Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08541


This item is only available as the following downloads:


Full Text
,/Imi.o Q n arta-a eir
iiwCTiraraBassBWHsaiaKBi
IICOS ilOS Hl, Milita in M*....... ......--------
rs. pwlmtm, *0 rs cu typo rlilferonte, o as
nst'ires pal metida. Os me io f'rcm ass:-
ntcVp:i"irH.o 0 rs pOi-llnW, e 'Cilein lypo
Id
r|
untes pujar" SO rs por ...
'rente, por cari publicac'io.
P11ASES DA LA NO HEZ DE SETEUBRO.
Min.oante, a I, a 0 liorase 12 min. da Urde.
I.u.i 9. "' Js min. da tarde.
Crescente, a 17, s 5 horas da tarde.
La cheia a 21, aos 0 min. da tai de.
PAirrnx oos correios.
Goianna e Parahvlia, i\ secundas esextas fer,..
l\io-G.-ande-dn. Norte quintas reiras ao meio-dia.
Cal), SerioWem, llio-Formoso, Pono-Calvo e
Macelo, no l., ti e 2i dcada mti.
dara.i'.unj e Bpnito. a 8 e 23.
Boa-Vista c Flores a 13 e 58.
Victoria, s quintas (eiras.
Dunda, todos os das.
PRF.AMAd de uoje.
IPrimeira, i 8 lioras e 18 minutos da maulia.
[Segunda, s t loras e A2 minuto da tarde.
DIARIO
de netemoro.
inio XXi /
Iv
.-
;>I.\s D' SEMANA.
IS Segunda. :. Pilippe. Aud. do i. dos orpli.
7 do-l. doc. da 2 v. do I M. d< 2. vara.
II Terca. S. Mutrrnn. Aud do I t e'do .1. de pa.7. do 2 dist. d t.
i;, QtlBItl* NiCOH>*dfSi Aui!. lo '. do civ.
Ja v. cilo I. de paz (io .'. disl, di: t.
|fi Quinta. S. Ped.- de Arbuei. Aud do J. de
orph.edoJ municipal da l.vara.
17 *esta. S. Conidio. Aud do I dociv. da I.
v.-e do J. de paz do I. dist de t. .
18 Sabliado. & hustorquio. Aud. do J. do civ.
CAMBIOS NO DA 13 l)R SRTEMBRO,
Cambio sjlue Londre 27 d p. i i rs. a 6 a P.ns SM> rs. por Iran >.
u .. T.isliof^inS a 110 de Ricino.
Dtsc.de IcilM-delSaWlirmoS do >/, a l",'. aomei
da I. v. e do J de paz do I dist
19 Domingo. S. Januario.
.le t.
OiiroOllCas i <-.|> .iholii
,. Moedas de 0-01 velh
de eiW nov
de 4^000------
l'raln Pataces ......
ii Pesos columnares. .
ii Ditos mexicanos...
Miuda.. ...>
3l#Sa a
i','- imi i
J21nf"
lojftnn
iC'.nn a ifljtnii
i 00 a
IJI90 a
l'.'i.il a
ifsna a
I 92 0
9j20n
mu. i
11(11)7
l87l>
Aceoesdacomp.do lelierilie de 50*000 rs.ao pM
BUCO
.
....... *m -
Pf-TE OFF.CIAL.
MINISTERIO DO IMPERIO.
Um e Exm. Sr. Fol presente a Sua Magestadc o
mperadoro officio de V. BxC, de 29 do mez passado,
rnauo submette decsSo do governo a soltieSo
oiiera segtiintc dtivida, que na exccucSo da le
romilamentar das eleicOes apresentot o 3juiz de
paz do distrlcto de Itaverava do municipio de Quc-
luz dessa provincia. ,
Se acliando-se elle com a jurisdiccSo dejuiz de
paz d'o dito districto pelo impedimento domolcstia
era ve do juiz mais votado, c mudanca do 2. para di-
versa fregnezia o districto, c tendo-so de procoder
no 1." docorrente mez de agosto cleicSo de ole-
tores, Ihectimpre, cm consequencia daquolles im-
pedimentos, presidir dita eleicSo; ou se, compa-
recendo o 2." juiz de paz mudado, para volar, por ter
sido qualilicado antes da mudarte, deve passar-lhc
a jurisdiccSo; ou finalmente, se, sendo csse juiz de
paz ao mesmo lempo um dos eleitores supplcnles,
deve ser como lal considerado para a formacSo da
turma, e por consegtiinte da mesa, por isso que es-
t na escala dos que devem ser chamados.
K inleirado o mesmo augusto Senhor de ludo,
mandou significar que bem resolveu V. Exc, quando
declarou ao 3.'juiz de paz, que, tifio obstante haver
o governo imperial feilo sentir em suas decisOes
que os juizes de paz, eleitores o seus supplcnles,
quando mudados, perdem o direito de funecionar
como laes as freguezias do que se mudaran), era
comludo, no proposto caso, mais conforme com o
espirito da referida lei ceder elle ao juiz do paz do
2." anuo a presidencia da assembla parochial, por-
que a seu respeito d-se urna hypothese nSo previs-
ta nem na mencionada lei nem as decisOes do go-
verno, qual a circumstancia de ter sido aquello juiz
de paz do segundo aniiq qualilicado antes do verifi-
car a sua mudanca. O que ludo communico a V. Esc.
para seu conliecimento c governo.
Palacio do Rio-de-Janeiro, cm 10 de agosto do
1847. ~ Francisco de Pauta Souza e Mello. -- Sr. pre-
sidente da provincia do Minas-Geraes.
ataraaMcrffe-''-' *'^' aWSB '' raOKH
INTERIOR.
RIO-DE-JANEIRO.
NOTICIA SDASREPUBL1CASDOPRAT A.
O paquete Griffon, entrado hontem '21 do agosto)
do Ric-da-Prata, trouxe-nos folhaS do Montevideo ale
13 do corrente.
O ministerio oriental soffreii una modificaqao.
OSr. Pereyra, ministro do interior, coSr. Rarrcyro,
ministro dos negociosMtrangeiros e da razenda, pe-
diram a sua demissilo, o foram substituidos pelo Sr.
I). Mannel terrera y Obes as pastas de estrangeiros
e interior, o Interinamente da razenda. O Sr. Pereyra
bavi pedido a sua demissfio muitos diasantes, mas
a sabida do Sr. ltanevro l'oi inesperada. Algunias
caitas que vimos attribuem isto a una re|ircsenta-
cilo feila por alguna dieres militares, na qual se pe-
dia ao governo que nomeasse tuna coninnssao para
datar ,1a paz como o general Oribe, lepresentaciTo
a quesesuspeilava, talvez sem afio, que alguna U08
ministroslinhnm dado osen assentimcnlo. fcsaa re-
presenlaefio, que conlava 231 assignaturas, a lenle
das quaes se achava Medina, Flores c Costa, era con-
cebida nos termos seguimos
Os cidadfioa abaixo assignadea, com o mais pro-
rundo respeito, ensando dodireiloque lliesconce-
dom as leis da repblica, comparecen) ante V. Ex. c
Ihe expOem : Que a siliiacHo, cm que se acba a rep-
blica, be a mais critica e solemne, desde que a tn-
vasfio poz prova o patriotismo coorgulbo nacio-
nal ; o que fatigada a repblica, anda que no es-
putado o onthuslasmo, necessita pOr em movimento
a um tempo as molas que devem preparar o termo
deste estado do cousas, ja para dar ao povo oriental
a*>az que e.eeessita, ja para afianzar a sun indepen-
dencia e liberdado. Para conseguir amitos os resul-
tados, preciso be que o povo oriental se levante em
massa, e sol) os auspicios do governo promovai di-
rectamente os meios do chegar a paz ; e se por des-
grana se frustrarem as negociacOes que se cntabola-
rcm, ponbam-se em accao os elementos de resisten-
cia que encerra Montevideo para assegurar o trium-
pho pelo poder das armas.
He ueste sentido que os cidados aliaiso assigna-
dos, animados pelo rogo santo da liberdade o dese-
josos de por termo a esta lula desastrosa c fratrici-
da, pedem ao governo, que.appellando para todos os
cidadSos, faca com que a capital assuma a posicao
respoitavel que Ihe cumpro tomar, odessemodoaa
mesquinhas individualidades desapparecerfio no al-
tar da patria. Nomeie-se urna commissiio do cicla-
dnos patriotas de conanca, para que, entendendo-se
com o general sitiador, Iheproponlia, em nomo dos
inlerdssesda patria, urna paz que, concillando o bem
geral, salve a dignidade nacional ea indepondencia
ta repblica. Para realisar este pensamento encon-
trar V. Ex. na repblica para a paz, sendo honrosa
e digna, oasseiitimeuto de todos, para a guerra o
enthusiasino ea persevoranga al que se asse.guro a
paz pelo estrepito das armas, levando a resistencia
at o extremo da desesperagao. Trovaremos entfio
aos nossos inimigos e ao mundo inteiro, que os bo-
mens que leom sabido resistir a um assedio de 53 me-
zes, teem ainda a convicciio da juslica da sua causa
eo herosmo necessario para sepullarem-se dcbaixo
das ruinas tiesta cidmle martyr.
ii Os cidadfioa abaixo assignados pedem a V. Ex. ,
que.otivindo o clamor publico,se digne preparar esse
futuro lisongeiro, dando repblica a paz por meios
equitativos, justos e admissiveis, ou 0 triiimplio por
meio da d'ecisfiO do povo oriental que unido ao go-
verno secundar a sua marcha para conseguir lao al-
tos (ins.
A esta rcpresentaco, que foi entregue ao governo
no dia 5, seguio-se no da 7 a conWa-declarScSu que
abaixo transcrevemos, assignada por 30 dos dieres e
olliciaes que tinham assignado a pi imeira :
as linhas das rortilicaeOes, aos 7 de agosto de
1817, reunidos no quarlel-general os Srs. chefes e
olliciaes do exercito abaixo assignados, oSr.com-
mandanlc das armas disse que no dia antecedente
bavia sido assignada urna petiefio, por ello o muitos
dos dieres e olliciaes presentes dirigida ao supremo
governo, contendo proposigOes no contedo das
quaes, no momento de al lerom, nao relleetiram
bem, porquecharam nellas urna idoia patritico j
depois, com mais calma e pensando sobre as consc-
quencias quo podiam arrestar sobro o governo e to-
dos os cidadiios que sustenlam a causa actual, teem
comprebendido que, como soldados e cidadiios, to-
dos teem o dever sagrado de del'ender a liberdado e
independencia da repblica, bem como de obedecer
ao governo, a quem est confiada a seguanla das
vidas c propiedades e respeito s leis. Ouvido este
com allencfio por lodos os abaixo assignados, c de-
pois de una breve discussfo, conveiicionaram un-
nimemente declarar que as assignaturas dos abaixo
assignados na referida petieflo, que se apresenlou
ao governo, foram all postas sem reflexao alguma,
bl
VLHETiBl.
MEMORIAS DE UM MKDICO.
pon aicmnDve jDumajj.
O
SEGUNDA PARTE.
@s a^t3^ii^'

CAPITULO XXVII.
PLANO DE CAMFANBA.
Sarlines havia-se rccolhido pelas Lrdflioras da
nianhfia, muito fatigado, porem a o mesmo lempo
muito satisreilo dos appUusos que havia improvisa-
do para o rei c para a condessa Dubarry.
Oentluisiasmo popular, excitado pela chegada, da
delphina, bavia saudado a S. Magestade com mullos
gritos de : Viva cl-rci! grandenienle diminuidos de-
pois da lamosa molestia de Mctz, durante a qual to-
da a Franca tinha corrido s igrejas c romanas para
impetrar a gade do moco l.uiz XV, a quem nessa
poca chamavam l.uizXV amado.
(*) Vide Diario* n. 203. ,
ii i _. %j t i_ i i i l ii,i n ni a i i i |y\j. -i u ^^^_f-^ --- fcJ
e por consecuencia devem ser consideradas millas e
sem cffoitoalgum, protestando contra toda a medida
que se pretende t ornar cm opposiciio as disposicOes
que ordenar o supremo governo, autoiidadc que re-.
conhecem e que hilo do sustentar com sacrificio das
suas vidas, em t do que assignaram o presente de
sua espontanea volitado.
No mesmo dia 7 deu o governo o scguiite despa-
cho a pi imeira reprcsenlacjio.
u o governo nao pode lomar em considerado osla
jolicitagflo por nao ser feila em lermos.
'or outra parte, a condessa Dubarry, que nfio dei-
xavadeser insultada cm publico por algumas ac-
clamacOea do genero particular, bavia sido, pelocon-
traiio.ecoiUraasua expectativa, graciosamente aco-
Ihida por algumas lileiras de espectadores sagaz-
mente collocados na primeira plana, do sorte que o
rei satisreilo, bavia dirigido o son sornsoznho a Sar-
lines, o esto eslava certo da um bom agradeci-
'"Vor isso julcra o intendente geral de polica po-
er arguer-se ao meio-dia, o que Ihe nfio acontecer
havia muito lempo, o aproveitara, levantando-so,
desse como dia feriado que tomara, para ensaiar urna
ou duas du/ias de cabelleiras novas, cmquanto ou-
via os relatnos da noite, quando a sexta cabelleira
o ao terco da leitura aiinunciaram o viscondc Joto
_*e'm, disse entre si Sartues, ah mechegao
a^radecinienlo. Mas, quem sabe? as mulheres sfio
tfocaprichosas! Mandem entrar o visconde para a
"jOfiO, 14Cansado dasvoltas da manhiia, sentou-se
n'uma poltrona, e o intendente de polica, que nilo
tardou a vir ter com elle, leve rasao de conyenecr-se
quo o colloqtiio nada teria de desagradavel.
Com efTeito Jofio tinha ares de contente.
Os dous bonicos aperlaram um a inflo do outro.
... Entilo, visconde, perguntou Sarlines, que o
traz por di tflo cedo ?
_ prrmeiro, respondeu Jofio, aeostumado a Uaon-
aear antes de ludo o nmr proprift das pessoas de
quem precisava, primero devo dar-llie os para-
l'ens reas aceitadas providencias do seu rcslejo do
to5.| obrigado. Isso he official !
O procedimento dos chefes militaros obrigou o on-
carregado do negocios de Franca a pedir explicarles
ao governo oriental sobre o oslado de disciplina em
quoseachavam oscorpos, o sobro a tendencia da
commissflo proposta pelos chele, c hns que tinham
em vista.
No dia 3 annunciou ollicialmente o almirante fran-
cez Lo Prdoiir ao governo oriental,que naquelle da
as oito horas da maoh&a recebera urna nota, assig-
nada Villademoras, annunciando-lhes a renovagao
das hostilidades por parte do general Oribe. O almi-
rante accroscenta queja tinha conhecimento da ees-
saeflo do armisticio, pelos tiros do Carrito contra
a cidade 94 horas antes do receber scmelhanle
aviso.
A commissflo dos credores do estado, convocada
polo ministro da fazenda para ceder parte das ren-
das que percebe a eonta das quantias que se Ihe de-
vem, resolveu unnimemente dar ao governo 85,oo)
pesos mensaes por espaco de seis me/es, para seren
applicados exclusivamente as despezas da guerra
De IHienos-Avrcs alcaiiQam as noticias a 9 do cor-
rento 0 as dazeias a 7. .V ultima publica n mciis'ig.'iii
do general llosas sala dos representantes, dando
cont&da negociaeflo com os ministros mediadores
lord Rovrdon e conde Waleisk.Nfio se tinham, porem,
publicado ainda os documentos a que aniiudadas ve-
zes so terer a mensagem, o sem os ter a vista nao he
possivd apontaros pontos de divergencia.
Confirma a mensagem a noticia que corra, de que
a questfloda navegaefio dos ros motivara o romp-
ment da-hegociagfio. Nfio he exacto, porem, que
sobro lodos os mais pontos stivossem de accordo os
negociadores. Vemos pela mensagem que nao se ti-
nha concordado sendo sobre o prembulo da con-
venqflo! ,ii
Diz a mensagem que o projecto presentado piles
ministros delnglaterra e Franga nfio eslava confor-
mo com as bases de que f6ra portador o Sr. HooUj
que por sso aprescnlra o governo argentino outro
projecto em 28 de maio, e que, nao se conformando
com elle os ministros interventores, pedirao C00IB-
rencias verbacs para discutir o seu projecto.
Essasconferencias comcaram no da l3dejunnof
e conlinuaram nos dias 1G, 22, 35 0 29. Al o da 25
dsoutiram-se osartigos l., 2. o 3" do projecto
mas nao se pdtlo chegar a um accordo. Eslava pen-
dente a discussfo, quando na conferencia de 95 da-
seram os plenipotenciarios do ministro argentino
(pie desejavam ouvira sua opiniflo sobro o artigo a."
que tratava da navegaeflo dos rios.
Disse o ministro argentino que o seu governo nao
poda desviar-so da redacefio que proppzera hosco
projecto do 28 de maio, ou da base Hood com as nio-
dificaeflos aceitas pelo general llosas; ao que res-
pondern) os plenipotenciarios queso ostavam au-
lorisados para aceitar a redacefio do seu projecto OU
a base Hood tal qual tinha sido proposla pelos seus
governos. 0 ministro argentino replicn que con-
sullaiia o seu governo.
\a ultima conferencia do dia 29 perguntaram os
plenipotenciarios ao ministro argentino se tinha al-
guma cousa a dizcr-lhes relativa ao ponto dos nos.
O ministro respondeu que na conferencia anterior
tinham fleado pendentes osartigosi., 2." e 3,, do
projecto de convcncfloco artigo relativo aos ttulos
do general Oribe; que na discussilo dos ditos arligos
tinham julgado conveniente os plenipotenciarios lo-
car no artigo 5." sobre a navegacao dos nos; (|iie
entilo emillira 8 sua opinifio particular o contlden-
dal; masque, tendorecebido depois as ordena do
governo, poda assegurar que este nao adnullia a
menor mudanca no artigo que aprsenlas, e que
nfio uassaria a discutir outro ponto sem que aquello
previamente fosse admittldo.
Os plenipotenciarios respondoram que nao podiam
tomar sobre si mudar um artigo proposto pelos seus
governos com o nico lini do l'azer juslica ao argen-
tino, e que portanlo era melbor nao passar adianto
Assini se
edar por terminada a conferencia olllcal
fez, e romperam-seas negociacoes.
Do Corrientes diz o Commerc'o del l'lala o so-
guinle: ..
Carlas recentes da capital de Corricnlos, diz o
nosso correspondente de llueuos-Ayivs, annunciam
que se renovara aallianca offensiva o defensiva ua-
quelle governo com O de Paraguay; que este bavia
mandado | umfdrea de3,000homens para Corri-
entes e fazia disposicOes para mandar mais; que lo-
dos os olliciaes argentinos que se achavam em Cor-
rientes se tinham reunido a divisan paraguaya.
O nosso correspondente accroscenta que da ere-
lito ao que diz 0 autor da carta que commiiniea es-
tas noticias, porque o conheee, mas que nao pode
dar outra garanta, e que a coinmunica tal qual vem
escripia.
Fntrelanto assegura-nos o mesmo eorrespon-
ente, como materia quonfio padece duvida, quo o
governador Urquiza bavia annunciado a llosas o
rompimonto total das negociacoes com Corrientes,
eque, isso nao obstante, pensava-se em llueiios-A\-
i es qno o liicfe enlie-riano no invadira os seus VI-
/inhos; que os amigos do Rosas se queixam do Cr-
quiza, e continnam a chama-lo traidor. Esta ma
vontade tem augmentado ltimamente, pelo motivo
de haver-se recusado recluir os portos de Entre-Ros
ao commercio de Montevideo, como Rosas afia
exigido.
Em Mendoza rebentou urna revolucfio militar, ca-
pitaneada por partidarios de Rosas, para depor o go-
vernador, que era aecusado de ravorecer os selva-
gens unitarios. Nao se diz quem he o sen sue-
eessor.
lu Valparaso lia noticias ale 19 do junho. No da
"I." aliriram-se as cmaras legislativas do Chili.
lina carta de Lima pinta o governo do general
Castilla no Peni como amoacado de conspirac/ies do-
mesticas, e diz que aquello diere nao conla nem com
o oxercito nem com o povo.
Fin Venezuela tinha sido nomeado presidente o
general Monagas, por haver expirado 0 termo da pre-
sidencia do general Soublelle.
Jornal do Commerciu.
:rnambco.
JIH.Y DO BEG1PB.
SESSAO EM II DESETEMBRODE 18i7.

d
iHof.
NSo he l que nasco o
ifcj&- i- i
(Ulicial, quanto a I.uceimes.
lie quanto me hasta.
sol ?
E at que se pOe algumas vezes.
E Dubarry poz-se a rr, com a sua vulgar e grossa
risada, que ainda assm Ihedava oar debonhomia
deque algumas vezes necessitava. .
Mas alora oscumprimontos tenho depedir-llic
um favor. .
Dous, se rorcm possiveis.
Oh! lie O que o senhor me ha de logo di/er.
Quando se perde alguma cousa em Pars, ha proba-
bilidade de acha-Ia?
Sim, se ella nada vale, ou vale muito.
O que eu procuro mo vale grande cousa, disse
Joflo meneando a cabeca.
E que procura ?
-- Cm rapazito de dezoito anuos pouco mais ou
menos.
Sarlines deitou a mflo a um papel, (onioii um lapis,
e escreveu.
Dezoito annos. Como se chaina o sen rapa-
zito?
Gilberto.
Em queseoecupa ?
Em pouco mais de nada, crciocu.
Donde veio ?
Da Lorraine.
Onde cstava ?
Ao servico dos Taverne *
Troiixeram-o comsigo ?
-- Nao; a mana Chon apanhou-o na estrada mor-
rendo de fomo; recolheu-o na carruagem c levou-o
para l.uciennes, onde.....
Onde r
PRESIOENCIA no SRSIIOI1 DOUT0R ORRVAZI0 OOHCiL-
VF.S 11* SILVA.
Ao meio-dia, faz-se a chamada, e verifica-se acha-
rem-se presentes 3(isenhoiesjurados.
O Sr. Juiz Presidente declara aherla a sessSo.
Sao apregoadoa os reos e as testemunhas.
OSr. Juiz Presidente diz que se va i proceder ao
sorteio do concelho que tem de jnlgar ao reo Bcro-
aldo Soarcs dos Ites, por crime de calumnias contra
oSr. doulor Vicente Ferreira Comes.
Sorteado oconcellio, presta o juramento do es-
tvlo. .
O Sr. doulor Alcanforado apresenta-se como advo-
gado do oll'endido.
A pedido do reo, oSr. Ilorges Mendos enrarrega-
se da defesn.
O Sr. Juiz /'residente faz ao reo o segtnntu
INTRnaOGATOBIO.
Juiz : Como se chama ?
Reo Beroaldo Soarcs dos Res.
Juiz : Vosse era impressor do peridico ffatare-
no, quando ro publicado o numero 33 do mesmo pe-
ridico, em 17 de maio do corrente anuo?
leo : Desde o da 7 de abril dcste anuo, que OU
era dono da lypographa Nazarena.
Juiz: Pergenio se em 17 de maio era impressor
daqticllo peridico?
ppjMiwBHsjK^': "~ '' ''*-
Rcceio que o maroto tenha abusado, da hospi-
talidado.
Furtou ?
Nfio digo isso.
Mas emfim.....
__ Higo que se escapou por una mfneira bem ex-
traorSinaria.
Agora quer tornar a bave-Io? ^
He verdade. ,
Tem alguma ideia do lugar cm que elle pode
estar? _
EnconlK-o boje no chal'anz que hca na esqui-
na da ra PlasT.rie.ro, c tenho rasao para pensar que
mora nessa ra. .Em rigor creio ale que podena
designar a casa. i
i'olS se sabe a casa, nao ha nada mais fcil do
que segura-lo ah. Que quer fazor com elle, logo
queoalcancar? raze-.'o mclter em Cuarentn, cm
Bictref
NSo tanto.
Oh I he o que quizer, nfio so acanhe.
NSo; esse rapaz pelo conlrArioagradavaa mi-
nha irnifla, que cstimaria.te-lo comsigo ; ello lio 111-
lelligente, e. se o podessemos lerar com brandura,
seria nitiiio bom.
Tcntar-sc-l.a. NSo Tez alguma pergunta na ra
Plastrire, para saber em casa de quem eslava.
Oh nflo, bem v que n5o quiz que me conhe-
cessem, oque comprometiera o negocio; clleavis-
tou-mo, cescapou-se eomoseodiabo o levasso;
e so soubesso que cu Iheconhecia a pousada, talvez
so mudasse. ,. .
lio justo. Na ra Plastriere, diz o senhor, no
nm.comcooumeiodella?
I Pelo ter?o pouco maisou menos.
f
TT


.,
* : Ja era desde 16 de abril.
Juii :Sabe so o numero 33 do referido peridi-
co foi dislrjlHiidojKK HMS de I .I pessoas?
** : Foi, si A, Se
Findoaqui o interrogatorio, passa-sea leitura das
pecas do piocesso, c as allrgacoes pi c contra o reo.
Terminadas essas iillegaQOea,
OSr. Juiz /'resllenle pede ao Sr. iloiltor Carvalho
se onoarregue da defesa dn acensado, declarando que
elle nfio fra defendido como cumpria, segundo mes-
mo haviam deixado aperceberalguna dos seidiores
membros do concelho que disseram nao estar salis-
feitos coin asrases apresentadas peloadvogado do
mesmo aceusado.
Oreo observa que julga-se bem defendido.
OSr. Juiz Prndenle, a despullo da observacHo do
reo, insiste no pedido que li/era ao Sr. dnulor Car-
valbo ; e este ia talvoz assenlir a esse pedido, quan-
tlo o acensado levanta-so e obstinadamente recusa
segunda defesa, dizendo queuinguem poda encar-
regar-sedella contra sua vontade.
OSr. Juiz 'residente la/ entSoo relatorio da causa
e entrega 19 quesitosab presidente do eoncelho, que,
bavendO-Sit recolhido coin esto sala das conferen-
cias, volla alguin lempo depois a dos debates, coin
resposla aos meamos quesi tos.
O Sr. Juiz 'residente, conforniando-se com a dc-
cislo do jury, condemna o reo a 18niez.es de pri-
s.'io simples, multa correspondente a motado do lem-
po o as cusas.
*
i Liverpool; barca ingleza lndus, cnpitfo James GJbj
I son, cargo a mesma que IroilXe.
i Marei; brigue inglez tfa/oo/m, capitfo James Mal-
coln, carga a mesma que Irouxe.
Correspondencia.
Sis. Redactara. Qucirain dar publicidade
certidao que Ibes remello, alini deque n respeita-
vcl publico saiba quem he o autor do aviso inserto
no bcu Diario de 13 do crrante, assig'nado pelo
Juisangado~emquefui atrozmente injuriado, a
assim possa apreciar os seiilinienlos dessa peuoa,
que nom ao monos respeilou as venerandas cin/.as
de sen pai.
Son, Srs. Redactores, de Vmces. venerador e
criado
Gervaiio Goncalves da Silva.
Porvirtude do despacho supra, certifico quoo
u aulographo doannuneio deque faz mencao a pe-
.. licfto retro lie escripto e assignado por Luiz Pires
Ferreira, "ujaletlra est reconhecida pelo lahel-
Hilo Francisco de Sales da Costa Monleiro. O rel-
rido be verdade, e consta do indicado aulographo
que esta em meo cartorio: oque allinno em fe do
(, meu emprego. Recife, 14 deselembro de 1817.
Eserev e asslgnei, F.m t de verdade. O escri-
u vfo, Francisco Ignacio de Alahiile.
tomm icio.
Alfandega.
RENPI.MENTO 1)0 DA 14........... 3:871,735
Dtscarregam hije, 15,
Patacho Esperanca sab.'o.
Brigue -- Yurmoulh earvio queimado.
Brigue -- Maria-leliz mcrcadorias.
Consulado.
m:\ni.MF\To do da u.
Cera I......................... 1:867,423
Diversas provincias............... 59,770
1:927,193
loi menlo do B'orlo.
Navios entrados no dia 11.
Rcalego ; Sfi dias, barca ingleza lndus, de 377 tone-
ladas, capitn James Gibsou, equipagom 1G, carga
caf, couros emadeira de Ungir; ao capilo.
Vein refrescar e segu para Liverpool.
Rio-de-Janeiro ; 22 dias, brigue brasiloiro D.-Pedro-
II, de 217 toneladas, capitSo Manoel Jos Monlei-
ro Vianna, equipagem 12, carga carne ; a Jolo
Francisco da Cruz. Traz urna escrava para en-
tregar.
Navios sahidos no mesmo dia.
Portos do norte ; vapor brasileo San-Sebustio ,
commandanleo primeiro-lenente Antonio Xavier
de Noronha Torrezo. Alm dos passageiros que
trousc dos pollos do sul para os do norte, leva a
scu bordo : para a Parahiba, o Dr. Felizardo Tos-
cano de Itrilo ; para o Cear, Jos Rodrigues llor-
ges, 2 ilbos e un: escr.ivo, Sancho Albino de Mes-
quita com mu criado, Joaqun) da Costa liibeiro
Jnior eJoflo Barboza Cordeiro com um criado e
um escravo.
New-York; patacho americano I'oresl, capilffoJohn
Altridge, carga a mesma que trouxe.
Fiq
atilado.
ue socegado, vou mandar l um homem
I
i-- .--iJUM
meu charo intendente, um homem atila-
do, pte mais atilado que seja, scinprc ha de fallar um
pouco.
Nao : cmfio se falla.
0 pequeo he lino como ira de kagado. "
Ah entumi : perdoe-me nao o ter pencehidn
mais depress^ quereria que eu mesmo ?.....na ver-
dade tem rasfio...... assim ser inelhor...... porque
talvez baja ahi algumas dillieuldades, em que 0 se-
nhor nSo r-ensa. *
Joo, ainda que persuadido deque b magistrado
queria fazer valer o seu servico, ji0o Ihe tirou nada
a importancia do papel.
E at accrescentou :
He justamente por causa dessas difficuldades
que aprsenla, quedesejo ter ao senhor mesmo em
pessoa.
Sartines tocou i campainba. Quando o criado ap-
pareceu :
Mandem-mapr oscavallos na Carruagem, dis-
sc elle.
Tenho ahi carruageni, disse Joilo.
Obrigado, quero antes a minha, que nSo lem
armas, e he urna mediana entro a carruagem de
aluguel e o coche nobre. He urna carruagem que se
pinta de novo todos os mezes, e que por esta rasao
he diflicil reconhecer. Agora, emquanio se ella pre-
para, d-me licenca para experimentar se ns mu
cabelleiras novas me servem na cabeca.
Como-quizer, disse Joo.
Sartines chamou o cabelleireiro : era um artista,
e trazia ao seu freguez urna verdadeira colleccflo de
cabelleiras, de todas as formas, cores e dimeusoes :
T
",.
Miguel Archanjo Monleiro de Andrade o/ficial da im-
perial ordem da Ilusa, cavalteiro da de Christo, e ins-
pector da alfandega de i'ernambuco, por S. M.o
Impendo/; que Dos guarde, etc.
Faz saber que no dia 15 (boje) docorrento, ao meio-
dia, na poila da mesma, se bao de arrematar em basta
publica I par de castigaos de prata, 1 salva de dita,
2i colheres de dita para cha, 1 dita de dila para ter-
rina, 1 dila de dita para assucarciro, peso lolal 807
O lavas, valor 290/000 ris, impugnadas pelo 2." es-
cripturario Antonio Francisco de Moura, no despa-
cho por factura de Joao Evangelista da Costa e Sil-
va, sob o n.".....: sendo a arromataefo subjeita a pa-
gamento de direilos.
Alfandega, 14 deselembro de 1847.
Miguel Archanjo Monleiro de Andradt.
Deca racoes.
Pelo consulado da Blgica se faz publico o sc-
guintc:
Visto o artigo 0 da lei de 21 de julbo de 1814 so-
bre os direilos differenciacs, <|un be concebido nes-
les termos: Os producios da Asia, da frica o da
America, que chegarem directamente i Helgica de-
baixo do pavilhflo do paiz de quo silo originarios e
de onde sao importados, podero ser admittidos pelo
mesmo modo como se cstivessem debaixo de pavi-
lllffo belga, quando este nao fr subinellido nesse
paiz a ouros ou a mais pesados direilos de que o
pavilhflo nacional, considerando quo o pavilliOu bel-
ga nao he siibmcllido no Brasil a oulros ncm a mais
pesados direilos do que o he o pavilhflo nacional, so-
bre proposta de nossos ministros dos negocios es-
trangeirosc das (naneas. llavemos resolvido e
resolvemos:
Arligo 1." As mcrcadorias originarias do Brasil,
que forero importadas directamente por mar, de-
baixo ilo pavilliilo desse paiz, sero admittidos com
os meamos direilos Oxados para o pavilhflo belga.
n Artigo2.a A presente resolucuo ser obligato-
ria desde o dia seguidle as de sua insercSo no Mo-
nitor,
O administrador da mesa da recebedoria do
rendas geraes internas avisa aos conectados pelo
imposto de caixeiros cstrangeiros dos bairros de
Santo-Antonio e Boa-Vista, para virem pagar o que
estiverem a dever dodilo imposto, do anuo prxi-
mo (indo, al o ultimo do correte mez, sob pena
do se proceder a cobranca executivaniente.
Recebedoria, 14de selembrode 1847.
Francisca Xavier Cavalcaale de Albuqutrque.
O.adminiatrador da recebederla das rendas ge-
raes internas avisa aos devedoros do hairro do Re
cife, Santo-Antonio e Boa-Vista, para quo venbam
paguro imposto do banco de 46 a 47, eo I."semestre
de 47 a 48 pena de se proceder a executivo por ja
se adiar urompla a relaQlo para juizo.
Recebedoria, tt de setembro do 1847.
Francisco Xavier Cavalcanti de Albuquerqw:.
Apprehens/lo feila pela policio.
A 7des(e mez foi apnrehendido pela subdelegacia
da Boa-Vista um cavallo pequeo. Sera entregue
a quem qur que der os signaos cortos dello.
A visos iiiaritinios.
Aluga-se urna barcaca que pega de 10 a 20 ca-
xas de assurar: quem ti ver annuncie.
Sabe para Loanda, no dia 24 do correle im-
pretorivelinente, obligue portuguez Hoza, deque lio
captlo Jos Francisco da Cosa Itoxo para o resto
da carga miuda ou passageiros, trata-so com o mes-
mo capitSo, ou com os seos consignatarios, Francis-
co Severiano Rabcllo iFjlho, no largo da Assomblea
Provincial.
Para a Babia sabir, impreterivelmenle no dia
16 do crrante, o hiaie Flor-do-Rccife quem quizer
irdepassagem, dirija-se a ra do Vigario, n. 5.
Para o Aracaly (em de seguir viagem, ateo dia
24 do crrante, o biate Noro-Olinda, por ja ler gran-
de parte do seu carrugamenlo prompta : os mais
prelendentes a carragaram se entenderflo com o
mestre do mesmo, Antonio Jos Vianna, no Trapi-
che-Novo.
Para o Rio-Grande-do-Sul tenciona sabir breve
o^riguo Mercantil; podo roceber alguma carga, as-
sim cuno escravos e passageiros : quem no mesmo
quizer carregar pode entender-se com Amorimlr-
uiiios, ra da Cadeia, n. 45.
Para o Rio-Grande-do-Sul e Porio-Alegre pre-
tende sabir em poucos dias o brigue Flor-do-Sul, o
' *-.-^e-- .. ----- ""tti-Tiniiiimii
havrcabelleiras de magistrado, cabelleiras de ad-
vogado, cabelleiras de mercador, cabelleiras de ca-
valheiro. Sartines, por causa das exploraQOes, mu-
dava algumas vezes de vestuario tres e quairo vezes
no dia, e linha lodo o cuidado ssencialmenle na re-
gularidade dos trajes.
Quando o intendente ensaiava a vigesima-quarta
cabelleira, vieram dizer-lhe que a carruagem eslava
prompta.
o senhor reconhecer bem a casa f perguntou
Sartines a Joao.
Basa ha boa! Vejo-a daqui.
Examinou a entrada '.'
Foi a primeira cousa em que pensoi.
E como be essa entrada?
lio de corredor.
Ah! um corredor ao terco da ra, segundo me
disse i'
Sim, com porta de segredo.
Com porta de segredo O' diabo Sabe o an-
dar onde mora o seu fugitivo ?
as agoas furladas E demais, o senhor vai v-
la, poique avisto ochafariz.
A passo, bolieiro, disse Sartines.
O bolieiro moderou a marcha, Sartines levantou a
vid racas.
All est, disse Jolo, be esta casa suja.
I Ah! justamente, exclamou Sartines batendo
as palmas, eis-abi oquecu recciava.
Como! O senhor receiava alguma cousa.
Oh I sim.
Eque receiava?
O senhor esla. infeliz.
Explique-se.
qual recebe nicamente escravos a frete : quem pre-
tender pode en(cnder-se com Ainorim Irmaos, ra
la Cadeia, n. 45.
Para a Babia sabe com milita brevi.lade a su-
maca Flor-do-Ingwm: para carga e passageiros,
trala-seeom o meslre, Bernardo de Souza, ou con)
l.uiz Jos de Sa Araujo, na ra da Cruz, n. 26.
Para o Ass a barca nacionalTmtativa-rtlioetl
a snhir at o dia 25 do concille: para carga ou passa-
geiros, para o que tem osmelhores commodos, 1ra-
ta-se com Silva & Grillo, na ra da Moeda, n. 11.
Para o Rio-de-Janeiro sahir com a maior bre-
vidade possivel o brigue ero; recebe carga c escra-
vos a freie : quem pretender qualquer das cousas
enlenda-se com Leopoldo Jos da Costa Araujo, na
ra da Moeda, n. 7.
Para o Cear, tocando no Aracaty, vai princi-
piara carregar o brgue-escuna Benrquela. meslre
Jos Joaquim Alves da Silva : os prclendenlcs a car-
regar para ambas as partes se entenderao com o
mesmo meslre, ou na ra da Cadeia-Vclha, n. 17,
segundo andar.
Lei Jo; s.
~ Jos Joaquim Dias Fernandos Iransfcrio o seu
leililo, annunciado para o dia Hdocorrente, de una
porc/ao de ca xas de queijos, para boje 15, no lar-
go da Alfandega, armazcm de Antonio Anuos Jac
me Piras.
- OcorrctorOlveira far loilffo de ptima mobi-
lia, cousistindo em cadeiras, cousolos, solas, mesas,
leito do ferro, guarda-vestidos, almarios, um lindo
piano inglez, quadros riquissimos, loucas, vidros,
utensilios de cozinba, algumas obras de prata, c
muitos oulros objectos : quinla-feira, 16 do coi ren-
te, as 10 horas da manhfla, na ruado Trapiche-No-
vo, casa n. 8, segundo andar.
Avisos diversos*
'- Joaquim Francisco l.ma, Portuguez, rstira-se
para o Rio-Grande-do-Sul.
Mara .Magdalena Popp da Sil-
va, viuva de Jos Antonio Alves da Sil-
va, deste, tem resolvido continuar as mes
mas relacoes comnieiciacsqne linha o fi-
nado, sob a firma Vi uva Alves da Sil-
va & Fillios sendo socio gerente seu
retiro, o bacharel Francisco Joao Carnci-
ro da Cunha.
AVISO PARA AS PESSOAS QUE TENCIONAM
SEGUIR VIAGEM.
Na ra do Rangel, sobrado n. 9, contina-se ti-
rar passaporles para dentro e fra do imperio, des-
pachar-so escravos o correr-sc folbas, ludo com bre-
vidade, o por preco muito c muito commodo: do que
se lem dado exuberante prava no decurso de sete
anuos.
- Joao Francisco Barboza Cordeiro vai para o
Cear no vapor San-Salvador, levando em sua com-
panhia os scus escravos de nonios l.uiz e Jolo.
Aluga-se un armasen) atis do thea-
tro excellcnte para officina de niarce-
uciro, ou para oulra qualquer oceupa-
<;io, por ser grande .' a tratar na ra do
Crespo, loja n. i5, de A. da Cunha S.
(uimaraes.
Arrenda-sea ilha San-Jofio-Baplsla com duas
moradas de casas do pedra e cal : na travessa da Con-
cordia, n. 19, ou nos Afogados, na segunda casa ter-
rea, passando o sobrado do Sr. Vianna.
Prccisa-sealugar um escravo diligente : na fa-
bricado licores da travessa da Concordia, n. 19.
Precisa-se saber se existe nesta cidade, ou em
algum lugar fra, Antonio Jos Ribeiro, natural da
l egue/.ia da l.age, do reino de Portugal: na traves-
sa da Madre-de-Ueos, n. 8.
l'erdeu-se, desde a Passagem-da-
Magdalena at o becco do Capim no
Becife, um mllio com cinco chaves ,
sendo urna maior que as oulras: quem
o tiver adiado e quizer restituio-lo di-
rija-se a ra da Cadeia do Recife, n. 57,
que ser generosamente gratificado.
A mulher de hons coslumes, que se cncarrega
da criacio de meninos de peilo impedidos c des-
inipeddos, eque lambeni recebe meninos para
desmamar no que prometi esmerar-se mudou a
sua residencia para a ra Direta terceiro andar do
sobrado que (ica defronte do becco de Jos da Pe-
rda, n. 30 : quem de seu presumo se quizer U ti Usar
ahi a devo procurar.
Pois bem esta casa suja, onde mora o seu fu-
gitivo, be justamente a casa de M. Rousseau, de Ge-
nebra.
O aulnr Rousseau ?
lie verdade.
E entilo que Ihe importa isso?
Como que me importa ? Ali! bem se v que nio
he intendente de polica, e que nfio tem negocios
coin philosophos.
Ora esla que probabilidade ha de estar Gil-
berto em casa de M. Rousseau i'
Nfio me disse que o scu rapaz era um philo-
sopbo?
Disse.
Pis bem l com le e er com er.
Emlim supponhamos que estoja elle cin casa
do M. Rousseau.
Sim, supponhamo-lo.
Que resultar d'ahi?
Meu Dos que o nfio obter.
Porque ?
Porque M. Rousseau be homem muito para te-
nier-se.
Porque o nfio incito na Baslilha ?
Propuz isso um dia a el-roi, c elle nfio se
atreveu.
Como! nio se atreveu?
Nao ; quiz lancar-me a responsabildade dessa
prisfio, c eu nfio fui mais valente que cl-rei.
Coill ('MiMln !
He como Ihe digo ; juro-lhe que he preciso pen-
sar muito, antea de excitar os clamores de todas
essas lingoas philosophicas ; ira! 11111 rapto em ca-
sa do M. Rousseau, nilo, meu charo amigo, nfio.
INa verdade, o meu charo magistrado parece-
Offereee-se urna mulher forra para ama de pa-
sa de homem solteiro, ou de casa de pouca familia
na ra de Hurlas, n. 28.
___pprgunla-sc ao juiz da irmandade de Nossa Se-
nhora do llom-Parlo, qual a rasfio porqueSmc. mu-
dou a festa da I'adroeira, se he para fazer grande fes-
I ou nfio, visto que mudou osen dia progrio.Vm
rasfio justa. O F.nforquilhado.
Aluga-se a prensa, ou grande nr-
mazem, no Forte-do-Matlos, largo da As-.
semhle'a, n. 7 : a tratar na ra do Viga-
rio, n. 5, primeiro andar.
D-se um eonto do ris a premio sobre penho-
res do ouro e prata ou hypotbeca em casas terreas
em boas ras : na ra Direita, n. 50,se dir quem d.
A pessoa que por engao tirou do correio una
carta para Jolo Antonio da Cunha Reg, vimlail
Baha ne vapor San-Salvador, qiveira fazer o'obse-
quio de mandar entrega-la na pra<;a da Independen-
cia n. 37 do que sejhe licar obrigado.
Um moco brasileiro, de 24 anns de ptima
conducta e isento do guarda nacional seofferece
para qualquer arrumacflo nesta prre: quem do sen
prestmo se quizer ulilisar dirija-so as Cinco-Pon-
tas, n. 63.
Trapassa-sc a loja da ra do Queimado n, 18,
com as fazendas ou smente com a armaco : a
tratar na mesma loja-.
L. de C. Paes de Andrade, como procurador de
seu.pai, o senador M. de C. Paos do Andrade, propie-
tario do sitio Campo-Verde, situado no Corredor-
do-Bispo, tondo sido approvado pela cmara muni-
cipal o plano das ras o travessas, que tem de asir a* '
bertas no mencionado sitio, pro|>Oe-.se a aforar por
prego rasoavel todo o terreno destinado a edifica-
ges, segundo as localidades cscolhidas pelos prc-
londentes, do couformdade com o referido plano.
Oannunciante chama a aitcnco do publico para a
excedencia dalocalidadc c eleva^io do solo (que .
dispensa atetros, e finalmente para a indisputa-
vcl va uta ge m de nfio ter futuras contestaces com
a cmara municipal, no que toca ao alinbamento daj
ras, etc. ele; pois que eslas j se acham projeota-
das, e teem de sor brevemente alinhadas pelo en-
genliciroda municpaiidado. Os pretondentesdiri-
ja m-se a ra do Hospicio, casa n. 12, das 4 al 6 ho-
ras da tarde.
Precisa-se de una ama que sa Iba bem cozinliar,
para ser empregada nesse nico servico : em N.-S.-
do-Terco, 11. 16.
CASA DE MODAS FRANCEZAS,
Ruado Alcrro-da-Roa-Pista, 11.1, primeiro andar.
M. Millocliau,
tem a honra de participar a suas freguezas, que
acaba de receber um bonitosorlimonto de modas,
bem como : cortes de vestido do mclhor gosto, de
guimgomp, cambraias, baragos gargas de seda e
de lila e de casamentos ; collarinhos e camisinhas
de cambraa e de fil; eabeces bordados, muito
ricos ; bicos de blonde; chapeos para senhora, de se-
da crepo, bico, ele ; ditos de palba de todas as
qualidades declina de arroz, de Italia de pa-
lba aberta e lisa ; ditos para meninos c meninas de
pallia da llaha hsii.se enfeilados ; bonelesde dita
para meninos de 2a 10 annos ; toucas para bailes;
iengos de cambraa de linbo, bordados e lisos; lu-
vas de malha aberla ; filas para cintura c chapos;
(apollas de larangeira Rores linas; guarnieses do
bolfles, novas para vestido : lil^lc seda c de linha
branco preto e de lodas as qualidades ; crep; ren-
das; bicos ; e mais fazendas que todas se venderiio
por prego rasoavel.
Aluga-se una casa no Montcro a,boira do ro
Capibarbe com duas salas, corredor ao meo e ou-
tro ao lado 6 quartos, um delles lem pralelheiras e
serve de dispensa, cozinba fra, estribara para dous
cavallos, umquarto coin tarimba para pretos, eou-
Iro qunrlo no fundo do quintal, que serve para des-
pejo quintal murado : a tratar no Alcrro-da-Boa-
\ isla n. 37 terceiro andar.
POMMATEAU, CUTFXEIRO NO ATERRO-DA-
BOA-VISTA,
tem a honra de avisar ao publico, que mudou o
seu eslabclecmcnlo da ra do Alerro-d#-Boa-Visla,
n. 5, para o sobrado novo, n 16, da mesma ra.
Na sua loja seniprc o publico achara como de cos-
tume um grande sortimentode cutelerias finas ede
todas as qualidades ; bem como pistolas de viagem,
caimas para caga. Contina a concertar todas as
qualidades de armas Qjcrragcns e amla as quar-
las-feiras e sabbados
Furtaram, na noite do dia 12 para 13 docorren-
to da estribara de Jos Marques Vianna um c-
vallo de estribaria coin os signaos seguintes : ruco-
rodado ; levo u cabreada de sola, com argola de
ferro e corda grossa cabeca coinprida e um ttttW
peliada ao p doolbo ; tem um signal vermclho de-
baixo de una mfloj acba-se muito gordo, e beca-
vallo faca. Quem o pegar leve a ra de S.-Aniuro,
n. 10, que ser recompensado com 40,000 rs.
Manoel Joaquim de Oliveira Cu i ma riles retira-
se para Portugal, a tratar de sua snde.
. :: .-':.- : :::: 3MCI
me de urna timidez extraordinaria-; nio he el-rci o |
rei, e o senhor. o seu intendente geral de polica ?
Sao engranados, na verdade, os senhores que, |
como o meu amigo, nflo teem emprego publico.
Quando dizem : el-rci nao he re, julgain ler dito tu-1
do Pois bem ouga o que I lie vou dizer, meu charo
viscoude. Antes quizera tira-lo ao senhor de casa de I
madama Dubarry, do que arrancar o scu Gilberto do.l
casa da M. Rousseau.
Devras! obrigado pela preferencia.
Ah por minha fe quesim, gritar-se-hia me-
nos. O senhor nfio faz ideia de como esses liomcns
de loltras teem o epiderme sensivel; grilam pelo |
menor arranbfio, como se os rodassem vivos.
Ora bem ; nfio estaremos nos a inventar pban-
lasmasi' vejamos. He-couJtabem averiguada que H.
Rousseau leulia recolliido o nosso fugitivo? Esta
casa de quairo andares p'ertence-lhe, e habita-a elle
sozinho?
M. Rousseau nfio possue um ceitil, oporcon-
seguinte nfio tem casa em Paris ; talvez, afora elle,
baja nessa casa quinze ou vinto loca torios. Mas tomo
isto conf regra de pcoceder: todas as vezes qua
urna desgrac se apresentar com alguma probabili-
dade, cont com ella ; so for urna fortuna, nlp con-
t com ella. Ha sempre noventa e nove probabili-
dades para o mal, e urna sopara o bem. Mas, yol-
lando 00 nosso caso, espere; como eu descoiifiava
do que nos succede, trouxe conunigo notas.
(Jue notas?
As minlias notas acerca de M. Rousseau. Jul-
ga que elle d um passo scni que se saiba para on-
de vai t
Ah! de veras! Entilo elle ic de fado per-
goso ?



&*

Aluga-sc urna casa terrea na ra Relia coni
.(]uas salas, 3 quarlos enzinha fra, quintal e ca-
cimba : a tratar na ra do Collegio, n. 15, segundo
ailar.
I'recisa-se de un Portiigucz solteiro para lei-
tnrisar o serviro ile campo dando fiador a sua
roinlrtVlfl : na ra Nov, botica do Sr. Pinto.
Precisfl-se de un rapaz de 14 a 16 annos para
cai\eiro .le venda, e qunlenlia pratica do negocio:
nil ra da Senzalla-Nova, n. 7, se dir quem pre-
""--Quemso julgar com direitoa dousquartos ,
ambos com caogalhas, dirija-se a barreira da pon-
te da Magdalena, quo, dando os signaes certos, Ibe
sei io entregues.
Jos Fernandes Ribeiro faz scienteao arrema-
tante do ctfhsumo de ago'ardente que desde o dia
idejunho prximo pascado, nilo vende mais o
dito genero, como fez ver ao mesmo Sr. em o dia
primeiro julho, do quo aprescnU testemunhas.
I). Maria Claudina de Jess Lima retira-se para
fra ila provincia levando era sua companbia una
lillia e dous filhos menores.
Precisa-se do um rapaz porluguez de 12 a 14
annos, para caixeiro de urna loja distante desta
praca 6 a 7 legoas : na ra larga do Rozarlo n. 99.
Aluga-se um primeiro andar do sobrado da
ra do Rangel defronte da botica : a tratar na rila
jo Cabug, loja de Joaqun) Jos da Costa Tajo/.'.
-- Precisa-se alugar um sobrado de um andar,
lias seguintes ras-. Cadcia de 8.-Antonio, Nova,
estrella e larga do Rozario, Collegio Queimadoc
.Oruzes : quem tiverannuncie.
r Alugam-se 3 casas terreas, por preeo oonimo-
iId, sendo urna atrs da matriz da Una-Vista, eduas
na na da Soledade : quem as pretender, dirija-se a
ruada Aurora, u 58.
-- Aluga-se, ou arrenda-se urna das melbores ca-
sas doCaldeireiro, com quintal e cacimba de milito
boa agoa de beber, com cinco janelUsdc frente, sa-
la de frente c duas alcovas, gabinete com alcova, sa-
la do detrs com doas quarlos e gabinete, junto ao
sitio do Sr. Jos Iliglno : Irata-se na ra do Queima-
do, n. 37.
__I'recisa-se de um andar para pequea fami-
lia, cni urna boa ra na lloa-Vista, ou S.-Antonio :
i tratar na ra da Cadeia-Velha, n. 53.
__Aluga-se, para se pastara testa, urna casa ter-
rea, na ra do San-Francisco da cidade deOlinda, a
qual lie muilo porto dos banbos salgados : quem a
pretender falle naquella cidade com o escrivo da
decima, na ra do liom-Successo.
Precisa-se de urna mulher de boa conducta,
que saina cozinbar e engommar na ra do Cres-
po, n. 21.
O Sr. Francisco deAzevcdo queira dingir-se
aruadoVigario.n 5, ou annunciar a sua morada,
a negocio do sen inleresse.
Quem annunciou querer comprar urna liteira,
querendo urna que s fez urna viagem, o quo tem
as competentes sellas para os cavallos dirija-se a
ra dos Tanoeiros, armazem de couros, de Domin-
gos Rodrigues do Andrade, que faz todo negocio.
Quem precisar de un rapaz brasileiro, para cai-
xeiro de ra, o qual tem pratica e d conbecimento
dos patres que tem tido dirija-se a ra da Ca-
ileia-Velba do P.ecr, n. 41.
--Pcrdu-sc urna carteira de algibeira com al-
guns instrumentos de cirurgia algumas cdulas
miudas e varios papis: quem a restituir nesta lypo-
gva\.liia receber o importe da quanla que tiver
dentro da dita carteira.
Aluga-se una boa casa terrea com grande quin-
tal, num muitos arvoredos do fructo gueiras ,
mangueiras, romanzeiras c taladas"de parreiras ,
cnni boa agoa de beber, sita no principio da estrada
dos Aillictos, ao p doManguinbo : tambem se alaga
urna oulra casa com soto corrido, no beceo do Se-
rigado : a tratar na ra da Cadeia do Recife, n. 25.
No dia 5 do corrente moz, pelas 9 boras do dia,
desencaminhou-se da ra de S.-Francisco um mc-
iiino crioulo, de nome Saturnino, de 10 a 12 anuos,
oh.o do corpo bocea grande, beicos linos; quan-
ilo falla pestaneja bastante; Icvou camisa de ma-
dapoln e calcas de casimira j rotas c curtas, hs-
tc menino n pequeo padeceu de ar de vento, do
que anda boje be affeelado. Quem o pegar levo a rc-
linaco do palco do Hospital.
-- O novo praprietario da barca dos
banhos tem a bonra do fazer scienle ao respeitavel
publico que sua barca se acba pintada de novo,
c com 4 banbeiros promptos com minio asseio fal-
lando os das senlioras os quaes ficando promptos,
Se aniuinciar por este jornal
--Pin lioinem.quopossue 12 a 11 escravos, al-
gunsbos e quartos, seolTercce a qualqucr senlior
de cngenbo para trabalbar de sociedado ou entfio
se administrador : quem doseu prcstimo se quizer
nlilisar dirija-so aoengenbo Comporta na fregue-
zia da Moribcca. No niesmo cngeiilio existe Audio
Rezcrra.solteiro, que tambem se ofTerece para ad-
ministrador ou caixeiro de engenbo.
O TR1MJN0N. 20
est a venda as 2 boras n-.s lugares do costume. Mili-
to interessanle est estn. : -traz imlicias da corto,
os jurados de Reroaldo, etc. ele c'te.
Aluga-se a loja do Alorro-da-Roa-\ista, n. ., :
a tratar na mesma casa, primeiro andar
-Pelo novo deslino que den ao edificio da sua
residencia na ra do Hospicio, podora O dootor
Sarment recebe.- em sua casa (lenles que desojen,
vir tratar-se nesta cidade. Sero recebidos uo so
os detentes do qualqucr sexo c condicfo que sejam ,
mas tambem as pessoas, ou familias, que os qm-
zerem acompanhar. ,''
--Na nova loja da ra do Qucimado, n. 30, de Jos
JoaquimdeNovaes, contina a baver um completo
sortimento de obras feilas com a mesma pcrfeiQflo
como as de incommenda. Tambem lia un completo
sortimento, vindos pelos ltimos.navios do tranca,
de chapeos pretos muitos superiores, e da ultima
moda de Paris, bons chapeos do Chile, ricos corles
develudo para Coletea, pelo barato prego (le6,000
rs., c muito bons lencos para nescoco dehomeinc
senhora. ,
Antonio Carlos Percira de Burgos l'onco de
I.eon faz publico, que mudou a sua residencia da
ra Dircita, sobradon. 29, para a Soledade, sitio
ila Cscala, doF.xin. Sr. bariio de Itamaraca; poriail-
lo quem com elle se quizer entender, dingir-se-iia
ao dito sitio, ou nesta praca a casa de seu procura
dor, o Sr. ManoelJose de Sant'Anna Araujo, na tra-
vessa do Sarapatel, sobrado n. 16.
Caiimont, domador, na
ra Nova n. *i fabrica de
candieiros do gaz e outros, doura, prata ebronzea
,lc tullronles cores todos OS molaes,sejam de igrejs
militares, ou partieulares; concerta o torna a ponte
novo todos os objectos de metal; po os candieiros
de a/cite promptos para gaz; Iroca o compra todas as
qualidadea de bronze, por proco rasbavel.
AO BOM TOM PABISIENSE.
RA NOVA, N. 56.
Teir.pt (te & C, aifaate,
leem a honra de avisar ao respeitavel publico c
com especialidadeaos seus freguezes que muda -
rom o seu estabelecimcnto sito na ra Nova, n. ,
para a mesma ra n. 56, onde coi.tinuaro assi-
duos a servirom os BOUS antigos freguezes e aquel-
les quo os quizerem honrar. Aproveitam esta oc-
casifio para participarem que se acbam prvidos de
um bello sortimento de fazendas recontonientoclie-
gadas de Franca pelo ultimo navio como sejam .
pannos pretos e de cores para calcas ; casimiras-sc-
lim ; dita elstica : ludo do ultimo gosto : non co-
mo sedas, setins, velludos, fustoes impressos e Bor-
dados, proprios para colletes ; urna completa conoc-
en o de figurinos das modas as mais recentes ile
Pars. No mesmo estabeleeimento so encontrara
sempre un grande sortimento de roupa feta para
todos os tamanhos bonetes de velludo para senlio-
ra proprios para montara e varios objectos de
pbantasia : ludo moderno c da mclbor qualuiade.
Compras.
>-Compra-se Tito Livio, traduzido ao p da let-
Ira : quem tiver annunco
-Compra-se, ou aluga-se urna canoa do condu-
zr agoa.quc soja grande : na ra Nova, n. 42.
Compram-se dous pranchOes de tres costados ,
eiani de amarello, louro oiticica cedro ou
ainda que sejam pedacos quo lonhain
na ra do Queimado, II. 18.
nina corrente de o tiro
ns tG c i8,
po-carga
de 12 a 15 palmos
Compra-se
para senliora : annuncie ou dirija-se a-
trs do Ihealro armazem
que se dir quem compra.
Compra-se urna esciava moca
que saina cozinbar e lavar, e nilo tei
dando paga-sc bem: na Boa-Vista, ra Velha, n. 18.
Quem a Ufar, devo apparecer das ti horas da ma-
iihila s 3 da tarde.
Compra-se um tronco : quem ti-
ver annuncie.
de boa figura,
avar, e nilo tnlia vicio: agra-
Vendas.
commodo ; urna cscrava boa lavadeira por 150^
rs.; 3 moradas de casas em urna das melliores ras
dos \Togados; lima dila no Varad mrn de nlimhi.
Vende-se nina muito bonita negrnh* da Costa,
de 13 annos, que cose muilo heff), engomma liso,
ensalma milito bem, arruina hem lima sala; lie mili-
to viva para linio muito recolhlda O nao tem vi-
cio nlgnm pque'se alianca : o motivo da venda .se
dir ao comprador : na venda ila esquina di ra do
Collegio n. 25, se dir quem vende.
Lotera do Rio-de-Janeiro, a fa-
vor da nova freguezia de N.-
S.-da-Gloria.
Vendem-se bilhetes desta lotera : em casa de J.
O F.lstcr na ra da Cadeia-Velha n. 29.
Vende-se urna rabeca na ruada Praia, n. 70.
Attenco!
Na ra Direila, n. 50, loja de pintor, ha um
completo sortimento ile vidros para vidracas ; ditos
com ago para espelbo. O mesmo vidrceiro se olTe-
rc para bola-Ios por proco commodo, o tem tam-
bem una poreno do caixilbos proprios para envi-
dragar urna loja
Loteria do Rio-de-Janeiro. .
Vendem-se bilhetes e mcios ditos da quinta lote-
ra a beneficio da nova freguezia do N.-S.-da-Clo-
II,..- na ra da Cadeia loja de cambio, u. 38, de
Manoel Comes.
Vende-se um jogo de bancas do angico em
segunda nio; urna dila de meio ile sala; urna os-
lante pequea ; una duzia do cadeiras de Jacaran-
da ; urna mesa redonda de dito, para meio de sala;
nieiasconiiiHidasc toucadores de dito, noves; ca-
deiras de balanco ; duas carteiras de amarello; c
diversos trastes: tudo por preqo commodo: na ra da
Cadeia de S.-Antonio, n. 18.
Vende-se no armazem de Bacallar, dofronte da
escadinha d'alfandega, fardos muito rescos e mui-
lo novos, pelo mdico proco de 3,500 rs. a barrica.
~ Vendem-se caivetes de mola para aparar pen-
nas de una sovoz; botoes pretos para casaca, os
mais modernos ; caixas de tartaruga, quadradas e
redondas a 3,000 rs. cada una; suspensorios do
borracha ; (Mitos virados para prender cabello sa-
boneles para barba ; luvas prctas para senhora ;
relogios domados, a 200 rs. cada um para meni-
nos esporas para salto; botoes para camisa do
ultimo gosto ; caixas de haleia grandes, para ta-
baco ; brincos e collares para luto; meias prctas
para senhora ; oculos de 2 o 4 vidros para todas as
vistas : ludo muito em conla por ser para liquida-
Cflo; na ra larga do Ro/.ario loja de niiiidc/as
baratas n. 35.
Vende-se una prelado naqno de bonita ligu-
ra sem vicios e que coznha hem engomma, la-
va de sabflo o varrella, he muito fiel e tem inulto
hom genio : o motivo da venda se dir ao compra-
dor : na ra do Cabug esquina da i ua das Laran-
geiras primeiro andar de varan Ja de ferro.
Vendem-se 250 oitavas de prata, sem fetio :
na ra do Caes, loja do Sr Francisco Goncalyes.
Vende-se marmelacja muito superior, do llio-
Grande propria para doentes por ser b- enconi-
menda por preco commodo : na ra da l'raia ar-
mazem n. 28.
Vende-se um lindo nmleque, de 11 anuos, o um
pelo de 25, ambos bem parecidos, sem vicios, ncm
achaques : no pateo da matriz do Sanlo-Aiilonio, so-
brado n. 4, se dir quem vende.
REFRESCOS.
Xaropede groselhe feito do verdadeiro summo,
viudo de Franca a KiOO rs. a garrafa ; dito de llo-
res de larangeira,a I.OOO rs. a gnala ; dito leito da
verdadeira resina de angico, que he mullo conbeci-
do e approvado poras pessoas que padecem do poi-
to por ja ter feito ptimos beneficios, a 1,000 rs. B
garrafa; ditos de maracuja, tamarindos, lin.Roe la-
ranja, a 500 rs. agarrara : no Alorro-da-lloa-\isla-
fabrica de licores, n 17.
|| Vendem-se superiores chapeos de
^SL,castor, pretos e hrancos, por preco
muilo barato : na ra do Crespo, loja n.
12, de Jos Joaqiiim da Silva Maia
lo
IVaiMia da ade9-
Vlha, n. 29, loja
Na ruade Agoas-Verdes,n.46,
vendem-se dous moloques pegas, de nacHo Ango-
la de 17a 18 anuos ; um bonito pardo, que coz-
nba e cose bem de aifaate; 4 escravos para todo o
servico por commodo preco ; 5escravas com boas
habilidades :2 molecas de 12a 13 anuos; urna bo-
nita parda que cose bem c engomnia por preco
^^tw iimini t iitt ;rwnyirim ii
Nao, mas assnstador; scmclhanle louco pode
a lodo o momento quebrar um braco ou urna per-
na, o driam que eramos nos que Ih'a havaniosquo-
()h uno quebrar ello o pescoco de urna vez!
--- Dos nos livre .
Permilta-me dizcr-lhc, que naoonlendo isso.
O povo apedreja de lempos em tenipos csse
honrado Cenebrino; mas lie cs.se um direito que o
povo reserva para s, c se o lioincm recehesse a me-
nor pedrada atirada por nos, seriamos cuino nos os
apedrejados. ...
Oh! perdu-me, nao coiiIicqo todas cssas ce-
I laminas.
__Por sso tomaremos nos as mais minuciosas
precaucos. Agora verifiquemos a nica probabih-
dade l'avoravel que nos resta, a de uo estar elle
em casa de SI. Rousseau Eseonda-se no fundo Ua
carruagem. ,. .
Joao obedecen, o Sarlines ordenou ao bolieiro que
dsse alguns passos pela ra.
Abri depois a carteira, e trou della alguns pa-
pis. ,,
Vejamos, dsse elle, se o seu rapaz eila com M
Rousseau. Desde que dia deve ello la estar >
Desde o dia 16.
A 17 fui M. Rousseau visto a berborisar as seis
horas da manhla no bosque deSleudon; eslava so.
Eslava s! _. .
Conlinuemos. As duas horas da tarde do mes-
mo dia anda herborisava, mas com um rapaz.
Ah ah disse Joao. .
Com um rapaz, repeli Sartmes, ouvioi
He isso, nieu Dos, be isso.
lleim que diz a isto? O rapaz he franzino.
Assim he.*
Devora.
aillo ha duvida.
Ambos os sujetos arrancam plantas, quo ai
ranjam em una caixa de folha.
Pelodiabo! exclamou Dubarry.
__Nao he s sto. Escute bem ; ao cscurocer re-
colbeu-se com o rapaz, que mcia-noile anula uo
iiavia sabido de sua casa.
Bom! L. ,
Dia 18. O rapaz nilo sabio de casa, e parece
estar rom SI Rousseau.
. Ainda tenhoum resto de esperanca.
_ Decididamente, o senlior he optimista Mo
importa, diga-mo qual he ossa esperanca.
. He quo elle tem algum prente ua casa.
r Ora, vamos la he preciso satisfazc-lo, ou para
melhor dizer, descspera-lo inteiramcntc. Para bo-
'"sar'tines apeou-se. Ainda no havia dado dez pas-
sos, enconlrou um homem vestido de einzento, e de
feices bastante equivocas. .
Fsso homem, ao avistar o ,Ilustro magistrado, tirn
o chapeo, 0 tornou a p-lo sem dar niostras de maior
imporlanciana sauda0, posto que o respeito Iho
transluzisse nos olhos.
Saitinesfezumsignal.o homem approximou-se,
receben no ouvido algumagordens, e dcsappareceu
nelo corredor da casa de Rousseau dentro.
O intendente tornou a subir para a carruagem.
Cinco minutos depois, o homem da roupa cinzen-
ta tornou a apparecer e approximou-se da porli-
nhi!'ku vulto a.cabcca para a direila, dsse Dubarry,
nara me nilo vcrcni. .
Sarlines sorrio-se, recebeu a confidencia do seu a-
gente, e o despedio.
Vende-se urna carroca nova para um caval-
ou para un. boi : a caixa he de amarello as
rodas de sicupira verdadeira eos varaos de cuma-
r madeira esta dilTicultosa : na ra Formosa ,
_ Vendem-se duas mulalinhas, com principios
de costura e que silo proprias para qualqucr ser-
vico; urna prelado l anuos tambem com prin-
cipios de costura e cozinia : na ra do queimado,
' Vende-se urna liteira com arreios, ludo novo,
por proco commodo : na ia do Queimado, n. 19.
E entilo? disse o viscondo.
__Futao! a prohahilidado era nni
conliava ; be com elleto em casa de Rousseau que
esta o seu Gilberto. Tome o mcu consolho, abando-
ne o seu intento.
Abandonar o mcu intento r"
Sim. O senlior uo ha de querer amotinar con-
tra nos, por una phantasa, lodosos pbilosopbos de
Paris, no be assm? ......
Oh mcu Dos! que no dir nimba irmaa
Joanna? .... ,n
Fila cuino tem nimio a pcito csse (.liberto:
perguntou Sarlines.
Por corto que sim.
Pois bem I entilo restam-lhe os meios de tiran-
dura ; use de galbarda, amime SI. Rousseau, c em
vez de dcixar lomarcm-lhe Gilberto, mao grado seu
Hi'o dar de boa vontade.
de Jo O. Elster,
vende-se vinho do Porto, de diversas quflidades;
dilo da Madeira ; dito do Sherry ; dito de BordeauX ;
dito chateaii-la-rose; dito de S.-Julien ; dito de Te-
nerife ; dito do Rbeino ; dito de Ituccllas e Carca-
vellos ; dito de Lisboa ; dilo de Malaga; dito San-
terne; dito de graves; dilo champanha sellery ;
ago'ardente do Franca ; Kirschwasser exlracto de
absinthe ; C.herrv-cordial ; agoa de llor do laranja ;
frascos com conservas do verduras ; ditos com fruc-
las da Europa cni calda de assucar ; ditos de ditas
em cognac ; dito de mostarda ; sardinhasom ata*
e vidros; petls-pois ; salame de superior qualuiade,
vndo no ultimo navio de llamburgo ; agoa de scltz,
embotijas; azeite doco do Marsclha nissimo;
velas do com posieflo; cha preto. Irysson e perola ;
charutos de Havanae regala. Advcrtc-se quo ludo
he escolente e por proco commodo.
- Vendem-se :t sacadas de podra da trra ; 2 pa-
res de dobradicas .lo chumbar; um bahu usado;
urna (echadura com aegredo para sala; urna ca-
ma de angico usada com os seus competentes col-
chflesecortinadosj H quadros do sala; urna res-
friadeira oliltradeira una frasqueira j um sellim
usado; urna poreo de formas de sapalos; um ar-
mario ; una hacia de rame grande ; um taixo de
cobro ; urna caixa de pinhoj una (lauta ; una mar-
queza; 2 tomos das Noites de Vyoung 4 lomos da
Medicina domestica na ruada Concordia, n. 3.
- Vendoni-se 490 mcios de sola a 1,100 rs., a di-
nlieiro, para saldar una conta : ua ra .bis Tanoei-
ros, armazem de couros, n. 5.
Vende-so una poreflo de tahuas pwiprias para
estacada, por preco commodo: na ra do Vigario,
ii. 5.
Vendem-se 7 escravos sendo dous escravos
de 18 a 20 annos, de bonitas figuras e para lodo o sor-
VQO decampo, ou mesmo da praca ; V lindos molo-
ques de 11, 13, 14 a 10 anuos, o urna crioula com
bonita figura, de20annos fi ron\ algumas habilida-
des : na ra das Cni/es, n. 22, segundo andar.
Vende-se um casal de mulatos, de idadede 33 a
35 anuos, c um mol.itiulio de II annos, todos de
habilidades : na lina-Vista, ruada Conceicito, n. 18.
x Vende-se, na livraria da ra do Crespo n. 11,
um rico sortimento de novas obras, bem como a Sa-
gra, ia PaisSo de Nosso Senlior Jesus-Cliristo; a his-
toria da imperatriz Porcinia; dita da priaceza siaga-
lona ; dila de Roberto do Diabo; e grande sortimen-
to do entremezes e oraches, taboadas coartas para
meninos, pido mais mdico preco possivel. lie por ter
mande sortimento que nnnuneia aos freguezes da
boa pecliincha, e advorte quo ludo he chegado pelo
ultimo navio vindode Lisboa.
MIITO BARATO.
Vendem-se os utensis completos da padariada ra
dos Burgos (no Fortc-do-Matlos) : a tratar na ra
da Scnsalla-Volha, n. 142, primeiro andar.
Vende-se cha preto muito superior, em caixas
de 16 libras, proprio para familia : na ra do Tra-
piche, n. 8.
_ Na ra da Scnzalla-'Sova, n. o ,
(padaria) vendem-se juncos de superior
qualidade, em porcao c a relall.o, e por
menos do que em oulra qualqucr parle:
VELAS DE CERA DE LISBOA EDO RIO-DE-JANEIRO.
Vendo-so completo sortimento ao gusto do com-
prador, por barato proco, para liquidaeo: tam-
bem ha brandos, bogias o tochas : na ra da Sou-
/.alla-Velba, arma/.om n. 110, de Alves Vianna.
RAPE' PRWCEZA NOVO-LISBOA.
Chegou, polo ultimo vapor, urna porcilo desto cx-
cellenlo aan, o vende-so no deposito da ra da
Senzalla-Velba, n. 110, o nos mais lugares ja an-
nuiciados.
Champagne verdadeira,
marca cmela,
vende se na ra do Vigiio, n. l\, arma-
zem de Rol he e Bid< ulac.
Vende-se urna llanta nova, cotn
oito chaves de prdla, sendo de hano,
e com cxccllenles- vozes; assim como um
no/o methodo para a mesma, ludo por
proco cortiinodos : quem
a pretender,
queira anuuncar por esta lolha.
j^iiiiimi ariiaipi -^"-1w^^iia
ssario um homem de n nada, um sabio, um
Trianon, e a
.es.
e Jtissieu lio
P _a nos no temos relacOes com essa gente.
Mas cu encontrei ja cni casa da conaessa a M.
do Jusseu.
0 botnico?
Sim.
rcio quo be verda.lc; ellcva
coiidea,deixa-lhe remecher osalegr
---^sse he que nos serve ; justaml
"meu amigo.
-r Knlilo o negocio ira por si niesmo.
Pouco mais ou menos.
__ fcketftaroi o meu Cilberto i'
Sartnesteflectio por momentos.
Coineco a crer que sim, disse elle, e sem vio-
lencia, nem ecleuma ; Rousseau Ih'o entregara de
pos e nios atados.
__ O senlior julga assim?
Estou corto.
Ouo convm fazer para isso i
Acousa mais insignificante. Os senhores bao
de ter do lado de Meudon ou de Marly algum terre-
no desnecupado. .
(di! isso no falta; se uo doalntre Luciennes
Pois bem! fagam ah construir, comolhtfc
Paroce-mo que isso he o mesmo que domesti-
car um urso.
lio talvez menos difllcil do que o senlior pensa.
No desesperemos; ello gusta da.s caras bonitas, a
dn condesas bodas mais bellas, c a de mailemoisella
Cho nao he desagradavel ; ora. no fara a condes-
sa um sacrificio sua phanlasa?
:C'tiria cllaem mostrar-so enamorada ^^'^ne'lss? P* P%-ph"
- l'ma ratoeira para pbilosophos.
- oh meu Dos! o como he que se edifica isso!
- EuIhe darei o plano, no tenha cuidado, ha-
SnSrSSJ'aSSSr^^*\e -- ..epressa', que ja esto o.hando par. nos.
nticca a Rousseau ?
_ SI. de Conli. r I fConlinuar--Aa.
._ Mas elle desconfia dos principes. Era ne-l
Consent
Rousseau ?
Sefosse absolutamente ncccssario.
-- Ser talvez til; mas, para approximarasnos-1
da oulra, seria preciso uma-

R^


i
jf*
Vrndem-se tabeas pranches le
pinlio da Suecia,as mais lindas oue teem
apparecido nrste mrirado, pro >r s par
quem t-ver bom goslo forrar suas sa-
.^s e issoalho, por nSoterem ito. e se-
ren de io a 3o palmos de compririo, as-
sim como americanas de i n 3 palmos de
largura; cadeiras de pinlio a polka, pro-
prias para temar o bom fresco nos si-
tios, dcbaixo dos arvoredos. A ellas que
sao poncas, ao depois nao baja desgosto
de nao terem licado servidos. A atrs do
tbeatro, armazem de Joaqnim Inopes de
Al.neida, eaixeiro do Sr. Joao Matbens.
I\Ta lo ja nova do Pas-
seio-1* ubIico,n. 17,
vendem-se cortes de Claudias para vestido de senho-
ra os quaes teem merecido geral aceitadlo em
Lisboa. sta fazenda he de Illa, porm milito lina o
de ricos padrees, os mais modernos que leom ap>
parecido. A olles antes que se acabem porque s
custam o diminuto preco de 8,000 rs. Igualmente ha
urna porefto tic cortes de cnlletes do velludo de cores
e de bonitos padrCes, a 8,560 rs. o corlo ; bom romo
um resto de cortes de cassa de cores, a 2,000 rs.
Vendem-se, milito eni eonla 18cadeiras urna
mesa redonda com pedra um trem, > cadeiras
de balanco ludo de Jacaranda ; dous ricos ramos
de caj e lima, fritos de. nomina ohjcctos delica-
dos para un presente pela sua perfeicfio : na ra
do Uucimado, lojadc ferragens, n. 10.
A I ,?000 r.
As melliores I uvas de pellica brancas c elsticas
na rua larga do Rozario, n. 84.
- Vendem-se oaixas de cha hvsson do 13 libras,
om porces ou a retalho ; caixas de velas do es-
permacelc de5nCcm libra : na na da Allandcga-
Velha, n. 86, em casa de llathous Austin & C.
Vendem-se resmas do papel al mago branco,
i imitacfio de meia hollanda ; ditas de, peso azul;
pennas de eserever de boa qualidade : na prnca da
independencia loja do miudezus n. 4.
Vendem-se dous pretos um do servico de cam-
po c oulro bom eanoeiro ; urna parda muito pren-
dada : lodos se vondem por precisfio : no largo das
Cinco-Pontas,, rua Imperial, n. 3.
Casimiras elsticas, a I#00 rs.
o covado.
Vendem-se superiores casimiras elsticas pelo
barato preco de 1,non rs. o covado; ditas milito li-
nas francezas a 1,880 rs. o covado ; dita de su-
perior qualidade elstica, minio lina, e preta a
;>,500 rs. o covado : na rua do Collcgio loja n. I.
nitoseja achacada ; um preto de nacHo, muito forte,
por 400,000 rs. ; un dito por 250,000 rs. ; una pre-
ta de 25 anuos, que cose muito bem sem vicios
nemachaques ; urna mulatinhado 12 annos; ums
negrinha de lOannos, propria para ser educada;
lima pela mui'o forle, de boa figura e de 38 an-
nos por 260,00(1 rs. ; urna dita lie nacAo que t'-
tende de coznha alguma cousa de muito boa con-
duela e sem vicios nem achaques, por 420,00.
POTASSA
Vende-se a verdadeira e superior po-
tassa da Rnssia a mais nova que existe
no mercado : na rua da Cadeia do Reci-
fe, armazem n. ia, de fiallbar & Uli-
veira.
Vende-so superior potassn nova : na rua de
Apollo, armazem n. 18.
SF.
Vendem-se meias barricas de
raminbo : no caes da Allandega
Guimarles.
farinha de SSSFda
, armazem n. i, do
Vendem-se 5 escravos, sei
.Ir
lio
18
um molcqne peen, de io annns, e ou
de 12 ; dous bonitos pardos, de 16 n
annos, sendo um relies bom sapaleiro,
ambos proprios paiM pageos: um pardo,
de 3o annos pouco mais ou menos, e de
ledo o servico de rasa e campo ; nina
parda da inesina mente, lava roupa e faz renda ; e um mu
latinbo, de 7 anuos, proprio para andar
com enancas em casa : na rua do Cres-
po, loja n. a A, se dir quem os vende.
O
o
o
0
o
Vendc-se o maior e niclbor snrtimonto ^*V
de cortes do cambraia de seda, de ricos 'f?%
padioes; filo de linho liso e laviado; cor- _
les de chita de noVOS padrees (illgindo ^5
seda; luvas lie pellica bordadas, para SC- ,''
nhora ; meias casimiras de bonitos pa- Q
prOcs para caicas; alpaei muito lina; cor- rv
les de sapalosa turca ; pannos linos pie- Vr
loso do cores; chapeos do niassa, france-
zes da ultima moda : bem como um sor
timentocompleto de lazendas linas ; ludo
mais barato do que em nutra qualquer
liarle : na nova loja de Jos Moreira
Lopes & Companhia narua do Queima-
do, nos qualro-cantos, casa amarella,
ll. 29.
nce- ,q
sor- *"
S
Na rua do.Sarapatel, sobrado u. I6,vctldc-sc I
casal de escravos do servico de campo, por
800/rs., a pela tambein be lavadeira evende-
deira; c por 300/rs. um pelo do servico de
campo.
P5
s
99
Saa3::eBi.^:g:g;e;g;G:g:*3:e5es
Vendem-se duas canoas de carreira-, quasl no-
vas ; um sellm para montara de Senhora; una
espingarda do dous canos;e diiTerontes cascos va-
sios : na ruada Scnzalla-Vei, u, 110.
AttencaO!
Vendem-se superiores chitas franrezas, de vara de
largura e decores lixas a 280 rs. o covado; dilas
linas, escuras c decores lixas, lendo algumas que
servem para lulo ,a 5,000 rs. a peca ; meios ojales
de cassa do quadros, a 440 rs. ; corles le lanziiiba,
para senhora com lcovados.a 3,600 rs. ; panno
preto lino para pannos do prclas a .'1.000 rs. o co-
vado; chales de Ifia o seda muito linos, a 5,500 c
7,000 rs. ; zuarlo de vara de largura, a 240 rs. o
covado ; cortes de cambraia lisa muito lina o com
6 varase moia a 5,000 rs. ; superior briin tranca-
do pardo, de puro linho a 640 o 900 rs a vara ; li-
lo amacollo muito lino a 900 o 1,000 rs. ; dito
trancado de linho branco muito superior a 1,000,
1,280 o 1,600 rs. a vara; chadrezes de linho para
jaqueta a 400 rs. o covado; riscadinhos trancados,
a 240 rs. o covado ; hamhurgo de linho, a 260 rs. a
vara meias para senhora a 240 rs. o par ; e outias
militas lazendas por barato preco : na rua do Col-
lcgio, loja n.1.
Cortes do pclle do (Iabo, a"
1,400 rs.
Vendem-se superiores corles da fazend* chama-
da pollo do diaho com 3 covados e meia pelo ba-
rato pre?0del,400rs ocrte, sendo da njaissupe-
noa que tem apparecido : na rua do Colleaio loja
n. 1. e J.
-- Na rua iffi Cadeia do Recite, n. 48 armazem
e James Ryder & C. vende-se chumbo de mui-
r o, em bom sorliment; dito em lenecs;'c cs-
tanho em verguinhas.
; Vende-se llandrcs em folbu erh muito bom
sorlimento na rua da Cadeia do Hscife .' 48, ar-
mazem de James Ryder & f.
SSSF.
Vende-se a verdadeira farinlia SSSF
de raminho ebegada no dia 5 do cr-
ente ; a tratar com J. J. Tasso Jnior.
Vendem-se escravos baratos, na rua das
Larangciras, n. 14, segundo andar: 2
molecotes, de bonitas figuras : um bo-
nito preto de 25 annos ;uni dito de 26
anuos, por 43d-,000 rs. ; um jiffdo coip
ollicio do pedreiro de linda figura c de oplinif
conducta ; um dito carreiro, do ptima conducta; i
dilo com ollicio de sapaleiro, sem vicios nem acha-
.u

o i o i o o m @ase
Or-TIMASNAYALHAS,
pelo processodas tempraselas
melliores fabrcasele Gui
maraes.
ENCLLENTE FABRICA EM
LISBOA.
Estas navalhas sito foitas do mais lino aqn da Sue-
cia e temperadas em agoa que contin os mes-
mos principios que se oncontram na mu afamada
deGuimarfies, oparaprovara sua superior quali-
dade, bastar dizer-sc que silo preferidas por quem
una vez as expon mentn a quanlas veein de Ingla-
terra, Franca o outros paizes.onde a arte de cuteleria
esl inquestionavclmente em grande adianliuncnto.
Teem mais as supradilas navalhas a importante
rircumstancia de consorvarom por muito lempo a
afiacHo, de cortaren! com rapidez os cabollo*da bar-
ba e finalmente do nlo olfenderem nem levanta-
rem a polla; o que as loma mui recommendaveis.
Vendem-se nicamente na rua do Crespo loja
n. 8 de (ampos Maya onde nao so duvida da-las
para os prelondentcs as experimentar.
Veude-SC uma preta de bonita figura que lava
e vende na rua : em lora-do-l'ortas, rua do Pilar,
n. 2, se dir por que so vende.
Vendem-se casaos de pombos muito bons ba-
ledores, grandes, de muito bonitas cores 0 de pti-
ma raqa por preco commodo: na rua da Floren-
tina ". 16.
W'ilcli bravo & C." achbam de receber directa-
menta de l'aris urna por^Oo de frascos da famosa a-
goa hemosttica de Brouhicri, de cujas virtudes o
Jornal do Cummercio do Itio j tem tratado em dif-
ferents artigos mili ciicumstaiiciadameiite. Ksle
singular niedicamenlo he verdadeiramonto especi-
fico o infallivel no curativo deludas as feridas, se-
jam ellas pelo instrumento corlante, sejam por ar-
mas de fogo, ou provenientes de queimaduras.
Quaesquor que sejam os accidentes que as com-
pliquen!, lodos ellos ilosapparecein com siinima fa-
cilidade, garando a ferlda dentro de poneos diassem
supora^flo, sem inflamroaeflo osomdor. Anda que
baja pona de substancia e ferimeutos das maiscon-
siaeraveis arterias, o uno a cartida ou ouira, nao
so a perda de substancia se recupera, mas a hemoi-
rliagia arterial esta curada dentro de 30 a 40 minu-
tos, rogencrando-sc as tnicas da arteria offendida,
por moio de um traballio orgnico particular. Nflo
lie menor a ellicacia do uiesmo medicamento as he-
morrbagias internas, como sanguc pela bocea, ou
proveninente da hexiga, e sobreludo as hemorrha-
gias de tero, que fazem a dcsesperario dos mdi-
cos o o tormento dos docnles. as iustruccAes pa-
ticas, que se vondem com o remedio, se vera com a
extensao necessaria a maneira de applica-lo e os
casos em que codvcin. prego de cada frasco he do
2,000 ris, e das instruegOes 2,000 ris. Os pretn-
danles dirijani-se rua da Madre-de-Deos, botica
numero).
Vendem-se brincos dourados, d ornis moder-
no e delicado goslo que tem apparecido, pelo di-
minuto proco de 640rs. cada par: na rua da Cadeia-
V'olha, n. 5.
Vende-se a venda da rua da l'raia, n. 39, com
os fundos quo convierem ao comprador, ou s a ar-
maran : na rua do llungcl, venda n. 50.
Vendem-se 5 escravos sendo : um crioulo de
um cabra ele 7 anuos ; 3 dilos de Oannos
do com ollicio ue sapaieno, sem vicios nem acha- 7 anuos ; um cabra de 7 anuos ; 3
ques, este irbea-se por uma preta que seja mo(a,_e|na rua da Sea&Ha-Velha, n. 132.
Vendem-se as
Foletnac-i em franeez
seguintcs
nos, sem vicios nem achaques, quecozinha o dia-
obras
, com estampas ; I ra ,j0 Cotovollo, n. 85, das 6 horas la manlifia as' 3
Diccionario de Constancio, em pTr-U-1 horas da tarde.
rio de uma casa, e he muito boa quitandeira :

em lrancez
guei Voltaire
Joao de Castro em portugus ;
nario portugnez por Fonseca 1 v. ;
Fbulas de rhedro; Virgilio, 3 v. ; Tra-
tado de educacao paia meninos Histo-
ria doscrimes do governo inglez 1 v. :
na praca da Independencia loja de en-
cadernaco, n. 13,
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Aos 20:000^000 de ris.
Chegaram, pelo vapor San-Stbastio bilheles e
meios ditos da primeira lotera a beneficio do con-
servatorio de msica da corle que deveria ser cx-
trahida do 12 a 15 do crrente. A ellos, antes que
chage o vapor com a lista.
y.
Vemdem-se, por precislo 5 escravos.- Um
'" crioulo do 7 annos, e 4 pardos de 18 a 20 anno%n
dicrio- rua da Senzalla-Vclha, n. 132. #

i.ev.
...:'. : '-:x
m
m
VendeiiTse corles de cas-
sa-eliilas, de icos padioes
ecoresfixas, a 3,200, 3,800
e 4,000 rs.
m
1
Vendo-so cal virgein em barril chegados pr-
ximamente de l.ishOa, por proco mais barato do que
om oulra qualquer parle : na rua da Moda, arma-
zem n. 17.
,j Vende-so estopa propria para saceos : na rua
00 Trapicho, n. 8
Vende-se carne de vacca salgada, em bar is :
na rua do Trapiche, n. 8.
Vende-seno da ludia, proprio para coser sac-
eos : na rua do Trapiche, n. 8.
Vcndcm-sc quatro mastros dcpnho: na rna
do Trapicho, n. 8.
i\a rua da Cruz do
Recife,n.38,
vende-se o muito superior e estimado rap meo-
grosso o grosso da fabrica de Kstevo Casse, chega-
(o do Ilo-dc-Janciro no brigue-cscuna Galantt-
Maria, entrado o mez prximo passado: seu proco
he de 1,280 rs. de cinco libras para cima.
Yinlio de Champanha
da superior c muitoacreditada marca
Cometa,
vende-se no armazem dchalkmann & llosenmund,
na rua da Cruz, n. 10.
= Veii(leni-se nioeiidasdc Torro para engenhos de as-
lUcar, para vapor, agoa c bostas,do diversos taiuaubos,
por prefo commodoje Igualmente taixas de ferro coadn
batido, de lodos os tainanhos: na prafa do Corpo-San
(o, n. II, 0111 casa do Me. Calmont \ Companhia, ou na
ruado Apollo, armazem, D. 6.
Gaz.
Loja de tfoao Chardon,
Aterro-da-lloa-Vsta, n.5.
Nesla loja acha-seuin rico sorlinionro de LAMPEOES
l'AHA OA7. com scus conipoientes vidros, accendeilo
ros o ahafadores.
EsteS Caildid l'OS *o os memrese
mala modernos queeilstem boje: vecoiumcndaiii-sc ao
publico, tanto pola srguranja o bom goslo de sua boa
confecfo, como pola boa qualidade da luz, oconomia e
assoiodoseu srrvico.
Nc'l OlCSIlia loja os consumidores sem-
ino achar/io un deposito de GA7,, de cujo se aflancaa
qualidade c om porcao bastante para consumtno,
Vende-se conforme a ((ualidadc a 320 e 400 rs.
a garrafa.
Vinhodc Bordeaux
Avrial Irmtos receboram novamente uma peque-
a quantidade lo vinhode Bordeaux, em quartolas
como aquelle que ellos estilo acostumados a rece'-
ber,soinpro da mclhor qualidade que aqu tem
vindo : por isso avisam aosseus freguezes de irem
ou mandarem comprrosla pequea porejio, afim
dcimmediatamenle mandarem buscar oulra para
uo ficarem privados, como teem acontecido, desic
precioso vinbo, a queja estilo acostumados, c que
na verdade be o mais proprio para este paiz.
Na rua liireila, botica n. 31, vendem-se algalias
do gomma clstica do* mclhor autor que ha em
l'aris.
No Alerro-dos-Afogados, casa terrea do lado da
mar grande n. 17! com lampefo na esquina'
antes de cbogar o. fabrica de sabfio ha um tronco
foite de sicupira, para vender.
Aos!O:OOO^de'rs
Vendem-se meios bilheles da primeira lotera do
Conservatorio de msica do Itio-de-Janciro, que I
cava a correr no dia 15 do corrento seleinhro : na
rua do Collcgio loja n. 1.
--Vende-.se arroz branco pilado, superior, a 8,000
rs. o alqueire da medida velha : na travessa do y'uci-
mado, n. 3.
Que jos do AI entejo,
muilo frescaes: veudem-se no
armazem do caes da Alandeg,
ll. I, confronte aescadinha.
Francisco Xavier das Chagas Sicupira vende i
moradas de casas, entre grandes e pequeas ,sendo
no bairro da Boa-Vista, rua de Colovello, n. 19;
rua de S.-Thercza, n. 17; rua Augusta ns. 53, 55,
57, 59 c C1 ; rua Imperial, ns. 41. 46,48 104 106,
110, 112,114, 116,118, 120, 122, 124 0 126; 3ca-
noas ; uma libra de ouro om diversas obras; urna
esciava do nomo Irla, presa na cadeia e penhorada
por dcimas de casas ; um chao proprio na cidae
de Olinda com alicerces em a rua dd Mathias-
Ferrcira coni oillo nieieiro com a Senhora Dio-
nizia : ludo livrc c desembarazado : a tratar na rua
Imperial, n. 61.
Vendem-se bichas prctas muilo baratas, aos
contos e a retalho, viudas de Lisboa: na rua da
Cruz, n. 62.
Escravos Fugidos.
NACIONAL
Os agentes do rap Andarahy nesla praca, vendo a
aceitadlo o bom acoihimento que tem merecido os-
lo rape dosde quo foi esposto a venda, prcoJiel-
tem lerscmprc rap riesen om librase meias libras,
no depositoda rna do Trapiche, n. 34, onde se ven-
de de 5 libras para cima e a retalho as tojas des
Sis. Antonio francisco de Moraes A. F. Pinto & Ir-
mo, A. ll.Vaz.lo Carvallio, Pontos & Mello, Cu-
nha ov Aiiiorini Pontos & Sampaio, na rua da Ca-
deia do Itecife; A. I), de O. Hugo, na ruada Madro-
e^Deoaj Campos & Almcidn e Costa & Cuima-
raes na rua doQueimado ; T. A. Fonseca o Umbe-
lino Maximino .lo Carvalho na rua do Cabug ;
< C lireskomfeld, na praca da Independencia ; Cae-
lauo L, Ferreira e Antonio Pereira da Costa o (Jama,
no Alerro-da-Boa-Visla,
:;r-v.......,,...,..,..;..,.. .,...,... ,,:,,,,;
i Vende-se ceru de carnauba jl qualidade tanto a retalho como em porca'- : j
- na rua das Larangeiras, n. 14, segundo andar. j{J
........
I

:3 :;---..:
Vende-se por precisSo, uma preta do 28 an-
Fugio 1 preto escravo de Joilo Francisco Paes
Barrlo lilhodo F.xm. marquez do Rccife, o qual
escravo he Benguela de estatuiji regular, sem os
denles da frento, barbado, e tcfti um lohinho no
peseoc.o: quom o pegar leve ao Aterro-da-Boa-Visla,
casa do doutor Nabuco, que ser recompensado.
Fugiram na noite de 5 para 6 do correntB do
engenho Limoeirinlio da freguezia da Fscada, co-
marca de S.-Antfio, 2 escravos prelos, um do Ango-
la de nome Jolo alto corpolento, bom barbado ;
representa ter 30. a 35 annos : o outro crioulo, de
nome Joaquim, alto, secco, sem barba cara redon-
da olhos brancos ; representa ler 18 a 20 annos;
o primeiro foi escravo no Cear e comprado no
Becife ao Sr. Madoel Ignacio de Oliveira l.obo o o
segundo he do Ico e foi comprado tambero no Itfi-
cifeaoSr. Manoel Pereira l.amcgo. Pcde-se a todas
as autoridades policiaes capules de campo equil-
3uer possoa que os encontr o favor do,, os levar ao
ito cnbenho ou no Recite na rua do Queimado,
n.O.quc ser generosa mente gratificado. Adver-
se que os dilos escravos forilo montados a cavallo,
um em cavallo ru?o-pombo e o outro em cavallo
auco pedrez : ambos os cavallos com ferro.
Ao amanhecer do dia 8 do crrante desap"
parecen i)v bordo do briguc Paquctc-de-l'rrnom-
buco, tundeado na praia do Collrgio, um escravo
marinheiro j idoso.de nomo Fclcianno haslan-
te alto com suissas brancas; levou roupa auja de i
alcatrio : quem o pegar leve a bordo do mesnio bri-
gue ou na rua da Moeda n. 7, que sera recompen-
sado.
Fugio, no dia 8 do corrento, o preto Paulo di!
60 annns, de ncelo quebrado, grosso ; levou sur-
rito c rede, c entre a roupa camisa e comillas de
baeta encarnada : quem o pegar levo ao pe da ca-
doia n. 25, que ser recompensado.
Fugio, no dia 3 do correnle do sitio Oileiro ,
do engenho S.-Jolo-da-Varzea umaoscrava criou-
la de nome Francisca do estatura hnixa, relor-
cada do corpa, peilos grandes, olhos pequeos,
rosto bastante carnudo, cor fula ; tem bons denles;
levou vestido do riscado rxo j desbotado,cha-
le de melini azul com lloros verde c cor de rosa.e
mais alguma roupa em trouxa. Desconfia-se oue os-
la cscrava fura soduzida e que so cha nesla (ida-
de em poder de alguem. Quem a pegar leve ao dilo
sitio o engenho, que ser generosamente recom-
pensado.
Fugio no dia 10 do correnle a es crava Anua,
crioula ; representa ter 25 annos, altura regular;
orelha-rasgada no lugar que prende o brinco ; quaii-
do falla imita muito sor preta do Angola; levou
vestido de chita : quem a pegar leve a rua Nova,
n. 33, que ser gratificado.
Fuio, no dia 10 do correnle una preta do
nomo alaria cornos signaos seguintcs: altura re-
gular, cheia do corpo cor retinta nariz chato,
denles alvos ; levou vestido novo, de chila rxa ,
Mil preta de alpaca c panno fino preto ; consta an-
dar pelas ras do bairro do S.-Antonio e Boa-Visla,
quem ir pegar leve a rua da Cadeia-Velha n. 41
segundo andar, quesera recompensado.
Fugio, no dia 5 do crrenle a'preta Damianna,
baixa, grossa do corpo ; representa 40 annos di
nacflo benguela ; falla mal. levou vestido de chil
co'm ramagein desbotada panno da Costa novo,'-'
cabccSo'tfe ganga azul : quem a pegar leve a Oliiid'
a Jos Joaquim Alfonso no Varailouro, que recom-
pensar.
PBR, NA IYP. DF. M. F. PE t-MUA.- l^-l/'


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EA4097TAL_RUWHWG INGEST_TIME 2013-04-26T23:45:55Z PACKAGE AA00011611_08541
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES