limas, marcas de todo os tamanhos,
para ourives : na rua da Cadcia-Velha do Recife,
loja de ferragens, n. 53.
Vcndem-se duasescravasde nacflo, por i^rcgo
miiilo commodo, sendo urna propria pa.ra vender
na rua c comprar o diario do urna casa, e outra
muito moga, propria para ser iducada : na rua de
Hurlas, sobrado de um andar, n. 14.
Vende-se., por prego commodo, um sobrado
de dous andares c slito, em chaos proprios^ sito
na rua da Cuia ", n, 55 : a tratar na rua Nova n. 65,
primeiro andar. #
Vcndem-se 4esrravas, sendo : urna parda de
20 anuos, que cozinha, cose, engomma, e tem muito
boa figura ; urna preta de bonita figura de 28 an-
nos, quo lie quilandcira c lavadeira de va riel la ;
urna dita de 25 annos propria pera qualquer sei vi-
go,eque!cm principios de costura : um mulati-
nho de 9 annos proprio para pagem ou aprender
qualquer odicio : lodos sem defeitos nem achaques :
no paleo da S.-Cruz 11 10, se Jira quem vende.
Vcndo-sc, na porta da alfandega no arma-
zem n. 20 i urna porgflo de saecas com caf de esco-
Iha e urna porgao de caixas com vidros, por prego
muito commodo.
Deposilo de vinagre da fabrica
da rua Imperial, n. 7.
na fabrica de licores, de Frederco Chaves, no Ater-
ro-da-lioa-Vsta, n.. 17, onde so achara sempre
grande porg3o e por prego commodo.
Vendo-se eompicto sortimento ao gosto do
prador, por barato prego, para liqui.lagito:
bem ha brandOes, bogias e tochas : na rua da
zalla-Volha, armazn) n. 110, de Al ves Vianna.
RAPE" l'RINCEZA NOVO-LISBOA.
Chegou, pelo ultimo vapor, urna porgao desto ox-
ccllente aap e vende-so no deposito da rua da
Scnzalla-Velha, n. 110, o nos mais lugares j an-
nunciados.
Vende-se no armazem do Bacellar, defronte da
escadinha d'alfandega, fardos muito frescos e mili-
to novos, pelo mdico prego de 3,500 rs. a barrica.
lYa rua da Cadeia-
Velha,n. 29, loja
de JT. O. Elster,
vende-sevinhodo Porto, do diversas qualidades;
dito da Madeira ; dito do Shcrry ; ilito de Bordoaux ;
dilo chateau-la-roso; dilo de S.-Julien ; dito de Te-
nerife ; ditodoRheino; dito de Bucellas'o Carca-
vellos; dito de Lisboa j dito de Malaga; dito San-
terne ; dilo de graves; dito chanipanho sellery ;
ago'ardente ilo Franga ; Kirschwassor extracto de
absinthe ; Cherry-cordial ; agoa de flor do laranja ;
frascos com conservas de verduras ; ditos com rruc-
tas da Europa cni calda do assucar ; ditos deditas
em cognac ; dito de inostaida ; sardinhos em latas
e vidros; petils-pois ; salame do superior qualidade,
viudo no ultimo navio de llamburgo ; agoadeseltz,
embotijas; azeile doce de Marsclha finissimo;
velas do composigao; cha preto, hysson operla;
charutos de llavana e regala..Advertc-so quo ludo
he excedente e por prego commodo.
muito
t 2, de
Vinho de Bordeaux
Avrial Irmflos receberam novamente urna peque-
a quantidade !o vinho de Bonlcaux, om quartolas,
como aquelle que elles estao acostumados a rece-
ber sen.pre da molhor qualidade que aqui tem
vindo : "por isso avsam aos seus freguezes de irem
ou mandaren) comprar esta pequea porgao, fifim
de inmediatamente mandarem buscar outra para
nao licarcm privados, como teem acontecido, deste
precioso vinho, a queja eslfio acostumados o que
na verdado lio o mais proprio para este paiz.
Vendem-se na rua do Crespo, loja de miude-
zas, n. 11, pistolas do alcance, a 4,000 "rs.
Vendem-sc e alugam-se bichas de llambur-
go : na rua do Rozano da Boa-Vista, leuda do bar-
beiro, n. 60.
Vende-se, na rua da
Cadeia, n. 37,eeraem ve-
las fabricadas no l\io-
de-Janeiro, em urna das
melhores fabricas em
aixas pequenas, sorli-
mentos ao gosto do com-
prador, e por preco mais
barato do que em entra
qualquer parte.
Vondeni-se superiores cliapos de
castor, pretos e broncos, por preco
borato : na rua do Crespo, loja n.
Jo:.i; joaquim da Silva Maia
=Vcmlrin-8e inoeodasde reno para i-Dgenbos le a-
mcar, para vapor, agoa e bestai.de diversos tamanhos,
por prefo couiinOdo;e igualineute taixas de ferro coado
e batido, de todos os Uinanhos: na raja do Coipo-Sau
10 n. 11, cni casa de Me. Calmont s Companhia, ou na
rua de Apollo, arinaieiii, n. G.
\a rua da Cruz do
Recife, n. 38?
vende-se o muito superior c estimado rap meio-
grosso c grosso da fabrica de EstovSo Casse, chega-
do do Itio-de-Janeiro no brigue-eseunn Galante-
Maria, entrado o mez prximo passado: seu prego
lio de 1,280 rs. de cinco libras para cima.
Vende-se carne de vacca salgada, em barra :
na rua do Trapiche, n. 8.
Vende-se fio da India, proprio para coser sac-
eos : rio rua do Trapiche, n. 8.
Vende-se cha preto muito superior, em caixas
de 16 libras, proprio para familia : na rua do Tra-
piche, n. 8.
Gaz.
l.oja de Joo Chardmi,
\lerro-da-Boa-Vsla, n.5.
Nesta loja acha-se um rico sortimento de I.AMPEOES
PAItA GAZ com seus competentes vidros, ucccndcdo-
res c abafadores.
EsleS CWId CTOS 3 mlhgwa e
mais modernos que existen boje : recominendam-'se at
publico, tanto pela seguranza e bom gosto de sua boa
conlecfao, como pela boa qualidade da lu/, economae
asseiodeseu servico.
Ntl llU'SIlla loja consumidores sein-
prc acharao um dc*posto de GAZ., de cujo se anauca a
qualidade c cni porcao bastante para consuinmo.
Vende-se conforme a qualidade a 3-20 o 400 rs.
a garrafa".
SSSF.
Vendem-so barricas e meias barricas de familia
SSSF de raminho: no armazem de Joaquim Lopes de
Almeida, caixeiro do Sr. Joo Matheus, atrs do
theatro.
4<



A
Vende-se u.n en vallo ruco-rodado,
bem gordo, e de bous andares por pie
co commodo : na ra larga do Rozario,
n. 5o.
Na Boa-Vista ra do Rozarlo ,
tenda de l>arberofc n. 6o, vendem-.se c
alugam-se muito boas bichas,- vindas de
Jlamhurgo.
Vende-se urna negrinha do 16 annoa, sem vi-
cio algum : na ra Augusta, n. 5-2.
Vende-so um sitio com arvoredos de fructo,
abeira do rio Capibaribo, no corredor de S.-JoHo,
junto a matriz da Varzea : na ra Velha, sobrado
n. 18.
Vende-se um excellento volSo-cello cm
muito boas vozes e pouco usado : na ra da Cruz,
n. 26, priiueiro andar.
Casa da F
na ra estreita do Rozario, n. 6,
Nesto estabolecimenloa^ham-sca venda as bem
acreditadas cautelas da lotoria do tbeatro publico
desta cidade cpjas rodas andam no da 1.! de ou-
tubro. O cautelista espera que os seus freguezes
concorram a comprar apresto das ditas cautelas ,
nas quaes se esperam boassorles, pela oxcellentees-
culba que se foz dos nmeros para sercm divididos
cm cautelas. A diasque sito poucase boas. Pregos
os do costuinc.
. Vendcm-se caixas decb hysson, do 13 libras,
cm porgues ou a retalho ; caixas de velas de es-
permceto do 5 c 6 cm libra : na ra da Alfandega-
Vcllia, n. 36, ora casa de Matbeus Austin & C.
]\a loja nova do Pas-
seio-P ublico,ri. I $,
vendem-se cortes de Claudias para vestido de senho-
ra os quaes teem merecido gcral acctagflo em
Lisboa. Esta fazenda he de 1.1a, porm muito fina o
de ricos padrees os mais modernos que teem ap-
parecido. A efles antes quo so acabem porque so
custam o diminuto prego de 8,000 rs. Igualmente lia
una porgflo de cortes do colletes do velludo de cores
c de bonitos padrOes, a 2,560 rs. o corto; bem como
um resto do cortes de cassa do cores, a fi,000 rs.
A 1^000 rs.
As melliores luvas de pellica brancas c clsticas :
na ra larga do Rozario, n. 24.

Casimiras clsticas, a f 700 rs.
o covado.
Vendem-se superiores casimiras elsticas pelo
barato prego de 1,000 rs. o covado;'ditas muito fi-
nas, francezas, a 1,280 rs. o covado ; dita de su-
perior (|ualidade clstica, muito fina, o preta a
3,500 rs. o covado : na ra do Collegio loja n. 1.
tU Na ra doSarapalel, sobrado 11. 16,vcnile-so 1 g
y casal de escravos do servico de campo, por jj,
ffl 800^ rs., a preta tambem he lavadeirae vende- P
li deira; e por 300/rs. umpretodo servico de fijj
M can,n- '
-- Vendem-se varios pedagos
de msicas para piano e canto-
na (llegados recentemente do
Rio-de-Janeiro por prego com-
moflo : na ra do Cabuga, loja
n. 6.
Vende-se um pardo escuro, perito ofllcial de
sapate'ro que he bom pagem e nflo tem vicio al-
gum : na ra do I.ivramenlo, n. 22, primeiro au-
llar.
Vemde-seum cavallo alazflo, muito bonito,
bem feito, que carrega baixo, esquipa, e be muito
manso : na ra da Florentina, n. 16.
~ Vende-se um berco deangico, muito bem fei-
to c bonito : na ra da Florentina n- 16.
Al ten cao !
Vendem-se superiores chitas francezas, de vara de
largura e de cores finas, a 280 rs. o covado; ditas
finas, escuras e de cores lisas, tendo algumas que
servein para luto a 5,000 rs. a pega ; nieios chales
de cassa de quadros, a 440 rs.; cortes de lanzinha,
para senhora com 15covados,a 3,600 rs. ; panno
preto fino para pannos de pretas a 3.000 rs. o co-
vado; chales de lila e seda muito finos, a 5,500 o
7,000 rs.; zuarte de vara de largura a 240 rs. o
coyado ; cortes de cambraia lisa muito fina e com
6 varas o meia a 5,000 rs. ; superior briin tranca-
do pardo, de puro linlio a 640 e 900 rs a vara ; di-
to amarello muito fino, a 900 o 1,000 rs. ; dito
trancado de linho branco muito superior a 1,000,
1,280 e 1,600 rs. a vara; chadrezes de linho para
jaquela a 400 rs, o covado ; riscadinhos trancados,
a 240 rs. o covado ; hamburgo de linho, a 260 rs. a
vara ; meiaa para senhora a 240 rs. o par ; c oulras
muitas fazendas por barato preco : na ra do Col-
legio, loja n. 1.
Cortes de pclle do diabo, a
1,400 rs.
Vendem-se superiores cortes da fazenda chama-
da pelle dodiabo com 3 covadose meia pelo ba-
rato pre^o do 1,400 rs o corte sendo da mais supe-
noaquetemapparecido : na ra do Collegio, loja
Vendem-se esclavos baratos, na ra das
Larangciras, n. 14, segundo andar: 2
molecotes, de bonitas figuras; um bo-
nito preto de 25 anuos; um dito do 26
_ annos, por 450,000 rs. ; um pardo com
olliciodo pedreiro do linda figura c de ptima
conducta ; um dito carreirn, do ptima tonductn; t
dito com oflicio de sapateiro, sem vicios nem acha-
ques, este liora-se por urna preta quo seja moca, e
nuoseja achacada ; um preto de naciJo, muito lurte,
por400,000 rs ; um dito por 250,000 rs.; urna pre-
ta de 85 annos, que coso muito bem, sem vicios
nem achaques ; urna mulatinlia do 12 annos; urna
negrinha do 10 annos propria para ser educada;
urna prota muito forto, de boa figura c Jo 38 an-
uos, por 260,000 rs.; urna dita de nagflo, que en-
tende de cozinha alguma cousa, de muito boa con-
ducta e sem vicios nom achaques, por 420,00.
SSSF.
Vende-se a verdadeira farinha SSSF
de raminho chegada no dia 5 do cor-
rente : a tratar com J. J. Tasso Jnior.
POTASSA.
Vende-se a verdadeira c superior po-
tassa da Rtissia a mais nova que existe
no mercado : na ra da Cadeia do Reci-
fe, armazem n. la, de Ballbar & (Jli-
veira.
Vende-se superior potassa nova : na ra de
Apollo, armazem n. 18. '
SSSF.
Vendem-se meias-barricasde farinha do SSSF de
raminho : no caes da Alfandega armazem n. 1, do
Cui maraes.
m
9
m
Vendcm-se os mais mo-
dernos chapeos francezes;
meias casimiras de novos
e lindos padroes, pelo ba-
ratsimo preco de 640 rs.
o covado: na ra do Qnei-
inado, nos quatro-cantos
casa amarella, n. 'i9.
- Vende-se linha de meada muito fina para bor-
dar cambraia, c toda a qualidade do panno fino ;
bem como talagago para babados ; e outras muilns
cousas: na ra do Calinga, loja de miudezas do
Joaqun! Jos da Costa Fajoze.
Vende-se para fra da provincia urna preta
crioula de bonita figura que coso, ensaboa cco-
zinha o diario de una casa : no pateo do Tcrgo, so-
brado de um andar n. 11.
Vtide-se superior tabaco simonle da Rabia ,
em latas de urna c duas libras : em F'ra-de-l'ortas,
ns 145 o 147 vendas de Jos Connives Bcllrflo.
Aos 20:000$ Vendem-se mejos blliclesda primeira lotera do
conservatorio de msica do llio-de-Janciro, quo li-
cava a correr no dia 15 do correflte selemLro-: na
ra do Collegio loja n. 1.
mmmmmmmmmmtmm
(So, de 11 a 13 annos; escravas para todo o ser-
vico ; urna parda mucama [que tom boas habili-
dades. .
__Vendcm-sc, no armazem do Braguoz, ao pe do
arco da Conceigaodo Recife saccas com frelo de
arroz, viudas prximamente do Maranhflo, por pre-
co muito barato.
Vende-so, por muita piccisflo, um esciavo,
quo faz todo o servico e nflo teni vicios nem acha-
ques por 250,000rs. ; urna preta lavadeira e qui-
taiulcra por 150,000 rs. : na ra do Nogueira ,
n. 19, segundo andar.
PRECORASOAVEL'
rruajidade, cm porcao e a retalho, c por
mtnos do que em otitr'a qualquer parte
Frederico Chaves, fabricante
de licores, chocolate e es-
piritas, no Aterro-da-Boa-
Vista, 11. 17,
tema honrado participar ao rospoitavel publico o
com particularidade aos' seus freguezes que tem
sempre grande sortimento do bem condecido cho-
colate de sade, canella, baunilha e ferruginoso,
este muito approvado para as pessoas que padecem
do estamago e frialdadc por ser muito tnico, o
bom conceito que tem tidocste chocolate faz com
que hoje participe as pessoas que ainda nao fizerani
uso delle, eigualmento aos seus freguezes, que o
toemprocuraao, e por inconvenientes o n1o teem
adiado. Os presos sSo sempre os mesms sade,
canella e baunilha a 400 rs. a libra, e forruginoso,
de Raymundo Car- a 1,000 rs. Tamljem vende ago'ardente do reino e
Franca, de primeira qualidade; espirito de 36 graos,
sem clieiro, cm garrafas e em caadas ; genebra
em botijas o em caadas; ago'awlewte de smrz c de
vinagre tinto, ago'ardente em pipas, nos
Vende-se urna escrava do nagflo do bonita
H figura muito moca sem vicios nem acha-
>3i ques que he perfeita vendedeira de ra
j3 e lava roupa de sabfloc varrella ; duas ditas
cg que engommam, cozinham e fazcm todo o
Ss maisarranjo de una casa, por cstarem a
|f| islo acostumadas,.e que tambem vendem na
2^ ra, urna das quaes he muito boa renden a e
ya carrnhosa para meninos; t'molequo de na-
2 gflo de 16 annos, muito esperto; 1 pardo de
isa 20annos,com ollicio dealfaialc.o que he op-
timo pagem ; um escravo de 22 annos, de"
Hj milito boa conducta, sem vicios, e que est
^ acostumadoao servico do casa na ra do
3 do Vigario, n.}4, se dir quem vende.
V/aY'/M
-- Vendem-se os incorhparaveis charutos primo-
res ; cigarros de la llavana ; os verdadeires marca
de logo ; trabuquellosu mimos de 11105a ; regalia
de S.-Felix ; c oulras muitas qtialidadcs por pro-
co commodo : no novoideposilo de charutos da Ha-
ba na ra estreita do Rozario, n. 45.
Potassa da llussia.
Cunta & A indi i m teem para vender potassa da
llussia de superior qualidade : na ra da Cadeia,
n. 50.
MUITO BARATO. .
Vcndem-so os utetisis completos da padaria da ra
dos Burgos (no Forlc-do-Mallos) : a tratar na ra
da Sensalla-Vclha, n. 142, primeiro andar.
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Vendcm-se bilhetes c mcios ditos da quinta lote-
ra a beneficio da nova froguczi de N.-S.-da-Glo-
ria: na ra da Cadeia loja do cambio, n. 38, do
ManocJ Gomes.
Attengo!
Na ra Direita, n. 50, loja de pintor, ha um
completo sortimento de vdros para vidracas ; ditos
com ac para cspclho. O inesmo vidracciro so olle-
ro para bota-Ios por-prego commodo, e tem tam-
bem nina porcilo de caixillios, proprios para envi-
dracar una loja.
Lotera do Hio-de-JaneiroL, a fa-
vor da nova 'rguezia de N.
S.-da-GIoria.
Novo sortimento de chapeos france-
zes finos, chegados pelo ultimo navio
de Franca, e por i$so dos mais moder-
nos : hem como todo o sortimento de
fazendas finas : n ra do Queimado ,
loja nova n. 11 A,
los I,cite. .
_-- Vendem-se6cscravos,sendo3 mocos, do bo-
nitas figuras, proprios panto servico de campo ou
mesmo para a praca e3Jindosmoloques, proprios
para olcio do 11, 120I6 annos: na ra das Cru-
zes n. 22, segundo andar.
tIPTMAS NAVALHAS,
pelo processodas temperasdas
melliores fabricasde Gui
maraes.
ENCLLENTE FABRICA EM
LISBOA.
Estas navalhas silo feitas domis fino a?o da Suc-
cia e temperadas em agoa. que contm os mes-
mos principios que so encontram na mu llamada
deGuimarflcs, c para provara sua superior quali-
dade, bastar dizer-sc quo alto proferidas por quem
tima vez as espcrinionlou a quantas vcem de Ingla-
terra, Franca e Outros pnizes,onde a arto de cuteleria
est inqucstionavclmente em grande adianlamento-.
Teem mais as supraditas navalhas a importante
cicumslaneia de conservarem por mu'' tempoa
a liaran, de i ni tarcm t'nin rapidez os cabellos da bar-
ba e finalmente do nflo offenderein nem levanta-
ren! a pclle; oque as torna mui recommendaveis.
Vendcm-se nicamente no ra do Crespo loja
11. 8 de Campos & Mayo onde nflo snduvida da-las
para os pretendenles as experimentar.
Na ra do Trapiche-Novo n. 18, casa de fre-
derico Itobilliard vende-se muito superior cerVe-
ja preta cm botijas, cada urna barrica com tres du-
zias
Vendem-se pedras de amolar, brancas, da me-
Ihor qualidade que teem vlndo do |rio de S.-Fran-
cisco ,.a retalho e em porclo por prego commodo:
na ra da l'raia, armazem n. 18.
^jyliiiWtiiiiilMil iti'iliittffiiWiiliiiltii
Vendo-sc cera de carnauba de muito boa
qualidade, tantoa retalho como em porgflo :
na ra das Larangoiras, n. 14, segundo andar.
J-' .. '-y *V| YitlV*.*',' V M *i*i*i1 wi v.M"^ iMi-m'm'/ttw'tui.v .
."..'....
~ Vende-se sal de Lisboa, finoe alvo, a 1,600 rs.
o alqueire pela medida vclha : na ra da Praia, u-
mazemn. 18.
Atten^So.
Na pa to Crespo, loja 11. VI,
de Jos tlcaquim da Silva
Maya,
vendem-se chapeos de seda para-caberas de senhora,
os mais ricos, o mais modernos que teem vindoo esta
praca; assim como so vendem chapeos de seda e de
pa Ihi iiha para meninas de dousa 12 annos; toucas pa-
ra enancas, de muito lindos gostos. Tudo chegado
de Franca pelo ultimo navio, e por muito commodo
preco.
Vende-se ferro da.Suecia ; folhas do Fjandre ;
cobre para forro de navio ; dito para caldeirefro em
porgOcs grandes c pequeas : na Tua de Apollo ar-
mazem n. 6.
Vcndcm-se qualro niastros depinho: na rna
do Trapiche, n. 8.
Veiuleni-se, por melado deseu valor, 12 cadei-
ras, 1 suf, 2banquinhas el dita de moio desala,
ludo le Jacaranda c com muito pouco uso: na ra
Augusta, sobrado de um andar, n. 94.
Vondc-se cal virgoni em barris chegados pr-
ximamente, de Lisboa, por prego mais barato do que
em oulro qualquer parto : na ra da Moda, arma-
zem n. 17.
Vondem-se 191 pegas de cabo de Cairo: na ra
do Trapiche, n. 8.
ti
canoa ; vinario nnw w&" .*...*~ .-. ,..,.ua, hus
graos quo quizerom ; licores cm garrafas pretas e
brancas, com ricos tarjas douradas e bocea pratea-
da : essenefadeaniz ,cm oncase garrafas.
illcdcina universal.
Pillas vegetaes de James Morson.
A medicina vegetal universal he o resultado do 2o
annos de investigaces do celebre James Morson.
Por meio destnspilulas conseguio seu autor inn-
meras o.admraves curas, des.de as afTcecOcs qHc
alacam as criancas de peito al as molestias cliro-
nicas do ancito.
A Europa saudou esto remedio como remedio uni-
versal para todas asdoencas o at hoje ainda nflo
foi desmentido tal Ululo.
Esta medicina vem acompanhada do urna receta
que ensinae facilita a, sua appcacflo. Consiste em
Iriw proparages, a saber : duasqualidadcs de p-
lulas distinctas por nmeros, e um p : cada qual
goza de modoseacgOcs divorsas.
As pilulas n. 1 sflapcritivas; purgam sem abalo
os humores biliosos o vicosos, c os expulsan! com
efficacia.
As de n. 2expulsam com osses humores ^ igual-
mente com grande frca os humores serosos, acres
e ptridos, de que o sanguc seacha a miudo infecta-
do; percorrem todas as partes do corpo, e s cessajn
de obrar quando teemexpuIsado todas as impurezas.
A terceira preparagflo consiste em una limonada
vegetal sedativa : lie aperaliva, temperonte o ado-
ganlc : torna-se em commiitii.com as pilulas e facili-
ta-Ibes os melhoreseffeitos.
A posigflo social do Sr. Morson a sua fortuna in-
dependente, repellem toda a ideia de charlatanis-
mo; o as adinirveis curas, operadas com o sou
systcmanocollegiodosadcde Londres, sflo mais
qie garantes da efficacia do seu remedio.
Hecommcnda-se esta medicina, que no pede nem
resguardo de tempo, nem de posigflo da parlo do
dente a lodosos que, atacados do molestias jul-
gadasincuraveis, se quizeretn desengaar da sua
vi ilude.
Oxal que a humanidade feche os ouvjdos aos n-
leressadosom desacreditar estes remedios tilo sim-
ples Iflo commods e tflo verdeiros.
Vendcm-se snicnte cm casa do nico o verda-
deiro agente J. O. Elster, na ra da Cadeia-Velha ,
n. 29.
O^li0l0fc!0 *0 *\0 1^ i0 I# *0&10
% Vende-se um pardo de 22 annos proprio &
t*1 para todo o servigo: no praga da. Indepen- 2
dencia livraria ns. 6 e8. ^
Q*i*m*0m0* WSw% *i jr% io
Vende-se um sobrado' c silio pequeo mura-
do com porlo e urna cozinha a margem do rio
Capibarihe : na ra Nova 11. 52; primeiro andar.
mPERI.IL
DE RAPE FIlO
EW H
FABRICA
>ACIONAI,
Os agentes do rap Andarahy nesla praga, vendo a
aceitaefloe bom acolhimento que tem merecido es-
te rap, desdo que foi xposto a venda, promel-
tom ter sempre rap fresco cm libras e meias libras ,
no deposito da ra do Trapiche, n. 34, onde so ven-
de de 5 libras para cima e a rctallip as lajas dos.
Srs. Anlonio Francisco de Moracs A. F. Pinto- & lr-
milo, A. B. Vazde Carvalho, Pontes & Mello Cu-
nha& Amorim, Pontos & Sampaio, na ra da Ca-
deia do Recife; A. I). dcO. Rogo, na ruada Madre-
de-l)eos ; Campos & Almeida, o Costa & Guima-
rfles.na ra do Queimado ; T. A. Fonseca o Umbe-
Vendem-sc bilhetes desla lotera: cm casa de J.J lino Maximino de Carvalho, na ra do Cabuga;
O Elster, na ra da Ca.deia-Vcllia n. 29.
- Na ra de Agnas-Verdes, n. 46, vendem-se dous
moleques de nagilo Angola de 14 116 annos : 5 es-
cravos para todo s servigo ; 2 ditos de nagflo por
800,000 rs.; um bonito pardo, que cose mui bom
dealfaiatuc cozinha ; duas bonitas molecas de na-
C. <;. Rreskeinfeld. na praga da Independencia ; Cae-
tano L. Fon eir e Anlonio Peroira da Cosa e Cama,
110 Alerro-da-IJoa-Vst:i.
iSa ra da Senzalla-Nova, n. 3o ,
Escravos Fgidos.
Dcsappareccu, no dia 10 do corrente, da feira
da cidade da Victoria um preto crioulo do ueme
Servo, de 20 anuos bonita figura, alto, delgado
do corpo, espadando, pomas finas e um tanto iber-
ias nosjoclhos, falla mansa, rosto um tanto redun-
di. Este pelo lovou umcavallo comgangalha, e un
par de saceos vasios. 8 cavallo be do cor ruco-suj,
com pintas ilo pedrez o com ferro no quarto di-
reilo. l)escona-se que fosse ftntado. Roga-se as
autoridades policiaese capitfles do campo o captu-
ra do mesmo escravo c sua rcmessa ao Sr. subdelega -
do da cidade da Victoria, ou a seu senhor Malheus
Jos de Almeida, morador no Hiacho-do-Padre ,
da mesma freguezia ou no Recife, ao Sr. Antonio
da Silva Pinicntcl, com Venda na Ponte-Velha, que,
alm de so pagorein todas as- despezas se recom-
psnsar.
Fugio, na larde do dia 16 do corrente, um
molequc do nomo Jor.quim mas que tambem res-
pondo pelo do Toby appcllido que llie foi dado lo-
go quo foi comprado em 1840 a Antonio da .Silva
Gusmflo mas quo nflo se adoplou, por isso que foi
depois liaplisado com o de Joaquin ; he de nagflo
Cabund de 18 anuos ; lem no peilo direito a mar-
ca FC p na face um signa! redondo ilcm de
outros pelo corpo a quo nflo so botou* sentido,
de altura regular, seceo dO corpo testa peque-
na, olhos grandes e vermelhns, bocheixas e bei-
gos grandes ; quando fugio eslava com a cabeco ras-
pada, e achava-se bebado ; levou camisa do asea-
do de algodflo zul americano cakjas da. mesma
fazenda cem listras mus largas, porm ja alguma
cousa apagadas ; quando anda cosluma a gingai',
(alia alguma cousa iuglez; deconlia-se que anda
pelo Recife. Quemo pegar levo a ra do Vigario,
n. 23, que ser recompensado.
Fugio, ha dias, a escrava Mara, mas coiihe-
cda por Candencia crioula-, de estatura regular,
cheiado corpo, cor retia denles alvos; levou
vestido de chita r.\a novo saia-preta de-alpaca,
o panno-lino prelo ; Tem sido visla na ra do Ran-
gol, Itoa-Vista, Manguinho o Ponte-de-Ucha :
quem a pegar leve a ra da Ladeia-^'clha quo se-
r recompensado.
(padaria) vendem-se juncos de superior|pern: na t*f. dehi. f.le aria.i$\l^


Auno de 1847.
Segunda feira 20 de Setembro.
y. 58-
DE
PERNMBUCO.
(SOB OS AUSPICIOS DA SOCIEDADE COMMERCIAL.)

Subscreve-se na Praca da Independencia, roja de livros n. 6 e 8, por lasooo ris por anno. pagos adiantados.
PBE^OS CORREJNTES DA PRACA (Corregido Sabbado as 3 horas data rile.)
1
>
s
r.
a
o
t
o
3
i
c
K
e
c
t
a
t
o

ce
o.
O
t>
-<
H
t
1
ii
a'

!
o
2 6-3
lili."
* 2
IJri
2-2 2 S
s a a
u u 0 *> 11 0_u - c 8 -2 3 5
< 8 i J3 -J3 2 c -c < i t>* > | > ,2 1X1 ge 'T .x 0 4 i.X -= fc- - 3 X ^H O O'
5 f- \J s. s. _) < >-. X. -C> -J b < -U k a u 2 REP
0 0 ; ? ; ja 9 i c 1 ". 2" 3 q
0 g R * 5*2 n O 9 1 a a a a .a a * a a a a a u c p a._c
< --leo J < < O O O <
Ofi>.rt-Jiflj)wi-
o o o
ooo-oatp*Ac;oo^'e-*co*r- -o 0 =
n O O i- i 1- .1 : c C :< O
r-3 o C".
cciccooc3c = oeo
O.-J
s'-l -s
B^cgj
o m a 3 <
= s g.ai =-=
S
3 K w M
= S 3 3-S = a
a _c~ o a -w o
a a = z : a x 1 ( 9 > I
''
000
0-00
c cr o O o
00 o o O O O O
qo c o q <* M o
f* rt u r*
e o c *
0000
o o
N W M
c O O
- J -o
r-
^ o
00 co ec'0oococ)oco 00 o oco = eeoc^ffoo^cco tico
ococc c<= =
cooco oc
cc K 1 1 i*
c -o o o -o .est./
OOOOOOOO-OO
OOOOOiOOOCO'"* -r O
i-qo*ooto*co
-. wr* w ^ m
oooc
flOOJ000
^-- =*--* .rs =
-x es f* P3 f
a sn o* oo 1- 00 -o
O o eco cooc 000
O o ce ce
e- C3 ttTC pOC7< OC
*t^M: **-* ^ ** *>"'*
M -^-C O-O-^C P?
PH O fC C O 0000x1
e
ce -r
c c- c-
flet -1*0-
oc
2 --3 = 5 3 2 31 3.3
l|il?ti
53
2 5 fc S t .2 S .2 2 -2 g 5 .2 -= S .2 .-f .2 u S
aja
    -^ *

    . 00C0
    Sooooee oo-n^;
    >n o as at*** WS

    O
    C ^ 10
    Ci P O
    O
    ffl T O C
    o a j>
    -* -i :*
    o *
    = l = = = = = ac = ? t c 5S S
    cci*ccoc= = c CT c c: '
    . o c #r c 2 3 s- i -
    *a- "^ *! > ;TO: 1 **
    */ n n ti -*v p<
    _^____-------^~~" "XI T-" <' J g r 9 s s"a
    S .'=|| siseC z.3 1: *ll E s..'E "-i *e i"i |J" I "J i 5i =1.- s jj g-sijl?i
    -----------_______________- ^. c. r-, -----= o = ooo o 5 5; o5= o go o. = = = = = *:??? 2 liS SS!
    O M O ^
    J
    ^, 5
    Q ** **
    00-'**fc"^
    u i oo n eo
    M
    _ e
    Ni C. S
    00 O
    ^.e so-*i Wat**
    C = = O
    : ce o :s
    '-r-o o
    ^ *> *
    --: o o
    oc
    I I
    >^: o
    . 1 i i i*0' i
    ,S8S CiSg -5
    '-55 i .S 2 C o
    -D t ,* 'O
    a .. si ^- <
    E H s i 3
    S.s '= g i -^ ^ -i : 8 S g s g

    SJ-8
    . Be ~
    c -o ja j i u
    ,385.: J J| "-S S
    9
    0

    iS 2.S.J
    t- s h
    J3 ,>
    J 'O 'J CJ J
    - -3.8 8,5
    3^.2"
    - S L .
    j W i JJ JJ
    i-
    > 51 U H

    So
    T3 > -^ O
    5 "^
    ' S iT .2
    , i. pt, U. x
    r


    jr-"
    (>
    jEXPORTAgAO.
    n>.,H.u,;g;
    EXPORTS.
    Agoan lente Cinara -
    Algoilao I. corte- -
    ]..---_.
    Assucar brauco cu, ..aias -
    II1.ISC.1 V.iiIii _
    * para eui barricar ou
    em saccar, lirauco
    malcarado .
    Uouros seceos Salgados. .
    Meios do sola _
    Chii'rts da trra .
    do II10 (irancie -
    II n i n -------
    Colln I. quililv -
    > 3. a -
    Silgar iu cases wliiie -
    a brovrn .
    lor barris or Bags.
    wliile }
    > broivn. -
    Drjr salted hides -
    Taime liides -
    Ox-horns -
    PREfO DA PRAf- POR
    45fOOO 48*060 Pipa.
    7/000 Arroba
    dl^Oll a
    1.) ii ii il J.Ierro
    900 l|H00
    20300 2*406
    Ijf300 1*400
    105 110 Libra.
    IJlOO II.un.
    3*111)0 Cculo.
    2|000 4*500
    CAMBIOS.
    Londres ...
    Lisboa ....
    Franca ................ oau re
    Rio de Janeiro.................... ao par
    PKATAraiuda...............
    a Paiaces llrazileiros ....
    Pesos Columnarios. ....
    a Ditos Mesicanos ........
    OUH. Moedas de 6*400 velhas
    > Ditaf ditas oras
    u Ditas dfjOOO
    > lluras heipanlinlas
    a Ditas
    Letras.......
    ..... a 27 d porlf rs. a 60 dial.
    10a a 106 por cento premio, por metal cfl'eeado
    350 r por Tranco.
    1/820
    ... 14080 a 1*990
    ... 1|I0 a 14060
    ... IJlOO a I #850
    ... 16/400 a 10*500
    ... I6|30l a 160400
    ,.. 9|000 a 9J200
    ,.. 2K*o .. 27*500 a 58*000
    s/i e I por 100 ao mez
    FRfiTES.
    kirerpiol............... Canas
    Canal, portos lugiezes...... Dito
    Dito, dilneutrellainb. e Havre, lito
    Genova................. Saceos
    llamhurgo caivas......... ,.,..,'
    bltico........................
    Trieste................. (Jaixus
    Estados-Un idos. ..,,.
    Portugal.......................
    I'lanri......................____
    ASSUCAR.
    f i. 14.'
    ALGODA.
    f t.
    IfiO
    Ct lis.
    Com 5%
    Com 10%
    Portugal............
    Franca..............
    Inglaterra............
    Uarcelou............
    600 por (ir sem primagem nominal
    400 por (ge I0p./" aocamh. de 160 p'lr nominal1
    '/ d e a p. % de primagei,
    4 COrit
    CUR.OS.
    Inglaterra Seceos.....
    tranca............ ,
    I.simio*;-Huidos ......
    poi tonelada c .', por cento, nominal.
    70 liancos por toneladas, eomIOp. cenloa
    FS...i lia.
    EaaE3Wm"W"
    :ovki

    l> da II de Noveml.ro de 1844 sin liante pagarn 60 p. c. o rap ou tabaco
    em p<5, os cliarutosou cigarros, o huno un r.)lo ou em Iblba.
    Cagaro50 p. c. os saceos decanhanwsso grossana ou gimes da In.lia. os cai-
    vetes em Imilla de puulial, as alila,las para car ruano*, as pedral lavraOa* para la-
    gedo, as pedral dec.mta'ia pira porles, portas ejauellas, as podras lavradus para
    rucamiineiilo*. cepas, cunliaes e cornijas, o assucar refinado, crvstalisado ou ile qual-
    quer inaueira couf'eitado, o cha, a agurdente, a cerveja. a cidra, a gene.ira, o mar-
    rasquino, ou outros licores, e os viiibos de qualquer qutidade a precedencia
    Hagar40 p c. asalcilil'as ou tapetes, o canhamnro ordinario ou gross'ria, as
    lincas de qualquer qualidade, c roupa feita, nao especificada na tarifa, asentas pa-
    as de "
    Mi
    ra Mar, as escovas le cubo de marliin, o logo da Chilla em cartas, ou qualquer ou
    tro logo de artilicio, o papel pintado, prateado, <>u dourado, sendo de qualidades
    linas, o papel piulado para loriar salas em cnllecr-cs ou paizageni, o pape! tle Hol-
    '""!......!"' 0lllro "'O especilicado na tarila' a plvora, os sal.onelcs, o saho,
    oceuo em velas, as velas de .Stearina ou composlco. as amellas, ou onlras filelas
    de qualquer naro, que lohrcca regar os geueroi brasileos de maior direito me
    iguaes de oulra naro. '
    Os artigo! nao especificados na paula pago odireilo ad valnrtm sobre a factura
    Soisentas de diieitos as machinas anda nao usadas no lugar, em une fnrraa
    mportadas. ^
    J qualquer ohiecln ue lonca nao cum-
    prelien.lido na tarda; os lustres, os clices para licor ou viulin de vidro liso ordina-
    rio, os ,,,.111, ,. ,,,., 1........ .1- 1__ 1*-. II, _
    aesma capacidade, co
    ('ara UUeruas a
    t 3 libras ou inais
    le. compreheudidas as que servein para licores ou Lc-ltoy ; os co
    t una caada, os Irascos de vidro ordinario com roldas do mes
    iis j ou sem rollia ate 2 libras ou mais, os de laica larga com rolbas
    I Unas ou mais, ou sem rollia para opodrldnc os vidros tiara a-
    zzs!zLmJ*z' ou r",a ,le ""*- ~ r- -** ***>s?
    ... uf.a.5rrS,JS.P' !*i |!Brtfai *'">coem barra ou em Tollia, chumbo em barra
    ou lencol, estanto ,- barra ou em Vergu,..... Ierro em liana ver.ninba.cbap. o
    linguadosparalundirao, fom. de FUndrOS, g.lba de Alepo, lata emlolba,,' la em
    chapa, marl.m, sahue. vm.e, baealbo, pe.xe pao, e qualquer ouiro, secco ou ,7-
    gado ; Macha carne secca desalmoura. llerva-doce. la, iuba de Irigo pebas
    branca ou pinudai. cordovoes ou cortes de beterro pa/ Calcado, beaerro. ."courc
    maliro.^T.lf.f '' ***" ? *,ol,? RcogrP,'cos, instrumentos mallie-
    ,To, ueV.r y oucli.mic, c, tes de vestido, de velludos ou damascos, borda-
    dos .le pr.t. ououro lino retror ou tropal, c cabello para cabellei.eiro.
    ' J,gr6 B pe. ociinulilho, cordo de lio, eipiguilbi, lieira, lioi iranias ea-
    Mt3 lefioou palhela, l.n.i oulas, palhela. renda, darro. e lodoso' nuS/obiS-
    os desla nalureza, lendo de ouro e piala fina. J
    J?VJI'C" irTa dpeilra' Ur P"" '"'"T, ouquaesquerobr...
    F.XPORTACAO Os direitospago-ie sobre a avaliaco de ama paula sema-
    nal na razo seguinte : Assucar 10 p. c., Algodo, cafe, e fumo II p c. Auoar-
    denle, couros, e loilos os mais gneros 7 p. c. Alem desles direitos pegao-se ai
    lana de 160 rs. em cada caia, de 40 is, em cada lecho, de 20 rs. eiu coda barrica
    ou sa:cos de assucar, e de 40 rs em cada sacca de algodo.
    Couros e todos os mais gneros sao livres dedireiloi par* os Mirtos do Imperio, a
    excepto do algodo, assucar. caf, e fumo, que pago 3 p. c. e as laxa* por volme*
    Os melaes preciosos em barra pago de direitos 2 p c. sobre o valor do nier
    cado, e a praia e o ouro amoedado nacional ou eslrangeiro paga nicamente '/, p. c
    Os escravos exportados pago 5^000 por cada un.
    DJiSPEZA DO PORTO As embarcaces nacionaes, ou eslrangeiras, que
    navego para fora do Imperio, pago 00 rs de ancoragem por tonelada : e a*
    nacionaes, que navego entre os diversos portos do Brasil 9C r*. As que entraren!
    em lastro e sabirem com carga e vice-versa, pagar meiade do impostosupra e um
    terco as queentrarem, e sabirem em lastro; e inesino as que enlrarem por franqua
    ou escala, quer enlrem em lastro, quer com carga Desla impnsico pnrui sero
    isentas as que imporlaremmais de 100 Colonosbrancos, e as queenlrarem por arribada
    forrada, com tanto que estas nao carreguem, ou descarreguem s mente os genero*
    necessarios para pagamento dos reparos, que fizereni.
    u". insis
    *
    Pgari 4 p. c. as joias de ouro ou prata, ou quaesquer obras de ouro.
    Pagani 2 p. c. os diamantes e outras pedras preciosas solas sement* nlan-
    l[e racas novas de animaes ulei*. aememes, pian-
    /aa-aro'ao p. c. todos os mais objectos.
    oXnarP,i1"1 L "i" '"lde"do? f'R" P- <: de dir los alm da i
    o despachante pre.t. Banca alia approvaro desla medid, pela
    Os gneros reexportados o
    " -2i" i e o "
    lla (ieral,
    arm7e-
    Assem-
    Coucedem-se livres de arm.zenagens, por 15 dias, as mercadorias de Estiva a
    dous^meze, a, outras ; e Codo, este, praz'os, pagar..V, p.'" "*$
    O. direitos dasfazendas, que pago por vara, dere entender-se rara qu.dr.da.
    Os direitos nao podem s?ai.Rmcnlado. dentro do anno fmanceiro masoGo.
    Vrem na,ore, de 6 e menores de 40 p. c. dos prefos das nercadorial, ou mesmo
    dlminuil-os, segundo Ibe pacaccr. nieaim
    4) Oovcruo esUau^donestabelecer um direito diercocial wb.co;;geiieor.
    REVISTA SEMANAL.
    CA VMV*. TransacrOes pelo paquete a 27 d. por UOOO rs.
    ALCODAO Eulirao 539 s.ccas ; as vendas foro allectuadas *o* precoi ano-
    tados. r '
    ASSUHAK. Sem alterac^o nos preco*.
    COUROS. Vendas am preco* quotadoa.
    FAItlNHA DE TRIGO O deposito he de 420 barrica* da marca SSSF, que
    e vo retalnando'de 2.S a 26JI00O rs. e de 150 barricas da americana, cheeidas da
    Babia, queesto por vender.
    II ACAl.il A O.O deposito l,e de 1,500 barricas : queesto-se Temiendo ao* pro-
    cos q notados.
    CARNE DE CHARQUE. Chegro dous carregameutos, com o* quaes o de-
    posito be de 32,000 arrobas : as venda* leem sido pequen, de 2|s00 a 31206 rs.
    Resumo das t'mbareacSes existentes neste porto no da 18 dt Stimbro di 1847.
    Brasileira.....................................;....................>#
    Francesa*...........................................................'
    lngleza*......................................../..,..,
    I'orluguezas................................
    Sarda.................................


    Total
    II
    l
    z
    s
    I
    I
    Jl
    A Provincia goza Iranqailidade
    ;


    (5)
    LISTA das Embarcages existentes neste porto at o da 18 de Setembro de 1847.
    UlTIUDAf.
    1116 Setembro i
    Agosto "

    Agoato
    Selombro
    i2
    Ib
    -
    35
    11
    S
    M
    M
    I
    10
    ti
    II
    14
    17
    Stteinbro 3
    Alo "
    Seiembro 4
    A|!to l
    Setembro 1
    4
    13
    I
    Jnllio
    AgnstJ 11
    DONDE VU.
    Babia
    Rio Grandi do S.
    RioGrando do S.
    >
    Rio de Janeiro,
    liba de Fernando
    Rio G runde do S
    Rio de Janeiro.
    Aji.
    Mio'irao'le doS.
    Bhi.
    Maranho
    Rio de Janeiro
    i'iiu Grande do 3.

    Rio de Janeiro
    Babia
    Ti ele
    Havre de Grate
    B.ba.
    Liverpool.
    Glasgow.
    Presin
    Liverpool
    l.oanda.
    Porta.
    Lisboa.
    Nantes
    CISCO
    sumaca
    brigue
    brigue.
    I
    a
    brlg-esc.
    brigue.
    fiatacbo
    liair
    sumaca
    brigue.
    suin.c
    urg -esc,
    tacbo
    gue
    patacho
    ar
    liatl
    li;
    brigue.
    brigue.
    brigue.
    barca
    brigue.
    barca
    a
    bi igue
    brigue.
    brigue
    barca.
    barca.
    NiCiO.
    llraiiL
    Dinam
    Franc
    Ingl.
    Porl.
    Sarda.
    NOME8.
    Santa Auna
    Kcho.
    Mercantil.
    ero.
    Flor do Su
    Henriquei
    Pique
    Viajan
    Novo-OI
    Flor do Ancelim
    Feliz.
    S. Autooio de Padua.
    Laura.
    Esperance
    AlttM
    Fmiliana
    l> Pedro II
    Tentador
    Fortuna.
    Nelie Malliilde
    Yolof.
    Kstlier Ann.
    Yiu-moiitl;.
    Isaheila
    aina
    Ati.ens
    Rota.
    Mara Felii.
    I.igeira.
    Crelo Segundo.
    buco.
    TONS.
    91
    250
    1
    i na-
    no
    134
    ISO
    Ms
    18
    91
    I8T
    78
    163
    93
    187
    110
    117
    40
    244
    197
    136
    164
    151
    303
    345
    151
    I?!,
    I lili
    158
    MESTRE.
    Joo de Dos Pereira
    Manoel Luiz dos Santos.
    Antonio Jos Soares.
    Joaq." Pedro de Si e Faria
    Jos Ignacio Pimenla.
    Jos Joaquira Alves.
    Joo Goncalves Rocha
    Antonio Jos de Araujo.
    Antonio Jos Vianna.
    Bernardo de Souza
    Jtluino Jos de Soma.
    Manoel Jos Ribeiro.
    A. F. di ~ilva Santos.
    Joaq. Aut G. ros Santos
    Manoel Alves Marques
    Valentim Ribeiio
    M J. Monteiro Vianna
    Antonio Jos Barrenos
    H. H. Rothe
    Joo Baplista Guilbert.
    J. P. Moruier.
    Tbomas Hunter.
    Wm. Forsyth.
    Wm. Webster
    Henry Thompson
    Wm. Alien
    Jos Fr.mcisco da Costa.
    Lourenco Fernandes da C.
    Antonio Joaq."' Rodrigues,
    Sicardo.
    CONSIGNATARIOS.
    Novaes & C.
    Jos Pereira da Cunha.
    Amorim Irmos.
    L. J. do Costa Araujo.
    Amorim Iimoa
    Francisco Joaq. Pedro da C.
    Leopoldo Jos da Costa A.
    Amorim Irmos.
    Francisco Joaq. Pedro da C.
    Luis Jos de Sa Araujo.
    F J.FelitdaRoza.
    I.uiz Boriies deSiqueira.
    Novaes & C.
    Manoel Joaq. Ramos e Silva
    Amorim rmaoi
    a
    Joo Francisco da Cruz
    Silva It Grillo
    Rotbe 8c Bidoulac.
    J. P. Adour&C.
    B. Lasserre & C.
    James Crabtree b C.
    Adamson Hovrie S C,
    Me. Calmont & C.
    James Ryder S C.
    Rozas Si Braga
    F. S. Raliello & Kilho.
    A. J. de Souza Ribeiro.
    F. S. Uabello ti FUbo
    DESTINO.
    Rio Grande do Sol.
    Rio de Janeiro.
    Porto Alegre.
    Aracati.
    iraca ti.
    Babia.
    Maranhaoi
    Hamburgo.
    Havre de Greca. V
    Para e dito.
    Liverpool.
    Alretar
    Liverp. por Macei.
    J. Pinto de Untos S Filbo. {den. t o fim doraex
    ,.
    Angola.
    Lisboa.

    Pemambuco na Typogranbia de H, F. de Faria^l4T


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E1U2QRXV6_FARF0J INGEST_TIME 2013-04-26T23:39:01Z PACKAGE AA00011611_08545
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES