Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08532


This item is only available as the following downloads:


Full Text
O "^/"0,'' i.reco d natura he de
orem''e Ru,rl ',e|t papos adiantadnt. Osan-
IjpOO is.p01 <'"-,atc5 sao inseridos rnsode
nuncio do "'"^ rt ein tvpo dillerente; e as
j,, porlin'1 <[B,|e o, que n&O f rem ass'g-
vpeli;0** P ,o s porlinh, elOilem lypc-
.* P'/'^cd- (H.l.licu.-.o.
[MlerenK- V' _______-----------
,n,mNO ME' DE SETEUliRO.
piuSEi'5
r i horase rain, da tarde.
Hinsoaute. ,' 0J }t min.da Urde.
,uj n0, | s lioras d tarde.
arncente, >0J B in. da tarde.
Luache
Anno de 18**
Sexta-fersi 5
_ PARTID* DOS CORRF.IOS.
(oianna e Paraliyha, as segundas e setiai feir...
Rio-(>rande-dn. Norte quintas feiras ao meio-dia.
Cnho, Seriutitcin, Ftio-Eorraosn, Podo-Calvo e
Mncei no l., a I ( e Jl de cada mtz.
(iaranhuns e llonito. a 8 e 23.
Boa-\ isu e Flores, a 13 e 18.
Victoria, s qtiiutai feiras.
Ulinda, todos os das.
. PHEAMArl DS HO.IE.
Primeira, s 11 horas 42 minutos da tarde.
Segunda, as 12 horas e S minutos da manha.
DIARIO DE
de Setembro. Anno XXIV.
N. 198.
>\
UUS D\ SEMANA.
30 Segunda, i. Caudcncio. And. dj J do o
phios do J. do c. da 1 v. e do J. M. da v.
3i Terca. S. Raymundo Nomto. Aud \o
civ. da I. r. e do I. de paz. do 2 dist. de t
Ouarta. S. Pgidio. Aud. do .. do civ. 2
edo J.dep7.do2dit. .le.
Quinta. S. Kslevio. Aud do J. fie orph. e
doJ. municipal da l.vara.
*eit.S. Eufemia. Aud do 1' dociv. da I.
v. e do J. ile pal do I. dist del.
Sabbado. S. Candila. Aud. do J. do civ.
da I. T. e do J de paz do I dist. de.t.
S Domingo. Nossa Senhoro da Penlia.
CAMUIOS NO DA 2 DE SETE*3RO.
i :!,! tol.re Londres a 27 d p. irs.a 60 dias.
Pris Sa5 rs por franco.
Lislmaln&a Mfi ilepreniio.
I)e,c. de kfttfai de Ik> firm.s de V,al /, o '"
Oro-Oirlep.nhols....25nn JJ"?
a de 1*000.....
Prala PaUces.........
Pesos coluinnares...
Ditos mexlcauos....
Miuda....
9*100
||9A0 a
l|30 a
ifSOO a
IJ9I0 a
9*20
llSO
,)920
IJJO
11930
\c*c6es da comp.do Hclhcd'e S0JO0O r.. ao par-
AMBUCO
PAftTE OFftCUl.____
Governo da provincia.
EXPEDIENTE DO DA 17 DO PASSADO.
nnicio-Ao presidente nlerino da relajo, soli-
dando o seu parecer sobro o conteudo no rcquer-
mp'nlo do sentenciado Benedicto da Silva, quo lhe
remette com informa?ao do brigadeiro comman-
|,nle da ilha de Fernando
IJiito Ao inspector da thesourana das rendas pro-
inciaes, autorisando o pagamento de 8-2,780 rs. que
n lelecado de Iguarass despender com os presos
pobres da cadeia respectiva. Participqu-se ao che-
fi' ilo noticia. 111
nilo-Ao commssano-pagador, ordenando sa-
raea a Claudio Dubcux a importancia de 12 barris
" '' ._ n i'...,,.,,,,,,! ai\ iwtiivui'i inlihli' il:i
de plvora que elle forneceu ao commandante da
fortaleza do Brum.' Parlicipou-s
te das armas.
I'articpou-se ao commandan-
ilas armas. .
nito Ao commandanto superior da guarda na-
cional do municipio do P.ecife, scientilicando-o de
iver espedido ordem para que soja concertado
no arsenal de guerra o armamento arrumado do 2."
baUlhSoda mesma guarda nacional; bem assiu.
para que se fornegam ao commandanle do refondo
batalllao 50 armas do adarme 17 e urna corneta de
Portara--Nomeando a Jos llgino do Miranda
i 81100161116 do subdelegado da freguezja do Santo-
Antonio. Participon-se ao chefe de polica.
DEM DO DA 18.
Ollicio Ao inspector da thesouraria das rendas
nrovincacs, autorisando o pagamento de 48,000 rs.,
do o delegado da Boa-Vista despender com o aln-
etiel e venaros da casa oi que se acha aquartclado o
respectivo destaca ment. l>articipou-se ao diere
' 'Jio'---' Ao commissaro-pagador, determinando
enlreaueaocanoeiro-Jos Francisco Taboca a quan-
tia de 2,000 rs. por que elle contratara a conduc-
ho do toldado do *. baulhilo de artillara que
troucedoBarrciros. Parlicipou-se ao rToinman-
daute das armas. .
Hito Ao director do arsonal de guerra, (acui-
tando a compra de 100 barris de plvora lina para o
servico da fortaleza_do Brum.
DEM DO DA 19.
Offlcio Ao commandante das armas, iccom-
mendando a expodi^Ho desuas ordens para que o 2.
lenlo de cngcnlieiros, ora em servio nesta pro-
vincia, de intelligcncia com a commissaro-pagador,
proceda aosconcertos do quartel das Cinco-Ponas,
oreados em 170,000 rs. OJBQOir-se a rospeilo do
coramissario-pagador. ,
Dito Ao inspector da thesouraria da ra/.entla,
ordenando que va supprindo a rubricafonja navai-
com asquantiasque lhe forem absolutamente ne-
cesarias. Participou-sc ao inspector do arsenal
ilumaiinha. _..i..
Dito Ao inspector da thesouraria das rendas
inovinciaes, validando a arrematac.no do dizimo lo
adocavallar nos municipios da Boa-Vista o Exu,
pela quantia de 246,000 rs. ,onn
Dito--Ao commandante superior do municipio
Jo Rccifo, declarando que o tcnento corone -lo re-
peclivo 9 batall.no pode organ.sar MbdM com-
lanhias.Parlicipou-sc acamara municipal .lesta
"doAo administrador das obras publicas, or-
do ndo mande collorar tima barroira i.esUada
do norto, no lugar que Cor indicado pelo inspector da
Ihesouraria afrWdas provlnciaes Part.c.pou-se
ao referido inspector.
Dito Ao director do arsenal de guerra, scienti-
|cando-o da nomeacno de Manocl Francisco Sche-
,!hler, para o lugar do liel do al.hocl.ar.fado do mes-
ino arsonal. ,
DEM DO DA 20.
Ofllcio Ao commandante das armas, recommen
iliindoacxpedicnode suas ordens para quo se la-
mas competentes Honras fnebres ao corpa; do
inieiile do exlincto regiment dos llenr.qucs, Con-
calo Jos da Silva. .
Circular A's cmaras municipaes da provincia,
exigindo urna relacno nominal dos cidadHos que re-
lurruram das dec.sm-s das juntas de qual.ficac.io,
com dccUracflo dos dislrictos e f.cguezias a que por-
U"Offlcio Ao administrador do correio, determi-
and-lho que informe acerca da causa da-demora na
entrega das! ordens que, por osenota, a presidencia
tem expedido ao juiz de paz dos Afogodos, como el-
le reprsenla no ollicio que so lhe remelle.
Dilo Ao juiz do paz presidente da junta quali-
cadora do Ouricurv, aecusando recibida a copia da
a'ctn da qualilicacflo dos votantes da mesma fre-
Bl'i|o Ao adininislrador das obras publicas, re-
comn.cndandoa conclusa., do aterro da ponto da
Taca runa. ,
Portara Bcsolvcndo que o vereador mais vo-
lado da rimara do Cabo, que so adiar dcsimpcd.do,
onvooueoa niedialoaSm voto para se reun.rem
ImUsno aun. de cu.np.irem as diversas ordenada
o^sKcio nw leen, si. expedidas a mencionada
amu c arem expediento aos diversos negoc.os
s -lo a mu caigo, llen.etteu-sc csU portara
uiiz de ireitol.le. iuo da comarca do Cabo, para
rjSSvSm -rr usas;
dlicios. que n.ei.cio;.am u laclo de more u fu.auo
Mo alguna dos vcreado.es suspensos da rjai'
camaraf llai de quo a vista destes oOlcios procedes-
se a semelhanle rospeilo decouformidade comalei.
DEM DO DA 21.
Offlcio Ao commandanto das armas, declaran-
do que, em attenco ao quoS. S. informara, ordenou
queao lente A. de S. Condim se pagassem mais
tres mozos de sold; edizendoqueesseofflcial deve
solicitar do govorno de S. M. o Imperador a neces-
saria permisso para continuar a receber scus ven-
cimentos nesta provincia.
Dito Ao presidente da cmara municipal, de
Goianna, estrant.ando-lhoa resolueno quo tornou de
convocar o juramentar tres supplentes, quando l.a-
va numero legal de vereadores, e so nflo davam i s
circumstancias previstas no artigo 28 da loi do l.'
dooutubro Je 1828, para que toda a cmara, e nao
Smc., de proprio arbitrio, procedesse a scmelhanto
convocacSo; o significando que espera que Smc. se
abslcnha da pralica de actos idnticos ao que lica re-
ferido, e que fura trazido ao conhecimeiito da pre-
sidencia porparticipacaodequalro dos menciona-
dos vereadores.
DEM DO DA 23.
Offlcio Ao commandanto das armas, inteirando-
o tlehavorS. M. I. concedido demissflo ao sargento
aggregado do sexto batalhflo de caladores, Miguel Jo-
s de Moraes.
Dito-Ao mesmo, indagando o motivo porque
deixaram de seguir no vapor l'ernumbucana os re-
crulas Juvenal Francisco de Lima, Manoel Mendes dos
Sanios, Joo Cualberto da Silva e Joio Jos do Moura
Lima, quevinliam mencionados na relucHo que a-
companhou o offlcio de S. S., de 15 do julho prxi-
mo pnssado. .
Ditos Ao mesmo e ao commissar.o-pagador,
scienlilicando-os deterS. M. o Imperador resolvido
que fique addido ao quarto batalliHo de artilhana a
p o cirurgio-ajudantc do segundo batalho da mes-
ma arma, Tila Adri.lo Bebello.
Ditos-Aos mesmos, inlelligonc.ando-os de ler
sido no.neado lente cirurgino-mr do hospital
regimeiital desta provincia o Dr. Pedro
Lobo Moscoso.
Ditos--Aos mesmos, participando que o len-
te-coronel graduado Uiiz Antonio lav.lla fobteve
permissno de S. M. o Imperador para continuar a re-
sidir nesta provincia, sol) a condicflo de poder ser
empregado nella, se assiu. convier ao .servico pu-
blD.tos Aos mesmos, nteirando-os de l.aver sido
nomeado lenlo cirurgiilo-mor do ">>"*2
de cacadores, o crurgino-ajudante BobaatltO Jos
GDilo- A Rodrigo Theodoro de Froitas, declarando
que S. M. 0 Imperador exonerara da Inapeccto do ar-
enal de marinha dcsta provincia 0*2|**g;
sao reformado, Manoel de S.que.ra Campello, e Ho-
rneara a S. me. para o substituir.
Portara Nomeando pr.meiro s..pple..le do ju.z
municipal e d'orpWoi do termo de Coianna a Anto-
nio de Arruda Camera. ,ii,.1.i oum-.
Dila Iteformando, no segundo I .ata 11.3o da (, a^i
da nacional do municipio do Olinda, aos alTeies
rYanci'c I ucas Ferreto" Antonio Francisco.Poreira
Jnior. Tiburcio Antonio de Olivera c Francisco An-
tonio Vieira da Silva Jnior.
a O governo de S. II. nSo acredita que o governo
francez indefira esta peticSo ; annumdo a ella,, so-
riam saseitos os desejos de mullos subditos bntan-
nicos, o ao mesmo tcn.pose pona termo a difticulda-
des locaes. sompre mais ou menos incemmoilas ao
governo rVancez. O governo de S. M.. lera sumino
gosto om que V. Exc. me possa annunciar quo ouvi-
dos os peticionarios.
Londret, 1. de fnmiro.-0 abaixo assignado re-
ceben u nota que o visconde do Palmerstou lhe diri-
gi a 0 de Janeiro, na qual expressava o desojo do
saber so os habitantes do Tahiti, que quizerem dei-
xar a ilha para estabelecer-se em outros pontos, re-
ceberiam a competente lice.if,a das autondades lo-
caes. O abaixo assignado podo annunciar a S. l-.sc. o
visconde de Palmerstou, que .adodezoml.ro pr-
ximo passado o ministro da marinha e colonias cs-
creveu ao governador dos ostabeloc.montos france-
/es na Occanla, prevenndo-o de que n.lo oppozcsso
obstculo a emigrado, no caso de quererem os na-
turaes abandonar a ilha para se sublrahirem a au-
loridadc do protectorado.
O abaixo assignado folga do cominunicar a S.
Exc. esta resolueno satisfactoria, na qual S. Exc. vera
nina nova prova da moderac.no e do espirito concilia-
dor que o governo do rei mostrar sempre as suas
rclaQOes con. os naluraes do Taluti. lenho a hon-
ra, etc.
dem, 27.
Parecer dacommmo na causa do general Cubires.
EXTERIOR.
FRANCA.
C
PARS, 11 DEJIINHO
Km urna carta de Constantinopla, dirlyda a um
iornal inslez, lmos os pormenores da queslao que
leu ugur n que r. Behr, enviado da Be gica em
Constautinoida, pedisseos WP****;
Passeava a cavallo um banqueiro armenio no por
lo deBugukdere, acon.panhado por.f*i
chegando defronte da casa do ministro da ItoImc. o
pavSlIo negou-se c levanlou-se; mcommodado Mr.
Behr que tata assentado porta da casa, levantou-
se c de" duas ou tres bastonadas no armenio. Os
dous criados acudiram c quizeram desarmar o ba-
So Seguio-sc urna lula. en. que houwpancadaa
dadas e recebidas de ambos os lados; 0 Mu
odiano do Mr. Behr cabio ao mar. Sahiram mllo
d aiTos criados desle, laucaran, o armenio^c.ca-
vallo abaixo eespancarani-no, assim como aos cna
d s M-licia chegou porlim a restabe ecer a ,.
den. O banqueiro, vollando para aculado, fo. lug.
aucixar-se as aul.idades. Mr. Behr metteu-se a
cama nwndou chamar dous mdicos para aUes-
Zm "a eoniusfles que tinlia rccebido e pedio
"oTptasalisfacao. A PV^!^oSriD
iba lunar a sal sfacao pedida-1. porque o oa o
1, lado causa desorden ; 2.", porque nada i. -
icava. elle ..aquella occasino o seu carcter d.plo-
Xora armlo poda ..fnorar qu-n.-- .-
hstsiatt S**s <*-",,uo,,c-
l"r-l0Fonm !;raeSsea!esC.So parlamento bri.annico os
SeguincSTo'umeulos relativos ao Tal.it., eas.ll.as
da sociedade no mar pacifico.
a Lord Paimenlon ao conde de Si.-Aulmre. 20 de
ianeiro Sr. embaixador, referindo-me as commu-
uckOcs verbaes que reccl.i do V. Exc. relativas a.s
S^wastesSsaas
Do real decreto submcltendo esto assumpto ao
tribunal dos pares, resulta a necess.dade de exami-
nar dous svstcmas milito dilTerentes, o do urna ten-
tativa de engao, o o de uma-corrupcSo ou tentativa
de corrupt-no contra un r.iiiccionario. Linquanlo a
tentativa de engao o t.ibunal er que existen, mo-
tivos sufflcientes para proceder: a aecusacao pode
comprehender lano M. Cubires. como M. Pellaprat,
a. tomo ambos ellos. Teem porvenl.ua simulado una
Je Alahidelcorrupcao com o Bol de seapropriarem do dinheiro
destinado para ella ?
A creado de 25 aceces novas sobre o activo soci-
al, a venda de25acQoes pertencentes a M. o niada-
ma Parmentier, a entrega ao general Cubires de
100,000 francos, produelo estes dous ac os ano
I.orv.-i.tura fructo do manobras Iraudulcntas, e.n-
pregndas para fazer crr na existencia de una cor-
rupto imaginaria, c para despertar a oaperanca de
que por meio desta corrupcBo se dara en. ce. a -
poca a concossao das minas, ou antes para mantero
temor de que sem esla irrupQSo sena negada a so-
liciludede concessao, ou se outhorgana sol. condi-
ces desfavoraves? ,, ... ..
M Cul.i.-reseM. Pellaprat, ou umdcllcs, mu tipli-
caran. as mentiras na sua larga correspondencia
para exagerar os sois fingidos esforcos, c engaar a
Parmentier o seus associados, calumniando o mi-
nistro M Teste, com o objecto do se apropriarcm
das aeces ou do dinheiro quo Ibes losse entregue t
A devoluc.ao que o general Cul.ieresfez de 25 ac-
edes novas, em 15 de fevcrero de 18, com encar-
go du as annullar, foi porventura um acto volunta-
rio da sua parte, o executado son coi.dic.ao lien, re-
serva, ou com a condicflo e esperanca de so lhe pa-
earem as suas Ungidas despezas de cooccpcao i
No intervallo quo medou at 15 de fevereiro de
1843, poca da devolueflo destas acgOes a 22 do
Hoveml.ro de 1844, dala da sua annullacfio erlectiva,
onpregarain-se acuso osforcos para fazer intil a
devolucf.o e empregar o todo ou parle do valor
destas accocs para o Un. indicado." .Nao leen, sido
pelo contrario legtimos os esforcos do general Cu-
bires para se .-ccmbolcar primeiro das despozas an-
ticipadas por elle para aclos legaesem que acom-
nauhia das minas esteve inleressada, e em segundo
Itiaar para se indemnisar da perdaque levoeni oito
acefles pessoues, vendidas a M. Pellaprat por menos
do seu valor con. o Km de proporcionar a compantlia
o apoio desto capitalista, o a vantagem de o ler por
lS0CxerVco da fucul'dado quo litiham de tornara
vender M. e madama Parmenlior, e que se resorva-
ram, verilicou-se sem mais dilbculdadcs que aquel-
las que podiam resultar da roduccao do contracto i
Sera, pelo contrario, corlo quo o general tenha foto
todos os esforcos possivos para impedir que exer-
ce son esta faculdadc fundando-so na exigencia
,IU-,ln.iadequ6lhe fossem sat.sfotas asdeapozas
licitas de dinlieiro empregado en. urna irrupcao
menaoexislia? Nao se tora resignado a per... ti
exocicio da faculdade da revenda, e a eximir Par-
menlier de todas as despezas en. v.ilude das amea-
cas que se lhe linham feito, especialmente de se des-
cubrir... as mentiras e publicar a sua correspon-
''Txistcm porventura contra M. Pollaprat indicios
su {cenles de ler empregado os mesmos manejo
\ii em provoito proprio, ja en. particular com o ge-
eraL 'ou Jara ajudar e assistir a eslo na sua tenta-
l Na'byi'oth'eM de que se bouvessem executado, ou
^i.ipinTdo corrupcao, poderiam l.car indi-
^LVliSA^B^^'* esta tenlaliva,
se M (fu .^res o Pellaprat, ou un. delles t.vesso ex-
agerado o prego da corrupcao para se apropr.ar da
ouaiitidade excedente i "...
q 0 artigo 179 do cdigo penal distingue en tro a
eorrupcao ou tentativa do corrupcao seguida de ef-
fro $eho um crimo; o a tenlaliva nao seguida
de VlVeito, que he un. delicio. A moral reprova al-
nSnte" porm a lei penal nao castigaos projec-
S de corrupcao anda que sojau. concertados en-
?e multas .essoas ; nao ha delicio qu.nuo, lio.-
tentativa de dirigir-so alguem a um funcciouano
con. promessas, olTe.las, donativos, presentes ou
proposicoes adn.illidas ou rejeitadas. O tribunal de-
vera examinar so o processo se acl.a neste caso.
Appareeem nos documentos desta causa mu.los
nomos de funecionarios pblicos. Na substancia, es-
ta doploravel correspondencia, em quo nao jaliam
aecusacoes temerarias, projectos culpados, lcena
de lingoagon, smente sobre um recaben suspe.-
tas. Os interossa.los, unas vezos pelo amargo das
suas queixas, oulras pelo extremo das suas precau-
Cdes, tribularam una l.oinenagcm involuntaria aos
domis agentes da administracSo. Alem disto, a
eominissao nao lem querido deixar iieiibum porme-
nor son o esquadrinhar o aclarar. So l.cou por es-
clarecer a conducta do um funccionano. A vordado
mesma da ii.rormac.ao instruida sobro a sua con-
ducta da direito a proclamar, segundo resulta das
ilivestigaces mais minuciosas, que a rospeilo do
todos os agentes da admiiiislracao, desdo os mais e-
levadosat aos mais modestos, nao do lugar a sus-
peita algumii. ...
Porn. esto s funecionario, do cujo apoioinlo-
ressado so jactava M. Cubires, he um par de Iranca,
um magistrado, un. anligo ministro. As espcranQas
de corrupcao. dirigidas contra Mr. Teslo, eoiista.nda
correspondencia. Os preparativos de corrupcao lo-
ram exocutados ante o eacrivflo. Foranielles segui-
dos do cITeito ? Cr.o tribunal que desdo ja, o son
a prova do um dbale publico, se podo declarar que,
contra oque repelidas vezes diz a correspondencia,
devem prevalecer as negativas unnimes o enrgi-
cas dos acensados odaTestcinunhas* I era o tribu-
nal por averiguado, son iuformaca.. mais ampia,
quo estas accusac.Ooss.-io un. tec.do de indignas cj-
luau.ias contra um ministro, cuja nica talla appa-
renl seria ueste caso le.-sc man.feslado de.>as.a-
dan.ente aervieal o accessivelJ explicara o tribu-
nal a condueU .le Mr. Teste pelo ardor das ia.con-
VJCCOea, e pelo seu zelo en. cu.npr.r com oa *9VerM
que acreditava lhe eslava... ..nposlos/ lora n le.tus
sacrilicios pecuniarios por Mr. (.ubieres para aclos
de corrupcao? Qualhooverdadeiro sentido da ven-
da'us suas oito accoes, Iota em 17 de jane.ro do
1833, das rcclau.acOcs que produz.o MMUWft
frluiS dasoi.oaccoes.' Tinha r.Pel.prglWX^
liado con. os seus manejos o con. oso. d nheiro as
___......~x.. e puramente
|ha e estabelecor-se n'outro pon- tre inuiia i ehen8iveis, 0u a preparati
io "o p'ossam fazer sem obstculo, levando corneo I ^g^J^ naoPtem ercido o actoncmi
------nropriedado. '
10, O uuaaoi" ------- Ta
os objtctos da sua propriedade
O^t^dc^-PC^TE foi licita o puramente
nic osa a sua nlervo.cao i- Teem as suas oporacOes
sido 0 resultado de clculos l.nance.ros, ou conse-
quencias legitimas do so. affecto o conlianca pelo
general Cubires i1
Andu ignorante do ludo Mr. Parmentier A sua
parlicipacao ein actos de corrupcao, se lio que a
nouve, nao foi mais que apparento como precaucSo
para nflo ser engaado t Foi vordado. o cumpl.co da
corrupcao at queso ol.teve 0 decreto de concessaor1
Cessou gmenle de enparentar que acreditava na
corrupcao, dopois do conseguido o decreto, alim ue
fazer rocahir em outros os sacrilicios que elle tives-
se distado f PCde acaso engaar porque o ongana-
vain? Quando se lhe quera fazer pagar demasiado
cara a corrupcao, ulM responded, ***
modo que mo livesse quo pagar nada i Estarao em
seu poder as provas o indicios da corrupcao por ler
sido cu.nplice nella ? Tera querido abusar da pono
dessas provas e indicios para tirar dinhoro ao ge-
neral, amoacai.do-o com a sua publ.cagao i
Do todas estas quosloes mu.tas sao arduas todas
sao deploraveis A sua soluc^o prova os sonlimeii-
tos do tribunal; porn. ello julgara com imparcia-
lidad.'. Emquanto competencia da cmara, o ar-
tigo 89 da caria constitucional a declara, sea cma-
ra acredita que lia indicios sullicientes para proce-
der contra M. Cubires, contra M. Teslo ou contra
ambos. Se o tribunal, formando causa a estes dous
pares de Franca ou a um delles, julga ao mesmo
lempo que lia indicios sullicientes para proceder
contra M. Pellaprat, contra M Parmentier OOMBtn
ambos, so a competente com respo.to a estos lti-
mos pela connexao. Htraldo.)
(;UA-BHETASI1A.
LONDRES, 8 DE JULHO.
Oauno econmico terminou en. ''>K>^rr *"
iull.o, e na mesma no.te o governo lem por omlu
me ai resent!..- acamara doscommuna a con la das
rondas nu liras. Foi islo que bontem fez lord John
Bucnracompanhando-a,..e urna conta compara-
Uva do anno precedente. .
Durante o anuo econmico lindo om 5de julhodo
1847 comparado com o anno precedente, ha um
"imeTo Pde com milhocs de reales Este aug'"-
SH pMi.cipaln.ente dos rend.montos das al-
r C sisa se lo, conlribuicBo territorial c. cor-
Smeoto da China, por sso que o governo chi-
,ez nos aiinos de 1815 o 18*6 pagou as .ndemn.sa-
?r,AgorV.g"eercoampar.rmos as rendas do trimestre
venodo em 5 de julho de 1817 com as do mesmo_ tri-
mestre do anno de 1816, encontra-se urna reduc-
c3o de 4->72 libras esterlinas nos direitos das alfan-
degos; porm he preciso ..3o esquecer que em con-
sequencia da colheita de vveres c escassez de di-
nheiro nos mezes de abril, ma.o e junl.o, muve
naral.sacao completa de transacc,Oes commerc.ae,
Lmtando-se os fal.ricanles e especuladores a im-
portar do estrangeiro os artgos mais indispensa-
Visiop.ovaoquo disso a V.... lia Ires semanus, a
.saber: que a crse moneUria nSocratao grave co-
al mo se tiuha pretendido.
MUTILADO
il'BH

I


I
ja
W*


kw
'

" 11
I
i






1
j


vi

*
1

=*2
Os primeirosdias da semina no parlamento silo queno numero, e o bom sentido e a reetidfio quo di-
notaveis pelas dscusscs que teem havido na cama- rigcm os pensamentns e a conducta da grande maio-
ra dos commiins com respeito a Portugal, e sita- ra do povo teem repellido al agora todas as insi-
gflo econmica da llespnnha. Os discursos pronnn- miagos desta elasse, o todos os mos concolhos, o
ciados nestas tinas occasiOes por lord Palmerston Padre Sanio est seguro deque nunca cncontrarflo
merecem ser lidos pelo publico hespanliol, oqual hnm acolhimcnlo noseu povo. Porm he mais fcil
poder apreciar quaes silo os verdaderos sentimen- imaginar do que expressar i dr que Sua Santidade
tos que animan) o gabinete wliig para coinogovcr- senlio que os povos Ihe tem dado, emquanto Sua
no de Madrid. Santidade levantando as miTos aoco peda com ar-
Nflo poder fi-char-so o parlamento to cedo como dor para todos os scus filhos as maiores bengos.
se esperava por causa das frequentes interpcllages O coragflo paternal do Sua Sanlidade padece tnui-
quoentorpeccm a marcha dos negocios. Sem oin- to; todava, vendo que pavoneos inteiras e pessoas
bargo, o governo espira quode 24 a 29 pdenlo sus- particulares fazem continuamente despezas para
pender-se as scsses. Acidade.de Cambridge neo-- concorrerem para estas demonstrares publicas, co-
ihcu brilhanteinente o principe Alberto, aotlar-lbe nhecendo que os artistas abandonan) o trabalbo com
posseda dignidado do grande chanclieller da uni- prejuizo das suas familias, que a mocidado que se
versidade, para que foi eloito ha dous mezes. dedica ao cstudo perdo um tempo precioso, e obser-
Aiiida que o gabinete whig aceitou a d lord Hardinge, governador das Indias oricntacs, es- vo disspagflo. O corceo de Sua Santidade soffre-
porava-se que lord Hardinge consentir em conti- ria,todava,muito mais se tivesse de durarpor muilo
miar naquello emprego at ao 1.* de Janeiro nrovj- lempo um estado decousassemelhante.
mo, afim do duixar no governo o tempo necessario Jconcluio o primeiro atino do sou pontificado,
paraelegor o seu successor. Designa-se para este e tiesto tempo tem podido condecore apreciar devi-
lugarlord Normanby, actual cmbaixador de logia- (lamente oamor e o rcconhecimcnto da Icaldadc
torra em Paris. dos seus muito amados subditos. Agora pede-lhes
Na semana prxima havera em Windsor capitulo urna prova de tilo louvaveis sentimentos, a saber:
.1,. urden)do Banbo para dars insignias desta op- quocossem todas essas rcunies populares e toda a
dem ao principe de Valdemaro da Prussia. ,'rlasse de manifcstagescxlraordnaras;(excepluaii-
Acaha de se manifestar de urna mancira notavol do aquellas por as quaes lenham ja concedido a per-
o espirito omprehendedor da nagflo ingle/a. A cos-
ta oriental da frica, desde as posscsses do l.iman-
do-.Mascate atao estreito de Babcl-Mandel, tem si-
do at agora pouco froquontada pelos Europcus, a-
poitrde ser esta a verdadcira patria das plantas de
Cit, c de proiluzir tamhcm cm abundancia arroz,
ail, algodflo e as especiaras mais raras. O mar-
limcas madoiras mais preciosas estilo alli muito
mais baratas quenas faldas do liidio-dc-Cungor, o
cm geral tas ilhas das Indias orientaos.
Grande numero de capitalistas inglezes tem for-
mado urna sociedade, que com o titulo deCompa-
)ihia-da-.\frica-Orenlal se prometi explorar estes
paizes, o ser o ncleo de futura dominadlo inglezi
)iaquella parle da frica.
A rainha concedeu vuva do l)r Chalmero, che-
da igreja escoceza emancipada, urnapensflo de 200
libras slerlinas, o outra de 300 ao celebro tnonge ca-
tholicoo padre Mutleos, fundador ila sociedad da
Tempcrang:i na Escoca. Na terga-feira prxima su-
birs. M. pata a i I lia de Wighlf e uo tornara aqu
seniopara encerrar o parlamento, o marchar depois
para a Escocia.
{Corresp. do Heraldo.;
ITALIA.
HOMA, !3 DK JUNIIO.
Recebemos por Marselha notiflcacffo docardial
Gzzi, secretario de estado, aos subditos do governo
pontificio. Vejam-se os termos em que este docu-
mento est concebido.
sotifica^aO.
J'ascoalGizzi, cordial presbylero da sania igreja ro-
mana, com o titulo de Santa l'rudenria, secretario
de estado de Sua Santidade, nosso senhor, o papa Pi
X, ccc.
Desde o primeiro momento em que o nosso Santo
Padre se vio collocado, por urna disposigo maravi-
HlOSa ilftl>iiua )'i uviettoia, no cudoiru ilo s.m_|V-
dro, nilo s comprebendeu toda a gravidade das
obigaccs que o seu ministerio apostlico lile im-
punha, mas (ove muito presentes os trabadlos c des-
vellos que devia passar para procurar a felicidade
dos seus subditos nos estados pontificios, no que,
alOl de ctimprir com o principal dever do um sobe-
rano, obrara segundo as inspirages do seu corago
paternal.
Osen primeiro pensamento, que leve origem na
carilindo eterna cera por ella inspirado, foi o de
pronunciar as palavraa de paz que apenas proferidas
excitaran) os appiausos geraes B foram fecundos em
ptimos (rucios, renasccu oalTocto ese reanintou a
conanga entre os subditos e o soberano, como cn-
Ire um pai c seus filhos, sonliinentoa que se ncha-
vam quasi completamente extinctos pela porversi-
dndo dos lempas. Desojando, pois, com ardor fazer
actos do beneficencia e consolar no possivel todas as
miserias, admillia a sua augusta presenta lodosos
Cdadoa sem dislincco de classes, e cstondia a lo-
dosa iiiao para os soccorrer sem cxpoi mentar ou-
tra contrariedade senilo o sentimento, senilo o do
uo poder serninda mais generoso.
Dirigindo logo os seus seutimemos para objeclos
mais importantes, concedeu o Santo Padre autorisa-
i.ilo para estabelecer caininhos de ferro, oceupou-sc
om uielhorar a inslruogflo publica, formn em lio-
rna urna cotnmissilo do jurisconsultos Ilustrados,
para revisar o tnelliorar a legislaciio, encariegou a
pessoas dislinctas que Ihe apresenlassom um pro-
jecto de organisagc municipal para a cidade de lio-
rna, mandou crear um concelho do ministros, o re-
solveu que viessem capital pessoas instruidas c
probas das provincias para que o ajudassum a molho-
rar a fazenda o a adminislragflo do oslado.
Todas estas benficas dispusieres do soberano fo-
ram pagas com a gratido dos povos manifestada de
mil modos, gratido que commoveu o coragflo pa-
ternal do Santo Padre, e a qual tem correspondido,
invocando para o seu povo as bengos celosliaes.
Sua Santidade esta firmemente resolvido a prose-
guir no caminho dos mclhoramenlos cm lodos os ra-
mas de administradlo publica que dalles possam ca-
recer; porm est tambem decidido a nSo as cffec-
tuarsenflo progressivamente e com multa pruden-
cia, obrando sempro dentro dos lmites cstabeleci-
dos pelas condices c Circumstanciaa particulares
anneXas soberannia e ao governo temporal do che-
fe da igreja calholica, no que nilo se pode adoplar
certa lrina que arruinara a existonpia mesmo dii
soberania, ou diminuiria pelo menos a liberdade
exterior.essa independencia no exercicio da suprema
primazia,pelas quaes Dos, na profunddade das suas
vistas, quiz que a santa s fosso tambem principado
temporal. O Santo Padre nilo podo esquecer-se dos
sagrados deveres que oobrigam a conservar intacto
o deposito que Ihe foi confiado.
Porisso, nilo tem podido ver sem dr, que alguns
nimos inquietos queiram aproveitar-sc da presente
situacSo para propagarem efazerem prevalecer dou-
trinas on ideias totalmente contrarias as suas mxi-
mas, ou para conseguirn) impr-lhe oulras inte-
rameute oppostas nalureza tranquilla o pacifica
eao carcter sublime do que he vigario doJesus-
Christo, minislro de um Dos do paz e pai de todos
os catholicos de qualquer paiz do mundo que seiain
para excitar, por ultimo, nos povos, por meio do es-
criptosou de palavras, desojse esperangas de re-
formas que vuo mais alem dos limilos indicados.
Como estes nimos inquietos s3o cm muito pe-
missilo correspondenle as autoridades compeletites
na capital ou as provincias) e que vivam com trart-
quillidade, boa ordem o concordia, que ho o melhor
elogio de um povo. Tal he o seu desojo, tal he o seu
voto, ao saber que se tem commettido em diversas
provincias alguns actos horriveis, que estilo cm
aborta oppnsgo com a paz e concordia que elle
quiz que roinasso entre os seus queridos subditos
quando nos primeirns dias do seu glorioso pontifi-
cado proiiunoiou a doce palavra de porcino.
Outro motivo de dr para Sua Sanlidade silo algu-
masreunios tumultuosas da multido, que teem ti-
do lugar em diversos pontos sol) o pretexto de es-
cassez de coreaos, perturbando a ordem publica, e
cm nilo poucas partes amcacando a seguranza das
pessoas o das propriedades.
Sua Sanlidade nilo confunde estas rennies tumul-
tuosas com as que teem havido em Roma e as pro-
vincias, sem outro olijecto mais que o de manifestar
agradeciment pelos beneficios recebidos. Bolonba
o oulras militas ciliados merecem ueste ponto espe-
ciaos elogios, c sobre todo osla capital, onde o San-
to Padre tem vislo com verdadeira satisfazlo, que os
hons eafTectuosos Romanos, acostumados de ha mui-
to lempo a respeitar-so a si inesmos.teem sabido con-
servar tamben) tiestas circumstancias a reputacilo,
que teem entro as naces mais distantes, de saberem
manifestar o seu ontliusiasmo com a maior viveza
sem que baja que lamentar o menor excesso.
O Padre Sanio nos encarrogou expresamente de
nianifsstarinos etn sen nomo a sua soberana satisfa-
gflo pelas pravas de sincero reconhocimento, que tal
he a voutade do Padre Santo : Sua Santidade osla se-
guro de que esta simples manifestacao dos seus sen-
timentos o desejos sera tiio ellicaz c anda mais que
una ordem formal para todos os seus povos, c es-
pecialmente para a sua boa cidade de Roma.
Dado na secretaria do estado, aos 22 de jullio de
1847. Ocardial, /'. Gnti.
(Heraldo.)
S1SSA.
BERNA, 23 DE JUNIIO.
O Sr. I). Joo Antonio e/ayas, ministro plenipo-
tenciario de S. M. Calholica junto dn confederago
helvtica, nomoado para substituir o Sr. Marn, che-
gou aqu nos principios desta semana. Mo dia 86-
guinte ao da sua primeira visita ollicial chancella-
ra federal, foi cumpriuientado em sua casa, segun-
do o coslutne, por dous individuos do dirceloro,
que foram Mrs. Stockinar e Schneidcii. Na manlia
de antes do honlom o novo representante do Hespn-
nha, acompanhado dos individuos da sua legago,
se apresentou co.n toda a solemnidado cm Stilfl (pa-
lacio em que reside o presidente do directorio), alim
do nprcsciilar as suas credonciaes. Nesta ceremonia,
o presidente Mr. Ockscnbciu, eslava acompanhado
dequalro individuos do directorio, lodos do grande
uniforme. No mesmo da o directorio deu coi honra
do novo ministro plenipotenciario do llcspanha um
magnifico banquete a que assistiram todos os mein-
bros do vorort o do concelho geral, assim como os
representantes da Inglaterra o da Blgica. Por ulti-
mo brindou o presidente Ochsenbeiii a saiide da rai-
nlia Izabel o a coiiservaco da boa liarmonia e ami-
zado entro a llcspanha o a Suissa. A estes brindes
correspoudeu o Sr. I). Joo Antonio e Zayas com ou-
tro a sudc do presidente Ochseubeiii e a prosperida-
do da confederago bclvclica.
No .lia anterior, Mr. Pecl, o mesmo que esleve
muito lempo cm Madrid aggregado a legago britan-
nica, apresentou igualmente as suas credenciaes, co-
mo oncarrogado do negocios de S. M. Uritannica du-
ranle a ausencia de Mr. Moricr, minislro plenipoten-
ciario, queseacha com lieenga em Londres.
Os peridicos de Pars suppozeram que Mr. Pcel,
ao chegar ha una dez dias a liorna, censurou a nota
dirigida ao presidente pelo cmbaixador do Franca e
relativa a reviso do pacto federal. Daqui teem de-
ducido que a Inglaterra uo opinava do mesmo mo-
do que a Franca sobro o perigo de modificar aquello
pacto. Todos os commentat ios da impronsa franceza
sobre esto ponto cahem por tena ante a singla con-
sideradlo deque, qualquer que tenha sido a lingoa-
gem do Mr. Peal na sua primeira visita ao presidente,
as suas palavras nao podero ter carcter ollicial,
pois uo tem entrado em funeces como represen-
tante da Grfio-Bretaoha seno desdo 22 do correte,
dia em que apresentou as suas credenciaes. Polo
contrario, tenho dados para cror que todas as gran-
des potencias da Europa osto do accordo para evi-
tar u reviso do pacto federal cheguo adarmolivo
para so alear de novo a guerra civil.
[Corresp. do Heraldo.)
(Diario do Governo de Lisboa.)
NOTICIAS DI VIS USAS.
INCREMENTO INAUDITO DA POPULACAO NA
AMERICA DO NORTE.
Lomos no llicknell's Heporter de Philadclphia do 8
de juiiI)o do crtenlo anuo, que no lugar onde, ha 39
anuos, s exista urna casa de madoiru, boje ha una
cidade Rochesler) com 27:000 habitantes.
OUTUO CASO DE MORTE POR CAUSA DA INIIALA-
g.U) DQ ETIIER SULPHURICO.
nm mogo chamado Coolidge, tendo fracturado um
braco, foi necessario fazer-se-Ibe a a'mputacilo. A
oporac.no foi feita pelo Dr. Lewis, quando o mogo se
achava no estmlo de insensibilidado pela inhalacflo
do ether. Poucas horas depois da operagllo morreo
o paciente, c a opinido do Dr. Lewis, operador, foi
que a inhaladlo do ether era a cauta immediata dii
morlo do mogo, porque pela abertura do cadver so
va claramente cue o systoma muscular apresentava
um aspecto inletramenle diverso daquelle quo com-
mummente mostra o mesmo systema depois do Sim-
ples operaces cirurgicas.
COMMERCIO.
AI fndela.
RENDIMIENTO DO DIA 2.....;..... 6:156,391
Descarregam hs, 3.
Sumaca Santo-Antonio-de-Padua rotim.
Briguo Maria-Felit mercadorias.
Escuna Deslandts idem.
Barca Ligeira idem.
Rrigue l'atriceut bacalho.
IMPORTACAO'.
Nelie-Malhilde, brigue francez, entrado no mez
prximo passado, consignado a Adour & Companhia,
mauifestou o seguinle :
I caixa tecidos de seda, 3 ditas diversos objeclos ;
a St. Martin.
1 Imrril'vnho; a A. E. Vianna.
6 fardos lecidos de linho o algodo, 13a o algodo;
a Lenoir Puget & Companhia.
CO caixas queijos ; a Bernardo Lasserre & Com
panliia.
3 fardos pannos, 100 gigos champanha; a Rothe
& Bidoulac.
1 caixa pelucia, 1 dita couros; a A. L. Straun.
4 caixas tecidos de algodiio, 1 dita tecidos de 13a,
1 dita quadros, 3 ditas objeclos de modas, 2 ditas
chapos de seda, 1 dita tapetes de 18a, 100 barris e
40 meios ditos manteiga; a A. Vianna.
2 caixas porcellana; a Joo Pinto do Lemos.
3 caixas diversos objeclos ; a madama Buessard.
GO barris e 40 meios dilos manteiga ; a Luttkens.
1 caixa chapeos de palha, 1 dita fitas, 8 ditas cha-
pos, 3 ditas perfumaras, I dita tecidos de algodo,
I dita bonetes, 2 ditas espclhos, 1 pacote esporas, 4
caixas tecidos de I a, 1 dita chapos de sol de panno.
1 dita chapos c lencos, 6 ditas tecidos para calcas, 1
dita calgados, 2 ditas tecidos de seda, 6 ditas chitas,
2 ditas polles, 1 dita objeclos de msica, I dita cou-
ros, 2 ditas objeclos de selleiro o chicotes, 2 ditas
hnm, 3 ditas vidros, 1 dita registros, 5 ditas diver-
sos objeclos ; a Deder Colon)biez & Companhia.
7 caixas tecidos do algodao, 1 fardo pannos, 3 cai-
xas gales, 1 dita chapeos de palha, 1 fardo tecidos
de Ia, 1 caixa sedas ; a J. Keller & Companhia.
2 caixas litas de seda, 7 ditas tecidos suissos, 1
dita longos de algodflo ; a Kalkmann &Ttosenmund.
1 caixa com 1 chapeo deso para sonhora, 1 paro-
lo diversos objeclos ; a A. F. Carnoiro.
120 barris o 20 meios ditos mai.teiga, 2 caixas te-
cidos de seda ; a N. O. Bieber & Companhia.
1 caixa pes dourados ; a J. i. deOliveira.
32 gigos champanha, 11 caixas tecidos de nlgo-
do, 1 fardo dilos do dito, 1 caixa bejotorias, 1 di-
ta teodos de Ia, 2 ditas couros preparados, 5 ditas
pannos de Ia; a S. & Tobler.
1 caixa perfumaras ; aDenker&C.
120 barris e 60 meios ditos manteiga, 3 caixas per-
fumarias, 1 dila cobre trabalhado, 1 dita tecidos de
seda, 40 ditas queijos, 4 ditas chapos, I Irem de ca-
briole!, 44 caixas mercadorias, 3 ditas chapos, 7
dlas perfumaras, 12 ditas mages seccasoconservas,
3 ditas cidos nilrico e sulphurico ; a ordem.
1 caixa bejolerias, 210 barris e 120 moios dilos
manteiga, 3 caixas lecidos de algodo, 3 ditas ditos,
1 dila alfiuelcs, 1 dita rame de lato,! dita pelles, 23
ditas porcellana 2 ditas 1 carruagem o scus per-
lenccs, 2 ditas chapos de sol de panno, 5 ditas
chapos, 7 dlas perfumaras, 9 dilas lecidos di-
versos, I dila obras de folha de Flandres, 1 dita mo-
das, 1 dita bonueleira, 1 dita papel, i dita merca-
dorias, 1 dita tecidos para chapeos, j dita ditos de
Ia, editas marmores, 1 dita quinquellierias; aJ.
P. Adour & C.
CO barris e 20 meios dilos manteiga ; aJasJero-
nymo Monteiro.
1 caixa objeclos para chapos e chicotes ; a Lou-
bet Frres.
97 caixas queijos ; a Brender a Brandis & C.
1 fardo tecidos de algodflo, 2 caixas acido ntri-
co, 2 ditas pelles de marroquim, i fardo lecidos do
linho o algodo, 1 caixa caslonagent, 1 pacote a-
mostras, 1 caixa tecidos de algodo ; a E. Ilolli.
I caixa livrarac letrciros, 16 barricas vtnho lin-
io, 4 caixas lecidos de Ida, 7 dilas chapeos, 4 ditas
calcados, 3 di las crystaes, 1 dita o 2 barricas tinta,
dtasagoa de Colonia, 18 dilas papel, 4 ditas te-
cidos de algodflo, 6 ditas polles preparadas, 1 dita
bonetes, 2 ditas quinquellierias 2 ditas papel, 1
dita mercadorias, 19 ditas caracteres para imprimir,
1 1 dita registros blancos; a Avrial Frres.
50 gigos champanha ; Me. Calmont& C.
1 caixa liviana ; a L. Gomes Ferreira.
1 caixa serrles o forra mentas, 1 barrica monhos
de caf ; a F. Dubarry.
1 caixa 4caixinhas do msica, 1 dita bejolerias e
relogios; a Carnier.
3 barricas alvaade ; aJ. Soun.
10 potos chouricos 1 barril lenlilbas, 1 caixa
conservas, 1 dita manteiga, 1 dita presumios, 2
dilas calcados, 4 dilas cobertores de algodo, 6 di-
las garrafas ; a llcgord& Coucanas
8 polos chourieos. 8 caixas queijos, l barril pre-
suntos, 1 cesto chapos do oleados, 130 ditos bala-
las ; a Lolellier.
1 caixa vernize bronze ; a Caumont.
1 cesto manteiga c mol; a Jilliam.
dante o primeiro lente Francisco Jos do A-
mnrnl.
Paradina ; hiato brasilcro Dout-Irmo$, capitfio Joo
Correia da Silva, carga varios gneros.
Macei, Babia e Rio-de-Janoiro; vapor braslero /.
peratrit, commandanlo -o capito-tenente Jesuino
l.amogo Costa. ~ Alm dos passageiros que trou-
xo dos portos do norto para os do sol leva a seu
bordo : para a Baha, Augusto Peretti Gentil; para
o Rio-de-Janeiro, o desembargador Francisco de
Paula Cerqueira Lclo com um cscrav.
IJeolHracoes.
O arsenal de guerra compra azeite de carrapa-
te e de coro,, fio de nlgodo e pavios : quem laes
gneros quizer forneccr mandara sua proposta etn
carta fechada a directora do mesmo arsenal, ateo
dia 6 do corrente mez.
Arsenal de guerra, 1 de selemhro de 147.
Jo"o Iticardo da Silva.
Amanuense.
-- O arsenal de guerra compra quatro caixas com
folhas de Flandres o mais duas ditas com ditas
dobradas : quem dito genero quizer fornecer, man-
dar sua proposta em carta fechada e amostra, a
directora do mesmo arsenal, at o dia 9 do corren-
te mez. Arsenal de guerra, 2 de selembro de
1847. O amanuense, Joio Ricardo da Silva.
Contratos a ctlebrrem-u com a thesouraria das rendas
provincia no corrente me: de selembro.
DIA 25.
Oda conlinuago da obra do caes dn Ramos, ava-
llada em res 7:182,000. Os trabalhos far-se-hili?.
deconformidadecom os riscos e ornamentos j ap-4
provados; encetar-se-hilo dous mezes depois de va-
lidado o contrato,. e findar-se-hito ao cabo de seis
mezes. O pagamento realisor-se-ha na forma do
disposto no artigo 15 do regulamento das arrcmala-
Qes. O prazo de responsabilidade ser do um ati-
no. Fixar-se, emfim, o contrato com aquello dos
concurrentes que por menor prego se comprometter
a fazor a obra.
DIA 30.
Odoestabelecimento de urna linha de mnibus,
que, na forma da lei provincial n. 191, facilite o
transporte desta cidade a qualquer dos seus arrabal-
des e deOlinda.
Objeclos que a thesouraria das rendas provinciaes qutr
comprar para o corpo de policio.
339mochilas ; 294 correias para essas mochilas;
403 ditas para malotes; 532 marmitas pequeas; 517
correias para essas marmitas ; 565 cantis ; 441 cor-
reias para esses cantis ; 751 bornaes; 454 cscovi-
nhas e agulhctas com correias; 6 marmites. Quem
qur que tenha cslcs objeclos, ou quena encarre-
gnr-sc da sua manufactura, dove comparecer na se-
cretaria da predila 'thesouraria, hoja, 3 do corrente
selembro, ao meio dia, com as propostas e amostras.
Cadeira vaga de primeiras Ultras.
A de Caruar, cujo concurso lera lugar no dia 9
de selembro corrente.
THEATRO PUBLICO.
O PADRE CASIMIRO,
Gucrrilheiro intrpido.
DOMINGO, 5 DE SETEMBRO,
so representar este precioso drama tilo sublime,
como difficultoso de subir a scena: per cujo motivo
o beneficiado Antonio da Cunha associou com o di-
rector os lucros e despezas desta grande poga para
poder ir secna, como pede seu autor, l'iii.hatalliio
de mulhercs da aldea lem de exocutar difierontes
manobras militares e entrar em fogo, advogando a
causa da soberana contra o bntalhffo dos volunta-
rios realistas, formado da patulea de Draga. Os epi-
sodios do padre Casimiro, padre Mimoso e o tonente
Antonio Ricardo do regiment n. 16, s8o excellen-
tes; esobre ludo o decidido amor causa da sobe-
rana pelo capito Juliilo da Cerra, do regiment n.
13, que enrgicamente repello as ameacas do gene-
ral Macdonald de quem osla prisioneiro, toca ao au-
ge do patriotismo cadhcsSo a causa do S. M. F. Por
outra parte, as scenes jocosas de Gervazio, comman-
dante da patulea, da sargenta Gertrudes, cabo Fran-
cisca, o fre Melgago, balisa do balalho das mulhe-
rcs, as sccnns dese, quando se v prisioneiro da
tropa do baro do Casal, soas mais engragndase in-
tcressanles. Finalmente, o aculilatnenlo do general
Macdonald quando pretende fugir a cavallo seguido
dos scus, c que lio perseguido pola en vallara do ba-
ro, fecha o quadro do grande drama, para cujas
despezas ; ho bem quo o digamos ) so tem vendido
mais caros os camarotes ; mas a vista do seu desem-
peuho o publico car salisfcilo.
PERSONAGENS.
O baro do Casal, general
de S. M*F.------------------Joo Jos Lopes.
O general Macdonald--------O beneficiado.
O capito Julioda Cerra-- J. M. Cabial.
'lenle Aiiinno Ricardo- F. F. Gamboa.
Cervazio, cholo da palula- Jos Alvos Monteiro.
Padre Casimiro---------------Joaqun) Jos da Gama.
PadroMimoso---*-.....J. B. Leitfio.
Frci Melgago-------------------P. B. de Santa Rosa.
Doulor Junqueira-------------Antonio llonriques.
Regcdor do Barcelos----------J. da S. Braga
Sargento da legalidade----Antonio J. da Silva.
Cabo da dila-------------------Antonio Coimbra.
Mara da Puma do l.am-
hoiio-----------------.....J. do F. Gamboa.
Sargenta das voluntarias-- locadia Mara.
Cabo das ditas........- Francisca das Virgens.
Anspegada----------------------Jcnuina da Conceigo.
2.' sargenta-------------------Virtuosa Cezar.
8 pares de-tamancos, 4 gansos ; a L. A. Dubourcq. Furriela..............Felismina da Conceigo.
I Tambora..............Mara da llora.
Soldados de infantera, cegadores, cavallara, gue-
rilhas do padre Casimiro c padre Mimoso.
Consulado.
DO DIA 1.
(.eral
RENDIMENTO
1:304,441
Um iiiienlo do Porto.
Navios sahidos no dia 2.
| Rio-de-Janeiro ; brguc-escuna de guerra braslero
Fidel/dude, eommandanle o primeiro lenle Luiz
da Cunha Moreira.
Publicando Litteraria.
PORTUGAL.
RecordacSes do anno d* 1842, pelo principe Lickntnsky,
traducido do allemdo; segunda edicSo oorrtcta e an-
notada.
O consumo rpido da primeira edigo o a sua
procura por muilas pessoas quo ficaram sem ella ,
induzio o traductor rrimpresso d'esta obra cu- \
nummavimai riosa, que conten) a apreciagflo dos caracteres mais '
uiz um jornal do Boston (nos Estados-Unidos) que Para; escuna de guerra brasileira Guiaba, comman-JotaVeis do paiz, dos seus acontecimentos polti-


I
; monumentos e lugares principaes feita por
o'nrincipc prussiano, quealli viajou no auno
**t do l""sla ntcressarile obra, que coutm 220 pa-
ginas
vondc-se por 1,000 rs., na ra da Cruz n.
7, segundo andar.
\ visos martimos.
_- para o Cear tom de seguir viagem o briguo-es-
iia Henrigueta mostr Jos JoaqUim Alvos da
silva 1uem n0"e Prctent,er arrogar, dirija-se ac*
mpstno mestre, no trapiche novo, ou ra da Ca-
.leia-Velha, n. 19. segundo andar.
.para oAracaty tem de seguir viagem o hiate
NovoOtitida, mestre Antonio Jos Vianna : quem
: ei|e pretender carregar dirija-se uo mesmo mes-
tre no trapiche novo.
__ Para o Porto sane, impreteriyolmcnte at o dia
<2 Jo correnlo a veleira escuna Galante-Varia ; re-
cebe ainda alguma carga: para a mesma o passa-
Precisa-se de um amassador que entenda de
cortar massa: na ra Dimita, n. 26.
Aluga-se o primeiro andar da casa da ruado
Queimado, n 6, com commodo para pequea fa-
milia : a tratar na Inja da mesma
~0 Sr. Jos Cavlcanti de Albuquerque que ha
das annunciou achar-se em sua casa um mulalinho,
de nome Manoel, tenhaa bondade de declarar a
sua morada, para sor procurado
Domingo, 5 do corrente. as 10 horas do dia ,
estar reunida a irmandade de N. S. da Paz afim
de dar posse aos novos empregados da mesma ir-
mandade, para o que convidam-se lodos os ir-
mlos da mesma para o dito Km.
Oabaixoassignado declara a qucm convior ,
que o Sr. Jeronymo da Costa Guimares e Silva no
he maisseu procurador dosdo 28 de agosto (indo em
diante. Eliat Cotlho Cintra.
Hojea tarde, portado Sr. doutor Silva Neves,
na ra Nova, so ha de arrematar, por ser a ulti-
ma praga o sobrado de dous andares e soto si-
, tona ra do Vigario, n. 31, em chitos proprios ,
,r>ms. para o que tem cxccllcntcs com modos, tra- It~
^SKttS-r~ s SS5K?-* ,,e"'e "j' >--
3UI
o Vigario, 5.
Avisos diversos
( como
lllm. Sr. Dpmingoi Campos (relinador.)
Charo Sr. Comosoubessc quo S. S. luvia dito
em algumas partes, que eu podia mandar receber o
que me resta a Sr." Joanna Francisca Menozes, assim
como tambom os juros do 1 por ,/, vou dar-lhe um
conselho, ( perdo ascin-ceremonia ) que talvez I lio
seja mais aproveitavcl, e he o de embolcar-me logo
do tal restante, assim como dos juros de 2 por de
que falla a lettra, e deixar-se de continuar com justi
ca, expondo-se assim n, em algum dia em quo esteja
deliciosamente saboreando alguma das fregidtrat,t\ue se
gaba S. S. estar comondo da dita Sr.' e que diz sc-
rem invejadas por mim J chcgar-llio a noticia de que
pelos tribunaoscompetentes Ihe fui intimado atis-
fazer aquella divida, juros o custas.
Sou, charo senhor meu, um seu attonto voncrador,
etc.
SOCIEDADE
PHILO-DRAMATICA
0 primeiro secretario avisa aos Srs. socios, que os
bilhetos para a recita do dia 4 do corrente se dislri-
buem hoje, em casa do thesoureiro: e outro sim, quo
na occasiilo de roceberem os supraditos bilhetes, dei-
xcm suas propostas para convidados, que, para a ap-
provago destes, a commissilo se achara reunida pelas
6 horas da tarde.
A commissilo, n.lo podendo mais sofTrer o abuso
que tem havido relativamente a apresentagao dos
propostos no dia marcado, protesta no approvar
qualqucr um quo se nlo aprsente no devido tempo;
c declara que no sero validos os bilhetes que no
forcm rubricados pero socio a quem pertencerom.
S. H. T.
A direcgo do theatro de Apollo, de dlnformidado
com o 18 do artigo 38 dos estatutos, avisa aos Srs.
socios em geral, que os bilhetes para a recita do dia
7 do corrente mez se principian! a distribuir desde
o dia 4 at 6 do mesmo, desde as 4 as 6 huras da tar-
de, excepto no dia 5. em que, porser domingo, se dis-
tribuiro em todo o dia no saino do mesmo theatro,
pelo respectivo thesoureiro, que se acha autorisado
para isso; bem como para receber, nesse acto, ludo
quanlo os mesmos Srs. estiverein devendo. Igual-
mente queiram mandar at o referido dia 7, as 10
horas da mandila, suas propostas, incluindoos Dl-
Idelcs para convidados, em carta fechada e assigna-
da, declarando, alm dos nomes dos referidos convi-
dados, a qualidade, estado, oceupago, e onde sua
moradia, entregando a mesma carta ao respectivo
thesoureiro no mencionado salflo, afim de quo em
tempo competente sejam approvados pola referida
direcgo, que formalmente declara, nito receber as
mencionadas propostas, que no vieroin na forma
supradeclarada, nem tilo pouco sesubjeitara a appro-
var convidados depois daquella hora marcada, 10
doras da mandila do dia 7, sej qual for o pretexto
que para isso'se aprsenle, muito principalmente na
noite do espectculo, afim de se evitaren! abusos ja
pralicados em algumas das anteriores recitas.
A pessoa que precisar alugar urna pela fiel pa-
ra o servico de urna casa'de pouca familia, dirija-se
a ra do Hospicio, n. 15, casa do escrivo Alcanfo-
rado.
Precisa-so do una mulder quo saiba coziuhar,
e quo seja de boa conduela, para ama, a qual so se
pretende para cozindar: no paleo de N. 8. do Terco,
n. 16.
Precisa-so de um prclo bom, para se ler eiTec-
tivamente emeasa, e para trabalhar em um sitio:
quem o quizer alugar, ou 8nnuncio para ser procu-
rado, ou dirija-so a na Augusta, n. 60.
--Precisa-so de un honiem brasileiro ou portu-
guez que lenha boa lettra e conhecimento para
passar a linipo urna cscripturaco commercial:
quem estiver nestas circiimstancias, enlcnda-se
cun Luiz Antonio de Sequeira, na ra da Cadcia do
Recite, n. 21.
Aluga-se, ou vende-se um preto : na ra Nova,
loja n. 58. Na mesma loja compram-se sapatoes c
sapa tos brasileiros : sendo obra bem feita c de dif-
foientes tamanhos pagam-se bem.
--O Sr. Antonio do Souza Araujo tem urna carta
na ra do Crespo n 3 viuda de Portugal da po-
voago de S.-Pednwla-Covn.
Furtaram na noito de 31 de agosto para o pri-
meiro de setembro, do sitio de Joilo Baptista Hcr-
bster na Capunga um ca vallo novo de 7 anuos
pouco mais ou menos castando-cscuro dinas
e cauda bastante compridas, carregador baixo e
meio. Qucm dclle livor noticia queira por fa-
vor participar a seu dono o Sr. Bolli, no dito sitio,
ou na ra da Cruz do Recile, n. 40, que sera
gratificado.
-- Jean Pierro Arnol e seu fildo de igual nomo se-
guem para Franca com escala pelas provincias do
Maranhfioc Para.
Pretende-so alugar por semana, ou por mez,
conforme scajustar duas prctas forras, ou capti-
vas quo sejam liis, e que lendam pratica de ven-
der na na : quem as livor annuncio por esla reina ,
ou dirija-se a ra da Mangueira que Hca na frente
da porla da igreja da Gloria na lloa-Vista ,
Anlonio Comes Pessoa.
~OSr. liento Candido Botelho tem urna carta na
ra da Senzalla-Nova., n. 42.
Precisa-se alugar urna preta para vender na ra
na ra das Trincheiras n. 32.
Precisa-se de um oflicial de barbeiro : em IV>i a-
ra -de-Portas, ra do Pilar, n. 114.
O dentista c sangrador,
Jos Anacleto, tem a honra de annunciar ao respei-
tavel publico, o especialmente aosseus freguezes e
amigos, que elle so acha prompto para praticar
qualqucr operago perlencente a sua arte, para o
i|u.; poder ser procurado das 6 horas da mandila as
6 da tarde, em sua casa, na ra estreita do Bozario,
n. 7, junto a igreja.
O aiiiiiinciante loma a liberdade de declarar ao
mesmo publico, que a longa pratica que tem, de 16
anuos, o tem habilitado a oxecutar qualqoer das di-
las operagos com toda a delicadeza c perfeigo, mes-
mo peranto qualqucr medico ou cirurgiilo. Outio
sim, para obviar qualquer duvida, o mesmo annun-
ciante julga conveniente declarar aqui os precos poi-
que se obriga a fazer qualquer das opcracOes refe-
ridas; acrcescentanuo, que, quando o mandarem cha-
mar para este lim, Ihedeveriio mandar a indicacSo
do lugar a que he chamado, nome da ra, numero
da casa, ele, vindo logoadiantadn o importe da o-
peraciio quo se quizer, alim de que vnulia mais
promptamente : no obstante, porm, fica livre a
a quem quizer usar do generosidade depois de pra-
ticada a mesma operago. Advorte tamllem, que, sen-
do chamado e indo ao lugar aoqual ochamarem, c
ah nilo platicando a operago, por no ser mais pre-
cisa, ou por alguma circumstancia independento da
sua volitado, tem ganho o seu jornal.
Precos das operacSes praticadas nos bairros do Itecife,
Boa-Vista e San-Jote.
Tirar delicadamente um dente, ou urna raiz 4,000
Sangrar delicadamente, porcada vez 4,000
Apartar perfeitamenlcos quatro denles inci-
sivos do queixo superior 10,000
dem do queixo inferior 10,000
Chumbar um dente com qualquer metal
branco 4,000
dem com ouro, sendo preciso 5,000
Por cada applicacao do ventosas seccas, ou
sarjadas 10,000
Pteos das mesmas operafBes no bairro dr. S.-Antonio.
Tirar delicadamente um dente, ou urna raiz 2,000
Sangrar delicadamente, por cada vez 2,000
Apartar perfeitamente os quatro denles inci-
sivos do qqcixo superior 8,000
dem do queixo inferior 8,000
Chumbar um denlo com qualquer metal
branco *.00
dem com ouro, sendo preciso 5,000
Por cada applicacfio de ventosas seccas, ou
sarjadas <0,000
Precos das mesmas operaces platicadas em casa.
Tirar delicadamente um dente, ou una raiz 1,000
Sangrar delicadamente, por cada vez 1,000
Apartar perfeilamento os quatro dentes inci-
sivos do queixo superior 6,000
dem do queixo inferior 6,000
Chumbar um denle comqualqucr metal bran-
co, de 1,000 a 2,000
dem com ouro, sendo pieciso 5,000
Por cada applicaclo de ventosas seccas, ou
sarjadas 6,000
N. B. Sendo chamado fra da cidade vencer na
rasilo do 10,000 rs. porcada legoa, arm dos precos
da operaco que lizcr, rruo serlo os mesmos quo em
casa.
Na mesma casa cima se acha a venda a muito a-
credilada na Europa, agoa imperial, de Mr. Gariol,
cx-cirurgio dentista do rei da llcspanha, a qual lie o
melhor especifico que se tem dcscoberto para a lim-
peza b asseio dos dentes; a qual, conservando-lhcs o
esmalto e dando consistencia as gengivas, deixa na
bocea um ebeiro agradavel o previno as dores do
denles.
Cada frasco vai acompanhado do um impresso
que cnsina o melliodo por que se deve usar da refe-
rida agoa. .
Vende-se nicamente na casa cima indicada a
1,280 rs. o frasco.
Precisa-se de um iapaz porluguez quo lenha
pratica de loja de ferragens : na ra Nova, n. 16.
Precisa-se do um caixeiro que tenha conheci-
mentos suflicientes para tomar conta do urna pada-
ria por balanco ; sendo hbil d-se bom salario : na
ra Imperial, n. 37.
Aluga-se o grande armazcm n. 34 da ra de
Apollo com o extenso terreno que tem pelo lado
de detrs. Os pretendentes dirijam-sea Jos Vello-
zo Soares na mesma ra.
Pontos & Mello declaram ao respoitavel publi-
co que Francisco Jos Pinto deixoude serseucai-
xeiro desde 3f de agosto.
Offerece-se urna mulher de idade para ama de
urna casa de homem soltciro oudo pouca familia ,
sendo capaz : em Fra-de-Portas, casa n. 28, o
correr da igreja do Pilar.
F. Gellier vai para o Rio-de-Janoiro : as pessoas
que liverem coritas com elle, dirljam-ae a ra Im-
perial II. .
I.. G. Ferreirac Companhia teem constituido
seos bastantes procuradores aos Srs. Antonio de
Moraes Gomes Fcrreira e Fredrico Augusto Dosc.
a casa terrea com bous commodos,
-Prec^:;;^ 500,000 rs. .juros de dous por -'^c-^[^ ^ achac=
HoSS',SOnb,52hyPU'eCa Cm Uma dT.?;Ud?^ 2*
lotera dotiiratro.
A. venda dos bilhetes desta lotera quo com tan-
ta rapidoz segnia, eqne deixava suppor que as res-
pectivas rodas andariam tamhem rpidamente, vai
solTrendo alguma demora tanto quo depois do
ultimo annunCio polo qual so designou o dia 27 do
correle, para o andamento das dilas rodas, bem
pouco adianlou-so a mesma venda exislindo, por-
tante um no pequeo numero de bilhetes por
vonder ainda. Por esta causa que no est ao al-
cance do thesoureiro remover deixou esto do fazer
efTectivo o referido andamento no dia cima men-
sionado marcando novamente o dia 15 do corren-
te mez de setembro para realisacn desse acto ,
que so tornar infallivel, se os.interessados nosto
jogose propozerem, como he de esperar a coadju
var o mesmo thesoureiro nos meios de completar-
se a sohredita venda.
Luisa Margarida Herhster faz publico, que foi
nomeada, polo Sr. Dr. juiz do orphos, curadora do
seu marido, o Sr. Joo Baptista Herhster, como so ve
dasentenca do mesmo Sr. Dr., abaixo transcripta ;
por isso se previne quo ningucm contrato e aceito
lellras do referido seu marido, visto que imposi-
bilitado est pelo seu mo estado intellcctual. F. pa-
ra que alguem se no chame a ignorancia, se faz o
presente.
SEHTENC*.
Avista dodepoimonto das testemunhas do fl. e
0., e mais ainda em face doexameafl., pelo qual
so mostra quo o oslado do justificado ho do onfra-
quecimento de memoria em grao tal, que no pode
continuar a ser-lhe permittido a administracilo do
scus bens e directo do sua pessoa ; julgo justifica-
do todo o deduzido na pelico a 2 : o providenci-
ando, como me ciwnpre, declaro o justificado como
interdicto da administraco de seus bons o pessoa,
nomeio como curadora a justificante sua mulher,
visto viver honestamente ter a precisa desciipco,
qual mando so passe a competento proviso ; o or-
deno se alllxcm editaes do estylo, quo sero igual-
mente publicados pela imprensa e pague a justifi-
cante a costas. O escrivo esta publique. Itecife,
25 do acost de 1847. -- Luiz Pitarte Pcreira.
Oabaixoassignado avisa aos carregadores do
hiato hrasllciro San-Joo deque ho mostr Urba-
no Jos dos Santos, que seguia viagem para a Babia,
e arribando, a esto porto, por (Orea maior, descar-
regou-se, o acha-so a carga om sou poder, que no
prazo de oilo dias da data lesto comparcQam para as
recober, o pagar as despozas que so lizeram com
a mesma. Pilimb 2 de setembro do 1847. O
subdelegado Jodo da Costa /tierra.
Caumont, dourador, na
rila Nova n. 5*2 fabrica de
candieiros de gazeoutros, doura, prata o hronza
de differentes cores todos os nielaos, sejam de igreja,
militares, ou particulares; concerla o torna a por de
novo todos os objeelos de metal; poe os candieiros
de azeito promptos para gaz; lioca e compra todas as
qualidadcsde'bronzc, por preco rasoave!.
Relrat s coloridos de dagiier-
reotypo.
Carlos D. Fredricks tem a honra de annunciar ao
respeitave! publico, que, estando breve a segn via-
gem para a corto deste imperio com os ltimos des-
cobrimentos desta famosa arte, s so peder de-
morar nesta cidade por um curto espaco do tempo .
e por isso roga a todas as pessoas e particularmen-
te as familiasque estilo para retirar-se da cidade,
aproveitem-so desta bella occasio para lirarem
os seus retratos de uma maneira a mais perfeita que
se ha visto.
O artista, para que o publico conheca o mrito lo
scus trabalbos.s pode dizer que na cidado do Mara-
nho do onde se retirara ha 3 mozes 1 tirou mais do
tres mil retratos.
Betratos copiados c tamhem se tiram retratos pa -
ra medalhas o alfiieles. Trabalba-se com a mesma
facilidade com sol ou sem ello das 9 doras da ma-
nha asiluas da larde.
As pessoas quo quizerem podem ir examinaros
retratos', que sempre tom amostra cm sua rasa,
na roa da C.adeia-Nova, n. 26.
Quem annunciou querer comprar urna fazenda
de gado sendo queira uma com 45 vaccas pouco
mais ou menos o sua respectiva prnducco, pasto
proprio terreno no melhor sertito e pello, diri-
ja-se ao Sr. Luiz Antonio da Cunba, na ra do Cres-
po loja do Sr. Castro.
-- Precisa-se fallar com oSr. Jeronymo dos San-
tos Braga para se Ihe entregar urna carta, rinda do
Para c a negocio de seu interesso : na ra da Cruz,
n. 10.
Roga-se a todas as pessoas que lecni levado li-
vros emprestados da loja de encadernaco da praca
da Independencia lenhama bondade de os ir en-
tregar o mais breve possivel
As pessoas que tivorcm penhores na loja do
Magalhcs & Irmo na ra do Qucimado quei-
-- Aluga-se o sobrado de dous andares, om Fra
de-Portas ,... 83 com muito bons cnmmndos P>n
tado c concertado ha pouco i a tratar na mesma ra,
n. 85. com Joo Marques Crrela. roP,H.S(
- Na roa do Trapiche Novo, casa n. 8, precisa
de uma mulder que saiba cozinhar.
POMMATF.AU, CLTKI.RIRO NO ATF.HHO-IU-
BOA-VISTA,
tem a honra do avisaran publico, flmudv0.'
seu ostabclocimento da ra do \terro-da-lloa-visw,
n. 5, para o sobrado novo, n 1G, da mesma ra.
Na sua loja sempre o publico achara como >ie eos-
tumo um grande sortimentodo cutelenas linas c aa
todas as qualidades : bem como pistolas do viagem,
e armas para caga. Contina a concertar todas as
qualidades de armas o ferragons c amla ras quar-
las-feirasesabbados.
Agencia de passaportes.
Na ra do Collegio, n. 10, o no Aiorro-da-Boa-
Vista, n. 48, continuam-so a tirar passapories tan-
to para dentro, como para fra do imperio; assim
comodcspaehan so eseravos : ludo com brevidade.
Aluga-se o segundo andar da casa n. 34 da ra
do Trapiche, com oxccllentes commodos, varandas
de ferro adianto o airas, e bonita vista para o mar :
a tratar no armazcm da mesma casa.
TiOm iras.
Compram-se 4 caixas redondas para rap, do
casca de tartaruga, dessas viudas do Aracaty : quo.u
tiver annuncie.
Compra-se uma preta que tonda loito, e sem
fildo : na ra Nova loja n. 3.
Compra-se um preto quo seja bom canoeiro,
mogo o sem vicios : na ra da Praia-*le-S.-Bita, n.
25, ou annuncie.
Compra-se uma oscrava moga do boa ligura,
que saiba GOZimW o lavar, o uao leuda vicios agra-
ando paga-so bem: na Boa-Vista, ra Yelda, n. 18.
Quem a tiver, deve apparecer das II doras da ma-
nha s :l da tardo.
Compra-se una commoda o um oratorio ; ludo
om bom uso: quem livor annuncie,
--Compra-se, para fra da provincia, algum
escravo, ou oscrava : na roa Imperial, n. 9.
Compra-se um preto ou preta cozindeira i na
ra da Gaueia-Velha, n. 89.
~ Compra-se um prolo mogo o sadio quo soja
bom oflicial desapateiro : na roa da Aurora, escri-
torio n- 26. de Francisco Antonio da Olivcira.
-----------
\ emtas.
Vendo-se urna escrava crioula, moga e pti-
ma para o servico interno e externo de uma casa do
familia : na roa do l.ivramento, n. 30.
Vende-se um cordo grOSSO, com qua.euia c
seisoilavas na travesea da Madre-do-Dcos, rr. 5.
Slcdcina universal.
laes de James Morison.
'iin
las vege
A medicina vegetal universal he o resultado do 2o
anuos de invesligacoes do celebro James morison.
Por rucio destaspilulas conseguio seu autor inn-
meras o admirareis curas, desde as alTccpcs quo
atacamascriangasdepeilo ale as molestias chro-
nicas do ancio.
A Kuropa saudou este remedio como remedio uni-
versal para todas asiloongas e at boje anda no
foi desmentido tal titulo.
Esta medicina vem acouipariliada de urna rcceita
que cnsina o facilita a sua applicago. Consiste em
tres preparacnes, a saber : duas qualidades de pi-
lulas distinetas por nmeros, o um po : cada qual
goza de modosoacgOes diversas.
Aspilulas ll.l so aperitivas; purgam sem abalo
os humores biliosos e vicosos, e os oxpulsam com
eulcacia. ,
As den. 9 expulsan! com csses humores, igual-
mente cun grande Torga os humores serosos, acres
e ptridos, de que o sanguo se aeda a iniudo infecta-
do; percorrom todas as partes do cor|io, e so cessam
do obrar quando teem[expulsado todas as impurezas.
A tereeira preparadlo consiste em una limonada
vegetal sedativa: do aperaliva, temperante cado-
rante : torna-so em commum.com as plalas e racin-
ta-llicsosmoldorescffeitos.
A posigo social do Sr. Morison a sua fortuna in-
dependento repellen! toda a ideia de charlatanis-
mo; eas admirareis curas, operadas com o seu
syslema no collegio de sade de Londres, so mais
que garantes da ellicacia do seu remedio.
Itecomincnda-secsta medicina, quo no pede nem
resguardo de tompo, oi do posigo da parto do
doente.a lodosos que, atacados do molestias jul-
gadas incuraveis se quizerem desengaar da sua
virtude. .
Oxala qiicahumanidndcfechcosouvidos aos in-
tercssadoscni desacreditar estos remedios lo sim-
ram mandar resguta-los no prazo da loi-; do con- .
trario, sero vendidos para pagamento de seus de- pies lito commodos o lo verdeiros.
bitos Vendem-se smente cm casa do muco e verua-
Perdeu-so um par de oculos de ariiiacuo de aro deiro agente J. O. Klsler, na ra da Cadcia-Velda ,
de ouro os quaesleem em um dos vidrosuma fa- n. 29.
Iba ou pequeo taco quem o achou podo res-
tituir na praga da Independencia livraria ns 6 c
8 que se gratificar.
Manoel Jos doSouza faz publico que, bavcri-
do outro de igual nomo d'ora om diante se assigna-
r Manoel Jos de Souza Favclla.
Precisa-se alugar um sobrado de um andar,
que seja grande c lenha quintal cm as ras man
publicas do bairro de S.-Antonio ou Boa-Vista os
mesmo algum sitio com bons commodos, sendo
no Hospicio Corrcdor-do-Bispo Estancia ou cm
algum lugar muito porto desta praga na esquina
ilo l.ivramento loja de 6 portas, do Sr. Gabriel
Gongalves Lomba, se dir qucm precisa.
il.S. i awson, dentista bem
coiiliccido
nesta provincia, tendo agora chegado ira Europa e
leudo visitado ascapitaesdel.ondre.se Pars, don-
de Irouxoos melhores objectos da sua profisso que
at boje se conhecem como novos instrumentos ,
dentoa o mais necessarios para qualquer operaco.
da sua ai te; offeroce seus servigos aos Ilustres ha-
bitantes desta cidado, conforme a sua tabella lixa ,
o prometle fazer todos os esforgos para agradar as
senhoras ou senhores, quo o quizerem procurar ,
das 9 horas da manda at as 3 da tarde na ra do
Trapiche no Itecife, n. 4, segundo andar.
--Qucm quizer dar 300,000 rs. a premio sobre
bypotheca em uma boa morada de casa, anuuncic.
Na ra ca ^adeia-
Vetka9n. 9 Joja
de J. O. Elster,
vendo-se vinho do Porto do diversas nualulailes ;
dito da Madera ; dito de Sl.erry ; dito de Bordeaux ,
dito cdateau-la-rose; dito de S-Julicn; dito de Te-
nerife ; ditodo Bdeino ; dito de Bucellas e Carca-
vellos; dito de Lisboa ; dito de Malaga; dito ba l-
teme ; dito ilo graves; dito cliampanda sellery ;
ago'ardentc de Franga ; Kirschwasscr extracto de
absinlhe ; Cderry-cordial ; agoa do flor do laranja ;
frascos com conservas de verduras ; ditos com fruc-
ias da Europa eui calda do assucar ; ditos de ditas
cm cognac ; dito de mostarda ; sardinhasem latas
c vidros ; petits-pois ; salame do superior qualidade,
vindo no ultimo navio de Hamburgo ; agoa de seltz,
embotijas; azeito doce de Marselha finissimo;
velas do composigo; cha preto, hysson e perola ;
charutos de Havanac regala. Adverte-so que ludo
he excedente o por prego commodo.
Vendcm-so pedras do amolar, brancas, da me-
lhor qualidade que teem vindo do rio de S.-Fran-
cisco a rctalho e em porgo por preQO commodo;
na ra da Praia, armazem a. 18.
.-Mil


-
MUTILADO



i
m
^
i

Vende-se um escravo de nagSo muito mogo
e roliusto proprio para engnho, ou para fra da pro
vincia : na ra da I.ingneta, n. 3, so dir quem
vende.
Vemdem-sc 6 escravos mogos, do bonitas figu-
ras ; senilo alpuns dell-'s hons vaqueiros e carre-
ros c que nto teem vicios ncm achaques : vendcm-
se para pagamento de dividas, o muito em eouta ,
por nfloseremdo ganhadores: na ra da Concor-
dia passando a pontezinha a direita, segunda ra-
sa terrea se dir (|iicm vende.
Na ra Nova, loja n. 58, contina a haver obra
do paiz para vendor por prego commodo boin
como : sapates e sapalos para homem ; sapatos
para senhora ; ditos para meninos e meninas ; cou-
ros de cabra ; bezerro ; sola ; marroquim ; couro de
lustro; c inais alguma cousa.
Lotera do Bio-j) e-Janeiro
Itilhetesemeios ditos da oitava lotera n bene-
ficio do tbentro da imperial cidado de Nictherov :
vendem-se na ra da Cadeia, ii. 38, loja de cambio
de Manoel (lomes.
I^a ra do Crespo,
n. 11,
vende-se pelo baratissimo preco de 3,5(10 rs i pe-
ca decambraia de cores com 13 varas, muito pro-
pria para vestidos e cortinados de cama.
Cas;i
ra estreita
da Fe
na roa estreita do Kozario. n. 0.
Neste estabelecimentoacliam-sea venda as bem
acreditadas cautelas da lotera do theatro publico
desta cdade .cujas rodas andam no dia 15 de se-
tembro. O cautelista espera que os seus fregnezes
eoncorram a comprar o resto das ditas cautelas ,
as quaes se espora boassortes pela encllente es-
colha que se fez dos nmeros para sercm divididos
em cautelas. A ellas que sflo poucase boas : Precos
os do costuine.
Vende-se, por precisio, urna parda de 1" an-
uos que engomma, cozinlia e cose clifo ; um mo-
lecote de 19 a 20 anuos bom trabalhador ile cam-
po : na rua das Cinco-Pontas, largo da forca, junto
a nova matriz, n. 8.
Vende-se um superior, cxcellente e muito bem
acabado ciironomctro, feito por um dos priuieiros e
distinguidos fabricantes do Londres sendo este o
nico em l'ernambuco, que anda por OITO DAS:
quem quizer compra-loe ve-lo poder dirigir-se a
bordo da galera ngleza Culumbus, aondo se acba
presentemente, alim de ser regulado.
Yolas de carnauba, a 7^600.
Na ra da S.-Cruz n. 3!, casa com frente para a
ra da Alegra vendem-se as mais bem feilas velas
de carnauba a 7,600 rs. a arroba e a libra a 260
rs. A ellas antes que se acabem.
Vendem-se dous lindos molequos do 18 a 20
anuos, sendo um delles ollicial de alfaite e cozi-
nheiro; dous pidos um oflcial de-sapateiro o o
oulro proprio para todo o servigo ; dous pardos ,
um bom carreiro e o outro proprio para pagem de
16 a 18 annos ; duas pardas una de 20 anuos com
habilidades, e a outra com 12 anuos, propria 'ara
80 educar; duas petas, comalgumas habilidades;
duas iicgrinliasdc 11 a 12 annos, com principios
de habilidades: na ruado Cullcgiu, n. 3, segundo
andar, se dir quem vende.
Vcndem-se duas caixas de tartaruga branca c
pela obra bem feta no Araeaty; e uns niappas
geograpliicns em quadros, poi commodo prego : na
ruado Qneimado, n 46.
Vende-se urna linda mulatinlia recolbida de
ISannoa, ptima para mucama i|iie cose c engom-
ina, e he de excedente conducta ; na ra estreita do
Rosario, 11. SI, primeiro andar.
Vcndem-se resmas de papel almaco braneo, de
primeira qualidade; ditas de segunda qualidade,
blanco e azul; ditas do peso azul ; lucos de fil de
linho de padroes modernos, e do todas as larguras ;
niilheiros de pennas de escrever de boa qualidade, o
ludo por preco mais barato do que em outra parte :
na praga la Independencia, loja de miudezas n. 4.
Vcndc-sc um bom escravo do idade de 25 an-
uos, muito sado e de bonita (gura: na ra da Cruz
do llccfe, n. 43.
A O DOME B Alt ATO.
IVa nova loja de Francisco Jos
Teixeira Baslos, nos qualro-can-
tos da ra do Queiinado, n. 20 ,
vndese panno preto, verde, coi-
de caf e azul, de superior qua-
lidade e por prego mais com-
modo do queem outra qualquer
parte. Na mesma loja ha um
completo sortimento de fazendas
por precos rasoaveis.
Vendem-se 5 (iteiros
por proco muito commodo
< 'amiga, loja ii. 6.
Vende-se urna escrava de bonita figura que
engomma perfeilamenle cose cb.Uo, lava bem, tan-
to de sabflo como de vairelia c cozinhasoffrivel-
menlc o diario do urna casa : na ra da Gloria na
Boa-Vista, n. 87, primeiro andar, a qualquer hora
do dia, se dir porque vende.
Vende-se urna cama do Jacaranda com milito
pouco uso, com seus competentes eolchese enxer-
ges ou sem elles por commodo proco ; na ra
da Cruz, no Kocife n. 18, segundo andar.
--Vendem-se encerados pequeos mui bcmfei-
tos e pintados, prop> ios para cobrir cargas de as-
sucar.ou carne secca por proco mais commodo
o que em outra qualquer parte : na ra da Cruz ,
noltecifc.n. 18, segundo andar.
-Vcndem-se pecas de madapolflolimpo com 20
r.ia!-'i,a-?' .!?- ,e a seis vil'lcl,s u rctalho: na
ra estrella do Hozarlo u. lo, lerceiro andar.
,i"hCn n)"sP -'Reirs um sopl. um joco
de bancas ; ludo de Jacaranda o quasl novo : 4
mangas de vidro hornadas e grandes, por preco
muito em conta : na ra Augusta, n. 60
- Vendem-se caixas de cha hyssoo, do 13 li as,
para luja
na i na do
om porcOes ou a retalho ; caixas de velas de es-
permacotc de 5c 6 em libra : na ra da AlfandCga-
Velha n. 36, em casa de Matueus Austin & C.
Vende-se cal virgen) de Lisboa,
em barra da melhnr que ha no merca-
do por preco muito rasoavcl : na ra
do Trapiche, n. 17.
A setecentos rs. a
vara.
Na lojadcr,umaraesScram& Companhia ven-
de-se brim trangajo francez bastante nncorpado
c de puro linho, pelo barato preco de 700 rs. a vara.
Ksta fazenda se torna recomiuendavel pola boa qua-
lidade.
Vendem-se duas masseiras para amassar po,
muito bem feitas do amarello com as competen-
tes tapadoras ; um relogio do parede com caixa ;
dous cabidos com 24 taboas para deitar pilo; urna
balanca de pesar farinha com dilTorentes pesos ; e
outros objectos pertencentes a padaria : ludo por
commodo preco : na ra da Cadeia de S.-Antonio ,
serrara n. 13. ,
-- Vende-se umaporcilo do canos de zinco mui-
to bem feitos b quas novos proprios para condc-
elo d'agoa por preco mutissiino commodo: na
ra da Cadeia do S.-Antonio n. 13.
A 1,7000 rs.
As melhores I uvas de pellica brancas o elsticas :
na ra larga do Kozario, 11. 24.
4 ttencao!
Vendem-se superiores chitas franeczas, de vara do
largura o decores fixas, a 280 rs. o covado ; ditas
finas, escuras c decores lixas tendo algumas que
servem para luto a 5,000 rs. a peca ; meios chales
de cassa de quadros, a 440 rs.; cortes de lanzinha,
para senhora com 15 covados a 3,600 rs. ; panno
preto fino para pannos de prctas a 3.000 rs. o co-
vado; chales de laa e seda muito finos a 5,500 c
7,000 rs.; zuarte de vara do largura a 240 rs. p
covado ; cortes do cambraia lisa muito fina e com
6 varase meia a 3,000 rs. ; superior brim tranca-
do pardo, de puro linho a 640 o 900 rs a vara ; di-
to amarello muito tino a 900 e 1,000 rs. ; dito
trancado de linho blanco, muito superior a 1,000,
1,280 o 1,600 rs. a vara; Chad rezos de linho para
jaquela a 400 rs. o covado ; riscadinhos trancados,
a 240 rs. o covado ; lianihurgo de linho, a 260 rs. a
vara ; metal para senhora a 240 rs. o par ; c outras
militas fazendas por barato preco : na ra do Col-
legio, loja n. 1.
Corles de pelle do diabo, a
1,400 rs.
Vendem-se superiores corles da fazenda chama-
da pelle do diabo com 3 covados e meia pelo ha-
Vendem-se 5 escravos sendo dous moloques
umde18annoseoiitrode 10e3escravas muito mo-
cas, rom habilidades : na ra das Cruzes, n. 22, se-
gundo andar.
Vende-se urna preta da Costa de 18 a 20 an-
nos com urna cria de 3 niezes, o que he quitan-
deira : na ra da Cruz, n. 26.
Vendem-se dous cavallos de carro, proprios
para carroca : na cocheira do largo da malnz de S.-
Antonio.
Na loja nova do Pas-
seio-P ublico,n. 17,
vendem-se cortes de Claudias para vestido de senho-
ra os quacs teom merecido gcral aceitacto em
Lisboa. Esta fazenda he de 13a, porm rriuilo fina e
ile ricos padroes, os mais modernos qu teem ap-
parecido. A elles antes quo se acabem porque s
Na ruadoQcimado.lojadoferragens, de Anto- 'custam o diminuto prego de 8,000 rs. Igualmente ha
nio Jos Rodrigues deSouza Jnior, junto ao becco urna porcBo de cortes de colietes do velludo de cores
da Congregacflo vendem-se macos com 12 pecas de e de bonitos padrOes, a 2,560 rs. o corto ; bem como
fita branca o preta muito superior para debrunhar um resto de cortes do cassa de cOres, a 2,000 rs.
Vende-so urna preta do nagflo boa lavadeira
engommadeira o cozinheira : na ra do encanta-
mento a tratar na venda de Francisco Xavier Mar-
tins Bastos ou na ra do Queimado loja n. 2.
Vende-se, por preciso, um preto de meia
idade de boa figura sem vioios e que ho pro-
prio para todo o servico, por prego commodo;
na ra do Queimado, n. 18, paimeiro andar, com a
entrada pela ra do lozario.
Vende-se um cavallo de estribara por preco
rasoavcl: na ra do Rangel, sobrado n. 20.
Lindos cortes de
cassa-chtaa3200
No Atorro-da-Boa-Vista n. 10, primeira loja de
fazendas, indo da ponte vendem-se cortes de cas-
sa de muito bonitos padroes, a dez patacas cada
corte.
Vendem-ue acedes da extincla com-
panhia de l'ernambuco e l'ar.iliiba : na
ra da Cruz n 9 cscriptorio deOlivci-
ra Ir ni Tins & C
Vendem-se duas escravas mogas : na ruada
Cadcia-Velha, n. 33, se dir quem vende.
Vende-se enmar, pixuri e sarga-parrilha de
superior qualidade o muito nova ,'vinda directa-
mente do Para pelo ultimo vapor, em pequeas o
grandes porces : no armazemdo Braguez, junto
ao arco da Conceigflo ou em casa do Manoel Duartc
Rodrigues na ra do Trapicho n. 26.
s fundos a vontade do comprador, ou smente
comarmagflo: a tratar na na do Rangel, venda
n. 50.
Vende-seo .ludeu Errante por Eugenio Sue ,
tradiiecioportugucza, por prego commodo : na ra
larga do Itozario, n. 24.
Vende-se um moleque de 18 a 20 annos de
bonita (gura sem vicios o quo cozinha bem o
dario de urna casa : na ra do Crespo loja n. 14.
Vende-se, por prego com modo um sobrado de
dous andares e sot.to na rua da Cuia, n. 55 : a tra-
tar na ra Nova n. 65, primeiro andar.
Camas de vento.
Na rua do Queimado, loja de ferragens de Antonio
Jos Rodrigues de Souza Jnior junto ao becco da
Congregagflo, vcndem-se superiores camas de ven-
to, tanto do amarello como do louro, por prego
mais commodo do queem outra qualquor parto.
AodSrs. sapaleiros
sapatos por prego mais commodo do que em outra
qualquer parte : bom como fio de sapateiro.
Vende-se urna parda com urna cria recem-nas-
cida com muito o cxcellente leite e por isso pro-
pria para criar; tem boas habilidades que se di-
rTo ao comprador, o tambem o motivo por que se
vendo : na rua atrs da matriz da Boa-Vista n.. 24.
Lotera do Rio-de Janeiro.
A os 0:000,000 de ris.
Na rua da Cadeia do Recife loja de cambio do
Vieira vcndom-seliilhetese meios ditos da oitava
lotera a beneficio do imperial theatro da c.idade de
Nictheroy. Estes bi I heles vilo assignados por Vieira
da Silva. Aellas, antes que cheguo o vapor coma
lista.
Vendoin-se os perlences do urna venda e
urna ba'anga grande com 5 arrobas e 20 libras de
pesos na rua de Hurtas, n. 52.
= Vcii(lciii-e morullas de ferro para engenhoi de -
-m.ii, para vapor, agoa e beslas.de diversos tamanbo>
por inven coiiiinodo; c igualuieate taixas de ferro coado
a batido, de todos os tamaitos: na |n ,n .1 do Corpo-San
>o, a. II, em casa de Me. Calmont & Companhia, ou na
rua de Apollo, ariiiazem, n. 6.
Vendcm-se superiores chapeos de
.castor, pretos e brancos, por proco
muito barato : na rua do Crespo, loja n.
12, de Jos joacpiim da Silva Maia
Gaz.
de Joao < liardon,
lerro-da-Woa-Vista, n.5.
.Ojrt
rioa quo tem apparccidu
n. 1.
na rua do Collegio loja
Nesta loja acba-sruin rico sortiuicnlo de LAMPEOES
rato prego de 1,400 rs o corle, sendo da mais supe-I paiia caz com seus competentes vidros, accendedo-
l)lico,n, 19, de Manoel Joa
quiii Pascoal liamos,
Aendein se pegas de madapoln, a 2,000 e 2,400 rs. ,
ea vara a 100, 120 e 140 rs. ; chitas, a 1i0, 140 o
160 rs. o covado ; pello do diabo a 200 rs o cova-
do ;.chales do iiielim ,a 1,000 rs.; pegas de algo-
dfiozillho, a 1,280 rs. ; 1 iscados francozes a' 200 rs.
o covado; princeza muito fina, a 1,000 rs. o cova-
do ; c nutras militas fazendas que pelo se'u diminu-
to prego nao desagradarlo aos seus l'rcguezes.
Casimiras elsticas, a l#00 rs.
o covado.
Vendem-se superiores casimiras elsticas pelo
barato prego de 1,000 rs. o covado; ditas muito li-
nas Irancezas a 1,980 rs. o covado ; dita do su-
perior qualidade clstica, muito fina, c preta
3,500 rs. o covado : na rua do Collegio loja n. 1.
res e abal'adores.
Estes eandieiros >ao .,, i,,,n
mais modernos que eilstem boje : recommendam-se ao
publico, tanto pela scguraiiya ekbom gosto de sua boa
conft'Cfo, como pela boa qualidade da luz, economa e
asseiodeseu servifo.
Ncl mesilla loja consumidores sem-
prrocharao 11111 deposito dcGAZ, de cujo se afanca a
qualidade c em por(Ao bastante para consuinmo.
Vende-se conforme a qualidade, a 320 o 400 rs.
a garrafa.
~ A padaria de urna s porta com a fronte para
a rua do Sebo, na praga da S.-Cruz, contina a lera
venda alm do cxcellente po, ludo o mais que he
proprio dcsles estabeleeimelos bem como : a boa
bolacliiulm d'agoa e sal, furadinha, do 24 e mais em
libra o doce do mesmo tamaito : tudo da mellior
farinha que ha no mercado, esem mistura que so-
ja nociva a qualquer estado.
Ka rua da Senzalla-Nova, n. 3o ,
(padaria) vendem-se juncos de superior
qualidade, em porcao e a retalho, e por
a menos do que em oulra qualquer parte
Na rua Direita, sobrado n. 29, vcndc-sc um (Qj
casal do escravos do servigo de campo, por !
800/ rs., a preta tambem lio lavadeira e vende-
deira; c por 300/rs. um pelo do servigo do |j
campo. jg
Vendem-se latas com bolachinlias de herva-do-
cc feitas de araruta muito novase muito baratas;
batatas linas pelo barato prego de 1,600 rs. a arro-
ba : no armazem do Bacelar, dofronte da cscadinha
da alfaudega.
Vendem-sc casaos de pomhos grandes mui-
to bonitos, bous batedores o de ptima raga por
prego commodo : na rua da florentina 11. 16. A el-
les queso esto so acabando.
Vende-se um escravo mogo, do 22 annos sem
achaques nem vicios: om Kra-de-Porlas n. 95
Vcndoni-se mui bem foilos vasos para llores;
pias para preservaras formigas; pequeos cacos
para vender lloros ; jarras o uutras militas obras
todas de muito bom barro, e mais baratas do quo
as tojas de louga desta eiilade : bem como una
porgo de botijas vidradas, propriaa para azeile, ou
outra qualquer cousa ; na rua da.l/lorcnliua, 11. 16.
Vcndc-seum piano de anuario do Jacaranda
por prego commodo : na rua do Cabug 0.12, loj
docutoli'iro l'radines.
Na rua de Agoas Verdes,, 11. qT>?
vendem-se por precisio 3 bonitos escravos de
17 a 19 anuos ; 2 ditas para todo o sejvigo ; 11 in bo-
nito casal de molcquinbos ; 3 eserav'as para lodo o
servigo por commodo prego:
ynaiafcWfwaja.itmwiiia w*anm.mm>]^g
Vcndem-se riquissiuios corles de canibraiu M
I de seda, propria paca bailes, a mellior fa- U
zonda que tem viudo ao mercado, lano en ja
i gosto como 0111 qualidade: na rua Nova, 11 1
K 8, lujado Amaral. B
vtiwmwz. ^sm^mim^mmi*
Vende-so a venda da rua da Praia, n. 39, com
Koala loja vendcm-se pannos finos, pretos o de
COrw, a 2,500, 3,000, 3,500, 4,000, 4,500 e 5,000 rs.; o
muito fino, prova de limfo.a 6,000, 7,000 e8/rs.; sc-
tim inacao muito superior, a 4,000 o 5,000 rs.; sedas
do cores, a 1,000 rs. ; longos brancos grandes com
bico era voltn, a 640, 800 e 1,000 rs.; ganga azul, a
80 c a 100 rs.; urna grande porgo do chitas do cores
fixas, de 140 a 160 rs.; o outras muitas pechinchas
novas que avista dos freguezesso fu rilo patentes.
REFRESCOS.
Xaropo de grosellic fcito do verdadeiro summo,
viudo ilc l'ranga a 1000 rs. 11 garrafa ; dito de flo-
res de Inrangcira, a 1,000 rs. a garrafa; ditofeitoda
verdadeira resina de angico, que lie muito conheci-
do e approvado por as pessoas que padeccm do pel-
lo, por ja ler fcito ptimos beneficios, a 1,000 rs. a
garrafa; ditos de maracuja, tamarindos, limiloela-
ranja, a 500 rs. agarrafa : no Atcrro-da-l!oa-Vista,
fabrica de licores, 11 17.
Vendcm-se 4 lindos moleeotes do 16 a
20 annos ; um mulatinho muito lindo
e esporto de 8 annos ; 5 escravas, mui-
to mofis, o com habilidades que se di-
rflo ao comprador, muito "111 conta : na
rua do Viga rio, n. 2i,se dir quem vende
Vende-se, por motivo de molestia urna loja
de miudezas com poucos fundos bem surtida,
c bem afreguezada, sita em bom local, a dinheiro,
ou a praza com boas firmas e promette-se van-
tagem ao comprador : a tratar no Alerro-da-Boa-
Vista, n. 58.
Vende-so urna morada de casa de dous andares,
sita na rua do ltangcl n. 26 cm chaos proprios ;
urna cadeira de tres vidros : no Aterro-da-Boa-Vis-
ta no primeiro andar do sobrado de Bernardo Jos
Carnciro Monteiro.
\i loja nova do Atciro-da-
Boa-A isla, n. 70, vcndem-se
sapa (Oes de bezerro, a 1,440 el,600 rs. ; marro-
quim a 1,760 rs.; bolins de bezerro, obra muito
boa a 3,520 rs.; como de lustro cordovSs e be-
zerro inglez, muito superiores; sapatos para senho-
ra a 1,000, 1,120 o 1,200 rs.
Escravos Fgidos.
No Aterro-da-Boa-Vsta loja
, n. 7$, vendem-sc
superioreo bahuszinhos de madeira com lindas
pinturas que servem para guardar roupa de crian-
gas costura, ouro, ele. a 480, 640, 1,000 1,280 ,
1,760, 1,920, 2,240 e 2,560 rs., todos com fechadu-
rasc muito boas.
---Vende-se carne do sertiio, muiio boa chega-
da no ultimo vapor : na rua larga do Rozario ven-
da o. as.
Vende-so una parda de muito boa conducta ,
moga, o que cose soflrivel o engomma liso : na rua
do Queimado, n. 40.
-Continua a estar fgido desde o dia 14 de Janeiro
do corrento anno o preto de nonie Salvador, nagilo
da Cosa, que representa ler 50 anuos de idade,
com os signaos seguinles : bastante alto, secco do
corpo, um dedo mnimo de urna das mflosaleijado,
ps grossos, peritas finas, pouen barba : quem o
pogar leve-o a praga da Independencia, loja n. S,
quo ser generosamente recompensado.
Fugiran no da 9 do passado dous escravos,
do enpenho Vcrmeljio na comarca do Rio-Foriue-
so com os signaes seguinles : unidenome Semillo;
representa 20 a 25 anuos sem barba nariz afilado,
ventas largas olhos grandes e amortecidos, queixo
fino, cara larga ps tambem largas, cintura fina;
quando anda declina o corpo para ilante c mexe-
so muito ; tem pernas arqueadas, ps grandes e
dedos lortos ; urna marca do ftida cm uma das per-
nas : oulro de nonie Antonio cor fula, de 20 an-
uos olhos grandes, beigos grossos ; he gago ; tem
testa acarnerada pernas linas, ps apalhctados, as
costase uadegas cicatrizadas desunas, por ser fu-
jflo : quem os pegar levo ao referido engenho, a
seu scnlior Clemente da ItoCba Wanderley ou a
Manoel Gongalvesda Silva na rua da Cadeia do Re-
cife.
Fugio uma preta de nomo Joscpha de 40
annos pouco mais ou menos, altura regular; tem
uma belda no olliu direilo, beigos grossos bocea
grande, barriga tambem grande ; tem una marca
meia apagada na inflo dircira o outra na perna do
mesmo lado chegando ao p ; sabio com um labo-
Iciro com uvas, saia de chita azul, panno da Costa.
Ksta preta he bem conliecida por vender pexe lia
muitos anuos. Quem a pegar leve a Fra-de-1'oitas,
a Francisco Xavier Pardelhas.
tERN.: NA TYP. DEM. F.DE FAR1A.1847"


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E4CEPS9TK_DYUDMJ INGEST_TIME 2013-04-26T23:30:56Z PACKAGE AA00011611_08532
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES